<%BANNER%>
HIDE
 Front Cover
 Main
 Back Cover














Spizaetus
ALL VOLUMES CITATION THUMBNAILS PDF VIEWER PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/UF00100958/00009
 Material Information
Title: Spizaetus
Physical Description: Serial
Language: English
Portuguese
Spanish
Publisher: Neotropical Raptor Network
Place of Publication: Boise, Idaho
Publication Date: June 2011
 Subjects
Genre: serial   ( sobekcm )
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: University of Florida
Rights Management: All rights reserved by the source institution and holding location.
System ID: UF00100958:00009

Downloads

This item has the following downloads:

( PDF )


Table of Contents
    Front Cover
        Front Cover
    Main
        Page 1
        Page 2
        Page 3
        Page 4
        Page 5
        Page 6
        Page 7
        Page 8
        Page 9
        Page 10
        Page 11
        Page 12
        Page 13
        Page 14
        Page 15
        Page 16
        Page 17
        Page 18
        Page 19
        Page 20
        Page 21
        Page 22
    Back Cover
        Back Cover
Full Text

KAETUS\
E DE AVES DE RAPIN EOTRUPICAIS
I H Nt\I. i, 11
Ju\I , 2011




II CTL*
' lE TL',







CONTEUDO

Monitoramento de Spizaetus ornatus e outras aves
de rapina na Reserva Particular "Arroyo Negro",
M exico ........................................................... 2


Mortalidade de Aves de Rapina em Rodovias do
Centro e Norte da Argentina: Analise Preliminar
do Problem a.......................................... 6


Investigac6es tafon6micas sobre as press de aves de
rapina na Argentina.................................. 15


Notas da Literatura das Aves de Rapina Neotropic-
ais ....................................................... . 19


A RRN (pelas siglas em espanhol) e

uma organizacio baseada em afilia-

e6cs. 0 objetivo e contribuir para a

conservag~o e pesquisar as aves de

rapina neotropicais. Promovendo a

comunicaqio e coloboraqio entree

pesquisadores, ambientalistas e en-

tusiastas pelas aves de rapina que

trabalham na regilo Neotropical.


De Interesse ............................................. 21


Pr6ximos Congressos .. ............................ 21


Neotropical
Raptor
Network


Spizaetus: Boletim da RRN
Niimero 11 � Junho 2011
Edigio em portugues
ISSN 2157-9180


b Foto de Capa:
Spizaetus ornatus
Arroyo Negro, Mexico.
� Luznatura



Coordinador RRN: Marta Curti


Foto de Contracapa:
Spizaetus ornatus
Arroyo Negro, Mexico.
� J. Zenaido Canales Espinoza


Artigos foram traduzidos e/ou editados por:
Mosar Lemos e Edwin Cambpell






MONITORAMENTO DE SPIZAETUS ORNATUS E OUTRAS AVES

DE RAPINA NA RESERVE PARTICULAR

"ARROYO NEGRO", MEXICO.

Efrain Orantes Abadia, Proyecto Arroyo Negro A.C., fincaarroyonegro(@hotmail.com
e Carlos J. Navarro, Serment navarrosc(@hotmail.com


A fazenda "Arroyo Negro" esti localizada na
bacia do rio Negrito na "Sierra Madre de Chi-
apas", municipio de "La Concordia", em Chiapas
no Mexico e e uma fazenda de produgio de cafe
de alta qualidade corn um grande compromisso
de protegio ao meio ambiente e constitui uma
reserve particular, onde dos seus 640 hectares
apenas 100 estio destinados a produgio de cafe
em sistema de sombreamento. Devido as suas
priticas de produgio, manejo e protegio a na-
tureza, em 2008 a Arroyo Negro foi considerada


como a unica fazenda do mundo produtora de
"Cafe Conservacionista" pela Organizagio Das
Nac6es Unidas e pelo "Rainforest Alliance".

Localizada na zona de amortizagio da Area Nu-
cleo 5 da Reserva da Biosfera "El triunfo", na
fazenda Arroyo Negro foram identificadas mais
de 186 species de aves, enquanto ainda sdo fre-
quentes species raras de mamiferos como Tapi-
rus bairdii, Lontra longicaudis e Panthera onca. Diver-
sas aves de rapina sao residents como Spi*aetus
ornatus, SpiZaetus tyrannus, Buteogallus anthradnus,


Spizaetus ornatus. Foto � Luznatura






de Areas Naturais Protegidas", havia mais de 20
anos que nio se noticiava ninhos naquela irea.
Embora nio tenha sido uma metodologia espe-
cifica e os monitoramentos correspondam a ob-
servag6es de campos realizadas de maneira fre-
Squente, tentou-se reunir tanta informa~io quanto
Spossivel sobre os hibitos alimentares e de nidifi-
ca ao de Spizaetus ornatus. Documentamos varias
press que foram levadas para o ninho, e dentre
elas: Aulacorhynchusprasinus, Nasua narica, Penelope
purpurascens, Didelphis ~p e Tamandua mexicana.

SFoi observada a cria~io com nxito de apenas um
a. -~r. filhote por ninho, e inclusive assistimos um ma-
- > cho adult jogar para fora do ninho o menor de
Spizaetus ornatus. Foto C Luznatura dois filhotes de ura ninhada. Os ninhos foram
construidos em pinheiros, send um dos locals de

Buteo jamaicensis, Leucopternis albicollis, Micrastur
dew rqa i , Hepartculr deSpizaetus ornatus juvenile
semitorquatus, Herpetotheres cachinnans, Falco rujigu- Spizaetus ornatus juvenile
Foto � J. Zenaido Canales Espinoza
laris, Coragyps atratus, Cathartes aura e Sarcoramphus
papa. Um dos iltimos exemplares de Harpia har

pyja capturado no M6xico veio desta irea.

Monitoramento e conservagdo de aves de
rapina

Desde 2007 iniciou-se corn recursos pr6prios
um program interno de monitoramento de aves
de rapina, em particular de Spizaetus ornatus do , .
qual foram localizados tras casais reprodutivos.
Quando descrevemos o primeiro ninho desta es-
pecie na fazenda e comunicamos a "Comiss~o , i'































SpiZaetus ornatus com filhote. Foto � Luznatura

criaaio conhecido e usado por mais de 25 anos.
Nesta regido a nidificacio comega em novembro,
e o filhote ap6s deixar o ninho permanece nas
imedia�6es por cerca de dois anos e documenta-
mos tambem que o jovem por vezes ajuda a re-
construir o ninho que mede aproximadamente
1,5 m. Na fazenda Arroyo Negro SpiZaetus ornatus
nidifica a cada tres anos, de forma semelhante ao
que ocorre em outros locals de sua irea de distri-
buig~o.

Educacao Ambiental

A documentagio fotogrifica dos ninhos na fa-
zenda Arroyo Negro por fot6grafos da vida sel-
vagem contribuiu para um maior conhecimento


sobre as aves de rapina entire as pessoas e espera-
mos poder langar em curto prazo uma campanha
de educacio ambiental entire as comunidades lo-
cais que inclua as aves de rapina. E muito impor-
tante aumentar o nivel de conscientizag~o sobre
a protegio das aves de rapina entire as pessoas
como demonstra a recent apreens~o (19 de abril
de 2011) por parte do pessoal da Arroyo Negro
e da Procuradoria Federal de Protegio ao Ambi-
ente (PROFEPA) de um Spi aetus ornatus juvenile,
que havia sido capturado por moradores de uma
fazenda vizinha e mantida em cativeiro durante
alguns meses em pessimas condic6es, com anqui-
lose de uma fratura da perna esquerda e com ab-
scessos. Infelizmente o aviso chegou muito tarde






e a ave morreu pouco depois de ser apreendida.
E muito important que epis6dios como este
nao voltem a ocorrer, pois embora em Arroyo
Negro o gaviio-de-penacho seja relativamente
abundante e esteja listado como "pouco preo-
cupante" pela IUCN (IUCN 2010), seu status
e desconhecido no restante do Mexico, estando
catalogado dentro da NOM-
059-SEMARNAT-2010
como "em perigo de extin-
rgo" (DOF 2010). Port ter
uma taxa de reprodugao
muito baixa a perda de uns
poucos individuos pode ter
consequencias negatives ,
para a populagao desta es- ,
pecie. E um requisito indis-
pensivel conseguir entire os '
moradores locals uma mu-
danga de attitude em relagao
Spizaetus ornatu
as aves de rapina. � J. Zenaido Cana

Conclus6es

Arroyo Negro e um local de grande importin-
cia por sua riqueza biol6gica e excelente esta-
do de conservagio, sendo tambem um exem-
plo de desenvolvimento economic sustentivel
com respeito ao meio ambiente. 0 program
de monitoramento de aves de rapina esti ge-
rando informa6oes sobre a hist6ria natural de
Spizaetus ornatus e de outras species pouco


S
les


conhecidas e e a base para projetos de educaaio
ambiental e difusio que buscam obter uma maior
conscientizag~o entire os habitantes locals sobre a
importincia da conservagio destas aves.

ReferEncias

IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Spe-
cies. http://www.iucnredlist.org/
4 apps/redlist/details/144519/0

Diario Oficial de la Federaci6n
(DOF). 2010. NORMA Oficial
Mexicana NOM-059-SEMAR-
NAT-2010, Protecci6n ambien-
tal-Especies nativas de Mexico
de flora y fauna silvestres-Cat-
egorias de riesgo y especifica-
ciones para su inclusion, exclu-
si6n o cambio-Lista de species
en riesgo. http://www.semarnat.
gob.mx/leyesynormas/normas/
s Espinoza
Normas%200ficiales%20Mexi-
canas%20Vigentes/NOM%20059%20SEMAR-
NAT%202010%20PROTECCION%20AM-
BIENTAL%20ESPECIES%20NATIVAS%20
DE%20MEXICO%20DOF%2030%20
DIC%202010.pdf


* * *






MORTALIDADE DE AVES DE RAPINA EM RODOVIAS DO

CENTRO E NORTE DA ARGENTINA: ANALISE PRELIMINARY

DO PROBLEMA

Enrique Richard, Catedra de Biologia, Universidad Cat6lica Boliviana "San Pablo", chelonos(@gmail.com e
Denise I. Contreras Zapata, Catedra de Bioestadistica, Universidad Cat6lica Boliviana "San Pablo", dennycz@(gmail.


Em uma revisio recent (Jacobson, 2005)
ficou evidence a importincia do impact das
rodovias sobre as aves. De acordo com Jacobson
(2005) os quatro impacts mais significativos sao:
mortalidade direta, mortalidade indireta, frag-
mentagio do habitat e distfirbios no ecossistema,
embora mais recentemente se tenha relacionado
outros nio menos significativos como o ruido
(Dooling e Popper, 2007). Este trabalho destaca
que as principals contri- ,H uma tcnd
Ha uma tendenci;
buic6es e estudos sobre -
impacto das rodo
o assunto enfocam mas dc a s, p
lagoes de aves, pc
o grupo dos mamiferos, Unidos (Erickson
repteis, anfibios e inclu-
se que a mortalid;
sive artr6podes, ji que as
por automoveis e
aves de forma subjetiva individuos annual
n~o previamente consid-
eradas afetadas, ainda que segundo Erickson et
al (2005) a mortalidade causada por autom6veis,
somente nos Estados Unidos, alcanga 80 milh6es
de aves por ano. Jacobson (2005) destaca, corn
base na revisio de trabalhos anteriores e estudos
pr6prios, a necessidade de abordar tanto estudos


a


i


a


ni


do impact das rodovias sobre as aves como as
consequences medidas de mitigag~o, jai que as pro-
postas ate o moment sdo modificac6es daquelas
implantadas para os grupos animals antes men-
cionados. Este estudo como outros (Arroyave et
al, 2006) enfocam o problema dos impacts das
rodovias sobre diferentes grupos animals sem
considerar o context socioecon6mico e princi-
palmente o educativo ao long das rodovias, um

cm subestimar o aspect que agora
abordamos destacan-
ias sobre as popu-
do sua importancia
s s6 nos Estados do sua import
et al, 2005) estima- no moment de pro-
de direta impactt) por medidas de miti
de 80 milh6oes de gagdo. Ndo existed
cntc. antecedentes sobre o
assunto na Argentina
onde o avango da fronteira agropecuiria nas filti-
mas decadas alcangou grandes proporc6es prin-
cipalmente na regido central e norte, de tal modo
que quase a metade da superficie do pais esti
sobre manejo agropecuirio (Aizen et al, 2009).
Atualmente o maior cultivo e o chamado "cul-






tivo maldito" (soja transgenica + Rondap) que
ocupa quase 50% da irea cultivada. Isto resul-
tou na perda massive de ecossistemas caracter-
isticos como o Chaco e os campos dos pampas
e consequentemente dando lugar a um process
de perda de biodiversidade e fragmentagio dos
mesmos. Como consequencia a fauna se extingue
ou tenta encontrar novas "ilhas" de habitat onde
possam continuar sobrevivendo (se a capacidade
de suporte permitir). As aves representam um
grupo afetado embora tambem seja o grupo que
possui mais condic6es (voo) para buscar alterna-
tivas. Porem sempre existem exce�6es e a maior
ave argentina, a ema (Rhea americana), por exem-
plo, e uma delas. 0 desmatamento massive do
Chaco restringiu seus habitats e obrigou a espe-
cie a permanecer em areas ocupadas pelo cultivo,
onde sdo mortas a tiro por consumer as semen-
tes, ou na busca de novos habitats atravessam as


rodovias onde tambem encontram a morte (mor-
talidade direta, segundo Jacobson, 2005).

Entre os anos de 2007 e 2009 realizamos tran-
sectos nas regi6es centro e norte da Argentina,
sendo dois deles (Rota 9 e Rota 34) de 1400 km
cada uma, percorridos oito vezes, e outros dois
menores (6 kmin, Rota Estadual 92, trecho Casilda
- Rota national 33, e 56 km da Rota Nacional 33,
desde a juncgo anterior a Rosirio - Provincia de
Santa Fe) percorridos 24 vezes no total (a cada 15
dias, 2008).

Neste period de estudo ao long dos transec-
tos fizemos um inventirio de animals que em
quantidade e diversidade lamentavelmente super-
aram muito nossas expectativas e revelaram um
problema nio analisado anteriormente: a falta de
educacio no transito e ambiental dos motorists,
derivada da falta de educacio genuina (formaaio


Fig. 1: A esquerda: individuos de Rhea americana em uma lavoura de trigo na Rota Nacional 9. A direita
individuos atropelados na Rota Nacional 34. Fotos � E. Richard.


. _ . . . . , '..- . .






de valores) e tambem a falta de respeito a fauna
selvagem. Os dados qualitativos e quantitativos
est~o sendo analisados, e sem dluvida entire as


long das rodovias sao encontrados em ambos
os lados das mesmas uma grande quantidade de
gr~os de soja que caem dos caminh6es. Estes


aves de rapina as
species mais af-
etadas, embora
corn problems
diferentes, sao:
Coragyps atratus
(Cathartidae), Ca-
racara plancus (Fal-
conidae), Athene
cuniculara (Strigi-
dae) e Tyto alba
(Tytonidae). Neste
artigo analisamos
inicialmente as
tres ultimas.

Athene cunicu-
laria: Esta espe-
cie mostra uma
grande adaptadio
aos agro ecos-
sistemas e a inte-
ratio destes com
as rodovias. Efe-


\'


9/ N~' ~I ~


,J , " . ^ " vN /









Mapa 1. Transectos avaliados para este trabalho. S1 = Segmento
na Rota Nacional 9. S2 = Segmento na Rota Nacional 34. 1 -
Buenos Aires, 2 - Rosirio, 3 - Santa F6, $ - Santiago del Estero.
5 - San Miguel de Tucumin, 6 - Rosario de la Frontera, 7 - San
Salvador de Jujuy, 8 - La Quiaca, 9 - Yacuiba, 10 - San Fernando
del Valle de Catamarca, 11 - C6rdoba.


graos sao pro-
curados por
roedores que se
aproximam das
margens das
rodovias onde
ficam expostos
e sao facilmente
cacados por es-
tas corujas, e
que por sua vez
sao facilmente
atropeladas.
Igualmente, es-
tas corujas tam-
bem se con-
centram nos
postos de pesa-
gem, onde ha
bastante ilumi-
na~io, e onde
principalmente
no verao, se


tivamente como consequencia do desenvolvim-
ento do cultivo da soja na Argentina, as rodovias
analisadas sao conhecidas como "rota da soja"
e nelas existe um fluxo continue de caminh6es
transportando grios de soja. Por este motivo ao


concentram grandes quantidades de insetos es-
pecialmente grandes cole6pteros, que sao cap-
turados por esta especie. Nas imediac6es dos
postos de pesagem observa-se tambem com
frequencia (n = 25 em 18 postos de pesagem


J










** ftiv:
j: �:Z
1J421
. . "** k, ' .'*^ ** *i^ - vA '^ tf
M^ '^.t^


,m- . _ .,. - . "i, .. " A , ' ;

4J~ ~~W,.


Fig. 2: Acima A esquerda: Athene cunicularia, como se costuma ve-la na beira da Rota 34. A direita ninho da
mesma esp6cie com filhotes na beira da mesma Rota 34. Abaixo: Individuos atropelados na Rota Estadual
92 (S3). Fotos � E. Richard.


investigados na Rota 9) individuos atropelados.
Em um dos transectos (S2) da Rota 92 (6 km)
e apenas no primeiro semestre de 2008 levanta-
mos um total de 28 corujas-buraqueiras atrope-
ladas. Ao long dos transectos este especie esti
permanentemente present nos moir6es de cerca
pr6ximos as rodovias. (Fig. 2), sendo observada
em atividade tanto de dia como de noite. E par-
ticularmente notavel o comportamento crepus-


cular desta coruja quando busca sua presa (nor-
malmente roedores), "peneirando" parada no
at a uma pequena altura ate localizar a presa e
langar-se sobre ela como um falcao. A grande
disponibilidade de alimentos nesta Rota faz com
que estas corujas construam seus ninhos a pou-
cos metros da rodovia entiree 10 e 25 m, n = 65)
em S1, S2, S3 e S4. Isto facility a capture de fil-
hotes para cativeiro e a exposigco dos filhotes as






pulverizac6es peri6dicas de glifosato nas ireas de
cultivo de soja, corn consequencias que deveriam
set avaliadas.

Tyto alba: Esta coruja e a especie menos fre-
quente das tres mencionadas. Ha algumas deca-
das eram habitantes habituais de celeiros abando-
nados, moradias e s6t~os de fazendas, etc, onde
estava sempre present nas ireas rurais da region
estudada. Desde que comegou o process de


cultivo de soja em larga escala na Argentina, a
especie foi desaparecendo perceptivelmente em
numero e presenga. Embora geralmente nao ni-
difique pr6ximo as margens das rodovias como a
especie anterior, provavelmente porque os requi-
sitos para nidificacio sejam diferentes, de forma
semelhante a coruja buraqueira, se aproxima das
rodovias especialmente ao entardecer e a noite
em busca dos roedores que vio atris dos grtos de
soja e acabam sendo mortas por atropelamento.


Fig. 3: Acima A esquerda; Tyto alba atropelada na Rota Nacional 33. Abaixo A esquerda: Individuos
atropelados na Rota Nacional 34. Photos � E. Richard
I k ih �-.






Caracara plancus: Esta especie e provavelmente
o Falconidae mais versitil quanto aos seus hibi-
tos tr6ficos e tambem um dos que melhor se
adaptou e aproveitou o avango da fronteira ag-
ropecuiria. Esta especie esti permanentemente
present nas rodovias onde consome os cadi-
veres dos animals atropelados. Sem dilvida neste
process, como tambem pudemos constatar, e in-
escrupulosamente atropelado por motorists tan-
to de autom6veis como de caminh6es de forma
intencional. Efetivamente esta especie diante de
um animal atropelado sobre o asfalto tenta geral-
mente em grupo e provavelmente como fruto de
aprendizado, levar a carcaga para fora das faixas
de rodagem da rodovia, para o acostamento ou
para algum poleiro, onde individualmente ou em
grupo a consomem sem preocupagao com a pas-
sagem continue de veiculos na rodovia. Porem
para muitos motorists atropelar animals parece
constituir uma divers~o a ponto de sairem da
rodovia e entrarem no acostamento para atrope-
lar os animals que ali se encontram. Documenta-
mos inclusive o atropelamento de oito exem-
plares de Caracaraplancus por um veiculo que em
alta velocidade invadiu o acostamento na Rota 34
(Santa Fe) onde as aves estavam consumindo os
restos de MaZama guaZoubira. Pudemos presenciar
esta situa~io pelo menos quatro vezes durante o
period de estudos, e apesar de havermos anota-
do o numero da placa e feito uma denuncia perti-
nente encontramos apenas sorrisos por parte das


autoridades.
Conclus6es e recomendac6es

De acordo com a revis~o bibliogrifica realizada
existem numerosas medidas e solug6es propostas


Caracara plancus,magnifica ave que soube adaptar-se
como poucas A fronteira agropecuaria e diversificar
seus hibitos capadores com os de necrofagia e que
agora como consequencia da busca de carcacas nas
rodovias encontram nelas uma nova causa de mor-
talidade. Casilda, Santa FH. Panasonic Lumix FZ50,
zoom Leica Vario Elmarit 35-420 mm + flash
Foto: � E. Richard.


e implantadas, principalmente nos Estados Uni-
dos (Jackson, 2001) e Europa (Banks et al, 2001),
Elas envolvem solug6es estruturais (por exem-
plo, sistemas de cercas, sinalizadores, refletores,
barreiras contra ruidos, passagens subterraneas,
passagens elevadas, etc.) e nio estruturais (re-
pelentes olfativos, ultrassom, sistemas de ilumi-
na~io e modificacio de habitat). Contudo cabe









































Fig. 4: Acima A esquerda: Caracara plancus corn os restos de uma ave (Vanellus chilensis) atropelada
na rodovia. Acima A direita: 0 mesmo exemplar preparando-se para o consumo sobre um poste de
iluminagAo nas margens da Rota 34 (Santa Fe). Abaixo A esquerda: Cinco de oito individuos atrope-
lados intencionalmente sobre a Rota 34 (Santa FH) quando se alimentavam dos restos de um veado-
catingueiro (Mazama guazoubira). Abaixo A direita: Quatro individuos (de oito) no primeiro plano
da linha de atropelamento. Panasonic Lumix FZ50, zoom Leica Vario Elmarit 35-420 mm.
Fotos � E. Richard

lembrar que: 1) A grande maioria destas medidas indicam que uma mesma media e de incidencia
foram pensadas e desenvolvidas para fauna ter- relative de acordo corn os diferentes grupos ani-
restre (anfibios, repteis e mamiferos). 2) Existem mais considerados, porem ndo hi ate o moment
poucos estudos de monitoramento e avaliaqco da nenhuma media que ajude equitativamente a
eficicia de tais medidas. 3) Os estudos realizados toda fauna envolvida. 4) Nao existem medidas de






mitigagio especifica para aves (exceto talvez por
sinalizag~o educativa preventive). Aparentemente
a capacidade de voar da maioria das aves e mo-
tivo para nao se considerar medidas de mitigagio
especificas. 5) Nenhuma das medidas de mitiga-
cgo propostas consideram a fauna e sobretudo as
aves que encontram nas rodovias uma nova for-
ma de vida e obtencgo de alimento como nos ca-
sos aqui documentados. Nio foram considerado
nem estudado as novas dinamicas populacionais
das especies que nao s6 se adaptaram aos novos
desenvolvimentos antr6picos agriculturea), como
tambem a dinamica destas atividades em conjun-
to com as rodovias. Nos casos aqui levantados as
Strigidae encontraram nas rodovias uma fonte in-
esgotivel de recursos nos roedores que vio atrtis
dos grtos de soja deixados pelos caminh6es que
percorrem estas rodovias, enquanto que Caracara
plancus e Coragyps atratus encontram seu alimen-
to nos animals atropelados nas margens de tais
rodovias. Em ambos os casos a pr6pria rodovia
se converted para as especies envolvidas em cau-
sa de morte. Neste sentido cabe uma pergunta:
Seri apropriado projetar ou propor medidas de
mitigagio estruturais tipo barreiras para especies
que claramente desempenham uma important
funcgo ecol6gica nestas rodovias controle de
roedores, consumo e limpeza de animals mor-
tos, etc.)? 0 certo e que o problema encontrado
e diferente do que o mostrado na bibliografia. 0
problema neste caso sdo as populac6es de aves de


rapina que por um lado adaptaram seus hibitos
as rodovias e por outro lado cumprem um papel
ecol6gico novo e important como consequen-
cia desta adaptagio. Lamentavelmente podemos
afirmar corn certeza que os impacts de veicu-
los sobre as species envolvidas se devem: 1) A
motorists que nio respeitam as velocidades es-
tabelecidas por lei e adequadamente sinalizadas.
Efetivamente as rodovias avaliadas especificam
para a maior parte de seus trajetos velocidade
mixima de 80 a 90 km por hora, mas segundo
o que pudemos verificar a maioria dos motor-
istas especialmente de autom6veis superam em
muito os 140 km por hora, velocidade na qual e
muito dificil manobrar. 2) A motorists que in-
tencionalmente desviam seus veiculos das rodo-
vias corn o 6nico objetivo de atropelar os animals
que se encontram no acostamento das mesmas.
Consequentemente nio uma adequada conscien-
tizag~o dos riscos que isto oferece nao s6 para a
vida animal, mas tambem para a vida humana.
Isto fica claro nas estatisticas oficiais, que mostra
que houve em 2010 uma media de 21 mortos por
dia, e 7659 durante o ano em consequencia de
acidentes de transito. (www.luchemos.org.ar/es/
estadisticas/muertosanuales/muertos2010).

Em funcgo do exposto acreditamos firmemente
que em primeiro lugar e necessirio desenvolver
um program de educacio ambiental sobre este
problema e torni-lo multi-setorial incluindo-o
como parte do exame para obtencgo da carteira






de motorist, e acompanhado de um campanha
de conscientizag~o massive atraves dos meios
de comunica~io. Mesmo assim os conteudos da
problemitica exposta deve necessariamente ser
integrado aos programs de educacio ambiental
formal e informal ji que ate o moment pelo me-
nos na Argentina esta temitica nio esti contemp-
lada nos mesmos. Corn relagio a estas aves mara-
vilhosas (ninguem ama o que nao conhece e nio
se conserve o que nao se ama) necessitamos de
uma political educativa desenvolvida na Argentina
e para a Argentina, que promova o amor e o res-
peito por aquilo que lhe di identidade e pertenga
ao pais. Enquanto isto nio ocorra, enquanto nio
saibamos o que temos e o seu valor, estas aves,
como os demais components da biodiversidade
ser~o arrasadas sem que ninguem se imported.
Acreditamos ser fundamental desenvolver uma
-~ A
consciencia e conduta de ver e admirar o que as
rodovias nos oferecem, o que e fundamental nio
s6 para a conservagio das especies, como tam-
bem, como acontece ao menos corn os biolo-
gos, percorrer uma rodovia corn este criterio nos
mantem despertos e alertas, fatores fundamentals
para evitar acidentes. Finalmente como media
estrutural acess6ria seria apropriado incorporar
places de sinalizag~o nas rodovias avisando sobre
a presenga e precaug6es com relagio as species
envolvidas e outras places explicando brevemente
a importancia de tais species.


Agradecimento


Aos revisores do trabalho que contribuiram para
uma melhor redagio do mesmo. A Marta Curti
por sua assistencia continue.

ReferEncias

Aizen, M., L. Garibaldi y M. Dondo. 2009. Ex-
pansi6n de la soja y diversidad de la agriculture
argentina. Ecologia Austral 19: 45 - 54. Argen-
tina.

Arroyave, M., C. G6mez, M. Gutierrez, D.
Munera, P. Zapata, I. Vergara, L. Andrade y K.
Ramos. 2006. Impactos de las carreteras sobre
la fauna silvestre y sus principles medidas de
manejo. Revista EIA (5): 45-57. Colombia.

Banks, E G., C. Iriwn, G. Evink, M. Gray., S. Ha-
good, J. Kinar, A. Levy, D. Paulson, B. Ruediger,
R. Sauvajot, D. Scott, y P. White. 2002. Wildlife
habitat connectivity across European highways.
American Trade Initiatives, report No. FHwA-
Pl-02-011. Alexandria.

Dooling, R. y A. Popper. 2007. The effect of
highway noise on bird. The California Depart-
ment of Transportation Division of Environ-
mental Analysis. 74 p. USA

Erickson, W, G. Johnson y D. Young Jr. 2005.
A summary and comparison of bird mortality






from anthropogenic causes with an emphasis on
collisions. USDA Forest Service Gen. Tech. Rep.
PSW-GTR-191: 1029 - 1042. USA.

Jackson, S. D. 2001. Overview of transportation
impacts on wildlife movement and populations.
pp. 7 - 20. En: Wildlife and highways: seeking so-
lutions to an ecological and socio-economic di-
lemma. 7th Annual Meeting of The wildlife Soci-
ety. Nashville, Tennessee. 178p.

Jacobson, S. 2005. Mitigation measures for high-
way caused impact to bird. USDA Forest Service
Gen. Tech. Rep. PSW-GTR-191: 1043 - 1050.
USA.







INVESTIGA�OES TAFON(OMICAS SOBRE AS PRESS DE AVES DE

RAPINA NA ARGENTINA
Miguel A. Santillan, Centro para el Estudio y Conservaci6n de las Aves Rapaces en Argentina (CECARA), Facultad
de Ciencias Exactas y Naturales, Universidad Nacional de La Pampa. Avda. Uruguay 151, 6300 Santa Rosa, La Pampa.
ARGENTINA e Claudia I. Montalvo, Facultad de Ciencias Exactas y Naturales, Universidad Nacional de La Pampa.
Avda. Uruguay 151, 6300 Santa Rosa, La Pampa. ARGENTINA, cmontalvo(@exactas.unlpam.edu.ar


C lassicamente a anilise dos restos 6sseos en-
contrados em egrag6pilas pelotass de regurgita-
cgo) de aves de rapina diurnas e noturnas esti
centrada na avalia~io das press presents espe-
cialmente sobre o aspect taxon6mico. Contudo,
estudos tafon6mricos dos ossos recuperados con-
tribuem para estabelecer os diferentes padres de
modifica�6es que cada predador imprime sobre
os restos de suas press.

Ha muitos anos sdo conhecidos estudos ta-
fonmrnicos efetuados sobre acumula�6es produ-
zidas por aves de rapina da America do Norte,
Europa e Africa, enquanto ainda sao escassos os
que envolvem aves de rapina da America do Sul
(Saavedra e Simonetti, 1998; G6mez, 2005, 2007).
Um projeto que esti sendo desenvolvido na Fac-
uldade de Ciencias Exatas e Naturais (Univer-
sidad Nacional de La Pampa, Argentina) e que
avalia tafonomicamente acumulac6es produ-
zidas por diferentes predadores, tem entire seus
objetivos classificar as diversas aves de rapina
sul-americanas. Para isto sao examinados todos
os restos 6sseos recuperados de egrag6pilas de


aves de rapina diurnas e noturnas. A metodolo-
gia utilizada analisa a identificacio anat6mica, o
grau de fratura e o grau de digestio dos elemen-
tos esqueleticos recuperados (Andrews, 1990;
Fernindez Jalvo e Andrews, 1992). Desta forma
busca-se o estabelecimento de caracteristicas di-
agn6sticas que permitam classificar cada preda-
dor, de tal modo que estes resultados possam ser
utilizados como anilogos para entender proces-
sos de forma~io do registry.

Estas anilises se baseiam em material coletado na
regilo leste de La Pampa centroo de Argentina) e
na Patagonia argentina. Os estudos de La Pam-
pa foram realizados nas proximidades de Santa
Rosa (36o 37' S; 64o 19' 0), e a vegetagio da area
pertence ao tipo Espinal (Cabrera, 1994), onde
predomina o "Calden" (Prosopis caldenia). 0 am-
biente foi modificado onde se encontram agro
ecossistemas com fragments que conservam
elements do Espinal dominados pelo Calden e
alguns arbustos. Na Patag6nia a flora e compos-
ta principalmente por uma cobertura de "Cola
Piche" (Nassauvia glomerulosa) e "Coirones" do




























^B-1--m-agm q4,i. tII in UU1iV 'rnoO[N40 dMO l bignalift*bei Wu" Ja imm Uate.z.PreDuUU
Fig. 1. Grau de digestdo em elements esquelkticos observados a partir de fotografia de microscopia
eletr6nica mandibulaa de um roedor Cricetideo, presa de um gaviao-de-dorso-vermelho).


genero Stipa, Festuca, Carex e Poa, sendo o arbusto
mais frequent na irea a "Mata Negra" (Junel-
lia triden) tipico da estepe patag6nica, junto corn
outros arbustos e irvores baixas como a "Mata
Amarilla" (Anartrophyllum rigidum), "Molle" (Schi-
huspolygamus) e o "Calafate" (Berberis heterophylla)
(Oliva et al, 2001). Os locals de estudo foram o
"Monumento Nacional Bosques Petrificados"
(47o 66' S; 67o 99' 0) e o "Ria Deseado" (47o
45' S; 65o 56' 0) na provincia de Santa Cruz.

Para este tipo de andlise tafonomica sao procu-
radas amostras grandes de egrag6pilas e/ou os
restos de press, de tal modo que se possa con-


tar corn elements 6sseos suficientes assim como
para que as avaliac6es sejam pertinentes. Os os-
sos recuperados sao observados corn lupa bin-
ocular Leica MS5 e aqueles de maior interesse ta-
fon6mico sao fotografados corn um microscopio
de varredura (Figura 1).

Atualmente estio sendo avaliadas amostras pro-
duzidas por Tyto alba, Buteopojyosoma, Falco sparveri-
us, Falco peregrinus, Falco femoralis e Glaucidium na-
num, das ireas previamente descritas.

Os resultados obtidos permitiram avaliar as mod-
ificac6es que a Athene cnimclaria provoca sobre






ossos de anfibios e de roedores. Esta anilise se
baseou nos ossos recuperados de 132 egrag6pi-
las e permitiu classificar esta coruja como umrn
predador que provoca modificac6es de leves a
moderadas nos ossos de suas press (Montalvo e
Tejerina, 2009). Tambem foram analisados 1486
ossos de roedores provenientes de 67 egrag6pilas
produzidas por Caracaraplancus e estes resultados
foram comparados corn as modificac6es que este
mesmo predador imprime nos restos nao dige-
ridos de roedores. Esta anilise permnitiu sugerir
que o Carcari produz dois tipos de restos: um
corn ossos corn fortes modificac6es por digestio
e fratura e outro, que inclui os ossos das ireas
corporals desprezadas, que mostraram fortes
modificac6es por fratura, porem nenhuma cor-
ros~o por digestio (Montalvo e Tallade, 2009,
2010). Tambem estio sendo realizados estudos
tafonomicos sobre 1699 ossos de roedores (prin-
cipalmente Sigmodontinos) obtidos de 70 egragopi-
las do Elanus leucurus. Os representantes do
genero Elanuspossuem numerosas caracteristicas
que os tornam semelhantes aos Strigiformes, tais
como penas de voo com birbulas aveludadas, pes
zigodaictilos, olhos grandes e frontais, cerdas nos
cantos do bico, tarsos grossos e curtos e o mes-
mo tamanho e compactagio das egrag6pilas. Foi
sugerido que isto seja o resultado de uma con-
vergencia evolutiva por ocupar nichos ecol6gicos
semelhantes (Negro et al, 2006). Contudo os re-
sultados das avaliac6es tafon6micas confirmam
sugest6es anteriores (Leveau et al, 2002) que in-


dicavam que pelo menos Elanus leucurus provoca
modificac6es fortes a extremes nos ossos de suas
press, claramente distintas daquelas provocadas
pelos Strigiformes.

Assumindo que as aves de rapina podem ter
contribuido para former acumulac6es 6sseas no
passado e que restos de pequenos vertebrados
representam uma parte important do registro
paleontol6gico e zooarqueol6gico, estas avalia-
96es que colocam estas aves de rapina em dife-
rentes categories de modificac6es nos ossos de
suas press, podem ser usadas como anilogos
atuais que ajudam a compreender os processes
e agents que podem ter interferindo na forma-
cgo destes registros. Em particular estes estudos
ajudam a interpreter os possiveis mecanismos de
acumulag~o de restos de vertebrados de pequeno
e medio porte, comuns no registro paleontol6gi-
co em dep6sitos f6sseis do Periodo Neogeno da
Argentina.

ReferEncias

Andrews, P. 1990. Owls, caves and fossils. Pre-
dation, preservation, and accumulation of small
mammal bones in caves, with the analysis of the
Pleistocene cave faunas from Westbury-sub-Men-
dip, Somerset, UK, Natural History Museum Pub-
lications, London, pp. 231.
Cabrera, A. 1994. Regiones Fitogeograficas Argen-
tinas. Enciclopedia Argentina de Agricultura y Jar-
dineria, Primera Reimpresi6n, Tomo II, Fasciculo






I, Editorial Acme, Buenos Aires, Argentina.

Fernindez Jalvo, Y. e Andrews, P. 1992. Small
mammal taphonomy of Gran Dolina, Atapuerca
(Burgos), Spain, Journal of Archaeological Science
19 (1992) 407-428.

G6mez, G. 2005. Analysis of bone modifications
of Bubo virginianus' pellets from Argentina, Journal
of Taphonomy 3 (1): 1-16.

G6mez, G., 2007. Predators categorization based
on taphonomic analysis of micromammals bones:
a comparison to proposed models. Taphonomy
and Zooarchaeology in Argentina edited by M.A.
Gutierrez, L. Miotti, G. Barrientos, G. Mengoni
Gofialons and M. Salemme. ISBN 9781407300184
BAR S1601 (British Archaeological Report).

Leveau, L. M., C. M. Leveau e Pardifias U. E J.
2002. Dieta del Milano Blanco (Elanus leucurus) en
Argentina. Ornitologia Neotropical 13: 307-311.

Montalvo, C.I. e Tallade, P. 2009. Taphonomy of
the accumulations produced by Caracara plancus
(Falconidae). Analysis of prey remains and pellets.
Journal of Taphonomy 7(2-3):235-248.

Montalvo, C. I. e Tallade, P.O. 2010. Anilisis
tafon6mico de restos no ingeridos de roedores
presa de Caracaraplancus (Aves, Falconidae).
Zooarqueologia a principios del siglo XXI:
aportes te6ricos, metodol6gicos y casos de estu-
dio, editado por M. De Nigris, P. M. Fernindez,


M. Giardina, A. E Gil, M. A. Gutierrez, A. Izeta,
G. Neme y H. D. Yacobaccio editorses: 419-428.

Montalvo, C. I. e Tejerina, P. 2009. Anilisis ta-
fon6mico de los huesos de anfibios y roedores
depredados por Athene cunicularia (Strigiformes,
Strigidae) en La Pampa, Argentina. En "Mamuil
Mapu: pasado y present desde la arqueologia
pampeana" M. Ber6n, L. Luna, M. Bonomo, C.
Montalvo, C. Aranda y M. Carrera Aizpitarte (edi-
tores), Tomo 1: 323-334.

Oliva, G., Gonzales L., Rial P. e Livraghi E..
2001. Areas ecol6gicas de Santa Cruz y Tierra del
Fuego. Pp 41-82. En: P. BORRELLI AND G.
OLIVA [EDS.]. Ganaderia ovina sustentable en la
Patagonia Austral. Tecnologia de manejo exten-
sivo. Convenio INTA-UNPA-CAP. Rio Gallegos,
Santa Cruz, Argentina.

Negro, J.J., Pertoldi C., Randi E., Ferrero J. J,
L6pez-Caballero J. M., Rivera D., e Korpimaki E.
2006. Convergent evolution of Elanus kites and
the owls. Journal of Raptor Research 40(3):222-
225.

Saavedra, B. e Simonetti,J., 1998. Small mam-
mal taphonomy: intraspecific bone assemblage
comparison between South and North Ameri-
can barn owl, Tyto alba, populations. Journal of
Archaeological Science 25: 165-170.


* * *






NOTAS DA LITERATURE A DAS AVES DE R PINA

NEOTROPICAIS

Lloyd Kiff, The Peregrine Fund, lkiff@peregrinefund.org


P ublicagoes recentes de interesse:

"Aves de Rapina do Uruguai, Argentina,
Brasil e Paraguai," por Fernando Perez Pie-
deraBuena - Uma boa adigdo a literature sobre
aves de rapina do MERCOSUL. Este volume de
64 piginas contem notas curtas sobre o status,
distribuigdo, habitat, biologia reprodutiva, ali-
mentagio e conservagio de cerca de 80 especies
de aves de rapina diurnas e corujas. A principal
caracteristica do livro e a abundancia de foto-
grafias coloridas (algumas de aves em cativeiro)
da maioria das especies abordadas, o que o tor-
na uma ferramenta 6til para a identifica~io no
campo das aves de rapina da regido. 0 prego do
livro e US$ 32,00 para os paises da America la-
tina, exceto Uruguai, e US$ 34,00 para os leitores
dos Estados Unidos e Europa. 0 livro pode ser
adquirido atraves do site www.guyunusa.com e o
pagamento pode ser efetuado atraves do Pay Pal.
(Texto em espanhol).


Desde a sua descrigio em 1922, Leptodon forbe-
si dos bosques 6midos do nordeste do Brasil e
considerada como uma das species de aves de
rapina mais enigmiticas e mais raras do mundo.
Tanto seu status como uma especie diferente


do bastante comum Leptodon cayanensis como sua
pr6pria sobrevivencia tern sido regularmente
questionados nas iltimas decadas. As pesquisas
foram realizadas nos estados de Alagoas e Per-
nambuco, em outubro de 2007 e fevereiro de
2008 por uma equipe international de especialis-
tas no mundo das aves de rapina, para confirmar
a presenga de Leptodonforbesi e ter-se uma idea do
tamanho de sua populagao.

Dois artigos interessantes e importantes relata-
ram recentemente os resultados deste trabalho:

D6nes, F.V., L.F. Silveira, S. Seipke, R. Thor-
strom, W.S. Clark, and J.-M. Thiollay. 2011.
The White-collared Kite (Leptodon forbesi
Swann, 1922) and a review of the taxonomy of
the Grey-headed Kite (Leptodon cayanensis).
Wilson Journal of Ornithology 123(2):323-
331. (Texto em singles)

Este document se baseia em grande parte na
dissertagio de mestrado de Francisco Denes,
concluida na Universidade de Sdo Paulo sob a
orientag~o do Dr. Luis Silveira. Francisco e seus
coautores realizaram uma analise morfologica
detalhada dos poucos exemplares conhecidos
desta especie e proporcionam um argument
muito convincente para a validagio de Leptodon






forbesi como uma especie separada. 0 document
tambem inclui a andlise mais exaustiva ate o fe-
chamento da taxonomia da especie estreitamente
relacionada Leptodon cayanensis, e os autores con-
cluiram que o melhor e considera-la como uma
especie monotipica.

Seipke, S. H., F. V. D6nes, F. Pellinger, R.
Thorstrom, J.-M. Thiollay, L. F. Silveira,
and W. S. Clark. 2011. Field identification
of White-collared Kite Leptodon forbesi and
similar-looking species in north-east Brazil.
Neotropical Birding 8:29-39. (Text in Eng-
lish).

Este document bastante detalhado e bem il-
ustrado relata os principals resultados dos es-
tudos de campo e inclui uma excelente prancha
colorida mostrando Leptodon forbesi sob diversos
pontos de vista e v~rias especies simp~tricas se-
melhantes. Esta prancha seri uma valiosa ajuda
para os observadores de aves e pesquisadores que
visitarem o nordeste do Brasil em busca de Lep-
todonforbesi. Igualmente ao artigo de Denes et al.,
este tambem deixa poucas dilvidas de que Lepto-
don forbesi e uma especie distinta. Os autores fiz-
eram aproximadamente 750 fotografias de pelo
menos 20 exemplares, o que constitui um motivo
de esperanga de que esta especie possa ser salva
da exting~o.

Outro trabalho recent com consequencias tax-
onomicas e o seguinte:


Millsap, B.A., S.H. Seipke, and W.S. Clark.
2011. The Gray Hawk (Buteo nitidus) is two
species. Condor 113:326-339. (Text in Eng-
lish with Spanish resume)

Como no caso das species de Leptodon, a tax-
onomia dos gavi6es cinza foi discutida durante
decadas em nivel generico, especifico e sube-
specifico. Neste trabalho estes tres autores com-
param a plumagem, a e os chamados de alarme
de gavi6es cinza na faixa de distribuicao do norte
e do sul dentro da irea geral de ocorrencia da
especie na Costa Rica. Baseando-se nestas car-
acteristicas chegaram a conclusio de que devem
ser reconhecidas duas species, incluindo o Buteo
nitidus ao sul da Costa Rica e o Buteop/lagiatus ao
norte da Costa Rica. Esta interpreta~io coincide
corn o estudo do DNA mitocondrial de Riesing
et al (2003) pelo qual assume que os comites para
a "check-list" de species do Norte e do Sul da
America adotaram as recomendagoes dos au-
tores. Estas aves de rapina aparecerio como duas
species separadas na pr6xima publica~io dos
guias de campo de Bill Clark e Sergio Seipke.

Versio PDF destes e centenas de outros artigos
estio disponiveis na "Global Raptor Informa-
tion Network (GRIN)" www.globalraptors.org,
nas piginas da web dos autores e na bibliografia
GRIN.


*k *k *





DE INTERESSE...

BELIZE RAPTOR RESEARCH INSTITUTE (BRRI)


Curso de Identificago

das Aves de Rapina

Neotropicais

Quando: 11 -14 Agosto 2011
Instrutor: William S. Clark
Localizado: Hidden Valley Inn, Belize
VocE cstai cordialmente convidado a registrar-sc para primeiro curso dc identi-
ficagio das Aves de Rapina Neotropicais de BRRI na Belize.
Para mais informag6es, entire em contato Ryan Phillips, harpiabz@yahoo.com



PROXIMOS CONGRESSOS

IX NEOTROPICAL ORNITHOLOGICAL CONGRESS 8-14 Novembro 2011 Cusco, Peru.
http: / /www.neotropicalornithology.org/
MEETING OF THE AMERICAN ORNITHOLOGISTS UNION 24-29 Julho 2011 Jack-
sonville, Florida, Estados Unidos. http: //www.birdmeetings.org/aou2011 /
V NORTH AMERICAN ORNITHOLOGICAL CONGRESS 14-18 Agosto 2012 Vancouver,
British Columbia, Canadi. http: //www.naoc-v2012.com/
Esta sendo considerada uma proposta de realizar a conferencia de aves de rapina em Bariloche,
Argentina para outubro de 2013. Os grupos que potencialmente participaram incluem RRF, NRN
& WNWGBP. Ofereceremos maiores detalhes e confirmagco ainda este ano.























j.






















MA






Para participar da RNN envie um e-mail a Marta Curti, mcurti( d
peregrinefund.org com uma breve apresentagao e comunicando N|
seu interesse na pesquisa e conservagao das aves de rapina. . NRa