Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05059


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno (Te 18/53.
Secunda Fera 23
ludo por depende de nos taeamoaj da sosia prudencia, moderag.io, e eiierjia: oon-
linu-mos cuino principiamos, e seremos apomados com admiraban entre ai Nacjes inais
cul'es. ( l'ioclainago da AeseniMeia Ceral du Ueaml.)
PAHTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
Goiaana, e Parabyba, Mf,andal e Mitaa futras, Rio Grande do .\ Tle, quiiaj feiraa.
Boni'i. e Gartnhuns, a 11 a 24.
Honi'i. e barinhuns, a la 4.
Cabal -ierinWn HiuPoritt.no Porta Calvo Waoali, e Matoai no I M a Jl.
Bo* v'-iae Plaraak. ) e 2 i. aato Varta qOalM feirat Olinda lodos os diai.
1)1 AS l)\ sismara.
5 Son i. Firmino B *ud. do J 'le [>. da J.
6 le ;. s Calistralo 51 Rl Aud do J de I), da 3 y
7 U..arl. S rittiario F ud do J 'e I da 1 '
S .'-.u. s. Venceslao Duque 'i. Aud doJ. de D.da^. t.
55 5ox
'6
2
28 .-.......
2'J Se, i a. Miguel Arclianjo
O Jernimo U Kel A"1* .'lo J D-
1 <. O S ) lUiano de Nossa Senhora.
le Setcmbro
Anno XX. N. 205.
isjaaaaaseasssSeMaaaaam-
0 Diario publica-ie lodos O dias que nao latan S..nliti"ad.>s: o preco da MWg;WW
de ires ful res por quarlel pa-01 adianladne Os NMMaMOl dos saaiKaMUS "' '*..
rralil a os dos que alio lo.em :. ras.io de *0 reis paliaba As nrlamaqi.es deren a.
gulas aesla'Iip., ra das Crasas .N. 14, ou apraoa da Independencia loja de Iisros W.
da
cameiosNo dia 2 de elemliro.
Caatbio sobra Londres la.
Parij/ reis por Ir-neo.
Lisboa HU por lU de premio.
compra
Outto-Mosdad8,4OV. 16 .HU
N. I6,6JJ
I. i.O ,*
PtaTA-Pataces M''
Moedadacob:* 2 por ce:ilo. PautaColuatnaras 1,5 W
Idea deleiraada ba tirona 1 | ditos .Viatcanos l,'J2U
PHA.SES DA LDAAO MEZ DE SEPTEMBRO,
La Clieia 8, aa 4 horase 7 d Urdo I La nosa a J3, al ibo"* 50 m daiard,
Oiiarl. ming. 16, a 8 lloras a 53 a>. da t. | (Joan, erase, 3U, s il horas e 61 a, da a.
Prttuhai de ho.
i." a 6 horas a 6 os. da manhia. | Z. a o horas a 30 o. da larda.
17 U
(0 8U
y 4uu
1,5140
i ;iu
t,y4a

i
?RTE 0FFIC1AL
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 13 DO COHBBNTB.
OfflcoAn iuiz municipal da prlineira va-
ra. icniio S. M. o Imperad >r indelTerid m> re-
quarirnento de Laft Francisco Corroa de Brlto,
em que pedia a conflrihacSo do lanar de 9cri-
iu do jalao municipal, para que Pora nomea-
do pHojuiz municipal aupplonto da primeira
varadesta cldad>, e mandado declarar por avi-
so do I." de |ulho deste anno. qae de?e cessar
o sou exercicio, porque tae.i nomear/Aea na* po-
dem prociidcr, por nao estarem oreados simi-
IhantcaempreKo, eqae na firma dos rt-gula-
mentos ndmeros 1*0, e122 de :JI de Janeiro, e
2 de f ,-vereiio de 1812 devivn servir porante os
juises niiinieipaesoseserivaesilo judicial; assim
O participo vine, para a sua iiilelliutMina, "e
execucaona parle, que I he toca.De Iffual Iheor
so dirisio aos juises municipaos da 1.a e 2.a va-
ra; aos dedireito da l.*-e 2.a
|)t()_ |) secretario da provincia ao inspec-
tor da allandeaa, acensando recepcao do li.ilan-
co, o tabellas do rendimento, o desposa daquel-
la repartifao no anno linancoiro prximo pns-
sado, do mappa das moicadorias despachadas
para consumo, para baldeacSo, o reMportaco,
e do ponto dos respectivos em pregados.
DEM io DIA 16.
Ofticio Ao chelo de polica interino, disen-
do, queoxpeca as necessarias ordens, para que,
quando algum dos conservadoras das estradas
(dr preso por autoridades policiaes, d-se im-
mediatamente par'e da prisadao ongenhoiro em
chofe, ou ao engenheiro da estrada, que per-
tenecer o conservador: e para qje os menciona-
dos conservadores sc.;a dispensados de qual-
quer servico, ou diligencia' da polica.Com-,
municou-se ao engenheiro en chelo das obras
publicas.
Dito Ao inspector da thesouraria das ren-
das pro\inciacs, ordenando, que mande pagar
adminislraca dos estaDelecimentosdocarida-
deo subsidia, vencido nos meses de jullio e a-
gosto iillimos.Paiticipou-so administracao
dosestabelecimentos de caridade.
Dito Ao inesmo determinando, que da
quola, marcada para despesas cenliiaes, man-
da entregar a ordein do chelo de polica interino
aquanlia do 2I0.S rs. para o runecimontJ dos
presos pobres de justiea da cadeia desta cidade
no corrente mez.Couiinunicou-se ao chele de
polica interino.
Dito Ao inspector da thesouraria da lasen-
da, declarando em resposta ao seuolliciode l
deatemez, o para quoofaca constar aocom-
mlasario fiscal do minisU'rio da guerra, que nao
leu. luiiar o ajuular-b & alguna documentos de
despesas do arsenal de unen a copia dasoraena,
que asaulmisao ; nilospur nao ser i-lo exi-
gido pelas ilistlUCVdeS de l deoutubro (ie 8I,
como tamben, por merecer 0 director do dito ar-
senal loda a conflanca para so nao duvfdar do
que elle allirmar oiIkialmente.
Portarla Temi alguna dos thosoureims, e
directores das loteras, que se evlrahem nesta el-
dadeconiiiaiio no abuso deannunciaiem oan-
dinei to das rodas da loleria seu cargo para
urna epoiha anterior que ja lem sido annun-
ciadu paia extracto de oulra lneiia, embara-
cando assim o andamento da que to\ primeira
em marca odia do sua extracao, o Presidente
da provincia, com o lm deeiiiar os inconveni-
entes, queaeaegueindesta competencia entre-
gue ao arbitrio das paites interessadas, determi-
na, que d'oia em dianlo nenhum thosouruiro ,
ou'direclor de lotera poasa a anunciar odia da
extract dalla, tem ler primoiro dado disso par-
le Presidencia a outido de.ta a necessaria
approvava, ea nomcavao dojuiz, quo deve
presidir a referida lotera.
Thesouraria da Fazcnda.
BXPEItNTB l0 BIa9 DO COBBENTK.
Oficio Ao Exm Presidente da provincia ,
levando a sua protenca a representacSo, que a-
eouinanbjva, do commissario liscal do ministe
riooa Hue.ia acerca da compraqveseconli-
nava a lazer no arsenal de guerra de azoite do
tuco para as Ium's da guarda do palacio, e no-
brea execucao do imperial aviso de ^7 de Ju-
nlio ultimo cxoedido pela secretaria do estado
do; negocios da guerra que mandou cessar as
desposas do I uses com diversos corpos de guar-
das com o fundamento de pertencercm aou-
tros Ministerios, afim de que em vista do ludo
se dignasso decidir o qun julgasse conveniente.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. informando o
roquerimetito do major da 2 a olasse do exerci-
lo Jos Leas Soares Raposo da Cmara em
nue pedio transporte, comedorias de embarque
e a com pelen te guia para se transportar a Pro-
vincia do Rio grande do Norte.
DitoAo mesmo Kxm.Sr., dem o de Pau-
lo Jos Peroira Simos, om que pedio por a-
forament o terreno de marinlia, o alagado n.
171 na ra de Apollo do bairro do Rccife, que
se achava medido e avaliado.
Dito Ao inesmo Exm.Sr., idem o de Um-
lielina Joaquina de Lima em que pedio o pa-
gamento da prestado mensnl do 2.'iS reis que
Ihe deixou seu marido o atieres de commisso
do batalhSo provisorio de cacadoros de t.'linha,
boje i.0 de fusileiros do exercito quando em -
barcou para o Rio grande do Sul.
Dito Ao commandanle das armas da Pro-
vincia, enviando a certidao do assenlann-nto de
praca do sol lado Antonio da Cruz que exigi
em olicio do 4 Je agosto (indo.
Dito Ao director do arsenal do guerra di-
zondo, quo oxigindo.o Exm.Presidente da Pro-
vincia em olicio do 6 do cor ente, para ler exe-
cucao o Imperial Aviso de 23 de agosto lindo ,
que at o ultimo do novembro prximo futuro ,
Ihe fosse appresentado o orcamento das despesas
do Ministerio da Guerra para o nnno financetro
de 1845 46 fazendo-se em coda verba de
despeza a declaracao dos titulos, quo as autbo*
risavao com as datas respectivas liouvesso de
enviar com a maior brevidade possivcl a parto re-
lativa nao so ao pessoal e material d'aquelle ar-
senal, e aos aprendizes, como as despesas de
tuses easoa para os quarleis conos de guar-
dase fortalcsas, com declaracao do que des-
penda ceda um destesestabelicimentos vjndo
tudo o mais desenglobado, que fosse possivcl.
Dilo Ao inesmo pedindo para salisfa/er
a exigencia do Kxm. Presidente da Provincia ,
em olicio de 3 de agosto, para dar cumprimen-
loao Imperial Aviso uo 28 dejunho ultimo,
remeltesse urna conta circunstanciada da despo-
sa licitaron! luses aos corpos de guardas minia-
res paga por conta do Ministerio da Guerra, no
anno linancoiro prximo lindo.
