Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11989


This item is only available as the following downloads:


Full Text
annaannannnaananaaaaal

JUfflO XLV. RMERO 257.
- ---------------- ---------------;-------------------.--------------------:-------------------J-
PARA 1 CAtTAl E 1TOA1ES DUDE 1H) S FACA 'WB.
8te?lladM- ................ ^?
-'ror sa tes jaem. ,....... fiMv\
tti mo idom.......... .....' Jl|
Cadaouaeroavulso......... ...... z
J0.U4tn FEIRA 10 DE NOVMBR0 DE 1869.

PABA DEHTfiO S F0&A DA PROVINCIA.
Por lrt;s mezes adit3do-...............
Por seis ditos idem. ..........<.... ...
Porno>-ditosMm ......' ......
por om anno.......t ........ t.....
amo
** 11
Propriedade de Manoel Figueirda de Faria & Flhos.
SAO AtEWES:
O Srs. Gerardo Antonio Alves Flhos, no Para; Goncalves Pinto, no Maranhto; Joaqnlm Jos de Oiveira, no Cear; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty; Joft> Mara Jolfo Chaves, no Ass; Antonio Marques da 9ttW, no Natal; Jos Just
Pereira d'Almeida, em Mamangnape; Antonio AlexandriBO de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na ViJJa da Penha; Boarmino dos Santos BuJcao, em Santo AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
em JVazareth; Frsmno Tavareada Costa, em Afanjoas; Dr. Joa Martins Alves, na Babia; e Jos Ribeiro Gasparmho, no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
wo la provincia.
MMCIOS DA PBISIDBNCIA UO DA % UH NOVC1IBM
DE 1809
Br. E-l vio Cavalcaui de Albuqtierrnie ("orno
HMr.
achare! Francisco Taileira 4e 8fcOrno re-
qaer.
Jas Augtiste.de Araajo.Certifique.
Jas dos Santos Sim5es.- i*rgador provedor da-Sania Casa de Misericordia.
foanna Seralma de Morae*.Informe o Sr. des-
snabargaiia-r proveder da Suata Casa do. Misericordia.
Jaao Romaneo de Acerado Campos. Informe o
"Sr. eominaudante superior da guarda nacional-de
ianto Anlan.
toa o de Saala Muniea Lima. Informe o Sr, co-
sraaei comraanJamo superior interino da guarda
?aeaaai do municipio do Baeih.
aaoel Lopes dt Souza e Manoel Carduzo dos
5aalee.~4nf jnue o Sr. jate eommiario do mu-
ciado, da Bonito.
mcios ral o governo tornando raais benfica a sua
acclo.
A municipalidado de Assumpclo j annunciou,
como oooaa nunca vista esto paiz, nma escola de
meninas, que ser dirigida por nma senhora pa-
raguaya, das librtate na* cordiluciras.
AJitmracioH ja d*u mu quinto numero. E'
escripia eom nvidenajio, e publica os teto* 4o go-
verno paraguayo.
H5
EXTMt.
ij
AssimftAo, de o Tu uno DE 1809.
J* miaba ultima correspondencia expliquei
wOwaiaiaraeiue a eau-a da demora que hotive na
mtareha do oossas (oreas ora di recelo aos ltimos
refugios de Lpez, isto e, a falla quasi absoluta de
vveres, devida iniprevidcneiadus fornceedores,
"gravada |ieia extraordinaria baixa dus nos.
nnuuciei umfeem que, cas as enrgicas
-jmivideiielas lomada*, por arwMl do Sua Alteza,
>f(u&,r?. eonselhefro Paranho* e general Polydo-
re, Contrva o nosso principe enrolar o seu movi-
sraeato no dia 3 do correte. Nao consegu", po-
-riB, wicor todas as di(Beuldade<, o a marcha s
-. hc le Itiiiar no dia 8
A il iclnvaso Saa Atteza em Ttacuruby, o bo-
je deve ler CTlegado a Santo Estanislao, que dista
46 K'^iiiis do ijosario.
De Stuto Estanislao a C'.iruguaty ha como 18
iegna- < istelhanas, deste ponto a Iguatcmy ul-
ia nfugio liabitavel do fugitivo tyi.tnno, 12.
l'annnto at fins Jaste mez esta rao concluidas as
jp'Taciies doila nova ttampanba, ^ue esporo seja
a iiiiia. Se aoarrarnws Lopaz, (eremos consegu-
1 ('.'ament nosso fin, e se <-lle refugiar-so, a
iae uic tae parece ertvel, nos nliospitos ervaes
do Pacifuay, nao restar mais que o traballio de
jirenJe-t nessas maltas e hoslilisa-lo por peque-
sas partida-.
Lupe nao d.i o menor sign.il de vida, c ludo an-
imara jue elle nao mais que phaol^ifena que
k\ desparecer lugo quenossiuta vira vez de
perto.
.Vumtjroos passados. e al familias tfim vndo do
tniu.de Santo Estanislao para o ltosaiio e para
^Sira?*!*/-
O que parece quas certo, na npiniao de posma*
competentes, c que Lpez fnja. Toaos os passados
aceordea em dizerque ello prepara sua fuga
seln'Mhria, leudo mandado fater picadas naquel*
'a direc- i, e ltimamente eliegou aqui Din alle-
mio, vido daqnetla repblica, que conlnnou a
aolieia de preparativos para a pielles lado?. Entre-
tanto contino a cror que Lpez tentar fugir, nao
para a Boliria, mas buscan I) n Alto Paran, com
Urecca a Corrientes c Entre-Ros.
i todo o caso, espero poder, pelo paquete de
!J1, dn' aos seus le tures Importantes noticias.
Grato ja aimiineiei, o general Kesinestba mili-
loe dia* em S Joaquim com una tarea de 3,00
tomen.-, o brevemente deve faz- r jaBeeib cem o
Ess forca tem soTrido pri vacoes, que
j dev 'in ler cessado com as providencias lo-
aodn.
Por falla tambem de ^rcres suffleientes tem-se
denorado o maredhal Victorino em Caragnatay,
donUo tatrec marche boje ni amanbaa, se receber
*is supprimcntos que Ihe foram remettidos. Essa
-emora, porm, nao tem grandes inconvenientes..
O general l'ortinho conserva-se por ora ciu Vil-
la lie*.
No dia 11 embarcou aqu a divisan do coronel
esuuita, para fazer jncea-) com as forca do rc-
aeral Cmara, que dove seguir de Are'cutacna e
/'-.somaicar na villa da Cniceicao, por onde nos
liiisaci o iuinigo, procurando impedir a sua fuga
(tara a Itolivia.
O nosso almirante Elisano j preparou e re-
aietteu todos os vapores necessarios ao transporte
viessas forjas e da respectiva eavalhada._
Si minlia ultima fallei na cominisso do Sr.
cnsul Machado a Corrientes. Ella deu esses re-
sultados : esto comprados mil bois, dos qnaes
duzentos e tantos j se acham aqui em urna in-
vernada creada oui Castilhos, ponto ao norte de
Assiipco, donde dista tres lefias. Os restantes
virio do Passo da Patria, proporeo que tver-
tuos vapores disponiveis para traBsporla-los Ja
ver tambem um carrcgainento de charque c ba-
.alli.io. Estes generse aauelle gado fiearam em
deposito para altender-se a qualqucr nova falta
dos fornecedores.
Uto fiearam, porm, ni-do as providencias to-
ma-las para evitarse outracrhe alimenticia. Cons-
ue que o vapor Galgo foi portador de ordena
no tnesmo sentido daquellas providencia?. Sua
Alteza e seus prestantes auxiliares segnem o con-
cilio 4o poeta : n Nanea lonvarei capitao que
liz:u nao cuidei.
Tambem a esifuadra tem j recebdo carrega-
tnento de carvfin, e espera novos, qua a habilita-
rlo a estar prompta para continuar a prestar seus
constantes e relevantes servidos.
O exereito argentino relirmfsc do exercito das
operacoes, vindo o general Mitre acampar cm Pa-
tino Cu. Apenas acompanham as nossas forjas
jjns 800 homens .aquella nacionalidade.
O general Henrqiie Castro est tambem acam-
pado com os seus poneos orenlacs em Cerro Leo,
nao se sabe facendo o que.
A divisao paraguaya, que, como j annuncei,
jai, eob ordeus do Sr. Itivarola, operar com as n>is-
ioreas, est rompa, e nao tem seguido por
falla de'transportes. Estes Ibes serio prestados le-
go qae se tiver egeeotoado a passagem da gen-
te do general Cmara de Arcoataen para a Con-
eeiesio.
Dosta cid a de nada de importante poseo commu-
Icar.
O governo previsorio enntiritia a marchar mui-
4n bem e envidar todos os 'forcee para salvar
da (orne oa realos, bem dirainotes, da populacho
paraguaya, qne no maior estada de miseria, po-
de, /raas aos aJIados, escapar do poder do ty-
cramio.
Kte governo promnlgou nm decreto de tmposto
de patentes sobre kqas. Como era nalural: o con-
4nercio nao gostou desla medida^ pois, nao ha nala
taetlior do que negociar sem mpostos, e fez urna
repiresoatacao allegando a deslgaaMade da di*-
tnbii*jao daspalejues e pedmdo a creaco dedi-
reitos de alfandeg* como mai< equitativo*.
governo nKl*W*>aTapTr*ejacao, declarando
-^nitativosJ*qlnose(arBaanlD fana que elfcw
re^nissero^amle^agaaVedalre os contribum-
-tes; qoe af *>hl*wMig1tlat tBfnblica era impo<-
siv.il a.....IfiilBnfJHiltBi.ln|iiii o imposto de-.
rta>)liiiM iigajaVii*pti aurt f$r ee*to
valor faVs *t*"*' f1" venda das
to do klo. Cora eftt
ONTBVJOo, 13 DR OOTOBRODK tS9.
DesU vez-o transporte da manha n5o, falhou.
A regularidade eom qoe se fcjm maWfo esta H-
nha e a xeelleneia dos vapores nella empregados,
de mais valeres que nategam adualmente "Para-
n, Ihe havia Ifeito una nangiQaa reputacart, quo
as duas uluma vlagens abalaram um pouco. Hoie
sabe-se que a rfteraeao flollia das partidas de
Assnmpcao nessas duas viagans foi indispensavel
ora poderem elles trazer^ eorrespondencia de-
Sua Alteza, sahindo o r'ttMwen no dia 2, isto ,
48 Iwras dapois d& prazo marcado.
Agora ludo volta a seus erxos.
Segu neste tgan'sporle bem doente o captao-
tenante Antomrfoaquim de MeHo Tamborm'que
exercicia interinamente o cargo de chefe do esia-
do-maiorda esqnarha. O almirante o seus colloi
gas a.uasi o obrigaram a embarcar agora, para nii
ser mais urna victima de tnioxt'tafo paludosa,
.que ja outra v o obrigaa a *r *> Brasil. Algwi3
oulros offlcaes Je-inannlia entinuam a lutar
com esta fatal eafermidade, fara nao abandona
rem o theatro ae laiita ''^sliiBpie W"*1 c-d
tanto marlyrio desconhecido.
Para substituir ao eapitao-tuente Tanrborim,
fli nomcado o bcroo do Chaco, o va lente SteppMe ;
leando om seu lugar no commando do ftrinceza o
primeiro tenonie Carlos l'rederieo de Noronha,
tarrlbeni distinelo olHcial de nossa marhih, ctoeio
do servicos nesta guerra. Alm de>tas mudacas
na esqoadra, houvo mais a seguinle : o captao-
lente Jos Marques Cumiarais foi nomeado di-
reclor do estabelecmeulo uaval do Cerrloem
substiluieJo do capillo'de fragata Francisco Fos-
ter Vidal, que pedio c obleve uma liceng para ir
corle traar de su sale estragada em quatro
aunosdu campanha.
Dou-lhe estes detalhes, porque as vezas nteres-
sam, e nao ha inuita materia actualmente -para
oceupar a attencao.
Temos estado aqu, cm Buenos-Ayres, e pdese
assegurar que em todo o Hio da Praia, e.m coali-
nuatirmenta desde o da 3, anaonciado para o
catacly.-ma quo tanto suslo causou nessa corle, o
que foi motivo para episodios mais ou menos risi-
vek Nos dias 11 e 12 principalmente pareca que
o vento quera arrebatar esta ciuade'do cima da
colina em que est edificada, e atra-la s aguas
lodosas do rio, que esiavam horrendamente agita-
da?. Agora apparece no Standurt d- Buenos-Ay-
res do dia 18 um artguito, dizendoqne o almiran-
te inglez prediz um grande temporal para prxi-
mamente ; pelo quo devem acaotelar-se os maii-
nlieiru4,.mio j passaram la nina amargura aasail-
imosdas.
Para coincidir cr,m o estado atmnspherco, as
regies polticas o barmetro baixa rpidamente e
ameaca grande crise.
iNo' sei se pela quarla ou quinta vez.pos j Ihe
perd a conta, pedio o Sr. Bustamante demissn do
rto elevado posto de ministro do estado. pre-
sidente, que persuadio-se pie Dio pode passar sem
o apoio dente cavalneiro, dopeis de alguns das de
atTagos e carinhos, conseguio de novo qne elle li-
nesae o aaeriflcio de conservar-se no jioder o de
dirigir exclusivamente os destinos deste bello paiz.
Islo querdizer pura esimplesmenle que o Sr. Bat-
llo sedea s exigeucias de seu ministro, e os fac-
tos vieram revolar de quo nalureza grave eram
ellas.
Com effeito, por decreto de hontem foram obri-
pados a sabir do territorio da repblica oscdados
. Fortunato Flores, D. Podro Varella, D. Deside-
rio Cuevas, D. Francisco Beln e D.Juan A. Maga-
rinoa, *ob pretexto de que tinhan o projecto de
alterar a Iranquilidade Hiblica. Seguiram todos
para uenos-Ayres, menos o coronel D. Fortunato
'lores, que teui all um processo aberto por crite
de norte, e fue, perianto, nao poda achar um
asylo na confederaran. Consta-me que, a pedido
de sua mi, foi elle recebdo a bordo da fragata
Am .zonas, onde se acha hospedado at que tenha
a opportunidadc de seguir para a Europa ou para
Entre-Bios.
O coronel Fortunato Flores tinha feito das an-
tes algumas enancadas que referrei atienta a ce-
lebridade que pelas suas turbulencias adquiri
nessa corle este inesmo moco.
Eslava Flores n'uma confeitaria descascando
uma laranja, e sentado uma mesa em frente delle
um tal Quintana da Colonia (blanco). De repente
Flores, em lugar de deitar as cascas da laranja ao'
chao, atirou-as em cima de Quintana : este com
milito boas maneras perguntou-lhe porque o des-
feileava por tal modo ; e teve em resposta atirar-
Ihe Flores com a laranja cara! Armou-se nma
desorden!, acudi povo, e conseguirn! que Flores
dexasse a confeitaria e cessassede provoear Quin-
tana.
Estando Flores j na ra, passava um rhrmgi-
dor com uma trouxa de rotipa na eabeca ; elle
atirou-lhe eom a tronxa ao chao, e como perto
delle (ein frente confeitaria Oriental) estivesse o
deputado B., elle virando-so para ello disse-tlia :
Sr. R., tome Vd. essa trouxa de rotipa e ajude a
p-la cabeea desse changador... B., qne um
homem paca'to, temeudo um desacato, prnprio de
Flores, tomou a trouxa do chao c p la cabera
do changador. Feito isto, Flores vira-se p-ira o
tal changador o dz-lhe : Sabes quem sse qne
te apanhou a trouxa 1 E' um pa da patria ; um
representante da naci ; v tu que carneiros go-
vernam esta trra e que representantes tein a na-
ci oriental! etc. .
Dopois desta proeza retirou-se, e Quintana sa-
lando da confeitaria foi polica qeixur-se, rea-
tando tudoquanio so tinha passado comelle, com
R., etc. Procurando Flores intilmente, am alguns
lugares, o chefe de polica deu ordom que na por-
ta do theatro de Solis se cotlocasse urna escolta c
um commissaro, afim de prend-lo, porque tinha
oerioza 4e que alliiriaintallvelmente. Com effei-
to, das 7 para as 8 horas da noite all pretenda
entrar Flores, quando Ihe foi intimada a drdem de
entregar-se |M"9so. Besistio. puchando um revol-
ver, e la dh>parn-lo, quando o-ermrmlssario de po-
lica passou Ihe as maos pistola, e, com tempo,
podo frustar-4he o intento.
Meio forja, meio por vontade. deixou-sc Flores
conduzir at ao cabildo. __ O chefe de polica, tendo
tido parlcipacao da prisio, sali do theatro, e di-
rige-se para a polica ; quando Flores o v cliegar
comer a atrar-lhe insultos, e entre tros eha-
ma-o asasino de mi padre!... Segaindo e*te
iwmllo de Hm*ameaiudt revolver (quando ia para
o theatro tinha duas destaarman), que logo apon
tou. Pagla uo Ihe deu teinri')de preparar-seje
deu um sallo t|braaaifio deu-lhc alguna mirras, -e atirau com ella para
dentro da prislo, dizendo-lhe : Quien s el asa-
sino deiu paite tres tu *Umo, yo te to prt-
m.
venceu no seu empenho, como en de calcular, e
pouco a pouco vai preparando o terreno para o
trumpho de sua candidatura pisidencia da re-
pblica, arredando todos qao Ihe possam fazer
sombra. Para islo inventen esta revoluco e os-
citou a questaoconstitucional sobre as qinriMad>s
que devem lar-ea ernnos votantes para poderem
exer.atf-o sagrado direito de conjorrer s urna, 4
aeab de aanmetle-la commissao permanente dd
poder representativo.
O Jiglo sustenta a deatrna escripia no cdigo
fuud imental, isto que desos de 18*0 nenlinm
fdaila') oriental pode -votar sem saber ler, nsoi
escrever. Como o.interior da repblica compoe-sa
em frande parte de habitantes que nao. salrtaieal
a esia.condrjao, direito'de enlTramo te acha con-
ccaliadt) em mpequeo circulo, que pieodispfa
dos destinos do paiz c da grande massa 6% seus
a*ai laderos.
Bustamante qoer ampliar osle airelo ; tiaongj
a plebe e procura supplanlar o armento civilizado
com o elenie.nlo brbaro. Diz elle om sua im-
prensa que iofa dexem sem dirrltm. Q'te as
sm :omo a patria quando arranca o edadao de
seo*ae,'e de sua (amura, para arma-lo, nao Ihe
pcrgiula se sabe ler ou escrever, e loe confia
sua defcia ; assju tambem quando precisa de le-
gwtolores e de directores nao tem o direito deexi-
gfflho-aquellas liahflitaedes.
Eale negocio tem dado assnmpto a viva e larga
r | potei lira nos jornaes.
Tapein est preso o blanco D. Antonio Dfas, li-
lao da .fcaeral Dias, eomo comproincltido na revo-
luc premeditada.
O wvSrdb da repblica acaba de sijcitar a um
mez le prislo os zeladores que no dia 13 do mez
linde desacataram o comniandante do Silvado,
conio refer em uma correspondencia dessa poca.
Finda a prislo serlo elles despodidos do servido,
come justa satisfaca ao oflieial brasleiro. Honra
ao nosso ministro de aetraageiros, o Sr. baria de
ea do Rio-Verde, na provincia de Minas-Genes,
pelos crimes previstos ae art. 100, combinado com
o art. 3i, e nos artigas 131, 180, 2." parte e 191
docortigo penal.
nio Martinians de Souza a li anuos de
jury do (armo do Juiz de Fra, na
tncia. por crime Je homicidio.
cliad^elo de Lemas a 9aimos c 4 me-
s|o.imples e multa, pelo jury do termo
, na provincia do 'ilarannao, por crime
otos graves.
Por deeielo de 23 do eorrente f.. demitlido Ma-
noel AnOmec Pimentel, do In.jar de aininistrador
do eerrelo da uVovincia da Itc.hia.
Per pertarnarffatadas de'Sil de ontunro corren-
te foram nomeados o cngonheiro de ." classo
Carlos Jrobcrto Morsing para o lugar de chefe de
seeeo da estrada de .'erro de D Pedro 11. e o en-
genheiro Pedro llarbaftm Ucha Cavalcant para o
lugar de engenheiro de I.-' c.lasse da mesn es-
trada.
for fnrtaria da mesm.i data foi concedida ao
engenheir. llidolpho A. II. II a exoneraeao- que
pedio do lugar de chefe de scelo da estrada de
ferro de D. Pedro II.
28-
Prio paquete francez Unitrnogn', da llnba de
Marselha entrado hoptam d > liio da Prala, rece
bmos foihns da Montevideo at 21 do corr-nte.
De jura correspondencia da Assompclo, datada
de 13, oxtrahmis os*um(e ireenos, que con-
li>m as anicas noticiasifiie e.icoulramos :
Ha Ires dias ifne sahir.nn do Rosarlo todas as
'T^as qne all havia, licanli, so nente 1,000 ho-
mens ua.ra guarnecerem aqnelle porto, quo vai
>er a base de operarnos, como o ponto mais con-
veniente, c p<* se lerem all reunido os archivos
e elementos necessarios guerra.
g> teem de er de-em|Hmliado junio de nm rao-
naveha que pcesua as mais eminentes qualidades,
c i'uiii paiz amigo ligado intima mente eom a na-
ci portuguea por natural syrapathia, radec3es
gloriosas e importantes interesses commerciaos".
At \k>.vs reiacQesque felizmente existem entre
o governo de V. M. Imperial o o raeu governo, as
qnaes espero so perpetuem o fortiliquam, sao ver-
nos
sagrados- vnculos de familia das duas casas re
dadclramonto auspiciosas, p >rqae so llrment
Ilonlem e hoje marcharan uns .1,030 homens
para a Concerao, afim de operarem de combina-
Cotojripe, ate nao tranflge com estes fictos, vai cao cora as entras forcas.
logo dando as providencias quo estes reclamam
com energa e dignidade.
E' o modo de evitar grandes desgostos e de aca-
bar com os Insultos e desaforos de que somos aqui
constantemente alvo, unieamsnte por nossa quali-
dade de Brasiloiros. Felizmente tambem Manea
niarinlieirus nao deixara sen repulsa os insulto.*
que Ihesfazem.
N: Contederaelo Argentina 4t-m halas oeerjpa-
rain ltimamente a attcnclo. m dostes foi a iri-
se df praQa, ondoi>s fundos publico? baixaram do
73 a 33 em puercos das, por causa da ultima ope-
raelo linanecira pratii-ala pelo governo, omitlindo le
a mi lides de titulo? da divida publica a 70, qmmdo
pouco antes havia contrahido um emproslmo de 1
miih les ooaa o banco da provincia, omitlindo os
refei idos ttulos a 7">. Hotive iun pnico extra-
ordinario, e sombra delle grandes espeeulacoes
se rcalisaram.
A cre.r-se na Naci Argentina o em oulros i-
gaos da opposicln, o Ministro da fazenda Gorostia-
ga-aode eatr-augoiros D, Mariano Varrlla tmpa-
lam parte mu activa ueste jopo. !" um negocio
que tem dado lugar a urna discns.-lo irritante
escandalosa.
O oulro tuto foi o do assalto que soffreu dos
Indios urna colonia alinala, morrendo Relie seis
iiifelizes eslrangeiros que for.-.m procurar melho-
rar sua surto alii, c na occasio d > pergo nein ao
menos acliaram o apoo da autordado qae-os de-
va proteger.
Renunciou o cargo o g,vernador de Corriente?,
e o congresso da provincia accetou a renuncia.
Causou aqui nao pequea sensaco o seguinto
arlij;o do Standard de Buenos-Ayres, quo toan?-
crevo por dever inicressar a essa pra^i. onde o
indi ridjo de que se trata mar) conhecdo :
A fuga do grande ospecuiador (1 unes c msou
boje un pnico extraordinario nafrara; nao se
relisop ama nica venda de fuidrpiiblco?, nem
a dinheiro neui a praso.
O mercado estove completamente parausado e
segundo a expressao de um corrector de toado?
sao precisos lvros novo? o os amigos devem ser
borrados.
Ha inutos naos* que se nao vio nesta praca
nm facto de igual nalurez.i, setr que se possa
prcer at onde elle mis podar levar, porquo os
orejis causados pela fuga de Gomes, nao s re-
cali rain sobre um grande ctreulo de correctores,
mas tambem sobre os possuidores bona fide de
ttulos pblicos. Aquello individuo, segundo pa-
rece, veio do Bjo de Janeiro para aqu e ha cerca
de deas annos .pie se tem feito celebre por sua?
espoeulacoes em ttulos do governo. Na allimt
alta que' livcr.ua estes ttulos, realisou elle gran-
des lucros calculados em cerca do seis mil onras.
mas nao satisteito continuou a fazer grandes c in-
oras a preeoi altos, e quando se declarou a repen-
tina baixa no mercado achou-se abadiado cora
mmensus compromissos.
Approveitando-se do um dos vapores, dr-
gio-se para Montevideo, onde tomou passagem
para a Europa a bordo do Cita o( Limenck, nao
sem ter feito Hites nova eollecta do todo? os seu?
lucros, que levou comsigo.
Correa na praca o boato de quo varios cu-
nhite? de dinheiro embarcados hojo no vapor
Hourgogne iam per-conta deste individuo, c ize
ram-se alguns esforgos para recupera-lus, mas
ato a hora de fechr-se a praca nada so soub3
com certeza a este respeito.
t Os Srs. Alken o Correa Moraes, que (iverana
a ieagraea de ser os correctores da transaccio,
saliem boje em perseguiciio desle individuo, e se
anda o apanharem no Bio da Janeiro, do quo mu
po ticas esperan jas ha, S3m duvda o recondazirao
para aqui.
A causa immediati da fuga deso homem foi
principalmente a rpida iaixa do mercado,Jevida
rcenle le do congresso que autorisou* emis-
gio. O mercado cedeu com demasiada rapidez
eem esperanzas de vollar ao aanfoj nivel!
referido Gomes o vio, como vio tambem a
impossiWlidadedefaaer'frento ereeaperar pela
baixa o que .perder na alta ; por conseguntc
piz-se ao fre-co.
Lopt-z abandonon Santo Estanislao c inter-
nou-se n'uma poroacanzinha 30 leguas alm das
serra?, levando todas as Lmilias que tinha comsi-
go. Di-se que o Brasil faz esta ullima tentativa
contra (opez, e qualqucr que seja o resultado re-
tirar o Seu exercito, porque nao est disposto a
fazer uuis sacrificios do que os que j ten feito.
Da Kt-pnldiea Argentina nala ha de importan-
cia. Em Montovldi tornava a l'aar-se de movi-
menti.s retmlucionarias e mvasao do partido blan-
co, e pareca que o governo tomava algnmas mo-
didas de segurane. D. Jos Candido Bustanian-
der.l, havia das, a sua iemissao de ministro
do interior; mas n presidente nao Ih'a tinha acei-
to a'uraa, e esperava persuadir o ministro a reti-
ra-la.
O vtor Santa Cruz, entr.i lo hontem dos por-
ms do sal, trouxe datas de l'orto-Alegre at 16,
llio-Grande ii e Sania Cathanna 23 do eorrente.
Fra pre-=o em Bag un escravo pardo de n >nie
Bernaalli,-que assassinra brbaramente o subdi-
to porTuguft Francisco Paclvcd da Silva. O cri-
me, Segando as dcclarac/v:-. do assasslno, foi com-
meltido a mandada da inolltor de Pacheco (que
tambem lcava presa), mediante o premio de 300
palacios.
Tinham-S'.' suledado, allr.indn-se ao mar, o
mestre o o pratieo do vapor fttpecHlm8o.
O fniri.) no Vo-Grandi' n.icia :
No da 3 do eorrente, acliando-se o brigue
nacional OHieh na latitud j S3; 23' S. e longitu le
32. 81' O. de Gronwirh, avisara ao amanhecer
um bote, quo s 8 horas da manhaa atracou a
borlo.
bote trazia. a trpolse'io do patacho ameri-
cano T itent, que sahira de Buenos-Ayres a 8
de seiembro. com de-i-no a Anaierpia, e fra a
piqae a 1 do correte, snlvanl)-se apenas a tri-
polar! >; declarando o capul que, tendo aoanha-
do Continuado ma i tetllpo, n itoi no dia 30 quo o
navio faca maita agoa, o qne era impossivel eni-
pregar meio ftlgom para saiva-lo.
O ty.helo entrou ante-hontem a nossa barra,
eonduzindo os nufragos, que foram entregues
houlem ao cuidado do cnsul americano nesla c-
dade.
Em Smta Catharina falle:ra o crurgo-mr
reformado Jos Ferrcira Lisboa.
llantos o na cotnmumdadc do instituicoes de Otitis
povos irmos, que teon o inesmo ertranliado amor
s conquistas valiosas da civilisaeo e do pro-
gresso.
Eslretfl1 rada vez m.iis este? lacos ser met
constante empenho, e a este empenho consagra ro
toda a miuna sotcitude. Mas para realisar tal
proposito, cabo-me impotrar do V. M. Imperial,
como subida meroe, aquella inexhaurivel benevo-
lencia que V. M. Imperial se servio dispensar aos
meus antecessores.
ConseguHido-a terei a inesjimavel dita de ver
salisfeitos os me tu mais vehementes desej>s; tra-
bajando por merec-Ia c alcanca-la, cumpro um
gra'lissimo dever, o qual, peno afBrma-lo, appli-
carei continuos esforgos e iiersevcrante? des-
velos.
>< Paco os mais ardentes votos para que a briosa
naci brasilelra posea cm breve, denota de uom
poca de heroicos c gloriosos sacrificios, entre-
gar-se, no remanso da paz, ao deienvolvimenio
dos seus inexgotaveis recursos, a segurando un
novo periodo do prosperidades, que de todo o co-
rai;o dosejo nunca sejam interrompidas.
Tenh i a honra de depositar as augustas
mi >s de V. M. Imperial a carta credencial em mu
S. M. Fdelssima, meu augusto soberano, se dig-
nou acreditar-me junto- de V. M. Imperial na
patagona de enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario.
S."M. o Imperador responden nestes termos :
E' com o maor prazer que recebo esta nova
prova da amisade do inau caro "sobrnho el-rei de
Portugal.
Espero, Sr. ministro, quevossa missai con-
correr sempre para desenvolver as retacos quo
ti) cordialmenlo ligam nossas patria?.
- SO -
Entrn hontem da Assnmpcao o transporte de
guerra Isabel, que tr.nz folhas de Bueaos-Ayres o
M inlevfdeo at 22 e 21 do eorrente.
As data? que traz directamente do Paraguay nao
adiautam s que tinhanios; eomtud.o a? BOssas
carta? de A?sumpcao rerere.no varias parteulari-
dailes iiiteressantes'sobre o estado das colisas all,
o-movimento das tropa? que persegiiem Lpez.
Em Montevideo o ministro do interior D. Jo?
Caudal i Iii'tamante rotiro a sua deniissaoconli-
uando no exereicio da pasta. Os reeeos da re-
voluco de que fallavam a? ultimas noticias tinha n
algum fundamento ; pelo menos o g iverno deseo-
lirio ou inculcou ter descoberto o lio de urna cons-
piracao, e prenden varios individuos, entre os
quaea D. l'elro Vrela, D. Deridorio Cuevas, D.
Francisco Bulen, D. Joan A. lgarihos e D. Anto-
nio Da?, que foram deporta 1 >s para Bu nos-Ayres,
O coronel D. Fortunato Flores, lillio do fallecido
general Flores, tambem preso por igual motivo,
roeasoa tmara mesmo destino |ior ter na v?mha
eapltal um processo aberto por crime de morle. A
instancias de sua mai foi reeecd > a bordo ua fra-
gata Amizonis, at achar occasio de sahir das
aguas da repblica. Effectivamente, segundo nma
carta particular escripia ultima hora, sahira
elle no vapor Snfiini para Entre-Rios om uma
pens) mensal de 100 patacoes, pagos pelo gover-
no, tundo rejeilado vir para o Bio de Janeiro com
pensa i aderada. Accressenta a mesma carta que
continuava a prend'r-se oulra? pessoas para serem
ignakiieiile deportada?.
Do post de teneote coronel, ao major reforma-
do da guarda niriooal da provincia do Manmlflkr-
Domingos los da Silva Viinna.
Coneodeu-se reforma no posto de coronel, ao e>-
nnte-coronel comawwJante do balalblo de hate-
ra n. 39 da guarda- nacional d mesma provtaaai,.
Frederico Ferrera de Go'iva Kmentel Belleza.
A comarca igie licoa vaga na provincia da. Ba-
ha, por ter sido declarado- avulso o juiz do diraMo
Antonio Luiz AJT-mso de Cirvalhora de Mbate
Alio e nio do Conde, como- se publieon.
A ajnda -de cueb aiiiitrida ao jrriz de i'reit
Luiz Jos de Meleiros pela ma remoclo da comar-
ca do Ico, na prow.ea do Cear, para a do Pene-
do na das Alagas, de 1:1005 e n5o I:6TIJ*,
como consta da pnbH:aeao fi"ita.
Por decreto de STdb-Qorrnnte foi eoneodida %*
IkicIuicI Luiz Joaquim-de Magalhaes Castro Ja-
nior, a demssao que pedio d > lugar de ofsiat dii
secretaria da thesourarh de S. Paulo.
I.'1 de novembro
Fallecen bontem e sepulta-so hojo. ; 10 lfras-
da nianliaa, no cemitjrio-de S. Francisco Xavier
tencnte-goneral Henriims Mnrqaes do Oiveira.
Lisboa, comman lanto gem do estado miier d l-
cjasse. O finado servio ao paiz crea de 37 atinas,
resd i oceupado lugares cininentes, como o dV
pi'esiilinte de provincia e deputado asacav-
bla geraj legislativa. Era c indecorado coa a*
eommendas de Aviz e Chfisto. inedallu da campa-
do Montevideo de 1817 a tBVk
Pedio a saa familia que u* se frzessem eonti-
tes para sen entono, non Ufu so llw prestassaB
nanras militares.
O? cippregados da secretaria e a^nns offfcaer
do corno, cm sigual de estima e-eon-id^nejio,' tu-
rnara luto pelo finado por espaeo de 8 dias.
S. M. o Imperador, acompanhado de seu? sema-
itaars, chegou ao arsenal de marinha hmtem as
!l Iwras da manha e visitou a? offlcua? do machi-
nas. Em seguida foi ao arsenal do guerra onde
tambem visitou as diversas offleinas deste eslabe-
lecimento.
INTERIOR.
RIO VE JANEIRO
?7 DE OIITIBRODE 1869.
Por depaches de 26 do eorrente houve S. M. -o
I operador por bem tadeferir as potiedes de graoa
dos seguinies reos:
Bacharel Raymuado Martiniano Alves de Soaaa
e Valerio Publieola Alves de Souza, condemnades
o primeiro a 10 annus de prislo com trabaUtg, oto
segundo a 6 annos e"8 mezes de igual prislo, e
ambos a dotar a atendida, por seatenoa do jnry
da corle, por crime de rapto.
Antonio Telxera da "Silva a"6 mezes de prislo
o mulla, calo subdelegado do 2." distrelo da fr-
zuezia erime de entrada em eaaa afbaia.
Julo -Antonio Gome* cerda do eroprage eom
mhablldade para outro, pelo juiz de fllreiloada o-
oiaraa de Anarados Re, aa .provincia do. Rio de
ra
Por decreto de 6 di eorrente foi nomeado o
bacharel Jos Francisco Ucha Cavalcanli, juiz
municipal e de orphos do termo de Mogy das
Croles, na provincia de S. Paulo.
Fei dispensado do exercco por tempo interm-
nado, sobro repi"esentaeao do presidente da Baha,
o coronel commandante superior da guarda na
cional dos municipios de ((apicara e annexos da
mesma provincia, barao do Rio-Real.
Por decreto de 1C foi declarado avulsoo juiz de
direito da comarca do Conde, na mesma provincia
bacharel Antonio Luiz Alfonso de Carvalho, por
ler dehado o exercco das respectivas tune-
c5es.
Por decreto de 20 foi nomeado o juiz de direito
Manoel VieiraTosa, diere de polica da provincia
de Sania Catharina.
Por decreto de 27 foi removido o juiz munici-
pal e de orpliao*, bacharel Feliciano Henrtque
Haraman, dos termos reunidos de Maioridade,
Porto-Alegre e Pao dos Ferros, na provincia do
Rio-Grande do Norte, para o do Inga, na da Para-
byba, por assim o haver podido.
Foram nomeados:
A Joaquim Pranklm Pessoa d'Amuqncrqiie, dos
oflicios de labeHilo e esenvao do crime e oivel do
tenno do Cear-Mirim, na prorineia du Rio-Gran-
de do Norte.
A Luiz Hcnriqne de Moraes Reg, do odelo de
depositario pnblico do termo da capital da provin-
cia do Maranhao.
Foi aceita a desistencia que fez Rigello Alpi-
nano Virgolno Urlga, do olflcio de partidor do
termo de Pombal, na provincia da Parahyba.
fei'rakitegrado Jhis Henriqoes VirgoHno Urtiga,
no offuio de esenvo da orphos do-mesmo ter-
mo; flcando sem cToito o decreto de 18 de mao
do atino passado, por ter cessado a ineompalibili-
dade com a dsisleneiade seu irmlo do dito offlcio
de partidor.
Foi daclarado de nenhuin effeito o decreto de 7
do julho llimo, que noineou a Francisco de Paula
Cavalcante da Albuqueque para o lugar d6 secre-
tario da polica da provincia do Amazona?, visto
nao ter aceitado a nomeaco.
Jiteurios ikM(u.-~Por decreto4amema dala
houve S. M. o Imperador. peruoar a pena de dous
m* do prislo e dos pdfcrtues fle injtims vertaos os seguiflts
reos :
Juo Joaqobn Airee de Azoviido, polo juiz do
direito da 1* vara crimiaal da corte.
Manoel Pereire farra, pelo joiz do direito da 1'
vara criminal do Mesmo municipio. j
Jos A vesdcMattofe, ptlofaii mu licpal da I'
varadaoeto.
Por decretos de 27 :
Foi apresontado o conego de meia prebenda da
cathcdral metropolitana Jlo de Oiveira Dias cm
uma cadera ile conego de prebenda inleira, que se
acha vaga na mesma cathedral.
Por portaras de 6 do correnlc foi exonerado do
lugar de director da colonia militar de Pedro H,
na provincia do Para, o capillo Manoel da Concei-
gd Pereira do Castro, e norneado para o referido
lugar o lente Joaquim de Cwnpos Mello.
Por decreto de 2G do eorrente se mandn ad li-
conar ao tempo de servic > do commissaro refor-
mado do antigo corpo de fazenda Marciano Mar-
ques dos Santos, o periodo de i annos, 3 mezes e
2adias,em que foi praca do exercito, percebendo
18 vigsima? quintas parle? do respectivo sold.
Por outro de 27 do mesmo mez, S. M. o Impera-
dor houvo por bera perdoar ao 1" teneno Pedro
David Durooher a peni de dons anno? de suspen-
?o do commando, imposta por sentenga do conse-
Iha supremo militar do justioa de 10 de abril pr-
ximo lindo.
'BJtatnlOj'pOts.'Vhresiio eSnMo, aTli o pToctrfla-Tlaheiro, porTaRa'de aaaejio ao cumpriraonto d
im.de parte' Bustamante, en aaiige imano dq saus ideveres e irregularldade de conducta.
pttKraflas oiW'oTa,T5otrv1datfdeo a saMrebb
te video, com a^irumesaa de .uma.pnalo para poT)
der vjwr na Eutaja, .DJKuardo Flores, irmlo
daqtirile, pul>H*aW!liaa,idim imprensa oceap
dalle-eom scandalo. ftto obsaato aqne'"
NooiaiadoeomaWs ibi recebdo por8.*'o
imperador, em aamentia-de apresentclo, o sr.
conslbciro Mathias de Carvalho e Vasconcella,
que, db aero "de dtitrettr omestmo augusto setmar
iffMacNMMiatVe ea vWdaedlTnBrtinnrio^alaistro,
Joaqata oallrwTaTTaaifcjaTaiierpw pan1poiaTaaj^r*. laJMaMbsima anata arto;
luna. falo.jury deaermo d*TiBel, narorovar #rdaattro o aeguiatei dianurso i
elae^ao(a4^Ba1jBr IIIITas eMVHoWs e fralo7rautta aip*8*W tenViiM'aWliinl'ii, *lBi^i*JWnWnMir
par seaiaaqa do jan de dinito^aaMaM^Mr-, fana-aaaaao *m%> aar-v fcaa^tiiamea car-1
Por decreto de 27 do corrento foi concedida a
Domingos dos Passos Miranda, de conformidade
com o art. 73 do regulameoto que baixeu coro o
decreto o. 399 de 21 do dezeulbro de I8V4, a apo-
sentadoria que pedio iw lugar do administrador do
cerroio da provincia de Pernambuco.
Por portara de 28 do correnta foi demitlido o
bario de Kiet'dng do cargo de director da colonia
liajsoy, na provincia do Santa Catharina, o nomea-
do para enbstiun-lo no mesmo lugar o capillo ho-
norario do exorcilo Francisco Jos Coi rea.
- 31
Do Rio di Praia entrou hontem o paquete in-
glez M'igean da lnha do Pacifico. Traz folhas
de M iniovido at 16 do corrate, que nada refe-
rcm relativamente ao Paraguay, senao aoharem-sc
as forcas alliadas activamente empenhadas na per-
seguida i do Lopes.
Naquella cidade. porm. andavam os nimos tao
agitados, quo o governo publioou um accordo amo-
acando a uoprensa com medidas do rigor se con-
tinuatso a incitar gnrra civil. Esta ainoaca,
apezar de genrica, era especialmente dirigida an
Siglo, que, aad obstante ella anda no allno da
publicou um artigo violento, polo quo se-tuppu-
nha que oa eeus redactoras seriaiij deportados,
iiiandaiidofleileehar a mpreusa.
Receiava tambem uma invaslo do emigrados
orientaes, e o baialhao de hnha que eslava na ca-
piul fci- toda a-presa transportado em ara vaiwr
para iPaysana. O governo d Bueaos-Ayres tam-
bem lea sabir um deatacainenlo. para pela sua par-
te Impedir iavasao, preadendo os emigrados que
se nebassem ao sea territorio dispostos a passar
fraotelra
Asaoiieiasto sPatano t)aottuidas de inle-.
resse.
DIARIO DE PERNAMBUCO
BECIFE, 10 DK NOVKMWO DK 1869.
NOTICIAS DO SUL li ,' IMPERIO.
Cliegou hontem pela manha o vapor Guar,
irsenlo datas da corte al o i.", da Baha al U,
e de Macei 310,8 do corlate. __ .
Sol as rubricas Exterior e /i-Av/or damos por
extenso as noticias mais importantes ; alm das
quaet apenas apenas encontramos nos jurnaes s*
que segnem.
uatto ejaosaa.
Sabia se ua capitaUle am ataque feito a wna
escolta, as mata? de SepttMba, por un grupo do
eriminosos, desertores e eseravne em numero As
mais de cen homens A e-colii 01 nluzia Luii
Pedroso do Azeve lo, crinimoso pAinunciad?) w>
eriroe de reduzir escravdio o liienor Cyprianu
Pereira. Saliendo do fai-to, reuni Joaquim Jos
Villas Boas, chefe do mencionad)grupo de crimi-
nosos, (oda a sua grille,e a'.coi a e?eol(a, conee-
goiodo nio s arrebatar o presj como lodos os sol-
darlos que levou camar,.
Apenai eegoo e-te facto ao coiihe.'imcnto da
autondade, inarchofl com um i rrg i contra os-
criminosos, dosqaaes foram presos-23, cons-goiu-
do escaparem os outros. Valaa Boas e mitres
cabegas nao se acliaram np lugar, na? a autori-
dade ia peiseg u-los. A priiueira escolta foi posta
em liberdade.
Deram-sa estes faotos de 2i a 27 de agosto.
PAUAXA.
Na madrugada de 12 de outubro calora sobro x
cidade de Ciritiba um violento tufan, que sobre-
saltou grande parte da paparqo. Pcllrnvaaft w
vento amainou em breve, seguiudo a este copiosa,
abara de que limito precisava a lavuura.
s. Paulo.
O resultado geral da eleico do 2 di>lncto pata
a assembla provincial o segnnto :
Dr. Nabina, l)'. J >aquim A F. de Oiveira, Br.
Jos Panal de Qlivein, Dr. S. Jos-Corra Colhu^
padre Scpio Fcrreira ijoalart J., padre Bicudo,
De. Frederico J. C. do A. Abraucncs, corond
Paula Machado, Dr. Jos Joaquim. Caldoso do
Mello, paire Tomas da Costa Rezendo, tcnente co-
roael Manoei J. D. de Castro, Dr. Pedro Vicente
de Azevodo.
Do 3." dislrieto eram conhecidos apenas os
collegios de Mogy-Mirm,d:i 'enha de Mogy-MirMH,
e Campinas.
A pr.isidencia por acto de 19 conceden aos
Srs. Jlo da Costa Graies Leilli o Dr. J lapiim
l-'loi lana de Godoy, privilegio exclusivo polo prisco-
de 90 annos para o molhoramonto e aavagaaaftdk
rio Parahyba, desdo a Gashoeira, uo muucipio de
l.orcna, at a cidade de Jacarehy e para a eons-
trucglo e costeio de uma estnida de ferio que,
parliddo da dita cidade Jacarehy, e passando por
Itogy das Cnues, v terminar na estacad do Riu
Grande, da estrada de ferro de Santo? a Juudiahy.
ESPIRITO SANTO.
No dia 6 Jo crrante abrio-so a assembla pro-
vi ueisil.
R10 DE 1 \N: '.!.o.
Eis as noticias commerciaos da ultima dala.
Effectuaram-se trafieaegoas insigniticantes en
cambio sobre Londres a 19 e 18 1/8 d., papel par-
ticular.
Xegociaram-se 13,000 soberanos a 12i900,
10,000 ditos a 12*880 a duibeiro, e 10,000 a
125750 para 30 de aoveinbco prximo ; algum.is
partidas de ouro nacional do 43 i/2; 30 apticos
do einpresliuio nacional de I.S a ol^OO da pre-
mio, 112 aegoes da coaipaniia b'ideiidade a 1*009
de premio. *
A alfaiidcgi da corle ronden de i a 29 do
eorrente 2,588:3965iio.
ILUUA.
Comegaram no dia 5 do coreante os actos da-
Faculdade de Modecina, sen lo examinadores: _
1. auno medico. Conselheiro Magaiblor,
Drs. Moura e Virgilio.
2." anno.Drs. Cardillio, Cjrquera c Boin-
fin.
3." anno.Conselheiro Pedroza, Drs. Caos e
Sodr.
4" anno.Consclheiros Aranha, Sampaio, e
Dr. Demetrio.
. 5." annoDr?. Freitas, Demetrio c Vlrgtfio.
t 6." anno.Drs. llrs. Souto.Seixas o Pedro It-
bero. v
c Clnica medica c cirurgca. Df. 9arwk
Moura e Mattins.
. i. auno pharmaecntico. Drs. Magalhaesk.
Cunha e Pedro Rjbciro.
a if anno. -*T)rs. Cerqneira, Bomllm e Pedrc*
Ribeiro.
t 3^ anao.Drs. Virgilio, Bonfim e PedroluV-
bero.
Ptiarmacia iratica Drs. Cerqueira, Oaalkt a
Podro, Ribeiro.
Arrtbou a porto da rmpital, em vtafe "do
Genova liara o Rio da ratn, o vapot tttSbno.
Biatua Perlicn.
Falleceram : o negociante Manoel KeriMra
da Silva, na capital; e o Rvm. luvenal IA>marrtes
da Sllverra, v gario de Chirpweblqne.
liemos uo Jornal :
t) criminoso de morle Antonio Jntema,'11
Pet'fleeretisdeJD:
Tz-se mere* a Luii Agflo ''.oelho Cmfa da
servenba ritAcLa do bCBeio de escriv3a aostelvis titfSn requlsllara o respectivo de r
dafazoiida ptwKdaial de Prnambaocx de 3 do cjrreute.'suieidmve, tomn
Foi des|Ae)o o capitio do batalBoteiftlanta-. *Je raaano.
Jflb, lilas foram i
Lhoatts; '] eumfcio pooeos m
sido capturado pelo subdelegido da frogt
S "ni3|to, para ser enviado para M
^^daWflf
nrrtn^^H "'^
moai*aaai4*i1J.
/
^-J



,
Diario de Pemambuco Quarta

---
*-
Ai I manilla
r eimaaa^p-1
[ V andar de urna propriedade do
i do Carvalho c Albuquerque, a
I*
Foi tal a rapidez cora que o mesmo se desen-
Mln. que inmediatamente communicou-se ao 1
dar do mesmo predio, onde t'mhiin escriplono
a asociantes I. T. Witt 4 C, o aos arfhazens dos
iiriinlm Costa Alves & 0., pelo lado de trra,
Amonio Ferreira de Azevedo pelo do mar ; e
polas portas de commuuieacio passou velozmente
man a casa contigua, propriedade do negociante
saeel Teixeira do Carvalho, comecando taiiwem
Mo 1? andar, onde tinhara deposito de fazo#las
'Mociantcs Braodao & lrmao, e dahi para o 1
alar, onde tambero tinliam depsitos de care o
naciaute Joanoim Fernandes Ribeiro e de assucar
aeaxaca de Manoel Joaquim dos Pasaos Monleiro,
tacando ainda a propriedade do coronel Anto-
f*droso de Albuquerque, e as duas ronteiras,
partoocentes ao mesmo Manoel Teixera de Lar-
< Por mais esforcos que se empregassem, ro
messivei salvar os dous predios. O tercetro n-
Mnm i>ouco preiudicado. mas escapou, assim
no os fronteiros, pelas acertadas previdencias
n m deram, tondo para elle* convergido toda
Scao, pois que os dous j estavaui pordi-
Houve grande trabalho da baldeado de gene-
ntselas janellas para a ra e para o caes, porom
kaMado na maior parto, porque as cbaramas den-
tro em pouen dnminavam tudn.
1 brisa fresca do noria aggravou, mu lo o in-
neadio, Janeando ciuzas grande distancia ate nos
romHas da cidade alta. ,
Os edilicios fronteiros aos incendiados pelo
fot segu os |
X)50X>
63.o78*850
67:380*000
10a:8*)#u00
Aindt esa* vapor trou
somm
Para a Parahyba
o Ccar
o Maranho
o Para
GUARA'.-Tir'a amala hoja as 3 horas" da tar-
de, no correio, este vapor, para os portos do norte
do imperio.
FALLECIMENTO.Deu alma ao Creador, na
cidade do Caruani, onde so achava docnto, o .ir.
Manoel do Carvalho Paos do Andrado, oscrivao lo
juico especial do conimercio da comarca do Re-
cife. O tinado era mogo de illustraco, poeta de
alguma nomeada. A' sua inconsolavel familia
damos nossos pezames.
ADMIMSTRAC.O DO CORREIO.-Por decnto
do S7 do passado foi aposentado, i seu pedido, no
logar de administrador do crrelo dcsta provincia
o Sr. Domtngos dos Passos Mirauda. Emprea-
do zeloso e exacto cumpridor de scus deverei., o
Sr. Miranda v assim remunerados os sena sarvi-
cos de cerca do quaronia anuas de effeclivo exer-
cicio, tendo atravesado as quadras mais difleels
porque tom passado a provincia, sempro elogiado
por sons chefes e superiores na hierarchia admi-
nistrativa, edevidamente apreciado polo publico.
Felicitamos ao nosso amigo, e desejamo-lhe
quo fru por mullos annos a aposentadoria (|ue
Ihe acaba de sor concodida.
PASSAMENTO Faileceu ante-hmitem tarde
o Rovm. Jos Gabriel Pinheiro, vigario collado da
freguezia dos AQogados, na avancada idade de
72 annos.
TRILUOS URBANOS DE OLINDA.A empieza
comeeou j a assentar os trilbos, prximo pon-
te de Pedro II.
RMPREZA BALESTRINI.No dia 31 de asesto,
Barao de Mamanguape, sua senhora e sua so-
gra, Manoel Cavalloiro da Silva, D. Jos Antonio
Rodrigues e Ma Camila, Manoel J. d Ollveira Fi-
guciredo, padre Giuscppe Mano, Manoel P. Pinto
do Vasconcellos, Joao Ferreira Leite, Liberato Lo-
pes da Silva, Cvoriano de Souza Freitas, Antonio
P. Borra Iho. Antonio A. Alves, Joao J^de Olivera
Carvalho, Manoel F. da Costa, A. Gnmherraprth,
Anastacio Regino dos Santos, Joao de Oliveir-Ro-
drigues o sna Irmaa.
CEMlTERIO PUBLICO.-r Obtuan* corrente :
Joao Francisco Pinto, Pernambuco, 56 anuos, ca-
sado, Recife ; aneurisma.
Maris, Pernambuco, 3 metes, S.Jos ; convulsdcs.
Maria, escrava, Pernambuco, 34 dia*, Boa-vista ;
espasmo.
Manoel, Pernambuco, 3 mezos, S. Jos ; apoplexia.
Maria, Pernambuco, 13 das, Boa-vista ; sarnas.
lado do becco, de propriedade do negociante Joa- .^^^ a tro;a das rat)ncaeoes da conve cao
quii de Castro Guimaraes e oal^s'i^iii"^i,eri,1," de 16 de maio do !88i da linha telegrapliica tian
eorai
SoMacados os bancos ingle*, e do coimendad^ir
Jnsno Jos Fernandos correram tatnbein grande
Mrigo, s foram salvos por muita vigilancia e
Para di quina das casas incendiadas, per-
teacenio ao coronel Pedroso de Albuquerque, com-
municouso o fogo tros veres.
Ah, alm do consulado do Portugal e de va-
rias escriptorios, dos quaes tudo se romovou, esta-
va collocada a mulfcao, apenas estando preaenlo1 na occasiao o
iocuvo thesourciro, pois que os dentis empre-
08 chegaram mais tarde, loi necessano arrom-
ar ara salvar, como se salvou, dinheiros, Uvros
movis, visto quo o incendio j linha atocaao o
tecto da propriedade. ..
A noilc as chaminas das duas casas incendu-
as ateiaram-se tanto, que foi preciso vir do novo
a bomba da companhiaInteresse Publicou ira-
talhou das 10 li .ras al 2 da madrugada.
A* 6 horas da manha do hontcm recorreu-sc
8e novo ao trabalbo das bombas do arsenal o
marinha, cun assistencia do Sr. Dr. chefe de po-
Durante todo o dia se trabalhou era remover
1 enxadas o oatros instrumentos os saceos o
aegocariallim.nados, alias o fogo aiuda durara
muito.
AI-AGOAS.
Lodios no Conservador :
No dia Io do correte fj installada nesta ci-
dade a Asiortaino Typognipiuca Alagoana de toe-
corros mutuos. .
Antes da installacio mandaram os membros
testa sociodade celebrar urna missa cantada jia
aatrin desla fregu a, pelas 11 horas da mauliai,
_Mueass*ramoExm. presidente da provincia,
varias autoridades e grande numero do convi-
idos.
a Depol-da missa se dirigiram todos paraosa-
Jao do theatro da sociedado Dramtica Macetomse
que se achava he 111 decorado, leudo collocada em
3ogar rospeitoso a augusia oflicigie de S. M. o Im-
perador. ... p
No meio do numeroso concurso Jdeclarou b
Exco Sr. presidente da provincia estar installada
a Atsociaaio Typographka Alagoana de soccorros
< A banda de msica do provisorio abrilbantou
o acto da instnllaca., tocando o hyinao brasdoiro
em seguida as p lavras pronunciadas por b. Exc ,
e subiram ao ar frequenles girndolas de 61-
suetes. ,
ecltaram-se varios discur.-os analogos-ao ac-
to, e deram-se diversos vivas que foram entlm-ias-
ticamenle correspondidos pelos n*si-ten!es.
t A noito estove o sallo Iluminado c aberto a
concurrencia publica, tocando a msica escolliidas
pe?a> de sen repertorio ; e s 9 horas foi servid 1
mu refresco d srrveja.
Adiase, porlanto, inaugurada nesta capital
nina associaeao typograplica, a semelhanca das
que existem ns outras provincias do imperio e na
cae.
satlantica, da qual emprezario P. A. Balestnni.
Reunidos os reprosenlantes do Braiil, Dinamar-
ca, Portugal, Haili, Italia e Franca no ministerio
dos negocios estrangeinw, o Sr. principe 93 la
Tonr d'Auvorgne presidio a reuniao, o depoi do
director geral dos consulados, assislido do chefe
dos protocollos ter lido o protocollo c o acto da
troca das ralificaedes conteni:
i. Reduccao d) tempo de 99 a 60 annes.
2." Renuncia de subvenco.
3" Que Sr. Balostrini obriga-se a ligar as Anil-
inas franceras com a America do Norte no prazo
de dous annos, o as Antilhas francezas com o Ca-
bo de S. Roque no praso de 3 annos.
4. Que o privilegio concedido a Balestrini ca-
ducar, se ello fallar ao compromisso das condl;5es
estipuladas, salvo o caso de Torca maior, aprecia-
da pelos governos respectivos, e a reserva leita
pela Franca de snbmetter ao conselho do es :ado
a coneesso de 60 anuos feita a Balesrini, prace-
de-se troca das ratiflcacoes, fcitas por parti do
Brazll, as seguintes reservas :
1.a Relativamente isenc.lo do compromisso
contrahido no art. 12 da convenco quanto ao au-
xilio de vapores da marinha de guerra, substitui-
do a mitra parte do compromisso que se refere as
sondas. .
2,' A' communicacao de provincia a provincu
desde o cabo de S. Itoqac at o Para, que fie:, re-
servada para urna ou mais companhias internas.
ANTIGIDADE DE MAGISTRADOS. Com a
aoosentadoria do Sr. cousolbeiro Jos I?nacie Vaz
Vieira, solTreu alterado a lista da aniiguidado dos
desembargadores do imperio, para subirem ao su-
premo tribunal do justica:
Fiearam nois sendo mais aotigos os Srs. :
1. Conselheiro Antonio da Costa Pinto.
2. Conselheiro Joao Lopes da Silva Couto.
3.a Conselheiro Jeronymo Martiniano Figueira
de Mello.
4.a Firmino Percira iMonteiro.
Caelano Jos da Silva Santiago.,
Antonio Joaquina de Albuquerque e Mello.
Manoel Jeronymo Guedes Aleoforado.
Conselheiro Joao Antonio de Vasconcellos.
Canselbciro D. Francisco Balihazar da Sil-
do com
o exercicio
ERNAC0.
distric-
a.1
C.
1:
8.
9.
veira
REVISTA DIARIA.
^GREMIO CONSERVADO!!.Funccionou hon-
tem o gremio conservador, com assfctencta dos
Sr-; iurnndo de Camaragibe, conselheiro Jos
Bonto, J..5) Alfredo, Juveucio Aguiar, Mello Reg
Alvaro Uclioa. Joa iuim P.-rtella, Pinto do Camn s,
August-' de Olivera, Barros Barrete, Ignacio Joa-
nim, Beuto Costa, Joaquim Mello Reg, Moscoso
e Moraes c Silva.
. Resi.lveu-" reeommendar ao corpo clcitorai uo
4a distrieto, |iara depuiado a*sembli geral, o
Sr. Dr. Antunio Joaquim do Moraes e Silva, e ao
do 3a o Sr. Bario de Aracagi. _
Quanto eleicii de depulados assemblea pro-
Tinci.il, re->dveu-se nao organisar chapa, deixan
do que os candidatos soliciten! por si rqes-no os
ffragi.-s do corpo eleitoral dos uiversos
tos da provincia.
'FACULDADE DE DIREITO.Fizeram acto no
dia 9 do corrente :
1 anno.
Samuel Tertuliano Henriques, plenamente.
JSpaminondas Bandeara de Mello, idera.
Jost'i de Barros Franco, idcin.
Malinas Joaquim da Silva, idem.
Antiinin OomiM Tavaros Jnior, dem.
Julio Apolonio Vascurado, idem.
Anesto Augusto de Carvalho Serrano, idom.
Henriqne de Atahydo Lobo Moscoso, idem.
2a anno.
Joan Vianna do Mello, plenamente.
Bmventura Jos do lastro, idem.
Daniel Alves de Queimz Lima, idem.
Francisco Marsal da Silva Garca, idem.
Joaquim Moreira de Barros Olivera, dem.
Afcatandre Gomes Ferro d'Argollo, idem.
5a anno.
Jos Maria de Araujo, plenamente.
Francisco Antonio de Oliveira Prxedes, idem.
Miguel Archanjo de Figueiredo Jnior, dem.
Guilherme de Souza Campos, idem.
Silvestre da Rocha Wanderley, idem.
4 anuo.
Alfonso Ariliur Pereira Montero, plenamente.
Jote Marcelino de Souza, idem.
Miguel Ferreira Das dos Santos Jnior, dem.
Lourenco Bezerra Vieira de Mello, idem.
Francisco Antonio Vieira Caldas, idem.
Cesar Quirino da Silva, idem.
5a uno.
Alfonso Barbosa da Cunha Moreira, plenamente.
/Naptleao Silvero da Silva, idem.
Joaquim Correa de Oliveira Andrade, idem.
ESCOLA NORMALFireramexame hontem os
alumnos-mes'.res seguintes :
2a anno.
Bernardo Teixeira de Moura, si nplesmente.
FraneiMo de Abreu Muedo, idem.
Manoel Henriqne de Miranda, idem.
Benjamn Martiniano dos Santos, idem.
Jos Eduardo de Souza Landim, idem.
B1NI1EIRO.O vapor francez Gironik levou
para o Rio de Janeiro 2,8.tO:000000.
O vapor Guar tronxe para anossa praca as
lecnintes quantias, para os Srs. :
j3TQuir.no de Aguilar 4 C. ^OgSffi
Loaduu and Brasilian Bank W-?8S&
sr^,4C sssg
Joaquim Jos 'ionealves Beltro 16:29?*9!
.Rider&C. 14:864*000
r & C. 10:000*000
cbi.. R. Raliello 7^100*000
L do Oliveira Azovedo & C 6:000*000
Antonio Lopes Braga 4:800*00
Aunsto F de Oliveira & C. 4:000*000
Sinaarrdrs 2!{0*00
. L. A. Smjueira l:Sfi*_5
.BrasG. da Silva. S2tS2
t do Camino Moreira
BioMade
l de Soaza Campos 52?Sr
10. Francisco de Queiroz C outinho Mattoto da
Cmara.
NAVIOS S.VIIDO*.Do Rio de Janeiro para
Pornambuco : a 26, escuna hollaudeza Syne lacot
e barca norueguense llurrah; a 27, escuna nor-
te-allemaa Conelt; a 30, brigne francez Ma-trice,
e brigno inglez Flomtse; a 31, brgue sueco Ty-
ros, e brigau hespanhol Faran. Da Babia: a 1,
brigue portuguez Soberano.
NAVIOS A' CARGA,Para Pernambaco: no
Rio de Janeiro, barca porlusucza Flor de 8. Si-
mo; na Babia, hiato Garibaldi.
LEILO.As 10 horas de boje, 10 do corrente
devo ter lugar a venda em leilao, da taberna da
ma do Caniinho Novo n. 47, por intervenea do
agento Pinto confirme, est annunciado.
Coutiniia hoje tarde o leilao de marmorc,
e obras de alabastro, commecado hontem 9 do
crreme, no armazem da ra do imperador.
CHEFE DE POLICA.Velo hontem da corto,
bordo do Guar, o Sr. Dr. Luiz Antonio Fuman-
des Pinheiro, chefe de polica nomeado para esta
provincia. Devehoje assumiro exorciciodo i'arffO.
TIROS.No dia 6 do corrente f >i fondo com
dous tiros, que lhe dispararam no lugar Ba -reir
do Macaco, na freguezia do P100 da Panella, o
pardo Lindolpho, escravo do Sr. Manoel Gon;alves
Ferreira. A polica local envida todos os es'orcos
para descubrir o autor, visto recusar o feriilo de-
clarar queui foi o offensor.
FESTA EM OLINDA.Domingo celebra-so a
fesia de Nossa Senhora do Guadalupe, en sua
igreja em Olinda, com o esplendor do costnme,
executando a orchestra, que ser regida pelo pro-
fessnr Colas Filho. a grande missa Dogma de, Co-
cticao, sendo os solos cantados pelos professores
Cobros Trajano e Sabino. 0< professores Candi-
do Filho e Francelino tocaro diversas variaces
de flauta e de rabeea.
Sero oradores ao Evangelho o Rvm. pngador
Fr. Joaquim do Espirito Santo, e ao Te-Deum o
rtvin. Esleves Vianna.
Antes do Te-Deum o professor Abrahao ejecu-
tar lindas variacoes sobre motivos de Berriot.
CONDECORACAO ESTRANGEIRA.Pelo go-
verno portuguez'acaba do ser elevado calhego-
na do commendador da rdem de Christo, o nego-
ciante de nossa praca o Sr. Joaquim Monleiro da
Cruz, pelos servicos prestados aos desvalidos.
PASSAGEIROS Vindos da Europa no vapor
francez Gironde :
Silvaun Blum, Ulrich Keller, Jacob Graft/Euge-
mo Goetchel, Alexandro Richard, Paulo Quiriier,
Paulo Tisset, Libania'Mara Lobo, Maa Benedicta
Mendes, Tito Livio Soares, Jacintho Soares Ra-
bello.
Sahido n'esse vapor para o sul do imaero :
Messaoud Drai.
S3hidos para o Aracaty no hiato JVopo Es-
pera ca:
Francisco Jos de Souza, Francisco de Oliveira
Cabral, Andr Rosa.
-ahidos para Pcnedo e Macei, nc vapor
Giqui :
Bernardino de Aievedo Cruz, Francisco Anto-
nio de Carvalho, D. Luir de Soura da Silveira,
Jos Francisco de Carvalho, Felippe de Aievedo
Faro e i criado, Lourenco Pereira, Jovino A. da
C. Maia, Joaquim Jos de Faria, Joio Baptistn Gon-
calves de Oliveira, Felippe Preto, e Barros Pi-
menlel.
Vindos do sul do imperio no vapor Guar :
Dr. Luiz A. Fernandes Pinhairo, sua sfinhors,
2 Albos, I criado e 3 escravos, Mana Rosa de Je-
ss Lol e i escrava, Dr. Belehior da Gama Lobo,
Antonio Joaquim dos Santos, Amaro P. iartins
Fdgueiras, Joaquim de Oliveira Maia, F. Philipps,
James Wilton, Manoel A. Alves de Brito. Joio Bau-
tista de Castro Rabello, Antonio G- de Araujo Sa,
Joanna M. do Cann Paes Barreta, Antonia J. de
Jess, Manoel Vieira da Silva, Joviniano A. P.
Duarte, Jos Domingues, Dr. Joao Estanislao da
Silva Lisboa e 2 criados. Joao Neponauceiio Tor-
res, Joio M. Leilo Sainpayo, Alexandrino Mas Gui-
mares, Alcibiades lyao Velloso, Americo C. do
Passo, Francisco Teixeira de A. Sobrinho, Vfonso
Octaviano Pinto Gnimaries, Antonio Bucli des da
Silveira, Severino dos Santo Vieira, J. J. di Silva
Moraes, Albino Ant mo de Souza, Deodato Jos de
Lima, Justo Pereira de Alneida. Maria D. de Je-
us Joaquim F. da Silva, Joio Alvo> de Carvalho,
Joio Baplista da Cruz, Salvador Leite Vidigal e
sua senhora, Jos Manoel de Araujo, Flaviano
MontoirH Machado, Roberto Fdrsythe,3Manoel Bal-
uzar Pereira, Antonio Teixeira J. Eseova, Manoel
T. Ramos, Francisc 1 Jos Taboca, Antonio Avelino
Leite B., Manoel F. Tourinho e 1 filho, Manoel
Luiz Colho. Joaquim da Silva Trovio, Frincisco
da Moraes Sarm nto, Manoel dos Santas Fretas, F.
de Abren Pereira, Alarias C. de Carvalho Gama,
Jos Francisco Soares N C. Bocho, padre Anto-
nio de Mello e Albnqucrqne, A. Massy, Jos Gue-
des Nogneira, Jos Vieira de Meti, Antonio L. de
Moura Junier, Jos Francisco Netto Branfti.
Vindos nesse vapor, com destino ao norte do
imperio :
CDROMCA JUDHIARIA.
TRIBUNAL BO COvlHURC IO
ACTA DA SESSO ADMIMSTrLVTrVA DE 8 DE
NOVEVBUO DE 1869.
PRRSnWNCU DO EXM.- SR. DESEJUl.vaWSOH ANSELMO
FRANCISCO PEHETTL
s 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
lados Rosa, Basto, Miranda Leal e barao de
Cruangy, S. Exc. o Sr. presideale declarou aberta
a sessao.
Foi, depois de lda, approvada a acta da sessao
de 4.
EXPEDIENTE.
Offlcio do Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia, mandando informar o re juerimento em que o
bacharel Luiz Rodrigues Villares amanuense in-
terprete deste tribunal, pedo tres mezes de cen-
ca para tratar de sua sade ondo Ihe convier.
Inferme a secretaria.
Offlcio do presidenta o socretario da junta dos
corretares, de 6 do corrente, acompanhado do bo-
letim commercal da semana nUimaAo archivo.
O Exm. Sr. presidonte do tribunal assignou o
offlcio em quo acensa a reccpga da que lhe fra
dirigido pelo Dr. juiz do dirclto especial
mc'rcio cotnmunicaudo ter assumido
do cargo.
DESPACHOS.
Requcrmento de Jos Joaquim Das Fernandes
Jnior, podindo o doferimento de sua peiicao1 em
que requereu ser dexonerado da rosponsabilidade
quo assumira pelo registro da galera Mindello,
visto lhe haver constado estar o tribunal entregue
ofcialmente da carta de dito registro.Informe a
secretaria.
De Caldas 4 C, para se Ihes certificar se Pedro
da Silva Antones est inscripto como seu caixeiro.
Certifiqese.
De Cal las & Sena, girando actualmente sob a
firma do Caldas & C. para se annotar o registro
da nomeacan do caixeiro Pedro da Silva Antones
no sentido do continuar a s-lo de Caldas & C
Como requerem.
De Romo Jos da Silva Marques, para regis-
trar-se-lhe a nomcacao de seu caixeiro Jos Mana
Santiago.Registre-se. ,
De Bago & Silva, com loja de fazendas a ra
da Cadeia n. 41, para tamhem regstrar-se a no-
mearo do seui caixeiros, Daniel Ollon de Hol-
landa Cavalcanti o Casimiro Ilibiama.de 11 jllanda
Cavalcanti. Registre-so.
De Rocha e Silva & C. para registrar-se-lhes o
additamento que lizeram do seu contrato social
registrado fls. 30 do L. 3.a do registro publico
sob n. 1,078.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Bcnto Alvos Machado Guimaraes e Rocha
Silva k C, para registrar-so-lhes o contrato de
sua sociedade.Vista ao Sr. desembargado' fiscal,
Do Feliciano Jos Gjmes, communicando haver
deixado de ser seu caixeiro Jos Rodrigues dos
Santos.O tribunal fica inteirado, o far as an-
notac5cs competentes so o supplicante assim o re-
querer.
De Augusto Christiansen, pedindo o registro de
urna procurarlo jue junta.Registre-se.
De Bellarrhino da Cunlia Cortes, declarando em
satisfaco do despacho de 4 do corrente, ehamart
se Agostinho Jos Franco o caixeiro, cuja nomca-
cao pede, ser registrada.- Begistrc-se.
De Numa Pompilio Passos, mostrando com a
eertidSo que offiTece, haver satisfeito o despacho
deste tribunal que exigi a prova de serem abo-
nadas as tcstemnnhas que assignarsui o termo da
llanca que prestara.Passe-so titulo e venha pres-
tar juramento.
Autos de rehabilitado de Irino Januarjo de
Oliveira, conclusos com o auto por cerdao da
prestaco de contas da massa fallida dqjdito I ri-
en.Aliados, pedido de um Sr.'depua9p.
Summario instaurado contra o.agente do leiloes
Bernardino de Senna da Silva Guimaraes.-Soja
nulificado o summariado para apresentar a sua
resposta ato la do corrente.
COM INFOnMACO DO SU. DKSEMBARr.VDOR FISCAL.
Reqnerimeuto de Epaminondas Jos da Silva e
Jos Mara de Vasconcellos, contrato de socieda-
de. -Registre-se.
Do Dionizio Rodrigues de Moli Castro e Deoda-
to Alfonso Moreira, contrato tambem de socieda-
de.Registre-se.
De Jos Manoel Baptita, pedindo o registro do
contrato de sociedade entre o mesmo e Manoel
Joaquim da Silva Lelo.Registro-so. *
Da Companhia Liverpool and London Glob In-
surrance.O documento n. 1 relativo praca
da Bahia, conforme o disposto no decreto n. 3,673
Tendo p .rm 0 decreto n. 3,788 de 21 de Janei-
ro de 1867 concedido a supplicante a graca de
fnnecionar nesta cidade com as mesmas eondicoos
do decreto n. 3,673 devo a mesma supplicante fa
zer novo deposito nesta cidade, o quo salisfeito
ser deferida. -
Nada mais sendo submettido despacho, S.
Exc. o Sr. presidente encerrou a sessao s 11 ho-
ras e meia do dia.
Ha muitos annos fez o Sr. Starr urna ma-
china para o engerido Cumbe de Baixo, pro-
priedaila do Sr. Bar5o do Rio Formse,
que nSo pode fuaccionar pela soa m cons-
irucco, e causou grandes perdas a aquel-
lo senhor.
Contralou outro vapor para o ngenho
Poco, propriedade do Sr. Diogo Soares
d'Albuquerque, que tembet nao pode func-
cionar, apezar de ter gasto mais do om
raez no assenlamento da machina, de ter
feito duas enormes caldeiras e de ter des-
tacado naquelle (ngenho todo o corpo de
engenheiros da sua fundilocausou pre-
juizos enormes quelle proprietario e dei-
xou-lhe o cercado do engerido enlastrado de
ferros o caldeiras.
Foi infeliz com oulro vapor que fe i ou
concertoo para o engenho Cedro do Cabo.
Foi infeliz finalmente com outro vapor
que fez para o engenho Pixa, que um
modello de velocidad* c economa di com-
bustiveis.
Acautelcm se pois os inosperientes.
i ditos dito ; a Cramer, Frcy & C.
2 ditos dito; a O Dolaporte.
8 ditos ditos dito ; a J. Mendibonre.
30 caixas dito ; a C. A. Sodr da Motia.
175 ditas dito^e cognac ; a Augusto F. de Oli-
veira &. C.
5 ditas calcado e tecidos de lia ; a Henriqne &
Azevedo. _
3 ditas ditos de algodao e de seda, chapeos de
sol; a F. Gomes de Oliveira Sobrinho.
1 dita miudezas; a Costa Irmaos & C.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
aendimento do dia 1 a 8 19:363/402
Idem do dia 9........ 1:6011442
Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Jorges dever se-
guir brevemente par j tena a bordo par-
te da carga, e para o resio trata-s com Oliveira,
Filhos t C, ao- largo do Corpo Santo n. 19, Io
andar, ou com o eapilao na prara.
Port
Segu r ;m' brevil^H^^Kl
orluguuza tolina, par cirjga 1
20:964*844
- CONSULADO PROVINCIAL
tlendimeuto do dia la8 25:944*881
dem do dia 9....... 2:942*187
28:887*008
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIFE 9 DE NOVEMBRO
DE 1869.
3 1/2 HORAS DA TARDI.
Londres 90 d/v. 19 3[4 d. por
AS
Cambio sobro
1*000.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secroiano.
Sociedade bancaria em com
mandita
Theodoro Simn fy C,
Comprara e venden por conta pro-
pria metaos, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outr os ti
tutos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranza de letras da
trra e de outros titalos commerciaes.
Receb m quaerquer quaniias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGa.
ondimento do dia 1 a 8 287:348*002
dem do da 9..... 44:614*900
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 9.
Bahia6 dias, brigue brasileiro de guerra Tone-
lero, commandante primeiro tenente Nolasco.
Rio de Janeiro e portos intermedios8 das, vapor
nacional Guar, de 999 toneladas, commandante
primeiro tenenlt P. H. Duarte, equipagem 58,
' carga varios gneros ; a A. L. de Azevedo
&C.
Rio de Janeiro14 dias, barca norueguense Hurra,
de 450 toneladas, capitao. H. S. Olswig, equipa-
gem 10, em lastro ; a Johnston Paler & C
Montevideo -38 dias, brigue inglez Bachworth, de
309 toneladas, capitao Thomaz Ely, equipagem
10, ero lastro ; ordem.
Montevideo26 dias, patacho norte-allomo Ann,
de 155 toneladas, capitao Schlecbling, equipagem
7, em lastro ; a Pereira Carneiro & C
Rio de Janeiro18 dias, lugar hesponhol Camila
I de Tosa,, de 315 toneladas, eapilao Jos Mes-
tras, equipagem 11, em lastro; a Atnorim Ir-
mao. m
Navios sahidos no mesmo dia.
New-YorkPatacho inglez Harriet, capitao G. Gil-
bert, carga assucar.
LiverpoolBrigue inglez Elizzie Kate, capitao Ro-
gers, carga assucar e algodao.
LiverpoolBarca ingleza Comtance, capitao T.
Gardner, carga assucar.
Rio da Prata e portos intermediosVapor fra necz
Gironde, commandante H. Somer.
Observacao.
Suspendeu do lama rao para o Ccar a barca
ingleza Herrietta, capitao \V W. Tompson, com o
mesmo lastro que trouxe da Bahia,
e nova barca
portugueza tolina, par carp e passngeiros,
para os quaes lem excelentes commodos, trata so
com os consignatarios Antonio Luiz de Olrveini
Azevedo & C.; na da Cruz n. 57 1 andar.
Porto e Lisboa.
Segu para o Porto com escala por Lisboa, a
barca pnatugneza Saflra : para carga o passa-
geiros trata-se com os consignatarios T. de Aqui-
n i Fonseca & C ; ra do Vigario n. 19 ou com o
eapilao na praca. _______________________
Para Maco do Ass
A barca nacional Flecha, capitao Joo Augusto
de Pinho Victoria, seguir para o porto cima In-
dicado nestes oito dias, recebe a (rete a carga qne
lhe apparecer : a tratar-se com Marques, Barros
& C, no largo do Corpo Santo n. 6, 2* andar, ou
com o capitao a bordo._____________________
COMPANHIA PERNAAMBUCANA
m
Navegado coteira por vapor.
Parahyba, Natal, Macao, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
^!P\y O vapor Pirapama. commandante
JUjA Torres, seguir para o nonos
BMBA cima no dia 15 do corrente as 5 horas
la tarde. Recebe carga at o dia 13 eneom-
aaendas.e passageiros e dinheiro a frete ate as
i horas da tarde do dia da sahda no escrito-
rio no Forte do Maltes n. 12._____________ _
COMPANHIA EPEitNAMBUCANA
DE
Navegado costelra por vapor.
Mamamguape.
O vapor Mandah, commandante Julio, seguir
para o porto cima no dia 12 do corrente as C
horas da tardo. Recebe carga, eneommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 3 horas da
larde do dia da saluda cscriptorio no Forte do
Maitos n. 12.
231:962>902
EDITAES.
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voluraes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volumes sahidos com fazendas
dem idem com gneros
300
600
-----900
265
742
----- 1007
e Lis-
SESSO JUDICIAR1A EM 8 DE NOVEMBRO DE
1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOS A. F. PE-
, RETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.^
Ao meio dia declarou-so aborta a sessao, estando
reunidos os Srs. desembargadores Silva Guima-
raes e Accioli, c depulados Rosa, Basto, Miranda
Leal e barao de Cruangy, faltando o Sr. desem-
bargador Res e Silva.
Lida, foi approvada a acta da precedente sessao.
O escrivao Albuquerque registrou o ultimo pro-
testo de letra a 6 do corrente sob o n. 1879 ; e o
escrivao Alves de Brito a 4 do mesmo mez sob o
n. 1872.
ACCORDAO ASSIGXADO.
Embargante, Andr de Abreu Porto; embarga-
do, Joaquim Ferreira Valenlo.
JULGAMENTOS.
Embargantes o embargados simultneamente, a
viuva e herdeiros de Manoel Goncalves da Silva, e
D. Claudina Senhorinha Vieira de Carvalho : sor-
teado um Sr. deputado, em substituidlo ao Sr.
Rosa que jurn saspeicao na sessao passada,
adlou-se o julgamento a seu pedido.
AppeHantes, Brosthelman & C.; appeljado, Jos
Francisco Taboca : adiado a podido de outro Sr.
deputado.
Nao estando presente o Sr. desembargador Beis
e Silva nao foi proposto o feito, adiada as ses-
soes anteriores, entre parles, appellapte, Joao
Pinto de Lemos Jnior; appellado, Maaoel Alves
Ferreira.
DESIGNACAO DE DA.
Appellante, Jof Carlos Teixeira; appellados,
Oliveira Filhos & C.
O primeiro dia til, por nao estar prsenle o
Sr. desembargador Res 9 Silva.
PASSAflEM.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes : appellante, Antonio
Francisco da Silveira; appellados, J. W. Graf
&C.
Nada mais houve, e foi encerrada a sessao
meia hora da tarde.
PUBL1CAC0ES A PEDIDO.
Explos&i da caldeira do en-
genho Salgado.
PARA 08 ENCANTOS
Se o sinistro que acaba de acontecer no
engnho Salgado, fazendo 8 victimas e cau-
ftMtdo ao soa proprietario lao grandes pre<
jnizos. filho da ignorancia dos machinistas
que l estavam, ou da m construccio da
caldeira vapor, nio o podemos decidir,
dicidam as pessoas competmut. Mas o
que nos parece fora de toda a duvida h,
que o Sr. Starr teto sido beio infeliz em sois
teotativas de construccio de caldeiras i va-
por para diversos engennos nesta provin-
cia.

Desearregam hoje 10 de ontubro
Barca francezaSolidemercadorias.
Barca haspanholaCentro de Exportandoyiahos
Patacho hespanholPortollasdem.
Barca inglezaBarlachoumercadorias.
Escuna ingleza-Jterondelleidem.
Lugar inglezCrilhantdem.
Patacho italianoMargheret dem.
Importado.
Vapor francez gironde, vnulo de Brdeos
boa, mantfeslou:
20 caixas queijos; a Silva & Joaquim Felippe.
23 ditas ditos; a Manoel F. da Costa &. C
40 ditas ditos; a Guimaraes & Aleoforado.
9 ditas ditos ; a Lima, Silva & C
15 litas ditos; a J. J. Goncalves Bcltrao.
38 ditas ditos; a Corga Irmaos.
C: ditas ditos ; a Carvalho, Zenlia & C.
40 ditas ditos ; a Fonceca 4 Santos.
6 ditas ditos; a Jos Joaqui n Alves.
10 ditas ditos; a J. M. da Rosa & Filhos.
31 ditas ditos; a J. Ignacio da Costa
65 ditas ditos; a F. Alves Montero Jnior.
1 dita instrumentos cirurgicos; a Len Des-
prez.
5 dilas modas; a madama Adour.
1 dita mascaras; a Antonio Jos de Azevedo.
7 ditas chapos; a Christiani lrmao.
2 ditas sedas e calcado ; a Alves & C.
4 dilas dito; a Ch. Leclerc.
13 ditas dito ; a Lyra & Vianna.
1 dita dito; a J. P. Arantes.
1 dita dito; a Jos Luiz G. Ferreira & C.
lio ditas conservas alimenticias, 8 ditas tecido:-
de algodao ogie la ; a E. A. Burle & C.
7 ditas ditos de dita; a Schafheitliu & C.
1 dita drogas; a A Caors.
2 ditas dilas; a F. F. Borges.
1 dita chapeos e calcado ; a Thomaz T. Bastos.
8 ditas dito, graixa e tecidos diversos ; a Mo-
nhard, Metller & C
3 ditas miudezas, tecidos de algodao ; a Linden
Weydman & C.
1 dita ditos de ato; a Gregorio P. do Amaral
4C.
1 dita ditos de dito ; a F. J. dos Passos Guima-
raes.
4 ditas ditos de dito e de la, chapeos ; a Adri 1-
no. Castro & C.
1 dita chapeos; a Manoel Moreira de Souza.
1 dita ditos; a Cunta & C.
10 ditas passas; a J. M. Palmeira.
50 ditas e o barris vinho e cognac ; a F. Sou-
vago.
1 dito vnagre,400 caixas vinho, 11 ditas sangue-
sugas, calcado, cousorvas, modas, miudezas o rou-
pa; a ordem.
4 dita joias o espelhos ; a A. Hy vernat & C.
7 ditas conro de lustre, marroqoins, sedas, bon-
galas, chapeos e roupa; a Maturino Barroso de
Mello,
2 ditas joias ; a Lehman frres.
100 ditas vinho ; a Rabe Schmettau A C
1 dita modas ; a A. de Souza Braz & C.
2 ditas dilas ; a Magalhaes 4 lrmao.
2 ditas dilas; a Pinto da Silva <\ Casco.
1 dita ditas ; a Ed. de Moraes 4 C.
3 ditas livros ; a Ladhacar 4 C.
2 ditas ditos e objectos para cscriptorio; a J. W.
de Medeiros.
1 dita ditos religiosos; a irmaa Magnin.
1 dita tecidos de algodao; a irmaa Chanve-
roche.
3 ditas quadros e livros ; a irmaa Lczat.
5 ditas modas, chapos e tecidos de algodao ;
Mello, Lobo 4 C
2 ditas objectos para chapeos de sol; a madama
V. Falque.
i dita tecidos de la e de seda; a Flix V. Can-
talice.
3 ditas ferragens; a Milliet Filho 4 C.
1 ditas luvas e chapeos ; a Silva 4 Neves.
1 dita ditos ; a Arminio 4 C.
1 dita miudezas ; a A. da Silva Machado.
i dita ditas ; a J. da Rocha e Silva.
2 ditas dilas; a Vax 4 Leal
1 dita ditas ; a Manoel Nunes da Fonceca.
1 dita ditas ; a Frederico C. Burlamaqne.
2 ditas candieiros para gaz; a Silvaiu Blum.
1 dita objectos para cbapelleiro; a J. J. da
Costa Maia 4 C.
i dita roupa; a Marques, Barros 4 C.
7 ditas chapeos, ditos de sel, urna machina,
marraores, sedas, flores, luvas e marroquins :
Joaquim Lopes Machado 4 C
5 ditas modas e miudezas; a J. A. Moreira Das.
1 dita objectos para fumantes; a Raymundo Pe-
reira de Siqueira.
1 dita sodas; a D. P. Wild.
2 dias objecioa para cabelleireiro; a L. A.
Sequeira.
5 ditas fructas seceas; a H. Oeti 4 C.
1 dita ditas ditas; a Manoel Jos dos Santos.
50 ditas cognac; a H. VYlinwr.
7ditas roupa, tecidos de lila e de soda; a E
t ditas ditos de dita, de algodao e de la, cal-
cado: a Montero 4 lrmao.
3 ditas dito, nviuaezas e marroquins ; a Joaquim
A de Aranjo 4 C.
i dita qumqniDiarias ; a Joio Pereira Moutinho.
1 dita roana ; a Guimaraes Pontee 4 C
3 ditas tecidos de laa e de algodao ; a Carneiro
4 Nogaaira.
4 ilit-s ditos de dito e de lia, loques, 1 barril
vinho; a Keller 4 C.
O Dr. Tristao de Alencar Araripc, oflcial impe-
perial ordem da Rosa e juiz de direito espe-
cial do eommercio, nesta cidado do Recife de
Pernambuco, por S. M. imperial o constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, a quena Oeus guarde etc.
Paco saber aos que o presento edital virem, ou
delle noticia tiverem que no dia 29 da mez de no-
vembro do corrente anuo se ha de arrematar por
vendaaqueni mais der em praja publica deste
juizo depois da respectiva audiencia o seguinlo :
Urna casa de pedra e cal sita na freguezia da
Boa Vista becco do Pombal com urna port e duas
janellas de frente e um alpendre, sala adianto e
atraz sendo esta mu pequea, nove quartos pe-
3uenos, corredor no meio cujos quartos sao tros
o lado da sala de detraz, servindo um d'elles de
cosinba, com um sitio de 150 palmos de frente, c
100 do fundo, cacimba pequcua de m agua, pini-
cos arvoredos, exi>lindo no mesmo sitio II meia
aguas que nao pertencem ao executado sendo a
avaliada a casa e sitio somenteem i.OOOi, a anal
fra penhorada por oxecuco do Buflnio Jos
Maria contra Jacintho Jos Cabral, nao havendo
lancador que cubra o precia da avaliacao a arre-
matado ser feita pelo preco da adjudcacao.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa, e afixado no lugar do costume.
Recife, 5 de nqveinhro oe 1669.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimcnto es-
crivao o subscriTi.
Tristao de Menear Araripe.
Para o Porto
segu com brevidade a velera e nova barca por-
tugueza Isolina ; para carga e passageiros, para
os quaes tem exccllentes commodos, trata-se com
os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azeve .
do 4 C, ra da Crnz n. 87, 1* andar.__________
PARA O PORTO.
Sahir com a possvel brevidade o palhabote
portuguez Villa Flor, tem parte da carga tratada
para o resto que lhe falta pode entender-se com
David Ferreira Bailar, ra do Brum n. 92, ou
com o capitao a bordo._____________________
Para Lisboa
O brigue portuguez Bella Figueirem>e, papila 1
Carvalho Sobrinho, vai sahir breve por lor a maior
parte do carregamento : para carga e passageiros
trata-se com E. R. Rabello, ra do Commercio nu-
mero 48.
Lisboa
LECLARACOES.
O administrador da recebedoria de rencas
internas geraes faz certo aos conlribuintes do im-
posto postal do exercicio cerrenlo de 1869-70,
residentes tas freguezias desta cidade e as dos
Afagados, Varzea, Poco da Panella, Munbeca, Ja-
boaio e S. Lourenco da Matta, que neste mez de
novembro flnda-se o praso do pagamento sem
multa do Io semestre do referido imposto, depois
do que ser pago com a multa de 6 0(0
Recebedoria de Pernambuco 2 de novembro de
1869.
Manoel Carneiro de Soun Lacerda.
O brigue portuguez Come, capitn e dono J. J.
da Costa, recebe alguma carga a frete : trata-se
com E. R. Rabello, ra do Commercjo n. 48, ou
com o referido dono._____________^________
TMIIa brasiles
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
al o dia 12 de novembro, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J.
P. Guedes Aleoforado, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Eneommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahid as 2
horas.
Nao se recebem como eneommendas seno ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medice.
Tudo que passar desles limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s so recebem na agencia a ra da Lrnz
11. Ii7 primeiro andar, cscriptorio de Antonio Luiz
do Oliveira Azevedo & C.
Consulado provincial.
Pela administra ;o deste con miado marca-seo
praso de 30 dias, contaios da data do presente,
afim de que os possnidores de escravos de ambos
os sexos existentes nosta cidado, quo nao forem
empregados no servico domestico ou em fabricas,
venham da-los inscripcao para proceder se ao
respectivo lancamenio, relativo ao anno corrente
do 1869-70, e effectuar--e a percepcao do imposto
de 5J000 por cada oscravo, votado no 38, art.
48dalei n. 891, devendo os conlribuintes faze-lo
por meio de nina nota declarativa do nome o qna-
lidade do escravo, bem como de quem seja o seu
legitimo proprietario.
Consulado provincial 3 de novembro do 1866.
O administrador,
A. Carneira Machado Bios.
P Pela administrarlo do correio d'esta cidade
se faz publico que boje (10) pelas tre3 horas da
tarde fechar-seho, para os portos do norte, a-
malas que o vapor brasileiro Guar tem de con-
duzir : os jornaes sero recebidos at meio dia, e
as cartas a registrar at urna hora. As carias pos-
tas no correio ate m ia hora.^ Dtpois de findo o
prazo cima declarado soguirao o seu destino c >m
o porte duplo.__________________________
44uta Casa da misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 11 de novembro, pela*
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
mem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra ao Calabonco
Casa terrea n. 20, por anuo 242*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 .. ............ JSOIOOO
Sitio n. 5 no Forma da Cal........... 150*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
arrenaatacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 8 de novembro de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues dr Souza
COMPANHIA l'ERNAMBUCANA
DR
\avesaeiio costeira por vapor.
Macei, escalas, Penerlo e Aracaju.
O vapor Potengit commandante Pereira se-
miir para os portos cima no dia 15 do corrente
as o horas da tarde. Recebe carga at o dia 13,
eneommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 3 hiras da tard do dia da sabida no cscripto-
rio do Forte do Mattosn. 12._____________ i
"COMPANHIA PKRNAMBUCANA
DE
Navegagdo costeira por vapor
(oyanna.
0 vapor Parahyba, commandante Mello, segui-
r para o porto cima, no dia 16 do corrente, s 9
horas da noite. Recebe carpa, eneommendas, pas-
sageiros e dinheiro frote, no eseriptorio do
Forte do Mattos n. 12.
avisos MARTIMOS.
Rio de Janeiro
Para o indicado porto, pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maior parte de seu carregamento engajado ; e
para o re^to qne lhe falta, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra do
Commercio n. 17.
PAMA
Companhia americana e brasilei
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do eorrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
le rimack, o qual dejKiis da demora do costme
seguir para os portos do sul, para fretes e pas-
sagens trata-se com os agentes Henry Forster &
C., ra do Commercio n. 8.
LEILOES.
Para o designado porto pretende sahir com mui-
ta brevidade o palhabote Rosita por ter a maior
parte de seu carregamento prorapto : para o res-
to qne Ibe falla, trata-*e cora o consignatario Joa-
quim Jos Goncalves Beltro, ra do Commercio
ni?.
Porto.
Val sahir breve barca Laura ; para carga e
passageiros, trata-se cuan o* consignatarios Carva-
lho & Nogucira, na ra de Apollo n. 30.
LEILAO
da ar macao, balcSo e gneros, da tabora a
do Carainho Nov n. 47.
iioji:.
O agento Pinto far leilao requeriraeoto de
Tasso lrmao, e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio, da aroaacao c gneros da
taberna do Caminh Novo n. 47, arrestada a Fran-
cisco Jos da Costa e Silva, e de confornrtiade
com o mandado existente em poder do mesmo
agente, devt ndo o leilao ter lugar as H) horas do
dia cima dito na referida taberna.
LEILAO
H0JE V
(das 3 as. 6 horas di tardo.)
De um chafariz de pedra marmore, jarros o vasos
para flores, Jiguras e enfeites de cima de au-
sa todo de marmore e alabastro
Por ntemcio d agente Pinto. Na roa do
Imperador armazem n. 57 routrora annaaetn da
allianca.)
De 6 canas com
ns. 13,1
Quarta4^H I do corrente..
J. 0. C Doy lo (ara Mi por conta e risco de


I
Diario de Pernambuco Quarla feira 10 de Novembro de 1869.
9
queffe'yovt
lana d
le aeondki
vapor iaglu
l'..'ra JO ihS i, n
annaiem do Asnea defronle da alindola.
r litforv agento &
ortado
tliarnpton iro
LEIO
Be eO barril de cen vinho
(lato.
Sexla-feira 12 do corrente,
O agente Pestaa far leilo por cenU e risc-o
fle (juem pertencer do 60 h.irris do S* com vinlio
tinto os quaes serio" vendidos em um oa mais
lotes a vontade sexta-feira <2 do correntt as i I
horas da inanhia no araiazcni do Annes defronte
da alfandega. ______
LEILlO
de movis, louca e crystncs.
A SABElt :
Um piano forte o quasi novo, 1 mobilia do Ja-
caranda com lampos de podra, 1 candelabro e 2
serpentinas do crystal, jarros para flore., redomas
com II >n:s, 1 cama franeeza, I toilet, i guarda
vestido com pelln, l guarda rnpa do amarello,
i marquesas, l to', 1 divn, 1 ine*a eLislica,
t apparador, I mr-iiilia de amarillo, 2 eominoila*,
i har.non co, 1 vweziana, 2 transparentes, diffe-
jente< cadeint-, 2 bancas, 1 cama de ferro, 1 por-
ta licor, louca para jantare almo^o, opo, clices,
garrafas e eii|iiili'iras, 1 qintiinliira, 2 cabidos
1 salva de Metal, i mu, tren de casmlia o ca-
tres objectos.
Sexta-clra 19 ile nevciabro
uo sobrado de um andar fia ra do Impe-
rador n. 47,
O agento Piato autorisado por rima familia que
inudmi de residencia, far Icilio dos movis e
mais objectos asiini mjacioiads existentes ni
cobrado de un andar da roa do Imperador n. 17,
aonde se effectuara o leiiiij.
Principiara as 10 horas. ^^^^ ____
De una grande casa e sitio sita
a estrada de folio de Barros
O ajenie P.miml compeleatemente autorisado
venden em leilo a casa cima acabada do cons-
truir ha pouooj mizos, lijado todas ai paredes
dobralas, i salas. 6 quirtos, cosinha c dispensa
fra. carimba con exeellente ascua para b-b.;r,
taodo um sitio 6>.n I3i pal n>s de frente c 420 do
anio. (solo nroprio), seidi loli n sitio cercado e
lerteneenti* a> Sr. Afirml Ferreira Pinto de Arau-
jo, cajo sitio veii;.^ ,,aa pasar una hypotlieca
qu nee exisi; ao Sr Francisco Taixaira Barbo-
sa. Notmdi-S! .mi o sitio dista uns 400 a 500
pasosa da estaca > di* trilh)* urbanos }\ necifd a
liMh, a qual tem di sir feita d) beao do Hspi-
nheiro. O leilo ter lugar
Sexta felfa 12 do corrento.
No | andar do sbralo n. 12. ra da Cruz,
as 11 horas.
AVISOS DIVERSOS.
MUDANCA
o
FLIX FRANCISCO DE SODZA MA-
galhes transferio sua residen-
cia para o 2o andar do sobrado
n. 58, sito ra Nova.
Na ra do Imperador n. 38, loja, precisa-se
do, urna ama de leite e de nm criado de servir.
ISSTITLT ARCIIEOLOGICO E HEOGMPM
ni
llavera sesso ordinaria quinta-feira 11
do correle novembro, pelas H horas da
manhia.
ORDEM DO PI A
Pareceres c mais trabalhos de commis-
soes.
Secretaria do Instituto, 8 de novembro
de 1869.
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Aluga-sc urna casa a inargem do rio no Poco
na roa de Hortai sobrado n. 48.
Precisa-so do um caixeiro que tenba pratica
de taberna, na ra do Rangel n. 39.
Precisa-se
ileum caixeiro para taberna, que tenha pralica e
ild liader a sua conducta : no pateo da Santa Cruz
numero 2.
Precisa-se de urna pe.-soa que entenda de
bolear carm : na ra estreita do Rosario n. 2, Io
andar, das 10 horas da manhaa s 3 da tarde, en-
contrar com qncm tratar.
Precisase de um bolieiru escravo ou forro,
que tenha bom comportamento : na casa n. 40
junto a ponte grande da Pas>agem, a tratar das 4
da tarde ate as 9 da manhaa.
Precia-se de um menino nrasileiro de 13 a
i't annqs de idade, que tenha ou nao pratica do
taberna : na ra dos Peleadores n. 43.
D. Mara Adelaide do- Nascimento Foit osa
avisa a tolas as pessoas qne quizercm comprar
terrenos ni anliga estrada de ulind i, por onde
tem de passar breve urna Imha de trilhos urbanos^
que ella vai retalhar e dividiesen sitio de Belem
cm pequeos sitios; e poderao dirigir-se a seu
Hlho, oengenliciro Antonio Vicente do Nascimento
Feit isa, encarregado do todos os negocios de sua
casa, para com elle effectuarem qualquer compra
desses terrenos : na ra estreita do Rosario n. 23.
i andar.
ios 0:000 000
CASA DA POI
3S HUV 1)0 CRESPO 23.
O auaix i lo tendo vendido nos seus feli-
i l'i' uo Hospicio de Pedro
II (rt) as sortes abaixo declaradas, convida os
possuliwvs a vircm receber, pois as pagar com
a promptido que costuma.
Acbam-so venda os da 61a a favor do Monte
Pi (300).
Numero2033, quatro quartos, eom 10:000*000.
4733, dous quarios, com 1:000*000.
c 1049, dous quartos. com 800*000.
Manoel Martins Fiuza.
Criado
Precisa-so de nm criado : na ra das Larangci-
ra* n. 29, h.itel Commercial.
Os abaixo asignados participam ao publico
o com especialidade ao corpo do commercio, que
dissolv ram amigavelmente om data do 31 de ou-
tabm prximo passado, a soeiedado em comman-
iltta qne exista na taberna sita a ra do Impera-
dor n. 83, a qual gyrava sol) a llrma social Per-
relrfi Goiiq.iIvlw 4 C, ticando cncarregido eobri-
traJo pelo passivo o cx-socio commanditario Ma-
Doel Jos Cuedes de Magalliaes, c desonerados de
qualquer responsabilidade e pagos de seus capitaes
e lucros os oulros socios. Recife 10 do novemDro
de 18G9.
Manoel Jos Ferreira Pinto.
Julo Goncalves Ferreira.
Hanoel Jos GuoJus Magalliaes.
Precisa-se d.i una ama para comprar o co-
zinhar : na ra de Hortas, sobrado ti. 140.______
Ama.
Precisa-se de urna ama para comprar c cozi-
nhar : na ra dos Gurarapes, fabrica de sabio
n. 42.
Precisa-so de urna criada oulima cozinheira :
na ra da Codeia d > Recife n. 57.
PEDIDO
A irmandade de Nossa Senhora do Gua lelupe
da cid ide de Olinda, roa a quem tirar o premie
grande da lotera quo se hade exTrahir no corren-
te mez, em beneQcio das obras da saa igreja, sir-
va-se do destinar urna quola para o adiantamento
das inesmas obras, fazendo assim um beneficio
greja. "_____
Precisa-se-le urna ama para casa de familia :
na ra de (lorias n. 30, sobrado de um andar.
O Sr acadmico Augusto Carlos do Melle
L'Araistre, antes de se retirar para o Para, qnci-
ra cumprir a obrigac/io que contrabio em 21 de
outubro do anuo prximo passado, do contrario.....
Nlo mais cabellos braceos.
A tintura japoniza para tingir os cabellos
da cabeca c da barba, foi a nica admilttda
Exposifo Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparaces at
boje existentes, sem alterar a sade.
Vcnde-se a f50O0 cada frasco na
Bna da Cada n. 51.
1. andar.
Na ra da Moeda 11. ;i, 2 andar, escriptorio
de Manoel Al ves Ferreiri & C, vende-se vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
AM4
NaruaDireita n. 61 precisa-se de urna ama
para casa de um nomem swlteiro.
Offereee-se para caixefro de loja de fazendas
ara rapaz portuguez de idade de 16 annos, cliega-
do ltimamente do Porto, o qual tem bastante
pratica de negocio de fazendas : quem o preten-
der dirija-se ra da Praia n. 3.
O Sr. professor de msica Jos Coe-
Iho Barbosa, tem urna carta nesta typogra-
pbia.
1M4
/
Precisa-se de urna ama para tratar de meninos,
que tenba boa conducta : a tratar na ra da Lin-
goeta n 4.
Precisa-se de um creado para todo servico
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra estreita do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Precisa-se de um offkial de cbapeleiro : a tra-
tar na praca da Independencia ns. 4 s 6.
Precisa-se de urna ama par? tratar de amas
meninas : na roa da Penha n. 23, 2o andar.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OLINDA.
Por ordem da directora sao, convidados os Srs.
accionistas, para no prazo de dez dias contados
do da 5 do corrente effectuarem a 5" presta?
de suas acedes na razao de 10 % e receberem
nessa occasiio os respectivos titulo?.
Para csse fim ser enconlrado o Sr. thesourero
das II huras da manhaa s 2 da tarde de todos
os dias no escriptorio da companhia ; ra Nova
n. 35 Io andar, entrada pela ra das Flores n. 14.
Recife, 3 de novembro de 1869.
Io secretario,
Joiio Jotquim Alces.
Attencao.
Aluga se a boa casa do Dr. Castello-Branco, sita
na povoacao do lleberbe, com omito boas accom-
modacoos, mobiliada as salas c quartos. com
duas camas de casal, excellenle mesa elstica que
accommoda cerca do 30 pessoas ; banho do ro
nos fundos do sitio e perto da casa, e d-se ca,.im
para dous cavallos :faz-se contrato pelo tempo
da festa, ou pelo tempo que con vene mnar. A fallar
ra do Queimado, primeiro andar do Cobrado
n. 2, de 9 horas da manhaa s 5 da tarde, e onde
se explicarao mitras vanlagens.
m III LEITE
Precisa-se de urna ama sem filho e que
tenba bom leite: oa ra do Livramento n.
36: Io andar.
Convida-se
nma senhora do maior idade, qne tivesse tido sem-
ine bens costiwics, para servir de eompanhia a
una outra senhora casada com milito pequea
f; mia, dando- bom tralamento : a fallar a ra
do Cabug, loja de cerL_______________^^ _
Alupa-se um sitio no lugar do Caldeiroiro,
junto ao sitio do lllm. Sr. Dr. Alcnforado, eom casa
e fructeiras, tendo no fundo banho : quem o pre-
tender dirija-se ao ercriptorio do lllm. Sr. Dr. Al-
coforado, ou no mesmo sitio, sendo o aluguel pelo
ti mpo do festa, prefere-se a pessoa solleira, ou
qUO tenha pouca familia.______________________
Licoes de canto, mu-
sica e desenlio.
G. Tlarluangell, fleando sem meios de
stasistencia pela horrivel catastcophe acontecida
no thcatro de Santa Isabel, e nao querendo ser de
peso sociodado, propdo-se a dar licfles de musi-
cii e desenbo com j fizera ha mais de vinte an-
nos em cinco coUegios de ambos os sexos e om va-
rias casas particulares.
A generosa hospitahdade que elle ha recebido de
todos, e a amisade quo sempre Ihe consagraram
as pessoas mais estimaves dcsta cidade, faz-lhe es-
perar que desla vez tambem lhe nao faltar tra-
bilho, com que possa sustentar sua familia, e pelo
que invoca a coadjuvacSo de quantos o conbecetn
no sagrado empenho om que se acha, no mr-io do
qual pora em accao todas as suas forjas para con-
tinuar a mostrar-se digno da proteccao com que
sempre foi honrado.
As pessoas que se quizerem aprovcilar do seu
desvelado presumo, poderao acha-lo na ra do
Sivo (Ilha dos Matos) em urna das casas do Sr.
Tiburcio, perto de- quatro coqueiros.
Giulla Ucltramlnl Harlnangeli
discipula do conservatorio de Milao, decidindo.se
a deixar a carreira theatral e fixar a sua residencia
em Pernambuco, onde sempre receben tamas pro-
vas de eslima e sym.iatha, pelas quaes conserva-
ra eterna gratidaq, deseja empregar o sen tempo
em dar lieoes de msica e canto, tanto de aper-
feicoamento como de principios.
As pessoas quequizercm-se utilisarde seu pres-
umo poderao dirgir-se a ra do Sevc (Ilha per-
dos Ratos) em nina das casas do Sr. Tiburcio,
te de quatro coqueiros._______
Casa a alugar-se na
povoapo de Bebe-
ribe.
Aiugs-se urna exccllente e nobre casa sita
margem do ameno e ptoresco rio Beberbe, sendo
de conslruccao moderna, e tendo ptimos commo
dos, consistihdo em 2 salas frescas, 5 quartos, des-
pensa, departamento para engommar, espafosa
cozinha, accommodaQSes para escravos ou criados,
coeheira, estribara, galinheiro, quintal literalmen-
te murado com granda portao a entrada, termi-
nando margem do rio por nm excellente e cotn-
modo banheiro coberto de telha ete. ; a casa se
acha convenientemente mobilhada cora movis de
Jacaranda, mesa elstica, camas, etc. etc. Neslas
eondicoes tao vantajosas, quem pretender passar
o presente verao confortavelmente, e quizer liti-
gar a sobredita casa, dirija-so ra do Hospicio
n. .T. ou ao Forte do Mattos, armazcm n. 7, de
Joo Francisco Anlunes & Irmao.
Precisa-so de urna ama que saiba comprar
e ozinhar : na ra larga do Rosario n. 21.
SEGUROS
MARTIMOS
CO\TRAFOGO
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
testa praga, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercaduras e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Precisase
de um mdequede 14 a 16 annos pora vender
joias em una tablela: na ra do Cabug d. 7
A, loja.
~ s Srs. Domingos Manoel Martins, Victal Jos
da Motta e Eutichio Mondim Pestaa teem cirtas
etti casa de Tasso Irmao? ra do Amorim n. 37. .
FOLHINHAS
Acabo de tmhlr Lu c acba-se
A venda n*
] LIVRARIA FRANGEZA
ti
Ra do Crespo, N 9.
B
u afamada! FolMihaa
ANECDTICA E RELIGIOSA
jh- PARA 0 AMO DE 1870
PREgO Rs .**..
Na pharmacin do Pinto ra
Larga do Kosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A-'liam-se constantemenlo promplss a
serem satsfeitas, as prescripcoes dos Srs.
facultativos, e as necessirlade dos enfer-
mos, as especialidades da mesma phnrma-
cia, composta de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Xaropcs do fodeg.-o, rabo de tal,
AgriSo, p;io Cardozo.osca, mulung, mu-
araba, etc., etc., ja
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrillia
do Pai pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xaroede sicopira.
Doencas do Ggado c bafo, ane-
mia, o|iila(;o, etc.
Emplasto, oleo, pommada. tintura, pi-
lulas, xarope e vinbo da milagrosa Juru-
beba.
Precisa-se
de um menino de 14 a IC annos para caixeiro de
luja C i cera : na Tin do Livramento n. 36.
Ama
Na ra do Codorniz n. 8 (Forte do Mattos) pre-
cisa-se de urna ama quo saiba cozinhar.
ATTENCAO
Jos Joaquim da Silva Gomes pede ao senhor
que lhe trenxe da Parahyba cartas pelo vapor Pi-
rapamn, o favor de as ir entregar em sen es-
criptorio, ra da Cadea do Recife n. 52, ou an-
uunciar sua morada para ser procurado.
Urna pessoa, proprielaria do um si-
lio n'um dos arrabaldcs desla cidade com
ptima baixa de capim, olera e casas para
passar a festa o qual acha-se avallado por
o:000tOOO, precisa por algum tempo da
quantia de 12:000(5000 juro razoavcl,
dando por garanta o dito sitio; quem
quizer fazer esso negocio, queira deixar
nesta lypographia, em carta fechada com
a letlra B, as condices, sua morada e
nomo.
l'nseisa-se alugar urna ama escrava que ce-
zinhe o ciifrnmme, para una casa de familia de
duas pessoas, c paga-se bem ; na ra Direita n.
W. 1" andar.
PRIMEIHO E SEliiXDO L1VR0S
DE
LEITURA
PARAUSO DA INFANCIA BRASILEIAA,
PELO
Dr. A. Cesar Borges.
(l' EDICAO MUITO MELHORADA E
AUGMENTADA)
Estes dons livros, resultado de grande expe-
riencia o estiidos especiaes do autor, \ieram sa-
tisfacer a una das mais instantes necessidades da
inslruccao primaria, e por tal forma que, pelos
governns de quasi todas as provincias teem sido
adoptadas [tara as escolas publicas, assim como
por grande numero de professores particulares.
O prlmriro litro ( absolutamente diverso das
cartas* vulgarmente condecidas pelo nome de A
B C) o composto segundo um systema natural,
philosophico e ameno quo aos meninos fecilita
extraordinariamente o conhecimento da leitura,
tornando-lhes muito mais rpidos, e n uito menos
penosos, seus primeiros, tmidos e vacilantes pas-
aos na vida Iliteraria.
O segundo livro consta de mudos artigos, con-
tos etc., lodos tao breves como convem fogaz
attencao das crianzas, c escriptos em lingoagem
c estylo apropriados franqueza de sua intelli-
gencia.
E de manera combinadas nelle se acham as
materias que, ao mesmo passo que vivamente in-
tiressam e dideitam os pequeos leitores, levam-
Ihes e iinplantamlhes no espirito e no coracao fe-
cundos preceitos de moral, inspirando-Ibes, desde
logo, com o gesto da' leilura, o amor da virtud''
e a repugnancia da do vicio.
Sao ambos estes livros ntidamente impressos e
el"gantemente encadernados em Paris, e contcm
estampas finas representando os assnmptos dos
ronlos ; o que os torna mais convdaiiros aos me-
ninos e mnito proprios para presentes ou premios
dos mesmos.
Contem demais o segundo dous bellos hymnos
com msica para o comee/) e fim da escola.
Rocommendamolos pois confiadamente aos sc-
nhores pais de familia, e professores quo anda os
nao conhecem.
Primeiro livro. 500
Segundo 2*000
A VENDA NA
Literaria francaza,
9-RUA DO CRESPO-9
Aos laboriosos.
Concei tam-sc.
sob flanea, machi
as de costura,
com perfei^ao e
presteza, l'azen-
do-se mesmo
qualquer peca
que por ventora
se quebr; assim
r como machinas a
s vapor, cylindro?
de padara ou ou-
Jiro qualquer ma-
^chinismo tenden-
te a industria do
paiz, sob as mes-
mas eondicoes cima : na ra dos Patos n. 8 ou
ra Direita n. lii loja.

TrALQBE
tt'ESTi ANTIGA E CRED1TATA
FABRICA ^B^^^
iigiitii ii cenmiTiiim ni ciiplito ubtiiirt ii
CHFEOS Bl SOI,:
De toda as qua!id;idei I
De todos os feitios I
De todas o precos I
RA DO CRESPO N' 4
'".?
Do xarope Vegetal Americano especialidade de Bartholomcoa
34.RUA LARCA DO ROSARIO.34.
No* coUnnumo proenrir (ttetUdo* pin acreditar
ossos prepiradoi, e deiamos que ini pplicaco e o*
resollado obtidospfUspensojque se dignaran acceita-
lot. Iba* deem credilo a xoga ; porque alo sempre oa
lesiadoe considerados graiailoi, e dalles que anca
Dio o cbarlatanitiBo; bu n* querendo ofrendar as pea-
aoas qne espontneamente isaofferecaram.os qne abaixo
vio transcriptos, 01 taremos publicar manifesiaudo-Ihei
nosia gratido pela alinelo, aparando qne venbam
alies corroborar o conceito, e acceilaclo qua lem mere-
cida nono xarope. ar/Aolomto i C.
amtTaaos. k
Illms. Srs. Banholomeo A C. com mais subida
saliafacao que declaro ser o xarope Americano de urna
efficacia extraordinaria, pois qne sofTrendo ba dias de
intensa tosse, i ponto de nlo poder dormir a noile a
despeito mesmo de medicamentos qne tomara, a elle
recorr e na terceira colber fui allmado, e de lodo me
acbe boje restabelecido com o uso sement de quasi
aaeio frasco; grato pois a esse resoltado manifest a
tv, Ss. meu reconhecimento. De Vv. S*. amigo, ve-
nerador e obrigado. Manoel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 80 de abril de 1868.
Illms. Srs. Banholomeo k C. renboradissimoeom
e faror qne me lizeram de aronselbaro nso do xarope
Vegetal Americano, de sns composicio, q_
acbeva bstanle doeole de ama censtipacao, qa*
tornon completamente ronco e qne trouxe os
tosse, e me impossibililon de cumprir os meas
de cantor da empreza lyrica, tou agradccer-lbaa
completo reslabeecimenio, que obtive com un ti
do mesmo xarope, depois de haver recorrido o -
traiamenlos. Desejarci que oulros como en i
ao sea xarope para se verem aliviados do tic
incommodo, Uo fatal nesie paiz. Com malor
raco conlindo a ser de Vv. Ss. atiento, veaeradbr
obrigado. Lniz Cremona. Recife 23 de teST-*
de 1868.
Illms Srs Banholomeo IC.-O xarope Vegetal
ricano qne Vv. Ss. lem exposto I venda de
caeia para o curativo d'asihma, canforme ob
plicando-o a meo lilho Joaquim. menor de
annos; victima d'esse flagello. qne at entiopor
excedente a dous annos bavia resistido a outro#i, -
de grande nomeada. Qneiram pois Vv. Ss. acatiatr
expressao admenle sincera de meu reconuecinstie
meritorio servico que lhe preslaram com o i-
tarop, acreditndome para sempre de Vv. Se. c_
aliento e obrigado. Americo Nelto de Memloacav
llecife 2 de outubro de 1868.
i i
MDALHA A EXPOSigAO UNIVERSAL DE 1867
Para, a Superioridades d'a
Iimilada por LE GR AND, Perfumista do Imperador dos Franceses.
PARS. CO?, Ra ft.tlnt-Hunorc, O?, riltl*.
CRME OlilZA. ORIZA. LACT
DE SINON BE LENCLOS
Par dar [rticura rt / efle, rftflrur as runai Ha car,
tonitrtar tlirniiienlt a trUna Ji j'itmiu le.
LEITE ANTErilKI.ICO
Pura rtfrtsrar, tranquear e aducer a ptOr, fauna
dei'ppireeer 8ABAO ORIZA.......D'uma massi rice->iamrnle suave e d'um prrfume dos mais delicados.
OHIZ *-<;.;|. \\l osstise. Mas ORIZA-1 I.U1I)........ Copiada forlilicantre nutritiva para ron-i'r\ar ns cabellos crni)i>>tllo<(le qtu-brait>L{
ORIZA l'lll l.()(.0\!K.. Trliinn de hoi c oleo ilr avela rom bate (k quina para os cabellos,
OI1IZA-OII........... Oleo rinisslnio perfumado para lustrar os cabellos : eni|>e(li!os de qtiebrarem.
OIIIZ \-i;illl.l,AS l'I.NK. r,riv'.,illi-,ii'.n com vilela, para dar brilho aos cabellos e a barba.
ORIZA KI.OWKRS.... Agua nron.paravel de um perfune nave e delicado, para forlilicardo la peile.
OniZA-AClDULIN.. Viuagr.- do loucador, aioma e anlephiliro.
KSSKNCI'.-ORIZA..... Perfume concentrado para os lencos producto muito delicado.
ORIZA-I.YS.......... Perfume do bom lom c da alio si),ieilade paia os lencos.
ORIZA-I'OWDKRS.... Flor de arroz Ha Carolina para u cara e a belleza da pelle.
ORIZ A-DKVriKRIGK.. Para aliejar os denles e conservar as genghas.
ORIZA-DICNTAIRE ... Nova inassa para alvejar os denles sem destruir o e*malte.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
Pin lioisia e salobridade di cibru, hnliuaiit cale los, i aaapodado it ukir i ii bieoli iriurr niiiasli.
DEPOSITO CEltAL na Caza de
E em Caza de todos Perfumistas do Brazil.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
r-HARMACEUTlCO, i, RUI OES LIOS SAIKT-PAUL, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODIRKTO ole POTA88IO
0 Iodureto de potassio um verdadeiro alterante, um depurador de inconlestavel effi-
cacia; combinado com o xarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
sem perturbacio alguma pelos temperamentos os mais traeos, sem alterar as funcedes
do estomago. As doses mathematicas que elle roniem permitlem aos mdicos de receilal-o
para todas as complicarnos as affeccot-s escrofulosas, tuberculosas, cance-
rosas e nos accidentes intermitientes e terceiros; alem d'isso, o
agente o mais poderoso ceir as doengas rheumaticas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO XAROPE FERRUGINOSO
de cateas do laranjas amargas.
35 annos de successos aitestao a sua cffi-
cacia para curar: as doencas mrvosas,
agudas ou rhronicas, M gastritis, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
de cascas de laranjas e qaaasla amara.
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as ululase pastilhasen todos os casos
em que sao proscriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PTRETHRO E GAIACO
Elixir dentirrieo, para a alvura c con-
servado dos lentes, curando as dures
causadas pela caria eu produzrdat pelo
coulado do calor ou do fri
F dentfrieio, com base de magnesia
para a alvura e conservaco dos denles,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducior
Deposito em Ato de Janeiro, E. Cfcevolet; em Pernambuco, r anrer e C; em Macelo,
Falco Dios; em Pellas, Antera Leltao; em Baha, Oa Rocha; em Poro Alegre, Joo
Bello; em Uaranhio Ferreira r c*i em Ouro Preto, C. i. V welemoa i em Santa Caiha-
nna, 8. Sekutel; em Montevideo, O. Irubeet i em Bufnoi-ilyre, Blebrparebonla
CARVAO DE BELLOC
PARS
Approvado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Parii para a
cura da gastralgia e em geni de todas as doencas nervosas do estomago e dos intestinos.
egualrnente o remedio por excedencia contra a retencao de ventre Finalmente em
raiSo de suas propriedades absorventes, recommendado como verdadeiro remedio nos
cazos de diarrhea e cholerna. car*** ato Bellosa tema-se na occasiao das comidas
sob a forma de pos ou de pastilhas.
Deposito em Rio-JiaEmo. Duponchelle; Chevolnt. Em Persawbuco, Maurer k C*.
RA
DO
! CABUG
esquina
a roa larga do
Rosario.
RA
AO ANNEL DE 01R0
T^BPA DE JOIA
Este importante estabelecimento no sen genero, !tem sempre nm sortimento sem igual,
e vende por preqos qne nenhnma outra casa pode vender. .' ,
vista da qualidade e do prepo das joias cada nm pder-se-ha convencer da verdade.i a raa ^ |
Garante-se ser tndo de leL Compra-se onro, prata e pedras finas por prepos mnito ele- Rosario,
vados.
A l$ja est aberta at ss 9 lloras da.noute.
CABUG
esquina

M



Diario de Pemaiubuco Quarta feira 10 de Novembro de 1869
m >''?. j,=r
> '
Mikroskope achroma-1O\o=s-.
tlseheh. ObjeiifLitf- ^^^XD
sen. "- "
Barmetro e term-
metro. Gentigrade
e reuumeure.
DE
CEOS periscpicos
E crystal de rocha do Brasil.
F. I. ncrnau. rccommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com esta vidros, a vista descanca, forlihc-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res decabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do oho, e,
todas as vezes que o objeclo est mais perto ou mais longe, os raios que expelle sao
mui convergentes n moi divergentes e a visSo nao 6 perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso ua"o distmcta.
Com a applicacao de mens vidros pde-se vencer estas difficuldadcs. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mrii convexo (o que faz ver bem, de pe/to, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver t5o longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito ehato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se clama prcsbyta, vera melhor de longe que de perto, e nao enxergam senao
um nevoeird na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarSo
t5o distinctamente como na idado de 15 annos. Servindo-se desles vidros quando e
vista principia cufraquecer, previne-se o mal.
F. .J. Germano encarrega-se'pela sua experiencia, tendente aos olhos, aes-
colher, a primeira vista, seja qual for a iade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa, #
Para que sao fabricados estea vidros ? 7
nznh mmm
Nova loja de calcado
JOAQUIM DAS DdS SANTOS 4 0. acabam de abrir uW ettabeleciaenU) de ol-
eado estrangeiro a ra Nov* & 30, onde o pablico encobrar tudo o qi neslt ge-
nero de commercio ha de melher e de mat oslo em Pars e*JLondres. t^jm*,
Por todos' os vapores transatlnticos reccbero elfos constantemente'remeSsa* a
talcado novo, pelo que ter sempre o eslabelecimento o que a rtspeito se pd ti>
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, peder a coopera?9to> qor
Ibes possam dispensar, certos de que ser5o .servidos com lealdad.
Para a vista myope, (vista carta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de Iraqoeza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leitura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista que nao supporla os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata. _
Para a vista que as palpebras esio cer-
cadas de sangue.
Para vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
i.
Sortimeino de binculos
para theatro, e oculos de
alcaneo para cr campo e ma-
rinha.
Lonetas, pinee-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, acr-
ete, etc.
Tem tambem grande sqrtimento de relogios para parede, que dao horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efeleuda, inglezes, suissos;e orisontaes dos memores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas Cm grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21==Rua govaN. 21.
r:
9Ra da Impratrizr-9
De volta (h sua viagem a Europa onde visitn as mais afamadas fabricas tanto
",ak Paris como em Londres, Vienna, Berln, Ilamhurgo etc. e tendo-se relacionado
cotjfos mais celebres l'aiiicatites como Herz Scheel. B >>vd. Peyel, etc. o propietario da-
uUe os!.ihelnmefi!opto ;i venda alguns^lestes celebres instrumentos e 3*seicra>ao
pirtrfico. em particular aos sedS fivgnezes que ellos, afm da perfeirTSo e esmero do seu
naballio; rvtimm em *i tmJ;i a elegancia, solidez e harmona,
Esta casa est montada etn grande escala e pode fazer todos os coDcertos neces-
arias, pois o seu luopriutario troiixe consigo da Europa todas os utensilios necessarios.
Cintionar pois, allng.tr, atinar e concertar, como de cosame, como maior
snero e promptidUo.
IIIIIBB
IIIBIII

Salt hill, perto de Windsor.
CimtllO t\TBIILKiOIIEPip.\BES. lUMU
Sobo patronnia espeetult
S. USENCIA OCAfini'.XI. WI3ESAN, ARCEBISI'O DE WKSTMINSTKR, DOS EXMS. UVMS. SnS. DB.
AWIKRST, BISCO DE NORTHAMPTON, DR. GRANT, B1SP0 DE S0UTI1WARK, E DO RVM. BU.
WABE1NO.
Os Srs. James & William Butt. assistidos de um capellSo residente na C3sa de
aptos professores, dirigem o eslabelecimento cima mencionado. O curso de educa5J0
encerra as linguas, latina, grega, ingleza e franceza ; algebra, arithmelica, calligraphia e
wscriptorar.o mercantil.
A penso ele ci icoenia guineos, Os lugares na capella (a qual az parte da
casa) bem como o dinlu-iro, que os alumnos tiverein de receber, **> pagos pai-u. A
KMKo paga seis mezes adinntada. no caso que os pats on coi respondentes deseja-
rm qe seos filbos on recommendados ?e retircm do estabeJecimento, terto a hondada
ile avisar os Srs. directores tres mezes antes da sabida dos sobredilos. As feria* 4a
viril comceam no dia ii do junho, e acabam no fim do mez de julho ; as do Natal co-
eam no dia 21 de dezembro e acabam do dia-6 de Janeiro. Dcsenho, msica, chutea
i" esgrima saoensinados por professores modernos.
A tituaclo, como, bem se sabe, muito sadia : cincoenta geiras de terr per-
tMcom casa, a pial espacosa e coma la ; sitoada perto da estcete de Stough,
aona das da grande estrada de ferro do este, (Great Western Railway.
Para melhores instrueces queira-se dirigir aos cima m ncionados ; ao Rvm. It.
('onego Shepherd, Piqry Street, Colchester; ao Rvm. J. Barober. Thorndon, Essex
Rvm, John Bott. Arundel: ao lllm. Sr. A.'Bntfer, 6, Austin Friars. Londres, o aos
Brect^res os Srs. James A Willian Butt, e no Brasil provincia de Pirnamb^co, a Antonw
YJciz dos Santos.
_ .
FABRICA HE PIANOS
DE _________
J. Rhigass, successur
55Eua do Imperador55
Nesta atttiga o bem conhecida casa, encontrar-se-ha coo>oti^ora grande sor-
timento de pianos construidos expressamente para o clima deste paiz, e Mr. J. Rhigass
tendo trabalbado muitos annos na construeco de pianos em Paris^ acha-se habilitado
a preparar os pianos que vende com lodos os accessorios indispensaveis nao s i sua
solidez, como sua duraco. ledos os pianos sao garantidos.
Tambem ha neste eslabelecimento, grande variedad de msicas novas e dos
melhores autores, tanto vindas de Pars como do Rio de Janeiro, que se vende mais
barato do que em outra qualquer parte ; assim como ha igualmente venda todos o
objectos necessarios contrueco de pianos. Os coaesrtt inac3es de pianos serao
feitos com o maior zelo e cuidado.
VERDADEIRAS
^
PILULAS DE BLANCARD
C0 IO0URETO DO rCMNO IIULTMVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DB MEDICINA DE FtOtiS, OTC.
VOMnlndb 18 proprleiTades n ledo et do /erro, convem espeNlmente nos Arraccois
iSBCRonTLOSAS, a Tsica no prinripio.a fraqwta d$ temperamento e tambem nos casos de
Taita db cor, AMFNORRnrA, em que precisa rf.aoib "obre o sangub seja para restituir
|ne a soa riqueza e ahunrtencia normaee, ou para pro>oeare regular o seu runo peridico.
I f.B.Q Munto de ferro impuro ou alterado um medicunanto infiel
gftrrrkurte. Como prora de pureza de aulhencidade daa rerUmrirma P-
as mimmmmr, dere-at aaiir homo a prata maalHa
iaaa kai, wm\ reproduila, que e acta aa parta inlrrior de un
[rafeara Tct-dr. Dm-aadaWMiSar da* faUiflcaeoet.
taalaa aa aaaiaei iilaa. PhmrmaeeuHeo, na
C0AFEIT4RIA DOS ANA.YUES
16 RUS DA CRUZ -16
Ha diariamente bollinhos para cha, bollos inglezes, pes-de-l, presunto, dito
fiambre, superior cha Hisson, dito preto e miudinlio, xaropes refrigerantes, vinhos en-
garrafados, doces em calda, ditos seceos e crilitalisados, figuras paraibandejas iphantazia
e noivado) cainhas com amehdoas para preco commodo.
Recebem-se encommendas para bailes, baptisados e casamentos, as encom
mendas para fura serio bem acondicionadas.
Plun pudding.
Apre cot. puld. Warranted superior qualit.
>

\
ANDRE DELSC
CABELLEIREIRO
^7 A Ra do Cre>po1. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste estabelecimento um variado e.bonito sort-
mento em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUVAS Marca garantida de JOVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LUBIN 4 GOSNELL.
DITOS FINOS.era frasquinhos proprios para presentes Lnbin d GosneH.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubin.Gosnelle, Societ Hyginiqw
SABONETES.finos para toiletteLubm dV Monpelas.
A DENTIFRICE.agua para limpar dentesSociet Hyginique Lubin *>.
rterre.

OPPBESSO 80FF0CQAO
Aa Parolaa TMbcr se dooto Caerta approwwias pela Acaemia imperial
de medicina dePariz acalmain quasi sempre instankmeanvnte os- itaquns d'asma,
apprcsso, soffocaco, assim gomo as drea de eabeca e ensaquecas. Ii sJfl-
ciente na occasiao em quo apparoccr o mal, o engolir-se urna ou duna perotas
com urna pouca d'ogoa. E com certeza o inedcaanto mais i'aeil de tonar para
este genero da doencas.
Paroi detcrebenthtaa, bo DOCTOR Clerta sao imprecadas diariamente
com grande tito para a cura das Mrralgias, rheumatismo, scia'.ico e catarrhos
da bexiga, listas peclas foram sentare r^cgmineiidadas por um grande numero,
de MMca e espeeiaimente pelo Doutlr Trousseau, que indica esie medica-
iei*ta como o mais Atea*. convflantr tomar de 4 at 8 na occaaiao das
comidas.
A apftoft^o daftMaletnia nptttftt da medicina sm dunda a melbar
garantir da boa preparacao d'stes medicamentos e de sua efficacia.
Deposito cm Hj^Kanavi DufonctttW; fUtrtolot- m pERifiancw, laurer*.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellos-Lubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira de Jo3o Marina Faric*.
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ABRZ.ditoLubin.
HUILE DE SENTEROleo para conservacSo dos cabellosSociet lrgreuicja*
ESCOVAS FINAS.para cabellos, denles e unhas.
BUIREAU.Pfneel para barba.
GBANPOS.para cabellos.
REDES INVISIVEISpara cabellos.
GRAVATAS UNDISSIMAS.do melhor gosto.1
BENGALAS.de phantasia, para passeio e de diversos tamanhosetc, etc.,ctr^
A la parfumerte J^arisiene.
7 A RA DO CRESPO i.9 ANDAR 7 A
GASA FELIZ
Aos 20:000*5000
| Mudanza.
} O Dr. Francisco de Paula Soantymft-
N Reeife arc>da Coacel^em. f W >"*- da.Ciw ootaapara
O abaho assirnados tendo-se habllttado na f
forma das leis, tem exposto a venda os seas feli- (
ios bilhetas das loteras do Rio da Janeiro, na casa I
cima, aonde se pagarlo as sortea que sahirem J
Inos mesmos billieles, com o descont somente
roa Augusta, sobrado n. 116.
da le.
PREgOS.
Bilhete inteiro
Matos
Quitos
E de MOJ para cima a 2* o bilbete.
Figueiredo & Leita.
BARATOS
s
Superiores cortes de perdlle com barra, para-vestidos a 54 caria erte,
Lmdoa cora da^aa de ad ao IB a 20 cwadoa, pato barafenuo
ateaadlHMUam aatte, na lojaaa cohomnas, ruat < ilni^f, b43 de An-
Wun Correa ti Vasconccflos.
ttMHalMllili ttlIJWMI WWWMWIalai
Um moco de idado de 17 aon'os; com muito
talho de letra, -abendo arithmeUca, traduzir
neafe ingle, Merceseempregar-se em al-
ma case, de commercio, dando fiador a sua con-
cta, se ror preciso : quem precisar dirija-se
ra da Matrii da Boa-vista n 26>1 anar,rde
^e dar mformaedes a reseeiio, u aeeaMrir po
este Diario para ser procBrado.
Attenpo.
AVISO
Roga-se ao lllm. Sr. Ignaef Tieira de
nscriT o da cidade de Nazareth desta proviafliv.
favor de no praso de IX das vir ou manaf >
ra do Dnperador n. 18, para coocloir aqa||ia
negocio, que ha 4 annos ja foi por este mesmo jjr>
nal chamado para o concluir, a qpe aoudiDde>a>
aquelle annunelo asstfteroa lealisain'o em 30 dhta
e de novo esqaecen-se deHe I O anronatenta |t-
pera que S.Ao dUpeti^aJt le niatada ao iaW
para es Uro, mas . ser preciso explicar a rano deste chamado, <
parece ao annsnciaate Ihe nie~ajaafairosa tal |a*-
blicaco. Recife HWfr otrlfAr dfr 1869.
I Partaram do engenho Pereirinha,
Agoa-Prcta, duus qiurtoa eom,
tes : um ruco, paqena* elha,
brados 6 boni eslradeiro ; o outro castanbo, |

re; ere-se que s condurisaam para os la^^H
aWnirbs ou Porto-Calvo : roga-se as autoriJafaV
a apprebencao dos mesmos.
Precig#-so
hertalieja
Na praca da Indepaadeaeia
de um portapiez que enteada de nheiro sobre peahores de
aaraa da otaiiai f.aa
prfajiw, nja qnil fer a
?SSSSSiV&'
urna easa em Beberibe : a tratar com J. I. de M. commeoda, todo e qual
Reg, roa do Commercio n. 34. i mwn arte.
teedeota


Diarie _- Periwmibuoo Qarta fra 10 de Nom&bro d 1869.

i
CAS4 DA FE.
Aos 20:000k000.
liilheles do Rio venda ; ra G#Bg a. %
vendo Vioira & Rodriguen
AYK0.
No i'avittiaa da Aurora, ra 4a ImperaM"'
n. f, prwisa-se do boas offlciacs do alfaiate para
tnd.is as costura*.
Mugase urna sala com Jous quartos-do*
andar da roa do Imperador n. 73 : a tratar no
mesmo andar, das 6 a* 9 horas da manilla.
Buberibe,
Aluga-se na povoacao urna casa cora trastes :
tu nu da Itiiperatriz ti. 1.1.
Precisa-se de una ama livre nu escrava que
cozinlie com perteifto : tratar na ra da Sonza-
f>velna n. 84.
Au
ga-se
doas rasas com bstanles commodos, na cidade
nova de Santo Amaro, o vende-se una : a tratar
com Antonio Jos Gomes Jnior em Santo Amaro.
AMA
Precisase de urna ama que eozinhe, para fami;
lia peinwu : na ru Nova n 45, andif._____'
sciente a quem pie
se acha annunciada
LOJA BE JOLAS
DK
&c
O abaixo assiguado faz
tender arrematar a casa que
pelo agente Pontual, na estrada de Joan de Barros,
pertencenle ao Sr. Manoel Ferrein Pinto d A-
raujo, que dita casa se acha hypotbecada ao aa
noncianre.
la
!ste antig-o estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est, as condi-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de le, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, ujos prepos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.
DO CABLJGA \ 5
OLIVEIRA aiCARVALHO
Successores de Reg &Moura.
24-Ra Nova 24
Os proprielarios deste novo estobelecimento fazem sciente ao publico, que
acabam de receber tim perfeito e variado sortimento de pannos Gnos, casemiras, brins e
otitis muiUrs fazendas de gostos modernos, as quaes vendem por precos razoaveis.
srtiesmos scicntilicam que tendo admittido para sua officina do alfaitc, um mista hbil
io desempenho de stias funecoes, recebem qualquer encommenda de roupa por medida
pro_ettendo satisfazercm, cora pontualidade o presteza qualqucr pedido nesto sentido.
-r-*ti**trfi t.- .-( rr-ii--nl--Ljn--ffT-*fii^--f .--1 tMtf/TM^ M 1___il_,Ji_iO_tl__B__l l'-lil _lfl fllttfjV Tll*V
AS BOUBAS CURADAS
E
Todas as molestias sypMliticas,
PELO
ELEXIR DO DR. SEVIAL
nico depurativo seaunercurio que tanta aceitaco tem meiecido no Bra-
sil, as repblicas do sul e na Allemanha especialmente para cura das boubas,
sarnas, rbcumatismo, todas as molestias syphiliticas e em gcral todas aquellas
provea da empureza do sangrxe.
NKX) DEPOSITO
KA
Pharmacia e drogara.
DE
Bartholomeu & C.
34Raa Larga do Rosario34
Precisa-se ao urna ama para engommar e
cozinhar para dues ppsoas de familia : na Ca->
punga, ra da Ainiza.de n. 21.
Alugp-go :i aadar e s>>lao do sobrado n
32, sito na pratja da-Boa-vista, tendo commodo*
para grande familia : a tratar na ra do Alecrn)
n. 30.________________________________
Alugain-se duas casas terreas sitas no Man-
guinho a tnargetn do rio, rcromincndaveis pela via
frrea : a tratar na rna do Vigario n. 31.______
Ama
Precisa-se alugar urna ama, que saiba
l)(itn cosinhar e comprar, para una casa de
duas ou tres pessoas. Requer-se que seja
de mudo jbons costumes o diligente. Se
tiver estes predicado?, paga-se bem. Diri-
lir se ra Bella n. 30, sobrado de |2 ra-
dares.________________________5_____
Precisase de urna ama para casa de ponen
familia: a tratar na raa oslreita do Rosario n. 36,
t. andar.
ATTENCAO
Na ra Direita n. 1G, sobrado, lava-se cengom-
ma-so tanto para hcmeni como para senhora, por
cntnmodo preco.
Joaquim Ferreira dos
Santos
nrofessor do dansa, natural de Portugal, chegado
pouro da Euro|ia com sua esposa esla provin-
cia, tem a honra de participar aos seas Ilustres
habitantes e mili principalmente aos pais de fami-
lia, que contina a loccionar em dansas com todas
asregra-, as Ierras e (pjinlas-feiras, das 3 horas
da tarde s 10 da noito, em sua casa na ra es-
treita do Rosario n. 31,2 andar, e nos domingos
de nianha para todas as pessoas que nao podeni
vir nos ontros dias, sendo a 1q*> oos demingos a
noite geral para todos. Tambem se promptilira
ir aos collegios o casas particulares, nos outros
das.______'________________________^__
Feitor e cozinheiro
Na ra Novan. 12, ou na ra do Ouro n. 30, 1
precisa se de um feitor que sailia tratar de um si-
tio, assim como de um bora cozinheiro, preferindo-
se estrangeiros.
I*. Aona Josepha Pere'ra dos Sanios proprieta-
iiivul|o Jova da Onca,
*-to m-lMiuezi*-dit N'awe.i, peto- presente faz
publico, e sciente a qumi po interessar que
ningoem fa^ja transacao algum com Jos Floren-
cio Uje Oiivetra e Silva, tx-remhriro do mencionado
tngenho, quer sobre a afra a moer, assucar e o
roe! ja ftj, quer sobro i|i!inniqer objeetos per-
ntes ao precitado eng'.-iihu, como inuciida, tai-
xas, Jwrmas, ferros corren tes, tanques c balroes,
visto como uiio s se aclia o referido engenho ar-
rendado a ou tro, como taca objeeto* arrestados
pelo juizu da 1' vara para pagamento de 12 anuos
de renda do predito engenho; pelo que desde ja
protesta peb ret diteito cmtra quem quer que a
prcjtidiquo, 9 it onde as leis e os trminaos de
uoi pailhe parantireieu esernlto.
O-abaixo assignado lutado saludo de sua resi-
dencia para o seu esCaheJecimcnto s 5 horas da
inanhaa, tetan na ra do S. Gonzalo um maco de
sdalas, seu dono dando qualquer sgnai quepro-
ve ser o. pronrio, llie ser entregue na ra dos Pra-
zcres n. 30,
- ; Jote Camitro ia Cunhn._____
-WITerel'e urna multier branca de meia tilade*
de 4a cootlucta mitin e 4>r*st.ir servipis.. qijem precisar dirija-sa
i-Boa-vista na dos Pires Inja n. 35.
Alaga-se duas casis na ilha do Retiro (jun-
to a ponte da Pa*s;ig*;n da Magdalena), lugar mui
saJio e fresco, una Jella de bastantes commodos,
tendo j banhfiro frito para se tor.iar banhos ; a
tratar com o Sr. Ltliz Uanoel Rodrigues Valenra
roa das Trincheiras n. 50, Io andar.
Pncisa-se do urna ama que saiba cozlohar e
engommar para, casa dft pouca..lamilla : a, tratar
no sobrado da roa do Vigario n. 9, 3* andar.
hi.
Temos noticias por um passagoiro chegado do
sul,"que em bretes dias cbesar em nossa capital,
um niagieo |>or notnc M:.-riano Nanns Estin rival
do celsbre, Mr. Hermann, desejainos que chegue
eom-felicidaile.
Engommadeira.
Na ra do imperador n. 73, 2* andar, precisa-
se de urna criada para engommar.
IV,,
Precisa-se de urna cosiuherra; no Mu. Joias, ra do Cabug n. i< ________________
Casa para alugar
Aluga-se para passar i festa ou por anno, urna
casa na ladeira da Misericordia, em Olinda.com 3
salas, o quartos, cozinha lora, terracos com assen-
tos de podra o cal, na frente c atraz, e t>oni quin-
al cercado : a tratar no largo do Terco n. 11
Sabao de alcatrao
Para curar as molestia da pellc
taes como empingens, darthio-, sarnas, couiiehoes
e mais molestias de pelle, sein eccasionar accidew-
tes ; desfaz as manchas >bi corp, pannos, sardas,
retabelcce a cor natura:, quanto a cutis, secra,
grossa e amarellenta, lecasionando por alguma
enfermidade, c como desinfectante c preventivo
dits molestias contagiosa.-.
NICO DEPOSITO
Botica do Pinto, ra larga do Rosario n. 10, junto
ao quartcl de polica.
mmmMwmm
!EMPRESTIIVI() SOBRE
Pi'etisa-se de tima ama pura comprar
a cosinlia* cui uuui casa de pouca familia i
ra de Martas n. I.
im aMto
Aos 4:0005
-Bilhetes garantidos.
\ nradfrlrespo n.23 e casas docostumr.
O adajM assignado, tendo vendido alm de nu-
tras sortea, don? quartos n. 3288 com l:00l) da
lotera que se acabou de extrabir a beneficio da
igreja de Nhs.'a Senhora da Soledad6 do Rccife
(12o'), convida aos pussuidores fireln receber
aa confornifclade do costume seni descont algum
Aeham-se a venda os bilhetos da 1" parte d
toteria benaQcia da ioek de Nossa Seahora do
Gnadelnpe de Olimla (126-), quo se extrnhir sab-
bado 13 do crrente mez.
Prego*.
Os do costume.
Manoel Martins Proza.
1
l YE
TRILIIOS URBANOS
DO
Secife Apipucos.
emek
Por ser a actual tabella inconveniente a partida
dos trjs, do dia 7 do corrent<- em diante ser re-
gulada por nina tabella nova, que podo ser pro-
curada as estacos dos Recife, c das offleinas
desde j.
Escriptorio da companhia Sdcnovembro de
18(5).
W Rawlinson,
____________I_________________________
Attencao.
Precisa-salupnr urna ama de leite : na ra
do Imperador n. 45. {"-andar.
lng'Se um pnmde armazem sito na praea
semicircular do raes de Apollo, ladrilhado de pe-
dra o acabado estes dias : a tratar na ra da Ca-
dma do isifc n. 12.
8e vivo.

Prelcnde-se saber se existe nesta nidada on
ora d'ella, Custodio da Costa Guianars, ^bri-
nho de Antonio Joaquim da Costa Guimares, que
foi estabelecido nesta idado com umabja do fa.-
zendas, para negocio de seu inleresse. e com elh;
se tratar sobre bens que Ihe |iertencem na fregoo-
zia de S. Julio do Callendario em Portugal; nucm
d'elle P9der dar noticia, ou de seas herdeiros,
queira dirigir-se ao escriptorio de Prente Vianna
& C, ra da Cadeia n.57.
ATENCAO
o
Xa loja de funilaria da porta larga ra da
Imperatnz n. 6o, tem um grande sartimento df
eandieiros clamparnas para gaz, de lindes golos,
e obras de funileiro, tendo { santuario de gosto e
bem acabado, assim como vende bombas, tornei-
ras, etc., e enearrega-se da eneanacao'd'agoa para
qualquer casa, ou estabelecimento, tambem vende
um bonito e moderno fogo inglez. nao s cozinha
com lenha como com o carvao. Na mesma loja
eoneertam-s todas as ebras de encanamento f
machina de costura, asseverando que achara
: sempre prompto a servir bem os sena Ireguezes .
a tratar na mesma loja a qualqucr hora, que ser
: attendido. ________________________
O testamenteiro do fallecido subdito franeei
Joo Vigncs, convida aos devedores do finado a
saldarem seus dbitos amigaveimentc, do contrarp
serio ajuizados sera excepcao alguraa.
(SEM LIMITE.)
Na (ravessa da na
das Cruzes % _, pri-
meiro anda:*, da-so qual-
quer quantia sotec ouro,
prata c podras preciosas.
O ddno dste- estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
govf rno, est as condicoes de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sua caso, prometiendo todo e zelo
e consideras&o as pessoa9 que se
dignarem d honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.

COMPRAS.
Comprara se moedas do ouro e prata do to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
jurives do arco da Caneetcao, no Recife.
O muzeo de joias
Na rna do CbOga n. i compra-se ouro, prata
i pedras preciosas por precos mais vantajosos do
pie ein outraqualquer paite.
Comprara-se e vendem se diariamente para fra
dentro da provincia escravos de todas as idades,
eores e sexos, com tanto que sejam sadlos: do
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
Com multa matar vantagem couiprau-se
moedas de ouro e prata : na loja do joias do Co-
raeaode Ouro n. 2 D,-rua do Cabug._________
Compram-se sedulas de l, i e 5^000: na
ra Nova n. 7.
Compr-se
seis milheiros lijlos de alvenaria gros-a, de bom
barro, botada na Ponto de L'choa : a tratar na ra
doiMondego, olaria n. 13.
V1NDAS.
GOMES DE MATTOS IRIHkOS
tendo feito completa mndanpa ew sen antigo e
acreditado estabelecimento de joiatt, com o fim de
dar-lhe maiores propor(joes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as:
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente | ^C
das 6 horas da manha s 9 da nonte as
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarlo um completo sortimento do que ha de miis
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo qne era ol
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUB1KS
de novo gostos, assim como grande variedade de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e
ebjectos de prata para u*o das igrejas,
Compram e trocam ^alqner joia ou pe_nt precioi gnumm*
a qualidade dos objectos vendido.
Para passar a festa.
Aktga-so por preoo c^mmodo urna casa terrea,
sita na povoacio da Caia Forte, .dofronte dos tri-
llios urbanos, caiadi e piulada de novo cora com-
modos para familia : tratar no pateo do Catino,
sobrado de um andar n. 39, defronte da ordem
teTcra do Carmo._______________________
BaiihoK salgados e bautos doces
1 Alugam.se doas exeulleiiles casas para passar a
fesia, sendo urna na pevoacao da Boa-viagem, e
outra sita ni urna das inelhores mas do Pocn da
I'anella, tendo cacimba cora boa agoa de beber,
prxima ao rio Capibaribe : a tratar na ra Bella
n.'^___________________;_________
Alnga-seuma ama para o serico de easa :
Da roa Direita n. 29.
Ve dem-se duas vaccas.famosasrrauito boas
de leite, prximas a parir, com falta de um mez
indo : na ra do Soreg n. 2.
y
garant nd
Vende-se verdadeiro cimento ; na ra da
Madre de-Dos n. 2,-armazem de Jlo
Martins de Barros.
Cabriolet.
PAiA ESClUPTOriH)
Ataga-se o i*, andar do sobrado da tnwessa do
Corpo Santo n, 25 : a tratar no mesmo armazem.
Precisa-se de urna negrinha para andar com
urna crianza em casa da familia : na ra do nor-
ias n.. 91, sobrado.__________________
Precisarse de um cr.ixeiro que lenha pratica
de tatema : no pateo do Terco n. 68. ______
Veude-se um cabriolet de dous e quatro assen-
tos, o que ha de melhor neste genero, com bom
cavidlo e arreios, on sem elle : na roa de Santo
Amaro, eoclwira de Thomaz Lins.
MULATA.
Vendo-se una muala com mnitas e cxcellentes
qualidades : a tratar em Santo Amaro das Sa-
linas, junto a easa do profesar n. S.
55Ruado Q_f>iffl_o^_.5o
A VERDADE tendo em > /jrande
(juaiiiidada- de miudezase perf de-
sojando apnrar di left" fwa fre-
goezia est rssolvida a veiider rciii.Iisiao
barato, ; por essa razaO convida aoTespei-
tavel publico a vil* competentemente muni-
do a sortlr-se do btim e barato. Fois qaan-
Jo a Ver'dade apparece, todo mate dw>
apparece-----
Grande sorlimento de boneros de era e
massa as mais lindas possive vestfdj a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
lotea.......
Espelbos donrados pepnenos. .
Agulbas de os$o pprq crox a .
I'entes para regn; com csnlas a
Iticos globos para candiciro de gaz a
Chamins a.......
Grande sorlimento de objetos de
louca para brrnqtiedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agna florida vcrdddeira a
Dita com lita dita a .
Frasco com oleo de babosa a OO e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas petipenas com batiln milito-
fina a I _<> e .....
SabonetfS de diversas quali lades a
80, 100,2'tOe......
Finas escovas para denles deiOa
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, duzia a 20 e .
Escovas para fado a iiO, 000 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolbo a 1W) e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de 13a com 8-
varas por.......
Oleo para macbina de costura,
frasco a........
Pennas d'aco finas caixas a 800 e
Dila d*aco Perry, caixa a. .
GalSo de algodo peca ....
Lindos babadinhos e ntremelos
peca de 500 a......i500
[Ditos de louca moito fino a 12D e 200
Ditos para calca a ItiO e. 240
Caixa cora papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a..... 40
Caixa com agulbas fuudo dourado 280
Ditas de ditas ditas a. .' 160
Tliesouta para cosluta a 2'iOe .100
Caixa com linlia de marca a 280
Linha de cores em novellos (li-.
bra) a.........
Carreieis de linda Alexandiede 70
at 200. .,,....
Grampos muito finos com passn-
ros, dazia a......
Cartas porluguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2^200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
340O, 3oOO e .
Fita de algodSo para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 15a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a .......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2*0, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a r. .
Tranca de lita decaracol pee* a 40 e
"Fita do coz peca a 480 e .
Alunles de lato a......
Sapatos de 13a para enanca a 400e
Grvala de sedas de toros a .
Cilcadeiras a.......
Grande sortimento de rondas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris 1!! 11!!
Xa Verdade rna do C|ucImado
p. 55.______________
YENDAS EM GR
A PRECO FIXO E MDICO
NO
3f>
2>
200
320
IA80C
320
1O0
800
ne
iao
720
00
15500
10000
100
32u
600
25000
320
700
500
240
200
80
600
1,5000
1*400
400
50C
100
OO
3000
4,5500
65CC
160
480
326
50
10
lOf
5fit
100
80
20
8
vtetorina de Almeida Rabello e Manoel Ro-
drigues Terxoira fazem iciente ao respeitavel pu-
blica: e ospeci.-ilmente ao corpo do commereio,
que na presento data dissolveram amigavelmentu
a sociedade aue tinham na padaria da ra da Flo-
rentina n. 3, sob a tirma social de Rabello & Teic
xi'ira, llcando o socio Teixeira na pusse exclusiva
de dita estabelcimento com todo active e paasivn
existente, c obriiiado sua liquidadlo como nico
responsavel, retirando-se o ex-socio Victorino de
Almeida Rabello pago e satisfeito de seu capital e
lucros, e desonerado de qualquer responsabilidade
pelos-encargos da exlincta firma social. Recife, 6
de novembro d 1860.
Rfecisa-se de dous araassadores : na ra da
Seirzala-nov n. 30:
E' na -travesea do Carmo u. 1, que urna osera va recomida de conducta atancada,
perfoita engommaeira e costureira. doceira e boa
, eoiinheira, C ditas para todo o servico, e 1 escravo
J)o Braulio Correa e para ftServigo de campo.
0 advogado
Silva usando da rubricaGortea e Silva-,
e tmeafooutras iruaes. q*r de ora em
diante usar do de J 3" Braulio.
AVIS
salvas e palitwna' _el
completo sortimento 4e|
Nous pi ions iiistai&ineiit oos abonas de
nous faire parvenir lears ordres dereoou-
veileaieQt de jouruaax pour l'anne i870
Le catalogue complet des journaux fran>
Cais, angiais, allematids, portillis av. c
les prix d conditiona d'abonoement est
la disposition- de tute personne qui nous
en fera la demando. Pernambuco 5 m-
vembre 1865:
Be LaiUtocor C.
9hw--wj ieRsauO
Findando-aa.eia.31 de aaenbro uroxi-
mo as assignrasr de jornaes- de Eurofia
do anno de MS9 convidamos pois nossos
aseignante3 de det*rouDar-Be 5 pretenden!
continuar para o anno de 1870, com as
mesmas foi has e mai e&colher algum eutru
Objectos de madeira.
Vende-se ricas caixinhas para costura, carteiras
para viagem e earxiohas para guardar joias, obras
fabricadas na Ilha da Madeira, cora bellos embuti-
dos de uiadeirasvlande na lampas guras repre-
sentando os co-tumes da dita ilba ; na raa larga
do.Rosario n. 38; lu"jada Aurora, de Manoel Jos
Lopw krirlt^-. _______________
A tenetto.
Vndese a eofiheira aa rna do Sol n. 7 cora
caBros e cavallos, bem mentada: a tratar na mes-
ma; ou na rna d* Rosario da Bna-vmta n. S6.
Plmno de algodio da Bihia, proprio para
roupa da estraves o sacos para assucar ; vnde-
se no escriptorio do Antonio Luiz de Oliveira Aie-
vedo & C., rna da Grm n. 37, 1* andar.
Vende-se un cabeinna de 14 a l anuos, dai
bonita figura e sem vicio era achaques, o que se
ganante : a tratar na ra da Mangna'ra n.ft, fla?
6 as 9 horas da manbaa, oa das 3 as 6 da larde.
Vendein-SB trs terrenos, seadoduos na Boa-
viagera e ura na raa Imparta: tnaar na rua Queimado 31 loja._____________________
PAMA
Ra Nova
ESPELHOS em quadros dourados de Vi '/b
V* V %% a djuia 4W00, 2J800,
3400, UOOO e IrftOQ.
LAP1S finos a groza 2*200, 20600,30000,
35400 e 45500.
DITOS cora cabeca de osso para carteira,
a groza 4(58O.
DITOS muito superiorcs,para carpina groza
2*600.
DITOS muito Qoos com duas cores agro
140000.
FIVELLAS d'aco pulidas c enveroisadas
para calca e collcte a groza 1*500.
OCULOS aro d'aco, vidro de grao a dozia
3*500. 5*000 e 9*000.
LUNETAS OU PWG1NEZ dem d_-a do-
zia 9*000:
E muitos outros artigos qu9 so com a
visla podem ser apreciados- tanto as qua-
lidades como nos resomidissimos presos
por que tudo vendido.
Alm disto f_-se os abimentos na rail
seguate:
Compras de 50* a 100* dsseonto Si.0/,
t de 1(10* a 500# W "/
f de 500* para cima Ift
PAGAMENTO RBAUSAHOfJ* *IM J
em lelrade3Qdt*frifteiios2. lj,
Jos de Souza Soares &,
ifllNrwh* a>lmfl>
ea>09wda.Bv
de Jpa pa! garantindo-e achar*s6 mbaraeada: a tra-
tar tarcoin o leiloeiro Martins, ra

Lie4aft ossas fraoceaas e organdjs de core, pelo Baratissimo proco taWS
n. 9 eovado: na loja, das. Columnas, na na do Crespo n. 13, de Antonio CorrdvA
o merro,
VawonceUos.
que corfMpoode a
Ra E_pita munero 53.
Qrairie*flopMa setote da bwWjaa cbi-
I ne_. tatrte W*""^*00" w**^* "*> ;*
fraftrWer qoem pre- tamantos, cornal sorimnto de cas e garres
rio Iftta d> iornaes ffance %it* o *B. balanc/ inteiro e meio balan?*, ottm-
_1_! iSiSSm ftfc ^ lineal prrt^w-naisHoasa^tmvirHk,
aflMfties, pnrwgaezes^etc nwrejwM> t^ pm cnimhm Mimnm-
re^ir U cwndtcOts das- awtg- p^ttaio da (erre mm de htfae (rom rethiccao
PernamJMKO, 5 de rrovembro dfr-^pM*i _mwj|_anaariir aaeoda tanto de ma-
deira como lat_. alende ^<^ .nnos e idae e
MfeHi e, ete,. d por- mm_- qw t+ VeuuV-se
sta d.i c
odl01ivBllra.piir*Dr: *
VtafcJnlior. m Uliwti
Ha casa da ladeira d* Mjai1cdia,
48, que foi dos herdeiros deJpmnim J
A roa do trvrafflenton. t, Wtfi ^ 1%
\yr para vender per pwoos rmmnki* %-
ttvlnor vbo verde Hfrlwje viado jkK
nenead_______^^^
Ha para vender-so urna boa*
MngewW Mnn_! Beoto
l-owo30.
tnttr


namburt
Qurta fra 10 de No d 1869.
LIQDIDAIIAO
SEM IGUAL
O proprietario du armazem de fazenias denominado AR.\H.\, ra da Impera-
irlzo. 7, declara ao respeitavel publico eseus fraguases, que est liquidando lodasas
tazendas e roupas feitas quo tem era sen estabeleeimento como se poder ver no seu
annuncio e preco abaixo mencionados.
Chitas fra acezas cu atiza das A
ste ra.
Vemio-se chitas francezas escuras matiza-
da! a 320 *s..o covado por este preco sna
loja da Arara, ra da imperatriz n. 72.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vende-se 12azinhas para vestidos de se-
nhora a 2i0, 230, 320 e 400 rs. o co-
vado.
BAREGES DE LA.V A 500 RS.
Vende-se baragos de la cora tistras para
vestidos de senhora a 500 e 040 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 500 ra.
Vende-so alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS FltANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280 rs.
o cova 1 i.
CORES DE LA PARA VESTIDOS A
2)400.
Vende-se cortes d; 13a para vestidos de
senhoras a 2,>00 cada um,
PERCALES A 4i0 ItS.0 COVADO.
Vende-se percales muito linos para ves-
tidos do senhora a 440 rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
bri(llantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes moderaos de (odas as
cres.
Vende-so balSes moderno sbranco e de co-
res a 4<$. 4i&S00e5#.
COBERTORES DE ADGODO A 1$300.
Vendo-se cobertores de algodo a t$i00,
cobertas de chitas a 40600 e 25 cada urna,
GANGA? PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca e palitots a 25500 e 3#,
o covado, meias casemiras entestadas para
calcase palitots a i$ o covado, brim pardo
do todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 040 rs.
Vendc-sc alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320;
rs. o metro.
MADAPOLO ENFESTADO A 3o00.
Vende-se pecas de madapolSo enfestado
a 3^500, pecas de madapolSo inglez de 24'
jardas a 5$, 60400, 70, 85 e 100 a peca.
72. Ra da Imperatriz. 72.
Algo nao enfestado i OO ra.
Vcnde-sc algodo enfestado proprio para
lonces e toninas," 900 rs. o metro, dito
trancado a 15, metro.
Chales de merino 9.
Vende-so chales do merino estampados
a 20, chales brancos o de cores a 10000
cada ora.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALQA
A 640 RS.
Veode-so una grande porcSo de cortes
de brim castor para calca de horaem, 640
rs. cada um.
Grande porciio de retalhos
Vende-se grande porcao de rctalhos de
chitas e cassas prolas a 160 e 00 rs. o
ova lo, retalhos de cassas, 13a e chitas de
cores baratissiiTu's.
LIQUIDAM A ROUPA FEITA
Vende-sc palitots da brim de cores a 20,
ditos de alpacas de cores a20, dios de
meia casemira a 20 c 25500. ditos de pan-
no preto bom a 8;> e 100, calcas de algo-
d3o azul para escravns a 640 rs. ditas de
algodo de listras n 800 e 10, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim c fustn do cores a 10 e 10500,
colotes de cesemira de cores a 20500 e 30,
e otitras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodo de listras a OO rs.
o covado
Vende-se algoflio de listras para roupa
de cscravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pecas de algodo a 45000,
5500. 65000 e 70, para liquidar.
Baldes de arcos a i 500.
Vende-se balSes de arcos pan senhoras
pelo baralissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambrala barras
a ssooo.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
20 o 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 10.
Vende-se carteiras para viagem 40
cada urna.
LIQUIDACO
NO
Lourenco Pereira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
denominado GARIBALDI, tem a honra de p irticipar ao respoitavet publico que tendo
recebiio diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas encommendas quo deve estar aqui at o dia 15 de novembro vmdouro, e vendo
que nao tem tempo antes do balanco de vender tantas fazendas de encomiendas p .r
isso resolveu fazer urna liquidaco para ver se d maior, estracopor issoem vistas das
circumstancias vender tudo mais barato do^que em outra qualquer parte, na ra da
'XdAtoI^O6'ENFESTADO A 30500. I CHITAS PRETAS A 160
Vende-se urna grande porco de madapo-1 Vende-se urna grande porcao de chitas e
lo enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas era retalho a 160 o covado
como pecas de madapolo inglezes de 24 tambem tem retalhos de chitas e lia de co-
jardas ou 20 varas a 50, 50500,60,60500 res que se vende barato.
70000. 85, 95 e 100000. Cangas para calca a & ra.
Corpinhos a 200 rs. Vendem-se urna grando porcao de gangas
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500 para calca de hom-m e menino a 320 o
Vende-se pecas do cambraias victorias covado, cortes de castor para calca a 640
finas a 55500, 65 e 75. Brilhanna bran- cada um. m+mz.
ca fina para vestidos do senhoras a 500 Brim de cres a -tOOra.
rs o covado Vende-se urna grande porcu de duas
ALGODO A 45000 faces para calcas, palitots o Golletes de no-
Vende-se urna grande p .rco de algado memo menino, fazenda inteuamente nova,
todo de boa qualidade e 45.50, 65, 655 0 Brim pardo liso a ^0 rs. o metro, dito
70, e 80, a peca de 20 jardas ou 21 trancado fino a 800 e 151)00.
varas. Grande liquidaco de chapeos
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO de sol
Chamalotes a 560 Vende-se chapeos de sol de alpaca com
Vender chamalotede cores, dealgod pequeo defeilo a 25 e 30000. ditos finos
para vestidos de senhorasa 560 o covado. de 12 astes i 4fo00 ditos d seda finos
alpacas Usas a ftOO rs. de 8 astes a 70500, 80000, ditos de 12 e
Vendase alpacas lisas para vestidos de 16 astes a 100000, para liquidar,
cores, para senhora, a 500 rs. ditos matisa- chitas para cobertas a 4 rs o
das uas a 720 o covado. Dita* lisas mui- corado
lo largas a 640 o covado. Vende-se chitas francezas para cobertas a
CORTES DE PERCALES A 6:000 240. 320, 340, e 380 o covado.
V ^den-se urna grande porcao de cortes CASSAS FR\NCEZAS A 240 RS.
de percales de duas saias' para vestidos de Vende-se cassas francezas para vesdo
senhora, de omito delgados gostos com a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
16 V covados a 60 70O0. assim como percales finas para vestidos a
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600 440 o covado,
Vende-se urna grande porcao de carabraia GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
lisa de todas as cores para vestidos a 600' Vende-se meias cruas para homem a
rs. o metro. 35500, 40. 55. e 60000 a duzia, ditas para
Organbys modernos a 800 ra. meninos de todos os lmannos a 35500 e
Vende-se organdys de cores para fazer 40000, ditas para senhoras e meninas a
vestidos, de duas saias, agora modernos, a 30500 45, e 50, a duzia.
800 ra. a vara. I BALES DE ARCOS A 1:500
GRANDE SOUIIMENTO DE CHITAS NOVAS Bal^de arcos a 10500, ditos modernos
E BARATAS PARA A FESTA Ia 4dUUU' ATTENCO
Ver.de-se chitas francesas muito finas de I Tem.se vender' uma ande orc5o
cores a 280. W.smaUsadas escuras a 320 de roupaJeilas de brjm e de casemira, de
ilitnc achura* MMVM 3ttfl. ditas alCO- .., !_ _. j i _- ..____.:____
ditas escuras escocezas a 360. ditas aleo-
xoa.las a 360, titas garibaldinas a 360 e
cova lo. Sortimento de chitas como tem o
Garihaldi ha poucas lojas que compitam.
PSrfES PARA VESTIDOS A 400 RS.
todas as qualidades nao se menciona por
cr enfadonho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualqaer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
senca do comprador e a v9ta da fazenda
UO "uJ L futr. iLiUllfUJ ** wijxj iikj, jKiiyu aw v'-nii/1 mwi/i v ^ --------------------------
V nde-se fusilo de cores para vestidos a que se pode conhecer como esta liquidando
400 rs. o covado. por barato praco. o general Garibaldi, roa
COBERTORES A 1:400 da Imperatriz n. 56.
V.nde-se cobertores de algodo a 10400 Chales de merlo* a JM*0
coberuig de. chitas frita a 10600. Verwle-sH chalas de Merino de cores es-
V iKle-8e grande porcao de corpinhos a tami is a 35500, di-
MOl) (l30 80 e 400. tos a 50. 50500 e 60000.
4S MAS SEDAS
11-RUA DO aUEIMADO"ll
Cliegartm da Europa pelo ultimo vapor Ioja de Augusto Porto 4 C. ricos
cortes das mais Irada sedas de mimosasjflrcs para vestidos proprios para bailes e casa-
montos.
Grande-variedade de sedas delbtras do diversos procos todas do lindas cores,
go-gur3o de seda preta, o grosdenaple dgjarias qualidades e gorguro de seda la de
diferentes cores.
Novos vestidos braocos do blond para noivas, lindas colxas do seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados^ara camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrmhas de sedas de cAr para senhoras.
^ Esparlilhos de 50 at 100,lindos bournous de cachemira do cor para sahida
dt baile,' basquinos de renda preta, e ditos de croch branco c preio para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas o lisas para homsns e meninos.
Sortimento de muitas azendas de la, linho c algodo todas por precos muito
nndico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de lap'tcs o de alcatifa para
forrar sal5es tudo em qoantidade; e vendem sempre^por menos que em outra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
Srlliws baratos,
BASTO
CACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descansar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
ti ACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor PJpw York Coito Gin.
ti ACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta do ferro e mais toda a machina.
tiACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais ii.OOO em arroba
de algodo. -
ACHINAS de faco do fabricante Platt B. C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as roelhores que tm
/indo ao mercado ; e para a sua apieciaco convidam-se os senhores agricultores
rem a exposico das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, Ioja do Bastos, onde
iiicontrar3o mais o seguinte :
.Folha de ferro.
.Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps oc ferro ditas.
Oebulhadores para milho.
Gylindros para padarias.
trados americanos.
arrinhos de mo.
tiachinas para cortar apim.
Carraos de chumbo.
9ombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lato.
?erro de todas as qualidades.
\rcos de ferro.
olha de Flandres.
fachados americanos.
,7ac5es ditos.
3alaios e cestas do vergninha.
y assouras americanas.
- olles de todos os tamanhos.
lomos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros arlig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Raides de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Morados para refinacScs.
Azeito do espermacete. proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os nais perences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoui a e arte3, que pela
Loja de miadesas de FERREIRA DA CU-
NDA A TEMPORAL, esto quimando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinqaedos magnticos para me
nios de 240 a 10.
Linhas em novellos do 400 jardas a
60 ra.
Pecas do tranca de todas-as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 20000.
Frascos cora oleo baboza a 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
640 rs.
Ditos cora banha 320, 500 e 10200.
Ditos de agua de Colonia a 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sorUmenlo de sabonctes 80,
120, ICO e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e400 rs.
Duzia do meias inglezas muito finas a
30800
. Ditas de ditas para senhora a 40500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 15200.
Pecas de entremete a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jogos pira vispora a 200, .t40 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimeuto bo-
nanza onde contina a vender
pelos baratos presos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanqa.
Riia do <|iieinado n. 3.
(rande armazem de fazendas e rftupas feitas ra da Imperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 30, 30500 at 60. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 60, 80 e 100, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
de cores de 30500 a 50000. Calcas de brim de cor tinas e ordinarias, ditas
trancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 40, 50, 60 a 150. Colletes de todas as qualidades e preco muito
harato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 20 at 50
uma. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho o bramante a 20 e 20500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 30.
40 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 10800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs^ o covado.
Poilde-chvre com lista do seda fazenda de gosto a 10200.
: Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000. t .
Algodio peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguera roupa
foita que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Machinas k vapor de
forpa de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uht-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogao americano patent
Bartholoinsu &|C,
Scbonete de alcatrdo.
M
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tSo boa
axeitacb tem merecido n'esta provincia
nraito se recommenda para a cara ceru
das impigens, sarnas, caspas t todas u
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomea 6 G,
34roa larga do Rosario34.
Vende-se om terreno com alieerces pata orna
hiacasa quemo pretender dirjanse roa de
Burtbolomeu n. 67, que achara com quem tratar.
Viwho, Pilulas, Xiope b Tintura
de jurubeba simples e ferruginoso .
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta prbparad08 por
BARTHOLOMEO & C*
Pharmaceuticos- Droguistas
FERV41IBKO
A Jambaba : su planta a boj* raeonhacida
cavo o mais padaroio Inico, cono e malbor
daaobatraaata, a coao tal applieaaa ooa padaeiaaantoa
do ligado a bajo, bapatites, damaaa, inmoraa inter-
no a aipecialmeale do aloro, hjdropeaiaa, enral-
pallaa, ele.; a aaaoaeda ao farro atil pailidaa
eorai. ebloroaea a falta da meiistrnaco, deaairaa-
Kdo ettomago, ate., a o que diaemoe atuatlo
nmeru con inportaniaa obtidaa ada aoatM
preparado ja baaa couheci loa a aaadoa peloe aaaia
dUtiactoa aadlaai do pas <> Partapl. Km todoa efl
naasoa dapoailee diatribaimoa cratla folbetoa ao
Nlbar (aaaa eaabaeer a Janeaba aeoe raaalladoa
">.__________ ______________^_
Vendem-se na rna da Ctm n. 13, difrerante*
qnalidadw de horialiw, oimo cejam, pitaoga para
cerra e enfeites de jardim, btala* de di
do anglicas sucena.", rojeiru de differ.
tidade.
JLOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Roa do Crespo n. 9
Os propretarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alera dos muitos objectos que tinbam ex-
postos a apreciaco do respeitavel publico, man-
daram vir e acabam de reeeber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
Anas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume,
Sor preco muito baratinhos e commodos para to-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollmhas e punbos para se-
nhora, ueste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
I hose sem cllea; esta fazeida o que pode liaver
de meHior e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, samlalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes seinpre se venderara por 30f 000
a duna, entretanto que nos as vendemos por 20*,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Juantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cnicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de t a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para_ fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para erox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
lahyrintho.
Btms baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo Om.
Grande e vanado sortimento das roelhores ner-
-fumarias e dos memores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitara a dentjco das innocentes crancas. So-
mos desde muito recebedores" destes prodigiosos
coliares, a continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
los que dalles precisaren), vir ao deposit do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deiros callares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderio com um mui
diminuto lucro;
Rogamos, pois, avista dasebjectos que deixamos
declarados, aos hossos freguezes e amigos a virem
comprar par precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7
N. 27.
le sellins
TjnaHa melbor
' pod timtmWwS'pm?9Rm como o
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colx5es, traviceiros, caixi-
nbas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario (leste esta-
belecimento garante a pontualidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; nortanto pede ao
respeitavel publico sua proteccao, que affiu-
ga vender tudo polo maii barato possivit,
e por menos do que em outr qualquer
parte._____________m____________
D cordeiro previdente
Rna do Quelmado n. Id.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento- de perfu-
maras, deque eflectivamente est prvidas
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba da
reeeber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
ilade, quan'dades e commodidades de pre-
os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n5o se aft-
tando elle de sua bem conbecida mansido
e barateza. Em dita loja encontrarSo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melbores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de lacangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para consenacJo do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e ebei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
3 outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel cnei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
om escolhidos cbeiros, em frascos de difie-
ren tes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinbas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contende fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
entes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
s boneca.
Opiata ingleza e iranceza para dentes.
Pos de camphora e outras diflerentes
jualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada ltala coqnes.
Um outro sortimento de coques de ne-
vos e bonitos moldes com filis de vidriJho
s alguns d'elles ornados de flores e Mas,
tSo todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLL1NHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Firelias e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolba ao gosto do com;
prador.
Na ra do Codorniz n. 8 contina a ter um
grande sortimento de doces em lats e caix3es de
diversos tamanhos, cujo se. vende por preco mais
barato de que em eulra qualqner parte.
E' na Iravessa do Carmo n. 1 mo se vende uma
eserava recolhlda de rondneta aflancada, perfeita
engomroadeira costureira, doceirt t boa cozi-
nlieira, 6 ditas para todo o servico, e 1 escravo
para o servido de campo.
Vende-se
os utencilios de uma reflnacio de assucar, tachos,
caldeiras, chapas de ferro fundido para fornalha,
caixoea para deposito de assucar, e todo qae
posstvel para uma reflnacio trabalbar : quem
pretender dirija-se ra do Brum, fund cao de
Cardoso & Irmao. que l achara eom quem tratar.
Tambem se vendem separados esles objectos
muito proprio para barcadas 8 hiates ; vendem se
no armazem de David Frreira Bailar, ra do
Brum n. 91
IA2 SAI KAZ
Qiegon ao aaSf o deposito de Henry Forster
i-regaaMito de ga
iiartida
ue em outr qaa
quer parte.
PILULES
H
_ u,__
^L -
aaaa ararta>l' ;nedio bul mUiial para oes-
le, issim rouio i
TkaaSn
40rea,eanarraai--------------
oNttsrulu 4.t ruataa aanU Ke raaa-
-ttas aalatraa: awaukcteaar oa caaaar
VM* 8 *ad<.
Blla* ala aaaea ntm raaja>r e"
batata. ta> rio tauara r ai aaallwl, aaue taant
atlu aaa raiaaaaat. aa ac a^atHHijilMi
Ul. mirar a
(



l
Diario de Pernambuco Ouarta feira 10 de Norembro de 1869.
7
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
FEfilX PEREIIM DA SILVA.
O proprietario d'este grande estabelncimento, vendo que se est aproximando o fin"
do anno, o tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; no fallando era
avahadas encommendas que llies est3o obrigado todos os dias, tem resolvido liquda-
las por preco rauito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o flin
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortmento deiazaidas de luxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que negociam em pequeua escala n'esta loja poderao surtir -
se vendcndo-se-llies pelos procos que compram, n-is casas inglezas; assim como as e.v
cellentissimas familias poderlo mandar buscar as amostras do todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acba constantemente aborto das 6 horas da manhaa s 9 da noite.
A 50000
Na loja do Pav5o vendem-se. moderniss
mos chales de fil prcto com lindas palmas
de seda, pelo barato proco de: 5000,
pe chincha.
BASQUINAS A 12>000
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 12*000 cada urna.
FOSTES BRANCOS PARA VESTIDOS A
400 RES.
Na loja do Pavo vende-se um grande
sortimento de bonitos fostoes brancos, pro-
prios para vestidos e roupas de cranlas,
assim como tambem para roupas de ho-
b* CjtlMA^
A AGUIA BRANCA tem conviccao de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante o completo sortimento, a boa eseolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitaciSo de seus precos, esta"o na op:ni3o do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas anda assim ella julga de seu
dever scienuficar a todos, da recepeao d'aquejles objectos que esto alm do commum,
como bem sejam:
Esplendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e colotes de' casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maiorpromp-
tidao vontade do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nao stejam mens por serem de lavores miudiuhos e
completamente ao seu contento, assim como baufanie encorpados, e vendem-se pelo ba-
n'este vasto estabelecimento encontrar o rato prego de 400 rs. o covado nicamente
respeitavel publico um bello sortimento de na loja n. GO da ra da Impe.ratriz.
camisas francezas e inglezas, ceroulas de' as alpacas DO pavao a 640 RS. o covado
,- .- -,__.;___i Vende-so um grande sortimento das mais boni-
linho e algodao e OUtros mullos artigos a9 alpacas lizas tendo de todas as cores, mais no--
propnos para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Ha loja do Pavao.
Enconlra o respeitavel publico neste estabelcci-
niento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantan,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lia-
dos desenbos e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 7$000 rs-
Vende-se pecas de madapolao francez
com 2 metros pelo baratissimo preco de
7 000 a peca, pechincha.
TARLATANA
Cbegou um grande sortimento de tarlata-
nas brancas e de todas as cores, assim
como fil branco liso e de salpico, que se
vende mais barato do que em outra qual-
quer parto.
Altas navidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
modernas poupelinas ou gorgures de soda
e linho com os mais elegan>os padios que
tem viudo a este mercado sendo, miudos e
graudos, tanto em corte* para vestidos como
para vencer em covado, as>im como um
bonito sortinfenlo das mus bonitas sodas
listradas que 3e vendo tudo muito em Grata
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que s vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2^000 RS.
Chegou urna grande porco de chapeos
de brim para cabeca que se vende pelo ba
ratissimo preco de 2,?000, por terem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
pechincha.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Rretauha
Vende-so pecas de .-uperior bretanha de
algoda tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
fazenda seria para costar 81SOOO, a nao ser
urna grande compra que se fez, e liquida-se
a '5000, cada peca.
Cortes de chitas
Cora 10 covados a 3:20'.
Com 11 covados a 3:520.
Cora 12 covados 3:840.
Vende-se superiores chitas de padrSes
claros e escuros pelos precos cima men-
cionados sendo fazenda que se fosse vendi-
da a retalho nao se veudia por menos de
400 rs. o cevado, isto pechincha,
CJortjiiio para eolletes
Vede-se o mais superior gorguro preto
cora diversos padrdes pelo barato preco de
6<900o o corte de collete.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
brilbantes alpacas de furia cores com as
mais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfeitamente as sedas de urta cores
sendo neste artigo o mais novo que tero
vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pina para as senhoras que forem passar
festa no campo, por ser urna fazenda de
muita fantasa e pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Bretanha* de role a 9SOO a
peca
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largura pelo barato preco de 23500,
pechiocba.
OssetinsdoPayito
Veode-se os mais bonitos getins de cores
e ma encorpados proprios para vestidos
tendo de diversa* cores.
vas que tem vindo ao mercado c vendem-se a GiO
rs. ao covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavao um prando sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e de cordao sendo n'este genero o meliior c mais
lustroso puc tem vindo ao mercado, tem algumas
tao finas e tao bonitas que servem para vestidos Je
noivas e vondom-se por commodos preces.
LAAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para este estabelecimento um grandu
sortimento das melhores e mais modernas laazi-
nhas para vestidas, sendo tapadas o transparentes
de todos os precos o qualidades que se vendam
mais barato do que em ontra qualquer parte.
APACAO OU GORGURO DE LAA A 800 RS.
Na loja do Pavao vende-se o mais bonito alpa-
cao de cordao tenda de todas as cores, sendo fazen-
da bastante larga a- 800 rs. o covado.
COLCHAS DE FL'STAO
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to do colchas de fusto sendo brancas e de cores
ditas de croch para camas de noiva, assim como
qnnitos damascos de laa para colchas.
CHALES DE CHACHEMIRA A #, 10? E
125000.
Na loja do Pavo vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, cotn os desenhos mais modernos, a (d,
(0 e 12)5000, muito barato na ra da Im-
peratriz n. 60.
Organdjs a 300 rs.
Vende-sc os mais bonitos organdys de
cores com padioes miudos e graudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de H00 rs. o cova lo.
CAMISAS PARA SENHORAS
Chegou um grande >o tmenlo de cami-
sas franceyas para senhoras, sendo lisas e'.
bordadas, assim comoum grande sortimento
de corpinhos de cambraia bordados, cami-
sinhas e manguitos com gollinhas que se
vende muito em conta,
VLPACAS DE CORDAO
Vende-se as mais bonitas apacas de cor-
dfio, tendo detodad as cores, as mais novas
que tem vindo ao mercado c vendem-se
mais barato do que em outra qualquer
parte.
ALGODAO ENFESTADO
Veode-se urna grande porco de aigodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toallias tendo liso e
trrncado que se vende por preco muito em
conta.
caaos de linho
Chegou um grand-< sortimento de pecas
de panno de liuho do Porto que se vendem
do 700 rs. at 1(5000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
llior, nem mais proprio para lences e toa-
Ibas.
PECIIICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
lhores chapeos de sol de seda, nglezes ten-
do neste art go o meliior que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em ottra qualquer parte, por ha ver
grande porco.
Lencos brancos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sendo a duzia a
1,5600,25O00 o 3f?000? ditos abanhados
muito tinos a 45 e 65000 a duzia, ditos de
esKuiao fazenda muito superior a H, 6# e
75000,
Pechleha em casenalras a 4:000
Vende-se Gnissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 o covado ou 75000, cada corte
de calca.
Os balSes do Pavo a 2#000,
Cheg u um grande sortimento de bales
ou crenolinas do feiiio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha
AS CAMBRAIAS DO PAVO A 4:Ii00 RS.
Vende-se urna grande porco de pecas
de Onissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 45500, a
peca sendo fazenda que nunca se venden
por menos de 5000. grande pechincha.
AOS PALITOTS DO PAVO A 18* e
205000.
Vende-se um bonito sortknentn de palito-
ts franceses sendo, sobrecasacados e pro-
piamente sobre-casacos. que se vendem
forrados de alpaca a 185000 e forrados de
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
juando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
Ibas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com raachetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas cora veos para noivas.
Cintos do brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e eolletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para eolletes, cada um 55.
Botes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 45 o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
Ihor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e' bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
pitra segurar costuras, tendo almofadinhas,
de. velludo para agu has e alfinetes.
, Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSLTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sera duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
eslima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuarn a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
raes e qualidades a infinidade d'objectos
fue constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e* antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commoddade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
Assucar de oxido de ferro de
Chantcand.
0 auucar fe ruginoso du Glianlaaud oltido
pela associacao do exido di; ferro tnteiramente so-
luvel com o assncar cuidaiosamcnlo purificado.
Este assucar, de urna bella apparencia crystalina,
tem o simples gosio mu agradavel sem o menor sabor adstringente : nao tem aceito
irritante sobre a mucosa do estomago e ente;tinos,
e rpidamente absorvido pelo apparclho digesti-
vo sem causar as constiparon do ventre.
E' hoje o preparado de ferro de mais acoitavao
para a chlorose atonta dos igaos, perdas brancas
menstruaQocs difJlcels, ele, c lem a seu favor o
juizo aotorisado da escola de medicina de Paris,
o dos chimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Barlholomcu & C-, ra tai ga do
Rosario n. 34.
B.IP POPUIitR
DA
FABUI
Dt BABIA
DE
Teixeira Uldurieo C.
Acha-se venda esto ptimo rano, nico qun
pode suppnr falta do prinerza d.; Lisboa, p^u
do mu agradavel perfume, viajado, o a prn
mais mdico [HMeivel ; e pir isso tem sido asss
acolhdo as pravas da Babia, do Itio de Janeiro o
em outras do impciio : no cscriutorie de J^aquin
Jo? Gooc^ilrcs Bell.'ao, ra do Commercio nu-
mero 17.
Ditas de dita, tecido de borracha, para .squecam de comparecer loja d'Aguia
quera soflre de nebnco as pernas. Branca ra do Queimado n. 8.
SMTHRTO PARA A FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 {0
SO' NO
SERVATIVO
N. 23Largo Sb Terco.N. 23.
DE
seda a 204OO". pediiB ha.
Na loja c armazem do Pavao roa da Imperatriz n. 60.
SIMAO DOS SANTOS 8: .
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados esto re-
solvidos a fazere urna grande diminuico de precos as suas mercaduras, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verlo a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 9#i00 a latn, e 4i0| SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 5C0| FARINHA DE ARARUTA VERDADEUU
a garrafa, c i;5o00 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 15400 n kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8"0 rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2800 e
332(10 a caada, 660 e 72(> rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000.
a caada e 560 a garrafa, c 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 3)5200 e 60500 a groza.
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400, AMEIXAS EM LATAS
10800 e 20200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e
hw. ta/amo. o ^,'SSiS'KS^ r,
DITA FRANCEZA a 960, 900 e 850 rs. a 1,bra' em "* faz'se abatimento.
a libra, e 20100, 10980 e 10860 o kilo-1 SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
grammo a duzia e 500 rs. a garrafa.
DITA PARA TEMI'ERO 5 560 rs. a li DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS
bra, 10220 o kilogrammo, em porc3o se BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
far abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
720 rs. a libra, o 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280. 20500
30500,40500. 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPISTA a 2O0 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 60(OO a arroba.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200,240 e 260 ft. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far batimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LIIARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
10220 o kogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combination, Francy-cracynel, mixed
Rritania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 10000 e 10400, cada urna lata.
Assim como ba outros muitos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
frisen *
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
%QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PRO.MP
TOa'i0OOOrs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MILDINHO
30200 e 20800 a libra, o 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000,
20200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, er vil has, em latas, por-
tugu^zas* e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavada, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominho, pnenta, grandesmoihos de sebolla 10500.
Finalmente multo* outros gneros que enfandohho menciona-los.
Vendm-80 diversos escravo* pecas, proprias
para armazem ou engenho, vindos do Cear, as-
'im como algumasescravas com habilidades e sem
ellas : na ra da Cruz n. $$, 3" andar.
Bichas hamburgHezas
Ra da Cadeia n. 5|
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quete transatlnticos, bichas de qualidade supe-
rior ; vende se em caixa ou pnrcio mal pequen,
e mais barato do que em qualquer outra parte
na roa da Cadeia n. 51, y> andar.
CEMENTO
PORTLAND.
Veode-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filhn, defronte do arco da Gon-
cei0o, em barricas grandes
Mercurio
Vende-re roais barato do que em outra parte:
aa roa da Cadeia-velna al, 1- e f andar.
O Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
vender o seguintc:
Queijos londrinos, pratos, flamengos e de Minas,
todos muito frescos o de boa qualidade.
Presamos para Hambres e para tempero, paios,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas com lagstas o ostras.
O verdadeiro caf Mocha.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, vindos da provincia do Rio de Janeiro, no
vapor brasileiro Paran
A saber:
Cigarros ao duque de Casias
Ditos ao Maurity.
Ditos aes touents do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Ro-Novo.
Temos de medidas para seceos, segundo o novo
systema (mtrico francez), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas c mais facis tabellas para
de prompto se reduzir $ e a kdogrammas e ao
inverso estao se acabando por isso recooimcnda-se
aos eslabelecimentos que ainda nao tem, que ve-
nham seus donos munir-se desse tao grande agen-
te do commercio, pois que, com a safra que-est
porta, torna-se ditas tabellas iudispensaveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CAMPOS-28
O PVILH A RL'A DA IMPERATRIZ \. 2
Esqnlna da ra da Aurora
Defrorite do Cal Imperatriz.
Neste novo e sumptuoso estabelecimento de fa-
zendas, encontrario as Exmas. fan>ilias tudo quan-
to possam.desejar, tanto em artigos de rigoroso lu-
xo, como em todas ai mais qualidades do fazendas
de sedas, blonds, alpacas, merinos, laas, cassas,
mussulinas, chitas, madapoloes, algodoes, etc., de
modo a sabir bem servido desdo o mais rico e
exigente amante da moda e d.i luxo, at o- mais
modesto pai de familia. Alm de se adiarem pr-
vidos do que methor se encontra neste mercado,
mandaram os proprietorios d'este estabelecimento
vir directamente o que em artigos de modas e de
mais apurado gosto se encontra em Paris.
Urna modl-ta especialmente occupnda nos traba*
Ihos do PAVIJ.UAO DA AURORA, executar
promptamento e com toda a perfeico qualquer
trabalho a capricho, para o ipio se acha habilita-
da com tudo qnanto mister para o bom desem-
penho de sua missao, o que urna grande vanta-
ge i para o bello sexo, que assim vai encontrar
em um s lugar tudo qnanto pode desojar, isto
fazendas do meliior gosto, modista para per-
fcita execncSo de qualquer trabalho, perfomarias,
chapos, enfelles, miudesas, luvas de Juuvin e
tudo quanto a moda pode exigir.
Aos cavalheiros .cual vantagem s^ offerece, por
ter o estabelecimento o mais completo sortimento
de fazendas para faitos, e proprias para todas as
estaces, o um hbil alfaiate encarregado de exe-
cutar com promptidao e nicstria qualquer encom-
menda.
Os propnetarios do PAVILIIAO DA AURORA
nao tendo poupado deeas para dotaren) esta
bella cidade de uro estabelecimento digno d'ella,
conllam nos seos <<:> iv>s c no bom gosto de seus
habitante?, garanttiiulo' a maior circuinspecerio o
modicidade de procos.
Com a possiwi Luevidade e em vista da prolec-
Cao que se dignarem dispensar-llie, esto eslabole-
cimento trar militas outras vantagms, primando
entre ellas a publicaeao de um jornal gr mento distribuido aos seus fivgneze-, o qual se oc-
cupar exclusivaut'iKo di di-si-ripro das modas,
acompanhado dos ltimos figulinos ; vantagem
que at hoje anda neuhum estabelecimento olf, -
receu.
ConehiiR'lo, e na impossihilidade de dpserever o
rico e variado sortimento que possuem, os pro-
prietarios do PAV1LII DA AUHOIIA respeitosi-
inente convidam as Exmas. familias a visitar ente
espaeoso e rico estah.-le iinento que. alm de lu-
do, est dotado do pessoal necessario para vender
e levar amostras as casas que as pedirn.
Pelo ultimo vapor ho do receber ricos cortes
de vestidos para casamento, lavas de pelica ricas
chapelmhas para senhoras e diversas fazendas
modernas.
Aberto das 6 da manhaa s 9
da noite.
BAZAR UNIVERSAL
92Ra Mova-9
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposiclo servicos a electos para almo-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos da
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, berros, cadei-
ras longas para viagem, ditas de balance,
espelhos de todos os tamaitos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para crianzas, um
completo sortimento de ceslinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos queso encontrarlo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
MARMORE
No armazem n. '7 ra do Imperador, lia para
vender por haratissinin prego um grande sorti-
mento de pedras de marniorede diversas qualida-
des. como se ja : degraos, suleiras, sacadas, mesas
balcSes e lijlos, etc., etc.
Uip do Lisboa
Na ra do Crespo n. G contina a ler rap do
Lis oa da meliior qualidade que tem vindo a e*t-
mercado, chegad pelo ultimo vapor.
Botica.
22 Ra Nova n. 22
Machinas para costuras
A este acreditado estabelecimento, che-
gou um riqttissimo sortimento de machinas
para costura, de todos os auctores; as
quaes se acham em exposi;o no mesmo
estabelecimenio. O progresso destas ma-
chinas maravilhoso I o seu servico equi-
vale ao de 30 coslnreiras diarias 11 Os
seus trabadlos sao pespunto, bordar, fran-
zir, e outras muitas qualidades do costura,
como se pode ver no mesmo estabeleci-
mento
Garante-se a sua boa qnaiidade, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do soja preciso; e tambem se manda ensi-
nar, at que a pessoa esteja bem pra-
tica.
A tencao
Joaquim Rodrigues Tavares de Mellos
tem para vender no seu escriptorio, pra-JH
5a do Carpo Sant> n. i7 primeiro andar, i
putassa da Russia ltimamente chegada,^
cal de Lisboa e vinho Bordcaux de supe-
rior qualidade.
V
Ll
Resta venda um escolhido sortimento do ob
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
;iranda, mogno eamarello, obra nacional e estran
(eir, de apurado gosto e por pre^o razoaveis .
oa rna estreita do Rosario n. 32. Nesta mesm
sa fuem-se com perfeico todos 05 trabalhos >
jeJhiiiha, como sejam, empaihamentt6 de lastro
tara camas, cadeiras e sophs.
RIJA DA GLORIA N. ft
Olaria do Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande partimento de
matenaes, cmo tiiolns de afvenaria batida, ladr-
lh, quadrado do 8, 9 e mais pollpfadas, tethas e
irteSe-, lijlos de tapamenti*. O proprielario des-
U okria garante a boodade barro de Ues mate
naes, como tainbem vande-e tn^is Itarato do que
em oatra qualquer parte.
Vende-se a botica da ra Direita n. 12, a qual
(lea defronte do oitSo do Uvmneutn, o>ui pi>nca<
drogas, e est propria para qualquer principiante,
c se vende por preco rommodo : os pretenden los
poderao dirigir-se inflama botica, quo adiarlo
com quem tratar.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecern para o consmalo do
Reino da Inglaterra.
Vende-so em casa de Th. Jnst. rita do
commercio n. '.V.
G
VEMBE-SIS
urna vacca de loiie por preco
da Cruz n. i.
cri.omocio : na raa
Escalos ?mm.
Gratifica-se com 200S por cada
um, e mais, conforme a <'is-
la ucia em que forem captu-
rados.
Do eogenho Soledr.de, em Porlo Calvo, fupiram
juntos no da 27 do tnez passado,dotis esera vos, rojos
~ionaessao os s-yuiutos : um do nonie l^elipiie,
'lado 25 annos, natural do (loar, cor cabra,eslava
um pouco (li-cirado quando iV.gio, tem os Cabellos
carapinliad.is olhos grandes o vivos, falla de um
dente na frente, rosto coraprido regalar, pnnra
barba P"r haisn do queixo, estatura regular, be'm
feto de corpo, pernas grossas, ps pequeos e
bem feitos, cora marca de ama ftida em rima de
nina das c.uiellas das pernas, e falla claro e des-
embaracad 0 oulru da nonie Manool, lamliom
cabra, tem 2.'{ anuos do idade, natoral do Rio
(liando d^i Norte. Mtatnra mediana, espigado, sem
baja nenhuma, rosto curto, nlhos pequeos e
vivos, nariz pequeo, regular em grossura, dente-*
perfeilos^c alvos, bracos e peinas linas, ps regu-
lares, sabe lr c eacrever, loca viola e rauta de
improviso, fui munido de falsos duciime.-.t.?. Am-
bos furam enmprados nesta cidade di> Recife ao
Exm. Sr. baru de Nazaretb, o priiueire en juiho
de I8 e o segundo em juiho do correte an-
no. E.-to a ribos limpos de costas e nadegas,
por nao terem seffrido castigo algum. Rnja-se
nortanto, s autoridades policiaes, cantaos de
campo, ou qualquer pessoa que os encontre.de os
capturar, o leva-Ios a seu scnlior, Francisco de
Paula Cavalcante do^lbuqoenjue no referido
engenho Soledade, no icrmo de Pnrtn Calvo, ou
nesta praca ao Sr. Joaquim Rodrigues Tavares
de Mello c'om escriptorio no largo do Corpo-Santo
n. 17 Io andar, pelo que em qualquer das parles
se dar a gratideacao cima pronieltida. Recife,
23 do outnbro de 1869.
AVISO
Fugio segunda-feira, 18 do outubro, o escrov,
Antonio, preto crioulo, idade 50 annos, pouco n ai
ou menos, de estatnra regu'ar, falta de dentes na
frente, quando anda um pouco corcovado para
diante, levou vestido calca de brim pardo, omisa
de estepa, e chapeo de paiha j velho : esie es-
cravo veio j ha lempo do Rio Formoso, e suj-
poe-so ter para alli seguido : quem o pegar le-
ve-o a ra da Concordia n. 8, rellnaco, que ser
bem gratilicado.
FIMO
o bem conhecido Jos Col, por ter um so brafo,
escravo da padaria allemaa, em Santo Amaro, na
noite do dia 22, levado pela forca da cachaca, 101
cahir em algum arrabalde, levou um balaio ua
cabeca, que tal vez o perdesse no giro : quem o
capturar ser recompensado.________________
Fugio no dia 31 do m-z prximo passado, de
Sant'Anna, o caboclo Manoel, escravo de Francis-
co Jos da Silva Ralis, natural do Cenr cabello
em p, desdentado, beicns grossos, o falla mnito
fanlioso, tem bigode e pera, servio por muitos an-
nos ao Sr. F. F. Rorgcs, tendo audado embarrado
muito tempo, inculca-se forro : pode ser entrecu
na companhia Pernambucana ao Sr. B. Castellc
Branco da lincha, que recompensar.
Fusio do sitio da Sapucaia a Ll do -urrent
tnez, o escravo de nomo Jos, preto, idade wats oa
menos 50 annos, alto, secco, cara rusgnsa, ps e
mos grossas, bem falante c ladino, rostnmi em
suas cursoes ir para a matanea, ribein, s^rrir de
carniceiro, ou ganhar as ras da cidade do Re-
eif*. Rerommenda-se a sua captura as aetnrida-
des policiaes e rapitaes de campo, medjantr a com-
petente indemnisacn do trabalho.
preta Justnn.
Fugio na tarde de 25 do outubro do 1809 a re-
ta Justino, crioula. d* idade do 30 anuos. asUMira
rpgnlajr, muito magra, cr.basUnie 1 *os
encarniQadns, sem dcotes^^^^^| '''"""
lante, bobo, consta qi
oV, tem sid.. vista na rIMIrV de San 4m*> ;
quema pagar leve-a i rna da hrawatn* n,W,
iu na ra da Cruz n. 6, qua sera bcra retompen-
sado.
,



I
I

SETO*
CMARA DOS SBS. REPUTADOS
SESSAO EM [3 DE ODTCTCRO
presidetura no sr. nemas.
(Crmiinwcri)
O.cf. PwnEIR.V OA SILVA: Nao cs-
tou, wnboros. preparlo boje para discutir
como desojara o assBm-rto constante do pro-
jecto, para' que se nos chama a RU'iitaao,
Propuz por essa razio um adiamanto, pre-
tendeodo mcllwr profunda lo e trazer en
lo considc ago da casa o frueto do meu
ida como prova do q-ianio prenro'coi-
responder considera?* com qne ella se
digna sempre d; honr*r-me. Na <
cmara adoptar o adiamen'o
que a discusso coTUecasse:
Diar
-apatitih. F.
dous contratos confirman os iroitos e d
res recprocos das duas partes. (Apoiados.)
Converteu-se era empreitada a construccil'
da obra, na linguegem commum e popatar
D*h resoltava que riflm o governo impmal
i.odia protestar qne a oTtra. cuando menos
companliia, perda clin a obrigjcao de pa-
gar joras somma do libraa-l,40(,O00con-
vencionada, nem a companhia.no caso dolhe
TU
anibueo -? Q nula feira lft le No\embro de 1869.
lase
Nao
: determinou
fallaran tira
amigo, (topetado pelo # dis-
tricto do lio de Janeiro, 6 o illuslrado Sr.
ministro da agricultura. Cb;-me agora o
dever de tomar parte no debate, e do en-
uunciar a mw pensamento. Descolpe-me,
prtanlo, a cmara se meu discurso nao
un dar ordnm e nem m thodo, o se mi-
nhas expressoes bv.-rem antes o carcter de
improviso que o cunti do estudo e do com-
pleto conhecimenio dos factos.
Merece ;i tpmtfo lodos os nosso* cuida
dos P'da gravidado que a reveste, pelas oc-
ciirnincias que a cercan, pelos grandes in-
tereses que suscita e levanta. Por ora,
senhores persiste minlias improssoes con-
tra o projecto ; ern vez de desfazlas aug-
mentlas o que disse o nobre ministro da
agricultura ; deram-lhes mus vigor e mais
lonja as- p tl.vras e dcclarages de S. hic
Cada vez me convengo mais de que so deve
rejeilar a resoluco que nos remelteu ao
senado, posto a apatrocine o nobre minis-
tro da agricultura. .
S Etc. nao a defende como apoiada era
ju4ica; nao; den mosmo a entender, qte
individualmente a nao approvava, por ser
lesiva aos mleresscsdo thesouroe aos prin-
cipios dedireilo suslentou-a, poiem, como
fundamento de que liavia am compromisso
dos seus antecessores, de que ttevia existir
solidariedade ministerial nos actos pratica-
dos pelos membros dos differentes gabi-
netes que tm dirigido a poltica do paja.
Nao crec, nao decid a queslao, exela
mou o Sr. ministro, aehei a feta. compro
promesas c palavras dos meus antecesso-
res, como dever de honra e de digni-
dade. ,. ,
Para roborar sua argumentarlo nisto-
rion aorigem das oceurrencias do negocio;
leu algumas delberages de ministros tran-
sactos, e dubi trou como consequeucia a
obrigarlo do governo a:tual de reclamar do
corpo legislativo a approvago da resolacao
do senado, promovida naquella casa do par-
pur seus osforgos e influen-
costir a obra mais dinheiro, podia reclamar
ndemnisages ou garantas peto capital
accrescido o despendido. (Apoiados.)
O Sr. JtiNQEm.v :Isso irrespondivol.
Os Sns. PerdigAo'Mamietoo r. Jfcwfc^aa
FieuiUM :Apoiado.
O Sn. Pereira da Silva: -Cumpnram as
parles contratantes os seus dveres ? Eis a
quesillo a aventar se agora.
Nunca, senhores, deixou o -governo. im-
perial de pagara garanlia de juros a que se
obrigaM. At falbando desde o principio os
cofres provinciaes de Pernambuco oom os
2 % addicionaes a que por le da provincia
se haviam comprometido, o governo mi-
perial os lem semprc pago integralmente
companhia.
Vou mais longe. Queris saber anda a
soinma de favores nov.is que tem o gover-
no imperial feito a companhia, sem se achar
obrgado pelos contratos, movido apenas
pelo desejo da v-la prosperar e clectuar
as obras da estrada de ferro ?
Basta lancar o? olhos pelos relatnos
dos respectivos ministros de estado desde
18?ii.
Precisando a companhia de levantar
i o concorreno para augmentar o
onus da garanta do juro. Ai
dijspezas insostentaveis, v-se^w- uj
que a escripturatw Ha p
maior irrega rfWde,
genheiro ttai .at erros
tornando^B^fleste modo i _
viniente fli;alisac3o, e i>or ateo
prosegne o abuso de se laucarem -a^aar^o
ila renda di estrada deapeiM,4W5 nHo-pa?
..ern nem deven ser Me**hs, i quo
linda que o pudessom '4am subir
ilo capital da oi|janhia.
i ObscrviBokl(D(Sbi falta d.ilo e do
economa lo 'noiavHAjl sei^o* e. na a '
ministrara) da estrada, q'wntavwd.
prodnzirji renda suHiiente para coli'rlT
o seu custeio, ha sempr-, pelo contrario,
,do ,qnal se lem coamutdo o abuso de i lo
amortizando pelo excesso da-receiu que
nr,]i, ^so se ajsorn-M3'(bjpen'lit'S
iidis nt co i.-tru<;;j > di
!a*.n:n a devidi e.nuin a, ou se
wd*jip3rdic.d.ii.
E porpv; a|gumi> d^sfl d-:sp:zis
i fuita* en landres,'sirva-se V.
Exc. de mandar omina-las. e-^emetter ao
.referido peasi canta di que se ten
a ser por e',1*
'tmida oai -/MiaiitefiPPquiidj livor d-j
i a cunta de todas as
strla de q le se tritJ, e
hahililnromesm) givnn vi instituir um
iuoo safpaa^Sohre o.m-14^iirque foram
ludidos *3**apil*eS/n5 tem garanta
d-ijaro, jquait governo garal quer do
provuffiil, e a resolver cora pleno coahe-
cnento de cansa sobre a conveniencia de
cunwdr-se o.i na aguranlia de juros re-
juerida pela directora.
Deus guarde a-V. Ev^.-Mmoel Feli-
tes as d: qne
o nao
j por
ale
tradas e
ne*se eno;
airar o pnintHl^hflBI
coustrucijSo da estrada
vinca.
A coanisso p^nsa qne
reste esoesw p
se da emum roez sobre adespazi ilac-zardo de Souza e Mello. Sr. enviado ex-
vu. A vista disso e do mais que expoe
>:om muto criterio o enganheiro I'hciI, cojo
Irabalbo'dala zelo digno de elogio, te-
claro a V. Exc. que as daspezas a.:iim re-
feridas devem ser reprovadas dese j.
ik9o so consonlindo qui idusfalquem oren-
lmenlo da estrada, c que conven qae V.
Exc. na sua. posico de inspector da aira-
da,.faea tornar ellecliva a mais severa fis-
calisacao, tanto sobre esle ponto, como
sobre todo quanto fr tendente i evitar
que continu o desperdicio que at agora
tem havido na admimstracao da mm es-
inda fazendo adoptar as regias indicadas
I pelo engenhi'iro fbeal, e rccomuwndando a
'esto que quanto sutes conclua e ponha o
de oi-
empreslimo na praca de Londres de libras' syslema de contabilidad. que tratava
45U,O00,o "overno imperial generosaaseute. g.misar, segando constado chado relatono.
lamento
cia.
E' na historia mesma do assurapto que
eu fundo a miuha contraiedado a S. Exc..
na propria leitura dos documentos oln-
ciaes que vou encontrar provas sufficientes
para pedir camaia que rejeite a resolu-
fo.
Permilta-me, pois, a cmara que tosca-
mente d senhe tambera um esbogo histrico
da queslao, acompiuhmdo os passos doSr
ministro, u segtiindo-o em tod as obsT-
vaco.'s que seu espirito lhe suggeno, e com
que pretenden esclarecer o debate.
Foi a 13 de onlubro de 1853, senhores
que se celebron o contrato para a cons -
tiucco da estrada de ferro do Recife para
S. Francisco. Una companhia ingleza a to-
mou a si, e pelos exames scientificos, que
izera proceder, pelas plantas, que mandara
levantar, pelos orramentos, que conseguir
organisar a pactuou com o governo impe-
rial pelo ji'o de hbs 875,12:1. capital le-
vantado por iii>'o de acffies distribuidas ua
praca de Londres,
Eslipulou-so no contrato que o go
verno imperial durante 00 anuos garantira
a asae capital um juro annuo de 5 0/0
pelo (tesauro gnral, e de i 0/0 addicio-
naes csial.-iicdos pela piovmcia de Per-
nambnco. C.oncordou-sc que o governo
impelid exorceria i.ispeccao uas obras_da
construcio da asteada, e as aperares
da reeeita e dcsp ta, aim de por si veri-
iicar a importancia da garanta do juro a
que se obrigra. Esse capital de 875,123
foi cal'ulado para todas as despezas da
constrnecao da liona, da edificacjio das
eslaro>s, do custo do trem rodante, e de
todos 08 mais objectos necessarios com-
pleta execuco da empieza.
No auno de 1855 veio, porm, a direc-
to da companhia representar ao governo
imperial que se engaara nos clculos:
que careca de modificar as plantas effec-
tuar maiores despezas, e augmentar o capi
tl primitivo. Requereu qne fosse ese ele-
vado a I.00:000, ficando a esta nova
soinma.e nao somente mais a de87,123,
Obligado o governo imperial pela garanta
do juro.
Accedeu generosamente o governo ira-
penal ao pedido da companhia: foi um
primeiro favor, que lhe fez movido sem
duvida por equidade, e nao por jnnica
visto que esta n3o assistia companhia.
{Apoiados).
O Sn. Aorare Ficheira: Foi para fe-
char a porta a outros favores.
O Sr. Prbira da Silva : Celeb'ou
po ranlo novaco do contrato com a ^com-
panhia em 11 de agosto de 1855. O ca-
pital, a que se garantan juros de 7 0/0
ao anuo, foi elevado a 1.200:000; mas
dedarou-se expressamente a cendic,ao de
que quaesquer que ossem os gastos da
companhia com todos os trabalhos, de
quo se encarregAra, correran por sua
conla, se excedessem o capital estipulado,
e nunca con a responsabilidade do gover-
no imperial-----
O Su. Anurao Pioueira: Eis o verda-
dero ponto da queslao (Muto apoiados.) .
O Sr. Perehia. da Silva : Ac-rescea-
tou-so qA esaa .novaco do contrato urna
declarftao euptasaa para tirar no futuro
qualquer -pretaito de reclamafSo da eom-
panbia. Foi qao o governo imperial desist.!
de iospeefao e flscRtisacfio sobre as obras,
que s por contada companhia cordiam; re-
servndole apenas o eiame da receta e
deapaxa. depois que a companhia funecio-
nasse,Tara orthhecer ao justo a quanto lhe
curapria pagar |tia garanta do juro ain-
MffmAifift aftr
Vozss: .V fala disso nada se deve a
.ompanuia (Apenados.)
O Sn. PREaaaA Silva : Estas duas
condeses fonnttt'os s. fO a'Hldo coa*
Auna Pmna
por favor, o garanti para poder ser elle
realisado.
Tendo-se esgotado- os capitaes constantes
das acedes, posto formasse a companlua
urna sociedade anonyma, conforme o direi-
to commercial, e a responsabi Idade dos
accionistas fosse limitada ao computo m
porcoes subscriptas, o governo imperial nao
leve duvidaMle dar, pela grande quantidul'-
de aeces que possuia, mais libras 2 poi-
cada urna, visto que a direcro precisava de
dinheiro e nao o podia haver ahonde.
Ha mais anda um arranjo de jiikos, que
eu nao vi bem explicar, porque nem o fa-
moso annexo L. chegou-nos, o nem tive
lempo de verificar nos relatorios dos annos
passados; por isso misino desejava eu o
adiamento da queslao. Como quer que seja
ahi generosamente cedeu ainda o governo
imperial em favor da companhia.
Foi mo, senhores, qie assm procedesso
sempre o govorno Imperial, porque a com-
panhia tornou-se insacavel. Nada a satis-
fazia, e o que requera como favor apregoa-
va-o na praga de Londres o seu presidente
Mr. Benson como justica c direto, e antes
de consegu-lo, j o davacomo feto.amea-
cando sempre de por.lt-sc o crdito do
Brasil quando n5o se correspondes*} s
suas exigencias.
Queris a prova ? Vou apresentar-yo-la.
Tendo um pouco de paciencia. S.:i estis cansadissimos. Mas para que nos
obrigam a tratar desta queslao n s ltimos
dias de urna sesso afadigosa ? Nao tenho,
remedio seno aborreccr-vos. (Muitos nao
api lados.)
O S:t. Aniv.iae Figueiba :-Tem fallado,
como sempre, perfeitamente. (Muitos apoia-
dos.)
O Sn. PerrirAo MAtiiKino e outros se-
miohes : Ouvimo lo cora todo o prazer.
(Apoiados.)
O Sn. PicnEinA da Silla :Essa tctica
de dar como perdido o crdito do Brasil em
Londre,quando se nao satsfazem exigencias
e\iravaganles usada, eempregada de pro-
posito all e aqu para nos coagir. (Apoia-
dos.) Entretanto, sao ameacas vas, ninguem
se assuste entre nos cora ellas. O crdito
do Brasil em Londres est slidamente fir-
mado pela fidelidade e lealdade cora que
tem sempre regular e exactamente pago os
juros de suas npolces, a importancia das,
suasobrigaces contrahidas. Muto apoiados)
O facto de urna divergencia pecuniaria com
urna oa nutra das companhias inglezas, com
a qual tenna contratos, nunca ser na pra-
ga de Londres lomado cuno indicio se quer
de falta do governo do Brasil no cumpli-
mento de seus deveres, porqus conhecem
todos a pontualidade do governo brasileiro
nos seus pagamente. (Muitos apoiados.)
Nao passara taes ameacas de estratagema*
imaginados para Iludir os incautos da-
qu.
Logo que a estrada de ferro comecou a
funcionar, em parte, couheceu o governo
imperial o modo irregular com que eslava
sendo Usado. Nao tendo tido inspeccao
ou fiscasarjij na construecSo da obra, nao
se importara se ella se eflectuava econmi-
camente. Mas tendo-a sobre a receita e
despez* para verificir a somma dos seus
sacrificios de juros, descobrio que se lan-
Cavam na conta das despezas quolas al ab-
surdas c extravagantes com que o thesoure
do Brasil! carregava, por se lhe augmentar
a garanlia do juro. J no correr do aono
de 1860 noto eu o seguinle aviso da-minis-
terio do imperio ao presidente de Poro am-
buco. Rogo cmara a sua altenco.
i Rio de Janeiro Ministerio dos nego-
cios do imperio, em 8 de outubro do 1800.
Illm. o Exm Sr.Com o offioio de V.
Exc. de 9 de agosto prximo passado fo-
ram reeebidas nesta secretaria de estado ;s
dantas da estrada de ferro deaaa provincia
de agoslo do anno passado a Janeiro ul-
timo.
t O relatorio do engenbero fiscal que
acompanhou as referidas conta's revela, na
administracao daquella estrada, a existencia
de abusos muilo serios, que o governo im-
perial nao pde'deuar do reprimir desde ji,
recabindo a responsabilidade detles sobre
quem os praticou. Entre esses abusos mi-
recem a mais severa censura as seguintos
despezas, com que se pretendeu aggravar
illegitmamcnto os onu3do t'iesouronacionul.
i i. A quantia de 8093 dada para o
asylo de mendicidade de Pernarabuco.
2. A de 1:060(937* que, alm de no
Deus guarde a V. Exc. Joao de Abneida
Pereira Pililo.Ao Siv presidente da pro-
vincia de Pernainbuco. b
"Por aq.uiv conhecendo a cmaras pro-
cedmento da.administracao da estrada.
Nao se importara, porm. ella com taes
irnpertimmcias do governo imp 'rial. (Risar
idas.) A propor > qo-3 lhe servia o inte-
resse, redamava novos sacriiicios. No
mesmo anno em que se davara os abusos
deque trata o vi-so, quo acabf-i de ler, e
cm vez de cohibidos e emenda-Ios. lam-
brou-se a ilireetoria d>, dirigir ao governo
imp-rial MfS petigl, d iclaraa-1 idtj qne
a constraeco o obras contratadas excede
ram os seus clculos e capital era mais de
lili. 0)0,000. alm d; 1.23 ,033 jaraitdis
polo governo imperial; e que redamava
assim novaco dos contratos nfira de se
i elevar pelo menos o capital aranlido com
juros.a lib 1,803,033. Felizmente o ga-
binet' presidido p:lo frailo smador o S:
traordinario e ministro plenipotenciario do
Brasil em Londres.
Queris mais un3 prova clariss'una do
pensamento ib Sr. Manoel Felizado ? Pos-
so a da-la. Ew rcsposU a este aviso com-
municon-llie o diplmala brasileiro em
Lombes, \ae o Sr. Benson,, presidente da
dirceco da corapahhia, declarara a >s ac-
cionistas que contava com despacho /avo-
ravel,- e que por isso ordenara que se com-
raunicissem aos commissarios os lvros e
coutas da companhia quando ale cnlo os
negava ao governo. O Sr. Mmael Eelizar-
do em nvo aviso de agosto replicou-lhe
inmediatamente que annnncasse formal
mente aquello presidente e aos mais aeco*
aisUs, qu9 nem urna proraessa'fizerj, nem
um compromisso tomara a respailo que
os exames a que mmiara proceder cram
necessarios particularmeule para sei estu-
do ; que os .antecedentes d i co npanma;
em celar) s noticias que liaba o governo
n) a autirisav, e nem os seus contratos i
a esperar decso f>voravel sm preleii.-o1
eque s a daria o governo quando o o;i-
lendessecwenien'.o aos intiressss ib B.-a-
sil e nao aos da cajnpaania.
Tomou responsabifidule algun ? N>,
mil vezes nao (MnUbs apoia los.) N >
ha compromisso neanua no procodimento
do Sr. Manoel Felzardo ; nada promelteo,
conforme positivamente declarou ao di-
plmala brasileiro no aviso de agosto, rati-
ficando e explicando o dj abril. (Apoia-
dos.)
Continuemos com o histrico daquasto,
fundando-o sempre as documentos olfi
Bitas.
N) anuo de 1832 representou a ,omlM-
obia de aovo ao governo imp rial, apena*
d)S )
Confesso, senhores,-qae aste ai
foi redigdo conjlilucionilmsele ; |
este grandijaimo defeito.
Um ministro di cota podd'Sizerqii'n
caso do achar justa a pretengo, recorreri
a ) carpo legislativo para declarar se quer
concebr a girantia allicioail ao novo a-
pitil requerido. (Miiloi apaiados.) Nao j,: >D.
(> il\ porm, declarar que o governo con-
ceder a garanta pedida. (Muitos apoia-
dos.) Regeaio-nos pelo syslema represen-
tativo ena divioo dos poderes polticos
assenta elle a sua base principal. S o
csrpo legislativo pode dar dinheiro. podaj
conceder autorisiooas, pode estabelecer
fundos. (Apoiados.) O poder executivo
nao competente. (Apoiados.)
Deixada, p.orm, de parte a m redacco
do aviso, conhece-se ainia que nenhum
compromisso lomou nenhuma promessa
fez o Sr. Cmsansao, se nu no caso de fiar
inteiramenle convencido da justica da com-
pinhia, depois de examinar os relatorios
las commissarios, qne n5o tinha ainda li-
d \ (Apoiados.)
Abandtna oJSr. CansansUo ao Sr. Bella-
gardo a reparti da agricultura ; volta a
companhia a representar a este cavalheiro.
Em data de 6 de fevereiro de 18(53, assim
lhe responde o Sr. Bellegarde :
f Declaro a V. Exc. que acerca do aug-
mento do capital ainda me redro carta
que sobre esse assumpto dirigi meu ante-
cessor era 2 i de julho de 1882 a Mr.
Bramdi. Qjanto ao pagamento dos juros
as accionistas, s est o governo imperial
obrigado quantia correspondente ao ca-
pital de lib. 1,200.000.
Nem o Sr. Bellegarde, portanto, tomn
igu ilutante compromisso nenhum, e nada
promelteu companhia. (Apoiados.)
Examinemos agora 03 relatorios dos com-
missarios afim de apresentarmos a luz que
delles dimana para a queslao vertente e
conhecermos at quo depois delles ootro
proce lraenta nao podia ter o governo im-
d sao
obras
\*,
custo da
de ferro desta pro-
presaiiir.
nham sido
i Os documentos que foram ministrados
e examinados nao jusiiliaam o emprojH
um semelhante sarama; de
porm, que robustas provas len
fornecidas commisso de Londres, e que
esta methor possa esclarecer o governo
imperial acerca deste etcedente.
2' -Ksbanjmalos. S3o elles assim re-
feridos pela commisso:
Edi/icaces.O primeiro artigo dessa
verba comprehende a coastrueco ^as as-
taC3J permanentes,- de predios diltinados
habitaco dos empregados da compaobia,
escriptorios o edificios para as ofllcinas oa
importancia de 432:4125018.
Nesta somma nao est 'incluido o cnsto
de todas as estaQes. As que ah estSo
contempladas foram construidas por um
prego moderado e seus edificios'sao de so-
lida apparencia.
E' digna de especial altencSo a somma
de .cerca de 200:000.5 gasta com a odififia-
go das casas destinadas morada aos
agentes da companhia na villa- do Cabo. S-
raelhante despeza era completamente doi-
uecessaria. Estes edlicius mal coilocados,
mal distribuidos, bao ter5o destino depois
de concluidos os trabalhos da via frrea, e.
so nao sao considerados em pura perda,
certo que causaramura desfalque no eaptial
"70 de seu
75
barode Uruguayana, e do qual fazia parte i sonto que oulro gihinetj, presidid) pelo
o nosso distincto col lega pelo 2districto
do Bio do Janeiro, indefero-lie redonda-
mente a pretencao pelo aviso seguinle :
Bio, etc. em 27 de setembro de 18G0
Commiinico a V. Exc. para que faga
constar aos utoressados, que foi indeferi-
do o requerimento de G de jualio prximo
passado, em que a directora da compi-
nhia da estrada de Ierro do RCife a S.
Francisco, cm Pcrnambuco, peda que
fosse augmentado o mximo do capital ga-
rantido da mesma companhia. Deus guar-
de a V. Exc. Joo de Almeida Pereira
Filho.Sr. enviado e^xtrordinario e minis-
tro p'enipotenciaro do Brasil em Lon-
dres,
O Sn. Anohade Mdora : E haviam
no ministerio dous Pernambucanos, os Sis.
Reg Barros e Paes Barreto. (Apoiados.)
O Sn. Pbbcira da Silva : Pensa a
cmara que' a companhia dcsanimou ? En-
gao completo seria. (Apoiados.) 'E
quando consigna esta prolengo, outras vi-
rao : allaa so seguem -como as eslagoes da
anno. (Risadas.)
No anno de 1861. achando-se na admi-
nistracao do aja oulro g bnelo presidido
pelo Sr. duque de Casias, voltou a
carga a companhia. Confessou que sua
red imagio i5o era j de jusliga, e apenas
de favor. Pmtava-se, porm, exhaua de
muios, e pedia ao-governo que lhe augmen-
tasse o capital garantido, comprometindo-
se a memorar o serviro c a economisar os
dinheiros.
Disse se aqu qne parto desse gabinete
tinha um eompromisso, ou peiO'menos lal
ou qual promessa do governo de satisfazor
cssa exigencia da companhia. Eu tonoj '*
peito a empreza do limpar o crdito do
ministro da agricultura de ento, to in-
justamente acensado. Era o Sr. senador
Manoel Feiizardo de S-juta e Mnlo, de sau-
dosissima memoria (muitos apoiados), es-
tadista to inieiligente quanto experimenta-
do, topratieo e prudente quanto honesto
e laborioso. (Repetidos apoiados.) O Sr.
Manoel Felirarda, onvindo sobre a preten-
c5o da companhia o consultor a secretaria
como este seu parecer de 11 de abril re-
quereu a -audiencia do cogenheiro fiscal,
nao indefirio redondamente a petigo como
eu antecessor o fizera...
Vozes : Era o mePaor. (Apoiados.)
O Sn, Pereira da Silva : Tambera
eu o creio, e o faria logo. (Muitos Apoia-
dos.) Mas o Sr. Manoel Fcliaardo, qua-de-
sejava decidirosnegocios provando luz
do da a jusliga das suas resolugoes, assen-
tou de antes de deliberar incumbir duas
commissoes, urna era Londres, compasta
dos Srs. Lae, e Morgan, engenheiros in-
glezes ; a oulfa no Recife, dos Srs. Mar-
tineau e Buarque de Macedo, caracteres
honcstssimos todos, e competentes como
professionaes, de examinar as obras effec-
luadas, e as contas e livros da compaobia,
c de reconhecer ao jasto o qoatito econ-
mica e regularmente poderia ter despen-
dido a companhia. Declarou esta sna re-
solngo ao diplmala brasileiro em Lon-
dres aflm de commantca la rrecgo res-
pectiva.
Esta resolugo constante do aviso, que
passo a ler, oio comprometteu o ga*jrao
imperial, nloode ser tomada cotno pro-
messa favoravel cowpahhla, e nGm o de-
via ser.
lllm.e Esm.Sr.NSodesejandot) go-
verno imperial dar decso algama sobre o
Sr. marquez de Ouoda, tomara coala da
situaco. Posto que os examjs a que se
mandara proceder n) houvessem sido
ainda presentes ao ministro da agricultura
de ento, o Sr. seaador Cansanso d;Si
nimbt'i. deu S. Exc. esta resposta:
. N. 43 Directora das obras pub cas e
n:ivegag.o 2* seceoRio de Janeiro. Mi-
nisterio dos negocios da agricultura com-
mercio o obras publicas, em 21 de julho
de 1862.
No odieio que me dirigi ora 18 do
provada a respeetivadaspeza, resuttou, se- requerimento em que a drrectoria da com-
gundo disseram asagfetftes di companliia,
do obsequios feit0s/aos.presidentes contras
autorklades da provincia, por occaso (le
visitas qne fieram estrada de forro.
3. A de mais de 1WK)0.3, cuja appKai-
Co n3o esta devdam'.nte discriminada, e
que o angaaieiro ft>i iafomiedo tar sMo des-
tinado par3 a mbilia do escr^ptoriirtle'tlm
dos empregatios da compannia.
(jino. loes a travtes woom recAir -We o
HBa. Pmbma-a Silva :-*E, pa, >ithcsoore swo pagos jplo TeQtfttoaRb'Ja
panhia da estrada de ferro de Pernarftbuco
pede garanlia de juros para todo o capital
que fr empregado na concluso das obras
contratadas, sum que lenlia verificado
os capitaau 'aaawWai'ma^me da tinha j*
concluida, o na flW H*"W'censtruci.'o.
foram Iwm e devidame'Pte 'applicad^s s
obras da ref-rida estrada, delerminei ao
presidente daqaalla provincia que nofcasse
4. r furto de carca* de *0W| 2praii- tima commisslo, composta Op eogefihelro
_ i porom dos aropregados dMtfatte. fiscal por parte do govroo edq tipVegt do dapas de
AfioWisTEopardemai absurdo que taatlkiiaiiMa-' "do'de fazeoda aooarr das coatas Vita efstnRra,. para Oa, exa-i
minando (oda a escriptaracSo da corapa-
coiwnte exp3 V. S. que ao goverm im-
perial a presentir a directora daompi-
nhia da estrada de ferro de Pernambnco no
anno passado urna petigo, em qne repie-
rea c^ncessode garanlia de juro para o
augmento do capital indispensavel para
concluso da dita estrada ; que o governo
imperial, para dar urna deciso conforme
jusliga e aos legtimos interesses de t)
mporlanti empreza, mandara proceder s
inforraacoes necessarias ; que, lando as
commissoes nomeadas em Londres c Per-
nanlbuco concluido o sen relalorio, achava-
se por isso o governo imperial habilitado
a tomar iinn roaetagao definitiva sobre ne-
gocio lo urgente, por mancira quo podesse
ella ser condecida em Londres at'i o mez de
agosto prximo futuro, sendo que a esla
corte viera o superintendente daquella es-
trada para prestar as informacoes que fos-
sem exigidas, e conseguir semelhante de-
ciso, de vital interosse para a companhia ;
que entretanto, tendo o siip>rintend nte
partido de Pernambuco na certeza de achar-
se terminado o relatorio da commisso
desta provincia, (bus mezes eram passa-
dos sera que tivesse sido enviado esse re-
latorio, c sem que conseguntemente tivesse
o governo imperial podido dar a solur
precisa e urgente desie negocio, resultando
da demora nao s parda considerave1 de
tempo, como talvez graves e irremediaveis
males para a companhia ; e que, pois, a
directoria, compenetrada da solrritude do
governo imperial, a elle recorrera para
evitar o transtorno que ameaga a compa
nhia, manifestanlo a sua deliberagSo acer-
ca do pedido da directoria para lhe ser
transraittida.pelo vapor francez, isto s
o governo imperial est resolvido a con-
ceder a garanta, umi vez que pelas infor-
mages a que se procedeu se mostr qu
as sonimas despendidas foram efectiva-
mente sem offensa da honra e da boa fe,
ficando todava dependente de ajustes pos-
teriores a forma pela qual se deve conceder
aquella garanta.
A vista das razies constantes desla sua
exposigo e das que verbalmente me apre-
sentou V. S. na ultima audiencia que teve
deste ministerio, demonstrando a conve-
niencia de obter, em lempo de ser trans-
mitida polo vapor francez, prestes a fr-
tir, resposta da pergunta que m de ser commu-deada a directora da estrad i
de ferro em Londres, corre-me o dever de
declarar-lhe que por este mesmo vapor
acaba o governo imperial de recebar de
Pernambuco o relatorio da commisso en -
carregada de-examinar as cuntas da com
panhia da estrada do ferro; que, de posse
desse relatorio, como j est do qne fo-
feito em Londres, o governo imperial tai
entrar no exame gertil de$se'nogo:io,"'qa
se o rstltado desse exame fl>r satisfactorio
como muito deseja o governo, n5o duvida-
r este fzer comphhit da estrada de
fttrro' de 'Pernambuco o favor solicitado,
isto conceder garantas no excssdo
capitatfi garantido (pie fr absolutamenie
iridispensv3t para conclds?o 'das obras
contratadas entre a corapanbia e o governo
etc.
:Aqui, dlsse-se, ha compromisso do go-
verno Ou. pelo menos: promessa. Eu sus-
tento qu* nem urna. e nem oHra coo^a
(Apoiados:) O Sr.-Cansasao declarou -ape-
nas qae tarta pwwer da daspaohar favora
velmmte ajiretenoioda comanhia, quan-
euminar os relatorios
perial senao terminar a queslao por um
redondo indeferimento pretengo da
companhia.
Os dous de Londres, Inglezes nsuspei-
tos. declaram que muitos escndalos prati-
caram os agentes da companhia, para so-
brecarregjr as despezas da construego da
oslrada...
Io facto revelado.D-so como remetti-
dos de Londres e embarcados no navio
New Ed 930 pes de comprimento de pon-
tana, ellectuando-se o seguro pela somma
de lib. 19,400, c tendo custado cada pun-
tara lib. 51 por tonelada de transporte.
Reeonhece-se que s chegou n'um navio
a o Recife cerca da terga parle da quantida-
de. e q n o proco do transporte da tonela-
da nao devia exceder de lib. 2->.
Votas: Oh 1 oh !
08a. Pereira da Silva: Aqu sta
no relatorio.
2' facto reveladoPelos mappas se de-
clara ter-se remetlido para o Recife 91 mi-
Ihas de via permanente de trunos, alera de
cildeiras e ferramenta correspondente.
Segundo os peritos, excediam todas as ne-
cessidades da linha completa taes remessas
e devem existir ento no Recife. Prova-
se, porm, que l nao appareceram.
Vozes : Oh oh!
O Sn. PEnEiR.v da Silva :3* facto re-
velado. Segundo o orgamento do Sr.
Bortliwick, cada urna milha exige 1,237
e 6 scli. de trilhos, af 290, 17 sch. c 6 p.
de caldeiras, e o frete nao de-e importar
em mais de 338. Reconhece-se das con
tas que o cento de trilhos por cada milha
sabio a hbs 1,034,5 sch. e 9p., e das cal-
deiras a 402 18 sch. e 5 p., havcido um
roubo era cada urna milha, s nestes ob-
jectos, de 145, 3 sel, e 8 p.
Vozes: Oh! oh I Com effeilo !
O Sr. Pereira da Silva : i" facto re-
velado. ;orapularam-so as despezas da
construego da estrada as sommas de libs.
1,791 gastas com o passeio dos Inglezes
Greenfell o Verecker ae Brasil, cujas passa-
gens e tratameuto pagou a compauhia.
Vozes -.Assim nada chegava (Apoia-
dos).
O Sr. Pereira da Silva :Pissemos ago-
ra ao que declaram os commissarios do
Recife. S3o elles um cstrangeiro de repu-
tago feita, e o Sr. Buarque de Macedo,
muito favoravelmente conhecido entre nos.
(Apoiados).
Eu lerei alguns trechos para esciareci-
mento da cmara.
1.Execago do contrato Furness:
Como j declarou a commissa, m-
possivel fazer urna legitima Hlistribuico
dos capitaes despendidos na construego
da companhia de cerca de
custoe constraeg^o.
t E' para notar queessas habitaroes: pro-
visorias, pois outro nome nao se lhcs pdd
dar, custassem mais do duplo oa somma
despendida com a construego do3 edifi-
cios permanoutes das oflicinas da compa-
nhia em Barbalho, estabelecmento impor-
tante, o
3.Despezas indiciaras:
* D'entre as despzas judicaras emen-
de a commisso dever mencionar as e-
guintes :
1. A somma de 54:470^803 paga por
despezas judiciaes nesta provincia. A com-
misso julga pou.jo razoavel que so tenha
despendido semelhante quantia em Per-
nambuco com as quest5es judiciaes, cor-
rendo, como de presumir, as despezas
de dcsapropriaco por conta do contrato
feilo.
Nao parece devdamente justificada se-
melhante somma, quando se v que a com-
pauhia mantinha nesta provincia tres
advogados de partido, gtmhando um delles.
anda hoja conserva, libras 700 ou
das 1* e 2a secc-es da estrada de ferro
desta provincia. O maior obstculo que a
isto se oppe a irregularidade das tran-
saeces havidas entre o ex-empreiteiro
Furness e a companhia. E' assim que os
pagamentos feitos aquello agente nenhum
titulo tm pelo qual se possa averiguar a
natureza das obras da 1* ou 2a secges, n^m
a qual dellas pertencem taes obras. Os cer-
tificados ministrados pelo engenheiro da
companhia, sem classiticago ou distincgj
de forma alguma, como j se disse, basta-
vam para firmar o direto do empreitero
ao pagamento a que se achava aquella obri
gada. A adopgo de semelhante syslema
em urna obra decanta magnitude 6 por de-
raais inconveniente, e colloca hoje a com-
panhia era urna posigo embaracosa peranle
o governo, quando trata de provar o justo
emprego do capital garantido.
* No meio de um verdaiftiro cabos nesta
parte, impellida a s por si colher dados
que se achassem de algum forma em har-
mona com os citados certificados, recorren
a eommssSp aos eSclarecimentos, dos ac-
tuaes empregados da companbi;, e as no-
tas e informagoes que lhe foram ministradas
pelo representante do eagenh3ro em chefe.
E' segundo esses esclarecimeb s qne a
commisso passa a fazer a sua analyse. Con-
vela notar antes de tudo que, segimdo os
dados ofiiciaes e inoootslaveis, o emprei-
teiro Furness recebeu da companhia
somma de libs 4SI ,032, 5 sch.* 6d,.
jsendo libs 241700. & sch. e 10 d. em Loa
droseno Brasil, 1,590:802*392.
depois da examinar a avahar as obras
taitas por Furness oooclue a eommiso:
Reunida esta sarama a-1,70:000f> da
t* aecco, temos qra o mpreiteiro Fur*
nessdespandauflas'ebH por *eHa cons
truidas cerca de W*:330$000.
Bat^paaottado-4 oda-quaalo -a *om-
aaissio poda ^biaaer- aUa afrflOfllo da
icen
)mmi
as ROMmas pojas a^aaUelganto aaimport
que
cerca de 0:300$ annuaes.
Vozes: Qaantos escndalos! (Vpoiados).
O Sr. Pereira da Silva : A commisso
termina assim o seu trabalho :
A commiss3o pensa ter glosado as
despezas capitaes mencionadas no tanaca
annexo, c, portanto, concine :
t 1. QJO nao houve o necessario zalo
no tmprego do capital garantido da estrada
de ferro do Recife a S. Fransisco.
2. Que na somma de libras 421,432,
5 sch, e O d., paga ao ex-empreiteiro G.
Furness, deve ser encontrado o priiwipaL
excesso do cuslo^de construego das obras
da" mesma estrada.
3." Qne o emprego da mnoitanda de
cerca de 1,500:0000, parte da dita somma,
nao est devidamente justificado com os
documentos existentes em Pernambuco.
uem se acha de accordo com os orgaraea-
los da commisso.
O Sr. Barros Barreto: E a linhi foi
miseravelmente feita.
O Sn. Cardoso de Menezks d um apirle.
O Sn. Pereira da Silva : Permilta-me
o nobre depulado por Gayaz quo eu d
anles f ao seu honrado coliega de Per-
nambuco que,, alera devir da proviioja,
habilissimo profissional. (Apniadoe).
Nao sei, mas acredito em preseira da aWe-
Hadki do Ilustre representante do Per-
nambuco.
O Sr. Cardoso de Menezi:s :O nobre
depulado nao me ouvio.
O Sr. Pereira da Silva :Parece, senho-
res, que depois desses relatorios eslava,
terminada a queslao. Mas o ministerio
presidido pelo Sr. marquez de Olmda, sem
fazer promessa alguma, e nem tomir com-
promisso, quiz illustrar-se raelhor, e en-
viou a Londres o Sr. Vuato de Medeiros
incumbido de cstudar ainda a questo.
OSr. Virioto escreveu de Londres ao
ministro, que gosando-se cerca de libras
100,000 nos gastos indevidos da estrada,
se podia avalia-Ia costando 1,685,600, e
que sua opiuio era que se augmentaste
a garanta do uro para um capital addi-
conal, nao de libras 627,000 pedidas,
mas s de 465,660. Eis aqui a primeira
palavra favoravel proferida na questo a
favor da pretengo da companlna, nao pa-
lavra de ministro, mas de um simples agente
e commissario examinador. Daqui que
parte .a allegagao de compromisso.
Mas, meus senhores, a opiniao, por
mais autorisada quo seja, de um agente
administrativo nao obnga o governo e nem
a naeao. (Mmtos apoiados). Cormn
dzor que o Sr. Viriato, levado do esphHto
oscrapn oso de s glosar qiftmias muito
perfeitamente provadas de falsas, nlo se
referi a sommas e objeclos sobre mi* fe-
savam accusacSes mais o t menos fundadas,
mas cuja f rova nao era completa lon
mais longe ainda. fcstoo eoHMtiata i^pw
nao possivel avaliar-se ao cerlo ^a que
justa e econmicamente devra ter "cus-
lado a coostrueco de urna estrada de ferro,
depois de feila. Como cum?utar-se aer-
vic-o do pessoal, do movimento de pedias,
e do ierras ? Os salarios e ordenados 1
Pde-so s concluir a.quanlidade e valor
dos maleriaes empregados e que se ncon-
tram. Mas esses custam muilo menos do
que aquelles. (Apoiados). Aquelles ao
os que maiores despezas roclamam.
A* vista, pois, dos relatonas^'lb-
raissionarios do Recife e de Un J
podemos- saber qte',n*)'S8 pullW atONfu;-
raenos de libras 1W,660, oacopstrucc8o
das obras para dmrttlfmos^^^MOfaial .
Que T merace a tdtoiwstratao abtiga.ojte
laiioiia aawa. ^na-rawiii^Rfalt
companhia? (Apoiados).
i
TCoMmiurr-tm).
tw; wwSir^iilMHH^pt *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7OAYDO4G_ILE00L INGEST_TIME 2013-09-14T00:10:18Z PACKAGE AA00011611_11989
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES