<%BANNER%>
Spizaetus
ALL VOLUMES CITATION PDF VIEWER
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/UF00100958/00015
 Material Information
Title: Spizaetus
Physical Description: Serial
Language: English
Portuguese
Spanish
Publisher: Neotropical Raptor Network
Place of Publication: Boise, Idaho
Publication Date: June 2012
 Subjects
Genre: serial   ( sobekcm )
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: University of Florida
Rights Management: All rights reserved by the source institution and holding location.
System ID: UF00100958:00015

Downloads

This item is only available as the following downloads:

( PDF )


Full Text

PAGE 1

SPIZAETUSBOLETIM DA REDE DE AVES DE RAPINA NEOTROPICAISEDUCAO AMBIENTAL EM BELIZE MAIS ... NOTCIAS DO BRASIL, ARGENTINA E BOLVIANMERO 13 JUNHO 2012NINHO DE HARPYHALIAETUS SOLITARIUS EM BELIZE CONSERVAO DE SPIZAETUS ISIDORI NA COLMBIA

PAGE 2

A RRN uma organizao baseada em a liaes. O objetivo contribuir para a conservao e pesquisar as aves de rapina neotropicais. Promovendo a comunicao e coloborao entre pesquisadores, ambientalistas e entusiastas pelas aves de rapina que trabalham na regio Neotropical. Foto de Capa : Harpyhaliaetus solitarius Mountain Pine Ridge, Belize. Yeray Seminario, Whitehawk Birdwatching and Conservation Foto de Contracapa: Harpyhaliaetus solitarius Mountain Pine Ridge, Belize Diseo Grfico: Marta Curti Coordinadora de la RRN: Marta Curti Editores/Tradutores: Mosar Lemos, Aldo Ortiz, Hugo Paulini, Yeray Seminario, Marta Curti CONTENIDOUm ninho ativo de Harpyhaliaetus solitarius descoberto em Belize .......2 Estado do conhecimento actual de Spizaetus isidori na Colmbia .............8 Educao Ambiental em Stann Creek District, Belize.................................14 Las aves de rapia de Aparecidinha, Brasil........................................16 Engate Aereo entre dois Rupornis magnirostris em Bolivia ...................23 CECARA: trabalhando para a conservao das aves de rapina na Argentina ......27 Conversaciones do Campo............. 29 Artista em Destaque.......................33 NRN participar en una conferencia en Bariloche, Arentina....................... 35 Yeray Seminario, Whitehawk Birdwatching and Conservation Spizaetus: Boletim da RRN Nmero 13 Junho 2012 Edio em portugus ISSN 2157-9180

PAGE 3

PGINA 2 NMERO 13 • JUNIO 2012 A Aves de rapina neotropicais esto em necessidade crtica de estudos da histria natural como biologia reprodutiva, distribuio geogr ca, requerimentos espaciais e temporais de recurso, demogra a e movimentao, as quais so desconhecidas para a maioria das espcies (Cade 1989, Bierregaard 1995, Bildstein et al. 1998). A A DESCOBERTA DE UM NINHO ATIVO DA RARA GUIA SOLITRIA HARPYHALIAETUS SOLITARIUS EM BELIZE Por Ryan Phillips Belize Raptor Research Institute (BRRI), harpiabz@yahoo.com. guia solitria ( Harpyhaliaetus solitarius ) possui uma distribuio disjunta do oeste do Mxico ate o nordeste da Argentina, onde muito rara (FergusonLees and Christie 2001). Ao longo de sua distribuio menos de 100 registros foram con rmados nos ltimos 150 anos. Esta espcie est entre as aves de rapina menos conhecida e, portanto, altamente prioritria para estudos envolvendo biologia e conservaao. A guia solitria distribui-se em orestas montanhosas e de sub-montanha de pinus e latifoliadas. Na Amrica Central j foi registrada no Mxico, Guatemala, Belize, Honduras, Nicargua, Costa Rica e Panam. Est classi cada como ¨Quase ameaada¨ pela UICN devido a sua populao moderadamente pequena, a qual estimada em 250 a 999 indivduos (Birdlife international 2009). Baseado em evidncia mais recente sobre tendncias de populao, poderia ser classi cada como ¨Vulnervel¨, mas no existe evidncia su ciente para fazer uma estimativa apropriada (Birdlife international 2009). Em Belize est classi cada como “Em Perigo” o que Adulto Harpyhaliaetus solitarius vocalizando R. Phillips

PAGE 4

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 3 signi ca que suscetvel de extino local. Ainda que existam numerosos registros da guia-solitria em Belize, o primeiro bem documentado aconteceu em 1997 no ¨Mountain Pine Ridge Forest Reserve¨ por Chris Benesh (Jones 2005). Em Belize a maioria dos registros correspondem regio do Mountain Pine Ridge, o que faz dessa regio um local ideal para o estudo dessa ave de rapina. Nessa reserva, um ninho foi descoberto em 2011, sendo o terceiro registrado na histria. Os dois primeiros foram descobertos em Sonora, no Mxico em 1947 e 1958, sendo os ovos e os adultos coletados como exemplares para museu. Dessa forma, no houve coleta de dados da biologia reprodutiva da espcie (Harrison and Kiff 1977). Em 30 de junho de 2011, depois de sete anos de procura pelo ninho da guia-solitria no Mountain Pine Ridge de Belize, Roni Martinez de BRRI e o Blancaneauz Lodge com assistncia da equipe de The Peregrine Fund, localizaram o primeiro ninho registrado em 52 anos. Em 2009 um casal da espcie foi registrado, mas o ninho no foi localizado. A descoberta desse ninho, com um nico lhote de dois a trs meses de idade, um grande avano para conservao da espcie. Agora podemos Uma guia jovem quase pronto para voar pela primeira vez. R. Phillips

PAGE 5

PGINA 4 NMERO 13 • JUNIO 2012 de disperso. Por meio de observao direta do ninho, foram registrados 20 tipos de presa, trazidos ao ninho por ambos os pais; 17 serpentes, um tat galinha ( Dasypus novemcinctus) um lagarto ( Basiliscus vittatus ), e uma espcie no identi cada de roedor (Fig. 1). Sugerindo que a espcies especializada em rpteis, mas tambm oportunista para caar mamferos. A serpente Spillotes pullatus e Dryadophis melanomolu s foram as presas mais abundantes, evidentemente falta um tamanho de amostra maior para determinar a importncia de cada espcie na dieta (Fig. 2). O juvenil foi alimentado por ambos os pais, de uma a trs vezes por dia, usualmente entre as 12 e as 16 horas. A maioria das vezes os pais traziam comear a compreender a biologia da espcie, a m de conhecer melhor o estado de conservao desta espcie para que estratgias de conservao possam ser estabelecidas. O objetivo geral deste estudo reunir conhecimento sobre a espcie para programar estratgias de conservao que incluam conservao do habitat e educao ambiental. Os objetivos incluem estudar o uso de habitat, biologia reprodutiva, hbitos alimentares, movimentao, distribuio geogr ca, estado de conservao, disperso e territrio atravs do monitoramento de ninhos, pontos de contagem e rdio telemetria. Desde a descoberta do ninho em junho 30, foram feitas aproximadamente 100 horas de observao do lhote, muda de pena, e perodos PERGUNTAS A SEREM RESPONDIDAS PELO PROJETO• Quais so os requerimentos de rea para adultos e juvenis? • Quantos indivduos pode suportar uma rea? • Qual o tamanho atual da populao? • Quais so as ameaas? • As populaes tm diminudo? • Quanto distncia os lhotes dispersam? • uma populao dispersa e isolada? • So duas subespcies (Sudamericana/ Centroamericana)? • Os habitas diferem em poca de nidi caao? • Os casais nidi cando ou fazendo cuidado parental preferem zonas de transio? • So restritas ao bosque de pinus (qual espcies de planta) para reproduo? • Preferem um habitat especi co para se alimentar? • apropriado o estado “quase ameaada” para esta espcie? • Existe competio intra ou interespec ca?

PAGE 6

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 5 alimento em horrios diferentes, poucas vezes foram vistos no ninho ao mesmo tempo, sendo a fmea que passou mais tempo perto do ninho. O juvenil foi observado treinando o vo em 10 de Julho, mas passando a maior parte do ms pedindo alimento ou cando Na borda do ninho. O primeiro vo foi em 4 de Agosto com uma idade aproximada de 3.5 meses. Para o ms seguinte foi observado a uma distncia mdia de 200 m do ninho, frequentemente pedindo alimento. Em 16 de agosto comeou a procurar presas. Em 26 de agosto fez, sem sucesso, a primeira tentativa de pegar uma presa, sendo esta um lagarto basilisco. Considerando que este o primeiro ninho estudado desta espcie, decidimos no marcar com rdio nenhum dos indivduos para no causar distrbio no processo. Baseados na informao de outras espcies tropicais, assumimos que o perodo de dependncia do lhote deve ser de seis meses e, provavelmente, a espcie no nidi car at 2013. O ninho continuar sendo monitorado e quando estiver ativo novamente, monitoraremos o ciFigura 1. Tipo e quantidade de presas observadas no ninho Figura 2. Percentagem de presas trazido para o ninho (n=20)

PAGE 7

PGINA 6 NMERO 13 • JUNIO 2012 clo completo. Colocaremos rdio nos indivduos para obter informao de movimentao e biologia em geral. Se o lhote puder ser monitorado por rdio, ele fornecer informao do tipo de distribuio da espcie. As descobertas sero criticas na conservao desta majestosa guia. Referencias Bierregaard, R.O., Jr. 1995. The status of raptor conservation and our knowledge of the resident diurnal birds of prey of Mexico. Transactions of the North American Wildlife and Natural Resources Conference 60:203-213. Bildstein, K., W. Schelsky, J. Zalles, and S. Ellis. 1998. Conservation status of tropical raptors. Journal of Raptor Research 32:3-18. Acima: Um adulto que sobe sobre uma cachoeira perto do ninho. Abaixo: A jovem guia. Ryan Phillips

PAGE 8

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 7 Birdlife International. 2009. Harpyhaliaetus solitarius In: IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.3. . Downloaded on 15 September 2010. Clark, W.S., H.L. Jones, C.D. Benesh, and N.J. Schmitt. 2007. Field identi cation of the Montane Solitary Eagle ( Harpyhaliaetus solitarius ). Birding 38:66-74. Clinton-Eitniear, J. 1986. Status of the large forest eagles of Belize. Birds of Prey Bulletin 3:107110. Clinton-Eitniear, J. 1991. The Solitary Eagle Harpyhaliaetus solitarius : a new threatened species. Birds of Prey Bulletin 4:81-85. Ferguson-Lees, J., & D.A. Christie. 2001. Raptors of the world. Houghton Mif in Company, Boston, Massachusetts, USA. Harrison, E.N., and L.F. Kiff 1977. The nest and egg of the Black Solitary Eagle. Condor 79:132133. Jones, H.L. 2005. Central America. North American Birds 59:162-165. Pereira, H. 2002. Forecasting bird extinctions in Costa Rica. Center for Conservation Biology Update 14:1, 8-9. Ramos, M.A. 1986. Birds in peril in Mexico: the diurnal raptors. Birds of Prey Bulletin 3:26-42. * Um adulto voando sobre a rea do ninho Ryan Phillips

PAGE 9

PGINA 8 NMERO 13 • JUNIO 2012 S Spizaetus isidori considerada a ave de rapina mais sensvel a fragmentao e degradao do seu habitat, por apresentar baixa densidade populacional e exigir vastos territrios para caar e reproduzir. Estimase que seja necessria uma rea de 10 mil hectares de oresta primria para que um casal seja vivel. Esta espcie ao longo dos Andes, desde o noroeste da Colmbia at o norte da Argentina (Ferguson-Lees e Christie, 2001) sendo uma das aves de rapina mais ameaada em sua rea de distribuio. Na Colmbia estima-se que j se perdeu aproximadamente 63% do hbitat adequado para a sobrevivncia de Spizaetus isidori, entretanto a reduo de sua populao deve exceder este percentual (Marques e Renjito, 2002). Adicionalmente os indivduos jovens adquirem facilmente o habito de capturar aves de quintal e mamferos domsticos, o que resulta em con itos com as comunidades rurais; Por este motivo so feridos ou eliminados com relativa facilidade (Marques e Renjito, 2002; CordobaCordoba et al, 2008). Atualmente no existem medidas conservacionistas na Colmbia que tenham como foco resolver os problemas que vem enfrentando essa espcie, e levando em conta que as guias so aves longevas, estima-se que a espcie tenha perdido mais de 30% de sua populao em trs geraes, estando considerada como “em perigo” em nvel nacional (Marques e Renjito, ESTADO ATUAL DO CONHECIMENTO SOBRE A AGUIA REAL DA MONTANHA SPIZAETUS ISIDORI NA COLOMBIA. Por Santiago Zuluaga Castaeda, student, Departament of Biological Sciences, Universidad de Caldas, Calle 65 # 26-10, A. A. 275, Manizales, Co lombia, santiago.1710720106@ucaldas.edu.co Adulto, Spizaetus isidori Photo Archive (CRARSI)

PAGE 10

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 9 2002) e “vulnervel” em nvel mundial de acordo com Unio Internacional para Conservao da Natureza (IUCN) e Birdlife International, com base no critrio C2a(i), que estima que nenhuma subpopulao da espcie contenha mais de 1000 indivduos adultos. Consequentemente e devido a essa espcie ser uma das aves de rapina neotropicais menos conhecidas (Valdez e Osborn, 2004) considera-se que a base para a implantao de qualquer meSub-aduilt o, Spizaetus isidori Municipalidad de Jardn-Antioquia, Colombia. Luis G. Olartedida nacional ou internacional de conservao atualizar o conhecimento sobre a espcie nos diferentes pases onde ela ocorre. Este estudo concentra uma reviso bibliogr ca e dados ainda no publicados, de forma a atualizar o estado atual do conhecimento sobre a espcie na Colmbia, e onde tambm se discute algumas prioridades, necessidades e desa os de pesquisa a serem superados de forma a garantir a recuperao e conservao a longo prazo da espcie na Colmbia. Buscaram-se informaes sobre a espcie publicadas em livros, guias de campo e revistas que possussem informaes originais e con veis. Os diversos aspectos do conhecimento sobre a guia foram divididos em seis subtemas: produo cienti ca, biologia reprodutiva, distribuio, habitat e populao, e ameaas. A informao obtida na literatura foi complementada com registros ainda no publicados, comunicaes pessoais e algumas observaes do autor. Produes cient cas Na Colmbia a literatura sobre a espcie escassa. Os dois estudos de campo mais completos que existem ate o momento foram realizados na segunda metade do sculo 20. O primeiro deles e intitulado “Novas observaes sobre Oroaetus isidori (Ds Murs)” (Lehmann, 1959) e o segundo e de autoria de Strewe (1999) “Notas sobre a distribuio e nidi cao de da guia poma, Oroaetus

PAGE 11

PGINA 10 NMERO 13 • JUNIO 2012 isidori em Narino”. Estas publicaes contribuem com a maior parte do conhecimento atual sobre a espcie na Colmbia, sem esquecer publicaes como as de Marquez e Renjifo (2002), Marquez et al (2005) e Crdoba-Cordoba et al (2008), nos quais so compiladas informaes sobre a espcie e so expostos alguns problemas entre as comunidades rurais e a espcie, alem de de registros em locais espec cos de sua distribuio. Biologia reprodutiva Existem registros de sete ninhos da espcie na Colmbia. O primeiro ninho foi localizado no ano de 1936 na cordilheira ocidental, no departamento de Cauca. (Nota: o departamento colomAdulto, Spizaetus isidori Photo Archive (CRARSI)biano corresponde ao estado brasileiro). Posteriormente foram localizados quatro ninhos no departamento de Huila, nos anos de 1950, 1957, 1958 e 1959 (Lehmann, 1959). Em 1997 no valor do Rio Mira ores, departamento de Narino, foi encontrado outro ninho (Strewe, 1999) e no ano de 2010 foi localizado outro ninho no municpio de Campo Hermoso, departamento de Boyaca (Marquez e Delgado, 2010). A maioria dos ninhos foi localizada entre 2000 e 2200 m de altitude (Lehmann, 1959), com um registro a 1750 m (Strewe, 1999). As observaes dos ninhos parecem indicar que estas aves criam apenas um lhote de cada vez (Lehamnn, 1959; Strewe, 1999), que e cuidado e alimentado com esquilos

PAGE 12

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 11 e aves de grande porte at as oito semanas de idade. Entretanto, o lhote permanece por seis meses ou mais prximo ao ninho, sugerindo que os jovens dessa espcie dependem dos adultos de forma prolongada (Lehmann, 1959). Distribuio: SSabe-se que na Colmbia a espcie ocorre nas trs cordilheiras, entre 1600 e 3000 metros de altitude (Marquez et al, 2005) habitando as encostas de orestas cobertas de nuvens, com altas precipitaes na partes medias das montanhas, principalmente nas reas com carvalhos (Quercus sp) e Cecropia (Lehmann, 1959). Existem registros da espcie nos departamentos de Magdalena, Cesar, Antioquia, Caldas, Risaralda, Tolima, Boyaca, Caquet, Cauca, Cundinamarca, Huila, Narino, Santander e Norte de Santander. Habitat e populao A presena da espcie esta registrada em uma extenso de 378.620 km2 (Marquez e Renjito, 2002), contudo, a destruio dos habitats, que aumentou dramaticamente durante os anos de 1996 e 1998 (Strewe, 1999), e que ainda persiste, deixou a espcie com menos de 10% da extenso de habitas em potencial na Colmbia, estimando-se em 2002 somente 37.000 km2 (Marques e Renjito, 2002). A densidade desta guia foi estimada para o sudoeste do pais em um ou dois casais para cada 100 km2. Supondo esta densidade e 100% de ocupao do habitat em potencial, e em ausncia de caa, a populao colombiana de Spizaetus isidori oscila entre 740 a 1480 indivduos, o que provavelmente esta superestimada (Marquez e Renjifo, 2002). Ameaas: Adulto Spizaetus isidori Photo Archive (CRARSI)

PAGE 13

PGINA 12 NMERO 13 • JUNIO 2012 Acredita-se que a principal ameaa espcie a fragmentao da oresta, no entanto, como mencionado acima, jovens e adultos podem caar aves e mamferos domsticos em reas adjacentes a seus campos de caa. Isso faz com que os con itos com os seres humanos em comunidades rurais, o que coloca estas guias em grande risco de ser ferido ou morto (Mrquez & Renjifo 2002). Outro problema o esporte de caa (Guerrero et al. 2004, Ballesteros et al. 2005, Crdoba-Crdoba et al. 2008) uma prtica ilegal que tem srios impactos sobre as populaes desta espcie. Desa os e necessidades de pesquisa Ate o momento considera-se que o conhecimento sobre esta espcie escasso, e por isso so colocadas algumas necessidades e desa os de pesquisa. E necessrio identi car os principais focos de ameaa para a guia coroada na Colmbia, j que se conhecem algumas localidades onde a espcie esta sendo eliminada por ser considerada responsvel por capturar aves domesticas. Gerar estudos de campo com as populaes selvagens, avaliando sua in uencia sobre a produo pecuria, pois desses locais parecem estar se originando fortes presses sobre a espcie. Identi car e monitorar as populaes selvagens para melhor conhecimento e um manejo adequado sobre elas, j que essas populaes selvagens so desconhecidas e no existem essas medidas. Comear a desenvolver solues para a espcie nas reas rurais onde diferentes con itos j foram identi cados. Conhecer a diversidade gentica da populao e estabelecer planos de manejo tanto in situ como ex situ, atravs de estudos genticos das populaes selvagens e em cativeiro. Agradecimientos O ornitlogo e conservacionista colombiano pioneiro Dr. Federico Carlos Lehmann por seu legado e os esforos investidos no conhecimento desta espcie, na Colmbia, parte da proposta a considerar esta espcie como um emblema nacional. Mais especialmente o Centro de Rehabilitacin de aves Rapaces San Isidro (CRARSI), Maria Angela Echeverry, por suas contribuies, Marta Curti, por sua assistncia continuada, Hernan Vargas e Angel Muela por seus comentrios sobre o manuscrito. Referencias Ballesteros, H. F., C. A. Ros, J. J. Hernndez, R. I. Restrepo, L. E. Gallego, F. Lpez, L. A. Rendn, J. Ruiz, Y. Y. Rodrguez, J. E. Ramrez, & J. E. Rojas. 2005. Plan bsico de manejo 2005-2009 Parque Nacional Natural Tatam. Parques Nacionales naturales de Colombia, Direccin Territorial Noroccidente, Santuario, Colombia. Crdoba-Crdoba, S., M. A. Echeverry-Galvis,

PAGE 14

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 13 & F. Estela. 2008. Nuevos registros de distribucin para el guila Crestada ( Spizaetus isidori ) y el guila Iguanera ( S. tyrannus ) para Colombia, con anotaciones para su identi cacin. Ornitologa Colombiana 7: 66-74 Fregusson-Lees, J. & Christie D. A. 2001. Raptors of the World. Houghton Mif in Company, Boston, Massachusetts. USA. Guerrero, L. A., M A. Moreno, E. Gallego, G. Marin, R. Walker, Orozco, F. E, O. Garca, G. R. Lpez, & M. Zamora. 2004. Plan bsico de manejo 2005-2009 Santuario de Fauna y Flora OTAN-Quimbaya. Parques Nacionales naturales de Colombia, Direccin Territorial Noroccidente, Medelln-Colombia. Lehmann, F. C. 1959. Contribuciones al Estudio de la Fauna de Colombia XIV. Nuevas observaciones sobre Oroaetus isidori (Des murs). Novedades Colombianas 1(4): 169-195 Marquez, C & H. Delgado. 2010. Alimentacin, ecologa y conservacin del guila de Isidori ( Spizaetus isidori ) en Colombia. Informe para The Peregrine Fund. Centro de Aves Rapaces Neotropicales. Pp: 1-22. Mrquez, C. & L. M. Renjifo 2002. Oroaetus isidori. en Renjifo, L. M., A. M. Franco-Maya, J. D. Amaya-espinel, G. Kattan & Lpez-Lnus, B. (eds). 2002. Libro rojo de aves de Colombia. Serie Libros rojos de especies amenazadas de Colombia Instituto de Investigacin de Recursos Biolgicos Alexander von Humboldt y Ministerio del Medio Ambiente. Bogot, Colombia. Strewe, R. 1999. Notas sobre la distribucin y anidacin del guila poma, Oroaetus isidori en Nario. Bol. SAO 10 (18-19):45 52 Thiollay, J. M. 1991. Altitudinal distribution and conservation of raptors in southwestern Colombia. Journal of Raptor Research 25: 1-8. *

PAGE 15

PGINA 14 NMERO 13 • JUNIO 2012 N No nal de 2011, um fazendeiro de Alta Vista, Stann Creek District, Belize tiro uma guia Solitria juvenil ( Harpyhaliaetus solitarius ) quando ele erroneamente pensou que estava a tentar caar um bando de patos nas proximidades. A guia jovem no morreu, mas caiu de seu ninho aps ser atingido de raspo por bala. Ele foi ento levado para Belize Resgate Pssaro, onde, apesar de receber os melhores cuidados e mostrando uma melhora gradual, que morreu dias depois devido a uma hemorragia interna. Apesar da perda do juvenil, a sua descoberta, juntamente com a observao de ambos os progenitores dias mais tarde, certamente indica a possibilidade de uma populao na rea. Este evento s chegou meses depois da descoberta sem precedentes de um ninho de guia solitria no Mountain Pine Ridge, Cayo District, Belize, que o primeiro ninho conhecido para esta espcie dentro do seu alcance em mais de 50 anos. Na sequncia da morte a tiro e subsequente perda da guia Solitria juvenil, The Belize Zoo (TBZ), em colaborao com o Belize Raptor Research Institute (BRRI), iniciou uma campanha de educao ambiental com foco em aves de rapina. Funcionrios da BRRI feita uma visita inicial para Alta Vista no nal de dezembro para se reunir com os agricultores locais, em seguida, o Belize Zoo seguiu com o primeiro de uma srie de visitas educacionais para as escolas locais. Em meados de janeiro 2012 TBZ visitou St. Matthew’s RC and Holy Angels Primary Schools. Comeamos com uma apresentao em EDUCAO AMBIENTAL EM STANN CREEK DISTRICT, BELIZE Por Jamal Andrewin-Bohn Environmetnal Educator, The Belize Zoo & Tropical Education Center. e-mail:education@belizezoo.org “Alto”, el juvenil guila Solitaria Daniel Velazques

PAGE 16

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 15 Powerpoint para os alunos e professores, que forneceu uma introduo bsica para aves de rapina: como est de nido, exemplos de aves de rapina, e as suas principais caractersticas (olhos, asas, garras, bicos). Ns usamos as asas de um traje de Gavio-real, a m de envolver os alunos, permitindo-lhes a chance de mostrar aos seus colegas a envergadura aproximada de uma harpia. Ns conversamos sobre o que comer aves de rapina e aves de rapina importncia vital dos em matria de populao e controle da doena. Seguimos com a histria da guia Solitria juvenil (apelidado de “Alto” por convenincia). Deixamos claro que estas guias no representam uma ameaa real para animais domsticos (usando o exemplo do Alto. O fazendeiro admitiu que a guia estava apenas observando os patos, e no foi ca-los), e, devido sua raridade na regio, so ben cas para os seres humanos, em termos de pesquisa e eco-turismo (observao de aves) oportunidades nas comunidades. Em seguida, distribuiu cartazes com informaes sobre aves de rapina e por que eles devem ser protegidos. Tanto a apresentao do Powerpoint e distribuio de cartazes subseqente foram recebidos com uma recepo extremamente positiva, com vrias perguntas feitas por alunos e professores, incluindo as questes mais so sticadas sobre os padres de migrao e os hbitos alimentares. Uma visita de acompanhamento est prevista para o nal do ano, com o objectivo de envolver mais membros da comunidade. Esperamos continuar com este programa de educao, de modo a dar a este raptor indescritvel a chance de sobrevivncia nas orestas de Belize. * Os alunos das escola Primary Holy Angels em Pomona, Stann Creek The Belize Zoo

PAGE 17

PGINA 16 NMERO 13 • JUNIO 2012 rapina (CRBO, 2011). A composio orstica de uma oresta um importante fator, que determina a riqueza e a distribuio de aves, j que diferentes espcies de aves exibem diferentes formas de utilizao do hbitat e de comportamento de forrageamento, conforme a espcie de planta utilizada (Karr, 1990). Assim sabe-se que as aves rapineiras necessitam de grandes reas territoriais para que suas necessidades ecolgicas sejam satisfeitas (Terborgh, A AVES RAPINEIRAS DE APARECIDINHA, REGIO MONTANHO-SA DE SANTA TERESA, ESPRITO SANTO, BRASIL Por Jos Nilton da Silva Departamento de zoologia do Museu de Biologia Mello Leito, Avenida Jos Ruschi, n 04, Centro. Santa Teresa – ES, Cep: 29650-000. E-mail: josnsilva@yahoo.com.br As aves representam um grande nmero de espcies dos vertebrados no planeta, estimando-se cerca de 9.700 espcies (Sibley & Monroe, 1990). O Brasil por sua vez possui um nmero de espcies de aves estimado em 1.832 uma grande biodiversidade da avifauna com relao avifauna da Amrica do Sul, devido maior quantidade de alimentos nas regies quentes, onde in ui decididamente a sucesso dos perodos de chuva e seca (Sick, 1997; CRBO, 2011). Dentro desta diversidade de 1.832 espcies, 98 delas so aves de Harpagus diodon : espcie bastante registrada durante o estudo. Jos Nilton da Silva

PAGE 18

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 17 1992). Estudos com inventrios de aves no Brasil so bastante comuns (Livro de Resumo XVII congresso de Ornitologia, 2009), no entanto estes estudos so necessrios em vrios local onde existam fragmentos orestais com sua composio faunstica desconhecida. Mesmo assim estudos com levantamentos de aves nunca possuem seus resultados 100% e cazes, pois aves so seres que se movimentam constantemente e a probabilidade do pesquisador em no encontra determinadas espcies em uma rea mesmo que sua ocorrncia acontea no local muito grande (Sick, 1997). O Estado do Esprito Santo se localiza na regio sudeste do Brasil, e possui em sua composio de aves 654 espcies (Simon, 2009), correspondendo a 36,31% da composio total de aves do Brasil. Dentre essas 654 espcies listadas para o estado do Esprito Santo 9,17% so aves de rapina, sendo estas compreendidas nas ordens Falconiformes, Ciconiformes e Strigiformes, e subdivididas entre as famlias Accipitridae, Pandionidae, Falconidae, Cathartidae, Tytonidae e Strigidae (Simon, 2009). Aparecidinha localizada em Santa Teresa regio serrana do estado do Esprito Santo, municpio o qual possui listado 407 espcies de aves (Willis & Oniki, 2002), sendo essa diversidade de aves est distribuda heterogeneamente pelo municpio. Mesmo com essa diversidade em avifauna, pouco se sabe sobre as aves de rapina local com estudos esparsos (Silva, 2011; Novaes et al. 2010). Assim, o estudo teve como principal objetivo inventariar as espcies de aves de rapina da regio de Aparecidinha. Materiais e Mtodos Aparecidinha se localiza nas partes mais altas do municpio de Santa Teresa o qual se encontra entre as coordenadas (1956’10“S e 4036’06”W). O local de estudo se encontra com altitudes de Pulsatrix koeniswaldiana ave noturna registrada durante o dia e nos horrios crepusculares considerada comum na regio. Jos Nilton da Silva

PAGE 19

PGINA 18 NMERO 13 • JUNIO 2012 Legenda : A : registro auditivo; V : registro visual; F : registro fotogr co *ver CBRO 2011 Tabela 1 lista das aves rapineiras registradas na localidade de Aparecidinha d f FamliaEspciesNome PopularRecord Cathartidae Coragyps atratus Urubu-da-cabea-pretaV Cathartes aura Urubu-da-cabea-vermelhaV-P Cathartes burrovianus Urubu-da-cabea-amarelaV Accipitridae Leptodon cayanensis Gavio-da-cabea-cinzaA-V Elanoides for catus Gavio-tesouraA-V Harpagus diodon Gavio-bombachinhaA-V-P Accipiter poliogaster Tauat-pintadoA Accipiter superciliosus Gavio-miudinhoV Accipiter striatus Gavio-miudoA-V Amadonastur lacernulatus* Gavio-pombo-pequenoA-V Pseudastur polionotus* Gavio-pombo-grandeA-V Urubitinga urubitinga* Gavio-pretoV Heterospizias meridionalis* Gavio-cabocloA-V Rupornis magnirostris Gavio-carijA-V-P Geranoaetus albicaudatus Gavio-de-rabo-brancoA-V Buteo brachyurus Gavio-de-cauda-curtaA-V Spizaetus tyrannus Gavio-pega-macacoA-V-P Falconidae Caracara plancus CarcarA-V-P Milvago chimachima Gavio-carrapateiroA-V-P Herpetotheres cachinnans AcauA-V Micrastur ru collis Falco-caburA-V-P Micrastur semitorquatus Falco-relgioA-V Falco ru gularis CaurA-V-P Falco femoralis Falco-de-coleiraV Strigidae Megascops choliba Corujinha-do-matoA-V Megascops atricapilla Corujinha-sapoA-V Pulsatrix koeniswaldiana Murucutu-da-barriga-amarelaA-V-P Athene cunicularia Coruja-buraqueiraA-V Asio clamator Coruja-orelhudaA-V

PAGE 20

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 19 Locaisrea territorialNo. de EspeciesNo. de especies/1000 km2 Brazil8,514,877 km2980.011 Espiritu Santo46,184 km2601.29 Santa Teresa675 km23856.29 Aparecidinha401 km22972.31 Tabela 2 : Distribuio das espcies por cada 1000 km2. 958m at 1000m com uma rea total incluindo todos os fragmentos e as reas antropizadas de aproximadamente 401 ha. sendo que desta rea apenas 45% de vegetao (cerca de 155 ha.) em sua maioria de estgio de crescimento secundrio. O estudo se procedeu de Outubro de 2008, a maro de 2010, com campanhas de campo quase sempre semanais, cada campanha com durao de 10h, sendo 8h durante o dia e 2h durante a noite totalizando 48 campanhas de campo com 480 horas de estudo. Durante o trabalho de campo foram percorridas 15 trilhas com 18 pontos de escuta e de observaes, utilizando mtodos audiovisuais com binculos 10X50; 20X50 e 10X25, cmeras fotogr cas, e gravadores de som. Alguns pontos de escuta por se localizarem em locais mais altos foram utilizados como mirantes para observaes do dossel, assim facilitando os registros das aves de rapina, com essas caractersticas foram selecionados 4 pontos Resultados y Discusin Foram registradas 29 espcies (Tabela 1) de aves de rapina compreendidas e entre as famlias Cathartidae, Accipitridae, Falconidae e Strigidae. Sendo a famlia Accipitridae com n=14, Falconidae n= 07, Strigidae n= 05 e Cathartidae n=03. O municpio de Santa Teresa apesar de possuir uma paisagem bastante fragmentada devido expanso da agricultura e do cultivo de eucalipto entre outros (Simon, 2006; Silva, 2010) apresenta 40% de cobertura vegetal distribuda em forma de mosaico. Dentro destes mosaicos est localidade de Aparecidinha, assim a diversidade de aves de rapina na regio de Aparecidinha pode est ligada ao fato de ser uma regio montanhosa e uma das localidades mais preservadas de Santa Teresa (Silva, no prelo). A grande maioria dos registros das rapineiras no trabalho procedeu-se atravs de registros auditivos e visuais registrados diretamente dos mirantes. Algumas espcies como as do gnero Micrastur eram registradas sempre nas primeiras horas da manh ou nas ultimas horas do dia sempre em horrios crepusculares, sendo os registros das espcies do gnero sempre de forma auditiva exceto a espcie Micrastur semitorquatus registrada visualmente duas vezes durante o trabalho e inmeras vezes na forma auditiva.

PAGE 21

PGINA 20 NMERO 13 • JUNIO 2012 As espcies da famlia Cathartidae foram registradas durante todas as campanhas de campo realizadas no trabalho, apenas a espcie Cathartes burrovianus teve registros oscilatrios durante as campanhas de campo sendo seus registros menos frequentes do que as outras espcies da sua famlia Cathartes aura e Coragyps atratur. Os registros das espcies da famlia Strigidae foram dados mais de 90% durante as horas crepusculares e noturnas, apenas alguns registros de espcies da famlia foram realizados durante o horrio diurno, sendo registradas as espcies Pulsatrix koeniswaldiana e Athene cunicularia. No entanto, ambas as espcies tambm foram registradas em horrios crepusculares. Apenas 4 espcies endmicas forma registradas no trabalho Amadonastur lacernulatus, Pseudastur polionotus, Pulsatrix koeniswaldiana e Megascops atricapilla Tais espcies sendo consideradas endmicas de Mata Atlntica (Sick, 1997; Sigrist, 2007; Simon, 2009), sendo a espcie Amadonastur lacernulatus listada no livro nacional de espcies ameaadas de extino (Simon, 2009). Algumas espcies foram tiveram seus registros com bastante frequncia durante o estudo, sendo elas: Cathartes aura, Coragyps atratur, Geranoaetus albicaldatus, Harpagus diodon, Rupornis magnirostris, Carcara plancus, Milvago Chimachima, Micrastur ru collis e Pulsatrix koeniswaldiana Tais espcies tiveram seus registros em grande parte das campanhas de campo durante o trabalho, sendo estas consideradas comuns na regio. As espcies Accipter superciliosus, Accipter poliogaster, Amadonastur lacernulatus, Urubitinga urubitinga, Nmero de espcies de aves de rapina/1000 km2 0 10 20 30 40 50 60 70 80 BrasilEsprito SantoSanta TeresaAparecidinha

PAGE 22

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 21 Micrastur semitorquatus, falco femoralis e Asio clamator tiveram seus registros menos frequentes, algumas espcies sendo registradas em apenas duas campanhas. No entanto, tais espcies consideradas menos frequentes na regio transitam no espao da localidade de aparecidinha e tambm utilizam os fragmentos existentes na regio. Devido ao crescente processo de fragmentao orestal, a localidade de Aparecidinha apesar de possuir bom relevante nmero de fragmentos orestais muitas espcies de rapinantes podem deixar de existir no local. Pois, essas aves necessitam de grandes reas orestais para que suas necessidades ecolgicas sejam satisfeitas (Terborgh, 1992). Desta forma importante ressaltar a importncia da preservao dos fragmentos orestais da localidade de Aparecidinha, pois mesmo tendo uma paisagem bastante fragmentada a regio ainda abriga uma grande diversidade avifaunstica (Silva, 2010), tendo includo nessa diversidade as espcies de aves de rapina. Agradecimientos Aos moradores da localidade por permitirem a entrada em suas propriedades, ao setor de zoologia e tcnico do Museu de Biologia Mello Leito pelo apoio com materiais e durante a elaborao do manuscrito. Referencias Comit Brasileiro de Registros Ornitolgicos (CBRO). 2011. Listas das aves do Brasil. 10 Edio, 25/1/2011, Disponvel em . Karr, J.R. 1990. Interactions between forest birds and their habitas: a comparative synthesis. In: Keast A (Ed) Biogeography and ecology of forest bird communities. SPB Academic Publishing, pp 379-386. Novaes, T.D., Flores, F. M., Silva, J. N., Mignone, E.C., Passamani, J., Vieira, L.A., Novaes, I.P.S. Registros recentes de Harpia harpyja e de espcies de Spizaetus (Falconiformes: Accipitridae) na Reserva Biolgica Augusto Ruschi, Santa Teresa, ES, Brasil. Boletim do Museu de Biologia Mello Leito. v.28, p.143 147, 2010. Sibley, C.G. & Monroe, B.R. Jr. 1990. Distribution and taxonomy of birds of the world: New Haven: Conn 14:1-1111. Silva, J.N. 2010. Composio de bandos mistos de aves da Mata Atlntica da regio serrana do estado do Esprito Santo sudeste do Brasil. Atualidades Ornitolgicas, 155: 12-15. Silva, J. N., Volpi T A, Martins, R. F. Aves de rapina diurnas da Estao Biolgica de Santa Lcia: uma analise nas diferentes estaes climticas, Santa Teresa Esprito Santo, Brasil. Spizaetus, v.12, p.18 24, 2011. Simon, J.E. 2006. Efeito da fragmentao da Mata Atlntica sobre comunidades de aves na

PAGE 23

PGINA 22 NMERO 13 • JUNIO 2012 regio serrana de Santa Teresa, Estado do Esprito Santo, Brasil. Tese de Doutorado. Curso de Ps-graduao em Cincias Biolgicas, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ. Simon, J.E. 2009. Lista de aves do Esprito Santo. In: livro de resumos do XVII Congresso Brasileiro de Ornitologia, Aracruz – ES. Willis, E.O. & Y. Oniki. 2002. Birds of Santa Teresa, ES, Brazil: Do Humans add or subtract species? Esprito Santo: Papis Avulsos de Zoologia, 42: 193-264. Sick, H. 1997. Ornitologia brasileira: uma introduo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira 912p. Sigrist, T. 2007. Aves do Brasil oriental. Vol.1. Pp. 448. Avis Brasilis. So Paulo. Terborgh, J. 1992. Maintenance of diversity in tropical forests. Biotropica 24: 283-292. * *

PAGE 24

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 23 O Os engates de garras e giros areos entre duas aves de rapina, denominados “cartwheeling” (Farquhar et al., 1994) so na maioria, exibies agressivas em defesa do territrio e de alimento (Simmons & Mendelsohn, 1993; Simmons, 2004), sendo tambm registradas condutas de cortejo e acasalamento (Chatto, 1985; Borello & Borello, 2004; Murn et al., 2009). Esta conduta tem sido principalmente registrada entre indivduos da mesma espcie e j foi documentada para os Gneros Accipiter, Aquila, Hieraaetus, Buteo, Geranoaetus, Circus, Falco y Haliastur (Dawson, 1978; Jones, 1991; Figueroa, 2003; Bluff, 2011). O presente trabalho documenta o primeiro registro de um engate areo entre dois gavies carij ( Rupornis magnirostris) na Bolvia. No dia 6 de outubro de 2010, por volta das 11:15hs, foram observados quatro gavies carij vocalizando agitadamente e voando em ascenso e descida sobre o campus da Universidade Maior de So Simn na cidade de Cochabamba, Bolvia (17 23’ 37’’ S 66 08’ 43’’ W). Os quatro indivduos eram adultos, mas no foi possvel de nir o sexo. Entretanto dois gavies permaneceram a uma altitude estvel, os outros dois ganharam ENGATE AEREO ENTRE DOIS GAVI'ES CARIJ" RUPORNIS MAGNIROSTRIS) EM COCHABAMBA, BOLIVIA Por Diego R. Mndez Mojica, Asociacin Armona, Santa Cruz de la Sierra, Bolivia, e-mail: aetus14@yahoo.com Rupornis magnirostris Diego R. Mndez

PAGE 25

PGINA 24 NMERO 13 • JUNIO 2012 altura e comearam a realizar descidas cruzando o caminho a alta velocidade. Posteriormente eles foram reduzindo a distncia dos cruzamentos e uma vez que estiveram perto su ciente, eles engataram as garras e comearam a girar, fazendo quatro giros e perdendo altura rapidamente. Aps os giros eles se afastaram sem mostrar sinal algum de perda de controle aerodinmico (Fig 1). Uma vez que os gavies se afastaram, voaram em direes opostas, cada um acompanhado por outro gavio. A observao toda demorou uns dez minutos e as nicas vocalizaes registradas foram prvias ao engate. Posteriormente foi localizado um ninho, provavelmente de um dos casais, dentro do campus, a uma distncia aproximada de 345m do stio da observao do engate (Fig. 2). Considerando a observao feita pouco tempo antes do incio da poca reprodutiva da espcie Figura 1. Engate areo entre dois gavies carij ( Rupornis magnirostris ). A. Quatro gavies (2 casais) sobrevoam vocalizando agitadamente. B Dois gavies, cada um com um casal distinto, comeam fazer descidas. C. Ambos engatam as garras e descem girando a grande velocidade, para depois se afastar sem dano aparente.

PAGE 26

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 25 (Santos et al., 2009) e a presena do ninho, o encontro foi claramente um comportamento territorial agressivo. O registro deste comportamento em buteondeos comum (e.g. Kilham, 1981; Heywood, 1986; Towill, 1999; Dickerman, 2003). Na Bolvia esto presentes 26 das 35 espcies Neotropicais deste grupo de rapinantes (Hennessey et al., 2003; Amaral et al., 2009; Remsen et al., 2012), mas margem dessa notvel diversidade, no existe informao sobre este comportamento, nem no mencionado grupo, nem em outra espcie de rapina. O anterior evidencia que em geral, as aves de rapina tm sido pouco estudadas na Bolvia, e ressalta a necessidade de estudos sistemticos sobre o comportamento e demais aspectos da biologia da espcie. Agradecimientos A Travis Rosenberry (The Peregrine Fund Research Library) y Wendy Hicks (Scottish Birds/ Scottish Ornithologists’ Club) pelo fornecimento das referencias bibliogr cas. A Rodrigo W. Soria pela reviso da nota Referencias Amaral, F.R., F.H. Sheldon, A. Gamauf, E. Haring, M. Riesing, L. F. Silveira, & A. Wajntal. 2009. Patterns and processes of diversi cation in a widespread and ecologically diverse avian group, the buteonine hawks (Aves, Accipitridae). Molecular Phylogenetics and Evolution 53:703-715. Bluff, L. A. 2011. Cartwheeling by Whistling Kites Haliastur sphenurus Australian Field Ornithology 28:49-50. Borello, W.D & R.M. Borello. 2004. Two inciFigura 2. Local da observao. Ponto amrelo (17 23’ 37’’ S 66 08’ 43’’ W) indica o sitio do engate e o ponto vermelho a localizao do ninho.

PAGE 27

PGINA 26 NMERO 13 • JUNIO 2012 dents of talon-grappling and cartwheeling in the Tawny Eagle Aquila rapax Ostrich 75: 320-321 Chatto, R. 1985. Talon grappling by Whistling Kites Haliastur sphenurus Australian Bird Watcher 11:135. Dawson, J. P. 1978. Mutual cartwheeling by sparrowhawks. British Birds 71:219-220. Dickerman, R.W. 2003. Talon-locking in the Red-tailed Hawk. Journal of Raptor Research 37:176. Farquhar, C.C., W.S. Clark, R.G. Wright & M. Coello. 1994. First record of interspeci c cartwheeling between large raptors: Buteo poecilochrous and Geranoaetus melanoleucos Journal of Raptor Research 28:274-275 Figueroa Rojas, R. A. 2003. Aerial talon-grappling between the White-throated Hawk ( Buteo albigula ) and Red-backed Hawk ( Buteo polyosoma ) in central-south Chile]. Hornero 18:53-55. Hennessey, A.B., S.K. Herzog, & F. Sagot. 2003. Lista anotada de las Aves de Bolivia, 5th ed. Asociacin Armona/BirdLife International. Santa Cruz de la Sierra, Bolivia. Heywood, A. 1986. Buzzards talon grappling and tumbling to ground. British Birds 79:429. Jones, A. M. 1991. Talon linking and cartwheeling display of Booted Eagles. British Birds 84:5960. Kilham, L. 1981. Red-shouldered Hawks whirling with talons locked in con ict. Raptor Research 15:123-124. Murn, C., P. Betchley & C. Robert. 2009. Talonlocking and cartwheeling as a prelude to copulation in Tawny Eagles Aquila rapax Gabar 20 (2) 12-14 Remsen, J.V.Jr., C.D. Cadena, A. Jaramillo, M. Nores, J.F. Pacheco, J. Prez-Emn, M.B. Robbins, F.G. Stiles, D.F. Stotz, & K.J. Zimmer. Version [8 February 2012]. A classi cation of the bird species of South America. American Ornithologists’ Union. http://www.museum.lsu. edu/~Remsen/SACCBaseline.html (Accesed 17-02-2012) Santos, W.M., J. Ferreira Copatti & F.R. Rosado. 2009. Nidi cao de Gavio Carij, Rupornis magnirostris (Falconiformes, Accipitridae) no Municpio de Peabiru (Paran, Brasil). SaBios: Rev. Sade e Biol. 4 (2): 52-55 Simmons, R.E. & J.M. Mendelsohn. 1993. A critical review of cartwheeling ights of raptors. Ostrich 64: 13-24 Simmons, R. 2004. The last grasp: death by cartwheeling. Africa Birds & Birding 9:16 Towill, J. 1999. Interlocking of talons between Common Buzzards. Scottish Birds 20:40.* *

PAGE 28

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 27 CENTRO PARA EL ESTUDIO Y CONSERVACI"N DE LAS AVES RAPACES EN ARGENTINA (CECARA): DEZ ANOS TRABALHANDO PARA A CONSERVAO DE AVES DE RAPINA NEOTROPICAIS O Por Miguel ngel Santilln 1, Jos Hernn Sarasola 1,2 y Maria Soledad Libana 1,2. 1 Centro para el Estudio y Conservacin de las Aves Rapaces en la Argentina (CECARA) Av. Uruguay 151. 6300 Santa Rosa La Pampa. Argentina. 2 Instituto de Ciencias de la Tierra y Ambientales de La Pampa (INCITAP) Consejo Nacional de Investigaciones Cient cas y Tcnicas de Argentina (CONICET) Av. Uruguay 151. 6300 Santa Rosa La Pampa. Argentina.O Centro para el Estudio y Conservacin de las Aves Rapaces en la Argentina (CECARA), foi criado em 03 de outubro de 2001 no mbito da Faculdade de Cincias Naturais da Universidade Nacional de La Pampa (FCEyN, UNLPam, Argentina). A sua criao foi promovido por pesquisadores da Argentina e dos Estados Unidos mobilizados pela necessidade de gerar um campo de pesquisas sobre o problema da conservao de aves de rapina na Argentina. Os objectivos principais eram: desenvolver uma base cient ca slida para a grande diversidade de aves de rapina e dos seus habitats na Argentina; a formao de cientistas capazes de realizar e ampliar os programas de pesquisa; e divulgao dos resultados ao pblico em geral e instituies com o poder executivo. Poucos anos antes da criao do CECARA, durante o vero austral de 1996, a regio dos Pampas da Argentina se tornou famoso no que diz respeito conservao de aves de rapina nos trpicos: o envenenamento em massa dos Buteo swainsoni com inseticidas organofosforados tinha Fotos cortesia de CECARA

PAGE 29

PGINA 28 NMERO 13 • JUNIO 2012 deixado cerca de 20.000 indivduos envenenado em reas agrcolas na parte central do pas. O estudo ea conservao do gavio era a primeira prioridade para os pesquisadores de CECARA, o que gerou informaes valiosas sobre vrios aspectos da ecologia da espcie que antes eram desconhecidas. Em dez anos, o grupo de trabalho tem crescido, e atualmente um ponto de referncia para pessoas interessadas dentro da nossa rea de pesquisa, e um espao de formao de estudantes de graduao e ps-graduao da Argentina e outros pases. Entre outros projetos, esta equipa est empenhada em estudar e promover a conservao da Harpyhaliaetus coronatus em ambientes semi-rido na regio central da Argentina. O estudo centrase em aprender sobre a biologia reprodutiva e causa de mortalidade desta espcie ameaada de extino. A conservao de aves de rapina em agroecossistemas e ambientes antrpicos tambm de alta prioridade para CECARA. Actuais interesses de investigao incluem o estudo dos efeitos da expanso da fronteira agrcola e as mudanas no uso da terra sobre a ecologia de espcies de aves de rapina que ocupam estes ambientes, como Falco femoralis, Falco sparverius e Milvago chimango. Pesquisadores da CECARA tm realizado estudos sobre a seleo de habitat, movimentos, hbitos alimentares e estado de sade em outras espcies, como Glaucidium brasilianum y G. nanum e Elanus leucurus Cathartes aura Coragyps atratus Polyborus plancus Athene cunicularia y Geranoaetus melanoleucus CECARA colabora com pesquisadores de diferentes universidades e centros de pesquisa nacionais e internacionais. Dentro desta equipe de pesquisadores e tcnicos so professores da Universidade Nacional de La Pampa e pesquisadores e bolsistas do Conselho Nacional de Investigao Cient ca e Tcnica da Argentina (CONICET). CECARA se engaja em valiosa colaborao com estudantes dos recursos naturais e cincias ambientais de engenharia e biolgica, e promove a formao de estudantes de ps-graduao na conservao da fauna ameaadas de extino. Para mais informaes contacte: CECARA, Avda. Uruguay 151, 6300 Santa Rosa, La Pampa Argentina. www.cecara.com.ar or cecara@exactas.unlpam.edu.ar * *

PAGE 30

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 29 CONVERSACIONES DO CAMPOPor Markus Jais Markus Jais foi interessados na natureza desde que ele era um garoto. Seus principais interesses so a ecologia e conservao de predadores como gatos grandes, lobos e grandes aves de rapina, especialmente guias. Ele corre o site www.europeanraptors.org e um contribuinte para www.africanraptors.org. Ele entrevistou recentemente Ryan Phillips, diretor executivo do Belize Raptor Research Institute, para a RRN. Aqui est um exerpt de que a entrevista. Markus Jais: Voc comeou a Belize Raptor Research Institute (BRRI) em 2008. Quais so os objetivos da organizao? Ryan Phillips: BRRI misso ajudar a proteger as aves de rapina neotropicais das Amricas, com base numa investigao cient ca slida. BRRI se esfora para aprender sobre as aves de rapina na natureza atravs de estudos de campo extensos e aumentar a conscientizao atravs da educao e formao das comunidades locais e internacionais. Os objetivos do projeto incluem a compreenso de aves de rapina neotropicais atravs da pesquisa de campo, apresentao de programas de educao e de informao para as comunidades locais para treinar futuros conservacionistas e bilogos, proporcionar oportunidades de voluntariado e estgios, formar parcerias com outros grupos conservao para ajudar a proteger e gerenciar melhor as aves de rapina na natureza. Estamos atualmente estudando a Asio stygius a Harpyhaliaetus solitarius e as trs espcies do gnero Spizaetus encontrados em Belize MJ : Quais so as ameaas para as aves de rapina em Belize? RP : A caa furtiva a maior ameaa para as aves de rapina em Belize. Como Belize ainda uma oresta relativamente intacta e muito bem preservada, a perda de habitat no uma ameaa to grande quanto em outros pases da Amrica Central. No entanto, Belize est crescendo rapidamente Ryan Phillips em Belize BRRI

PAGE 31

PGINA 30 NMERO 13 • JUNIO 2012 e isso vai ser um grande problema no futuro. Nas espcies com grandes territrios, como a guia Solitria, a necessidade imatura para dispersar em grandes reas e, portanto, precisam de grandes extenses de oresta intacta. Isso importante para espcies com populaes pequenas e para aqueles que esto isolados, para manter a diversidade gentica ea viabilidade populacional. Conectividade problemtico, porque a Amrica Central eo Mxico perdeu uma grande porcentagem de suas orestas. MJ : O que voc acha que vai ser as prioridades em pesquisa e conservao de aves de rapina em Belize, nos prximos anos? RP : Hoje, o governo est reavaliando Belize reas protegidas do pas, o que poderia representar uma grave ameaa no apenas para as aves de rapina, mas para toda a biodiversidade em Belize. Belize est a crescer exponencialmente, o que signi ca que a necessidade de mais recursos e terrenos ir aumentar dramaticamente. As prioridades incluem a trabalhar com o Departamento Florestal para justi car a preservao destas reas protegidas. Antes de fazermos isso, devemos aprender tudo possvel sobre as espcies e criar uma boa gesto e planos de ao. Alm disso, o envolvimento das comunidades locais uma necessidade. Deve haver incentivos para proteger a biodiversidade em Belize, que pode ser alcanado atravs da formao para a populao local na conservao, biologia e pesquisa no campo. Muitas vezes, as organizaes de conservao no envolvem a participao das comunidades locais. No entanto, atravs de oportunidades de educao e pesquisa, isso pode mudar. Raptor conservao em Belize exige a participao das comunidades, trabalhando em colaborao com o governo e organizaes de conservao, investigao e um plano de boa gesto. Sinto que h um futuro brilhante para aves de rapina em Belize. Belizenhos so orgulhosos de seu pas. MJ : Panthera esto trabalhando em um corredor de Panthera onca em toda a regio neotropical inteiro. Belize um dos pases que fazem parte do corredor e h um projeto previsto para um corredor no sul e Belize central. Pode esta iniciativa tem tambm efeitos positivos sobre as aves de rapina como a guia harpia e outras espcies? RP : Na verdade esse corredor, que liga as partes norte e sul de Belize, foi comprado e estabelecido como rea protegida deste ano. Ele agora chamado a Labouring Creek Jaguar Corridor Wildlife Sanctuary. http://newswatch.nationalgeographic.com/2010/08/10/belize_sets_aside_land_for_ jaguar/ Esta foi uma aquisio crtica por Panthera e outros grupos, que no s traz benefcios para o Panthera onca mas para todas as espcies em Belize, especialmente o Tapirus sp. todas as espcies do gato, o Harpia harpyja e Morphnus guianensis apenas para citar alguns. Como eu disse anteriormente,

PAGE 32

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 31 a falta de conectividade ir representar grandes ameaas no futuro, em Belize e j est a ter um srio impacto sobre as populaes da Amrica Central. Esta aquisio um passo importante para a conservao da biodiversidade em Belize, usando o Panthera onca como uma espcie guarda-chuva. No passado, no se concentrou na conectividade das populaes, mas agora estamos a dar passos neste campo de “ecologia do corredor”. MJ : Como se pode ajudar BRRI? RP : BRRI uma organizao 501 (c) 3 sem ns lucrativos. Ns nanciado atravs de doaes privadas e doaes. Estamos atualmente procurando nanciamento para construir um site para abrigar os assistentes de campo, funcionrios e outros pesquisadores no Pine Ridge Mountain, onde temos 15 hectares. Isto ajudar tambm a conservao das aves de rapina, como os estudantes locais e outros grupos podem visitar as instalaes para aprender sobre as aves de rapina e lev-los animado sobre aves de rapina. Este seria o centro para a conservao de raptors na regio. Com sua ajuda podemos tornar este sonho uma realidade. Para mais informaes, entre em contato conosco belizeraptorresearchinstitute@ yahoo.com. MJ : Qual foi sua experincia mais incrvel com aves de rapina? RP : O que uma boa pergunta! Eu tenho tantos momentos memorveis com as aves de rapina ... mas provavelmente o mais surpreendente foi ver trs das mais raras aves de rapina nos trpicos, ao mesmo tempo. Um adulto Harpyhaliaetus solitarius estava voando na rea e teve um basilisco em suas mos, quando de repente uma Spizaetus melanoleucus jovem veio do nada e comeou a bombardear a guia. Quando as guias aproximaram um do outro, so viradas de cabea para baixo, mas que no esteja envolvida com as garras. Isso continuou por cerca de 5 minutos e em seguida, um recm-lanado Falco deiroleucus (como parte do projeto de conservao da The Peregrine Fund para esta espcie) comeou a vocalizar e atacar o Spizaetus melanoleucus Ao mesmo tempo que tinha as trs espcies que interagem Ryan Phillips trabalhando com um bilogo local BRRI

PAGE 33

PGINA 32 NMERO 13 • JUNIO 2012 um com o outro. Gostei desta experincia com os meus amigos Marta Curti, Yeray Seminario Roni Martinez, Jenn Sinasac, e Geraldo Garcia. Roni tem um excelente vdeo de mim gritando como uma criana no fundo! Mas vendo uma Morphnus guianensis selvagem, observando uma Harpia harpyja com um porco-espinho, vendo o ninho da Harpyhaliaetus solitarius e da observao de uma fmea adulta Spizaetus ornatus com o seu lhote foram todas as experincias maravilhosas. * *

PAGE 34

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 33 D Desde tenra idade, a paixo de Nigel pelas aves e pela arte era evidente. Seu interesse em aves comeou com a observao casual, o que o levou a se aprofundar mais em observao de aves e, nalmente, a fazer anilhamento. Nigel tem mantido uma autorizao para anilhamento de aves emitida pelo Servio de Vida Selvagem do Canad por 30 anos. Nos ltimos 15 anos seu foco tem sido as aves de rapina. Ele ainda est envolvido em alguns projetos de passeriformes, mas a maior parte de seu trabalho com aves de rapina diurnas e noturnas. Durante a primavera e o outono ele dirige uma estao de anilhamento de aves de rapina migrantes, que inclui um local de anilhamento de corujas migrantes no nal do outono. Isto permitiu a Nigel coletar informaes que so de valor inestimvel para o seu estilo de trabalho. Alm disso, uma rede de outros pesquisadores de outros pases fornecem a Nigel informaes e referncias necessrias para que ele seja capaz de criar pinturas de aves com as quais nunca trabalhou ou mesmo nunca viu. No entanto, em novembro passado, Nigel foi se juntou a um grupo de anilhadores no Peru por 9 Artista em Destaque: Nigel Shaw

PAGE 35

PGINA 34 NMERO 13 • JUNIO 2012 dias, o que lhe deu grandes oportunidades para fotografar e fazer tomadas de referncia prprias, as quais usar para continuar a orientar a sua carreira. Depois de suas experincias na expedio Nigel comeou a planejar exposies que no s mostram a sua arte, mas que tambm mostrem as suas fotogra as e informaes, o que acrescenta uma forte componente educacional a esses eventos. Desta forma, o pblico pode conhecer o trabalho feito em outras partes do mundo, com fatos e dados no ltrados, apresentados de uma forma bastante estimulante. Nigel pertence a um grupo de artistas que baseiam suas obras na conservao de espcies e que so bem chamados de “artistas da conservao” Seus objetivos esto de acordo com o que Nigel espera conseguir atravs de sua arte. Este ano Nigel foi agraciado com a 13. “Flag Expedition”, premio que o levar a frica do Sul em fevereiro, para uma rea apresenta uma grande concentrao de aves de rapina que vo invernar neste local. Ele completar um dirio de suas experincias na viagem, assim como produzir varias pinturas. Anilhar com pesquisadores da frica do Sul, e coletar dados e referencias para produzir uma exposio na mesma linha de pensamento daquela que criou aps sua expedio ao Peru. O trabalho de Nigel pode ser visto em www.natureartists.com/shawn.htm * *

PAGE 36

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 35 A LA REDE DE AVES DE RAPINA NEOTROPICAIS VAI PARTICIPAR DE UMA CONFERNCIA SOBRE AVES DE RAPINAA Rede de Aves de Rapina Neotropicais est colaborando com a Raptor Research Foundation e do World Working Group on Birds of Prey and Owls para sediar uma conferncia conjunta em Bariloche, Argentina, 21-25 de outubro de 2013 Ser organizado pela Universidad Nacional del Comahue, Clube de Observadores de Aves de Bariloche, e Sociedad Naturalista Andino Patagonica e ser realizado no Panamericano Hotel Bariloche. O programa de cinco dias inclui palestrantes, palestras, psteres, e simpsios. Bariloche uma cidade pitoresca situada nas margens do Lago Nahuel Huapi. cercada por montanhas escarpadas e orestas exuberantes. Existem muitas oportunidades para caminhadas, passeios de barco e observao de aves, com a probabilidade de ver condores andinos. Na Argentina, h mais de 1.000 espcies de aves, com 80 espcies de aves de rapina diurnas e noturnas. Esta conferncia ser uma oportunidade maravilhosa de conhecer e colaborar com os investigadores raptor toda a regio. O site da conferncia estar disponvel em agosto. Fique ligado! * Esquerda: Nahuel Huapi; Direito: Volcan Puyehue Mara del Mar Contaldi

PAGE 37

PGINA 36 NMERO 13 • JUNIO 2012 De Interesse... SubsdiosThe Association of Field Ornithologists fornece fundos para os investigadores que estudam as aves na Regio Neotropical. http://www.afonet.org/grants/index.html Rufford Small Grants Foundation fornece fundos para projetos focada na conservao da natureza e biodiversidade. http://apply.ruffordsmallgrants.org/ The Ornithological Council iniciou um programa de pequenas subsdios para projetos que integram a investigao ornitolgica e conservao http://ornithologyexchange.org/Pginas da WebThe Global Raptor Information Network (GRIN) projetado para fornecer informaes sobre aves de rapina diurnas e facilitar a comunicao entre pesquisadores raptor e organizaes interessadas na conservao destas espcies.http://www.globalraptors.org/grin/indexAlt.asp CompetioEsta a ltima chamada para inscries para Camera-trap Photo of the Year patrocinado pela World Land Trust. Os vencedores podero receber uma concesso de at £ 3.000 para seu projeto. Data de encerramento de 13 Julho de 2012. http://www.discoverwildlife.com/webform/camera-trap-photo-year-2012 nalcall-entries Ryan Phillips Yeray Seminario Marta Curti

PAGE 38

WWW.NEOTROPICALRAPTORS.ORG PGINA 37 Nmero 13, Junho 2012 ISSN 2157-9180SPIZAETUSBOLETIM DA RRN Para participar da RNN envie a mcurti@peregrinefund.org uma breve apresentao e comunicando seu interesse na pesquisa e conservao das aves de rapina