Dito Ao inspector da thesouraria defasen-
da da Provincia da Parahiba do Norte parti-
cipando ter o Esin, Presidente do tribunal do
lliesouropublico nacional como sevia da or-
iliiii de "2 de agosto prximo lindo, quo acom-
panliava mandado conservar em deposito c
licar a ilisposicflo do dito lliesouro a quanlia ,
le 8:0008 "'is 0'"' MJ SOppro a aquella para .
compra do pao brasil, pedindo a brevidade
desta i emesia e lomnrando que poda ser feita
,in n tas substituidos de B8 I"S e 208 reis.
DitoAojuiz dedireito chelo de polica
interino dota cidade aecusando a recepcio do
seu olicio de o do corrente em que com mu
nicou achar-se occapando o dito cniprego, afim
de dirigir-lhe qualquer correspondencia oflicial
da thesouraria, quando por ventura isso titese
lugar, e significando que (cava nesta intelligen-
cia o promplamenlo satisfara assuasrequi-
siefies logo que estas so veriicassem.
Dito Ao inspector da alfandega di/endo ,
em vista do seu olicio de26 do pussado em
que participoa para se ressaUar de qualquer
responsabilidado para com a la/.enda ou para
(ornas paites, ter mandado proceder na foiina
ilo artigo 2II do regulamento das alfandegaa a
venda em loilaO das mercadorias tppreheodidas
ocommundantc do brigue sardo ridano, por
consistirem a maior part- em fazendas do sed,,
0 caisado que demaudavao tractainento o \n
urincipiavSo a molar, que a este rospeilo nao
havia quo resolver ; porque quando sedoso ,i
hypolbcse d executar-se o citado artigo 291 lo
dito regulamento sua merce o pedia fazer livre-
inuiil independeute do coinmunicar a llie
souraria som que acommunicaco olivrasse
da responsabilidado.
Dito Ao mesmo pira em cumprimonto
do olicio do Exm. Presidente da Provincia de
6 do corrente mandar despachar n'aquella al-
fandega e conservar em deposito as 310 arro-
bas de plvora e 8 cornetas de toque constan-
tes do conheeimento, que acompanha va,para se-
ren remedidas para as Provincias do MaranhSo
e Piauhv conforme doterininavo 0 Imperial
Aviso da secretaria d'estado dos negocios da
guerra.
Dito Ao mesmo remetiendo por copia a
onlemdo tribunal do lliesouro publico nacional
de 26 de agosto ultimo, afim do licar inteirado
do tudo o que a mesma oxpunha e determinava
relativamente as obras do trapiche o do edificio
Paquolla alfandega ; e recommendando que
'om a brevidade possivcl informaiise sobro o es-
lado em que se achavao as obras do mesmo tra-
piche oem que tenipo poderia ser concluido.
Dito Ao jui/. interino dos feilos da fa/en-
da enviando para seu conheeimento por co-
pia aordem do tribunal do Ibesouro publico
nacional de 22 de agosto prximo lindo.
DitoAo commissario fiscal do Ministerio
da guerra para mandar organisar o orcamento
do despesa do dito .Ministerio para o anno li-
nancoiro de 1848 46, c que tanto neste, como
nos futuros ornamentos se fi/esse em cada verba
de desposa a declaracao dos titulos que as au-
tbriaav&o com as datas respectivas coinocxi-
gia o Imperial Aviso da secretaria d'estado dos
negocios da guerra do 23 de agosto ultimo.
Dilo Ao inesmo para em cumprimonto
da ordem do tribunal do thosouro publico na-
cional do 22 de agosto prximo lindo mandar
examinar polos assentos do archivo a seu carga ,
se todos os empregados militares despachados ,
ou promovidos do l. de Janeiro de 1889 em di-
ante linhao si tisleilo os imposlos a quo cata-
las annexas as Jis
dooulubrode 1838 o Odo novembro
de 18*1.
Dito Ao contador da thesouraria idem
a respeito dos empregados .lio Aoinemo, remoliendo por copia,
paro sua intellig ncia, o oIi< o do Kxm. Presi-
dente d Provincia de 2 do corrente pelo qual
coi.sla terS. M. o Imperador nomcado ao ba-
churel Antonio Joaquim de Siqueira para do-
sembargador da Kelaefio desta Provincia, o or-
denado, que 0 desembargador da do Maranhao
Antonio -gnaejo de Azevedo passasee a ter
exercicio naquella ficando exonerado do lugar
de chelo de polica, que exercia,
Dilo'- Ao administrador o tliesourciro do
correio desta cidade participando achar-se o
thesoureiro da thesouraria aulhorisado para
Ibe entregar dos-sellos, quo vierto do tribunal
do lliesouro para os portes das cartas, quo se
doviao arrecadar por aquella administracao, na
rumia ibis ultimas ordena 26,250 sellos de 00
reis 7.olio do 90 res e 10.000 de 30 reis
Portara Ao liiosoutciro da la/onda para
entiegar ao administrador thesoureiro do cor
icio desta cidade, os sellos do que tracta o pro
cedente olicio.
Dita Ao mesmo, para aceitar c pagar pe-
la caixa do exercicio de Ii2 43, como de-
terminava a ordem do tribunal do lliesouro pu-
blico nacional de 20 de agosto prximo lindo ,
a letra, que acompanhava, de 4:9208338 res .
que na mesma data sacou o thesoureiro geral
do dito thesouro a favor de Pedro Nunesda
lonscca.
Dita Ao mesmo idem de 6:778Sl rs.
dem ce Manuel Ignacio do Uliwira.
i ita A o mesmo idem de 3:9418163 rs.
idem de Miguel Antonio da Costa e Silva.
Dita Ao colleitor de diversas rendas do
municipio de Goianna declarando em respos-
ia ao seu olicio de 28 de agosto prximo lindo,
em quo ponderou os inconvenientes, que en-
conlrava para a entrega de 3 em 3 mezes dos
rendimentos ai recadados, pedindo aulhorisa-
co para o fazer no fim de cada semestre ; que
nao poda ter lugar simiiliaiilo aulorisacao ,
tanto pelo que dspunhao os regulamentos e or-
dens existentes, como porque nenhuma impos-
sibilidado exista para a mencionada entrega da
'i em 3 me/es. podemlo o mosino collector, dei-
x.ir de \r pessoalmi'iite incumbindo a qual-
quer procurador n'aquee municipio, como OU-
tros fuzio, a realisai ao desta entrega.
.aia'-a n-i a. mm _-^-, na.i^. .^ "Jp.'. "TrTIl* 7*
P A R \
Discurso recitado pelo Kxm. Sr. Coronel Jos
Tiloma/ llenriques Presidente da provin-
cia do Para na abertura da segunda s ssao
da Assembla Legislativa Provincial no dia
lude Agosto do 1843.
Senhores Membros da JuembUa Provincial.
Obedecendoao preceito do artigo 8. do acto
bddcional Constituicao do Imperio tenhoo
pra/.cr do boje acbar-me entre vos, e de saudar-
vus por vossa actual reuniio, que, confio, satis-
lara as esperarlas o merecer as bencaus do
buin povo Par.ense.
Nomeado presidente d'esta interessanto pro-
vincia por carta imperial do 1. do Maio p p. ,
o empossado da administracao apenas oito
dias nao me possivcl instruir-xos como
convinba do estado dos negocios pblicos o
das providencias legislativas mas necessarias
para o melhoramcnto da provincia ; pois quo
meo fraco talento e desconhecimento do paiz
por tao curtos dias de administracao o habi-
tucao n'clle accresse anda nao ter ochado na
secretaria todos os necessarios csclarecimenlos,
e informacocs que devio prestar o governo
as diversas eslai oes provinciaes.
Desta arte redusido nao jioder communicar-
vos o meo ponsament com a conviccao e cla-
reza quedosejava limitar-me-bei referir-
vos o pouco que pudo colhrjr das informa-
cues, que obtive n'este diminuto espaco as-
sim do digno vice-prcsidi nte dequem rece-
bi a aumiiiistraio como dealgumas repar-
licdes.
Felizmente vos sois, senhores, fillios da
provincia, n'i-lla residentes e estabeJocidos,
conbecedoreJ de suas necessidades c dotados
de bastantes lu/es, C patriotismo para fazerdes
ao Grao Para o licui, que de vos espero \ossos
coucidados o por isso creo quo u mingoa
do presento relatorio nao ser causa do quo
a provincia Soja privada dos iiielhoramentus ,
que ncicssit o que aguarda da actual ses-
so.
7'raitquitlidade publica.
Tenho a s, ti.*>lacood< aiinunciar-vos, Senho-
res, que a provincia scacba em perfeita tranquil
lidade que espero continuara impeiturbada ,
lano pel.i oi senso u carcter panuco dos
Paraenses e pela triste experiencia que ad-
quirirSo em lempos passados de melanclica
recoidaio ; como porque os llrasilciios cada
da se (OMM'uccm luaia de que s<> escudados
com o Excelso 'I hrono do Sekhob Dom Pedro
-i:i;imo sustentando us instituices do im-
e feixamlo osouvidosAs prfidas sugesloesd'um
punbauo ue energmenos que rodos do
ambiefio e sdenlos de muido e ouio pa-
receui ter jurado sacrificar a suas paixoes desrc-*
gradas o paiz em que v rao a luz ; quesc-
ro l'eli/.es c legara seus hlhos das sere-
nos, e venturosos no meio da Iruicod'aquel-
les bens apreciaveis, que s se colheni com a
obediencia s leis e ao governo e com a paz ,
carinbosa mi dos progressos materiaes do um
povo de suu industria e do trabaiho ins-
Irumento admiravel ue concordia e de unio.
Nao me 6 menos satislaiurio communicar-
vos, que as tropas inglezas, que oc< upavao o
Pirarara retirario-se, sendo atrancados os mar-
cos, que o ollicial lintannco Commissario aos
limites por arte de seo governo havia planta-
do as embocaduras do Ros Mah 'iacat ,
e i ni outrus puntos do nosso territorio iendo
se verificado a dita evacuado em Abril p. p. ;
como consta da participacio leila pelo comman
daote militar do lorlc_do Joaquim do Hio



Branco meu antecessor : este acontecmento
scm duvida um feliz indicio, deque sco
reconhecidos nossos di re tos do que se pora
termo questao suscitada entre o lirasil e a
Gran Bretanha ; annuindo esta s justas rc-
clamaces do Governo Imperial sempre sol-
licito pela inlegridade do Imperio e pela hon-
ra nacional.
Rendas provinciaes.
Julgo dever traclar deste ramo essencial pri-
meiro do que todos os outros e sobre elle
que cu principalmente chamo toda a vossa at-
tenco patriotismo e illuslraco ; pois que
quando o estado do Ihesouro publico 6 decaden-
te e assustador ; quando elle nao permitte sa-
tsfazei as despe/as j roconhecidas edccreladas,
orno exigir novas como lembrar mclhora-
menlos? Successivos dficit e urna divida j*
asss crescida agravo cada vez mais o estado de
nossas (naneas, assustao os amigos de paiz e
cxigem tao seria e prompta consideracao que
fareis provincia o maior servico se empe-
nhardes todas as vossas faculdados, para que
cesse similhanle flagello, ou ao menos seja des-
< de j i minorado.
Pelo palancada receita e despeza dos annos
financeiros de 18t2a 1813 e orcamentos de
3813 a iSlt e oe 18U a 13>5 veris Se-
nbores que o dficit provincial montara nes-
ses tres anuos a porto de quatro centos tontos
de reis, realisaiia urna divida enorme, queso
poder saldar-se com gravissimos sacrificios p-
blicos o particulares. Sinlo, Senbores, nao ca-
ber em nitin polos motivos que em principio
vos expuz. orientar vos cerca da verdadeiru
. causa deste desfalque de vossas rundas, edas
meoidas efficazes para restaura las; mas ap-
presento-vos os documentos da thesouraria
provincial firmados com A e recommen-
do-vos que sobre olles pensis pausadamente,
porque talrez julgueis algumas das medidas
propostas pela contadoria provincial e admi-
nistrado da recehedoria e apoiadas pelo ehefe
daquella repartido dignas deserem adoptadas ;
pois por sem duvida nao 6 possivcl enllocar a
nossa receita a par da despesa, sem que lan-
cis mao de algum dos impastos lembraaos pela
dita reparticao ou de outros que maiscon-
sentaneos vos parecao ou entao cuidis de di-
minuir a despesa abolimlo empregos inuteis .
creados em outro lempo lalvez so por condes-
cendencia e para accomodar individuos, sem
interesse algum da provincia.
Senbores, osdinheiros pblicos, producto do
trab.ilbo c indu-tna do povo devem s pa-
gar os que preslAo ou prestarlo servieos so
ciedado : convein nao despendo-los ein proveilo
de um outro particular que nao pode satisf.i-
zer seos deveres em empregos desnecessarios ,
e inteiramente nominaes as circunstancias da
provincia.
A repressao do contrabando e do extravio
dedireitos, e melhoramcnlo da arrecadado
dos impostes principalmente do interior da
provincia ondequasi nada se arrecada, e pro-
videncias adoptadas a sanar estes abusos, uni-
das constante economa muilo concorrerfto
para o augmento da receita provincial c para
fa/.er desaparecer esse dficit crescente. Cor-
tai os abusos Senbores; altendei primeiro
q je tudo aos interesses pblicos e fareis um
beneficio incaleulavel ;i vossa patria. Em
mim acharis sempre a maisdecedida coopc-
raco.
Cabe aqui di/er-vos que nab tend sido pos-
ivel pagar dentro do anno financeiro passado
todas as despe/as del le ; meu antecessor aucto-
risou o pagamento d aquellas que j seachavao
liquidadas, e que pela maior parle, erao or-
denadas de empregiidos pblicos. Cont que
approvcis esta medida
Instruccao publica.
E digna de toda vossa allencao a instruccao
da mocnlade : ella que lein de formar 0
coracao o o espirito dos nossos jovens coneida-
daos instruindo os na pratica de seus djveres,
inspirando-Ibes bons rostumes elevados sen-
timentos o amor das virtudes c a noliream-
biciio de distinguir-se, e de merecer as heneaos
da patria.
As cadeiras do lyro cas de 1 lelrns da
capital eslao todas providas com extepcao de
tres ou quatro das primeiras ; mas das crea-
das no interior achao-se algumas vagas por nao
apparecer quem se proponha a rege-las.
Consta-me que algumas aulas tanto do lyco,
como das de 1." letras do interior sao muilo
pouco frequentadas e que nutras conservarn
sempre apenas um ou dous alumnos. Urna
escola de 1 "letras loi creada pelo governo na
Iregue/.ia do Mi Arac em viitudeira auctori-
saco que Ihe confere o artigo 0 o da le n. 97 ,
e j est provida Faltando que a approveis na
conformidad! do dito artigo.
o confiados chefes zelosos : no curto espado
de minha administradlo nao me foi ainda pos-
sivcl examinal-as ; eu vos subministrare! todos
os mais csclarccimentos, que ohtiver a seo res-
peito, nvosexporeio meojuizo acercad'el-
les; assim quo pessoalmente conhecer do seo
estado.
Culto religioso.
Muifas do nossas igrejas, e matrizes do in-
terior achao-se em mizeravel estado faltas de
ornamentos e alfaias, sem limpesa, scm
decencia e dasabando algumas em ruinas :
n'estc estado lamenlavel ellas nao parecem tem-
plos do Senhor nom podem inspirar esse res-
peito o veneracao que excita a pompa so-
lemne do Culto Catholico na imaginado do po-
vo, e que tanto inilue em seu coracao. O ho-
mem impedido pela furia de suas paixes fcil-
mente se esquece de seus deveres quando os
preceitos da Religo Ih'os nao lembro por
rneio do culto das ceremonias venerandas, e
da adorado ao Creador E' a Religo q'uc
regula as accoes humanas; e contrbue cflicaz-
mentente para o melhoramento da sociedado :
s a Religo Santa que amada e pe em
prova os costu mes dos homens O legislador
conscio d'estas verdades soccorre os sacerdotes ,
edifica e repara os templos e cerca o culto
Com i ni nica do.
le todo aquelle cxplendor quo tao solemne-
mente ferea imaginado.
Vos lainbem Senbores nao deixarois de
reconhecer, que o producto do algumas das e-
conomias que fizerdes. devo ser npplicado ao
menos aos templos mais neressitados, eijue
com menos despesa se reparem, evitando muito
maior para o futuro com a continuado da rui-
na e conseguindo assim o reparo de maior
numero de igrejas e em mais curto periodo.
Existem em lo la a provincia 9o parochias ;
d'estas 21 tem parochos collados 37 os tem
interinos e 37 csto vagas. Eis tudo o que
vos posso agora dizer a este respeito.
fContinuar-se-ha.)
PERfWVIBUCO.
episropiil, orollrgiode edu-
O s-eininario
candas orf.is 0 a companliia de nprendizes
artistas, estabelecimcnlos estes de pendonistas
do thesouro provincial.\o marchando progres-
9ivamente,econsta-me acharem-se em bom n
Tribunal da Kclapao.
SESSA DK 23 DE SETEMDRO DE 1813.
Na appellacao civel desta cidade apellan-
tes os administradores do patrimonio dos or-
laos appellado o Padre Francisco Rodrigues
Machado, escrivao Randeira; se mandou ouvir
o desembargador procurador da corOa da fa-
zi-nda.
^ Na appellacao civel desta cidade appellante
Franciseo Jos Rodrigues, appellado Joo Fran-
cisco Reges Quintclla escrivao Bandeira ; se
mandou ouvir o p omotor
Na appellacao civel desta cidade appellante
o Reverendo Vigario do Cabo Joao Cavahanli
de Ali'uquerque, appellado o Exrn. Rm. Rispo
desta I. ioccezo escrivao Ferreira; se mandou
desear ao uiso a quo para se averbar o disimo da
chancellara.
Os embargos do Manoel LuizGoncalves con-
tra Jos Goncalvcs de Feria, na causa de appel-
lacao civel desta cidade escrivao Ferreira; fo-
ifio despresados, mandando-sc cumprir o accor-
dfio embargado.
Na appellacao civel desta cidade appellante
.loiio Tbomaz Pereira, appellada Gertrude Ma-
ra do Sacramento, escrivao Posthumo; se jul-
gou pela reforma dasentenca.
Na a pellacao civel da \ illa da Granja ap-
pellante JosCaetano Tollos, appellado Jos
Randeira deCarvalho escrivao Reg Rangel;
foi a sentenca confirmada.
Os embargos de Jos Rodrigues de Oliveira
Luna, contra U. Ignacia Mara Xavier, na cau-
sa de appellacao civel desta cidade escrivao
Ferreira ; forao despresados.
Na appellacao civel desta cidade appellante
anoel Francisco Cardo-o, appellado Joaquini
Francisco Pascoal escrivao Bandeira ; foi a
sentenca, de que se appellou, confirmada.
No recurso dochefe de polica da cidade da
l'arahiba recurrente Delfina de Torres Ban-
deira e recorrido Manoel de Nledeiros Fur-
tado escrivao Bandeira ; julgarao procedente
0 recurso.
Os embargos de Antonio Marques da Costa
Soares contra Jo^ Marques da Costa Soares ,
na causa de appeiluco civel desta cidade es-
crivao Jacomo ; loro despresados.
Na appellacao rime do jury do Araraty, ap-
pelianles os reos Jos Pinto de Rarros, e Frao-J
cisco Jos de Sousa appellada a justica es-
crivao Randeira; julgou-sc improcedente o re-
curso.
Na appellacao crmc desta cidade appellan-
te o juiso appellado Antonio Marques Braga ,
escrivao Ferreira; foi reformado o despacho.
Na appellacao civel da cidade da Fortaleza
da Provincia doCear, appellante Manoel Joao
1 heopbilo, appellado Francisco de Salles, e ou-
Iros, escrivao Pcsthumo; foi confirmada a sen-
tenca.
O Diario-novo, que se ha tornado nesta pro-
vincia o echo do S'acionaldo Rio, peridico ali
incendiario, como aqui o mesmo Diario-no-
vo, copiou um artigo desse jornaldebaixo da e-
pigrafeO Governo ea Magistratura, qu.e nos
pareco nao deveria passar sem resposta, atien-
ta a importancia da questao que elle suscita. O
Nacional principia o seu artigo, assim: Qous-
que tndem ahilere, Catelina, palienlia noslra ?
At quando um governo reactor abusar da pa-
ciencia dos povos?... Onde nos querer levar o
espirito de tudo invadir, e menospresar ?... Al
quando, (usemos nos, uma opposicad destruc-
tora da ordem abusar da paciencia do gover-
no ?... Onde nos querer levar o espirito de tu-
do contrariar, e menospresar a verdade reconhe-
cida por tal ?...
Em todos os lempos o governo (executivo), es-
teja em quem estivero seu exercicio, seja qual
fdr a sua forma, sendo que por sua posicao so-
cial se ache cima de todas as consideraces
do interesse privado, e se considere o centro de
toda a feli :idade publica, e que por isso se sup-
pe a mesma justica, sempre se considjrou com
n poder de corrigii a magistratura, em alguns
de seus membn s. que se deslisavado caminho
da honra, e da virtudn, que os deveria ornar.
Abra-se a historia, e cada pagina se encon-
trarn Tactos, que justifiquen) esta nossa asser-
co; e alias sempre sanecionados com o louvor
publico. Esse poder de corrigir alguns magistra-
dos entre nos, segundo a nossa legislaco, ape-
nas se limita, para o governo, em algumas re-
nnces, e aposentadorias e mesmo assim,
quando o governo lanc mao do alguns destes
Traeos mcios contra algum individuo du magis-
Itratara, em urgentissimos casos..., a opposi-
co, como que reunida em coro, emboca suas
buzinas, e a forca do repetidos estrondos, a-
tuidda os incautos, com a idea, do quo o go-
verno arbitrario, e tyranno !
Era antigamente um proverbio j quo antes
uma m composicao, do que uma boa deman-
da. J de entao se desconfia va dosjuizes! Mo-
je porem is'.o nao mais um proverbio, urna
realidad! falle por nos. quem leve a desgraca
de ter uma demanda. Fall com honrosas ex-
cepces. Sim, podemos afrmar, sem tomor de
errar, que a justica, nos pleitos, est na rasan
da maior forca de uma das partes letigantcs; e
quando ambas sao igualmente poderosas, e tei-
mosas, os procesaos se eternisao; e entao ai!
de suas familias, que de abastadas se tornaran
pobres, emiseraveis! Por todas as partes se
grita contra esse infernal systorna Mil aecusa-
coes todos fasem contra cerlos magistrados, co-,
mo os mais escandalosos Ministros, quo nao
possuem mais, do quo o seu ordenado, e peque-
nos emolumentos trafilse, como um princi-
po da europa, que possue immen-oscabeaaes
RelTerem-se porahi Tactos vergonhosos de injus-
tica desse, ou daquelle juiz, cuja evidencia
comparada x luz dodia : removeo governo, ou
aposenta a um desses magistrados, diz a oppo-
sico: ninguem est seguro no seu emprego; di-
reilos adiquiridosse nao devem tocar; o magis-
trado tendo de decidir da vida, edas fortunas de
todos os cidados, as questdes entre si, e o
mesrno governo, deve ler garantas, e estar ao
abrigo das violencias do governo, e dos pode-
rosos, eporissosAa vi'aliciedade, e inamobi-
lidade o pode Tascr Cata !...
Disgracada justica, que para ser exerclda por
um juiz, fosse preciso, que esse, alem de seu
ordenado, e da grande honra de jukar, tivessi
as garantas da vitaliciedade, e inamobilidade
de seu emprego Antes da coistituicao um jui.
defra, um ouvidor servia esses empregos por
tres annos; e as ve/es, em menas tempo, ero
mudados de uns para outros lugares; e seria
por ventura a justica naquelles lempos menos
exercitada com rectidao, do que hojo, que os
juizes de direito sao perpetuos? A imparciali-
dado, e rectidao do juiz deve estarna convicean
oo mesmo juiz, de que a injustica um furto de
mo armada, decujo labo se devo aTastar-;
nenhurn motivo pois o justifica, para deixar de
ser justo. Um juiz, para faser o seu dever, nao
precisa ser Cato, que era alem de juslo, vir-
tuoso: ninguem Ihe obriga ser virtuoso, po-
rem deve ser obrigado ser justo. A perpelui-
dade dos Juises, quanto nos, tem sido um mal;
porque o temor salutar, que teriao da perda de
seus empregados, caso o nao Tossem perpetuos.
iis lanao menos accessiveis ao soborno, con-
ruca, e finalmente ao jogo de opposifdo ao go-
verno, para na sua queda, subirem ao mando,
que aspiro antes de lempo!... \ opposicad, que
nos prega todos os dias, que ella a sustenta-
dora dos elementas democrticos, para ser que-
renlc com os seus principios, nao deveria ter Tei-
to a apologa da vitaliciedade dos empregos;
porque isto improprio da democracia.
Mas, porque arbitrario o governo, quando
remo ve a um magistrado? Diza apposi'cao; por-
que sendo a remocao sempre para um lugar in-
Terior o em que seaeha o removido; o que e-
quivale uma pena; e sendo uma pena o effei-
lo de um crime; para que ella seja imposta,
preciso, que o individuo, que a vai solTrer, seja
oiivido, e convencido de urn crime ; o que se
nao pratica no caso da remocao. Isto nao ser
um sofisma? sem duvida. Para que o governo
esteja sempre livre da pecha de arbitrario, bas-
ta o,ue .-Hese conlornie a Ici, as suas accoes
gove nativas. A constituidlo no arligo 153. diz:
davia nao seontende, quo nao possao ser mu-
dados do um para outros lugares, pelo tempo,
e maneira, que a le determinar. Desta dispo-
sicao bem se v, que os juizes de direito podem
ser mudados de um para outros lugares, inde-
pendente de seicm ouvidos e convencidos ; e
sendo que ainda al hoje nao hjja nenhuma lei
regulamentar, para essas remoces, em quanto
ao lempo do sua duraco, claro, que ao go-
verno compete as praticar como entender de
justica, eequidade.
Na6 boa rasad o diser-se, quo seo juiz 6
mo. que por isi-o mudado, tendo do ir, para
outro lugar exercer o seu emprego elle conti-
nuara em suas maldades. Nesse caso que le-
ra lugar o elle andar enta em contradanza de
uns para outros lugares, at Ihe chegar o des-
canco, em uma aposentado: ia I !
Quanto a questao dos juizes removidos,qoe tem
perdido os seus empregos por effecli va monte
os abandonaren); admiravel ver-se que se
argu.nente, que a perpetui.Jade, que concede a
constiluico aos juizes de direito, jamis se po-
de perder, logo que se adquire o titulo; u que
por isso de nada vale a lei de 1818, quedispoe,
queoinagistradonomeadopc.de o seu lugar,
se dentro de seis meses nao loma posse do seu
emprego. Urna lei qualqucr nao derroga a outra
lei, seno t. quando desta, ou do suas dispo-
sicoes faz especial mensao: 2. quando as dispo-
sices da lei posterior vai de encontr a ante.i-
or, sendo, que traga a clausula, de que fico
derogaoas todas as disposices em contrario.
Comquanto a constiluico nao deva mencio-
nar nem se referir leis segundarias, com lu-
do, para quo ella deroguo as disposices des-
tas, pieciso, que evidentemente as disposices
das mesillas vo de encontr a lei constitucio-
nal. Ora a lei de 1818 dispoo sobre o modo pia-
ticoda posse, ccxerciciodo magistrado no seu
emprego, para que despachado; a constilui-
co dispoe em quanto ao lempo, que durar es-
se emprego: onde pois est o encontr dessas.
duas disposices, quando alias sao destnelas,
o ambas exequiveis, sem contradiccao urna da
outra ?
O Nacional parece, que, reconhecendo em
sua conciencia a forca desta verdade argu-
menta ainda em apoio de sua pretendi : que
o juiz removido nao tendo de exercer pela re-
mocao um novo emprego mas sim o mesmo
em difieren te comarca nao necessita de nova
posse, para que, deixando de a tomar, podesse-
selhe aplicar a disposicao d'aquella lei que-
faz perder o lugar aquello juiz, quo nSo loma<
posse do seu emprego dentro de seis metes. Ou-
tro soffisma. O empregado tem o seu provimen-
to competente, para servir qualquer emprego :
mas em quanto elle nao reconhocdo por lai
no lugar para onde nomeado pelo jura-
mento as maos da auloridado elle nao pode
exercer o seu cargo e nem vencer o ordenado,
'aqui se v que sendo removido ou muda-
do o |uiz com elle se nao muda a sua posse ,
que alias consista no reconhecimenlo dos do
lugar, donde ello foi mudado. Ainda mais,
seja qual for a remocao, ella depende de um ti-
tulo, que ou seja decreto, ou seja caria de pro-
virnenlo para que o juiz removido faca uso
desse titulo no lugar de seu novo emprego r
depende do cumpra-se do Presidente da
Provincia ; o que importa uma nova posse. Se
prevalccesse a idea do Nacional, teriamos, que
os Presidentes de Provincias quando fossem
removidos deste emprego de uma para outras.
provincias nao precisario tomar posse. Tai-
vez se nos diga que os Presidentes nao sao.
vitalicios. Ellos tarnhcm nao sao temporarios ,
para que se diga que acabado o seu lempo em
uma provincia sendo que (osse removido ,
seria essa remocao um novo emprego. Emlim,
a opposico delira !
C0MMERC10.
Alandcga.
endmento do da 23......... 2:20?S94G
Nao ha descarga para hoje.
os juizes de direilo serao perpetuos oque lo-I
PRACA DO RECIFE 23 DE SETEMBR0 PE 18i3.
Jievisla Mercantil.
Cambios Houvero saques sobre a praca do
Londres a favor da thesouraria a 25
d. por 18.a 90 dias.
Algodao As ent adas forao menores e nao
houve alteraco nos precos.
Assucar- Houvero vendas rcquei as do masca-
vado de 800 a 850 por () sobre o fer-
ro e do branco s para o consumo
a 1300 sobre o dito.
Couros-Os compradores s quercm dar 130)
rs. por libra.
Carne secca Nao houvero entradas esta se-
mana, eodepozito de 13:000 @:
as vendas da semana loro de 2:2i0 ,
a 2:580 ; hoje porem as vendas che-
gaiaode2:*00a2:880.
Dita de pono Vendeo-se de 16$ a 208 rs.
o barril.
Farinho de trigo Nao tem havido entrados ,
o depozilo de 4000 barricas e nao
tem sofrido alteraco no preco.


5
Fumo ngler Vendeo-se a 4:400 o quin-
ta'..
Louca ingle za dem a 225 por cont sobre a
f actura.
Mantoiga dem urna partida da Inglaterra a
540 res i libra fcando 150 barris
om ser o da francesa houverao ven-
das a retalio a 460.
Milho dem de 2000 a 3000 a sacca.
Oleo de linlmcd dem a 2000 o galao.
Rap tJe Lisboa No ha ncnbum cm primei-
ra nem em segunda r.nSo.
Sabfic > amarello Vcndco-se a 107 reis a li-
bra.
Bacal bao O depozito de 1C/00 barricas, nao
temi entrado depois nossa ultima
revista.
Carv So de pedra Vendeose a 108 o <]"' ri-
ta I.
Exi< tem no porto as seguintes embarcacoes :
Brazileiras.........26
Dinamarqueza .... 1
Franceza..........1
Hamburguesa.........1
Hespanbola..........1
ln;Je/as..........4
Portugueza..........1
Sardas............2
37
llovimcrjio (|o Porto.
Navios sahidos no dia 23.
Porlos do ^ul ; -vapor bra/ileiro Jiuhianna .
cominandiir ^ Manoel dos Santos Ornellas
Pssaage r<)S t capitao do fragata
Ignacio ''/avnres, brazileiro ; Hudoment
sua sogr a Italiano.
Diogo
Editaes.
- O Illm. Sr. inspector da thezouraria das
rf .ndas provincines cm cumprimento do oflicio
'Jo Exm. Presidente da Provincia de 13 do
torrente manda fa^er publico que no dia 30
ido corrento ao meio dia sob asclusulas abaixo
transcriptas, e em conormidade do regula-
ment de 11 de Julbo se arrematan! a quem
por menos fi/.er a reedilicaeao da estrada de Joao
do Barros no lugar da camboa de S. Joao, or-
eada na quantia do novecentos setenta c oito
mil setecentos c sessenta e tres reis (978S763).
E para que chegue noticia de todos mandou
o mesmo Illm. Sr. inspector alxar o presente ,
e publicar pela imprensa.
Secretaria da thesouraria das rendas provin-
ciaes de Pernambuco 20 de setembro de 1843.
O secretario ,
Luiz da Cosa Porto-Carreiro.
ESTRADA DE JOAO DE NARROS.
Clausulas especiues da arrematado da
dita estrada.
i." As obras d'esta porcao d'estrada scrSo
feitas pela forma sob as condices e do modo
indicado no orcamento e perfil longitudinal
approvado pelo Exm. Sr. Presidente em 13 do
eorrentc mez pelo proco de novo ceios e se-
tenta e oito mil setecentos o sessenta e lies reis
(9788763.)
2.a Em todos os pontos, onde a estrada novu
coincide, ou secnconlra com o carilindo actual
devera o arrematante durante todo O lempo
das obras, dirigir o servico de modo tal que baja
fiempre um transito fcil, seja na estrada nova,
seja nocaniinho actual n'uma largura devinto
palmos.
3. O arrematante comecar as obras no pra-
so de um mez contado em conlonnidade do
artigo lOdoregulamenlo para as arremataeGes
de II de Julhodc1843.
4." As obras devero ser concluidas no praso
de quatro mozos contado da mesma pocha do
quo a precedente.
5 O pagamento rcalisar-se ha cm quatro
prostaces do modo o as pochas determinadas
no artigo 15 do rogulamento para asarremata-
coes do 11 de Julho do 1843.
6 Para ludo o mais que nao esta determi-
nado pelas presentes clausulas seguir-se-ha n-
teiramente o quo dispflc o regulamonlo para as
arroniatacocs do II de Julhode 1843.
UcparlKo das obras publicas ISdc^elem-
Jjro de 18V3. O engenheiro em chefe ,
Ifauthier.
das provinciaes de Pernambuco 23 do Setembro
de 1843. O secretario l.uiz da Costa Por~
to-Carreiro.
Declaraces.
s4dministrac8o do patrimonio d:s orfos.
Tendo sido decidido polo tribunal do llic-
souro publico nacional por aviso de 5 de agosto
ultimo a questao que pondia entro a adminis-
traciio do patrimonio dos orlaos, o GonQalo Jos
da Costa e S acerca do arrendamento do arma-
'cm,que o mesmo Costa o '- fuera construir no
quintal da casa n.23 na ra da Madre de Dos: a
ticsina administraco manda fazer publico, qu
poranle ella se lio do arrematar nos dias 27 do
corrento me/, 4. e 11 do luturo a quem mais der
as rendas do dito arma/em : e por isso convida
as pessoas, quo se propozerem a arrematar as
mesmas rendas a comparecerem na casa de suas
sessocs nos indicados dias as 4 horas da tarde
com seas fiadores. Sala das scsses da adminis
traco do patrimonio dos orfaos 23 de setembro
de 1843. J. M. da Cruz escripturario.
= A administraco do patrimonio dos orfos
tendo de mandar proceder a rcedificacao da casa
n.'l no largo do Hospital do Paraizo e dado
n. 38 na ra do Torres do bairro do Recifo ,
convida as pessoas, queso qiiizerem por menos
encarregar das mismas reedifieacoes a con pare
eercm na casa de suas sessoos nos dias 27 do
corrente mez -4 e ti do luturo para so tractar
dos ajustes. Sala das scsses da administraco
do patrimonio dos orfjos 23 de setembro do
1843.J. M. da Cruz escripturario.
r%visos martimos.
Para o Havre o brigue (rancez s/rmori-
qiie pretende sahir (leste porto nos primeiros
das de outubro prximo pois alta-lhe pouco
liara completar a sua carga ; quem nello quizer
carregar ou ir de passagem para o que tem
liona commodosdirija-se aosconsignalarios Bolli
& Chavan nos na ra da Cruz n. 40.
= Prctendo seguir breve para o Rio deja
neiro o brigue escuna Nivegante por tor urna
[arto do seu carregamenlo prompto ; quem no
mesmo quizer carregar ou embarcar escravos,
podo entender-so corn os consignatarios Amo-
rim Irmao no Recife ra da Cadei;,n. 45.
O hiato Flor de Larangeirat, sai para o
Aracatyo mais breve possivel, por ter parle do
enrregamenfo prompto ; quem quser carregar
ou ir do passagem dirija-so ra da Guia do
Recifo loja de fazenda n. 32.
Leudes.
Kalkmann & Rosemmund continuarao. por
intervencao do corretor Oliveira o seu leilao
de fazendas raneczas allemaes o suis-
sas, tanto de seda, la, o linho, como de algo-
diio mu i proprias para este mercado : terca
fe ira 26 do corrente is 10 horas da manh em
ponto no seu armazem da ra da Cruz.
=-Joaquim Lopes do Almeida laz leilao de
200 barricas de farinha SSF no seu arma/em
di-tra/. do theatro por intervencao do corretor
Oliveira, segunda-feira 25 do corrente as dez
horas, no mesmo.
James Crabtree & C. fara leilao por in-
lervcnciio do corretor Oliveira de grande sor-
ti ment de fazendas inglezas as mais proprias
d'este mercado, oda estacao : quarta-feira
27 do corrente as 10 horas da manhaa no seu
arma/em ra da Ciuz.
Avisos diversos.
socikdade PHILO-DRAMATICA.
O Illm. Se. inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes manila fa/cr publico quo por
nao tereiu apparecido licitantes a arremata, ao
dos reparos da ponto do Goianna annunciada
para odia 22 docoirente, ir notamente 6
prac-a no dia 10 de Outubro prximo vindou-
ro pelo prec.o e sob as clausulas especiaos ja
& .
O ARTILHEIRO
ARIO hontem, e os Senhoresassignantes,
que o reeebem na loja de livros da praca da
Independencia n. 6 o 8 podem-no mandar re-
ceben
A pessoa que annunciou pelo Diario do
sabbado, 23 do corrente querer tallar a Fran-
cisco Manuel da Cruz Couto dirija-se ao pa-
tio de S Pedro n. 14.
Quem precisar de urna ama com bom e
bastante leite, sein lilho sendo moca e parda,
(iirija-se a ra do Agoas-verdea n. 42.
=Aluga-se o segundo andar d'um sobrado
na ra Nova com bastantes commodos para
urna lamilia ; na ra da Cadeia-volha loja de
(azondas n. 62.
Roga-se ao Sr. C. J. V. F. P. que no
praso de tres dias va onde nao ignora tirar os
seus penhores, sen5o o annuncianto os vende-
r para seu ernholco, pois ja se avisou por urna
carta e nao deu salisfacao.
Ouem precisar do urna ama ou criada
para lodo o servico de casa sendo de pouca fa-
milia, por ser do avancada idade n qual he cri
otila,o d fiador a sua conducta, diiija-se tra-
\essa da Madre de Dos n. 11 ou annuncie.
LOTERA DA MATRIZ DA
BOA-VISTA.
9- No dia 58 do corrente
mez de setembro correm
impreterivelmente as rodas
desla lotera, fiquem ouno
bilhetes por vender.
O Sr. major Fernando da Costa queira
comparecer na ra da Cadeia-velha n. 35 ,
pois se Un- desoja tallar; e isto com urgencia.
Aluga-se ou vende-se urna mulata de
idade de 33 annos pouco mais ou menos; quem
a pretender dirija-te ra das Trincheiras casa
n. 19.
=Jos Gonoalves da Silva subdito portu-
guez, rctira-se para (ora da provincia.
Arronda-so um sitio com boa casa, trras
para plantar, c ter vaccas do leite e com ar-
voredos, porto desta praca e querondo-se ir
a elle embarcado be pela camha do Remedio a-
cima al a ultima olaria que tem na dita
camboa.
= A pessoa, que annunciou no Diario de
4 do corrente ter cm seu poder urna escrava f-
gida sendo que tenha os signaos seguintes ,
pode fazer o favor de mandal-a levar a ra do
Cruz n. 37, aonde ser bem recompensada :
Joanna do ontio da Costa, estatura regular,
falla pouco corrento barriga prominente, tem
na testa um signal ou panno bastante prcto ,
olh s avermelhados representa ter 35 annos,
lugio a 4 de Dezemhro de 1841.
\ pessoa que livor urna negra escrava
com principios de costura o que a queira
confiar na asa <1c urna modista para a per fe i-
coar-se em costura de modas, pode dirigirse
a ra Nova n. 10.
= Aluga-se urna coxeira na ra das Flores
n. 20, toda lacada que admiti 4 carros e
serve tainbem para deposito do madeiras ou
ouiros olijeelos ; a tractar na ra Nova n. 41,
segundo andar.
= A fabricarle machinismo da ra Aurora
deia o pardo Cosme, o qual declarou seres-
cravo de Francisco Jos da Costa Guimaracs.
LOTERA DAS MEMORIAS HISTRICAS
DE PERNAMBUCO.
As rodas desla lotera andao impretorivel
mente no dia 5 de outubro prximo futuro ,
o os bilhetes achao-so a venda nos lugares do
costume ja annunciados.
O thesourciro ,
Jos Antonio Basto.
= Furtarao nao se sabo quando porque
a 6 mezes nao se procurava um bules qu*
ter um palmo >e altura do prata do lei, obra
de Lisboa mui bem feita com gomos e la-
vrura cabo do madeira preta ; promette-se
segredo e nao se inrommnda noladro; quem
dellesouber ou entregar a N ittorino Fran-
cisco dos Santos na ra do Rangel n. 54, re-
ceber de gratificado o vallor do bulles.
. = O Sr. H. que tem um relogio empe-
nhado por 5680 queira ir tiral-o no praso do
$ dias do contrario ser vendido para paga-
mento da dita divida ; na ra Nova n. 65.
=s Alugfio-se duas casas terreas novas por
Ira/, da ra da \urora, com duas salas, 5 quar-
tos cozinha fura quintal e cacimba : atra-
tar com Manocl Joaquirn da Silva caixeiro de
francisco Antonio de Oliveira.
Aluga-se urna grande casa na ra do
Sebo, com 3 janelas corredor independen-
te sala e alcova forrada copiare estribara ;
a tractar no atierro da Boa-vista loja de se-
loiro.
Deposito do farinha de mandioca na ra
da Cadeia de S. Antonio n 19 : os precos des-
la semana cnntinao a ser farinha da pr.meira
(ualidade 28240 da segunda dita 1S920 e
da terceira dita 1 $600 reis cada alqueire: no
(otr'ora natalense. )
Primeiro secretario avisa aos Srs. socios, I acha-se sorlida de moendas de cana dos model-
ijiie boje (telas seis horas e meia da tar-
de ha sesso extraordinaria na casada
mesma ; o n.ga uos mesmos Srs. nao deixem
de comparecer.
= Precisa-se de um caixeiro 13 a 14 annos
de idade pouco mais ou menos, para urna
venda ; no lleco do Peixe-frilo n. 5.
Na padaria da ra Direita n. 34 precisa-se
de um menino de 14 a 16 annos de idade, para
caixeiro e que seja porluguez.
No armazem no\o, na ra da Praia, ven-
dem-se pipas do ago'ardonle de 21 graos multo
clara.
Aluga-se um solao de urna casa terrea ,
com (mi i tus commodos, e tauboin commodo no
privo ; a tratar na ra Direita ao p do Livra-
rnenlo n. 10 : taiobeui se veridem 2 curijs. e
nina patativa bem cantadores e urnas caixas
do Porto proprias para farinha ou qualqucr
inistcr.
Manoel dos Santos relira- se para o Rio de
publicad, ecretaiia uu iuesourana uas ico- | immiu,
los mais approvados ; machinas de vapor de
lorca verdadeiramenle de 6 eavallos tendo os
cilindros 16 pollegadas do dimetro interior;
ditas de lorca de 4 ditos com dimetro de 14
pollegadas dito de alto presso com dimetro
do 8 ditas, e foro a de 6 eavallos a boa exe-
cucao do todas he garantida ; laxas do ferro
om uso crivos e mais ferragens para assen-
I a me n lo tudo fe i lo na mesma fabrica onde
tambero se recebe encomendas de toda a qua-
lidade de machinismo.
Alaria Joaquina do S. Thom professora
substitua das cadeiras de primeiros ledros de
meninas ensina particularmente ler, escrever,
contar, arilbmetica e diversas qualidades de
costuras ; tamhcm recebe cm sua casa aigumus
meninas de pessoas que moro fora da cidade,
ou quo morando nella as queirao confiar a
sua educaeao : quem pretender utilisar se de
seu presumo dirija-so n ra Direila n. 64.
Pela subdelegada de polica dos Alloga-
mesmo deposito vende-se milito bom milho ,
lanto a retalbo como ern porc5o 1 920 reis o
alqueire.
= Aluga-se o segundo andar do sobrado n.
23 da ra larga do llozario : a tractar no pri-
meiro andar do mesmo
Em um clima Uto quente como o do Bra/il,
onde as molestias terminan fatalmento as ve-
zes no espaco de poucas horas he mister ha-
ver um remedio que possa servir ao mesmo
lempo como preventivo e curador. A e-
decina Popular Americana tem essa proprieda-
do tomada as ve/es em quanto ella impede a
accumulacjiodos humores, conserva o sangue
puro o conseguintementc para as pessoas menos
sujeitasa apanharem qualquer molestia, seja
ella contagiosa ou nao.
Recommcnda-se portanto ao publico em ge-
raldecnsaiar esle excellente remedio que ,
pelo lado econmico he prcferivel a qualquer
outra medecina de similhante natureza tendo
as caixinhas maior numero de purgantes e por
menos preco.
O publico achara na Medecina Popular A-
mericana as pilulas vegetaes do Dr. Brandreth
stas propriedades que produzem seu elicito
sem dores ou encommodo algum nao so fax
preciso dieta alguma o podo-se tratar dos
sens negocios nos mesmos dias, em que se to-
mar.
Vende-se aqui cm casa do nico agente
Joao Keller ra da Cruz n. 11 e para maior
commodidaile dos compradores na ra da Ca-
deia ern casa do Joao Cardozo Ayres ra Nova
Guerra Silva & C. allerro da Boa-vista Salles
& Chaves.
Na ra das Trinxciras loja por baixo do
sobrado n. 16. lava-see enaomma-se rnupa por
preco muito commodo; quem se quiser utilisar,
podo dirigir-so a dita casa para faser o ajuste
por peca, mez, ou como Jbe convier.
= Aluga-se urna canoa aberta que car-
rega 6000 lijlos; na ra do Caldereiro n. 56.
= Urna mulher de bons costumes se encar-
rega da criacao de meninos de peito impedidos-
e desimpedidos, e tambem recebe meninos des-
mamados para curar de sua educaeao no que
promelle esmerar se ; quem de seu preslinio se
quizer utilisar dirija se ao palio do Carmo
n.24: na mesma casa aluga-se um quarto e
pessoa capaz o sem familia.
as Muy; -se um sobrado re Hiendo de novo,
na povoacodo Mon'eiro ; a tractar na serra-
na do MonL iro ou no armazem de vidro ao
lado da cadeia ra de S. Francisco n. 17.
ss Aluga-se urna morada de casa terrea em
Fora de Portas na ra dos Gura rapes com
comiiindos suficientes para urna grande familia,
com solao c Irapeira 6 quintos co/inha ,
copiar e quintal ; os prctendentes dirijo-se a
mesma ra n. 38.
Avisa respectivas meza regedora lodosos
irmosda irmandadedeN. S. do ozariodeSan-
to Antonio que hajao de comparecei do dia 8 de
Outubro em vantc para senm regislados os
seos quardernos cujo sello anligo foi tirado
da dita irmandade.
Na adminislraco do correio exislem car-
tas seguras para os Srs. Domingos Moreira Li-.
dos se laz publico quo se acha recolludo a ca-1 as e Dr. Manoel Ferreira da Silva,


L': wmm
i
.


4
VEITCII, BRAVO C
Vendem na sua botica e arma zem de drogas ,
na ra da Madre de Dos n 1.
A preparadlo seguala por preco muito com
modo o de superior qualidado.
Colirio ante-ophthal mico.
Este medicamento tem as m lis enrgicas vir-
tudes para destruir com os bnns e loliz.es re-
sultados quo a longa experie ncia tem mostra-
do tudo quantosiio nevoas belidas infla-
mares o outras dooncas d" ollios cm quo nao
be preciso para seu curativo radical usar dos
meios operatorios que a arte em taes casos
indica, e a quo o doente n ecessariamente re-
corre. Um sem numero de possoas podem at-
fostarcom vcrdadc os sa lula res eTeitos d'appli-
cacao deste remedio prodigi oso ; tai to em dif-
erentes partes do Imperio d onde tem sido pro-
curado como em algumas parles da Europa
onde seu uso he ha mais tem po ronhecido.
Na mesmn casa tambcm se venden) tintas (
e todos os outros objectos d pintura ; verniz.es
de superior qualidade en reelles um perfoi-
tamente branco e que s porte appliear so-
bre a pintura mais delicadi semi que produ-
za a'trraeao alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de Bcrmuda,S ag, Sabonetas, -
Salmo de Windsnr.Agu a de Seidlitz, Agua
do Soda,Agua de Sel,Limonada gasota .
Tinta superior para es crevor,Tinta para
marcar roupa.Perfumarlas ingle/as,Fun-
das elsticas de patente, Escovas e pos paro
denles ,Paslilhas de muriato de moiphina .
e ipecacuanha, Paslilhas linissimas de hor-
tela-pimenta Pastilhas de l>i-carbonato do
soda e gingibre. As ver1 adeiras ptalas ve-
getaes universaes do D.r itrandrlh vindas
deseu author nos Estados-Unidos, &c &r.
Na noute do da 22 pa ra 23 do corrente
pegou -se urna negra de nonie Luzia do na-
cao Congo que diz andar fgida a 4 semanas,
o que lugio andando venden do a/rile do earra-
pato e diz que seu senhor chama-se Bastos;
quem se julgarcom direito a ella dirija-so ,
ruadaPraia armazem do G'uimaraes ; o qual
nao scresponsabilisa pela fuga da mcsma ne-
gra
No dia 26 do corrento as 4 horas da tar-
tarde na ra Direita aporta do Dr. Juiz do C-
vel da primeira vara se ha de arrematar me-
tade do sobrado de 2 andares sito no patio do
Carmo n. 7 por exeeueao de Rtilino Gomes
da Fonseca contra Jos -Antonio do Maga-
IhSes Bastos & Companhia.
Ha urna porcao decalica quo servo para
entulhodequafqiier obra queso queira fa-
cer na ra do Livramento n 26 cuja cau-
ca se d i gratuita a quem a quizer tirar do mes-
mo quintal.
Tirao-se passaporles para fra e dentro
do Imperio, e f.dhis corridas; na ra do Li-
vramento n. 26, segundo andar.
= Continiia-so a tirar passaportes para
dentro e fra do Imperio, e follias corridos com
toda a presteza o rommodidade: na ra do
Rangel n 34.
Prceisa-se de um cozinheiro que sej
perito e-n sua arle ; na ra dos Ouarteis n. 12.
__ Preeisa-se saber da residencia do Snr.
MarYocl Capailas Teixeir afimdusc Ihe en-
tregar urna .arta de sua familia.
= Precisa-sede um feitor que enlenda
de arvoredos, 6 queira rraballiar em um sitio
porto da praca prefere-so a um natural das
libas dando conheci ment de sua conducta :
na ra da Vssumpcao no correr do muro da
Penha delronte do nicho n. 16.
__ Desappareceo no dia 20 do corrento pela
manhaa urna cabra ( bicho ) mama preta ,
com algumas malhas brancas na frente lem
os chrifes torados as ponas; quem didla sou-
ber ou a livor acbado leve na Gamboa do
Carmo venda da esquina que ser grati-
ficado.
I'orgunta-sc ao Sr. aulhor do annuncio pu-
blicailo no Diario do sabbado com a lettra II .
se o dito annuncio so entendo com Heririque
Maris Pereira de MagaUties.
Aluga-se somonte pelo lempo de osla
um gratule silio logo no principio da estrada do
Arraial com grande casado podra o cal es-
tribara cacimba banho d'agoa corrente no
lundo e com umitas aores de fruto : no
atierro da Boa-vista loja de saleiro.
= Precisa-sede 3008 rs. a juros de um e
meio por cento o me/. pelo praso do 5 nio/cs.
dando-se penhores de ouro ; quem quizer dar
annucic.
= Precisa-so de 2:0008 rs. a premio de
um por cento aomez, e por empaco do 2 annos,
com hypothoca em um sobrado de um andar
sem embaraco silo na Boa-vista ; quem qui-
zer lazar este negocio annuncie.
__ Oflerece-so um rapaz Portuguez para
caixeiro o qual ja tem bastante i-retira de
miudezas ; quem precisar dinja-se a ra Di-
reita n. 2,
Deseja-se saber se o Sr. Vctor Antonio
da Silva natural da Parahiba filho de Ma-
ra Joaquina Thomazia da Silva, existo nesta
cidade ou se ha alguom que doli dfi noti-
cia; porque tem-soque Ihe lallar a negocio de
importancia : annuncie.
Narciso Jos Forreira retira-se para o
Cear.
Compras.
Compra-so um ponteiro do bom ouro: na
ra Imperial n. 167.
Compra-se um batelao pequeo, com
lodos os sem pertences : na praca da Indepen-
dencia n. 21.
;= Compra-se um negro de nacao moco,
de bonita figura proprio para todo o servigo ;
c urna negra para mucainba ; na ra da Cru
n. 38 segundo andar.
>^ Compra-se um diccionur o portuguez pa-
ra latirn e outro ingle/, para portuguez o por-
tuguez. para ingle/., em bom estado ; na ra
Nova n. 35.
Compra-se um braco de balanca granda .
com con'-h is correles o pesos ; na ra das
Cruzas n. 40.
Compra-se um armario de guardar lou-
i,m em bom estado annuncie
Vendis
=s Vende-se urna porcao de saecus de arroz
com casca por junto ou em alqueire pela
medida velha por preco commodo : na iua
lo Livramento, armazem de louea o mutila-
dos n. 20.
= Vendo-se, ou arrenda-se urna grande
casa assobradada com bastante terreno dos
lados c no fundo e neste porto do desem-
barque a qual he propria para algum estahe-
lecimento de fornos, sita no Coelho da Boa-
vista; e igualmente vende-se oulra casa grande
lamben) a-sobradada sita na ra da Alcana ,
ambas feitas a moderna ; no altorro da Boa-
vista loja de seleiro.
Vende-se una cscrava crioula ainda mo-
ca com algumas habilidades, que a vista
do comprador se dirao na ra do Bangel na
esquina, quo volta para o trem venda n. 11.
Vende-se urna barraca que carrega 10
caixas ; na ra do Bangel na esquina, que vol
la para o trem n 11.
- Vende-se cstamonla fazenda mandada
vir de encomend s propria para habito de
terceirodeS. Francisco; na ra Nova, loja
de alfaiate ti 46.
= Vendem se pecas de chita encarnada
com flores amarellas a 7600 e 200 rs. o eo-
vnilo dilas de assento esouro a 6700 o 180 o
oovado dita a 6000 e 160 o rovado ditas de
cambra a adamascada a 5000 dita lisa a
3200 e 3500 metim de cores a 160 o covado.
panninhoa 2500 a peca, cassa lisa a 58 rs., len
eos de seda decores de bonitos padroes a 1200.
chales de metim muito grandes a 1000 rs.,
panno lino a'ul a 5500 o covado, brim tran-
cado branco a 480 a vara, garra de seda la-
vrada a 200 rs. o covado pecas de bretanba
com 15 varas a 2M)0 chales de chita com al-
guma avaria cortes de veludo lavrado com
algum mofo a 1500 grvalas de duraque pre-
to propras para militares a 240, e outras mui-
las fa/endas por preco commodo; na primei-
ra loja do fazendas do ladodireito passando o
arco da Coneeicao.
Acha-se a venda nos arrombados um
grande sorlimenlo de caibros de boas qualida-
dos, n Dos travessas encbameis de 20 25 e
36 e outras militas madoiras de todas as qua-
lidades e preco commodo.
Vende-se cevada muito boa ; no arma-
zem de I lias l'orroira & Companhia no caes
da Alfandega dofronte da esradinha.
Vende se um habito e cordao quasi novo,
muito em eonla por nao servir a um irmao da
orden torcoira de S. Francisco ; na ra eslrei-
ta do Rosario n. 17.
Vende-so urna osera va de nacao de 20
annos bonita figura perita eozinhcira, en-
gommadeira cose e lava ; na travessa de
\ Josfl. 10.
n Vendem-se moinhos de ferro do novo
modelo para moer cal a preco de 1400 e
1600 ; na ra Nova, loja de ferragens n. 25 .
a no atierro da boa-vista loja de ferragens
n. 72.
Vende-se um sorimento de toalhas do
linho adamascadas rom guanlanapns do
qualidado superior e panno de linho em pe-
cm de 18 \aras ebegados prximamente de
Ilambnrgo ; 'emeasa de II. Menrlens ruada
Cruz n. 47.
Vende-se urna armaco que foi de loja
de fazendas, rom duas vidracas, p balean, pro-
pria para loja de charutos ; no patio de S. Pe-
dro n. 5.
deposito de farinha de mandioca na ra da
Cadoia de S. Antonio n. 19.
i Vende-so carne do Ceara ; a bordo da
sumaca Felicidade, fundiada defronte do tra-
piche novo por preco muito commodo.
^ Vendem-se pecas de algodo/.inho do 20
jardas a 22M) ditas do chila azul com 2i co-
vadosa 28'O, chapelinhas parasenhoraa 600,
chales de chita de campo azul o encarnado a
800 o 900, ditos linos com Iranja a 1280,' di-
tos de seda adamascados com requissimas
franjas a 14 o 188 rs- rneios chales de lan-
zinha a 700 o 800 lencos do seda entrefinos
para grvalas a 2240 ditos de quadrinhos de
cores a 3800 ditos para pescoco do senbora ,
ou para aigineira a 1280. 1440, o 1600, mcias
rompridas brancas para senhora a 280 300 ,
320 e 400 rt. ditas de cores com algum
mofo para senhora e meninas a 200 rs. o par,
ganga ajMl a 100 rs. o covado fitas de seda
par.iifa&HO, 80. e 100 rs. e melhora 160,
cellenles para o uso do estudo de geographia o
do solTrivol tamanho o esta em muito bom es-
tado : na praca da Independencia, livraria
ns. 6 e 8.
- Vende-se um escravo de boa figura e
hbil para todo o servico; dous caixes envi-
dracados para amostras de venda ; e urna canoa
lechada com mais de 60 palmos de comprimen-
to a qual est na serrara de Joao Brito : na
ra Imperial, venda n. 2.
Vende-se um escravo do baco de 40
annos proprio para sitio por prero com-
modo : na ruadoQueimado n. 52.
= Vende-se urna casa na matriz da Var-
zea com 4 quartos, e bom terreno para plan-
tadlo : na ra dcHortas n. '02.
= Vendem-se borzeguins gaspiados o rom
pona e lustro de urna e duas solas, pretos o
decores para bomem e senhora sapatos abo-
tinados e de palla adianle e atraz de bezerro
francez e ingle/es de 2 e 3 solas, todos ta-
e 320 a vara, setins de cores com pequeo j xiados, bolins de be/erro francez e de Lisboa ,
mofo a 640 o covado e perleito a 800 e 880, stpatos de couro de lustro para bomem e me-
lil.'.de linho liso e bordado chales de fil o do \ nios de 8 a 12 annos ditos de colxete ditos
l escocesa, ditos de seda de urna s cor a j de marroquim bolins de couro de lustro e
6400, neos de cassa de quadrinhos a 160 e de marroquim para meninos sapatos atamn-
240 ditos do cambraia bordados de agulha a rados de duraque ecordavao para senhora d-
500 rs. e de cores com nomes a 600 e 640 tos do bezerro para bomem sapatos de dura-
suspensorios de burracha a 240. 280, e 320 o que, cordavao setim e marroquim parase^
par, madapolo a 3200, e3800 e superio- nhora e meninas, tanto france/es como de
rcsdegalocomlistra dourada a 5760, lencos i Lisboa tudo por preco commodo : no atierro
la fabrica franceza encarnados a 320, chitas'da Boa-vista loja n. 24deJoaquim Jos Pe-
a 5800 6000 at 9000 e um rosto de miu-
dezas que se vende a retalho pelo mais barato
preco possivel; na loja da viuva do Burgos.
^ Vendem-se por preco commodo os I i v ros
seguintcs. Cacographia portugueza, e cor-
recrao a mesma ; o Myssope; Novo Testamen-
to em inglez, Principios lgicos por Tracy ;
estado acual da Monarchia Portugueza ; os La-
biadas ; Geographia de B. Q. Torreau ; Phi-
losophia de Ponelle ; Glossario de gallecsmos ;
mestro francez por Clamopim ; Felis Potestas.
i annos do Panorama ; compendio de geogra-
phia por Casado Giraldas ; Virgilio ; desco-
brimento da America ; manual do chimiea ;
Telemaco em ingles ; Horacio: Loke; Ovidio;
Salustio; compendio de geographia por Gaul-
lier; instruccoes de rerimonias ; Rhelhorica
sagrada ; Panegricos de Joao de Barros; pre-
gador instruido ; Meditacus de Horvey ; Alias
moderno; Lgica de Condiiac em portuguez ;
dita do Gonuense Dantas (sintaxes); Elhyca
de E. Job; Ruinas dos Imperios; resumo da
historia de Ari'manha dita dos Paizes Baixos;
o Fatalista ; Gustavo ; Flos Sanctorum ; Dic-
cionario philosophico ; Contracto social; is
Puritanos; Parnaso Lusitano; Instiuioes Rbo
thoricas de M. F. Quinliliano tradusidas porj
S. Barboza ; Lgica de Perrard ; Geographia
universal por A. Balhi com Atlas; Gramma-
lira ingleza por Canslancio; Telemaco em
francez; Gil Braz; Diccionario philosophico
do Brasil ; Henriada ; conversacao ingleza e
Irn eza ; Alias da geographia antiga e mo-
derna por Lepage ; dito das duas Americas ;
urna porcao de papel pautado ; e um globo
terrestre novo : no largo do Paraso n. 8 pri-
meiro andar.
Vendem-se dous macacos pera estivar na-
vios em bom estado e por preco commodo:
na ra da Cadeia do Becile n. 37.
= Vende-se um porcao de louca da trra e
da Babia, ainda mesmo metade a praso e o
rosto a vista por prero commodo : na ra
Direita n 87.
Vendem-se 21 pipas rom ago'ardenle
branca muito clara e de mais de 22 graos ,
propria para embarcar ; un apparelho de por-
celana para chr; c um palanqun) em bom
uso : na ra do Amorim n. 32.
A endem-se ricos botos para abertura ,
com diamantes grandes e esmaltados um ti-
tulo e resplandor de prata para o Senhor Cruxi-
licado ouro, prata, diamantes, e robins pa-
ra obras um apparelho de porcelana dourada
para ch. urna caixa de msica que toca
dando-se corda paies le oculos e lonetas com
armarlo i duas caixas para mostrar gneros de
sonda urna balanca com marco para pesar
ouro ou rap pipas, quartolas, barris e bar-
ricas vasias, temos de pesos de meia arroba at
quarta : as 5 ponas n. 45
Vendem-se duas escravas de 20 annos ;
lavadeiras e quilandeiras; urna dita de todo
o servioo por 350,000 rs ; urna dila lavadeira
e co'inheira; dous moleques de 14 a 15
annos, proprios para qualquer servico : na
ra do Fogo ao p do Bozario n. 8.
Vende-se urna crioula de 20 annos en-
gomma cose cozinha c lava ; duas ditas
de naco, urna do 22 annos, c oulra de 28 an-
nos engommo co/inha e lavao ; na ra
dat Grates h. 41. segundo andar.
= Veni'e-se um negro erioulo cozinheiro,
e de todo o servico, a vista do comprador so
dir o motivo porque se vende: na ra da Cruz
Vende se muito bom milho, tanto a re- n. 15.
taio como em porcao a 920 y quee, so [ Vende-se uui \>ai de glvtcs tfWtees c-
reir.
ss Cadeiras americanas rom assento de pa-
Ihinlia camas de vento com armacao com-
modasdo angco, ditas de arnarello marque-
zas de condur camas de vento de arnarello
muito bem feitas a 4500, ditas de picho a 3500
assimeomo outros mu i tos trastes; pinho da
Suecia com 3 polegadas de grossura dilo
serrado, dito americano com di Aeren tes largu-
ras, ecomprimenlos travs de pinho e bar-
rotes com diAerentes grossuras e comprimen-
tos ; tudo se vende mais em conta que oufra
qualquer parte : na ra da Florentina, em
casa de J Beranger n. 14 ,
= Vende-se um moleque de 15 annos,
de bonita figura; um escravo de nacao Cacan-
ge cozinha e he de boa conducta ; urna es-
crava de nacao engomma com perfeicao co-
zinha, e coso ; urna dita boa cozinheira e do-
ceira ; duas ditas lavadeiras e quilandeiras :
na ra Direita n. 3.
= Vendem-se os seguintes livros por preco
rom modo : Kulropio Cornelio novo me-
ihodo por Antonio Pereira arte latina por
Dantas, Ripanro \ adamero d s Poetas,
Guia dos Navegantes ou expliracao dos rumos
da a ullia Diccionario portuguez por Cons-
tancio ; no atierro da Boa-vista n 64.
s Vende-se urna negra de nacao de bo-
nita figura engomma cose, e cozinha muito
bem e lava ; na ra Direita n. 98.
Vendem-se mergulhos do par reir mus-
catel, que dao uvas em pouco tempo : na ra
do Caldereiro n. 56.
= Vende-se una preta de nacao Angola,
com um lilho de 9 annos, a negra tem 30 an-
nos e be do servico de campo e de vender
na ra ; na ra da Gloria, sobrado n. 59.
= Vende-se um relogio de ouro de pa-
tente mui bom, e um piano inglez de mogno,
qusi no\o ; na ra do Livramento n. 20 pri-
meiro andar.
Vende-se um seslante quasi novo, e mui-
to bom: na praca da Independencia ns. 26 e 28.
= Vendem se corles dr chal de l e seda ,
muito finos chita larga franre/a de ptimos
gostosetintos linas, lindas cassas pintadas do
cores fixas ditas adamascadas as mais superio-
res ; na ra do Cabug n. 10 defronte do
rerieiro.
= Vende-se urna porcao de frascos prelos ,
que forao de frasqueira grandes e peq uenos ,
e urna porrao de prala tudo por preco rom-
modo ; em Olinda no Varadouro venda da
esquina n. 18.
= Vendem-se duas casacas, urna sobre-ca-
saca e 4 collolos, tudo em muito bom osla-
do e com o feilio ainda moderno, por 188
rs. estas obras vendem-se poique (icario aper-
ladas ao dono e serven a qualquer pessoa de
mediana eslatura : na pracinha do Livramento,
loja de fazendas n. 50.
Escravos fgidos.
No dia 22 do corrente desappareceo da
rasa do abaixo assignado um su escravo de no-
mo Domingos, dena>.ao Congo, de 30 an-
nos estatura baixa lelo lem os ps choios
de bichos levou vestido calvas de estopa o
camisa de algodao ; quemo pegar leve a ra
Bella n. 40, que ser gratificado. = i.anuci
Fcrrei a da Si lea i amos.
liiairs;
; Tvyt mp M F\ iik Kaki a. .= 1843.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3CO3CJB2_ENO7NG INGEST_TIME 2013-04-13T01:26:03Z PACKAGE AA00011611_05059
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES