Title: Correspondence to Hildete [Pereira?]
CITATION THUMBNAILS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/UF00086928/00001
 Material Information
Title: Correspondence to Hildete Pereira?
Physical Description: Archival
 Record Information
Bibliographic ID: UF00086928
Volume ID: VID00001
Source Institution: University of Florida
Rights Management: All rights reserved by the source institution and holding location.

Full Text
-- PE P AREA


Gainesville, 1 de Marco de 1985


Querida Hildete,

Desculpe que 1he escreva so agora a respeito do texto sobre
empregadas domesticas. Na semana passada Elza Chaney e eu trabalhamos duro
na edipao (primeira reuniao grande) do livro. Voce devera estar recebendo em
breve um informed da Elza sobre o estado do livro, ja com Indice definitive e tudo.
Esta'uma maravilha e sera editado em ingles e em esparihol.
Em anexo estou acrescentando uma lista de sugestoes para sua revisab
dos textos, nao se assuste, pois a maiaria sao de forma e de estilo e de esclare-
cimentos para o public leitor estrangeiro de algumas das nossas idiossincrasias.
Ha apenas umas tres recomendacoes que Ihe dariam mais trabalho,
mas como sao opcionais, fica a seu criteria. Eu as ponho porque tambem como amiga,
creio que seria melhor para voce profissionalmente: 1- a fundamentapco mais empirico
e tec'ica da tese de retra'ao do service doisttico; 2- citacao de literature basic
sobre oa service doqstico no Brasil e 3) se possivel citar textos de moemnento
feminist. Voce fez entrevistas cor feministas, que falam mais como patroas-feminista
que em nome de motcnentos organizados. Temos que reconhecer que nao ha nada(me
parece) de trabalho das feministas cor associacoes e sobre o gremio, acho que isto
deveria constar.

Uma sugestao basic, e a divisao do texto, ponto que discutimos
muito Chaney e eu. E que como 1he falei ha uma parte do livro que sao relates de
associacoes, entao o texto das trabalhadaras domesticas ficaria melhor la. Eu sei
que voce investiu muito na armacao deste texto, mas considerando que o conteudo
em terms de ideias e delas, nao deixa de ser uma colabaracao-feminista,dar-lhes
prioridade na autoria deste segundo teto, sobre a Associag'ao, fazendo constar em
nota que voce armou o texto e que complmentou as entrevistas corn pequisas. E par
exemplo o que fez Moema Wizzer no caso de Domitilia, e o que fez Danda no caso de
dona Cida (?).
Nao rebata o texto, o que for modificado e acrfecentado, use tesour
e cola, pois de qualquer forma o texto vai ser traduzido para o espanhol e em
ingles. IAlia ja se esta comegando fazer isto,pois este livro ter que estar
pronto ate6 junho.

4Querida Hildete, olha o prazo, ate meiado de maio, senao assumimos
ccq-es e revisoes "autoritariamemente" (brincadeira).

RBcebeu o numero de URPE que lhe mandei? Vou a Nairobi, como
consultora do Conselho Mundial de Igrejas para a area de migracoes de mulheres.E
inclusive sugeri os nomes das mulheres das associacoes do service doemstico de
Brasil, Colombia, Peru e Chile. Vamos ver.
Aparte Ihe digo que nao concordo cor a posicao das feministas que
voce entrevistou em relacao ao service dobestico, mas respeito:uma coisa e nossa
necessidade como membro de uma clase e outra e justificar a existencia de um trabalh(
servil e porclamar "relacoes mais humanss. Mas isto e apart e' comentario lateral
que rdo deve influenciar na sua armacao do texto deste capitulo.
Seu texto e o unico do livro que aparece algo sobre o moLQoento
feminista.Estou inclusive Ihe mandnado um folheto que descobir odo Brasil. Vamos
reproducir (cor credits, o'bvio), os desenhos). Se voce pudesse descobirr o que
deu esta procupacao deste grupo"agora que sao elas" seria legal acrescetar.Mas
isto tambem e optional, sem querer The dar mais trabalho. ny
Abraoes











texto "Empregadas Domesticas, quantas sao, suaslutas e as relacoes com o movimento
femintsta) Hildete Pereira de Melo
(VER TEXTO EM ANEXO, COM SUGESTOES)

SUGESTOES E COMENTARIOS EDITORIALS

GERAIS

1. Dividir o texto em dois a saber:

1.1. (sugestao de titulo ou outro que voce elija) -Feministas e Empregadas
Domesticas; 0 caso do Rio de Janeiro
da pagina 1 a 8 (excluir item 6)
da pagina 16 a 26
autoria- Hildete Per-eira de Melo

1.2. Organizacao das Empregadas Doemticas no Rio de Janeiro: Depoimentos

do item 6, da pagina 8- A luta para organizer as empregadas doemsticas
ate 15
autoria -Zica....... (especificar sobrenome)
e Odete.........(id.)
colaboracao de Hildete Pereira de Melo (*)
(*) organizacao e investigacao complBmentar a colocar em nota, ao final

2. Ver iem anexo, modelo das tabelas formaa de apresentacao)

3. Colocar as notas ao final de cada texto

4. OPCIONAL- Se possivel consultar o seguinte material, considerando que faz par-te
de uma literatur-a ja legitimaza national e, em alguns casos, internacionalmente,
de tratamento de emprego domestic na Brasil. E citar(y texto, em particular
algumasconcluseos que aejam adeuqadas ao seu texto.

5. OPCIONAL. Rever a conclusao.
Sobre a tese de process de tEtratacao do serfvico doemtico. Necezsita demais
qualificacao, considerando: i-que osdados censitarios nao sao fidedignos na
apreensao dos tipos distintos de service doemstico existente, em particular de
dois tipos que parecem que etao crescendo em areas de mais alto grau de ur-banizacao
e industrializacao em America Latina: a empregada por dia, e aquela por oficio
(lavadeira, passadeira, baba par haras);
ii. Se o Estado nao participa com equipamentos
coletivos,v.g., creches, restaurants publicos e se o porcessode pauperizacao
continue' ou ter uma dinamica economic ciclica (conjuntural), e se oseletro domestic
tern mer-cado limitado, apostar na retracao progressive do service doemstico e con-
siderar que vamos a ter, na A.L., o mesmo pcrcesso de desenvolvimento dos paises
desenvolvidos (tese Rostow), discutivel. 0 aumento deo setor informal em g-eral na
America Latina prova ao contrario. Ha muito s autares na America Latina que apostam
mais no compcrtamento ciclic-o, ret-racao e aumento, do service doemstico.
Mais arguments para sua tese de retracao do service doemstico se fazem necessarios

(*)Almeida e Silva, Maria D'Ajuda; Cardoso, Lilibeth e Garcia Castro, Mary- As
Empregadas doemsticas na Regiao Met-ropolitana do Rio de Janeiro, Boletim Demografico,
CBED, FIBGE, 1979 Ver corn Rosinha (IBGE) ou Dajuda ou Celso Simoes (IBGE-CBED-DESPO0







SAFFIOTI, H Emprego Doemstico e Capitalismo, Ed. Vozes, Petropolis,1978
ESTE E BASICA REFERENCIA

-Kopes deAlmeida, Maria Suely- Entre nosmulheres, elas patroas e elas as empregadas-
in Kofes de Almeida (org.) Colcha de Retalhos-Estudos sore a Familia no Brasil,
Sao Paulo, Brasiliense,1982
Important referencia, considerando que trata em alguma media de tema COanxo ao seu

-MOTTA Britto, Alda Emprego Doemstico no Capitalismo, o Caso de Salvador
Depto Sociologia FFCH, Universidad e Federal da Bahia, artigo apresentado em V.
Encontro Anual da Associacao Nacional de Pos Graduacao e pesquisa em Ciencias
Sociais, Friburgo, 1981
Alda e do CRH, da UFBahia.

-artigo que aparec-e mm uma colecao organiz-cda par Licia Valadares (?)
NOTA- Esta e uma sugestao optional, a defender de seu tempo


ESPECIFICAS (refira-se ao texto em anexo)

pagina

1 alterar introducao
sugestao
linha3, depois de "censitarios substituir"connhecer" por DOCUMENTAR
a realidade brasileira da empregada doemstica, COM ENFASE em um perfil censitario
das empregadas doemsticas no Rio de Janeiro e em Sao Paulo

-retirar "e paralelamente..... Substituir par

Este artigo se encerra com entrevistas dealgumas feministas, ilustrando-se
as relacoes existentes entire uma categroia de classes social, o service doemstico
remunerado e uma categroai de genero/sexo- a mulher

Sugere-se acrescentar algo sobre os distintos tipos de Jsiand service domestic
no Brasil- a empregada por dia e a resident, e advertir de que os dados do censo
subestimam a enumeracao das empregadas doemsticas par dia (Isto parece que
esta bem explicado no trabalho de D'Ajuda) e tambem no meu artigo, que voce tem- pois
a far-ma como se coleta dados no Brasil e na Colombia sao similares.

pagina 2- 2a linha- substituir "sua entrada" par "sua participacao"

-2 paragrafo, ultima linha- falta numero da pagina do meu artigo, e a refe-
rencia e Garcia Castro,1982; )

-4 linha, 3 paragrafo antes de "creches' -v.g.,

A critical que ha aqui sobre os dados do censo poderiam ir para introducao-"E extra-
maente complexo..... questao.... produtividade?

Em nota ao final- o que significa FIBGE

pagina 3 a discussao sobre salario em especie e desenvolvida par Saffioti, se pos-
sivel consulate
-cartar nota (1)

-linha 10 primeiro paragrafo depois de "quanto a comida", acrescentar-
dirigentes da Associacao deemrpegadas doemtica(ou o nome careto).....


-nota (2) passa a (3)









-ultimo paragrafo antes da tabela 2
-Nao claro. Posso aceitar a argumentacao em principio, mas na ha
demonstracao para o caso brasileiro.Dev-eria consultar Saffioti, ela ter uma tese,
que eu nao concordo, sore a melhor remuneracao da enpre-ada doemstica. Se possivel,
desenvolver mais este onto do salario em especie
-ddpois de "em especie" (4)

-Nao entendi a nota 1 e o FIBGE consider de outras categories
ocupacionais?
-sobre nota 2 que passa a 3 a Alda Motta apresent-ou na ANPOC
um interessante trabalho sobre service doemstico masculine na Bahia, se possivel conult
ou fazer referencia (Ela pod- ser contactdada no CHH, Bahia)

patina 4
-segundo paragrafo, final. retirar "este trabalho nosiguala, mas
nem tanto"
-terceiro paraorafo-linha 9- retiaar (1), substituir par
(Valle)
-retinar "Assim mesmo nao havendo uma pesquisa que compor-ve a afirmacao"
Ha pesquisas sobre o topico. Ver Gonzales, Leila en "Lugar de Negro

ultimas duas linhas. Suwiro modificar paraa "Podemos sugerir que no
Brasil house utma passage de senzala(*) para o trabalho doemstico remunerado" retired
o "natural" parxg o aspect de determinismo histarico que pode sugerir o term
En nota explicar o que e senzala

pagina 5 final do primeiro paragrafo (5)

ultino paragrafo- nota (1) passa a (2)- para o final
ultimas linhas
"o numero de diaristas; dirigentes da Associacao afir-
mam que so a partir de 1982 surgiu na Associaao a questao da diarista

pagina 6- segunda linha, depois de Baixada Fluminente (Rio de Janeiro)

-segundo paragrafo "A diarista e ura forma mais clara" em lugar de"verda-
deitra
-suTgiro mudar o titulo do capitulo 5, para Quantas sao as empregadas
doemsticas no Rio de Janeiro e em Sao Paulo?

pagina 7 -ultimo paragrafo, seaunda linha- em vez de "consideramos"
distinguimos
depois deresidenciais de pessoas ricas....das depredominio
de pessoas de classes media d dos pobres....

-penultima linha debois de bairros "dos..vicos"
pagina 8
-primeiro paragrafo,linha 7 depois de "bairros" acrescentar
(em que predominam noradores de classes alta e media)

SEfUNDO TEXTO
-Antes do comenar a "A Luta para organizer as empregadas doemsticas" texto-
Introducao(*~
Botar em nota ao final que esta introducao e sua
dar o sobrenome de Zica... e Odete
-pagina 9








terceira linha substituit (1) por (in Projeto Mulher?IDAC,1983)
segundo para-rafo -subsituir (1) par (NOVA,1982; ) par number,
da pagina

paragrafo final depois de casa deles" acrescentar (NOVA,1982;14)

NOTA- HILDETER, falta identificar quem fala o que, quando a declaracao esta
entire aspas. Ha varias citacoes nao idetnificadas neste texto, nao se sabe so
sno declaracoes de Zica e Odete, e neste caso nao devem vir entire parenteses ou aspas,
mas sim quando form tiradas do livro que voce consultou.

pagina 12 prineiro paragrafo colocar por extenso os nomes dos estados centre paren.
teses

pagian 14 falta identificar quem disse o que esta entire aspas

pagina 15 especificar o que significa COICLAT en nota, ou escrever no proprio
texto, como voce faz para CUT
pagina 16 segundo paragrafo, segunda linha, depois de "domesticas",
acrescentar- do Rio de Janeiro Associacao.....-
ospecificar quem sao as autaras das frames entire aspas

pagina 17 id.
-jofar a nota para o final
pagina 20 primeiro paragrafo, linha8, depois de "fim" aproveitar para botar uma
nota ( ) e nesta, ao final esclarecor quo estas sao aspects que nao cogstam da
legislacao brasileira sobr e service doemstico.

paina 24 ultima linha- jornal feminist "Brasil Mulher"

-pagina 26- reorganizar citacoes, ver modelo em anexo e comentarios na pagina
falta completar as referencias dos codocumentosutilizados, ver na folha
minhas anotacoes

para notas, sugiro as seguintes notas
(1) Seruhdo Almeida e Silva ot al, er estudo feito con pequisa de amostra domiciliar
(pT7 *)() em 1975:
copiar pagina 9 A (ver xerox em anexo) e pagina 10 A (id).

(2) Argumenta Saffioti "mesmo que haja um contrato de trabalho verbal e escrito,
a empregada doomstica executa tarefas cujo "produto" bens e services, sao consumidos
diret-anente pelas familiasemprecadoras, nao circulando no mercado para efeito do
troca e corn objetivo de lubro. Nao se mobilize capital para este tipo de emprego,
mobliza-se renda pessoal ou dinhe-ro gasto como renda" (Saffioti:1978, cit in Almeida
e Silva et al, 1979:36

(4) Segundo Almeida e ELva at al: COPIAR PAGINA 46-A e 4-7 ver xerox em anexo

(5) m 1972 foi aprovada a Lei numero 5859 que recorneceu a profissao de empregada
doemstico e os direitos das categories. "Estas lei nao prescreveu a duracao da
j r-nada de trabalh e so Bm omite quanto ao valor do salario minimo quedeve ser pago
a categoria. Tambem nao assegura o direito ao repouso senanal o ao recebimento do
13 salario" (Almeida e Silva et al, 1979:38)




University of Florida Home Page
© 2004 - 2010 University of Florida George A. Smathers Libraries.
All rights reserved.

Acceptable Use, Copyright, and Disclaimer Statement
Last updated October 10, 2010 - - mvs