Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00527


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*~-



I M
Nc231

-
..4///io efe 1829.
DIARIO DE PERNAMBUCO.

.i
^IMK se na Tipografa do mesiiio Diario rqa DireitaN. e 3fl7 l.^awiarem mezes por 04Oreifaoi
que salara todos 08 das atis. \7
-
- ___________________________
Terja.Fkika27deOutubro. 8. Elesbad Imperador.



Preamar as 5 Aonw c 18 minutos da tarde.
l
-BKT^)^a*^3

Si
CORRESPONDENCIA.
]Nr. Edictor. O habito faz o ho-
mem Etitas tres palavras eneerrao hum
thezouro inexgolavel de sabedoria* El-
las os offerecem a chave dos acontec-
mentos mais espantozos da vida humana,
acn tecina en tos, que parecem incompre-
hensiveis, nao so ao commum dos ho-
mens, mais anda as maiores Filsofos.
Ellas nos ensinao o verdadeiro, e nico
'meio de chegar a todas essas fortunas, a
poz das quaes anda sempre a niaior parte
dos homens. Grandes tollos sao quantos
quebrao as caberas, e querem fazer a-
creditar aos outros, que so o verdadeiro
mrito, o amor da Patria, e justa liberda-
de, que so a virtude em fim sao capazes
de nos fazer felizes, e dar-nos a reputa-
cao de homens verdaderamente celebres.
Quao mal, e rudemente nos tem tractado
ate aqui os moralistas Ah Para que
precisamos dos esforcos, que elles tanto
nos recomendad. Os hbitos, oh feliz
invencao sim os hbitos s conseguem
o que a probidade, a honra, o mrito, a
virtude ainda a muito custo nao alean*
cao.
Nada me parece hoje mais ridiculo,
do que hum homem de bem mal ataviado,
e o que ado exceder a todos os limites da
importancia he, que tal homem, por a-
lardear de capacidade, forme perteneces
estima publica. Que obstculos nao
tem elle a sofrer para chegar somente a
honra de ser sofrido desses, a quem os
hbitos dao toda a considerado, e mri-
to ? Trinta annos de apurado estudo em
ser homem de bem nao lhe podem render
tanto, quanto vinte quatro horas de libr
magnifica. Consideremos este homem
oom a sua probidade desalinhada, e sua
simples casaca apparecendo em huma ro-
da de hbitos brilhantes : j muito feliz
foi elle em ser admittido nasociedade; por
decencia lhe dao huma cadeira parase
assentar: ninguem lha para elle, e ape-
nas as Senhontas acotovelandose humas"
as outras se perguntaC" ao travez de furti-
vas risadinhas quem he aquelle pingan-
te ? Entre tanto meia duzia de franchi-.
notes, todos embonecados, e pintipara-
dos, tao namorauo das damas, como do
garbo dos jaqus, dos cazaquinhas de
xexe'o empapado, e das fitinlms, que lhes
pendem dos peitos deciden) detudo; fal-
lao de poltica, e de modas, dzem mil
parvoces, aplaudidas pelo belo sexo, e o
nosso homem honesto, e nao enfeitado,
ainda que seja hum Aristteles, est ali
como 8, e 9, esperando em silencio o di-
plomatico rebate do cha, e das torradas.
Accusar o mundo por ter osolhos
cerrados ao mrito dos homens de bem,
he huma injustica ; porque o mundo he
hum theatro, e no theatro nos s toma-
mos por Principes os que apparecem ves-
tidos de Principes : nem todos Os especta-
dores tem a paciencia de esperar por a
ultima scena, e desentrexo da pe^a. Co-
mo pois he cousa decidida, que nos so-
mente ao habito devemos o mrito; eu
ouso sustentar, que poneos homens vejo,
tao dignos de veneracao, como o meu al-
faiate. Eu vou muitas vezes a sua loja,
e sempre me encho de hum sancto respei-
to, quando vejo aquellas maos creadoras
fazerem brotar o merecimento, os talen-
tos, a virtude, e a sua milagrosa agulha
fazer sahir do nada Figuroes de impor-
tancia : assim appareceo repentinamente
sobre as praias o primeiro cavallo ( diz a
Mytologia ) quando Neptuno arremeeou
sobre a margem o fbrmidavel tridente.
Os dias passados hihdo eu a caza do
meu dito alfaiate, achei-o no meio de
i

%
____


r
p

(926)



hum cabos de gatSes, seas, e pannos fi-
nos, d'onde criava Excellencias, e Se-
nhorias. Estava elle justamente ocoupa-
do em talhar hura Conego, e mostrava-se
inuito descontente por nao ter bastante
fazenda para a fnrmacao da panca de Sua
Reverendissima, Duas Senhorias talares
estavao anda sem mangas, pendentes de
huma cordinha. Hum dos seus Officiaes
trabalhava na rica farda de hum Com-
mandante de fora, que atropelra toda a
pobreza, moradora em suas trras para
fazer conhecer o seu Ilustre mrito. So*
bre a meza estavao bastantes peralvilhos,
suspirantes, e namoradores, que pareciao
esperar cora impaciencia a sua formacao,
e o desenvolvimenlo do seu ser : debaixo
da meza jaziao empiihados muitos peda*
eos de pannos grossos, e fazendas ordina-
rias para os homens de letras, negocian-
tes, agricultores, e outros desta laia: do*
us aprendizes se exercitavao a porta na
batina de hum pobre clrigo. Eu estava
ao p do Mestre cora o chapeo debis o
do braco, e raais de huma hora me con-
servei tiesta pozica respeitosa, que sem-
pre tomo de ordinario quando me vejo na
prezenca dos Grandes. O alfaiate esta'
tao avezado a este raeu silencio respeito
zo, queja' me nao perguuta o motivo;
porque nao ignora a profunda veneraca
que tenho aos vertidos magnifico! \ ella
he judiciosa ; por quanto nos Figuroes o
que respectamos he o habito : e como os
corpos que se achao debaixo desses hab-
tos preciosos nao parecem de importancia
alguraa, o de ver nos obriga a tomar hum
arde submissao, anda raesrao quando
vemos esses habito sem serem accompa*
nhados de seus corpos accidentaes.
Antes de concluir este artigo nao
posso deixar de fazer huma reooroeuda-
cao que rae parece adquada. Como os
habito* sao na verdade os que constituem
o ment, das pessoas, cousa, que esta'
conhevida, e ate demonstrada; como
quetn nao apprezenta em publico lustro*
zas becas, agoloadas tardas, penduruca-
lhos honorficos P<> nao o epitheto de farroupilha ; justo hera,
que se nwdasse a lngoagem do compri-
meatos, e que quando encontrsemos
hum desses Figuraes de recomendacao,
lhe fallasseraos nos seguintes termos
Hlustrissimo Seuhor, tenho a honra de
asegurar o raeu profundo respeito beca
de seda de V. S, *- Naosei testemunhar
a V. S. a veneraca em que tenho as su-
as raedalhas Eu me recomend a alta
protecao da farda bordada de V. E.
O Estado admira o alto mrito da corn-
menda de V. S. O Ceo dilate por
loncos annos o riquissimo chapeo de V.
S. para felicidade publica, e honra da
Nacao.
Amen,
.-------------*----------------

Avizos Particulares.
APessoa que percizar de hum homem
abil para Caxeiro de huma venda,
loje de fazendas, ou para administrador
de algum Engenho: anuncie por este
Diario.
Qualquer Pai de familia que morar
distante desta praca e precizar de hum
Mestre das primeiras letras para seus fi-
lhos anuncie por este Diario para ser pro-
curado.
Francisco Antonio dos Santos tendo
corrido a sua rifr; apezar de lodo o cui
dado, e vigilancia, houve augmento nos
bilhetes breos, o que nao poude deixar
de provirdo barulho dos acistentes; e por
isso, he cora unnime aprovacao de todos
os mteressados, e mesmo de muitos Srs
que tiverao grandes premios, elle vai cor-
rer de novo no mesmo lugar impreterivel-
mente Domingo de 1. Novembro e uza-
r de todas as cautella*, e prevencoes par*
saia exatissima.
Caetano Gomes de S, anuncia que
a sua rifa cora posta para os 5 grandes
premios da sexta Lotera, nao pude ter
efeito com esta primeira parte pelo seu ex-
traordinario adiantameuto ; e nao poder
recolher os bilhetes, que mandou para
fora ; e por isso fica para ter efeito com a
segunda parte, o que nada complica qom
o seu plano pois que nelle prometO em
termo genrico para u sexta Lotera.
Joao Vi/'M-u Lima rezidente na ra
do Vigrit^pri?, tem para sacar sobre o
Rio de Janeiro at a quantia de 16:000$
rs a receber aqu a vista ou a prazo se*
gundo o cambio ajustado. Qualquer pes*
s*a que .lie convenha alguraa destas tran
sacoens em parte ou no todo, poderao ser*
viv-te comparecer na residencia indicada,
Leilao
I^^Ue faz Joze Antonio d'Oliveira,
\gftQniuta feira 29 do crrente, pelas
10 horas da. man La, na caza de sua resi-


"VT"


MMI
!! i
(8r)
denca, roa da Conreino N. 34, de
diversas fazeudas, entre ellas algumas
comdefeito quese venderao por uootade
juem perteocem.
O anunciante a presentara 'este Le*.
Jad cm'sas novas, e jwr is*o espera a maior
concorrencia de seus Freguezes.
Allug-a-se.
'Uma preta que saiba coziuhar, e tra-
tar do a rea fijo de caza de liuui rapaz
solteiro : anuncie por este Din rio.
Hum preto que inlr nda de Pa'eiro:
na na do Colejo loje de louca e vid ros.
Para o rompo da testa hum (ios mi-
Ihores obrados na Cidade d' OlinoV, ra
do Varadouro, com encllente banheiro
de pedra e cal, dentro do quintal: no
inesmo sobrado.
Huma caza para otempo da festa no
Caldereiro com 4 quartos, coz i n ha fora,
boa salla adiante, eoutrn mais pequea
atra*, e seo quintal com algumas arvoies:
no Pateo deS. Pedro hindo para o beco
da viraca caza D. 10.
Arrenda-se. >
fa citio nos lugares da estrada da
^Magdalena, ou en S. Amaro, com
terreno suficiente, e proprio para se ter
t 6 vaccas e leite, embora a caza nao
seja muito boa: no sobrado de 2 andares
defronte da Igreja do Hospital do l'arai-
zo.
Cowipra-se
NO Trem Militar robre yelho pp ra
a fuodica, qticn otiver e quizer
vetder d ifiju-se ao mesmo Trem.
Venderse.
"Uma porcao de ca branca por preeo
.cmodo: na Precio ha do Lj vra men-
t loje D. 17.
Hum relojo de panVe muito bom e
de bom gosto capaz de estar em huma sa-
la : na ra do Caboga! loje de ourives
N. o (15.
Huma negra para fora da trra de
nacao Angola, com leite para criar, de i-
dade de 20 a 21 a unos : na roa da Guia
N. 5.
Huma morada de caza terria cita na /
ra do Fgo desta Cidade e com muitos |
cmodos : na ra da Camboa do Carmo
caza N. 229.
Hum alicerce no Poco da panella
na ra aPoeira eran 16*0 palmos de fren-
te a fundo, e 40 de frente : na mesma ca-
za cima dita.
Huma venda no lugar da caza For-
te, com poneos fundos : na Boa-vista ra
da Gloria caza N. 44.
Purgantes e vomitorios de La-Roy,
do verdareiro autor, vindo de Franca l-
timamente e por pr< eo cmodo: na Pra-
ca da Uniao leja de Avelino Nmeros 31
e 32, e na ra do Vigario Aimazem N.
20.
Bogias de sera do Rio de Janeiro de
superior qualidade a pieco de 560 rs. a
libra, assim como taobem da India a 640
rs.: aa ra de N. S. do Terco loje D. 8.
Louca hmida a pedra,Jarras, quar-
tinhss. hesfriadeiras, e moringuts, e tao-
bem louca grossa : na ra do Kozario lo-
je de 10119a D. 21.
Varias obras de prala do milhor gos-
to poossivel, chegadus a e*ta no uliimo
navio de Lisboa, as*im como Dicionario
de Mora s. p ni!trc hvros; na ra da
Cruz N. c 12, ao pe* da Cacimba.
Huma escraaa rrioula de idade de 19
para 20 anuo*, sem vicio algum, para o
ser vico de caza : na Praca da Boa-vista
caza D, 12.
Hum selim muito bem feito, seguro,
e em bom uzo : na ra do Livlamento ca-
za l). 4.
Hum Armazem surtido de louca da
Babia, e da trra fina : na ra do Ran-
gel caza D. 2.
Na ra de Vigario D. 32 caza, de
Jobo Vieira Lima o seguinle
Hun a porcaa de barris de 4, e 7 em pipa
de vinho do Porto do auno de J824
muito bom
tem porcao de fumo do Rio
tem dita de Caff
tem hum bah com guarnicoen, e ban-
dos de penas para vestidos, e cabera
de Senboras.
Humas dragonas de Alferes ou Te-
nente de Melicias, huma banda, e fiel de
espada, tudo em muito bom uzo e por prc
eo cmodo : na Camboa do Carmo em
eaza do Capita Miguel de Brito D. 5
Huma Engenhoca de moer cana, e
fabricar agoarden te, eme!, com sercado,
agoa permanente, varges de plantar ca-
na, rossas, e legumes de caroco, trras
proprias distante da Villa de Goianna
meia legoa, no lugar denominado Boa-
vista nova : na ra do Crespo N. 8, ou


il ii '
i
eses)
W Recife na da Cadea N. f\- hd,te dos outros, e feios, bem fallante,
sangra sofrivelmente, tira dentes, repi'e-
FurtOU-Se. zenta terde idade 40 annos, cujo escravo
MUm cavallo russo rudado, selado e pertenoeo a o convento de N. & da Pe*
enf reacio, ferrado no quarlo direito h : oaaprehendedores leveawo ao dito
ndo o incide do ferro hum P com duas Engenho a entrgate ao Propnelano do
yernas para traz, e desaparejo da ra mesmo de quem rerao boa recompensa.
V.o Collegio, as 7 horas da noite, quemo ______,______
levar, ou cler noticia na ra de Santa Ri
^^:"^Ma,adOCa"' Noticias Martimas.
' No da 22 do coi rento, 5 homens no m t,t,lne
Jugar do Manguinho pelas 8 horas e meia ** ttab.
da noite loma rao a Vitorino Joze de San- Jfo
,ta Auna hum cvalo russo pedrez selado J^Ia 24 do corrente. Angola ; 21
einfreado, ferrado a 6 dias napa, e na dias; G. Mara da Gloria, M. Joaqmm
anca coiii o mesmo ferro; quem delle Ignacio Ribeiro, eqmp. 28, carga 78
sonber, e quizer denunciar dirija-se a ra escravos dos quaes desenbarca 60, eo
de S Goncalo junto a Joze Antonio pa- resto para a Baha, a Antonio da Silva &
'ador das tropas. Compangia, passageiro Victorino Joze
de Medeiros Jnior.
Turril vos Fno idos Dia 26- ~ Rio do Janeiro 5 ]9 dias;
I^Cia\0SlUoia0b. F. N. I. D. Maria Francisca, Com. o
i o aL .-a de k&}S&Q* Canitao Teen te Joao Baptista dos San-
^-uia i,- aq.mez oe Ago&io p. p. g
M hmn escravo de nome Jacinto de tos, passageiros o 4. ~ Baiauuao ce ya-
acao Congo, estatura ordinaria, mcio sadores para o Maranhao, o Illustrissi-
fuljo, barbudo, tem os dentes da frente mo Excellenlissimo Senador Joze Carlos
abertos, he muito ladino, consta que este Mmiuk da Silva Ferrao, e os Illustrissi-
escmvo acompanhara huma pessoa que o mos Excellentissimos Deputados Francis-
eduzio e quizera vender na Parahba di- co ds Paula Cavalcaute, e Luis Cayal-
zendo ser seo o dito escravo, e que elle cante, Domingos Malaquias de Aguiar,
inorava na Provincia do Cear, aviza-se o Reverendo Padre Miguel Joze Reinau,
pois ao publico que o dito negro he furta* Manoel do Nascimento Castro e Silva, os
lio e que por isso ninguem o compre, pois Tenentes do 1. Batalhao de Cassadores
seoSnr. esta' prompto a revendicalode Joaquim Maria Lobo, e Francisco Luis
qualquer pessoa que o comprar; quem deAlbuquerque, 2 mulheres degradadas,,
do mesmo der noticia certa a seo Senhor, o Platico Custodio Francisco Mindello,
morador na ra da Sauzal la velha caza 1 Sargento, 1 Cabo, e 8 Soldados queti-
N. 20, tera' 50#000 rs. dealvicaras. vrao demissao. S. Cathanna ; 54 di-
Nodia 17 do corrente fugio do En- as; B. Port. Paraence, M.Luis Alvaro
genho Ramos freguezia de S. Loureneo de Azevedo, equip. 16, carga gneros do
da Matta hum escravo bucal, chamado Pais, a Manoel Ignacio do Nascimento^
BoaveOtura, alto, cheio do corpo, pouca vera arribado e regressa para Lisboa,
barba, pez carnudos, tem alguns cbelos -
brancos na cabeca, reprezenta ter 30 an- &Uhlu(lS.
nos de idade, e de minio Congo ; os a- ~W\
prehendedores evem a sen Snr. no En* JtIa 24. Liverpool; G. Ing. SwaU
genho cima. low, M. David George, equip. 10, car*
' Do Engenho sitio do Meio, termo ga algodao.
da Villa de Serinhem, freguezia de Un- Dia 25. Baha, e Rio de Janeiro ;
na, fugio hum escravo no dia 1. do cor- Paq. Ing. Prince Elizabeth, Com. Ed*
rente de nome Antonio, boa estatura gro* mond Scott, Passageiros o Padre da Con*
co do corpo, bem barbado, com cabellos gregacao do Oratorio Manoel Joze, e
pelos peitos, dentes grandes e distantes Roque Antunes.
O^-D & G^m+*D y
Pernambuce na Tipografa do Diario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM3DC8DOF_9SMCBJ INGEST_TIME 2013-03-25T14:20:08Z PACKAGE AA00011611_00527
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES