Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13836


This item is only available as the following downloads:


Full Text






Uss


-PAIA NMWR B FORA DA PROVLNCIA


'* .^ '..^. 9*'"

* *


~h S S 9.


4,10


Por segai nmees adiantados. .
Por nove ditos idem ..
Por um anno idem. .. ......
Cada numero avulso, de dis a nteriores.


.~ -~ ~, ~1



-a....


Fropriebab e be anoel figueira ie ke a & liL


Aos Srs. assignan-

tes que tem suas as-

signaturas em atrazo

de abonamento, avi-

samos que, seat o dia

31 do corrente nao

forem abonadas, ser-

Ihes-ha suspnsa a re-

messa no 10 de janei-

ro proximo.



TELEGRAIIAS


RIO DE JANEIRO, 23 de dezembro, As
3 horas e 5 minutes da tarde. tRecebi-
do As 3 horas e 40) minutes da tarde. polo
cabo submarines.)

0 conselheiro lanoel Pinto de Son-
za Danta roil nomeasko inlerinamen
te ministro do s Negocio. Extrangei-
rom.






(Especial para o Diario)

S. PETERSBURGO, 22 de dezembro.

Acaba de ser condemnado a morte
Beinsdorf, um doi complices de Nie-
derwald, autor de ama tentative
de assassinate contra a pess6a do
Czar.

BERLIN, 23 de dezembro.

A conferencia international sobre
o Congo adiou suas sess6es para 5
de Janeiro proximo.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
23 de dezembro de 1884.



INSTRUCCiO POPULAR

PHOTOGRAPHIA

(Extraidda)


PARLT :1;
IHistoria da pbotograpiia
CAPITULO I
ORIG:NS rI A PIIOTOGRAPUTA
(Contliwago)
Em 1780 um professor fr.inceez, por nome Char-
leb, projectava sobre uan pap :l inpregaado de chio-
reto de prata o contorno do rosto de um dos settns
discipalos, servinlo-se para ist.) da luz do sol;
teda a parte que niio fora exposta ao sol conserva-
va-se branca, mas a rest-wrto innegrecia, dando
assim a im ,' .
Esta ionagt .. prj.traci.i. por&nm, passado al-
-um tempo.
%Veigwvjo ;ip;)pIi,..\\ :i cf,,a,'ia escora para lhe
dar images, ic eIlls rcchiei cm paipeis sensibili-
s tdOS corn uit.,t -: pi-t i. e saiiin obti;hja gros-
seiros. deipidi )i.
Jayme WIrtt. o inventor da machine de vap)r,
o chimico inglez Hzmriphry Davy, e ainda muitos
outros sabios, trtaira n de reisolver o important
problems da Plolograpla, man nada consegniranm,
quo fizesse eleval-os e dpstacaram-se d'este group)
de fundadores da Pho.,yraplhia.
Os desenhos obtidos par VWedgwood cram in-
completissimos, ou mesmo naio appareciam as ve-
zes,-podendo pois dizer se, serm mede de errar,
que tedas estas variadissimnas origens remotas da
Photographia vao aqui exaradas como part histo-
rica, sempre necessaria para mais cabal conheci-
mento do quo se pretend estudar.
0 desejo de cada paiz pretender ser o bergo do
primeiro progenitor da Photographia augment a
confua-o e a incerteza no meio de tudo quanto j]
pur B6s flea narrado, porque nao podemos bern dis-
tinguir como poderia ser Ports o inventor da Pho.
tographia quando elle apenas nos ensiuou a obter
desenhos fugitives" nein mesumo como o podeuia
aer quslquer dos demais, que descobriram as pro
priedades dos reagentes chimicos, sem comtudo oi
poderem applicar pars obterem os desenhos dos
objecos.
Sera portanto a urea cpocha monos remots qu
iremos buscar a origem d'esta-rmaravilhosa arti
de Jffar imaqens prodritdas pela luz,-que tal
a deduinlo da palavra Photoraphia.
,Continua).


AVISO


Devolvo os documientos juntos, afirn de quo Vmc.
informed separadameute sobre a creaa'bo das cadei-
ras dc ensino primario nos lugares Milagre e Fre-
cheiras, convindo que me declare se e util no ser-
vivo pablheo e legal o que requer a professor do
povordo de Paratibe.
Au engenheiro chefe da rn p rlicao das Obras
Publicas.-Approvando n'esta data o oramaento
annexo ao officio de Vinemc., n. 268, le 10 do cor-
rente, da desprza a lazer-se cam a obra de repa-
ros nrgentes nIccss trios A. pInt"- de CaiarA, na
importaciaa de 4404, ordea-Iho que f&a abrir
coacurrencia A arreinati,.a dr da nt obra,do ac-
Scordo corn o mesmo orcamento.
A' junta classificadora da Victoria. Nao
pode ser approvada a classifiacao de que Vrnce.
enviaram copia corn o officio de 26 de november,
Sultimo, por terem side preferidos escrjavos cas4adoa
corn livres, ser filhos ou cjm fillhoi esceravos,
i quando polo aviso do Ministerio di Agricultura,
- Commercial e Obras Publicas, de 31 de maio d'este
* anno, devm ter preferrencia os conjuges n'aquel
r las condia5es, que tiverem filhos livres, menores
Sde 8 anunus, seguindo-se-lhes os que os tiverem
* menores de 21 annos, amda que naio tenham pecu
s lie, attendendo quae essa circuinmstancia d.i direito
s A prioridade em cada uma d'essas classes, come
Ihes declarou eata Presidencia na circular de 26
e de junho.
e A' dita de Tscaratd.-Declaro a Vinmcs. que
6 ctunpre ser remettida a ormem da classificaVAo do
escravos, da qual remetteram copia corn o officic
de 26 de novembro, visto como, de accord coin o
aviso d,) Ministerio da Agricultura, Commnercio a
* Obras Publics, de 31 de main d'este anno, os ef.
craves casados corn filhos lives, menor.-s de 8 an
nos, preferem aos quae tiverem menos de 21 aunos
attendendo qun o escravo n'aquella eondiiol teai
sarpre a prioridade sobrem o eecravo. Cunmmnun;
coa-so so juiz municipal
A' de 8. Bonto.-Declawo a Vines. que cum
pre proceder A nova elamifteca*o, em que tenna
tO pr.firencia os ecmavoe eaados cornm livrea, e qua
- aiverom maior um ro de filhmos livree, manorea d
o 8 aofs, gmndo -60lhb"8 que on tiverem meni
lo rMe do 21&aseo d wfo ide eo oaviso d
R,M[ ikrbds a A.ie tgde Coanmio e Obru,
P.mablif, doL 81 do a.1 d 7 t6 =a%, aSt ided


Born Conselho, bacharel Graciano Xavier da Cu-
nha, resolve cunceder-Ihe dous mezes de licenca
corn oordenado a que tiver direito, nt forma da
lei, parsa tratar de suia saude, devendo cntrai no
gozo da referada licenca no praso do trinta dias.
Offici s :
Ao general commandnte das armas.-Sirva-
se V. Exe. de expedir auas ordens pars que hoje
as 4 horas da tarde se ache postada em frente da
igreja de N. S. do Amparo, na cidade de Olinda
a fori-a precise, afim de fazer as honras devidas
ao finado eaCpitAo da guard uacional Innocencio
da Cunha Goyanna Junior, cuio cadaver se acha
depositado na igreja acima mencionada.
Ao inspector do Aracsnal de Marinha.-Trans-
initto a V. Exe. para seu couhecimento e devidos
effeitos a inelusa copia do aviso de 29 de novem-
bro findo, sob n. 1910, cm que o Exm. Sr. ministro
da marinha, deelarando ficar approvado o contrato
para o aviamento do receitnario da enfermaria
desse Arsenal e dos na.vio i dt armn;da surtos no
porto desta cidade, rcomiumendo qUG quando nas
tuturas concurrencias haja exagero nos precos,
como no contrato ultimamente celebrado, sejam de
prefercncia requisitados ao Hospit-l de Marinha da
CGrte os medioamentos que se fizerem necessaries.
Ao mcesmine.-Autoriso a V. Exc. a mandar
pmintar a baleeirrt recentementeoconstruida pare o
service das visits sanitarias e policiacs e fazem
a acquisiqao dos objects precisos A mesma ba-
lieira dos quaes trata o inspector dai Saude do
Porto no officio sobre que v'rsam as suas informa-
vies ns. 582 e 593 de 24 e 29 do outubro ultimo.
Sirva-se, V. Exc. de enviar-me em tempo op-
portuno a conta de today adespeza afirm de ser au
torisado o pagamento respectivo.-Conmunicou-
se ao Dr. inspector da Saudc do Porto.
Ao Dr. chete de policia.-Reeommende V. S.
a) administradur da Casa de Ddtecbo que intorme
qual a conduct do sentenciado Fortunato Gon-
calves Ribeiro, devendo este apresentar a peticao
que deve ser derigida a S M. o Imnperador, visto
ter requerido para interior o seu r, curso de graca.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.==
Communico a V. S. que, em 4 do corrente, o pro-
motor public da comarca dc Caruarui, bachirel
Eutropio Pereira de Faria, reassumio o exercicio
de seu cargo, que havia deixado em 30 de no
vembro fiudo.
Ao mesmo.-Remetto a V. S. pars reu conlhe
cimento o fins convenientes a inclusa copia do
avisoe de 29 de novembro find, em que o Exm. Sr.
ministro da marinha declarando ficar approvado
o contrato para o aviamento do receituario da en-
fermaria do Arsenal de Marinha e dos navios da
armada surtos no port desta cidade, recommends
que quando nas futures concurrencmias haja exagero
noslpre9os, comono contratoultimamento celebrado
sejam de preferencia requisitados ao Hospital de
Marinha da Corte os.-medicamentos que se fizerem
necessaries.
Ao meEmo.-Mande V. 8. pagar a inclusa
conts, na importancia de 255$400 proveniente de
drogas fornecidas para desinfeccao de navies, con-
forme solicitou o inspector da Saude do Porto, a
que soe refere essa inspectoria em officio de 10
deste mez, sob n. 826.-Communicou-se ao Dr.
inspector da Saude do Porto.
Ao Commandant@ do Presidio de Fernando.
-Convem que V. S. declare se exist e nesse Pre-
sidio o rmo Joaquim Jos6 da Silva condemnado
pelo jury a Victoria em 9 de junho de 1880 W --
annos e 3 mezes de prisio simple e malta cor-
respondente A metade do tempo, o qual pars ahi
seguio como beriberico, no din 6 de main de 1882.
Ao juiz de direito do 2o district criminal.-
Reiteco a requisigAo feita em officio de 13 de no-
vembro proximo find, no sentido de V. S. infor-
mar se ainda estA cumprindo sentenqa o reo Jose
Joaquim da Silva, conhecido per Jose Bernardo,
condemnado pelo jury de Barreirov, no dia 8 de
outubro de 1878, A pena de 2 annos, 4 mezes e &
d!ias de prisao simples e multa de 12 o/o do valor
furtado.
Ao Dr. inspector da saude do porto.-Para
os devidos effeitos communico a V. S., que hoje
indeferi o requerimento de G. Westermack, a que
se refere o seu officio de 6 de novembro find.
Outrosim, communico que mantive o despacho
de 8 de novembro, proferido a respeito de J. C.
Andersen.
Ao Thesouro Provincial.-Mande Vinmc. es-
cripturar no quadro da divida passiva a inclusa
cota documentada, na importancia de 504B, re-
lativa a transporres concedidos a bordo do vapor
Ipojuca, da Companhia Pernambucana, do presi-
dio de Fernando de Noronha pars esta capial, a
diversos sentenciados.
Ao mesmo.-A' vista da informacao n. 283,
prestada per Vmc. em 29 de novembro ultimo,
autoriso-o a mandar pagar a Jose Antonio de Mel-
lo, arrematante da obra de reparos da cadeia de
Nazareth, a quantia de 6154669, constant do
certificado que devolve, importancia da primeira
presrmtrcjo da reforida obra, j., deduzida a respon-
sabiladade do estylo.-Communicou-se A roparti-
cbo dos Obras Publicas.
A' meama.-Envio a Vrno. o orcamento n'es-
ta data approvado das despczas a fazer *so corn a
obra de reparo3 urgontes, necessaries A ponte de
Caiaril, a i.nportancia de 410t, de crja obra
hbje ordenei praca.
Ao inspector getal da instrucqio publica.-


Luiza Candida de Albuquerque Jacomeo.-Sinn,
mediante recibo.
Pedro Nolasco dos Santos. Passe portaria, con-
cedendo a licenca pedida com vencimentos na for-
mnia da lei.
Secretaria da Presidencia de Pernainbu-
co, 23 do dezembro do 1884.
0 porteiro,
J L. Vie'gas.

Repartllo da PolcUla
Selo 2.'--N 1,324. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 23 de dezembro
..e 1884.-Iilm. e Exin. Sr. -Participo a
V. Exe. que foramn recolhidos hontem a
Casa de Detenglo os seguintes individuos:
A ordem do subdelegad., do Recife, A. J. Al-
fred e Alexandre Guilherme, por disturbios.
A' ordem do de Santo Antonio, Isabel Maria da
ConeeicAo, per disturbios.
A' ordem do do 20 district de S8. Jos6, Manoel
Loyo da Costa, como' ahenado, ate que possa sjr
transferido para o respective hospicio..
A' ordem do do 20 distrioto da Boa Vista, Jos6
Pereira da Silva, per disturbios.
A' ordem do do 1 district da Gra"a, Manoel
Gomines Victor, por disturbios.
Dreus guarded a V. Exe. him e Exm'
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentfl, muit(
digno president da provincia. 0 chefe de
Spilicia, Manoel Ventura de-Barros Leik
Sampaio.


vembro ultimo, de hayer Vmc. n'essa data dia-j
pensado os serviqoa a que estavam obrigados, nap
s6 a 7 escravos quo havia libertado corn esqk
clausula, mas tambem a 3 ingenuos, declaro-lhe
que cumpre exhibir document comprobatorio da
baixa da matricula de taes escravos, afirm de ser
o facto levado ao conhecimcnto do governor im-r.
perial.
Ao juiz municipal de Santo Antao. Remet-
to a Vmnce, para sua direceao, c6pia do officio qua
acurijo hoje a junta classificadora de escravos d'esse
termo, determinando que se proceda a novos tra-
bai hos.
A Camara Municipal da Victoria.-Respondo ao
officio de 22 de outubro ultimo, declarando a Ca-
mara Municipal da Victoria que em vista do modo
porque estli regida a disposieao do art. 17 cap. 30
da lei n. 1,831 do corrente anno nao estA a mesm.
Camara obrigada a conceder abate ao arrematante
do.imposto Joaquim Joao da unhia F inpim, e nemr
deve autorasar tal favor em vista das rcflexues
constantes de seu predito officio.
A' Camara Municipal de Quipap-A.- Respou-
do ao officio que Vinemc. e dous vereadores desse
municipio me dirigirain em 12 de novembro findo,
recommendando a Vinmc. que convoque de novo a
Camara, a quern cabe para resolver sobre o melhor
melo de proceder a arrecadaq.ao dos impostos mu-
ni cipaes.
A' Camara Municipal de Garanliuns.-De-
claro A Camara Municipal de Garanhuns que po-
derA ir occorrendo a custa do credit do art. 32 "
13 da lei n. 1,834 do corrente anno as despezas de
saneamento de que trata em seu officio de 3 de
outubro ultimo.
A' Caminara Municipal de CorreLtes.-Res-
pondo ao officio de 15 de setembro ultimo decla-
rando A Cam'-ira Municipal dc Oorrentes que no
orcamcnto vigente (lei 1,834 art.39) nao ha ere-
dito para a compra de moveis e de outros objects
precisos para a casa do jury e beimn assim para des-
pezas do hospedagem ao Dr.juiz que ahi for pre-
sidir ;s ressues do jury.
Por isso cumpre que a Camara em tempo oppor-
tune se dirija A Assemblea Legislativa Provincial
afim de que esta res lva sobre o assumpto.
0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faca transportar ao presidio de Fernando de No-
ronha, io vapor Giquid, por conta do Ministerio
da Justica as pracas dos batalhoes 2a e 14o de
infantaria constantes da reiacao junta, assijnada
polo seeretario desta Presidencia, as quacs seguem
para alli em diligencia, escoltando press.
0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faga transportar para o presidio de Fernando de
Noronha, por conta dos commerciantes Silva & C.
e Manoel Thomaz da Silva, os generous e objects
mencionados na inclusa relaco.
0 mesmo para os negociantos Almeida Cam-
pos & C.
0 Sr. gerente da Companhia Pernamabucana
made dar passage a r6 ate o pssidio de Fer-
nando de Noronha, por onta das gratuitas a qum
o governor tern direito, no vapor Giquid, que segue
hoje, a Francisco Jacinthu Chichorro da Motta.
0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana
made dar passage A proa, do presidio de Per-
nando de Noronha para esta capital, a Maria Fran-
cisca de Aquino Cesar, mulher do sentenciado.
Francisco Ludgero de Aquino Cesar e a um filho
Maximo, poE conta das gratuitas a que o govcrma
tern direito.
0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passage a r6 at o presidio de Fernan-
do de Noronha, por conta das gratuitas que o go-
verno tern direito no vapor Giquid, que para ahi
segue amanhi, ao major Guilhermino Paes Bar-
retto, a sua senhora D. Marcolina Paes Barretto,
seus filhos de nomes Amalia Barretto de 19 annos
de idade, Benigno Barretto, de 16, e Maria do
Carmo, de 12, e a proa a uma sun criada.
0 mesm ao capital Manoel Accioli de Mou-
ra Gondim e sun senhora, e Manoel Joaquim das
Trevas Marinho.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officio:
Ao presideate da Camara Municipal de Pe-
trolina.- 0 Exm. Sr. president da provincial
manda communicar a V. S., em resposta ao officio
de 12 de novembro findo, que em qualquer das li
vrarias desta cidade poderi V. S. mandar comprar,
querendo, um exemplar do Atlas do Imperio do
Brasil, organisado pelo finado senador Candido
Mendes de Almeida.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 22 DE
DEZEMBRO DE 1884.
Coronel Antonio Baptista de Mello Peixoto.-In-
deferido.
Flavio Goncalves Lima.-Concedo, na forms da
lei.
Jeaqim Modesto da Silva.-Informe o Sr. com-
mandante da guard national da comarca de
Itambe.
Joao Francisco de Albuquerque Maranhao.--Nao
ha que deferir.
Alferes Jose G(omes Cavalcante Galvao.-Re
mettido ac Sr. Dr. chefe de policia.
Juao C&semiro dos Reis. Informe o Sr. Dr.
juiz de direiro da comarca de Born Conselho.
Joao Alves Pereira Lima Flho.-Intorme o Sr.
juiz de direito da comarcA de PAo d'Alho, sobre a
substituicao.
Bacharel Jose Maurieio Borges Junior.-Sim.


Se, entire os cegos, o represeutante do g.verno
conseguir a m:dalha de ouro, 6 que a sua ceguei-
ra foi toda artificial, on pelio menos de um olho
6so.
E o proverbio jA disse, que em terra (ou em
Congress) dc cegos, quemr tiver um olho serA
rei...
Sc, porem, ganharmos o premio de honra, como
mestres abalisados, poder se-ha replicar, A vista
das apalpadellas em quo audamrnos no interior, que
o Brasil nao foi repreaentado no exterior...
Em todo o caso, e acto para ser cornmremrrado
esse da nossa annuencia ao cunvite, e cuasequen-
te comparecimento ao congress relative a ce-
gueira...
Ninguem ous.trA dizer, que somos da especie
dresses cegos que nao querem ver...
Queremus, e havemos de ver, assim o governor
ache para redresental-o algum novo chevalier
d'Araujo, como aquelle que nos deu o primneiro
papel no congress minternacional de Paris.
A question e saber escolher corn clarividencia o
representaute da cegueira nacional...
I Foi honem publicada uma curiosa estatisti-
1 ca industrial, que nao muito remotamente se
prende A estatistica eleitoral..
Referimo-nos a tabella demonstrative do movi-
Smento telegraphico, nos oito primeiros dias de de-
Szembro.
Ninguem acreditari qcue, em tdo curto prazo,
hbajam sido expedidn trese mil e vinte e nove tele-
grammas (3,029), prefasendo a totalidade de ses-
D seat e tres mil oitocentas e setenta e cinco pala
Svras (63,875), e regulando a m6dia de quasi oito
mil palavras por dia.
At6 aqui apenas o que nos diz o quado public
eado; commetta -se, porem, a indibcrigio de con-
tar algnma cuum que aio veio a lame...
Do registro central da repa'tiuo telegrmphica,
consta ,que, de.as 63,875 palavras, importadas e
exporwad electricamente, no espago de urama so-
6 mana, 187W0 iavrmas nAo pasmmsram deste sim-
1, plea vocsbQlo-f.Rd e -_; 27,140 desto ontro
S-de 16,66 da phtw- eteto-;
i, e o reft0 de ama rtas de nomes proprios, repeti-
r. doe trU e qis t'o vm.s edasu&m,
Aedvct idai prdu ai, e da maior utlidade
e pi a o palx, f l dnvid& eass dor oabo t lsgta-
, pbtai .
JhlmpesAito 4"tmdo4ienmegarafaib& Oki-
- l- 6--p A' fawaaq..teamodonas*
IW N
r '--mf J h^^Wia~m~t die a tih e


ra, Augusto Moreira da Silva, Guimaraes Fonseca
& C., Alfredo Guimaries & C., Augusto do Rego
& C., Estevao Manoel da Silva, viuva de Thomnaz
Antonio Coimbra, Joao Rodrigues de Moura & Ir-
miao, Antonio Augusto de Vascoucellos, Jose Joa-
quirm d'Azevedo, Firmino Raposo & C., e Americo
& Irmro.-Sirm.
Manoel Vieira Neves, Francisco de Paulo Ma-
galhaes, viuva de Germano Pinto de Magalhbes,
Henrique de SA Leitao, Francisco d'Olivcira Lei-
to Guiinares e Joaquitn da Silva Carvalho. -
Sim.
Francisco Querino do Sacramento, Jos6 Antonio
de Araujo Livramento, Eirnesto Arcclino Barros
Franco e Manoel da Trindade Perctte.-Informe a
1., seeqro.
Joaquim Jose Alves Guimaracs, Eiphrosino Ro-
drigues do Couto e Joao Beserra & C.,-A' I.
secqilo para os devidos fins.
Souza Nogueira & C., Pereira Carneiro & C.,
e H. Nuesch & C.--lnformc a 2.a secieqo.
Hermenegildo Joaquim d'Olivcira Beaudoimrn.-
Indeferido, em vista das informayues.
Jose Luiz Ribciro.-A' L., sec-5.o, para os de-
vidos fins.

Camara Mumtleicpal
DESPACROS DA SESSA'O DE 17 DO COR-
RENTE
Abaixo assignado dos talhadores.-
Como requerem.
22 -
Augusto Kruss, Suce-esores, pedindo
ticenta para canalisar gaz para o sou es-
tabelecimento sito ao cases de Santa Isabel.
-Sim, pagando o imposto.
Emigdio Antonio da Rocha, para armar
uma barraca para venda de comidas, do-
ccs e fructas, na freguezia de S. Louren-
go da Matta. Siun, pagando o imposto.
Francisco Augusto Pacheco, para man-
dar canalisar agua e gaz para o seu pre-
dio n. 2 sito ao lugar denominado Olho do
Boi. -Idem.
Pelo Sr. Dr. Jose Osorio, comissario
de edificacvs:
Jos6 Paulo Botelho, pedindo licenga
para mandar fazer um terrago sobre o sa-
gulo e cosinha de sua casa em construe-
go, sita A rua do Lomas Valentina, bum
como transformar em port urma das ja-
nellas. -Deferido na form do parecer.
Maria Joaquina da Trindade, replicando
pede para pagar o imposto do excess da
obra que pretend fazer em saa casa sita
em S. Lourengo da Matb. -Deferido, pa-
igando o excess do imiposto.
SManoel do Nascimeuto Guimarles Bas-
;os, para mandar transformar em porta a
anollU da asa casa u. 10 A A rua de S.
IMiguel, freguemia de Afogados.--Sim,
page o imposto.
Maria Benedicta Mascarenhas Jacobina,
para mandar concluir a edificagio do sua
casa terrea sita A travessa do Ventura, fa-
zendo cornija e reb6cos externos. Defe-
ride na form do parecer.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 23 de dezembro de 1884.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.



INTERIOR

Topieos do dia
(Do Paiz, da corte)
Estamos ameacados de fazer figara mais uma
vez em congress international.
Depois da menalio honrosa, que conquistamos
no congrt sao onde foram comparados os melhbra-
mentos introduzidos nos asylos para a infancia
desamparada, ficamos aptos para receber todas as
medalhas, e para baronisar todos os representan-
tea qu0 enviarmos a taes solemnidades.
Agora vamos a Amsterdam figurar no congres-
so univ( rsal de professors de cegos.
0 governor diz que se farA representar.
E' modestia que vai alen de qualquer elogio...
E' certo que o nobre ministro de estrangeiros
nao tor ou bern claro, se iremos na qualidade de
cego, se na de prof'ssor...
A modestia converttr-se-ha en clamorosa lison-
ja, se o delegado, que envwarmos,| annunciar-se
exclusavameute em character magistral, de quem
nada main tern a aprender...
E' de supper que compare'arnos no dupio ca-
racter.


UOo do rectum pelo bhilo de Petersam e distencao frios, alguns dias aerenos (o veranito de S. Mar-
da bexiga pelo acid u borico, sendo empregduos uno tinho que nos vallia mudando para frios, neves e
curativo os tubos reunidios de Perricr. ventos alterados.
0 caleulo extrahido, que in -dia 8 centirnetros de Dezembro : inuito frio, gelos e nevoas, vento
comprimento, 7 de largura e 5 de espessura, pesa- variavel, tendencia para nevar : melhluria, mas al-
va 155 grammas, ter-ando logo parai grand's chuvas.
A operaao eurreu bern. e o doente ficui em boas c-:m takes annuncios feliz die quem tem um born
coadia5-:s. guard chuva E depois, naeo ser-A isto um re-
Empancamento-C)mnmunicararn-no o se- C.iAme Ai luja do Albino dai run Nova do Almada,
guinte: onu a algum fabricante de fogies?
a Na noite de domingo para segunda-feira em
terrbs do engeaho Mussurepe, as praad do desta rueez. diz o jorae al das Inventlephone
camento de PAo dAlho, que andtvam em bus -a Un sabic fracez, diz o jora das Inventions
de um criminoso, n-o encontrando-o, entratalt-em tern permanent clocadas no pateo de sua casa,
um mucambo de um -norador e espancar.im bar- duas barras de ferro, em cada ure a dellas fixon
bararninte urn velhe e mans alganani pessos quo urm dos conduotores de anm telephone que ellec on-
bar .nt um velho e mais algua duas ou tires vzes pr d, e que aind
estavam nesta occasii,. preseutes. Ete mucaim- si d on tre z dazeoe qu o a
bo 0 situado em terrMms di freguezia do S. Leu- d. ixou de Ibe annunciar com doze ou qumnze ho -
ren situado em terrs da freguMatta. ezras de avanaLo, as diversis temnpestades quo-tem
SerA la ra o t -Ulti.mamente noite e de- suceedido na cidade, durante os muitos mezes que
pois de 10 horas tem-se visto passeiando pelo lu- e te feito sta experien .
gar denominado Luca, porto da M gdalna, uma Quando o tempo tenpestuoso, produzna-se na
pesso veatida do saia e casaco, conhecendo-se phiaes vibrante deste telephone numa resonancianes-
pessoa vestida de saia e casaco, conhocendo-se ^i u fseif~saio uvoumn
porm que 6 um home. As pracas que existenm special, ura especit de est~iidos que vio augmen-
por alli ainda nao deram por eate ditfar~a'o, cu- tando. A media que a tempestade se approxima,
jas intenoes re ignoram. e qune, no moment, em que ella rebenta, toma unia
Palmare --Recebemos hontcm a Gazela de int,-nsidade comparavel corn o barulho produzido
Palmares, de J1 do corrente. pelo graniso batendo unas virao. Cads relam-
Sob o titulo Jlanumissoes da ella as seguintes page prduz o effeito de uia pedra cahindo sobre
noticias: a camxar sonora du, teloh.ne
No din 10 do corrente o Sr. Sebastio The- As perturbaqves athmosphericas, as mudanuns
Nodia 0 d corent o S. ^astlo de- temporatura, tainbem sAn annunciadas por um
mudo Lessa, readeiro do engenho Barra do Dou d temp..atura, tamnbem s annucadas por un
..... .........--_ -harlho particular. que elle designs corn o nome


ro, da treguezia dAgua freta, deu ineruaae gra
tuita a seus escrmaves Jos e Jos6 Buarque.
a Tambem o Sr. capitio Autonio Raymundo de
Lima, proprietario do eng-nho Varz'a Novo liber- i
ton sua escrava Caetana, no dia 7 d setcmbro.
0 Sr. Joquim do Nascimento Cavalcante de
Albuquerque, concede liberdnlade Bern onus a seu
escrave RomAo, no dia 1 do correute.
0 Sr. Ismael da Cruza Gouveia, propraet trio
do engenho Curapaty, da freguezia d'Agua Preta
libertuou su a escrava Carlor.a per uccaai.io do bap-
tiamo de sen primeiro neto.
Nossos louvores ao ilustres cavalhuiros. a
S Minea do galle em SanMa Rita-A&'
media noite do 25 do current haverri urasa nita igre-
ja da confraria de 8anta Rita de (Cusia.
Tocara a banda dr music do 2o btthUAo de
linha, haveado ilflumi"ao a gas interua e exter-
imamute.
r 3wieuil" s Deram emtrada Uno hospital
Pedrol 1U wiam deeres tatadoa de ferimentos
qoe rielbvm :
No di l1, Bwtko Swaco da Silva, do 22 an-


expression de Gris d'oiseaux.
N.io e pr-cis o pars o funcciunamento deeto ap-
parelho bemrn simple, grade extenslo de fio, bau-
ta tazer a installaqlo indicade, collacando ai bar-
ras affastadas do telephone uns 7 ou 8 metro.
E.tes facts sio evidentemnente naito curiosos.
A sua theorma .xacta talvez desconhe-ida ainda,
mis serv,,p ve corto um bell pinto de partids aPa
descobertas t.o miaravilhosas corn os dos Bel e
d,,s Edison.
Leiellem--Effectuar-se-bho :
Hop:
"eto agent Wartins, as 11 horas, ha r" do.
Imp.-radur n. 16, de predioa- '
Peio a mente Pinto, iAs 11 hora, A Ttta as ',
do oqarilm n. 38, de ummi armagaa o uaiMd '.
Ploageate Bruaia aa iA11 IOah +rt m
s. Jurge n. 89, do estabeeiineate al it
-elo a-ft.burlam :A U llI, *
do Ianped.r as. A4 do poa .
pdp lwB Cannoe sava, w u Wfi ^*


" ,


A


a...... ., ....
-. ... .. i .. ,... ,+ / .. "- .. ...- : .: .


S.


. 13500
.2000
.6. 200
.0200


- $1

'S.


A


-.





I,+
. ... "






-./

.'t-.






a A
;4 ,

...

s-T



+.+5
-.7^q


a
.'t



.





I





-M





." .
Li !
ret?/


A nossa agricultura semcia votus, e colhe depu- les de idad, corn uma facada no ante-braco di-
tados. reito. Disse eldie ter sido ferido em Santo Amaro
0 que estes fazem, A seu turn, r semrnear dis- das Salinas, por um individuo appellidado Manud.
cursos e embahir a agriculture. 0 ferimento foi consideradograve.
D'ahi o fatal sorites : um paiz agricolamente0 rinoficnsdadgv.
Deahi o fatal sorito- : urn paiz ag olamnte No dia 23, Antonio Joaquim Vieira, pardo, vin-
eleitoral, ou eleitor hnente agricola. (to doengenho Quisanga, de S. Lourenco da Mat-
Vtua ocaf' e o0 telegraph) occup se em contar Ferido no abdomen por um tiro a queima- .
os graos. roupa, corn chumbo. Foi considerado grave e CI
E chama-so a esta estatistica-o movimnonto 11- ,esm ortal o ferimento. -o d
dustrial e agricola da nossa political No mesmo dia, Maria Prescilla Pereira de Sou- Y
Decididimente o telegraph gduhrou corn a ta- za, parda, vinda do Poq.o da Panella, corn duas ".
garellico cleitoral, mas na.o padoce duvidas, qi- facadas, uma no ante-braqo direito, outra na c6xa -
ells podia nestes oito dias ter-se occnpado de COiSa esquerda, seuondo o caso censiderado grave. Foi
mnuito mais srria... terlda ipelo amaate por motivos de ciume. .
E bern provevel que tamauha heresia como Os autores dos dous primeiros ferimentos tfrum
essa quo acabamos de escrever, rnereca o desdem .nto-s d
dow que consider a faljrcacl.o de depatados a Valcntia que de luira Communi-
mais until c divertida das empresas. caim-nos o seguinte :
Se os iuteressados lucram no jogo, e se os es- Fomos testemunh.ra, hoje As12 horas da tarde, -
pectadorea se diverted,. o que mais c necessario lI violencia praticada polos soldados da guards '
parajustificar oSiapplausos a jue fez jus a activi- da Alfandega.
dade do telegasphoI ? Um pobre home, e'umpletamente embriaga-
De aocordo; mas tamb,., in. :,qvel 1ue o uo teve o miao desojo de p-i sar pela calgada, isto
bre instrunimento do progress ti cumplice nas il o sentina daquella guard ; porm a
c ua ptrahas qu 0 ornramcullm cco pri- e junto A sentinella d'aquella guard ; por~m a
e uia )atranhas, que toruaram cleblres p r- sentmnella atirou Ihe umrn tAo tremendo couce d'ar-
meiros iisso mi.osofro urrnsurputa- ma, '1 e o derrubou p)or terra.
e co, n is qu o sofrecu ctri lus, cri.m supa reputa- d Neo contents ainda corn isto, outros solda-
sao, rque 03 ies clectrco-a come o papel de in dos atiraram-.e sobre u misero, que se debate aos
presaeo, recebemin tur) ,luant n,3 ,nCuremos que lpes dos s:abros, fie.ulo corn um talho no rosto
olies recebamn '
stes instruments do progreo i civil e algumnias contusies pelo corpo.
Dtstesinstrumentosdo proreoomo talvcz cobeocimrnento do Exm. Sr.
qjo sepode dizcr, corn pequena variante. o que general comim dantedat as arnmas nao chegue a
jA s dissc da Liberdadenoticia deste fact to acilmente como pela irm-
Quantos crimes em teu nome prensa, pedimos-lhe, Sr. redactor, que Ihe d8 pu-
blicidadle. ,
Satisfazendo o ped.lM, coneluimos declarando
IT A D A IUA que coufiamos qut o Exm. Sr. general comman-
EVI I EJDialiA dante das arimas providenciari couvenientementa
acerca do occorrido.
Aasfumpto eleiloral- Da Secretaria da Dinlielro, 0 vapor Pirapama trouxe do
Presidencia nos foram remettidos para pnublicar os norte para :
seguintes documents : Gomes de Mattes IrmA'os 6:0004000
,, Recifl. 18 de dezpnbro de 18841.-X N. 493. JLseph Krause & C. 2:00A000
lllM. e Exm. Sr.-Rogo a V. Exc. qrae se .diene Cramer Frey & C. 1:000,000
declarar me se deve ser apurada uma acta lanqadia Soares do Amaral Irmrus 7004000
dez dias depois de proceder-se A cleicao e n-o LuIz A. Sequeira 536A350
transcript em seguida no livro de notas ; se o Reis & Santos 2004000
president da junta da apura3ao dove sujeitar-se 0 vapor Ipojaea levou para :
A doliberaaio da maioria da junta que resolve con- Parahyba l-0:(00000O
tar os votos constants de uras acta assim irregu- AlMosor, 15:000000
tar e no caso negative de que providencias deve Aracaty -22:000,000
usat ; assim como se na hypotheses de dar-se eow- Ferro-via de Olinda A' partir das 10
pate na votag.o tern o president da junta voto de 1/2 horas da noite de hoje a ferro-via de Olinda
qualidade. expedirA trends, centre os seus pontos extremes, de
a Dens guard a V. Exc. hIllm. Exm. Sr. hora em hora, at6 As 5 1/2 horns da manhi do dia
Dr, Sancho-de Barros Pimentel., president de Per- 25.
nambuco.-0 juiz de direito, Adelino A. de Luna Amanha hivera trends extraordinarios As 10 1/2
Ireire.. horas do dia e As 10 1/2 horas da noite.
S&weo 4.a- Palacio da Presidencia de Per Ferro-viat.de Caxang&- Esta liaha fer-
nambmw, em 20 de dezembro de 1884,-fPendo sub- rea tambem expedira de hoje ate amanhi0 os se-
mettido ao governor a consult que me fizera Vine. guintes trens extraordinarios:
relativamente a hypothese que se poderia dar na Do Caxangd a rua Formosa: pela linha princi-
apuraiAo da eleigio do 10 district, recobi hoje, pal, AR 10 1/2 e 11 1/2 horas da noite, e a 1 1/2, 2
por telegramma, do Exm. Sr. ministrQ do impe- 1/2 e 3 1/2 da manhi ; do Monteiro d rua Formo-
no a seguinte resposta: sa, polo Arraial, As 10 1/2 horas da noite. -
Determine a lei que se faca a apur. 9'io pelas Da rua Formosa ao Caxangd: as 12 horas e 5
, authentieas e nao e authentic a acta nao lavra- minutes, A 1-5, 2-5, 3-5 e 4-5 da manha, *
da em seggida A elcigio, segundo o disposto no pela linha principal; e da rua Formosa ao Mon-
, art. 149 do regulamento ; nao pode portanto ser teiro, pelo Arraial, A 1 1/2 hoi a da madrugada.
- apuraus. Se a maioria da junta proceder em r
: Proguotie^ par& ISS 0- ^ Osatoo
o contrari9 deve o juis president providenciar go4Vsaragonos poar e b88 a Os-ao-
,, conforme a parte final da consults de 17 de no- gos saeagotanos na ungoaam padoatiaenteb-
Svembro de 1881, resolvida pe!o decreto da es- qu a tempos annunciaam propheticAmente o
" Ma data ; convocando os substitutes legaes dos acabamento do mundo o que-como os leitores ea-
Smembros da junta que embararem a field exe- bem-no sreliso. Todavia elles no cesam
,, cuo da lei. Caso se d6 o empate, deve o juiz de nos metter medos, e do seu gabinete, onde thm
Sproedare domesmo modo repativaente aov e sempre unm arsenal de tempestades, despedem
, edrbaracarem a apuraao nees terms da lei. raios hypotheticos e faiscas electricas imaginaria%
SDeus guarde a Vmc --S. de Barros Pimentel. sobre cada period que dizem estudar e ameagas
-Sr. Dr. Adelino Antonio de Luna Freire, presi- sobre as nossas cabegas, quenos obrigam a tazer
dente da junta apuradora do 10 district eleito- testamento e... casacos de abafar.
ral. Desta vez o anno de o1885 afigura-se-lhes me-
130 districto-Eis a conclusio da votacao donhfi e uma amostra do dia de juizo, como vio
desse district para um deputado geral: ver :
Petrolina Janeiro : seri frio, humido, ventoso, neves, ge-
(Compareceram 88 eleitores) los, chuvas abundantes, mar alterado, nevoas e ca-
Votos cimbas.
Dr. Miguel Pernambuco 44 Fevereiro : frio, neves, etc.; o mesmo do seu.
Dr. Antonio de Siqueira 44 anterior.
Resultado final Maro : secco, trio, mAo tempo, ventos, chuvei-
Votes ros e chuvas, e depois humidade, chuvas e tro-
Dr. Antonio de Siqueira 547 voes; mares alterados; final melhora.
Dr. Miguel Pernambuco 477 Abrl : nuvens, ventos frios, trovoadas, e, se-
Sendo a maloria absoluta de 513 votos, o Dr. gundo o vento, chuvas ou frios, temporaes, etc.
Antonio do Siquoirr foi eleito per 34 votos A Miio: vento quente, grossas nuvens, troves e
Ai r chuva de peara, calor e temporaes; mar alterado.
Divertimentos em Olinda Hoje a Junho : cabin, nones, vendayaes, tempestades,
noite, e amanha por tode o dia, haverA em Olinda, chuva do pedma, furaces, agnas revolts; auma
no ate doCarovamndo dierim~tos cos-desgra-na no nmar j ustamente em quo costumamos
no pateo do Carmo, vamiados diversim-ntos, cos- daos nossos psseios
tando de musia aoear tvre, jogos doig rsos, eos- Julho: calm excessive, vents fortes (para re-
moramatyvo, etc, tc., sedo augurado o bo- rescar troves e pedrisco.
tequirn do chalet. Agosto : a mesma cousa corn o attgmento das
Paquete Cearin Tendo sahido hontern da tempestades e ventos encontrados. Adeus sorve-
Parahybs, o paquete nacienril eare dive tocar tes, adeus leques !
hoje no porto do Reeife, cnn denanrida d, sul. Set.mbro : refresca it o costume), chuvas, al-
Operacao imuportante-H ,ten, coin o gum dia born (graias a Deus !l, vento, nuvens,.
intuit deextrahir um graanle calculo da bexiga mAo tnpo e alguan frio.
de um menor, o Dr. M.nmaquias Antonio Gjncalves Outubro : nuvens e chuvv:s, fri:,s, dias serer:os,
praticun, no hospital Pedro II. a iisporiarne op>- rind'ro logo par-a fries, gelos, etc.
raeiocmrurgica do talho hyp~grstroca, corn dilata- Novembro : grande nuvcns, v'ntos. ehuvas,


.do mom* dis.'

















^^^aa^H||WoaW^i~uk u u wousau aria-
1404r.-b -erlo, celobradas:
Jo matrix da-BorVista, por alma
is h rw Baarboa ; Ais 7 horas na ma-
JAntioio, por alaw e D. Leoir ula

r hoiE namtrw BalpVis, por ma








^^ J Joaqim e drou do antosFrancisro. Xvie
h oros, eopho af Joala o de b rriaupor
Va de D. Do a A JWame -i-Pes; is8
T%*m, na matriw4a Buo&Vsft, por abama do D.
tirNia Antonia4 Pfuron e Albuquurqe.
I 8 egandn-if:
A's 8 horas na tpoja do Paraizo, por alma do
a'D. Antonio Herc. ano de Souza Bandeira.
Pashagelro.-Sahidos parao norte norte no va-
pr nacionAl Ipqjuea:
Joaquim Pedro dos Santos, Francs Acisco Xavier
SSoares Mlontenegro, S. H. Agneuse, Macky, Ro-
Udopho Galvao, Adolpho Camara, Sebastilo Cami-
:aha Mnniz, Dr. Jo.a Candido Dantas.
Chegados do norte no vapor national Pira-

Jos6 Gitirana, Francisco A. Shares, sua senho
ra e 1 filho, Francisco Antonio Moreira, Augnsto
Bizars, Alfredo Araujo, Rvdm. S. Smidt, W.. C.
Porter. Joaquim Augusto Guimaraes e Francisco
de Lima.
lLoteria tda prowincia-Quarta-feira, 24
do corrente, se extrahirA a loteria n. 96, em ben -
ficio da igreja de S. Pedro do Recife, polo
nero piano approvado, no consistorio da igreja
do Koma Senhora da Conceiglo dos Militares, onde
se ae4bari expostas as urnas e as espheras arru'-
madas em ordwn numerica apreciagao do pu-
L: lteria do Rio de Janeiro -A loteria
n. 348 B, do Rio, de 20:0005000 sera extrahida
WIie 24 do corrente.
I- 0 resto dos bihetes na Casa da Fortuna, rua
VL d -Marco n. 23.
3a grande loteria da core de......
SOtW3#6O@O-Com novo piano muito van-
tajoso.
O jilhetes acham--se a venda A Casa da For-
tuna, A run do Creipo n. 23, os bilhetes dosta lote-
ramde loteria da corte -Esta grande
-- loteria, cujo prernmio grande 6 de 500:0004000,
SserA extrahida brevemente.
Os bilhetes acham-s.e A venda na Casa Feliz, d
raga dia aIndependencia os. 37 e 39.
Loteria-A de n. 167 B, do Rio de Janeiro
d4o 3(:O0000W serA extrahida no dia 27 de de-
sembro.
Bilhetes & venda na Casa da Fortuna, run I
de Margo n. 23.
S Loteria de 300008OO0 -A loteria 167
s6rie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melborado, corre no din 27 de dezembro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praga da In-
dependencia ns. 37 e 39
Loteria de 400:iOOOOOO-Esta gra-u
de Iote'ia do, Rio de Janeiro, scra extrahida no dia
S 5 de janeiro proximo vindouro.
Bilietes A venda na Casa Feliz A praV a da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Grande loteria de Nitberoy-Esta lo-
teria, cujo premnio grande 6 de 400:0005000, seril
extrahida no dia 5 de janeiro proximo vindouro.
Bilhetes A veada na Casa da Fortuna, A rua 1
de Marco n. 23.
Sr grande ioteria da Ypiranga-Es-
ta loteria, cujo capital 6 de 2,000:0004000, dividi-
,ia em 4 sorteios, send 100:000000 os premios
S miiores de cada serie, sera extrahida no dia 10 de
janeiro proximo vindouro.
Bilhetes a venda na Casa da Fortuna & rua 1P
.e Margo n. 23.
Loteria de Macei6 Esta loteria cujo
--oier premio 6 4:00-Ji, corre impreterivelmenta
no dia 10 de janeiro.
Bithetes garantidos At venda, na Casa Feliz, a
praca da Independencia ns. 37 e 59.
Rercado Municipal de S. Jow& 0
movimeato deste estabeleeimento no dia 22 de
desembro fol o aeguinte:
Rutraram para serem vendidos : 38 bois, pesan-
do 4,672 kilos.
No mesmo din entraram pars o mesmo es-
*-. olecimento:
I Poim, -286 kilos.
-Parinha, milho e feijao, 70 cargas.
: Fructas diversas, 30 ditas.
lSmioa, 4.
j~i\ Carnoiros, 4.
PrLqaos doe dine :
( (srzne verde a 560, e 48 reis o kilo.
Snme a 600 reio o kilo..
Caraeiro a 15 idem.
I Fnarinha do 500, 400, at6 280 r~is a cuia.
| l MXibo de 480, a 320 rcis a cuia.
Feij-ao de 800, e 500 rs. idem.
Foram oceupados:
58 talhos de came verde.
12 ditos de suieo.
12 ditos de fressuras.
I 367 eompartimentos de famnha e cornidas.
.Ii tn70 idem de legumes.
IDove ter side arreendada neste dia a imnper-
-4 tancia do 2024320


Eatadouro public Foram abatidas
S no matadouro public da Cabanga, para consume
do dia 24 do eorrente, 74 rezes.
Caa dte Detene.Aco-Movimento dos pre-
sos no dia 22 de dezembro :
S Existiam presos 381, entraram 7, sahiram 9,
S existem 379.
S A saner :
S Nacionaes 348, mulheres 6, estrangeii s 16,
escravos 9 -Total 379.
Arraoadlos 349, sendo : bons 335, doentes 14.
-Total 349
Movimento da enferminaria :
Ti. raLm baixa:
Antonio Jos6 de Souza.
Jose Cesario dos Anjos.
SLuuguinho, escravo sentenciado.
Teve alta :
Antonio Severino de Faria.
4Cemiterio Publico.-Obituario do dia 19
do crreunte :
Manoel, Pernambuco, 2 mazes, S. Jos6 ; enteri-
te polite.
-i Carlos, Pernambuaco, 1 mez, S. Josc ; nephetise.
Clara Maria da Conceiglo, Rio Grande do Nor-
te, 40 annos, casada, Boa-Vista ; cancro no utero.
Urma crianca ceoutrada morta, 2 annos, Boa-
Vista.
2 pela caridade.
-20 -
.. Domingos, Pernambuco, 1 anne, S. Jos6 ; con-
Pedro Calandrelo, Italia, 30 annos, solteiro,
Graga ; ulcera grangrenosa.
Cecilia, Pernambuco, 4 annos, S. Jos6 ; es-
pasmo.
-Gon3alo Cavalcante de Lacerda, Pernambuco,
30) annos, solteiro, Boa-Vista; febre perniciosa.
Benedicta Maria, Africa, 8 annos, Boa-Vista ;
cachexias senil.
Camilo Barbosa, Portugal, 18 annos, solteiro,
Boa-Viuta ; febre amarella.
Joanna Maria da ConceiqAo, Pernambuco, 29
annos, casada, Boa-Vista ; tuberculos pulmonares.
Jolo, Pernambuco, 9 mezes ; convulsoes.
4 pela caridade.
-21-
Maria Antonia da Pureza, Pernambuco, 89 an-
ao., viuva, Boa-Vista; gastro hepatite.
Jaeinth: Anselmo da Costa, Pernambuco, 30
flttnee, 8. Joen, Graga; paralysia.
Jo Severo Bar jos, Pernambaco, 23- annos,
*o rlk Graea ; tuberculos maenterico.
tUhla Maria dos Praseres, Pemambdco, 60
Ann",, aolteirMa, BOa-rita ; ascite.
uiria Joaquina do Carao, Pernambanco, 55 an-
ask ltir, 8. Jose; copgeptlo erebral
simSadiw, pfatutci 5 ,meis S. J0a3;


-22-
KFor4 cit., SeuitA*nonioW;

^^^^^M~r^ -f t ^u*'lLaws'JItu,'
WIwBi'--J^~fi~R 4-rtafffQin~lfl


4O oaG loiaa.SO.,
.0 doutor oseszo ,4 6onsultai -todo>s o-
diam uteis, das 7 is 10 horas da manhl.
else Oii-tao 09co e & ommodiia-
&td pder cada dete swoivido o aii -
Siaha so* ser nraseuiad& por orsro
Do mioe ads s hrasl d etarde *r" o
Dr. Mofte m d ncetoraad no to-rreao A p d-
ga, d eo Coisrcio ud o funeciona.L in-
pDco a re de d& potor. Fara. quoslw
h'este. dosi pentoa podeio aer- dirigido-
os chamradeos por cara nas iniadas horns.
Dr, Leonardo de Albuquerque Caval-
cante, medico e laureado da Faneuldade de
Paris, pode ser procurado em seu consulto-
rio a rua do Imperador a. 44, das 11 As
3 horas. Resi&"aoia proviaria Alto da
Misericordia.
Dr. Barrette Sampaio, do volta de saa
viagem ao Ceara', da consultas de 1 As 4
horas da tarde na rua do Barbo da Victo-
ria n. 45, 2. andar; resideacia, ra de
Riachuelo n. 17, oanto da rua dos Pires.
Advogado
Dr, Milet. 1 promoter public da ca-
pital tern seu escriptorio de mdvocacia, A rua
do Crespo n. 18, onde pode ser piocurado
para os rmistercs de sua profissao.
Bourgard t C.
Recife: run do Marquez de Olinda n.
6; Santo Antonio, ruan Primeiro de Mar-
90 n. 3; B,3a-Vista, rua da Imperatriz n.
54. Grande fabrica do cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos de Ha-
vana e naoionaes, cachinlbos, tabacos e ob-
jectos para fumantes. Livros do medici-
na dosimetrica e unico deposit da fari-
nha laci;ea de Nestle, para os meninos de
peito e leite condensado-
Drogaria
Francisco M1anoel da Silva & C., depo-
eitarios de todas as especialidades phannrma-
scuti e medicamnentos homceopaticos, ruan d(to Mar-
Tq.ez de Olinda n 23.
Botica franceza
Rouquayrol Freres successores de A.
(aors. Neste estabelecimento encontra-se
todos os madicamentos homeopatlicos da
grande e offamada casa deJ Catelan. 0
granules dosimetricos de Burggrawe. As
especialidades pharmaceuticas da Euroda
e da America, dos vordadeircs autores,
drogas, product -s chimichos, tin.as, oleos
pminceis, vernaizes Productos especiaes da
flora brasileira e toda quahlidade de funds.
Uecebe sempre vaceina fresca e b3a. Rua
da Cruz n. 22, Recife.
Pereira & C., continaiam a alugar services
para cha ejantares, talheres de metal fine,
trinchantes, copes, calices, garrafas, com-
poteiras, jarros, globos, lanternas, lustros,
toalhas, guardanapos, toalhas delab ,'aintho
para baptisados, espelhos, bandeja ide rne-
tal branco para cha, meza elastic e d f er-
radura e outros muitos artigos para casaj
Smentos, baptisados, bailes, festas de igrea
e etc., por pregos commodos na raa Nova
n. 39, 1 -andar.


Drogaria
Faria Sobrinho & C,, droguistas
atacado. Ruan Marquez de Olinda n.


per
41.


PUIBLICACOIS A PEDIDO

t" distriet.
ACTA DA APURACAO PEITA PEL MAIO-
RIADA JUNTA
Aos 20 dias do mez de dezembro de 1884, no
Pago da Camara Municipal do Recife, As 71 ho-
ras do dia, reunidos o Dr. juiz de direito Adelino
Antonio de Luna Freire e os presidents das me-
sas'eleitoraes, Dr. Jos6 Osorio de Cerqueira, Archias
Lindolpho da Silva Mafra, Antonio Jose da Costa,
Paulo Baptista dc Jesus, Jolo Gomes de Oliveira,
Paustino Jose da Fonseca, Clementine dos Santos
Linn&o Semente, Dr. Manoel Jos6 Pereira de Mel-
lo, Jos6 Rufino Climaco da Silva e Dr. Manoel
Francisco de BarrosWRego, das secqes do Recife,
Santo Antonio, S. Jos6 e Afogados, faltando o
mesario Antonio Sarnico de Lyra Mello, da la
secto da paroehia de S. Jose, para o fim de pro-
ceder-se a apuracao dos votos obtidos na eleico
teita no dia 1" do ccirente mez e anno para de-
putado geral pelo lo district desta provincia, es-
tando presents as authenticas dasn aetas da refe-
nrida- eleieo e tendo deolarado o Dr. juiz de di-
reito, president dajunta, que nao admnittia a apu-
racao da authentic da 1 seecao da parochia de
S. Jose, por nao consideral a doeumento authen-
tico e ainda por deelarar ter reeebido communi.
eaclo telegraphiea do governor mandando que nao
fosse apurada a eleicao da la seceAo de 8. Jose e,
nao admittindo que prevalecesse a opiniao da
minaioria da junta manifeatada por 6 votes contra
4, opinion da maioria que julgava escapar a
questio da nullidade da autheatica da la secqlo
dc S. Jose da competencia dajunta apuradora,
que deve tao s6mente himitar.se a somar votos,
come 6 expresso no Decreto de 13 de agosto de
1881 e no de 17 de novembro do mesmo ann,
exp'dido em virtude da resoluio do onsilh3 do
EstalJo, e nao tendo a junta e muito menos o seu
president competencia para excluir da apuracao
a authentic da la seccao de S. Jose, visto ter
side a eleicAo ahi procedida perante mesa legiti
mainente constituida, nada importando que acta
apresentada tivesse side lavrada no din 10 do cor-
rente, desde que, come ipublieo e notorie, e const t
da mts.na a te, f6ra rasgada a que se ilavrou na
dia 10 do corrente ; resolveram os membros da
junta apuradora, Dr. Jos6 Osorio de Cerqueira,
Antonio Jose da Costa, Archias Lindolpho da Sil-
vaMafra, Paulo Baptista de Jesus, Clementino
dos Santos Linneo Semente e Faustino Jose da
Fonseca. que constitue a maioria da mesma junta,
depois de haverera protestado contra aqueila de-
cisao, proceder a apurao das referidas authen
ticas e tambem a da 1a secc.o de S. Jose, o que
fazem tendo presentes as ocrtidues dan mesmns
que foram exhibidas pelo mesario Dr. Jose Osorio
de Cerqueira e das quacs costa ter obtido
Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella, na
paroehia de S. Fi ci Pedro Goncalves 94 votos; na
la seeo da parochia de Santo Antonio 69 votos
e 1 em separado; na 2a secco da mesma paro-
ehia 57; na a eecafo da mesma paroehia 62; na
1l seccao de S. Jos6 94 e 1 em separado ; na 2a
seco da minesma parochia 85; na 3a seaf o .da
mesma parochia 65; na la seclao de Afogados
129; na 2a sexicao da mesma parochia 128; na 3a
sec*o da mesma parochia 29 ; na 4a sego daci
mesma parochia 27; os quakes todos sommados
dao o resultado de 841 votos inclusive os 2 toWna-
dos em separado. .
0 Dr. Joaquim Aurelio Nabuco do Araujo, na
paroehia de S. Frei Pedro Gonoaves 84 votos e 1
em separado ; n a la see* de Santo Antonio 102;
n i 21 seeVao da meama paroehia 98; An 3* seccao
da meamn parohia 87; na Ia eco deS S. Jose
76 e I em separado ; na 2 am o cda mesa86;
na 3S seegcih da meama. paroehia 80; a 1' slaa
d foga dos 76 na 2* o e da muma paohia
O; na 3, aeeao damama patoehia 37; na 4&..
.ae0 dla meoma parochial 7 ; oe qtau omnwuaadj
dlo o reanltado do 822Tvotoo inaladuve os2 torna.
dos em sepamdo; obtenda o Dr. Pak Jo3, de
Miveir* I vet A*_* w4eedb dA Ahaui +e-mo


44 4D" Va himtois a aoas ae aoW- S veW
a Manmel do Nascimanto Msehadi Partol&
obtido 841 votos acha-se assim eleito deptado
geral pelo 10 district desta provincial ena cnnfr
midade do art. 178 do decreto n. 8,213 de 13 de
agosto de 1881 pelo que fez a maioria da junta la.-
vrara apreet- acta do apadsplAo quao. eseripta
pelo awoaeshb Autenium AMs4 da sls t~, di'nrdo ase-
creteio p smatina omio meque ?ai mignadk
'per Udos me-tari e Oc emAtitauo a rawmian d*
juntW4 V O trA traSWipift liw de Oot= de
um dm, oelfs do &MWdt% servindo a copia it
meoMl w 4iplemno dpatado eleito D. Ma-
noe4 d*itscimento ftKha& ortdbf.
E* ^Asono-Jos& a C(8sta, eecretamio, a Oscrevi
-e subseiwo.-.Atoti Josd 4 Costa.-Jft Osorio
dle GsW ir.ra.--Cme#wtin4o mSaa g Let w Si-
mente.-Faustino Jose da -Ponseca.-Paulo Baptis-
ta de Jesus.-Archias Lindolphlo da Silva Mafra.

Primeiro district
ACTA DA APURA(AO FEITA PELA MINO.
RIA DA JUNTA
No anne do nascimento de Nosso Senhor Jesus
Christo, de mil e oitocentos e oiteata e quatro, aos
vinte dias do mez de dezembro, no Paco da Cama'-
ra Municipal destai cidade do Recife, designado
para cabe94 do primeiro district el-itoral, pre-
sentes: o juiz de direito desta comarcai Dr. Adc-
line Antonio de Luna Freire e os presidlentes das
mesas eleitoraes do m -sinemo district J!)to Gomes
de Oliveiv, da parochia de S Frei Pedro G-om-
qalves do Recife, Jose Rufino Clim-eo da Silva,
Dr. Alauroel Francisco) de Bu.rros Laitc, I)r. Ma-
noel Josd Pereira de Hello, da primeira, sogunda
e terceira soceco eleitoral da parn)chia do Santo
Antonio, capitol Faustino Jos6 dca Fousec e
Clementino dos Santos Lin6, Semente, da segan
da e tea-rceira seccio eleitor.l da paruchia de S
Jose, Archias Lindolplo d-it Silva Mlafia, Dr. Josi
Osorio de Cerqueira, Antonio Jose da Cjst:t e
Paulo Baptista de Jesus, di priineira segan la, ter-
ceira o quart sectao eleitoral da paroehia de
Nossa Scnhora da Paz dos Afogaidos, declitrou o
Dr. juiz de direito iustallada -a junta para a apu-
racao geral dos votes da elei.ao para deputad)is A
Assemblea Geral a que so procedeu pelo mensmo
district n.) din primetro do eerr>mnt e 1 pjio mes-
me Dr. juiz de direito foi dito que timha em seu
podor todas as actas da eleicao a qua se procadeu
no dia primeiro do corrente par. umn deputado ai
Assemble ; Geral pelo primneiro district eleitoral
dlesta p)rovinitia., .Iandoc's-, pu)rn, cn r.ola') a
leiao dai priLnein so-, L' rioitornl dap.tr ,chin dc
S. Jos6, o que pas1a a export -
Que nmao ton)do recebido at6 o diz dez do co -
reute a acta dt eleigao d'iquella secbao comonaio
recebeu d-algumnis outras, nos trmins d ) artigo
cento e setcnta e seis, paragraph prinmeiro do do-
crete numero oito rail duzentos e trese do tree de
agosto de mil oitoceatos e oitenta e urn, dirigio-se
:to president dai mesa da r'tcrida secgao, e ao
tabellilo que devia ter lan~ado a act i em s-u li-
vro de notas para que the remettessemn as copies
nocesscrias para a apuraIao, que na mesmna data
recebeu do eserivao de paz Jose Gonealves do
Sa um officio em que declarou qua tendo side con-
virlado pars fazer a transcript .o nao a poude
concluir em razio da perturbalo conhecidaldo
public na mesma oceaslao em que o secretario da
mesa escrevia a acta nao sabendo elle ese iv.o
que fim levou seu livro de traunscripcao, que no
dia desenove recebea dojuiz de paz Antonio Sa-
mice de Lyra e Mello, um officio d&tado do dese-
seis, remettendo o document que apresenta corn-
preheudendo perfeitamente que alo e urma authen-
ticsa nos termos legaes, porque nlo e a copia de
uma acta feita nos terms do artigo canto e qua-
renta e nove do suprincitado decreto, logo depois
da eleicao e immediatamente transcript no livro
de notas, porem escripta dez dias depois da elei-
"0o, transcripta no dia trese, feita na ausencia de
alguns mesarios que assignaram em suas caw.,
como tudo costa do mesmo document, corn tu-
do nao querendo decidir p mr si s6mente se devia
ser- ou nao contados os votes constantes do referi-
do document consultou ao governor por interme-
die da presidencia, tendo emsoluoao um telegram
ma do Ministro do Imperio, transmittido pela pre-
sidencia declaraudo que a lei determine que se
faca a apuraco pelas authenticas e que nao e
authentica a acta sao lavrada. em seguida a elei-
cao, segundo o disposto no artigo cento e quaren-
ta e nove do regulamento, nile podendo portanto
ser napurade ; que se a -maie da' janta pr-eew
desse em contrario devia o juiz president provi-
denciar conforme a parte final da consults. de de-
sesete de novembro de mil oitocentos e oiteuta e
urn, resolvida pelo decreto da mesma data, convo-
cando -substitutes legaes dos membros da junta
que embaraeassem a fiel execucao da lei; decta.
rou portanto o juiz president da junta que ia.
proceder a apura'aa corn a exelusio da parochia
de S. Jose, visto nao ter recebido copia authenti-
ca de sua eleicao.


Sebre a cholera morbus
Cada dia se torna mais embaracosaA 5 soluao da
question sobre causa originaria desta molestia quo
tantas populaces item dizimado, arrebatando em
sua voragemn milhares de "idas. Ella 6 corn ef-
feito violent e ceifadora: faz muito medo e
muitos morrem antes dos terrn-ores qUe ella ins-
pira, do que mesmo do mierobio virgula, que ella
espalha per today part, no othando pessoac sem
condioes. Corn effeito a cholera morbus se an-
nuneia corn antecedencia e jA entao comena
muita gene a adoecer : chega ellae em pri-
meiro lugar visit de preferencia aquelles que
vivem em mas condicoes hygienicas aos fracos,
aos viciosos e aos que ja se acham affectados de
outras molestias que debilitado o organismo e o
redazido a nao poder mais resistir ao microbie
virgula ; mas qunem se der ao trabalho de manuse-
ar as estatisticas, ha de ficar de certo espantado
de ver que o numero de mortes que causa a chole-
ra nada 6 em comparagao corn as que causana va-
riola, a febre typhoid, a tuberculos e ainda per
mal de peccados a aiphteria que vai surrateina-
miente minando a Europa e prineipalmente as cre-
anas!! !
Mas a questIomversa sobre uma cousa maito sim-
pies, e entretanto debatem-so todos os sabios da
Europa e a maior parte das na51es a respeito de
saber se a cholera m;rbus pode nascer em qual-
quer parte em que haja genteviva, ou se s6o p6de
nascer quando a semente vein dentro do porlo
de algum navio ou dentro do instestino de qual-
quer individuo indiano ou nao que tenha estado a
poueo ou a seculos ni India.
Se se decidir que a cholera morbus 6 sempre
inportada, e nunca pode descnvolver-se esponta-
ne.imente cm qualquer paiz a question estl decidi-
da. Conhecido o meio de nao deixar entrar a se
monte no paiz ou destinguil-a no memento em
que ella entra, nada ha mais a fazer
Aduvida esta s6mente em ser essa semente igual
a dos trigos do tempo dos Pharejs que ainda hoje
sujeitos aboas condiaes do cultural germinaam per-
feitamente.
Os germens de esearlatina ou de peste felizmen-
te para a humanidade, encontrados no mesmo sar-
cophago que aquelles podariam germinar ou revi -
ver pelo memo mode, se nao estivesse conhecido
que os germens imorbidos perdem mais depressa
sua potencia de reviver do que os germens vege-
taes, ( Diz o Sr. Fomsagrios a pag. 459.j,
E' imposivel nao comparar esta vitalidade dos
germens mobidoa e os periods de iner cia que eles
napreentam corn os facts de veriviscencia au'i-
mal orificados anguilulas da mangra do trigomr s
(anguilula tritici) os rotiferes dos teetos, os tardiga-
dos etc. per Spalansani e receatemente par Ddy6ris
Vulpiai etc. Quando ne ve anguilulas ceouserva-
rem vinte e cinco annos sua propriedade de voeri-
viscenociua, e poderem come o demoatraam as ex-
periencias deSpalaasani, morrer e viver desooei
vezes conoeeutivas ; tardigrados co seryaos
muitos dinas no vacuo, depoeis expostos a uma ten-
peratura do 100 e 110 gria. e meomma 125 coinA:-
varem.
g Suaaptidaoa reviveoreum (Dogeres) explica.e
muito bhm quo posa aconteeor o mmeao ass grass
orbidos1 e que tehac. elotes a fa caddade do e-
-vis@Oaciaa muito taat oue re deapeaa .do recorre-
pamaexplp or 0 daosvoivhauato de uma oepidoa
goubwtap'B em m&i cidadej at h= ,bf af~~
de =& gralooao spmtoaQe. (j-- par Muaio.


X: A' vuimtdoh quepfis-op adiha q i^P
,iw aJI' & thzmi.s do oonW f imL iNo .
nMbianWAMi n6fffAIM 4", Vat: tAnaiwAMaw h^


;3M.Auouacin tarMau s ovw o ^r .
PwOstfi, outro. al defazer ir o qaueixo: do o
trecIdo o Sr. Jules Guerin deita sbofes pea boc-
ca provando quo em Touln nil hove importa-
$o, que a cholera itorbut desenvolveu-se expon-
taemente ; e que na historic dessa molestia ha
f46 em que se demonsta a lan meridian que
ef ow desenvolveauem eem lugares differentes, sem
qu dwpodesse oonhoat as releases que havia
entm&ns e out os : emnfim invoea debalde os seus
quoUta e tantes anaos dab4wva*o de dlera
afrt: mas nada 6 capa de oonvaower aquelles
*qwm m qzueo houve importagio, o soe s o se abe
porde elfectuou se a impirtaVlo, isw naat quer
diz*i, por que para se provar que have inesadio,
nloe Oreciso designer quem foi quo o provoeou.
Sen duvida que arg imontos desta ozdem nio
podem deixar de fazer conveneer aquelles qua
vivem em duvida, ou convencidos do contrario.
Comrn se esta sittiaaio do duvidas nRo fossa suf-
ficieute, ainda veio mais uwn system de explicir
todos os phenomenosi da vida, da molestia e da
morte por mneio de um milhio oa dois do organic
m-A vivos; e antes que se tenha chegado a classi-
fieal-os em families, genoeros, species e variedla-
des, come a sciencia tem-se empenhado at6 o pre-
sente a respeito dos outros series animadoa e ina-
nimnados, j ase coanheccm as virtues e as proprie
lades o meio de vida e de aciAo, e os recursos de
que se deve lancar mAno para auiquilal-os, d'ahi
vem o partidlo opposto a fazor esforcos pira m)s-
trar que do lade contrario nlao estA a verdale, mn is
sim do sou. Mar tudo isso tern seu lado de agra-
davel, para nao dizer de jovial, que l a rid L epho
mera qut torn tod cs estas diutrints, qui apeouas
duirain s6neunte emin quaiito se desanvolveomn por al-
guins dias e l(go fe1-3c.in, msin3sta qanao hliaji:
iuemn lhes imprima um sopro.
Aiuda o Sr Pasteur nlo havia dado pir fia la
a si-i tarefa de p6e-f6r:, do duvida os seas mier,)-
organismos, jA fazia Ihes mrado o trabalhi do Sr.
Domingos Freire sobre os minoeroeas da itebre
amarella e do Sr. Dr. L icerda sobre o contra ve
neuni ophidico. Ao passe quo os membros da Aca-
demia de Franca acreditavam sinceramnmteU n)s
trabalhos do Sr, Pas'eur e os clev-vam acima dos
carrapitos da lua, consideravamr com sonh sa os
trnbalhos dos brazileiros. Mas no mnio desies
desacironoament,.s qau soffr tido o rh)ma m que
trabalhi d'aiquellcs que nada fazem apparece o Sr.
Kick, da Allemanha, descobrindo o microbio da
cholera-morbus; suans propriedaoles, sen am)o de
vida, e a maneira de o matar. Ja na, valem os
traballios de mnit)s medicos, c de muitos annios,
que fizeram obscrvaq5es sobre os germens-orga-
ninsmos enientrados nas dijec6oes cholerica. me sua
minmnensa variedade; ja Rio val a opiribeo do M
Lamaire quo examiuando as dijec-eos de uun vie-
lenito ataique de cholera achbu Jacterias, vibrues,
in-uailas, spirilluamn volutans, cercomrnas cranssi-
caud:is etc., etc.
NAo vat a opinion de muitos path)logistas priu-
cipalmente alguns inglezos, quo coaideram o cho-
lera-scellis, come um resultado, c nao como a cau-
sa da cholera-morbns. Tudo isso na) val nada a
vista de urna novidade.
A aetualidale dove ser caraceterisada per urma
cousa modernsa : e esta 6 o microbic da cholera, e
este microbio 6--a virgulta-e este microbi o vir-
gula e6 o espeeifico da molestia, a causa dlla 6i
precise procurar os agents capazes doe o dstrtii
rem, porque elle 6 mais forte que os outros, e c )nno
especial nilo Ihe compete se nao remedies espe
ciaes : per conseguinte f6ra o acido phenico, ve-
nha o sublim(-d, corrosive, o acido nitroso e o
sulfuroso :-para n5o morrer do cholera mirbus, 6
precise morrer asphyxiado.
Quanto por6m 6 pouco duradoura a panada pa-
lha quo queima-se?
Depressa se f6rma a opinion contraria; as in-
vestigag3es, excitadas per essa novidade, vio des-
cobrir microbios-virgulas na dysenteria, no muc
vaginal, no corremeuto leucorrheieo, e, hor.-ibi.c
dictum, ate na mais pura agua potavel !
Emfim se hauver temp:, transereveremos algu-
mas-dessas opinioes m:ais moderanas para se con-
vincer o public que a sciencia medical niio p6de
progredir, per que no caminho sempre encoritr'a
-espessas trincheiras de urses e abatises levanta-
das pelos proprios medicos.
Vamos apresentar ao respeitavel public a re-
lI-9o das indagaqoes feitas a respeito da cholera
morbus em Toelon polos Srs. Drs. Strauss e Roux,
Boletirn da Academia de Pariz-sessbo em 5 de
sguto de 1884.
Dizem elles: Tomes a honra de sabmetter A.
Academia de Me-icina a expasicao summaria de
noasas indagacoes a respeito da Oolera-morbus em
Toulon. Estas indagacoes silo a continuanco das
que eraprehendemos, o anne passado, no Egypto
corn os Srs. Thuillier e Nocard.
As duvidas a respeito da natureza da epidemia
de Toulon form depressa dissipadas per todos, e
logo depois da primeira autepsia podiamos affir-
mar a identidade das lesoes quo tinhamos a nossa
vista corn as que haviamos observado durante a
epidemia do Egypto.
As autopsias que fizemos no hospital maritime e
no civil foam em numero de desoito ; a maior
parte feita nas melhores condicues ; tinhamos alem
disso a nosea disposicao as dejeccoes, os vomitos e
as ourinas dos innumeros cholericos que se acha-
raam em tratamento no hospital maritime.


Permittam-nos, antes de ir adiante, patentear
publicamente o nosso maior reconheciment, pelo
generoso acolhimento que recebemos dos medicos
do hospital de Toulon e pelas grandes franquezas
que nos foram feitas para podermos trabalhar.
Estes agradecimentos slo cnderecados particu-
larmonte ao Sr. inspector geral Rochard, ao Sr.
Dr. Gestin director do serving de saude; aos Srs.
professors Cuneo e Rouvier, ao Sr. Dr. Gailliot e
tambem aos medicos e aos interns do hospital
civil.
I
Os symptoms e as losses miscroseopicas da
cholera silo de tal natureza que 6 no intestine que
se dove procurar a causa da molestia. No Egy-
pto fizemos esforgos para encontrar nasn tunicas
intestines um microbio especifico.
Devemos lembrar quo o method que seguimos
nesta indagagio consistia em corar em uma soluc-
9Ao aquoza de azul de methylene golpes dados
em fragments de intestine delgado endurecidos
polo alcohol. Nos numerosos cortes tractados per
este modo verficamos que em um certo numero de
cases, is parties superficiaes da mucosa, os con-
ductos das glandulas tubuladas, o corpo daes vil-
losidades, e per places, a sub-mucoaa coatinha mi-
cro organismos diversos e em numero variaval,
conforme a porcio do intestiuo que era examninada
e a duraiaio da molestia. Os mais numerosos des-
ses organismos eram bacillos, de aspect e dimen-
soes variaveis ; uns sao longos e delgados, outros
curtos e de grande diametro ; urma daes forms
mais frequentes era um bacillo bastante purecido
corn o da tubereulose. Em certoa pontes esta va-
riedade de bacitlos predominava claramente e in-
vadia a memkana macosa, sem jamais penetrar
nos vases sanguineos, nem na tunica musculosa.
Existiam ainda bacillos de outras forms, e cA e
IA infiltrados, na (spessura da mucosa, diversos
,micrococos. Esta interomycose era notada prin-
cipalmente na ultima porco do intestine delgado.
Desta verificaealo anatomica nio julgavamos po-
der tirar conclusSes possitivas a respeito da causa
da molestia. Sem duvida o pouco tempo Ipassado
ontrne o moment da morte e o da autopsia permit-
tia affirmar que nao se tratava de um phenomena
cadaverioo. Mae no individuo vivo uma mucosa
despida do epithelio, come a do intestine na cho-
lera, nao pode ser facilmente invadida pelos orga-
nislos existentes nos liquidos que a molham ? A
vafiedade dos microbios que se verificava nas pre-
parva9es5.devia excitarvivamente a suspeita de
unma invaslo secundaria do intestine.
a Soe existisse i-ealmente, diziamos n6s, entire um
desses microbios achados nasn tunicas intestines e
a cholera uma relaao de causa a effeito, esse mi-
orobio deveria se encoatrar em todu as autopsies
do clericos. Temes observado namueosa mintes-
tinatl a presenga de micro-organiamos principal-
menAte nos cases de cholera que haviam durado
muito tempo e que eram acompanhados de umn pon-
teado heniorrhagico do intestine. Em trees cesos
do cholera ful-mnato,-eaques_ individuos tinham
*torridoem dez a vite horas e em querm o intes-
tino ebtava Sates pallid do que congestionado,
soJim iapoawvel veiwik" na taniea inteattttea
a up aeukyelw d. sio-orgaisoms.
6 pracis* dimw ut*ta i*daofta multI-
ieaso 06. eat" f oraeaa cdi. o, com.
CoavM fowr semp s tmta do veiA"Oft
iM~hru. __aa~r 04 g~o og

AbBIwaift ONLANWW I v va'^ sre w faws:
'j~~Bfe *' musl"aO ^ i d Bab o at
"04iaMftr4"1 sworBN'~M~iilf1'1^! ^M'waintt


Eral Tnloa noss Minvestiga9s foraim drigidas
b*t o* procuraodeo mn organismo-espeeifico nas
tnuias intestiness, Tinhaimnos tanto mins o de
verdeempregar o major euidado nesa procura,
perque em sea primeiro relatorio, datado de Ale-
xandria'em 18 do setembwor de 1883, Mr. Koch
anunciava que na taruiuss intestinaes dos- cho-
iericcs eile havia oatantemeate aehado umi rga-
nismo que Ihe pareee ser o especifico do cholera-
morbus. Vejamos em que terms se exprime, em
seu relatorio, o sabio chefa da mission allemil .
a No conteido intestinal assmun come nA injec-
coes dos cholericos, se aeha umn number extraor-
dinario de micro.organismoas, das especies' as mais
variadas. Nenhum detes micro organsmos pre-
dominava de mnaneira apreciavel.
a 0 mesmo intestine mostrou um effeito muito
imrportante. A' excep o do umn ease em que a
morte chegou muitas semanas dep is do ataque, em
todos os outros cases (dez) achoa-so nas paredes
do intestine uma especie particular de microbios.
Estes microbios slo em f6rma de bast5es e p3rten
cem per conseguinte 'a clause dos baeillos, sua
f6rma e dirnensio sao mais semelhautes ao bacillo
do mormo. Nos cosos em que os intestines apre-
sentam inenos lesues inicroscopicas, os bacillus
tinhamn peneitrado nas glaudulas cm tubi da mia-
cosa e produzido neila umna irritacao manifesta,
comno prova o alargamento do diainetro da glan-
dula e a aeumulacio de sementes era seu in-
terior.... Alem disso os bacillus se tern estabel.-
cdo emn nurnero cunsideravel na sup.!rficie das
vilosida.des e penetrado em sen tecido). Nos casis
graves corn infiltracao heinorrhagica da minucsa,
estes b.icillos se achavam enm muita quautiaade c
invadiam, nao s nmto as glandulas enz tab) comno
os tecidos qae as rodeiamn, as camadas profundas,
da mucosa c onesm) at6 a museculosa. A sede
principal destas altera5u.s e a part inferiorer do
intestine delgadj.
A vista desta vencrfiea5es anatomnicas do Mr.
Coch, o cliAolera caractorisado, no Egypto co')
na India, pela present a const:int. na iraeosa3 do
intestine delgado, de urn bacillo carectiristicc, so-
minelhante ao do morino.
As novas observances que haviamos fito en
Toulon confirmuam plenameate as que fizemnos n)
Egypto. Na mueosa intestinal de um certo nu-
mero de choleric-s, so euceatranm organismos di-
versos, prinuipalmnente nos cases em que a moles-
ti- i 6 proloagada. Mas nos cases minis rapidos,
elles sao muito menos numnorosos e nos cases age-
dos 6 impassivel descobril- us.
Assim nos desoeto intestineso de oh:eric)3 que
examinamnos em Toulon, mais de metide (onze
cases) apez,.r do numero de cortes examninados,
nao coutinhamrn mieru-organismnos.
C)mo M. Kochli, em suns notas nao indicou o
proceeso de que usou para corar os bacillus, que
lle encontrou constanteinente nas tunicas ites-
tinaea, era necessario inquerir se elle no ernpre-
g.iva umrn methodo de celoraclo especial, igual,
per exempli ao que serve para demonstrar o ba-
cillo da tuberculose.
Neste case nossos factos uegativos perdiam todo
sou valor. Quando M. Koch chegou a Toulon
deu-nos explicacues oraes que nos eselareceramn
que as coloracues empreg-idas por elle e per n6s
slo identicas; come n6s elle cora pelo method do
Weigert e se serve de solugao aquosa de azul de
methylena.
Podemos pois sustentar que em grande numero
de cases de cholera (e particularmente nos mais
carecterisados) n ) s, ocham mnicro-organismos
nas tunicas intestinaes.


lerueos Uaa bat* :eg Mey
em certos easo3 f Rha io quai no esfta-
do de pureza na. materia m aquo revste o in-
testino. -
Ha direito deo concluir que o mierobio em virgu
la 6 o organismo da cholera? No o pensamos.
Em quanto a administration de uma cultural pura
deste ,rganismo nao fSe e" de produsir cholera,
nio teremos pw'a feita. Por esa razgo today a#
tedtativas ar. produzir a cholera nos animals
tom grande intetoesse; em quanto nio se tivet ob-
tide um resultatdb neste intuito, estari porfizer a
demoastranar scieutifi- a. Poderia acontecer corn
effeito que o organiomo ea virgula nao wedo0ii-
nasse no intestine de oertos choleriedi seoa por
que elle ahi eencontra uram excipiente do culture. f
voravel.
Em falta da prova direct que podia forncer .
inocula'lo do microbio em virgula nos anla-
M. K)ch esforpou-se em mnstrar que o orgaamo
que elle descreveu ua cholera nao se encoantrava
senate lo nos intestines dos cholericos e nuaca n6 ho-
memn de perteita sanie, ou no homer affectado de
qut.esqaur outras molestias que nao fossem cholera
Para que semnelhante verifiearo tenha valot, era
necessario que ella se fizesso sobre um nuAero
inuito grande d,, aetos, p.)rque bitatria que o-or-
ganisn') de. M. K)eih, fosse ec-jIItradoe nayez
uniea f6ra de um case de cholera asiatico -4-
eir tudo em questli. 7I
A fdrinA nem virgula ni) pode, erfim do con4
p)i si sO6 caraeterisar o organisms) da cholera. En-
coiatram-se coin effeito baeillos curves e de f6rma
iteiranent s eemelhauteis ; d,') organism de M.
Ki h eQn products que nada ten que ver corn a
cholera.
0 Dr. Maddox, d L)inIres, plhitgi-aph)u um
Inicrobic em virginl qua elle ce ; eitrou en iurn re-
servatori) d'agaa. A Malissez nos mostrou em
umtn i preparacvo de dejec9Aes dysentericas no meio
de minuitos outros or.nisinhs, algrUs bacillos, emr
firma do virgula bemrn c:aracterisados. Ein mueo
vaginal de mulheres affectadas de leucorrhea, na
secrcedo uterine de unra inulher que padecia de
umrn epitheliomrni implantado no c.All uterine, en-
contramis fcrinas de bacillos em virgula seme-
lhates aos da cholera.
A f6rwa em virgula nao 6 peor tanto caracteris-
tica per si mesma. E' muito important ensaiar
emrn cas)s analogos aos que citarnos, isolar pela cul-
tura os mnicrobios que apresentaum umn f6ormna se-
ir-lh:nmte a diJ orgaiiismn) die M. K,)ci e ver come
riles portain-so nos differeates excipienates da cul-
ta"a : e essa a unin manueira d o s caracterisar.
'e o baciilo emn virgula e *i verdadeira causa da
cholera, como elle nao reside senalo no cnteiudo
do iitestin) e que, i:)s eaios rapidjos ao inuus, elle
na) invade aeusin')m de urnm modoe apreciavel a mu-
co a intestiua, e precise admittir que, para pro-
duzir effoitos tao rapidos e tio iatcasos, file segre-
ga um fermenato soluvel, uana ptoinaina, urn vene-
no quaiquer extreinamente energico, que absorvi-
do p.-ovoca os symptoms da cholera. E' neces-
sario pois esforcar-se pir extrahir das cuturas
puras em que tern vivido o bacillo um veneno so-
luvel que- reproduzisse em animals s mptomas
aunalogos aos que se observam nos cholericos.
Deve de haver tambem um interest especial em
investigar se nos cases de cholera-nostras bern de-
terminados se encontra o microbio em virgula.
Resta-nos explicarin-nos acerca de um ultimo
p nto. Emn nosso relatorio sobre o cholera do
Egypto n6s assignalamos a presenca no sangue
dos ichlolericos, de particular extremamente finas
tendo a feilo de organismos. Comtudo temos as
Inmioros reserves a respeito njr oiue fom)s infeii-


p








I


.N 5 6 el t ri s d t do e a..i ( 1 .... ... ... ... .. t.... 1--,-.. .. .. ..
No 5o e 6o relatorios, datado de Calcutli (2) zes nas nossas tentativas de cultural o coloragao.
M. Koch dl informa95es mais minuciosas a res- nEm Toulon a mesma alteragco do sangue se nos
peito do organism quo elle consider come a causa apresentou cm mnuitos casos, mas ella deixoa de
do cholera: j A nao sobre as tunicas intestines, existir em alguns. Pensamos qne estes corpuscu-
mas sobre o conteudo do intestine e as dejeceoes los sio devidos a uamna alteracao especial da hemo-
que ae deve fazer a investigation. a globina : e essa a opiniao que parece partilhar o
0 bacillo da cholera, diz elle, nalo todo direito, nessoe amigo M. Mlalasser que corn sun alta com-
porcm um pouco curve, As vezes arqueado em petencia em hematologia examinou amostras de
f6rma de semi-eirculo. sangue dos cholericos do Egypto e de Toulon.
MX. Koch teve a condeseendencia de nos indicar Sge no abusamos da benevolencia dos membros
os methodos que empregou paran pr este microbio ,I Academia, pedimo-lhes que nos facam o favor
em evidencia. Elle nao usa de process especial (e examiner as preparanoes que temos a satisfa-
de colorago: ama parcella de fezes ou tie mnuco 'o de apresentar-lhes. Muitas demonstrates de
intestinal 6 posts sobre urma lamina do v dri de applaUnsos.
exame e desrecada; a prepara9o assim obtida 0 Sr. Presidente:-Eu vos agradeco, Mr. Straus,
braadamente aquecida e corada por uma solueao a vossa communicanao, agradeo tambem ao vosso
aquosa bastante concentrada de cor bazica dc collaborador o Sr. Roux. A Academia aprecia
aniliana, de preferencia pelo azul de methylena. muito j os sos trabalhos e a vossa dedicacao A
No Egypto, para o exame das dejeccoes e do sciencia.
conteudo intestinal, haviamos reeorrido aos mes- M. Roger: -Peco ao Sr. president, que em at-
raos methods de coloraeao, e a estampa n. 1 da ten9Ao a importancia da commuuicanao que nos
nossa menonia apresenta o desenho dos microbios acaba de ser feita, a fasa publicar por extense,
encontrados no conteuido intestinal de cholericos por excepeao, no Bulletin da Academa.
em que este organism 6 reprosentado. 0 Sr. President: -A proposta de M. Roger
Quando, come o disse-mos systematicamneute em reune os votes de todos u6s. Pease que a Acade-
Toulon, se examinam assim as dejeccSes carain- mia a approvari Signaes de approvacao geral.
teristicas dos cholericos, ve-se qute ellas encerram
freqNuentemente um grande numero de organnsmos A' vista das investi-acSes e experi-ncias de
microscopicos diversos, e em muitos cases naeo se tantosle tao conspicuous cultivadores das sciencias
encontra senioe um pequeno numero de organism. medical e claro que foi de todo inefficaz a revo-
mos em virgula, quando mesmo que tenham ellea lu.o que produzio na sciencia medical o feliz
o aspect visiforme caricteristico. 0 conteudo achado do Sr. Koch, assim come as illacV'es que
intestinal, encontrado nas melhores condioes no de tao alta novidade foram tirando aquelles que
cadaver, mostra tambem na maior parte dos nasos, fecham os olhos a tudo quanto a experience tern
species variadas de micro-organismos, entire os demonstrado que e real e deixam-se levar s6mente
quaes se acha o bacillo em virgula, sem que este por uma idea, que sustentam a todo transe, amda
pareca predominar sobre os outros. que estejam convencidos que laboram em erro.
Assim em trese casos,e o exame das dejec9oes Mas,'se para sustentar um capricho, e precise
earecteristicas ou do conteudo do intestine del- rear um microbio, crea-se, se 6 precise imaginary
gado, feito em boas condigoes, nos mostrou tres ama constella91o, ou um signal no ceo tambem se
vezes umj grande numero de virgulas; em quatro crmas; ainda que seja precise dizer que para se
vezes nao as encontravam ellas scnao em peqneno crer que a cholera foi importada alo carece mos-
numero e em cinco cases nao as havia absoluta- trar a pessoa e o navio que a importou.
mente. E' verdado que as condig5es consideradas *
per M. Koch come particularmente tavoraveis A
descoerta do baeillo em virgula, sBo muito fu-
gazes; para elle as dejeccSes ainda fecaes do om u ia
principle nem as que seguem o period de roaceao iK iill lU iiado
nao sio convenientes para esta inlagan-o; elle
recommend o exame do conteudo intestinal to- Piranhas, 29 de outubro de 1881.
made logo no intestine delgado dos sujeitos que Esta terra, para a qual a natureza foi medrasta
sucumbiram durante o period algido de urma cho- em encerral a tlo apertadamente entire rochedos e
lera rapida. pinaculos escarpados e quasi inacessiveis, attra-
Em um caso fulminante cuja autopsia foi feita hida pelos esforcos gigantescos da arte que
corn M Koch, no6s achamos o intestine delgado vallndo-se dos poderos elements que dispoe,
revestido per uma especie de muco branco-acin- attinava em remover aquelles obstaculos, que a to-
zentado, fazendo fio, e em uma parcella deste mace dos pareciam irremoviveis, para deixar-lIhe bem
estendida em inura lamina de vidro e tratada pela gravado o marco do progress material, gloria do
material colorante come acima diasemos, viam-se, seculo present ; esta terra, repito, orgulhosa de
corados de azul, muitos bacillos em f6rma de vir- ouvir o forte apitar das machines e ver o rapido
gula Estavam ielles para assim dizer como em percorrer dos trends, aseendendo atravez de suas
cultural pura nesse muco : apenas nas prepara95.s assombrosas e treticamente magestosas montanhas
encontravam-se asseciados a elles alguns bastorsi- de pedra, vivia totalmente entregue ao torpor de
nhos de organismos communs. Nas desoito autop- um viver puramente marital, esquecida quasi com-
sias que praticamos achamos uma outra vez, em pletamente da part superior e mais nobre do ho-
um case em que a morte chegona rapidamente, o memn, a part intellectual spiritual.
mesmo aspect do contefido intestinal e a mesma Para despertal-a deste fatal tethargo opportuna-
abundancia do umicrobio em virgula. mente chegon a este porto, ultimo navegavel, rio
Estes cases sio muito significativos e induzemn abaixo, do imponente S. Francioco, um dos incly-
a attribuir um importance papel na cholera ao or- tos filhos d'aquelle grande Patriareha de Assis, o
gauismo em virgula; entretanto ha outros, e sao Rvm. copuchinho fi-ei Cassiano de Comachio que
elles os mais numerssos, em que a varedade dos impnrmindo novero character, e dando nova direoio ao
organismos que se acham no conteido do canal ia movimento dos habitantes deste inditoso torrio,
testinal A tio grande que nenhum delles parece os encaminhou para um nproceder mais elovado e
preponderante. Nestes cases Mr. Kech recorreu A digno de quem professa uma religiao, come a de
cultural panra mostrar disatinctamente o organism Jesus Christo.
em virgula. O0 apostolo desta religion divina den come o As
Urma parcella do conteddo intestinal e deluida santas misses, vibrou a palavra de Deus owm
em urma pequena ponies de caldo gelatinado, que mestnia e corn aquella unc9o que the e proprna,
se flidificou por meio de um brando calor; esten- patenteando as verdades da religion em todo o seu
de-se o liquid assim semeado em urma places de resplendor, lembrando as amepaas fulminadas eon-
vidro e a gelatin eouvenientemente respiada coa- tra aquelles que, dando de costas ao supreme Se-
lha de novo. Nan ilhotos dos organismos que &e nor, abandonam-se inconsideravelmente ao desen-
desenvolvem, alguns ha que parecem umas peque- freioe das paixoes predominates; e instruio osil-
nasn massas refringentes; ellas slo formadas por ludidos corn ura clarez8 e logicn argumentaleo
organismos em virgula que fluidificam logo a ge- c apazes de produzir a mais firme conviego nos
latina ao redor de si e se mostramn entAo no mi animos de seus numierosissimos ouvintes. 0 resul-
eroscopio animados de novimentos rapids (1). tado foi nao powder veneer o numero does que o pro-
Estes organismos durante a vegetagao ficam As cnra ram para serem ouvidos de confiselo, apezar
vezes juntos pelos extremes e tomam entie a fOr- do lhes assistir din e noute; mais de cem pessoas
ma de um S, on a f6rma de spirillos. E' este as- deixarem a torpe mancebia; baptisarem-se as
peito da cultura no cildo gelatinado que M. Koch cmmanas atc de nove annos de idade, e mais de mil
consider come caracteristico. 0 organism- em pessoas chrismarem se, procedendo a confisao
virgula exige para sen desenvolvimeato um exci- Pars as adulbos; e muitas entree fmubos quo ao
prente alealino: elle reproduz-se corn oxtrema fa- podemos consigner.
eilidade ana maior part dos excipientes alcalinos, A affluencia aos acres e sermoes foi extraordina-
em urna temperature que vana entire 16 a 42 grAbs; rsa e constante nio s6 doe habitantes do Ingar,
nans conduples em quo M. Koch observou, nil pa inins dos arredores de diversas distancias, quer des-
reoe que elle de germens : urea dessecacao de al- to, quer do entro lade do no.
gumas horas bastaria para os fazer merrer. Houveram duas lindas procissoas, a do S -
cia e outra do encermanrento da santa n |-
(1) Relatorio sobre a cholera no Egypto pela ram maito concorridas e e mpleadidas;, -
misdo francesa. Revista scientifica -i883 pa. ra formavam brilhante prestitomaim do
44. Vede tambem ; Indag scies anatomicas e e meninas, corn trajo branco e fitn aunt
oxperimentaos Bure o ebcolera observado no Egy- mawdo suns mavioss e angelieas vouos
pope M[f Stanr, Roor, Nocard e Theillier. (Ar- eo oas mai hintdo canticoe em
cIve, pbyologia, 188 n,-4, a png. 381e 429. dar yin- e a, c ujagrad
M yej, F itWm dit Medecin, 1884, n. 5, corn uveiinamrn-. am
- (Weo -awimotos ao-e notavois quando s exaprel aotaem- ..o ... .i
Iaiam oerganslmao. oultiwado. em unna gotta E^aw quo opoVo tiW 33t
dea calton suspeao.-ua partIe inmior de nm laamina n-sa. O die St U SuzB B
de osbifr sala~ftmke ims nnr. Am htrmma d logo a losrs al c imu d ade"w ^ "S ^ H


POW 0


do mv
























ol:a Was

Id ,I rqcober ,ws4eir, .a
pun rs. ; am bueve
mOoorpodits gteja tern o.saheer
:Qor a major solidez em pedra e
-orrespondentes; e se o digno
.s proporcionar mais am impulse
ten foito, em brev teriamos de
o ^'r este melhramento impbrtantissimo c
.... ".cesside ;ea tde e rrainenosprezada
'teantrarA no trabalh6 e dedicasi
i [lbloa compoesao adequada.
W.-.fe a religito do mla o dodas pro.iuzem
a-.e mais potentosos resaultados; as arts
ho, inspirando-se especiajimonte nos sea-
'.N da 9doeligico teazemse admiafr. E quanr-
.. Mplo estiver conluidoi apresentando


is anc a inda coraqit generoos wgaver-
nado polo. soptimentos mais puros da reolgi lo ca-
tholiea, apostolioa e romeans.
-:No dis 9 do corrente o Rvdmn. Fr. Cassiano au-
s entron-se da tera, indo cumprir se santo minis-
S.t 4 u1 Upor d'esta province a para a de Per-
nambueo, iha-Volta de Moxotd-, A instancia d'a-
queles habitantes, e a onvite espeeoialmente do
Ilim. Sr. oapit-o Josi Cavalcante de Albuquerque,
peasa distinct& do lugar e r wmuitos titulos res-
jaebkuisimnos% dixando oncarregado da ensa-
trnoni dps trabalbos aqui umra commiseto conm-
pests don Illms. Srs. Jo.o Fernandeos de Brittp,
Manoel Theodosio Bispo, Alexandre d-, Oliveira e
J06 G-nses, qlue maior desvelo rvelaram para
t obrah rtistico-religiosa.
Em in oxoL6 houverain doz dias dc santa mrissio,
e noste pqueno piaso, graqas A actividade e har-
monia quo a religuito inspire P foment conseguio-
se ergueor uema capella corn 13 metros de fund por
8s metrs de Iargo, cujas parades hearam quasi A
altuara de recber madeira ; nio se descuidando o
inscansaveol eapuehinho deo acu ir aos fructos espi-
nrituaes, quo iao olhendo con zelo e grande abun-
danm, auxiliado nestas.o!heita pelo Rvdrn. Sr.
vigario de Agua Brane. p'idre Ciceero de Siqueira
Torres. Contaram-se setecentaer c tantas cunfis-
s~af, diversos baptisados casameontos de pessoas
ami-adas o cream dc quinhentis reeebiramn o stu-
to chrisma.
Nunea se tinha visto n'aquellas margens do M.-
xot6 reuni-lo de fioie a tno Iuml-roa, 7com e io-se
nesta occasiio ; psso s do centre que ainda n.o
tinhlam pigeado a beira il' estrada de ferro de
.... ', Paulo Affonso, renovar-mm oparadf0os, da ,nas
aita admira'ao d iante da r-apiT&, atgestosa pas-
Ssagem. da machiniue, arraistan d unuitas tow-
ladis de mercadorisasorta certeiri.tua derr.)to -
sobre- seus trilhos, e w ofando, rogando o apitando
coni toda forpa, vai rcmexeroe miolos de quemn
pela primetra vez a qwerMeciar de perto.
Satisf--itas '-sta, exi rlas, regrosso' o eoima-
do Fr. Cassiann. as o recoteu de novo
eo se s In''Ftl Por~r, revendo rie ns
trabalhos c recon eendo qne tu.lo ia bem, resol-
ve doscer rio x,)s para Iuvar os bnwficos true-
St03 d-) sel a oliio miinisterio a outros pvos quo
ancioss speravamin. Ligma Fundt o acolheu
corn enthusiasrna e evid-ntes signaes do miis pr.)-
fuudo respito. E Piranhas quo tinha soealegr:i-
do corn o son regresso, fieuu s-ntidissima ; por.m
oem viti -.i pro:nm'sa que ell, t--z ile n.,) desam.
Spadr-ns-obrs eneetadas, o po\ resimgnou-se e tel
acompainhi!-o'atf bo;'do do Simbil,. oT.ffrecend.)-
I he as mais significativa-1 prov'is de seu agradeci-
mento, de suan considerav.lo e amor.
Uni culoliico.
(Do Joraal de reiedoi.


.., i A minha interes.ante priminha ,
flermina do Nascimento C. Martins S
[Feli. o iieli oi tu ;tulnim er '.;t io 1Ih,- b*
.tliclo 71
2oje. 21 dI. deyeinblo de 18st.
.. B. '



Rio Grande do Norte
NATAL, 21 DE DEZEMBRO DE 188l
Acab tmos neste momento de roceber urn tele-
'" gramma do Sr. padre Joao Manoel em que nos dA
notucia do escandalo sin'm nome que tivera liuar
na cidade do Assfi, par oecasio de so proceder
hontem a apuraqAo da eleiqubo d'o 20 distrieto.
Desesois jiuizes dc paiz f-,rmaram a junta apura-
dora.
0 jniz do direito interino len'lo naquella oeea-
.... ,io urea portaria do president da provineia sup-
priwio as elei(6es d;is secmo.?s da Victoria e Luiz
Gomes (comarca de P-Aoe dos Ferros) sob pretec-
to de se aeharem estinctas as nesmas see,'Ses.
Dez juizes do paz protestaram contra somelh in-
te violencia. 0 juiz de direito interiio, home


capaz de todas as coragens, nao smjeitou o case A
votaago e decidio p)r si arbitrariamftte.
Jose Bernardo ao lado do juiz inspirav.-o e da-
va-lhe conselhos si cretos. Resistir a tantas scenas
de escandalo seria provocar conflicts iguaes aos
que se dforain na inatriz d' S. Jos6 de Perna.n-
buco.
Os juizes do paz retiraram-s3 depois de frmnu-
larem um protesto solemit e corn toda a autbentica
das eleoies atim de server de diploma ao candi
date legitimamente eleito, o Sr. padre Jo MNa-
noel.

COIIERCIO


Prava do Recife, 23 de dezem
bro de tS 11
As Fires horas da tarde
Cotaqoes officiaes
Acces da companhia de seguros Amphitrite do
val-jr realisa-lo de 200A ao par cada uma.
Assucar bruto do Rio Grande do Norte, 14450
por 15 kilos posto a bordo neste porter,
hnntemin.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 5/8 d. p-r 15,
do banco.
Dito sobre dito, Avista, 19 3/8 d. per 15000, do
banco.
Cambio sobre Paris, 90 d/v. 485 rs. o franco, do
banco.
Dita sebre dito Avista,.49 rs. o tranco, do banco.
Na hort da bolsa
Venderam-se
10 acgces da companbia Amphitrito.

F6ra da Bolga
Sob proposta venderam- se
20 aecies da eompanhda Ampbitrite.
A. M. de Amonm Junior,
Pelo president,
M. J. da Motta,
Pelo secretario.
!LENDIMENTOS PUBLICOS


Mes dn dezembro dp
LPuvAmS U=)De 3 a 22
it do 23


pasU- a 22
^.s21


ci'I -


--Jei $


N- 3
I.M ,.s. 2
s-.., .. ^_.
&^!)Sa2


1884
585:7761357
23:8134559

609:589A916
31:95 M8517

85"t '392


a22 i "&,I,
a "tsp.-~a


. -. -.-


`40 J** ae kWl .. eIweod reOeTw

minQB^^(tt at or~ia ate-dsatdo a dai
quaeot W)xdases, i petente nko tialam a
new,.pj pfl llhflyno
Ctnw mPn-Be parato a obxa da tarpea e da
immoralldade I
A Canmeodo De putadoa nspreciarA tda essa
qupstlao, anullando a ppde4aj, que corn o nome
de diploma foi entree ao candidate dowotado,
Dr. Moreira Brandt.
E dizem que ease politico figure no numnero dos
honest !
Nemo.
Febritaga. @onulea. difuttvao *ae-
rllva takes asio as qualidcdea- da Cogsmsaskwb de
A. Ardura, agradavel lieor devido e exzeelonte
aeoeia&o (precoaisada pele nossos mais emnen-
tea medicos) do fino champane corn a kint. 0
delicado sabur e aroma de um e as preciosas vir-
tudes da outra dao a este liHor urna supenoiM idade
iwoAleuststavl, causa do seu rapido e brilhante sue-
,esio em todos os paizes qucates.
Pura, a (.ogsackina 6 o melhor dos licores hy-
gienicos. Misturada oern agua, torna-se unit be-
bida refrigerant e ante-febril no mais alto grmio.
0 nsuave mabor e area do Dne
chaumpagne, que 6 a base Jl' Cogmwki-a, de
A. Ardors, e o seun delieado amrgo fazem corn
que seja o primeiro c o mais salutar dos licores.
Immediatos silo oseffeitos benefices produzidos
por cste poderoso tonico, que ao mesmo tempo a-
m:t3 (stomaahico e agradavel dos anti febris.


Sverdade
Visto term vind. outras pessoas ao appello do
Dr. Seixas Borg'-s e tendo este tambem invocado
o nosso testemunho, declaramos ser exacto ter este
doutur nos pedido para votarmos n) Dr. Nabuco,
o quo nubo fizemos por que somos, de longa data,
de principis e do convieooes firmadas, cosoerva
dores intransigentes principalmente send can.-li
dato o nosso sympatico e sincere correligionario e
amig,) o Dr. Portella, o deputado qu-' nunca se afas-
tou do mandto de represontarte de Pernambuco
e quo se imp5e pelo seu caractc-r nobre e posi.Ao
elevada a admiraooe e respeito de todos os parti-
dos.
Declaramos ainda que em nenhuma outra oli -
gao traballihamnos corn tanto esforqo e tao field r-sul-
tado como na do dia 1to de dezembro.
Quanto ao tern o Dr. Scixas tornado o titulo de
Jolo Clhrysostorno Filho, entregando-o na vesper:a
da elciq.lo por exigencia deste, 6 verd.de, e isto se
dera n.i Hotel Portuguez diante de algumas pes
SORs.
Smos in.lepeudeutea, n1o fazemos da political
conservadora meio de vida, por quo somons p-liti-
cos de coragoo e de principios : o nosso passado
e d-' nossos pais que atteternm.
Recife, 24 de dezembro de 1B81.
J,do Chrysostomo Filho.
Joaquim Chrysostomno de Albpqterque.
Antonio Chrysostomo de AlbTterqute.


Vinho de Chanmpanha
Lembra se aos Srs. Merceieiros que a
verdaldeira marcea dos afaunados viulmos
de cha'npanhna da casa Moet & Chandon
acha-se depositada em casa dos agents, os
Srs. G. L-,porte & C. e quo devem antes
do conmprar qualquer vinlio d'esta marca,
scientifi.ar-so de quo nuo f6dsificado, cer-
tos de que scrAo perseguidos os detentores
o vandedores de tacs falsifieaq5es; tanm-
bern podem se surtir d'este genero em casa
dos mpsmnos agents, pelos precos da casa
em Franca, osern comnmisso.


Inslil ulo Philomalico
Rua do Visconde de Albuquerque n. 16"
CURSOR DE FERIAS
Aclma-se aberta a matricula das mateir, s deste
cursor.
0 director,
Olinhc Vicor.

Effiltos do abolicionlsmo
(Do Diario ,lo Brazil de 7 (1e cdesembro)
Esta escripto. Se algunm quizor cer-
tificar-se n~o precisa recorrer a informa-
0es. 0 documento 6 authcntico. A
prova e provada. Por mais inerivel que pa-
rega, nao 6 possivel recusar-se ihe crcdito.


E' ler o Diario Official do dia 4 do cor-
rente, no fim da quartacolumna Ka pagina
terceira. Os effeitos do abolicionismo nio
podem ser mais claramnente patenteados.
Ainda bern que os factos se encarregamrn
de justificar todase as nessas provis5es.
E todavia os abolicionistas continuamn a
arrastar o paiz As bordas de urn abysmo
que se abre a nossos p6s.
Nao se comprehend couno possa hayer
ainda urn s6 abolicionista, diante dos iqa-
leas quo o abolicionismo nos tern cnusado


DESPACHOS DE EXPORTA;A()
Em 22 te dezembru ,e l8'4
Para o exierior
No rap ;-" iigl'z Gleuderon, car-regou :
P'ara Liverpool, H Forster & C. 1,400 saccos
corn 105,000 kilos de ssuecar mascavado ; Amo-
rim Irmaos z C. 1,0. 0 ditos coin 7.,0i ditos de
dito ; J. H. Boxwell 1,109 ditos corn 83,100 ditos
de dito ; M. J. c.a Rocha 400 ditos com 30,000
ditos de dito.
Na barca ingleza Lavinia, carregou :
l'ara Hali:fax, M. J. da Roelia 1,OOL ;-sa::c-os corn
75,000 kilos de assucar mascavado.
Na barea americmna Arthur, carregou :
Paira New-York, Julio & Irmno 2,000 saccos
corn 150,00)0 kilo. de assucar maseavad.) ; J. S.
Loyo & Filho 1,388 ditos com 104.100 ditos de
dito.
Na barca amenmican Clotilde, carrpgou :
Para New-York, i. J. da Rocha 934 saccos
coin 70.050 kilos de assuear maseavado.
Na bares americank John R. &, carregon :
Para New-York. J. Pater & C. l,90u saccos
comn 102,500 kilos de assucar mascavado.
Na bare americana Sttaade, carregou :
Para New York, F. Cacaeo & Filho 1,000 sac-
cos corn 75,000 kilos de assucar maseavado.
No hlgar inglez Louis J. R., carregou:
Pars New-York, H. Forter & C. 2,500 saccos
corn 187,500 kilos de asaucar mascavado ; Costa
& Medeiros 550 ditos comrn 41,250 ditos de dito.
-= Na barca norueguense Inefrid, earregon u:
Para Liverpool, J. H. Boxwell 5W0 saccas com
38,100 kilos de algodlo.
No brigue portnguez T Io, carregou :
Pars Lisbon, Baltar Oliveirs & C. 100 course a
salgados orn 1,200 kilos.
Wara 4mart rrir
No vapor national heard, carregou :
Para o Rm Orande do Soul M F. Marques &
Filhe 600 hirrka. eom 4,OM tH doe assucar
bronco
No vapor asMrar a name. cauregou :
Pars Pm-loA ,M lxria ca m ,8 AM kilos de
assucar mascavado u 150 mceos soema 11,-50 ditos

att bacwe.
._'V LopftB~b Uima"UM- 1raffig, earno-
g01 "
L M ^dMMW ~ -


Rmio -fe
Nea ha asla tees moncerte unm poe-
ta to jue dirlhe que eaelto precia dIe plo
para viver, quado elle nos arro immen
tor da phantasia, eorn. os hoa voltados
pars, a4u'a, pallido e oscanifrado, se- des-
f em ;m antar sentidas endechas, c nio
se-lembn quo a fome o estA matande,
em e&a o preoeatirm
b)ixem .os abolicionistas. per um mo-
niento, aa suas lyras o aq suas guitarras,
decanoem a tatigada muss, e vejam o
seguiute :
Quadro dermostrativo da reads da pro-
vincia do "ear wo mae do aetonm tua ul-
timo
IMPORTAQAO : 6OW RErIS
Rendeu 600 r6is a itnportajt do Ceari
no moz de setembro !
Pobre e infeliz CearA I Eam que ostado
te pearam o abolicioaistas !
Urna renda do 600 ris 'durante o men
de setembro 6 equivalent A renda de 20
reis per dia.
A renda, pois, da importago da pro-
vineia do CearA produz um vintein per dia.
Qual 6 o abolicioniata que tern corago4
de viver coin 20 r6is diarios, aind, dc
que mais raagros soja'a ?
0 Sr. Nabuco estaraA diosto a arrec-
dar essa renda, pars viver dIella?
Eis urna data memroravel pars as faga-
nhas abolicionistas

CEARA', REIS 600.
SETEMBRO 1884

A coinpanhia franceza de narvegagA,
Chargeurs RWunis, acaba do suspender as
suns viagens ao Ceara.
A importagao e exportaglo daquella
proivncia 6 foita d'ora A vante por umina
jangadta-
QucrerA o jangadeiro faizer essa uavega-
gao por 600 r.is !
Agora podem continuar a mnusica. Ve-
nha a lyra do Sr. Nabuco e a guitarra do
Sr Patrocinio.


Faclos e ndo palavras.
A-o.- qc se C'esejam frafar soemn eormpromettrr a
sand corn preparados rmineralogiCos.
Nesta typograplhia na rua Direita n. l3, 1 andar
vende se utluras horneopalhicas para inofensiva cu-
ra das sebuinles rmolestias: asthmatico, ainda mesmo
bronchitico ; erysipela, enxaquecas; intermnittentes
(sem o emprego do fallal qninino); tosse convulsa
falta de merpstruacao; cameras de sangue; eslericos
ou metrito; does de denotes ou nevr'algia, metrorra-
gia; vermifiugo-. dentic5o e connvihkses das criancas;
tudo inanipulado de hervas do paiz.
Assimn comno tratam-se eo-irofulosos oein qua Iquer
gi-'o e goinmatloos.



COLLEGIO
D

NOSSI S. DA PENHA
Rua do Caibuga ns. 9 e 9
segunndos andares

Os trabalhos deste

eolleg'io eome.ariira

12 de janeiro.

As disciplines ensi-

nadas sao: primeiras

letras, portuguez,

francez, inglez, alle-

mao, geographia, his-


toria, minusica, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas

nas.


Para Camossim, E. C. Boltrlo &


e exter-


irmalo 11 bar-


mncas corn 995 kilos dc assucar refinado, 2 ditas
corn 121 ditos de dito branco, e 2 barris corn 192
litros de aguardente; M. A. Senna & C. 6 bar-
ricas com 802 kilos dc assucar refinado ; Oliveira
& C. 1 dita corn 90ditecdedito branch ; L. Lima
6 harris com 576 litros de aguardente.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 23
Ceara e cscealas-9 1/2 dias, vapor national Pira-
paita, de 360 toneladas, commrnndante Francis
co d? Carvalho, equipagem 30, curga various ge-
neros; A Companhia Pernambucana.
Liverpool 50 dius, brigue russ Noi-AfMolodez,
de 229 toneladas, capitbo J. L. Smidt, equipa-
gem 9,-carga varies generos; a Fonseca Irmaos
Rosario de Santa F6 -25 dias, l6igar amer:ic-anc
Geneva, de 440 toneladas, capitao W. A. Hair-
ckell, equipagem 10, em lastro ; a Henry Fors-
ter & C.
Sahidos no mesmo dia
Liverpool-Barca ingleza Emma R. Simis, cnpi-
tAo R. D. G. Faulchner, carga assucar.
Camossim e eacalas Vapor naeional Ipojuca,
comm..ndante Jeronymo Jos6 Teofes, c-arga va-
ries generous.
Rio da Prata- Patacho inglez Leader. capitol
Theod. Date, carga assucar.
Rio da Prata-Barca ingleza Sabrina, eapitao J .
-Shepherds, carga assucar.

VAPORES ESPERADOS


Naamyth
Ceard
Warrior
Ma-dOs
Tagw -
Hamburg


mwirito $aPato
r7VW4f #frflhk&


do RIo e Maceid
do note
da Europa
do sul
do sul
de Hamburg e pbr-
tos do norte do
Brasil
- JARO DE 1886 -


do umi
ad.
ju .' -


hoje
hoje
amanhbil
a 26
a29


a 31


.rd ao6 $" Santa Crum La scieute
pu qe 9 ast*uAa .deteo lpgio abrir-se-hao
6dia .12 de Janeiro de 1885.

ftli0 aproveitavel

SSynopsis ou dedLS$o chronologica dos
etos maim notavuia da historic do Brasil,
elo general Jos6 Ignacio de Abreu e
,;ma, 1 vol. corn 408 paginas IOOO
Da uberania do povo e dos principal
o governo republieano modern, lig5es
enuinciadas na Faculdade de Direito do
ariz, por M. Ortolan, tradicuio de A. P.
e Figueiredo, 1 vol. corn 160 paginas 50(1
SReforma eleitoral, colleccao de diver-
Os artigos sobre a eleiqio directa por di-
ersos lentes da Academia do Recite, 1
rol. cornm 360 paginas 2500(
Doze proposioes sobre a legitimidade
oeligiosa, da verdadeira rolerancia dos
ultos per Ephraim, 1 vol. corn 20') pages. 1 000
Estudo elementary de dircito de uso-
Urcto adaptado a legislaqao patria em
orvi pelo Dr Jeaquim C. da Cunha Mi-
anda, 1 vol. corn 174 paginau 15000
Segredo da geragalo ou art,; de pro-
.rear raparigas e rapazes eui)irituosos,
ptc. etc., (leitura s6mente part '-apazes),
Svol. com 200 paginas 500
Mosaico Pernambucano, n' llecqbo de
exerptos histbricos, poesias populares,
Anecdotes, curiuwidados, lendt',, antiqua-
lbas etc, tudo relative a provincia de
Pernambuco. 1 vol. corn 260 paginas 1 000
Jesus Christo a critical modern pelo
Revd. padre Felix (da companhia de
Je us) vertido do francez pelo Dr. Pedro
Vutran da Matta Albuquerque, I vol.
oam 150 paginas 15400
Historia sagrada do vblho e novo tes-
taimcuto, com explieaqges c doutrina dos
Santos Padres, para reform dos costu-
mes em todos os estados e pessoas conm-
posta por N. de Rayaumont, 2 vols. comn
564 paginas 1 00'
Ensaio sobre a supermacia do papa,
especialmedte a respeito d.t insrftuiqAo
dos trispos, p)r D. Jos6 Ignacio Moreno
1 volume corn 280 paginas 50,
Mos-aico Poetico, colLecileo de -euollii-
das poesias dos melhores poetas Bra ilei-
ros e portuguezes, 1 volume cuinm 70 poe-
sins 1AO)


Os Dramas do Recife, romance porCor-
te Real, 1J parte o cunegp, 2a o barbo dc
Albuquerque, 2a o commendador Ferreira
1 volume coin 384 paginas
A Reforma El itoral, emenda
A' venda na Livraria Universal, rua
perador n. 52.


ins itulion franaise de d
selles


230Z0
15000
do Im



emoi.


Rua do Barari de S. Bori ja (atliga do
Sebo) n. O50
0 anno ietivo deste collegio comegarA em 7 de
janeiro de 1885. Recebe-se alumnas internais,
seoi-internas e externas.-A director,
I. Adour.



THE EQUITABLE

(A EQUITATIVA)


Sociedade de Seguros sobre Vida,

do Eslados-Unidos

Eseriptorlo central, em Nova-
Vork, Broadway n. ?20
Escriptorlo filial, em Londres.
Cheapside a. St1
Escriptorlo filial, em Paris.
Avenue de I'Opera n. 36
-E IpuorTo il lL, elu- anDrgo
Neneberg n. 29
Eseriptorlo filial, em MADRID,
Carmen n. 23
e em todas as principaes
eapliaes da Europa e da Ame-
rica Septentrional e Meridional

PLANO PIIRAENTE MIUT!O

Durante o semestre decorrido de 1 de janeiro atW
30 de junho prozimo passado, pagou esta compa-
nhiador 38 8 sinistros (mortes) a imrportancia to-
tal de 1,827,217 dollars ouro dos Esiados-Unidos,
ou oem moeda brasileira cereca de 4,600:0001, sen-
do:
Em janeiro por 60 sinistros 268,925
S fevereiro por 50 209,615
,, marto por 75 ,, 252,186
a abril por 84 396,261
Smaio por 61 a ) 409,595
Sjunho por 58 290,635


I inimtrom na I


mporlt


Tocar.o A Inglaterra 6 de
A A Escossia 5
A Irlanda 2 ,
ao CanadA 8
AsIndias Occid. 10 ,
,, A Franqa 2 .
A Allemanha, 2 ,
A a Hespanha 6
h A Suissa 1 u
ao Chile 3 -
S an Mexico 6
ios Estados-Unid. 337
Total 388
Durante o mesmo period pagou
wm 1883 :
Em janeiro por 56 sinistros
a tevereiro 55 -
S marqo 75 .
a abril 54 ,
SmWio 65 .
Sjunho 64 .
Total por 369 ,


ancia
A 19,125
10,000
A 22,500
3' 3-1.0oo
A 87,000
A 12,000
5 :,680
S 30,000
A 7,000
S 17,00u
3 28,000
S1,558,912
S1,827,217
a companhia
4 199,900
A 22. ,112
A 255,654
A 232,205
A 365,358
A 227,370
4 1,500,599


0 rteiob da mortalidade sobre os seguros vigen-
tes era em 1883 de 1 10/100.
0 total page pela companhia nos ultimos 25
ainnos, per sinistros, dividends, annuidades e
liquidalues de apolices, era em 31 de dezvmDro
proximo passado A 83877,699 51/ ou m/n ........
200.000:.000,000.
0 total dos hatveres da compnanhia em 1 de ja-
neiro de 1884 era 5 53,030.582.00 ; o total de saas
respoasabilidades eonforme a taxa de 4 1/2 0/0
(padriLo do Eatado do Nova-York) 5 40.020825.00;
deixsia o enoms surplus, faundo de reserw, a di
vidir- soe entire os mutuainios (possuidores de apoli-
ees de 12.109.767.00 on earca de 30.0000.0 000.
0 riteie d w baveres da eempanhia por cada
5 100 de sua responsabilidade 6 de 5 129.
(Extrahido dos Relaterios Officiaes).
As listas detalhadas e relatorios officials poctem
ser vistas no escriptorio do Srs. Henry Forster &
C, na run do Cojnmercio n. 8, correspondentes d I.
eoee;nia 4ndB tambem pode sar encoatrade o
sr. Tlieedf imon, aagente geralr neste Inrpe-
rio ; Idoh os dias, das 10 horas da manhl at6 As
3 borns da tarde, durante a sua estda unesta ci-
dade.
SReo- 214 ,d owouhue .18I4.


EI)ICO Z PARTfrRO

.t,.. -
naaco n.zm o

j. psas-\


De -olta disua 'viagm A Europa ade frequen-
tou os hospitals de Pam, tendon feitoum eurio es-
pecial de parts e molestias de senhoras, d.a con-
sultas no seu antigo cousultoro a rua Duqee de
Caxias n. 48, do meio dia as 2 horns.
Espcalidade : molestias de ereanpas e de se
nhoras.
Recebe chamados por escripto ou no senu consul-
tsrio, oua em su residencia A rua do Barlo de S.
Borja n. 30.

Institut0 Mw0!v IIB Alril


Curso de rerias
Abrangerdo as materials para exams em marqo
de 1865.
Rua do Barlo de M. Borja n. 4:
Direco dcle Luiz Porto Carreiro


Cirurgiato dentist
Jou6 Basili-co da Silva Santos, cirurgiao
dentists e pharmaceuti o pela Facullade
de Medicina do Rio de Janciro, colloea
dcntes pelos systems mais aperfeigoados,
obtura (chumba) a ouro, A platina e a osao
artificial; faz roeconstruegoes de dented de
ouro, trata das inolestias da bocca e corri-
ge as irregularidades dentarias. Acha-sc-
das 10 As 4 horas no sou gabinote a runa
da Imperatriz n. 1.


6o0118ei0 aoN. g, fla Gra g
Ponte de Uchoa n. 10
As aulas d'este collegio abrir se ho no dia 7
de janeiro vindouro, coutinuando conmoi no anno
passado a tor aulas diarias d' portugucz, tfrancez
inglez e allcim.lo ; cInsmni >so t;nhibm prpiano, di-e.
nho e pintura, e toda a qualidade de bordados.
Directorti.
.4 nni Carroll.


Collegio Nossa Senho-

ra das Victorias
RU\ DO HOSPICIO N. 10
L.-te coitleg.i continuar'Ai duirame o anno I,-.cvi,
de 1885, anhrindo suans aulas no dia 10 dic -j1n-irn.
A Imittc mhlumnas intornas, s3-mi-inttcnras oex
ternas.
A directoras,
Blince d'Herpent FdArgo.
Barotie ILcie d'Herpent.

Inslitulo vaCCinico
Rut% Larga dp Bowari6 n, 26 1. n Mdai
Funeiona todos os di ts utoi d. 10 :is 12 horan.
) ,li rector
Dr. Arruila B.lr-r-.

0 Dr. Adriiio
MEDIICO
ContinuA a dar consultas das i i A'2 horas di.
tarde, em sen antigc consultorio, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1." 'undar. Chamados por escript
1 uqalquer hora, na pharmacia Bartholoiniu & C.


OGULISTA
0 Dr. Barretto Samupaio, mevlo
o-ulis-ta c-x chefe de clinical do Dr. dil We
cker, do volta ie suna viagem ao Ceara0 ,
continue a dar consults A rnu hIo B-irho l.i
Victoria n. 45, s.?gundo aDlar, dI 1 P As 4
horns da tarde, cxcepto nos domingns -
dias santificados. Chamados emn seu con-
stIltorio ott enm casa de sua residencia a
ruia de Riachulmelo n. 17, canto da rua dos
Pircs.


EXPOSICAO

flE Pfl;DU:?:3 A3:L;.IflO:
Achando-se nomeada pela Associacilo Cnmintr.
eial Beneficent, a commissao abai, o nassinatila.
para agenciar products c todos olitros artirgos ,e
maniufactura desta provincmia paraexpos a quteq;b.,-
vai tor lugar em Antuerpia I.-lc'icn. teoin immwun
sa satisfacito em cnvid.tr aos s-iih,-res agriciult_'-
res, a.sim como aos senlir-s ;irtil:ti ( a tI-dis Cii
goral. que quizerem c-mncrr-n corn soua csf-,r,:,s
species, para mndarem entrnigal is na Associa.
gAo commercial, A rua do C, -ininereio, at- o tim 'd
janeiro de 1885; pois quo desto incentive poder-'
sobrevir algum desenvolvimento e hemrn cminmut
de commercio corn o estranmg iro.
Joao Fernandes Lopes.
jos Joao de Amorimi Junior.


Arados. grades e oulros inslru-

mentos agrneolas
305 medalhas E!-'v a i m
20 annos
Theo. Just

I 7....Corpo Sanlo .... 17
PERNAMBUCO
Unico agent do aftimado.fitbricante
3RtY3. SASICG:.
Plaguitz..Leipzig
Referencias:
0 Illm. Sr. Dr. Ignacio de Barros Barreto, ge-
rente da sociedade Auxiliadora da Agrieultura.
0 [11m Sr. Dr. Ignacio de Barros Barrato Fl-
[lho, noengenho do Meio, Varzea.


EDITAES

Edilal n. 8
O administrator do Consulado Provin-
ciaI'hisa aos contribuintes dos impostosde
decima urbana, dos bens de r.aiz de corpo-
goes de mao morta, e dn 40 rcis por litre
de vinho e 80 r6ia por litro de aguardento
e quaesquor bebidas alcoolicas consutuidas
na provineia, em estabelecimentos de f6ra
do perimetro dos impostos de reparti'rio,
dos quaes trata o 8 do art. 1 da lei n.
1810 (orgarmento vigente) que no dia 1 de
dezembro proximo future comega esta re
partiglo a arrecadagelo, A bocca do cofre,
dos mesamos inpostos, corn o praso de 30
dias uteis m forms do art. 42 do Reg. do
4 de julbo de 1879.
Consulado Provincial de Pernambuco,
26 de 1883.
Fmswoeo 4sayw w de Carrdwho Moura.
0 Dr. Joaqtm &Ca Cata Ribeiro, juiz de direito
do idvela deo ida do Rife d o Peronamlmbaeo
por 8& L,.9Jw6*fdr, a iueom Dens gaerde
etc, At..
T10 aMAW momoigt pueAte edital d4 viutp
-eades ed qquo1 Na er
item do g smgg r q maum da e r neer


lance offerover no dim 1V4 a tw
mo vindonro, depois da audi.im W Q
bemrn seguinte, quo foi p6bhrado t PD-
Silva Onimarles em execulo qute lt bsr
tomo Maria da Silva, constants da rell
liagAo, existent em peder e carton. do'.
que este escreve, o qual 6 do thiter ugua -
Urna casa tertea, sita A rua de JoAo d'
n. 6 J, corn porta e janella de freonte, S2: t
quartos, cosinlia f6ra e ialeta, quietsll
corn diversos p6s de fructas, cacimbap -.
dindo de trente quatro metros e quaruenk
centimetros, e de ftundo tree metros, avaliada
1:4006, menos duas parties pertencents sos
deiros Andri6 e Joanna, no valor de 185Jf654a,-3
da umra das parties.
E para que chegue a noticia de todos, mando ao
porteiro do juizo, aduixe o present edital no lugar
do custinume, e que passe a respeetiva certzdAo.
Dado e passado nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco, sos 17 dias do mex
de dezembro do anno do nascimento de Nosso Se-
nhor Jesus Christo de 1884.
Eu Antonio de Burgos Ponce de Leio, escrivio.
Joaqtim da Costa Ribeiro.

Editaln. 10
De ordein do film. Sr. Dr. inspector, fabu pu-
blico que no dia 24 Jo corrente irA de novo, pe-
jantt a junta de Fazenda Provincial, o fornmeei-
mt.ntuo iI alimentaa;,j ;aos press p.:-' r i da, ca
de detnei-Lo, durante o trimestre de janeiro mar-
co, s,-rvindo de base a diaria de 400 rs.
Seecntaria do Thesouro Provincial dc Pernam-
buco, cm 22 de dezembro de 1884.
0 secretario,
Affonso de Albuquerque Mello.

Edital n. 33
Armazem n. 3
De ordem do 111m. Sr. inspector se faz- pubico,
que as 11 horas do disi 24 dj corrente mez, aes
vendidi em leilao, no trapiche Conceiqao, a umem
cador'ia abaiso declarada :
3a praca
Mare.a SR, 2 c.iixas vindas de N, w-York no
vapor inglez JMNaranhense, entado em 17 de no-
veinbro) ultimo, contondo 33.5 kilogrammas de ro-
tulojs impresses em uma so cer, abandouadaa aos
direitos por Fonse-: IrmIaos & C.
.j S.eecao an Alfindega 'ie Pernaminbuco. 21) de
dez mnlbio du. 1.s',4.
0 chefe,
ricero B. dc Mello.
0 t.ipit.o J,).:io C'arolindo 1 N-iscimento, 3.0 juiz
d&- paz d: fregurrtiii d S. Jose do Recife, em
virtuda d;i lei, .tc.
P. lo present edita la.o s.-bor quo, tendo a junta
apiir.didra d) 1.0 distrieto e&e'toral d'cstt provincial
deliherado ,:uIn se proet.d: a segundo eserutinio da
ele;,-,') para depuitado gn al, no dia 9 de janeiro
pr.-,xinm, future. unos term'o do art. 179 do decreto
n. d,213 de -agsto do 1 81, visto qte os candida-
tos Vtu.idos em primeiro escrutinio nao obtiveram
r tiinria ;b3s:Ita do votos ; e nia hav.-.ndo o 1. e
2.0 juiz-s de paz, que por doentes se achamrn fra
do exercicio, ate hoj.- feito a convoeaeQ.o dos elei-
tortes e dosi presidentes e mesarir. das soccees
d'er.t j arochia, eu os convoen, a todos, para que
compaream A mesm'i eleioao no dia supra men-
ciomaiJo, pelas 9 hbras diia m:inhA, em suas res-
per.iva c sec;e, ficainlo p-lo present avisados
os respoctivoq prsi lentes e m'-arios, c bern as-
vim os mesarios da I.1 secca-) da i reja matriz.
s -ml.) os lug-ires d2 reuniao de cada see,-to os
mesim is jiA designAdos.
Outro.-.im, fat;) saber que os candidates que
tcr't, 1 te ,'r votcdos sAw, os dous que obtiv ramrn
mai,.ria relative de voros, os Srs. Drs. Joaquim
Aurelio Nabueco de Araujo e Manoel do Nasci-
mnto Machado Prtella, em virtude da t(reeira
part do 2. .1)art. IS ia lei n. :3,029 de 4 de
janeiro do 18S1.
E para cmnsrar mmindci passar o present para
c- unh'cim.rnnto do tod,.s, o qual vai por mim assig-
n1ado.
F'eguezia de S. J, se do Recife, 29 de dezem.-
br-'i do 1184.- -Esrrivio de paz, Jose Goawalves dA
Sd.
Judo .! arolino du ascrineno.

Consilado Provincial
PuIbi 2.' sect-bo do Consulado Provincial
seio chamados os Srs. comprehendidos
un relaoiao infla afirn de virem satisfazer
a importancia das differenyias que foram
encuntraltas emu dcspaclios dc cabotagem
pertencentes aos oozes de outubro a-d-
zenibro do 1S82 no prizo ioe 8 diasn fin-
do o qual s'31io lsas remettidas para o
juizo.
Alfredo de Araujo d'.,s Santos.
Auugisto B~ilrar.
A.ntonio de Barroi Corrcia.
Antonio da Costa.
Antonio Cariiir., da Silv.
Al,-x:ndre de Faria Godinho.
Antouni, Ferrl'iria da Sil\;i.
Agiuisto G,,ncalves da Rocha.
Angusto Jos. da Silva Ribeiro.
Antonio Jose do Carmo.


A..,sinlio Lmuz Vieira
Antonio Loureiro & C.
Affonso lucio.
Antonio Maneel dos Santos.
Alheiro Oliveira & C.
Antonio Pt-rcira da Cunha.
A.ntonio Pereia Burros.
Antonio Pereira Lopes.
Adelino dos Reis.
Antonio da Silva.
Alberto Silva.
Bartholomeu & C.
Brnardino Costa.
B-met & C'. j
Browns \ (.
Braga GumeA & C.
B- tIrhazar Magalhaes.
at-tano d'Almeida Campos.
Carlos A. Barbosa.
Campos & C.
LCaietano de Carvalho.
Carneiro Fernandes &k C.
C.trnciro & Ferreira.
Candido Gonpalves Torres.
Carvalhu Irmaos & C.
Castro Monteiro & C.
Candido Mendes.
Castro & Silva.
Doiaingoes Ferrcira da Silva & C.
Deliniro Gouveia.
Dionisio Alendes & C.
I)elphin. da Silva Tigre.
Euzebio Barbosa.
E. C. B-Itrao & It mato.
Eugenio Gnedes d'Araujo.
Eduardo M. da Costa.
Francisco Bezerra de Albuquerque.
Fernandes da Costa & C.
Fortun.. to Cunha.
F'nria & lrmao.
I'uionca lr:nio: & C.
Frniucisco JosO da Si\a.
Felix Jon6 F, rreira.
Fi-hi cisco Miranda.
Fraga Rocha & .
Francisco Rtamnios da Silva.
Francisco Rainalho.
F'rnando ilvha 3 C.
Francisco Silva.
F. Ttizeira.
Galdino Jou,, Burity.
Gailherme Josd dos -"antus.
Guimaraes Rocha & C.
Hermann Lundgreen & C'.
Heurique de Olveira.
Henry Paterson & C.
Herculano Silva.
Jo"e Albuquerque.
J,,o Alvws Pimnvntel.
Jo-o de Azevedo Soares Filho.
.los6 Alves da Silva.
Jos6 Alves de Souza.
Joio Alves do Valle.
Jcs6 Bernardo Miehels Junior.
Joaquim da Costa Delgado.
SJoao Chrisostomo.
SJoao Correia Rios.
IJui&ldCunhat&C.
i Joa Dinis -
i JoAn de Dew da Cmnha.
Jos06 de Figneiredo &Castro. :
IJJ.1o Figueredo.
Joo Francisco d iot. .,
Just. Teriaa aIM
Jo tftrxrm do Askedi..
2 '-'-= m wWP


---1; --
- '-ii -


. j- r.. -..


*?













i,
- .4


-!






4









i-









It




F>
, ,


:. *....
s--. a- :2.
as^^


11


I


*'^*"'*^Sf- .'*


























Silva Pinto.


A. (1a rSuva.
doCabo.
&C.
= Purtado de Mello.
Ferreira Barbosa Junior.
Gomes da Costa Junior.
IW oel Guedes da Costs Junior.
Ianoel Jos6 da Cruz.
lMiano Joaquim Dias.
Manoel Jose de Mello.
Maehado Lopes & C.
SMacedo Lopes & C.
sodsto L ra.
*spelMoreira & C.
I swoel Martins.
amSoel Pinto.
Manoel Pereira da Costa Silva.
Nlechado Pereira.
Mamoel R. Pereira,
Sa4 & Souza.
Miranda & Souza.
Miguel Santos.
iMoreira du Silva & C.
Nune & Salgado.
Oiympio Ferreira.
SOliveira Duarte & C.
Pinto Alves & C.
Pereira Carneiro & C.
Pinto Ribeiro & C.
Pedro Silva.
SParente Vianna & C.
Rodolpho Cavalcante.
Rodolpho Cavalcante de Albuquerque.
SRodrigues Lima & C.
Rodolpho Pessoa.
Roa & Queiroz.
SRaymnndo dos Santos.
Romuaido da Silva Braga.
Souza & C.
- Sousa Bastes Amorim & C.
Sousa Moutinho & C.
Urban Jos6 de Souza.
Wilson Sons & C.
Vicente Borges de Castro.
Vicente Irmao & C.
Xavier de Simas & Irmao.
2.a seccao 23 de dezembro de 1884.
0 chefe,
Manoel Pereira da Cunha.
Antonio Marques Correia,juiz de paz do 1 an-
no e president da mesa eleitoral da parochia
de S. Salvador da S6 de Olinda, em virtude da
lei etc.
Fago saber asos eleiteres desta parochia que,
de conformidade corn o art. 179 do decreto n.
8,213, de 13 de agosto de 1881, se acha designa-
do o dia 4 de janeiro de 1885 para a segunda
eleicao de urn deputado a Assembl6a Geral Legis-
lativa por este 3' district eleitoral, visto que ne-
nhumr dos cidadaos votados na primeira eleiao
reunion a maioria absoluta estabelecida no art. 178
do citado decreto convoco, pois, os mesmos eleito-
res a comparecerem no pago da Camara Munici-
pal As 9 horas da manhi do referido dia 4 de ja-
neiro, afirm de darem os seus votes, observadas as
disposiaoes dos arts. 139 a 145 e 180 do mencio-
nado decretc, devendo a votagAo recahir nos ci
dadios bachareis Antonio Francisco Correia de
Araujo e Arminio Coriolano Tavares dos Santos,
que obtiveram na primeira cleico maior numero
de votes.
Convoco igualmente os membros da mesa elei-
toral : tenentes Jose Carlos do Rego Valenga e
e Manoel Josede Castro Vilella, capitAo Frederi
co Columbiano da Silva Guimnaries e tenente co-
ronel Herculano Cavalcante de Albuquerque, a
comparecerem no mesmo dia, hora e lugar afirm
de, reunida a mesa mesa, proceder se perante
ella a eleiao de que se trata.
E pars constar mandei passar o preserte que
serA affixado no lugar do costume e publicado pela
imprensa.
Parochia de S. Salvador da S6 de Olinda, 18 de
dezembro de 1884. Eu, Theophilo Alves da Sil-
va, escrivio de paz o subscrevi.
Antonio Marques da Silva.


DECLARAGOES
A Camara Municipal da cidade do Recite
cjnvida as0 donos don estabelecimentos commer-
eases dan freguezias de Afogados e Varzea, para
virem 4 seccAo competente aferir os pesos, medi-
das e balancas dos mesmos, no proximo mes de
dezembro, sob pena da lei.
Paco da Camara Mnnicipal do Recife, 29 de
sovembro de 1884.
Jese Candido de Moraes,
Presidents.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.
Pela secretaria da Camara Municipal da ci-
dade do Recife se faz public que em virtude de
resolhca- da lilma. Camara, tomada em sossao de
17 do corrente, foi concedido o prazo de 30 dias,
pars os proprietarios dos estabelecimentos sa fre-
guezia de S Jose mandarem a seccao competent
aferirem os pesos, medidas e balances de seus
estabelecirneatos.
Seeretaria da Camara Municipal do Recife, 19
de dezembro de 1884.


0 amanuense, servindo de seeretario,
Leoncio Quintino de Castro Leao.
O IaNIuci~it

Pela secretaria da .Camara Municipal do Recife
ae faz public que a salgadeira so sul da Caban-
ga, que vai a leillo no dis 22 do corrente, esta
sujeita a ser dcmolida quando a Camara ordenar,
sob pens de nmulta de 6:000&, conforme consta de
um term de responsabilidade, assignado nesta
seeretaria per Virginio Horacio de Freitas.
8eretaria da amara Municipal do Recife, 49
de dezembro de 84.
0 amanuense servindo de secretario,
!i Leoncio Quintino de Castro Lego.
e.. euraM4a de Fazenda de
IPeramwbueo
SDe ordem do Mim. Sr. inspector se faz public
que no dia 26 do corrente, As 11 horas da manhbi,
se vepdera em hasta publics, peranto a respectiva
junta de Foaenda, o proprio naiona n. 55, sito
i rua de 8. Beato da cidado de Olinda, antiga
mente pertencente ao convento de N. S. do Carmo.
STheoraria de Faenda de Pernambeo, 20 de
Kdzembro de 1884.-0 ucretario da junta,
S Franzico Antoaio de Oliveita e Silva.


esmara munieipsa do Reelfe fas ciente
fteneir pnas, qoue em virtude da resda-
ad em nnk deo 17 do corrente, fbipro-
o prao de trinta dims, l paa dentro &e
webids Vn po.*sW para faictura do novo
da Boatit .; devendo diin prqptas
Ase.mU muaickW da Eee1fe9de4e-


Papeth olan de different formats, caderno.
Dito mats borrio, eartio, follha.
Pennam oslygrapfii ca, osixa.
Raspadeiras finas, um..
Tinta preta para eserever, garrafa.
Tintas ingleza blue black, boiso.
Tints earmim, fraseco.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 20 de
dezembro do 1884.
0 secretario da junta,
Francisco A. de Oliveira e Pilva.
Camara lnmicipal do Recife
Tendo-se esgotado o prazo para pagamento dos
diveruos impostos da municipalidade, como deter-
mins o art. 77 da lei n. 1,607, previne-se aos con-
tribuintes que fica prorogado por mais 30 dias
afim de satisfazerem ditos impostos livre de multa
de 50 o/o, conform precreve a lei citada.
Recife, 29 de novembro de 1884.
JosA Candido de Moraes,
President.
redro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.
Thesouraria de Fazenda de
Pernambueo
Emprestimo national de 50,000:0005000
De ordex do Illm. Sr. inspector, convido os pos-
suidores de titulos do emprestimo national a vi-
rem a eata Thesouraria ate o dia 31 do corrcnte
mez, apresentar os respectivos coupons, por ordem
de numeraco e acorn panhados dc urna declare .ao
aesignada polos referidos possuidores, de accord
corn o art. 15 das instrucces annexes ao decreto
n. 7,381 de 19 dejulho de 1879.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 22 de
dezenibro de 1884.
0 secretario dajunta,
Francisco Anitonio de Oliveira e Silva.


ompaiN a dosTrilOtsUrltanos- do

Rocifoe a 01inda eBobribo
Festa do Natal
Na noite de 24 do corrente a partir de
10 112 serAo oxpedidos trens extraordina-
rios do hera cm hera, corn todas as esta-
gles dos trens ordinaries, atW o primeiro
trem da tabella da madrugada seguinte.
No dia 25, far-se-hiAo trens extraordi-
narios as 10 112 da minanhAl o 10 112 da
noite.
Advertencia.-No caso de cover a pon
to de ser fraca a concurrencia serlo sup-
primidos os trens de 11 112 da noite da
vespers e 2 112 a 412 da madrugada do
dia.
Escriptorio do gerente, 22 de dezembro
de 1884.
A. P. Simiwes.


Estradade Ferro do Reei.

fe a Caxanga
FESTA DO NATAL
Alem dos trens da tabella, na noito de
24 e madrugada de 25 do corrente, have-
raomais os seguintes extraordinarios tocan-
do em todos os pontos.
NOITE DE24
Do Caxangi a rua Formosa 10 30, e 11I
horas pela linha principal.
Do Monteiro as 10-30, pela linhia do
Arraial.
MADRUGADA DO DIA 25
Da rua Formosaa CaxangA 12 5, 1 5,
2-5, 3 5, 4-&, pela linha principal.
Da rua Formosa ao Monteiro a 1- 30,
pela linha do Arraial.
Do CaxangA a rua Formosa 1 30, 2
30, 3 30, pela linha principal.
Os billihetes de ida e volta vendidos n-
dia 24 scrvir3o para voltar em qualquer
trem do dia 25.
Os bilhetes de assignaturas nao teram
valor nestes trens extraordinarios.
Os trens entire Arco e rua do Sol parti-
rAo em tempo de alcangar as partidas da
rua Formosa daudo mais dc urma viagem
se for precise.
Escriptorio da companhia 22 doe dezem-
bro de 1884.
W. W. Ostler.
Gerente


Arsenal de Guerra
De ordem do film. Sr. coronel director, faco pu-
blico quc nos terms dos arts. 95 e 96 do regula-
mento de 19 de tutubro de 1872, esta repartigao
prcisa contratar para o 1 semestre de 1885, por
nlo haver apparecido concurrentos no conselho
de 18 do andante, os artigon neguintes :
Pars o almozariado eoffeinas
Azeite de carrapato, litro.
Azeite de coco, idem.
Aldrabas de latilo e ferro de differences tamanhos,
urna.
Cabo de liUnho branco de diflerentes grossuras,
kilo.
Cabo de dito, alcatroado, idem.
Cravos de ferro, sortidos, milheiro.
Cola da Bahia, kilo.
Fie de algodlo national, idem.
Pio de veia, idem.
Fechadura do broeas pra perta, de differences
qualidadoa e urn.
Fe12ad0r A do la ferro pars gavetas, idem.
Limas e limates do e direntes qualidaden, dams.
Para o de ao de ofer a dieentes dimenA.


Cerjp. Santo
A actual mesa rgedora. queo foi imposada pelt
lhn. Sr. Dr. jtiz Id pelas em 15 do cotrentfr
tendo de proceder a cobrauna de todos aquellI
que se acham em debito comn a referida irmanda-
de, e algans em grande atraso, vein disto'dar se-
mecla mo B asoa locatarios como fadores dos pro
dios, o quo o enearrogado deste servigo 6 o iria
cobrador Joa6 Ferandes de Mello, quejAk exsre
outr'ora o dito lugar, e 6 bemrn conhecido de tocs
os irmlos.
Consistorio. em 23 de dezembro de 84.
0 eserivio,
Joio Facundo de Castro Menezes.

BIBuco C=iCII wgcela C. iioI

tNeOo P1ri herafi1co
Convindo tomar-se nma deliberafo definitive
sobre a organisagao do bauco commercial agricola
e hypothecario, a directoria da associaglo
mercial agricola convida os senhores subcripto*_-
res deste bauco A cotnparecerem na s6de desta
associaglo no dia 30 do corrente, A 1 hora da tar-
de. Recite, 23 de dezembto de 84.
Jos da Silva Loyo Junior,
President.
A. J. de Miranda Leal, -
Vioe-presidente.
Jos6 Fiuza de Oliveira,
I secretario.
S. de Barros'Barreto,
2- secretario
Andrd Maria Pinheiro,
Tbesoureiro.



SE GUROS
IIARITIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenix Per-
nambucana
Rua do Commercio n. 38.
UCONMPANIIA-AMP1IIITRITE-
de

seluos matimos e torreat]e
N. 9--Praga po Corpo Santo--N. 9

A NOVA-YORK
New-York Life Insurance
Company
Seguros de vida
39 annos de constantse prosperidade
Unica compunhia nesta provincia puramente
inutua.
Activo effective, 31 de dezembro de 1883, mais
de 55 milhes de dollars.
ESCRIPTORIO FILIAL
N. 1 -Praca do Corpo Santo-N. II


OMPANHIA P IMPERIAL

DE
SIEGUROR CONTRA F]OGO
EST: 1803 -
..'tictos e nercadoAas -
Texas baixas(
Prorpio pagamento de prejulzos
CAPITAL
Rs. 16,000:0004000
Agenites
BROWNS &C.
N. 5 Raa do Commercio N. 5

INDEINISADORA
Tonma segaros maritimnos e contra
IFOGO
RUA DO COMMERCOO N. 44
$E@DIO$

CONTRA FOGO

The Liverpool & London & Glob

INSUlRANCE COMPANY
AGENTS


smiuers Brotor & 0.
li--CORPO SANTO11.-

OOJP&M4IA DII SHllIIU8
CONTRA FOGO
North British & mercantile
CAPITAL
:00O0,000 de lbras sterUnas
A GENTES
Admson Howie & C.
RUA DO COMMERCIO N. 3.


Grande


crcoi


IAIPHIfflA RUROPHA
Equestre gymunaslica e acrbatica
DE
/PAUL AMIUNO
Largo do Arsefal do Quorra


Grande uovidade!
Estr6a do
f '-n :-


>oa, dsa nls eap
us don Inglezes.


re n. -32
pores sobre aasWi-
L Portugal, send
eilistas n 75 oN


Divertimentos em Olinda

Vosria e oih folosta
Ainmnhaa e depois
ianugrafao do cesmorama e
botequi do chalet do Carmo
CONTINUAVAO DO TIVOLY DO BRAGI-
NHA quole todo dia funcciana tend cada
vez mais concurrencia

IHusic ao ar lWO1, loeis dirs
0 programma serA minuciosamentc annunciado

t^[iliTlosT -
tompinhia Brasileira de Nave-
hgaeis a Vapor
PORTOS DO NORTE
Xanaos


Commandante 1-


tenente Guilhernm Wad-
dington
E' esperado dos portos do sul
at6 o dia 26 de dezembro e
seguiri depois da demora in-
dispensavel, para os portos
do norte ate Manios.


' Para carga, passagens, encommendas e valores,
tracta-se na agencia
46 -RUJA DO COMMERCIO 46

pacific Steam Navigation Conipanu
STRAITS OF MAGELLAN LINE
O VAPOR
jotopazi
Espera-se dos portos
do sul ate odia 5 de
janeiro, seguindo para
a Europa depois da
demora do costume.

Fira carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comes
Consignatarios
WVilson Sons & C., Limited
N 14-, DO COMMERCIO N. 14.


0 VAPOR
Patagonia
Espera-se do asul
Wat o dia 18 de ja-
neiro e seguirA
paras a Europa de-
peis da demora do
costume.


Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
frete: tracta-se comes
Consignatarios
Wilson Sons i& C., IAmited
U. 14-RUA DO COMIERCIO-N. 14
'ClGEEUNIS
Sompa liraeea de Navega
Vao a Vapor
Linha quinzenal centre o Havre, Lis
uoa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Ville de Maranhio

Espera-se dos ports
dosul ate dia 3 de
Janeiro, seguindo d1.-
SpIs da indispensa-
vol demoraparm o Ha-
vyre, com emeals per
Lisboa.

Os vapors desta companhia entrain no port,
sneorando em fronts aso oes da praga do Commer-
eio n send imuito incommodeo o embarque dos pas-
sageiro no fundeadouro das paquetes transatlan-
ticos, no Lamarao e demais devendo tod6s aportar
ao Havre, que e o port mais visinho de Paris, o
def6ra duvida que ha grande vantagem para quemn
quizer ir A Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, al6m de serem os preo -
das passagens mais medicos, as despezas do embar-
que aqui e as do transport do Havre a Paris, slo
muito menores do que as quo deinandam as viagens
tinos paquetes das outras linhas.
Coaduzem medico a horde, sAo de marcha rapid
P offerecem exeellentes commodes e optimo passa-
die-
As passagens poderao ser tomadas de antemao.
Reccbe carga, encommendas passageiros, para
os qunaeg temrn cxcoUllentes accommodaeces.
AGENTS
Augusto F. de Oliveira
&C.
142-RUA DO CONMEROIO 42

ROYAL WAIL STEAl PACKET


de eCOnAM
ir'aude redlueplo nos


8414.
~h~sd
4

4
0
S
U
S
a
U


passagens
Ilinerario
IDA
Southampton 1
Bordeaux 4
Tigo
S. ViW& *
Ifaesl6 21
Bahia 22
BiodoJaneho 2G
Santos 28
Montevide ..

Buemma ..




VIP'
Bouflumpton
I^^^H^:;'?'1 '*


pregos das


24
27
29
b
10
12
15
22
24
1
I
7
9
:18
14
20
26
28
30,


no b. Ido
id e. .1
Reeebe carga atWc
EcMWmnendaW passagen dinheiro a frte at6
a 8 horas da tare do dia da sahida.
ESCRIH"PRIO
Caem da Companhia Pernambucana
n. 12

Lisboa e Porlo
HersIlla
SegnirA em poucos dins ; recebe cargas a frefes
a tratar co Amorim IrmiAos & C.

LEILOES

Quarla-feira, 24 de dezembro
0 da loja de miudezas da rua Larga do Rosario
n. 38, pertencente a massa fallida de Dqmiao
Aderito Ferreira Lima.

Segundo ieilao definitive
No estabeleelmento A rua de %
Jorgen. 89, servlndo de base
o preeo obtldo de eaO0ooo.

QUata-oira 24 ffi ozeiBr
A's 11 horas
O preposto do ageute Burlamaqui, per mandado
e assistencia do Illm. Sr. Dr. juiz de direito de
orphalos, levarA a ultimno leilao os generous e mnais
utencilios existoates no estabelecimento sfto a rua
de S. Jorge n. 89 e pertencentes ao espolio do fi-
nado Agostinho Ribeiro da Silva.
Os Srs. pretendentes desde jA poderao entendcr-
se corn o mesmo preposto.

Leilao
Da armaAio, balcao, mercadorias e mrnais
pertences da loja de miudezas da runi
Larga do Rosario n. 38.

( uarta-foira, 24 1 e t xM fro
A's 11 horas
0 agent Pint.) levara A leilito a rquerinmento do
Dr. curador fiscal da mass fallida de DamniAo
Aderito Ferreira Lima, per inaulado e cin present
qa do Exin. Sr. Dr. juiz de direito ospeciai do coin-
mercio, a arina.ao e ieercadorias existentes no es
tabeleciunento da rua Larga do Rossrio n. 38,
bens pertenceintes a iiit;a inusa, isto as t11 horns
do diaacima dito na rfcridai loja.

Leilao

De fazendas linimpas e avariadas
Hoje 23 do corrente
AO MEIO DIA
POR INTERVENAO DO AGENT
lrAd0 Biiiinarl

Em sita agoncia a rna do Born Jesus n. 45

Leildao

De uni sobrado
Rp yto -iro R do norpppitp

A's H horas em popto
AVo armazem da rua do l1nperador n. 22
O preposto de Augusto Burlamaqut, levarai a
leilao par mandado e assistencia do Him. Sr. Dr.
juiz substitute dos feitos da fazenda, o sobrado da
rua do Coronel Suassuna n. 139, iregaeeia de S.
Jose, outr'ora rua de Hortas, e pertencente ans
herdeirus do Antonio Jose Pinto, e acha-se penho.
rado p)r execueao da Fazenla Provincial pare
pagamento.
Os Srs. pretenidentes desde ja poderao examiner
o dito sobrado.


Leilao
Da arma' o de amnarello envidraqada, 1 bakl-',
corn tampo de pedra,-.balancas corn conchas, 2 tei-
nos de medidas, 1 dito de pesos, 5 pipas vasias, e
1 balance roinana existentes na travessa sita a rua
do Born Jesus n. 13, antiga rnia da Cruz.
Sabbado 27 do eorrente
A's 11 horas
0 agent Gusmtno, autorisado por mnnd; o- 'o
him. Sr. Dr. juiz substitute 1,,3 feitos dai fazenda,
farA leil.io coin assistcnec ti e mais o1bjectos aeimina m'Tcionados pertencetcs
a Beltrno & C., c p:ur OxeUi.,'r1 I d ftZellnl.i nacio-
nal, cuj)iijlillo ser: vi fi"ctuad) In) escriptirio ido
mesinmo ente a run d Bd-jn .5s:s in 51. polen lo
os Srs. prctuiidentes ire:n cxas.rinnl-os ri i'i feridla
taverna.

Leilao

8Oxta-Iia, 26 Co r rM t
Ao emelo dia
CARMO E SILVA
Mobilias de jacaranda, ptio carga, guarda-ves-
tide, guarda-louna, commodas, aparador, mezas
elasticas, machines pars copiar, mesas para es-
criptorio, cofre de ferro, pianos novos usados, qua
dros, espelhos, lougas, vidros, terragem, miudezas,
joins, relogios, voltas meios adereoos, puleeiras,
correnteso e outros muitos objects que se acham
presents e que serio vendidos sem reserve de
prego para techar contas, come o ultimo dcste
anne.
Na ageneia

27--T avesa.ildCororlf SeItaO---27

ITrSOSDITEISOS


A Esta"ao
Compra-so dous numerous d'esse journal
de moda publicado no Rio de Janeiro; sto
do 30 de outubro o 15 do novembro do
corrento anno. A tratar n'esta typogra-
phiacom o administrador, no 1.o andar.


que naSo ignoraim.?.-.
^,Jl, IS> ~.\ :
SenadorJacnthosaes

de Mendonwa.
Jose Dias da Silva, da
Victoria, onde 6juiz

substitute.

Maj o r Bartholomeu
do Rego Barros, ve-

reador da Camara de
Gamelleira.
Alipio Accioli Santia-

go Ramos.
Joao de BarrosSantia-

go Ramos.
Clementino Pere irada

Costa, de Barreiros.
Antonio Ribeiro d'Al-

buquerque Mara-
nhao. do Cabo, enge-
nho Araqagy.

Loureno Bezerra de
SiqueiraCavalcanti,
engenho Castello,
Ipojuca.
Joao Baptista da Con-
ceiQao,engenhoSan-
ta Iita, Serinhhem.
Joaquim Manoel de
Souza Oliveira, en-
genho Cachoeira

Nova, Serinhaem.
Francisco Mau ricio de

Mello e Silva, Rio

Formoso.
Precisa--se de uma area de boa conduct,
para servio domestic ; na rua Primeiro de Mar-
ye n. 6-
Aluga-se na rua Imperial duas casas, ama
de pad ria, corn fiorno e utensilios, e outra de moo
,-,i__., na. 19!8ef 1 Q1. ..t v -," r-," ji ...^ aA.m^^ -
a failer co-nJos6 Feliciano de Nazareth. a ruea
de Pedro Affonso (outr'ora rua da Praia), arma-
zem n. 20
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
-la Ventura (na C puaga), propriedade do Dr.
Joao de Sa e Albuqu-rquc, a qu;l tern exaellentes
corninodos e grande sitio-: a tratar na rua Pri-
rieiro d- Maryo 13.
Fazem-se bouquets doe stores artifieiaes e natu-
rases, e bolinhos para cha eia libras e a retalhono
Caminho Nove n. 128, na inesma se dira quem
vinde um xarope pars asthma, e inflamacao do
pulmgo e peito, vindo do centre dos serties do
CearA, na mesina casa tori's-so pessoas orphaIos
desvaiidos que queiram servir em casa de fami-
lia, e aprender a5s trabalhos que se powder ensinar
na meoma casa precisa-se alugar um criadinho
pars vender bulls e fiores.


Per fiesta ou por anno, corn pagamento adi-
q.ntado ou fianca idonea equivalent, aluga-se
peq teno sitio da travessa da rua da Mangueira.
que foi do fallecido JoAo Francisco Cairneiro Mon-
teoro. Alem demuitas arvores fructiteras, taln-
ques ecaeimba coin excelleite agmaa pottvel, e se
aehar murado, tern casa die lmbiat:uo em born es-
t do, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto fdra p'ar' criiado ou feiitor, aecrcs:,.n-
do ser esse sitio niuito proximno ao rio Caipibaribc
* ai duai cst-i es da:t Casa Forte e Caidieirciro
Ia linhlia ferrea do Recifd a, Caxani : quenm o
pr-teudetr po6die entender so corn a fainilia do Sr.
'lanoel Miranda on corn o Sr. maj )i Jos6 Camel-
1 ,do R.ego B irros na inesinma travessa da rui da
Mantircira. q c Ihe inand.-ri ,nostrar e poderailo
dat as informacoes necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua V.-ha n. 5 .
Aluga-se a grande casa n. 15'fAi rua Impe-
rial, de azulejo, corn port e duas janellas de
Sfrente, estucada e ladrilho de mosaico, contend
2 salts, 1 gabinete, 5 quartos, cosinha fora, quis-
tal e muit.)s quartos no quintal, que mniurado,
tendoportao para a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacimba corn muito boa agua : a tratar no
escriptorio n. 54, primeiro an ir, A ran Duque
de Caxias.
S- Precisa-se de um caixeiro corn pratica de
molhados, de 12 A 14 annos de idade : na rua da
Florentina n. 8.
VENDE-SE nin piano forte ; a tratar no
pateo do Terco n. 18.
Aluga so o 2 andar do predio n. 51 A 6 ua
do Imperador corn grande e excellentes commo-
dos pars familiar, tern agua e gaz; traeta-se no pa-
vimnento terreo do predio n. 10 A rua do Commer-
cio.
Na rua da UniAo m. 13, se precise de uma
ama para cosinhar e comprar.


No escniptorio da companhia de Seguros
Maritimos e Terrestre Amphitrite, largo do Corpo
Santo n. 9, recebem-se por interniedio de corne-
tores geraes propostas em cartas fechadas a t o
dia 23 do corrente para venda de vinte ees de
ns. 271 A 275, 276 a 280, 281 A 285, 286 i 20 da
mesma companhia, as quaes serao entregun o a
quem mais offerecer, conforme o art. 17 don res-
peetivos estatutos.--Os directors,
A. M. de Amorim.
Manoel J. da Silva Guimarles
Joaqnim Lopes Macda:d ,
-0 abaixo asnignado fax publicob n
dia 15 do corrente perdeu umna letra da -
cia de 38:500000 eo as fimas
aceitante Firmino do FreitasNoge
Sr. Thendilo Broehetoi, nogdcao pa w'-
tonio Peirrira Pra Mnigociante wartai-


f^ "


















&II9 BR M jNI. e100 A 104
Qrai APOLL d 1oi 2E B

retarios deste bem conhecido es-


iectmento pelas suas r(
os melhores fabricantes,


tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem
grandes vantagetns para encommendas, como
provam corn os apparelhos completos assen-
tes nos eng'enhos Massauassu' e Bosque, e


meio apparelho no engenho Conceicao.
MACHINAS a vapor trabalhando s6 corn
.o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucau, em Gamelleira,
Diamante em Govanna, Paio Amarello, Ca-


mara e Lages em Itambe, Vidra(ao


em Pao


d'Alho, e outros no Rio Grande do -Norte


Parahyba.
Chamam a attencao dos


Srs. agricultores


para os novos vapores que tern recebido
dcreditado fabricante Robey, que se recoil
mendam pela facilidade de conduccio, ass


do
m-

51-


tamento e economic de combustivel, deixand6
de mencionar os engenhos em que os tern col-


locado, porjia lterem vendido 85 para diversos
lugares, e por issoja devem ser bem conhe-
cidos.
Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da colloca(ao e por sua
dura' o.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tem sempre grande depo-
sito, sendo tudo da melhor qualidade.
Ve-ndem a prazo ou a dinheiro corn des-
conto.


I FUNDICAO DO BOWMAN

RUA DO BRUMI N. 52

?PASSANDO 0 CHAFARIZ
| Offerece vantagens para as encommendas
de apparelhos aperfeieoados de fazer assu-
car, pelas suas relaeoes directs, e pelo born
-- exito dos apparelhos quo tern montado nos
S engenhos Unussu', Sa o Salvador, Maciape e
; Mussu', onde, comn um dispendio tanto menor
0 que nem se compare corn alhuns dos que por
ahi se tem feito, temn-se obtid resultados iguaes
senao superiores, em vulto de produtao, qua-
f lidade, e prego de venda.
4Chama a atteneao aos melhoramentos para
economia de combustivel quo tern introduzido
nos engenhos Pereirinha, Arara e Ora desta
provincia, e Boa Vista de Maranguape, aonde
corn o fogo do assentamento se produz o va-
por neeessario para a moagem.
SEm moendas, rodas dagua, vapores e todo o

V mahiimsmo e ferragens preciseos para enge-
Sahos tem a venda grande sortimento da me-
Ibor qualidade.
TRILHOS PARA CANNAS. Tern de systemapor-
ta il siaples, sem os inconvenientes qne al-
aresentam; corn eares proprios, loco-

IYaSetc. a preps razoaveis, podendo fa-
dra Paa o assentameIto.
,oa az, os a deta pro-
se aprazo, on a :hr


la64es


directs


anclar, ae v aa mannaRi -asa a suae. F.Y


SVende -se a tavernia d a Irua imperial n. 279 corn
pouoos funds, propria par. principlante; ome-
tivo da venda &6 o done ter de retirar. s per falta
de, ade.

Santa Casa de lisericordia do t conhecido do mundo inteiro
IedAe come o melhor 6 mais perfbito Q
Recie detodosossabas de toilette.
Especialidade.
Estractos 6 essenclas triples y
de cheiros. Agua de Colonia. M
Vinagres de toilette. P6s d'ar- d
Sroz. Pommadrs. Azeites 6 to-
I Superiores qualidades.
Dr. Antoaio 11Irculano de Souza Depositos nas principles Per-
evd Bandelra fumarias, Pharmacias 6 Cabel-
Devendo a junta administrative fazer celebrar leireiros do Brazil. (a
no 'ia 29 do corrente, trigeiimo dia do fa1ieci-
mento do ex-mordemo Dr. Antonio Hercul ano de ..s -. .
Souza Bandeira, na igreja de N. S. do Paraizo, oMedalha de Progrcsso Vienna 187
pelas 8 horas da manh, ruma missa de requiem por '
sun alma, convida aos parents e amigos do falle- US mi.s sem ..wn052 sls S
cido para assistirem a ease pio e earidoso acto.
Secretaria da Sanita Casa de Misericordia do
Recife, 23 de dezembro de 1884.
O escrivio,
Pedro Rodriosues de SBouza.

Acfbes entre amigos
que na aorte de 4:0004 tira urn aderego, brincos e'
alfinete do peito de mosaico, que devia currer corn af -
a ultima de dezeinbro, fica transferida para a
sexta loteria da provincia do mez de janeiro.

FORNECEDO.
1"ZI8140 D CSAREALGVO
Precisa-se de uma ama para andar corn meni- --
nos: na rua do Apollo n. 2, 1- andar. Sabl CG.ea Agua Czoa
Sabao superior n 1 A gu t d. tilrtfe
Oleo a V ir a r&.:,.i .!,ute n
^ AKII^WJ r- I'imrada n '..st;a pars dente n
XAROPE Cosr.netico n AUV para dente "
tranmparente n PV
DE Brilhanti"a n Cold Cream n
FI I A Perfume .!Sachet
I I I lU Deposito nas principals Perfumorins
5t 11 f 1Pharmnaclas e cabealeireiros. -
S1 W ........ ..
A.I TA IIII
MatA-Mata (lecythis idatimon) corn o qual sa Ij i
prepare este xarope urn vegetal da flora brasi- A e Liberlas
leira. Foraiu offertados a esta sociedade os seguintes
E' umn agent ther-apeutico poderosissino contra a lr n.9.
as molestiaE do peito e da asthma. quartos de bilSetes da loteria 96a, n. 9 pelo Sr.
consegairam um resultado muito satistactorio, aca- aeS 935 pgoSr a o P 1 por o.
Os~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~~~~Nvs nueoo ietdsqedletr et s,2 40 35pelo Sr. og aintdosLiaP 401rtooSr
bando por se reconhecer que e, atW hoje o meihor _______________
preparado par.i a cura da asthma, bronchite asth- -A pessoa que perdeu uma cambada de chaves
matica e antiga, e oppresses ; dispensando o em- em Beberibe dirija-se a rua de Santo Amaro n. 1,
prego do arsenico, folhas de estramonio e plants coxeira.
narcotics que acabam quasi sempre pelo abuso
que delle se faz e mesmo pelo uso prolongado por Aln oa
produzir effeitos desastrosas sobre a saude e em Al"U'- mili "Se-
geral entorpecimento do cerebro. o primeiro e segundo andares e sotio da casa n.
VENrDEoSE NA 13 A rua Velha de Santa Rita, com muitos corn
Botlea Franeeza de Rouquayrol modos ; a tratar na rua Primeiro de Margo n. 17,
Frtres loja, e as chaves se acham na loja do mesmo so-
suneeessores de A. Caors -rado. .
22=Ruada (7ruz=22 RECIEE '
lma de-leite ^LI~ ^
A nadel leite. Precisa-se de uma ama para comprar e cosulnhar
Precisa-se de uma ama que seja sadia-e tenha para duas pessoas : a tratar na rua Velha nu-
bastante leite : a tratar na rua Velha n. 91. mero 91.


RECLA ME
Os barateiros da rua Primneiro de Marco n. 20, sempre na fainma
de vender barato as suas mercadorias exp6em a apreciafao
public alguns artigos, cnjos preqos ndo receiam compe-
tencia, como sejam:
FUST(OES dTe cores de variados e mimnosos padres, a 240 rs. o covado
CASIMIRAS de algodto a 400 e 500 rs. o covado, que pechincha!
LEN(OES de bramante a 26200 urn, conv6m !
COBERTAS de ganga torradas, a 2800 urma, slo bern boas
BRIM pardo liso, 320 rs. o covao!
BORDADOS tapados, a 16, 1#500 e 26000 a pe9ga!
COSTUMIES de banho do nar, bern costurados, send para senhora 10#000
para home 84000 e para creana i 6000, urnm!
CRETONETTES claros, 240 rs. o covado, que pechincha!
CAMISAS de linho superi 3))es, a 45#000 a duzia!
CORTES de casimira, a .500 urnm!
SAIAS bordadas, a 36000 arma!
POUPELINAS e las, para 'quidar, a 240, 280 e 320 rs. o covado!
MERINO' preto, fino, a 1#000 o covado, aproveitem !
CORTES de ustao par facollUcte, especialidade n'esse genero, a 2# e 46000 o
cort3 !
MFIAS cruas, para home, a 46500 a duzia I
CASLMIRA preta alcochoada, a 2J200 o covado!
CEROULAS de bramantes a 16#000 a duzia!
SETINETAS de cores, a 500 rs. o covado !
CORTES de brim d'Angola para calga, a 1I-800 urnm!
DITOS de algodao a 1#000 urn!
ENTERTELA para camisas, a 800 rs. o metro !
E muitos outros arligos aproveitaveis.
N. B.,-.-Firmado nos principios economicos, contamos coinm-
pleta annuencia ao nosso RECLAIE.


AOS BARATEIROS
Na rua Primeiro de Marco n. 20.


FUNDICAO


GRIL


ALLAN PATERSON
N. 4-Rua do Brum-N. 44


a


C


JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS
Tern para veIder, por prees medicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas e bai*das.,
Crivag5es de diverssos tamalhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos models.
Portas de fornalha.
Baucos de ferro corn sefra circular.
Gradeamento paa jardim.
Vapwes1 firgad&3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Meda. de 10 a 40 polygadam de panadura.


maolniiuos executam q


SAUDPARA TODOS
Tratamento e eura radical de algumas mole!
tias que affligem a humanidade
ALTERACOES DO SANGUE
Pelo Rob Tonico, depurativo, Lechaux.
Doenpas da pelle
Pela Pomada Anti-Dartrica, Lechaux.
.Cthrros, osthma, tosses hrncbitos etc.
Pelo xarope de Ninous Lechaux.
Lombrigas, vermes, etc. -
Pelos poderosos Confeitos Vermruifugos Lechaux.
Pris6es do venture, affecoes do estomago, etc.
Pelas Pilulas Refrigerantes Purgativas de Iro6, Lechaux.
Chagas tleimiosas, fistulas, hemorrhoidas, etc.
Pelo Balsamo de Santo Antonio.
ENXAqUECAS, DORES DE CABEVA, ETC.
Pelos P6s LnOhaux.
CHAGAS NAS PERNAS, YARICER, ETGC.
Pelo Topico Piron-Sanchez de Lechaux.

ANEMIA, DEBILIDADE,NEVROSIS, ETC.


P~o
dPi P
de P


Phosphato de ferro soluvel de Lechaux.
Todos estes poderosos rcmicdios sao approvados pela Academia de Medicina


arise .


DEPOSIT GERAL


G. LAPORTE & C.
Venda a retalho m ludas as boas pharmiacias.




CAJURUBEBA
PREPARADO VIROSO DEPURATIVO
PPR ADO PE JUNTA DE HYGIENE PmmLICA DA TE
A Dm O FOM DECI TO IPlAL DI 20 DI JUBIO DI 18 3
COMPOSICAO DE FIRMING C. DE FIGUEIREDO
Emprogado corn a maior efficacia no rheumatismo
de qualquer natureza, em todas as molestias da polle, nas leuchorr6aq ou
flares brancas, nos soffrimentos occasionados pela
impureza do sangue, e finalmente nas differences f6rmas da syphilis.
Propagador-A. P. da Cunha

As importantes curas, que este poderposo medicamento tefl lprodu-
S zido, attestadas por pessoas de elevada posigao social, fazem corn
que de toda parte seja elle procurado, como o melhor e mais ener-
gico depurativo do sangue.
Depurar o sangue, como condigo de uma circula Ao benefica e effi-
caz, eis em que consiste principalmente o meio mais seguro de
conservar a saide e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion.
0 Cajirubeba pela sua acgio tonica e energicamente depurativa,
6 o medicamento que actualmente p6de conseguir esse resultado
sem prejudicar, nem alterar as funcoes do estomago e dos intesti-
nos, porque nio contem substancias nocivas, apezar do vigor depu-
rativo dos products que constituem a base principal desse medica-
mento. ,-
D'entre as muitas curas que tern feito, citamos as seguintes, com-
provadas pelo testemunho dos distinctos e conhecidos cavalheiros
que firmam os attestados.
Al6m dessas, alias irrecusaveis provas, offerecemos mais, como
garantia de nossas asseveracoes, o testemunho dos illustres medi-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga, e Joio da Silva Ramos, que em sua clinic tem conseguido
os mais brilhantes resultados corn o emprego do Cajiftirubeba.
k.: = .I ...- I


Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Doutor
pela Faculdade de Medicina da Bahia, Ci-
rurgiao- M6r do Commando Superior da
Guarda Nacional do municipio do Recife,
1- CirurgiAo Honorario do Corpo de Saide
do Exercito, Official e Commendador da
Imperial Ordem da Rosa, Inspector de sai-
de public e do porto de Pernambuco, Com-
mendador da Imperial Ordem de N. S. Je-
sus Christo, Membro do Institute Medico
Pernambucano, Medico do grande Hospital
Pedro II, Socio da Propagadora da Instruc-
Vlo Publica e de muitas outras sociedades
scientificas e humanitarias, etc. .--
Attesto que tenho experimentado em me-
lestias chronicas da pelle e rheumatismos o
Uajurubdba do Sr. Antonio Pereira da Cunha,
e tirade born resultado.
0 referido affirmo in fide mei gradu.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
p Dr. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso.
Praxedes Gomes de Souza Pitanga, Doutor
em Medicina pela Faculdade da Bahia,
Commendador da Real Ordem de Christo,
Cavalheiro da Coroa de Ferro da Italia, 1"
Cirurgiao reformado do Corpo de Safide do
Exercito, condecorado corn as medalhas de
passador de ouro da Campanha do Paraguay
e de prata do Uruguay, Deputado A Assem-
blWa Provincial, medico do Real Hospital
Beneficente Portuguez, membro de diversas
sociedades litterarias, etc., etc.
Attesto que appliquei o elixir Cqa)rubba
em casos de rheumatismos agudos, e obtive
excellentes resultados, sendo que por isso o
tenho preferido ao xarope de Ricord iodure-
tado.
0 referido e verdade, que affirmo em fe de
men grfio.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
1 Dr. Praxedes Gomes de Souza Pitanga.
Recife, 17 de Maio de 1884.-Illm. Sr. Fir-
mino Candido de Figueiredo.-Cabe-me a sa-
tisfaAo de communicar-lhe o benefico resul-
tado obtido pelo sea preparado Cajwubdba no
tratamento da enfermidade de que estava sof-
frendo men filho. menor de 4 annos e meio
de idade,
Sobrevindo neste, apts dous annos de sof-
frimentos, resultantes da deslocaiao da espi-
nha dorsal, um formidavel tumor na perna
direita, do qual originou-se uma fistula corn
grande e incessante derramamento de pfis, a
sua safide, a juizo de alguns facultativos,
tornou-se seriamente compromettida, sendo
que mais me constrangia dizerem estes, antes
e depois da appariqAo do mesmo tumor, que
men filho jimais poderia andar. Eis quando
um parent, yela proficua experiencia que
tinha do CajurM5ba, aconselhon-me o em-
prego de tio imoxrtante remedio.
Effectivamente o fiz e corn tao feliz resul-
tado que em meio do primeiro frasco acha-
va-se a crianca corn tamanha robustez a ponto
de andar a casa today, nio sentindo mais as
does na espinha, que tanto a torturavam; a
fistula cessou de tanto suppurar e apenas ma-
rejava uma agua esbranquiada, devendo-se
supper proveniente, segundo o citado juizo,
de haver osso cariado.
Emfim, 6 tal o vigor de que gosa hoje meu
fl'o que, parece-me, corn o use do terceiro
frasco do Cajurubsa conseguirei a cura radi-
cal da iSatula, muito embora o cariamento do
oseO; sendo para notar que o Coanyrbda teve
a fore, de destruir sem a menor operacao as
canes esponjosas geradas nas bordas da refe-
ridafitk
E pra que Vmc. posse fazer o uso que ihe
appouver desta ainla declaraVo escripta,
per verdade subsrevo-me de Vmc. attencioso
veneradore criado, XManodel Florencia d& Mo-
rat F ir (P mpregado- na Thesouraria de
11Faxunda. ,^ *1


Joio da Silva Ramos, Medico pela Universi-
dade de Coimbra, Cavalheiro da Imperial
Ordem da Rosa, Commendador dasOrdens
portuguezas de N. S. Jesus Christo e N. S.
da Conceiqlo de Villa Viqosa, Fidalgo Ca-
valheiro da Casa Real Portugueza, Moco
Fidalgo corn exercicio no Paco Imperial do
Brasil, Socio Correspondente da Sociedade
das Sciencias medical de Lisb6a e da de
Medicine de Paris, etc,, etc.
Attesto que tendo empregado em meus do-
entes, durante trinta annos que exerqo a cli-
nica, todos os depurativos conhecidos, qu4r
nacionaes, quer estrangeiros, de nenhum tire
tao prompto e efficaz resultado no rheuma-
tismo, na syphilis, e nas molestias da pelle
come do Caj4rubba do Sr. Antonio Pereira
da Cuanha, ao qual devo o restabelecinmento
de varies doentes, de cuja cura eu tinha desa-
nimado corn o emprego dos outros depu-
rantes.
0 que fica dito 6 verdade, que confirmarei,
se precise for, corn o juramento de meu grAo.
Recife, 22 de Junho de 1884.
Dr. Jodo da Silva Ramnos.
Attesto, torque vi e observe, que a preta
Escolastica nfio andava a quasi 8 annos, tendo
as pernas completamente chagadas, e corn o
emprego do Cajtrubgba desappareceram as
chagas e comeoou a andar. Recife, 6 de
Agosto de 1883.- Gervasio Campello Pires
Ferreira (Desembargador da Relacdo de Per-
nambuco). -
Recife, 22 de Abril de 1883.- Illm. Sr. Fir-
mino Candido de Figueiredo. Jose Caetano
de Medeiros, Tenente-Coronel da Guirda Na-
cional e Cavalheiro da Ordem de Christo. -
Declaro que o seu preparado Cajiruboba 6 um
prodigio Meu filho Cleofas soffria de dartros
a ponto de se ir tornando uma-cnolestia s6riii;
depois de se ter tratado homeopathicamente
e corn mais outros remedlos, serm que m ivlho-
rasse, usou do seu Cajurubiba, c antes de
acabar um frasco desappnrecer,,n como nor
milagre.-Um outro men fill :cT r Y, 01 nma
ferida na perna, e depois d,' tC.i:;. a. dsa e
Caroba por alguns mezes, sem que a molestia
obedecesse, corn o uso do sen milagroso Caj6-
rubeMba ficou perfeitaeneiitc cuirado.-Uma mi-
Anha neta, soffrendo dc flores brancans, recor-
reu ao seu preparado, e em pooies dias ficou
b6a. A' vista disto nAo devo occultar tao pro-
digioso medicanimcnto, nwio s6 para animnal-o
em seu traballio, como para eusiaar aos sof-
fredores a taboa da salva,io. Jose Caetano
de Medeiros.
Parahyba, 3 do Marco de 1884. Snr. Ro-
gaciano Olympio de Oliveiua.-Scndo eu nes-
ta provincia o ageiite encarregado da venda
do medicamento ('jijrubeba, e tendo Vnic.
feito uso do minesmno, rogo-lhe se digne de in-
formar-mei corn franqueza o estado em que se
achava, e o resultado que tirou copn'iuesmo
medicamento, podendo eu fazer uso de sua
resposta.- Sou corn estima d VineVmc., Manoel
Perei, a da Caunia. -'.
Sr. Manoel Pereira da Cunha.-Tendo com-
prado em sua fabric ApoUo o preparado vi-
noso, denominado C4fjirubba, para meu pai,
que se achava sofrendo de uma erysipela no
pe direito a mafs de dois annos, reapparecen-
do-lhe corn periods de mezes, e fazendo elle
use do Cajkrubnba, corn oito dias sentio gran-
de melhora e hoje acha-se curado.
Outros incommodes que tambem soffria,
come uma inflammacao no estomago e uma
empigem, desappaeceram corn o use do Ca-
jirubhba. Desta minha resposta pode fazer
o use qu e ihe convier.-De V. S. amigo, at-
tento e criado, Rogaciano lympio de oOivera
(Despachante da Alfandega).
Acham-se devidamente reconhecidas todas
as firmas dos attestados per tabellijes pu-
blicos.


DEPOSIT CENTRAL-Vsbrioa Apollo, Rua do Hospioo 79, PEBNAMBUCO.
A' en&da nom depetosit d eemsma fabrica--a do Marque d,'Oinda 62, e rua do Cabugi 14.


e corn um dis-


1


I











* IF.. -


1.*.


S GRANDE OFFINA DE ALFAIATE


SIUAM LUSTOSA &


Co


,. Ne 4f--Rla do Bario da Vicderia--41
. N'este acreditado estabelecimento se encontrarA sempre um sortimento ; re-
" pleto do pannos finos, casemira de todas as cores, proprias para costumes e caleascom-
cebemos directamente aa cmna fazendas por todos os vapores da -FLopa. Brim
branco e de cores, e todas as fazendas tendentes A uma casa nesse genero de negocio.
/ Aprompta-se costumes para luto em 12 horas.
Disp& e de urn pessoal habilitado e corn os melhores elements para s ervir
a seus amigos, e a qualquer pessoa que quizer honrar seu estabelecimento corn suas
encommendas.
41--Rua do Barto da Victoria-41


N


IN






0

U


JOSEPH KRAUSE a C.
Acabam de augnpientar o sou ja bern mconhecido
inporlante eslabelecimentlo rna o
de marfo n. 6 coin mais
um salk no to andar luxuosamente pepar-
rado e provide de uma exposi.


ao de obras de prala do Porlo


e electro-plate


dos mais afamados fabricanles do


mundo inleiro.
Convida, pois, as Exmnas. families, seus nnme-
rosos amigos e freguezes a visilarem
o sen estabelecimenlo, afim de
apreciarem a grandeza e bom gosto corn que
o obslanle a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincial.
AGA-SE ABRE TODAS 7 Ai's 8 DA NOITi


nt

0



N

>4

N


ELIXIR &VINHO I
'' XigMostiros
TROUETTE-PERRET
de PAPAINA (Pepsin. vegetal)


Os male podarosos digestives conhecidos ate agora, pra coutba U
AFFEC96ES DO ESTOM O: 6ASTRITE, GASTRALGI-
iiREAS, VOIlrOS, PESO 10 ESTOMAGO, NA MIES1AU. ETC., ETC.
O GC ALO O I DEPOIS Di GOM1)A BASTA PARA CUrAR OS CASOS M&IMS RBBMZS
Svenda ums prti6cipass Pharmacias e Drogarias.
FVnmd em rene m Puris :TROUaTTB-PERRIET, m S tnt-AMeiMe, 4U
De-." eaigilr ag do cwwme wrm mbre os Frascos pam evitar aa FsIaSefC .
I,, i'larios efn PernazbucQ : FBAN" M. da SILVA 6 CO.


WOriza-.Lonica?
1AiUA VEGEMAL COAM W K"FUMES ABABO
'^^--'"^^QUAIOADACK SUPKRHOR ^
^H^W ?hntpufN CAI~tiiCS .gsMautfa Srifa i^ CDIEG
bm a L io 6 o extracto da substanum detowsn e foitificamies 'L
g^an do ovo. Pdo uw uo0, consesvfm- o zxio e a sad* do am--
b huo; impoe-e o Cakbe de cainr. Os sew peaunes sieo 1 a
M m dui deois d se tr seruido dia, um chiro ugradavol. Me
_5Z Mwst mrvetaoi
ip.B "W I V I ORMZA DS AMPA VLANd VLAUO
4-r i ::Y V8 JASMIM O'PACNE POIM jiLCUl' OWDpfC
BlaOd-WM TEiVOL ICLEYTR DOB U 4
_-_--. w we"' *IIOJ, I $e. OUQUNT IOPOPLM4. A,
L.L
L LEGRAND, PDrrnw mmem. a am m a own
PARIS W07. rua Ialst-Harwi, 807 PARM@
MacErTO 14AS PUMmauAS PFU1MAB aS c CISAS CD CABELLRBUMA

(ELICAlhiA vt EOORA rpi)it4
t &. ijfl IGE As F.ZU.j TADO POX T0 1%% A. TS
Bl~f^"^fl ^ ^^^ ^^^ C21a~eidadu ~e~asg
T'lisaB a~Ie.'m^t .f^fVJ- DAFRAHAKeA5ABKiOPA
"la w 3 D ,-,. ILES-1 A 00 ITO,
:* S 1&EO FIKWSIIU n iAFFECCOES ESCIWFULOS A
7 AF# WcaLAO FEIWUgBMSD A.6.^ IESF^ ;lB~(
dA"fi r^ 0 CVM- ?^ -IM RPHD^ a w
E fl l 019TU IIIB Pdel de1 -
.mb D i i-t-u B re 21 !M. I Ii
Diuuu qn~ Ol L &I W-i VA 4k C1. ua 986UNPOM Wk 1"I L


~4UTI
PEP'


44


e~f~


1I


*l^ f : J--:' ^ '.'- *-:..-" >'.* **
usti '.~,i; 1 -~. -. i-.c: ,


.5-


..... .. ,. .T' --' -a t,.


Criado
Precisa-se de urn criado : no largo do mercado
n. 33, hotel.

Aviso
AvISe
JA chegeu para o unico agent nesta provincia
o acreditado kerozeni, imexplosivo de Coral &
Caraoso, que se acha A venda no unico depoeito A
rua do Born Jesus n. 38, junto ao corroio.
Olbem!
E' na casa n. 112 da rua Vidal de Negrciros
onde se encontra sempre grande variedade em dG -
ces de goiaba, banana, geleas e de outras fructas
do paiz, em latas P eaixaosinhos; tambem recebe-
se encommiendas para as qualidades especiaes da-
quelle genero que serao promptificadas, corn prazo
convencionavel.

Alugamse
0 20 andar n. 34, sito & rua do Apollo: ai tratar
no n. 36.
Ama de leite
Offereec-se unia ama de leite: na rua das Aguas
Verdes n. 37.
Cidade da. Escada
Vende-se doze casinhas situadas na rua do
Cochicho.
PtIe laps 2liROR?


UiUU pUlU udiusul
Aluga-se a casa da rua de S. Joao n 7, a qual
tern agua encanada e terreno comn portao no oitao ;
trata-se na rua da Imperatriz n. 16, 2- anudar, ou
no Consulado Provincial cam o thesoureiro.
Alugam-se o lo andar da easa n. lb, o 20 da
de n. 66 A rum Direita; o lo, 20 c 3o da de n. 3 A
rua da Penha; o 2' da dtie n. 25 a rua de Santa i
Rita ; o 1o da dc n. 34 A rua do Rosario Estreita ;
a tratar na rua do H,-ospicio n. 32.
Para escriptorio, consultorio ou para peque-
na familiar, aluga-se um pritneiroc andar na rua
Nova : a tratar na loja n. 40.
I F--i- --r-: -- -- I
-7 17M
Pessoas do ma f6-Vi-l.d'i !. -
.1 i, Uci de Xarope e Gr-ageas o.'- .
I gundo a formula do D'. Gibert iil
Silc Gibert & Boutigny, contrafac- ,
;t ".6es e imitar6es maw ou ienlins .,-
Sinertes ou perigosas.
I So ~~a-araniinios as verdadeiras
I Grageas e o verdadeiro Xarope .
.. Dapurativo lodurado d, D'. 0
: bc-rt cuijo ro ihlo levt em '|ii;i I i-, ;tr- -'
S ii;ida as assigiaimin;as do Dr. Gibert
4d Ct Boutigny S*i,.es.ores e aleus
Sdisto, o sell do tIovero, Fc":.. :
I i11iio ,'w so com thil:m o//i .- 1r1' ( ;1 1! i ,:,, ,' ,
I -" dcsts preparades I, de 5 'rai;inus iii
'I .1 Imi.,. ,______ -
;ira ;,ilisf:izer ao ileseje, I, I l ,ii I I
cui c iia l ce' cia |r-"." 'n is i'iin ,".''iic ,,i5j en'- i 4
SrI;r Pll Grageas I'- c,)/" i'cici/ici j,
ieiluc' e i i' ,-li i ie'c I. I 'r -g
ri\:\p.;.
I i A A,.i.'.5s mml'PlF-.i. L rm J-
I I OLULEiL eE -'PA DI. '-.11"tPE -
,, ,, :,/, no i,,;O oil ic w '.. ,c i ... j
x Gra-.as Depurativas lodurada'-
do D. Gibrt i.-in -i!r.- Xarope ,
'/i'-d. ,.' cId i i-. .1 cc0 1 *le 111 'ci l I-
i S inelhor, ic;li; activo .. econoumico
I- le todos os depurativos conhc-
I cidos.
I p. lgnr,,h'ri-.; em tohlif ,,.0 /I o #..,
f ,, 'l-, -.,s-.i r;- ,i-., .* .l'ii r i -


r


CHAPELINAS E CHAPEOS
NA


Prapa da lndependencia ns. 56 40
DE


T*^_,m~~~~~ ~~~~ ._j L .Mi^a .^^ ,:ji~ ^ .^ &A~ .f 1 .
pr.-imw



da CAuzn. n, Recife.
Aima
Na praqa do Conde d'Eu n. 7, segundo andar,
se precisa de urea ama que, cosinhe bern e de boa
conduIta,
Caixeiro
Preceisa-se de um caixeiro com pratica: a tra-
tar na refinaio do Varadouro em Olinda.
-.. Alnga.se a casa da runa do
Fogs B. 50, a tratar na ra do
Bario da Victoria n. 14.


COSTULiA


~~~I- s... G
SINGER! SINGER!
MHINS DE COSTB8TURA AICHINAS DE GOSTURA
VENDAS DO ULTINO ANNO 605,292
0 1 I 1 I-- I I


*1~


P asl'oa st

SUM'
|iqawda p@6 D.CAYIaOAnuimJgAJP
DEPOSIT GERAL
13-Run Primeiro de Marco-13
Rio de Janeiro
Unico agent cm Pernambuco
.DMDAUQN HOW'IE aC.
N. 3 == Rua do Commcrcio = N. 3
A venda em todrlas as boricas e drogarias


Ama
Para eonsiihar para poue;i ahmilia, a rua da
Aurora n. 139, atratar d;ias 3 ;is 6 hnras da tsrde.
Aluga.se baralo
0 20 anaar 'da ruas do Born Jesus (Recife).
Armazem da trax'essa do Campellc n. 1. Recife.
Casa terra da ru:i dai i-ontc Velha n, 22.
Casa terra n. 1, B e I C na Baixa-verde.
A, casa a rua d) Visconde de A tr tar no largo do Corpo Sanin. 1, prinmeir
audar


A deA
Precisa-se de uena


Quem Hao iem onvidfO llar l ins amosas nmacinas de eosiura ne e. cosi eira pa-
Singer ? erfeia t c esqiieira pa-
Emi prestaeoes seman.ae. a easa de peque a a-
D DE nilia, que conipre e nao
1 ) fi A duriua It ra: a tratar na

-- U UUUu Orua das Cruzes n. 39,
'"f 1 o ^ &
i '4 V. Quando o pagamento por este sYstema be I andaI',de 11 'a 's 2
i-'I .1. effectunr dentro de quatr mozne. rt.batinient.o 1. a d de 1
(I e 5.500. a iiiaua.
Abatinmento de (13001-) a dinheiro vista. a
.%-. W- 'Roga-se aos pretendentes de virem no enes- Vicenie Fecrreira Bl rbua
.....- --," e iptorio da companhia para infrma s Jo du ve ,to, AlfredoM L al Reise Pe-
L--.___--. "" : .... -- [ P "l- dro Manoel da Costa. Re,,o convilam 'a todos o-
-- ^ ^ -cumstanciadas. seus amios para ;issistirem as missuas que man-
m--^ Iinmensa e real vantageim obter-se o dthim 1',sis s. horits d a manhA 'Li dia 24 do cor-
__-__ melhor artigo nas inelliores condicoes. rente, na matriz d: Boa-Visti, setimo dia do
De hoje em dianle ninoguiem comprarA senio a verdadeira 0p.sameto do .eu pieeado amig Viente Fe-
a ch d siw w I !-ira Barbo iiumi como convi lawaos amigos
machlna de M II l ER| do fall, ido pira hoDrarem estn aeto de religiao e
"fI == c"= TT^ f T "i "tP ', \aridaile, pelb, *-ue .leLld i.i confess;.m eterna-
C ente :igradeid,-s.
PORQUE? ui -
1.0 Por ser ineontustavelmente a melhor. nais fIore. nuals bemn sa- ---'.
bada. nials simples, mals duradoura. a unica que tern obtido iniis d 300 .) -.Q
medalhas, c a unica qne tpim rnis de 100 imnitadores. i I
2. Por existir urn deposit succursal da propria eompanhia, oncle so gp ran- '-': '
te estas machines por un tempo illlniidiado e ono sen;>re so c,-vontra- Jose 'nuriano Tavares (ordleio
tudo que diz respeito as mesmas. .'aria V d 1' 'izde-(Jli-. TL% .cmCurdlero, Dio-
niia.1, M V az de Oliv-ira ,R'tr Augusta Vaz de
o Finalmeute, porque aquellas pessoas que attF o Lpreutnt, por falta de meos, liira Fncis aver z d livira b-
:" ,P t "P .. t P ... P _-li,'eira, Francisca Xavier \;;z de ;liveira b,9-
nio podiarnm satistazer o set desejo comprando uwna d'estas excellentes mailiiuas, echar-l S-lustianmo Jose ,I.-Olivoira, Felicio Jos".
podem agora coru toda a facilidade compral-as mnedianto a ,olies pn's-t;.:'io ideu Vaz de )livir:i, Antonio .Juj' Vaz dQ Oliveira.
S. AIfr-ldo Jo.-L V;iz -le Olivimia, Eue;:ii? Jose Vaz
|I M -' i- I "l( l" i I 4 de Oliveira, mnulher, so-gr., e uuimhailos inmndain
nI n n un u nl-nnn- n1 I 1 l I/ ,' T resar uma nissa pr ailm:i do sen finado miarido.
1$O O O P 7 l SE _..II. X.-L A H na inatriz da B.-a. Vista, pela, S h i-ras di manh.
Recommendamos corn insistencia- Niio se illhladam com as niachinas do dia 26 do corrente, tri._esicno do sou passamen-
que trazem o nosso nome e que o io nassam de R 'INiS 1111- to, e para esse actode c-:aridsd e rei'-iAo, couvi-
TAAES. dam aos parents e amigos do nr mo hfinado.
SVeadeio ta mfinherl 1inha ;tiperior, rotr,17 Pm reim.me!ls, Ggulhass, oleo, Iinhl Tia It
ile crochet, peas avulsas para as inachinas, tu.lo dL1 superior qualida,.le e por preeos ,' -.'
sem competencia. ... .
0 unleo deposit das verdadeiras machines de Singer e na 1


Rua do Cabuga n. I A. Perinanbuco
Direcio geral da America do snul.-IOl rua do Onvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa malriz...-4 Inion Square, New-York.


I

L


SANDALO MIDY
Pharmaveutlco de ia Casse em Pails.
Ajppzrovado /ela Junta r.entral de Hygions do BrasiL


Estas cap, ias acacam coin os fluxos em 48 horas, suppri-
mindo a Copahiba, Cubebas e Injeoges.
Deposito em Paria, 8, rnaVivienne,e nas prmincipaes Pharmaceb.


De Lactophosphato de Cal
Admit-ido na Bova pharmacop6a official de Fianpa. Approvado pela Junta central de Hygiene do BraziL
As experiencias dos medicos mais celebres do mundo tem provado que o lactophosphato de cal
rti estado soluvel, como se acha no Vinho e no Xarope de Dusart. 6, em todos os periods da vida
o r-econstituinte por excellencia do corpo humane
N as mulheres gravidas, facility o desenvolvimento do feto e basta muitas vezes para evitar os vomitos e
cjtros accidents da gravidez. Administrado As amas de leite enrique-se-lhes o leite, preservando as creangas
de .olicas e diarrheas; a dentifao faz-se facilmente, sem d6r e sem convulsdes. MLs tarde quando a creanca
estA pallida, lymphatica, corn as carnes flaccidas, que apparecem glandulas no pescogo, a cha-se no lacto-
phosphato de cal umn remedio sempre efficaz.
Sua acqAo reparadora e reconstituinte nao e menos segura para os adults anemicos, que soffrem de ma
digestmo e para os que se acham enfraquecidos pela edade ou pelos excesses. Seu uso 6 precioso para os
tisicos porque traz a cicatrisaqdo dos tuberculos do pulmao e sustenta as forces do doente, favoirvcendo sua
alimentacdo. Em resumo o Xarope e o Vinho de Dusart estimulam o appetite, estaoelecem a
nutriAo 'de urma maneira complete e asseguram a formafdo regular dos ossos, dos musculos e do sangue.
< DI_ Siv#1, Pharmaceutico, 8, ruaM Violenne, PARIS e nas principles Pharmiacias e Drogarias /


Sulfato de Quininade Pelletier
Chamado dos 3 Cachets


ARMET DE LISLE & C", Successores
Desde adecoleberta doSulfato de Quinlinf por PErLLrIER, este product tern marriatido a sun'reputrllo de
bondade e pureza, e a sua marca d prc-lerida em lod's os mereados (do II1indo,( apez;ir da COmplitLt'irla e da
falsificagdo. Os Snrs. Aimi.n-r n.I Lisu.I-, successores de Pellctier, Ire:lismiiduj um novo pI.)resso. iiittric.-iiril
o Sulfato de Quinli-a de Pelletier em loiluenas capsules redonwlas, delgd:id.-, l'itlmlslrenllos, minlito
so uLveis, ile consei'v I."o imilefinid'i,que ifno eidurecem como as pilui:.s gr)ag,'is. S;>< oi eSb-,t.iic.- t-t'0l i4iis
febres p!rnicio3as, terciarias e palustres, d:.i d6res de cabca. enxaqcU.cas c nevralgias,
gota, rheum-imLusmo, ;s a ffecges do figado e do bago. Na dose 'dL; iimni uni s d -m : (:, o 0 uAo
de Quiniira cols:i uoiio nais poderoso dos tonicos; excita o appetite, favore-e i (1ii,-.A)o, -cmL;ble as ali.pi-
raq5es exagerad.Li.i-.rearunmaas forpaa e di aoberpu a energia necesr;.r'ia para resistir ;'s tfe'es e cnermiil;.!o,
infecciosa-i. Velltide-se em rascos de 10, )0, 100, 200, 51J0 e 1,000 capsulas,&oque periiilltte ao pjharimuceutico
satisfazer todas as prescripoes medical. \
Cada capsula coeni kdis ,eitigaammas e lexa o nome Icllultier implreso em prl'i(o,[..
DLPdit.W.!s o, emPA I',mlJfr& DHAv8, i f nsu V jte, eLcntrarn-se em todas.as Phaimacias,


V I .. .
;, ,_-4 """ --
""3 -I cii5 I.i l I i i i I d" i I t". c I
... .. ....
- ., +,, .


~~1~~-~~


Leonilia Rosa do. %aiito e Veras
Antonio Martiniano Ver;i., R)mao Felomeno
V.-ras e seus irniaos (aus.ente.-, Julia Thieodoricai
Vcras. Jose de Calaznius Ver s e Cesario Virgilio
Veras mandarin celebriar misses n m:itriz de San-
to Antonio, quarts feira, ;i 7 iioraq da manhi.
setimo ilia do infausto pass:;,inento de sua extre-
mosa mai, na provincia do Mlaranhao. logain :is
pessoas de sa amizaide o caridoso obseqnio dr
assistirern a esse r'ligioso aeto, pelo q'ie Ihes fi-
caras eternamente :igr-tdeidos.




Maria Antonia da Pureza e
Albuquerque
Hermenegildo Coelho da Silva, major Jezuino dai
Costa de Albuquerque Mellk.-, eapitao Francelino
Americo de Albuquerque M-llo, capitiao) Candido
Augusto de Albuquerque MAlello, eapitao Jo.'io Hen-
rique de Albuquerque Mello, tenonte Manoel Bel-
larmino de Albuquerque Mello, D. Marmi Coelho
daSilva, D Hermelinda de Albuquerque Mello,
D. Idalina Coeliho da Silva, D. Maria Magdalena
Meira de Vasconcellos, D. Humbel;na Coelno da
Silva, D. Heiculana Joaquina da i\orciumcula,
Jos. da Costa de Albuquerque Mello, Juvino Ser-
gio de Albuquerque Mello, D1) Hermelinda Candi-
da de Albuquerque Meli., filhos, irmaos, notetos e
nora de D. Maria AnItonia dt Pureza e Albuquer-
qne agradecem a;i todas as ppssoas que acompa-
nharam ao ceiniterio public os restos in rCites do
sua presada inai, irma, av'i e sogra ; de unovo
convidain a u.-uo parents e amirgos para assisti-
rem as missais que mandarn resar na igreja matriz
de Boa-Vista, As 8 lioras da inaunba d dia 28do
corrente, sutimo de seu passamento.

Doce de caju em calda
tem comnpetencia
Acita-sc enenniniend;s A rut Impi- .1 ln. 134,
ou rua de Hortas n. 1, taverna, onde ci,.' -ntrartao
os pr. tenleuntes a mostra. Aceita se cmoummen-
das pi-'a embarquec.
Chamado
Pede-se ao Sr. Carlos Augusto Guimar;es Pas-
sos. que ultimamente bacharelou-se. e ao Sr.
Octaviano Pert ira Suzart, primeiro annista, a vi-
rem d rua do Imperador, armazem de moveis, IiU-
quidarem o negocio que nao ignoranm.


Q Quem quizer alugar o segundo andar do
@ sobrado n. 43 A rua da Aurra, podera
:Cfl procurar as caves em a eaaa do. Srs.
Negreiros & lrmao n. S0, & runa do ImF-
rador.


No armazem do Vas -Wun 'I
daAurora d S #
Vrnda come mo- -' :;: '*"
Gorma doe ararata e atares l "
D. Jpronyma Couss ro. 41 *c.'.,.
VinbododPtore.qvM!.e.a.-
Dito bronco, superior. -: -
ULtores finon, di*eo, pm hd.d.
Wmperm -chi f~ret^m
PsuO hM Verdia poria
%btijeltall e COW cm
Lizdas cRiizlaa oon a~~H0H H~
'w^-^--'a


f i n .. ,' .
*. "-I.... ,. -. .:s _l:.
,,,cI .*; at- cg -:*: ,. c' c
x ,. .._.-,,.. ,: ,, i, ,._ _


-I


rT


14


VINH0 e XAROPE DEUSART


"3
,1
/


/


{-- ,


F.PL--


Ma


F"


I


imemoi"


auii~~~iiimm ~ Row.i,.MIU, ^'1^ a


7 ." .- ":-
.'V.,L';..


J. da Silva Carvalho & C.e
Um Undo sortimento em chapellinas e chap6os para se-
ahoras em todas as cores, ultimos modellos
Nesta casa tern seinpre urn complete sortimento em artigos de
caapellarna, tanto para bhomens, senhoras e criangas, a recebe
mensalmente das principles modistas de Paris o queha de mais
Ilta novidade em chap6os e chapellinas.
Garante-se sinceridade e pregos modlecos.


MACHiINA


BE


;E


'-,4]t ..L':


11


A rF,,T, "W


rjr-





















...iter um sor-.
de joias das
modernas e dos
spurados gostos.
Sompromettem-se,
IaLvender mais barato


Ioque em outra qual-
Squer part1e.

nn go CAW no,.

L. DE .BUSINX & C.

hdao B -Jsns in. 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de ecommissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da AlUema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e EstadoUnidos.
N. B.--Informagoes sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombas, etc. para incendios e outras ma-
chinas e utensilios.
*r" lma

Precisai-se de uma cozinheira na rua do Pays-
sandi n. 19 (Chora Menino).
PYmada vegetal Delsuc de base de
mutamba
A unica que cura a calvice, a queda dos eabel-
Joe, as caspas, e ao mesmo tempo excellent espe-
cifico para nervalgias na cabeca, como se prova
com os attestados dos lentes da faculdade medical
da Babhia. Umco deposit em Pernambuco, Odi-
ion tDuarte & Irmno, cabelleireiros, rua da Impe-
ratriz n. 60.
LINHA COATS
SLutrosa ) para machine, e a a Macia de 6
S .fio a tanto para machine como para cozer a mdo
-Nio se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nome
J. &P. COATS. -

Hospedaria

de Ponte de Uchoa
Filalh do hotel de Europa
Prafa do Commcrcio numero 12
Telepiene n. 294
J. Laguan & C., proprietarios de hotel de Eu-
-rops, acabam de estabelecer, em umra aprasivel
chacara, situada em Ponte de Uchoa urma filial ao
SeM hot-, odn se 8es clientes encontrario toias as
omodidaTdes que devem esperar de estabeledi-
mentos de tat ordem, niao O6 os que se aeharem
alugado no hotel de Europa, come es que dita
lhospedaria se dirigirem. Para alli terk o public
ainda a commodidade de facil conduccAo por bond
ou caminho de ferro, e a correspondencia pelo te-
lephone n. 295. Para intorma5es no memo ho-
tel de Europa.
Boa occasion
E' neste mez que se vende a taverna n. 62 da
run do Visconde de Goyanna ; a tratar na meema.

Indemnisadora
De conformidade corn o art. 19 dos estatutos,
serlo vendidas 20 aces desta companhia n. 81 1
100, vagas pelo fallecimento do respeetivo accio-
nista. Os pretendentes seo convidados a apre-
sentarem as suas propostas em cartas fechadas,
par intermedio de corretores geraes, ate o dia 27
do corrente, ao meio dia, 1o escripterio desta
companhia. _____________
Trastes
*i A' rua do Imperador a. 16 compra-fe, vende-st
"ligs-as o troca-ae nov's e uadoe.
ittonp o

Engomma-se roupas de serhora e menina : na
rus do Visconde de Albuquerque n. 44, primeiro
andar.

Chinello Turco
Recebeu um complete sortimento de calcados
para home, senhera e meninos : na rua do Ba-
jrio da Victoria n. 10.
Por 220OO0


Aluga-se o segundo andar da rua de Lomas
Valentinas n. b0, corn bonds commodos e muito
fresco : a tratar na livraria Parisiense, rua Pri-
meiro de Marco n. 7-A.


AlWga-se o primeiro andar do predio n. 27 A
rua do Imperador, corn os seguintes commodos :
2 asah, 1 saleta, 5 quartos, cosinha e agua : tra-
ta-se na rua Duque de Caxias n. 47.

Ama
Preciza-se de uma cozinheira, aru do Payssandd
Hr n 19 (Chora Menino).

Alhga-se
=a grande cas, sits & rua da Aurora n. 167,
t a t e caisdade novo, corn grande sotWo, pro-
ps grde t amilia, corn canalisa o pars
t sIamtodo murado : a tratar
ndo ar de aysnusxn. 100, E ntron.


Se a m&p a r&uidor em meni-
ma wga do Rosadrio n. 10,


n. 30 Santo
Dmuicao' tern


Wdncio
(96
24 do


un-"u a Vwom
doe da 7.& part
da igroja de S.
qque r atralur


corrente.


lnteiro
Meio
Quarto
fim pRr~ao
Inteiro
Meio


Wllis billetea
'as loterias a be-
iro' do Jpeife,
na quarts-feirs,


4o000
2,5000
1,5000
de 100* 00 pars
el-a
3#500
1#750


Quart 4875
Jollo Joaqurinj Costa Lfte.


A VENTUROSA

Aos 4:000000

BILJilTHS (MIAIDII8
16-Rua do Cabug&-16
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 96 em beneficio
da igreja do S. Pedro do Recife que se
extrahira quart feira I4 do corrente.
PRECOS
Inteiro 45000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Nendo quantldadc superior
a 100:000O
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Ouarto 875


Joaquim Pires da Silva.


Il I I T 7

CSIFELI Z
AOS 4:0009000
E
2:000*000
BILHIETES GARANTIDOS
Praeada Independen-
cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu centre os seus
telizes bilhetes garantidos da 95a loteria,
a sort de 200A000 em 4 quartos n. 4524,
al6m de outras muitas de 32# 16# e 85#.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto i
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
70a part em beneficio da igreja de S. Pe-
do Recife, 96a que se extrahirA quarta-
feira 24 do corrente.
Preeos
Bilhete inteiro 4,500


Meio


Quarto
em poraio dc
e
Bilhete inteiro
Meio
Quarto


2,000
1,5000
S100,000 para
ima


Antoxio Augusto dos


3#500
1,5#750
,5875
#Sant Porto.
Sant" Porto.


CASA DAFORTUNA

A4os 4:00O$00


IRa Primeiro de Karo n1. 23
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 4,339 corn a sort de 4:000#,
I quartos n. 1la93 corn a sort de 2:000#,
4 quartos n. 2,1 38 corn a sort de 200#,
4 quartos n. 1,844 c' m a sort de 100#,
al6m de outras sorts de 32#, 16# e 8#, da
loteria (95.&), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algurm.
Acham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da 7.a part das lote-
rias em beneficio da igreja de S. Pedro
do Recife, (96.'), que se extrahirA na quar-
ta-leira, 24 do corrente.
PBECOS


Em


Inteir,
Meio
Quarti
quantl
Inteir(
Meio
Quarto


D 4000
2,#000
o 1,5000
Idide maior de 1000
D 3m500
1,5750
S,5875
Manod Martins Fiuza-


so inr s01fn00ard
Jose de Souza Cordeiro S Bimoes participa ao
respcitavel public sos pais de seus almnos,
que no dia 7 de janeiro proximo vmdoure princi-
piario as trabalhos lectivos de seu estabelemimen-
to de instrucco primaria e seeundaria, sito A rua
do Marquez do Herval (antiga rua do Sol n. 11),
cujo pregramma em nada alterma so jA conhecido e
adoptado ; continuando a receber alumnos inter-
noe, meio pensionistas e extermnos ; esperando dos
mesmos o acostumado acolhimemto e valioba pro-
teca, certos de que empregawA todo o esmero ao
ad'antamento de seas alumbon, jimais agora, que
graos a Providencia, acha-se restabelecido do
imcommodo que motivou su rtirada parS o stul
do imperio, raLto esta que oforcou a deixar in-
terinidade em seu dito eotabelecimento.
Outrosim, declaa, que 6 infundada a malofida
O qtiei o que lm fz propolar de me aehar exo-
nemde do nagiaterio queo at' o presented tenho
abragado e que muito me honro em contino' a
exercI-ao.
Akpgs-ecpaswf~sml imeb ro -a siko
andam do ofrado A Lra rm do0BsK= d a sta
ii. 14 pos 600, todo pintado a triatr as ojs do


Martins & Bastes
Pernambuco
Nlumero telepholeo a. 35


0 Pain iler veot lde PrryDavis
Matador da dor
Um amigo dos pobres, economic e de
facial applicaao, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuma familiar deve estardesprovida
deste remedio.
Externamente cursa: furunculos pana-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
does intumecencias das articulates do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imita93es.
Agentes em .Pernambuco, J. C. Levy
& C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Barfo da Victoria n. 925
PREVOS


Frascos grandes
Pequenos
Duzia de frascos grandes
Pequeno


1,#500
1#000
12#5006
9OOO


AO COHIEICIO

Viagens ao centre
De Olada Altabayaamt pwr Igua
rasas, Feamma e Ita"n=
Todsos s sabbados, as 4 horse da tarde : pam.
gens tomam-se A rua Primeiro de Maro n. 1,
oja.
Ie Itabayanna A Olinda por Itanm-
bR, Goyanna e Ipuarass
Todas as tergas-feiras, As 4 horas da tarde :
sastagens A tratar corn Lourengo Pereira d'Amo-
rim, em Itamb6.
Viageds avulsas para qualquer part e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a prego commodos. Essas contratam-se A ru a da
Companhia Pernambucona n. 4. Enearrega-se das
bagagenu-que nio podeiem ir nas diligencias.

CARTOES

RAOME HP BI7IGt1LBUB8

Para as boas festas,
auno bom e reis
A Livraria Franceza acaba de receber
urma linda collecgo de amostras, de car-
toes para as Boas festas, ano bomn
e reis representando paizagens, cas-
tellos e bordados de setim de variadas co-
res, de pellucias corn franjas de seda e
outros corn flores natures, de movimento,
etc., tendo diversas felicitates em portu-
guez, hespanhol e inglez.
Christmas cards
Marry christmas
Bright and happy christmas
Felicilo V. Exe. pelo dia de hoje
Saude e felicidade
Sineros parabens

Pao aieniveloln I e i antasias
Caixinhas de papel amizade de lindas
cores cow desenhos colloridos, paizagens,
representando monumentos do Egypto, di-
sertos da Arabia, costumes de Luiz XIV
do seculo XVI o que ha de mais proprio e
e delicado pars urma seihora.
WASju 8OII~fS li8 al
Gan~tas 0 Hponnas do lnal~m,

(IudtaqIo de euro)
Umn variado sortimento de canetas corn
pennas de ouro e cabo de madriperola
brauca e de cor e marchetada, o que ha
mat novo nieste genero.
1n0 M U
7 Ontendo ataeador de. luv", limpador.
de unhas, lamina de cottar e saca-rolha,

LIVHRIA Franceta.


u....M I d a
X _U RIJIJIW 1: t D JLO

IGUEL WOLFF &G.
Offerecem ao respel-
tavel public um gran-
de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-


tes, ese


acham habili-


tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os relogios
vendidos n'esta casa
sao garantidos.

ha do Caho i. 4

Bilhar


Rua do Imperador n. 8S
Os proprietarios deste bern montado e conhe-
cido estabelecimento, tendo recebido directamente
da Europa um grande sortimento de tacos que ha
de mLlhor nested genero, ternos de bolas de marfim,
de primeira qualidade, jogos de domin6 e outros
artigcs concernentes a este fim, e como tenham
tanmbem feito uma reform em seus novss bi-
lhares, forrando-os e collocando marcadores nas
tabellas de todos elles; por isso convidam aos
seus freguezes e amigos, A visitarem como de cos-
tume este estabelecimento onde encontrarqo tam-
bern um complete sortimento de bebidas finas cemo
sejam : vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do paiz, e o
magnifico cafe moka a qualquer hora do dia ou
da noite
Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usado
por modico preco.

Modista
Precisa-sa contratar uma senhora que saibla
perfeitamcute fazer vestidos e mais trabalhos
de uma casa de modas : na rua do Rosario nu-
mero 22.

A verdade
Uma pessoa achando-se bastante doente e que-
rendo retirar-se para o mato, resolve dar socieda-
de ou vender umn dos melhores estabelecimentos
de molhados junto a esta praga, a uma pessoa que
queira entrar corn 700; deixando carta fechada
nests typographia pars ser procurado, corn as
niciaes M. J. S. ..
VEIDAS


VigoIta .Fmobr
0 mais superior que hb no mercado, vendem
Borges & C., a rus de Pedro Affonso n. 82, a 440
rs. a garrafa e em eanada a 38200.

IEpnnftfki pmT (Roo UE Q frM "Moo

Fazendas brancas
Na loja dos barateiros
da Blianista
40--Rua da Imperatriz 40
VENDE-SE
Madapollo muito largo com 20 varas a 44 e 5X00X
Dito, fazenda muito encorpada que pa-
rece cretone, corn 20 varas a 5,500,
66000 e 6e500
Dito frsncez, americano, fazenda muito
fina e encorpada de 7I at6 12A000
Algodb enfestade corn 9 palmos de lar-
gura para tazer lenc1e6 de um s6 pan-
no, metro a (
Dito trancado corn a mesma largurs,
pwprip para len~6es e toalhas de
mesa, metre a 1A200
Bramante de algodbo corn 10 palmos .de
largura, proprio pars fazer len96es de
urn .6 panno, metro 1,286
Dito francez, sendo de linho, metro a
"l800o.e 2o000
Dito inglez de quatro larguras, sendo
de linho, metro a 2W)0 e 2A800
.regueflas proprias para lencoes, toa-
Hias, eeroulas, sendo fazenda muito
encorpada, cads peca corn 20 varas
por i0800 e em vara a 500
Ditas corn a mesa media a 800 rs., ou
varaa 40C
Atoalhado adamascado para toalhas de


mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 15800
Assim como um complete sortimento de
pes de algediozinho americano e
inglez, que se vende por pea de 3J atW 60000
Ist usa loja da esquina do becco dos Ferreiros
Casemiras de cores
De S:6oo at6 6:000 rs,

RrouPl pr nnida
Alheiro & Silva A run da Impratiz n. 40, tern
um immense sortimento do casemira de cores,
tato selaAcom eseuras, que vendem a 2j000,
2$500, atW 6J o covado, e das mesmas mandam
fazer q qucr ppc d'obrF ou costumes, par pre-
ios l t9ra~ oaveis, assia como tern tambem um
explendido sortiiento de casemims e pannue pro-
too atW ao mais fino sedl que ven ao merceso, e
does mesmo tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer pea de roupa "sA vontate do fre-
gae e In todsa perfigo e preastes : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na equina de
bieeo des Perriros.
L alO0i
O BaMrateiros da Boa-Vista vendem muito bo-
nitos liaso de uma s6 cr e de Ustriaih ss p
vestdos, send a 160 ris o eovado e de eo&es ,
isto Ra ina da Imperatris 40, esquins do beooc
do Ferreiros.
Espartilhos
a 46 e 0
N ka a a dr Iunperfatriz venae-se
matom par Qmenmns a "440 asoh euao um be
dito oatimnmto do fichds a 8410; iate us loja d.
qeiuia d eodoa Pa~reirom.
I Vewk-a. *ol qt estA a funecikuatWdo
*l4edeae 0WI&d: Iatistar no meno ouus


-E'p ... reform !n
A unica que nao soffre contestasgo. Torna se
mdispeneavel preparar o hello sexo para as gran-
dee lutas abolicionistas. E' necessario o sexo fra
gil subir ao powder e ver so as finangas melhoram.
Certo 6 que a salvagao deste paiz eerA, quando
virmos urma Exma. Sra., moga ou um pouco adian-
tada para o que nao deve hayer exclusio, cabalan-
do para ser deputada eu mesmo senadora ; entao
serso compridas fielmente todas as promessas fei-
tas nos seus programmas, o progress nao se farA
esperar. Torna-se urgent preparar o estado
maior, para eatar de accord corn as ideias das mo-
gas, e para isso o Pedro Antunes & C. efferece
urma especialidade, o que poderA ser exclusivamen-
te todos a uma d6 voz. A verdadeira pate vigita-
le adoncisjante para embelezar a pelle, 6 de gran-
de utilidade 6 de efteito muito agradavel! sera
born previnirem-se. N. 63 run Duque de Caxias.
Nova Esperan a
A ultima hora nao ha mais tempo
para uina conferencia
Nio 6 rnals pomada
0 verdadeiro eite de rosas brancas, e o leite
virginal para amaciar e extingu.r as espinhas, ear-
das e panos, vendem o Pedro Antunes & C., 63
rua Duque de Caxias.
Contra o cholera
E' da higiene perfurmar os aposentos, e quern
tern a verdadeira agua perfumada 6 o Pedro An-
tunes & C. rua Duque de Caxias. Nova Eape-
ranca n. 63.


Products que reeommen-
dam-se
Quemr nao quizer ficar calvo na actualidade, pro-
cure comprar im vidro do verdadeiro Cama-Can,
que tern a vantage de fortificar os poros capila-
res o Pedro Antunes & C. 6 quern vende, 63 rua
Duque de Caxias.
Inimlgo das moscas
Baloes de vidro para estinguil-as, tambem tern
o Pedro Antunes & C. 63 rua Duque de Caxias.
Nio sao felos
Alguns leques de madeira e seda de diversas
cores, e tambem de seda e mnadreperola para noi-
vas, vendem o Pedro Antunes & C. 63 rua Du -
que de Caxias.
Sera born vel-os
Quadros de oliographia para sala e quartos, para
liquidar factura vendem o Pedro Antunes & C.
corn relaeao de preWo 63 rua Duque de Caxias.
Para liquidar
Bordados preguiados pars casacos e saias, ditos
em setinetas de cores, estA o Pedro Antunes & ('.
vendendo por menos para acabar 63 run Duque de
Caxias.
Chlambres
A' 2$00, 3000 e 4*000
Na loja da rua da imperatrlh
n. 40
Vende-se chambres de ch ta e cretones a 2500.
31000 e 44000, para acabar, isto A esquina dc
becco dos Ferreiros.
Carropa para carneiro
Vende-se uma boa carroca para carneiro, a ver
e tratar na rua do Born Jesus a. 61, agencia de
eiles.
Para festa
Vende se

Roupas para homes
POR
Pre Cos baratissimo
Rua da Imperatrlz a. 40
LOJA DOS BARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6AM00
Dites de panno preto fino, fazenda muito
boa 70(
Ditos de casemira do quadrinhos e listri-
nhas, forrados 8600
Ditos de casemira escura, de cordlo, for-
rados 8s00(
Ditos de flanella azu), forrados, sendo fa-
zen la que nao desbota 10AOO(:
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10A001
Ditos dc panno preto fino, forrados 1000(O
Ditos d. casemixa preta de cordlo 10A e 12W00(
Calgas de casemira corn different pa-
droes, de 56500, 6N500, 86 e 106001
Ditas de casemira preta sedan a 86 e 10,00(C
Ditas de casemira dc cordlo 6050C
Ditas de casemira preta 6100(
Seronlas de creguella, obra muito bemrn
feita a 16200 e 1660(
Ditas de Hamburgo de linho a 16800 e 200(X
Colletinhos para dentro, send de cre-
guella e muito bem feitos a 800 e 1400(
oamisas. grande sorticento de camisas
braneas, tanto tfrancezas como inglezas,
tanto de linho como de algoda,-sendo
de 2A, 26500, 36, at6 60*0(
Ditas de cretone de cor de 26, 26500 e 300(0
Meiss, grande sortimento do meias cruas
para homes, de 320 rs. o par, ate 50(
Collarinhas, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 5A a duzia atW 8100(
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto pars rosto como para banho, que
se vendem por precos muito razoaveis.
Tudo isto 6 eom grande reduclo de pregos : n
oj a da esquina do beccn dos Ferreiros.
FarinhaLactea
Nos primeiros mezes a alimentaao remai
natural e apropriada pars alimentar a criar
9a de peito 6 o proprio leite materno o qua
em caso de necessidado deve ser wbstitu:
do pela
FARINHALACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a far)
nha Lactea coma poderoso element nu
trictivo para a infancia e distinctos medi
cos do Brasil e da Europa reconheeera
ser a do Dr. FRERICHS a melhor n'est'
genero.
Deve-se pois evitar sonfiar o filhinhe
uma pessoa estranhu e de comportament
nao conhecido muitas vezes o germen


numerosa molestias.
Vende-so a verdadeira farinha Lacte
do Dr. Frerichs:
55 RUA DO IMPERADOR 55


Estabelem to d musricas e piano
torPrdaU e


de Vie


Papel pintado
para forrar salas de visit* e jantar. quartos, al-
covas, corredores, etc. Grande e vanado sorti-
mento por preos extremameptS odioos
SEA COMMAPrDOP
acaba de chegar para a
Llvrarta lmdusltrial
A rua do Baro da Victoria n. 7.


Vende-se


8 propriodades


ads i.a e imet
M& t. : Uac


Un.1


idt, -etd.ou maso--
t sitiot tstblubf4* fmfl
uia ibE &a U VIM
-r?*11,**P^ ''ii^ -'


+, + l^ +:+ : +1*" W*1/1

Este 6 o numero de uma acreditada cas a Arui
Duque de Caxias, cujo sistema tern sido, vender
as suas fazendas per pregos baratisuimos, e o
seus proprietaries querendo provar a veracidads
do que flea dito, apresentam urma list dos proa
dos seguintes artigos, as quaes sao pars admirar,
como aejam :
Nova remessa de popelinas de quadrinhos a 160
rs. o covado !
Lindoa padres em cretones claros e esenros a
240 e 280 rs. o dito !
Bonito sortimento do fustoes de cores a 240 rs.
o dito 6 born verem.
Bring de cores para roupas de meninos a 240 rs.
o dito !
Idem pardo, lona superior, a 320 ra. o dito I
Idem corn quasi um metro de largara a 440 ri.
o dito !
Casemiras inglezas de cores, duas larguras, a
iw00 e 1500 o dito !
Idem pretas diagonal a 24400 o dito !
Paunos pars mesas, bonitas cores, a 600 rs
1400 e IA800 o dito !
Explendido sortimento de lies para vestidos a
200 e 500 rs. o covado 6 para acabar.
Setinetas francezas a 360 rs. o covado !
Setim macAo branco para as Exmas. nDivas a
16200 o dito !
Idem de todas as cores a 16400!
Merin6s de duas larguras e de todas as cores a
10200, fazenda de 24000 !
Idem preto superior a 16200 e 16500 o dito!
Bramante pars lengoes a 500 rs. o metro, 6
trancado.
Idem de quatro larguras a 16200 o dito!
Cobertas de gangs para cama de casal a 3! I
Lencoes de bramante idem a 2,000 !
Cobertores de la, grandes, a 26.
Seroulas de bramante bordadas a 166 a duzia!
Meias inglezas corn bocal de cor a 36500 adita!
Camisas francezas fins a 30A a dita !
Lenos brancos abanhados a 26 e 36 a dita !
Madapollo boa vista, 24jardas, a 66 a pega !
Algodao largo superior a 3A800 e 4A a dita!
Cambraia victoria e transparent a 36500 a
dita !
Espartilhos modernos a 40800 e 5A um!
Riquissimas toalhas de labyrintho, proprias
para baptihados.
Enxovaes para ditos a 156 (6 226000 em outra
parte).
Guarni5es de crochet, o que ha de melhor, por
206000 seorpre se venderam por 306.
Idem avulsas a 16200, para sof'A a 3 !
Colchas de dito a 106 sao lindas.
Cortinados, novos gostos em bordados, a 76000
o par!
Fichus e sahidas de bailey a 46 e 56 urn.
Superiores redes da Bahia (sao do 4 punhos) a
156000!
Grande sortimento de roupas, bemrn como de
outros artigos : gravatas, collarinhos modernos,
punhos, saias bordadas, chales, etc. ; temoa de-
posito de fazendas proprias par,-a os senhores ne-
gociantes do centro, e as vendos em grosso da-
nos descontos.
59-RUA DUQUE DE CAXIAS-59
Loja de
Carneiro da Cnnlha it C.
Vende.se
Ainda estA para vender se o sitio junto a esta-
?Ao de ParnameiriM que pertence ao finado Mon-
senhor Munis Tavares; para informac5es, no
nesmo corn o Sr. Mathias Muniz Tavares, ou corn
ieu legitimo proprietario, a rua do Bemfica n. 7.


Liquida ao

Para acabar
Popelines lisas, de listras e lavradas.
Lbs de quadros, escossezas e lavradas.
Alpacas lisas e de listras.
Grenadines de cores e pretas.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques.
Chap6es para senhora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de seda e de lb
Capas de malha de lb.
Para contlnnuar
Collarinhos e punhos para senhora e home, di
versos feitios.
Camisas sem collarinhos e semr punbos, corn pu-
nhos e corn collarinhos e punhos para home,
desde n. 35 A 45.
Camisas pars meninos desde n. 28 A 35; sem col-
larinhos, de n. 32 A 35.
Camisas, saias, penteadores, calgas, gollas e pu-
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, velludi-
lhos, brings brancos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
Papoula & C.
I S Rua do Cabuga-19
Em frente a matriz de Santo Antonio

Novas setinetas lavrada a 500
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento dos
a i dindas setinetas lavradas, tendo de todas as
c ores mais novas que tern vindo ao mercade, inclu-
sivamente pretas, sendo a fazenda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 rs. o co-
vado, isto'na loja da esquina do becco dos Ferrei-
ros.
Cazemirak Inglezas a 2 00 e
2$800
Na loja des Barateiros da Boa Vista, vende-se
um elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, sendo inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 26500 e 26800 o covado, sendo muits
proprias pars costumes, e das.mesmas tambem se
mandam fazer costumes muito bem feito de calgca
palitot e college por 30 e 35A, 6 grande pecincha
ua loja da run da Imperatriz n. 40 a esquina do
becco los Ferreiros.
Fust6es a 400, 00o e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus-
toes broncos, proprios para vestidos e roupas do
creangas pelos pregos acimsa ind4cados ; isto na es-
quina do becco dos Ferreiros.
Lasinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatiz n. 40 aca-
bam de receber um grande soitimento das mats
bonitas lansinhas pars vestidos, sendo alpaca
de cordao ccm lindas cores a 500 rs. o covado
gurguroes lavrados tendo de todas as cores a 560
irs. e ditos muito finos corn brilho de seda a 800 .
todas estas lbinhas sAo inteiramente mouernas9W
vende-se na loja da rua da Imperatriz n. 40 aeI-
quins do becco dos FerreinR.

CRAVOS E FLORES

Na rua da UIniao n.

55, ha senipre para

vender craves e kres
Cimexto portland.
Potnasa.
Panne, de alpdao petropolitano.
Vaho uxadoima supotio*.
tast de Qrevte dB :c od+ e ,
^ nt. ?: ..^ '...^1 11: .-:" ^ fc .-^ i :1. ...


j



+ a.

























4 M Ca M6U106-O 4e 6ia dassariilhas,
lde sguuOlrmpara fazer pen-
der. a bahla.j
uitos estadistas inglezes julgam que a
Lla terra dove i oder lancan, em qualquer
-occauaio, sobre a extenfso dos mares es-
-u*dr.osuperiores As doe todas as potencias
reunidas.,
S Emquanto o imperio do mar pertence u
a$,o que podia reunir iais navios de ma-
Sdehtaisto 6, A 6poca da marinha de vela,
a Inglaterra applicou aste principio o pode
repousar descuidosamente na grande situa-
91o que ella creara para si durante as guer-
ras do imperio ; mas, ha menos de um quar-
to de seculo, as novas fornmages de Esta-
dos destruiram a ordem estabelecida polo
eongtesso de Vienna, e a Italia assim comno
a Allemanha, fizeran grandes esforgos para
constituir as suas forgas de" mar; a Ingla-
terra nao tern, portanto, soinente, adiante
de si a Franga, ella dovevo contar corn essas
recentes marinhas que crescem diariamen
te: .'oNuilibrio rompeu-se, nao tern mais
S-prituazia do numero, e nfao p6de mais reu-
ir foras maritimas capazes de fazer face a
110ia cbalisao.
Ey' e' o quo a inquieta; mas, o que torna
mais difficil o papel, de sous estadistas, C
:'ue o progress vem transtorna constan-
temente o caqulo de seus engenheiros, J
que o material nao tern mais essa fixidez
que permittia aos nossos antepassados se-
guirem uina linha e conduct que nada
poderia p rturbar.
O0.navio.de hoje, apenas e lanuado ao
marji o outro que dove substituil-o ifarca
um passe para adiante. Oatr'ora nao a'on-
tecia o mesmo; a sciencia nautiea censer-
vou-se estacionaria cerca de .um seculo, e
nossa geraclo viu brilhar nos mares 'navies
de alto bordo do comego do secutlo.
Dadas estas expli-a96es, rIsupiaanos o
long estudo incerto na Pall Mall Gazete.
0 autor estabelece, em- primeiro lugar,
que as despozas feitas corn a ixarinha ri-
litar devem ser consideradas come um fun-
do do seguranga destina1o a salvaguardar
os interesses do imperio britannico, e de-
monstra que ellas,, tin diminuido A medida
quo esses interesses* progrediam.
Os deveres da, Inglaterra augmentam,
pois, cada diam; was, diz o escriptor inglez,
comparando 0 '-seu orgamento maritime corn
os da Franca, da Allemanha, da Russia e
da Italia, verifica-se que o orgamento in-
glez coaserVeu-so estacionario ao passe que
a Franga augmentou o seu corn 30.000.000,
a Allemanha corn 15.000.000, a Russia
corn 38.000.000 e a Italia corn 20 000.000.
E este desenvolvimnento das marinhas
dessas quatro potencias coincide corn o dos
pequenos paizes, do tal sort que a supro-
macia ingleza nao exist mais actualmente,
e seria incapaz do lutar contra urea coali-
aao.
No ultimo period decennal, a Inglater-
ra langou ao mar 19 encouragados, corn
150.000 teneladas, a Franga 23 corn.....
160.000 tonelladas.
A preponderancia ingleza, diz elle, 6 s6
apparent, porque e devida A presenga na
lista da esquadra dos navies de typos desu-
sados, mal couracados e ral armados. Mas
os encouracados francezes, acrescenta elle,
tern na m6dia um n6 (1.853 metros per hera)
de celeridade mais que osencouracados inglo-
zes. Em poucos annos, os navies que se
estao concluindo entrar'io em service: a
Inglaterra ganhara assim cince encourava-
dos de primeira ordem e tres do segunda;
a Franca dons de primeira ordem e cinco
de segunda, e o escriptor inglez consider
estes preferiveis Aquelles.
Depois de criticar a pratica da adminis-
tracao ingleza que desponde cada anne
20.000.000 no concerto dos navies do type

FOLHETIE


0 FILIO DE ANTONY
POR

ALEXISBOUVIER


QUARTrA PARITE


Pertences.-inme como o home a

desgra a


(Continualo do n. 294)


CAPITULO I


Auten do combat


S Antony nio se enganava, Mile. de Sir-
van tinha feito tudo, e o seu fim era facil
d 4perceber-se. Um duello entire Antony
V l lippe, em consequencia de urma pen-
m'l&Bia occorrida em sun casa prejudicava
a nas suas relagies:o e alkm disso vinha
demauchar o plane coneabido de casar Ra-
chel comrn o barmo d'Hervey.,
Muie de Sirvan nito tinha eserupulos e
jlava os outres per si.
"-Tndo A casa da baroneza, acreditava quo
deiidiado-a, para impedir o daello entree o
eonttilho e o conde, a ir A casa delle, p0-
r; ia rs r ,,d'ejssa ,entrevistu, n,, 3 06
tWA cmEif pC co** segnaimeat.. do


sua arqueaoao, dhega a conclusoes quo acei-
tamos emgrande part.
El-as :
A Ingiaterra tern 10 ecouragados de
primeira ordem (8.500 toneladas o mais)
contra 3 quo posse a Franca: ella tern 13
encourag9ados de segunda ordem, a Fran-
9a 11.
0 escriptor inglez, formando -umna ter-
ceira classes do encouragados escolhidos de
um modo assaz arbitrario, dA A Fran9a 12
navies dessa classes, quando a Inglaterra
teria 14.
Em guarda-costas encouragados, as duas
potencias se equilibram.
De todos os-encoura9ados que navegam,
o mais forte.mente blindado 6 o Inflexivel
(inglez), segue-se o Amiral Duperrg (fran-
cez); mas, diz o escriptor inglez, que, le-
vando-se mais long a comparag/oi- ve-se
quo a superioridade da Inglaterra 6 pura-
men.teo nunumerica, que a w6dia do coura-
gas-6 a maesma nas duas inarinhas, que os
navios francezes, no seu conjuncto, slo de
construcgao mais recent e que sua arti-
lharia 6 superior em numero e em potencia
aos canhoes dos navios inglezes.
Feita esta comparaglo das forgas res-
pectivas das d tas grandes marinhas da Eu-
ropa, o escriptor passa ao exarmoe da divi-
sAo das forgas inglezas uo mundo inteiro.
Na China, diz elle, o quo 6 devido A guer-
ra actual, a Franga possue urea esquadra
mais ponderosa do que a reunilo das medio-
cres embarcacses do almirante Dowell o
commer-io da Ioglaterracleva-se, entretan-
to, a mnis de dous billioes. Ao sul do Pa-
cifico a Inglaterra teria uma forga suffici-
ente, si naio fosse a marinha chilena.
Na Australia e no Oceano Pacifico do
Norte, ella nada tern a receiar, mas no Bra-
zil o encouragado que acaba de sahir dos es-
taleiros inglezes, per conta do governor bra-
zileiro, vale inais, por si s6, do que a esta
91o ingleza inteira.
Tratando dos cruzadores, ellejulga que
a Inglaterra possue uma duzia que deitam
16 n6s por horae 10 queande 14 a 16n6s.
E' insufficient, diz elle ; a itumensa esqua-
dra mercante de Inglaterra achar-se-ia, pois.
A mere dos cruzadores inimigos, no dia
seguinte ao de uma declaracgo de guerra.


LITTERATURA

0 PAIO Ei IP
POR
EUIGENIO CIIAVETTE


PRIMNEIRA PARTE


S0 VIRA-TRIPAS
(Continua(aeo)
Mas que tens tu? Desafoga-te em
m u soeio.
E, corn estas palavras desenvolvia sua
enorme rotundidaae, que realmente, offe-
recia bastante lugar para a gente desafo-
gar-se.
Come sua metade dava de hombros, em
vez de desobafar, accrescentava:
Diz-me sylphide adorada, em que te
posse ser util.
EntAo L-ocadia passoava de alto a baixo
daquella montanha do carnet, que repre-
sentava seu esposo, urn olhar desdenhoso,
qneo fixava-o por firn na cara do toleiraio,
o depois do alguns segundos de exame,
respondia seccamente.
Ora, lindo polichinello para me ser
util. Umn peru' faria mais cousas. E's
muito tapado, meu bolas.
Adelia tinha advin-ado que isso era uim
pretext, tinha notado a mudanc:i operada
nas maneiras de soeu filho, depois do bailey
do ministering dos estrangeiros; desconfia-
va que seu filho soubesse da verdade.
Era a ameaga posthuma de seu marido,
que se realisava: o filho tinha a misslo de
vingar o pai.
0 que faria? Em quanto a viscondessa
de Sirvan ihe fallava, procurava ella um
meio de impedir o duello: era iaso precise,
custasse o quo e ustasso, ainda que tivesse
de sacrificar-se.
Nada quiz dizer do passado A indiscreta
Mine. de Sirvan e, entretanto, come nos
passes que tinha a dar podia ter precisAo
d'ella per causa das suas rolaees corn An-
tony, pedio-lhe que a auxiliasse em evitar
que a contend tivesse con,-equencias.
A viscondessa aconselhou-a que fosse imn-
mediatamento procurar o condo do Saney ;
ella treomia s6 em ouvil"a.
Achar-se em presenga de Antony, ella
nao tinha corsag .1 para iiso.
A' vista da sua recusa, Mine. do Sirvan
disse-lhe
Minha querida amiga, nmas o que
pretend fazer, comeno ha de evitar -.esse
duello ? per que evital-o a todo o prego ?
Estou resolvida a isso, disse ella, de-
pois do refleetir utlguns instants.
E accrescentou:
Quor prestar-me o grande ols3quio
de ir imnuediatamente eta meu notme, ai
casa do conde do Saucy? Dir-lhe-ha que
ea peo9-lle qua perdoe men filho. Corn
prometto.-tue a fazer 6m qtie Futdlippe os-
creva uria carta, retratnatto-,e e desoul-"
pando-se do sao pmediento., :. .
Oh I perfuitamente, di:e emin segaida
Mime de4 d r uw;uua a vez que o bailo
beoreoa peta .A.ii g,. minnha quirda


quwdo cotaf a .s a, *sR, meiosB e modes- i doxpligare o hutor -atra-
biliario do sas oara metade.
SMuitas vezes, por6mn, levada per urma
preoccupagfo muito forte, a mulber estava
quasi a confessar a angustia que a torture.
va: mas sempre a vista da cars a palerr'
de meu home cortou-me- a confiessito nos
terms mais simples.
IV

Mas todas aquellas confidencias repri-
midas deviam reprimir Leocadia, per
que A noito, na inconsciencia do sornno,.
alliviava-so per palavras sem nexo, pro-
nunciadas corn urma voz que tremia de
medo. 0 Pajo em p', quo per sua gor-
dura estava condemnado a dormir em
leito separado, era entlo despertado per
aquolles pesadellos de sun mulher, e, sa-
hmido da cama, vinha descalgo debrugar-
se sobre o de Leocadia, para ver se podia
descobrir a verdade destas divagages
de um somno agitado per uma id6a
fixa.
0 pouco que percebeu, combinado corn
o que lhe tinha side um dia contado so-
bre a evasiAo do Belle Francisco, fez corn
que se pozesse a segredar aos seus tFre-
guezes :
Olhem la, meus amigos, silencio
diante da minha Leocadia, so souberem
alguma novidade do que se pass em
Chartres. Urma muLier em estado de
gravidez impressiona-se facilmente. Corn
todas essas histories de incendiaries e de
guilhotina, hio de acabar per fazer corn
quo minha mulher de A luz a urna creanga
sem cabea.
Estavam tdo habituados a zombar do
idiots, que Ihe replicavam :
Ora essa! vir ao mnundo sem cabe-
9a... corn tanto que viva, o mais nao
deixava do ter sun graga. EstA livre de
dores do dentes e do enxaqueca.
E' verdade, mas offerecia um grave
inconvenient, accrescentou um outro fre-
guez.


papa
elle.


Qual ?
Nao tendo caboea, 6 impossivel ao
verificar se o filho se parece corn


Havia um meioe de estabelecer-se
uma semelhan9a; dizia um terceiro tro-
cista.
Come ?
Cortando-se 'a cabeqa do papa.
EstA ouvindo ? E' ume a idea que
Ihe dames! gritavam em core ao P io
em pe.
Entretanto a ordem foi observada.
Leocadia, fingindo nao escutar, appli-
cava o ouvido, mas nem uma palavra se
pronunciava a respeito do que se passava
em Chartres.
Havia dous mezes que aquelle silencio
durava, quando unia oerta manha um via-
jante, um bello rapaglo do corca de trinta
aunos, se apresentou na Corpa Branca.
Bonito, mas de urma belleza vulgar, o
recem- chegado era am robusto rapaz, de
olhar audacioso e de uma energia bru-
tal.
A I4rtuna nao devia ter-lhe visitado os
bolsos, porque o soeu todo denotava a maior
pobreza. Umas calgas dit fazenda ordi-
naria, polainas de couro esburacadas, sa-
pates velhos quanto posaivel, um casaco
de belbutina, muito usado, e um chap6o
do abas largas formavam a sua toilette,
coberto de urna poeira espessa, o que de-
notava uma longa viagem a p6.
Era pela manha, depois da partida de
uma caravana de carreteiros que so havia
post a caminho pela fresca. A vasta
sala da estalagem estava vasia. Apenas
la estava o esposo da Leocadia, que a
um canto occupava-se em limpar as pa-
nellas e caldeiroes de estanho.


Minlia querida amiga, supplico-lhe,
vA immediatamento A casa do condo de
Saucy, e repita-lhe o quo en Ihe disse. Eu
fico a sua espera.
Vou j i A casa d'elle, o volto em se-
guida para aqui.

Ella acompanhou-a at6 a port, nuIto ha-
via tempo a porder, a a viscondessa sahio.
Adelia abatida, banhada em lagriwas, quiz
reagir contra a sun emogio, enxagou os
ulhos, e tocou a campainha, chamando a
sun criada. Adelia julgava que somente
duas do suas amigas sabiam do seu passa-
do. Ura d'cllas era Clara, que n'este me-
mento -estava long de Paris, e per isso,
nenhum servigo Ihe podia prestar. A ou-
tra, era a viascondessa de Lancy, quo a
tinha animado corn os seus conselhos no
dia da catastrophe.
Queria ir a casa d'ella, receianudo que
Mine. de Sirvan nao fosse bemrn succltida
na sua incumubencia e nilo querendo ir
pessoalmento, ia pedir a Mine. de Lacmey,
que so dava corn Antony havia muito tem-
po, para Ihe prestar este sorvio,- convon-
cido de que ellia nlo e 'o recusaria. ,
Sua amiga sabia de tudo e nileo teria de
revelar-lhe cousas quo lie eram soemipre
ponosas ido dizeo: ella poderia fallar livre-
mnerite a Antony, e fazer Ihe compreheniler
quo era iimpossivel quo elle so batesse corm
seu filho.
Finalmente, dizer-ho todsa ver4att, e
o quo tinha feito 'cor quo a inii se tor-
nasse ingrate, 0e.: eOraimQosivellqui q ho-
mine a quemt ella tinhtia mado, rio. :, nu*
tsso ern Laer,io e iic sedri-
paopr evida. do- setitih
eprono p ell o.,i i o
Quan-I 'a saa-4IwtiaU otrou, oltl4is.- 1
the:


o raio 6m p4era apreciaoear doruerito dos
-O Oh!t Oh quo rapaglo! disse elle
comsigo, logo quo vie o reeemn-chegpdo.
SApressou-se em tirar do armario am
eiorinme pedao de presunto e uma codes
de pio, que colocou diante do fre-


guez.

elle;
dio.


Vou buscar o vinho a adega,
tel-o-has assimn mais fresco,


disse
cida-


E afastou-se repetindo:
S Um rapagiol
A adega abria-se per um grande alga-
plo, na extremidade da sala. Para IA
chegar, o estalajadeiro tinha de passar per
diante da porta aberta da cozinha, onde
naquelle moment, estava sun mulher es-
crevecdo suns contas.
Vou A adega: toma sentido na sala,
v% se chega alguemn.
Pois sim, responded a yoz de L o-


cadia.
Depois, insistindo:
N'o to esquegas quo tens de ir esta
manhil a Mans, fazer as compras para o
jantar do baptisado do novo barco-Ju
lietta, que a sun tripolagiAo fara logo
aqui.
Em menos do media ho"a estou a ca-
minho, promeotteu o esposo, dando dous
passes pars o algapAo da adega.
Mas sua mulher chamou-o :
Onve la, disse eldie, emnquanto esti-
veres em Mans, Ie todos os editaes para
me trazeres noticias.
Que noticias te podem importar?
Quando mais naio seja saber se j-A
conseguiram deitar a mtlo ao Belle Frac-
cisco.
Tens muito interesse per aquelle pa-
tife?
F interesse que se tern per um pa-
tife, a quern se quer se faga justiga, repli-
cou Leocadia rindo.
Este dialogo entire o estalajadeiro e sua
mulher, invisivel ao viajante, tivera lugar
A port da cozinha, a meia voz, mais ain-
da assim sufflcientemente alto para que o
estrangeiro o podesse ouvir.
Ao primeiro som da voz de Leocadia,
levantou vivamente a cabe9a: depois um
sorriso cruel passou-lhe palos labios ou-
vindo o desejo expresso pela estalajadeira
a proposito do Bello Francisco.
Pois sirm, hai de proeuear noticias
daquelle patife, prometteu o marido que
desta vez foi levantar o algapiao da
adega.
Mal tinha desapparecido na escada,
quando o viajante fez ouvir um assobio
prolongado e modulade de urma maneira
particular.
A este signal vie-se apparecer na
port da cozinha a cabega de Leocadia,
cuio roeto livido estava contrahido.pelo
mode.
Conservava-se immovel no limiar da
ports, a tremer, corn o olhar fixo no recem-
chegado.
0 viajante apontou para o p6 da mesa,
e em voz baixa mas accentuada, corn um
torn de ordem brutal e dos mais imperio-
sos, disse, come se fallasse a um clo:
AquijA!
Come o passaro fascinado pela cobra,
Leocadia, a tremer do modedo, diriglo-se
lentamente para o home que lhe dlava
aquella ordem e que quando ella chegou
junto A mesa lhe langou um olhar feruz,
dizendo ironicamente.
Obrigado, ,inha filha, polos bous
desejos que acabaste de exprimir a men
respeito.
Corn esforgo, porque a sua terrivel seino-
91o apertava-lhe a garganta, ella conseguiu
tartamudear:
Nao acredites n'aquillo, Francisco,
dizia-o per causa df meu marido, mas...
Casaste onto corn aquelle batoque
que acabs de sahir d'aqui ? interrompeu o
Belle Francisco.
Vi-me abandonada... tu tinhas sido
preso...
E vias-me jA corn a c.orda n-a a'r-


-Bern fallar-lhe-hot quando vuolar.
Made apromptar o cotup, e volte depressa.
Dizendo que Vernet nato podia sahir do


palacio, porque estava adoentado, a criada
tinha dito a pura verdado. 0 pobre hua-
sard nao se podia ter erm p6. Nio ousava
ver-so a um espelho, tal era o mode per
que estava desfigurado.
Vernet, que sabia o quanto saria grave o
encoutro entree Felippe e Antony, offere-
ceu so ao mogo para acertar lhe a malo.
E jA ha quatro dias que se batiarn exer-
citando se quasi toda a mahia. Vernet,
quo queria principamenta inspirar confian-
9a a seu amo, sacrificava-se voluntariamen-
te, visto que, manejava melhor as arms
que o wmoo, e isso tinha contribuido pars
quae o hussard ficasse n'um estado lasti-
moso.
Vernet s6 ia ao quarto do mo1o, quando
este estava IA.
Tanto assim que quando um dos criados
bateu A sun port, elle responded.
Quem esta ahi? Nao p6de entrar,
estou de cama.


O criado disse-lho do latddo d tf6ra da4
porta:
Vernet, 6 a senhora que pergunta
per ti; prepara-te que na volta t la quaer to
fallar.
Nilo posse, disse elle, est )u deitado!
Oavindo o criado alttar-se, elleo disse:
-- Finalmahento deixou-me socegado...
aRh! nio i al sd'aqi1 s le s fosse, havia do
me fazer perguntas, eou nio' se o que res-
ponder. Vi tm rcertoza que nao ha de
ser port iwinquo-ols aebo' do todo este
pugowo. A polae sehora nunca maio te-':
^l8. spoego la.1: i da deser beito! Julga-
quo o Sr. Fmhpp ijA


a Magular alcuna ad ve ntom- a s u por
experiencia ,que a ironia era mIS b'for-
mas -que occultavam as coleoras surdas do
Bello Francisco, pois que a sus voz tot-
nou-so meiga para rospondor:
Nio digas quo me esqueci do ti!
Juro-te quoe no me esqueci.
Con certeza, responded o Belle Fran-
cisco, porque trazes com~tigo unia lembran-
9a minha.
A Ventoinha, per mais aterrorisada que
estivesse, eonhecia bastante o seu ex-aman-
te pars saber exploral o. For isso corn voz
mais firms accrescentou :
Esqueci-me tanto de ti, que logo qu'
soube de tua evasAo comeeoi a por de
parts pars ti todo o lucre da estalagem.
E olha quo ja ha urma continha calada.
O effeito desta agradavel revelagao so-
bre o ex-amante foi interrompido pela voz
do Paio em pe, que vinha da adega can-
tarolando aquella canglo que, jA velha em
Paris, estava entiAo inuito em vega ais pro-
vincias :


m Guilhotin,
, medico e politico, etc.


A voz do cantor, approximando-se, in-
dicava que oclleo chegava sao fim- da es-
cads.
Safa-te. Volta quande tiveres afis-
tado d'aqui o tea urs-, ordenou vivamente
o Belle Francisco.
Nao ha de lavar muito tempo, rnis-
pondeu a Ventoinha.
Logo que ella d sappareceu, entrou o
estalajadeiro, trazendo um carieco cheio,
que collocou em cima da mesa do Belle
Francisco, dizendo:
Demorei um pouco, cidadio, porque
quiz trazer-te do melhor tonel.
E eniquanto o seu freguez, que tinh-i
muita se4e, csvasiava o caneco, elle con-
templava-o, repetindo:
E' um rapago !
N'aquelle memento, do fuudo da co-
zinha elevou-se a voz de Leocadia, qoie
dizia:
==- Nio te esque~as, meu anjo, que tens
de ir a Mans fazer as compras.
E saber noticias do Belle Francisco.
accrescentou o anjo.
Esta recordaiao ja nio era muito do
gosto de Leocadia. A sua voz resoou as-
pera e imperiosa.
-- Vai, anda, fallador! disse ella.
Apenas o tempo de metter o cavalto
na carrocinha c estou a camwnho, respou-
dee humildemente o anjo.
Dez minutes depois o Paio em pe, que,
corn diffiauldade,ohavia subido pars a car-
riola, partial para Mans.
Leocadia voltara para a mesa do sou an-
tigo amante.
Ouve, minha, filha, comegou o Belle
Francisco.
Mas, antes de poder continual, urna
carruagem baixa e coberta, com) se usa
va na Vendea, e quo vinha em sentido coi
trario d'aquolle quo seguia a carrocinha
do estalajadeiro, parou a ports da Corca
Branca.
Da carroagem apeiou-se nm hrmomern,
que, depois de ter penetrado na sala, pe-
diu :
Um caneco do branco, cidadAl.
Per sea turno Leocadia teve de descer a
adega.
Durante esta ausencia, o recem-chegado,
sem mesmo olhar para o Belle Francisco,
pois que estava voltado para a estra-
tda, pronunciou A meia voz, come se reflec-
tisse:
Quernm anda A chuva molha-se.
-Sete e quatro, fazern nove, replicou
o outro.
-- 0 fracto da faia cahia, accrescentou
o home da earruagem, que voltando-se
pars o rapagiao, perguntou:
E's entAo o Belle Francisco?
Se o antigo chefe da quadrilha de Or-
g6res era um magnifico athlete de form is
soberbas, outro tanto nao acontecia ao ra-
cem-chegado. E entretanto, em urna luc-
ta entire os dous, nao se devia muito fran-


camente apostar pelo primeiro. 0 outro
devia possuir o vigor formidavel do urso,
que comnunicava corn o quarto de se4
amo.
Reconhecendo os passes de Felippe, ell(
desceu. Quando entrou no quarto, o mogo
disse-lhe alegremente, mas corn alegria at-
fectada.
Bern, meu velho e bomn Vernet, esta
tude arranjado.
Arranjado! disse o velho hutssard ad-
mirado.
-- Sirm, 6 amanhsi As sete horas da ma
nhA. Ser-A um duello a more. Se umn
ferimento qualquer obrigar a interromper
esso duello, marcaremos umn novo enucon-
tro logo que o ferido se ache rostabelecido.
Vernet tevo umn calafrio.
Ah a isso 6 que chaman estar arran-
jade.
Arranjadocome eudesejo, sim! Ah!
meu pobre amigo, puz-te em um estado tao
lastiraavel, que nao poderAs acominpanhar
nos; mas nada receies, o teu discipulo ha
de fazer-te honra.
Cono! pois pensa queo fico aqni?
JA bast a cu no powder ser umr das suas
tetenmanhas. Nao, nilo ha do impedir que
eu va. Ainda que eu tivesse de arrastar-
rue, ou de ser levado ao collo, havia de
ir. Nio ; quero estar IA ; e so elle Ihe to
car, nao me escapa.
-- 0 quo dizes, desgragado ; estAs louco ?
Pois onto pensa que o deixaria conm-
prometter-se a sangae frio, e neo Ihe diria
aa.....
Felippe encolheu os hombres, rindo-se.
-- Meu pobre amigo, nio entoendes
nada d'iato. Fica certo, meu velho Ver
net, quando digo eu 6 quando basta. Sin
to que o mate.
Rasito de mais entlo, pars consen
tir quo-eu vA. Boem sei quo nio estou
muito apresentaiel i'este estado. Mas,
esteja tranquillo, hei do farzer-me boatt'.
-Al.i hdIsi estarel de longer. Itbo..
iia4 4ettraordinario em tado isto. T'".t
1vs a -SnAIrdlenanga, quo e4 muito natural
U iEA! bo1ep oflSla-t 1' h*a deAr. Mt


I


em vcz de ir procurar-mo ?
(Continugs).


que nao fall a verdade. Por isso evitei-a.
Que historic 6 essa, o que so pas-
sou ?
Mandou-me chamnar, queria fallar-
me, e ento... nao fui.
Comno assim n? nato obedeceste a mi-
nha miit'
Mandei dizer que estava doente.
Ah 1 muito bern; assim foi melhor,
nao ha indiscripgAo possivel.
N'este moment sahia do pateo uma car-
ruagem.
Quern sahe a estas horas ? perguntou
Felippe.
Vernet toi ver A janelta e disse
E' a senhora.
Era effectivamente a baroneza quo se
dirigia A casa da viscondessa de Lancy.
A amiga da baroneza morava, come os
leitores devem star lembrados, na part
tigamrnente o bairro do Roule.
Adelia mandou annunciar-se A sun ami-
ga, que a recebeu inmmediatamente. Ven-
do-a corn as feicos alteradas, a viscon-
dessa disse Ihe :
Meu Deus! adivinho, minha querida
Adelia, contaram-lhe o que se passa.
Jai o sabe, Maria; 6 a si, minha ver-
dadeira amiga, que vanho pedir que empe-
9a esse duello, que seria urn crime.
Antes d a tudo, declaro-1heqn eetou
A sua disposi.Ao. Preparav*t qaa
me contaram today essa histo^irtipi'Pr a
suan casa; segundo me d sacran, a aoifa
aSo tmn grande importancia, idmoz -q"
tado se arranje.
0 quo ostA dizendo? *
be? disse Adelia corn un
Sei tudo, diase rinds Y)
Corn certaza exagemara- -
Adelia; sente-se, e.eo
Jihe a verdade. "
A baroneza obelecou- Wine
aildmeoat, olhando p WW
e mdono al licorn i :ha^"
I ma. -M -


vos enormus bragos cujaos bieps e.
sehavam monstruosos debaixo das
do paletot, pendiam as maos gigantewa
cabelludas. 0 rosto eurto, e ioberto
iuma espessa gaforina, desaparecia sobinalu
barbs inculta-e basta, que apenas dexlava
ver dous olhos pardos, de olhar pentkl
to e expresslo feroz. ,-
Vendo-se o Belle Francisco, podia
duvidar da sun crueldade. LogoA pMi
meira vista o outro mostrava-se "ipla.
cavel.
Quando, con a sun voz rouca e lenta-
que se assmelhava a urn grunhido, per'-
guntou:
E's entAo o Bello Francisco ?
O outro apressou se em responder:
E tu o Porco Montez ?
Em pessoa, disse o home, e recebi-
a tua carta.
Sentando-se entLio diante do chefe dos
Incendiaries d'Orgeres, encostou-se A ie-
sa e perguntou:
-Que ha de verdade a respeito de
Doublet.
Os padrinhos (denun iintes) e as
madrinhas, fallaram a seu respeito ; hao de
cortar-lhe o poscogo.
Quando ?
Parece que todos os recursos foram
npgados; seraI portanto dentro do dous ou
tres dias.
Urn lampejo de colera illuininoe o olhar
do Porco Montez, que proseguiu:
Porque n~to saguiu Doublet comtigo?
Porque era muito gordo. Come eu,
conseguiu hser- admrnet.ido na enfermara.
A' ultima hera nao p6de passar polo bu-
race que me facilitou a fuga.., buraoo
tao estreito quo para passar per ellb, tive
de abandonar o casaco.
Dizendo isto, Francisco s)rriu e acres-
centou :
Felizmente tenho boa memorial.
0 Porco Jlontez olhou para elle sem
comprchender.
0 que quer dizer, proseguiu o In-
cendiario, qua elle na-o me qusimoun por
ter deixado o casaco. Quando combina-
vamos fugir juntos, Doublet fallava-me
das boas sortidas que haviamos de fazer
na terra dos realistas e vendeanos, onde
iriamos organisar urna nova quadrilha, e
fallava-me de ti, que nos havia de aju-
dar.
Isto ja nao presta para nada, depois
que se acabou a guerra I Dublet devia
sabel-o, ponderous Po orco Montez.
Sem se deter corn esta opiniito desani-
madora, o Belle Francisco continuous:
Mas Doublet, era um home pruden-
to. Previa o case em que os acontecimen-
tos nos separasse... o que se realisou, per
que elle nao pude fugir. Per isso, deu-me
per escripto todas as informag$es necessa-
rias para eu me fazer reconhecer per ti-
Se for precise, a sua letra, que tu conhe.
ces, me servirA de testemunha. Ora, esse
bilhete, estava escondido na golla do ca-
saco, que tive de deixar. E' per isso que
me regosijo per ter boa memorial: sem
ella nao me lembraria de nada, e per con-
sequencia, naole saberia onde ir procurar-te
pars desobrigar-mo da missao que tinha
de executar de viva voz.
E repetindo do memorial, o Belle Fran,
cisco recitou corn voz pausada :
Se o mao fade nos separar, disse
Doublet, irds ao Loire, A aldeia de Saint-
Florent-le-Vieil, procurar o Porco Montez
e Ihe diras que lhe pe9o que execute o que
Ihe pedi para o case em que eu viesse a
morrer.
Neste ponto, o Bello Francisco soltou
uma gargalhada, exelamando:
-- A commissuro esta desempenhada, e
os diabos me levem so comprehend urna
palavra.
Seria para provocar uria explica9io ?
Nests case, o funccionario errou o alvo,
porquo o Porco Montez perguntou
-- Se a tun missilo so devia desempe-
nhar de viva voz, porqu, me escreveste


r


~ti




I


:5


I


I I


[,




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9FV1PKMI_UUGNT4 INGEST_TIME 2014-05-03T12:14:32Z PACKAGE AA00011611_13836
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES