Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10276


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AMO mil ffllERO 296.
P#r Irts tmm atontados 5100.0
Por Ir- neldos 6SO00
.**I -!
dW^
ol >h *N**f
SABBADO 26 DE DEZEMBRO DE 1863.
Por anno atontado.
Porte para t subscriptor
%
19S00O
3J000

PERNAMBUCO
ENCARRBOADOS DA SBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrina de Lima?
Natal, o Sr. Antn Marque da Silva; Aracatv.
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao o Sr. Joaquini Marque? Ro-
drigues: Para, os 9rs. Manoel Pinheiro 4C. A-
mazonas, o Sr. Jerocymo da Costa.
ENCARR1GADOS DA SBSCRIPCAO Ni
AJagas, o Sr. andino Falro Dias; Rahia, o
Sr. Jos Marlins Al ves; Rio de Janeiro, o Scs. Pe-
reira Martins A Gasparino.
----f.
PARTOA DOS ESTAFETAS
iM# Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', GoyaWa e Parahyba as segundas e
sextas:feiras.
Mh>^tGravat. Bezerros, Bonito, Caruar',
^Wlinhd'- Pao d*Alho, Naiareth, I.imoeiro, Bt+jo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Helia. Tacaratu', Cabrob,
B Vista. Oqpcfcry e Exu' as murtas feiras.
Sennhaem, Rio Wrm'oso, Tamandar, Una, Barre'-
ros, Agua Preta e Pimenteirasnas quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vozes que para ali sahir
Jtvio.
Tfms os esta/etas partem ao '/j da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
3 Quarto ning. as 8 h., 49 m. e 2 s. da m.
10 La nova as 4 h., 29 m. e 20 s. da t.
17 Quarto rese, as 8 h., 20 m. e 32 s. da m.
24 La chela as 11 h., 23 m. e 14 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da. manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sol at Alagas a 8 e 2o; para o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14dos mezes dejan, niarc., maio,jul, sel. enov.
PARTIDA DOSTOINIBCS.
Para o Rea fe : do Apipucos s 6 '/> 7, 7 /,, 8 e
8 '/, da m.; de 01 inda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jabeatao as 81/2 da m.; do Casanga e Vanea s 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
I De Reeife : para o Apipucos s 3 A, 4, 4 A, 4 /,,
> a V*. o Vj e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manfea e 4 Vz da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Carhang e Varzea s 4 "/, da tarde; para
Beeaas4datorde. F
AUDIENCIA DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas c quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphios: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do clvel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civei: qnartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
Segunda. S. Thom ap.; S. Themistocls m.
Terca. S. Honorato m.; S. Floro m.
Quarta. Ss. Migdonio. Mardonio mm.
Quinta. S. Delllno b.; S. Tarsilla m.
Sexta, cgj Nascimento de l.'.S. J. Cbristo.
Sabbado. S. Estevao proto-martyr.
Domingo. S. Joo ap. e evrmg.
ASSIGNA-SB
no Reeife, em a llvraria da praca da Indepen#?nr3
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueirsa d-
Paria & Filho.
PARTE gfficial.
GOVER-iO DA I'ROYINCtA
Expediealp do dia 22 ie denmbroda 4883.
a eMe, na qualidade de deputado assembla ge- grandes proporcSes, se l o segunte dstico era I Crui Guimares, braneos, o nrimeiro nara avp- As mora artmiram n. o.,wm_____.- rv ....
rartatolatita, deixava de entrar no exercicio do lettras romanas, abenas em pedra marmore, e avi- riguacoes en. crime de roubo, e o ulTirao por sus- de oo frutasnuyens^^nca Le! vo DeS P'?inclfc aqUelles qne Des,c maDdo honra,,,
camode director geni da inslrucco publica, do vadas com tinta iroia I nuim ni rrima a* .d.n__-.J ..---------." "rve as> s Ia Yao
qual se-aehava de licenca.Communicou-se the-
souraria provincial.
..COIMA AS ARMAS.
Quartel general do comnuuilo das armas de Per-
1863.
Offlcio ao commandante superior da guarda na-
cional do Reeife.Ao offlcio n. 133 que V. Exc.
me dirigi em 21 do corrente, respondo declaran-
do-Ule que, ficam expedidas as convenictites ordens
para ser a guarda nacional sob seu commande I nambw^ ,23 d,e dJMen,bI2de
superior despensada do sorvieo da guarnicao, desde I ,. vrtlemtlo da n. 279.
25 deste mez at 3 de fevereiro prximo vindou- generalc"n,mandan,e das armas deoIara Para
ro--Communicou.se aocommandnle da praca. I *nns convenientes que acaba de chegar do pre-
Dito ao consHIieiro presidente da relacao^-Quei-' ? de Fernando de Noronha para onde seguir
ra V. S. interpor o sen parecer sobre a materia do no fd,a '? o/orTenle. Deixa por tanto de exercer
incluso offlcio, que em 22 de oulubro ultimo, diri-; as1ru"c0i?f <" commandante da guarnicao desta
gio-mo o juiz municipal do termo de Caruar I *i coronel Lu,r JoS Ferrara, quQ nest
Dito ao mesmo Queira V. S interoof o seu enlr>ra '10 commando do seu batalho 2 de
parecer sobre a materia do incluso officio qiio em 17 infan,aI'a- Chegando ifualmente daquelle presi-
do mez (indo, dirigio-me o juiz municipal do termo dio w Srs" aP"ao MnTiwl. p.orfiri? d 9**" Arau"
de Cimbres. jo, e segundo tenente Jos Antonio Ribeiro de Frei-
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda D las' l*s?arSo a fdYpmandar, este interinamente a
V. S. as providencias necessarias tara que a col-*' ompwiliia de artfices; e aquclle a de cavallaria,
lectora de rendas do municipio de Goianna, pague revr,n,d<> a0 servico do 4' batalho de artilharia
opportnnamente ao soldado do 1- batalho de in-J ? P6 H- S(eani> 'enente Olympio Aurelio de
fantaria Antonio Pedro dos Santos, que seachr, LimaeLamara-
destacad na povoacao de Podras de Fogo a quan-' maneira l,or 'iue se bouve o Sr. coronel Fer-
tia de cem mil ris, era que importa ai'orestarao r?,ra' no f0mman<,<> ^a guarnicao satisfez plena-
do premio de voluntario como declara o commn- men.le a P**! mesmo general, que por tal
dame da praca em offlcio de 21 do corrente cons- i m0llV0 ,ho d,n8e os seus '"vores e agradecimen-
ao com-
tos.
Assgnado. Sol/Ionio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme.Jos Ignacio de Medeiros Rego-Mon-
teiro, rapitao encarregado do detalhe.
MAKA-VIIO.
tante da copia inclusa.-Communicou-se
mandante da praca.
Dito ao mesmo.De conformidade eoui. a sua
informacao n. 940, de 21 do corrente, autoriro V.
S. a mandar adiantar aos captaes Francisco Br-
ges de Urna, Caetano Xavier de Oliveira, Aurelio
Joaquim Pinto e tenente Julio Pompeo de Barros
Lima, promovidos esses postos por decretb de 28
de novembro ultimo, a importancia de 3 rnezes de
)ldo, para llics serem descontados ^a-forma do
disposto no arL 28"da lei n. oli de 28 de oulubro
de 1848.
Dito ao mesmo.Restituo V. S. coborlo co Bevk memoria sobre a i*TBODucgAO do pus vac-
oraeio do brigadeiro commandante das arma* de 7 cuneo em marinhao, ofeerbcioa ao illm. sn. te-
oo corrente, sob n. 2,234, o requeriinento sobre mistoci.es aramia em tkstkmuhho de muta
je versou a sua informacao de hontem n. !3.'i a amisadb.
lim de que de conformidade com esta, mande pa- y, fado geralmente sabido ter sido o r. Eduar-
?"ua ci >ere,ra da Silva Lc'i,e' a qoantia de do Jenner, medico em Berklev, que leve a gloria
<>J(XK) como saldo da gratificar ao, a que tom direi- de demonstrar a eflicacia da
to relativa ao tempo em que servio de enfehaeiro
mor do hospital militar.Communicou-se ao
commandante da praca.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Se nao houver inconveniente, mande V. S. pagar
a Francisco Mondes dos Santos, ou pessoa por
elle autorisada, a quantia de 73JG(X). despendida
casa alheia.
vadas com tinta preta
Humano salutis Reparatori
Hec agrassante o>|>e contagio.
Hospifale effugium
Commtinibus impensis
Publica charitas
Erexit ac dedicavit.
Ann. Dom. MDCCLXXXV. Lima, requerimento deste"
Garantimos a lidelidade da copia, feita por nos, A' ordem do da
como navios desarvorados, a percorrerem o co
peito enl crime de estellionato.
A! ordem do de Santo Antonio, Joao ou Eduar-' as palmeras, que se levantain das extremidades i
r*Ll'*Ti!!LCSCr!iV0 d0 Dr MUra' Por entrada em 'o valle-as mangueiras dens'umbrosas das fral- stas
seus pas, o teme que amaldicoe para sempre.
se te atreves to mesmo a ser o assassino de ten
tocantes patevras rommoveram o filho;
que la fomos de proposito para este fim.
O nosso amigo o Rvd. Sr. conego Raimundo Al-
ves dos Santos, assim traduzio livremente.
A caridade publica,
Com o soccorro das esmola de todos os fiis,
Erigi este lugar para servir de hospital
as muitas occasioes em que grassar o contagio.
E o dedicou
Ao Reparador da Salvacao humana.
Anno do Senhor, I78S.
Comparando-se a data deste edificio com o da in-!
troduccao da vaccina promptamente se conhece
que a |pulacao viva aterrada com o contagio, as (
muilas occasioes era que este grassava, pelo que
se reunirn) os esforcos de todos e se procuren
erigir um hospital, longe da cidade, sem duvida
com o fim de servir paraLzatelo.
Vipte annosdeppis appareceu a.vaccina, nasceu
a conftanca no animo de todos, esqueceram-se do
mal que tantas vidas ceifou, e at o edificio foi i
abandonado, e afinal tempo o dstrnio por ser de
entSo em dianle julgado desnecessario.
Agora j se pode calcular as honraos que a po-
pulacao agradecida derramliu sobre o capitao ge-
neral Facisco da Cunha Menezes, eo cirurgio-
mr Joio Leurenco Marques.
Possam rsta toscas linhas, que o correr da
penna esrreveroosj despertar asida alguns instan-
tes da gratidao memoria destes dmis importan-
tes cidados, que tio relevante beneficio ftzeram
eiu provincia.
Dr. Ckzar Augusto Marques.
(Do Paiz.)
n flos Jos Tino Jo,nm "c,nf lffi-8dlMte22!.llhas deJMlha' esPar"8 **]* nlas allegand a averso de sua ni para
no Joaquim de Sant I raade STranasccque tudo merece um culto nao se alterar a na- -
5es policiaes, Anto- ie admiracao. i An, e r"["
o Goncalves Pereira I Entramos na igreja. pondeu este honrad
Quanto asseio me n0 ,je rec
Boa-Vista, Vicente, pardo, es- As_paredes ealSo saeudklas, o lijlo varrido, al- Sem dinheiro e sem ree*sos, nao me
nio, pardo, escravode.An.oB?io Goncalves Pereira | Entramos na igreia. pon^efelte^Sdo^TVestrlnhof ue
me bao de receber quando aten Olho me expulsa ?
Sem dinheiro e sera reeawos, nao me resta senao
ra^rvam If^ira^c ,i. Vt?08 f ?"'' ,,nendifiar l,a Qe h<>J P^eiso para nao morrer
presir\am da poeira, os aliares simplesraente pre- de tome.
o rosto
a
cravo de Azevedo & Irmo, tambom a requeri-
mento deste, Joao e SebastiSo, criolos, escravos .
da viuva Gomes Ferreira, para averiguacOes poli- larad< e ente Assim allava este botado velbo com o
par o o JosFrancisco da Rocha, encalo, para re- g^igM. jb so.itaria-no meio do mato- SKKJArB! l&tV^Z
Ti aislante o centrozelo aquello que a ordem de be um ultimo fav.,r
A ordem do da Capunga, Manoel Antonio Fruc- S. Bento, ^ quera aquella .groja pertence, muito O invern annroxim ^ A pIi* sn
tuoso, portugnez, para correcyao. justamente devia recompensar e animar pr rae.o Dos me condemnaPa v^ r anda at eStemw
O chefe da 2; seccao. de um estipendio seguro e conveniente. u5o tonbo com que me gasaC O facto queT
Ficamos encantados de tratarmos com esse bom nbo estempedacos; e.n paga de todo, os que me
a tua villa, meu filho,
s te
J. G. de Mes/puta.
Movinianto da casa de deteneo do dia 23 de ebristao. lir.tp'dnran s
deZembr d" lk61 i, S?-8 frt h,ra rn0S -*." S m- "E te,,? Nao o%oWamei'.:or,
i.igres ae n. }>. do Monte, sobre o seu nterresse peco aquelle que j nao usas
-WrTnS*^0 ^i.^^'a1"' S^bre a sua d,ormida sse l)e1uen fav>r tambera Ihe foi negado; a
ffi^^K**^10 mesmo.de,,era mulher respondeu que jOo havin fado
a.familia a ra do Bom Suecesso, e ale sobre a para e||e. pedio ^ menos nma dM(hIa
Existiam
Eutrarara.
Sabiram .
293 presos.
26 .
14 >
A saber
Existan. .
Nacionaes. ,
Estrangeiros
Mulheres .
Estrangeiras
Escravos .
Eseravas .
30o '
210 presos.
27 .
1 >
i .
58 .
7 .
308
alli
sua
poltica.
Exccliente homem !
Depois offereceu-nos
fresca.
Deseemos em companbia
correndo pela ladeira o baixo.
zes debaixo das arvores, nutras tratando elle prin
cipalmento dos seus cuidados aili.
cajs maduros e
vaccina.
Em junho de 1798, publicou elle um opsculo
que chamouIndagacoes sobre as causas e effeitos
das bexigas das vaccas.
0 Dr. Bento Joaquim deLemos, entao vice-reitor
da universulade de Coimbra, conseguio dous tubos
com puz vaccinieo, um da cidade de Londres, eou-
tro de Lisboa, e apresentou-os faculdade de me-
durante os mezes "de oulubro e novembro deste .dicina da raesma universidade em 15 de mareo de
anno, com o sustento dos presos pobres da cadeia 1804.
do Brejo, como se v das duas inclusas contas, Dessa poca em diantc propagou-se a vaccina
que para esse fim vierara annexas ao offlcio do
chefe de polici datado de Juv e sob n. 1,670.
Communicou-se ao Dr. Ci, pticla.
Dito ao mesmo.Em vista th>< inclusas contas,
que me foram reraettidas com offlcio do chefo do
polica datado de hontem, c s6b n. 1,672, e nao
havendo inconveniente, mande V. S. pagar Ma-
noel Jos Pereira Borges, ou a pessoa que para general, tomou contado governo della em 5 de
sso se mostrar autorisada, a quantia de 126600, abril do 1802, resolvern! alguns negociantes en-
Aliraentados a custa dos cofres pblicos. .
Movimento da enfermara no dia 23 de
zembro.
Tiveram alta :
Manoel de Freitas Nogueira, svpbilcs.
Manoel Miguel dos Anjns, tumor,
i Tiveram baixa:
, Bento Jos Rosa.
' JoaquimgAflbnco Ferreira de Mello.
117
de-
I
UM POUCODE TD0.
Terminada a representacao, sendo chamados ao
palco os representantes e o autor do drama, reci-
taram differentcs jnvens em
poesas em saudaeao aos rae
por todo o reino de Portugal. aproximavam o pensamento que
ABatila pideuTOTfOgo obter esre Importante pre- gencia que executa Ticlo abrago dais lettras que as-
servativo, e erabora o governo salisfizesse tao lou- sim os coroavam.
vaveis desejos, nunca pode chegar a vaccina em Cartas de Flores do dia 12 do corrente noti-
estado de se poder tirar proveito della. ciam que os presos pobres, recolhidos no calabou-
No tempo do marechal de campo Francisco da I co daquella villa, actiavam-se em grandes miserias
Cunha Menezes, que, como governador e capitao i e faltas de alimcnlacao. Este tacto digno de ser
- tomado na de vida consideracao. A bumanidade
assim o exige. Alm de presos, morios fome I
PERHAMBUCO.
REVISTA MAMA.
A sociedade theatral Uelpomehe Pmmmb
den a sua recit de quarta-eira, levando
o Mendigo Negro e.a Hodavioa mas Mh de nossos ^,1^^^
O desempenho do drama fo. sal.sfactorio para faculdade que faz a verdade ra c andeza do I o
notverno'^utr ^ COm dBSenV0,V,D,enl "> a .e.bor d^TflKo^afi^
em casa
duas mantas
que serviam para cobrr o cavallo; e o dono da
casa, vendo entao que se nao poda esquWai deste
aBna pedido, fez signal ao filho que Ihe Irouxesse urna.
... ,1 Este nao tinha podido ver sem enternec ment
delle, conversando, as despedidas do seu respeitavel avO.
, descansando as ye- Tinha dez annos, e, como j vos disse, possuia
ando elle nrii b6as qiiaiidades> Foi a cavallaica, tomou a melhor
das mantas, cortou-a em duas, veio trazer urna
l n semelbante hornera, a bem da religiao e da das metades ao velho.
E^wiiSuT a *m der.e-cu-S0S' a.fim TodS se empenham naminha morleI excla-
t, m ? 6 conservar-se em a0 importan-: mou o av, solucando. Tinha alcancado este fraco
i.'..,.r.,-,, ih s a o n ; oonfor,o para a minha miseria, e at isto me in-
Y. porque Ihe nao assigna o convento de S. Ben- \ vejam \
to orna pensao proporcionada a to lou vaveis tra- 0 filho nao pode conter-se em reprehender o
menino por ter excedido as suas ordens.
Picana' n S5L E*Dgelho-^in ate Deas de todo; sario, notamos que hart
toucana 0 coi i o -publica a Uuz o segunle : versos renarns npcessari
a scena inoramos, irmaos meas, que araar a Dcus b]S3! ^ neCeS4*n
balhos e acrysolado zelo ?
E assim. Entre nos o mrito real suecumbe
mingua de alentos, como as vezes muilas dessas
plantas preciosas ou flores de perfumes raros, que,
por acanharaento do destino, rebentaram |>elas ri-
mas das rochas ou dentro de lapas ridas, na es-
peaura.
Tomamos casa antes da noite.
Vollando de carainbo, fel bica de N. S. doRo-
m por alli passado di-
necessarios alias sua conser-
despendda com o sustento dos presos pobres da ( viar Lisboa sele pretos escravos, para que sendo I Outras cartas de Ouricurv dizem que o le-
cadeia do.termo de Santo Anio, nos mezes de ou- ali vaccinados, trouxessera nos bracos oque tanto,! nente-coronel Dmas Lopes de'Siqueira foi afinal
tubro e novembro deste anno. i al ali, se procurou em balde. pronunciado e condemnado seis mezes de pnsao I
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., nos termos de Em 30 de dezerabro de 1804, chegou Baha o Consta das mesmas informacoes que, ao passo que
sua informacao de hontem, sob n. 614, a mandar navio Bom Despacho, dando-se a coincidencia de assim se procede contra um cidado pacifico, nimia
entregar ao thesourciro da confraria do Senhor significar o nome do navio a rcasacao de um be- indulgencia se vai oxercendo com os verdadeiros
Bom Jess da Viasacra na igreja da Santa Cruz, nelicio tao almejado. criminosos, sendo que no ultimo jury forara postos
Benjamini Viraos Do Ira, como pode a respectiva Diz o coronel Ignacio Accioli, as Memorias his- na ra diversos reos de crimes rapitacs
mesa regodora? no requerlmnnto que devolvo, a torteas e polticas da Baha, (|ue a adrainistracao
quantia de 2:300*000 que se achaem deposito 'do marechal Cunha Menezes se tomou digna de
nessa thesouraria, proveniente do beneficio da 6'1 memoria pelos cuidados e esforcos que empregou
parte da lotera concedida a favor das obras para a propagaeo da vaccina por todas as partes
daquella igreja, devendo porm essa entrega ser; do Brasil,
feita mediante flanea idnea. a este homem pbilantropo quem devo tam-
Dito ao_ mesmo.De conformidade com a sua, bem o Maranhao este importante beneficio, como 3,600 bilbeles cada urna dessas parles,
iiforinacao de hontem, sob n. 613, e em vista das provamos cora estes documentos que fielmente co- Destes bilhetes I lem o premio de 5:0005000 ;
ca de 22.)5200, despendida com o sustento dos rio leltra A, maco n. 1.) de 1005000; 8 de 40*000; 14 de 205000; 30 de
presos pobres da cadeia de Caruar nos mezes de Illm. e Exm. Sr. (l)-Por occasiao de virem 105000; e 1,040 do 55000, sendo por con-eguinte
julno a outubro deste anno, autoriso V. S. a man- de Lisboa no navioBom Despachosele negn- 1,100 os premiados em sua totalidade.
dar exonerar o thesoureiro da reparticao da poli- nhos d'aqui mandados por alguns particulares pa- Acbando-se Joao Luiz da Silva es
ca como pede o respectivo chefe em offieio de 11 ra conduzjrem o umor vaccinieo a esta cidade, alim "
c.orrnh>' 16,7> da responsabilhlade da quan- dse poder aqu adoptar o methodo da vaccinaco
ta de 2005000, que para esse lim recebeu nessa como o unic preservativo das bexigas: recebi um
thesouraria em 7 de agosto ultimo ; pagar ao cap- oflicio expedida pela secretaria de estado dos neg
t.vo Jos Pereira Teixeira o sold de 255200, qne cios da marinha, e dominios ultramarinos, em da- .
nas preditas contas se da a favor do delegado da- ta de 10 de novembro do anno passado, em o qual Sr. Dubourcq.
quelle termo, e finalmente a adiantar ao menciona- o principe regente nosso senhor servido detormi- Na noite de 21 do corrente penelraram os la-
do thsoureiro para ter igual destino outros20U# nar-mo promova com todas as torcas da persuacao dr5es no escriptorio do Sr. corrector Mmede, na
rs. como solicitou o referido chere.-Commuiilcou- o uso deste especifico nesta capitana, e procure praca do Corpo Santo, nada roubando, portero
se ao Ur. diere de polica. com toda a diligencia introduzir nas mais do Bra- mesmo senhor na vesperaconduzido todo o dinhei-
uitoao director da colonia militar de Pimeule.i- sil : pelo que, porMathias AUes, mostr do br- ro para sua rasa de residencia. Os ladrees, ven-
ras. Pode \ me. yira esta capital comosoUcilou guo Tiberio, que presentemente segu viagem para do-se mallogrados, inulilisaram alguns e conduzi-
em seu olllciode 19 do corrente, afim de prestar esta capitana, remeti V. Exc. o referido umor ram outros dos papis que ali se achavam.
contas a thesouraria de fazenda, dos dinheiro des- guardado em vidros. O nosso collaborador remetie-nos a sua
pendidos com oservico dessa colonia no trimestre Como porm, tlvez nao produza por este modo carta :
contado do l-de outubro passado em diante. >conduzido o seu desejado effeito, e no mesmo br- Compadre.Estoa de cavallo prompto para es-
uitoao capitao do porto. Faco apresoatr a y. gue se transport"! varios escravos, que ainda nao cafeder-me, depois da missa do callo desta inspi-
do remita de marinha Leonardo Francisco de tj^jram bexigas, persuad ao sobredito mestre dez laponia.
Oliveira para que Ihe do o conveniente destino que" viesse assistir a vaccinaeo, que hontem se Os domingos e dias santificados dao esta Icr-
depois ue inspeccionado. Communicou-se ao Dr. fez na minha.presenca, para se adestrar no modo ra tao tedios monotona, que me tira o tolego.
cuera ue polica. de ir vaccnando successivamenle durante a va-
Hegosijarao-nos. Foi a cmara quem mandn ef-
fectja-los. Muilo bem. Faca sempre a cmara
: dest'arle que seremos nos os primeiros a leccr-lhe
va h Teas l'aducas (n-l.r m?. ir0SSe.,r0 e,Terecer v,c,imas ao.. s" Que querem ? Amamos muilo estremecidamen-
r. mas nao o amava-om que o orgulhoso te este paiz.
Desojamos v-lo jirosperar, progredir em fados
e uo em palavras s.
Olinda lem proporcoes a tornar-se um grande
tazer escravos; o reino do temor centro de belleza, de passatempos, de progresso ;
om as sombras da synagoga. por nao a esquecampobre viuva, que chora nas
El i.fa",,na '.',at seg.undJ0 a exPres$ao de brenhas a morle do sen esposo-nao a esquecam.
SLw e,"ran'1!S ondas dianle da face do Deem-lhe urna esmola de a amanenlo, um peda-
"l1 !fm P,*I -U Vr loda ,erra : homcm 5 de l'a0 de Progresso. que a velha remojar e
?S?L^ r?a de "R e ele cora5ao se "'entre as suas onzas surcir vigorosa e radiosa,
o nior S 'e,,0S qUe tinha sobrc 1ual a Fl,cnix da mythologia.
..,; .,;. t- o .1 E como estou um pouco fatigado do longo pas-
vmZOLEftUS >re empaco a esse doce movimento, e entre os ob- se Dos quizer
jeclos que nos cercara procuremos saber qual o ____
que merece a nossa attenrao : d'ab que depende l-.. .,, A u ,
a virtude ou o vicio, a lberdade ou a escraridao : nLiS/-W/' rfo S* E*5? SJCgU,Dt,? Sb dC"
a felicidade eu a miseria. eM,rmu.K>,. nomina?ao da munta cm.,ain m dtl(U:
lei cessou de
desappareceu com as sombras
Dos e o mundo aspirara a esla conquista, e pa-
u pro- peco que nos nao hesitamos na escollia ; enlrelanlo
lanea.
D'onde pode vir es[a ceguetra ? vera da parte
do pouco conbecimento que nos temos da grandeza
e da excellencia do amor de Dos, porque nao co-
nhecemos a grande virtude da cariitde, e estamos
governados pelo freio da sensualidade.
Um bom cidado de Abbeville, que por diver-
sos motivos tinha vjndo estabelecer-sc em Paris
001 1850, tinha um filho a quem muilo amava e
que tratava o melhor possivel.
Este bom homem tinha perdido sua mulher,
com quem vivera trinta annos sem nunca ter
tido com ella a menor altercacao, e de quem
embrava se com milita saudade.
Toda a sua ambicao consista em casar o
filho.
Procura ser homem honrado, Ihe diza elle,
quando o filho cresceu, e se eu te adiar urna ra-
pariga honest e de boa familia com quem eu pos-
So s, irmaos meus, gast.no"hras ltate- ? ThW em ^ |)az' s,'ja <1"al,|,,er do,e.1ue.n,e
pancando em rndennos homenage
iz de direito de Palmaros.Ab conhe- geni a|TUnSjdos ditos escravos com o umor dos sejar suicidio,e no estoulispostoljk marlj
cimento do Exm. Sr. ministro da justica levo nes
ta data a materia do seu offlcio de 1G de novembro
prximo findo, sobre o recurso de graca do escra-
vo Jannario, a que nlliid>r o seu citado offlcio.
Dito ao juiz municipal do tormo de Cimbres.
Aguardo a decisao do governo imperial sobre a
materia do seu offlcio de 5 deste mez, com refe-
receber-
poeqoe
os nossos
ai na-lo ?
Temos repugnancia disto e nos envergonliamos
do nosso verdadeiro Pai !
Ignorancia criminosa I
(Juo mseraves somos, que conhecendo o bem
real, que nao morre, que eterno, no queremos
empregar os meios para consegni-lo I
Abramos o coraeo, porque elle foi feito para
amara Dos offerecamos as primicias da caridade
para sermos compensados na eterna gloria ; nao
queiramos abri-lo nicamente paraos bens da tor-
ra efecha-lo perpetuamente aos olhos de Dos.
Amara Dos e ao prximo a maior virtude
do mundo,
ameraos, p
sagrados preceitos.
mrivV pe,;am' eu l'a (larei cin casamento, e acabrei na
nimL T lua ,:0l"liihia os meus caneados dias.
Ora, na mesma ra do cidado e mesmo defron-
Perdao, meu pai, replicou a crianca.eu pen-
sci que quera apressar a mortc de seu.pai e por
isso quiz auxiliar as suas intencoes. A outra me-
lado da manta, que resta, nao se perde; guardo-a
para Ih'a dar, quando meu pai taraban fr velho.
Esta reprehenso, tanto a proposito, fez impres-
so no (libo culpado. Conheceu o seu erro, e pros-
trando-se aosps de seu pai, pedindo-lhe perdo, o
fez entrar em casa, entregou-lhe todos os seus
behs, e d'alli em diante comportou-se cora o res-
peito e altencao que Ihe devia.
CMARA MlMfJPAL.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 18 DE NOVEM-
BRO DE 186:1.
Presidencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os Srs. Henriques da Silva,-Seve, Gus-
tavo do Reg, Barata de Almeida, Gameiro, fallan-
do com cansa participada o Sr. Mello, e sem ella
os mais senhores, abrio-se a sesso, e foi lida e ap-
provada a acta da antecedente.
Lu-seo seguinte
EXPEDIENTE :
Ura offlcio do Exm. presidente da provincia, rc-
commendando cmara que mande exlrahir dos
livros competentes, e Ihe remeta com urgencia, e
em duplcala as copias das actas das eleicoes de
eleitores que se procederam nas freguezias des-
te municipio nos dias 9 de agosto ultimo e 1 do
corrente.Que se satislizessc.
Outro do mesmo, coramunicando que tcBdo de
reunir-se no da 15, do corrente na igreja matriz
da freguezia de Santo Antonio os eleitores das fre-
guezias deste municipio para a eleieo de deputa-
dos assembla legislativa provincial, recommen-
da cmara qu para esse lim d as convenientes
providencias de conformidade com o disposto nos
arla. 58 e 72 da lei de 19 de agosto de 1846.In-
teirada por j se ter rumprido.
Outro do director da companbia de Bebenbe,
commendador Joo Goncalves da Silva, trazendo
ao conhcciinenio da cmara, em resposta ao que a
mesma dirigi companbia em 19 de outubro fin-
do, declara que ficam tomadas as providencias
para que seja removido o chafariz que se acha con-
tiguo ponte da Boa-Vist do lado do bairro de
Passar o dia de natal em cruel asphixia de-
. o suicidio, e eu no estou disposto marlyri- O Sr P P remetie.nn* i mii 1Mu,.
que leva d'aqui vaccinados, afim de que so sar o meu individuo moral podendo respirar, e no l !" ur fZ ^ "
consiga chegar desta maneira a cssa*idadc a vac- meu tanto distrahir-me. \n fc"*'v'A "h AM,W-
cia em todo o seu vigor. Vou-me, e quem quizer faca o mesmo. ^as SOD>,,ras hmidas mal se crgue a aurora,
Deus guarde V. Exc.-Babia, 27 de abril de No meio desta solreguidao nao nosso volUr' 9 as/acf ?ovi d "enlal "'.
atraz, anda que o amigo major chore as raelbores ?I",nde alJ"faa's. odo esmaltado
lagrimas do Domo no interesse de saber quem eu
sou.
t Cust-me sso, porque nunca live coracao para
ver ninguum chorar, ainda mesmo a um tao bom
confrade, que ha de ser um Deus nos acuda, quan-
do correr a escaja chromalica dos solutos e quei-
xumes.
t Mas forcoso partir; partir! sem lagrimas
atr-iiioz mezes de licenca (duvida de se conseguir o desejado fim d* chegar-a por nao ser quem sou, o lique o major innndado
tratar de sua saude nest essa capitana o mesmo fluido era todo o seu vigor, dellas, at que Ihe digam, quem o vosso compa-
e em estado de se poder bem empregar, e offere- dro, onde elle mora.
cendo-se-me expontnearaente o cirurgio-mr Agradeeo-lhe no entretanto o seu juizo, e re-
Joao Louren(jo Marques para nsla occaso levar cebo o seu abraco como se fra dado em pessoa.'
a sua custa a esse territorio a mesma vaccina, Ihe Repartiqao da polica :
acceitei o offerecimento, por esperar que pelos (Extracto da parte do da 23 do dezerabro).
seus conhecmenlos em medicina pratica e cirur- Foram recolhidos casa de deteneo no dia 22
gia, em que approvado, desempenbar com acer- do corrente.
to esta commisso : merecendo em tal caso que A'ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Se-
V. Exc. Ihe preste a sua benigna proteecao, afim verino Francisco da Cost, semi-hranco, Joaquim
de que de alguma sorte se indemnise da despeza Francisco de Lima, pardo, vindos do termo de San-
Santo Antonio, para c caes que se est construin-
te da sua casa, moravam tres irmaos nobres, to- do, logo que as obras do mesmo permutara esta
i mu! dos n,u'w eslimados pelo seu valor, mas sem for- j remocao.Inteirada.
luna. Outro do juiz de paz e secretario da mesa paro-
0 mais velho era viuvo. e tinha una lilha. j chil da freguezia de Sanio Antonio, communican-
0 cidado foi pedir aos tres irmaos a mo da | do haver-se concluido a eleieo de eleitores que
' don/.ella. Estes antes de Ihe responderem, quize- tem de eleger tres cidados para comporem a lista
| ram saber qual era a sua fortuna. trplice, da qual S. M. o Imperador deve escolber
l Tanto em fortunas como em bens, respon-; um senador, scientificava cmara que o Te-Deum
deu elle, possuo 1,500 libras; Indo isto foi adqui- de que trat o art. 58 da lei de eleicoes, eslava
! rido com honra. Desde ja darei metade a meu \ marcado para o dia 13 do corrente s 4 horas da
fllho, e a outra metade a receber depois da minha tarde, e que houvesse a mesma cmara de dar as
morte. providencias relativas a esse acto.Inteirada, por-
Senhor, respondern! os irmaos, isto no nos i que j se cumprio.
convm. Prometteis hoje deixar a vosso fllho por Outro do juiz de paz da freguetia d<* S. Jos, te-
vossa morte metade dos vossos bens, enao duvida- nente coronel Jos Antonio Pinto, remetiendo o li-
mos que o prometteis de boa f. Mas d'aqui at vro das actas que servio na eleieo procedida na-
ameno ; nortnto ?n^Zt^/J^1*' 'la Prfs mudar delenp5 e disPr de ou,ro modo- fluella fre n0 dia { ^"^ ^m como
!r",l ^JSSL a De5' cun'Pramos 0i ss | e os vossos netos nao torio nada ; communicando que o Te-Deum devia ter lugar no
Por isso os tres rmos exigiram que o cidado da 14 do presente moz.Quanto primeira parle.
1805.Sr. Antonio de Saldanlia da Gama. Fran-
cisco da Cunha Menezes.
, Illm. e Exm. Sr.Se bem, que em data de 27
rencia ao concurso dos offlcios que ah eram ser- de abril deste anno ja diriiri W. Exc. um officio,
vidas pelo hilado Leonardo Bezerra Cavalcanli da em que participava remcttr V. Exc. por Ma-
Sil vara. i thias Antonio Atves, mestro do brigue Tiicno. nao
Portara.O presidente da provincia attendendo s o utnor vaccinieo guardado era vidros, como
ao quo requereu o badiarel Joao Bautista do Ama- j tambem empregadoem alguns dos escravos, que na
ral e Mello, jmz municipal e de orphaos do termo mesma embarcacao se transportara ; com tudo na
de Flores, resol ve conceder-lho "
com vencimenlos para
apital.
Dita.O presidente da provincia
Resurge o prado, e o novo sol tem diz.
que acha estmulos todo o vvente,
Tudo o que senle, coracao ou flor.
E os raios lnguidos, insinuautes
Vo penetrantes, acordar o amor I
Eis volta rpida do invern a nev
Fazendo, era breve, lal ardor minguar;
E a flor innime desbota ao fri....
Mas leve esto : pode anda amar I
conformndo-
se com a proposta do Dr. chele de polica, n. 1673,
de 21 do corrente, resol ve demittir Jos Cabra)
de. Oliveira Mello, do cargo de 3 snpplente do de-
legado de noticia do termo de Nazareth, e para o
substituir noraeia o cidado Joo da Costa Ribeiro
Sonza.Communicou-se ao Dr. diere de polica.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vista
o que requereu o segundo escripturario da thesou-
raria de fazenda. Ulysses Pernamburano de Mello,
e bem assim o que a esse respeilo informou o res-
pectivo inspector, em officio de 13 do corrente, sob
n. 925, resolve conceder-lhe um mez de licenca
com vencimento inteiro de seu ordenado para tra-
tar de sua sadde; devemlo esta licenca
pi do dia 9 deste mez.
Dita.O oresidente da provinnta; attendendo ao
que requereu o tenente reformado do exercto, Ma-
noel Carneiro Machado Freir, e leudo era vista a
informac/io do commandante da praca, datada de
18 do corrente, resolve exonera-lo de empregode
ajudante do coronel recrutador dos municipios do
Reeife o Olinda, e nomeia para o mesmo emprego
o tenente tambem reformado Francisco de Paula
Si Peiioto, com os mesraos vencimenlos que per-
cebia o exonerado.Pizeram-se as necessarias
communicacdos.
Expediente do secretario do governo.
Oflicio ao Dr. SilvinoCavaleanti doAlbuquerqtic
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda de- /
clarar V. S. que pelo sen offlcio de 12 do trren-
le, ficou inteirado de que tendo V. 8. de seguir para I oofinaes.
O Sr. Armando remette-nos as seguintes
NOTAS A LAPIS.
IV
Estamos na quart-feira, de tarde e vamos de
passeio al ao Monte.
Acopjpanha-nie ura grupo huido, interessante
de formas esveltas, graciosas e encantadoras, como
aquellas vsoes aureoladas de luzes neffaveis, que
appareciam aos bemaventurados da Biblia.
com que emprehende esla viagem. to Anio, para recrutas. A ladeira ngreme e massant por si s; a
Deus guarde V. ExcBahia, 7 de agosto de A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Se- i faltar-mo aquella'convivencia doce, que es servia
05.Illm. c Exm. Sr. Antonio de Saldanha Ga- verino, crioulo, cscravQ de Albino da Silva Leal, das mocas e os sois colloquios vivos e animados
ma.Francisco da Cunha Menezes. i por ferimentos leves.
. Para poder avaliar-se o alvoroco e prazer com A'ordem do de S. Jos, Luzia, rrionfa, rescrava
ler prina- qne toi aqu acolhido este importante servco, con- de Manoei do Nascimento, por disturbios.
vm ainda mais algumas palavras. A* ordem do daBa-Vista, Jos Ignacio de Soa-
Derroute da ilha do Maranhao, na margem es- za Babello, para correccio, Manoel Antonio Bas-
quela do rio Bacahga existe urna pequea pona tos da Silva, pardo, para averignnces polieiaes.
de trra, conhecida pelo nome deuomfim. A' ordem do da Capunga, Domingos Francisco,
Pica 2" 25* lattitiide meridional e 46 31* pardo, por suspeito em enme do furto,
longitude occidental do meridiano de Paris. O chefe da 2 seceo,
Sobro o dorso da pequea montanba que a cons-' J. G. de Mesquita.
tilue, foi em 1718 levantado ura hospicio, perten-' 24
rente a ordem Carmelitana desta provincia, o qual Foram recomidos casa de deteneo no dia 23
acha-se hoje, e pena, em complet ruina. do corrente :
Em distancia de algumas bracas do lado esquer-; A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
do da egreja, encontram-sc ainda em p as pare- noel Joaquim Gomes, branco, Joaquim Antonio da
des mestras de um edificio, que outr'ora ali existi. Aran jo, pardo, vindos do presidio de Fernando,
No alto da porta principal, que foi Minada com como sentenciados, Manoel Porfirio Nery, 'arobem
---------------1-----------------------------------pardo, sedeclarado do motivo.
(Lj Nes la copias guardamos a ortographia do? A* orefeo do subdelegado do Reeife, Sidronio
'SabinoMonteirode Carvamo e Manoel Mendes da
alimentara por entre tlores de gracas seductoras
grabas anglicaseu teria estocado no meio da la-
deira ou torveiitura voltado.
Caigamos a summidade da montanba.
Magnifico panorama f
Emyderredor o ocano a espraiar-se immenso,
desiendido, como se fesse a espelho do inlinito em
3ue a natureza houvesse de rever todo o eeu pto-
igioso cortejo de bellezas oreadas.
Lio Reeife, com os seus pinculos designaos
bandado de e>pumas, como-as ondeiras dos eontos
a I lemesindolentes de tongo, semelhauca de
urna cidade phantasrrca, adormecida por deshoras
de lua cheia em campia vasta ou nos orlas de
praias inundas. /
Que bello I f /
E a larde vai risonha, como flor queso soabre
flor inculta das florestas auert por merc apenas
do orvalho suave e eu que rtiao. impuras nem de
leve rocaram..
fixeese, antes do concluir esto negocio, inteira doa
cao de tudo que possuia, senao que nao consenti-
ra ra no casamento. Por um lado o bom velho
nao quera annuir a semelhanles condicoes, porm
sendo vencido pelo" amor paterno, consenlio; e na
presenca de algumas tesiemunbas que se chama-
rara, ronunciou solemnemente a tudo, ficando
sem um real.
Deste modo collocou-se na dependencia de seus
filhos, e em si mesmo deu o golpe mortal; mas se
elle soubesse a sorte que Ihe eslava destinada, no
teria tido tanta dedicacao. e seria mais caute-
loso.
Celebrou-se o casamento; e, passado um anno,
os noivos tiveram um filho, que cresceu era idade,
e mostron ter muita intelligencia e boas quali-
dades.
O velho durante este tempo vivia em casa sof-
frivel mente.
SorTriam-no, porque anda ganhava algumaeousa
pela sua industria. Mas com os annos cresceram
as jmfermidades; incapaz de poder trabalhar,
enlo tornou-se incomniodo.
A ora principalmente, que era solierba e altiva,
nao o poda soffrir; todos os dias fazia aroeaca que
se retirara, se nao o pozessem fra da casa, o de
tai modo perseguio seu marido, que o ingrato, es-
quee Mido-se do que Ihe devia, veio intimar a seu
infeliz pai a ordem barbara de ir procurar em ou-
tra parte um asylo.
Meu tildo, quo me dizes tu ? eadamou o velho.
Pois cu dei-to o fructo de sessenta annos de suores,
mandou-se archivar o livro, e quanto segunda,
inteirada, visto j se ter rumprido.
Outro do secretario da mesa parochial da fregue-
zia do Poco da Panella, cidado Joao Baplist Pe-
reira Lobo, remetiendo o livro das acias da elei-
eo de eleitores alli procedida ltimamente. Ao
archivo.
Outro do engenueiro Joao Luiz Vctor Lieuthier.
respondendo ao oflicio da cmara de 9 do corren-
te, em que Ihe communirra l-lo nomeado como
arbitro para a avaliaeao judicial de um terreno
3ue existe em questao movida por Basilio Alvares
e Miranda Varejao, cojo terreno fax parle da pro-
priedade da cmara, onde est a [iraca do merra-
do da Ribeira da freguetia da Boa-Vista, diz que
sent nao poder presentemente aceitar semelbante
commisso, visto que aeha-se a partir para o cen-
tro da provincia azer executor traba I nos eoncer-
nenles s obras publicas, no Ihe sendo por isso
possivel marear a poca de sua volta a esta capital.
Inteirada, o que se eommunicasse ao procu-
rador para indicar nutra pessoa.
Urna carta de participarn, na qual o Dr. juiz de
direito da 1' vara criminal desta cidade, Joao An-
tonio de Arauio Freitas Henriques, eommunica
cmara ter auolvido, visto, provar impedimento
justo, Francisco Pereira de Arroda Cantara, da
quantia de 3005000. em quo fra multado par fal-
tar s sesses do jury. 4)ue se fiesse sciente ao-
prorurador.
Um oflicio do engealieiro eordeador, remetlendlv
orcamento des eoorertos de que precisa a pen^
por miaa causa gozas de ludo, quanto precisas etezinha denominada do Lea, na importancia-d
em recompensa expulsas-me de tua casa t Que
res castigar-me por eu tu ter estimado tanto ? Em
nome de Deus, querido lilb, nome exponhas a
morrer de fome. Tu sabes que ja nao posso andar;
da-rao na tua casa algumsanto intil. Nao te pe-
co boa cama, nem as iguarias da tua mesa : urna
pouca de palha debaixo deste alpendre e um boca-
do de pi e agua o o/te me basta. Na minha ida-
de coto bem pouco vwe-se : e de mais cora as mi-
abas enfermidades e com s minhas penas nio te
aei de enfadar muflo. Se queres dar alguma es-
moa em desconju dos teus pcccados, d-a entao a
teu pai I e peders fazer alguma que seja mais jus-
ta? Querido filho, lerabra-te quanto me custastes
e mantos cuidados me destes por espaco de trinta
annos para te eduiar; lembra-te da benco que
......* -
rs. 2204000. Que so pozesse em praca paja, oa
das 21, 23 e 25 do torrente.
Outro do mesmo, remetiendo a planta, om que
mosira a posicao o igura do terreno que possue
Antonio Jos Pinto, na povoacao dos Afogados,
junto e por traz da igreja do Rosario daquelle pe*
voado ; dizque esse terreno, como a mesma plan-
ta faz ver, ficammeio do povoado,o alm disto
cortado por urna roa, sendo a sua figura a de um
pentgono irregular, cora dous bulos muilo gran-
des e tres pequeos, e que nestas. circumstncias a
cmara decida se o dito terreao peder servir para
cenulerk) permanente, come qur saber o Exm.
presidente da provincia.
Posto em discussao, erou-se informar pre-
sidencia qe o terrena, ds que se trat, e quo esta


___sa
designado naT1
odu. pela sua
para comiterio da- a, quo fazenda,
parte des cidade, dispenWMJrwso es espeza,
taut maisquaoto nao h* k_ qna permita alli e*
tatoieciuicntos desta orden), sendo que em casos
airemos se presta perfeilamenle a esto ni i sur a
terreno que flea no fundo da igreja matriz, onde ja
Dlarto t l**r_ai_*e* JftafcMo % de Dr_e_abro de tSS.
A
O, UlpltJu I7_T toSO
NOVO BANCO
DE
tem havto cnterramenioa, e S catacumbas.! J lySHuco convida o
Uutro 4o mesmo. (i requer mentes _7 n HP0 fw2T!ELuS DnttS
.iensabd-; |io>i1tK'i;il
rllios seja c
isas sitas MI &
nos
t'erera-daRep
dido construiris sott
ra do Hospicio, e oiMnTvrua das Conquflf
26 e n. 3, ambas do ttfirro ua.*&a-Vj*a, declara
que aclwndo-se todas ffc duas casas as ondJcdes
das posturas, nada ha que s opponha a pretancao
dos snpplicanti'S.Genoedaa-se.
> Outro demesmo, inforiHando o requenmento.no
qual Manad Francisco dtWSaateaed* que Ihe se-,
ja concedido construir urna casa no interior du seu
terreno no sitio que foi do fallecido Antonio da
Iva ; diz que urna vea 4110 seja cordeado o dito
terreno, neulium inconveniente acha en eonce-
der-se ao peticionario o que pretende.Mandou-se
cordear.
Huiros (2) do adjBjiaistnidor do cemiterio publi-
co de S. Lourgjtt da Mattfc reniettendo os map-
pas des enierrniaentos feitos naquelle estabeleei-
c Ifranr
rem seas titulas no banco pan se proteder a res-
pectiva verificacao.
Alfaadega
Bendimento do dia 1 a 13........ 461:250JM3
dem do dia 21................. 11:461 JJM
472:712*017
Moviuicnto da alfaadega
Voluntes entradoe*com faiondas..
i t cora gneros..
Volumes sahidos
cora
cora
faiondas..
gneros...
64
897
25
37
Oescarregam no dia 26 de dezembro.
961
62
ment nos nieles de setmbro e oulubro, c de 9 Barca francezaGuerriercarvao.
mMLBIO EE JANEIRO O cirurei&q Leal niudou
^nsulado prov hlr em multa brevtde pataeho' fl coqwos:9iUtfute.smarcadiparaaam t ter a maior parte da eai*a tratada: 811 1 eSl^tnUa da TUa UO
RitS; Queimado para a ra das
' Cruzes sobrado u. 36, pri-
ineiro andar, por cima do
armazem Pigressista, aou-
de o adianto como sempre

cora os consignatarios Palmeira
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Para o Aracaty
O hiate Dous limaos pretende seguir com bra-
vidade, tendo parte da caifa, eta o esto tra-
ta-se na ra do Amorim no esefbptork) de Tasee
Irmade.
Soq
ceiro corrente d 1863 a 1864 dos imposto* da s(j 0
cima urbana das fregiiezias desU cidade *>
Afogados, e de 5 0| sobre a renda dts ben oe
rail perteacentes oorporaefies de rrfao marta se
principiara a contar do dia de dezetubro vtn-
Mesa do consulado provincial de Pemambnco
SS de noTemnro de 1H63.
Astenia Carneiro Machado Hios.
Administrador.
Carreie feral.
PeU administracao do correio desta cidade se
faa publico que era virtude da convengo postal
celebrada pelos governos braaileiro e francez, se-
rio expedidas malas para a Europa no dia 30 do
correte mez. As cartas serao recebidas at 2 ho-
ras antes da que ior mareada para a sabida do
vapor, e os jornaes at 4 horas antes.
com mate prompto a qtt_J ran* i frete, r r > 3. _i
Rl* de Jan
O brime brasileiro Trovador Mpie
brevidade, pode receber carga e escravo rete, -
tratase com os consignatarios Marques, Barros & Jft 0 eXOrClOTO (16 Slia pPO"
CJ"t'^^;^Mn---------ssao. Chamado por esaipta,
O palhabote Gartbaldi pretende seguir com bre- j ... ^eSla typ0craphia pttsa-se faltar ao
| vidade para este porto, tendo parte de seu carre-1 gr_ FrederC0J skjner escu|tor>
DE PAR!S
Nova-19
cirurgiao dentista,
de sua arte, e col-
Tod com snpero-
que aspessoas enten-
m.
pos dentilicio.
. gamenlo, e para o resto trata-se no escriptorie de
Administracao do correio de Pernambaco U dezembro de 1863,-0 administrador,
13 do torrenteAe pfeouiador.
O Sr. Baraja feeosegwote requerimeuto :
t Reipieiro que seja removido da Ponte Velha o
despejo que all setaz, designando a cmara outro
lugar.Barata.
Posto em discussa, licou prejudicado, votando
smente favor o seu autor e o Sr. presidente
Barros Rogo.
Autoi isou-se ao procurador a entender-se com a
baroneza de Cimbres, tratar da desapropriarao
da casa de sua propriedade sita na ra dos Pires,
a qual fkira ulliiiianienie incendiada.
Oespacharwn-se as poticoes d Basilio Alvares
de Miranda Varejilo, Domingos Jos Pernra Uui-
mariles, Diniz Anin Ferreira Marques, Dmaso
Antonio de Alcntara, desembargadorFumino An-
tonio de Seuza, padre Francisco Mumz Tnvares,
bacharal Francisco LeopoWino de Gusmiio Lobo,
Fratieisoe de Hollanda Chacn, Guiltierme Augus-
to de Athavde, Jos da Fonseca e Silva, Jos Anto-
nio Gwmares, Jos ABtoirk) de Brito Bastos, Joao
Barca franceza Solferinoraercadorias.
Brigue portuguezlonndo -diversos gneros.
Kccebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambuea
Domingos dos Passos Miranda.
BatalhSo de Intantaria n. I
O conselho econmico
de contratar para suas pracas arranchadas
semestre do anno vindouro de 1864, o fornecimen-
j to los seguintes gneros alimenticios de primeira
qualidade, a saber : assncar mascavinho refinado,
arroz pilado, auite doce, bacalbao, caf em grao,
carne verde, carne secca, feijo preto ou i
Para o Rio de Janeiro
At odia 30 do corrente pretende .seguir ira-
d^esmo hulhao tendo preterivelmente o patacho nacional Beberibe, para
rae amnSas no l' r resto da carga que Ihe (alta e escravos a Frete
para os quaes tem escalentes commodos trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
- Ahiga-s o ptro anear do sobrado da
roa do Crespo n. 2:t : a tratar aa loja.
Antonio Iw Rodrigues de Souza aluga a sua
casa e sitio do Monteiro, em frente ao oitao da
igreja de S. Paatoteao, com bastantes commodos :
a tratar na thesooraria das loteras, roa do Cres-
po n. 15.
GRANDE
B *epaes,aT ,., r"a TViftA707 nho, arinha de mandioca da Ierra, manteiga fran-
riendiraeato do da 1 a 23........ ^'SSS ceM- toucinho ''isboa. vina8re de Lisboa> e-4e"
dem do da 24................. owvooo nha em achjs convida a(M ^.^,,^8 qUe qnizc-
35:1045260
Consiliario provincial.
Rendimento do dia 1 a 23.........
dem do da 24.................
100:8835981
oo Kego Barro, Simplicio Fortunato Ferreira,
Tonmam Jos dos antos, e levantou-se a sessao.
B, Francisco Canuto da Boa-Viagein, ecreta-
rio, a escrevi. Barros Hego, presidente. Reg e
AilMiquerque, Henrjue da Silva. Barata de Al-
oieiua. Rege. Leal Jieve.
i*
postas em cartas fechadas na secretoria dt> referi-
do batal&ad, no dia 28 do corrente mez, as 10 ho-
ras da manhaa.
Secretoria do batalho de infanj.ana n. 2, no
4:26I#o5. Hospicio em Peroambuco 18de dezembro de 1863.
Macoel A. Pereira Gai maraes,
Alteres secretorio.
Consulado de Portugal
O cnsul de.Portugal nesto provincia, tendo de
proceder ao arrola ment do tedos os subditos por-
JVnri adrad tugoezes, nella residentes, j)ara a organisacao da
til of ik, Rxe estatisticageral da populacao portugueza residen-
^ teneete imperio, o que muito Ihe recommenda-
do pelo governo de S. M. F., convida e pede a to-
dos estes seus compatriotas, que remetan este
Dundec 64 dias, barca~ingleza Conurce, de 274 consulado at o dia 51 de dezembro. prximo,
toneladas, capilao W. Norrie, equipagem 16, car-
ga carvao de pedra ; a Wilson & Hatt. Seguio
Para a Bahia pretende sahir com mnlta bre-
vidade o veleiro patacho Ikereza, cap tito Joao
Correia Lima, por ter a raaior parte da carga :
para o resto que Ihe falto, trata-se com es consig-
rem provr toes generes, a apresentarem suas pro- nataries Palmeira & Beltrao, largo do Corpo Santo
MOVIMENTO DO PORTO.
n. 4, primeiro andar.
para o Rio de Janeiro.
" Navios saludos no tuesmo dia.
MarseiHeGalera franceza Berthe, capilao Fleury,
carga assncar,
IMR1 L1SBOA
saldr com a maior brevidade o bem conhecido
brigue portuguez Relmpago : quem no mesmo
quizer carregar ou ir de paasagem, para o que of-
ferece os melhore commodos, dinja-se ao consig-
natario Tbomaz de Aquino Fonseca, ra do y iga-
rio n. 19, primeiro andar.
Para Lisboa pretende sahir cem muita brevi-
dade o patacho Jareo, capitao Jos Marques Coe-
lho Sobrinho, por ter parte de seu carregamento
tratado : para o resto que Ihe falto, e passageiros,
trala-se com os seos consignatarios Palmeira &
Beltrao, largo do Corpo Santo n. I, pnmeiro
ndar.
Para Uto de Janeiro.
O patacho nacional Capww, pretende seguir
com muito brevidade, lera parte de seu carrega-
mento engajado, para o resto qac Ihe falla e es-
jera vos frete para os quaes tem bons commodos
A pessoa que annunciou precisar de 1:0005
a premio, dirija-se ra da Praia n. j).
Aluga-so o 2 andar do sobrado dVraa do
Imperador n. 79, bastante fresco, e-decente para
r^rV>TPoAnTlosihodnms 0 dentista que tira deutes
OSr. Loi-Paulino Qavalcanti de Al-- Sem dF.
buquerque, tem urna carta nesta typograpbja.
ao pufcfico
seni
Acha-se de paasagem para Europa nesto ilKistre
capital o dentista Julio C. Pedrotta, doator rm va-
A pessoa que annunciou
hypotheca de una casa, na [iraca
cia n. 16 se dir quem d.__________- ~ hir de casa apanhar sol, o dentista vai em toda
Aluga-se o armazem n. 4 da-rua do Apollo, e' as casas aoodo to&diamadti. Quando aproento-
J-------.-j 'fcA segundo andar. Portarrto approveite quem quer
(|uerer30514''e ser operad pela sua leve e segura mao. As se-
ja da. Independen-nhoras e as familias nao terao incoramodo de sa-
uma relacao contendo os seus nomes, idades, es-
lado, filiacao, naturalidade e oceupacao e bem as-
sim os nomes das pessoas de sua familia, incluin
do cakeiros e criados, com as respectivas desig-
naedes e cora as mesroas declaracoes.
As pessoas que nao sou be rem esc rever e que nao! trata-seeomos sena consignatarios Antonio Luiz
o tercetro andar da casa n. 88 da ra da Impera-
1riz; na ra da Aurora n. 36.
ftWtttl nmnV WttBMSSLM
roinpanliia Odelldade dej
segnros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBCCO
Anloniu Luiz de Oliveira Azeveda i C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ru da
Cruz n l.

PDBLICACES A PEDIDO.
Comarca de P5o d'.ilho.
Rio Cfandedo 'Sul-Brigue_ nacional CowM, | ^^^^^S^^^ ZI 2*'/"* & ^ seu r*M]0
capilao Manoel Jacintho Freir, carga assucar
sal e agurdente.
I ValparaizoBarca americana Hugh Berckheud, ca-
pilao John Oliver, carga assucar e outros g-
neros.
LisboaPatacho portuguez Marta-da Gloria, capi-
lao Antonio de Barros Valenle, carga assucar
raadeira e oulros gneros.
Vistos estes autos de recurso crime, em que e
recrreme o juizo municipal desta villa, e recorri-
dos Joo Jos da Perda, Joao Jos do Nascimento,
o Jos Feliciano da Silva, nao dou provimento ao
mesmo recurso para o flm do sostenar, como sus-
tento u despacho de folbas, que pronunciou os ditos
recorridos, por que, tendo-lhes sido lomado os ca-
vados, cujo furto se Ihes attribue, nao mostraram
clles, ou antes o reo Penha, que so den como dono da ^V provincia manda fazer publico que peran
de toes cavados, do quem os houvera, nao bastan- ,e a mcsma thesouraria, no da 30 do corrente mez
do a simples declarayao, de que os comprara a
EDITAES.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
Antonio Mendos Leite, pessoa>inteiramente deseo
nhecida,' e o facto de terem sido furtodos os caval
los na madrugada do dia, em que bouve lugar a
venda, cstobelece a presumpcao de nao terein .-ido
comprados, e sim lirados do cercado, onde so acha-
vam, por algum dos tres recorridos combinados
entre si; presump^iio que se furtalec.;, e torna mais
vehemente, depois das rontradiegoes, em que calil-
lan!, quando peTgnntad#s. Penna conla que o ho-
rnera, vendedor des cavados (razia perneiras de
couro vermeltio, e palilot de riscadiuho vid._a
folhas 5 ; Feliciano vio que s tlnlia sapaloes, nao
se lembrando, se vesta jaqueta ou palito!, c final-:
ment*.Nasciinento allinna que o palilot era de cor
preta vid. a folha 6e fbias 9. Estos presump-
joes e outras, que resultanvdo processo, nao podem
ser destruidas, quauto Benita pelos al testados que
juntou, |H)is, embora de pessoas qualilicadas, e de
crdito, nao tem mcrilo eui direito, que sempre os
considera documentos graciosos, tanto mais quau-
to nao se referan ao tocia. Os recorridos nao [>o-
diam ser levados cadeia anles de se Ibes formar
culpa ; e quando fossem, como foram, presos pela
primeira testemunha. que achon em puder delles
os cava I los, cumpri ao Dr. juiz municipal, que
tambera delegado, manda-Ios soltar inmediata-
mente, apenas interrogados, por que o crue, de
que se trato aancavel, e a priso previa nesse
caso constitue o delicio do artigo 181 do cdigo
criminal.
Nao se diga queoserem os recorridos encontra-
ao meio dia, serao arremalades a quem maior pre-
50 offerecer, 12 cavallos que transportaram os em-
preados do juizo dos feitos da fazenda cidade
de Goianna, aflm de se proceder alli a urna nova
avaliacao dos bens perlencentes ao extracto enca-
pellado de Itamb. Os pretendentes deverap com-
parecer na casa da referida thesouraria no dia e
hora marcados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 23 de dezembro de 1863.Manoel Jos Pin-
to, servindo de offlcial-maior.
ao consulado faze-las'verbalmente, onde lhes "* | da Cruz n. 1.
rao tomadas todos os dias uteis desde as 9 horas
da manhaa at s 3 da tarde.
Os caixeiros ou outres quaesquer individuos
que nao eslejam em casas portuguezas devem |
mandar as relacoes relativas a suas pessoas.
0 cnsul de.Portugal depois de tantas provas
de deferencia que tem recebido de seus compa- j
trilas aqui residentes, nao pode duvidar de que
Ihe concederaa mais esta que desde j agradece.
Entretanto v-se na necessidade de lhes declarar
que o consulado nao reconhecer como por tugue- j
zes, nem prestar auxilio algum em nome de seu 1
gorerrfo aquellos que at o referido dia 31 de de-
zembro nao acudirem a este convite.
Roga-se a todos os nortuguezes que deem -toda,
a publicidade possivel a este annuncio
LEILOES.
DECLARAGOES.
Santa Casa da Misericordia do Hecife.
A Illm. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Hecife manda fazer publico, que a
praea do tornecimento de gneros que houver de
consumir os estabelecimentos pos cargo da mes-
nia santa casa, no trimestre de Janeiro marco
prximo futuro, annunciada para o dia 17, foi
transferida para o dia 24 do corrente, e lera lugar
polas 2 horas da tarde na sala das sessoes da refe-
rida junta.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Be-
cife 21 de dezembro de 1863.
O escrivao,
A. F. Calateante Cousseiro.
Pela subdelegara de S. Jos, se faz publico,
. que se acha recolhido casa de detengo a preta
dos cora os cavallos estabel-.ee o flagrante, que so $arciza que diz ^r escrava de Jeaquim Lopes da
se da, como bem delimo o artigo 1.11 do cdigo do Can[a a'qua| fra apprehendida no engento da
processo criminalquando qualquer encontrado
comraettendo algum delicio, ou quando foye perse-
guido pelo clamor pablicoo que nao se verificou;
c em materia criminal nse admitte interpetra-
jao, que nao seja a litteral, miando para se enten-
der o citado artigo, que a dispensa por ser rauto
claro e positivo, fosse de necessidade recorrer a
ella. A opiuiao pouco seguida de que o flagrante
sesees crimes acompanha sempre o culpado, em
muitas vezesabsurdo de frac qnalqner pessoa,
que de muito boa f comprasse una cansa furta-
da, podia ser preso, logo que tal masa ihe fosse
encentrada, anda |assado um dia, dous, e mais
annos ; porque, sena hypotliese a pristo c legi-
tima uina tora depois de praticado o furto, to bem
o podia ser em qualquer lempo (pie d'afti decorres-
se ; o que, alm dabsurda, iniquo. anda re-
paravel que para a concltisao deste processo, em
que os ros foram injustamente presos, se levasse
quatro mezes menos onze dias, dizeudo apenas o
Dr. jniz municipal que para isto concorreram os
afazeres do juizo I t t tambera de notar que se
faavendo marrado o dia 31 de julbo para a iuqiri-
530 das testeniunhas deuasse de ter lugar esse ac-
to, que foi transferido para 27 de agosto, sem que
Serra, freguezia da villa do ("abo; quera fr seu
legitimo sennor, provando, Ihe ser entregue.
Subdelegada da freguezia de S. Jos, 11 de de-
zembro de 1863.
O fiscal da freguezia de Santo Antonio desta
cidade, em observancia ao artigo primeiro do titu-
lo nove das posturas de 30 de junho de 1849, e as
retiradas ordens da illustrissima cmara munici-
pal, faz pelo presente constar aos senhores pro-
s actualmedte no
ctivos ler-
arligo pe-
las madeiras alli existentes.
E, para que nao appareca ignorancia sobre tal
infraccao tuqo publico pel Diario, visto nao ter
sido possivel seren encontrados todos os donos
das madeiras que naquello lugar se achara.
Fiscalisaco da freguezia de Santo Antonio, do
Hecife, 21 de dezembro de 1863.
O riscal,
M. J. da Stlva Bibeiro.
TITULO 9o DAS POSTUMAS DE 30 DE JUNHO DE
1849.
1 Art- 1. Toda pessoa que sera licenca da
cmara municipal, depositar as ras, pracas e
oulros lugares pblicos do seu termo, qualquer
objecto que embarace o transito publico, ser mul-
tado em 2>000 por cada objecto, que ser removi-
se a cavallo ao pblico as operaedes sao sempre
gratis para a pobreza.
Tem os seguintes remedios:
Mistura higinica de Dr. Ricaari para anudecer
os dentes perigosos e faze-los cabir sem ajuda de
ferro; ambrosia do Dr. Buchardat para fazer nas-
sar a dor dos dentes em dous minutos -, pomada
dos padres capuchinlioa da Ierra santa para curar
erysipella, rheumatism, escroto nchado e feridm ;
xarope mexicano para curar todas as molestias do
!peito come phhsica pelmunar, asthma, mtckamen-
to, tosse, catarro, falta de respirando, etc.: na ra
do Trapiche n. 44, segundo andar.
Precisa-se de urna ama liara casa de homem
soltciro : na ra da Praia n. 44.
GB1IDE
LEILAO
l'.iu contlmiacio de manhaa e a
norte.
J. Falque, querendo liquidar, far leilo de to-
das as fazendas existentes m seo armazem da ra
do Crespo n. 4, constando de urna grande norrao
de roupa' cita de todas as qualidades, cebado,
perfumaras; bengala* fcias, ohaptos para hemens
e sentoras, urna immensidade de arligos de luso,
sendo tudo vendido sem unirles e em lotes a von-
tade dos compradores.
Hoje s 10 horas da ma-
nhaa
0 agente ALMEIDA competentemente autorisa-
do far leilo das fazendas cima declaradas, e
convida aos seus freguezes e amigos aproveitorem
a occasio de se proverera e muitos arligos ne-
cessarios e outros proprios para presentes de
fesla, cuja acquisicSo farao por pouco dinheiro.
O (esmo fite r*ra sasfazer o pedido de
muitas pessoas tem resolvido fzer um leilo es-
pecial das 6 s 9 horas da noite._________________
Precisa-se d 1:6005 a premio, dando-se por
garanta unta boa propriedado : quero, quiaer an-
nuncie para ser procurado.
O Dr. S^mt-nto'Firiio.'soedicooperador
do hospital Pedro II, para raaior com-
modidade das pessoas que o honram com
a sua connanea, participa que ser en-
contrado todos os dias no referido hos-
pital das 7 s 10 da manhaa e dessa hora
em vante aa ra do Qneimado n. 44, se-
gundo andar, onde ha estabelecido o seu
consultorio, on em casa de seu paiCam-
po das Pnncezas.DconsuHasgratuitas
todos os dias no dito hospital, onde pra-
tica toda c qualquer operao de que os
pobres precisem para o seu restabeleci-
mento. Incumbe-ee. ppecialmente da
cura das molestias do dominio da medi-
cina operatoria, que se ha dedicado,
das afTecefies do otero e da uretra.
- Aluga-se a casa terrea n. 8 da ra da Man-
gueira : a tratar na ra do Queimado n. 38.
AWnOBMIk.0'
Pede-se ao Sr. Becher, professor de algumas,
Companhia de cavallarla de
Pernaubiico.
Precisa contratarse para o futuro semestre (o Io
de 1864) o fornecimento dos generes abaixo men-
cionados :
Bancho.
Arroz pilado, assucar refinado, azeite doce, ba-
calbao, caf moido, carne verde, dito secca, fari-
LE HO
DE
120 ac#>es da compnliia Yi-
gante.
O agente Almeida competentemente autorisado
far leilo de 120 ncc5es da companhia Vigilante
Hoje 2G do corrate
as 11 horas do dia em seu escriptorio na ra da
Cadeia do Becife n. 48._________________________
LE-IIiAO
*rs. eapltes de navios.
O leilao dos salvados do hiate nacional Jaguari-
be, por causa de molestia do agente nao pode ter
lugar hontem, mas ser effectuado segunda-feira
28 do corrente pelas 11 horas da manhaa no arma-
zem do barao do Livramento no caes do Apollo,
onde espera a presenca de vossas senhorias.
Contina a haver pao de senteio novo nos dia
linguas, que tenha ahondado de apparecer ha ra 1 |asesabbados de cada semana, na padari*
Imperial, onde nao ignora, aflm de completar -^ s t0 Amaro ae-^ da fundicac^ na _, ^ [m.
licoes de Irancez, cujo importe ja recebeu.
peratriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
Aluga-se o primeiro andar do sobrado de es- rzn. 47, ra das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
quina, todo circulado de janellas, e muito fresco :' gagera, taberna da esquina do Sr. Benlo, que vira
quem o pretender, dirija-se loja do ourives eolio- j para o Bemedio, e no armazem progresso, largu-
eada na ra estreita do Bosario junto a igreja. da Penha n. 10.
T!
Precisa-se de um menino portuguez de 14 a q admmrador da casa de banhos do pateo
16 annospara.caixeiro, e que dallador a sua-on-jflQ^jno ro)_ a, -coas que possuem antigos
ducta ; na ra Nova n. 08, deposito. cariocs. hajam _e _r por novos at o da 31
_____________________ deste mez-, licando mutilisados se o nao Dzerem.
PLANO
para as partes ordinarias
loteras.
3,400 bilhetes a 35080
Benilicio, sello e commisso 2q l
Francisco Jos de Souza Pinto morador na
ila_ povoacao de Cruangi tem no engenho Verlenle co-
marca'de-Nazarelh junto a povoacao de Vicencift
do que rendeiro Jos Cabral de Oliveira Mello
17:0005000 8955780, quera quizer comprar entenda-se cora o
3:4005000 d Pinto que todo o negocio far.
Liquido 13:6005000
1 premio de 1 dito SJ0O05800 1:2005000
1 dito 6001000
1 dito 3OO5OOO
4 ditos de 1005000 4005000
8 ditos de 4050OO 3205009
14 ditos de 205000 2805000
30 ditos de 105000 3005000
1040 ditos de 35OOO 0.20O5OOO
1100 premiados 13:6005000
2300 brancos.
DO
Casco, appaiclho e o ais pertences do
hiate _ario_l Jajtuarilie.
Terja-ffira 29 do corrate.
A requerimento do capitao de hiate nacional
Jaguarihe, Pedro Jos Francisco, e por despacho
nha, feijao, lenha, manteiga franceza, pao de 6 on-: do lilm. Sr. Dr. juiz do commercio por intermedio
cas, toucinto e vinagre. do agente Pestaa irao a Jeilaojodos_ os pef ^es
Forragem.
O perfome o mais balsmico e aromtico de
quantos se conheeem por sera duvida a agua de
Florida de Murray I_nn_n.
K o veradeiro espirito, a verdadeira essencia
das flores encerradas qual Asmodeti em urna gar-
ralioliade cryttoi.
O seu aroma fresco qual o de um ramalhete
reeera colhido e composto do odorferas flores, e
mesmo depois qne este murcha e perde seu chei-1
Capim de planto, milho, torero e mcl.
Os que se propozerem a este fornecimento com-
parecara no da 30 do corrente ao meio da com
dos autos conste oinotivodessa transferencia, que do a sua custa para o lugar que pelo fiscal fr de- isuas propostos na secretaria do commando de dita
seria mais regularmente feila por despacho ou g}-nac|u; salvo os objectos mercantes desembar- companhia.
cados e sahidos d'alfandega ou os que liverem de
ser embarcados c que nao forem volumosos, de-
vendo ser escolhidos inmediatamente. >
Couselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornerrmerrto do
arsenal de guerra tem de contratar o forneci-1
monto do rancho da companhia dos menores do!
mesmo arsenal nos mezes de Janeiro e fevereiro
do anno prximo vindouro.
Pao de 4 ticas, bolacha, assucar refinado de
segunda sorte, manteiga franceza, cha bysson, ca-
Niw basta declarar qne nao o fez pelos afazeres f em grao, carne verde, dita seca, fannha da ter-
e s.!ii jumo ; isto muito genrico, e nao satisfaz ra, feijae preto ou mulalinto. toucinho de Lisboa,
azeite doce de dito, vinagre ranhao, bacalho.
Para o arsenal de guerra.
Brim da Russia, varas 300 -, 10 dunas de laboas
de pinito americano de l polegada.
Para o hospital militar.
Chinellas razas de couro, pares 60 ; bules de
folha para 19 garrafas de liqnido 6 : 60 eofchSes
com traves-eirosde panno de linho cheios de laa
tendo 9 palmos de comprimento e 3 e meio de
largura; 12 copos de vidro para agua; H bacias
de rosto; pralos 48.
Para a companhia dos menores do arsenal de
guerra.
Gaz, galoes 20.
Qnem quizer Vender toes objectos aprsente
as suas propostas em carta fechada na secretaria
0 icrfai-e d fcenispherioccidental.!d0 o01*0 s ***da ma,,,,5a m dia w do
. corrente.
Sato das sessttes do conselho rdminislrativo pa-
a fornecimento do arsenal do guerra 21 de de-
rembro de 1863.
Antonio Pedro de Sd Barrtto,
Coronel presidente.
StWutiao Antonio de Reg Barro,
Vcgal secretarle.
Crrelo geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
regularmente feila por despacho
portara do juno, em que se desse a causa de se-
inelhante proceder. Nem sempre as forinacOes de
culpa podem enmecar e terminar nos oit das,
mas demasiado longo o espaco de quasi quatro
mezes para se organisar um processo, cujas teste-
inunhas em numero de cinco eram todas desta fre-
guesia. preciso pos qae o Dr. juiz municipal
seja mais explcito, quando em observancia do de-
creto somero 84*3 de 23 de maio de 1839 der as
razdes, per que nao concluio no tempo da le qual-
quer processo.
as vi sin s do mencionado decreto. Convern tarabem
que facu constar nes procesees qualquer circums-
taucia qae lenha concorrido para qae nao tenham
ido romeeados ; e conclnide ne prazn, aflm de
quo o juiz, a quem competir avahar dessas raines
i Missa juigar justnicado. Pnr esto vez limito-me
s reflexes, que vo expostas. Paguem os recor-
rides as cus'as. O escrivao, depois de apresentar
este despacho ae Dr. juiz municipal, d vista .10
promotor puhHco para vir com sen libello na pri-
meira audiencia.
Pao d'Alho, 28 de novembro de 1833.
Del fino Augusto Cavalcanti de Albuquerque.
companh
Quartel no Campo das Princezas 23 de dezem-
bro de 1863.
Manoel Porfirio de Castro Araujo,
Capitao commandante.
~ ATOWIJlBIT-iiOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do eorreule o vaper
Cruzeiro do Sul, commandante o
capitao de mar e guerra Gervazio
Mancebo, o qual depois da denio-
raora do costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiroe -e engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 3
horas, agencia ra da Cruz a. L scriplorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C__________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do nnte esperado
at o da 1 de Janeiro o vapor
Princeza de Jomvle, comman-
dante Araujo, 'o qual depois da
demora do costante seguir para
os portos do sul.
Desde j recebem-se paasageiros e enga^a-se a
carga que o vapor poder oonduzr, a qual devera
ser embarcada ao dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o da da sahida as 2 ho-
ras, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonto Lui de OJiveira Azevedo & C
do mesmo hiate, consistindo em veame, poliame,
cabos, correntes, mastros, vergas, ferros, etc., os
quaes se achara no armazem do barao do Livra-
mento na ponte nova onde ser effectuado o leilao
d.uarto-feira 23 do corrente pelas 11 horas da
manhaa. ________
lima caixa wm miudezas.
Terea felra 99 de de_en>ro.
O agent Pinto far leilao requerimento de
Gnilherme Augusto Bodrigues Sette e por manda-
do do Illm. Sr. Dr. juiz do commercio de nmacai-
xa com miudezas, pnhoradas Francisco de Sales
e Silva, e existentes no deposito geral, (casa em
frente a secretaria de polica) onde se effectuar o
leilo as 11 horas em ponto da dita supra dito.
IjEIIjIO
ro, esto perfume indestmctivel permanece no ob- faz publico para fins convenientes, que em virtude
jecto que ha tocado o poro e delicioso cerno no! do disposto no artigo 138 do regulamento geral dos
principio. correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
No sali calido, no banho, con ontujuna torio' decreto n. 785 de 13 de maio de 1851, se procede-
arom_uco; cerno aromofino delicado para o lea-, r o consumo das cartas existentes nesta adminis-
co, vertidos e apelle, ou diluido eomo meio anti- traco perlencentes ao mez de dezembro de 1862,
irritante para depois de se ter feito a barha, Abre- no dia 3 de Janeiro prximo, s 11 horas da roa-1
puja e excede todas as mais agoas aromticas nha, na porta do mesmo correio, e a respectiva
para o toucador, indurado at mesmo essa tSoafa- lista se acha desde j exposta aos interessaoos.
mada agua da Cotona de Joao Mara de Faria. Administracao do correio de Pernambuce 23 de: o
Acha-se venda em todas as prinrpaes rtrega- dezembro de 1863.O administrador,
fias e ojas de perfumaras. Domingos dos Passos Miranda.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DS
*avegae3o costelra a vapor.
Parahyba, Natal, lacia, Aracaty e Oara.
O vapor Mamanguupe, com-
mandante Moura, seguir para os
portos cima indicados ne dia 28
do correrte s 5 horas da tarde.
_ Becober carga at o dia 26. En-
passageiros e dinlteiro a frete at o
dia da sabida s 2 oras da tarde: escriptorio no
Forte do Mattos n. 1.
I)B
Una grande sobrado de una an-
dar na cidade do Aracaiy.
0 agente Almeida far leilo reqoerimento dos
administradores da>mast fallida de Seve Filhos
_ C. e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, de um sobrado de um andar com 3.">
palmos de largo tendo 3 janellas ta (rente, na ra
das Flores da cidade do Aracaty em chaos fcrei-
ros cmara municipal de dito cidade.
Scxta-feira S de Janeiro de 1K64
porta da associacao comroercial s 11 horas ; os
pretendentes podem obter qualquer inormacaodo
aeian.
3400 billetes.
N. B. As sortes maiores de 4OOJ000 eslao snjei-
tosaosdescontos das leis.
Thesouraria das loteras 15 de dezembro de
1863.O thesonreireAntonio Jos Bodrigaes de'
Souza.
Approvo. Palacio do goverao de Pernambuco
16 de dezembro de IWi.Joao Skheira de Souza.
Este plano para ter vigor do 1* de Janeiro pro-'
xirao era diante.______________________________
Ti barhre Luiz d'AlUaquerque
Martin, "ereira, delegado do priiueiro
dislricto do lei-nie dcsU capital, reside
ra da lina n. 50.
ESTRADA DE FERRO
M
RECIFE 4 S. FRANCISCO
Trena de e_cnrsS.
Faz-se publico que no dia 27 do corrente os bi-
lhetes de passagera para viagan de ida e volta para !
as estacoes de Gameleira e Una, no trem ordinario''
de passageiros, >ero pelo prega dos de viagem
sinuela a saber :
Gameleira 1' classe .">800
2* > U2D
Una
3a
I'
f
3*
Assi
or). Austin,
tendente interino.
RA DO IMPERADOR
N. 22.
Grande armazem de untas.
Este armazem contm tudo quanto
prenso para que a industria de pintura, de
qualuer gem'ro que seja, desempenhe
seu lira, isto embellezar, conservar c
reproduzir.
Montado em grande escala e snpprido
directamente por grandes fabricas de Pa-
rts, Londres e Hamliurgo, pode offvuM'
' pnxliii'tos de conlianca. e satisfazer qual-
quer encommeoda grosso trato c a re-
tarho.
Os Sis. artistas pintores, e os donos de
obras jiodero escolher vontode, pois
que Mido estar visto, as deferentes co-
res de que tiverem necessidade.
Ha tintas em massa e em p impalpa-
vel, e como as obras a envernizar^ s se
deve empregar tintas randas, e nao me-
recende conlianca as que vera de fra para
commercio, por vettias, e talvez falsifica- g
das, neete armazem se as moer 'vis- %
to do consumidor, que s assim ter tin-
tos frescas e verdadeiras.
Ha tambera ouro verdadeiro, verde em
p eem folha, prato em folha, p debron-
zear de varias cores, diamantes para cor-
tar vidros. burnidores, ncar superfina en-
carnada, amarella e verde, tintos vege-
taes, azul,roxa, verde c amarella, inofen-
sivas, nicas que se devem empregar as
confesaras, cetlecc4es de pinceis para
fingir madeira, com propriedade, e outros
i de varias qualidades, vernizes, copal,
graix/, branco on escuro para o interior
e exterior, para etiquetas e quadros, tin-
tas linas em tunes, em eraydes ou pastel,
telias para quadros, caixas de tintos finas
e papel para desenlio.
Essencias aromticas verdadeiras, fras-
cos e vidros para vidraga de todos os ta-
maitos, e muitos outros objectos, cuja
iitilidade e emprego s com a visto pode-
rle ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Caixa filial de Loadone Brasiliau Baak
(liniUed em eruambuee.)
A caixa filial de London e Brasilian Bank om
Pernambuco, faz scierrle ao publico e mais espe-
cialmente aos seus deposltadores em eonta cor-
rente
as suas
smente pelos proprios mleresscs da caixa, como
tambera pela conveniencia do publico, como a ex-
periencia o tem mostrado.
Portartto liquen as ditas condieedes desde o Io
de Janeiro prximo futuro em diante, modificadas
como segu:
Smente se recebera quantias de 505 para
cima.
Nao sao contodos joros sobre quantias deposita-
das por menos de 7 das.
Os juros fiquem reduzidos a razo de 2 por cen-
to ao anno capitalistdos como d'anles.
As retiradas do dinheiro podem ser effectuadas
Aa a. 29.
Nava loja dos barateiros na ra do Que iude.
Ricas satas de fusto a '&, camisas Inglozas para
sentora a 24, 2*500, 34 e i*, coberias de fusto
brancas a 5, chitos com lustro para coberta cem
qne se v na rigorosa obrgaejio de alterar, 6 pakoos de largura a 640 o covadoL carobraia de
s condiccees deste modo de deposito, nao cores para veslido a 320 o covado, las para vesti-
do a 480, 560 e 640 o oovade.
Aoa.29.
Nava toja desharateiras aa na da Qacimado.
Tarlalams de todas as cores, fazenda muito lina
a 710 a vara, cambraia para cortinado, peca de 22
vara, por 10, eMtas de lia por 34, 44, $t e 8*,
eanaas inglezas para tomen a 384, '**' a 604-
Nova loja dos barateiros na raa da Qoeimade.
Bicos pretos, franjas de todas as qualidades,
raneas de seda. Je algede e de la, manguitos e
f.
\
1TIS05 BITEBSdS.
O Sr. Jos Francisco IHnto Gnimaraes, eirur-
gio pela escola real de eirurgta de Lisboa, trans-
ferio sua residencia para a ron Nova, n. 60, pri-
meiro andar, onde pode ser consultado tedos oa.ii_""r'^T"
dias uteis das,7 as 10 horas da manh, acerca das ^0s denr^!......____*- ----- -?** o. m*8 *> **> V9 ?
doencas denomiuadas cirurgicas ou externas espe-
cial mente daquellas, em cujo traiamento mais fre-
quentemente interven w.adicina operatoria.
Precisa-se de una ama 'ivreeu escrava, que
geja boa engommadeira c se preste a todo o serv-
op de urna casa de familia, excepto o de eozinha:
a rna estreita do Rosario n. 3L terceiro andar.
OITerece-se urna mulher i-losa e de bons eos-
turnes para ame de qualquer pequea familia : a
tratar na ra do Sebo n. u.
a vista sera dislinccao de quantias e sem previa ,^,8, bordadas, colarinhos e punhos, folh,*
parlic.pac.ao obngada e sim obsequiosa se isto ff bordados, botos de velludo, de seda e de ftnto,
"l5>s'vel- ,. aands de cabeHo, recias d seda, tenues ; cujos
h depsitos a tempo flxo as condieedes sao aa ar|ifos w ,eBdem ^ ^^^^ d() ^ n]oTvei: sor
aeguintes: para acabar
Pelo tempo de 30 dias vencerao juros a
razao de 4 0|0 ao anno
6t 5 0|0
90 6 0(0 >
140 a alera 7 OjO
Aluga-se o terceiro andar de sobrado da ra
Novan. 19, cora bastantes commodos aura fami-
lia : a tratar na ra da Cadeia n. 62, segundo
andar.
Esto jrta e contratada a ostia por nimbar na
ra da Concordia n. SI A
direito de impedir a ynnd^
Amorim n. 41, armazem.

_-_-_--P^-----P
quera se jular copa P* I** bar
w34 junto a ribeira
_a roa do Po
as pretender din-
carne s/cca n.


Bfaftoite PerwMfxw ~ liaifo t# de m** _
dos
Furto
Furtaram do Manguind dous cavallos alasoes,
fiJl)uei nidio cirorgVco raa
Flores a. 37.
0 l)r. Estevao Gawalcut de iflb d
consultas medico eir* i
8 as 11 liotas da raauha.i e das 11 al s 3 horas
da tarde, o chamados deverao ser por escrijM* e: grnndaa, coro os signaes seguales : nm grnude
testa toaraem diante d.vurser nrocurado saca- i o homta figura frente aborta, tees ps braaeos,
a do sua residencia no Chora-Menino. tem HatMUHS branca na anca e urna ccalnz aa
L* Partos. anca esgaerd*.; como ha pouco se botn no carro
1 Molestias de pello. | est encabellande a marea ue loe fez a.coleina,
3." dem dos olhos. i anda niuito.bem do baixo a meio; a outro grao-
i.j dem dos orgaos geuitaes. I cle e e!la 1W pouco magro, tem urna estrella na
Pratkar toda- e qualquer fiaMarto em seu ga- testa, ai rlinas aparadas), e os dous ossos da anca
binete ou em casa dos doentes coMOruio Jbes for salientes ob esperados : recompensase bem a
hmw-conveniente. Iqoam ter uocia do meamos na ra daCade*do
Reare n. 35.'
Cas para alagar.
Ata|>9e a c*atefea r> 10 da ra do Ara-
';'' mntereeiro ^qnals serve para aigum estabelecimeute
WOlriU* iHMiM-n mbil.ir linar-
BE BOM BDSTO

Urna loja o primeiro andar na rua dss Crnr.es,
na casa terrea na na da Ategria
...idar e sotifo na ra do Eneantantee...
coa ioao Ribeiro t*pes, rua da CdeU n. ttjm* j ^^ ^ 6 fa^ H. B*Yi.ta, na aehar
Aluga-se o Vobraduho de m'andar
<1a Penha o- 13: na ra Nava, loja de B. E
se dira quera alaga. '
0 abaixo assignado daalara ser morador na
Piedad na freguezia de Mwribeoa, podendo ser
procurad para- os misleres da soa proflssao d so-
licitador, n* roa do Qceina n. 30, primeiro an-
dar, das 9 horas do a s. 4 da tarta; depou da
cbecada do vapee,e antes a partida.
Hermenegildo Eduardo Reg Monteiro.
Os admuttradores. da
massa fallida 4eAw-orim, Fra
zo, Sanies *. CooM*d->m or)
c edwes d* mesmamassapava
na prazo rem os seus tutos% no eseripto
ro da raa 4o figario n t,
primnirc ailar, afim de serem
verificados* dos 10 /loras da
manhdaasS da larde, JPtr
nambue> *2 de dtzcmbro d$
qaem o pretender, dirija-se ao quar-,
tel da polica a tratar coro o apilao Teixeira, ou'
na bastea o. 6 dVtvaoa da Bm-Vista, ano achara
da ra I cera quera faier negocie sobro o dito auguel; na
le inesma botica abi encontrar a chave para so cor- j
rer a dita casa.
- Aluga-se nm sitio na Capunga vello, com
boa casa, contendo 4 quartos, gabinete, cacimba
com boa agua, quartos para pretos, estribara e
fructeiras, tode murado: quem o pretender,, iirir-
ja-se ra do Crespo n. 1&, prUneiro andar.
Precisarse de urna criada que saina eogom-
mar e cozinhar : na ra do Crespe n. 18, primei-,
r andar.
Superiores cortes de sen o cir 50\ G0vlG#,80^, 90t e 100| rada corte, os mais moderaos que tem vinde a Perafmbuco.
Ditos de moreantique de cores e pretos.
Lindas sodas 4e cores a SfMO r& o entrado. '1 <'
Satas de dita.* qnadrinhos a l*e a IMM. ,
Moreantique carmezim c6r da moda a 1,1200 o covado.
Superiores cortes de blonde para noivas.
Lmdos crlw fle crep de Hespanha con barra de cores as mais lindas que se pode desejar.
Cortos de lia com barra de cor.
Dilo de la con Vart aquille.
Lindas cortes de grinadiue de seda com barra de gostos nteiramente novos.
Linda farenda para vestidos denominada crep de Hespanha de cores mui lindas.
Superiores lias de cores malisadas.
Grande e variado sortimanto de percales de cores para vestidos.
Dito de chitas franeexas milito unas escuras, claras e malisadas. .
Lindas catilinetas para vestido, gostes nteiramente novos.
Superiores cortes de carabeaia brancos bordados e eutras rautas faxendas de bom gosto, para vestido de seniora.
Para hoiojbos de seuhoras.
Superiores capas preas a 30*. 2*. 30*. 4| e 50*.
Santiembarques de cambraia ricamente enfeitados.
Ditos decachennra de cores e MB0paowfeiaa4sBi vuito gosto.
Lindas capas de caxmira de cores as mais modernas que tem vindo a esta praca.
Superiores tuavos. deeaabrata e de seda, prela.
Lindos postilhfies de merino de cores. .
Grapde e variado sortimento de camisinhas bordadas
Wem de chales de merino lisos de barra estampadas de quadros e de erepe a 4JKM0, Si, 6& 7*, 8*. 9 e l*.
mais sii|jorior
garrafc, em cau;
ti- 2i. qolna d
f
e
rdescjar a 64f rs. a
na ra das Cruzes
Ouvidor.
Vdc-se urna armacao du urna loja de miu-
dejias, propria para qualquer estabelecimento : a
tratr na ra da Cadeia do Recife n. 7, loja.
-
4 "
mx
de prcparatorl.
O bacbarel A. R. de Torres Bandeirn,
pmfessor do geographia e historia no
Gymnasio desta provinoi, contina a
ensinar estes mesmos preparatorios^ e
bem assim rhetorica e philosophia. Os
cursos estao abortos para cada urna des-
tas disciplinas, na casa da residencia do
annunciante, ra estreita do Rosario n.
31, terceiro andar.
-^ Antonio Jos Rodrigues de Sooza, na ra do
Crespo n. ii, precisa alugar um moleuue para o
servco de casa de familia, e que saiba bolear car-
ro, sendo do bons costumes.
FOLHINrlAS PftRA 1864,
Na jirafa Ja Independencia livraria ns.
e 8, acliam-se venda as, seguintes folhi-
has para 1864 impressas nesl. lypographia
m excelleote ivpo e bom papel,
Mliiiilia de wrla contendo as mate-,
ras do cosame, n.........,t;0
>ita de ttgibetra, sob a ept*>'aphe
religiosa, contendo alm das materias
xao
. ti Nosso Senltof Jesui Clirislo ; canti-
cos do inez Mariano; bymnos e jacula-
torras ao Santissimo Sacramento; ex-
plicac&es de diversas oraces; corfta
SeraflM ; exercicio w sagrado cora-
do de Mara; oraco pata visitar as
tgrejas no dia da Porciancula ; oracio'
para escolba dos estados da vida-; dita
a Senhora da Conceico e med'tlacoes
sobre a reforma da conseiencia, rs. .
Dita de dita, sob a epigrapheVa-
riedade, cosiendo atm das materias do
costume : teceas uleis e necesaarias
aos diversos raysterios da vida ; pbysi-
ca e recrealiva ao alcance de todos:
jiillieriasQ ratices; poesas; charadas;
maxintns e pensauaenlos colligidos por
4itn curioso.............
30
'Si nieiiie
m 0s
CASA DE SADE
Em Santo Amaro
>o Dr. IIva Ramos.
Cnico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commode e zelo tra-
t.-ir qualquer doente, que nella seja reco-
. Ihido.
~^J ( edificio roagestoso e eonserva-se
"\W em perfeito estado de limpeza e conve.-
J nieiitemente mobiliado.
doentes sao separados, segundo 06
natureza das molestias e condicoes
sociaos.
Ha (juartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
r i entes.
O proprietario encarrega-se de qual-
quer o|>eraeao.
O estabelecimento franqueado (ual-
quer pessoa qne o queira visitar.
Primcira classe 3fi000diarios.
Segunda dita.... 25300
Terccira dita.... *OO
Para bido, basta que se mande onomedo doen-
te e da pessoa que o remette, com a de-
claracao da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
com ijualqner que queira ter um ou mais
hilos sua disposicao.
ATTENQAO.
No dia 17 do corrente desappareceu doquartel
-.lo 2" balalbao de infantaria um carneiro muito
tnanso, e que acode ao chamado de Thom, 6 ntei-
ro, inoxo, brancoe com raalUas pardas, foi ha pou-
co tosiueado : quem delle souber c o.trouxer ao
dito iiuartel, sera recompensado: bem conhecid
ii -;ia cidade, pois sempre que o 2o formava elle
o ico.npanhava.Nabuco de Araujo, capital
: ~-':r
0 Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17, 2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do dia e da noitn
para o exercicio de sua proflssao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois da
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
fritados par eseripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das.
molestias de interior, prosegue, com o
maior ahinco, no das mais di Alcis e deli- j
riidas operarocs. como sejam dos orges
(.urinarios, dos olhos, partes, etc.
- Existe para venderse urna boa casa na po-
vvaeao de Sanio Amaro de Jaboatae, com bastan-
tes fommodos, c uova vndese muilo barato :
na praca da Boa-Vista no terceiro andar do so-
tolo que fui botica do Sr. Neves.
ataques sobre Portfug
0 abaixo assignado, agente do banco
I mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
feciivauentepor todos os paquetes sobre
o mesnao banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
,dendo logo os saques a prazo serem des-
contailos no mestno banco, na razio de 4
( por cento ao anno aos portadores que as-
sim llie ronvier : as ras do Crespo h.
8ou du Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Para cabera de senhorav
Superiores chapelUaas de palha de Italia.
Lindos chapeos de palha de Italia enfeitados com muito gosto e grande variedade para escoiher a iA> 145 e 16A
Modernos enfcites de ores chegados no ultimo vapor francez.
Variado sortimento de eofeites denominados conservadores para cabeca.
Bomdos.
Grande sortimento de entremeios bordados a 12,15200 e 1^500 a peca.
Lindas tiras bordadas largas a 25, 35 e 45 a peca. v
Cateas bordadas muito iuas para senhora.
Superiores e modernas saias bordadas.
Espartilhos superiores e outras multas fazendas de gosto na loja das columnas ra de Crespo n. 13. de Antonio Correia de Vascon'cellos
Pechincha sem igual
Na mesma loja das columnas vende.se cortes de cambraia organdvs de barra de duas saias e de babados matisados com 14 a 16 varas cada
corte a 65, 85, t05e 195o corte.
VfBde-se \H_
artgiida pira a i
faz-se lixia vantagen
ter necessidade de retirar-se para for.
>> *-------3
a des Jos a. 2, bem
* tratar n,t- mesma, e
ao comprador, por seu dono
OUEUIIS lO^DKINdS.
\ende-se iinicainente no
armazem Alliaftt^i da ra do
Imperador n. 57.
Chegou ao armazem da Aurora Brilhante largo
da Santa Cruz n. 84, eatxinhas eom penis, figos,
passas, ameixas, dces, amenaoas, nozes, abacaxis,
doces de varias qualidades enf raixo, marmeada
nova, frutas descada, queijos novos do reino, de
irato e do sertao, presuntos, choorcas, satpices e
ingueas, vinhos gemiipo, e mantega ingleza
flor.
" Aluga-se a casa n. 6 da ra des Coelhos, jun- ferragens
lo ao sobrado do fallecido Adete, propria para
4M Knhons ostudantes : a tratar na ra do Mon-
dego, olara n. 13.
Mudanza de esabeleei-
uento.
Flix Venancio de Cairtalice anisa aos seus no-
nierosos freguezes d'aqui da provincia como de to-
ra, ooe mudou seu estabelecimento de alfaiate da
ra do Imperador, para a na Nova n. 19, no qual
est sempre prompto para cuuiprir com qualquer
encoinendu tendente a sua arle.
mmtmmmmm
Precisa-se de orna ama escrava que se-
ja boa engommadeira se preste a mdo o
servico de urna casa de familia, excepto
o de cosinlia : na na estreita do Rosario
flP n. 31, terceiro andar.
Aluga-se- o sobradinho da ^az Imperial n.
40, com exeeHcntes commodos para familia : a
tratar na ra da Cadeia n. 69, segundo andar.
Ama..
Precisa-se de urna ama para una casa de pouca
famili i : na praca do Corpo Santo n. 17.
Bi\lO V\IXO
EST.UIELECID NA CIDADE DO PORTO
Alientes eul Peraaubucu
Vulouio I.uIa le Oliveira
Aaevetlo k V.
Sacam por todos os paquetes sobre o
,. mesmo banco prazo ou i vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Pi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castalio, Guima-
raos, Barcellos, Lamego, Cevlhia, Braga,
Penfiel, Braganca, Amarante, Angra,
llha da Tercera, Uha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fae, a
oito das vista ou ao prazo que se conven-
nonar.no seu esenptorio ra da Cruz
n. 1.
Furtaram da ponte dos Carvalhos, na noite
de 20 do corrente, um carneiro capado, brance,
muito grande, da rafa do lia comprida, sendo de
chifres e estes turados as pontas, bastante manso:
perianto, as autoridades policiaes e pessoas parti-
culares que o apprehende-lo e levar ao sobredito
lugar casa de Flix Ramos i'inelier, receber a
gratiiieacao de 10, ou delle der noticia certa e do
ladrao. _______________________________
O Dr. Antonio Vicente do Nascimenlo Feito-
sa, tendo de retirar-se para a corte do Rio de Ja-
neiro, aim do tomar assento na cmara tempora-
ria, cerno deputado assembla geral por esta pro-
vincia, avisa ao respeiiavel publico, e com especia-
liilade aos sous constituintes desta e de outras pro-
vincias, qu o seu escriptorio na ra estreita de
Rosario n. 23 contina sob a direccao de seu com-
panheiroe collega o Sr. Dr. Joaquim Jos.de Mi-
randa. Os solidos estudos do Sr. Dr. Miranda era
jurisprudencia, a prauca que possne dos negocies
forenses, o coaiecitneato que tem das causas do
escriptorio, onde trabalha ha oito anuos, c o carc-
ter probo que o distingue, sao garantas sufllcien-
tes deque na ausencia do Dr. Feitosa os negocios
forenses a seu cargo, e os que orcorrerem de novo,
proseguirlo com a mais perfeita regulandade.
O Dr. Feitosa avisa, outro sim, ao respcitavel
publico, que as pessoas que quizerem ouvir suas
opinioes, fioderao remetter-lhe para a corte suas
consultas por intermedio'do mesmo Sr. Dr. Miran-
da, certo d que a respesta Ihes ser enviada pelo
i primeiro va|r que d^Hi partir depois do recebi-
j mente da consulla; assim como all se encarrega-
r da direccao de revistas ou de quaesquer nego-
cios forenses.
0 mesmo Sr. Dr. Miranda fica munido de pro-
curacao bastante |>ara tratar de qualquer negocio
que diga respeito ao Dr. Feitosa, quer particular
quer rense.
Precisa-se de nraa ama que tenha bom leite,
prefere-se sera Albo : na ra Direita n. 53, loja de
RA DA IMPERATRIZ 7
K MOVIOADUS .\OVIlM ikk
Madama viuva Leeomte tea a honra de participar ao respeitavel publico que acaba de reeebei
feto ultimo vapor franrez um grande sortimento de objectos de porcelana, crystal, tartaruga, raadre-
perolas, bronzes, marGm e*J., dssim como um rico sortimento de alfinutes de peito e Ovelas para cin-
tos quer de madeira, quer de metal novos modelos.
Cintas para senhoras e meninas.
Lindas cintas decouro e velludo enfeitadas com a competente bolsa, tal e qual est se usando
em Paris, ligas de seda para senhora, riquissimas caixinhas para presente de festa com preparo
de costura ou sem ella, de tartaruga, madreperolas, marroquim, etc., capellas brancas e para noivas
; de Adres do laranja.
Finissimos chicotes com cartas de martini. sndalo, etc., para Iwniens e senhoras.
Perfumaras.
Perfumaras dos mate afamados fabricantes de Londres e de Paris.
Oleo e banhas para cabello. Pos, de arroz para refrescar.
Sanonetes finissimos. Escovas para denles e cabello.
Ditos inferior. Ditas para limpar pentes.
Agua para limpar dente. Penles de tartaruga de pontear.
Pos. Ditos de bfalo dita
Agua de colonia. Suspensorios para homem.
Cheros para lencos e gavetas. Espelhos grandes e pequeos.
Agua para fingir cabello de todos os fabricantes.
Na mesma casa conlina-se a fazer cabelleiras. tanto para homem como para senhora, assim
mo qualquer cabello suppesto.
Corta-ec cabello c frsa-se por 300 rs. I
.Leite antnepelico.
Apprevnde pehs acaemlas V nn-di ina le Parts e LontJpfs.
Este leite cura em poucos dias as sardas, ephelides, manchas de gravidez, tez queiroada, no-
doas, cravos, borbulhas, bortoejas, espiuhos. etc., como consla do livrinho que o acompanha. cada fras-
co tem um livro que indica o modo de applicar o leite antephelico.
O nico deposito na casa de madama viuva Leeomte.
7 RUA DA IMPERATRIZ 7
Os lindos chapeos de palha de Italia enfeitados com muito gosto acompanhados do
veo de seda copa alta a Canotier para senhora : a loja das columnas roa do Crespo n. 13.
Correia de VasconceHos & C
competente
de Antonio
c^a
SEGUROS DE VIDA EM MTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNIAO tendo oblidt* do goverao de S. M. F. a aiitorsacao para estabele
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma suhscripcoes annuaes por urna
s vez, debaixo das seguintes condicoes :
Com perda de capital e lucros;
Dito capital smente;
Dito lucros smente;
devendo a primeira liquitlaco ter lugar no 1 de Janeiro de 1859.
As vantagens do einprego de capitaes em inutualidade, sao obvias, jmrque nao sniente se co-
in o juro de quantias diminutas, de que a vulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subsenpeao, dos que fallecem. Tambera partido pelos socios sobreviventes todo aquilo que os so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de curaprimento do compromisso social.
As liquidacoes sae pelo svsteina dascompunliias hespanholas, Tutelar e outras ; e parase poder
fazer urna idea do que pode produzir urna entrada animal de 105, publica-se a seguinte tabella basca-
da sobre a experiencia de mnitos annos decompaohias desta natureza :
En .'> anuos Em 10 annos Em l-> annos Era 20 annos Fm 2 annos
Por um menino
"-- O abaixo assignado faz publico ^ue tem con-
tratado cam o Sr. Joo Leite do Rugo Sampaio a
co ora de seu estabelecimento de ferragens, sito
na ra doQueimado n. 30 : se alguem se migar
,-om direito ao dito estabelecimento, haia de.de-
clarar no praso de tres das. Recife ti de dezera-
.ti o de 186. _..
Antonio da Fonseca e Silva.
: Joiio da Silva Rantos, medico pela uni-
'", versidade de Coimbra d consultas em
Jr sua casa na ra Nova n. 50, das 8 s 10
. : horas da manhaa e das 4 s 6 da tarde e
', recebe igualmente convles para dentro
' ou fora da cida 2 ca regar de qualquer servido de sua pro-
4**} llssao. ,
- Acha-sc justa e contratada a
ro sita na ra
Precisa-se de nm bom cosinheiro ede urna
cma que saiba engommar e lavar : tratar no
sobrado n. 32, dama da Aurora._____________
Para o lllui. Sr. thesanreiro das letrrias da
erte lcr.
Bernardino Atves Ferreifa tendo perdido o meio
bilhete n. 2881 da 39 lotera para o melhoramento
do estado sanitario, de cujo meio bilhete era pos-
suidor, pede ao mesmo Sr. thesonreiro a mere de
dar as providencias qne julgar acertadas, acerca
da apresentaco do referido bilhete.___________
fiBUSl
Flix de Canlalice tendo encarregado ao seu ad-
vocado o bacharel Luiz Augusto Crespo a cobran
a da todas as suas dividas activas, pedo a toda*
os seus devedoreso obsequio de se entenderem
com o mesmo seahor dentro do praso de 18 dtan
(jpj1* ao presente, afira de darem cumprimento as suas
sejustaeconlrau^iaatejajieremjoei. ;El|',0jvld# os seus debites, sob pena de
ia do Rangel n. 20, pertenrentf> a t>er- judicialmente contra os mesmos sem
liando (iarzoli : e quem tiver a oppr-se, annun-
/!, nest's 6 dias por este jornal.
qi
_ oiTerecf-se ujna mulher honesta para ama
infernos :
Matriz da I
!, casa de homem solteiro, para serv
a,mu precisar, dirija-se i ra da
Vista, casa n. 5%, que se dir
distinecao de pessoa.
dluea nao eompnr mor i$
Ricas chapelinas de feda para senhora, muito
bem enfeilad* do ultimo gosto: na ra a
'Queimado, foja n. 41.

Por
de
> de
de
de
de
urna pessoa de
de
de
de
1
1
2
3
4
*S
20
dia a 1 anno 110* 400* anno a 2 903 300# 7503 1:7003 3:7003
. a 3 863 2903 7203 1:6003 3:5003
a 4 863. 2803 7103 1:3603 3:4003
a 15 86 270J 7003 1:5503 3:3503
20 863 2703 7003 1:5403 3:3303
a 30 863 2703 7105 1.5603 3:4003
. a 40 883 2703 7203 1:6000 3:7003
a 50 903 3003 7503 1:8003 5:0003
va luchado.F. M. van
As entradas por urna s vez dau resultados muilo superiores s annuaes.
Porto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco UniSo, Jos dn W
dtr Nitpoort.
Agentes em Pernambuco : Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1.
r',
DE

J. Y
DE
IGNES.
N. &. UVA DO IMPERADOR M. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
a superioridade, vantagens e garantas que efferecem aos compradores, qualidados estas incontesta-
:__. u.^ ^. jntv.;.;...?.. ,.m,i.inHn enh todos os nne tem aunarecido nesta nraca : aos-
' hIm> parro do ttoaro.
Tendo vindo de mimo, para passar a festa, un
barril de vinho puro do Al|r> Dunrv, mas por falu
de cobres se vende e a dinheiro, na luja de funi-
lotro e lampista, ra eatfelta do Ro-ario *.
Xrmm$m>
Vende-seuma rica armacao en vid rabada, com
todas as roiniuoriklades, prpria para quabpier es-
labelecimenlo : na ma Nova n. 36.
hua da Seiizalia Aovn n. A$.
Neste estabterirrto vejhdem-se: tachas de
ferro coado libra *0 rs., idem de Low
Mbor libra a 120 rs.
Brincos 4e balo.
Na loja da esperanca, na do Queimado tt. 33 A
vendem-sc brincos bal5e dourados linos, (aoenda
liara a festa, a 13 o par. maguera daixa do andar
na moda; lavas de pellica de cores e brancas, ffc>
a, alguma co(is.i corcndo, tamanho fJas,ir? braneo e preto, tranemha para bordar, e
[ueno, urna estradinha laixa; e o ulli-;la c.de seda> e .nc" fl fazwn
No dia 12 do corrente desappareceu da ra lar-
ga do Rosario desta cidade tres cavallos, sendo um
ruco sujo, de 10 annos de dade, pouco mais ou
menos, pequeo, inteiro, tem em cada orelha um
talho. sarnelha baixa, as pas uui-tanto grossas,
signal encoberto, carregador franco de baixo a
meio; um castauho com cangalha, castrado, de
idade de 6 7 annos, dous ps calgados, urna es-
trella na testa,
um tanto pequeo
mo tambera eastaoho, de idade de 8 annos, pouco nrecsos lra vwtidflt i B*a Pi;^
mais ou menos, o p esquerdo calcado, estrella na
testa, andador baixo, tamanho regular : quem del-
le- tver noticia certa far o favor drgir-sc ra
do Queimado n. 28, lerceir andar, que ser grati-
ficado.______________
Agostinho Vieira Lima, sua mulher.e sua so-
gra agradecen) cordial mente a todas as pessoas
que se dignaram honrar com suas presencas, na
ecCasio do enterro de sua presadissima Hllia, nao
s aquellas que assistiram as exequias como aquel-
las que acoinpanharam at a sua verdadeira casa.
Precsa-se de urna ama que saiba cozinhar e
comprar, prefere-se escrava : a tratar no becco da
Boia n. 2, primeiro andar.
mmmmwmm wmmm,
|t/ Trocaai-se imagens do Porto, escultura
^B em madeira, na loja de Joaquim Luiz dos
flj Sanios, ra de Crespo n. 1.
1tuda ilc una hyiothfsca.
Os liquidalarios da massa fartitfade
Jos An11a o llaslo x^tU'H hyafthf-
ci que tem nos eii^'ulios U;>ti Gi-oss
e ('.ijabussii utk ennt ii &rriht'Hi no
valor de 31:835$911 ps.; iraiar uas
casas a ra da Trapiche 34.
ir, a
Festa da Senhora do Monte.
S. E\r. u Si*. D. abbade de S. lien lo
di'accordo com o abnUo assignado tem
removido a fesla da Senhora do Monte
do dia 3t do corrente mez, para 17 de
jnieirvindnii'O- M'nul.i, 15 de de-
zembro de lIi.
Manoel Luiz Yires.
Barricas corn breu : na ra da Cadeia do Reci-
fe, loja de ferragens de Bastes.
I'lnfeites para cabera.
Sao eliegados os mais ricos e delicados enfeites
i para cabera, que nao haver urna s senhora que
I nao lique encantada do lindo gosto que produz taes
enfeites, pois foi urna pequea porcao ijue veio de
encommenda s para o vigilante, "ra do Crespo
1 n. 7. pois a vista faz f.
Fitas.
Tambera acharao nm grande sortimento das filas
mais ricas do mercado, e de todas as larguras : s
no vigilante, ra do Cjespo n. 7.
lina da Scazalla n 42.
J^os Ignacio dos Santos Coelho vai ao Rio de Vende-se, era casa de S. P. JuhnstOn d: C,
Janeiro._________________________________ sellins e silbos inglezes, candieiros e casti-
A'iia-se C*68 bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
Aluga-se urna boa propriedade de sobrado no chicotes para carros e montara, arreios para
lugar da Torre, em muito bom local, muito fresca carros de um e dous cavallos. e relogios de
e com urna linda vista por ser perto do rio, e est ogro patente inglez.
forrada de papel, com kislautes commodos para ---------------------------------------.
urna grande familia, tendo banheiro, cocheira, es- Cal de Lisboa e potassa da
tribaria para C cavallos, cacimba com bomba, mui- Itnssh).
tos arvoredos novos, urna grande batan de caplm Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, par
e muito bem tratada; cuja propriedade e perto onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
do Sr. Francisco Gomes de Oliveira; ficando a mesma rua 12_ ^^ os gPtleros ^9 BOVOs e
mesma propriedade confronte a Capunga nova : legtimos, e se vendem a preep mais barato do que
3uem a pretender, poilera procurar a chave na raa u,|.a qualquer parte
a Senzala veiha n. 100, no primeiro anda, das S> __^___!_______
horas da manhaa s 3 1|2 horas da tarde, eu na
Capunga nova (estrada de Jacobina) era casa do
Amara] Filho, no intervalle das horas indicadas ;
proraettendose alngar por mu preco razoavel.
Urna casa estrangeira precisa de um criado
forro ou captivo, que enlenda de cozinha e e mais
servico de una nasa de pouca familia : a tratar !
na rua da Cadeia n. til armazem. j
Precisa-se de 4:0004 a premio com hypothe-
ca em um predio de grande valor: quem ti ver
annuncie para ser procurado.
Em casa de MiHs Latham a C. na rua d-
Cruz n. 38, vende-se ferro galvanis.ido de um doa
melhores fabricantes inglezes, proprio para cobers
tas de casas.
XAROPE
deLABELONYE
Dr. Cosme de S Pereira conli-
residir na rua da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sn medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3# os orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
r5o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabaio pelos
deentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as tOda manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c3o que julgar ceaveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
TINTURARA.
Tinge-se cara perfetco para qnalquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38, segundo andar.
COMPRAS.
Compra-se um preto de idade de 23 30 an-
nos, sem vicios : na rua do Cotovcllo n. 31._____
Compra-se u.ua burra (cofre) em bom esta-
do : na rua da Praia n. 6.
Compra se urna escrava de meia
idade qne
no
ru e elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas a* vontades e caprichos das pianistas, sem saiba ,)em cozinhar ; lia rua do Crespo n. 18,
nunca falhar. por serem fabricados do proposito, o ter-se feto ultimamc-te melhoiamentos importan- secundo andar.
asimos para o etima deste paii; quanlo s voaes sao melodiosas e flautadas, e por iste muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. M Jy/; ^j,
Fazera-se conforme as eneommandas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondet. de Parts, socw
correspondente da J. Vgnes, em cuja capital foram sempre premfhdos era todas as e\pes*4e*.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de maaioas do
uielhores compositores da Europa, assim como harmnicos e piaas harmnicos, sendo tuda vendido
por presos muito razoaveis
__Precsase de urna ama : na rua da Praia n.
10, para comprar e cozinhar para quatro pessoas.
AIW4 HE ITK
Precisa-sede urna ama sem filho para amanten-
tar urna enanca de 4 5 mezes : na rua do Pilar
numero 6._____________________
Precisa-se ds urna ama qne se queira sujei-
tar a cozinhar e comprar na roa, paga-sa bem :
na rua de Santa Thereza n. 14.
Snociedade de seguros mutuos
de vida lastallado pelo Banco
fJno na etdade do Porto.
Os agentes ucsla cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo \ C,, escriptorio na rua
da Cruz do Recito b. i, estao auterisados desde j
a tomar asslgnaturas e prestar todos os esdarect-
mentos que forem necessarios, as pessoas que de-
sejarero concorrer para tao ul e buneflc emnre-
za, segurando um futuro lisongeiro aos associados.
D-se diBbei
des quantias: na
! premio era pequeas e gran-
ngusta n. 4-!. se dir.
Comjra-se urna escrava que toaba habili-
dades e de boa conducta : na rua da Cadeia n. 35.
- Comprase urna mulatinha de 12 14 annos,
sendo sadia e de bons cosumes: na rua do Cres-
po, loja n. 15.____________________________
Compra-se eftectivamente otn-o e praia m
obras velhas: na praca da Independencia n. 22
loa de bilhetes.
YENDAS.
l'hunttawMilico da primeira classe
i:m Pars.
Este medicamenlo empregath ha mais de
20 annos, com successos constantes, pelos
melhores mdicos em toaos os paizes, cen-
tra as molestias do corarrro. as hf/dropisias
e as affecrSes do peito, ataba do ftefcber
uiu novo suliagio por nao ter por ora ap-
parecido oulro igual para curar lallivel-
mente todas as uoenrns do eoBc3o rstaiii-
cas ou inorgnicas, paipitctis, lijtliopisias
geraes nu parciaes. bjduilhorax, asilimas
chronicas, bronchiles nervosas, e fliixos
cliiYmicos, apboia (exlincco da vo>: ), ele.
As gazelas medicas fallaui calorosamenle
sobre os effeitos preciosos do Xarepe de
Labclonye, quelem hoje adquirido nm dos
Ipriraeiros lugares no qundro dos medica-
'menlos os mais afamados e da therapeutica
;univer*al, como o declarara os celebres m-
[dices france/.es: Andial pa e filho. Botiil-
and, Cotlereau, Desruelles, Fouquier, Le-
maire, Marjohn. Pasquier, Rostan, Rous-
seau, l>elaberge, Parmnntier, I*uehe, Tfccr-
jim, Vidat (de Poitiecs). elc.,e outros fa-
cltateos dos mnis celebres.
Ventle-se em gairalintms de vidro verde,
tjaxendp un rotulo, fundo cor de violeta
ciara', jaspeado, no qual sobresahe o neme
Labelonye, o gargalo da garrafa trnz urna
tira -/.ai jaspeada, com a Inu* de Labe-
lonye. e a rolha colierta com urna capsula
de metal braoco com a inscripcio Sirop
te Digitftale de Labelonye, pharmacicn,
Pars.
Deposito geral s em Paris, rua Bourlioo-
Villeneuve, 19.
Em Pernambuco, na casa de Caors A Bar-
bosa na rua da Cruz n. 22.
1 flELOGIOS, "
Vende-se em casa de Johnalon Palor &
C rua do Vigaruvn. 3. nm beiln sorti-
mento de relogiiis de ouro patente in-
glez, de um dos tmis afamados fabricantes
de i,iverpoul, e lambem urna variedade de
bonitos trancellins para os mesmos.
Pianos novos.
Os melhores que tem vindo a esta praca fabrica-
dos de corommeuda por um dos melhores fabri-
cantes de Pars, especialmente para este clima : ^tifias e recentas, nico deposito na bo-
quera quizer aproveitar a ocrasiao de munir-se d? J~8,. ru
um acetente piano por preco eommodo dirija-se M,J* <> "'
raa Nova n. 19 primeiro andar. i $0 26-
INJECCAO BROAV.
ttdftedio infallivel conlr as gaorrheas
j m
da Cruz n. 22, pre-
*


A
Martodercraambuco- ftafebado l<*dcDeM*tn*(l*lH9.
DO
PROGRESSISTA
- i
RA BAS CRUZES M. 3G
*

,J !
E
RA DO CRESPO N. 9
Xo halrro de *ano Antonio.
Joaqun Jos Comes de onza scicntifica a.seus numerosos fregu,
zes ao publico em geral que acaba de estabelecer um novo armazem de molhados
ra-do Crespo n 9, aonde se encontrar sempre os memores gneros de estiva, que
se venderao a retalho e por atacado, por menos dos que se venderem em outra qualquer
parte, affianeando-se aquellas pessoas que comprarem nestes armazens a superior qua_
lidade de gneros, preoos commods e bom acondicionamento.
0 armazem da ra do Crespo situado no melhor local desta cidade com o as-
seio que de necessidade manter-se com estes estabelecimentos, faz crer a seu pro-
prietario, que ninguem deixara de sortir-se n'um estabelecimenlo aonde se encontra sin-
ceridade, para ir-se comprar aonde se nao oflerecem tantas vantagens.
Sesde este armazem no verdadeiro ponto de partida para os arrabaldes desta
cidade, nao ser difficd queHes senhores que tem de partir nos mnibus darem suas
encommendas nestc armazem, que sempre lhes offerecer os mais agradaveis gneros
dem muito superior a i,ooo rs. a garrafa.
NOTO ESTBELECIMENTO DE MEDICINA H0ME0P1THICA
RA MOV A N. 43.
O Dr. Sabino O. L. Pinho mudou o seu CONSULTOBIO para a loja 4, marmot
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uteis desde o meto dia att
2 horas.
Os enfermos, que o procurarem logo na nvasao da molestia, sem que najam to-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathico, pagarlo metade dos precoi
estipulados. Esta concesso tem por flm facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeutica e ao mesmo. tempo adquirir
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attencSo as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia, o Dr. Sabino resol-
veu dar duss consultas por semanas na tercas e sextas-feiras das seis as sete horas da
noite.
Os chamados para visitse conferencias devem ser dirigidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 horas dd dia at 8 da noite, na certeza de que serio attendidos na ordett
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
ADVERTENCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a primeir*
at a trigsima dynaminjsacio.
E como os mdicos hespanhes e allemes nao cessam de certificar a ma)or effi-
cacia das ultissimas dynaminisacoes do tratamento das molestias chronkas, o Dr. Sabino se
occUpa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas \por ora at 200.*),
afim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se lhe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar tae4-4ynaminisac5es podero, dirigir ao
consultorio suas receitas, que serio aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo. consultorio se vende a novissima edicto do Thesowo homeopathtcc
ou Vademcum do homeopata, obra indispensavel a dos que querem usar da homeo-
pathia.
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo estabe-
aecimento.
Msicas para piano e canto de todas as forcas, e metbodos dos melhores autores, e vcnde-j
!se baratissimo.
Pede-se toda alWneo.
Custodio Jos Alvos Guimaraas, dno da loja in-
titulada Gallo Vigilante, ru do Cifipo n. 7, avisa
aos seus numerosos freguwcs e affrespeilavel pu-
blico, que tendo do reformar no flm deste anno suu
estabeleciuiento, eqnerendo liquidar grande quan-
tidade de- diversos objectos, est rosolvido a Tender
tudo por precos baraiissimos, como sejam :
Pecas com 45 varas de franjas de linho a 3*.
Ditas com 43 varas de galo de linho a 3*.
Lia soriida para bordar, libra a 4*.
Froco de cores sortidos, pega a 160 rs.
Manguitos para senhora, o par 800 rs.
Golintias de bonitos gostos a 400,500 e i*.
Salvas de metal principe a tJJWSOO, 2* e 2*500.
Ditas com copos de metal proprio para meninos a
t*400- .. ., ,
Facas e garfos para sobre-mesa a 4* a ouza.
Ditas u ditos dita cora cabo de nutrlim att*.
Bandejas de todos oslamanhos muito unas a i*,
1*200, 1*400, 1*600; WW 3*500 e 5*.
Ditas redondas para copo do 500 rs. para **Op.
Tesouras em carteiras, a duzia a 500 rs., 6*0 e
800 rs.
Peilos para camisas, a duna alf.
Camisinhas bordadas para senhora a t#ouu e tp.
Chapelinas para senhora a :)*.
DiUs para menina a 2*.
Chapeozinho para meninas de escola ou passeio a
- ?* e 3*.
Flores francezas, caixos grandes, a 600 rs.
Luvas de seda com pequeo toque de mofo a w
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs.
a libra,
dem hysson multo superior a 2,7oo re. a
libra.
Wem uxim a 2,5co rs. a libra.
dem hysson a 2,3oo rs. a libra.
dem idem a 2,ooo rs. a libra.
dem preto de quadade muito especial a
2,eoo rs. a libra.
dem idem inferior a 4,6oo rs. a libra.
Champagne a melhor neste genero a 1.5oo
rs. a garrafa e I8,ooo rs. o gigo.
dem inferior a lo.ooo rs. o gigo e i.ooo rs.
a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol, e portuguez, a
a 9oo e I,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
ede qualidades, especialmente escomidos,
de 2,ooo a 4,5oo rs. a caixa.
Farinha doMaranhao muito alva a 14o rs. a
libra
dem de araruta verdadeira a ioo rs. a libra.
Vinhe do Alto Douro engarrafado, e os mais
Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,ooo e
9,ooo rs. a arroba.
CervejaSlas melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,ooo rs. a duzia, e 5eo
rs. a garrafa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e 8.600
rs. a duzia.
Doce em calda a 5oo rs. a lata.
dem de goiaba em ca xas e diversos tama-
nhos e de diversas qualidades d 6io a
I.ooo rs. cada urna.
Ervilhas francezas muito novas de 48o a 64o
rs.
dem poituguezas a 72o rs. a lata.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Yassouras do porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Velas de espermacete da melhor qualidade
a oo rs. o maco.
dem de carnauba e composic) a 32o e 36o
rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
rs. o par.
Toucas de liia para meninos a 500 rs.,
000 rs., de seda a 800 rs.
fil a 500 e
LOJA DE MIUDEZAS
10 llua do Uueimado. 16
Pegis de tranca de laa pro e de cores lisa a
80 rs.
Pocas de tranca do laa creta e de cores, caracol, a
IOO rs.
Pecas de tranca de linho branca de caracol a
100 rs.
Pegas de tranca ile linho inesclada de caracol a
00 rs.
Pegas com 10 varas de fita de velludo cor de rosa
Peca*com 10 varas de fila de veludo preto a 1*200
o 1*400.
Pegas com 13 varas de Uta de velludo lavrado a 1*
c 1*200.
Pecas com 20 varas de galio lavrado a 1*500.
Pecas de franja branca estrena a I*.
Pegas de franja larga para cortinados a 3*.
Pegas de fita de seda de cores a 360 e 800 rs.
Pegas de franja de lia a 1*.
Pegas de franja de seda preta e de cores a 3*.
Pecas de Uta de retroz preta e de cores a 240 rs.
Pegas de bicos e rendas a 1*200 e 1*900.
Varas de bicos e rendas a 100 e 160 rs.
Varas de bicos pretos a 160 e 240 rs.
Varas de bico preto da largura de um palmo a
500 rs.
Varas de labyrintho de um palmo de largura a
500 rs.
I I
bemescolhidos lagrimas do Douro,O. Pe- Tijoi0 para limpar facas a Uors. cada um.
dro V, D. Luiz I, Duque genuino, Nctar | J F y
Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra.
superior, Malvar fina, Baslardo, e outros
a 11,000 e I2,ooo rs. a duzia e I.ooo rs.
a garrafa.
Sevada muito nova a lo rs. a libra.
Idem Cherry e Madeira a I,.">oo rs. a
fa e I6.ooo rs. a duzia.
garra
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,000
a lo.ooo a duzia, e 8oo rs. a garrafa.
Bolaxinhas americanas a 3,ooo rs. a barrica,
e 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a l,ooo rs. o gigo, c 6o
rs a libra.
Il.inha de porco refinada a i8o rs. a libra, e
em barril a 44o rs.
Vinbo em pipa de Lisboa, e Figueira, de3,ooo
a 4,ooo rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27.ooo rs.
dem do Porto muito especial a 5,5oo rs/ a
caada e 72o rs. a garrafa.
dem em garrafoes com 4 '/a garrafas por
2,5oo rs. com o garrafSo.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada.
Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
vina, eoutras qualidades a l.ooors. cada
lata.
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS,
Aprtveitciii as pechiochas da loja roa do Crespo n. 17
JOS GOMES VILLAR.
Para apurar dinueiro est vendendo baratissimo,
/ Aproveitrm todos.
Reccbeu de New-York 2,000 balos de 20 arcos e vende a 2*500 cada um.
txtraordiuaria pechincha, sem igual.
Las de cores, de quadros a 280 e 400 rs. o covado.
Cassas de cores a 200, 240, 280, 320 o covado I I
Chitas francezas muito boas a 320 e 360 rs. o covado. ,
Madapoles, pecas de 20 varas a 7*, 8*, 9*, 10*. 11* e 12* a peca.
Cambraias lisas, pocas de 8 1|2 varas a 2*500, 4*, 5*. 6*, 7*, 8* a pega.
Capas pelas, manteletes pretos bordados a 20* e 32* rs. I
Sotambarques pretos de 25* a 30* rs.
Capas de casemira de cores a 2o* e 30* rs.
Outras fazendas de multo gosto.
PROTEJAIVI TODOS
Cortes de cambraias bordadas ; cortes de vestidos de blonde para noivas, com capella
f manta. Chapeos Mara Pia a 12* rada um I I Meias para senhora a 4*, 5*, 10* e 12*^
rs. a duzia. Bramante de linho, de 10 palmos, a 2* a vara. Bramantes belgas a 3* a vara;
esguioes de linho fnissimo ; bombazinas pretas para luto ; merinos pretos etc. etc.; da-
mascos de laa de 8 palmos de largura, proprios para colchas e para cortinas de salas.
ojuaupoiaqEisa oimssiiueuodui! osso b '-sejg -SBinsg 'oB5oaio.i -ojiauuip i: 'seiuissii&ieq sepuazej
-i!IUJoj!|i:> i;toa i:p si:i|.)O|i|.)0 soHiaoMvaisa a soMvaaaivVMHad^
Sapatinhos de merino a 800 rs., e de lia a 500 rs. yaras de bonitas utas para cintos a 500 rs.
Bolsinhas de missauga para meninas de escola a --
800 rs.
Botoes dourados para punho a 200 rs. o par.
Tinteiros de metal a 320 rs.
Trancelios para reiogio a IOO rs.
Ditos de lita chamalote a 200 rs.
Escrivaninhas de metal a 3*500.
Colheres de metal para cha a 200 rs. a duzia.
Ditas de dito para sopa a 2* a duzia.
Bot5es de duraque pretos a 400 rs. a (trota.
Carlas hespanliolas para jogos a 1*20 a duzia.
Casticacs brancos amareltes de metal a I*.
Carteiras para algibeira a 500, 600, 800 e 1*.
Sabonetes muito finos a 1*200,1*600 e 2* a duzia.
Fivelas para calca a 300 rs. a duzia.
Botoes de ac para caiga a 320 a groza.
Camnhascmalinetes,'pampos e clcheles a J20,
400e500rs.
Filas d borracha pretas e de cor a 120 e 160 rs.
a vara.
Latas com dous massos de agnlhas por 800 rs.
Brincos de aljofaresa balo a 320 o par. _^
Alfinetes pretos o de cores com pedrinhas a 200 rs.
e 320.
Camisas para homem feitas em Lisboa a 2*.
Fitas de velludo lisas e lavradas a 800, 1*, 1*500
2* e 3* a pega.
Ditas para sinteiro a 300 e 400 rs. a vara. _
Caixinhas para costura de senhora a 1*500,2*.
3,4,5 e6*. ;_
Com|tciras de vidro com pratos de metal a J# e
4*000.
Franja de laa para debrunhar tapetes a 2* a pega.
Palitos de fogo, prova d'agua, a I* a groza ou 120
rs. a duzia.
Assim como tem grande sortimento de muitos
mais onjectos que se tornara enfadonho mencio-
na-los, que tudo se vender muito barato para li-
quidar : na ra do Crespo n. 7, e roa do Impera-
dor n. 59, junto ao passo, e casa da llquidagao.
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a I.ooo
rs. a resma.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 48o rs.
a libra.
Palitos lixados para dentes a 14o rs. o maco.
dem de flor a 2oo rs. o maco.
Prezunto para fiambre inglezes e americanos
a 85o rs. a libra.
dem do Porto a 48o rs. a libra.
Queijos prato de 48o a 6oo rs. a libra.
dem londrinos os melhores que se encontram
neste mercado a 8oo rs. a libra.
dem flamengos vindos no ultimo vapor de |
2,8oo a 3,ooo rs.
Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
a lata.
LARGO
DA SANTA CRUZ N. 84.
Amigos do bom e barato.
A Aurora Brilhante este magnifico estabelecimenlo est na Boa-Vista disputando a
primazia, j pelo grande sortimento dos seus gneros de boa qualidade, j pela commodidade
de pregos e por isso o seu proprietario roga aos seus freguezes e amigos e ao publico em
geral que mandem comprar para melhor se certiflearem do annuncio.
Mantciga ingleza flor primeira qualidade. Servcjas de boas marcas c muitas.
Dita mais abaixo segunda dita. Queijos hotos do vapor e do passado.
Dita franceza nova segunda dita. Ditos de prato.
Cha superior preto, verde, hysson,usim e pe- Ditos de mantciga novos.
ma. Caixinhas enfeitadas com ameixas francezas.
Doces de goiaba caijoes de varios tamanhos. Launhas com ditas.
dem maisbaixoa I,5oors. a
rs. a garrafa.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra,
caada, c 2oo _,
dem muito superior a 28o rs. a libra.
Idem em garrafoes com 4 '/* garrafas por
I,2oo rs. com o garrafao.
Manteiga ingleza a 600, 7oo, 800 e Ooors. a
libra de primeira qualidade.
dem franceza a 5Go rs. a libra em barril, e
a 600 rs. a retalho.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estampas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem- em frasco de vidro de diversos tama-
nhos a I,5ooe 2,5oo re.
Idem em latas de 1 1/2 e 3 libra a I,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em bazinhos de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
dem em caixinhas de folha a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem em Latas ermeticamente lacradas de
I.600 a 3,000 rs.
Arroz da India e Maranho a 80, loo e I2o
rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 4oo
rs. a libra.
Azertonas superiores a I,2oors. o barril.
Alpisia a 1 lo rs. a libra e 4,6oo a arroba.
Letria a 4oo rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglezas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a I,2oo e ,4oo
6. cada lata.
Bolaxinha de soda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade 800 rs. a gar-
rafa.
Sabo maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
dem inferior de 12o a i80 rs a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
rs.
dem hamburgueza em ditas ao,8oo rs.
dem de Hollanda em garrafoes grandes a
5,5oo cada um.
dem cm botija a 4oo rs. rs. cada urna.
Garrafoes vasios de diversos tamanhos a 5oo,
C4o e 1,2oo rs.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixaa loo rs. a lata, e I,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas e fras-
cos de diversos tamanhos de 600 a 800 rs.
cada um.
Marmelada imperial de fc dos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 700 rs. a libra.
Massa de tomate muito nova a 64o~ rs. a
libra.
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India a 64o rs. a libra.
Cannella a 1,100 rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
o frasco.
ATTENCAO
O proprietario dos armazens do Progresista jamis deixara deofferecer aos seus
freguezes tudo o que for preciso para que sejam bem leryidos, e ma ptima a ocqasio dos seus freguezes experimentaran a reaiidade, que nunca der-
air de ser manda pelo proprietario deetes armazens.
Amendoas de casca Mura e mul.
R Azeitonas novas em barris e garrafas.
I Presuntos para panellae fiambre.
, Bolachinhas inglezas novas.
t Chourigas, paios e linguigas.
H Cognac verdadeiro.
Licores e champanhe.
R Charutos finos, ha finos cm tudo.
K Subidas grandes em resteas.
i Copos lapidados e lisos para agua e vinho.
S Passas novas e figos tambem.
Massas para sopa sao das novas.
Nozes j deste anno.
Farinha, milho, farello e arroz de casca em
saceos grandes.
Toucinho de Lisboa novo.
Chocolate j felto que bello almoco.
Azeite doce temos refinado tambem.
I.atinlias rom fructas.
Latinhas com biscoutinhos de muitas quali-
dades.
Latas com bolachinha de soda.
Latas com peixe'ensopado.
Latas som marmelada nova.
Latas com massa de tomate.
Frascos com conservas.
Ditos com mustarda.
Ditos com genebra de Hollanda e de laranja.
Ditos com sal refinado.
Vinhos puros da Figueira, nao ha melhor.
Ditos de Lisboa, nao ha melhor.
Dito do Porto, nao ha melhor.
Dito branco, nao ha melhor.
Dito engarrafado em caixa de urna duzia.
Ditos genuinos em caixa e a retalho.
A Aurora Kiilliaute tem nn bello sortinaeuto
A Aurora Brilhante tem um bello sortimento
Botica e armazem
drogas
.11.
\ozos e batatas. Camisinhas eom manguitos a
Vendem-se saceos com oito libras de nozes pelo I# 8 so o l*a vo.
barato prego de 1*600, e caixas com urna arroba Acaba de chegar para a loja do Pavo, um
de batatas por 800 rs., nada mais barato vista da grande sortimento das mais finas camisinhas de
boa qualidade : na ruada Madre de Dos ns. o e 9* fcambraia com manguitos e gollinhas bordadas,
7~ que se vende a 1*280: ditas de fil, tendo lam
Cl bem manguitos e gollinhas, pelo barato prego de
1*000 : s na loja do Pavao, ra da Imperatrlz,
n. 60, de Gama & Silva.
1nileles curtos a 3j$000.
Acaba de chegar para a luja do Pavo, um bo-
nito sortimento de manteletes cortos de cambraia
e de fil bordados, que se venden) pelo barato
Srego de 3*000 cada um ; romeirasde cambraia e
e fil a 1*600: s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz, n.60, de Gama Si Silva.
Manteletes a 80000.
Vendem-se ricos mnteteles de cambraia borda-
dos com mangas a turca, pelo barato prego de
8*000: na ruada Imperatriz, n. IK), loja de Gama
& Silva.
(oliinhas a 240 rs.
Vendem-se finissimas gollinhas de cambraia,
bordadas, a 240 rs.: na loja do Pavao, ra da
Imperatriz, n. 60, loja de Gama & Silva._______
Ra do Cabug
DE
Joaqun Martinho 4a Cruz Correia.
Vende-se o seguinte :
Salsa parrilha de Bristol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pastilhas vermfugas de Kemp.
Elixir de citro l:tato de ferro do Dr. Thermes.
Bob da LafectenrV-t^
Xarope depurativo d'odoreto de ferro de Guy.
Xarope peiloral sedativo de Guy.
Pastilhas peitoracs balsmicas de Guy.
Pilulas da vida.
Burel franciscano (raesclado) para imagens.
Injeccao Brow.
Xarope de citrato de ferro de Chable.
Pilulas contra sesoes.
Salsa parrilha de Sands.
Extracto fluido de. salsa parrilha de Bailys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alero dess drogas ha constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, verni, ouro para dou-
rar, preparados crmicos e pharmaceuticos que se
vendem por commods pregos.
Vende-se urna casa pequea cora um terreno de
15 palmos de frente e 320 de fundo, na travessa
da ra do Principe na Soledade: quem preten-
der, dirija-se ra do Brura n. 76, que achara
com quem tratar._____________________^_
Tranga
Tranga
Tranca
Tranga
Tranga
Tranga
Tranga
Tranga
___________ de 15a preta lisa a 80 rs. a pecinha, s na loja de
Vende-e tna cama fi*nrez de amarillo, miodezas da roa do Qoeimado n. 16, depressa an-
cora pooco uao: oa ra da Santa Cruz n. 58. I tes que se acabe.
FAZEVDAS
baratas para acabar.
Sedas de qoadros ede listras a 320 rs. o cova-
do, Modas laa de quadrinhos a 360 o covado, su-
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas
muito finas a 240 o covado : na loja das columnas,
na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vas-
concelos & C-
Kl\ 110 O' MI \ 110 N. !m
l.oja do beija-flor.
\Hitas do aljofares.
Vendem-se voltinhas de aljofares com pedra,
imitando a brilhantes a 1* rada urna.
Botoes para punhos.
Vendem-e botoes para punhos, muito bonitos
padrees, a 200 rs. o par.
Facas para meninos.
Vendem-se faquinhas para meninos, de cabo oi-
tavado, a 240 rs. o talher.
Laa para bordar.
Vende-se laa de todas as cores para bordar a
6*700 a libra.
Facas e garios.
Vendem-se facas c garfos de cato preto eravado
a 2*800 a duzia, dilas de balanco de 2 botoes para
mesa a 6*200 a duzia.
lavas de Jouvin.
Vendem-se luvas de Jouvin chegadas pelo ulti-
mo paquete, tanto para homem como senhoras.
Extractas inglezes.
Vendem-se extractos inglezes muito barato por
serem sido comprados em Icilo a 240 rs. o frasco.
Estovas para dentes.
Vendem-se escovas para dentes a 120 e 20 rs.
cada urna, ditas muito finas inglezas a 500 rs.
Toncas de lia.
Varas de lila preta de borracha a 160 rs.
Varas de babados largos a 120 rs.
Vara de galo branco e de cores lavrado a 100
ris.
Fivelas de ac galranisadas para slnto a 1*500.
Bicos cintos com fivelas de pedrinhas a 3*.
Grvalas de seda a 400, 000 e 800 rs.
Grvalas para lago a 800, 1* e 1*280. .
Grvalas com bonitos paseadores 1* e 1*280.
Grvalas de ponta larga bordadas para senhoras a
1*280.
Passadores para gravaras a 500 rs.
Conservadores detonlinhas pretas e brancas a
1*000.
Voltas de perolas brancas e de cores, com cruzes,
a I*.
Voltas pretas a balao com cruzeg a 1* e.i*S0O.
Voltas pretas de rontas muito gradas a Mara
Pa 1*800 e 2*500.
Voltas de coral pequeas e grandes a 600 e 2*400
Macinhps de coral a 360 e 600 rs.
Oitavas de retroz preto e de cores a 160 rs.
Pares de grampos. enlejiados, balo a 1*.
Pares de brincos pretos e de cores, a balao, a
640 rs.
Pentes de borracha para regago a 800 rs.
Penfes dourados com pedrinhas para regago a
2*500.
Bicas guarnieses de pentes dourados com cachos
e pedrinhas e as marraras iruaes a 4* c 5*.
Ricos pentes dourados a 2*, 2*500 e 3*.
Bonitas marrafas com pedrinhas a 1*.
Bonitas guarniges de pentes com lago esmaltados,
com marrafas iguaes a 5*.
Bonitas guarniges de pentes com lago para luto,
com marrafas iguaes a 3*.
Bonitos pentes de tartaruga a 4* e 5*.
Bonitos pentes de massa virados imitando tartaru-
ga a 1*600 e 2*.
Pentes de massa em caixinhas a 500, 640 e 800 rs.
Pentes uara.atar cabello a 80, 160 e 240 rs.
Luvas de Jouvin brancas e de cores a 1*500.
Luvas da Escossia brancas e de cores a 500.
Bonitos boles para punhos a 160, 320, 480 e 800
ris.
Duzias de bonitos botoes dourados a 480 e 960 rs.
Duzias de bonitos botoes de vidro a 480 rs.
Golinhas brancas e de cores com conlinhas a j*.
Sapatos de tranca do Porto a 1*600.
Tesouras linas' para unhas e costuras a 500
800 rs.
Escovas para dentes a 160, 320 e 480 rs.
Escovas para unhas, roupa, chapeo e cabello
800 rs.
, Bonitos toucadores com ps a 2*, 2*500 e 4*.
Caixas de bfalo encastoadas em marflm a 23.
Bengalas de junco e de canna a 640 e 1*280.
Chicles de junco e de nalela a I* e 1*600.
Oculos de armagao de ago prateada, dourada e ba-
leia a 500 e 19.
Duzias de colheres de metal principe para cha a
_ 1*600 e 2*.
Duzia rte comeres de metal para sopa a 3*500 e
5*800.
Pacotes de papel de cores pequeo a 640.
Caixinhas de papel amizade a 800e 1*.
Caixinhas de papel de beira dourada a 1*200.
Caixinhas de papel phantasia de cores a 1*.
Caixinhas eom 100 envelopes a 800 e 1*.
Caixinhas de lacre a 200 e 400 rs.
Caixinhas de penna de ago a 800, l*i00 e 1*600
Caixinhas de obreias de cola a 80 e 120 rs.
Lapes de cores ou encarnados a 120 rs.
Brincos e rosetas pelos a 160 e 240.
Boies altos de tinta ingleza a 160.
Filas c cordes para espartilhos a 80 rs.
En'adores pretos para borzeguins a 160.
Caixinhas com 100 agulhas francezas a 240 rs.
Caixinhas com 100 agulhas da Victoria a 320 rs.
Cartas porluguezas e francezas a 200 e 320 rs.
Cartas de allinetes a 80 e 160 rs.
Massos de superiores palitos lixados a 240.
Caixinhas vazias para guardar joias a 300, 400 e
500 rs.
j Duzias de canudos de pomada a 240 rs.
' Salwuetes francezes a 100 rs.
Frascos de agua de Colonia a 400, 500, 800, 1* o
1*500.
Frascos de extractos a 400, 500, 800 e 1*.
Frascos de banha franceza a 400, 500,800 c 1*.
Frascos de patcholy a 400, 500, 800 e 1*.
Frascos de oleo babosa a 500 e 600 rs.
Frascos de oleo philocome a 800 e 1*.
Frascos de extracto de sndalo a I*.
Frascos de binha transparente a 800 rs.
Frascos de banha japoneza a 800 e I*.
Frascos de agua de Lavande ambreada.
Garrafas de agua de Lavande ambreada.
Garrafas de agua Florida legitima a 1*500.
Garrafas compridas de agua de Colonia a 800 rs.
Frascos cora banha e extracto juntamente a 1*280.
Cestinhas com 4 frasquinhos de extractos a 040.
u
3 03 _
"O 3 O. Cfl !
O. w _. o g crs
o o. H P> w '


ce
- Q,
3
i5
i. Se**
RT 3 O- '
W
5-g
So.,
a.
Vendem-se toucas de laa para menino a 800,1* Frasquinhos de tinta azul ou encarnada a 320 rs
e 1*280 cada urna.
Sapatiuhos de lia.
Vendem-se sapatinhos de laa para meninos a
400,500 c 640 cada par.
Tesouras.
Vendem-se tesouras para costura a 500 rs., ditas
para unhas a 400 rs. cada urna.
Collarinbos.
Vendem-se collarinhos de papel a 40 rs. cada
um, ditos de linho a 640 rs.
Peutes de travessa.
Vendem-so pentes de travessa para menina, de
borracha, a 500 rs. cada um.
Tocadores de Jacaranda
Vendem-se tocadores de Jacaranda a 2*500 e
2*800 cada um.
Escovas para roupa.
Vendem-se escovas muito finas para roupa a 400
e 500 rs. cada urna
Espetaos com estojo.
Vendem-se espelhos com estojo para navalhas a
2*. 2*500 e 2*800 cada um.
Aderecos pretos.
Vendem-se aderegos pretos a 2*200 cada ade-
rego.
Botoes de perola.
' Vendem-se botoes de perola para collete e vesti-
dos a400rs^aabotoadura.__________________
\o armazem de faseadas bara-
tas de Santos Coelho
RA DO QUEIMADO N. 19 VENDE-SE O SE-
GULNTE :
Esleir da India
para forro de sala, de 4, 5 e 6 palmos do largura,
por menor prego do que em outra qualquer parte.
Lencos
de panno de linho pelo barato prego de 2*000.
Leices
de bramante de linho fino pelo barato prego de
3*000.
Cobertas de chita da ladia -
pelo barato prego de 2*000.
Lencos de caua
brancos, ftaissimos, proprios para algibeira pelo
baratissimo prego de 2*000 o 2*400 a dmia.
Cambraia adamascada
para cortinado, pelo baratissimo prego de 10*000
a pega.
Pegas do cambraia
de salpicos, fina, com 8 1/2 varas, pelo baratissimo
prego de 4*.
Fil liso fine
pelo baratissimo prego de 680 rs.a vara.
Bramante de liibo
fino com dez palmos de largura pelo barato prego
de 2*300 a vara.
Toalbas alcochoadas
para mo pelo baratissimo prego de 5*000 a du-
zia.
Pegas de bretanlia
de rolo com 10 varas propria para sais, pelo bara-
to prego do 3*000.
Panno de algod&o teci-
do de Minas, fazenda larga e
encorpada, apropriada para o
servido da lavoora, quer para
mupa de escravos, quer para
saceos de assucar : grande
deposito no largo do Corpo
-,3
3 3
a 2 ** =*
0-3.S
^ 03 -
a
w
"O S!
o. o
x 5 o O oj o "
0.0 ir- o r? S
3
3 3 2.

O
a
'
5
o
o.
$
a a>
o--* =
a> -1
3s?
II


s
o
5
Augusto F. de Oh* Veira.
SantO nt 1 (, eSO*iptOnO Ue^ senhora sendo rica me 1
No deposito de louca da fabrica do Bar-
halho, ra d Imperador n. 4i.
30 0(0 menos do que em outra qualquer parte,
qoucavidrada de todas as qualidades, e lito boa
como a que vem doestrangeiro e mais ha rata.
tontembarques de eOres e pre-
tos na loja do Pavo.
Acaba de chegar os mais ricos sontembarques
de grosdenaple preto muito bem enfeitadas c di-
tos de um tecido de seda de cores sendo os mais
modernos que esistem no mercado c vende-se por
prego commodo : na loja do Pavao ra da Impe
ralriz n. 60 de Gama & Silva.
As capas do Pavao.
'endeui-se as mais modernas capas pretas para
I
i
por pregorazoavel na'loja do Pavo fu da fmpe-
yatriz n. 60 de r.ama&'Si'va.
\


I -
!

CALCADO
4o Ra Dii
Aproreltem en quanto teuipo ?
Boreegoins francezes de lustre pa-
ra homem..........I......
Borzeguios francezes de cores pa-
ra menina*^. ma % (*
Borzeguins MwJpim^ para
Sapatos de vjv Mh> smhora..
(J38JI5 .
1500
10000
800
Grande liquidaci de fazendas al .a
f^, pan sefindar coalas, apro ci:
,* r *%r
veilem que destas penhiicbas nt ha
sempre : na raa da Imperalriz, laja
e aromen **jMg itt, de i
l
es.
reata Percirantnes Guiraa
Cobertores da Arara a l.
Vendase cobertor*! 4e pellos a 15 e 1,8.600,
coherlas de chita a 25 ; na ra da Imperalriz n.
fifi, lija de Mendes Guimares.
A Arara vende as lazinhas de 9 pal-
mos al $200.
Vende-se lazinhas de uma s cor e quadrinhos
proprios para capas, cora 9 palmos de largura a
DA C AIIEIA liO REIFE J. 53.
NOVO E
OSHD3 A&VLAZ'EM DE MOCHADOS
LA DA CADEIA J0 IXI CU K j*3.
ARMAZEM DJr? MOLHA DOS
anoe\

d ^swe
Manleiga inglesa especialmente escolhida
de primeira qualidadea 800 rs. a libra,
em barril se faz abatnenlo.
Upo o covado, ditas para vestido a 280, 320 e Jlanteiga franceza.a mais superior do mer
rs. o covado : na ra da Imperalriz, t cado 8 m rs_ a |braj e m rs_ em barr
ou meio.
Pretunlos. inglezes para fiambre, de superior
gualidade, chegados nesle ultimo vapor, a
7<*A rff' n Khri
Arara n. 56; de Mendes Guimares,
Brlm da Arara- a 400 rla o
covado.
Vende-se brim pardo de linlio com pequeo to-
que de mofo, que depois de moluado larga, proprio
para calcas e palitots, a 400 rs. rs. o covado ;
brim branco de linbo alie 15*00 avara, fustao
de cores para calcas, coleles e palitots a 500 rs.. r
o covado : na ra da Imperalriz, loja da Arara n. Qoeijo PtO multo fresco e novo a 640 rs.
56, de Mendes Guimares. a libra.
Lazlnha ufarla Pia da Arara. Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
Vende-se lazinhas a Mara Pia muito Unas, com ] e,30OOO a arroba. M;
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra daCadeia di Recifen. 53, um grande e sortido armazem de molhadosde- (r-*
rnomlnado Unido Mercantil. Neste grande armazem encostrar sempre o respeitave* pubnoo um completo soriimento dos melhores [>g
(genefs que vemao mercado, tanto esirangeiros,.como nacionaes, os quaes sero vendidos em poryoes ou a retalho por preces asss i%^a
coromodos.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinuas dcNantesa3i0rs. oquartoe580
10200 a caqada. | rs. meia lata.
Azeile doce refinado era garrafas brancas a Latas com peixe em poesa : savel, corvina,, *
800 rs. j vezugo, cherne, "
Azeile doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e, I(300 rs.
40800 a caada. 'Salmaoera latas, preparado
f 720 rsl a libra.
Queijos flamengos
vapor a 20600.
chegados neste ultimo
quadros e palmas de seda, para vestidos a 560 o
covado, sedinhas finas a 500 rs. o covado ; na ra
da Imperalriz n. 56
A Arara vende as capas a 8,000 rs. .
Vende-se ricas capas para senhora a 85, chales .Cha liyson muito superior
de merino estampado a 2,5500, ditos finos
Cha uxin o raelhor
mandado vir de
rs. a libra.
que ha nesle genero,
conta propria a 20800
. a 2*500, ditos tinos matisa-
dos de novo gosto a 55, dito de ponta redonda e
borlla a 75300 : na roa da Imperatru n.*56,
loja da Arara de Mondes Guimares.
Oh que pechincha, laziahas a 280 rs.
Vende-se lazinhas finas para vestidos a 380
e 390 rs. o covado, lencos brancos com barras de
cores a 200 rs., tneias finas para senhora a 400 e
500 rs., ditas cruas a 400 rs., ditas para hornera a
160 e 200 rs.; na ra da Imperatfiz n. 56,Toja da
Arara.
A Arara vende as cassas a 300 rs. o covado.
Vende-se cassas de quadrinhos a 200 rs, o cova-
do, ditas finas a 250 e 280 o covado, organdys finos
a 240 e 280 o covado : na ra da Imperalriz n.
56, loja da Arara.
Pecbineha, sedinhas da Arara a 800 rs. o corado.
Vende-se sedinhas com quadros e lisas, escuras,
proprias para queni est d luto, por ter uma s
cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma qualidade
d cores para vestidos a 800 rs. e ditas de listi-
nhas a 500 rs. o covado: na na da Imperalriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimares.
Pecbineha na Arara, corles de chita a 20500.
Vende-se cortes de chita franceza com pequeo
toque de mofo a 25500, cortes de riscado franoez
com 14 covados a 34, cortes de cassas francezas
pintadas a 25 o corte, ditos de barras a 25, 35 e
45 : na ra da Imperalriz n. 56, loja da Arara de
Mendos Guimares.
Caseniras a 10600 o covado.
Vende-se casemiras de cores para calcas, cole-
tes e paletots, infestada, a 15600 o covado, cortes
de casemira infestada a 15600 e 25, e em covado a
15 : na ra da Impcratriz n. 56, loja da Arara de
Mendes Guimares.
A Arara vende roupa feila c luala.
Vende-se palitots de casemira a 45500, 65 e
Ai, calcas de 35500 a 55, palitots de panno a 105,
ditos linos de 125 e 145, palitots de brim de cor
a 25500 e 35, ditos de meia casemira a 35500,
calcas de brim de cores a 25 e 25500, ditas bran-
cas de Ifnho a 35500 c 45, ditas de mci i-asumira ,
a 25, coletes a 25300 e 35, camisas francezas a
15600, ditas finas a 25 e 25500, ditas de linho
prega larga a 35. scroulas finas a 15600, ditas de
linho a 25 e 25^00 : na ra da Imperalriz n. 56,
loja da Arara de Mendes & Cuimaraes.
Baloes da Arara a 30, 30500 e 10.
Vende-se baloes americanos, os merhores qnc
tem vindo, de 20, 30, 35, 40 arcos a 35, 35500,
45 e 45500, ditos de brilhantina a 45, ditos de
madanolo a 35600 : na ra da Impcratriz n. 56,
loja da Arara.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vendc-se chitas a 210 rs. o covado, ditas fran-
cezas com pequeo loque de mofo a 280 rs., ditas
limpas a 320, 360 e 400 rs. e covado : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara recebeu pelo vapor um sortimenlo de ro-
meiras para senhora, dos melhores gostos que
tem vindo, i preco de 10, 10600 e 20.
Vende-se rnmeiras para senhoras de cambrala
de salpicos brancos e de cores o bordados a 15,
1:600 e 5, golinhas com bolaozinho a 580 rs.,
ditas com peitos n bolaozinho a 15, camizinhas
para senhora a 15,15600 e 25, aventaes e corpi-
nho para meninas a 500 rs. : na ra da Impera-
lriz n. 36, loja da Arara.
Fita para debruna de vestidos.
Vende-se lita para delirum de vestido, a peca
cora 11 varas a 400 rs. : na ra do Queimado, lo-
ja do beija-flor.
a 20560 rs. a l-
proprto para negocio a
bra ; cha hyson
10300 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
qualidades, como sejam crakuel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
o otras muitas marcas a 10350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada uma.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 300 rs. a libra e 30 um quarto ;
eem caixa se faz abalimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garanie-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melliores qualidades
Genebra de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50860 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 1020 ', 10500
e20.
Fraseo de vidro com lampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melliores conser
reros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melliores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoasde casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 730
rs. cada um.
Emilias francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640>rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1*.
linguado, lagoslinlia, a
pela nova arte
que se pode desejar de 70500 a 80000 a Cerveja branca e prela das melliores marcas
caixa e 7-20 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 108 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porgao e de differentes
que. ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
marcas acreditadas que ja se venderam i Licores francezes das seguintes qualidades:
de cozinha, a 800 rs.
Maca de tomates em latas de 1 libra a 000
ris.
Cinturicas e paios em latas de 8 e meia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra e
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs a libra e 40 a
barrica.
,_: Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
.Fariiilia do Maranhao a 120 rs. a libra.
I Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e -0 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba.
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 10 e a 40 rs. a libra.
Cebollas a 10- o molho com mais de 100 ca-
I da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a 80.
Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 20800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 29400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e a
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarro, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abalimento.
Estrellinha.pevide earro'z demassa para sopa
a 400 rs. a libra e 2( a caixa com 6 libras.
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
omasso, ditos lixados sera flor a 160 rs.
o masso com 20 massinhos.
S6
(a
a
a
O proprietario do grande armazem do Hallza, considerando que apro-
xima-so a l'esta, e que de algum modo deve mimosear aos seus freguezes, com alguma coli-
sa que revele o seu contentamento e gratidao, resolveu expr a venda quasi pelo custo da
entrada o seu grande sortimenlo de gneros, que como todos sabem, sao sempre capricho-
saraente{_escolhido entre os da melhor qualidade do nosso mercado,
Sujeito a um severo regulamento, o Baliza est firme em seu posto de honra, c j
mais circunstancia alguma o far arribar do magestoso quartel.em que se acha abrigado-
esperando o inimlgo sempre de frente.
Nascido em trras de Portugal, o Baliza teve a fortuna de ver bem cedo esla bella
provincia. Foi na infancia que aportou em nosas plagas. entre nos frequentou a escola
primaria,seus hbitos foriio aqui adquiridos, suasaffeicOes existem no meio deste povo,
to generoso quanto hospitaleiro.
A preferencia pois que Ihe tem dado os Pernambucanos, um favor, verdade;
mas um favor que o Baliza tem merecido, e continuar a merecer sempre, a despeito da
guerra surda que lhe fazem os bomens das libras de tres quartas, e vinhos falsificados.....
Para se ganhar dinheiro nao de mister Iludir o povo.
por meios pouco lcitos degradao a quenl as possue.
Venham, pois, aquelles que ainda nao abasteceram as suas despensas r*sta casa ve-
rificar por si mesmos quanto b de verdadeiro nestas palavras.
O Baliza est a testa do estabelecimento e nada escapar s suasvistas que passa
cahir no desagrado dos seus benvolos freguezes.
As fortunas adquiridas
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 80rs a
e de oulras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes ja preparada a
400 rs.
por 143 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 6f rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Os senhores que comprare! de 1000000 para cima, tero o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos do reino, vindos de conta propria
a 10 cada um. de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
Sal refinado a 500 rs. o pote. ro se faz abalimento.
Tranca de la pelas e de cores.
Sendo lisa a 80 rs. a peca, e do caracol a 100 rs.
a pecji: na loja de miudezas da ra do Queimado
n. 16.
luvas de Jovvin
brancas o de cores para homem e para senhora a
15500 o par : na loja de miudezas da ra do Quei-
mado n. 16. x
Tranca prcta re laa.
Vende-se tranca prcta de laa, lisa, par eufeites
de vestidos, zuavos e roupas de meninos a 120 e
,60 rs. a peca : s quem tem e o beij-flor na ra
lo Queimado n. 63.
Na roa do Qaeimado n. 43, esquina que $(
\nlla para a (lon^rcgaca.
i-:' pechfncha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8,12 e 145, ditos
de panno preto e azul a 9. 10, 12, 16 e 185, ditos
sobrecasacos de panno muito fino por 245 e 285,
ditos de alpaca preta ede cordao a 4, 5, 6 e "5,
calcas de casemiras de cores a 5, 6, 7 e 85, ditas
pretas a 65500, 8, 9 e 105, paletots de fustao e
ranga a 25, 25800,3 e 45, calcas e colletes de to-
das as qualidades e por preco muito barato, len-
res do puro linho a pre?o e 25800 e 35, cober-
t'as de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
vista ; e para isso se pede a attencao dos fre-
guezes.
UOUPA FEITA
NO
A K TI V Z K TI
DE
^%m fe ^W*
X.ETREXRO VERDE.
Vende-se farello de Lisboa, cal lti-
mamente chegada e carvao animal: na ra
do Vigario n. 19, primeiro andar.
Cal de Lisboa
chegada ltimamente ; na ra do Vigario n. 19,1
primeiro andar.
-------------------------,-------------------------- I
Assncar do Monteir
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 50600 aarroba.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
^ todas as qualidades, tambera se manda fazer por medida, vontade dos concor-
m rentes, para o que tem um dos melhores professores, assimeomo tambem tem um
g| grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para sennoras,
||S homewve meninos.
Casacas d panno preto, 350 e 300000 Colletes de usfo e brim bran-
Sobrecasacas idem, 300 e 250000, co, 30500, 30 e .
Paletos idem e de cores, 250,- Seroulas de brim de linho,
200, 150 e...... 100009 20400 e ..... .
Ditos de casemira, 200, 150, Ditas de algodo, 10600 e. .
12(J, 100 e...... 70000 Camisas de peitos de linho,
Ditos de alpaca, 50 e. 305001 50," 40, 30 e.....
Ditos ditos pretos, 90, 70, Ditas de madapolo, 30,
20500
24000
10400
30500
30500
Rl.\ DO QUEDHD0 \. U.
Leja de fazenda de augusto Frederico das Santos Porto.
ESTEIRAS PARA SAIAS.
A este estabelecimento ehegou um ptimo sortimento de esleirs para sala, sendo de diversas lar-
guras at 6 palmos e da mais suporior qualidade .que se vendm por preeos mais modfcos que em
outra qualquer parte.
SOUTEMBARQES.
Os mais superiores soulembarqnes de casemira de cores ricamente enfeitsdos acabm de ebegar a
este estabelecimento.
F.NFEITES PARA BAILE de lindos goslos. ^ .
LUVAS DE PELLICA DE JOVIN para homens e senhoras.
CHAPEOS DE PALHA DA ITALIA para senhoras, enfeitadts com finissiiBas flores a 145 e 165-
CHAPEOS DE PALHA para meninas, enfeitados ricamente a 75.
CAMISAS INGLEZAS para homem, colarinhos, peitos e punhos, de linho, a 425000 a duzia.
CAPAS DE SEDA PRETA para senhoras, bordadas e enfeitadas de 225 a 505000.
ZUAVOS de seda pretos para senhoras, enfeitados com o melhor goslo a 205.
CHAPEOS'DE PALHA para homem a 35500.
CAMISIXHAS COM MANGUITOS E GIUVATA para senhoras, bordadas com muito gosto.
ATOALHADO DE LINHO para mesa fazenda superior.
Finos chapeos pretos de seda, chales de diversas qualidades, grosdenaple preto e do cores, pannos
pretos linos, casemiras pretas e de cores, brim branco e pardo, Unas laasinhas para vestidos "
muitas fazendas que se vendem por commndos preces. A mesma loja chegaram os
Ricos corte de la de barra uialisada.
e outra s
FAZENDAS BARATAS
9--KIJA RO QUEIMADO--**
Custodio, Carvalho A C.
preco
de 300 rs. o
covado ou
Finas cambraias organdys indianas pelo baratissimo
500 rs. a vara.
Grande sortimento
dos mais finos baldes de arcos para senhora e pelo tanto prejo de 35 cada um, ditos de ma-
dapolj para meninas a 25500. ,
Xovtdade
Os mais lindos e mais finos e modernos corte de lia com ricas barras, lendo cada corto
20 covados e pelo baratissimo profo de, 205.
50 e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4,5(500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 65,50 e 45000
Ditos de merino preto de cor-
d5o, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 7*000
Ditas de meia casemira de co-
res, 30500 e. 40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 50, 40500 e 40000
Ditas de brm branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e 25500
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....25500
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
25500
10600
80500
20000
405OO
640
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
40 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 65, 50 e
70000
40000
30500
50000
50000
45O0O
20500, 20 e
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
Ditos defltro, 50, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
U& 75 e.......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas pararosto, dura, 110,
90 e .. *.....60000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara ...... 10280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
Lences de linho. '. 35000
Cobertas de chita chineza.. 20000
Pennasd'aco, as mais superio-
res, agrosa...... 600
Relogios de ouro orizontaes,
9O0,8O#e......700000
Ditos de prata, galvani2.ado,
patentes e orisontaes, 405 e
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
300000
0
FARINHA FONTANA.
Farinlia la niuilo acre lita a mar
Fontana tesembarca por preco mais coninioilo do qne em
qoalquer entra parte : na ra da Cruz ^"SSo,' na ra do Trapichen.
13, armazem de Hanoel Teixei-
ra Basto.
n. 4 iasa.de N. 0. Bieber & C. succes-
sores.
Farinha, mllho clrelo
Vende-se saceos com farinha nova, milho e t-
relo de Lisboa; na Aurora Brilhante largo da San-
ia Cruz n. 84.
ClL DE LISBOA
Vendem-se barr com cal des-
ta procedencia, em pedra, chega-
da hoje. e un loa nova, que ha nc
Azeite doce refinado, francez e portuguez a
800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a 4,800 a caada e 640 rs. a
garrafa.
Arroz da India e do Maranhao a 120,100 e 80
rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra.
Ameixas em diversos vazos a 10, 10500,
0500 e 800 rs. a libra.
Alpiste a 160 rs. a libra, e 40800 a arroba.
Aletria a 480 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 480 rs. a libra.
Biscoitose bolachinhas inglezas recentemente
chegadas a 10500a lata com qualidades es-
peciaes.
Dito mais antigos no mercado a 10300.
Dito lunch ou soda muito nova a 20000 ala-
ta com 5 libras.
Dito de Lisboa muito proprio para docnte,
visto erem preparados para esse mister,
em latas grandes e pequeas de 30000 c
10500 a lata.
Bolachinhas americanas, em barricas a 30OOO,
e a libra 200 rs.
Banha de poico refinada a 480 rs. a libra,
e em barril 440 rs.
Batatas novas a 10500 o gigo, e a O rs. a
libra.
Cha perola qualidade especial a 30 a libra.
Dito hysson qualidade especial a 20800 a
a libra.
Dito uxim a 20600 a libra.
Dito hysson a 20400 a libra.
Dito dito a 20 a libra.
Dito nacional a 1/600 a libra.
Dito preto, muito superior a 20 rs.# libra.
Dito dito menos superior a 15600 a libra.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Champagne (marca aguia) do Conde de To-
r a 150 o gigo ou 105oo rs. a garrafa.
Charutos dos melhores fabricantes do Rio e
Bahia a 800, 10400, 20, 20500, 30,
30500, 40 40500. e 50 a caixa com 100
charutos.
la
Romain-
8/500 e
Meias do Porto.
Vendemse na loja de ferratens da roa da Ca-
deia Volli n. 44, meias de linho e igualmente de
algodo, por preco muito commodo.
Chocolate francez, de canella
Caf a 280 e 320 rs. a libra e a
90 a arroba.
Cognac de muito boa qualidade a 10 a gar-
rafa.
Dito soffrivel a 800 rs. a garrafa.
Cerveija da marca tenente em botija, (en-
commenda feita pelo proprietario do Baliza)
qualidade esta que nao pode continuar
a vir em censequencia de ficar por preco
muito alto a 60500 a duzia de grandes bo-
tijas e 80 por vinte quatro meias, e de ou-
tras marcas a 30, 40, 50 e 50500 a du-
zia de garrafas.
Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco e 95
a duzia.
Doces (francezes) em frascos lindamente enfei-
tados em calda de assucar e era alcool a
10 e 500 rs. o frasco.
Dito de goiaba em latas e em caixoes de di-
versos tamanbos e objectos pelo qual se
nao engeita dinheiro avista do grande de-
posito que ha.
Ervilhas francezas e portugueza a 70 e a 500
rs. a lata.
Dita secca a 200 rs. a libra.
Figos novos a 320 rs. a libra e a 60 o barrili-
nho.
Fruta em calda de assucar em latas a 500
rs. a lata.
Farinha do Maranhao, muito superior, a
16o rs. a libra.
Dita de trigo, a 120,140 e 160 rs. a libra.
Frasqueiras com genebra de laranja, de
Hollanda, e de Hamburgo, de diversos
preeos conforme os tamanhos.
Gomma do Aracaty a 100 rs. a libra.
Dita menos superior a 60 rs. a libra.
Graixa a 120 rs. a lata e 10300 a duzia.
Licoresifrancezes das melhores fructas da Eu-
em garrafas lindas e de diversos ta-
manhos a 500 e 10 a garrafa e 40 o par
de garrafas grandes, que depois de vastas,
valem o que se deu por ellas cheias.
Linguasiamericanas de um tamanho admi-
ravl a 10 cada uma.
Manteiga, ueste genero ha capricho da parte
do proprietario do Baliza ter sempre o
numero de 6 a 10 barris de manleiga a-
bertos, aim de satisfazer os seus amigos
e fregueses, sendo que o preco da man-
teiga verdaderamente flor de 900 rs. a
libra, e as demais qualidades a 800, C0O
e 400 rs. a libra.
dem franceza a 360 rs. a libra, muito nova
e de excellente gosto.
Mannelada imperial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 640 rs. a libra.
Massa de tomate a 040 n. a libra.
Mostarda ingleza em potes grandes a (5i0
ris o pote.
Marrasquino de zara a 64o rs. o frasco.
Peixe em latas grandes, savel e gors a
10300 a lata.
Papel greve pautado e liso a 30300 a res-
ma.
Palitos para dentes a 160 rs. o maco.
Dito dito de flor a 240 rs. o maco.
Prezunto para fiambre viudo lodos os vapo-
res a 700 rs. a libra.
Dito do Porto em barril a 480 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2/800
e30000.
Dito prato superior a 800 rs. a libra.
Sardinha de Lisboa muito bem preparadas
em latas grande a 640 rs.
Dita de Nantes a 320 rs. a lata.
Sag novo a 240 rs. a libra.
a 120, 160, 200 e240 *
Sabo massa
libra.
Sevadinba de Franca a 200 rs. a libra.
Sevada a 120 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa, de Santos, a 320 e 360
rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vinhos, netegeneno o armazem Baliza^em
o melhor sortimento possivel, Lagrimas
do Douro, Maria Pia, Cames, Bucage, D.
Pedro II, D. Pedro V, e Baliza, que se
vende muito barato em vista de sua espe-
cial qualidadea 100000,120000 e 15000
a duzia.
dem esquesitos como sejamCherrv, e Madei-
ra, Velmute, etc., de 155000 a 200000
duzia.
dem de Figueira, Lisboa e Porto a 30OCO,
40ooo e 4*500 rs. a caada
dem de Lisboa de minha propria marca em
ancora de 8 l 'i a 9 caadas por 286000
a ancora, e da Figueira de 8 a 9 ca-
adas a 280000 rs.
Vinagre de Lisboa em caada a 10600, l8oo
e 25000 rs.
Ide Tiais baixo a 10280 rs. a caada.
Idtm de Lisboa em garraDes com, garrafas
por 10200 rs. com o garraffro.
Vellas de espermaccle superiores a 600 rs.
o maco.
dem de carnauba de 320 a 360 rs. a libra,
em arroba de 90000 a lO0ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 4oo>
rs, cada uma.
Vinhos de Bordeaux neste genero temos as
melhores qualidades que se i'abricam em
Bordeaux, tanto branco como tinto, c espe-
ramos por todos os vapores francezes, uns
pequeos barris contendo cada um de 85
a 90 garrafas, e qne serio vendidas o mai
barato possivel.


Marte e PrmnlNic Hfce d ttH'tf le I^S
i
ALLIANCA
GRMDE
OMO IlUCA HMIG
KO
57 RA DO IMPERADOR 57
Na bem conhecida loja qtie foi do Sr. Flix alfaiate.
Paulo Ferrelra da Silva proprietario deste novo estabelecimento, temi
** ^f
chegado da Europa, aonde escallieu um grande, e variado sortimento de molhados, tora
a honra de os expor ao respeitavel pullico desla cidade pelos mais resumidos pTeco*^
r Em to ptima occasio, por estarmos prestes a festa e Natal, o gropnetari* do
grande armazem Allianca offerece aos seus amigos e fregu* que o conhecem eifie
cmando foi socio dos armazensProgresivo e Progressista as priores vartigeo era com- P^ ** tavraderes para que mandem suas relaces para serem despachadas
&- no armazem do Pcogresse do largo da Peaha n. 40, afim de verem a grande vantagem
rem em sea armazem. ^
Heje de novo estabelccido mais precisa da concurrencia de todos estes sentares
ao seu estabelecimento. certosdeque esta casa jamis deixaro de ser cuapridas as
ARMAZEM
O LARGO DA PEiVItA fO
Francisco Wnwnmmdea Mmvu'te dono- deste milito acreditado armazem
de molhados, acaba de receber neste ultimo vapor os muf tfesejados gneros escomidos
por eHe aa Europa, todos nmtto proprios para a festa os quaes estt resulvido-a tender por
procos baratissimos como verao pela seguinte tabella,, e mesmo pede a todos os Srs. da
Sr
grades vantagens por ella offerecidas.
Manteiga inglexa a mais superior nesteje-| Cognac de superior qualidade a 800 re.agar
ero a 800 rs. a hora, e comprando de 4 rafa.
libras para cima a 72o rs., esto a 1 ^ ^^ superior a |)000 rs. a garrafa,
superior que pode haver, tambem ha mni*
baixas para menos precos
dem franceza muito nova 6o#-rs; a libra
e 56o rs. em barris ou meios.
Pe as seccas muito novas a 48o rs. a libra.
Cha perola de especial qualidade a ,800 rs.
a libra.
dem hysson muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem uxim a 2,5oe rs. a libra.
dem hysson a 2,3eo rs. a libra.
dem idem a 2,oeo rs. a libra.
dem preto de qualidade muflo especiar a
2,ooo rs. a libra.
dem idem inferior a *,6oo rs. a libra.
Chocolate, francez, hespanhol e portuguei, a dem de carnauba e composico a 32o e 36e>
Caf a 28o e32ors. a libra, e a 8,000 e
9*000 rs, a arroba.
Ceneja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,000 a 6,000 rs. a duzia, o 5o*
rs. a garrafa.
Consenas inglezas a 75o rs. o frasco e 8,600
rs. a duzia.
Doce em calda a 5oo rs. a lata.
Ervilhas francezas muito novas a 64o rs.
dem portuguezas a 72o rs. a lata.
dem seccas a2oo rs. a libra-
Bassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
VeHas de espermacete da melhor qualidade
a 600 rs. o maco.
que tiram, tanto na superiorfiide dos gneros como nos precos asss resumidos,
os Srs. que n3o poderem vir podero awndar seus portadores anda que nao tenham pra
tica, que serio tSo bem servidos como se vessem pessotlmente.
O interesso que tira o-proprieUlrio deste acreditado armazem, j deve ser bem co-
Bhecido pelos seus numerozos freguezes, pois simplesmente consiste em senir bem e ga-
nhar pouco, aflm de conseguir a connuac3o daquellas pessoas, que a primeira vez se dig-
narem honrar o seu estabelecimento.


9oo c l,2oo rs. a libra.
rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia Tijolopara limpar facas a 12o rs. cada um,
e de qualidades especialmente escolhidos,! Jl __.
de 2,000 a 4,5oo re. a caixa. Toucmho de Lisboa e Santos a 320 rs. a
libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
ha do Maranho muilo alva a i4o rs. a
. Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
Idem de araruta verdadeira a 4oo rs. bra. vmo, e outras qualidades a 1,00o rs. cada
Vinlio do Alto Donro engarrafados e os mais
lora escullidos, lagrimas do Douro, D. Pe- Passas muito novas a lo,ooo rs. a caixa e
dro V, t. Luiz I. Duque genuino, Nctar 5oo rs. a libra,
superior, Malvasi fina, Bastardo, e outros
a 11,000 e 12,000 rs a duzia e l.ooo rs. palitos lixados para denles a i4o rs. omaco.
a garrafa.
dem de flor a 2oo rs. o maco.
dem Cherry e Madeira a 1,500 rs. a garra- Preslinto para fiambre ingle7.es e americanos
fa e ICooo rs. a duzia. 85o a lil)ra
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,0001
a lo.ooo a duzia e 800 rs. garrafa. dem do Porto a 48o rs. a libra.
v I Oueijo prato a 800 rs. a libra.
Bo.ixinhas americanas a 4.ooo rs. a barrica, v r
Queijos flamengos Ghegados neste ultime
vapor a 2,000 rs.
dem do vapor passado a l,8oo rs.
dem prato muito. nows e de superior qua-
lidade a 4oo rs. inteiro, e- a 5oo rs. a*
libra.
Doce de goiaba fmo em caixSes com 2 '/
libras por 600 rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Manteiga ingleza flor a mais superior do
mercado a 72o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra.
Manteiga franceza de primeira qualidade a,
56o rs. a libra, e 52o rs. em barris ou
meios.
Cha perola neste genero nito ha nada a de-
sojar, e de especial qualidade, mandado
vir d conta propria a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim o melhor do mercado a 2,600
rs. a libra.
c a 3oo rs. a libra. dem flamengo vindos no ultimo vapora
2,8oo rs.
Batatas muito novas a 1,000 re. o gigo, e6o ^.^ ^^ m{0 oow a m ps
rs' a ",,ia- I a lata.
dem de segunda qualidade a 2,ooo ra_a
fcihra.
Idem hysson muito superior a 2,5oo re. a li-
bra.
dem preto homeopathico muito fino a 2,ooo
re. a libra.
Sevadinha de Franca a 2oo rs.-a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominbos, ervadoce e pimenta do reino a
3Co rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5oo re. a frasquei-
ra com *2> frascos, e a retalho 5oo rs.
cadaum,
dem em botija hamburgueza a 4oo rs.
Genebra de laranja a tooo re. os frascos
grandes.
Vinho de caj o melhor que ha no mercado
a l,ooo rs. agarrafa.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs.
a caixinha.
dem de dentes lixados a 16o rs. o maco com
2o macinhos.
Ervilhas seccas chegadas neste ultimo navio
a 16o rs. a libra, e em porcao se fez aba-
tnenlo.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
42o rs. em barril.
Vinho branco de superior qualidade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas com ricas eslampas a
l,2oo, I,5oo e 2,000 rs. cada urna.
UN1AO
H
laMa^lM
netromte da loja Pregali^
IIUARTE AliMETOA
icaba de abrir o seu grande e sortido armazem de molhados denominado Unida t Ctwt
itrete. Este grande armazem um dos mafs bem montados que temos em noMa Braca.
a5o s em limpeza e aceio, como oas qiulidados esptciaet desous. gooenx. Ofrofe
tario do UniOo e Commercio offerece i todos os senhores da prija, senhores de eogeaho
e lavradores a seguinte tabella por ande vero a grande economa que lhe resulu em
jomprarem era t5o til estabelecimento, aflancando o mesmo todo e qualqner genero
4ahido de seu armazem. ##*
Bollinho francez em latas e caixinhas asmis Cominho a 4oo rs. a fibra,
delicadas que tem vindo ao nosso merca-
do de 800 a 2,000 rs. a caixinha.
Manteiga ingleza perfeitamente R6r, man*da
vir d
libra.
Erva-doce a 5oo rs. a libra.
Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
contapropria, a Too a 800 re, a Palkos do gta 2,3oo re. a groza e 2o r. a
caixiolu.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a ^"WJ'pista a *6o re. a libra.
56p rs. a libra, e em barril ter abatanen-' Vmoqo a- 2o rs. a libra
to.
H. ingtae de 4 .16 .bras *?F%^?SrL*
Bolachinha de soda chegada neste ultimo
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha
grande porcao e de differentes margas,
vontade dos compradores. pa du mesm(j conten(lo 4 lj|)ra a ^
ilem em latas grandes a 2,ooo rs.
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem propria para lanche em latas grandes dem em latas de 2 libras por l,4oors.
a l,9oo rs. a retalho, e a 800 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra o
om barril a 44o rs.
Vinho em piqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo
a 4,000 rs. a caada, e 000 re. a garrafa.
Me.m de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27,ooo re.
dem do Porto muito especial a 5,5oo re. a
caada e 72o rs. a garrafa.
ldum era garrafoes com 4 ', garrafas por
2,5oo rs. com o garrafao.
Vinagre de Lisboa muilo superior a 2,ooo
ts. a caada.
dem mais baixo a I .'"tei rs. araada, e 2no
rs. a garrafa.
Idm em garraffie.- ctm i t garrafas por
l,2oo rs. com o garrafao.
Ameixas franceza^ em caixinhas con ricas
cstanpasno exterior de l.oo a2,ooore.
cada urna.
'de.rn em frasco de vidro de diversos tama-
itos a l,5o e 2,5oo r.-.
dem em latas de 11/2 e 3 libras a l,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 re. a libra.
Figos de comadre em caixinhas de 4, 8 e 16
librrs a l,3oo, 2,5oe e 5,ooo rs. cada
urna caixa.
dem dm caixinhas de follia a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo fs. a libra.
dem em latas ermetimente lacradas de 1,6o
a 3,ooo rs.
Arroz da India e Maranho a 80, 100 e 12o
rs. a libra, e 2,5oo e 2,8oo re. a arroba.
Amcndoas de casca mole muifo novas a 4oo
fs. a libra.
Ceblas novas a l,2oo rs. os molhos gran-
des e a l,ooore. o cento.
Alpiste a 14o rs. a libra e 4,6oo rs. a arroba.
Macarro. talharim e aletria muito nova a
4oo e 48o rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglesas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a l,2oo e
1,4oo re. cada lata. Azeite doce a 64o rs. a garrafa.
B'ilachinha de soda e lunch era latas grandes, Sevadinha de Franca muito nova a 2oo rs. a
Sag muito novo a 2oo re. a libra,
dem muito superior a 28o re. a libra.
Sabo maga de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a llhra.
I(l>'m inferior de 12o a 18o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
ris.
dem hamburgueza em frasqueiros a 8,800
ris.
Idem de Hollanda em garrames grandes a
5.5o6 re cada um.
dem em botija a 4oo rs. cada urna.
Garrafoes vasios de diversos tamaitos a 5oo,
fiio e I.200 rs
Gomma doAiacaty a80 rs. alibramuito alva
Graixa a loo re. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas e frascos-
de diversos tamanhos de 600 a 800 re. ca-
da um.
Marmelada imperial de todos os conserveiros
de Lisboa a 4o e 7oo re. a libra.
Massa de tomate muito nova a 64o rs. a li-J
bra.
Marrasquino de Zara a 640 rs. o frasco,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Gominhos muito novos a 800 rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Gravo da India a 64o re. a libra.
Cannella a 1,loo re. a libra.
Alfazema a 2oo rs a libra.

Sal refinado em frascos de vidro a 600 re. o
fraco.
Copos finos para agoa a 5,ooo rs. a duzia.
Chouricas novas a 72o re. a libra.
Mostarda franceza preparada e muito nova
a 32o re. cada um frasco.
Gonsenas francezas de superior qualidade a
640 rs, o frasco e 7,ooo re. a duzia.
a 2,000 rs. cada lata.
libra.
ATTENCiO.
Neste grande armazn de nntliados vende-se1 em grandes porefies e a rdt^ho,
fazwido se dferensa ?esic'eravel a quem coapiw de 100A para cima.
800 rs, a libra e o pote separado,
Castanhas muito novas a 2,ooo rs. a canas-
tra e a 160 rs. a libra.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria a 2,8oo re, aflibra.
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs.
alibra.
dem preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra.
(dem preto, mais bai.xo, a 2,ooo rs, a fibra.
dem, verde, miudinho, mais proprio para
negocio, a l.,5oo rs, a libra.
Banha de porco refinada muito alva a 46o
rs, a libra, e em barril se far abatimento.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas;
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies.
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a
l,4oo rs, a lata.
Bolachinha de sdo, especial eneommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Biscoito uiglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
Queijos do reino p'elo baratissimo preco de
l,6oo, 1 800 e 3,ooo rs os doiiltimo
vapor.
dem prato muito fresco a 64o rs, a Ubra.
dem loitdrino muito fresco a 800 re, a libra.
Vinhos empipa: Porto, Figueira-e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,000 a
4,5oo re, a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Frntasem caldas daseguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas,
ginja, pecegos e alperch a 5oo rs, a lata.
Figos em caixinhas de 1 V* arroba e de 8 fi-
bras a 8,000, 4,000, e 2,ooo rs, ea 3eo rs,
a libra.
Ameudoas de casca mole a 28o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardmhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Marmelada imperial dos melhores fabrican- .. .__.., ., .
tP* rtP i khoH i in is 1 libra 1Flgos de comadre muil novos em bahuz-
te. de Lisboa a b4o re. a libra. nhosmuilo proprios para mimo al ,28o rs.
Frutas em calda em latas de l.ooo a 5oo rs., ,._ nm ... ,.
oeste genero ha diversas qualidades a es- le* <* P^ra retalho a 16o rs. a
colher. llDra-
Champanha superior das marcas mais acre- Passas ,de carnada a 48o rs. a libra e em
ditadas a i,5oo rs. a garrafa e 15,ooo rs. n 4uart0 com 8 ,lbras por 2,5oo rs.
o gigo.
' Bolaxinhas inglezas de superior qualidade f
Seneja das melhores marcas que vem ao 2,000 re. a barrica, e a 2oo rs. a libra *
mercado a 800 rs. a garrafa e a 5,ooo re.'
a duzia Chocolate francez o melhor que se pode de-
.. sejar neste genero a l,ooo rs. alibra.
dem preta superior a 060 re. a garrafa e a,
5,4oo rs. a duzia. 1 ^acas para sopa estrelinha, pevide, arroz de! Toucinho de Lisboa a 36o rs, a libra e em
Vinho Bordeaux de differentes marcas, e as maca a 48 rs- a *ra, e em caixa a 2,000 roba ter abatimento.
melhores do mercado a 7,000, 7,5oo e l^^'^?*** ta,herim' e ale" I Massa de tomates a 64o rs, a libra.
8,000 a caixa com urna duzia, e em gar- : ina a rs- a "Dra
rafas a 64o, 7oo e 800 rs., garante-se a' Amendoas de casca mole a 4oo re a libra Pimenta do reino a 3io rs< a ,ib^a
boa qualidade.
., ..., ia Avelans muito novas a 2oo rs. a libra,
dem Figueira de superior qualidade a 48o
rs. a garrafa e 3,5oo rs. a caada. Ervilhas francezas muito novas em latas
j a 1 u a o 1 l grandes a 64o re.
dem de Lisboa a 2.800 re. a caada e 4oo
rs. a garrafa. i dem em ditas pequeas a 4oo re.
dem do Porto de superior qualidade para M de ^^ m h ,(> { m
mesa a 5u0 re. a garrafa, e 4,ooo re. a ca- ^4o ^
nada.
Salmo era latas de 1 /i libra a 800 rs.
Idem fino do Alto Douro da colheita de 1833, Lagostinho em latas randPS a 4(l0 rs ^
como sejam: D. Luiz, Featona velho, Nec-, da uma 8 '
tar, Carcavellos e Cambes em caixa de
uma duzia a 9,ooo rs. < Sardiohas de Nantes a 36o re. a lata.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa,
a 1,000 rs. a garrafa e lo.ooo rs. a eaixa. cgf ft.ancez da$ ^^ ^^ do mer
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge- cado a 800 rs. a garrafa.
ra.i&2Td5ra 9u0 rs- *g,m'. B"a,"s *^das rate *- io -
Garrafoes com vinho do Porte a 2,2oo rs.
cada um.
xa com duas arrobas j>or i,600 re., e 4o
rs. a libra.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a Concenas inglezas a 75o rs. o frasco.
2oo re. a garrafa e l,2oo rs. a caada, j c ,
' Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Azeite doce refinado era garrafas grandes a!Mostarda ingle:a a l.ooors. o frasca
800 rs.
dem de Lisboa a 64o rs, a garrafa, e em
caada a 4,8oo rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo re. a
libra,
dem de lamego eneommenda particular a
48o re. a librar e inteiro se faz abatimento.
I dem franceza a 4oo rs. o pote.
Milho alpista a 16o rs. a libra e 4,800 rs. a
arroba.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 re. a libra, e em arroba a 9,ooo re.
Velas de espermacete de 4, 5, e 6 par libra
a 560 rs., e enfrcaixa se faz abatimento.
dem de carnauba refinada a 32e rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba.
dem de carnauba pura do Aracaty a 4oo re.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.
Gomms mnito fina e alva a 80 re. a Hbra.
Araruta verdadeira a 32o re. a libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 12o rs. a fibra.
Graixa muito nova em latas grandes a 120
ris.
Latas cora peixe em posta emticamente
lacradas das melhores qualidades de pe*
xe que ha em Portugal a l,2oors.
Sag mnito aovo 24o re. a libra.
Caf lavado de Ia qualidade a 32o rs., dito
de 2a a 28o rs. a fibra e 8,2oo rs a arro-
ba dito de 3a a 26o rs. a libra e 7,8oo
rs. arroba.
Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Eelix a 2,5oo rs. a caixa com loo'
charutos.
dem finos de diversos fabricantes a 1,600.
l,8oo e 2,ooo re. a caixa com loo charu-
tos, Jo preco a3o indica a boa qualidade
porra deem-se ao trabalho do virem ou
mandaren e verto a realidade.
Farinha do Maranho a 14o rs, a libra.
Cbelas a 4oo re. a^restea.
Tijollo para limpar facas a 16o rs,
Ceneja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a Hbra,
Genebra de laranja a 9oo *rs, o frasco,
Chouricas as mais frescas do aereado-a 800
re. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oors a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com uma duzia.
Licores franceres das seguimos marcas: Ani-
zete de Bordeaux*, Plalsir des clames, e de
outras muitas marcas a lo.ooo re. a duzia,
e a 1,000 agarrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
re. a caixa. Ha caixas, meias e. quartos.
Batatas a l.ooo re. o gigo com 38 libras.
Bolachinha ingleza a 4oo re. a libra,
Azeite francez e portuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,000 re. a caixa com uma du-
zia.
Consenas inglezas das seguintes. marcas:
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 800
re. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
GrSode bico a 16o re a libra, e em arroba
ter abatimento.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muilo
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,00o a 3,ooo
rs, cada um.
Sag muito novo a 28o re. a libta,
Sabo verdadeiro aespanbol, que raras vezes
vem ao nosso-mercado a 28o re. a libra.
Vinho branco o mellor este genero a 6oe re
a garrafa e 4,000 rs. a caada.
dem Bordeaux de differentes mineas, garan-
te-se a qualidade, a. 8.000 re. a caixa cora
urna duzia, e a Too rs. a garrafa.
GarrafDes com 5 garrafas de.vinho do Porte
flo Alto Douro a 2,2oo re. com o garraOk.
dem om 5 garrafas de vinho Figueira, mais
proprio para a nossa estacao por ser mais
fresco a 2,4oo re. com o garrafao.

dem cora 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafao,
SabSo massa de superior qualidade a 18a,
2oe, e 22o rs. a fibra do melhor que ha
Graixa em latas muita aova a 12o re. a lati-
nha, e l,3oo re. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvinsalmao e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
coznha, de i,2oo a 2,ooo rs. a lata.
dem di Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escomido peaBoatmente por um
des socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho, Nctar superior de 1833, Buque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luis I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a 1 2oo re. a gar-
rafa e de lo.ooo a 12,ooo rs. a caixa com
uma duzia.
Vassouras americanas a 800 re. cada uma.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. e raasso, e em
caixa se far umjgrande abatimento,
dem de carnauba e coraposicao, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs, a II 5oo
re. a arroba,
Caf de Ia e 2a sorte de 8,3oo a 8,600 re. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da ludia, Maranho e Carolina a 3,000
2,800 e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
ubra.
Frasqueira de genebra a 5,8oo re. e a 5oo
re. o frasco.
Azeite doce*m barril muito fino, a 64o re.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
41o re. a botija.
lacalho a 14,5oo a barrica.
Ervilhas franceza e portugueza a 640 rs a
lata de uma libra.
Chocolate francez, hespanhol, suiaao e por-
tuguez a l.ooo re. a libra, e a 28o rs. ca-
da peo de urna '/i.
Garrafoes vasios de 5 garrafas at 3 caadas
de 5oo at l,3oo re. cada um.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,oqo rs.
cada uma; tambera ha frascos e lelas de
differentes tamanhos que se vendis por
mdico prece.
Massas para sopa: macarrao, talharim e ale-
tria a 48o re. a ubre, e em caixa se fari
abatimento.
Garrafoes com 14 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Baha de 3,ooo a 4,ooa
rs. a caixa.
ATTES^AO
Todos os senhores que compracem para negocio ou casa particular de 1000 para
cima tero mais 5 a 10 por % de abatimento; o pnopriatario scientfica mais que todo
os seus gneros sSo recebidos de sua propria encopimendi, razSo este para poder vea-
der por muito menos da que em outro qualquer esta!
4
1
i.


M
td
r*t II
t
S liA lUai DO C VHHO 9
GRANDE SORTEVI
DE
38RUfl 00 lMPtBAOOR-38
A FESTA.
Agna natural de Con III.ir.
muito recommendada nas affe.cc.5es do tobo gastro-inlartioal, nos dos rin?, e bexica ourinaria, pela
suas propriedades alcalinas, o acido carbnico que^naturalmente contm em suspensao, de preai
oais commodo que a agua de Vieky, e de propriedades talvez superiores pela grande quanticlade de
acido carbnico, Injecco llrou, agua i fe" Chteleu, capahiba de Mege, tnjec^ao Fijas de lanato
de zinoo, ronito recommendada nas gonorrheas. Le troy francez verdadeiro ; na mesma casa (em
algumas caixas de instrumentos cirurgicos para operacoes de Matieu e Caarriere. ..
psito mm\
19 Roa d'Apoli i9
Espeelalldade de vinho
de Borden*
>rdeaux superior a du-j
zia 6#000.
Licores, cognac, verraouih o oais barato
que nunca aparecen.
Participara sos seus numerosos fre^uezes e ao publico em geral que acabam de
receber de sua propria encommenda, o mais lindo e eompleto sortimento de molhados,
os quaes vendera por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
amnunriante, como verao peta seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
ara proprietarios uo s o peso como a qualidade de seus gneros.
AVISO.
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular de iO0# para
cima terfio mais 5 a Wpor cento de abatimento, os proprietarios scientificam mais^que
todos os seos gneros sao recebidos de sna propria encommenda, razo esta para poder
vender [>or mnito menos do que outro qualquer estabelecimento.
CasUohas muito novas a ,oeo rs. a cauta, e
a 10o rs. a libra.
Manteiga inglesa perfeitamente flor mandada
vir de conta propria a 600 rs. a libra.
dem franceza amis nova do mercado a 060
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
dem de porco refinada muito alva 4Go rs.
a libra.
Prezunto para fianbre a 800 rs. a libra.
Cha uxim uiudiuho viudo de conta propria,
o melhor do mercado a 2,8oo rs. a libra.
dem hyson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o melhor que se pode desejar a
,7oo rs. a libra.
dem preto muito lino a 2,5oo rs. a libra.
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra.
dem mais bixo a 1,800 rs. a libra.
Vmho do Alio Douro viudo do Porto engar-
rafatk) ganuite-se a superittridade'deste vi-
nho, das segutntes marcas : Duque, Ge-
nuiuo, velho secco, especial lagrimas do-
ces de 1819, vinlin especial D. Pedro V.,
vinho velho, Nctar superior de 1833, Du-
que do Porto de UM4, vinho do Porto ver
U10 superior, madeira secca de superior
qualidade, vinho do Porto superior D. Lu-
17.1 "del 817, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de I.oooa i,2oo rs.
a garrafa e do 10,000 a 14,ooo rs. a caixa
<*om urna duzia.
Bolacliinha de soda especial encommenda e a
mus nova lata.
Biscoitos inglezos das melhores marcas em
latinhasde 2 libras a l,3oo rs. a lata.
dem ingieres crakncl era latas de i e 7 libras
de 5,ooo a 6.000 rs. a lat, e em libra a
800 rs.
*
Queijos do reino chegados pelo ltimo vapor
de 2,000 a 2,2oo rs. cada om.
dem prato a 7oo rs. a libra.
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas
como sejamBd- F., PRR, JAA, outras
militas marcas. Porto, Lisboa e Figueira ;
de 48o,.5oo, 56o, 64o e 800, rs., e o do
Porto fino em garrafa, e em o nada a
3,000, 3,5oo, 4,oeo e 6,5oo rs. o melhor
do Porto.
dem Bordoaux das mais acreditadas marcas
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,000 rs. a caixa.
Garrafes com 5 garrafas de superior vinho
do Porto a 2,2oo rs. com o gatrafo.
Mein cora 5 garrafa de vinho da Figueira mais
proprio para a nossa estacSo por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garraao.
Vinho bianco o mais. superior que vem ao
nosso mercado a 600 rs. a garrafa, e a
4,2oo rs. a caada.
Velas de esparmacate as melhores neste ge-
nero de 56o a 64o rs. o maco, eem cai-
xa ter grande abatimento por ha ver
grande porco.
Azeile doce em barril muito fino a t*4o rs.
a garrafa e 4,800 a caada.
dem francez refinado a 800 rs. a garrafa.
lj villias francezas epurtuguezas a 64o rs. a
lata.
dem portuguez a I8o rs. a libra.
a libra, e em
dem de Santos a 32o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 36o
arroba ter abatimento.
Caf de I/, 2.ae 3.a qualidade de 26o, 3oo
e 36o rs. alibra, doCear de8,2oo, 8,4oo,
e 9.2oo rs. a arroba do melhor.
Arroz da India, Java eMaranhao de 2,2oo a
3,ooo a arroba, e de 80 a loo rs. a libra.
Passas muito novas a 8,5eo a
a libra, ha caixas meias e quari
Sevadinha de Franca a 24o rs. a libra
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
e 5oo
Vellas de carnauba e composico de 32o a
36o rs. a libra e de io,ooo a 11 ,eoo rs. a
arroba.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ouem barrica
tora abatimento.
Massas para sopa macarrao, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
dem estrellinha, rodinha e pevide em carxi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,5ooa 3,5oo rs. a caixinha e a Coo rs. a
libra.
Doce de goiaba em caixas de diversos tama-
itos de 600 a 1,000 rs. o caflo.
Sabiio massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, sahno e outra6 muitas qualidades
preparada de escabeche 2." a arte de cosi-
nha de I,2oo a 1,800 rs. a lata.
Figos em caixas de 1 arroba, '/j e 8 libras
a 8,000 4,ooo e 2,000 rs. a caixinha.
Frutas era calda de diversas qualidades a
ioo rs. a latinha.
Marmelada imperial dos m Inores conservei-
ros de Lisboa a 7oo rs. a I. tinlia de I libra,
ha latas de 1 '; e 2 libraa
Massa de tomate em latas de 1 libra a 64o
rs. a lata.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas de l,5oo a 3,000 rs. a
caixinha, tambem ha latas de 1 1 a 6 li-
bras de I,2oo a 4,5oo rs. a lata.
dem em frascos com tampa de rosca a 1,600
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez c
suisso a I.ooo rs. a libra.
Conservas inglezas das seguintfs marcas:
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs.
o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Sardinhat de Mantos a 32o rs. a (atiaba.
Charutos das mais acreditadas marcas da
2,5oo a 4,000 rs. a caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de I2.ooo
a 24,ooo rs. o gigo, e de l,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve pautado ou liso a 3,5oo rs. a res,
ma.
dem de peso pautado ou Hzo de 3,5oo a
4,000 rs. a resma.
Gomma muito fina e alva a 8e rs. a libra.
Milho alpista e painso de 46o a 4oo rs. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Vasos inglezes de 4 a 16 libras vastos, muito
jroprio para deposito de doce manteiga
ou-entro qualqaer liquido de 1,000 a
$,000 rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a i ,00o rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. agarrafa
e 10,5c rs. a caixa.
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a \
1,000 rs. o fcasco.
Serveja das mais acreditadas marca* de
5,5oo a 6,5oo a duzia e de mais a 5oo rs.
a garrafa.
dem em botijas e meta?, sendo preta da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
rs. a duzia.
Ceblas em molhos grandes a 1,00o o molho
e em restea a 4oo rs. cada urna,
Pimienta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Cominho a 64o rs. a libra.
Erva doce.
Canella a 1,00o rs. a libra.
Batatas a 1,000 rs. o gigo com 32 libras liqui-
das.
CONSERVATIVO E CONSERVADOR
21 e 23-Largo do Terr;o-21 e 23. I
Joaquina SimDes dos Santos, proprietario destes estabelecimentos de molhados I
participa ao publico e a todos em geral, que vende nos seus armazens os gneros por
menos de 5 10 por cento do que em outra qualquer parte, garantido-se pela superior
qualidade.
Manteiga ingleza perfeitamente fl5r a 800 rs. a libra.
dem franceza, vihda pelo ultimo navio a 560 rs. a libra e 540 rs. em barris ou meto.
Banha de porco refinada, a 400 e 44o rs. a libra.
Velas de espermacete e carnauba a 860, 400 e 600 rs. a libra.
Gaf do Rio de Ia e 2a sorte a 270 e 300 rs. a libra, e a arroba a 8,5500 e 9/000 rs.
Batatas em caixas com 2 arrobas por 20000, e a 4o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa, a 32o r s. a libra, e a arroba a 9^000, ou barril.
Cha de Ia, 2a, 3a e 4a sorte a 2#800, 20500, 2)J000, e 1,5800 a libra.
Azeite doce de Lisboa a 30000 o galo, e a 600 rs a garrafa,
dem de cafrapato, a 280 rs. a garrafa, e a 2*000 a caada.
Genebra verdadeira de Hollanda, marca gallo a 400 rs. a botija.
Milho alpista o mais limpo que ha a 160 rs. a libra a 4800 rs., a arroba.
Vinho verdadeiro Figueira e Lisboa, a 500 e 400 rs. a garrafa e a caada a 30500 e 30000.
dem do Porto, a 49500 a caada.
E alm dos gneros annunciados ha outros moHos baratissimos, assim como
queijos novos, chouricas, servejas das melhores marcas, aletria, ameixas sevada, comi-
nho, erva-doce, pimenta, sabo, canella, phosphoros do gaz, que tudo se vende por
menos de 5 10 por cento, a dtnheiro contado.
FCNMCAO IIO JKOVI IIAA-KI A I
ii ii i n iv. ss*
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento da
machinisraos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seos pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhes.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
i Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
i Arados americanos, etc. etc.
PEHIIHA
.Cuttodio Carvalho & Compa-
nhia.
19Ra do ftuclniailo9.
Novas laznhas escossezas muito lindas, fazen-
da acorpada, propria para vestidos de senhora e
enancinbas, pelo barato preco de 240 cada co-
vado.
i iVrfimf da BMa.

AGTJA FLORIDA
De Murray & Laimian.
GRANGEIASantiblennorrhagicas de DUNAND
-INT. do HOSP. dos VENREOS de PARS 1o PREMIO 4854
Superiores tlodua prcpatcS conheiitlnieVkujcontra as omitIim* e mn<*f---------.-- -*'
Bifolio wgnro eprompto, sem duhh n mli. ..._.. r. i lomar em segreJo sem usana.
Injecgao curativa e preserva ti va
Infalllv*!. cor com rapidez trm dtrm os escorriraenlM contagiosos de ambos sexos. riori brancas. Adstrlnganu e
Wliamicaum tautlicidade,ortiflea oa Ugumentoe os preserva de qualquer aheraclo. PARS. S, rut du Marcht-St-Homr.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros de Rarboza
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOR.
Ra da Srnzalla nova n. 13.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
AS SENHORAS.
Ricos cortes de laa de lindas cores o os mais
modernos ( Maria Pia) acabam de chegar a este
mercado pelo ultimo naqnete da Europa, e vnde-
se em porco e a retalho por prego maito e muito
barato: na ruado Crespo.loja que fax esquina para
ra das Cruzes n. 20.
Bste raro quilo delicado pert'nmc
quasi que inextinguivel c to pheo de
miuosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das propria verdeeen-
to Sorc-8. Dorante os mezes caloren-
fos do Verao o sen uzo torna-so minen-
teniente aprazivel c desejavcl em ct>n-
sequcucia da iniluei:cia refrigiraute o
suave que ella produz sobre a pelle:
em quanto que tizada no banho ell*
imparte o corpo lnguido e caneado
jrmn certa elasticidade de vigor e forja.
Ellt imparte transparencia as feiraes,
c remove pannos, sardas e lertojas di
yohrc apelle.
II TOiMCO 0RIEOT1L DE KEMP
PARA OS CABELLOS,
nina preparaco *nh- i"ira hm'
_-., ,*i> Tinosear, conservar e restabele-
teer os cabellos.
A venda nas boticas de Caors 4 Barboza,
roa da Cruz, e Joo da C. Bravo d C, ra
da Madre de Dos.
Che|ado pelo vapur:
Si* |>araWgtlMite, ra lo Cres-
po n. 7.
At q'itj tigaram as muitu (fesejadas catrarcv
Ibas da to no certtfo', coua molto elegante para tfate, j<>im
como de outras qualidades. e prava muito rwoa-
veis : so no vigilante, roa do Crespo, n. 7.
Para dar de mimo.
Chefarara as riqulssinias nonecas de todos os
tamanhos, vestidinhos ricamenti enfeitados, cada
um emsua caixinha, propriamente para um deli-
cado mimo, potbaratissimo preco: s no vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Para os seuhores barhaivis.
Chegoa a tempo a riquissima tita de chatnlolc
para cartas dos senhores baebarois, assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
sinlos : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pculca de marrara.
Fambem chegaram os riqnissimos pento? de
raarrafa com pedrinhas.os lindos peMH regace
para meninas, meias de seda e sapatinhos proprwo
para baptisados, meias de seda para senhora, Otas
de lia para debrum, fita de linho, trnnea- de la,
de linho e de seda, luvas de seda e pelHra, o lio de
Bscoa'a e camorra, artinetcs de cabera cli.iin, car-
teirinbas com todas as agulhas precisas para cos-
tura, fivclas do madreperola esmaltadas do .ice
parasintos, flores de todas as qualidades, caixinhas
com pastirhas de perfumara, abafad^ris de ha
para senhora, toucas e sapatiuhos do laa. pul
nhas de borracha para segurar mangiMitox 6ta
cordes de borracha, sabonetes redondos,
chamados de familia, pomadas de todas as quali-
dades e dos fabricantes mais afamad. ttem le
pratiados muito finos, retroz de todas as qualidades,
i retroz em carretel e em novello, e de Blenda, 2e
todas as cores, escovas para denles, ditas para rou-
pa, ditas para chapeo c ditas para unba,
' os precos, e outros mais ohjcctfls, pw ? toru.iri
eufadonho annunciar.e vista dos frcgneies pto-
, nielte-se fazer todo o negocio: s no vigilante, ra
' do Cespo n. 7.
Um chapeo por 400 rs
Se no Vigilante
Custodio Jos Alves Guimares, lendo arremata-
do urna grande porco de chapeos de sol para me-
ninas, e qnerendo que seos frefoem patilhe le
tal pechincha, est os dando pela diminuta quanlia
! de 400 rs.: quem deixar de comprar mismo pa-
ra as senhoras irera ao banho cobertas do sol.
S no Vigilante, na do Crespo n, 7,
Unha.
Tambem arrematon orna grande porco de I urna
preta muito forte em massosde libra, que se ven-
de pelo baratissimo prego de 800 rs. rada um s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Botos.
Lindissimos botes para punhos lano para ho-
rnera como para senhoras, pelo barato proco de-
840 rs. o par : so no Vigilante, ra do Crespo,
n. 7.
i: l>:ir;t(issfnio.
* Francisco Pinto da Costa Lima com
estabelecimento de alfaiate na ra larga
do Rosario n. 38, primeiro andar, vende
pannos muito finos a i-j c \5'M) rs. o
covado, fazenda que pela sua superior
qualidade val 94 e 105 o covado. As
pessoas que aproveitaudo a pechincha,
comprarem dos ditos pannos podemque-
rendo mandar fazer as obras no estabe-
lecimento do annunciante, pois scrao fei-
tas com presteza e por mdico preco,
tanto sobrecasacas e paletots, como ja-
quetas e paletots para meninos.
de boiu fabricante
Lourenco Pereira Mendes Guimares vende bo-
tinas francezas para hoTnens, a dinheiro vista,
por proco que admira vista da perfeicao da obra:
na sua toja de azendas e roupas teil'as : na ra
da Imperatriz n. 06.
ROM E BAMATO
Manteiga ingleza flor a 800 rs., franceza a 600
rs., ohouricas novas a 700 rs., toucinho nevo a 320,
arroz a 400 rs., gomma de araruta muito alva e
nova a 100 rs,, espermacete a 600 rs., vinho da
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a garrafa, cana
da a .ta e 3fi800, do Porto a 640 a garrafa, cana-
da 4J&00, azeite doce a 646 a garrafa, de carra-
pato a 280, banha de porco retinada a 400 rs., quei-
jos novos a 25 : na ra das Cruzes n. 24, esquina
da travessa do Ouvidor.
ptima acqnislco de es-
tabelecimento.
Yende-se a loja de ferragens da roa da Cadeia
do Recife n. 64, com pequeo fundo e ainda bem
sortida, tanto de ferragens como de miudezas, as
quaes estao em bom estado, vende-se s com as
mercadorias, e garntese o arrendamento da casa;
propria para algum principiante, nao s por ter
pouco fundo como por estar j afregaezada e ser
urna das lojas mais bem localisadas desta cidade :
os pretendemos podem dirigir-so mesma loja,
nao s para examinarem o balingo como o estado
das mercadorias.
ESC1UY0S FGIDOS.
Fugio do engenho Pirau da conrirca da ci-
dade de Nazareth em 20 do mez de majo do cor-
rente auno 18413, uoi malatinho du nomo Manocl,
de idade 15 annos, levou vestido canica e c'erouia
de algodaozinho azul, um tanto descolado tem os ps feios e es dedos defles ai rol.ados, os
ps adianto largos e os calcanharc9 linos, tem o
costme de andar com a cabera haixa, cabellos
estirados, de cabocolo : quemo pegar e trouwr
em dito engenho ser recompensado com 200.'
"Rs.Tftvo f\trillo.
OO^OOO de ratlO .v'o.
Contina fgido desde Janeiro o mualo de nomc
Raymundo, natural do li, estatura n guiar, idade
de 18 annos, cabeca chala, cabellos rarapinlios,
testa grande, rosto oval, com urna fstula na face
esqnerda, macaas salientes, dentes IHnadM [onfi-
dos, bocea regular e principio de buco, ps e mies
pequeos, costumava aajar caicada, e intitulava-
e livre : quem o apprehender, dirjase ra da
Cadera do Recife n. 21, Luiz Amonio Sequcira,
que entregar a referida gratifieaoaV.
Acha-se fgido desde Vi do mez prximo passa-
do o escravo crioulo de nome Augusto, ron 18 an-
nos de idade, secco do corpo, tem o bramo dos
olhos enfumacados, qnando anda k varia m dedos
dos ps, muilo prosista, traja roupa minio soja,
tem serapre no hombro um panno de que faz ro
dilha para ganhar pela ra: quem o apprehender
leve ra do Livramento n. 31, segundo andar.
que ser gratificado.
Fugio no dia 21 do correnle o preto Luiz,
poroccasiao de ter ido a refinacao bosrar meia ar-
roba de assucar, para o.qnal linha levado o c*i-
nheiro, o preto tem os signaes seguintes : idade
40 annos, pouco mais ou menos, altura regular,
corpo secco, barba pouca, com falta de denlos na
frente, apenas tem 2 no lado superior, tem nina
quebradura do lado direito, foi de engenho e por
isso julga-se que tomara o destino do inafn, tenrto
ha quatro mezes feito urna fuga, foi pegado no ca-
minho da Escada : quem o apprehender leve
padaria allcmaa ao p da fundicao, que ser gra-
tificado.
LISTA GERAL
73
DOS PREMIOS DA LOTERA EXTRAORDINARIA,
L 4.'
5.
PARTE DA CONCEDIDA A BENEFICIO DAS ORBAS DA IGREJA DE NOSSA SLNHOUA DO GUADAL!
DE OLLNDA, EXTRAHIDA EM 24 DE DEZEMBRO DE 1863.
----------------- US. PREMS. .\S. PREMS. NS. J REMS. NS. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS
4 105 183 105 378 105 522 405 728 105 875 2005 1048 105 1227 105 1397 105 1575 105 1797 105 1937 105 2141 205 2310 10,
6 84 82 33 105 33 1005 77 105 51 _ 29 1402 _, 77 405 1801 ogj 42 47 105 11
7 85 90 34 34 2:005 M 62 aaM 13 5 8 13 14 80 105 4 ^j 44 49 13
8 89 92 43 405 35 1005 83 65 , 37 87 8 _, 46 57 15
II - 90 97 45 105 36 105 85 68 g^m 39 94 18 _ 48 60 17
21 93 98 46 38 90 69 ^ 44 1601 21 _ 51 63 24
28 97 99 49 43 903 2005 72 205 ol 16 _ 13 23 58 67 27
81 208 400 61 47 6 105 73 105 56 21 _ 16 25 73 76 33
38 10 n 8 ^_ 62 48 8 78 _ 57 27 27 29 78 83 35
41 17 __ 18 __ 69 49 __ 13 _ 79 63 34 _ 33, 33 79 205 84 205 36
42 25 __ 20 _ 70 61 __ 14 _ 89 68 35 _ 37 37 80 105 92 108 42
83 28 __ 22 __ 72 62 405 99 *Of 71 38 _ 38 __ 41 82 205 94 50
37 41 1005 30 _ 79 63 105 20 1102 105 72 40 47 45 ~i 88 105 95 57
59 45 105 35 __ 82 69 25 3 74 41 , 48 _ 47 97 __ 2204 65
5 46 _ 36 - 83 205 71 208 26 li i , 83 42 87 _ 60 2019 _ 7 74
70 80 47 51 38 39 85 89 * 73 83 105 27 34 16 28 85 87 205 50 55 63 73 61 62 205 10* 21 31 4905 205 8 18 84 93
87 ~ 55 41 96 85 36 205 33 _ 92 105 60 78 68 . 32 105 25 __ 94
88 ~" 63 43 600 88 37 105 35 ... 93 62 205 80 71 36 27 ^_ 96
99 101 5 18 ^~- 64 47 1 205 90 - 44 __ 36 B- 94 ^m 70 10| 83 72 45 29 _ 97
^ 67 1005 49 , 3 10 9t 50 41 _ 98 71 92 73 46 -!- 31 mm 2401
~~ 70 105 51 6 94 51 44 1302 8p 93 75 "- 47 33 3
^~* 72 _ 52 ^. 17 - 96 54 52 __ 5 _ 87 _ 1703 ^-w 76 50 --- 34 7
19 M 73 54 _ 24 99 64 58 mm 6 __ 88 4 _ 77 i 54 37 8
n 23 39 " 74 55 M ao 802 67 61 fmm 12 __ 97 * ___ 78 55 39 17
86 56 35 8 68 62 205 17 __ 1501 H 10 __ 84 " 60 40 18
91 58 405 36 16 :^ 72 66 105 18 __ ' 10 0y 13 _ 87 "* 61 53 21
41 405 99 60 105 40 24 J3 67 19 _ 11 p^, 20 _ 88 f?-1 62 57 22
5005 307 _ 61 42 26 205 84 77 21 21 22 91 3 ~~ 4 ~J 59 31
43 405 10 __ 3 45 91. 10\5 8 78 28 , -.1^ 25 _ 26 _ i 6 64 37
45 105 13 __ 68 48 _ 94 83 47 _ 34 35 97 99 99 65 40
54 17 74 49 32 n 96 86 48 37 42 73 ^ 66 44
B __ 31 75 52 34 205 98 89 41 _ 44 _ 1900 M 205 69 49
58 __ 32 _ 78 60 35 105 99 94 90 __ 43 _ 4& 1 78 105 70 50
66 _ 37 v 92 67 37 1001 _ 96 61 44 54 3 82 73 52
67 M. 55 _ 96 73 m _ 3 _ 1200 _ 64 47 56 405 9f ~ 76 55
73 __ 56 _ 97 74 .39 _ 9 _ 3 _ 65 405 49 63 105 7 2114 87 80
74 aa 59 _ 99 87 45 ni 10 _ 6 66 105 53 65 11 19 94 205 82
75 __ 60 504 _^ 700 _ 48. M) 20 i. 72 56 67 48 20 96 105 83
77 68 i 6 ... 6 ... IB _ 23 10 74 61 75 24 23 97 85
78 ' _ 71- m 7 9mm 9 _m 65 2005 25 405 23 _ 85 64 . 78 * 25 205 98 88
79 _ 73 11 13 __ 11 33 105 25 -/ 86 68 - 83 :15 35 105 2305 .-r
82 75 J 17 20 10:0005 38 26 9- 91 70 -f 88 1 %%
Oesi riv5o, Sevtr iano Jos de Moura. - A Prt.= Typ. de Manoel Figurina a* Faria & filho-- = 8< >3.



$
Mario Je PenuuilNK fea**** t ^JtMrtr^'V".

_UTTERATB|L
Crla pastoral do E\m. e Rvm. Sr. B.
Manoel I. card al pitriareha de Lis
1)6 condemnando a obra de Renn,
sobre Jessl.hiisto.
queotes : assim era preciso que ansie** f*t
corar deste modo os seas desmanchos e descon-
T, t
km ravor da doutrina que delxainos exposta,
meus amados filhos em Jess Christo, nos pode-
riamos adduzir ontros muitos lugares fas' Sagra-
| das Escripturas, e que nao s menos claros,e Wr-
| minantes do que aquella que referimos do Anbsto-
A' todos os nossos amadas subditos, eodesiasti- |0 das genles; poder/amos chamar em nosso air-
nos c seculares deste patriarchado, prelaria de i0 estas palavras, que o Espm Santo consignoa
Tliomare grao priorato do Grato, satide, paz no livro do Ecclesiastico :
e hengJo em Jesus-Christo, nosso divino salvador. Bemaveturado aquello que pode tran*redia
Constando-nos, eom grande magua lo nosso co- w.deDe0Sf e nSo a transara, o que poV fazer
ragao, que nesta cidade e patriarchado correm o mal, e nao o/.-() Poderiamos invocar as pa-
impressos muitos I.vtos eopsculos com diversas ,ams ^ a Mo m seQ Apoe;UvpSe ._(%)
e especiosas denominarles, por meio dos quaes o .
espirito do erro e da mentira procura, com incri- Bemaventurados os que morrem no Scntaor ; de
vel despejo, propagar doutrinas subversivas da hoje em diante descancem dos seus trabamos, por-
sociedade, da moral e da religio eatholica apos- que as suas obras os seguem. (
tolica romana, que felizmente tambem a religio Poderiamos dar, talvez, a estes testemunhos o
ido, e deyendo-pj, como nina das sentinel- colorido que Ihes pertenee, e opprimir com elles os
jas, a qnein o Senhor se dignou collocar sobre os que ousam afflrmar que "nao lia no homem mere,
uniros da cidade santa, (4} vigiar o rebanbo que cimento proprio.
nos foi wnfiado, e advertido dos precipicios e tila-1 Renunciareraos comludo o espirito de controver-
das a que est exposto, ensinando-o, e, ao mesmo sia e de dispuU( que> na Conjunctura presente,
tompo, esjfcando-o a resistir com valor aos as-, ma, se compaaece C0UJ a indole do nosso minjsle.
saltos c machinares insidiosas dos sens ininii- ^ Tl0> e epenas diremos quo os protestantes, admit-
gos, (i) que incessantemente o cercara para o de- ao. como a(imitem( as Sagradas Escripturas,
varar, (3) julgamos que faltaramos ao mais m. | nao p^,,,, sus,entar essa pr0posic:3o errnea, que
no delirio das suas paixoes chegaram estabele-
ccr, sem que se exponham ao perigo manifest de
serem considerados como incoherentes e contra-
ditorios comsigo mesmos.
A segunda proposigo, que parece estar intima-
mente ligada com a primeira, offende do mesmo
modo a doutrina eatholica no que respeita ao dog-
ma da justifleacao, porquanto urna verdade defl-
nida que a f desacompanhada de obras 6 mor-
ta (11).
E com effeto, meas amados filhos em Jess
Christo, de que aproveitar ao homem o dizer que
tem f, se elle nao tem obras que a acorapanhem 1
Se vossos irmos estiverem ns ou lhes faltar o
alimento qustidian, e algum d'entro vos lhes
disser :Ide em par, ide aquentar-vos, ide alimen-
tar-vos e saciar-vos, nao lhes facilitando comtudo
os soccorros de que precisam para a sustentagiu e
restauracao das torgas do corpo, de que lhes servi-
rao o vosso aviso e o vosso conselho? Sero
nullos. '
mo diz ao homem O leu ente* dimetta. fraco, e
por isso muitos casos fia em que precisa de jjiem
te sustente e te dirija ; o protestantismo, j)elo
contrario. Ihe diz :Sao muitos a* li> Ble
cercam. procede pois livremente, e sefOff oUni-
nao vos-fegam e*guecerdo ensino das primeiras' monarcha eminentemente tcathojta>, o
edkdn*] I Luiz II!
Nossas tenras e flexivei* vergonteas se prepa-' 0s reverenda paraos ptbhquem
ran es h*acos:fobuslosd*irvor*) estado ;pessas Pecvas egreja*, a Rtagfc da missa.*on#ntual, K
plaatasAastf'as to de fresco estad nvoHas as celebrada em domingo ou dia santo de guarda-
nho que Wle approuver, na certeza de qqle*o ;floris e /roe|os ^ ^^ ^^ eurnuecer Q- 0* nossa instruegio pastoral.
e enriquecer o
^IS^ZJ^S^ icarapo da ^ Ln,bra*-vos **- f *** w*n -os3 ***** *s-**
' podido ainda estranha violencia incli^-las e lor- cento de Pora, sob o nosso signal e sello das ps-
c-las para o mal, e de que a sua Brndura as trb'a* sas armas, aos 10 de oulubro de 1883.
1 maneffk-eis c dispostas para todop bem. Aprovei-
tae, venoraveis irmos, este momento precioso e !
portante dos nossos devores, se vista do empe-
iiho e da suhtileza com que a milicia trata de pro-
pinar um tao mortfero veneno, emmudecesse-
mos, c nao cuidassemos de applicar-lhe o antidoto
que nos foi proscripto pelo Pastor Eterno, de quem
recebemos a ordein expressa de ensinar os povos
a observar tudas as coasas que por elle esmonos
foram mandadas. (4)
E' cm virtude desta obrigacao sagrada que nos
vos dirigimos agora, mnito amados filhos em Je-
ss Christo, as uossas voze's pastoraes. Permita
"o ciu que ellas nao sejam esteris, masque facam
briilnr em vossos espiritos a luz verdadeira, que
vciu alumiar o mundo inteiro 11
Em todos os tempes e em todas as nacoes o es-
pirito do erro, abusando da imprensa cm materia
de religio, tem tratado de allucinar a opinio pu-
blica. A f da verdadeira egreja, e a moral que
dola se deriva e que a boa razao abraca teem sido
egu al mente combatidas o perturbadas pelo abuso
de>te Lava it >,que considerado des ipaixmadamenle e
na sua essencia deve ser tido por um dos mais valio-
sos legados, que ouberam cm partilha ao homem
constituido em sociedade. A perversidade deter-
ininada cm uns, a temeraria ignorancia em ou
tros, lisonjeada rom ai falsa supposicao dos seus
cimentos proprios, e, mais que tudo, a solici-
tud* do protestantismo, que, incerto sempre em
soas crencas e fluctuante em seus desejos, nunca
desisliu comtudo do porfiado proposito de destruir
a unidade eatholica, teem incessantemente lidado
na empresa de perverter esta instituicao civilisa-
dora, que por tal arte desvairada nao pode deixar
de produzir elfeilostemerosos.
E porquanto ao protestantismo, com preferen-
a ^utros iniaesquer agentes, deve attribuir-se
ossa alluviao"a.! ftfjatx^N^jpxos e corruptores
que, com injuria manifesta da f cathoticu, om
offensa dos bous costamos, e at mesmo com af-
frontada civilisaco do seculo em que vivemos-
nnunda actualmente a face da trra, ser tambem
contra o protestantismo que, particularmente, le.
yantaremos agora os nossos maguados clamores.
Querendo exborlar-vos com verdadeira conhe,
cimento de causa, ineus amados filhos em Jess
Christo, iemos e examinamos urna grande parte
desses livros e opsculos venenosos, que |>or ahi
correm impressos, eque a fidelidade dealguns dos
nossos cooperadores no ministerio pastoral vciu,
como lhes rumprla, depositar em nossas maos.
Da., simples leitura delles bastou para nos mostrar
que tnd T*raai mesma origem, c todos se di-
rigem ao mesmo lim, concorrendo o vicio da sua
origem e do sen fim para attrahir sobre elles os
anathemas dos homens verdaderamente esclare-
cidos e calholicos.
E' dchaixo dos auspicios dabemconliecida socie-
dade liibli a protestante de Londres, e a expensas
dola que estes livros sao impressos em todas as
1 i aguas.
Eis-aqni a sua origem. E' debaixo da influen-
cia desta mesma sociedade que elles sao, com par-
ticular einpcnho, introduzidos no seio das escolas
primaria* de todas as nacoes com o intuito de in
sinuarem nos nimos da mocidade incauta os cr-
ros de doutrina de que esto infincionados, e de
radirarem nos eoraeoes ainda tenros as mximas
perniciosas que envolvem entre as galas da elocu.
ci e, as bellezas de estylo, mximas que todas se
cncaminham a propagar um vasto systemadem-
diferenca fatal aos verdadeiros interesses do Evan-
gellio e da sociedade. Tal o seu fim. Mas este
est subordinado a entro mais importante anda,
qual a destmicao da unidade eatholica.
Oserros que pdem dizer-se dominantes, e de
qu, com mais ou menos clareza, csto cheios es-
tes livros, sao em substancia, os seguintes :
Nao ha no homem merecimento proprio.-A fem
Jess Christo basta para que o homem possa sal-
var-se.E' livre ao entendimeoto do homem o ex-
ame em materias de f.E' permittida ao homem
a interpretaco livre dos livros sagrados :
A primeira destas proposicSes errnea e he-
retica. O homem, meus amados filhos cm Jess
Christo, ainda depois da sua queda, nao perdeu a
lilterdade, enibora esta flcasse attenuada, como
est definido pelo sagrado concilio tridentino. (5) A
Escriptura ensina que o Pilho do Homem ha de vir
na gloria de Sen Pao com os seus anjos, c entao
dar a cada um a paga segundo as suas obras. (6)
)" no Evangellio de S. Matheus ijue este orculo
i^ta consignado, aonde tambem se v escripto, qne
os que praticarem obras ms soffrero o supplicio
eterno, cinquanto que os justos entraro na vida,
cierna. (7) Ora, se no homem nao lia merecimen-
to proprio, com que fim, ou a que proposito diz
Josus Christo que ho de ser glorificados os que
flzerem boas obras, a quem chama bemditos de
Seu Pae, e que ho de ser condemnado aqnelles
que praticaram obras ms, a quem qualifipa de
malditos ?
A nao querermos, pois, fazer passar o filho de
Deus per injusto, indispensavel reconnecer, que
sendo o homem livre, na pdem as suas acedes
deixar de ter mrito c demerito, e qne por conse-
cuencia nao pode o mesmo homem deixr de ser,
segundo ellas, premiado ou castigado.
Esta mesma doutrina ensinada por S. Paulo,
que dizpela tua dureza, e cora$ao impenitente
en'Jie.-ouras para ti a ira no dia da ira e da reve-
lagao do justo juizo de Deus, que ha-de relriboir
cada um segundo as suas obras (8). Pois Jess
Christo ha de retribuir cada um segundo as suas
obras, c na creatura nao lia merecimento pro-
prio ? u protestantismo assim o entendeu, porque
entendeu tambem que a f smentc qnem nos
salva, rejeitando as boas obras como inuteis para
A justificacao, os sens meslres foram nisto conse-
(1) Isaias, cap. 6i, v. 6.
12) 1. Pet. cap. 8. v. &
3) Ps. 54, v. 8.
4) S. Math., cap. 28, v. 19 e 20.
1 i) Gonc. Trid., sessao 6% cap. 1.
6) S. Math., cap. 16, v. 27.
(7) S. Math, cap. 2, y. 31 e seg. at ao fim.
cusina o uiesmo apostlo (15).
sima.
na verdade, tirando-se ao espirito humano
o poni de apoio em qualquer auloridade, Mar
elle abandonado merc dos seus sonhos *os
seus delirios, lie ara noratnente aberlo o caminho
qneconduziu ao mais affrontoso cahos os phiteo-
phos das antigs escolas. Substituido auloridade
da egreja o exame privado, licam sera resolver-se
todas as grandes- qaestes que dizem respeito a
Deus e ao homem.
O entendimen'o fluctuando ento entre sombras,
e nao divisando urna luz que possa servir-lhe de
guia segura caira naquelle estado da desalent e
prostaco em qne o ehristianismo o encontrara, e
de que custa de grandes esforcos o levantara : a
duvida e a indiireronca sero o potrimonio dos ta'.
lentos mais a van tajados, as theorias vas os syste.
mas hypotheticos os sonhos, e as illusdes faro em
commum o entretenimento dos sabios, emquanto
que a superstico e a monslruosidade servirao de
pasto aos ignorantes.
Chamemos cm auxilio desta verdade a licao da
historia, e que nos diz ella ? Apena* o protestan-
tismo levantou o grito de resistencia humanidade
calholica.qual foi o espectculo que o mundo espan-
tado chegou a presenciar ? Viu-se ento o christia'
nismo collocado na classe das escolas philosophicas
considerado como um systema, e envolto entre as
diversas seitas protestantes, ficando por issso intet"
ramente despojado da sua auloridade; viu-se en- liemos a religio aos seus entendimentos a cora-
to que o protestantismo pretenden debalde exaltar! ?5es por ci d culto exterior- N5 s Movido
a f, porque o principio fundamental delle veiu fe- i mageslade de Dens este signal da sua grandeza e
ri-lade morto : viu-se que o protestantismo pareca da >"> We dependencia como tambem pro-
querer exaltar o Evangelno, mas conheceu-se tam- ve,tso/ n0isa maior edHca?o e viveza e cons-
bera que o principio vital dos portestantes fazia va- tancia dos alTec,os -eligiosos. Quera cuidou e disse
ciliar a auloridade do mesmo Evangelho,deixando-a' coa,rar,' meas veneraveis i**, ou desconhe-
abandenada ao descernimento do horaem. ce.U T natreza' ou' que raais Provavel-
Para felicidade do genero humano, meus amadog na0 auv,dou'encontrar o senso commum do gene-
Qlhos em Jess Christo, nao flcou a religio chris-,ro haraano> Pr lorar a vaa salisfago de censurar
la entregue a merc das seitas protestantes : na osiscretos usos da egreja eatholica.
autondade da egreja eatholica encontrn ella sera-' PaeS e cM6S de fam,1,a' esculae ,ambera as
prc um escudo impenetravel aos golpes da carilla.
feliz, que passa arrebatadamente, sem deixar mais
rasto que a saudade da sua ventura, o a magua
de se nao ter apreveitado como elle mereca.
Aprendan os meninos a reconhocer, mediante
o voseo ensino e assidua educafo, um Ente todo
Poderoso que os creou, que os conserva, e que os'
encamjnha ao mais ditoso destino. Gravem em
seus eoraeoes ainda teuros a subtancia da f, os
fundamentos da esperanga, os motivos e incentivos
da caridade. Conhecam o vicios e crknes de que
devora fugir, os prceitos e dictamos' que devem
guardar, as obras a que devem entregar-se em
honra de Deus, em servico do seu prximo, em
proveito do seu proprio espirito, e em prosperida-
de e esplendor da patria de quem sao filhos;
aprendam a prestar ao chefe do estado as domea-
gens de obediencia, veneracao e acatamento que
Ihe sao devidas; aprendam tambem a respeitar as
les eivis e os fiscaes dellas como outros tantos ele-
mentos que poderosamente contribuem para ser
manlido o equilibrio da sociedade. E porque os
nossos espiritos sao thesouros encerrados em
vasos de batro, e tudo se lhes communca pela en-
trada dos sentidos, convm que pelos sentidos,
assim dos adultos, como dos meninos, communi-
Assim a f, senao tiver obras, ser morta em si
mesma, porquanto do mesmo modo que um corpo
sem espirito morto, a f sem obras tambem
morta.
Tal a doutrina do apostlos. Thiago, e eisaqui
destruido por ella o erro capital dos protestantes,
estabelecendo-se conjunctamente a verdade eatho-
lica de quesem as bas obras nenhum adulto
pode salvar-se.
E, pois, o protestantismo nao admitte como re-
gra da f seno as Escripturas ; eis ahi como estas
nao s o coraboiem mas at chegam a confundi-lo
em urna questo que para elle inteiramente
essencial.
D'onde procedem, porm, o preco e o valor das
obras ttirisiJas ? nercuntam os protestantes com
incrivel altivez.
Procedem, meus amados filhos em Jess Christo,
procedem da grapa sanclificante que nos dada
gratuitamente em nome de Jess Christo, e que
o effeito da continua influencia deste Divino Chefe
sobre todos os seus membros. E' esta a doutrina
do sagrado concilio Tridentino (12).
Como conseqencia legitima das dnas proposi-
ges referidas, eque merecem ser votadas indig-
naco de todos os verdadeiros christaos calholicos,
accrescentam os protestantes, e nao se pejam de
estampar as columnas desses opsculos que por
ahi correm, est'outra que primeira vista, se-
ductora, mas que na realidade nao menos teme,
raria e perigosa :As chaves da vida c da morte
esto depositadas as maos de Jess Christo, e to-
dos os que que quizerom >er salvos devem ir ter
com Elle.
Vos conheceis sem custo, meus amados filhos em
Jess Christo, qual o alvo que esta setta hervada
se propoe ferir ; vos nao ignoraes que com esta
doutrina se pretende nao s invalidar a torga e
eflicacia de alguns dos sacramentos da santa egre-
ja, mas tambem combater particular e determina-
damente o valor e a necessidade do sacramento da
confisso : attendei, pois, s breves reflexoes que
o nosso affecto paternal vos enderega sobre este
importante objecto.
Jess Christo morrou pela especie humana, e,
morrends, satisfez o prego com que todos os ho-
mens foram remidos e resgatados.Assim o ensi-
na o sagrado concilio Tridentino (13).
Esta satisfagan foi nao s condigna injuria do
peceado. mas superabundante, como testifica o
apstelo, dizendoonde abundou o peceado, supe-
rabundou a graga, e esta graga de um prego in-
finito (14).
Comtudo ainda que a satisfago do Rcdemptor
seja de um valor infinito, o homem nao est por
isto dispensado de satisfazer pelos seus proprios
peccados, e nao ser glorificado por Jess Christo
seno tomando parte em seus soffrimentos, como'
Convem porm advertir que esta satisfago da
parte do homem nao pode ser acceita por Deus,
seno for dada em nome e pelos merecimentos de
Jess Christo,dosquaes ella deriva todo o seu valor.
Jess Christo pois, reconhecendo perfeilanjente
a miseria do homem e a sua fraqueza, no intuito de
o favorecer ajudar, deu sua-egreja o poder das
chaves, o poder de ligar e desligar, como urna se-
gunda tahua de salvago para o mesmo bomem
depois do seu naufragio (16).
Poder que elle conflrinou da raaneira mais so-
lemne o explcita quando, depois da sua resurrei-
go, appareceu a sens discpulos, e lhes dlssePaz
seja comvosco. Assim como Meu Pae me enviou a
mim, tambem eu vos envi a vos ; recebei o Es-
pirito Santo -, aos que vs perdordes os peccados,
serlhes-ho perdoados; e aos que vos os ret ver-
des, ser-lhes-ho retido*-(17).
Eis aqni, pois, meus amados filhos em Jess
Christo, demonstrada nao smente a instituigodo
admiravel Sacramento da Confisso, mas tambem
a necessidade delle pira o homem no estado de
viador; o eis-aqii mais claramente comprovada
como falsa e errnea a proposigo de que a (i em
Jess Christo smenle necessana para a justifica-
gao, e sem a menok dependencia das boas obras.
O exame livre eip materia de f offende essen-
cinlmente a autordade da egreja eatholica, e
transtorna toda a economa da religio chrisia. O
direilo do examinar ludo que deve crr-se o prin-
cipio fundamental do protestantismo. Sim, amados
Ihos era Jess Christo, ao passo que o chrstianis-
(8) Ad,Rom., cap, 2, v. 5 e 6.
(9) Ecci., cap. 31, v. 10.
(10) Apocad, cap. 4, v. 13.
(11) Ep. Catol. de S. Thiago?cap. 2, v. 14
at 16.
(12) Conc. Tri'd, sess. 6, cap. 16.
(18) Conc. Trid., sess. 14, cap. 8.
(14) Ad. Rom. cap. 3-, v. 2.'
(15) Ad Rom., cap. 8, v. 17.
(16) 8. Math., cap, 18 v. 18.
(17) S. Joo, cap. 20 y. 2122 c 23.
cao e do erro. Se assim nao fura, a toblimidade
dos seus dogmas, a sabedoria dos seus prceitos e
a nneco dos seus conselhos nao seriam mais do
que agradaveis sonhos expostos em linguagem en-
cantadorr por um sabio philosopho.
por isso que jamis nos cansaremos em repe-
exhortagoes pateroaes que vos dirigirnos, movidos
pela santa indignago qne em nosso animo des-
pertada por essa multido fabulosa de escriptos,
mais ou menos impos, mais ou menos corrupto-
res, que por ahi livremente correm, e que amea-
gam a ventura da presente e das futuras gera-
goes. Lembrae-vos de que a mocidade incauta,
tir que sem a auloridade da egreja nada fica segu- os vossos fflhos' *a8ra elles Principalmente se d-
ro em materias de f ; sem a auloridade da egreja r,gem' acce,tani erro com a inconsiderago que
duvidosa a ivindade de Jess Christo e disputa- !Ihes nalural 5 el|es nio sabem rejeitar a doutri-
vel a sua msso; sem a auloridade da egreja des-'na Taa> e fcilmente se preoecupam com o espirito
apparece completamente a religio christia, por- jda nov'dade e da moda. Exhorlamo-vos, amados
que nao podendo esta offerecer os seus ttulos Di-! fllhos> a viver em muita guarda e cntela contra
vinos, ne podendo dar completa certeza de que csse 8enero de seduego. A fraqueza humana
baixou do seio do Eterno.e de que as suas palavras Brande, a malicia para a derribar muito astuta,
sao as do mesmo Deus, que se dignou apparecer so.
bre a torra para salvago dos honeus, nao ter di-
reilo para exigir a submisso delles ; cellocada na
serie dos pcnsamenlos puramente humanos, gcar
subjeita sorte das opinies dos homens ; no tri-
e sempre mais prudente declinar, do que con-
tender com as tentagoes.
Desconflae dos innovadores, em todo o caso sus-
peitos; receiae das snas proroessas quasi sempre
falsas ; evitae os seus livros, em quanto os nao
buni da phitnsnnhia WHier sustentar suas doutri. abona o voto dos homens Ilustrados, tomentos a
as com mais oa menos vantagem, mas nem por ueus e veraaoeiramenie acalcis pairi.
sso deixara de passar pelo desar de ter pretendido
as honras de divina, quando nao era mais do que
humana.
Admiltlda a interpretago livre dos livros sagra-
J^embraevos, finalmente, de que com a leitura
de tees livros nao adiantaes no conhecimento da
verdade, e corris grande risco de vos perder no
dos, nio ha erro em doutrina theologica, nao ha ab- ienredo de tantas fbulas perigosas, que o apostlo
previa j e to precatadamente cenderanava.
e
E vos, a quem por desgraga tiverem chegado
alguns desses livros e opsculos, rcnecil, vos pedi-
mos, pelas entranhas de Jess Christo, na gravida-
dade dos males que se vos podem seguir da sua
suido, desvario ou monstruosidade poltica e socia'
que d'ahi nao possam derivar-se.
O apostlo diz, verdade, quetoda a Escrip-
tura divinamente inspirada til para ensinar para
reprehender, epara corrigir na justiga, afim de que
o hornera de Deus seja perfeito, estando prepara. conservaca. desfaze.-ves delles; as leis ecclesias-
do para toda a obra boa. -Mas foi porventura al. t,Ca? e ** prohlbtm nao s a sua Iicio- mas
guraa vez concedido o dom da prophec.a, ou n. tambem ret-los e conserva-Ios.
terpretada esta pela vonlade particular dos ho. I Cuidae em que nos sejam logo entregues, ou por
mens ? Nao ; mas foram sempre os homens esco- meio de vossos parochos, ou por outra qualquer
Ihidos de Deus os que fallaram inspirados pelo Es- ria, ou antes entregae-os ao fogo sem demora,
pirito Santo. Assim o fizeram era Epheso muitos dos primei-
Fundada nestes principios a egreja conderana, e ros ebristos a quem S. Paulo instruir, c que,
o bom senso nao pode deixar de reprovar o syste- tendo em seu poder grande numero de livros su-
ma dos protestantes que, quando se trata da expo- persticiosos, os ajuntaram e quelmaram publica-
sigo dos livros sagrados, pretendem se esteja pela mcnte (,9)-
interpretago particular, isto pela interpretago O mesmo determinaran! os imperadores chns-
delles, e nao pela egreja, a quem Jess Christo ,aos> Constantino o Grande (20), Theodosio (21),
prometteu a sua assistencia e o seu espirito at Honorio (22), Valentimano e Marciano (23), man-
consumago dos seculos. E para que o pretende- j dando que se queimassera os livros dos heresiar-
ram assim ? Para nao s alterarem, a seu arbi-: ri,as, condemnados nos concilios geraes celebrados
trio, a ordem e o sentido de alguns dos mesmos no seu tempo, e outros que cnsinavam superstgoes
livros sagrados, mas tambem para eliminarem reprovadas e abominadas pela nossa sania religio-
outros, procurando asombra desta alterago e sup-1 Mas que muito que as supremas autoridades
pressao a opportunidade, a que constantemente
anhelam, de espalhar mais livremente as suas
doutrinas, como se a qualquer individuo, pelo
simples facto de saber lr, possa competir o direi-
to de entrar no exame, e de avahar o sentido das
civis, esclarecidas pelas luzes do Evangelno, assim
se tenha opposto corrupgo fatal, que necessa-
riamente se havia de seguir do giro e da licao des-
tes livros, se entre os mesmos pagaos se obslon do
mesmo modo aos que julgaram nocivos s suas
escripturas: quando devemos nos ter o reputar falsas religoes I Roma anda idolatra os que man-
qualquer livro como divino? Perguntava santo
Agostinho.
dou queimar publicamente por ordem do sena-
do (24).
Alhenas decretou o mesmo contra os livros de
Maso,. Cfrieal folriarcha.
(Da Afacao.)
Hornillas sobre os plnclpaes mi-
lagrea de Jesns Christo. pelo
R. P. Ventura.
DCIMA.
A transflguraco de Jess Christo.
(Jatt. XVII, 1 ; Marc.'lX, 1; Luc. IX, 9.)
Dos que aqu esto, ha alguns
que nao bao de gostar a mor-
te, antes que vejara vir o filho
do homem na gloria do seu
reino.
(Matt. XVI)
J se eslava perlo dos dias de escndalo e de cri:
rae, que o sol devia fugir de aUumiar.e qPV9ual
deviam abater a f dos proprios discipuH^^*-
ta da paixo cruel e da morte ignomimcwflto'koq
divino inestre. O que faz o Senhor ? Para aug-
mentar e corroborar nella esta f, e para prevenir
e eliminar de seu corago o prximo escndalo da
cruz, opera em sua presenga, e sob os olhos de
alguns d entre elles, o grande e ineffaveJ mysterio
de sua Iransfigurago ; revela-lhes a gloria de sua
magestade divina oceulta sob o vu da natreza
humana : assim que es premune contra a per-
turbago e o aalo, que deviam experimentar ae
espectculo dos opprobrios de sua paixo volun-
taria.
O nosso divino Salvador cumpre assim a pro-
messa que fuera Seis das antes aos discpulos,
quando depois de lhes haver predite sua paixo e
sua morte, disse-lhes: t Ha d'entre vos alguns,
que antes de sua morte ferio o Filho do homem
apparecer na gloria de seu reino. Foram Pedro,
Thiago e Joo os nicos admittidos a contemplar
a transflgurago de Nosso Senhor, e que nesta
iransfigurago viram realmente o Filho do homem
era seu reino; porque, diz S. Jeronymo, Jess
Christo apresentou-se a elles com todo o appare-
Iho de magnificencia, que sua santa humanidade
glorificada ostentar cm seu reino celeste. Jess
Christo chamou a transflgurago o mysterio do seu
reino, porque ento mostrou o seu poder, por seu
n J.T__7_._____.1- nlL.___: ..:.. -,. L.llhqril.
Quando a egreja assim o tiver reconhecido, e
como tal o tiver depositado em nossas maos, res- nm Phls0Ph mpio, quem, de mais a mais, con-
pondiao mesmo santo padre; de outro modo ac- |lemnoa a ser expulso do seio dos seusconcida-
bou-se a f, e a Escriptura Sagrada ficar sujeita'daos' ^
a sorte dos systema* philosophicos. E dada esta E 1uc far,a san,a ereJa de Jesas Christ0- 1ne
hvpothese quaes sao, meus amados filhos em Jess e a columna e Armamento do magestoso edificio
Christo, as consequencias temerosas que d'ahi po- da religio e da verdade, encarregada pelo seu di-
dem seguir-se? Quaes os crimes religiosos, so- vin0 autor de conservar e ensinar cm toda a sua
ciaes c pohticos, que a suppresso e alteragao de P^eza como diz o apostlo das gentes (26) ?
alguns lugares ou textos dos livros sagrados, e a Que fana Para salvar do mais deploravel nau-
substituigo arbitraria por outros podem cau -,fra*10 a fe de seus filhos ?
sar? A historia o diz. Dos erros de doutrina Ella tem empregado sempre todos os seus cui-
passaramosenthusiasticos defensores da interpre- dados e forcos era lhes inspirar a execrago e
tago livre dos livros sagrados a toda a sorte de horror com ?ae devem olhar para' esses livros
crimes contra a moral e ordem publica; cada fa-: P^n'cosos, e fug.r da sua influencia maligna ;
natico achou na Biblia tudo o que a sua desregra- lem npregado toda a sevendade das mas le e
da phantasiaou paixo Ihe aligiirava como justo;; ds seus anathemas era conderanar e prohibir
assim os Annabalisus, depois da ao.rmalisarem ; sua ligao e a sua retengan, servin^o-se desta sabia
' e prevuJente medida, como mae carraosa, que ar-
ranca da mo de seus filhos menos avisados a es-
commetter os maieres attentados por quasi tod iPada-.ra 1ue s Pdem toTiT' roas matar"
a Allemanha e Paizes Baixos, conduzidos e insli-
sobre o juramento, os castigos, a magistratura, as
leis o governo eeclesiaslico e civil, arrojaram-se a
rii'iOj UVIUUV/ vuiv iiiwhhvu ww|*w-~-j (-----
Pae foi proclamado filho nico, e viu-se brilhar so-
bre sua face divina a luz, a dignidade e a gloria,
de que ser ornada no dia de sua segunda vinda.
Deixemos, pois, nossos sapatos, como a Moyses
foi ordenado ; isto deixemos as affeicoes dos in-
teresses, dos pensamentos carnaes e das cousas
profanas ; subamos hoje, guiados pela f e acem-
panhados pelos apostlos, as alturas do afortunado
Thabor, para contemplar a grande viso e o subli-
me mysterio de reino de Jess Christo, que a
egreja offerece nossa considerago no mysterio
deste dia. Procuremos, meditando-o, colher delle
os mesmos resultados, que Jess Christo quera
obler realisando-o : urna f mais fervorosa, urna
esperanga mais firme, urna caridade mais gene-
rosa.
PRIMEIRA PARTE.
costme dos evangelistas, quando tralam dos
mysteriosdo Salvador, lixar o lugar c o tempe em
que acontecern), e estas circunstancias de tempo
e de lugar encerram tambem mysterios. Sabis,
meus irmos, porque os historiadores sagrados no-
taram, que a tiansfiguraco aconteceu seis dias
depois da promessa e da predieco, que della ha-
via sido feila pelo Salvador ? Lom este mysterio,
typo e modelo da ressurreigo gloriosa dos eleitos,
Jess Christo quiz dizer-nos, que este grande acon-
tecimento nao ter lugar seno depois das seis
edades de mundo.
Escolhendo urna montanjia elevadissima para
theatro de to grande mysterio, o Salvador qur
ensinar aos que aspiram a verdadeira felicidade,
cuja figura foi representada sobre o Thabor,_a
procura-la no alto, na felicidade do cu, e nao
em baixo, entre os ignobeis prazeres da ierra. Or-
genes, reunindo estas duas circunstancias, diz :
Aprendamos d'aqui, que se importa-nos que Nos-
so Senhor estenda sobre nos sua mo beneficenle,
eievu-iio* mesmo nesia viaa a airara de sua tn-
telligencia, d-nos o costo e a devecao de seus
santos mysterios, e faga-nos gozar das secre-
tas consoaces de Deus, de magestade transfigu-
rado em Deus, de dogurae de amor, preciso que
elevemo-nos cima das duas creadas em seis dias ;
isto que esquegamos as crealuras, renunciando
o amor e ligago s cousas corperaes, que afas-
tam o espirito das cousas celestes c divinas, e o
submergem as fezes dos sentidos.
O proprio nome da montanha escelhida por Je
sus Christo serve-nos para o conhccimcnto do
grande mysterio nella operado. Thabor significa
teito nupcial'de luz.
Ora, neste dia o Senhor desdobrou sobre a mon
tanhaoseu esplendor, o senteu-se no leilo nupcial
de sua gloria. ^r-
Como Jess Christo havia predito, nem todos os
seus apostlos estiverara presentes a esta expen-
dida manifestago de sua gloria. Com effeito, Uiz-
nos o evangelista, que o Safvador separou Pedro,
Thiago e Joo, e leva-os a um lugar retirado em
urna alta montanha.
S. Chrysostomo exclama a esto proposito : Que
preciosos historiadores escolheu e formou o Filho
de Deus, para contarem a sua vida I Vede como
S. Matheus registra os nomes dos tres apostlos,
que nesta memoravel circunstancia Ihe foram pre-
feridos, como a todos os outros e isto com a mesma
simplicidade, a mesma modestia, a mesma hamil-
dade e a mesma candura, com que conla a sua vo-
cago, e a sua vil prollsso de publicano. Qual a
concluso d'islo? Que os evangelistas foram his
loriad ores sinceros e liis da verdade divina, e qne
nao houve em seus corages nem vaidade, nem in-
veja, nemeiume.
Mas, porque o Salvador levou comsigo ao Tha-
bor smente tres, e nio todos os seus discpulos?
Porque, diz um interprete, sendo j ento Judas
avarenlo, ladro, impuro e indigno, devia ser ex-
cluido da viso de um to grande mysterio: e Je-
ss Christo nao poda exclui-lo jsoladamente sem
descobrir a todos o" crime, que elle quera conser-
var oceulto at o fim. O Senhor nao adraittindo a
esta viso seno tres apostlos sobre doze que eram,
quiz mostrar-nos'com este facto a verdade desta
sentenga : muitos sao chamados a gloria do cu,
mas poueos chegam a possui-la.
A escolha recahiu m Pedro, Thiago e Joo, por
que para contemplar neste mysterio um r'aio da
divindade do Redemplor, deviam ser escolhidos os
apostlos que melhor comprehendiara um tal mys-
terio, e que mais o amarain. De felo, Pedro havia
sido o primeiro a confessar a divindade do Salva-
dor por suas palavras; Joo f-lomelhorconbecer,
que os outros evangelistas, por seus escripto; e
Thiago foi o primeiro que deu o seu sangue para
confirmar esta verdade em face dos Judeus. O
Senhor, quiz, pois, nesla iiieffavel viso do Thabor,
como observa S. Pedro Q|miano, recompensar as
generosas disposiges do corago destes apostlos,
e forma-Ios para a grande misso a que os destina-
ra entre todos. Quiz que Pedro ouvisse por pala-
vras sensiveis a conlirmago do Pae celeste ao bel-
lo testemunho que elle Pedro havia dado a Jess
I certo fn'flflo se^ssomelbasse a ne-
pcao 4iimple*|taatnral; mas, que
4*aclid* em sua sublime simplici-
quw esta ioffavel Mnsformagao operou-
se na presenga e debaixo dos olhos dos discpulos;
isto que elles viram com seus oiho Me MBpo
.Jos Chrisuv quo Bpuok antes eslava peraMe
eses aa atntnde a ais TiumKde, tem
mente un aspecto imponente de mageaUde e d
gloria.
a Historia Sagrada refere que foi propria fate
do Salvador, que appareceu de suMto resptaade-
*Jtfe,t'Qiiio sol, pa leus proprios vestidos qtir
lentaram com urna brancura mais eslum
drante do que a nev.
Nao se pense, |H)is, diz S. Jeronymo, que o k-
nhor tenha perdido nesla Iransliguraeo, oa a rea-
lidade^e seu corpo humano, ou suas formas natu-
raes, ou seus tragos graciosos e delicados, de ma
neira a nao poder ser mais reconhecidoi Esta
transflgurago consiste, em que o nutto Salvador
conservando um corpo mortal e sua proprta figura,
fez transpirar de si um raio divino, qne descobriii
um pouco de sua divindade oeculla sob o vu de
sua humanidade, que fez brilhar com urna lu im-
mensa sua face divina, e den-Ule um aspectoceles-
le mais sementante ao de Deu?.
Esta transflguraco foi total e perfelta :qwt-
evangelistas dizem de sua amavel face, quera #-
zer egnalmente de lodo o seu adoravel corpo. Sim.
diz S. Ephrem, a gloria brotou de lodo eMe eeryo
admiravelmente bello e santo; os mais fulgenfes
raios se escaparam de toda esta carne immaculada :
semelhante ao sol em seus fogos ardenles, o corpo
do Salvador appareceu ento circumdado da gloria
da divindade, a que era unido.
E, pois, diz Sanio Agoslindo, como a divindade,
que nelle eslava oceulta, expandiu-se no exterior
atravz do involucro humano de seu corpo glorifi-
cado, assim esta gloria divina, de que seu corpo
foi externamente revestido, manifestou-se em vivos
claros atravs de seus vestidos ; com a diffcrenea
de que este clarao reflectia de sua face adoravel
como de nm sel descoberto, passo qne do resto
do corpo, devendo atravessar os seus vestidos como
o sol penetra as nuvens, relleclb-se exclusivamen-
te candida ou branca como a neve.e esta brancura
era esplendida e radiante.
Todava, nao era essa luz do sol, qne enfraquece
a vista e a offusca; pelo contrario, a loz do verda-
deiro sol de justica nao altera a face de que brota
nem offusca os olhares dos apostlos, qne a eonlem-
plam : bem que immensa, essa luz aliaga e encan-
ta os olhos.
Jess Christo, no contro de urna atmosphera de
esplendor mais que celeste, glorificado como os
corpo* gloriosos, sera nada ter perdido de soas for-
mas naturaes, apparece mais bello, mais doce, mai*
clemente e mais gracioso; e ao mesmo lempo
majestoso, augusto, sublime, poderoso, magnifico...
Mas, como poderla eu exprimir o qne excede toda
a expresso?... Ah I a natreza finito nao te
termo nem imagens para exprimir conveniente-
mente a gloria do Eterno I Seria misler ter o genio
da eloquencia para dar alguma idea do mysterio,
que inspirou o trabalho mais apurado e mais per-
feito ao genio da pintura (I).
Demoremo-nos um instante, meus Irmos, nesta
particularidade notada no Evangelho, onde se disse
que este grande mysterio da transflgurago aconte-
ceu, em quanto o Salvador orava. David disse
isto: Aproximae-vos de Deus, e seris Iluminad
pela sua luz; de sorte que o vosso olhar nao ser
offuscado.
Este oracnlo do propheta j se havia rnmprido,
por antecpagao, ao p da lettra em o amigo testa-
mento, na pessoa de Moyss, que appareceu com
a fronte cingida dos raios divinos; em o Novo isto
v-se todos os dias litteralmente cumpridoea mui-
tos santos, d'onde o uso de pinta-Ios com a rabega
circumdada de raios de luz : assim a aureola tor-
nou-se a insignia da santidade.
Ora, como aconteco isto ? O evangelista, dizendo-
nes que o corpo real de Jess Christo transfigren-
se dufante a orara, e que elle appareceu com a
face respJandecete como o sol, descobnu-nos por-
3ue e como o mesmo phenomeno divino se repro-
uz nos santos, que formam o carpo mystico do
Salvador: pela orago.
De feto, foi durante e depois da orago, que
Moyss e os santos foram vistos com a fronte cir-
cumdada de luz. A orago pois, segundo e in-
terprete, urna verdadeira transflgurago da alma
em Deus. E quanto mais fervente a orago, mais
intima a uniao da alma com Deus, e mais perfeila
a Iransfigurago.
Nao podendo a alma conter a divina lu me
nWiaiw renecte, por suas relages com Deus, sen-
stvelmenie a transpira no elterlor. Jess Christo,
qne cm sua orago transfigurou-se e appareceu com
a face radiante da luz de sua divindade, qur en-
sinar-nos, que se todos os christaos nao podem as-
pirar to alto gru da orago; todos entretanto po-
dem chegar pratica da orago, que esclarece e
Ilumina a alma.
Cousa admiravel f A alma humilhando-se pern-
te Deus pela orago, eleva-se al Deus; torna-se de
alguma sorte sua egual; partilha a verdade e a
graga, o conhecimenta e o amor de Deus; purifi-
ca-se, torna-se outra, e transfigurarse em Jess
Christo e em Deus.
gados por um celebre artista, que com a Biblia na
mo chegou a surprehender cidades, proclamar-se
rei de Sie, o a asseverar que a polygaraia era
urna das lberdades
se a si mesmos. | Chisto, chamando-o Filho de Deus; quiz fazer ver
E nos, em concluso, e pela pare que nos toca a a&0 Salvador gloricado, \>e\o qual elle se-
do pastora, ministerio, que o Senhor se dignou ^S^^^^MSVS^.
confiar nossa indignidade, nao cessaremos de isempla das vicisitudes do lempo, as ideas asmis
exhortar e recommendar s nossas amadas ove- elevadas e puras da theologia divina, para que elle
cnristaas, enjinanao ao mes-j.. rnid-dnsamente se desvii'm da Ipitiira depois flzesse echoar em todo o mundo esta gran-
mo tempo que o adulterio, o incesto e o assassinio '"as: q,ue C"ld-dosaraente se desvitm da leitura d N -^ef-fo tra 0 Verbo e o VcrSoei-a
1 nos podiara tornar mais saulos na Ierra e mais be- de la uneslos l,vr09' deSSaS colle^es de ,mP'- em Deus.
dade e libellos pengosos contra a religio e moral s. Anselmo reconhece nestes tres apostlos ad-
publica ; que fujam at do seu contacto maligno, mittidos a vsao da gloria de Jess Christo sobre a
em Jess e que -, ajuntem ao perigo de os lr e de os re- tLTraa ,fl*ura das ,rf ^2? de P'f > /Auo- f*0
Pliristn niM'AstPniuhmiKCArttirin* inntatum am i j admittidos a visao da gloria de Jess Christo no
u.ri5to, que estes infames sectarios apoiasscm em jer a v.olagao e menosprexo das santos e saudaveis cu Ass}lD) em s fero ellc v w confessores;
maventurados no ceu.
E' para notar, meus amados
filhos
diversas
passagens da Biblia semelhantes borro- ies, que os tm prohibido e proscripto.
res I At onde nao capas de arrastar-nos a'
razo ou o sentimento entregues a s mesmo e
sem o freio de ama autordade superior e divi-
na I (18)
Veneraveis irmos e nossos colloboradores no ,protestantismo firmar a sua bandera triumnnante,
desempenbo do tremendo ministerio de que, seip/ quando presidia aos destinos dos Portuguezes um soffrmento cnTs. Thiago, casto e pTedoso no pro
ceder com S. Joo.
Entretanto, tendo chegado o sagrado cortejo ao
em S. Joo as virgens; cm S. Thiago os martyres.
Abracando estas ideas resulta naturalmente da es-
Nao se diga que no meiado do scalo XIX, no consta por Jess Christo o segulnte ensino:
solo portuguez, neste pafz sempre classico na fide- que nao se vae ao cu sem as virtudes que se
lidade a Deus, no respeito egreja eatholica, e no acham repartidas pelos tres apostlos; isto a f
amor aos seus legtimos soberanos, conseguiu o -S.Pedro, ^^^"^
precisosor firme na f eom S. Pedro, constante no
merecimentos proprios, estamos encarregados,
otivi as vozes que a nossa solicitude e zelo pasto-
ral particularmente vosdirigem oeste momento. A
nstruegio e exoriago que sois obrigados a repar-
tir pelas edades provectas dos vossos parochianos,
(18) Vide Ensaio sobre a indifferenra em mate-
ria ae religio, por M. de Lamennais. Tm. 2"
cap. 18^*
(19) Act. Anost., cap. 10, v. 19.
(20) Apud Socratem, liv. 1, cap. 6.
(21) L. Damnt., cap. de hrereticis.
(22) L Mathemal., cap. de Epispali audentia.
(23) I,. Quicumque, Nulli.
(24) Val. Max, liv. 1-, cap. 1.
(25) Cic, liv. de Natur. Deorura.
.416) 1" ad Tim., cap. 3, v. 13.
cume da montanha, Jess Christo fez-re em ora
gao, segundo o seu costume; e o mesmo fizeram
os apostlos com os olhos Otos no Salvador. De re-
pente viram-n'o mudar de aspecto e transfigurar-
se, apparecendo a sua divina face brilhante como
o sol. Seas proprios vestidos psreeerain radiante
de luz, e de urna alvura deslumbrante, snperier a
toda arte, idea eu semelhanca sobre a trra, se
Felizes nos, meus irmos, se fizermos da orago
nossa oceupago e delicias I O homem de orago
o homem de virtude, o homem superior s miserias
da humanidade, o homem Christo, como falla o
Evangelho, porque transforma-se em Jess Christo,
como Jess Christo transforma-se nelle ; do sorte
que pode dizer com o apostlo : Vivo sem mais vi-
ver, porque Jess Christo quem esl em mim por
sua doutrina, por sua graga e por seu amor.
A semelhanga do sol que o evangelista empre-
ga, para dar-nos urna idea da luz da face do Sal-
vador, recorda ao espirito um outro mysterio, diz
Santo Agostinho. Elle fez brilhar sua face como o
sol para indicar-nos que aos olhos do espirito e
do corago, o que o sol para os olhos do corno
a luz do universo, qne esclarece todo o homem,
que vem ao mundo. Que admiravel mysterio, mcos
irmos Jess Christo no cume de urna monta-
nha, elevado aos ares, revestido de gloria, espaWia
urna luz celeste e divina. Eis pois o jo' increado,
de que'falla David, ao nascer do qoal devem fueir
espavoridos todos os monstros, de qualqner espe-
cie, do vicio e do erre, como ao nascer do sol
creado recolhem-se s suas tocas as feras bravia?,
que com o favor da noute percorrem livremente
as florestas. Eis esse mysterio do Oriente, de que
fallou Zacharias, o quedo mais alto doeos mos-
tra sua forga e vem visitar a trra, para propor-
cionar aos mortaes todas as ternuras de sua mi-
sericordia e de sua bondade. Eis essa preciosa
alampmla, de que fallou o proprio Jesus-Christo,
a qual sane ento debaixo do akpieire, ou antes
dcix sua obscuridade voluntaria, ecolloca-sc con-
venientemente para esclarecer todos os qne esto
na verdadeira casa, isto na igreja, Eis o *ys-
terioso pbarol, commentado mais tarde por'S.
Pedro, o qual desde ento levanta-se sobre o mon-
do, para dissipar as espessas trovas de qne este
estcoberto. Eis, finalmente, esta santa face de
Jesus-Christo, que S. Paulo tonto desejou ver, e
na qual Deus contcmplando-se como em um lm-
pido cryslal, faz reflectir no espirito dos homens a
imagem do seu conhegimento e da sua claridade.
O que diremos agora dos vestidos do Salvador,
e da bra^nana deslumbrante com que bnlliam 1
s vestidos de Jess Christo significan!, segundo
Bedu, a'Igreja dos santos ; de feito delles que o
Eterno, dirigrado-se ao seu Filho peU boca de
Isaas, disse : Todos os povos virio a leus ps,
accumulando-se la direita e a tua esquerda, e
la te revestirs como que de um vestido e de um
ornamento de gloria. Santo Agostinho Interpre-
tando no mesmo sentido esta prnpheria, tambem
linda dito : Observae, que os vestidos nio se sos-
tom ora pe, e cabem logo que deixardes por sen
dono. Assim a igreja nao se sostem, seno em Je-
ss CbristQ e por Jess Christo, que como a. nes-
soa viva e a alma-; que Ihe di a frma ou a vida.
Felizes aquellesque ornam por snas virtudes este
vistido inconstil de Jess Christo, isto a igreja *
Desgraga quolles, que se ctesfigwam por seus
vicios I Desgraga maior anda quelles que o de-
lace ram por ses erros I Como, pois, a santa Use
do Salvador, continua o mesmo padre, resplande-
cenle no cume'do Thabor, como um sol, significa
a luz do Evangelho, que da Jadea devia espantar-
se por lodo o mundo ; da mesma sorte os vestidos
de Nosso Senhor, branros como a nev, significam a
egreja que Jess Christo devia lavar epuriticar por
sou sangue. E' pois desta nev mysteriosa, que
Deus fallava por seu propheta, quando dizia : Se
vossos peccados vos tornaram negros como os
Elhiopes, eu apaga-los-hei, e far-vos-hei brancos
como a nev.
(Conliuuar-se-haj,
(i) Obi
grande
mundo.
lime quadro da transflgarago, pelo
[Shael, com raio reputad o primeiro do
i
<\
1
I
,
NAMBUCl
UCa TYP. DE M. F. F- FILHO.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC87X4V81_GE15M5 INGEST_TIME 2013-08-28T03:26:50Z PACKAGE AA00011611_10276
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES