Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10171


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XXXIX MUERO M.
Por (res mezes adiantados SIMO
Por tres mezes vencidos 6$O00

SABBADO 22 DE AGOSTO DE 1863.
Por anuo adiantado..... 19(000
Porte franco para o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
t
EN'CARRKGADOS DA SCBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrio de Lima'-
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao. o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Sis. Manoel Pinheiro & C; A-
maznos, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SCBSCRIPCO NO SIL
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins PARTIDA DOS ESTAFETAS. .
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Grvala, Rezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Taearatu', Cabrob,
Boa Visto, Ourirury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Forraoso, Tamandar, Una, Rarrei-
ros, Agua Preta e Pinenteiras as quiutas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/2 dia.__________
EPHEMERJDES DO MEZ DE JULHO.
6 Quarto ming. as 6 h., 40 ni. e 14 s. da ni.
14 La nova as 10 h., 37 ni e 44 s. da ni.
22 Quarto cresc. as 2 h., 54 m. e 32 s. da m.
28 La cheia as > h., l&m. e 56 s. da t.
PREAMAR DE HOJE
Prinieira as 10 horas e 6 minutos da manhaa.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para osul at Alagas a 5 e 23; para o norte ate
a Granja 7 e 22 de cada mez; ara Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, man'., maio, jul, sel. enov.
PARTIDA DOS OMNIBIS.
Para o Recite: do Apipucos s 6'/,, 7, 7 '/ 8 e
8 t/x da m.: de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatiio s 6 '/i da m.; -do Caxang c Varzea s 7
da m.; de Bvmlica s 8 da m.
Do Reclfo: para o Apipueos s 3'/,, 4, 4 >/, 4 '/*.
5, BVj, 8 1/2 e 6 da tarde*; para Olinda as 7 da
manlia e 41/2 da tarde : para Jaboatiio s 4 da tor-
io ; para-Cachang e Varzea s 4'/' da tarde; pan
Bemtica is 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommerrio: segundas e quintas.
Relaeao : tercas e sabbados s 10 hora-.
Fazenda : quintas s 10 horas.
JrdM do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos : tercas o sextas s 10 horas.
Priiiieira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
PARTE QFFIC1AL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 19 de agosto de 1S63.
Constando-nie de ofikio do brigadeiro rcmman-
dante das armas, de 17 do torrente que o destaca-
mento da villa de S. Rento, que foi augmentado
com um cabo de esquadra e 5 soldados estao por
pagar de seus vencimentos a contar de 16 de jnlho
ultimo era diante por falta de dinheiro na collec-
toria da mesma villa, recommendo V. S. que d
com urgencia as providencias necessarias para
que esse destacamento seja pago nos devidos lem-
pos.Communicou-se ao bngadeiro commandante
das armas.
Dito ao mesmo.Restituo V. S. coberto com
oficio do director do arsenal de guerra de 27 de
julho ultimo n. 36, o requerimento documentado
em que ilenrique Jos Vieira da Silva pede paga-
mento da quantia de 6604900, proveniente de fre-
tes e passagens dadas porconta do governo no hia-
le Sergipano, na viagem que fez ao presidio de Fer-
nando tenho a dizer que pode V, S. conforme indi-
ca em sua informaco de hontem sob n. 620; man-
dar effectuar esse pagamento somente na impor-
tancia de 6o9 visto ter de dcscoatar-se a quan-
tia de 104 correspondente a um aiqueire de fa-
rinh3 que nao foi entregue naquelle presidio, bem
como o respectivo frete.
Dito ao mesmo.Ao tenente Jos do Reg Bar-
ros, ou pessoa por elle autorisada, mande V. S.
pagar se nao houver inconveniente a quantia
de 205040 despendida durante os mezes de maio,
iunho e julho deste anno, com o fornecimento de
luz e agua para o quartel destacamento da villa
do Cabo, como se v da conta junta em duplcala
que me foram remettidas pelo chefe de polica com
officio de 17 do corrente sob numero 1249.Com-
nunicou-se ao Dr.chefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recebi com o officio que V. S. me dirigi hontem
sob n. 402, urna copia do termo de arrematacao do
imposto de 24300 por cabera de gado vaceum con-
sumido na comarca de Santo Antao.
Dito ao mesmo.Antoriso V. S. nos termos de
sua informaco de hontem sob n. 404 a mandar
pagar pela verba, eventuaes, no corrente exercicio
o augmento de ordenado que pelo art. 1 da lei
provincial n 533 de 6 de malo deste anno foi con-
cedido aos empregados da secretaria da assembla
legislativa desta provincia, visto nao haver a mes-
ma assembla votado crdito para esse (un, segun-
do consta da sua citada informaco.
Dito ao mesmo. luteirado do conteudo de sua
informaco de hontem sob n. 403, recommendo
V. S. que mande por em hasta publica a obra dos
reparos de que precisa a ponte de Mamucabinha
na estrada provisoria de Tamandar e Piabas, ser-
vindo de base a esta arrematacao o ornamento e
clausulas juntas por copia na importancia de....
2:2005 e que para esse iim me foratn remettida
pelo director das obras publicas, com officio de 10
de junho ultimo n. 140.Communicou-se ao di-
rector das obras publicas.
Dito ao commandante do corpo de polica.Ex-
peca V. S. as suas ordens para que o destaca-
mento da freguezia da Alagoa de Baixo seja redu-
zido a 1 inferior e 10 soldados continuando sobo
commando do alferes Antonio Muniz Tavares.
Dito ao director das obras militares.De con-
lormidadecom oque solicitou o brigadeiro com-
mandante das armas em officio n. 1.327 he 18 do
corrente, recommendo a V. S. que mande com ur-
gencia caiar a casa que serve de enfermara espe-
cial aos cholencos sita em Santo Amaro.
Dito ao m,esmo. -Recommendo V. S. que man-
Dito ao chelo de seecao da thesouraria de fazen-
da Antonio Luiz do Amaral e Silva. O Exm. Sr.
presiden^ da provincia manda declarar V. S. que
vai ser encaminhado a secretaria de estado dos ne-
gocios da marinha. o relatorio e quadro que para
terem esse destino acompanharam o seuotflcio des-
ta data.
Despacios do dia 19 de agosto t 1863.
Requerintentos.
AWouw Luiz Martins da Rosa.-Informe o Sr.
Dr. julz municipal do termo de Ipojuca.
Francisco Xavier Carneiro Lins, e outro.Diri-
jam-se thesouraria provincial.
Diogo Baptista Fernandes.Junte os documentos
exigidos por lei.
Francisco Antonio de Almeida.Informe o Sr.
director das obras publicas.
Joaquina Norberta da Conceicao.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra.
Jos Francisco do Reg Barros.Informe o Sr.
director das obras publicas.
Josepha Maria.Indeferido.
Mana Galdina da Conceicao. Dirija-se ao Sr.
director do arsenal de guerra.
Padre Telesphoro de Paula Augusto.A vista da
informaco do brigadeiro commandante das armas
nao pode ser altendido o supplirante.
Thomaz Jefferes.Informe o Sr. engenheiro fis-
cal da illuminacao a gaz.
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA.
Hontem desencarrilhou-se na 3* seecao da estra-
da de ferro, e as proximidades do engenho Har-
monia, o trem de passageiros que segua para o
interior. Do choque dos carros resulten ticarem
dous passageiros contusos, sendo um empregdo
da mesma estrada, e outro estafeta do corYeio des-
ta cidade.
Hoje se extrahir a 1' parte da 1" lotera da
igreja de Nossa Senhora das N'eves do convento de
S. Francisco de Olinda.
Na quarla feira 19 do corrente, na igreja do
convento de Santo Antonio desta cidade, o religio-
so Fr. Joaquim do Espirito Santo, por a utorisaeo
do Exm. e Revm. Sr. bispo diocesano, recebeu a ab-
juracao da heresa e a proflssao da f catholica
que fez um protestante, que o mesmo religioso ha-
via instruido nos dogmas de nossa sagrada religiao
Nao foi, porm, esta a primeira vez que a igreja
daquelle convento testemuuhou urna to bella e
edificante ceremonia.
Ainda nos fins do mez passado o mesma religio-
so foi pelo nosso Exm. diocesano encarregado da
mesma missao, e depois das instruccocs precisas
recebeu a abjuraeao solemne de oulro protestante.
Damos com prazer esta noticia, sempre com
nimia satislacao rjue registramos as columnas de
nosso jornal tactos desta natureza. v
O Sr. Viriato de Mattos. titulado pelo Curso
Commerciul desta provincia, acaba de abrir um
escriptorio para o ensino dos preparatorios do
mesmo curso, bem como para encarregar-se de
servicos que dizem respeito contabilidade com-
mercial.
.0 Sr. Viriato, alm da habilitaco que llie confe-
r o titulo obtdo naquelle cstabelecimento profis-
sional. e de que foi distincto alumno, acha-sc au-
torisado para o ensino dos referidos prepara torios
pela directora cncarregada da instrucrao publica,
a escripturacao e contabilidade mercantil
mnal do commercio.
reo Cypriano Jos de Oliveira. julgado hon-
te o jury |>or crime de ferimentos gra-
, perpetrados na freguezia da Boa-Vista em ju-
do fazer quanto antes os concertos de que neces-/ ho' forren,,, anno pessoa ,le ^1 Archan-
eiU o chalana do quarlel do hospicio anu de qne jo d San,.Annai e foi COndemnado a f* anuos de
resse a falta de agua que experimenta o 2 bata-
lhao de nfantaria, como representou o brigadeiro
commandante das armas em officio de 17 do cor-
rente sobn. 1,509. Communicou-se ao brigadeiro
commandante das armas.
Dito ao director do arsenal de guerra. A' vista
da sua informaco n. 61 desta, data o autoriso a
mandar admittir nacompanhia de aprendizesdesse
arsenal o orpho Ibiapina Galdino Jos Peres urna
vez que sejam satisfeitas as disposicoes do art. 4
do regulamento n. 113 de 3 de Janeiro de 1842.
Dito ao desembargador Jernimo Martiniano Fi-
goeira de Mello e Francisco de Paula Concia de A-
raujo. Para poder resolver acerca do requerimen-
to em que Vmcs. pn8e a continuaco do arrenda-
inento da casa onde funeciona a Faculdade de Di-
reitocom as condicoes nelle mencionadas, mistar
que medeclareui com urgencia se Ihes con vem cu
nao o preco indicado pelo inspector da thesouraria ^ corrente
jo de sant Anna, e toi conaemnaao a >j
prisao com trabalho e inulta correspondente me-
tade do lempo, como incurso no grao medio do art.
20o do cdigo criminal.
Havendo-se recusado alguns advogados a tomar
o patrocinio dessa causa, o Dr. Americo NettO de
Mendonca incumbio-se da defesa por designaro
do Dr. juiz de direito e presidente do tribunal.
Pelo delegado do termo de Serinhaem foi
preso Alexandre Gomes Bezerra, pronunciado no
art. 203 do cdigo criminal, por haver ferido gra-
vemente a Rosendo de Lima, no engenho JJmi'i-
nhaem, com urna fouce no braco direito.
Igualmente prendeu esse delegado a Pedro
Celestino de Almeida Cavalcante. como incurso
as penas do mesmo artigo do cdigo criminal,
por haver espantado brbaramente a sua filha
menor de nome Bellarmina.
Esrrevem-nos de Pao d*Alho com data de 20
de fazenda na informaco junta por copia datada de
11 do corrente sob n. 603.
Dito ao Dr. juiz de direito presidente do tribu-
nal do jury.Resjiondo ao officio de Vmc. desta
data dizendo-lhe oue ficam expedidas as ordens
para que de hoje em diante e em quanto durarem
os trabalhosda presente sessao do jury, nelle se
aprsente urna guarda de primeira hnha.Ofliciou-
se neste sentido ao brigadeiro commandante das
1 Estamos em paz.
i Aqu se achara, como deve saber, -o Dr. chefe
de policia. que veio assi^tir a eleirao. que foi hon-
tem abandonada pelos conservadores, e dizem-me
que com protesto.
Tambem me dizem que, apezar desse abando-
no, sempre tero elles os supplentes.*
As chuvas vao continuando, porm finas, sao
restos do invern, que sem duvida quer sahir niais
armas. ; tarde, porque nao comecou cedo
Circular as cmaras mumcipaes da provincia.- ; fi- Rfi do fr \-M desconhepe a )ei das
Julgo conveniente declarar a cmara muncipal P.ompensacftes
de.... para a expedico das convenientes ordens Havendo-se concluido as seguintes parochias o
que a reuniao do colleg.o eleitoral desse mun.ci- ^ e|eitoralj damos 0 seu r(K|tado ao co-
pio, aflm de proceder a eleicao dos deputados ge- nneciinpnt0 (los nossos ietores.
raes, que tem de dar o districto a que pertence.
deve ter lugar 30 das depois da eleicao de eleilo-
res e por conseguinte no dia 8 de setembro pr-
ximo vindouro. visto ter o presente mez de agosto
.11 dias.
Dito ao tenente-coronel Antonio Carlos de Pinho
Borges.Para poder resolver acerca do requeri-
mento em que Vmc. propoe a continuaco do ar-
Freguezia de Maranguap,*.
Eleitores.
Coronel Joaquim Cavalcanti de Albuquerquc
Major Carlos Martins de Almeida.
Capito Joao da Cruz Fernandes de Souza.
Alferes Manoel Cavalcanti de Albuquerque
dellia.
Ga-
rendamento da casa onde funeciona o collegio das (^pitoo Leoncio de S e Albuquerque.
Artes com as coudiccoes nelle mencionadas, mis- Major Joaquim de S Cavalcanti de Albuquer-
t"r que me declare com urgencia se lhe convem ou que.
nao o preco indicado pelo inspector da thesouraria Jos I^dro Carneiro da Cunha.
ilc fazenda na informarlo junta jior copia datada Jos Victoriano Delgado Mello.
de II do corrente aob n. 603. Capito Salvador Coelho Drummond.
Dito ao juiz de pnz presidente da mesa parochial S'igario Fortunato David Amador,
da freguezia de Alagoa de Baixo.Nao tendo acom- Antonio Rufino de Araujo Cavalcanti
uanhado ao officio de Vmc. de 13 do corrente, as Jos Geraldo de Lima.
copias authenticas das actas da eleicao de eleitores Francisco Camello Pessoa Cavalcanti.
a que se procedeu nessa freguezia no dia 9 deste Theodoro Ferreira de Alcntara,
mez, recommendo-lhe que m'a remetta com urgen- Joaquim Estanislao Cavalcanti de Albuquerque.
cia em duplcala. Manoel Claudio Bezerra.
Dito ao juiz de paz presidente da mesa parochial Manoel Vctor de Luna Freir.
u?genmumasegundaviadascopias authenticas FreguezvtoVtOhnda.
Major Joao Baptista da Silva Manguraho.
* -aujo.
Rodrigues Franja.
T\
das actas da eleicao a que se procedeu nessa
uezia no dia Odesle mez. i ajor joao tiaptisia ua sin
Dito ao soWeigado da freguezia da Alagoa de Marcohno pas de Araujo.
Baixo -MO om>ro que Vmc. me dirigi em 3, fi- A-cend,no Goncalves Rodr.
quei sciemrde m k> dia 12 do corrente. termi- Jos F.guera Curato.
Km os &X montes dessa freguezia. | Jg-J SstS.
Eipetieale d<* swreUrw di Jveruo. | Conego Jos Dionisio Gomes do Reg.
Officio ao Dr. iuu de direito presidente do tri- Antonio Symphronio Rodrigues de Seno:,
bunal do jory.-Wo actualmente indispensave.s Maneel Clemente de Almeida
os servaos dos ofikiaes e escriptnrarios desta se- F?'W>e Man'j? ^-"^ir^1-
cretaria/bacharel I.uiz Salasar Moscozo da \eiga Lleuteno da Rocha wanderiev.
Pessoa, Francisco de I-emos Duarte e Firmino Her- Francisco Xavier de Morra,
culano Baptista RiI*iro, rogo V. S. se digne de Luiz Jos Bclmiro Pemra.
dispensa-Ios de servir na presente sessTio do jury Jacintho Soares Botetlio.
naraque foram notificados. Antonio Francisco de Barros Le.te.
Supplentes.
Manoel Ignacio da Silva Braga.
Jos Antonio do Nascimento.
Conego Marcellino Antonio Dornelkts.
Thomaz Jos das Neves.
Padre Joaquim d'Assumpco.
Marcos Evangelista Correa.
Antonio Joaquim Ferreira da Silva.
Jos Marcolino da Silva Manguinho.
Joaquim Jeronymo Serpa.
Candido Jos Serpa.
Conego Jos Joaquim Camello de Andrade.
Mathias Ferreira Lima.
Jeronymo Carvalho Borges da Fonseca.
Capito Joao Goncalves Rodrigues Franca.
Antonio Ferreira Lobo.
Freguezia de S. Pedro Martyr tfOlindu.
Eleitores.
Dr. Agostinho Ermilindo de Lelo.
Dr. Jos Cardoso de Queiroz Fonseca.
Dr. Estevao Cavalcanti de Albuquerque.
Dr. Domingos Soriano Fernandes Soares.
Tenente Antonio Raymundo Lins Caldas.
Manoel Isidro de Miranda.
Cndido Eustaquio Cesar de Mello.
Tenente-coronel Hemeterio Jos Velloso da Sil-
veira.
Conego vigario Joao Jos Pereira.
Solicitador Joao Francisco da Lapa.
Dr. Vicente Cyrillo Marrano.
Contador Manoel Nunes de Mello.
Escrivo Francisco das Chagas Cavalcanti Pes-
soa.
Escrivao Felippe do Nascimento de Farias.
Artista Miguel Carlos de Farias.
Frederico Augusto Velloso da Silveira.
Negociante Joaquim da Matta e Silva.
Fiscal Mathias Jos da Lapa.
Boticario Braz Machado Piuientel.
Proprietario Antonio de Allemo Cisneiro.
Escrivao Jos Polycarpo de Freitas.
Dr. Francisco Lins Caldas.
Proprietario Manoel Lobo de Miranda Henri-
ques.
Luciano Eugenio de Mello.
Negociante Joo Francisco Pinlo.
Solicitador Rufino da Silva Ramos.
Proprietario Antonio Bernardo Ferreira.
Joao da Silva Santos.
Alferes Manoel Norberto da Costa.
Proprietario Joaquim Rabello Pessoa.
Supplentes.
Jos Mara Lapa.
Dr. Felippe Jansen de Castro Albuquerque.
Empregdo publico Joao Cancio Prospero Mon-
tanha.
Jos Maria Marques Cesar.
Conego Joao Chrysostomo de Paiva Torras.
Conego Joo Baptista de Albuquerque.
Proprietario Luiz Jo1 Gonzaga.
Escrivao Theotonio Jesuino de Oliveira Bo-
sellis.
Professor Trajano Felippo Ner>' de Barcellos.
Francisco Ixines Machado.
Francisco Rodrigues dos Santos.
Proprietario Joao Gomes de Mello.
Proprietario Jos Bernardo Michile.>.
Francisco Ferreira Guimares.
Joao Pedro da Silveira.
Jos Francisco do Nascimento.
Professor Thomaz da Cunha Lima Cantuaria.
Petronillo Soares de Albuquerque.
Silvestre da Silva Guimares.
Artista Antonio Lopes de Oliveira.
Jos Bernardo Michiles Jnior.
Artista Jos Felippe.
Artista Adolpho Astolpho dr Va^onrello< Pi-
mentel.
Negociante Jos Antonio da Silva.
Artista Antonio Jos da Costa.
Proprietario Manoel Vicente de Moraes.
Empregdo publico Jos Joaquim Xavier So-
brera.
Manoel Argimiro Pereira de Oliveira.
Negociante Manoel Jos dos Santos.
Manoel Gomes de Mello.
Freguezia do Bom-Jardim.
Eleitores.
Tenente-coronel Ignacio Correa de Mello.
TVnente-coronel Jos Francisco w Amula.
Major Manoel Rodrigues dos Santos.
Dr. Manoel Thomaz Barbosa Freir.
Padre Manoel Benicio Barbosa da Silva.
Capito Antonio Barbosa da Silva.
Capito Gentio Correa Pessoa de Mello.
Capito Justino da Motta Silveira.
Capito Jos Gomes de Moura.
Capito Manoel Ferreira Barbosa.
Tenente Caetano Luiz Collaco.
Tenente Joaquim Travasso Sarinho.
Tenente Manoel de Farias Maciel.
Tenente Manoel Joaquim de Castro.
Tenente Manoel da Motta Silveira Cavalranie.
Tenente Antonio Gomes Barbosa.
Alferes Vicente Joaquim de Miranda.
Alferes Joaquim Martins da Cunta.
Alferes Luiz Soares de Albuquerque.
Alferes Antonio Duarte da Costa.
Alferes Antonio Ferreira da Silva.
Sulidelegado Jos Antonio Pereira de Moraes.
Subdelegado Feliciano Joaquim de Aguiar.
Severiano Barbosa da Silva Nota.
Antonio Martins Tamarindo.
Trajano Aureliano de Souza.
Manoel Gomes da Silva.
Bernardo Gomes de Miranda Cobtintao.
Aleixo Barbosa de Lima.
Manoel Gomes da Silva California,
Jos Feiippe de Miranda.
Francisco Ferreira da Silva.
Joao Manoel de Farias Leite.
Josias Martins da Costa Mello.
Joaquim de Souza Barbosa.
Antonio Vicente da Costa.
Hermino Bezerra Cabral.
Antonio Manoel de Farias Leite.
Benedicto Jos de Aguiar.
Jos Firmino Barbosa Carvalho
Joaquim Jos de Aguiar.
Jos Jeronymo Bezerra de Aguiar.
Jeronymo Joaquim de Aguiar.
Francisco Barbosa Camello.
Felippe Gomes Barbosa.
Antonio Pereira de Barros.
Jos Francisco da Cunha Pedrr.
Christovao de Hollanda Cavalcante.
Francisco Barbosa da Silva.
Firmino Correa Pessoa de Mello.
Trajano Correa Pessoa de Mello.
Jos Ezequiel da Silva.
Salvador Antonio Rodrigues.
Supplentes.
Tenente-coronel Joao Barbosa da Silva.
Major Lourenco Soares Cordeiro de Mello.
Joao Felippe de Mello.
Vigario Antonio Hygino de Hollanda Cavale.mte
Chacn.
Tenente-coronel Antonio Matheus Rangel.
Padre Severino Renicio Jos de Araujo.
Jos Francisco de Souza Interiminense.
Capltao Jos Gomes da Cunha.
Alteres Nicolao Antonio Duarte.
Major Jos Caetano P. de Queiroz.
Maor Manoel Antonio Gaiio.
Franci
Joao
Josu
Movss
Antonio
Anasta
Manoel
Manoel
Joo Barbosa do Reg e Silva.
Feliciano Pereira de Lira Lopes.
Tenente Manoel THRrasso Sarinho.
Taurino Lauriano de Rczende Rangel.
Paula G. dos Santos,
gado Leal.
Souza Interimincnse.
'el de S. Interimincnse.
Motta Silveira Cavalcante Jnior
pttves da Nobrega.
' de Souza.
avier de Moraes Gulandim.
Capito Joao Francisco Xavier da Fonceca.
Fortunato Francisco Lopes. ,
Capito Manoel Severiano Cabral de Amida.
Alferes Jos Francisco Cordeiro de Amida.
Trnentelwemias Cabral de Amida.
Alferes J¢e Ferreira da Silva.
Jos Barbosa Pinto.
Lourenco Xavier da Fonceca.
Bcllarmmo Servido de Amida e Mello.
Joaquim Jos da Fonceca.
Manoel de Arruda Cordeiro.
Antonio Jos Soares.
Antonio Goncalves Carneiro.
Jos Ignacio Rodrigues.
Jos Ignacio Carneiro.
Joaquinrda Silva Pinto.
Miguel (^bosa Leite.
Francisco de Souza Leal.
Jos Soriano Gomes Cabral.
Joo Guarino de Mello.
Manoel Jos Soares de Mello.
Francisco da Motta Ribeiro.
Jos Roberto Pinto da Motta.
Antonio Bernardo de Moura
Joo Gomes Barbosa.
Roberto Pinto da Motta.
Joo Baptista de Araujo.
Manoel Jos Pinto.
Francisco Mauricio da Motta'Ribeiro.
Luiz Travasso Sarinho.
Freguezia de Taquaritinga.
Eleitores.
Miguel Tliomaz de Araujo.
Manoel Joaquim de Souza eco.
Laiidelino Manoel de Azevedo.
Florencio Manoel de Araujo.
Christovao Ferreira de Moura.
Jos Manoel de Azevedo.
Antonio Alves Monteiro.
Pedro Miguel Rodrigues. .
Antonio Egidio.
Joaquim Barbosa de Souza.
Jos Ananias Rodrigues.
Mximo Jos da Silva-
Joaquim Francisco da Silva.
Francisco Ferreira Goncalves.
Manoel Cardoso dos Santas.
Joo de Barros Silva.
Manoel Florentino Bezerra Caval-ante.
Reparticao da polica :
Extracto das partes do di,- 21 do rorrele.
Koran) recolhidos casa de deteucao no dia *)
corrente :
ordem do Dr. delegado do primeiro districto.'
Braz Marcellino do Sacramento, branco, por crime *
de unebra culposa: Joao Pedro da Silva, pardo, sem I
declaracao do motivo: Joo Evangelista do Nasc- i
ment, crioulo, por suspeitas de ser desertor do
exercito.
ordem do subdelegado de Santo Antonio. No-
meriano Francisco de Brito, branco, por disturbios;
os pardos Zacaras Soares de Brito, por offensas
physicas leves; Joo Baptista Carneiro, da Cunha,
as pardas Josepha Maria da (ionceicao, Adriana ou
Alejandrina, Severiana da Silva, todas por distur-
bios.
a ordem do de S. Jos, OS pardos. Silwrin Bar-
bosa de Sant"Anna. |>or crime de armas defecas, I
Severiano Barbosa de Mello, [wr infraeco de pos-
turas.
A ordem do da Boa-Vista, Constantino liblalo,
pardo, para averiguacSes poticiaes.
O chefe da 2a secro.
J. G. de Mesquiia.
Passageiros do hiate nacional Inveucirrl. sa-1
hido para o Aracaty :
Jos Goncalves Malveira, Luiz Gooxaga de Meno- \
zes Lira e II. de Castro Lobo.
Movimento da casa de deteneo no da 20 de
agosto de 1863.
Existiam........ 399 preso
Entraram...... 11
Sahiram....... 9
^ Existem.......... 401
T saber:
Nacionaes....... 289
strangeiros..... 27
Mulheres....... 10
Estrangeiras. ... 3
F.scravos........ 68
Escravas ....... I
401
Alimentados custa dos cotres pblicos .. 165
Movimento da enfermara no dia 21 de agosto d
1863.
Tiverm alta :
Luiz Francisco de Carvalho.
Raphael escravo do Coimbra.i
DIAS DA SEMANA
17. Segunda. Ss. MameoV r Kolkliiaim i
18. Terca. S. Jacintlio; Ss. Ijuro e Fk-rn :
19. Quai-to. S. Luiz f. b.; S. TrcU m.
20. <.:uinta. S. Bernardo afe. doul.; S. &
21. Sexta. Ss. Ceridio. Cauarioor Fater i
22. Sabbado. Ss. Fabriciaiio e Anlhnra man
23. Domingo. O Sagrado trarao dr Mar
ASSIGNASE
no Ih -.if'. etn a livraria dipr:* a da Imkpf* m -
u. 6 e 8. dos proprietarios Maoot-I Fign-ifua.ii
Furia A Filho.
UM POUCO DE TUDO.
Segundo urna correspondencia de Constantino-
pa para a Gazeta Universal de Augsbourgo, tem o
sultao realisado urna transforinaefio completa em
seu proceder.
O hornem que ha pouco se entreliuha com os der-
viches embriagados de opio, e em quem se nota va
manifestas disposicoes de um ero, e symptomas
de prxima ahenago mental, tornou-se um prinr-
pe milito benvolo, aflavel e alegre.
Esta feliz mudanga, attribue-sc influencia de
urna liella grega ; o pspera-se que emquanto ella
influir com suas grapas e encantos no thrbno da
meia la, nada tero" que temer os chrislaos.
A Correspondencia de Espaa d o seguiute ite-
nerario adoptado lo novo rei'da Grecia cm sua
direcfao a esse reino:
Sahindo da Dinamarca o rei Jorge I no mez de
setembro, dirigir-se-I(a a Bnixcllas, Paris e Londres
com.o fim de visitar os monarchas destes tres
paizes.
Viajar incgnito com o titulo de duque de Alhe-
nas, e ser acompanhado pelo conde Bpooneck,
que ficar depois junto delle com o Ululo de con-
selheiro interino.
Na sua volta de Inglaterra, embarcar em Tou-
lon, em urna fragata ;le vapor da marinha helleni-
ca, posta sua dUposlco para o conduzir ao Pi-
res; uaqual apenas entre, abandnfai' o incgnito
e tomar o,carcter offlcial: o pavHhoreal ser
arvor^o no maslro grande e saudado por 101 tiros
* pega.
Mr. Broestrup, anligo prefeito de policia de Co-
penhague, nomeado representante da Dinamarca na
Grecia, partir brevemente para Alhenas, afim de
preparar o terreno ao joven rei.
0 Sr, p. Jnior envia-nos a seguinte poesa ;
A GL'RLMIATAN."
Meu papal, charo papai.
Quas meu jiassarc sane
Pela manhaa;
Se nao diz-ine o primo Poggi :
(Hi prima, veja fft foge
A gin inhalan.
Eu corr logo a raiola.
E ferhei a portinhola
Culi afn.
K deu saltos grjHtaaos,
Dando beijos primorosi
A gurinhatan.
Ao longe o primo me
E >e bem que me dizia :
Es minha irraaa !
Eu jiouca attencao lhe dav.
Porque s me dedicava
A gurinhatan.
Que as notas d'harmonia.
(jual Venus, eu adormeca
No divn :
Me adocava a chamma activa.
Com meloda expressiva,
A gurinhatan.
entregue xtasis d'amor.
Reijei a corada flor
Da romn;
F.nlevada suspirando,
Cante! meiga arompanhando
A gurinhatan.
E o sol se despeda
Da tarde, que o arolhia
Mui louea.
E sorna natureza,
Teudo jus a singeleza.
A gurinliatan.
Eu toda amor me votei,
E que de beijos eu dei
Ero Nanan!
E abracadas cantamos,
Qual o amor interrogamos
A gurinhatan.
Oh* papai, as nossas faces
Ornaram-se dos realces
Da uiacaa.
Somos osanjos da trra.
Bem como o emblema da sena.
A gurinhatan.
Eu suspirei no meu co.
Cobrindo a face com o veo
De mama:
E a maninlia sorria,
Eu nao sei se comprehendia
A gurinhatan.
i .iieua o primo com gracej<>.
Cantando, qual sertanejo,
Cao... oh can :
Pedio-nos p'ra nos amar.
E nos o vamos juntar
A' gurinhatan.
A Snro refere o seguinte :
O Jockey inglez Smith ganhou em Fiaura o pre-
mio das corridas imperiaes no dia 14 do mez pas-
sado, que era de 10.300 francos, e conta-*- ruin
admirarn ri rapidez cot&que elle fez a viagem de
Inglaterra para all, e o pouco (jue parece canear-
se com taes exercicios.
Sutitli, tendo tomado parle n urna corrida da
vespera em Inglaterra, sabio aV I/mdres no dia 14
s 4 horas da manhaa : empaweo em Folkstone s
6 horas; desenibarcou cm Roulogne s 7 e meia ;
entrn inmediatamente no nwunho dr ferro do
norte; chegou Paris ao meio dia, jnirtio logo.
para Fontaineblau.
Na estaro es|terava-o. a carruagem de sen amo
Mr. Moywa, dono do famos.ravallo Samton.
Durante o transito desde a estacao ate ao valle
de Solle. QpdL' era a coirida. que Smith se vestio,
e chegou precisamente hora de montar a cavallo
e ganhar aquella bella corrida cinco kiloe>elros
com mais de vinle obstculos.
Depois, demorou-se o tem necessario para
jantar, e parti para Spa onde havia corridas nos
dias 13 e 17.
Escrevem de Acera (osla d'Africa) a um jornal
hespanhol, que se fallara all muite da proximida-
de de um exercito de negros chamados aeksttis,
inimign^ dos inglezes. e tos quaes vao fazer a
guerra.
Kleva-se o numero deste exercit'. a cem mil ho-
mus.
Segundo un despacho de Berln, o governo na-
cional serillo da Polonia tem tratado de aber con-
fidencialmente dos gabinete-; das potencias occiden-
taes qual seria o efteito que nellas produziria, se
em quanto se achavam ominadas de suas nogocia-
coes diplomticas, ou de qualquer outro genero de
ntervenco, Varsovia se deelarasse liVre, expul-
sando o exercito russo e proclamasse o principe
Gzattoryski rei da Polonia,
Isto chegou ao conhectuiento do governo prus-
siano. que provavelmente o communicar. se j o
nao communicou. ao gabinete russo.
|
Fina carta da ilha de Fernando Po diz que a
frica occidental esto destinada a ser a rival po-
derosa da America porque rene as melhores con-
dicoes para cultivar o algodo em grande escala, e
porque o pode produzir milito barato.
O anno passado. apezar das condicoefi desfavnra-
veis da cultura em relaeao produceao econmica,
o cusi Bd algodo em Angola era diminutsimo e
a sua qualidade exccllente.
Em um tribunal inglez decidio-se ha pouco urna
questao. sobre um peny, moeda de cobre que valer
aproximadamente quihze res, e que foi disputado
obstinadamente pelas partes litigantes com cuida-
dosas allcgaces c provas, passando por todos os
tramites at Imal decisao, o que den lugar a cusas
no importe de 13 .librase meia, ou mais de 60 mil
ris.
UlHIrtia JIDICHRU.
THIBtWI. I0 JURY.
QUARTA SESSAO.
Dl\ 19 EE AGOSTO OE 1863.
Presidencia do Sr. Dr. Manoel los da SBra Seica.
juiz de direito da ir tara crime.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco Leopoldiuo
de Gusmao Lobo.
Escrivao Joaquim Francisco de Paula Eslevos
Clemente.
As 10 horas da manhaa feita a chamada acha-
rara-' presentes 44 senhore jurados.
Foram dispensados da sessao os seguintes se-
nlwres :
Joo Alves Quintal.
Dr. Pedro Don,e||as Pessoa.
Francisrc, Duarte Coelho.
Qv. Luiz Salazar Moscoso da Veiga Peis-M
i Francisco de Lemos Duarte.
Manoel Luiz Vires.
Manoel Antonio de Jess Junio,-
Jos da Fonseca c Silva.
Foram multado em 205000 rada um seafc-,
res multados no dia anterior e mais m eaber -
seguintes:
Francisco Jos da Silva.
Dr. Galdino Ferreira Gome-.
Antonio Machado Gome da Silva.
Dr MO Honorio Bezerra de Meneze>
Horario de Gusmao Coellio.
Dr. Jos dos Anjos Vieira de Anwrioi
Antonio Joaquim Se ve.
iiaiiuiindo da Silva Maia.
AguMinho Eduardo Pina.
Candido Thomaz Pereira mu i.
O Sr. Dr. juiz de direito durtaroa aberu a s
Comparecen o Sr. Dr. Francisco de Anagu Bar
ros, juiz municipal da 2* vara, e aprescafca prep
rado> para seren julgados. os processos igiiiii
Autora ajustica.
Reo, preso. Antonio da Cunha Oliveira. protiui
ciado no art. 205 do cod. crim, em 16 r abrff A
1863.
Autora a ju.--tica.
Reo, preso. C>priano (onM-s dr Oliveira. \>tmk.
ciado no art. 203 do cod. crim-, em 10 <*? jnftto i
1863.
Autora a justica.
Reo. preso, Joo da Cosa lardoso, promana
no art. 183 do cod. crim., em 8 de maio oV WtU
Rccehidos os prreessos pelo Sr. Dr. jota de trri*
o denou que lhe fuaem conclusos, e qoe pnr nw
tabella se marrassem os dias dos julgam* -
rrs.
Levantou a sessao. addiando-a para o m
guinte s 10 horas da manhaa.
C0RRESP0NDEHCU1
Sn. redactores. Cliegando a esta cMa4r, e w*d i
amigo dos Srs. Joo Antonio Carpinteiro e Bnl>-
Antonio Carpinteiro, fui logo informad deque t~i
ultimo contra todas as regras d rirroro e dr *
ver, havia frito publicar urna estirada rom pe
dencia contra o outro. procurei v.-r e>s* pera ora
toria. e com eflWto li, pa*mei. nao pela isa d'
reccao. que teve o Sr. Rento nesse aponMadu d
palavras, como pela leviandadc com qaeseaftvv .
a vir em publico maltratar a seu inno r prolUHr :
e ainda mais admirado fique' com a acgnaa mi
xordia. que oSr. Bento f--z publkar honOtn ra am
roneeituado jornal.
. Sendo amigo de ambos, como ja div*e. e e-tond
ao laclo de quasi todos o actos da vida dr .tml>
nao |ov-o deixar de vir patentcar iwos ->-thih--t
tos em a|K>io da verdade, e iW-feza da honri nlr;i
jada; monnente tendo sido eu cansa votmv >rn *
parle des* drama.
Tendo relacoes com os Srs. (Uri'nt>-Ws, e **-
cionaiuto em 1839 ir a Europa, sulie que en sr
nhores tambem iam, liento jior doenle e Joan por
causa da familia, entendi-Br com elle, e baca
a viagem no mesmo navio,?ahinddsiaciiadeem
maio de 1839. na viagem o Sr. Beoio pon* -me jn.
facto do seu estado un- paaa M einprrliar-f
com o Sr. Joo. para que qnand volt>-r Ihr inr
nasse a concedei a adminislrar;"Kv d.t paimii i
Carpinteiro \ Prado, por iss<^4|iio por cansa dr ^i-..
rapaziadas, e anligo-, leito<. e a in.-tunr t> '
Prado, lhe tinha sido retirada a frete\lo dr Ir
tar-te na Europa, |>orqiie ctmi eff-ito r. rfc-ie
eslava bastante i Her taifa em rjzao A- mnfc^lb-
adqneridas.
Gamo amigo lk-lhr diversas dliervat-iVs r ron
fessei-lhe. que so |'deria a s-u mano se elle pr>
testasse ter juizo, e pn>c>-. pie na,
continuasse a dar-lhe de>j.,^to>. ini-mcitt-a e jMfMi
emendar-se. pelo que eu |mf a Sr. JotV e mae
gui. que logo que oSr. Beato i mdr wJ
tana a tomar conta da pallara. qne Sr
cumprio tielmenle. vollan! o Sr. BrMo iiii m
venibro do mesmo anno para eaat fim. n--t
bilisandcwne eu para com o Sr. Joo ir dr ve,
quando visitar a padaria. e lt se n Sr Ifc-rrtnrw
pria o que promellei.i.
Fui alguina- reata aa miabeleeimaat
nheci que o Sr. Rento nem se Umbrava I
promessas, e era lugar de agradreer-mr i>- sup-
inos que lhe dava se incommodava. e na a* a*
tenda, pelo que entend nao* devrr ri miaaiar .
l ir; feitas esta.- declaracoe- deve ver '
que estou ao facto de sua vida, e por w-o rar ani
ra ver as exigencias do Sr. Reato, u safo-4--
d'onde'lhe veio a fortuna que apregoa ler
OSr. Bento depois do facto d Sr. Bririz Me*
do Rio de Janeiro cm 1856 ou |h."7. rh de dividas, tanto que vieran Mm U>- km
rasa de Novaes & u |ra s'rem coarWae'.
elle nao trouxc dinheiro algum. se nao leve ontr-
meio de vida seno a administi aro do eslafcrleri
ment de < '.ai imilriro & Prado aoda ganhuu tm>
onde foi buscar o dinheiro para comprar esrrava
emprestar a rasa.alim de se lomar credor de sen a
node 12:0004? Sr. RentosBK^aarefoar --
riquezas aqaelles que o nao eaaheram: r vrnia*^
3ue seo Si. Beato piocuraste amizades.qoeo arr
itassciu. nao cliegaria a tal deernaro. ma.- i
felizmente s procura compaania ae o i
rem desfructar alguma cousa.
pes-imamente. fazendo-o propalar falsidadei i
seja a tal historia do hiUiete de lotera, oSr Sa
paio ainda vive, Sr. Rento, e en live a letabraar
de lhe fallar semelhante respeito. e elle me d
que tal cousa se nao dera.
Ainda pela amizade me atrevo a. pek>.prrseaa-
ilar um ronselbo ao Sr. lienta e i que .-* driv *
rapaziadas. porque ja aao rapaz, e tole de an
perdo a seu 10.1110. com o qual i'aajri m ler*
achado, e abandone os conselhos de pranla aja
3uando lhe i-o \irein prestimo, a akaamwarai
etractando-o c inventando at fartoai.
pratirado, com o que se rehabilitara a aataai 1
blica. e das pesson qneifte mm iiwiaMra a
zade islo lhe pede
Mnnoct Amtono rVi
Reeife. l de agosto de 18*3.
PUBLICARES i PEDIDO.
I na imple
ft chenar
Se nao se aUllwr lempo, porm eviUtvse-
ha completamente o perigo bzemkvst o
inmediato da composico anxabaHa pmk
ral de Kemp, a qual mediante a soa bear
fica influencia faz cedr rpidamente a irr-
tacao dos pulmoes e garganta, e restabeJccr
sua aeco vigorosa regular e tmtmL* O
que dizem que a asinina incuratal,
se engenam. Esta
vegetal subjuga em
da mesmo quando detaixo dat Uwwm *
mais obstinadas e aggravaole.
ras nunca terminarlo mi bronrmim
seemlisifa, ero 1






I_____..

so desde logo di seu principio r-jrem ata-
llinos com eslc balsamo vegetal suavisailor
e sedativo. Seus beoecos effeitos sao pata
desde logo notados as enfermidades dos
pulmoes, dos vasos bronchios e da pleura.
Pde-se achar venda em todas as bo-
ticas e lojas de drogas.
Itiarle de, Peinainbtuo ... vthbado >t de Agosto de t8S.
EMTiES.
iMuioel de S e Souza, duas justificadas na pri-: Joaquini Francisco na segunda eadeira c oilo inclusive "urna salj-
mvira eadeira c nma dita na segunda. --
1
ELEI^AO
des devotos que ho de festejar glorio-
so pati-iarcha S. Francisco de Assis,
na i^reja de S. Jos de Hiha-Xar,
no peseiite auno de 1863.
Juz.
O lllui. Sr. Angelo Custodio da Silva Guimaraes-,
Secretario,
i nim. Sr. Ulysses Agnello Pereira Canha.
Thesoureiro.
O tiln. Sr. Deodoro Autode Albuquerque Mello.
Procurador gerai.
Os lllnis. Srs.
Jos Luiz de Soiua .Maia.
Jos de Oliveira o Mello.
Definidores.
Os Illms. Sis.
Augusto Jos' Pinto.
Jos Miguel de Lyra Jnior.
Manoel Loureneo Percha.
Manoel Jos de S. Costa.
Claudino Jos Ia)|h-s Moreira.
Juizes protectores.
Os Rvros. Padres Mestres.
Fre Antonio de Santa Rita.
Fre Bento de Santa Flora.
Padre Manoel Adriano de Albuquerque Mello.
Padre Albino de Carvalho Lessa.
Padre Leonardo Joo Grego.
Os Illms. Srs.
Manoel Coelho Cintra.
Jos Egidio Penetra.
los Anastacio de Albuquerque.
Francisco da Silva Reg.
Pedro de Alcntara Pinheiro.
Manoel Jos.'; A. Mello.
Jos Domingues Maia.
Jos Miguel de Lyra.
Manoel Antonio Viegas Jnior.
Luiz de Franca Soulo.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sra.:
t. Isabel E. de Castro Masearenhas.
D. Olvmpia Florida Fcrreira da Rocha.
D. Svmphronia Olunpia de A. Mello.
D. Flisbella M. de Albuquerque Mello.
I). Luiza Bernarda C Branco Rocha.
t. Ignez Martins do A. Mello.
D. Luiza Generosa de Oliveira.
D. Maria Francisca das Chagas Maia.
I). Eulalia Leo|ioldina de A. Mello.
I). Fraucisca Josephina Guimaraes.
t. Camarina deB. Costa Carvalho.
I). Jesnina Rufina de Frekas.
I. Emilia Josephinn Grego.
Montamos.
i > lllin--. Srs. :
Joaqnim Simo dos Santos.
I.uiz Fcrreira de Almeida.
\gncllo Heraclio de Araujo Peruanibuco.
Jos Cardoso Ayres.
Jos Antonio de Carvalho.
Joo Chrvsostomo de Albuquerque.
Krico Ferreira da Luz.
I.iulgero A. de Albuquerque Mello.
Klias Augusto de Almeida.
Mai colino Ferreira da Luz.
Joaquin Antao de Albuquerque -Mello.
Francisco Manoel de Almeida.
Mordmas.
As Exmas. Sras. :
li. Kinilia Monteiro Fernandes Vianna.
I, (^in.lida Ferreira de Araujo Lima.
I). Anua Candida Femira .le Lima.
I). Felismiua E. de Araujo Periiambuco.
I). Lidia Digna de Araujo Pernambuco.
Ii. Francisca Guiihennina Guimaraes.
I. Mara Libania Mendaiilia.
I. Maria Francisca la Annunciaeao.
I. Anaslacia Maria S. Lima.
I. Maria Marcionilla de Paula.
I), Candida Maria de Oliveira.
I). Aloxamlrina Evangelista de Almeida.
O vigario interino,
Fr. Antonio de Santa Rita.
COMMERCIO.
lla\ mundo Cleuientino Yalonte, una e um quai-
to de'sabbatina justificada na segunda eadeira.
Victorino Antonio do Sacramento, dez inclusive
duas sabbatinas justificadas na primeira eadeira e
dezesete e dous quartos jnclusive duas sabbatinas
e um quarto do sabbattna'nao justificada na se-
gunda.
MCULDADE DE DUIE1T0.
Be orden o E\m. senhsr director se faz publico a
lista das tallas dos estudantes desla Facuidadf
com rrlaro ao niez de junho ultimo, julgados
era esugreaaeio d do sassado, menos qnaa-
to a segunda eadeira do quarto anm e primeira
do quinto, cajos lentes nao comparecern! neiu' guada.
enviaram as respectivas notas. Antonio da Silva AntuneaJ^H clusive una
Segundo anuo. sabbatina na primeira eadeira e ama ditana se-
Caetano Maria de Faria Nunes, duas justificadas ganda. .________- Mt
na segunda eadeira. ^Jm) Irancisco d. Nascujto Sat%a, duas
Eliseu de Souza Martins, duas inclusive urna
sabbatina justificadas na primeira eadeira e tres
11. primeira eadeira o duas* ditas na segunda.
Maxiunauo Jos de lnojosa, qualro justificadas
na primeira eadeira.
Joao Pereira da Silva Leile, dez inclusive urna
sabbatina nao justificada na primeira eadeira e
tres e um quarto justificada na segunda.
Francisco Goncaives da Justa, quatro inclusivo
una sabbatina justificada na primeira eadeira e
inclusive tuna sabbatina ditas na segunda.
Francisco Comelio da Fonseca Lima, urna justi-
ficada na segunda eadeira.
Francisco Jos Al ves de Albuquerque Filho, duas
justificadas na segunda eadeira.
Ra> inundo Honorio da Silva, urna justificada na
segunda eadeira.
Francisco de Souza Martins, seis inclusive urna
sabbatina justificadas na primeira eadeira c cinco
inclusive urna sabbatina ditas na segunda.
Alfredo da Cunha Martins, duas justificadas na
primeira eadeira e duas ditas na segunda.
Antonio Jos Lopes Filho. duas Hincadas na duas um quarto ditas na segunda,
primeira eadeira e urna sabbatina dita na se-1 Lenidas Ferreira Barboza, seis inclusive urna
sabbatina justificada na segunda eadeira e quatro
nao justificadas na primeira.
Antonio Janscn do Mattos Pereira, eis justi-
ficadas na primara eadeira e duas ditas na se-
gunda.
Antonio Borges da Fonceca Jnior, duas justifi-
ncadas na primeira eadeira e cinco inclusive urna
justificadas na pri- sabbatina ditas na segunda.
justificadas na primeira eadeira e dq^ntas na
secunda.
Bruno Jansen Pereira, tres
Antonio Ayres Lcenla de Chermont. cinco jus- tma dlIa.s "a ^'6u'iua- .
ficadas na primeira eadeira e cinco ditas na se-1. Joaquim Jos rerre
.....lo iiistilicadas na secunda
meira eadeira e duas e um (piarte ditas na se-
gunda.
Ernesto Odilon Maeiel Monteiro, duas justifica-
das na primeira eadeira e duas ditas na segunda.
Ildefonso de Andrade Mello, duas inclusive
una sabbatina justificada na primeira eadeira e
nina e um quarto justificada na segunda.
JeffersonMirabeau das Mercez Gordo, nmae um
quarto justificada na segunda eadeira.
Jos Joaquin Ramos Ferreira, urna justificada
na primeira eadeira e duas inclusive -urna sabba-
tificada:
guada.
Jos Peregrino de Araujo, tres justificadas na
primeira eadeira c urna dita na segunda.
Antonio de Almeida Oliveira. quatro inclusivo
una sabbatina justificadas na segunda eadeira.
Antonio Francisco Correa de Araujo, una justi-
ficada na primeira eadeira.
erreira da Bocha Jnior, duas
justificadas na segunda eadeira.
Francisco de Assis Correa Lima, urna justificada
na primeira eadeira e duas c um quarto ditas na
segunda.
Henrique Mamede Lins de Almeida, urna justifi-
cada na primeira eadeira e urna e dous quartos di-
tas na segunda.
Ignacio Ferreira de Almeida Guimaraes, duas, Joao Baptista de Siqueira Cavalcante cineojus-
justilieadas na segunda eadeira. miradas na primeira eadeira e duas ditas ; i s-
Antonio Carneiro Antones fiuimaracs,
urna jus-
tificada na primeira eadeira.
Jos. Genes da Frota, tres justificadas na pri-
meira eadeira e tres ditas na segunda.
Irino Ceciliano Pereira Costa, tres nao justifica-
das na segunda eadeira.
Joo Vaz de Carvalho Sodr, doxe inclusive duas
>abbatinas justificadas na primeira eadeira e treze
inclusive duas sabbatinas ditas na segunda.
Floreano Jos do Miranda, cinco justificadas na
primeira eadeira e dtias ditas na segunda.
Pedro Ferreira Coellio. cinco justificadas na pri-
meira eadeira e oito inclusive urna sabbatina jus-
tificadas na segunda.
Licinio Alfredo da Silva, sete inclusive duas sab-
pnmeira
guma
Jos Antonio Xunes, duas justificadas-Ba pri-
meira eadeira e tres ditas na segunda.
Luiz "Antonio Ferreira Sonto, cinco nao testifi-
cada! na primeira eadeira e duas justificadas na
segunda.
Rayniundo Olympio Goncaives de Freitas. tres
justificadas na primeira eadeira c duas inclusive
urna sabbatina ditas na segunda.
Theodorto Carlos de Faria Souto, tres justifica-
das na primeira eadeira e duas e um quarto ditas
na segunda.
Venceslao Garete Chaves, duas justificadas na
primeira eadeira e duas ditas na segunda.
Lzaro Jos Pires da Fonseca, urna justificada'justificadasidem.
Jos Pedreira Franca, duas justificadas na pri
meira eadeira e quatro na segunda, sendo duas nao
justificadas. *
Jos Vicente da Costa Bastos, oito justificadas na
firiineira eadeira e cinco na segunda, sendo duas
dtas c urna sabbatina nao justificadas.
Jos Francisco de Barros Reg, quatro nao jus-
tificadas na primeira eadeira e quatro inclusive
unta sabbatina justificadas na segunda.
Francisco Xavier de Mattos Tellos, cinco justi-
ficadas na primeira eadeira e duas ditas na se-
gunda.
Quarto anuo.
Americo Pinto Barreto, oito justificadas na pri-
meira eadeira.
Augusto Colin da Silva Bios, quatro justificadas
na primeira eadeira.
Bento Ceciliano dos Santos Ramos, tres, sendo
urna nao justificada idem.
Ignacio Antonio Fernandes, duas justificadas
idem.
Joao Damasceno Pinto de Mcndonea, urna c um
quarto justificada idem.
Jesuino Jos de Freitas, urna e um quarto justifi-
cada idem.
Joao Jos do Monte Jnior, duas justificadas
idem.
Joaquin Correa de Araujo, quatro inclusive urna'
sabbatina justificadas idem.
Joaquim Guennes da Silva Mello, urna justifica-
da idem.
Jos Francisco de Paula Correa de Araujo, tres,
sendo urna nao justificada idem.
Jos Henrique Cordeiro de Castro Jnior, urna
justificada idem.
Miguel Florianno Gama da Costa Doria, duas
balina ditas na tere eir eadeira.
Jos Maria Carneiro de Albuquerque Lacerda,
seis inclusive urna sabbatina justificadas na segunda
eadeira e seis inclusive nina sabbatina ditas na ter-
ceira.
Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque,
duas justificadas na segunda eadeira e duas nao
justificadas na terceira.
Manoel de Valladao I'imentel, onze inclusive urna
sabbatina nao justificadas na segunda eadeira e na
terceira dez inclusive duas sabbatinas nao justifi-
cadas, c cinco e um quarto inclusive urna sabba-
tina justificadas.
Alfredo Sergio Teixeira 8e Macedo, urna justifi-
cada na segunda eadeira e urna dita na terceira.
Carlos Augusto Xaylor, oito inclusive urna sab-
batina nao justificadas na segunda eadeira e cinco
inclusive quatro sabbatinas justificadas na ter-
ceira.
Manoel Joaquim dos Santos Patury, urna justifi-
cada na segunda eadeira e duas ditas na terceira.
Antonio Jos Marques, cinco inclusivo urna sab-
batiuana terceira eadeira. sendo quatro no justi-
ficadas e tres justificadas na segunda.
Ignacio Accioli de Almeida, urna justificada na
terceira eadeira.
Joao Franklln da Silwra Tavora, tres inclusive
urna sabbatina justificadas na primeira eadeira e
quatro ditas na terceira.
Antonio Raulino de Souza l'choa, tres justifica-
das na segunda eadeira.
Alfonso Xavier Fortes de Bustamante, nma
justificada na segunda eadeira e urna dita na ter-
ceira.
Francisco Antonio Correa de S, quatro justifi-
cadas na segunda eadeira e duas ditas na terceira.
Joao Jos de Moura Magalhaes, quatro justifica-
das na segunda eadeira e nove inclusive urna sab-
batina na terceira, sendo sete inclusive urna sab-
batina nao justificadas.
Manoel Pereira Quuimares, tres inclusivo urna
sabbatina justificadas na segunda eadeira e seis
inclusive urna sabbatina na terceira, sendo esta
nao justificada.
Joao Fernandes Chaves Jnior, duas justificadas
na segunda eadeira e desanove inclusive tres sab-
batinas nao justificadas na terceira.
Francisco Antonio Filgueiras Sobrinho, duas jus-
tificadas na segunda eadeira e quatro inclusive
urna sabbatina na terceira, sendo urna falta nao
justificada.
Joaquim Moreira Lima, tres justificadas na se-
cunda eadeira e una dita na terceira
Bernardo Dias de Castro Sobrinho, tres justifica-
Mana casa da Mina
, In Keelfe.
A lllm.' junta a.huinistraliva da Saaaa ,
Misericordia do Reeife manda faier poMIr*
da 27 do crreme pela* I horas da
de snas sessoes contina a prara d
aaau ababo declaradas par leniu, *,
annos.
Os pretendeiites devem romparem
dos de seus fiadores ou moniuV de mtZ
Urdr nafa
fcr*
raridad,.
ter-
ler-
trr-
batinas justificadas na primeira eadeira e seis in-1 na primeira eadeira, e urna dita na segunda.
_l___f_____________t. _... -. v I Tilinn-ii I*\*K(-it> \aniiiiiPi AifA inilnjiin
Tiburcio Barlioza Xogueira, oito inclusive urna
sabbatina justificadas na primeira eadeira e sete jus-
tificadas ditas na segunda.
Marcolino Ferreira Lima, urna justificada na pri-
meira eadeira c duas e dous quartos na seguida.
Alfandega
ll.iidiinento do dia 1 a 20. .
bb'indo da 21.......
clusive urna sabbatina ditas na segunda.
Antonio Uibeiro Pacheco de Avila, quatro justi-
ficadas na primeira eadeira e duas ditas na se-
gunda.
Joaquim Maria Carneiro Vilella, duas justifica-
das na primeira eadeira e tres ditas na segunda.
Augusto Carneiro Monteiro, uma justificada na
secunda eadeira. segunda.
Manoel Jos de Menezes Prado, duas justificadas I Luiz Caetano Muniz Barreto Filho. seis elusivo
na primeira eadeira, uu,a sabbatina nao justificada na primeira eadeira
Agostinho de Carvalho Dias Lima, cinco inclusi- c quatro e dous quartos na segunda, sendo uma
ve urna sabbatinasjustificada na primeira eadeira e sabbatina nao justificada.
cinco inclusive duas sabbatinas na segunda, sendo Joaquim Ribeiro de Souza Froes, um quarto jus-
uma sabbatina nao justificada. tincada na segunda eadeira.
Joao Joaquin Ramos e Silva, uma justificada na' Rufino Tavares de Almeida, duas justificadas na
primeira eadeira primeira e uma e dous quartos ditas na segunda.
Franeiseo Domingues Ribeiro Vianna, duas jus- Candido Joseph de Mello e Sihra nma justificada
ti ficadas na primeira eadeira c uma dita na se- na primeira cadena e uma dita na segunda,
gunda. Lino da Silva Bastos, duas inclusive uma sabba-
Segismundo Antonio Goncaives, tres inclusive tina justificada na primeira eadeira e duas,
urna sablutina justificadas na primeira eadeira e ave urna sabbatina dita na segunda,
quatro inclusive duas sabbatinas na segunda, sen-1 Luiz Ferreira Maeiel Pinheiro, tres inclusive uma
do duas sabbatinas nao justificadas. sabbatina justificada na primeira eadeira e quatro
das na segunda eadeira e uma dita na terceira.
Coriolano Augusto de Loyola, duas justificadas jqo Antonio de Barros Jnior, tres inclusive uma
idem. sabbatina justificadas na segunda eadeira e duaa
Joao V eira de Araujo, duas justificadas dem. j,as a terceira.
Antonio Epaminondas de Barros Correa, uma | Anton0 Lopes ja Silva Barros, duas justificadas
justificada dem. na segunda eadeira e quatro inclusive uma sabba-
Egidio Francisco das Chagas, duas e um quarto lma j|g3 na terceira.
Miguel Augusto do Xascimemo Feitoza, duas jus-: justificadas c uma sabbatina nao justificada dem. IJvino Lopes de Barros e Silva, urna sabbatina
tilieadas na primeira eadeira e um quarto dita na Hermogenes Oetaviano Alvaro de Figueiredo,' ^j justificada na terceira eadeira.
uma justificada idem. Candido Martins de Almeida, oito justificadas na
Priscihano da Silva Freir, tres inclusive uma
sabbatina, sendo uma falta nao justificada idem.
Raimundo Mendes de Carvalho, duas justificadas
idem.
Firmino Licinio da Silva Soares, um quarto jus-
tificado idem.
Jos Ricardo Gomes de Carvallio, duas justifica-
das idem.
Augusto Magno de Mello Mattos, quatro, sendo
uma nao justificada idem.
Pompilio Cavalcanti de Mello, seis e dous quar-
inelu-! tos, sendo tres faltas nao justificadas idem.
Miguel Figueiroa de Faria, uma justificada idem.
Guilhcrme Amazonas de S, duas nao justifica-
das idem.
Manoel Joaquim Ferreira steves Jnior,' uma e um quarto na segunda", sendo uma de sabbatina I Americo los dos Santos duas e um qnarto jus-
justificada na segunda eadeira. n.o justificada. saleadas idem.
Antonio Martins da Cunha. tres justificadas na
primeira eadeira e duas nao justificadas na se-
gunda.
Joaquim Pontos de Miranda, nove inclusive uma
sabbatina justificadas na primeira eadeira c onze
inclusive urna sabbatina nao justificadas na se-
gunda.
Leonardo Francisco de Almeida, duas justifica-
das na primeira eadeira e uma dita na segunda.
Francisco de Assis Pereira Rocha Jnior, seis
inclusive una sabbatina justificada na primeira! justificadas idem.
eadeira e duas e dous quartos inclusive uma sab- Alvaro Antonio da Costa, uma justificada
batina e um quarto de sabbatinas ditas na segunda. Joao Ferreira de Oliveira e Silva, quatro
Manoel Jos Monteiro, unta justificada na segn- sive urna sabbatina justificadas idem.
da eadeira. Antonio Pires Ferreira, duas justificadas idem.
Augusto de Araujo Santos, uma'justiflcada na se-' Joao Thom da Silva Jnior, quatro e um quar-
segunda eadeira e nove inclusive duas sabbatinas
ditas na terceira.
Vicente Candido Tourinho, duas justificadas na
segunda eadeira e urna dita na terceira.
Manoel Leocadio de Lima, duas justificadas na
segunda eadeira e duas ditos na terceira.
Manoel de Lemos Souza Machado, uma justificada
na segunda eadeira, e uma e um quarto dita na ter-
ceira.
Jos Baptista Gitirana, duas justificadas na se-
gunda eadeira e urna dita na terceira.
Joaquim Rauleta Bastos de Oliveira, cinco justi-
ficadas na segunda eadeira e tres na terceira, sen-
do luna nao justificada.
I^urenco Bezerra Cavalcanti de Albuquerque.
duas justificadas na secunda eadeira.
Custodio Jos Leite de Salles, quatro justificadas
Estabrlerimeates de
Ra Dinia.
X. i particular e 3-3 publico um
X. 82 particular e 3 publico tres
dar*.. .. ........
X. 83 particular e 7 publico tres an-
dares........ ......
Ra do Padre Floriaoo.
X. 6 particular e 17 publico ,-asa lenva.
X. 7 particular o 15 publico rasa terrea.
X. (iti particular e 03 publico casa ter-
rea ........
X. 90 particular e 17 publico casa ter-
rea............. ..
Boceo da Carvalha. ,
X. 10particular e 8 publico casa terrea.
Ra dos Pesfadom.
X. 16 particular e 11 publico rasa ler
na........... .. ..
Ruada Calcada.
X. 17 particular e 30 publico ca*a
rea...............
X.j 19 particular o 31 publico casa
rea..............
X. 21 particular o 38 publico ca*a
rea.................
Ra da Viraru.
X. 27 particular e W publico casa ter-
rea.................
Ra de Burlas
X. 29 particular e M puMirn don* anda-
res. ................
Rita de Santa Thereza.
X -I Upan cu lar e 7 publico casa terrea.
Ra da Roda.
X. 38 particular 3 publico casa terrea.
X. 3ti particular e .'i publico rasa lerna.
X. 37 particular e 7 pul.li.-.> rasa terrea.
X. 92 particular I publico rasa terrea
Itua da iinpcrairiz.
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea. ...............
lina da Gloria.
X. 51 particular e IB publico casa ter-
rea ........ ......
- Ra do Encaniamealo.
X.52particular e 3 publico 3 andar.-*.
Ra do Azeite de rVixe.
X. 88 particular e 1 publico i andar*.
Ra do Anmrim.
X. : particular e 31 publico um andar.
Ruada Lapa.
X. 56 particular e 8 pnhlie um aadar.
X. 73 particular e < publico um andar.
Ra .lo Pilar.
X. 59 particular e 73 publico rasa ter-
rea.................
mpjpj
'-Wfwaj
iiopmo
I8I4IMI
I19JH
XKtmn
l7aJMW
Ntfl
*J*Mt>

idem.
inclu-
gunda eadeira.
Jos Antonio de Pinho
Borges, duas justificadas
Joaquin Guedes Curre* Gondin, quatro justifica- \ na primeira eadeira e uma dita na segunda,
das na primeira eadeira e urna dita na segunda. Antonio Dias de Pina Jnior, uma justificada na
Jos Ignacio de Albuquerque Xavier, duas in- primeira eadeira e uma e um quarto ditas na se-
elusive uma sabbatinas justilieada na primeira ca- i gunda.
deira e duas ditas na segunda.
Manoel Barata de Oliveira Mello, seis inclusive justificadas idem.
300.6993351
17:801$890
:i 18:5013241
Joaquim Joas Bezorr Montenegro, duas justi- i uma sabbatina nao justificada na primeira cadei-
ficadas na primeira eadeira e duas na segunda, ra o tres inclusive uiaa sabbatina justificada na
sendo urna nao justificada. segunda. 1
Antonio Venancio Cavalcante de Albuquerque, Altino Rodrigues Pimcnia, quatro justjileadas
tres inclusive una sabbatina justificada na pri- na primeira eadeira c duas e um quarto ditas na
meira eadeira e quatro na segunda, sendo tres nao segunda,
justificadas. Jos Alfredo de Oliveira. duas justificadas na pri-
Franciseo Rodrigues Soares. quatro justificadas meira eadeira e uma dita na segunda,
na primeira eadeira o duas ditas na segunda. Francisco Theotoiuo de Carvalho, urna justilioa-
Francisco da Cunha Pedrosa Machado Jnior, da na primeira eadeira o
, duas justificadas na primeira eadeira e tres ditas
justitlca-
Movimcuio da alfandega.
Voluntes entrados
Votemos sabidos
com fazendas
com gneros
com fa/.eiidas
com gneros
:ft
98
683
se-
34
------ 7o 1
1 agosto
Descarrcgam no .lia 22 de
Lugre inglezEdith carvao.
Barca poHugueza/.-<". Escuna inglezaQuetn of the FtreXmercaduras.
Barca inulezabHogetu idem.
Barca Hglczaissanvdor diversos gneros.
Iinport-.ico.
Unte nacional Liinlo Paquete, vindo do
Maianho, consignado Antonio de Almei-
da (lomes, manifestou o seguinte :
Merendonas estrangeiras
!) carne cha preto : Manjues Barros
I caixote livros e papis escriptos, i
lian cao eom Gi7 ternus de cadinhos para
ourives, (5 saceos rolhas de cortiea, I caixo
200 marlellos para sapateiros e carpinteiro,
I caixa com !3i pares de esporas de ferro,
144 freios de dito, e 9(5 pares de estribos
de dito : a orden de diversos.
Gneros naconaes.
200 saceos arroz grado, 40 ditos milho,
100 ditos farfolla de mandioca : Antonio
le Almeida Gomes.
lo saceos farinha de mandioca, 202 di-
bis arroz graodo, 1 paneiro farinha d'agua,
1 dito tapioea, l'mobilia c mais onjeetos de
uso, I macaco, I periquito e I arara ; a
ordem de diversos,
cc< clMMlorla de rendas infernas
geraes de Pernamlmeo.
I a vil. 23:W*3U
....... 77'J*Vio4
2'.: 424*008
Condimento do dia
Idem do dia 21. .
na segunda.
Cicero Anaiolio Vieira do Brasil, duas
das na primeira eadeira e unta dita na
Jos Manoel de Barros Wandorlov. quat
tilieadas na primeira eadeira e duas ditas na
gunda.
Antonio Manoel de Siqueira Cavalcante, duas
justificadas na primeira eadeira c tres ditas na se-
gunda.
Manoel do Xascimento Teixeira. duas justifica-
das na primeira eadeira e duas inclusive urna sab-
batina ditas na segunda.
Cicero de Sou/.a Marques, duas justificadas na
primeira eadeira e quatro inclusive una sabbatina
ditas na segunda.
los da Molla Xunes, duas justificadas na pri-
meira eadeira e duas ditas na segunda.
Francisco da Casta Ramos, duas justificadas na
primeira eadeira.
Manoel Fernandes de Araujo Jorge, quatro in-
clusive duas sabbatinas justificadas na primeira
eadeira e iros inclusive urna sabbatina ditas na
soguada.
Joao Lopes de Aguiar Silva Muritiba, duas jus-
tificadas na primeira eadeira e duas inclusive urna
sabbatina ditas na segunda.
Samuel Pelippe de Sonta l'choa. duas inclusive
nina sabbatina justificada na primeira eadeira e
duas ditas na segunda.
Paulino Francisco de Carvalho Nobre, duas jus-
tificadas na segunda eadeira.
Livto Vieira de Macedo, duas justificadas na
primeira eadeira e duas ditas na segunda.
Esperidiao Zamiro do Souza Ixipes, cinco justiti-
na segunda.
Francisco Rodrigues Seixas, tres e. um quarto Iia segunda eadeira c sete na terceira, sendo cinco
""" '"""' inclusive uma sabbatina nao justificadas.
JoaoSilverio Marques Bacalho, tres justificadas
na segunda eadeira e tres ditas na terceira.
Magno Bruno Marques Bacalho, quatro justifi-
cadas na segunda eadeira c duas ditas na terceira.
Jernimo Cabial Rodrigues Chaves, duas e um
quarto justificada na terceira eadeira.
Flix Jos de Souza Jnior, quatro justificadas
na segunda eadeira e nove e um quarto inclusive
uma sabbana na terceira, sendo sete inclusive
urna sabbatina nao justificadas.
Jos Joaquim Domingues Carneiro, uma justifi-
cada na segunda eadeira.
Traiano Veriato de Medeiros, oito inclusive urna
sabbatina nao justificadas na segunda eadeira o
quatro justificadas na letcelra.
Vctor Izaac do Araujo. sois justificadas na se-
gunda eadeira o quatro inclusive una sabbatina di-
tas na terceira.
Alfonso Jos de, Oliveira Filho, urna justificada na
segunda eadeira e tuna dita na terceira.
r rancisco Prisco de Souza Paraizo, uma justifi-
cada idem.
Ezequiel Franco de S, tres justificadas idem.
to, sendo duas nao justificadas idem.
Elias Jos Pedrosa Filho. duas justificadas dem.
Jesuino los Comes, uma justificada idem.
Aloxandrino i,eonel Marques Santiago, tres jus-
tificadas idem.
Francisco Fcrreira Pacheco de Mello, duas nao
l*wW
I Vio
4*)*
.Y
Roa de Sao Rom Jess das Crionlas.
|.>I*M
lii**
i*
7m*un>
100*1
rimgts
Jos Candido da Silva Franca, qualro, sendo
duas nao jiulilicadas idem.
Antonio Joa.|iiim de Souza Paraso, tluas, sendo
uma nao jusiitlcada idem.
Antonio Goncaives de Almeida, quatro justifica-
das idem.
D. Antonio de Souza Silvcira. urna justificada
dem.
segunda, cadas na primeira eadeira e tres ditas n
airo jus-; Joo Pedreira Cerqueira, oito inclusive tres sab-
.latinas justificadas na primeira eadeira c nove In-
clusive Jos Joaquim de Oliveira Fonseca, urna justifica-:
da na primeira eadeira e tres e um quarto ditas na i
segunda. \
Antonio Martinano Iipemberg. ama justificada
na prnieira eadeira e urna dita na segunda.
tln^..l I uAjfe I v .jtn 1 /\lltlj,l Ml~l fPoi' LMAtllk I t'j
Francisco Antonio de Freitas Barros, tres justifi-
cadas na segunda eadeira e tres ditas na terceira.
Antonio Pereira Camello, urna sabbatina justifi-
cada n segunda eadeira.
Jos Fiel de Jess Leite, quatro justificadas na
segunda eadeira e quatro ditas na terceira.
Manoel da Costa Honorato, urna justificada na
segunda eadeira e urna dita na terceira.
Felippe Daltro de Castro, uma justilieada na se-
gunda eadeira.
Secretaria da Falcudade de Direito do Reeife 14
dos em leilo Gbarrisda marca diamante L
S J B, com verniz de alcatro, vfodos pela
barca ingleza Serafina, consignados Sa-
mttel l>. johnston */-; ja '^^JiraoexHilLv malas para Km,,*
sera feta em vtrtudedo S 4 do atttgo 204 'corronl,. mx decaorasidadeeeai i
Felippe Franco de S, tres justificadas dem.
Paulino Rodrigues Chaves, duas justificadas
dem.
Pedro Jansen Pereira, um quarto justificada
dem.
Agostinho Julio do Cont Belmonte, duas justifi-
cadas idem.
Joao Alves Mcrgullio. dirs justificadas idem.
Goncallo de Aguiar Boto Menezes, uma justifica- (i,,"^(losio"de 1803
da dem. 0 4en.etai0
Manoel de Siqueira Cavalcanti, seis justificadas Jl)$ onorio Besen* de Menezes.
Manoel Leite Cesar Loureiro, tres inclusive urna idem. p naiwtnri .la alfan.Wa se faz
sabbatina justificadas na primeira eadeira e duas Bernab Elias da Bosa Calheiros. tres justificadas! eia "isptcwna a aiiaiiuog< ai*
sabbatinas justificadas na segunda. idem. publico, que no da 24 do cor rente, depois.
Joo Otbon do Aniaral Honriquos. urna justifica-! Manoel Lopes da Cunha Maeiel, onze inclusive do meio dia, .1 porta da mesma.serao vendi-
da na primeira eadeira e uma e un qnarto dita na una sabbatina justificadas idem.
secunda, Epiphanio Venar Domingues da Silva, duas jus-
Tobas de Souza Lima, cinco inclusive uma sab- tilieadas idem.
batina justificada na primeira eadeira e duas ditas Goncallo de Lago Fernandes Bastos, urna justili-
na segunda. cada idem.
Antonio Loureneo de Carvalho Lessa, tres inelu- ] Aristides de Paula Dias Martins, duas justifica-
ste uma sabbatina justificada na primeira eadeira das dem.
e cinco inclusive uma sabbatina dita na segunda.! Jos.' Avelno Gurgcl do Aniaral. duas e dous
Frederico Marnhode Araujo, duas e dous quar- quartos justificadas idem.
ios. sendo uma de sabbatina justificada na segunda^! Joo Baptista da Costa Carvallio, uma justificada
Julio Cesar Gomes do Castro, urna justificada na idem.
primeira eadeira e nina dita na segunda. | Bento Minervino da Silva, duas justificadas
Joaquim Pereira da Silva Ouimaraes. deas justi- idem.
Theodoro Thado da Assumpeo, duas justifica-
das idem.
Beinvindo Pinto Loho, tres, sendo uma nao jus-
tificada dem.
Manoel Rodrigues de Amida (amara, duas e tres
quartos justificadas idem.
Joaquim Germano Ramos, quatro, sendo uma
Bolvar Teixeira Mendes. tuna sabbatina jtistifi- nao justificada dem,
cada na primeira eadeira e duas faltas ditas nal Malinas da Veiga Ornellas, uma justificada idem. .^^
secunda Melcades Pereira da Silva, uma justificada dem.: ** J"IZ0- l'V, ., ',?i 2T \n n
Tliomaz Loureneo da Silva Pinto, uma justificada Qu.nto anno. \lL^tUii^%SSZl^TSl
Deo. leeano de \lbuuuenuie. quatro u- na primeira eadeira e urna dita na segunda. Alfredo Sergio Ferreira, duas justificadas na se- r
justificada na primeira ca- Jos dos Santos Pacheco Lima, oito inclusive urna gunda eadeira e duas nao justificadas na terceira.
deira coito inclusive tuna sabbatina nao justifica- sabbatina nao justificada na primeira eadeira e tres, Hermino Gcroncio do Espirito Santo, duas in-
da na secunda. ; inclusive uma sabbatina justilieada na segunda. clusive urna sabbatina justincaflas na segunda ca-
oda Cunha Pereira Beltro, una justificada
Picadas na prinieira eadeira otros o um quarto, sen-
do um de sabbatina ditas na segunda.
Matliias Nunes Bandeira de Mello, tres justifica-'
Manoel Podre Cardlo Vieira, quatro justifica- das na primeira eadeira o duas e um quarto ditas
das na primeira eadeira e seis nao justificadas na na segunda. j
seminda. Pedro l'lysscs Porto, una justificada na pnmei-
giiud
Antonio Rodrigues de Souza Martina, urna justi-
ficada na primeira eadeira o duas ditas ua se-
cunda.
Antonio Salioia de S Leto, urna justificada na
primeira eadeira e uma dita na segunda.
Kuclid,
elusivo urna sabbalioa justificada na prime
>> I pan io i dar c 8 puldieo casa terrea.
Roa da Cruz.
X. 08 particular o 15 publico 3 andares.
Ra da Cadeia do Kecife.
X. 72 particular e 30 |mblieo 3 andares.
Berro da Lana.
X. 7o particular e 30 puldk-o casa ter-
rea......... ......
Travessa do Careereiro.
X. 8o iiarticular II publico cas ter-
rea.............
PalrisMiM 4> sraauhM.
Beocoda.s Boias.
X. 39particular.' 18publico .knis an-
dares...... ........
Boa da Moeda.
X. 44 pardealer s il publico ca rea ................
Roa do Amorim.
X. o4 particular o l publico 3 andares.
X. 56 particular 8 26 publico casa ter-
rea ................
Rui do Burgos.
X. 69 particular el publico casa ler-
m .... .... .....
S.trotaria da Santa Casa da Misericordia
cite 21^10 agosto de 1863.
O seervtan,
F. .1. Qarnlcitnli t'.rmtmirm.
Orreis.
fel administraran do crrese desta prminria
se faz publico que boje iii do corrente. as 3 h
ras da tarde em jiontn. ferhar-se-lio as malas >ssr
dere condnzir o vapor rosteiro Mnmnn//nttfe mu
destino ,is provincias da Parahiba. RioOrandr |r
Xorte. Cearii e portos internKilios.
frrelo geral
Pela administraco do correio desta cidasV faz publico para lins convenientes, que era rirtnde
do disposto do artigo 138 .1 regnlanvnlo peral
dos correios de 21 .b> dezembro de WV4 e anigr-
9 do decreto n. 785 de 15 ile maio.li> 1851
ceder o consumo das cartas existentes ne-ta ad-
ministraco, |>rl,n.entes ao mez de asarte de
IKti. no'dia 3 de setembro. as II hora* da n-
nha. na porta do mesmo corr*k>. s a re*pertiT
lista se aeha desde j exposta aos mvrrssadi*-.
Administraoo do rorroio de Pernambnro f te
agosto de IH*>:t.o .idministratlor.
Domingos dos Pas** Miranda.
d..">
C'nrreln.
Peta aduiriistraoo do correio desta
faz publico que i'in' virtinle da eonvenrao p>lal.
arremataco ,vl',"'a'la I"'1"" g,,v,'mos brasOeiroe franrvz *r-
do regtilamento.
Vlfan.lcga de Pernambuco, i de agosto
de 1863.
0 4" escriplurario
J O Dr. Ti isto de Aleiiear Ararlpo, official da ini|)e-
rial orden da Rosa o jais de umita especial
.lo eoinmereio desla ei.la.le do Reeife capital da
Movinea do Pernanilmeo e seu termo |K>r Sua
Magostado Imperial e Ikmstitueional o Sr.
Podro Ha quetn Heos guarde, etc.
I).
ra eadeira e tuna dita na segunda.
no .ha .11 dn
o annrmeio
deste correio. As cartas ser receidas ale dua>
horas antes da que lr marrada para a vahina dn
vapor, o os jornaes at 4 horas antes.
Administraco do correio de Pernamhrien ti *?
agosto de 186.3.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
No dia 22 do corrente, depois da
audiencia do jtii/. municipal da 2 Tara tesa
de ser arrematada a casa terrea n. 38 da
ruado Aragao, a qual foi penhorJa ao pa-
dre Francisco Alves de branles, por e-
encatninha a ir-
Faco saber pe b psenlo que oo .la -*! coci qm contra o mesmo
to depoisda audiencia respetiva se ha de arrema-, ,
tar par venda a queni mais der em praca publica manuaue ue >. Pedro.
< oiisiiiade prtts iin-i:I.
li-ndimento do dia I a 80. 21:088^443
dem do dia l......... TMftn
22:4345557
M0YIMENTO DO PORTO.
.Virw entrado no dia 21.
Anvers 52 dias, patacho drnamarque/.
.laha.ua, de 125 toneladas, capitSo 1. Vie-
theer, eqnipagem 8, carga fa/andas e ou-
tros gneros; a Rothe Bidoulac.
Nados sakidot no tnesmo dia.
Rio de Janeiropatacho nacional CVwtiwy
capito Manoel Pedro Garrido, carga
sucar, e 2 eseravos a entregar.
Liverpool por Mecei-barca ingleza /7ro{
terim, capilo Henry Coombs; em lasl
tro de assucar.
Arawty- WMo nacional nvenciivl, capito
Joee Joaooim Ai ve ta Wa, carga fazen-
das e giros generos-
Ignaeio Jos de Oliveira Arruda, dez justifica-
das ua primeira eadeira e seis na segunda, sendo
tres nao justificadas.
Miguel l'eixoto de Vasconcellos, seis inclusive
uma sabbatina justificada na primeira eadeira e
seis inclusive unta sabbatina nao justificada na se-
gunda.
Joo de Hollanda Cunha, una justificada na pri-
meira eadeira c duas ditas na segunda.
Joo i
na primeira eadeira e uma o um quarto dita na se-
gunda.
Jos (ornes Ferreira, tres justificadas na pri-
meira e tres inclusive urna sabbatina dita na se-
gunda.
deira e uma dita na terceira.
Mileno de Torres Bandeira, sete justificadas na
segunda eadeira e cinco inclusivo una sabbatina
ditas na terceira.
Manoel Barbosa de Araujo, cinco justificadas na
segunda eadeira c seis ditas na terceira.
Alfredo Montezuma de Oliveira, uma justificada! cadas na primeira eadeira.
Manoel Mendes da Cunha Azcvedo, tres justifica- Olympio Euzebio de Arroxellas Galvao, tres jus-
das na primeira eadeira. tilieadas na segunda eadeira e dnas ditas na ter-
llernies Plinto de Borba Cavalcanti, duas justill- i ceira.
Francisco Antouio de Carvalhal Jnior, uma
na primeira eadeira c urna dita na segunda. Luiz Avres de Almeida Freitas, urna justificada justilieada na segunda eadeira.
Ernesto do Paiva Leite, quatro inclusive duas na primeira eadeira e duas ditas na segunda. Celso Tertuliano Fernandes Quintella, uma justi-
sablianas justificadas na primeira eadeira o. dez | Joao Aires Pereira de Lyra, duas justificadas na [ licada na terceira eadeira.
inehisive tres sabbatinas ditas na segunda. primeira eadeira e urna dita na seggnda. Dario Gomes da Slveira, tres justificadas n i se-
Deinetrio Jos Teixeira, einco inclusive duas
sablatinas justificadas na primeira eadeira e -eis
aclusjve tima sabbatina nao justificada ua se-
gunda.
Torquato Mondes Vianna. perdeu o anno.
Alarico Jos Fnrlado, quatorze inclusive duas
sabbatinas nao justificadas na primeira eadeira e
vinte e ciaeo inclusive tres sabbatinas ditas na se-
gunda.
Te i reiro anuo.
Antonio Luiz Ferreira de Menezes Vasconcellos
de Druinmond, urna e dous quartos inclusive um
quarto de sabbatina justificada na segunda ea-
deira
Ernesto Botelho de Andrade, tres justificadas na
primeira eadeira e tres inclusive tima sabbatina
segunda.
ferino Pires de l.yra, duas o dous quar-
tos justificadas na segunda eadeira.
i'Itiini Constancio de Moura Costa, dousquar-
endo um quarto de sabbatina justificadas na
segunda eadeira.
Joaquim Patriota Paes Barrlo, uma justificada
na segunda eadeira.
los Joaquim Ribeiro Campos, urna justificada na
primeira eadeira e uma sabbatina o dous quartos
de falta ditas na segunda.
Rento Jos Alves Vianna. duas justificadas na: goeda eadeira o tres ditas na terceira.
segunda eadeira. Horacio Walfredo Peregrino da Silva,
liento Borges da Fonseca, tima justificada na tilieadas na segunda eadeira e quatro ditas na ter-
primeira eadeira e nma dita na segunda. ceira.
Ivo Magno Borges da Fonseca, tres justificadas Francisco Leonardo de Souza Miranda Como,
na primeira eadeira e qnatro ditas na segunda. duas justificadas na terceira
Miguel Gomes de Figueredo. duas justificadas Manoel Jos Goncaives Fraga, uma sabbatina
na segunda eadeira. justificada na segunda eadeira e uma dita na ter-
Paulino Xogueira Borges da Fonseca. duas in-! ceirav
clusive tuna sabbatina justificada na primeira ca-1 Catao Guerreiro de Castro, uma justilieadada na
deira e duas e dous quartos. sendo uma de sabba-' tercerajeadeira.
tina dita na segunda. Ernesto Pinto Lobo Cedro, quatro justificadas
Joao Capisttano de Almeida, duas justificadas na'na segunda eadeira e duas ditas na terceira.
primeira eadeira e duas e un quarto. sendo tuna j Antonio de Souza Hayraa, duas justificadas na
le sabbatina dita na segunda. segunda eadeira.
Joao Frankli do Alomar Lima, dnas justifica- j Raimundo Tlieodorieo de Castro e Silva, quatro
das na primeira eadeira e duas e dous quartos ditas' justificadas na segunda eadeira o cinco na tereciia.
Roda o eom a entrada pela inesuia rita, avahada
em 11 :U 10-5000 rs.. dita san e |>er|onoente ao co-
ronel Jos Pedro Vellozo da Silveira, u a este pi-
iln irada por execuco do Dr. Angelo Henrique da
Silva como tutor dos orphaos lilhos do fallecido
Francisco Carneiro da Silva e mais lierdeiros do
niosino. e nao bavendo licitantes ser a arremata-
cao feita pelo preeo da adjndicaeo. e com o aba-
timento respectivo da le.
E para que o prsense ehegue ao conheciniento
do todos, mandei passar editaes, que serio publi-
cados pola iniprensa o allixados nos lugares do
rstame.
Dado o passado nesta cdade do Reeife de l'or-
nambuco. aos l dias do mea de agosto do auno do
iiaseimentode Xosso Senlior Jess Christo de 1863.
'. 42. da independencia e to imperio do Brasil.
Eu Manoel de Can-albo Paes do An.lrade.es-
duas jus- ervo o snbaeref
Tristdn de Mene na segunda.
Jos Francisco de Araujo Lian, tres inekasive
urna sabbaua justificada na segunda eadeira e
cinco inclusive urna sabbatina dita na primeira.
Jos de Hollanda Cavalcanti do Albuquerque,
iueo inclusive duas sabbatinas justificadas ua pri-
iiii.'ira eadeira e cinco ditas na segunda-
Benedicto Marques da Silva Acana, cinco, justi-
ficadas na primeira eadeira o quatro o um quarto
ditas na segunda.
sendo tres nao justificadas.
Jos Alves da Silva, duas inclusive uma sabba-
tina justificada na segunda eadeira e urna dita na
terceira.
Ernesto Julio Bandeira de Mello, uma justificada
na terceira eadeira.
Jos Mariano Ribeiro, aove aelasive aun sabba-
ttna justificadas na segunda eadeira e cinco ditana
terceira.
Jos Rodrigues Pereira Jnior, quatro justiflca-
Collectoria provincial de
O i inda.
O collector das rendas provinciaes da cdade de
Olnda faz constar pelo presante que tem designa-
do os dias de segunda, quarta, e sexta-feira das
semanas para proceder o laneameuto da dcima
urbana, e mais imposices para o exercicio de
181.3 a 1864, designando os uniros dias da semana
para cobraneados itnpostosa seu cargo.
Peante o juz de paz da frcguczia de S. Jos
vai a praca amanha sexta-feira i bois : quera
quizar Tancar no mesmo compareca.
Ocorpo de polica compra 400 covados de
ianno azul para fardameuto, quem tiver e quizer
srnecer aprsente sua proiwsta acompanhada da
amostra na secretaria do mesmo corpo ao meio
?dia de 2i do corrente.
0 teneuta-secrotario,
Luiz Jeronymo Ignacio do< Santos.
Cnnselho :ul>nini O consolho administrativo, para (m-rimmwt n
arsenal de tierra. Mn de comprar h objerlos v-
gnintes:
Para o 4 batalho de artiHiaria.
*>0 bonets de reernlas, 50 mantas de lia. M pa>-
res de sapatos. *0 varas de brim branro, I3S va-
ras de almdoziiihn.
Para a companhia de arlnVes-,
12 bonets para roeriitas. 12 manta" 12 pares r
sapatos. 80 varas de hrim blanco. Mi varas d at-
godozinlio.
Cara a companhia .le cavaUaria.
10 bonets sem palta. 10 mantas deba, ta es-
leirs. 10 pares de luva*. 10 pares dr
varas de brim branco, 23 varas de i
Quem quizer vender tae-t onjtvlus ;
suas propostas em carta binada
coiiselho. s 10 lioras da Djoahaa do da 1
corrente moz.
Sala das sessoes d conselho adniiniluaiisv |
fornerimento do arsenal de guerra. 19>j
186.3.
Antonio Pedro dr Sis
ixnonel presidente.
iebattiiio Antonio do Js>
Vogal secretaria
I
THEATRO
^^ DE
EaPREXt
DE
4. J. MLUm IIcelta Ifvre da nalstnndns i
SaMsds, 2Sde anata de iML
Priiiieira ropivsentaco d sobbme i
actas, original portngnez do Sr.
mor.
i.


Diario d* Perufiaifcflfo s*hha,U $? < Agosto re 18B8.
'
OS HOMENS
'4*
PEHSO.NAENS.
D. Luiz Coulinho......... O Sr. Flavio.
O- Beatriz............... A Sra. D. Camilla.
D. Ifnpz?................ > D. Philomena.
Estevao de Moura........ O Sr. Penante.
Doru Travassos.......... Porto.
Simplicio Lobo........... Thomaz
Fernando de Lima........ Lessa.
D. Leonor Martins........ A Sra. D. Leopoldina
Manoel Mara............ O Sr. Gil-Braz.
Doutor.................. Guimaraes.
Criado................... Araujo.
Actualidade.
Terminar o espectculo com a representaeao
da engraeada comedia etn un acto.
0INGLEZ MACHfflISTA.
Principiara as 8 horas.
GRANDE
** extraordinario baile, sabbado e domingo, nos
magnficos Baldes do caes de Apollo, com loda a
pompa e brilhantismo. Ser cumprido o regula-
mento do lllm. Sr. Dr. chefe de polica. Entrada
para cavalheiro 2 e |vara damas gratis.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
i^ Do porlos do *ul esperado at
o dia 30 do corrente o vapor To-
nnitiit*. cmmandaule o primeiro
hlenlo Pedro Hypolito Duarte, o
qual depois da demora do costu-
me seguir para os porlos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carp Que o vapor poder eonduzir, a qual dever
ser embarcada no dia do sua chegada, enaora-
meadas a dinheiro frete at o dia da sabida s 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de.
Antonio Luir, de Oliveira Azevedo & C.
LEILAO
PE
Tei^-a-feira *5 do jorrate.
O agente Sin lmente autorizado lar
leilao no dia aeima indicado ai II horas, i na do
Vigario anuazein n. H, de cinco escravos n sa-
ber : un de nome Domingos, nacao, idade de 38
annos, com oftlcio de preparador de fumo para ci-
garro ; um de nome Quirino, crioulo, idade de 13
annos, cigarreiro; um de nome Celestino, crioulo
de 11 annos, tambem cigarreiro; um de nome
Thomaz, crioulo, idade de 6 annos. sem offioio ;
um de nome Manoel, idade de 10 annos. mulato,
tambem sem offlcio : todos sadios e lionitas tlgn-
ras, cujos esclavos vendein-se para licraidacao
de contas nesta praca.______________________
LEILAO
N
UiU PHEDIO.
Quarta-felra e do cor rente*
O agente Simos legalmente autorisado far.
leilao no dia cima indicado s 11 horas, na porta |
da associacao commercial, de um sobrado de dous
andares c soto em solo proprio, situado ra do .
Burgos n. ti: os prelendentes queiram examina- '
lo ou inforniarem-sc do referido agente ra do
Vigario n. 17, primeiro rndar, cujo predio vnde-
se para liquidacao de contas nesta praca.________
3-Rl'A ESTREITA DO R0SARI0-3
Francisco Pjnto Ozono contina a col-
locar denles artificiaos tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alloma sem que as obras nao
flquem a vontade de seus danos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para eouservacao da borca.
m m
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porlos do norte estrado
at o dia 4 de setembro o vapor
Priiicezn de Joinville, comman-
dante o capit.o tenente Santa
Barbara, o qual depois da demo-
ra do costme seguir para os portas do bu!.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eonduzir, a qual dever
ser embarcada no dia dr ma chegada: encom-
tnendas e dinheiro a frete at o dia Si sabida as 2
horas, agencia na da Croa n. 1. escriptorio de
Antonio Uril de Olivoira Azevedo cv C.
COMPANHIA PERNAMBUCAA
1>E
tfavegaeo cosfelrn vapor.
mu e escala-
O vapor Pe si un iiga, ronnnan-
dante Bats, segu para os por-
tos cima indicados no dia 2? do
corrente s horas da tardo.
Recebe caiga at o dia 2i ao
meio dia, encommendas. passageiros e dinheiro a
froto at o dia da sabida ;- 3 horas da tarde: es-
eripterio no Porte do Mallos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCAA
DS
.Vivegaeo cosleira a vapor.
Paralnba, .\alal. Macan. Aracaty, Cear e Acarac.
O vapor MsmanfftMt romman-
danle Moura, seguir para os
portos cima indicados no dia 2ji
do corrente as o horas da larde. A
carga ser receida at o dia 21
ao meio dia. ""coramenda.-, passageiros e dinheiro
a frete al o dia da sabida as 3 horas: e-orptorio
no Forte do Mallos n. 1.
Rio de Janeiro.
O patacho Cunimm capito llosa, anda pode re-
eeber alguma carga: Irata-se com Marques Bar-
res k C, Largo do C.orpo Santo n. 6.
PR EBIOS
Loja de eera e ofejeetos de
prata e onro.
Quinta-feir 0 agente Pestaa far leilao a requerimento do
testamenteiro o inventariante do fallecido Fortuna-
ta Cardoso de Gouvcia e por despacho do lllm. Sr.
juiz municipal da segunda vara, da armacao da
loja de cera e a cera em velas e grume. fio de al-
;ouao e mais pertences da fabrica e perlences da
oja do mesmo finado da ra da Cruz do bairro do
Rerife n. 60, assim como casticaes de prata, sal-
vas, palhileiro, colhepcs para sopa echa, relogios
de ouro com corrente. oratorio, brincos, abotua-
duras, fivelas e mais
i sobrado mei-agua de 3 andares na ra da Gru
n. 59;
1 dito mei-agua de 3 andares contigo a aquclle
no becco do A oren n. 6;
4* parte do sobrado de 3 andares na ra da
Senzala Velba n. 70;
Hetade do valor do sobrado de 2 andares na
ra da Cruz n. 60;
1 casa terrea na ra Nova de Santa Rila n. 50 ;
1 casa terrea em Olinda na ladeira da biea de
S. Pedro a primeira em cima da bica n. 1.
1 casa junto aquella n. 2:
1 casa terrea na ra de Rcmlica em Ohnda nu-
mero 24;
2 tercas partes na casa terrea na ladeira do Va-
radouro n. 30.
Todos em chaos proprios.
S em duvidaade n. 50, todos os mais esclare-
cimientos podero encontrar ejn mao do agente : os
predios podem desde ja serein examinados a qual-
quer hora c o teilo ser feto quinta-feira V do
corrente pelas 10 horas da manhaa na mesma loja
de cera ra da Cruz n. 60.
AVISOS DIVERSOS.
Assoeiaeo Typographiea Per-
nanihueana.
Devendo ter lugar domingo 23 do corrente a
missa solemne em honra do Glorioso Padroeiro
desta associacao, convida-sc a todos os Srs. socios
effectivos, honorarios e correspondentes, bem co-
mo s pessoas do publico que nuizerem concorrer
com suas presencas para o brilhantismo deste ac-
to religioso, a compareeerem as 8 1|2 horas da
manhaa, na igreja dos religiosos capurMnhps de
Nossa Scnhora da l'euh. A
Oiitro-siin. sao convidados os Srs. socios effecti-
vos a assistirem posse do couselho ltimamente
cloito. em sessao da assembla geral que ter lu-
gar s 11 lioras da manhaa do mesmo uia.
Secretaria. 21 de agosto de 1863.
01"secretario,Sihn Um.
lotera.
Para o Rio de Janeiro vai carregar, sem
grande demora, o brigiie brasileiro hn>erador, ca-
pito Jos Rodrigue.- Pratis, recebe carga a frete,
para o que trata-so do escriptorio de Amorimlr-
mos, ra da Cruz n. '.
Para o Poro
At otiin do mez pretendo Mgllir o veleiro e
l.em conhecido brigue portuguez Mello I: tem
parlo de seu carregamento promptu : para o rosto
me Ihe falta, trata-o com os seus consignatarios
vi' mi Luiz de Oliveira Azevedo4 i... no senes*
i iptorio roa da Gnu n. 1._____^^^^_______f
Para Lisboa sabe em poneos dia- com a car-
ga que livor, a galera lna-ileii.i Mindello, de mui-
to boa construeeao. e acabada de fabricar, tem
bons commodos para passageiros : qnem na mes-
ma ijuizer carregar a conimodo frete, ou ir de pas-
ii. traia-so com os consignatarios Palmeira t
toitro, largo do Corpo n. 4, primeiro andar.
I'ara a Rabia vai sabir com umita brevidade
o veleiro Date Tyiio. tem parte da carga prompta :
p&ra o resto que llie talla. Irata-se com os consig-
aatarios Palmeira \ Beltrao- largo do Corpo San-
to n. i. primeiro andar._____________________
Para o Maranhao e Para
pretende seguir uestes oito dia- o veleiro e bem
conhecido brigue escuna Jaren Arthvr. tem a
-eu bordo part' de seu carregamento ; para o MB-
*o que Ihe falta. Irata-se ruin os seus consignato-
tarios Antonio Luiz de Olivoira Azevedo & G., no
>en escriptorio roa da Cruz n. 1.
Tara a llalii-i.
O palhahotfi f?nrtfrflMi Ion parte da carga, para o
esto traia-se com Tasso Ii niaos.
LEILOES.
1)K
Movnis dividas
O agente Simos far leilao no armazeni ra
do Vigario n, 11, a requerimento do curador da
inassa fallida de Manoel Jos de Para, e mandado
do lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, de
urna mobiiia de Jacaranda completa em perfeito
sudo constando de JG cadoii a- eoiii assentos de
palhinha, 2 ditas de Braco, i dilas de balanco, 1
par de consoles com tampo de marmere, urna
jnesa de meio de sala tambem com tampo de mar-
more, 1 sof, 1 serapliiua. lanlernas, candelabros,
pralos, chicaras, copos, calic- para vinhoe cham-
panhe e diversas liegas de louca que seria enfado-
obo enumerar; terca-feira iii do corrente s 10
lioras da raanha. 0 mesmo agente ne?se mesmo
sa, montando ellas a cifra de 26:138,8760. enja re-
iaco j se acha em poder .do dito agente, para
exame do quem pretende
r>
LE \o
A 2S do corrente
Linden, Wild <,(;.. tendode muda o seu arma-
.em de fazeodas para o largo do Corno Santo.
-ipresentaran em leitao no dia 2'> do corrente por
interveneao do agento pnin um completo e varia-
do sortimento de fazenda- sui-sas. liancezas, al-
Umaes e ingleza, exi travesa do Corpn Sarria n. 7 findn esperam a
ncrrencia de ^ens r^rw*<
Principiar ;- tO hora"-.
IIOJG
Sabbado 22 do co.-rente so extrahir a
primeira parte da primeira lotera da igreja
de N. S. das Neves do convento de S. Fran-
cisco de Olinda.
Os bilhetes e meios biletes acham-se
venda na respectiva thesouratia. ra do
Crespo n. 15, c as casas commissionadas
na da Imperatriz n. 44, luja do Sr. Pimen-
lel, praca da Independencia n.22. loja do Sr.
Soares Pinheiro,rual)iieita n. 3.liotica do Sr.
Chagas. e ruada Cadeia n. 45, teja 4o Sr.
Porto.
Os premios de 5:000/al 10> scrao pa-
gos urna Itora depois da extraerte at as 4
horas da larde, e os oulros no dia seguinte,
depois da destribolcSo das listas.
O tliesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Braza!
LOTERA
GASA DA FOiTUNA
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico me se acha estalH-lecido com stia loja de
bilhetes das loteras da provincia, na ra do Cres-
po n. 23. onde tem expostos a venda os seus mui
felizes bilhetes e meios bilhetes garantidos da !-
parte da 1. lotera em beneficio da igreja de N. S.
das Neves do convento de S. Francisco de Olinda,
cuja extracto ser a 22 do corrente mez. obri-
gando-se .ao pagamento de todas as sortea, que nel-
les sahirem. sem os descontos dos 12 por cerno
do imposto geral o dos 4 por cento do provincial,
o qual ser promptamenle effectuado urna hora de-
pois da extrarcao e por dlante.
Os bilhetes e meios bilhetes do abaixn assignado
sao por elle assgnados de chancella e acham-se
tambem venda as seguintes casas : Praca da In-
dependencia lojas n. 22 e 39; ra Direlta botica,
n, 3. ra da Cadeia loja n. 45, ra da Imperatriz
n. 44 e ra cstreita do Rosario n. 12.
Preco*.
Rilhetes nteiros..... 64000
Meios bilhetes...... 3*000
Para as pessoas que compraren!
de 10OS liara cima.
Rilhetes ........ 00
Meios......... *4730
Manoel Martins Fiuza.
Precisa-se de um homem para feitor
de engenho : quem pretender, dirija-se
praca da Boa-Vista, sobrado n. 5. segundo
andar, das ti s 10 horas da manhaa, e das
3 s 6 da tarde, prefere-se estrangeiro, ca-
sado, de pouca familia e com alguma pra-
tica.
ZAHORA.
DRAMI HISTRICO PELO DR. THEIERGE NO
QUll NlO INTERVEN PERSONIQER
FEINENINI.
Na ra Nova n. 41 vende-se a Ifiooo o
exemplar.
.tluga-ftr
o segando andar da casa n. 51 da ra da Cadeia
do Recife, ronlondo 5 portas de frente. 2 -alas, i
billetes, ti quartos e cosinha fra : a fallar com
os Mara ser, na ilha de Ratos, ra do Sevo
caa n.tfi.
ATTBM^AO.
No dia 15 do corrente, fugio a escrava de
nome Jacintha, idade 30 annos, pouco mais
ou menos, estatura regular, tem urna mar-
ca na testa sobre oolho direilo, quando anda
pucha por urna perna ; esta escrava foi do
Sr. Jos Pedro Carneiro da Currlia, mora-
dor no engenho Paulista, aonde existem
alguns ilhos da mesma escrava, assim como
em Goianna, Ponta de Pedra e Macarandu-
ba, a onde mora a primeira senhora que
foi da dita escrava ; quem a pegar leve-a
ra Nova, n. 4 i, lerceiro andar quesera
generosamente gratificado, assim como pro-
testa-s contra a pessoa que a tiver em seu
poder.
CASA DE SALDE
Em Santo Amaro
Do Dr. Silva Ramo.
nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
lhido.
O edificio 6 magestoso e eoasorva-se
em perfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias e condicoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliona-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O proprietario encarrega-se de qnal-
quer operaco.
O estabelecimento franqueado qual-
quer pessoa que o queira visitar.
. Primeira classe 3^000diarios.
Segunda di la.... 25500
Terceira dita.... 2,5000
Para que qualquer doenle seja ali roee-
bido. basta que se mande o nome do doen-
te o da pessoa que o remette, com a de-
clarac/io da morada.
O proprietario aceita contratos aniiuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
letos sua disposieo.
Alerta eaplte* de eampo.
Fugio em 18 de dezenibro de 1860, da ciclado
de Olinda, um preto por nomo Severinn. erlonlo,
reprosonla do Vi a 50 anuos, iiiuuro, barbado c
j pintandoe qoando amia e olbando para o chao,
milito rogrstac cantador, tena Bidode diversos po-
lo sul assim como do engenho S. Caetano. tem um
-igual abaixo do olho esquerdo, um talho no di-
reilo procedido de tririea. tem um iobinho abaixo
do cotovello do braco direito, tem hu outro abaixn
da |i esquerda,os hombros relados de derrabar ma-
di'ira, este Brete tem ou consta que tem andado nos
arrabaldes de Limoeiro em companhia de um mu-
co vendendo miudezas o como o moco Bcasse pre-
so em Limoeiro por nao ter lieenca b preto dizem
que seguir para Ignarassd ou i'edras de Fogo,
rois gratifica-se com a metade do mesmo do rusto
do escravo a quem o levar ra da Senzala Nova
n_l_____________._____________________
Altigam-so a loja do sobrado n. 103. e arma-
zn! 171 da ra Imperial o armazem n. i da ra
do Apollo, c a casa n. 27 da ra do Burgos: na
ma da Aurora n. 36.
Companhia OileNdade de sosiiro.s martimos e ter- gj
restres estabeleeida no %i
Hio de .lunesa-o.
ACK5TES KM l'Ki'MMM Co -Gj
Antonio Lniz de Oliveira A/.cmnIu \ ('... (as
competentoinenle aulorisados pola diroc- Sjs
loria da companhia de seguros Fidelida- 1{
de. tomam seguros de navios, mercado- jgft
rias c predios no sen escriptorio roa da B
Cruz n. 1.
3
ESTAllKMCrDO NACIDAOP; 1)0 PORTO
Ugefltes em Pcrnamlinni
Antonio I.ulz de Oliveira
Azevedo A C.
SacJln por todos ns paquetes sobre o
io banco prazo ou a vista, sobre a
caixafiBalcm Lisboa, o agencias om Fi-
gueira, Coimbra. Avoiro, Vizen, Villa-
Regoa. Vianna de Castello. Quima-
ra^Harcelios, Lamogo, Covilha, Braga,
PetpKl. Brafanca. Amaranto. Angra,
HK" Terwtra, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Omde, Valenea. Bastos.
Olivoira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito das vista ou ao prazo que so conven-
eionar,no seu escriptorio na da Cruz
n. 1.
JoSo Kabello, Portuguez, retia-se para
o Rio de Janeiro.
Aluga-se urna casa terrea quo tenha quin-
tal, cacimba e 2 quartos. c cujo altiguel nao exce-
da de 12 a 1V3 : a tratar na ra de Santa Cecilia
numero 2.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
LEITUHA
De ordcni do lllm. Sr. presidente do couselho
deliberativo convocada a reunio da segunda ses-
sao ordinaria da assembla geral do corrente anno,
para-domingo 23 do corrente. as 10 horas da ma-
nlia, na sala das respectivas sessoes; c nella dar-
se esecucao ao disposto no nico do artigo 4i
ilos nosss estatutos, procedendo-se a eloioo do
novo conselho deliberativo, e da commissao de
exame de contas.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Porluguez de Leitnra.em Pernambuco 19 de agos-
to de 1863.
A. A. dos Santos Porto.
____________________1." secretario.___________
Aluga-se por preco commodo a casa terrea
n. 6 do primeiro becco*da eamboa do Carino : a '
(laiar na ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
Ailei'Cio.
I'm moco com pratica sufflcenle se offerece pa-
ra tomar por balanco alguma taberna do que tem
ba.-tante pratica : a tratar na travos-a da Madre
do Dcos n. 18._______________________________
l'ftcravow para alujar.
No armazem do sal i na da Conreicao n. 6, ha 12
escravos para alugar, assin como vendem-se al-
guns._________
Xa padaria da ra Real se precisa do um
caixeiro de menor idade. o que d fiador a sua
conducta.
Deseja-se fallar com o Sr.Bento Jos Ramos
de Oliveira a negocio que nao ignora : na ra .No-
va n. 47.
Aluga-se urna preta para todo o serveo do
umacasa : a tratar na ma do Mondego u. 5, pas-
sando o becco das Barreiras.
== Precsa-se de una ama para todo -erviro :
na ra Augusta u 110.
COrnPTABIUDADCOmNIERCIL
l'KI.M
DR. WITRTJVIO PINTO BANDEIKA
Proffwor da segunda radrira d Curso Cowmrrrial PfrwaibiiraH.
mus 11K1.1.0S ruaos km s.hmcb
COMPItKIlENDKNI!
O primeiro -Prelecce tlieorieo-pratlt-a.* de e.M-i'ipti
raeo mereantil.
O segundo Xoces 5ie arltlinaetlea roa-
merelal. adaptada pratiea daa oprraeoe
mereiaes e elemento do *ytema
metrieo eom ssias applleaeAe
ao eommerelo.
PRKCO DE CADA VOl.l ME R#.
2
E-ta obra, apezai de elementar, vem preombor una lacinia, que ora seada entrei*
ondo fallecen e-i ripios de coilas especialidades com accesso a todas as inlellig^nrn : a--
.-un o ediloi jiensa fazer um seivioo dando-lhe publicidade. tanto mais quanl- Ih>j'. que a>
transac^oes conmierciaes c industriaos vfio entro nos lomando nolavel do-onvcihiM-iito. deve
entrar a educacao daquelles que se querem appncar a taes ramos da vida o coiiteruueniii
dos principios d comptabilidade administrativa e commercial.
Cun osle intuilo. sob iiinn forma essencialmente classica. reimiii o Sr. Dr. WifrnTinns
principios da coiniilaliilidaile ooinniereial no que tem elles de mais elementar. < rmirdt^HMi-
o- de imidn a facilitar omiais possivel o st-u estudo s peasoas que se deslinam as proS'WH'-
cominerciaes, sendo taes a conciso o a clareza postas no Vsenvolvimciito respeertm. qw f>-
de-se aprender a materia, ehegando-so. a esoripturar o< Im-os |M>r partidas dotiradas e aojdi
car o calculo s operncoes do commercio, sem carecer da inWrvHMio de mu ioo-ire.
O primeiro voluie, formulado sobro a obra de Berirand o,eopa--e mai- |ki ialoH>nlo
da escriptin*acao mercantil por partidas dobradas. oujo- principio* -ao do-onvolvidos em har-
mona eom a logslaca brasiloira, contendo alm disto um in|Hlanl-siino a|^ ndn-e sbrp
as nciedade coininereiaes em todos os sen- niovimeiitos. quer pido lado ila i-xTiptarac!
qner polo dafbrmaeSo. existencia e extincoao dola- em face da le. No-io ap|-ndio.-. dn'pii-
i admente reconimndavel por sua original ida de o polo eimho de o-|icc;Jsiimi. Wm nnia-
merciante urna guia para sua di recri, miabpier ipiosoja a forma da socieilade M oonlraia.
Completa esto volume o specimenou resumo de nina e^cripiuracao, delicia verdado. nu m
tudo senielhantc de urna casa de commercio ordinario, offereeondo ama serie de o|M-raHtos
successivamente mais difflceis, que assim inicia gradnalmente a mam-ira do ., riptura-bs
nos differentes livros de urna casa de commercio.
O segundo, egualmente formulado sobre a obra de Kottinger. orenpn-sc p.ir'i--nanucirte
da aritnmetica conimercial com ejercicios e problemas polo meio mais Hiuptes, laril l^ere
da regia ronjuncla. tent* a Imlas as operanlos pralica- usuaes no conmemu. envolvondo
clculos de cambios da praca praca e por pracas nlermodia-. bem rano ffuekw dt loncos
com arbitragens de cambios, alm do desenvolvmento do systema mtrico om -nas retardes
com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas de eonvoi sao.
O editor nada mais accresconlar oslas breves palavras. que as-s deiiMHi-lran a im-
portancia real desta obra, devida a intelligenca e a applicaco aecurada do -ou aulor -nao
que ella de utilidade geral. e que a nenhnni commorciante o mesmo a homem algum do let-
tras licito deixar de possui-la em sua estante ; pois o comnierrio om mm variada- ovoln-
eoe-. entende actnalniente com tudo que se liga a vida.
A assignalura loma-so nas livianas dos Sis. Gnimaraes Oliveira. Noguoia dr Son-
za, Juliao 4 Pereira e (ieraldo II. de Mira, modo realisada sua importancia pela qii"la ti' cada
volume ao sahir do prelo. para o qual ora entra o primeiro.
fc* KIHTol'.
#:CCC-**-;f
:-:-:.** 4f
Fugio
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICA
RA MOV A X. 4.
no da 17 do corrente a escrava Domingas. Afri-
cana, de idade de 2o anuos, bastante magra, altura,
baixa. cor fula, lendo o cotovello do braco direito
alejjado, tendo por costume emliriagar-se : quem
a pegar leve-a ra nova de Sania Rita, serrara
de Paulo Jo> Gomes de Medeiros. que ser re-
compensado.
*liiga"se um moteqoe de idade 10 a 18 an-
| nos. fiel e diligente : no largo do Carino n. i.
Desappareceu da ra do Aragao. casa n. 14.
nina cacliorrinba branca do reino : quem a pegar
ou der nolicia certa se rocompeasar coin gene-
rosidade. ,t__________________________
ios Francisco do C.arvallio. mibdito porto-
iier. vai aEiirojia tratar de sua saude.__________
Ven/tam resgnUtr seus
penh res.
Ouitileiro A- Agr azem ver a todas as
: pessoas que lem penhores em seu poder
'ffneos venhain tirar al o lim do corrente
mez, e nao o fazendo, os vender para seu
embolso ; e para que niio se chamem a
ignorancia, fazem o presente aviso, alm dos
que leem feito particularmente.
Precisa-se de tima ama para comprar
e cosinbar ; na rita Nova, ti. 38, loja.
(eographla e geometra.
Heraclio Vespasiano Fiock Romano compelen-
teniente autorisado pela directora da instruceao
publica, lem abtrlo um curso particular de go-
gr.ipbia e geometra: os Srs. estudantes que so
quiaerem matricular nas referidas materias pode-
rao liritrir-so ra do Cabug n. 3. primeiro an-
dar, das as 11 horas da manhaa o das 3 as 6 da
tardo
L. Pinlio mutlou o seu CONSULTORIO para aloja .1.- niamwrt
i-niitiiiiia a dar consulla- lodos os dias ub-is d- e
: i
Os administradores da massa fallida do Basto &
Lemos convidara aos respectivos credores a ajire-!
sentarem seus ttulos at 2o do corrente mez. na
casa da ra do Trapiche n. 34. para se procedet I
devida verificaiio.c
PriH-isa-se de urna escrava para comprar c
eozinhar : na ra do Qucimado n.42. loja.
Xa ra do Vigario n. 21. primeiro andar,
deseja-se fallar ao Sr. Andr Aires da Fonsera Ju-
nior a negocio que nao ignora.
Arrcnda-se nm silio eom mullos arvoredos
de fructo e lugar para pasiagein do vaccas, sem
casa, perto do Bccife, ou se d para tratar median-
te algum inleresse que se ajuslar -, para ver e fal-
lar em S. Jos do Mangniilio junto a capetla do
mesmo nome.
------------------.-----------------------------------------------------------------------------1-------------------------------------i
Aluga-se una casa terrea no Porto da Ma- j
dera, em Beberibe, com 2 quartos grandes, cozi-
nha fra, quintal, na beira do rio, ptima para
quem precisar de ir tomar banhos. aluga-se tam-;
bem um pequeo sitio no mesmo lugar na estrada i
que segu para Olinda adianto do riacho Lava-tri-
pas : a tratar na ra Direita n. 69, padaria.
Fur(aram do primeiro rancho da Estrada
Nova, na noile de 20 do corrente, urna goa casta-
nha escura : quem a encontrar leve ra de S. 1
Goncalo, casa do Sr. Joo Feitosa, que se recom- i
pensar
Na Ponte Velba n. 10 cose-se mais barato
que em outra qualquer parte.____________ !
Alugam-se 3 quartos e urna saleta no bairro
da Boa-Vista, com commodos para pessoas soltei-
ras, tem agua e quintal, tudo por mudo commodo !
preco : a tratar na ra dos Pires n. 34. !
Precisa-se de 2:200." a premio sobre hypo-
theca em urna casa na ra Direita : a quem con-
vier este negocio annnncie por esta folha.
Aluga-se urna mulata escrava que corintia,
lava e engomma : os pretendentes dirijam-se a
ra da Madre de Dos n. ', primeiro andar.
Aluga-se a loja do sobrado n. 19 da ra No.
va, propria para qualquer estabelecimento : a tra-
tar na rna da Cadeia n. 62. segundo andar.
Offerecc-sc nm rapaz para eozinhar em casa
estrangeira: quem precisar, dirija-so a ni', do
Trapiche n. 14, armazem de doce. ,
*"* Precisa-se de um menino de 12 a l'i -mnos
para caixeiro no deposito da ra da Gnu n f
a tratar no mesmo.
Aluga-se um escravo moco para lod
servico; a tratar na ra dos Pires, n. 54
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Flix
lieiro de Carvalho, que mora no pateo
Parauso, tiesta typographia.
O Or. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. .">:t.
I" e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exerr icio (lesna profis-
S3o medica, c com especialidade
sobre o seguinte
I" iiioleslias de ollios
de peilo:
3o dos orgaosgoniti
urinarios.
Em -cu i'siiipiniiiios doentes so-
rao examinados na orden de suas
entradas cotoecandn o trabatho pelos
doentes de ollios.
Dar consultas todos os dias das
fi as lOdn manlia. menos nos do-
mingos.
Pratirar toda e qualquer opera-
i ai. que julgar conveniente para o
promplo restahi'li'eiitento dos sous
doentes.
0 Dr. Salno O.
ra Nova n. 43. ondt
2 horas. .
Os enfermos, que o procurarem logo na in\aso da molestia, sem One hnjnwpn-
mado qualqner remedio, nem allopathico, nem homeopathico. [lagaro metade itos prett*
estipulados. Esta concesso tem por iin facilitar a cura de molestias, que |l.'iu tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da tlnrapeutica e ao mesmo teut|Mi a.lquinr
para a homeopathia maior numero de adeptos pela hateza da cura.
Km attenco as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia. o Di. Salnuo rr**-
veu dar duss consultas por semanas nas tercas e sextas-Mm das seis a--.-te horas da
noile.
Os chamados para vsitos e conferencias devemser dujgulos por escrawu m-
sulioii.. desde huras do dia al 8 da noite, na certeza deque sera., itb-n.lel-.- na mWn
de -na precedencia, salsa a cin unislaiuia de eminente perigo.
ADVKUTKXCI.%.
|
O novo consultorio est prvido m mdhores medioaertus, dMb a fmmn
at a trigsima dyrianiiujsacao.
E oomo os mdicos hffipanhes e aenridn nlo cessamde oertili.ai a nwjir tii-
cacia das ullissimas dynaminisacoes do halamento das moleslia.- .lironicas. .. Dr. Salnin. *
occopa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais alta-1 por m at M |
alim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se Ihe altril.no.
Os mdicos, que qtiizerem experimentar taes dynaminisacoes poden*, dingu .
, consultorio suas reeeitas. que sero aviadas gratiiitamenti' para 09 pwbw.
No mesmo consultorio se vende a novissima ediio do Thrsro hotn^i^itm <
OU Yaihiii-ciu -
pathia.
Tudo o pe diz ivspeito nova medicina se acha abuiidaub-mento BMk nm mm*-
aecimento.
INTERNATO
DK
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECIFE
Director0 barbarrl em mallicmalka
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
0 director do intrnalo de S. Bernardo, accedendo aos |h iii.- d \.
respeerrtos collegiaes, o de outras pessoas desta capital, removeu o sen estabelef imeut..
da Capunga para esla cidade.
Nio tendo evitado esforcos nem sacrificios para pro|Kircnmarj aaiiu.m.^
una perfeita educacao phvsica. moral, intelleetual e religiosa, offereoeain-n,
bitacio com bastantes condicoes de salubridade. Iialieis professores ifac sio MMrii
proiiara-los convonienlemente ao lm que se destinara medico pratico rpie Ir.,
comprehender os preceitos da hygiene e Ibes curo das doenca.- e finalmento nm sar.r
doteiUustrado e honesto que Ihes explique os principio- da rehg: i- ohnstaa. .-pera quo
Sim constituido niio deixar o seu ostalielecimento de mer.ro. dos Srs. |es >W fam.
lias o auxilio o confianca com que j alguns o lem honrado: o I.....r.*fa l;m
kxas as p,oa-intoresadas. que se dignem de visitar o mesmo -ou o-lal-q.nm.-iu...
ondo sempre encontrao franco ingi-esso. .,.,-, ___
O collogio tem a sua sede no espacoso edificio n. 32 a rna da Aurora. rowifw> ao
do rollegio dos orphaos. ...... :__i. ^
Nos estatutos do rollegio. quo estao a disposicao do quem o- qimer ter. -. mm
con-ignadas as condifdes de entrada e matricula nas diversa- auh- do eufceten-
mento.
Aluga-se no Montelro a margem do rio Ca-
pibaribe. 5 casas com bastantes commodos qual-
quer deltas, proprias para se passar a festa, as
quaes pertenceram a Xisto Vieira Cxjelho': os
pretendentes se entendrao com Andrade & Reg,
roa do Crespo n. 8. loja de faiendas.
Precisa-se de urna ama de leite. qne nao te-
nha tiiho : na rna Dreiia n. 4, segundo andar'

^V^%Wk
DE
DE
ALVICARAS A NOVIDADE.
S3o enegados loja das columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos 4 C. riqus-
imos curtes de lita muito fina com
barras estampadas e matisadas Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio. cinza etc.. fazenda fnteiramen-
t nova e ntuica vista em Pernam-
buco.
J. VIGNES.
(T. Rl'4 IMPER tiHM M. .
^ piano.- desta antiga fabrica sao hoje assaj conhecido.-. para que seja neces-ario msiatir nir *
sua superioridade, vantacens e garantas qne nlfcreta aos compradores, qualida** ma
voi- qu e-elles tem detinith-amente emiy bre todos os que tem appv*? ?lfi
suindo.um teclado e machinismo queeMWfem todas a- vontades ecaorteno a ,>n
nimca falhar. or serem fabricados de propw#* eTer-se foiio ltimamente ni^ran nin*^
tissimos para o clima de.-te pai/.; quanti. melodiosas e (*. V* **> V**'
veis ao- onridos dos apreciadores. ... _ja. u..., l.i -
. Kazem-se contenne as encommendas. tanto nesta fabrica como na Q> ar. niuthfc-i. ae wm
I rorre-oondente de J. Vignes. em ruja capital foram sempre premiados em toflas*-
| Ni. me'tno estabelecimento se acha sempre um explo/idnlo e \arvum
niolhoro- compo-ore-s da Cumpa. aim como harmnico- nianm bacmonfro-. *tm\
\ por precos muito razoavei.

*-
1 ir crirv/n


Piarla 4e PcwMunbwco *>bhado t* de Ag< de IH3.

PROTEGCiO
Musirs para piano -e cauto,
de (odas as forjas e
vende-se baralissiaia para
acabar.
o \ov
PROTEGCiO
Msicas para piano o canto,
de todas as torcas e
vende-se barassinia pan
acabar.
BMT.1BELECIMK.UTO
DE
Jos Guiucs Villar na ma do Crespo u. 17, et*nilo o mais bem soru-
llo possivd espera merecer a proteo cao do publico em geral.
Cortes delicadissimos corles de la rom barras o nielbor nue tem viudo a esta provincia
^organd* de padrtes delicados e inuito linos a WO, a 1W e a 280 ts. o covado.
Las de quadros mnito chiques a 320 rs, o covado.
Para nenas, lomos.
O rico vestido de blonde com sua manta bonita e sua gi iualda de milito goslo, te-
mos a caubraia de.linho para camisas, temos as saias bordadas, temos o esparlillio, te-
mos o halan muilo redondo e muito chique, temos os ricos cortes de caubraia ricamente
bordados, temos o bramante belga para lencoes, temos a bretanha para camisas, temos ffa
a selecia on o esguio iara os labrinthos, temos as capas prelas a Luiz XIV, .lentos a cba-
pelina a Maria Pia cn a seo \o muito chique, temos os eilremeios largos ricamente bor-
dados como niiigucm tem, proprus para enfeitesde roupas brancas,
aiendas cima mencionadas e nautas outras, que
vio se esquejara f re mozos, at logo
40$ SRS. 10M *m W8ES DE GAZ.
Nos armazens do Gees do Ramos n. 18 e
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
em porc3o mais barato que em outra quaJ-
quer parte.
Assim romo temos as
seria enfadonho mencionar.
AURORA
LARGO DA
Xo grande o atestado armazem denominado AURORA BRUJANTE ha sempre um
grande sorlimento de generes sempre notos e por procos os mais commodos possivois, como
abaixo exponio:
Queijos de manteiga muito frescaes a
libia............................ 640
Dito do Reino BOTOS a 2$ e eobei tos a 3J300
Dito de prato a libra ........... .. 720
Saceos glandes rom fariiihu com 24
cuias igual a de mandioca........65000
Ditas mus grossa a................34500i
Ditas coni 100 libras de farello de Lis-
boa a 45300 e.................. 55000
Ditos rom 23 cuias de arroz de csea (
muito grado a..................4000
Ditos eomciilho a 55300 e..........6*000'
Caixas com charutos linos ron algum
furoaOOe............,........ 14000
Ditas rom dito fino sem furo a 25 e.. :J5500
.Manteiga maleza verdadeira flor a
720e.......................... 800
Dita mais ab?iv> a................ W
Dita franceza nova em barris se far
abatimento a................... 380
\ Dita hollandeza lo nielbor neste gene-
ro a.......................... 640
Cha perola o mcior que veni ao mer-
cado a libra.............-....... .15200
Dito hvsson mindinho que raras vezes
eroadoa.............. 35200
Dito hvsson verde a................ 25800 .
I)itogrado mais muito bom a 25400 e 25360 sp
Dito preto em macos a.............. 15600
Dito do Rio em latas a 15350,15600 e 15800 "
Maas para sopa, alelria, talharim,
maearrao, estrelinha e pevide a 480
Passas novas em quartos de caixas a
libra a......................... 320
Sag e sevadinha a libra............ 320
Caf do Rio muito liom arroba 858O6
65300 e libra 280 e.............. 300
Dito do Cear sacos pequeos arroba
953OO c libra.................... 320
Doces em caldas, seco, frurlas em cal-
da e secas para diversos preeos---- 5
Aloisia arroba 45800 e libra........ 160
Caixas com 2 arrobas Se batatas novas
a 25 o libra a................... 60
Sabio massa a 120,160,.100 e....... 240
Farinha de tapioca a libra 140 e..... 160
Gomma muito alva o nova arroba
25300c libra.................... 100
Dita propria para grades e bolos arro-
ba 15800 e libra........?........ 60
Arroz da India muito graudo arroba a 35200
Molhos de sealas novas a....... 800
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartes de visita
CartQes de visita
Cartes de visita
Cartees de visita
1 lartSes de visita
Carties de visita
Calidos de visita
Cartes de visita
Carites de visita
Cartes de visita
85000 a duzia
85000 a duzia
S5000 a duzia
5000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
H5000 a duzia
S5000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Cusa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Calcado.franrez, na luja do vapor, ra
Nova n. 7.
digno de attencao os novos sorti-
meotos de calcado" francez, chegado
dita luja, e mui especialmente as mo-
dernas botinas com differontes e novos
enfeites para senhoras c meninas.
Ao n. 29.
Noca loja dos barateitos, rua do Queimado.
Laas de ultimo gosto, cavado a 440 rs.; organ-
dis de padrees lindsimos, varas a 800 rs.; ba- na na do Trapiche Novo (no ReCllC) n. 8, se
ldcs de arcos o meihor possivcl, a 35300, 45 e 3; vende gaz liquido americano primeira quali-
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs. da(ie a retalho a 10,$ a tata de 5 aloes as.
cambraias de cores para vestido, covado a 280 rs.;
cambraicta muito fina, peca de 12 jardas a 75 ,
eassa lisa pellc de ovo, peca de 12 jardas a 75500.
Ao n. 29.
Noca toja dos barateos, rua do Queimado.
Paletots do merino setira, fazenda de custo de
205 por 105 ; ditos de alpaca preto a 35200; brim
branco lona, vara a 040; brim de cores para cal-
ca, ovado a 480 rs.; camisas com peitos de fustao,
a I56OO; chapeos de sol de alpaca, a 35300.
Ae n. 29.
Noca teja dos barateos, rua do Quemado.
Para acabar.
Bieos preto de-linho, vara a 120, 160, 240 e 320
rs.; ricas franjas e trancas pretas e de cores, vara
a 120,160 e 200 rs.; trancas e caites de laa c de:.
algodo, pecas de 10 e lo. varas, a 200 e 400 rs.; com 90 libras, polo barato proco de 45-
froco fino e grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de'
carabraia bordados, parabaptismo, a i~>.
NOVO HIVAL
LOJA DE MIUDEZAS
RuadoQneimcHon 16.
Massinlios eoin 27 pipi mtimI iNn.
Fitas ecordtes paraespartilho >(Oa
Pecas de tranca l.sa eiK-anuda e prca a ft)
o 40 rs. r
Cal de
a mais nova do mercado
19, primoiro andar. -
Lisboa
na rua do Vigario n.
Sellins ingleses
cliegados casa de izidoro, Nelto & C, rua
Cruz n. 2.
da
I \l I O
Rua do morim n. Ai.
Vende-se farelo de Lisboa em saceos grandes,
Ama de
Em rua da Aurora casa il
urna ama de leite.
leite.
10, precisa-se de
ma attencao
Aos senhores martimos e agricultores. Muila
I vez passam por nossa idea desapercebidos, rcine-
dios excellentes e de modicissimo preco, com o
! emprego dos quacs se evitara grandes prejuizos
| e nao pequeos damnos; nosto caso est o alca-
'trao ou verniz do^az, oqual alm dasmultiplicis
' applicactes que tem na marinha, edicascissimo
' para matar as formigas, esse terrivel flagello da
agricultura, destruir radicalmente o cupim e con-
! servar as madeiras iscntas daquelle terrivel ver-
me, edar urna duracao inlinita s ferragens m
que fr convenienteiente anplicado : em latas do
mais de tros caadas a 15300 cada unta, e em bar-
"; ris com cerca de sois caadas a 25300 cada nin :
Compra-se urna tipoia nova ou usada : quem no armazem da bola amarella, uo oitao da secre-
tiver, dirija-se erua do Queimado, loja n. I, que Jara de polica,
achara com quem tratar.
Precisa-se alugar um moleque de 12 a 14
annos, quem o ti ver dirija-se rua do Queimado
n. 13, loja de ferragens.
COMPRAS.
Compra-se
Vuccnx f/ leite.
a
,3
> ti
i
H 2
3 >
r w
3

Cobre, lalao
bola amarella,
rador.
Vendes i se vaccas de leite, urnas paridas e ou-
tras em vesperas disto : (|uem pretender onten-
e chumbo velho, no armazem da da-se na rua do Livramento n. 31, segundo andar.
,npe- Leite purimm.
Todos os das das 6 horas o ineia da manhaa at
s 8, acharo os fregueses leite nteiramentc puro,
no largo do raimo, na calcada junto a botica.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.
YENDAS.
Ainda est para alugar-se o sobrado na rua
dos Coelhos n. 10, onde morara m os padres lasa-
ritas.
66
:'llflBt
""Precisa-se de urna ama de leite,
mas que tenha, quando muito at (5
mezes decorridos na criai;o de que
so ade encarregada: na rua estreita
do Rosario a. 31,3 andar, por cima
do armazem de trastes do Sr. Mo-
reira.
Aluga-se a casa terrea da rua Imperial
os pretendentes diriiam-se t^aixa Filial.
Vende-se um deposito proprio para quem ti-
ver pouco dinheiro por ter poneos fundos, muito
afreguezado para a trra, e o motivo da venda
por o douo retirar-se para a Europa a tratar de sua
saude : a tratar no niesmo, rua dos Guararapes
n. 69, cin Fra de Portas.
Polassa da Kussia.
Vende-se em casa de N. O. Bieber A <'..,
mecessores, rua da Cruz n. 4.
ROUPA
'***&
Pcchincha.
Na loja di: Arantes vendem-se borzeguins de
courode lustre para bomem a 35
vem ao mercado s
Dito uxim muito .superior a......... 25880 Carne do sol verdadeira do Serid a. 320
Os Sis. ilono de taberna de fora acharao no armazem da Aurora Rrilhanle urn sorti-
g memo proprio para seus estabelwimenos por preeos commodos.
! ^ y**'*'*''
l^PROlA^lO 2 AUTORIiA^AO.
DA
t.'i Junta ceatral de hynion. publica
loiio da Silva Hamos, medico pela l'm-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa, na rua Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manhaa, e das 4 s 6 da tarde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra da cidade, com o lim de se encar-
regar de qualquer servieo de sua profis-
san.
Os chamados deverio vir por escripto.
ATTENCiO.
Na i ua do Queimado n. 3, esquina que
> trolla para a Congregaco ; 4 pech india.
Paletots de casemra a 3, 6, 7, 8, 12 e 145000,
ditos de panno preto e azul a 9, 10, 12, 16 e 185,
.! ditos sobre-casacos de panno muito lino por 24 e
-- Vende-se naedade de Olmda, rua de m dilus de al aca pIeta e dc col,|Ao a 4, :;>6c
S. Benlo, um sobrado de um andar e solao, 175, calcas de easemiraa de cores a 3, 6,7 e 85,
com grande quintal murado e perlao ; lam- ditas pilas a 65300,8,9 c 105, paletots de fustao
bem troca-so por casa no Recite, ou em eganga a25 oo, 3e 45, caicasecoiioi.s do
todas as qualidades e por proco muito barato, leu-
cober-
puro a
cidade de Olinda, a Iratar com o reverendo 600rs. cada,um, e outros muitos objeeto* que s
cuardiio. v's,a 5 e Para ss0 se feue a attencao dos fre-
----------'------------------------------------------------------------guezes.
vende-se urna casa torrea com 2 salas e 2 ,_________________________________________________
Suartos, rozinha fra i\ quintal, nos Afogados, rua
o Mocotolomb n. 69 : a tratar na rua Direita
n. 4, segundo andar.
Vende-se farinha de mandioca em sacca,
vinda do Penedo, a 45300 a sacca, muito boa para
escravos por ser de muito crescimento : na rua
Direita, padaria n. 69.
oiitra mialmier mrlP miPm n nrelPndpr Mas as qualidades e por proco muito bara
ouua quaiquei pane, quem o pietenaei, cos de puro linho a proco de 25800 e 35,
dirija-se ao convento de S. Francisco na tas de chita a 25240, coiirinhos de linho
Vende-se una porco de forquilhas de ferro
1 chumbadas em pedra para latadas : para ver e
tratar, no sitio junto a eapella de S. Jos do Man- c0"10 ^J3"1- llC0ies de todas as qualidadcs, de or-
dinarios a linos, genebra superior, tanto em cana
Espiritos na rua Direita n. 17.
Neste cstabelecimento. sortido de todos os espi-
ritos que a ella dizem respeito, faz lembrar aos
seus numerosos freguezes que contina a vnde-
los por menos preco que em outra qualquer parte.
gumho.
EtECTBO-MACNETICAS EPISPASTM:AS
DE
RICAKDO KIRK
Para .serem applieadas s partes affeetailas. sem resguardo
vem MU'ouiittodo
uto COttbecidas m-hU. coito e i-in todzs as pro-
s desle imperio, pelo- >t'u> mfalliveis resal-
adas em todos os casos de inn^nunaeao, Bfiam ex-
Brnae on internas (com camm/w efaUaAtrespi-
ni'iui/ como dio estomago, Sgado, b:ujo, bofes, rins,
i lera, peito, palpitaban ii>- coracao, gargantas,
iilhes erysipelwe, rtiematiamos, paralysia,< todas
as aieceoes nervosas, etc.. ele.
Igualmente para quaesquer inchacSes, ft-iiJ.-is,
uiinoits intcnliaftfii e venreos, scirmhlas,,lebi-
niios, papos, i'tc, nho o pxofundeza, nj r mera da saporacio serio ra-
dicalmente extirpados.
(Estas eJutpas nao podein bzer pial de forma al-
guma, olh's toin sido applicadas aosomoseom.0
melhoi neeesso, rejamPseos attestados de curas
completas oae j foram publicados pelos jornaes.j
o uso deltas aeonselhado o reeeitade por habis o
i'istinctos facultativo. ;us efflcaeta incntestavel, e
as innmeras curas completa mente oblidas as di-
veraas molestias emqoe foram applicadas, e fazem
mereeer e conservar a eonflanca do Ilustrado pu-
blico, que ja tive a honra de mereeer delli' 2o an-
bjos de existenciae depratica.
X. -B. Nesta corte e de todos os poBlDB dest
imperio recehem-se parocipaedes sabataelorias e
respeito das ditas chapas medicinaes.
\n nnrnmmrmdan das provincias devemserdi-
rgidas por escoplo, com iodo o cuidado de fazer
as neoessaras ekplicafdes, so as chapas sao para
bomem, senliora, menino ou enanca, declarando a
molestia e em que liarle do^orpo existe.
ir
l'otassa nacional.
Vende-se superior potassa do Rio de'Janeiro, da
mais nova que ha no mercado, a proco muito com-
modo; no fargo do Corpo Santo, seriptorio de
Manoel Ignacio de Olivoira & Filho, n. 19.
Potassa da Hussia.
Acaba de chegar no navio Queen of lite FUet, a
mais superior potassa da Russia', e vende-se a
preco commodo : no largo do Corpo Santo, escrip-
tori de Manoi^l Ignacio dc Oliveira A Filho, n. 19.
Carnee lingnicas do Herido.
Vende'se carne e linguicas verdadeiras do Seri-
d a 320 rs. a libra : no pateo do Carino, esquina
da rua de llortas n. 2.
A abaixo assignada, casada com o Sr. Manoel
ftomo de Carvalho, tendo feito publicar nos fins Z________________________________________________ da como em liotija, agurdente do reino, aniz, dita
de mareo, e principios de abril, deste auno um (til ffp 1 K)(\ll dc canna alt00' de K,a0 nia's subido, e sem
annuncio em que prevena o publico a respeito do -*!# Ctc- I lOl/Ult cheiro, proprio para composico, o que tildse
modo porque o dito seu marido pretenda espolia-la chegada ba pouco, e de boa qualdade: vende-se promette e aianca o bom acodicionaiiiento para
de todos os bens do casal, para reduzi-la a niendi- nos armazens da rua de Apollo ns. 28 c 30 junto ao 9 Quo 'r exportado,
gar, fingndo dividas, e provocando execuces, para theatro.
chegar ao lim a que so prop5e, aoalm de ver no I --------
Jonu lioRecife, de 8 docorrente um edital do juizo
do commercio, pondo em praca a casa de sobrado
de um andar n. 131, sita a rua Direita (nico
bem que resta ao memo seu casal) por execucao
de Mello.o: Irmiios, e porque tem justos motivos
para contestar a divida, que serve de motivo iessa
execucao., appressa-se a protestar, como protesta,
contra ella e conlra a mesma execucao, para re-
salvar o seu direito contra os exequentes, e qual
quer licitante, que por ventara baja de arrematar
aquelle sobrado.
E faz publicar o presento, para que em neulium
lempo aileguem ignorancia.
Recite, 11 de agosto de 1863.
Bernardina liosa de Oliveira Lima.
SEM SEGUNDO.
40 COMIERCIO.
Os abaixo assignados fazem scienle ao publico
que desde odia 31 do julho prximo passado, se
acba dissolvida ainigavelmente a sociedade que gi-
rava sob a razao de Villaca Irmao & Andrade;
licando a cargo dos socios, Manoeldos Santos Vil-
laca e Jos dos Santos Villaca, que continuam no
msmo genero de negocio, sobre a firma social de
Villaca Irmao & C, o activo e passivo da mesma
Para inchaees, ftidas, lobinhos, papos, <-tc.: o
molde justo de seu tamanho em um pedaeo d pa-
pal, a declaracao onde existe, alim deque a chapa
soja da forma la pan. atfeetada, e para que passa |ioc|d7 e c^pitatoenle exemrado sockf Joa-
l*er bom applicada en bes lugar. \(nm jose dos Sanlos Andrade, de ipial.pier res-
i ponsabilidade pelas transseeoes at aquella data
FODK-K MANDAR VIH DE QUAJLQUKR PO.XTO DO IMPERIO ;eirectuadas.
DOHIIASJJL Recife7deagostodel863.
Roa do Queimado n. .'.*>, loja de miudezas ile
Josii de Azevedo Mata e Silva, esta wndendo todas
as soas miudezas por preeos que todos admiram,
como sejam :
Varas de aspas para tazar balos. 120
Caixas com superiores obreias .... 40
Pares de botos de punhos a 160
Pares de sapatns de tranca muito linos
a 15440 e......: 15800
Pecas de lilas de velludo recortadas com
[5 varas a.......... I5S00
Caixas com limito superior papel aniiza-
de o Otilios a......... 700
Hassos com superiores gnomos a. 10
Caivetes de aparar penas a..... HO
Agulheiros com agullias a..... 80
Duzia de metas brancas para homein.
muito linas a......... IjflOO
Diuia de metas para senliora, fazenda
fina a............ 35000
Cornetas de ebre para meninos a 80
Escoras para limpar denles muito linas. 200
Baralhos de carias para voltarete muito
tino a...........320
lf.0 e..... W
tmm a pretender ^JJJ Colonia l)0a
I M (AVALLO.
Vende-be um cavado bonito, gordo e bom : a
tratar na rua da Imperatriz n. 47, segundo andar,
das 7 s 9 da manhaa e das 3 s (i da larde.
Vende-se urna casa terrea com soto na fron-
te de detraz, sita no Varadouro da cidade de Oliu-
da. chaos proprios, quintal murado e cacimba, e
urna dita nos Quatro Cantos, em chaos proprios :
quem as pretender, dirija-se a rua larga do Rosa-
rio n. 44, taberna, que acharo com quem tratar.
Bom negocio.
Vende-se urna taberna com raucos fundos em ,
um bom local da (regnezta do S. Jos, o motivo da ^V***^*
Ditas de trancada branca *tra .1 tf a
80, 120 e tO rs. *^
Ditas de tranca branca de caracol ao),. |ga>r.
Ditas de tranca de caracol arda e v^jv. ^
tW rs.
Ditas de tranca de caracol i irrtdx a tt *
100 rs.
Ditas com 10 varas de tranca d I*
brum a 15400 rs.
Pecas com 15 varas de franja de i iitasa
cortinado a 25860.
Pecas com 20 varas de labv rntlto lino a SfltO.
Pecas de 10 e 20 varas de bieo braaco t m*">
a 15*00 e 25400.
Pecas de 10 e 20 varas do renda* mus a I5
e 25400.
Pecas do 10 varas do franja a 15000.
Pecas de 10 varas de franja >le -Ja e cor
a 254001
Pecas de 20 varas e galio bmne I jr*a*) *
l5i Peras de 10 varas le lita e vrtlu.k ore te-
nad a (iOO rs.
Pecas de l.t varas de fita de rete' ftattee li-
cores a 200 rs.
Peen do lita le ela oV wes a :W> 400;
rafiintean eote 18 pares te -olcV*rs a 2
i. i rs.
Carios com 14 pares do ditos a M rs.
Ditos com 23 nan>s de dilon a SO, 80 e MO r-.
Pentes de atar eaMte a m\ l) e 2V'
Ditos linos omcaixinha- a >te> e 80 r-
I lites dourados a Mara Pia a 35.
Atacadoies pelos e a 3M rs.
Crozas debotes dc porcelana pwtaitos :i 120 r-.
r.rozas di'lwtes pn-los doduraqne a Mn.
Duzias debMMl pnlHM douradue para
lete a 320 rs.
Clvalas de seda modornas 240 e 309 rs.
Sinturos elsticos para hooiero a 320
Suspensorios sem e "oin e|a>iiro a lio o 4*-> i
Joguiihos do porcelana para aliomt te crianc."
a 15800.
Trens de cosinha para ori.ima a 15-
Calcadeiras de chire a 120 r<.
Ca xilinas de lamparinas para -/o> a i
Duzia de caixas do pbriK a 11i*? r.->.
Pares le luvas do montara a 60e I50ML
Ditos de ditas do sen para nhora a WO 15
Ditos dedit.i-
400 rs.
Oitava de relroz preto o de rom a ItOr*.
Duzias de laca-; e ,'arfos branco e pvclos a '&
Resma de papel almaeo h-i > 2->i e 3dk*
llita de pajtel lo |->o panti-l" a :-S4r
Cailinharom IOan\e|oi-s a MOOrs. e l-V
Din de peonas de tanra e.d\^Tapteiras a *u
15200:
Dita de obreias de massa e te rota a *
120 rs.
Romes rom tinta teften a 120 n
Fia^quinhoscoiii tinta a/ul ecWITIMte a 2*iOr-
I^ipis azues o oncarnailos a 120 r-,
Duzia de lapis de pao a 80 e 12 r-
Laps e canela- lina- a pD 10. W l
Eseovas para denles a 110 e '" r->.
Ditas para cabello a 700 r<.
Duzia de ranudinhus i|e |Htniaita d-> Pi-in-
I 280 rs.
I Masaos te palitos lidos umt*t> > i*)
Frasco de macas-ar perola a HiOe i\i\
Dito ile superior Patrliol} a 5W e 8i0 r-
Hito com letritiino "le., .je itilinsa a S40r-.
Dilos com superior banha franceza a *JO-* I *
Ditos com superior agua de colonia a 30
800 ra.
Ditos com superiores extracto- .1 500 *W
E muitissinv>s mtni oi.j.-,tos tnl na rua do Queimado n. I ti.
Vende-so manteiga ingleza lina a WO mw
rs.. franceza a "00. loucinho a :WOr-'.. arroz a UM
rs.. cliouricas novas a Mo r- .pieijo* no*i* a
1-jSiX). velas de sp.Tma.ete a 600 rs.. ditos .te
rarnauba a 400 r<.. vinho da Figneira o Lisboa .1
'WHI e :IN) rs.. azeile d.re a iWi. hviarhmmt te m-
da a IV'IOO : na rua da- lan/e- n. 24. Jiiniaii Ij
1 iwraan do I Imhiui.
cu. ih iisko
fende-sc cal nova do IJsboa : no tergo te !
po Santo, seriptorio de Manoel hraari -te Ov. 1
ra it Filho n. 19._________________________________
Vende-so podra propria para sotoras, iVkii-
breiras e cachuri"- de \*>i tal \"* mmmii> arroo
bem como (bnubo em barra a ho r*. a Kfera no
rmazem da Ixda amarella. no iilio >lo arntazi-n1
logaz da ruado teap-rador.
tal e I.isbtm
i'.al virg.in ahogada boaMMi ein mtmntm aani-
lo Im'iii acondiciona.!.!- e ;
antigo depo-ilo da rua d T1.1p1.l1- 11 i
zem de Manuel T'ivir.i llasto.
*

CeBQLAS
lina do Amoi im
A-rli.1,.1- see aeompaabadaa dasstjtascom-1 Consulta s pessoas que* dignarem honra-lo
ltente- explica, ..- e lainheiii de lodos as acces- com a sua conliani'a. lodos os titas, sem excepcao,
derios necessaj i-.- para -na- applicacoes. das 9 horas da maiiha as 2 da tarde.
ESr.RIPTORIO
\. 11 Itl A DO PARTO 119
^^ ^^ ^%^\%^
E EM PERNAMBUCO
i'aia a- ncomiinndasu informacoes dirijam-se pharmacia de Jos Aiexandre Ribeiro,
rua do Queimado n. Jo.
Manoel dos Santos Villaca.
Jos dos Sanios Villaca.
Joaquim Jos dos Santos Andrad
m\\m
peijp
m&
DENTISTA DE PARS
+9Rua flava-i9
Frederieo Gautior, ciriirgio dentisla,
faz todas as operaoes de sua arte, e coi*
loea (lentes arlificjaes, tudo com superio-
rid.nlo e perfeielOj qtie as pessoas enten-
didas Ihe reconhocenj.
Tem agua c ps^iitifico.
- Precii>a-se fallar ao 8r. Jos Ricardo Gomes
le Carvalho, na Iivraria ns. 6 e 8 da praca da In
dependencia
Joao Caetano de Abreu, solicitador dos au-
ditorios d'sta cidade, faz sciente ao pabiieo, com
especialdade aos seus ejientes e amigos jue mu-
.,ou sua residencia para a rua da Praia de Santa
lla Hova n. 49, onde morou o Sr. Dr. Buartjue,
engenlieiro da estrada de ferro, onde sempre acha-
ro, das 6 s 9 da manhaa, e tan 4 da tarde era
'liante.
Aluga-se muito emconla ou tambera
s.; vende tira bom sitio emTigipi cora boa
-asa beirada estrada, proprio para nego-
cio ; assim como se alugam mais 3 casas
odependentes do dito sitio: aluga-se ludo
junto ou cada predio em separado, confor-
me convier aos pretendentes. Para tratar,
ora Tigipicom a vitiva do fallecido Feitoza,
ou no Recife, seriptorio de ClaudieDubeu.v
ft abaso assignado lendo-se rehabilitado,
arhando-se de possede sua massa faz disto sciente
a seus devedores, tanto desta praca como do mato,
afim de que quanto antes Ihe mandem pagar o que
Ihe devem afim de evitar despezas judiciaes. Re-
cife 10 de agoste de 1863.
___________Luiz Antonio de Souza Ribeiro.
Q abaixo assignado julga conveniente fazer
publico que nada deve a pessoa aiguma., tanto nes-
ta provincia como fra della, quer seja por letra ou
canta de livro, vencida ou por vencer, ou por ti-
tulo de quaitjuer natureza, e se por ventura al-
guem se julgar seu credor, apresente-so em seu
armazem na travessa do Carioca n. 2. que ser
Maques sobre Portiagal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesla cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, iw-
dendo logo os saques a prazo sorem des-
contados no mesmo banco, na razo de 4
por centoao auno aos portadores que as-
sim Ihe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 31.
Joaquim da Silva Castro.
BBjrottajrajf t^3iwiim ^tjtatogag
A ttenco.
D-se bolos sovados de veudagem, e paga-se 120
rs. em pataca : a tratar na padaria das Cinco Pon-
tas n. 146, defronte da estacao.
: dirija-se ao largo da Penha, loja de louca defronte I ,; : : ^
da Penha, ou annuncie. gg S?SSteo4 le macaca a
Taboas de aniarcllo.
Vendem-se na rua Direita n. 91.
Ditos com superior macaca perola a .
Ditos com superior banha transparente a
Ditos com superior cheiro a.....
O gallo Cinl quando recebe. Ditos com superior agua celeste para
O gallo cania, principalmente quando re- ftJJJJdoalgc^'braacaa decores a
cebe as suas novas encommendas para 8a- Caixas com superiores obreias ie eolia.
Bolsinhas muito Iwnitas para guardar di-
nheiro a.
Permutarse por casas nesta praca e lambem
se vende um sitio no Caldeireiro em chSos pro-
prios, com grande baixa com capim a margem
do rio, otaria, barro, com boa casa de vivenda e
altos para plantaces : a tratar na rua da Impe-
ra triz n. 20-
Aluga-se o terceiro andar da rua da Impe-
ratriz n. 34, com commodos para numerosa fami-
lia : a tratar na taberna do mesmo.
*Ulo para alugar.
Aluga-se um grande sitio em Pernameirim junto
ao do Sr. crurgio Leal, em frente da estrada que
declara desde P'da Ponte e Ueha rara o Poco; cujo sitio
ouleraVee|a^S^
e'e escravrjs, estribara para 4 cavallos, cacimba
com boa agua, c bastantes arvoredos fructferos :
a tratar na Boa-Vista, rua do Sebo n. 47.
immediatamente pago : outro sim
tisfazer aos seus bons freguezes.
travatinhas.
V chegado ura bonito sorlimento deslas -SeiSS^^^SSa.
gravattnhas, tanto para nomem como para, par,.s de luna brancas de algodo a. .
senhora que se vende pelo baralissimo pre- Carriteto de liaba com 100 jardas, bran-
Ico de 500, 800 ei,00rs.:s no Vigilante. _. a
' na Hr. PrPnn n 7 Fitas e cordoes para enfiar espartilhos a
rua ao crespo, n. /. Caixas com eolchetes franeezes superio-
Ptrotletz, res a............
Tambem chegou um grande sortimento, Cartes de clcheles franeezes a 40, 60 e
de pirotteiz on conservadores para cabellos, !& garfoscabo branco cravado a .
tanto pretoscomo de lindas cores ^^^85^3-?^ '
ratlSSimo preco de 1,000 rs. cada um. Tesouras para' cortar, pequeas e finas
Capella para noiva. a200e..........
Tambem Chegou um rico sortimenlo de | Tesouras para cortar as muito final a
capellas brancas, cousa muito chique para
noivas, pelo baralissimo preco de 5,000 rs.,
6,000 rs 7,000 rs. e 8,000 rs. ; so no
Vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Fitas de velludo e de seda.
Tambem cnegou um completo sorlimento
de lilas de velludo de n. 6 a n. 200; assim
como um rico sortimenlo de fitas de seda,
:oo
:m
100
200
800
oOO
i;>oo
s
oOO
000
160
100
30
80
100
80.
:15200
3.M00.
64000
320'
m. 19.
Vendein--e relila nova- e ^raml. .1.
das hoiiliiii. pelo barato prei>) le ~*M i
lo: a ellas, que estn
en de cobre.
fara engenh
Vende-se una nieia innemla de (crio n.\a >
rodeti s de ferro, parafuos. bron;
portences para iiio.i^em de cama, antas rasan 4
laixas de ferro eoado ib- i I 7 palmo le
normemos preco que em primeira 1
com Antonio Comes da Cimba Silva na ma ta
Cadeia do Itecife n. .'O._____________________
PINTl'RA.
Tinta branca l>* niassi muito imva, la-
tas de 8 libras pan rano, |>ara wmmrn, pora
a companhia do |Ki -ni rs. I fibra: na
larra do Rosario n. :i4.
Cal de Lislhia a
iiiniero 9.
IJMI: na na I Trapiche
Vende-se urna hacia de rame bastante gran
de na rua Xova, segundo andar, n. 18.
Urna partida de 45 saccas de milito, chegada
hontem de Fernando no hiate Serq'-pano, vende-se
por preco commodo na rua do Crespo, esquina da
do Imperador n. 8.
-se a rua
ventura appareea com sua firma, visto que
acha nuiles, tonto nestapraca como fra della. Re-
cite 12 de agosto de 1863.
Jos Augusto de Araujo.
Antonio de Carvalho, subdito portuguez, vai
para o Rio de Janeiro.
Aluga-se urna casa terrea na rua dos Guara-
rapes n. 66. que tem commodos para urna grande
familia : a tratar na rua da Cruz n. 42, segundo
andar.
Joaquim Jos dc Aguiar vai a Europa,
' Na rua da Matriz n. 3o, primeiro andar,
compf am-se iluas esoravas, sendo urna de idade de
16 a 20 J*ooos, tendo boa figura, e outra mais ve-
Iba, tendo iVa flgui'P- P sabendo aiguma. cousa do
servieo de cas.1.
AMA
Precsa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na rua da Cr n. 21, primeiro andar, so-
brado amarello.
Precisa-se alugar animalmente um sitio per-
to da praea, com boas accommodacoes, e que te-
nha bastantes arvores de /rucio, e bxa de capim
para :i ou 4 cavallos, prefen'.ndo-Se eom banho de
agita corrento : trata-se em CrJtf de Almas, silio
de portao de ferro encarnado.
Pregas
para caixa de charutos a 640 rs. a libra : na rua
do Queimado n. 47. loja de Pedro Tinoco.
Maca
Vende-se urna casa terrea as Cinco Pona-
n, 83, e una mei-agua no fundo n. 42, que bota
aTrail-KV Ndfl'trirar9riVrmrr9aVm' 1 Para Foi'te>coni proporco para fazer urna casa,
avrauas e lisas ae tooas as larguras e qua-1 ^m Ch5os proprios: quem precisar dirja-s
lidades por presos que admiram ; so no \ do Hospicio n. 38.
Vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Bico de seda e linho.
Tambem chegou um bonito sortimenlo
de bicos, tanto de seda como de linho, as-
sim como rendas finas e de labyrinto, que
seus preeos faro admirar aos meus fre-
guezes ; so no Vigilante, rua do Crespo,
n. 7.
Franjas prelas e de aires.
Tambem ha as riquissimas franjas pre-
tas largas, proprias para as lindas capas ou
manteletes; assim como brancas e de cores,
que seus preeos tambem os pretendentes
se admiraro, por que sempre nesta loja se
vender por preeos muito rasoaveis: so no
Vigilante, rua do Crespo, n, 7.
Vendem-se na rua da Cadeia do Recife n. 23.
caixas de 180 a 200 a i3. e meias caixas dc 93 a
iOO a 75300, e lambem tem a retalho.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnslon Pater &
C, rua do Vigario, n. 3, um bello sorli-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, dc um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, o lambem urna variedade de
bonitos tranccllins para os mesmos.
Farinha ir, m'ioca
om saceos grandes a proco mnilo em reata:
trapicho do Cunha no F.ule lo Manos.___________
Rua da $fizalla Nova i. 42.
Neate esLilHeiimento M(hjMR i*haalr
ferro coado libra a 110 rs., mI.iu de Lo
Moor libra a iO rs.
Polassa lia Hassia.
Acaba de clieoar pelo hrigoe hainbsjrgwi
Olio, muilo nova e superior: vende-so so-
mente no antigo e a<-n4lita da Cadeia do Recife, nl t: omle lawlw se
vende cal .le LsIxm muilo urna e i pnrm
commodos.
POTASSA.
I
Vende-se polassa de mui superior
preco commodo : no largo do lijrpo
lori de Manoel Ignacio de iJJiveira F
tai
ea
rrta-
i o. r*

Vende-se um l*om silio no lugar
com boa casa de pedra e cal para
salas e 8 quartos, cozinba fra. cata para rsrravB.
dita para feilor, (ampie para loata tapan lavar
ronpa, terreno proprio, viveiro e rio, e
frncteiras, com 200 p'-s o> larangeiras ie i
quahdades. sapotis, goiabeiras, abarate,
ras, parreira. emlim qne se acha livre e i
cacado, coiivida-se aos pn-lemlentes
gir-se aquelle logar examinar i
com a vista serio salisfeitos, o pial
do Sr. Anlonio HoLuto Jacubino : a tratar rasa a
viiiva do Sr. Joao Evangefista da Cosa e Satas,*>
Manguind. , .nmizade,
ri-
I


pnl
-"
bhtlfePgwiauMK *aMM de ngamf d i 3,
.
:
NOVA EXPOSIC&O
na leja do Pavo, de fazendas bara-
tissimas.
UAbLlYUriAb I luLtxAb Vendcm-sepccasdeentremeiostransparcn-
a i,7(i rs, o trte. tes a 15, tiras bordadas do largura de 3 a 4
Yeudciu-se cortes de caseniiros escuras para dedosal-S280 e 1)600 a peca, Cortes de 13a
, alea, pelo barato proco de 1^700, tambem se vea- p ... ', j, ri.npza com
demdasracsmas a 480 rs. ocovado, propriaspara a Mana I ia JM, OTOS-ne taa tiinezaunn
Neste estabelecimento arha-se constante-' i'aletots e >!, etc.: s na toja do pavao, ra 22 covados a 85, ditos de organdjs com lo
de gosto e de primeira necessidade, sendo
Unto proprias para a praca, como para o
mato ; de todas as fazendas dao-se livros de Vende 0 ^ oryamlys a 300 rs
Vende-se fnissimo argandys matizado com os
mais delicados padrees miudinhos com assentos
brancos, sendo neste artigo o mais moderno que
existe no mercado, sendo fazenda que sempre se
vendeu a i#20O a vara, c presentemente vende-se
a 360 rs. o covado: s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do pavao, de Gama & Silva.
amostras, deixando ficar penhor, ou man
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
L5as com H palmos de largara,
da loja do Pavao.
Vendem-se laazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tcm vindo ao
mercado )elo baratissimo prec/> de 15600 o
covado: sosa ra da Imperatriz n. 00, loja
do Pavao.
Cassas a OO rs, o covado.
Vendem-se cassas francezas de padroes
miudinhos e cores fixas pelo barato prego de
200 rs. o covado; -ditas unas a 340 e 320
rs. o covado : s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
Organdy, a 4 rs. o covado.
na loja do Pavao.
Vendem-se organdy de cores raatisado, fa-
zenda que val muito mais dhiheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado on 460 rs. a
vara: s naraa da Imperatriz n. 06, loja
do Pavo.
4> Pavo vende os modernos ves-
tidos bailo,
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tcm vindo ao mitrado,
com a saia de tira s panno, tendo bastante
fazenda para o eorpo, e vende-se pelo barato
preco de 33500 cada un: esta poebincha
s existe na ra da Imperatriz n. 00, loja e
armazem do Pavo.
\ova peehlncha de las eufesta-
dasa 4GO en. o covado.
S Pavo.
GRANDE PECHIKCHA
4-KUA DIREITA--45
Fia, rapasiada, corageml parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo cairamente da nossa cidade
S se observa em vossos pos botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola sapates
rasgados e quasi sein saltos fiem tanto !
Vendem-se os memores bales que lem [ f quebraieira ncnieve chegar at este pon-
vindo americanos de 20, 25, 30, 35 e V.nde a ra D.reda murar-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 00 por cento
menos do seu valor.... attende:
Borzeguins, Nantcs, bezerro c va-
! da Imperatriz n. 56, arara de Mendos Gui-
\ maraes..
Baldes da arara de O 4
arcos.
40 reos, a 45, 45500 e 5,$, ditos de ma-
dapoln bem feitos a 35300 e 40, ditos de
brilhantina a 40500, bales saias de cordo
que faz a vez de balo a 20; na ra da Impera-
triz arara n. 56. .
FAZENDAS BARATAS
27Ra d Qneiuiado27
NA
Xova loja de Custodio, Carvalho
.V. Conipanhia.
Fiisto franrez
k'para vestidos de senhora e meninas, fazenda mui-
to lina e pelo barato preco de 260 rs. o covado.
Finas camferaias organdvs a 340 rs. o covado.
Bafcos
de arcos, de todos os lmannos, pelo preco de
3*600.
Calcinitas
bordadas para meninas, pelo barato preco de 2w0
cada um par.
Lazlahas
mtitiwhrc finas para vestido a i40 rs. o covado.
Cobrlas
de chita a 2,5000.
Leles
de panno 'le linho a 2j5-
Toalkas
de fusta, pilo barato preco de 400 rs. cada una.
CaiULsinhas
de eambraia para senhora a 2$.
O Pavo vende a 3 c 305OO ,. Glta
Cortes de laa, a 30 e 10500; ditos Tora 22 de 1",ho |wa seuhora e men,nas a bW> m *
CHITAS ESCURAS
a 2,200 e 2,640 rs., s o pavo.
Vviidem-se cortes de chitas com padrOos oscu-
ros, tendo 10 1/ covados a 200, t com ti 1/2
covados a 4fl>6i0, pechincha. <: vende-se por este
preco em razio dos fortes seren em mais de um
pedaco : s na loja do pava, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama A *lva.
Lazinhas a OO rs. o covado.
Xa loja do Pa>ao.
Vende-se l&azinhas de cordaozinho de urna so
cor, sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo turna me val muito mais dinhei-
ro vende-se pelo diminuto proco de 200 rs. : s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os manguitos e gollukas to-
Parlo.
pechincha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas a
400 rs.; ditas de eambraia, a 320 rs.; cal-
ciabas para meninas, a *>00 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golmba, a 800
res ; manguitos de eambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. GO, loja do Pavo.
00000
50300
queta 2 e meia solas .... 80.'iOO
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta c lustre 2 solas. 80000
Bt'i/.i'guins, francez ehainburguez,'
bezerro, lustre e eouro de por-
co 70 e........
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas. ..... 30000
Sapates, Nantes, sola e vira. 40000
Ditos para menina, comlaco. 30500
Ditos de ditas, de cores. 2/5800
Sapatos para senhora e homem,
tapete......... 800
Sapatos de borracha para senhora. 10400
dem idem para meninas. ... 10000
Sapatos de lustre para senhora. 10000
dem de lustre as avessas 300
ARMAZEM DE MOM ADOS
Wf
A.
covados, a 30: s na ra da Imperatriz n.
00, loja e armazem do Pavao.
GRANDE LIQUIDADO
s enfestadas tianspareutcs J,. fozentlas NTl apurar (lllIlC*0, M*
a so cor com .. r r '
baratissimo preco na toja e aruta-
znn da arara ra da Imperatriz n.
06 de Lourciifo Pereira Hiendes
(inimaries.
ALERTA FREGIEZES, \ 200 RES.
com detidades padrees se mo ile urna
listras eqnadrinhos e vendom-.se a 400 rs. o cova-
do : na loja do Pavao ra da Imperatriz a. 00 de
(lama liara.
Cortes na loja do Hao.
Vendem-se cortes de eambraia brancas com
babados, a 20500; ditos, a 40; ditos com
barras e babados de seda,, a 30, 30500 e 40;
s na ra da Imperatriz n. 00, loja e arma-
zem do Patito.
Cortes de eambraia ehineza, a
l#. na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de eambraia ehine-
za, os mais Modernos que tem chegado, sen-
do brancas coralindissimospadres, pelo ba-
rato preco de 40 cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. 00, loja e armazem do Pavo.
Barloes a 3500, sO o Pavo.
Vendem-se bales americanos que sao es
melhores, temi 20 arcos, a 30500; ditos
.le 30, a 4)0500; ditos de 40, a 50 : ditos
de bramante, a 3$500c 4#; litos para me^
ninas, a 2$ e a 3>jh s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Cortes de ehita. a 3500, na
loja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita com J2 4|2 co-
vados cada na, a-$500: ditos con 10 cova-
do*, a20; corles de cassa miudinha deco-
res fixas cora i O covados, a 20; ditos de
organdy matliitado com 10 covados, a
0400 : sna ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
Sortiuicnto
de metas para meninos e meninas.
Laazinha
preta para vestido a oOO rs.
Gaardanapos
adamascados a 't a duzia.
NO ARM.IZEM DE FAZEMUAS BARATAS
DE
* i.vro* c oiino
Ra do Qucimado ii. 19.
Vende-se o segninte i
Cobrtas
de chita da India, a 2:ooo rs.
Lfnccs de panuo
de linho, a 2:ooo rs.
Len^oes de bramante
Vendem-se lazinhas com pequeo toque de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a dOO rs. o par, ditas para ho-
rneas a 420 rs., lencos brahoos finos a 200 de linho, de um~pano s,~a"2:8oo rs.
rs. aaa um ; na loja da arara ra da anpe-1 Tealhas alcochoadas
ratriz n. 56. fpara mr10> p0|0 |jaratSsimo preco de 5:ooo
Arara vende vestido de chita a ,sa4,i,zia-
SiiOOO. K vpstl("IIUM
; de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
Vendem-se cortes de chitas escuras com to-! co de 4:ooo rs.
que de mofo a 20000, ditas limpas sem Leosle seda
mofo a 20500 e 30000, cortts de cassa de pelo barato preco de l:ooo rs.
cores de barras a 20000, ditas de cassa pin- Saias de fusio
tadas a 20000; na ra da Impera-izn.30de. pelo baratissimo preco de 5:5oo rs.
lleiKleg Guimares. | Lencos de eambraia
organdys da Arara a 9M. ^ f^^ ^ *Wra, **
Vendem-se orgapdys linos para vestidos a Len^s de cassa
240 rs. o covado, cassas finas a 240 rs. o finissimas, proprios para ulgiboira. pelo ba-
covado, Dopebna de quailnnhos para vMsti- nrtusiMpreQo le i:4oo rs. a duzia.
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz corles de calca
arara n. 50 de Mandes Guimares.
lTm DescobiiiiKiito Espantoso!
0 lumia Srifitiffre unauimameiile o approva.
O
Or* < (6
2=
'J ^ (9
E5 1 H 1
-S X Q
o= 9Q
>- a ce
s V! 0
a se <
S w
i K
r VA
3 o ce
CC
*t w 6
-^
X
O
S
>
S
>
9
w
9
>
W
1



c
ZM?
rrtj
As caseniiras do Pavo peebin-
cha a .#.
ehineza {wr 120 o costume, paletots de brim
a 20500 e 30000, ditos de, meia casemira
escura a 40 e 44500, paletots linos a 64500
e 80000, calcas de meia casemira a 30000,
ditas linas 54*00 e 60000, ditas de brim a
20500 e 30000, ditas de brim branca a 14,
casemiras francesas a 14600 e 24000, ditas
linas a 24500, ditas de linho a 30000, ee-
roulas francezas a 1 >(00, camisas de meia a
Vendem-se fusio com lavr nudinho 80. e i^?90> n:\ ,0Ja tb arara ra da Impe-
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado ;
brim de linho de quadrinhos para roupa de
Vendem-se crtesdeeasimira Vanceza para
alca, fazenda muito fina, padrees claros e
trinos, a 5-5 o .-"re:-s na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
na ra da Imperatriz n. 60, luja dfl Pavo.
Jiislo do Paio.
de ganga amarella, de listas e de quadros,
fazenda superior, pelo baratissimo preco de
l:2oo rs. o corte.
Peeas de inadapolo
largo superior, pelo baratissimo preco de
8:ooo rs.-
Peeas de bretanha
de rolo com lo varas, pelo barato preco de
3:2oo rs^
Prcas de oamliraia
Vende-secostumescompletosd-umafazend, te^mm, fina, com 8 12 varas, pelo ba-
rato preco de 4:ooo rs.
Arara vende as lazinhas dos
vestidos.
Vendem-se laaziahas muito finas e lindos
dezenhos a 400, 4iO, 500 c 640 rs. o csa-
la, chaly muito Sao a 300 rs. o covado: na
ra da Imperatriz n. 56 arara de Mondes
Guimares.
Ilonpa felia da arara.
Aloalliadns de linio
cora 8 palmos de largura propjrio para toa-
Iba de meza, a 2:3oo rs. a vara.
Toa I has
de liaba para meza, a 3:ooo rs.
Barege
de lindos gostos, pelo barato preco de 48o
rs. o covado.
Esleir da Iwiia
propria para forro de sala, de 4, 5 e 6 pal-
mos de largura.
\ (m\mkw Viiafamita
Petoral de Kciup.
Par espado de muito tempo se ha nza tnsamentu em TBmp>;o para ama de
TRICA PULMOKAR,
C ATABBHO, AsTHMA,
BfiOICHITE, TOSSE CONVULSA,
CRPO O GABE0T1LH0, a
1p flamnia9es da Garganta e do Pelto,
< ito com um resultado to feliz c rerdadui-
raoienle assouilroso o pao ou madura d'iiina
srvoic que chanio Axacauiuta, c (jue s
se oacontra iw Mxico.
A Composi9o Anacahuita Peto-
ral de Kemp e um Xarope delicioso, intei-
Taoiente differcute na sua oomposieo do
toilos os mais Pcitoraes e Expectorantes ma-
rnifacura e rabe*, dsc, o wesmo nao contem nenhuiu
. ictti* l'rtttmeo n oirtroe <]iiaesqucr ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias e affec e dos puliuoes dosapparecem como por um
mgico encanto, mediante a accao dcste in
- nipartvel e imabtivd remedio.
venda as boticas de Caors A- Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo C., ra
da Madre de Dos.
M i; ni % n ler.
Tendo o BALIZA dado o seu balando no ultimo dejunlio passado, c i
novar o magnifico sortimento de seu GRANDE ABMAZEM, rhama pdo h ni.
attenco do respeitavel publico para os preros dos gneros abaixo meoriunadi .
verdades^o os mais razoaveis que se |).'Uni adiar, atienta a sua boa qualidade.
toldado voluntario do batalhao progressista, o BALIZA o mm m mm*-
ment. Elle pede, pois, aosseus doqs camaradaa, que sao iodos <,v,/,., sao.
favor de nao Ibe darem um minuto de descanco obrigando-o a vi-ndei
Desta sorte-o BALIZA vivir contente e contentar tambera aos seos fregur/. ..
do-lncs sempre generosamente, elilvezque anda por prefos mais rawai
Ameixas em frascos de vidro, a I 800. | 500, 800 e 1111 fia-.
Ditas em caixmhas com lindas figuras, a Marmelada excellente a MO rs. a Ifl
1/200 e 2^400. Ostras americanas ev.'.dlente | ,m
Ditas em latinhas, a 15400. rs. a lata.
Amendoas de casca mole a 520 rs. a libra.! Passas a 400 rs. a libia, teaa < Sf
Arroz (Carolina), primeira qualidade, a 120.'Presuntos de Lamego, a -am rs. .
rs. a libra. j idem ingiezpara Ii. obre vindo aV
Dito do Maranbo, a 120rs. a libra. da, a 800 rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a I j e dem americano, a 500 rs. a lil. >.
l/200aancoreta. Pee de Lisboa Inglaterra e 4a
Azeite doce relinado, a 800 rs. a garrafa. I parado conforme a arte de .. '. h
Dito em barril, a 640 rs. a garrafa. las de 2 a 3 libias, de I >:'.(i > i I MT>.
Dito de carrapato, a 360 rs. a garrafa. Fbospboros do gas, a 500 i
Arroz com casca, a 35 a saca, com 20 caas i Queijos londrnos chegados bq uh
e a 248 rs. a cuia. J a 800 rs. a libra.
Ancoretas americanas de6e 12 garrafas, I dem dem chegados no |>eiiiiliinio
muito bem fabricadas, a 15 cada urna.
Araruta muito fiua, a 480 rs. a libra.
Batatas em gigos a 1-5380 e de 30 a 40 rs
libra.
a
r
Bolacbinbas americanas, a 35 a barrica e
240 rs. a Fibra.
Biscoutinhos inglezes, em latinhas, a 15300.
Biscouto lunch e soda, em latas de i a 5 li-
bras, a 25 a lata.
Banba de i>orc, a 560 rs. a libra.
Balaios bamburguezes muito lindos, de di-
versos tamanbos e por preco razoavel.
Caf do Bio, a ^80 e 3(X) rs. a libra, em
arroba, a 85200. 85500 e 9/.
Ceblas, a 800 rs. o cento e 15 o nioiho.
Chperola, a 35 a libia.
dem hisson. superior, a 25800 a libra,
dem chumbo, a 5600 a libra.
dem hysson, soffrivel, a 25400 a libra.
Idem hysson, menos soflrivel, a 25 a libra,
dem preto. magnifico, a 25 a libra.
dem preto. menos superior, a 15800 rs. a
libra,
dem preto, soffrivel, a 15000 rs. a libra.
dem nacional, a 1/800 a libra (em latas),
dem nacional, a 15600, a libra,
dem nacional, ordinario, a | a libra.
Champagne, marca agma, de superior'qua-
lidade, a 640 rs. a garrafa e 7> n gigo,
cora 12 garrafas. Quena deiiara de be-
bar champagne por tal preco?
ratriz n. 56 de Mendes Guimares.
Oh! que peclilueha a 2IO rs.
Vendem-se chitas francezas escuras com pe-
queo toque de mofo a 240 rs. o covado,
ditas inglezas com pequeo toque de mofo
a 200 rs. o covado, pecas de ditas francezas lecimento do n. 55 para o n. 49 da mestua
com pequeo loque de mofo a 85000, pe- ra e contina a vender em todas duas lojas
cas de dilas inglezas escaras cores fixas cora' as miudezas abaixo declaradas e queiram
pe|neno toque de mofo cora 38 covados a prestar toda attenco:
7)500, ellas freguezes antes que se a ca- j Sabonetes inglezes muito finos a
meninos, a 560 rt, o covado; ganguelirn
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados C pretos,
para vestidos de senhoras e roupa de meni-
nos, a 15 o covado : s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
its paletots do Pavo, assobrecaueafo a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, 6obrecasacas
le panno preto muito bom e muito bem bem; na loja da arara ra da Imperatriz n. 160 e.
MUDANCA.
O rival sem segundo mudou o seu estabe-
'. a
640 rs. a libra,
dem llamengos chegados im n'i
25400.
dem idem dii'ail"s no h-ihiIip
^ 2*000.
Sal retinado em vasos di \iiiin. 1 1 .:-
Idem dem em vazos de hnfa, .< 3H
Cerveja das melhores marcas <\<\r
mercado, a 4/. 45500. 55. 3->3.w .< r
6/500 a duzia.
Sardinhas da Lisboa preparadas 1
a 640 rs. a lata de -rande i.:n.ti
Idem de Nantes, a 380 rs. a batial
Sabo maesa de 1-20. 140. lott ||
iO rs. a libra.
Tinta preta nacional c mfrten, a .a
garrafa, e 240 rs. .. Umm.
Toucinbo de Lisboa, de mais d< n
por 30 rs. a libra,
dem de Sanios. 1 80 re. I
; Idem americano, a 20O re. a Wkn
dem inglezsecco nofumeiro, au .....
todos os preeontoe, a 840 i~
Vassouras americanas nimio lo, <.
i a 640 rs. cada ana.
; Vellas de Baenoe-Ayres m mua
libras, por (i/.
Idem de carnauba 1 rompeeirik)
rs. I libra.
Idem doAracafv. a 400 rs. a I1U.1.
Idem stearinas, a ooo a (i 40 r.
dem spermarete, a 15 a lera.
Vinho Lagrimas do homo. i..;
melhor anajidade qm neja vem ao rinaae
mercado em ganajas branraa *
do autor em alio revelo no pro
previne-se aos ipreriadone aja
ero ha boje grande labifieaf
Idem engarrafados, vindo pa pn -
pi'ia conia de diversas man-as
eitas, a 125: sobrecasacos de dito, a 145;
paletots sacos de dito, a 75; calcas de cache-
mira da Escossia, a 35 ; ditas de casemira
preta, a 55; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 75 e a 35500; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 75; tudo isto para apurar dmheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cortes de cachemira da Escocia, a 2:000, na
loja da Pavo.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-
pada imitaco de casemira, tendo padtes
escuros e alegres, afiancando-se que nao des-
Iwta, a 25 o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, colbte etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 85; ditas com 12
jardas, a 45 ; dito inglez muito fino, a 75,
755OO e 85; ditos muito superior, a 105;
ditos de 40 jardas muito fino, a 45800 e a
55600; algodozinho muito encorpado, a
45800, 55500 e 65: bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 15 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 35500; ditas cora 12 varas, a 75:
Pechincha, a SO re. o covado.
a o Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a 300 rs, o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. fW, de Gama t Silva,
56 de Mendes Guimares.
Frasco d'agua de colonia peque-
no muito tino
Dito dito grande muito superior. .
Frascos de macassar perola a. .
Ditos de macaca oleo a. .
de oleo Barbosa a 240,
Madapolo francez enfeeiado a
40OOO.
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-
no enfestado coma jardas a 45 e 45500,, Frascos
dito inglezes fino de 24 jardas a 75, 85,9^, | 320 e
e 105000, pecas de algodo encorpado a 45 Dito dito muito superior a 500 e .
45500, 55 e 65; na ra da Imperatriz n. 56.; Dito de Iianlia muito fino a 400 e .
Chitas da arara. i f** deLavnnde muito superior.
1 Carrafas d agua celeste muito su-
Vendem-secbilas.francezasfmasa320,30O' perior a........
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280 Frascos de chairo muito linos
rs. o covado, aberturas para camisas a 240 300 e.........
rs., ditas de linho brancas a800 rs. ocova- Ditos de banba pequeos muito lina,
do, tarlatana de cores a 400 rs. a vara; na ra Dito de opiata pequeos. .
da Imperatriz n. 56. Thesouras muito linas para uiihas.
Cortes de casemira da arara. 'avatas de seda de cores. .
, Luvas brancas de algodo .
Vendem-se cortes de casemira enfestada Caivetes de 2 folhas muito finos .
escura a 25, cortes de brim para calcas a Caixas de colxetes franceses e car-
15 e 15220; na ruada Imperatriz loja da arara! toes.........
n. 56 de Mendes Guimares. ;Grampos de caracol e lisos. .
a.*** ____'*- -, ~ 1 Caixas de vidro com 12 dedaesde
Arara vende as col xas. metal.
400
00
500
200
100
420
640
500
500
15000'
800
200
200
400
500
100
320
40
10
ENFEITES PARA SENHORAS
CHEGADOS PELO VAPOR
S para o Vigilante ra do Crespo n. 7.
Sao chegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabera, pois com a vista nao ha-
SSS"qUe dX'V ''Y'0'"!"i"' T b-;Chanitos dc "*" mareaV e'a prec, .s bwa-
nttoenfeitersonoV.g.lanteruadoCrespo; tissimos, sendo que ha de 800 rs. ale
. .. Mecento, vindos do Bio, Babia
La^as a> f.elica. Hespanha.
Tambem che^aram neste mesmo vapor um Chocolate suisso de Lisboa e francoz, a 860
completo sortimento de luvas de jouvin! ,s. e l-v
brancas e de todas as cores; tanto para ho- Ghouricas e salpkoe. a 640 rs a libra
meas como para senhoras: s no Vigilante Conservas inglezas, a 800 rs o franco '
ra do Crespo n. 1. Dtas frace7 -00 ~ 0 n asco-
Tambem ebegnu Quieto alimento de ^mma'f'V1 6' a ga,Tafa ""
^d7~
extractos essencios de todas as quaiidades, Doces' em linJs vazos Jc vdro, das fruc- l,,em ,lu Porto iMisai. a 6
pomadas, banhas, sabonetes, agua de Co- Jj* mais ,,Sll"^ilas da Europa, a 15 ol'demjieUsboaeFiejieiraimdoeB
lonia, vinagre virginal da sociedade hvgieni- frasco.
ca, agua florida, agua balsmica para den- I10 (1? Lisboa, em latas, a 500 rs. a lata.
les, frasquinhos com superiores pos para *!t0 degoiaba, a 640 e 800 rs. ocaixo.
denles, caixinhas com um frasco d'agua, ;,to em latas muito proprio para presento,
p<)s e todos os prepares para limpar den-1 #arante-Sfi sua duraco innalteravel por
tes, olos de todas as (malidades para ca-! ma,,s ( c anno-
bellos, eoutras muitas cousas mais j s no jarraba de Maranbo, a 160 rs. a libra.
Vigilante ra do Crespo n. 7. ^,ta de lriK- a 140 e 160 rs. a libra.
Teauras e caivetes. Fructos francezas de diversas quaiidades. em
Inores adegaedo Portee Uafc
as: Madeira. Carafn-s, Ch. m
sia, Carcavellus. Inc,ii- da nal
tros, 6 espera-se todofl "s lii.i-1.
lidades, a 800. 1> e l*2H0
an*>>
. .1..
BBB>
a 26/ de 8a!) caadas
fldem do P..rto em garrafies de i l 2 a r,
garrafas, por 2550O.
dem daFigueira m aanrafo-sde 41 s
garrafas, por 2->iOO.
Idem de Lisboa e Figuei de aat, -oo. san
e 560 rs. a garrafa, e em ra tara
a batimento,
dem Bordeaux engarraiado,

. para papel,..
na, facas de um e dous Iwtes, tudo do <,a,xa em ,a,as. a 120 rs. e a duzia, 1/300. Vinagre de Lisboa em garrafiVs d- 1 %
mais superior que se pode encontrar: si' Gencbra laranja. em grandes frascos, a 15.:. agarrafas, a 15200 com u
Avclas a 200 rs. a libra.
arroz da India a 100 rs. a libra.
Biseoutos de Lisboa em latas. pr.|ri
doentes, a 15500 e 35 a lata.
Batatas a 80 rs. a libra.
1 algodi.
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro Escovas para cabello muito finas .
a 15,15120, 15280 e 15600 a vara; na loja Cirteirasdemarroquimmuitolinas.
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Mendes p?Cas de tranca lisa encarnada. .
Guimares. 1 Tinteiros com tinta muito superior.
Arara vende manguitos a
9^000.
Vendem-se manguitos egolinbasdelinhoa
25 o par, golnhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400rs,; na ra da Impe-
ratriz n. 36.
Ditos de vidro com tinta mais in-
ferior...... j v .
Caitas de alfinetes francezes ." .
Cornetas de chifre para meninos .
320
160
320
15000
640
640
20
160
100
40
80
no Vigilante ruado Crespn. 7. .Genebra ingleza. marca gato, a 15200
Papel de fantasa. i n'asco u garrafa com rolba de vidro.
Tambem ebegou um grande sortimento de Garrales vazios. de 640 a 15200 cada um.
papel de fantasa branco, bordado e los Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex-
douradinho, de lindas cores, assim como',. bmavel, em vasos esqmsitos, a 15300.
de peso ealmaco, assim como muitos ou->L,t'ores ""I"" p bancezes dos melhures 1 ^PS lapnlalos para agua a (M
tros objectos de muito gosto que se torna- fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa. 1 Lbumbo de todas as groasuras a i| a atl
riara enfadonho annunciar, que seus pre- L,n8uas americanas de grande tamanbo (em'
eos serao por menos do -que em outra callla). al/.
qnalquer parte: s no Vigilante na do, Mssas para sopa, em caixinhas com 8 libras.
Crespo n. 7. contendo 5 quaiidades, por 35500 a cana.
Djtas para sopa, estrclinha e pevide, a 560
rs. a libra,
teri- Dita de tomate, a 640 rs. a libra.
ibras
jirr-
Taboas de ainarelle.
V<'ndcm-sc na na Direita u. 91.
Volantes e terinas.
Becebcu grande sortimento de volante
as, rendas douradas e prateadas, bicos es- Manteiga ingleza em potes de 10 a 16
peguelha e gales de todas as larguras, I a 800 rs. a libra.
vendendo-se tudo por precos baratissimos Idem dita flor a 1'5 a libra
principalmente sendo em pecas: s no Vi-, Idem de 2a qualidade a 800 rs. a libra
gilante ra do Crespo n. 7, Mera de 3a qualidade a 640 rs. a libra.
Retroi e liaba. dem para tempeiro a 400 rs. a libra.
Tambem ebegou um grande sortimento de Idem Iranceza a 640 rs. a libra, e em bar-
retroz do Porto do melhor fabricante; sen- ril por menos.
do, preto, azul ferrete e cores sortidas, a Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
14,000 rs. a libra, linha de miada de Boriz Mortasda ingleza em frascos grandes a 800
e cabeca encarnada, que seus precos sero | rs.
baratissimos; s no Vigilante ra do Cres-; dem franceza em frascos grandes a 500 rs.,
P n- Mlhos inglezes dos melhores fabricantes
Cafe muido de superior qualidade a #u r?.
a libra.
1 Fo de linho muito preprio para amarrai a
80 rs. a libra.
i Farinba de trigo em barricas e m.-ias. < i.
das as marcas e qualidade..
j Genebra de IMIanda em anrrafies eaan t
I caadas, por 65500 com o pana!
Id.-m idem em frasqneiras com 12
I por 6/500.
Manteiga finissima em latas conten* i
bras liquido, por 1580* a [.<
Queijos llamengos a IA600.
Rap princezado Wo: ffroSSO. avio i.iaae
e fino.
Tainhas das Alagas i l2ocento. c I4#
rs. cada urna.
Vinho branco de Bordean (aeaatenwj a mj
e 105 a duzia, e 800 a 5 a garrafe

111 rr:f\/Pi 1


----

Jote
ftaadaado 1 < Af I MtSg.
\
GRANDE E
TO SORTMNTO DE MOLHADOS
ct
mt-
)M

S*
e
-
OS
1 fe
V; s *.
O i. ^
" e.
c
^. O a*
ts 5a* t
~ *
% *! i
" C
w t
-d +
: ~~; -r
s & 1^*
"i fe ce o t
%> o -* - ^
S?
o- 5 ^
* S 3 s t
> ** >- g
~ t Id
o 6<9 -=:
-i ^?*
, O t
1 "3 a -o 2 ^"
B 0 e>* t Cr- c o
V V c e C eW
C rt o t-
O *9 c
^ t
O c
ti ^ c
W ^ ^ t
**
t t i i. t
c< ff*
C *. a
t - s c o t 1
ec \
%: e* ^^,
*-
f| <*> e*
,^5 o
Yinhos em pipa: Porto Figueira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo c 56o rs. a garrafa., e em
caoada a 2,50o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
io,ooo rs. a duzia e l.ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro viudo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas : Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Sea, Cha-
misso, Madeira superior a 9,ooo rs. a tai-
Ka el.ooo a garrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal vefdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Por
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
ra lao.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estacao, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Yinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
aada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-^
boa a i ,2oo rs.
Vinagre pnro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a Coo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
Goo rs. a libra,
dem em potes de 4 i 6 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Bahha deporco o fiio rs. a libra, e emba-'
iil se far abatnenlo.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de i,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londrinos os mais frescos"*' que se po-
dem desejar a 8oo rs. a libra.
Caf do Hio de I* e 2a qualidadc de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranho a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcao ter abalimento.
Caixinhas de ameixas francezas de ^ i 2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qsalidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpecli a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de I V e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 12 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l,ooo e 3,ooo cada urna,
Cita buxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidadc.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianra-se ser igual ao que regulai-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oors. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a I,6oo rs. a libra.
Presynto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5ooa caixa.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8o rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
oizete de Bordeaux, Pfaisir des dames, e
outros a l.ooo rs. a garrafa e lo,ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa e
36o rs. a fibra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 76o rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, c outraf
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Milito alpista a i60 rs. a libra.
Milito painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro bespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sab3o massa de 180. 200. 220 240. rs. a
libra do melbor.
Giaixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha ile 1,400 a2.ooo rs. a lata.
Genebra deHollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado e liso a 3,."00rs. a res-
ma.
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril i
640 rs. a garafa, e em porco Irta al ali-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
l.ooors. agarrafe e lo.ooo rs. o gipo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo. 5oo. la,
Too, 8oo, e l,ooo rs., o caixo grande.
Chocolate portuguez, liespanhol, francez.
suisso, das melhores inialidades a Dno rs.
a libra.
Velas de carnauba e composico a 32o. :w*>.
e 4oo rs., a libra, c de lo.ooo a 11 ,oaa rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a l,ooo
rs. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercad"
pela sua boa qualidadc.
Massas para sopa macarro talharint e alelria
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricante! da
Babia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a T.4oo rs. a
duzia c 5oo rs. a garrafa.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellie-
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial enronimenda a
1.800 rs. a lata,
lem Craknel em latas de f, 7 e 15 libras a
4,000, 5.5oo, e H,ooo rs. a lala.
Massa de tomate em latas de 600 a Ton rs.
cada unta.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a !6o rs. cada un.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranho muito alva < iIiiwi
a 1 io rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Omtinho, cravo. erva doce, enxofre. |alii..-
de dentes em caixinlus que tildo vetMti-
mos por baratissimo preco.
A A&UIA BRAMCA
Roiften pelo iiliino vapor o
seguate:
Bonitas pulseiras de cabello, coral, c cora-
F01 ies e bonitas ligas < seda para senhoras.
Outras. estraitas para meninas, ou manguitos.
Carteiras com aguibas.
Agulhetas para enfiar, e agulhas cantfas.
Ii elii s e fitas de borracha.
(i.! rilis com torcal de todas as cores.
Massosefios de coral.
Esponjas finas para rosto.
.Puntee de tartaruga virados, com laco e
lio.
EoMtes de rede para conservar os cabellos
beta atados.
Aspas e coz para balito.
Fita ( 'n cohetes para vestidos.
Francelins chatos de laa para enfeitar vestidos.
Papel e. foihas para rosas.
larinas francezas.
Tranceiins grossos para relogios.
L' icovas cabo dosso, niaiTun e andreperola
para denlos, unhas, limpar pontos e joias.
Outras finas para roupa, chapeo, cabello etc.
Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Kaspadeiras e facas de marfim para ditas.
iras o dminos.
ilarati^iinaft- bandelja.
A aguia branca por militas vezes tem da-
is 1 etnhecer que guando acha alguma pc-
ehineha, nao quer somonte com ella enener
o papo, ao contrario desoja que toda sua boa
frguezia e o publico em geral prvem da
ma, o ii1"' agora mesmo acontece com
assas; barattssimas bandeijas, cuja limitaco
do pi pos a Imira, em relacSo aostamanhose
ts: avista d 1 que convm todos a-
p; :: irem-se dessa opportuna occasio e
i-se (l'inn traste sempre necessario,
equo Ihes costar quasi metade do justo va-
toi \ssirn. |iois, dirigirem-se com dinhei-
ro alegre e espacosn loja d'aguia braaea
roa do Qaeimado n. 8.
Cv. afasnndos ropo* rom oantin. r
bolles rom luserlpers.
ni iinVMiiii'iil. para a aguia branca
assi mamados e estimados copos com banha
. iissim como os bonitos boioes de por-
1a dourada tambem com banha, e novas
inseripejoes maviosas e jocoserias, mui ado-
ajoado para presentes resta porcm que os apre-
ciad ,.- i-oncorram, munidos de dinheiro, <
alegre e espacoea toja d'aguia branca ra do
a lo 11. 8.
aa Siias'airr^ Ir penir* r
ivrll para iulo*.
-, aguia Branca 'Hieu novas o ricas
i.'s de p xirados, o com pe-
assim como ouii-.-, bordadas' hoco e
lilas pendentes, novidade essa que s
.. acha em dita loja, e tjuo na verdade se
tornara mui alegres e bonitas; e bem assim
aecebeu lindas ftvellas com pedras, e ditas
d'aco com noves e engracados moldes, cintos
dourados o de marroquim: c muitos outros
Objectos degosto para senhoras sero encon-
(rados na alegre e espacosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
tiraxa eeonomlra.
f- aguia branca acaba 1!. leccbcr e*sa acreAila-
4 graxa econmica, cuj- euperforme est gc-
raimenl reconlicciiia ; c-a boa graxa se torna
icommendaila, taulo porque o calcado lustrado
com fila dehu iierfeitam^nte lustroso ao menos
res dias sem necesidad-: de novo unto, como
no porque sua preparacao appropriada para
s-i-. are conservar o couro ; ella vem em caixi-
nhas e barrizinhos, e aoba-se a venda na ra do
Wueimado 8, loja d'aguia branca, aos rczumidos
ar ros do 400, 00 e 640 r-.
V nna.s dr aro inglezas ralygra-
phiras. a balo e onlraa.
' iiruia branca eeebeu um bello sortimento de
lores pennas do ac inglezas. calygraphieas,
a l>.i!ao c outras diversas qualidades, cojos precoz
v iam em proporcao da bondade 0$ pretenden-
les que k dirigirem eom doheiro toja d'aguia
rflnr;. na do QaBlmodc r. 8, nao Bcafao descon-
Sa nw-ma luja acha-s" larubeie um varia-
4 orlim resahindo entre ellas
na* de n i me; i''' deitam
*Jnna fraqnando awrm =i> queipa
TERCOS
o
e corda de cornalina.
A aguia branca pensando constantemente em
bem servir a toda a sua freguezia, notou que anda
nao liavia feito algum agrado a aquelles que pru-
dente e acertadamente rosando, cumprem dever de
bom christao, e quando reparn essa sua falla,
mandou vir e acaba de reeober delicados tercos e
coras de cornalina com cruz de praia, os quaes
deixa disposicao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar lo00,2e 3$ para possuircm um bonito
terco ou cora, com os quaes podem mesmo pedir a
Deas pela prosperidade d'aguia branca, em seuale-
gre e espaeoso ninho da ra do Queimado n. 8.
\ovos e bonllos
peniinlios travessos dourados e com pedras para
meninas : vendem-se na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8.
Hahiizinhos com perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos balnuinlios com 6
frasquinhos decbeiros por 15500 e'vasios por 800
rs.. servindo estes para meninas, e mesmo para
joias. etc.. etc. : na ra do Queimado. loja d'aguia
branca n. 8.
t
Unlias maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
iVovissimos e bonitos enfeitcs
para caberas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
rilcitos para cabera, eis que a aguia branca
recobo urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeitcs, c do modernissima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fa/.or com que as Exmas. apreciadoras da
bella empresa Coimbra possam melbor real-
sar e mostraren) o apurado gasto que as
guia. Esses enfi'iiis sSo d"um tocidobas-
tante fino com COObnhas (Vaco, c mui bem
enfeitados com llores, fitas, bicos, plumas
etc.. entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 5?>, 0^ e 7^1 dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
ISabadlnhos estrritos r bordados
Vendem-se na ra do Queimado n. 8. loja" d'aguia
branca.
Capachos compridos e redondos
Vendem-se na ra do Queimado. 'loja d'aguta
branca n. 8.
Delicadas lesoiirlnhas d'aco para
bordados e labyrlnthos.
A pedido de algumas senboras suas prediclclas
freguezas, a agina beanca mandou vir desata de-
licadas tesourinhas d'aco pontas agudas, proprias
para bordados c laliuillios. cuma vez chegadas
como de fado rlic-garam. a aguia branca convida
as e mais senhoras sua boas freguezas para
aproveitaretn-se da occasio e bem empregarem
seu em cada una dessas fnissimas tesouri-
nhas. na certeza do que partera por ebegar tarde ;
quem se demorar eia as mandar comprar no ale-
gre e espaeoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambem lia outras curvas e direi-
tas para unhas.
ai vas de camurca.
Vendem-se mui finas tovas de caonea
branca c amarella; na ra do Queimado n. 8
loja d'aguia branca.
Kun do Queimado n. 23, loja de Anto-
nio Ferreir da Silva Waia
Veudem-se cambraias de cores a 200 rs. o co-
vado para acabar, e laazinbas finas a 500 rs. o
covado.
Espirito de vinlio.
Na ra do Gotovello n. 1 vende-se espritu de
vinho de 38 graos a 240 rs. a garrafa, e em cana-
da a 1*600.
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS
AMMAZEMB
wmuntm i msmmmm
DE
m. 21 E 3-LAM0W) TEIIC6-NS. 2t F. 2;i.
Itecebent por conta propria a maior parte dos gneros existentes nos seus arma-
zens e por isso dulibeiou-se seu proprietarfo a vendelos por menos 10 /# do que em
outra qualquer parte, gai antiddo a superior qualidade.
l.eiacsi todos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a 72o e 8oo rs. a libra.
dem franceza do primoira qualidade a 56o rs. a libra, e em barril a.'io rs. a libra.
Arroz pilado o melhor do mercado a loo rs. a libra e 3:ooo rs. a arroba ou saeeo,
Caf do Rio o do Ceara o melhor neste genero a 28o o 32o rs. a libra.
Batatas novas a Tio rs. a libra, em arroba a I,loo rs. o em caixas de quatro anonas por
!,5oo rs.
Bolacliinhas americanas, as mais novas ueste peero, a 2oors. a libra e a.ooo r< a barrica.
Palitos do paz. vndos por corita particular, a 2.:too rs. a groza.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Vinho do Porto em garrafa de superior qualidade a9oo re. a garrafa,
dem em pipa Figueira e Lisboa a too rs. a garran, c a 3,ooo a caada.
Milho alpista o mais limpo que ha no mercado a 16 rs. a libra, e a ancolia a B,ooo re.
Velas de spermacet. composico o Aracalv. a loo, 39o 6 04o rs. a lilna.
Toucinho de Lisboa novo e grosso de pruneira qualidade a 32o rs. a libra, e O.ooors. a
arroba.
Alm destea gneros ha outros muito baratissimos. assim como cha do melhor,
azeite doce, vinagre, cebollas, albos, pimenta, cominhos, erva-doco. charutos de todas as
qualidades. chourieas, sabo verdadeiro de IGo a 24ors. a libra, onobra de todas as
qualidades. que todo se vende barato e quem duvidr venha \vr.
^%^^\^ ^ ^^^%%%
DE
JOMAS AH QUAIilDADES
DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
C0NHEC1DA POR FABRICADA VO.T.\.
N. 21 Antiga ra dosQuarteis de polica N. 21
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de m le. \etnl
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam vnaVa> taa
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezos. tanto que sao meus: e rw. t
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando pessoa atguaaa nPi
por minha conta fura della, fai;o o presente annuneio para evitar que roiopreni at" p"
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores desto pen.-ro especialnifiii
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha i
marcados com um dslinctivo que declara o meu nomo, o nomo da na o <> imiwwi !..
mesma casa.
Aproveito a occasio para scientific^ir aos mesmos senhores. qm* cnsl:ntrtnn'"
encontrarte um completo sortimento de cigarros de diversas mialidad>-v d>> n>-th^r iJB>
escolhido, por sua boa qualidade ja bem conhecida.
RA DO QUEIMADO N. 46
IMKIM FEIT%
NO
ARSIAXKM
DE
v
*um
la
LETREXRO VEKE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de n-up.
todas as qualidades, tambem se manda fazei por medida, vonlade d>-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim romo lainln-m
grande e variado sortimento de faendas de tolas as qualidades. pn
homens e meninos.
I. ii. ,i-
t--ni iim
DE
F4KMDAN E KOIPAS FEITAS.
Sortimento completo do sobrecasacos de panno a 25?$. 286, 306 e 3>>, casacas
niinin bem feitas a2<*>,>. 286, 30A o :!.*>. paletots acasacados de panno preto de 106 at
256, ditos de e-asentir de cor a 156, 186 e 206, paletots saceos de panno e case-;
mira de 86 ale 1 'iA. ditos saceos de alpaca, merino e laa de V> at OA. sobre de alpaca e!
merino de 76 ate 106. calcas pidas do casemira de 86 at 146, ditas de cor de 76 al
156, roupaspara menino de todos os tamaitos, grande sortimento de roupas de brim.!
como sejam calcas, paletots c rolletes, sortimento de cohetes pretos de metim, casemira .
e velludo do 46 a !>A. ditos para casamento a 56 o 0-\ paletots brancos de bramante a 46 j
c 56, calcas brancas muito finas a 5A. e um grande sortimento de fazendas finas e moder-'
as. completo sortimento de casemiras inglezas para homem. menino o senhora. ceroulas,
de linho e algodo. chapos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e sei
ribera. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mostr do semolhante arte e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escomaos, por tanto executamos qualquer obra com;
promptidao o mais barata do que etn outra qualquer casa.
*
rt \ii54 ao no wownii-Kii no
BRl Ifl Ha 38.
Este muito aci 'itado estaholocinten o osla prvido de um completo sortimBato
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus portones
Moendas e meias moondas do todos os tamaitos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wotsoii.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
de
PAPEL
de cores para listas de eleltores
A aguia branca suppSe que nao faz mal em o(Te-
recor aos athlctas uns pacotes com 254 foihas de
papel de cores, que pode servir ptimamente para
lisias de eleitores, e tanto melhor por costar cada
pacote o dminulo preco de 15500, e ser cada um
de urna s cr, o que dflleil de encontrar a nao
ser na roa do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Na mesma loja tambem ha de ontras qualidades.
branco o azul, assim como anvelopes.
Par" o bom hm
C.hegaram loja da=. columnas da ra do Cres-
po n. 13. de Antonio Correa de Vasconcellos A ti-
nosos corles de vestidos de laa a polaca com bar-
ra estampada de matiz, postos inteiramenlc mo-
dernos e cures as mais lindas que se pode desojar
beni como: cor do laranja. panga, violeta, solferi-
^noNcinza, magenta etc., etc.; para designar o mo-
delo do vestido a cada corte neompanha sen figu-
rino. Na mesma loja acaba r ebegar pelo nliimo
paquete francez rquis3imos cortes do vesldo do
seda de eoros com ramas runtsadas solas e ou-
tros do moreautinue adamascado. f,izenda muito
encorpadas e do ultimo posto para hallo*, pasa-
mentos ote.
\eiuloin-se ou amendam-w Mfpeasftes mui-
to mdicas os engenhos Braco e Cmara, perto da
cidado da Victoria, ambos de grande producoau. e
aquello quasi prompto a moer com agua. Admil-
tem-so moradores para o enpenho ConceicSo jnnto
a mesma cdade, dando-se-lhos toda a garanta de
eslahdidado. Trata-se no enpenho Collegio, onde
se precisa do um homem que se incumba das eo-
Drancas dos foro* do Conceirao. etc.. dando-se
casa para morar e torras para trabajar do graca.
Vcnde-se urna escrava robusta o sadia, sem
dofoilo algum, com idade de aureola e tanto-, an-
nos, Dor preco de 400J. porm so serve para sitio
oueBgenho : quem a pretender dirt|.1-se fl fo da
Cniz n. 47. terceiro andar.
Casacas de panno preto. [\:>:> e
Sobrecasacas idem, 305' e .
Paletos idem e de cores. 25A,
20A. 15^ e......
Ditos de casemira. 20-^. IW.
IW, 105 e......
Ditos de alpaca. a o. .
Ditos ditos pretos, 95, 75.
f5 e........
Ditos de brim c ganga de oV-
res, 45500, 45. 35500 e. .
Ditos branco de linlio. (!>. B# o
Ditos de meririf preto de cor-
dao. 10A. 75 e.....
Calcas de casemira preta. 125.
105, 85 e. m
Ditas de cores, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res. tU8M c.....
Ditas de prinwza e merino pre-
to de cordao, 55- 45500 e
Ditas de brim hranco p de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores.
35500. 35 e.....
Golletes de velludo preto o de
cores. 95 c......
Ditos de casemira piola. 55 e
Ditos de ditas de cores 55
V5 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de-ditos e seda branca.
65 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de coros. ('>. 55 e
305000
255000
lOfQW
74001
3|506
30300
35000
45000
.simio
7-SO00
75000
45000
45000
2-v.OO
antt
75000
4-VIOO
35500
55000
55000
'rV)00
Golletes de fustti e brim Inaii
co, 35500. 35 e .
Seroulas de brim de linh<>.
25400 o......
Dilasde atgodfc), l|900e. .
(omisas de pcit->s de linln..
55. 45. 35 e.....
Ditas de madapolo. 3-s.
2500, 25 e.....
Chapeos de massa. pretos fran-
cezes. 10f>, 95 e. .
Ditos de feltro. r,-v 4,>. &knf
Ditos de sol. de seda. IW.
11 v 75 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Soitimenlo complot., de JM
tas.
Toalhas parroslo, duzia. Il-V
95 e........
Aloalhado adamascado r> li-
nho vara......
Chapeos deso, de alpaca, pe-
los o de coros.....
Lenoos de linho.....
Cobertas de cliita chine/a. .
Peonas d'aco. as mais*sit|ierii-
res. a ros.i. f .
Relogios de ouio orizonlat^.
905, 80?j e......
Ditos de prala. galvanizado.
patentes e orsealaes, 4<
Obras de ouro, adereos. meios
aderecos. pulreiras. rozetas.
aneis e orates.
i

Mano ^
i 'J
I
:?
2-iao c
a>
i
250tO|
Vende-se nina taberna das melioro> na fl%gae-
da do S. Jos, com poneos fundos, e commodos
[.ara familia, que vende do 20 a 235 diarios; ven-
de-se a dinheiro ou com indemnisacao praca : a
tralai na ra de Sania Rita n.64. n troca-se por
outra nos arrabaldes da cidade, e se Kver sitio an-
nexo melhor. *
Ceblas soiperior&s em resteas, a cinco
mil reis o milheiro no Caes da alfndega n.
I. armazom de Tasso ce rmeos.
FARINHA SIPERIOR.
^ endose a bordo do patacho JwM r 4 te*
Cursor, ancorados no Irapirfcc aari 4 lhr>
inenlo. farinha de mandioca,
ria como de Hurto Alegre. aaMPCfl
por preco commode
>01A riKNHNl
Na iramsa dirna iasCimrs. m barra*
da de amareH n. 6. v.-ndrin se
bolaxinha americana a IJSOa, \m
quinha o comprador: w levan a !
taado em bom estado / (K- prar p*r
roMa* do preen hio e Tea* *> -
ii rfft/c \



Mfcmi ttfcfchlHl t
Ja
gHlo de f 3.
4.
?

MtBli
GRANDE ABMAZEM
AE
N. t, RCA DAS CRI18 N. 36
DO
balrro de auto Antonio, f
0 pfoprietario do muito acreditado armazem denominado Progresststa lendo
sempre era vista fazer todo o que- for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seus j bera eonhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas qae .mandarem comprar por seas criados ou
escravos, seren tito bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
,5o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progresststa da ra das
Cruzes n. 36, que se vendemos melhores gneros por mais baratopreco, porque estos
militas vezes olvidam-se e vio outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
Manteigai ngleza de I.' qualidade, a 800 rs. 1
a libra. j
llSt^r'cSd-L^r^ *!fi* W>* em potes m* nova a
DE
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
ile superior qualidade a rada
xinha
Amendoas a 320 rs. a libra.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita- J??es a 2. rsj J| libra-
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resolvido resumir os bitas em frasco por 2?800.
oreos dos seus acreditados gneros, como abaixo veriio nao obstante os precos menciona- Arroz pilado da India loo rs. a libra e 3#ooo
K ^ .... I a arroba.
dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se .toseja servir satisfatona- Dito dito do Maranho I20rs.alibrae3j>500
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portador^, que serao Uto a arroba-
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
J)em servidos como se viessem pessoalmente, isto so no Progresso. Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Manteiga ngleza peritamente or chegada Farinha de Maranho muito alva e cheiroza ^"^..6 canna de cabeca a 4 e m
rs. a libra.
Dtalas-entgigo de arroba a l,5oo rs.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 25 a 2-5500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
i'jb do Rio de i.* e 2.a qualidade a 8-5500
o 8-5800 a arroba, c 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 35200 a arroba.
A vetas asmis novas neste genero a 240
rs. a libra.
I'resuntas do Porto muito ROVOS a 560 rs. a
libra.
I.egumes francezes para sopa, como seja,
Julienne, mlange d'qoipage, Choux e
nutras ijHalidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porejto ter abatimento.
i iarrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2#400 com o garrafio ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta*
cao por sor mais fresco a 2r>400.
i ili hysson o mais superior a 2&600 a iibra,
atianca-sc ser egual ao que regularmente
vendamos a 30300.
dem huxim miudinho, o mais superior que
veta ao nosso mercado a 2,-5700 a libra.
dem preto muito fino, a 2^000 a libra.
Chocolate para 9oo, 1,000 e l,2oo rs. a li-
bra.
i arralos com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2-5100 cada un.
dem com 5 garrafas de .tingre de Lisboa
i 15100 com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Viadas generosos viudos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
tora, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a !)00 rs. a garrafa e 95
a duzia.
Vinho Bordeaos das melhores marras: St
Jodien, Medoc e S. Estephe e outros a
040 rs. a garrafa e 75500 a caixa com
urna duzia.
i .houricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 000 rs. a libra.
CogMC verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 105500 a
aixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, muito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeara, Plaiserdes
.lames. -rme de Noyau, Cau Dantzir,
reme de Menthe, Ilude de Venus etc. etc..
I'assas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e (55500 a caixa com urna arroba, ha
caixas, meias e quartos.
\mei\as l'iaii.czas em frascos de 1 I|2e 3 li-
bias de 11400 a 25800, tamliem ha latas
de 6 libras.
TODOS
os
APORD
se recebem gneros de conta
propria e dos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMENTO,

O
H
-
COMPLETO
SOilTIMENTO DE MOLHADOS.
vende-se em porcao e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
presteza e exactido qualquer
encoinmenda dirigida a este
ESTABELECIMENTO.

Eduardo Marques de Oliveira C.
O
>
O

9
o

f =
I 5-
a.
S

y.
B
ir
N'cstes novos e grandes estabelecimentos de molhados, encontrar o respeitaaal
mm 'publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do entro, expostos -.fida
u todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro .-rt.beWaws-
S tos d'esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa um >'
J^ cios para serem vindos de conta propria diversos gneros, e desde j encontrara **-
M peitavel publico serapre os melhores gneros do nosso mercado, e por prtfoa harapav
^* mos como abaixo verlo, a saber :
Massa de tomates a 040 rs. a libra
400 rs. cada um.
MHho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 25300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 15300 a duzia.
Peixe em latas muito novo; svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinhaa 15400.
Papel grve pautado e liso a 35800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 35200 e 45000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcao ter
, abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
55000 a caada.
Vinho bramo o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 45000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 1:?400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porejto ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
1)5000 a garrafa, e 105000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 35500 a caixa, tambem temos
para 2>000, 25500, 3*000 c 35200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 05 a 115500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 15000
a ancoreta do Porto e 15500 a de Lisboa
Massas para sopa: estreflinha, rodinha e pe-
vide a 400 rs. a libra e 25000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e aletria a 400 c 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas de 55500 a
(>00 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos ingleses de diversas qualidades a
15300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 25000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardanas de Mants, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
no ultimo vapor a 9oo rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 8oo rs. a libra.
dem de 3.a dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga francezaamaisnova que lia no mer-
cado a 6oo rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de poreo refinada a 540 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l,ooo agarrafa e a Io,ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz fe, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, como sejam:Camocs, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso 6c Filho, Madeira secco, 8 Feitoria a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com
12 garrafas.
Garrafes com especial vinho do Porto con-
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs.
dem com 5 garrafas de supirior vinho Fi-
gueira a 2, ico re.
16o rs, i bra rs- a 8arrafe'
Azeitonas a 320 rs. a garrafa e 1,3oo a an-
Toucinlm de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo j coreta.
rs. arroba. Batatas inglezas a 6o rs. a libra e -1,800 a
Sardanas de Nantes a 36o rs. a lata. I a'|oba-
Banha de poreo a ooo rs. a libra.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a Bolachinha de soda a 15400 a lata.
4,8oo rs. a caada. Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a! rica a 35000.
I.aoo rs. a caada. Cha hysson a 25200 a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis- Dito dito fino a 25600 a libra.
boa a l.loo rs. Dito miudinho a 25800 a libra.
Champanhe das marcas mais acreditadas a Dito doBio a 15800 a libra.
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a 8oo rs. e a Dito preto a 15900 a libra.
I,ooo rs. agarrafa. Charutos de diversas qualidades a 15200,
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e nu,300 c 3|* a caixa- nn
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrafa, Champagne a 15 e I5oOO a garrafa,
tambem temos das mesmas marcas para 4, Chouncas a o60 e 600 rs. a libra,
c 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa. Conservas inglezas;a 800rs. o frasco.
Cafe em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 95 e
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,ooo rs, 95200 a arroba,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha Dito moido a 360 rs. a libra,
para 4,ooo rs. a duzia. Doce de goiaba a 560 rs. o caix3o.
Graxa em latas grandes a l.3oo rs. a duzia ^pmtoe vinho de 38 graos, a 280 rs. a
c I4n iv i hfi i garufa.
e '* Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra Dita flor de laranja a 15 o frasco,
de milita duraejio a 4oo rs. cada urna. Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Paltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs. Gomma d'auruta a 100 rs. a libra, e 25600
a groza. a arroba.
Graixa em latas a 120, e 15300 a duzia.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e 28o rs.
dem com 3
2.1oo rs.
garrafas de vinho Lisboa a
Gela de Alperche chegada no ultimo vapor
latas de libre*Vtoore. pacWncbT j^guO0"1 Sarrafr,cs de *arrafas pn'
Genera de Ilollanda garraioes com 16 gac- Licor fino a 800 rs. a garrafa,
rafas por (5.5oo rs. Dito em garrafas grandes de superior quali-
dem em Irasqueirasa 6,3oo rs. e 6,5oo rs. e a! ^jgjj jffft, a 800, 900 e 15 a libra.
56o rs. o (roseo alfianca-se ser verdadeira. Mantetl| fraVeZa a P- **" -
VvuKloT dem de botija em barricas com qua.ro du- Dita hoi.andeza a 72
1. g aw a 44o rs. cada botija. Mostarda a 640 rs. o
a gnala.
dem de laranja em frascos grandes venia-1 Previne-seao respeitavel publico que todos os gneros cima sod' boa ipu
deira italiana a l.ooo rs. o frasco. dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser anmn
Manteiga franceza a 6oo e 64o rs. a libra.
?2o 8oo rs. a libra,
frasco.
Dita estrellinha para sopa a 560 i
Massa estrellinha para sopa a5oo rs. ahfaa.
Macarr3o, aletria e talharim a i* r* i *-
lira.
Marrasquino de Zara a 800 rs. ofra?,<\
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o nws-n
Phosphoros do gaz a 2-5500 a grom
Paios novos a 640 re. a libra.
Queijos do reino do ultimo WpH a #
25500.
Dito de prato a 720 rs. a libre.
Cenejas de marcas superiores i 5*> 5tfc
600 e 640 rs. a garrafa, e 55500. #
65500 a duzia.
Dita em barril por 45, e 240 rs. a pMI
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 4 nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200. 240 e 2801 s. j -.4*.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa .i 320 rs. a MI'.
Tijolo para limpai facas a 160 rs.
Vellas de spermacete do gaz i i ...< i *
libra.
Ditas do gaz muito bom
Ditas dito em caixas de 6 IH>ras por *OIWl
Ditas de cariuuba a 400 rs. a libia.
Ditas de composico a 360 e 380 rs a Are,
Vinho do Porto, caada a 5-S500. garrafa*
720 rs.
Dito Lisboa, caada i 45 I a garrafa a 30
rs.
Dito Figueira, caada i 35840 c a fVMfa
480 rs.
Dito dita sii|M'iior. -aiMida a 451 a rarraii
a 300 rs.
Dito Estreito, canwla a 35200 e a p-irretaa
400 rs.
Dito Bordeanx a 720 c 800 rs. a pnall
Vinagre de Lisboa em garrafTies iU- 5 g na-
fas por -15400.
Dito em caada a 2->. e a 2001 s. a gar-^.
Vinho do Porto em gaiTafoes de 5 pama
por 2-5500.
Dito dito engarrafad a l>e iJdOO.
Dito lagrimas do Douro a l->400 a gwrafa.
Vinho branco de L>l>oa a 720 i-, .
e 3:5 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa. < >;'
a caada.
, Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
I Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Marmelada imperial, dos melhores conser-1 cebollas o nlho a 900 rs.
veiros de Lisboa, a CflOrs. a libra, em la-|
tas lacradas hermticamente. Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
I cuelas em caldas deludas as qualidades em,Cominhos dem dem a 640 rs. a libra.
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca- j Garrafoes vastos a 500 rs. cada um.
ila urna. !
Ditos com 5 garrafas de genebra a 2,5400,
garante-se ser verdadeira do Hollanda.
lii.lachinha ingleza. a mais nova que se pode
desejar. a 35000 a barric a e 240 rs. a
libra.
I arinha do Maranho muiU) alva e eheirosa
a 160 rs. a libra.
Cebollas a granel a 640 rs. o rento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
1,5000 a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garraft Alfazema o que pode haver de melhor neste
e 95000 a caixa com urna duzia. artigo a 280 rs. a libra.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes' phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
Mixed PicUles, ceblas simples, c outros a ^ixinha.
' a 760 rs. o fresco.
; Papel de embrulho muito superior a 15120
l-'arinha verdadeira de araruta a 500 rs. a I a resma.
libra, garante-se a superior qtufMade. vnh0 (,a F|gueira> ,0 que ||a ^ ^^ a
Palitos para denles em ooUft douradas ifOOO a caada.
Breu, a 320 a libra e 84 a arroba. Copos finos para agua-a 65000 a duzia.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo c 3,8oo a caada.
\nieixas francezas em caixinhas de 1 % 2 Marras,,uino de zara a 72o ,-s.
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- Licor francez de todas as qualidades em
cas estampas na caixa exterior a l.3ool garrafas de vidro brancos a 72o e8oors.
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
FU]DI^AO DI Al UOli %.
Vinho Bordeanx
que tem
rs., eem caixa a 7,3oo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortiilas e de urna s qua-
lidade a 8oo rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva a 8oo rs.;
a libra e 2,2oo rs. a arroba.
Nesta grande e bem montada fabrica de. machinismo, a mais anliga no imperio, -/-
tinua-sea executar coma maior presteza e perfeico lilMinilin de t-Mla a i
deaux das melhores qualidades de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
i \ indo ao mercado a 72o e 8oo ... ,
Grande sortimentode moendas de caima de todos os systemas e lamanhos
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Bronzes e aguilhoes.
Bodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cylndros para padaria.
Serras de ac para serrarki.
Fatechaspara barcos, etc., etc., ludo por proco que bem convida.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.

Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
gs. a arroba.
dem em latas de, 1 '/* e 3 libras a I.4oo e
2,(5oo rs. cada una.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a 1,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas ermeticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,8oo rs.
Mein a 2oo rs. a libra.
I'assas de carnadas as mais novas que ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a
caixa.
Salmao em latas ermeticamente lacradas a
8oo rs.
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
a l,3oo rs.
Queijos flamengos chegailos no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem ilo vapor passado a 2,2(W 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
6oo e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 36o rs. a libra.
Chouricas momas encoinmenda especial nos-
sa a Ono rs. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 56o rs. a libra ,(lem dt spermacete a 64o rs, a libra. v|nho do Porto snperlor
Bolaxinha ingleza a mais novas (pe ha no Cb0^0}3^'^panhol e francez a 9oo e i,ooo( vende-se em caixas de urna duzia: noescripto-
mercado a 2,5oo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
GUARDA Vi
IOVB
' AGENCIA
FNDIGO DE LOW-MOOR.
Ilua da Si'ii/alla nova n. 12. Xa rot Dirnia n. 53, Im m nil
Neste estabelecimento contina a haver VS^JSX^SS^
Estrellinha e pevide muito nova a 36o rs. a um completo sortimento de moendas e meias (orne eora npad, etr (oUm i^la
libra. moendas para engenho, machinas de vapor ovo,eque .rede immttt pt
e tachas de ferro batido e coado, de todos os '"'In ,u ,""s,"a e* "* l!ma "
propria para qualipu-r i-st^lielei-imont >.
f
Macarrao a 32o rs. a libra.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a libra.
Aletria a 3oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
tamaitos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar ronpa: em casa de S. P. Johnston A C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
ESCRAVOS FGIDOS.
dem do Maranho a
3,ooo a arroba.
12-
Xodia e agosto crreme fugin .
Sa 1 19 (leuonie Lino, crioulo, de idade iiuc repr-s.-au *L
HUil (l!l WflMllll n. 4Z. anuos, ponfo mais ou menos, barMo, d Ma*
Vende-se, em casa de S. P. Johnston d- C, W*.! "' P? i"'1.0 .''V1'1." d" ''
;,ibra',>a sellins esimesinglezes,;candieirosecasti:;^^
caes bronzeados, lonas inglezas, ha de vela, dio de lisia, chapeo da palta ftm, ieo or-o
Caf do Bio o mais superior que so pode de- chicotes para carros e montara, arreios para serrador: .juent o jMfu qoiim ntcia*tt
gejw a 32o rs. a libra. carros de um e dous cavallos, e relogios de
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo ouro patente inglez.
e 8,7oo rs. j ~ Cola da Baha
Velas de carnauba refinada a 32o 'rs. a libra, I Tera p^ vendor An(onio Luiz dc oirrelra Aze-
e a 1 o.ooo rs. a arroba. vedo, no sea escriptorio, ra da Cruz n. 1.
leve a. ra da Praia de Santa Rita ora n. 4.
onde niorao Sr. Joao Caelano de Abren. |
gratifieado.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em latas grandes, proprias para lanche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
rs. a libra.
rio de Antonio Luiz Oliveira Azevedo te C.
Cha pecla muito especial chegado ueste ul-
timo vapor de encommenda propria muito
novo a 3,ooo e 2,8oo rs. a libra.
Cal de Lisboa e potassa da
Rsala.
Vende-se na ra da Cadeia do Recite n. 6, para
dem huxim muito sunerior a 2 7oo rs a 0Dde ^ mudou an,i? e acreditado deposito da
muu iiuaiiu inuiiu supttioi az./oo rs. a jmsmx nu n ^ ^j^ generos ^ novoge
"w ** legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
dem hysson a 2,56o rs. a libra. mura quakmer parte.
Mamelaila imperial do fabncante Abreu e Idem hysson a %000 e %ioo a ,ibra.
outros conserveiros de Lisboa a 6oo rs. ai
libra.
Vende-se um grande terreno com cercado, e
ptimo para fazer-se. um excellenle sitio em Jaboa-
opt
dem preto homeepathiCO C mudo superior a tao a margena da estrada da Victoria e contiguo a
2,000 rs. a libra. povoago de Santo Amaro, contendo igualmente
Frutas em calda de todas as qualidades a ,.m.-, ,.___, ,, terreno
qq rs dem nacional a l,6oo rs. a libra. (ratar
'. Batatas muito novas a 8o rs. a libra. casa
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regala im-
Ervilhas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a libra.
Avelansa 2oo rs. a libra.
mc,ao e sanio Amaro, comeiiuo igniiiueiiu;
sno para plantario : qnem a pretender para
ir, rfirija-se nesta ctdade ao terceiro andar da
n. 46 da ra do Imperador.
Assucar do Monteiro
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo, Ra do imperador n. 28 e caes de Apollo n.
3,3oo, 3,2oo, 3,ooo, e, ,8oo, 2,5oo,, 67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
2,ooo e 1,6oo rs. a caixa. a 34000 aarroba.
Pugio no da 16 do cmale, *
liora D. Joaqun.'
. as 7 Ik-.
noiii', ile casa de sua senhora 1
da Cunha, na3 barreiras do Carhanf, a <
[losara, idade 30 aunos. cor |>arda, alta, reiotyht*
bracos grossos, niaos grandes, falta ib- '
dentes na frente, cabellos pn-ios rarapinh..^,
um vestido novo de iscadinho, um rhalr*, aa
panno da Costa e um v stUlo de chita p abala-
do, e algunia ronpa de aso da mesan, e um par*
rselas encarnadas ; esta mulata fui tsetvn
Sr. Antonio (oncalw- da Silva, morad.* emSaata
Antao, e por elle vendida ao Sr. Jos Carlos Manca
da Costa Reis, desta cidade, e por este a al
signada : pode-so, pois. M auloridades p-iciae^a
capitaes de campo a sita appreheasao. oa mtko
em sua casa, as barrenas doC^chaoca. oa aa na
do Queimado n. :4. loja de IJvra & Iriaro.
Joai|uiaa Marques da Caaki-
Desapparecea hontem i aa>. awteqaa,
cor parda, secco do corpo, easajara meautu, da
nomc Athanasio, de 12 13 amias de ida*-, mas
ha pouco de Baixa-Verde, *-rtiode t>a*o. "?
vertido camisa dc chita com ''*n^*ee*T e *
de rscado d-' qnadros : de presawr qax*
acoutdo om atomn par^- P019."* tefl?c"">y^
ment algiimdaddade qnem denewaber
ver noticia, le^o ra do Qoenaao a. I>. *ja
de Jos Antonio dos San'o~ Coalfw. pensado.




i II


8
Diario de PeraAMbato tobado t de Agosto de IMaft.
LITTERATPRA.
O que rae pelo mundo.
Nii famal do Comnicrcio de Lisboa encontramos
M egointes artigos, un subre n revoliicao de Ma-
e outro sobre a cre do algodao :
I tragedia representada na Iba de Madagas-
car acaboueomorej Ratiamall. protector dos eu
repeus, delusor doprogresso. Exallot ao llirono
a rainlia vinva Rahodo. que se piopoc seguir a in-
ratenos hatos, os facciosos trimpbaates. Lison-
geando as preoecupaedes populares e segundo
cauta, secretamente auxiliados |>elo rnisslosarlo
: KUis, conseguirn) supphmter a influencia
eompromeeodo-se seriamente os planos
de colonisaco traeados em Paria pelo ministro de
ChassetoBD-Laubat.
< Os pormenores fornecidos |telo cnsul francs
i 01 i dtanos de Tananarira a 15de iuaio, lau-
eam muita luz sobre a conspirado, e oilt-ieeem in-
cidentes assaz curiosos. '
c tm torno de Kadama agitavam-se dous parti-
dos. Um cumposto de altos funecionarios, de nota-
t tdi > populares, capitaneado pelo primeiro mi-
nistro, e o conimandante militar ; mitro formado
i Mciawao (mancebos prepostos guarda do
\i-zes o> enrissarios repetcm a solicitacao, e ontraslidia, cercada da corte.
tantas sao desaltendidos.
Quem o vosso roi, exclama alfim o potentado
| receioso do crescente impulso da revolta ? Sois vos,
respondem os diputados. Pois bem, eu, o rei.
! prostro-me aos vossos ps, imploro o perdao dos
homens votados ao exterminio. J corren bastante
sangue. Haja perdi para os desgranados; serao
exautorados dos cargos e dignidades, desterrados
per|ieluaniente; mas ao menos liquem com vida.
Os emssarios voltaram com a resposta. Os
fautores da desordem arengan) as massas, e to-
dos se peiii a caminho.da casa de pedra para ar-
rasada.
l'ni ofllcial da rainha abe ao encontr dos
amotinados, empunhando a bandeira de Rada-
ma. Respcita-se a insignia, mas exige-se a entre-
ga dos rus. O rei adianta-se para fazer appello
aos seos amigos. Algn. eircundam-no e assim
auxiliado encaminha-se ao palacio da cidade le-
vando o proscriptos em sua eompanhia, com os
bracos es-tendidos sobre ells, em signal de pro-
teceao.
Radama annuncia que ir procurar o primeiro
ministro Rainivoninnliitriniony, tir> de solicitar o
perdao dos proscriptos.
t No dia seguinle prosegnem as negocia^oes.
*i*rano> quando era principe) que nao tardaran) *'P>*e apodmr-se da situaco," | ?rilhc,a Pr ,oda a *
Radama objecta, que nao aceeila par os seus
*j vanw ^v un .-mu' nu
c fiaviam minad" o prestigio dos homens madu-;
1 _____, amigos um supp icio peior do que a uiorte. Sup-
u.unopolisavam os empregos u as merces :
miseria atvitres offeosivoa para o poto.
un bastante escndalo a devassidao don.i-, ^^ ;,co",cceu ass,,u-
oante na denominada cas;* de pedra, em Ambohi-; p ** dc citadas, os proprios conspiradores
i ttimbina, residencia habiuwl do monarcha. ; n:, Pod,am det-'as-
A rainha apresentou-so a urna deputayo, pro-
,, punha-se que o povo sanrcionana a commatacao
As turbas queriam sangue ;
c Alm (lestes motivos d-, scisao. havia outro
i- forte principie divisorio, aartjpathia de raca.
Andrianampoinemerina, pae de Radama i. era
oriundo do norte de Emerina. Os seus povos aju-
daram-no a formar un reiuu com posto dedoze pe-
queos -suidos. Os favores couboram em parlilha
M homaB! do norte ; e os Henamaso sao do sul-
I)' -;.i previeran) rivalidades, que no reinado de
I ima II se tornaran) mais acerba?, por isso que
os -" acuadores do passado foram lancados naca-
t! 'gorra de opposicionistas e descontentes.
Reaten um pretexto para provocar hostilida-
des e nao se f ;z esperar. O rei deu-o, publicando
metiendo entregar os culpados,- se os nao matas-
en, Era tarde para concessoes. Milhares de
soldados da provincia de Emerina afflniam Tana-
nariva. oceupando as avenidas do palacio. Debal-
de Radama se mostrava na varanda principal de-
baixo da umbrella vermelha, ao lado do estandarte
regio. Ninguem fez caso da demonstragao.
' A' II de manliita, brese urna porta do pala-
cio, e sao entregues quatorze individuos com as
iniios amarradas atraz das costas, cnvoltos em tan-
gas. Os soldados levam-n'os no meio das vaias o
dos gritos de mata, at fra da cidade. Apezar da
um i lei que autorisava o duelo, eo combate detri- capitulacao do monarcha, o palacio fica cercado.
Depois das saudac&es do
estylo, observen S. M., que desejava continuar as
boasrclaeoes com osestrangeiros; e em seguida
retirou-se. O'primeiro ministro assegurou haver
expedido Cita ordem para proteccao dos tran-
cos. Entretanto, os tratados com a Franca e oh*
tras potencias sao annullados. Nao ha probalida-
iam-se em por com dono todos os que eram requi-
sitados para o amanlio, aroiteacSo, ceifa, e outros
misteres agrcolas.
Nao se atiende a objee*!o de (fue o fabricante
Tennessee, das Carolinas, de Nova Orleaus, esten-
dem-se hoje s ricas planicies do Maryland e da
Pensylvania. O ferro e o fogo introdinem-se em
toda a parte. Pogem os habitantes pacilkx
nao maneja a cuchada e o encinho com a proficien- ficam combalentes para se dizimarem em rtnhidas
cia do homeni do eampo, nem atura a fadiga por batalhas.
tanto lempo. Respndese qucumpre vencer essas
de de que ogoverno acoiha os estrangeiros com* repugnancias-, aproveitar -joalquertafefa: porque
hospitalidades Radama 1!.
se trata de minorar a- despesas fritas pelo cofre
Alm de urna fragata franceza que se dirige das subscripces voluntarias, aliin de que contem-
(leSueaMadagascar e -la corveta expedida da P10 inelle^ que por modo algum estao habllMdos
ilha da Reuniao, apromptan.-se outros navios de Para d,Parr coni salai'i-
guerra em Toolon com o niesmo destino. de Aindapor esta occasiaose constata o resultado
crr que seja mlfler recorrer forca para obrigar do appello philantropia britannica, e afuitamen-
os dominadores hova- a v-p.-ilar os eompromissos te pode asseverar-se que a historia das nacoes em
com aanaeoes civilisadav eadmiltir a colonisacao' poca algnma offerece exemplo que se approxi-
europa. ",c- Verifica-se a cobianea total de Ib. 1000,000
O cnsul inglez Packenham, acreditado junto
bu a tribu, de aldea a aldea, MU outra formalida-
de mais do que o consentimento dos contendores,
t- :eitimar a guerra civil.
A" de maio, dia immediato a promulgacao da
i.., o.-, offiriacs superiores e caudilbos populares
| ler com o rei, c pediram a sua revogacao.
Os dous principaes personagens da deputago, o sangne
1 perfeitamente. Veiu a noute. Introduzram-se no
Tendo eessado o pretexto da aggressao, nao havia
motivo plausivel para prolongar o assedlo. Entre-
tanto os motores da revolta disseram, que s abri-
riam mito do rigor, quando todos os rus fossem
apanhados.
f. crime imperdoavel em Madagascar fazer
em pessoa real. Os conjurados sabiam-no
(ou ris 9,000:0005000!) destinadas aos operarios
. de Lancastcr e Chester. E' grato reconhecer, que
corte deTananva, por vezes asseguron a adama' do? considcraveis deSpendios, anesar das
que omissionano Ellis nao hnlia au.oracao do ^.^ IOKOnmt. ao Iiom senso, ao
governo britannico para entrar em negociacoes de (lisVen0 a ra3oavel pareimonia das coinniissoes,
quaUmer especie com os ministros indigena. Nao anda ha em cofre urna somma de vulto,
porm a vez priraeira que o gabinete de S. /ames' Lord Berhy, referindo-se a detatties estatiscos,
usa do mactjavelico syslema de recorrer aos dous observa que a commissao central rccfbeu e admi-
agentes, um ostensivo, outro secreto. Sao tao nu- nisjrou 16. 700,000, provenienes do cofre geral,
merosos os indicios da cumplicidade do reverendo peno de Ib. 135.000 do fundo dos dtstrictos do
Ellis na revolta que custou a vida ao rei e aos seus a^-odao, e Ib. 100,006- da cidade- de Liverpool. A
satcllite, que Mr. Urouyn de L'huys acaba de di- cotnmissao da cmara municipat levantou mais de
rigii- a lord John ftussell urna nota categrica, exi- Uv, 300,000, e as commissws fdiaes ib. 32f,000. Se
gindo explicagoes sobre o assumpto. a eS|as plantas se juntar o valor da roupa, dos
O triurepho dos reaccionarios de Madagascar cobertores, de outros donativos dc todos osconda-
no s funesto para a Franca. Deve causar prc- dos, e alguma eousa do esirangeiro, resulta que a
juso as domis potencias. Felizmente, mesmo en- subscripc> volonlaria ascendeu a Ib. 1.900,000.
tre os Africano*, as sementes da civilisacao e do Mas. isto nao tudo o que snggerhr o espirito
progresso urna vez lanzadas ao solo rnovam-se e de carldade. DeNnearam-se c*ras, construcees,
fructificam, apezar de transitoria contrariedades, reparacoes s com o m de asssgurar salario aos
A tolerancia, os melhoramentos, a convivencia com operarios. Conservaram-se abertos o em aetivida-
os Europeos, as cwveneoes celebradas para desea-' de moinhos e offlcinns, apesar de nao se tirar lucro
volver a riqueza da vasta ilha, nao acabam com a la sua exploracao. Os fabricantes de outros con-
victoria dos facciosos novas. Sao elles qne hao cte * suecumbir. victimas dos proprios erros. em na-> timbrara em chamar para suas casas minios in-
distante iriodo. I dividiros prejudieados pela rrisc algodoeira. Ac-
.,,_ ., erescente-se o subsidio fornecido pela taxa da lei
Cnse do , ".. .-__* dos pobres; c far-se-ba idea das seminas consu-
mezes de vorao diminuiram os- sonrimentos dos K
operarios d condado ite Lancaster. e o dcsembol- mi
sos das comminoes de auxilio. Tudo temeami- Quanto. resta hoje em cofre? Que dinheiro
nhado regularmente, e- nao ha apprelieBsao de disponivel existe para occerrer a fiuras evento*-
perigo immtxltoto por falta de numerar, o Ibe-1 Wad* r-Ma fue poden contar os opranos
souro publico Lritannico< nao tem despendido um [ absolutamente destituidos- de recursos, depois de.
rwnuv com os individuos desempregadOs. Apenas prestacionados [>or tao largo espaeo? Com Ib.
dos subsidios autorisados pela lei d taxa para os 700,000 (reis 3,150:000,5000) em dinheiro. como-
pobres se disti-ahiram algwnas pawell'as para os se deduz dos seguintes poimienoros. A commissao
indigentes oufra empregados ntn-fabricas de central possue Ib. 330,000; o fundo des districtos
fiaeo e tecidos de algodao. algodao mais de Ib. 80,000 5 o fundo de Liverpool
** Lord Derbv expz ne-parlamento- a situaco perto dc Ib. 40.000; e ha por cobrar sufcscnpcoes.
das commissoeide auxilioi epde diztr-se qne dos pertencentes a estes tres fundos, na importancia
pormenores aposentados resulta a onvircao dc de Ib. 40,000. As commissoes filiaos de diversos
que anda ha recursos pasa allender os -neeessita- condados anda teem a recetor vanas turnas; as
O ymbolo de S. Athaaso, de
com a precedente revelara do cdigo:
qne Jesiis Christo sendo perfeilo Dens. e
perfeito homcm, ou bomem compoeto de 1
racional e da carne humana : Perfeclus Dtmi, ftr-
fectus homo, franimn ralionali rt
subtisUns. Ueste modo v-e, qne o I
tem duas almas, urna inteileetiTa e ontra sensiti
va. mas sim urna s. a nina racional .. ,-jia UDI
ca alma incorporada carne a anima e a vmfira
formando o bomem natural, o hoo> tu p>rfcj> -
PerfiefmhmO eJWtima rafhnnh Hh-mana rmn*
Slllltifh'l.
Esta inesma doiitrina h-mbrada em tdns os ra
nones dos concilios ecumenko. 1 rMpeHe n y
terio da incarnaeao. K assim que os padres ne
concilio do Epbesio cxpriiniram-se do seguale toa-
do- : Como que segundo S. Paulo partir ipaae*
da carne e do sangtK- I S na porque a alma kn
maca WWH caiHf completou por sua intit
juneco com a inesma carne o ser animado,
nal chumado homcm : Qho modo rmm i
ni comtnunkarimH* Anima humana, rarm wnrta
E' certo que a prostraco e o desalent mani-
festam-se nos federaes, at agora orgulhosos c in-
trataveis; certo que os povos do norte romeeam
a reconhecer a iiiipossibilidade de curvar ao seu
jugo os estados que se siibtraliiram rbita do go-
verno de Washington. Mas, ainda concedendo que
que a poca da paz nao se ache distante, quem po-
de lisongear-se de obter milhes de saccas de al-
godode longa felpa procedentes de Chereston oa
de Mobile, nestes cinco ou seis annos mais che-
gados ?
c Onde estao os negros queso oceupavam nesse
cultivo ? Onde estao os proprietarios e os seus
recursos f De qnantos mezesnao precisarlo para
cicatrisar as ferldas profundas da guerra civrt ?
Sem duvida, a crise do Lancaster nao acaba
com o termo da carnificina anglo-americana. A
paz dar esperanzas ; mas nao disfarcar a larie-
dade. A triste obrigaro em que se viram os Ir-
landezes, depois da fome de 1847, de emigrar di-
urna ilha, que nao podia sustentar os habitantes,
ha- de repetir-se para os operarios de Knningham,
Leeds c Manchester. A Austria com os seus vas-
tos portos, as prosperas plantacoes, os seus gados,
os depsitos aurferos, ha de attrahir milhares de
colonosinglezes, que alise fixaro permanente-
mente. A quadra da virilidade dessa possesso ebe-
gar mais cedo do que se esperava. Os symptomas
da sua independencia j vislveis c positivos, ho
de tornar-se facto consummado muito antes do fim
desse scenlo.
Seja como fr, i- obvio que os operarios do
norte da Inglaterra nao podem viver constante-
mente dos transitorios subsidios, eollegidos pela
pbilantropia; c que no verao longas inijiorUges
de algodao americano, logo que cesse a guerra 01-
vil do outro continente. Os supprimentos da Asia,
da frica e de outras procedencia, cada anno maie
avultados. hao de atlenuar a escaceze proporcionar
emprego a milhares # bragos. Trala-se, porm,
de trezentos mil individuos, em lugar do meio mi- assjm n mao que ficou de bracos cruzados guando as fa-
bricas de tecidos deixaram dc trabalhar j e para
a maior parte -dciles s resta um expediente
to clima, nova patria, novo-modo de rife.'
>r eiro ministro e o commandante militar, lanca-
t aos pea do monarcha supplicando-lhe que
.,' ise to deeejoflo paiz.
c Radama dispunha-se a annuir, quando um dos
parios profonn expreesdeg aneadas e offcn-
0 rei levanta-se irado. Declara formal-
1 te, quealoiseri mantida. Os membrosda
deputaro responden): nesse caso s nos resta pe-
gar nts aagaias para evitar um ataque. A' tarde
Tinanariva encra'8*se de gente armada, dirigindo-se
'. habitacio do primeiro ministro, especie de forte*
I que domina parte da cidade.
e Os cnsules francez e inglez ei 1 prest-nca do
1 I Jico, chamaran os nacionaes [tara as respecti-
t residencias.
1 Todos vieranv excepto os niissnnarios ingie-
res nao .1listados comas occorreneias. Pertode
,.:. ; :il novas omciaes e noteveis celebraram con-
f .: cia ein casa do primeiro ministro. Fizernni
t de proscripcSo de 33 individuos do sequile do
1 exeeptuande o secretario, e os antigos amigos
,' Ramboassalma.
paco alguns sicarios munidos de corda de fio de
rotin. Entrando no aposento de Radama, passa-
ram-lh'a ao peseoeo, estrangulando-o immediata-
mente. Os seus favoritos receberam a morte com
menos ceremonia.
< 13 foram informados os cnsules de que os
rus haviam morrido ; e que Rabodo era rainha de
Madagascar.
s 2 da tarde urna salva de 21 tiro? auntincia-
va asna cxaltaeao ao throno.
Os caudilhos, fazendo depr as armas s tur-
lia-, enderecavam-lhe a seguirte, lacnica e jesui-
tica proclamaco :
O rei, angustiado pela morte dos seus amigos,
suiridou-se. Rasohertna (equivalente de brllti c for-
te) rainha de Madagascar. -
- A chusma, tendo servido de degru aos cons-
piradores, retiren silenciosa. Os proprios algozes
Mmmuao nao se ufanaram da vinganea. l'rocu-
ram-se anda dez proscriptos condemnados i pena
-. tcanilal. Teve lugar a ceremonia do juramento de
dos por largo espago, sem incommodar pessoa al-
eommissoes de 1-ancaster teem Ib. fNXOOO; e pro-
no-
guma. sem pedir novos racrificios aos homens poem-se cobrar mais II.. 30.000. A sema total
abastados, que se promptitiearam cora a mais lou- _a que cima designamos.
vavel emulaco a soccorrer os seus compatriotas 1 1 Pergunta-se: qnanlo dorar a snbscripgao, e
esfimicados. i o que cumpre fazer ? Oecnpando-nos desde j
Consta que quafeula e ele comreissVs filiaos com o segundo quesito, vemos que- o numero de
do condado conseguirn) no mez de junho adiar bracos empregados em diversas offirmas nao tem
oceupacao para urna parte dos soccorridos, e dinih- probabilidad!' de diminuir: e que o invern nao
uuir a cifra dos desembolsos. De 35,362 operarios- prejudiear de.modo algum a tarefa dos que nellas
prestacionados, 25.696 teem agora salario por todo se acham empregados. E certo. p>rm, que as
odia, e 16,801 sement |r espaeo- de alguiuas- (^cupacocs ao ar livro as quintas, nos campos,
horas. Nos outros districlos, em que as comuiis- Uto de deerescer medida que os dias forero en-
scs nao obtiveram emprego ira a grande mama. cortando, e fM o invern alague ou gele o terre-
dos operarios, sempre aeharam meiodc proporcio- no. Nestes termos, s ha a recriar a extenuacao
nar tiabalho durante todoodia a2,W4 pessoas, idos cofres no verao do, auno seguntc, suppondo
que as cousas nao iiiudam do outro lado do Atlan-
A consequencia que naveado em fio*-do tico; e que os Amecieanos nao se fartam de cam-
maio 192,527 operarios, trabalhando regularmen- panha, dematanca, deinnteis esfwgos.
le, em tius de juitlo o numei-o elevuu-se a 23^042;!
e que o numero do que trabalbavam complntV-
niente passou de 12V.741 a 128-OS7.
individuos sem oceupaco alguma. apenas se con
|am na actualidad.- 1H0.72.
f> vitalismo jolgado pela philosophia christia^ on
refutafo da dontriBa medir de Kwtpellier,
pelo P. J. tentara de Ranlica. Tradttiido rom
urna inlrndacrao f olas prie- Dr. Jos Soriano
de Sonza.
C (S. Thomar..)
unan et illad i/aideui per sai adjHnettonem rmlfne
prmlitum animal eompril. Imcnl hmimm. laa-
bo, t. 3* p. 798.)
No capitulo Firmiter do concilio de iatro. set>
o pontificad de Innocencio Ifl. eDCoatra-se ase
guinte senlenca : Desde o principio aos anaao-
eus formn do nada \ duas ordens de i-reatura ; asespilnaes tu rara-
raes, isto os arijos e o mondo, creando deaait o
bomem qne um composto de espirito e de ear
po : Sua omnipotenti- rirtnti. $mml ab mit.vt tem-
poril, utranque de nikilo eoniit eremtmrmm, *ftr>
tnalen et corperalen, anfeiienm rUetket et mmm-
danmn ; ac d'inde knmanam, iptnti ronmwmrm tm
ritn etrorpore. Nao ha portanto no bomem ouire
principio, outro motor docorpo. nutra ato sena>
o espirito ou a alma iniellecliva
Os padres do concilio de Fran.'*a-irt seraai i
seguirte : Nos nao ignoramos qu a nmtmrezn A
mana resulta de
carne. K rom effeit a trra, da qnal a ano 6r>
soberano Artfice formn o rorp.. do bomem. rom
um artificio tao incompri-hen^ivel. e V nm mnd>
tao admiravel. ni animada do sopro de Dea ; e
e o eorp.
sao a ni s e mesmo individuo, o home perfenr
pois. ainda que intimamente uados etmritot o
carne nao deixaiu de ser duas subsigan toa ira
mente diversas : .Yo* ignoramn* ex na*** snk*
tantii humanan) suhmtere nntnram, er anima *
imruia et carne. Er fat* namnne anmala ni
ferra, tain inromprehensiMi arte. mtraMimie mnd-
svtnmi Artipre man configuratn. nt inrrttumr.
pierna nequeat qnaliter nnnm $it rmrma et rm
mw perfertirm effiritnt htmin'm. et lamen iirer*-
sil s"bstantiii sama et ajanVas. t l-*ttt^ i 2* j.
r para revogara
ci .. a inuliiilo armada, soldados, cidados. 68-
cravos, agglemera-se na praea onde existe a resi-
dencia do primeiro ministro. Exaltados "por dis-
m provocadores, espalham-ae em diversas di-
s. a procura dos designados vindicta pu-
,. Antes da noute onze sao apuntalados ou
i i-hados.
inquieto p.da sorte dos favoritos, e pelo as-
, |o tos conjurados, Radama dirige-se para a casa
dc pedra tora da cidade. A propria rainha Babodo,
q ie nunca ali entrara, desfa vez setruiu o sen real
f- .-orte.
. Uomaeam a> emhaixadas. < h delegados popu-
lares apreentam-se ao rei em attitude deferente,
i lido a entrega dos criminosos, asylados nopa-
W Radama responde que os nao entrega. Sete
I lho as maos doschefes bovas: e que chegou a ser
ameaeada com a sorte do marido, se nao acquies-
cesse a tudo o que lhc propuz'esseni.
Publicou-se a nova conslituico. qnal Rabo-
tado jnrou ser fiel. Eis o resumo das principis
disposioOes :
i A rainha nao podeii fuer uso de licores for-
tes.
< o direitu dc vida ou de morte pertence ao cmv
selho. de que S. M. ter a presidencia.
r Contina a abolicjio do tanguin (duelo.-, anlo-
gos ao antigo juizo de Deus): e permitda a li-
li -rdade dos cultos, excepcao da aldea, dc Ambo-
bimanga, onde existe o mausoleo de Kanavalo.
t i\. os consufrs foram apreseutedos ral-
As CODUnissSes de auxilio, dcspeinleram per
l)e"*^r*'' 'on(? espaeo Ib. 9vuU0 mensacs. Hoje s contri-
buem com Ib. 53,000 ; e contando com essa cifra
ha dmlieiro para um anno. Nao deve todava sup-
por-se que seja impossiwl um accrescimo de soc-
A propefeao dos anxilloe detresco na.meso conSte;mas tambem nao i>de admitr-se que
razao. Os membros tas juntas de soccorro aos prJVJB de phitantropia tao vastas, taoesponlancas.
pobres teem boje 131,438 pessoas a aUender; me- ^^^g,^^ de chofre.Mt d'aqni a um anno for
nos 9,4;. do que em Dns de maio. As i 5 Bdispfnsa\.eL ap|1e|tar nutra vez para a boba dos
inglezes. O essencial que nao ha perigo imme-
bres teem boje I5I.43Kpessoas a allender; me- ^p^,.,.,.^ de chofre.i-e d'aqui l
,s 9,45do que em nsde maio. As commissoes Bdisp,nsaveL ap|K;|lai. 0lUra v,7. p;,r
Oltees cortan) com 104.702 operarios desoccupa-
dos; c experimentaran o alhvio de 28,399 pessoas,
que j uao depentleiit delbs.
i Gente qne se bobitoa a viver de prestecSes
por largos inezes nao se da pr.essa cni procurar qjK
lazer. As commissoes tiveram de usar de rigor
paia obligar os leealcitiaillos a acceitar astarofas.
que Ibes eram offerecidas; e a sahireni da casa
para as olllcinas dos paMBas, Durante o. averno I**'1-
as lamentactfs dos t>-ct loes em nao se sentirem A Inte empenhada entre M Americanos do
com vocaco. para outros misteres eram mais tole- Norte tao desastrosa, que ameaca extinguir nao
radas. Nesta quadra, em que nao ha em rigor, bra- saordem'ca civilisacao, como os proprios ha-
eos ociosos. t|iiando existe vontade de trabalhar hitantes do paiz. A assolaeao. os saques, osincen-
nos jardins, nos pomares, nos campos da Inglater- dios, as ruinas, as solidos em que se converteram
ra, os delegados da commissao central apressa- as cidades, as villas, as plantacoes da Virginia, do
diato, que nao ha receio de prximo essiotamento
dos cofi es.
f Resta espaeo para cogitar no porrir, pira des-
cobrir remedio effieaz crise cni que laboran) os
dous condados britanuicos, exclusivamente fabri-
cantes, llavera mndanea para melhor ou para
POLHETIM.
vtiiiiiitiio:
POR
WmmWmOm\
%eiinil;t parle.
I
iConliituacao don.* lOO.y
CAPtTl'LO XI.
Refutase osophisma iki escola
dualista : Qne a doutrimt do du-
jJo dynammmo simplesmente
medica.Demonstrase rom mili-
tas proras, que essa dontrina
simplesmente nina reina heresia
constantemente condemnada pela
egreja.
Tendo precedentemente anniqnillado as objec-
ees apresentedas pelos dnafislas contra a nossa
dtmtrina, devemos agora examinar os sophismas,
e as supposta* autoridades em.que baseam a dou-
trina delles; e assim provaremos aindamis nina
vez. que corno diziam os antigos, a causa, ma perde
mais do que ganba em ser defendida Sanas pa-
trocmfo Wto> ttoia pejor erit.
II |,riou-iro dos rcieridos so|>liimas o que Mr.
PaBboUer, Bel arauo da Mr. Uwat, 0OS am sua
carta aoDr. Sales-Girons, com a simplicidade de
urna creaiiCa, e a Iwa fe de um homem de hBV
i A doutrina do duod\ namismo. diz o citado Pe-
cholier. puramente physiologica. sendo das mais
nnocefllus rto ponto de vista religioso ; pelo que
pode o medico christfio segui-la com toda a segu-
ranea de consciencia, nao tendo.a ideologa nada
com ella. Revista med. marc DKJ8, pan. 2H2.)
Ora. bem; a verdade o contraro do que acaba
de asseverar Peclwlier. A doutrina da phiraiidn-
dedns almas no bomem est em flagrarte opitesicao
com o espirito, e a lettra dos livros santos, com o
ensinc da theologia catholica, nao sendo mais que
ama heresia condemnada mil vezes pela egreja.
Segundo a historia bblica da creacao, o. bomem
composto de nm corno formado do limo da trra.
e dewmrt alma creada pelo sopro de Deus. a assim
como tudo que na Ierra vive elle nao tem mais que
nina alma viva : mnibus ihrntibiii. in qnibusest
mima Men (Gen. I) : ist< nina s alma, ato SO
principio (liinainicu de todo o sen ser. um s prin-
cipio de vida.
O concilio de Vienna formuliKi a nraraara V
Verbo nos seguinles termos : Finnaado-a
perfeita segnranra nos fondamenlos da W
ca. confessaiiK-s ex|iressamenle rom a santa esrej
que o filho nico de Deu< nao se tn \>-rtialeiri-
homem. |KTinanecendo como verdaaViro Deas e
si mesmo. seno lomando a> pnrtn pie roastitoeB.
a nossa nalureza; islo t-, nm rorp' humano pa-
sivcl. e urna alma iniellecliva si atona infarmon verdadeira i r-senciahneaje i
CCipo : Fidei catholicir fundamento frrmtter intne
rendes, aperte rnm saneta ecrlrsia eon/Uemnr aa
amato Dei Filium... parte* n#ntr* natnr.r *
mal imitas [ex- qnibns ipsein se rms Den* erh
tens. rerns humo fieteti humanttm ridetieti C0rpm-
l*rjble et animam intetlecliirim sen alionate-m
,psuiii corpn* ver et perte etaemri*Mer .mfrrmmm
tem, atsitmppisM-. rConc. Ytewn.. t/*4e U V: j.
53. )
foto posto, scgiuvlo l tb-utrina dos .^m-wos fe
rae. mi d.i agraja o Verbo eterno rifo' hcaataa, sr-
nao aorajal tomou nmn alma mtellei tiem m tw
po perfeitamente scmelhames ao m*s<- A aha-
hiunana i pois o espirito, o e>ptrifcr> a ala
Mal lipa intellectiva. nao .Kitra de especie dive
sa. que esta unida au rorpu. s*>ado o prmr>i>
vital desle. e ao atoan lempo < principie do- *
KM da- inlelliiiencia.
As partes qu.- r< itsiitu* ni < homeni aao .-o tre-
nemquatro, |iori das < es|Hriio e a rarae
sendo da iimao interna stdHanciai d*. i tacto-'
racional com a carne, man de qualqner eator-
principioihnaiiMci', qu<- -e(-cm|ioe o hornea.
Tal a doutrina d;. egrej i iK duccmga
to humano. A doutrina -|M
tanto contraria a 10 d i n e>m
ex-
Estevamoa todos reunidos no jardim ; e em
c,. .mo o marquez de Mauvezin, mostrava-se muito
solicito ao p de Marganda, mademoiselle Fanny
d'Astefort deu-me o braco, e noz-se apasseiar co-
t igo, dirigiado-me continuadas perguntas sobre a
ha *ida timemos. final achou meios de fallar a respeilo
d minba prima, e qu^ixou-se de que esta Ihe nao
t tneodia toda a sua confanca.
Tivemos urna pequea desavenca, accrescen-
ir i ella; mas por cousa de tao pouca importancia
nao valeu a pena de trocarmos entre nos al-
cumas palavras um tanto fortes. Creia que^sinto
. riladeiramente essa obstinada resolueao de seu
|,.;c em casa-la com o Sr. de Mauvezin ; pois sei
que ella nao pode ser feliz com elle.
Oh I nao possivel que isto aconteea
ciamei eu. Nao, nao possivel 1
Desejode lodo o corago que assim seja, amo
Wargaridinha como se fosse miuha irma e qoe-
r ria antes v-la casada com o senhor, poi-s ,pslou
( -nvnncida de que a tomara feliz -, nao ver-
tdo t
Affi-mo-lhe que tambem a amo alm de tudo,
r por ella sacrificara gostoso a minha vida.
Se alguem me amase, quereria que fosse as-
*.;n! Porem o Sr. j reflictiu bem no escndalo que
l..oduzir una recusa por parte de Margarida?
0 Sr. Desormes nm excellente homem na appa-
irnca, pon-m quando teima iiareceum homem de
Cerro, nada o dobra : convm nao illudir-se a este
r-sneito.
Tambem eu sou de ferro quando quero.
- Melhor, ternou ella em voi baixa. Porm eu
o que devo faier ? Minha mi e seu tio projecta-
ram casar-me com o Sr. Seu lio isto mesmo Ihe es-
creveu para a frica, e o-senhor aoltou s6b pre-
t \io de motnor me conhecer : nada decidi anda
sobre o fawro, e nem qtter que nelle se falle i
tudo
gn
o s
nha
da-
bos nao me agrada. Demais o que lucrare com
isto 1 A amisade apparente de Marganda, que ja
me-ino nem ludo de mira confia I
Lucrar a minha amisade, urna amisade
franca e dedicada toda a prova.
Sim. a amisade dc um homem como o senhor
ja muito, e eu aceito-a com orgulho .. Pois
bem men amigo, proseguiu ella aperlando-mc a
mao dc um modo um |x>uco convulsivo ; o senhor
tornar a minha missao menos penosa. De hoje
em diantc deve mostrar-se mais solicito para co-
migo : diantc dos outros ser meu amante -, entre
nos ser meu irmo, e fallar-lhe-hei sempre da
nossa querida Margarida. Agrada-lhe assim ?
E j convencionou com minha prima a res-
peilo desta comeda que devemos representar?
Faco esta pergunta porque nao Ihe desejana dar a
menor sombra dc suspeita.
Entao sna prima ainda tem ciumes ^ue
mim ? E bem pueril e bem injusta E nao confia
no senhor 1 ,
Mademoiselle Fanny pronnnciou estas palavras
com tarto ardor, que causou-me susto. O meio
de que ella queria lancar mao para favorecer-nos,
ultrapassava as necessidades do caso, e isto mes-
mo a eu dcmonslrar-lhe, quando nos acharos em
presenta da Sra. d'Astafort, que se approxunara
poeta" en dveu! ana ^S mlTnSo foltao tanta diplomacia,-porem ereio que era sen flto
omm romo eu esner'iva vr*n voluntanainente aquiescer a idea dc fazer-
Roe cava triste : proenreiconhec-lo mais de Ihe acorte em publico, e nao tem gestado da mi-
Doi Lsirtxi uisu |>ivk ><. .. ..... .-:.. nhi me tin'm nnr isso une pvi la eni-nn lrar-se. e,m-
perto. E um pobre homem de urna yaidade tao nha hesitacao, por isso que evita encontrar-se com
sincera nne torna-se inoffensiva. Quasi que obri- migo. .... ,
ga os outTos a admira-lo pelos louvores qne a si & realmente urna idea singular a dessa moca
me ^erarios e prticos; mas no fundo nao mu. por m.m a quem nao ,ern amor' Bto tudo isto
Sna mae, que morreu no anno passado. gosava anda algum pensamerto occul l
de urna renda vitalicia de tres mil francos em vir-1 te setenio o
tude dos serviros que prestava em casa dc meu Meu to receben boje a visita de nm homem de
UsavO Urbano Valen 0,nos VITOS> nari r,',ol'cldo- c boca to0 PIHpna
En qnanto foi viva, Roe passava commoda- que lorna-se ja^ ridicula : no rosto n;ro tem um so
mente mas Picando s, o nosso poeta, com quan- cabello de barba; parece urna mulher yelha. Falla
to clamasse que o padre vive do altar, nao pode apressado, gesticula mirto, nao para n um lugar,
todava viver da sua poesa. Nao possue mais do Vestido de preto coi
ni urna gravata branca velo
muito cedo de Issoudun a pe. a ttulo de paSseio!
E' professor de chimica no collegio de Rourges. e
Pilli-puce examinando com a luneta as maos c o
vestuario da estatua, se sal* qnal a sutHancia de
qne ella formada ?
Nao marmore 1
Quem salte! O Sr. gelogo ou mineralo-
gista ?
Alguma cousa.
Pois olhe, eu entendo de ambas; e digo-lhe
que se isto marmore, um marmore de que nao
tenho ennhecimento ao menos at hoje. \ou ex-
plicar-lh'o; o Sr. ha de comprchender-me porque
parece intelligente. Talvez me tome por maluco,
nao importa L.Se ha trinta annos eu Ihe fauVso
em telcgrapho elctrico, photographa, e mil ou-
tras cousas, zombaria de mim com toda a certeza.
Tornando minha idea fixa, saiha que me oceupo
com es|>ecialidade do melamorphismo._ Chaina-se
lei de metamorphismo a transformacao de urna
materia qualquer causada pelo contacto on visi-
nhanca de outra materia operante. As consequen-
cias do metamorphisme podem intluzir-nos a crer
que urna substancia constantemente modificada
por urna outra. visto como^so infinitas as modifi-
cacoes. Para dar-lhc um exemplo em geologa,
vagarosamente para nao ser presentida
A velha matrona bradou-me em voz alta, atn
de que todos a ouvssem.
Muito bem, Sr. tenerte hei de eonfiar-lhe
outra vez minha filha para que o senhor m'a traga
assim vermelha como urna guija !
\inda que soldado nao pude deixar de corar,
bem como Fannv, desta fatoitlade de sua mae.
Pensando na socidade trivial que rodea Margan-
deixar
ante..
que a pequea casa em que mora em Saint-Aout e
^SrnaTprovincias pourS" crdito goza quem o sennomcnao menos interesante que. si sna, fi-
proprietario de lio diminuto feudo : Roe, impre- gunnha; chama-se Pillepuce, mas so assigna P.1-
vidente, como o sao todos os que cultivam as mu- pus : mais scientideo.
sas, fez algumas dividas : e ei-lo agora ameacado A minha visita a sua casa, meu caro SrDe-
pelo Sr. Chassepain de litar sema sua proprie- sormes, disse elle, tem dous flns: o primen o
ja(le apertar-lhe a mao, pois somos conhecidos velhos -.
O "pobre homem nao saba o que flzesse; c co- o segundo ver essa preciosa estatua e ohypogeu.
mo teve a franqueza de me communicar as snas descoberts em trras do casjello de S. Joao em
penas, dei-lhe o seguinte conselho : virtnde dos seus cuidados o indicacocs, segundo
- Porque nao recorre a-meu tio? O Sr. per- li no jornaL.Ertao sera isto.verdade IHmne com
seguido por dous mil francos : esta somma nada effeito algnma descoberta f Pouco crdito don aos
para elle, e de ceno nao abandonar o irmao col- jornaes, e por isso qmz mesmo ver c tocar para
Pico de sua esposa Ime convencer.
' Nada pe?o ao Sr. Desormes, porque sei que | (onduzimos o Sr. Pillepuce ou Pilpus bblio-
m'o recusara, ou ento atirar-me-hia urna esmola theca, onde; poz-se elle a examinar a estatua por
romo i um nendico todos os lados! A falla de pedestal impressionou- .
C^ Nest cas" m.ni caro, o geito que vejo re- o tanto como a mim. Admiren a perfeicSo dos tre as descobertes modernas a seguinte oceupa um
1 olhos a porto dc pedir permissao para certificar-se dos pnmeiros lugares : um chim.co italiano na-
je vdro. tural dc Florenca, grande genio, i su/nor. Sega-
extraordinario dza elle de vez em to, que morreu ha poucos annos, descobru o meio
estupefacto. Rellissima estatua Ob- de converter em jaspe os vegetaes e os animaes,
. 10S0 | os Srs. nao pensaram ainda em conservando-Ibes as mesmas formas e cores. J
5 da peo- quebrar um podaco para ver de que materia vi laminas polidas, destinadas para mesas ou cha-
orosa bur uti- teita i Nao seria mu... mines, que nao eram mais do qtie composicoes de
v Nem cuide em seni.-lhante cousa, atalhei-o materias orgnicas : vi tambem muitas pecas ana-
ns" senhor muito obrigado, me responden logo. Nao se mutila assim um primor darte co- tomicas admirareis. Todos os mcus esforc.oscon
Um sorrisode comuaixT) itraLi- aa lal-k*
Sr. Desormes. qne reliando-> par^ mim dr-e e,
voz baixa :
CoiUtdo E' um doudo '
Com cffeto, o Sr. Pillepiu.. Irvava una toa*..
sua mana ; o seu raciocinio ato nao faartoava
at certo ponto admiti a pus-ibilMl:dt- de eaeon
trar-se nm modelo das rara- primitiva^ convert!'
no seu todo em silex ou i alcario.
Porm que retara s perguntei-lhe ea. taraa,
Ira o Sr. professor entre o m-taaiorphua a aaV
estatura grega ?
Grega, ou nao... <|uein sal. *< a i aa*-
vi-rdadeira ereatura humana Otee, senaar
urna cousa esta que vale a i*na tle >aber-se
seria urna descoberta inten-ssapll para toda ato-
ero humano...
E o Sr. Pillepuce >lend u a sua ptajan
para a estatua, agarrn aV n um daa
brar-lh'o. Fi-lo recuar ciim nm raov
balado, exclamando
Ai do senhor se arrancar ah o mais
no fragmento !
Eu eslava enrolerisado. O pt ol.-s-oi levaa a
dir-lhe-hei que o marmore, a cal-carbonetada, e o ao braco, e mais branco do que a prnaria
gesto sao calcacios metamorphoseados pelo calor, c
sol a influencia dos gazes, cidos, e vapores sul-
phuricos. Comprehende agora ?
Muito pouco! observou meu tio.
Nao importa, nao importa, replicou o homn-
culo que suava, fallava, e raminhava ao mesmo
tempo com inerivel vivacidade. Tornando mi-
nha idea fixa, saiha que cada fraccao orgnica se
metamorphosea segundo a composicSo do terreno
em que se acha. A madeira, por exemplo, tor-
nar-se-ha jaspe n'ura terreno que j tivesse sido,
ou que anda seja submetlido a intltracoes silico-
sas: um mollusco transformar-se-ha em pyrites
de ferro n'um terreno ferruginoso : urna ossada! (.ersiiciosos attribuiram rogo
passar a ser nm phosphato dc cal pela combina- tata.
can do acido phosphorico com bases salicosas. En-
oi sentar-se na outra extreitadade da
quasi a desnudar.
Apre exrlamou elle. O senhor i
o braco por tal modo que nao son.
Que entorpecimerto! Y. inHipporla\el
dr!...
Pedi-lbe me. desculpa*.s- lamanaa vivaratoi
Atpullo nao passou de algnma raimara, ajar
atacou siibilamenle. pois Tpit alinal de reato ai
Ihe apertei o braco com tanta forra raa<#
di/.ia.
13 de seiembto.
Acaba de dar-se um caso bem ii jato, aa* ea
' "9"" a$ i'""beixe-se disto. Sr. Roe. esqueea-se da pee- quebrar um podaco para
0'sVde. Mauvezin lancou-.ne um olhar visivel-' fia, por ora tratamos smcnteiie proa. Qur uti-; frita?,Nao seria mau...
mente ironicTcomo se me quizesse felicitar pela lisar-sedo mcupre stimoj
mnha a"?,?JTat nof umdoTadoXesde' ell7eom1r^>roso iW a ertender mo um pedaco dc pedra.
passava em outro tempo por um js aorano is ue eu offendido o melindre. Um primor d'arte! i
S^tel^^T"^^6--^^ -easlaofalleiao'em torno a estatua. Esta
mais'a iTn&STS^ e t^^- Sr, Desormesa esse respe.to; mas so obfve a se-.,
Fm anuida come-ou a fallar de poltica com guinte resposta :
Sra 7vS0rt qne legit"mista a seu modo. | Rosala enrheu.se bem em casa do velho V*
sra. QAsiaion, que t. i^iuu fi tenha necessidade df
Pobre estatua ttjdo ilie quertramal! la p
ignorancia, outros por quererrai ser aaaa *
mais. __
Meu to convidou honlem alfamas peaaa par.
virem jamar ao castellu, em ouaan *aa
pedes. Vieram o Sr. de Mauvexto. o tk. 1
o Sr. (Uiassepain, e o Sr. Mimar! i
O Sr. Miguel nao maniaco pcto.i
mo como o Sr. Pillepuce : as J
Ihe tambem andar a rabera a rato, e i ji par
lenco de delerminai- e esperal
'
Sem me dirigir a
suas raz5o3. avancei
gumas observacoes
Cvezirque fazia abundar as ^^J^J^^J^1^^ ^I^Srmr
tambem por minha corta al-, andar Incommodando os outros_
muito simples, e a matrona, I Mo nao I verdade. Rosaba fm
virgem descoberta desse segredo, que baixou ao que' feita a estatua, cora odtor
repetiu elle saltitando tmulo com o seu inventor; e vem-me s vezes a com o auxilio de um frasqnhaaa de
bem certo dc que o idea que, excavando o solo do nosso planeta, tal- nUe iraz sempre com sigo.
l vez encontrasse semelhante segredo, provavelmen- a percepco do seus olhos, per
Entao o que ? te conhecido pelos antigos, ou entao talvez pozesse pitada que esteja, fallo neisa ~
Um resultado scientifico. obra do homem ou a mao n'um ente da nossa especie primitiva, con- j fr
servado por essa lei natural do methamornhismo. |
o que seria urna descoberta muito mais nteres-


e

NSo o comprehendi.
urna criada I Ora fara-m* o favor de dircr. replicn o Sr. sanie anda !
IpRRNAMBUCO. TTP. DR U. F f k ffUK>-
II FfiVFI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8A6FQ0K8_CHO9G0 INGEST_TIME 2013-08-27T23:27:12Z PACKAGE AA00011611_10171
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES