Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05282


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.^_ _
Anno dg I84B;
Sabbado 1.
q ,)! publiea-ta lodo o diiiqm nao loreva aantinoanoi : opn;o di aiatgui'.ura
,-. fes milrs. por quarlal pagos adianiaJoa. Os ano unciendo aaiignantai to iuisridoi
' nsiio Je '-'" *' Por l'n' ** "' em 'ypo HITerenle, e as repeiU-ries pela amelarle Oa
* alo ret iaigaaiit'f paga 80 reja po-1 nlia,160 e lypo differente, .o ctdipublicacuo.
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
.li(,Ka, l'arahjrba.nsundtia aextas fairaa.Rio Grande do Norte, chega a 8 a i i a par
,o lU* 'i-i,Cabo, Sirinuaem, Rio Formulo, Macey, PorloCaWo, Alagoaa: no i. "
.;-; $4 (Ufada mil. Garanliuna, Honilo i ,'j, 21 de cada met >oi-Tla a Flor
t IS 2 Hio. Cidade da Victoria, quintal fairaj. Olin.l todo oa diaa.
DAS da semana.
,Sg s. Vitnliauo. And. do J. de D. da t,
faifa Carillo. Ral. aud. do J. da 1). d d. t.
Quarta IV I o. Aod J. di 1). da i .
<)uint a .Varlin1. Aud dn I. d< II. da 2. r .
Sasta Cyro. d. do J de D da 4. Ta
Sab; s k'nru'i-) Ral. aud. doJ.de D.da 1. r.
I"ji 'unlion.-ao de i\ >>nlicra
27
H
10
31
i
de Fevereiro. Abuo XXI. N. 26.
:U\f
Tud
linu
culi..
uo mgof dapanda da Bol moa; da aoiee pnidancia. odwasii- a *n rjia: ac
etaol t.,- ,. riinoipimoa a HrMM apuntados "ora admira...o .r,tre .: nt ; nal
(Froolatftago. da AaNabUi ''' a**".
aea da
47 000 I7,i00
i>. 4.t00 47.CUO
A, .UUx V.00 fito
I',.,, .-...coa. i.M \m
. Pasos cwluouaiierea 4,9>li 4 W>U
. DiWfMsifl>M i.'0 4.yU
kUta
riMiioa N0 ni, :H ,r. jakkuo,
Ck:oiabra l.i.u'lr,' 28 .\'| i Our -M"da da ,4U0
a a Taris lo res por franco
.islioa f.Opor I0J de ,.,
1...-i. :. iv!.tr ao par.
'a. da latra boaa IraaJ 4 por opi
PHASES DA LA NO UEZ DE PEVEREIRO.
La ora a (i as 5 h a f aia. da I rdu. Lu alai '.''_'a 4 h.-rss a ''7 "ia. da"-
Ciasoanls 44 a lora* e ;n -m % di. i Min,ui:ti 'u ,. J \ |..,r>. ;jf> ain m-
'reamar de ho-e.
V awlr. II IteMI 15 sin da maulija | .Segunda as M huras 0 minutos da urd
EuKemiMar;nHaKe^Hs;:-tf~ivr-^ '"- -~ --- -
_-..^..^^.'-:-tt-^a.-''.-;a-
DIARIO DE
ADVERTENCIA.
No resumo da eleQao de Senadores, publi-
cado no nosso numero do hontem cm ver. de
Garankunt leia-se Goianna e depois de .Se
rinhem lea-se Rio Formoso.
ggRTt oJFFiCIAL,
.RELATOR 10 DAREPARTIfAO DOS NEGOCIOS DO IJI-
l'ERIO, APRESENTADO A* ASSEM HI.KA GF.R.M.
LEGISLATIVA NA i .' SESSAO DA 0." LEGISL \-
TURA, PELO MINISTRO E SECRETARIO DE ESTA
DO DOS NEGOCJOS DO IMPERIO JOS CARLOS PE-
REIRA DEALMEIDA TOlilll.S.
jJistmblat Provinciaes.
Algumas Assembleas provinciaes teem con-
cedido pensoes, e aposentadorias a empregador
publicos provinciaes Submettidas ao exame do
Concelho d'Estadoas respectivas leis, ju!ga el-
le que naquelle procedimento excedem as men -
cionadas Assembleas a rbita de suas atlribui-
roi's, invadindo as dos Poderes Supremos do
Estado. Quanto s pensoes j o Corpo Legis-
lativo tern manifestado a sua opinio, revogan-
do algumas leis provinciaes, que as teem conce-
dido; outro tanto porm nao acontece cerca
das aposentadorias : assim, submettidos ao vos-
so conhecimento os casos deslas ultimas con-
cessoes, o Governo espera quu tomis o objec-
to eir. prompta considerac-So.
Limites provinciaes.
As qucstVs suscitadas entre as autoridades da
provincia de S Paulo, e as da provincia do Rio
de Janeiro acerca das divisas da freguezia do
Barreiro, termo de Are.s, e do Curato de S.
Anna, termo de Resende (que vem a ser divi-
sas de ambas aquellas provincias) tem oceupado
a attenco do Goierno. Para terminar estas
questdes, um Magistrado, acompanbado dn um
Engenbeiro, vai ser incubido de avivar as di-
visas, que iquellesdous termos forao marcadas
na creacao da villa de Resende, em 1801, pe-
la competente autoridade, que entao era o Ou -
vidor da comarca; e de levantar um mappa bem
claro dessas divisas. Existindo pendentes as ro-
presentarles, em que as Cmaras Municipaes,
e os habitantes das villas de Rananal e Arias, pe-
dem ser incorporadas 6 provincia do Rio do Ja-
neiro, alientas as relac/ies commerciaes daquel-
les municipios com esta provincia, e a facilida-
de dos recursos s autoridades superiores della,
circumstancias estas, jiie se nao dao nos men-
cionados municipios a respeito da provincia de
S. Paulo; eoncorrendo al m disto os inconve-
nientes, que resulto a fiscalisaQao da quota do
dizimo, que foi deixado as provincias, deoutra
circunstancia, qual a de seren obrigadas as
tropas, que descem de Resende, Barra Mansa,
o deoutros pontos da provincia do Rio de Ja-
neiro, a attravessar nao pequea porco do ter-
ritorio da provincia de S Paulo, para se diri-
gircm ao litoral mais prximo, que entretanto
fica situado na mesma piovincia do Rio de Ja-
neiro; tem aquella Commisso de lazer ao mes-
mo lempo as convenientes exploraces para o
estabeleciment de novos limites entre as duas
provincias, procurando as melbor s divisas na-
turnes, e as mais permanentes que poder des-
cobrir, e levantando um mappa ver remetter ao Governo com todos os osclaro-
ei men tus precisos para ulterior, e acertada do-
cisSo.
Archivo publico.
Nao pode o Governo deixar do interessar-se
pelo desenvolvimiento dcsta repartico : a ex-
periencia do passado nos deve convencer de que
sem ella Picaremos privados de documentos de
summa importancia para a administraran, mui-
tos dosquaes de cerli se nao encontro nos
archivos das reparticoes, tendo sido ou distra-
hidos dellas por administradores pouco escru-
pulosos, ou abandonados aos estragos do lempo.
Urna Couiinissio dos empregados do archivo
tem-se oceupado em examinar, e relacionar
os documentos, que existem as diversas Se-
cretarias d'Estado, e devem ser recolhidos -
quelle F.stabelecimento; eordensse expediro
aos Presidentes das provincias para remelterem
todos os documentos pertcncentes historia,
queexistlssem disseminados pelos archivos das
reparticoes provinciaus, e mesmo aquelles, que
pertencerem a particulares, entendendo-se os
referidos Presidentes, a respeito dcslcs, cornos
possuidores; masdesta segunda providencia re-
sultado nenhum por ora se tem colhido, ou por
falta de zelo, ou por falta de pessoal, ou para
se pa I liar com o esquecimento a desorden), que
nesto ponto tem reinado A providencia ser re-
novada com energa; ser3o removidas as diffi-
culdades, quando a remocao dellas caiba as
torcas do Governo.
Ponderou-sc no antecedente rotatorio a neces-
sidado de ser oG ivorno habilitado pelo Corpo Le-
gislativo para incumbir a pessoa idnea, dehai-
xo da direccao do nosso Ministro em Lisboa, o
exame, e copia (quando se nao poss8o obter o-
riginacs)dos documentas, que interessao a este
imperio, e existem na Torre do Tombo aquel-
la capital, com especialidade dos tratados com
as potencias eslrangeiras, e das Rulis, Breves,
Rescriptos, Decretos dos Concilios, Leltras A-
postolicas e quaesquer outras Constitulces Ec-
clesiasticas. Este objecto he por sua natureza
digno de ser recommendado vossa sollicitude;
e para vos fozer devidamente apreciar a neces-
sidadedelle, para vos convencer deque se nao
trata de urna Commissao de mera ostentaco,
bastar lemhrar-vos que diariamento se expe-
rimenta deficiencia de esclarccimentos a respei-
to d s DOISOS lmites com os estados confinan-
tes, e que sobre o nosso Direito Cannico pesa
urna obscuridade inconcebivel. A diligencia in-
dicada s deixar de merecer a approvacao da-
quolle, qu<' julgar desnecessario que, em ma-
terias tiio importantes, tendamos conhecimen-
to positivo, e firmado em documentos irrecu-
saveis, daquillo. que he nosso, e daquillo, que
he dos outro- Ninguom sustentar semclhante
opiniao.
Resta-me recommendar vossa consideragao
a sorte dos empregados do archivo Dublico: es-
pero que no futuro ornamento consignis a
quantia de 6:220*000 rs. para aquello eslabe-
lecimento, a fim de que o Governo possa retri-
buir menos mesquinhamente o servico dos di
tos empreados.
[Ccnlinvar-se- ha.)
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DO DA 23 DO PASSADO.
Oficio Ao Provedor de S. Pedro, dizendo,
srvase de franquear o consistorio da respecti-
va igreja para nclle reunir-se o collegio eleito-
ral d'esta cidade no da 26 do corrente fim
d'eleger 1 Senador por esta provincia. Com-
municou-se Cmara Municipal do Recife.
DitoAo Engenbeiro em Chele das Obras
Publicas, autorisando-o mandar demoliro
pedaco de um muro, que anda resta da enli-
ga barreirada estrada de Apipucos
DitoAo Cbefe da Legio da Guarda Na-
cional do Bonito, ordenando, que faca dispen-
sar de todo oservico da mesma Guarda Nacio-
nal ao Carteiro do Correio naquella villa, Jos
Victorino de Vasconcellos. Parlicipou-se aj
Administrador do Correio.
PortaraMomeando a Jos Bento da Cos-
ta para o lugar de Thesoureiro da lotera do
Seminario de que pedirao demisso Manuel
Figueiroa de Faria eJoaoCardoso Ayres de-
signado para o substituir. Cummunicnu-se
ao Exin. e Revm. Bispo Diocesano ao Escri-
o da referida lotera, ao mencionado Figuei-
roa e ao nomeado.
DitaNom.-ando para Tenente-Coronel do
3. batalho da Guarda Nacional de Garanbus
Nicolao Florentino de Albuquerque Maranbao,
e para Major a Joo Irenio Lavalcanti de Albu -
querque Communicou-se ao Cbefe da respec-
tiva legiao.
dem do da 24.
flicioAo Director interino do Arsenal de
Guerra, ordenando, que laca receber como e-
ducandosd'aquelle Arsenal, o dedicar aos off
'ios, para que mais propensos se mostraren),os
trez orphSos, queacahio de sabir do respecti-
vo oollegio, elbevao ser apresentados; o bem
assim, que mando entregar a pessoa que os a-
companlia para serem restituidos ao mesmo
collegio, os uniformes finos, que levaoCom-
municou-se ao Director do collegio dos or-
pblog.
DitoAo Engenbeiro cm Chele das Obras
Publicas, dizendo em resposla ao seu oflicio de
22d'este mez. que DQ pode autorisar a com-
pra da colleccao de leis que all pede para o
uso da sua repartico por isso quo nao ha
quota para tal despeza ; eque, quando liver
necessidade de consultar as leis e ordens que
di/em respeito aos terrenos dsMarinba.deve vir
azel-o na Secretaria da Presidencia onde I he
scrao ellas franqueadas.
fommando das Armas.
Quarlel Central na cidade do fecife 29
de Janeiro de 1845.
ordem do da n 14.
De ordem de sua Ex o Sr. General Com-
mandante das Armas publica-se o officio.abaixo
transcripto do Illm. e Exm. Sr. Presidente
desto provincia datado de hontem. Illm. o
Exm. Sr.Tendo Sua Mageslade O Imperador,
pi r aviso de 8 do corrente mandado d< clarar,
que, por nao ser conveniente prover definiti-
vamente o* lugares de Capellaes de fortalezas ,
nao era admissivel a pretcnco do Padre Chris-
tinao de Hollanda Cavalcanti de ser confir-
mado no lugar de Carellao da fortaleza do
Briun ; podendo todava continuar nesle exer-
cico ero quanto t onvier a bem do servieo ; as
sim o participo a V. Ex. para sua inlelligen
ca e dir tao e para fazer constar ao pro
tendente. Dos guarde a V. Ex. Palacio de
Pernnmhuco 28 de Janeiro de 1845. Thomaz
Xavier Garca de dirruida. Illm. e Exm.
Sr. Brigadeiro Antonio Correia ira Com-
mandante das Armas Josii da S'lra Guima-
roes Ajudante d'Ordens.
Quarlel General na cidade do fecife 30
de Janeiro de 1845.
ORDEM DO DA N. 15.
Do ordem de S. Ex. o Sr. General Com-
inandante das Armas publica-se o cilicio que
abaixoseg'ie do Illm. e Exm. Sr. Sr. Pre-
sidente dcsta provincia datado de 28 do crlen-
lo.Illm. o Exm. Sr. Determinando Sua Ma-
gestade 0 Imperador por aviso de 11 de Ja-
neiro corrente que o boticario Jos da Rocha
Paranbos seja preferido no fornecimento dos
remedios para o hospital Regimontal dcsta pro-
vincia rom as condices quo se compromet-
iera na sua proposta contando-se o lempo do
dia em quecomecara fornecer ; assim o par-
tecipo a V. Ex. para sua ntelligencia e a fim
de darexecucao a esta Imperial Detcrrninac.ao ,
mandando entregar o fornecimento ao mencio-
nado boticario.D'os guarde a V. Ex. Pala-
cio de Perruno buco 28 de Janeiro do 1845.
Thomaz Xavier Garda de jilmtida.Illm. e
Exm Sr. Brigadairo Antonio Correia Sira
Cornmandante das Armas Em consequencia
do que determina aviso Imperial a que
se refere o sobredito ofTicio que fica trans-
cripto nesta ordem o boticario o Sr. Jos da
Rocha Paranhos fornecer do 1.'do prxi-
mo luturo mez a vante remedios para o Hos-
pital Regimental.Jos da Silva Guimaraes,
Ajudante d'Ordens.
Vande Vmc castigar com cincoenta panca-
das de espada de prancha, ao soldado do 2.* Ba-
talho de Arlilharia a p Luiz Jos Teixeira pe-
la sua mi'i conduta e falta de respeito em acto do
servieo ao cabo de esquadra Malbeus Jos d s
Santos. D. os guarde a Vmc. (Quarlel Gene-
ral na Cidade do ReciT 31 de Janeiro de
1845. Antonio Correia Seara. Sr. Ma-
noel Lopes Maciel I.' Pnente Quartel-mestre
do ->.u l'.atalhao d'Artilharia a p
EXTElOf?.
DESASTRES NA ILIIA DE CIRA.
O eoraclo se parle de dor lerido a grande
enumerarlo de desastres causados pelo furacao
que aeoutou a ilba de Cuba e especialmente a
Havana os dias i e 5 do me/ passado. Q
Diario d'i Marinha n'um supplemenlo do
dia 10 de Outubro.daumadeia daquella t-rrivel
ralamidadc n'um artigo do qunl extrahmos o
seguinle :
Os nossos olhos no teem bastantes lagri-
mas para chorar tamarilla desventura. Nfio bw-
lou para applncar a colera do to a espantosa
s'cca que, n:is primeiros me/es deste anno
a;iago esterelisou seus fecundos campos fez
perecer eentanares de eabecas de gado que se
apascentavao com suas hervas, e privou do ne-
cessario alimento militares de nielres que ou
(erio perecido na miseria ou arrastario una
vida desgraea la e clieia de privaeoes. Nao
baslou a conspiradlo horrivel felizmente des-
coberta e con primida porm que espalbou o
terror c espanto em todos os sem habitantes ,
olieron as sues relaces mcrcantis e diminuid
os bracos, que linhiode explorar a riqueza
| que encerra o seu frtil slo. Era necossario
que o furacao mais espantoso queso tem vis-
to viessopor fim coroar tantas desgracas.
Que quadro tao horrivel offerecia o aspec-
to desta cidade no dia para sempre memora-
vel de 5 de Outubro Casas arruinadas cu
' jos linli tantes se r.'fugiarSo espavoridos en) ou-
tras, que por sua construccao mais solida.
rcistirfio tempestado; ras obstruidas, como
se fosse depois de urna batalha com lelhas.
vdracas pelas, e al prendas de chumbo ,
que a forca do vento tinha arrancado ; arvores,
cujos ramos quebrados e espaldeos conver-
tido o terreno n'um bosque podado pela mao
do racbador Porm onde nao se poda che-
gar sem que o coraro so comprimisse sem
que os olhos derramassem at i ultima lagrima,
era ao molhe. Quo espectculo tao destrui-
' dor! De um lado navi s feitos em pequeos
pedacos, e a sua carga fluctuando merce das
ondas; de outro o pao da machina nao etilo ,
depois de ter arruinado na sua queda al aos
alicerces a casa quo eslava fronteira ; mais
alm um montan de ruinas entre as quaes se
via o p de um cadver que com outros quo
talvcz estavao orcultos se ochava sepultado
sob as ruinas !...
Apartemos a nossa vista deste espantoso
quadro e nao recordemos tantos inlortunios ,
senao para procurar o remedio ou o allivio ao
menos, dos que teem sido victimas de lamanha
desgraea
.se;:uinlo as cartas que temos visto da Hava-
na nao ha neste quadro a menor exagerarlo.
Os pormenores desta calamidade sao apresen-
tados sob um aspecto mais trisle e doloroso.
Anda se naosabe os navios que teem naufra-
gado ou soflrido grandes estragos as agoas da
Havana iMatanzos o nos cachopos das costas
do Cuba. As desgracas no invern de 1842
as costas de Inglaterra o do norte da Franca ,
nao se pdem comparar nern em numero nem
em gravidado com as que tivero lugar na
ilha de Cuba.
Dentro do porto da Havana formSo innume-
ravois os estragos. Varias caitas fa/em mon-
tar a oilenta o numero de navios que forao a
pique no porto sem contar os que U m enea -
hado e os que sem ir costa soflrerao
grandes dainos.
A cerca dos navios de guerra Hespanhoes,
| que bavia no porto di/, o seguinte o referido
peridico:
Aomcio dia de 4 comecou o vento a refres-
car pelo primeiro quadrante e augmentando
successivamente a sua forca se l- erao pela vi-
ga do Cummamlo General os signaes compe-
tentes para que os navios da esquadra arreas
sem mastaros e vergas e augmentassem o
numero de ancoras e amarras que julgassem
j conveniente segundo as circumstancias particu-


3
Jares de cada um. As cinco horas da tarde o
barmetro de Farenheit marcava de 29 a 30
gros e o tcrnpo se doclarou eni furacio pelo
N. E. e L. com urna impetuosidade desco-
nhecida at dos mais velhos : durante a noute
foi terrivel pela sua tonacidade o forcea sem ees
sarde chover com abundancia. Ao amanhe-
cer quando a la passava por este meridiano,
esteve o temporal no seu maior auge ; o hori-
sontc estava inteiramente cerrado e nada se
va a pequea distancia As oito horas da ma-
nSiaa de 5 liaixou o barmetro a 28 e 43 cen-
tesimos; e foi esta a sua maior descida. As
novo horas subi 3 centesimos eindicouque
continuara a subir ; a esta hora tnudou o ven-
to para N. E., e depois para N. e N. O., on-
de se fiou cadendo de forca e limpando o ho-
risonte em termos de se poder ver claramente o
porto e a costa de Casa-Branca, eobserva-
rem-se os horrores deste terrivcl temporal. Ao
meio dia de 5 continuava o lempo limpo.o vento
era do N. O muito rijo e de larde scalmou a
sua forca e aclarou completamente o horisonte.
Os navios de guerra da estacan hespanho-
la qu. erao as trgalas Itabel II. e Corles, os
vapores Cong etso e Razan ; os brigues Labor
de e 1 rovalo ; as goletas Infanta Transporte
e Ltgeira; e a canhoneira Marte soffrrao con -
sideraveis damnns.
O Palacio do Govemador soffreo alguma
cousa particularmente nasvidracas o a hu-
le do seu tclegrapho se quebrou o veio ao
chao.
Posto que haja alguns individuos feridos
e contusos, felizmente nao morreo, nem se alo-
gou nenhum dos pertencenles aos navios de
guerra depois de lo longo e terrivel tem-
poral.
a O brigue Cubano, que tinha sahido de Ha-
vana no dia 4 comboiando o correio da empreza
at bocea do canal soffreo o furor do tem-
poral, e depois do ter tido grandes dainos, en-
calhou pelas 2 horas da tarde do da 6. nos ca-
cbopos de Bacuranas. O si-u Commandante D.
Ramn Armero salvou-se ainda que com al
gumas contusoes como tainbem toda a sua of-
licialidade e individuos do dito navio a excep-
co de um soldado que se alogou.
O brigue mercante hespanbol Aviso que
tinha sabido para Barcelona no mesmo dia, que
o Cubano cncalhou na madrugada de 6, na
praia de Chivos, a urna milha do Morro e pe-
recro o seu Capitao, tripularan e passageiros,
excepeo do Contra -mestre 2 marinheiros ,
2 soldaos coni licer.ca e I corneta de Arli-
liiaria.
l-'oi tal o furor do furacio diz o Diario da
Alarinha na noute de A para 5 quoderribou
todas as arvores do passeio de Izahel II. ; lan-
cou por trra o fez em pedamos a guarita do
sentinella a cavallo derribou o gradeamento
de madeira do deposito do caminho de ferro ,
levanti u grande numero de pranchas de cobre ,
que cobrio o telhado do theatro de Tacn ,
abrindo um grande rombo e cm fim que-
brou todos os vidros que havia no helio bole-
quim do Sr. Escaoriza. O bairro de So Lza-
ro foi indubitavelmente o que mais soflreo.
a O cerro padeceo muito, o a ponte de Mor-
dazo (con em parte destruida. Em Casa-Bran-
ca lambein se soffreo muito por causa do tem-
poral e alguns dos navios e lanchas, que se
achavo prximos aos caes livero grandes
damnos.
Para dar urna ideia do horroroso tmpora!.
que fez basta dizer que as ondas, que hatiao
no morro saltavio (.inda honlcm (9) i 3 ho-
ras da tarde por cima do pao da bandeira, e vi-
nhao cahir em parte do porto ; ou como nu-
vens ultrapassavio o cerro, que ha entre Caba-
na e o Morro e iio cahir na pequea ra de
Chivos junto Labia. Isto o vimos nos do
CJuartel do Capilo do porto.
As autoridades da (lavara tomarlo varias
providencias em fovor do Commcrcio e dos ha-
bitantes em {eral que todos tem soffrido mais,
ou menos damno naquella desastrosa calamida-
de. O Exm. Sr. onnel! percorreo a cavallo
a cidade na tarde do dia 5 para se informar
ocularmente dos estragos causados pela lempes-
tade; e tanto aquella autoridade, como o Exm.
Sr. Superintendente de Fazenda tem rivalisado
em actividade e acert i as providencias que
tem tomado para fazer menos sensiveis os ef-
feitos do novo c terrivel flsgello com que a
Providencia tem querido castigar esta bella ilha.
O nosso correspondente da llavona nos
diz que se salvou a tripulaciu da f> gata fran
ceza Arago que navegando de Campeche para
o Havre entrou de arribada na Havana fa-
zendo muita agoa. O casco do navio e a carre-
gacio venderio-se por 3,655 pesos.
Muita* pessoas o casas deCommercio tem
subscrevido para soccorrer as infelizes victimas
deste Jesastre com 500 e 1,000 pezos cada
urna
(Correio do Ultramar.)
(Diario do Governo.)
HESPANHA.
Si. MM. e A. permaneciio em Madrid, e
gosuvio-do boa sade.
Por par)iclpacao official do Capitio General
do Aragao se sabia terem sido apprehondidos no
valle de Ans sele individuos pertencentes re-
volt i que all ltimamente rebentou, e quean-
da vio errantes, os quaes forio indultados, se-
gundo as ordens do S. M. Tainbem tinha sido
apprehendido o Sargento Labaruz, autor dos as-
sassinios dos Otlkiaes que torio sacrieados a
18 de Novembro naquelles valles, e que trata-
va deorganisar urna faccao, o qual,tentando fu-
gir depois de estar preso, foi morto com um ti-
ro de pistola que Iho deo o Commandante da
escolta que o conduzia.
O Governo tinha mandado que em todas as
escolas do reinse seguisse a orthographia da
Real Academia bespanhola.o s se ensinasse pelo
seu compendio, ltimamente publicado, e in-
titulado Promptuariode Orthographia.
Segundo participadlo recebida na Secretaria
do Ultramar, tinha naufragado as costas da
Catalunbl o Bergantim Spray, salvando-se a
Iripolacio e varios ohjectos
as (..amaras nao tinhao havido sesses, mas
a commissio mixta reunida no Senado tinba ap-
provado a autorisacao para que se organisasse o
Concelho d'Estado, e propfiz que esta autorisa-
ca >se estenda formaeio de um concelho su-
perior administrativo.
A < ommissao encarregada do dar o seu pare-
cer sobre o projecto da dotaco do culto e cle-
ro, Irnhalhava com grande assiduidade. Entre-
tanto diz-se, que as opinies dos mombros del-
la se teem dividido sobro o modo de a levar
execucio.
As noticias de Valhadolid annunciio terem
passado por all Mr. Cormenin o Garnier Pa-
gos, o haverem visitado com t 'do o cuidado a
universidade e todas as escolas da cidade; ma-
nifestando cstarcm muito satisfeitos c.im o es-
tado da instruccao publica na Hespanha.
A Cazela de Madrid publica urna carta de
Liego, na qual so annuncia a chegada aquella
cidade do General Linhagem, com o fim, se-
cundo dizcm, de comprar espingardas.
Por noticias de Perpignam, constava ler-se
dcscoberto n urna cova da montanha Pingi C-
rate, um deposito de 45 espingardas e varias
municoes, destinadas, segundo se infere, aos
revolucionarios da Catalunha.
Em Cadi/ correrlo rumores deque o Gene-
ral Prim tinha fgido, o at so disso que a es-
colta cue o conduzia fugira com elle para a
fronteira de Portugal. Entretanto ninguem da-
va crdito a semelhantes rumores.
Parece que o General Oribe vira dequartel
para Madrid logo que termine o processo que se
he esta instaurando, em conseqnencia dos a-
contecimentos de Mogronbo.
Continuava a gozar-so de completa tranquil-
lidade em todas as provincias d'Hespanha.
(dem )
O congresso dos Deputadus orcopou-se nos
ltimos dous dias da consolidarlo da divida
fluctuantecom o juro de tres por corito. Esta
queslo havia p'oduzido vivos debates, mas o
Ministerio esperata obter a approvaro da me-
dida, que adoptou sobre esle negocio.
Tinhao-se renovado as reunios particulares
dos Deputados para se tratar do projecto doGo-
verno relativo dotaco do clero. Esta questao
torna-se cada dia mais complicada, porque os
beneficiados leigos pretenden) tambem ser con-
templados na dotagio, allegando os direitos
que tinhao aos dizimos, hoje extinctos.
(i Sr Donoso Corts, Secretario particular
de I). Isabel II, pedio a sua demissao daquelle
cargo; mas nao Ihe foi concedida; aquelle ca-
valheiro parece que se resolveo a continuar no
exercicio das suas funcces; porque fizero-se
desapparecer os motivos, que parece, o iiaviao
nbrigado a abandonar o lugar, que oceupa jun-
to a Bainha.
Ern consequencia da falta de seguranca pes-
soal, que se observa no Aragao, o Capitao Ge-
neral permitlio, que fossem restituidas com
certas reslrici/es as armas, que tinhao sido ti-
radas aos paisanos habitantes dos campos.
Pelas noticias recebidas de Huesca consta,
que as potoarcs de Hecho e Ans eslo na
maior conslernagio. em consequencia das exe-
cucOes, que em ambas tiverao lugar: 16 in-
dividuos, pela maior parle chefes de familia e
carregados de filhos forio fusilados ; e cento e
cincoenta famiiias se achao condemnadas a
mais lamentavel orfandade; porque seus pais
forao ohrigados a procurar asylo no estrangeiro,
para evitar a sorle de seus companheiros. Pa-
rece que os fulisamentos ainda continuariio
naquella provincia se o General nao tivesse
recebido ordem pesitiva para terminar com
elle?.
as outras provincias reinava socego ; mas
as medidas de rigor adoptadas pela insurreico
de llueca continuavoa opprirnir os seus ha-
bitantes. -----------------
O Senado j tinha approvado na sua genera-
lldade o projecto da reforma da constitufcSo e
discuta o mesmo projecto por artigos tendo
tambem approvado os primeiros, depois de
pequea dfxcusso.
O Congresso dos Deputados oceupava-se da
questao relativa consolidado da divida fluc-
tuanto.
Na sessio do dia 21 foi lido naquella cmara
o parecer da respectiva commisso sobre o pro-
jecto do Governo para a dotaco do culto e clero;
com aquelle parecer forao lidos tambem tres
projectos para o mesmo fim mas propondo
diversos meios de satisfazera dotacio.
O Presidente do Congresso vista daquellas
pecas propoz Cmara so os projjctos pre-
sentados pelos Deputados, deviao ser conside-
rados como emmendas ou additamento ao pro-
jecto primittivo. Esta mocao susfitou um vivo
debate, que mais acalorado se tornou depois
de algumas expressoes menos parlamentares ,
que proferio o Ministro da Fasenda o qual foi
obrigado a retiral-as, para dar urna satisfaco
assembla.
O Governo, sempre receioso do seu futuro,
ordenou, quo os Generaos Rodil e Capaz so apre-
senlassem n'um praso determinado para darem
urna conla exacta de sua conducta sob pona de
flearem privados de suas patentes.
A Rainha de Hespanha acaba de condecorar
Mr. deGirardin ; director do jornal Presse de
Pariz com a Cruz de Carlos III, e o Globo dan-
do esta noticia diz que este signal de benevo-
lencia de Izabel 11 era muito necessarlo, por-
que convinha mostrar que aquelle jornal, se
tinha defendido o poder dominante em Hespa-
nha nao era com miras de inleresse.
Pelas noticias recebidas de Valencia consta-
va que tinhao sido presos em Bequena dous
Oflii-iaes do exercito, o Commandante Paumer,
i- o Capilo Colubi como conspiradores; pare-
caqueas autoridades, para justificaren) seus
procedimentos, pretendem que nos papis dos
apprehendidos se achro varios planos revo-
lucionarios Espera-se por isso que se pro-
ceda a muifas prisoes na provincia de Valencia,
e na maior parto das povoa(des reinava bastan-
te conslernacao porque sous principaes ha-
bitantes receiavao ser perseguidos.
______ (Rovolucao de Setembro.
PERNAMBUCO.
CORREIO.
CORRESPONDENCIV DA CIDADK B PROVINCIA.
O Adamastorda praia.com um cario more
no,denles amarellose olhos cor delogo.metteo-
se a rabiscar no Diario novoc tem dado
costos. Bem haja quem tanto nos diverte !
Este rabiscador foi guabir e desertando do
partido, que muito ganhou com a retirada, lan-
cou-se na praiasuppondo que alliacharia melho-
re&papinhat.e nao suppoz mal; porque.se Vil-
lela foi Deputado por tolerSo ningurm mais
do que elle tinba jus tambem a ahuecar um as-
iento ainda que fosse na provincial : como po
rm Ihe falhasseo calculo, e losse de jocinhos
com maromha e tudo,contina a gritar eadizer
desparates at que Ihe chegue por servidos taes
a deputacao. O rapazola no be tolo de todo;
elle procura a verdadoira estrada ( boje em mn
hora o dizemos) por onde muita gente tem che-
gado a ser ou parecer que he alguma cousa e
culfio sendo cerlo que quem tido temvergonha
todo mundo he seu, deixemos ir o rapaz atraz
dos marilafedes : sua alma sua palma.
Os marilaledes, esses saltirobancos e gru-
tescos polticos teem cara para tudo : nao ha
indignidade, nao ha villeza que nao pratiquem
a troco do interesse ainda que pequeo seja !
EHcs defendern Pedro Chaves quando no
poder: o Oueixio disse em publico que elle po-
da recrutar Hachareis, e o Villela hojo o abo-
canha por isso. Ora entendi laes tartufos !
Adulro Marcellino de Biito.und.irao (5,000)
gritando por essas ras o beccos, puzerao lu
minaras; e porque nao condescendeo com as
palifarias que os parlamentares Ihe indicavao,
Ihe pediao, e exigio; ja Brito he este, he a-
quelle e nao prestou, e nem presta Fura ma-
rilafedes / Adularao o Bario em quanto tinha
como Presidente, que Ihes dar, ou obter para
el le no Governo; cahio o Governo, cabio o Ba-
rSo agora denle e dentada que cria bxo Fura
praieirosl (guando cahir o actual Geverno ,
que no ha de durar sempre, eis os maritafe-
des com elle! Tsto he que ha de ser descom-
postura Ja muilos esli a mira e com a des-
compostura escripia para o I), -novo imprimir !
E que me dizem ao da Itabeea.
COMARCA D.V BOA-VISTA.
Jos Alexandre Correia de Meneies. presbte-
ro secular Vigario colado da freguezia de
V. 5. d'/4ssumpco, por S. M. 1 e C. o
S-nhor D. Pedro II., que Dos gurdele.
Certifico que o cidado Alexandre Gomes de
S, Juiz de Pazeleito por esta freguezia a 7 do
Setembro prximo passado para o futuro anno
de 1845 foi quem prezidio a mesa, quando pa-
ra a eleicio de Deputados se reunirio neste rol-
lego os Eleilorcs do Ex e Salgueiro, deixan-
do de presidir o actual Juiz de Paz Francisco
Gomes de S Batinga, por exigencia official da-
quelle futuro Juiz do Paz para elle e nao o
actual presidir a mesa a cujas instancias,se o ac-
tual Juiz de Paz nao annuisse certamente Iiaviao
perdas de vida visto o animo desordeiro de mui-
los Eleitores da freguezia do Ex, o que afir-
mo por 8mor da verdado e om f de Parodio,
20 de Dezembro de 18-14. Jos Alexandre
Carneiro de Menezes, Vigario d'Assumpca*.
Atiesto, que achando-me na povoacio do
Ex em casa de Fre Joio do Lado de
Ghristo, que servia de Vigario, nos dias 7 e
22 de Dezembro do andante anno prezenciei
eleger-se no dia 7 4 Juizes de Paz, Simio Ge-*
raido de Carvalho; Antono Geraldo deCarva-
Ito ; Manoel Florencio de Alencar e Lourenco
de Araujo Chaves, e fazer-se a eleicio de Ve-
readores, ohtendo ceda um cento e poucos vo-
tos, cujas eleicdes forio, passadoi dias feitaa
as escondidas, isto be as actas por concelho
do Sr. Dr Arruda, segundo me disse o Reve-
rendo Fr. Joio ficando os Vereadores com
setecentos o Irez votos, e os Juizes de Paz re-
dondos a dous, o mesmo se praticou com a
de Eleitores que se tinha feito no dia 22 de
^elembro que sendo vinte poslo que o men-
cionado Ir. Joao dissesso que a freguezia nao
podia podia daf mais do que seto Etaitore, pas-
sou a quarenta. Devo declarar ainda que nao
h oiivc Junta quulilicado'a na sobredita Iregue-
zia, por que uro tinha Subdelegado, nem al-
gum Supplente de Juiz de Paz. que podesse
la/.er parte da junta uns porque csta-
vao pronun ciades e oulros por que moravao
lora da freguezir. O que tudo afirmo e jurarei
passando esta por me ser pedida. Roa-vista, 30
de Outubro de 1844.
Franeiwo Mathias Pereira Dinit.
llAlilO LIE PKhWAlBUCO.
Ti vemos mais alguns nmeros do Diario do
Governo de lisboa, que alcanco a 31 de De-
zembro ultimo, e dos quaes somente colhemos
o que se segu, em additamento as noticias do
Poitugal j publicadas. >
Por decreto de 19 referendado por todos
os Ministros determinou S. M. a Rainha que
apenas se verificasse e em quanto durasso o
seu impedimento por occasiio do seu prximo
parto, fossem rubricados de Chancella na pre-
zencade El-Re, Seu Augusto Esposo, e com
assistencia do Ministerio todos os diplomas,
cuja expedigio dependesse da Sua Real Assig-
natura.
Em dala de 28 se expedirio portaras a to-
dos os Prelados do Beino ordenando, que ha-
vendo S. M. completado o oilavo mez da sua
gravidez, se fizessem em todas as Parocbias e
igrejas preces pro felici partu; as quaes deviao
comecar no dia 15 de Janeiro prximo pas-
sado.
Por cartas regias datadas a 26 forio nomco-
dos Pareres do Reino osSrs.:
Antonto Bernardo da Costa Cabra!.
Jos Joaquim Gomes de Castro.
Conde do Sabugal.
D. Manoel de Portugal e Catiro.
D. Carlos Vlatcarenhas.
Bardo da Vargem da Ordem.
Jos Pimentel Freir.
Francisco Caldeira LeitSo.
A s" foi has de Hespanha recebidas em Lisboa
chegavao a 2-1 de Dezembro ; mas nio conti-
nhiio noticias importantes continuando a reinar
a tranquillidade em todas as provincias.
Summum jus, summa injuria.
As ideias que tenho de ordem e respeilo
lei nao me consentem approvar o collegio do
Cabo. He mais que provado pelos documentos
que u commissio leve a vista que nio existia li-
berdade alguma na eleicio parochial elesse col-
legio. Um Subdelegado de dislricto albeio le-
voudo conquista o dislricto da villa do Cabo ;
pz rondas entrou armado incutio terror ,
e obrigou a votai-se em pessoas por elle desig-
nadas. Mas disse o nobre Deputado que nao
acha prova para isso. Que mais prova carece
do quo os ofBcios da autoridade a correspon-
dencia do Delegado do dislricto invad.rJo do
Chole de Polica do Presidente que, apezar
do amigo do partido vencido reconheceo a
existencia da desordem, e procurou re ao depois i1 Mas disse o nobre Deputado, que
o Subdelegado e o Chefe de Polica erio do par-
tido conlrario. Eu nio creio que bomens p-
blicos apezar de pertencerem a oulro partido,
faltem a f ; nio sei como negar-lhe a confi-
anca que a lei Ibes ministra. Eu nio sou gran-
de amigo da Polica ; nio fui eu quem fiz essas
celebres leis antes me oppu' quanlo pude ;
mas em quanto cxislem devo obedccl-as
O trecho do discurso doSr. Antonio Carlos ,
quo cima transcrevemos nao pode pasar inc-
lume. A indignacao de que se tomarao os Per-
nambucanos amigos da ordem ao verem, que a
commissio de que foi relator o Sr. Antonio


1. ^L
Cario tete o despejo de annullar o collegio do
Cabo sob o pretexto de falta de liberdade na
eloico depois de ter approvado o do Ex nos
desculpa a arrogancia de analisarmos a argu-
mentado de um homem, que est muito cima
de nos e que al presume estar cima de to-
dos. Nosso attrevimento escusa-se tambem na
persuasSo em que estamos, de que o Sr. Anto-
nio Carlos tendo declarado nao ser coherente
em eus arbitrios admiti contradiccao. As
ideias, que o Sr. Antonio Carlos tem de ordom
o obrigSo a acreditar na parta do Subdelegado ,
c do Chefe de Polica contra a oleicSo do Cabo,
porque salis policiaes, contra as quaes elle vo-
tou devem ser obedecidas, e do toda a t es-
tes ti w pregad os na tmleria sugei a.
Sentimos dizer queo Sr. Andrada Macha-
do est engaado. As leis nao dio ingerencia
algunia ao Chefe de Policia nem ao Delegado
as eloices; o Ministerio de 2 de Fevereiro, foi
que deo ao Sr. Antpnio Aflonso, e aos mais De-
legados de sua poltica de conciliario o com-
mando e a inspeceo das urnas. Zombamos
do Subdelegado do Cabo, quando elle deo parte
ao Chele de Policia de no irem asou geitoas
eleicGes, e mal sabamos que este desparate t-
nha de ser autorisado peloSenhor Andrada Ma-
chado.
As mesmas instrueces de 4 do Maio que
baxaro smente para a eleigo de 1842, e f-
rao prorogadas pelo Ministerio actual que as
amaldicoava nao do Policia a menor inge-
rencia na eleiQflo depois de linda a qualifica-
cao. O Subdelogado que he o nico agente!
de Policia, que intervem naeleigo, finda a sua
misso, logo que se concluem os trebalhos da
Junta qualificadora. Como pois o Sr. Antonio
Carlos argumenta, que as leis o constrangem a
crr as partes do Chele e mais agentes de Poli-
cia acerca de eleieoes, embora essas leis passas-
sem por elle impugnadas ?
A parte do Chele de Policia e do Subdele-
gado Paes Brrelo tem tanta Torca, como a de-
le/a do Subdelegado Joa do Reg ; accrescen-
doqueadeleza he crida em falta de provas da
parte da aecusaco almdoque pela validade
da eleico estava a presumpeo da lei, achando-
se as actas regulares.
A parte do Chefe de Polica quando este nao
fosse um dos cbef-is do partido contrario valia
tanto, como a parte de um Chofi: de Legio da
Guarda Nacional. Ora o Sr Granja Chefe uV
Legio da Boa-vista deo parte das violencias do
Delegado do collegio de Cabrob e posto que
o Sr. Granja Severo Granja partidario do Delegado eda
praia nao foi sua psrlicipacao attendida e
passou como valido o collegio de Cabrob; por-
que all venceo a chapa do Ministerio.
Somos a vista disto autorisados a concluir ,
que a lgica do Sr. Andrada Machado claudi-
cou na applicaco que fez das leis sobre elei-
< oes ao Chefe de Policia e seus Delegados c
que nao menos falhou essa justica, ge a 71 annos quando aceitando a parte do
Chefe de Policia, candidato, e chefe de partido,
regeilou a do honrado Coronel Granja que
nada ambiciona nem espera do Governo.
Nao acensamos o Sr. Antonio Carlos por di-
zer, que o Delegado do Cabo tambem deo par-
te de terero hido violentados os votos no Cabo ;
foi isso equivoco, pois sabemos, que apenas por
intermedio do Delegado na formo do Regula
ment dirigi o Sr. Subdelegado l.uli as suas
queixas despeilosas ao Chefe de Policia. He
verdade, que se altendermos as affeicoes do ho-
mem desculparemos de ludo ao Sr. Antonio
Carlos fascinado pela promessa de votos da
praia para Senador.
BF-jT. -... Ib
godSo 309 lceos farllos 4 harris hoUxi-
nbas 1 dito sabfio 3 pecis de carne 2 di-
tas toucinho 1 caixi ignora-se ; aos consig-
natarios.
1 caixa doces ; a A. Curio.
1 caixa um pianno 4 ditase I picote mu-
dezas 2 caixas fazendas dsela, 15 ditas
fitas do algodio 1 dita fazen las de algolo e
linho 12 ditas faccSes 3 barricas becas. 2
caixas ditas 4 ditas thezouras 1 dita cani
vetes 24 ditas metas de algodo 2 pacnlos
amostras, "2 ditos gazetas 4 caixas, 1 barrica
e 1 pacole ignora se; a Kalkmam & Rosemund.
1 caixa miudezas ; a A. H. Willmer.
1 caixa cartes com (hezouras 1 dita be-
zorros do lustro 5 ditas meiasfl luvas de al-
godio 1 barrica oleo d linhaca 100 ditas
cimento, 15 tonelladas de carvio de pedra ,
281 gigos batatas, 1 ca x i oleados I dita
palhinha para chapeos ; a ordem.
2 caixas chales e lencos de algodo 4 ditas
fazendas dito 10 ditas couros 1 dita fazen-
das de linho 2 ditas pennas para escrevar ; a
J. Keller.
1 caixa livros em branco 1 pacote tmpres-
sos ; a Le Bretn Schramm & C.
2 caixas pelucia fitas, e outros ohjectos ;
a F. W. Welbamens.
5 caixas pregos ; a T. Kahlmeijer.
2 caixas massas e pertences para chapeos; a
H. Zimmer.
2 barricas drogas, 36 folhas d'azem 4,000
botijas vazias 1 caixa couros de lustro ; a H.
Mehrtens.
2 caixas faccas; a J. D. Wolfhopp & C
1 caixa lencos de algodio 1 dita chales de
seda e de seda o algodo 1 dita carteiras 1
dita mindezas ; a Bothe & Bidoulac.
1 caixa drogas, 4 ditas miudezas 1 dita
oculos uzados ; Cesar Kruger.
1 caixa fazenJas de algodo ; a Sehalheitlin
& 'Pables.
5 tinas bixas ; a Tegmeier.
Wovmento do Porto
Navio taludo no dia 51.
Cabo de Boa Esperanca ; barca ingleza Elisa
Johnslun capito Petrie carga assucar.
1
Dr.



v

Edita!.





Dr.


commercio
Rendimeoto do dia 31..........3:837*333
ttcarrego hoje i. *
liriguePylagoratferro e carvo.
PatachoNovo Conguitomercadorias.
BrigueAdulphocarvo.
IMPORTACAO.
Sir liobtrt Campbell brigue inglez vin-
do de Terra Nova entrado no correte mez ,
a consignacao de Charls Roop manifestou o
segu n le.
2:102 barricas com bacalbo ; aos consig-
natarios.
Adolph brigue hampurguez vindo de
Hamburgo entrado no correte mez a censig-
naco de N. O. Bieher & C., manifestou o
saguinte.
4 caixas hcelas 2 ditas cordas para violas ,
28 ditas espingardas 1 dita massas paro ch-
mpeos 110 ditas queijos 7 ditas ferragens ,
8 Harneas (secas, 1,400 garrafes vazios ,
100 barricas botijas de gen lira,3 caixas the/ou-
ras 2 ditas filas de algodio 5 fardos brins ,
1 barril conservas, 115 volumes pecas de ca-
bos 5 saccas cevada 21 caixas meias de al -
Conlinuaco da Hila doi Juixti de Fado
qualificadoi.
Luiz dePinho Borges.
Antonio Rodrigues de Almeida.
de Franca Mello Jnior.
da Cosa Porto carreiro.
Dr. Luiz de Carvalho Paz de Andrade
I.( urengo Jos de Figueiredo.
Laurentino Antonio Pereira de Carvalho
Luiz Antonio Alves Mascarenhas.
Manoel Antonio Alves de linio.
Pereira de Abreu.
Gamillo Pires.
Eleuterio do Reg Barros
Ferreira Antunes Villaca.
Ferreira Ramos.
da Silva.
Figueira de Faria.
Francisco da Silva.
Goncalves l'erreira e Silva.
Ten. Coronel Manoel Goncalves Pereira Lima.
Manoel Joaquim Ferreira.
Joaquim Rodrigues de Souza.
Silveira.
Pnenle Coronel Manoel Jos de Castro.
Manoel Jos Martina Riboiro.
Dr. Pereira de Mello.
Silvestre Ferreira.
Ponente Coronel Manoel de Souza Teixeira.
Miguel Filicio da Silva.
Jos de Almeida Pernambuco.
Manoel Alves Guerra.
Duarte Rodrigues.
Antero de Souza Res.
Ignacio de Oliveira.
Goncalves da Silva.
Cnrdozo Ayres.
Goncalves da Cruz.
Marcolino Goncalves da Silva.
Manoel Luiz Goncalves Jnior
Joaquim Ramos e Silva.
Joio de Amorim.
Major Manoel Bizerra do Valle.
Manoel Florencio Alves de .Muraos.
Eugenio da Silva.
Jos Teixeira Bastos.
Jnior.
Miguel Arcanjo Monteiro de Andrade.
Mathias de Albuquerque e Mello.
Manoel Pedro de Souza.
Francisco de Moura.
Jos dos Santos.
Colho Cintra.
Cietano Soares Carneiro Monteiro.
Major Manoel doNascimenlo da Costa Monteiro.
Manoel Perigrino da Silva.
Bernardino Monteiro.
Paulo Quintella.
Cavalcanti de Souza l.ncerda.
Luiz VirSes.
Duarte de Faria.
Joaquim Carneiro Lia!.
Antonio Martins Pereira.
Quarld-mestro Manoel Lopes Maciel.
r. Manoel Francisco de Paula Cavalcanli de A.
Manoel Jos da Costa Guimares.
Correia de Miranda
Coronel Manoel Thomaz de Barros Campello.
Cavalcanti de Albuquerque e .M.
Dr. Miguel Araujo da Suva Costa.
Manoel Alves Guerra Jnior.
Zafirino de Castro Pimentel.
Pires Ferreira.
Ignacio de Albu'iucrqueMaranhao.
Carneiro da Cunta.
Jos de Siqueira Cavalcanti.
Dr. Pedro Bizerra de Araujo Rellro.
Dornellas Pessoa.
Major Patricio Jos de Souza.
Pedro Ignacio Baplista.
Capitao Pedro Ivo Vellozo da Silveira.
Patricio Jos Borges de Souza.
Poriiro da Cunba Moureira.
Prxedes da Fonseca Coitinho.
Pedro Cavalcanti de Albuquerque.
Bodolfo Joo Barata do Almeida.
Rufino Jos Correia de Almeida.
Major Sergio Tertulianno Castello-branco.
Capito Severioo Henriques de Castro Pimentel.
Dr. Simplicio Antonio Mavignier.
Simplicio Jos de Mello.
Sehastio Antonio Paz Brrelo.
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva.
Major Tbomaz Jos da Silva Gusmo Jnior.
Thomaz Pereira Pinto.
de Carvalho Soares BrandSo.
Je Aquino Fooseca.
Dr. Victorino de S Albuquerque.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Dr. Vicente Pereira do Bego
Victorino Jos de Souza Travasso.
Vicente Ferreira de Siqueira Varejo.
Dr. Vicento Jacomo Wanderley.
por ter a maior parte da 'carga prompta o bem
conhecido e acreditado brigue portuguez Flix
Destino de que he capito Autonio Goncalves
de Azevedo ; quem precizar carroar ouirda
passagem.para oque tem muitos bons comino.
dos,dirija-se ao seu consignatario Francisco Se-
verianno Rabello ou ao capitao naPracado
Commercio ou a bordo. (9
Para o Havre sahir no dia 15 do corre-
le o brigue francez Arago, capito Deyrieu, re-
cebe passsgeiros para oque tem bonscommo-
dos; a fallar com o consignatario L. Bruguire,
ra da Cruz n. I, ou com o Capito
2Par o Porto, a barca portugueza Bella
Ptrnambucana pretende seguir a 23 de Feve-
reiro, por ter a naior parle do seu carrogamen
lo prompto, recebe carga a Irete de 250 por
arroba de assucar, e tem bons commodos para
passagoiros; trata-se com oCnpito Manoel
Francisco Bam albo, ou com o consignatario
Thomaz de Aquino Fonseca na ra do Vigario
n. 19. (9
E.cilao
L. Bruguire far leilio no fifi 3 do cor-
rente, perante um delegado do Consulado de
Franca na sua casa ra da Cruz n. I pela
10 horas da manha por conta e risco de
quem perlencer de urna caixa com 12 pecas de
casimiras averiadas, vindas do Havre pelo
brigue Arago.
Avisos diversos.
Declarado.
2_ o Arsenal de Guerra precisa comprar
mantas de algodo e brim para soldados ;
quem ti ver taes gneros compareca no niesmo
Arsenal as horas do expediente. (4
COMPANHIA ITALIANA
Organiada definitivamente a eompanhia te
participa ao reiptavel publieo que 5.*
feira 6 de Fevereiro vai a tetna
no theatro Philo-Dramattco.
A 1* representaco da opera Bufa
i7 Rurbiero de Seviglia,
muzica do celebre G. Rossini.
Pertonagens.' Actor ti.
Bosina, pupilla de D. Bartolo Madama Le-
ntos.
Bartolo, tutor Giuseppe Galletli.
Conde d'Almaviva Carlos Bicco.
Fgaro, barbeiro Luiz Guizionni.
D. Basilio, meslre de mnsica Joao Toselli.
Florello, chefe da banda dosmuizcos- J.Chaves.
Choro da banda, soldados, &c. N. N.
Precoi da tntrada.
Entrada garal 1.000
Cadeiras de galera, 1.', 2.* e 3.' or-
dem com entrada 2,000
N. B. O theatro ter urna su porta de entra-
da; as pessoas que quero estar na plateia s
preciso de bilhetes de entrada geral 1.000
As pessoas que queiro estar na galera pre-
cisaro comprar dous bilhetes, 1 de entrada
geral que deixaro na porta de entrada por
1,000 rs
Outro de galera qne entregaro ao porteiro
da galera por 1,000 rs. tudo por dous mil
ris.
Avisos martimos.
3_Para o Aracaty sai impreterivelmenle no
dia 18 de Fevereiro o brigue-escuna Htnrx
quita; quem no niesmo quizercarregar ou
ir de passagem, para o que tem excellentes com-
modos. dirija-se ao capito a bordo, ou a Nu-
vaes & Companhia na ra da Cruz n. 37. (6
3= Para a Babia sai impreterivelmenle a 6
de Fevereiro, a sumaca anla Anna; para car-
ga epassageiros trata-se com Novaes& Com-
panhia na ra da Cruz n. 37. (4
4=.Vende-seo bem cdVihecido ljjate nacio-
nal Especulador, forrado'de cobre e prompto a
seguir viagem fundeado defronte do trapi-
che da Companbia;os pretendenles pdem diri- na botica do Sr. Moureira Marques, em S.
gr-se a Le Bretn Schramm & C. ra do Tra- Antonio na botica do Sr. Couto largo da
piche n. 19. (6 Boa-vista e finalmente em Olinda loja do Sr.
5 Pura Lisboa sai com toda a brevidade. Domingos nos Quatro Cantos. (lj
=Quem livor o resumo da Potica de Fon-
seca ou mesmoCarv8lho ; annuncie.
1=0 numero da casa do demenle Vigario
Patricio Jos de Souza he 110 o nao 10 como
por engao se annunciara. (3
1 Na ra de Sania Bita ou do Fagundes
sobrado n. 40 acha-so om exercicio urna au-
la particular de primeiras ledras. (3
= Prec'na-se de um proto para o servico ex-
terno de urna pequea familia ; quem o livor.
annuncie por este jornal para ser procurado.
A aula do ensino mutuo se acha aberta na
ra Nova de S. Amaro n. 8.
| HOTEL FRANCISCO.
D'hoje em Jiante nao haver mais mesa re-
donda. (3
3 Precisa-se de2:000,000 rs. a um e meio
por cento, por lempo de seis mezes ou um an-
no com seguranca em um sobrado no bairro
la Boa-vista em boa ra ; a Iratar no atierro
da Boa-vista n. 40. (5
3= A viuva do finado Manoel Muniz de
Sonsa Borges, convida pelo presente a todas as
pessoas que se julgaremcredorss do seu caza I ,
de comparecerem no dia 3 de Fevereiro pelo
meio dia na sua taverna da ra do Livramenlo
n. 20, a lim de lites patentear o estado de sua
casa para deliberarem o que acberem conveni-
ente a bem de srus inleresses. (8
AGENCIA DE PASSAPORTES.
3Na ra do Rangel n. 34, correm-se folhas
e tiro-se passaportes para dentro e fra do im-
perio com inuita brevidade e proco mais com-
modo, que em outra qualquer parte. (5
f'az se sciente aos devotos do
milagroso S. Braz da Igreja de fN.
S. do Terco que por causa do
entrudo fica transferida sua festa
para o dia quinta feira G de Fe-.
vereiro
3=OTenente Coronel Ignacio Antonio de
Barros Falco embarca para o Bio de Janeiro o
escravo Francisco, Cabund, a entregar a seu
senhor o Conego Joo Bodrigues de Araujo, no
Palacio da Conceico (5
i Aluga-se uma casa de 2 andares e tra-
peira sita na ra das Larangeras n. 5; a tra-
tar na ra do Kncaiilamenlo n. 8 A. (3
3-=Transferio-se para a ra da Cruz n. 38 ,
confronte a cacimba o depozito de rap Prince-
sa de Gasse, aondo se contina a vender as trez
superiores quididades de tap Princeza fino a
preco de 900 rs a libra grosso e meio dito a
1 '280 rs., sendo de 5 libras para cima, e para
menos desta quanlidade s precos de l rs. o lino e 1ji360 rs. o grosso e
meio dito. '.)
5 LOTERA DO GUADELUPE.
A lotera do Guadelupc que fra preterida
no andamento de suas rodas pelas de S. Pe-
dro Marlyr e (heatro deve correr impreteri-
velmenle no dia 15 de Mareo, como por S.
Ex. o Sr. Presidente da protincia foi confir-
mado. Os I) llieti s esta 11 venda as tojas de
cambio na ra da Cadea do Becife na de
miudezas do Sr Fortunato praca da Lniao ,


i'ilim 27 do Outubro do 1S41 desapparo-
ceo um moloque do nomo Paulo do nacao
Quicain do 18 anuos pouco mais. ou monos,
est Ihosaliindo buco do barba he um tanto
secco do crpo abro os dedos grandes dos ps
um tanto para ra pomas linas, nariz chato,
olhos pequeos o avermelhados ora costuma-
do andar vendendo d e de jalea om copos, por
toda a parto deata eiJade, julga-so tersido lur-
tado porque nunca ugio ; roga-se a qualquor
sonlior de engenho, ou outra pessoa a quem ol-
io fr eflorecido, ou por acaso acollado om toas
dominios, o aprehendern e participaron] a seu
legitimo Sr. Antonio JosGoncalves Atevedo na
ruada Praia armazern deoarne n. l'J, que re-
compensar e pagar toda equalquor despoza ,
que se fizer. .17
3 Aluga-se urna canoa de condusir agoa ,
que nao seja nova, e em bom estado ; annun-
cie. (3
LOTERA DE N. S. DO UVRAMENTO.
4As rodas desta lotera anda > no dia 5 do
Feveroiro do correte anno, o os bilhetes atin-
se a venda nos lugares do costumis. (3
6 LOTERA DA MATRIZ DA 15 JA-VISTA.
As rodas desta lotera correm no dia 17
de Fevereiro, e o* bilhetes acha j-so a venda
nos lugares do costume. i'i
3 ad::iraveis
NAVALIIAS DE AC DA CHINA.
Tem a vantagem de cortar o cabello sem ol-
fenca da pelle deixando acara parecendo es-
tar na sua brilhante mocidade.
Este ac vem exclusivamente da China e so
nelle trabalho dousdos melhores e mais aba-
lizados cutileiros da nunca excedida e rica ci-
dadede L'ckim capital do imperio de China.
Autor Shore.
N. B. He recommendado o uso destas na
vainas maravillosas, por tudas as sociedades
das sciencias medico-cirurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America Asia e frica nao
80 para prevenir as molestias da cutis, mas
tambem como um meto cosmtico.
Vendem-se nicamente na ra do Crespo ,
loja n. 12, de Jos Joaquim da Silva Mala. 1 '
3Luiz Antonio Dias Guimaraes, subdito
Portuguez, retira-se desta provincia. (2
6Na tarde do dia 4 do torrente, lugiro do
engenho Suassuna 17 engajados (iihos da llha
de S. Miguel dos quaes ja fe achro 9, e lal-
to ainda S scguintes Francisco Cosme de
Viveiros, Francisco do Reg Alecrim Francis-
co Luiz de Aguiar, Joao Nunes, Joao Jacintho,
JosCabral Manoti Carvalho Souza e Marmol
Jos, vindos no patacho Alberto, chegado a es-
te porto em Outubro do anno passado em cujo
tempo os ditos lrao encajados por espaco de
A anuos, segundo a escriptura publica feta pelo
Escrivo Guilherme Patricio; em virtude do que
se previne ao publico, para que ninguem se
chame a ignorancia admitlindo-os em seu ser-
vico pois se proceder conformo a !ei contra
quem Ihe der asylo ou se utilisar de seu pres-
timo: assim como so recompensar a quem os
fizer conduzir, ou der noticia dtiles no sitio do
l'ombal ou na ra larga do Rozario loja do
Sr. Lody. Roga-su mais as autoridades Poli-
ciaes a captura de ditos engajados prendendo-
os oode quer que se achem e nao consentindo
que se retirem da provincia. !23
2 Arrenda-se urna olaria no lugar de S.
Anna, reguesia do Pgo com barro para toda
a obra, casa de vivenda, estribara para 3 ca-
vados urna planta do capim urn torno novo
inglcz porcommodo preco ; a tratar na mes-
illa olaria com a entrada defronte da venda do
Nicolao |7
2 Arronda-se um sitio no lugar dosAoga-
dos ; na ra da Conceico da Boa-vista n. 58.
2Furtrao nodia quarta feira 30 do cor-
rente da cocheira da ra das Floros um re-
logio suisso, desabnete, com pequea cor-
rente do ouro ; a quem o mesmo lor offerecldo ,
pdeapprehender elevar a ra Nova n 39. (5
2 Aluga-se um sitio perto da praca que
tenba proporcoes do ter 4 vaccas de leite; quem
tiver annuncie. (3
3Jos Marques da Costa Soares embarca
para o Itio de Janeiro o seu inolcque, de nume
Joaquim. ('
3 Tiiomaz Fernandos da Cunba embarca
para o Ko de Janeiro o seu escravo Constanti-
no crioulo. (3
l_Precisa-se do urna lavadeira para lavar
roupa em um sitio na Solidado ; na ra da Ca-
deia n. 16. (3
l_ O relojoeiro no arco de S. Antonio, mu-
dou-se para o pateo da S. Cruz, ao peda igreja
n. 12. 8
l__ Quem precisar de um bom destilador ,
annuncie. '-
|_ Aluga-se para casa franceza urna escra-
va que sabe engommar cosinhar, coser to-
da a qualidade de costura ensaboa e faz todo
o mais servico de urna casa com muito asseio e
perfeieSo adverte-se que esta escrava nao he
8r. 0 prvirorle ra, *<> para dentro de rasa;
quem* a pretender dirija-se a ra Imperial
n. 3. t .. S
1_- As licesde obstetricia pnncipiao a lo
do correte Fevereiro e a matricula estar
abarla durante todo o mez. (3
1_ Deseocaminhou-sB urna lettra da quan-
tia de 6:931/100 rs. saccada pelos abaixo as-
signados do dia 15 de Dezembro do anno p.
D defl mezes, acceita pelos Srs. Jo5o Tava-
resCordelro e Joaquim Pinheiro Jacome os
quaes se chao prevenidos para n5o pagarem
senao nos annuncianlos ; p -l> qua roglo a
qualquer possoa quo a achou e quizor resti-
tuir dirija-so a ra da Cruz n. 4. -V. O.
Bieber &. C. (8
I I). Constantina Jacinta da Motta viuva
do Tencnto Coronel Manoel Antonio de Almeida
avisa aoSr. Jlo Manoel de Barros Wanderlei,
que no dia 28 do p. p. appareceo em sua casa ,
em Ponto d'Ucha, um preto de nomo Filippo ,
procurando a annuncianlo para o comprar di-
zendo ser escravo do mo'.mi Sar. Wanderlei,
a vista duque podor o mimo Sr. comparecer
por si ou por outrnm para contratarem a ven-
escravo ; corto do quo a annuncianto nao se
losponsabilisa por elle, pois nao o podo ter
em soguranca. 00
As pessoas que precisarem de argaloas
sortidas, a 'i'i/i rs. dirijo-se a ra do Rangel
n. 61.
Na ra do Pillar om Fra-de-portas n.
1*29 precisa su ulugar um escravo, ainda
mesmo sendo do dado por ser leve o servico.
Precisa-se de um homempara tomar con-
la c trabnlhar om um sitio perto desta cidado ;
na ra Direita n. 30, primeiro andar.
Alnga-se um sobrado de dous andares,
na ra da Penha ; quemo pretender dirija-se
a ra do Cabug loja de Joaquim Jos da
Costa Fajoge.
Quem annunciou querer alugar urna ra-
no de conduzir agoa dirija-se a ra do Cal-
doireiro atraz dos Martyrio;n. 56 e na mes-
macasa se aluga -i canoas abortas, ludo por
preco coinmodo.
- Pereira # Guodes participio ao respoila-
vel publico quo Luiz Alvos Barbosa deitou de
sor seu caixeiro desdeo dia 31 do p. p. Janeiro.
Vendas
Vendem-se listas geraes da primeira 1(.
lotera di thoatro; na praca da Independencia,
lvrara ns. 6 c8.
i Vende-se para lora da provincia urna lin-
da escrava de nacao, de 20 annos, cozinha,
lava e engomma ; na ra da Cruz n. 51.
I Vendem-se 3 moleques de nacao com
bonitas figuras sendo um canoeiro ; um dito
de 16 annos, bom cosinhero; um dito de 9 an-
uos ; duas escravas de \\ annos, cosinheiras
eengommadeiras, e urna he recolhida ; 5 di-
las quilandefras o lavudeiras ; na ra Direita
n. 3 (7
1 Vendem-se gamelas grandes e pequeas,
(ellai na ahia superiores para banho al-
guidares de gommos o lisos grandes o peque-
nos ludo de bom gosto ; na ra de Apollo ,
vendan 1, defronle das casas do Snr. Angelo
Francisco Carneiro. (C
Vende-se tima rabeca de ex-
cclk'iites vozes* no pateo do ("armo
n. 3. (i
1 Vende-se urna escrava de 22 annos, co-
sinha e engomma, a vista do comprador se
dir o motivo da venda ; urna dita propria para
o servico de campo ; ne largo do Terco o. 7. \\
1 Vende-so urna grande porco de tama-
rindos grndes, por preco commodo; na estra-
da do Joao de Barros defronte do Exm. Viscon-
de de Coianna. (4
I Na fabrica do espiritos na ra de S.
Rita n. 85, se acha sempre grande sortmen-
to dos seus espiritos, que se vendem pelos pro-
cos soguintes ; ago'ardente de Franca a 960 rs.
a caada dita do reino a 800 rs., dita do aniz
a 640 rs. genrbra a 710 rs. dita embotijada
n 00 rs. licor a 160 rs. dito fino a 400 rs. ,
espirito de vinho a \ rs. a caada. (8
Vendc-se, com bum leite da primeira bar-
riga urna n ulula sem filho, com |fl annos do
idade criada recolhida sabe engommar co-
ya- fazer renda e lidar no servico da casa ; na
ra da Conceico da Boa-visla ti. 5S.
Vendem-se vigas de boa qualidade ; na
ra do Kangel n. 50.
Vende-se urna escrav de nacao de 24
annos de bonita figura engommadeira, co-
sinheira, lavadeira cose, e faz lavarinto ; urna
dita de 18 annos propria para todo o servico;
um moloque de 18 annos ; 3 pelas ptimas
quitandeiras; na ra das Cruses n. 41, segun-
do andar.
Vende-se urna cama com seus encherges
e CoIzBo nulo quasi novo por ter lulo pouco
uso vende-se por seu dono retrar-se pare lo-
ra da provincia : na Camba do Carino n. 13.
Vende se polassa nova, cal virgem de Lis-
boa propria para o fabrico de assucar ; na
ra de Apollo armaseni n. IS.
Vende-se um bote novo casco america. o
e com seus remos ; na ra Imperial n. 63.
Vende-se no arco de S. Antonio, loja n.
2, farinha por preco commodo em sacca o
u granel.
Vende-se urna banca de Jacaranda leita a
francesa poroO* rs. ; na ra ettreita do Ro-
sario n. 32
liliVende-se urna mulatinha de 15 annos ,
cositiha o ordinario de urna casa tem princi-
pios de costura e engdmmado ; um mulalinho
da niesma ldade, preprio para pagem, ou
para comprar na ra por sor fiel ; na ra do
Rangel n. 38, segundo andar.
Vende-se um preto por preco commodo ;
na ra do Sebo n. 33.
Vendem-se 117 meios de sola da malla ,
e urna porcfio de pellos; as Cfnco-pontas n. 2.
2Vene-se urna opa do casimira pra a
irmandade do SS. Sacramento ; -na ruado
Queimado loja n. 37. y
2 Vondem-so botins e meios ditos de Lis-
boa, calcado de todas as qualidados para se-
nhora superiores navalhas de cabo da marflm
acontento, casticaes de casquinha ingleza, lo-
ques do penna c urn rico sortimento do brin
eos o pontos e outros muitos objecto< france-
zes chegados ltimamente por preco com-
modo; na ra dos Quartois n. 24. (7
2 Vendem-se saccas com mais de 100 libras
defarelodo superior qualidade, a 4500 rs. a
sacca ; no armazom do Braguez ao pe do arco
da Conceico (*
2Vendem-se velas do carnauba de 6, 7 e 8
om libra assim orno cera de carnauba ; na
ruada Cncecao da Boa vista n. 58. (3
2 Vende-se um terrena no sitio denomi-
nado Mangueira na estrada de Belem com
180 palmos do frente, o mil e tantos de fundo ;
um sillo na estrada de Joao do Barros que faz
esquina com o becco do Esplnheiro casa de
taipa e outra de podra ecal principiada mais
dentro boas frutaras, cacimba e todo cerca-
do de limo ; na praca da Bja-vista venda
n 18. (8
2 Vende-se urna casal do rolas de Hambur-
go ; na ra Direita loja n. 55. (2
2Vonde-se um grande fogao e torrador de
cal, em bom uso; na ra da Sonzalla-nova
n. (3
3_ Vendo-se um casal de cachorros d'agoa ,
muito lindos juntos, ou separados; no largo
do ''croo sobrad > de um andar n. 16. i3
3Vendem-se duas casas torreas, urna na
ra do Fogo, do lado do poonten. 46, emclias
propnos e que lende 12/rs. monsaos ; outra
na ra de Agoa-verdes do lado do p.iente n. 06.
que rende 14^ rs. mensaes o paga de foro an-
imal 1100 rs. ; a tratar na ra larga do Rosa-
rio junto ao quartel de polica n. 12. .7
3 Vende-se urna propriedade do Ierras de
plantar, no lugar dos Pilos reguesia da Es-
cada com 250 bracas de frente o de lundo
dc200aC0O, a boira do rio Ipojuca, duas par-
tes de malta virgem, e urna de plantar mandio-
ca, cujas trras sao excedentes para toda a qua-
ridadede avoura ; na ra Nova, loja de (uer-
la, Silva r^ Companhia, se dir. (7
3Vendo-se um escravo moco, proprio para
todo o servico he bom cosinhoiro sem vicio
algum ; na tua da Cadeia do Recifo loja de
lerragens n. 44. (f
3Vende-se um sortimento pequeo de veos
de fil delinbo cambraia fina bordada len-
cos de 3 ponas ditos de cambraia muito fina,
outras inultas fasendas que pdem fazer
muita conta a quem tem boceteira, sendo a dita
lasenda mais em conta possivel ; na ra da
S.mzalla-velha n. 12, primeiro andar. ,6
3 Vendem-se superiores charutos regala,
por preco commodo ; na ra da Cruz n. 37 ,
segundo andar. (3
3 Vende-se urna casa terrea em ch3os pro-
prios, no Corredor do Bispo n. 2 ; na ra da
Conceico sobrado n. 6 a tratar com Joao
Francisco Regs Coelho. (4
4 Vendem-se 4 escravas mocas com boas
figuras e com boas habilidades; duas pardas
mocas com habilidades ; urna neta de 30 an-
nos por 340/ rs. cosinba, lava e vende na
ra ; 4 escravos bons para o campo ; um dito
bom cosinhero ; um moleque peca cosinha
bem ; urn pardo bom pagem ; na ra do Cres-
po n. 10, primeiro andar. (7
13Vende-se um sitio na Capunga a mar-
gen) do rio com boa casa de vivenda por
preco commodo ; na ra da Madre de Dos, lo-
ja do Cunta. (4
7 Vendc-se abordo do brigue Paquete de
Pernambuco Tundeado ao p da escadinha de
Palacio bom cebo em rama, e preco em conta.'3
13 Vende-se lannha de trigo, de muito boa
qualidade; na praca do Corpo Santo n. 11, ca-
sa de Me. Calmont _\ Companhia. (3
7Vendem-se saceos com farollo a 3/600 rs.,
na ra da Senzalla d 138. (1
Vendem-se duas moradas de ca-
sas de dous andares cada urna sitas
na ra Nova } urna dita de dous
andares nos Quatro Cantos da Boa-
Vista ; e duas terreas juntas ao
mesmo ; urna dita terrea na estrada
una dita dita
Fioriano ;
2 Vende-se motarle de urna casa terrea na
ra de S. Rita n. 67 que tem bastantes co m-
modos ; a tratar na ra do Rangel n. 17. (3.
Escravos fgidos
do Manguinho
na
tuna
ra do I'adre
morada de casa de tres andares na
ra do Amorim : quem as preten-
der pode enlender-se com Manoel
Caetano Soares Carneiro Monteiro,
que vende a dinlieiro ou a prazo.
2- Vende se una casa terrea com commo-
dus para grande familia na ra do Cotovello ,
por preco commodo; quem pretender dirija-se
ao atierro da Boa-vista n. 40. (4
Agua da bica do Monten o,
coada em dous pannos antes de en-
trar para o deposito, a 9.0 ris ca-
da caneco ; na ra da Praia,
na detraz da iiibeira casa
de Silva ('nrdinl.
esqm-
n. 17,
2 Desappareceo nodia 29 do passado das
9 horas para as 10 da nouto urna preta de
nomo Maria, Cacange, levando comsigo um
filho de 7 para 8 annos, de nomo'heophilo; a
preta levou vestido de chita usad > ja desbotado
e em urna trouxa outro de chita escura novo ,
cara larga com falta de denles na frente bal-
eos grossos, com um psquenotalho em um dos
lados da cara, estatura regular ; o filho levou
urna camisa de algodozinho nova com man-
gas curtas calcas de riscadinho baslante velhas
e muito desbotada; quem os pegar, leve a pra-
Ca da Boa-vista primeiro andar do sobrado
onde mora o Sr. Brigadeiro Antonio Rodrigues
de Almeida, que sera recompensado. (13
3 Fugionodia 13 de Janeiro urna escrava
de nomo Benedicta baixa, secca vesga de um
olho tem cicatrizes as costas, com falta de
denles na frente do lado superior e em baiso
podres ; levou vestido velho branco e saia de
ganga azul nova e panno da Costa com listras
azuese brancas e um laboleiro com sapatos ;
consta andar calcada por assim ter sido vista ;
quem a pegar, leve a ra Augusta u 14, que
ser gratificado. {10
4 200/000 rs. do gratificacao.
No dia 20 do passadodo sitio da estrada
do Remedio da viuva do Vasconcellos fugiro 2
escravos de nacao Congo, sendo um de nome
Domingos, baixo, cor preta, com urna seca-
Irlz na caneca, levou camisa de baeta verde,
calsa de riscado, o outro de nome Pompeo, al-
to, reforcado, cor fula, cara redonda, be icos
grossos, denles abortos na frenlo, comsignaes
de sua torra por todo o corpo e no rosto, levou
camisa de brim branco o calsas de riscado ;
quem o pegar ler a gratificac3o cima, levan-
do-os a ra das Agoas verdes n. 46 ou no dito
sitio. (11
5 Fugio no da 6 do passado o negro Ma-
noel Benguella, baiio, cheio do corpo*, pscur-
tose grossos, rosto redondo e pouca barba, va-
garoso no andar, tem cilicio de fereiro ; quem
o pegar leve-o a ra da Aurora n. 30, que se r
recompensado. (0
2 Do-sel00^ rs.de gralificac5o a quem
levar no sobrado da ra estreita do Rosario n.
41 primeiro andar, o moleque Francisco,
que desappareceo desde 24 t!e Outubro do p.
p. de 15 annos i aboca algum tanto compri-
da denles limados os dedos grandes dos ps
alguma cousa desonidos dos outros he bem
parecido eesperto ; levou camisa de riscadinho
de algodfto transado com mangas de meio bra-
co, calcas brancas j usadas e na coucha da
perna esquerda junto a verilha tem um incha-
co. (10
3 No dia 25 do passado fugio urna preta
crioula de nome Quitea bem leita de corpo,
estatura regular tem as macaos do rosto altas;
levou vestido de chita rouxa, saia preta e pan-
no da Costa j velho ; quem a pegar, leve a ra
da l'raia defronle do Trem armasem n. 5,
quo ser gratificado. (7
Do sitio dos Alllictos, da Victorino Fer-
reira de Caivalbo lugio 110 dia 29 do corren-
te pelas 8 horas da nouto, conduzindo urna
caixa com roupa urna preta de Angola de
nomo Eugenia quo (oi do Snr. Joaquim Jos
Ferreirada Penha a qual andava com um ta-
boleiro vendendo frutas baixa do corpo de
'0 annos pouco falladeira ; levou vestido de
riscadinho azul, e panno da Costa ; quem a
pegar, leve eo dito sitio, ou na praca da Boa-
vista n. 32, que ser recompensado.
1 Fugio nodia lo do coi rente do Joao Ne-
pomuceno Fereira de Mello urna escrava de
nome Eufrazia de nacao Cabund de 30 an-
nos estatura regular chula do corpo peitos
grandes e tom um signal ao p do nariz e
urna costura no cotovelo do braco esquerdo ;
quem a pegar, leve ao dito Sr. que ser gra-
tificado. 8
1Fugio no dia 31 do p. p. um esclavo .riou-
10 denorne Ambrosio perloncente a Joaquim
Aurelio Pereira de Carvalho o qual se achava
para embarcar por ordem do mesmo Sr. ; le-
vou camisa e calcas do algodo e mais urnas
calcas de panno preto e chapeo de seda he
de statura regular magro sem barba tem
os denles da frente podres ; quem o pegar, le-
ve ao engenho Massangana ao mesmo Sr. ou
nesta praca em casa de Joao Pinto de Lomos
6 Filho. (10
I No dia 26 de Janeiro fugio um moloque
de nome Antonio estatura baixa, secco, re-
presenta ter 16 annos, levou calcas de riscado e
camisa de madapoln tem urna marca no pel-
lo he muito esperto e por isso ser prvaovel
mudar de nome e mesmo de trage ; quem o
pegar, leve a Passagem no sitio entre o thea- '
tro o a ponte pequea, ou no Kecifa loja de
forragens n. 56, que ser recompensado. (8
1 Fugio urna preta do gento de Angola ,
de nome Benedicta do 26 annos he muito
alta secca do corpo ; levou vestido azul com
babados as mangas ; queai a pegar, leve a ra
da Cadeia do Itecife em casa de Joao Jos 'lo
Carvalho Moraes, ou na Magdalena dufronte
do viveiro. p
PKRM ; TYP. DE ".DEFAMA 18/|5.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU7HBS65X_S7LCKG INGEST_TIME 2013-04-13T01:00:43Z PACKAGE AA00011611_05282
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES