Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20022


This item is only available as the following downloads:


Full Text
c
* I
i\
t
i
./: { ANNO XLIX. NWKRO 300
.-V I ---------------------------------------------j---------------------------
PARA At VPIT.' E LAG ARES U\I>E Hi SEPACiA PORTE.
.For ires mazes'a.' jnta/04 .............. 6IO00
For seis d>'tos idem. tt............. 12$000
For um a.mo idem. ..............349000
Cada humer" aviso ............... 9320
#BASTA FEIRA 31 DF
PARADE.VTROE
Por tres mezes adianUdos. ^J*
Por seis ditos idem......
Por nove ditos idem ......
Por urn anno idem.
IA.

750
139So '
209250
279000
i,
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA A FILHOS.
J
Srs. Gerardo Antonio Aives & Filhos, no Pari; Gonfalves d Pinto, no Maranhao; Joaqnim Jose* de Oliveira & Filho, no Ceari; Antonio de Lean* Braga, no Aracatj ; Jolo ria Jolio Cha?es, no Assn.; Antonio Marques da Silva, no Hatal; Jo**- Just
Pereirt d'Almeida, em Mamanguape ; Angosto Gomes da Silva, na Parahyba; Antonio Jose" Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcio, em Santo Antio ; Domingo* Josd da Costa Braga, emHaxarethj
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdas; Aires 4 C., m Bahia; e Leite, Cerquinho & C. no Riojde Janeiro.
Ml
PARTEOITICIAL
Minister io do iiuperio.
Por despacho de 17 do currents ;' oram nomea-
dos :
Ordem da Rosa. Cavalleiros : Carlos Verca-
mer, publicista, subdito de Sua Magestade o rei
dot Beigas.
Albert Barrc, gravadjr "da casa da moeda de
I'aris e tnembro da commissao de tnoedas e meda-
lliasdu Francs.
Conceleu-se Ao bacharel Bernardo Pereira
i 3 Carnio Junior, a exoueracio que pedio do car-
go de secretario da presidencia da provincia das
"Alagoas.
Ao capitao honorurio do exereito JoSo Fernan-
da de Sampaio Junior a ponsao ineusal de \ii,
igual ao soldo daquella patente, visio achar-se im-
possibilitado de procurar meios de subsistencia,
em consequencia de ferimento recebido eui corn-
bate, ficando, porem, esta inerce dependento da
approvacao da assembled geral.
Foi aceita e conflnnada a renuncia que fez da
igreja parochial da cidade de Sauta Luzia, diocese
de Mariannn, o padre Jose Joaquini Teixeira.
Foi naluralisado o cidadao franco* Pedro La-
barlhe.
Por titulos de i I do corrente mez :
Forara nomeados delegados especiaes do ins-
pector geral da instruccao primaria e sec.'.ndaria
do municipio da corte nos exames geraes de pre-
paratorios para os cursos superiores do imperio
que se fizerem uas capitaes das provincial : do
Piautay o conego Thomaz de Moraes Rego.Jdo Cea-
ra o bacharel Paulino Nogueira Barges da Fonce-
ea, da Parahyba o bacharel Eha< Fredenco de Al-
meida e Albuquerque, e das Alagoas o conego
Francisco Peixoto Duarte.
Por despachos de 19 do corrente :
Foram agraciados por S. M. o Imperador os
Srs.: Dr. Bernardo Clemente Pinto com o titulo
de barao de Nova-Friburgo desembargador
Oiogo Teixeira de Macedo com o de barao de S.
Diogo, e Julio Borell com u olllci ilato da Rosa.
Foram expedidos os seguintea avisos :
a Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 1873.
Illm. e Exm. Sr. Haveado o cidadao Virgilio
Francisco da Silva consultado a essa presidencia
se, pelo facto de se ter elle mudado para a villa
de Itapeminm, onde exer :e os oracios de tabelliao
e esenvao do civel e crime, podia, na qualidade
da sleilor da parochia de Beaevente, onde fora do-
miciliario, votar no respectivo collegi eleitoral
ni proxima eleicao de deputados protinciaes;
respondera-lhe V. Exc. afflrmativamente, basean-
do-se no art. 65 da lei de 19 de agosto de 1846,
e'nos avisos ns. 419 de 23 de novembro de 1857,
11 de 13 de Janeiro de 1864, e 368 de 21 de no-
vembro de 18B9, visto que aquelle direito sorwrate
caducaria se o dito cidadao se tivesse mudado para
; ra da provincia. E como esteja esta decisio de
barmonia com as disposicSes em vigor citadas por
V. Exc, declaro-lhe que o governo imperial a
iDprova. Deus guarda a V. Exclino Alfredo
Correa de Oliveira. Sr. prendente do Espirito
Santo.
Rio de Janeiro, li de dezembro de 1873.
Ilim. e Exm. Sr. Era resposta ao offlcio dessa
presidencia de 3 de oajubro ultimo, acompanhado
da represenugao de Pran:isco Ferreira da Rocha
Loures contra o acto da camara municipal da
villa de S. Jose dos Pinhaes, que exclue do lugar
da 4." juiz de paz da freguezia da mesraa villa,
com o fundameoto de ser o seu verdadeiro nome,
n3o aquelle, mas o de Francisco Pereira da Ro-
cha Loures, declare a V. Exc. que, segundo in-
fortna. nao oxistindo em todo o municipio pessoa
,*iguma conhecida gor qualquer dostes dous Do-
mes, al6m do cidadao de quem se trala, e outro-
^im, encentrando-se o primeiro doe raesmos no-
uies no alisumento da qualiBcagao da referida
ireguezia, e insubsistenle aquelle acto da camara
municipal de S. Jose dos Pinhaa3, e portanto,
rumpre que V. Exc. expeca asconvenientes or-
lens, afim de que ao dito cidadao se defira jura-
mente e de posse do mencionado cargo. Deus
"uarde a V. Exc Jtdo Alfredo Correa de OH-
fsira.Sr. presidente do> Parana.
a Rio de Janeiro, II de dezembro de 1873.--
Illm. e Exm. Sr. Bra ros?09U ao offlcio de \ .
13 do mex findo, commuoico-'he que o
de Paula Rabello e Silva,
dos feitos da fazenda da
na provincia do mesmo
Contas, de I.; para a da Feira de Santa Anna, de
2.' entrancia. ambas na provincia da Bahia.
Foram removidos a pedido :
0 juiz municipal e de orphaos Angusto de Mello
Rocha, do termo do Rosario na provincia do Ma-
ranhao, para o lugar de 3.* juiz substituto da co-
marca da capital da mesma provincia.
0 3.* juiz substitnto da comarca da capital da
provincia do Maranhao, Antonio de Souza Bav ma,
para o lugar de juiz municipal e de orphaos do
termo do Rosario, na mesma provincia.
Foram nomeados juizes substitutes :
0 bacharel Jose Francisco de Araujo Lima Ju-
nior, da vara commercial e dos feitos da fazenda
da comarca de Betem, na provincia do Para.
0 bacharel Joao Maria de Moraes Junior, da
vara de orphaos e da provedoria de capellas e re-
sidues da mesma comarca.
0 bacharel Antonio Pinto Nogueira Accioly, da
vara commercial e dos feitos da fazenda da co-
marca de Fortaleza, na provin Ma do Ceara.
0 bacharel Dionysio de Oliveira Silveira, da
vara commercial e dos feitos da fazenda, da co-
marca de Porto-Alegre, na provincia de S. Pedro
do Rio Gaandc doSul.
0 bacharel Francisco
da vara commercial e
comarca do S. Paulo,
nome.
0 bacharel Elias Antonio Pacheco Ghaves, da
vara de orphaos e .da provedoria dos residuos, da
mesma comarca.
0 bacharel Antonio Joaqnim de SouzaParaizo,
da vara commercial e dos feitos da fatejtda, da
comarca de Otiro Preto, na provincia de Mioas-
Gcraes.
0 bacharel Antof ,j Jos6 Pereira, da comarca del
Goyaz, na provinc*a do mesmo nome.
Foram nomeados jaizes municipaes t de or-
phaos :
0 bacharel' Francisco Gomes Pinto de Campos,
do termo de Pao d'Alho, na provincia de Pernani-
buco.
0 bacharel Aristides-Augusto Coelho de Souza,
do termo de Alcantara, na provincia do Maranhao.
Foi nomeado para o lugar de secretario da re-
laQao de Guyaba, o bacharel Antonio Pedro Mon-
teiro de Souza.
Foi reformado a pedido :
JoJo Paulino Marques, caphao aggregado ao 3."
batalhao de reserva da provincia de Pernarabuco,
no posto de major.
Fez se merce da servenlia vitalicia dos offtcios
para que foi provisoriamente nomeado pelo res-
pective presidente:
A Amado Benigoo Pereira de Souza, dos offlcios
de 2.* tabelliao e escrivao de orphaos do termo de
S. JoSo do Principe, na provincia do Ceara.
Foi perdoado ao reo Joaquim Vielra da Silva, a
peoa de 14 mezes de prisao simples, impesta em
virtu.de da decisao do jury de Baturite, na pro-
vincia do Ceara, por crime de ferimentos graves
subsi3tindo, porem, a de 14 annos de prisao sim-
ples que tarabem lhe foi imposta por crime de
bomicidio.
Por decretos de 20 do corrente :
Foi dtjignad a comarca de Tres Pontas, de
primelra entrancia, na provincia de Minas Geraes,
para nella ter exercicio o juiz de direito Manoel
Ignacio Carvalho de Mendon^a, ficando sem effeilo
o decreto que designou lhe a de Pitangoy, na
mesma provincia.
Foram nomeados juizes de direito:
0 bacharel Franciseo tel, da comarca de Pittnguy, na provincia de
Minas Geraes.
0 bacharel Joao Baptista Pimentel Lustosa, da
comarca da Bagagem, na mesma provincia.
0 bacharel Jose Manoel Pereira Cabral, da co-
marca de Paranahyba, na mesma provincia.
0 bacharel Francisco Jose Alves de Albuquer-
que, da comarca de Paracatu, na mesma pro-
vincia.
O bacharel Vital Ferreira de Moraes Sarmento.
da comarca da Boa-Vista do Tocantins, na pro-
vincia de Goyaz.
0 bacharel Luiz Jacinlho Wergne de Abreu, da
comarca do Rio de Contas, na provincia da
Bahia.
0 bacharel Francisco Rodrigues Soares, da co-
marca de Monte Santo, na mesma provincia.
0 bacharel Erneito Pinto Lobao Gedro, da co-
marca de Atalaia, na provincia das Alagoas.
0 bacharel D. Carlos de Souza da Silveira, da
Exc. de -
*overno imperial approvou a decisao daaa por v. comarca jj imperatriz, na mesma provincia.
Fxc sobre u consulta do presidente da camara
municipal da villa da Barra de S. Matheus, decla-
i undo a este que a swpensao do delegado da pa-
licia daquella termo em virtode de pronuncia em
processo por crime de responsabilidade priva-o de
exercer o emprego de secreurio da diU camara,
visto ser e&sa decisao conferme a disposicao do
art. 29 da lei n. 2,033 de 20 de setombro As 1371
a a doutrina do aviso a. Ho' de 19 de abril de
1872 Deus guarde a V. Exc. Joao Alfredo
Con-ea de Oliveira. Sr. presidente do Espirito
Santo.
Miuifetcrlo da fazeada.
For decree de 17 do corrente foi demittido o
!. eseripturario, ei-ehefe i &eccio da thesoura
r>a do Maranhao,
vedo.
Manoel Francisco de Aze-
Hiititerio da jueti^a.
wtt decretos de 13 do corrente foram removi-
do os juizes de direite :
Jolo Salome Queiroga, da comarca do Serro,
vtualmente denominada do Rio Santo Antonio,
d' 2.' entrancia, na provincia de Mina Geraes,
i,ira as varas de orpfi2os e da provedoria de ca-
L-Uas e residuos da capiU' da mesma provincia,
d.- 3 entrancia ; ficando sera eTfeito o decreto
que o removeu naraa comarca de Maranguape,
ua nrovincia do Ceara.
Americo MilitSo de Freitas Guimaraes, da cc-
raarca do lei, de 2.% para a de Mangaratiba, de
3 entrancia, ambas na provincia do Ceara.
' Joaqnim Antonio da Silva Barata, da comarca
de Paracatu, de 1.' para a da. Diaraantma, de
2. entrancia, ambas ua provincia de Minas-be-
*Miuel Augnsto do Naacimento Feitosa, a pedi-
l da comarca da Imwiratriz, de i. entrancia,
nrovincia das AlagoV, par* a do Rip Lamba-
ca provincia de Minas-
do,
na .
ry, da mesma entrancia,
Geraes.
Manoel Teixeira 6> Sou** Magaihaes, a pedido,
oa comlrca do Parnahjb. par. a do Bjo-Torvo,
Mibas de I.' entrancia, na provincia de Mraao
^To^9'Clemente Pessoa de Mello, d comarca do
Jwdim, de 1.' para a do led, de 2.' entrancia, am-
bas na provincia do Ceara.
0 bacharel Agostinho de Carvalho Dias Lima,
da comarca de Bom Jardim, na provincia de Per-
nambuco.
0 bacharel Antonio Lopes da Silva Barros, d
comarca do Ouricury, na mesraa provincia.
0 bacharel Antonio Munlz Sodre de Aragio, da
comarca de Porobal, na provincia da Parahyba.
0 bacharel Antonio Pereira Cameilo, da co
marca de S. JoSo, na mesma provincia.
0 bacharel Ernesto Adolpho de Va.concellos
Chaves, da comarea de Bananeiras, na mesma
provincia. -.
0 bacharel Vicente Candido Ferreira Tounnho,
da comarca da Maioridade, na provincia do Rio
Grande do Norte.
0 bacharel Manoel da Cunha Looes e Vascon-
cellos, da comarca do Jardim, na provincia do
Ceara.
0 bacharel Francisco de Paula Penna, da co-
marca do Crato, na mesma provincia.
0 bacharel Pedro de Albuquerque Autran, da
comarca de Quixeramobim, na mesma provincia.
0 bacharel Lui Barretto Correia de Menezes,
da comarca do Principe Imperial, na provincia do
Piauhy. -
0 bacharel Martioiano Mendes Pereira, da co-
marca de Jaieoz, na mesma provincia.
0 bacharel Antonio Teixeira Belfort Roxo, da
comarca de Amarante, na mesma provincia.
0 bacharel Benedicto de Barros e Vasconcellos,
da comarca da Corolina, na provincia do Mara-
n&ao.
0 bacharel Joaiutm Jonas Bezerra Montenegro,
da comarca de Marajo, na provincia do Para.
0 bacharel Felippe Honerato da Cunha Meninea,
da comarca do Rw-Negro, na provincia do Ama-
zonas.
0 bacharel Manoel Joaquim dos SantM Patury,
da comarca de Solimees, na mesma previncia.
Foi nomeado juiz, substituto da vara de orphaos
e da prove loria dos residuos da comarca da For-
taleza, na provincia do Ceara, o bacharel Antonio
Ccelho Machado da Fonceca.
Foram noraeadoa juiaes municipaes e de or-
O bacharel Modesto Alves Pereira de Mello, do
termo de Itaguahy, na provincia do Rio de Ja-
neiro. ,
0 bacharel Guilherme de Souza Campos, do
da Bahia.
*------------------------;--------------------
ao promotdr pubfico da cc marca do Bom-Jardim,
o venciraento annual de 1: lOOjOOO, sendo......
80O3000 de ordenado e 6Qj*000 de gratificacao.
Foi expedidoa presidencia de Matto-Grosso, em
13 do corrente, o seguinte uvisa :
Illm. e Exra. Sr. Foi ouvida a sec^io dos
negocios da justica do con.-elho do estado, a vista
do offlcio de V. Exc. n. 18 de 17 de marco ultimo,
e da copia do que lhe dirigira o juiz de direito da
comarca dessa capital sobro a questio : se devem
sempre convocar-se as sessoes do jury raareadas
no decreto n. 4,8^1 de 2 de Janeiro de 1872, ainda
que nao haja processo preparado para julgamen-
to. E Sua Magestade o Imperador, conforraan-
do-se por iramediata resoki'?ao de 10 do corrente
mez, com o parecer da mesraa sec^io, manda de-
clarar a V. Exc. que devem ser convocadas as
sessoes d) jury, quando heaver processo prepa-
rado para juTgamento ou que o possa ser ate a
effectiva reuniao dos jnrados, e que no caso con-
trario e desnecessaria a c navocacao, curaprindo,
porem, que esta se fa;a opportanamen'e, de modo
que o julgamjiito dos processes nao seja espacale
alem de tres mszes depois' da forrai;ao da culpa.
Deus guarle a V. Exc Umoel Antonio Daxrte
de Azccedo.
Mialsterio da ajgrlcultura.
Por decreto n. 5,488 de 3 do corrent-i, conce-
deu-se autorisagao acorapanhhvS. Paulo Gaz Li-
mited, para augmentar com 10,000 o seu fundo
social.
A cempanhia ingleza Witter a, and Brasilian
Telegraph Company Limited obtove, por decreto n.
5,498, de 10 do corrente, autorisac'n para func-
cienar no imperio, com os respectivos estatutos,
ffcando, porem, os actos que praticar no Brasil
sujeitos as leis, regmamentos e tribunaes brasilei-
ros.
Por porlarias de 12 do corrente, 'oram no-
meados para a administrate do correio da pro-
vincia da Bahia, 1* official o 2 Antonio Pereira
Maciel, para 2' o 3* J.ise Augusto Abranches e pa-
ra 3* official Jose Eduardo Alpoim.
Por decreto de 27 do mez ultimo foi aposen-
tado, a seu pedido, Francisco Candido de Farias,
no Ingar de official da admiuistrac,ao do correio
da provincia da Bahia.
Era 13 do corrente foi expedido a presiden-
cia de S. Paulo, o aviso do theor seguinte :
Illm. e Exm. Sr.-Em resposta ao offieio de
V. Exc. do do mez proximo passade, a que
acorapanhouo da junta classificadora de es-raves
da cidade de ltd, consultando : l", se teudo sido
effectuada provisoriamente a matricula de escra-
vos da parochia da mesma cidade com a dos da
freguezia de Agua-Choca, hoje elev?da a villa, de-
ve fizer a classificacao com distinccois, oa remet-
ter uma copia authentica da referida matricula ao
presidente da camara municipal da nova villa,
afim de ter lugar alii a reuniao da junta ; 2*, se
pertencendo a 1* classe para serem libertados os
conjuges, escravos de differentes senhores, devem
ser contempl-das nessa ordem as eseravas, cujos
maridos foram ha mnito vendides para f6ra do
municipio, sem que delle< haja noticia alguma i
declare a V. Exc. quanto i 1" duvida, qua deve
ser remetlida a |nnta classiacaaora quo se lautal
lar na raencionada villa uma copia da matricula
do3 escravos que a esta sip relativos, afim de po-
der a mesma jnnta classiftea-los como lhe cum-
pre ; 2*. que oa hypethese figurada devem ser as
escravai raantidas na classe era que as collocou o
art 27 do regularaento de 13 de novembro de
1872. E flnalmente quanto a falta de promoter
ou adjunto, deve o juiz de direito da comarca no-
mear um secretario ad hoc, conferme disp5e a no -
va reforma judiciaria e o aviso do minislerio da
justica n. 458 de 12 de dezembro de 1872. Deus
guarde a V. Exc. -Jose" Fernandes da Costa Perei
ra Junior.
Miaisterfo da guerra.
Por decreto de 17 do corrente. foi nomeado Ma-
noel Leoncio de Castro, para o lugar de almoxarife
do hospital militar da guarnicao da cdrte.
Por decretos de igual data foram trans'eri-
dos: o maior do 3* batalhao de infantana. Joao
Baptista do'Rego Barros Cavalcante de Albuquer-
que, para o 14* batalhao da mesma arma, e para
aquelle batalhao, o major doste, Americo Antonio
Cardoso.
0 major do 1' batalhao de infantaria, Luiz
Jose Ferreira, para o 21 da mesma arma, e o
major deste, Joao Pinto Homem, para aquelle ba-
talhao.
0 capitao do cor jo de cavallaria da provincia
do Matto-Grosso, Luiz CarU)3 Barreto Pereira Pin-
to, para a 7* cempanhia de 5* regimento da dita
arma.
Pa*saram a aggregados a arma a que pertencem,
de conformidade com a imperial resolu?ao de 20
de julbo de 1870, tomada sobre consulta do con-
selho supremo militar, o major Wenceslao Jose de
Oliveira e o capitao Joaquim Sabino Pires Salgado,
este do 5* e aquelle do 4* regimento de cavallaria
ligeira.
Foram concedidas as honras do posto de tenen-
te do exercito, ao tenente de commissao de volnn-
tarha da patria Nicolao Marques Lacerda, em at -
tencao aos serviros que prestou em relacao a guer-
ra ao Paraguay.
Em virtude da imperial resolucJo de 10 do
corrente, tomada sobre consulta da seccao de
guerra e marinha do conselho de estado, foi com-
mutado na pena de carrinho perpetuo a de morle,
imposta ao alferes do 13' batalhao de infantaria
Jnlio Cesar dos Reis Falcaotpor sentenca do con-
selho de guerra e eonSrmacao do conselho supre-
mo militar de justica, de 10 de setembro proximo
Bndo.
ca^ao do referido capitao do port a quota relati-
va aos dias em que esteve doente, .a^onan Jo a, ea-
tretanto, a quem o substituio durante ,o seu im-
pedirnento.
c Deus guarde a V. Exc. -Joijulm Delfiai Hi-
beiro da Luz.
DESPACHOS DA PBESIDENCIA D) D1A 29 DE DEZEMBRO
DE 1873.
/intonio Augusto Ferreira Lima. -Passe porfa-
ria concedendo a liee'nca pedida.
Abaixo assignados raoraderes na poveac'u de
Angelica, comarca de Xazareth. Informe o Sr.
director da instruccao publica.
1 Bernardina Maria de Jesus.Informe o Sr. bri-
gadeiro commandante das annas.
Eugenio Jos6 Martins. -Informe o Sr. brigadeiro
command ante das armas.
Francisco de Paula Machado. Deferfd o com of
Icio desla data dirigid) ao Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda.
i Jose Pedro Velloso da Silveira. -Informe o Sr.
brigadairo commandante das arraa>
' Miguel dos Anjos. Informe o Sr. brigadeiro
commandante das armas.
; Manoel Francisco de Moraes.Requeira pelos
cinv.s competentes.
Manoel Annes Jacome Pires.Deferido com of-
flcio desu data a thesouraria de fazenda.
P. iyn\undo Ferreira" de Aze vedo. Informe o Sr.
brigadeiro commandante das armas.
Ite|artlofio da polioia.
t' seccao. Secrotaria da pohcia de Pernambuco,
30 do dezembro de 1873.
tti 2ii99a-UIm. eExm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hontera recolhidos a casa de delencao
os. individuos seguintes :
' A' minha ordem, Antonio Correa de Araujo, por
se achar pronunciado no termo de Itarabe, como
iacurso nas npnas do art. 193 do codigo crimi-
nal
A' orden/do subdelegido de Santo Antonio, Jo-
sej escravo do barao do livramento, a requerimen-
to deste.
A* ordem do da Boa-Vista, Thomaz, escravo de
Paulo Jose Gomes, e Gertrudes, escrava de Jose
Carpinteiro, por offensas a moral publica.
Segnndo ommunieou-me o subdelegado de Be-
beribe, era offlcio de bontem, as 2 horas da tarde
do dia anterior, Jose Joaquim Ribeiro espancou e
ferio a JosC Delgado, logrando evadir-se; os peri-
tos quo fizeram a visteria declarsram serem leves
as offensas e ferimento, e sobre sftmelhante facto
procede-se nos terraos do inquerito.
Em data de 22 deste mez, coramunicou-rae o de-
legado do Buique que foram capturados e reco-
hidos a respectiva cadeia Jos6 Curisco, pronun-
ciado alii como incurso na' penas do art 203 do
codigo criminal; Pedro Balao, criminoso no termo
de -Garanluios e Antonio Lourenco da Silva, sen-
tenciado por crime de furto de cavallo3 e pronun-
ciado no termo de Cimbres por crime de moeda
falsa.
Pur offlcio de 28, cemraunicou-me o subdelega-
do oa villa d*o Cabo quo, na noite de 27, na povoa-
(ao da Ponte dos Carvalhos, daquelle dislricto,
liguel Pereira de Carvalho, assassinou com r-
cadas a Joao do Carmo, e que a tal respeito proce-
dia nos termos da lei.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Srrcom-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi-
mo presidente da provincia. 0 chefe de policia,
Antonio Francisco Corrtia de Araujo.
EXTERIOR.
is na proviw, -'-'. oediio. da co- termo de Geremoabo, na provincia da Bahia.
^f^S^^e^i^tio^J C bacharel Jesuino. Jose de Freitas, do terrae
? *l-,rintill nara a oo i -uhv, d: cuesii.t --o- de Vlarvao, na province do P.auhj.
i M.irannio, par- a ___,,-* vi rAcnn,Hz do o bacnare Aueusto Ribeiro de
marca
do M
irancia ua provincia de Miaas-ueraes.
Domingos Ribeiro Folha, a pedido, da comarca
da Cachoeira para a de / orantes, ambas do 3.*
entrancia, na. previncia da aua.
Qaniel Luiz Rosa, da co jarca de Caravellas.de
2., para a da Cachoeira, < 3.* entrancia, ambas
na orovineia da Bahia. .
iinoel Alvs de Uma ordilho, d> comarca de
MonKSan/o, de l.\ para a de Can ellas, de t.*
egBncia, ambas na provwr.ia.da Ba.
Utiz di CeVqneira* p'hia, Jueomarc da Feira
,.! anna An 2-".ara ade Nazar ih, de 3.'
ata Anna, de I'^u* a de Nazai
ncfa, airibas pa provincia da P-1-
>vi Vaz Fv.reira, da cotn<
Rahi
Kftc,
in,
do Rio de
1-oi reconJuzido o bacharel Augusto
Loyola, no lugar de juiz municipal e de orphaos
do termo do Casa Branca, na provincia de Sao
Paulo.
Foi declarado de nenhum effeito o decreto de 27
de jetembro do corrente anno, qua nomaou o ba-
charel Lvcurgo de Albuquerqae Nascimento, juiz
municipal e de orphaos do termo da Encruzilhada,
na provincia do Rio Grande do Sal, por. nio ter
Nceitado a nomoasao.
Por decreto n 3.501 do 17 do corrente, foi
dedarada de 1 entrancia a comarca do Bora-Jar
dim, creada na provincia de Pernambuco.
Foi marcado, por decreto de 17 do corrente,
No entretanto, o Sr. Tejedor, resolvendo o inci- Hermanos, sitaada na rua Boon Orden, esqtu'iu da
dente tao sonsato e prudenteraente como fel-o, sus-rde Victoria.
Hiatsteria da marinha.
Por aviso de 16 do corrente foram :
Dispensado do commando da divisad naval do
! dislricto o capitao de mar e gaerra Jeronymo
Francisco Gonjalves.
Transferido para o referido commando o chefe
de esquadra barao da Passagera, e nomeado para
subustitnir a este no commraando do districto o
chefe de esquadra bario da Laguaa.
Foi dirigido a presidencia do Espirito Santo,
em 13 do corrente, o seguinte aviso :
t Ih> e Exm. Sr.A Sua Magestade o Impera^
dor foram presentes o offlcio de V. Exc, n. 83, de
18 de setembro do anno proximo passado, e copia
do que a V. Exc. dirigio o capitao de porto dessa
provincia, consultando se, nos termos da lei, pode
a thesouraria de fazenda descontar-lhe, como ef
fectivamenle o fez, a gratiflcaclo dos dial em que,
por doenla, deixou o exercicio do cargo.
Altendendo qae, estabelecidas as gratificacoes
unicamenle para rerauneraro trabalho effeetivo do
emprego ou commissao, eai beneficio dos offlciaes
de marinha, nao ha resolucao ou lei alguma que
fa^ja excop.-ao desta reera, alias cinfirmada p?lo
decreto n! 1,993 de 14 ae oumbro de 1857, oue
rnanda abonarao substituto agratificaciodo subs-
tituide ; e ainda considerando que por este minis-
terio, em casos analogos de que se trata, foi sem-
pre observado o prlnclpio da deducclo de venci-
mentos e vantagens que a tabella de 8 de feverei-
ro de 1872 reunio sob o titulo generico de-gra-
tificajSes ; o mesmo augusto senhor.por lmmc-
diata resolucio de 10 do corrente mez, Jornada
Mibre consulta da seecio d? marinha e guerra do
conselho de estado, houve por bera, para cs flas
thesouraria
couvenientes, mandaf declarar que a
do fazenda dessa provincia procedeu da accordo ^como demonstra Ortolan e outros
com a iegislagao em vigar, descontando na gratifi- am preeedentes nameroses.
Correspondeaela do Diario de
Pernambuco.
BUENOS-AYRF.S, 15 DE DEZEMBRO DE 1873.
I
A dezena de dias subsequenta a ultima missiva
que enviamos, foi prenlie de importantes novida-
des nesta republica, o que nao e da admirar, por-
quanto se ouizesseraos mandar d'aqui uma cor-
respondencia diariamento, teriamos sem dnvida
materia sufflciente para faze-lo, Untas e Uo repe-
tidas sJo as noticias que lemos nos 22 diarios des-
ta capital t
0 que se passou de maior importancia para
56s foi o incidente havido no porto de Buenos-
yres com o vapor brasileiro Cuy Eate" paquete, vindo da Assnmpcao, trouxe a
seu bordo como passage! ro ao lenente-coronel d>
exercito paraguayo Manoel Florencio Rivarola.com
viagem paga, para Montevideo, pelo governo da-
quella republica.
Cbegandoo vapor ao porto desta cidade apre-
sentaram-sea bordo delle alguns agentes da poli-
cia argentina, exiglndo do commaodante, que e
nm official honorario da marinha brasileira, a en-
trega de Rivarola, por ser elle complicado na re-
volocao de Entre-Rios.
O commandante, corao devia e cumpna faze-lo,
negcuse a entregar o passageiro alludido, decla-
rando que so o faria com ordem expressa do mi-
nistro brasileiro. .
A' vista de tao formal recosa a caoitania do por-
to declaroa Impedide o vapor, dizendo que elle nao
seguiria viagem sera entregar Rivarola as auton
dades do paix, e, acto ontinuo, mandou postar
uma guarda ho torabadilho do barco e vigia-lo, de
ordem superior, por nm navio de guerra argen-
tine. .
Sendo !evado semelhante facto ao conhecimento
da lega^ao brasileira, por intermedio do nosso con-
sul, a quem se dirigio o commandante do Cuuabd,
o Exm. Sr. Barao de Araguaya foi ter immediata-
raente com as autorldades saperiores da repubnca,
e, nao encontrando nem J presidente nem o minis-
tro das relacSes exteriores, que se achavara no
campo, entendeu-se com o minlstro da marinha,
o qual acolhendo mal as justas observacoes do ple-
nipotenciario brasileiro, declaroa lhe peremptom-
mente qae o vapor nao sahiria sem entregar o
passageiro reclaraado, no quo nJo conveio, nara
podena de maneira algoma convir o nosso digno
rainistro, por ser isto contra todas as disposicoes
do direito das gentes. .....
Decidido como estava o nosso plenipotenciano
a nao entregar Rivarola, e, prevendo, a vtsta da
relactancia do minlstro da marinha, que taivez o,
incidente se proloogasse e tivesse consequencias
desagradaveis, mandou vir de Montevideo duas
canhoneiras da armada imperial, sendo uma para
levar ao seu deslino os passageiros do Cuyaba e a
correspondencia official vinda de Assumpcao e ou-
tra, para no caso de ser preciso, levar despachos
urgentes ao nosso governo.
Mas. felizmente, chegando a eapiul o ministre
das relaeoes exteriores, e achando. dingida a elle,
uma nota sensata e energica do rainistro brasilei-
ro, e temendo s6rias complicacies comnosco, poz
termo ao incidente, determinando qae o Cuyaba
pariissc, continaando a saa viagem o passageiro
Rivarola.
E assim terrainou se araigavelmente,-gramas a
attitude energica do rainistro brasileiro, um inci-
dente que poderia ter serias consequencias.
Quanto a questJo de direito, resume-se elia nas
aeguintes palavras:um governo qualquer tem o
direito de prender a bordo de um navio estrangei-
fro a um delinquente polhiea, vindo como passa-
geiro de um paiz araigo para oolro ? Nao, 6 a
resposu absoluta e irrefutavel que se deve dar,
baseada nas principios do direito internacional,
publiMstas, e
Jenta, na resposta que deu a nota do Sr. Barao de
Araguaya, que o governo argenano tinha o direi-
to de prender a bordo do Cutjabd ao passagei-
ro Rivarola)
0 ministro brasileiro por seu turno replicou,
sustentando as suas ideas, e salvando logo previ-
dentamente o direito de reclaraar indemnisacao
por dimnos e prejuizos causados ao vapor detido e
aos seas passageiros.
Maiorjiarte" da imprensa argentina, aproveitando
a occasiao, ainda uma vez nos mimoseou com pa-
lavras pouco cortezei, contando o facto adulterado,
julgando affronta a vinda das canhoneiras, e en-
carando a questao de diretio pelo prisma que me-
lbor lhes convicsse. Porem a Pampa, que e
um joroal iraparcial, e os diarios estrangeiros que
S3 publicam n'esta cidade, nos fizeram plena jus-
tica, discutindo perfeitamento a questao.
Os jornaes da semana passada publicaram
uma correspondeacia trocada entre o encarrega-
do de negocios da Italia e o presidente da repu-
blica.
0 primeiro pedio ao segundo explicacSes acer-
ca de algumas ideas emittidas pelo arcehispo de
Benos-Ayres na sua ultima pastoral, e perguntou
se as ditas ideas sao participadas por elle.,
0 presidente da republica respondeu do seguin-
te modo:
i Com respeito a linguagera usada pelo chefe
da curia ecclesiastica, sendo taes denegaodes fruc-
to de um systeraa de ideas que nem sempre esta
de accordo com os principios era que estao funda-
dos tanto o governo da Italia corao o nosso, o nal
e coraraura a grand j numero de povos, e 6 per-
mit lido dizerque nao estando em harmonia com as
nessas leis, n.io tem outro caracter senao o de ura
protesto contra a historia conteraporanea..
A Republica, occupando-se deste facto, assim se
exprime:
a E' difflcil comprebender o que diise o Sr.
presidente. Porem, convimos, em que o caso era
bastante incommode
A culpa, cabe ao primeiro raagistrado da na-
cio, encarregado como tal, de fazer cumprir a
eonstituicao. Devia ter exigido qua o novo arce-
hispo riscasse de sua pastoral as palavras oftensi-
vas para o go/erno de uma nacao amiga, e, no ca-
so de negativa. nao eoncorrer a installacao do pre-
lado e a imposicao do palio.
Nao se pode servir ao mesmo tempo a Deus
e a Belial.
0 qae succede aetualmente, nos prova uma
vez mais a necessidade de resolver imflm o gran-
do preblema que tem embaracadas as nacdes mo-
dernas; a sociedade civil e a sociedade rehgiosa
nao polera Gear mais tempo llgadas uma a ou-
tra.
0 estado deve separar-se para sempre da igre
ja; os dous poderes nao podera viver era harmo-
nia; ura tem que estar sujeito ao outro. A igreja
nunca abandonara suas pretenjoes ao mando;
que mande pois era sua esphera, que tenha a do-
minacio das almas qua querem jurar-lne obedien-
cic; mas que o estado se guarde bem de prestar-
Ihe sua cooperacao na mais minima couaa.
o Assim se restabelecera a paz no mundo mo-
dflrm. ^ uuunnrfi/,^ stniTTr se em am pefagu cte
difficuldades e desgostos.
a 0 Sr. Sarmiento, que Unto conhece aos Esta-
dos-Cnidos, e que tanta admira;ao professa pelas
instituicoes dessa grande republica, sabe que a
medida que proporaos, tem dado alii os melhores
resultados, ficando todos sati-feitos e os catholicos
mais que ninguem.
c Por conseguinte deve iniciar a reforma da
constituicao a este respeito. Que em sua proxima
e ultima mensagem ao congresso proponha a abo-
licao do art. 2", e sera o mother acto, o mais trans-
cendental de seu periodo presidencial, um acto que
fara viver o seu nome na historia argentina.
A populagio desta cidade esta bastante alar
mada por causa de alguns casos do cholera, que
se derara entre os passageiros do vapor Emilia,
vindes da Italia, que se achavara de quarentena
no pontao Afora ancorado em frente a En^enada.
Foram aili atacadas pelo cholera 40 pessoas o
falleceram 15. Dizem alguns jonnes que ao pes-
sirao trataraento dos quarentenarios 6 devida a ap-
paricao do terrivel mal.
Deus queira que tao devastadora molestia nao
se propague na cidade, ficando encarcerada no
pontao da Ensenada e contentando-se com as vie-
tiraas feitas, o que jalgo provavel por nao ter con-
tiauado a desenvolver-se.
A inscripcao eleitoral tem continaado todos
os domingos. occasionando sempre graves distar-
bios, nos quaes se disparam tiros, se d&o punhala-
das a torto e a direito, gritando unsviva Mitre, e
outros -viva Alsina I
Alem d'isto teem apparecido algumas falsi&ca-
goes nas respeclivas papeletas.
Dizem que o nuraero dos mortos e feridos, era
toda a republica, por eausa da proxima eleicao
presidencial, ia passa de 200!
E no fim de tudo ha de veneer o direito da tor-
ca, ha de veneer quem mais assassinos tiver em
seu partidot
S3o os bellos effeitos do systema governamental
electivo, qae, continua a ser aqui brilhantemente
corabatido na republica, em arligos especiaes,
devidos a penna de um illustrado e sensato es-
criptor.
No dia 7, por volta das 5 boras da manha,
tui descoberta no carcere n. 5 da cadeia desta ei-
dade uma perfuracao que haviam feito em alguns
dias os individuos alii presos, contando-se entre
elles os irmaos Guerri, qae tentaram assassinar o
president da republica em agosto desle anno.
Para a exeavacao se serviram os presos de pe-
queuos iustrumentos como fa^as de mesa, arcos
de ferro de barril, a que davam forma de serro-
te, etc.
A terra que extrahiam arrojavam diariamente
nas Iatrinas em pequenas bolgas feitas de mangas
de camisa e meias.
0 trabalho era feito de dia durante as quatro
boras de visita, e seguido todas as noites.
0 piano combinado era furar a parede do carce-
re n. 5 em direecio ao de n. 4 e depois continuar
pelo lado da typographia da Tribuna ate ganhar o
ftsso.eenlao poderem fugir por alii todos os pre-
sos de ambos os carceres. '
No dia 9, i 5 1(2 horas da manha, heave
uma terrivel explosJo na caldeira da carpinuria
mechanica do Sr. Landoix, sitaada a am lado da
pra?a do Retiro, proximo a casa da legacao bra-
sileira.
Morceram n'essa catastrophe o machinista e o
fcgui3ta, ficando feridos ontn* trabalhaderes.
Os effeitos daxplosao sao extraordinarios.
Um grande fragmento da caMcira foi cahir a
200 varas de dtstancia, perlo da rua de Saa-
taF6.
Grande parte do ediScio da carpiauna ncou
desaprumada, assim como a casa contigoa.
Os arredores ficaram cobertos de material, ms.-
deira, ferros, etc. .^
0 cadaver do machinista foi encontraao a jo va-
ns de distaneia do lagar do sinistro, sendo digno
de notar se que, o relogio que se encontrou em
seu boljo estava andando perfeitaraente
Sr. Landoix nao sabe a que possa attribuir a
foi provada a
do eP*"
, pr*
fttritr* *
explosao, pois dii que, na vespera
caldeira, ratendo-a supportar 160 libras de presnio
hydraulica, quando naoccaslio do sinistresdsup-
portava 60 libras.
As perdas s5o consideraveis. ^
fTontem, ao raeio dia, rawtifesuju-so racondio dose saliente entre as leis
na loja de fazendas c roupa feita dos Srs, Garcia' guinte?; v*
0 ediflcio foi todo devorado pelas chammas. nao
se podendo ainda avaliar a quanto monta o pre- '
juizo.
Ignora-se a origem do incendio.
A revolucio de Entre-Rios parece chegar
ao seu termo, segnndo dizem os diarios, por ter
sido derrotado no dia 9 do corrente, o exercito de
Lopez Jordam, era um combate qae se travon no
lugar denominadj D. Gonzalo.
Diz a parte official do coronet Gainza, qae toda
a infantaria dos revolucionarios foi morta on pfi -
sioneira, que se tomeu toda a artilharia, muito
armameoto e 6 bandeiras, fugindo a cavallaria dis-
perse em differentes direcc5e, inclusive o ptw-
Srio Lopez Jordam, acompanhado soraente de 40
omens.
0 fogo do combate foi vivissirao e durou tres
horas, perdendo as tropas uacionaes 70 praeas en-
tre mortos e feridos. 0 coronet Levalle, o com-
mandante Zapata, o major Machado e outros onV
ciaes ficaram feridos.
Estas noticias foram aqui festejadas com repi-
ques de sinos, maitos fogaetes, alguns ferimentos
occasionados na praca da Victoria pela explosao
de uma girandela de fogo do ar, e nada mais.
0 coronel Gainza foi nomeado general, em re-
compensa de semelhante triumpho.
Corre o boato, do que tao prompta e importance
victoria, logo depois da viagem do Sr. Sarmiento
ao Parana, foi devida ao ouro argentino, por Se-
rem sido comprados alguns dos chafes revolucio-
narios, o que de nossa parte n5o duvidamos.
Depois do triumpho era D. Gonzalo a invasao-
peles Indios.
Assim e, qae, noticias da Tapalquem nos dizem,
terem sido as torcas do general Rivas, acampadas
em Blanca Grande, completamente sitiadas por
2,000 indios de Calfucura, que teem devastado tudo
por aqaellas paragons.
0 govarno mandou tropa para proteger a* for-,
cas de Rivas, procurando livral-as do sitio dos in-
dios, que provavelmente terao de ser batidos, ma>
ficando com as suas prezas.
No dia 5 houve am forte terremoto em Ja-
juy, durante o principal tremor 25 segundos.
Desaprumou-se a torre mais alta da igreja da
matriz e houveram outros rauitos estragos em ca-
sas da cidade.
Felizmente nao ha que lamentar nenhuma per*
da de vida.
Era Cordoba, tarabem no dia 5, as 7 boras!
da manha, cahio ura raio na igreja de Chanar,
A imagem da Virgem foi queimada totalmente, fi-
cando reduzida a cinxas.
Passemos agora a parte commercial.
As complicacoes que .pareciam surgir com c
Brasil, por causa da detencao do vapor Cuyaba*
as alarmantes noticias do appareciraento
lera entre os quarentenarios da Ensenada,
ziram durante dous dias um pesiimo effeito
pra?a de Buenos-Ayres, resentindo-se visivelnr11"
te todas as transaccSes meroantis. .
Mas, logo desappareceu este panico, pela r^~~
gao amistosa do incidente Cuyaba, pela nao ^*T
derrota de Lnpez Jordaqfjirecursora, como se cre>
gennmemp; daionclusao da guerra de Entre-
Rios, e o commercio em geral esta cheio de satis-
facao, esperando somente que as noticias da Earo-
pa sejara favoraveis aos productos do paiz, para
que a praca se reanirae e se produza ura forte mo-
vimento nas transac.-oes commerciaes.
0 banco da provincia esta descontando a 9 *'a r
os outros bancos e os partieulares a 12 % ao
anno.
Os cambios sobre o exterior soffreram algoma;
baixa em suas cotacSes, havendo-se negociado sa-
ques sobre Inglaterra a 49 1/4 e 49 1/z d. e sobro
a Franca e Ambcres a fr. 5,26 e 5,28, papel ban-
cario.
Ha falta de sacadores.
II
Do Estado Oriental temos datas ate ante bon-
tem.
No dia 10 se reunio a commissao perraanen-
te do Congresso, para ouviro poder executivo da
republica os motivos ou raz5es que teve em vista.'
com a nomeacao do Dr. Perez Gom'ar para cotn-
raissario do eraprestima europeu.
0 poder executivo fundou o seu acto nos preee-
dentes seguidos na epoca em qne os constituintes
governavara o paiz, e, sophismou, opinando qne o
cargo de ura service publico nio pode ter appli-
cacao ao que a eonstitaicao prescreve para os mi-
nistros que se retiram a vida pnvada.
Em Montevideo, deram sedous casos de te-
bre amarella, em itallanos vindos ultimamente ne
vapor Picardie.
A populacao estava am pouco alarmada com
semelhante acontecimento.
Foi imposta ama quarentena de 2 dias aos
navios procedentes de Buenos Ay res, por causa.
das noticias do cholera.
Consta-nos, que foi tambem imposta quaren-
tena de 12 dias aos passageiros vindos do BrasiL.
ignorando nos o molivo d este acto.
No dia 10 teve lugar a inanguracao da linh*
telejjraphica entre Porongos e Mercedes.
Foi descoberta uma conspiracy contra
trauqaillidade da republica, na qual dizem qne se?
achara corapromeltidos alguns chefes de impor-
tancia.
0 Diario Official do dia 12 noticia o facto do
seguinte modo:
t Ante hontera teve conhecimento o govemov
de que era uma casa proxima ao qoartal do 2* da
cacadoros, se reonirara com fins subversives al-
guns individuos da classe militar e partieulares.
Em eonsequencia, e com dados certos, ordenoa
a prisao de varios dalles, qae foram enviados para
o quartel do 3* de cacadores.
Tambem foram presos alguns sargentos e cabos
do 2* batalhao de cacadores. >
A' ultima hora corriam serios rumores de
Sue os restos da rebelliao de Lopez Jordan inv
iram o lugar denominado Santa Rosa, com o
de convulsionar a republica.
Estes rumores sao infundados, mas, no entreun .
to, o governo oriental esta tomando precancoes e
ja mandou trpa para Payssandii.
A crise commercial da praca de Montevideo
se faz cada vez seotir mais visivelmente.
Os jornaes pedom provideneJas ao governo -no
sentido de meluoral-a.
Ill 0
Do Paraguay nada nos consta digno de ser men'
eionado.
IV
Das republicas do Pacifico e da America Cen-
tral temos noticias ate 12 do corrente. %
No Chile, o governo recoramendon ao Con-
gresso prompta solncto ao projecto da eslrada de
ferro transandina, navendo o incluido entre os as-
sumptos qne devem ser tratados nas sessSes ex-
traordinarias.
ilavia ja partido a coramissao de eiwenheiros
encarregada de fazer es estudes da referi(/,esPM -.
de ferro na seccao da Cordilheira. *
No Peru drscobrio-se Qma seria conspirac
ioiciada na provincia de Elautra, que parece vet' -
grandes ramiflcacdea. x.
Alguns dos conspiradore* cahiram em poder-*
governo, tomando -se4hM armaoento.
Na provincia de Jaen, occorrer- grs.'
desordens, produzidas petos partidos alet. raes -.
se achara era lota. ^a.
ij ^
Bva-
Bns
/
No EquaSor, encerrou se o congresso, fai
qae approroa *- *y
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


-
Hl'K /;HH*-i#WK>rnaDibuco
t. Permittlndo aos ciladaos e quelM
ler condecoracfUS o corpa* atiiijos i
"I-!1 <.^ w^1.""-s't,3'-i,T"
racao da Je.-us. .
i\ Determiu**l- W por coato ^
dos dizimos, que pertenee ao estado, s
Quaria fcira 31 de Dezembro de 1873. 0
------. 4 .
/
//7
.-i.JMMfWIMtiDMlJNl^hn Willi.imi fattec-idi infeOsmente na vespers
JotHlamo*,Alfredo F
.rio'iabmo da Silva,
leu i-
>rtaaa*da Cona-iraa de Mattes, mm t,Mte diUDlWi Nery Ferrari.
uos aiiiiii<, i|ui: i'ci,.... w_- --ci n
annualmente ao santa padjiMirn *""-> en^jjinc II" anoi^-P"!
durar a* actuaes rircuimtanoias i|U5JB--to: eo.no umaoflona de juatica, leajik.to e ra^graneia ', anna-Sebi
r
do povo eqaatorianoj
(ft A.ia* ultimas.

i

able,i da tareja.
fain sem Ji.scu
sao, porem o pruneirq deu lufur a urn vivo d;l a-
w, em que nma parte do cmgrosso upinoa qual
osu e-a necessarlo permlssao para aeeitar eondc
coracoes da S?.:V(a Se, emquanto quo a ouira parte
suslemou 5 conlrario.
A ir.iprensa alacava e -ridieularisava o primeiro
*: a ultimo nroj-tto.
INTERIOR.
RIO BK JWiino
16 DE DK/.E.MBRO DE 1873
Procedendo a i:idagaci".es sobro o facto da que
ha pouoos du* a policia verilicou que a victima do espaucamento
foi Francisco Alves Barroso, ni trader a rua Nova
do Priaeipeji. 13, bos autores Jorge Dssmarais
Luiz Hei'or da iiva Co-la, moradores a ma do S
Christ, iv.lo n 137, este marido e aquelle innio de
Isabel Desfnarais. G-mfessanm ambos o act-) rri-
miaow quo Uotiriamos, allegandii qua '.inham as-
sist procedidu para desaffronta da sua hmri.
Pui J rge Jesmarais quem, depois do bs espaneameuto, cunduzio etn nin carro ferido para
cast de sens pals.
Iulerrogados sobre o motivu quo o levara a apo*
Jer..r se da caneira e papeis qua Barroso linha
aoa balsas, respondent!)) Huitor e J 'nro que pr jru-
-a vain naquelles papeis ma's ilguma prova, alum
da.s qa ja imssiiam, contra B.irroso a i|uem. en
.rataot >, n.io linham ctia.oad > a sua oasa.
Ha-i'ir a Jorge draw ho item racolhijhs acasa
de (let-'Pfao a disp.>si.ao do juiz do II.* di^triclo
priownal
'>iin:minica:n nos de Lecoo, ande so aoha com-
pooln-uSfOMfor fl'Wi o illujtre maestio brasi
leiru Carl is (Jjiiies, quo ja se esta g*$v^nda a re-
ducgiii para piano uos dons primiirosi acto* dessa
novaop-jra, ^Ua dizam pKcodor em Deilesaa c mats-
i;ia a Qtmrany >'. a Fuaca
A pariiiura d-> Sulo 'toy Rosa dove astir promp-
ta por t >do o corrente mez de dezembro.
C.u | hoMani Hi '>'?s oa Fa:uidade d-; Uulieina, os se
fuiiilos aluinuos: oaquim Oaarto Murtiniio e
w4 BasM-vj Neves Gonzaga Fillio, apnrovados com
i!istiq^i;;io ; Jio Joaqoim dj Alvareoga Cunlia e
ij.iilherme AITmso do Carvallio, approvados pie
cameiit^.
0 r-ul:: li d'ps exames do pralica a-t.'om i;'a
la Kse.nla Central, Xoi o .-eguinte ;
.viprn.-.tdi. pi,Mnm-Dt.: ciiii j *rao 8 : Francis-
> van ICrven, Duioisi* K an-'e!i*ia de Ca-iio C-r-
rni.'ira, Carlos Bugeoiu if.; Aa!ra.li! Gaiiiui^.es
i isi* Felix Uai'b-R-a de Oiiveir.i, J ise Kibello da
i-i-.iiicello% Luiz Mentis de Mui4's'5 A:iimio
.aiiai! Rodng.i'<, AKrodo Ernff^ Jacqaqg Ou
I I'.te. JaeintU VI icliado B'.'.leucjiirt, lia juiai \\
ari Pi'ieira, Jose Antonio da Oisia Guni Junior,
SuiriflUri Alvara-* Ddbtatliv, FreiwiSfii da Crut Fer
r ra Juni ir, CarJoa Alberto, Alliino i'iuio de Car-
.lii>. Cirlos.Auijasto de C-tre Andrade, Ant mio
l, Ant'nio Candido Sil^zaf,
urn da 'liivvira t-*ania:i ]es e Libaai > di Scl/a
Lima ; cow l graq 7 : Krnc-sio Marcos Tyoa da
Cuuha, lY:ij*n i l: Joa<|iii!ii de Salies Torres Uwjaai, Francisco Juli >
da Ciuceitjio, Jose Joaquim de M.raoda li.nli Ju-
oijr, J.i.a.jjicij AnMno da Coniia Jniior. An: lh >
loaquna ile Souza Caraeiro, Z ferine A^t.uiode
"lira. Kluanlo \:.i::edoda A/aiiiouja, J'>it) Jj^quim
ds Sa Frcire; .Ubtrlo Ma^edo do A/.a'iilmj i, Aoio-
r.io A:i:;a-!i da Cmcdcai e I'aulju.. Lopes da
Cruz ; ; m pr.i) li: Man ml Onjocez da Silveira.
Inae <)- lie Nog uira da Siiv.v, Caetaiu Aibario de
-'*tr.i :> i-eim-ct'i, Liue-U) Antonio Lassance Cu-
.'", J-i.11 Ciij,'^nio Baibofti CV-ih>. Erne-ti da
i le Araij.i Vianna, Autouio Hjrgos dr. Cos*
!/'''-' "r!'''^'l> LissaHoe Cunha, Joa^uioi Jo-
"\naeio I,', Mello, Francisco Ferreira Pontos,
*^iiiUo Xl.u.liado Pereira, Di.inisio da Costa e
G luardo i'ereira de Campos.
.i 17 -
'.'w'!'! '' *'" "!xam s de hontem na FaculJa-
J*" '*' . { n-.'joinltf
V auuo p.armac*ntwo. -Jose Goncalves da Si!
~n V>anna, apa>rovao'o com distinc-.-ao ; J.'.-c- t-c-
reira AJ'.uMes, j -i; Aul>uiio Augusto de Sa, Jose
Vogu to iVreira ie Castro o Carlos Gomes Ariui-
r i. -sji.ir svad is pVnaineiite.
$' annri |:'lioi.-.M I- turma. -Francisco Pmto Hi-
lieiro, Hern .i.ii.'i i Silva, Jose Eugenio de Lemos,-
Fraowcp Man > i >; lodes de Miranda, appiovad *
pleuatTeate.
1- turma .'i.-e Marlins Carneirb LeSo, Mantel
de Araujo d.i. C'.mia Aivareoga, aptrctvados eorp
di-.iti ;. i; Maaoel d>nie Goliaho e Luiz Jose de
Alvareiign, i|-pruvailiis picnamepte.
'!" anu i j.bai-inaceuiico. Aurolio August) Vai
!]- il'l! i. aparovado plenamente : Leopoldo Bello:
Pimentci iiarlosa, Alberto Vidal L-:ite Ribein ej
Lamberto Cesar Andromi, approvados slmples-
3* aono medico. J Carlos Te.xeira Braii.lao. approvados con distin:
'.aj ; vutyoiu Goufar( Villela, approvado j
mente ; a Gii)>L-tntiuo Carneiro l..";i d; Birros,
oppMVodo simple?:.)?ute.
Couijuiraii': na '-.'.oli Centra) j cotm dc t
nheirp ueograp'! :s ^i saguintes aluuin.i: Auto-
tio.Jyajjuimde Souza Ciurneiro, natural do Ceari';
ioaqm.n Antonio la Cunha Jum >r, natural do Ma
mha>; Die n-io Kv.ing>,|ij'a de Castro Cerqucira^
Carias Alb- rto, Francisco Ferreira Ponte* e Jo: '
Fein ,BarJjii6.i de Oliveira, datocaes.da B*ahia
Fras^isto wan Erven. Alfrei> Ernesto Jacqims.0,1-
riqno.Toie 'tabrllo de VasconceUos, Carlos Euje-
Biode .-Vl'lrade Guiuur^es, J-isa Ai^inio da Costa
Jama Junwr, Joaqufm de Salks Torre;-II iiu*-;ii.
arnesto jjjjareos Tj-^ija da Cunha, Jos-j Joap-im de
M:r*ida H.irta Juiuur, J-w.iaim >le Oiivtira Fir-
Dan les, Pauflnd Lopes da Cra% Antonio B.^g-.s da
');U, joaqujin. ,K.'.se Ignacia de Mill) Ernesto da.
Cuah*.Ara.ujo Vianoa, Trali^q l^uauo de Villa-,
Nova Machado, Monrique Ajvarqt. Pcij^J-j, Anto-
cio Joa/juim da Coita e JouU, LuJgero Erne assance Cunl'a, Caetano .Alfcertp de Castro Nas.
aiaeqU Ernest) Antonio Lags?nca Cunha, Jos';
.aqni'ii ije Sa Frcire, Jose Jpii> alaihado Pcrai-
a, Iftuardo Miced^.^e Azaoi^uja, Ajfterto Macedo
io Antonio ue \ltra, Zeferinc
C I>i !
anetra
de Azambuja, Zeferido
lose" da Oliveira, A^tipa :Pi.nt/>. deC^rvaJho
i.sio da Co-la e sflvit, nalura'es do Ri >m h ..
Jit M.fDdt..- d: y iraes, Antonio. Cau>iidp Rodri-,
curs, Carlos.Aui'.uX) do Casti i AndraJc. Pr.aa
;wco Julio da Conc^h-ao Autoaio Jclio oa Cm
eei.-ad, maluraw ile S. Paulo ; Jacintho Machad^
tiiltedconrj, .Fraocisco da Cruz JJerc-ifa Junior,
Antonio Capdi'du Salaaar, ,J<>m5 (Xsorio Nogue.ra daj
silva, Jo*) Eugenio Uarboia Coeiho, Eduardo Pe.'
reira de CaBBpos, JlaOiOql fjeioijez^iSilveira, Joaj
juim Alvaro Prreira e Litjaijio da Silva Lima, na-
'.uraes do Rio-Giaude dp Sul
- 18 -
tif..O resuiU'lo ii>)i..exan}ea .de jWiiteni na Fa-
aVIade de Mediciua, foi o segumte :
\>* aaao-pnarraae^Bttw.-- Alfwdo Dias FerreH
>, It an loipho Marg>cid) da Silva, Uaulino Julio
Adolpho Ho n, approwid** pl!natn#pte.
J.'arjno melko. -Joto K*inB^e(fi'>nwrides da
eiga e Fraaotsco- urU>- de .dagalhaes Gonvy,
approvdoa om di-tiB:C;ao ; Inomazde Ca-vaMi,,
8orges, Edpard Lutf de tJouveia, Julio Braz da
H-galhaet Ca4vet, approval pl-namente ; Fran-
cisco Duarte Cruz NeKo. approvaio simpiesnvm-
te.
-.* Lima, Manpal it ^U4 Ua/rus,
^ypo \vira da Costa Sobriaho, plenamente.
lerico Mayer, plenamente com dis-
ebactiio Gomes de Carvalbo, plena-
memo ; Jqse Vassimon, simplesmente.
o aaao. -D. Eiiisa Pinto de Miranda e Mariano
Francisco da 3ilv, plenamente, Antonio Ferreira>
do Refo e Manoel Pacheco do Lima e Silva, siui
plesmcnte.
7- anno. D. Maria Antouia da Silva, D Caro-
lina Araalia de Carvalho Chaves, I). Elvira Theo*
linda e Ignacio d>s Passes Ferreira, plenamente.
8." anno. Au:usto Jose Riheiro. plenamente
com di.-tinccao ein toJas as materias, inclusive
iaglt>z. j- /k(
8* anno repctido.-D. Alexandrina Rasa de Je
sns e D. GuilherminJ Joaqnina da Silra, pJena-
uicate em todas as materia--, inclusive inglez.
19
A nn rtalidade da ctdade do Rio de Janeiro,
duranto a quinzena de 1 a IS d i corrent<*, se-
gundo o blcuin do Sr conselheiro Poreira Rego,
prcsidenie da junta central de hygiene publica,
toi a seguinlo :
Causas de morte.-Febrc amarella 7, ditas re
miltenti's e intermiltentes 88, variola 70, tscarli-
tinas 8, lymphaliies (erysipela) 7, bronelntes e
pneumonia--t-t, congestao pulinoaar 7, tuberculos
piilm mares 6i, leto;s orga-ucas do eorari) 20,
diarrheas II, alTeceSes do figado a, plilegmasias
ceret.ro fspmbaes 11. cngastdes crebiae-- e apo
plexias 2 convulsoes 13, desastres I, suicidio I,
iqorlos de nasci-nent) 20, oulras causas 96. -To*
tal 420.
Nacionalldade.-Nacionaes 278, estrangeiros, 129
ignorada 13
Condijajj. Livre 347. escrava C'J, igmnda 10
Sexo.Masculino 25i, femioino 166.
Idades. Ate 7 anno* Hi, de 7 a 2o 68, de 2'>
a iO, 77. de 40 a 33, 71 ; mais de 53, 37 : igno
r..:la :i3.
Localidade.-Domicilios 292, hospitaes mihtares
9, olios civil 119. t-
Sobre esia estatisiica fez o Sr. conselheiro Pe-
reira Rego, as seguintes observa?6es :
C unparadp este quadro cum o da quinzena an-
terior, cenhece-se :
l, que a mortalidridefreral omservou se nas
iriesmas |iroi>orQo<, Jan lo-se apenas o augmento
de urn fallccimento.
2*, qua a da variola, embora menor que na qnin
zona anterior, Qgura ahlda no quadro com a
ma or quota.
i', qua a .la es;arlatini foi urn poc > superior
a do period) antecedent*, quo o mesmo aeon-
lee.'J a das outras pyroxias.
4, que a das erysipelas cresceu tamtte n ain la
que pouco. .
', linalmente que o rtiesmo acoateceu a das
uv Ie>l,as agulas do ap.iarelho ecrebro esmolnH.
o ciiiirari') do que suocedeu a das do apparelho
respiratori >.
A t-inperatura se as vez.s exageroa-se aeste
i,eriod i f ii em geral supporuivei a favor das vi-
raro-s fre,cas de SE, e le algumas cliuvas qua
cihirao).
Sin saiMii Io o cabr a 80' ate o ilia 7 seun na
ma.iha de G, e!evou-se no dia 8 a 86f, para con-
tinuar em piopircai miis oa men >s eqoivaleale
av ao dia II, depois do qual come?ou a baisar
da luauuu
A di

Sjjmp.isla do Dr. Marques
\ dire mi|
twowSmuW-lt e-Tjneeca tie Nrii i. 0 e"nji3
quasi todas localas do qtiadrantd de SB, a saber :
i, 2, 3, 4. >', W .11, 12, 14, 13, mareanlj o pluvio-
m.'iro para sua totalidade 60 Inn.
Suprda SJem urn dia, 2 a tarde, e SS'^ em
nutr dia 9, t tmbem a tarde.
0 in*mi'-lll**riii'l>ar:i, je \'illa,-N ras e 5 roinutos, che^ando as estacdes do Porto
das Caipas .is 9 boras e 18 minutes, do Santa
Anna as ft^-hora12 'i a f >i li^n '1jintH
4s 40 boras e 40 miautos .Na primeira desj
Ucoes esav i ineorp rada a camara njuuiei
de liaborany egresidida polo cidaJao Jo.io h
Teixeira da Baileeca. e na segunJa a le Salit'Aii-
na de MiC.icd, nresidld-i pelo Dr. Julio Francisco
Torres. Suas Wgesta-les, em todos csse< pontas,
t ram recebklas c:m vi.-as a graoli naoiero da
gyrandolas, ncailo as baadas de mu*i-a, ahi
postadas, o hynino nacionaL
.iomo dissflmos, as 10 horas e i0minut' chi-
gavam os coavidados as Cach>)eiras. Cimeca
agora a esplenarta 3 brilnaqte festa que o ->r.
Itarai de Nova Friburgo off-recea a famiiia impe-
rial e aos cavalheiros que hospeilou.
Depiiis de um pequeno _dn*ranc->, principiou, as
II horas, olauto delieaJo almici le 20?) talne
res (|uc d Sr. barJo encommendara a cafli Sautos
4 Ferreira. S. M o Imperdor hofifoii os Srs
H.-.rao de Nova Friburgo, ministrn da agricuitura
e president* da provmcia, convidaiido-os para a
mesa espa-ial qno Ihe estava preparada.
Depois da refeifSo ai meio dia, dlrigirara-se
suas raagesiaj.js para um altar, que com t.da a
decencia f>r i ergnidj n> c-rneoi la i.' secjt) da
linha e assi.-iiram a beiicao da "n .va estrada e das
locomotivi'. itiv.uili o conego Lyra da Silva.
Ao meio dia a um quarto, partio o primein
tivm, no qual fain os impjrtan'.es e di versos con*
vidado*.
No pant) c.'iamado Bocci do .H-ifo, on-le o com-
boio paroa para mular de locomotiva, S. M. o Im-
peraaor apeiou-se para etam'.nar miouciasamen-
te a maehtna F.:H, a n i logar denominao.) Juca
I'enm, em que a locomotiva tomou agaa, foi ver
um grande pont.lao de arco le 13 metros de alto
ra. Na pa rada do .1/1 examinm igualmente a
machma Fairlie.Ja primeirade ta!'sysiama no paiz.
A'* 3 horas da tarde, cuegou o trem a villa de
Nova-Friburgo, onde a camara municipal, resi
di la pelo Sr. Manoel Fernandas Ennes, o jniz de
direito da comarca, o jniz minicipal Z outras au
lurida la's, re^eheram o m maaclia.
O resu tado dos exames d^ hontem na Paculda-
do do liedicma, I'oi o seguinte :
6* aaao. -Join do Deus da Cunha Pinlo, Ra-
miro Fort s de Bircellos e Luiz August) Cirrea
de Ajtivedo, a.iprovaios com distinct-o: Antonio
Manoel ta'Co-ia Guimaraes, Joa pii n })<'-. do Me-
:i"/.es Vieira, Jos6 HoJrigues Peixoto e Manoel
Moute G'lio o, approvados plenj.iie.'ite.
Ueixou de .>.inparocer um almnuo.
- 21
Do'enderam hontem these na Faculdade de Me-
diciua, e foram approvados os seguiut-s aluranos:
D. Jise do Soaza d Silveira, com dUtuwcao ;
Leocadio Jo>e Corn'-i, Le meio Gj.nes Pereii-a de
Monies, Luiz Alves Pereica Junior. Francisco Mo-
reira S.unpaio, Paciiico Ssteves Yalladiire-, Pru*
dencio AiiijA-t) Sur.ani Bradla-i e !<* R')dTigue<
dos Santos Fluo, plenammie.
Foi hontem onferi.h na e.-eMa Central^o ^rao
de bacharel em sciencias inathcmatfe'as e'physicas
a..s >*guiutes al jinujs :
IMapir do I.T.giment'. 4e artiHtoria a carallu
0 dia de inaior m:rtalidade foi o dia 6 em quo.
houvo 10 fallecimentis, o de .r.euor o dia u em
quo se d-ram 20.
A media diaria da mortalidade geral toi do 28
R'o, 7 de dezembro de l8/3.-Dr. Jose Perttra
Rego. i
0 resultado dos exames. de hontem, ni i-actil*,
dade de Meiieina, foi o seguinle :
6. anno (clinics) l* e 2* turmas.-Galdiio Emi-.
liao das Neves Sobrinho, T -lasc) Lopes do Go-
mensoro. Gcrmano Augusto da Silva Chaves, T.io-
maz Pimentel de Ulhiia, Francisco l.eopddmo
liueno de Faria, J -ao Plinio de Caslro Menezes,.
i . tano dos Sauio". approvados ulonamente
2.* anno mcOico. Frnnciso^ .:.., ..mi-.n da.
Arant"s Franco, approvado comdistiac^io ; Jo;e
Nogueira Borges da Fonceea, Carlos .Jose Botelho
e heocleciano Julio Pe-ado, approvados plena-
menta ; Antonio F'raucisco de Meirellos Leal e Joa-
quim de Almeida Vidal luuior, approvaJos sun
Cisco Ricudo Varella Lessa, Antonio Jose Je Mel
lo Soov.a, Francisco Tierezio Porn N d*. i. Fran
ciseo J.se de Mello e Souza .'uuior fi Francisco
'Jose de Kr. i'.as.
- 22 -
H infflni as 9 bitrtl da manha; o Dr. Lliz C-.rlis
-le A.'.evvdo C ih'.i, meJieo geralnioulB estfmado
Q.i !i :rra d i 1'irahy. fd assissmkdo atraijaovor
um e.i-iavo, maraior em sua -a-a. e prten*ente
ao Sr. Luiz Faro, cunhad do Dr. Cunha.
Saliii este pela porteira Je sna cask afim do se
guir pan a 9Stac*io da Rarra ? embnrcar vn trem,
lo, tj'iando i ecrilvo que
la, liccommetten-o pelas
fredo do Freitas Noronha. Gabriel
Campos, Eluardo- Rulino Gomes, Rodrigo L ip-is
de Urilo, Aarelio Augusto Vaz Mello, a|iprovados
nlimamente ; Olympjo de Paula Caudido, Gabril
Lopes da Silva Potto, Leopoldo Bella Pimentel
Barboza, Alberto Vidal I.eite Ribeiro, Lamberto
Cesar e Andreini, approvaJos simplesmente.
Em uos quartos a rua da Passagem u 20, rn-i-
diain Manoel Rodrigues Vieira, sua muiher Maria
Leite da Gonceicao do Jesus c duas Glhas mono-
res, uma de deus annos e ouira ainda crianca da,
peito.
Clti.namenlo Maria, depois de uma allereaeau
com o marido, abaudonou a casa e os Jilhos. 0,
pai, para cio v.-r morta a criancinlu lentou ali
i;t on-la cmi leite de vacca, mas nao canseg'aio'
o que deiejava. Entao vendo a lilh'a diinharr
'Jirigio--* ao subdelegado da froguezia da'Lag>Ja,e
narrou-lhc o que oecorrla, s'ujeitando-se a u;n M
r. mio r.izoavei qom sua m.ulher e ate a pagar-lhu
uma pre.vtacji) mensal comtanto qua ella rece-
basse a lilha 3 amamantasse-a : Maria, norem,
hao quiz accedar a proposta alguina. ChauMda.
apresenca da auloiidade mosirou-se inseasiveL
aos pediaos 0 reblde aos coaselhis 0 admoesta
rfles, ne:n p'df coihm ive-la 0 Laspaaoso estado da
abatimento em que via a misra Jilhinha,
. Conio por irrwic, declarou Maria- .ijjia so ti-
m&ria conta da crianca, se seu
dfaeJM do toJos os bens que p issue aqu
Porlugal. ...
,Nada podenio obter, determinou a aunrid.ule
ads se iji.sd exame medico e vai proceder na
rorma da lei.
-.20 ,
Teve Sugar ante honte n a iuaugara.a 1 oSB-
Ljifi da ?.* sec*jaVi da estrada .ie ferro de Cadla.-.
g.|lip....... tl,
a;s 7;lions e 3 ufin-.H'W da in.inhi parlio d>
,"/onta das bar.-as fliiiiuiunn-'es um vapor da C>in-
paul.ia Ferro Carril 'Nilharohyense, transpjrtahdo
:jao M) SS MM. Imperiaas e suacomVllva, coino
grjande nuuiero de couvidaJos, enlre os.quaies al-
gutuas ..seuaoras, 0 Sr. rainistro .ia n^icalttir-t, jjj
se p;/.era de emboscad
costas a cravou Ihe uma faca na puca, e nao satis
feiio com isto, esmaga Ihe 0 eraneo.com um tijoln.
Em se'gnida 0 assafssmo matida 'dizer a e-posa do
Dr. Cunha que viesse buscar seu marido. Diri-
gib se immediatanientu a cavallarica, sellou uup
animal e poz-se em fnga.
l'".,i. j>irfinV nl'ei0 n V,iii-a'ia e n.1:> :n -.nir.i.ia
arrepen.Jimeiit) do cri.n atroz (ino commetteu.
- 23 -
Fez-sr hontem, na esq.ila da Tiro, do Oampo
Grande, exorcicios e expel ieoftlas, nao sc i.-mca-
nhoes KnJps, chqgados Ja Kuropa. c com aperfei-
C'lainentoS uIHiiiameide iuirodazi'Jos peK sou an
P3.'anS pharmaceulico (exame praticoi.-Al- '"r. "ia; tamb-m em foguetes de gaetfi, projeitis-
" iel Benedict) de 'g'-etes Martin", em-annas retro-cargas, com quo
ajroirante fraace*. q_cljefe da esta^AQ inglez-), qua
sa aoham ac'ualraenjle npste porio^ wdadores, de-
p^tados gi-raes e provincials e outras pessaas
gradas da.nossa so.;ieda.de. 0 vapor, ai 8 horas,
cqaafiguio atracar, depois de algiirna difllcalJade
por causa da baixa-raar, a pint? provisoria que
a Coaipanbia Ferro-Carnl possue em San'.'Anaa.
jla Nit eroy. -.hi se JWhavam 0 president a 'da
provjneia e o seu secretafit*, 0 Dr. chefe de poli*
cla, 0. eooimaddante do corpo polirfal ft divert
cavalheiros que se eu^orjWarain aos viijantas;
jae djihAnflajvam^ vjjla da Fribargp,- 0',jj* b
ulh.i 'de irifaarana deimha fez as.devidas conti-'
nencias.rt SS. JJM lipperiae.', .tocandp a banda de
imtsiiA "do /ttpjwi iOtpa o ftymno nacibnal.
Qa.trj rlebantes carros de trimVa aito;luga:
ra-.jO jle bi'.uU esjr'e ta osperavsm os daiisigeiir.H .
..., r- -.. -jtrcta Qsperavam
0 ufuni'-i earro for deiflhad): para SS
j-rino Viriatode JM-nJeifo-i. approvado com distinc-
ii-; Coruelio E^uiio das Neves tfjlwaid, .Li*s
j)Aa Fallen 0 Autoaio Aiohafias AJvares da Sil-
va Jnnwr, approvrtjios plenanwnte,
a* .torwa Prud*ncio A mas to SQ-taa. Bran-)-"i v,
-iHiod^RJMBiiies jgs^irivel iJanior, Femaodo Al-
fa rto Vlaira de Law** a lan-iei Felizardo de Aza*
vo.lo. apjsrw tin*. piMM0e.nt..
i. am, .(iMHtafASutic. (axavie pratici).Ail
*V'i 1" Arat?jo Riheiro, Antonio" Jiaria fei-
xr- tm-y, AolouiV de S-iuzi Quaargo, approva
^^^.-wiN-diMinccia ;|ojiquiu) Jose da Avaivo, An-
t.viio J-,s4 de Paria e F'oncaca. J/se Je. Aadia!.
!' M-nirtii* fc^.Litrt| fa^tof jraunr e dauoel
. Paraira, azjprova-lorv yl.ifljinetHa ; Ant mi i
'***&.*"*'Junior J".|uitn Migaal Duque Es
tig* K>ai.^3-to-j do Mdts 'Gospe*. >P
.* aplesmente.
,.:-, e.leaa'jiHft se pr>;edeu u;tiiuaa>e-it-.no
irtstnu.. memri-H cej;-, .-ahiram afprcva-'o's
a.-j alumnos segqin'Os :
6." anno (clinical. 1* turaa. fVancisco Pare- riaeve papa.aquellas pessoas a quern 0 Imperador
quizes-e (jtsMnguir.
. ;Um qqarto d-j hpra depois & chggada, .naqriw
0 iBeqirU* MtMKsAjg.'e, cv|ustr#i.^a..ajyw de
tkiltt,,'< e-jtspjtfia-a e jHJde aceowinddar grande
porcao de cargas. Eram 8 'horas a 2/ nunutos
quaadu u**wu -wni|hyi*,jiela. esta;ao de, S. ejalo, qae e.jjo grand* wmplieidad 1, assim como
0 saoa- ae Alcantara, de Guaxiadioa a do Villa
Nora. Fela primeira, passou 0 trem as 8 noras
3" m-flHtos, J#> seipnjt-v as :8e 44 m'au-Vs, r
peja.fjtti^ra.as. 3-Jwraf e.M minutos.- Daoi
hiBUiMkKte da.dous minutos at)a estacio de
>. Ha Nova, perteocente a companliia do Canta
glla.
A eatrada da Companhia Ferro Carril Nilhero-
nyonse 6 btini *n*jruida 0 *em alguns trabalho*
de arte3 diguas de.exame; possae uma bella.
ponte sobre o rio "Jcaatara, e di versos ponlilhoa*
ciDitraidos de Canwria. Pddo-se dizer qu; tarn-
uem a'."-Jcatam fez em estrada a sna inaugu
r^atvefftsial- P.* ella'->coistrni.ia pelo emprei*.
telro Domingo? Slootina!t>pe8do 0 sea engenheifo.
so aehi hoje armadox) nosso excrcito.
Os ex. rcicios lorii-h feitos -par Ibrcas das tres
armis em preseaja de S. M. 0 Imperador, dos Srs.
ministrosdagierra, goBeraasda-BardoGivea, aju
daule general : cons$lheiro Rap.i-o, quartel-mes
tre general; Beaareptlre, conimartdahic do esta
do maior de i.-dasse; 'Andrdas, presideute dtt
coinmiss.ao de melhoramentos d>> material d)
exerctto e de toda esta commissao ; de teneiite
eorane! Ayres, director do arsensJ de gaarra e
ainda em pre*dn^a dos eommandantes do !.' Data-
lhao de artilhaHa, d^'l.-regimento de cavail aria,
do 1?.* de infant aria e da da asylo de invaUidas, do
capitdo Cornelia da BatTOS ajudao'e da direitoria
das ohras militai-es e de grande namero de offl
ciaes do exereilo.
As experienciiCS e exercieios foraiu di igido*
pe!o director da escola de tiro tenenta-cirmel
Jose. Maria de Aleneastro que, icompaahado de
etnei*KS-mpreg'ado<' na m.jsm-i e-njetavaUi aguar
dava S. M. iraperisJ, achando no tairdiem foruiada,.
alem das referidhs!f..r;as. dma cbinpanhii de o-n
Ciaas a pragasalo oxereito qtie, como alampos, re
cabem instruccao do tiro da sua respectiva. aj m.i.
As experieniciascxerckws foram cow&dos do
mais'Wiz res'ilnilo; ti rare ra es tea pr.r um case
nljec^riiie sa a? praaas das trtB arenas achamsse
jjvhablniadas coni asttivas ir.Tias; qoe ora ihe
iB'irido Ihe'liiessi r*"afl* c_nfiaas ; .e toi dbjacU) daqaeltos-' .exana-
1 issue aq'ai e em har so siio ou nao vantajosos as atperfc3.)4meritos
f-jMs pelo oapiiio Aucuslo Fansto de-Sauza, di
r-jctar do labdnatoria do Cainpmho, e eta varjas
pspolet isi-le perenrsio par* 'granadae.e io trio-i
cat) para aariillnria.
irViJSidiyersoo exer^icioti .que se faeraH} 4a anna
da ipianjana com espiugardaa a CaarJaia e"Re-
miqgton. as respaciiyas pra^aa a ds^Jfifoiios la
tscola de tiro m i3tr,irain-ie.^n3)iHo faaitiarisidts
orn.Anovo armunent'a, Jinjo caiia ui 19 liros
p*ir rafnuto, a meltendo grande nume'ro de balas
.00 a}yo, 1 iJJO mojroa Je dw^ncia.. Rgjonheeea-,
se logi super1arid3.de da I- sc-bxe'"* 2s,arnia,-fuuc-
eioiwu,vo extractor muiaar, eujefhof k seu als'ance-
e di[.'.-tcia. ,
A commissii.) Je mellioraiJidui'* do uia'teriil do
xiBrcjtOjtavd 0 pr'fwer. de.aiqda um* if, firmar
mais sua opipao .s^bre a iioeosiidade. de feves.wr
cotn,.j,iii.\b0 de midaira parte da ':aco M ie:
liiate armas para resguir^af^pfj
ia grsiod* a^ju^iai-do-n>esm3 cano";'.
deltir\- as-es eapu 1- feua :p:- ,taaAjitte^i,
oh-p^fti ,a qoeimi*. omwMH^ifi;
A*wla.nee6s.sdade:&V >^kiecte re..-
por-toilM afltpessoaa.jjKe-nntes; fatizmenle
o, Sr. ministro da guerra ja ordeji^j "
pa ao os^.iwii-HssArio..j}t$ >an ''
a/'as quo ainda .tem de v'ir,
taje ^erfeicaamapKi, ap'#
fepslaecidp iBer v*rioi> armeiaH
ae9,(K>B*ii^,oj^fadv.c^W
fcw ewdiai1 qpi^o deste, e-AjJiiii
fitarhtifciai. ...
O mestno vaalajpso resuHido jnfi
exiarcicicks do cavallaria arinada -? Spencer e a Wencne-'ter : o/j-Bcai*
tes, tantci e-n direcjao como am a
muitos pryjo tisp'ato coljocato a
.dislancia A opiniiia, quasi goral,
segun la anna ; aleuj- de ser repi
prTmcIra, ii de maior numero da tiros'e
melhor.. ,
, t Ds canhoes Krupps de camoanha confirrnajam"
sua- boa reputavao ; d; alc*ncp. mujto.vanujasr.,
de maravilhasa direcgao. foi babilraenta -maaejado
pelas prazjaa qua os serviaia,. 0 exerctbio fb, ha*
ten a f.ji dirigiJo polo .major de. esudo-raaior da
artiihacia, Conba -ratios. Parte do alvd, c!lfcw
do a 2,0 0 rnrijtvs. ficoa destruida'. Osrojuotes
de-guerra funccioittram bem.
As axperitneias iobre a espoktas ale Ewer, e
de friccao, ap^-rfeicdadas peJa4yctar daija
torio do Laiii|iinho patentearam 0 ijuaqlo
uma boa e illustrada intftlh/janbia,
iwrvioo public.): as e.-M>oletas sao de vial
feito, neaounia ?: falboij.
Imps-'
AcHa-ste ha a'.tura das melhoros escdlaf is tirij
a Europa, ,a do Ci npo-Granle. Leut as melhi-
mentos qae o aetuil minisiro da guerra' mandou
ella fazefMtf ja realizados, com prfMW celen*
de e gMRde economia pela dir-.-olri*vdas abras
ilitares, e.omo sojam nma excell)^8es4ataforraa
c-iberta com alpendre : um bem construido mija
douro, a retaguarda da mesma platafor.na, com
us anJaMtjMsea la em cspiral, (eado 11 meir *
i.n Widvius pelo systema prui*ani
esquerdi da linha, e um espillio adireitt, pos-
da platafitmia, pira abrigare.n observalores en
e\i.erieacias pejigosas ; ainda mais, duas casa*
biiudad*-, ein mversas e pequenas di-
alvo para porem a coberto de tado perigo, 0-5
que obsorvaw 04 elTeitos dos tiros na me-m 1 alvo;
um grande alojamento para alumnos, e um paiol
em todas as cifsumstancias da seguran.;a cous-
truida.
0 in^smo Exra. Sr. desigonu 0 terreno antes es
colhiJo alim de nelle se cons.Jruir 0 uuvo arsenal
de guerra, pita carapo de mapob'-as e candiguo
esse terreno a linha de tiro, nelle polo nan.brar
uma divisaa das tres armas ; a reaBsacaa de e-
melhante idea da grande imporiancia a -sola de
tire, que.mui 0 increinenta tern tide sab a direeci >
d> vnente-coronel do'estado maior do artiihana
Jose Maria de Alencastro; en tai enrto espi.-o de
sua adminislrac/io apresentou ja no 1- ann> em
qie funeeiona a escola 34 alumnos forinados n -s
diversos exorcicios de tiro.
As wperiencias cotnaearara a II 1/t da manh'i
e duraram ate as 3 1/2 hiras da tarde, interrom-
pi-ndo-se apen-ej a J \/l para Sna Magest.ida al
nrarar dignaado-se 0 inesnn augusto senhur on
vjlar para 0 mesmi, nio so sens semanarios, mi-
nistro da guerra, e geaeraes, mas ain 1 to la a alll-
ci ili lade present-1. Mites dealonjo Sua Magss-
tade f.ii examinar os tarrenos, na 1 sa para a cons
trace 10 do novo arsenal, mais liinbem para 0 Cam
jo de maoobras, 0 licarau dot!ntivun-ute desig
nados, e visit-iu tolas as lepeuleucias da escola,
lemoraudo se junto ao leito da um cadela le ca-
vallaria, que, ao chegar hontem a esc ila do ttro
para os excrcicios do hoje, fora magoado por um
couce de cavallo, e recommend ou todas "as p.*ovi*
deni'ias, para qie com tola aco-.nmiiidade, e br-
vida le fosse iransferi lo para a corta.
Na Inha de t militar. aobresahinfo as barrac.w embanleiradus
do general em chefe, e de seu estado maior, a que
cum uma ban la militar, tocandi durante as ex
perien-ias, e uma luziJa guarda de honra do 1"
hatalhao da infautaria, dava liulo c marcial as-
pecto a mesma linha.
S. Exc. 0 Sr. ministro da guerra. e todas as
pessoas qua assi-iiram aos exorcHos e experien-
ces tinbarearam em trem especial na es'.acao da
ciirte as 3 3A horas da man .a, as 6 horas race*
lieu se Sua Migestade, aaempanbad) do seus se
manarios, na estaijao imperial d* S. Ciristova 1;
|)*tfa-sa na estacao das olBcinas, onde Sua Mi
gestade e a cunitiva perrorreu todas as inesmas
offlciQa-. assislindo aos sans diversos irabalh is p>r
mais de duas h iras, upftJa 3comp.inbad pelo di-
rector da estrada de ferro l)r Sobr.igy, In-pector
do tr.ifega Dr. Monteiro de Hirros, e'engenheiro
da mesma estrada Dr. Niame.er, as quaes haviaw
cmharcado na estacto da corte e semfire tlzeram
parte da comiliva.
Di estai-iio das oincinas, sna Magestade saguio
em um troly a vapor para melhar examinar a li-
nha da estrada de ferro, kendo convidaMo para 0
acompanhar 0 Sr. ministro da guerra e 0 dfrertur
da estrada de ferro ; no raesm > tro'y Sna Mages
tad segaio ate 0 Campinlui, a estacio deSapi-
pembi, a regresson a cirte.
No Campiaho, Sua Magestade e a c.irai'iviper-
coi reu, ex imirtania minuciosaihente, as deuea-
dencias do estabaleclmanto, assistia aos trabalho-
das respaclivis officirtas, vi-itou a casa do raftcha,
eufermarja e qitartel, visita em que demorau
pert 1 de 2 hofas.
Este esUbeleeimento, tao babitmente dirigido,
tesitambem sid) objecta da altenr*ao de_S. Exc j
Sr. ministro da inerra ; para darse va-fto agraii
de numero do munico>s para a armamento C a
blain e oatros misteres, ja mandou assenlar nma
macbina, orden.m para it Earopa a c.unpra -lo
outras; coroprou tambem ixn terrena Ctimiguo ao
estabe'eeimenta para construirem-se novas ufflei-
nas, e mandou Mllocar para-raios em afDcinas pe
rigosas.
tie-o ,
trar
pass."
esse
do'
S"c -*0
pear os r
vra
0 resnltadodos exames de hontem na Faculdade
de Medlclna foi 0 seguinte:
De'fcza de these. -Jose Bernardo de Layolla lu
nior, Aughsto Alv.ares daConha. Henrique Jose do
Cinno Netto, Joaquiin Man.iel da Oliveira Fig-iei
redo Junior, approvados com fHstkice'ao ; Francis-
co Manoel Guides ilaMirania, Tarquinio Rrasileir.
L'pes, Galdino Emiliano dis Neves Sobriniio, AM
fohso Pereirli da SllVa, .InVena! Tla-luian 1 ds Xe-
ves, approvados plenamente.
0 resultaflo dos exames da primeira cadeira da
terceiro anno da esc ill central, fa! a segtiitMe :
approvado plenamenle Rim 0 era) 10: Luiz de
Anhila Mello ; cam O gra> 9 : Jose Maria Fragoso
de Mendonca, Ri.-Ardo Henrique Ferreira Valle.
Jose Card 150 Torres Citrim. Arcliias Knripi.tes >Ja
Kecha Medrado 0 Alfredo Cdelho Barreta; com n
grao $: Franciso Hmorato de Moura Junior,
D0 ningos -ergjo de Saboia c Silva e Alfredo En-
genia de Almeida Maia; im ograo 7 : Jnlio Al-
vas da Cun'n. Joao Bap'.ista Maia de LaceMa,
Ino Pereira Ferraz e Augusto Satumin) da Srta
Dmiz; com a graa 6 : Jose de Magaihaes, Jose de
Xapoles Telles He Menezos, Cietano Cesar do Cam-
pas, Jose Pereira Rebowjas.. Franci?co Jose dej
Mello a Sauza Junior, Gustavo AJolpho Sambrim,
Jaj'me Arthur'de Ivahy a Julia da Silveira Vianna,
appravaios simoli'-.me'Hte cam 0 grao 0, Albino ila
ft icha Par&HfrM, Ha)rio Joaquim de Almeida,
Ag ostiahj C'M-reia de Si .Junior, Raphael Augusta
BrahMSi), Luis Ferreiwi eitenjour; Sobrldho, Fran-
cisco de Santa Reis, HIMebrandu Prnnpou de Siu-
za Brasil e Aogasto Thomaz Junior, coin a graa 4,1
Cdrlas Augusta de Avllea Bar/ao < Luiz Affmso
Braga ; om-o gra-)2, Locreni) Aagnsto Harqite-.
lliiieiro e PantateaoiJase da Jistae Sauza-; com 0
|4tr0 I Eudoro Emiliano de Carvalh >. Houve tre*i
rebravados. Oeixaram ue tear esame vinte.
24 -
Sua VfagesCida 0 imperador, aeompanft-ado dos
Sehs semanar-m, embarcou, hontem ao meio dia,
no arsenal da tnarinha e dirigio-sa a fragata fran-
ceza FefeM*. oftde aMistio a diversasmanobrtise
e'xlereicios vMta*'as'^'lioras>e meia da tarle.
0 r.uliado .1* exames de hontem aa Faculdade
daHedicina fii'oseguiate: .
Defeza de these. Jose de Macea> Cordeiro .d*
Segretros Lrtbate.\Guilhenne Pereira da Silva Bel-
mante e Joao fleni-iqoe ila Silva Coiitiubo. appro-
vados com dtetttepSo'; AntWio Dias Ferreira, Ma-
noVd^Lapes-IJlorttelrn detO*reni, Paulo Barbosa
.Pareira da Cunha, Telasco Lopas de G-otaeasoro.
Fernando Alberto Vieira da -temos, 'approvados
pjeftanieste.
- J~
A provincii do Rio de Janeiro acaba do reali-
sarcanr Rsongairas cABdlcfles a'emissio de 3,000
a;lie* de W|000.
OstfftMoe," qae ven arjno ? eontar sotBeata WpYimeiro'ae.jaaetro pro-
ximo future em diante, foram tornados ao par, nao
pagando a provincia naahnma commissao ou cor-
1-dtagem.. Ae^festMas W>ni >|l|iHaafaHWp do
-itpprestirao ate 3,1 do corraate vaoeerla 0 juxo na
faa-ao de 6 por cento ap
af lapit 'MAopssP Jar la qae;. e | l|pl In pYhfaha-
i>erseguicaa do iuinjpgo, anenas tia*ia tido temp >
de Jirigir'lhe hma'oirt nun;cacao sumrriiria*. S
gun la esta Csr.iH 1 81m? h, flopif^ de nnsa t*
caramue* com 0 exeri da .J.iin:a, rctirara so
bra 0 grupo das larca* pe Lopez Jordan, qua
cahindo entao sobre 0 inimigo Ihe desbaratou
a cavallaria. A infaotaria, formaado quadrado,
a aprehendeu a retfrada, mas debaixo de am fogo
nortifero d-i infant aria e artilharia fordanista.
Lopez JujAan, teuJ-i toma lo ja is irapaa d> go-
vern 1 a- sins 14 ji 1 ande camoanha prussianas e
toda a bagagem, persegaia as sem dar-lhes re
pous0, e como da lugar lo combate a cidode do
Parana havia nmas triota le^oa-s, estava certa de
cellior as mios 0 mesma Gamta com os re-tos do
sou exercita.
P. r miis exageraiis quo sojam Je costumo as
paries oinciaes dos generaes argeatlnus, nao t
cnveJ qae Giiuza tivt-sa annunciala para Bue
nas .tyrea um triumph) cimpleto no momenta
e n qua ano- des.astr.isa derrola se re!ira^se pro*
eipita lamente persegui lo pala inimigo. A nai
ter lie 1J 1 in 1 -cisa a vet iria, c>rao ;i tec, e a ser do tilo 0 panto falsa uma dessa*
versoes, iiiclinami-oos a crer qua 0 saja ados
rebelles.
Um telegramna filla tanbe-n da derrota do ge-
neral Vel.a p ir fonjai jardamstis.
Os ioraaes da Bue.ios-Ayres pablicam nova par
te nlBcial c"o ministro Giinza. c mflrmando o derro-
ta de Lopez Jordan, derrota q n 0 masmo mi-
nistro eonsidera t.ii conpleta na$ 0 que resta a
faz-r em Entre-Rias e miis obra para de-taca-
menta de pdieia do que para un exercii). Am
Ja a-sun mandaram-se sihir co'.u-nnas de tropas
em diversas direcedos para impe-lir a formacao
de giternlhas. Ign u'ava-se 0 destino de Lopez
Jordan ; fora visto, porem, aassar p)r varios pan*
las segoido apeaas de algnns hemens.
Ao Estado Oriental con;?avam a eh'gar muitos
euiigrados das hosles jordanistas. Das forcas do
general Caraballo deaanlaram logo algans esqua
droes, apen.s se soube da derrota solfrila pelo
cuefe da revolucio.
Dizia-se tamne 11 biti.ios os iniios.
A Prensa de Uueaos-Asres da-nas alia idea dos
annamenlos argenlmos. Existen ja no arsenal
muitos milhares de espingar.las clavinas d;i sys-
tema Remington, recentemeute rhegadas dos Es-
lados-Unido.s, e aproveitando lanibeui onlras do
sy.temi a itigo pi.lemse armar regnlarmento.
loO.OOO homens. Adv.-rtindo que as taes espin-
gar.las Reiniogion sao tao boas que um saldado
aasiin armaio vale por dez. CalcuJs se a for;a de
tal exercita.
Esiava tuinbem fuu loala no p >rto nma galera
uorte-americana cam nove canhoes de 2,0'JO arro-
bas cada um para o governo arge-itiiia, e 70(1 to-
nela la> d* projeetis para os m.-smos, entre balas,
metralhas, bombas e granadas. 0 omprimento
de cada canhao e de iriais de 20 pal inos sobre cm-
co a meio de hrgura na pane mais gr.'sa. ea
calibre e da 500 libra*. As balas sao conicas 0
de 2 1|2 e 3 pes le coinpriiueoto. Cada peca tem o
sou appareiho para to mar a carga e a bala e de-
posita-la na camara, nao tend) o artilheif) mais
do que chegar Ine a logo
0 embara^ii estava agora em Jesa.nbarcar esles
monstros. \an. eatpreias lisham prepysto en
carregar-se deste servic/i par sommas quo se ele-
vavao ate 4CO,000 pesos, e uma c-junnissao 'Jc en-
geuheiros e.-tuJava a questi).
Era isto apenas uma parte da artilljaria compra
da. Tinham-se recebid) d> barao Krapp phota*
graphias de uutras baterias gpandes e ale de pecas
para b mibardear globos aer.Htaticas.
Ate marca davia chagar o primeiro navio eocou-
ra.ado e d.-ntn. ila an) anno a esi)uaJra amentia*
devia eontar dnis encourai^iJos graudes., 1111 mo-
il horde torre gyraloria, quatro canhoneiras cu-
e coura.^idas, oitu ou d.-z tuVios le ferro coin arti-
I aria Krupp, quatro ou cinco avisos. Ainda bem
que para Iran |uilhsar-nos cone I ie a Prcr.ji :
. Eataop.lera a ropublica eolaaisar as suas-
terras mais apartadas e prateae lis com. marinha
propiia, e arv.irada em Duas navios m .str..r a sua
baadeira iis nic<5es mais U-ngmquas. ,
Em Montevideo foi pre*u o coronet Fortunato
Fl .res, como implicado na descoberlo pleao dere-
vclut-ao.
As" ell.-ivoos linham principiaJo a f..zer se tran-
quill iiil-.lto.
No TelegaJpho Maritime) de Mon'.e.ideo le-se 0
seguiute :
t Um brasileiro, Joaquim de Fortigneira, mora-
dur na Candelaria ( Paraguay ) que se eatrcgava
ao cnltivo do tabaco tinha a casa cheia de rates
que d '.struiam nao so a sua roupa 0 a de s-.ia esti-
maval famiiia, como os moveis e mautiment-is.
t Qiereudo ver-se livre de tao in omm^dos
moradores, fez uns bolozinlms bem ciicios de ar-
seni.-o e.expalhou-os por toV. a casa. Alguns
dosses boloziabos cabiram. S3m duvida. nj.galli-
nheiro, e as gallmhas uuriscaram-is. So dia se-
^tiovihcia Sxti
jiiJcJancia de 78Q;
asao e juro de o poi
em let'ras a pTito de' urn
na,
l I I
MM
DtSEEMBRO D
*islda imp.rlo
ein nosfio porto 0 Tapor In
dutas. do Ri>'da Pratn IV.
i.8,.-do.Earan% 13, de Santa
raasBeMfearlBj de S. PanJo
ifroto edaBahla Wdocor*
ireato-c n:nllopfl*5lasta}rr^b:*
0 :jwi Vavaa",o a.-i-e/a{SiaJ.Fa.:.
.. sui mios esr/a provaydo o <;'.:
icionadi recibo "10 pa^arhefiki da
.ar caaT do gesfJ-fna paraiio' .
i.) .."-eseuei(i|ue 0 coiEi|4Ln'a"'iv
certiiicara ter'recebido qul?ll* pas
umpcda.'e 0'raesm > p-idia.n cikihV
ige-os e de*iamo crt-r na oatJ-
ia-.A->*i da ar*ada bras.Aira-
" Fie. r.ie, come --viojo
o iwrai 1 tarde, antes disso-.ria
provldi.icias, que meseriam com-
ga lialias e um frange
guinte apparecerain duas
inorios.
A inulher de Fortigneira, som suspeilar, mesroo,
roimiiameule, a causa disso, e sem diz<:r sousa al-
gu 11a a-i marido, en-ip.ui as qtallinlias e 0 lrango,
esetvioos a mesa, quando a fami'ia sentou-se
para coiner.
A famiiia coinpiinha se da iiuiibe:, marido,
quatro lillios, um d.isquqes peqaenmo. uiaatiada,
inulher edous sobnulios do Fartigueira, que. este
mid lara bmcar ptra auxiiii lo n)s tfabalhos do
cantfio : total 9 pecsoas Todos coiooram com'
appetite, e depois de concluida a refeicab f.ii cada
um para as suas occupa..oes.
< Qaalmao foi 0 assombro das visinhos ijoando
pelas 4 boras da tarde euviram gritos laorriveis e
iamentacoes ean casa de Fartigueira. Aecudiram
imnicdutamente, e depararam cam 0 mais, enter-
oecedor espoclaculo. A famiiia inleira retorcia-se
pelo chia, daudo gritos c exclamaivi-'vo marido
que tiaba milhares de demonic* dsntro "
corpo.
u Q i.ando acudio 0 medico, ja era tarde- Apciar,
dos aeus esfopc/is, so pd-ia salvar um at-.* meiiinbs
e a tia, morreudo u resto daquella :v-v-el -famiiia.
no mei'.'das maiores angustiaa. ^ .*
A populac>o esta coos'.ernada,-e ueixando:se
pqsssuir de colera, queria uo primeiro niomento.
malar 0 iiolieario que venders a For.iigaeir'a o ar-
isenico, nao-podeudo por em pratica 0 inlapto por.
eaosa dasreflexde-! ipie-lhefez a diga'aauwr-wa-,
de do lugar.
Eis a nota diplomatica a que j-. refore,oos'so,
correspondente-:
Legacao imperial do Brail na republiia Ar-,
goouna. Bueaas-Ayres, II de dezembro
4873.
Exm. Sr. ministro.-rOpaq jete a vapjr ^ii^a-i
bj, sat; 0 cjiniaaalo de um primeiro t.-ueni* ho-
oorario da armada brasilcira e sub-adiada peJo;go-
vemu impe ial para trauspirto do sua correspeo-.
dencia com a provmciade Matlo-Grtn*(C a saa Ja-
g4fio ni Paraguay, entrou lnutem neste porto, a^
J horas da manna vied) da Assamp;5o- ^-devia
bOutoni mesma contiauar a sua viagem as- (?i^-as.
da tarde, eo que estava obrigado pet) seaitiaara-i
rip.
t Momentos depois da chegadi S6 awre&mloa a
seu txirdo um official da capitaaia do poripK* pa
dm Io a lista dos passageiros, q ie ihe foi exnibida,
exigio que setae entregasse preso um deties,.!).
.Manoel Florencio Rtvarola, a pretext)qae a^ueile
devia pariir as
as neeessarias
munieadas.
a A's 5 meia h iras maodon S. Exc 4iz*r-me por
um olll'ial e npragado na sua secretaria que 0
Cnyabd na > sabiria deste porto sem que 0 com-
mandant.) entrej.sse aqnelle pa-,-agelro ; que ne-
se sentido linha dada as suas ordeos e esjierava
quo eu desse as minhas para eutrega daquelle in-
dividuo.
Por este mesrao otBcial mandei dizer ao.Sr.
minisiro da marinha que aquclle pedido extranho
nao me tinha sido feito formaluiente, a em devido
tempo para impedir a demara do vapor, e os in-
convenientes e prejuizos que disso resuliai iam ; e
dariam motivo a urn pr.testo e a redMnacTies ;
mas, quando uiosmo oineidmente me fosso feito tai
pe lido, na 1 seria possivel satisfazer aos lesejos de
S. Exc, porquo tanti para mini como para o com-
mandant.; do Cuyabd, L). Manuel Florencio Riva-
rola e um teneaie-coronel do ex-ircitu paraguayo,
como tal recebido na inolhor bit fa a bordo de
um nario brasileiro, c un a viagem paga peiu go-
verna daqnella republica em paz comno-co e ta!-
?ez a seu service e que me nao 0:11;.elia exercer
sobre etle acto algum de justica e men as pralicar
a indigniJade d^ 0 entregar a ptisioj tornandi w
a-siin agente da policia argentina ; e ;i vista de
tacs dilliculdadVs, de novo pedia a S. Exc nao in1
.pedisse a saiiida do navio e axigisse se qnizesss a
extradiceao de liivarola do goveruo do paiz para
onde ella se dirigia.
o Prontetteu o 0 flcial de me dar prompta re--
posta. Nao roltando ate as 7 horas, pedi ao con-
sul geral do Brasil que fosse vdr 0 Sr mimstr"
saber que resohiejio tinha tornado ; expir-ihe d-
novo lidas as ra-oe' ja dadas, certiiicar Ihe que, a
vista dellas nii > podia ella exigir, ne 11 eu autoriMJ
a|prisao do mencinaado pus?age.ro.a inslar pelo des -
inlpeli n ui'.o do aavio ja retardado. A resp-ist*
verbal quo tive loi que eu estivesse trail quill >, que
se.daria tola a* pr..videuci is.
Nenhuma soiaeSo tendo eu rocebflo ate boje
as II horas da mmha, foi, a mail peli.lo a aer>-
tario desla ItgacSo, aeompanhado do consul ceKti,
saber do Sr. miui-tro da marinha qual a decisio
que havia to'iiado a respeito do Hut') M n da :or-
responden.'ia ollleial e pa-sageid->s que se aehava3
a bordo.
Mandou me S. Exc diter que purora nunho-
ma, e qua entretanto nao podia permitnr qua >
pa |u:e sahtsso deste porto.
Levan 11 aa conheeiraento de V. Exc. se;o-
mais co.nmuilarijs, a fiel oxpasipaj J > o.'c-
rilo, que sera igualmente snbmetlila a con-
sideraeao do governo imperial, ivjjas ovdeas '-
gmr.l', desde |a. proiesto por tolas os proinisa-
e damno> ean-al is ao paquete Cuijnii'< e 1 e;\s
pas<:ig iros pela indevida reteneSo n* one os owigam as autoridades argentmas, e coo*
tra a ;'alta de Ittencfia com que furam acdlud..-
as minhas justas represonta^das e os aini'_'awis es-
forcosqoe tiz tiara evi'ar nm conflict), r>--t-rvan*'j
ao governo imperial o direito de exigir a repaiu-
c) que julgar ser-lhe por isso AeVida.
Apr vcito ,0 ensejo para reiterar a V. 8xe.
as seguraocas da rainha alta cqasMernnao. -/-
ni 1 de Arngunyn.
RIO 6R.4NM OO SIX.
Inaugnrara se a 1 deste mz a esl.aeao te'e
flraphiea do porto de S Lonrenoa.
- A snbserip.-ao em fav r das virtimasda inr.e-
dacaa, agenda ta em Bage,-renderal:-i*0O*.
Fijra assassinads no Cangussii a rilada*)
Manoel Jjaqoim Terra, por ntn esrravo da Sr
Ueleodaro de Arevedo, que com nis datts pai-
ceiro^ anlsva fngido e occulto nas matas jaacu
aquella villa.
Haviam fallecidj alii Severino Silvi.ri 1 d<
Amaral e a capita.) Gabriel Jo*6 Giv*>heii'<>.
Refere .. Jai'wtt do Commerdo, de KtfMSRi
Oo Passa das Pedras onde OHlmaincnta >WH-
dia, veio hontem escoltado e -foi -reeelbiue a pn
sao 0 celebernmo Dr. eoronel Joao Samrnino
das Reis Friho, individao aqni tiastagte cod he-
ci.ia. 1
Peu C3nsa a prisan, segondo nas informam, wr
o Dr. caranel tentado, de ftiea em ponhn, viotentar
a respeitavsl espesa de um efifermo que s confiar-.
aos seus cnldados meMfcOS
Depois de i|oi eis nw9 de viapem (1>-
dis^) ctiegara ao-Rtn-Grandc a e.-emfa franeeza
Saiitte Anne, procedente da Marselha, com 20 set
lonos francezes.
Com referencia ao a'sassinato de -\nlanio va,
tenthn Qasresina, de qae ja iiemc-s notlcia. Didrfb *)"fi'-iiwffc:
Fej-se 0 corpo de delicto. s 'pa Has dw-
raya-n que-o (erimefllu f.">ra feilo por bath e qua
'era mortal. Pels aufop-ia,-que-so-leii-e>pei ao ca-
daver, recanheceu-se-ter 0 projectll, t-ntnwdo nc-
rosta, junto ae narlz, no lado direito, d&frBtd&i
partes internas i cabei*a.
Tambem se fez exme de'vi**riitia htgai ...a
que se deu a crime, e o solo nao apfe-entavfco
menor vestigia de-luta a cavallo.
a Par am inqueridas 24 teMemutthiK e info.-
mantes. Ht uaia lestemunha de vista e 01a
informante, Reimiro \alentim QasTesma, gae-
prasenciaram 0 crime. AfflrOram ellas qe 9ti
0 crioulo Fruetnaso, peio do Sr. Joaquim:do Co*-
la Torres, quera aiirou em Antonio VeJeutim-QiiB'-
1 resma.
i.) Das-outras-testennmhas-celhe-se a corfvie^iki
' de qae Frncttioso.'ha mnito premediHwts aUentai
cotllra a vida do sua victima, ja indo -per easa -de
nm Visinho pedirpapei para fazer carjdchos.ja'di-
zondo a outre? qne daria ca*o de Qiwreshia, nu-
oifestanda sempre odto para eom aqneHe-':qae fi*
nahneni^ conseguia roatar.
! a Epnr nma dechincao -jnrsda-j -tomada **-
rante a sumridade ponelaJ, A-nrawo- ^alentim
Qiraresma nao expiroa sem Biter e nome -do :--m
matador.
3*w '-seto as tostetmmHWj'e algnows nt*iw>
dignas de fe, que ouriram ao ferid>v oWferair an-
fuiu 0 criouto Fructuosoo-sen aWwi-sori
.vsshn para-nds parece:fdr-a-fle 'fed;e qttat--
ll2 qWf Mfcussao, a versie-de:jffletWi 'Bi-lmiro Va-
^ fcsrtim- x>iiaresm*';qie; vinae em 'so^ftwSrb -fle--!"^
innao, 0 ferira, errando Fructuoso, em auen
atirara.
Os cslrmes'aHemaea st*vam pramovendo a
assigaatura de mina petioto am que reckmnm que
ttrtfrer seia retirado de 8. 'Leopoldo.
No dta pwteadia.^oaoeiedsHto 'Jittdrariad**
'Pbrlo-Alagre, iutitulada Parthenon, dar um sarao
etn que sc fazia ouvir oradera, a Sra. D. Lu-
cjana de Abren, qae fauaiutaa--pfiit4m>l|bre a
elucaeao,da mtUher. ,
.. Na Encruzilhana tt>n assectada no dia 27 dc
passado a pedra fundamental do ediAcii de urea
fabric1- de inarmores.
Uuja corneisRoudencia dd*BAge,)jira .0 Cobs-
tkiwioml, do Porto,-Alegre, dl?'qu'e' fij-j allli voi
publicaqae a filnadqSr. Vitlapaoha. ha ponces
nlezes ca-aJa, aae se.uiicidara como se procurara
Negouse, como devia, o com mandaa**
Cuyabd a tal exigencia, dechirando nao -ser elleigj,.'^
'emprestimo vai a aniondade competento para permittir a prisao oa
'uctn-ittta na tin* Jtxtradicao de um pasageiro, sendodiaai3;a<)il
" le couneewie ceraa lenenta-ceronei do qr-t>ja,-
raguayo e ter embarcado a seu bordo era Assiiflfp-
fio, com viagem paga pelo governo dai-aeUa re-
publica at6 Montevideo ; o que elle csrtificou oao.
so com aaua palavr.i, como tambem com 0 reeibp
tmpreaso dc pagametita de da pa-*(vo-e1wio ti
assigtialo pelo agente do ipor naCa
riitfcj.
Determinou entao 0 ofRclal da (Sapaanla'da
Alem do que daa-is sob it robrtcAs P.&te Offi-
cial, JtMer'w b'Interior, eocontramis nos jor-
aeaoqpa segue:
BIO DA PflATA.
A' mianciisa a inleressant* missiva do nos-
so cxrespoadente em Buenos-Ayres temos a ac-
crescenlar 0 .nie segue :
Ao pisso qu* as j.ruaes de' Buano3-Ayras exul
lam cotn a vicDria dd ininistro eoronel e agora
general Gdnza, quo deva p5r termo a rebellSo
dd Enlre flios, e accrescentam ^08 a atr/'navio de
gderra argeotin > surto e;n La Paz ja'se haviam
apreaenlado para mais la triota otQciaes sup:rio-
res do exertito jorlanisti, c-mfessando coinpleta
a ua d-.-rrota e sntiiiviiinlo se. ao aivornoi as
individuo erareo politico na repab isa Argenr-)
*'Pa-__ Jn ^z,r 5r?r' fl** f^a^assajssinada. As autorida-
polieiaes proccdfam 0 inquefife itibtfi S^iiel*-?
Pelo "Or inrt ie, direito de Jaguarao forarn con*
jlemaados.a-pena de morte, W&fttitn, <'sewv*Sd^
Joaaalm ?ran-lsco das Chagas; Zeferiaa esirito
ijelHicJUor Amaro'da Silveira, a pare> IHwna
w-rtrnde? e 0 pardb llberto GeraWo Antoam-'-da
Costa a gales porpetua. Os dous primeiros como
aptores, e os dons ultimo? Coifco'-cn*pW* o> -a*
ta* 'a ni-fsisslnaft) praticadona p**ba Be MWMm-Hho
deities Fatlona. Foranv sbsolvilos w'-^ifMlos
Hypiilito e WaHina, hfdi :iados mynwsnwfrii'fte.
p(irto |ne tleasse 0 navio wipedido aW^javta -|M :. No Rio-Grande, uma p> bre mulher indo tj
dens, podenio somente o eommandsnie v*t*r. ler* baraar-paia Pusto sVicgra,em am matt, e rw-
utieowdoqae om-**tta emqtie-mha itlgum 4i-
nheire Jtra arroinbxao, roubaodo-se Ine otpoaee.
|he possuia, cahio repenlinamente, em loueurae
atiroii se ao mar. bendo saira par p^asoas eariu-
lijvas aadoo-pelas rnas-miseravelmeote ate qu- tot
rte-dhiia na cadeia, ondatego depas f-d prucora-
dp par oma amiga qurdetla se endarragen.
O inspector de qnarteirao da S. Leopoldo,
Joao Leimaqua, como ja noticiamos, fora graver
Mdotevid&o puhicam nna'carti do sstto, ai-||razi'a e iam 3 Montevideo tamar pajs
ra para me dar conhecimente: d>>e8e otcorrtai
sabVr o-qae devia.fazer
i< Ligoque, as It h..rasfni mUrmdodaq'uel-'
Te! facto, proet-irero Rxm: Sr. mmistre'da hrarinha1
per se acharianlo V, Exc. como 0 Exm. Sr. presi-
dent* da rejjMbKcaA'era e tange -daridsli|t>
K.Exdm'abSr. (yj+aistra--todas a-scweomtiftwJa*
que inhibiam Ocommandante da navio bra-'Beft'e il-
entregar a prisao ttm passageiro em trabSilo toffla lo
a sen b'orddsmotn porto estigelro eoffl viagemJiaente ferid'i com um" tiro de ptatula, achava-ee-r
piga pelo gbverno^aqfieHe paiz; que ee/ees/W wi 4*ipwMo, A-pidK-ia prucedi*a is nacesaa-
iirid'ja eta com efleito ree poHtico, oa de -> ltro J*ja*avarigaScie qoa quer crime, na repuhlica .-Vrgentiua, ppj.a e^|# tip autoria do attenta*j\bw limb iliabis* 1
governo pedira'sua extra ii ;io #) g ovenio- amilrt df)tpb.i mio, adept utitB laaorer.
d paiz para onde.elle se dh-igHs e qhe pwr :dn* L&-**4toCimiim,a>'' j47 :
seguiite di-*sc as so ;.ara quo paiessee- 0 propheta Maur-r, do dundoda prisao-a<
navio c mtinuar a sua vilgun, aflm de nao dema-- -Tpe $a aeha rar inotHmbnte a corresponllencia oiktel dedna' hio.anvi.m i cflrse a* aeus apMtoios, wuystn-^
ocommandante era portador e as pas3ageirx>sjque'rdbs do nii- especiil }anto aa iw-ieruo &'
la por "Mariano Qo.->r6iwiD, eT
iraento 0 coafcar. >.
Weta 'este Wt r3-rTfWamv -?r;a weripta
3r
AO
lie se 'dU iPio de Jatfeifc, entre os qnat-s o rrwuV-genr&f Sao elk
jjrasil /ao ftffgaay cam sua f.imrlfa. Qbelser, Jac
SExc. paTefliafrerqite Piorea-io Rtfjtrote sc lot TMm4^L i|..,toto Jtlati,
rial
Andre/Lnppo, henriquo *Suaiwraa'
sbavar, Chrfcoanci-Kr-j^mer a i>*t-
t
\ mm
nuM
*


g
1

1
i
? 1
Pv*


fptyf&bmimmto <&ubt*>mk Mr wtimatio gfe iwfi
'QUO d
*
<103,toniw*la.-lni vrver r
Cviaiu d# aoaieladl rer/ie
comoradaj a ,i*0.)9, fotaece a
aiei do se tr,,isportai""\ *
N j. u do-n
dfc _....iaquam,os indros L noet j.aMoiUia e Dauiel
Maneiltia, estaodo embriaados, ferira.a grave-
mente Franeisco Gabriel Maenad.a. nnior de 50
annos, tend e antes dirigido provoeaco*-- a outras
pessoas.
Pur dilligencias do jaii municipal do termo
foram encontrados o* ditos indios que resistiram e
logratn oscapar-se, aprcveitanlo-se da eseuridao
4a noilo.
Neste conlielo flcara Uvemente tarido no rosto
9 official do jasli$u que acompantiava a escolta
encrrregaAvtto captura.
PARANA'.
Coatioa:..a a grassar a variola na ,'reguezia do
Iguassri. >
Ja isontava a 29 o Quuiero dos m .nos, e era
grande o nuoero dos affoclados.
No li'.^ar denominal) -Campina-a familia
de Antonio Lima, eompostade 12 pessoas, fie,ara
redutida a tin unioo ITIho, quo se achava gra-
vemcnle erjferino.
Era (at o terror dos moradores daqueila locali-
dade que nao consonltara os enterraaentosno lu-
far proprio. mas sim em red ir da casa onde falle-
ceraui us varialootos e assim se deu com a fami-
lia supra citada.
Fora J],iivamante iniugurada no dia 2, a
etrada dV ferro q'ue tern de ligar Paranagua a
Marrete*.
Osemprezarios dessa companhia conetitui-
ram urn pair memo do 2.0004, em apjlices da
divida publ: i, em beaeficio do hospital de cari-1
dade.
Estava designado o dia 10 do correnle, anni-
versary da insiallacao da proviacia,, para o lanca-
memo da pnmeira pedra do novo editldo do mer-
cado da capital.
SANTA CATHMIINA.
Os b.ugres ..liaviaiu apparecid" no districlo
de Itapaco'ro) e os respectivos habitantes, temeu
doos tfTeitus dos seus assaltos, sohoitaram da au-
toridade policia! providencias para contj los. Ns-
(e sen lido o sub lelugado, par telegramraa, pedio ao
Dr. chefe do policia auxilio, e este solteitando-o
do presidoulo da provincia, immediatamenlb foi
expeli do urn destacamento de 22 pracas de pret,
commandadu por ollicial, queembarc/u, nalarde
de 7 ua eauhoneira Mearim.
Furam, na cahoneira Mearim, no dia 16
para o Arvorodo, o capitao de fragata Cotrim, o
capita'i do porto e o Dr. Piuto Braga, afim de pro-
cederem a s esiudjs nccessarios para a colloea;ao
do piiarol na panla do S E, e dalii scguiriam para
o cabu de S.iula .Maria c Laguua.
MINAS OEBAF.S.
Lo-su no Diurio de tiiuas :
t Escravem-nos deLoopolJina, c.a data de 5
.1 > irrente :
H mtam, na \l;n Pataga, tun celebre Antonio
Mouro ferio a io*e Tii-reza, psIc espetou Ibo urn
ferro do coador no poscogi, fizenio urn granJe
bunco. Ainbos passeiam cusauguoQlados pelas
ran, sem que a auioridade pjliciaj d6 qualquer
provideuci.i.
< Nasta povoaeio nao ha ro^peilo alaum as
autoridiies, e n^.haveoio qualqaar providencia
por pa-to d^is aut.iridaJes superiures, ter-se-ha do
iameatar a Moot* desgxaca
c 0 C|i'ta> Carlos Augusto RiLeiro Campos,
delegalo do policia dolcrmo de S. Joao de EIRoi,
pren leu no dia 11 do ojrreHte raoz e anno o cri-
minosu do dell iraitanio porpetrado na menor de ncme
Balarmina, do mi annos do idade a prisao toi
iiWMliliilii ni arraial do Ilio dos Slontes, (|ue disla
da ciiUJe duas Ikroas.
Lemos no Mmtiro, de Pouso .\iegre, de 7
do cnrrnnle ;
t Uma escrava de D. Luiza Balbao, viuva, mo-
radora no bairn do Pantano, tenno desta cidade,
den a lu iros lilhos gameos, sondo urn d > sexo
niiMiulnn) e dniis dofeminm) : a-? tr-M crianijas
stao vivas er.'bii-tas.segundosomos informados.u
0 i\\"\u-\ > ii I) Diaiii dt SmUft liz o seguinte :
a Bt'ridjde ferro. -Refere a Gmeta ar Cam-
pints: Vir*)s Ciimmissarios do nossa praija gas
ped'-ui para fozciinos nma reelama>>ao de toJo o
poni" juta. Estao Molbadm os annazeus da
'! .in i m ui Paulista, de oaf;, e o geuow nao po lo
r a i nort i de embarqne,a mingnade wagoo-
qne ivnduzain a Sacrtos. Ain-la lOaii : hont.'in
? .ram os lilos arnizons fechados, e uao recebem
mal* r.irg**, pr nao baveMugar para mais I
Coueeb- so a priineira intuicao o enorme trans-
torno dahi provententa a lav mra, ao C'minereio e
a tuJo* oin g..ral. E' uilli silainilado este faoto.
Constano- quo da linlia ingleza 6 que nao vc\n
(ij carms p.ira <> trafego ueoosario ; licando por
ella parad is, nao siin, "s nissos pelllos se darem dirigir ao Exm.
Sr prexi taute da provincia, alim da qi a dfi as
nrovidwii-ias in !i-|iensaveis para a regularisacio
do *ervii; i, detenninando snas oriens ao einuro-
gado do'govarno juoto armolla ompreza. E-ipe-
rim is vor reme liad > ou explioado o caw, com
a urg-n.:ia re |iionia pir tolas as circumstan-
ciasf*
OOIAZ.
Recebemo? datas ate 8 do passado :
Fallocera nri o dade de Meia-Ponte o septuage-
uario Joio de SuUza Lobn, que exerceracum
ho-iradez divei'soi ,-..iy is publb-os. Erairmaodo
Bernardo de S.ouza Lobo.quo m irrau assassina 11
*m i8.'IO, presidindo a provincia do Para.
S. PAULO.
ah
m'ssas [i ir i ; fui ihaeotc c^B_
,ro*tab*e Ui_jjua ter^a, 4tiJu*i.Us as vrl>as
saprauicucioaaJas, fosse dislriljuiilt^na^ar-
tesiguflfis por suns ,uetis, jendo, pereii, io
valor quo .coabcr a cada n;oa defla3 empre-
!,-,". ',J? S1'!0 Pur ^u testa mentoiro, a aprajzimont)
dos maridos ou pessuas a cuio cuidalo este
a clausula
b possam en-
a Ivorii laJo,
jam, em terras ou prgdiol, o
de inalienabjlida le, nffp dp qi
cotitrar remedlopara osdiisilj
caso os teohati.
Suicidara-se emSautoi, ua noite de
12, com um tiro.de revolver, Antonio da
Costa Sit vein, caixeiro do armazom da casa
de Azcvedo & ('.. Nao se sabiam os moti-
ros que levarim o infeliz a tal desespero,
porquo no bolso foi-lbo apeuas encoutrado
um bilheto com as seguintes palav criptas a lapis : Este dicamento e a
prova de meu suicidio.
Suicidou-so tambem am Canjjpiipas, um
itatiado pedreiro de nome Antento Liipi.
Era trabalhador a> Mfldia-fe|rea mogyana.
Cartas da Limairn.d^om quo a va-
riola estava reinan lo nas lazendas dos Srs.
Candido Oueno e Joao Franco, na villa das
Anns. Na jprimeira hfttciam-se dado jd
faliecimontos, e na segunda urn.
Refere o Bananakrux de 12 :
Jior dia 4 do correnle, na fazenda das 4"-
tonio Rodrigai
sorfi no Ri
Ao juiz do di
a designarao r!^
(irando d^tt^M ^ter exerciciq,i
sen lo ltM quatro ma-
zes e a IMnMHto de TflWOOO.
Ao juiz de dpeitq FranceJiao Adolpbo
Pereira (luimaraos a deiigna^aQ da com ar-
ea de S. Jose1, na prorincia de Santa Gatha
nna, para nella tor eteruicio, senda-llie
raarcado igual prazo e a ajuda de custo de
l:00d000.
Ao senador Antonio Marcelino Hunes
Gon^alvcs a designa^ao da vara de orphaos
da capital da provincia do Maranhio, para
nella ter exercicio.
^ Ao juiz de direito Aurelio Fe-reira Espi-
nlieira a desigiiac^o da vara da provedoria
de residuos da capital da provincia da Ba,-
hia. ^8l
Ao juiz de direito Umbelino Moreira de
Otiveir.a Lima adesicnasao da I.* varacivel
da capital do MaraaJiao, para nella tor
exercicio, sendo-lhe.(marcaJo o prazo de
do direito E.uticbio Carlos de Cac-
metada dli^H
roecao do
joaami__
o bomem pubiico, e do men dever acodir
appello da V. Bxc, e poi^no o faco concorre*-
Iq com esta insigniflcante cotijriliuiclo. Da V.
Exc muito respeitadot, veneraflcr a criado.
lost Leandro Dantar Sena*
Gabinetajla pre*idencia le Pemarabttco, em
27 de dezern&n/de1 f73. rll(m Sr. Dr. Jos.' Lean
dro Dantas Serra.Resolven V. S. destinar a obr>
do avl de alienados metade da gratiQeaeao a que
tern direito, eorao encarregado da mati icula de es-
cravos nessa eomarca, d.in'do nesla sentido ordens
ao seu correspondentc nessa cidade, segundo me
commnnicon em data de 12 do eorrenta. Res-
pondo agradecendo-Hie e louvando-o por wse acto
de bementendida gonerosidado em favor daqnelle
importante estabele;imonto de benefieeneia. De
V. S. collega maitii attenciosd e serro Henrique
''ereira de Lucena.o
Proroj;nyii de praso. Por delibera
c4o da* presTdencta da provincia, de hontem data-
da, foi prorogado alii t"i de Janeiro proximo o
prazo, que teriBJpa fmie, raarcado a companhia
Ferro Cai-iil para recofber seus bilbetes de pas-
sagein qua esuio em ciroul cao, licando elles por-
tanto com valor ate cssa data"
Supremo Tribwoalde .lustlca -r4
sessao desle tribunal, fle do correnle, foi o
Exm. e Hvm.-Sr bispo dePernarabuco prouuneia
valho Gama a su nomeacao de chefe dp *?, '^"^ .nas PeDas ** "" n dD c,mH0
jendo-
cuito
de 6ftu^,p0- "'
Ao juiz de.direito.Aeinaldo Francisco de
policia da proving ^do^raazpflas, *
I lie marcado igual pj"*o e a ajuda do
tinhas, propriedale do Dr. Laurindo Jose Moura a sua remocao para a eomarca do
Assu, sendo-lbe marcado o prasode i mezes
o a ajuda de custo de 80OS5OQ.0.
. Ao juiz de direito Joaquim CorJeiro
Coelbo Giutra a sua remocao para a eomar-
ca de Garaniiuns, sendo Ihe marcado o pra-
zo de 3 mezes.
Ao juiz de direito Francisco Teixeira de
Stf a sua remoc5o para a eomarca de
Goyanna, seu lo-lbe marcado igu.aj prazo.
Ao juiz de direito Ernesto Francisco de
Lima Santo; a sua notnea^ap para chefe de
polkia da proxincia do Piauby, sendo-Jbo
marcado o prazo de 5 mezes e a ajula de
custo do l:0iX>5J000.
Aojuiz dediceito Raymundo da Motta de
Azevodo .Correa a sua nomeacdo de chefe de
policia da provincia do Espirito-Santo,
sendo-llio marcado o prazo de 3 mezes e a
ajuda decustodoS^OOp.
Em 22 do correuto, pe|o ministorio tlo
imperio declarou-se ao presidents da pro-
vincia da Peruambuco, que foi conooJido
po" uma so vez a gratificacao de 400^0..0
ao Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso,
inspector de saiide publica da mesma pro-
vincia, como romuneravSode soryieos ex-
traordinarios prestados naqueilo cargo.
0 governo imperial contratou com os
Srs. Cbrjsliano Ottoui, Drs. Furquim d'Al-
meida, e Ferreira Penna a exploracao e es-
tudos da linha-ferrea de Porio Alegrc a Uru-
guayan.
- Falleceu.na c6rte, o bacbarel IgHacio
Jlanoel Alvaros d'Azcvedo, um dos mais
antigos advo'ados nesso foro.
A diroctoria do Instituto Historico e
Geographieo lisou assim composta :
Presidente, Sr. marquez de Sapocahy.
1.' vico-i.residente, Sr. viseonde do Bom
Retrro,
2." vice-presidente, Dr. Joaquim Manoel
de Macedo.
3." vice-presidepte, Joaquim Norberto do
Souza e Silxa.
l. sticretario. ennego Dr. Joaquim Gae-
tano Fi'rnandes Pinbeiro.
2." secrotario, coronet Dr. Jose Ribeiro
do Souza Foiit..s.
Socrelarios supplentos, Dr. Manoel Duarte
Moreira de AzoveJo o Dr. Carlos Honorio de
Figneir.l>>.
Orador, Dr. Joaquim Manoel de Macedo.
Thesoureiro, Antonio Atvares Peroira Go-
Sautos
do al-
saccos
Na noite do 8 par* 9 cabira em Lo-
: ,ia uma grande tompestade qua tizora con-
sideraseis etrgos em varias plantacoes.
0 inspector do qu irteirao de Santo
Antonio da Cwboeira, Antonio da Oltveira
Preto, foi assa^sinado ins divisas do tenno
de Brajgancn p do criroinoso Joao Bella, quo
tentava captiirar.
Fallacera na Santa Cas3 de Mi-ericor-
dia de Santos o preto libcrto Vicente, que
diii.. ter jd 2 lillios, de 10 a 12 annos,
: um lo imuvo a invasao franceza on Purtu-
/~'> jal em 1809. Ate os oRimos momentos,
i rouservou perifeitas as faculdades iutallec-
. tuaes.
,' Fallecera em Limeira, no dia 6, eSr.
Virao d>- Campinas, Bento Manoel de.Barros.
liind uoticja da sua iflone, diz o Limei-
rent**
V Umnira eu!uta-se com justa razao
\,jia perJa irroparavel do um cidaJao pres-
, ^ niOwso e b'sneticeiitu.
0 bara.i foi 6 home n typo da cons-
cieooia e da honradez ; foi aom-jm mais
ami*'* dos motlioramuntoj desta .locabJala,
na realisagao ios quaos uespouOeu cerca de
50 :Od-.?J. iuolusivo uma vxrba testamenta-
ri4 d 10U-.0 103 para.a cmiulusao da nova
matn/., coine.a-ia ji a exp;:isaj do seu bol-
sicuT>>.
Att-sta mais o que levamos dito. o
mag "ifieo tenplo da Boa Mori*., que foi
con-lui lo ro a diubi.'iro unicairf?nto di'speu-
dido |t elln. Este tempt) 'parfe'tain
* acat. n e tlvnz o mais ric > em alf.iias
tod.i privmeia. honra o nome lo li alo.
< gujl siyle estava d.stiuada & nova
V matri/.,- s*0parca nno viasse pressurosa
roubo-.-s li.-ilotai IisiIilHo cidadjlo.
Eis o r.-sn no do sflu t-Hampnto :
> l.ir .lit* a.Aii.lapiia ... 0*,struc-
rao"'T ontriz pova, de,luzila da sua terca,
a q.ianiiui4;lb0:i)U0|.
a ). ixoii a iuai eon* rlia dasaFlores,
^ nest" ii I lo, fronieira d ea orn ijue residif,
,il.i Jzabol, Delos bqns servlc.os que.liifi
,1,111, sub a elauauta i.u lan (oilcUie,
tran> mitim i i-so p >r to- .'te-iU'ittg-iUria ,aos
. iiarleiros o n f, w do don
/% lor.
corpf-
4o
'0 pdufne/ifeH-q: ;fti < seu corpa
! p jry-Jjj* Is njldli P..- '^. oj
iaUsis
M.
Mil <10
de Almeida, o subdito italiano Pedro Mar-
tau dirigta os preparativos dos festejos para
a recepgao do mesmo Dr. Laurindo, que
com sua familia vottava da capital da pro-
vincia, quando, ao passar junto de um es-
t'uo qucatguus carpinteiros aprumavau, o
mesmo esteio pordendo o equilibrio cahio
com rapidez tal, qua o infeliz Martan nao
pddo evitr uma forte pancada sobre o
craneo, quo o prostou. Dahi a dous dias
expirou.
Moco honesto e estimado por suas dis-
tinctas qualidades, e dotado de profundos
conbecimentos da arte a que sc dedicava,
foi 9 seu passamento muitq sentido. Ti-
nba casado havia tres mezes.
Fora preso em flagrante, em Monte
M6r, eromettido i cadea de Itu, Joao Nunes
da Sitva, p >r ser eucontrado no sitio de Jp8o
de Aguirra, ua souzala dos escrayos, tempe-
rando ingrediontos suspeitosv com os quaos,
sob pretuxto de curar, torn sernpre feito pro-
fissao illicita.
Corriam as mais tristes noticias a res-
peito da villa lie.ludaiatuba, onde reina ha
bastante tempo a variola, nao tanto pclo
uumoro de eni'ormos como pelopavor que
apolerou-se dos babitaiites, os quaos, na
maior pane, abandonaram a povoagSo dei-
xando sen recurso uem auxilio alguiu os
miseros enformos. Nao havia alii ultima-
mente nem medico noin pbarmaceutico, eo
proprio vigario esqutvava-se aos chamados
quo se Ihe faziam 1
0 vapor Belgravo sahira de
para o Havre, levando I,i35 fardos
godio, conten lo 74..038 kilos e 11
de cafe com 80S kilos.
Falleeera na Santa Casa de Santos a
oarda Maris. Thereza da Coaceiijao, natural
do Rio de Janeiro, na idade de 100 an-
nos.
Noticia a Tribuna de 14.
Hontem das 7 as 8 da nianha os habi
tnntes dos lados do Rosario presenciaram
um espeutaculo.i-urioso, quo f i o da passa-
gom do occidento para o oriente, do um
cjrdao de borOob-tas d" poqueno tamanho,
em numiro tal que parecia uma thuva de
lao^s insticA>js ;_j)-i, sua pas>^gain fonnavam
gi Ull'b-S ^rupos SOHP-lhanU.-s aoi umJlAITIUS
tlo abelbas e conservavam-seem uu eireul
de 15 palmos de oircuinferencia n'uma es-
pocie do corropio vivo, bom iuleressaine,
em diversas distanci.is, seguindo depois a
sua direcQao
a Passaram na altura de sete palmos do
solo, no pateo, teudo vindo de mais alto b
seguido do mesmo naodo. Eis a deScrip^ao
do uma dessas pequenas borboletas (se o
sao) : e do coinprimeuti de 5 a 6 linhas,
tern quatro peruas, a cor do corpo e ,uasi
preta. as azas, que nao tern o po que se ve
em quasi todos aqublles iusectos, sao, nestes
transparoiitos o cuizeiiias, nao te u tromba,
como as borboletas vulgares,
Serd esta emigraeao elfoito da mudan-
ca atmospberioa 1 Serao borbolotas inoffen-
sivas &s planlayoos, ou sorao perteneentes a
espeoio dosses iusectos quelantas vezes ap-
parecem, estragam a plaiita?ao, e s imem-
se ? E' o que nao sabemos ; o que, po-
rdra, afiiansamos e ter sido esta pnssagerti
borboklina uma curiosidade digna de
sor vista pelos amantos da bistona natu-
ral.
RIO DE JARE1R6.
Foi nomeado Francisco Epiphanio de
Souza, continuo da faculdado do direito do
Recife.
Por portaria de 16 do cprreute foi
designaJo o amauueuse da secreUna do po-
licia do Ceard, Florenlino Fernan les da Sit-
va e Mello, para o lugar de thesoureiro
dessa reparlicao.
Pelo ministerio da justica commuoi-
cou-se :
Aojuiz de direito Jose Pereira la Silva
Moraes, a sua reiuogao para a co narca de
Santo A naro, Seajo-lae marcado para entrar
em exercicio, o pr.zo de i mezes e a aju la
de custo de-tiOOJW)-iU.
Ao juiz de direito Francisco Josd Cardoso
Guimaraes a sua remoyao para a eomarca
de Paranagud, s-mJo Ihe marcado igual
prazo o a ajuda de custo da HoOjp >o0.
Ao juiz de direibi Jose .Martins F.mtes, a
sua remoQao para a oimarca de Itabiiana,
sendo-lbe marcado o [>rnio de tres me-
zes.
Aojuiz de direito Esmerino Gomes Pa
rente, a sua remocao para as varas de or
phaos e provedoria do eapellas da capital
do Geard, senio-lliemarcido igual ^razo o a
ajuda do custo do toujOUO.
Aojuiz do direito SebistiSo J-se P.-roira,
a sua remoedo para a vara da proved iria de
.restdups e orphros na capitd da provincia
de S. Paulo, sepdp-lho marca lo igual
1 prazo. -*p. ]
Ao juiz de direito Fre'erico De-bn^y de
Avellr Brote/j, a sua rein njdn para a cq-
1 mar^a da Itu, sen lo-l.iO marcado ideutico
praxp.
Aojuiz do direito Ca-tano Vicente'de Al-
mei*rt iiar-
ca do Bananal. sen lo Ui* marca lo o prazo
de quatro ih^M a ajula de. cusio do
o pr.izo .W'i0sjOW.
Ao juiz da direito fre lerioo-Augiisto A|-
fo*se feito f 4iis5l da Silvaa-sua *omc4o paraa omaf-
Id Rio da* VeWms, leihlotlrje ataraadp
tres mezes.
jAo juiz de direito Feliaio Ribeiro dos
Santos Camargo a sua remofaa praa co-
marta de Igoape. seudBrliw marcado o
-prw) de quatro mezes
lib)
i em
ruja.
No dia 16 do corrente a direetoria do
moute-pio dos servidores do Estado, de con-
fonni lade com a doutrina do aviso do mi-
nisterio do imperio, de 9 de dezembro de
18/2, deferio o requeriroento da Sra. 1).
Thereza Emilia de Medeiros Jacome, pedin-
do o pugamento da metade da sua peusao 'le
5003 annuaes, que the fora suspensa pela
tbesouriria do fazenda de Poruamjuco des lo
1 le jilho de 1870, em virtude do art. 22
do deer.'to de 18 de fevereiro de 1870, por
ter passtdo a soguudas nupcias em 9 do
marijo de 1850, segundo provou.
Eis as noticias cpro.merciaes da ultima
data :
Gonservou-se hc-je nossa praca extre-
mameute apalhica, limitaado-so seu rnovi-
m-'iito a pequenas transacts em cambio
sobre I.on Ires a 2G-l/(* ds papel baucario o
sobre Franga a 359 0 3&9 rs- Por franco.
Os inercados de fundos publi os e ac-
g6es es'iveram completamente paralysados.
As vendas de cafe* effectuadas bojo fo-
ra m pequenas.
Uesde o dia 25 do raez passado, vespera
da sahiia do paquete norto-americano Aler-
rimack, art hoje, Tenderarft-so 198,700
saecos, sendo : *"
Para os. Esudos-L'oidos 118,000
Para o Canal o Norte da Europa S5.20O
Para o Meditercaneo 15.30J0
I'diao Gabo da Boa Esporauca 5,8^)0
Para vriospottos V.ioo
As entradas nos ultimos 30 dias regu>
Uram cerca de 3,600 saecos, tormo meiio,
por dia ; licando em ser cerca de 130,001).
Cotamos por uma arroba :
Lavdo
Superior e fino
1.' boa
1.* regular ..."
1.* ordiuajia
2.* boi
-i." or,
vWfPl-
. "d de
11C400 a 12W-00
l2o iOO a
HfcV'OO a
1IJJ000 a
lOaeOQ a
.JUrBw-'
12^300
110600
119i0p
102800
10,71-200
3700
Dg assucar Qzeram-se vendas regulars
para consumo.
a S,(bici.ra fikb-4>ara.casumo cerca
de G.OOO arrobas de caineseeca.
a Apeuas nos constou hoje 0 fretamento
do um navio para Baltimore, cafe, a 27 s.
6 d. e 5 V..
A alfanJega reaueu de 1 a 24- do cor-
reuto 2,345:88 }529.
BAHIA.
Falleeera o annjgo e ahastado neg^-
ciante porluguez FraneiscuiRibeiro Moreira,
director do Banco da Bihia. 1 '
0 cambio regulava sobra Lon Ir s
25 1/2 a 26 1,2 I.
A alfaudi-ga renlou de 1 a ^7 do co -
rente 411:2875754.
-J-" '" "1 '."si.il "I1___----- "4 .
'K
i.
criminal, que'dlz:
a fiecoimecer, o que (or cidadao bra.sileiro, su-
perior fora do imperio, prestando-llie effectiva obe-
dieucia. Peuas -de- prisao por quatro a dezeseis
mezes. >
Pre.-idio a seisao o Sr. mini-tro do tribunal,iiar-
eel inn de Biiti<>.
Rwlatgu o proce.Hso o Sr. Measias da Lean.
Foram juizos sorleados o Srs. ininistros Ma-
riani, Chicherro e Gooto.
Achavam-.ii! presentes os membros do.tribunal
Srs. Bario de Moolserrate, Rarao de Pirapama,
Cliichorra Mariani, Simoes. Ori|ueira, Barbosa,
Villares, Valdetaro, Albu |Qerque, Costa Piuto, Qui-
to e Figuein de Mello, taltando apeuas os Sri.
conseliwiros Veiga, por doente, e Braga, auscnle
na Europa
O Exiu. Sir. bispo do Para. X j dia
18 do correnle foi denuueiado, peraate o supremo
Icibunal de jnalioa, pelo conselheiro promoter da
jmica, o Kxm. Sr. bispo.do Para, D. Aulonio.de
ilacedo Costa,'como iucurso uas pt'ujs do seguin-
tes artigos do.eodigo : 79 (recbnliecer o que for
cilad i, brasiieir.) superior (ora do imp-jrio, pres-
tando-lhe effectiva obedienuia); 86 (tentar deslroir
artigos da eonstituijaw ; 96 (obstar o elTeito das
determinacdes do poder moderador e executive) ;
129 (provaricaoaoj ; I'ti (exundi/ ordera illegal).
A denuncia foi di.siribuida a entre'gue ao con-
selheiro Francisco de Paula Cerqueira Leite, i|iie
re^iuoreu fosse ella remeiuda ao douuociado para
apresanl^ir sua de'ezj.
I'roccssoPoates Vissueirn. 0 su-
premo tribunal de justica, em sessao de 18 do cor-
rente, reex-hendo 6 ptoce-so inforinatorio, a que,
em virlude^fla portaria quo ;ie-iippanhau o ofllcio
do presidente da provincia d Maranhao de 2'i le
outubro ultimo, ae procedeu,.pelo juiio de direito
da 1' vara civ^l de S. Luiz, a respeito do crime
de que aeensado o desembargador I'ontes Visgaei-
ro ; mnndi'-u-n juntar ao prucesso, e o juix rela
tor ordeaou, por seu despachn da mesma data,
que respondesse o denuueiado no prazo de lo dias
enviandu se Ihe por cipia tolu o proc-sso.
N i Marannao sao ailvogados do rco os Drs.
Geutil Houiem de Almeida Braga e Francisco de
Paula Belfort Duarte. As testemuulias que de-
poeram sao : 1* Antonio Jose Marlins; i> Ado-
rind.i Aveliua M.lleza; 3* Ricardo de Souza Dias ;
4* B-iaventiira Ribeiro de Andrade ; 3' Francisco
Gaudencio Sahlias da Costa; 6J Iiiiiacio Fr,zan
da Costa ; 7* There^a de Jesus ; 8' Anna Rosa
Ferreira ; infurnnule Luiza Sebastians de arva
Ihe ; testemunhas referiilas": I* Antonio Feliciann
Peralles Falcao; 1- Guilherminodo Souia Bjrges;
3' Amanda J-.se da Paixao.
Uiariu tie Pernambutet*.Ao fechar-
mos com o presente nuuiero o qu.idragesimo n >no
anno de nossa existencia no Jornalismo desta pro-
vincia. entendemos de rindrosi.-simo dever o deixar
mos aqui cl iram,-nle expresso o reeonhedineoto
de qu- n >s seninnos poSsurdos para con to los que
nos hao auxiliad |na consecucao d-.s diltleeis, mas
glorioS"S fins, qne alvejam asvstas de uma pib-
piea de tamanha responsabilidade, como a no"sa
Finnemente delibera Jos a n is nao d-sviarmis
da irilhada se da na esphera da imprettsa, onde
temos etitendido pngnir comtod.is asenerg'as pelo
pro;ssa proviacia, qu-
.-.. pi-mi.! u .lurjlinuuiu a.* a^ I.ula a fa ni]i^ tir:i.sL-..
leira, -erto, animanos a conviegao de que aquelle
auxilio i oniinuara a >er-n>s elTectivo no flituro
liiiiii^urayat* Devo inaugurar-se ama-
n a, pelas i i^iioras da tarae, o seryico electio-
telegraphhv) quo acaha de ligar por este portento-
so mei,i d- communicahilida le das pr ncqiaes pro-
vincfas do norte c >m a rorte do imp"no.
Por ta- aiispiciiuo aeoiitecmiento a gerencia da
enipreza uffere-e um land', no salao n''bre da As-
sociagai Cumm-rcial Benelirenle, ondi um dos apparelled trmsiins-ores, aos ravalheiros
que alii R'Mnp irecerem : pr >ao para qualquer da< est.iC/ies do fi i: Para, Bihia
e cone, dos tel-grammas umgratniat trios que a
occa.-iao inspirar.
Cmsta nos qne se prepara na cidade de Be!6m
nma sumi'tiio-a fe>ti, em regosijo da acquisigab
de tao potlcro-o ele nenlu de rfrogressp sendo par-
te fella d snendida a ensta da e.mp'eza e parte por
conta ile orn p iil ihtr'npi*, quo p". a dispnsigao da
gerencia da cini>panhia alii exisienle uma impor
tante somma para ser applirada em feslejos por tal
successo, e em alforrias de escravos.
Ao inesm i temp i qne (litre iios, no Para, na
Bahia no Rm tuv-ra lunch tambem.
South America E*te vapor da com
panlna aineriraof, sahio Jo Rio de Janeiro no d-a
:26 do corrente, com destina ao nosso porto, mas
ate hontem as 4 horas da.tarde nao tinba cnegado
au da Baln.i.
It tliiu. E' este o vapor da companhia bra-
silei'ra, que deve.iazer a.priraeira viageni do mez
de Janeiro .proximo. E*tava annunciado no Rio
de J-m-iru para sahir amanha.
Ville fl* iUi. Este vapor franeez, da Ii
nha do Havre, sahio do Rio de Janeiro para o nos-
fio ii'oto. em uireitura, no dia 25 do corrente.
Diuheiro. Os vapores Neva e Giquia
tiDiixi'iam para :
Wilson Ro.A-e 4 C.
Jihnst-n Pater & C.
H. Leger
Antonio A. 4e onza Aguiar
Santos Maia & C.
Pareute Via (Aid & C.
Jose da "oneeica 0. Figuciredo
Pi-reira CarnHro ft C.
August' F. de Oliveira & C.
Para : Eurapa. Com 8 recebidus
nis^n iioiu lev.m o Nem 93 passageiros.
Western & Br islli n Telegraph
Para evitar.deniura na iransmissao de telegran}-
mas cngratulatorios amanha, o. Sr. gereuie d?
emprez i telegraphica raaoWeu receher hoje telel-
acammas nag is na.i >6 .ara o Rio de Janeiro co-
mo para aB'tm.
lUiKtraoao besjinUnla e ameri
esina. CliHg3raft.tespe^iva agencia, a rua
d- C-mmarcio n. tBBHanlar, os ns. 4i\s45 des-
te I ii.orlanie j ir.nai ijiidnleno '
Entre r>.s gravnras nntam-se os retratos do Ois-
po da Hav n-i, farlecido em 31 de outubro ultima,
do there aBn^3pSrieg|B*q|no comhatedp
R-tam-isa, do maestro rompusit-rr Gounod, e di
hi pj le Mailorea. lall-cido a '* do passado. e
gran I- varieda.de de vistas represenlando factos
OC'Or.iloS.
Oes-ijiparceeu. Xa seccao competente
vai publr-ad am annuncio d'onde-e v>5, que um'
prWo,' incumbido'3e levar'um balaio cum merca-
il.-rias le um arnwzem da ma Marquez de Olind*.
p-.ra uma Una. dn rn i Duque de C^xias, com elle
desappiri e.ia, pelo que e lidlo snppor que se
elle um ladao. Chamamos, pnis, par-1 -liel|e
annuncio a aiu-a<;aj||Ui juiettAossa e deva au
liar aos ori-jnJladlsf mcondo para a desc
beri) d f'irtn e iinnifan do craninoso.
Bncai ile templo. Amanha,pelas 4 ho
ras .la u-ide. lera lugar a bencao da igreja f*-
iftiwa senhora do Tofico, uliiuiattieate: reoti
cada.
Gfflciara no ,acto f\ Sr. bpmo desta. diocese, je
liO 000*000
4':(IS8-<0
2:0 03000
l:28:i-SOO>
1:000 iOfti
390 i" lOStOOi)
1,000
COU B
em
.!> me. |
.u.\im lerii
I. que ngura
sets prod i'
io Lye"
pelt
lo a
REVIS
Hosipieio d
native para as <>b
Proinotoria public
12 de dWfnlyo "
la iUta dou ord
a-1 re-eber da the1
eio que ra^d devida? conm encauegadj
.ciavWiesd FdiHit,
i.
da inatncvlla dos e=
os. Mais urn
bilcriiiiri !o :
da cidile de Can uo, en,
lllinllJ(CzuiASi Ne ^^^B
do faiendi a grab i-ra^S-i 10-
adj que i it dn > i,h -r, 'expo4a
seja e [ a.o as 0 da noite.
serviran d
meuX :
Dr.^eba:
1% como particuUr, lujar a lellao de diver.'os pro,
- ram na exposfeao ajrfeela, de*
tos da vends, ser applicadi) Ss o1
Arte-eOaAw.
B torJo sera effeetaad) ad raoio1
te Das dos Santos.
Attentadi*. Pelas boras da larde de 29
do corrente. lad Joaqnim Bioeiro, espancou e
ferio a Jose Delgado.'ni povoajao de Beberibe.
Como see acontecer quasi sempre, cvadio-se o
criminoso ; qaanto a inquarilo, por6m, foi obsor-
vada a lei.
Cnpturas.Foram presos e acham-se reco-
Ihidos a cadeia de Buique : Josd Coriseo, alii pro-
nnneiado no art. 205 do codigo criminal; Pedro
Balao, criminoso no termo de Garanhuns; e
Antonio Loarenco da Silva, senteneiado por crime
de furto de cavallos e pronnnciado no termo de
Cimbres, por crime de raoeda falsa.
Huinieiuio. Na noite de 27 do corrente,
Miguel Pereira de Carvalho, mat ou com quatro
facadas a Jcio do C.rmo, na pevoacio da Ponte
dos Carvalhos, districto do Cabo. A"policia pro-
sogoe nos termos da lei.
Incendio. -Hontem, ao meio dia. no i*-'o da
Tacaruna e a margem da estrada de ferro de
Oliuda, lansarairi fogo a umaolaria que ahi existe,
durante a auseneia, dos resnectivos trabalhadores;
sendo que o mais'admirave! e ser ella cercada de
jnoradores.
A policia do lugar na i sabe ou finge nSo saber.
Portanto a superior policia, eumpre syndicar do
facto, para punir o delinquente.
Telejrr;p!n eleetlieo sulimarlnn
Lemos no Jornal do Commercia da corte, de 24
e 25 do corrente:
i Devc realisar se hoje um importante aconta-
ciraento, a corhmunicac^o immediata desta capi-
tal com as prtneipa.es cidades do norte do impe-
rio.
Hontem a 1 hora da tarde o vapor Hooper,
acompanhado pela corveta Paraense commandada
pcle distincto capitao de fragata Coefho Netto,
fundeou 12 milhas a SO da Rasa.
a Apeuas teve noticia da chegada do Hooper, S.
M. o Imperador dirigio-se ao arsenal de marniha,
e'embarcando na corveta Nitkeroy, seguio ale fo-
ra da barra, acompanhado pela Paraense que, dei-
xando o Hooper findeado, aproximava-se do n-
coradouro. A Nitheroy ehegou perto da Ilha Re-
donda, mas, ten Jo ja escurecido e achando-se o
Hooper ainda a grande distancia, regressou para o
porto, onde S. M. desembarcou as 8 horas da
noite.
A' tarde seguira para o psnto onde esta o
Hooper um rebocador do arsenal de marinha, le-
vando a bordo um pratico e o Sr. ajudante da ca-
pitania do porto.
c A birdi da Paraense vieram os engenheiros
Seaton e Fell, encarregados do apparelno de son-
dtrgein, e no Hooper os eugenlieiros France, King I
e Boinmeley, iucumbidos da immersao do c.ibo.
E-t- trabalho foi feito com toda a regular!-1
dade desde a Bahia ate" o nossu porto.
0 Hooper e a Paraense estiveram fundeados ?,0 ]
milnas a N. e 30 milhas a S. dos Abrolhos, afim
de cmeadar-se ao cabo uma porcjio mais grossa,
por ser alii o fun J j pedragoso.
t Hoot'-m a noite tratou-se de emendar o cabo e
de forra 1 > convenientemente, afim de traterem-
no para terra, onde sera amarrado hoje das il
horas para o meio dia na praia da Copacabana.
S M. o Imperador assistira a este acto. Depois
que o cabo estiver fixado em terra, o vapor Hooper
entrara no nos.o porto.
a A Inauguracao sole,raae da lia'a realisar sa-
ha no dia 1 d Janeiro, mas o dia de hoje ja 6 pa-
ra nos bem grato.
a Xlo termiiuri'mos, pois, esta breve noticia
sem dirigir uma sauda.-ao ao lloupcr feliz portador
de um nov.i e poderoso elemento de progresso e
eivilisacao.
Como haviamos noticiido, hontem teve lugar
o de-embar jue do cabo que deve pi)r emcommu-
nicacio esta capital coin o norte do imperio.
a Pela manlia foi cortado o cabo, a bordo do
Hooper e bgado a outro qne ja estava em um sa-
veiro, puxal i por um reoocador.
t A's 11 t/2 horas c egoua praia da Copacaba-
na S. M. o Imperador acompanhado dos sens se-
manarios.
Cmnegou entiio o sa^eiro a aproximar-sc da
custa, lan^ando o cabo, cuja extremidade, ja per-
to d i praia, foi unida a de outro cabo de maior
diametro. Sua M igestade foi o primeiro a puxar
o cabo, logo que sah'n do mar. Eram 2 horas
da tarde.
t Gillocad deoois, o cabo em um casebre,
qua existe ao pe la igrejinna, e no qua se acha
los, Jeii os signaes con^enieut'-s para chamar a
atti-iigao do teiefrraphisla da Bahia, e que Ihe fo
ram immediatamente re>pondidns, e dirigio, por
iutermedio do lelegraphi.sta, o segninte telegram-
ma ao presid-nle da Bahia em. primeiro lugar, e
dep lis aos de Pern uubuco e do ara :
Jaseaeha o cibo submarino no territirio da
capital do Brasil. A .d-ctricidade comeca a ligar
as cidades mais importante* de^te- imperio c-uno
o patri tismo reune todos os brasileirps no mesmo
empenbo pela prosperidade Ja nossa magestosa
pairia.
t 0 Imperador sauda, pois, a Bahia, Pernambu-
co e Para, p ,r tao fausto acontecimento, na qua-
lidade ile >eu primeiro compatriota esincero ami-
go. Al6 os b ns aim >s de 1874.
Este teiegramma foi o nnieo transmiltido, por
que os apparelhos acham se ainda a bordo e a
communiea.;ao so se podera fazT desemba ar;a-
damen'e do 1" do Janeiro em diante.
Furam reeebidos 09 tres telegrammas, ma-
ato as 3 horas da tarde nao (Inham sido recebldas
as respnstas na< resptctiva* estacSes telegraphi
cas da Bahia, Pernambur.j e Para.
0 can0, que, como tin amos dito, passou por
traz da iliia Rasa, alr^vessoa pela frente da Re-
donda ate a co ta. Todo 0 servico foi dirigido pe-
lo engenhejro em chefe Frederico A. Armiston e
gerente Hyde, com assislencia do chefe da admi-
nistrate da exiiedicao France e dos engenheiros
W. Kiiik e Bottmeley representantes do Sr. Thom-
son, Inventor dos apparelhos conhecdos pelo no-
me de Wi. T mso'ns Mirror Syfiem^
E tivcram presentes na praia de Copacabana
os Srs. presidente lo c nsel-io, raiqistros da an-
cultura e da guerra, commandantes do Hooper e
da Paraense, engenheiro lobn Hooper e algumas
pessoas em mm to bmitad > num< ro.
c 0 dia de nontein marcon a data de um aeon-
lecimento meroravrl.
Essa ponta de c ibo ahi desemharcado no nos-
so littoral poe-nns ein cummunicacao instantanea
em as principaes capiiaes do norte do Imperio,
facto sem duvida importante, e que todavia nao e
mais do que 0 principio da grande obra qne 0 an-
no que vai conucar vera concluida, assim 0 espe-
ramos.
t Km breve 0 fio electrico, estreitando no mes-
mo compli'Xo as provineias do sul, ira ao Rio da
Prata e d'alli atravez dos Andes, nes penmtlira
fallar coin a custa a neneana do Pacifioo, em mar*
to do Para fallareinos com as Amerieas Central e
do Norle e de feriiamhuco com a Europa, e aiu-
da alem coma Afn-a, a Asia e a Oceania.
t E', p'is, 0 assent 1111-iit 1 do primeiro elo da
cadeia electriea qu- vai ligar-nos a os mais r-mo-
tps p mtos ifi terra, que siudamos no acon-ei-
mento de h-mtem! e os nomes dos homens que realisaram tao auspicio-
sa empr--7a. t n
Fort Iez. rt Brum.-Em 9 do corrente
commnnieoti mi-ist-rio da guerra a tiresid-ncia
de I'eruambueo em resposta ao olu-i) d. 383 ile
'18 do mez findo, com o qijkl submelten a enside
ra.ao d>-sta secretaria de esta I > a i.rop-isia feita
pelo coinmandaiite dis armas, do major r-forma-lo
Autonio Dornellis Camara e "do teunntH hon>rano
JFrfdeiiM August) Velloso da Silv-ira, para os lu
Ss'res vagus de commandant**, aqnePe da l>rt 1 -za
0 Brain e esta do forte de Pao Amarell", que e
apprn^ada a uomea.-a) do -eaundo, e flea e-te ml
nisleri > sci-ole qu into a do primeiro
Gazeta Juridica. 0 numero 50 de-t*
jornal contem:
Gzeta Juridwi: -1." Iifluencia compa*-a^a
dos orgaos Ja aecu-a^o ft d-feza ante 0 jury ; 2."
-A prmturia p'bhea na> devia -or um meio,
mais it fl>n de u n alto cargo de inagistraUira.
Jurisd'Cgao Civil: Liberd 11** oio vAyt# o e
cravo" pel > facto de viver Com eeononua -enaradi
dadoseahor. l, Pole s Saoia Cas.de-Mi-en-
MMU Mppellar pel- benefleio de resblu cai; *',
liislitu can de morgadi nao vale^e osben* pa?-am
a,.s nerdeirus do t-stador, -rabora este uaim lis-
posio aiternativameata de taesbens. 'Tuva nap
fiein condssfies de co re<>v~ puMJca* forma* ex-
trahidas sem ae otodlcdes tagaes e testemunhas
Liur.arfHaSRlnieatos-^E ar|rtW!ul*r da deooait*,
rial, recoiijjeeid.i aat Jo p*W-fartMxpressameiite, ob
-Je Deus, conio WNWa, vrfe ft-iwj^pturaottiWi'a emtm* o
erdicta a respeT valor exif5t.tMaW'fci. ^.ilnlA de terras.
1 nadi lem e,- *T-Mfcv d'agii .8; 2, Nnl la nao e
m^.esur a lmage^ JfldWicao. por wram flcada njcrav^das bemfeito-
'oaofas dlf Burnt rias em terreao diiontrtta, tendo, demai", luvii\n
aecordo.!, Coaciliacao dova aer aprasentada
I
Jo julgarnento, nas eausis c^ _- r.j .j.
Mepois da propos.lUiaJu & Vg-
;^u imnerial nlo 6 procoraiw p^ \4omeiocoodliatono; 3, Pffi ?."
'fiKSVa** rocar303 S6 Crrem .di SSoou
wW^Ji^wueoca na presenca da-jjiri9t^
ifMrVm* -fVHnmissao mercanlil liiK
que algneiu cotww os a umacatffHBr
c.al para a-retn veKdL, ^ praa. -Juu executor
e competente para rec^r e nrocassar'enjhai'gos
infnugentes do julg.-.do ^ j. iu*uncia.Incom-
ipelejte eo juifocivel paraWUecer de qaptSes
derivadi- da venda de materBl.4contractador on
errtpreiteiro de obras. Appellaca&. e aao aggravo.
calie da senlenija que rejeita euibarg^ de tercei
ro por nao provados no triduo.
JurUdicgdo Commercial :-l; eiqbar^os aao s.
admittem antea da petibora, m r arro on
excesso de eustas. 2, 0 despac'bo qua assip 0 de
cide nae causa damno ureparavel. -1, Jxeguent'',
por divida individual de socio de tkma commer-
cial, nJo pdde pretender a exnibicao e exanao 9''
inteiro dos livros da diu firara. i", E, tnedianle a
accao de exliilucio, so no ca*> de achar se 0 ese-
cutado em qualquer das hAraolheses padicularisa-
das e defini Jas no art. 18 do codigo commercial,
ao qua! se refere 0 art 33j 4o Reg,. 737 de f850-
Jurisdiccao Criminal :Appellaeao : delta 'se
nao conhece se 0 resueetivo tenno oao e assignado
dentro do prazo legal, einbora tenha sido interpos-
la, depois de lida a senteaea.Nullo c 0 summan
instmrado ex-officio, antes de expirar 0 prazo
marcado para a denuncia. ^^j
Ferro Carril de Peroautlitico.
Reunio-se, ua ciirte, no dia 2T'oo oorreiile^a'rjnaie
dia, em assembler geral exlraordiuaria
nistas d sla companhia, reprosantau 11 3.2':'
accoes.
Examinadas as concossJes emstan!.--. lo adj-d*
Sresiiencia da provincia de Peruawb-fti, de30
e outubro proximo lindj, e sendi ue ..i.uiemoate
reconhecidas quer a sua importaucia para 0 fut::-
ro da erapreza, qijer a couvenieneia de serem
quanto antes e&ploradas as novas linhas coucedi-
das, ficou a direetoria aulirisada amaudar eaaau-
tar as obras precisas sobre a base do orcatneato
por ella apresentadj.
Levautou se a sessao as 2 3,4 boras da Urde,
depois de ser consiguado um vulo esuiecial di loxx-
vur e gralidio a djrectuia, pelus reievaiites servi-
ces preslads aempreza, couforme propoz 0 Sr.
accionisla viseonde de S. Salvador de Mattozinoos
I.nterias do Rio de- Janeiro Resu-
rao da lista da 9 loioria em beucfici 1 das obras
da matriz dd Sant'Anna, que correu a 17 do cor-
renle :
N. 10si..................... 20.010*000
N. 2162...................... 10:000*000
N. 3772...................... 4:0Q0$eOO
N. 5ii2...................... 2:0004000
Ns. 987 e 4280-1:000/ a cada uin.
Ns. 531, I2;t2, p939 e 3808-8004 a cada um.
Xs. 513, 793. 1*57, J'tSl, 3290, 4"523. 4807,
5565. 5606 e 5916 2^05 a cada um.
Xs. 205. 5o8. 57, 86*. 893, 916, *85, 1377.
2012, 2132, 2529, 2897. 3067, 3302, 3''73, 1592.
5085, 3137, 3350 e 5886-1003 a cada um
Ns. 50, 223, 231, 239. 341, 40J. 621, 849, 565.
661, 710. 989, 994, 1037, 1128, 1355, 1479,1523,
(580, 1581, 1623, ICG3, 18II, 1910, 2187, 2204,
2244, 2546, 2647, 2744. 2824, 2832, 3237, 3300,
3338, 3332, 3567, 3831, 3862, 39! 1, 32i, 3932,
4103, 4386, 4517, 4776, 4956. 5100, 5105, 5576,
5594, 5736. 5748, 5776, 5840, 5359, 5861, 5898,
5964 e 5966 -10/ a cada um.
Eis o resume da 77 loleria em beneficio das
matrices e alfaias da provincia do Rio de Janeiro,
extrahida a 23 do correuto :
N. 5;t04...................... 2':00i*000
N. 5139 ..................... 10:009*000
N. 2432..................... 4:000*000
N. 3*1..................... 2:000*000
Ns. 2831 e 3589 1:000* a cada um.
Ns. 144. 335, 3301 e 4339 800* a cada um.
Ns. 103, 777, 8 4. 382. 1670. 4140, 4159
4335, 4573 e 5130 20 a cada um.
Xs. 747, 701, 2001, 2133, 2218. 4263, 237iJ .
2342, 2639, 2898 3440, 37 4. '.560, 4,001, 4832,
4962, 5488, 5629. 5724 e 8777 10'jH5 'oada 11m'
Ns. 162, 251, 6 9. 680, 699, 78t.:633, 1937;
P-8S. 20(7, 2082, 2143, 2150, 2'69, 22-4, 23991"
2453. 2495, 257, 2678, 2 '0', 303G,-30i0, 3133
3159. 3207, 3236, 3273. 3386, 3484,3'>35, -3340
3399, 3707, 3809, 3837, 39 >0, 3935; i-<82, V'71
4131, 4294, 4470, 4499, 4536, 4633. 4730, 4961
5045, 5262. 5392, i5l0, 56'4, 62 >, 5618, 5640
569 1. 5709, 5938 e 5991. -40* a cada um.
Loteria.-A que se. acha a venda e a 82;, a
benelicio da Santa Casa de Misericordia do Recifej
a qual sera evtranida no dia 9 de janx'ro do unna
proximo vindoum. .. ir
Uasa Ie delrncao.-MovimnBt do di
29 de dezembro de 1873:
Kxistiam pre* 335, entraram 4, sahiram 3, fl-j
cam exi.-tinao 326.
\ saber I
Nacionaes 2'i0. mulheres 10 ^iraniteicos 2S
etcravos 46, escravas 7.Total 326
Alimentados a custa dos cofres ouMieo? 249.
Movim*nto da enfermana do dia 29 de dezem-
bro de 1873.
Tiveram alta:
Mam trio Bernardo Pereira.
Manuel Mar ins da Silva.
PasNUg-eiros. Vieram dos portos do sul no
vapor uiftluz Neva : .
Manuel G. dos Santos, Dr. .baquiin do A. Luna,
Jose Z. Accioli Ai Vasconcellos, Antonio P. SimQBs,
Jose P Aranies, Antonio H. de astro Delgado,
Ernesto E. It da Sila, Joao A. de Meni-zes, Au-
yu-to de M. S. Gomes, Antonio B. Souza, Arthnr
Casteilo Branco, Karles S. -chamottau e Manoel J
da Co-ta.
Vieram de Acaraeu e portos intermedios no
vaper bra ileiro Gei[U-d : __.
Epiphau 0 JacnuiK Peqneno, Joao Antunes de
Mello, Justino de Ramos e um eseravo, Joao Bap-
tista da Cunha e Vicente Barroni.
Cemiterio publlcw.-Obituario do dia 27
do corrente. '
Febppe Saul A{fna de Galiza, pardo, Rio Gran-
de do Norte, 70 annos. suiteiro, Ri-cife; variolas.
Manoel Pereira da Silva, pardo, Pernambuco,
26 annos, solteiro. Boa-Vista, hospital Pedro II;
variolas confluentes.
Antonio Manoel d Santos, pardo, Parahyba, 65
annos, viuvo, Boa-Vista, hospital Pedro II; cache-
xia paludosa.
Alexandre Gemes. preto, Pern^mbttiio, 56 annos,
casad ', Hospital ^edro II; varioWs confluentes.
Josephina, escrava, parda, (ignori-se a naturali-
dade) 10 annos, solteira. San o Antonio; phtyflta
pnlmonar.
Luiza, branca, Pernambuco, 14 dias, Santo An-
tonio ; Niflainma^o.
H ire-ta Maria, branca, Franca, 15 anaos, sdfei-
ra, Boa Vista; febr* *uar.lla.
Josepha Maria da Goneeicio, parda, Pernambu-
co. 4 annos, viuw, S. Jo>e ; bexigas confluentes.
C11 Iota, parda. Pernambuco, 4' auuos, Boa^fista;
eengottae cerebral.
Di.nijia, parda, (ignora se.a naturalidade) 1 an-
no, S.nto Antonio; variolas.
Olympia. to-anei. Peruambuco, ,30 mozps, Santi
Vitonio ; variolas. ".-3.**
Joaqmna Maria L m-g Raposo, branca, Parnam-
bur.., 72 aim ,s, viuva, B Vjgta; iflunpttn cere-
bral.
J.^e, braoro, Periiamb-ico, 16 mezoa,.Bua-\iste :
bexigas.
28 -
Dionizio Jose" Meneze-*, p.re|o, Rio de Janeiro, 2i
annos, sobeiro, B la-Vista-
Amaru M.irtiatv*dus
co. 60 anno*, viuvo, Boa
bepati e cnronica. 1
_,piardo I'eruambu-
ri l
1). ou annos, viuvo, iu hsm, -
I-abe Maria da Cmce:i;ao, pafda", Kio -Grande
I.Nirte. 30 annos. s .lt-ir.i, B >a-Ms.ta, h
-1 II ; cachexia 1 altidosi.
mrpoco da Cnnha. branco. Pdrnarnhuco, 57
s, v.ijvj, 001-T1.sU. bospiut Pedro II; van^
l6invin>ho*.iis.Sr*. Bar
do Livra
.pe do S'iiza
.man Steiigle,
da e qoM-
d,
Pelr.II
Li
ann
las eoiilliientes.
Smel Bufaid, hraaco. Allftmanlia, 19 amns, sol-
teir., Bna-Visu, huspitaf Pedro IL; febie arm
rella.
Anna Maria da Cnnewca 1, paMa, Bani^n^n*,
no- solieira, Boa Vi-na lio-pOal *\r> \V, c.''lie-
xis s-yplnlitiea.
Valerio, eseravo, preu},"Bihia, 48 a.111 ~jllc.ro,
Bna-Vis-a; bexigas. .*?.<
Al'red-i. brane., (i^irra =e analuralidadq) II
.dias, sou 1 Antonio; r.envnl$5 -.\
tti-ningos, pardo, Pernamhu'-i, 9 fijf, R?*'j -
\M*n *'"_'
Um parvu) 1, Pernamliiie
Mi "'a loaq iini Alv-s da W tJi
soas. 38 irtn >->, >!' ira, B m9|

1



:P-rivUegio funehro ^
ear (a do Sr. Vi'.xx-'.. *
-aiila Carie4ri llu'iui tT> X
Dr. chafe l p-*lie!n.
A Provincia a 176 d ?.0 dj corrente, pi
aoTie
**.
KK
\ mam
r
^w
itiflsn
%



\ ***
**
aJjr-o
uma carla do Sr. Francisco fte Paula _
Uehta ao Sr. Dr. Antonio Correa chefe do policia desta provincia, era qae se 1*5
anontoadj de phrases virulentas a apaixor
contra aqoelto honralo magfeirado, pelo m
Wdepeudeole e energies por qne, se tem havido n
qoestao do Contrato sobre carros funebres" e ser-
vigit mortudrio.
i simples leitara des-u iocnmento dlspensa
rlqner resposta, porqipfSar haveodo a argnic&o
faclos aerios e criiBtBosowoiMra a autoridade
qoe lem a*e hoje saWlo cwfSsponder a altura da
posioao q*e occos resU apenas desculpar ae
sigoatario do dp#ofnento o excesso da linguagem.
eomo elfeito de am genio ardente e precipitado,
eocootrando apoio de sea socio,o -r. Mafra, qae
sobdario em interesses, lodavia, cumo mais pru-
flente e pensador, nao o quiz acompanhar naqueiie
lerreao false, o qae muito o hoara.
Dlzia Plutarco : qae as paixSes sao come os
vidros coloridos, que nos representam os objec
4 tea conforms sua cor.
E* por isso qae o Sr. Paala dominado da paixto,
inlgou que o Sr. Dr. chefe de policia tambem es-
Uwa apaixonado, e por isso excedia de saas attri-
JwioSes aoando recratava sous bolieiros e prohi-
bia sua coniinuacao no service de carros (u
BdbfES.
Vais nao sabe o Sr. Paula, que as autorldades
potieiaes tambem sao eucarregadas do recruta-
meoto, e qae o Sr. Dr chefe de policia tanto po-
dia recratar os seas bolieiros como outros qae Ibe
parece*sem nao ter isencSo legal ?
Nio sabe qoe (era forca de obrigacao a lei
a. 1,121 de 17 de janho do corrente anno, qae
vigora o contrato celebrado pela Santa Casa com
o* Srs. Agra & C. desde o 1." de dezembro, pro-
bibindo o exercicio do servieo raortuario e carros
funebres a outros qae nao os contratantes f
Se e verdade lado isto, ae Sr. Dr. chefe de po-
licia, como autoridade executiva, nao cabia senao
fazer valer a lei, como uma garantia ao direito dos
contratantes, que a reclamavam.
O Sr. Paula que e tio constitutional, e que (al-
ia tanto em wime do povo, nao quereria as mes-
mas garantias se fosse o contratante em virtude
de uma lei ?
Certamente qae sim, a menos que nao quizesse
fazer camiuho para o cjeo, dando o que Ibe per
teocia em favor de seas semelhentes. hypothese esta
que nao admittimos, porque qOem quer faaer cami-
nho para o ceo nao exige 60:000* por urn estabe
leehneato qae difflcilmente podera valer 15.0005,
assimcomo nio tem a veleidade dequerer urn dia
passeiar a carro, Undo par lacaw ndalgos que te-
nkam occupado a alta posicao do Sr. Dr. chefe
de policia I...
O reino do ceo e dos humildes, e 1a nao gozam
da bemaventuranca esses, que nao obstante filhos
do poco, todavia se empavonam com os galoes
donrados e as Gtas coloridas....
Recife, 30 de de>embro de 1873.
A alma de urn defunto.
Sociedade auxiliadora da em-
preza da Illu^tracito Periiam
bucana.
Reunio-so no sabbado proximo passado a re-
daccao da Illustragao Pcrnambucana, no respec-
tive) escriptorio, e deliberou, de accordo com os
mprezarios, qae de Janeiro proximo futuro con-
tinnasse a publicacao hebdomadaria dessa gazeta
illustrada, eievando a a altura que devem altin-
gir as publicacfles instruciivas e recreiativas ;
para o que, resolveu crear uma sociedade com o
tilulo acima indicado, que melhormente occor
res-e as avultadas desuezas que soe fazer-se
com taes emprezas. Adoptou-se um novo pro-
gramma que e mais amplo qae o precedente.
Foram propostas para assignantes accionistas
nuitas pessoas distinctas, e sob proposla dos em-
prezarios foi eleita uma directoria provisoria, ate
que seja encorporada a sociedade.

Diark) de Pemambuoo Quarta feira 31 de Dezembro de ldll.
4oml ; Rate Atas & C 10 ditM
cor^. )8U_ ito ; i. i. da Rosa 10 duos cen
701 dilos d braoco i J. R pantos BasJos M
litoe .com(.'' ^itos de dito relinado ; A. Cordoiro
"arris cor^iM litres de alcool: para Acaraod,
X. /'nleiro i pipa com 488 litres de agaaraenle :
pfra Mosso- U. K. dos Saulos 1 barril eon 46
dftos de ditn
Para o Rio Graide do Sul, bo patacho bra-
sUViro Fortnna, carregou: L J S. Guimaries 100
saocos.com 15,000 fr-Hoa deassmar branco; J. J.
Ferreira 15 barris com 1,440 lilros do mel.
Para o Hio Grande do Sul, no [.atache bra-
sileiro Cnrdiv, carregou : Amorim Innaos 4i C.
500 barricas coin 44,425 kilos de Msncar branco.
Para Mossoro, ua barcarui Veronica, carre-
gou : J. L. F. (tiboire 10 pipits com 4,800 litres de
aguardente.
Para a Parabyba, na barcaga Onus Umiios,
carregou : Bartboloaiea Si C. 1 caseo com 35 li-
tres de aguardente.
CAPATAZ1A da ALFANDEGA
Readimento dr. dia 1 a 29 15:8131285
d# EXTHACTO DO NUMERO DE |PRESOS POBRES
QL'E NO CORRENTE ANNO DE 1873, FORAM
DEFENDIDOS PELO PROCIRADOR JOAO DA S1L-
VEIRA BORGES TAVORA NESTA CAPITAL.
Soltot.
Por haheas-corpus 69
Em recursa 2
Iraprocedentes 16
Absolvidos' 12
Porterem cumprjdo seaten<*a 20
Perdoados 2
t 121
'I'm continuacSa.
Em proccsso 24
Pronunciados 13
Condemnados 23
Appellados 30
Em revista 2
Libertandos 2
Desertor 1
Horto 1
96
Total 217
Meiot de Je/esa ex-oflieie.
Contesta<;ao de testemanbas.
Exame de sanidade.
Justificaf5es.
Deligencias.
Apreciajao dos sammarios.
Habeas-corpuF.
Recarsos.
Appella^oes.
Revistas.
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIFR 30 DE DEZEMBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 H0RAS DA TARDB.
Cotacdes ofHciaes.
Algodao de Pernambuco 8*000 per 15 kilos,
hontem.
Algodao em fardo classificado fail 74700 por 15
kilos, hontem.
Algodao da Parahj ba 1* sorte 8*400 por 15
kilos posto a bordo a frete de 3|4 d.
5 0|0, hontem.
Cambio sobre Londres a 90 dpr. 26 1|2 d. por
1*000, hoje.
Dito sobre dito a 90 d|v. 26 5|S d. por 1*000,
hontem.
Desconto ue letras 12 OiO ao anno, hontem.
teal Seve
Pelo pnsidente.
Antonio Leonardo Rodrigues.
Pelo secretario.
ALPANDEGA
Htodimento do dia 1 a 29.
Idem do dia 30.....
857:208*400
12:195*450
869:403*850
Deecarregam hoje 31 de dezembro.
Vapor inglez-Cordova (atracado) diversos ge-
neros para alfandega.
Barca ingleza Dora carvio ja despacbado
para o trapiche Conceicao.
Barca ingleza James Dardsou farinha ja des-
pachada para o caes do Apollo. .
Polaca bespanholaNicaciaxarque ja despacba-
do para terra.
Import ac&o
Vapor national Giquid, entrado do Acaracu em
30 do corrente e consignado a eompanhia per-
oambneana de navegacao costeira por vapor, ma-
nifestoa:
Algodio 40 saccas a Manoel da Silva Pontes.
JBarrica3 vazias 6 amarrados a ordem.
Coarinbo 40 molhos i ordem.
Esteiras 89 rolos i ordem.
Gomma de mandioca 14 saccos i ordem.
Ovas de peixe 2 caixas a Beltiao k Filbo, 2 a
ordem.
Salsaparrilba 19 rolos a ordem.
OESPACHOS DB BXPORTACA.0 NO DIA 27 DE
DEZEMBRO DE 1873.
Para os portos do exterior.
< brigue inglez AnotUo, para o Canal, car-
at : J. Palter 4 C. 2.CM) saccos com 150,000
J ass near m.iscavado.
.10 lupar inglez Carrinqtm, para o Canal,
goa : A. Howie 4 C 1,200 saccoscom 90,0 .j* de assnear mascavado.
>' > vaoor ioglez Ikta, pra LirerpO')!, car-
efou H. J. da Mtia 1 barira com t abaca-
's ; i da Cunha InnioS 3 dilas com 40 dits :
;-- ..-boa, J. J. de Azwodo 2 rtitas a-ni 36 di-
>: L. F. Gunzagi innier faixa* com 30 kiln.
i.i rlo*r (-ara > lh iiptet), R. Sch>"uiett.iu A
i i-oiii "' 'dS >
ia,i,s yo> 'i
ju I'lii > -ira, riv.-.j nra-^leiro Ipojuri
^ijregL i F. Btuao f t ^m 1,176 iLi.oi
16:074*505
VOLUMES SAHIDOS
No dia la 29......
No- dia 30
?nmeira porta ? .
iegunda porta.....
r6rceira porta.....
Quarta porta......
(lapiche Conceicao .
SERVICO MARITMO
ihirengas descarregadas no trapich*
alfandega do dia 1 a 29 .
No dia 30
Sa\ us alracados no trap, da alfandega
Alvarengas ........
Vo trapiche Conceicao.....
34,078
10
64
5
2,120
36,277
76
1
3
~8G
HaadaCrui
Sobrado n. 14 (fechada) .... 1:0004090.
Ruad* Gala
Casa terrea n. 25.......200*000
Bma doTilae.
Casa terrea n. 98.......241*000
Casa tereei a. 91 (fechada) ... r;i*O00
Idem n. 10>.........241*000
Idem n. 102........241*000
Rua d Rnsario da Boa Vista
Case terrea n. 58fechada.....
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (ferhadn)
Rua Ve
945*006
80o*f
elha.
I^sa terea u. 44....... 4505006
Os pretendcnles devcrio apresentar uo acto da
irrematacao as suas iiancas, on tUMnparecerem
aompaahailos dos respoelivos liadores, dev.viido
pagar alem da renda. o premio da quanua n
qne for segnro o predio que cmtiwjr estibeJeei
mento commercial, assim cmno o servifo da Um
peza e pre^os dos apparellios. -.
Secretari'a da santa casa da misericordia do Re
ate, 20 de dezembro de 1873.
0 escrivio
Pedro Rodrigues de Sauza,
Cwnpnhia aiiMTiciiHa c brasileira
de paqudes a vapor.
Aleo dia de Janeiro e esperado dos portos do
5l ii vapor americauu fouth-America, commas.
dante Tenkiepangb, o qn.nl depois da demora do
costume seguira para os portos dn norle.
Para rretos e passagens, trata-se com os agentts
Henry Porster A ('., ma lo Commcrcio n. 8
itEGEBEDORIA DB RENDAS INTERNA3 GE
RAES DE PERNAMBUCO -
tendimento do dia 1 a 29. 75:726*805
dem do dia 30...... 5:352*839
81:079*644
CONSULADO PROVINCIAL
lendiraento do dia 1 a 29 201:887*073
Id.imflodia30...... 7:466*009
209:353*082
RECIFE DRAINAGE,
dendimento do dia 1 a 23. .
Idem do dia 30......
8:595*805
2:362*860
10:959*665
0ViMENT0 06 PORTO
Piavios entrados no dia 30.
Acaracu e portos intermedios 14 dias, va-
por uacional Gi'juid, de 223 toaeladas,
corumandante Martins, equipagem 24,
carga varios generos ; '& eompanhia Per-
nambucana.
Rio de Janeiro5 dias, vapor inglez Neva,
de 1,650 toaeladas, commandante Bax,
equipagem 110, carga differentes gene-
ros ; a* eompanhia Pernambucana.
Santos22 dias, barca ingleza Rifle, de
324 toneladas, capitao Light, equipagem
11, em lastro ; & ordem.
Buenos Ayres29 dias, brigue hollandez
Holland, de 214 toneladas, capitao G.
Brumraer, equipagem 9, em lastro; a*
ordem.
Navios sahidos no mesmo dia.
CanalBarca hollandeza Sphynx, capitao
Somit, carga assucar.
Southampton e portos intermediosVapor
inglez tVeva, commandante Bax, carga
a "mesma qUO'trouxe Jus pwrtoa dorol o
algodflo que recebeu neste porto.
Observagdo.
Suspenderam do lamarSo para Parahyba
a barca ingleza Cleynenline, capitao W.
Uhite, com o mesmo lastro que trouxe do
Hio de Janeiro.
Idem para Antilhas, patacho americano
Sarah & Emma, capitao Caster, com e
mesmo lastro que trouxe do Rio do Ja-
neiro.
Idem para Parahyba, barca ingleza Lur-
line, capitao Patridge, com o mesmo lastro
que trouxe de Macahe.
Idem para Parahyba, barca ingleza Su.
zerian, capitao J. Wills, com o mesmo
lastro que trouxe de Montevide"o.
EDiTAES.
A camara municipal desta cidade faz pu-
blico para cenhecimenlo de quern interessar possa.
o artigo de postura abaixo tran.-cripto.
Art. 8 Nos primeiros oito dias do mez de Janei-
ro de cada anno, todos os medicos, cirurgi5es,
pbarmaceuticos, droguistas, parteiras, sangrado-
res, dentistas e velerinarios, mandarao a camara
municipal a declaracao de seus nomes, naturali-
dades e moradas, anm de que < 11a possa mandar
publicar a lista de todas estas pessoas ; os infrac-
tores serao multados em 10*.
Paco da camara municipal do Recife, 19 de
dezembro de 1873.
Theodoro M. F Pereira da Silva
Pro-presidente.
Pedro de Albuquerque Autran
Secretario.
0 film. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, era cumprimento do acto do Exm. Sr. com}
mendador presidente da provincia, de 4 do mez
corrente, manda fazer publico qae, na mesma
ine.-ouraria, acha se aberta a insenpeao de apoli-
de divida provincial, ao par, vencendo o juro
c por cento ao anno, ate a importancia de mil
ontos de reis.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, em 13 de dezembro de 1873.
Victoriasio J. M. Palhares,
OfBcial-maior interino.
Secretaria do gymnasio provincial de Per-
nambuco, 30 de dezembro de 1873.
Por esta secretaria, e de ordem do Ulm. Sr. Dr.
regedor interino,se declara a quern interessar pos-
sa, que no dia 2 de Janeiro proximo vindouro se
acba aberta a matricula dos alnmnos desta instituto
e bem assim se faz publico o artigo 37 da lei pro-
vincial a. 1,124 de 17 de jnnho do corrente anno,
qne assim dispde : ficam elevadas a 1004 a paga
trimensal qoe devem fazer ao instituto os aramaos
internos; a 20* a mensalidade dos meia-pensio
nistas e a 6* a dos externo?.
0 secretario
Celso Tertuliano Fernandes Quintella.
DECLARACOES.
SAKTA CASA DA MISEBJCORDU DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico qae
aa sala de suas sessdes, nodial.'de Janeiro
pelas 3 boras da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantageos offerecer, pelo tempo de am
a as aiiuos, as rendas doa predlos em sefoida
Jeclarados.
ESTABELECI ENTOS DE CARJDADE
Rua de Hortas
Loja do sobrado a 41.....306*000
Rua da ViracJo
Casa teorea n. 7 (fechada 240*000
Iravessa de S. Jose.
Casaterrean.il........ 201*000
PATR1MONK) DOS ORPHAOS.
Rna da Senzalla velha,
C^sa terrea u. 16..... 209*000
o das Bola*.
l u. 18.......i2t*0OU
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, c mpetentemente aatorisada
pela presidencia, em data de 3 de seterabro do
anno proximo findo, e de conformidade com o que
dispde o 9.* art 52 do sea compromisso. per-
aiuta por apolices da divida publica a faseoda de
eriar gados qoe possue o patrimonio dos esta-
belecimeatos de caridade a sea cargo deaomina-
da Carniuba sita no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para eriar e plantar, e
com algam gado cavallar e vaccam
Recebe para isto propostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
sile, 10 de outubro de 1873.
0 escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.
0 Him. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico, que vai a pra^a no dia
31 do corrente, perante a junta desta thesouraria
para ser arrematado a quem por menos fizer o
costeio da iUumimcao publica da cidade de Goy-
anna por tempo de nm anno, orcado em 286 rs.
adiarios cada lampio.
As pessoas que se propozerem a essa arremata
cio, comparecam na sala das sessdes da referida
junta competeBtemente habilitadas.
E para constar se manda publicar o presente
pelo jorual.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de dezembro de 1873.
0 official-maior
Miguel Alfonso Ferreira.
COMPANHIA
RECIFE DR41MGE.
^Achara se promotes nara fnnccionar os appare-
lhos que foram coilocados nos predios abaixo de-
clarados : os Srs. proprietaries so deverSo delles
fazer uso depois que receberem am carUo da eom-
panhia que os autorise para isso.
Freguezia da Boa Vista.
Rua de General Seara de n. 1 a 43.
Rua do Coronel Lamenha de n. 2 a 50.
Rua dos Coelhos de n. 12 a 24 e n. 1 a 15.
Rua da Santa Cruz de n. 2 a 74.
Rua do Barao dc S Borja de n. 3 a 63.
Rna do Soccgo de n. 32 a 70.
Freguezia de S. Frei Pedro Goncalves do Recife.
Largo do Corpo Santo n. 6.
Recife, 30 de dezembro de 1873.
0 gerente,
John Blonnt.
COIII'AMIIA BANANA
DE
LINITADA
Macelo, Penedo, AracajA
e Bahia.
E' esperado dos portos do sul ate o dia 6 de Ja-
neiro proximo futaro o vapor Dantas, o qua! se-
guira para os portos acima no dia seguinte ao
de sua chegada.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete.
AGENTES
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
_________57Rua do Bom Jesns57
Lisboa e .Porto
Sogue viagem muito breve a galera portugaeza
Ltsboa, por ja se aehar com quasi todo o cea car-
regamento tratado* Para" a pouca carge que lhe
falta e passageiros, aos quaes offerece muito bom
tommodo : trata-se com Tito Livio Soares, rua
ao Vigario n. 17.
LISBOA
Para o referido porto pretende seguir com a pos-
tivel brevidadeo brigue portuguez D. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a qae lhe
alta, que recebe a frete commodo, trata-se com
os consignatarios Joaqnim Jose Goncalves Beltrao
Si Filho, a roa do Commercio n. 5.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem pertencer, de 44 saccos
com arroz avariado (fagna salgada, vindos de Li-
verpool no navio ingtea Dora, desembarcados ul
timamente
QUARTAFEIRA 31 DO CORRENTE.
As 11 horas da manhft
No armazem do Sr. Annes, defronte da al fan-leg*.
LEILAO
DE
2 caixas com 240 latas com peixe.
YU>,VR
as 11 horas da mauha
0 preposto do agente Pe?lana, fara leilao por
conta e ri>co de quem pertencer, le 2 caixas com
210 latas i-om peixe, quarta-feira 31 do corrente as
11 boras da man ha, no armazem do Sr. Annes, de-
fronte da alfandega.
Novo e ultimo
leilao
DA
loja de fazendas sita a* rua da Imperatriz
n. 48, pertencente & massa fallida de
Paulo Fernandes de Meilo Guimaraes.
Sabbade 3 de Janeiro de 1874.
as 11 horas
0 agente Pinho Borges levara a novo leilao, por
mandado do Illm. Sr. Dr. jniz de direito especial
do commercio desta cidade, a armacao, roupa fei-
ta, camisas e outras fazendas, 1 cofre de ferro, 1
carteira e mocbos, candieiros de gaz, espelhos,
mesas, caixas vasias, 1 balcao, armario e cabide,
qne se acham patentes para srevio exame dos
concurrentes, ao acto do leilao.
LEILAO
Por esta admioistracao faz-se sciente aos
contribuintes dos apparelhos e annuidades da
Companhia Recife Drainage, que, em virtude da
portaria do Illm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial, de hontem datada, acha-se prorogado ale
o dia 18 de Janeiro proximo futuro o prazo para
o recolhimento da importancia dos mesmos appa-
relhos e annuidades.
Mesa do consulado provincial, 30 de dezembro
de 1873.
Antonio Caraeiro Machado Rios,
Administrador.
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS DE PERNAM
BUCO 31 DE DEZEMBRO DE 1873.
Malas neltis vannros Mandaha p- Jitnjurji
a < companhia pernambucana.
A correspondencia que tem de ser expedida
hoje (31), pelos vapores acima mencionados para
os portos do sul ate o Penedo, e para os do norte
ate o Acaracu, sera recebida pela maneira se
guinte :
Macos dc jornaes, impressos de qualquer natu-
reza, e cartas a egistrar, ate 2 horas da tarde,
cartas ordinarias ate 3 horas, e estas at6 3 1|2,
pagando porte dupio.
0 administrador
Aflonso do Rego Barros.
TBEATRO
Recreio CampesEre
NA
Povoariio do Monteiro.
Quart a-feira 31 do corrente, e
Quinta-feira 1. de Janeiro
de 1894.
0 director deste theatro avisa aos associados e
ao respeitavel publico que os dous primeiros es-
pectacalos terao lugar nos dias 31 de dezembro
corrente e !. de Janeiro de 1874, Ievando a sce-
na o in portante drama pastoril:
Os espectaculos principiarao as 8 horas da noite
e havera trem para o Recife depois de findo os
mesmos.
Os senhores associados podem desde ja procu-
rar seus bilhetes no hotel do Monteiro.
AVISOS MARITIMOS.
PACIFIC STEAM NAVIGATION COM
PANY
Linha quinzenal
0 PAQUETE
Mpera-se dos portos do sol ate o dia 2 le Ja-
neiro, e depois da demora do costume, seguira
para Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde
rdcebera passageiros, encommendas e carga a frete.
N. B.Roga-se aos Srs. passageiros o favor de
virem dar seus nomes antes da chegada do pa-
qaete.
OS AGENTES
Wilson Howe A C.
14RUA DO COMMERCIO14
PARA.
Pretende seguir com brevidade para o Para, o
niate Olinda, por ter parte de sua carga, e para
a que lhe falta, trata-se com os consignatarios Joa-
luim Jose Goncalves Beltrao & Fuho, a roa do
commercio n. 5.
Rio Grande do ShI
Para o Rio Grando do Sal pretende seguir com
brevidade o patach > portuguez Jovtn Corria, por
ter alguma carga; para a qae lhe falta trau-se
com os consignatarios Joaquim Jose Goncalves
8ekrao, i roa do Commwcio a. C._____________
Para Lisboa.
Seguira em poucos dias a bare* portugaeza
Grattdrio. Para alguma pouca carga qae lhe falta,
Isr.ts se com E R. Rabello k C, i roa do Com-
' aorcio a. o.
Rio Grande do Sul
Para aquelle porto recebe o patacho nacionai
Leopoldina carga a frete, devendo seguir viagem
em poucos dias : para tratar, no escriptorio de
Silva & Cascao, a rua do Marqnez de Olinda n.
60,1 andar.
Lisboa
Para o referido porto pretende seguir com pouca
demora o brigue portuguez Ltgeiro III, de 1*
classe, capitao Nobre, por ter a maior parte de
sen carregamento engajado, e para o resto qne lhe
falta trata-se com os consignatarios Joaquim Jose
Goncalves Beltrao & Filho, a rua do Commercio
n. S.
Pacific Steam Navigation Company
Linha quinzenal
0PAQUETE
POTOSI
espera-se da Europa ate o dia 5 do Janeiro, e de-
pois da demora do costume seguira para a costa
do Pacffico. via Bahia, Rio de Janeiro e Rio da Pra-
ta, para onde recebera passageiros, encommendas
e dinbeiro a frete.
N. B.Roga-se aos Srs. passageiros o favor de
virem dar seus nomes antes da chegada do pa
quete.
OS AGENTES
Wilson Rove A C.
14 RUA DO COMMERCIO14
PRQGRESSO MARITIMO DO PORTO
Em preza portuense de navega-
cfto a vapor entre Portugal e
Brasll.
0 vapor
ALMEIDA GARRET
Commandante Luiz Jk. l'o-
masinl.
Deve chegar da Europa ate o dia 6 de janeire
proximo futuro e depois de pequena demora den-
tro deste porto, seguira para os da Bahia e Rio do
Janeiro.
Recebe carga, passageiros, encommendas e va-
lorem, para e qae trata-se com
OS AGENTES
E. B. Rabello C.
48 Rua do Commercio 48
Allianga Maritima Por-
tuense.
Companhia de NavegacOe en-
tre Portugal e o Brasil.
A galera portugaeza Vasco da Gama segue em
poucos dias para o Porto, achando-se ja prorapta
grande parte do sea carregamento.
Para passageiros e fretes trata-se com o res-
pective capitao, ou com os agentes da companhia,
Jose de Silva Loyo & Filho, escriptorio, a rna da
Companhia Pernambucana.
LEILOES.
LEILAO
DE
11 quartollas com superior vinbo Bordeaux
ao 1 horas em ponto.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco deqnem pertencer, de 11 quartollas
com superior vinho Bordeaux, o qual pela sua su-
perior qualidade torna-se recommendavel
QUARTA-FE1RA 31 DO CORRENTE
as IS horas em ponto %
No armazem do Sr. Annes, defronte d'alfandega.
LEILAO
DE
33 latas com queijos suissos
HOJE
A'S 12 HORAS EM PONTO.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta o risco de quem pertencer, de 33 latas com
queijos snissos
as 12 horas em ponto.
AOCORR-R DOMARTELLO
No armazem do Sr. Annes, defronte da alfandega.
Leilao
DE
44 caixas coin arn avariado
Hoje
a It horns em ponto
DE
6 cavallos de sella, 4 ditos do carga e 1
burro.
Sabbado 3 de Janeiro de 1874,
Ao meio dia;
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio desta cidade, e a requeri-
mento dos curadores fiscaes da massa fallida de
Manoel Jose Monteiro Torres, o agente Pinho Bor-
ges, levara a leilao os referidos animaes, no arma-
zem do sal a rua da Conceicao dos Ojueiros.
t' *
TES-.CfAltfOTroiS
J
""" # Marco ftfttir'ora ^a
0 auatxo -!>.,...; ytenBo feodido nos"~ W iF-
lltes bilhetes, um i Jt'iro n. W$ com 4:090i00<).
dous mclos it. itcii d>m 300 J, e outras sortes de 40#
e HHi da loteria que se acaboa de extrabir (6l')r
convida aos f^uidorcs a virsra receber na con-
formidade do costume, sem desconto algum.
Achara-se a venda os feliies bilhetes garantidc
la 18* parte da> loterias a benetlcio da Santa
Casa de Miseruvrdia do Recife (82), qae se ex&-
hiri na sexta feira, de Janeiro do anno vindouro.
PKB.S
Bilbete inteiro 41000
Meiobilh3te 2x000
km poRgAO Dt, 100^000 para cm*.
Bilhete inteiro 3*800
Meio bilhste 14760
Manoel Martins Fiuta
Precisa alufjar uma escrava de meia
idade que seja fiel e civilisada para service
interno e externo, na rua da Vh-agio d. 33.
LEILAO
DAS
dividas da massa fallida de Amorim, Frago-
so, Santos & C, aquellas que foram a
leilao pela primeira vez no dia 16 de de-
zembro.
Sabbado 3 de Janeiro
A's It horas.
0 agente Pinto, levara novamente e pela scgun-
da vez a leilao, servindo de base ss offertas obti-
das, as dividas que fazem parte da massa fallida
de Amorim, Frago;o, Santos & C, e que foram a
leilao no dia 16 de dezembro, sendo que naqueiie
effectuar-se-ba a venda com quem melhor vanta-
gem offerecer. 0 leilao sera effectuado as 11 ho-
ras do dia acima dito, no escriptorio do referido
agente, rua do Bom Jesus n. 43.
LEILAO
DA
casa depasto, generos emais utensilios, sita
& rua da Moeda n. 33.
SEGUNDA-FEIRA 5 DE JANEIRO PRO-
XIMO FUTURO.
As 11 horas em ponto.
O preposto do agente Pestana fara leilio, por
conta e risco de quem pertencer, da casa de
pasto, generos e mais utensilios do mesmo esta-
beleciraento, cuja chave acha-se livre e desemba-
racada de qualquer onus.
SEGUNDA-FEIRA 5 DE JANEIRO PROXIMO
FUTURO.
As' 11 horas em ponto.
Na rua da Moeda \. 55.
?
um terreno cultivado com uma casa coberta
de telba, cacimba, com 150 palmos de
frente e 500 de fundo, sito em Agua Fria
em Beberibe de Baixo na estrada das
Boiadas.
Negunri a-feira 5 de Janeiro pro-
ximo futaro.
A's 11 horas em ponto,
Na raa da Moeda \. 55
0 preposto do agente Pestana fara leilio, por
conta e risco de qnem pertencer, do sitio, e casa
acima mencionados
EM BEBERIBE NA ESTRADA DAS BOIADAS.
Segranda-fcira S de Janeiro proximo
futuro.
AS' 11 HORAS EM PONTO.
Na rua da Moeda N. 33.
Grande e importante
Leilao
DOS
vinhos especiaes abaixo declarados, vindos
das docas de Londres, em frasqueiras,
das eras de 1815 a 1847, os quaes por
sua especialidade tornam-se recommen-
daveis
TERQA-FEIRA 6 DE JANEIRO
proximo futuro
A's 12 horas em poo to
no armazem do Sr. Annes.
0 preposto do agente Pestana, competentemeu-
te autorisado, fara leilio por conta e risco de
quem pertencer, dos melhores vinhos que tem
vindo a este mercado ate hoje
ASABER:
Diversas frasqueiras com superior vinho do Porto.
Ditas com dito dito Bourgonht.
Ditas com dito dito Madeira.
Ditas com dito dito Xerez.
Ditas com dito dito champagne.
Ditas com dito dito licor.
Ditas com dito dito cognac
Ditas com dito dito Vermouth.
Vindos da docas de Londres
Terca-feira 6 de Janeiro proximo fnturo
A'S 1* HORAS EM PONTO
No armazem do Sr. Annes, em frente da alfan-
dega.
AVISOS DVE8S0S
COLLEGIO INGLEZ.
Antigo collegio de 1%. S. de
Helena, resnmide
SITO A RUA d'aCRORA N. 37.
No priucipio dn Janeiro nbrir-se-ha de
novo o fliittgn odlfgio acima denomina-
do, onde se recetM um numero limitado de
alumnus, enja educac^o s*ri modelada pela
qn* se rm-fbe na r!umpa.
A r bjureNci a imIt ru* Aur^ri n. 37
" -"a
?-,o: i
PENHORES
Na travessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
recisa-se
de um caixeiro de 1'v a 16 annos de idade, com
pratica de molhados : a tratar na rua do Lima n,
15, em Santo Amaro.
mms^k^mmmimmamitmmmmmmwrmmi
Herculana Emilia de Olivei-
ra Marinho.
Lourengo de Barros Marinho e
seus filhos agradecem do fundo
d'alma a aquellas pessoas que to-
maram parte em sua justa ddr, ja
durante a molestia de sua mulr.t
e m3i, Herculana Emilia de Olivei-
ra Marinho, e ja por oceasiao <>
seu fallecimento ; e de novo as convidam a assis-
tirem i.s missas que mandam celebrar na fregue-
zia do Poco da Pantlla, quarta-feira, 31 do cor-
rente, as 8 horas da manba, setimo dia de sen
fallecimento.
Joaquim GoncalvesFerreira, seus lilnos o gen-
ro, mandam rezar algumas missas por alma de.
sua mui presado eposa, mai e sogra, Marianna
dos Santrs Miranda Seve Ferreira, na igreja de
S. Francisco as 7 loras da manha do dia 2 de
Janeiro, anniversaric do seu passamento, e convi-
dam aos seus parertes e amigos para assistirem
a ess>i ecto, pelo que manifestam seu reconheci-
mento. ______________
Joaquim Codho Cintra
Os filbos e genros* de Joaquim
Coelbo Cintra agradecem as pessoa?
que se dignaram assistir ao enterro
de sc u pai e sogro ; e de novo as
conv dam para assistirem as missas
que uandam celebrar na igreja do
Car mo e Santa Thereza, na cidade
de Olinda, e na ma.riz de Gamelleira, sexla-feiri
2 de Janeiro, 33 7 horas da manha.____________
A
Jose Antonio da Silva Ma-
chado.
Bento Alves Machado Guimaraes
e Frs.ncisco de Oliveira Guimar&e?
conv d.mi aos seus amigos e ao
do l.nado Jose Antonio da Silva.
Macbado, para assistirem a algu-
mas missas que por sua alma may -
dam celebrar no convent.) de N. S.
do Carmo, hoje pelai 7 1|2 horas da manha. seti-
mo dia do seu passamento, por cujo acto de re-
ligiao se confessam gratos._
aramo^m!u^te(!amposTc
ernardino 'marte Campos, Joa-
quim Duarte Campos, Antonio D :
arte Campos Jumor, mandam ce-
lebrar no dia 3 de Janeiro vindouro,
na igreja de S. Francisco, as 7 ho-
ras da mnaha, uma missa poralma
de so a mai, fallecida em Portugal,
trigesimo dia do seu passamento ; para assistir a
esse acto convidam a seus parentes e amigos.
iiianuiaiiwfi^onbeawynM-wsirnai .iiaBno
>CB

0 conselheiro Francises
Antonio Raposo, Manoel Es-
teves Benevides Raposo (au-
sentes), Antonio Flonpes
Raposo, Joaauim Benevia>
Raposo, Adelaide Emilia ><
da n , oa C-'> i tr fcr na mesma.
Lemos Pessoa, Marcolina Candida de Lemos Rapo-
so, Ermelinda Tavares de Aquino e Manoel Tava-
res de Aquino, agradecem aos sens amigos e pa-
rentes, que se dignaram acompanhar os resto*
mortaes de sua presadamai e sogra Joaquina Ma-
ria de Lemos Raposo, e de novo os convidam para
assistirem as missas do setimo dia, que terao lu
gar na igreja do recolhimento da Gloria, pelas 7
horas da manha do dia 2 de Janeiro proximo, pelo
que manifestam o sun reconhecimento.
PRESENTES
Do anno novo
Oh I vos MOCOS E MOT. AS, que recebestes o
presentes de festas do Natal, e que estais na res-
tricta obrigacao de retribuirdes taes festas, ide, ide
correndo ou mandai a
Confeitaria do Campos
na vespera do anuo novo, que alii encontrarei."
para ditas
Retribuieoes, o seguinte :
Uma rica caixinh i ou cestinha com ameudi..
confeitos, doces, etc, etc., etc.
Um fiampre ricarnente enfeitado.
Um bolo inglez idem idem.
Um pad-de-16 idem idem.
Um pud n idem idem.
Um queijo inglez superior.
Uma sorpresa sorprehendente.
Etc., etc., etc., etc., eu:.
Na confeiuria do CAMPOS
Tao conhecido...
Aula particular de instruc-
cao elementar, naruada
Ponte-velha n. 101
Felippe da Costa 3ourado fat seienti aos pai<
de seus aluranos e a todos aqaelles que quizerem
confiar-lhe a edueacao de seu< ulhos, qne no di.i
7de Janeiro proxmio vindouro teno corner o^
trabaihos de sua lla, 03 quaes con^stem em
leitnra de prosa e v< so, caligrapii11, anthraetica
systema mtrioo. gra amatica' port igneza, etc etc.
Ala, '.-se a t&*
maiem, '.?
d novo
'
f.

i
\A
1
r#
I
uT.v
/
1 MOTjlMO
osir^
** "



Mft
ZXajrio de Pemambuou Quarta feira 31 de Dezembro de 1873.

-
>
DO BOWMAN
MM N. 521
o chafariz)
ikiBiS^Tr *"^* d engeuhoe oatfoii agriculture*, eemprbgadorta oe
^iu *? vigil* a seu Mtabelecimento, para verem o dovo lonimenlo
^ompieia qoe abittn; utndo todo superior em qoalidade e lortid5o; o qae com a ins
ctfo peuoai pode-M vwiflcar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICiO
VftDOrdS 6 rodftft H'fl^na dos mais moJernos *ystemat eem la
v v*w u <*g ** maabos conveoientes para aa diversas
urcamsianciaa doa aenhorea proprietary e para descarocar algodao.
KOGQCulS d6 fiflTmn. d6.10*108 0I tamanhos, as^melborea qoe aqui
BodaS deiltadaS P* ''aS"vaP<>r.
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e ftmdos de alambiques.
fachlTliflmrifl para mandiocae algodio.l Podendo] todoa
*muuuoiuuQ e para aerrar madeira, f aer movidoa a m5o
Bombas (pr 1al' v'Pr
v******* do patente, garaniidas........ foa animaes.
Todas as machinas a pe*"da qae M CMtDma &****>
Fai qualquer concerto dem,chifliMno "P"*0 mni 'onMo-
FonnaS dfi fflrro tem M me'norei e milt Dmlas existente do mer-
Unnnmmonrlaa Incambe-se de msndar vir qaalqaer macbinismo i von-
ouuuiiuuwUitBi tade dos dientea, lembrando-lhea a vaotagem de fa zerem
tuu eempras por intermedio de peisoa entendida, e qoe em qaalqaer necesaidade pode
Jbw prestar aaxilio.
Arados americanos e iB,trQmeo,( ,ricolM-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDigAO DE FERRO
4' roa do Barao do Triumpho (rna do Drum) ns. 100 a 104
CARDOSO IEM10
RECEBERAM de Inglalerra completo -sortimento de ferragens e machinas para ea-
genhos, as mais modemas e naelhor obra qe tem vindo ao rnercado.
V aporeS de for$a de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
UalueiraS de sobresalente para vapores.
MOenClaS mteiraS -e meias moendas, obra como nunca aqai veio.
laixaS JUndldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
[tOdaS a agua com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KOuaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para yapore8.
BombaS de ferro, de repucho.
ATaClOS* de diversas qualidades.
FomiaS para aSSUCar grandes e jwquenas.
OonCGrtOS concertam com promptidio qualquer obra on machine, para o qae teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
BDCOmmeildaS mana*am xir Pr wneommenda da Europa, qualaucr rnacuinisnio.
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
. com urn dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum)ns. 100 a 194
FURDigiO DE CARDOSO & IRMAO.
ITTil.
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
' Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo definitivamente Uquidar este negocio, vende todos os que tem, novos e
asados, pelo preco do custo de factura.
Tambem aeaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNEIS electrieos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com la ou s&la.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por barato preco.
PARA
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos, lencos,
meias e todo genero de roupas
COMO TAHBEM
Cartes devisita, livros, envelopes e (oda aqualidadede
papeis, clara e exactamenlc com o nome competenle da pessoa
fiiranta-so dar uma chapa tio boa como podoria conseguir-se em Londres ou No
Garanta-se dar uma chapa tio boa como poderia conseguir-
York e allianca-se igualmente que a tinta sera* indelevel.
You can bet your bottom dollar on ihM
Nova
Scmpre e bom!
Tiv-ii a tfiil').<, todos Iciiin,
. .Y i -o ri.i,id. in, me us leiiurc?.
TihIcs rrjiiiu, i|ue |iroRre**o !
Que |i!'"gu's-M ini-ns-*ioh>tcs I
Com i|ii.in!(> j;i c*lcja ben: uo douiiuio tie pu
Llico desta capital e seas suburbia*, que para se
obler tiido que 6 preciso para os regaboles nos
dias festivos >|ue se aproximam
Uma pessoa
nio (cm mais dp que dirigir-se a
(ksnfeilaria do Campos
24-Imperador-24
Onde se acham ctntriticadas as quatro artes.
A saber :
CoufeitariH,
PaMtelariat.
Conservaria
E culinaria.
Sempre 6 bom que lembremos aos nossos ami-
gos e fregaezes qae ja nos annos passados cor-
riam aos turbilhoes a fazer suas encommendas
de pasteis de came, e a confeitaria do Campos
Que este anno
EstamGS mnnidos de uaa nova machina que
bem se podia apellidar de
Infernal
Pois pode em 6 boras produzir com asseio
Duzentos mil pasteis! !
ALF.M DISSO
Lembramos a todos
O segninte :
Que preparamos com presteza.
Fiambres.
Leitdes.
Perils.
Peixes.
Empadas.
Pudins.
Boles inglezes, etc. etc.
E especialmente as familias, os proprietarios
da confeitaria do Campos convida-as a reanirem-
f naquelle verdadeiro centro de bonsboccados,
ois em virtude das iuterdiccoes nSo se podera
uvir a missa do gatto.
Cada chapa como nome da pessoa e" acompahada de dous frasquinhos de tinta, am
oi uma direccao sobre a maneira de empregar a chapa e uma receita para fazer
para
34000
59000
pineal, uma direccJo sobre a maneira de empregar a chapa
tinta, custand tudo
Preco fixo
Em letra do mao e potbica
JIBGOIAS AMJUAN\S
PARA CHAVE8
So marto commodas e possuem as seguintes vanlagens :
Sewem wra aiuotar as chaves, e ao mesmo tempo sendo chatas, ha lugar para p
nome e moradia do dooo.
Sao fitcois do ahrir e t'ecbar, deizam entrar a maior chave sem onender a
'So1*- ^ v
840 feit&s de prata ilema en8o sSosujeitas a enferrujar, quebrar ou abnr ; como as
"rgolas de aco, sao muit fortes e bonitas. Cada argola amerioana com o nome e roora-
iadodono, abertftiM leama, etiata :
. Preco fis* a*ow
P, LAUR0 MACPHEftSON
. ?'.OflkiTLESTAMI\ET
i< Tmperador n. 32
hk:> 9 U0RAS AO MHO DI4.
S FESTAS I
tVistaarios de fastSo paia menmas a a
4*000. 5
jk Uitos de cambraia ^ labados* ^
St, Ditoe de alpaca enfeftados a 7f.
Hua do Crespo n. 10.
mm
Barato
Aluga-se o 3 andar dosobrado da ma da Guia
n. 62 : na rua da Senzala-nova n. 1.
asa para alugar
O quarto andar da rua do Marquez de Oiinda
numero 4.
Borracha para lunas
Recebea a pharmacia Torres, de primeira qua-
lidade, por commodo prejo, vinda pelo vapor
Ceard.__________________________________
Alugase uma casa terrea com commodos
para famtlia, e tendo gaz e agua encauados, na
rua Imperial n. 179 : a tratar junto.
Aluga-se uma escrava para o servico : na
rua da Gloria n. 146._____________________
PR0GRAMMA
da beucito solt-.mne da igrcja do
Tereo, .por S. Exo. Rvmu. n
1 .n de Janeiro as 41 horas da
tarde.
Coraquanto ja se lenha scientificado aosde-
votos e aa respeitavel publico quenodia 1."
Jcjaireiro lllfliuiu oimu sciia wOia da lrai-
qao da nova igreja de N. S. do Tenjo todavia
osincumbidos da obra, o direcgao da so-
lemnidadc da bencAo, nao cabendo em side
prazer, d que se aeham possuidos, enten-
deram que deviara reiterar o annuncio para
despertar o publico, e mesma por terem
feito tudo quanto humanamente se p6de fa-
zer para que o acto seja feito com a pom-
pa correspondeute & Heroina, a quern o
mesmo templo c dedicado, e estando elles
convencidos de que os sens esfor$os serSo
applaudidos, nao so pelo brilhantissimo do
acto, como pelos personagens, que torn de
servir como paranymphos do mesmo templo,
os quaes sao os Exms. Srs. Barao do Livra-
mento, desembargador Jose" Felippe de Sou-
za Leao, capitao de fragata Francisco Ro-
mano Stepple, juiz de direito Sebastiao do
Rego Barros de Lacerda, e o corenel Agos-
tinho Bezerra Cavalcante.
A irmandade de N. S. do Terco, nfio dis-
pondo de tempo para se dirigir a cada uma
das irmandades desta cidade para no acto da
benjSo tomarem parte no regosijo, de que
se acha possuida, vai por meio deste an-
nuncio pedir que na occasiSo, em que su-
bir ao ar uma gyrandola de foguetes, quei-
ram hanrar o mesmo acto com os seus repi-
ques, e desde ji se confessa ^rata por
tao especial favor.
S. -Exe. o Sr. presidente, nao podendo
honrar o acto da beocio com a sua assis-
tencia, n&o poz a menor duvida em conce-
der uma guarda de honra com a cim-
petente musica marcial, assim como 0111m.
Sr. tenente^coronel Carneirotambem sedig-
nou espontaneamento otTertar a muaica
do corpo, de que e digno commandante,
para mais abrilhantar o acto da bengao.
O secretario,
Antonio Ferreira de Oliveira.
'. PECHINCHAS
RCA DO CRESPO
m m $ nitm
conthmn xi.vkr multo baralo pjra apunn
muilo dinheiro.
CASSA Li
Cbegoa esta fazimda,seinlo lindos padrtes, e ven-
de se pelc diminuto prego de SU0 rs. o covado, e
pechincha 11 I dao-se amoslras.
MET1NS
Proprio para vestidos o que ha de mail gosto,
padrSes novas, pelo preco de 400 rs. o covado, e"
pechincha! I I doi-se amostras.
LAS ESCOCEZAS
Lasinbu escocezas, padroes bonitos, a 840 rs. o
covado.
Uitas com listras, padroes modernos, a 280 rs. o
covado.
Ditas la e seda, padroes modernos, a 640 rs. o
covado, e pechincha I 1 dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
U000 a 400 o covado, e pechincha I I! dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas peqnenas, com bonitos pa-
droes, pelo diminuto pre^o de 400 rs. o covado, e
pechincha 11 I dio-se amostras.
Cortes de casemira d3 cores, a 5C00 cada urn.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para Into, a 240 rs. o covado.
FosUo branco para roupa de meninos, a 560 rs
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chita adamascada, a 3*500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 3*500
e 4000.
Lencoes de bramante, a 2*000.
Dites de algodao, a 1*400.
Toalbas alcochoadas, a;6*000 a duzia.
Ditas felpndas, a 6*600 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados, a 2*000 a duzia.
Ditos de esguiao finos, a 3*500 a duzia.
Cambria Iisa transparente a 3*000 e 4*600 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 3*800.
Atoalhado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito trancado, a 1*400 a vara. -
Fustdes de cores, a 1*000 o corte.
Chales de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,4*000 e 4*600.
Ditos com listras rauito finos, a 2*800 e 6*000
Esguiao muito fino, a 2*000 a vara.
Brim preto. trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de Knho de 9 e 10 palmos de largura, a
2*600 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzuc cambrau de cores muito Una, pelo di-
minuto preco de 400 rs. o covado.
S6na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
CASA DO OURO
Aos ^iOOO^OOO
Bilhetes garantidos
huo. do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos seus
moilo felizes bUbetos a sorte de 700* em urn
uieio de n. 3308, a sorte de 100* em um meio de
n. 3660, e um bilhete inteiro de a 1800 com a
sorte de 100*, alem de outras sortes menores de
40*000 e 20*000 da loteria que se acabou de
extrahk (Bi'j ; convida aos possuidores a virem
receber, que prompumento seri') pagos.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
vel publico para vir ao sen ettabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes.que nao deixarae de
tirar qualquer (,remio, como prova pelos mesmes
annuncios.
Aebam-se a vends, os muito fellies bilbetes ga-
-antidos da 18* parte da loturia a beneflcio da
Santa Casa da Misericordia do Recife, que se
extrahira no dia 9 de janeii'6 vindouro de 1874.
Prefoai
Inteiro 4*000
-eio 2*000
t> 1OO0OOO pnraelma.
Inteiro 3*600
V.eio 1*750
Recife, 29 de dezembro de IK73.
Jnaf Joaijvim An Cutta Lett*.
> i.riia-iro ukIm .|i
i i
<
ni',c '
tc,r", ji ti in
IiIO \**q
AHEHL
Precisa-se alugar uma ama dc ui
rein que srja preta. one nSo I- nha
H-!i3f inanci, ;;;. !.'.<
prar c ti'utoit para uma 'au'-lTs ..
i It ;;;r na (i!i.c ii t;;:ida .:i,o i
IIPHIUL
Aluga so o arii.aictn c o prii: i: i a.iuLr solraloda ma do Pom Jesu-, ouli'ufa JaCiiu,
n. 20, prupiios para estabelccimenio eomnicrclal:
a fatar na rua do Mar-urn ik- dlimln n. -"j.
Escravo fugido
300^000 degratifica(?ao
Au3entou*se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
annos de idade, t perfeito cozinheiro, alto bastante,
6 bem magro, pouca barba, olhos grande*, 6 muito
ladino, consta que tem pai no engenbo do Sr. Luhi
deCaiara, em S. Lourenco da Malta. Este prto
foi cozinheiro dos negociantes Adriano 4 ('.astro e
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e julga-se
que esteja alugado em algum hotel ou casa parti-
cular nesta cidade, como forro : pede-se a todas
as antoridades e capities de canipu, que o dosco-
brindo, o tragam a rua Duque de Cazias o. 91, loja
de miudezas do rival sem se-gundo, que serao gra
tificados com a quanria acima.
Na rna do Barao da Victoria n. 36 precisa-si
allar ao Sr. vigario Andre Cnrcino de Ar-jo Pe
eira, t negocio de seu interesse.
CHAMADO
Os Srs. Jovino Peraandes da Cruz e Joaquim
Clemente de Lemos Duarte, sao cnamados a
rna do Coronet Suassuna n. 282, a negocio de
particular interesse.
Coflsullorio medico
DO
Dr. Murillu.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Enrepa, onde fre-
quentou os hoepitaes de Paris e Londres
pode ser procurado a qualquer bora do
.. dia ou da noute para objecto de sua pro-
Jf, fissao.
Consultas do meio dia as duas horas
Cl da tarde.
SI Gratis aos pobres.
cm
Aluga-se o 2, 3*, 4 andares e sotao do sobrado
n. 14 da rua do Torres, perto da prapa do Corpo
Santo, commodo para residencia de lamilias e es-
criptorio de negociantes : a tratar na rua do Im-
perador n. 57 primeiro andar.___________
Preeisa-se de uma ama
que engomme e faqa outros
serviqos domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibajibe numero 40.
< *
1' .-.do di :* do CoroMi
.-"iosn ii "mi grandes
n .ito frescu a tratar no
;. r, daa J a 6 h.ras da
ATTENGAO
Fugiram do engenho Noruega,.freguezia da Es
cada, no dia 9 de dezembro corrente, os seguintes
escravos:
Fefa, mulato, altara regular, falta de dentes na
frente, secco, rostodesearnado, muito conversador,
e bom earreiro. Levou duas camisas de madapo-
ao, 2 calcas de brim, sendo uma de listras e outra
parda, chapeo de baeta parda, ja velho. Repre
senta ter 40 annos de idade.
r.lemencia, cabra, com falta de dentes na frente,
rosto desearnado, representando ter 30 annos de
idade, tendo a munheca da mao direita um pouco
torta. Levcu vestido de chita cabocla, e de algo-
dao de listras, cbale de chita azul, uma rede
mais roupas.
Roga-se as antoridades policiaes e aos capitaes
de campo a captura destes escravos, podendo elles
ser entregues no engenho acima ao seu senbor,
Jose Ignacio de Uello, ou no Recife, in da Madre
de Dens n. 36,1 andar, ao Sr. Bernardino de Sena
Pontnal, que serao recompensados.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, preeisa-se
iallar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
'os6 Paes da Silva, a negocio de particular inte-
MHlato fogido.
No dia 19 do corrente mez fugio o mulato Ge
minianno, que foi escravo do capitao Firmino, em
Maiicota, e tem os signaes seguintes : estatura
regular, cheio do corpo, falta de dentes na fren-
te, tem na braco direito um coracao com as let-
tras A. M. C; sabio com calca de brim, chapeo de
Manilha, costuma andar pelos Afogados, Beberibe,
Oiinda, Maricoia e Iguarassii: quern o negar di
rija-se a rna larga do Rosario n. 22 que sera gra
tincado.
Pharmacia Torres
0 abaixo assignado, chimico pharmaceutico,
graduade pela faculdade de medicina da Bahia,
participa ao respeitavel publico e aos Srs. medicos
clinicos desta capital, gue tendo enmprado a bem
conhecida pharmacia do finado Ignacio Pessoa da
Silva, fortida de medicamentos novos. preparados
francezes, dos melhores autores, tintas de todas
as qualidades, e avia qualquer receita a qualquer
bora do dia ou da nrnti-, com titdo o esmero, asseio
e promptidio. tern fazer substitute*, por precos
os mais raioaveis po-siveii.
Maoonl Th .maz Peretra do Rego
Qoem precisar de am p^i|ueno chr-gado ha
aouco da Portugal, pwa -asa de negocio, iirija-se
d praca do Conde .iTSo n 8._______________
Felt'r
Descoberlas medicinaes
Um qua tntend*; a tratar na rua do Comraer
cio n. 16.

T'"A PE
n*
1> o^io
* I t'v.'
b. JOAO Ot WuTHtftOY
~Ru '*" l;n*l|"o
Ciinstandn an abMJu1 Hssipfcdtf,. ublco agenie
nesta iitwinoki, da iuuiiriaj fafcWca de cigawos
de. S. Jo5o de Nictheroy, ntT'Wo "1 Janeiro, out-
existe no mercado rigarros que "Jjflvindos como
fabricados em dila fabnea, linitando TW2 '* "
etiqueta em prevenir a todos os seus freguezes qoe os unicos
verdadeiros cigarros do exposicio de dita fabrica
so sao veudidus nos arrrazcus dos Srs. Francisco
Guedes de Araujo, Manoel de Sooia Cordeiro S)-
mdes Junior e Paria A Pilhos, unicos depositos d^
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de t873.
Doming os Alves Mattieus.

PEI.0 BACHABEL
MANOEL DE SIQUEIRA CAVALCANT1 ($
! o Preservativo da ery- t
sipela : para curar com certeza, e w
en. pouee tempo, qualquer ataque de ^r*j
erysipela, e prevenir o seu reappare
cimento.
Este medicamento tamhem c muito
poderoso para o rhenmatismo.
*' o Regulador da mens-
trua^ao : para falta, irregulanda-
de, suppressao repentioa dameistrua-
cao, e dos loehios, assim como para
todos os sorTrimentos devidos aquellas
affecQoes. Ambus estes medicamentos
ja sao muito conccituados, e procura-
dos nesta provincia, c na do Rio de
Janeiro.
Acbam-se a venda somente em casa
do autor, das 9 horas do dia as 3 da
tarde, e a qualquer hora em casos ur-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz n. 14, 2 andar.
Casa de campo
Offerece se a quem quizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente ca>a sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Carneiro M >n-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
S. A localidade e muito salubre, o a C3sa muito
3sca, tem magnifico banho de agua doce em
frente, e e muito commodo visto que o trem passa
iefronte : quern pretender pode dirigir-se ao Sr
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipncos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do ; ommercio n. 40.
SOBRADO PARA ALUGAR.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31, com muito bons
commodos para familia : a iratar na rua do Mar-
quez de Oiinda n. 52,____________^____
MOFINA
Esta encouragado!!!
Agua mole em pedra dura
Tan to da ate que a fUra.
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
-scrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a rua Duqvie de Caxias n. 36, 4 con-
i-luir aquelle negocio qtie S. S. se comprometteu a
realisar, pela terccira chamada deste jornal, em
6ns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abr.l de 1872,e nada cumprio,
e por este motivo 6 de novo chamado para dito
8ra, pois S. S. se deve lembrar que este negocio e
ie mais de oito annos, <; quando o Sr. seu nluo se
achava nesta cidade.
ALUGA-SE
uma casa na Capung.i,
com coxeira e quartos
Vigario Tenorio n. 31.
rua das Pernambucana-.
fora : a tratar na rua dii
4
Banhos eares saudavcis do
Monteiro.
Aluga-se alii duas pequenas casas muito em
conta para quern precisar de bons ares c banhos
frescos : a tratar a rua do Barao da Victoria, ou-
r'nra Vara n J^____________-~-
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Oiinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Amorim h. 37.
Hndanca de escriptorio.
Domingos Alves Matheus, mudou o "en escrip-
torio para a rua do Vigario n. 5, primeiro andar
da casa em que tem ai mazem o Sr. Caetano Cy-
riaco da Costa Moreira.
Precisa-se de um meuino com pratica ou
sem ella, para taverna : na ma Direita n. 4S.
Aluga-se metade ue uma oasa de familia,
mulber e marido, sem filhos. s6 a casal : a rna do
caes da Dettencao n. H.___________________
Precisa se de uma escravi para cozinhar
e comprar : na rua Primeiro de Marco n. 23
oja;___________________________________
Escravo fugido
Do engenho Jose da Costa, freguezia de Agua-
Preta, fugio um escravo pertencenle ao abaixo as-
signado, com os signaes seguintes: Cezario, cabra,
cabeltos carapinhados, porem alto, quasi caixado,
tem um lobinha do ladu esqaerdo da testa acima
do olho, sobrancelnas cabelludas, vista espanta-
da, nariz grosso, bocca grande, falta de dentes
do lado de cima, cara cbupada, tem os peitos um
tanto cabelludos, varias marcas de carbunculos
nas pernas, e baixo e de pouco corpo, pe peque-
no, andar apressado, quer titubiar quando falla-
se com elle : & earreiro. cambiteiro e purgador.
Esteve no engenho Diamante, de Ipojnca, traba-
Ihando como forro com o nome de Manoel Joa-
quim, donde evadira-se logo que foi conheefdo :
roga-se as autoridades policiaes e as pessoas que
delle souberem (segundo os signaes indicados) a
captura, e fazer entrega na praga aos Srs. Cunha
Irmaos, & C, ou no dim engenbo ao seu senhor,
que sera pago com generosidade.
Felix Valois ie Oliveira.
NOVAS PUBLOCDES HUSOES.
.4. J. d'AzevedoKiia Nova u. 11
Acabam de publicar-se, o acham-se 6
venda as seguintes musicals:
PIANO SO'.
Danse espanhola, por Ascher 2?N)00
Arabella, mazurka, por G. Wer-
thcimer 1^50(1
Valsa do Fausto, por Croyzes 1JK)00
Sonho de uma viRdEM, por Alber-
tazzi 1?W)00
Anna la Prie, cavs.tina 15P000
AoClair de la. Ll-ne, por Bussmeyer 1C500
F.STRELLA DO NORTE L^ brilhante m0Q
SAUDAgAO ao Bauia (
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickcts club pernambucano e
bahiano 15000
. PIANO E CANTO.
Desespero, muito Undo romance
por I. Smoltz 23-000
Non m'amava, rorrance por Guercia. 15r000
Tambetn recebeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.____________
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
n. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agendas em todas as ci-
dadps o villas de Portugal, & vista e a prazo
por todos os paquetes.
Attencjio
E. A. Burle it. C, fazein sciente ao corpo com-
mercial desta praca quo o Sr. Alfredo Adolpli j
Ferraz Costa, nao mjiis empregado de sua casa
desde o dia 20 do corrente mez.
Recife. 22 de dezembro de 1873.
0tXKK XKOCWK X?S3#
% Odiloo Duarte k Irmfta %
% Cauelleimro
m Rua da Imperatriz n. 82 0
Gr Receberam um grande e variado sorti- m,
\rj mento de tran;as de cabello artiQcia Jpara V
\/ os penteados modernos que vendem pelo jt
Q baratissimo preco de 6* cada uma. fj
Cozinheiro
Precisa-se de um bom co:mheiro : a tratar n<>
largo do Corpo Santo n. 19, i' andar.__________
Precisa-se
de um perito cozinheiro
Bordeaux.
a tratar no hotel Aluga-se
o sitio da Ponte de UcbOa n. 35 : a tratar no mes-
mo sitio, ou na rua do Raogel n. 7, 1* ou 2*
andar.____________________________^
ii Jose Henrique da Silva tem uma carta para
o Sr. Jose" Luiz de Sonza, empregado no cousula-
do provincial; na Soledade n. 27, sitio.
Desappareceu.
Hontem das 10 para as It boras da manha,
um preto fulo. vestido corn calca de casemira de
cor, ja velha, camisa de madapolau e chapeo de
IS, coadnzia do armazem de Sauza Castro dc AI
meida, a rua do Marquez de Oiinda n. 37, um ba-
lato feoberto de oleado. com as mercadorias
abaixo notadas remeitidas ao Sr Kmtlio Pereira
de Abreu, com loja a rua do Queimado; e c>mo
dfsappareceu sem que se saiba p .ra node levou
as mesmas mercadorns ; pede se a quern noticia
d'ellas tiver ou souber do dito prei- de participar
no mesmo armazem ou aautoridade competente,
que se gratiflcara
As mercadorias sao as seguint-.'s: (00 mae/is
de gampos de ferro, 11 dit->s de liuha branca de
miada, 5 ditos de la para barter, 5 duzias de
cosmeticos preto e de cores, 20 caixas com no
vellos de linha do gaz, 12 duzias d>* escovas para
dentes, 1 dita chapeos de palha enfeitados para
meninos, 1 dita de sapatiulios de merino para
criancas, 2 ditas de briucos com pedras tin-is,
2 ditas de ditos donrad<><, 1 milbeim de envel p
pea da porcelana, 100 peca> de g.il3es de la de
cores e t grosas de boioes de m^Ureperula, para
coMet<_________________________________
Atlencao
O 8r. Francisco Ag-wtinho Ma.i^ira, e r-j^a>
vir a rua do Dnqne de Caxia- n 60 A.____
~ Clonnd- Ferreira Call avi. as n oartico
flvenes qae do liijafn i u
tiiii^a mais i polcor* vu .... i.ixen
sal a ma li&per'i IH7.
} Recife, 3*> ie t. "iui. .,<.- '?'
Aluga se ou vende-se a casa terrea da rua
do Coronel Lamenha, outr'ora Prazeres n. 26,
com quintal: a tratar na rqa do bom Jesus u
31, primeiro andar. ____________________
20$
Precisa-se de uma ama forra ou escrava, que
ctzinhe bem o ordinario para casa de familia, e
seja de boa conducla, pagando-se 20*000 mensae-
na Capunga, rua das Pernambucanas, casa de so-
tea, junto ao sitio do Dr. Pereira do Carmo.
Gollegio de N. 8. da
Para educacii* das lueniaas. es-
ttsbelecido na raa Wmrmo*i
a.**.
A directora deste collegio, abaixo assignada, i'a..
sciente aos pais de sc as alumnas, e mesmo a todos
os chefes de familia que quizerem conflar-lhe a
educacao de suas Ollas, quo no dia 7 de Janeiro
proximo vindouro comecam ps trabalnes deste es-
tabelecimenlo, no anal se ensina com issaio e per /
feicao, e por esc<>lhidos professores a leitura de
prosa e verso, caligraphia, arithmetica, system^
metrico, lingua veruicula, historia, geographia,
franiez, inglez, musici vocal, piano, desenho dan-
ca, crochet, labynotlio, obras de la, bordados a
matiz e outru, etc., etc. ; nao serae admiuidas
mais de vinte alumnas.
A dix-tura eoutinii* a ser zelosa e incansavel
no cumprimento de tn" deveres, e desde ja agra-
dece em extremo a hnndade com one a tyara/n os
pais de familia*. conftan innncentes tilnas
Boa visu, 29 de de;;embn de r873
Maria 'lena da Roeta
Directora

' -
.
1
o primeiru an.la- io notirad > d rua daa'
H< 't "' d.*'r By la rua a>t.
H t hVi-, sjbinetes
' 'I' "U a -. ,. [.-inquo '
Uc dolt raiur n "
t.ric b^i ci:i. u^ m, -irwiwssu*.

.
i
MUIHADO [
<*



___

J
-. /

.{
t
.
/>
lKmic 4e<&mm**L(* Quanta tek* 30 d*ftaemto & litttft.
i
4t Consulforio homeop-
8 thieo *
St Do Dr. Santos Hello
< 41-------Run do Imperalor-------il x&
X Consultas todos os dias das 11 a 1 da 2f
W ta rde. A
m Gratis aos pobres. X
~ Residencia a rua Nova n. 7, segundo r
59 andar, onde da consultas das 6 as 9 da W
m, manha e das 3 as 5 da tarde. *K
CharaadrjS a qualquer hora.
Duajle \JT.. I'm set
rua I r,:i'ir(i tie Jhrr-j n. 16,
ip) am diaflfia todos os
"V ftiitlnfcJJUiiifc Cordeiro
j F/oflipio (juiiercro re-iber do cm-
:ora a concordat* obtida em iufco J de
"mos credores apresentarera seas ti-
'no- _. 'u 24 do ccrrente para serem confe-
i !as.
Recife 18 de dezembro de 1873.
Prccisa-se de
comprar e co;inbar
da n. 10, !. andar.
uma criada oa criado para
na rua do Marque* de Olin-
Uasa em Olinda
Alnga-se porquatro raezes ou mais e por pouco
dinbeiro, uraa ex -ell"nte casa em Olinda, na rua
do Bomfim n. H, muita fresca, com commodos
para grande familia, tendo agua c gar encanados,
grande quintal on sitio arfourisado, e com excel
ente vista para o mar e a cidade, apenas distante
tres minntos da ostacio do Carmo e ponco roais
dos bantaeiros : a tratar no armaiem de Joao Ro-
sa, na travossa da Madre de Deos n. 8.
Collffto frweez na Capnnga
Mine. Cambrone avisa aos pais de familia que
abrira no 1* tie Janeiro do anno vmdouro um col -
I egiu francez provisoriammite na Capnnga, rua da
Ventura n. 33, para o sexo feminino ; alem do
rancez ensinar se ha portuguez, ioglez, geogra-
phia, historia, musiea, bordados, danga, etc.
10 0$0 0 0 de gratificacao
Engenho SaDtos Mendcs
Fugio no dia 20 de dezembro, do engenho San
tos Mendes, comarca de Nazareth, fregnezia de
Tracunhaem, a escrava Maria, crioula, 50 annos
de idade, pouco mais ou meuos, baixa, grossa, c6r
preia, rosto alqnebrado, p6s seccos e epanados,
dedus curtos, cabellos braneos, canellas finas, tern
dous signaes cabellulos no queixo, e e beni ladi-
na. A pessoa que eutregar esta escrava ou ao seu
dono, me e o senlior do engeoho acima, Lauren-
tino Gomes da Cunha Pireira Beltrao, ou no Re-
cife, largo do Corpo Santo n. 19, 1 andar, sera
ecompensada com a quantia de 1001.
0 Sr. que anvuncioa querer comprar um
sobrado dc um andar em qaalquer das fregnc-
zias da Boa-Vista, Samto Antonio ou S. Jose, an-
nuncio sua morada e hora de ser encontrado ;
va a rua do Hospicio n. 38 das 7 as 9 da ma-
nhl, e das4 as 6 da tarde, qie achara com quern
ttraar.
K
NA
Villa de IguarassA.
0 tcnente Franrlsco Xavier Was de Albuquer-
que tern a honra de participar ao respeitavel pu
blico que abrio, na villa de Iguarassti, um hotel
bem provido de todo o necessario para hem ser
vir a aquelles que o quizerem honrar cum as suas
freguezias; cert >s de que ftoarao BStisfeftos com
o service e a coramodidade dos pree**. Junto ao
mesmo hotel esta montada uma corb na para re
colhimento ^s animaes dos enncurroutes ao ho
lei, tambem pot pregos commodos.
Alnga-se
ca-i n 13 a Pasagem da Magdalenha
ar c nil .1 I. M Regit.
a tra-
a
til
'Teceu ao amanhecer do dia i do corren-
!io Seigi, comarca de Giyanna, oes-
ine Jose Borges, mestre de assucar,
t\ ies seguinies: cabra, idade 30 anno?,
nais "U menos, boa Bgura, um tanto gros
>..: ii lo. sendo o signal mais visivel uma
.la do pe esquerdc r ga se a todas
s e capitals de campj queiram p
>n It-rid r 'Mo t-scravo e leva-lo ao referid > en
-: ., d n. -la praea a Oliveira Filho & G., lar
' C i S.nto n. i0, que aerio generosamen-
.>:nlo<.

'ada
na.
Aiuca-se a da rua dos Pescadores ns. 1 e 3 :
liar earn Ta-so Irnift'is. r.ia do Amorini n 37.
Numero 60:000
0 Sr. J",-5 i'elippe Santiago d chamaJo a nego-
rio de particular interesse em o Forte do Mattes,
na "in da companhia.
Os abaixo assignados, unicos so'ios da flrma
coiiinrerrial Saunders Brothers & C, estabelecid >s
oa cilule de Pernambuco, no imperio. dj ' pel-i pr-ente ileclaram que de eommum acordo
e muni consi-uliiiiento, o socio Charles Saunler-
se r. ura nesta data da referida finna Saunders
Bi ithera & C, deix.tnJ.i de f.izor parts da niesina,
Qcaodo ii aeiis-o e pa-sivo a careo dos socios Fre-
deriek Saunders e Phclip Fre Ik Neeaham.
Liverpool, 27 de novembro de 1873.
Curies founders,
Frederick Saunders.
P. V. Needham.
Alr.ja se um preto bam ^cozinheiro e com-
Tudor, proprlo para hotel ou collegio : na rua do
Marquez da '>lin<1a n. 4, 2 andar. ___________
Precisa se deum c.iixeiro para taverna, de 12 a
1 k ami >s.: na rui do Visconde de Peiotas, antiga
ragao n. I.
Fugio
Precisa-se alugar uma ama boa cozinbrira.
forra ou escrava : a tratar na rua da Ioiperatrx,
casa n. 16, segundo aodar.
Armada.
Na rua do Barao da Victoria n 36, piecisa-se
fallar ao Sr. 2." tenente Jose Maria Pestana, a ne-
gacio de seu interesse.
Precisa-se de uma ama para cozi-
nhar para rapaz solteiro : na rua do
U respo n. 20._______________________________
Precisa-se de uma ama para
cozinhar : a tratar a rua do Im
perador n. 14.
4-ma
AMA
j
Furtarara do 1 andar do sobrado a. 34 da rua
esrrei'.a do Hosari >, na mantii da 26 do ebrtente,
0 Kgumte : I eollete de merin6 pralo, 1 relogio
de ouro, descobcrto, com o mostradur de vidro
grosso e o interior de crystal, do novo svstema de
darcorda, e corrente pre:a, tendo mF-bol.-o do
mesmo eollete SOS em dinbeiro, sendo qnatro no>-
tas de 10* e duas de 8, e mais 1 Mlheto de rifa
de relogio. e ontros papets, 1 sobrecasaco de pan
no preto, contendo 1 lewjo de pontas amarellas,
1 majo de chavos, paii'is e uma letra de 800 on i
900 e tantos -mil pets,' com tres (irmas, duas das'
qnaes-sio'osRrs.'ABtomrvPranci.-'eo de .Vbuquer-'
que Santos e Mangel Jeronymo Uchea Tavalcante,
1 canjisa de fuM*e*)m-cofteiiBho snpposto c gra- \
vata de gorgtrrfto com-bot5es-|rrBOdes de tartaru i
ga : recommcuda-se as auturidades poiiciaes, ou
qualquer pessoff-aqoem-dites ebjectoe foremoffe-
recidos, a apprebensao dos mesmos.
AMA?
cornija.
Precisa-so de nma ama para co-
zinhar em casa de rjoncatanjiria : a
tratar na-rua do Hospicio n. M,
casa que tem bolas amarellas.na
Ama de leile
Precisa se de uma ama de leite e paga-se bem :
a tratar na rua do Queimado, loja da Boa Fama,
du na rua do Crespo, loja da Passo, junto ao arco
ae Santo Antonio.
Precisa-se de uma ama qne saiba
andar com meninos, a qual tenha
boa conducta : na rua da (mperatriz
n. 37, 1 andar.
AMA
AMA 5
nija.
Precisa se de uma ama para co
liar em casa de penca -familia
tratar na rua do H.ispicio. casa n.
que tem bolas amarellas na cor-
Ama de leite.
Precisa se do uma ama de leite, pga-se bem
na rua du Hospicio h. 50.
Ama de leite
Precisa-se de uma ama de leite que tenha born
e abundant*, paga-se bem na rua > Formosa
n. 24, casa com jardim defronte do becco dos Far
reiros.
Na rua do Brum n 86, 1
andar, precisa-se de nma
ama para comprar e cosi-
nliar para uma familia de ires pessoaj.
AMA
Precisa-se de uma ama--para cozi
nhar : na rua de Hortas n. 16, pri
meiro andur.
AMA
Precisa-se de uma ama para com-
prar e cozinhar : na rua do Impera-
dor n. 79, loja.
A "VI" A Precisa se de uma ama pera engom-
i\.i\L\. mar a tra(ar na pasgeio Publico n.
B4, loja.
Uleiicfiii.
0 Sr. Can lido G. R. Lima, faca e favor vir a rua
do Duque de Caxias n. 60 A.
y 5
jj OoDsuKiirio iedic-e irargice t
i A. B. da Silva Maia.
i
Rca do Visconde de Albuquerque n.
U, outr'ora rua da matriz da Boa-Vista
ii. M.
Chamados : a quaiqner hora.
Consultas : Aos pobres gratis, das 2 as
4 horas da tarde.
f
Companhia do Gaz.
Aempruza (logaztem a honra de annunciar
nu puldico que rtx-eln'ii ulttmciite um espten-
rlido sortimento du lustres <1e vidro, canliei-
ms, arnti'l^las e globus, cujas araostras estao
no escriptArio & rua do Impnrador n. 31,
c refio vmi'lidos aos sens froguezes pelo
preijo mais razoa^el pu ft
9
HEIUC0-C1RIIRGIC0
no
Dr. Santa Rosa.
Rua do Barao da Victoria n. 46, 1.*
an lar, outr'or.i rua Nova.
Consultas das 10 horas da manha ao
meio dia.
Charaados por escripto a qualquer hora
Especialidades. Pai tus, mulestias de
olhos e do apparelho re pirotorio.
ft
*
ft
ft

0 II
M'tta Junior & C. e Antonio Martins Leite&
C. adiuiiistradores da DASM fallida de Jose Nar-
ciso da Silva & C. convidam aos credores 3a
ma<.-a quo a^resenteai sew titulos ate o dia d
de janeir., alim de serem verifuadas e admiiti-
das ao rateio.
Recife, 23 de dezembro de 1873.
AtteriQao.
Precisa ?e le ?:000* a premio sobre hypothec!
i :n quatro e^cravos ni^ts e habilidosos : a pes-
sm qne pretender. p6de~deixar o seu norae aesta
do p.i.1 le sou senhor-, a escrava Maria, fula, de
40ann,, de i lade, poueo mais ou niiiiw, altura
regular, ca 11 la, callles ja pintmdo. andar I typ'Jgra,.liia cm as miciae3 A S.
apressado '< i,..que ios : quern della dor noti-
"'is a 'iia d Seiii u. til, sera recompen-ado.
r i a pessoa que no dia 20
deoo'--.iitir' proximo (>asado ac on uma cartei-
ra n .. rua .V a, lefr .ute do bil'iar da ca.-..
n. fi7, .iflas \ hjrasda tirde, contend.) duas leira-,
n 'ii'-'i, outn de 2764457. um H-a de 20 ,
iiia e taalos mil reis em dinh ir... p
ufro- ii."'> de imoortancia, com i | f >i annun
ciad i |k>i e-te Diai io nos dias 21, 22 e 2i iju
iiiim.c on? lo mez de novembro, sendo al
40i)4 SBeita pelo Sr. i'r Francis-n Augu
Cost... a fu.-ur do Sr. Dr. Claudiiio de Araujn Goi I e 'i-rj-a g audes. tern q'ltinaduras nos bracos, a
. v -ncija oo d' 6 de uiaiy > tie 1S7J, c*m mmih <>, conduzio vestidos de
(MflOTM
V>. 'I .1 i
'
u
de' .
ii.
-p l
Alngi se o 2* andar do sobrado n. 70 a rua
Duque d- Caxias, proprio para familia : a tratar
na loja
Fiigiila
No dia 15 de nnvemhn proximo passsdo fugio
dapovoa;.io de Goyanamha a eiorav**lfereucia,
,de idid- 18 ann.i-, estalUTa menu que- regular.
tra dp J ben pareci li.iMiiiia d- -urpo.pes adentes.cflr fula
sto .| eiitnon aiinr ocib llo a n eio da cabeja, e os
Gt>lkgij k Saute fewww
-
Vende fazendas para liquidar, por baratissirao pre^Q coaac
abaixo se ve:
'--
i S _
Pereira da Silva AGuimaraes tendo em ser uic grande depozila dc fazwadas.
tem resolvido fazer uoia liquidar;3o das mesmns com granie abatimento' nos pregos,
com o unico fim da fpurar diotieirr>, para o qne convidam nao sd cs seu.s numerosc>!
frcguezes, como o respeitavel pnhlico, a vir surtir se de miiitas fa'zendas, Boss ebajatai
no seu esiabelocunont > denombiado oPavaoa rua da Imperalriz n. 60.
f
Ml
nm iMVEusvL
DK
Antonio Marques de Amorim
E*t collegii), eslabetecid i a rua do Hospicio n.'
53, em magniiioQ,predio, otTefece todas as piopor-,
roes para comiiiodiuaile,.adantani8nto e recreio de'
*SK,.,..- wsi*|Rado Barlu 4 Moria n.22.
grarano, tem oa (raete um bello jardim, dos lados, be
extensos patec8 4e:ire^reia, eda parto posterior ft
um terreno arborisado, vastissimn dormitario nas ImII'IIPIPIi t lllHIiil
melbores ondicfies bygtenicas para 150 leitos, | -lilWHKJiIW 1 IllllIIU.
com servico proprio ao asseio em aposento later..!. I ., .
grande lavat-io,.i6labeiros, bomrefeitorio, e; este grande estabolectmento tem che-
finalmente comiuodas salas para as classes, um gado um bom sortirncnto de machinas para
salao do estndo, ctaro e arejado, com propor?Ses Costurar de todos os autorcs mais acredita-'
para 200 estudantes.
0 director convida todos aquelles, a.qnem inie
ressar possa, para que visiiein o sevi esubeleci-
CAMBRAIAS A 49,49500,. $p, 6J? 7*.
0 Pavao vendo um, magaifico sortimepto
das mais Gnas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada pe^a, pelo ba-
rato pre^o de 4$, Wo.QO, 5^, OJI^tendo tam-
bem das mais finas que custum'am vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de dilas tapadas e victorias que veude de 45?
atfi 8j?, sendo fazenda que valle muito mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORES A 5ft.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
cusvur- .u ujous ua auuirus ma1S acreoiia-. de carabraias brancas com bonitos salpiqui-
dos ulttma-nentena Europa, cujas machinas nhos piadinhos de ^ ^io 10 ? Jdas
sao garantidas por um anno, e tendo um cada corle de vestiJo e ;ende pelo rat0
mento, cujos wappas we. fcram pnolicadps na perfeito artista para enstnar as mesmas, em'nrpco dfl b* nei-hincha aitas teroafeira, 23 do corrente, pelo Jornal do: Recife, qualquer parte desta cidade, como bem as-1 Lwi iX?A Kfi?? 'i "
demonstram o resuludo das auias no. corrente >m ;nnp*i.j.0 nc\* ,OBJ ,omKJ a;Z^ I ^?iC0S *odo branco sendo fazenda finissima
anno lectivo.
De accocdo com o program ma -dos, estudos, foi
designado o dia 20 de novembro, e annunciado
pelo mesmo jornal, para o exame no collegio, dos
alumnos habilitados, nao so em lioguas, como em
sciencias.
S. Exc. o. Sr. preeideDte da provincia visitou o
estabelecimenta aesse dia e assastio aos exames,
qua foram preaididos pelo Exm. Sr. Dr. Antonio
da Va coneello? Menezes de Drummond, lente da
faculdade de direiio.
Foram exarainadores o Srs. Drs. Eioquiel Fran-
co de Sa, R, Honorkt da Silva, Jorge Dornellas Ri
beiro Pessoa, Jose Diaiz Barrcto e o professor C.
Pachslery.
Precisa-se fallar com urgmeia ao Sr. Canu
to Sergio de Parias, negociante em Jaboatao : na
na das Cruzes loja de trasti-s n.4l._______
Carneiro fus:ido
Fugio um carneiro branco com o cabelle gran-
de, porem empasiado de UJjo, levaudo ao pescoco
um pedaco de corda vajha amarrada, tomou peia
estrada de ferro de Apipucos, entrando nclla em
S. Jose do Manguiuhi
sim cpncerta-las pelo tempo tambem d'mn a 7'W00 e dit8S a ^000
anno sem despepdio algum do comprador.
JNeste estabolocimento t-mibem ha perb^ngas
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca que seja necessario. Estas ma-
VESTIDOS A L'SO DA CORTE 12ft
0 Pavao vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
chinas trabalham com toda a perfcicao de cada c6rte todos os enf^tes nacessaijos cpmo
um e dous pospontos, franze e borda toda sejam : babadinhos, entre-roeios, rendas,
qualquer costura por fina que sej-, seus requefifes.e vende pelo barato prec,o de 12ft
precis sio da seguintequalidade : p;:.\ tra- [ cada um, assim como, di.os a 2 de iulho
balhar a mao de 3OJJ00O, 405000, ...ftOOO com todos osenfeitesa 10ft curies de cam-
25ft00, emquanto aos autores nao lia al-: bar 3ft500, e pechincha.
teraQfio de pr.egos, eos compradores podorao
visitarste estabelecimento, que muito de-
verSo gostar pela variedade de objecto: que
ha sempre para vender, como sejam : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas,. ditas de balanc/j, ditas para
crianc,a (altas), ditas p^ra escolas, costurei-
recomiensara.
roga-se a pessoa que o,
tiverachado o favcr mandar levar ao Caminho j ras nqnissimas, para senhora, despensnveis
Novon. lOMu a rua Nova, loja n. 11, que se para crianc^as, detodas as qualidades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
queuos, apparelhos de metal para cha", fa-
, queirps com cabo de metal e de marGm,
flSTS r fdTDeS. fflS "rE& ^ avulsos, colheres de metal fin,, condiei-
Casas
construir, na rua do Destino, hoje Biacbnelo, con-_
frontando com o muro dos jesuitos : a tr atar no'
largo do Pombal n. 13.
Compra se uma escrava panda de seus .'10
annos, que seja de muito boa cmducla e iaiba la-
var, engommar e cozinhar, teudo hoa saude : no
Corredor do Bispo a. 71, a tratar a qualquer bora.
r.
An fundicao k l.arilos > & lrni;i;.
Aruail) Braiaos. i0a IOS
Vende-se os seguintes ob-
jeetos, por preijos
commodos:
VARANDAS fraurfoas de ferro fundido de diver-
e bonitus gii-tos.
FOGOES f'aneezes grandes e pequenos.
D1TO dito para trabalhar cra gaz.
BOMB AS francezasue rejiuxo.
BAN: OS com pes de fe.ro, com molla e sem
ella.
PfiS de ferro para mesa.
JARROS de form para jardim, graades e peqne
nas.
MACHINAS para gelar agna e fazer gelo ; gelam
agua cm 10 iniuutoy iiun gelo em
VENDE-SE
uma casa na villa.de Barreiros, na rua do Com-
mercio, por preco modico: a tratar com Tasso
Irmaos & C.
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar saias, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mut-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarera este grande estabelecimento
que se acha aberto dede as 6 horas da ma-
nha ate as 9 horas da noutea*
Rua do Barao da Victoria n.
__________21__________
Nao ha mais cabellos
TiNTUfTARIA JAPONEZA.
S6e unicaapprovada pelas acad*".mias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparoeido ate hoje. Oeposito princi-
pal a* rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quee de Olinda, n. 51, 1, andar, e em
todas as botieas e casas de cabellei-
rfca*o.
Aviso.
mm locomoveis.
De for^a do d :is a seis cavallos : a venda no
I 0|0, o favor de mandar e'l'.yjrar diti]'1
n minha casa n'. 67, na loja de raiojoei
:-'nardiao de^ Senna Dia<. 'pie foiquem
'. fazeado entregi deotudo, iiodira fi
dinhiro por gratifioaca -. e se Hie a-r.-
" coovj, ditas letras e paimis de
" -m ai-hon, e smi a quein penien, pur
ciite ;io- r.^pectiv i
(JUi
juer dfl.
oadiis a
Adoli>h(.
benw v
ilisrinni
T.iSo
I. :i

'..'.iTida' e ronpa'foil i a rua du
da n. iO, os se.di res :ib ix mencio-
'io de inte esse reeiproci:
Kouper.
ie*.
mes 1a iilva.
Nogueir:' Santos
'iuimai.i.
i Pinto.
I"a> c.is- f'lales e -apatos: qnein
v-!' '"i", na |'Ov5a ao die Goyanna.
nu ili (t.. 3 nn do Heio, cidade
1 R .. .;;. i3, -era be n r coiupeuiado.
k Twre
Al ij i-se par.i |.--ara f-sta um sitio com
i \i elii'iii.- r,.si do ii.ibiliicao e b.mho no rio
a irrnti df prpriirar A rui .|h li^Vv.'sin Pirps n. 2i
Muito, Utt' llCilO
l'i winnu-se a> Him. ^r. fiscal di'Boa-Vista ce
niinpi. mi ii.i.i emopre com as ordnos qne a
''.' w.ve a honra de pub'i-
is seu- diari .i fiiihas desta provincia, de
liaiem -i- i' barr'aca1" qne wndem
nifgis edrastntifiea-
-e Minnrv, lie,,. liM-atisansraai^na roa
i.inu mi S.i tu A ar.i l.s Salinas, qmbo-
,oiii d> i-ns nn'u.is e .ira-sant '^Sojrendeado, des
ii
Ujo.
11
Camara
.w4.,Hi(ues Moreira J n
lie Souza.
An'nnes.
,r Pereir- *'e Horac
mo da *! ta.
lollan"- .wViBte.
I. i i> Tri-
;.t. ..-'J Ii .rf-fi
.' f -Ii i
I 11- da
ne ; chegam 4
liorUsda (ren-
jial para todos, do
u H-pf^rldrlsi.
: ri'.cisa-se

'\
de cbua : a'{fa-
No escriptorio de Thoraaz de Aquino Fonseca ft
C Sucoessores vende se a retalho vinho da Fi-
gueira, das melhores maroa, chegados ultima- arniazem'de Joaauim" Lopes'idachado & (1, tr-a
mente : na rua da Vigario n 19, >- andar. j yessa do '''orpj Santo n. 25.____________^__
Wii-on Row&4 C. vendem no sen armazem
a rua de Conim.-rcio n. Ii :
0 ver.ladeiro pan no de algodao azul amencano.
Excellento fio de vela.
Cognac de 1* qnalidade
Vinho de Bordeaux
Carvao de Pedra de todas as qnalidadea.
Farinha de mandioca nova
Teem para vender Joaquira Jose Gotfcalves Bel-
yttOfi 4 Filho, a bordodo patacho Sapho, chegad
Vende-se por pr^i muito bai*> Hnan casas ter- de Santa atharina, fundeado defroute do trapicbe
reas a rua Nova tla-pielia villa ns. 33 e 37. i-om Harao do Livramento ; e para tratar a bordo, ou
grande terreno ate o-Tio,e-taj alpgalas', e ttao bons no seu escriptorio a rna do Commerco n. B.
jurosao capital-!oiiprg*lo : a T-tar no Recite, 7^----------;--------,-------Til------------"i---------
r^dbres^oV7^A.______________ j Uananos aa AMemanha
Vende-se uma casa tersea de pe-h-a e cal e a Chefpmm pelo uKimo vaoor da Europa, per
is : acham
a rua do Im-
para
CORTES BORDADOS A 205? E 335.
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadarnente bordados, pelo ba-
rato preco de 205 e 35??.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padrOes e
cores fisas, que vende pelo barato prec.o de
300 rs, o covad.i, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a GiO rs. a vara fi-
nissimo GI6 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUS A 125.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernnsbornous combonitas listrase
vende pelo barato prec;o de 125 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales demerin6 e com listras de seda.
LAZINHAS A 320 .
0 Pavio venile bonitas lazinhas lisas,
sendo verde e cur d* lyrio, pe o barato preco
de 320 reis oeovado, assim como delicadas
IA / i 1111 i< do >ju:i.ti-iiili chincha.
Granaili ues a < IO
francez mu\to fino-,a 35*00, apenas precise
1, '/s metro para um lengel.
CLIAkES BARATOS
a 23, 2J>500, 45.
0 Favao vende,chales a.emitacao dem>-
rin6 a 25, ditos de merin6 lisos de todas as
cores a 25500, ,ditc* de merino estampados
muito finos a 5, 'ditos jfimssimos com lis
tres de seda a 05500, dijos 0>uito fiuos d<
crepom a 1OJ e V*5V
Al-oilao enfestado a 15e l-rSO
0 Pav3o veade algpdSo eufestado com 6
palmos de largura, proprio para lenc,6ei
sendo do mais encorpado que tem vindo a<
mercado, liso a 15 a vara e trancadoa.....
13280. a(Yrjt J|rfj^
ATOALHADO A 15600, 25, 5.
0 Pavao vende atoajhado trancado com 8
palmos 4fl largura a 15200 e 15600,. d*
adamascado a 25, dito de linho adamasca
do a 35 e 55-
SEDA PABa Y*STID0S
a 15600e25.
0 Pavao vende um bonito sortimento di
sedas com liitrinhas proprias para vesti
dos de meninasede seuhora a 151J00 O.co
vado, ditas lavradjnhJBs a 25, os pa^rOes sai
muito bonitos evende-o. por este pre^o par;
acabar.
Bolinasi 5vOOO a
0 Pavao tem uni completo, sortimento dc
botioas muito barn enfeitadas para senhora:
e vende |ijel9 becato,preco Je b^J, artigo qu<
em outra qualquerpa.rtecusta t5e 75.
LENQOS BRANCOS
a 25000.
0 PavSo vende lemjos braneos absinhi
dos, tanto para homens como para sephoras
a 25 e 25500 a duzia, ditos de esgpiao
cambraia de. liulio t mbem abainhados e
35500, 43, 55, d tosiranqezes espuros, pa^
rap^ a 63, a duzia.
CAMTSAS PARA HOMEM.
0 Pa\ao vendo ricas camisas com peiU
de linho borl .das, proprias ,pra noivo >
10)5e 123 cadi uma, ditas de linho'scn se
rein borl das 43,.45500 e 53,-ditas con
peito de algod&o muito finas a 23,. 2^500 <
35, ditas dechita flna miudinha a 25, 25500
e 35. ssim como grande sortiaxepto de. ce
roulas francezas tanto de linHo como deal
godao de 15600 ate" 35, gr nde sortiment.
le mci s cru s inglezas de.45ate83000
duzia
FAZGIUM& CAttA LBTO.
0 Pavao.temi.iMii grande sortimento cfi-
fazendas pret.spara luto como ojam : cas^

0 Pavao vende um elegante sortimento s 5 ,as'.ou lazinbfs 'sas que vande a 40C
das mais bonitas granadines ou gazes do e-500 r6ts 0,-covado, bombaainasde I56CC
seda para vestid.is. tendo de t.das ascores "l6'a* covado, cantao a 15 e 15200
e vende pelo barato preco de 640 reisoco- Srani,,iine hsa cam Uetras, cassas e chita.
vado e granadine preta com listras de seda todas pretas corn listras e salpicos, a 13800. lodas pretase lavradas de branco, merin6s
eutrasmukas fa^endi-s apropri das, que s-
LAZINHAS A 360 0 COVADO. veude por menpado que em outra qu^Ique-
0 Pavao vende bonitas lazinhas transpa- parte.
rentes com.paliniuhas a 360 reis 0 covado, MADAPQLOES PFESTADOS
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,' '3 85000
tanto em listras como em quadrosa 280 rs. 0 Pavao ViQnde-pesnsdemadapolao enfes
0 covado, e graode sortimento de alpacas e tado com 12 jardas a 35, "Mito a 33500 diu
lazinhas de40u a 80O re"is. ^ com 20 janlas a 15, 55100 e 63060, di:.
: com 24 jardas'de55 aW83 e 105, sendo
CHITAS DE CORES mais finos que tem vindo ao mere do.
a 20 ', 24., 280 e 320 rs.
Algodiloziuho a 43OOO.

0 Pavao vende um grande sortimento de
bonitas chitas tanto claras como escuras e
veDdede2il ate 32:irs., assim como ditas!
coin listras aolado muito finas a 360e4 rs., finissimas percales miudinhas com lin-
dos dezenhos a 360 e 400 re"is, garantindo
serem todas de cores fixas.
COBERTAS A 25, 25500, 35, 45.
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
0 Pavao vende pegas de algodiozintn
muito tncorpado a 45, dito a 55 e 65.
TAPETES
CORTES DE CASEAHJIA A 55.
0 Pavao veade um grande sor.timen.to d.
ATPNCAII.
Vende-se uma typographia bem montada, com
u machina cum prelo, lido em bom estado e
po preco modico : ijiiem a pretender, dirija-se a
urrado Torres n. 12, Sobrado, I* andar
Villa de Pal mares
-..*, w^, m ....^ ., ..-_,-_. !..< <.>. v u 11IICHIIDIII YJ^**' **'*'-' 'i|'l MO '
moderna, euiB-bum terrene e cacimba do agua de feit.-s enntadojeie de coro-i muito linlas .-acham
beber : quern preteade-la, dinja--e a rua da Im- se a veudi 'no"armazem Fidelidade, a
peratriz n. 79.
ocrador n. 14.
VENDE-SE
eu arrenda-se, no estado n que se acha, am -i-
tio na ireguezii dos Rmedio<. fregueiia dos Am-
gados n. 18, chio prnpno. cum 349 paimes de
franle e658 de fundo : os preiei dntes dirijam-
e ao sao BTftpritlario na rua de S. Fran-iso,
sobrado n. 10.
As imicas verdadeiras
s qm
ulir
filchas hamburi;ui*za quo vem a esie mercado-
oa rur Marqu.'? de ulinda n. S
Vende-se
por muit) eimm')di) preco exce lenies lerrenos
no* sepiinies logares: na Torre, a ntawro do rio
Capibarihe e pdno da psia ao do cvminhn de fer-
ro ; bb e-trada de BHherifw, a rmrimh'1 do rio e
perlo da Mia^ao do caminho d> fi-rro, na estrada
nova de KeKerihe, tmbni pert. da *fceSo : a
tratar cun *ao Reitow, na ma wtreita def Rw-ario
suenere St.
Lindas las eseoeezas.
retauarda : en- De wrtes padrftw, intelrrHMe modernas, a
369 re o *rado : na n* PWwmro du Vareo
aauf do Cresoo n. U, aai'.iatt'aaaiMs^de"An-
toato Curraa bb rajeanwiiftn.
TASSO [R:\1A0SK.
Em sens armazens A rua do Amorim
11. 37 rims do Ap n. 47,
tem para vmider por pregos commr>doi
TijoloS encarnados sextavos para ladrilho.
Canns de barm para esgoto.
Cime.nto Portland.
Cimento Hvdraulicc.
Machinas ae descaro.^r aigodao.
Machinas de pad aria.
Potassa da Russia em barril.
1'hosphoros de cera.
Sagu em garrafoes.
Sevadinha em parrafoev
Lentiihas em garraf^
Rhnra da aJma.ca
Vinho do Porto velho engarrafado
Vinho do Porto superior, diio
Vinho de norflBsux, dit"
Vinho de S<4M9ry.
Vinho da \iaiteira.
Potes com liBjjua.1 e dobraoas Hrglezaa.
Limres linos' sortidos.
Cofaac tiaulhier Pretes.
tata de roucinho ipjjj.;.
Bar'i^ eim rnp Ihn com ramagem grauda, pelos baratos precos j cortes decasemira para ca.l^as, com .bonito:
de 25,2550', 35 e 45, ditas encarnadas I gostos, claros eescuros a 53, ditos de 63^*
forradas a 55, ditas defustao branco e de cor' 73, 85, ate 105, superiores casQmiras fran*. ^
com barras a 45 e 55, ditas de croch para (cez se inglezes, para covado, de 33500. at
cama de noivo a 65, ditas muito rlcas a 165,
ditas de damasco a emitacjio de seda a 105
e 145.
0 Pavao vende. fustdes braneos e de cores,
sendo as mais bonitos cores que tem vindo ao
mercado, tanto para roupa de criancas como
para vestidos e roupas de homem, e vend jam :
pelo barato preco de 56o ate" 13, 0 covado.
6(5, paunos pretos ede cjresdp^taais barj
tos e mais finos que tem vinlo ao mercado
por precis muitorazoiveis. y
0 Pavao, tem cpnstantemente um gran.;
sortimento daroupasfeitaspaw horaem, qu
vende por peegottito em conta, como s>-


BRA.MANTES
a 136(), 2^200 e 25500.
0 Pavao vende bramantes de algodao com
10 palmos de largura para lunches, pelo ba-
rato preen de 156 0, 'itu de liubo com a
mesma largura a 23, 25200 e 23500, dito
Cortes tie chit* a 93, *3A0
360UO.
0 PavSo vende cortes de chitas sscuras e
claras com 10 coved us cada c6rte, pelo ba
ratismo prt-qn de 25. 2550O e 350<>0.
COHTES DK BRIM A 13400.
0 Pnvao wiido edrtes de brim pardo para
clga, a 1400, Ditos de cdr, fazenda mui-
to (ma, a I36<>0.
Espartilhos a 3*-e 4P00.
0 Pavio vende os rrrars modernos esparti-
lhos, proprios para snntioras e nenioas.
pelos baratisimos pn-gos d- 38e 49000.
llitos muito superiores, braneos e de cor, a
59 e 69000.
Calgas de brim de cores de 25500 "ate J J
Ditas decasemira escura a 3350l>
Patitots da niesma fazend a 45500.
Calgas de brim pirdo de 25 ate 5#.
bit s de casemin de cdrde 7)J ate" 124
Dit-s de casomtra preta de 79 "W 14(5.
Palitots de panuo preto Fraques de panno preto fu de 209. ate
359000. HiiiT utuij am ,
Calgas braocas ie linho de 45*l4*t$.
Collates de lasemira de cor de 35600 at.
55000
Ditos de dita preta de 43 ate" 79.
Cartes de la a 4-"rOOO.
0 Pavio vende botirfos cortes delasinhas.
padrdes miudiahos com lin.las cores, tend.
15 covadoscada c6rte, pelo* barato prugode
49000.
*

i
CORTES-BE ORGHIDY A 39000 e 39500
0 Pavao vende c6rte de organdy brancc
com listras e,qiiadn/>bossenoVfa(iu to fina. pnU baratissjmes p^vs ,& 35
395oo o c6rte.
Ceroulas fr 'ocezas de linho e a!god*, para todos os pecw e'-quaKdades',' assirr
quo tudi. se verAte p-
como grande sortimeuto de meias cruss, camisas, C'dennliot
pregns rnuit r zoaveis.
Venrte-s.e
,._. Libnrs rTterlinas
V#riilem''PereiraTiirneiro A C, a roa ido tm-
mercki n. 6.
tin da algodao da Bahia
Tun ,iara vender era-Mew awriptorio Joaaakn
'|Jo>e t;.mwaives lleltrao & Filho, a rua do Com-
uwrcio n. 5. '"______" ________ j
0 Forraas para assucar.
dirija so a rua de S. Jvao u 37.
anH**a terrea em Olinda. na rna de S.
iMariyr n. *. tendo tal-, J .|nirtfn pran'cs 00 OaJvaoisad i< e piniadas, por preco commodo Chj
linha fora e ouintal (rnnde ijnem a pretepder, nndem Cnoha & Manta, 4 rua doMarquez de To-
Ten aa^Liwa^ inf
XeiwrtFroeJ'-'"' i quai
le'Anr
Viuda, n J3.
armiu
'

'>
DATA INCORRETAI- j WBlllMB LJ WM.


r1
tie Jtagnmfttieo Quarta ftara 31 d*d&semfafr tie -lftRk

mis
LEI1E, IRMAOS
UNIGOS AGENTES
Boa do Karao da Victoria o. 28
\& mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na eipo8ig*o de Paris, em 1867, foi concedido a;
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
cao da Legiio de Honra, por serera aa machinas mais per i
feitas do raundo.
MCfflMS PARA
mm pospontos
Natojade Soa-rea Leite Jrmaos, drua do Baxao da
Victorian. 2&
WMR-p^iieho toque, K-p.-llms demoldurjf'dourada,
grsnl- s.irti-
Agua florida, de
para faze* oe cab
A medalha de ooro, conferida i
Estados-Uuidos por ser o inventor
tura.
E. Howe Junior, nos
da machina de cos-
A medalha de ouro na exposi^ao de Loudros acrediiam
estas machinas.
A 90$000
Caba-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
cr, estabeleeeu nesta cidade i rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposito- e agenda
**ral, para em Pernambuno e mais provinciasse venderem as afamadas machinas de cos-
r de Howe. Estas macmnas sio justumonte apreciadas pela perfeigSo de seu trabalho,
Kpregando uma agutha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
-4a introduccao dos mi aperfeicoados spparelhos, estamos actualmente habilitados a
*a*cer a* examc pubKco as melhores machinas do mundo.
As vantagens desias macMnas sdo as seguintes:
frimeir*.O publico saha q.iv ellas sao duradouras, para isto prova incontestav'il, a
-"u-nstaacia de uuuea terem anoarccido no mercado machinas d Howe em segun-
mio.
1
>6^unda.Cr..uera o material preciso para reparar quatquer desarrenjo.
iijroewa.Ha nellas raeuorfncclo enire as diversas pecas, e menos rapido estrago
* u Lavas de pi
-200 rs.
ootoaduras para eo
ueato a 12o rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs.
Lamparinas a gaz, dando uma iuz muito
>oa, a 19000.
Duzia de pecas de cordao imperial, a
140 rs.
Caixa de botoes de osso para calga, a
tOO rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas., a
500 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Mf.50 de lita chineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios aderecos com camafeu, a 500 rs.
'iarrafa de tiitta roxa extra-fina a irooo
Potcs com dita iugleza, prcla, a 100 e
160 rs.
Caixa de penuas Perrj, muito boas, a
(5000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa deenveloppes tarjados, a 500 r.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira d-.urada,
. 800 rs
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia de talheres cabo branco, 2 R., a
Resnia de papel pautado, a *O0
^ 59800.
n; tamanhos e pfecos.
PERWiMARIAS E MIL'DOAS.
Fraseo cofll oleo Oriza verdadeiro, a
19000.
Idem com tuaico de Kemp, verdadejro,
19000.
Garraiade agua,florida\erdadiiira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem-idem divina, a 19000.
Idem idem Magdaleua (uovidadei a
19200.
Caixa de p6s para dentes, a 200 rs.
Idem, idem do.p6s. chinez,'muito bom. a
500 rs. e 19000.
Ai*l>ranca,aruA Uuqoe *^
acai>a.dfl recebernova remessa da apr
florida para fazer os cabettos pretos. vi bonTre-
suhado colhido por quern tern feito uso dewa
iaofleniura prepararao a tem altamente conceitua-
do,e por iflso apeoas so fax lepbrar a quern no-
vamehle deUa precise e queira se aproveitar de
de todos sua utilulade. Tambem veio agua de topasio e
" oteo florido para 0 mesuio u e tao acreditados
como aqaelia.
Voltas e brincos de grosses
aljofares de cores.
A' afuia hrr.nca, a rna do Duque dj Caxias a.
50, raoebea novas e bonitts voltas e brincos de
grease* Ijofares de cores, 0 como sempre conti-
nua a vende-las por precp coramodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
50, recebeu novo sortimento de bonitos diade-
mas dourados e corn pedras, lanto para menina.-
conio para seuhoras.
Tote com opiata de Rieger, Himel e Gros- OolleO^OeS de trasladoS
mel, 19'00,
Duzia de saboueies de amendoa,
39600.
ou
! Qormas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Oaque de Caxias 0. 50.
j recebeu uqvas colleccdes ou normas para as crian
Duzia de sabooetes. de anjinbo transparen- J cas aprenden m a escrever por si mesmo, hoje tao
teg, a 292OO. usadas nas auias e collegios; e como sempre ven-
Idem idem com fldres, 1 19500. ^-as por pre-.o commndo.
saboneics Givcecino transparenie*. a Meias cruas iinas para meni-
Caix'a com sabonetes, formato de fructas- ,. Da8t e SGllhoraS
a IROOO" e 15500 A ,oja a*uia Drauca> a ra Duqne de Caxias
,, : ... a. SO, recebeu novo sor:imento da^uellas lao pro-
tosineln 03, graudes e pequenos, a 100 e cundaa loeias cruas para senhora, vindo igual-
80ft rs mente para meninas, e continua a vende-las por
Fraseo Cbmagua de colagne, a 200, 320^ P^?0/ >mmodo.
000 rs. e 15000. Veos ou raantinhas pretas.
rxira,ctos mu:to frfa dos melhores. u-.; A Joia da. aguia branca, a rua do Duque de Ca
Idem idem iiso, a29800, 39800e 59QG0. lqr, xias.u. 30, recebeu bonitos veus ou maniinhar
Coqucs modernos, a 99000. I.ind.is e elegantes cixM>ba com perfurna- PretW '* seda coni n,,re, e outras a imitacau dt^
Duzias de pecas de trends dc carecol rias p'ronrias para, preseuVes, dos autores .^i'^^T l>e!.os ,b.aral09 Prefs de 3*
Dranca, a 400 rs. E, Codra,,, Rieger, Gelle Freres, etc, j S^S^SS'qne Sfnua
Idem idem lisas, a 200 rs. i guadros cum Santos e estanq^s separa-- t5^
Leqaos de osso e sandalo, a 29000, 4J das. Peifeita IlOVidade.
tntwaeiose haUdos Uivparentes e ta- r,rapos com borboletas, bezouros e gala
nhotos dourados e coloridos.
boa e esta em perieito
a ler prompta exlrac-
Fita de velludo do todas as cores e largu- pados;'
Quart*.Formara o ponto coiao se fdra feito i m2o.
Ccnta.Pennine que se examine o trabalho de ambos os fios, o one se aeo cons*u
*ot!rM.
Sexu.~Faxe ponlo miudo em caseirira, atravessando 0 fio de um i outro lado,
h-fo em segtuW* sam pjodiiicsr-se a tensao da linha, cozem a faienda mais
.*.
Setima.O compressdr & levantado com a raaier facilidade, quando se tem de mudar
n titalha ao eomecar ncwa costura.
OiUva.Muttas companhias de machinas de ccstura^ tem tido epocas de grandeaa-e
^artincia. Machinas outr'ora populares, sio hoje quasi desoonbecidas, outras soffrerem
^ *<;-ptando a opiniao de Elias Howe, mestre em artos mochankas, tem constaciteraeate
t3->entado eseu fabrieo, e hoje aao attende a procure, posto que faca 600 machina*
*r aia.
' -4a waiChiua acjompenha livretos com instrucfdes em portugnex.
\ 90^000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A*
do Barao da Victoria n. 28,
'as.
Hicroscopios corn 12 vistasja .090.00, qwefjoja.
Fraseo coin oleo.para machina a 4(M) rs.
Rua d Baraoda Victoria n. 28.
Uro^igrawk InboXa. prvpria par* qual-, A ^ da aguia. branca, a rua do D;que dt
fazendas finas
NA
DE
Cordeiro Simoes & C.
rLin zinhas com listras estaiupadas pelo dirainutn
oco de 400 rs. o covado. Crheou o verdadeiro vde'Portland ; harrieas
Ditascoa? listras asselinadas, a 1*00 c co-.'gga deTusso Ir-
vado. ..... mius \ -:,. c^jj; do -ApuU,*.
Granaumas pretas com listras de core* a 300 n. ~
o covado.
o ctS.'ranCad09 Pr0pri03 Pafa T"'a mn:i.
Alpacas de quadros, proprias para veflitkiS, *,
440 rs. o covado.
Brim brunco, lona.para caloas a 1/300 a vara.
-Riia^o;Bfum n. 76
Caxias. n. SO, recebeu novos grampus com bor-
boletasfcbezour^> e gafanhotos, o quo de certo i
perfeita- bo>id de. A quantidade e pepnena, e
por isso em breve se acabara.
Nwas golliahas ornadascom
pelucia ou arnjinho
A loj* dlaguia brauca a rua Duque de Caxia.-
- iiO, recebeu uma pequena quantidade de bom-
s e nuvas gollinna*, trabalho de la e seda, en-
neitarta? com arminho, obras estas de muito gostc
e ifitfcirarneute novas.
Grampos, brincos e rozetap
dourados.
Grande ^kmhi a 260
rs
de m*ii gosto que
a ii, ifdaiqa novos, e
i vindo ao mercado, so uarua do Queimado '
i3, loja de Guerra & Famandes, pelo diuiinu-!
reco de 400 rs. o covado I
'Joefuem frenoeiMR qne ^ a araba
Os- verdaddros
Vinhos de Bourgogne
. >na,para
Dito iranrado a 4<60O a vara.
Dito do cores, b'nho puro, a l|i00:a vara..
proprio pfrf* ooturhK* mos dua1 :.'prido- e 4 dn Jargo,
em con la.
Perhinclia
Chapeos de soi. de scda, cabo de canna,
cada um, isto tudo ?6 no n.'SO da rua So
loja da 3 portas. de Guilherme A C
&i*00
Cre>po,
warcas
[Farinha deararuta
. Chambejiin
''-ndd^e saperior ftrinha do araruta, tamo em j
: mo a retain), pur preco que admirv
vi-^o sua qualidade ; depositos nos seguintes Iu- [
/n. --.: rua do Vigario 'h. 46, rita Uo Amorim n 1
-*-. e fravessa da rua das Crates a 1, a 300 rs. a
lira a relailxj.
tm a fesla.
Kua Rrinaeir* de Harea n. M=
JusmSo & Leal receberam os melbores e mais
cuodernos que ba em chapeos para senhoras, e
!So vaodeodo muito baratos, para acabar.
Poramard
Virits
Volnay
Bonnoe
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vdidese* por fcnHo pre^
PAHi LIQUIDAQAO DE C0STAS
NA
Ba* Larga Jo Rosario 34.
Botioa.
IVao se eoganem
Vinhos em barril e engarrafados.de maroas.co-
nbec4das, acreditadas e garanlidas, inclusive, qua-
i-a-j,, pMjjKifc, rri" ~>" ~ r'>.-
vendem Cunha Irmaos & C, rua a Madre de
Deos n. 34.
'Gravannha azul de (634.
Coibeila do anno- de MM.
Velho particular de 18*0.
Lagrirnas do Douro.
Duqne de 1813.
Duqae doPori
Regina.
KU*sanova da Russia m roeios iwrri*.
A loja da apuia branca, a rua do Duque
Caxias n. 50. recebeu novamente bonitos grain-
'in.rnrtnai
. ,-.!r.>.,. JL.,'n 'ttovoa diademas de aco, e como.sempre conti-
> niia a vende-los por pr^os razoaveU
Caixinhas com p6s dourados
e prateadoB, para cabellos.
Veade-se naloja da Aguia Branca a rua do Dn
Teq* para, vender 4wqnw Jc*e Gowajves Bq- 12f taXi^n- w- ,
So Pi)h6 : .atratar uo aeu e.criptoria a rua LUYaS. de PClllCa preta,S e de
outras cores.
A loja-da Aguia Brauca, a rua Duque de Ca-
xias u. SO, racobeu- dovo- sortimento de luv?^ dt
peUica, preus de outras cores
4ewe- t^pwuutft^.porjj.ayravoA^nin^.i^Mnu -iU^.LVumr 4a-^Pa.
*>eu dras SaMas.
do Couimercio'n. S.
Boa aequisfeao
E' esta casa, sem duvlda, on dns qne hole
pode com primazia apreentar aos s*ns fregueiei
um variadissimo sortintooto de fazendas finas p4.
ra grande toilette; assim como, para o uso ordi-
nario de todas as classes, e por precos vanujo-
sos para os cempraderes, de cujas fazem um pe-
queno resumo.
Mandam fazendas as casas dos pretondentes,
para o que tem o pessoid necessario e dao amos-
tras meaiante penhor.
Cortes de seda de linda? cores.
Ditos de gorgurao de cores.
Grosdenaple de todas as cores.
Gorgurao bianco e preto.
Selim Macau preto e de cflres.
Grosdenaples idem idem.
Veluda preto.
Granadine, seda preta e colismasrt de cores un-
dissimas padioes e fazenda da ultima moda.
Popelinas de liudos padroes.
Pilo de seda branco e preto.
Hieas basquinas de seda.
Manias brasileiras.
Coichas de seda para nrivos.
Cortes de cambraia branca com liudos bordadw.
Capcllas e mnntos para n ivas.
Kiquissimo sortimento de las com listras de seda.
'"ambraias de cores
Ditas maripozas, brancas e de cores.
Nansuck de lindo3 padroes.
Baptista de pa-troes mni delieados.
Per-alinas de quadros pretos e branco3, de lis-
tras, etc.
Brins de linho dc ccfes, proprios para vestiiis
com li.iira e listras.
Kustao de lindas cores,
CasaqoiaHua de la e de todas as cores, para se-.
uboras.
Saias bordadas para senhoras
Camisas idem idem
Vestuarios para meninos
Uib'< para liaptisados.
Oiapiv- |>ara ditos.
Toalhas o guardanapos adamascados de linho tie
cores para mesa.
Coichas de I-.
Cortinadus bordados.
Camisas bordadas para homem.
Metas de coresrpara homens e meninos.
Ompleto sortimento de chapeos de sol para bo-
mens e senhoras, com cabo de inarfim.
Merino de cores para \ estidos.
Dito preta
Atoalhado de linho e ajgodao para toalhas.
Atoalhado pardo.
Brins de linho branco, preto e de cores.
Setim de lindas cores e com listras
Chales de merino do cons e ptetos.
Ditos de casetnira.
Ditos de seda preta e de cores.
Dito de touquim. N
Camisas de linho.
Ditas de chita.
Ditas de flauella.
Ceroulas de brim o algodjo.
Damasco de 15 de cores.
Pannes de crochet para cadeira, sofa e coDSoi'Os.
Coichas de dito.
Tarlatana de todas as cores.
Espartilhus lisos e bordados.
Poulard* de seda.
Casacos a tricot.
Riuos cortes do vestidos de li:.ho para senh de di ersas cores, com os comi)eten?es enf-
tes, ultima moda.
Casemiras preias e de cores, cbitas, madapofet,*
cambraias, panno &oo prelo e azul, c^iarabjM,
punhos, gravatas, lavas de pellka, ditas d no
de Escocia, brancas e de dpres, bp.tes a3,4oa
os tamanhos, bolsas de vingem, etc etc.
Na loja do Passo, raa Pnmeiro de Matc/VB-
A, antign do Crespo.________
*e|s quarios, cora.gsbiueite,
gouna,r4 ewftl**Cora,.quaclos para faniiUft,
cacinba cam boa a^ua dfa bober e um sitio
j bem arborisado ; no alto do Terro : atratar
Tiuta, cha e fm
Amaral Nabuco k. C. veodem lintas oriaUne
Lotion vegeule para .iingir de pretes cabellos^ e|
que se -conheee de mais otH e eommedo, nSa so
no modo de emprega4o, como no resultado que'
.se obtain, Cha verde e preto chegado uHimaiueno >
te,iumo inglez c trincez, para cigarros
diimbos : vendem no Basar Victoria, rua
r2o da Victoria n. 2.
^n&fosa,
lum cabrioiet aswriairna, cobert^j oiu, quairo a-
sntosr d* quatrp radAs. conj arreios ran um ca- astamagt^eiCietc.
valk): para ver, na cocheira de Jbaquim ferrador,
Yilia Eouca de. Affuiar.
Wfi^fljfKMUTfADAS-anDiCAS
Analyse* do Jr. Jos* Julio Rodrl
ffiies, iente da eseola Polyte-
Esta excel.ente agaa nsada com vanlagem
padecHMntos aas vias 4ig*stivas, urinanas
no
d
Burros a vendi1.
l Deiro avija a ma !afM9^Ji^L.2iiL.^B-
viagem para as pru'vincus de Alagoas c vsnava-
baco, conduzindo excollente tropa de. burros
passara por Penedo, P|l:r, CasUnharGrande,Poi-
to Calvo. Barreiros, BiftFurnjosft. Esrada, CajjiP e
provaveUaenVs por Sanlo ArAaro.de Jaboatex a
Nazareth ; por isso pode s'cr avisado ou enct a-
trado em quatquer destes iagares.
Larangeiras, zO de outturn dc 1873.
a rua d) Imjierador, e para (ratar, na rua do Vi-
^ario Tbeoork*'a. 3, arnaiem.
Vende-se
drogaria
r
J
NA
Phrartuacila o
Rua iar i. do Rnsario
4.
i^ara acabar!
s fi ca- a taverna iiU>a rua, do B*rft,fci, Jfriumphq^ 65, j l^ara aCaD3]
do Ba- hem. aftetuezada : quern pretender dirQasc a Bi cos chapeos nara aenhora natsma-quearhwacom-quem irater. ^^a^WW-jT iota da esq'uina
sona
esquina.
rua Duqne
Chitas a 240 rs. o covado.
A 240 rs. o covado.-
A i40,rs..o covado
So ua raa Duque de Caxias a. 60 A, loja da
esauina.
Aos senkores paiaeiros.
Vende-5e baaha a 4(0- rs. a libra, mau.e.fa
franceza e ingleza a 480 rs. a libra : a rua de 1
Fran cisco n. 70. taverna.
M
a
^
^ggOy______jMM)S A IjN^PARTE DAS U)miASXO^BjajA^OR LEITR^ U m$W .IS,
j'RHB8'.1NS-. PftEMS. NS.
. i
9
*
t
J8
19
51
iS
&
61
(36
72
76
a
10
It
i7
20
30'
'!!
'
;fl
44
1
4

r
}
I

*# "422
Z&B
42
'tia
53
6i.
8*
98
.99
Mi


19
ii
w
r,
.48
v44
m
-'^
-r
A
78
84
- 85
'4r.
m
At
^^^r^P
m
4
I
+

-<
i
^

408
It
15
35
40
41
47
48
54
61
4
68
82
183
-'88
99
5i6
18
i\*0
26
31
37
< m
40
51
62
64
68
70
PREMS^INS.
4* 707
8
22
37
93
tO 7"6
#"79
>802
4
e
- "b
'40
PllEMS. NS.
~
+O0
30
7r
^* -7'
41
n ;^!i.
69
81
,152
.68
91
"9i4
. 9
;25
27
34
42
47
52
PSOfS.
24
1$
31
i Woi
]ftii
80
9 :S Zt '
-7
_ J
NS. PREMS.
6ei
95
M3jj'-^i
.9*4:.
i
44
i
"P ~v------
IS. PREMS. JN8.

a
4*
. -
s c!
2918
:.;!
27
aqiAI."
50
72
_j|tu-0'
91
-fsooo
2
18
21

449024
*7
,29
31
36
-'42.,

M
60
'63
1*104
38
>0
83
64
73
75
81
M.
97
-43305
9
10
15
38
Ai
6i
65
m
91
2
!'6
12
15
419347
^3 |
25
26
PREMS.

-
U
i
_lt


PREMS. |1*S, PREMS.
- 48.
5a
58:
66
74.
i 82 >
88 I
90;
5,
17,
M\
r|tcjf39 i
42
47
82 I
54
.- 'j56
90
61
69,
11
83
88
_-
'
to*
4d
90;
4f)
ft
:"'
!l
97,
1:06
12
18
MUTILMO
#
I vam.

\
\
V
- /
?}


8

>

Diario de Pemambuoo Qaarta teira 31 de Hezenibro de 1873.
JDBISPRDBOy
L
. IIA*
flelatorio
* RESPEITO DO NKGOCIO DO MARECHAL Hl,I.U
F.X-COMMANDANTE 'CBBC DO EXERCITO
DO RHt:>o.
JERCEIRA PARTE.
'Amui.AQA ; dk7 a 29 df. outubro).
<:apitulo t.
OO.SSELHO DE 10 DE OUTUBRO.
(Continuacdo)
Saint Martin, 10 da outubro de 1870.
Estas instrucgoos nao fuzem mengao al-
uuma da clausula adoptada por unanimida-
de, no conselho de 10 de outubro, para so
iiio aceitarem sendo condigdes compativeis
com a honra militar, nom da resolugao to-
mada para so tentar abrir passagem, com as
armas na mdo, se o inimigo formula
muisoveras exigencias.
0 cxorcito ndo cstava na ultima cxtremi-
dado ; o inimigo tinha ainda de o tor cm
attencao, por isso que ello podia causar
gran les perdas em um combate supremo.
E' extraordinario nSo uncontrar nenhum
vestigio desta consideragdo ern um documen-
to daquella importancia.
Instrucgoes escriptas tao pouco precisas
deviant sem duvida ser acompanhadas de
instrucgoes verbaes. As negoeiagofi que o
mare.ihal eutabolara deviam produzir resul-
tado em brcvo espago. 0 plenipotouciario
devia pois estar habilitado a tratar. Era
orio que, se o inimigo pensasse seriamente
em negociar, n3o podia ser senao para con-
sagrar por um tra*tado as suas vautagens e
as suas conquistas. Desde o principio das
uegociagoes, ia pois encontrar em face de
redidos de cossao do tenitorio. Qual era
o limite dos sacrifices que era necessario
aceitar, pelo menos em principio? Queins-
tfaccoas hviva 0 gen-wal Bjyer sobre este
ponto doloroso? Nenhumas, responde o raa-
rechal. Nunca se tratou da questao da
res-'l) do territoritorio nas negotiates que
se viara entabolar
.-,;'<) se poderia admitlir que assim fosse.
Dist-i eueontramos a prova no ultimo para-
jjrapho das instrucgoes do gen-ral Boyer.
A acgao de um exercito franeez ainda
complntamente constituilo, com boa moral,
e que, depois de ter lealmente combatido o
exercito allem3o, tem a c.mstieueia de ha-
ver sabido conquistar a estima de seus ad-
versaries, ndo poderia deixar de pesar im-
men-o nas circumstancias acluaes. Resta-
beleceria a ordem e protegeria a sociedade,
;uios interesses sao communs aos da Euro-
pa. D3ria a Prussia uma garantia das quo
poderia ter a reclamar presentemonte, e
emfim cintrihuiria para o restabelecimento
de um poder regular e legal, com o qual se
i)0deriam renovar relagoes de toda a nature-
/a sem abalo e naturalmente.
Deste modo, emqnanto que de todos os
pontosda Franga se corria ds armas ; quo.
fazendo calar todo o interest particular
diante do perigo coinmum, todos os partidos
politico*! se esforgavam momentaneamonte
para auxiliar o govprno da defeza aacional ;
o general em chefe de um exercito franeez
ia passar ao inimigo, garanlir-lhe as exi-
r.cncias que lhe podesse ter a reclamar em
ronsf.'fiiencin das suns victorias. 0 mare-
chal Bazaine devia restabelecer a ordem e
contribair para o restabelecimento de um
0(>r regular e legal. N3o era pois bas-
.ante a guerra estrangeira ; o nosso paiz es-
tava ainda condemnalo a soffrer os horro
rei .;,i ffltsfra civil, 6 -;ierci!o ic Metz '';:
cssim unir os seus esforgos aos do inimigo
ra- derribar o governo, que lutava pela
in>' o..n lencia naciaonal ? E'-se obngado
a s .ender diante da perspectiva das con-
soqu eias d<> semelhantes projectos. A
wrte i exercito de Metz foi, certamente,
b'm lwrnentavel; mas em presenga dos pe-
rigos. que as combinac/ies do seu chefe
expuz -ram o seu patriotismo, deve-se agra-
Aecer i Deus terdhe pmpado uma sorte
ainda innis horrivel.
0 marechal tinha sabido que o governo
constituido em 4 le setembro, havia fixado
0 dia 1G de outubro para as cleicoes de uma
assembled national ; ignorava entao a reu-
niao do conselho cm que esti decisao tinha
sido modificada, corao j4 precedentemente
dissemos.
do general Boyer indica tuiaQSo, mas uma convencSo mihtar, que
rue a primeira noticia d'es- lhe concedesse as honras da gaerra, islo
dada em Versailles por Mr. <5, a faculdade de se retirar, lavando as suas
Acreditava-se por tanto em armas, o seu material e as suas aguias.
\ reimiao da assemblea estava Mr. de Bismark disse-me que isso lhe nao
iSe n'um semelhante momento, pertencia; que aquelle negocio, puramente
HRndo v. tinha bastantes vireres para es- militar. era da competencia do rei, do mi-
perar alguns dias, o marechal estava tao nistro da guerra, e de Mr. de Moltke. E de-
desejoso de tratar, era evidente que nio pois accrcscentou:
pensava senSo em servir a sua fortuna pes- Sendo a vossa missSo pedir uma con-
soal. veocSo militar sob'essas bases, devo dn
Elle nJo podia invocar a desculpa de ter zer-vos antecipadamente que o conselho do
querido servir ao governo imperial. Des-'rei vis n5o concederi condigoes que nao
de o momento em que nio tinha noticias,' sejam iguaes is que foram estipuladas em
nem de Mr. de Bismark, nem da impera-J Sedan.
triz, existiaa prova de que os projectos en- Coadicoes apresentndas por Mr. de Bis-
taboladris estavam mallogrados. Qual era 'mark. A' observacSo que lhe fiz de que as
qualidado para as renovar* Quaes bases u3o seriam aceitas pelo exercito do
a sk
m os seus poderes ? Nunca semelhante
prudencia presidio a resolujoes tao gra-
ves !
EAP1TLL0 11
SllSSiO DO GENERAL BOYER JUNTO DO REI DA
PRUSSIA
Primeira audiencia dada ao general j de sua magestade.
Boyer por Mr. de Bismark.0 general Insisti junto de Mr. de Bismark para co-
Boyer tinha sido autorisado, em 12, pelojnhecer as suas condigoes politicas.
rei da Prussia, a dirigir-se a Versailles.
Aquello offiti I general poz-se immediata-
mente a eaminho vigiado, por dous ofliciaes
do cstado mnior do principe Frederico Car-
lo?. Kis aqui em que termos o general Boyer
refere os incitlentes da sua intrevista com
Mr. de Bismark.
Mr. dc Bisin irk entrou primeiro em
1 Rheno, replicou-me Mr. de Bismark :
Mas eu posso fazer valer considerate
politicas ao rei e ao seu conselho, e penso
obter para o exercito franeez condic,3es que
vos farei conhecer amanhS, por isso que in-
do ver o rei esta tarde, obterei uma soluc,5o
Decla-
rou-me elle que n3o trataria com o governo
da defeza nacional, que o n5o recor-hecia ;
que nSo podia tratar com o imperador, quo
estava prisiorteiro de guerra ; e que ja" tinha
recusado tratar cm Sedan ; mas que podia
tratar com o governo da regencia ; que para
tratar com a imperatriz, o governo allemao
entendia reservar-se vantagens que equiva-
consiJeragdes politicas sobre a situar5o da Ham para elle is que lhe dava a sua posi-
Franca, situagao quo lhe parecia ter sido r,ao militar actual para com o exercito de
creada pida revolucao de 4 de setembro. Metz.
Depois, dizendo-mo quo queria p6r-me ab-
solutamente ao corrente do que se passava
para que eu podesse dar conta aos que me
tinliam mandado, expoz-me a missao que
entao desempenhava Mr. Thiers na Eiro-
pa. F.ntristeceu-me com a intrevista que
tinha havido 'em Ferrieres entre elle e Mr.
Julio F vre, fazen l.v-mo a sua apreciac,So a
respcito dos homens, a respeito da posicao
quo occupavam, e a resppito dos membros
do governo parisienso. Fallou-me das di-
versas cunpeticocs, que, alem do imperio,
sedisputavan u poder, e accrescentou, que,
succe tesse n qie succedesse, o governo al-
lema>> nao commetteria o erro que os allia-
dos tiuham commettido en 1815 impondo
a" Franca um governo.
Passan Ui i siiuaciio interna da. Fran"
ga, t:mlo d bi\o do pooto de vista po-
litico como militar, Mr. de Bismark expoz-
me, que, segun lo as informacoes que obti-
vera, c os,ila los quo lhe forneciam os pri-
sioneiros, algunas cidades do departamen-
to d morte. nao opporiam nenhuma resis-
tencia a"s tropas allemaes ; que em algumas
praras de commeri-i!), ondo o egoismo era
o sentimunto domihante, se nao estaria lon-
ge de receber as tropas allemaes ; que, alem
d'isso, se tinha entrado sem combater em
Rouen ; que por um momento tinha havi-
do a csperanga de iue o mesmo succederia
no Havre, mas que alii se havia onganado ;
a gente que, com o nome do francos atira-
dores, fazia tanto m.d aos seus compatrio-
tas com^ ao^ allem3es, eram em alguns
pontos repellidos tanto pelas- populagoes
francezas, como pelas tropas allemSes. Fal-
lando-me dos departamentos de oeste, dese-
nhou-m'os como promptos a despedacarem-
se sob a influencia d^s iiloas religiosas.
Os departim"nto-. do meio dia estavam
entregues a mis absoluta anarchia ; emfim
r> ATj>ri"iln.'J'>'I mm -i'vv --* ,rj .i-.J- J.-
em Orleans ; as tropas allomaes estavam em
marcha sobre B mrgos. Esta ultima noticia
adquerio uma erta verosimilhan$a no meu
espirito, em um enpontro que tive em Cha-
teau-Thierrz, a 16, no meu regresso para
Metz, com um longo comboio de presionei
ros e pecas de artilheria francezas que pro-
vinham do exercito do Loire.
Depois d'esta exposicao geral, Mr. de
Bismark pedio-me que lhe precisasse bera os
des-'jos do marechal Bazaine, e o fim da mi-
nha missao.
Expuzdhe que segundo os aconteciraentos
da guerra em que o exercitode Metz tinha
tornado parte, podia elle oi(fflaerar que ha-
via defendido nobremento a honra da ban-
deira, e que tinha direito, na extremidade
em que se achava, de pedir, n3o uma capi-
onde. os poderes publicos, taes como csta-
?am constituidos antes de 4 de setembro,
fossem chamado* a propor, ou a detorminar
a fdrma de governo, e, qualquer quo fosse
a decisao tomada, seria aceita ; isto e, os
soldados da najio obedeceriam a" vontade
do paiz. 8e os "poderes declarassem que
era necessario appellar para a nagSo, o exer-
cito auxiliaria para se fazfer esse ap-
pello.
Tal"*,' pouco mais ou menos, o sentido
da conversac^o quehouvecom Mr. de Bis-
mark. Restava saber se estas condic.5es
seriam aceitas pelo rei, pelo seu conselho
em Versailles e pelo conselho de guerra em
Metz.
Segunda audiencia concedida por Mr. de-
Bismark ao general Boyer.No dia se-
guinte, pelo meio dia, Mr. de Bismark veio
procurar-mee disse-mc que orei tinha como
cada o seu conselho ; que primeiramente ti-
nharejeitado toda acspeciedecouvenc5oque
n3o fosse a formulada em Sedan; quo ent3o,
elle, Mr. dc Bismark, se propozera collo-
car-se um oulro campo ; fez" valer as razOes
politicas quo me tinha exposto na vespera,
e quo o conselho tinha admiitido a sua opi-
niao.
Renovou-me o quo me tinha dito na ves-
pera ; que a regencia era o unico poder com
que podia tratar ; que nao queria tratar
com o governo de Paris, eninda menos com
o de Tours. Ja" nao tinha mais nada quo
fazer em Versailles ; pedi a Mr. de Bismark
que me fizesse reconduzir o mais breve
possivel a Metz. Parti a 15, ds 9 horas da
noite, e cheguei a Metz a 17 pelas duas
horas da tarde.
Tendes v6s, accrcscentou ello, reconhe-
cidoo governo da defeza nacioqal? N3o,
lhe respond! eu, nao recebemos noticia al-
guma do governo de 4 de setembro. N6s
soubemos, a 15 d'estc mez, pela chegada ao
campo de alguns prisioneiros de guerra tro-
cados, do desastre de Sedan, do captiveiro
do imperador e da installagao do governo
da defeza nacional. Chegaram-nos ds maos
alguns jornaes allemSes, pelos quaes tivemos
conhecimento de um certo numero de des-
astres ; mas n5o vos chegou nenhuma rati-
ficacjlo official, e nenhum funccionario se
reunio a nos. 0 governo da defeza natio-
nal n3o existe portanto para n6s. Prestd-
mos juramento ao imperador ; perraanece-
eemo's fieis ao nosso juramento emquanto o
driz n3o docidir outra cousa.
Neste caso, disse-me Mr. de Bismark,
po demos entender-ves ; nio vos propouho
de tratar com o imperador : estd prisionei-
ro na Prussia, e poderia admittir-se que se
exerccria pressao sobre as suas decisdes.
Ndo acontece o mesmo d imperatriz ; estd
em campo neutral, e f6ra de toda a acc,3o
directa da nossa parte.
Fiz observar a Mr. de Bismark que eu
n3o tinha nenjiuma qualidade para me oc-
cupar de uma negociagSo de semelhante
genero, mas que lhe pedia que me desen-
volvesse o seu s)sterna, afim de que eu
podesse transmittir as bases para Metz.
a 0 seu systema consistia em affirmar a
fidelidade do exercito do governo da regen-
cia por meio de uma mauifestac,ao, em que
testemunhasse que estava decidido a seguir
a imperatriz, e a obter da imperatriz a as-
signatura dos preliminares da paz.
Observci a Mr. de Bismark que seme-
lhante manifsta$ao estava f6ra dos nossos
habitos militares ; que isso pareceria uma
especie de pronunciamento. A isto accres-
LUCKECIA E D S & IA
MEMORIAS BE S1HH1Z
POR
?3o da parte do exercito era in iispensavel
para lhes dar, a elles, uma especie de se-
guranga, e porque a imperatriz n5o se obri-
garia nas negociagoes se n3o fosse sustenta-
da pelo exercito.
Os preliminares da paz, logo que fossem
assrgnados pela imperatriz, o exercito de
Metz poderia retirar-se, levaodo as suas
armas, a sua artWharia e os seus materiaes.
A praga de Metz ficaria litre e senhora de
si.
Retomando entao a nota que o mare-
chal me tinha entregado na occasiao da
minha parlida, expoz a Mr. de Bismark a
posicdo que o exercito devia occupar quando
tivesse deixado Metz. 0 exercito dirigir se-
ha, com o assentimento do conselho de
guerra, para um territorio neutralisado,
V
D. ManoelFeraandeay Gouzalea
SEGUNDA PARTE
SAVONAROLA.
(Continuac3o do n. 299)
VI
D COMO DOMINICO ESTENDIA IMPRUDENTE-
MENTE UMA REDE, SEM SUSPEITAR QUE PO-
DIA SER COLBIDO N'ELLA.
Pela manhS, o primeiro raio de sol,
a-ravessando os vidros de cores, foi bater
co rosto de Pedro de Napoles e desper-
^ 0 seu primwo cuidado foi olhar para o
Uito de Dominico. .
Aquelle nao estava deitado, sahira, e
fora elle quem. certamente, abrira as por
tas de dentro da jaoella.
Pedro de Napoles olhou receioso para a
porta, e tranquillisou-se porque a vio fe-
chada, e descobrio a chave no chSo ; o bu-
ijco dafechadura estava tapado com um
panno, e portanto ninguem poderia ter vis-
to os formosos cabellos louros de Pedro de
Nipoles, que ao deitar-se tirara a cabelleira
Preta* j i
Era um dos lados das faces, do qual
lesapparecera a cor que a tingia, via-se a
nra nitida e transparente da pelle.
Pedro levantou-se e comegou a lavar-se.
K.itao e que se pOJe ver toda a formosu-
ra do mancebo. .
\s form as do seu rosto nao tinha m essa
rmrer.a. essa correcgSo, essa harmonia qup
ar ds grandes formosuras, mas eram
is, 'bellas, rudemente contrastndas
^pr'essfio sevora e sombria dos seus
T,'j sos e rai-gados nlhos negros. Aquellp
An arnara-o completamente desconhe
W" I os seus -migos de Roma, np.-zar
>%> lhPS opresentaia na pessoa do
tto. Pedro de Napoles conseguio
mdar o timbre da voz.
ncebo abrio a mala, 'irou delta
oos, pintou p rosto, a garganta e as
30Z a cabd/ira, o que 6 o m^smfl
r que torjf>' >
Passando em Bar-le-Duc, pude na gare,
trocar rapidamente algumas palavras com
o maire da cidade, o qual, preveuido da
minha passagem, se preparou de maneira,
quo mo encontrasse alh. Disseme que Mr.
dc Reratry tinha cahido na vespera de um
balao nas immedigoes, e tinha podido esca-
par, e lhe observei quo ao exercito de Metz
faltavam viveres.
Interrogado sobre este ponto, se, d ex-
cepgao do encontro que tinha tido em
Bar le-Duc, nao tinha podido ter commu-
nicates com nenhum outro franeez, nem
em Versailles nem no eaminho, e se lhe n3o
tinha podido passar cartas ou jornaes, o ge-
Boyer respondeu que nSo tintra podido ter
communicagao com pessoa alguma, que nao
tinha recebido nenhuma carta ou nenhum
aviso que proviesse de franeez ; mas que
Mr. de Bismark, na sua ultima entrevista,
a 13, lhe tinha feito eutrega de seis ou oito
numeros do Monileur official e do Figaro.
Orgeneral accrescentou, que se nao lem-
brava do conteiido daquelles jornaes ; que
os entregara ao marechal d sua chegada; e
lembra-se s6mente que uelles se fazia men-
gao do adiamento das eleigdes, circumstan-
cia que lhe tinha feito conhecer Mr. de
Bismark, assim como a partida de Paris de
Mr. Gambetta para se oppor a, que ellas ti-
vessem logar.
Em resurao, segundo o general Boyer, as
condigSes impostas por Mr. de Bismark eram
as seguintes :
l.a Affirmar a fidelidade do exercito do
Rheno ao governo da regencia.
2.1 Provocar da parte do exercito uma
manifestag3o em que se testemunhasse que
estava resolvido a acompanbar a impera-
triz.
3.a Obter da imperatriz a assignatura dos
preliminares da paz.
CAP1TULO HI.
REGRESSO DO GENERAL BOYER, E CONFETRENCrA
DE 18 DE OUTUBRO.
Regresso dd general Boyer. Seu encontro
com Mr. Botnpart em Bar-le-Duc. Du-
rante a ausencia do general Boyer, o mare-
chal reunio, em data de It de outubro os
commandantes de corpos do exercito, os
chefes das armas especiaes, e o general
Changarnier ; combinaram-se naquelle con-
selho algumas medidas relativasd fistribui-
gao em commum dos recursos da cidade, e
dos corpos. 0 marechal deu algumas pres
cripg5es a este respeito d imprensa.
Na sua meraoria [ustificativa o marechal
dd conta do resultado da missdo do seu
ajudante de campo da maneira seguinte :
0 general Boyer voltou a Metz, a 17,
sempre acompanhado pelos mesmos ofliciaes
e a 18 teve lugar uma nova eonferencia, d
qual se dignou assistir o general Changar-
fnier, para ouvir a narragio da missio de
que o general Boyer tinha sido encarregado.
Deu conta das condig&es que tinha exigido
para que o exercito de Metz podesse sahir
com armas e bagagens. Estas condigdes
subordinavam-se a compromissos politicos a
tomar, segundo as vantagens que podiam
ser concedidas ao exercito do Rheno.
a ... .Mr. de Bismark exigia como ponto
de partida das negociagoes a_ entabolar, duas
condigdes de garantias provias :
1.* Uma declaragSo do exercito do
Rheno a favor da regencia.
2.1 A entrega da praga de Metz.
Segundo o general Boyer, n3o se tratou
desta segunda condigdo entre elle e Mr. de
Bismark. E' inadmissivel portanto que o
marechal commottesse um erro sobre um
ponto de semelhante gravidade.
Vimos a 26 de agosto e a 10 de outubro,
o marechal procurar em parto saber a ver-
dade dos seus conselheiros a respeito da
situagao, no momento em quo ia ouvir o
seu conselho. 0 mesmo facto ainda se vai
reproduzir outravez em 18 de outubro.
0 general Boyer vai apresentar ao conse-
lho um quadro inexacto da Franga ; ndo e"
de presumir que esse quadro lbe tenha sido
tragado por Mr. de Bismark, por isso que
este entregou ao general jornaes, que, como
se verd adiante, estavam em eontradigao
com as declaragoes feitas aos commandautes
dos corpos.
No seu depoimonto, o general Bo ver de-
clarou ndo ter tido communieagdes, durante
a sua miss3o sendo com o maire de Bar-le-
Duc, actualmente membro da assemblea
nacional, que Ihe tinha annunciado a che-
gada d provincia de Mr. de Keratry, sahindo
n'um balao de Paris.
Odepoimcnto de Mr. de Bompart langa
uma luz rauito particular a respeito da de-
clarag3o do general.
A 12 de outubro, quando vi chegar
um trem composto de uma unica carruagem
da qual descia um general franeez e dous
ofliciaes allein3es, dirigi-me para o general
para lhe offerecer os meus servigos, e para
lhe pedir noticias dos ofliciaes superiores,
meus camaradas, que estavam no exercito
de Metz, e especialmente do que se passava
em Metz. Vigiado pelos ofliciaes, n3o ob-
tive delles sendo estas palavras: Vou
para o quartel general; estamos na ultima
extremidade
Dei ordem na gare para que me preve-
nissem do regresso do general, esporando
que poderia ter informacoes exactas e im-
portantes Vieram effectivamente prevenir-
me do seu regresso. Quando cheguei, eu-
contrei-o conversando com Mr. Honzelot,
juiz em Bar-le-Duc.JjTinha sido muito reser-
vado, ndo tinha eonversado com Mr. Hon-
zelot a respeito do estado do paiz. A' mi-
nha chegada ao eaminho de ferro, tinha
Mr. Honzelot descido do wagon ; entrei sem
difliculdade.
n
q
mer
li
Ports, acabou de vestir-se, abrio a porta,
chamou, e appareceu o criado da noite
antecedente.
Quer alguma cousa, meu senhor ?
dissc o criado com presumpgao alegre.
Leio no teu rosto que a minha carta
foi entregue.
Melhor do que isso ; tenho esta outra
para lhe entregar.
E, tirando a carta da algibeira, entre-
gou-a a Pedro de Napoles que a abrio.
A carta dizia assim :
a. A sua carta interessou-rae e por isso
respondo a ella. N3o o conhego, e'nio
posso fiar-me em si ; faga com que o co-
nhega. Disseram-me que a janelladoseu
quarto e situada exactamente por cima da
do meu ; chegue a essa janella.
E's na realidade um servo intelligen
te, disse Pedro de Napoles. Que_ fizesto
para cumprir tSo depressa a commissdo de
que te encarreguei ?
Temos aqui uma rapariga chamada
Rosina que serve as senhoras que vem hos-
pedar-se n'esta casa, e que vale um the-
souro. Esta manh3, apenas amanheceu, a
tal ioven loura e formosa, pedio um copo
de leite ; eu dei a Rosins, um ducado e a
carta, com uma ligeira advertencia, e um
quarto de hora depois, Rosina entregou-me
pssa carta pela qual recebeu um outro du-
cado.
Magnificamente, disse Pedro de Ha-
poles ; nao quero nada mais, retira-te.
0 criado sah o e Pedro de Napoles che-
gou d janplla.
Estava pelo menos a dez bragas de altura
0 general Boyer disse-me que Metz seria
forgada a render-se ate ao dia 22 ; quo era
impossivel sahir, por isso que o exercito
tinha comido os seus cavallos de artilharia ;
que era necessario que se fizesse a paz a todo
custo ; que vinha do quartel-general por
ier condigdes mais uaves do que aquellas
quo so lhe tinham feito, mas que tinha sido
mallogrado na sua missao.. .que a resisten-
cia era de futuro impossivel, que o exercito
de Loire nao existia, que a anarchia reinava
em toda a Franga, e que as cidades da
Ttormauaia ici-laiiiavam guarul<,oes esuau-
geiras.
Lembro-me rauito bera que o general
me nSo intcrrogou a respeito do queeu pedia
sobre o estado da Franga. Mas o que e
eerto e que as informagoes que eu lhe podia
ter fornecido nao eram da mesraa natureza
que o quadro que ella me tragava. Entio
nao pensavamos senao na resistencia ; acre-
ditavamos ainda na necessidado da luta e na
possibilidade de veneer.
0 general Boyer tinha tido, como se ve a
boa fortuna de escapar d vigilancia incessau-
te de que era objecto, e conversava com
dous francezes habilitados para o inforraarera
do estado do paiz ; n3o ihes faz nenhuma
pergunta, e nestas circumstancias propaga
noticias, quo tinha obtido do inimigo.
A cabega deixou de olhar para cima, mas
nao se retirou da janella.
Estd so, dona Angiolina? perguntou
Pedro.
Estou, respondeu Angiolina toman-
do a voltar a cabega. Quem 6* o senhor ?
Um enviado do gran-capitdo- Pode-
rei esperar que me receba esta noite no seu
aposento ?
Sim.
A' meia noite ?
A' meia noite.
E Angiolina retirou-se da janella fechan-
do-a.
Perfeiumente, dissc, uma voz por
detraz de Pedro de Napoles.
Este voltou-se e vio Dominico Fanti, que
tinha um grande erabrulho debaixo do
brago.
Bern depressa fez conhecimento com
a sonhora Angiolina Crespi, disse Domini-
co ; dou-lhe os parabens e vejo que ficou
satisfeito com a conversagio.
Se me fosse possivel sentir outro
amor, Dominico, se essa infernal Lucrecia
me deixasse Uvre alguma porgao da alma,
essa porgSo pertenceria a essa joven.
Vamos ao que importa ; aqui tem
uma escada de seda de doze bragas ; ndo
creio que tenha tanta altura esta janella
sobre o rio. Alem d'isso trago-lhe mais
um verdadeiro trajo do fidalgo, que lhe
deve ir ds railmaravilhas, o qual paguei por
seis florins.
Muito bera, vou dar t'os.
Emquanto tiver dinheiro, irei rece-
bendo; mas, quando elle se acabar, ndo
deixe de pedir ; tenho quem me empreste
Continham info nagties preciosas soDre a
situagSa da Frawja ;' o dever do marechal
era dar dellas conhecimento ao conselho,
assim como do encontro de Bar-le Due.
Para que callou, se ndo tinha o pensamen-
to reservado de afastar todos os meios de
examinar as informagdes pessimistas pelo
general ? Este procediraento do marechal
ndo p6do explicar-se sen^o pelo facto de
ndo estarem as noticias que davam os jor-
naes do accordo com o que dizia o general
Boyer. Effectivamente, o general Conffinie-
res faz, no seu depoimento, a seguinte
declaragao a este respeito :
Tendo insistido com o marechal, em
particular, sobre o que havia de extraordi-
nario em nao ter o general Boyer trazido
nenhuma noticia, nera nenhum jornal fran-
eez, o marechal mandou-me os dous nu-
meros do jornal official de 4 e 6 de outu-
bro. As noticias que continham estavam
tSo pouco de accardo com as que trouxera
o general Boyer, que o marechal, que que-
ria primeiramente dar-ihe publicidade, deu
contra ordem *
Este incidente teve lugar a 19 de outubro.
Nessa occasiao tinha o conselho tornado as
suas resolugdes, e o general Boyer estava
em eaminho para Londres.
0 geueral Boyer apreseutou ao conselho
a situagao da Franga sob um aspecto ainda
mais trisle do quo o fez no quadro que re-
produzio o seu depoimonto.
As uarragoes historicas do alguns corpos
de tropa indicam ate que pouto foram exa-
geradas as trites noticias que se diziam tra-
zidas pelo general Boyer ; roferem que se
annunciava entSo que Renacs, Nantes e
mais algumas cidades tinhaaa, como Rouen
e o Havre, pedido guarnigoes allemaes;
que os membras do governo, era completo
desaccordo, se tinham separado e retirado
cada um para seu lado ; que a Italia rei-
vindicaria Nice, a Saboia e a Corsega; que
na Vandea e na Bretanha se suscitavam
quost5es religiosas.
Sem entrar em uma discussSo detalhada
dcerca da exactiddo das noticias dadas pelo
general Boyer, liraitarao-nos a lembrar que
a invasao allema estava longe de se exten-
der em Franga tanto como se annunciava.
Dosde 4 de setembro. s6 tres pragas, Laon,
Toul e Strasburgo, tinha succumbido ; as
avangadas do exercito inimigo ndo tinham
ainda penetrado na Normandia; em Verein
tinham havido escaramugas todos os dias.
Rouen, cuja tomada se annunciara, s6 foi
occupada a 5 de dezembro, depois do com-
bate d'Ecouis, d'Etrepagny e de Bucby; o
Havre nunca esteve em poder do inimigo.
Mais ao sul, Chateaudun ainda se n8o tinha
illustrado pela sua gloriosa resistencia. Os
allemdes, no norte, s5 chegaram a S. Quin-
tino a 21 de outubro; Araiens s6 cahio em
seu pode- a 27 de novembro.
Por toda a parte era Franca se organisava
a resistencia. 0 oeste, longe dp se querer
isolar, mandava os seus voluntarios para os
postos avangadosno Loire. C- moveis da
Bretanha combatiam era Paris ; no norte,
que sc dizia reclamar a paz a todo o custo,
formava o governo o exercito, que, coin
probftbllldados Ulversas,' to* fronto vtaraft-
go ate" ao armisticio ; emfim, os moveis de
Lv3o e do Tolouse corrtam d defeza de
Belfort.
Em presenga da eontradigao fiagrante
que existia entre os factos e as noticias re-
foridas pelo general Boyer, ndo se poderia
admittir que Mr. de Bismark as tivesse da-
do ao general. Ale"m de que a habilidade
tem os seus limites; como se poderia acre-
ditar que Mr. de Bismark se tivesse expres-
sado de semelhante modo, uma vezque en-
trega va ao general jornaes francezes, que
estavam longo de concordar com aquellas
noticias ? Somos portanto forgosamente le
vados a pensar que foram pelo menos des-
figuradas pelo general.
{Continuar-se-ha.)
\
'
I
I
^Logo 2 baixo da sua janella havia uma\sobre o dote valioso deum amvp meu que
outra janella, que estava aberta, mas sem vai casar, em nome do qual pego o di-
uins;uera.
Pedro esperou
nheiro.
Chama-so Savonarola
Pouco depois appareceu na janella uma (ta 7
ha de fornecer-nos dinheiro.
esse prestamis-
cabpga loura, sobrV a qual seagrupavami Ndo lheimporte o nome d'aquelle que
>u a ser
^^TJ^^Smosi excla-r -Guarda essa escada na minha mala,
mou Pedro de Napoles ; se eu podesse os- p6e a roupa sobre a cama. vem comigo.
quHcer-me de Lucrecia I.. Jecha aporta e guarda a chave.
4 A cabega que estava na janella, voltou-5e Domimco fez o que lhe mandavam e se-
, olhou para cima. guio Pedro de Napoles ate" d rua.
I'edro vio a deslumbrar.': formosura do Onde vamos ? perguntou elle. Se lhe
juliiia 1,^0 esta pergunt'. e porque creio que ndo
Os sous rasados oHu- -.- :i.iravam- esteve nunca cm Fbrenga.
n'o profnnda e fixa-.n [.< *' qualquer parte ; quero resp.rar 0
Fsta muito iniis forme,..:, do quo ar fresco da manhd. tf que
aaando via a ultima : nao csti- notavel era Florenga ?
fZsoTdoeaDenhadoJor Ixea idade iate.ra, responde
com o mesmo orgulho como se fosse flo-
rentino.
Primeiro que tudo, leva-me d praga
da senhoria, onde estd o palacio velho ;
quero ver de perto o sagrado recinto das
lets. Estes florentinos, como sdo todos in-
dustriaes, levantam-se muito cedo. Gosta-
ria de ver a cara de algum d'esses bons
cidaddos que governara a republica. 0 pa-
lacio da senhoria deve Rear no centra. __
Ndo, esld muito proximo d'aqui, no
extrerto d'esta rua que se chama de Santa
Maria. .
Pois vamos ate Id, Dominico; devo
almogar hoje com Affonso Crespi, com sua
filha e com a duqueza de Urbioo e ndo po-
demos dispor de muito tempo. Ndo sei
quanto durard o almogo, porem tu esperar-
me-has no meu quarto, almogando, e,
3uando eu ficar Uvre, irertos ao convento
os franciscanos fazer uma visita ao padre
JuHo Beneventano, meu antigo confessor.
Espere ; vejo desembocar por aquella
raa uma figura que conhego rauito e que &
de alguem muito chegado ao magistrado
dajustiga, Pedro Popoleschi. Veja como
elle anda depressa ; aperte o passo quando
nao escapa-nos aquella cegonha humana,
messer Ceccone, notario da senhoria de
Floreoga. Eh I messer Ceccone, tenha mao,
espere. .
0 homera parou, e vendo Dominico ca-
minhou para elle e disse :
Bons dias, Sr. Dominico, tao cedo
pela rua ? Se tivesse os deveres do meu
cargo n8o me admiraria isso. Aposto que
nao adivinha no que me vou occupar 7
Com certeza que alguem sera" o pade-
cente, respondeu Dominico.
Eu sou naturalmente brando e bene-
volo, disse messer Ceccone seguindo pola
rua de Santa Maria, para a praga da senho-
ria, entre Dominico a Pedro de Napoles,
porem o meu dever de velar pela liberdade
da republica, pelo cumprimento da leie
pela pureza dos costumes como bom cida-
ddo, obriga-me a cousas muito desagrada-
veis. Ha de acreditar que, ha ainda quem
conspire por Pedro de Mentis, e que houve
cinco ilesgragados que commetteram a im-
prudeucia de vir & Florenga para fallara um
e a outro a favor dc MeMicis, o o que e
mais ainda, fazeudo c.resontes, e dando
prendas ? Pois nao sabcm elles que a de-
lag3o estd em uso aqui, c que o engodo dos
cem florins que o conselho drs oito concede
aos cidaddos denunciators dos que conspi-
ram contra a liberdade, faz com que todos
andera d caga dos coospiradores ? E' ver-
dade que em Florenga ha muito pouco di-
nheiro, que nos deixou exhaustos a enorrae
quantia que tivemos de entregar ao rei de
Franga, mas que quer ? eu nao creio que
a pobreza seja uma desculpa para a infamia
de uma denuncia. Agora vou eu pdr a tor-
montos esses taes cinco para que fagam de-
claragdes.
Com toda a dOr da sua alma, disse
Dominico. x
Hoin 1 que diz 7 murmarou descon-
fiado o notario, olhando furtivamente para
Pedro de Napoles, que ndo conhecia.
Nao receie cousa alguma, messer Cec-
cone, este senhor, e tao amigo, comoue
como o senhor, dos Moaicis. Como sabe,
tenho servido os Borgias, e espero continuar
a servi-los sem sahir de Floreuga.
Pois que I vem a Florenga algum dos
Borgias ? perguntou messer Ceccone.
Quem sabe I A mira pozeram-me
de espia ao lado de Savonarola.
Protervo I e"elle que nos compromette,
e elle que, animado com o auxilio dos seus
miseraveis sectarios, torna difficil quese
acabe com isso que os florentinos charaam
as suas liberdades. Fallo assim porque me
acaba de dzerque este senhor e seu ami-
go e que peusa cemo n6s, tanto no que diz
respeito a Savonarola, como no que diz res-
peito ao Medicis. Es.-e sira, que era um
rnanignifico senhor 1 Declaro que me ndo
posso habituar a esta geringonga de governo.
E' certo que quando expelliram d'aqui o
grdo-duque, eu gritei com* qualquer outro
e com mais forga que tmiitos : Morra o
tyranno I abaixo o tyranno I Viva a liber-
dade I mas isso era prudente e util; pru
dente para nos livrarraos de uma boa sova
e util porqne, captando a confianga do po-
pularho, poderiamos ingerir-nos no gover-
no e servir cautelosamento o nosso amo.
Imbecis 1 sdo todos uns estupidos ; fiam-se
em qualquer, deixam se seduzir pelas appa-
rencias e entregam a sua confianga a esses
mesmos que hdo de estraogula-los I Estou
hoje de muito mdo humor, Sr. Dominico ;
calcule com que prazer terei de applicar o
tormento aos meus amigos. Pedro dc Me-
dicis nao sabo quanto me deve, e a cousa
e Seria porque scrdo decapita.los. Vieram
muito cedo e nao podomos dispor de forga
alguma contra a lorrente da muhi lao. f>en-
tro do ires dias'tera o verdugo dece^wdo
cinco cabegas illustros. Asseguro-lhes que
estou do muito mdo humor, eque sou mui-
to desgragado. Pelo que diz respeito ao
magistrado Popoleschi, ha que 'astima-lo
sinceramente. Quanto tem soffrido com os
interrogatorios anteriores, quando foi ne-
cessario pdr a tormentos os aocusados.
E quem sdo elles, messer Ceccone ?
Pois que, dar-se-ha caso que ignore c
que toda a gente sabe em Florenga T
Eu lhe digo ; a missao de que me en
carregaram os Borgias e demasiado grave
e occupa-me todo o tempo; essa missao
consiste em ganhar quanto fdr possivel, a
confianga de Jeronymo de Savonarola.
Estd no eaminho da fortuna, Sr. Do-
minico ; e necessario acabar por uma ver
com esse falsoprophela, com esse apostolo
charlatao. Oh t se alguma vez o colho na
roda dos tormentos veremos se os espiritos
vem em seu auxilio. Detesto-o, edeio-o,
abomino-o. Foi elle a causa d'estas des-
ordens era que somos todos iguaes, os estu-
pidos e os n3o estupidos ; foi elle que ma-
tou o bom tempo em que tados se desco-
briam e revercociavam os notarios do grdo-
duquo. Para que serve tanto conselho com-
posto de homens ignorantes, que nada en-
tendem dos assumptos do estado ? Excet
lento governo nos trouxe o tal apostolo I
Ndo e revoltante que por suggestdo de qu*
tro ambictosos, o populacho encha a praga
do grdo-duque, isto 6, a da senhoria, fagam
tocar d eleigdo o sino grande do Conselho,
e deitem abaixo um governo como se fOra
um castello de cartas 7 Isto convem sobre-
modo a Savonarola, porque elle pregando
e quem governa aqui e ninguem faz sendo
o que elle diz do pulpito que se faga.
Mas Savonarola jd ndo prega, disse
Dominico ; obedeceu d senhoria que, obe-
decondo d sua santidade.lhe impoz silencio.
Mudamos de bocca, mas ndo de pala-
vra ; em vez de Savonarola, prega ins--
lentemente na cathedral a mesraa doutrin
o seu discipulo Dominico de Peschia. Adi8
tamos algum terreno, poroin ndo tanto
mo era para dee: ;. Entretanto esses
co infelizes serdo decapitados e nada h
os salve.
Mas aftaalqt m sdo elles ? pf
Dominico.
Os cinco ho ^ns paaU
E'vw 'a, i sabot
&,. Gia. *V-
r
Am

MU1I1ADD

[ piifl
V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPKD4GDKP_OZYZ0D INGEST_TIME 2014-05-23T22:41:45Z PACKAGE AA00011611_20022
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES