Title: Field notes from the Gurupa Project, 1948, compiled by Charles Wagley
ALL VOLUMES CITATION THUMBNAILS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/UF00103047/00024
 Material Information
Title: Field notes from the Gurupa Project, 1948, compiled by Charles Wagley
Physical Description: Archival
 Record Information
Bibliographic ID: UF00103047
Volume ID: VID00024
Source Institution: University of Florida
Holding Location: Special and Area Studies Collections
Rights Management: All rights reserved by the source institution and holding location.

Full Text














































































I






CW I 1948
Juiti 29 Political Party J

There was a meeting of the local chapter of PSD (Partido Social Democrate)
a national political party, which has extraordinary strength in Para because it
is the .arty of Colonel Ma-alhkaes Barata popular hero, Catdillo, politico wh&
is now Senor Serator of Para in the National Senate and political leader for the st te.

The Prefecto was elected by Ltis ijrty Vice-Prefecto Abilo was o 'oz.ltion
(UDN) but he now takes purt in PSD affairs. Occasion of the meeting in the head-
quarters ,rovLded b, the Prefekto was to select a representative for the municipality
of Gurupa to the jiitioni- Con.res'- of the ;.party to be held this year in Rio. State
headquarters in Belera send orders with a document already written, lea-,iri blanK only
the name of the representative to be tominAted. T',ley also sent i-lrlan a list of
names (3 in number) of possible candidates.

At the meet:'.'. the Prefecto discussed in highly ce-emonial and corumal tone
and 1,n,;u.- .e, the reason for the meeting. 'hen, opened the floor for nominations.
Pone were forthco.irni inothiii but silence. He then mentioned the names sent by
headqu .rtars. Then, he recommended a Deputy who is in Rio who :.,rneci'ed more votes
than any other :p.uty E.l.thou, h he is not "a filho do Para suggested him for his
personall sympathy" and "his ability to maake friends". iher, pointed out People
must hrve complete confidence in tLeir re,,~ --e.iLAtive and give hiz: full po:'ers. It
was obvious that no more than two people in the room i&ad ever heard of D.O. Duarte,
the Deputy. Floor was open for discussion. Sr. Manuel Moua S-er spoke briefly in
very flowery terms, remarki:i upon the into.llif:;:ce of the Prefecto for having
remembered D. Duarte. Sr. Os aldo Ferreir spoke briefly, giving his backing and
stating that a better representative could not be found; Sr. Abilio simply said,
"Aooio!". Then, without a vote, the nomination was made.






CV I 1948


The floor was open for Wquestioes regionais". No one asked to speak.
Fin ,lly. Sr. Alvaeo Teixeira asked for the floor, he suggested A Vival for Sr.
Duarte, our r- .resentative, a Vival for our Prefecto. All were asked to sign the
declaration and the meeting was closed. Those present were:
Prefecto Pinto
Manuel Mour.L Sera (Collector Est2 ,ual)
Oswaldo Ferreira
Raimundo Dias Trapichero
Alvaro Teixeira owner of Pensau
D.Dica Teixeira
Sr. Marimbo collector grrl
Abilo commerciante
Samuel Cast.ie n
Dona Al t tOL
Jorge Palhita agriculturalist
Velho Palheta coAinerciante
ijhuduca agriculturalist fuc-s de mercedo
Done Joaquin. parteira
Ernesto "enkdes barber
Anterior :;ariocai Sec. prefectura

Also some 5 others from nearby house there was a mixture of upper and
lower class but those of the "gente" who were pre ent were eit *-r recognized
leaders or employees of the municipality or stkte.


_ __ I


I





CW I 1948


Prefectura \JI I

Itamar, "afilhado" 6f Dalcidio, left the SESP because the Dr asked him
to water the plants at 2 P.M. when gardener told him to water them at 6 A.M.
and 6 P.M. He worked for Prefecture at cr ".300 o r month but received wvlen'
for 200 and 100 in cash. When h hhe ~-d accuraulated 2000 in rles, he resigned.
Prefectura is still not able to oay full sarlaies pays in c.oh and n3 .
Itamar has credit and someday he expects to receive payment.

P. Rafael left inanicipil.Uity with iaore than cr $700,000 debt Costello
Branco (very much liked) was not able to pay off but be wouli automatically stop
work and closa the prefecture when fAn ; were nct available. Present Prefito
(Pinto) waa born in municipality but educated in Belem. Entered the Navy and
traveled widely twice in New York took a course in fire instruments in
Brooklyn returned to ,iuru'p about two years ago as tex collector beeeme
candidate for Pre~ato ( Barata party) E -'n won. He called his cousin from Balem
to serve as "Delegado do Pollcia". 'o criticism so far of c.lli outsider -
especially a parentt" for public job.


I -







Profeitura Buiiding (C". b.4 p.10)

Construction started in 190.4 during -~ire of ri&viano Flavio
"atisti. tH called a young angimaer ar Itzli, ~. ntonio de Boni t0)
to ,lan it. aAi 'n 1. and rncenstruction began in 141LJ with Rafiel
Castil, finished in 0Lb with Caat lo ivraj.co. Jovisno Costa (co11e-
bar; r) nd .anslato tosta in, enteente (.ili-il) sold the roof tiles end
ali the cist iron lungi, etc, Lo -lta.ar. Loubtgul whether or not
e )oney antcred tle ,ulic funda but r:i_,v vcil h&ve b e n abolsn.
Little Dy liticle yuci& of the uniiia d. ui&in, hiLppeared. Even
sold the olants of ui,,i.wooua '.:icih a h. bE'n cut for tni floor. In 19L 2,
ine ouiiain :.as da ruin. re s orowirg oU of the wall on second
floor lavel &n. var.tbioi, co:erld th: entire buil cinji.


m il II I







Political (1. cad.1 p.29)

0 prefeito chegou de visit ao municipio as 11 horas da noite.
Alvaro ja estava com a casa toda fechaaa, saiu para receber o pre-
feito.


- I I-~.--------- -rr.






Vereadores (G.cad.1 p.2)

4- 5 eleitos pelo P.S.1. 1 pelo P.S.P. um des vereadores e a
senhora de A.F.Tavares. 0 eleito pelo Progressistjhfassou-se tambem para
o P.S.D. 0 ano passado estavanos por baixo, agora a que -iandamos.
Lyz e empregado da prefeitura, culda da limpesa e fiscaliza o predio.
Passou o ano passado sem trabalhar.


- I I






Prefeitura (G. cad. 1 p.2 ve. ) Junho 16.

Z.Para levou-me a prefeitura que foi iniciada em 1905 e somente ter
minada em !ovembro de 46. Z.P. e agora secretario. Um syb, um agent -
de estatistica, um tezoureiro, um ptotocolo, 4 vereadores e um presided
te. Fui ainda apresentado ao juiz e agent da Panair. tarde tivemos
mais uma sessao na casa de Z.P.


- '4L --~1 ~~ ___






Political (G. cad.1 p.2 v.) Junho 16

D.Felicia queixa-se que atualmente os prefeitos nao ligam para
Gurupa. 0 municipio rende 60 contos mensais, mas nao fazem nada.
Ainda o outro dia apanharam umna cobra na rua. 0 mato esta crescen-
do nao ha limpeza da rua e dos quintais. i.eu filho manda limpar e
paga. Ele tambem se meteu na political e gastou o dinheiro que nao
tinha, era caravan que chegava, era seu doutor de Belem e se hos-
pedava aqui em casa. Levou um saque e agora nao quer saber mais de
political. 0 outro foi para um municipio visinho desgostoso tambem
da political. Gurupa ja teve uma terceira rua, mas agora so tem bar
raca.

(G.cadl p.9)

Zeca foi candidate a vice prefeito pelo P.S.D., mas por um
"truque" politico foi derrotado por cincoenta votos. 0 vencedor foi
Seu Abilio eleito na chapa do P.S.Progressista ( o mesmo de Ademar
de Barros). Parece que fizeram um acordo, o P.S.D. votou na vice-
prefeito progressista e este carregou em outros candidates do P.S.D.
Atualmente Seu Abilio renunciou ao Pregressista e aderiu ao P.S.D.






Prefeito_ G. cad.1 p.3 v.)

Chegou ontem de uma viagem de 10 dias )elo municipio. ,sta
no logar desde janeiro e filho do municipio. Encontrou o municioio com
uma divida de 200 contos que foi aumentada para 400, quando apos a conv
vengao os prefeitos tiveram que concordar em pagar os atrazados des
45. Ja conseguiu reduzir para 200 contos. 0 que salva e a borracha com
os 53;, pas assim mesmo today renda e entregue para o Estado que redistri-
bui. Gurupa e um dos maiores municipios agora que Ihe foi anexada j.zagz
(parte da ilha). prefeitura ddvia no .comercio 20 contos e estava atra
zada no nagamento cerca de 0 meses. igora ja conseg.iu reduzir o atrazo
para # 3 meses e pagar a divida No^tempo da ditadura gastavam 600 contos
so como ,redio da orefeitura. Mantem um grupo escolar pequeno 70 matri-
culas nao pode abrir outro porque exigem 200 ,matriculas para ser
subvencionadas pelo estado.
A para a dispersao das casas devido a borracha e castanha
contrastando com Santarem onde o pvuo vem morar na cidade e o comercio
se reune. Lrn Gurupa existami arenas quatro casas comerciais. Esta
experimentando semente a produtos naturais ( producao, epoca e possibi-
lidades comerciais) que manda examiner em -.Paulo. Muita varzea e as
enchentes por seu lado, por outro aceitaqao incerta no mercado paulista
dificulta outra exploragao que a borracha. Parece muito inteligente e a-
te agora foi o que melhor e mias si Iplesmente expoz os problems locals.


- ---






Comunismo (G. cad.1 p.7) Junho 21

J.Pombo disse que e precise manter a tradigao. Se nao for a re-
ligiao esse tal de comunismo toma conta de tudo.


I





Prefeito (G.cad.l p.13)

Castelo ranco fez a escola rural. 1.~o dornia a sesta, ficava
vigiando os trabalhadores. Gurupa estava ficando bom. Mas quando veio
a eleigao mandaram ele dormir na cama que era logar quente.
Nas eleioes inventaram muita coisa do Zeca, diziam cue ele nro-
meteu se fosse eleito dar uma pisa no padre e bota-lo para f6ra de
Gurupa. Os garotos brigavam muito, quando era de noite iam pregar car
tazes no mercado. qmanhecia os cartazes estavam todos rasgados. Cha-
mavam o Zacharias Assungao de representante da febre amarela. Zeca
gastou foi muito.


--- -- ~Y~"







Exercito da borracha (G. cad.1 p.15)

Curry diz que a Senta lhe entregou uma leva de 80 families. Umn
band de safados que donduziu as duas lanchas. Teve que ameagar fuzi
lar as mais rebeldes para que fosse respeitado. i4ao slabiam nem o que
era uma estrada. Gastava umn conto de reis coin cada um. Tinha que dar
ate a roupa do corpo porque os miseraveis vendiam tudo em Altamira.
Tinha que dar um bule, uma panela, roupa, redes, 1 farol, tergado, ma-
terial para colher a botracha e uma barraca com o defumador. Alem disso
tinha que deixar um home experimentado em cada barraca para ensinar
o servigo. Tinham medo ate de cameleao que viam na estrada, saiam coi
rendo e largavam tudo. Alguns queriam tapiar, houve um que pintou a
perna com genipapo e veio dizer aue tinha erizipela. Cury disse que ia
aplicar uma injeSao vacina, mas deu foi 10cc. de eter. 0 caboclo tomou
e saiu correndo. Fazia o mesmo com os outros. Repete a classic his-
toria dos cabocloes acenderem charuto coin notas de duzentos. Tinha
gente que aa de noite procurando com lanterna, notas perdidas. Seu
companheiro, um sirio, disse que fez viagnes carregando 300 a 400 con
tos lacrados em saco de estopa.


- '---- -- -- - --- -----M







PoliticaL. .cad.2 p.31)

A morte de um advogado suxcitou muitos comentarios. 0 coletor
e contra qualquer violencia. 0 caso do policia diz que todos os
politicos sao sem veronha e que um soldado precise e de gaita. S"
fosse ate la num destacamento havia de rancher o bolso dos dois la-
dos treceber dinheiros de ambos os partidos). Diz que assim fize-
ram nao faz muiito cada soldado saiu com 500,00. Nao acredita em
democracies comro povo brasileiro. 0 que resolve e a ditadura para
acabar com todos os partiaos, brasileiro nuo aprende, democracia
so a bala. Essa mesma opiniaot em o delegado, tambem partidario
daditadura. Todos baratistas, acham que o Coronel nao vae apoiar
o assassinate porque ele nao e home de mandar matar ninguem. 0
caso de lmeirim e resultado da luta partidaria entire Jose Julio
a Barata. Ambos trabalharam juntosn a eleicao do president, gover-
nador e prefeito de outros municlpios, mas ai divergiram, e J.Julio
a despeito da oposigao conseguiu eleger um prefeito seu. 0 delegado
um dos implicados na morte do advogado e da oposigao momeado pelo
Governador. As noticias chegaram em iurupa por.um ba-co. Ontem e
hoje chegaram jornais de Belem com noticiario. Oscar e o unico que
recebe jornais. U pessoal vem pedir emprestado para lei.


-.~ -----L ..~.--- -..-I~~~ -'--U--- --- -v --Y -u -r.u-L-- -------- -- --- ------ -~~--- C








Caumpanha oolitica (G. cad.2 p.35v.) Raimudno

Pura oresiden:e a camppnha foi feita numa lancha "Rrdiante"
que correu o municipio. Patada pelo P.S.D, Castelo Branco o
prefeito dirigia a corativa. Zeca Pare, rsimundo, Itamar, seu Abi-
bio, Saba e o d~olodo. Li lancnu la today enbunrdeirada, parava em
todos os portos, e barracoes. Quando encontrvvam um caboclo em via-
gem peescando, rebocavr m a canoa. Oferecelam "chico" ao cabocb,a-
bragavanr, falavam do president, prometiam muita coist se votasse
no Dutra. 'n casa de Dico iaohado, comerciante corn ut- eleiturado de
0 freguezes a festanga foi grande, vs- discursos comegar n desde o
trapicne. Poi mesa de guarana o cervoja. Dico j-iachado e curih-.do
do bilio, e um dos chefes politicos locais, e dos que fazem peso
pois a jiaioria de seus freguezes sabe. ler (.relas).
,acob r.enatar que chefiava a oposi~ao, -rtido Social Pro!re&-
sista, tambem fretou uma lancha "raua nao sabia fazer campanha",
"Lao tem a papa fina". Nessas viagens houve distribuiqao de car-
tazes. am uurupa&foram colados muitos cartazes principtalmmnte no
mercado. 0 P.SD. pixou a c&lJnds da prefeltura,

Votagao "CaAalavao"de eleltores e o termo que ha aun'Uo usa para
a tarefa de arranjar eleotores. A rapztz-ada tinha cedulas em casa,
eram os idlstribuidores". Alem dresses haviam os "verificadores".
Os primeiros ficavam em casa, quando passava um caboclo para votar
chimavari-no. Peruntavam pelas cedulas e qu-tindo ele mostrava,


C-l- ---L---- .- -- I~






* tamparha politioa (u.cad.2 p.5)v.) Raimundo. -2-

"passavam a cantada" para substitui-las. "Mas voce val votar neste
home? esta errado nao e seu partido, leva a desse que e o nosso
homem. Raimundo dizque prometia tudo, casco, reboque atee un mo-
tor de popa, de fosse preciso. A gene suava para convencer, era
precise ter converse~. Us "vorificadores" se postavam junto as me-
sas, Uma ficou instalada no diretorio do PS.D. Escondido pediam
aos caboclos que esperavam a vez de vo4ar para ver as suas cedulas.
Procuravam troca.las se fosse do oartido cGntrario. Chamavam ate
para f6ra da sede de votagao e so lar6avam quando estavam certos que
as cedulas haviam sido substituidas.
Haimudno disse que havia muita gente da "oposig o" mas que
eles nao sabiam trabalhar e iao tinham animo.
Partidos Partido social democrat e Partido social progressista.
0 pofefeto atual foi eleito polo P..,D., Calto era candidate pela
ooosiao (P.a.P.). Para vice-prefeito Z.ara do Ab.., perdeu p.ra
Abilio do P.i'., (59 votos de diferenga). Rainunudo diz que Abilio
foi eleito por ser cunhado de Dico .ltacrnao de Areias. Zeca ganhou
em todos os disuritos, exceto o de treias. Note-se que Dico Machado
e t.bili trabalharam velo P.o.D. na canc;iunha presidential. U
padelro, Chico Feliz e suplente do seu Abilio. Dos 4uatro candidatot
de cada partido foram eleitos 5 do P.a.D. e 1 do P..f,.Este e seu
Pal.,eta kcomerciante), mas dizem agora que ele ja se passou para o
P.S.D.
Eleito Pinto :,ara prefeito, este uonvidou Calto candidateo ri-
val) para tesoureiro e secretario. Eatre os vereacores Voi eleite
uma mulher (D.Diquinha) esposa do Alvaro), Daniel Pires Serra Tco-
merciante).
-- -- - -- -






Eleicoes (G. cad.2 p.55) Z.P. 0&

Z.P. suos tituia o prefeito quando oatual governador Moura de
Carvalyo aqui veio como candidate. Mandou limpar as ruas No cis-
curso de recepqao o candidate a governador prometeu se eleito dispen-
sar as dividas do municipig. Uma das primeiras coisas ,ue tez foi
aumentar a divida de iurupa em 120 contos mediaa geral para os mu-
nicipios que nao havA&m pago o imposto de 25o sobre os 5% de valbr-
expportado.). Z.P. disse que nao faz mais propaganda pelo PSD porgue
nao cumprlram as promessas. Essa gente nao sabe o trabalho que da
uma aleigao. Tuuo uopende ao cabo eleitoral. poreciso estar agradan-
do a um e a outro, procurando os compadres e dizendo "Olhe fulano, vo-
ve e meu amigo, nao me vee deixar mal." Quando vinlia um caboclo pre-
so se interessava gor ele econseguia solta-lo. 0 caboclo ficou agra-
decido. Nas eleiqoes era so leimbra-lo; Multos eleitores votaram na
chapa do PSD por sua causa. Houve um distrito quo o prefeito teve 51
votos; ele o mesmo numeiLo, o que .da como prova de que os votos eram
seus




University of Florida Home Page
© 2004 - 2010 University of Florida George A. Smathers Libraries.
All rights reserved.

Acceptable Use, Copyright, and Disclaimer Statement
Last updated October 10, 2010 - Version 2.9.7 - mvs