Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17064


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"Wr-
ANNO LXVII
C ARTA-FE R A 31 DE AGOSTO DE 1892
NUMERO 196

DIARIO
PERNAMBUCO
> PROPRIEDADE DE MANOEL FIGEIRO D FARIA i FILHQS
PARA A CAPITAL E LGARE6 QftDE NAO SE P%GA PORTE
Por tres mezes adiantados. 6$000
Por ti es ditos vencidos. ..<-... 7&000
Por um anno allantado \ 24*060
dem idem vencido.....v 28|000
S$ NQSSQS kGMWS E5CUJ9V0S BK PQUGAC^ESNA FfiAfif'-
QA E INGI-ATERiiA
Os Srs Amede, Prince & C, re-si lentes em Pars34 roe de
Provence.
PARA OS fcOGARgS ONOE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido. .
13*500
15*500
27*000
31*000

TELEGRAMAS
ti
J
SS3VB3 PAaiIWLAS 20 SUBI
RIO DE JANEIRO, 30 e Agosto, s
3 horas e 45 minutva da tarde.
Hoje noite a Gomara dos Deputados
celebra sessS fnnebre especial em faome-
r.agem ao marechal Macoel Deodoro da
Forseea.
PARTE OFFIGIAL
Ministerio da Fazenda
ForaT) nomead03:
Teseu-o Xicio alPara o lugar de 2o e.cri-
.murarlo desta repariga o 1 da fbesourana de
Fazenda do Eslavo de Peraambuo Fran: s o
Ferreira da Silva Machado; 3o esc-ipturario o
praticaule Julio Cesar Moreira da Cos a Lima.
E>tado de P.rnambucoTheseuraria de Pa-
seada1 escripturario o 2o JcSa Fernn les Bar-
ros ; 2* c-cripturario o 3 GedeSo Forjaz de La
cerda Juoior; 3o ecriptura.io o prati^ate JoSa
Alfandega3* escripturario o nraticanie Sabi
ao Olegario de Paula Baptista; p-aticante Acia-
no Bezcrra Cavalcante da Silva Cesta.
Estado do Espir.to SantoTbesouraria de Fa-
zenda- i* escnplurario o Io da Alaadega Joo
Ignacio Lapts.
AlfandegaIo escriplu-ario o l* da Taessura
ria de Fazenda Jos Carlos de Lyrio.
Kstado de S. PauloTheeourar a .de Fazenda
Terceiros escripturario? o 2 da Alfandega da
Parnabyba, Estado do Piauhy, Jas Herzaide
Guimares e o praticinte da Alfandega da Ba&ia
Antonio A gusto ae Scuzb Brito.
Alfandega de Saniosi escripturario o 2o Ve
ran j Gomes Alonso de Almeida segundos es-
criturarios o 3 Glicerio de Oiiveira Bollas e o
3 da Toesoararia de Fazenda do mesmo Estado
Joo Chrietiano deOliveira; 3o escripturario o
i" da Tbesouraria de Fazenda do Estado de Mi-
Das Hi-aes JoCiotho Augusto de Sepulvela Ewe-
rard.
Estado da BabiaTOeiauraria de Faz=n a
Pralicante o da Alfandega do Estado do Cear,
Francisco Correia Goimar es.
EsAlfiidegaPra'icante o da Tbesouraria de
Fazpnn do mesmo Est do Francisco Ferreira de
Moraes Sarment.
Estado da Prabyba Tbesouraria de Fazea
ia Pralicante Joaquim Soares Pinho Jnior.
Estado de Minas Ge esTnesourana de Fa
7. nda3* escripturario u praticante Bernaroino
3 nra Ferreira de Carvalho.
Estado do CcirTh^iu aria de Fazenda
.2* escip'.u aio o 3* da Alfandega do Estado de
Pernambuco Franci.co ae Sal-, s Vasconcellos.
Estado do ParaTnesou U'ia de Fazenda
Praticante Bemvenut de Ol: eir, |
Estada da Piauhy-Aifndeya da Parnohyba
2o eg:ripturario o praticant da Tflesooraria
de Fazen 'a do Etado do Para Antonio Aurelio
do Mnezes.
Estado do Rio Grande do Su!Alfandega de
UruguayanaIo eecriptuiano o i da de Sant03,
lislaco de a. P.ulo, Aojzuta Garlos de Frenas.
!'. i nomeado inspector da Tnesouraria de Fa
i tnda do Estado doMaratba o 2o tscripturario
Jo Thesouro Nacional Julia Cesar Leal e ex ne-
rado o inspector da referida Tbesouraria Anto-
nio Rodrigues do Costa Chaves, por nao baver
assuxido o esa. rio durante o prazo legal.
Abril do correte anno, do municipio de Bea-
Vista para o de Villa Bella, resolve co acede r-
Ibe, a contar de hoje, o prazo de oito das, para
o peticionario solicitar a apostilla do respectivo
titulo, e bem assim pagar os direitos devidos.
Offices:
Ao r. questor policial..Nesta dala autoriso
o inspector do Tbesouro a manjar pagar ao car-
cere'.ro da cadeia de Amaragy, Fratfcisco Leite
Niry, em vista do respective titulo, os vencimea-
toa que lhe competirem, a contar de 1 de Janei-
ro do corrate anoo em diauta, na razo de 120
annuaes, conforme tica arbitrado. Expedioee
crdem ao inspector da Thesouro.
Ao inspector do Thesouro do Kslado.Nos
termos da vo3sa inforreaco n. 451 de 31 de
Ma'0 ultimo, mandai pagar ao commissano e
o sub-commlssario do municipo de Cabrob,
Fauslino Rarbosa de Serra Fcrraz e Antonio Pe
dro da Silva os vencim relativos ao mez de Fevereiro do corrente anno
conforme 03 doenmentos juntC3.
Ao mesmo.Declaro V03 para os devidos
ti a.- que en 22 de Juoho liado autorisei a empre-
sa d'A Provincia a fornecer a secretaria do go-
verso 500 x- mplares, razo de 200 r3 cada
um, da lei n. 15 de 14 de Novembro do fino
paseado, vis'.o ter-se esgotada a edigo que exis-
ta e ser a prc pona da dita empresa a mais van
tajosa de entre as apresentadas.
Ao procurador geral do Estado.Tendo o
servico a cargo das Juntas Commerciae3 de oatc-
rexa daquelies que, pela crganisago d03 Esta-
dos, deixaram de pertencer ao governo federal,
convem que informis si, em vista de eemelhan
te motivo, os recursos ioterpostos para o gover-
no, nos tersos do art. 41 do regulamento expe-
dido pelo decreto n. 596 de 19 de Julbo de 1890,
dos actos e decisOes das mesmas juntas devem
logo ser decididas definitivamente pelos gover-
nadores de Estados ou si, a competencia dos re
(tridos goveroadores, eco relago ao assumpto,
considera se ainda restrictiva, nos termos do
art. 42 do mencionado regulamento.
Ao inspector geral da Instrucgao publica.
Para resolver sobre o assumpto do requjrimeu-
to da professora Maiia Candida Tavares de Mel
lo, sobre o qual preslastes a informago n. 297
de 23 da Junbo lindo, ecommtnlo vos que in-
formis si ba inconveniente em ser supprimida
a cadeira de ensino primario de Bongy.
EXPnOlKMTB DO DR SKCRBT\BIO
Officics:
Ao inspector do ThesouroDe ordem do go-
versador do Estado communieo-vos que em 25
de Jucho fiado o juiz substituto do municipio de
Oiinda, bacbarel Jos de S Cavalcante de Albu
querque entrn no gozo da liceoga que obteve
u timameote.
Ao mesmo.De ordem to covernador do
Estado communico'-vos que em 16 de Juoho fin
do o bacbarel Francisco de Aasis Pereira Rocha
assumio o exercicio Co cargo de ]uz de d:reito
do municipio de Tacarat, para o qual foi no-
meado em 5 de Malo do corrente anno.
_Ao juiz de direito do municipio de Carua
r.O goveraador do Estado recommenda-vos
que, coqj a possivel brcvide, informis sobre
o assumpto dos incluios officios que devolvereis,
de 20 de Junho todo, dos juizes de direito do
municipio de Bezerros.
Entraram em exercio as seguintea
autoridades policues :
No dia 23, o cidadlo Manoel Antonio
de Oliveira BrandSo, subdelegado do 1-
districto de JaboatSo.
Ne dia 29, o capitSo Joaquim Elias de
Carvalho Motara, delegado do municipio
deMuri'eca.
Nesta data, o tenente Aotonio Wadder-
ley da Fonaeea Braga, subdelegado do
districto do Pogo da Panella.
Ao Dr. Alezatadre Jos Barbosa Lima,
muito digno governador do Estado.
O delegado eccarregado do expediente,
Affanso de Albuquerque Mello Jnior.
DE
oSr.
Rlnlster'o da Hartaba
Fora-a comeados: o Io lente. Jos Augusto
de Amo.-im Rangel, encarregaCo do gabinete de
torpeis do Ar enal de Mannba de Matto-Grosso
sendo exenerado desse iugar o 1 lente Fran
cis o Marianno Wanderley; o capitao-UneDte
Silvino Caroeuo da Rocha, capito o porto do
Espirito Santo; o capito tenente Joaquim Fran-
co, p.ra suts.ituir o capitao-tenenie Arisies
Monteiro de Piano na presidencia dos conselbos
do b'utaihao naval.
Foi nomeado o Io tenente Carino de Souza
Franco para o tugar e ajudante de ordtnsdo
contra-almirante commanlante do corpo de ma-
rinheiros nacionaes.
Conce4e-sj licenca de 2 mez s ao capi-
to-teneate Manoel Jacintho finheiro, capito do
porto do E;|iirito-Santo.
UaDlou-se submetter a conselho de guerra
o carpinteiro de 2* classe da brigada dos rliti-
c s militares AnUH:o Jos dos SaDto?.
Pertittio se que Tnomcz Wa alvo Otak,
aprendiz de 2* classe da ofiicina de limadores
do Arsenal de Marinba desta capital e alumno
lo Lyceu do. mesmo Arseca, durante quatro
meu s, empregue se na qualiade de praticante
de oaac! ;nila em vapores mercantes.
Au.jiisuu e o .spictor do Arsenal de
Marinba desta capual a contractar um cildei
reiro de ferro, um torneiro mecbanico e um fer-
reiro para s-rvirem no Arsenal de Marinba de
Matto Grosso.
Ftram oomeados:
O cipo terieDte Jos da Costa Barros para
exercer o ca'go de ajudante da capitana do
porto desta capital, e o 1 t< nsnte M noel Jos
Goncalves para c lugar de secretario e ajudante
de ordens do conaiau lo da floti ha do alta Uru
.-;uay.
CoLcleu-se a cidade por menagem ao com-
missano de 5a classe, guarda marinba Alfredo
Alvfm. _,-JM-u^-___
CioTerno lo Estado de Per-
nambnco
EXPEDIENTE DO DIA I DE ICLHO DB 1892
Actos :
O governador do Estado, attendendo ao
que requerea Ernestina Victoria Beranger, pro-
iessora da lerceira cadeira de ensino primario
4o sexo feminino da Capunga, e tendo em vista
as informac6e8 ns. 280 e 570 de 0 e 29 de Ju-
abo finJo, do inspector geral da lnstrucQo Pu
Wica e do Inspector do Tnescuro, resolve con-
eeder peticionaria a graticaao de mrito de
Jue trata o art. 125 do Regulamento de 18 de
anelro de 1888, virto co *tar mais de 15 annos
e effectivo exercicio no magisterio publico.
Communicou3e ao inspector geral da lostrucgo
Publica.
O goverr>ador do Estado, attendendo ao
que requeren Tranquiliao da Cruz Ribeiro, pro
fesser da cadeira de ensino primario da ra Im-
perial, uta cidade, e tendo em vista a nfor-
maco n. 283 de 20 de Junbo ndo, do inspector
feral da lastruccao Publica, e o parecer da jun-
ta mlica, resolve, nos termos do art. 180 4.-
e I>1 combinado coto o a-t. 139 do Regulamento
e 18 de Janeiro de 1888, jubilar o peticionario
om a penjio corresponoente ao ordenado,
l?atitic-:cao erdinaria, de bons servigos e a de
erito, visto contar mais de 35 anno3 de servi-
les n acbar-se tmpo3sibilitado de continuar no
Magisterio.Fieratn se as necessarias comxu-
icaces.
O governador do Estado, aAndendo ao
que requereu Pompeo CantareM, commissario
a guarda bacal transferido por acto du 1,8 de
Commaudo das Arni,
Quartel general do Comaaando do 2o dis-
tricto militar em Pemambuco, 30 de
Agosto de 1892.
Ordem do dia n. 29
Fojo constar a guarnigao para os fina
convenientes que hoje apresenturam se
neste quartel general viados da Capital
Federal o Sr. tenente coronel comman-
dante do 11 batalhSo Pedro Taula da
Fonseca Galvao que seguir no mesmo
Thesouro do Estado de Per
u mime o
DESPACHOS DO DIA 30 DE AGOSTO
1892.
Companhia de Snta TberezaInforme
cont dor.
Bacbarel Temoleo Peres de Albuquerque Ma
ranbo, Vicente Ferreira da Costa Miranda, Se-
bastio Brando e Maria Maglalena da Nativida-
deHija vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Joao Al ves de Fre tas e Alfredo dos Santos A!-
meida.Certifique se.
Francisco Mauricio de Abren, Maria Sancho da
ConceicSo, Manoel Joaquim Ferreira dos Santos
e Illidia Molla da Encaruacao. Inferme o Sr.
Dr. administrador da Recebedoria.
Amelia Augusta de Moraes Qainlal.Regstre-
se e fac Ted. Just, Rodrigues de Sama Irmaos,
e Agostinho Santos e C Nada ba que deferir.
visto ter sido os supplicantes attendidos pela
deciso da junta em outra petico de que sao
signatario?,
Loureiro Maia e C e oulrosAttendidos pela
inelusSo de outros na classe a que se referem os
eupplicantes.
Andrade Lopes e C, e outros Dse provi-
ment no sentido de ser alterada a collecta in-
cluindo se os seguintea importadoras que forana
cla88iQcados como retalbadores, conforme o dis-
posto do art. 53 da instrucslo de 27 de Julho de
1883 : Narciso MaiaeC, Severioo Maia eC,
Alves de Brillo e C, Guerra Fernandes e C, Ro
drtgo Carvalho e C, Albino Amorim eC, An-
drade Maia e C, Joaquim Goncalves e C, Mi-
randa e Sotza. Pereira e Magalbaes, Joo Fer-
nandes da Silva Pinto, Antonio Pinto da Silva
e C. Ferreira Guimares a C, Nunes Fonseca e
C, Manoel. Colaco e C, Manoel Dias da Silva
Guimares, Albino Silva eC, Martina Rodrigues
e C., Souia Nogueira e C, Manoel Joaquim Ri-
beiro e C, Vianna Castro e C, e Antonio Mar-
tins e C.
t2o
os
DIARIO DE PERNAMBUCO
REOIFJ3, 30 DE AGOSTO DE 1892
Arsenal de Hartaba de Pernam-
baco
vapor a'rcumr-se ao aeu c rpo, o 2- cadete
1" sargento Francisco Jaborandy de Moraes
e cabo de esquadra Joao Francisco da Silva
os quaes reunir-se-hSo ao 2' batalho de
infantera, para o qual foram transferidos
segundo constou de officio da Repartilo
de Ajudante Geaeral do Exercito o. 8125
de 23 do mez espirante, bem como o 2-
sargento do 14 batalhao de infantera Ma
noel Fraucisco de Vasconcellos que se
recolheu da escola de tiro onde se achava.
(Assignado) Roberto Ferreira, general
re brigeda commandante do 2* districto
militar.
Est conforme.Gustavo GalvSo de
CavecdiBcb, aiferes ajadanto de ordena
eacarregado do detalhe.
---------------?
Quostura policial
Seccao 2a. N. 199. Secretaria da
Que3tura policial do Estado de Pemam-
buco, 30 de Agosto de 1892.
CidadSo.Participo-vos que foram hoa-
tem recolhido Gasa de DetengSo oa se-
guintea individuos:
A' ordem do subdelegado da freguesia
do Recife, Serafim de tal, por embria-
gue*.
A' ordem do subdelegado do 2. da
tricto da Boa Vista, Franciaoo Loronlo
de Souza, Ricardo Vieira, Elvira Joaqui-
na de Franga e Henriqueta Maria da
ConceigSo, por disturbios e offeusas a
moral publica.
(Jommunica o subdelegado do dis-
tricto de Beberibe que ante hontem, a
4 1|2 horas da tarde procurando a praca
Conrado da Silva desarmar Malaquias de
tal, que se achava armado de um rewol-
ver, aconteceu e3te disparar e ferir ao
mesmo Malaquias.
Sobre o tacto procede se s necessarias
providencias.
Ainda ante-hontem, a 3 1[2 horas
da tarde, morrea afogado no poejo da fa-
ejida do paiol da plvora da Imbiribeira
o individuo de noma Jos Vicente Ray
mundo, que havia descido ao mesmo poyo
para apanhar um passaro
O cadver do iafelii foi retirado hon-
tem pela manhS do pojo, dando o subde
legado respectivo as providencias que o
caso exigia.
Pelo subdelegado do districto da
Torre foram remettidas ao juizo compe-
tente as diligencias a que procedeu con-
tra Antonio Rodrigues da Silva, Pruden-
cio Henrique de Barros, JoSo Baptista
dos Santos, Miguel Archanjo de Barros e
Germano Henrique de Barros, autores do
roubo de diversos objectos pertonceates a
Jos Faustiqo Bodrigue3 e Miguel Lucas
dos Santo*.
Possuidos de justa aleara transplantamos
para as nossas columnas dous magnficos edito
riaes escripto3 pelo co3so illustrado collega d'O
Paiz.
Agradccendo o vaiioso concuaso que tfio dis-
tinc'.o collega acaba de prestar defeza de inte-
resses justiasimoa, esperamos que o Congrsso
Federal rejeite a suppresso do nosso Arsenal
de Marinba.
Arsenal de Pernambuco
(Do Paiz do dio 22)
Alimentamos as melhores esperanzas
de que o patriotismo da cmara dos Srs.
deputados nSo sancionar com o voto de
ana maioria a pretendida extinccSo do
arsenal de marinba de Pernambuco.
J o dissemas hontem : nao somos e
nena pederemos ser infensos as medidas
de orde/n econmica, no momento em
que a nacao est aasoberbada por despe
zas, urnas originarias de erros de toda a
sorte, outraa urgidas pela transformado
do nosso rgimen poltico ; iaso, porm,
nao autorisa de modo nenhum resolucSes
do carcter desta que se debate na c-
mara.
O arsenal de marinha de Pernambuco,
como todos os outros da Repblica,
urna escola artstica e ao mesmo tempo
foco de trabaiho com resultad) para o
governo que o creou.
Encarando o debaixo deste ponto de
vista, tendo o como elemento do ensino e
como ncleo productor, votamos contra a
sua sappressSo, como votaramos contra
o fechamento de qualquer escola publica.
Que exemplo dar o gevemo da Rep-
blica retirando o seo apoio e o seu au-
xilio bob ncleos artsticos, de modo tao
azefamado, que at os eetabelecimontos
de sua adminiBtracSo sao golpeados de
morte ?
Que en sin amen tos de incentivo a eras*
ses laboriosas podem advir n'um rgimen
em que se fechauv ofeinas do Estado,
langando ao abandono centenas de opera
rios, que deram ao proprio governo o
melhor do aeu tempo, a mocidade, que
o futuro, as foreas phyaicaB em activida-
de, que repreaentam a subsistencia da
familia ?
Honramos as intenc33S do Sr. contra-
almirante ministro da marinha, acredi-
tando, como acreditamos, que S. Exc.
pedio a suppreBs2o do arsenal de Per
nambuc^ porque o vio aniquilado e ina-
ctivo.
Mas esse fundamento, que at certo
ponto prestigiara os intuitos do honrado
ministro, levantar-se-hia agigantado para
condemnar por igual os arsenaes da Ba-
ha, do Para e do Ldano ; porque, a
verdade e esta : todos quatro estSo em
conclIcSes idnticas, todos resentem-se da
mesma falta de elementos, que lhes deem
a feigSo da offiaia&s modernas e que Ihos
tragara as compensaroes das sommas avul-
tad.as que actualmente cocaomem.
Se qjizessemos citar esemploa, tel 03-
binmos fasj^toara levar a canviejo da
re.-iade ao WpTIto do Sr contra-alnji-J
'a^te Mol; mas c liontme ministro
um profiseional e oonhece o asaumpto
bem quanto quem pretende auxilial o
crevendo eataa linhas.
Contrario3 ao pensamento da suppres
sito de qualquer dos arsenaes, achamo-nos
vontade para dizer que a rotina dos
procesaos antiquados, os apparelhos maia
rudimentares das velhai escolas artiaticas
alo os que ainda hoje trahalham em
qusai todos os arsenaes de marinha da
Repblica.
As pecas de mais difficil confeegao sSo
lsiscrdaB mito ; o braco do operario
que substitue todos os apparelhos mec-
nicos, e isso, que um documento vivo
da intelligencia, da energa, da vocagao
artiatica dos nassos compatriotas empre-
gcdos em taes estabelecimentos navaes,
vem dizer bem alto at quando e at que
ponto no tempo da monarchia desprezou-
se e langou-se ao abandono os arsenaes
de marinha.
O arsenal do Para, por exemplo, onde
nos primeiros annos do imperio foram
construidos navias de maior calado, por
tal forma foi decaindo, que aos ltimos
annos da monarchia s com as maiorer
difficuldades podia emprehender obras ver
dadeiramente mnimas-
E' certo que dous iuspectores daquelle
estabelecmeoto, os actuaes contra-almi-
rantes Carneiro da Rooha e Carlos Noro-
nha, envidaram todos os sens esforgos, to
da a sua boa actividade administrativa
para scerguer o arsenal confiado a sua di
rece,: 2o.
Mas que o digam esses dous distiectos
oficiaos, se as suas solicitabas foram at-
tendidas, ou ee contra as muralhas da in-
differenga governamental de entao nao
quebraram-se toda a pujanga de sua boa
vontade e toda o empenho que emprega-
r*m no sentido de dotar o arsenal do que
mais imprescndivelmente elle necessi-
tava.
O que succedeu aos dous generaes a
que alludimos, foi tambem partilha do de-
putado Dr. Ferreira OantSo, que intil
mente, em diversas sessSes das cmaras
monarchcas, cae cessou de clamar em
beneficio do arsenal do Para.
Poderiamos dizer ainda que esse arse-
nal em tal grao de inaegito caio, que, en
cetando-se a c?nstrucgSo de urna baro
pharol, urgentemedte reclamada para o
canal do Braganga, pois que l eatava
nm navio temado por alevado aluguer
diario, ao m de tres annos viaaol a ainda
u i csialeiro, em carcasa i, isto com sim
pies caverna.
Isto que dicetnos, como focto de obser-
vagao o smplesmente para demouatr&r
que nao tmente o arsenal de Pernambu-
co est aniquillado como estabelecimento
de fabrici, n9b utotsa a apoiar a sup-
pressao de qualquer delleB ; bem ao con
trario, aponta o nacessidade de prove os
do necessario e. de apparelhsl-os no senti-
do de tornal-os dignos da Repblica e da
hiiosa marinha nacional, oade regos^'amo-
nos de contar rs melhores, mais s'ncaras
e mais dedicas sympathiaa.
Arsenal de Pernambuco
(O'O Pdit do dia 25)
A'gumas observagSss rnais nao j para
discutir a suppresso do arsenal de mari-
nha de Pernambuco, que julganras eufH-
cientemente oembatida a iui da razao,
mas para acompanhar a cafrta com que
bonrou e distingui o contra-almirante
Carneira da Rocha ao autor destes art i
g08.
Em prineiro 'ngar, as palavras do di-
gno official, a quem nao protendeojoa se-
nao fazor justiga Balientando os seus me
recimeatos e o esforgo que ompregou
para tornar o arsenal do Para um estabe
lecimento altura de sua mis33e naval,
em p^nto tSo extremo quanto importante
do BrzH.
Darnos a palavra ao Ilustre general de
mar :
Arsenal de Marinha, 22 di Agosto de
1892Meu caro amigoTenho dd oa
artigos publicados n'O Paiz com o titulo
Arsenal de Pernambuco, que quero crer
sSo eicriptos pelo Ilustre amigo, o que
mais me certicou pela leitura da hoje,
em referencia ao arsenal do Para ; venho
declarar em bem da verdade, que fui
muito attendido em minhas sohcitagSes,
quando e?eoi o cargo d inspector., pelo
comelheiro Ribeiro da Luz, entao minia
tro da marinha. Para pro va l deixei duas
novas ccnBtruegSes : o quartel dos artfices
e um grande tt Iheiro para es trabalhos da
construcgSo aval, e j arrematada a edi-
ficagSo de um bonito predio para residen-
cia do inspector, com todo o conforto pes
sivel.
Obtive o cargamento a pantHelipipedos
das duas princfpaea ras qu cortam o ar-
senal e aaquiri a pOsse da praga de Bag
contigua ao arsenal, por urna sequen?, in
demnsago feita a cmara municipal, que
nenhum embarago apresentou.
Todos estes melborameitos foram dei
berados em um plano geral, proposto por
mim e aceito pelo conselheiro Ribeiro da
Luz, depois de ouvir a opiniSo do direc-
tor das obras civis e mititires do arseal
desta capital.
Esse plao abrangia outras constru-
g3cs, dentre ellas urna mortona.
Fez-se um reconh aciment na bahia de
GuBJar,afim de se encontrar um ponto no
littoral, onde fosse possivel construir se
um dique.
Para isso estivaram em commissSo o o -
genneii;o corone! flv'rm e putra cegeahei-
T9 ing4 i.
A creagSo da companhia de artfices
tambem foi autorisada pelo mesmo minis-
tro, depois de votada as duas camaraa
legislativas a verba respectiva.
No pouco que consegu, devo dizer,
ainda a bem da verdade, fui muito coadyu-
vad. pelo ex-senador barSo de Mamorc,
que, juoto quelie ministro, constituio se
meu advogado, convencido como estava
de que o arsenal do Para devena no futu-
ro coostituir-8e um centro d recursos
para a exploragSo do no gigante e para
defeza de urna zona tSo importante situada
no extremo do Brasil. Outros distinctos
parsenses tambem me coadjuvaram, e
dontre estes o Dr. CantSo, sempre inte-
ressado no progresso de sua trra natal
Terminada esta rsctificag2o, devo agra-
decer as palavras de elogio que o digno
camaraa empregou, atina de salientar mi-
nha administragao no arsenal de Para, o
que prava mais sua bandada do que o
realce de taes servigos. Do amigo etc.
M. Carneiro da Rocha.
NSo los fizemos talvez bam comprehen-
didee do honrado contraalmirante Carneiro
da Rooha, quando, no artigo de nossa ul-
tima edigo, exemphfioando com o estado
do arsenal do Para, estabalecemos o pa-
ralielo de aniquilamento de todos os arse-
naes do norte.
As observares do distincto official sSo
profundamente verdaJairas, podemos dar
testemunbo ocular: S. Exc. agio com a
melbcr boa vontade quando foi inspector
daqueile estabelecimento naval, e, prest
giado em suas solicitagSes pelo entlo mi-
nistro, cooselheiro Ribeiro da Luz, conse-
guio o quanto expende em sua carta.
E' certo, as du s ras priacipaes do ar-
senal oram calgadas a paraIlelipidos,como
urga a decencia do estabelecimento e
como meio de obstar a vegetagSo, que
brotava pujante, emprestando ao proprio
do governo urna feig&o que o desnaturava.
Na administragao de S. Exc. construio
se e quartel para alojamento da compa-
nhia de artfices, annexa ao arsenal ; le-
vantou-se o plano do elegante edificio de-
pois construido, com todos es confortos,
para residencia dos inspeetores; adqui-
rio-se por ndemnisagSo antiga oamara
municipal urna parte da praga da Bag,
para ampliar a rea do arsenal, mas at
hoje ease terreno nSo foi utilisado, embora
tenham decorrido cerca de 20 annoa; fi-
nalmente, S. Exc. cogitou da construcgSo
de urna mortona, entao indispenaavel como
hoje, maa diaao nao mais trataram os go-
vernos monarchicos que succederam-se.
Sa exac'os, sSo profuadaaae te ex c-
tos todos esses alevaat*do3 servigos que
o digno contra almirante Carneiro da Ko
cha presou, e que aiada hojo fazem ba
nemerto o seu nome no arsenal do ex-
tremo norte, mas, avocamos a benevoU
attengSj do honrad) official para o ponto
de vista em que c-alloaamo3 o debate : o
predio para residencia do inspector, o
quartel para alojamento dos artfices, o
calgamnnto das ruaa e a aicquiaigao do
terreno a praga de Bag nh melhoraram
e nem infliiram nos elementos do traba-
iho artstico, nao apparelharam as offici
uaa de construcgSo, tirando-as da deca
dencia, aubstituindo o brj oparario pe-
los propulsores mecaaicoa, que acressam
a obra, aperfeigeam-aa e, portaato, eco
uomisam tempo e dinheiro.
S. Exc. fez construir um telheiro para
officinas de carpintaria, mas sua re-
tirada do arsenal nada maia adiantou ae :
o telheiro continuou e continua como
urna officina de ha meio seculo, abr
gando operarios que manualmente fazem
todo o trabaiho, servindo se de instru-
mentos rudimentares e coxmuna.
Cerca de 15 annos despandeu
seal do Para em solicitagSes
em
mais
cujo
mi-
vado, porem, do seu arsenal, ficar
melhores condicgSes ?
Que reflictam nisso as opiniSes
doutas e melhor preparadas, em
numero est por certo a do honrado
nistro da marinha.
Em todo o caso, j o dbate est maia
esclarecido e muito mais podara sel o
com a propria palavra do Sr. contra al-
mirante Mello.
S. Ex. porm, ao que presumimos,
pe asa que no rgimen do presidencialis-
mo os ministros nSo podem debater pu-
blicamente as questSas das pastas respec-
tivas ; e, se assim respeitamos o modo
de ver de S. Exc, embora controvertido
por collegas seos, qne de ordinario vm
imprensa.
EXTERIOR
*)
AMERICA DO SLTL
Chlll
A cmara dos deputados approvon o projecto
de lei, declarando benemrito da patria o exer-
cito que derrolou Balmaceda.
A mesma caaaara approvou o prnjecto de lei
autorisaodo o governo a effectuar reformas na
administragao.
Falla-se com insistencia na demisso do
presidente da cmara dos deputados e do minis-
tro da fazenda.
O ministro de estrangeiros respondeu sa*
tisfacloriamente nota do governo peruano, so*
bre a divida de guerra.
O presidente da Repblica nao aceitn o
p.dido de demisso do intendente desta cidade.
As novas eleic.es muoicipaea eslo aanun-
ciadas para 12 de Setembro.
A iademnisago de 70.000 pesos aos mari-
nheiros da Ballimore* ser paga em urna s
prest cao.
O Dr. Fernando Copetegoy foi nomeado
chele de poliaia da capital.
FlTectuaram-se oa catbedral solemnes exe-
quias pelas victimai do morticinio ba dous an-
nos bavido em Las Casas, quando presidente da
Repblica D. Jos B Imaceda.
governo acaba de conceder peesfies s fa-
milias daquelies martvres da campanba consti-
tucional.
Pela melhor sociedade de Santiago foi i ac-
recido um banquete ao Dr. Francisco Uribur.
Prononciaram se discursos de confrateroidade
eatre o Chili e a Repblica Argentina.
Em Aconcagua e Maipo sentiram se volca-
tos tremores de trra.
Paraguay
Os uUimo3 artigos polticos do jornal El la-
dependente, escriptos em lioguagem violenta,
provocaran iodigoaco geral.
Como consequ.naia, no da 23 urna massa po-
pa ar se dirigi cllicina onde se imprime o ci-
tado jornal e abi empcseloo a lyaographia, 3a-
queaado e iriulilisando ludo o que encontrn.
A polica, avisada do occorrido, compareceu
logo ; porm nao p61e cooter a furia popular.
03 maaife3taQtes, d pais de commettido o de-
licio, dispersaram se tranquilamente.
Repblica Argenl'na
O presideate da repblica enviou no dia 19 ao
congresso urna meosagem, negando a presenga
do general Nicols Levalle, ministro da guerra e
marinha, para esclure.er 03 debales a proposito
dos fornecimeotos ao exercito.
Lida a meosagem, divarsos deputado3, na c-
mara, tomaram a palavra e energicmenie im-
pugaaram o procedimeoto do cbtfe do estado,
clarificando de insolente a attitude do poder
executivo.
A sesso tornou se tumultuosa, partindo de
diversas bancadas apartes vicenlos conira o Dr.
Carlos Peiegrini.
Algons des orador, s declararam que o caso
era de tari magnUule ene o congresso deveria
p-ocessar o presidentt da repblica.
No dia seguate todos os jornaes oceupara -se
da aualye da mensagem e dedicam longos ar-
tigos ao incidente parlamentar, tendo causado
extraordinaria impresso o artigo que a respeito
escreveu La Prensa.
Diz este collega que o Dr. Carl03 Peiegrini
cbicoteou o congresso nacional.
Nos circuios polticos tambem esse incidente
o assumpto de todas as conversagOes.
E' grande a excitaga publica e recea se que
graves acontecimento nao resultem de todos 03
netos.
O governo, por seu lado, acautelas-see poz le
promptido toda a guaroigo-
Effectivamente no da 20 foi realisada a inter-
pellago, e delta resultcu que a cmara se tor-
nas; e em completo desaccordo com o governo,
em consequeocia de se recusar o Sr. N. Levalle,
ministro da guerra e da marinba, a responder,
dando como pretexto desta recusa obstinada o
faci de alguos deautados, apenas figurando
como apostlos da moral e da probidade, seren
de todo contrarios ao contracto dos fornecimea-
t03 em qaesto, e que 03 documentos aprsenla-
dos eo congresso devem ser soffiantes.
A sesso esteva da principio a fim agitadissi-
ma, sendo notorio que em consequeocia dos
fados qu se lescortinaram nessa casa do par-
lamento a attitude hostil da cmara perante o
governa, j ha lempas presentida, accenta se
agora mais claramente.
O Dr. Carlos Pellegrioi, pres'dente da rep-
blica, apezar do que acaba de se passar, apoia
a conducta do Sr. N. Levalle nesta importante
quesiao.
No3 circuios polticos attrbue-se ao Sr. Dr.
Carlos Pellegrioi, presideite da Repblica Ar-
gentina a intengo de dar a sua demisso, caso o
seu Buccessor o Dr. Luiz Saens Pena ee resol-
vase a assumir o poder antes de 12 de Outubro
prximo, data do novo periodo da presidencia.
De entro lado, aliraaa se que o novo ebefe do
Estado nao que: tomar posse de suas altas func-
gOes antes da data determinada pela constitoigo
argentina.
Com effeito, o Dr. Luiz Saens Pena, tendo co-
nbecimento d'aquella intengSo, fez constar pelos
peridicos e rodas p-liucis que o cercara, que
nao aceitara a p-e3idencia da ConfederagSo Ar-
gentina para a qual foi proclamado ltimamente,
antes de ter exp'rado o ultimo dia do periedo
presideacial, do qual estava de posse o Dr. Car-
los Pellegrioi e que ? a 12 de Outubro prximo
futuro tomara as redeas do governo.
Eisa declarago franca e pa'riotica provocoa
geral agrado, resigo.ado se o Dr. Carlos Pelle-
grioi a retirara sua dem-so e continuar testa
das negocios da oago.
O Sr. N. Levalle, ministro da guerra e da ma-
rinha, por seu lado, para nao augmentar mais a
discordancia e a tic?iiiirtc.de existentes catre a
Caara dos Deputados e o governo, resolveu res-
nonder interpeliacJo que lhe fra di-igida so-
n2o faz no entanto desaparecer todos oa, ^ ^ fo:Deeimento militares, ao que se liaba
urna serrara a vapor, e e ao
ar-
para ter
fim desse
tempo, por decidida vo atads do ministro
Vieira da Silva, foi o estabelecimento do-
tado de melhoramento tal.
V o digno contra almirante que, aem
querermos ir mais longe, s3o perf'e ta-
mente idnticas as condiegoes ds aniq-ii
lamento de todos os arsenaes de marinha,
exoepgao do desta capital.
E j agora, baseadoa em informagSo
merecedora de t, julgamo-noa mesmo
autorisadoa a dizer que conhecemos o
pensamente do honrado ministro da ma-
rinha co que concerne a suppreaaSo pro-
posta.
O Sr, contra almirante Mello conhece
que todos $s arsenaes nSo desempanham
o papel que lhes incumbe quanto ao tra-
baiho que confeccionara ; mas baseau a
proposta da exticego do de Pernambuco,
tendo em visca a sua posigSo estratgica,
nSo somente quanto a ataques, como quan-
ib defeza.
Para o honrado ministro da marinha,
a iuagao de Pernambuco em relagSo as
distancias dos domis ports amis fa-
voravel ; mas, em compensagSo, fcil-
mente atacavel e imaossivel de ser de-
fendido cpnveniente e efficazmente
Os direitos dos operarios de Pernambu-
ca o era o garantidos, nos dizem igual-
mente, removendo-3e-os para reparti-
gSea congeneres,
coatumavam fazer
e justiceiros.
Isso q^e tranquilisa at certo ponto,
camo affirmamos que
oa governos honestos
embaragos que a vida daqnees
rioB sobrevirSo da remogSo e
tamento a torra natal ou de
bitos.
Pernambuco nSo um' -poato de
tinjo asaque e fle regUma tftfesa
do afas-
seus |a
opera- su eto recusado, na qu ra feira proximr, 2i
,do corrente.
E3sa resposta esperada com anciedadee pro-
vocar na opiuio de muios umi concordata
certa, aa Cacara dos Deputados e igualeeole
esperado q'ip aln seja votada ama ujofiio de oefl-
lta^;afe_|5xerao.
Vi.










Diario de Peruambuco Quarta-fe.ra 31 de Agosto de 1892
No ntreteme rinda dirtaaoltttis tora; que rhattrgrandes depsitos de inflmamela, o que
insista o Dr. Carlos Pellejtrini em renunciar o contnbuio para a estensao do siuialro.
cargo de presidente da Repblica, parecendo
por uutro lado que o Dr. Saent Ptoa acha-se re-
solvido a Eubstitoil-o antea-do prasa coaatifcaciak
nal, a ponto de ja se indigltar oa nome
turo3 ministros, entre os quaes declina me* Dr.
Irigoyem. .
E'certo, poim, quejo trata activamente de
orna reeoaciliago do presidente da Repblica
com o Congresso, o qe nao sera de estranhar ae
succeder, visto que-oeste proposito acnam-se
empenbadas diversas suaiattdadei politizas.
Assim tornaro aa cousas aos devMos eixos,
e nem o Dr. Pellegrioi deixar o governo, nem
o Dr. Luii Saem o assurair aates do tempo
constitucional.
Nos circuios polticos suppSa se que o pro-
vecto de revisto de certos artrgos da le sobre os
delictos poltico.1 cammettidos pela imprenta, nao
ser subruottido ao parame oto, em con3equen-
cia da inteogio di governo argentino de estabe-
tecer um jury especial encarregado da julgalos.
O ministro da (aieoda ten Jo partido para o
interior, no propo3ito de inspeccionar as alfan-
deg.s da repblica, cbegara na maoh da 21 ao
Rosario, provincia de Santa F, onde visitar os
trbateos do oorto-em execucao.
03 initiitasoff'rejemqirta feira prxima
nm banquete de 150 taiberes ao Dr. Luiz Saenz
Pena.
A cianifstaco projectada a este Ilustre
estadista deve realisar se no dia 28 do correte.
A coaamisSo organisadora dessa grande ma-
nifestago mostra-3c incansavel emlevaraeffeito
a mesma maoifestago e dar-lbeomaior brilhan-
tismo possivel.
Tem reccbido at a presente data iateira adhe-
so das socttdides, clubs, par idos, commercio
e do povo, que concorre francamente para a
festa, dando assim prova de grande sympatbia e
reodeado ju t u> alta bomenagem quelle illustre
diploma ta.
Alm dos paaaetos civicoa, hiver grandes il
luminages, sendo decoradas e entenadas com
galnardetes, baodeiras, etc. as principaes ras
da cidade.
O Dr. Mariano Varella, ao que consta, ser
eleito presidente do senado.
Contina a mantfesta- se na populaco o
recelo de urna prxima revoluco.
Como medida preventiva continuam aquartel-
lados tolos ot bataih---s da guarnicao da cidade
de Buenos Ayres.
a provincia de Jejuy, onde bouve novos
tumultos com cara ter mais violento, aota-ae ora
mo estar geral, originado pelos boatos revolu-
ciona ios qoe.circulam e que pOem em agitago
e alvorogo maior parte da papulaco, que co-
mega a irritarse por isso.
Graves desordena sao esperadas de um mo-
momento para outro. .>
O governador dessa provincia tomou as pro-
videncia? que a sttuago actual reclama.
Cbegara a Montevideo a esquadrilbaargen-
tina, segundo noticias recebida ; e sbese que
aa Ponta do Indio traha naufragado a barca no
ruegueza Z;lndia, felizmente sem victimas a las
timar.
Ettao sendo procesaalos em Buenos-Ayres
varios negociantes, por defraudaren! o taesouro
publico, ta direilos aduaneiros.
Deixou a capital no dia 22 o S-. Cb. Rou-
vier, enviado extraordinar o e ministro plenipo-
tenciario da Repblica Franceza junto ao gever-
no argentino, toman, o passagem a bordo do pa-
quete frajcez Congo, da Companbia des Messa-
geries Mariiimes.
A colonia franceza fez-lbe antes urna brilban-
te manifestado.
OSr. Andr Christopbersea foi nomeado
ministro da Suecia em Bueno--Ayres.
O general Julio de Vedia acba se grave-
mente doente.
Os mlicos, que Ihe prodigalisam todos os cui-
dados, rieehrcm que o seu estado de uma'gra-
vidade ex'-essiva eque nao bivia esperanca al-
gasia de o calvar.
A policia prohibi a lucia de box entre
atbletas ioglezes e norte-americanos.
Foi deliberado que no correr de Fevereiro
prximo futuro se destine cidade de Roma urna
commisso de peregrinos argentinos, que vo
reoder homenagens a S. S. o papa Leo XIII em
nome do governo da Confederaco Argentina.
Falleceu o Dr. Franciaco Helguera, ex-gc-
vernador da provincia de Tacuman.
Foi assassinado em S. Luiz o Sr. Joaquim
Montero, chefe de partido.
Attribue-se o crime a urna conspir gao.
Cerca de 300 inmigrantes israelitas, dis
pensados do servigo da agricultura por incapazes
e improprios, decidiram repatriar-se, embarcan
do em vapores surtos no porto de Baenos-Ayres,
e destinados a transporta! os a te*ra natal.
fuv irado pela norte de ama peana
de
O fcgtomaaqpaade propaspcj-s, por falta
aguapara o sewico de exuneg).
Qaaoin adaoastcaa pessoaes, s um reg's
O numero descasa* destruidas pelas cbammaa
eleva ae approxiaaadamente a 400, e oj-prejuina.
sao avalladoetn 00;000 p^i.
MauUHa ddHollvia
A cmara dos deputados inscate o prajecto re
latir a deportago de alguna dos sena mem
broa
Forano, nomeados ministro da fazenda, oSr.
Eduardo Guerra; ministro de estrangeiroa, o Dr.
Alonso; ministro da guerra, o general Fernan-
dez.
Serenaran completamente 03 nimos de-
sappareceodo os receios da revoluco.
A polica prenJcu alguns contrabandistas
que pretenliam mtroduzir fraudulentamente nes-
ta cidade3.000 cartuchos de dynamite, escondi-
dos em caixss de ma:arro.
Entre os complicados na coaspiraco, e por
este motivo deportados, contam se o general Ao-
tezana, os coronis Paz, Vales, Espaa e Pedre-
jar; e 03 jornalistas Ascarronz e Vasquez.
A descofterta foi devida actlvidade do3 guar-
das da alfandega e autoridades policiaes.
O contrabando foi apprebendido, sendo acto
continuo instaurado rigoroso proessso no intuito
de nao escaparem a aejo da jusiica os auto es
desse delicio, que attribuido a lins polticos
pela posico dos complcalos.
A imprensa boliviana considera ease fado de
una-Di tjravidade e aconselba o Governo a to-
mar protnptaa e eneraicas medidas para garai-
lia da lranquillidade'pub!i:a, j bastante per-
tu'bada pelos acontecimentos polticos que neste
momento desenrolam s, em todo o territorio da
Boli via.
AMERICA DO .NORTE
Ewladon (JaidoM
03
Em Knoxville ^Tenessee) reproduziram se
tumultos, com carcter mais violento.
Os mineiro), em numero superior a 10.000,
rhe-am g've e bem a-mados praticam actos di-
gnos da maior reprovaco.
O primeiro procedimento que tiveram foi as-
saltar a penitenciaria, dando liberdade a todos
oa presos.
Depois travaram porfiada lata com a policia e
as forcas federaes, obrgaram n'as a capitular e
fireram n'as prisiooeiras e encarceraram n'as.
De lado a lado, nesta batalba, bcuve grande
uumero de mortos e feridos.
O governo. Informado deste successo, j mo-
bilisou 15.000 guardas nacionaes, que segoiram
para aquella cidade, cuja sitoacio cada vez
mais grave, de sorte que o governo vio-se obri
gado a decretar o estalo de sitio na mesma ci-
dade.
Depois dos primeiros actos de sedicSo, por
ordena do ministerio da guerra, todos oa bata
lDes dispersos na Tenessee marcharan para
aquella cidade, sob o commaodo do general An-
derson. Por seu lado, nesse meio tempo, os
revolucionados tinbam cengreeado mais elemen
tos de resistencia e fortifico Knoxville, at
nos seus quarteirOes centraea, onde ergueram
formidaveis barricadas.
O general Aoderson, confiando demasiada
m-Mite as forcas de seu commaodo, rao &e li-
mitou ao sitio da cidade e, depois de curto bom
bardeio, julgando baver preparado o assalto,
arriscou se no interior de Knoxville, cujo resul
t?do foi medonba hecatombe as forcas fede-
raes, que, alias, bateram-ae com denodo, na pro-
porgo de 1 para 10 bomeos.
Os miaeiros, do alto das barricadas, fulmina
vam o loimigo a dynamite.
O combate durou assim mesmo tongas horas.
Os chefea federaes que nao merreram ficaram
prisiooeiros como releas ; e entre estes acba se
o general Aoderson.
De Bllalo, as noticias nio sao mais ani-
madoras.
Tan b ra all foi decretado o estado de sitie.
Seguiram no dia 18 para esse ponto, afim de
combater os insurgentes os regimentos n. 12,
13 e 22.
O Herald que tem naquella cidade um corres
pondente especial, informou que oa revoluciona
rioe acbamse bem armados e dispostos resis-
tencia.
Os tumult03 continuaran! violentos, apeaar das
' medidas enrgicas tomadas pelo governo fede
" ral.
Aos operarios da estrada de ferro juntaram-s
Os accionistas do Banco ds Bo'sa lendo re-i
querido a liquidado immediata d'esxe estable- SnK^Tcom dSsZo Damer ""
cimento financeiro, entrou o mesmo Banco era 'l n'
quidacSo.
E.ta em via de orgneisajao na praca de
Buenos Ay s urna companbia para explorara
industria oa pesca nos mares do cabo Horn.
Os ndios arrazaram a colonia Margarita, no
serto argaiino.
CoatiQuam na cidade de Bueno3 Ayres as
Chuvas torrenciaes.
A colonia paraguaya em Buenos-Ayres ef-
fectuou um meeling de protesto e iodigoago
contra a dcs'.ruico das officinas do Indepen-
decte l;a pouco occorrida em Assumpjao.
Bepnblica Oriental
C go-orno esta em negociaces com um syn
dlcaio di baoqueiros francezes para a eooclusio
de em cmDre:tiiO de cinco inilb&es de pesos
(ouro do Utguayj.de-tinadoacreaco do Banco
do Uruguay.
O enipri'sf.mo ser emittido laxa de 85 */
com o icteresae de 5 / garantidos sobre as re-
Ceitas adu5neira8.
A mprensa, o c?mmercio e a Bolsa sao favo-
raveis ao projecto, que alias bem anligo e j
se Mllogroo por mais de urna vez.
Ti lo o goveraa submettido ao parlamento
este projecio, entrou cHe no dia 23 em discusso
na cmara dos deputados, onde foi approvtdo
por grande maioria.
Pode-se desde j pflirmar, pois, que o Senado
appov r este projecto, permittindo constituir o
nov;.' Biico L'-Us'ujy.
A opinio geral considera que vai ranascer a
:onli mea no paiz e para o commercio paralysa
do atteetamente retomar novamente a sua acti-
vidale.
Oi'rposlo mmobiliario, votado recente-
Diente p: i amara do3 Depulado3, foi acolhido
com grande desagrado pela opinio pub'ica, que
manifes'.ca vivamente os seus protestos.
A imp-ensa por seu lado oceupou se igualmen-
te de um modo circumstanciado desse roto, ex-
firimindo aOertamente a sua contrariedade e sa-
letaado os prtjuizos que o mesmo pode acar
retar nos altos interesses sociaes.
O Senado, em vista disso, manifesta se hostil
i vlaeio daqaelle imposto na Cmara dos Depu-
adc3, eseperaado-se que. o mesmo ser rejeitado
aessa casa do parlamento por grande maioria
M.,Toia53 de fonte limpa anounciam ser
multa provavel a nomeaci do Sr. Dr. Martin C.
Maines, alvogado e antigo jornalista, para o
cargo de m'nistro das flnanca3, em substituido
io Dr. Carlos Mara Rami'ez, que a 15 de Junho
prximo passado pedio demisso do elevado car-
go que exercir ao Dr. Jolio Herrera y Obes, pre-
sidente da Repblica Oriental.
Algunr joroaes noticiaram que os federaes
reuniram-ST na fronteira do Rio Grande do Sul,
poroi nao ha aqu certeza desse facto.
'A epidemia da influenza, se bem que nao
recraiesja, contina no entanto a nagellar bas
tante a popu'acao.
A cpplii'acao das medidas sanitarias tem sido
em na g-neraiidade infructfera para combater
o flafcllo.
Bepoblica do Pera'
Reina grave desintelligencia no seio do mi-
nisterio a proposits da poltica externa.
Es'. !-eminente urna crise e recela-ss a revo-
lus?
A opposico na cmara dos deputados tor-
na-se cada vez mais numerosa, vista da attitu
de assumlda pelo presiden'a da Repblica, na
que-t-) do resgate de Tacna e Arica.
O Dr. Rosa: recusa o cargo de ministro pe-
roa- junto ao governo do Chile.
o jornaes de Lima, em edlco do dia 2i,
pnblicam extensos telegrammas de Callan, di-
zento que um pavoroso incendio destruu parte
do quarteirb commercial daquella cidade.
Dez'.to depoaitoa armazena e outras tantas
casas tcara^m reduzidas a cinzaa, e entre eatas
conta se cniotel de Italia, senda igualmente at-
tingi^ oessa- catastrophe o vapor inglez Corp.
f. aa-teir5o em qtte aiamfesiou-se ofogo
um
A cidade est sitiada e espera se que de
momento para outro rompa o bombardeio.
Sob.-e a povoacSo de Tasch, na Luizianta,
caba urna avalaocne, proiuzi ido inoundaco.
As aguas do rio assim eogrossadas levaram a
desolaco a outras localidades e aluiram os ater-
ras da estrada de ferro, causando o descamina
ment de um trem, que desappareceu com todos
os p38sagiros.
Dizem de N'.w York que 15.000 demcratas
tiveram urna grande reunio em Matson Square
e que o comite eleitoral democrtico notiflcou a
M. Cleveland e a M. Stevensoa qae haviam sido
oCQciulmente escolhidos para candidatos demo
cratas presidencia e a vice presidencia da re-
publica M. Cleveland responden lo, insisti enr
dizer que o ebefe de familia nos Estad03 Unidos
est actualmente curvado sob o peso de direitos
prolectores, quo encarejem todos os objectos
oecessarios alimentago e ao bem estar, para
beneficio apenas de algumas pessoaa.
Fascinaram oa agricultores com as vantagens
de proteejao, em quanto essa mesma protecgo
esvasiava lentamente a sua bolsa.
Os recentes acontecimentos de Homestead mos-
traram aos operarios que a elevago de salarios
resultante da protecgo era urna iiluso.
Acaba de sabir no Bnletim do Censo os pri-
meiros resultados do ultimo receaceamento ou
populaco da Repblica ; os quaes regislram es-
t~s dados:
Populaco total 62.622.250
iSexo maacolina 32.067 880
Sezo femenino 30 554.370
Nascidoa ne America 53 372.703
dem ra 9.H0.517
Brancos 54.993.800
De "or 7.638.360
Eis ah! o progresso da papulago por decadas
e a raso do orozreeso :
1850 23.191.875-35.87 0o
1860 3i.443.321-35,58 Oo
1870 38.558 37122.63 Ojo
1880 50.155.783-10,08 Oo
1890 62.622.2oO-2i,86 0jo
Em quarenta annos a populaco quasi que tri-
plicou.
A raso do augmento, porm, baixa maneira
que a populacOo total sobe; natural.
Mas se a rasas actual de quasi 15 se conservas-
se, no fim do seclo os Estados Unidos excede-
ran] 70 milu's de baaitaoles e no seculo futuro
8eriam a maior de toda8 as nacfies de raa indo
europea.
A relaco dos sexo3, que era de 48 96 0,o fe-
meninos em 1850; 6 de J48.79 Oo em 1890 e a
baixa attribue-se ao maior volume da immigra-
gSo, composta de horaens as suas trez quartas
partes.
O mesmo motivo faz com que a proporco de
individuos nao nascidoa nosEstad.-s Unidos, que
em 1850 era de 9,68 Ojo, em 1890 saba a 14.77
0,o
lmente, a proporco da gente de cor baixa
: i 9 0(0 em 1850 a 12,20 0,o es 1890.
(orreu ha pouco em Adabypark, perto de
Yoik, ( celebre engenheiro americano Cy
iuo W. Fielde, iniciador das communicagOes te
legrapnicas submarinas entre a Europa e a Ame-
rica. *
Field, que era natural do Estado deMassachua-
sete, onde vira a luz do dia em 30 de Novembro
de 1819, em 1854, cjncebeu o projecto de um
cabo telagraphico entre a Europa e o Novo Mun-
do ; foi b em 1866, depois de prodigios de ener-
ga e de per ae veranea, que conseguio ver col lo-
cado um cabo entre Valenta (na Irlanda) e a
Terra Nova, o que Iba valen um voto de agrade-
cimento do Congreaso Americano e muitas dia-
tinccOes que recebeu da Europa.
Pield pecsava no estabelecimento de nm cabo
no Ocano Pacifico, entre S. Francisco e o Japo
e eslava todo entregue a esse projecto quando
foi acommettido da doeoca que o levoa ao tmu-
lo.
Na Exp03icia Universal de Pariz de (867 foi
conferida aField amagranda medalaa de Honra.
INTERIOR
Omtnehal Deadoro
Lemos no iotoal do Commeeeio do dia 24 do
correle:
Aps looaa e. afflictiva ,enfermidade falleceu
bonica a 12 horas e 20 Dilos da tarde o ma-
reebal Manoet Deodoro daFouseca, primeiro pre
sidente da Repblica,
Seu estado, que era moito delicado, bavia qua-
tro mezes, aggravou-ae pela madrugada de hon-
lem.
A's 4 boras, cbamou as pessoaa de ana fami
lia ao toruo de seu leilo, e, por signaea, fez sen
tir a sua esposa qae ia expirar. A's 11 boras j
nao poda segurar no copo de leite que Ihe oftV
recia s >u irmo, o Dr. JoSo Severiano da Fonse-
ca. Foram lhe faltando as forcas aos poucos at
que deu o ultimo suspiro, cercado nao so de sua
esposa e o mencionado irmo. como tambem de
outro sen irmo, o Sr. Pedro Paulino, ana cuaba-
da a Sra. baroneza de Alagoas, o Baro deLu-
cena, o Dr. Jos Flix, e oa fmulos.
Acabou-se as3im a vida deum hornera que du-
rante longos annos de servico militar, nunca de
certo sonhara representar neste paiz o papel im-
portante que os acontecimentos lhe impuzeram.
Seus ser vicos na defeza do bro e da honra na-
cionaes, constam da brilhante f de officio que
se vai 1er, e em que transluzea a lealdade, a de-
dicago, a bravura e o patriotismo, de que deu
to eloquentea pro-as.
Como chefe do governo provisorio e prineiro
presidente da Repblica do Brazil, anda cedo
para se pronunciar o juizo definitivo sobre o
marecbal Deodoro.
Pode se desde ja, porm, registrar as feigOes
geraes que imprimi a sua administragao neatas
conjuncturas to diflictis.
Deodoro, procurou acert r e era de certo ani-
mado das intentos os mais patriticos.
Os grandes defeitos de sua gerencia da cousa
publica provieram todos da completa falta de
educago poltica e do seu excessivo orgulbo e
vaidade. Foram estes defeitos que o fizeram con
fiar cegamente, nao s em amigos de familia que
o trabiram, como tambem n'um bomem poltico,
igualmente ignorante como elle e que, a seu tu*-
no, se fez manequim de quanto ba e tem bavido
de torp na chamada poltica do nosso paiz.
Do outro lado, o marechal Deodoro era dotado
como dissemoa, das melhores intengoes. Seus
primeiros conaelhelros foram os horneas que a
victoria da sedico militar, auxiliada pelo ele-
mento republicano, lhe impunbam. O marecbal
confiava cegamente nelles. Pode se dizer que
cala miniatro do governo provisorio eraum dic-
tador oa sua pasta. Mas, ingratos, bem ingratos
fj-am elles no tratamento que afinal deram ao
pobre bomem que Ibes rizera todas .s vontades
e que com tanta lealdade es su t.ntara.
Nem admira que, repellido por aquellesem
quena tanto cor fiara, e que agora o procuravam
collocar em m poaicio, Deodoro correase a des
cansar em outro elemento diverso, composto de
antigos amigos pessoaes, nos quaes enxorgaya
dedicaco e eiaceridade. Foi, porm, anda mais
infeliz nesta escola: o seu principal amigo o
perdeu, impondo-lbe o papel insconsciente de
traidor Repblica, de que*alis Deodoro se
considera va a propria encarnago.
Desde, porm, que vio que se bavia engaado
o marecbal deu nobr exemplo de patritica ab
negago, resignando o poder a 23 de Novembro
ultimo.
Desde ento viva retirado, sem que todava,
perloass- aquelles que, por urna aberragio or-
gulnosa do seu espirito, considerava como ten-
do o privado de um direito seu. Uliimamente di-
zia-se qus Ibe repugnava a clasee militar, da
qual se queixava amargamente.
E assim tiaou-se elle mallogrado em suas es-
perangis, tendo tragado at a lia o calix do de-
samparo de seus amigos e protegidosja nao
fallando dos longos e crueis padecimentos phy-
sicoa que supportou com tanta bravura e resi-
goago.
Outro bomem, educado na liga politica teria
evitado os escolbos em que sossobrou a sua pre-
sidencia. As suas proprias qualidades como mi-
litar, :oioo soldado, foram, porm, os pontos
vulne-aveis por onde o atacou a adversidade.
Biante do seu tmulo, ainda nao fechado, de-
ploramos, curvados, o paasamento de um brazt-
leiro illustre que amou a sua patria e que, para
defender a sua honra, nunca recuoo dlaate de
nenbun perico.
Hontem, momentos depois da morte do
general Deodoro. o Dr. loo Severiano e3creveu
Upma 'caria ao ajudante-general do exercito com-
municando-lhe este acontecimento e scientifi
cando Ibe que o general, em vida, declarara
dispensar todas as honras militares, e que seu
enterre devia realizar se amanh. as 10 horas,
no cemiteno de S. Fiancisco Xavier..
Eis aqu a integra dessa communicaco:
Sr. general.Fui encarregado pela viuva
do marecbal Deodoro da Fooaeca, fallecido boje
8 12 boras e 20 minutos da tarbe, de commu-
nicar vos que foram suas ul imas vontades ter-
minantemente expressas, que nao quera nenbu-
ma demonstrago militar o(li:ial por occasio de
sea enterramento.
O que tenbo a honra de levar ao vosso conhe-
cimento.Exn. Sr. general Antonio Eneas Gus-
tavo Galvo. Dr. Joao Severiano da Fon-
seca.
Tendo o Sr. ajudante general communi
cado ao Sr. ministro da guerra e9sa carta, c Sr.
ministro dirigi lhe o seguinte officio :
Sr. Ajudante-general.Tendo fallecido hoje
a 12 horas e 20 minutos da tarde o marecbal
Manoel Deodoro da Fonseca, determina o Sr.
vlce presidente da Repblica que, em ordem do
da, deis conbecimeoto deste infausto aconteci-
mento ao exercito.
A' vista da carta abaixo transcripta nao sao
prestadas ao illustre morto aa homenaeeus e
honras militares a que tinba direito pela sua
alta patente como pelos importantissimos e inol
vidaveis servigos que prestou Patria durante
longos annos na paz e na guerra.Sade e fra-
ternidade.Francisco Antonio ds Maura.
O Sr. capilo-tenent Pinto de S, ajudante
de ordens do Sr. chefe do Estad) dirigio-se em
carro do palacio i re8ldencia do finado afim de
apresentar familia as condolencias do Sr. pre-
sidente da Repblica e do governo e bem ss-irn
declarar que o governc, apezar da carta do Sr.
Dr. Joao Severiano, estava disposto a prestar-
le todas as honras que lhe competem pela si a
elevada posigo militar.
O Sr. Dr. Joo Severiano agradecen em seu
nome e de sua familia as condolencias enviadas
e reiterou o desejo do illustre morto, desejo este
qua a sua familia por seu turno quera que se
cumprisse.
O Sr. general commaodante auoerior da
guarda nacional convida o seu eatado-maior e
a toda a officialidade a acompanbarem o funeral
e man lo u suspender at 2.' ordem os exercicios
nos coi pos da mesma guarda.
No Secado, annunciando ee o paasamento
do illustre marechal, requereu o Sr. Campos Sal-
les, pela ordem, a euspeoso da sesso e um
interregno para a de boje, bem assim a n-mea-
g io de urna commisso do Senado para acompa-
nbar o cortejo fnebre do ioclyto marecbal, a
cuja espada e cvicas virtudes, deven a patria,
oo conceito delle orador, a fundaco das insii-
tuigOea democrticas. Tendo abundado as
mesmas ponderacOes o Sr, Elysa Martina, o Se-
nado acqaiesceu unnimemente ptoposta do
primeiro orador, levantando a sesso s 3 ho-
ras e meia da tarde, depois de nomeada a com
misso que se compoz dos Srs. Frota, Rosa J-
nior, Camcoa Salles, Santos Andrade, Braz Car-
neiro e Mea-las Gasoo. Para ulteriores io-
formagfie? do que se pissou no Senado, remet
temoa os.le.teres para a respectiva acta, mais
adiante.
Logo que ae soube na cmara dos deputa-
dos a noticia do falleclmento do marechal Des-
doro, o Sr. Severiano Vieira, que se achava na
tribuna, fallando sobre o orcamento do interior
interrompeu o sen discurso e requeren qae se
laogasse na acta um voto de pezar por esse in-
fausto acontecimento, que se nomeasee urna
coramisso para representar a cmara no sabi-
mento e que se levaotasse a sesso.
Occuparam depois a tribuna, offerecendo re-
querimentos relativos a demonstrago de pezar, |
os Srs. Espirito Santo, Lauro Muller, Luiz Mu
rat, Glicerio, Alfredo Ellis, Bellarcino de Men-
dooga e Caetauo de Albuquerque.
A cmara, alm de levantar a sesso, aserio
na acta um voto de pezar e fazer-ae representar
no sabimento, resolveu mais lomar loto por 8
dias e fazer urna sesso fnebre em hoxenagem
ao fallecido.
)* A sesso deve realisar-se^oa noite do stimo
dia, sendo a sala decorada para esse fim.
Para eesa ceremonia ser cpnvidado o senado.
Quinto aos discursos pronunciados pel03 va-
rios Srs. deputados, referimo nos respectiva
acta, publicada em outra seceso desta folha.
A Faculdade Livre de D.reiio suspenden as
aulas, em bomenagem memoria do general
Deodoro, tendo prenunciado as aulas sentidas
palavras os Srs. Serzedello Correia, Benedicto
Valladares, Fausto Carioso, Paula Ramoi e Pi-
zarra.
A directora do Retiro Litterario Portuguez
deliberou tomar luto, po- oito dias, conservar a
bandeira em funeral, fazer ,a associaco repre-
aentar-32 no enterro e em outroa actos de pezar
que se reallsem.
O Sr. ministro da agricultura mandou sus-
pender, em signal de pezar, o expediente da sua
secretaria.
O Dr. Pitaoga, no momento de entrar para
o ampbiibeatro de pDystca. tendo recebido a
triste noticia do fallecimento do inclyto mare-
cbal Deodoro, tuspendeu a ligo, mandando, em
seguida, cerrar as portas do edificio da Escola
Polytecboica.
O marchal, vestida de casaca preta, tem
entre as mios um rico crucifixo de marfim. Seu
corpo descansa em ega de 1* o'dem na sala de
visitas, convertida cm cmara ardente.
Ligo que consteu o fallecirneato do mare-
chal foram casa de sua residencia mullos ami
gos e pessoas qae o consideravam attingindo
sen numero at 1 hora da noite a 204 At
essa hora j estavam collocados sobre a rga e
caixo, muitas grinaldas, notando sa entre tilas
3t -eguintes :
O senado da repblica ao marecbal Deoloro
da Fonseca.
Ao f':adador da repblica.O povo mineiro.
A. -ueu marido.
Ao marechal Deodoro.Dr. Groas.
Saudade eterna.Hermes, Joo e Severiano.
Ao chefe do governo provisorio.Dr. CampoB
Salles.
Ami8ade e grtido.Clotilde Daga Nunos.
Saudade e gratido.Josepbina Braga.
O coronel Ferraz.Ao marecbal Deodoro, ve
nerago e amisade.
Baro de Luce na e familia.
Ao nosso bom e lembrado Deodoro. Tributo
e Rralido do Dr. Jos Flix e familia.
Amisade fraternal da familia Ancora.
Amisade e gratido.Familia Meodonca, Car-
los, Annito e Jactotho.
Saudades da familia Murtinbo.
Ao grande brazileiro.A familia Silvira.
Ao inclyto marecbal Deodoro.Antonio Car-
neiro Brando.
Saudades.Carlos Pimentel Jnior.
Ao defensor do exercito. Caplto Joo do
Reg Barros.
A seu padrinho.Tributo de gatido U. de
Gasmo e C. Lopes
Hoaien -gem do < Diario do Commercio. >
Urna cruz de Augusto Ferreira.
Ao marecbal Deodoro.Saudade eterna doma-
jor liba Moreira.
O Rvm. conego Bellarmino de Souza. ca
pello do marechal, rezou durante a noite res-
ponsos por sua alma.
Urna commisso da impreosa panlista foi
dar pezames familia.
O marecbal nao fez testamento.
O Bnado baixar sepultura hoje, em car
neiro perpetuo, no cemiterio de S. Francisco
Xavier, sabiodo o fretro s 10 boras da manb
da ra do senador Vergoeiro.
SUL DO BRAZIL
Pelo paquete inglez livemas hontem as seguin-
tes noticias :
Eatado do Bio Grande do Sal
No lunch servido a bordo de um dos vapores
fretadoB para conduzirem os amlgc a do general
Bernardo Vaaques at Pedra3 Brancas, este il-
lustre e bravo militar, agradecendo as saada-
gOes que Ibe foram feitas, pronunciou brilhante
e patritica alocuco, terminando pela seguinte
pbrasc :
< A' primeira tentativa de restauraco monar-
cbica que por ventura se ouse, desembainbarei,
minba espada para a defesa da Repblica. *
Causou excelleote lmpresso a ordem do
dia do general Pego Jnior, commandante do
6 districto militar.
Na reunio > efectuada pelos negociantes
de fumosi foi deliberado que passasaem am te-
legramma i o Sr. ministro da fazenda pedindo
modittcago do novo imposto.
Acha-ae enfermo o Sr. C Idas Juclor, esti-
mado jornalista.
O Jornal do Commercio* de Porto \legre
publicou a seguinte noticia :
Pode se dizer qae a safra deste anuo est
completamente esgotada, e o mercado de Per-
namouco inhabilitado a aatisfazer a mais inaig-
nifr:<.n:e eacommenda.
lia telegrammas para casas importantes de
nossa praga, nos quaes se allega a impossibili-
dade de attender aos pedidos reiteradamente
feitos, o que importa dizer que as actoaes cota-
ges nao ebegaro ao sea limite e que a cares-
lia mais se accentuar ainda.
4cresente se a isso a insignificancia da safra
de Campos, que nao cnegou para o consumo lo
calurna verdedeira desilluso para os necessi-
lados do genero ; tenhaseem vista que a nova
safra de Peruambuco nao se inaugurar aates
deates quatro mezes, e calcula ae por abi quo
amargo ir se tornar o assucar.
Sobre a dffe-eo$a do prego de assucar en-
tre Bahia e Pernamouco, escreveu um nego-
ciante ao .orreio Mercantil :
Osass.cares deste mercado po purificados
e 03 de immediato consumo as prscas do Bra-
zil.
Os da Babia nao lm cotagoes a merca los estrangeros, para diversos fin3, lten-
la a sua baixa qualidade.*
Por acto de 9 do correte, o governo do
Estado: abri um crdito extraordinario de
50:00000 pa5a pagamento das despezas feitas
e a fazer com so.corros a indigentes variolosos
em diversas localidades e outras medidas ten-
dentes a melborar a saude publica.
Sabia a 3.000*000 a subacipgo promovi-
da pira ser offereciaa ao brivo capitSo teneote
Candido dos Santos Lara, urna espala de ouro,
em bomenagem por ter salvo os linos e as tra-
dicOea gloriosas do povo rio-grandense.
A Reforma> de Porto Alegre publica urna
Corta de Passo Faodo, dando noticia dd violen-
cias e crimes pratic 1103 por 70 corrieotnos que
all entrram armados, sob o commaodo do te
nenie Montenegro ; da noticia de conflictos e
mortes na serra de Taquary, de assaltos e mo-
tes na Solalade, de saquea e prisdes em S. Mar-
tinho, Villa Rica, Cruz Alia e S. Gabriel
A Federago, da capital, contesta estas
noticias e diz que mullos dos cidados apresen-
lados como victimas, tm felo declarages, des -
mentindo-as.
Etdo de 8. Paulo
Diz um lelegramma para o Jornal do Com-
mercio :
S. Paulo, 23 do Agosto.
Realisou se a sesso solemne, no Congresso,
da po sa do Dr. Beroa-dino de Campas.
A' 1 hora da tarde, comparecern] na sala das
seseOes.OR Drs. Cerqueira Cesar e Bernardino,
sendo introduzidos no reciato por ama cammi8-
tio cemposta de senadores e deputados, com as
formalidades do estylo, e sentaram-seao lado do
presidente do Senado.
O Dr. Bernardino leu o compromisso, sendo
declarado presidente de S. Paulo. Grande mas-
sa de povo, muitas familias, oflkues dos diver-
sos corpos aquiestacionados, etc.,proromperam
em urna salva de palmas e vivas, subindo ao ar
innmeros foguetes.
Os Drs. Bernardino e Cesar foram a p ao pa-
lacio, acompanhados de muito povo, que levan-
tava vivas ao presidente.
Fez a guarda de honra porta do Congresso o
1- :orpo de policia e bomberos. Em palacio
foram muitas pessoas cumprimentar o presiden-
te ; ao retirar se, o Dr. Cesar despedio-se dos
empregados que all estavam. O Dr. Bernardi-
no pronunciou um discurso elogiando o governo
do seu antecessor. Forgas de policia de filaran]
em frente ao pal icio em continencia ao novo
presidente.
No Congresso o deputado Piza e Almeida leu
na preseoga do Dr. Cesar urna mogo de ambas
as Cmaras, approvando os actos do vicepresi-
dente, elogiando o seu governo e autorisando a
mandar-se fundir o busto do Dr. Cesar para ser
collocado no lugar de honra da sala das sesses.
O Congresso unnime approvou a mogo.
Cerca de t horas da tarde, conhecida a no-
ticia da morte do marechal Deodoro, o Dr. Ber-
nardino mandn suapen ler todos os festejos offi-
ciaes preparados, ordenando que a? repartigdes
publicas tivessem o pavilhao nacional a mei o
po.
Os jornaes tambem hastearam a bandeira a
meio pao.
iflA morte do marecbal Deodoro foi mais ou me-
nos seaiida. As forcas pozaran as armas em
funeral.
O Dr. Cergaeira Cesar resigaou a vice-
preaidencia do Estado.
S. Paulo, 23 de Agosto.
Os alagoauos aqu residentes em grande nu-
mero reprovam a lingnagem do Dr. Gabino Be
8ouro, governador de Alagoa, com referencia ao
Estado de S. Paulo. Consta queellesfaro urna
reunio coi; esse intu'to.
A Cmara dps Deputados, em sesso no-
cturna, manifestou o seu pezar pela morte do
marechal Deodoro. Amanh diversos consula
dos hastearo bandeira a meio pao.
O Dr. Bernardino de Campos nao aceitn
nenbum dos pedidos de demissa que Ibe foram
aprsenteos. Aos secretarios do Estado que
haviam apresentado pedido verbalmente, o pre-
sidente diese que esperava do sea patriotismo
que continuassem a dirigir as suas reparligcs.
O Dr. Cerqueira Cesar, em sua mensageu,
ao Dr. Bernardino, diz que o estado dos neg
cios nao pode ser mais Iisongeiro e que o gover-
no dispOo do crdito preciso para desenvolver a
vida autnoma de S. Paulo e emprebender os
servigos solicitados pira o seu engrandec-
men-'o.
A ordem publica manteve se ioalterada e elle
procurou estabelecer a confianga no espirito das
classes sociaes; as dissenges polticas motiva-
cas pelo golpe de Estado esto amortecidas.
Trata do conflicto com os italianos e do sanea-
miento inaugurado. Elogia o proceder correcto
do marecbal Florlano Peixoto com relago a S.
Paulo, commandante& de forgas, ebefes de repar-
tigo. etc.
Termina dizendo que resigna a vice presiden-
oa de S. Paulo, por ter sido eleito pelo Con-
gresso que adherir dictaiuia e que por elle
fra dissnlvido; que dous motivos O elevaram
vice-presidencia: um como substUuto legal e
outro o movimento revolucionario justo, porque
era a reaego contra os reslos de una lyranoia
abatida.
O Paiz publicou o seguin'e le .gram-
tra:
S. Paulo, 23.
Realisou se a annunciada sesso nocturna da
cmara dos deputados.
ADertos os trabalbos. o Sr. Paula Novaes apre-
sontou mogo pedindo que fosse asiignado em
acta um voto de pezar pelo fallecimento do ma
rechai Beodoro e que se cuspendesse a sesso
por 3 dias.
As galeras repcelas ponUmam de palmas as
ultimas palavras do orador.
O Sr. Pereira dos Santos falcu em seguida,
apoiando a mogo e meieceodo idnticos ap-
plausos que ecboaram mesma no recinto.
O S-. Herculana de Freitas pediu eolio a pa-
lavra e apresentou outra mogaa, contrariando em
parte a precedente.
o Sr. Paula Novaes vollou ento tribuna e
impugnou a proposta da seu colleja, allegando
que ao congresso nao prejudicaram tres dias
de luto pela morte do fundador da Repblica,
quando tantas eess3es perda Intilmente.
Nesse ponto, a discusso comegou a tornar se
calorosa, cruzando-Be os apartes, applaudiodo
as aleas ao orador.
Assomou depois na tribuna o Sr. Alvaro de
Carvalbo e o povo tomou fraccameate parte no
debate.
E' iadescriplel a confuso havida ne3se mo-
mento. Pronunciaram-se at insultos e o presi-
dente viu-se ODrigado a suspender a sesso.
Reaberta, mais tarde, volveu de novo o tu
multo, eoaodo sem effeito as campaiohas, sendo
inuteis os pedidos de attengo
Todos os cidados presentes fallavam e gesti-
culavam; as galeras apostropbavam em gri-
tos.
No meio da terrvel desordem o presidente
viu-ae forgado a dar voz de p.-isoao Dr. Jasuino
Cardoso.
Afinal o recinto foi abandonado. A' porta do
cougresso, entretanto, reappareceu a confuso
Grande massa popular aeguiu pela ra Mare-
cbal Deodoro, onde o Dr. Jesuino Cardoso fez
violentissimo discurso, aecusando os congres-
aislas pelo projecto dos saldos do thesouro.
A aessc um pouco mais tarde ebegou a seu
termo, approvando a cmara dos deputados a
mogo do Sr. Hercalano de Freitas, que pedia
um voto de pezar e a suspenso ,dos trabalhos
pela morte do general Deodoro.
Por decreto a. 64, foi creado neste Estado
urna escola superior de maibematicas e scien-
cias applicadas, com o titulo de Instituto Polyte-
cboico.
E' do leor seguinte aqaelle decreto:
Art. 1 Fcj crala na cidade de S. Paulo
urna escola superior de mathematlcas e sciencas
applicadas s artes e industrias, que se denomi-
narI stituto Polytecbnico deS. Paulo.
Art. 2" O iostituio Pclyte:hnico de S. Paulo
compor se ha de urna escola prepaateria e de
cursos eapeciaes de engenharla civil, engenta-
ra mecnica, arebitectura, cbimi'ca applicada s
industrias, agricultura e scienoias mathemati
cas e naturaes.
Art. 3 A escola preparatoria ministrar o en
sino das segrales materias:
Liogua portugueza, algebra elementar e su
perior, geometra plana e no espago, trignome-
tria plana e espbenca, geometra descriptiva,
geometra analytica, geometra superior, clcale
differencial e integral, mecnica racional, phy-
sica experimentel, cbimica geral, inorgnica e
orgonica, topographia e geodesia, desecho de
mo livre. de ornamento e topograpbico.
Fornecer os meios para exer^icio3 orticos
nos laboratorios de pbyaica e cbimica e" manejo
doa instrumentos mais usados em topographia e
geoiesia.
Art. 4." O ensiao das materias supramencio
nadis sera feito em 3 annos e de conformidade
coai o programma de estudos que f~ organiza-
do pelo director da escola e approvado pero go-
verno.
Paragrapho nico. Eate programma de estu
dos attender necessidade dehaver, diariamen
te, pelo menos duas horas exclusivamente des-
tinadas pratica do desenbo, das experiencias
e manipuIagOes nos laboratorios de physica e
chiralca, e dos exercicios praticas de topogra
pbia e geodesia.
Art. 5.' Para admisao no primeiro anno da
escola pratica, sero exigidos os exame3 actual-
mente reclamados pelas academias da repblica
sobre a.i '.raguas portugueza, franceza e ingleza,
aritbmetica, algebra, geometra, geograpbia e
historia.
Art. 6. Os cursos superiores sero opportu
mente creados por lei especial, e as materias
do ensino em cada um delles sero ento conve
nientemente determinadas.
Paragrapho nico. S sero admitlidoa nos
cursos superiores 03 alumnos que 39 hoHverem
habilitado em todas as materias da escola pre-
paratoria.
Art. 7." O governo organisar o regulamento
da escola, marcar os ordenados dos' profesores
e o prego das matriculas.
Art. 8.# O governo far as operages de crdito
necessarias execugo desta lei.
Art. 9. Revogam-se aa diaposigOes em contra-
rio.
For decreto de 17 foi o governo au!or33do
a rescindir o contracto com a companhia Canta-
rera de Esgolo.
Dando noticias de S. Carlos da Pinhal, diz
o Etado de S. Paulo.
Fot antehontem aberto um agougue munici
pal, sendo a carne vendida a 640 rs o kilo.
Em vista da falta que ha de notas de pequeo
valor, a Intendencia emittio una pequeos car
toes, a que denomioou recibos* e que rezo :
vale 1 kilo, i/2, 3 e 5 kilo3.
Capital Federal
Data al 25 de Agosto :
Prodazio geral coosternaco a morte do mare-
chal Deodoro.
O Paiz no dia 24 publicou ediego espe-
cial.
Dr. Bernardino de Campos
Lemos no Jornal do Commercio do dia 21 do
correte :
No salo do Cassino Fluminense realizou-se
aatehoutem noite o banquete oSerecido pela
Caraira dos Deputados ao sen ex-pre-idente Dr.
Bernardiuo de Campos, eleito presidente do Es-
tado de S. Paulo, para onde seguio boje.
V mesa aentaramse crea de 100 pessoas,
notaodo-se entre estas os Srs. ministros do in
tenor, fazenda, marinha e agricultura, o Dr.
Prudente de Moraes, preaidente do Senado, di-
versos senadores, conselhelro Freitas Hearique,
presidente do Supremo Tribunal Federal, repre-
sentantes da mprensa, grande numero de depu-
tados, o director e empregados da Secretaria da
Cmara, o maestro Carlos Gomes e outros caval-
leiros.
O Sr. vice-presidente da repblica fez-se re-
presentar pelo capito tenente Pinto de S, do
sea estado maior e os Srs ministro da guerra
e ajudante-general do exercito peloa seus aju-
dantes de ordens capito Benedicto e alferes
Agrcola-
O banquete co-reu alegre e animado e ao ser-
vir se o champagne principiaram 03 brindes,
sendo o primeira do Dr. Joo Lopes presidente'
da Cmara dos Deputados que saudoa o Dr. Ber-
nardino de Campa3, depois de ter externado os
mais honrosos conceitos sobre o illustre paulista,
de quera a corporayo que presidio conservar
as mais gratas recordares.
O Dr. Bernardino de Campo fez em respoita
diversas consideragdes sobre a misso da C-
mara na cansolidago da repblica, pedio que
na lucta pelas iias nao entrasaem odio3 nem
paixOes e agradecendo as prov.s de estima e
considerago que recebera de seus collegas, sau-
dou a Cmara dos Depatadas.
O Sr. Francisco Sodr, depois le recordar al-
guna fados da bistoria paulista, saudou o estado
de S. Paulo, exaltando a acividaie dos seus ha-
bitantes, o seu amor aa trabalbo e o seu empe-
nbo pelo progresso e engrand.cimento do mesmo
estado.
A este brinde responden o Dr. Julio Moquita,
que saudou os Pitados da Uaio, lendo feito antes
diversas consideragO?s sobre ideas de separago
em que se tem fallado e contra as quaes pro-
teslou, certo de que a repblica se conservar
sempre unida.
O Sr. Dr. Sampaia ferraz saudou os secretarios
de estado e fel-o recordando a dedicago e.'os ser-
vigos dos actuaes- ministres, aos quaes muito
deve a repblica.
O Sr. D-. Sorzedello, ministro da agricultura,
agradecen a saudago, fez diversas considera-
cOes polticas, sociaes e financeiras. e, appel-
lando para o patriotismo de todos, saudou a re-
publica.
O Sr. coronel Flores saudou o Senado, cuja
importancia deaaonstrou. lembrando 03 servigos
por elle prestados repblica.
A este brinde respondeu o Dr. Prudente de
Moraes, presidente do Seoidr>, que referindo se
ao ramo mais nova do parlamento, recardou al-
guns factos que nelle se iem dalo, alguna ex-
cessos mesmo praticadas, mas recoabecendo qua
.-o elles dependentes do modo de apreciago
ora da maioria ora da minora, sabia tamben
que ambas tintura por nico objectivo a felici-
dade da patria.
Conduio saudando a Cmara na pessoa de seu
presidente o Dr. Jojo Lopes.
O Dr. Almeida Nogceira saudou a imprensa
brazileira, t-nlo precediao saudago de eonsi-
deragOes sob a forga e influencia da impreosa,
seu importante papel ras sociedades e o grande
auxilio que presta ao progresso c engrandec-
ment das noc s.
A es'.e brinde respondeu o representante desta
foha.
O S-. Dr. Prang C.rvalho, depois de Ira'ar
da influencia do poder judiciario e da necessi-
dade de juizes honestos e indepeodentes pa-a a
exacta applicacao da lei, saudou a magistratura.
A esta saudaga respandeu o conselheiro Frei-
tas Hearique3, presidente da Supremo Tribunal
Federal, que brindoa pela autoaomia e indepen-
dencia do poder judciaria.
O Sr. D-. Leonel Filho, em phrase Inspirada
e patritica, saudou a armada, o exercito e a
guarda nacional, brinde a que respondeu o Sr-
almirante Custodia de Mello, ministro da man-
aba, que, depois de recordar os grandes servigos
prestados patria por essas corporagOes, saudou
a Cmara dos Deputados.
O Sr. Glycerio, record?ndo a grande impor-
tancia do districto federal e a aflueicia que
exerce sobre os dema s estados, saudou a sua
intendencia na pessoa do seu presidente o Dr.
Ba'aia Rioeiro, que agradeceu a saudago.
Era nome do exercito lallou oSr. coronel Pires .
Ferreira.
O ultimo brinde foi do Sr. Dr. B?rnardiao de
Caxpas ao vice presidente da repblica.
Novo hospital militar
Realisou se hontem. diz o Jornal do Commer-
cio do dia 20, na pre?e"ga do S\ vice presi-
deote da Repblica, general Moura, ministro da
guerra ; general Eaeas Galvo, ajudante general
do exercito ; general Carlos Rocha, quarlelmes-
Ire general; general Silva Guimares,Dr. inspe-
ctor do servigo sanitario; coronel Cernelio Aze-
vedo, director geral interino das obras militares:
capito Feliciano Benjamn de Souza Aguiar, en-
carregado da construege, e outros cavalheiros,
a collocago da primeira pedra do novo hospital
central do exercito, na ra Joiky Club.
Lavrou-se o competente termo, que foi assigna-
do pelas pes-oas presen! s.
Em seguida, o major medico de 3. classe Is-
mael Rocha, pronunciou um discurso, no qual
agradeceu ao governo o interesse que tomou por
essa cooslruccao, lembrou 03 esforgas feitos pelo
cbtfe do servigo sanitario, por quem foi encarre-
gado, na sua viag&n a Europa, de estadar as no-
vas construcr.633 bospitalires adoptadas no velho
mundo.
Re.ferio-se depois ao que all obervou, aos es-
clarecimento3 e informagOes que obteve, e con-
cluio pedindo aos seus collegas do servigo sani-
tario para dareaa ao corpo de sade o seu verda-
dero cunbo, para que elle se imponha pela 3ua
competencia e se dedique com lodo o empcaho
ao servigo profesional, adoptan o por divisa-
Patria, sciencia, dever e caridade.
Dr. Victorino Mcoteiro
A commisso de constiluigo, legislago e jus-
liga apresentou o seo parecer sobre o mandato
do Dr. Victorino Montero, conforme urna ndica-
go do Dr. Borges de Medeiros.
O parecer de que foi reletor o Sr. Felisbello
Freir, opina no sentido de nao haver o Dr. Vi
ctorino Mon'.eiro prdido o seu mandato, por es-
tar investido da governo do Estado Jo llio Gran-
de do Sul, em virtude de urna revoluco e est
asacado pelo relator e pelos Srs A'cin lo Gua
nabara e Frang sem restricg5e3, Gl. 'rio e Cha-
gas com votos em separado.
O Sr. Glicerio no seu voto em separado, en-
gamente fundamental'1, entends qu o senador
e o deputado ao congresso nacional na estio
impedidos de ser eleltos governadores ou presi-
denta* de um Estado, por nao havtr incompa-
nilidade entre as duaa fuocg&es.
N'easas condigOes de parecer qae a cmara
deve resolver de am modo geral :
1. Qu^ os governadores e presidentes de Es-
tados, qaalqucr que aeja a arigm de sua inves
tiaura superveniente, nao perdem o seu mandato
de senador ou deputado ao congresso nacional.
2." Que os mesmo3 governadores e presiden-
tes de Estados, urna vez investidos d'esses car-
gos, s podem ser eleitos senador ou deputado,
por eleigo sufer?enlente, seis mezes depois que
houverera ce?sado definitivamente as respectivas
funcgOes.
3.* Que o governador ou presidente de um Es-
tado pe le ser eleito senador ou d-putado ao con-
gresso nacional, em eleigSo subsecuente e ainda
mesmo antes de ceasadas definitivamente as suaa
funcgO-s, comanlo que o seja em Estado dife-
rente.
O Sr. Chagas Lobato acba que esta caso nao
o mesmo do Sr. Meira de Vascoacellos, prece-
dente citado pelo parecer. Teria subscripto o
parecer do Sr. Glicerio, com o qual concorda, se
termioasse pelo seguinte projecto de lei que of-
ferece cmara:
Art. 1. A le n. 28 de 8 ce Janeiro de 1892,
estabelecendo incompatibilidade entre os cargos
federaes e estadoaes nao cogilou do mandato le-
gislativo.
Art. 2. O senador ou deputado ao congresso
nacional que por qualquer modo, de direito ou
de lacto, for investido em cargos de administra-
cao nos Estados, perde o seu mandato e s po-
llera ser reeleito 6 arz.'s depois de deixaro cir-
go-
REVISTA DIARIA
Actos offlciae*Por actos de 22 do cor-
re te o governador do estado demiltioos tenentes
Jote Ferreira Dutra o Jos Sigismundo de Albu-
querque Maranho dos pof t >s de commissarlo e
8ub-commi8sario do mun.ip:o de Bom Conse
Ibo.
Na mesma da ti nomeou para os cargos de de-
legado e 1.* supplente do municipio de Amaragy
o tenente Antonio Coelbo de Araujj e Manqui
Xavier S. de Andrade Lima.
Em goal data foram aomeados 1
Capito Joo de Siqueira Paes Lyra par
cargo e delegado da Luz, Felippe Crreia S
(iago para o de delegado de Grvala, Erot
OO


i-


\
Pimentel Rodovalho, para o de subdelegado do
1 distric'.o de Oaricury e o lente do corpo
policial Jaaquim Flix Beierra Cavalcanle, para
o cargo de delegado da 1.' delegada de Goyan-
na, sendo exonerados os actuaes.
intendencia municipal* Poram
nomeaios para comporem a Intendencia Muni-
cipal de Paoellas os seguintes cidadaos :
Presidente
Joo Jo3qoira Ribeiro Campo3.
Membros.
Capitao Jj Balbino de Lucena.
Capitn Mar olmo Cavalcanle de Oliveira.
Joaquim Francisco da Costa.
Tito Alves dosSmto.
Delegaclaa Hilerarla-Foram nomea
dos delegados luteranos:
De Santa Maria daBoa-VisaMetbodioCoelbJ
da Cruz. .. .
De FloresJos Francisco de Medeiro3.
De TimbaubaPaulo Cavalcan;e da Albuqoer
que, e demitlidos os actuaes.
Intendencia I*unlclpalde Vlcencla
Forano comeados ElysioTavares de Meodooca
Pugas e Franciscj Gamillo de Ferias para servi-
rem de uembros da Intendencia Municipal de
Viceocia. em subsiitoico de Antonio Vicente da
Costa Azevedo e Manoel Cassiano de Oliveira
Vasconcelos que no aceitarim a incumbencia.
Foi designado Manoel Estellita da Oliveira
Mello para servir o lugar de psesidente da mes-
ma intendencia da qual membro.
.Exilado* Tocaram hontem a torra per-
caibucaiia os lcs'.res exilado! Jos do Patroci-
nio, Conde de Leopoldina e Dr. Lampos Paz, os'
Erecursores no regresso acbar depois dig dissa-
ores do exilio ; e ao pisarem esta trra, foram
recebidoB condignamoole por grande numero de
amigos e admiradores sem coala de suas virtu
des cvicas.
SS- Exea, vieratn a trra, desembarcan'o no
caes rio. Lingnea, d'onde seguiram para a redac
cao da Provincia. Da scala desse edicio,
epois de chegados abi, falln Jos ao Patroci-
mojpara a mas a pcpujar que enfrentava ornes-
na edificio, agradecerlo lhe as provas de ccnsi-
deragao qoe Ibes tributava por um modo .So ei-
pressivo, symptbico e espontaneo, sendo suas
palavras cobertis de applausos.
Anda desea posicao fallaram os tt: Drs. Jos
Maria, Pbaelanie, Joao E ysio e outros cojos ne-
mes nao nos poderam determinar e por isao dai
xamos de consigoal os bem a nosso pezar, sendo
igualmente todos estes oradores applaudidos.
A3 salas da redaccio acbavam se litteralmente
repletas de cidadaos de todas as classes.
Abi una commissao de alumnos da Academia
por sen orado- dirigi saudacao entusistica aos
Ulostrea exilados, illumiDada desses arroubos
prcpnoi.da mocidade; e Jos do Patrocinio agr-
decendo-lb'a, o fez em phrases iaspiradas, sele-
ctas na enuociasac, raimo-13 as figuras, que
caadaes Ibe fuaiai, loli urso, no qual fez sa-
liente qu3 ao ac do caoba o e do fuzil sobr'eleva
o da penna ; e a mocidade dirigindo-a, tinba em
6i 03 destinos da patria.
Esse discurso ae qoe c'amos essa mor te-'-,
produzo verdaJeira phrenesi de applausos.
Aps essas ;e:epges e-compriraeotos de que
for.m aivos os illustres exilados, e peas 11 ho-
ra3 leve logar no Gran i Hotel o festioi offereciJo
aos meamos pelo partido autonomista, no qual
reinou a maior corJialidade, as expaasOea mais
amicaes, a alegra e o conleirtamento maia fran-
cos, brindando 03 Srs. Drs. Jo?a Maria. Loureoco
Cavalcanti, Campos l'-z, Meona da Cos'a e cu-
tros sobre diversos assumptes, maB todos bar-
monicoa com 03 seniimentos patriticos que
exbuberantea vicejavam as almas de :oio3 alli
presentes.
A tarde sahiran es referilos viajantes da re-
daccao da Provincia, pura onde tinbsm vcl
vilo, terminando o lest m ne Graad Hotel, acotn-
paohados de muitos amigos e admiradores, e fo-
ram tomar o bordo do Segura05a para s'gui
ram a seu destino dellnitivo.
Bons ventos.es eonduzam, o ae"apirac.3's
geraea; e que. como rilhos desla no.-sa pitru,
depostos resenlimentos. tregoas as animosJades
pessoaes, t delta urem como podem. fazer ci-
dadaos conspicuos.
Declararo O Sr. D\ delgalo do !
districto, encrregado co expediente da Qaes-
tura pt-de-noj para declarar o seguiule :
A Gazeia da Tarde de contera noticicu que
bavia de novo rebenta-io e com maior inteusi-
dade o movimento revoiu onario em diversos
pontos do Estado.
O governo receben noticia fidedigna a-
mente em sentido cont'ario ; isto que cb u
pos de sediciosos qu'i em alguna pontos, pro-cu-
ravam alterar a ordem pub'ica se hsviara de
bandado e futido e que a ordem eslava perfei
tameav- restablecida.
Em cumprimento do nrt. 3 3* do Regla-
melo ia Qaestura dirigio-se ae moiu propno
80 escriptorioda redaccio da referida Gjzeta
k abi fez ver que a noticia era inexacta e r.ao
linba outro tim senao o de alamar o espirito
publico eque nao era licito contmn.r a fazer.
E tanto mais justo foi o seu consdto, que um
dos redactores, disse-lbe que a noticia fuadava-
se em simples boatos que corriam de bocea em
bocea.
flo tem pois razn a tGazeL em cffender-se
tanto com esse procedimecto justo e legal.
Minino perdidoFoi encontrado, na ra
dos Pirt, um menino branco, bem Irajado, nao
saben do dizer de qoem Slbo e onde mora.
Tem de 5 a 6 anuos e acba-se em rasa do Dr
delegado do 1" districto, ra do Hospicio
c.33.
Lotera delfn.. Cierae Foi Vendi-
do nesta cidace pela Cata do Otro, do S*. Joao
J. da Costa Leite obilbete n 9335, premiso com
a sorte grande da lotera de Minas Geraes .
Ordem do daPor ocesiao do falleci-
mento do Sr. marecbal Deodcro, o Sr- ajudante
general do exercito fez baixar a seguate ordem
do dia :
< Camardas !A patria en'uta se I um doa
seu3 mais dedicados servidore3, o scenario em
que tan.o silieotcu se por suas virtudes cvicas
para mti3 n5o o vermos.
O marechal Manoel Dacdoro da Fonseca acaba
de deixar-ncs ; mas. se o seu corpo ext ngue-se,
tica-003 a sea memeria, memoria immorredoura
dos annaes da nossa historia, memoria imnorre-
doura dos notso3 coragOe?, pois que a patria^
perdando tao prestimoso lilbo, nos soldados per-
demos n'elle um verdadeiro e leal amigo que to
beibs exemplo? nos deu ao seu acrysolado amor
a classe que tanto enalteceu, llus'trou e a qoe
todos pertencemos.
Dacdo-vos cenhecimento do passamento do
marerhal Manoel Deodoro da Fonseca, hontem
3 12 horas e 20 minutos da tarde, conforme de
termina o Sr. \ice-presidente da Rapublica em
aviso deuninisterio da guerra a'aquelle dia da
tado, o fago com o coragao constraogido por taa
scnsivel perda e vos convido como demoastrago
de pezar a tomar luto por 8 dias.
A' viata da carta, abiixo transcripta Dao sao
prestadas ao tluatre morto as bomenageos e
honras militares a que linba direito pela sua alta
patente como peloa importamissimos e ioolvida
veis servijos que prestou i patria durante lon-
gos annes, na paz e na guerra.
Sr eeneralFui encrregado pela viuva do
marechal Manoel Deodoro di Fonseca, fallecido
boje s 12 horas e 20 miootos da tarde, de cora-
municar-vo3 que foram suas ultimas vontadea
terminantemente exp^essas que nao quera ne-
Dhuma demonstrago militar oficial, por occa-
sio do seu en^erramento.
Tenbo a honra de levar ao vosso conbecimento.
Exm. Sr. general de divisao Antonio Enaa
Gustavo Galvao.Dr. Joao Severiano da Fon-
sica
83 acbava a banda marcial da Sociedade 14 do
Agis'.o executando barmooioaae peca3.
Dapois di lavrado o termo da posse em um
livro competente, seguiram-se as aaslgoatu-
ras doa digaos Intendente e de muitas pessoas
que a* acbavam presentes.
Por essa occasiao ama chava de florea cabio
sobre os actuaes representantes deste munici-
pio, que foram sauladoa por estrepitosos vivas,
correspondidos pelo numeroso auditorio e 1 elo
hymno nacional execotado pela banda marcial.
Ao Exm. Sr. De. Barbosa Lima, foram ergui
dos por mci'.as vezes eotbasiasticos e calorosos
vivas, qae eram correspondido ardentemente
pnlo povo.
I'lameros fogeetes fendiam o ar, e a noate a
fachada do edificio da .tendencia acbava-se II*
laminada.
A'a 7 horas da noute depois de concluidos os
trabalhos, deahlou pelas roas da cidade ama
numerosa paseata composta selecto pessoal,
sendo dorante o trajecto erguidos freqaeatea vi
vas ao Exm. S*. Goveraador do fctadj, aos Dra.
Jos Marianoo, Jos Miriae juiz de direito d^ata
comarca, em cuja porta parou a passeata pa-a
siga/Mear a este honrado magistrado o teatemu
obo de todos os victoriensea, que se sentem ga
rantidos em seas direitos, com a permanentia
nesta cidade de tao integro cidadao, na quali-
d'j ie de l'autoridade.
O Sr. Dr. juiz de direito com a amabilidade
propria de sua fina educagio convldou os pas-
seiantes entrar c que foi agradecido.
Voltando os passeiantej, dirigiram-se casa
do oosso prestimoso amigo o Sr. Dr. Jos de
Barros de Aodrale Lima, a quex saudaram pela
soa JelicagSo e reaes servigos prestados i cao
sa poltica de nossa comarca, bem como a todos
os mteresses em geral.
E-se Ilustre cidadao agradecendo conviden
03 aervirem ee de um copo d'agua. o que foi
aceito, trocandj-se por essa occasiao amistosas
expansOcs entre o calor des vivas que eram er
geiios.
Pouco depois retiraram-se todos na melhor
barmonia*.
CapUo Car-zaino Como baviamos n
nuuciado ebegoa bontem do sal, a bordo do
Trent-, o brioso militar cap.tsc Jos Florencio
de Carvalbo.
S. E.v.. o Sr. governador do Estado e um no
mere.o grupo de amigos foram recebel o na
rampa do Arsenal de Mariana,_ acempanban .'o
Diario de Pernambaco Qaatra^feira 31 de Agosto de 189i
3
Manoel Antonio dos Santos.
Fregoezia de S. Jos
Jos Antonio Googalvea Penna.
Caetano Salostio Coelho.
Fregueaia da Boa-Vista
Ancbises Accioly.
Antonio Soares Andrade Brederodes.
Srneso Vieira de Araujo.
Antonio Paiva Martina.
Pedro Jos de Gerqueira.
Freguezia da Graga
Jos Ferreira Pinto.
Antonio Ausiricliano M. Mosquita Pimentel.
Uttioue Pereira Reg.
Edaardo Pinto da Costa.
\ Freguezia de Afogadoa
Pedro Tertuliano dos Santos Cordeiro.
Freguezia da Vanea
Amnelo Corma da Silva.
Joaquim Manoel Correia de Ararjo.
JooHermam Coarea.
A sessaj licoa addiada para boje as horas do
costme.
inapertorla do *. districto mar-
timoRecite, de 29 Agosto de 1892.
Bolelim meteorolgico
9?rw Term. centt- Barmetro Tenso do
grado (a 0)
* m. 24/3 759-,97
9 * 18,1 760- 84
12 > 25,'7 760-.34
3 t. 25,'7 759"v67
b 25,1 759",83
rapur
21,39
21,41
18,73
18,27
17,81
flumi
dade
92
89
76
74
76
dessa cidade em
> guaraaau*Dizem-ao3
dala de 28 :
Tomou hontem pnas3 a Ioteodenca deste
municipio em meio da moior expan3o de satis-
ajao popular, que por este modo sagrava o acto
e a esco ha do patritico goveraador.
A noite boove grande passeiata concorrida
de cidadaos pi-e8timoso3 e uo trajecto da qual
levaataram-se muit03 vivaa ao Sr. Dr. Barboza
Lima e ao novo Conceibo pela cooaciencia do
multo que elle hade fazer em pnl do munici-
pio.
O commercio di parabsna ao governo morali-,
8idr>, que livroa-o da dnalidade orgamentos ea-
tadual e municipal.
vi-;orlaNoticiam-no3 deaaa cidade, que
Iq endecia Municipal respectiva foi empoasada
o da 20, Beodo o acto cercado da real impo-
nencia.
O no3so coticlante soccorrendo-se descrip-
gaodo Lidador, assim o communica :
Grande numero de cidadaos distinctos oc-
copava as salas do edificio da Intendencia, onde
aacasa de residencia de S. Exc. oodeteve
lujar um lauto almrco em qoe trocaram se mu-
tos e eQibusiasticosbriadee.
Foi urna prova do alto aprego e sabida estima
em que tem S. Exc. o illustre militar qae deve
llin ter cado penborado por tao significativa re-
cepgao.
Desejamos-lbe mil prosperidade nesta trra
em que moit) conbecido e conceituado.
"jne c:>ntrate !--N. I u=tra:o;i Eipa
nt>la y Ara -ic.un. u. 37, a pag. 37, vem um desenlio do novo salo de
aud'eacia ao Tribuna! de orreigao do P.lacio
d Jusiiga, em Franga. Abi se v em posigo
saliente, em urna rica moldara, a imagen do
Martyr ao Golgothi, symbo.'o ("a Reempgao e
exem.olo da Jas'iga.
A calta Repblica Franceza, oode livre a
crenga re giosa, conserva a veneranda imagem
do Salvador do Gaero Humano, ao pasao qoe
no Brazil, ende a Religio Cathora Romana
est to invadida na crenga da popu'acSo, meia
duza de livres pensadores mondara arrancar
da sala d is audiencs da Capital Federal a ni-
ca que alli existia.
Que exemplo edificante o qae n:s di a Pracga
livre 1
Dr. Alfredo Ferreira De passagem
pira o Maraobao actoa se cesta cidade o Dr.
Alfredo Ferreira, idtcgado na copital do referi-
do Estado.
CapUo anto Xeve Acba se nesta
capital o capiSo Santos Nev?, que com zelo e
bravura servio na guarnigao deste Estado.
Comprimeitamol o.
Arnennl de Harloha \ Liga Optra-ia
reeebeu os segoiatea t. legr^acrasa:
Lig : Op;raria.Asseguram me suppressao
Arstnil o pa?sa- Cmara.
(A8signado).-/oe Hygino.
Liga Operara. Arsenil Marinha man-
lido.
(Assignado). Aguiar.
Liga Operara.Arsenal Marinha Cmara
approvcu emenda CSOSe vajSo Arsenal. Depa-
tagao pcinambacana compacta. AgradtCOdo
congraiulages felicito classe o aerara. *
(Assignado). Tolentino Carcalho.
Operarios Arsenal mil parabeos. Cabio
suppressao Araeual.
(AssigDaCci T7j:/<:Tf5.
o lliboRrapnoTendc os lilbograpaos
deliberado em reunio que se dirigissem aos
propietarios de oflicioas pediado-lbea aagmea
o de salario, visto a caresta dos gneros de l.'
necessidadp, apresentaram a sua reclam>gao aoa
pairos qae accederam ao pedido fei'o, deata-
caodo se apenaa um proprietario de lithogra-
phia qu? recusoo-8e a conceder o augmeoio
solicitado.
Fallcclmtnto-No dia 26 do correte fal-
lecen no capital do Rio Grande doNorle a Exma.
Sra. D. Rita Aotanes de Am.r.m (taris, res
peitavel mi e eogra de no-sos illustres c< llegas
do Rio Grande do Sorte commeodalor Jos
Gervas-o e Drs. Antonio de Amorim Garca e
Amyntas Barros-
A veneranda mairona era vinva do aotigo em-
pregado de faieoda. Jos Gervasio de Aunrim
Garcii, e centava 78 anaoi de idade, deiaodo
numerosa prole.
Seu digno oltm o S-. Dr. Angusto O de Amo-
rim Garca, actualmente nesta cidade, manda
celebrar miasas por a:ma da tinada no dia 1 de
Setembro prximo, na ma'.rz da Boa-Vista; e
a ellas por certo asstatirao amigos aqu residente3 em b menagem as vir-
tades da tinada e obsequio a _e3sa maolfeatago
de piedade filial.
Apoentadoria do magistrado
A propos to do acto .o goveroo, negando
saocgao ao projecto de aposentadoria dos ma-
gistrados, diz o Diario do Commercio da ca
pital federal, de que redactor chefe o talento-
so depo'.ado govern.s a Dr. Frederico Borges:
D.8-e o Jorcal do Commercio em urna
das suas varias que nao seria saneciooado o
projecto de apostutaaoria doa magiatrados, por
fenr disposigo coostiiucional. Deve haver equi-
voco nessa noticia, porquanto referiudo-se o
p-ojecto de lei o magistrados federae3, e apo
sentadoria d >s mesmo3, r,03 termos do art. 6o
das di3p03iges transitorias da Cmstituigao. nao
sabemos em que consi te a sua ntonstitucioua
lidade. *
DesastreJos Manoe! Raymondo, no do
mingo ultimo, descendo ao poco da Fazenda do
payol da plvora da Embenbeir3, para apanbar
um passarinbo. foi victima dessa imprudencia
moweodo aspbyviado ia: sclmergao no me3mo
pogo, d'oode foi retirado o seu cadver uo dia
segmnte pela manb.
Casamento civilFoi bontem lido o se-
gu: te proclama de casamento no 3* districto :
Primeiro
De. Jos Francisco do Naacimento com Beatriz
Alves da Silva.soltei.-os, residentes em Afoga-
dos*
Servieo millarHoje superior do dia
o Sr. capitao Medcnga, e faz ronda de visita
am subalterno do 2- batalbo.
14* batalhao de infamara dar as guardas
tos edificios federaea.
Uaiforme z. 5. ,
.tervlco policialE' boje superior do
lia c sr. cap t?u Montero.
O corpo de polica dar as guardas de Pala
ci. Deten^o e Tbesourc do Estado.
Uniforme n. 6.
Triannal do dnry do Bcclfe/.inda
bontem oo poade ser ostaliada a 4* sesso
ordioaria deste Tribunal i falta de jurad03 em
numero legal.
Compareceram 8jnrados.
Foram multados em S 03 jurados notiuca-
dos qae deixaram ce co aparecer e torteados
mais os seguintes supplenes :
Freguezia to Recite
Francisco Correia de Mesquita Cardoio.
Joquim Fernandes Vellozo.
Freguezia de Santo Antonio
Jos Cecilio Carneiro Monteiro.
Leobaldo Angusto de Moraes.
Aprlgio Bras de Ouveira Lima.
Ernesto Jos Ferreira.
Vicente Saraiva de Camino Neiva.
Candido Eostotgio Ferreira Chaves.
Lino Leocadio Regalo Braga.
Antonio Francisco da Costa Filno.
Gemioiaro Augusto de Miranda.
Car8ino T-ixeira Barro3,
Temperatura minima 23',00.
Temperatura mxima 26,15.
Evaporago em 24 horas ao sol 6,"2, & .-... ->
bra3m,4.
Chova nulla.
Direcgao do vento ESE com interrupgOes de E
e SE de meia noite at 9 b. e 27 m. da uoanba ;
SF. com inteiropgOea de ESE e SSE al 10 b. e
49 h. ; SSE at 11 h. e 38 m. ; SE e SSE alter-
nados at 2 h. e 03 m. da tarde ; S e SSE alter-
nados al 10 h. e 87 m. SSE com inlerrupeOes
de S e SE at meia noite.
Velocidade media do vento 7",31 por segundo.
Nebulosidade media 0,48.
m Boletn Pria rilar ou Dtat Horas Altura
baixamar
P. M. 29 ae Ago?to 910 da m. 1-90
B. M. 29 de 3-20 da t 0-75
Pas*ageiros -Chegados do sol no vapor
nacional Brazil* :
Dr. Alevandre Aogusto J. BalsemSo e sua se-
Dhora, Jos F. de Carvalho, capitao Antonio Va-
lerio dos Santos Neves, Pbiladelpha PessGa e 1
menor, Alvaro Pinto Alves, Joo de Meira L'ma,
Manoel S. leirelles, Luiz G. da Silva, Sebaslio
E. ua Costa. Clodomiro P. da Silv, Pedro Jo3
da Silva, Alfredo Scbiappe, Joo dos Saalos Jor-
ge, Manoel Freir, Amonio A. Cavalcanle, Fran-
cisco J. de Moraes, Manoel F. de VasconceNos.
Francisco Manoel da Costa Bracacbeiro, Antonio
Amarante, Dr. Constascio A. Cootinho, Emygdio
J. Paolo Ribe.ro, Lenidas Silva, Balbica Silva,
Mora Ruy, Daniel, Eunier, Lenides, Leticer,
B'aodioa, Alfredo Ju3'o, Osear Correia, Alfrelo
Maia, Jos Lemos Amaral, Salustiano Neiy, Ter-
tuliano Lemos, Josef.li Lnoaf, Maria, Dr. Vences-
lao F. Uagaro, sua ennora e 1 criada, Lino Ca-
valcanle, Joo Jos Feroondes, Antonio R San a
Ria, Domingos Alves Machado. A. O Lima Ro
driguea, Antonio B. S. Coelbo, Luiz Parias.
Lentes EtTeeiar-t-hHo os sevuintes :
Hoje :
Pelo agente Pestaa. s 11 horas, travesea
do Corpo Santo b. 27, e urna casa terrea.
Pelo agente Gu-mao, s 11 horas, ra da
Concordia u. 103, de movis, espelboa, locjas e
vidroa.
Pelo agente Silvelra, s 12 horas, ra do
Imperador d. 39, de predio.
issas fuMcftresSerao ceiebradns :
Hoje:
A'a 7 e 1/2 horas, na matriz de S. Jos, pela
alma de Samuel P. da Caoba Pero.
Casa do DetencaoMovimento dos pe-
sos da Casa ile Detencao do Recife, Estado ce
?ernambuco, &,u 29 de Agosto de 1S92.
Existiam 35l.entraram 5, sahiram 11exts-
ec 343.
A saber :
Nacionaes 307, muiberea 8 estrangelro; 30
-Total 345.
Arragario? 300.
Bcos 29.
Coectes 8.
-Total 300.
Nao bouve alterago na enfermada. >
Lioterla do Estado de Minas Cleraes
Por telegramm recebido pi la Casa do Ouro,
este o resultado di 1* sene da 9* 3tepU do Es
tado de Mios Geraes, extrablda ex 30 de Agos-
to de 1892:
9335 36:OCO000
9707 1:500*000
7770 730OCO
2326 :#3*000
3449 300*000
601 130*000
fifil 130*000
861 130*000
1073 130*900
M 15U*0C0
4834 130*000
7017 150*000
7581 150*000
8399 130*000
Approximag3e3
M3a 240*000
9336 240*000
9706 *>0*000
9708 90*000
7769 43*000
7771 43*003
Lotera o Estada do Maranbao
A 19* serie da 7* lotera deste estado, sendo o
premio grande de 300:000*000, ser mpreterl-
velmente exlrbida dp da 2* de Agosto (quarta
feira).
Lotera do Estado do Blo Clrande
po SalEsta lotera cajo maior premio de
10:000*000 ser impretenvelmente extrabida
no U 4 de Setembro (sabbado).
batera do Estado do Ceara A 3*
parta da 1 letfria An estado do Gear, com o
premio grat.de. de 50:000*000, ser extrablda
Impreterivelmenieno dia 15 de Setembro (qoio-
ta-feira).
CaaaKerio Publico Obituario do dia
29 de Agosto de 1891 :
Iaidoro da Caoba Rocha, Pernambaco, 93 aa-
nos, viuvo, S. Jos ; senilidade.
Jos Pereira Ramos, Pernambaco, 25 aaoos,
solteiro, Boa-Visto ; pneumona.
Mana, da Conceigao do Carmo, Pernambaco,
18 annos, sol'.eira, Boa-Vista ; tubrculos pul
mooarea.
Marcelina Maria do Rosario, Pernambaco, 80
lanoB, viuva, Boa-Vista ; tubrculos pulmo
nares.
Laura Felippe Santiago, Pernambaco, 20 an-
nos, Bolteira, Boa-Vista tubrculos palmooa
res.
Laiz, Pernambaco, 2 dias, Graga ; fraqueza
congen.ta.
Joaquim Libanio da Soledade, Pernambuco,
35 auno?, casado, S. Jos ; congestao cere-
bral.
Anua, Pernambaco, 17 mezer, G-aga ; ente-
nte.
Rufino Goncalves das Chagas, "Pernam'onco,
32 anno3, solteiro. Graga ; ep lepsia.
Jaciutba Mana da Couceigo, Pernambaco, 38
auno;, casada, Boa-Vista ; lepra tubercnloae.
Deus dedit Pimen'.el Evangelista, Pernambu
co, 19 anuos, solteiro, Recife ; febre amare lia.
Manoel, Pernambuco, 1 hora, Afogaloa ; in-
viabilidade.
Domalicp, 1 anno, S. Jos ; dentigao.
Jos Peres Campello do Almeida, Pernamba-
co, 54 aanoa, casada, Boa-Vista ; hemarrhagia
cerebral.
Jos ie Soaza Viegas, Pernambuco, 42 anuos,
solteiro, Boa-Visla ; lesao cardiaca.
Francisco de Paula Franco, Pernambaco, 42
aanos, viuvo, Graga ; iiisoffi tienda m.tral.
CHRBHICA H D1CIAR1A
Superior Trlbuaal de fustica
SESSO ORDINARIA EM 30 DE AGOSTO
DE 1892
PRESIDENCIA DO SB. DB.
Secretario, o cidadao Dr.
PIEES FERREIRA
Virgilio Coelho
nu
EstSo premiados coc 75*000os seguintes
meros:
9331 9332 9333
9334 9336 9337
9338 9339 9340
Estao premiados com 30*000 os seguintes
meros :
9701 9702 9703
9704 9703 9706
9708 9709 9710
Esto premiados com 13*000 os seguintes n-
meros : ___
7761 7762 7763
7764 7765 7766
7767 7768 7769
Todos os nmeros terminados em 5 estao pre
miados com 15*C00.
Todos oa nmeros terminado? em 7 estao pre-
miados com 15*000.
A seguiole lotera rorrera no dia 6 de Setem-
bro, com o mesmo plano.
Hospital Pedro II -O movimento deste
estabelecimento de caridade cargo da Santa
Casa de Misericordia do Recife, do da 29 de
Agosto,foi o seguinte:
Existiam 663
Entraram 24
f8f
Sahiram 32
Falleceram 3
Existem 672
A's horas do cos'ume, presentes os Srs. juizes
em numero legal, fot aberta a sesso, donis e
:ida e approvada a acia da aetecadeote.
Distribuidos e pasaodos os fetos deram-se os
seguintes
Jalgamantos
Habeas-corpus
Pacientes:
Josepha Maria di ConceigoMandn 23 so1-
tar, unnimemente.
Recursos crimes
Do RecifeRecrreme Jacintbo Pacheco Pinto,
recorrido o juizo. Relator o Dr. Costa Ribeiro.
Nao se omou conhecimenlo do recar o, una
nimemente.
De Panellas-Recorrenle o juixo, recorrido Ma-
noel hamos do Na8cimeno. Relator oDr. Sigis-
maudo Googalves. N4o se tomou coniecimen-
to, unnimemente.
Aggravo de instrumento
De Gimelleira-Aggravaiite Dr. Franc3CO Ma-
ooel Wanderley Lias, aggravado Jesaino Firmo
de Azevedo. Relator oDr. Costa Rtbeiro. Adjun
tos es Drs. Sigismundo Gongalve3 e Frascisco
Luiz. Nao se lo i ou conbecimento do aggravo.
unnimemente. .
.^4 Pro\i5o de solici'ador .
" Joo Cancio Ribeiro do Amaral e Jo. de Bar
roa Lins Wanderley. Conceleuse a renovaga.
de suas provisOes.
Appllages crimes
Da Parahyba-Appeliante o juizo, appellado
Januario Ciemenie. Relator o Dr. Sigismundo
GongalvoB.-Negou-seprovimeoto a appellaeao
contra oa votos doa D.-3. relator e Fra cisco
De Goyonna-Appellantes Anlonio B:z r a de
Lica v; oatro, appeliadaa justifia. Relator o Dr.
Golvao.'-Mand.use a novo jury, unnime-
mente. ,.
De Bonane rasApptllante o promotor puoii-
co app IUo Seratim Francisco da Costa. Rela-
cro Dr. Galvao.Deu-se provimento a appel-
lago para se impor ao reo a pena legal, unni-
memente. ,
Appellagao civel
Do Reciie-Appeliante Vicenta Alvos Machado,
appellados Santos da Figueira 4 C. Relator o
Dr. Galvao Revisores os Drs. Sigismundo Gen
gjives e Pirej Gongalves Foram desprendes
o? embargos, unnimemente.
PASSAGKXS
Do Dr. Pires Gongalves ao Dr. F aoelseo Luiz:
Appellagio crime
De Bom Coo3elbo-Apperante Joaquim Chris-
tico Fe reir Lima, appellada a justiga.
Do Dr Costa Ribeiro ao Dr. Ribeiro Viaona:
Appellagfoes crimes
De S. LoureogoAppellantea Trajano da Sil
va Maciel e.outro, appellada aju3iiga.
De IguarassApptllante Manoel Ferreira de
Oliveira, appellada a juatiga.
Appellagao civel
Do ReciteAppellantes Tavares de Mello Gen-
ro 6i C, appellado Levino da Silveira Los.
Do Dr. Sigismundo Goncalves ao Dr. Piree
Goncalves:
Appellag5o enme
Do Conde -Appellaote o juizo, appellado Vita
lino Antonio de Sani'Aaua.
Appellages civeis
Do RecifeAppellante a Intendencia Munici-
pal, appellado Joaquim da Silva Carvalbo.
Do RecifeAppellan'.e Manoel Joaquim
soa, appellada a Iatendencia Muoicipal.
Do BonitoAppellante Antooio Teixeira
Carvalho, appellado Jos Gngalves Lima.
DILIGENCIAS
3om vista ao Dr. procurador geral do E la-
do:
Appellagao crime
Do RecifeAppellantes Leooida3 JoSo Evau
ge!ista e outro, appellada a ju^ca.
DisTRiBigOas j
Recurso crime
Ao Dr. Co3ta Ribeiro :
Do RecifeRecrreme o juizo, re:orrido Se-
bastio do Reg Barras.
Encerrou-se a scssa 1 hora da larae.
MEMOBIA.L
NINGUfcM DEVE G'JMPRAR
Artigos de cbapelaria ou florea, plumas, voos
gazes, rendas, etc., sem fazer urna visita i Coa,
pelarla Rapbael, onde se encontra sempre ludo
qnanto, nesses rtigos, ha de melhor e mar
moderno.
2Roa do Baro da Victoria2
Rapbael Dias & C.
INDICARES OTIS
Hedios
Dr. 86 Pert-tta, ra da Iaaperatria n. b
i consultas medico-cirurgicas toaos os dial
das 8 ao meio dia, menos noa doiaiugos
lias santificados.
O Dr. Lobo Moacoto d consulta e
horas da manhS 1 da tarde. Achando-
se fra do Bervico publico offerece-so par
acudir a qualquer chamado com prompti-
tSo para fora da cidade. Especialidad' s,
opcracSea, partes e* molestias de sethoi-.u
s de meninos.
Dr. Joaquim Loureiro medico partei
ro, consultorio ra do Oabug n 11,
l. andar do 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Consultorio medico. O Dr. Manov
Argollo, com pratica nos hospitaes de
Paris e Berlim, tem seu consultorio ra
BarSo da Victoria n. 1.
Especialidades.Molcs'ias dos appare
Ihos respiratorios, circulatorio e digestivo,
consultas das 12 as 3 da tarde. Chama
dos no escriptorio.
Telephone n. 658.
Consultorio nedico cirurgico O Dr
Simplicio Mav Der, tem o seu donsulto.
rio, ra Ma ues da Olinda n. 27, 1.
andar.
Especialidad sMolestias do app^relho
respiratorio, f re e da pella.
Consultas"as9s lina pharmacia
Minerva, largo do Tergo e em seu consul-
torio das 12 s 3.
Residencia ra do Hospicio n. 41.
Chamados a qualquer h,n e por es
cripto.
Talephotae n. 566.
Clnica de molestias de olhos,
ouvidos e nariz.
O Dr. Podro Pontual, ex-chefe de clni-
ca do professor Wecker, Je volta de sua
viagem a Europa tem seu consultlo
ra Novan. 18, 1. tuidar.
Coasaltas de 1 as 4 da tarde.
Telephono n. 539
Oeenstas
Dr. Ferreira, o m pratici nos
paos hospitaes e oUsi ( Paris
dres, d consultaa todos os dias das 9
horas ao raeo-dia. Coasultori-i i ?**'
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Dr. Barreto Sampaio ocenlista, d con
s litas de 1 s 4 horas no 1. andar da
aaaa ra J.iarao da Victoria n. 51. R"si-
d sacia a ra Seta de Setembro n. o4,
e -;f.-a4a pela roa da Saudade n. 25.
Dr. Pereira da Suva recentemento che-
gado de Paris, com pratica as clnicas
de Wecker e Landoit, d consultas de 1
s 4 horas da tarde ra do Imperador
n. 63, 1. andar.
Telephone n. 588.
RESIDENCIA OAXANGA
Drogaras
Faria Sobrinho & C, droguiat.8 por at
aado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manad da Silva d (7., do;; :-a
arios de todas aa e.3pocitUidaa phirm*
ou ticas, tintas, drogas, producto chira
ce s j medicamentos homeopticos, r.a ;
Marques co Oluida n. 23.
607
Foram viaitadas as enfermarlas pelos segua
es Drs. :
Moscoso entrn as 8 i/1 horas da manhae sa-
nio s 11 1/2.
Barros Sobrinho entrou s 7 da manhS e
sahio sabio s 8.
Halaquiasentrcu s91/2damanha e sahio s
113/4.
Simoes Barbosa entrou s 10 da manhS e
sabio s 11 3/4.
Berardo ent-ou s 10 1/4 da maab e sabio s
11 1/2 horas.
Arnobio Marques entrou s 9 da macha
e sahio s 11 1/4.
Lopes Pessoa entrou s 8 horas da manb
e sabio sil 1/2.
Andrade Lima entrou s 91/2 da manha e sa
hio s 11 1/2.
Vit ira da Caoba entrou 3 10 e san o s
11 3/4.
Bastos de Oliveira entronas 9 3/4da manb
e sabio s 10 3/4.
O pbarmaceutico ent.ou s 8 3/4 da manb e
S-hio i 3 da urde.
O ajudante do pbarmaceutico entrou s 8 1/4
horas da manhe sabio s5 1/2 horas da tar-
de.
Lotera do Estado de Mina* Oe-
raeA 5" parte da 8 lotera, deste estado
com o maior premio de 36:000*000, ser extra-
hida impretenvelmente, no dia 6 do Setembro
.(.rea feira.
Lotera do Estado do ro-Para-
A 18. serie da.52.* loteria, deste Estado cujo
premio graoae de 120:000*000, ser extrahids
no dia 4 de Setembro (sabbado).
Pea
de
SPORT
Prado Pernambucano
Encerrou-se hoje a inscripcio pora a 4" cor-
rida a realisar-se no domingo 4 de Setemoro de
1892.
Io pareoConsolacSo.l- Alabama, 2- Pirata,
3* Camponez,4-Caiuo.S Gatuno.
2 pareo-Experiencia1- Phariseu, 2-Tupy,
3 Viva, 4- Vingador.
3o pareoOrdem1- Despota, 2- Favorita,
3- Pelropoles, 4. Tenorino 2".
4 preoE3timulo1- Conforme. 2- Vinga-
dor, 3- Topy 2, 4- Caira, 5- Gatuno, fi- Arcbi-
vou, 7- C.losso.
3- pareoGrande Premio Prado Pernambu
caro! PlutSo, 2- Cyclonc. 3- Sans-sou i, 4-
Mauriiy, 5- Mprangoape, 6- lia, 7- Talispher,
8- Pigmea.
6- pareo Progresso! Danubi,2- Gallileu,
3- Atlante, 4- D. Affon30, 5" Velox.
7 p-reo-Vtlocldade-l- Turco 2, 2- Regen
te, 3- Berlim.
8 careo-Liberdade-1- Tupy 2, 2- Ally,
3- Dnbleu,4- Clyi,5- Pathooly, 6- Talissier.
PllLIU^ES & PEDIDO
Notas do seatimento
Juizes districhies
Sor Martin;, va-se embora ; nao faca vergo-
nba A gente pernambucaaa. Entregue a vari
nba ao Sr. Arcba, e nao se meta mais com o Sr.
B. L que V. esia como o boi no atcleiro, que
quanto mais se meche mais se a'.ola.
V. dia que o goveroadar oo poJia dissolver
os juizes di8triciaes. porquanto os concelbos
nao foram diesolvidos como sollos, mas se-
gundo oa fundamentos do decreto, porque a lei
os dissohii Que nao sendo elks cuilos, osseus
actos subsistera legaes, e seno um o'elles a
eleicSo dos jDlies districtaes, nao podiam ser
dissolvidos.
Mas, mea caro tr chefe, (tenho horror a lo-
cugo, meo chefe, qoe tanto eograndeceu o Mei
ra e tanto prevalecen a outros) mas sor chefe,
porque lei foram dissolvidos os coucelhos ?
Nao foi por aquella lei que en chamo corda,
qoe Vv. torceram e maada'am ao Sr. B. L. que
a exeeutasse, isto que a Vv. violino3 com ella
os enfo.-casae ? Aquella le que resa :
Os mu3lcipio8 existentes, com os seus ac-
tuaes Iimii8?, sao cooservados para o Bm de
elegerem es seus concelhos... de accordo com
a constiturcSo... e com a presente lei ?
Logo os concelhos, eleito por mandamento
da lei n. 4. foram dissolvidos, poique nao foram
eleitos de accordo com a coustituico.
O que nao I fei.o de ac:ordo com a lei, cou
ira ou contrario lei, e portante illegal -, o
qoe 6 illegal 6 nuilo.
Logo 03 concelhos dissolvidos em virtude da
transitoria da lei orgnica dos municipios, foram
dissolvidos como nullos, e portaoto su nuiles
todos os seus actos (ex-fructibos eorum cog-
nocetis eos).
Queixe-se, pois, de si, Sr. Martics, e de sua
patritica gente violina, aquella gente que con-
stituida em corporaco to respeitavel, a primei
ra, oo souberam comprebender a altura da di
goidade de sua posigo, c posaaram urna des
compostura nos foacciooarioa pblicos, oais
brutal no que poderia sabir d um estupido pa-
trio para lbe iodeferir ama petico, um direito
que nao podiam contestar. Mas elies nao teem
culpa, Sr. Martina, pois oceupados no patritico
empeooo de poupar suas algibeiraa para nao
pag-ir impostoe a manter os funecionarios, elles
na Qaeixe-8e, pois, s de s>, Martinzinho, qf
sendo ebefe, devia ter visto a Ul carda que Vv.
torceram.
Deixe, pois, o Sr. Barbosa Lima, que elle tem
bastaote calma para nao alterar se. Olh par?
mim nao pode haver un prato de doce n. i -1-
boroao, do que urna descompostura de qa*lQer
bom moaro oa ruim cbrisio, qua derrotado na
polmica, nao tem mai) o qu dizer. Nao tu
bom vel-os tt monter com raiva ?
Dtixe, pois, B. L., que *e, segundo parece,
ir sempre avant -. violinos esbravejem, quer nao ; porqoanlo Vv.
-oo ar.asoam, desarrasoam. e de certo nada po
dem arrasoar desde aue esio lodos os qu: na
violada fiarara, depeoduradea '.queHa cruel e
terrivel corda.
Bem sei qae para,urna grande culpa oeces-
sario orna granle explaco. Para a do nosso
pai AdSo foi prometlida por Deus qae o creara
e o pasera no Paraso das delicias, para o borla-
e cultivar, foi prometida a que era fazer tile
msmo na pessoa de seu Fi.ho, por grande, im
menso sacrificio que veio a ser o da Cruz, que
libetlou a butnantdade de todo o captiveiro fa
zen lo de todos os romeos rmos, e elevou
mulber altar maior da dignidade humana,
velando a poligamia, iodo3 >stes e outros vi-
cios, berraces e desgranas, orlindss da gran-
de flia I
(E a repblica banio da bandeira brasileira
o rymbolo da nossa nac o, a cruz, o symbolo da
liberdaiiBEman>, e esciwveu'JnJem e Pro-
greaao, quuqut.dixer espada e aiauroidaa pa-
totas, emuso bancaria. para fazer progresso,
espada para cobrar triploa impostoi dj esfarra-
pailoj veodedorea de couves e tomates, como
os violinos queiiam que B. L. tizisse. Pois Ihes
digo, e se tu uootrer antes aisto, tica aqai es-
crlptoad perpeiuam re jnemoriam,emquan-
to a cruz nao for restaurada em nossa Danleira,
a repu lico orasileira ser sempre latente a
aoarchia i.o qae todos os descontentes pensam
para ga'gar o poder e apaDbar para saa bolsa o
maior prigresso.)
Olbe Sr. Martins, pense cada um como puder,
(oote bem, puder e oo querc); ma3 estepbvo
todo catbolica, isto cbrisio la unidade da
doutrioa ; de outras religies ou seilas como
um juago d'agua no o:eaao
Os inven 03 porlanto introdosidos de cutra.-
partes que nao eslonas nossas condicOes, s
macaqaices ioconsiderada?, as quaea usto em
completa desbarmonia com a ndole, cscoatu-
mes e o senLimealo deste povo iateiro. Para o
Brasirser lz. podem *e:igualmente permltti-
das '.oas as nligiCes (nunca alguma opposta t
moral mormOes) mas preciso que a religic
deste povo seja maotida e considerada, porquan
to se para cada hornera ella a silraco e a
vida eterna para a nao que : So lera co, ella
a pnmelra poli-ia, o primeiro freio, a primeira
coniineocia, o faodameoio dam:ral, a liberda-
de nos liraiiea da lei, e da ordem que de sea
exe-cic o resulta.
G isto sem temor da pre'.eucees cleriraes no
governo do Estado, porque no Estado esa qual-
quer, como milbares de ierejas, e todas as suas
faculdades podem rer prad^ntemente medidas
pela lei ivilMb Sr. Matins para onde
foi e inda iaeu, que ares sol acdo.que crien-
tes de7a8sando? A 003ra h slora ca que V.
quera urna expiaco para o eu grande peecado
de deixar passar a cordinha que es eniorcou.
Mas Floriano nao o pai qu; o geroo ; foi sim
Deodoro qae j morreo; aqae!4 nao mandoa
Barbosa Lima para bode expiatorios menos sea,
mas sim porqua Vv. peJiram ; po;emo3 coabe-
ceodo, nao para violinos o govt-rnarera, porm
8im para o contrario. Deixe po3 o B.Lima, lite
ac Dselbo para sea btm.
Seja portaoto V- mesmo obo e expiatorio de
sua g-ande falta, neceado brrenlo; e como se
deve envergonbar d* triste falta, meta a cabega
em um sac :r, eomo ji Ihe aconselbei) e bata com
ella pelas pare Je g itando e b?r andonao
3ou chelenesse nome nao fallo mais nan-
ea ; portm son bode, son o bde erai.-sirio, qae
estou expan'o meo grande peceudo.
Adeu3 sor... nao, nao lhe chamo rxais chefe.
O demitlo j que o director uo o tz qae isto
urna vergonba para Pernambaco. Paite a vara
a Arocua que as victimas crtforcacas o acharo
muito melhor.
Recife, 24 de Agosto de 1992.
AfLnso de Alcuquerque Mello.
Ao publico
Nao verdadeira a noticia que d
A Piovincia de hoje, com re!ac2o ao facto
occerrido com Malaquias de tal eo lugar
fundSo dv districto de Beberibe.
Muito propositalmente foi a verdade
miseravel e infamemente invertida, por
que a nao haver propos'to e mi fe, nao
se comprebende que um feto que se pas-
aou publicamente em preseega de diver-
>as pessoas podesse ser narrado de modo
inteiramente contrario.
Foi do segaiute modo que se passou o
facto : tendo de ir a Olinda a servigo o
cabo Conrado, e perdendo o trem do 4
lj2, e parecendes lhe qupala ealrada do
Peixiohos cheg&ria com pouca differenga
do trem, oeguira a p, e ao chegar no lu-
gar Fundao, enc:ntrou se com o dito Ma-
laquias que sem motivo de especie alga-
a Iha dirigi provec^coes e o aggredio
analmente com urna faca, ten tan-o e-
nl-o.
Dafecdendo-e a praga da tao brusca e
inesperada aggresso, den com o sabr na
mao em que Malaquias tinba a fac, e a
rasera c^hir, e procurando entSo Ma'aquias
fazer uso de urna outr arma que trsaia
ocoulta, a praga segurcu-o e nesta lata
disparou se urna pistola que trazia o refe-
rido Malaquias presa ao coa ch calca,
como se veiificou peloB vettigios que dei-
zou a explsj.o na camisa do mesmo Ma-
laquias, que ficou ferido pe'o projectil.
A pistola de dou3 canos e carrega
pela culatra, tendo as capsulas um e3pi-
g5o que com qualquer preesao produs a
explosao.
Foi urna verdadeira casualidade deriva-
da smente imprudencia de Malaquias.
que um homem turbulento, provocador
sempre disposto a brigar, como noto-
riamente sabido.
A praca ia t e nSo tirona outr1 arma
alm do sabr, assim como Malaquias nao
morador no districto do Beberibe, onde
s apparece urna vea por outra no Fuadao,
provocando desordene e praticaedo des-
atinos.
Quando a correegSo do roeu proced-
ment e do subdelegado, invoco o teste-
munho dos homens de bem, e eutrego ao
desprezo o vil e infame mentiroso e ca-
lumniador, cuja baba i podre nao me ai-
canga.
J. Guimaraes.
E' o giande depurativo
descoberto dos indgenas
cajo, tem a propriedade de
curar a syphilis rpidamen-
te, curar o rheumatismo
como por encanto, e curar a
morpha c mo por mila-
gre.
C^ apreciamento do gran-
de remedio o Elixir. M.
Moratopropagado por D.
Carlos, o facto mais ex-
traordinario d'este secuto,
taes sao as cura? qae dia-
riamente se effectuam.
A.entes em'Pernambuco
Companhia de Drogas e
Productos Chin i :os : ra
Mrquez de Olinda r. 3
Dr. FreltasGiilni^r
MEDICO
Tem o seo consultorio na rea Duque
do Caxiaa n, 61, 1. andar, ende ser
encontrado de 11 1 hora da tarde e
reside to Cajueiro n. 4.
Telephone n. 292.


'"a
Diario de Peruambuco Quarta-feira 31 de Agosto de 189^
P*A Biclhor e Mais perfelta de
todas
a conhecidaa at agora a Emulc&o
de Lamann & K.emp; e por conseguate a
mais segara e rpida no* mus effeitoi em
todo o caso de nffec&o da garganta, tsica
a demais inoommodoa pulmonares ou pei-
toraes. Sabidas e conhcidas sao em todat
as partas as virtudes de ama boa emal
So de oleo de figado de bacalho, e no
presente caso, s tem s a dizer que tanto
a absoluta ezcellencia dos elementos em-
pregados, como o esmero e correccSo ici-
ntiflaa de saa proparacSa, iaaam da
amlalo de oleo da figado de bacalho
aom os hypophosphiloa cal, aoda e po
tassa que leva o neme e marca industral
de Lamann & Keap, a maia perfeita effi
oas e agradavel das que existe ne xerca-
do.
Peiloral de Cambar
Urna criacca da casa do Sr. M. Viris-
aimo da Costa, canhado do Sr. Joao Pa-
-ifio Coe'ho, negociante do Ibicuhy, Rio
Grande do Sal qae se achava gravemente
doeate de ama brocchio capillar, foi sal-
va da morte pelo Peitoral de Cambar,
de S. Soares. aue se vende as pharma-
cias e drogaras, a 29500 o frasco e 24f0C0
a duzia.
E' agente a Companhi de Drog s.
Atten Vende-se muito barato por um cont
de ris (1.0000000) ou por menos a me-
tade das trras no Bonito com boas mat
tai e cafeeiros, paosa riacho pelo meio,
de urna legua de fundo e um quarto de
largura, tica perto da esta980, a tratar na
Praga da Independencia ns. 27 8 29, ga
rete-se a vend ao comprador.
m -----
Ao cominercio e ao
pub
ico
Declaramos a todos os nossoa freguezeB
ao commercio e ao publico em geral que
desta data em diante deixa de ser oosso
empregado o Sr Antonio Pereira Lopes
e isto por irregularidades commettidas
pelo mesmo Sr. no exercicio de taes car-
gos, pelo que lhe retiramos os poderes
que lhe foram conferidos na procarac&j
que ao mesmo haviamos&passsado.
Recife, 27 de Agosto de 1392.
Botelho & C.
BeLrmino Goncalve de Albuquerque,
por motivos particulares avisa ao com-
mercio em geral e a qualquer pessoa em
particular que nSo se responsabilisa pelo
Ssgamento de qualquer objecto compra
o em seu nome, e para evitar duviias,
nSo aasignar bilhete ou carta authorsan-
do a entrega sob sua responsabilidade
quantia alguma, seja em dinheiro ou em
mercadoriss.
Recite, 27 de Agosto.
Cabo
O Dr.Joaquim Felippe tixou a sua reaidenc
esta cidade e da consultas na pharmaci
Duarte.
Presta chamados a qualquer bora
COMMERCIO
Andr Burity
Declaro qae fui mordido de ama casca
vel, o ourei-me sem cessar durante mai
de 4 annos, fcande-me uns buracos chago
aos nos pb que se safa va um abra oatro
immediatamente ; ficando anda com para
lysia em ama mSo d'esde que fui mordido.
Aconselhado a faaer uso do novo reme
dio o=ELxir M. Morato propagado por
D. Carlos, tomei o bastante tompo e f-
quei completamente bom. A quem anda
nao cochees o Elixir M. Morato eu de
claro que este remedio santo, porgue
faz mlegres. >
Porto Felia.
Andr Burity
Deposito em Pernambuco: Companhi
de Drogas e Productos Chimicos.
Roa Mrquez d'Oliada, %l
Peiloral de Cambar
O illnstre cavalheiro Sr. Silvine Ribeiro
digno director do Collegio Sasta Oros, na
Seira Nogra (Micas Gtraes) declarou que
sofirendo, ha quatro ancos de urna grave
tofese brenehial, foi curado radicalmente
pelo Peitoral de Cambar, de S. Soarea,
que se vende as pharmacias e drogaras
a 20500 o frasco e 24)5000 a dqsia.
E' agente a Companhi do Drogas.
Advogafcia
O conselheiro Joaquim Correia de Arau-
jo mudou o sen escriptorio da ra do Im
perada- c. 67 para a m.tma roa n. 22.
1- andar.
ES0BIPTORI0 OMM :RGIAL
Ra Duque de Caxias o. 72
Fazem iiquiac1.-. amigaveis ou iudiciariat
acceitam commiseese congnacCire encar-egam-
se da venda de engenbos, fazem adiantameotot
e acceitam correspondencias d03 senbores de en
genbo, promovem a venda de productos naci
oaes e azem qualquer transarlo de commer
co.
Encarregam se tambem de rec--ber os honora-
rios dos Srs. funccionarlos pblicos alugueie
de casa, mediante mod.ca commissao e bem as-
sim de qualquer traba!no de escnpturaso df
asa commercio.
Peitoral de Cambar
A Exma. espo a do Sr. Joaquim Alvea
Cvale*^*', do Cear, foi curada, pelo
Poitora' ?e Cambar, de S. Soares, da
urna terr'vel toase que resistir a muitos
routroB remedios.
Vende-se as pharmicias e drogaras a
20500 o frasco e 24$ 00 a duzia.
E' agente a Compaobia de Drogss.
--------------.*--------------
Patrikiionio de (tea Mu
da Pic.'ade
O administrador actual do patrimonio
de Noisa Senbora da Piedade, fregueeia
de Muribeca, tendo de proceder a divi-
sSo dos terrenos em sitios de plaotaejto
para arrenJal os a diversas pretendentes
qae o tem procurado ; roga a todas aa
peaaos que te cham de poase de terre-
nos pertencentes ao mesmo patrimonio ae
sirva u de apresentar, dentro do praio de
30 dias a contar desta data, os ttulos ou
documenta comprobatorios da sena con-
tractos de afuramentoa placifadoa ou ar-
rendamentcs, afim de Ibes aerem reconhe-
eilos s*s dirfitos ; do contrario, e fndo
o prazo cima"; nSo te attender a recla-
macSo alguma.
O referido administrador pode aer pro-
curado co edificio contiguo ao convento,
ou rria >'e Pedro Affjnso n. 59, 1* an-
dar, das S horas da manha s 3 da tarde.
Convento da Piedade, 10 de Agosto
de 1892. _________
Peitoral de Cambar
O pharmaceutico Sr. Francisco Jos de
Barcellos, pri aeiro empregado da Pharma
c:a Delgado, do. Rio de Janeiro, foi pelo
Peitoral de Cambar, de S. Soares, cura
do de urna tossa pulmonar aguda, depois
de tt-r usadk) diversos remedios sem pro
veito,
Vende se aas pharmacias e drogaras s
20OO o frasco e 240000 a duzia.
.' agente a Conjpanhia de Drogas.
-i--------------- jaaag>-------------------
0 Di. Barros f:arneif o e a fa-
brica a vapor unta Espe-
rauca.
O Dr. Manoel Clan:entino de Barros Car
nc-iro, formado em scienciaa medicas e
cirurgicas pela f&caldade do Rio de Ja
f.ciro, medico adjunte da clnica do
hospital de Santa gueda etc.
Attesto que techa f :ito aso dos cigarros
denominadosMmha Esperanca e bem
aasim do fumoJJygienieo Nacionalda
tdbrica do S*.. Antonio Francisco da Crus
; er. -nhecendo pela analyoc chimica a que
proced, que o referido fumo e cigarros
nSo ei:C< rram principio .lg im nocivo s
fu: *s toleraveia aos dyspeptcos.
In e medici.
Kecife, 12 de Fevereiro de 1892.
Dr. arros Carneiro.
Peitoral de Cambar
O Sr. Dr Telasco de Gomensoro, res-
peltavel medico residente no Rio de Janei-
ro, *-tteatou (er curado pelo Pait'.ral de
C-.abar, de S. Soares, um.; pessoa de sua
familia, que soff.ia, havia alguno meses de
ua!aryrgto acompanhad de to?s?.
Vende-se as pharmacias e dr- garM
20500 o frasco o 240000 a duzia.
E' geate a Companhi de Drogas.
CoD^nllorio Medico Ornrgic
O Dr Simplic o Mavignier, tem o seu
corsultorio ra Marques fe Olinda n.
27, l. a&dar.
&specialidad3 Mciesti-3 do a.;.partlbo
r< f jiratorio, febre e da pella.
Consultas da 9 as 11 na pharm&cia
Minerva, largo do Terco e em seu con
eu;tro das 12 s 3.
(UcsideucaR;ia do Hospicio n. 41.
Bolsa Com murcia I de Pcroam
buco
OOTac^ia OFFICUSS DA junta dos cok
RRTORES
Proco do Recife, 30 de Agosto de 1892.
AccOes do Banco de Crelito Real de Pernam
neo do valor realisado de 80/ a 1021.
Cambio sobre Loodres a 90 j< a 10 3/i por If
do banco buntem.
Na Bolsa veoderam se :
10 Acc?s do Banco de Crdito Real de Per-
aamboco.
O presidente,
Eduardo Dubeux.
O secretario,
Augusto Piato de Lemos.
Cambio
PBACA DO BECIFB
Os ban'os abriram u 10 3/4 nao apparecendo
tomadores a esta taxa.
Eq papel particular nao constou transaeco.
0 mercado fecbou com tendencia dovidosa.
PRAg DO RIO DE JANEIRO
10 3/4 bancario Lominal.
Cotaces de geaeroa
aSSCR
Para o agricultor
Branco por 15 kilos. 9*000 a 11*000
Somenos. idem idem. .. 6*500 7*500
Mascavado dem dem 5*000 a 6*000
Broto secco ao sol idem idem. 3*000 a 4*000
Rtame idem idem .... 1*700 a S*0u
Mercado multo animado.
At 14 do correte foram exportadas 11.132 ..
sacco3 e 1906 barricas de asfucarbraaco pesando
751.708 kilos.
Algod.io
Uao cons'a negocio.
Atl4Jocorrenteforam exponados 4682 sac
as el96C Lrcl3 dealgodo pesando 611.150 ki-
los.
Borracha
Cota .-e nominal a 30*000 por 15 kilos.
Carnauba
Cota e a 11*000 por 15 kilos nominal.
Carocos de mamona
Cota-se a 2*400 por 15 kilos.
Couros
Sacos ligados na base de 15 kilos a 650 ris.
Verdes nominal 360 ris.
At 14 do correte (oram exportados 3.148 coa
tos.
el
Por pipa de 480 litros 80*000 na falta no mer-
cado.
fabsixa das entradas de assdcab e al-
godao
Met de Agosto
Entradas Assu-car Algo-do
Dias Saceos Saccas
1 a 10 1235 500
1 a 25 55
1 a K 140 687
Estrada de Perro Central l a 24 282 269
dem de S. Francisco . 1 a 23 2013 620
tiem do Limoairo. . 1 a22 liO 357
3780 2488
Aleool
Por pipa de 480 litros de 260* c oo.
Foram exportadas u-- 14 do correte 119 p-
as.
Agurdente
'or pina de 480 litros 150*000
Al 14 de correte loram exportar!,:.s 988 pi
Carocoa de algodi
Oota-se a 640 ris por 15 kilos.
Foram exportados at 14 o cprrente 207.950
ii.os.
i
Importarn
Vapor nacional Venas, entrado dos
p>rtos do sal era 29 e consignado a Amo
rim lrtr.aos e comp.
Alfafa 200 fardos a David Ferreira
Porto Baltar.
Colla 4 barricas a Antonio ? Carneiro
da Silva, 10 a A. Macbado e comp.
Chocolate 2 caixas a M A Pinto.
Cigarros 5 barricas a ordem.
Chapeos 1 caixao a M. Licio Marques,
2 a Companhi de Chapeos, 2 a A. Amo
rim e comp.
Fio 32 saceos a G. F-irnandes e comp.
Fumo 8 pipas a crdem.
Meias 3 caizas a Rodrigues Lima e
comp.
Mercadorias 8 vo'.umas a orden.
Panno de Algodao 47 fardos a ordem,
10 a R. de Carvalho e oompM 14 a Gaer-,
ra Feruandes e comp., 8 a C unpanhia da
EBtva, 20 a Alves de Britto e comp., 17
a Rodrigues Lima e comp., 10 a A. Maia
e comp., 20 a k. L>pes e comp 10 a A.
Maia e comp., 21 a Ferreira Irmaoi e
comp.
Pipas 48 a Jos Ridrigc.es Macieira, 32
a Pereira Pinto e cmp,
Piatsava 500 pegas a Jos de Mallo
Salgado.
Pegas para macuicas 1 a Biackburn
Nsedham e comp.
Sola 1 rolo a J. P. Pontea.
Seccante 16 caixas a A. A. da Silva.
Tunis de ferro 30 a J. Palle e c^mp.,
5 o Paulino de Oliveira Maia.
Sedas 2 caixas a J. da Silva Pereira.
Vellas 3250 caixas a Companhi de Es-
tiva.
Xarque 170 fardos o Pereira Carneiro
e comp.
Vapor nacional Rheca, entrado dos por
toa do norte, em 29 e consignado a Com-
panhi Pernambucana.
Algodao 100 saceos a Levy Ddlmiro,
24 a N. Maia e comp., 11 a G. de Mattos
Irmaes, 200 a Julio e comp.
Borracha 4 fardos a Levy & Delmiro, 2
a M t os Camiuha e comp., 4 a Prente
Vianna e comp 3 a J. Krauae e comp.
Couros 52 a G. Mattos IrmSos, 12 a
Moura Borges e comp., 34 a N. Maia e
comp., 150 a JoSo Paes de Oliveira, 20 a
Costa & Rocha, 478 a Manuel de Soasa
Franco, 32 a J. Krauae e comp., 66 a
Sousa Nogueira e comp.
Chapeos 9 volumes a Manoel de Soaza
Franco, 3 a Francisco C. da Ccnha.
Cera 56 saceos a Manoel de Soasa
Franco, 6 a Sons Nogueira e comp., 1 a
Gomes de Mattos Irmaos.
Chnelos 1 caixa a Francisco C. da Cu-
nha.
Courinboi 3 fardos a G. do Mattos Ir-
Im.
Cj'x 1 amarrado a Francisco C. da
Ca ha
Cobre 4 volumes a Perei a Crneiro e
comp.
Came 1 caixa a Julio e comp.
EsteiiE.8 6 roles a Mtnoel de Souza
Franco, 51 a Costa Lima e comp., 20 ^
FraEciaco C. da Cunea, 6 a ordem.
Garrafas 15 caixas a ordem.
Madeira de piaba 14 pranch3:j a Pe-
reira Carneiro e comp l a Julio e comp.
{.40 Companhi Pernamhucan.
Mercadorias 2 volumes a ordem.
Pellos de cibra 7 f rdos a Abe Stein e
comp., 15 a L vy & Jelmiro e comp., 2
a Rjssback Brothers e coap., 18 a J.
Krause e comp.
Queijos 2 caixas a Souza Nogueiri e
comp., 1 a ordem, 2 a Francisco O, da
Cunha, 1 a Julio e comp.
Rapadura 7 barricas a Manoel de Sou-
za Franco.
R-siduos de algodao 40 saceos a Julio e
comp.
Su! a 41 rolos a Souza Nogueira e comp
55 a G. de Mattos Irmaos.
'ecidos 5 fardos a N. Maia e comp., 1
till e comp
(Jrupema 1 amarrado a Frauci:co Car-
neiro da Cunba.
Vellas 5 caixas a CJosta L;ma e coiij-.,
3 a Souza Nogueira e comp.
Vapor nacional Brasil, en'rado dos por-
tes do sul, em 20 e consignado a Pereira
Carneiro e comp.
Carga d Rio de Janeiro
Chapeos 3 caixoes a Manoel Joaquim
Feruandea.
Cauham&o 8 furdos a Ma'los Caminba
e comp.
Caf 20 saceos a Maia e Silva, 299 a
Joaquim Ferreira de Carvalho e comp.
Cogaac 20 caixas a Balthaaar Maga
hiles e comp.
Calcados 1 caixSo a A. Cruz e comp.
Elixir 40 c '.xas a ordem.
Fumo 1 volume a Antoiio F. da Cruz,
10 a J. B. dos Res, i" a Joaquim Jos
Duarte.
Meias 1 caixa a L. Maia e comp.
Matte 3 caixas ordem.
Maotros 9 volumes ao Arstaa! de Hur*
nha.
Panno de algodSo 43 fardos ordem,
100 o Rodrigues Lima o comp., 10 a
Guerra & Fernandes, 10 a Alves de Brit-
'o e comp.
Xarque 1,338 fardos ordem.
Carga da Babia
Charutos 10 caixas.
Chapeos 7 caixas.
Colla 2 barricap. >
Fio 20 saceos.
Panno d algadSo 180 fardos a ordem.
Baifta nomegaense C'arstine, entrada
de Cardif em 28 e consignada a Livra-
ment d C.
CarvSo ds pedra 633 toneladas or-
dem.
Barca norneguente Aquilla, estrada de
Cardiff em 29 e coasignada ao Lloyd Bra-
sileiro.
CarvSo de pedra 703 tonalad.s r -
den.
Chamados a qualquer hora e por es-
cripto.
TELEPHONE N. 566
Peitoral de Cambar
O hbil medico Sr. Dr. Alfredo Mendos
Ribeiro, attestou ter curado com o Peito-
ral de Cambar, da S. So&res, a Ezma.
Sra. D. Virginia Mara Mendos, residente
na Baha ra S. Miguel n. 46, qae sof-
fria de urna tuberculoso incipiente.
Vende se as pharmacus a drogaras a
2(5500 o frast*) e 24*300 a dasia.
E- agente a Compaobia da Daogea.
Estupendo
E' cur^r em tres dias gonorrhas chro-
niess ou recentes, como acontece com o
remedie vegetal que se chama InjecfcSes
Anti-blenorrhagcaa de M. Morato. Cora
gf-rsntda em tres dias, seja qual fr ana
tureza do paciente.
A Injec^ao nti-bienonhagca de M,
Morato, vende-ae em Pernambucf, na
Companhi de Drogas e Productos Chi-
micos.
Roa Xiirqnrz d'O inda, 23
PeitoraJ JeCanbar
honrado estanciero Sr. Belsario Pe-
reira de Athayde, de Ita^ny. Rio Qrande
do Sul, communicou qVie sua esposa, que
soffria de asthma bavia muitos annos, foi
curada pelo Peitoral do Cambar, de S.
Soares, que se vnnde as pharmacias e
drogariss, a 25.0 o irasco e 24QOC a
duzia.
E' agenta a Com anhia de DrogaB.
Peitoral de Cambar
Urna filhinha do Sr. Jos CarlosCoimbra
Je Gouvcia, do Rio de Janeiro, fcou cu-
rada de urna forto coqueluche pelo Peito-
ral de Cambar, fle S. robares depois de
ter perdido muito 'empo com o uso de
outro rem'.dios.
Vende-se nss pharm.cias e drogAriss a
2^500 o frasco e 24KXO a duzia.
E'agedte a Companhi de Drog&a.
Dentaduras artificiaes
Sob presaao elstica, e tpressao pneo
tica systemas covissimos neste Estdc
pelo cirargiao dentista Numa Pompio
a roa do Barao da Victoria n. 54 1 < o
da 'das 8 horas da manha s 4 da tar-.'e
Elixir ante-febril Car Joso
SEGUNDO A FORMULA
Manoel Carioso Jnior
ipprovado em SI de Marco de 1890 pela inspe
Coria geral da digna junta de bygicae do Ric
de Janeiro.
Ste Elixir de composico toda vegetal pre
. .i.-ido segando as regraa pbarm&ceuticas, acn
finadas pelos autores modernos} e de recoube
sida capacidade scintifca tanto no paiz come,
:o estrangeiro.
E.-ie Elixir o produelo nao s do gwnde es
udo das acedes pbysiologicas das snbstancia
'ao tambem patholog u.cemo tambem o re
soltado das immensas applicacOes nos diversos
"ases de febres de fondo palustre.
A applicacao deste Elixir na grande epidemia
de bexlgas de 1890 a 1891 mais ama vez de-
monslroa a sua eficacia ; pois no principio dos
primeiros symptomas a bexiga aborta, e em ca
sos mais adiantados a bexiga passa a ser ama
loenca febril vulgar apresentando pequeas to-
rnefa0es qae com a continnaco do Elixir de
sapparecem sem todava apresentar recejos de
perlgo.
Os muito nttesiados publcales no Diario de
Pernambuco e Gaieta da Tarde provam o que
di temos.
Nos caaos de febre amarella o eeito admi-
ravelf apresentando pbenomenos to maravilbo
os q|ie nea|a ct^ade do Recife e na do Rio de
Janeiro potpa rece o causa a febre amarella,
aieama estando o doente cun vomite preto e
saDgalneo^nestes qltjflOs fjeriodos ento ne
s 'ario a applicscio em alta dose, despresando
a tabella annexa.
Este Elixir j conbecidj do publico e de une
randa numero de dignos mdicos aprsenla-
do para combater os diferentes iuccmmodos to
dos ellea de carcter febril.
Por muito tempo tivemos occasiSo de faier a
applicacao as febres erysipellosas e com tac
oom resultado que licamos admirados de to al-
os effeiios.
Pela pratica chegarros a conbecer qae noe
ataques ae febre eryslpcjilosa ou erjsipella come
valgamente se dit necessarir g uso de 10 dias
do Exlr.
Nos grandes incomrcoJo3 das senhoras, mens-
truacao.. gravidez e ees ca;os de parto coa fe-
bre e d um resultado awiia certo e seguro e
a sua conposicao tao simples que nao oiferece
receto de applicar o Elixir nem uiesrco em doses
superiores s indicadas na tabella mfra.
Pedimos Mi dignissimoi mdicos que deseja-
-em fazer uso deste Elixir em sua clnica nao se
ijearem rossa prescripcao, mas sim fazer a
applicacSo em barmoia cornos casos qne dse
jarem combater, certos de que o medicamento
de cempesigao innocente para organismo por
mais frgil que se;a.
Hodo de usar
A's criaocas 3t um arreo iO rotas de 2 em i
acras em urna cother das de soja chsia d'agu
frit.
De um anno a tres 18 solas.
Da 3 a 10 an^os em diante, 40 gottM ele.
Estjs doses devem sempre s: apptfrudad em
=ua fri.
teepoaltoa
Companhi? de Drogas e Productos Calmil.,
erire. rea do Mrquez re 01ind.t n 23.
Nacional Pbarmacia, rus Larga do P.03a::i
i. 35.
Ptarmacia Oriental, ra Estrena
i. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, raz
''ictnria n. 14.
Inarmaoiz Marti-.s, raa Duqc
10
Rosarn
do Barto t;
de uaxm c
Para qualquer ioformacSo sera encontrado o
autor na ra do Iterarlo Estrrita n. 17.
Qs nosos frascos sao quadrados e cunta go-
las. N'um lado leem gravaioEhxir ente febril
e no ouiroMsneel Cardoso -ferambuco. e to
dos os prospectos sao asMHcaf.os por Mancel
Cardse Jaaior, Beodo .falsos os qc? cao forex
tsignados.
N. 12
Redfe. 6 .e Maio de 1889
Im. Sr. Manoel C^raoso Jaaior.
Nao p:so e com deso calar c seguin'.e faetc
de uxa tura ob'ida com o eu va. oso E-ixir
anti febril*.
Tendo tallecido da leirivel febre amarello um
meu filbirbo de 11 annos de id?de, depois de
63 I idos t loe c re;urso? possiviis tara sal
va-o e dous dias tepcis de sepultado, aSoocido
ou'.ro de 12 aauos, da mesoia febre, 3nbera de-
pois de muo ln'-ti r com outros medicamentos
rolerosos e rgeeilados per disiinctoa mlicos
desta capital, e ja desapontado, reoorri a coas--
!h3 de meu bom amico o tenente Leobaldo Au-
gusto de Maraes, ao s-o miracclo.^ remedio de
que ac.ma trato, e tive a immensa eailsfago ot
ver salvo o 03^0 querido filbinbo.
Communicando Y. S. iste triompbo de seu
vaitoo medicsronto, servir ao mestnc tempo a
miaba communicoco, de aviso aos que forera
atacados daqoelle mal, os quaes a-da mais de
Barca .ooruegueuse Fairy, entrada de
Cardiffdm 29 e consignada a Estrada de
Ferro Sul de Pernambuco.
CarvSo de pedra 800 toaeladas or
dcm.
ExpurtRaii,
BECIFB, 27 DB A08TO B 5S2
Vara o extarior
N'j vapor aglcz Trent, para SoulbampUin,
carreirou :
C. Heoaekwo, 25 caixas com plantas vivas rio
valor de 40/.
Para o interior
Nj vapor nacional Beberibe, para Natal,
carregari'm :
Paria Sobrisno 4 C, l barrica com 90 kilos de
assucar retinado.
Pora G ara, carregaram :
J. aa Silva Garneiro & C, 450 saceos com fari-
oba de 'nand;oca.
A. 1^ SiaOa C 10 caixas com 80 Litros de
ginebrae 10 oarrii con 450 litros de vinagre.
P. Ca.cetro R, o barra com 450 litros de
aleool.
Para M)3SJr, carregou :
J. M oa Cosa Carv-lno, 4 barricas com 375
kiioj de assucar branco
Na vapor uacional Maranli), pa-a Rio de
Janeiro, carregaraa :
Gompaobia de Drogas, ii ca.lxw com prepara
di a de ju^ubeba no va'cr de
P. Pialo k G., 50 pipas com 23,500 litros de
agurdente.
No vapor nacional Jaboat). para Penedc,
&rreju :
E. Soares de Aniral, 4 barricas com 240 kilos
de assuiar refinalo e 2 caixjfccom 16 litios de
geoebr?. ^
No vapor americano Scguranga. para Rio de
Janeiro, carregou :
Gompanhia R linadora, 494 saceos con 29,540
kilos de assucar mascavado.
Para Santos, carreearam :
P. Carneiro & C 20 pipas cot 9,400 litroa de
alccoi.
No hi?te Aurora -", cara Natal, cawesou :
Jos': da Silva, 10 caix.'s com 210 kilo ae
s.bio.
Nj biate Apody, pi*a Natal, carregaram :
Joao Souza, 90 caixas com 2,070 kio.4 de
sabao.
P. Carneiro & C 250 prgis de corda de pias
sava no valor de 2e.
Na barcac D. Annz, para Villa Ja Penba.
carregou :
Joao Paulo, 1 caixa com 20 kilos -fe sabao.
Pa* da Alamdcca
MANA DB 29 PE AGOSTO A 3 DE cKTUMDuO
D% 892
Alcocl (Utrc....... 583
Algodao em raba (kilo) .... 640
Arroz com casca a.;.o) 90
Assucar refinado (kilo; .... 760
Assucar branco (kilo) .... 666
Assucar mascavado Jk.lo) ... 233
Sacos de mamonas (kiio) 730
dorracnade leite mangab. (kilo) 20C0
Cachaca........, 321
Coaros seceos espichados (kilo) 654
Coaros seceos salgados (kilo). 594
Coaros verdes (kilo) ..... 310
Coorianos (uo\).....; U870
Uarocos de algodao (kilo) ... 45
Carrapateira (kilo..... 180
Cacao tkilo)....... 400
Caf bom (kilo)...... ;#100
Caf restolbo (kilo) ..... lOOO
Caf moido (kilo)...... M40b
Carnauba (kilo...... Mti66
Cera em velas (ilo)..... 640
Dita em bruto ou preparada (kilo) 800
Canoa (litro)...... 343
Cal (litro)........ iO
Carvio de Cardiff (ton.) .... 37*000
Paran de mandioca (lite) r 50
Senebra (litro)...... 5
firaxa (sebo)...... 633
iaborandj (em louid) ko 200
Leile de mangabeira (kilo) 1#466
Mel Oltrc)........ 685
luo(ilo....... 80
Pboapbato deca -la '.Ira t\avt (lose-
lada)......... 11*000
Peile de cabra (cerno)..... 187,1000
Pelle de carneiro (ceuto) .... 145U00
Sement de carnauba (arroba) 53
sola (meio) ....... 4450J
Sement de carrapateira (kilo) 130
Sebo.......... 700
Steariaa em velas (kilo) .... l#00->
rataicba (kiio)...... 40
Tabuas de amarello em pranclies
(duzia)........ 100.
leadla.*.ato8 pablleoa
MBX DB AGOaro ^1 1892
Renda geral
Oo da 1 a 29
dem de 30
Aifanatga
1,059:974*169
43:465*562
,103:439l731
Renda do Estado
Do dia 1 a 29
dem de 30
172:958368
6:115*339
179.0731707
Scmma total
1 25 543*438
Segunda seceo da Alfaadega de Pernambuco
30 de Agosto de 1892.
0 tnesoureiro,
Fiorencio Domlngues.
O caefe da seccao,
M. Antcninc deC. Araojo-
RECEBEDO UA DO ESi ADO
Do dia 1 a 29
dem de 3'J
RECIFE DRAINAGE
Do dia 1 a 29
dem de 30
100:409*015
5:458*571
103:867*596
448*-;06
2 777*051
47:0J*3;7
Movliu- u-.o do Porto
Navios entrados im dia 33
Buenos-Ayres e escala14 das, vapor
uglea Trent, de 1699 toneladas,
commandante Muer, equipagem" 95,
carga, varios gneros a Amorim Ir-
mSos & C.
New-Yjik e escala20 dias, vapor ame-
ricano Seguranza,t de 2806, tonela-
das, commandante J. R. Beers, equi-
pagem 81, carga, varios gneros, a
Henry Forster & J.
Rio de Janeiro e escala6 das, vapor
' nacional cBrazil.i de 1999 toneladas,
commandante Pedro Hypoto Duarte,
equipagem 60, caiga, varios gneros, a
Pereira Carneiro & 0.
Terra Nova46 d as, barca inglesa Ha-
len Isbel, de 250 toneladas, capitSo
Job Vine, iquipagem 12, carga, baca-
lho a Jobuston Pater & C.
Nacio$ sahidosno m.smo dia
Para e escalaL vapor nacional Venas,
commandante Cunha, c.;rg, varios g-
neros.
Para, canhoneira ingleaa Basiliak, car-
ga, municoes de guerra.
Southamptom e escala, vapor inglea
Trent, commandante Milner, carga,
varios gneros.
Pensacola, barca noruega Aljorga, ea-
pitCo Christonsen, em lastro.
R.o Qrande do ervo, hjrate nacional
vem fazer. qne uzarem o sea maravilhoso Elixr
eT emond retirado temporariamente desta ca
pital, minba familia com receio de adoecer-me
mais alguem, por cautela conduzi um frasquinho
do mesmo Elixir, que muito servio, por quanto
ihegando ao meu des'.ino tive de ver s 11 horas
da uoite do dia da miaba ebegada, minba mn-
iber cabida com orna terrivel febre, que dous
dias depois desappareccra completamente anda
por effeilo do mesmo Elixir.
Outros casos anda em meus criados foram
combatidos com o sea poderoso remedio e seria
enfadonho meaciooal-os.
Usar V. S. da minba communicaco do modo
que melhor lhe convier.
Meus fracos servicos s suas orden?.
O muito grato criada
Jco do R?;o Lima,
Commandaute geral da guarda cvica de Per-
nambuco.
(Eslava sellada e reconheclda a firma.)
Regaiadif a Harioba
Concerta se relogos de algibera, pon-
dalas de torre de greja chronometros de
marinha, caixas ds msica, apparelhcs
elctricos, oculo3, binculos, oculos de al-
cance, joias o todo qualquer, objecto ten-
dentes a arte mechanica.
9Ra Larga do Roaario -9
'Medico e oculista!
Dr. Bcrardo oculista do hospital
l Pedro II, tem consultorio ra do
i Bom Jess n. 9, !. andar.
Residencia na Magdalena.
Tclephone n. 366
Dr. INunes Coimbra
CiiaicaMedico -Cirargies
Especialidades : febres, partos, mole
fias de senhoras o de creaegas.
Chamados a qualquer hora na sua ro-
oencia, ra da Soedade N. 81 csiuiua
da ra do ta bu.
Oculista
Df. Barrete SampRio, oculista,
ex-ebife de clmioa do Dr. do
Weckor, do vclta de sua via-
gem Europa, d consultas de
l s 4 bor^s da tarde, no l6
andar da jasa c. 51 ra do
Baro da Vistura, Jexcepo nos
domingos a dias santificados
Telephone 283.
Residencia ra Sets de Setera-
bro n. 34. Entrada pela roa ds
Saudade n. 26.
Telephone 287.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiru trata com especia
dado de molestias de senhoras e creanoa
Consultorio e residencia ra da imp
atrix n. 18, 1 anda
Consultas de 8 s da manha
Chamados (por escripto) qualquer h:ra
TELKPHONE N. 226
t Apudy. mestra Manoel Pedro Araujo,
carga, vari' s genios.
Rj Formoso e Tamindar, vapor nacio-
nal Una commandante Moaceiro, em
lastro.
Santos e escala, vapor americano Se-
granos, commandante J. R. Baers,
carga, vsrics geoeros.
aBlcre&tlo anlelpal de fS. fos
9 iL'jv.mtn'.o deste mercado no dia 29 ae
Agosto Foi o seguinie : Entraram.
40 bois pesando 7,215 Kilos.
103 .-.'los de pe se a iO ris 2^060
&3 lugares a zO rs. 8/600
7 sumos a 200 rs. 14100
30 cargas de farinba a i'.Q rs. 6/100
6 cargas de milbo secco a 200 rs. 14000
a ditas com feijao a20) rs. l/OCt
2 ditas com camarOes a 300 re. 600
3 ditas com frucias diversas a 300 rs. 4900
10 dita de batata a 30) rs. 340(0
2 dit?s de cansa a 300 rs. 4601
3 ditas com milbo verde a 300 rs. 910
IS,ditos cem verduras a 303 rs. 14700
61 ditos comfarinna a4)0 244400
6 cargas com galnhas a 800 ri. 34100
16 di as de melancia a 300 re. 448(0
32 columnas a 600 rs. 194300
- 8 comsartimentos com iressaras
a CO is 44800
. 4 ditos com fazendas etc. t 600 rs. 274610
26 ditos de comidas a 70-3 rs. 182CO
11 ditos p su'.neiros a 14 114000
8 ditos a 7 0 rs. 546UI".
43 tainos a 24000 MOL
Rendimento do 1 29
R-cebiLcento por contados dias 9 a 25
- J454460
7.75048-g
7.99 434
4.60L'
8.0TO9i'
Presos do dia:
Carne verde de 320 a 640 .is oikil-'.
Sainot de 640 a 800 ris iJem.
Carneiro de 800 a 14 ris i lera.
Fariaha .'e 320 a 480 ris iJem
Milbo de 420 a 410 ris idem.
Friaode 14 a 14800 idem
tapora, a entrar
Mea ds Agosto
Norte........ Enchantre?$......
Norte....... Una..............
Mez de Setembro
Sul.......... Congo...........
Europa....... Mercliant.........
Europa....... Orenoquc..........
31
31
Europa
Norte
Bul ..
Norte
Sul ..
Hnl..
Norte
Sui.......... Maranho...
Nora........ Braz......
Sul.......... Pernambuco
ntrenos
Pernambuco.......
Espirito Sanio..... 8
S Salvador........ 12
Rosarh............ 14
Olinda........... lo
Alagos........... 18
23
20
'JO
Tapares a sabir
Mea de Agosto
Norte.......Braz............ 31 as 3 h
Indemnisadora
Companbia de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
Esisseleelda eat 1*66
Catado fluaneelro eat Sf de Da
zembro de 188S.
Capital 1,OOO:0OOJOO(<
Fondo de reserva 0:376|000
Sioistros pago i,776:68300C
Raa do Commercio n. 44
v


- *

;
, ;.
i
%
nmibn


I



Diario Goi
B5i
ueS
Dr. Mello
MedicoCirurgiS? -- Parteii o
57-itoa Bario da YiClorii-57
(Dofronte da r.ua de Sanie- Amaro)
Onde tem consultorio e residencia e
Spde ser piocurado qu Iquer hora do
ia ou da noite.
Especialidades : Febres, partos, mc-len-
tias de senhoras, dos pulmS-ss e de cran-
cas. Syphilis em ger*J, cura radical e
Teiepbme 391
Dr. Silva .Leal
/
ltv.-'lco occallsta
Reecutemer.te chegado da Europa *
oom prstio* eos principaos hospita.es e cli
nicas do molestia* de olhos de Pars. dK col
taitas iodos os diae uteia das 11 s 3 he
ras da tarde era seu consultorio, ra
Duque de Casias a- 73 Ia andar, entrad
pela Praya de 17-, n. 73, (antigo Largo dt
Collegio).
Residencia a ra Barita do S, Borjo t
16. Teiephoe c. 507.
Chamados por eseripto, em seu coebuI
ri, residencia, na pharmaca Martin
Denles
Termina a horive! dor do dentes usan..
do o escc-Ueate pnparado de Maaoel Ca
doEO Jnior.
fB cartas que Iho tem sido dirigida*
pelos jornaeB de maior circubc,2o, attea
tam a cfflcacia.
Depsitos
Drogara da Francisco Manoel da, Sil-
va de )., ra do Mrquez de Oliuda
n, 23.
Phrmacia Martina, ra Duque de Ca
xias r.. 88.
Pharmacta Orie.nteJ, a rua E> trata di
Rosario n. 3.
Bhanxacia- Alfredo Ferreira, rua do
Bario da Victoria n. 14.
Pharmacia Virgilio Lopes, rua Larg?
do R pari n. 3J.
Dr. Bastos de Olivera
Medico operador epafteiro
Tem o seu consultorio rua do Marque*
de Olitda n. 1, 1. andar, onde pode sai
procurado todos os dias uteis de 1 s '
horas da tarde.
Chamados qualquer hora, rua do
Pr. Joaquim Nabieo n. 2 A. C odnga.
Telephone n. 365. a
tario. bem assim exhibirem es tttnloB qje
comprovem os bous direitoB a aerem con-
siderados como herdeiros ou consenhores
da mesma propriedade.
E para que chegue ao conhaoimento de
todos, maadei pasaar o presente enita!,
que ser tfflsdo no legar do costume e
publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Rielfe,
aos 10 de Agosto de 1S92.
Eu, Manoel do Nascimento Pontes, es-
crivao o subscrevi,.
Francisco Mina Carreta de Atav% ale Sattthamfltop a 18 do mesmo mea,
ODi: Fratciaco Altiuo Cotreia de Achu-
jo, juiz de orphJos do municipio do Be
cife do Estado de Pernambuco, em
virtude da lei, etc.
Fajo saber aos que o presente edita!
virem ou del e flMteia tiverem ojie pelo
inventariarte da propriedade eApipocos
a& foi duigMa a peti$5o do theor se-
guirte :
Illm. Exm. Sr. Dr. Juia de OrphScB.
Paulo Jobo de Oliveira, inventariante da
propriedado em comaium Apipuoa, teudo
de proceder a artecada^o das reas
das mattas da referida propriedade, at
que sejamas mesmas mattas arree; dadas
em praja peraute eite pus, lequer a V
Exc. cjue &e digne autoriaar o aupplicinte
a coHoer nos respectivos pontos de co
Lbranga petsoas de sua, confianca e bem
essim paia que por meio da imprensa ss
faca constar aos intereesados esta medida,
publicando'ae editaes. E. R- M.
Reeife, 9 de Agos'o de 1892.
O aivogaJo Ado'pho Circe. Eitava
se'Iada.
Nada mais se contiuha em di:a petieSo
Marca A L e costra marca J C dfc F
& M F.Urna caixa vazia, sem valor,
vinda de Bordeau, no vapor francGZ
jrenoque. ne mesmo mez.
MarckCharle Silman.Urna dita, con-
teni 19 kiloa de carne em conserva da
mesma procedencia, iuem.
Sem marca e sem numero.Setenta gar-
rafSe3 quebrados, viadoa da Himburgo
no brigue allemao t Adolpbine no mesmo
mes e anno.
Marca W H Bilton.Urna caixa, vinda
no
bgjwr cTaicr, cBec\o\ doces
cl6cado*f estragados, sea va#or.
Mercadorias abandonadas
Armazem n. 2
Marci triangulo, B ao centro e O 0
aos lados.Urna caixa n. 1, contendo
um lampeao para locomotiva, abandonada
aoB diretoB pelos herdeiros Bowman.
Araazem n. 7
Marca C D P CSeis caixas n. 4,383
e 43S8, contendo cara vegetal simples,
viuda de Hamourgo em Maio ultimo, pe-
sando b!2 kilos, abandonados aos direi-
tos pela Companhia de Daoga e Produ-
ctos Chimicos.
2.a seccSo da Aifandega de Per cambu-
jo, 12 de Agesto de 13B2.
O che fe,
M. Antonio de Carvalbo Aracha.
Edital n. 96
Prtz de 8 das
De ordem do Sr. Dr, inspector faz se
publico que, s 11 horas da manhS de 1
de Setembro, porta deata repartijo,
devem 89r arrematadas em consumo as
Formula de Angelin Jos
dos Santos drade
Approvado nela Inspectora Qeral de Hy-
giece Publica di> Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1837.
Es'.e depurativo de grande efficaa ivas mo
e-iias ^ypbiliticas c icipureza do .-aogac; assipi
tomo em ldrs r.s molestias d33 ?enrioras.
Tem curaio radicalmetile rcnas pessoas ac
ommettiiias da terrivel molestia beriberi.
Rneumatismo sypbihUco ou gouiio. dor scia-
ira erupQOes de pile, cancros, e cancros ve-
nreos, flores brancas, hy.-terismo, (ronxidio de
ervo?, irites e outras inflammacoes dos Ollios1
molest.as do tigado, eacropbalas, escorbuto
sorTrimentcs de estnraago, ulcera?; gommas, h
tuias, empincena, datero?, panos e mancqas,
a pelle, bobas e DobOes, sariws, caJarrho t
ua^qu-r moIJtias da boxita, entre outrass
albuminuria, onrinas doces e sagoinoleutas.
iVr ai,..:, paralysia, erysipelas, e iatlammacOe,
a pernas e pes, bemorrboidas, aslbma, bydro
selles, tumores, nevralgiaa, e elepnantiazes ou
aorpha, as irregularidades da menstruacao
Prova-se com aqoelle numero de AftesUdos j
publicados e 03 que enstem em nosfio poder a
smcacia deste elixir as molestias indicada?
Nacional Pharmacia
3". Rua l^rga do Rosarlo.
A'rca Bar&o da victoria c. 37 se dar oda e
qoalquer explkacoque for preciso acerca deste
preparado.
Culado com a* falmiriFace
Modo de usar
Os adultos (omarj quatro colheres da de
epa pe!a maob e quatro noite.
As cnaucas de 1 a 4 a'inos toroarao urna co-
Ih^-r pela manha e outra a noite e as de 5 a 11
annos tomaro duas collares pela manha e oua
a noite.
WM-. >m i. i -------------------------------------------- r ---. ---------------------------------------------------------
qi-1 profer o despacho seguicte flceguintes mercadorias.
EDITAES
O Dr. Francisco Altino Correia de Arau-
jo, juiz de orpb3o9, do municipio do
ftecsf-, Estado de Per^vmbucj .em vir'
tilde da '.ti.
F.<; i saber a~>s quo o prcsnnte edital
vir*?m ou delle noticia tiverem, que pelo
ioventarsv&te da propriedade em commum
Ap;pu.os, me loi dirigida a petizo do
ier seguinte :
I lm. e Esm. Sr. Dr. juiz de orphaos
Paulo J.E de Oliveira, inventariante
da prop-iedade em commum Apipucos, que
t iido ci proscgu;r-3c nos termos do;nvenU
Ao da refer:da propriedade, han u'totempvi
oraliaad, r?nqar a V. Exc. que be digne
ie crdan r nova publicscSo de editaes
por espado de 90 das, notificando a todos
os interessados na referida propriedade,
pira por si ou por seus procaradores tuto-
es e curadores, a virem dar no r-pett-
vo cartorio, escrvo Dr. Pontes, os seus
nomes para sarem dtBcnptcs no aventa-
rio, e bem assim exbibirem os ttulos que
eomprovem os seus direitos a serem con-
siderados como herdeiros ou consenhores
da rne?.ina propriedade.
Espera receber nterc. Rocife, 9 de
Agosto de 1892 O alvogado Dr. Adol-
|iho Cirne.
Eslava sellado.
Nado mais se contiuha em dita peca,
a qual profer o despacho seguinte :
Naa autoe, como requer.Reeife, 9 de
Agosto de 189?. 4ltino de Araojo.
En virtude deste meu despacho o es
rivSo passou o presente, em virtude do
al cito a todes es interassadoa na pro
Bridado em commum Apipucos, para
o referido praao de 90 dias, virem por
ti ou por aeus proenradares, dar teas no
ornes no respeotivo cartorio (eicrivSo Dr.
ontee), para serom deicriptoi no inven
na
Como rquer.
R-cife, 9 de Agosto de 1892. Altino
de Araujo.
E para que chegua esta medida ao co-
nheciiLeito de todos os interessadoe man
dei pasaar o prese:.te cdita4 que st.r af>
fixado ao lugar do costume e publicado
peln imprenaa.
Dado e paasado nest?. cid.de do Reeife
de Peroambuco, aos 9 de Agca-to de 1892.
Eu Maco'el do Nascimento Pontes, es
trivio o sub era vi.
Francisco Altino CorrenV de Araujo.
O Dr. Manoel do Nascimento da Fcnseca
Galvao, juia do superior tribunal de
ju-itiea do Estado de Peroambuco etc.
Faco saber a todos que o presente edi-
tal virem e delle notic;a tiverem. e inte
resear p-eaa que por parte de Camillo
Gonveia de Aodrade me foi diriga urna
peticSo do tbecr seguinte :
I!lm. e Exm. Sr. Dr. juiz relator. Da
C millo Gouveia de Andrade que pendendo
em g'-i do appellsgao o inventario do fi
nado Jos Francisco de Andrade Jnior
de quem era inventariante e teEtamentci
ro Antonio J hquim Vichas Maia em fa*
vor de quem tendo havido sentenca dene"
gando a entrega da heran-caj o supplican-
te appellou, acontece que o 6upplicado
ViuhaB Maia fallecen no da 3i de Julho
ultimo e fcando na forma da lei suspensa
a instancia, quer o aupplicante proceder *i
habilitacSo dos herdeiros instituidos no
testamento junto e para isao requer a
V. Esc. se digne mandar que ao escri
vZo Cesar da Cucha baixem os autos q-.c
eslSo no poder do revisor afim de prose
guir so nos termos da habiliUeo, mar
cando V. Exc. dia e hora, para o auppt -
cante provar que sao desconhecidos os
herdeiros instituidos no dito testamento, o*
irmSo e sobrinhos legtimos do finado e
os fibos legittmos dos filhos de suas so-
brinbas, constaodo que o pai do testador
j fallecido e quando nao fosse ignora se
inteiramente, onde elle seuafi hes e netos
instituidos herdeiros residem actualmente
do reino de Portugal
E tanto que se prove o allegado aejam
os referidos herdeiros citados por carta
de editos para na primeira audiencia de-
pois do praso dos editos tallarem aos ar-
tigos de habilitacSo sob pena de prose
guir se a revelia, nomeand j-se curador ; e
julgada a habilitajao no inventario, consi
derem se habilitados para as mais causas
depend-ntes do inventario o que foram
intentadas contra Viuhas Maia no carac
ter especial de inventariante e testamen-
teiro do tupradito fallecido Jos Francisco
de Andrade Jnior.
Nestes termos pede deferimento E.>
R. M.
-Recite, 6 de Agosto do 1892.
O advogado, Aotonio de Lell s e Sor a
Pontes.
Na qul profer o despacho do theor se-
guinte :
Como requer, desigao o dio 9 a3 10
horas da manha- Rec fe, 6 le Agosto de
1892GalvSo.
E justificando o supplicante o allegado
em sua peti;3o subiram os autos a micha
conclusao como juiz relator e nelles pro-
fer a decuao do theor seguinte :
Julgando prevado o allegado e^pe^am-
ae os editaes para a eitagS,i> dos inteies-
aadns por eHpa50 de 90 dias, cuitas ex-
caua. Reeife, 19 da Agostu de 1^92.
ilanoel doN,;iCmento da Fooeeea Qalvo.
Em virtude do que mandei pasaar o
presenta pelo theor do qual chamo e cito
os h;rdeiroa do finado Antonio Joaquim
Viohas Maia para que no praso tre 90
dias a cootr desta data comparec*m na
primeira audiencia deste Superior Tribu-
nal de Justina, am de fallarem aos rti-
cos de habilitacao e depoit de h&bilitados
verem proseguir os fetos em quo era
o referido fallecido Vinhas Maia,
Armazem n. 7
Um barril, cuja marca e procedencia
ignora-se, contendo 33 kiloa de mante-g&
de vaccj, que segundo o parecer da in-
speetoiia de bygicne, s ple ser utiliaa-
da cerno grsxa.
Um dito, dem dem, contendo 68 kilos
de toucioho em aalmoura.
Mrca X, C I e C E dos lados.Um
dito, idem dem, contendo 19 kilos de
b-nba de porco.
Sem marca.3us bordolezas, conten-
do 14)i litros de vicho commum, que nos
tarmos do parecer citado s poder ser
empregado como vinagre, tal a sua
grande accidez.
Armazem n. 231 pr&ca
Mtrea J A & C.Urna barrica, vinda
de Liverpool em Junho de 189!, no va-
por Dglez Editor, contendo chapas de
ferro e artigos semclhantes para cosinha..
Armazem n. 4
Sem marea.Urna lata, contendo 10
kilus de resina de almecego.
Armazem d. 76a praca
Marca diamante e B no centro.=Um
barril, sem numero, vindo de Liverpool,
em Janeiro de 1891, contendo mineraea
nao classificados (barrilha impura).
2a peejao da Alfanega de Pernambu-
|%eo, 23 do Agosto de 1S92.
O chefe,
Antonio deM. Carvalbo Araoha.
Recebedoria do Estado de
Pernambued
Lcl tai n. 12
O administrador da Rejebedoria do Es-
tado faz pnblieo, para conhecimento dos
respectivos contribuintea, que dentro de
30 dias uteis, improrogaveia contados des
ta data, serio arrecadados a bocea do co-
fre os impostas estadaes conataat a da re-
focilo abaixi, relativo ao Io semestre do
exercicio correte de 1892.
Recebedoria do Estado de Pernambuco
24 de Agobto da 1892.
Jcao Ferreira de Almeida Guimaraes
RelacSo a que se refere o edital supra.
Bancos, agancias filiaes ou representantes
das mesmas casas bancariai.
Fundijao a vapor.
Enchimento do agurdente.
Lojas de livros e objec'.os para expe.
diente de reparticSes. typographias -
m. chinas do imprimir.
Armazem de drogas.
Estabeecimentos de estiva em groase;.
Serraras e armazens do vender madei-
ras
Armarens ou depsitos de kerosene.
Padarias.
Pharmacias.
Estrada de Perro Sal de Per-
nambuco
De ordem do cidadao Dr. director en-
genheiro chefe, fago publico para conheci-
mento de quem possa interesaar que no
dio 31 do correte as 11 horas aer3o arre
matadas em hasta publica no rmszem de
asraucar da stecS> Central, as mercado-
rias e volumeB adianto re|acionados, abaa
donados as estacSes deata estrala de
ferro e quo est2o sujeitos as diaposicSes
do art 90 do regulamento das tarifas
desta mesma.. estrada.
Tres saceos com carne e um caxSc.
1 bah de folha de flandres pesando
kilos.
2 formas e 1 volume de saceos vazios.
Alto tamborete, relogio, taboa o jarra.
1 caixSo com quadros o estampas.
2 B&ccos com cal.
1 caixlo com garrafas vaziis.
I cama de lona.
1 caixSo vasio.
21 barricas, 3 cassus, 8 caixBes, 6
garajus, 1 mesa, 1 sota e 2 ps de c? ma.
4 caixo.-s especiaras
1 dito com phosphoros.
32 barricas vasias.
1 dita com farinha de trigo.
4 barris vasios
6 carros com podras.
3 tambores de ferro para moenas.
1 caixSo vasio.
1 dito com sabio.
1 volume de ssccos vetios.
5 caixSes vasios.
1 sacco com cal.
1 caixao vasio.
2 carros com paos de jangada.
77 barricas vasias.
Secretaria da Estrada da Ferro Central
de PernambacD, 27 de Ag-sto de 1892.
O secretario.
Julio Cavalconte.
DERBY CLUB
DE
DERIVA
BUCO
DECLARACES
parte
do
re
tudo na forma requerida sob pena
velia.
Dado e passado nesta cidade do Reeife
capital do estado de Pernambuco aos 23
de Agosto de 1892.
Eu Augusto Cezar da Cnab3, oscrivSo
o sub eserevi.
Manoel (h Nasc:men'o da Fonstca Galvao.
Edilal n. 95
Prazo de tO dias
Da ordem do Sr. Dr. inspector se faz
publico que., "B 11 boras da manha de 1
de Setenbro prximo futuro, serlo ven-
didas em consumo, porta desta repar
tifio, as seguiotes neroaderias, se os
seus dono3 ou consignatarios as nSo des-
pacharen) at entSo, na forma da le :
Armazem o. 5
Marca tS. Kauffman.Um encepado,
vindo de New York a 1 de Deaembro do
anno passado, no vapor americano Se-
granos, contendo amostras da moldura
sem valor.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector
do Tbesouro, e em virtude do autorisacao
do Exm governador deste Estado, fago
publico que no dia Io de Setembro proxi
mo vindouro, a Junta da Fazenda em
sessSo naquee dia, recebe propotas em
cartas fechadas, para o fornecimento de
f>,000 metros de bl^odao mesclado nacio-
nal, para veatusrio dos presos pobres des-
validos da Casa de Detenj^.o
Os proponentes se deverao previamente
habilitar-se na forma das diaposiyS s re-
gulamentar.s.
Tbesouro do Estado de Parnambuco,
2 i de Ago:-to da 1892.
Servindo de secretario,
Joaquim Lucillo de Siqueira VarejSo.
Hippodromo do Cam-
po Grande
Na forma do art 16 do Decreto de 17
de Janeiro de 1890, cam diaposifao
dos Srs. a:cioniataB, na secretaria de-ta
tasociagao rua do Imperador n. 55 Io
andar, por espago- de 30 dias a cortar da
data deate aviso, copia de Da!anc">, para
cer da commissao fiscal e mais documen-
tos exigidos pela tai reguladora das so-
ciedades nocvias.
Secretaria do Hippodromo do Campo
Grande, 11 de Agosto de 1892.
O secretario,
Augusto Silva.
Companhia Agrcola e Mer
cantil de Perna nbuc >
Convida se os possnidores de obriga^oes pre-
ferenciaea desta comparla z virem receber no
escriptorio dameams, roa do Apollo o. 28. |;
andar, do dia 1- de Setembro em dlantc, de 1
ora as 2 da tarde, ob juros de 6 0/0 ac aono,
on 6#000 por cada accao ou coapon, corr:spcu-
denteao i- semestre.
Re'fe, 9ds Aaoato de 189.
JoE da Silva Loyo Juoier,
Ihesooreiroi
Sociedade B.efiaaria e Des-
tilla^ao P -rnambacaoa
O preaMente desta sociedade ttn virtude do
qnepreceitua o art. 16 do decreto de 17 de Ja-
neiro de 1-90, scietica que li:am a dieposigao
do Sr.-. accionistas ca sie da mesma socieda-
de rua doDr. Joiquim Nabrco n. 38, as copias
do bUaoco di 30 de Jucho prximo passado, re-
lac'i nominal des accionistas e lista das traes
ferpncirs ^alisadas no decuiso do anoj findo
oaquella data.
Refe, 13 de Agosto 18J2.
Joo Feroandes Lopes,
_____________Presidepte.__________
Banco da Bolsa
SJo convidados ossenbore3 accionistas a com-
parecerem na sede deste Banco, do 1* de Setem-
bro em dianle, aHm de receberem o i dividen-
do na raso de 10 O/o ao aooo, relativo ao se-
mestre de Janeiro a -Junno findo..
Reeife, 57 de Agosto de 1892 Pelo Banro da
Bcis.i.
P. J. Pinto.
Director gerente.
Prado Pernambucano
De accordo com o qua preceitua o
art. 1G | 9 c 11 doe Estatutos, s5o con
^idades os Srs. accionistas para urna reu-
nio de assembla geral ordinaria, que
dever ter lugar no dta 30 do corrente,
na sede da sociedad, a rua da Impera-
triz n. 26, 1* andar, s 12 horas do dia,-
afim de screm apresentados o relatorio,
costas e parecer fissil do anno social fia-
do em 3 i de Junho prximo passado, e
bem assim eleger se a nova directora e
commisaSo fiscal, presidente e secretario
da assembla geral, para o anno do 1892
1893
Reeife, 14 de Agosto de 1892.
O secretario, J. Alves.
Repartidlo das Obras Pu-
blicas, trras e colonisa
c,ao no Estado do Amazo-
nas.
Da ordem .'o Dr. Director desta r-par
tco e por determinagao do Di. Presi-
dente do Estado, chamo concurrentes por
eaoaco de 90 dias a contar desta data
para os seivigos abaixo declarados :
Urna penitenciaria para quatrocentoB
(400) presos com acommoda^ods para car- i
cereiro, ajudantee maia pessoal, com offi
cias e disposi^oes de acordo com o no-
vo rgimen de prisSes e com cb progres-
sos da arte.
Um palacio para o presidente do estado
com as indispensaveis confortabilidades,
e para secretaria do governo.
Peles planos e creaoientos que lorem
acceitos por esta directora e aporovados
pela presidencia, o estado pagar de gra-
t.ficac. o o que tar arbitrado.
As propoaths, que eerao ta-ta em car-
tas techabas, sarao recebidas at o dia 8
de Outu!>ro d.) co:rente anro
Repartilo daa Obr. Publicas, Trr3
e Coioniaflo em Uan s, 11 de Ju.bu
C'.i i'./.
O tscrivao,
Vic'or Antonio Fernando.
PjaOJECTO DE DSCaiPCAO
Para urna corrida em benefiefc (as obras da
igreja de Santa Rita de Cassia a realizar-
se em 8 de Setembro de 1892.
i.
2.
3.
4.o
D.
ti.
7.
que nao te-
2OQ0OOO ao
de Pernam-
PAREO Religlo 90& metros. Animaes de Pernarobuco
nham ganho nos prados do Rocifo em J892. PBEMiOg
prtmeiro, 40^000 ao segundo e 200000 ao tercefro.
PAREOPjrado Ptrcamlmcaao -8JO metros. Animaes
buco quj nSo tenbam ganho nos prados do Reeife pestes ltimos 12
mezes e em maior distancia, premios : 2000000 ao primero, 40JOOC
ao segundo 200000 ao tarce.iro.
PAREO^ Colonia Iqgleza 1,200 metros Aimaes de Pernambuc..
pbbmios : 2500000 ao primero, 50.5000nao segundo e 250000 ao
terceiro.
PAREO Carldade 1.510 mejfros. Animaes naciocaes e pungas. PRE-
MIOS : 3000000 ao primero, G0OOO ao seguntfc 300000 ao ter-
ceiro.
PAREO Hippodromo do C;impo Grande850 metros. Animaes
de Pernambuco que nao tanham ginho nesta tfestenca nos prados do
Rehile, pbemios : 2O80OCO ao primero, 400000 ao segundo e
200000 ao terceiro.
PARE>Dcrby Ci6-90 metos Animaes de Peroambuco que n2o te-
nham ganho no Derb-y em 1892 em distsncia superior a -800 metros
pbem.03 : 2000003 ao ptmeirft, 4D0OO ao segundo e 200000 ao
terceiro.
PAREOSociedade H. Vcene de Paula-800 metros. Animaos de
Pernambuco que n2o tenbam gacho nos prado Reeife. premios :
2OO0OOJ ao primero, 40SOX) ao segundo e 200000 ao terceiro.
OBSERVACES
A inacripelo encerrar-se-ha sabbado 3 de Setembro, as 6 boras da tar
na secretaria do Derby.
De accordo com o ait. 5. do o,odiijo da corridaj,- nao pcfderSo Ee inscrever
nos pareos : Colonia Ingleza, o animal Piramn e Caridade'os -nimaes Veloz, Napo-
litano, Nicicbe e Siroco. |
A correa ser realisada sob a admBi'traj da directora do Derby e vigo-
rando o cdigo respectivo.
Sacretaria do Derby-Club 30 de Ag.sto de 1892.
Re(jo Medeiros.
DO
CAMPO GRANDE
4/ anniversario
PROJECTO CE DSOBIPCAO .
Para o pareo grande premio
Hipprmo o Campo Sramte
Que se realisar na corrida que ter logar
no dia 20 de Novembro de 1892
2500 metrosHandcap Animaes de qualquer paz
Premios 3:oOo|jOO ao Io, l:O0O|O0O ao 2o
e 300$000$ a 3o
Observages
S se realisir este pareo inscrevecdo-s* e eorrerdo pelo menos cinco ani-
maes de tres propietarios differentes.
A inserrp^ao encerrar se ba na quinta-feira 3 de Novembro de 1892 as 6 horas
da tarde.
Secretaria do Hippodromo do Campo Grande, 19 de Julho de 1892.
O SECRETARIO,
Augusto Silva.
Devocjo
De Nossa Senhora da CnceieSo a cargo
dos artistas, erecta co convento de N.
S. do Oarmo do R:
De orefm ca mesa reg^rt jra, ronvido a todos
os irmaos da devoco <'- Nossa Sirnhjra da Con
ceicaoque se veaorava rnconvenio de Nosaa Se
nbora do Cirmo, para qoe aprsente seas paten
tes nos diai quartas-leiia^, 8 7 lloras da noute.
e nos domingos da? 10 horas a 1 da tarde, no
consistorio da mesma devagao, bojs a cargo dos
arliias, E:ii de serem recor-becides como Ir
mo*. ^ legali3ailas ai mesmas, afim de terem
vigor, co praso de 60 das, a contar c!a data
deste.
r.onsisto-io da Devrcaj, em 30 18ti.
O escriva;,
Lacio de Caro^_________
Companhia de drogas
e productos cbimi-
cos
. Sao convidados os senfcorfs accionistas desta
compaobia a virem recener o 2- dividendo cor
respondente ao semestre fiodo em 30 de Junho
obimo, na razao de 8 O/o ao anno.
0 pagamento lera log^r do dia i- a iO de Se
terebro, das W) horas ta manbi 4s 1 da larde,
no efcriptorlo da compachia, roa Marque de
Oinds n. H.
Reeife, W de Agosto e 1892.
O secretario,
Grariluno 0. da C. Marlluo.
Emprestimo emittido pela
Companhia Promotora de Industrias e Melkoramentos
O 3. sorteio ter lugar a 30 de Setembro de 1892, sendo c maior premio de
Rs. 2o:000IC00.
Alem dos de rea 2:000,5000,1:0000000, 5*100000, 230^000, 100^000, 505000,
40)5000, e 25,5000.
Pie^o de caa obri^a^ao 20^000
Roga se aos Srs. possuidores de obrigajoaa a virem receber os premies do se-
gundo sorteio effectuado a 30 de Jujho ultime, bem como os juros vencidos do pri-
mero o segundo trimestre no escriptorio da Companhia a rua do Torre n. 42,
1." andar.
Inspectora de Hj-
giene
De crdem do cidadao Dr inspector in-
terino de bygiene, ta.QJ publico qn- fica
desde j prohibido a venda do caf de
8bd-.? publica, incorrendo n:s penas do
regulamento sanitario vigentes 03 que
venderem semeihaite mercadoria.
Ispectoria d Hygiene Publica do Es-
tado ce Pernambuco em 27 de Agosto de
1892.
O secretario,
J Qu'.'heruie da S. Dttarte.
THEATRO
COPAiNHIA DRASATIC1
Sol) a iep fio artsts
ANTONIO COIMBRA
Ouio a-fdra 1 de Seleuibre
S.umptuoso espectculo
Tcrceira representaSo do app'audrdo
drama martimo em 1 prologo e 5 actos,
original fr?r.cez, trnduccSo do escriptor
portoguez JULIO ANTONIO LOPES.
O
ou o
Naufragio da Fraga-
ta Miiitm
A'a 8 i [2 horas
Bouds, para Magdalena, Capucga e
A/ogados por Caxias e Herval.
Em ensaios o importante drama phan
taatico o VAMPIRO DA MEIA NOITE
e as lindas pecas aaoras N. S. DA PE
NHAe SANTA ISABEL.
O lecretario,
Silra Bastos
------------------------------~^
Companhia Exploradora de
Productos Calcarlos
Os =pnbore3 acciruis'as saa coovijado? a tea-
sarfra a quarla eoirada do capital social na
i razao de 10 0/0 ou JO por aeco, no escriptorio
1 da companhia, sito no cae* do Apollo o. 73. dea-
i iro do praoo de 30 dias, cootados desla data.
Reeife, 23 de Agosto de 1892.
J. Cardoso Ajrea.
Servindo de secretario.
Sociedade
Refinoria e destilacao per
nambucana
Cocvido os senbores a:ciODista6 a reun>rem-e
em assembla geral ordinaria no da 15 de Se-
tembro vindouro, ao meio dia, no i'andar do
predio n. 34 a rua do Commercio, para Ibes se-
rem apresentados o relaturio da directora e pa-
recer riscal, para discossao c deliberaco sobre
as eontas do anno tlcdo e resolocao da ultima
astembla geral, e para eleicao do presidente e
des tnembros da directora e commissao fiscal.
R'c:-\ 30 de Agosto de 1899
A ? mandes Lores,
Presidente.
nami





T"
.'.,' %" .'[' 1..


6
Diario de Pernambuco Quarta-ieira 31 de Agosto de 1893
Obras Pnblicas
De ordem do cidadao engenhelro director ge-
ral e em virtude da autorisacao do cidadao go-
vernador deste Estado de 19 do correte, faco
Dublico que no da 10 de Setembro prximo a
Honro nesta directora recebem-se propostas em
cartas fecbadas devidamente editadas, rara a
execuc&o das obras de reparos da ponte de Ta
pirass aa estrada de Nazareth de conformidade
com o orc3mento, no valer de ssuuuu.
As propos'.as cevem ser assigoadas pelos lici-
tantes com as firmas reconhecidadas e deverao
declara- o pr tor a cbra, como o local de sua residencia e lia
Bilitaces 'que possuam para dirigir os trabalho?;
as quaea sero aberts ao meio da, em preseoja
dos propooentes.
jlavecdoduason mais propostas em completa
jgualdade de coadigOes serao chamados os pro-
pcoeniea para ueclarar qoaes as moditkajes
que fazem a ttm de celebrar se o contracto ccm
aquee que maioa-s vaotagens offeracer.
Nao s-:o aceitas i propostas nos etguintes
cases :
i.As que exc.derom dos preces do orea-
ment.
2 As qae nao forem^organisadas de accordo
com o presente edital;
3o Asaque nao ollerecerem as garantas exi-
gidas ; -
4." As que se baearem sobro es Piejos das.
propostas dos oulros concurren tes ;
5. As que forem apresrelas por pessoas
qne tet-ham deixado de comprir cootfMtes cele
orados com esta directora.
0 org-imento e mais cc.niigfleB do contracto
acm-sa nesta secretaria, onde podem ser exa
minados pelos pretendentes.
Para ccncorrcr a praga cima dever&o os lici-
tante.: depositar nesta directora, Hnpreterivet-
rnenle na vespera do dia da arrematado, (!as 9
boras da manda as 3 da tarde, a qpantia de ii*
equivalente a 5 "|. do valor do respectivo o mento conforme determina o art. 42 tto regula-
meato em vigor. ____
O 'citante, cuja proposta for aceita e depois
de approvada pelo goveruo, nao ser admitiido
assignado contracto da obra sem que prove ter
feito no Thesouro do Estado* urna caocSo eaj di-
nneiro, ou titulo da divida publica, equivalente
a 10 *|t do valor do contracto e s m que tena
pago os competentes emolumentos.
O propooecle, que eixar de cumprir o (Mspo3-
tona clausula anterior dentro da praso de 45
dias nao poder assignar o contracto da obra
aesim como perder o direito ao valor da cauefto
prestada. .
Secretaria da Director:.. Geral das Cbra3 Pu-
blicas em 23 de Agosto Cu 1892.
O secretario,
______ Jcs de Amonm.______
Cptnpanhia
De Tecidos de M Iha
Os icccrporadores\ abaixo assignad03. convi-
' dam sos senhores accionistas para a assenbla
ce-al de installaco e eleicSo lo cooselho bscal.
na sexta fera 2 de Setembro, ao meio dia. na
sede do Club Curios Gomes, ra 15 de Novem-
bro a. 29.
Joao W. d: Medeiros.
Theodomiro C. D. Ribeiro.
_______ Alfredo A. P. Fragoso._______
Veaeravel
Irmandade doSeohor B:m
Jess do Passos
Elelco
Em cumprimento do art. 8 do nosso compro-
misc, ceudo tocios os nos-os irmSos a cempa-
recerem em nosso consistorio na matriz toCorpo
Santo, sexta feira 2 de Setembro. pelas 5 horas
aa tarde, alim de em me;a g< ral, t "eerem os |
funecionarios para e futuro nno compron.
Rcci.'e, 30 de Agosto de 1892.
O escrWSo,
M. M. Camr-03 Jnior.
lamento, tedo o conforto deaejavel a bordo ed
um paquete.
Os piquetes que faicm aa viagens no Rio de
Janero, alm de terem ttido o que se encontram
oos paqueos modernos, accreece que faz a va-
sm em quatro dias e o prego de passagens a
> class.' e 604000.
O paqaete empregado na viagem para o Rio
Grande do Sal {mente para carga, e tem o
calado adequado a entrar do porto daquelle Es-
tado em qoalquer occaaio.
Recbese engajamenlo de carga por quanti-
iade flxa para todas as viagens.
Outroaia, a crmpanbia expedir paquetea ex-
traordinarios desde que taaja carga para o enga
amento coptelo de. umpaqoete.
Escriptotio da CQmpanbia Pernambucana
TILDES
Leilao
The United Siat.es and Bra-
zilM. S. S. C.
Vapor Wglez M&reia
E' esperado de New Yi rk at o
dia 4 de Setembro seguindo de-
pois da demora do costume
para w
Baha, Rio de Janeiro elsnoi
Para carga, passagens encommendas e di-
iheiro a frete ; trata-se com os AGENTES.
O vapor Seguranza
E' esperado dos portos do
fuI at o da Si de Setem-
bro seguindo depois ta in-
dispensavel demora para o
Harauho, Para, Barbados, *.
Tbomaz e lewVork
Para carga, passagens, encommendas e di-
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Una do Commercio8
Io andar
CHARGERS REUNS
Compantil Francesa
DK
Maregacao a rapor
Liaba quinzenal entre o Havre, .Lisboa,
Pernambuco, Bahia, Ro de Janeiro o
Santos.
Concordia
DE
Assuear
Milho
lcool
Agurdente
Fumo
Algodo
Salvados do vapor francez Santa-F
No Diario de amanbS se publicar o logs
dia e bora em que deve ter logar este leilao.
Pele agente Martios
nheiro, i camas de lona, 3 bancos, 3 bancas,
| urna machina de costura, 1 sof e muitos outros
objectos trem de costaba, etc., etc.
Ra da Penha n. 23 2* andar
A'$ 11 e meta horas
Ao correr do martello
Agente Silveira
2, leilao
Da dividas na importancia de R?. 101:403*049
Sexta-feira, 2 de Setembro
A'S 11 HORAS
No ermasem ra do Imperador n. 39
0 agente Silveira por mandado e com asis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juizde direito da prove-
doria. a requerimento do inventariante do acer-
vo Jcaqoim Uuncel Ferreira de Souza, levar a
leilao as referidas dividas na importancia d e
101 408049, conforme os annuuci03 j publi
cados.
t
t
Leilao
O
vapor
Commandantc Thebault
Co;'!panhia ferro car-
ril de Pernambuco
AVISO
A couegar do 1- de Setembro prximo, para
commolo dos Eenhores banhisti?, partirS^j t-'aco desta cemp^nha s 4 bor i-20 um
carro para a linha de Magdalena e if o e 52 um
ootro oara a de Fernanes Viera, acompanban-
dc c de baeag?m.
Recire. 3C d ttHo d !e9?
gerente,
Felppe de Arrojo Sampaio.
Thesouraria de Fa-
zenda,
Amanta sero pagas nesta esta5o a seguin-
tes fo:has :
ExercitoOperario; militaes.
Tesouraria Engenheiros das estradas de
ferro, F.culdade, aposectados, joslica e navio?
da armada.
Pagadoria da Thesouraria ae hazenaa do sta
do de Pernambuco, 31 de Agosto de 1892.
O escrivo,
R. Joao oes Reis Lisboa.
Instituto Archeologico e Geogra-
phico Pernambacano
Quinta feira, 1 de Setembro, a hora do costu-
me. haver sess^o ordinaria.
Secretaria do Instituto, 30 de Agosto de 1891.
O .." secretario,
Baptista Regueira.
E' esperado dos portos do
sul atordia 31 de Agos-
to seguindo depois da de-
mora indispensavel para o
Havre em dlreKura
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo pas-
adio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
nao.
Recebe cargj, encommendas e passageroi-
para o qual tem excellea'.es acjommolsgOes tra-
ta-se com .. AGENTE.
O yapor Entre -Ros
Commandanto Largement
E' esperado da
Europa at o dia
9 de Setembro,
|3eguiodo depois
de indi8pensav
demora p*ra
Sabia, Rio de Janeiro e Santos
estes Vapores entrarao
PORTO
NO
Hippodromo do Campo
Grande
Convida se os senhores possoidqres de aeces
preferenciaes a virem receber os juros corres-
pondentes ao 1- semestre do 4o anno, das 12
horas da manh s 2 da tardo, do cia 30 da
Agosto 5 de Setembro, na secretaria do Htppo
dromo roa do Imperador n. 5o, andar.
Secretaria do Hinpodromo do Campo Grande,
J9 de Agosto de 1892.
O tBsoureiro,
Manoe! Lopes Vieira.
Correio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor brasileiro Brazil, esta administra-
gao expede malas para es portos do norte, re-
cebende impressos e objectos a registrar at as
i hora3 da tarde, e cartas ordinarias at as 3
horas ou at a entrega das malas com porte
duplo.
administraco J03 Correios do Estado de Per-
nambuco, 31 de Agosto de 1892.
O chefe de seceo,
Epiphanio de Luna Freir.
MARTIMOS
de
Companhia Pernambucana
n-vegaco
Esta companhia mamen a segn'ntes liabas
elares de navegago:
Norte tocando nos portos da Parahiba,
. Maca o, Mss-, A"rcaty e Fortaleza, partindo
ceste pono um pagele a 11 e 26 dj cada mei*
Sul, com escala pelos porios de Macelo, Pene
do Amcaj, Estancia e Babia sahindo desle
por.: a 14 e 29 de carta mez
Femando de Noronha. partida no meado do
r.ei
Rio Formcso e Tamaa >, sabida a 28;
Rio de Jamao, (direciaiij-jnte) parte o paquete
de 25 a 30 do mez.
Rio Grande d Sul, (viagim directa) sabe de
3, a .) do mez.
T- 03 os paquetes s5o novos tem excellen.t.
aCC jmcdajes para passageiros e para carga
e o preyos sao multo reduzidos
Os passageiros eoconlrm, apar do bom ira-
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
.apores desta linba, queiram cpresentar dentre
le 6 das, a contar do da descarga das alvareu-
^as qualquer reclamago conceroente a volumes
le porventura tenaam seguido para oa portos
io sul, abm de Be poderem dar a teapo as pro-
iiencias necessarias.
Expirado o referido prazo a compannia n2o
r'-sponsabiiisa par extravos.
Recebe carga, encommendas passageiros,
spara os quaes tem e-ceentes accommodacOe
i tratar com o
AGENTE
Auguste Labill e
9RA DO COMMERCIOfi
Ageute Pestaa
Leilao
De urna boa casa terrea de pedra e cal, com-
pletamente nova e pintada, com sitio bem arbo-
risado com arvore3 fructferas cacimba com ex-
cellente agua potavel, quintal cercado com por-
to, terreno proprio, medindo 60 palmos de fren-
te e 400 de fundo, em terreno proprio a estrada
d'Agua Fra junto a estacSo do Arruda o. 4, as
chaves acham-se na casa contigua, a desposeso
dos senhores pretendentes.
Quarta-feira, 31 do corrente
A's i 1 horas em ponto
No arniazem a travesa do Corpa Santo
n. 27
O agente Pestaa vender livre e desembara
cado de qualquer onua e ao correr do martello a
linda casa de campo cima mencionada, com os
commodos segnintes : 2 salas. 1 slela, 2 quar-
tos. cosinha, alpendra, cacimba com excellente
sgoa-__________________________________
Lera)
De movis, eipelbos, quadros, loofias, vidros e
trem de cosinha
Quarta-feira, 31 do correte
A'a 11 horas
3a casa ra da Concordia n. 105
CONSTANDO :
De urna mobilia de pao carga envernisada de
preto, com 12 cadeiras de gcarnigo, 2 ditas de
brago, 1 sof e 2 consolos com pedra, 2 quadros,
1 espelno, 4 snelas, 3 pares de cortinados, 2
pares de jarros, 1 caudieiro, 2 escarradeiras, 1
linda secretaria de mogoo, 1 cadelra de Jacaran-
da para secretaria, 1 cama franceza para casal,
1 toilette de pao carga, 1 bidel de Jacaranda com
pedra. 1 guarda vestido novo de amarello, 1 mar-
quezo largo, 1 dito estreito, 1 lavatorio de ama-
relio, meia commoda, i guarda vestido, 1 banca
de cama, 3 cabides de parede. 1 mesa elstica de
4 taboas, 2 suardas cernida, 2 aparadores tornea-
dos, 1 quartiaicira de colunia, 1 dita de parede,
1 es'.r do para piano 1 sof de Jacaranda para
gabint-te, 6 cadeiras de madeira. 1 sof,2.cadeiras
de braco, 1 mesa de abrir, 6 cadeiras, lonjas
para almoco e janlar, pratos de porcellana, co-
pos, garrafas, clice?, compoteira?, golbeteiro,
talheres, 1 mesa de pinho, trem de cosinha e
muitos outroa objectos.
O agente Gusmao, aulorisado por urra familia
que retirou se para fra to Estado, far leilao
dos objectos acima^meucionados 03 quacs se
acbam com pouco uso.
A gente Silveira
Leilao
de um piano, urna mobilia de Jacaranda com um
sof, dous consolos com pedra, quatro cadeiras
de bracos e doze de goarrijo, dous jarros,- urna
mesa redonda, cinco etageres, duas machinas
de costura, dos espelbo* ovaes grandes.
Um toilet, um cabde, urna commoda, urna
cama franceza, um lavatorio e baca.
Urna mesa elstica, um aparador, berjos, doze-
cadeiras, b.ndejas, copos, clices, louga, vid:o-
e outro3 movis.
Sexta-feira. 2 de Setembro
Agente Ptoto
Na casa da ra do Rosario da Boa Vista
i..
38
Em eoatinua^o
Lsilo
de cm cordo grosso de 15 e seda, urna mesa,
urna machina de limpar facas, 24 cauces, quatro
bao iejs, colxoes e travesseiros, resto dos obje-
ctos que per'enceram ao Hotel Ialernacional.
AVISOS DIVERSOS
AMA precita fe de urna para andar com roe
nios: ra Dirtita n. 78.
Joaqun nas de Andrade ]
Maria de Rarroa Dias, suas Albas e mais
prenles, Rernardioo Francisco Dias, aua
aulher e mais parentes (ausentes) Jos
Francisco Dias e ana mulber, agradeeem
do intimo d'alma ordetn 3 de S- Francitco,
irmaodades do Espiri'o Santo, Tergo, S. Jos da
Agooia, sociedade Recreativa Juventade e todos
os mais prentes e amigos que acompanharam
ao ceroiterio publico os restos monaes de Joa-
quina Dias ce Andrade, a de uovo convidan) aos
meamos a assistlrem as exequias de stimo dia
que por alma d) finado ter lugar na igreja do
Espirito Santo, s&bbado 3 de Setembro prximo,
s 7 horas da manb, por cojo acto de candi de
se confessam acradecidos.^^^^^^^^^^
juaquim na de ndraoe
O abaixo assignado, lendo recebido a
infausta noticia da morle de seu pretimo
so e particular amigo Joaquiai D:as de
Andrade, socio da firma commercial da
cidade do Recife, de Andrfde Maia & C, vem
pelo presente convidar a todos os parantes e
amigOB do flaado para assistirem a missa que
pelo eterno repouso desua alma manda celebrar
na mat iz Cesta cidade, no dia 3 de Setembro
prximo lindouro, pelas 8 horas da manb, se
timo da do seu fallecimento, pelo que desde j
se confessa grato a todos aquellts que se digna-
reifl comparecer.
Bom Jardn?, 29 de Agosto de 1892.
Carlos Gongalvea da Costa L^ma.
Hanocl don Santn Vlllaca
A viuva, tilb03. genros oras, netos,
cjobados e eobriobos de Maooel dos San-
tos Villaja, coLvidam aos seus prenles e
amigos para asslstireru as miesas que mandam
celebrar em intenjo d'alma do m^smo, pelo
l- anoivereano do seu p3ssamentc-, Da sexta fei
ra 2 de Setembro, s 8 horas da manb, na igre
ja da Madre de Deus, e desde j confessam se
agradecido3 por este acto de caridade e re
.L^^^^^n^^H^^^B^HH^^BaSB
4oaqDim i'iaa ae Andrade
Andrade Maia 4 C, sentidos pelo infausto
passamen'o de seu estimado son Joaqoim Dias
de Andrade, convidara a todos os parentes e
amigos a assis'.irem as mesas que por alma do
Quajo mandam celebrar na igreja do Espirito
Santo, fabbado 3 de Selembro, s 7 horas ta
manb, stimo dia do seu falle.imento, por cujo
acto se confessam suxmatLcnte gratos.
Dr. Julio C. de Castro Jcnum
Mano Gomes de Matto?, Noemi Gomes
de Mattos e CoriJlaco G^oies de Mattos
Exames de preparatorios
Arithmetica de Trajano, livros e grammatica
de Joo Ribeiro, grammatica allem, franceza,
etc., encontra se na
PAPELARIA AMERICANA
Qae tem um completo Bortimento de livros de
insiraccio primaria e secundaria, livros em
branco para significados, noias, etc.
Ra do Iropeador d. 79
Patacoes
Compra-se de todas as nages ; na ra do Ca-
bng n". 9, loja de Augusto do Reg._________
AVISO
Vndese um deposito de seceos coro poneos
fundos ; na ra de S. Miguel n. 34, Afjgados.
Precisa se de um copeiro ; na ra do
Apollo n.8._______________________
Anoa Valerga do Reg MedeTcs. tu lora de
sua filha AnDa Medtiros, tendo de substituir a
apolice da divida publica pe-ai n. 10,128, jeros
de 5 / emissSo de 1680, por terse desemeami-
nhado, vem fazer publico por meio da presente,
aUm de obter dita *ubslituio p- ln repartigo
competente.
AMA-'Precisa se de urna para casa de fa-
milia ; na ra das Trincheiras o. 28.
t
Moedas de prata
Compram-se pstacOes e mcedas (elJOoe
500 rs. ; no armazem de movis, ra Bar d
Victoria n. 54.
Ao commercio
O abaixo assignado, devidamente aW.crisado
por sua sogra, mi e ur.ica herrieira do finado
Ernesto Rosa, vende o estabelecimento iua do
Livramento n. 2, que perlenceu ao finado. 03
calcados existentes no mesmo .-M^ Id ra. ente
eslo do melbor estado, sendo K)do3 novos e re*
cem-tirad. s r a Alfandega. A venda feila para
liqoida3o do passivo e recebe para isto p-opos-
tas em carta fechada no predito eslubelecimento.
O abaixo assignado, devidamente autorizado
pelo contrato de arrendamecto sabio:a o predio
a quem melhores vaotagens c florecer.
Recife, 27 de Agosto (le 18i2.
PP. Joaquim Rodrigues da Focseca e Silva.
- _...............,........._. g
Ed Kamitez
O vtrJadeiro papel almaco desaa iz portante
abrica austrlaee, vende se por prpeo mdico na
PAPELARIA MERICANA
Ra do Impeador n. 79
Ca?a em OJinda
Aluga se a de n. 29 ra de BeQ3n>n, com
boas commodos para grande familia; a tratar na
mesma, ou na roa do Apol.lo n. 8,1 andar____
___ prpf,*p_(;f, de urna cruda para
1 ituioc kc copeira e mais ser-
vico de urna casa de familia ; a tratar na ra da
Soledade n. 82.__________________________
CRIADO ; trata se na ra Nova numero 38,
loja.
(ausf ci.) coovidam aos parentes e amigos
para assislirem a missa que pela alma de seu
bom lio Dr. Julio C de Custro Jescs, mandam
rezar peas 7 1/2 da manh de 30 do corrente,
na matriz de Santo Antonio. _________
^s^sammmBammjamwmmwmmnmmmwmmmmBO
\ma
l
Vende-se
m cylindro. urna masseira e urna teodedeira ;
a tratar na ra da Sauta Cruz n. 1.
Alambique
D
d

cie Sisan Mganos
py
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Luzitania
E' esperado dos
portos do cnl aio
da 3 de Selem
bro seguindo depois da indispensavel- demora
para Liverpool com escala por
Lisboa, Bordeaux c Plymontb
Para.carga, passageiros, encommendas e di
naeiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons C, Limited
10-RA DO COMMERCIO10
LINHA MENSAL
O paquete Congo
,'V
E' esparado des
sul al o dia
porto3 do
9 de Setembro de 19
eguindo depois da demora necessaria para
Bordeaux, com escala por
Dakar e Lisboa
Para carga, passagens, encommendas d i-
aheiro a frete trata-se eom os AGENTES.
O paquete Orenoque
Sabio de Lisboa cor-ente e esperado ues-
te porto em
3 de Sefembro deise
seguindo depois da Indispensavel demora para a
Baha, Rio Janeiro, Montevideo e Bue
not-Ayres
ate vapor lllncnliiado a t aa
elctrica.
?rewie-8P ainda aos Srs. recebedores de mer-
sadoriae que -o se attender a reclamac5es por
aias, que torem reconbecida" "ci4 d>
descarga dos volumes; e que dentro de 48 ho-
-as a contar do dia da descarga das a va rengas,
levero fazer qnalquer reclamaco concernen-
tes a volumes que porventura tenham seguido
d ra os portos do sul, alim de serem dadas a
empo as providencias neces3arias.
Roga-8e;aos Srs. passageiros de se apresenta-
em na vespera da chegada do vapor para tora j-
em as suas passagens.
Para carga, passagens, encommendas di
laairo a frete: trata-se com os
AGENTES
H. Burle & C.
i2Ba do Commercio42
e predio
QUAR FEIRA, 31 DO CORRENTE
Ao mei da
No armazem ra do Imperador n. 39
O agente Silveira por mandado e ccm assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito e substitu-
to da prevedoria, a requenmetto de D. Lauriana
de Albuqueique Los Barros, levar a leilao o so-
brado de 1 andar, n. 43, ra Visconde de Pe-
lotas, (antiga do Aragao), ccm 2 portas de frente.
varanda de ferro, lendo o andar superior 2 salas
2 quarirs, eo'ao e 1 janella no oitSo; o pavimen-
to terreo com t salas, 2 quarlos, cosinha. quin-
tal murado, com 5 metro de largura, e 15 e 80
centmetros de fundo, terreno foreiro.
Os Srs. pretendeDtes podem examinar.
% gente Oliveira
2. Leilao
Da propriedade sita ra de Sao Mlguelao
lado direito em Afogados onde residi o tinado
Francisco Ignacio da 'taz Mello, medindo de
frente o terreno 135 metros, e de fondo 181 me
tro: e 8 centmetros, com 3 viveiro3, olaria e al-
guns ps de coqueiro.
Quinta-feira, 1 de Setembro
A'S 11 HORAS
No armazem ra da Imperador n. 39
O agente acirra, por mandado e assistencia do
Exm. S.\ Dr. juiz de direito de orpbaos, e a re
querimeoto do inventariante dos oens eixados
por fallecimento de Francisco Ignacio da Cruz
Mello, levar a 2. leilao a propriedade cima,
sendo:
Urna casa Ierra de pedra e cal, com 1 porta e
2 janellas de frente, 2 salas, 2 quar;os, corredor
ao lado e cosinha fra.
Urna d:ia con igua a 1.* com as mesxas acom
modacOes e dimcnsOes ; 1 olaria faltando a co-
berta, tudo em terreno proprio.
Os S-s. prelendenies desde j podero exami-
na raj^feridaprrpriedade.________________
Agente Qlive'ra
Leilao
Da ;casa trra n. 5 em terreno proprio, sita
ra do Por o da Madeira em Beberibe, freguezia
de Nossa Senbora da Conceio, com porta e ja
nella.de frente e 2 sallas, 3,quartos, cosinha fra
e quintal.
Quinta-feira, 1 de Setembro
A'S 11 HORAS
No armazem ra do Imperador a. 39
O agente Oliveira autorisado, levar a leilao
a casa cima.
Os Srs. pretendenjes desde j podero exa-
minar_________________________________
Leilao
De 20 saceos com farello nacional
Quinta fira, 1 de Setembro
As 11 horas do dia
POR INTERVENQAO DO
Agente Gusmao
No armazem ra do Marques de Olioda
n. 48________________
Leilao
Do movis, espelhoa, vidros e loucas
Quinta-feira, 1 de Setembro
O agente Oliveira autorisado pelo Sr. Gui'r""
me Bastos que vai psra S. Paulo faz leil. ua
segnintes objectos:
Urna n obilia de amarelb, 1 espelho oval, 2
jarros. 7 qoadros, duas lauternas, 1 rl:o can-
dieiro, 1 dito belga para pendurar. 2 para cima
de mesa, 1 tapete, duas escar adeiras, urna ca-
ma franceza, urna guarnigo ele faiance, 1 lindo
toilette raoderao, cabides, 12 cadeiras de junco,
4 de amarello urna mesar parajantar. 1 guarda
comida, 1 goardarloacamodetn}, louga para al-
mogo, dita para janta-, copos, talheres, 1 ba-
Aluga se por 2i.'CO urna casa nos Coelhos,
com 5 salaB, 4 quartos, contaba, qninlal e ca-
cimba, e outra menor por 8000; a tratar alli
com Joaquim Moreira Rtls,.oae 8 as 10 horas da
manh.________________________________
^nProcisa-se de urna ama para cosinhar; na
ra da Roda n. 11. taverna.
Precisa ce de cm caixeiro de idade de 16
aoBos : ca ra da Santa Cruz n 7.
CA'XEIRO. Precisase de um caixeiro que
tenhu at 20 annes de idade, com pratica de ta-
verna, para Jaboato a tratar na ra do Cabug
numero 1.
Vende-se a verdadei-
ra cal virgem de Cotumguba
para fabrico de assuear no
armazem da ra Duque de
Taxias n. 6.
i
Precisa fe di urna ama para cosinhar. para
pouca familia ; trata se na loja das Estrellas,
tua Duque de Caxias n. 38. _
Amas
Precisa se de duas amas, urna para menioc3 e
entra para cosinhar, drrmida emeasa dos pa-
re ; a tratar no pateo do Livramento u. 1,
o bardo_______________________________-
Ama cosinheira
Ko sitio n. 5 da eslrada de JoSo Feroandes
Vieira se precisa de urna cosinheira, pagase
bpm. ________
Vende-se um alarrl-'que de cobre 'o fabri-
cante Derozn, que destilla 100 ranadas diaria :
a tratar no caes da Companhia Peraunflucana n
4, armazem de agurdente.__________
Ama
Precisa-se d-j cma ama para cosichar e ccm
prar, que dyrma etn rasa ; a tratar r.a pnarma'
ca americana ra Dance de Caxiss o
57.
Ama
Prtcia se de urna ama para comprar e cosi-
nhar e que do-ma em casa dos paues, ra do
Coronel Suassuca B. 149.
Criado
Precisase de um criado; aloja das Estrel-
las, ra Duque de Cintas n. 56,
Predios venda
Nos AfUiclos. Muito boa propriedade, com
dependencias para criados, banbeiro, coceira e
com grande quintal murado.
No ArraialGrande sitio com proporcOes para
edificar, e com algumas casts que do rend-
ment.
Em S. Jos -Ra Luiz Mendonca, casa porta e
janella. ra Yplranga, meia agua.
Recife.-Becco Paschoal, meia agua.
Afogados.Estrada do Remedio, boa casa, ru
da Paz, deus bons predios.
Trata se no Escriptorio Commercial, ra Du
que de Caxias n. 72_____________________
Usina Bomburral
Precisase nesta fabrica de um ferreiro habi-
litado ; a tratar Da mesma fabrica, ra de S.
Bom Jess o. 11, escriptono._______________
Alnga-se
Urna casa ccm agua e gaz encanados, com ca
pacidade para accommodaco de grande familia,
com um excellente sitio de arvores fructferas
bom jardim e viveiro de pexe, junto ao trilbo
des bonds, completamente cercado por um muro,
sltaao largo da igreja de Santo Amaro n. 2 ; a
tratar na pbarmacia Conceico, junto ao arco da
Cnnceico
Ama
P.-pcisa-se de urna ama para lavar e eogom
mar ; ca roa do Rangel n. Sl.padaria^________
mi
Precisa se de cma ama para cosiGhar e com-
prar, | ara casa de tre3 pessoas ; na ra Impe-
rial d. 19, 1- andar.
i
*erna artificial
O Sr. Luiz Alves dos Santos Filha, que
acaba de ebegar da Capital Federal, irouxe um
novo syslema dessas pernas, fabricadas por um
systema que presta-se aos movimentos necessa-
rios eesclue amolela, sem incommodo no andar,
e com pessibilidade do uso da botina da resma
forma da pe Da illesa. O referido Sr. AI-'-j se
acba travessa da Piedade, em Santo Amaro.
Alugam-se
as seguictes casas :
Ra do Capito Antonio de Lima n. 20, com 3
quartos e 2 salas.
Roa da Fundido n. 10, com bastantes commo-
dos e com agua.
Ra do CapitSo Antonio de Lima n. 16, com
commodos para grande familia.
A tratar na roa Mrquez de Olinda n. 8, liibo-
graphia.________________________________
Ao publico e especialmente
ao commercio
O Ebaixo assignado, procurador de sua sogra
D. Fraccsta Joaquina Ca Co.ta Ro3a, berdeira e
nica successora de seu lbo Ernesto Rosa, que
foi estabelecido ra do Livramento n. 2, con-
vida novamente a todos os credores do tinado,
para apresentarem suas centas at ao fien do
correte mez afim de s?rem conferidas e pagas
as torcas do que produzir a liquidago do esta
belecimento do mesmo finado; bem como roga
aos dc-telores para que satifajam suas contas no
praso de 15 dias, a contar desta data, stbpona
de serem ajnizadas.
Recife, 27 de Agosto de 1892.
.PP. Joaquim Rodrigues da FonsecaeS Iva.
Cosinheira
Preeisa se de una cosinheira ; na ra Velha
limero 28.
&
Attendite et vi-
cete!
Jos Samuel Botelbo, fabricante de ^ouquetes
do mais apurado gosto, para casamento, embar
que ou ootro qualquer ac, pode ser procurado
ra da Cauea n. 43, loja de selleiro, ou na sua
residencia, ra da Coccei5o n. 3, Boa Vista.
Amas
Precisa-se de duas amas, uma pera cosinha e
outra para sala : a tratar ra ra Barao da Victo-
ria n. 54, ca antiga agencia de movis.
Gratii ago
Na casa n. 8 do beejo dos Ferreiros
gratifica se a quem levar um cSosinb
branco felpado, que acode pelo nome
iDondoc.
Pelo seu estado da ve!h' e j est ceg
do olho direito e comeca a cegar do es
querdo.
Do n don
Na casa n. 8 becco dos Ferreiros
gratifica-se a quem levar um cSosiuho
branco felpudo que zcode pelo nome de
cDondonn.
Pelo seu etado de velhicej est ceg
do olho direito e corneja a cegar da eB-
querdo.
Ao commercio 9 M
$vblw
Jo- Leonardo Crego &
C, previem que o Sr. An-
tonio Honorio Pefeira da
Silva, deixou de ser seu
empregade, desde o dia 1 5
docjr-ente mez.
Previnem tambem que
nao se responsabilisam por
qualquer cbrigne.ao que
quem quer que seja con-
trahir em seu nome.
Carrinho para doente
Vende-se um carro ccm molas no asenlo,
com tres rodas, movimento brando, em perfeito
estado de conservado, proprio para paralyUco
ou pessoa que nao possa andar ; a ra'ar e ser
examinado na ra de S. Jco n. 31. Preco com
modo.______________________
Piano
Vende se um piano quasi novo e de boas vo-
zes ; a informar na ra Duque de Caxias n. 55,
loii.
Vende-se
Um cylindro, urna msseira e uma tendendei-
ra; a tratar oa da Santa Cruz n. 1______
Frevioe-se
Aos senhores propietarios de fabricas de ci-
garros que o especial papel para enmassar ci
garros e charutos, encactra-se na
PAPELARIA AMERICANA
Da Hugo fe Vasfooceos
Ra do Imperador n. 7"9
Casacas
Alupam se casacas ; na alaiataria ft ra eB-
re i do Rosario c. 1, joDto a botica do Campos.
Coi-tu reiras
Na fabrica da coropaotia Industria de Crapos
ra do Visconde deGoyanra a. 147, precisa-se
de costureiras e pagase bem^_____________
Moedas brasileiras
Compra-se de $00 rs., 1/000, 2/000 co centro
Ja 'rcoeda na ra do Cabug n. 9, loja de An
.i i'o Reg.
NoVidades e pre^s baratos
Lima Continho $ C.
Propritaro8 desto muito acrecit- do es-
tabelecimento resolveram fszer nma liqoi-
das^o geral as suas fazendas, ven por
este meio pedir s Exra&s. familias e a
todos os seus fregueses fazer-Ibes cm
vi>ita ao sen estabelecimento que encon*
trar2o um completo sertimento o que ha
de mais chic e moderno que Ee t- mam
enfadonho de mencionar-se
S Ao Torrador
4Sfm Doqne e Caxias43
Pernambuco
t^ASTHMA
Opprcsado, Catarro, com Q
r GLRY. -
Obeve as maia altas rec-mpnsa9. p
Dci/Oilo em todas as PliarmacUS,
Abrs!
A Xova Esperanza vai per mo
mentos interromper es amaveis leitoraa
? as Bas preocupares diarias, para lemt
brars!hes que ha grande utilidade em di
rigir-se a ra Duque de Casias n. 63,
afim de proverem-se de qualquer artigo de
gosto e phantasia que constantemente re*
cebemos dos principaes mercados da Eu-
ropa e America ; dentre elles vamos dar
uma ligeira noticia para poderem avahar
o bom sprtimento.
Lindas cestas com fructas o flores para
adornos de salas e toiletes. Bcnitcs jar-
ros e jardineiras para flores.
Completo sortimecto de papis e envelo*
pes de pbantasia.
Iateressant.es pastas phant&zia para ast
nhoras.
Finas camisas bordadas para noivas.
Ventarollas e leques, novidide.
Commodos espartilhes para senhoras.
Grande variedade de meias pare senho-
ras, bomens. crian (as e padres
m-iis pura seda ao mais fino algodo.
Lieoreiros, Aibuns, Candieiros e Bo<
ecas.
Quadros bordados em papel de arroi
com imsgens.
Brinquedoa de todo genero psra crian
gas.
Amofades bordadas para sala.
E muitos outres art gos que a vista d-
se j arem.
Pedro Antunes k C.
63Roa Duqne de Caxias63
Alia iwviflfefo
pura sedj
Luvas a Mosqueteiro de
para senhoraa receberam
Pedro Antu aes & C
63-Rua Duque deCaxias-6
Para b mena
pnrnoi,
para viagens.
Alta novidades em gravatas,
collcrinhos e aberturas.
Pedro Antunes & O.
63-RoaDoqce de Caxias63


Djario de Pernambaco Quarta-feira 31 de Agosto de 1898

te INOFFENSIVO *
> 4 P 1 H 0 < JE 0 GRANDE PURIFICADOR SLSAPARRILHA M BRISTOL CURA TODAS AS IMPUREZAS DO SANGUE E HUMORES H < fe
EFFICAZ ^
Loja do Caboclo
Ferreira Gruimaraes e C.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 86
Esa casa fundada em
1851 contina a manter os
seus vastos armazens abarro-
tados de mercadorias com
varia dissimo sortimento
como nenhumoutro se en-
conlra uesta pra$a.
Dispoe de pessoal habili-
tado para bem servir ao pu-
blica que honrar o seu es-
tabeleci ment, e offerece
todas as garantas de sizu-
dez e leal da Je
transaccoes sob
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases selentilicas
e pnysiologicas para o fim de
beneciar os cabellos, restaurar
a cor, impedir a queda, e promo
ver seu vico e abundante cresci-
niento.
Esta apurada e excellente preparado,
Cf-m duvida o melhor remedio at boje
conhecido~para os diferentes defeitos da
cabelladura, merece a intima a^tenco de
todas as pessoas que tem tido a infelici
dade de perder em par-te este mais rice
ornamento natural da physionomia.
Com o seu emprego intclligente tem-st.
conseguido resultados realmente sorpren
entes. Em muitos *csos, porm bo
sempre, a propria calvicie tem sido curad
permanentemente. *.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para opentea
ao das senhoras, o objecto mais uti!
mais agradavelque se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,,
Lowell, Mass., Et.-Unidcs.
I A' venda as lajas de armarinho e per
tunaras.
DEPOSITO GHKi '
ai. a a.
Novidades
e preces baratos
Saias brancas bordadas para senhoras.
Casacos braocos bordados para senhoras.
Camisas, dem, idem, idem.
Vst uarios
um facto.
Toalhas de linho com bioo crivados de bico, diversos precos.
Casacos de Jersey para senhoras grande sortimento.
Dito de caxemira de cor.
Capas e vezies pretas para senhoras, caxemira e seda, diversos presos.
Crotones ancezes muito largos, cores e brancos a 500 rs. o covado.
Toalhas de linho e algodSo para mesa.
Guardanapos linho e algodSo, grandes e pequeos.
Hiatos de c6res de 240 a 400 rs.
5o braceo fino.
Mau "So francs com 24 jardas de 80, 9J e 100000 a pega.
Brim pardo liso para vestido a 400, 500 a 600 o covado.
Sargelim de cores e brinco a 30 o oovado.
Camas bordadas linho puro com 4 fronhaa e 1 talhe todo iguai.
Montunas hespanhoLs.
ba j>o cm
SFO
oas suas
a imme-
diata directa) do aatigo
socio Jos Augusto Alvares
de Carvalfib.
Liga Jo ao grai.de sorti-
mmtode ferragens susten-
tam um import nte deposito
de tintas e oleossetc.
ESPECIFTCCS
DO CELEBRE
Dr. Humplireys de Nova York.
Em so mala de 30 nniins. impos, rjriiroff, cffl-
Mt;i<*- baratos. Avenan dm i'ruarit v l'har-
..'-, irlnelpaese :mi!n fcar-utlilas do Mundo,
fa CIRA
Ueor depurativo veget! I oda
do di* medico ulntella
Este rotabilissimo depurativo que vem
precedido de to grande fama infallivel
na cura de todas as doencas syphiliticas,
escrofulosas, rbeumaticas e de pelle,
oomo tumores, ulceras, dores rheumaticas,
esteocopas e nevralgicas, blenorragias
agudas a chronicas, cancros syphilitioos,
inflammaco'es viceraes, d'olhos, ouvidos,
gargantas, intestinos, etc., a em todas as
molestias de pelle, simples diatbaiteas,
assim como na alopecia ou queda do
cabello, e uas doencas determinadas por
saturacao mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se encon-
tram numerosas experiencias feitas com
este especifico nos hospitaes pblicos, e
muitos attestados de mdicos e docum
tos particulares.
Faz se descont em casa de
PARIA SOBRINHO & C
Ra Marqnez de Iluda n. ti
Sec as brancas, pretas e de
cores
Novos padrees a para grande escolha,
sendo despachadas oestes ltimos dias.
LOUVRE
Esteiras da India
Branca a de fantasa de novos desenlio
para forros de soalho, completo sortiment
no LOVKE
Francisco Gurgel Irmo
Ra P de Margo n. 20A
__________TELEPHONE 158
Grinaldas, Ieques e cbapos
de. sol
Oa phantasias ccabam de chegar para o
LOYRE
M:-Villa
Expremiere de Pars
Robes el confeclion
Trecos rommodos.
Frecisa cosiureiras.
Ru Barao da Victoria n. 18
2o andar
1. Frbren, Concrptflo, Inftamr.iAcSes..........
'. h>brc f Cwlca caiidu orLomWgM
* 'ftliOtt COiro v liutomiiia dj> Crianza-.__
-. Iliiirrl.ea de Crianza* e Alleos.....
5. t \ "direrla. Dflres de Darrtrfa, CollaatiUaia
4. Colern". (' .lera-Morbo, Vmitos............
7. Tn-nts t 'nospacAo. KouQuldAo, lUMncbKe..
S. Mor df J.f.iirei. < d" 'jiiit, NevraLrla.....
*. Mor di- Caofcii* Enchaqueta* Vertl^em.....
*0. |>i -.M'pnf p InUigcnTilo, Prlso di* Veutrc.....
11. SupprfNmio da Keura. Escassa ou Dtiuo-
12. I.nii-orrhfa. V 13. Croup, Toh^etoaca. UUBculdadeae K^pirar
-. lii iim'-, Erur^oe.sF-rysipela..................
'' ; lu'utii.iiispio, Dri-s rl^uoiHllOTS..........
gyaeih Maieuv. Febre Intermlt l*>nte.........
-T. Ilcniorrlicpdalk, Almom-lmfia. Internosoft
exwrnaa, simples ou ftangrentas............
2C. Oplilhnfaria, lho* fraco- ou linlarimadnc.
19. Catarro, n:rudoou chmnico, Defluaco........
oqaetncbf tTttBetyBO(Uei..............
"-^lracio dtnfeultosc.
VI. Ambi, .
J2. -o i-un.v,
' < rotnlb-,
U I)< bilidade cern, "U physlca
". H y lrop'Hn, Acaiuulai,' >'. Knjo de Mar, lauwa. Von'ltoB............
2t, 'lrlr-i a .>r;ruaritt-, Uilculos ou Pedn*
Ii:i Huip...........*......................
&. Inipoiriifia, Dehilidde nerroea, smlirtd .
_ auApnta..........
eucla de Ofrrta. Ourliur se
doa> C*'*jUm, *ur-lf/......
, Incha^* efTIefraf.
'A < 'i. j u .iihii-. OU Jtai-Jji,
'J*. Iucuiiii;
1. >IfMiMtruiK'iiu (lolortma. Prurito..........
'oUv-tiai- do Coracuo, Palptaco. etc..
& tpvopHla, Mulcaau/fo,OottacoraJ, Baile da
S. Vito.......................................
Si n;phtherla. Mal maligno d Garganta .....
15. Consestoes Chroulcas. DflrdeCafeca....
Matraal do T>r. HumiihreyB, 141 paginas sobr.
as Enfermldad^se o modo d eural-as,sed gratis,
ptde se a<> seu boticario ou
HUlIPUKEYfi* MEDICINE CO.-
I0:> I u'reu Street, KBW VOLIK.
Deposito geial na Comiigirad
e Drogas o Productos chimicos.
Gerente ^ Francisco Mauol Silva.
B
.' o-r
CtlJLX
Pernambucano
Fabrica Meteoros
aasigAados propietarios da
Os febaixo
crejit.da e conhecida FABRICA ME-
TEOROS, em attenjSo ao respeitavel
publico e especialmente ao3 seus innume-
raveis fregaezes, vem porticipar-lhes que,
em consequencia do augmento que fiae-
ram do salario dos operarios do Bea es-
abelei- snto fabril, resolveram elevar
(1)}0 0) m mhaira de cigarros de todas
as m reas manufacturadas no seu esta-
belecitne.to.
Aseim deliberaram por verificarem que,
para conservan Ileso o crdito dos seus
cigarros, seria preciso harmonisar a as
oenj^ do preco, com a superiorrdade daM
manipulojao, pelo que, preferiram manter
o endito dos raesmos, manufacturando os
oom h t ra prima ppbbiob, a ter de
empr y. iaferior sem elevar o prego
dos seus productos, gmente com o intuito
de c.icr acros.
IProoedetido dest'crte, esperam que seas
bor- -guezes continn&rSo a despensar a
ho:
tinf
1
.
Jo
confianca, com que sempre des-
m a FABRICA METEOROS.
iarga do Rosario n. 30.
7-92.
B. dos Res & C, Successores.
Ir
farifca d 1uts
DE
Sb BarSo da' Victoria i. 65
Loja de quadros
Hdame Grerard avisa aos seus nume
roseimos freguesas, qpe receben de Paria,
om grande e variado sortimento da palli-
de c'.avreauz, de primeira qualidado
Kerosene luexplosi /el
Yendem
Fot8$$a Inaio
MKRAVILHA CURATIVA
DO CE1JU1BE
Dr. Humphreys de Nova York
A Verdadera Maravilha do Seculo.
APPEOVAD& E LICENCIADA
frer. Inspectora Gernl de Hyeiene de
Imperio do Braz*.
A MnAvIIIa Cm ar.va remedio prompt
jara a; Pisaduras, Machucaduras, Coniusoea, Tor
2eduras, Cortadurns, ou Laceraoofs. Allivla a d0rt
Un <> '-angue, taz ira.** a futlammacfto. reduj
& lncliar io. tira o descoraiacnto, e faz sarax a f erld*
como por encan'o.
A -toni -vil.-a Curativa alllvioi
cura raLida para yueluiaduras, tscaldaduraa, %
VuelDia^.ura do bol. e superior e
runiedk*.
- a (uuUjuer outi\
A lUarariltift Camivn lmpgTel pan
COdaaasHen.orihaKiK, urja do Naris, JasGengvut.
los fuimtM'A. di, I^-fomago, ou ap llene rdioUtaot
AJiK)rrvln*a*fcura Fempreo nunca falla.
A Maravilha Curativo umalUvlo
ra l>or de Xfiitea,
facee NcvraJula,
._. Joprompt
l>r de Denteo, de Ouvld je, 'la Kaee. Incaai.o
A Bfarnvtfha Curativa 6 orecursc
e precioso pai.i I>Ares rheunt
Rfrfr|g as Juntas ou Pernos.
Uto, &J
A Mart-.viiha Cnraliva 'O Trado rrme paraEaqutr< n>\*. Angln*. AuiyKrixlmitncimdmaGm
luflaDima
  • -wnipr1 seguro, sempre efflcaj.
    A Maravilka Corntiva lf multo valoff
    romo njpo.jfio pai-o o CMarro. a Leucorrhca ou tt
    Flores liruicaa, c outros corrnentos-debMltantes.
    A Maravilha Curativa lmpagavel pal
    'iirar UkyrriH. chagas snilKaa. Anosienias. Pau&r
    i Vis, Callos, Freiraf. Jo^nete o Tumores.
    A Maravhn CniallTR6remediopron-pte
    ^ara Dlarrbea simples, e de Dlarrttea chrom>,^a.
    A Maratilhu Curativa ixcrente na.
    Estrebartos e Cavallarlvas. para roreedura, DCre
    Vladurar t Esfoladuras, Contn Sos, Laccnuoes. *f.
    Sspedalidade3 do Dr. HumpArers.
    otemedios Fj-neciHcos,
    . uu'vnio Maravilbono.
    JleDiadio SyphiiltlcoM,
    Kemedios Vetcrlnariot
    O Manval do Dr. Humphreys 144 paginas sobre a*
    Enfermlds. 1> s e r.i<)do ds cural-as se daerbtls, pede
    so ao b< a bollcarl. uu
    nMPUKEYS' MED'CINE CO.,
    IOS Fullon Street, NEW YOttC.
    NICOS AGENTES
    &*r9 renda es grosao est F5
    nastboeo 4,
    Parla Sobrlaho & t
    DROGARA
    ua Marque* de Olindatyi. o
    P
    recisa-se
    'as
    pataf etc.,
    eta
    Tamarindosll
    ComprA-se grandes e pequeas quantida-
    des ra COMPANHIA DE DROGAS E
    PRO JUCTOS CHIMICOS.
    25-ftna Mrquez deslinda-
    Ataga-tt
    la sobrado da roa Capitao Antonio i
    "\ oiMi oi o escrlptorio da Bstrao
    al de Pataamboco, com commodoe
    i familia, com agua e ai a tratar
    a tos de Olaos n. 8, lithographia.
    de urna casa para habitar,
    com grandes accommoda-
    ^oes terreas pa ra fabrica de
    vinhos, e que tenha qni -
    tal: para trarar, ra da
    Aurora n. 109 ..
    Cento por cento
    Cft'ifellas do Monte de
    Soccorro compra-se com
    100 |o cima da avaliacao
    na relojoaria Vernet.
    Ra do Barao da Victoria
    r. 53. _________
    Cimento porvlan4
    Novo, (Alegado por vapor, qoalidade superior
    e preco sem competencia, barricas e meias bar-
    ricas, em grosse e a retalbo ; vene-ee na roa
    da Madre de Dees n. J.
    LOJA DO POVO
    H-Rua do CrespM
    O proprietario deste importante estabolocimento resolveu liquidar
    de seu valor os seguintes artigos.
    A saber:
    Voiles liaos a com flores a 240 rs. o covado.
    Ditos phantasia o que ha de novidade 320 o covado.
    Etamine com 3 1|2 palmos largura a 200 o covado.
    Cretonas claros e escuros a 320 e 700 o covado.
    dem em cortes com barra a 50500 um.
    Creps pretos r brancos lindos padrSes, de 15000 o covado por 500.
    Granadina de seda, de 20OGO o covado por 15200.
    EadapolSo de 75000, 85000 e 95OG0 a peca.
    Dito francea (20 varas) a lOflKXX) a peca.
    Cortes para colletes de fustSo a 15500 um.
    Grande sortimento de brins de todas as cores e precos.
    Jersey para roupaa de crianca e Senhoras (novidade).
    Cortes de vestido de cachemira a 255000.
    Cortes de cambraia bordadas do 155000 i 305000 um.
    Merinos pretos para todo preco liaos e lavrados.
    Capas de cachemira iavradas para Senhora (novidade).
    Um saldo de merinos de quadro a 600 o covado.
    Camisas francesas de 35000 a 65000 urna.
    Lindo sortimento de cortes para calca.
    Lindo sortimento de-casemira para casseos de Senhoras.
    Voiles de II para lfOOO o covado.
    Ditos de algodSo grande sortimento.
    St&aines de cores a 440 o covado.
    Extracto ingez dos melhores fabricantes a 25000 o frasco.
    Grande a lindo sortimento de meias para Senhoras homen,
    Panos de crochets para sof e cadeiras
    fr t
    Costumes para creancas
    De todas as idades encontra-se grande
    ortimento no
    ______Louvre______
    (Japas, jersey s e visitas
    Gostos iateiramenta novos acaba de re-
    saber
    cortes de l.linho, seda
    e algpdo
    Ricamente enfeitadosj tem recebidj ni-
    amente 6
    LOYRE
    TECEDOSDEPHAN-
    . TA8A
    bjpdo impossivel de se descrever s
    ra lo vanedade de'tecidos de diversas
    (calidades proprios para a estacSo actual,
    oga-se ao publico em geral a principal
    oente s Ezmas. familias a finesa de vi-
    litarem o
    LOUVRE
    Ra 1.* de Marco n. 20 A
    Francisco Gurgel IrmSo
    _______TELEPHONE N. 158
    Qbjectos de gosto para
    presentes
    Sa neste artigo grande escolha no
    LOUVR E
    Chapeos e capotas
    Ultimas novidades de Paiia receben o
    Louvre
    Bicci^nariosdeJac-
    Vende-se dous novo coia
    40 volumes cada urx : a tra-
    tar aa ruNcva n. 16..
    .-1-
    i
    ->
    ->
    i
    i
    -:
    -:
    j
    -)
    4
    ->

    i
    i
    Prepara do vinosi depuratiro
    pprorsdo pe'.. ilustrada anta de
    Hygene Publica da Corte.
    Auctorisado por Decreto Imperial
    de 2o de Junho de 1883.
    COMPOSI9O
    de
    firmino Candido de Figueiredo.
    Empregado com a maior efficaci.i no
    rkeumatismo de qualquer natureza,
    em toda; as molestias da pt'Uc as
    eucorrhe'as ou flores branca:, nos
    soffrimentos occasionados pela impureza
    de sangue, e finalmente as differer.les
    fimag da syphilis.
    \
    i
    i
    -I
    -!
    -
    r
    v
    i-
    t-
    b
    i-
    (
    i-
    l
    f-
    -
    f
    -
    i-
    Dse Nosprimeiros seis dias biiu,
    colher das de cha pela manha e utra
    noite, puramente ou diluida em agua
    e m seguida mudar-se-ha para colhe-
    res das de sopa para os adultos e me-
    tade para as crianzas.
    Rgimen Os doentes devem ab-
    ster-se apenas do alimento acido e gor-
    duroso; devera usar dos banhos frios 0:1
    momos, segundo o estado da molestia.
    -
    X
    r
    {
    :-
    <-
    t-
    f
    r
    f
    f-
    V
    r
    f-
    Fabrica de gelo
    igaas e limonadas gasosas
    todas as calidades
    Soda water, ginger, ale, lim5o, lamnja,
    rao, abacaxis, granadina, grosellas, franboi*,
    nailba, hortela-pimenta, etc., etc.
    v,___-ACAES DO CAPIBARIBE-H-A
    enn
    Em ripas e barrotes, pre-
    ces sein competencia ven-
    de-se na ra Duque de Ca-
    xias n. 68.
    EEPCSITO CENTRAL
    Francisco Manoel da Silva & C.
    Droguistas
    23 Ba Marques de Olinda
    Pernambaco
    WHISY
    Royal Blend marca VIALiO
    Este excellente Whisky Escoces pre-
    erivel ao cognac t>u aguardante de canns
    para ortiScar o corpo.
    Vende se a retalho nos m ores arma-
    sena de molhados.
    Pede Rojal Blend arca Tladc,
    oujo nome a emblema aSo regia tmdos par
    toi'o do Brasil.
    BBOWNS & C.
    Aluga-se
    0 3- andar do predio n. 86 ra Duque de
    Caxias ; a tratar na loja das Estrellas._________
    Casa na C .punga
    Alaga se a caBa sobradada sita roa de Joa-
    qoim Nabnco n. 81, com excelleatts commodos
    para famitia ; a tratar com Gailberme Pinto,
    roa Mrquez de.Olinda n. 7, armazem.
    50
    mOSQUITEIROS AME m T
    COM \RMACA0 E CORDA?
    nicos mi mili e os m m
    58 Rita Duque de Caxias 56 e
    Telephone n. 210
    e
    58
    AnS CONSTRUCTORES
    CAMPANHIA EXPLOBADOBA DE PBODUCTOS CALCREOS, tendo
    ntroduaido varios melhoramentos no fabrico de seus productos, informa ao publico
    qne toda a su a cal8BANCA e PRETA caldeada com agna doce, o que melhorr.
    extraordinariamente a bellesa c sollidez dss construocoes.
    Scieniifica tambem aos senhores de engenho que introdusio grandes aperfeicoa-
    meo tos no fabrico da
    pe di i ni
    Officina de costuras
    FAZENDAS B MODAS DE HATE MOWEATE
    Ben alie Mard" Cre8' 188 IaVrados foi,,e francel> Moscoviten
    Voile preto para luto, de cores, lindos desenhos.
    Gaze de seda e fil para vestidos de baile.
    Cortes de ca;hemira bordados.
    Ditos de cambraia a de algodSo bordados.
    Manteletes de seda e vidrilho de renda.
    GalSes e muitos enfeites de passemenherie e raio o aue ha de mais moderno.
    h.sp-iiilhos de todos os tamanhos.
    Leques a ventarols de gai, de plamas e rendas.
    Grande sortimento de vestidos para crianzas.
    Meitis de seda pretas e de cores.
    Chapeos de castor e de palha enfeitados e muitos catros rticos de
    gosto.
    ai de bom
    phanta-
    C.A.S.A. ODS
    Madame
    1A RA DO CABUGA' A
    CAL VIRGBM DE JAGAED3
    do assuct
    Ca-sdo Apollo n. ST^ernambuco)
    . a..vi***ui j^ ji>. *AV V* JLJLX.VJUU -
    para o fabrico do assucar, que entretanto contina a vender ao antigo preco de 6|0(
    por barrica.
    CARDOSO 8-IBMAO
    tHa Raraodo IViumpm ns. 100 a 104 e na
    doVisconde de Itapanca ns. 12
    lem sempre em deposito :
    GALDPIRaV VVL? 8 "B? d0S me,hore8 fincantes.
    S?2na muIltab1u'a''B Para 4, 5, 6 e 8 caballos.
    Satv e ? a8 m81S 8ohda8 e molhores do mercado.
    Rom a rvlnf bat'd cLravada8 caldeadas, fundido de todos oa tmanbr.,
    BODAS nFOT?naT; CUb8 de mMmm e todaa de ferro-
    PPivfrSSSA de e8Pra e golares de diversos tamanhos.
    SS,7'r, P1** e boccas do fomalhas para assentamentos.
    ^5S^D?IPUCH0 aem 8olla' ***bronM-
    OtlUMAUMBAS parafuao8eo mais que se opsa desejarpara ongenho tra-
    a de ferro e Obras Publicas. -
    FAZEM E CONCEBTAM toda e qualquer pejs de machinismo tanto de fsr*
    undido como batido-
    | EN ABBEGAM SE de mandar vir da Europa por enoommenda, medinte oan -
    -ommisao rasoavel, qoalqaer machinismo a CONTFACTAM apparelhos para a
    cas, para fabricar de 100 a 300 sacos de assucar era 24 horas.
    IObrigam-se a montagem dos raesmos e resp 3abilisamse
    o que tem om hbil angenheiro ingle* -nuito pra u _. alm
    ambem engenheiro.
    de
    ro bom trabalhi
    um doa socio*
    *


    rwj
    ,''^-A,,,
    *~"


    8
    i
    Diario de Perambnco Quarta-feira 31 de Agosto de de 1892
    Ra das Larangeiras n. 4
    Avilamos aos noasos froguezos que temos exposto a venda, os seguintes ge
    eros portuguezes, para oa quaes chamamos a attencSo.
    CHAMPAGNE DA REAL COMEANHIA VINCOLA DO NORTE DE
    PORTUGAL
    Vicho Moscatel de Setubal.
    Vinho Moscatel de Cellares.
    Vicho Malvazia de Collarer.
    Vinho Superier de Palmella
    Vinho do Porto Volho 1851.
    Cognac Moscatel de Lisboa.
    Cognac Moscatel de Collares.
    Real Cognac de 2 e 3 estrellas.
    Licores de Marie Brisard e Roger.
    AnniseteCacu a la Vinelle.
    Cacao Chouao.
    Superior Chartreuse de L. Garnier.
    Beneictine etc.
    Convidamos eos apreciadores os vinhos generosos um paseeio
    Bimi.
    Enres Barbosa Cooper &C.
    ii Paradis des Dames
    Notos corles de vestidos de seda, 1, cam-
    I bratas bo dadas, tecidos de algodSo, cam
    ' braias de pbantasia.
    ao nosso ar
    Loja Annsasm as Estr*iia&
    SABAO CURATIVO DE REUTE
    Tumores, cravo, pelle veraelha, aspira e oleosa impdido ou carado
    '! todos os formose dores da pelle, o Sabao Curativo de
    elle 'ormosa, branca e clara e mos brandas; absoluta-
    por o mais grande de todos os formoseadores da pelle, o Sabo Curativo de
    Reuter. Prodoza a pelle 'ormosa, branca e clara e maos brandas; absoluta-
    mente puro, delicadamenta medicinado, extremamente incomparavel como
    sabSo para a p1 lie bem como do toucador, do banbo e do qnarto das mangas.
    ca TEliA Nao genuino sem cada envoltorio ter a marca re
    gistrada de Barclay & Co, New-York.________________________
    XAROPE DE REUTER
    MEDICINAL
    V PABA
    TOZLETI
    IW. 2
    Como remedio daEstago Calmosa, Paricador dosangne, diurtico,
    8 aperiente, nenbnm outro appellidado depurativo ou salsaparrilba se appro-
    eima sequer aoXarope de Reuter n. S. Combina quatro grandes proprieda-
    xes em um so remedio, operando a nm tempo sobre os orgaos digestivos, o
    dangue, os rins e os intestinos.
    Absolutamente neutralisa xpulsa pelos canaes intestinaes, rlns e
    poros da pelle, os germens nocivos, tne tluiuam no saDgue, na urina e na
    transpiraco
    O MELHOR
    PURIFICADOR
    PARA O
    NAiCL'B.
    PEQUERAS PILULAS DE REUTER
    Figado entorpecido curase positivamente com estas pillas. Ellas
    PARA
    IKiM
    Ellas
    sao um remedio pnrgtivo livre de perigo para o bomem mais raco, tao bem
    como bastante activo para o bomem mais forte, e nao constipam depois; pela
    sccao geral agrada a todos que as usam. Sao as diluas cs'.-andarte da pro
    fissaomedica des Ejtados-Unidos. SSo as menores e mais facei3 a tomar.
    Quarentaem a
    TRICOFERO DE BARRT
    Urna preparacSo elegante, extremamente perfumada, remove todas as im
    purezas do crneo, preservativo contra calvicie e cabello cinzento; faz o cabel-
    lo crescer espesso, brando e hernoso Infellivel para curar erupcCes, doencaa
    da pelle, glndulas e msculos, e cura rpidamente cortaduras, queimaduras,
    ftidas, terceduras, etc.
    Cautela.NSo genuino sem cada frasco ter a marca registrada
    de Barclay & C.New York-
    PARA O
    CBELO
    A PELLE
    depositarios destes proddctos.A companhia de Drogaa doctos chimicos.
    Ra Marques de Olinda n. 23.
    NOVO ESTABELECIMENTO
    Recebeu um lindo sortmeato de
    CAPOTAS
    de rendas de cores 9 pretas para senhor&s.
    G 3KC vA 3? jS O S
    de rendas 6 Aj palnt> para senboras e meninas.
    de p a de' seda para erancas.
    HUMOS OE PELTEO
    par faomens rnpaze8^ des sarjjricanteB FRANCEZEiS, lttt*JL4riZ.b E ALLEMAEt.
    CHAPEOS
    para hemons.
    FORMAS
    de palha para chapea de senhoras e meninas.
    K3NrGDSDB.A.3D(aS
    GRAVATAS DE SEDA
    pretos e de cores.
    Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Flores.
    Plumas, Aigrettes eGraaipos
    para chapeos e outrea artrgr/s de fantasa.
    Ra do Baro da Victoria n. 42
    M. LICIO MARQUES
    Telephone n. 560
    FOLHETII
    & DOMADORA DE HOE?S
    JULIO DE GASTINB
    Kontlnnaco do n. f ;)
    PRIMEIRA PARTE
    Sim, intortaese balbucioa a pobre
    mai, qae j& nio sabia o que fazer. tor-
    turada pela dor.
    Sea desespero era immenso, nem mes
    no tinba forjas para pensar.
    A portara voltou, dixendo que ningaem
    .no predio tinha visto o homem da barba
    preta.
    Mas como nSo o vi descer ? '
    verdade que estava fra do cub.cub, mas
    isto durante um oa doas segundos. Talvez
    He se aproveitasse deaae momento...
    Por quo nao vai queixar-se prefeitura de
    policia ?
    * Irei smanbS.
    NSo, immediatamente, qaanto an-
    tes.. Quer que v alugar um cairo.
    E' favor.
    XXVIII
    Roberto Vandaume tinha-se vingado.
    Esperara maito tempo para executar a
    sna ameaca. Preparara o rapto com sa
    gacidade e tenaeidadej do selvagem. Nao
    deixra Paris, como suppunra Mariano,
    mas vivia escondido, sob falso nome, cu'-
    tivando pequeas falcatruas, que lhe da
    ratn com que viver.
    Durante muito tempo, sem encontrar
    J
    urna oocasiSo propicia, exerceu vigilancia
    em volta da casa habitada por Marianna.
    Para ajudal-o naespionagem, tinha agen-
    tes famlicos que empregava as anas ope-
    rares e que lhe trouzeram o modelo da
    fechadura da casa de Marianna.
    Esperava fugir para O estrangeiro, mes-
    mo porque os seus negocios estavam mai-
    to embrulhados em Pars.
    Espreitou dia e hora propicios, e, como
    vimos aproveitou-se de ama curta aasen
    cia da mSi para se apoderar da crian;a.
    Passra rpidamente diante do aposen-
    to da portoira, subir surrateiramente a
    escada e abrir a porta com precaucSo,
    atilisando se da chave falsa que mandara
    fabricar.
    A' sua vista a poqaenita ficra terrifi-
    cada, como se fosse um phantasma.
    A pobresinha nem memo tivera a forja
    de gritar. Seus labios apenas artiealaram
    a palavra:
    Mamai!
    E cahira sobre a cadaira, sem-urorta de
    pavor.
    0 msesavel tomou-a nos bracos e des-
    penhoa se pela escada, aos quatro e qua-
    tro.
    NSo encontrara pessoa alguma,
    Algumas ho as depois deste rapto au-
    dacioso, Roberto Vndanme deizava a
    Franja para nSo mais voltar, levando com-,
    aigo a pequea Severina, sobre a qual
    oncebia projectos que coaheceremos mai
    tarde.
    Marianna nSo devia tornar a ver a sua
    filha.
    Com esta .-eparacSo brutal, a pobre mu-
    lher Bentio um desespero immenso, intro
    duzivel, e do qual devia merrer, pois foi
    esta a causa da sua morte, quando alguna
    annos mais tarde a encontramos agonisan-
    te sobre o sea grabato, tendo o filho ao
    lado.
    ' Ella cootou a Raphael toda a sna hia-
    Espartanos de setim e de brim. leqaes de
    plomas, gaze, venlarolas, bicoB de eeda de
    cores, andaluzes de seda.
    INTEGRAES
    50:
    Sobretodos impermeaveis, peitos cem pre
    gas, caminas, ponbos. colariDbos e perfuma
    ras dos melhore*- fabricantes, metas de ce-
    da, fio da escoesia c algodo.
    Eeteira da India, brancas e de cores, ta
    petes em pc(3s, gnarai6es de tapetes e
    carneira, almofadas ricamente bordad s de
    ouro.
    35-BUA SAMO 2A VICTOBIA-SS-^
    Te'ephone59
    Pichincha
    A 8^000 a pe$a
    Pecas de chita chineza padrSes lindos
    com 12, 14 e 15 jardas por 8000 a
    peca.
    NA L0JA 0 CAMPOS
    Ra do Crespo n.2l
    ~Wmi3ii baratas
    Na iua do Crespo n. 21
    Sortimento completo de todas as fasen-
    das para liquidar na ra do Crespo n,
    LOJA DO CAMPOS
    Vivam os noivos!
    21-
    de Casaca
    de Grois
    de Frack
    de Paletot
    debrins
    COSTUMES
    c- s
    :-]
    >
    se e
    co
    H
    9
    a
    o
    M
    i
    I
    Libras sterlinas
    Vende-se na loja de jolas de Angosto Reg
    na roa do Cabog n. 9.
    FaTnlia barata
    Vende se no largo do mercado n. 13, a O
    rs. a cola, em saceos brancos a 5/800 com 42
    kilos.
    Vende-se
    Um dos principis estb?leriment09 de mo
    Ibado?, em muito ttom lo al e bem afreguezado :
    qeem pretender, entenda se com o Sr. Bernar
    dio Lepes Albeiro. ra larga dj Rosario n. 9
    primeiro andsr. ________
    Padaria
    Vende-se no bairro da Boa Vista, bem mon-
    tada, com escolbida fregoezia, mnlto an'.ipa, o
    motivo se dir ao comprador; Dfcraaco i ra
    Mrquez de Olinda n. 58.__________________
    Azeite puro de Oliveira
    Em latas de i, 2 e 4 litros.
    Receberam
    GUIMARES & VALENTE
    e 4 Praja do Coipo Samo 4 e 6
    Quera quizer
    Vendem-ie perus sevados e gallinhas gordas,
    para casamentos e baptizados ; nos Affiictos,
    defronte da taverna de Angosto Leal.________
    Prevenco
    03 senhores logistas ci devem comprar papel
    de mbroluo, liso e de cores, eem visitar a
    PAfEL.'.RIA AMER.CANA
    Onde encontrarlo nm completo sortimento de
    papis e enveloppes commerciaes.
    Precos baratissimos
    Ra do Imrcador u. 79
    toria, a terrivel historia coja narracSo aca-
    bamos de fuer.
    Consegnio saggerir no espirito do rapas
    todo o odio e despreso de que estava ani-
    mada contra o aator dos seus males. Pro
    curou pintar-!he as suas dores e o numero
    de lagrimas que verter.
    Est oheia de apprehensoes pelo futu-
    ro de Severina.
    Se ella for bonita, aquella homem
    capaz de vendel-a oomo tentoa faser cotn-
    migo... Procara-a mea filho, esforca-te
    por arrancal a a esta vida, de vergonha.
    Raphael, maito commovido e solemne,
    ergue a m&o:
    Juro te, mamSi... r
    Fars todo que poderes ?
    Farei o impossivel.
    Ella chama- se Severina. E' loira,
    e deve ser bella. Qaanto a elle, eis o seo
    retrat.
    A moribunda tiroc. do seio ama minia-
    tura, aquella que vimos entre es mos de
    Raphael:
    Reconhecel o-has e me vingars !
    Foi a sua ultima palavra. Sua cabec^
    recahio sobre o travesseiro, e Marianna ex
    haloa o ultimo suspire.
    Raphael conservou se interdicto durante
    um instante, abysmado na sua d5r.
    Sd n'aquella hora comprehendera os
    motivos da triitesa que via constantemente
    sobre o semblante de sua mSi, e a natu-
    resa do mal que a corroa.
    Porque lhe nSo fallara a respeito mais
    cedo ? Porque lhe nao confiara os seus
    pesares ?
    Havia de consolal-a, e com anas caricias
    fal-a-hia esquecer as suas dores.
    Perda a quando mais a amava, qusmdo
    mais anhellava apeital-a a entre os bracos,
    aqoecende-a com o sea amor filial.
    oolucando, apertou-a :
    Minha mai, nSo me abandones 1 A
    moribunda nSo resporraea; os olhos bo
    TERCEIKA LOTERA
    DO
    ESTADO DO CERA
    ti
    20
    I
    EXTRACCAO
    Quinta-feira 15 de Sotembro eorrente
    Paga-se o dobro no caso de transferencia
    BANQTMR0. 0 BANCO DO BBAZL
    Esta lotera recommenda- sa mais pel seu plano do que qua'quer de suas
    co-generes. E' pois justo chamar para ella a attencao publica.



    n !
    Com
    1 a
    em
    i&ooo tira-se
    392oo
    2Sioo
    IS600
    S800
    15 de Setembro.
    y
    M
    a
    M
    M
    1.
    5o:ooo$
    10.000$
    3o:oooS
    2o:oooS&
    loooo$


    PB11EIR1CUW l XTRMRD
    IDO
    PREMIO
    TADO
    MAIOR

    .
    200:000
    000
    NTEGR4ES
    INTEGRAES
    EXTRACCAO SABBA0 15 DE OTUBRO DO C0RREKTE AMO
    INTRANSFERIVEL .
    Nesta importante loteria jogam apenas 50.000 bihetes divididos
    em inteiros a 20^000. Meios a 10^000. Vigsimos a *p000.
    Os encarregados: Cunha, Ribeiro & C.
    Escriptorio de loteras, commissoes e descontos
    39 Ra I.' de Marco 39, i.' andar
    Os pedidoB destas importaatissimas loteras dovom ser dirigidos aos abaixo asBignados. As qoantias af .00
    bJo isentas de porte, e as superiores a 200^000 tm nma commissSo raBoavel^
    Para inform55es, remessas e paganunto integral de todos os premios, a ordem da thesoararia, na agencia da Oa-
    pital F ederal. .
    Becco das Cancellas 2 A-CAMOES O
    faixa do Crrete n. 946 Enderezo Telegraphico
    Nste estado as encommendas devem ser dirigidas a
    Joo Joaqum da Costa Leite
    GAIXA DO G0RREI0 N... KNDKRE1J0 TB.KCRAPHG0- ^,36X0736
    Ra do Baro da Victoria n. AOGAS A BO OURO


    conserraram fixos, sem expressSo, os la-
    bios descoravam se.
    Extinquira-se a infeliz senhora.
    EntSo o mo(o que aquella confssSo lar-
    ri vel tornara um homem, porque lhe ino-
    culara ideas superiores a sua idade, sen-
    tio-se presa de urna raiva intensa, de nm
    furor eombrio contra o homem que lora o
    cansador de tanta desventura.
    Erguea-3o estendeu a mSo por sobre a
    morta e exclamou solemnimente:
    Sim, minha mSi, eu te vingarei I
    Depois passaram se tempos,
    Raphael tentara, como vimos, seguir a
    carreira de pintor.
    Dorante annos e annos procarou seu
    pai sem resultado.
    Depois, desesperando de poder cumprir
    o 83U juramento, poa-se a trabalhar com
    ardor, com encarnicamento, at o dia em
    que encontrn Carmen e cooceberA por
    ella ama paixao que o devorava e con
    aumia.
    E eis que, no momento em que a dei
    dade ia corresponder squelle amor arden
    te, no momento em que lhe a exigir a
    prova deste amor, achava-se em frente de
    nm homem que ella lhe mandava assassi-
    nar. E este homem era precisadamecte
    aquelle que ha tanto procurava, e que
    tinha a missSo de punirseu pai 1
    Por qoa inc-ivel concurso de circum-
    etancias tal coasa auccedia ?
    Que mSo irnica conduzira assim os
    aeontecimeotos ?
    Raphael nSo o podia explicar...
    Soara para elle urna hora solemne. E
    to commovido ficou, que esquecia quasi
    o seu amor.
    Encerrado no quarto que lhe dera Car-
    men no castello, nSo pensou em dormir.
    R flectio as fantasas iuexplieaveis do
    destino, que punha em presen ca pai e
    filho, em circumstancias t3o estupefacien-
    tes e miraeulosas.
    Que deve ra fazer ?
    I No dia segainte vera aquelle homem.
    Pedir lhe-hia contas da morte do soa mai
    e da existencia de sua irmS...
    Nao pudendo conciliar o aomno, apezar
    da fadiga que o acabrunhava, abri a j.
    celia e olhou para a noite.
    O co era de extrema limpidez, todo
    semeiado de estrellas.
    Apenas a briza agitava as verduras do
    parque, de onde subiam debis murmu-
    rios.
    No castello tudo psreoia dormir; um
    silencio solemne envolva as cousas.
    Ella estava ali dormindo sem duvida
    aquella pela qual estava prestes a sacri-
    ficar a sua honra e a sua vida.
    J o vimos no seu quarto, presa de ex-
    trema agitacSo, e ao amanhecer o dia nao
    tinha cessado de andar, com as percas
    trmulas de cansaco.
    Um ponto ti intrigava e o preootsttpava.
    Quo baveria de commam entre sea pai
    e Carmen ?
    Qual o crime commeitido por aquelle he-
    rrem, para que a molher o qniaesse de-
    golar ?
    De que infamia de que traic&o nova o
    miseravef havia aobreearregado a sua con
    scencia ?
    Raphael nao poda adivinhal o,
    Quem era aquella Carmen, para quera o
    crime pareca familiar ?
    Urna bella mulher que vira e da qual
    ficira apaixonado.
    Nada mais sabia.
    Carmen nao resida em Pars. Appa-
    rdcia alli algumas vezes, sem duvida para
    retomperar a fibra e depois suma se.
    Aquelle castello pertnoia-lhe apenas a
    algumas semanas.
    Seria casada ? Solteira ? Viuva? Mys
    terio. _
    NSo eVa loucura sua saprificar-se poY
    nma pessoa a quem naoip conhecia, e que
    talvez d'elle zombasee ?
    O sol emergia no horizonte purpurean-
    do^ de ama liana vermelha, cor de san*
    gue.
    lato fel-o pensar no aangue que elle es-
    tava disposto a verter para conquistar
    Carmen.
    Sem o incidente inverosmil que occorf
    rera^ seria talvez criminoso n'aquelle mog
    ment.
    Mergulhado nessas reflexSes, ouvio be-
    terem-lhe a porta.
    Entre 1
    Appareceu um criado.
    A seohora pede ao cavalheiro qaa
    v fallar com ella.
    Elle estremecen.
    Carmen 1 la ver Carmen !
    O criad conduzio o por nm ddalo de
    altos corredores, onde os passos reboa-
    tam sonoramente.
    too?
    Carmen levautara-se ha pouco.
    Estava ponteada e vestida, pois tamben*
    nlo dormir Palhou a sua vinganca. O
    bomem adormecido, Roberto Vaadamme,-
    pois agora sabemos que era elleia des*
    portar, e se suspeitasse da tentativa de
    que tinha sido oljecto, aquelle despertar
    seria terrivel.
    J esbocemos a belleza de Carmen, o
    encanto que se desprenda da sua pessoa,
    um encanto irresistvel, que lhe angariou
    a alcunha de Domadora de horneas. O
    que d'ella se approximavam sofFriam a fas-
    cinacjta do sea olhar cheio de languidez a
    my.sterio.
    Mas, cerno Raphael, o leitor ale sabe
    quem seja ella; nem de onde veioW.
    (Contina]
    Typ. do Otario, roa Duque e Uazias n
    V
    . 1
    ': y" \ ""'


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EHWQZVWSM_4MI05U INGEST_TIME 2014-05-21T23:12:45Z PACKAGE AA00011611_17064
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES