Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05281


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1845.
Sexta Felra 51
O I>iiBi" (lublio.-i. loilmoi rliasqaen.o foren santificados : O prego da aeaignatnra
bt fe fes mil n. por quarlal pafroa adan.adoe O annuncioidoi assifrnantes lio inMridna
a ras.io da _'U rii por linlia. 40 rei em Irpo differente, e as repetires pela amelade Os
que nao torea assi'nantis psguu 8Ureiapor linda,46U e lypo dilTe rente, porcada publicaco.
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
GoiiNBi, o Parahjba, segundea* aellas (airaa.Rio Grande do Norte, chega a 8 par-
le 10 24.Cabo, Serinbaera, RioFormsao, Macey, PortoCalTO, Alagoae: ao i.
11 a d de cada aei, Garanbuns, a Konilo a 10a .!* 'le cada aei loa-Tsia Flor-
as a !.'( 28 dito. Cidade da Victoria, quintaa fairas. Olinda todoe oa diaa.
DAS DA SEMANA.
27 Sg. *. Vitaliano. And. do J. de da 2. t.
23 Tero* a. Cyrillo. Ral, ,u,|. do J. da D.d* i. t.
2 Qnana fed.o. Aod. J. da D. da i t,
10 Quilla Mirttaba. And do J da 1). .U 2. y ,
31 Sena K Cyro. -\d. do J. de D da i. Ta
4 Sai), s, Ignacio Ral. aud. do J. de I).da 1. r.
1 Doa Punlicao.lo do N- cnbora
rSbaBVsaaaaSUaecata..
de Janeiro.
ABRO ^VA*. H. -*.?.
Todo agora depende da aos asesaos ; da nossa prudencia, aoderaglo- a en
lia Ufaos ooao prinoipiaaoa aerea us apoaudoa coa adairago euire *a a
culu. (Proclaaagi da Aisaablea Geral do sianl.
odar.j.io* e en rpa: aoa
entre es oarjes aai
Caabios sl>re Londres '.'5 |
Car s Pars i80 respor frtnco
CMSIOS BQ BU 30 t) JAMKIIO.'
Our. -Moed.de 6,400
Lisboa 130 por 100 de
preaio
Molda da obra ao par.
Idea da letras Ja boas firmal 1 pOrop
I ral. f aia.-oai
a Pasos coluaanarea
a Ditos aeiic.nos
viada
17 000 17,'.-00
R. 16.600 17,1-UO
da 4,000 .00 9,600
i.SJ 1,950
1,'Jiu 1,960
1,9'iO l.40
PHASES DA LA NO HEZ DE JANEIRO.
La aura a 8 as 4 h. a 5iaiB.dam i La eheie '... || boras e 59 i.: da a
Crascante a 15 as 6 hors* e 31a. da ai i Minguinta U al H boraa a S6 aia da m.
Prtamar de koje.
Primeira as 10 horas 54 aia da manli'ia | Segunda as II horas 3 minutos da i.rd
DIARIO DE PERNAMB
kUBBfkBu, v.Amn.ixmamitS'IM 1111 asi m
*^rr:.?n;i*i&zTMT!r7^vn^^ PARTE OFFSC1AL.
RELATORIO DA REPARTICAO DOS NEGOCIOS DO IM-
PERIO, APRESENTADO a' A83EHBLA GBRAL
LEGISLATIVA NA a.aSESSAO DA 6," LEGISLA-
TURA, PELO MINISTRO E SECRETARIO DE ESTA-
DA DOS NEGOCIOS DO IMPERIO JOS CARLOS PE-
KEIRA DE ALMEIDA T0H.RF.S. *
Augustos e Dignissimos Srs. Representantes
da NagSo.
Apresentando-vos o relatorio da Reparticao
a meii cargo, piincipiarei por prevenir-vos de
que, nao tendo o Corpa Legislativo podido
prestar a sua alienlo s medidas solicitadas no
antecedente, aqui reproduzirei ideias entoex-
pendidas; esperando do vosso patriotismo que
as tomareis em considerado com as outras, que
tenho de Ihesaddir.
Familia Imperial.
Tendo-se estipulado no Contracto do Casa-
mento da Serenissima Senhora D. Francisca,
hoje Princeza de Joinville, para complemento
do seu dote aconcessaode vinte e cinco le-
goas quadradas de trra, que pdem ser esco-
Ibidas, juntas, ou separadas, nos melbores lu-
gares da provincia de S. Catbarina, prxima-
mente sollicitou o Mordomo da Casa Imperial,
tanto nesta qualidade, como na de Procurador
do Augusto Esposo da mesma Serenissima Se-
nhora, a medico, demarcacao, eos ttulosda-
quellas trras, escolbidas em urna so porcao no
districto da villa de S. Francisco. Conhecendo
o Governo que algumas das trras eomprehendi-
das no projecto de demarcacao apresentado pelo
dito Mordomo se acbo oceupadas porestahele-
cimentos ruraes de particulares; julgou de ab-
soluta necessidade o-exigir do Presidente da pro-
vincia miii circunstanciadas inormacoes para
resolver como or conveniente. Seos propieta-
rios, e os posgeiros, cujos direitos se devao res-
peitar, annuirem a cesso dos terrenos enera-
vados, mediante indemnisaeoes ou em dinhei-
ro, ou em concessoes de trras devolutas, cuja
acquisQo Ibes convenha; sea importancia des-
sas indemnisaeoes couber na quantia, que pro-
vavelmente ter de despender-se com a conces-
sao, e medigao, fui lis por outro mono, ou por
exceder a ella; o Governo prefero a concesso,
e meditado projectada : correspondendo-se as-
sim a generosidade do Principe, evitando-se
trabalhos penosos, e talvez economisando-se os
dinheiros pblicos, A demarcacao de porioes
separadas, collocadas em serloes impervios, e
desconhecidos, devesersem duvida muito mais
tlillicil, demorada, e despendise.
Em consequencia do Contrato do Casamento
da Serenissima Princesa Imperial a Senhora D.
Januaria com oSerenissimo Principe das Duas
Sicilias oSenbor Conde d'Aquila, mandou o
Governo entregar ao sobredito Mordomo da Ca-
sa Imperial as doze fazendas de crear compre-
bendidas na Inspeccao de Canind, na provin-
cia de Piauby, a fin de ser o mesmo Serenis-
siiiio Principe empossado no usofructo das men-
cionadas fazendas.
Secretaria a" Estado.
J foi remettidoa esta Augusta Cmara o De-
creto da organisacSo da Secretaria d'Kstado a
meu cargo, e espero que o approveis, tendo at-
tonco ao disposto no seu artigo final.
Presidencias provinciaes.
No antecedente relatorio se participou que
o Governo tinba providenciado, dentro do res-
pectivo crdito, a respeito da compra de mo-
bilia para os palacios presidenciaes, e que com
as concessoes fullas nao se achavao estes ainda
decentemente arranjados; sollicitando-se ento
do Corpo Legislativo que continuaste a conce-
der, e ampliasse un puuco os fundos precisos
para este ramo doservigo, at se guarnecerem
aquellos palacios, nao com fausto, mas com a
indispensavel decencia. Como a mesma neces-
sidade subsiste, nao posso deixar de recommen-
dtr a vossa considerando o mesmo objecto.
Mal extremada ainda a competencia das Re-
partices para certas despegas, a das luzes para
o interior dos palacios presidenciaes, e a da il-
_ADO
luminacao delles em dias de festividade, era
supprida pelo Ministario da Guerra; mas ,
eximindo-se este de semelhante onus, forcoso
foi ao Ministerio do Imperio annuir as reclama-
(;5es dos Presidentes, que, naquellas circums-
tancias, a elle recorrfiro. Nao se pode ainda
orear com exactido este accressimo de despeza;
mas algumaconsignacao he indispensavel ap-
plicar-lbe.
Tendo o Governo declarado, sobre consulta
do Concelho d'Kstado, que o emprego de Se-
cretario de Gnvernode provincia he geral, e da
competencia do Governo Imperial a nomeacao
para tal emprego, algumas Assemblas pass.'i-
ro a negar os lundos precisos para o pagamen-
to das pessoas, que o occupfio. O pagamento de
empregados geraes pelos cofres provinciaes nao
he materia nova : os Conegos das Catbedraes,
os Parachos, eoatros empregados da nomeacao
do Governo Imperial sao satisfeitos de si us ho-
norarios por aquelles cofres, e nesta conformi-
dade se tem officiado aos Presidentes das pro-
vincias, onde tem apparecido o caso da negati-
va, para haverem das respectivas Assemblas os
muios de satisfazerem aquella necessidade do
servico, durante o tempo, em que teem de sub-
sistir os supprimentos, que s provincias se fa-
zem pelo Thesouro Publico; -como estes porem
brevemente devem acabar na conlormidade da
iei de 21 de Outubro de 1843, forcoso he que
providenciis sobre o objecto, habilitando o Go
verno com os meios necessarios para occorrer
respectiva despeza. Devo notar que para aquel-
las provincias, cuja Aisemblasteiem lenwUdo
sobre o provimento do emprego, de que trato,
o Governo se tem abstido de nomear pessoas,
que o oceupem; evitando assim conflictos, e
respeitando indicada legislacao, a qual o
mesmo Governo espera que revogueis, como no
antecedente relatorio loi sol licitado.
Referirei aqui que alguns Presidentes de pro-
vincia teem sollicitadodoGoverno Imperial ins-
truepoes sobro a annullaco de eleitores para
Vereadorese Juizes de Paz. O ponto principal
dosta questo be a competencia da autoridade
para annullar. O recurso para a Assembla Ge-
ral no caso de Ilegalidades tacs, que devo tor-
nar indispensavel a annullaco, fra o mellior;
mas e te a reuniao da mesma Assembla, e nem s'em-
pre tero necessario deferimento, ltenlos os
mais graves negocios, queabsorvem todo o tem-
po de suas sessoes : o recurso para as Assem-
blas Provinciaes torna-se impraticavel, pois
que, alm de nao estarem ellas tambein em per-
manente exercicio, para attenderem com pron-
tidio s representacSes, nenhuma autoridade
em tal materia Ihes conlerio a Iei, que as esta-
beleceo, e marcou suas attnbuices. Funda-
das nestas consideraces as socroes do Conce-
Ihod'Estado dos Negocios do Imperio edes Ne-
gocios da Justica, concluiro que ao Governo
Imperial competa o annullar taes eleicoes, de-
vendo os Presidentes das provincias expdr pre-
viamente os casos oceurrentes com todas as
circunstancias, que os revestirem, u todas as
razes de duvida, que se Ihes offerecerem. Esta
opinio obteve a Imperial ConfirmacSo e na
confirmidade dola se expedlro os convenien-
tes esclarecimentos para todas as provincias a
fim dse poderem dirigir com uniformidade ,
e acert : entretanto julguei conveniente tra-
er desde j esto objecto ao vosso conheci-
mento.
(Continuarse-ha.)
quencia do mao estado domar. Antes do por c;ao de Mr. Polk nao eremos que adquirir
do sol j tinhao sido lancados para dentro da mais importancia com a elevacao do candidato
barra varios objectos pertencentes ao navio au- demcrata. A actual situaco dos partidos no
Tragado, entre os quaes duas malas com cartas. Senado, e o seu voto em todas as questocs
O dito brigue vinba do Rio de Janeiro e cha- manifestao claramente, t^ie este projecto nao
mava-sn Liberal. Desgraciadamente s se po- merecer a approvacao daquella Assembla.
dero salvar o contramestre e trez marinheiros, Almdisso, nesta questo lia mais partes que
morrendooCapito, quatro marinheiros o qua- os Estados-Unidos, ha o pensamento nacio-
tro passageiros. Da fragata Puquea de/ira- nal do Mxico e a vontade ainda que precaria,
ganga largou a lancha de soccorro, mas por necessaria para o momento do Governo e do
causa do muito mar e do muito vento nao pode povo de Texas Por ora nio temos noticia de
ir avante. Um navio hespanhol cncalhou as que o Mxico tenha desistido de olbar para
Frontainhas,entre Pace de Arcos o Oeiras.Vol- aquella provinca como urna parte integrante
too-se tambem um bote da Alfandega que se da Repblica e de preparar-se para a recon-
conservava amarrado pela proa a um navio ao quistar. Se o Mxico nao ceder do seu direi-
qual
eslava do sentinella.
(Diario do Governo.)
ESTADOS-UNIDOS.
Nova-Yorck, 15 de Novembro.
to, os Estados-Unidos nao se apoderaro de
Texas.
Em todas as questes hispano-americanas
sbese que a aggregaco de Texas seria o
primeiro passoda sonbada marcha pela raca an-

EXTERIOR
PORTUGAL.
L'sboa 15 ae Dezembro.
Nestes ltimos dias o vento tem soprado com
a maior violencia. Em consequencia do estado
tempestuoso alguns desastres tem occorrido no
mar. Hontem (14) pelas duas horas da tarde
um brigue escuna se diriga pela barra dosul
para cnlrar no rio De repente foi visto on-
calbar e bern depressa se submergio em conse-
Das tres causas a que se attribue a eleicao glo-saxonia ; c a este passo seguira a hosti-
de Mr. Polk para a Presidencia a saber : a lidade aberta dos povos de sangue Hespanhol
reformadas pautas da Alfandega sob principi- contra o immenso commerrio dos Estados-Uni-
os menos restrictos que os da actual pauta; a ag- dos. cuja acquisicuo territorial nao equivale
gregacao de Texas e a nao abolicao da escra- ra s perdas ncalculaveis que soffreria a sua
vatura ; a primeira isto be a reforma das navegaco desde o momento em que se alienas-
pautas em sentido mais liberal para os gneros sem a amisade das outras Repblicas do novo
de importacao he a que parece,tem decidido a continente.
victoria dos seus partidistas contra os de Mr. Esta grave consideracao torna improvavel a
Clay. Ainda que a eleicao parece que tem ver- aggregaco de Texas. Outra seguranca mais
sado essencialmente sobre a questio das pautas, temporal contra esta aggregaco he a eleicao,
nSoser fra de proposito lancar um leve olbar que teem felto os Texanos.de Mr. Janes para a
sobre os demais motivos a que alguns attribuem Presidencia. Esta personagem representa em
anda a preferencia dada a Mr. Polk pelos seus Texas o partido Inglez qne se oppe em todas
concidados. as suas vistas ao partido anglo-an.ericano e
N'um paiz como o Estados-Unidos o homem que n'um caso extremo antes se inclinara
que se apresentasse como partidista decidido de incorporacao com o Mxico do que cornos
qualquer cousa que lovasse o nome de liberda- Estados-Unidos. Mr. Janes ganbou a eleicao
de, nao poderia deixar de luctar com vantagem por urna grande maioria contra ,os partidistas
contra o seu oppositor n'uma eleicao popular, do seu rival, o General Burnett, que be um
cuja bandeira fosse qualquer cousa que levasse exaltado annexacionista.
o nome de restriccao. Porm urna vez eleito A respeito da questo da escravatura em nada
Mr. Polk para a presidencia do Estado lo- mudar o estado actual de cousas a eleicao de
g i que das altas regies do (overno veja a ques- Mr. Polk. O novo Presidente da Uniao nao he
tao das pautas, nao como um instrumento abolicionista. (Correiodo Ultramar.)
para allucinar ou lisongear os instinctos de^um
partido, mas sim como um assumpto vque af-
(ecta de perto os interesses materiaes do seu
paiz, imaginamos que nao considerar esta
questo sob o mesmo aspecto com que a teem
apresentado os seus partidistas.
Alm das graves consideracoes econmicas
quti teem conduzido o Governo e as Cmaras
da Uniao a elevar os direitos da Alfandega para
os principaes artefactos da Europa, esta me-
dida foi tambem dictada porum espirito do re-
presalia contra os elevados direitos impostos
(dem )
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SUS. DKPUTAD0S.
Projecto do voto de gragas.
A commisso do resposta falla do Tbrono
apresentou hontem, na Cmara dos Srs. Depu-
tados. o seguinte projecto :
Senhor. As paternaes expressoes com que
pela Inglaterra na introducto dos productos V.M.I.. brindo a presente, sessao legislativa,
anglo-americanos. man. estou o prazer que \. M. I. sent ao ver-
Ocumprimento.pois, das promessas de Mr. se rodeado dos representantes da naco, pene.
Polk aos seus Eleitores, a respoito da questo lraro da mais viva g"l'd5o a Cmara dos De-
dos pautas depender menos da vontade do pulados, que nesse sentimento reconhece urna
novo Presidente que do aspecto que vai to- e.cao propr.a smenle de Monarohas que, co-
mando em Inglaterra esta questo edatrans- mo V. M. I., so glor.ao do firmar seus thronos
formaco que vio experimentando as convic- sobre oamo e voluntar.aobediencia de seus sub-
ios econmicas dos bomens pblicos dos Esta- ditos.
dos-Unidos. At agora he impossivel calcular A Cmara dos Debutados deplora, Sr.,que
qual dos dous paizes a Inglaterra ou os Es- *^ Pacano da sade da augusta Pr.nce-
lados-Unidos tomar a iniciativa na extirpa- Imperial collocasse V. M. I. na dolorosa ne-
co das pautas protectoras ; poca que nos cess.dade de a ver ausentar-se do imperio, e faz
acrediamos estar prxima. Nada pode inte- votos ao Todo-Poderoso para que desappareca
ressar mais vivamente aos 'que observao com em 'revo a causs M" ta ausencia motivara,
cuidado a marcha geral do commercio e da in- '" com o mais prolundo reconbecimcnto
dustria que o empenbo com que nos Estados- e sincero jubilo que a Cmara ouvio a grata no-
Unidos e na Inglaterra secombatem as doutn- ticia de se acbar terminada a perturbacao que
as do systema restrictivo, ao passo que em ltimamente allligira a provincia das Alagoas.
ambos os paizes se augmenta o rigor das res- 'Ella confia e muito ardentemente deseja que se
triccoes como necessario para o fomento do realisem as bem fundadas esperancas que nutre
commercio e da industria naciooaes. O exem- > M. I. de que larguem as armas aquelles dos
po de dous paizes to eminentemente praticos subditos do imperio que por mais de nove an-
em todas as questes de solida conveniencia "* pem alimentado a guerra civil na provincia
he o que se deveria recommondar attenclo do Rio Grande do Sul. As provas de valor e le-
dos que team em alguma cousa a prosperidade aldade com que o exercito c armada, concor-
da riqueza nacional ; antes que a loquacidade rendo para to ehzes resultados, teem merecido
especulativa dos quedefendem a liberdadd uni- o apreco de V. M. L. nao sao menos agrada-
versal do commercio. veis Cmara dos Deputados, que devidamen-
A aggregaco de Texas, outra das causas, te avalia os esforcos dosses subditos leaesde \ .
a seguiiJa na ordem a que se attribue a eloi- M. 1.
1


A Cmara dos Deputados, Sr. ,em nome]
da naco agradece a V. M. I. o empenho com
queV M. I. procura p.ir ictos repetidos de
clemencia apagar os vestigios das perturbarles
civis que em diversos pontos do imperio produ-
7.ir8o causas por muito lempo accumuladas e
paixoes cxacerbaJas. Alliando a dignidade da
cora com os sentmentos do humanidade eos
interesses pblicos. V. M. I. assignala o seu
pacifico reinado pelo exercicio de urna virtude
que em todos os lempos tem leito o principal
ornamento dos Monarchas credores das elogios
e do reconhecimenlo dos povos. A Gamura dos
Deputados espera, Sr., que es>es actos de cle-
mencia nao sero perdidos para a consolidaco
da ordern publica, para a prosperidade e inte-
gridade do imperio; e que as provincias das
Alagas e Rio Grande do Sul produzr elles
os mesmos benficos resultados que as de S.
Paulo e Minas Ge raes, onde, como V. M. I.
csperava, firmrio a ordetn publica, earraig-
ro no animo dos povos o amor e a mais pro-
funda gratido ao seu Monarcha.
A Sabedoria e firmeza com que V. M. I.
conserva inalteradas as relajos pacificas e am-
gaveiscom as nacoes eslrangeiras dao Cmara
dos Deputados a mais firme convicco de que
continuars ellas a ser mantidas sem quebra
dos interesses eda dignidade do imperio.
Convencida est a Cmara dos Deputados
de quanta protecco he credora. quanto preci-
sa ser animada a industria nacional, e de su
parte nao poupar esforcos, que, unidos a soli-
cita attengo de V. M. I., concorrer para fe-
cundar os progressos desse to interessante ramo
de prosperidade publica, aguardando os rela-
tnos das diversas repartieres, para examnal-
os cuidadosa e lealmente, eaproveitar as ideias
que a este e a outro respeito Ihe frem submi-
nistradas.
A Cmara reconhece, Sr que a segu-
ranza publica be o resultado da balanca exacta
dos poderes constituidos; assim empenhar-se-
ba ella em manler esse equilibrio, unindo fiel
e francamente seus esforcos aos desvelos de V,
M. I., acatando religiosamente as augustas pre-
rogativas da Coroa respeitando e firmando
quanto em si estiver as attribuicoes dos poderes
polticos do estado, e assegurando ao povo, que
so deseja gozar em paz o fructo do rgimen
constitucional sob a salva-guarda do Tbrono de
V. M. I. recta imparcialidade nos julgamen-
tos, liberdade e convicco na escolha dos seus
representantes; e ser assim que a Cmara dos
Deputados julgara ter firmado as nstituicoes
sobre a profunda base dessa consolidarlo, que
nica pode assegurar a prosperidade publica, a
de V. M. I., e lechar para sewpre oabysmo
das perturbarles civis.
Paco da Cmara dos Deputados, 7 de Ja-
neiro de 1845./. A. Marinho M. J. de
Souza Franca. Ptuoa de Mello.
_____ (J. do C)
CORREIO.
CORRESPONDBNCI V Di CIOADH E PBOVINClV..
Ante-hontem appareceo to p da ponte da
Boa-vista o cadver de um homem preto nao
sei se mostrava alguns signaos de ter sido assas-
sinado.
Ifontem pelas 4 horas da tarde um caixeiro de
nome Vianna levou umi estocada no botequim
;la Estrella : o ferido te.n guardado grande si-
lencie a respaila de seu aggressor.
Um amigo do Rio-Form o me nonti que o
insigne Subdelegado aquella freguezia sa-
liendo na noute de 19 que o Delegado do termo
tinha de fater urna diligencia, para a qual havia
requisitado for^a ao Commandante do destaca-
mento ora ter com este e Ihe intimara que
fizeste regressar a forca ao quartel porque elle
Subdelegado a nao havia requisitado isto em
presenta do proprio Delegado : o OIBcial res
pondeo-lhe que se dirigisse ao Delegado por
que era quem havia requisitado essa forca ;
mas o empalia replcou quo Ihe obedecesse ,
para ouvir ao Quicial, que se fsse d'alli embo-
ra quanto antes, como oi depos de haver tam-
hem intimad ) ao Delegado, que fi/.esse retirar a
lorca deixando a matroca a que comsigo
levava para se fazer obedecer e cujos soldados
so mandarlo maquinar um para aqu outro
pare acola : pobres matutos !
Tinha assentado com meus botoes que
o pardav,:Sco Adamastor andava oceupado fa-
zendo de Matheus em algum Bumba meu boi
la pelo Poco, Casa-Forte ou Santa Amaro e
eis seno qnando nosapparece com a sua tirada
no D.-novo de bontem tirada sem duvida
que honra a pata, a praia e a patria dos mar-
taledes Seja bem apparecido Por onde an -
dou que to bom cabello criou ? Como vem
quemado \ Esloleitos os comprimentos; va-jdevo suppr-se quo nao. A Mesa Parochial
mos agora ao quo importa. Defini vossa mer- deve compor-se.... Eu nao estou bem eerlo
ftl
co.
FLElfA PARA SENADOR.
Resultado da eleico dos collegios do Recife,
Olinda, Iguarass S. Anto, Pao d'Alho,
Garanhuns, I.imoeiro, Bonito e Sriuhaem.
Os Srs. Votos.-465
Antonio C. Riheiro de Andrade
Antonio Joaquim de Moli V393
Thomaz Xavier Garca d'Almeida
Baro da Boa-vista \ 341
Manoel de Souza Teixeira 306
Sebastio do Reg Barros 243
Collegio dt Goianna
Mello 60
Manoel de Sousa 67
Antonio Carlos 55
Thomaz Xavier 7
Bario da Boa-vista 2
Sebastio do Reg 1
Collegio do Limoeiro.
Antonio Carlos 93
Mello 93
Thomaz Xavier 60
Manoel de Sousa 26
Baro da Boa-vista 1
Collegio do Bonito.
Mello 57
Antonio Carlos 52
Manoel de Sousa 50
Bario da Boa-vista 26
Tbomaz Xavier 21
Sebastio do Reg '21
Serinhaem.
Baro da Boa-vista 20
Antonio Carlos '21
Sebastio do Reg 15
Mello 14
Manoel de Sousa 12
Tbomaz Xavier 10
Monteiro e Sebastio do Reg foi o argumento
que convenceo a commisso copiamos as opi-
nides dos correligionarios dos Srs. Antonio Car-
los, Urbano e Jos Carlos; sao os Srs. Alves
Machado Das de Carvalho e Marinho, que
declarro nao ser assencia! a assistencia do Pa-
rodio na eleico de S Paulo.
Nao fallamos da opinio do Sr. Antonio Car-
los em 1340 porque Antonio Carlot Minis-
tro opina lempre de modo opposto a Antonio
Carlos Deputido. Assim he que pode o omino-
so Ministerio de Fevereiro conservar as pastas
com urna maioria servil jungido ao carro o
Sr. Andrada Machado a troco da Senatoria.
O Sr. Marinho : Sr. Presidente, a ques-
tio mais capital na minha opinio, e que an-
da nao foi tratada, creio que he aquella em
que tocou o nobre Deputado isto be que o
abandono do Parocho ou a nao existencia do
Parodio ou de algum membro da mesa eleilo-
ral importa a nullidade na eleicjo ? Eis-ahi o
que desojara ver decidido porque existem al-
guns factos da mesma na tu reza em outros col-
legios.
Eu reconheco na verdade que nao ha nada
mais injusto do que sujeitar a eleico de urna
provincia ao capricho de um homem. Em Mi-
nas tem acontecido um Parocho ou Juiz de Paz
principiar a funecionar, mas assim que v que
as oleigoes vao dando um resultado contrario ao
que suppunha, abandonar a mesa e relirar-se
Ora, na provincia de Minas, nos lugares onde
sedero estes casos, nao se procedeo selei(5es,
mas felizmente nada inlluiro....
Voltemos porm questo. A falta ou a-
bandonodeuma MesB Parochial, pelo Parocho
ou outromembro,importar a nullidadeda elei-
co i' Parece que pelos principios mais razoaveis
ce o quo era, e o que significavaguabiru
por quo nao disse tambem o que quer dizer
maritafeic, j que tanto sabe de Zoologa e se
neste decreto de 4 Maio de 1842.... creio que
do Parocho do Juiz de Paz, e mais dous Se-
cretarios e dous Escrutadores eleitos por urna
sabe em lngoa Runda expressar com tanta da- commisso ; temos pois seis pessoas compondo
reza ? I Diga nos mais, vossa merc medio o a mesa. Parece que estando a maioria mui-
guabir.e affirma.^ue paisa de um palmo cra-
veiro sem contar com o rabo, mas nao nos d a
entender por onde o pegou a verificar a sua
medigo : seria acaso pelo mesmo rabo ? Eu
assim o acredito, porque se assim nao fizes-
so, tendo confessado que o guabir he experto
e ligeiro. elle Ihe fugria, e vossa merc nes-
te cazo ficaria com cara d'asno. Nos Ihe pedi-
mos agora em nome d& praia, que logo que
encontr algum guabir I -o agarre com gunio
as barbas (cuidado Iba nao morda) e muito de
vagar se de ao trabalho de medir o rabo, por-
qne o mais j vossa merc sabe. Recomend
Ihe todo o geito.a couza nao he para greca.
O faceto Nunes Machado disse na sessao de
4 do correntoque elle nao coniiava nem 10
rs. da Cmara MunicipalSe fossem consulta-
dos os Yereadure e sem duvida toda esta pro-
vincia, talvez fossem todos concorde em dizer o
mesmo desse Sr.No quero com ludo aflirmar.e
menos invenenar a intenco do nobre fallador,
pd# ser que elle no balanco dado, quando da-
qui sabio, conhecesse, que nem 10 rs. tinha
I i vr-s e desembargados, e ento como confiar
o que se nao tem r
O Padre Muniz foi pela Cmara dos Depu-
tados nomeado para um dos membros da Com-
misso dos Negocios Ecclesiasticos : isto equi-
vale a fazer a cama sem vtr a noiva.
DIARIO IE PERNABRIJCO.
Urna das decises mais repugnantes, ou para
fallar claro,mais escandalosas da commisso do
Governo na verificaco dos'-poderes dos Depu-
tados desta provincia, da Babia e Cear foi sem
duvida h nullidade das eleicoes, que os Paro-
dies abandonro, quando se conbecro ven-
cido. A eleico de Garanhuns fui urna das
mais regulares da provincia. All o Juiz de
Paz, o Vigario o o Delegado ero adversarios
dos que vencro a eleico primaria. O Viga-
rio e o Juiz de Paz apoiados por um Delegado,
que nao recua pirante consideraco alguma, es-
peraro vencer a eleico, tanto mais quinto na
qualificaco recopheiro quo o Subdelegado
apresentava um alistamento muito conforme
com a constituirlo.
Fez-se em paz o sorteamento, e comecou o
recebimento dos votos, de que se fez acta,(indo
o dia, assignada por toda a mesa. Quando o
Vigario e o Juiz de Paz viro quo a maioria dos
votantes nao tinha aceitado a chapa do Delega-
do, deixro de comparecer, apezar de Ihes ter
a maioria da mesa ofliciado para irem concluir
os trabalhos da comecada apuraco : e com a
resposta de que l nao voltavo, cbamou a me-
sa o Juiz de Paz Supplente.que logo entrou em
exercicio e chainou os Sacerdotes, que ha-
vio na parochia, os quaes recusro ir sem au-
torisaco do Vigario. Concluio-se o acto com
a maioria da mesa, faltando s o Vigario.
Paramoitrarmosque aexclusiodos Srs.Maciel
to principalmente quando o Parocho tem assis-
tido a tculo o processo formicio da mesa
anda que diese retire, nao deve isso impor-
tar nullidade.
O Sr. Das de Carvalho : Sr. Presiden-
te, nao he sem bastante receio que me levanto
para declarar quo voto cantra o parecer da no-
bre commisso da poderes na parto em que ex-
clue a votaco do collegio de Paranagu em S.
Paulo. Kntendo que as razoes em que a no-
bre commisso so fundou para excluir este col-
legio eleitoral nao sao to valiosas que me de-
terminen) a fazer exclusao dos votos de todos os
collegios.
Pelo que pude observar dos papis que esto
sobre a mesa, que foro presentas nobre com-
misso vejo que a razo principal por quo a
nobre commisso entendeo que nao devia ad-
mittir os votos deste collegio loi principalmente
a retirada ou ausencia do Parocho. Mas se nos
estabelecermos o precedente de que a retirada
de um membro nato da mesa he por si so bas-
tante para annullar nao s as eleiQdns de paro-
chia, como anda as de todo o collegio esta-
belecemos nm precedente cujas consequencias
pdem ir muito longe.
Eu nao sei mesmo se a Ilustre commisso
pedera examinarse em todas as partes bouve a
mesma oceurrencia. De Paranagu teve a com-
misso pleno conhecimento. mas o mesmo fac-
i podia ter acontecido em outros lugares sem a
Cmara o saber, e ento poder-ie-hia dizer
vos recebestes sem nenhuma observarlo os vo-
tos dados em taes e taes collegios, ou em taes
o taes parochias, com estas ou com aquellas
irregularidades, entretanto que excluistes um
collegio inteire s por esta falta.
Mas, senliores, nao foi s esta a razo que
me determinou a levantar-me a fallar contra o
parecer. Examinarei qual foi a razo porque
o Parocho se retirou da mesa.
Havia elle assistdo ao eomeco da eleicjo ao
recebimento das cdulas do primeiro da Nes-
se dia nao se retirou nao protestou ; no se-
gundo he que deixou de comparecer decla-
rando que nao pretenda mais voltar porque
os trabalhos do collegio ero nullos. Mas qual
he a nullidade do collegio ? Isto he o que cum-
pre examinar com toda a attenco o cuidado.
Houve pois dous sujoitos que denunciro
que bavia suborno o so por este facto (lave-
mos de excluir toda a votaco de um collegio ?
Observou-se.se houve esse suborno, e seria elle
de qualidade que affectasse inteiramente a e-
leico i' Eu entendo que sao queslOes que nos
cumpre examinar. I
Se ieio o decreto de 4 de Maio de 1842 o
que vejo P Diz este decreto que bavendo de-
nnucia de suborno, sera remettida autorida-
de competente : mas nao manda parar os traba-
lhos emquanto se nao verifica a verdade da de-
nuncia. Deveria a mesa s pela simples de-
nuncia de um cidado de que bouvera suborno
suspender os seus trabalhos ? Deveria por este
fado considerarse inhabilitada de continuar
as suas (uncios ?....
Senhores, o que fez mais impresso no meu
espirito foi z. leitura da denuncia. Vejamos
em que ella consisti. [Lt a denuncia a que te
refere.)
Sr. Presidente, se estas razoes por s sos sao
suficentos para se declarar nulla urna eleico,
ento he impossvel haver eleicoes no Brasil
[apoiados).
A vista p >is das razoes de suborno que foro
denunciadas mesa, vista do nenlium funda-
mento que teve o Parocho para retirar-se da
mesa, entendo que deve ser considerada valida
a eleico de Paranagu que devemos contar
os votos desse collegio. Dmais, isto nio ai
allectar precisamente o estado da questo.
Entre o Sr. Stockler e o Sr. Pimenta Bueno ha
pouca diffenga de votos; em todo o caso o Sr.
Pimenta Bueno heDeputado'e o Sr.Stockler 1.*
Supplente ou vico-versa, e de qualquer mo-
do o Sr. Stockler tem de tomar assento por-
que o Sr Bueno est no Paraguay. Entretan -
to nao se admitte o precedente de que a retira-
da de um simples membro da mesa seja bastan-
te para annullar a votaco inteira nao s de
urna parochia como de um collegio.
0 Sr. Alves MachadoQuando prese tica ou
nao presenca do Parocho, se isso importa urna
nullidade insenavel j temos discutido isto
em outras occasies.
A lei e o bom senso da casa serSo bastantes
para decidir a questo com urna votaco cuns-
cienciosa.
COMMBCIO,
Alfandeg.
Rendimento do dia 30......... 13:442*084
Descarregdo hoje 31.
BriguePytagorasmercadorias.
BrigueConfiancarolos de fumo.
PatachoNove Congressomercadorias.
Galota--/lina febeccaidem.
BrigueSir llobert Campbellbacalho.
IMPORTACAO.
Veliz Destino, brigue portuguez viudo de
Lisboa entrado no crrante mez, a ennsignacao
de Francisco Severianno Rabello manifestou
0 seguinte:
12 pipas vinho 12 ditas vinagre 3 gamelas
cera amarella ; a Tbomaz de Aquino Fonseca.
50 pedras de cantara lavrada; a Jos Ra-
mos de Oliveira.
10 ditas dita ;_ a Joo Jos de Carvalho Mo-
raes.
14 gamelas de cara branca; a Jos Pereira
da Cunha.
1 caixote marmelada ; a Manoel Antonio Go-
mes.
1 caixa com um oratorio, urna dita com urna
commoda e as gavetas marmelada 1 sacco
castanhas; a Feliciano Jos Gomes.
3 fardos resteas d'alhos ; a Policarpo Jos
Layne.
2 barris vinho ; a Joo Pinto de Lomos.
2 barris vinho i caixa ignora-se, urna con-
deca miudesas ; a Angelo Francisco Carneiro.
1 embrulho lolhas de sorra; a Manoel Go-
mes da Silva.
2caixas louca usada; a D. Mafalda Pinaluga.
10 barris chouricos, 2ditos presuntos, 6 cai-
xastoucinho, 6 barris azeite de oliveira 2
gamelas cera amarella ; ao Capito.
1 caixa prata em obras ; a Gabriel Alfonso
Rigueira.
I embrulho queijos, figos e feijdes ; a Manoel
Vicente Ventura.
4 barris vinho 2 ditos paios e chouricos ; a
Luiz Jos de Souza.
5 fardos lonas ; a Antonio Goncalves de Aze-
vedo.
1 embrulho livros ; a Joaquim Teixeira Pe-
xoto.
1 caisa Panoramas, % pipas e 109 barris ?i-
nho tinto e branco 40 pipas e 2 barris vina-
gre 15 gamelas cera amarella, 3o barricas
semeas M barris paios e chouricos 6 caixa
toucinho, 10 barris azeite de oliveira 8
pecas cabos da Russia, 1 barril sardinhas, 1200
molhosde ceblas ; aos consignatarios.
George, brigue austraco, vindo de Trestre,
entrado nocorrente mez a consignaco de N.
O. Bieber & Companhia manifestou o se-
guinte :
1,100 barricas farinha de trigo 4 canas
phosphoros, 18 ditas licores 400 resteas d'a-
lhos; aos consignatarios,
Arago, brigue francez vindo do Havre de
Grace entrado no correte mez a consigna-
cao de Luiz Bruguire manifestou o seguinte:
100 barricas bacalho 2 caixas fazendas de
la 4 ditas chapeos 2 ditas diversos^tecidos ,
1 dita sellins 1 dita suspensorios, 4 ditas pa-
pel de pezo 8 ditas dito florete 4 ditas velas
de espermacete 3 ditas tecidos de seda l di- .
ta chapeos de sol 1 dita luvasdeseda, 20'di-
tas queijos 600 gigos batatas 2 potes banlia
de porco i dito linguicas, 1 dito manteiga ,
I caixa pao d'ouro; ao consignatario.


3
??~"^WB
3 caixas agoa de Colonia, 1 dita sellins; a A.
St. Martin.
S caixas espingardas; a Luthier.
I caita fl6.es fitas, luvas, mantas de seda e
vestidos 1 dita suspensorios, 1 dita b.jotcrias
e joias ; a M. Bermel.
1 caita relogios, oculos, rap e pertences de
relojoeiro, 1 relogio de parede ; a C. Garnier.
I caita conservas, 2 ditas ameixas, 1 dita
alfinetes, 3 ditas porcelbna 1 gigo garrafas
va/.ias, 5 caitas chapeos 3 ditas perfumara ,
2 ditas pelucia 1 dita guarnidles para cha-
peos 4 ditas calcado 1 dita cristal em obras,
2 ditas pbosphoros, 1 dita cbloruro 9 ditas
d/ogas 17 ditas papel, 2 barris sal d'Epson e
Gleubert, 2 barris verdete ditos alvaiade
branco, 5 caitas vidros 1 barril caparroza ,
1 dito malvaisco 1 caita oleo de palma Arria-
te 1 dita ral Lafferteur 1 dita goma-laca ,
2 barris dormideirss, 3 caitas cidos 2 ditas
verniz, 2 ditas livros em branco 1 dita sag,
1 sacca araut-zoat 2 caitas agoa mineral 2
ditas inserados 1 dita caitas para tabaco 3
ditas agoa de Colonia, 2 ditas sellins 1 dita
pelles de be/erro 1 dita tecidos de la 1 di-
ta merinos, 1 dita candimos 1 dita suspen-
sorios, 1 dita carneiras 1 dita chapeos deso,
1 dita eslampas e papel 2 ditas pannos 1 di-
ta papel pintado 1 dita flores 1 dita espe-
Ihcs 1 dita miudezas e sCdas, 1 dita caixas de
papelo; a Avrial Frres.
12 caitas drogas, 50 echas de pao campecbe;
a Saisset & Companbia.
4 caitas cidos muriatico ntrico e sulfri-
co 1 dita verniz 1 fardo carvo animal, 3
caitas drogas, escOvas candieiros e um appa-
relho de Liebig 1 dita fugareiros, 12 fardos
giz, 2ditos malvaisco, 2 ditos dormidoiras ,
1 caia essencia de genebra ; a Bartbolomeo
Francisco de Souza.
1 caita tecidos de seda 14 ditas e 4 fardos
ditos de algodo 1 dita amostras 40 barris
e 20 meios di'os manteiga 1 caita velas d
espermacete, 2 ditas chales de algodo; a Scba
feilen & Tobler.
50 gigos vinho Champagne ; a M.' Calmont
6 Companbia.
1 lardo tecidos de algodo; a F. H.Luttkens
1 caita doces ; a Guimaros.
4 fardos e 1 caita tecidos de linbo, 1 dita di-
tos de linho e algodo 1* dita pentes de ferro,
7 ditas pelles, 1 dita suspensorios, 5 ditas cha-
peos 1 dita livros em branco 2 ditas sellins,
1 dita carteiras pentes de tartaruga luvas de
seda e bacas de metal 1 caita livros impres-
sos, 1 dita tecidos de seda ; a Lenoir Puget &
Companbia.
13 volumes tecidos de algodo 1 caita len-
cos e chales de cassa 3 ditas tecidos de seda .
dita fumo de seda 1 dita pannos de la 1
dita tecidos de la o seda 2 ditas tecidos de
la e algodo 116 caitas vidros ; a J. Keller.
1 caita vidro em obras 1 dita fitas de seda,
2 ditas tecidos de seda 3 ditas ditos de la e
seda, la e algodo 1 dita ditos de seda e al-
godo 8 ditas ditos de algodo, 1 dita cassas,
2ombrulbos amostras; a Kalkmann & Rose-
mund.
3 caitas couros e pelles 13 caitas diversas
fazendas, 2 molhos d'ac,o 2 caitas chapeos, 1
dita cord5es de algodo 3 ditas pertences para
sellins, 2 ditas quinquelherias 1 dita bons,
1 dita um toucacor 1 dita madeira em folba-
gem 1 dita lanternas; a J. P. Adour & Com-
panbia. ^-
2 barris pregos, 3 caitas espingardas 2 di-
tas chapeos 2 ditas velas de espermacete 1
dita lonca 1 dita pelucia de algodo 2 potes
rapo 2 lardos ignora-se 1 caita chapeos de
sol 2 ditas ignora-se, 1 dita calg.ado, 80 bar-
ris e 40 meios ditos manteiga ; a ordem.
8 caitas espingardas 25 ditas queijos ; a
Brander i Braodis.
1 caita pains, 1 dita estampas litbographa-
das 1 dita tecidos de algodo ; a Bull & Cha-
va nne.
Triheten, brigue sueco, vindo de Lisboa en-
trado na corrente mez a consignado de N. O.
Bieber &. Compaohia, manifestou o seguinte :
30 caixas ameichas ; a M. L. Machado Ma-
in eiro.
211 3/5moios desal; a Ordem.
Anna Rebeca, galiota hanoveriana vinda de
Hamburgo, entrada no corrente mez, a consig-
nacao de F. H. Luttkena, manifestou o se-
guinte :
172 barricas botijas de genebra 5 caltas ea-
pelhos 325 barras de ferro 30 caitas sabo ,
I dita papel 2 latas biscoutos ; ao consigna-
tario.
50 barris cimento 9 caitas miudesas, 2 ditas
schuck de espartara 2 ditas flguras de pao e
outros objectos 1 Tardo pannos de la I dito
fasenda de algodo I pacote amostras, 13500
botijas vasias, urna caixa botoes de algodo e
de seda 2 ditas suspensorios ; a ordem.
1(7 volumes garrafas para plvora, copos, ta-
lhres, facas e amostras de lerragens i caita
ferragens, 1 dita massas para chapeos 1 di-
ta bengalas e urna caia de marcipo ; a A. J.
Koblmeyer.
12caixas telhas de vidros, 5 ditas brinque-
dos de pao duas ditas espelhos com damas ,
2 ditas toucadores 4 ditas ditos de gaveta I
dita ganchos para cabello, t dita cordSes de
algodo ; a A. J. D. Wolfhopp # Companbia.
1 barrica beserros ; a J. Keller.
1 pacote msica; a II. Holsinger.
5 tinas bitas ; a Julius Tegetmeier.
tcaita feltros para chapeos ; a Kalkmann &
Rosemund.
4-caitas espingardas ; a Brendura Rrandis.
50 barris cimento, um pacote livros impres-
sos 3 caitinhas amostras; a A. Willers.
1 pacote lencos de algodo ; a G. Ken vrorthy
V Companhia.
20 volumes drogas; a Weitch Bravo S Com-
panhia.
1 caixa botdes de osso ; a Cesar Kruger.
Pithagoras, brigue nglez, vindo de Londres,
entrado no corrente mez, a consignaco de Me.
Calmont & Companhia, manifestou oseguinte :
600 barris plvora 20 duzias oleo de linha-
5a 120 barricas farlnha de trigo, 30 barris sa-
litre 40 ditos de dito refinado, um fardo (lo
de algodo 4 caixas chapeos, 6 ditas de dito de
sol 2 gigos ignora-se, 1 barril vinho 1 caixa
livros e papel 1 caixa fasenda de algodo i
volume calomelanos e sublimado corrosivo, 1
caixa oleo de amendoas 100 barris chumbo
demunico, 12 barricas alvaiade, 60 caixas
queijos, 41 barricas cerveja ; a Fox Brothers.
130 barricas cerveja ; a L. G. Ferreira & C.
2 barris vinho ; a Roop Brookins.
50 barricas cerveja, 5 ditas vinho 50 caixas
qneijos 25 barris e 25 rneios ditos manteiga,
50 baris plvora 6 caixas calcado, t dita di-
versos objectos e miudezas, 6 gigos vinho de
Champanhe, >00caixas genebra ; a F. Robil-
liard.
30 barricas cerveja 1 barril ago'ardente ,
3a toneladas de carvo de pudra : a J. Carine.
475 barris plvora ; a Smith Corbett.
475 ditas dita ; a W. E. Smith.
200 dita dita ; a Me. Calmont # C.
15 caixas cobre, 1 barrica (landres em barra;
a J. A. dos Santos Andrade.
404 barris plvora ; a Jones Patn & Com-
panhia.
15 barris oleo do linhaga 100 ditos chum-
bo de munico 20 caitas folhas de (landres ,
12 rolo- de chumbo, 1 barrica (landres em bar-
ra 1 dita sida 4 ditas alvaiade 1 dita li-
thargirio 2 ditas ignora-se 34 pecas de ca-
bos de manilba 34 barricas grata para calca-
do 8 ditas acre 1 (ardo barbante; a James
Crabtree & Companhia.
5 vlvulas 1 caita ferrolhos, 1 dita igno-
ra-se 7 canos do ferro, 1 peca de dito 2 pi-
pas lerragens, 2 caitas ditas ; a Companhia do
Bebiribe.
49 pecas de cabos 12 caitas queijos; a N.
O. Bieber & Companhia.
1 csixa ferragens e lati, 2 varas de ferro, 2
rolos de ferro, 1 volume dito ; a Johnston Pa-
ter& Companhia.
PORTUGAL.
Cambios em Lisboa em 17 dt Dezembro.
Eflectuado.
Amsterdam 3 m d.
Hamburgo' 3 m.
( 50 d.
( 90 d.
100 d.
Londres
Pari/.
d.
v.
d
d.
Vinheiro.
45
504
Let.
44 y*
54/
54 ',t
54 >A '/. 54 A
55 54 /* 55
510 508
Hitado do mercado desde 14 at 20
de Dezembro.
Assucar.Os compradores esto mas frou-
tos tendo bavido poucas vendas no decurso
da semana em virtude do augmento do im-
posto de 5 por cento que pago os gneros.
Arroz.Est irais frouto em consequencia
de algumas porces qne tem entrado.
Algodo.Teem bavido mais vendas para as
fabricas.
Borrata.Da fina chegou urna pequea par-
tida.
Cacao.Contina a escacez tendo ultima-
mente ebesado urna pequea partida.
Caf. Houvero vendas para reexportadlo
da segunda qualidado e ordinaria bavendo
falta do bom que he procurado.
CeraHouvero vendas do pequeas par-
tidas da do Angola regulando o prego medio
colado. Da branca ha umita falta.
Chifres.Ha falta dos grandes, dos pe-
queos nao sao procurados.
Couros.Lontinuo a ter sabida os seceos
para embarque : dos salgados teem bavido puu-
cus vendas.
Goinm copal.Vendeo-se urna grande par-
tida a preco mais baixo para embarque nao
havendo a comprar na primeira mo.
Ipicacuanba.Presos nouiinaes e nao he
procurada.
Marfim.Os compradores eslo mai< frou-
xos recusando dar precos altos. Do escrave-
Iho ba pouco.
Oleo de Copahiba.Precos nomioaes Sem
venda.
Ouruc.-Chegroduas partidas ao mercado.
Pimenta. Falta ; achando-se em segunda
mo a maior parte.
Salsa parrilha. AcabSo decbegar 1,232 ro-
los, sendo parte ordinaria. Os precos colados
sao nominaos havendo toda a probabilidade
de baixar por falta de compradores.
Tapioca.Tem afluido algumas partidas ao
mercado o que tem feito affrouxar os precos ;
havendo falla da superior que he de prompta
venda.
Urzella.Os possuidoressustenlo os precos
colados havendo poucas encommendas para
embarque.
Fundos pblicos.Baixro mas com tudo
aos precos cotados ha compradores o tem ap-
parencias de conservarem-se.
Acgoes de companbias. Soflrrao alguma
baixa nos precos e poucas transaccoes se rea-
lisro.
Papel-moda e titulos Pequeas transac-
coes.
Cereaes. Os precos no mercado nao pu-
dem firmar-sc com exactido porque so tem
havido sabida para os despachos e despejo dos
nmeros, e para liquidaco.
(Folha Commercial.)
(Diario do Governo.)
Ifovtmento do Porto
Naviot sabidos no dia 30.
New London ; galera americana t'lectre ca-
pito John Ward.
dem ; brigue americano Pavoliam capito
John Adams, com a mesma carga.
quecujos signaessSoos seguintes,d<)8a9 anno*
tendo na cabera uns pontos falsos proveniente
de urna queda que levou ha trez das ; levou
vestido calca de algodo carniza de madapo-
Ifio o suspensorios de cadaco encarnado ;
consta andar no bairro da Boa-vista : quena o
ptgar leve-o a casa do Major Thomaz Gusmao
ao entrar da ra da Penha.lado do nasconte.so-
brado de trez andares, o qual gratificar gene-
rosamente.
AGENCIA DE PASSAPORTES.
3Na ra do Rangel n. 34, correm-se folhas
e tiro-se passaportes para dentro efra do im-
perio com muita brevidade e preco mais com-
modo que em nutra qualquer parte. (5
Aluga-se urna escrava cozinha, lava e en
gomma ; na ra de Hortas n. 94.
3 Arrenda-se um sitio na estrad de Bel-
lem, com urna casa de sobradlo e outra terrea,
trra alta e baixa para plantarles de invornoo
vrrao, e pastagem para vaccas: assim como urna
otaria na ra da Gloria com casa para o ren-
deiio, a qual tem commodos para qualquer ou-
tro estabelecimento bem como de padaria ;
quem pretender, dirijase a inesina ra sobrado
n. 59. (9
3Alu,<>;o-se o l.'e 2.'andares do sobrado
da ra Direita n. 20 junto, ou separado, com
commodos para grande familia, para ver-se es-
to as chaves na mesma ra Direita padaria n.
24; quem pretender, dirija-se a ra das Trin-
cheiras n. 42, segundo andar, das 6 as 9 horas
ffeclara^ao.
1 O Arsenal de Guerra precisa comprar
mantas de algodo e brim para soldados ;
quem tivertaes gneros compareca no mesmo
Arsenal as horas do expediente.
Avisos martimos.
2Para o Aracaty sai impreterivelmente no
dia 18de Fevereiro o brigue-escuna tienri
qu$ta ; quem no mesmo quizer carregar ou
ir de paisagem, para o que tem excellentes com-
modos dirija-se ao capito abordo, ou a No-
vaos & Companhia na ra da Cruz n. 37. (6
2=Para a Baha sai impreterivelmente 6
de Fevereiro, a sumaca Santa Anna; para car-
ga e passageiros trsta-se com Novaes & Com-
panbia na ra da Cruz n. 37. (4
3 \ emle-so o bem conhecido hiate nacio-
nal Especulador, forrado de cobre e prompto a
seguir viagem fundeado defronte do trapi-
che da Companhia;os pretenden tes pdem diri-
gir-se a Le Bretn Schramm di C. ra do Tra-
piche n. 19. (6
2-Para Lisboa sabe com toda a brevidaue
por ter a maior parte di carga prompta o bem
condecido e acreditado brigue portuguez Feliz
Destino de que be capito Autonio Goncalves
deA/evedo; quem precizar carrejar ou ir de
passagem para o que tem muitos bons commo-
dos dirija-se ao seu consignatario Francisco Se-
verianno Rabello ou ao capito na Praca do
Commercio ou a bordo. (9
.eila
2= O leilo publico do velUme, vergas,
mastareos e mais pertences do brigue /'ro-
llos continuar boje 31 do corrente s 9 ho-
ras da manba, no lugar ja designado quando
se principiou o mesmo leilo. (5
da manba e das 2 as 4 da tarde.
(7
Avisos diversos.
6 = Acba se correndo os dias da le,para ser
arrematada de venda, peranie o Sr. Dr. Juiz de
Orlaos, a casa terrea n. 10 da ra Direita, com
14 palmos de frente, 69 e meio de fundos,cozi-
nha dei.tro pequeo quintal, chaos proprios,
avahados em 500> rs pertencentes ao demen-
te Vigario Patricio Jos de Souza. (1
2 Precisa-se de 2:000.000 re. a um e meio
por cento, por tempo de seis meres ou um an-
no com segu ranea em um sobrado no bairro
ia Boa-vista em boa ra ; a tratar no atierro
da boa-vista n. 40. (5
2= A viuva do finado Manuel Martins de
Sousa Borges, convida pelo presente a todas as
pessoas que se julgaremcredorss do seu cu/u I ,
de comparecerem no dia 3 de Fevereiro pelo
meio dia na sua taverna da ra do Livramento
n. 20, a lini de Bies patentear o estado de sua
casa para deliberajem o queacharem conveni-
ente a bem de seus interesses. (8
3Antonio d-Souza Rangel arrenda o seu ,
sitio na Magdalena, e vende o seu cavallo; quem
pretender, dirija-se ao mesme sitio ouao Sr.
Francisco de Amorim Lima na ra da Gloria
o. 7. (5
De/appareceo oo dia 29 do corrente, 1 mole-
Faz-se sciente aos devotos do
milagroso S. Hraz da Igreja de 1N.
S. do Terco que por causa do
entrudo ica transferida sua festa
para o dia quinta letra 6 de Fe-.
vereiro.
2=0 Tenente Coronel Ignacio Antonio de
Barros Kaleo embarca para o Rio de Janeiro o
escravo Francisco, Cabund, a entregar a seu
senhoro Conego Joo Rodrigues de Araujo, no
Palacio da Conceico (5
3-_ Aluga-se urna casa de 2 andares e tra-
peira sita na ra das Larangeiras n. 5; a tra-
tar na ra do Encantamento n. 8 A. (3
2=Transfero-se para a ra da Cruz n. 38 ,
confronte a cacimba o depozito de rap Prince-
sa de Gasse, aondo se contina a vender as trez
superiores qualidades de rap Princeza fino a
prego de 900 rs a libra grosso e meio dito a
1 280 rs., sendo de 5 libras para cima, e para
menos desta quantidade s<> se vender pelos
precos de \a rs. o fino e 1 j360 rs. o grosso e
meio dito. (9
4 LOTERA DO GUADELUPE.
A lotera do (iuadelupe que fra preterida
no andamento de suas rodas, pelas de S. Pe-
dro Martyre theatro deve correr impreteri-
velmente no dia 15 de Marco, como por S.
Ex. o Sr. Presidente da provincia foi confir-
mado. Os li.Hieles esto venda as lojas de
cambio na ra da Cadeia do Recife na de
miudezas do Sr. Fortunato praca da Unio ,
na botica do Sr. Moureira Marques, em S.
Antonio, na botica do Sr. Couto largo da
Boa-vista e finalmente em Olinda foja do Sr.
Domingos nos Quatro Cantos. (12
6 Recebem-se cavallos para se tratarem,
compro-se e vendem-se sangro-se e curo-
se ; na ra da Conceico da Boa-vista n. 60. (3
5Em 27 deOulubro de 1844, desappare-
ceo um moleque de nnme Paulo de uacao
(Juicam de 18 anuos pouco mais, ou menos,
est Ihesahindo buco de barba he um tanto
secco do corpo abre os dedos grandes dos ps
um tanto para lora pernas finas, nariz chato,
olhos pequeos e avermelhados era costuma-
do andar vendendo doce de jalea em copos, por
toda a parte desta cidade, julga-se ter sido lur-
tado porque nunca fugio ; roga-se a qualquer
senhor de engenho, ou outra pessoa quem el-
le fOr oflerecido, ou por acaso acoitado em seus
dominios, o aprehenderem e participaren) a seu
legitimo Sr. Antonio Jos Goncalves Azevedo na
ra da l'raia armazem de carne n. 19 que re-
coinpencar e pagar toda e qualquer despeza
que se fuer. {{"j
6 RAPE FINO
VINAGRINHO
Jernimo da Costa Gulmares e Silva, asss
agradecido ao benigno publico pela grande ex-
tiarcno que tem lido o rap fino Vinagrinho
de sua fabrica tem a satislaco de Ihe poder
declarar, que se nao Iludi com o acolhimen-
to que fez ao mencionado rape.
A approvaco que a respeitavel sociedade
de Medicina desta provincia se dignou dar ao
rap fino Vinagrinho, depois de o haver subine-
tido a urna analyse chimica asss rigorosa he
o maior elogio que se pode lazer a sua qua-
lidade.
O annunciante se obriga a ler sempre boa
qualidade deste rap a disposico de seas be-
nignos freguezes. .
O embrulho dos botes he azul, e os rtu-
los brancos ; vendem-se de cinco libras par
cima a i iino r?. no deposito da ra da Ca-
deia do Recife n, 50. (20


30 Sf. Joao Nepomuceno Gomes que an-
nanciou ter em seu poder urna escrava perten-
cente a Gonzalo Lopes Galvao morador en
Curraes-novos declare a sua residencia por es-
te Diario ou dirija-se a ra do Crespo n. 17.
3 Precisa-se fallar com os Srs. Antonio
Francisco Xavier Correia Jos Xavier Lins
Wanderlei a negocio de seus interesses ; na
ra Direita sobrado n 42, aonde tein um ni-
cho ou annunciom suas moradas. (5
2 Aluga-se urna canoa de condusir agoa ,
que nao seja nova e em bom estado ; annun-
cle. (3
lotera de n. s. do livramento.
3 As rodas desla lotera andao no dia 5 do
Fevereiro do correle anno, e os bilhetes acho-
se a venda nos lugares do costume. .3
4 LOTERA da matriz da bja-vista.
As rodas desta lotera correm no dia 17
de Fevereiro, e os bilhetes achao-se a venda
no9 lugares do costume. (i
3 Alugo-se duas pretas para todo o ser-
vico interno de urna casa ; quem precisar, di-
rija-se a ra de Agoas-verdos n 15. (3
3 Aluga-se urna ama que tem muito e
bomleite e se adanca a co ducta ; na ra do
Cabug loja de miudesas junto da do Sr. Ban-
deira. (4
. 3 Avisa-se aos freguezos da fabrica de pa-
pelo das Cinco-pontas n. SO, que na mesma
seachopara mais de duzentos inassos du pa-
pelo promptos de ns. 40, 45 e 50; e na mes-
ma fabrica comprao-se aparas de papel e pa-
pelo e toda a especie de papis e livros vo-
ltios paga-se a 11-20 rs. a arroba. (6
3 Precisu-se alugar um moleque ou pre-
ta quesaiba cosinhar o diario de urna casa e
vender na ra que seja fiel e sem vicios ; as
Ginco-pontas n. 80. ;4
Companhia geral da agricultura das vinhas do
Alto Douro.
2 O abaixo assignado agente desta com-
panhia nesta pra^a de Pernambuco acaba d
receber pelo navio Bella Pernambucana o pri-
meiro carregamento de vinhos d'aquella com-
panhia, depols que ella Coi rehabilitada pela le-
gislatura de Portugal e dotada com fundos
pblicos pela lei de '21 de Abril de 1843 para
levar a todos os mercados os padres e bal isas
do vinho genuino e puro do Alto Douro, geral-
mente conhecido pelo nome de vinho do Porto,
a lin de servirem de guia ao commercio.
Este carregamento, contendo vinhos das mais
escolhidas novidades, deve olTi-recer aos Srs.
consumidores nao s a certesa da sua puresa
e superior quaiidade mas o lypo verdadeiro
dos encllenles vinhos do Porto.
Espera pois o abaixo assignado que os Srs.
consumidores se dirijo a sua residencia na
ra do Vigario n, 19 para trata rem do ajus-
te de todas e quaesquer porcoes que desejarem.
Thomaz de Aquino Fonseca. (23
2=rAluga-se um armazem com gran Je cha-
min e cacimba, tudo dentro do mesmo, e por
isso proprio para algum ferreiro por ser noCofi-
Ibo lugar marcado pela Cmara: assimcomo
um grande soto com quintal e cacimba no Co-
Ibo, junto a olaria do Sr. Miguel Carneiro e
urna casa na ra do Sebo do lado da sombra ,
com commodos para grande familia, e compra-
se um par de rodas para carroca de condu/ir
materiaes; trata-se na ra da Alegra n.34. (9
2
ADMIRA VEIS
NA VALAS DE AC DA CHINA.
Tem a vantagem de cortar o cabello sem of-
fenca da pelle deixando a cara parecendo es-
tar na sua brilhante mocidade.
Este ac vem excluziva mente da China e s
nelle trabalho dousdos melhores e mais aba-
lisados cutileiros da nunca excedida e rica ci-
clado de l'ekim capital do Imperio de China.
Autor Shore.
iV. B. He recommendado o uso destas na
valhas maravilhosas, por todas as sociedades
das sciencias medico-cirurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America Asia e frica nao
sopara prevenir as molestias da cutis, mas
tambem como um meio cosmtico.
Vendem-se nicamente na ra do Crespo ,
loja n. 12, de Jos Joaquim da Silva Main. (15
2Luiz Antonio Dias Guimares subdito
Portuguez, retira-se desta provincia. (2
5Na tarde do dia 4 do torrente, fugirao do
engenho Suassuna 17 engajados filbos da lina
de S. Miguel dos quaes j fe achro 9, e fal-
li ainda S seguintes Francisco Cosme de
Viveiros, Francisco do Reg Alecrim Francis-
co Luiz de Aguiar, Joounes, Joao Jacintho,
Jos Cabral Manoel Carvalho Souza e Manoel
Jos, vindos no patacho Alberto, chegado a es-
te porto em Outubrc do anno passado em cujo
tempo os ditos fro engajados por espaco de
A annos, segundo a escriptura publica feta pelo
Escrivo Guilherme Patricio; em virtude do que
se previne ao publico, para que ninguem se
cbame a ignorancia admittindo-os em seu ser-
vico pois se proceder conforme a lei contra
quem Ibe der asylo ou se utilisar de seu pres-1
timo: aisim como se recompensar a quem os
flzer conduzir, ou der noticia delles no sitio do
Pombal ou na ra larga do Rozario loja do
Sr. Lody. Roga-se mais as autoridades Poli-
ciaes a captura de ditos engajados, prendendo-
os onde quer que se achem e nao consentindo
que se retirem da provincia. !23
1 Arreoda-se urna olaria no lugar de S.
Anna, freguesia do Poco com barro para toda
a obra, casa de vivenda, estribara para 3 ca-
vallos urna planta de capim um forno novo
inglez porcommodo preco ; a tratar na mes-
ma olaria com a entrada defronte da venda do
Nicolao (7
1 Arrenda-se um sitio no lugar dos Afoga-
dos ; na ra da Conceico da Boa-vista n. 58.
1 Furtro no dia quarta feira 30 do cor-
rento da cocheira da ra das Flores um re-
logio suisso, desabnete, com pequea cor-
rente de ouro ; a quem o mesmo for oferecldo ,
pode apprehender e levar a ra Nova n. 39. (5
1 Aluga-se um sitio porto da praca que
tenha proporces de ter 4 vaccas de leite; quem
tiver annuncie. (3
Offerece-se urna mulher para ama de urna
casa de pouca familia ou de tiomem solteiro ,
sendo para o servico interior e da fiador a sua
conducta ; quem a precisar, dirija-se a ra do
Mundo-novo n. 36
Lava-se e engomma-se com perfeico to-
da a quaiidade de roupa de homeui e aenhora,
com promptidao e asseio ; na ra da Florenti-
na n 30.
Quem precisar de urna ama parda para
o servido de urna casa dando Mador a sua con-
ducta, dirija-se a ruada Florentina n. 30.
OITerece-se urna ama de leite para criar em
casa de familia : na ra do Rangel n. 47 se-
gundo andar.
Hoje 31 do corrente, a porta do Snr. Dr.
Juiz da primuira vara do Givel Antonio da
Silva Neves pelas 4 horas da tarde se ha de
arrematar a qujm mais der por ser a ultima
praca, a casa de sobrado de um andar que vol-
ta para obeccoda Padre, penhorada por exe-
cuco de Francisco Jos da Silva Mayer.
Precisa-se fallar ao Sr. Fredenco de Sou-
za Gomes, em Olinda ra do Carmo casa
que tem lampio no porto ou annuncie.
Alugao-se dous moloques de 14 annos,
muito ladinos para qualquer servico quem os
pretender, dirija-se a ra de S. Amaro n. 6
O Sr. Jos Moraes da Costa Soares quei-
ra ir receber duas canas, vindas do Rio de Ja-
neiro ; no armazem da ra do Trapiche n. 3t.
Antonio Francisco dos Santos Braga des-
pacha para o Rio de Janeiro os seus escravos de
nomes Theresa, Theodora e Andreza.
O VERDADEIRO REGENERADOR N. 12
Est a venda nos lugares do costume a 80
rs. cada exemplar, por ser 8 paginas.
Contm : um artigo do Guaycuru' relativa-
mente a peticao dos artistas ; o requerimento
que estes fzero e 011 tras reflexdes do inters-
se. Os Srs. que tanto teem procurado esse
requerimento o tem agora fcilmente no Verda-
deiro Regenerador por um diminuto proco.
Comprem, que est muito interessante.
Manoel Ferreira Pinto embarca para o Rio
de Janeiro a sua escrava de oome Marianna ,
de naco Renguella.
= Maris Joaquina da Penha embarca para
o Rio de Janeiro a sua escrava de nome Mara ,
de naco Congo.
Vicente Ferreira de Allemanha embarca
para Porto Alegre a sua escrava Joaquina,
crioula.
2Jos Marques da Costa Soares embarca
para o Rio de Janeiro o seu moleque, de nome
Joaquim. (3
2 Tiiomaz Fernandos da Cunha embarca
para o Rio de Janeiro o seu escravo Constanti-
no crinlo. (3
Compras
3Compro-se frasquinhos vasios que ser-
viro d'agoa de Colonia ; na ra do Queima-
do botica n. 15. (3
2Compra-se meia duzia de cadeiras ame-
ricanas de assento de pao, j usadas ; no
pateo do Livramento loja n. 13. (3
Vendas.
1 Vende-se motado de urna casa terrea na
ra de S. Rita n. 67 que tem bastantes com-
modos ; a tratar na ra do Rangel n. 17. (3
IVende-se urna opa de casimira para a
irmandadc do SS. Sacramento ; na ra do
Queimado loja n. 37. (3
1 Vendem-se botins emeios ditos do Lis-
boa calcado de todas as qualidades para se-
nhora superiores navalhas de cabo de marfim
acontento, casticaes de casquinha ingleza, lo-
ques de penna e um rico sortitnento de brin-
cse pontos, e outros muitos objectos france-
zes', chegados ltimamente, por preco com-
modo; na ra dos Quarteis n. 24. (7
1 Vendem-se saccas com mais de 100 libras
de farelo do superior quaiidade, a 4500 rs. a
sacca ; no armazem do Braguez ao pe do arco
da Conceico (k
1Vendem-se velas de carnauba de 6, 7 o 8
em libra assimcomo cera de carnauba ; na
ruada Conceico da Boa-vista n. 58. (3
Vende-se, com bom leite da primeira bar-
riga urna mulata sem fllho, com 16 annos de
iriade criada recolbida sabe engomraar, eo-
zer fazer renda o lidar no servico da case ; na
ra da Conceico da Boa-vista n. 5V
1 Vende-se um terreno no sitio denomi-
nado Mangueira na estrada de Bolem com
IttO palmos de frente, e mil e tantos de fundo ;
um sitio na estrada de Joao de Barros que faz
esquina com o becco do Espinheiro, casa de
taipa e outra de pudra ecal principiada mais
dentro boas frutelras, cacimba e todo cerca-
do de limo ; na praca da Bja-vista venda
n. 18. (8
1 Vende-se urna casal de rolas da Hambur-
go ; na ra Direita loja n. 55. U
Vendem-se uns chaos da casa da ruada
Gloria n. 26 com 20 palmos de largura o
150de fundo ; na ra do Collegio o. t9 ter-
ceiro andar.
Vende-se um moleque do 1S annos bo-
nita figura ; na loja de Santos Neves, se dir.
Vendem-se limas decheiro de muito bom
gosto proprias para presentes, com difieren-
tes "qualidades, jarros com ps de fruta planta-
da e outros com flores cavallinhos arreados ,
ananazes, cachos de uvas, pencas de bananas,
cachos de pinha, limas de vapor o todas as
mais diversidades de frutas por proco commo-
do; no largo do Terco n. 26, casa do Amorim.
2Vende-se um grande fogo e torrador de
caf, em bom uso; na ra da Senzalla-nova
n. 4. (3
2 Vende-se um casal de cachorros d'agoa ,
muito lindos, juntos, ou separados; no largo
do Tergo sobral 1 de um andar n. 16. (3
2 Vende-se um escravo de naci, de bo-
nita figura ptimo para todo o servico; urna
linda mulatinba de 16 annos cose, engomma,
e he recolhid ; urna escrava de 18 annos, com
principios de coslnha o engommado ; um mo-
leque de 16 annos, muito diligente; dous es-
cravos, sendo m canoeiro ; um lindo mole-
que de 9 annos, muito esperto; duas escra-
vas de naco cosinho lavo, e sao quitan-
deiras ; na ra Direita n. 3. (9
2Vendem-se 12 escravos, sendo duas ne-
grotas com habilidades de 15 annos ; 3 mo-
loques pecas de 12 a 16 annos cosinheiros;
4 pretas de 20 annos, boas quitandeiras ; urna
negrinha de 13 annos propria para todo o
servico ; 2 pretos de 22 annos, ptimos para
palanquim ; na ra do Rosario da Boa-vista
n. 48. (7
2Vendem-se duas casas terreas urna na
ra do Fogo, do lado do poente n. 4fi, em chaos
propnos e que 'rende 12/ rs. mensaes ; outra
na ra do Agoa-vordes do lado do poente n. 96,
que rende 14 rs. mensaes e paga de froan-
nual 1100 rs. ; a tratar na ra larga do Rosa-
rio junto ao quartel de polica n. 12. (7
2Vende-se um preto de 22 annos, cosinhei-
ro o alfaiate de muito boa conducta ; duas
pretas de todo o servico e sao boas quitandei-
ras ; urna dita de boa figura, engommadeira,
costureira, faz lavarinlo, renda o borda, tudo
com perfeico, para fra da provincia ; urna
parda de 16 annos, recolhida, perfeita engom-
madeira e costureira; na ra Direita n. 81. 1
2Vende-se urna propriedade de trras de
plantar, no lugar dos Pilos freguesia da Es-
cada com 250 bracas de frente e de fundo
de 200 a 600, a boira do rio Ipojuca, duas par-
tes de malta virgem, e urna de plantar mandio-
ca, cujas trras sao excellentes para toda a qua-
iidade de avoura ; na ra Nova, loja de Guer-
ra. Silva Sf Companhia, se dir. (7
2Vende-se um escravo moco, proprio para
todo o servico he bom cosinhoiro sem vicio
algum ; na ra da Gsdeia do Recife loja de
errageos o. 44. (*
2_ Vendem-se dou* pares de brincos de ou-
ro 4 ditos de rosetas para meninas um re-
logio de prata dous anneloes urna abotua-
dura um transelim tudo por preco comao-
do; na ra de S Amaro n. 32. (5
2Vende-se um sortimento pequeo de veos
do fil de linho cambraia fina bordada len-
cos de 3 pontas ditos de cambraia muito finB,
e outras muitas fasendas que pdem fazer
muita conta a quem tem boceteira, sendo a dita
fasenda mais em conta possivel; na ra da
Sunzalla-velha n. 22, primeiro andar. (6
2 Vendem-se superiores charutos regala ,
por preco commodo ; na ra da Cruz n. 37 ,
segundo andar. (3
2 Vende-se urna casa terrea em chaos pro-
prios no Corredor do Bispo n. i ; na ra da
Conceico sobrado n. 6 a tratar com Joo
Francisco Regs Coelho. (4
2 Vende-se um bonito escravo oHicial de
soleiro de muito boa conducta ; na ra es-
treita do Rosario n. 34, primoiro andar. .3
2 Vendo-so urna linda escrava cosinheira ,
sadia cose o he de boa conducta o motivo
da venda se dir ao comprador: na ra estreita
do Rosario o. 34, primeiro andar. (4
3Vende-se um escravo de nacao Costa, de
bonita figura bastante robusto, proprio para
qualquer servico ; no Forte-do-Mattos pren-
sa n. J8. (+
3 Vendem-se duas canoas que carregao
de S00 a 1000 lijlos em muito bom estado ;
dous pretos bons canoeiros anda mocos, ven-
dbtn-se por seu dono retirar-se desta provincia;
o 15 aecesda Companhia do Bebiribe ; na ra
Nova n. 3. (9
3Vende-se um papagaio contra-feito que
falla sofrivelmente ; as Cinco-pontas n. 80. 2
3Vende-se urna mesa pequea de amarello,
anda nova propria para engommar, dous
espelhos de paredo urna taboleta deourives,
urna serra para serrara ; na ra de Agoas-ver-
des i). 15. I*
3 Vende-se urna preta moca de bonita fi-
gura, cosinha, lava e eogomma ; no Atierro da
Boa-vista n. 40. (3
4 Vende-se urna negrinha crioula, de ida-
de de 12 a 14 annos, perita em ftzer renda,,
por preco commodo ; na ra do Crespo n. 12.
3 Vendem-se 4 escravas mocas com boas l
figuras e com boas habilidades; duas pardas
mocas com habilidades ; orna preta de 30 an-
uos, por 340/rs. cosinha, lava e vende na
ra ; 4 escravos bons para o campo ; um dito
bom cosinheiro ; um moleque peca cosinha
bem ; um pardo bom pagem ; na ra do Cres-
po o. 10, primeiro andar. (7
12Vende-so um sitio na Capunga a mar-
gem do rio com boa casa de vivenda por
preco commodo ; na ra da Madre de Dos, lo-
ja do Cunha. (4
6 Vendem-se chapeos do palba, pregas a>
mericanos n. 4, pentes de travessa : em casa
de Henry Forster i C. ra doTrapixe n. 8. (3
6 Vende-se abordo do brigue Paquete de
Pernambuco Tundeado ao p da escadinba de
Palacio bom cebo em rama, o preco em conta.(3
12 Vende-se farinha de trigo, de muito boa
quaiidade; na praca do Corpo Santo n. 11, ca-
sa de Me. Galmont df Companhia. (3
6Vendem-se saceos com farello a 3/600 rs.,
na ra da Senzalla > 138. (2
Vendem-se duas moradas de ca-
sas de dous andares cada urna sitas
na ra Nova ; urna dita de dous
andares nos Quatro Cantos da Boa-
Vista ; e duas terreas juntas ao
mesmo ; urna dita terrea na estrada
do Manguinho ; urna dita dita na
ra do Padre Floriano ; e urna
morada de casa de tres andares na
ra do Amorim: quem as preten-
der pode entender-se com Manoel
Gaetano Soares Carneiro Monteiro,
que vende a dinheiro ou a prazo.
2-Vende-se urna casa terrea com commo-
dos para grande familia na ra do Cotovello ,
por proco commodo; quem pretender dirija-se
ao atterro da Boa-vista n. 40. (4
Vende-se para fra da provincia urna lin-
da escrava de naco, de 20 annos, cozinha ,
lava e engomma ; na ra da Cruz n. 51.
Escravos Tupidos
No dia 10 de Janeiro fugio um moleque
crioulo, de nome Manoel, com os signaos se-
guintes : cara pequea, maos grandes ps
cambados ; levou jaqueta de lila preta, chapeo
de palha oleado de preto ; quem o pogar le-
va a ra do Collegio n. 19 terceiro andar,
que ser bem recompensado.
Do sitio dos Afilelos, de Victorino Pe-
reira de Carvalho fugio no dia 29 do corren-
te,, pelas 8 horas da noute |cooduzindo urna
caixa com roupa urna preta de Angola de
nome Eugenia que fof do Snr. Joaquim Jos
Ferreira da Penha a qual andava com um ta-
boleiro veodendo frutas baixa do corpo de
20 annos pouco falladeira ; levou vestido de
riscadinho azul, e panno da Costa ; quem a
pegar, leve ao dito sitio ou na praca da Boa-
vista n. 32, qne ser recompensado.
Fugirao no dia 29 do corrente dous es-
cravos do lugar Jacar os pretos Floriaono e
Exaquiel crioulos de 25 annos, de bonitas
figuras.f'o primeiro levou calcas ejaqueta bran-
cas camisa de snadapolo e chapeo de seda
preta, e o segundo calcase camisa de riscado
escuro ; quem os pegar, leve a ra do Rozario
da Boa-vista n. 48, ou no mesmo sitio Jacar,
que ser gratificado.
1 Desappareceo no dia 29 do correte das
9 horas para as 10 da noute urna preta de
nome Maria, Cacange, levando comsigo um
lillio de 7 para 8 annos, de nome Theophilo; a
preta levou vestido de chita usado j dosbotado
h em urna trouxa outro de chita escura novo ,
cara larga com falta de dentes na frente bf-
eos grossos, com um pequeo talho em um dos
lados da cara, estatura regular ; o filbo levou
urna camisa de algodozinho nova com man-
gas curtas, calcas do riscadinho bastante velbas
e muito desbotada; quem os pegar, leve a pra-
ca da Boa-vista primeiro andar do sobrado
onde moraoSr. Brigadeiro Antonio Rodrigues
de Almeida, que ser recompensado. (13
2 Fugio no dia 13 de Janeiro urna escrava
de nome Benedicta baixa, secca vesga de um
olho tem cicatrizes as costas com falta de
dentes na frente do lado superior e em baixo
podres ; levou vestido velho branco e saia de
ganga azul nova e panno da Costa com listras
azues e brancas e um taboleiro com sapatos ;
consta andar calcada por assim ter sido vista ;
quem a pegar, leve a ra Augusta u 14, que
ser gratificado. (10
200/000 rs. de graliflcacao.
No dia 20 do corrente do sitio da estrada
do Remedio da viuva do Vasconcellos fugirao 2
escravos de naco Congo, sendo um de nome
Domingos, baixo, cor preta, com urna seca-
triz na cabeca, levou camisa de baeta verde,
calsa de riscado, o outro de nome Pompeo, al-
to, relorcado, cor fula, cara redonda, beicos
grossos, dentes abortos na frente, com signaes
de sua Ierra por todo o corpo e no rosto, levou
camisa de brim branco o calsas de riscado ;
quem o pegar ter a graliflcacao cima, levan-,
do-os a ra das Aguas verdes n. 46 ou noito
silio. _________ (H
PERMj TYP. DE V.DE FARIA----1845.
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9TCWPLFA_EQ1GI8 INGEST_TIME 2013-04-13T00:30:30Z PACKAGE AA00011611_05281
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES