Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20017


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*L>
ANMO XL1X. NUHERO 295

v
PABA A CAPITAL E I I <. till N 0\DE WO SE PAGA PORTE.
| Por tres mezes adianlados.............. e^oo
Por setidttos idem..................ii9WQ
Por um anno idom..........
Cada numoro avulso.......- .

.
{
249000
9320
OUARTA FEIRA 24 DE DE^mmn nr ift73
------------j---------------;------J
PABA DE STBO E FOB A D% PBOVIUCI A.
Por tres mezes adiantados. ......
Por seis ditos idem................
Por nove ditos idem.........?......
Por um anno idem......*
/v
t
69750
?355o
209250
279000
^t
DIARIO DE PEMAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA FILHOS.

m
0, Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Conceives d Pinto, no Maranh.o; Joaquim Jose" de Oliveira & Filho. no Ceara; Antonio de Leruo, Braa. no Aracaty Joao aria Julio Chares, no Assd; Antonio Marques da Suva no SaUl, Jc.
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, u Parabyba ; Antonio Jose Gooes, na Villa da Penha; Marmino do* Santos Bulcio, em Santo Antao ; Domingos Jose da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.om Goyanna; Joao Antonio Machaeo, noPilar das AlagOaa; Aires d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Riojde Janeiro.
Jvit
PABTE OFFICIAL
Govcrno da proi iucin.
KXPEDIKNTK DO DIA 6 DE ODTUBBO DE 1873.
1' tectflo.
Acto :
0 presidente da provincia, tendo ein vista o
aviso do ministerio da marinha, de lo de seteinbro
ultimo, resolve nouiear Manoel Jose" de Almeida
Soares para exercer interinamente as funcfloes de
apontador do arsenal de marinha.
Oflloios:
Ao Ezm. brigadeiro commandante das ar-
mas. Sirva-se v. Exc. de mandar p6r em li-
berdade os recrutas Guilherme Manoel dos Santos
a lose Antonio Bernardo, vi-i i serein incapazes do
servico militar, segundo o termo de inspec-.-ao que
reio annexo ao seu oflkiu de 4 do corrente, sob
. 982.
Ao mesmo. Expeca V. Exc. as suas ar-
uens, afim de que se apresente ao juiz de Uireito
.la t* vara civel desta capital uma praca moatada
para conduzir aos di versos subdelegados deste
municipio olllcios para a convoeacao da ;> ses-
sac do tribunal do jury, que tern de funeciouar a
iC do corrente.
Ao uiesrao. Em resposta ao offlcio datado
de oO de setembro ultimo, em que v*. Exc. uova-
mente reclama a eollocacao de um novo mastro
para a baudeira no forte do Buraco, em substitui-
;ao de outro que alii existia > quebrou-se, tenbo
a dizer-lne que, seguuJo inforroa o inspector do
arsenal de marinha, esse servico uffectuar-se-hia
por todo o corrente mez, e que a demora fora de-
vida a diilleuldade de poder obter-se o referido
mastro a preco rasoavel, e nao fabuloso, coufcr-
ine as proposus para esse liui ijirrrtiin
Ao mesmo. Tsauainitto a 7. Exc, para as
uas convenienles, as duas inclusas relates das
aiteracdes occorridas no mez de setembro ultimo
com o tenente do 9* batalhao de iufautaria, Fran-
cisco Ignacio Manoel de Lima, que esta servindo
interinamente o lugar de ajudaute de ordens da
presidencia da provmcia do Rio Graude do Norte.
Ao inspector do arsenal de marinha. Em
Kio Grande do Norte em offleio de 2 do corrente,
recommendo a V. S. que envie quauto antes para
al!i os dous escaieres mandados conslruir nesse
arsenal pelo ministerio da marinha, com destine a
companhia de aprendizes inarinneiros daquella
provincia.
Ao mesmo. Teodo po portacia desla da-
la, em virtude de aulorisacao conferida em aviso
do ministerio da marinha, de 23 de seteinbro ulti-
mo, nomeado Manoel Jose de Almeida Soares para
axereer interinamente as funecots de apontador
desse ar-,j.nal, com o vencimeuto de 4" esriptura
rio "da contadoria; assim o commuuico a V. S.
para seu coifhecimeulo.
Ao director do arsenal de guerra. Para
que se possa elTecluar ao mareineiro Bellarmi-
uo da Paixo o pagatneato do que toe 4 devido pe-
los concertos feitos em moveis do lazareto do Pma,
mande V. S. veriflcar |r nm empregado protis-
sioual desse arsenal si os reteriJos coucertos estao
lottos em regra, coinmuuicau lo me o resultado*
d'ssse exame.
2 secgao.
Actos :
0 presidente da provmcia, attendendo ao que
vequereu Jose Maaoel de Barros Wanderley, juiz
substitute dos feitos da fazenda, resolve conca-
der-llie 2 mezes de licenja, com vencimentos na
Urma da lei, para tratar de sua saude. .
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Jose Gomes Soares de Almeida, alferes
da V companhia do batalhftn o 36 de infaularia
do municipio do Brejo, e a vista do que informou
o commandante superioi respectivo em oilicio de
t\ do met proximo passado, resolve que seja
dada ao dilo alferes a guia Jc que trala o arligo
45 do decreto n. 1130 do 11 de marco de 18S3
para o desta capital, aondo lem lixado sua resi-
aencia.
OflScios :
Ao Dr. chefe de poiicia. Em respo^ta ao
QQcio de V. S., n. 17S6, de i do corrente, tenho a
u.zer-lhe que, cstanl> os dostacamentos nas di-
ersas lucalidades a disposicao das autoridades po-
liciaes, podem estas distraibuir a forca como achar
mais conveniente ao sei vico. Quanto a casa que
wrvia de cadeia em Agua Preta, dove ser entre-
gue a seu proprietary, send j transportados para
a de Palmares os moveis de jue trata o ofBcio do
delegado de Agua Preta, qne veio annexo por co-
pia ao de V. S.
Ao commandante superior do Recife. Fica
espacada para o dia lo do corrente ao meio dia
a reuniao da junta, que devia ter lugar hoje para
julgamente, em ultima iustancia, de varias pracas
do corpo de poiicia, das quaea trata o oflicic desta
presidencia, de 2 deste mez.
Igual ao juiz de direito da i' vara.
Ao commandante superior da Breio. Aj al-
feres Jose Gomes Soares de Almeida, da 4" compa-
nhia do batalhao n. 36 da guarda naciona! desse
municipio, sobre que informou V. S. em tea offl-
cio de 24 do mez proximo passado, mande dar
a guia de que trata o arligolo do decreto n. 1130
de 12 de marcp de 1883 para o desta capita!, onde
ha Axado a sua residencia.
Ao commandante do corpo de poiicia. = Pode
Ymc. engajar no corpo sob o seu commando o
paisano Joaquim Eduardo de tiodoy, do qaal trata
o seu offleio n. 566 ae 2 do corrente.
* *#
Acto :
0 presidente da provin:ia, attendendo ao que
requereu Manoel Ferreira Escovar, major Iiouora-
rio do exercito, e a informacao da tbesouraria de
t'azenda, do i do correote sob n 403, aerie E, re-
solve abnr, sob responsabilidade desta presidencia
o uos termos do decrelo e I de fevereira de 1862,
o credito de 403/872 a-verba terio da guerra, para oecorrer ao pagamento da
{5ratificar;ao que deixou e receber o supplicaute
oomo fiscal do deposito ye retrutas, refativa ao
t-mpo decorrido entre 1 dc julho de 1872 a to de
inaio de 1873.
Offlcios:
Ao inspector da the*ouraria de fazenda
Tomando em consideraciio o expesto no incluso
requerimento pelos empresanos da iHuminacio
publxa desta cidade, aotoriso V. S. a mandar pa-
gar aos supplicantes a quan'.ia de 1.94U30 >, cons-
tante das contas appensas a outre requerimento,
sobre que versou sua iuformacao de 23 de Janeiro
deste anno n. 832 sene B, cuja quantia e prova-
nientedogaz consumid> com a i!!umiuac.ao de
diversos estabelecimeotes militates no trirrfestra
de julho a setembro de kOBC passado, como se v*
das referidas contas.
Ao mesmo. -HerocKo a V. ? y inc!'ii por-
taria de.-ta dau par*sen : into c levida
execujiio.
Ao mesmo.Commujiioola V. S., para os Je-
ados fins, que em 17 da seicnbro proximo passa-
do deixou a adininistracao da provincia da Para-
hyba o Ex:n. Sr. Dr. Francisio Teixeira de 3a.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar pela verba
palacio da prcsideneia-a importanoia de Wt,
loostante das mclusas coutas qne reaetto.
' Aa mesmo. Deelarando-me V. S. em seu
offleio de 3 do corrente sob n. 43;i serie E, que
por felta de eredUo na nrspectiva verba nao deu
numprimento 4 orderndesla pro-idencia,que man-
lou atttorisar a collectona oa Q;yanna para ^n-
trega da quanlis J; V:% a commissio enctrre-
r (
gada de distribuir soccorros aos indigentes ataca-
dos de variola naquella cidade, em resposta tenho
a dizcr que wsa aulorisacao seja feita sob a res-
ponsabilidade da presidencia, visto assim facultar
o de :reto n. 2,884 do 1" de ferereiro de 1862.
Ao mesmo. Ministre V. S., com a urgencia
possivel, os quadros da receita e despeza, divida
activa e pa;siva desta provincia desde 1871 a 1873,
afim de que possam fi0rurar no relatorio que tem
de ser apresentado ao Exm. Sr. ministro do impe-
rio no anno proximo findo pela direcloria geral
de estatistiea.
Ao mesmo. Recommendo a V. S. que, a
vista da conta e pret juntos em duplicata, mande
pagar ao capitao Firmino I'omposo de Mello Fal-
cao os vencimentos do destacamento da guarda
nacional existente na villa do Cabo, coneernentes ao
mez de setembro ultimo, e hem assim o forneci-
mento d'agua e luz ao quartel do mesmo, confor
me solicitou o respectivo commandante superior
em oUicio de t do corrente sob n. 103.
Ao mesmo. Communico a V. S. para os
fins coovenientesque, segundo aviso do ministerio
da justica dc 24 do mez proximo passado, nesta
data se solicitou do ministerio da fazenda ordem,
aflm de ser habilitada essa thesousaria com a quan
tia de 400/000 para oecorrer as despezas com os
concertos da casa em que funeciona o tribunal da
relacao.
Ao mesmo.Tendo pjr portaria desta data,
em virtude de autorisacao conferida pelo aviso do
ministerio da marinha, de 23 de setembro ultimo,
nomeado Man>e! losi de Almeida Soares para
exercer interiaamente as funccSes de apontador
do arsenal de mari aha, com o vencimento de 4*
escriptnrario da contadoria, assim o communico a
V. S. para os Gns convenienles.
Ao inspector da thesouraria provincial. Em
resposta ao seu offleio datado de 4 do corrente sob
n. 443, cabe-me declarar que approvo a nmea-
^ao, feita pelo fiscal da collectors de Panellas, de
Salustiauo Pereira Quar-isma para servir dc es-
crivlo interino da respectiva collectoria,emquanto
durar a molestia do effectivo.
Ao mesmo.Inteirado do que expSe em seu
offleio de 4 do corrente, autoriso V. S. a marcar
ao Dr. Manoel de FigueirOa Faria, contractante da
impressao e publicagao ds tranalnos das reparU-
c8es provinciaes, um prazo rasoavel para assignar
o seu contracto sob pena de caducidade do mesmo.
4.' tec$ao.
Offlcios :
- Ao Exm. Sr. presidente da provincia do Es-
pirito Santo. -Accuso recebidosos exemplares das
leis e resolucoes da assemblea legislativa dessa
provincia que foram remettidos com o offleio de V.
Exc. de 23 de setembro dodo, que Oca assim res-
poudido.
- Ao Exm. Sr. presidente da provincia do Rio.
Grande do Norte. Expeco nesta data as conve-
nienles ordens no sentido de ser publicado aos
joroaes desla provmcia o ediul que por copia veio
annexo ao offleio de V. Exc, de 23 de setembro
ultimo, chamando concurrentes para o coutiacto
de navegaeio par taurhai a vapor para o iraospor-
te de earga e pasageiros no rio,Mosaoro, bem co-
mo para a coostrucfio de uma estrada de roda-
gem do porto da Ilha a cidade. do mesmo nome,
como solicitou V. Exc. em feu citado offleio, que
fica assim respondido.
Ao Exm. Sr. commeodador Joaquim da Cu-
nha Freire, Is vice-presidente da provincia do
Ceara. -Accuso re.eebido o seu offleio de 12 de se-
tembro findo, e fico inteirado de haver V Exc.
naquella data assumido a adminislracao dessa pro-
vincia, na qualidade de 1 vice-presidente, por ter
sido exonerado do respectivo cargo o Exm. Sr.
desembargador Franciseo de Assis Oliveira Ma-
ciel. Aproveito a occasiao para renovar a V. Exc.
os meus protestos de alia eslima e subida consi-
deracao.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
- Mande V. S. entregar ao Rvm. capuchinbo Fr.
Fidelis o saldo de dous contos de reis a que se
refere o seu offleio de 26 de setembro tindo, afim
de ser applicado no edidcio preciso na colonia
de Pimenteiras para a trausferencia do collegio dos
orphios.
Ao regedor interino do gymnasio proviucial.
Informe vrac. si o conego Joao Jose" da Costa
Ribeiro tem tido exercicio nesse estabelecimento,
na qualidade de substitute das aulas de latim, e
em que datas.
Portaria :
A' camara municipal da villa do Serinhaem.
Informe com urgencia a camara municipal da!
villa de Serinhaem si deu as precisas ordens para
ter lugar a eleicao de vtreadores e juizes de paz
do municipio de Gamelleira na terceira domioga
deste mez, como the fol deterrainado em offleio da
30 de agosto ultimo; o no caso negativo qual a ra-
zao deste procedimento. Outro sim, recommendo-
lhe que faea registrar no correio os seus offlcios,
afim de evitar que sejam recebidos com grande
demora.
5." seegfio.
Offlcios :
Ao administrador do correio. Providencie
Vine, para que o agente do correio de Seri-
nhaem registre todos os offlcios da respectiva cama-
ra municipal, dirigidos a esta presidencia, com de-
claracao das datas em que sao elles eutregues ;
determinando-lhe que cobre reeibo do offleio iu-
cluso, aflm de que se verilique o dia da sua en-
trega.
Ao gerente da companhia Ferro Carril de
Pernambuco.Tendo recebido, por meio do aviso
do ministerio da fazenda, de 6 de agosto deste an-
no, um requerimento dirigido ao governo impe-
rial, em que a directoria dessa companhia pede se
marque um priso, dentro do qual os possuidores
dos bilhetes de passagens nes respectivos carros
recolham os mesmos bilhetes, sob pena de nao
poderem ser mais recolhidos, nem terem effeito
nos ditos carros ; deelaro a Vine., em observan-
cia ao referido aviso, que essepraso se contara de
hoje ao fim de dezembro vindouro, podendo as-
sim essa companhia empregar desde ja os meios
para aquelle recolhimento.
Portaria :
Os Srs. agentes da companhia de navegacao
brasileira mandem dar passagem para a corte por
conta do ministerio da marinha, no vapor que se
espera do norte, a. dous aprendizes marioheiros,
que opportnnamenie serao mindado? apresentar
a bordo do mesmo vapor pelo inspector do arse-
nal de marinha.
KXPKWENTE DO SICRETA1UQ.
1.' secgao.
Offlcios:
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
enas S. Exc. o Sr. presidente da provincia, tendo
nesta data autorisado o|rornecimento, ao2* batalhao
de infantaria, de 30 vassouras de piassava com
chapas de ferro, consumes do pedido que veio
annexo ao seu offleio de 4 do corrente sob n. 972 ;
assim o mauda omrantttcar a V. Exc em resoos-
ta ao citado oilicio.
Ao inspector do arsenal de marinha.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia mauda desiarar
a V. S., em resposta ao seu offleio de 4 do corren-
te sob d. 736, que ficam expedidas as necessarias
ordens para serem transportados a corte no vapor
esperado do norte os dous aprendizes marinuei-
ros, de que trata o citado offleio.
3" secgao.
Ao commandante superior do Recife. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que por portaria de hoje foi raandado dar
a guia de que trata o art. 48 do decrelo 1,138 de
12 de marco de 1833 para este municipio a Jose
Gomes Soares de Almeida, alferes da 4* companhia
do batalhao a 36 do Brejo.
Ao commandante superior do Cabo. -0 Exm.
Sr. presideBtrda prorincia manda declarar a V.
S. que' a thesouraria de fazenda tem ordem para
pagar os vencimentos do destacanrmto da guards
nacional existente n'essa villa, e bem assim o tor-
neeimento do luz e agaa ao qflartel do mesmo, con
forme solicitou em seu offleio de 2 deste mez soft
a. 103..
Ao juiz dt direito da I' vara civel. 0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S. que fleam expeJidas as convenienles ordens, no
sentido de que trata o sea offleio dc 3 de cor-
rente.
5.1 secgao.
Offlei >s :
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Caxanga, -S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda accusar recebido o offleio do V.
S., de 4 do ccrrente. communicando o retardamen-
to do [rein dessa estrada de ferro, que naquaOe
dia partio do Caxanga pelas 10 X horas da m-
aha. Inteirado do que a isso dara lugar, bem co-
mo das providencUs por V. S. tomadas, espera o
meuno Exm. Sr. que nao se reproduzam factos
desla ordem.
Ao gerente interino da companhia pernam-
bucana. De ordem de S. Exc. o Sr. presidente 4 .
provincia, pode V. S. fazer seguir no dia 13 Id
corrente para os portes de seu destino os va:
dessa companhia, Pirapama e Gequia, como
citou em seu offleio de 3 do corrente.
BXPEDIE.YTE DO DIA 7 DE OUTUBIIO 0E 1873.
1' secgao.
Acto :
0 pre>idente da provincia, attendendo ao qne
requereu Antonio Ferreira de Almeida, resolve
conceder-lne licenca para ir ae presidio de Fer-
nando de Noronha no lc vapor que para alii se-
guir, levando em sua companhia, a serem entre-
gues ao paisano Jose Joaquim Alves Couiinho, os
generos constantes da relacao junta, assigoada
pelo secretario interino desta presidencia, os quaea
oaopoderao serein desembarcados sem que por
parte do commandante daquelle presidio se proce-
da a exame, afim de veriflcar-se si ha aguardenle
ou outra qualquer bebida espirituosa.
Offlcios :
Ao Exm. brwadeiro commandante das it-
mas.-Sirva-seV.Exc.de mandar por em liber-
dade o recruta Paulino Bispo dos Santos, que pro-
von isencao legal.
Ao mesmo.Tendo resolvido que o embar-
que. para a corte, do capitao do 2 regimento de
cavaliana ligeira, Jose MelChiades Bezerra da Silva
Oi'ta, fique espacado para quando o vapor Cm-
zebra do Sul, qne e esperado amanha do sul, esti-
ver aqui da torna -viagem aos portes do norte ;
assim o communico a V. Exc, era resposta ao seu
offleio desla data, sob n. 986.
Ao mesmo.Em solucao ao seu offleio de-4.
do corrente, sob n. 980, em que V. Exc. trouxe
ao meu conhecimentn as duvidas sascitadas pelos
commandante* do 2 e 9* batalhao de infantaria,
relativamente ao systema de pesos e medidas por
que deve ser feita a respectiva escriptura>.-ao, a vis-
ta do disposto no aviso circular do ministerio da
guerra, de 12 de setembro ultimo, tenho a dizer
que se devera observer o que a respeito determina
a referida circular.
Ao me tmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
por em liberdade o recruta Jose Cordeiro da Silva,
que provou isenoao legal.
Ao mesmo,Pode V. Exc. mandar p6r em
liberdade o recruta Manoel Brabo dos Santos, visto
ser incapaz do servico militar, segundo o termo
de iuspeccao annexo ao seu offleio de hontem da-
tado, sob u. 983.
Ao inspector do arseoal de marinha. -Defe-
rindo o requerimento de Josepha Maria do Espiri -
to Santo, autoriso V. S. a mandar eliminar da
companhia de aprendizes marinheiros o menor,
filho do supplicante, Miguel Pedro Soares, aflm de
ser-lhe entregue, depois que houver ella indemni-
sada a fazenda nacional da despeza feita com o
referido menor.
_ Ao director do arsenal de guerra. D6 V. S.
suas ordens para que sejam recebidos nesse arse-
nal os objeclos menciouados no iucluso termo do
incapacidade, os quaes estavam a cargo do forte do
Buraco, e foram dados em consumo por se acha-
vam inserviveis.
2' sec-goo.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de poiicia -Ficam dadas as pre
cisas ordens para serem remettidos a V. S. os tu-
bos com pus vaccinico, solicitados em seu offleio
de hontem datado; e bem assim os pedidos pela
camara municipal de Itarabe, aflm de faze-los che-
gar ae seu destino.
Ao juiz de direito do Limoeiro Deelaro a V.
S., em additamento ao meu offleio de 3 do corrente,
3ue deve proceder de acordo com o aviso n. 263
e 30 de setembro de 1859, quanto a incompati-
bili Jade de que trata o men dito offleio.
Ao juiz de direito de Cimbres. Tramraitto a
Vmc. o offleio junto por eopia, do jnig municipal
do termo do Buique, de 22 do mez proximo pas-
sado, afim de que informe sobre a fuga do crirai-
noso Horacio, de que trata o dito offleio.
Ao juiz municipal dc termo de loojuca.De-
volvo a Vrac. as petigSes de Porlirio Alves da Sil-
va e Valentim Auxer.cio Ferreira, afim de que va-
nham reunidas com as de to ios os pretendentes a
serventia dos offlcios de escrivao de orphios e
mais annexos desse termo, louo que se tenha findo
o prasodo cooeursr.
3* secciii).
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Deelaro a V. S. para seu conhecimento que, segun-
do c rasta do aviso do ministurio da marinha, de 22
de setembro preterite, sblicitou-se naquella data
ao da fazenda a expedicao das necessanas ordens,
afim deque por conta da verba ceventuaese do mu-
nicipio da corte, no corrente exercicio, seja posta
a disposicao dessa thesoori.ria a importancia de
i.20)^000 para rademnisacac de igual somrna, qne
por essa reparticao foi entreitue ao commandante
da eorveta Fifof de Gliveira para os trabalhos do
assentamento da cabo electri:o submarino.
Ao mesmo. Communico a V. S. qne por
portaria desta data foi nomeado Firmin) Jose Uo-
drigues Ferreira Junior para servir interinamente
o lugar de guarda da inspeccao da sail Je do porto,
durante o impediment de Jose Ribeiro Vascon-
mDos.
Ao mesm. Rametto a V. S. a inclusa conta
em duplicata de annuncios mandados pnblicar no
Jomil do Recife pela direoteria do arsnU da
guerra, para qua mande pagi.ra raspeotiva impor-
tancia a Juvencio Aureliaao da Cunha Cesar, na
conformidade do que solicitou o director daquelle
arsenal em nileio de hopt?m datado, sob n.
499.
Ao mesmo.Maude V. S. pagar, a vista dos
prets inclusos, os vencimentos das pracas da guar-
da nacional destacadas dura ate agosto e setembro
ultimos na cidade de Nazareth; na conformidade
do offleio do respectivo commandante superior, da-
tado de 4 do corrente.
Ao mesmo. -*'ransraitto a V. S. os inclusos
requerimentos de Manoel Thomaz de Albuquerque
Maranhao, e aa conformidad) da proposta nefflet
exarada manda V. S. lavrar o respectivo contract i
para a construccao do paiol de polvora no sitio da
Fazenda, sob a condiflo de ceaer o supplicante e
terreno adjacente, qne foi jelgado necessario pelo
engenheiro das obras miliures para isolar o paiol
do restante do referido sitio.
Ao mesmo.A' vista da conta quo remetto
inclusa,mande V. S. indemnisar o eofre da re-
particao da poiicia da quantia de 20*160, despen-
dida com a remessa de tres presos para o termo
do Triumpho, onde foram responder ao jury.
Ao mesmo. Conformando-me com a sua
iuformacao datada de hontem, sob n. 452 serie E
autoriso o a applicar o credito de 16:087*125', de
que trata a ordem do thesoaro, n. 184 de 11 de
setembro proximo fuluro, para pagamento de for-
necimentos feitos ao arsenal de guerra durante o
exercicio dc 1872-a 1873.
Ao mesmo. -Transmitto a V. S, para o fins
convenienles, a inclusa ordem do ministerio da
guerra. datada de 24 do mez proximo findo.
Ao inspector da thesouraria provincial. -En-
tregue V. S., mediante fianca, ao procurator da
irmandade de Sant'Anna da rcalriz de Gravata, Pe-
dro Paulo dos Santos, o beneficio depositado nessa
thesouraria, proveniente da segunda parte da lo
teria concedida para as obras da referida matriz.
Ao mesmo. Attendendo que requereu Jose
Goncalves Pereira Costa, administrador das obras
da capella de Nossa Senhora da Piedade de Santo
Aruaro das Salinas, mande V. S entregar-lhe o
produclo do beneficio da loteria que correu em
fevereiro deste anno em favor das obras da refe-
rida capella.
Ao mesmo. Em resposta ao sen offleio da-
tado de 3 do corrente sob n. 440, autoriso-o a mar-
car aos empregados das collectorias de rendas de
Garanhuns, Buique e Flores um prazo rasoavel,
dentro do qual deverao assumir o exercicio, sob
pena de serem exonerados
4.' secgao.
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo ao qu<
propoz o inspector da saude do porto em offleio
de 4 do corrente, resolve nomear Firmiano Jose
Rodrigues Ferreira Junior para servir interina-
mente o lugar de guarda da respectiva repar-
ticao.
Offlcios :
Ao commissario vaccinador provincial.Re-
metta Vmc. com urgencia alguns tubos de pus
vaccinico ao Dr. chefe de poiicia, com destino a
camara municipal da villa de Itambe e ao lelega-
do de poiicia do termo de Nazareth.
Ao 2* juiz de paz em exercicio da freguezia
do Limoeiro.Em resposta ao offleio de Vmc, de
20 de setembro findo, tenho a dizer-lho que com-
pete ao escrivao da subdelegacia, queaccumula o
ae juiz de paz, funecionar na eleicao de vereado-
re* ejuiz, de paz que tem de proceder-se nessa
freguezia, e nao ao escrivio a que so refere, cuja
nomeacao ficou sem effeito, como resolveu esta
presidencia em offleio de I de agosto Jultimo.
Ao pro presidenle da camara municipal de
Itambe. -Nesta data foram dadas as precisas or-
dens para, por iutermedio do Dr. chefe de poiicia,
serora remettidos a Vmc. os tubos de pus vaccini-
co, solicitados em seu offleio de 29 do mez findo,
que assim fica respondido.
A' lllma. camara municipal do Recife Para
ser concedida a autorisacao sulicitada pela lllma.
camari municipal do Raeife, de 1 du corrente, se
faz mister que ella informe qual o preco da ava-
liaclo dos impostos de qu: tnta o mesmo offleio,
qual o da arrematacao que flndon, e outro sim si
o arreinatante apresentou fiador idoneo.
A' camara municipal da villa do Cabo.De-
clare a camara municipal da villa do Cabo, em res-
posta ao offlei) de 27 de selembro findo, que, ap
provando a arrematacao dos impostos de que trata
o mesmo offleio, concede a autorisaca) nolle soli
citaia para ser cobrado por administraQao o im-
posto sobre mascate* e boceteira<, para, o qual
na-i appareceram licitantes.
A' camara municipal da villa de Agua-Preta
-Deelaro a camara municipal de Agua-Preta, em
reiposta ao offleio de 26 de setembro ultimo, que
concedo approvacio a arreuatac/io dos impostos
de que trata o seu alludido offleio.
EXPEDIENTE DO SECHET.VHIO.
/.' secgao.
Offlcioa:
Ao brigadeiro commandante das armas.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. Exc. que Beam expedidas as necessarias
ordens para serem recolhidos ao arsenal de guer-
ra os objectes que estavam a cargo do forte do
Buraco, e foram dados em consumo, segundo o ter
mj de incipacidade, annexo ao seu offleio de hon-
tem datado, sob n. 984.
Ao inspector do arsenal de marinha. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, tendo providen-
eiado sobre o regresso, p.ira a Parabyba, dos dous
aprendizes marinheiros qne dalli vieram para esta
provincia, afim de apren Jerem os toques de pifaro e
tamhor; assim o manda communicar a V. S., em
resposta ao sen offleio de 4 do corrente, sob n.
733.
2.* secgao.
Offlcios:
Ao Dr. chefe do poiicia. De ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, communico a
V. S. que, segendo solicitou em seu offleio de hon-
tem datado, sob n. 1,728, foram expedidas as con-
venienles ordens a thesouraria de fazenda, no sen-
tido de ser indemnisado o cofre da reparticao da
poiicia da quantia despendida com a remessa de
tres presos, qne seguiram para o termo do Trium-
pho, afim de responderem ao jury.
Ao commandante superior ae Nazareth. S.
Exc. e Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. qne nesla data expedio as necessarias
ordens a thesouraria de fazenda, no sentil* de se-
rem pagos os prets de qne trata o seu offleio de 4
do corrente.
Ao bacharel Joao Francisco da Silva Braga.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda ac-
cusar o recebimento do offleio de V. s., de 29 do
do mez proximo passado, e declarar-lhe que ficam
abonadas as faltas que d*u, por motivo ae moles-
tia, no respectivo exercicio do crgo de juiz de di-
reito da eomarca de Itambe, a 23 e 26 do dito
mez.
Ao juiz mnnieipal do Rio Formoso.0 Exra.
Sr. presidente da provincia manda accusar rece
bldo o offleio de V. S., datad) de 25 de setembro
proximo findo, no qual communica que nomeou
o adjunto do promoter publico dessa eomarca, te-
nente Manoel Francisco Pereira, para assistir ao
acto de encerramento da matricula dos escravos,
visto como aquelle promoter la servir no jury de
Serinhaem em tempo ineompativel com o dia do
referido encerramento.
4" secgao.
Offleio :
Ao iospector da saude pnblica. S. Exc. o
Sr. presidente da-provincia manda communicar a
V. S. quo por acto desta data nomeou Firmiano
Jose Rodrigues Ferreira Junior, a que se refere o
seu offleio de 4 do corrente, para servir interina
mente o lugar de guarda dessa reparticao duran-
te o irnpedimento de Jose Ribeiro Vasconcellos.
Joao da Silva Borges Tavares. Informe o Sr.
engenheiro fiscal da estrada de ferro do Recife a
Caxanga.
Joao Ferreira de Ai aujo. Informe o Sr. briga-
deiro commandante das armas.
Joaquim Pereira de Souza.-Informe o Sr. briga-
deiro commandante das armas.
Joaquim Pedro da Rocha Pereira. Deferido
com ofBcio desta data a thesouraria de fazenda.
Jose Augusto de Araujo. Deferido com offleio
desta data a thesouraria provincial.
Pedro Francisco de Albuquerque.Ficam expe-
didas as necessarias ordens no sentido do cine re-
quer.
Paula It Mafra.Informe o Sr. Dr. chefe de po
licia.
Vicente Ferreira de Barros Wanderlev e Arau-
jo. -Indeferido.
despacho? da presidencia do dia 22 de dezembro
or 1873.
Augusto Cesar Cousseiro de Hattos. -Passe por-
taria concedendo a licenca pedida.
Amalia Navarro da Fonceca. A peticao da
supplicante 6 nesta data encaminhada ao governo
imperial, e quanto a guia a que se refere, em tem-
po upportnno sera attendida.
Beltrao, Oliveira & CInforme o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Joao Tihurcio Nunes Soares Falcao. Informe o
Sr. Dr. chefe de poiicia.
Coinuigndo das armas.
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAMBUCO, EM 23 DE DEZEMBRO DE
1873.
Ordem do dia n. 782.
0 brigadeiro commandante das armas faz sci-
ente a guarnicao para os fins convententes, que
hontem foi dejligado do 2" batalhao de infaularia
o Sr alferes Jose Elisiario dos Santos, que por
decreto de26 de novembro ultimo, de conformi-
dade com o art. 6 da lei n. 1,143 de It de se-
tembro de 1861, foi transferido para o corpo de
estado-maior de 2* classe ; e qua nesta data 6
desligado do 9J batalhao de infantaria o Sr. te-
nente Florisbello Jose Ferreira da Fonceca, que
por portaria do ministerio da guerra de 17 de
novembro proximo passado, obteve tran-ferancia
para o 16*: e finalmeute que hontem se apre-
sentou neste quartel general, vindo da provincia
da Bahia, no vapor Cruzeiro do Sul, o Sr. tenente
Francisco Ignacio de Meirelles, transferido por
portaria ae igu;l data (17 de novembro) do 16*
para o 9'batalhao, todos da mesma arma.
0 mesmo brigadeiro faz publicar abaixo, para
conhecimento dos interessados, o offleio que na
data de 22 deste mez lhe foi dirigido pela presi-
dencia desta pravincia.
Offleio :
Palacio da presidencia de Pernambuco, em 22
de dezembro de 1873. -Seccao I.*Dim. e Exm
Sr.Em aviso circular de 13 do corrente, o Exm.
Sr. ministro da guerra, referindo-se a representa-
cao feila pelo do imperio. recommenda a fiel
execucao nas escolas e offlcinas subordinadas
aquelle ministerio, do art. 35 do regulamento de
17 de agosto de 1846, em virtude do qual ninguem
pole ser admittido em qual quer estabelecimento
official ou litterario, publico ou particular, sem
que mostr previamente que teve vaccina regular
ou bexigas naturaes, ou que foi vaccinado infruc-
tiferamenle pelo menos tres vezes, nem continuar
nos ditos estabelecimentos se tres annos depots
da primeira vaccinacao nao tiver feito nova ten-
tativa seguida de feliz exit"
0 que deelaro a V. Exc. para seu conujciraento
e devlda execncSo na paitw que lhe toee.
Bens gaarde a V. Exc. -Henrique Pereira de
Luc ma. A' S. Exc. o Sr. brigadeiro commandante
das armas.
(Assignado.) Manoel da Cunha Wanderley
tins.
Conforme. 0 major, Jose B. dos Santos Sier-
juihao, ajudante de ordens encarregado do de-
talhe.
Itciiir(iciti> da pollola.
f *ecgao. iecretaria da poiicia de Pernambuco,
23 de de'.emoro de 1873.
X 2075.film. eExm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hoate n recolhidos a casa de deteacao
os indivlduos segnintes :
A' minha ordem, Ftliciana, escrava de Luiz
Ignacio Nunes de Oiiveira, a requerimento deste.
A' ordem do sublelegtdo do Rtcife, Benedicto,
escravo de Gustavo S. F. de MenJonca, a requeri
raento deste.
A' ordem do de Santo Antonio, Joao, escravo dc
Antonio Peregrino Cavalcante de Albuquerque Ju-
nior, a requerimento deste; e Hyppolito, escravo
de Bernardo Jose de C. Monleiro, por andar fugido.
0 subdelejado da freguezia da Boa Vista, por
offleio datado de 21 do cirrente, communicou-ma
que na madrugada desse dia, us ladroes peaetra-
ram na casa da rui daSaudade n. 6, daquella fre-
guezia, onde reside o Dr. Cicero OJon Peregrino
da Silva, e d'ahi subtrahiram varios objectes de
valor, bem como roupa do nso da familia do refe-
rido douter i que procedeu a compeiente visteria
e conlinda nas demais diligencias aflm de desco-
bnr os autoies de semalhante attentado, para con-
tra os mesmos proceder nos termos da lei.
Deus gaarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi
mo presidente da provincia. 0 chefe de poiicia,
Antonio Francisco Corrtia de Araujo.
que a curia distancia acudiram aos gritos de
soccorro -resultando de tudo isso matarem a tiro
de pistola nm criado do referido proprietario, e
deixarem gravemente ferido um escravo.
No dia 21 do novembro foi assassinado ne>
sitio Quebrada, do municipio do Lagarto, Manoel
Pedro Pereira, com um tiro de espmgards, veri-
ficando se ter sido o crime praticado pelo escravo
Albano, do major Jose Ribeiro de Souza, o inesm
que ha poucos dias disparara um tiro de que fica-
rara mortalmente feridos Jose Vital dos Santos e
sua mulber, na villa do Riachao.
DIARIO DEPEKNAJtfKUlX)
RECIFE, 24 DE DEZEMBRO DE 1873-
Hertieias de Sergipe.
Amanheceu hontem em nosso porto, o vapor
brasileiro Penedo, trazendo datas do Araeaja ate
6 do corrente.
Foi nomeado promoter publico da eomarca
de Propria, o bacharel Manoel Ventura Leite de
Sampaia.
Falleceu, em Itabaiana, o bacharel Jose da
Motta Nunes, distincte advogado e membro do
partido liberal.
Lemos no Jortwl do Aracaju :
< Na noite de 13 de novembro^ foram mortal
mente feridas no termo do Riachao, Jose Vital dos
Santos e sua muiher, em consequencia de um ti-
ro qne Ihes foi disparado, por occasiao em que se
achavam em trabalho em sua casa de fazer fari-
aha, naquella villa. Averiguado o facto pelo
subdelegad1, verificou-se ter sido praticado por
Ahano, escravo do major Jose Ribeiro de Souza,
o qual achando se fugido nos mattes da mesma
villa com alguns parceiros, consta que projecla
assassinar o referido Jose Vital, e mais '4 pessoas
quo elle ere serem incumbidas de captura-lo. 0
sublelegado procedeu ao corpo de dchcte e temou
tedas as providencias recommendadas por lei para
a punicao do criminoso a
No dia II de novembro, foi encontrada nos
cannaviaes do engenho Carrao, termo da Capella,
uma ossada, que pelo corpo de delicto a que im-
mediatamente procedeu o delegado, reconheceu-se
ser de um homera maior de 50 annos, denotando
mais pelos cabellos e pela roupa que o cobria ter
sido de algum escravo fugido. Dirigindo-se o
mesmo delegado ao proprietario do dito engenho,
Jose Guilherme Vieira, e proeedendo a nm auto de
perguntas, neahuin esclarecimente cjlheu a res-
peito de semelhante facto, cuja origem nao pdde
ser descoberta. 0 corpo de delicto e o aoto refe-
rido foram remettidos ao Dr. joiz municipal do
termo. i
t No termo de Divina Pastera, no dia 22 de no-
vembro, ao entrarem no paste do engenho Sapc,
propriedade do tenente coronel Jose* Sotero Barra-
to, tres homens que voltivam de Maroim com car-
gas de camesecca e sabao, nSipodendopassar de
p romp to, por Bear a estrada entre duas ribaneei-
ras, e alii se a iliar um carro que tambem procu-
rava passar, ospancaram os bois e entraram em
altercates com o carreiro e escravos da fazenda,
Noticias da Europa. *
Chegou hontem pela manha, do Havre por Lis-
boa, o vapor francez Ville dos Santos, trazendo
jornaes de Lisboa da dia 6 to corrente, adiantan-
do nm dia as noticias que recebemos pelo Arau-
cania.
0 banco de Londres reduzio a 5 0|0 o des-
conte.
Falleceu em Lisbiia, o general Joaquim Nar-
cizo da Silva Pereira, irmao do conde das Anus.
Eis os ultimos telegrammas :
a Londres, 5. 0 manifesto dos principaes vo-
luntarios cubanos aconselha a autoridade e eon-
fianea em Jovellar. a
< Havana, 4.Jovellar telegraphou para Madrid,
3ue e impossivel restituir o Virginias, em presenca
o espirite da populacao. As tentativas, que para
siso se fizeram, suscitarara uma commocao terri-
vel. Jovellar pedio sua demissao.
< Versailles, 2 -Na assemblea nacional foi elei-
ta a commissau encarregada de dar o seu paracer
sobre o project) de let municipal, ficando eleites
nove mombros favoraveis ao projecte, seis hos-
tis. Contimia a eleicao dos membri-s da conimis-
sito das leis constitneionaes, ficando eleitos dous
membros da outra.
Paris, 2.Considoram se provaveis as nomea-
coes do Sr. Bartholdi para ministro da Franca em
Washington, e do conde larnac para em^aixador
de Franca em Londres.
Roma, 3. u papa, ligeirainente indisposto,
nao pode sahir hontem do seu quarto. A junta,
encarregada da liquidacao dos bens do clero,
contimia a tomar conta dos conventos.
Paris, 3. 0 Sr. Carrasco, de Madrid, cbefa
dos missionaries protestaules em {lespanna, o quai
regressava de New-York, onde tinha ido na qnli-
dade de rr presentante da allianca evangelica, pe-
receu victima da catastrophe do vapor transatlan-
tico Ville du Havre.
< Madrid, o.Corre o boate de que o vapor in-
surgente Durro, aproveitando a ausencia daes-
quadra, desembarcon gente no cabo Pates e to-
mou 50 cabecas de gado. A commissao perma-
nente d'asemblea decidio qne existia faculdade
de declarar vagas as cadeiras de depulados qne
aceitaram fuoccdes incompativeis. Decidio que
se publiipie na Gnzeta, dez dias consecutivos, que
as cadeiras etae vagas, e qne se convoquem de-
p*>is os eleiteres, o que fixaria as eleicoes para 8
de Janeiro.
A Correspor.dencia julga exageradas as noticias
relativas a dissideneias entre Castellar eSalmeron .
Lembra que Castellar cumprio o programma im-
posto pelas cortes, no quai se restabelece a disci-
plina, appliea rigorosamenle a ordenanca militar,
reorganisa a arlilharia, chama as reservas e im-
pede nwas desordens. Acc^escenta que Castellar
julga necessario, para consolidar a republics, res-
tabelecer a ordem, e garantir a liberdade, a adop-
clo de outras medidas que liguem todos os par-
lidos que lizerara a revoluclo de setembro. Ac-
crescenta tambem que, quando as cortes recome-
Sarem as suas sessdet, Castellar Ihes propora ver-
almente medidis que cansidera indispensaveis e
as apoiara com a sua franqueza costumada.
A Correspondtnci'i desmente o boato de que o
governo esteja disposto a suspender o bombardea-
mento de Carhgen^. As-egura, pelo contrario,
que esta disposto a manda- lodos os reforcos que
forem necessarios.
Desmente-se o boato da demissao de Martanes,
Ceballos e Sole'. Corre o boato de que no caso
de crise em 2 de Janeiro, a esquerda combatera
a candidatura de Salmeroa, e apoiara a de Pi y
Margall, para substituir Castellar.
- Acerca da republica du S. Damiugos, lemos
no Jorn-il do Commercio :
< A republica de S. Domingos continua sendo
o theatro dos norrores d'uraa guerra civil eliro-
nica. 0 general Manzueta ia ser fnzilado.
Tambem estava preso, para ser julgado por con
selho de guerra, o Sr. Espallar, pai do general
deste nome, pessoa de influencia na provincia de
Cibao. Em Santiago tinha sido fuzilado pelo go-
verno o general Frederico Garcia, por ter passado
para os sublevados com homens e armas.
< Por tedas as provincias da republica seespa-
lhava a revolucao ao grito de abaixo o commer-
cio de Samaua I abaixo Baez I e suppnnha-se
inevitavel a proxima queda do presidenle.
a 0 movimento commercial nao decabia, apezar
da revolucao em que estava a republica. 0 pre-
sidente Baez tin"a expedido am decreto declaran-
do em estado de sitio a republica dominicana, e
ordenando a nomeacao de conselhos de guerra.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Santa Casa de Misericordia. S. Exc.
o Sr. commi-ndador presidente da provincia, atten-
dendo a que ainda conlinda a ser grande o nn-
mero de doentes affectados de variolas, que bus-
care o hospital Pedro II para ahi serem medicados.
acaba de dar mais a quantia de 3:000x000, pelos
cofres geraes, para ser applicada a esse fim.
Vapor Penedo.Deve sahir para a Bahia,
pelas esealas, no dia 26 do corrente.
Dlarlo de Pernambuco. Se ehegar
hoje o vapor inglez Luzitania, da linha do Pacifi-
co, procedente da Europa, disiribuireraos amanha
nosso numero de exla feira.
ViaTerrea do Recife ao S. Francis-
co. -Do Sr. Dr. Joao Martins da Silva Couiinho.
digao engenheiro contratador dos estudos do pro
lougaraento da via-forrea do Recife ao S. Francis-
co, recebemos a seguinte communicacao era data
de 21 do corrente, escripta de Maceio:
t Sr. redactor. -Tenho o prazer de comnMtni-
car-lhe que conclnimos no dia 15 de novembro pas-
sado os estudos para o prolongamento da estrada
de ferro do Recite a S. Francisco, ate Varzea Re-
donda.
c Ultimamente resolveu o governo impenal que
a villa da Boa Vista fosse considerada ponto ter
rainal da estrada, e por isso tem de continnar o
trabalho por mais altrum tempo, ou ale fins de fe-
vereiro.
E' justamente em Boa-Vista onde comeca a-
navegacao regular do S. Francisco, e assim nio
havera solncao de continuidade na extenca linha
do Recife a capital do imperio, seguindo-se as
aguas do rio e a estrada de D. Pedro II
Encontraraos o melhor acolhimento era toda
regilo que atravassamos, e nesta occasiao eu e
meus collegas folgaraos em testeraunhar nosso
agradecimento as pessoas qu9 tante nos obseqoia-
ram, prestando-nos in'ormacOes valiosas e serrleos
pessoaes.
c De Una ao extreme de planalto da Garanhuns,
distancia de s00 kilometros, lutamos com grandes-
difflculdades para obter um tracado regular; do
ii j
I nwnmM i


*
X
?X
-J-"
id
it
thfib de Pemambuco
pSansU^Bw-Vi^u.ii.rom, tii.lh < ^nw, a ex- hfin iitcMsVdfc M%*ciffo>-4ej{'ttMirMa.
QuarJta feira 24 de Dezembro de lSftk
- ..... -,' .. ____L
, i
-=
- c
V
cepcao ilti t'nrli lr.nva.-ia da sdrra do B\ii, on I* a
lin a de 500 ifietr'. (
rruflji.> Ja villa do Garanhum a linha pas^a
a 89i roetrba- n'mro o'nivef do mar, e ifa serrado
Giganlo a 050 metres. A nossa eslrada e, pois, a
quo aleanca niaiores altaras no Ura>il. A de D.
Pedro II na traveasia da Mantiqttelra, e a de S.
Paulo na serra de Cufmtao arevaria-ae a pouco
mais de 80() metras.
l"iii exiraordiiiario o ethusia.-mo que disper-
tou a noticta da proxiroa em-lmcoU da ostrada,
na populac.ao do sertao, E, com razio, porque a
locomoliva Ihes levara cow a industria, a segu-
rancade vida a pfoprhriftfc.a mstruccao o an
queza.
Tod ainliN^nam que a linha passe por pin
to de sum casas, offerecendo o que podom dis-
por para a roalisacao dn melhoramcnt o!
a Entrctanio, em provincial, quese dizemadian-
tadas, moilos proprietaries oppozeram-s<) que as
linhas ferreas passassem par suas terras 1
a Son torn a mais consider;.cAo de Vine., ami-
go obrigado. S. Conlirilwn
Diuhciro. -0 vapor Cruzeiro de Sul levou
de nossa praca para :
Parahyba 25:000*010
Natal 5:0004000
Para 8:000*000
Trillins Irhaaiw de Ca\anga-Nos
dias 24 e 2'i do corrcuie o service de transports
de passageiros nesta empreza sera assim feilo :
Linha principal. Do Recifo a Caxanga-ll c
42 da-tioite de K. t, 2, 3, 4 e 40 da manna e II
e 12 da noite de 25; do Caxanga ao Iteeife.l'i e
3* da nolle do 2'*, 42 e 35, 4 e33, 3 e 35, 4 e 35,
e 10 p 35 da inanlii de 23.
Linha do Arraial. -J)j Recife ao Monteiro -2
e 5 minnto*, S e 5, e 4 e 5 da nianlia e 11 e 3 da'
noite de 24 ; do Monteiro ao Recife II da noite
de 2i. I e 3 horas da manha e 12 da noite de IS.
NIa*# tMVibado.Com agua aberta arri
boil ante himtem ao nosso port.' o patacho iuglez
Industry, qne se destinava as ilhas Barbadas, coin
carregamcniode azeite de peixe.
Cumpaithia fcrru carril de Por-
naaihicn Durante as noites de 2* e 2" do
correute os carros dosla eompanhia traballwriio
extraordiiiariaiuonte.
irrrmalaeao proviiirial. Perante a
junla Ha IIm Miuraria provincial vai a piaoa. n.i
dia .'I i (11 c .irrenle, pelo tempo de mn anao o
costeio na, oiv.a lo em 280 is. cada lampeao.
Cnrrcecao nceessaria.Na noticia quo
demos sub.a epigraph? Atlentadu, em nossa Re
vista de houiom, onde se le G"ininianu Jose Tava-
res. deve for se Genoino Jnt'Tavares.
Kossa .Senhora do Terco. No dia 1."
de Janeiro proximo vindouro tera lugar a soleni
nidadta An beajfto da igreja de Nossa Senliora do
Xareo, qu.. lennin iu suas obras de rcodirica;jo.
S. Exc. Rvma. olllciara no acto, que csla deter-
rninado p;.ra a* i horas d* tarde de-se dia.
A uste acto seguir se-ha o da beaQ&o da< igma
gons desta igreja ni da matriz de S. Jute oule se
acham ; dewala eir-ctuar sc no dia 4, prucissi.i
nalmentc a traslada praprio templo.
Em II la iihem de Janeiro dar se-ha com tiJa a
poiupa a festa de Nossa Sen bora do Ter<;o
Hi .s:i do Vital, llav.-ra t.mbeui a meia
noite de hoju, canlada, na igreja da Madru dt Deus,
e resada na rapella do povoado de Apipucos.
Jaboatao- 0 prop.-ietario da ImUa de om-
nibus resiilveu expedir um depots da niissa de fep-
ta para aqtitiH* villa, largando do Afugados as i
4ioras da madrugada.
Via fi-irca da Recife a tflintla e
E!p!>erile. Na n->ite de hoie para amanha
.-:11';ii ilo< ireus ordinwi is, haverao outros de bora
ij3i tuna.
K warn;'. -No dia !8 do rorrcnte houve exa
mo na anla pnbKea da povoacao de Hurthe>a, re
k'i-la pcl.1 [irifes-i'ra D Miria Leopoldfna M.'u'ha-
di>. firom ex.iminada^ as abjmnas Firmina Perrifa
l Lyra c Jiis-.-pba Maria da PaixSo, Mhindo a
iMimetra apprrivada com distinccio e a scgnnja
IMtfn.viicnte ; pre-idio n acto o delepado Mlleraria
jcaente ciMii-l i >>i\ Thomaz Pires M uliad i Por
i ilia : f.i eg .nrnal'T n prnTenor de Venda Gran-
de, Manoel IVreira da Silva.
Ii-sastres niai'itimas. Leinos in. Jnr-
h 'I ih i': ..i rtercio de Ljsfloa :
(i p i.y.\ !. do Pai'ifieo lllint'in', chegado dos
p-.i'ti..- d>i I'.iasil i'onditzi i a sou bordo a fripola*au
d.i vajwr it: :lcz I'l-imsUed, qno no dia 2V de no-
vcml'io f..i io fundo, em cohsequencia do umcho-
que i| ic s..lficu, achando so na lat. N. 2-*i* .'l'i' e
ton;.', it 20* H\', com a fragata ingteza Rellerophon ;
salvanlo- passavir is e bagagons. O' Flamsleed bavia sa-
feido div-te (orlo em 19 de nnvembro, cmn carga
de vinlm e outro* generos para a Babia, Rio de
Janoiro e Santos. Pertencia a eompanhia Lam-
port, do Liverj)ol.
T.imhem foi'a pique, acliandose na long. N. 1">"
40' e lal. 37' 20", o britfue pijrluguez Vntao, sendo
a tripolaeju salva peio brigue inglez Belle, quo. fot
hrfa-ta na ilha de S Miguel, e depots seguiram
para Lisboa no vapor Insulano, chegado hontem
10 de o'ltiibm, com carrogamento de assucar, al-
golao etc., para o Porto
Lnteria -A quo se acha a venda e a 81' a
lienoficio da Santa Casa de Mi encordia do Reci
-e, a qu.il corre no iia 30.
Csa de dcteav*o.Movimento do dii
VI de dezembro de 4873:
Sxistiam presos, 310, entraram 6, sahirain 3,
exislom 319.
A saber :
Nai'ion.'ioj 2L8, mulheres 11, estraDgfeir*'? 21
evrav..; '*!, escravas 7.Total 319^
Alinieutados a cnsla dos cofres publicos 2o3.
Movimeuli da enfermaria do dia 22 d> dezem-
bro de 1873.
Tev- baixa :
Manoel Bmtm de Luna, cephalogia
Teve alta:
Jose Vii'toriodeOarrns.
lassu^riros. -Ciiegados da Bahia e porlas
mtorniodij? no vapor nacional Pencdo :
Pe-.lro Soar-ets de Airmnm, lioraciu Dias Riheiro
Nelson, D. Maria Henedieta, t escrava com 3 crias,
Niedcfi da Silva pes, sua senbura e I sscrava, Luiz Campos com
ma fainiiia, Justiao Florenlino da Aguiar.
denes, da mesma consliluicao, pertencc cerumen-
D Meroz Carnciro h C, submellenlo a rotistro to ai pirtitW r.onscrvndor caminliar na diameira,
o.soiii'i.iliuoiito pratico.
.a ur":ineaj;ao Jnn'n do seu,s caixriro*.-Prooedn se
a-i regiMro pe'iJo.
Ue Vlanoyf Cofreia' de 'Me1v>, tmpelranlio qne
se regisire anomeacio de caweire a YiiomnVDu-
mingucs Tavares. -Como pede.
De Brito & Saldanha, para que se registre anj-
moAcao de Miguel Ferrcira de *eHa. Conn re-
qnerem.
; Sa LeitAo 4 Olivein, satisfazendo o despaebo
ia tnbanal do 13 do eorreoU:, para tor lugar o
registro da nomeacSo d* sen caixeiro. Faoa-se o
registro pedido.
De AMouio Maniz Machado, para proceder se
ao registre das noroeaoocs que oBerece. Sejam
regi^tradas as nomeaooes jnntas.
De Leodegario Liberalo Pereira Caldas, pedindo
qne seia regis'.rada a nomeacao annexa. Sim.
D^ Gracihano Octavio da Cruz Monteiro, regis-
tro da numeavao.de Joao IMefome l'eroira Raioos.
-Como rei|uer.
De Henry R*ner, offerecendo o registro a ineln-
sj uomea^ao de seus caixeiros. -Deferido.
De Pinto da Silva A Cascao, para ordenar se o
registro da nomeaoao que juntain.Na forma re-
querida.
De Polycarpo Jose La\me, para inscrever-se
como sea caixeiro Cincleto Americo dos Santos.
Come pede,
De Moturino Barroso de Mello, impetrando quo
se registre a nomeacao amtexa. -Registro-se.
De Antonio da Silva \zevedo, trazendo a regis-
tro a nomeacao de seus caixeiros. Na forma rc-
I net Ida.
De Antonio Gongatves da Silva, sujeiundo a re-
gistro a nomeacao inclu-a do seus dous caixeiros.
Paoa-sc o registro solieitado.
De Antonio Horeira Reis, registro da nomeajao
de Manoel Moreira R.*. I'roceda-se ao registro
pedido.
De Jose Caelano de Medeiros, uomesiao sentido,
sendo os caixeiros nomeados Antonio Cordciro de
Medeiros a Mauoel Cordeiro de Medeiros. Regis
tre-se.
De Jose de Almeida & C, tam'iem registro da
nomeacao que deram a Ben to do R?go Barros
Temporal.-Faca se o registro pedido.
Do bario de Campo Verde, no roosmo tentido,
referiado so a nomeacao a Ignacio Pmto dos San
tosScares e Othon Xavier de olivcira.Sim.
Da Joaqaiiu Pereira Araotes, suboiettendo a re-
gistro a nomeacao de seus caixeiros.Na forma
peilida.
De IJbauioL'-pes Moreira, registro da nmeacao
de Adeline Jose Pupi>c -Defondo.
De Francisco Ribeiro Pinto Guimaraes, registro
da nomeacao que aprescnU de sens caixeiros.
Como ped'\
De Jose Djiniugues dj Carmo e Silva, regKtro
danomeaoao de Manoel Silvioo da Silva.-ElTac-
luo-so o registro podldo.
De Rodulpbo Francisco Neves, registro da no-
meacio de Manoel Jose Pereira C-iMas.-Na forma
requerida.
Do Joaquim Ferreira da Cista, registro do docu-
meata anuexo -Sim.
Do Ferreira Jui.ior A Rodrigites, registro do do-
cumouto junto. Como req'ieiein.
Do .lo:io Francisco Ferreira Junior, registro do
iuclu-o documento. Proceda se ao registro pe
dido.
De Antonio da Silva Junioi, r-'gisUw do docu-
mento que apr-senta. Registrese.
De Cbaves & Vianna, registro da nomcaoJo de
Alfredo Pires Vianna -Com) pedein.
De Antonio Rodrigites de Sou*a, com 33 annos,
casado, natural e moiador nesu cidade, estabele-
cido a rua Duque de Caxias, com loja de ferragens,
peilindo laatrica'a de commerciantc. Vista ao
Sr. deseniDargador fiscal.
Be Candido Ca-imiro Guedes Alcuforado. cida-
dao brasileiro, pedindo ser providb no offloio de
corretor one se acha vago. Vista ao Sr. desem-
bargadur fi lnformaC3 i da seoretaria, cobrin lo a petivii)em
que Barth"lom''ii l.ourenc.o pede baixa no registro
da conla do hiafe Nossa Senhoru Jos Naceffantes,
-Cuno requor, aao obstanie o que so expende na
iufiuinaoao.
Idem do dita, a respeito do quo Hie foi determi
nado na dita da sessao de 11, sobre os nfcgofllanlqs
fallidis. Inteirado o tribunal, re^olveu qne seja
arohivada eeta inf innacJo.
Idem la in '.--na.sobre'a malricula do pataclio Or-
tnezhnl'i O tribunal resolvou que seofflcie a ea-
pilania do port i no sentid > da primeira pane da
iiifrinaca> da secnlaria, agrad>'cendo-so ao Sr.
capitao do porlo a boa vontade que mostrou, e
que se ufflcie igualmente a conservatoria da Para
byba, segunlo o que se acba indicado na ultima
parte da referida intormaoao
COM O P.\BCCBR FISCAL.
Petii.oes :
De Mantnd Jose da Camara e Manoel Francisco
Bastos, registro do sen contrato. Seja registra-
do o contrato junto, na forma do decreto n. 4,394.
Da Manoel Luiz da Silva e Joaquim Ribeiro da
Silva, registro do seu contrato.Seja regislrado
o contrato junto, na forma do decreto n. 4,384.
Procedeu-se no dia 11 a nomeacao da junta dos
corretores, tendo sido nomeados, presidante o cor-
retor Pedro Jose Pinto, secretario o correlor Ber-
nardino de Vasconcellos, e thesoureiro o corretor
Anlonio Leonardo Rodrigues.
Ao meio dia, pad liavendo mais nada a despv
char, S. Exc. o Sr. conselheito prosidenle encer-
rou a sessao.
PARTE POLITICA
'

(
1HKDNHA JUiinAK!*.
Tril>unal do coiuiuercio.
ACTA DA SESSAO DE 18 Dfe DEZEMDRO DE
1873.
rassiDBKcu do fan. so. cosselheibo ahseuk.
fRANCISCO PBRETTI.
A's 18 horas da manna, presentes os Srs. de
^jutadiw secrefaiie Oliulo Bastos, Lopes Machado
j supplettes, Sa Leitao e AJves Guerra, S Exc.
o ^ r. conselheiro presidente declarou aberU a
sessao.
Foi lida e approvada a aeu da precedente
UMia
EXPEDIK.NTE.
Distribuirara-se os segnintej livros :
Diario a &opiaJ' Jiario d" Mpni>eJ de Ajevedo Andrade, dito de
Silva & Alvos, copiador de Siiva Guimaraes & C
DESTArmiS
Requej-iffientos :
De Ant mio de Muivra B Jim, para re;i-trar-se
as aomeacCes ouo junu, Handq sem effejpj as
fie submi t.en ua ultima -essjo. -Como pede, os
ndo cm tempo.
De Antero de Mesquita, p.ira dar-$e baixa enj a
jrot'ac^.do F;aBcjfco L'lpes Furlado -Sim,
De J.'iao Firmiuo do Rev.iredo Freire & C. no
rnesmo -eulido qnaoto a moio-aclo Je Manoel Theo-
oio Fr.-iro Na forma regneri'da.
fie Au^usto Coelhede Abron, para certtticar-se
Ihe se fizeram-se as not^-s em suas pmcurajDes e
Oomeaioos de cajxejr >'. CertiHqne-se.
D-! Anl'inio BodriKBes Pi:i!o, registro da orocu'
r.acao que Ibo pa-shi H.Tnardino Corn's de Rc-
zende Rejo. Registre se.
De AnstiJes Oiia'n C.nieiro da Cunha Gum,
Pedro \\'t>ico da Gama Huarto e J 'So Duartv.
Ci.e'h.. Ja Gioia, registro do oontrato social que
Ci'lenr.iram.Vista do Sr d'sembargador liscal.
Or iiaymundo Ponira de Sim>-ira requ"rendo o
regj~iro da'nomea;..o junla de seu' caixeiro. Jberaadfipreuorrjm* a anarciua; onde a or lem nao
J e uuntida, rja > JJwfe haver pn.gresso :
I'AHTIUO C\>ii:ilV tlHHl
RECIFE, 24 DE Dli/.KMBRO DE 1873.
Tolos os dias o organ opposiciouista contesta ao
partido conservadiir, o direito de promover asre-
formas, de que i'elizmente o paiz tern sido dotado,
u de ontras quo cei tamente em breve serao vota-
das. I
Nao e nova ossa aucueacao feiU ao partido con-
servador, a i|uem accusam de usurpar doutrinas
liberaes, e de invadir o domiuio do partido desse
nuroe, pretendendo apain a opposicao ler o direi-
to exclusivo de fazsr reformas, e desenvatver as
liberdades coB6tituciouaes.
Por mais de uma vez, quer na iiijprensa, quer
na tribuna, se torn respondi lo ossa a!legai;ao de
mo io a nao sar mais repeiida, e eniretanta o
orgao opposicionista desla provincia. .se;npre cheio
4e.raju:i)r e des^cr.--, yolta reuebdas vezes sobre o
assumpto, ja tao dobalido.
A resposta nao sera longa.
Se fosse oerto que o partido conservador, pro-
movendo reformas, renega suas ideas, ontao para
a oppusicao nao bavia outro partido seuao ex u I tar
com o sou trjwpiiho, e fulicjur o aw. por ver
reajisadas as meilidas reclamidas peta'opiniaq pur
blica. -i
' Mas, em vez di |)Blo partjdo conservador, so ser,ve pafa irnfnf- e
exasperar a opoosii^ao
E* uma cSntraai^ao, qoe so tern expHeacao
razoavel iw. facto de serera as reforroaipara a
opposioao, instrumeirtos de ambigio e oacada papa
o poder.
Nao e o bem publico queni juspira esys he-
0}ns qqe, quando so a-aain no poder, sap nltra
-conservaqiiies; na opposicao -So radjcaeS.ou
antes sjo revolucionarios, e a revulujao nao e a
liberdade.
Entretaqto se estudarmos a nossa hi-toria po-
litica, ver-se-ha quo o partido conservador torn,
nao so o direito, como a aplidaoe a forca para rea
lisar reforojas que os n.isao3 adversarios, por sna
versatiliiade, nunca o puderam u nao o quizeram
fazcr.
Os noss.ts adrersarios nara su-tentsrem a alle-
gada ioeorapetencia do partido conservador para
desouvnlver 'as liberdades coii-titacionaes, fa?em
Uina dislinccio falsa e cipoiosa.
0 prmeipio da autoridado e da Jiberdade, da
ordem e Jo progrusso,"sao considerailos corao ini-
migus irreconciiniVefs,^ constante' antngo'nismo,
em'luta perma,nei"f- '"" '
IT nifl efro cQsso,' Enlro nos a autoridade nao
se acha em luta fanra a liberdade, nem a ordem e
ora ob-taoulo an Brogresso.
Muito \ij centrario oade a autoridade nao se
acha benr-.^mfituida e respeitada, em vez de ti
!>rirquo oilo p u partid
^seQcialme|lQ crcador.
I'm pnbbcista inub-r. M.t*airlay. one
esere'Veli o poriodo mais teinpj>tii')so da bisUirtu
politica da Inglaterra, e que nao e suspeito, des-
crevendo a situacao do< dous grandes partidos da-
qunite pait Whi'its e Tfrhm mjie teem stmcessi-
varrBiite fltppntado o poder, eom mna
os caracterisou perfeitameata.
0 partidn con.ermdor e o leme, e a force in
tellig-'iUff, t a razao; o partido liberal 6 a vela, 0
impulso,a forca cega.
A proTa desso carartor eiperial dos doosparti-
los, quena Inglaterra exlremaraut-sc pela primei-
ra vez, na reuniao do longo parlamento em 4625,
iios a ten! is tao bem em nossa bistoria.
A estcribdade do partido liberal em 1844 e 1863
durante os onze annos que esteve no poder sem
nada fazer, sew leutar ati ujouos reformar a lei de
'i8il quo Ihes deu pretelno para rovolucionarem
dnas prorincias, compafSda cam a fecund id ad e do-
partido conservador a quern a paiz depois de 1837
deve lodas as reformas uteis e ufflcases que se tern
upi radu, e-a prova mais robusU de qne, lodas as
id^as contidas na constituicao pertencem ao parti-
do conservador.
Se algum partido tern abandonado suas ideas,
se tern renegade seu passado, esse partido nao 6 a
cnservador.
De feito, o partido liberal foi quern renegou as
antigas ideas .da constituinte, ideas radicaes, que
exam exoUuivamenle suas, u recolheu-se a sombra
da constituicao ; foi esse partido que, peta forca
irresistivel da razao, nao s.6 govdTneu com as lei<
do partido conservador, como pedio osseusesia-
S istas para chefes, pois que era um corpo sem ca
liooa. era nm partido aeophalo.
A reforma judiciaria, a do elemeiito servil, e ou-
tras nunca foram do partido liberal.
Quando foi decretada a lei de 3 do dezembro de
18 i I todos sabem o eslad i anirchico e depl iravel
em que se achava o paiz.
0 regente Feijo, o enlao ministro da justiea AI-
ves Sranco e outros liberhes adiantados, procla-
mavam a necessldade da rofomia dj codigo do pro
ces-o, que coiiii.ni a polioia piincipaimeiue aos
juizes de paz, autoiidaJe electiva. sujeita aos ca
prichos locaes, sem pormanencia e sem aquelja
subordinar;ao que e indisptmsavol para a aceao
prornpta e expedita da pjlicia.
Two deteiluosa organis*cao produzio sou< elfeitos
aaluraes ; a iinpuiiidado, e com olia o iqeremenlo
da CFimiualidado.
Foi o partido conservador chamado ao poder
para realisar essa reforma; eutreiauto nao sc exi-
inio dj rigoroso dever de corrigir os defeitos da
lei, que soffrou a aivao sa,", quo acluavam n'aiiuella epoca.
0 piineiro gidpe dado na barbara instiiun;ao do
captiveiro foi ferido por Euzebio de Queiroz pro-
hibindo o infame traftco de escravos, uma da-
lonles mais abuodaules deste cancro social.
Cumpria, pois, que o partido conse.-vador com-
pletasse a sua obra, e o meio raas efficaz e menos
prejudicial era a extiuccao da seguu la fonte ; era.
a liber'.acio do venire promulgada na lei de 28 de
setembro de 1871, epoca ra^moravel ni bistoria do
Bra&il.
A allegada inoompetencia nao tern, pois, proce-
dencia, o em vez de crear-iK.s enibaracos so nos
servira conn? incentivo para proseguirmos na glo-
riosa taref.i ja encetada.
As glorias marciaes e financeiras adjuiridas
com a ascencao do partido conservador ao poder,
juntaremos as glorias da legislacao.
HAH UMA RKV0LUCA0 ABVFADA.
A Provincia e mfaligavel era mentir Irra !
Onde vioa Provincit forcas do promptidao no>
dia 20, ou em qualquer outros, que nao fossera os
de .14 e 16 de mai. ?
Qual 6 o homem serio e de bem, e ale dos que
se dizem de gravaia Livada, que diga que vio ron-
das dobradas e troeo's de cavalUria peroorrendo a
cidade durante a noite de 2d ?
Como 6 que um jcrnaf, que aspi;a a honras de
irgao de nm partido, quo tern a fretilo dos seus
n-dactores e directores um Gdalgo, como se presu-
me ser a todos os respeitos o Sr. commendador
Harao de Villa Bella desco ao p^nto de ment'r
com tamo escandalo *
No dia 20, apptreceram cariazes pelas esquinas
eonvidando o poio a reunir se as 4 horas.
Ninp'iom de bom senso acreditou que o convjte
fo ma precaueao fii tjuiadi pelas auloridados.
As 2 horas Paula, socio de Mafra, distribuia
contra aviso, pedindo que o povo nao se reunisse ;
e, ainda mesmo para aquelles que podessem sup-
per que a reuniai se realisava, licon palentc qne
o povo n;\o se moveria para formar reunifies.
Ora, a vista disto quern p idera crer que hou-
vesse apparato de fon.a durante^a noite, quando
estava veriflcido o faoti de nao ler havido reu-
niao ?
Poi lanto, se a Provincia quer e^crever menti-
ras para serem tidas como verdades fora desta ci
dade, que e testemimha do que se pas9ou, fa^r-o
de modo verosimil o naa tao descabelladas eomo a
que nos referimos.
E senaoora bolas.
COMPASIIA: .
Phenix Pemambucana.
fomarisr.is maritime* em mercadorias,
joriat frotes, ohiheiro a r1sco*Bnalinante de qunl-
fluor rutureza, out vapoWs, uarios a vela on
harca(jB, n premios muito modicos.
RCA DO COMMt:UCfO N. 34.
Sepro coBtra-fogrt
CHE LIVERPOOL 4 LONDON & GLOI
, ISSlHtAIICE COMPANY
SAUNDKRS BROTHERS* C.
m. UGorpo Santo11
wmwm.


Capital,
.''undo
NORTHERtN.
.... 30,000:00000t.
de reservn. 8,000:000900(
Agvntes,
.If ills Latham it C.
RUA DA CRUZ N. 38.
SEGUROS
HARITIMOS
CONTRA O FOGO.
A companbia Inrleranisadora, estabetecidf
ne6ta protja, toma seguros marilimos ao'urt
aavios e seus carregamentos e contra logo
tin eilificios, mercadorias e mobilias: n
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
COMPANHIi ALL1ANCA
seguros maritimos e terrew-
trea estabelecida na Bahi
em 15dejaneiroeml870
CAPITAL 4,000:000jp00.
fooia segaro de mereadorias e dinheiro t
. >cn maritimo em navip de vela e vaporei
para dentro e f6ra do iinperio, assim come
oiitra fogo sobre predios, gtmeros e fa
'ondas.
Agente : Joaqukn iose (iongalves BeltrSo
-ua do Cpmmercio n. 5, l'andar.
PKAQA DORECIPS 21 DE DEZ3MBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDH
t'otag.UK'nt ofllciiif*
Algodiodo Rio Grande 1> Norle 8^i()0 por lo
kilae posto a bordo a freie de :ijV d. e 5
0i.
-^ainbiu sobre Londres a 90 djv. 25 3|8,^5 1(2
e 26 o]8 d. por 1/000, e do banco 2C3|8.
Descoulo de lelras 12 OiO ao anno, bonjem.
ftubourq
Peio presidente.
A. P. de Lemos
?elo secretario.
ALr'ANDKliA
isudimemo do dl 1 a ii
d?ni do dia 21
^UBUCACOES i PE8I0H
767:fi68*234
17:444J924
781.113*178
Declarando, s;m recdio de contostagao,
que nlo sou e nunca fui advogado da eom-
panhiaRecife Drainage, bem como que
nenbuma confidencia me foi feita pela pre-
sidencia da provincia com relacAo aos no
gopios da mesma eompanhia, julgo-me
liispensado de apreciar o que c ra refe-
reHoia a este objeclo disse o correspondente
desta provincia para a Reforma de 3 do
correute.
Recife, 22 de dezembro de 1873
Dr, Manosl df> Nascimento il. Portella.
Toda* u.* dilayucs ou ilciuoran
o peri;WMi.
Quando a enfermidade ataca os orgaos da res
ntracao, a sna marsha progressiva e terrivel e ra-
pida ; e o dxtnte nlo dive perder uma so hora em
lancar mao do peitoral de anacahuita de Kemp,
quando a tosse, as suffocacoos, o catarro e a dilli-
culdade do respirar annunciam que a enfermidade
comecou a desenvolver-se e a contaminar as de-
licadas raembranas e locidos eelluraros dos or-
gaos da respiracao. Uma to dose tomada em
tempo evitara muilas dores e solfrimentos. Porein
par mais formidaveis quo sejam os symptumaa, por
mais arraigada e inveterada qne se ache a moles-
ti.i. aem por isso deveis desesperar. Os casos re-
oaiados eomo inouraveis pelos modicos os mais
oxporimontados e experientei, sio alliviados c cq-
rados diariamoitfo, medianle o uso deste admira-
vd e niaravilhow balsamo pulmonar. Nao deixeis,
pois, de acudir a elle immediatamente qne se apre-
sente a aproximacio da enfermidade, porquaoto
eiiste um pariule nas affeccoes pulmonams, em
(|je e preciso infelizmente perder-se toda a espe-
ranca. Xto arrtsqoeis, pois, voesa vida por meio
de mat oabidas dilacoes e inuteis deraoras.
Descarregam boje 24 de dezembro.
Vapor nacional -Ipqjuca generos nacionaes para
o trapiehe da eompanhia pernambucana
Vapor iaglez Cordova (espcrado) diversas mer-
cadorias para alfandega.
Barca franceza Manricien sal ja de.*pachado
para terra.
Barca iiigiesa Fuzilier generos nacionaes
para alfandega.
Barca iogleza Dora carvao ja despacbado
para a eompanhia pernamtmcana.
Barca ingleza Jane Maria carvao ja despa-
cbado para p caes do Apollo.
Pataclio allemao -Acfismercadvr'is's para ali'an-
dega.
1'aiaoho port ug'let Van da varios generos para
o trapiehe Conceicao, para de^pachar,
Barca ingleza James Dardsdn farinha ja des-
pachada para o o ponto.
Iiuportac^o.
Vapor nacional Penedo, enlrado da Babia em
23 do corrente, e consignado a Antcfdo Luiz de
Obveira Azevedo & C, mamfestou :
Algodao 330 sa'ceas a o/dem, 101 a Jose Maria
Goncalves Ferreira- Assucar 247 fcaecos a Hora-
cio. Azeile de palma 2 caixas a ordem.
Olpo de ricino 12 latas a ordem.
Panno de algodao 9 fardos a Carvalbo 4 No
gueira.
Sa'ccoa vasios 1 volume a Pereira Carneiro 4 C,
4 a ordem.
fflkf
o.iiio repjor,
l'ti'Krigij 1 I'iinoiit I, sufiritaudo o reg'stro da
ooo>eao3.i uuedfiraVSf in-Id }>'& PintJ Vartins.
DefCrida
lie M.in.il G*m* tfcrreira de S> l^jiao iraztn
do a r-'^i'f/ti a!'nwn;.ic "> jle Prajncis.cn Aatoirfo
Mor-ir.i dt Costa. I'loreSf-Sp ao registro pe-
diibv
De J.ia ittiBi 8j?J"; do Lima, apresentando a
rejdstr-i a'nameacAo de J.>ao J>--i da Silva Na
form.i podtda.
lie Aittfifti de U-' l" Vi, xmAV> da norneacSe
qu<- omi.-aJM a A../ i-li Piutv. it L-ups.-Fa^a-
s- i n fi-iro > .;..fj' i
De Saucav.'s Bri il. ... 6c C, registro da nomea.
noia6eon-
dicioesseocjal de ontro.
JJuaiido un sodfd^ic trata de eonstituir-se e
conquMlar tnsj^faftjfiffl livrn's, o jaartido liberal
iriarcfta taa T-amjoanl3, a elte Conipcte derrocar e
dd-truir; eUo j partido conservador tejii apenas
a missao do resisteoeia ; e, na cloqaehte perase
do dUtincto Sr. consellioiro Aleocar, o craro na
ro ta.
T' essa a nossa ajtuajao em 1817 a 4834.
Coaoui-qadas, ^irem, as nossa< liberdades, com
uma couslbuioao livrc, eomo Mizmenle lemos, e
que fe iliinsenieini Saraiva dizer no seaadoqne,
-eria aiooa censervadur, se buuvosse alburn par
lido que quizesse trantformar os principkis car-
Tratamento racional do
l el lo !
E' bem cjarq, que se os poros do cragijo acbam-
se obstruidos com oleo3, e assim por esla foi iqa a
ventilacao natural irapedida, as firecoes que pro-
duaem a cor, o pplrem o calieJlq, turnarase vicia-
das por eptas rnaierias iaerjes, faxepdo coin que
o cresiiiinento do cabel|o seja tardio e vaaaroao, e
spa quabdade deterioradi. Dcsfajam se, jioi's, de
similhantes composicoes ruins e:iibaracosas I
opservc sa a cuticula da cabeca limp.i e livre de
loda a caspa e esfoliacoe.-, e tenba-se a> raizes $9
cabello em proprio estadi de liinp'eza, median!/' o
uso e applicacao deste excoJJenxe e adipi'ravel vi-
gorante vegetal, o tojico orientaL
O seu principal objecto e flm e consgivar os
poros abertos e o cabellj luiidio, reapla'ndecente.
basto e biiUiante.
Para todos.
A casa mortuaji* do Paula & M'd*r-cou-
liiiafl a bem servii* ao publico, em q innto-
jjjus proprietarirjs ou sao deferidos no re-
curso que inlerpoeiB ap conselho '1'ostadf
tontra 9 roooeaolio eiiBcediio a otttreiA, ou {.
sao a contento indenaisados pdos mouopu-
listos. JP oara^ue ninguenn se ifludo a res
j,ito, ^cje4j5fiftanjaq resp,eilavel pubfjep/jue
so acbam provisos do ujataal Daeossrio'
o>m carfos notos.
Vapor fran:oz Ville dt Santos, entrado do Havre
em 23 do corrente e consignado a Auguslo Freda
rioo de Oliveira & C, manifestou :
Arligoa Bariaien&es I c*ixa a Alfredo Gibson
Batatas 300 giges a Cardoso Marlins i C.v 200
a J. Jose Gon.;lves, 31/0 a tfaqoal uuarte Uodri-
gues, 400 a Ke|l;r 4 C, 200 a I 1 Leitao & C,
200 a Luiz Jose da Silva Guimaraes. Botooi e
vidros 1 caixas a Q. P. Wild & C. Boloes c ciiti-
Uria i a Roqba C. U|jp'uleria I caixa a Souz
lro A Alineida ; bijouleria e fiUs 3 a Souza Sa
g de bijqHigri.i a Lehmaim Frercs.
Calcado 1 caixa a Joao June de Azevedo, 10 a
Lvra ii Vianna 2 a Porio >'B'astos, I a Faria 4 C;
Lj a Lemos t\ Guoi iueau, 1 a Sauza Castro & Air
fiijiida. 2 a l*odrig*e Irr^Lo A dqipjaraes, cal-
cado e m'ndezas, ? a Paf(te Vtanqa 4 C. Car
tas de jogar, 1 cajfia a Souza Casfro & 4|meida,
a I)ammgos M^qp ,Cj|bellQS l c*.xa a lfcWf.ro .A, ^>a- Gouros
j/*paraiosi_caa a Cunha & #&*.l ? ferV?
Oliveira Ji Cf, Cnane,qs 4 caixas a Cunha & C, 2
a OUveira Sobrjaho, 2 a Costa 5|Uia*; C. Chapeos
e perfuiaarias 9 caixas a GonQaJyes Ferreira 4 C
Conserva's 3cai3as a D P. Wll^ %C, 1 a Beljr^o
& Filno Caroisas 1 caixa a Joao Bamos A Ma-
chado, 1 a Uoohard 'llettlec & C Carne prepa-
rada 1 a D. P. Wild & G Champagne 20 gigos a
Cuona m\ Mania. Capsulas a hotoes 7 caixas a Cu-
nha 4 Mama.
Droyas 1 caixa ao Hospital de Benoikeucia, 2 a
Ferreira Maia It C, 3 a A. Caors.
Espetoos e crystaes 2 caixas a Costa irmaos.
Fnmo 1 caixa a loao Jose d' Azevedo, 1 a J. Ii.
do Rev.- Fonnas de pao 1 caixa a ordem.
Gravatas I caixa a joao Kamos 4 Machado,
I a Souza Castro & Almeida.
Impressos 1 volume a ordem. Instrumentos de
musica 4 caixas a E Robert
Legume eatoo 3 barris a Bourgard & C. Loaa
3 caixas a D. P. Wild 4 C. Licores % caixas aos
inesmos.
Manaeiga 30 e 30 1(2 a Johnston Paler & C,
20 e 30 i2 a Marcelino da Rosa & Film, 20 e
SO l|*a S. a. d'Oiivoira. 35 a 40 '|2 a ..rdeui. 70
e 116 1|2 a Harismandy ot Libillrf. 10 e loo \iz
Moreira HalliJay 4 C, 114 e 15 1|2 a Marcelino
Jose Monteiro, Me 80 l|2 a 6. Alcoforad.), 15 e
80 l|2 a Tasso Irmaos, 3q e 66 4(2 a Feruandes
Irmao, 73 e 450 1|2 a Suiiu HasVis 4 C, 25 e
30 i|2 a Car |i-o & Marlins. 5fj e 501(2 a E. A.
Bnrto 4 C. 20 a .1 'ii a Alfred i Prwco Barb(*a,
6> S 120 1|8 a Bdtrao 4 Filio, 30 e 60 lii
a oroeoi, *) e to \i a J. >>e Leitao Ai C,
40 e 60|8 a Prr.ira da Cunba Irmao. lO e
80|2 a dgaatii.tes Irmao Nudas e uuinq'idhari.i
4 cams a Antonio a Silva Aw redo, t a Cardoso
IIWIl
Maet*m*B* i>ar fabrica d>*alg"d*a 31 volumes
a Barntca i C. Miveis, i ivaxa a Meud'-s Azeve
do 4 C. Me*iv^ri i a iiftri is 4* arnwdur 2 caixas
a tiarvaifco A GuimarJ- s. Oijfr-ls 4im*ti I cai-
xas a U G. M-iliart. 4 ti mlia M dx-rt, 4 aDoiniujjos
itviffenvira innior. i> harri* a Woidinan &
t,0 U ". W.i.l di C- f a iiaraoso .4 Irmao. 4
caixa a B.i-i 4 C, 2 a frVlitiua da Costa, 7 a
iMiningos Tevt"'ra Baslos, 9 aos consi^natarios, 3
i Hyiwftio :J*w Robert, I a Jifirj JWUdhtb H llot-
la^Juimaraes, 7- cainas a V.n & -Leal, 5 a Vat Ju-
nior, 3 a Souza Sa 4 C. Objecios de imvda 3 oai.
xas a Francisco Ram>s, :i a Domingas Toixeira
Bdslos,' 4 eaixa'a Ba"sio Oliveira'& C, la Mendes
Azevedo & C, 1 a Pinto-da Silva <& Cascao, 1 cai-
xa a Souza Castro A C, 1 a Antonio Luiz dos San-
tos. Obras de metal (christofl-'), 1 caixa a Bernar-
do de Oliveira* 1 a Juseda Silva toyo..
Pregos 10 barris a Santos Araujo.
Perfuraarias tl caixaa a ordem, dita e papel 2 a
Bourgafd 4 C. Pcrfuraaria 1 a Oliveira e Sobri-
nhos, I a A. Dryfuge, 2 a Amaral Nabnco & C
Piannos 5 caixas a Jules Dhidaut, Papel 2 caixas
a Costa Irmao, 4 a D. P. Wild. Piano e orgao 8
caixas ao barao do Livramento.
Queijos 4 caixa a D. P. Wild & C, queijos e
pdras, 4 a Th. Christiansen. Quinqnilbaria 4
caixa a M. Hallidav AC, la Mendes Azevedo A
C. 5 a Otto Bohres & C.
Roupa fella 4 caixa a Ferreira Maia & C, 4 a
Silva Barmca moveis 3 caixas a Joao Ramos & Machado, 1 a
ordem, 4 caixa. a Amaral & Moiia.
Sar Jinhas 40 caixas a Soares d'Amaral. Seda 4
caixa a P. Wild & C, 4 a Weydmann 4 C.
Tecidos 3 caixas a Mesquila Cardoso & C, 24
a Weydmann & C, la Manoel Maestrale, 1 a
Bastos & C, 12 a Monbard Metier 4 C, 4 a
Doarte Irmiio, I a Keller 4 C, la Lehmann
Freres. Tecidos e agua. mineraes 6 caixas a Car-
neiro 4 Nogoeira, 3 a Antonio Siqueira, 2 a Cra-
mer Frey 4 C, 7 a Amaral & M.-lta. 2 a D P.
Wild AC., 44 a Ale dorado Vieira 4 ', a M.
Ferreira Pinto, 3 a &. A. Burle 4 C, a Goncalyes
Irmao AC, 5 a Cunha 4 C, 4 a Adriano Ca-ir i
4 C, 2 a Lopes Machado4 C, 2 a Alfredo Gibson,
1 a M. Gregorio 4 C. Tinias 10 harris a Ferreira
Maia 4 C.
Vinho 1 barrica a Aicoforado Vieira 4 C. Vi-
dros e papel, 7 caixas a De Lailbacar 4 C
WSPACHOS DE EXPOHTACAO NO DIA 22 DE
DEZEMBRO DE 1873.
Para os portos do exterior.
Na galera portugueza Audacia, para Liver-
pool, carregou : R. Schmmetlau 4 C 250 saccas
coin 21,209 l|2 kilos de algodao.
Na barca porlugueza Arabella, para o Ca-
nal, carregou : R. Sclunmettan 4 C. 2,000 saecos
com 16,000 kilos de assucar mascavado.
Na barca franceza FideLile, para o Havre,
carregou : E. A. Burle 4 C 247 sacca* com
18,524 kilos do algodao e 33 couros salgados com
2*6 dilos: J. B. Hois 1 caixa com 8 litres deaguar-
dente e I dita com 16 kilos de doce.
Na bare* ingleza Catderbank, para o Canal,
carregou: J. Pater c5 C 1,865 saecos com 139,875
kilos de assucar mascavado.
Na galera porlugueza l.itboa, para Lisboa,
carregou: Lebre 4 Reis 4O0 saceos com 4,929
kilos de gomma.
No brigue porloguez Sibcrano, para Lisboa,
earregou : J. C. Moreira i barricas com 180 kilos
de assucar bianco, 3 diias com 178 dilos de^dito
mascavado e 1 dita com 30 dilos de farinha de
mandioca ; Amoriui Irmaos 4 C. 900 saecos com
67,500 kilos de assucar branco e 340 ditos com
25,i 00 dilos de dito mascavado
No brigue p inuguez Mete, para LiaVoa,
carregou : E R. Rabello 4 U 150 saecos com
11.250 kilos de assuiar mascavado e 75 ditos com
3,625 ditos de dito branco.
Para os portos d interior.
Paia o Rio de Janeiro, no vapor francez
Ville de Santos, carregou : F. J. de Mello Tavares
12 abaca .'his.
Para o Rio de Janeiro, no navio portuguez
/. Correia, carregou : A. F. Ralthar Sotirinuo 801
saecos com 60,000 kilos de assu:ar branco.
Para o Rio de Janeiro, no pa tao ho nacional
lliv/il, carregou : A, F. de Mello 300 saecos com
22,500 kilos de assucar branco.
Parao Rio Grande do Sul, na barca nacio
nal Deolinda, carregou L J. S. Guimaraes 500
saecos ernn 37,500 kilos de assucar branco.
Para o Maranhao, no vapor brasileiro Cm-
zeiro do Sul, carregou : J. G. de Bestos 4'' barri-
cas com 3,206 kilos de asUcar branco; J. f.
Martins 1 dita c -id M> ditos de dito refinado ; para
0 Para, A. F. Balihar Sobrinho 200 ditas com
14,875 l|2 ditos de dito branco
Para Alagoas. na harcaca Jovenlina, carre-
gou : B. Gomes 4 C. l barrica com 60 kilos de
assucar refinado.
tKCEBBOORIA DE RRNOAS 1NTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO
tendimento do dia 1 a St. 54:9*1 388
demdodia23...... 10:762*688
800i000
'lOOiOOO
t
700i000*
GONSOLA.DO PIV)VtSC1AI,
^eodimento do dia 1 a 22 157:9261718
Idem oo dia 23..... 7:187*554
RECIFE DRAINAGE,
dendinienlo do dia 1 a 2*. .
'dera do dia 23. "..."..
UOVIMENTt 00 PORTC
Nacios cntradns no dia 23.
Bahia e portos intertnedios- 9 dias e li
boras, vapor nacional Penedo. de 298
toncladas, commandanto Francisco Pe-
reia, oquipagem 20, carga difforentes
guue os ; a Antonio L. do Ohvejra Aze-
vedo & C.
Terra Nova--29 dias, brigue ingiez Glacus.
de 226 tonolmlas, capbao J. ii Land,
erjuipagem 12. carga 3,025 barrJGas cotn
bacalliao ; a Sauuders Brolbers dt C.
Havre por Lisboa 23 dias, sendo do yl-
tiaio porto 16, vapor francez Vtlte de
Santos, de 817 toneladas, commauJante
l.euivre. oquipagem 39, carga fazendas e
outros generos; a A. P. de Oliveira
*G. .
Rio Grande do Su}^34 dias, barca portu
gueza Social, de 237 toneladas, capiiio
Auguslo Francisco da Cunha, eiuipagein
11, carga 15,148- arrobas de car^e : a 4.
G, Beitrap & Fill*,
%\]o 11015000
N: 02. Cramer Prere4. 1:600^000
Rua do Couiinere").
N. 11. it.-lir.io Oliv,sini4J3
N. IV. <'!.el Beiullos 4 C.
Largo do (kirpo Sanlo
N. 2J. Amaral 4 Molta
Thome de Souza. -
N. 1. Antonio Gomes da
Costa Lette 400^000
Rna do Torres.
N. 8. Riaga 4 Son WOJO'JO
Rua do Vigario Teoorfo.
If. 10. Joao Ramos & Ma-
chado TOOiOOO
N. 16. Joao Jose Carvalbo
Moraes OOOjOOO
N. 24. Jo.-e Francisco de
Paula Ramos 400x000
N. 3. Joaquim Juvencio da
Silva 2:000.4000
N. 17. Castro 4 Soares 30"*000
N. 19. Luiz Jose da Silva
Cnimaraes lOOiOOO
Barreto Meuezcs.
N. 2. Aulouio de Mesquila 300*000
N. 8. Alfredo Prisco Bar-
busa 400*000
Ns. 10 e 12. Keller 4 C. 600*iH 0
N. li A Motta Junior 4 C. 400*000
Travessa da Madre de Deus.
N. 16. Pereira da Cuuha 4
Irmiio 450*0(10
N. 3. Pinto Moreira 4 C. 400*000
N. 7. Joaquim Felippe da
Costa 500*000
N. 9. Domingos Joaquim
Ferreira da Cruz 600*000
Rua do Am.aim.
N. 2. A. Prancisco Marce-
lino do Amaral 3.000*000
N. 4. Jose da Silva Lovo
A Filho 2:0.;0*000
N. 62. Moreira Monloiro
4 C. 402*000
N. 3. 0 mesmo 350*000
N. 21. Bernardino da Silva
Lopes
N. 33. J'i 1' Rodrigues de
Farias 200*000
X. 39. Lima 4 Silva 700*000
X. 41. Jose Domingues do
Carmo 4 Silva 490*000
N. 44. Fernandes 4 Cosu 400*000
N. 49. Joaquim Jose Leitao
4 C. 433*000
N. 23. Joao Luiz da Silva 300*000
Rua da Mocda.
N. 21. Carvalho A C 330i000
N. 23. Joao Jose Vianna 200*000
N. 29. Serafim Burges de
Oliveira 300*000
N. 41. Lapa4 rrimo 312*000
N. 43. Manoel Jasc Tinouco
do Souza 300*000
N. 43. Moreira Monteiro
4 C. 500/000
N. i7. Franco da Cunha
4 C. 500;000
Rua da Companbia Per
nambucana.
Ns. 8 e 10. Polycarpo Jose"
La\ine 1:800*000
N. 10 B. JostS Ignacio da
Silva Porto 1:200*000
N. 16. Antoni) Ferreira de
Carvalho 1:100*000
N. 18. Prancisco de Souza
Magalhaes 1:20*000
Caes da Conpanhia.
N. 8. Jesnmo da Costa
Lima 3:000*000
N. 30. Prancisco Martins do
Amaral 2:000*00
Largo da Assemblea.
N. 9. Morcolmo de Souza
Travassos. 3.000*000
Rua ua Madre de Deus.
N. 2 A Jose Domi agues do
Carmo Silva 300*000
N. 4. Leao llocba & C 700*000
N. 6. Jo-.o Dnarle Simdes
4 C. 600*000
N. 8. Anlonio Marcelino
Monteiro 300*000
N. 8 A. Josti Domiugues
do Carmo Silva 300*000
N. 12. Francisco Gcncalves
Bastos 800*000
X. 20. Cardoso Martins & C. 602*000
I. 38. Joaqniin Francisco
dos Santos Guimaraes V~0*000
{-Ns. 3 e 3. Augus'o Cezar de
Azevedo Guedes 1:200*000
Praoa da Assemblea.
N. 13. Joao Gervazio da
Cunha Perne 1:500*000
165LI41270 N. 13. Barao do Livramea-
to 1:300*000
Travessa do Cainpello.
N. 2. Viuva Thomaz Fer-
nandes da Cunha 4 C. (50*000
N. i. Albino Antonio da
Rosa 120*000
Domingos Jose Mirtins.
N. 8. Izidoro Bastos 4 C. 300*000
N. 52. Antonio Jose de Car-
valho 200*000
N. 66. E. A. Bnrte 4 C 360*000
N. 68. Joao da Silva Guiroa
raes 36 '5000
N. 80. Jose da Costa C 130*000
N. 88. Joao da Silva Leite 300*000
N, 90. Barros 4 1 240*000
N. 110. Monhard Mauler
AC.
N. 136. Bernardino Alvo*
Barbosa 400*'00
N. 136. Braga Gomes 4 C. 300*000
Rua de D. Maria Cesar.
N. 2. Jose Alfonso Seldreira 193*000
X. 6. Antouio Jose Dias PJ-
nheiro 144*000
N. 9. Jom) Alfonso Seldreira 168*001
Rua da Restauracao.
X. 8.1'iuto Alves 4 C. 3fr)*0O3
X. 36. Joaquim da Silva
Barbosa 120*000
Rua do Vise.in io de Itaparica.
& 2. Gloun Xad A C. 2:00O*i>'IO
N. 31. Candido Affouso Ma*
reira 4fcU*0Q0
Rua de S, Jorge.
Ai. 88. Manoel Jose da Mot
ta
71:684*074
7:669*727
567*814
8:237*541
f20*0TJ0
>20*00O
160*(%
80*000

140*100
8e*fJou
.80*000
140*000
120*000
80*0CO
400*000
60*000
80*000
60*000
80*000
120*000
80*000
90*000
80*000
100*000
4zO*C'D
6CO*000
400*0X1
80*400
7o#000
360*0\K) 72*000
40*000
140*00>
80*000
8o*OlO
90*600
60*000
70*000
40*000
60 i 000
02*V.O
iO0*O0
100*000
100*0(0
300*OA
HOifOOO
840*000
240*000
600*000
400*ii
600*000
66*000
140*000
120*0'-'>
60*0"
0*0>XI
1602C00
420*4CO
80*0 M
2i0*00'
300*000
300*0:0
aoiom
24*0-00
60*600
4010041
72*600
72*000
36*000
60*0 30
AJMOOO
300*600 60*0..*'
80*000
60*000
J.
Montevideo -35 dias, brigue hospanbol
Amable Teresa, de 212 toneladas. capitao
Abril, equipagem 12, carga i.e** auiijt
taes de tiarnp; a SjJya & Gastap.
Saviossahilos no mesmo dia.
Portos do norteVapor brasiknrvt Gruzeirq
do Sul, commandante 1. tenenfe G.
Waddington, carga vanos generos.
Liverpool Barca iugleza Olinda, capitA)
S. Browse, carga assucar.
EClfill!*.
' '-'. I
Consulado prpvinci^i
Para sciencia dos contribuintes dos. impojtos
abaixo deolarados e os effeitos legaes, se publica,
em seguida as alteracoes veriQcadas no lancamonto
dos mesmos impostos no corrente anno tin uKairo do
18731874, licando aborto s prazo as reclama
56es, qua porsreniura possam tera fazer osinleie^
sados, na forma da lei a regulamsntos respne
livos.
lmposto de 20 por cento sobre ettaeelecimrntos.
Aiteracoes venlicadas pelo lancador Joao Pedro dj
Jenu da Malta no unposto de 2d'|. anoBe di
ver*'S ustabeleciineutos da freguea;* da S. Frej
Pedro Goncalyes do Recife, o qual lem do secvir!
para 0 anpo de 1873f874.
Marquez de Olinda.
N. 4.. Silva Barroca 4 Hr
Mot
N. 16. Carvalbo & Guima-
raes 800*000 J60*QQ0
N 34. Pneoira Simoes A C. 1:000*006. JOOAOOt)
N. 44. Vulva riMwnazFer-
Cunha 4 0. l.-0o0*600 SflOjOBq
mm* w"
500*000 106*600
SlX.9 GOuifOOO
600*000 120*000
740*000
866*600
nandes da
-v U. Domingos Manoel
Martina
X. 23. Cuaha 4 MUa
N. 37. Souza Castrb 4 Al-
meida 1:000*000
N. 53 A. Adolpho Toixeira
Lope* 1:006*066
Bom Jesus.
X. 6. Miguel forreira Pinto 300*000
N. 62. Malorino Barroso de
200*1:00
260A00Q
66*C rBaa do Barao do Timubfl-
if. W. AlvaresQuinial /:.
N. 39. Joao Gomes da Cruz
Hi. 63. ipaquiin iose fc.
Silva Azevedo
lmposto de 4 Por <*'&* fob?* estalxlecjmentos
Auera.oes veridcadas pelo lancador Joao Pe$n
de Jesus da Malta,, no lancanienio de 4 nor
cento sobre diversos estabelecimeutos da fr.-
guezia de S. Fr^ Parq Goncalves do Recife,
que tern de servir para 0 anno de 1873 a 187*.
Rua do I
X. 33. Silva OUveira 4 .
N. 3l. Manoel Teixeira de
Andxaie
N. 41. Maximo Jose
:, Andrade
N. 59. Jqse" Alves Barboza
f. Carlos Pmyne
Rua du Corainercio.
$. 2. Ra>mundo'Bernardo'
Lassor 2:400*QQ0
N. 7. Zefenno Jose da Cos-
ta Maia 1:200*000
N. II. Joauuiin Theodqrifo
das Marces 1:200*000
JL li JmliuoJosedaCosU l:260*60W
Thomfide Souza.
N. 8. Joao Francisco IB-'
tero ** 600*i;0fJ
. IV. llwino Rodrignas "
. Pereira % Silva mW 3CQ*0Qp
Travssa de Vigario.
N. 3. A. Anlonio More|-a '
[ Pinto 96*i00
N. 3 B. Anianio Joaqnim
Tavares 136*000
liispo Sardiaha..
X. I. Anlonio da Cruz Fi-
res 480,(00 19*800
Vigario Teaorio.
{I i A. Anjonie da ? -
. iq-lMarbus '
Gunnarajes
N. 1. Damol XaytVr rjj
pigo
D. JJaria Cesar,
jg. 16. Manoel PereirA' '2tJ0*K)Q
g. oi. Malbias IJnu^^ioVoOO
96*oqy
24*06(i
6*240
40Qiqf
ApofJo. "
jjuooo
W*
j
(
MUTILADD
llfGlVH
^"^ ----------......
.

\


Diarfo die Fenmartwoo
*
>f* 56. Pllomaud Jo*5 de
Miran/Ja 144*000
Draipgt<4 lo*i Mai tins.
Antonio per-
400*000
i
84*Jos<
WW
S. 18 Miguel
Jmposto de 2,
. nandes Fralequo 400*000 16*000
fi. 96. Goncalves Fe~pn
des 300*000 iifm
1 Am
|120*080 4*800
'e casa qne vende cit nab
jabricada na yrovincia,
Lanei \onto l'eito pelo 'an?ador Joao Pedro de
Jesus da Malta, das casas quc vendem cal nao
fabricada na provineia, oujo imnosto tern de Mr
arreeadado no-ejsrcieiq de Itfc.j a 1874.
R a do Commercii.
X. 13. Manoel Teixeira Bastos 200*
Largo do Corpo Santo
N. II. Antonb Miiniz Macbado 200*
N. 19. Oliveira & Filho 200*
Joaquim, Rcdnguas Tavares do Velio 200*
Pereira Vianna & C. 200*
Alfredo Ferreira Baltar 200*
Joaquim Piato Alvea 200*
Domingos Aives Maia 200*
Domingo* Alves Vlatheus 208*
Joaquim Jo&e Rodrigues Tavares de Mello 200*
Jose Maria P.ilmeira 200*
Joao do Rego Lima 200*
Caraalho & Nogneira 200*
Jose Peisoto d Focoa 20'*
Manoel Jose Ferreira. da Cruz 2 0*
Joaquim Jose Spares 2U0*
Mareiho Dias.
N. 14. JoseTavares Carreiro. & C 200*
Visoonde de lohaiima.
N. 60. Antonio Jose Vieira 200*
(Continua)
Primeira seccao do Consnlado Provincial, 22 do
dezeabro da 1873.
0 cbefe,
Eduitrdo Augusta de Oliveira.
O bacharel Bento Jose' da Costa, juiz de paz da
freguezia de Xossa Seithora da Grata, cm vir-
tude da lei, etc. etc.
Pelo presente convido a todos os eleitores e
supplentes abaixo roenciooados a compareccrem
ua 3.* djnunga do mez de Janeiro d anno rifl-
douro, no corpo da matriz da dita freguezia pe-
las 9 horas da maniia alim d organi>ar-se a jun-
ta qualificadora qu1* tern de rever a q-iahiicarao
do anno passado, ficando scientes que serao mul-
tado- na quautia de 10* a 60* us quo deixarem
de comparecer seat rootivo justificado.
Meltons.
Bacharel Bento Jose da Costa, vigario Augusto
Franklin Moreira da Silva, bacharel Francisco
Auguto da Costa, capitad Elias Goncalves Perei-
ra da Cunha, coronel Domingos ArTonso Nery
Ferreira, Mann I Antonio de Albuquerque M*-
chad", Jose Francisco Kibeiro Macliado, Bernar-
dino de Sena Viuniz, Augu>lo Jose Gongalves Les-
sa, Augusto Frederico de. oliveira, Jose- Luiz de
Souza. coronet Ant nio Gomes Leal, tenente-co-
ronel Thomaz Jo;e da Silva G Us nao, tacnarel
Josd Joaquim de Oliveira ronceea e Luiz Gatptt
ves d* Silva.
Supplentes.
Aiignsto Geauino de Pigueiredo. Jose Miguel de
Souza Mag.lhaes, J se Duarte Calisto, Braz Ade-
lino Cavalcante de Aibu juerqiie, Thouia/. Angus-
18 de Vneoneeilos Albuquerque Maranhao. Joa-
quiiii Clemenlo de. Lsraos Duarte, J >se Correia ilc
Sa Domingos Francisco Regis, Joao Luiz Be la,
Antonio Jose Manricio, Antonio da Silva Gusnao
Junior, Bernardino de Oliveira Corageoi, Joaquim
Aninnio de Oliveira Badnem, Vliiiiuel Octaviano
de Carvalho Pinto e Miguel Ferreira Pinto.
E par^.coniiar, mandei passar n preseute que
.>era affisaju iws lugares maid publicos de>ta fre
guezia, o publiralo pela imprensa.
Freguezia d3 N. S. da Gra^a, 16 de dezembro
de 1873.
Eu, Franeisjo de Barros Correa, eschvao que
o escrevi.
Betito Jose da Cosia.
A eamara muuicipat desta ci lade faz pu-
1'Hco para <, iei!imeri(o de qnem int--re3sar possa.
o artigo de posture abaixo tran cripto.
Art. 8" Xos primeiros oito dias do mez de janei-
iv) de cada anno, todos os medicos, cirurgioes,
pharnuceuliiX'S, droguistas, pai'teiras, sangrado
res, i.entistas vetennarios, mandarao a eamara
inuniciual a d'Tlaraqao de seus nomes, natarali
dades e morad.i* ifiol de que ella possa mandar
pnbliear a lita ile toda* estas pessuas : os infrac-
lores serao muludos em iO*.
Payo da cam m municipal do Recife, i9 de
dezembro de 1873.
Theodoro M. P. Pereira da Silva
i'ro-pre?idente.
Pedro de Albuquerque Autran
SecreUxrin.
eus doctimentos, qua lh sera ontreKoe.
Atogados, 22 de dpembro de..|ffl
0 siibdelegajo
Tristao Jacdme de Araujo.
Santa Casa da Miaericordia
daRe^if(*
A junta admraislrMiva da Santa Cam de Mise
ricordia do Recife, j mpe^ntemente autorisada
pela presideneia, em dita de 3 de seterabro do
anno proximo fiudo, e de conformidade com o que
disp5e o 9. art. 52 do sea com romisso. per-
aiuta por apolices da divida publica a fazenda de
criar ga|o que posane o patrinonio dos esta-
belecfmentos de caridade a sen cargo denomina-
da Carnauba sita no termo de Flores desta
provineia, com terrenos para criar e plantar, e
com a'aum gado cavallar e vacenm.
Recede para isto propostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da mis eri cor dia do Re-
cife, 10 de outubro de 1873.
0 escrivSo,
Pedro Rodrtgues de Souza.
p.t|ar suas passajjpiis nertea trans titraopdi-
oerios.
Escriptorfo i%
bride lt7fc'IU
ihia| ^U d
SSih Gerei
- O lllui. Sr. ius|ie<;lur da the.>ouraria provin-
cial manda f.i;:er pnblico que no dia 30 do cor-
rente mez, perante a junta la fazenda da in sma
tliesourana, s; lia de arrematar a quern por me-
i lizer o fornecimento de alimentacao e dietas
ii .ii-!-s is |i '-lire- Ua casa de Ueleocao, no triines-
tre de Janeiro i marqo vindouro, servindo de base
a fciTematacao os precos da tabella abaixo trans-
eriuta:
DIKTAS
Xumero 1 310 r=.
'' i 2 'i00 rs.
U-640rs.
a 4 460 rs.
5 400 rs.
Sera tambem fornecida aos presos ceit na im-
Dortancia de 120 rs., em quanto esU orcado o al-
moco e na mesma propor;ao. K para constar stS
man lou fazer publico por este jornal.
Secroteria da tlvsouraria provincial de P. r-
i.imbuco, 19 dc dezembro de 1871.
0 official maior
Miguel Alfonso Ferreira.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
il, omi cui.i|irimento do acto do Exm. Sr. com^
- ndalor presidente da provineia, de 4 do mez
>rrenle, mar Ja fazer publico que, na mesma
i-.esourarm, acha se aberta a inscripcao de apoli-
ces de divida provincial, ao par, vencendo o juro
!; 7 por cento ao auno, ate a imporlancia de mil
ontoB de r6is.
Secretaria da thesouraria provincial dePeinam-
!i ico, em 13'la dezembro de 1873.
Victoriano J M. Palhares.
Oiii ial-maior intcrino.
-itfUffl
SANTA CASA DA M1SER1GORMA 1)0
RECIFE.
A Hlina. junta administrativa da santa casa da
i isericonlia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessoes, no dia 23 de dezembro
pelas 3 hora? da tarde, tem de ser arrematadas a
quern :nais vantagens offerecer, pelo tempo de urn
i tr s annos, as rendas dos predios em saguida
d^clarados.
ESTABELECIViEXTOS DE CARIDADE
Rua de Aortas
l.oja de sobradon. 41.....306*000
Rua da Viracao
C sa teorea n. 7 (feehada) 240*000
Travessa de S. Jose.
-;sa ten-ear.. 11....... 101*000
PATRIM6NI0 DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
-Arad n. !8.......421*000
Rua da Cruz
Sobrato-n. 14 (fechada) .... 1:000*090
Rua da Guia
Casa fliwea n. 23. ., 200^000
Rao do' Pilar.
Casa tefrea a. 98.......241*010
tereet r.. 99 (fechada) .... :tf 1*000
Idem n. 101.........24l*'HXl
Idem n. 102 .......241*00'
Iff Rua do Rosario da Boa Vista
Cai* terrea n. 58fechada..... 245*000
Bua da Moeda.
Armazem n. 37 (fechado) 800*000
Rua Velha.
Casa^cea u. 44.......
Owwjtend'jntes deVerJo apregentar
arrenJncao as suas fiancas,
acoi piBb>ici4QS resjiectivos
i randa,
450*000
no acto da
ou comparecerem
i nadores, deveado
pagaraleni ila-rtnda,' o premio da quantia an>:
I'.te for seguro o predlo-'qils contiver estaboleci-
.r.ento wimmorcial, assim como o servijo da lim-
peza (Wrecos dos appareihdk. t*
-Secflfiria da santa casa da miseficordia do Re:
,-''e, WS& dezembro de 1873.
0 escrivao
Pedro Rodrigue$ de Siuzi.
-i- Pela subdelegacfa do 1 distrieto d is Afoga-
dos sedeclara qne se ach3 legalmente depositada
uma vacca : quem pcis ^e jnlgar com tireito a
olla se apre:'ente neste juizo deiitro do prato de
30 dtftVa liontar di data do presente, muuido de
= 0 admliiistrador da recebedorra de rendas
internas geraes faz sciente aos eoalribuintes da
decima addicional, que e ao corraule mez de de-
zembro que tem de ser pago, se-< mnlta, o pri-
meiro semestre do exercicio de 1873-J4, e com a
multa de 6 OjO depois do referido mez.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de dezembro de
1873.
_________Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
0 eonselho eeonomico do 2." batalbao de in-
fantaria, tendo de contratar o fornecimento dos
generos abraenttcioi abaixo declarados, para as
pra;as arranchadas no primeiro semestre do an
no vinilouro, convtda aos Srs. negoeiwites qne a
isso sa quizerein propor, a appresaatareni suas
oropostas em cartas fechadas na secretaria do ba-
talhao no dia 26 do corrente mez peas dez, ho-
ras da man hi, eertos os mesmus Sin. de que as
generos devem ser da nieltnr i|ualidade que lu ver no niercado, fecnecidws pelo pesos e roedidas
do syi-teina ultimamente adoptadQ e postos no
juartel por conta do cntratante. Prevlne se
mais que nio serao aceitas as propostas que nao
con"iverem xplicitamenU'i os uragos e todas as
de-laracoes necessarias s. lire a quali lade dos
mesmn< generis, nan se toinand i enj consideragao
aq-ielias que nao assentarem sobre nssa base de
legitima joneo rencia os genen>s sao os seguin-
tes : arroz pilado, assuear r.tneo rotiiiado, azei-
doce, bacalha. cafe en caroco e moid", oarne
sezca, carne verde, farinha de mandioca, da ter-
ra, (litre) feijao mohtmho e pnto, (bin) paes de
li'i e 230 grammas, manteig* ingteza e franc-za,
t.iuclnlio die Lisboa, viuagre de Lisboa, niilbo
branco pilado do Bio de Janeiro ( que deonninam
cangica) e lenlu.. em achas.
Secretaria do commando intcrino do 2.* batalhae
de infantaria em Pernambuco, 22 do dezembro de
1873.
0 alferes Jnao Baptism de Siqucira,
Secretann.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda (azer publico, que vai a praca no dia
31 do corrente, perante a junta desta thesouraria
para ser arrematado a ipiem p<>B inenos lizer o
cosieio da illmaiu ;ai publica da cidade de Goy-
anna por tempo de um anno, orcado em 286 rs
adiarios cada lampio
As pessoas que se propozerem a rasa arremata
e.lo, coinpareram na sala das sessoes da referida
junta conipeteiitemente liabilil das.
E para cmstar se inanJa publicar o presente
pelo jorual.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de dezembro da 1873.
0 ottV-ial- maior
Miguel Alfonso Ferreira.
f AhWi
rbie,
rente._________
1' sec^aoT-S'^ecwtana da presideneia de
Pernambuco, aqi 2J de de esla repartjejao se comtnun ca ao Sr. Izidoro Toeo-
dujo de Mlns Ferreira, qte segando foi deeljra-
do em aviso do ministerio ca guerra da 29 de ou-
tubro ultimo, a sua preteniio hoaras de tenen-
le do exercito nao pode sar attendida por nio se
acliar S. S. comprenendido nas disposicoes do de-
cruto n. 5156 de 4 de deze nbro do anno passado.
(Assignado). -0 secretaro interino
_______________'Adolphir totnenha Lins. _
ADMIXISTRACAO DOS GCJSREIOS DE PERXAM-"
BUCO-* DE D8ZE IBRO DE 1873.
Malas pelo vapor fraaiez VMe de Santos.
A correspondeneia que taatdosar axpadida hoje
(24) pelo vapor aciraa monciooado para os portos
do sul com escala peia Bahia, Rio de Janeiro,
Montevideo e Buenos-Atns, aefd recabida ale
as 3 boras da tarde.
0 tidmiBhtrador
AfloHBO dq iVflfo Barros.
AVISOS MARIT1M0S.
Para o Rfo Grande (fo Sul.
Sahira muito breva a b;.rc& nacional Deolinda.
Becebe ainda algirma poaca earga, para o que
trata-se com E. R. Babello 4C, a rua do Com-
mercio n. 48.
Para Ijsboa.
Seguira em poucos Um a taKkAprtuguPza
Grttidao. Para alfoma pdued MKOJlJe Ihe falta,
trata se com E. R. Rabello k (1, mercio n. 48.
/*
1...

.v.
istaite
____M.1
S
wmZm
m\
I
< OMI'AMin Hit iSll.l IH \
DE ,Tf i JII>. F
\AVEGACii)A VAPOR
Poi-tos do sul.
N
E' esperado dos portos do nortnnte o dia 26 do
corrente, e seguira para osdo sail depois da denwra
do costume.
fara carga, encommeodas, vaioras, pa*sareiros
s mais infnrnjapfcs, dirifam-se a roa do Vigario
n. 7, escripMio de
Pereira Vianna 4 C.
Agentes.
_-------------
LEiLBES.
---------
A imeoneria deteuanhwo
0 deposito de recrutas precisa contratar, pa-
ra o ranehu rtas pracas de pret do dito deposit"!,
em o primeiro semestre do anno 'indouro, os Re-
nerns alimenlicbs abauto declarados, os quaes de-
verao ser de primeira inalidade, a saber : arrnz
pilado, assuear mascavo retina-lo, azeite doce, ba
calhao, cafe em caroco, carne secca, dita verde,
farinha de mandioca, feijao, lenlia, manteiga fran-
ceza, paes d 172. grammas, ditos do 114 gram-
mas, touciobo de Lislioa e vinagre ; as pessoa'
que pretenderem dito fornecimento, anresentarao
s-ias propostas em carta fechada, a secretaria do
menciona deposito, no quariel da Saledade, no
dia 27 do corrente, pelas 10 boras da manha.
Quartel do deposito de recrutas em Peruambu-
co, 28 de dezembro de 1873.
Feliciano de Lyra,
_____________________Alferes secretario.
Sociedade Uniao Oatholica.
No dia de festa, 25 do corrente, o eonselho di-
rector desta .- .i 'ieda le man la celebrar duas mis -
sas, alem da ill costume, ao meio dia, na mes-
ma igreja de S. Pelro, sendo a primeira as 6 ho-
ras da manha o a segunda as 10 horas do dia ;
porlauto, os socios e mais lieN, que quizerem assis-
tlr a cllas, queiram comparecer as boras dim-
cadas.
i ojipiiiihiii Ferm (larril k Per-
uaiiiliiiru.
FESTA DO NATAL,
Os carros de-ta enmpanhia traiialharao extraor-
dinariamente durante as nottes de 24 e 25 do cor-
rente
Recife, 22 de dezembro de 1873. ,
______________0 gerente, G. A. Shmi-I.
C nsclh i de c nnpras de iiarinln.
De ordem do Exm. Sr. presidente do co faeo publico que acham se transferidos para ama-
nba, 24 do corrente mez, acompra e contrato an
nun '.tados para hoje.
Sala das sessoes do censelbo de compras de
marinha, 23 de dezembro de 187.1.
0 secretario,
Alexanlre Rolrigues dos Anjos.
Real companhia de paquetes
inglezes a vapor.
Ate o dia 27 do corrwile, spera-se da Kuropa o
vapor inglez Boync, oonMn.uadanM F. Reeks o qua I
depois da demora do costume seguira pajra Bue-
nos-Ay res. tocan4p nos portos da Bahia, Bio de Ja-
neiro e Montevideo.
No dia 30 da corrente, espwa-se dos por ton do
sul i) vapor ioglaz Neva, cummandante 11. Bax,
o tjual depuis da demora. do costume, seguira
para Southampton, tocando nos portos de S Vi-
cente a iiisbqa.
Pan fralos, nasaagens, eic., urata-sena agancia
rua do 0>reuuerci n. 40.
tneveis e mais utevieilio- perteftcentes a uma
k)ja meconitn
OCARTA-FEIRA 2>4 DO CORRENTE
is 12 boras em panto
0 preposto do ageote Pestana fara leiljo dos
moveis e mais ntensilio pert-nwuti-s a uma loja
mac')nica. que deixa da fniieeiuiiar por falta de
MHtutro suflJcieato. de iriuaos, a qua! se acha
abrigada (mnito a seu pezar) a tortiar essa medi-
da, alim de liqnidjir seu cuwpii.rmssu
Hoje
ds I horns eiu ponto
no segnndo andar n. 40, a ma do Commercio, an
tiga rua do Trapiche, para ainuna informacao
a tratar como mesiiKi agenie, a rua do Vigario
n. 11.
C0MP4NH1A
DOS
TRILHOS URBAiNOS
DO
.Recife k Olinda.
E Bebcribe.
Na noite do natal (de
24 para 25) alem dos
trens da tabella, conti-
nua rao ms partidas dos
trens de hora em hora,
por tdda noite.
0 gerente,
Laurenlino Josi de Miranda.
ESTRADA M PERRO
D i
Recife a (3axangd.
Os trens extraordina-
rios dos dias 24 e 23,
( hoje e amanba ) ser
rao refzulados pela ta-
bella seguinte : ftcmdo
prejulicado o annuucio
anterior.
11
1.
25.
LINUA PRINCIPAL
Ikeife a Caxanga.
e 12 horas da nuite do dia 24.
2, 3, 4e 10 horas da manha, do dia
41 e
12 horas da noite de 25.
Caxangiao Hncife.
10 horas e 35 minulos da noite de 24.__.
12 e 35, 1 e 35, 2 e 35, 3 e 35,
e 10 e 3.5 da manha de 25.
10 e 35. 11 e 35 da noite de. 25.
LRW\ DO AR RATAL.
Recife aq Monteiro.
12 boras e 5 minutos, 2 e 5 e
manlii rje 26.
11 e 5 da nolle de 25.
Do Monteiro ao Recife.
11 boras da noite de 24.
1 e 3 horas da noite de 25.
12 boras da noite de 25.
Provine-*e que os 9rs> assigtiantes
4 e
s if
tem de
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
DE
\'avi,j;iit,d oateiru vapor.
MAMANGI1APE.
0 vapor Corutipe, com-
tnandante Santos, seguira pan
o porto acima no dia 27 d<
corrente, as 5 boras da tarde
Becebe carga, encoinnieu
das, passageiros e dinheiro i
freta. ate as 2 boras da tarde do dia da sabida :
escriptorio no Forte do Matto? n. 12.
Rio Grande do Sul
Para o Wo Graado do Sol prelende seguir com
brevidado o patach portuguez Joven Correa, por
te.r alguma carga; e para a que Ihe falta trata-se
com Os consignatarios Joaquim Juse Goneatve?
Beltrao, a rua do Co/nmercio n. -1.
Lisboa e Pqrto
Sague viagera muito breve a galera portugueza
Usb'i, pjr ja se aclur coin quasj todo o ceu car
regamento tr'a|ado- P^ra. a pouca carg que Ihe
f jila e passageiros, aos quaes efferece muito bom
co i urn-ii lo : trata-se com Tito Livio Soares, rua
do Vigario n. 17.____________________________
LISIM\
Para o referidc porto pretente seguir com a pos
iivel brevidade o brigue portuguez 0. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a que Ihe
alia, que recebe a freta commodo, trata-se cojn
is consignatarios J-iaqnim Jose Gou^alves Beltrao
k Pilho, a rua do Commercio n. 5.
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
DE
.\'ti* eganlu coaiteira a vapor.
MACF.16, ESCALAS E PENEDO
11 vapor Mandahu.
commandante Julio,
seguira para os por
to- acima no dia 31
do corrente, as 5 ho
ra* da tarde.
Recebe carga ate 0 dia 29 do corrente, encorn-
nendas ate 0 dia 30, pas ate as 2 horas da tarde lo dia da sahida : es
criptorio no Form do Vlattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\iivi'Kai'ilo coMtoira a vupr.
aRAUYHA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACa-
TY, CRAftk, MA.ND.VHU E ACARACO*.
0 vapor Ipojuca.
commandante Houra
seguira para os por
tos acima no dia 31
do corrente, as 8
boras da tarde.
Recebe carga ate" 0 dia 29 do corrente. encom
mend'.s ale o dia 30, passageiros edinheiro a fre
te ate as 2 boras da tarde do dia da sahida :
ascriptorio no Porte itn Mattos n. 12.
PAKV
Pretende seguir com brevidade para 0 Para, 0
i ate (Hindi, por ter parte de sua carga, e para
a que lbe falta, trata-se com os consignatarios Joa
juim Jose Goricalves Beltrao & Fiitio, a rua do
Commercio n. 5.
tfio Grande do Sul
Para aquelle porto recebe 0 palacho nacionai
Lenpoldina carga a frete. devendo seguir viagera
em poucos dias : para tratar, no escriptorio de
iilva & Cascao, a rua do Marquez de Olinda n.
50, 1 andar.
Com},, nliiii Fniaito d iVavg
0 a vapor
Ldnhamensal entre o
Havre, 1. is boa, lVi*iiauibu<-<>, Rio de
.!:neiro, (Santos, soiii<-ntc na ym
ta ) Montevideo, Kuenos-Avres,
(com haldpai'ao para u Itaswrio)
Coimuaiiilaiite JLof^vrc*
Segue viagem hoje, f$ dp corrente- as o h.'iraj-
da tarde, p^ra os portos do sul db sua escala.
Relativamente a fretes, ene mmendas, pa>fagBJ-
e 35 rN P*ra os W& tem e>;cHlentes acoramodai.oe*
por pregos reduzidqs : tr,ita-^a coon
US COXSIC.NATARIOS
AUGU ilRua doCoinrnerci.iEntradn pela rua
-----------
do Torres.
H'sNa
___
~
. Para 0 referido porto pretende seguir com pouca
4vnnra 0 brigue portugjez Ligeiro 111, de 1*
classe, capitaoif9rM,e,.p#iNtr a maior parte de
3( carreganterit* angajiHai, e para 0 resto que Ihe
falta trata-se com os consignatarios Joaqnim Jose
Goncalves Beltrao <$r Pilho, a rua do Commercio
U 5,
&
confeitaria da rua do I'nperad^r n. 26
HOJE
CONSTANPO DK:
latas com ovasdle bacalhao, latas com leite con-
densado, d*is de marmelada, ditas coin lorabo
de porco, ditas com "(teixe, vioho Bomleaux fino,
garrifas de licor, ditas de vinho madeira, dila?
com vinho do Porto fino, biter francez. frascos
com alcaparras, ditos com inarrasqnino, gar-
rafas rte cognac, dilTrento< uienciji)8 para tra-
balho de confeitaria, como sejam : tachos de
cohre, formas para pudms, baeia de ronfeitar
ameBduas, tambem alguns nrnveis e 3 fiteiros,
e Bern assim um variado surlimenlo decesti-
nhas, caixmhas, cartuxos com amendoas e con-
feUos. objectos proprios para presentes de festa,
quo todo sera vendido para liquidar
pelo agente \tartins.
Principiaiido as 11 Imras do dia.
LEILAO
50 amarrados com
DE
%i0
arrobas do carne
secca
SEXTA-FE1RA 27 DO
H> I I in- as 'la
CORRENTE
niaiihA
no trapiche da companhia pernambucana
Por nianiladu do lllm. Sr. Dr. juiz de direito e-
peciai do commercio, e a reqiieiimento do Sr.
Joao Karoos, depnsitario, o agente Pinho Borges
t'ara leilao da dita carne, por conta e risco de
qnem perlencer.
A^jSUo Otf^H^O^
Aluga-se uma pequena casa e muito fresca
por I6J>. eom sala, 2 quari >s e cozinha fora, em
Santo Anaro das Saunas, rua da Pundi^ao : a
trater no mesmo lugar, rua do Lima n. 10, ou
Livramento n. 2. loja.
ALUGA-SE
A casa n 13 a Passagem da Magdalena: a tratar
co J. I. de M. Rezn.
Aluga-se uma casa ua Capunga, com com-
modos para familia : a tratar no mesmo lugar,
rua das Crionlas n. S. Na mes na casa preeisa-se
de nma ama para 0 servico de casa de pouca fa-
milia.
AOS 4:000|000.
BILHETES GARANTIDOS.
1 ma Primeiro de Marco (outr'ora rua dt
Crespo) n. 23 e casas do costume.
0 abaixo assignado tendo vendido nos seus fe
Izes bilhetes, um meio n. tOl com 4:000/000,
um meio n. *70 com 700#, e outras sortes de 10*
e 204 da loteria que se acabou de extrahir (80'),
convida aos pussuidores a virem receber na con-
formidade do costume, sem desconto algum.
Aeham-se a venda os felizes bilhetes garantido?
la 17* parte das lotarias a beneficio da Santa
Casa de Misericordia do Becife (81), que se extra-
hira na terca-feira, 30 do corrente mez.
PRECOS
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
EM PORQAO OB 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
M Beiicoo de novo templo da San-
tiw*iena Virgem do I'crco.
iranl'ereiifia da
gens, e u
dia
featta da nicsnia augusta
Senbortt.
A mesa regedera da irmandade do Terco, pos-
suida do mais ex"essivo prazer por ter consegui-
dd o sen maior desejo na conclusSo do mesmo
templo na sua adrojnlstracaa vem perante o pu-
lilleo mm so patente'ar o jubilo, de que se acha
passuida, como scientificar, ou descrever o pro-
gramma dos actos que pretende fazer.
Tendo S. Exc. Rvma. recebidq a commissao
dasla irmandade com pa|>iroal afago, e raoslran-
fo-sejubijo's'o pela expdslQaoj que em rude phra
J lbe fizemis, se dlgaun acceder as nos>as
rugatlvas, prestando se a vir benzer o dito templo
no dia 1 de Janeiro do novo e futuro anno as 4
horas da tarde, e tera lugar a bent*4o das ima-
gens na igreja matri- de S. Jose, no dia i a tarde
e sera a trasladacao das imAgens para a sua igra-
ja, e a festa da padroeira no dia 11 de Janeiro
pfloximo futnrtt
0 secretario,
Antonio Ferreira de Oliveira.
- PrtflMaee d-|0:0f0|000, dandoie poi
poibeea uma propriedade duas leguas dist!
desta cidade, c para maior garantia da-se Urabem
7 ascravos mocos e sa-MOs, lfwes todos de qual-
qnor onus : a pessoa oue qnizer fazer este nego-
cio, djrija-se em carta fechada a tarerna da rua
do Duque de Caxias n. 41, eom as inniclacs T,
" eOZIMMfiO
Precisa-se de uma cozinhcira, forro ou escravo,
para uma casa de familia no Monteiro : a Iratar a
roa do Marquez de Olinda n. VS._________
0 Sr. Antonio Pereira da Rocha, morado-
era Serinhiem, 6 rogado para vir ou mandar rear
lizar o quc nao ignora, no esoriptorio de Tasso Ir-
maos a C_________________________________
Antonio Jos6 Fires
0 bacharel Lniz Antonio Pires e
seus irmaos convidam a sens pa-
rentes e amigos e os de seu fmado
pai Antonio Jose Pires para assis-
tirem as missas que mandam cele-
brar por alma do mesmo, no dia
24 do corrente, us 7 l[2 horas da
rnaotH, setimo dd sen fallecfmerrto. no recolhi-
meato de N S. da Gffa d -freguerta'da Boa-Vis-
:; K
la e oaoapeila da Ponte deuchOa.
Candida Julia Neves
Galvdo
Hanoel de S >uza Galvao, sua sogra e cunhados,
mandani resar alguma* missas por alma de sua
muito presada esposa, filha e irma, Candida Julia
Neves Galvao. na rgreja de S Faancisco, as 8 ho-
raa da manna do dia 26 do corrente, anniversario
do seu falieciinenlo, a coavidam os seus pareutas
a amigos pra assrstirerd a esse acto.
.Icsiiimt Candida da .\ativulade
Ferreira
I)omingi Pinto de Freitas, Maria A. da Con-
ceiian Ferreira Freit u, Domingos Jose Perreira,
Antonio J.is* Mureira, Fttomena Roea do* Anjos
Ferreira Moreira, (e ausentes Leonardo Jof6 Ri-
beirn de Magalbae.-. Clamlina de A. Ferreira Ala-
galaes. se coaWsam n-conhec'dos para com as
pessoas quo se digoaram assistir aos ultimos suf-
fragios feitiw a sua cunhada e irmi Jezuina Can
dida da Nutividade i-'erreira ; assim como, de no-
vo rogam a Indus os parente.- e aiaig s, o caridoso
obzequio do as-istirem a algnmas missas que se
t> ni de celebrar no setimo dia de seu passamen-
to, sxta-fira 6 do corrente no convanto de N.
S. do Carinn as 7 boras da manha.
AIexandrinc^Je^ujno Tavares.
Joaquim Juse de Olinda Tava-
res, Franrisca Maria de Moraes Ta-
varea, Jaquim Jos6 rte Olinda Ta-
vares Filho, Joaquim Grato de Olin-
da Tavares, Maria da ConcetQao
Tavare3 Pereira de Burgus, Amelia
Augu-la ile Olinda Tavares, Neomizia
Ermebndade Olinda Tavares, Manoel Antonio do
Moraes e Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce
de Leon Filho, paes, irmaos, tio e ennhado do fi-
nado Alexandrino Jesuino de Olinda Tavares,
agradecem cordialmeute a todas as pessoas quo
acompanliaraiu aj cemiterio publico seus re-l.H
mortaes, e as convidam para assistirem a uma
missa que se resara no convenlu de MnMa Senho
ra do Crmo, as 7 e meia horas do manha da 6*
feira 26 do corrente, seurao dia do seu f tlleci
mento, pelo que desde ja se coufessam etcrnamen
te gratos.
. k iv.
Angelo da Costa Mello
Rosal.
Felismina Idalina Barreto Bosal, agradece cor-
dialmeute a todas as pessoa- que acompanharam
ao cemiterio publico, os ra presado espnso Angelo da C"Sta Mello Bosal: e de
novo as convida e a lodes os amig>>s, para assisti-
rem uma missa de requiem por sen repouso eter-
bo, na igreja de S. Jose do Manguinho, as 7 boras
da manha do dia 20 do corrente.
^BKflHBMMBiaHBi
Escravo fugido
Do engenho Jose da Costa, freguezia d) Agua-
Preta, fngio um escravo pertencenle ao abaixo as-
signado, cmn os signaes seguintes: Cezario, cabra,
cabellos carapinhados, porem alto, quasi caixado,
tem um lobinha do lado esquerdo da testa acima
do olno, sobran-ellias rabelludas, vista, espanta-
da, nariz grosso, bocca g'rande, falta de dentes
do lado decima, caracbupada, tem o< peitos um
tanio cabelludos, varias in .r-'as de carbunculos
nas pernas, e baixo e de poueo corpo, pe peque-
no, andar apressado.- quer titubiar quando falla-
se cum elle : e carreiro. cambiteiro e purgadur.
Esteve no engenho Diamante, de Ipojuca, traba-
Ihando como forro com o nome da Manoel Joa-
nuim, donde evadira se logo que foi conhecido :
regase as autoridades policiaes e as pessoas que
deile soubereni (segnndo os signaes indicado.-) a
captura, e fazer entrega na praca aos Srs. Cunba
Irmaos, & C, ou no dito engenho ao seu senhor,
que sera pago com generosjdado.
Febx Valois de Oliveira.
CASA DOOM
Ao* 4:000?00
Bilhetes garantidos
,ma do Bardo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba de vender nos seu:>
nnito felizes bilhetes a sorte de 7i)0* em um
meio de n. '70 e um meio de n 2170 com a sorte
de 100*, atern de outras sortes menores de 40*000
e 20*000 da loteria que se acabou de extrahir
(80*; ; omvida aos possuidores a virem receber,
que promptamente sera > pagos na forma do cos
tume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiti
vel pnblico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer i remio, como prova pelos mesm> i
annuncios.
Acham-se a venda os muito feli es bilhetes ga
"antidos da 7' parte da loteria a beneficio Ua
santa casa da mi-ericordia, que se extrahira no
dia 30 do corrente mez.
Preeos
Inteiro 4*(KKi
veio 2*000
De 1005000 para eliun.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 23 de dezembro de 1873.
Joao Jiviqnim da Ciixla Ml*.
Mil hi lu fii
.Titti'it" I Ui
..
No dia 19 do corrente moz fugio*o mulato Ge-
dnianno, que foi escravo do capiuto Finnino, em
Mftiicota, e tem os signaes seguinte- : estatura
regular, cheio do corpd, falta da denies na (ren-
te, lem na btaqo direito urn corncao com-as to*
trks A. M. Q; sabio com calca de brim, chapeo da
Mfenilha, costpma andar pelos Afqgados, Beberibe,
Ofnda, Maricota e Ignarassti: qnem o pegar di
rija-se a rua larga do Rosario u. qne sera gra
tincado.
ATTENCAO
Fugiram do engenho Noruega, freguezia da Es-
cada, no dia 9 de dezembro corrente, os seguintes
escravos:
Felix, mulato, allura regular, falta de denies na
frente, secco, rostodesearnado, muito conversador,
e bom carreiro. Levou duas cainisas de madapo-
aO, 2 caljas de brim, sendo nma de listras e oulra
parda, chaoco de baeta parda, ja vel ho. Repre
santa ter 0 annos de idade.
Olemencia, cabra, com falta de denies na frente,
roBto d9scarnado, ropre.sMitaod/> Mjr 30 annos de
idade, tendo a munheca da man dt-eila nm pouco
torta. Levou vesti'o de cftita cahocla, e de algo
dao de listras, cbale de chita azul, uma rede e
mm ronpas.
Boga se as autoridades policiaes e aos capitaes
de oampo a captnra de-tes escrav is. pudenda piles
ser entregues no engenho acima ao sen senhor,
Jose Ignacio de Mello. ou no Beeife, >-ua da Ma Ire
de Deus n. 30, 1 andar, ao Sr. Bernardino de Sena
l'onlual, que serao re ompensados.
no cnwiia
Os abaixo assignados declarant ao respeitavel
corpo commercial desta praca, qne dissotveram
afiigavelmenie a sociedade que gyrava sob a firms
de Carvalho Guimaraes & C, ticandu o aclivo
pissivo a cargo *>s mesraos abaixo assignados, e
s Srs. Augusto Ferreira da Carvalho e Joaquim
Rudrignea. Pereira pagos e sati-feitos da seu capi-
tal e lucros.
Recifo, 23 de dozombro de 1873.
Custodio Antunes Guimaraes
Antonio da Cost* Ribeiro,
4 \m)mi% k festa *
0 que dizem pur ahi.
A verdade vou direr*vo*, n
Sem embargo do mao tempo ;
Nao e graca, vou contar-vos
0 qne dizem... por exempt*:
Qua a BARBIGA e a mai da humanidade a quc
esla como lilha obediente deve tratar com requm-
tado desvelo de sua dilectissima e infallive) mai
Que para isto e indispeosaYel quo os gaslrnno-
mos habitantps de-ta Leila cidade c tana IMfear-
bios, como parle integranie dahdmanidade, devem
vir ao muito util e conhecido armazem do Cam-
pos, a rua.do laiperador n. 28, comprareni os
novos saborii-iraos presnitos para Bambpes ; os
gostosos pak>09 abofoios salames, os apj#|eti-
veis lumbos de porco; as delicadas ltnguifas e-
salchkihas. os digastivos pcuas am latas, a tinis-
sima .natiteiga ingleza franceza, os deleitosos
biscoitos, as oxciiaales conservas. as deJiciosas
ameixas, passas, anieadoas a nozes, as aprecia-
veis fructas em ealda, os flexiveis doces, o mag-
niflco queijo flamengo e prato, o embriagante cha
penito; atjafra a p*e, os subsUneiaoe eboeolalea
cacao em po, os refrigerantej Jioores, as calman-
tes cervejas, os corroboranles bitters, os iuspiran-
tes vtnltos do Porto, Madeira, Bordeaux, Figuei-
ra, Lisboa, Choiry, ollares o tmtras muitas qua-
Iidades, a e.-rruscantecliampagoe, cidra o um lam
nnmero de raros e arrebaladores ari;iipciv qne
da forca, vida a prater, afitn de rediean in oi-t-
riamente o receptacnlo de suas'idolrtradMimas
Barngas ;
Que, quem qurzer fazer nm dsMeado lrm.-h, fu-
mar nm prhnoroso cbaruto da Baliia e l-eUer nm
copo d'agua fria (gratis a agua) oae \k ao arma-
zem do Campos, unico qne tern- dpawastrado alK
a evideneia a inflnencia da i amha do inundo a
- barriga
Mcpibo p>rqne
Ora esta d boa.
Quem quizer ser ditaso. ser Mia
Deve ao Campus s Evitando asstmde ir maj passSnoo;
Deleiiando a barriga c o nariz.
li'i
Alem do qne dizem nmitas ctjqsm i por
exemplo qne o Campos dsA quem vende'bom e
barato, que so e o uuicu que. da amoslras de gea-
rs; que so elle, e qui-in capnc.ha em U-r bom
peso, que e elle so quem manda law gratis
em casa do comprador os generos comprados (a
uiuheiro) era seu arma7em. quer deulro da. cida-
de, quer nos seus adjaeentes ; que unicamente
so e no armazem do Campus, a rua do Imperadox
n. 28, unde se eno.nira um completo e eepleudi-
do sortimenUi, verdadeiro Cenlro do peregri-
nas e exque-itas victualhas. onde todos. (macons
jesuitas) devem vir satisiazer esta obra da nuse-
ricordia (ja se sabe, trazendo dinheifQ) dr do
comer a barriga attendendo a que :
Do dia a questao ja niio existe,
Que o Campos fez cessar toda esta briga,
De-fechando este nolpe philosophico :
Tralem todos primeiro da barriga.
Finalmente que, as interessaiites menmas dt
zm que, s6 gostam de doces do armazem do
Campos ; as seduetoras e espirituosas mocas qne,
6 toniam um calice de bitter estomacal se for
do armazem do Campws ; as respeitosas matrenas-
que, so se recordam do |iasf ado quando saboratam
alguns acipiiies do armazem do Cainims ; os ele-
games e amaveis rapazes que, so fumam obaru-
tis do Campos ; os velhos que, so scntnn excita-
cao quando cumem certas iguarias do Campos
e ate os forasleire* so procuram o I'ampos, sc
querem o Campos e so gostam do Campos, aponto
de... vejam :
Do Campos a fama como vda
Nos bailes, theatr*is e cafes ;
Maxambombas, l>onds e jardins,
Betroand do inundo nos confins,
Deia a todos uma nova, feliz, boa
E vai passando d> s annos atravez I
v
PREDIlECiA
A' rua do Caliu^a n. 1 A.
Os proprietaries da iredilecla, no inluito de
conservar o bom conceito que teem merecido do
respeitavel publico, di-tinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais quo m-gociam no mesmo genero,
veem si-iemificar aos seus bons freguezes que pre-
veniram aos eu< corresiamdentes nas diversas par- -
cas d'Europa para Hips enviarem por todos ospa-
quetes os objeclo- de luxo e bom gusto, que se-
jam mais hem aceitos pelas sociedades elegantes
daquelles paiies, visto aproximar so o tempo de
festa, em que o bello sexo desta linda Veneza
mais ostenia a riqueza de snas toillettes ; e co-
mo ja recebessem pelo paquete francez divrrsos
artigos da ultima mnda, veem patentear aliruns
d'entre elles que se turnam mais reenmmendaveis,
e-perando do respeitavel publico a costumada
concurrencia
Aderecos de tartaruga os mais lindos que teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e de.
velludo, sendo diversos tamanbos a baratos pre-
cos
derecos completos de borracha pr prios para
loto, tambem se vendem meios aJerccos muito bo-
nilos.
BotSes de sctim prelo e de cores para ornato de
vestidos de sei.bora ; tambem tem para collete e
palitot.
Bolsas para senhoras, existe um bello surtimen-
to de seoa, de palha, do chagrin), etc, etc., por
barato p-eco.
Bonecas de todos os tamanbos. tanto de louca
como de cSra, de borracha e de massa ; chama-
mos a attenc.ao da< Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tomam-sc as criaueas um pouco im-
pertinenies por falta do um obiecto qne as en-
tretenham.
Cainisas de linlio lisas e com peitns bordados
para homem, vendem se por preco commodo.
Ceroulas de linhu e de algoJir, de diverts pre-
50s.
Caixinhas com musica, 0 que ha de mais liudo,
com disticos uas tampas e proprios para presen-
tes.
Coques os mais modernos e dc diversos forma-
tos.
Chapeos para simhora. Receberam um sortimentc
da ultima moda, tanto para seuhora, coujo para
raeniuas.
Capellas simples e com veo para noiyas.
Calcas bordadas para ipeninas.
Euiremeios eslampados e bordados, de Hbdus
desenikis.
Eicovas eleetricas para dentes, tem a proprie-
dade de evitar a carie do^ dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, exile utn
grande sortimento de diverfas larguras e bartlo
Preco-
Pitas de sar a. de gorgurao, de setim e de e' a
malote, de diversas larguras e buuilas cores.
Fachas de ynrgurao muito lindas.
Flores artificiam A Prcdileeta prima em con-
servar sempre um bello e grande sortimento des-
tas flo es, nao s6 para enfeite dos c^bellus, como
tambem para ornato' do vestido de noivas.
Galoes dealg-idao. de IS e de seda, bcancos, pre.-
tos e de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda do -diversas. cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para J
noiva.
Livros para ortvir missa. ecm capas de frtadre-
perola, marfim, 6s^o e vellado, tndo qua ha d^
bom.
Pentes de tartaruga e marfim para gbearos ca-
bel os ; teem tambem para tirar eiupan, *
Port bouquet. Urn bello serlimento do madre-
ptrola. marlim, Asso a donrado pur baram oreco.
Perfumarias. Nesta annhi esta a Predile-ta ben
provida, nao so em extraCTOs, com. em oleos e
banhas dos meihores odora, dos mais famados -
fabricantes. Luubin. Piver, Soctedad'- llygienic.i,
Coudray, Gosuel e llimel ; sa^a indisnensaveis par:.
a festa. <
Saias bordadas para siBnhora, por commod*
preco.
Sapatinhos da Hi a de setim bordado3 .para bap- -7
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bnnito sorti-
memo de diversos tamanbos, tanto para sofa cc
rao para entrada do sala
Vestiraentas para, bapHsftdbo que ha de melhor
gpsto e os mais modernos. recebeu a Predilectt fc >?
vende por barato preco, para Bcarao alcance detv /
qualquer bolsa.
Rua do Cabug& n. \
' f
***u^-.-
WTimira 1
m*.
*
Jk-
mm
* UM


- -

I
/y
\
Padaria.

Diario de Pemambuoo Quarta feira 24 de Dezembro de 1878.
' Aluga-se a da rua do* Pescadores ns. I e 3 :
a tratar com Tasro IrmJos, ma do Amorim n. 37.
*
% incrivel!

0 crimiooso d morle Andre Jaaquim de San-
1 Anna, pronunci.ido na provincia das Alagdas,
omo incurau sat. oenas do arligo 193 do codigo
Timiaai, qua se actiava preao na casa de de
i^nvao de. ..ouceilido pelujim do direilo do segundc distric-
to criminal de*ta comarca! !
A atmi do assatstnado.
no Micm
Motta Junior & C. e Antonio Martins Leite <&
C administradores da massa fallida de Jose Nar-
ciso da Siva & C. convidam aos credores 3a
massa quo apresentem sens timlos ate" o dia d
de Janeiro, aflm de serem verifieadas e admitti-
das ao rateio.
Redfe, M de dezembro do 1873.
GASA
uma pequena familia precisa de alugar nialade
de uma tambem de familia, fo serve na freguezia
de Santo Antonio : a tratar na rna larga do Ro-
-arioo. 20._______________
Fugio o men escravo Napoleio no dia 1* de
dezembro de 1873, levou corns! go camisa de azu-
ao, calca de estopa, chapeo de palha com tinta
azul, esta^ura oito palmos, cara li>a, so tern buco
de barba, na perna direita tern uma ferida na ca-
nella, e no dedo grande do pe direito tem tambem
sob a anna uma ferida, pes grande?, mal feitos e
gross*'* : qnem o apprehender e levar a seu se-
nbor Sebastiao Jose Mendes da Silva, nos Afoga-
dos, no sitio do Boi, sera bom reeompensado.
1V0 HOTEL
NA
Villa de Iguarassii.
O tenente Francisco Xavier Dias de Albuquer-
que tem a bonra de participar ao respeitavel pu-
blico que abrio, na villa de Iguarassii, urn hotel
bem provide de todo o necessario para bem ser-
vir a aquelles que o quizerem honrar com as soas
tregUezlas ; certos de que flcarao satisfeitos com
o servico e a commodidade dos preeos. Junto ao
mesmo hotel esta montada uma cocneira para re-
colnimenlo dos animaes dos concurrentes ao bo
lei, tambem per preeos commodos.
Agua florida, de Guislain,
para fazer os cabellos pre-
tos.
A aguia branca, a rua Duque de Caxias n. 50,
acaba de receber nova rcmessa da apreciavel agua
florida para fazer os cabellos pretos. 0 bom re-
sultado colhido por quern tem feito uso dessa
inoffensiva preparacao a tem altamente conceitua-
do, e por isso apenas se faz lembrar a quern no-
vamente della precise e queira se aproveitar de
sua utuidade. Tambem veio agua de topasio e
oieo florido para o mesmo u e tao acreditados
como aqnella.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de c6res.
A aguia branca, a rua do Duque ds Caxias n.
80, recebeu novas e bonitas voltas e brincos de
grossoa iljofares de cores, e como sempre conti-
nua a vende-las por preco commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
Verifies especiaes para carraa-
. Este verniz, cuja falta aqui tanto sentem
os-Srs. fabricantes e possuidores de carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sito, das seguintes qualidades.
VERNIZ SLPERF1N0 FAHA CAIXAS DE
CARRUAGENS.
E' urn verniz muito claro c duravel para
as caixas de carruagens, para todas as de-
mans, ou para a oh.ima somente, sobre
outros veroizes. A superfieie secca em 12
boras, depois das quaes se expoc ao, ar por
algum tempo, o que faz endurecer, o passa-
das 15 a 18 boras pdde passar-se a caixa a1
pedra pome e daf-Ihe em seguida outra de-
mao. Dao-se com facilidade tres demaos
deste verniz sobre as tintas, em ires dias.
A primeira demao servindo de apparelho,
ajuda a seccar as ultimas demaos e produz
um excellente brilho.
Verniz superior seccante para
carruagens.
Este verniz e da raesma cdr que o ante-
cedente, mas endurece e secca com mais ra-
pidez. Emprega-se com bom exito nas
obras urgenles, e pode misturar-se com o
anterior. A duracSo do verniz permanente
diminue na proporcio da mistura.
VERNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS
JOGOS DAS CARRUAGENS
N3o e tao claro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carruagens e tambem para as pri-
meiras demaos sobre cores escuras. Pode
passar-se a pedra pome passadas 10 boras,
podendo dar-se em seguida outra demSo.
Verniz pre to do Japilo, superior.
Para trabalhos em preto de carruagens.
Produz o preto mais escuro e brilhante, e
pode passar-se a pedra pomes 10 horas de-
pois. Deve dar-se duas demaos sobre um
fundo preto e cobrir-se com outras duas de
verniz que se emprega nas caixas das carrua-
gens.
VERNIZ PARA COUROS, BRILHANTE E
ELASTICO.
Este verniz, contendo na sua composicjto
grande quantidade d'uma substancia muito
semelhaute ao azeite denominadopieds baeuf,
e o unico que dd flexibilidade ao couro ve-
Ibo envernisado. Em geral basta uma de-
man que deve ser applicada muito ligeira-
mente, com um pincel depois de ter limpo
o couro com agua-raz. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 boras, e & sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempo humido e inutil tal
trabalho, por que nao e possival tornar o
verniz elastico e seccante ao mesmo tempo,
Verniz para apparelho.
Depois de ter apphcado 2 ou 3 demaos
deste verniz n'um intervallo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no fim dos quaes se pode pulir com extre
ma facilicidade. E' essencialmente neces-
sario cobrir este verniz com duas demaos do
verniz superfino para caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas de apparelho, e
sobre tudo com as tintas moidas, para que
sequem mais facilmente e para lhes dar
mail consistoncia. k
A aguia branca, a rua do Duque de Caxias n.
B0, recebeu novo sortimento de bonHos diade-
mas dourados e com pedras, tanto para mei.inas
como para senhoras.
Colleccoes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, a rua Dnque de Caxias n. 50,
recebeu novas colleccoes ou normas para as crian-
cas aprenderem a escrever por si mesmo, hoje tao
nsadas nas aulas e collegios; e como sempre ven-
de-as por preco commodo.
Meias cruas finas para meni-
nas e senhoras
A ioja d'aguia branca, a rua Duque de Caxias
n. 50, recebeu novo sortimento daquellas tao pro-
enradas meias cruas para senhora, vindo igual-
mente para meninas, e continua a vende-las por
preeos commodos.
Veos ou mantiuhas pretas.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca
xias n. 50, recebeu bonilos veos ou mantinhas
pretas de seda com (lores, e outras a imitacao de
eroche, e vende-as pelos baratos preeos de 34,
it 6J0O0. A fazenda e boa e esta em perfeito
estado, pelo que continua a ter prompta extrac-
cio
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nhotos dourados e coloridos.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de
Caxias n. 50, recebeu novos grampos com bor-
ooletas, bezouros e gafanhotos 0 que de certo 6
perfeita novidade. A quantidade e pepuena, e
por isso em breve se acabara.
Novas gollinhasornadascom
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca a rna Duque de Caxias
60, recebeu uma pequena quantidade de boni-
e novas gollinhas, trabalho de la e seda, en-
eitadas com arir inho, obras estas de muito gosto
e inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, a rna do Duque
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diademas de aco, e como.sempre conti-
nua a vende-los por preeos razoaveis
Caixinhas com p6s dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
que de Caxias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
outras c6res.
A loja da Agui 1 Branca, 4 rua Dnque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortimento de hm "< de
pellica, pretas e de outras cores
Agiias Alcalino-Gazosas das Pe
- dras Salgadas.
Villa Rouca de Aguiar.
BICARB3NATADAS-SODICAS
Analyses do Dr. Jose Julio Rodri
goes, lenle da eseola Polyte-
eknlea dr Lisboa.
Esta excellente agua usada com vantagem no
padeeimentos das vias digestivas, nrinanas d<
eiiomago etc., etc.
Vende-se
NA
Pharmacia e drogaria
SA
________Rna larga do Rosario n. 34._______
Vende-se
A tvaerna da rua da Penha n. 6, bem afregne-
4ada tanto para a terra como para 0 mato ;a tratar
aa mesma_______________________________
Silva Rarroca 4'Filhos teem para vend r -d
tea a mazem, a rua do Marquez de Oi jeguiLte :
Polha de Flandis.
F"aui'0 em vivgitiuhas.
Machioa r>ara dVcarocar -.l^odao.
. Ceiveja a branca e preta.
VAPOR FRANCEZ
RUA DO BARAO DA VICTORIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
Calcadi)
franco.
Para honaena.
BOTINAS de bezerro, cordavao, peHica, lustre c
de dnraque com biqueira, dos melhores
fabricantes.
SAPATOES de beierro, de cordavao e de case-
mira.
SAPATOS de lustre com salto.
SAPATOES aumancadoa com sola de pao, pro-
prios para banhos, ntios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portugt.ezes.
Triumpho da
mm MEDICA!
Como nao e necessario dar lustro a ultima
demSo de verniz empregado nas caixas de
carruagens e no dos jogos, convem da" lo
n'um local separado aonde n5o baja p6.
Quando a obra urge, deve pOr-se a" sorr.bra
e no ar livre depois de secco, isto e, passa-
das 12 horas, lava-so e enxuga-se bem com
uma esponja humida. Quantas mais vezes
se lizer isto, mais brilhante fioard o verniz,
e mais depressa ss terminara" a carruagem
(em caso necessario tres dias depois da ulti-
ma demSo). Durante as duas ou tres pri-
meiras semanas deve-se lavar a carruagem
com agua fresca, depois de ter ser-
dido.
0s frascos devem conservar-se sempre
hermeticamente tapados, o resto do verniz
n8o se deve deixar ficar no frasco, e pode
usar-se para as primeiras demaos.
N8o deve misturar-se com este verniz ne-
nhum outro ingrediente, nem agua-raz, e
de nenhum modo com o seccante. E' pre-
ciso limpar bem os vasos e os pinceis, e o
melhor e servir um piucel para cada ver
niz.
Deposito unico para o Brasil, Bartholo-
meu & C, Pernambuco, Rua do Rosa-
rio n. 34.
E sempre assim.
Quando parece ter-se esgotado o reperto 2-o da
modas, pela immensidade de artigos de n dade
que tem apparecido, eis que os velhos e i ansa-
veis correspondentes da Nova Esperanca, a rua
Duque de Caxias n. 63, descobrem oulros no
mundo elegante, aonde se conservam escogitando
miouciosamente as novas invencdes ; remettem
para a Nova Esperanca. e autorisam na a dizer
aos sens freguezes e especialmeute ao bello sexo
que nao creiam em tal : e para prova evidente
do que acaba de expor, vejam o que abaixo se
descreve :
HANUAES para missa, com capa de madreperola
on lartaruga, tendo no centre da capa
nm pequeno relogio perfeito regula
dor.
CARTEIRAS, port charutos, port cigarros e ports
moneys no mesmo gosto.
CARTEIRAS para notas com capa de marfim, ma-
dreperola e tartaruga, com o distico
Lembranca.
BOLSAS para senhora, o melhor qne tem vindo a
este mercado, de diversos tamanhos,
qualidades e modelos de nova inven-
cao.
PORT BOUQUETS de lindos gostos e U-manhos
especialidades para as noivas.
CAIXINHAS com musicas e sem ellas, proprias
para presentes.
E outros de inteira novidade.
E com os meninos.
A Nova Esperanca, a rna Duque de Caxias n.
63, recebemos bonecos de borracha de formatoo
inteiramente novos : os meninos muito apreciarao
este brinquedo.
E verdade.
Qaalquer senhora de bom gosto, parece qne
nao pode completar e sua toillette, >em dar nm
passeio a Nova Esperanca a rua do Do me de Ca
xias n. 63, porque 6 a loja de mindezas que mais
completo esta em de? apresenta ao publico em geral.
E com as floristas.
A Nova Esperanca, a rua do Duque de Caxias
n. 63. receiieu pelo -ultimo apor, um inteiro sor-
lin ento de paptws para (lores 1 a elles.
Para, crian A Nova Esperanca, a rna do Duque de Caxias
n. 63, recebeu um sortimento de venuarios d*
casemira e alpaca para criancas : modernos e bo-
nitos.
Las mescladas.
Um boniin sortimento de las mesrladas em co
re. recebeu a Nova c-peranca, a rna Duque de
- n. 63.
I reeisa-.su u um um i w feoi pratica eu
sem e.la, para taveriu : na n Jireita n. 45..
GRANDE LIQUIDACAO DE FAZENDAS
f
Rua da Imperatriz n. 72'
* j
di:
L(iuren?o Percira Mendes Guimaraes
Declara aos sens freguczrs que tem resolvt'o fazer oraa grinfe liquida^So, ate o
fim do corrente anno.
A SABER :
G0T1>'AS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTIXAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOT1NADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para menino*.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavSo.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen % e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francer, a rua do BarSo
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicoes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras. tudo isto muito bom por serem fortes e
levos, e os mais nroprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rna do Barao
da Victoria n. 7, ontr ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel WolfT A d: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a preeos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos^banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de tlor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosmeticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
phantazias.
Espelhos donrados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de fin de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com musica.
Albuns e quadrmhos para retratos.
Caixinhas com vidro ae augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas para relo-
*ios.
Brincos a imitacao e botoes de punhos de pla-
que.
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de cpu-
rinho de cflres.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de aco e
de tartaruga.
Oculos do aco fino e de todas as guarnicoes.
Bengalas de luxo, canna, com castoes de mar-
am.
Jengallas diversas em grande sortimento para
homens e meninos.
Chieotinhos de baleia e de mnitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para dinbeiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para chmar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mino e outros muitos differentes joguinhos alle-
maes e francezes.
Malas, bolras e saccos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Arcolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os denies.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cestmhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
criancas.
Venezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminaroes de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mui facil
de snbir.
Machinas de varios systemas para cafe".
Espanadores de palha e de pennas
Tesourinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadros.
Qnadros ja promptos com paysagens e pbanta-
ua.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos peqnenos de veio com lindas pecas.
Realejos harmonicos ou accordions de todos os
amaahos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rna do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A msior variedade qne se pode desejar de todos
os br nquedos fabricados em differentes partes
1a Eumpa para entreteniraento daa criancas tudo
a pre os mais resamidos que e passive!: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Barao da Vic-
ona, outr'ora rua Nova n. 7.
Cestinhos para costura
Grande sortimento de bonito* modelos chegadot
10 armazem do v<|ior Irancez, cua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n 7.
Em tem pos'modernos nenhum descubn-
mento ope uromaior revolucao no modo de
curar anteriorraente em voga do que o
mm de \mm\:
tANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, Crupo,
. Asthma, Thisica,
Rouquidao, Resfriarnentos.
Bronchi tes,
Tosse Convulsa,
Dpres de Peito,
Expecturac^o de Sangue.
Xomo em tod a a grande serie de enfeimt
dades da Garganta, do I'eito e dot
OrgSos da respiraeao, que tanto
atormentam e fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applicaoao de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantes, afnn de produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, nao faziam
senao enfraquecer e diminuir as forces de
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruicio inivitavel de sua
victirna Quam differente 6 pois o effeito
admiravel do
PEHOBALDE AUACAHUIIA1
Em vez de irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
("alma, modilica e suavisa a dor,
Alii via a irritacdo,
Desenvolvo[e|entendimento,
Fortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rapid*
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europe, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim)
testificam serem exactas e yerdadeiras estas
relates analogicas, e alem disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Uespanhola, as quaes foram curadas com
este maraxilhoso remedio, sSo mais que suffi-
cientes para sustentarem a opiniao do
PEITORAL DE ANACAHUITA I
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente isento de venenos, tanto mine
raes, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ultimos, e particularmente aquelles
que sao dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, form am a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes tao fa-
cilmente se engana a credulidade do pu-
blico. A composicao de anacahuita peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafade
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a d6se que se
toma e so d'uma colher pequena, basta
geralmeute a" applicacSo d'um ou dous fras-
cos para a effectuacao de qualquer cura.
Acha-se a venda em todas as boticas.
H. Frosters A C, agentes.
Unicos agentes nesta provincia os Srs. J*
0. D. Coylc, rua do Coramercio n. 38.
CAMBRAIAS BRANC.4S A 3000J
Vende-se pecas decambraia branca, tapa-
da e transparente, a 39, 3^500, 49000 e
55900.
I.ASINHAS A 200 RS.
Vende-se Ifisinhas para vostidos, a2 00,
Ditos de palha, a 2$, 3*000 e 49000.
Ditos de massa, a i$000.
PERFUMARIAS EM LIQUIDACAO.
Vende-se sabonetes de di versos tamanhos,
a 120, 200 e 250 e 320 rs., todo bom.
Frasco de banha, a 160, 320 e 400 rs.
Frascos com aguade colonia, a 240 e 320
320 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A 640 RS. i rs. cada um. E outros muitos extractos que
Vende-se alpacasde cores com listrasa 640 se vende muito baratopara liquidar.
e 800 rs. .o covado. TOAI.HAS A 800 RS.
GRANADINE A 800 RS. Vende-se toalhas felpudas, a 800 rs. cada
Vende-se granadine preta com listras de uma. Len$os brancos, a 29004 a duzia, e
Para a boaconservaqao
DE
YOSSO CABELLO
cores, para vestidos, a 800 rs. o co-
vado.
P0UPEL1SA JAPONFZAA 19800.
Vende-se uma fazenda nova com listas,
com o nome de poupelina japoneza, propria
para vestidos de senhoras, a 19800 o co-
vado. Todas estas fazendas sao vendidas no
Bazar Nacional, a" rua da Imper ariz n. 72. j
CORTES DECASSA A 295 0,
Vende-se c6rtes de cassa para vestidos,
com lOiovados, a 29500.
CHITAS LARGAS A 240 Rs.
Vende-se chitas francezas, largas, de cores
fias, a 240, 300, 320 e 360 rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 260RS.
Vende-se cassas francezas finas de cores,,
a 260, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 29000.
Vende-se saias brancas com barras de co-
res, a 22*000.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 e
360 rs. o covado.
MEIAS PARA HOMENS A 69000 A DUZIA.
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
homens, a 69000 a duzia, a qual val
88000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de IS, a 800 rs. cada
um.
CHITAS FINAS A 400 RS.
Vende-se chitas fines de campo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALES DE MERINO' A 20000.
Vende-se cbales de merin6 estampados, a
29, 39, 49000 e 59000.
Ditos de listras a 59000 c 69000.
BRINS EM CORTES A 19500.
Vende-se cortesde brim do cdres e pardo,
a 19500, para liquidar.
COBEHTAS DE CHITA A 19600.
Vende-se cobertas de chita, a 19600 e
29000.
BRIM PARDO E DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vende-se colxas de cores para cama, a 29,
e 49000.
TRANSPARENTES PARA CADEIRAS A
19500.
Vende-se transparentes para cadeiras, a
19500, para liquidar.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets de seda para homens, a
500 rs.
CHAPEOS A 29500.
39000 abainhados, fazenda qne vende-se
por 59000.
GRAVATAS PRETAS A 500 RS.
Vende-se gravatas prelas, a 500 rs. Men-
tas de cores a 200 rs.
Chapeos para baptisados de meninos, a
39000.
BENGALAS E CHICOTES A 800 RS.
Vende-se bengalas e chicotes, a 800 rs.
cada uma, para liquidar.
GRANDE LIQUIDACAO DE ROUPA FEITA
Vende-seccroulas de algodSo, a 19000.
Ditas de linho, a 19600 e 29000.
Camisas de chitas finas, a 19600.
Ditas de peito de cores, a 29000,
Ditas brancas finas, a 29000, 39000 e
49000.
Calcasde brim pardo e de cores, a 2900O
e 29500.
Ditas de casemira de cores e preta, a 59,
69, 79000 e 89000.
Palit6tsde alpacas de cores, a 29500.
Ditos pretos, a 39000 o 39500.
Ditos de casemira de cores, a 49
09000.
Ditos ditos pretos, a 59000, 69500
89000.
Colletes dc casemira de cores, a 29, 39
49000.
Camisas de flanella, de cores, a 29000 e
29500.
ALGODAO A 49000.
Vende-se pec,as de algodio, a 49, 59. e
69000.
CASEMIRA DE COR A 29500.
Vende-se casemira de ci res, a 29500 o
covado.
MADAPOIAO A 39000. !W)
Vende-se pecas de madapolao enfestado,
a 39000.
Dito inglez, a 49500, 59, 69 e 79000 a
pe$a.
BOTINAS A 49500.
Vende-se botinas para senhora e meninos,
a 49500, 59 e 69000.
Ditas de enfiar, a 29000.
Sapatos de tapete, a 19500.
Ditos de tranca, a 19800 e 29000.
BRAMANTE A 19600,
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura, para lenc6es, a 19600 e 29500 o
metro. E outras rauitas fazendas proprias
do mercado, que se vende sem reserve, de
preco, para liquidar ate" o fim do corrente
anno, por isso convem aos compradores sor-
! tirem-se de fazendas baratas, para a preseu-
Vende-se chapeos de castor para rreninos te festa que estd na porta, A rua da Imperatriz
e homens, a 29500 e 39000. 'n. 72. Bazir Nariotial.
A' Torre
Aluga-se para passar festa um sitio com
M<*fl|int aw de hrtbitac*' b-nhu rv rio
i frei prwurh' a ;n le < u 24
- Precis* C I ,*. l.jvl du becoo
do Pa he ii.
Elle e" um preventivo seguro e certo contra
a calvice.
Elle da* e restaura forca e sanidade a* pelle d*
cabega.
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos ca belles.
FUe da-grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabellos, em
qualquer forma ou posicSo que se dese-
je, n'um estado formoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
e os.
Elle conserve a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornarem bran
cos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fre-
cura refrigerante e agradavel.
Elle n3o e demasiadamente oleoso, gorda-
rento ou pegadico.
Elle n5o deixa o menor cheiro desagrada-
vel.
Elle 6 o melhor artigo para, os cabellos das
criancas.
Elle 4 o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservagao e arranjo dos ca-
bellos das senhoras.
Elle i o unico artigo proprio para o pentea-
do dos cabellos e barbas dos senhores.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
PODECONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
TONICO ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
O CABELLO.
Acha-se i venda nos estabelecimentos de
H. Forster A C, agentes. E em todas as
principaes lojas de perfumarias e boticas.
Gj
DROGARIA HOMEOPATHICA |3
; 41 -- Rua do linperador 4\
Os proprietarios deste estabelecimento, no intuito de Ihe conservarem os cre-
ditos de primeiro neste genero, continuam a esmerar-so na preparacio escrupulosa
de seus medicamentos, podendo garantir ao respeitavel publico desta cidade e in-
terior que sao rigorosamente observadas todas as regras pharmacologicas. Oulro
sira, que com o mesmo flm aeha-se a testa do estabelecimento, tendo a seu cargo a
inspeccao de suas preparac3es e, direccio do consultorio, o acrediudo medico ho-
Jmeopatha Dr. Jesuino Augusto dosSantos Mello.
Tem todos os medicamentos especiaes para bexigas e cs considerados pre-
servatives : assim tambem, os medicamentos da sua drogaria em todas as dym-
nanisacdes conhecidas e mais usadas.
Carteiras homeopaticas de 12 a 120 medicamentos em tinturas ou globulos e
a excellente obra do Dr. Mure Medico do Povo em 3." edicfo.

Plnmeria, para mordeduras de cobras.
Sarracenea, para bexigas ( ou preser-
Vaccina, para bexigas ( vativo.
China cruzeiro, paia febres intermi-
tentes.
Scbynus, para angina.
Calendula, para queimaduras.
Tarantula, para paralysias.
Carnadba para syphilis
Chocolate homeopathico d'Epps.
Encerado de arnica.
Pos bomeopathicos, para dentes.
Jericd, para rheumatismo.
Matamata ou Jaboty, para tosse.
Espirito de Hahneman ou de campho-
ra.
Cactus Grandiflora, para pneumonias
ou molestias do corarao.
Consultorio homeopathico
DO
DR. SANTOS MELLO.
Con8ultas das 11 horas da manha a 1 da tarde.
Os moradores da rua de Santa There-
za, vismhos do Sr. Br...a, pedem Ihe o favor
de nao os defumar com tao putrida agua to-
dos oc dias a tarde, a sua casa tem um ap-
parelho on ie devem ser iancadas as aguas
servidas p^ra vedar esta obstinacao, rogam
ao Sr. fiical um passeio a dita rua.
Os visinhos incommndados.
Ulencao
0 Sr. i-co AaostinlM Maj'ha, e rcgado
vir a r ique de Caxias n. CO A.
A VERDADEIRA TINTA VIOLETA
g JOSE FERREIRA DA SILVA
DE
SANTOS NEVES
Continua a vender a verdadeira tinta violeta extra-fina de Montei-
ro, em meias botijas e quartos, a retalho e
Emgrosso com vantajoso desconto
RUA PRIMEIRO DE MARCO N. (9
AN IIGO DEPOSITO
ec
o
Cft
<^

?
-
I
J
14 i
I

i
i
MUIILADO
^** mm
L
.
^ <.
* 'H'




7

/
V
M

\*
de Fernambuco Quarta feira 24 de Dezembro de 1873.
Attencao.

ar
&
:ft:|::,::::::::|
*. -*- ^ *>
iM.iki.^OOCO
O0'-OX;3DQ00t30
g5gsaeg8^aig8^s^jg?
asa*,*'Kaa
;cJ>* ^j o
gg?
osiwaeia;
SIB*: a 3SS
^ .......
......... ......a
r#l ^WET" 2*
I si-...............I
gix o
.3 CD
?=5
tea
O
JO -1
|IS
6 s. fid
Roga se ao senhor snbdelega'do da froguctia de
Afogados i|iie lama; snas vistas a tun inspector de
quartci.a.i !.. Barm Vermeitio que, d dia 19 do
currentp. Bi>nir;uii urn homem o utna tnnluvr, li-
vres, |.i.r .imicimi'. > i|nal fni basUinle ceti.-uradu
(Kir dher>as pt'sv-:i-; pi-de-se. ao dtl" in-iipcl-.r.
ci-illn-t-i.in |M.r Muii.nl iit-i.ilia, nue na-> omtinur a
fi'.i i muilas do-las, pnis t|tlit ill* e.-'a in;fM no rasu
de inerecer : t-puMeiiidas do que as ptssuus. en
quoin elle Ueu.
<3
a<
?_, i-
O OOOOtOiCOCXOCOC
SSsS
88S.*S82S$<.-
ti*-MMtmt*i>**irlg a,3
K'wB KB
Ms* w
M it M l W *>- 1* ^ Ot CO ?* C-. ~ 1 513 O
CfS"-)OQ0Cft4&000CAO-4tS-4t5tO ic
S
8-
ffsr
s-g
8-
CD
00
03
^
o
1
00
FUNDIQAO DO BOWMAN
ROA DO BRUH N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS seohorea de engenho e ontros agricoltores, eempregadorea de m
ddniamo o favor de oma visita a sea estabelecimeato, para verem o novo sortimeDto
tompleto qne abi tem; aendo todo aaperior em qaalidade e (ortidlo; o que com a ids
*cgio pess >al pode-se verificar. *
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
^AnorAfl A rnHftft rhftiyritt d08 mais moderno8 y8temaa eem to
aj/uioa f ruUttB U tt^Utt manho8 convenientes para as diversas
:ircamstanc as dos senhorei proprietaries e para descaro^ar algodio.
H06II(1&8 d0 Cailll&i de.tod08 0> tamaobos, as^melbores qoe aqoi
Bodas dentadas pra>nimM>>g^apr-
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiqnes e fdndos de alambiques.
UTafthiniQITinft pa" mandioca e aIgod5o,l Podendo] todos
*lfc<*W11X11*0111W*, e para aerrar madeira. f ser movidos a mio
BombsLS ., ipor agal* vapor'
l*wuavco de patente, garantidas........ Jou animaes.
Todas as machinas 6 mn deqae 8e C0Bl0DQa preciMr*
Pas qualquer concerto de michiili8mo'a pre mni re80mid0-
?OrmS S dfi fflrro tem as me'bores e ma'a Daratas existentes no mer-
SEnilflfnmAnfloa Incambe-se de maadar vir qaalqner macbioismo i von-
auuuiuiuouuttBi tade dos clientes, lembrando-lhes a vanlagem de fazerem
mas eompris por intermedio de pessoa eoteodida, e qoe em qaalqner necessidade p6de
hn prestar aaxilio.
irados americanos fl in,l^^meD,o, aricoIaa-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
4' rna do Barao do Triompho (rna doBruui) is. 100 a 104
CARDOSO IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, as mais modernas e melhorobra quetem vindo ao raercido.
VapOreS de forca de 4, 6,8 e 10 cavallos.
OaldeiraS de sobresalente para vapores.
MOCndaS mtCiraS emeias moendas, obra coraoaunca aqai veio.
laiXaS ItUndluaS e batidas, dos melhores fabricantes.
tlOdaS d aglia Com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KodaS dentadas de todos os tamanhos e qualidades.
RelogiOS e apitOS para yapores.
OOITlDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
Formas para assucar grandes e pequenas.
ConcertOS concertam eom promptidio qualquer obra ou machina, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
GnCOmmendaS man<^am v'r Pr encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas*machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RuadoBarao do Triumpho (raa do Brum)ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
I
1TTE1
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Qoerendo defioitivamente liquidsr este negocio, vende todos os que tem, 'm novos e
asados, pelo preco do casto de factura.
Tambem aeaba de receber o seguinte:
OLEAOOS inglezes para assoalho de salas, de muitos liudos desenbos de 11 a 33 palmo*
de largurae 100'de comprido, podendo forrar-se umasala- por grande qu-
seja con oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para omamentos de salas.
ANNE-S electricoa para curar dores de cabeja. nevralgias e nervnso.
MUNTO lindas gravuras, grandes, para quadros de aala.
G-RAMPOS para segurar roupa estendida nas cor I .s, a 200 rs. a duzia.
TAI.AGARC* f l*?d pic. do para bOrdfcrcom 14 ou sdda.
VERP\ El-A agua -*.. Dlonia ora garrafas empalhajas.
inuitos Sempre e bum!
Tooa a todos, todo4 It-uin,
Nao jc eiiladeiii, metis leitore*.
Todos vejam, que progresso I 1
Que progressc I nieus senbotea 11
Com qttanto \i esteja bem no dominio de pu-
blico desta capital e seus suburbioD, que para se
obter tudo que e preciso para os regabofes ooa
dias festivos que se aproximam
Uma pessoa
oao tem mais do que dirigir-se a
Confeilaria do Campos
24-Iraperador-24:
Onde se acham centribcadas as quatro artes.
A saber :
Coiifeitaria,
Pastelaria.
Conatervaria
E culinaria.
Sempre 6 bom que lembreraos aos nossos ami-
gos e freguezes que ja nos annos passados cor-
nam aos turbtlhdes a laser suas encommendas
de pasteis de carne, e a coiifeitaria do Campos
Que este anno
Estamos muoidos de uma nova machina que
bem se podia apellidar de
Infernal
Pois pode em 6 horas produzir com asseio
Duzentos mil pasteis J
ALEM DISSO
Lembramos a todos
O seguinte :
Que preparamos com presteza.
Fiambres.
Leitdes.
Pertis.
Peixes.
Empadas.
Pudins. ,
Boles inglezes, etc. etc.
E especialmenle as Camillas, os proprietaries
da tonfeitaria do Campos convidaas a reunirem-
se naquelle verdadeiro centro de bousboccados,
pois em virtudc das interdlrcSes nao se podera
uvir a missa do gallo.
ATTENCAO.
Bernardino Duprat pensa nada dever nesla pra-
ca, quer por contratos coinmerciaes, quer nor
contas particulares ; se porem alguem se julgar
seu credor, apn!seate seus -titulos em casa dos
Srs. E. A Burle A C. no improrogavel prazo de 8
dias, contados desta data, para Ihe serem pagos ;
outro sim, scientilica a quern iuieressar possa, que
de hoje em diante nao se responsabilisa nem pa-
pa divida alp uma conlrahida por quen quer que
seja em scu nome, salvo se o debito for autonsado
pelo declarante com a sua assignatura.
hecife, W d dewmhro de 1873.
ESTABELEC1MENTO THERMAL.
L'i M! ii
(Knnr.i Ucpai lemcnw do AuSul
riaPRittiaoE bo estaoo Fiilcil
AMnonuQlo i PA1UZ, M, mufui Momiuana.
ESTA5A0 DOS BAHH08.
NocstaUlecimtnto d* Vichy, urn dot melho-
res da Europa, achar-te-ha Banhoi e Embroca-
cSes de toda a sorte para a cura dot doencai do
nl*Hi|o, do Bf*4, da hexlc*, areUa,
dlaketla gatm, eonereje ealeulooaa,
ou p4mi na aajrlaaa, ate.
CiDA D1A.DUDB 1* DB MAIO ATI IS SS IimilW:
TMtro Concertot no Cutne. Haslet bo Parqo*.
Sal to da laltofA. Sallo renrrado para at Sachoraa.
SalSaa de Jotoa, eoanertacio e bUbar.
tdoos as ubiiihoi as rtiM iemr wht.
Dapoalto PtrnamJuf, TtMCT i-:-. >tt010.
S>^
W I FESTA
:** Vistnarios de fnstao p ^ninas a -fa.
@t Hitos de canibraia ., '.voadosa /^
r 6*000 *Jg-
#Ditrs ,le alpaca enfeitad t 7$ -a,
Rua do Crespo n. io. *W
% ?'+ <$ &<**$<& #g> -^
Parts, 38, Rua Vivienne, D
ih:m:,m itdkin srtn 1L
B, flmnii,ii g MS atXI'AaS, AS iTIC^OE*
^^^^^ >I.Tmp)W DO BAHOUt.
11 < JII ilil ft I i gfi'.ptu/ultu, **> pet,
j rna, comixott, aeri-
I 'touia, eaUercoe*. oU
II 'm sat do tongue, vt-
i a.i iangue iXarope vegflai
Ucpurat It aegetaee
tumao-se dons pur
A1W
hi rein mi
t iinn-.Ain
seiii.ina. M-^uiiirt larimiiiiio Depuratit o':
'.a ninli'stiiis
Bsie Xarpe Ctractn at
'orro de CIMULK, curs
nmtdi:itanienie ^iial-
iier pu* gar ao relm-
'ifoo, e dcbihdadr,
e jlnret braneat das
hi. eii;aii briiigna emprfgisM
r.Ulirt.,de?err.
a*n >'>. tum ila ulie ;, rors f:mldial
OMDA *NTIH BP^TICA
l.i""l i|- .. r ,,,a, ,. rnminort.
ot-UL S VE EA.S DEPURATI/AS
t i.-hi., ttM frasco vrsi sce^aasaiAa
in ma ful lie to
AVISO AOS SRS. MEDICOS.
...ieii.
But err*. la
\rnpc

.. -a: nil*
I 'Uira 'Qiarrhmt
roqutln-hei irru .< lial
iaru(-< tat (tot brw-
\ eo. u-Hat at -toeai at
fc> *(* ha-la nn'liH-iiM
i inert
PECHINCHAS
S6 o n. 20
RUA DO CRESPO
im das ;) \mm
lontiur.H .1 vuuiiT imiiin bar/ito pat.t ;,jn;rat
muito dinbeiro.
tySSA LA
Chegon esta fazenaa.sendolindospadroes, even-
dese pelo diminuto pre$o de 200 rs. o covado, 6
pechineha I I I daWe amostras.
METINS
Proprio para vestidos o que ha de mais gosto,
padroes novos, pelo preco de 400 rs. o covado, e
pechineha I I I doS-se amoslras.
LAS ESCOCEZAS
Lasinhas escocezas, padroes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditas eom lislras, padroes modernos, a 280 rs. o
covado.
Ditas 12 e seda, padrdes modernos, a 640 rs. o
covado, e pechineha I I I dio-se amoslras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
i#000 a 400 o covado, e pechineha I I I dao-se
amoslras.
CRETONi
Cretone em pecas peqoenas, com bonitos pa-
drdes, pelo diminuto preco de 400 rs. o covado, e
pechineha 11 I dio-se amoslras.
Cortes de casemira d* cores, a 5JC0O cada um.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para Into, a 240 rs. o covado.
Fustao branco para roupa de meninos, a 560 rr
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chita adamascada, a 3*500 rs.
Cole has brancas e com barra de cores, a 3*500
e 4*000. ^ _
Lencoes de bramante, a 2*000.
Dites de algodao, a 1*400.
Toalbas alcocboadas, a;6*000 a duzia.
Ditas felpudas, a 6*500 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados, a 2*000 a duzia.
Dims de esguiao finor, a 3*500 a duzia.
Cambria lisa transparente a 3*000 e 4*500 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 3*800.
Atoalbado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito trancado, a 1*400 a van.
FustSes de cores, a 1*000 o corte.
Chales de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,4*000 e 4*500.
Ditos com lislras muito linos, a 5*800 e 6*000
Esguiao mnito fino, a 2*000 a vara.
Brim preto trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura. a
2*500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domesticOj_a 3*000 a peca.
Brim de algodao eom listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzue cambraia de cores muito Una, pelo di-
minuto preco de 400 rs. o covado.
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
CHAMADO
Os Srs. Jovino Pernandes da Cruz e Joaquim
Clemente de Lemos Duarte, sao chamados a
rna do Coronel Suassuna n. 282, a negocio de
particular inleresse.
% Consultorio medico
DO
Dr. Murillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quenton os hospitaes de Paris e Londres
ff\ pode ser procurado a qualquer hora do
a. dia ou da noute para objecto de sua pro-
Jfj lissao.
g Consultas do meio dia as duas horas
\i da urde.
Q Gratis aos pobres.
CASA
Aluga-se o 2*, 3*, 4* andares e solan do sobrado
n. 14 da rua do Torres, perto da praca do Corpo
Santo, commodo para residencia de (amilias e es-
criptorio de negociantes : a tratar na rua do Im-
perador n. 57 primeiro andar.
Escravo fugido.
100^000 de gratifica^ao
Desappareceu de novo, de bordo da barca bra-
lileira S. Jose", o escravo Joaquim, preto de na-
^o, o qual anda bem vestido e calcade, deixan-
do crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Esse escravo pertenceu ao fallecido Dr. Olym
Marcellino da Silva, que o havia comprado na
provincia de Minas f'em S. Joao d'El rei ou Ouro-
Preto), e com elle seguio para o Rio de Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quern o compraram os abaixo essignados.
Sabe cozinhar, occupacao a que estava dedicado.
e conhece se pela falla que e afneano.
Offerece-se a gratiRcacao acima a quero o ap-
prehender e roga-se a toaas as autoridades a sua
captura.
Recife, 6 de outubro de 1873
Jose" da Silva Loyo & Filho.
Precisa-se de uma ama
que engomme e fa^a outros
servicos domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
Exmas. Sras.
A Rosa Branca pede toda a vossa attencao para
as las e sedas de listras de uma so cdr, como e
ultima moda, e que acaba de receber ; esta ven
dendo quasi por metade do seu valor, por estar
Eroximo o balanco. A ellas antes que se acabem.
ao-se amoslras com penhor e mandam se levar
nas casas ; na rua da Imperatriz n. 56, loja da
Rosa Branca.
Fugio na manba de 20 do corrente, da cida-
de do Recife, o eacravo de nome Floriano, crieu-
lo, com os signaes ieguiotes : cdr preta, alto, cbeio
do corpo, sem barba, pea grandes e grossos, ca-
bello carapiubo, bons denies, tem nma pequena
costura acima do umbigo, e muito fallante, e inti-
tulase forro; ceusu ter ido para Santo Antao (em
um engenho) onde tem parentes libertos: quern
apprehende-lo queira levar a rna do Apollo aot
Srs. Arminio & Carvalho Tjne sera recompen-s
sado______________________________________________
Nagdalena.
Vende se um terreno no principio da estrada da
Torre, mnito perto do ponto onde param os bonds
rnjo terreno tatnbem se retalbara : a tratar na
tavcrna do Kocarobole.
in >.<>->.
ru<.
Sociedade Uuiao C;tholica.
O uonseibo director, em virtude d 3 permissio,
que acaba de obter de S. i- xe. Hvina, fara expdr
o Sanii>simo Sacramento duranie t o dia de
Natal, na igreja de S. Pedro, roiurcjitulo o acto
logo depoi< da mis-a de 6 horas da manha, con-
forme o annuin-io ja feiio^e termimiido as 6 ho
ras da taMe cum a beucao do Hauiissimo Saera-
meuto ; assim eemo havera nm*a t aibotu ,i meia
uiiito, mamlada celubrar pel irmaudad- de S
Pedro.__________________________
- Alm.1 -s mi tad* i.e no rasa de fati iiia
ii.-;' rr e man jo, fom Uii so \ easfl ; a rua do
lcae da Dettn.cao u. 11.

ATTEHGAO
Precisa-se alugar nma ama'de meia idadc, po-
rem qne seja preta, cme nan ti nha virios nem
KlnqunK, e ijiie r.fflrin.-.! f\n <-t \\\v\-<. para i-->r*-
prar e c-zitiliaf psra rum i;t";li:i 't- n.....< :
< ira'.ar na rib ie -I
.-a lotr>a errand*, -!
V
> Imi (!.i i;i|.j|", >:;i
i an l.-nl'i.
A peaiKia qi.e anuiiuiii u urcia>ai .iu ."jnO*
premio sob hypolheca em bens de raiz, apuarera
rna do Hospicio n. 13, das 4 boras da larde em
diante
Alnga o armazetn e o primeiro andar do
sobrado da rua do Bom Jesus, outr'ora da Cruz,
n. 20, preprios para estabelecimento commercial:
a tratar na rua do Marquez dt Olinda n. 52.
Aluga-se o 1* andar do sobrado da rua "
reita n. 8 : a tratar na loja do mesmo.
Aluga-se a casa da rna de S. Jorge, outr'ora
rua do Pilar n. 12, tendo solea assobradada para
grande familia : a ver e tratar na rua dos fiuara-
rapes n. 14, taverna.
*
T^"-'
IMPERIAL
IUBRICA DK IKMUROS
Escravo fugido
300^000 de gratifica^ao
Ausentou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, represents ter de 30 a 40
annos de idade, i perfeito cozinheiro, alto bastante,
6 bem magro, pouca barba, olhos grande*, e muito
ladino, consta one tem pai no engenho do Sr. Lulii
de Caiara, em S. Lourenco da .Malta. Este preto
foi cozinheiro dos negociantes Adriano 4 Castro e
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e jnlga-se
que esteja alugado em algum hotel ou casa parti-
cular nesta cidade, como forro : pede-se a todas
as autoridades e capitaes de campo, que o desco-
brindo, o tragam a rua Dtique d Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival m segundo, que serao gra-
tificados com a quantia acima.
Na rna do Barao da Victoria n. 36 precisa-s-,
ajlar ao Sr. vigario Andre Curcino de Aranjo Pe-
eira, a negocio de seu interesse.
CASA.
Aluga-se metade de uma casa no pateo do Ter
cp a pequena familia : a tratar no pateo do Pa
raizo n. 26.
Attencao
Francisco de Paula Cavalcante Wanderlcy faz
sciente ao respeitavel pnhlico em geral e parli-
cularmente ao corpo commercial desta provin-
cia, qoe attendendo a coincidencia da haver duas
pessoas de igual nome. as>ignar-se ha desta data
em diante :
Francisco de Paula Wanderley
Recife, 4 de dezembro de 1873.
$ & a** m # m
DESCOBERTAS MEDICINAES aj.
PEI.0 BACHABEL Xp
Manoel de Siqueira
Cavalcanti.
S. JOSflDEICMRBY
Rio lie .laiitirit
O nsiando ao .ib.iixn asaignaj^ uuico Sgen'o
iK'sia provincia, da iiniciial fabrica de cigarros
de S. Jodo de Nidheroy, no Rio de Janeiro, que
exisle no mercado cigarros que *ao vindos como
fabricados em dita fabrica, imilindo para isso a
etiqueta cm (ine vem elles envoltos, apressa-se a
prevenir a todos os tent freguezes que os unicos e
verdadeiros cigarros de exposicao de dita fabrica
so sao vendidos nos armazens aos Srs. Francisco
Guedes de Aranjo, Manoel do Souza Cordeiro Si-
m6es Junior c Faria A Filhos, unicos devoshos de
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de 1873.
______________________Domingos Alves Maihens.
Quern precisar alugar um escravo, co,.-m> a
to qne nao seja para service de peso, dirij ah
rua do Hospicio n. 61, qne encontrara um basttj*
te intelligento, e rapazde encarregar se do tra
Iho de jardim ou de hortalicas.
M0MA~
Ebta encouracado! 1 !
Vfjiiu mole em pedra dura
Tnnto da ate ipic a fura.
floga-se ao Illm. Sr. lgnacio Vieira de Mello
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aijuelle negocio que S. S. se comprome.tteu a
realisar, pela tereeira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cninprio;
e por este motivo 6 de novo chamado para dito
3m, pois S. S. se deve lembrar qne este negoeio e
le mais. de eito annos, e qnando o Sr. sen lilho se
chava nesta cidade
ALUGA-SE
uma rasa na Capnngn, rua das Pernambucana=,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
&
I
m

m
* o Preservatlvo da ery-
Blpela : para curar coin certeza, e
em pouoB tempo, qualquer ataijue de
erysipela, c prevenir o seu reappare
cimento.
Este medicamento tamhem muito
poderoso para o rheumatismo.
S* o Re^ulador da mens-
truacao : para falta, irregularida-
de, suppressao repentina da menstrua-
todo^ os soffrimentos devidos aquellas
affeccSes. Ambos estes medicamentos
ja sao muito conceituados, e procura-
dos nesta provincia, e na do Rio de
Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa
do autor, das 9 horas do dia as 3 da
tarde, e a qualquer hora em casos ur-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz n. 14, 2* andar.
Casa de campo
Offere -se a quem qui?er fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Carneiro M in-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ca. A localidade e mnito salubre, e a casa muito
iresca, lem magnifico banho de agua doce em
frente, e 6 muito commodo visto que o trem passa
iefronte : quem pretender pode dirigir-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, an
Sr. Francisco lgnacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do otiimercio o. 40.


Ok
SOBRADO PARA ALUGAR.
Aluga-se o primeiro audar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31, com muito bons
commodos para familia : a tratar na rua do Mar-
quez de OUnda n. 52,___________________
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-st
iallar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixolo e
os6 Paes da Silva, a negocio de particular inte
.ftsse.
Aluga-se uro sitio com casa ncva no Ar-
raial perto da estacao da casa Amarella, com bas-
tantes fructeiras e agua de neber : quem preten-
de-la dirija-se a taverna junto a mesma estacao
qne achara com quem tratar. _______________
Precisa-se de uma mulher para servico de
casa de homem solteiro, sendo muito Gel e dando
fiador a sna conducta : na rua Augusta n. 258,
taverna.
O quarto andar da rua do Marquez de Olinda
4.
Banhos e ares saudavcis do
Monteiro.
Aluga-se alii duas pequenas casas muito em
conta para quem precisar de bons ares e banhos
frescos : a tratar a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7.____________________________________
Alaga-se uma pequena casa muito fresca,
com sala, 2 quartos e cozinha fora, com um ter-
reno e algumas arvores frucliferas, tudo por 16*
mensaes: a tratar na rna do Lima n. 10, ou Li
vramento n. 2, loja. ___________
I0H.S PUBLICACOES MUS.CAES.
A. J. il /tzeveilallnu \ova i 12 .
Acabam de publicar-se, o acham-se a"
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
Danse espanhola, porAscher 27000
Arabella, mazurka, por G. W>r-
theimer 13J500
Valsa do Facsto, por Croyzes 1&000
Sonho de uma virgem, por Alber-
t.i/./.t 1S000
Anna la Prie, cavatina 1JM)00
AoClair df. la I.une, por Bus3ineyer t#500
ESTRELLA DO NORTEl,,, UW.K-SU.-**- .maa
SAUDAgAO AO BAHIA[P0,kabr,,hnnt8 '^^
Cricket, por Seixas, offerecirla aos
rhrickcts club pernambucano 0
bahiaiio 15000
PIANO E CANTO.
Desespero, muito Undo romance
por I. Smoltz 2$000
Non m'amava, romance por Guercia 15000
Tarn bem rocobeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, metliodos, etc. tc.
Escravo Fugido
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engen' o Serfgi, enmarca de Goyanna, o
escravo de nome J s6 Horges mnslre de a-:ii*ar,
tendo os signaes spjrninle-: eabra, idade 30 auno^
poueo miis ou menos, boa ligura, um tanln grotsp
i! eajpadaudo, sendn o signal mais visivi-i uma
gomma na junta do pe esqiierdo : roga-se a todas
as autoridades e CApiiaes de campo qneiram ap-
prehender dito escravo e leva lo ao refendo en-
genho. mi nesta praca a Oliveira Filhos 4 C, lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao generosaniente
recompi'usados.
Recife, 19 de novpmbro de 1873.
Carros de luxo.
inquestionavel que a cocheira da rua do Bum
Jesus n. 15, de Joaquin Pies Pereira da Silva, e a
que tem as melhores berlindas, calecas, meias ca-
tenas e victorias de luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta. bailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de excellent??
parelhas de animaes, arreios loxuosos e boleeiros
com fardamentos do nltimo gosto, para o que se
convida ao publico a vir pur si mesmo scicntiG-
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrar&o pomada, e sim reaiidade a
commodos prec<>s.
Primeiro andar para alugar.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
de Marcilo Dias n 137, pintado e caiado de novo:
quem pretender dirija-se a pharm.icia Torres qc9
achara com quem tratar.
. mga-se
o sitio da Ponte de Uchoa n. 35 : a tratar no mes-
mo sitio, ou na rua do Rangel n. 7, 1* ou 2*
andar.
SAQUES
Aluga-se
A casa n. 13 a Passagem da Magdalena : a tra-
ct com J. I. M. Rego._______________________________
Club Lilterario.
Faco sciente a todos os Srs. socios que, por de-
liberacao desta sociedade, acham se os seus traba-
Ihos encerrados ate o dia 7 de Janeiro proximo,
devendo ella comecar a funccionar deste dia em
diante em outra casa, a qua! sera antes do dia 7
annunciada.
Sala das lessees do Club Lilterario, 20 de de-
zembro de 1873.
0 1." sccrelario,
__________________ Basilides G de Leiros e Silva
Aluga-se uina excellente casa iia povoacau
le Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso. rua
Amorim b. 37.
Carvalho & Nuguura, na rua do \pollii
n. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agencies' em tod"i i- -?i-
dades e villas lie Portugal, a* vista e prazo
por todos os paqueb-s
- Precisa se de uma escravi para eozinbar .
3 comprar : na rua Primeiro de Marco n. 2!
ijaj__________________________________________________
Pecebe-se encomn endas de pasteis para a)
fe-ta : na rua do linperador n. 2, sobrado. >
Precisa sc de um caixeiro de 14 a 18 annos,
com pratica para taverna, pagase bem agralando,
e dando conhecimentu de sna conducta
na rua do Rangel n. 3.
a traiar
Offerece-se
iHudanca de escriptorio.
Domingos Alves Malheut, mutton ceu escrip
tori-i para a rua do Vigario u. 5. pi.ii"iro udar
'. -sii. -n ue tem armazem v Sr. Caetano Cy-
riaco da r i ra.
,ii s^ uma escrava para < servico
rua da u jria n. 146.
na
um homem de idauv <* um moco de 18 annos, -he-
gados uliiiii.nnei.ie p ra feilores ou outro qual-
quer servi(;j: na rua da imperatriz a 41 se dira.
- Pr*v ne se an IHm. Sr. thesonreiro das I lo-
rias de bilh<-t--s desta |trovia*4*, qne nio p a
bilhetes qu- lhe forem apicsenlados d iis. -.'i .:
3z7i> (-eti.lo iiiein.. bilhetes) senio ao abaixo -i?-
Dado, vislo terem sido os nvsmos ronhadns.
______ Mimel H'llngnes Pereii
Aluga hum casa terrea coin com i <
para familia, e tendo gaz e agua eocanad i oa
rua Imperial n. 179 t f tar Junto.

Attencao
E. A.Ruil*- k C f.i;>i-m priente ao eerpo
mtrrial de-ta prai;a i|u.- o Sr. Alfredo A
Fenaz CoaU- nan e mais 'a.|regado de si
Ues'e o di> 20 do roirt-U' tuez.
Rei ; Lulz iv 'ra ah* ten '
tirir-je. tpf ui:;:. tile, d .xa (jncarr^.
w eus negoctos aos Srs. Scares Lelte Irmio.
i- ii-
lni|0
sa
le
1 mmnie I
^^
.
ir i i OtM
MiBfVit
J


I
'H


~~
Diane dfi ?eniMnibBob Quarto feim 2-4 de Deaemteo de tt-7ft.
'
PENDRES
Na travessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores deouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Engenho Caiape no termo de
Iguarassu
Na rua do Marquez de Olinda n 55, precisa-se
fall ar com o Sr Lniz Antonio da Silva a negocio
de seu particular interesse.
3$ Consultorio homeopa- 0
J thico &
f Do Dr. Santos Mello &
- 41-------Rua do Imperalor-------41 M*
Consaltas todos os dias das 11 a 1 da X
-jR tarde.
.Jfc Uratis aos pobres. Jgt
g_ 8 a leneia a run Nova n. 7, segundo g
"j& ai lar. onde da consul tag das 6 as 9 da 9
3 m,. i u das 3 as 5 da tarde. /?$
eg: Cli.n Is a qualquer hora. 3
ft. SHMrftft $$$$& 000
ChfiiMiim-sc
Criado
Precisa se de um criado que tel.a prallca de
c peiro o que seja do boa conducts. : -a ita da
Imp atriz n. 37, l." andar.____________
Engoiiiiiiacleira
Para casa de pequena familia precisa-se de uma
que seja perfeita engomroadeira, paga-se bem pre-
fenndo-se escrava ; em S. Jose do Manguinho
sitio a. S, antes de chogar a igreja.
Por barato nte; veodf-se aira. poreao de
trares e travetas de todos os lanfanrun e de qua-
lidade, tambem lem portas de louro novas de to-
dos os tam \ubos : no C-sora Meninn, com Jose An-
tonio Marcje*.______________
E
Para tratar de um pequeno sitio precisa s de
urn bora feitor e quecntenda de jardim e urn cria-
do de 12 a 14 anno?, para service de casa paga-
se bem. Caes do Apollo n. 89, ou em S. Jose do
Manguinho, si Ho n. 2, antes da igreja._________
Bernardino Duarte Campos & C. ere seu
estabeleeimente a rua Primeiro de Marco n. W,
pagaui do dia 1.* de Janeiro em diaote a todos os
credores da massa fallida de Jaao Maria Cordeiro
Lima, que de pnompto quizerem rejeber da con-
formidade com a concordats obtida era juiiQ ; de
vendo os mesmos credores apresentaran seas ti-
tnios ate o dia 24 do corrente para serem confe-
ridas.
Recife 18 de dezembro de 1873.______________
Aos Srs. advogados.
Medianlc a I gum is bemfeitorias, aluga-se uma
grande sala e dons quartos, tudo forrado de pa-
pel e com asseio, propria para escriptorio: na rua
do Imperador n. 81, primeiro andar : a tratar no
armazera do mesnio sobrado._________________
Precisa-se d uma eriada ou erlado jatr_
comprar e co?inhar : na rua do Marquez d* OHn-
da n. 40, 1.* andar._______________ ''
- Precisa-se alugar uma ama boa co/ioheira,
forra ou escrava : a tratar na rua da Imperat-.,
casa n. 16, segundo andar.____________________
Armada.
Na rua do Barao da Victoria n 36, precisa-se
fallar ao Sr. 2. tenenle Jose Maria Pestana, a ne-
gacio de seu interest.___________________
Precisa-se de uma ama para cozi-
nhar para rapaz aolteiro na rua do
n. 2".
\a fundicaa de Cardoso & Inuao,
4 rna d BriiH ns. 100 105
Vende-se os seguintes ob-
jectos, por preqos
commodos:
VARANDAS francezas da ferro fundido de diver-
8- boaUo* gwlos.
FOGOES f raacaaes grande* e dequeues.
DITO dito para trabalbar com gax-
BOMB AS francezas de -repuxo.
BANCOS oojn pe* 4e n.m. wa* moJla e sem
eila.
PES de ferro para nwaa.
JARROS de ferro para jardim, graodes e pequ*
as.
HACHINAS uara lar ago* e f&?r falo } fltlaffi
agua _u 10 iu*uu* _nm gelo em
,-------
una asa"na vlll de Barreiros, na res do Cpw-
jnaecio, por preco modfee-: a trajar com Tasso
___* 4 C. ____________________
a loja d8 fazendas e roupa feita a rua do Marquez
de Olinda n. 40, os senhores abaixo mencionados
a negocio de interesse reciproco:
Adolpho Rober Kooper.
Kento Magalliifs.
Hermogen^s Nuues da Silva.
JoSo Martin? Nogneira Santos.
Miguel Lopfs Ouimaraes.
Jose Affon.-.'.
Miguel F"'"ir.\ Piuto.
Mtjn.'l
M > do Nascimenlo.
B- am os do> Anjos.
D ui iif >.
A 'iii' r
J( >ln Bj! Araujo.
Jo >la r.uiiba Fraitas.
/os(* lgnacin Pi>rto
Aniimm M'Tcira Camara.
Z' i riii'> Doniingues Uoreira Junior.
1" Kapnso de Souza.
P. ui no lt& An linos.
M..11 > Antuu 0 AquUiao da Costa.
Arna.id il Hollanda Caval'-ante.
50^;
Aeha-ee fugida desde o dia 19 de novembro a
...'.a Su'.ana, com os signae* seguintes: c6r
par 11. idade 30 annits, pouco mais ou menus, ca-
belin corredio e curtJ, pu;ha por uma perua em
i.jueu ia de urn def^io n'um j 'elbo, sem
;i i. i il i- ili-dus do- pes, de estatura baixa, levou
ecio-igu uida rnnpa do seu us e a quantia de
It*>j i| subtrabra de sen senhor ; presu'ne-se
in I' para Goyaawn am companhii de um
lur.-iirio : roga-e as autorida-te* pjliciaes e
cap i do campo a sua aupp-h'-nsft), enir^.
I i ina de Maratlio Dias u. 21, ou a -en
: a rua da Senzala nova n. 7, que sera gra
kiln mm a iiianlia acima.
Ama
U resp
\ \l A
Preoiga-8e de uma ama para
euzinhar : a tratar a rua do im-
perador n. 14.-
VENBME
~.J
LIQUIDACAO DE Fl______
NA
Rua da Imperatriz n. .6A

>
i
* t
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo preoo como
abaixo se ve:
^eretjta *}> ilva d GuiirtarSej leB^Q .11*Ote-^SfiS2^i.fe?ndas.
tem reso_(_o lazer um liquiia^So dap 4Jtf~aj com grande abatimento nos pre^os,
com o.uni^o 6m Ai ; ptirar dinltdr nani. o qwe caDwdjue _^Q__3; _.Jffl|t_y_proso
frugHezes, come o j^spaitavel publico, a vir srtir se de muit*sWIa|8. *<^ B.:ljaratai
noscu estrt>eleimpto flenominado oPavao-n-a riu ,d faap^r _riz iu ou.
CA^RAIA^ W, 4J>500, 59, -9 79-
O Pavao veade i*m rpagnifico sarlinnento
das mai.s Unas jsanjhraias brancas transpa-
rentes, tendo 1 jaidas ipada pe^a, pelo ba-
Rua do Barao da Ticlwia iH48TiJ&^&3^^^ _y_____ _?
DE
t!-i--
il.
coniija
Prccisa-se de uma ama para co
zinharem casa de ponea familia : a
tratar na- ua do Hospieio n. 46,
casa que tem bolas amarellas na
Ama de leite.
Precisa-se do uma ama de leite : na rua do Im-
perador n. 28, e em Olinda, rua do Varadouro q.
10, padaria.________________________________
\iiia de leile
Precisa se de uma ama de leite e paga-se bem :
a tratar na rua do Queimad", loja da Boa Fama,
'lu na rua do Crespo, luja da Passo, junto ao arco
ae Santo Antonio
ijiia de Hie.
Precisa-se de uma
ep aga se bom
na ma do Hospieio n 32,
Criado
*;!.(.;i-<.iliu frr Carril de Per
niieii (oiitr'ora Pernanibiifn
Strvt t Railway .
mvid" a todos os poasuidores de birhvtes de
tii n is carros desia compaobia, ainda e-i-
- em oin-ulac*' com a assignatur.i de H
.( .!':, A-si Trodsr, a traze los au iT'iCo por di
l i mi is-riptxriu da companliia a rua do
,. .mi ind's us dasniois, da* 10 linns da ma-
il i as 3 la lanle, ate 31 do deawnbro proximo
..ui.i; preveniadu, oatta sim, que os dilos bi-
ll sera I reputados scin mais valor para qual
pier efleilo, a partir do l. de Janeiro do 18/4 em
is li-rmos do aviso do mini-torio da fa-
i d 6 dc Hgii.-tu proximo passadn c da por-
ts ia oa pr.'.-idoncia desta provincia de 0 de ou-
cui>r" corrente.
Recife, em 7 do oulubro de 1873.
O ger^nle,
Gustavo Adolpho SchmdiL
Casa em Olinda
\luga-se porquarro mean ou mais o por pouco
ii-.i, uma ex'-ellente easa em Olinda, na rua
loB.jnflm n. 21, mmia fresca, c >m ci'inu-ndos
grande familia, teudo agua e gai encanad.is,
gr.iu.le quintal ou sitio arborisado, e com excel-
le -t vista para o mar e a eidade, ap>-nas distanle
Ires mioutos da esta'-io do Carmo e pouco mais
dos lianlieiros : a traiar no armazem do Joao Ro-
i na travessa da Mad re de Ueos n. 8
Preci so de um de 12 a 14 anno* de idade, para
compras e mais servico domenico de mna casa
de punca familia, pn-ferindo-se eseravo : a tratar
na traw-a do Vigario n. I, escriptorio, das 9 as 3
horas da tarde.
AllenCuO.
O Sr. Candido G. R. Lima, faca e favor vir a rua
do Duque de Caxias n. 60 A.
/ C nsnlliiri;) ?dicjj-pinirgif /
t DE !_.
A. B. da Silva Maia. ^
Rua do Visciiiide de Albuquerque n. #
11, outr'on rua da matriz da Boa-Vista m
n 11. 2
Chamados : a quaiqaer bora. \jf
Consullas: Aos pobres gratis, das 2 as \g
I boras da tarde. /_i
uy ijj.li!
_m seus armazens i rua do Amorim
n. 3T e caes do ApoUo a. VI,
tam pars vender por preoos eommodoi
Tijolos encarnados sextavos para IadriUo.
Canos do barro para es|oto.
CJmento PortlaRd-
Camento Hydraancc.
Machinas de dencarocar aJfodlo.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barrlL
Pbosphoros d^ cera.
Sagii em garrafoes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentilbas em garrafSes
Rhum da aJmaica.
Vinho do Perto vefbo eogarrafado
Vinho do Porto superior, dim*-
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scoerry.
Vinbo da Madeira.
Rotes com lingua* e dobradas iqglataa.
fcicres nnos sortidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Lata- de toucinho inglei.
Barris com repulhp e Alonr.
Tiiila, cha e fiimo
Amaral Nabneo C vendem tiotas orisaiine
Lotion vegetale para tingir de pre*e* cabellos, a
que se conhece de mais mil o comipndo. nao so
no modo de emprega-lo, como no resultado que
se obtem. Cha verde e are|o .efc^fado ultimameno
le, e furao inglez e fra'icez, para cigarros e ca-
chimbos : vendem ao Basar Vletoria, rua do Ba-
ao da Victoria n. 2._______________________
Boa aeqnisicao
Vende-se on permuta-se por escravus uma
casa eonsfuida seis quartos, com gabinete, sala de >*ii-
gommar, cozjnlia for.i, quartos para laiuilia,
cacim^a comboa agua dn beber e um sitio
bem arborisado ; no elto da Torre : a tratar
nesta typographia.
Vende-se a tavToa da ra luiperial"n-_36~:
a tratar no armazera Theotonio Aones ou Al-
fredo Pisso Barbosa, na rua da Madre de bem.
mercado, assi-t^cotao um grande sortinaeale
de d-Ute tapadas e victofias que vende de 49
atS a^.sendo-foetida quesallo muito mais.
dinbeko.
COM SALPiCOS D8 GORRS A 59-
O-Pavao recebeu um elegante sortimento
' de cambraias beancas com luiiiitus salpiqni
I nlio uiudinbos de cores, tendo 10 jawJas
cada corte de vestido e vende pelo banio
prec,o de 59, par scr pecbincha, ditas oem
salpicus todo branco sendo fazenda fipissima
i a 79500e ditssa 59000.
franco, muito fitto.8.80000, apen|s precise
\, ;* metro parji jimlev^li
CHALES BAOUTOS
m?9m_9_.
O Pavao vende cbales a emitacJo dexae-
CMfteiw Yiaaiia.
V este grande estabejacimento tem che-
gado um bom sfirtirnento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimamentena Guropa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta eidade, como bem as-
sim coneerta-!a9 pelo tempo tambem d'um
anno, se/n dospeodio algum do comprador.
Nete estabelecimentotimbem ha pertencasl YESTIDOS A USO DA CORTK 129
para as mesmas machinas ese suppre qual- j O-Pavao vendo urn bonito sorliniento d#
qupr peca que seja necessario. Estas ma-|Cortes de vestidosa uso da corte, trazendo
chinas trabalham com toda a perfeic3o de cada c6rte todos QSeofeites nc*_*sariosoomo
urn e dous pospontos, franze e borda toda s<.jam : babadinhps, entre-rpfios, randas,
qualquer costura por Cna que seja, seus requeDfes.e vendia-pelebaratu prego de t_9
precosilo da seguintequalidade : para tra- cada um, assim como, di os a,? d*s jullio
baihar a mao de 309000, 409000, 459000,com todos osenfeitesa 109 cortes de carr.-
e 509000, para trabalbar com o pe sao de braias brancas abertas, com listras e lav res
80JWO0, 909000, 1009000, 1109000,1 a 69, ditos linissimos a 89, ditos de cam-
1205000, 1309000, 1505000, 2005000 e braia branca com listras de cores, para -aca
2509000, emquanto aos autores nao ha al- bar 39500, 6 pecbincha
Opres a 29500, ditos de mefiu4esU_npai_os,
4pyito finos a 49, :ditos finissimos com lis-
tjias de seda a G9500, ditos njnrtQ ftuos de
ortpom a 109 e i-9-
lno eiifstdo nr_9"* 98w-
Pa vao vende aUj^d_> eu^s.tado 40m 8
lp.aJmos deiarguTa, preprio para ierujoes
seado do mais encorpado que tem vindo ao
m~------.> v-y. .-^>_t !*.-. -*-c "V* *_!-
ipercado, ttso a 19 a-vara etraneaaoa.....
1280.
ATQALBABQ- k 19600, 99, 8."
0 Pavao vende atoalhado trancado c_pm 8
palmos df ^rggra 4 If 2i*0 e I960, dito
advnasca/la a _f, _it| da ljiiko adamasca-
do a 39 e 59-
SF***5fSoo5_^PW
io vende um nonno sorti
Risco maritimo
J. Wulff. capiUn do brigue altemko Cellm .r,
.-in !o fretado do Bio de Janeiro, tm IfStro, para
cariegarem um porto fmre Ma-eio e Geari, e
depoia sejuir para Falnwuth a ordem. e entrado
neste porto com agua abrta, precisa, para occor-
r>r as de.-pozas do concerto doiBesihn navio, a
ri-ci marilimo, a quantia d.'G:0iK)j. peneo mais
ou menos, suhite o taaeo e fr#te do dito Ba*io.
OtVrtas em eartas feehadas sensiu ico liidas no
cdi-ulaJ) do impetio gwimwkw ('"de a carta de
retamento pode ^er examiuada) pehn interessa-
d"9 ate 0 meio dia do dia 26 do corrente mcz do
dC'lllbro.
' *%,.
To.maz J. deOliv.-iia & C. deeiaram aos seu*
do centre da provin'ia, que desta data
en rtipnte nSo pagurnn i|uaniia algnma ao sen pro
curador e cobla.lnr, a Sr Francisco Coelho Gou-
calves, vi-to que fica dejde ja sem effeito a pro-
cursca 1 que n dito tem, e nesta data nenhum si n
devedor nagne a pile, sob pena de nnllidade no
paganT-nto, e aproveium e^ia ocMaian, obamando
o Sr G .ncalves, afim de i-restar contas do que ate
esia d:,ia leiu oobrado. Recife, 2- de dezembro de
1873.______________________________
f Mli'gft frttm m _wjh
Mme. Cambrono avisa aos p is de familia que
abrir.i no 1* de janeiio do auoo vaad. 11 1 fan eol -
legio franoez. provisorir.nv.nte ni Capunga, rua da
Ventura n. 3"i, para 0 sexo femmih 1 ; ale-n do
ra ; ensitrafcse ha ptirmgnez, mgli', geogra
. hi-tori., rnosfea, bordadqs,danga, etc._____
~ 100,3000 de <-ratiiicacao
Epanb" Sant"s Meodes
Fiij 20 de de*-rabro. do engenho can
,(i0s coinacca d Nazareth, freanezia de
Tra. 0 crava Maria, cri.ula, 50 anno's
! > mais ou menos. baa, grosi
Srei.- ado, pdi seecos < e-panados,
ed II brmieos, can. !!as flnas, lem
d-v. ",li.-lliidoi no queixo, e e bem ladi
na i|- ajjie entregar e.^'a *?i '
Jon 0 0-cnhnr do engenlv nciiua. Lauren-
lino I I'.unha P-mra Belwi. <-ii n 1 R -
Aiipo Santo n. IV, 1 and.r, sera
re > ma) a quantia do dxi;:
Fug.o mTsab'b'ado -OTo do sol,.a
don. li da travessa da rua das Gnues, a
gain culratorto, lenaado-uma Hta-Hang fr cm
on-do* 0 : _|aem 0-fegar, quwrenui rr^luir,
1 lo wtaaaacima, qne S3 graii-ona.____
Prisa-se de vaadedoras de bojos, dando se
*00 rs. nor pataea : oa rua Vital de Negreiros,
acti_a Cmo-P-laj n. 59.
*
0
h_ tOO. *C*00 i aXWX!i3S_i i
CJompanhia do Gaz.
A empreza dogw tem a h-mra de annunciar
ao publico que recebeu oHimentB um esplen-
li Io sortimi-nto de lustres devidro, candiei-
rfs, araudelas e glotxis, cujas amostras estao
BO escriptorio & rua do Imperador n. 31,
e sorao vendido* aos seus freguazes pelo
preco mais razoavel possivel.
% HEDIGO-CIKi:GICO *
0 DO *
<' Ilr. Santa l_o*a. 0
Rua do Barao da Victoria n. 46, 1.' mi
U andar, outr'ora rua Nova,
^r Consultas das 10 horas da manna ao 0
meio dia. g\
Chamados por escripto a qualquer hora ^_
0 Especiaiidades. Pantos, moleslias de 9
olhos e do apparelho re-piratorio. -
i w -&<#&&. 00##
Bom negocio.
Precisa-so de uma pessoa que queira associar-se
cm uma loja de joias e bionterias, entrando cm
um capital de -" OOOsOOD, podendo esta pessoa to
mar parte na gereacia lo mesino estabelecimenlo,:
quini quizer dirija-se ao p, teo do Carmo, casa de
banhos, que sc dira quom isio prerisa
Ao ci>_iHyeiT{'
Os abaix > asiignados faiem j-ciente ao respeita-
vel corpo do commercio e a quom interessar pos
sa, ijue dissolveram a -ociodade que gyrava nesta
prara sob a lirma do Cai valho Guimaraes & C,
li and) 0 activo e passivo de dita suciedade a car-
go do.- Sis. Guat'dio An tunes Guiinaries c Anto-
ni. da Costa Ribeiro Recife, 20 de dezambro.de
1873
Augasto Ferreira de Carvallio.
Juaquim Rodri^ues Pereira.
Precisa se fallar com urgencia ao Sr. Euthi-
uiio Erasmo Moroira de ... ndoiica, de presente
c Muribet-a : na rua das Cruxes, loja de trastes
u. V:. ____________!______________________
D Sr. que anvnnciou querer comprar urn
solnado do um andar em qualquer das fregue-
ziasdt Boa-Vista, Santo Antonio ..uS.'Jqse, an-
ie sua tnuiada e hot- de ser eqcoftrado ;
! a a rua do Ro^picin n. 39 oas 7 as'9-da ma
nha, e das 'i a? 6 da tarde, q m achara.com.queni
tratar._________________________________
Vende se a-armagao c uten>ilios.da.tavarna do
do Tore 1 *?* baratn. e propria para quom
se quMNV estaliilecor naquelle lugar : a tratar na
moina.
!_______________________gg__g-BBBgSP~B.
ATTrNtM
Vende-se uma typographia bem monlada, com
um wachina e um prelo, tudo,*m bum estado e
po preco modico : quem a pretender, dirija-se a
urrado Torres n. 12, sobrado, i andar__________
Fio da algoilao Tem para vender em seu escriptorio Joi.rjuini
Jos6 Goucalves
mereio n. S.
Beltrao Attencao.
Vende-se um tetreno em Heberibe de Baixo,
rua da Regenerate, com JriO palmos de frente e
.60.1 de fundos ; ieado nolle biimfoitoria. A pes-
soa que preten ler dirija-se a rua do Barao da
Victoria n. .7, que achara com quom tratar.
teracfio de precos. e os compradores poderao
visitar este estabelecimento, que muito de-
verio gostar pela variedade de objector que
ba sempre para vender, como sejant: cadei-
ras para viagem, inalas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balanco, ditas para
crianca (altas), ditas para escolas, costurei-
ras nqnissimas, para senhora, despensaveis
para criaocas, detodasasqualidades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para chd, fa-
queiros coin ca bo de metal e do marftm,
ditos avylsos, colhereade m#t*| fin>_,cftndiei-
ros ptr sala, jarros, gi_tada-csmk)as de
arame, tmp_s para cobrir pratos, esteiras
para fcrr#r %|U(S, lavatorios completos, ditos
simplws, dbjeet_s para toiLelte, e outros mui.-
tos trtifo* q.e rauitodevsma^gradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
Aviso. .
No escriptorio de Thomaz de Aquino Eonseca A
C. Snceossores vende-se a retalbo vinho da Fi-
gueira, das melhores marcas, chegados ultima-
meote : na rua da Vigario n 19, i andar.
fan ate.
Rua Pi*iiueir le Marro 11. 14
Gusmfio & Leal receberam os melhnres e mais
modernos que ha em chapeos para seohoras, e
estao vendendo muito haratos, para acabar.
Vende-se
onarrenda-se, no estado eui quo se acha. um si-
lio nos Remedies, fregue ia dos Afogados, n. 18,
chao proprio, com 849 palmos-df- -ftwntc e 638 de
{undo : os pretendpntes diiyain-seaeseu propne-
,tario, a rua de S Francisco, s'brado n tO.
Atten^a*)
Vende-se a beni afreguezada taveria n. 40 na
rnado Bom Gosto. em anto Amaro dasSalinas,
propria para principisnte : quem pretande la di-
rija se a mesma taverna que achara com .quemj
tratar______________________________________
Vende-se um bonito cavallo preto, bem gor-
dp e com todas as jn-rchas ; a tratar na rua da
Imperatriz p-68.____________________________
>Ven_e se'a^tavcrna da" w* Imperial n. 81,
com polices fundos, propria para principiante : a
tratar na mesma.
C0-TE8 BORDADOS A 209 E 359-
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato pre?o de 209 e 355.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, 0 covado
0 Pavao recebeu um graude sortiroento
de cassas francezas coin delicados padrdes e
cores fiias. que vende pelo barato pre$o de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara ti-
nissimo fil6 branco hso e de salpkos, e tarla-
t#nas de todas as cores.
BOIINOL'S A 129.
0 PavSo vende um bonito sortimento dos
mais modernos bornous combonitas listras e
lende pelo barato preco de 129 cada um.
quo se acfca al>H.rto de.de as 6 horas da a- *^'m ^omo um elegante sorti.nento dos mats
nha *tes 9'horas da noute. bpn.toschalesdemer.n6e com
Rua 22.__________
Nttha mais cabellos
brancos.
TINTUfl&HlA JAPOHEZA. .
Sdo uoicaapprajxtda pelas acad'waias 4 scienoias, reconhefida superior a toda que
tem apparecido at6 beie. Depostto princi-
pal i rua da Cadeia do Reeiks, hnje Mar-
quez de linda, 11. 51, 1 andar, ~ em
todas as boticas e casas de cabeHei-
r6ire.
Da fortja de d >us a seis cavallos : a vends op
armfaem de Joaqnim Lopes Machado A C, tr-a
vessa do r'orp.T Santo n. .?>.___________________
T-Vende-se umi asa .terrea era tameoo pro-
prioHia-raaSdo Carcereiro n. 6 : na rua do Duque
de C|sias.lQja.p. 60 so dira quem vende.
"Wd-on Uowe4f C vendenj ,no sen armazem
a rua d Compiorcio n. 4.4 :
0 verJaduiro paauo de algodao azul amencano.
Bxcellente fio de \ela.
Cognac de 1* qualidade
Viaho de Bordeaux.
Carvao de Pedra do tndas as qualidades. ____
Farinha de mandioca nova
Teem para vender Joaquim Jose Gonealves Bel-
trao & Filho, a bordo do patacho Sapho, chegado
de Santa alharina, Tundeado "lefronte do trapiche
Barao do Livramento ; e para tratar a bordo, ou
no seu escriptorio a rua do Commercio n. S.
Vende-se
_wpra-n uma eaeraaa parda.aifiaaa6.a0
. nnus. que seja de in lilo li_ Coiiduc*>fl*_il*a.l*-
v >r. i-nguiiimar e cuzinhar, tendo boa aaude : bo
C nioior do Bis|io n. 7 <, a tratar a quarquerhora.
B'-
,0AS.
Vendese a taverna sita a rua do Barao *)
Tri impho n. 6'6, bem affeguezafla ; quem p-atenr
der. dirija-se a mesma, que achara com nam
tratar.
Machinas de eostura dos seguintes autores:
Wilier & Wilson, de 2 pospontos para trabalhos
com 0 pe. ao preco de 80A Wil, tOO*, 120^, 150*
e,200*000.
Dita? 4 imltncao de Singer, com lanfadeira, aper-
fen-oadas, de 80s, 90* c 100_000.
Ditas do Weed, com lanc,idei.a a tO Je I.OJS.
Ditas de Gfriviv & Uaher, cose com cordo pelo
avesso, a 804, UK)*, 120*, I90;5 e 2005000.
Ditas do Gui 1 & H;>rbeek, do traballiar com 0
pe e'com a n>no, cm lancadeira e de 2 pospontos,
a 50*ii00 a 65-(.O,
Ditas do me-mo autor e de um posponto, de tra-
baihar com a mao.
fTodas estasmachinas se vendVD a dinheiro e
fiaoo conforme se pmier convecoio_ar cum os pre-1
U'.idenles. Tambem sao garanUdas por um anno
e e manda ensinar no Bazar Universal
N 22 Rua do Karao da Vio-U^a-N- ^
l\ao se eugneui
Viofeosem barril 0 engarrafados, de marcaseo-
heeidiis, aci editadas p gardotidas, inclusive, qua-
lidade aropria para miraos ou pessoas doentes
vendem Cunha Irmaos A C, rua da
Deos n. 34.
Sravatiaha azul -de 1834.
GoHieita do anno da 1831.
Veiho particular de 1840.
Lagrimas do Douro.
Du_ue de 1815.
Duiuie do Porto,
ftegina.
Petaiisa nova da Russia em j-ei_-s,b$rris.
Pes de sapotis. abacates, romejras, -paweiras,
fructa-rfo.'roseiras de varia; qualidades e outras
flores : na Boa-vista, rua do Viseunde de Goyanna
n. 101, outr'ora Mondego.
ao
Vende^e fcarAlo a armatio da taverna d. 60, si-
a a rua Direita ios Afogados : a tratar na pada-
ria do junto n. 66.
0 Pavao vende iim bonito sortimento df
sedas om listrjnhps proprias para vesti-
dos de nieniuasmie seuhora a IptiOO oco
vado, ditas lavradinhas a 29, os padrdes sic
muito bonttos e venderse por este preco part
ao_bar.
B.ilinaM 5 SOOO
0 Pavao tm um pompleto sortimento de
botinas muito bem enfeitadas para seohoras
e vende pelo barato preco Je 59, artigo que
em outra qualquer partecusta i^eTjS.
LENCOS BRANCOS
a 8900U.
0 Pav5o yende lencos brancos ab'inbs-
dos, tanto para honaeescomo parafeuhoras,
a 29 e 295i 0 a duzia, ditos de esguiao
cambraia de li.iho t nbem ab inbados 1
39500, 49, 59, d tos francezes escuros, pars
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PARA nOMEM.
0 Pavfio vende ricas camisas com peitc
de linho bord -das, proprias p ra poivo a
10j5e 129 cad"* uma, ditas de linho sen se-
rem borl das 49, 49500 e 59, ditas core
peito de algodao muito finaj 23, 29500 e
39, ditas dechita (ina miudinh > a 29,29500,
e39,'Ssimcomo grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de huho conipde al-
godao de 19600 ate 39, gr nde sortimento
le mei s cru s inglezas de 49 ate "89000 t
duzia
FAZENDAS PARA IX'TO.____
0 PavSo tem um grande sortimenTo "3"e
fazendas pret s para luto como sojam : cas-
s s, Ifls, on lazinruis ILsjis quo vende a 400
e 500 reis 0 covado, bombazinas de 19600
ate 29 0 covado, cantao a 19 e 19_00,
granadiue lisa com listras, cassas e ohifcu
todas pretascom listras^sal^icos, ^lp-cas
todas pretas e lavradas de branco, merin6s
outrasmuitas fazend s apropri das, que se
veude por menos do que em outra qu-lquer
parte.
._ APOLfJI* EflEESTAUOS
a 390.O
O Pavao vende pegasdemadapolao enfes-
6 covado, e grande sortimento dealpacase tado com 12jard sa39, ditoa39500, ditc
gftzinhas de 400 a 80U reis. eom 20 jardas a 89, 59500 e 69000, dito
com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo o
CIIITAS DE COBES ; mais finos que tem vindo ao mere do.
a 20", 24t., 28t)e 3_')rs.
0 Pavao vende um grande sortimento de
bonitaschitns tanto claras como escuras e
vende d__'H) ate 32 'rs.,assHn como ditas
com listras aolado muito finas a 360e4 rs., finissimas percales miudinhas com lin-
dos dezenhos a 360 e 400 reis, garantindo
serem odas de cures fiias.
COBKKTAS A -9, 29500, 39, 49.
O Pavao vendo bonitas cobertas de chita
LAZINHAS A 320
O Pavao vende bonitas lazinhas lisas,
f ndo verde e cor d lyrio, pe 0 barato prejo
d' 320 reis 0 covado, assim como delicadas
Jazinlias de quadrinhos a 280 reis, e" pe-
nincha.
i- iii 11 iili .* 41 0 Pavao vende um elegante sortimento
das mais bonitas granadines ou gazes de
jfcda para vestidos. tendo de todas as cores
e vende .pelo barato prec/> de 640 reis 0 co-
*ado e granadine preta com listras de seda
a 1-^800.
LAZINHAS A 360 O COVADO.
0 Pavao vende bonitas lazinhas transpa-
rentes com palminhasa 360 reis 0 covado,
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,
Janto em listras como em quadros a 280 rs.
Algodaocinho a 49000.
0 Pavao vende pecas de algocteozinhr
muito <-ncorp3do a 49, dito a 59 e 69.
TAPETES
CORTES DE CASEMIRA A 59.
O PavSo vende um grande sortimento de
com ramagem grauda, pelos baratos prejos cortes decasemirapara calgas, .com bonitos
de 29,2950 ?, 39 e 49, ditas encarnadas gostos, cluros e escuros a 59, ditos de 09,
forradas a 59, ditas defust&o branco e de cor 79, 89, ate 109, superiores casemiras fran-
com barras a 49 e 59, ditas de crochd para cez se inglezas, paraxaa.do, de -99500.ate
cama de noivo a 69, dftas muito rlcas a 169, j 6$, paunos pretos e de c;res dos mais bara-
ditas do damasco a emitaQao de seda a 109 j tos e mais finos que tem vindo ao mereado.
Lindas ehapelioas
83 RUA DUQUE DE C -XlAS 83
lAugusto Porto recebeu as mais linda* chapeli-.
nas e chaiieos para senhmas. superiores polona-
zas de gurginao de seda e ricos lac.03 para gra-
vatas de senborps. Setts precos sio sempre os
mais coiamodos posuweis. _____
wkkos^de xitdt'pz.
A Rosa,.
Madre de na rua f
! -------
|ca tem e vnj.e,a 440 rs. a covado.
e 149.
Fustacs
O Pavao vende fustdes brancos ede cores,
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao
mereado, tanto para roupa de criangas como
para vestidos e roupas de homem,,e vende
pelo barato preco da 56o ate 19, 0 covado.
. BRAMANTES
a 19600, 252 Oe 29500.
O Pav8o vende bramantes de algodao com
10 palmos de largura para lencoes, pelo ba-
rato preco de .96t-0, dito de liuho com a
mesma largura a 29, 29200 e -29500, dito
Cortes dechita a 39, 3:.00 e
30OOO.
0 Pav3o vende cortes de.ohitaa ^soBTfls a
claras com 10 covados carta crirte, peloba-
ratismo preco de 29. 2950O e ||ptuO.
CORTES DF. BRIM A 19*00.
0 Pavao ve*de cortes de brim pardo.para
calca, a 19400. Ditos de cOr, iazenda raui-
to boa, a 190*10.
Espartilhos a U e 4^00.
0 Pavo vende os mais modernos esparti-
lhos, proprios para senhoras e meninas,
pelos baratissimos precos de 39 e 49000.
Ditos muito superiores, brancos e de cqr, a
59 e 69000. "* V
por precos muito razo -vets.
Itonpa feita
0 Pavao, tem copstaqlemqnte um grande
sortimento de roupas feitaspar,a homem, quf
vende por preco mnito em conta, oomo se
jam :
Calcas de brim de cores de 29500 ate 69
Ditas de casemira escura a 39600
1'.ilitots da mesma fazend a 49500.
Calcas de brim pardo de 29 ate 5$.
Il.t s de casemira de cOr de 1ft ate 42
Ditis de casemira preta dc 79 ite 14^9.
Palitot6 do pahno preto -de 49 ate 129-
Fraques de pann > preto fino de 209 aU
359000.
Calc s brancas de linho de 49 Etc 79.
Colietes.de c#emi(p de cor de 39000 ate
59000
Ditos de dita prata de <49 ate 79.
Cortes de hi a 4*#jP#.
^> Pav^o ven le bouitos cortes de l^sinhas,
padroes rniurUnhoj: coin fop As cor^6,4endo
15 covados cada c6rte, peToAaajato pre^o de
49QO0._
CORTES DE ORGANDY A 39000 e 39500.
0 Pavao yjsnde 1 6rte de organdy branco,
cpm listrase quadrinhos, sendo fazenda mui-
to ina, peti* baratissimos pre50S de 39 e
39500 0 c6rte.
Ceroulasfrancezas de linho ealgodSo, para todos os,pje,SfiS.e,qUAlidfldesr.as5iro
como grande sortimento de meias cruas, camisas, coler.nhos, que tudor^e venue por
precos muit rzoaveis.
.-------,------------------------------------------_----------' -------------'-----------'--------------
Vende-se
uma caaa.n- rua.do CaUieireiro n. ii : a tratar
na ruada--Palma n. 87.
Asu_ieas verdadeiras
; Bichas harnburguezas one vem a este mereado-
i.oa rue Harquez deuliudan. 31
E' a primeira vez que vem a este mereado ; a
Rosa Br..nca tem e vende harato, e da amostras
col penhor : na rua da Imperatriz n. 88.______
Canarios da AHemanha
Chegaram pelo ultimo vauor da Europa, per-
feiVs cantadores e de cores muito lindas ; acham
se a vendt no armazem Fidelidade, a rua do Tm-
"or 14.
n
Tem para veii ;
Cognac ie Hemjcss;
Vinho Xeres dasinei
BMars de Angestua.
WWaki-. I
Chi preto em latUs c"
Todas as preparajoes olu
armaiem da rua do Co;
jjMtom,
AyF:
i
r \
t
\
- >
r f

1
1
[

[ JUGiffL
. 1.-


?"-

*'l
^.
!/.
'*

.
Lavns i 200 rs.
A bo Wad urns
uento a 120 rs.
Caixa de liiiha de tuarca, a 200 rs.
Lamparinas v, a 19000.
Duria de pocas de eordSo imperial,
140 rs.
Caixa ue botoos de osso para cnlc,, a
\B mais simples, as Jaisbatatas e as melhores do mundo! ,0Sr*;
Na eiposi^ao de Paris, em 1867, foi concedido a
SOARES LEIIE, IRfflAOS
UNIGOS A6ENTES
A'
Rita do Barao da Victoria d. 28
BOUS P0SP0NTOS
Nalojade Soafes Iselte Irmwoe. a^ia do Barao *&
Victor la n. 28.
peHfca foni peqoi^io toque,
para e^Meto, KMItde snrti-
8e-lo8a.
EHas Howe Junior, a tnedalha de ouro e a condecora-
cio da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per.
feitas do rauedo.
A medalha de ouro, confcrid* i
Estados-Unidos por ser o inventor
tura.
E. Howe Junior, nos
da machina de cos-
A medaiha de ouro na exposicio de Londres acreditam
estas machinas.
A 908000
Cabe-nos o dever de auuunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
trk, estabeleceu nesta cidade & rua do Barao da Victoria a. 28, urn deposito e agenda
^radeHowe. Estas macninas sao justamente aprcciadas pela perfeico de scu trnbalho,
Asapregando uraa agulha mais curta com a mesma qu alidade de liiiha que qualquer outra,
. mIi mtroduccao dos mav? aperfeicoados apparelnos, esjamos actualmeote habilitados a
"fwecer a? examo pablicc as melhores machinas do nuindo.
As varktageTis deskis macMnas sao as segumtes :
FrWMira.<0 pufclico sake que ellas sao duradouras, para isto prova incontestatel,
vrumstaucia de aanca torew awiarocido no mercado maehinas d Howe em segun-
aiao.
Stfuuda.Coolers o material preciso parareparar qualquer desarranjo.
Twoeira.Ka nellas meooT fncs&o eutre as dirersas pecas, e menos rapido estrago
40* nes outras. 9
Quarta.-For mam o poolo eomo se fdra feito i mao.
Manila.i'ermttte qua se examine o trabaiho de ambos os fios, o que se nao consegti
.** sctres,
Sexta.---Ftzem ponto mwdo em casenura, atravessando o fro de am i outro lado,
i bfo em segiiit* sera modihcar^so a tensio da liuha, cozem a laxenda mais
(ML
Setima,Qcoaipressdr e leraatado co a maior facilidade,quando se tem de niudar
-* agulha ao cftBegar nora eostur*.
0ty.Aluitas.oaaipanhias de machiaas de eostura, tern tido epocas Ue graadeta e
cadeneia. Machinas ouitfora populares, sao 4ioje quagi descoiiiecidas, outra* soffreram
? adaucas rddicaes para pockrem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
4optAB4e a opiwiio de Eiias Howe, meitre em arU.-s mechanicts, tem constaatentente
ft^menUde o sen fabric, e hoje nao atteado a procura, posto que fa^a 600 mechinas
Cad* &chin* acompanha livretos com instrucc,oes em portuguez.
A 9hm A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 28,
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
>00 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Maco de nta chinezn, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 norellos, a 500 rs.
Meios adere^os com camafeu, a 500 rs.
Garrafa de tinta roxa exlra-fina a 150O0
Poles com dila ingleza, preta, a 100 e
160 rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas,
IJiOOO.
bfam idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, 500 r.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira donraia,
i 800 rs.
Idem idem idem lisa, a000 rs.
Duzia de talheres abc branco, 2 B., a
S9000
Hesma do papel paufaido, a i0O0
-, 5^800.
Idem idemliso, aW0, 300eb000.
C iques modernos, a 39000.
Duzias ile pecas de trancas de caraeol
ranca, a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Leques de osso e sandalo, a 25000, 45
G5W)00.
Espulbos de moldura dourada,
o* nwwoihos e precus.
"ERFUMARTAS E MIUDEZAS.
Fraseo corn oloo Onaa verd4ei*o,
liWOO.
Wem-com'toaico *h; Kemp, verddeiro,:i
m*.
Carrafadeaguaioridaverdadeira a 1^200
Oaraafa d'agu japonen, a 190OO.
Idem klemdivina, a 19000.
Mem idem Magialena (no-vidade) a
10200.
Caixa de pos para denies, a 200 rs.
Idem idem de p6s chinez, muite boa, a
500 rs. e 19O00.
iltotecom opiate de Rieger, ttimei e Gros-
neJ, 1* 00.
Duaa de sabonetes do ameodoa,
'^BOOO.
a Duzia de sabonetee4em)juihu transpareu-! wgol.-sde 850, sao muito fortes e bonitas.
te, a -29200. | dia do dono, aberta na mesma, custa :
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos,lenr*osr
meias e todo genero de roupas
COMA TIMBKII
Carhlfs 4evjsila, liwfs, envelopes eUk 4(nwljd.de Weis, el ira ^ exaciameate com 0 n mt competeirte fa pe$g$w
Garante-se dar urna chapa tao boa como poderia conseguir-se em Londres ou Novav-
York, e iuTianpa-se igualmcute que a tinta sera indelevol.
You can bet your bottom doSar ovt/thai
Ca-da chopa com o nome da possoa e acompahada de dous frasquinhos do tinta, unr
pincek, wua direccao sobre a maneira de empregar a chapa e uiua receita para fazer
tinta, custando tudo
Pre^o fixo
Km letra de mao e gothica
\1UHUAS \MBWLCAMS
PARA CHAVES
Sao muito commodas e possuem as seguintes vanlagens :
Servem para ajuntar as chaves, e ao niesmo tempo sendu chatas, ha
omc e moradia do dono.
Sao faceis de abrir e fechar, deixam entrar a maior chave sem
argola.
Sao feitas de prata alema enio saosujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir; como au-
Cada argola americana coin o nome e mora-
3*000
59000
ugar para
offender a
Idem idem com fldres, 19500.
Sabunettii (Jdyoeriuu transparent^, a
19000.
Caixa com.sabonetes. furmato de'fructas,
a 19000 e itSt'O.
Cosmeticos, gnaudes e pequenos, a 100 e
800 K
Fraseo comgua de colagne, a 200, 320,
500 rs. e 1*000.
Extracios muito finos dos hi- Chores au-
tores.
Lindas *> elegantes caixiiihax ctun perfema-:
rias, proprias para presentes, (km auiores
E. Codray, Rieger, Gelie Frenes.ele.
Ouadros fom1 santos e ostampas separa-
das.
Entremeios-e babados irenspafHrtet< to
Precp fixo 2,5008
P. LAURO MACPHERSON
l\0 HOTEL ESTAMINET
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS D1AS UTEIS DAS 9 HORAS AO MEIO DIA..

AMAZE!
DE
Fazendas finas
NA
Fita de velludo de todas as cores e largu- pados.
as. Unra graudelabolota proprra pwa qul-
Mieroscopios com 12 vistas.Ja U9000. quer loja.
Fraseo com oleo para machina a 400 rs,
Rua do Barao da Yidoria n. 28.
Hi l. de Margin. 7 A.
DE
h\\\\Mk tie Lisinta
Hombreiws.
Capiteis. j '\jUR1'
S<.leir|. ''-*".. Crteou. o ver4iira d *Virttand; barricas
A veofla no armajem n. ,* trava&sa do fp ; ggaa^es^e yX) kil,: u ariu^eui 4e Ta*so to
I O1^8 ^ *'.. oags ^lo'Ayolto.
Santo.
Para acaharl
-H-------ii r ||.
Cordeiro JSimoes <& C.
<'.-u uasa, sem duvida, tuna das que hoje,
j pude com primazia apresentar aos seus freguezes
um variadissimo sorlimento de fazendas linas pa-
1 ra grande toilette; as^im como, para o nso ordi-
: nano de todas as classes, e por precos vantajo-
so.paca im caupradores, de oujas fazem um pe-
queno ri'simiu.
Mandam fazendas as casas dos prulendeDtes,
para o qHe- tem o pessoal necessario e dao amos-
tras raediaote petmor.
Cortes de seda 'ie lindas cores.
Ditos de gorgurao de cores.
Grosdenaple de todas as cores.
Oergurio branco e preto.
Satim Macau preio -o de cores.
Chalcs de merino de cores e pretos.
I Dilos de easemira.
Ditos de seda preta c de cores.
Dito de touquim.
Camisas de Vinho.
Ditas de chiu.
Ditas do flanella.
i Ceroulas de brim c algodio.
Damasco de la de cures.
Pannos de crochet para cadeira, sofa e eonsolios.-
Colchas de dito.
Tarlatana de todas as cores.
Espartilhos lisos e bordados.
Foulard' de seda.
Ca-acos a tricot.
Ricos cortes de vestidoe de linha para senhora*
de di ersas cores, com os competentes enlei-
tes, ultima moda.
Casemiras prctas e de cores, chltas, madapoloes
cambraias, panno flno preto e aznl, collarinhos,
punbos, gravatas, loras de pellica, ditas d fio
de Escocia, brancas e de dores, tapetes de todo?
os tamanbos, bolsas de viagem, etc. etc.
Na loja do Passo, rua Primeiro de Marjo n.
A, antiga do Crespo.
Cimenlo
} p a A'do-fp um tmr+w imLiUoki), de, (irosdeaf*s idem idem.
Ricos'Cfcapr.os para senfcora : so na/ru* oime mn'tl^.ktm^aji^^,- **dia e de (td oon-'l Ye'"^.pre,-., n,Qf ..
de Gaas .% 1, loja da esq^ina/* T" .dwHt ; ppgem,/) (tojifiwo.. .Jf" .Tendido porqueo seji^pqneUuas de lindos
iio.de!
.\inhos linos ^iigarrriados
Pr prios para presente de festa nde di-
versas qgaliilades ; veadem-se iu ru d/>
Cormacrcio n. 48, 1* andar.
senhor vai doente para aBKujflp*v a. ^ra(ar Fj
na rua de llortas n. 110.
padroes e fazcuda
padroes.
- seda branco e preto.
de i ores lin
da ultima moda.
Vende-se uma excellence casa com um pcaaewj
fitio, sita no Arrajal junto a casa do S/JAnselmo :
a tratar na mesma easa, e para in formate* na
jiverna do {Jtieiinado n. 'i. I* andar
Brando peettneha a 200 rs
covado.
(]asa 13, padroes novos e de mais gosto que
tem vindo ao mercado, so na rua do Queimado
43, loja de Gnepra & Fsrnandes, pelo dimina-
pre?o de 200 rs. o covado 1
Cheguem freguezes que se acaba ____
|FariuIia de araruta
Vende-se superior farinha de araruta, tanto em
4orc*os como a relallio, por pre^o que admira,:
visto siia qtji idada ; depositos nos seguintes la-,
ares: rua do Vigario n. 26, rua do Amorim n
, e travessa da rua das Grazes n. 4, a 500 rs. a '
'ibra a ratal ho.
Os verdadeiros
Yinbo6 de Bourgogne
im oiareas
Chambertin
Pommard
Virks
Volnay
Bcanne
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Yende-se por barato pre^o
PARA LIQUIDAtJAO DE CONTAS
NA
Rua Larga do Rownrio S4.
Botica.
Tata jpara vender Ji taipiim Jase GoncaAves, Be-
3o Filho : a tratar no sen eseriptorto rua
t '''

Ii Rjeas basquinas de seda.
j Manias brasileiras.
j ComIuls de seda para noivos.
^Goilesde cambraia branca com liudos bordados.
Capeilas e niantos para n ivaa.
Riquissiino sortimento de las com lislras de e Caaibraias de cores
Ditas uiaripozas, oraacas e de cores.
-------.- -"'-1 Nansuck de lindos padroes.
Ga MM-wVofiV'te GaxHW : 09 A, loja da fbpteto de padroes mui delicados.
C5quina-___________________________'- f Per Salinas de quadros pretos e brancos, de lis-
j tras. etc
Barafesiino
flJlCQ,
rLan-anhas com lislras estampadas pelo diminuto
Co-do 400 rs. o covado.
Silas com lislras assetinadas a 14006 o co~
vado.
Greaadinas pretas comlistras de cores a 300 rs.
o covado.
Mcties Irancados proprias para vo'tido^a :)M rs. I
o covado. i
Alpacas de quadros, -profrias para vesiidof, a
4*0 rs. o covado.
,Brttrjro.s,4 ve.nda
Dejro ,avisa.*,fe.us BMMMI quo e*u en
yii,0cais,.pro(yinciasde Alagwts o Peraato-
5icq, conduzipdo escetlente tropa de burros
pasftara por Penedo, Pilar, Gastanha-Grande, Por-
to Calwo. Barretros, Rio-Furmosn, -Es>-ada, Cabo e
provftvelatfnla pr Sacto Ajnttro de Jaiioatao a
NazavcUi; por iwsojpde ser avisaoo ou eqcon-
trado em oualquer destes lugares.
Laraegeiras^ 10 de ontubro de 1073.
N0VID4DE
Irian de liuho de cores, proprios para vestidos
com barra e lislras.
Fustau de lindas cores.
Ofctaquinhos de Ii e de todas as cores, para se-
afcoras.
Saias aordadas para senbnras
Camisas idem idem
Vestuarios para meninos.
Ditos para baptisados.
pGhaocoa para ditos.
Toalhas o guardanapos adamaseados de liaho de
cores para mesa.
Colchas de M.
Gortinados bordados.
Meias de cores para homens e meninos.
Completo sortimento de chapeos de sol para ho-
mens.e senhoras, com cabo de marfim.
Merino de cores para vestidos.
Brim branco, lona, para ealcas a 1^300 a vara. A PredileeU iceba de receiver um llralo sortt-
Dito trancado a U600 a rara. j meulo du.fitas escocezas achama4oudas, proprias
Bito de cores, h'nho pure, a 1^400 a vara. para facbas ; asslm eomo um Undo sortimento de
IWhiyi-hi i jefluea^ madtepa^ia; a elloa antes que e aca-.'Di nTfil(.
' raa d f SSbUSTds liaeo e algodio para toalhas
Alwtlliado pardo.
Brins de linho branco, preto e de cores.
Settn de lindas c6res e com lislras
1 0 erdadeiro Portland sW se encontra bo eaes
da alfandega n. 6, armaiem de bacaihao, em
barricas das maiores one vem ao mercado e por
preco mais commodo do que em outra quahjuor
pane._________________________________
Veudc-se a metado do sobrado dous andares e soUo ua n>a de Pedro Af-
fonso, outr'orn rua da Praia n. 35 : a tratar
na mesma run, armazem n. 26 A. E*v.in-
tajosa a compr bem cotistruido, de giimde reudimento e
excellenU-s comruodos.
Rua do Brura n. 76
Vends so zinco puro de superior qualidade,.
proprio para cobertas de casas, mediaao 11 pal-
mos de comprido a 4 de largo, por prefo mr.ito-
em conla.______________________________
Lindas las escoeezas.
Dc varios padrees, e inteiramente modernas, i*.
360 rs o covado : na rna Primeiro de- Marco
antiga do Grespe n. 18, loja das-eoirnnnas, de An- -
tonio Gorreia de VaMonoeUos.
R<)ii|ta eslmngeira.
Amaral N'abuco A C. vendem costumes de brim
branco e de cores (a marujo e a puritanos) para
meninos, paletots e colletes para homem, ditos de
alpaca c de casemira para homem e meninos, ca-
misas bordadas e lisas para senhora, liomem,-me-
nino e meniua : no Bazar Victoria, a t ua do Da -
r3o da Victoria n. 1.____________________
Fonnas para assucar.
Ualvauisadas e pioudas, por precp commodo.
gendem Cunha & Mania, a rua doMarquez de-
Vinda, n. %i.________^^

DOS PREM10S DA
8.
LISTA GERAL
a
PARTr; AS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LBI PROVINCIAL N. 402
PREMS.
II 5--J
A
4


OOd
4*
'
NS.
PRE.MS.
lll.fft
U07
19
34
41
46
47
n
1-201
i
4
16
17
i8
33
34
36
61
68S
70
%
82
l
#
**
**
4>
NS. PREMS.
1283
n
1300
1
2
I
10
12
16
3
4*
NS. PREMS.
NS: PaE|IS.
)2 A BENEFjpIQ DA 1GRLIA DA SA^Ti/CRUZ EXTRAIUDA EM 23
: "' ~^~ :.''-------------------------------------
DE DEZKMBRO DE 18173.
u
mi 48
'I
5
6
68
69
ii
1
14Q1
4

44I
- 2^.
- 31
53
61
t
K
17
21
2?
34
47
66
67
69-
88
16)1
17
U w
25
27
. ft
86
-
48
57 ^ t"'nWi
"4!
4^
93
94
96
im.
bOI2. .
S*
51
%
69
7*
78
82
87-
91
94
99
1810
13
39
35
37
39
44
18U
47
k9>
62
69
73
74
?7
78
NS. PREMS. INS.
W^a
-

PR EMS,

76
81
93
94 m
HM'
n __
4.
Mil
,- ;**t I q"FI noffl
9%ok -I* ieT" f- ulJft< J
" Ml
v88>T!f 4- : 19
1904 -
^^se*
f-
f.
,600<1
9 ^T
]tQ -
22
&
wr I
44 r
.47
T

r


48
S3
80
8*
91
-r2ftaa

10
13
21
28
31
34
33
49

-
TT
-
-r
m



w ^
NS.
4#2a4ii
09
i31* i
18
25
38
44 -:0 9
86
6* %
'__ I
Ii- '
4* **jK>4
.44 -*m b-:.(|2
*WV
rSa : -'. ,.,r
'84ihi)j siaq,
9
74
88
87
92
[2613
III
45
*&
W

Oliii. <&
*up
it
39,
tH
Ih

17
30
40
43
V-
57
71
85
86
90
8*
73 58 #
ifca ^
92 JrnO 62 yr-ki %
9
"^rtw*'
TO (ei^fcy; tsr.wi
98
12502 -
* W
m
82
34
W
t 54

P8iM5.pt6
73 '' -M
i I f\m*
_
..-:mi(,
Sfi|
2792
2802
5
1
14
16
it
29
PREMS.
41
34
.
m
4t
46
Ttl

w ra,*^L!3f

15
ii
I m
i -24
38
51
55
89
73
89
91
!V
T
38
39
48
47
53
64
7S
38 i
NS. PREMS. iNS.
_a iM8


.-4* icfAii
'di '84-
^-
H
6S
70
an
78
'80
-r i, 87
..92
-13002
3
| 9
10
#* 44
0-'
3019
42
49
55
58
64
73
75
77
83
88
96
3104
16
17
31
34
48
49
69
78
84
91
92
n
:;205
8
8
22
28
32
40
SO
56
60
61
63
73
m>
T
4118284
;88
95
98
3309
11
i4
45
27
32
37
41
53
m
68
84
63
u
78
83
94
88
4* 34f*.
t
18
22
27
32
39
41
61
63
82
f5
88
94
30l
-9
'REMS.
INS. PREMS
4*
*Cb5
lOo
2
I!
MM
49f

4*
3510
11
16
2a
27
31
39
42
44
46
60
62
68
8a
84
85
9*
93
98:
aeoa
9
18
22
34
43
52
62
67
70
73
82.
86
90
37u0
4
9
19
*\
t,5
46
4jflr
[ISS. PRESfS.
4*3747
48
53
56
69
63
65
69
79
80
82
94
3808
14
u
32
43
54
57
m
63
70
80
8t
87
95.
98
98
3908
32
38
57
62
-o
4*

[ mm i



___SJ>


: '

Diario de Pernambuco Quarta teira 24 de Dezcnibro do 1673.
JOBISPRUDERCl
com ocensentimento do iniraigo, podia con-lestiv esse clara, era consequenci* desta coin-
ciliar no seu espirito acraeHa especie de eva- cidentia. .
I^I^I^H .---- III. 1........ a no in q vJdlfl
Rcl(rio ^
A RF.SPEITO CiO NKGOGIO DO MARECHAL BAZA1NE
EX-COMMANDANTE EM CHEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
CAPITULO V
INCIDENTE REGNIER.PARTIDA DO GENERAL
BOURBAK.C.CHEQUE DAS NEGOCIACOES EN-
TABoLADAS.
(ContiniAacao)
Para nfio embargo tr a narracSo, suspeu-
dem >s tada e qualquer reflexdo a respeito
desta extraordinana confereneia entro o ma-
rechal Bnzainu 6 Regnier. Citaremos porem,
ainda a |>as>age.m do interrogators do ma-
rechal rela'iva d sahida de um dos sues
geueracs.
Perguvta,.Dizeis que o Sr. Reguier vos
fez saber primeiramonte que a imperatriz,
pedio que o marechal Caurobert, ou o ge-
neral Bourbaki se dirigisse. ondo ostava.
Segundo Kegnier, naose tratou da sun par
tida sendo pira o dia ?eguinte. Accres-
centaque deixando-vos nao pensavaera vol-
tar.
Resposta.Affirmo que foi nessa tarde,
depois da sun primeira visita, que se sus :itou
a questao da partida de um official gene-
ral.
Levantou se n'aquella primeira eutr-'vista
do Sr. R5 general para junto da imperatriz. 1 o mare
ohal affirma, Regnier declara o eontrario.
Saja como lor. s6 no dia imme iato se vai
\er o niarecbal toman lo medidas para se
conformar com o que se cbamavam os dese-
jus da imperatriz.
Segunda entrevisla de Regnier como
marechal (23 de setembro!. Partida do
general liourbnki. (Juan to terniinou a
confereuia ontreo mar-dial e o Sr. Regnier,
e-a muito tarde para atravessar as liulia^, e
foi s6 no dia seguime. 2*. que o Sr.
Regnier p6de voltar a Corny, onde eneon-
trou, dUse elle, um telegrainma de Mr. de
Bismark, autorisando a sain la de um gene-
ral do exercito de vletz. Como esta sahi la
devia ter o caracter se rcto, teve o genenl
de Stiehle a idea iegundo declarou Regnier,
de encobrir dquelle iim com um ped.do de
repatriacdo, que existia no estado maior do
eiercito de bloqneioda parte da commissao
de so'-orros luxemhurgueza rei- tivanente
a seie medicos sens c rnpatriolas, quo esta-
vam eni'ermns em Met*, h cujo regresso ao
seu paiz se solicitava. Aqii'-lla commissao
tinha en 20 de setembro, dir gido um pe.li-
do naquelle senti In ao m.rechal Bazamc.
Esta earta tinba si lo man la la ao quartel
general allemao. 0 general de Stiehle es-
creveu pois em data de 23 ao marechal
Bazaine, para apoiar, em nmne ilo principe,
0 pedi I < dos medicos luxemburguezes, pe-
din lo-lhe que quizesse urdenar que aquelles
nove medicos fossem postos em liberdade,
e dirigi los para fdra d Met/., pelo caminho
de Moiilinslez-Melz. Ora, os medicos eran
apenas s -te ; o principe dava pois impliei-
tamente per is'.o um salvo-conducto para o
general e Regnier, que podiam assim sanir
incognitos, envolvendo se com aquelles me-
dicos.
0 S-. Re'gnier voltou ao campo francez
em 2i de setembro ds onze horas da ma-
nha. e depois de uma nova confereneia com
c marechal, deu-se logo ordem para man-
dar aoquartel-generalo marechal Canrobert
e o general Bourbaki, e para alii reunir os
medicos luxomburguezes. 0 niarecbal Ba-
zaino poz-so successivamente em rolacoes
com Regnier, o marechal Canrobert e o
general B urbaki. 0 marechal Canrobert de-
clinou a raissaoque selhes tinha proposto,
desculpando-se com o seu estado de saiide.
Quantoao general Bourbaki, julgoudever
aceitar. Reproduzire nos textualmente o
depo.mento daquelle official general sobre
eate ponto :
A 2* de setembro de 1870, fui chama-
do pelas cinco horas c meia da manha &
residencia do marechal na occa-iao em quo
me apeiava. Tinha-me feito procurar duas
FOLHETIM.
ir.EEIIA BQBG-IA
MEMORIAS DE SATANAZ
POR
D. llanoel Fernandez y Gonzalez
SEGUNDA PARTE
SAVONAROLA.
Ill
UMA VISITA TERRIVEL.
(Continuacao do n. 294)
Savonarola voltou lentameate para a sua
cella com a cabega inclinada sobre o peito
e profundaraente pensativo. Dorainico Fanti
esperava impaciente. Savonarola cbegou &
porta da cella c disse a Dominico que ea-
trasse.
Esso homem que me trouxeste e sa-
tanaz em pessoa, disse o frade severa-
mente.
Diabo contra diabo, veneravel raes-
tre, replicou Dominico. Lucrecia Borgia
esUl em Florenja.
Chegou a horado combate, murmu-
rou Savonarola.
Isso mesmo me dizia esta tarde em
sua casa o Sr. Francesco Valori, seu gran-
de amigo ; e necessario romper por tudo ;
ai distancias vao se encurtanJo e d'aqui a
pouco tocr-nos-h5o com os punhaes.
Cbegou a bora do combate, repetio
Savonarola, por^ra nfio de um combate de
sangu mas de um combate espiritual. Ra-
tira-ti-, porque esse homem que me trouxes-
te estari provavelmente esperando porti.
N'aquelle momento ouvio-se o sino gran-
de de S. Marcos, que tocava pausadameote
o cobre-fogo. Pouco depois, "muitos outros
sinos rep >.tiam o mesmo toque.
Soou a bora, disse Savonarola, vai te
c ate anisnhS.
Domiuico sabio murmurando :
0 horror que o mestre tem ao sangue
perle lo-ha a elle ea todosn6s ; esti-me
pareceodo que n$o tem a cabeca muito
sa.
Savonarola sentou-se junt" da mesa, ti-
rou da gaveta a carta comejada, que tinha
guardacloquando Dominico entrou, o con
ti-mou escrevendo.
A nid\acarta, como dissomos era dirigida
* ao papa.
0 qoe dava assumpto aquplla carta era
un brevo de sua santida le ao arcebipo de
Fioreuca,. contendo a excommunhio de S
, vonarola,
vezes durante o dia sem me encontrar.
Estava em Saint-Julien na residencia do
marechal Le Bmuf. No acto da cbegada s*o com a certeza de poder retomar o seu
encontrei o coronel Boyer, que me disse : o posto, quando a sua laissio estiveiw pro-
marechal estd a chegar. Depois conduzin- onchida; e quando ao atravessar as liobas
do-me para junto de uma janella que deita- inimigas, foi reconhetido, nio estabeleceu
va para o jardira, continuou : conheceis a claramente a sua situa^Jo, passando para o
pessoa que passseia com o marechal ?Nfio, quartel general allemftj T
fhediise eu.Como assim, no o tendes Nao deixa do ter intsresse para esclarecer
visto nas Tuillenas ?Nio, esquego-me dos este ponto, reproduzir o depoimento de Reg-
noines alguraas vezes, mas nio das physio- nier relativamente & passagem do general
nom'ias. Nunca vi aquelleindividuo. Nio Bourbaki em Corny :
e nem um familiar das Tuillerias, nem um Nos postos avancados, o general po^Je
empregado. 0 marechal enlrou naquelle dar indicio de reconbocimente na attenc,ao
momento; apresentou-me a Mr. Regnier, e respeitosa de um coronel de estado-maior
disse-me : dai attencao ao que vos vai dizer do principe, que nos tsperava am des le a
este senhor. vespera. Chegado ao quartel-general o ma-
tt 0 Sr. Regnier entrou em uma sorie de jor general Von Stiehle perguntou-me se
consideracdes politicas sobre a necessidade polia apresentar osseus respeitos a9neral,
da paz, accrescontando, que o governo al- cuja brilhante bravura admirava. Respon-
lem8o nao pensava em tratar com o governo di-lhe que o general so mostrana para isso
de Paris ; que nao .,onsiderava legal senao pouco disposto. Disse-me que comprehen-
o da imperatriz ; que so tratasse com elle as dia aquelle sentimento, e perguntou me se
conlicOes seri^m mnnos oncrosas; que a eu pensava que entraria nas suas inteii^oes
intervengao do exercito de Met* era indis- aceitar uma audiencia do principe"* Res-
pensavel; que importava, pois, que um pondi Iho quejulgava que elle prefenna o
dos sous chefes se dirigisse a imperatriz para eontrario, mas que todavia ia assegurar-me
represcntar junto della o exercito, que o disso. Fa 1 lei cam o general, o qual me
marechal Canrobert e eu, seriamos muito respondeu que nao queria ver nenhum
aptos para oc upar aqmlla posic^o. S6 delles, nem comer, aocrescentou elle, do
prestoi uma atteugao muito mediocre a todo seu p8o que o suffocaria. Deixet-o meia
aquelle discurso, e. quando ouvia a ultima bora depois, quando partio com os medicos
paiavra das suas ab.rturas, dirigi-me ao luxemburguezes. Se elle tivesse algum p_e-
marcchal,epeii-lhe explicates sobre o que diJo a fazer quanto ao seu regresso, nao
acabavadeouvir. 0 marechal mostrou-me deixaria deo ter feito, quer fosse ao rmjor
cartas do principe Prederico Carl s, que n3o general, quer ao proprio principe.
tinham grande signiacagao, e disse ao Sr. \ Quantoao projecto que se attribue ao
Regnier que fizesse cunstar ao principe, que marechal de haver procuralo afastar o ge-
elle pedia quo o exercito sahisse com as neral, cuja presenga Ihe parecia um emba-
honras militares, se.ii tratar a respeito de raco para a sua politica, eis aqui a proposta
Metz, que Picaria indfpondente do exercito ; quese fez ao general Bourbaki :
qu o marechal Bazaine se retiraria com 0 Perguntu. Veio alguma vez, i vossa
seu exercito para tomar em Franca uma po- idea que queriam afastar-vos de Metz? A
sicio neutral ate 6 paz. Eis aqui tudo este respeito, vejo do summario que vos
que'me lembrou a conversa^ao que teve fizeram indicates por parte de ofliciaes da
l(lgar. 'guarda para vos sondar sobre se acccitaneis
0 fim do marechal, mandando um para o vosso corpo de.oxercito uma capitu-
chefe do exercito junto da imperatriz, que lagao imminente. Que v6s havieis dito
represcntava ainda o governo, porque nao nessa occasiao, que nesse caso, a guarJa
havia uma idea exacta do que se passava era saberia restabelecer a velha divisa de
Franga, era, creio eu. fazer saber que se terloo.
queria salvar aquelle exercito, o que era Iksposta. N8o creio quetivesera pro-
necessario tratar Emlim, dise ao mare- curalo aflastar-me. Era eu um subordi-
chal Bazaine : Senhor marechal, que que-, nado zeloso e disciplinado. Ndo vejo o mo-
reis que eu faca ? File respondeu -me :' tivo por que o marechal tivesse quendo
Desejo que va" tnr mn a imperatriz. Pois >fastar-me. Creio sdmente que elle apro-
miito hem disse eu. mas pouho differentes veitou a occasiao de procurar salvar o seu
coudieo s : leteH a bondade de me dar uma exercito da dor de ser reduzido pela fome a
ordem por escripto, de dar conta da minha j uma capitulate Quanto ao passo collec-
partida na ordem do exercito, de n8o me tivo de officiaes, perguntando oque eufana
substitnir uo meu '-om uando, e de me em presence de uma capitulacao, nunca elle
promeiter que, emquanto eu n8o vol- teve lugar. Mas lembro-me de ter conver-
tar, nao obrigareis em cousa nonhuma a sado uma vez com o general Deligny e outra
guarda. com o coronel Dumont, e manifestei Ihe,
Em seguida disse me elle : Parti im- que, no caso de cheque, eu na ordem do
mediatamente. Dirigi-me ao meu quartel! dia faria reviver as recordacdes deixadas
general para fazer os preparativos de que pela antiga guarda de Waterloo, e faria
carecia. Iperguntar aos soldados se queriam tentar
Tinha-se concordado que a partida do fortuna.quando raes rao um grande numero
general tivesse iogar incognita, para nada *** *? ficar. Pra sa,var honra
se devulgar. Nao t-ndo o general factos &
Wa-
Nao se ligard esta circumstancia
da puUwacao da ordem gcral n. 9, em que
se annunciava o estabelecimento do novo
governo que teve lugar a 16? Haveria
simplesmente eonfusSo e o marechal escro-
veu 13 em jrez do 25 ? Foi apenas ao
atravessar Bruxellas, a 8 de outubro, que a
attenc,5o do general Bourbaki so fixou na-\
quelle ponlo 0 depoimeut > de Mr. Tachard,
ministro da Franca na Belgica, nao deixa
nenhuma duvida a este respeito.
As prinieiras negociacocs nao produzem
rcsultado. Carta do mareckal Bazaine
ao general Stiehl Emquanlo o general
Bourbaki proseguia no seu caminho para
Inglalena, onde ia saber da imperatriz quo
tinba sido victima do uma mystifieacao da
parte do Sr. Rignier, este voltava a Ferris-
res. Tinha-se concordado outre o marechal
Bazaine e elle, que, no prazo de dez dias,
isto e\ o mais tarlar ate" 30 de setembro,
Regnier Ihe faria passar a resposta do Mr.
de Bis :iaik ; mas quo, se passado oilo dias
olio iiaj de>se noliciis suas, seria isso a
prova de que as nogociagdes se achava.n
mallogradas.
0 marechal nao ouvio mais fallar de
Regnier ; mas a 29 de sete L.bro, foi trans-
mittido para Saint Marti i u n despacbo ex-
pedido na vespera de Ferrieres sem assigna-
tura, c mcebiio nesles termos :
Aceitard o marechal para a ren licao do
exercito que se acha em Metz, as con licoes
que estipulard Mr. de Regaier, conservando
as instruccoes que teri do marechal ?
No registro encontramos a esposa que
marechal deu a esta aberlura :
M.tz, 29 do setembro de 1870.
Senhor general :
Apresso-me a fazer-vos saber, em res-
p >sta d carta que me haveis feito a honra
de meenviaresta manha, que ndo podcrei
responder de u m mancira absolutamente
amnnaliva d questao posta por sua excellen-
cia o Sr. conde de Bismark. Na j conhego de
maneira nenhuma Mr. Regnier, que se me
aprosentou como enviado de um passe do Sr.
de Bismark, e que disse ser maudado pela
imperatriz, sem poderes escriptos. Mr. Reg-
nier foz-me saber que eu ostava autorisado
a mandar apreseitar d imperatriz o mare-
chal Canrobert ou o general Bourbaki; per-
guntou-me ao mesmo tempo se podia expor
ondic,5es em que me fosse possivel entrar
em negociacoes com o commandante em
chefe do exercito allemao em frente de Metz
para capitular.
Respondi-lbe que a unica cousa que po-
deria acceitar seria uma capitulagao c >m as
bonras da guerra ; mas que ndo po lia com-
prehender a praga de Metz na convengao que
se tizesse. Sao effectivamente as unicas
condigOes que a honra militar me permitte
aceitar, e sao as unicas que Mr. Regnier
ndo pdde ter exposto.
No ciso de S. A. R. o principe Frede-
paizana, o mare-dud emprestou-lho os seus ;
nm chapeo com a cruz de Genebra, que
Regnier pedio a um dos medicos luxembur-
guezes, co npletou o vestuario.
0 summario proeurou saber se o general
do exercito.
Ha uma circumstancia a notar, mas que
n8o foi possivel explicar de uma maneira
satisfactoria. Qurndo o general Bourbaki
se decidio a aceitar a sua missao, o mare-
chal redigio pelo seu proprio punho a sua
Bourbaki tinha sido prevenido por Regnier, ordem de partida em data de 15 de setetn-
de que, uma vz sahido, ndo tornaria a bro, em vez de Ihe por a data de 24, dij
entrar em Metz. 0 general Boyer depde
ter sido avisado dessa condiQdo por Regnier ;
mas nem o marechal, nem o general Bour-
baki conservam disso recordacSo. Resulta,
pordm,
Oourbaki que a guarda ndo foi empregada
seriamente durante a sua ausencia, e que
elle nao julgava afastar-se do campo sendo
temporariamente.
Ditfieilmente se p6de apreciar como e" que
o marechal Bazaine deixou de precisar bem
as on licdes em que se ia operar a sahida
e o regresso do seu logar-teneute. Por
outro lado como e que o general Bourbaki,
que pensava que a sua sahida tinha lugar
era que Ih'a entregava
0 marechal declarou tel-a datado de 15,
mas que se enganara. Regnier assegura que
a idea de antedatar a ordem de que sc-trata
da confissdo formulada pelo general! tinha partido delle. Na sua ideVuevy :ou
elle ndo era para desejar^ue a sahida do
general concordasse com o seu apparecimen-
to no quartel general e que nao era neces-
sario raais tarde, no interesse da politica im-
perial, e dos projectos em quo se proseguia,
que se podesse dizer que aquella sahida
tinha tido lugar de accordo com as autori-
dades allemas.
Esta oxpli --a^ao n8o tem alcance serio,
porque era impossivel que a verdade ndo
Eis a traduc3o d'esse breve :
Temo6 sabido por muitas pessoas dignas
de fe, que um certo frei Jeronymo Savona-
rola, Mgariode S Marcos de Florenga, tem
espalhado doutrinas perniciosas, escandali-
sando e oorrompendo a gente simples. Or-
denamos-Ihe que, em virtude de santa obe-
diencia, suspendesse os seus sermOes o vies-
se aos nossos pe desculpar-se dos seus
erros ; mas, desobedecen to a isso, adduzio
algumas desculpasque aceitamos com dema-
siada beniguidade, esperando que o conver-
tesse a nossa clemeucia. Porem, persistin-
do elle sempre na sua obsiinaedo, ordeoa-
mos-lhe em segundo breve, sob'pen a de ex-
communha unisse o convento de S. Mar-
cos d Congregacfto Tosco-Romana, por n6s
uovamente creada. Com tudo, frei Jeiony-
mo permnece firme na sua pertinacia, in-
correndo por isso, ipso facto, na censura.
Portanto, ordenamos que nos dias festivos,
em presen^a do povo, declareis a fiei Jero-
nymo excommungado e como tal separado
de todos os tieis, por ndo ter ouvido as nos-
sas admoestacOes apostolicas, nem obedeci-
do aos nossos maniiados. E prohibimos,
sob a mesma pena de excommunhdo, que
ninguem o auxilie ou trate com elle, nem
o elogie com factos ou palavras, como ex-
commung'do e suspeito de herezia.
A < arta de Savonarola, depois de repetir
o que tantas vezes havia dito acerca da sua
doutrina.'e firman-lo-se n'ella, concluia do
seguinte modo :
Esta excommunhdo uao me espanta,
porque nao e valida nem ante Deus, nem
ante os homens, visto que foi causa da pelas
invencdes e pelas calumnias dos meus
101-
migos. Sumetti-me e submetto-me ao juizo ^0 da suapalavra ooaldiU.
da igreja, e ndo faltarei d obediencia, ape-
zar de que se ndo deve obedecer aos maa-
dados que sao contrarios d caridade e i lei
do Senhor. Preparo-me com a ora$io part
o que possa succeder, e para fazer conhecer,
sendo necessario, a verdade a todo o mun-
do. A conilemaa^ao ndo se deve teraer
qu udo e injusta, e, submetter-se a toda e
qualquer sentenca, e ter a pacieucU do
asno e o terror da lebre.
Depois de Savonarola ter fecbado a oarta
e sellado-a com o sello da ordem dos Pro-
gadores, chamou um dos seus (pmiliares.
Frei Benedicto, disso elle, saia n'uma
liteira acompanhado por quatro serventes
e necessario queessa carta seja levada quan-
to antes a Roma.
Sim, siro-,' veneravel mestre, replicou
frei Benedicto, se me ietenho 6 porque temo
dizer-lhe que um desconhecido que diz che-
gar agora mesmo de Roma, insiste em fal-
lar-lhe. Como nos e prohibido trazer-lhe
estas mensagens a esta hora, hesitei ; porem
o desconhecido insiste e diz que tem a tra-
tar um assumpto da maior importancia.
Mande entrar esse homem, disse Savo-
narola.
Manda-o entrar, mestre 1 Pois ndo
teme que esse homem seja um punhal dos
Borgias ?
Frei Benedicto, quando a morte tiver
de nos ferir, em vfio pretenderemos fugir
aos seus golpes. O que Deus quer, tem de
secumprir. Vd fazer o que Ihe disse e de
caminho mande entrar esse homem.
Frei Benedict sehio.
Quando ficou sd, Savonarola murmu-
rou :
Q laotas e qu^ntas Tezes se tem experi-
mentado a for$a do meu espirito 1 buscam
era raira o pavor, como se podera haver
pavor em quem tem postas em Deus a fd
e a esperanga ; eu n*o nasci para morrer
aos golpes de um punhal assassino. Deus
reserva-me para grandos cousas, o meu espi-
rito penetra no porvir. Roma esta" ferida ;
que importa que eu pere^a ? Apds mint vird
outro e logo outro e outro ainda. Parece
que d medida que augmentam as minhas
tribulagoes cresce a minha esperan^a e a
minha fe em Deus. Rodeia-me a tentacao ;
o grande inimigo do cdo experimenta-me de
vez em quan lo. Pedro de Napoles I homem
maldito 1 Resoa ainda nos meus ouvidos o
Desembanhai
a espada de S. Paulo, pelejai, feri, vfldeque
augmentam os vossos iniraigos, que se mul-
tiplicand e que a serpante se enrosca ao vos-
so pescoco. Lucrecia estd em Florenc,a.
Ah I esse mulher I... Os Borgias I...
E o other de Savonarola era vago, som-
brio ; ouvia-se-lhe a respirac-io ardente,
como que se alguma cousa terrivel Ibe agi-
tasse o peito.
Passado um momento exclamou :
Ah I uma reve!a$So, meu Deus e
meu Senhor I envia me um anjo com a tua
espada e corobaterei I
N'aquelle momento abrio-se a porta da
cella e entrou um homem corapletameote
do convento ; n8o leve luzes ; vfl d rua de vestido de preto, tendo no rosto uma mas-
S. Pr6rolo, d casa do Sr. Francesco Davan- cara de velludo, e deixanio ver por baix
z,.ti, iHitregue Ihe esta carta c digaJhe que do gorro, abur.dantes cabellos brancos.
man le imme hat im'ente um correio' com Aquelle horaora avaiQOU silonciosament
ella a Roma. ; para Savonarola, que immovel no meio da
0 familiar pegou na carta o (lennkneceu cella, e entregue & profunda meditacio, ni
um mo in.m to i deciso. ". j I sentio a sua aproximavdo
J j Ihe lbs; ?, repetio SavoDirolH, que' 0 apost lo medita e duvida, disse com
rico Carlos desejar mais complelas informa-
(jOes sobre o que se passou, a proposito
disto, entre mim e o Sr. Regnier, o general
Boyer, meu primeiro ajudaule de campo,
terd a honra de se dirigir ao seu quartel
general, no dia e na hora quo se dignar
indicar-lhe.
0 offerecimento feito pelo marechal de
mandaro general Boyer junto ao principe Fre-
derico Carlos ficou sem resposta ; por outro
lado Regnier nao deu mais noticias suas ;
emfim o general Bourbaki ndo fez chegar
nenhuma carta as mdos do marechal. Es-
tavnm pois roias as negociacoes. ste roin-
pimento foi causado, segundo Regn por mal entendidos que era facil dissipar.
Se Mr. de Bismark n8o fez nada ueste
sentido, foi porque o ndo julgou a propo-
sito. Era delle bem conbecida a attitude
politica do marechal. Todos os receios de
accao combinada entre o exercito de Metz e
os exercitos nacionaes tinham desappare-
cido. 0 exercito de Metz nao tinha viveres
sendo ate 18 de outubro, comeria os seus ca-
vallos ; em poucos dias ia assim licar redu
voz rouca aquelle homem, pondo a m3o no
borobro de Savonarola, e, emquanto duvida
os seus inimigos estreitam a ride em que o
envolvem.
Alfonso Crospi I exclamou Savonarola,
despertando c reconhecendo pela voz o seu
terrivel amigo.
Sim, Affonso Crespi, que vem trazer-
te nao sei se boas se mas noticias, respondeu
o advogado tirando a mascara, mas con-
servando posto o gorro.
Para que vens a estas boras ao conven-
to ? disse severamente Savon orola. A se
nhoria de Florence, que tanto me deve,
que por mim existe, que por mim se v6
livre da odiosa tyrannia dos Medicis, que
por mim evitou o terrivel a volta-me as costas, espiom-me, persegue-
me. Para que dar occasiao a que esses ho-
mens debeis e cobardes, que sedobram ante
a excommunhdo de Roma, creiam que cons-
pire ? Eu sou a luz, tenho no meu espi-
rito o de um anjo, e aborreco as trevas; a
minha espada e a paiavra. Que mecalle?
N8o 6 possivel; se me fecharem as portas
de Santa Maria del Fiere, pregarei nas ruas
publicas, porque a paiavra de Deus ndo
pode reduztr-se ao sileneio.
Angtolina acaba de chegar de Roma,
disse Affonso Crespi cortando ruderaente a
paiavra a Savonarola.
Este estremcceu. desde os pes ate" i ca-
beca.
Oh o meu peccado exclamou elle,
a parte fraca do meu cora^do I Angiolina,
ella, a impura I Ella, forma de anjo e
alma dedemonio... vai-te, afasta-te, nao
me tragas a tentacdo I 0 meu espirito luta
e teme. Fui fraco, arrastou-me o inferno,
tua filha foi a minha grande desventura,
6" ainda a minha tentacd >. Ouve : ha mui-
to tempo, que a visSo celeste, o anjo que
Deus me en via ra para confortar-me, deixou
de descer ate" mim ; sinto que me abandons
o espirito prophetico. Quando oro, quan-
do me abysrao na conteraplagao, quando
durante a noite lan^o os olhos para a infi-
nita immensidade dos ce"os, a minha estrel-
la, antes t8o resplandecente, mostra-me
apenas um brilho fatidico. 0 meu ser in-
flamma-so abrasado por um fogo do infer-
no ; a mintia estrella dilata-se, cresce, des-
cende, deixa-me ver, n8o o anjo glorioso,
mas sim uma mulher, tua filha. Por ella
estive a ponto-de converter-me n'um demo-
nic ; por dia, uma nodoa de sangue man-
cha a minha consriencia ; o duqjie de Gan-
dia I Oh mas so Deus 'creou a mulher
para o homem, se abrncou a alma de am-
pos no fogo do amor, que ha que se oppo-
nha 4 vontade de Deus ? Quem ha que se-
pare o homem da mulher ? Oh I meu Deus
e meu Senhor! eu desfalleco, a minha al-
zido d impotencia. Abstendo-se de notificar
ao marechal Bazaine a interrupedo das con-
ferencias Regnier, deixavam-ne na especla-
ti va de novas mensagens, e prevenia-se deste
modo ; ou pelo menos demorava-se uma
accdo desesperada, .que teria custado ao
oxercito prussiano sacriflcios que mais valia
evitar.
Depois de ter expjsto as circumslancias
desto mysterioso incidente, de maneira a
fazer sobresahir o mais claramente possivel
o seu encadeamonto, chegbu a occasiSo de
caracterisar o procediraento do marechal nas
suas relagoes com o Sr. Regnier. ^_
Quem ora aquelle personagem que sargio
t8o inopinadamente no meio daquelles gra-
ves acontecimentos, e cuja funesta interven-
580 ia arrastar 0 marechal Bazaine ds mais
culposas resolu^des ?
Nascido em Paris em 1822, Regnier rece-
b;u uma educacio muito irregular, como 0
provam 0 sou estylo extraordinario, e a sua
orthographia viciosa Obteve comtudo 0
diploma de bacharel, e encetou, sem os
levar ao cabo, estudos de direito e de me
dicina. Mais tarda occupou-se do magne-
tismo. Encontram-n'o envolvido, da ma-
neira mais bizarra, nos acontecimentos de
15 de maio e do mez de junho de 18 8
casou-se, dirigio-so a Argel efoi empregado
na qualidade de cirurgido auxiliar. Regres-
sou a Franc;', explorou uma carreira de
ociosidade, depois casou-se em segundas
nupcias em Inglaterra com uma senhora,
que Ihe levou meios para viver com certa
commodidade.
Regaier 6 um homem fino e audacioso,
as suas raaneiras sdo vulgares ; vaidoso ate
ao excesso, julga-se um profundo politico.
Ten publicado numerosas brochuras.
Foi elle arrastado a lanijar-so no meio dos
acontecimentos por uma dessas monomanias
que preparam as e'pocas de desordens e de
revolucao t Era elle um simples intrigante
que fazia officio das suas subtilezas ? E'
isto que e difficil decidir. Seja como for,
limitamo-nos aos factos demonstrados no
summario; encontramol-o em Inglaterra,
tr.it.indo dos seus projectos desde 13 de se-
tembro, ao lado da imperatriz. Uma vez
obtida, d forja de solicitac/5es, uma photo-
graphia assignada pelo principe imperial,
trata de fazer acreditar os seus manejos, eJ
poe-se a caminho para Franga.
Onde foi elle fazer vizar 0 seu passa-
porte ? A' embaixada prussiana. Deixa
Londres a 18 de setembro, chega a Ferrieres
a 20 pela manha, e obtem immediatamente
uma audiencia de Mr. de Bismark. Nessa
mesma occasido, proseguiam entre Mr. de
Bismarck e Mr. Julio Favre as conferencias,
que ficaram, come e" sabido, sem resultado.
Esta coincidencia fortuita estd attestada no
depoimento de Mr. Julio Favre que nos re-
vella uma circumstancia, que mostra Reg-
nier mais envolvido do que quer dizer na
conlianca do poder imperial. Mr. de Bis-
mark fez ver a Mr. Julio Favre uma photo
graphia que Ihe entregou Regnier, repre-
sentando a vista de um estabelecimento de
boihos no mar, pela parte debaixo da qual
estdo estas palavras : a i-.sta e a vista de
Hastings, quo eu escolhi para 0 meu bom
Luiz (assignado) Eugenia.
Accrescentareraos que em 2G de outubro,
Regnier, passando em Bar-le-Duc, e veado
Mr. Bompard, que tambom depoz, mostrou-
Ihe uma vista de Wilhensoe, com alguraas
palavras escriptas pelo imperador.
. Teraos exposto circumstanciadamente a
enlrevista de Regnier e do marechal, assim
como a sahida do Bismark. Emquanto
este ultimo s eni-.aminhava para Lottdres,
Regnier volta a Ferrieres. Immediatamente
depois encontramol-o em Londres envolvido
com os personageus politicos do imperio
recebido pelo principe Napoledo em 28 de
outubro, declarou 0 general Boyer, no seu
depoimento, que o encontrou em casa do
principe; dalli dirige-se para Cassel, onde
0 vimos tentar envolver nos seus manejos
politicos alguns officiaes prisioneiros ; de-
pois volta a Bruxellas.
Encontramo-lo depois era Versailles, figu-
rando entre os redactores do Moniteui Jprus-
siano no qual publica Sma serie de artigoj
com 0 titulo de Juan Ijpnhomme. Na oc*
casido do armisticio, Regnier reapparace d
novo em Bruxelja*, e alii Incontrato gene-
ral Boyer. Regnier. disse-me que se di-
rigia a Versailles, para procurar renovar a".!jp
as negociacoes tenden'es a uma restaiJa^do
imperial. Assim depoz 0 general Boyer.
Este continue: Mostrou-me 0 salvo-
cenducto que Ihe tinha mandado Mr. de
Bismark e uma carta do conde de llasseld
que 0 autorisava a dirigir-se a Versailles.
Emfim a 18 de fevereiro, estd naquella ci-
dade, onde, eacontrando de novo um per-
sonagem do seu conhecimento, Ihe diz estas
palavras caracteristicas : Ndo sei se Mr.
de Bismark me fard partir esta noite.
E' este 0 conjuncto das inforraacOes que
obtive am por parte do summario, a respeito
de Regnier.
J

0 Sr. Regnier leva de Metz informa-
coes exactas dcerca da situacuo do exerci-
lo. Dous factos de uma importancia capi-
tal se produzem do depoimento de Regnier;
por um lado, 0 marechal entrega ao pri-
meiro que Ihe apparece, a um desconheci-
do sem poderes escriptos, em relates com
0 inimigo, 0 segredo da data em que 0 seu
exercito terd esgotado os seus viveres ; por
outro lado, 0 marechal declara-lhe que estd
prompto a capitular, com a condigio de
sair c ra as honras da guerra. Depois de
ter reconhecido 0 governo da defeza nacio-
nal, notificando ao exercito a sua eomposi-
c8o, 0 marechal Bazaine obriga-se em nego-
tiates que tinbam por fira a restaura^ao
do governo imperial, e isto cem ignorancia
dos seus lugares tenentes que evita consul-
tar, representando-os como animados dos
mesraos seutimentos que elle tem.
0 marechal informou-me, disse Reg-
nier, qne jd havia diainuid-i a racao do
pdo ; que, por medida de prudencia, ia re-
duzir raais dentro em alguns dias ; que aos
cavallos faltavam forrageus, e que se ostava
raduzido a servir de carne de cavallo nor
acougues; que nestas coudicoes, e tendo
em conta a necessidade de conservar quatro
ou cinco dias de viveres para 0 exercito, e
de conservar um certo numero de cavalfos
para matar 0 alguraas provisoes, haveria al-
guma difficuldade em alcancar o dia 18 de
outubro. Onde e que Regnier, que ndo
tem nenhuma noijao militar, pdde obter por-
menores tdo exactos? Emfim, se a indica-
i;au da data de 18 de outubro e devida s6
d iir.aginacao do Sr. Regnier, 6" 0 facto de
um acaso bem extraordinario ; porque aquel-
la data de 18 de outubro, na qual devera
acabar as provisoes do exercito, era preci-
samente a que se acha no ultimo mappa
fornecido pelo intende'nie, antes da confe-
reneia do marechal com Regnier, a de 21
de setembro, que 0 marechal devia ter sobre
a mesa na occasiao da confereneia.
A certeza da criminosa indiscri^do do
marechal Bazaine sobresahe claramente do
depoimento do commandante Laurey, addi-
do d casa do principe imperial, ao qual Reg-
nier declarou, a 12 de outubro, em Londres,
antes da chegada do general Boyer dquella
capital, saber do marechal que ndo tinha vi-
veres send) ate 18 de outubro.
Quem garantio ao marechal que aquelle
segredo de estado, que etle confiava ao pri-
me;ro que Ihe apparecia, ndo ia ser irarae-
diatamttute communicado ao inimigo, 4 mer-
ce do qual ia assim Gear ?
Nao devia elle receiar que aquellas nego-
tiates com que o entretinham eram uma
subtileza inpugnada para captar a sua con-
fianga, e conhecer a fatal fraqueza do exer-
cito e da praca de Metz ?
(Continuar-se-ha.)
ma perde-se em densas trevas, 0 a minha
lma ama a luz, a luz da tua eterna verda-
de, e busca-a ancinsa I Porque nega-la
aos meus olhos, Senhor, Deus de Sebaot ?
Affonso Crspi olhava mudo e.sombrio
para Savonarola e disse :
Tive a desgraca de unir o meu destino
ao de um louco, porque nao quero crer que
es um malvado, Jeronymo. Ah I n8o quero
crer que buscaste para teu interesse, 0 ter-
rivel patricio de Roma; nSo qauero crer
que te valeste de mim como de um instru -
mento ; que com calculada e fria raaldade
lanceste m8o de minha filha para os teus
ambitions projectos.
Pequei, e Deus castiga-me, replicou
Savonarola ; 0 meu espirito vacillou. e
Deus tirou-lhe a fortaleza ; sinto-me aban-
donado 0 fulmina-me a excommunhao.
Ah I a minha doutrina 6 boa, ndo pode
analbematizar-se; porem a minha alma
estd impura, enferraa ; sinto cehir por per-
missao de Deus, 0 anathema de Roma, nao
sobre a minha paiavra, mas sobre a minha
consciencia.
Louco terrivel, louco que persuade,
demonio que parece santo, perdoste-te e
perdeste-me comtigo. Minha filha, a mi-
nha pobre filha, trouxe-m'a a princeza de
L'rbino, enferma, louca, pallida, como uma
flor emmurchecida.
Calla-te exclamou rugindo Savona-
rola ; vai-te, afasta-te, nSo me tragas a ten-
tacjlo, nSo me tragas a desesperacSo e a
ira 1
E, para onde iremos, minha filha
eu ? Que fizeste de nds ? Porque duvi-
das, porque vacillas, porque n8o acabas de
uma vez, porque nao langas 0 teu protesto
contra Roma, porque nJo prdgas 0 que
tantas vezes mo deixaste oavir ?
Duvido, tremo, 0 dogma 6* perfeito, a
igreja nSo pode enganar-se nem ser enga-
nada ; eu nao prego contra a igreja, a mi-
nha doutrina e" completamente dogmatica ;
censuro 0 homem, 0 Borgii ; protesto con
tra uma olei^ao simoniaca, contra uma
oleicao sacrilega. Se a eleicAo de Alexan-
dre VI f sse legitima, reconhece-lo-hia papa
prostrar-me hia humilde aos seus pes ; mas
eu duvido, abysmo-me em um cahos ; pe-
quei, ee Senhor perturbou 0 meu espirito.
Deixa-me, vti te, tem caridade, tem com-
paix8o le mim 1
Minha filha estd enferma e louca,
disse 0 terrivel Affonso Crespi ; se duvidas,
se vacillas, se tremes, eu tambcm vaciMo,
duvido e tremo ; cnvolveste-nos dar beresia,
no anathema ; a felicidade do minha filha
estd destruida, e os meus bens foram con-
fiscados.
Herege, n8o exclamou JSavooarola
cstremecendo ; eu creio em Deus e na San-
tissima Virgem Maria, no Verbo encarnade,
na communhSo dos santos. Herege, n8o ;
eu nao protesto contra a igreja, atacoo
Borgia ; Deus illuminou o meu espirito com
oseu espirito, com 0 espirito da prophecia.
Supersticioso quo sonhas que os an-
jos descem ate* ti, que te julgas um anjo e
nao podes domiaar a tua soberba I Oh !
e tu & christSo, tu, que com a paiavra coq-
demnas a guerra, e a provocas coin a tena-
cidade da tua paiavra ; tu, ser funesto, que,
rodeado de desgracas, marchas terrivel en-
tre a multidao ignorante, infeccionando-a
com a tua loucura ; tu, que trouxeste a
perturbacao a um povo que te adoptou,
que ve em ti 0 que pareces e nao 0 que e's,
que occultas, mesmo a ti proprio, a tua
ambiQ3o satanica, que ore's que, em con-
fessar que peccaste, tens feito e dito tudo
quanto tinhas que fazer e que dizer. Res-
titue-me 0 coracao tranquillo e innocente
de minha filha, arrepende-te quanto qui-
zeres, porem comeca por desfazer o mal
que tens feito ; de outro modo, Jeronvmo,
verei no teu arrependimento a minha des-
graca ; converter-te-has em meu inimigo, e
eu Jeronymo, nao esqueco nem perddo.
Seja 0 que fdr da vontade do Senhor.
E' essa a tua ultima paiavra ?
E\
Queres dizer com isso que me aban-
donas?
Faco 0 que posso fater.
' E' irrevocavel a tua decisdo ?
Irrevocavel, como firme e* 0 meu ar-
rependimento de ter peccado.
Affonso Crespi tornou-se livido, estreme-
ceu, rugio surd a men te como 0 tigre esfai-
mado e levou a mao ao punhal.
Savonarola nao se moveu.
Ndo, disse Crespi, ama punhalada 4
pouco : respeitarn-te ainda, adorara-te, es-
tdo cegos; ndo, quando deixares cahir a
mascara, quando essa multidao que se pros-
ta diante de ti se levantar contra ti coferica
e sanguinaria... ah I ndo, ama punhalada
e" pouco ; a fogueira, a fogoeira do* here-
ges, dos falsos apostolos, dos prophetas
embusteiros. A desgraca de minha filha e
a minha serao 0 primeiro combustivel da
tua fogueira. Adeus.
E Affonso Crespi sahio sorabrio c terrivel.
Savonarola perraaneceu immovel. Em
seguida avaneou ,para 0 seu genuflexorio,
ajoelhou e exclamou com 0 olhar fixo no
Crucificado: -
Porque r.ermiUisle, Senhor, que eu
pecasse ? Porque 6s surdo, Senhor^ ds nbas preces e me abandonas ? .
(Cintinuar-se*ha.)
____________________________________________________________________________'
"TYPiD'j DL\RIJ.-T\UA DUftUE DE CAXtaiT*

\

/*

<;/
4
I
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOIFNVHXD_AAGR8D INGEST_TIME 2014-05-23T22:19:48Z PACKAGE AA00011611_20017
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES