Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20011

Full Text
4

AiVJVO XLIX. MJHEBO 289
_______
PAKA A CAPITAL E LUGABES 0.\DE SAO SB PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados........ .aa
Por seis ditos idem.............' .' ,X
Por urn anno idem.......... 5?2SnS
Cada numero avulso.................. ,4*JJ
PR0PR1EDADE DE MANOEL JlCUEIROA DE FAR1A ft FILHOS
Oi Srs. Gerardo Antonio Alvesd Filhos.no Pari; Goncalves & Pinto, no MaranhSo; Joaquim Jose de OliveiraftFilho, no iara; Antonio de Leruus Braija no Aracatr Joio ria Jnlio rh. nn -* a i u .u on t t
PKrwr. rf'ilmpi,!. flm i. i '- 1? ^ Aracatj Joao ana Juno Chares, no Assd; Antonio Marques da Stlta, no Satal; Jostf Just
Pereira d Almeida, em Mamanguape ; Augnsto Gomes da Silva, a Parahyba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penha; Be'armino dos Santos Bulcao, em Santo Antao ; Domingos Jose da Costa Uraga, em Naareth,
_____^_ Ant0m Ferreira de Aguiar'em Goya^a; Joto Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdas; Alves ft C, na Bahia; e Leite, Cerquinho ft C. no Riojde Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Governo da |i-oviucia.
KXPEDIEfiTE DO DFX 30 D8 SBTEMBRODB 1873.
1' seccao.
wfficios :
Ao inspector do arsenal de marinlia.Auto-
riso V.S., como solicita em seu offlcio de honteai
datado sob n. 127, a coroprar no mcrcado a Ma-
noel do Nascimento Araujo 15 toneladas metricas
de carvao proprio para ferreiros, a razao de 30i
cada uma, visto ser csse preco inodico e ler esse
arsenal urgunte precisao desse objeeto.
Ao director do arsenal de guerva.Trans-
mitlo a V. S., em salisfacio ao ijue solicitou o seu
anlecessor em officio de 23 do correnle sob o. 493,
a iuclusa coaia do parecer da commissao que exa-
tuinou o estiido de diversos artigos, a cargo do al-
nioxarifado desse arsenal.
2' seccao.
Acto :
0 presidenle da proviaeia, da conforniidade
com o disposto no art. 1- g 3* do decreto n. 4,668,
de 5 de Janeiro de 1871, resolve nomear o cida-
dao Benjamin fsmael Alvares dos Santos para pro-
visoriamente exorcer a serventia vitalicia dos olli-
eios de 2" lafcelliao e eserivao do civel e mais an-
nexos do termo de Barreiros.
Offlcios :
Ao juiz de direito de Tacaratii.Por conve-
nient do service publico nao pode ser reraovido
para Floresta o official, que commanJa o destaea
mento de Ouricury, de que trala o seu officio de
12 do corrente.
Ao juiz municipal suppleule do termo de Ta-
caratii. Tratando-se de urn caso occurrente sub-
ineltido a decisao desse juizo, n3o pode esla pre-
sidencia sobF'e elle emittir opiniao, competindo a
Vmc. decidrl o segundo a lei e principios de direi-
to ; oque Ihe declaro em icsposta ao seu officio
de 3 do corrente.
Ao promotor publico de Buique. Devendo
ease juizo decidir, segundo a lei e principios de di-
reito, os casos: occurreutes, so tenho a declarar a
Vmc. em respo9ta ao seu offljio de It do corrente,
que o art. 49 do codigo peual resolve a duvida pro-
posta.
3.' seccao.
Acto :
O presidents da provincia resolve exonerar
Francisco Honorio Bezerra de Menezes, a seu pedi-
do, do cargo de cobrador da recebedoria de rendas
ialernas nos arrabaldes da cidade, e nomear para
e3;e cargo M; noel Gavalcante Ferreira Mello.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de cazenda.
r.ommunico a V. S., para seu conhecimento e lins
ronvenientes, que por poriaria de hoje exnerei
Francisco Honorio Bezerra de Menezes, a seu po-
dido, do cargo de cobrador da recebedoria de rendas
internas nos arrabaldes da cidade, e nomeei a Ma-
noel Cavalcante Ferreira Mello para substiiuil-o.
Ao mesmo. Em resposta aa seu officio re-
servado, datado de 26 do corrente sob n. 360 serie
E, lenbo a dizer que a pharmacia do hospital mi-
Iil.ir acha-se impossibilitada da funccioaar a fait a
do necessario vasilhame que ja foi solicitado ao
Exm. Sr. ministro da guerra, que, para poder re-
solver sobre c seu forneeimenw, exigio por aviso
ii. 26 de junha ultimo esclarecimentos qua foram
prestados por csta presidencia em officio n. 214 de
8 desle mez.
Assim, estando o assumpto ai'.^to ao governo
imperial a quem nesta data dou sciencia da raateria
do seu citado officio e encareco a urgencia da
jrompta remessa do referido vasilliame, cumpre
aguardar a deliberarSo do mesmo governo a res-
pelta
Ao mesrno. Attendendo a informacae da
contadoria, a que allude o seu officio do 27 do cor-
rente sob n. 363 serie E, auteriso-o a mandar pa-
gar, sob minba responsabilidade, a quantia de ...
S40/160, proveniente dos prets da guarda nacional
destacada em S. Bento durante os mezes de abril a
junho ultimo do exercicio em liquidacao.
Ao mesmo. Providencie V. S no sentido
oe serem prestadas as informa^Ses cxigidas pelo
aviso circular do ministerio do imperio de 9 do
corrente sob n. 9,103, junto por copia, a respcito
das obras e reparos que se tern feito de 1870 em
diante por conta daquelle ministerio.
Ao mesmo. Tendo nesta data autorisado o
inspector do arsenal de marinha acomprar no mer-
cado a Manoel do Nascimento Araujo 15 tonela-
dns metricas de carvao proprio para ferreiros, a
razao de 30.3 cada uma, visto a urgente precisao
que tern o mesmo arsenal de semelhante objeeto e
ser aquelle pretjo modico; assim o communico a
V. S. para seu conhecimento e direccao.
Ao mesmo. Communicando-me o major
Francisco Raphael de Mello Rego haver na data do
hontem reassumido o exercicio do cargo de direc-
tor do arsenal de guerra desta provincia cujas func-
coes deixara para tomar assento na camara dos
Sr.'. depntados; assim declaro a V. S. para os
deridos effeitos.
Ao mesmo. AttendonJo ao que expoz o
Lacharel Aristarcho Cavalcanto delAlbuquerque no
incluso requerimento, autoriso V. S. a mandar pa-
gar ao supplic ante, sob a responsabilidade da pre-
sidencia a quantia de 300J que lhe foi arbitrada
por aviso do ministerio da justica de 13 do corren-
le, aftm de occorrer as despezas de viagem e pri-
ineiro estabelocimento na qualidadc de juiz muni-
cipal e de orphans nomeado para o termo da Te-
lia na provin ;ia do Ceara.
Ao mesmo. Inleirado de quanto expoz em
seu officio de 5 do corrente sob n. 106 serie E,
acerca da proposta de Oscar Destibeaux, apresen-
lada nor occasiao da arrematacSo das obras do
Jiaiol da polvcra, tenho a dizer a V. S. que seme-
Uante proposia nao deve sor aceita.
Ao mesmo. Transraitto a V. S. para os de-
vidos fins, as 10 orden9 do thesouro nacional sob
us. 182 a 185, 188, 191 a 185, e uma circular do
ministerio da guerra de 12 do corrente.
Ao raestoo. Mande V. S. pagar ao raarci-
ivlro Bellarmino da Paixao a quantia de 3003
|vjt quanto se contractouos concertes que se man-
d>a razer nos moveis do lazareto do Pina, deven-
do antes de effectuar o pagamento mandar verifi-
er por urn empregado si os referidos concertos
ctao feitos era regra, sogundo solicitcu o Dr. ins-
teeter de samle publica em offlcio do 29 do cor-
renta.
Ao inspector da thesoararia provincial. Em
r^posta ao son officio de hoatora datado sob n.
434, cumprc-me dizer-lhe que aguarde o resulta-
do da nova praga, convindo qno chame a attencJo
dos licitantes em annuncios na a Revista DIaria.
Ao mesino.. Providencie V. S. no sentido
fl serem minitradas as informa^oes exigidas pelo
aviso do ministerio do imperio de 9 do corrente
sob n. 9,103. junto por eopia, a rospeito dos dona-
tivoi f.-ito. niista pravineUn beaelWodii laslnv:-
fSo publica >.' com catro i;aaiijucr Cm.
f." sectflo
Oflicios :
Ao Exm. Sr. presidente da provincia de Mat*
l>resso do relatoriopor V. Exc, apresentado a as.-
s^mbica legislativa dessa provincia, os quaes
acomp&'iharam o seu officio de 2 de agosto ul-
timo.
Ao mesmo.Aceuso recebidos os jmpresses
que se refore o officio de V. Exc, de 12 de agos-
tc ultimo, que fica assim respondido.
Ao Exm. Rvm. Sr. bispo diocesano.Sirvase
Y. Exfl, Rvma. de prestar os esclarecimentos exi-
gidos pelo aviso do ministerio do imperio, de 12 do
corrente. sob n 9181, junto por copia, com relacio
a uma licenca que o governo se acha autorisado a
conceder ao onego Antonio Eustaquio Alvos da
Silva, vig.irio da freguezi i do Rio Formoso.
Ao director geral interino da iristruccaj pu-
ubca.=Providencie V. S. para que sejam presta-
das as intermacoes constantes do aviso circular do
inimsterio do imperio, de 9 do corrente sob n. 9103
junto p)r eopia, a repeito dos dmativos feitos
nesta provincia em benelicio da instruccao pu-
blica.
Poriaria :
A camara municipal da villa do Bom-Conse-
Iho.Competinio ao governo imperial resolver a
re-peitoda estrada de ferroque, partindo do P&co
i
do Coelho, va terminal' nessa villa, em resposta
ao officio d- Vmc. datado, de 9 do corrente, tenho
a declarar que nesta data remetto por copia ao
Exm. Sr. ministro da agricultura, commercio e
obras publicas 03 esclareiimentos que por inter-
medio da commissao nomeada me foram ministra-
dos porcssa camara.
EXPEDIEKTE DO SECBETAUIO
1* seccao.
Offlcio :
A<) Exm. brijadeiro commindante das ar-
inas. -S. Exc. 0 Sr.- presidente da provincia man-
da communicar a V. Exc. que nesta data concedeu
ao recruta Miguel da Silveira Tavora 15 dias de
pram para provar iaencio legal.
2' seccao.
Officio : ^
Ao juiz d-j direito de Barreiros.- 0 Exm. Sr.
presidente da provincia manda declarar a V. S.,
para os devidos fins, que pr poruria de hoje foi
D omeado Benjamim Ismael Alvss dos Santos para
provisoriamente exercer os offlcios de 2. tabelliao
e escrivao do civel e mais annexos do termo de
Barreiros.
4' seccao. 1
Offlcio:
Ao Dr. inspector da saude publica.S. Exc
0 Sr. presidente da provincia manda declarar a V
S. que por offlcio desta data expedio as conveni-
entes ordens a thesouraria de fazenda, no sentido
do que trata 0 seu offlcio datado de 29 do cor-
rente.
despach03 d.v presidencfa do dia 15 oe dezembbo
db 1873.
Antonio Peregrino Cavalcante de Albuquerque.
Sim.
Antonio Jorge Guerra.-Nao ha que deferir.
Berto Ferreira Raposo.-lndeferido.
Carlos Camillo Carlini.- Informe 0 Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Florencio Domingues da Silva. Deferido com
officio desta data, dirigido a thesouraria de fa-
zenda.
Iraundade da Ordem Terceira de Nossa Senho-
ra do Carmo d'esta cidade. Informe 0 Sr. inspect
tor da thesouraria provincial.
lgnacio de Barros Lins Waa4erlev. Informe 0
Sr. engenheiro Luiz Jose da Silva.
Joaquina Maria da Conceicao.Informe 0 Sr.
Dr. chefe de policia.
Jose Maria Monteiro Pessoa.Informe 0 Sr. di-
rector da instruccao publica
Joaquina Maria da Conceicao. Como requer.
Manoel Jose1 Goncalves Braga.Informe a Illma.
camara municipal.
Manoel Felippn do Monte. Entregue-se, n5o
havendo inconveniente.
Philomena Minervina de Albuquerque O'Con-
ell.Informe 0 Sr. director geral da instrnccto
publica.
Paula Seraphina dos Santos Lemos. Deferido
eom officio desta data ao provedor da Santa Casa
para quando houver vaga, quanto aos menores
de Domes Alfredo e Honorina j indeferido, quanto
aos de 1. ;,.-> Jose e Adelaide, por nao ler esta 0
execder aquelle a idade estabelecida nos respecti-
ve regulamentos .
Pedro Allaiu. Indeferido, em vista das infor-
macoes.
INTERIOR.
Rio de Janeiro
CARTAS de cm verdadeiro liberal SOBRE
AS ordens religiosas.
carta XX.
Ainigo.Pois que 0 raeu peusamento nao e
urn vao alarde, uma discussao oclosa, ou 0 sim-
ples tracer da biographia de urn morlo, e estou
escrcvendo no Brasil e para 0 Brasil, no iutuito de
coadjuvar a disposicJo dos bens intencionados, (Jue
almejam chegar a resultados praticos ; e por outro
lado nao convim ampliar as dimensoes de um es-
tudo, que ja talvez te esteja fatigando, inclino a
proa para 0 porto, e vou circumscrever-me cada
vez mats a parte pratica da materia, comecando
por condensar 0 que se tern historiado acerca das
corporac5es monasticas, que funccionaram nas
terras do nosso idioma, (e nisso principalmente me
guiara 0 livro consciencioso do Sr. Diniz) 0 que se
lorna util para especialisar depois 0 que respeita
0 imperio, e concluir por raencionar 0 que hoje
exisie, com bom direito do conservacao por me-
Ihoramento, e melhoramento por consorvacao ; ab
oco usque ad mila.
Tendo S. Bento fallecido no anno 543, a sua
ordem se espalhou rapidamente pela Europa, com
a firmeza e ntilidade que em toda a parte origina-
ram 0? solidos, pios e humanos fundaraentos em
que se estribava.
Largos seculos antes da fundacao da raonarchia
portugueza, fundou 0 monge Lucencio 0 primeiro
convento benedictino nas asperezas de Lorvao, cu-
jos deserlos, florestas, covis e pantanos foram pelas
proprias maos dos religiosos, convortidos no mais
ameno solo.
Essa ordem se perpetuou ininterrupta ale 1834,
em que foi abolida com todas as mais; e ainda
hoje subsiste a memoria dos grandes servicos que
prestou a religiao e as letras. Sob 0 tecto erguido
no seculo XVI, e que cobria esses penobitas em
Ltsboa fnn;cionam hoje todos os services de ambas
as casas do parlamento, 0 vaslo archivo da Torre
do Tombo, sendn ainda essas paredes c esse chio
applicados a mnitns outros misteres.
Talvez que os Paulistas sejam ainda mais anti
gos. Ja no III seculo eram as brenhas da serra
d'Ossa povoadas dos primeiros christaos, converti-
dos por S. Manros, e alii foi 0 seu primordial con-
vento ; e 0 nome Ihes adveio de collocarem as
suas edificagoes sob a invocacao de S. Pauto.
A ordem dos Couegos da vida commum, institni-
da por S. Marcos, em Alexandria, entrou nas ter-
ras code hoje e Portugal, por fins do seculo XI,
mas apenas durou cera annos.
S. Bernardo, no seculo XII, mandon algins
n-.vuf-i de exemplar virtude ao anachoreta Joao
Cerita, que vivia em um eromiterio nas visinhan-
(as de I/ifojs, e com a ajuda de D Alfonso Henri
3ues, levantaram estes trades 0 primeiro convento
a sua ordem, dedicado a S J0S0 Baptista, em fra-
gosa serra, a margem do rio Barosa. Pelo tempo
adianle, foram-se ediflcando outros conventos, sen-
do c mats estupendo 0 de Alcoba^a, qne veio a ser
caheca da ordem, depois que os conventos de Cis-
ter foram unidos em congregacao.
Oi Contgos Regranlet, de antiquissimo instituto
e que no anno do 802 fundaram o convento da
Ma;a, estavara ja secutarisados. quando pelos an
ns d 1131 se congrefaram novamente no mos-
teiro de Santa Cruz, de Coimbra, ordem que foi
notavelmente reformada pelo3 annos de 1527.
Os Conegos Premonstraienses, viodos na armada
estrangeira, e que tomaram posse do templo do S.
Vicente, ediflcado por D. Affonso Henriques, |iouco
duraram em Portugal, pois o rei nao consentio na
sua pretencao de ficarem sujeilos ao mosteiro frao-
cez de Premonstrato.
Os Padres Vicentes, on Conegos regranlet ie
Santo Agtstinltd, occuparam depois esse convento
de S. Vicente de Fora^comecado pelo primeira rei.
portuguez, para jazigo dos cavalleiros allemaes qte
morreram na tomada de Lisboa.
A congregacao de Roqae Ainador, ou Ricka
Amador, floresceu desde o anno de 1190 ale o rei-
nado de D. Joao II, tendo primeiro um convento
na villa de Souza, ao pe d'Aveiro' e depois varan
outras casas e hospitaes, porquanto a principal mis-
sao desses eremitas era a cura dos enfermos.
Os Dominicanos foram introduzidos no anno de
t217 pelo portuguez Fr. Sueiro Gomes, um dos tats
padres, a quem S. Domingos havia incumbido a
missao das Hespanhas. Foi a princeza santa, D.
Sancha, que mandou fundar o primeiro convento
dessa ordem, em Montejunto, sob a invocacao de
Nossa Senhora dos Neves, e deu esle origem a on
tros muitos, que fora longo enumerar.
A ordem dos Pregadores, tambem de S. Domin-
gos, teve em Lisboa um convento celebre por
grandeza, comecando a sua fundacao em 1241. 0
terreraoto destruio a sua magnilica livraria, a pri-
meira publica que houve em Portugal. 0 con-
vento de Santa Joanna foi hospicio des frades.de S.
Domingos, que se destinavam a< missdes da India.
Houve igualmente da ordem dominicana freiras
dos codvento, da Annunciada, do Sacramento, do
Bom Successo, etc.
Os Eremitas de Santo Agostinlw, Agistinhot
Calcados, ou Gracianos, entraram em Lisboa
quando D. Affon*o I venceu os raouros.
Fundaram um eremitefio na raiz do monte e
S. Gens (Senhora do Monte), depois o de Pena-fir-
me, termo de Torres-Vedra3, onde, em 1367, se
levantou o convento de Santo Agostinho. Ha
Suem diga que esta ordem fora introduzida em
ortugal no anno 393 por um arcebispo de Braga,
sendo o convento de Pena-firme ediflcado pelo
eremita allemao Santo Ancitado, em 850. Chama-
vam a estes trades Gracianos, porque tinham na
eminencia d'Almofala o convento da Senhora da
Graca. N'outra eminencia proxima possuiam o
convento da Senhora da Penha de Franca, cuja
igreja foi reformada em 1154 acusta de esmolas.
Por occasiao de nma peste, fez o senado voto de ir
todos os annos, de madrugada, a essa igreja, no
dia da Senhora das Neves (era a procissaa do Fer-
rolho). Perto da Graca estava o mosteiro de San-
ta Monica, de Agostinhas calpadas.
Os Franciscanos, estabeleceuos em Portugal o
proprio S. Francisco de Assis. Tendo o santo vi-
sitado em Coimbra a rainha D. Urraca, mulher de
D. Affonso II, voltou a Italia, mandou dous padres
'famosos por virtudes, e esta ordem tomou logo
gramle incremento, levantando o preprio S. Fran-
cisco um convento em Braganca, em 1214, e er-
guendo-se seguidamente outros em Alemquer, fiat-
maraes, etc. Esta ordem dividia-se em Francis-
canot descalcas e calcadoi.
Os Pi-Jinr.iscanos calcados eram os da Terciira
Ordem da Penitencia, vulgarmente chamados Bor-
ras.
Os Franciecanos descalqos subdividiam-se em
Mennres observanlet e Capuchos ou Menores re-
formtidos.
Os Observanlet ainda se repartiam em quatro
familias:
1.' Os de S. Francisco da Cidade, habito preto e
cordao branco.
2." Os Xabreganos, habito preto e cordao ama
rello.
3.* Os Recolletos, habito pardo claro.
4.* Os Missionaries apostolicj< do Varatoju, ha -
bito idem, sapato aberto e sem talao, contas ao
pescoco, crucifixo ao peito.
Os Menores reformados subdividiam se em 7
provincias:
1." Da Conceicao : religiosas Ettrellas, manto
curto, capello bicudo, sapato aberto sem talao, ca-
becao de estamenha
2.' De Santo Antonio de Portugal: os Pedreiras,
habito idem, mais escuro, sapato fechado, cabecao
de lila, botoes de vidro.
3.* Da Soledade, ou de Santo Antonio dos Oli-
vaes : habito idem, feito de burel entrancado ou
catrapiunha, manto comprido, cabello redondo e
picotilhado, sapato idem.
4.* Da Piedade, ou Piedosos: separada da pre-
cedente. Comprehendia os conveutos do Algarve
e Alemtejo.
5." Arrabidos: habito preto, manto curto, ca-
pello com bico adiante, e estendendo-se pelas cos-
tas. cordao amarello grosso.
6." Capuchinhos francezes, ou de Nossa Senhora
dos Anios da Porciuncula.
7.* Dos italianos.
8.* Houve Religiosos franciscanos nos con-
ventos de S. Martha, Esperanca, Calvario. S.
Anna, etc.
Os Trinitarios, redemptores de captivos, esta-
beloceram-se no principio do seculo XIII. Tive-
rara os conventos da Trindade, dos Remedios, das
Freiras etc.
As Claristas sao do mesino seculo XIII, e live-
ram treze conventos ; havia as Claristas descalcas,
flaraengas.
A ordem dos Carmelistas calcados entrou no
tempo de D. Sancho II. Seu primeiro convento
na villa de Moura. 0 condestavel D. Nuno Alva-
res Pereira fundou depois era Lisboa, por 1389,
o convento do Carmo, abatido por occasiao do ter-
remoto.
Os conegos de Santo Antao tiveram alguns con-
ventos, Pititorios.
Os Mercenarios, tambem redemptores de capti-
vos, tiveram varios.
Os Jeronymos, introduzidos por D. Vasco Mar-
tins da Cnnha em 1355 edificaram, o convento de
Penha Longa, na sem de Cyntra.
Os conegos de S. Joao Eoangelista, ou Rons Ho-
mens de Vtllar, estabeleceram-se no seculo XV
em Villar de Frades ; teve esta congregacao mais
onze casas : denominavam-nos, em Lisboa e Coim-
bra, Loyos por causa do seu convento de Santo
Eloy, fundado em 1826 pelo bispo D. Domingos
Jardo. Foram em Lisboa os primeiros instituido-
res da irmandade do Santissimo Sacramento.
Os Freires de Christo, ordem militar, com o
convento de Thomar, seguiam a regra de S.
Bento.
Os Jesuitas introduzidos em 1540, sendo o padre
Sircao Rodrigues de Azevedo e S. Francisco Xa-
vier os primeiros padres que funccionaram em
Portugal e suas posscssoes, occuparam primeiro o
collegio de S. Antae, depois a casa prufe>sa do S
Roque, e bem asaim namerosos e sumptuosos col-
legios, casas e noviciados em toda a parte.
os Mmianos tomaram seu nome de Fr. Arabro-
sio Mariano, um dos religiosos mandados a Por-
tugal por Santa Thereza, e que fundaram, no sttio
da Pampulha, um hospicio dedicado a S. Folip-
pe ; seguiam a regra dos Cartrelitas descalros.
Os Cartttchos, monges da regra de Sao Drtino,
fundaram no seculo XVI o seu convento de Stala
Cmle, e depois viverara no de Laveiras.
Os Regulares de Jesus estabeleceram o sen l*
convento de S. Francisco, em Villares de Marial-
v;>, e depois outros.
Sao du seculo XVII os HospUalarios de S. JcSo
de Deus, fundados pelo proprio Santo, natural de
Villa Vicosa as Inglezinhas, ou Brigidas os
The tinos oi Dominicos irlandezes a congr?-
gacao do Oratorio (cujas priucipacs casas eram no
Espinto Santo e nas Necessidades) a dos Cle-
rigos agonisantes a dos Ministros dos enfermos
(Canulot) a dos Clerigos pobres a dos Mis-
sionjrios apostolicos.
Na seculo XVIII: os Carmelitas descalros alle-
maes a congregacao d i Missao, de S.' Vicente
de Paulo, com o seu seminario de S. Joao e S.
Paulo os Eremitaes penitentes os Barbadi-
nhos -a Congregacao do Senlw Jesus do Boa Morte
f. Caridade os Mai"imu+-Conceicionkttas a
Ordem da Vititacao os Redemptoritlat os
Pegos Verdes, etc.
0 minotauro do seculo XIX nao creou ordem
nenhuma ; destruio todas; apoderou-se da suas
vastiisanas propriedades ; devorou-as; e se por
ahi nao vogassem arada algumas reliquias de
tempos ja idos, mal saberia a tradioao onde se Ie-
vantavam estes cenobios, de quem os fastos de
nossa historia sao devedores d* paginas as mais
brijhantes : etiam periere ruina. A sociedade
esta obedecendo hoje a ordem de S. Remigio : ado-
ra o que queimara; queima o que adorou. 0
claustro para ella 6 um espectro, um antro de
Trophonio.
Agora que flndei a enfadonha resenha, venha-
mos mais particularmente as ordens monasticas
que t6m florescido no Brasil. Sera o assumpto de
que passarei a oocupar-me.
Ainda ignore se as minhas humildes pjndera-
C5es merecera a tui aiquieseencia, ou se acaso eu
ando errado nas apreciacSes quo respeitosaraente
e so por obediencia te tenho submettido. A opi-
niao dos competentes constitue para mim um tri-
bunal supremo ; e ninguera o sendo mais do que
tu mesmo, parodio desde ja aquillo ds uma epis-
tola de Camoes :
&S2 ^^w^ffi'SsSrU'-q^; svsar,a,islicha- n,a fehamaU nm'm
por seu intermedio deixar de manifestar naquella r ~- do 1,gar por me, de Bos
occasiao o seu sincero agradecimento pelos dona-
Bem podes entender quao grande gloria
e de lal vencedir o ser vencido.

UM verdadeibo libebaf..
(Nacao.)
PSRMMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Jury do Recife. -So tendo comparecido
32 juizes de 'acto a reunilo de hontem neste tri-
bunal, resolveu o juiz presidents adiar a in-talla-
Sao para sabbado (20), afim de poler hoje proce-
er a novo sorteio na nrna geral.
Presidente de Sergipe. 0 Exm.- Sr
Dr. Antonio dos Passos Miranda deve partir hoie
da proviaeia do Para, onde se acha, para a de
Scrjipe, caja administracao Ihe foi incumbida
pc^fcoveroo imperial, a bordo do vapor Cettra
Aira evilar duvidas. Por ordem do Sr.
HrWhefe de policia nenhum boleeiro dos carros de
conTuccao de cadaveres para o cemiterio publico,
pode faier lal serci^o sem que tenha a competente
guia da camara municipal.
Fundos hrasllelros Eram assim cota-
dn na pn^a dp Lonrtres. a 2" de nnvembro ;
Emprestimo d<; lH3 de 97 a 98
Dito de 1871 de 97 a 98
Porto de Liverpool. -Entraram os na-
vios : a 13 Brunswick (vapor) do Maranhao; a 14
Maronhense (vapor) do Para ; a 21 Raoul da Pa-
rahyba ; a 24 Northern Crown de Mossoro ; a 25
Edith Mary do Rio Grande do No-te; e a 25
Lorenz de Mossoro.
Cidade de Olinda.Deve realisar-se no
domingo (4 de Janeiro) a festa de Nossa Senhora do
Monte, que so venera na capella da cidade de
Olinda, sonio precedida das respectivas nove-
nas.
Soeiedade Propagadora da In -
truecau Publica da parochia do
Poco da Panclla. As 7 horas da noite
do dia 14 do corrente, na casa em que funccionara
as aulas diurna e nocturna da sociedade Propaga-
dora na povoacao do Monteiro, reuniram-se, con-
forme estava annunciado, algumas senhoras e di-
versos cavailieiros, quo sSo socios eflectivos resi-
dentes naquella parochia, para o fim de procedc-
rem a eleicao do conselho director, que tem de di-
rigir os neeocios di sociedade era seu 2 auno so-
cial de 1873 a 1874.
De conformidade com as disposigoes dos cstatu-
tos, o Sr. Dr. Joao J:)se Pinto Junior, propoz que,
por acclamacao, fosse eleito para prcsidir a reu-
niao o Sr. Dr. Paulo Jose de Oliveira, muito digno
presidente da referida sociedade, assim como para
servir de secretario o Sr. major Jose Domingues
Codeceira, e ambas estas propostas foram a^itas
unanimemente.
Lida e approvada a acta da assembled geral
anterior, passou o Sr. Dr. Paulo Jose de Oliveira
a expor os trabalhos e todo o raovimento da socie-
dade durante o anr.o findo.
Nessa importantc exposicao, que prima pela pu
reza de linguagem, e animagao com que sen illus-
trado autor se dedicara sempre ao desempenho do
fim patriotico da sociedade, se acham commemo-
rados os factos principaes com que durante o anno
find i foram realisados praticamente os mtuitos da
sociedade Progadora ; as quatro escolas ja exis-
tentes, duas diurnas e duas nocturnas, que vao
produzindo os desejados fructos, ja pela frequcn-
cia dos alumnos, ja pelo aproveitamente que elles
vao obtendo, alem da bibliotheca cora que foram
dotados os habitantes do Monteiro, em cuja locali-
dade tem ella sna sede.
Referio os diversos donativos feitos, entre os
quaes o do digno soeto e membro do mesmo con-
selho o Sr. major Jos6 Francisco do Rego, que em
quanto sul-sistir a sociedade e para a escola, quo
ja nella funeciona, poz a disposicao da sociedade
uma das casas de sua propriedaJe no povoado
da Pedra Molle, preparaaa e devidamente mobi-
liada, tomando ainda o compromisso de fornecer
ronpa aos alumnos que delta necessitassem, afim
de poderera frequeotar as escolas da socwdade.
Meoccionon o donativo feito pelo Sr. Dr. Jose
Tiburcio Pereira de Magalhies, de um terreno na
estrada do Arraial, proximo a povoacao do Mon-
teiro, com 22 metros de frente e 70 de fundo para
a ca;a da escola naquella localidade ou para outro
qualquer flm util a mesma associacao ; e a offerta
feita pelo Sr. Dr. Joao Jose Pinto Junior, dos livros
necessarios para os alumnos pobres, que frequen-
tassem as escolas da sociedade, declarando o Sr.
presidente no referido relatorio qne alguns alum-
nos ja t?m se aproveitado dessos offerecimentos
de rouLa e livros.
Declarou ainda o illustrado Sr. presidente que
um dos associados que por excessiva modestia exi
gira nao ser seu nomo pnblicado, alem de sua joia
e measalida Ie, concorrera para o cofre da socie-
dade com uma contribuicSo mensal de 103, assim
como outras pessoas da localidade contribuiram
tambem cora identica quantia por uma so vez,
nao podendo ser esquecidos os servicos de Diarto
de Pe>nambuco e Jornil do Recife, joe se teem
prestado a publicar gratuitamentc o resurao dos
trabalhos da mesma sociedade.
0 digno presidente concluio seu luminoso rela-
terio, afflrmando que, apesar das dif&culdades e
embaragos que sempre encontra em seu comeco
qualquer empreza pnramente humanitaria o de
gloria para seus associados, c de ser a freguozia
uma das mais pobres, o conselho director enr
controu felizraonte algum apoio e boa .vontade nos
habitantes da parochia, tanto que o estado do co-
fre da sociedade 6 lisjngeiro, como so podora veri-
flcar do balam,.o e conta corrente apre?entada
tivos e offerecimentos feitos, assim como a boa
vontade e coadjuvacao dos associados em geral e
dos seus companheiros de conselho.
Submettidas a apreciagao da assemblea as con-
tas e balance- apresentado pelo digno thesouroiro
interino, foram estas unanimemente apprevadas.
Em segulda o Sr. presidente convidou os socios
presentes para elegcr o novo conselho director.
Nessa occasiao pedio a palavra o Sr. Dr. Pinto
Junior, e propoz que a assemble* eonsismasse na
acta d'aquella sessao, um voto do louvor ao con-
selho director, cuja misslo ia terrainar, pelos rele
vantes servicos por elle prestados durante a sua
administracao.
Approvada com applauso geral esta proposta,
procedeu-se em seguida a eleicao dos membros d)
novo conselho, cujo resullado foi o seguinte :
Presidente, Dr. Joao Jos6 I'into Junior.
Vice-president*, Major Jose Francisco do Rego.
Secretario, Dr. Augusta Carlos Vaz de Oliveira.
Thejoureiro, negotiants Alfredo Jose Antunes
Gaimaries.
Conselbeiros, Dr. Jose Tiburcio Pereira de
Magalhaes, Jose Rodrigues de Souza e Pedro Arae-
rico da Garaa Dnarte.
0 Sr. Dr. Pmto Junior, aprcsentou entio algu-
mas razoes ponderosas de escusa, para que fosse
dispensado doxargo de presidente com que fora
honrado ; e expondo os poderosissimos molivos
pelos quaes, Ja a bem da socle lade, ja em reco-
nhecimento dos benelicios alcancados pela dedica-
?ao e interesse do Sr. Dr. Paulo Jose de Oliveira, e
do seus companheiros de conselho, deveria qual
3uer delles continuar na gerencia e administracao
a sociedade.
As consideracoes apresentadas pilo Sr. Dr.
Paulo de Oliveira e por alguns de seus compa-
nheiros do conselho, produziram o effeito de ser
mantida a eleicio do Sr. Dr. Pinto Junior, que
desistira de sua recusa em vista da manifestacao
da vontade dos associados presentes.
Em seguida e Sr. Dr. Pint > Junior, patenteou
os servicos prestados a sociedade, polo Sr. Dr.
Paulo de Oliveira, ja como membro da commissao
encarregada pelo conselho superior de proraover
na parochia, a formagao do respectivo conselho, ja
como presidente deste durante o anno social findo,
achando-se sempre na vanguarda e no posto de
honra, onde quer que o bem da sociedade o exi-
gia; pelo que, ainda que reconhecesse que a sua
nio reeleicio para o cargo de presidente ou ou-
tro qualquer do novo conselho, fora devido ao seu
desinteresse e sentimentos generosos com o lira da
sociedade poder melhor cotueguir o aeu intuito,
comtu-lo, em homenagem a justice e aos servi;os
relevantes por elle prestados, propoz que a assem-
blea consignasse na acta um voto de louvor ao
digno presidente do primeiro conselho director da
Propagadora n'aquelfa parochia, o que foi appro
vado com applauso geral.
Terminou o acto pelo discurso de congratu-
lacao e agradecimeato sor i>rta do corweiha su-
HBlioi *\> cuiiseintr p.iluCTiiii uo roi,:u u.i rmm,
feito pelo Illm. e Exm. Sr. Dr. Manoel do Nasci
mento Machado Portella, felicitando-o este pelo
bom desempenho de sua administracao, quo era
de esperar fosse imitada pela novo conselho eleito.
0 acto correu bem e deixou satisfeitos a todos
que a elle compareceram.
A casa, onde teve lugar, achava-se hem illu-
minada e ornada com muitos ramalhetes de
flores.
Foi uma festa modesta, p^rera agradayel pelo
enthusiasmo e animacao de que se achavam pos-
suidos nao s6 os associados, como tambem os que
nao o eram, mas que se dignaram honra la com
sua presenja c de suas Exmas. familias.
Reetiflcacao. Nao foi recolhida a casa
de detencao, como noticiamos hontem nesta Re-
vist'i, a parda Maria, que figura no facto crimi-
noso de que nos occupamos sob o tilulo de
Ferimentos graves.
Pessoa competentemente habilitala acaba de
informarnos que o Sr. subdelegado de S. Jos6,
aquem foi apresentada a delinquents, presa quando
buscava evadlr-se, por um inspector de quarteirao
da freguezia de S. Antonio, ao ter conhecimento
do occorrido, declarou que outsider ndo o crime
particular, ndo the cabia proceder a respeilo; e
que o inspector de quarteirao desse a dclinquente
o destino que melhor lhe parecesse ; a vista do
que aquelle a recolheu ao quartet do corpo de
policia, onde ainda se acha, e sem que ate agora
se tenha effecluado o competente inquerito poli-
cial, acerca do delicto commettido.
A' vista do exposto, esperamos que o Sr. subde-
legado de S. Jose explique o seu procedimenlo
nessa conjuncture perante a autoridade superior.
Homicldio. -A's 10 horas da noite de 19
de novembro ultimo, Francisco Ferrerira de Souza
assassinou com diversas facidas a Antonio-Xa
vier de Paula, na estrada da Taboquinha, do ter-
mo do Brejo. 0 delinquente evadio-se ; o in-
querito, porem, que tal facto occasionou, j;i teve
o devido destino.
Exames. Tiveram o seguinte resultado os
exames effectuadas na escola publica de instruc-
cao primaria do povoado de Cruangy, regida pelo
professor Antonio de Menezes Cysneiro Bandeira
de Mello : Manoel Francisco Xavier Vaz da Silva,
Antonio Materno da Silveira Tavora, Olympio Bar
bosa de Mello e Joaquim Jose de Freitas, appro-
vados com distinccao.
No dia 1. do eorrente deram-se os das
alumnas habilitadas pela 5* cadeira da freguezia
da Boa-Vista, de que e digna professora D. Luiza
Eudocia Baptista ; sendo approvadas com distinc-
cio Anna Candida Duarte Cordeiro, Luiza de
Franca Maria de Jesus e Isabel Maria de Figueircdo
Lima; approvadas plenamente, FibiaMaria de Fi-
gueiredo Lima, Pensylvania de Carvalho Moura,
Maria da Penha e Mello e Adelaide Maria da Con-
ceicao e Mello.
Na de Maranguape, regiJI pelo professor
Manoel Candido de Lyra, foram examinados em 3
do correnle os alumnos Jose Murillo de Souza
Range! e Manoel Xavier Cavalcante Gadelha, os
quaes foram approvados com distinccao.
Espancamento. Na villa de Limoeiro,
Antonio Luiz de tal espancou barbaramente a An-
te lio Francisco Campina, que veio pouco depois
a fallecer ; isto as 3 noras da tarde do dia 5 do
corrente.
0 delinquente evadio-se; procedeu-se ao inque-
rito ; teve este o seu destino.
Cadaver.A's margens do rio Capibaribe,
na Passagem da Magdalena, foi hontem encontra-
do um, que reconheceram ser o do portuguez Joa-
quim Francisco Silveira. A vistoria a que foi sub-
mettido, declarou ler sido a morte o resultado de
asphixia par submersao.
Novo Mundo. Com o n. 38 deste periodice
foi gratuitamente distribuido a seus assignantes,
como presume de festa, am kalendano catholico
de edicao de luxo.
Os novos assignantes ao realisarem suas ins-
'cripcoes receberao aquelle mlmo tambem
Este mesino n. 38, o ultimo aqui chegado pelo
South America, content emgravuras: o retrate de
E. Castellar, Havana, e, uma vingaaja do houra,
Christo sarando os enfermos, quadros. Assignatu-
ra, a- contar de outubro a setembro do anno vin-
douro, iOiOOO, na Livraria Franccza.
Mlacelauea.Sogun.'-i dados recentes, ad-
quiridos por individaos que se dedictram a r'c9-
phicos as differentes estacoes de policia de Paris
com a prefeitura A.despeza e;la calculada
em 96,030 francos, que serao pagos metade pelo
governo e metade pelo municipio.
Morreu em Milao, na idade de 75 annos, a
conde Gabrio Casati, senador do reino de Italia.
Succumbio tambem a um ataque de apo-
plexia fulrainante, o maestro Vicenzo ilallista, au-
tor da Anna la Prit dell'Ermelinde, opera que
gozava de grande reputagao.
Em Roma man-en monsenhor Bailies, bispo
de Lucon.
Tambem morreu no Vaticano, victima de um*
apaplexia, o cardeal Capalti. Tinha 62 annos de.
idade. Tinha sido nomeado cardeal em 1868, an
mesmo tempo que os cardeas Bonaparte, Ferneri,
Birile, Berardi, Moreno e La Valetta, que sao o*
ullimos cardeaes nomeados pelo papa.
Dizein de Dresda, que esta gravemente en-
ferma naquella cidade, a viuva de Frederico Gui-
Iherma IV, tendo os medicos dasesperado ja de.
salvala.
A cidade de Genebra esta em mare de Mi-
cidade. Ultiraamente morreu alii, na idade de oi-
tenta annos, o Sr. Bouchet, que legou a referida
cidade toda a sua fortuna, com a obrigacao de
satisfazer a alguns legados que especificou em tes-
ta mento.
0 maestro Gounod fez ouvir ha pouco, no
ultimo, concerto do palacio de Crystal, era Lon-
dres, uma nova composicao religiosa, para baryto-
noe orchestra, intitulada Abram's Request, que
diz a imprensa ingleza ser o melhor trecho dw
musica sacra do referido compositor.
Varios periodicos hespanhoes fallam de uraa
planu muito commum em Hespanha, chamada.
oanaheja, que dizein. contem oitenta e cinco por
cento de raateria textil e da um excellente papel.
segundo os ens3ios feitos por alguns engenheiros.
Deve_effactuarse em breve, em Dijon, a no-
va consagracao da igreja de Nossa Senhora, uma
das maravilhas do seculo XIII, e cujo interior foi
restaurado pelo eminente architecto Viollet-Ledoc.
Os Srs. Macdonald, Field 4 G, encarregados
pela rainha de Inglaterra da coostruccao de am
sarcophago destinado a receber os restos mortaes
de Nap deao HI, acabaram ja aquelle trabalho. 0
sarcophago 6 de granito de Perehead e pesa cer-
ca de sets toneladas e raeia. Ja foi mandado para
Chielshurst.
Mao presagio para a rausica do futuro. 0
grande theatro de Bayrenth, construido sob a di-
reccao de Wagner e dos seus adeptes, parece que
naochegara a acabar-se. Alem da faltade dinhei-
ro para acabar a sua eonstruccao, ullimamente
t.m e v'uto c|ua alguns mnros, i{uc j-a estavara
promptos, vio sumindo-se na argilla sobre que
eslao construidos, sendo o local muito pant^noso.
0 beneficio de Adelin* Patti, que teve lugar
ha pouco em Moscow com o Fnusto, rendeu mais-
de 9,300 rublos. 0 successo que obteve a emi-
nente cantora e o enthusiasmo quo houve nessa
occasiao foram sem Iimites. No terceiro acto a
ftfmU.i JTSgegleada cotnum. rnaravHhoso_broclie.
perolas.
Foi devorada por um incendio a grande fa-
brica de fiacao de algodao dos Srs. Holland, si-
tuada em Miles Plating, proximo de Manchester.
As perdas calculam-seem dous milhoes de francos.
Acabatn de entrar nas grtndes estufas de
Versailles as larangeiras e outras plantas que
adornaram os jardins durante o verao, como se
costuma fazer todos os annos na aproximacao do
inverno. Entre as larangeiras ha uma que conta
mais de 400 annos do cxistencia. Foi plantada em
um vaso por Leouor de Castella, esposa de Carlos
III, e depois de ter emigrado successivaraente de
residencias reaes em residencias, veio a parar em
Versailles.
Os jornaes de Londras dizem que o princip*
Leopoldo, o mais joven dos filhos da rainha Vic-
toria, esta gravemente doentc.
Segundo as ultimas noticias de Marrocos.ao
novo sultao licenceou o harem de seu pai, com-
posto de 1,000 mulheres, declarando que nao li
caria junto de sua pessoa senao uma, a filha de
Muley-Abbas, sou tio.
Enterrou-se ha pouco, no convento deTrapa.
um humilde frade, chamado em religiaoAmarozio,
e que fazia parte da coramunidade havia dez annos.
E*te obscuro monge era o marquez Erailio de
Beaumont de Montfla, que fora no reinado de Lniz
Fellippe embaixador da Franca era S. Peters-
burgo.
0 general Igoatieff, embaixador da Russia
junto da Porta, recebeu a honra de seu soberana
de assistir, como testemunha, ao casamento do
duque de Edimburgo coma gran-duqueza Maria.
A Liberdade. de Paris, entretevo-se a calcular
a idade a que terao attingide, nos setc annos con-
feridos a Mac Ma lion para governar, diversos per
sonagens importantes da Franca. Eis o resultad .
dos calculos: o conde de Chambord, 60 annos ; o
ex-principe imperial, 25; o conde de Paris, 42 ; c
duque de Chartres, 40; o duque de Namours, 66 ;
e principe de Joinville, 62 ; o duque de Aumale.
58; o principe Jerenymo Napoleao, 58; o mare-
chal de Mac-Mahon, 72; o Sr. Thiors, 83; o Sr.
Gambetta, 42.
Calcnla-se em 60 milhoes de francos a fortu-
na deixada pelo Sr. Baring, rico banqueiro inglez.
ultimamente fallecido. Nesta somma nao estao
comprehendidas as suas co!lecc,oes do obras de ar-
te, avaliadas em cerca de 5 miHiSes. Os direitos
que os herdeiros terao de pagar ao Cisco elevam-se
a mais de um milbao. 0 hordeiro principal desta
fortuna e lord Northbroock, actualraente vice-re;
das Indias.
0 governo allemio mandou construir era Pli-
moulh uma grande fragata blindada, que sera o
5* navio grande desta classe da marinha allema.
Tera duas torres armadas, cada uma com du.v
pecas. Chamar se-ha Allemanha.
a provincia de Schleswig Halstein conta um
milhao de habitantes, pouco mais ou menos. Dc
1 de Janeiro ao 1* de outubro, 2,224 dos seus ha-
bitantes obtiveram permissao para emigrar, e um
grande numero abandonou o paiz sem auturisacat-
A Schlesische Zeilung conclue destes factos que .-
esta provincia da Prussia perde todos os mezes
mais de 300 almas.
N'um dos canos de Paris-foi ha poucos dias
encontrada uma bomba em tudo igual a que em-
pregou o conde Oraini no attentado Napoleao. As
cbamin6s das bombas achavan.-se completamente
guarnecidas de capsnlas.
A policia de Paris acaba de prender um ta!
Jannet condemnado a morte pelo oitavo conselho
de guerra por (or tornado pirte na insurreicao da
communa. Jannet foi capitao do 254.* batalhaV,
chefe das barricadas do quarto bairo e provando-
se o crime de assassinate scguido de ronbo.
E' espantosa a emigracao italiana. Partirant
de Geneva e Napoles, desde 1 de setembro. para a
America do Sul, Buenos-Ayres e Montevideo 6,400
emigrados.
Nos exames deste anno, na oniversidade de
Oxford, as estudantes levarara a palraa aos estu-
daates. As mulheres nao foram excluidas de ex-
oibir as provas da sua capacidade. Foi uma n-
lher quo alcan^ou o lugar mais distinclo entre os
candidates 5>ara o exarae das disciplinas mais duD-
..iccis. Havia 473 candidates. Foi igualmente o
nome J< uma memo* -que abrio a rela^ao feita
pela ordem de .Tterilo de 213 admiUiilos,
o

rimn
I MUTHJUn I


.
2
3Urjp.dc Peraambuco Quarta feira 17 de Dezembro de 1873.

N'nm exarae do insirncvio primaria na pro-
Tincia:
Menino que con;a a matrimonio ?
Matrimonio, senlior mestre, e a origem de to-
dos os males.
a Muito tiem, meu fllho, mnlto bem I Acaba de
ganhar o primeiro premio, pois disse tuna grands
verdade. >
Escusado e pmderar qua o mestre era viuvo, e
quo par isso fallava com conhecimento de causa.
Rcfeie o Figaro que niio exists medico tnais
infeliz quo o Dr. X. Aeaba de se cstabelecer no
pavimento baixo da casa em que elle habita um-
vendedor de aves. Acontece qua a entrada do
eorredor ao lailo da respectiva chapa onde se Ic
CirnrgittJ media, vc-se acima do nomo apenas
legivel do tal vendedor de ave, o segntute Mala
por encommenda.
E' quasi escusado accrescentar que o Dr. X
tratou logo de ir.udar de residencia.
Mr. Buffcc, o novo presidente da assemb'.ea
franwza, f.u parte da direita moderada. Em 1819
foi ministro do commcrao; em 1863 pcrtenceu no
enrpo legislativo ao grupo conhecido sob a denomi-
nacao Os qunrenta e cinco. Em 2 de Janeiro de
1870 teve a past* da fazenda no ministcrio Olivier,
e pedio a sua demissao antes da declaracao de
gucrra feita a Allemanha. Em abril ultimo foi
eleito presidente em substituicao do Mr. Grevy.
Conta 55 annos do, idade.
No dia de lin.id >s visitaram o cemiterio do
Pere Lachatse, em Paris, mais de eem mil pessoas.
A concurrencia foi igualmente grande nos templos,
e qos outros cemitenos.
Urn correspondeate da ladepeiidencia Bclga
deparou.na Pensylvania com urn curiosoepiiaphin,
que'resa assim :' Deiieado a memoria de Fabi
tha, esposa querida de Jose Wrigt >, de Thomas
Andrewes, de Eben Halsted, de Edward Murray e
de Carlos Dean, por sea inconsolavel marido Cyrus
Morgan, n
Da conla urn jornal belga da expenencia
feita com nma peca de artilharja de novo systema
e (brmidavel calibre. Item a. forma de umamons-
trnosa garrafa de champagne. A alma tern 23
eenlimetros de dimensao. Pesa nao menos de
16:003 kilogrammas c carrcga-se pela cnlalra. Os
artilheiros introduziram Ihe nma bala conica, se-
melhante a urn pao de assucar, que nao pesava
menus de 130 kilogrammas eque foi impellida por
23 kilogramnias de polvora. Feito ocarregamen-
to da peca de:i se aviso pelo telegrapho para o si
tin do alvo, e tiro partio. Produzio am ramer
^rave e sonoro, acompanhado de um silvo agudo,
quo se ouvia distinc'amente a 6 kilometros de dis-
tineia. A bala pereorreu em 12 segundos 10:015
metros I
Falleceu em Paris Jules Frederic .lacquemart,
que nSo tinha ascendontes nem descendentes, e no
seu testamento disp z o seguinte : Que toda a sua
fortuna seja empregada cm fund irons philantro-
picas, a Mm : diz elle, de perpetuar a memoria
d'aqtielles quo honradamentc souberain adpiirir,
eons;rvar ou augmentar aquella fortuna. Todos
os annos se darao dous prenios on dotes, um dos
quaos se de-ignara I'rcmio Templeuse e o outro
Prcwo Jacquemart, a dous indivituos qne perten-
cam a* classes hniuildes das sociedadc, e ma mais
serfi-timr wu alas seus mereeimentos. Mad-Simon,
m.iliier de Jacpieman lion usufructuaria d'a-
quclla li rau;a, mis c mi a condicao quo disporia,
para depois ita sua nurte, igual destino aos seas
bavere;.
0 Times annuneia que um instrumento ou
apilo de alarm a acalia de ser coilocado nas alturas
do c.ib < Raao. Trahalhara dez sepundos durante
as tempeslaJ.es e n-voeiros co;n intervallos de
cinco Mita segund is. No tempo de calmarias eal-
ciila -o que cs'e insiriimento pole ser ouvido pelos
inariiinii.s a nma distancia de vinte milhas ingle-
zas; enmovento favoravel a trinta mil'ias. eom
o vaiitn contra a >ete milli nova<;io sei-.'i de unia granJe utilulade para os na-
. ritimos <|mo Hivi'g.iili n'a uellos mMras perigosos,
onde iin;os naviosso lean perdido.
Dizem de Berlim qac uma das prim^iras ca-
sas d'a piella ci la.le. p rtericente aos Srs. Giinbel e
l> ieve, ComnMrciantSs de sodas em grande escala,
aeapa de fallir. D psaoo excedeasomna de
t.0:000 thalers ou 1 milhao de francos: Na pra-
ca d-j Berlim coolaai-se aituiluieute 7 brancos e 5.
niip.iiiliias industriaes em iiqaidarai, e 4 brancos
>: 83 COmpaoBias industriaes fallidas, representan-
lo to.las um passivo do 16 milhoes d" thalers.
Os telegraoimas da America annunciam tain-
tm > l;iUiicia J;x Tea^i* und California Company,
sicii'da.lo compromeltida na con-trucijao do Texas
itnl Pacific Ititlwly; ''-sta compauliia deixa um
passivo de 7 ..V)0:000 de piastras.
I);! I'auillac escrevem o seguinte ao Jornal de
Bordjiu: a
Participeidhe houtem a sahida do Corcovado,
capital Simes, para l,isb>a. Este vapor foi abal-
ileira de Sandoual, vendo-se aquelle obrigado a
antrar cm l'>uil|ac para reparir as avarias e des-
ambarcar cerca do 70J untladas de mercadorias.
Quaut i a i n.'ivio inirocguoz, que foi reboeado em
parie pebi CorcQBad > e em pane polo Hercules,
viu-.s-' ujirigado a dar a costa de Par.Lizuac, para
poder salvar o carnganiento. Acalio do saber
que o Circop-jdo. depois do alojamcnto da carga
ira para Liverpool afim de ser reparado.
l.itci'i:t A que se aclia a venda-e a 8!1" a
bent'licio da igreja da San'.a Cruz, a qual corre
no dia S3.
S.i'ilji'i II da, 17 do eorrente, efl'ectuara o
agente Pinto, o leUao da um variad > sortimenlo
>lc cliapc-os do Chile, massa, castor e pallia, quer
para h> mens, quorpara senboras emeniuos, cxis-
tenin no priaieiro andar do sobrado da rua do
Marque/, la Olinda n. 5o, conf.'rme esta o annun-
cio inserido no lugar compL-tenie deste Dfario.
Casa le U'ienvao.Movimento do dia
16 de f'ezwibro de 1873 :
Existiam presos, 307, epitaratn 'i, sabiram 2
existent 309.
\ saber
Nacioiues 1M, mulhores 10. estraagairos 23
.-.ravos 3V, escravas 6.Total 30J.
Aliraentados a ousia dos'cofres oublicos 2'io.
Mo v in um 1.1 da enfennana do dia 15 de dezem-
tiro du 1873.
Tivenuii baixa :
Jose Victorio de Barros ; fehre.
Maaoel Joaquim de aiqueim ; cephalgia.
Hospital Pedro II. 0 movimento deste
:-tabeleciiuoiito, do dia 8 a 14 de dezembro de
t873 foi o seguinte : exisliam 378, entrarain 60,
sahiram 5() falleeeram 20, existem 368, sendo :
232 honiens e 136 raulhores.
Adverteiicja.
Fora'ii visitadas as etifenmnas nested dias : as
ti 1[2, 7, 7, 9, 7, 8 1(2, 6 4(2 pelo Dr. BeHrao ; as
;, 12 1|2, 12, 10, iwlo Dr. Sarmento ; as8 lf2,
9, 8, 9, 9, 8 l|2, pelo Dr. Malaquias.
Failecidos.
Tbonviz Luoa Freiro ; variolas hoi.uprrhagicas.
Paulo' Boucher ; febre amarella.
Eulogio Go'ues de irau^o ; variolas confluentes.
Jolo Jose da Silva i variolas
Jose Pereira da Cruz ; variolas confluentes.
fialbina da Conccioao variolas confluentes.
Rita Maria da Conceicao ; variolas confluentes.
Jose Francisco de Souza ; cacnexia paludosa.
Marcelina ; fraqueza seaij.
Jose Francisco booaes ; luoerculose pulnipnar.
Antonio Joaquim dos Santos: variolas hemorrha-
gicas.
Jose Igiiacio ; variolas canfluenles.
Maria da Conceiijio ; variolas confluentes.
Bruno La Foiute ; cachexu paludosa.
Lerousie Luiz ; febre ainr*!la.
Rogeria Epiphania de Sauta Rosa ; eapcre da ma-
inaria.
Joaquim Felippe Ferreira ; variolas conlluentes.
Jose Ma/inho de Sada ; sairrose hepalica e as-
cite.
Claudina Maria da CaoeeicJo; pleuro jipeuraaaia
tuberculosa.
Manoel }& dos Prazeres; bexigas confluenies.
I'ussajfeifos Saajdos para' Moswro no
hiate national'r%r do Jardim :
QtiiiitilianoGoncalves Pedrosa, Cypriaoo Olym-
fiio Vasconcellos SJaia, ladro Ferreira Maia, Jose
gaaclo de CarvaJnb a Jos^ Prosp^ro Cavalcan^.
.......~
!tm\U A ilBKIABM,
i iciiii \ii. ia hi;i-%( to
SESS^O UK 1| DBOEZEMBRO DE 18f3.
fRBS|3K|*CIA D0 KHM. SH. iWiSRLHEIHO eitTAN"
SWJTLU10.
Secreturto Dr. Virgtlio Coethp.
A's 10 bora's da manhi, presented os Srs. das-
cioli Ataneiita Albuqurqae. Dona, procUrauor da
eoroa, ftwnuds Silva', Wegueirt Costa, Souza
Leao, Araa b 3iw^,lltaudo com oaasa o Srs.
desmb*rgadors "liduren^i Santiago e Neiva.
abrio-sc a sossao.
JULOAMKNTO*.
Habeas carpus.
Paeientfr Tertuliano Gomes PesVa e patro.
Concedeuse ordflm parat dia20 do corfeote.
r
Recursos crimes.
Recorronie o inito do dlroito de Itambe, rccor-
ndo Francisco do Araujo Lima, luizes os Srs.
dbsembargadnei > e AcdoH.-linpfdbodento"
Recorrenteo jnizo-de direito do Recife, rocorri-
do Salustiano-Francisco dos Santos. Juizes os Srs.
desembargadores Accioli, Araujo Jorge, Domingues
Silva e Almeida Albuquerque. Imprccelente.
Recorrente o capilao Alipio Coelho de B. Lima,
recorrido e Jjjizo de Palmeira dos Indies. Juizes
os Srs. desembargadores Domingues Silva, Almei-
da Albuquerque c Souza Leao. Deram provi-
mento.
Recorrente o juizo do direito do Recife, recorri-
do A. Mascaro a E. Domingucz. Juizes os Srs.
rtesembargadirei Regueira Costa, Accioli, Araujo
Jorge e Silva Guimaraes. Improcedente.
Recorrente o juizo de direito de Maceio, recor-
rido Antonio Severino Lopes. Juizes os Srs. des-
embargadoreses Araujo Jirge, Souza Leao, Reis
e Silva e Almeida Albuquerque^- Improcedeule.
Aggravos do peticao
Aggravante lose de Campos Silva Braga. Juizes
os Srs. desembargadores Reis e Silva, Accioli e
Araujo Jorge. Nao tomaram conhecimento
Aggravante Luiz Antonio Vieira. Juizes s Srs.
deserabargadorer'S Accioli, Begueira Costa e
Araujo Jorge.Negaram provimento.
Aggravante Jose Domingues do Carmo Silva.
Juizes os Srs. desembargadores Doria, Regueira
Costa e Accioli. -Nao tomaram conhecimento.
Aggravante Antonio C Ser'afico de Assis Car-
valho. Juizes os Srs. desembargadores Regueira
Costa, Araujo Jorge e Doria Negaram provi-
ntonto.
Conflicto de jarisdicio entre os juizes de direito
substitute o de orphans do Recife. Relator o Sr.
desembargador Alniiida Albupaeruue. -Julgou-se
pela competCncia do juizo de direfto nbstituto.
Appellacoes civeis.
-Do Recife. -Appcllante Guilherme Settc, ap-
pcllado Jose Rodrigues de Oliveira Lima.-Des-
prnzaram os embargos.
De Cirabres. AppeJIante Joao Ferreira de MeU
lo, appellado Jo-e Martins'Leitau.Descam os au-
tos para serem julgado$. pelo juiz de direito, atten-
to o valor da causa.
Do Recife. -Appellante Francis;o Marques da
Silva Mendes, appellado Jose Antonio Alves.
Despr-'zados os embargos.
!De Recife.Appellante o menor Manoel Fell
ciano, appellado Miguel Jose B. Guimaries. -Das-
prezados os embargos.
Da Victoria. -Appellante Goncalo Jose de Bar
ros, appellado Manoel Gomes do Rego. Confirma-
da a sentenca.
De Olinda. -Appellante Francisco das Chagas
Salgueiro, appeHa,do Jose Jacome Tasso.Despre-
zaramos ^nnargos.
Do Recife. Appellante Antonio de Souza Bra%
app-lladp Jose Alves Barbosa. Desprezados os
embargos.
Do Penedo. -Apue lante D Anna Francisca" T.
Braga, appellado Severino Innao & C. -Despre-
rndos os embargos.
PAS3AGENS.
Do Sr. d.-sembargador Silva Guimanies ao Sr.
d&enibargador Lourenjo Santiago :
^ppellacao crime.
Da Penedo.-Appellante j promotor, appellado
Antonio dos Santos Lima.
Do Sr. desembargadjr Reis c Silva ao Sr. des-
embargador Almeida Albuquerque:
Appellajfles civeis.
Appellante a fazenda provincial, appellado o
visconde de Suassuna ; appellaute Francisco Be-
zerra de Araujo, appellado Francisco Alves da
Fonceca.
Ao Sr. dcscmhargjidor Accioli :
Appellacao civel commercial.
Appellante Antonio Duarie Carneiro Vianna,
appellados Jolo Ba;itista Gomes Penna e outros.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembarg*dor Accioli :
Appellagoes crimes.
Da QuixeramooitB. -Appellante o juizo, appel-
lados Agostinlio Lopes Bezeira e outro.
Da Parab\ha. Appellante o juizo, appellado
Antonio Martins Marques.
De Panlo Alfonso.Appellante o juizo, appella-
do Manoel Luiz, escravo.
De Pao d'Alho.-Appellante Jose de Souza Leal
e outro, appellada a jusficH.
AoSr. desembargador Domingues Silva :
U<: Alagoas. Appellante Jos6 Guedes N'oguei-
ra, appella los Epnminondas da Kocha Vieira e
outros,
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Domingues Silva :
AppellacSes crimes.
De Flores.-Appellante o juizo, appellado Pedro
Francisco da Silva.
Annollaniin oo<-or.'ial
Appelhnte Sa Leuao x coiinnra, appi*Ha4o os
administradores da rhassa de Manoel Jose Montei-
ro Torres.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr
desembargador Domingues Silva :
Do Recife.-Appellante Mathia- Lopes da Costa
Maia, appellado JosS Maria de Castro.
De Cabacoiras. -Appellante Manoel da Trindade
Cameilo Pessoa, appellado Antonio Joaquim de
Vascunoellos.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
desembargador Souza Leao :
Do Itambe.-Appellante Eufrazio de Arruda
Camara o ouiros, appellado Manoel do Rego Ca-
valcanti de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Souza Leao :
Appella^oes civois.
Appellante Jose loaquim Poreira, appellado An-
tonio de Souza Rego ; appellante a compauhia de
trilhos urbanos de" Apipucos, appellado Dr. Cos
me de Sa Pereira.
Embargos ivmeUidos.
De S. Joiio.Embargantes* Liuo, Paciflco, Lidia
a oufrta^ewbargadGS padre Paulino Villar dos
Sanlos BarVmsa e outros.
Conflicto de jurisdieaj entre os jue* munici-
pal e de orphans do larmo-da Escada e Victoria.
Appellacao crime.
Appellante Marcolino Antonio de Oliveira, ap-
pellada a foatfea : appellante o juizo, appellado
Plorencio Vieira da Cruz,
Ao Sr. des.'inbaigador Araujo Jorge :
AppellapOcs civeis.
Appellante Francisco Pio da Silva Valenca, ap-
pellada D. Josopha Joaquina Bezerra de Mello ;
appella'ite Joao Jose de Olivaira, appellado lose
Victorino das Neves.
Do Sr. desembargador Souza l-eao ao Sr. des-
embargador Araujo Jorge :
Appellacoes crimes.
Appellante o juizi, appellado Antonio Dias dc
Nascimento ; appellante Luiz de Barros Luna, ap-
pellada a iustica.
Do Sr. desembargador Araujo Jorge ao Sr. des
embargador Neiva :
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante D. Tbereza Adelaide de
Siqneira Cavalcanti, a)>peHado Antonio Carlos Pe-
reira de Burgos.
Assignou-se dia para julgamcnto dos feiio-
seguintes :
Appellacao crime.
Appellante o juizo, appellado Jose Joaquim de
Brito ; apellante Justio Jose dos Santos, appel-
lada a jusiica ; appallaate o juizo, appellado Joao
Soares de Meiio ; appelante o juizo, appellado
Aprigio Rodrigues de Albuquerque.
Appellacoes civeis.
De Iguarassu. Apfiellaute o juizo, appellado
Joao, escravo.
Bo Recife.Appellante o manor Manoel Feli-
ciano, appellado Mjguel J if- B. Guimaraes; ap-
peHante Francisco Margies da Silva Mendonca,
appdlado Jose" Joaqvrim'Alves; appeHanle Fran-
cisco JasjChatas Salgueiro. appellado Jose Jacpaie
Taeso ; appeflante Guilherme Sette, appellado Jo-
se Rodrigues de Oliveira Lima e ouiros ; appel-
lante Goncab Jose de Barrs, appellado Manoel
Games do'Rego ; appellarrle Jose Ferretra de Mel-
lo, appellado Jose Martins Lejiao.
Bo fpii. -AppeHanle Adeodato Ferreira de Sou-
za, appellado Antonio flaymundo Pires.
Do leo. -Appellantes Manoel Candido Martins a
ontros, appellado Antonio Joaquim de Figueiredo.
De Born Coneelfro. Appellante D. Anna F.-Ta-
*ares Braga, appellados Soye'rino Irmio & C.
WSTWBWCyES.
Aggravo ue petnjSo.
Ao Sr. desembargador S"u^a Leao :
Aaravante Thomaz Fernandes da Cunha-ftC.
AoSr. desembargdor- Araj'> Jorge:
Aggravante D. Jpauuina Fcnceea Nunes de OH-
jyefft
Ao Sr. desembargador Neiva :
Aggravante -Man *l Anlonio Pereira.
Ao Sr. desembargador Bilva Gnimaries :
Aggravante D. Francisca Olindina de Araujo
Bohrlo.
Ao Sr. desembargador Lonrengo Santiago :
. Aggravante o procorador fljeal' da fazenda na-
eionai.
Ao Sr. desembargador Reis o Silva :
MUTILADD
Aggravante Josd Alvos da Cruz.
A Sr. desc.n largidor A:cioli:
Aggravante Antonio Joaquim de Va^concellj-.Ic
\ Sr. desembargador Doria :
Agaravante o.t-:uenle-coronel Maniel Joaquim
do Itftgo Alouqueruue.
Recursos crimes.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes:
Do Recife. -Recorrente o juizo, recorrilo viga-
rio Aitonio Marques de Caslilha.
Ao Si'- desembargador Lourenco Santiago :
De Bananeiras.Recorrente o juizo, recorrido
Antonio Pereira de Castro e outro.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva :
Dc Itambe. -Recorrente o juizo, recorrido Jose
Silvestre de Araujo Silva.
Ao Sr. desembargador Accioli :
De Jaguaribe merim -Recorrente o juizo,
corrido Joao Martins de Mello.
Encerrou-soa sossao as 2 rnras da tarde.
F.XPKDIENTK
P3'
Tribunal da comuicrcio.
ACTA DA SESSAO DE II DE DEZEMBRO DE
1873.
PHESIDK.NC1A DO EXM. Sit. C0NSEI.HEIR0 ANSELMO
fRASCISCO PBBETTI.
A's 10 boras da manbS, presentes os Srs. de-
putados sccretario Olinio Bastos, Lopes Macliado
e supplentes, S4 Lcilao e Alves Guerra, S Exc.
o Sr. consellieiro presidente declarou aberta a
sesslo.
Foi lida e approvada a acta da precedents
sessao.
EXPBDIENTE.
Officio do capiuao do porto, remettendo a parle
qua Hie foi aprasontada em rclacao a matricula
do patacho Ormezinda. 0 tribunal mapdou ouvi
o secretario.
OIBcio do procurador do cx-agente de leiloes
Pontual, declarando nunca the tore in sido entre
gues os livros do mesmo ex-agente, e bem assim
qne por estar este fora da provin:ia nao pode
obtei* informacoes a rospeiio. Resolveu o tribunal
que o Sr. Sa Leitio procoda as nacessarias inda
gagoe? aflm de saber-se onde se ^cham ditos
livros.
Offlcio do presid -nte e secretario da innta dos
corretcres, sobre as (ransac^oes dos co'rcetores no
mez de outubro proximo passado e sobre o3 Uvros
do ex corretor Patchett.0 tribunal resolveu
quo sobre o ultimo assumpto se oflicie a junta, di-
zendo se-lhe que marque ao referido corretor o
nran de lo dias, co.itados da data do offlcio cuja
.oxpediQiio ora se defibcrou, para o recolhimento
de taes livros.
DRSPACHOS.
Requerimento de Autonio da Cruz Ribeiro, para
annotar-se que Joao Raphael Domcllas de Moraes
pSo e mais seu caixeirp. Como requer.
' Do mesmo, para annotar-se que o seu caixeiro
Francisco de Salles Albuquerque pertenfe a loja
n. 33 e que o de nome Vtcjudino Lins de Albu-
querque a loja n. 29 e de cuja nouiea^ao e notas
quor certidao. Na forma pedida.
De Alcoforado Vieira & C, pedindo baixa na
nomeacao de .Miguel Auguslo Fernandes dc Bar-
ros.Como pedem.
De Ant )nio Gonjalvcs da Silva, pedindo (rans-
ferencia dps livros diario e copiador da fltrma
Francisco Jose Leite 4 C -Como p'ede.
De Amaral c\i Valen'tc, tambem transferencia do
livro diario que servio a Manoel do Rego Amaral.
Como requerem.
De Samuel Power Jouslon & C, certidao se foil
registiado o contrato da viuva Tno.naz Farnandjs
da Losta coia Joaquim Moreira de Barros Neves e
Antonio Ribeiro Soares. (ximo requerem.
De Barftiolomeu Lourenco, para Bear sem effeito:
o registro da embarcacao de sua propriedade de-.
naininada Senlwra dos Navegimlet, visto terse
perdido. Diga a seereturia.
Do mesmo, rccplhenJo a carla do hiate Dens te<
Gtitirde, perdido no dia 6 de Janeiro do eorrente!
anno.Informe a secretaria.
Da Pedro Goucalves Pereira Cascio, pedindo o
registro da earta de matricula de negocianto do:
Rio de Janeiro, Joao Agostinlio da Silva. girn,
nao havenJo iucoiiveniente.
De Manoel Jose da Silva Guimaraes e Pedro
Rodrigues de Oliveira, apresentanlo a registro a
inclusa procurafao.Registre-se.
De Francisco Jose Leite c Anlouio (ioii.alves da
Siha, pedindo o registro do seu dislrato junto.
Vista ao Sr. desembargador liscal.
Pe Alcoforado Vieira It C, rejuereudo o regis-
tro dr. titulo juiito concedido a Odoiici AlveSkJia.-
ppso da Camura. I'roeeda se ao rcgi-ilro p/^lo.
Dc Antonio Ferreira de Carvalbo, submetl& o a
registro a uouieacio junta Je seus caixeiros.^De-
ferido.
De Silva Neves 4 C, trazendo a registro a no-
meacao junta de seus catxeiros. Como pedem.
Dc Ohveira Cruz & C, sujeitando a registro a
- 7, u;aci" oe rtivaro e nillau-< do Uliyeira.5>e|a
regis;rada a nomec-io junta.
De Rego & Irmao, offeiecendj a registro a po-
meacao aunexa de seus caixeiros. Na forma re
querida.
Do Jose Antonio da Motta Guimaraes. apresen-
tando para registrar se a nomeagao de JosA flen
riqae de Oliveira.Faca-se o registro nedido.
De Jose Francisco Dmiz, submrttendo a registro
a noraca'/io de Jiugenio Pinto da Costa.Como
requer.
De Andrade & Mello, para inscreverse como
seus caixeiros os cidaddos consumes da noraea-
rao imlusa. Registre-so a nomeacao apreien-
tada.
De Antonio da Costa Almeida, para qu; se faca
o registro da nomeacao de Francisco Pamphilo do
Nascimento -Deferido.
De Ferreira & Martins, para proceder-se ao re-
gistro da nomeajao de Ernesto Jose Ferreira.-
Rej;istre-se.
De Antonio da Cruz Ribeiro, sillicitanlo o re-
gistro da nomeacao de Ziferiuo Poreira de Mello.
Faca-se a annotaglo pedida.
De Silva & Cascio, registro da prowiracfu an
nexa.Como pede.
De Manoel da Costa Riboire, registro da n i
raeacao de Henrique de Mendonja Furtado. Seja
registrada.
De Join Baptista Boaventura Rodrigues de Al-
meida, registro da nomeacao de Joao Baptista RO'
drigues de Almeida. -Na forma requerida.
De Antonio Annes jacome, registro da inclusa
nomeacao do seus caixeiros.
Oe Rcllarmino Alves Aroxa, registro da nomea-
cao de Manoel Nepomuceno dos Santos Siqueira.
Na forma pedida.
De M.aneel Ma/tins Fiuza, registro da nomea-
'.ao que apresenla.Sun.
De D. Marcoliba de Souza Castro, registro da
norneacio de Joaquim Ignacio da Cruz Dias. -Na
forma pedida.
< De Ramigio Kucip3, registro da nomea,cao da
Candido Ppreira Cavalcante de Araujo,Deferido.
De Mnoel Goucalves de Barros &" C, satisfa-
zendo o despacho do tribunal, de 23 de outubro
proximo findo, para tar lugar o registro do seu
:ontrato.-Sim, sendo certQ o que allegam os sup-
plicanles.
De Candido Casimiro Guedes Alcoforado, pe-
dindo exoueraoao do cargo dedenutado. E' con-
ceclida ao suppltcaale a demissao requerida, visto
cowQ*sta nrovada a irnpossibilidade de continuar
a ser memnro do tribunal, dada a declaracao que
f*z do inotivo par^ue pretende a sua exoaeracao ;
ficando porem b supnlicante suieito a pena do
art. S do codigo, titulo linicp, a vista das disposicoes
dos propri.w avisos pelo Uiesino supplicantc cita-
dos. -Yotarai.i contra o Sr. Sa Leitao e S Exc. o
Sr. QOJiseliiciro presidente, *or entonlerem gue
se itevia eoasnltar ao goyerno.
Processo conlia o i>fretif Gongalo Jos fonso. -Volteaj os autos ao Sr. desembargador
fiscal. ......
Teado o tribunal concedido a demissaa pedida
pelo deputadp .Candido Alcoforado, resolveu que
coutinuando eni exercicio o Sr. Guerra, se pro-
ceda a ^leiuo de um daputa lo que preencha a
vaga deijtada pelo Sr. Alcuforado, e por tanto,
tempo quauto idle tinba aiada de servir, ijcandp
maf'cado o dia li de Janeiro de J87i p^ra essa
eleiead.' Resolveu outro sim o tribunal que se
laga um offlcio a directoria da Associacaj Com-
mercial para que se sirva per,auttir.que tal ela^cao
teflha lugar uo sala da mesma associajao.
0 tribunal resolveu uue a secretaria informe se.
<:un Pesana tenha fallido quando foi coinraerciante'
na Pariiliyba.
S:ndo duas horas da tarde, e ^nada mais ha-
vepilo ade^^acliar se, S. Exc. o Sr. conse.lhairo
projidente encerrou a sessao.
lAWARA HUNKiFAL.
.*. SESSAO DA 4-* 0RDINAR1A EM 12 DE
OKZEMBRO DE 1873.
PRhSIDENClA DO SR. HEOO E ALBUOCBBQUE.
Ao meio VH|, presentes os Srs. vereadores
Rego Albuquerque, presidente, Gameiro, Neves,
Thecdoro Siva, Dr. Moscoso e Cunlia Guimaraes,
o Sr. presidente Rego e 'Albuquerque abrio a ses-
sSqu lida a acta da antecedente, foi appruvada.
F'ndo o que passou-se a leitufa do seguinte
Cfaciouh Exm. presidente da provincia, da G do
jrrenteTcinonunicando que esta camara pole to-
niar conta das duas latrinas publn-as no Caes Vin-.
tetllms d! Novembro, a no do Santa Isabel, as
qnacs, sogundo o^offlcio por copja, do engenheiro
ch^fe da repartifao das obras pnblicas, acham-se
promptas e em estadi de funccionar e que rela-
tivamente as outras freguezias, licam expedidas
as convenientes or lens, alim de ser satisfeito o que
a camara solicitou cm seu offlcio de IS de oulu
bro ultimo.Ficou a camara inteirada.
Outro'da mesma presi Lmcia, de 9 do eorrente,
antorisando a camara a alteiar a planta da cidade
na parto cocrespondenle ao quarteirio do lado do
mar, fronleiro ao mercado publico, assim como a
fazer as desapropriagoes qne para isso torero ne-
cessarias.Inteirada e deu-se sciencia ao enge-
nheiro.
Outto do secretario da mesma presidencia, de
11 do eorrente, communicando, de ordera da roes-
raa, que remetteu-se a thesouraria geral uma oi-
dvm do tbesouro nacional, autorisando a eatrega
a camara da quantia de 30:000*000. Intei
rada.
lnformaQao do engenlielro accrca dos concertos
fe-'tos na ponteda Baixa Verde da Capunga.Man
dou a camara que fosse satisfeita a exigencia do
mesmo engenheiro.
Relacao das multas arjeecadadas pelo procura-
dor ate esla data, na impbrtaneia de 1863000. -In-
teirada.
Offlcio do fiscal da fregnezia dos Afogados, dan-
do partc de ler sido recolhida aos cofres munici-
paes a quantia de 30000, unportancia da multa
imposla ao mascate Francisco Barroso Pereira.
Inteirada.
OSr. verearedor Neves, requereu verbalmente
para que o engenheiro da camara assislisse a col-
locaQados posies que a Western & Brasilian Tele-
graph quer linear nesta cidade para o no electri-
cd.Foi unanimeraente approvado.
0 Sr. Gameiro fez o seguinte requerimento :
Requeiro que se peca ao Exm. pres,idente da
provincia autofisacao para alterar-se a planta da
cidade na parle do alagado do Manguiaho que
esta marcado para logradouro publico, alim de
ahi se abrirem duas ruas. Foi unanimemente
approvado.
0 Sr. Dr. Moscoso, apresentou o seguinte reque-
rimento, que foi tambem unanimemente appro-
vado :
a Requeiro que pela contadoria se fornecam as
seguintes ihformaedas :
1 Em quandp importa a divida aelivados an-
nos anteriores ;
2 Em qnanto anda a quantia que foi arre-
cadada por dilligencias do preeurador ;
3* Em quanto sorama o que se tern arrecada-
do por meios judiciaej.'
Pago da camara municipal do Recife, 12 de
dezembro de 1873.Dr. Lobo Moscoso.b
Porordem da camara foi mandado retirar o
guarda municpal que se aehava'de servico no tri-
bunal do jury.
Foi ao uscal para informar a petiQao de Hercu-
lanoJise Rodrigues Pinhiii'rb, indeferida a da Jo-
se Ant mio de Pinho Borges e deferiJas as do
Amorim 4 C, Joaquim Lopes Machado, Joao Ri-
gar, pcrque se tal se houvesse daio, assa delibera-
{So tcria sido pubheada pela imprensa, como de-
vera, para conliccimento dc toon publico. Nada
disso bouve, o que nos leva a eaar que se aciiain
elle sem pleno vigor lao Gelmenla como nclles sc
contem.
Ora, desde que assim nao se deu, devemos crer
que a Provincia nao 6 orgao do partido liberal,
perqua nasceu de um direclorio ja convertido em
oligarcbia do barao commendador ne Villa Vicosa.
Nao e sdmente por esse lado qua o caduco di-
reclorio metteu os pes no partido liberal.
Na eleicao da commissio de iraprensa, aiuda
a sombra do barSo, outr'ora cadete (por ser aris-
tocrata) do partido eonservador, prelominou o
pouco caso do direclorio.
Diz o art 13 : t 0 direclorio provincial ele-
gera d'tntre em si uma conimissao, pelo menos
de cinco membros, que sera especialmenle en-
carregada, sob a inspeccao da mesa, de dirigir
lodo traballu relative a public';;io da I'ollia, etc
Consta nus que tal nao se fez, tanto que na
actual commissao da imprensa, segundo os pro
prios liberaes declaram, figuram entidades, etc.,
que apenas sao conhecidas na casa do barao com-
mendador de Villa-Vicosa, o que e devido a
vontade da oligarchia, porquanto o citado arligo
expressamente prohibe fazer parte da coraniissao
de imprensa individuos que nao facam parte do
dire .'torio, como se va da seguinte expressao :
i 0 direclorio elegera d'entre si, etc
Ora, em face do que fica exposto, a Provincia
nao pode ser, nao se pode dizar orgao do partido
liberal, e consegumteraente e uma mentira depapel,
a revolta o espirito publico, dizer-se que ti orgao
do partido liberal, o qual, ninguem sabe, se sane-
ciona essa opposicio, que o direclorio caduco
mantem era relacao a pessoa do illustre Dr. Lu-
ceua.
0 partido liberal, com osproprios liberaes con-
fessam que nada tern com a Provincia ; logo e
ella orgao do odio do Sr. de Villa-Bella, e da es-
pecula\o das seus amigos.
Se o' partido liberal esta tora da grai do Sr.
barao de Villa-Bella, claro esta que so este e os
seus director's do consciencia sao os responsaveis
pelas calumnias e iujurias que diariamente sao
publicadas na Provincia contra o Exm. Sr. Dr.
Lucena e o partido eonservador.
E' pois, com o commendador barao, capilao
de bandciras, quo nos dovereraos calender, quando
por desposto nio nos convier tratar com os seus
directores. Tenha, p>i i, paciencia. Para que
fez direclorio para dirigi-lo '
dos orgaos da respira^), naodevem nem por i.-
so desesperar por um so momento, de sua Baal
cora ; uma vez que tenham a mio este admiravel
e maravilhoso medicainento, vcrlideiro restanra-
dor da vida esaude, pialqwer iiessoa que o Use,
devu ler perfeita li u conlianca mesmo nos indicio*
os mais pronunciados da molestia.
Para todos.
A casa mortuaria de Paula & Mafra con-
tiniia a bem servir ao publico, em quantos
seus proprietarios ou sao deferidos no re-
curso que iuterpdein ao cooselho d'estado
contra o monopolio concedido a outrem, ou
sao a contento indemnisados pelos monopo-
listas. E para que ninguem se illuda a res-
peito, scieutiQcam ao respeitavel publico que
se acbam providos do material necessario e
com carros noros.
beiro^Pessoa de Lacerda, Mejquiades Francisco d]a
Chagas e Silva e Western A: Brasilian Tejegrap,1,
a levanteu-se a sessao as 2 '.< horas da tarde.
.Eu, Pedro de A!buquqniip5 Aulrau, secretario^
\ escrevi.
Manoel Joaijuim do Rego e Albuquerque, president
'.9. Tltemloro Mackado ycire Pereira da $ilva.~
-Jiao dt Cunha Soares Gaimira^s.-Dr. Pedro-
dc A. Lobo Moscoso. -Jpslia SUva l.nyo Jfinior.l
Jose Marat Freire Gameiro.
FAH'l ll0 < a^Nl.tti ll>l*l
RECIF, 47 I)E Ul^KMBllO DE 1873.
A fl-BOVINClAB K 0 SB. BARAO COHMSKOADOR DE
VILLA VICOSA.
A posicao hostil em quo.se collo-,ou zfrovincia
a respeito da pessoa d> Exm. Sr. Or. Lueena, poe-
nos na contingencia de eotrarmos na apreciacao
dos actos domeslicos do direclorio da Aguia-Rranca
no intuito de veriflcar se com elfeito. >na entre o
partido liberal a a Provincia, orgao do barao de
Villa Bella, alguma solidariedadd nos doesios con-
tra a presidencia da provincia.
Item contra nosea vontade vamos investigar o
lar allieio ; mas a isso somos impellidos, como o
publico e testemunha, polos escreviuhadores da-
I Hi-1 la to Ilia.
Tern >s di.-cutido sem nunca transpormos o
pai-Uoo J haij'uajao dw (ir.>t'>uos liberaes 4o di-
rcctono.
Eiiiretaoto, que esses inesmos a quern tamos
respeitado sem qnerennos tocar em .as suas leis
organieas, nao tern sabido correspondor a uos-
sa generosidade a cavalhoiiisino, e e por isso
que o publico os ve, ora phantaseando desgostos
no partido eonservador, ora espalhaudo que o Exm.
Sr. visconde do Camaragibe esta desg^loso, e ora,
liualjienle.-que o Sr. Dr. PurteHa esta em opposi-
cao ao Exm. Sr. Dr. Lucena; tuJo com o tim de
molestar o presidente da provineia.
Ora, levadas as cousas a este poato, lemos na-
cessidade de perguntar :
Serao auforisados os escrevinhadores da Pro-
vincia pelo partido liberal para proceder por essa
forma 1
Poder so-ha dizer que a Provincia 6 orgao do
partido liberal?
Sao queslbes essas que destjavainos evitar a
sua discussao. mas qua a ella dos arrasla a
propria Provincia.
Procuraremos, pois, fundados nos estatutos do
partido liberal, examioar ligeiraraente se o partido
liberal deu mandate ao Sr. barao para guerrear a
pessoa do iUu-trado magistrado que admiuistra es-
ta provmcia.; e cosseguinleinente se se poda dizer
que a I'rortmcM e orgao desse mesmo partido
Em 186*9, no mez dejulbo, os jornaes deram
noticiada que o partido liberal desta provincia,
reiiiii lo no ediQcio do Club Peroambucano elegera
o seu direttorio na forma do an. 2.* dos estatutos
do partido.
Mais tarde divolgou-se que esse direclorio, se-
guild i o disposio n is arts. 13 e 44 dos reteridos
estatutos, elegera tambem uma commissao de im-
prensa para publicar-se o orgao do partido li-
beral.
EITeetivamente assim succedeu : viinos publi-
car-se por algum tempo o Liberal.
Morto, porem, este jornal, e decorrido mais de 2
annos. creou-se um novo orgao, que appareeeu
sob o titulo -A Provincia.
Para a creacso da Provincia concorreu o partido
liberal 1
Posto qne nao sejamo-t competentes para lisca-
lisai* as leis doraesticas do partido liberal, comludo
pare;e nos que a Provincia nao foi creadadecoo-
formidade com os estatutos do partido liberal, os
quaes, segundo e publico, ainda se acham em ple-
no vigor.
Ora, ja viuws como foi qua nrocederain os libe-
raes quando tivaram de crear o sen orgao -0 Li-
beral.
Tendo depois de dous annos de existencia dei-
xado de subsistir o Liberal, e tratando-se de crear
nin novo orgao, o que parece daviara o senso, a czstidade e a lealdade politica I
0 que fez esse directono que se inculca liberal,
e do qual e clitfe ostensivo o bario commendador
de Villa Vicosa?
frahio o paitMo liberal do qua! quer, pw fat e
nefas, ear chafe como passaaoe a provar.
O art, dos estaUHos dii :
t Q djrectorio provincial se compora de 35
membros .elejtos por escrutiojo secrete em reoniao
solemna e nnmerosa do partido liberal, e servira
emquante nJo fdr pela mesma torraa subsiimido ;
o que tera lugar de dous em dous annos.
En faee deste artigo,segue se que odirectorip
que tern a frente o Sr. barao, esta caduco, as suas
fuuecoes cessaraia desde.junhu de 1871, tempo em
que se compleXou o biebdib, e era que devia ter lu-
jar no/a reuniao solemne e numerosa do partido
liberal, para eleger por escrutinp sccreto o novo
direclorio.
Foi o qoe nao nos consta se flzesse.
Ora, o caduco directorio,poder-sc-ha dizer que
nolle esta represeniado o partido liberal ?
Mais aihda": que b partido liberal e solidario
com o barao commendador de Villa Vicosa na
guerra peas que dirige ao distincto pernam-
bncao o Exm Dr. Lucena ?
Nio justirTca a traican do Sr. biraoaos libe-
raes a ultima parte do art. 33 que diz.........
ce approvados por elle (directono provincial) as
suas disposicSes .(dos estatutos) o podarao as
mesmas ser revogadas, sub'stituidas ou alteradas
por detiberacao no d ms terpbt, pelo menos, da
jfljajidade de seus membros, etc. ; niio iustllica
primeirain^nte porqde nao consta ter sido revo-
gada, stii)tituida'ou alterada nenhumn disposil^o dos
estatatw por deliberacao dos dous tercos da iptali-
dad? dos-membros dj direclorio ;em segundo lu-
'UBLfSACOES A PEDIPO.
RECITADA SO THEATRO DA ENi;KfiIl.HADA
BFXEM.
........Le -ntonde murche !
PELETAN.
Mas o que e quo nos vamos i
Sera um sonlio ? um prodigio f I...
Bem conheeo este vesligio,
Que eai tcda parte reluz I...
Como tudo e maravilhas !
luda navera queua nip ere t
E quem e que nao o ve,
Se e um facao de luz?!
Oh I como tudo se muda,
Transformando-se em. flores!
Agora tudo e primores,
Ja vemos uai ceoaqui I
E ja resleiidem os pcriiuncs
Do jardim da iutelligencia,
Pois onde folga a sciencia,
A arte tambem soiri.....
Oh I erguer se a-Daus um tempto,
A's iiuu.ts mais um altar,
E' para o E len voar
0 geuio da huroanidade,
Fugindo da maldigao I...
E dos esforcos o sublime,
Que so a grandeza expriine
Dos fillios da liberdade I
I-.' o progrcsso, senliores.
Sorrindtf de encontrar crente
E satisfeito e contente
Do sec do veatiaio a iuzI...
E ag^-adecendo a America
0 que da-lhe am reeompapsa,
Eiutwra, pela deeorenca,
Ja fosse um uhristo na cruz !
Salve I Recreio Drainatico
Eis tua iuaugura<:ao !......
Sautilica o raeao
Tanto orgulho que nos das :
E tu -Sete de Dezembro.
Para nos seinpre lembrado,
Sempra faslivo ^ravado,
Em nossas almas seras.
H. Frayoso.
DB
Reutlinaeuto do cspec4acul em
heneflcio lo ajnrdinainouto
clit piaca dc D. K*ediao II.
Soinma lolal das relajoes publicadas
dos dmlieiros recebidos ate lo de
dezembro de 1873
Camarotes.
Caspar Antonio Vie'ra Guimaraes
Barao de Nazareth
Comraenilador Luiz Goncalves i'.
Silva
Cadeira-i.
Manoel Joaquim de Souza
Joao de Souza e Silva
Manoel Alves Santiago
Autonio Jose da Moura
Jose da Fonceca Pinho
lose Manoel de Miranda
Manoel Joaquim da Sou'.a Lima
Jose Joaquim da Costa
lose Joaquim de Abreu
Manoel Josp Rodrigues
Manoel Jose da Motta
Joaquim Francisco Torres Galindi,
de 19 cadei.ras que passou e r
cebeu
Manoel Pinto Alexandre
Jose Francisco de Souza Lima
Jose dc Almeida Ribeiro
Victorino de Almeida Ribeiro
Justino Pereira Junqueira
Jose Gomes de Freitas
Dr. Sebastiao Lacsrda
Manoel Martins dc Moura
Dr. Jose Jjaquim da S)U?a
Germane Pinto de Magalbaes
Commendador Jbsc Francisco Pereira
da Silva
Antonio do Souza Braz
Antonio Jose Pires
Capiuo Joaquim Pereira da Men-
donca
Capilao Augusto C. Pereira deMen-
donca
Capitao M rcolino H. de Figucired:
i:0>2*000
12*000
134000
20/000
.'i/sooo
3/000
3/000
3/1000
:,i0O0
ojOOO
o|000
3/1000
34000
;4(ioo
34OO0
i2000
14000
V40O0
i4000
'^4000
U000
.1/000
I4OOO
1400
'4000
240JO
2/.000
24000
2/000
14000
:;jqo*
24900
1:23140.0
.'""ontinua.) '
Belleza perpetii.a.
Par venlura ua alguma senhoraque desaje per-
petuar 0 brilho, cure abundaneia de suas tcangas ?
A pergoata e mutil. Todo 0 bello SflKO acba-sc
per lei la men te uuanime sobre este p mto, visto ser
possivel. 0 cabello nasce de umas radicalai
balbosas secretadas em celullas diuicutas que se
acham dtbaixo da epiderme ou cutis superior.
Q11 in do estas cassam suas secretes uu as raizes
do cabello nao tem bastanta vigor para levanfar
as *eccrecoes as libras morrera e cateio.
0 remedio con-ista em estimular 3javeaianta -at
vasos do craneo e rcstabelecer u-na a-.;., j vigorosa
nos deotos capillares do cabeHe Da;i*3as as pre-
paraQoasaaraos cabelioe, 0 Tonic i Onenul a 0
unico arligo que 0 cousegirira proaipis e iafalli
valmenle.
a
11 it j a suaniuo cuilu(Io com
afTeccSes das bronchias.
Seus progressos sao npidos e assustadores. Ata-
Ihein se, pois, 03 primeitos symptomas raediantc
doses regulares do Peiteral 'de Anacanuita de
Kemp, 0 qual para logo fara parar os progressos
da raglestja ou inflammacao le'cal; impedira que
a mucosidade se agglomere nos tubos bronclilaes,
fortilicaii os orgaos da voz e 8nalmntc restaba-
lecera a sabde e a vigor dc todo 0 systema -resp-
ratorio. Embora mesmo no caso, que a molestia
se ache ja algum tanto a'vaocada, proporcjonara
consideravel allivio e em irmitos caso- effectuAra
uma prompta cura Portaqto as victimas da tosse,
cojstipacoQs, catarrbos, febres inflaroiaatorias dos
pulmoes, oa do qualquer ama ou'ra enfermidade
COMMERCE.
PRACA DO RECIFE 16 DE DEZEMBRO
DE 1873.
aS 3 1/2 HORAS DA TARDB.
Cota^Ses ofQeiues.
Oambio sobre Londres a 90 djv. 26 1(4 d. por
14000, do banco, hontem.
Dito -sobre dito a 90 d|v. 26 3|S d. por 1SC00, d.,
banco, hoje.
Dito sobre dito a 90 djv. 26 l|J d. por 14000.
hoje.
Cambio -sobre Lisboa a 90 d|v. 102 OjO de pre-
mio. hoje.
Leal Seve
1 Pelo prtsideate.
P. J. Pinto
Pelo secrelario.
ALFANDEGA
(eadimenioid- dia 1 a 13.
Idem do dia 10 .
60i:637447(i
41:5074118
646:14V*Wi
Descarregam hoje 17 de dezembro.
fara os portos do enierior.
Barca portugueza Arabella pedras para >
trapicho Gonceicao, para despachar.
Patacbo nacional Jaboatao kerozene para o
trapichc Conceicac, para despachar.
Barca ingleza Dora dlversos generos para
alfandega e carvao ja despacbado para
o caes do Apollo.
Barca ingleza-C' do para trapiehe Coaceicao.
Patacho inglez -Britania bacalhao ja despacba-
do para 0 trapiehe Conceic4o.
Barca fran^cza Mauricien vinho para allan-
dega, e varios geaeros para o-trapiclie
ConceicSn, para despachar.
Ban-a ingleza Jane Maria mercadorias par*
alfandega.
, I in port at* tio
Liigar io^tei Carrington, entrado ddCardiffem-
16.do eorrente, c consignado a Lidistone Robiluird
Jc C., manifest oil:
Carvao de pedra 373 toneladas aos consignata-
rios.

Patacho inglez Queen of Beauty, entrado da Ter-
ra Nosa na mesma data, e consignado a Saunders
Brothers & C. manifestou :
Bacalhao 2,400 barricas aos consiguafcirios.
Barca ingleza Fi"resta, enirada de Sundarland
na mesma data, 0 consignada a Simpson & C, ma-
nifestou :
Carvao de pedra 314 toneladas a companhia do
gaz.
Liverpool, barca ingleza Glanern, chegada -hon-
tem, e consignado a Simpson & C, manifestoa :
Canos de ferrn 110. Carvao de pedra 382 to-
neladas a companhia do gaz.
Liverpool, barca ingleza Petchelee, chegada hon-
tem, e cynsignada a Mills Latham A C, maniit-
tou :
Carvao de pedra 527 toneladas aos consignata-
rios.
JESPACHOS DE EXPORTaCAO NO DIA 13 Dfc
DEZEMBRO DE 1873.
Na barca ingleza Olinda, para Liverpool,
carregaram : J. J. R. Mendes 201 saccas corn
17,643 Ij2 kilos de algodao ; S. Brothers 4 C. 530
ditas com 47,746 ditos de dito.
Na galera portugueza Audacia, para Liver
pool, carregaram : M. Latban 4 C. 1,430 ssecos
com 107,250 kilos de assucar mascavado.
No lugar allemao Alemanta, para o Canal,
carregaram : G. Nesen & C. 39 saccas coin
6,750 kilos de algodao.
No navio hoflandcz Spliynix, para 0 Canal,
carregaram : Keller 4c C. 224 saccas com 16,530
kilos de algodao.
No navio inglez Coila, para 0 Canal, carre-
garam : S. Brothers & C. 2,100 saccos coin
137,500 kilos de assucar mascavado.
Na barca franceza Anna Maria, para 0 Canal,
carregaram : R Sctiramettau 4 C. 400 saccos
com 30,000 kilos de assucar mascavado.
Na barca franceza Fidelile, para 0 Havre
carregaram : Keller & C. 44 saccas com 3,3:ii
kilos de algodao e 760 couros salgados com 9,1 1
ditos.
Na polaca hespanhola hidra, para Barce-
lona, carregaram : A. Cordeiro 52 saccas com
3,897 1|2 kilos de algodao ; P. Carneiro 4 C 66
ditas com 5,087 ditos de dito.
Na barca portugueza Gralidao, nara Lisboa,
carregaram : E.R. Rabello 4C. 200 saccos com
15,000 kilos de assucar mascavado e 500 ditos
com 37,500 ditos de dite.
r- No brigue pirtuguez c.oteie, para Lisboa,
carregaram : Carvaiho & Nogueira 190 sacc^.v
ccm 11,250 kilos de assucar branoo e 60 ditos
com 3,750 ditos d% dite mascavado ; A. V. da Sil-
veira 1 barrica com 60 duos de cafe.
No brtgue americano Galino, para S. Mi-
guel, carregbu : i. dos Samps e Silva 100 barris
com 14.400 litros de mel.
Na barca brasileira g. Jose, para 0 Rio da
Prata, carrego 1: A. Lbyo 209 barricas com 24,639
kilos de assucar hranio e 72 ditas com 8,814
ditjs de dito mascavado.
No vapor inglez Cuzco, para Puenos-Ayres.
carreearam : Keller 4 C. 3 barricas com 45 aba-
cachis : para a Bahja, F. Gibson 1 dltn com IS
ditos.
Para os portos do interior.
Para 0 Rio Grande do Sul, no brigue.bras
leiro Providencia, carregaram : Amorim Irmaos i
C- 410 barricai com 42^73 kilos de de assucar
braq.co e 40 ditas com 4,376 ditos de dito mas-
cavado
Para 0 Rio Grapdr do Sul, na barca naci0-
nal Deofindu, carregaram E. R Rabello & C.
3,700 copos ffructa).
Para 9 nio Grande do Sul, na barca brasi-
leira Andrade Neves, carregaram : P. Vianna 4
C. 200 saccos com 15.000 Kilos de assucar branco.
= Para Granja, no vapor nacional Pirap/inui,
carregaram : Ramos 4 Macliado 8 barricas com
368 kilos de assucar branco.
Para 0 Hjo de Janeiro, no vapor ame:icao
South Am*rica carregaram : J. V. H B. 1 barrica
com 12 abacacbis ; para a Baliia, T. Christians, n
1 diia com 18 di'os.
Para a Parahyba, na barcaja S. Beneticto.
carregaram : J. T.'Cordeiro & C. 1 calxa com -MJ
WI03 de dace.
Para Mamangnape, na barcaca Cauttlos*.
carregaram : B. Gomes & C. 1 barrica com 69
kilos de as-ucar Jjranco.
Para MossirS, na barcaca F. Jardim, car.-'-
earara : F.'G. A. Maranhao 2 saccos com. 156
kilos de assucar branco ; A. Oliveira & B- -
barricas com i20 ditos de dito reflnado e 2 bar-
ris com 120 litros de agoardente.
Para'Mac.io, no hiate brasileiro Umilja,
carregou : A. S. Guimaraes Peixoto 1 banjc^
com 60 kilos de assucar branco.
Para Macao, na barcaca Triumpho, c.irrt-
gou : M. J. Rodrigue3 2 barricas com 148 k
de assucar refraado.
C4PATAZIA DA ALFANDEGA
ttenuimento do dia 1 a 15 11:205*
ide No dia I a 16.
^rimeira porta
jejonda porta
VOLUMES SAttlDOS
No dia 16
H:9W#405
16,23^
IK)
v.
risKri


M.
I
Dimi\ d*Fm&mmtf> Qusufa'.fiktoilX de Dezetooro de18?a.
Torceira porta .
(Juarta Bgrta .
l'i apiece GoDwi^
SERViCO MARIT1MO
*l\aren.gas descarregadas no irapicot
alfandega do ii>a 1 a 13
No dia 16
N'awjs atracados do trap, da altac'ega
Alvarengas........
Aio trapiche Conceicao .....
21,448
27

rtHCEBEOOHIA OE REND AS INTERN AS GB
RAES DE PERNAMBUCO
tteudimento do dia 1 a 15. J 37:932*910
,'dem do dia 16 2:288*713
id: 221165?
rteadraieaio
i.i*m (to dia 16
CONSULAR PROVINCIAL
)do dia-la 15 98:865*402
..... 7:018*9H
*-~.--~.z?>C:*.ivrmvtxsoasBKa*K*jiaiz
105:883*924
MftVlMENTO 90 PuRTD,
Navios entrados no dia 16.
Cardiff42 dias, lugar inglez Carrington, de 243
.toneladas, capitio George G. Stukland, equipa-
ge^ 9, carga carvao; a Lidstone Robiliard
A C.
-HuiderliaMj **' d'a,> Darca ingleza Ftomta, de
299 tonel*d.i*' capitao Gelberl White, equipa-
gem 10, carga c^rfSo'> a-Simpson A C.
Liverpool 3i dias, ,?arca '"g'eza Petcheiee, de
t56 tonelada, capitao /j'mci Burnes, equipa-
i4, carga carvao ; a Mills u.a,na'5 & c- .
Liverpool -40 dias, barca ingleza wemevut, de
393 toneladas, capitao James Wao.. ,e\ equipa-
gem 11, carga earvio ; a Simpson Si. u.
Terra-Nova 33 dias, pata;ho inglez Qae'n of
Beauty, de 176 toneladas, capitio M. DattS,
equipagem 8, carga 2,393 barricas com baea-
lhao ; a Saunders Brothers A C.
Navips sahidos no mesmo dia.
Mossoro -Hiate nacional Flor do Jirdim, copitao
Joaquim Francisco da Silva, carga differenles
generos.
TabatingaHiate brasileiro Flor do Rio Grande,
capitao M. A. da Costa, carga varios generos.
EBiTAt*.
Consulado provincial
Para sciencia dos contribuintes dos impostos
abaixo declarados e os effeitos legaes, se publiea
om segaida as alteracoes verificadas no lancamento
dos mesraos iinpostos no corrente anno financeiro de
18731874, hcando aberto o prazo as reclama-
.;oe>, que porventura possam tera fazer nsinteres-
sados, na forma da lei e regulament03 respec-
livos.
Alteracoes verificadas pelo langador Joaquim de
Gusmao Coelho, no lanpaaento do imposto de
1 0/0 sebro diversos esiabelecimentos da fre-
guezia da Boa-Vista, no anno corrente de 1873
ft 1874.
Imposto de 4 0/0.
Imperatriz.
V. 50. Severino Lyra 16*000
N. 66. Domingos Antonio da Silva
Beiriz 16*000
If. 1. Antonio da Silva Azevedo 32*000
X. 21. -ntonio Jose Pereira 12*000
N. 41 Antonio Goncalves da Costa 20*000
Praca" do Grade d'Eu.
N. 14. Domingos Antonio da Silva
Beiriz 16*000
N. 32. Manoel de Christo Pacheco 32*000
N. 21. Manoel Sebasliao Pin to 14*400
Viscondc de Pelotas.
S. 17 Jose Duarle Coulinho 4*800
Visconde de Albuquerque,
v. 20. Ramonda & C. 14*400
Capibaribe.
-V. 30. Marcelino Jose da Fonte 40*000
Praca de Santa Cruz.
V (i. Luiz Paula Lopes 12*f>00
V I. Manoel Joaquim Freire 19*200
Conde da Boa-Vista.
R. 91. Bernardino da Costa Cam-
pos 85000
Bua de Santa Cruz,
v :(. Manoel Jose deAraujo 12*000
Gervazio Pires.
X. 45. Bernardo Fernandas 9*600
Travessa do Gervazio Pires.
N. 9. Domingos Jos6 da Cunha La-
ges 12*090
Camarao.
N. 13. Pedro Frederico Taonelsen 8*000
Barao de S. Borja.
V 25. Jose Ramond B. 14*400
Soledade.
X. 4, Manoel Jorge de Souza 14/400
Socego.
X. 62. An.onio Goncalv-sda Costa 16*000
Visconde de Goyanna.
N. 99. Antonio Gongalves 4 C. 9*600
\. 147. Manoel Joaquim Lobato
& C. 32i00O
N. 157. Meuron & C. 32*000
\ll-racoes verificadas pelo lan;ador Joaquim de
Gusmao Coelho, no laneamento do imposto de
60 reis por litro d aguardente, da freguezia da
Boa-Vista, no anno corrente de 1873 a 1874.
Imposto de 60 reis por litro de aguardente.
Imper ariz.
V SI A. Medeiros& Oliveira
Visconde do Pelotas.
N. I. J ise Baohael Batalha
N. 19. Autonio Fe nandes da Silva
Visconde de Alouquerque.
N. 68. Jose Pereira Rapo-o
Ponte Velha.
V 1. Antonio Soares Botelho &C.
;Uniao.
\ 54. Domingos Alves Rolrigues
da Costa
N\ 156. Antonio Jose Braga
Conde da Boa-Vista.
X. 119. Jose Antonio Vieira Bar-
cellos
General Seira.
X. 31. Francisco Goncalves da Costa
Gervazio Pires.
V 40. JoaoBaptista FerrcraGra-
ca
N. 135. Viriato Centeio Lopes
Traves X. 14. Djmingos Gun-s da Ultra
Barao de &*Bbria.
V 13. Oliveira 4C '
S.....
iV. 46 A. Joaquim Jose''*1 Fon-
ceca Jim?'-
Nymphas.
X. 1. Silva Simoes v\ C.
X. 22. #085 oe-Seuz* Pereira de
Brito
Conquista.
\ 25. Jose Joaquim Gonealves Cas-
cao w
Luiz do Sego.
X. 20. ReginaldoF.dasChagasXa-
vier "~
Visconde de Goyanna.
ElMrtdade Xoao de-Barros.
s 28 A. LaAJCAral-d^-Medeiros-
cidadao Francisco da Silva Rcgo, juiz do paz do
primeiro auno da freguezia de Santo Antonio da
VH flBade do Recife de Pernambivo, em virtude da
Id etc., etc.
fttco saber que em virtude da lei regulamentar
das eleJc/ks e uuu disposkoes em vigor, convoco
aos eleitores e supplente$*iresla parocbia que v,\o
por ;eus nomes abaixo designados, para que com-
paregam na 3.* dominga do raez de Janeiro proxi-
mo futuro, no .cerpo da igrcja matriz desta fre-
guezia, peias 9 horas da manha, afim de orgam-
sar-se a junta qaaliCcadora, que tern de rever a
qualiQcacao autecedenle, e qualilicar os votantes
as eleico.s de eteitores, juizes de paz e vereadores
da camara naainpal, ficando sciente os rcteridos
eleitores e sapplent^s abaixo declarados, que sof-
/rerao a multa de 40*(X) a 60*000, senao com-
pareferem, on tendo comparecido, deixarem de
assiguai a reapdetiva acta.
M Eleitores.
Dr. Manoel do N'aicimento Machado^ Porlella,
capitao Jaao da 'Cunha Soares Guimaraes, Fran-
cisco da Sit -a Rcgo, Caetano Jose Mendes, ma-
jor Antonio Bbmrdo Quinteiro, Dr. Olyrapio Mar-
Sues da SilTO, laaijuim Francisco de Torres Gal-
Bd'o, Dr. JgnaciO Joaquim de Souza Leao, Angelo
Custodio Rodrigues Franca, Jose da Cruz Santos,
Capitao Firmino Francisco de Britto. Dr. Fran-
cisco Leopflldino do Gosraao LoBo, Joaquim Jose
de Abrcn,"w. Francisco Gomes Parente, Manoel
Goncalves Agra, Capi'ao Jose Candido de Souza
Castro, Jose Francisco Bento, Jose Luciano Cabral,
Joao Goncalves Pereira da Silva, capitio Antonio
Jose* Rodrignes de Souza, Vicente Ferreira da Por-
ciuncala, afiguel Lucio de Albuquerque Mello,
Manoel da Silva Ferreira, Manoel Francisco de
Oliveira, Dr. Jose Auguslo Feireira da Costa,
desembargador Manoel Jose da Silva Neiva, Joa-
quim Pires da Silva, capitao Jose Lauren'ioo de
Azevedo, alferes Manoel Januario de Arrddaj ca-
pilao Marcolino Henriqnes de Piguerrodo, Dr. Fe-
lippe Figueiroa de Faria, Francisco Xavier de
Athayde, Joio Manoel de Siqueira, Dr. Angelo
Henriques da Silva, capitio Augusto Cesar Perei-
ra de Meddonca, Jose Joaquim de Freitas Tavares,
Francisco Rodrigues da Silva.
Supplenles.
Joaquim Vital Machado, capitao Austricliniano
de Tories Gallindo, Jose Felix dos Santos, capitao
Hypolilo Jose Roberto, Luiz Goncalves Agra, Se-
bastian Manoel do Rego Barros, Leonidas Tito
Loureiro, Jose Joaquim da Silva Mendonca, Cerio-
lano de Abrea e Silva, padre Cbrislovao de llol-
(anda Cavalcantc, Joao Goncalves Rodrigues
Franca Sobrinho, Felippe Borges Leal. Domingos
Soriano Cordeiro Simoes, Francisco Jose dos San-
tos Junior, Faustino Jose da Fonceca, Manoel Gon-
calves Ferreira o Silva Junior, Joio Jose Rodri-
gues, Joaquim Speridiao da silva Guimaraes,
Joaquim Cardoso Ayres, Joaquim Antonio de
Mello, capitao Antonio Gracindo de Gusmao Lobo,
Sebastian Jose da Silva Braga, Manoel Jose Cae
tano Barboza, Antonio Jos'" Leal R'is, Jo?e Mo-
reira da Silva, Jose Caetano Pires da Silva, Ma-
noel Moreira de Souza, Anselmo de Jesus Carva-
llio, Manoel Simplicio Correia Leal, Jose Joaquim
Xavier Sobreira, Claudidiio da Silva Rego, Jos6
Riheiro Simoes, Sebasliao Lopes Guimaraes, Vi-
cente Alves Moreira, Francisco Baptita de AI
meida, Jo.-u. do Rego Pacheco e Virgilio Jose da
Motta.
E para constar, mandei fazer ttste edital que
sera affixado no lugar" do costume e publicado
pela imprensa.
Freguezia de Santo Antonio da cidade do Recife
de Pernambuco, 16 de dezeinbro de 18":t.
Eu, Coriclano de Abreu, e-criva i, o escrevi.
Francisco da Silva Rgo.
gado de fazenda, indice alphabetica e regulamento
do sello enjos precos vio mencicraados na relaQo
abaixo transcripta,
Secretaria da the.-ouraria de fazenA de Per-
nambuco, em 15 de dezembro de 1873.
0 secretario da junla,
Jesntno Rodrigues Cardmo.
Riac/lo dos pregos das seguinles obras.
Collee.oes de leis e decisoes do governo :
4*000
2*300
1*400
2*000
1*900
3*500
2*500
2*800
2*300
2*610
2*600
1*800
SjMi
ssm
3*1
8U
4*
5*
6*600
5*300
5*600
6*600
9$m
10*000
5*60J>
5*500
7*500
7*600
6*00
3000
6*000
Ann ) de 1835
1838
u 1839
1840
1 >- 1841
1842
> u 1843
* 1844
1845
B 9 ' 1846
I 1847
1848
1849
1850
> 1851
0 1851
> 1853
0 1854
1855
> 1856
* 1857
1) B 1858
> 1859
t I860
> 1863
* 1864
1865
)) I860
1 . l6f
iseft
f 1889
> 1870
Rua.de Luiz do Reg*
N. 20. RegenalJo FAacisco das
Chagas Xavier
Raa do Visconde de Govanoa.
N. I. Silva Sim5es & C.
Estrada de Joao de Barros.
N. 28 A. Luiz Cabral de Medeiros
Estrada de Jo3o Fernandes Vieira.
X. 24. Manoel Joaquim dos Santos
Ferreira

Uilital ii. lOt.
Pelainspectori^ da alfandoga de Pemambuco se
faz publico que as 11 horas da manha do dia 20
do corrente, a porta desta reparticao, se ha de
arrematar livres de direitos e sujeitas ao imposto
da capatazia. a mercadorias abaixo declaradas,
annuncmdas.a consumo por edital u. !-6, e <]ue dei-
xaram de set despachadas deutro do prazo mar
cado.
Trapiche Conceiao.
Marca estrella 127 cauastras com albos com
principio de avaria. pesando 2,349 kilos, viudas do
Porto n\ barca portugueza Yencedora. descarre-
gadas em 16 de julho do corrente anno, e avalia
das por 56*600.
Idem T 31 ditas idem idem, pesando 657 ki-
los, avaliadas por 43*300.
Idem JCS >- 35 ditas idem idem, pesando 700
kilos, avaliadas por 46*666. I
Idem ACS 63 ditas idem idem, pesaudo 1,049
kilos, avaliadas por 694933.
Idem X 30 ditas idem, na barca portngueza
Nova Sympathia, descarregadas em 12 de ^gos.o
passado, pesando 582 kilos, avaliadas por 727H>.
Sem marca" 116 ditas idem idem, pesando
1,604 kilos, avaliadas por 200*500.
Marca SN150 ditas idem no vapor portuguez
Julio Diniz, descarregadas em 23 de agosto pas-
sado, pesando 3,000 kilos, e avaliadas por 4 0 s.
Iiem T 116 ditas idem idem, pesando 2,668
kilos, avaliadas por 353*733.
Mem JM 50 ditas idem idem, pesando 1,100
kilos, avaliadas por 146*666.
Idem C 197 ditas idem idem, pesando 4,2.M5
kilos, avaliadas por 567*.
Alfandega de Pernambuco, 15 de dezembro de
1873.
0 inspector,
Fabio A. de C. "eis
30*000
544(00
36*000
30*000
30*000
605000
iiil*000
42*000
24*000
(.0*000
60*000
30*000
48*000
48*000
48*000
18*000
I '
24*000
E.iital II. 105
Pela inspectoria da alfandega ae Pernambuco
se faz publico que as II horas da man a do dia
20 do corrente se ha de arrematar, livres dedi-
reiios e sujeitas ao imposto da capatazia, a porta
desta reparticao, as mercadorias abaixo declaraj
das, annun :iadas a C"Dsumo por edita- s ns 89 e
91, e que deixaram de ser despachadas denlro do
prazo raarcado.
Armazem n. 1.
Marca JSX ns. 101 e 102 2 eaixas, vindas do
Havre no navio francez Rio Grande, entrado em
abril do corrente anno, consiguadas a Jose Joa-
quim Ramos e Silva, contendo o seguinte :
12 bercos de madeira orhinaria, avaliados por
157*200
Ucamas de madeira ordinaria, avaliadas por
125*700
Trapiche Cunha.
Marca JSPJ 1 pipa com vinh >. vinda de Lis-
boj no hrigue portuguez Bella Figneirense, des-
carregada em 1 de abril do corrent- anno, e con
signada a J. J. Goncalves tfeltrao, medindo 373 Ii
troi. avahada por 136*628.
alfandega de Pernambuco, 15 de dezembro de
1873.
0 inspector,
Fabio A. de Ca-valh Reis.
305000
Imposto de 60* por easas de modas.
Alleracyes verificadas peb laucador Joaquim de,
GnsnMo ^nwbe-, .o tancamento do imposto de
50* sobre cftai de modas, da fregnezla da Boa-
Vista(MB0 atiHb dbrreat" de 1873 a" 1874.
I <4imb t> fmperai riz.
X. 19. Qemeatina *li*lw Mad.
Dnra 50*900^
hnposioMe loots,bre arte de paiz estr.MjfOm
AlteraodWItartidhiw ^ iin^mr Aj^**"^
Gasrrnd *Mli0.'te ln?.mietiW 'o impdsie H
10p*for &* vtwBNywttpa^lflJftWis ^
seleiro, da awreneria, on outra qaalquer arte
foiti era1 paiz estrangeiro, da qua| haja proddcto
similhaf aa^nHWMM. ditintwwuHkiBea- ______i!lr.7_
X. 24.
X. 50
valh-
X. 54. Manoel Ferreira de Qliveira
X. 70. -
V 59.
Figufchvi
n 6*. A t'Aav
Edital n. 106
Pela inspect Tia da alfaudega s i faz publico
qtftr"'ft3o Wndo silo arrematadas as mercadorias
abaixo'deHaMdas, annnnciadas a leilao por edi-
tal n 102. for talta de cjnenrrencia ao va.or
official, sfc transf^re a m^sma arrfreatacao para
>dia 19 do correote, api.rta i^ta 'reparticao.
Trapiche CoLeeieao.
Marca C M.SOsaccos com farello, vindos de
Liverp'nol rfa bam portugueza ,V vh Sgmp-lhii,
aeseartisifadns-'em l2de agosio irisadd, pesaudo
1,960 kilos, avaliados |.or 211*680.
Serri mhrcft? -'IJrna^grade conf-'-^lantas seccas,
viJ- *>'Prto R> bngne nortu^nez ft'ci'^'Mles-
carregada' e'm 29' de setembro passado, 'sem
valor -' c: -r h-v.-t.
Ai-'andega de Pernambuco, 16 de dezembro
de 1973''"'
0 inspector,
Fabio A. de CarvallM Reis
Li------U_____________
' 1871
1872 9*000
Additamento as decisoes de 1864 *500
Impenaes resoHgoes dto consellio de
estado da seccie oe lazonda, em 6 volu-
mes :
1. 7*000
2." 2*000
3." 2*600
4." 2*000
5. 2*000
6. 2*OoO
Imperiacs resolucoes sobre ncgocios
ecclesiastidos em tres, volumes :
1. 3*000
2. 3*000
- 3." 3*000
Manual do empregado de fazenda em
7 tomos :
1.- t mo 2*000
2.' 3*000
3. 2*300
4." 2*500
5." 3*000
6. 3^000
7." 3aOOO
Indice alphabetico 5*000
Regulamento do sello 1*000
Imposto de 20 % sobre estabelecimentos.
AItera?6es verificadas pelo lan^ador Joaquim de
Gusmao (^uel.io, no lancamento do imposto de
20 %. sobre divers .s estabelecimentos da fre
gue/ia da Boa-Vista, no anno eorreote de
1873 a 1874.
Rua da Imperatriz.
X. 10. Reis Pires & C.
X. 4. Manoel Moreira Ribeiro
N. 20. Figueiredo \ Iritnio.
N. .6. flraujo Lima 5t C.
X. 40. Jose Lopes Allieiro & C.
N. 54 Manoel Ferreira d'Oliveira
X. 68 Pinheiro it Chaves
X 70. Francisco Ferreira A C.
X 76. Silva & C.
X. 78. Manoel Joaquim Dias
N. 78 A. Goncalves da Silva & C.
N. I. Ann.urn da Silva izevedo
N. 7. Jaointlio Paehtco Ponte9
N. 9. Henriipie Vugely
X. 13. Uly.-ses & Irmao
X. 15. Os nusiiios
X. 33. Manoel Juse Texcira Fontes
X. 51 A. Medeiros Oliveira
X. 63 A. Mofaes & C.
I'raga do Conde d'Eu.
X. 6. Clorindo Ferreira Catao
\. i5 A. Mauoel da Cosla Texeira
Rua do Visconde de Pelotas.
X. 10. Joao Antonio dos Reis
X. 1. Jos* Raphael Batalha
X. 19. Antonio Fenmnd-s da Silva
Rua do Visconde d'AJbuqufrque.
N. 68. Jose Pereira Rapoao
Rua do Capibaribe.
X. 12. Manoel a>tos d'Abreu Lima
Bua da Ponte Velha.
N. 1'8. Jose da Oosta Ferreira
X. 1. Antonio Soares Botelho & C.
.X. 43. Joao I'ereira Pedrosa Lima.
Praga da Santa Cruz.
N. 2. Gama & Silva Brito
N. 4. Os me>mos
Rua da Aurora.
N. 83. Bemvenntu Buarque A C.
X. 113. Bego & Caineiro
Rua da Uniao.
N. 34. Domingos Alves Rodrigues
da Costa
N. 56. Antonio Jose Braga
Rua do General Ceara.
N. 31. Francisco Goucalws da Costa
Rua do Rosario.
10*000
10*000
10*000
10*000
Primeifa secc-ito do coniulado provincial, 10 de
dezembro de 1973
0 chefe,
^____________Edunrdo Augusto d'Oliveira.
0 Illin. Sr. inspector da thesonraria provin-
cial, era cumpiimenlo do aeto do Exm. Sr. com-
mendador presidenle da provincia, de 4 do mez
corrente, manda fazer publico que, na mesma
thesonraria, acha se aberta a inscrip^ao de apoli-
ces de divida provincial, ao par, fencendo o juro
de 7 por WQto ao aiTno, ate a importancia de mil
contos de reis.
Secretaria da thesouraria provincial dePernam-
bnco, em 13 de dezembro de 1873.
M Vicloriano J M. Palhares,
_____________OIBcial-maior interino.
A camara municipal desta cidado, tendo
de demolir o trapiche denominndo Pelou-
rinho e vendar a quem mais vantagens
offtfrecer, sob a base de 5000000 todos os
tnateriees do mesmo trapiche, convida pelo
presente aos pretendentes a comparecerem
no dia 17 do corrente, peias 12 horas do dia,
no paf;o das suas sessoes, correndo dita de-
molig4o par conta do arrematanlfc.
Paijn da camera nhuiioipal do Recife, 13
de dezemBro de 1873.
MutioflJ. do Itegoe Albuquerque,
Presidente.
Pedro de Albuquerque Autran,
Secretario.
juma marqueza de aiiarelft por 30*OfO, dez ca-
deiras de guaraicio com assenlo de palhinha por
20*000, duas ditas de braco por 6*000, uma mesa
redonda usada por 20*000, tres banquinhas de
amarello por 6*000, onze quadn.s com diversa?
estampas por 1,760, e uma morada do casa sob
n. 93, si la a rua do Maiquez do llerval outr'ora
Cottcordia, com 2 porus de frente, quatro metros
e meio'de vao,dezoito ditos de fundo, 2 salas tres
quartos, cosinba exterua, quintal murado, cacimba
meeira, em so|o forciro, avallada em 3:000*000,
ditos bens vSo a praga a reqaerimento do commen-
dador Manoel Alves Guerra, testamenteiro da fi-
nada Maria Antonia de Souza.
80*0 0
100 .000
120*000
96*000
lidiOOO
80*o00
66*600
1(0 000
804000
60*0 i
40*000
160*0.(o
120*00 i
140*000
96*000
160* 00
100*000
48*000
90*00.'
90*000
6000O
48*000
48*000
48*000
40*000
60*000
76*8 0
60*o00
60*000
80*000
60*000
160*000
40*600
80*000
80*000
0 Dr. Sebasliao do Rego Barros de Lacerda,
juizdfe direito especial do commercio nes-
ta cidade do Recife de Pernambuco, por
S. AI. olmperador, a quem Deus guarde,
etc.
Faco saber pelo presente, que nos tormos do
art. !. do decreti.n. 1695 de 15 de .setembro de
1869, denlro do prazo de30 dias, conlados da pu-
blic*; o deste edital recebera este juizo propostas
em cartas fechadas para arrematajao por venda
da parte do escravo deuome Jesuiu.0, ds c6r par-
da, por 200*000 dita parte, sendo o valor total do
mesmo escravo de 1:400*000. 0 qual 6 perten-
cenle a massa fallida de Manoel de Souza Carnei-
ro Pimpao, e se acha dito escravo em poder de
Manoel Joaquim Alves.
F. para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o prosento edital, que
serd affixado nos lugares do costume e pu-
blicado pelos jornaes.
Dado C passado nest? cidade do Recife de
Pernambuco, aos 13 dias do mez de dezem-
bro do 1873.
Bo, Al*noel Maria Rodrigues do Nasci-
inentu, nscrivnu o subscrevi
Sebastiao do Itego barros de Lacerda
Tendo-se de contratar o fornecimento
de capirh, farello, mel emilho para a cava-
lhada da companbia de cavallaria desta
provincia no primeiro semestre do anno
vindourO; convido aos Srs. que sequizerem
propor a fornecerem os generos acitha meO-
cionados, a ooniptfecerwn na aecretaria da
mesma companhia no dia 19 do corrente
mez, as 10 horas da manha, com suas pro-
postas fechadas; advertindo qae o capim
sera" pelo preco de cada kilogramme, e o
milho mel e farello de cada litro, -
Quartel no aaopo das Princezas, 17 de
dezembro de 1873.
.Jose Joaquim Coe"lho,
^____^_ Capitao commandante.
Sexia feira, |9 flo-c#reate, flnda a audien-
Cia do Dr. juiz da !. vara civet, ira a praca de
venda a casa do taiga no Cabo, avaliada em 90*,
y-" ^t.nr 4.. V*rt, da Pa,r,a
0 escnvao,
Barreto de Almeida.

\mm.
245000
Bua do Rosario.
N. 53. Jose Luiz Alves VillIa. 72*000
Rua de Gervazio Pires.
N. 135. Viriato Centeio L Travessa de Gervazio Pires.
N. 14. Domingos Gomes da Silvi 16*8:10
.. Rua do Barao de S Borja.
N- 13. Oliveira A C. 60* 00
Rua da Soledade.
N. 46 A. Joaquim Jos6 da Fonceca 48*000
Bua das Nymphas.
N. 4. Jose Moreira dn Souza 40*80
N. 22. Jose de Souza Poreira Brito 33*600
Travessa da Rua do Principe.
N. 7 A. Antonio Jose de Souza
Carvalho 33*600
Rua da Conquista.
N. 21. Joaquim Xisto Adames Ca-
valcante 24*000
N. 25. Jose Joaquim Goncalve9
Cascao 24*000
Rua de Luiz do Rego.
N. 20. Rcgpnaldo Francisco das
Chagas Xavier 28*800
N. 19. Joaquim Barbosa d'Oliveira 60*oO0
Kua do Viseonde de Goyanna.
N. 1. Silva Simdes A- C. 48*0 41
N. 72. Carvalho & Santos 38*401
N. 99. Antonio Goncalves & C. 48*000
E-trada de Joao de Sarros.
N. 28 A. Luiz Cabral de v.eflelros 48*000
Rua do Pavssandu.
N. 21. Jose Custodio Loureiro 60*000
Car-
100*000.

Edital n. 107.
Pela inspectoria ffa alfandega se Taz publico que
s it-UBWda manha do dia 22 do corrente se
ha de aWftmalap, Hvres de direffes,as portti'aes-
t repa1i*6, por setem%uil(ii* a. corropdio a
ruafcrftis jAiixo declarad*>,. appiHitaOraas no
WW'*l,tHW de nerveinbro Bndo etn^tn* ^anoa
coin *al;
Marea Letreiro. Um sacco com qoinze caixi-
ntiai>wra*#}'.>s seceoe.1' mmm'^omr tmwxH
*F Dna's- eaixas com 23 caixmhasde di-
trfMa, pesahito tiftiaj li.,01*. 9fc|#,< tibveMi k.-
pn*Ww, a*ali*do- por..2|f700
Idem Du is caix'as com'120'latas com massa de
tdmaW, pBiandd 38 kilos, avaliado por 1004686.
Marca Letreiro -Tres laus com ^1 kilos d*con-
m*WiMHm epeei(fc*dos) aviRMM pWi...
**" 0 inspector,
FaBfe*iy*W^fy Reis.
Jem do IUm. "St. Inspector, aa Uiei'ou-
*flda,deflari-se qae.aeham-^e i.uMfli paraserem I ndidiw Wb ^6
delete e *c-i<6e80 d<> $6MMo^K>mo
"'Jeriae* ri*ijac83 b .'ccteeiajilleosj manual dw eiapre-
Imposto de lOiOOO hobre cixa que vender keiosene.
Alteracoes verificadas |>elo b>ncador Joaquim de
Gusmao Coelho, no lauvamento do impos o de
10*000 sobre ca>a que vender kerosene a reta-
lho, da freguezia da Boa-Visla, no anno corrente
de 1873 a 1874.
Rua da Imperatriz.
N. 10. Reis Pires & C.
N. 5l A. Medei os 4 Oliveira
1 Rua do Viscudd'- de Pelotas.
X. 19. Antonio Fernande< da Silva
Rua do Viseonde d'Albuquerque.
X. 68. Jose Pereira Raposo
Rua da Ponte Velha.
N. 1. Antonio Soares Botelho A--C.
. Rua da Attrora:
X. 85. Bemvenuto Boarqne Riia da Uniaoi .
N. 54. Domingos Alves Rodrigues
da Cosla
N- 56. Antonio Jose Braga
Rua do Rosario.
N.|tl. Joaquim de Souza Paiva
Rua de GfrrziojPires.
135. Viriafe&fcekxLnpes Hit
Travessa de Gervazio Pires.
14. Domiagjis 'Gomes da tiaVa
- Rna do Leao Goreado.
2 Justino Gomes'd'Ahneida-'
Rua da Soledade.
46 A. Joaquim Jose da Ponceca
Rua das Nymphas.
4. Jose Moreira de Souza
22. Jose de Souza Psreira de
Brito
Rua da Ouiquista.
V. 3. Jose jWaqdlm Goftfalvei
Cascio
^rftari^ Rua do Visconde de Pelotas,
N. i. Jose^Raphael Batoi'
10*000
10*00'
10*000
10*0 0
10*000
10*0^0
10*000
10#
10*000
10*000
lOftOOQ
.;*!.!."
10*000
10^00
10/000
**#*,
SANTA CASA DA AIISERICORDIA DO
R1XIFK.
A Illma. junta administrate da santa casa da
isericordia do Recife, manda fazer publico que
ia sala de suas sessoes, no dia 11 de dezembro
peias 3 horas da tarde, tem de ser arreraatadas a
mem mais vantagens olferecer, pelo tempo de um
a tr s annos, as rendas dos predios em seguida
leclaradns.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Rua de Hortas
Loja do sobrado n. 41.....306*000
Rua da ViragJo
Casa teorea n. 7 (fechada) 312*000
Travessa de S. Jose.
Casaterreau.il.......201*000
X PATRIMONIO DOS ORP1IAOS.
^ Rua da Senzalla velha.
Cawterrea n. 16.......209*000
? Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
Rua da Cruz
Sobrado n. 14 (fechada) .... 1:000*090
Rua da Guia
Casa terrea n 25. ... 200*000
Ruo do Pilar.
Casa terrea n. 98.......241*000
Casa trreei tv. 99 Cfechada) .... 351*000
Idem n. 10t. .'......241*000
Idem n. 102........241*00
Idem n. 108.......207*000
Rua do Rosario da Boa Vista
Case terrea n. 58.......245*000
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (ferhado) 800*000
O's pretendentes devor irrematagacf as suas liancas, ou comparecerem
i'".o i panhados dos respectivos liadorcs, devendo
pagar alem da renda, o premio da quan'ia em
|ue for seguro o predio que contiver estabeleci-
nento commercial, assim- como o servlco da lim-
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
sife, 5 de novembro de i873.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Hospital Militar.
Precisa se contratar para as dietas dos doentes,
e raijoes dos empregados do mesmo hospital o tot:
necio ento d s generos abaixo declarados, durante
o trimestre de aneiro a margo de 1874 a saber :
Aletiia.
Araruta.
Arroz pilado.
Assu-ar relinado.
Batatas inglezas.
B> dachas.
Bolachas inglezas.
Bananas.
Biscnitos.
Came de vacca.
Ciirne secca.
Came de oorco.
Cha byson.
Cafe inoido..
Doce ae goiaba.
Pari'iha de mandioca.
i-eij'io m u la tin ho ou preto.
Galmhas.
Lenha, achas.
Laranjas.
Manteiga ingleza.
Manteiga franceza.
Marmellada.
Macarrao.
Paes de 114,76? grammas.
Paes de 125 grammas.
Sal.
Tapioca
Toucinno de Lisboa.
Vinagre de Lisboa.
Vioho do Porto.
Ovos.
-Todos esies generos devem ser da 1." qualidade,
a earne verde nao deve conter no peso que se
pedir mai> do quinto em ossos, e todos sao medi-
des e pesados pelo sysiema ultimomente adoptado.
As pessoas que quizerem fornecer os objectos
acima raencionadoa, apresentem na secretarm 10
mesmo hospital, no dia 19 do corrente mez, peias
10 horas da manha, snas propostas em cartas fe-
chadas. -
Hosnital militar de Pernambuco, 16 de dezembro
de 1873.
0 escrivao
Avelinr. Per"ira da Cunha.
^Western and Brasiliau Tele-
' graph Compauy Limited.
Telegramiuas para a Bahla
Rerebem 5' telegrammas para a Bahia a ta-
xa de um mil reis por palavra, ma9 have-
Pra algmoa detnora ha entrepi; Hlevido a ?er o es-
eriptorio temporarlo rw bstrra, e nao estar amda
r'Ompte^i a linHa ni'alW^para o centro da^el-
dade.
Em noucos dias, porem, estara essa linha com-
pleta, Cessando assfirf a catirt de tal demora.
Recife, *6 de dezetpbro to *873
:; Ar*i f Pearson.
No dia
,Extn,Sr'.
'5\&
ente mea Sadi a andienoa do
Maole erpba ~ qnmtr mais der ni
ftatapw 18*0007
luspecAo do aisennl de
iiiai'inlia
Esta inspecgao contrata, cm vista de propostas
recebidas no dia 20 do corrente met ate aa.ll ho-
ras da manha, a construccao era qualquer das offl-
cinas particalares desta cidade, qua melhores con-
dicoes offereca, de duas boias para balisamento do
porto e barra da provincia da Parabyba, tendo as
seguintes dimensoes : uma 2- e 4-1 de diaraetro,
1 e 7 de allura ; e a outra p e 83 de diametro
e2m 50 de altura j.ambas tendo haste com mesa,
podendo sena armacao para o sina e guarnicao
do espelho de 4,n. '
InspecgSo do arsenal de marinha de Pernambus
ee, 16 de dezeinbro de 1873.
0 secretario,
___________Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Brasilia,. Submarine Telegraph
Company, LiuiiJcd
Avisa-seao public que a abertura do cabo
telegrapbico desta companhia entre Lisboa e
Madeira, esta transferida ate ulterior notiii-
cae,ao.
Por ordem de Richard Collett,
Secrotario.
BBASILTAN SUBMARINE TELEGRAPH
COMPANY
778 Great Winchester Street
Buildings.
Novembro 10 de 1873.
Srs.Eu tenho de informar que em con-
sequencia de muito mio tomp i que torn im-
pedido a nbertura dn priineira sec^fio do
cano desta companhia entre Lisboa e Ma-
deira, os directores" tern achado melhor
acceitar a proposta dos contratadores para
demorar a expedigao da seguuda secy5o
para o mar ate o verao de 1874.
Os termos deste arranjo serJo, os direc-
tores corrsiderarem satisfHCtorias aos accio
nistaseddirecgao assim sao capacitados para
demorarem o pagamento da ultima chamada
que se vence cm 1." de Janeiro pro-
ximo.
Pe^O Iiccii5a portonto a nviaor, qiro pola
resolugao hoje passada, os directores tem
deferidoo pagamento da ultima chamada de
2? 1 por accfio, ate 31 de mar<;o de
1874.
Os directores antecipam que tanto a se-
gunda e terceiras secgoes do cabo serin em
abril proximo e o reparo da primeira secgao,
procedera ao mesmo tempo, assim que toda
a linha possa estar em ordem para trabalhar
atfi o estio do anno proximo.
Por ordem de Richard Collett,
Secretario.
= 0 ad ninistrador da reeebedoria de rendas
internas geraes faz sciente aos contribuintes da
decima addicional, quo e no correute mez de de-
zembro que tem de ser pago, se multa, o pri
meiro semestre do exercicio de 1873-74, e com a
multa de 6 0|0 depois do referido raez.
Reeebedoria de Pernambuco, 5 de dezembro de
1873.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
propostas na sail de suas sessoes, peias 3 hora?
da tarde do dia 18 do corrente.
Aletria, kilogramme
Aguardente. litro. ...
Azelte docft, idem.
Arroz do Maraniiaq, idem.
Bacalbio, kilogrammo.
Bani a oe porco, idem.
Batatas, idem
Cha hysson, idem.
Cate em grao, idem.
Csrne secca, idem
Cebolas, c-nto.
Parioha de mandioca da terra, litro
Feijao mnlatinho, idem.
Farello, sacco.
Fumo do Rio, kilogrammo.
Gaz, lata.
Milho, sacco.
Manteiga franceza, kilogrammo.
Polassa, Idem.
r.;ps, i^2.
Sabao, idem.
Tapioca, idem.
Toucinho, idem.
Velas de carnauba, kilogrammo.
Vinagre, litro ,
Vinlio tinto.de Lisboa, idem.
Vinho branco, idem.
Velas stearinas, kilogrammo.
Sal, litro.
A jnnta administrate da santa rasa da mise-
ricordia do Recife preciaa contratar o formcimen-.
to de pJo e bolacha que tem deonsuniir i-.ulos os
estabelecimentos pios a seu cargo, no trmic.-lre de
Janeiro a n.arco do proximo anno de 1874. Rece-
be propostas na sala de suas sessoes, peias j ho-
ras da tarde do dia 18 do coi rente.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, mpetenlemente autorisada
pela presidencia, em data de 3 de setembro dn
inno proximo Gndo, e de conformidade com o qut
lisp58 o 9.* art. 52 do seu com romisso. per-
nuta por apohces da divida publiea a fazenda de
criar gados que possue o patrimonio dos esta
belecimentos de caridade a seu cargo denomina
da Carnauba sita no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar e plantar, e
com algum gado cavallar e vaccuin.
Recebe para isto propostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re
;ife, 10 de outubro de 1873.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza
0 alministrador da reeebedoria de r*n
das internas geral faz publico que, em virtu-
de da disposicSodo art. 12 eda uitima parte
do art. 22 da lei do on;amento vigenie n.
2,348 de 25 de agosto ultimo, a multa Oe
que trata o art. 3 da lei n. 1,507 de 26 de
setembro de 1867, quo 6 de 6 % a tao sujeitos os seguintes impostos, a saber:
decima addicional, impusto pes^oal, dito
sobre industrias e proiissOes e taxa de es-
cravos, sera* elevada a 10 /0. do dia 21 do
corrente em diante, pelo que previne a to
dos os contribuintes do* referidos impostos,
relativos ao exercicio de 1872 a 1873, em
liquidacao, que sdmente ate ao dia 20 des-
te mez e que podem e devem realis r o pa
gamento ou em mSo dos cobradores ou nes
ta reeebedoria, eertos de qoe se nac fizerem
ate ao-referiao dia 20, serio obrigados a
pagar judiciahnente os supraditos impostos
com a multa de 1> /.
Reeebedoria de Pernambuco, 1 de dezem-
bro de 1873.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
No dia tO do corrente mez. depois da audiencia
do Sr. Dr. juiz direito substitute da segunda vara,
tem de ir em prai.a uma casa terrea meia-agna
n. 210, na rua Vital de N'egreiros, com duas por-
tas na tn-nte, 20 palmos de largura e 30 ditos
de fund.-, repartida por taboas, em raao. estado,
cliao foreiro e avaliada por 700*.
Outra diu de n. 229, na rua do Coronel Suas-
suna, a qua1 faz rood<> para a casa acima; com
duas porta* de frent*, 22-palmos de largura e 30
de fundo, tambero repartida por taboas e em rhao
foreiro, avaliada por 600*. as radas a k>ao Rodrigues Lima a sua oailberpor (
execurao que contra osmesmos encaminha Fran- *
cisco Beln GoncalT-., Escnyao o Sr. Baptist*. *
SANTA CASA DAMISF.RICORDIA DO
RECIFE.
A jnnta adminirtfwa lit s->nta casa da mise-
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to dos generos abaixo declarados, qae ten de con-
surair os estabeieeiiueulos p*M a-roa-argo,- ex-
eeptiiando o hospiul Pa4rQjl*> *o4fiamlfi) de ja-
raeiro a tnarco do preaaos anao dei*74. Recebe
A junta administrativa da sania rasa da miseri-
cordia do Recife precisa contralar o fornecimento
de assucar reflnaao que tem de consumir todos os
estabelecimentos pios a seu carg.i, no trimeslre de
Janeiro a marco do proximo auno de 1874. Rece-
be propostas na sala de suas sessoes, peias 3 horas
da tarde do dia 18 do corrente.
. A junta administrativa da sania casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar o fornecimento
de came verde que tem de consumir todos os es-
tabelecimentos pios a seu cargo, no trimestre de
Janeiro a marco -do proximo anno de.1374. Re-
cebe propostas na sala de suas sessoes, peias ,"
horas da tarde do dia 18 do corrente.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 10 de dezembro de 1873.
0 escrivao
_____________Pedro Rodrigues de Souza
Western and Brazilian Tele-
graph Company Limited.
0 vapor Hooper, agora ancorado" neste
porto, vai immergir a segunda secr;ao do
cabo que ha do ligr Pernambuco A Bahia e.
Rio de Janeiro, e espera-se quo a eommu-
nicaijao por toda a ettensao do cabo, desde
o Rio de Janeiro ao Para" sera aberta ao
publico no proximo mez de Janeiro.
As taxas pelos telegrammas expedidos de
Pernambuco serao as seguintes ;
Para o Para"...... ... 135000 cada palavra
a Bahia .... 1S000
0 Rio de Janeiro. lpoOO
Os nomes e o endere<;o dos destinatarios
e remettentes serao incluidos no numero das
palavras a pagar.
Telegrammas para lugares dentro do pe-
rimetro d'um kilometro da es!ac/io tele-
graphica serao entiegucs livres de despezas,
mas os que exeederom pagarao 500 rs. por
cada kilometro 011 fraccao.
Quando qualquer telegramma forentregue
por meio-> aspaciaea, u despeza feita corrcr^
por conta do recebedor,
A sonima de 200 rs. serd cobrada paro
portes do correio nos telegrammas dcstinu-
dos aos purtos do Brasil e a de 500 rs. ua-
(JUISltOa ilcatinodoo 00 KCtranqairo.
0 rnmet.ente do telegramma tem a esco-
Iha de pagar a resposta que desejar seja
dada pilo seu corro-pondeiite, se esie quizer
que a resposla s6 c'lhsfe de 10 palavras, as
palavras (resposta paga) serao iaseridds no
telegramma e cobradas, mas se elle dusejar
que conste demaior ou inenornumero. enlao
0 numero de palavras sera declarado om se-
goida is pal vras resposta paga, porexem-
dlo : resposta paga. quatro p.ilavras e estas
serao igual.rente cobradas; so 0 remetteute
para maior seguranca quizer queo seu tele-
gramma seja repetido o podera" faze-, pagan-
do a metaled custo do mesmo.
Estao leitos accordos em virtudo dos quaes
podem expeilir-se telegrammas para todas as
paries do mundo: 1I0 Para* pelo vapor ame-
ricano que. sane daquelle porto para S. Tho-
rn az a 5 de cada mez e dalli serao telegra-
phados ao seu deslino, os precos para taes
telegrammas que agora podem ser pagos
adiantados ale ao seu destino, podem ser ub-
lidos, proi-.urando-se nas respectivas estacoes
lelegraphiuas.
Por accordo feito entre duas companhias,
a linha da Platiuo Brasileira Telegraph
Company'sera trabalhada por esta empreza, e
no complemento das linbas, 0 que se espera
dentro em poucos mezes liaverd communi-
cacao telegraphica directaentra as principaes
cidades do Brasil, Montevideo, Buenus Ayres
e costa do Pacifico.
Pernambuco, 6 de dezembro de 1873.
Roberto M. Hyde,
Gerente do trafego.
Arrematacao.
Por despacho do Exm. sr desembargador juiz
privaiivo de orphaos tera lugar sexta-feiia, 19 do
cor ente, depois do sua audiencia, ao new dia, c
perante elle no 1 andar do sobrado n. 40 da rua
da Imperatriz, a requerimentodo inveniariante djs
liens do linado Leopoldo Ferreira Martins Ribeiro,
a arrematacao por venda das juias, ouro, prata,
moveis e louca, co^tando as obras de ouro joias
em pulceiras de ouro com hrilhantes, de ruinns e
pen-las, e de ouro de diversos gostos, de annel de
brdhaote, de esmeralda, de brilhante e esmeralda.
e de ouro, de uma volla de ouro com cassoleta,
c-rrenlao, trancelins, carteia para relogii.,ad"recos
de mosaico, de camaphcu, de coral, paces de brin-
eos ie diversos goslog, botons para abertura e pu-
nhos, relogio ; as de prata em sete saivag. >eis 011-
iras pequenas para garrafas, diversos pares decas-
ticaes, cafct.'ira, pahtrir s, a-sueareir>. enpos de
prata, bandeja com thesoura para espaviiar velas.
escrivauinha, nuraca, colberes para lirar arroz.
conchas para repartir soupa. trinta e seis clheres
para soupa, trinta e cinci para cha, conch. 1" para
lirar assucar, disticos para garrafas, campamnha ;
constando os moveis em um santuario de jacaran-
da com diversas iniagciis 1 rnadas de ouro, nina se-
cretaria de madeira preta, cadi-iras de ja-aranda,
cad>-irasde amarel o, quartinheira. marqu z-10, pa-
deiras de balance, lavatxrio de amarello eom peUra.
cama para casal, de jacaranda, mardueaa de ama-
rello, cadtiras de palha, nm relsgio de pedra para
cima de mesa ; coustando a lou^a em-aparelho de
porcelana para jantar, frurteiras de ciUtal parx
queijo, copos, calices para vinho e champagne, de
cristal. garrafas para vinho, compoteiras galhe-
teira para mesa, um apparelho de louca de porce-
lana para ciia, vase para aqaecer leita, um appare-
jho de vldro fin compieto e de cor verde para toi-
lette, outio da loufa, u.wbem para toilette, manga>
de vidro, jarros grandes e pequenos, uascos, Cgu-
ras; lodos estes bens se acham de.-crirainados com
os sen* respectivos precos do escripi^ existence
em raao do porteiro do jniio Franci>f
A'metda.
Afrri$Ki it Mtoda
0 arretMUnie daaferiraQ^jwioicipio do Olin-
da scienlifica ana S.. emoinercianlea da mesmo
mnniqipie, e aque'Jies qbp vendem llqoidos em an-
coras^.assim ^mA jateadaa, miwkws, feijao,
Wlbo a ,ouj.ros eaco*Tque, seiaia nece>sarw pa-
. qua da confennidad,-
'.paea w instrucc5H~
do aimi8trio do flommercia e aHiewiu-
J
.
J
\




Diario de Pemambuco Quarta feira 17 de Dezembro de 1873.
ra, nao sera mais toJerado fazer afericoes depois do I
tempo marcado, o qual flnalisar se-ha cm o alii-
"n rrente mez.
flliodaViOdede.emDroag^. ^
fcraheisco Pedro Avincolg.
de9ia prd-
Soberano
Cite
feccbe carga a fre*
_ Pela adin.nistrac.ao dos correios
vincia so faz publico que esta marcado o prazo dc
COd a a contar da presenle data, para o concur
so dis lugares de praticantes. que teta lugar na
mesma para provimento de dua9 vga9.
Os candidate deverio anresentar ccrtidao de
haptismo cm que pravem nao ter menos dc 18
aouos de idade, nom mais de 30, e attestados da
auloridade do lugar cm que residirem, de sua
conducla civil e moral, c medieo.de boa saude.
O concurso conslara do exercieios de caligra-
phiae orthographia, arithmetica, cumprehcnden-
do o'uso do systema metrico e nocdes geraes de
geographia, de conformidade com o art 38 regalamento dos correios de 12 de abril de 1865.
O conhecimento das linguas e-trangeiras dara
direito a prefereocia.
Correio de Pernambuco, 13 de dezembro de
1873.
0 aduinistrador
_______________Alfonso do Rego Barros.
Por esta repartic-ao se declara, de ord> do
lllm. Sr. Dr. chefe de|policia, para conhecimt'.:. de
todos, que nenhum boleeiro dos carros de cou- ;c-
;ao de cadaveres para o ceiniterio publico, poJ
ra fazer tal servico sem que teuba a competent.
gnia da camara municipal.
0 seeretario,
Eduardo de Barros Palcao de Lacerda.
IViSOS MARitlMOS.
W n^o^^lratar^ora Amorim '
para o refendo porto a <"<" v
maos it f., .,__
i-
LEILOES.
DE
uin variado sortimeoto dc chapeos do Chile,
mosso, castor, pallia, quer para iiom'.-us,
quer para senuoras o mcniiifs
**- E
A's tOt|9 laoras.
No prirneiro andar do sobrado da rua do
Marquoz do Recife n. 55.
0 agenle Pinto fara leilao, por conta e risco_ de
quern pertencer, de diflerentes qualidades de cha-
Sfeos para hamens e senhoras, no prirneiro andar
o sobrado da rua da Cadeia n. 55, por cima do
armazem dos Srs. Alcoforado, Vieira & C______
LEILAO
DE
4BERTURA!!!
5 GRANDE EXFOSIOiO!
FIGURAS DE CERA
AS UfllfiAS ADMITTIDAS
M (ilUNI)E EXPOSICAO
, \ra\4 b-xcstria .
Na qurta-ftjra is 7 horas da noito
rua da Iniperalriz
N.49

a
0 agenle
tompanhia Franceza de \a\ega-
<$ a \apor
Lirika memsal entire o
Havre, Lisboa, Pernmnburo, Rio de
Janeiro, (Santos, soinente na vol-
ts ) Montevideo, BuenosAyres,
(com baldeacao para oRosario).
STEAMER
\ILL& WE, SANTOS
Commaiitlaute I,el>vre.
E' esperado da Enropa, ate 12 do corrente, se-
guindo depois da indispensavel demora para os
nortos do sul de sua escala.
Relativamente a fretes, encommendas, passagei-
ros, para os quaes tern excellente* acommodacoes
por precos reduzidos : trata-se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
42Rua do CommercioEntrada pela rua
do Torres.
novels e louca
HOJE
Martins fara leilao de diversas mobi-
ias de'jacaranda, de faia ede amarello, marque-
zOes, raarquezas, camas francezas, novas e usa-
das, cadeiras avulsas de diversas qualidades, re-
logios, e muitos outros objectos que serao vendi-
dos ao correr do martello.
No armazem da rua do Imperador n. 48, as 11
horas do dia.______________________
LEILAO
DA
arma^ao, generos e mais pertencas da ta
verna da rua da Penha n. 6
Quinta-feira 18 do corrente
0 agente Martins fara leilao, por conta e risco
de quem pcFtencer, d'artnac,io, generos e mais
pertencas da taverna acima, em um ou mais lotes,
conforme convier aos compradores, cuja taverna
se acba muito bem localisada e propria para
qualquer principiante, por ter poucos fundos.
A's 11 boras do dia, na mesmaitaverna._______
Lisboa e Porto
Sague viagem muito breve a galera portugueza
Ltsboa, por ja se achar com quasi todo o ceu car-
regamento tratado* Para a pouca cargc que lbe
falta e passageiros, aos quaes offerece muito bora
commodo : trata-se com Tito Livio Soares, rua
do Vigario n. 17._________________________
LISBOA
Para o relerido porto pretende seguir com a pos-
sivel brevidade o brigue portuguez D. Anna, nor
ter ja alguma carga engajada ; e para a que the
4I1.1, -^'ic i'.hU a ficw uouiuiOOu, iraia-^e com
>s consignatarios Joaqnim Jose Gonealves Bcltrao
A Filho, a rua do Commercio n. 5.____________
Para Lisboa.
Seguira em poucos dias a barca portugueza
Gratiduo. Para alguma pouca carga que lhe falta,
trata . mercio n. 4S. ________
0 empresario desta importante collecjao de figuras de
cera, promette satisfazer cabal-
mente espectativa
do respeita-
vel pu-
blico.
Rua da Imperatriz n. 49
Quarlafeira as 7horas danoite.
iA>lVY.S
1OT1IA
Com as (alsificagoes que tern apparccido
csa
0
Aracaty
com escalas por Macao sahe nestes dias o novo e
superior palhabite uacional Le pitao e pratico Manoel Caetaco da Costa tem
parte de tea caregamento prompto ; para o resto
trata se com o consignatario Antonio Alberto de
Souza Aguiar, a rua do Amorim n. 60, ou com o
capitao a bordo do mesmo palhabote fundeado
confronte ao trapiche da companhia._____^^^
Para o Rio Grande do Sul.
Sahira muito breve a barca nacional Deolinda.
Recebe ainda alguma pouca carga, para o que
trata-se com E. R. Rabello & C, a rua do Com-
mercio n. 48.
PACIFIC STEAM
PUNK
Liinha qninzenal
0 PAQUETE
ACONCAGUA
esperase aqni dos portos do sul ate o dia 19 ie de-
zembro, e depois da demora do costume, seguira
para Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde
recebera passageiros, encommendas ecarga a frete
OS AGENTES
Wilson Rone A C.
14RUA DO COMMERCIO14
Risco maritimo
I. Wulft capitao do brigue allemao Collmar, vin
do fretado do Rio de Janeiro, em lastro, para car-
regar em um porto entre Maceio e Ceara, e depois
seguir para Falmouth a ordem, e entrado neste
porto com agua aberta, precisa, para occorrer as
despezas do concerto d mesmo navio, a risco ma-
ritimo, a quantia de 6:0 OS pouco mais ou menos,
sobre o casco e frete do dito navio. Offertas em
cartas fechadas ser5o recebidas no consulado do
imperio germanico (onde a carla do fretamento
j)6de ser examinada), pelos interessados ate o
meio dia, do dia 19 do corrente mez de dezembro.
PARA ~
Pretende seguir com brevidade para o Para, o
hiale Olinda, por ler parte de sua carga, e para
a que lhe falta, trata-se com os consignatarios Joa-
quim Jose1 Gonealves Beltrao & Filho, a rua do
Commercio n. 5.
Grande e sortida feira
DE
objectos de ouro, prata e bri
lhaiite, muitos trastes
avulsos, louqa, vidros e
crystaes, e immensos ob-
jectos douso domestico
Pechinchas para a fesla
ao correr do martello
Quinta-feira 18 do corrente
as 11 horas da manha
No armazem da
FEIRA SEMANAL
10Rua di> Imperador16
pelo agente Martins.
CASA DA F0RT1IA.
AOS 4:000^000.
BILHETES GARANTID0S.
1' rua Prirneiro de MarQO (outr'ora rua dv
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garanUdof
la 8' parte das loterias a beneficio da lgreja da
Santa Cruz (80), que se extrahira na terca- feira
23 do corrente mez.
PRECOS
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
EM PORflO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio. bilhete 1*750
Manoel Martins FHuza.
Griado
Preci-se de um de It a 14 annos de idade, para
eompras e mais servico domestico de uma casa
[ de pouca familia, prefenndo-se escravo : a tratar
I na travessa do Vigario a I, escriptorio, das 9 as 3
horas da tarde.
Tribiito de gratidao.
0 abaixo assignado tem a satisfa^ao de parti-
cipar aos senhores pais da familia, que achando-se
penhorado pelas maneiras delicadas e attenciosas,
e bem assim ao leccionamento primario, que du-
rante seis annos administrou a seu Qlho Joao,
com zelo e dedicacao, e tendo o mesmo feito exa
Casa.
Aluga^se uma excellente casa terrea, sita a rua
de S. Joao, defronte do gazometro com seis quar-
tos, cosinha fora e grande quintal: a tratar a rua
de Pedre ArTonso n. 8.
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SINGEB
Porque?
Perdido
Perdeu-se uma cambadinha de chaves, sendo 4
chaves em uma argolinha : quem a tiver achado,
faca o favor de leva-la a rua Prirneiro de Marro
n II, que se gratificara.
G abaixo assignado tem justo e contraudo
vender ao Sr. Oliveira Junior o seu estabeleci-
mento de molhados, sito em Frecheiras, por tanto
faz disto sciente a todos os sens credores, afim
de em tempo algum allegarem ignorancia.
Frecheiras, 16 de dezembro de 1874.
Jose Gomos da Silva.
nTjU iTdTSr^^ queperanteosexa- ^gfiSF RjflLffL'SSaSSS S
minadores teve a sorte de ser approvado com d.s- nartnD,ompi!'L, t 'S ? t' Utr
LEILAO
DE
um bom carro americano de 4 rodas e uma por-
jao de livros novos de direito
i^u nta-feira; 18 do corrente
1 *i Rua do Imperador16.
LEILAO
u
Sc\ta feirn 19 do corrente
No patei-do Terqo a. 38, as
horas do ilia
De uma excellente macbina nova, a vapor,
que trabalha com o calor de uma luz de
gaz carbonico, forca de 2 cavallos, pro-
pria para qualquer estabelecimento.
O agente Martins fara leilao, por conta e risco
de quem pertencer, de uma excellente raachina a
vapor, nova, de forga de 2 cavallos, propria para
typographies e lytographias, ou outros estabeleci-
mentes.
No patoo do Terco, casa n. 38, as 11 horas do
dia acima.

Lisboa
Para o referido porto pretende seguir com pouca
demora o brigue portugaez Ligeiro III, de 1"
classe, capitao Nobre, por ter a maior parte de
seu carregamento engajado, o para o resto que lhe
falta trata-se com os consignatarios Joaquim Jose
Gonealves Beltrao & Filho, a rua do Commercio
a. 5.___________________________________
Rio Grande do Sul
-Para o R'o Grando do Sul pretende seguir com
brevidade o patach portuguez Jovm Correa, por
ter alguma carga; e para a qne lhe folia trata-se
com os consignatarios Joau,uim Jn.-e Gongalves
Beltrao, a rua do Commercio n. 5.____________
Rio Grande do Sul
Para aquelle porto recebe o pat;:cho nacionai
Le^poldina carga a fret' >eguir viagem
em poucs dias : pan >>io de
, a rua 'i" Marquez do Olinda n.
W, andar.
DE
I'm piano forte, I mobilia de jacaranda com 1
sofa, 1 jardineira, i eonsolos com pedras, 4 ca-
deiras de bracos o 18 de guarnicao (perfeitas) 2
grandes espelhos dourados, quadros com flnas
gravura=, jarro3 e vasos Dnos para tlores, can-
dieiros a gaz, casticaes e manga?,' escarradeiras,
tapetes e 1 relogio de mesa
Uma mobilia de faia, 1 piano de mesa, 2 porta-
joias, 2 tinteiros, frucleiras de madeira, figuras,
cadeiras de balancp, 1 sofa de mogno e 1 lavato-
rio com marmore.
Um selim, 1 machina de costura, dita de limpar
facas, dita de ferver agua, um lindo presepio, 1
eaiola de arame, fingindo um palacete, umalinda
caixa decharao, cm tenlos para voltarete, 1 me-
sa de jogo, qdaninhas, 1. relogio de parede, cadei-
ras, espreguicadeiras e 2 columnas para jarros.
Uma mobilia de amarello, 1 cama franceza, ca-
bides, commodas, I guarda-vestidos, 2 lavatorios,
tapetes e cabides torneados.
Uma mesa de jantar, I aparador, quartinheiras,
louca para cha e jantar, copos, calices, garrafas,
corapoteiras, machinas de "limpar facas, potes.
Flandres, e trem de cozinha
Nexta-ieiru 19 do eorrente.
POR INTERVENCAO DO AGENTE.PINTO
No armazem da rua do Bom Jesus n. 20
EM TEMPO
0 leilao principiara as 10 ij2 horas ora ponto,
e a entrega ie >:ffe:tuara nas 2i horas, precisas.
Grande e variado
LEILAO
DE
mobilias, pianos, bons moveis, ricos espe-
lhos, quadros, finos jarros, louca, vidros,
e obras de prata do Porto
SEXTA-FEIRA 19 DO CORRENTE
Por in(men$&o d ugente Pinto
No armazefii do sobrado da rua do Bom Jesus
n. 20.
O l.ila puiMMpiara as 10 l|2
liors.
IVJ-50S lv


4
Alug:' se metade de uma ;asa de familia
mulher e or, !o, ero filbos, s6 a casal : a rua do
cae da D-u- :"'> n. 11.
tincao, e este o titulo mais honroso que se pode
tecer a tao digno cavalheiro, pela pericia que
sempre emprega a favor daquelles que tem a'sorte
e lelicidade de serein seus alumnos, portanto como
parte interessada, que sou, tambem me obriga a
vir a imprensa patentear e dar aos Illms. Srs. i
examinadores, Faria Junior, presidente, Goneal-
ves Reis e Cunha Salles, adjuntos, os meus sin-
ceros agi adecimentos, e ao Sr. Albuquerque Mel-
lo. alem da gloria que teve, o meu ja eterno re-
conhecimento.
Recife, 14 de dezembro de t873.
M. J. Pereira.
Quem pergunta ignora.
0 conselho director da Sociedade Monte-Pio
Santa Cruz, em visu do art. 5." do cap. 6. dps
estatutos dessa s ciedade approvados por provisao
Oa presldencia em data de 9 de novembro de. 1*71,
pode eliminar sens associados, a nao estareif^n-
cur Parece que nao, visto que o g 2.' do art. Iflfeap.
3.* diz : ao conselho director compete, admittir e
eliminar socios de conformidade com as disposi-
coes destes estatutos, e uma vez que os estatutos
e uma lei, e esses que so poderao ser reforma-
dos 3 annos depois de sua approvacao, confoi me
dispSe o art. 46 do cap. 8.*, nenhuma outra deve
vigorar. E se pode, o conselho que responda. 0
II do art. 11 cap. 3/ diz: Tomai qualquer me-
dida tendente a consecucao dos tins da associacao;
se se valerem deste paragrapho, declarem qual o
prejuizo para com a sociedade causados pelus so-
cios que estao privados dos gozos della.
A espada de fogo. ____
CASA DO (MO
Aos 4:000-000
Bilhetes garantidos
;ua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de 700/ em um
bilhete inteiro de n. 3774, a sorte de 200/ em um
meio de n. 423, e a sorte 100/ em bilhete inteiro
den. 1119, e um meio de n. 3377 com a sorte de
100/, alem de outras sortes menores de 40/000
e 20/000 da loteria que se acabou de exlrahir
(79'j ; convida aos possuidores a virem receber,
que promptamente serai pagos na forma do cos-
tume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeit*
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer [ remio, como prova pelos mesmc s
annuncios.
Acham-se a venda os muito felkes bilhetes ga-
"antidos da 8 parte da loteria a beneficio da
igreja da Sonta Cruz, que se extrahira no dia 23
do corrente mez.
Precos
inteiro 4/000
Meio 2/000
U)e 100&000 para clmu.
Inteiro 3/500
Meio 1/750
Recife, 16 de dezembro de 1873.
Joao Joaquim da Costa Leite.
ra dos Ferreiros n. 24, paga-se bem.
Criada
Precisase de uma livre ou escrava, que saiba
comprar e cosinhar para casa de familia de duas
pessoas, preferindose escrava, paga-se muitojbem:
a tratar na rua do Barao da Victoria n. 48 A,
loja.
CO
M
ma-
Nenhuraa
china Singer elegi-
3 tima se nao levar
C3
o
esta marca fixa no
brago da machina.
WWW
Para evitar falsi
ficacoes notem-se
bem todos osdeta-
marca.
VO
I
a
6
! A dinheiro e a prazo j
k. contento das Exmas. familias
Hill
Alnga-se o segundo andar do sobrado da
rua de Hortas n. 48, com sotao muito fresco e 5
qnartos : trata-se no prirneiro andar.
Precisa-se d 1:000/ a 1:500/, dando-se by-
potheca em uma casa terrea : quem poder e qui-
zer, deixe nesta typographia era carta fechada
com as iniciaes C. J. VI. -,
Padaria.
Aluga-se a da rua dos Pescadores ns. 1 e 3 :
a tratar com Ta*so Irmaos, rua do Amorim n. 37.
Atteneao
0 Sr. Franci-co Agostinho Madeira, e rogado a
vir a rua do Duque de Caxias n. 60 A.
Atteneao.
0 Sr. Candido G. R. Lima, faca 6 favor vir a rua
do Duque de Caxias n. 60 A.
f
I
m Gonsultorio juedico-cirurgico ft
A. B. da Silva Maia. A
Rua do Visconde de Albuquerque n.
outr'ora rua da matriz da Boa-Vista
n. H.
Chamados : a quaiquer hora.
Consultas : Aos pobres gratis, das 2 as
4 horas da tarde.
I
QO^QDiXXS
Escravo fugido.
Do engenho Jose da Costa, freguezia de Agua-
Preta, fugio um escravo pertencente ao abaixo as-
signado, com os signaes seguintes : Cesario, cabra,
cabellos earapinhados, porem alto, quasi caxiado,
tem um lobinho do lado esquerdo da testa acima
do olbo, sobrancelhas espessas, vista espantada,
nariz grosso, bocca grande. falta de dentes do lado
de cima, cara cbupada, tem os peitos um tanto ca-
lielludos, varias marcas de carbunculos nas per-
nas, apressado, quer titubiar quando falla-se com elle :
ecarieiro, cambiteiro e purgador. Esteve no en-
genho Diamante, de Ipojuca, trabalhando cemo
forro com o nome do Manoel Joaquim, donde eva-
dira-se logo que foi conbecido : roga-se as autori-
dades policiaes e as pessoas, que delle souberem
(segundo os signaes indicados) a captura, e fazer
entrega na praca aos Srs. Cunha Irmaos & C, ou
no dito engenho ao seu senbor, que sara pago com
generosidade.
Felix de Valosis e Oliveira.
Ausentou-se desde o dio !. de dezembro de
1873, da propriedade Besouro, freguezia de S.
Lourenco da Matta, o escravo Daniel, de 14 an-
nos de idade, cor preta, estatura baixa e olhos
grandes ; levando calca e camisa branca da algo-
dao : roga-se, portanto, a quem delle souber, ou
apprehende lo leva-lo a dita propriedade, ou nes-
ta cidade a rua do General Ceara n. 20, outr'ora
rua do Jasmim, que sera bem recompensado.
Acreditarao vendo
Retalha-se um vasto e bello terreno a
margem do rio, nos fundos da povoacSo de
Beberibe, ainda nao visto pela maior parte
da popula^ao, por ter sido ha pouco derru-
bado os mattos que cobriam dito terreno, o
qual consta de uma grande planicie, pro-
pria para edificagao, e distancia de 3 minu-
tos ^a ultima esta^So da via ferrea, achan-
do-se ja dividido em ruas, com approvacao
da camara de Olinda.
Quem pretender p6de ir ver que sem du-
vida ficara" agradado, e entender-se" com o
Sr. Jose' Honorato Medeiros (Zuraba), en-
carregodo, ou cT>m o proprietorio, junto
ponte da dita pbvoaQao.___________________
Escravo fugido
Desappareceu (hoje) da casa do abaixo assig-
nado, o escravo Jose, de cor acaboelada, estatura
regular, cabellos cortados, barba raspada e meio
cambi-ta ; levou ronia de riscadn de algodao e
preta rio luto. Roga-se as autoridades, ou a qual-
quer pessoa, a sna captura ; e devem trazer ou
mandar aviso na rua de D. Maria Cesar, outr'ora
Senzalla Nova n. 30, ou no sitio no lugar do Bar-
halho, freguezia do Pdco da Panella que serSo
gralificados.
Recife, 16 de dezembro de 1873.
Domingo* Jose da Cunha Cages.
Aos Srs. advogados.
Mediante algumas bemfeitorias, aluga-se uma
grande sda e dous quartos, tudo fun ado de pa-
pel e com asseio, propria para escriptorio : na raa
do lmi>rrador n. 81, prirneiro andar : a tratar no
armtwin do mesmo sobrado.
Sao as mais baratas
S2o de dous pospontos
Sao mais -imples e rapidas
9So duradouras
MACHINA DE SINGER
DODS POSPONTOS
Abainham
Franzem
Pregam tranca
Ma ream pregas
Bordam de linha de seda
Alcolchoam
E pregam cordaos.
UNICA AGENLIA
EM
A CASA AMERICA
45 RUA 1)0 IMPERADOR
A
4>
. 4 a a
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
I'recisa-se de uma ama para cozi-
nhar para rapaz solteiro : na ma do
Urespo n. 20._________________
Ama
AM
A Precisa-se de uma boa cozi-
nheira, escrava ou forra, paga-
se bem : na rua do Imperador
n. 17.
AMA
Precisa-se de uma ama que
saiba perfeitamente coziahar : a
rua do Queimado n. 92, loja.
AMA
. Precisa-se de uma ama para
cozinhar : a tratar a rua do Im-
perador n. 14.__________^^
Ama de leitc
Precisa-so de uma ama de leite e paga-se bem :
a tratar na rua do Queimado, loja da Boa Fama,
du na rua do Crespo, loja da Passo, junto ao arco
e Santo Antonio
AMA
Precisa-se de uma ama para
cozinhar; com muita urgencia:
a tratar na rna Bella n. 39. Pa-
ga-se bem. _____
S3 Precisa-se alngar nma ama boa cozinheira,
forra ou escrava : a.tratar na rua da Imperatriz
sa n. 16, 2 andar. ____
Offereee-ae nm moco para feitor on admini?-
irador de engenho, com bastant'' nrattca
sua ptolisssao : quem precisar a unuueie.
por ser
Querendo definitivametito liquidar Mte nogocio, vonde todos. os que tem, novos
usados, pelo preco do custo de tactura.
Tambem acaba de receber o seguinte :
OLEADOS inglezes para assojllio de salas, da muitos lindos desenhos de 11 a 33 pa!;j:09
do largura e 100 de comprido, podendo forrar-se umasara por grande >jue
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos do salas.
ANNE1S electricos para ourar dores de oabe^a. nevralgias c nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sola.
GRAMPOS para segurar roupa estenlida nas cor.liis, a 200 rs. a dtizia.
TALAGARCA e papel picado para bordar co.n la ou suda.
VERDADE1RA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos. p pr muito haratn prf<;n.
FABRICAeLAB0RATORI0,.V,CITE OES FLEURS.bATlGNQLLES-PARIS
VINHOo.BGRDEAUXQUINADOoeCHEVRlER
De ama riquera incompamel em principios activos, lonico, fortifirante: emprega-se nas febrei rebeldes, w
eonTalescenciai tardias, du diarrheas chroDieas e em todo* oa casos a'atooia.
VINHODEMALAGA 0UINADODtCHEVRIER
Possne as mesmas propriedade* do one o anterior, mas emprega-sa com preferencia para as swlhere*, *
triancas e as pessoas cojo estomago e debilitado.
VINHCtOUINAFERRUGINOSaXHEVRIER
One renne os dous agente* mais poderosos da therapentica, soberano na chlorose, na *n*J,'* ''"^orrhea,
pysmenorrhea, nos meninos dnrante sen crescimento e na* jonzellas no momento da pnberdade.
VINHO.PEPSINAeDIASTASE.CHEVRIER
0 digestiTo maia heroico que se conhece, favoreee a aMiailaeio ratubeleee ingtantaaeamente a* funccSe*
do apparato digestivo.
VINHOaoPHOSPHATO de CAL oeCHEVRIER
k
Ifa titica palmooar, fecha as chi
du pessoas exbaastas pelas Titilias e
aa do pulmSo attacado, cura as alporcaa, o raauilismo restabeleee a saado
eaos. wotavei* suecessos obtvdos nos hospitaes.
ilos exceaaos.
YINHO DEPURATIYO DO 0^ CALVO, S0BR1NH0 E
OrSClPULO 00 CELEBAE PROFESSOR RICORD
EpeciftcoiBdipeii*avelparaa*sKUiai cr adical de todu- a* molestia*ajphillticuMlitta oa roceaiefc
Da^oailO r-
i en Pemumivco, A, RE60R0.
MUIHHI |
ItlGJHl



lift

Diario do JPernambuco Quarta feira 17 de Dezembro de 1873.
warn

_______P DO
RUA DO BRUI
BOWMAN
j
Criad
1 n

pisa t
tratar no l>

PodeDdo todos
ser movidos a mao
'por agai, vapor,
Ion animaes.
(Bassando o f h)
PEDEM AOS senftofes de eng-.'uho e 'oolrt '!>-,
rtiiDismo o favor de oma visits a sea estabelecimento", para verem o n
:omplat qoe ahitero; seado tudo superior em qoalidade e fortidao; o que cm a in*
ec?ao pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENQAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FCJNDICAO
vapores o rodas cragc?a E*ar,bos Mnwnintei para u &**
sircnmstancias dos seohores proprietari'i* e p-ra descaro$ar algodao.
Moendas de canna S22 8 tamanh09' as:me,hres qDe ,,oi
Sodas dentadas para aniffiae8j agna e vapor'
Taixas 1e ferro fundido, batido e de cobre,
Alambiqnes 9 fundos de alambiqnes.
Machinismos ^SSSSS^SS^
OO HIDES de patente, garantidas........
Todas as machinas e pecas de qae 8e costama preci8,r'
Fas qnalquer concerto dflm'cbysai0',prflC0 -
Formas de ferro J0:s m6lhore8 e maii bara,as exi8tente9 D0 mer'
^nA'vmmanilao Incnmbe-ae de mandar vir qnalqoer roachinisrao 1 von-
rkHG JlIlIIieilUtt.S. tade dos clientes, lembrando-lhes a vantapnm de fazerero
raas eompras por intermedio de pessoa entendida, e qae em qnalquer ner.pggidade p6de
bee pre?tar aaxilio.
Arados americanos e inlrnn5enW8 ****
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
5
A' raa do BarSo do Trinmpho (rua do Bruin) ns. 100 a 10.
CARDOSO 4 ffiMAO
RECEBERAM de Inglaterra conipleto sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, as mais modemas e rhelhorobra quetem vindo an mercSdo.
VapOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
IjaldeiraS de sobresalente para vapores.
MoeildaS inteiraS e meias moendas, obra como .mnca aqai veio
TaixaS flindidaS e batidas, dos melhores fabricates.
RodaS d aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos o qualidades.
RelogiOS e apitOS para vapores.
-DODlbaS de ferro, de repucho.
JVraQOS de diversas qualidades.
FoniiaS para aSSUCar grandes e pequenas.
OnTlPPrtOS concertam com promptidfto qualquer obra oumachmt, para p que teem
^ sua fabrica bem montada, com grande ebom pessoal.
PiTiPOTumendas manrjam vir por encommenda da Europa, qualquer macbinismo,
j_jll\ajuuix^a para O que se correspondem cum utua respeUavel cosa de Londres
com urn dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
.'Has machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Trinmpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & 1RMAO.
I ill) c:'l
nirz, ulna cabroctia de nome Joanna Ger-
trades, com os signaes seguintes : cabrochn. r m
os cabeltw soltos, olhos grandes e espantados,
torn um Signal preto no brae." esquerdo, levou.
cnmnigo tola rotipa ; pede-se as autoridales po
Hciae?, com e*p*ciatidade aos capitaes de ompn,
a sna appri i teTOrom n > na caminho novo,
jnnm da <-\ icSo da Suledade n. 8, ijua rcciberao a
sua grauiicacao.
Henrique da Costa Fianro.
Para o ain:inhecer do dia 15 do corrente fur-
tarara de am sitio junto ao'jardira notanico em
Olinda, nm cavallo alaiao com este ferro a mar-
:em direila T, de tamanho regular, calgado em
cruz, com o olho esquerdo coberlo de uma belide,
terido uma ferida do lado direito proveniente da
-nngalha com a sarneia urn pouco pelada ; em
vista do qae pede-se por favor as estacSes encar-
regadas das respectivas matriculas a apprehensao
de dito cavallo, bem como a qaalqaer pessoa que
o encontrar, o qual sera levado era Olinda, a rua
do Bom Snccesso n. 25, que se recompensara.
A pessoa que annunciou precisar de 1:500*
a premio com hypotbeca em bens de raiz, dirija-
se a l ua do Hospicio n. 25, das 4 horas da tarde
em diante^_________________________________
Sockibde Keereativa Bella flar-
monia.
Em virtude de nao se ter reunido numero suf-
ficiente de socios para funccionar a assembled
geral, convocada para o dia 4 deste inez, de novo
convi lo aos Srs. socios a comparecerem para o
mesmo fim, quarta feira 18 do corrente, as 7 ho-
ras da noite, flcando certos deque, asessaoda
assemble sera aberta com o numero de socios
que comparecerem, de conformidade com o art.
17 dos nossos estatutos.
Sccr.-taria da sociedade Recreativa Bella Har-
monia, 16 de dezembro de 1873.
Rego Santos,
1." secretario.
PECHIflCHAS
>6 o n. 20
lilt
t>


i ji.'n .i .-ipurai
Claudio Dubeux faz sciente que se nao res-
ponsabiliM por qualijucr quantia que seu filho
lose Claudio Oubeux pcdir a alguem em seu no-
me, nem mesmo por qual |uer coinpra de gene-
ros (|U'' ffzer em alguraa casa.
Recife, 15 de dctembro de 1873.________'
Casa em Olinda
Alaga-ee por mezes uma casa em Olind3, com
a moliilia nocessaria e illuminada a gaz, perto
daertaeSo da via terrea, prto do banho do mar,
(a ponto de poder-se ir da casa para o banho)
sendo dita casa muito fr<*sca e com boa vista ;
os pretendentes poderao outer qualquer informa-
cao na ma do Bom Jesus n. 43, priaieiro andar.
Precisa-se
de uma pe=soa mera a i>ara cozinbar e tompjar j
na rua D. Maria Cesar ^ >ut'rora da Senzala-nova)
n. 30.
A 2S800
muito (liiiiioiii).
CASSA l.A
Chegon esta fawnda,?*HiTfi lindos paflrScs, e ven-
dp se pelo rtiminuto nreco do 2U0 rs. o eova'do, i
pfchincha dSo-Jfl amoslrss.
METIN'S
Proprio para vestidos o que ha de mais gosto,
padrdes novos, pelo preco de 400 rs. o covado^e
pechincha! I 1 doit-se amostras.
LAS E>'COCEZAS
Lasinba^ escocezas, padrSes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditag com listras, padroes modernos, a 280 rs. o
cdVado.
Ditas la e seda, padroes modernos, a 610 rs. o
covado, 6 pechincha J dJo-se amostras.
ALPACAS J)E CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
I 000 a 400 o covado, 6 pechincha t J I dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pe;as peqnenas, com bonitos pa-
drSes, pelo diminnto preco de 400 rs. o covado, 6
pechincha I I I dao-se amostras.
Cortes de casemira di cores, a 5JC00 cada nm.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para Into, a 240 rs. o covado.
Fastao branco para roupa de roeninos, a 560 rs
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chila adamascada, a 3*500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 3*500
e 42000.
Lencoes de bramante, a 2*000.
Ditss de algodao, a 1*400.
Toalhas alcochoadas, a;6*000 a dnzia.
Ditas felpudas, a 6*500 a dnzia.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a dnzia.
Ditos de cassa abanhados, a 2*000 a dnzia.
Ditos de esguiao finos, a 3*500 a dnzia.
Cambria lisa transparente a 3*000 e 4*500 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 3*800.
Atoalhado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito tranjado, a 1*400 a vara.
FustSes de cores, a 1*000 o rorte.
Chales de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,4*0'O e 4*500.
Ditos com listras muito finos, a k*800 e 6*000
Esguiao muito fino, a 2*000 a vara.
Brim preto trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao.a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura, a
2*300 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanznc cambrau de cores muito Qna, pelo di-
minnto preco de 400 rs. o covado. ,
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
Pre--
roin "ID*
iBanhos crres saudavcis flo
onteiro.
gar uma ama
me n?i'


*
prcnuo ?'ib
ma i!o Hospicio n. i."i. das 4

Alnva se uarraaiem b o prhueiro aiidar do
sobradoda rua do I'om Jesns outr'ora da Cruz,
n. 20, proprio? paraestabelecimento commercial:
a tratar na rua do Slarquczde Olinda n. "ii.
Alaga-se o 1* andar do sobrado da rua
reita n. 8 : a tratar na loja do mesrao._______
Alaga-se a casa da rua de S. Jorge, outr'ora
rua do Pilar n. 12, lendo sotea assobradada para
grande familia : a ver e tratar na rua dos Gnara-
rapes n. 14, taverna.
Escravo
fugido
300$000 degratificacao
Au?enton-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, repp senta ter do 30 a 40
annos de idade, 4 perfeito cozinheiro, alto bastante,
6 bem magro, pouca barba, olbos grandes, e mnilo
ladino, consta qne tem pai no engenho do Sr. Lultl
de Caiara, em S. Louren^o da Malta. Este pn-to
foi cozinheiro dos negociantes Adriano & Castro e
Sr. Jose Joaqnim Goncalves Bastos, e julga-se
que esteja alngado em algum hotel ou casa parti-
cular nesta cfdade, como forro : pede-se a toda?
as antoridades e capitaes de campo, que o desco-
brindo, o tragam a rua Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival sem segundo, que seriio gra-
tificados com a quantia Mima,
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-s
allar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
eira, a negocio de seu inleresse.
CASA.
Alaga-se metade de uma rasa no pnleo do Tor
cp a peqnena familia : a tratar no pateo do P.i
raizo n. 26.
cada um queijo o mais fresco e do melhor
que se p6de desejar : na rua Duque de
Caxias n. 40, junto & typographia do
Diario.
Os?rs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaqnim
Clemente de Lemos Duarte, sao cnamados a
rna do Coronet Suassuna n. 28J, a negocio de
particular interesse.
Attencao
Francisco de Paula Cavalcanto Vanderley faz
sciente ao respcitavcl puhlico em geral e parli-
cularmeute ao corpn commercial desta provin-
cia, que atlendendo a coincidenria da haver duas
pessoas de igual nome. assignar-seHia desta data
era diante :
Francisco de Paula Wanderley
Recife, 4 de dezembro de 1873.
DESCOBERTAS MEDICINAES
rrr.o bacharkl
L
FABRICA OE CIGARRIB
s. jofio de'nictheroy
Bio l daiicift*
Coostandb ao ah? odf>, ntttee ag
nesta provincij. da imierial fabiica d.^
de S. J'oi de S'iclheroy. no. Rio d Janeiro,
exist*no men; Qfe -ai^vi-
fabrieados em dita (annex, imi'Mdo !'a
etique'a em que \wp ellos envjJtos, apreesa-se a
preveiiir a I ens ftregueres qne os ante
voriadeir.'S rigarres d- exposicie de dita fabric
i vi Ddid n e ariiuziM's dos Srs. Francisqf
s de Araujo, Manoel !e Souza Cordeiro Sf-
Iimior c Farja & Fijhoa. nnifos dei.osi'.os de
dita fabrica. Reene, 3s do noverobta de '873.
I) Alves Maliiens.
Quern precisar in escravo, com tan
to que nao seja para servijo de. peso, dirija-se .i
rna do Hospicio u. 61. quo encontrara um bastan-
te intelligento, e rapazde encarregprse do traba-
lho do jardim ou de hortalicas.______________
M01KA
Estd enooura(:;ado !.
V^uu mole *i:i 5)4"!r tJu.-a
Tuiitit c'.h ute {uc a fura.
;x-se ao film. Sr. Ignacio Vieira do Mello
: cidad de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ma Da.jue de Caiia* n. 36, a coa-
luir ai|uelle negocio qtfe S. R. se oinprometteu a
ar, pela lerceira eh; ornal, em
dns de d'zeinbro de IS':. para Janeiro,
passou a fevereiro ? nbril'de lS7i,e nada cumprio;
s por este motivo e do dovo chamado part dito
im, pois S. S. se d ve lemhrai icio e
le mais de nitn ami lo Cr. fea nlho so
icbava nesia ew ,
ALUGA-S1



Manoel de Siqueira
\ avalcanii.

nma ca>a na Capungn, rua das Peroambucanas,
com coxoin e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 3!
Prerisa^s de i a jdros, dsndo-se
por hypothera um predlo : quem qnizer anuun-
cie para ser procara

HOC6, pbarmaentfeo, *, roc de OaUgltone. Paris, unlco proprletarlo.
I'l^JTllDE
HOGG
DE FIGADOS FRESCOS DE BACALHAO
I Tisica, affeccdes escrnfulos3, .tosse chronioa, rhenmatismos, fraqaoza
'i Lilifij Jos membroB, gotha, debilidade geral (engorda e fortalece), docc e facil (
Fj^gue tomar. Men9ao honrosa. ... A
I Sxigir a marca de fabrica abaizo indicada en<~obnndo a caps"la de |
cada frasco de forma triangular.
D.;poitn em Pemambwo, A. REGORD, e nas principaea pharmaciaa.
V"^ Vff
como e certo que neste armazem se fornece
a despensa k satisfar;ao de qualquer chefe
de familia, com toila a sinceridade e econo-
mia. 0 tempo e proprio, pois aproxima-se
a fesia do iNatal. ____
Jose dos Santos Neves
D. Joanna Maria do Rego
Neves, seus Clhos e genros,
convi'lam aosparontes e ami-
gos do gou prosado OU.rt,
irmao e c'unhado, Jose" dos
Santos Neves, a assistirern a"s missas que por
alnia do mesmo mandam celebrar no con-
veiito do S. Francisco pelas 8 horas da
maima do dia 17 do corrente, anniversario
do seu fallecimcnto, pelo que se confessam
summamento gratos._______________________
Amalia Carolina de Sampaio Mi-
randa, viuva do Dr. Manoel Izidro
de Miranda, convida aos amigos de
seu finado raarido para assistirern
a missa que pela alma do mesmo
manda resar no dia 20 do corrente,
anniversario do seu passamento,
pelas 8 horas da man ha, na matriz do Poco da
Panella.
Companhia do Gaz.
Aemprezadogaztem a honra de annunciar
So publiro que recebeu ultimente um esplen-
dido sortimento de lustres devidro, candiei-
ros, arandelas e globos, cujas amostras estao
no escriptorio a" rua do Imperador n. 31,
e ser5o vendidos aos seus frcguezes pelo
preco mais razoavel possivel.
56 aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rna da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommfn-
dado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em tor daf
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas omericanas para algo-
dSo, desde 10 a 60 sierras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rapido descarocamento ; tornam-se dignas de
erem vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, ale"m disto, encontrarac
eambem mais :
Precisa-se
Apurados vapores locomoveis, defor^a
de 2*/i e 3!/ cavallos com todos pertsneas
preciso* para trabalharem 4 machinas para
ilgodAo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de tnto para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
.Ditos coin valvula9ara lavatorios.
Ditos de ma leira para compras.
Apparalhos parajardins.
rTuards-cnidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos dc madWas. <
Trens para co^inha.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Gylindros americcnos para padarias.'
Pertengas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de di versos fabrica ntes para mi-
lho e cafe*.
Debulhadores para milho.
Ataite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiro.
Krafim Diuito# oatroi ajtigos, que soavirta e neste estabeleoruoderioentp s i
naminados.
de um criado para o servigo de cosinha :
a tratar no hotel de Bordeaux.
Ama o criado.
Na rua da Pontc Velha n. 1, precisa-se de urns
ama que saiba cozinhar e comprar para casa de
familia de duas pessoas e de um criado para
mandados e outros servicos domeslicos.
ft
ft
MEDIC0-CIRCRGIC0 jg
DO
Dr. Santa Rosa. ^
Rua do Barao da Victoria n. 46, 1." *&
andar, outr'ora rua Nova.
Consultas das 10 hoias da mzn'ia ao 0
meio dia. oaf
Chamados por escripto a qualquer bora
Especialidades. Partos, molestias de 0
olhos e do apparelho re>piratorio. mt
Gonsnllorio medico
DO
Dr. Murillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres
Sode ser procurado a qualquer bora do
la ou da noute para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especia/jdois.=Mole8tis.s da pelle, de
crlanca e de mulher.
F.mprega no trataroento das molestias
de sua especial idade as dachas frias e
banhos a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais jnodernamente em-
pregados na Europa.
Tambem applica com grande proveito
no tratamento das molestias do utero a
electricidade, pelo processo do Dr. Tre-
pier. Cura por um processo inteiramente
novo as blennorrhagias e sobre tndo a
(gotta militar) dispensando asinjeccoes.


i
m
9
ft
ft
-ftftftftftft ftft$4#
Ajaga se a casa n. 11 da rua da Ponte, na
povoacao do Monteiro, muito propria para pas-
sar a testa : a tratar na rua do Duque de Ca-
xias n. 71.
loxinheira
Precisa-?e de uma ama que saiba bem cozinhar
e para comprar : na rua da Imperatriz n. 37, !
andar. _____________.
Escravo fugido.
Desappareceu no dia 7 do corrente, do engenho
Pimentef, comarca do Cabo, o escravo Isaac, ten-
do os signaea seguintes : cabra claro, muito pou-
ca barba, altura e giossura regulares, idade tS
annos, tem em um dus dedos pollegares da mao
dua unhas, suppoe-se andar pela capital, aonde
ja ttra preao duas vh;^s : roga-se a todas as an-
toridades e capitae- ce campo a captura do refe-
rido ercr-vo, e tra t-io a este engeono, ou na ca-
pital no escriptorio do Sr Barao de Nazareth, qne
serao generosamente rcompeasad<>8.
Criaio
Pre^isa-se de nm criado que tenha pratica de
u peiro e que seja de boa condocta : na rua da
Impentris o. 37, I.* andar.
Aluga-se o 2, 3*, 4 andares e sotao do sobrado
n. 14 da rna do Torres, perto da praea do Corpo
Santo, commodo para residencia de tamilias e es-
criptorio de negociantes : a tratar na rua do Im-
peradorn. 57 primeiro andar._________________
- Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, eni Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso. rua
Amorim, n. 37.___________________________
Escravo fugido.
100^000 de gratificacao
Desappareceu de novo, de bordo da barca bra-
iileira S. Jost, o escravo Joaquim, preto de na-
fio, o qual anda bem vestido e calcade, deixan-
do crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Esse escravo pertenceu ao fallecido Dr. Olym
Marcellino da Silva, que o havia comprado na
provincia de Minas fern S. Joao d'EI-rei ou Ouro-
Preto), e com elle seguio para o Rio de Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quem o compraram os abaixo essignados.
Sabe cozinhar, occupacao a que estava dedicado,
e conhere se pela falla que e afneano.
Offerece-se a gratificacao acima a quem o ap-
prehender e roga-se a todas as autoridades a sua
captnra.
Recife, 6 de ontubro de 1873
Jose" da Silva Loyo & Filho.____
Precisa-se de uma ama
que engomme e faga outros
servigos domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
Baixa de capim.
Arrenda-se uma grande baixa de capim em Be-
beribe, no logar do Fundao : a traUr com Poly-
carpo Jos6 Layrae, no caes 22 de Novembro n. 26.
Precisa-se
de uma mulher ji idosa para andar com uma
menina de 2 annos: a tratar ne hotel de
Bordeaux.
- Roga-se. as pessoas quB ertao a dever a ta-
verna da rna do Duqu de Caxias n. 'i I A, o fa-
vor de pagarem o que devem, sob pena de se pa-
blicar os nomes por esta folha, se o nao flzerem
no prazo de 18 dias. ___
1" o Preservativo sipela : para curar com ear* za, e
en. poota tempo, qualquer tX |B6 de
erysipela, e prcvenir o seu reappare
cimento.
Este medicamento tamhem 6 muito
poderoso para o rbeumatismo.
* o R'fjulad;r da mens
trnarao : para falta, irn gularida-
de, suppressao rei'entina da me^ strna-
czo, e dos lochios, as-im como P:'ra- ;g=s
todo> os soMrimentos devidos aqncllas '-W
affecQoes. Ambos estes medioamentos {Bk
ja sao muito conceituados, e procura-
dos nesta provincia, e na do Rio de
Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa
do autor, das 9 horas do dia as 3 da
rde, e a qualquer hora em casos or-
*&' gentes.
*& GRATIS AOS POBRES
V&J Rua da Imperatriz n. 14, 2 andar.


-'-.


-
">. .-.

HOWS PUBLfCAGOES HUSOES.
A. J. d".4z<",cdo-Kua A'ova n. iif -
achoru-se &
W.T-
Alber-
5*' ,*>
.
Casa de campo
Offerece-se a quem quizes fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
grai.a, da excellente casa s'ita na Porta d'Agna,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Cameiro M >n-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ca. A localidade e muito salubre, e a casa moito
fresca, tem magnifico banho de agua doce em
frente, e 6 muito commode visto que o trem passa
aefronte : quem prelendtr pode dirigir-se ao Sr
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cann Casa.
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 61 da
rua da Apollo : a tratar na rua da Cadeia u. 3.
SOBBADO PARA ALUGAR.
Aluga-se o ptimeiro andar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31, com muito bons
commodos para familia : a "ratar ua rua do Mar-
quez de Obnda n. 52,
Ao puiilico.
En abaixo assignado declare que o facto que
se.deu n* loja dos Srs. Morelra Reis & C. a rua
Primeiro de Marco n. 10, entre mim e seu cai
xeiro Joao Antonio Gozende Jnuior.foi uma levian-
dade de minha parte para corn o mesmo Sr. e
nao com tim nem proposito de injuria lo em
attribnir-lhe o desapparecimento de minha car-
teira, que sem duvida ja teria perdido antes de
_250O'J
l^SO"
UPttl).
15?(>00
IJJOO0
i-.;an
Acabam de publicar se, e
venda as seguintes musicas :
PIANO SO'.
Danse espasuola, por Ascher
Arabella, mazurka; pur ti.
theimer
Valsa do Fadsto, por Crayzes
SOWHO OF. UMA VIR'-.TM, poc
tazzi
Aiwa i.\ Prie, cavalina
AoClaib of. la I.une, por Knssmoyor
rSTRELLA DO >(')>iTF.Iil()lkai)ri!1);inte mw
Sai)da^:.\o ao Haiiia (
CRICKET, |"r Seixas, offerecida aos
chrickets club pcrriambucano e
bahiano 1S00O
PUNOE CANTO;
Desbspero, muito lindo romance
por 1. Smoltz 2?000
Nos m'amava, romance por Gnercia 1C000
Tambem recebeu da Europa grandr-. sor-
iin'iii'li! musica para piano,* piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
Escravo fugido
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engen1 o Serijii, comarca de Goyanni. o
escravo de uome J >se Gorges mestre de assacar,
tendo os siguaes seguintes: cabra, idade 30 annos
pouco mais ou ir.enos, boa lignra, ura tanto grosso
e espadaildo, sendo o signal mais visivel uma
gomma na junta do pe esquerdo : roga-se a todas
as autoridades e capitaes de campo queiram ap-
prehender dito e-cravo e leva lo ao teferido en-
genho, ou nesta praca a Olivefra Filhos S( C, lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao ganerwam -ii:
recompensados.
Recife, 10 de novembro de 1873.____________
Carros de luxo.
inquestionavel que a cocbeira da rua do Bom
ter abi entrado, pelo que e pelo presente Ihe pego Jesus n. IS, de Joaquim Pies Pereira da Siha, 6 *
a devida desculpa de tudo quanto alii di-- e
Recife, 12 de dezembro de 1873.
Manoel w rques Avila.
I aixeii
Para taverna de seccos e molhados fora desta
cidade, se offerece um moco brasileiro bastante
habilitado : quem quizcr uti!isar-se de seu presti-
mo, dirija-se a rua da Florentlna n. 28, ou declare
por esta folha para ser procurado u tratar do
ajuste.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria o. 36, preeisa-st
:ailar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
ose" Paes da Silva, a negocio de particular inte-
SS6.
Precisa-se
de um moco que ten ha muita pratira de
servir A mes8 nos hotcis: a tratar no hotel
de Bordeaux.
\. andar.
Aluga-se o 1. andar a" rua do Padre
Floriano : a tratar na rua larga do Rosario
n. 22. ___________ __________
Contmua a estar fugida
a escrava Felippa, cOr fula, alta. secca,
beigos salientes, cara secca, olhos amorte-
cidos, falla mansa ; e" cosinheira, postoque
do servico de enxada : foi vista era Bebe-
ribe em uma casa, que a acoita.
Esta escrava fugio com o filbo, escravo
do Sr Jose Antonio de Souza Magalhaes,
naturalmente dara" seus pasesios do Recife a
Beberibe, esti-se espreitando proves para se
proceder contra quem a acoita ; entretanto
roga-se a"s autoridades policiaes e capitaes
de campo a sua captura e conduced ao en-
genho da Sapucaia era Beboribe
Aluga se ura sitio com casa nova no Ar-
rail perto daestacao 1a casa Amarella, com bas
Na rna do Barao da slctoria n 36, preciaa-se j tanlea fi ucteiras e agua de neber : quem preten-
fallar ao Sr. 2." tenants Jose Maria Pestana, a ne- de-la dinja-se a taverna junto a mesraa estacao
Cacio do sao hHeraiM. I que acbari com quem tratar.
GKIADO
Preeiga-?e de um criado : no cafe imperatriz.
Armada.
que tem as melhores berlindas, calecas.'mei:: ea-
le(;.as e victorias de luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta, hailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de excellente^
parelhas de animaes, arreios luxnosos e boieeiros
com fardamontos do ultimo gosta, para o qne se
convida ao publico a vir por si'niesmo scientifi-
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrarao pomada, e sim realid;. e
:ommodos prcgos.
Primeiro andar paraalugar.
Aluga-se o primeiro andar do,sobrado da rua
de Marcilo Dias n. 137, pintado e caiado de imvo:
quem pretender dirija-se a pharmacia Torres que
achara com i|uem tratar.
mga-se
o sitio da Ponte de Uchoa n. 35 : a tratar no mus-
mo sitio, ou na rna do Range! n. 7, 1* o 2"
an'dar.
SAQUES
Carvalhn & Noguura, na rua do Apollo
n. 20, accam sobre o Banco Corcm<
de Vianoa e suas agendas em todas i
dades e villas de Portugal, a" vista e a p> zo
por todos os paquetes
Precisa se de uma escravi para eoziubar
e comprar : na raa Primeiro de Marco n. 23 *
oja. ________________________'______,
Cavallos furtados
No dia 3 do corrente, a noite, furtaraai da ostri-
barid do engenho Piuma da !r> gueiia de S. Lou-
rengo.dous cavallos*com os sigoaes seguintes
um 6 mellado algemado, crinas e cauda bataote
alvaa, grande e gordo, castrado e andador baixo ;
o outro 6 rosso com pinta amarellas. crina-
pauda pretas, int^iro e bom andador ; 6 de nv-io e
esta bastante gordo, a tem oa denies qoebra I
uma reladura na mao esquerda; ambos estao npa-
dos de novo. Gratiflca-se genirosamenta a if nem
os levar ao referido engenho, on delleadar tioticia
exact?. ______________________
Q quarto aodar da rua do Marques do Olinda
B. 4.
% I
li-j

ILEBVEL
i


> I


t
Diarie dePeraaiatouco Quarta &im 17 de Dezembro de 1*72.
t r---yri
PENHORES.
Natravessa darua j
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
BONITO
w
S&3GSS
; SB SB'
Engenho Caiape no terrao de
Iguarasstii
Na rua do Marqdez de Olinda o 53, precisa-se
fallar com oSr. Laiz Antonio da Silva a neaocio
de seu particular intcresse.
& Consultorio homeopa-
thico
9 Do
at 4i
0
0
1
0
Dr. Santos Hello
-Rua do ImperaJor-------41
Consultas todos os dias das 11 a 1 da
tardc. Q)
JgK Gratis aos pobres. g
25 Residencia a rua Nova n. 7, segundo 5?
%? andar, onde da consultas das 6 as 9 da
igi manna e das 3 as 5 da tarde. **
25 Cbamados a qualquer hora. J
Olinda.
fuse Lima, teudo coraprado a J ao da Craz Es-
tanislao a Lverna sita a rua do Amparo n. I7,como
livre e de>embaracada de debitos, avisa a quem
por ventura so julgar credor da n esnii para
nella comparecer na prazo de 8 dias, afim de ser
pago, Undo o qual nao sera altendido.
Aluga-se o primeiro andar a rua di Impe-
ratrj; ii. 2i, com commodos nara Camilla, esta em
mail i bom estate: qncm pretender, dirija se ao
cafe iinpera'riz qua achara com quem tratar.
Caxaiiga
. Atagasp p eonmodo preco uma boa casa na
povcaeao do Caxang.i, principio da cstrada do
Amunle : a traiar a rua do Imperador n. 5i, loia
de livroR.
Acliase exposto a veoda no mercado desia ci-
dade, 40 arrobas da caK de primeira qualidade.
os pretendentes podem dirigir-se as Cinco-Pontas.
na Cas n. 86.
Mill
Cbitas a 240 rs. o covado.
A 440 r? o covado.
A 240 rs. o covado.
&o na roa Duque de Caxias n. 60 A, loia da
esquina._________
Burros a venda
J. Deiro avisa a sens fregnezes que esta em
viagem para as provincias de Alagoas e Pernam-
buco, conduzindo excellente tropa de burros
passara por Penedo, Pilar, Castanha-Grande, Por-
to Calvo. Barreiros, Rio Formoso, Escada, Cabo e
provavelmente por Santo Amaro de Jaboatao a
Nazareth ; por isso pode ser avisado cu eneon-
trado em quatquer destes lugares
Larangeiras, 20 de outubro de 1873.
Agnas Alcalino-Gazosas das IV
dras Salgadas.
Villa Rouca de Aguiar.
BICARBONATADAS-SnDICAS
Analyses do Dr. Jose Julio Rodri
ruos, lente da escola Polyte-
chnica de Lisboa.
Esta excellenle agua usada com vantagem no
padecimentos das vias digestivas, nrinanas, dt
estomago etc., etc.
Yende-se
NA
Pharmacia e rfrogaria
________Rua larga do Rosario n. 34.
Vende-se duas excellentes casas no Cha-
con, solidas e recentemente construida?, com mui-
tus commodos e no lugaar mais bello e pittoresco
daquolle arrabalde. Sao muito proprias nao so
para quem quizer passar o verao como morar no
campo gozando ao mesmo tempo as delicias delle
e os commodos da praca ; e a raiao 6 porque fi-
cam muito proximas da estacao do rio e do mer-
cado da Casa Forte. Quanto a distancia que ba
daqui aquflle arrabalde quem ignora ? Os preten-
dentes dirijam se a rua do VNconde de Albuquer-
que, outr'ora da Gloria n. 174, onde se dira quem
vende
A pfoposito da fesla
0 que riizeiii pir alii.
A verdade vou dizer-vos,
Sem embargo do mao tempo ;
Nao 6 graca, vou contar-vos
0 qu-> disem... por exemplo:
Que a BARRtGA e" a mil da,-humanidade e que
esta como liliia obedicnte deve tratar com requin-
tado desvelo de sua dileetissima e infallivel mai
Que para isto e" indispensavel que os gastrono-
mos habitantes de-u bella cidade e seus subur-
bios, como parte integrate da humanidade, devem
vir ao muito utij e conbecido armazem do Cam-
pos, a rua do Imperador n. 28, comprarem os
novos saborosis-imos presuatos para fiambres ; o=
gostosos paios, os saborosos salames, os appeteti-
veis lombos depnrco; as delicadas linguicas'e
salnhichas. cs digestives penes em latas, a flni*-
sima manteiga ingleza e franceza, os deleito-os
biscoitos, as exciiantes conservas. as deliciosas
ameixas, passas, amen Jons e nozes, as aprecia-
veis fructas cm calda, os flexiveis. doces, o mag-
nifico queijo flamengo e prato, o embriagantp. cha
perola, aljofra e prelo, os substanciaes ehocolate e
cacao em po, os refrigerante3 Iicores, as calman-
tes cervejas, os corroborates bitters, os inspiran-
les vinhos do Porto, Madeira, Bordeaux, Figuei-
ra, Lisboa, Chorry, lollares o outras rauitasqua-
lidades, a corruscante champagne, cidra e urn eem
numero de raros e arrebatadores acipipes, que
da forca, vida o prazer, afim de rechearem dia-
namente o receptaculo de suas idolatradissimas
Barrtgas ;
Que, quem quizer fazer um delicado lunch, fu-
mar um pnmoroso charuto da Bahia e beber um
copo d'agua fria (gratis a agua) deve vir ao arma-
zem do Campos, unieo que tern deraonstrado alii
aevtdencia.a.innuencia da rainha do mundo a
barriga
Mesmo porque
Ora esta e boa.
por
Precisa-se
' a n I'^nvpi portugqez, bom trabalhador, para
: : na rua Dtreila n, 30.
Al:
!'.-
0}sa para akigar
mm da rua do Corowl Saassona n.
'". ii gr.i'.l.' quintal e cochcira para bois.com
na mes-
rLan zinhas coyi lisira-: estampadas pelo diminuto
e^o de 400 rs. o covado.
Ditas com listras assetlnadas a 1*000 o co-
vado.
Granadinas prelas com listras de cdres a 500 rs.
o covado.
Mi'lins iraucados proprios para vetido. a 320 rs.
o covado.
Alpaca? de quadros, proprias para veslidos, a
440 rs. o covado.
Brim brano, lona, para cnl-as a USOOa vara.
Dito irancadn a 1*600 a vara.
Dilo de cores, linho puro, a 1^400 a Vara.
Fchiar!i;i
Cbapeos de sol do seda, cabo de canna, a 8o00
caJa am, is!.) tado -6 no n. 20 da rua do Cre-po,
lo;a das 3 norlaa. de Guilherme & C.
portao para n becco do Dique : a traiar
ma rua n. t'i9.
ENDE-SE
i i>i'C'au ii,i Dubeiix participa ao pnblico que
de sercaixeiro Hi seu pai defia da'a em
.: nte
OasHS de aluguel.
M igase i primeiro andar o sotSo do pubrado
u. sito a n da Trinch-irae. e tambeiri b ca-
i:*, n-i r i I nperial, iii > por commdo pre-
tratar ia rua de Santa Cecilia n. iH, casa
.i
< va.
.". ->'
Lrastes.
um sobndo de dous andarm r sstao, na trrve^sa
da Madre le Dens n. 10, o qaxj rende duus contos
de rs. annualmonte : a tratar na memo lugar
com os seus proprielarios todos dias utei-s desde
as 11 horas da manbi ate as duas ncras da
tarde.
0 iiipra -" e vea ti ii iVll
e ii-.i.i.. :!o armawi da rua <'> llll
. r ii. i8.
' iipra-se uma escrara parda .' s.-u- :io
' I"' *'i de m ..; boa c' dud < i la-
'. ^tgonHBar eeoziiriW, tendo boa uif : no
1 i'plor do Bfspo i). 7:1, a traiar a qual
IIMMUOMm
i.p6osdesol do 12 ha?teas
K^OOO.
Boa seda o bnflitns PTlbQs, valem MS ;
di nwbinrtw, aproveitm : m roa da i
u .f>6 li.ja M i 'io-^.i Branca.
.- aran
at iz
\'.'!l |i
fe ia.
Ml I ** um iji'-.r pro.ino pan
I irraniln/,; im ia segaod > 6 um -
ri : a tra a'r <\i hia i. i>d>v->ua a. ?'.
Vigor do Cabello
irmazem do luino
Rua da Madre de Dous u. 10 A.
Jose Uomingues do Carmo e Silva participa an
sent freguozes e amigos que no seu armazem a
rua da Madre de Deus n. 10 A, se aeha um com-
pleto sortimento de fumo em fardos de patente i \
z.* e 3." sortes, dos melhoms fabricanto.-. da Sahia
e hem assim a flor de tod. is os fumos de corda
am rolos, pacotes, latas granles e pequenas, tam
bein dos mui acreditados fabricantes Torres 4
Axaujo, Lizaur, Adolpho Schmdt A C, Lizaur
Schmidt fe C, Vieas-ft Araujo, Trindade A Avc-
lar, Teixeira l^w A Portella (garantido peloi-
iiesmoa) e de outrug ainde nao conhecidos pek.
publfco desta capital. 0 annunciante declara qo*
udo fumo que (or vendido em sua casa sera pek-
r-eu justo valor, e que quando garantir a respecti
va qualidade, sera sracero, mui particularmenti
-.om as pessoas que pouc-> euten.tam ua ma'teria .
pois para hem servir a todos, lem o annuneiaofr
'onea oralica de 15 anuos .leste emnmereio.
Quem quizer ser ditoso. ser feliz
Deve ao Campos stmente ir comprando,
Evitando assim de ir mal passando,
Deleitando a barriga e o nariz.
Alem do que dizera mnitas cousas ; ,
exemplo que o Campos e so quem vende bom e
harato, que so e o unico que da amostras de gene
res; que so elle, e.qucm capricha em dar bom
peso, que 6 elle so quem manda levar gratis
em casa do comprador os generos comprados (a
dinheiro) em seu armazem, qner deolro da cida-
de, quer nos seus adjae^enles; que unicamente
so e no armazem do Gaoapos, a rua do Imperador
n. 28, onde se enonlra um complete e eeplendi-
do sortimento, verdadeiro Centro de peregri-
nas e exque-itas victu.ilbas. onde todos (macons
jesuitas) devem vir satisfazer esia obra de ml-e-
ncordia (ja se sabe, iraiendo dinheiro) dar de
comer a barriga atleudenJo a que :
Do dia a questao ja nao exisle,
Que o Campos fez cessar tola esta briga
De-feehando este xolpe plnkjsophico :
Tralem todos primeiro da barriga.
Finalmente que, m interi-ssa les meninas di-
z-m cme, so goslun de oVes do armazem do
Campos ; as seducturas e espirituosas mocas que,
so tomam um calice de bitter estomacai so for
do armazem do Campus ; as respeitoias inalnmas
que, so se recordam do pasjado quando saboreiara
alsuins acipipes do armazem d.. Campos ; o ele-
gantes amaveis rapazes que, so fumam charn-
loa do Campus ;. os velhos que, so sentem exeita-
5ao quando comem certas iguanas do Campos,
e aie os terasteiros so proeurain o Campos, so
qnerem o Campos e so gostam 'do Campos, aponto
vejam :
I>o Campos a fama como voa
Nos bailes, theatros e cafes ;
Maxambombas, honds e janlins,
Relroaud do mundo nos conOns,
Dei a a todos uma -nova -, feliz, boa
E vai passando des annos atravez I
LIQUIDACAO DE FAZENDAS
NA
Rua da Imperatriz n. 60

BAZAR
Roa do Barao da Victoria n. 22.
DE
Carneiro Viaiina.
de
Formas para assucar.
galvanisadas e piniadas, por preco commodo.
\ endem Cnnha & Manta, a rua do Marquez de
Ulmda, n. tS.
Vende-se
um silio em Agua-Fria na rua de Santo Anlonio,
o dito sitio tern de fmnte 100 palmos e 472 de
lundos e a easa ainda esta por acabar : a tratar
na rua do CotoTelUi n. 8.
Vende-se
A tvaerna da rua.da Penha n. 6, bem afregue-
?ada tanlo para a terra como para o mate :a Iratar
n> mesma.
DO
Dr. Ayer.
Para a renovacao do ca-
bello, restituicSo de sua cor
e vitalidade primitiva e nat-
ural.
O Vigor do Cabello e uma preparaelo ao
mesmo tempo agradavel, saudavel e efficaz pa.ra
conservar o cabello. Por meio do seu uso o
cabello ruco, grisalho, e enfraquecido, dentro de
jjoiico tempo revolve a cor que Ihe e" natural e
primitiva, e adquire o brilho e a frescura do
cabello da juventude; o cabello ralo se torna
denso 'e a calvicie muitas vezes, posto que nab
rm t.xlos os casos e neutralizada.
Nao ha liada que pode reformar o cabello
lepois dos folliculos estarem rlestruidos, o as
glandes cansadas o idae, mais se ainda restarem
algums podem ser salvadas e utilizadas pela
applicacab do Vigor. Libre de essaa eubstancias
deleteriaf que tornam muitas preparacoes de este
ypTiero tam nocivas e destructivas ao cabello, o
Vigor^. 8omente Ihe e beneficial Em vez de
snjar o cabello e o faaer pegajoso, o conserva
lirapo e forte, embellizando o, impedindo a qneda
o tornar-se ruco, e por consequinte previne a
icie.
i uso rla toilette nab ha nada mais a dese-
nao contendo oleo nem tintura, nao pode
matichar mesmo o mais alvo lenco de cambraia-
ra no ralxllo, B.e da um lustre hjxurioso,
c uiu pei'fmae- muito agradavel.
irui.ir a cor da barba, e necessario
'i'0^ 9ae ('"m cabello, poreni se pode
>Weito, ei'.volvendb a barba de noite
' uiolhado BO Vigor,
SH.WV, HWVKBS SC, A" UA DA CRUZ N
4, VENDKM:
Machinas de cortar fumo.
Machinas de descarocar ajgodao.
Machinas a vapor de forca de 2 1[J, e de 4 ca-
vallos.
Balan..asde diversas quaHdadflS.
?eaos e medidas de diversos padr5es.
Chafariz de ferro para janlim.
FOrmas para assucar.
Arados ameriranos.
Alien gao
Vende-se barato a arma.ao da taverna n. 60, si-
a a rua Direita dos AfogaJus a tratar na pada-
ria de junto n. 66.
Aiohos linos engarrpfados
Pr, prios para presento de festa e de di-
versas qiialHades ; veinle-u-se na rua do
Commercio n. 48, 1 andar.
Ja chegou
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimamentena Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tondo um
perfetto artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte-desta cidade, como bem as-
sim concerta-las pelo tempo tambera d'um
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambcm ha purtengas
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca que seja necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfeicao de
um e dons pospontos, franze e" borrla toda
qualquer costura por fina que soja, seus
pre^os sao da seguinte qualidade : para tra-
balhar a mao de 300000, *0$OG'J, 45JJ00O
d 50JJ00O, para trabalhar com o .e sao-de
800000, 90JJ000, 1000000, | J00000
1200000,1300000, 1505000, 2000000 e
2500000, eraquanto aos autores nao ha al-
teracflo de precos, e os comprsdoros podergo
visitar este estabelecimento, qee muito de-
verao gostar pela variedade de objecios que
ha sempre para vender, como sejam : Madei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balanc/), ditas para
criatiga (alias), ditas para escolas-, costurei-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis
para criangas, dfe todas as qualidades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
esp.dhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha, fa-
queiros coin cabo de metal e de marfim,
ditosavulsos, colheres de metal Gno,condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tainpas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios complelos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mut-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha abrto dVde as 6 horas da ma-
nh5 ate as 9 horas da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo preco como
abaixo se ve:
Pereira da Silva 4 Guimaraes tendo em ser urn grande depozito de fazendas,
tem resolyido fazer uma liquidacSo das mesmas com grande abatimento nos precos,
com o unico fim is ?purar dinheiro, para o que convidam oao s6 os seus namerosos
treguezes, como o respeitavel publico, a vir surtir se de muitas fazendas, boss ebaratas
no seu estabelecimento denominado oI'avao-a rua da Imperatriz n. 60.
CAMBRAIAS A 40, 40500, 50, 60 70.
0 Pavao vende um magnifico sortimento
das mais finas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada pe$a, pelo ba-
rato preco do 40, 40500, 50, 60, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 40
ate 80, sendo fozenda que vallo muito mais
dinheiro.
COMSALPICOS DE CORES A 50.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonrtos salpiqui-
nbos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
eada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 50, por ser pechincha, ditas com
salpicos todo brancosendo fazenda finissima
a 70500 e ditas a 50000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 120
0 Pavao vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada c6rte todos os enfeites nccessario9eorao
sejam : babadinhos, entre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato preco de 120
cada um, assim como, di es a 2 de julho
com todos os enfeites a 100. eortes de cam-
braias brancas ahertas, com listras e lave res-
a 60, ditos finissimos a 80, ditos de cam-
braia branca coin listras de cores, para aca-
bar 30500, e" pechincba.
CORTES BORDADOS A 200 E 350.
0 Pavao vende ricos cortes de eambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato prec,o de 200 e 360.
o verJadeiro inaaapolao francez a
rna do Queimado n. 4:.
A elle antes quo se acabe.
63 a pega
Bellos i^ostos era foulardina.
A ran branca tem os mais ricos gustos em
foulardina, e uma rica fazenda para vestido com
as cores azul. cor de pinhao, bronze, e cor de
lyrio, tudo com listras brancas, -ao estas as co-
res mais modernas e m.iis usaJas nas principaes
cidades da Europa. Dao-'so amo-lras e manda-so
levar na.s car-as : na loja da rusa branca, a rua
da Impeiaii n. 56.
Las finas a 500 rs.
A rosa branca recebeu lanzinhas de lindos gos-
tos a 500 rs, sao las de 80o rs. quem quizer che
gue. Rua da toper* iriz n. 56. Dao-se amostras
crm penhor.
1 ambraiapara forro."
Muito encorpada e tapada, o que o rarissimo
encontrar, a 2 000 a peca e em vara a 401 rs. :
a rua da Imperatriz n. 56, loja da rosa branca.
Nao ba mais caliellos
braocos.
TIHTUHABIA JAPONEZA.
S6 e unica approvada pelas academias de
seiertcias, reconhecida superior a toda que
tern apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal i rua da Cadeia do fteoite, hoje Mar-
quez d.; Olinda, n. 51, t andar, e em
tcdas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
O Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato prego de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640" rs. a vara li-
nissimo frl6 branco liso e de salpicos, e tar-la-
tanas de todas as cores.
BORNOUSA 120.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernos bornous combonitas listras e
vende pelo barato prego de 120 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales de merino" e com listras de seda.
LAZINHAS A 320
0 Pavao vende bonitas lazinhas lisas,
sendo verde e cor de lyrio, pe o barato progo
de 320 reis 0 covado, assim como delico.las
lazinhas de quadr'inhos a 280 reis 6 pe-
chincba.
rrtia francez muito fino a 30000, apenas precis*
1, V4 metro para um lencel.
CHALES B\RAT0S
a 20, 20500, 40.
0 Pavao vende chales a emitacAo de me-
riu6 a 20, ditos de jnerind lisos de todas as
cores a 20500, ditos de merinoestampados,
muito linos a 40, ditos finissimos com lis-
tras deseda a 60500, ditos muito fiuos de
crepoma 100 0 120.
Algodito enfestado a 10 e 108O.
0 Pavao vende algodao eufestado com 8
palmos de largura, proprio para lenc/tes
sendo do mais encorpado que tem vindo ao
mercado, liso a 10 a vara etrancadoa.....
10280.
ATOALHADO A 10600, 20, 50.
0 Pavao vende atoalhado trangado com 8
palmos de largura a 10200 e 10600, dito
adamascado a 20, dito de linho adamasca-
do a 30 e 50.
SEDA PARA VESTIDOS
a 106*0 e 20.
0 Pavao vende um bonito sortimento de
sedas com listrinhas proprias para vesti-
dos de "meninas ede seuhora a 10600 o co-
vado, ditas lavradirmas a 20, os padroes sAo
muito bonitos a vende-se por este pre$o para
acabar.
Itotiiiu* a OOl*
0 Pavao tem um completo sortimento de
botiuas muito bem enfeitadas parasenhoras
e vende pelo barato preco !e 50, artigo que
em outra qualquer parte custa t,0e 70.
LENQOS BRAiNCOS
a 20000.
0- P*vao vende lengos brancos ab inha-
dos, tanto parahomenscomo para sen horas.
a 20e 205! 0 a duzia, ditos de esguiao t-
cambraia de linho t mbem ab -inhados-fr
3JJ50O, 40, 50, d tos francezes escuros, para
rape* a 60, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pa*ao vende ricas camisas com peitc-
de linho bord-das, proprias p. ra uoivo a
105e 129 cada uma, ditas de flnbosen se-
rem borl das 4% V9609 e MK ditM corx.
peito de algodao muito linns a 20, 20500 e
30, ditas decbita fina miudinln a 20, 2^500,
e30, ssim como grandi- sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como de al-
godao de 10600 ate 30, gr tide sortimontc
le mois cru s inglezas de 40 ate 8^000 a
duzia
FAZKtyMS IM1I.V LL'TO.
O Fnvfto iem um grande sortimento dt
| fazendas pret s para lulo Bujnu sejam : cas-
0 Pavao vende um elegante sortimento s t' '*sj,?u lftainbas lisas quo vende a 400
das mais bonitas granadines ou gazes- de e 300 r6iS ctivac'0 bombazinns de 10600
seda para vestidos. tendo de todas as cores al<5 ** covado cantao a 10 e. 10200,
e vende pelo barato preco de 640 re"is o co- ?raua,,ine bsa com lislras, cassas o cbitas
vado e granadine preta com lislras de seda tot!'1S I)relas com bstnis e salpicos, -Ip^cas
todas pr^tas e lavradas de branco, mcrinds
outnis muitas fazend s apropri das, que se
veude por menos do que em outra qu lquer
parte.
MADAPOLOES ENFESTADOS
a 3JM)00
0 PavSo vende pegasdemadapolao enfes-
a10800.
LAZINHAS A 360 O COVADO.
O Pavao vende bonitas lazinhas trauspa-
rentes com palminhas a 360 reis o covad >,
ditas ditas indianas com lindos dezenhos'
tanto em listras como em quadros a 280 rs!
o covado, e grande sortimento de alpacas e laJo com 12 jardas a 3^, dito a 39500, dito
lazinhas de 40u a 8l)0 re"is. com 20 jardas a 50, 505Oo e 60000, dito
com 24 jardas de30 afa^80 e 100, sendo os
mais Qnos que tem vindo ao mere do.
Algoduoziiilio a 4-rOOO.
Vend
O.
se
Pi s de sap. Ii-. ibacatta, r .meiras, parreiras,
tructa-pio, roseiraa de varia; qualidades e outras
Hores : n> Boa-vista, r.ii >1< Visconde de Goyanna
n. 101, outr oia Mondego.
Vende-se
i taverna cita & rua d. Barao do Triurnpho
n. 65: quem preten ler dirija-se & mesma,
BChara" com quem tratar.
Ven le-se a meiadi) do sobrado de
ious andares e sotao na rua do Pedro Af-
lopso, outr'ora ma da Praia n. 35 : a tratar
na mesma rua, armazem n. 26 A. E' van-
i.ijosa a lumpra, p. lo importance predio,
i.i-m consiruido, de grande rendimento e
xcellentcs commodo,.
Vende-Sf um escravo mulatiabo, de
imito bomta llgura, w lid a bfia .oon^-
lucte, de idadu de 18 aiinns, proftio para
.'igem e copeiro. K" vendido porojoo seu
-piihor vai diM*ute pra a Europa : a tratar
na rua 'I II rU.= 110
Vende >- um <;;. tin-a em: nrrwo'pro-
p o narui-;l.i Can-en i u. 6 : na rua-do Daqoe
i veoda.
k
1HE1ABAOO Pn
Or. J. c. AYER CAJ LowH, Mass,
13stadoa TT^ftos,
"VnCN-DBJ SE POR
^
m
nde-se ii'iia typoftraphi.-i h"m uroftttda, com
mia m.ichina < um and.., '.uJ.i .>m bom entado e
i"W W*ito m I'iti : i(ii n r_ ar^ja^e a
. Ii. s ihr ,| i .> iolur
"' < *>* Afflietos
uma vai-ca turina ja amo nndo: a traMr aa aiefl-
ema taverna n. U.
P\RA ACABAR
A' rua da Imperatriz nume-
ro 16.
i .^lbr?ia* '""sparentes muito flnas, peca.
d800, ditas ditas vicioria a \$, 3i e 6*. chitas
francezas Qn..s a 240 280, 300 e 120 rs. o covado.
cambraias finas de cores a 320 rs. o covado, ca-
misinhas para senhora, ricamente enfeitadas a
tvm cada uma, popalinas de cores a 1*200 o
covado, sedas de listras a U600, o que ha de
melhor, chap^os de palha para seuhc ra, o ue ha
d- mais moder.io a 8*. 0*. 14a e 16* cada um,
r-fJL?6 or,1,-h*t ** cada um, madapolao fino
a oSiOO a peca. votidos de cambraia bordados a
I2a, ditos de linho a 20i, 22* e 26*. o que pode
haver de melh-ir, e outras mmtas fazendas que so
a visu do comprador, como sejam c6rtes de seda,
tunicas, etc. etc. N. B. Vejam que se eslao
acabandc._______ i
.Hh ftnilic^7(lc Ciirdosi) k\x\\m,
' ft rn d rBrmn ns. fdO a MS
Venderse os seguintes ob-
jectos, per pi-egos
commodos:
VA RAND AS traneeias de ferro ftindido de'diver-
e bonitos go-tos.
fDGdRS f-aneezes grandes e pequenos.
WTO dito paratraWlhar aomgai.
B"MB.\S francezas de repuxo.
BAN OS com pes e fy.ro, coin molla
ella.
PEs de ferro para mesa.
JARROS do frro pa*a jareun, graades e. p nas.
'WAgHlNAS
De forca de d .us a seis cavallos : a venda no
armazem de Joaquim Lopes Machado A C, tr-a
vessa do >:orpj Santo n. 2-1
Vende-se a arm3cao e utensilios da taverna do
pate doTerco n. II, barato, e propria para quam
se quizer estab.'leccr naqnelle lugar : a tratar na
mesma.
Xarope d'agriao do Para
Antigoe conseituado medioamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados no
>*oorbuto.
Wil-nn Rowe & C. vendem no seu armazem
a rua de Commereio n. ti :
0 verdadeiro p.moo de algodao azul amencano.
Rxpellente fio de vela.
Cognac de 1* qualidade'
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as quatfdades
CHITAS DE CORES
a 20 -, 2iu, 280 e 340 rs.
0 Pavao vend.- um grande sortimento do
bonitas chitas tanto claras como escuras e
vende de 200 ate 32 < rs., assim como ditas (-?,av3 veiae peps de algodaozinho
com lislras aolado muito finas a 360 e 400 muit0 ,ncorPado a4. dito a 556 eo#.
rs., finissimas percales miudinhas com lin-
dos dezenhos a 360 e 400 re"is, garantindo
serem 'odas de cures fixas.
COBKRTAS A 4, 2JJ50O, 3, 4).
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
TAPETES
CORTES BE CASEMIRA A 5$,
0 Pavao vende um grande sortimento de
com ramagemgrauda, pelos baratos precos cortes de casemira par* calgas, com bonitos
de 25?, 2#50 i, 3jje 4$, ditas encarnadas gostos, claros e escuros a 5JJ, ditos de 6?
forradas a 5, ditas defustSo branco e de cor 7J5, 83>, ate" 10, superiores casemiras fran-
com ban-as aM}5J, ditas de croche1 para cez se inglezas, pera covado, de 35?500 ate
camade noivo a 6$, ditas muito rlcasa 16, 60, paunos pretosede c res dos mais bara-
ditas de ('am-isco a emitajao de seda a 10JJ tos e mais finos que t-in vindo ao mercado,
e 14!fc por precos muito razo veis.
VustSem \ Boupa ftsitm.
0 Pavao vendefustoes brancos ede cores,' 0 Pavao, tem constaiitemente um grande
sendo as mais bonitas cores quo tem vindo ao sortimento de roupas feitaspara homem, qut
mercado, tanto para roupa de crian^as co.no vende por preco muitu em conta, como' se-
para vestidos e roupas de homom.e venda jam :
p9lo barato preco de 560 atd 1, o covado. Calgas de brim de cores de 2JJ5H0 ate" 63.
Vende-se
e sem
BRAMANTES
a 1J)600. 2,52"0 e 23500.
0 Pavao vend-* hramantes de algodao com
10 palmos de largura para leng6es, pelo ba-
rato preco de 136 0, dito de liuho com a
mesma largura a 23, 23200 e 23)500, dito
Cortes decliitaa 3, S35GO e
no estado em que se acha sitio entente do 9kaa ^^
lugar dos Remedios, freguezia d- U, hoje beeco da travessa dos Bpmedios n. 18, u ravao vende cortes de chitas escuras o
em chao proprio, quem o pretender enienda-se claras com 10 covadoscada c6rte, pelo ba-
com o seu proprietario na rua de S. Francisco, ratismo preco de 23, 23500 e 3JWU0
como quem vai para a rua Bella, sobrado n. 10, rnKTF* dp rhim i /.wmT
que se fara tod,, negocio LOK lhs DE BRIM A 13400.
-----------------------------------------------------J O Pavao vende c<5rtesd->brim pardo para
Farinha de mandioca nova ?fga;a mo- D,tos de c6rfczenda raui-
T.em para vender Joaquim lo<6 Goncalves Bel- n ''..?, _-, w--'_.
traoAFilho, a bordodo patacho Sapho, chegado HiSDartllllOS 3b 6& G 4$000.
de Santa athanna, fundeado .lefronte do trapiche nn j
Barao do Livramento ; e para tratar a bordo, ou u ravao vende os mais modernos esparti-
no seu escriptorio a rua do Commerco n. 8. thus, proprios para senhoras e meninas,
f;.wtv -ira l/aitfinf ?,os baratitsiinos precos do 3-e 43000.
Ll^iis |blId Vfnn< T Ditos muito superiores, brancos e de cor,-a
Vendem se as casas seguinifs. por precos mo- 83 e 63000.
dicos : owas terreas a rna da Itestioragao ns. 23
e 47, sobrado a r*aa do morim n 43, casas ter-
Ditas de casemira escura a 33500
Palitots da mesmn fazend a 43500.
Calcas de brim pardo de 23 ate 35.
Dit s de casemir.i de cdrde 75 te 12(5.
Diusde casemira preta de 73 to" 14/J.
Palitots de panno pret> de 43 ate 123.
Fraques depann. preto fino de 20JD atf>
353000.
Calc s brancas de linho de 43 ate 73.
Colic tos de casemira de cor de 33000 ati
53000.
Ditos de dita preta de 43 ate 73.
Cartes de la a tcOOO
0 PavSo vende bonitos cortes de lasinhas,;
padroes miudinhos com iiadas cores, toodo
15 covados cada corte, pelo batato preco-se"
48000. _
CORTES DE ORGANDY A 33000 e 3300.
0 Pavao vende c6rte de organdy branco,
com lislras e quadrrnbos, sendo fazenda mui-
to fina. pelos baratissimos precos de 33 e
33500 o cdrte.
Ceroulasfnncezas de linho e algodao, para todos os precos e qualidades, awio>
Jaragrtaragnae^ergelo; ge.am ^&t2^'Z? r"aa n.BeK'A* ^09^r^^ ^ "^ "^ ^^ CUlermhS' ^ tudo wod^
ajjM^lO-mlnaiqr izem gelo era R-um, na Pamyem da MagdaLm.. com easa de PreC0S wmt-r-ioaveis.___________________________________________,
Panno de algodao da
Bahia.
ditos.
As unicas verdaieiras
Bichas hambur|uBfcij que van^a Istemerc
l rnr Marquez de Canarios da AUemanha
Chegaram pek) ultimo vaoor 4
Mtm'WItoilores e de cflre^ the
ptrador n. 14. W*
nwmsa'a mar^mdo rio rapihanh' : os preten-
dfetta dMjtttn-se a roa Primeiro de Marco'n. 8,
esqulaa da roa do Fmpeia tor, que robarSo com
qnecamtifr.
SnatiNovj
i Tem para vender Joaquim Jese Goncalves Be-1
lo Wlho : a tratar no .-seu eacriptorio a raa
do Commereio n. 5.
Ha para vender das seguintes fabrics? :
S Salvador.
Conceicao.
Valenca.
MkdM*
No escriptorio de Lulz Dupra,-a rua do Com-
mereio n. 34, i* aodaf.
I 0. foyle.
Tem para ye ft
Cognac de HwaBessy, superior ver4asaro.
Vinbo Xeref das tmMremqialidata.
Bitters de Ancoatura,
Whislty. N
Cha preto em otOM de 10 libras.
Todaa as preparac&eJxchiiiiicas do Dr. Ajret;
amuuein da rut do Coauoaixio n. 38.
J

\

)
I
'


*m
*i

I
Diario Je Pernamljuco Quarta fea 17 d& Jtezemhro # lWa.

I
7 .'
STCIA DE HOWE
A 3O#00O e 3WOO.
DOUS HJSPQNTOS
Na loja de Soares Leite Irmaos, a rua do Barao da
Victoria n. 2&
UNIGOS AGENTES
A'
Rua do BarSo da Victoria a. 28
V.8 mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposicio de. Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
5I0 da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per-
feitas do mundo.
A medalha de ouro, conferida i
Estados-Unidos por ser 0 inventor
tura.
E. Howe Junior, nos
da machina de cos-
A medalha de ouro na exposicio de Londres acreditam
estas machinas.
A 90*000
Cabe-nos 0 dever de annunciar que a corapanhia das machines de Howe de Nova-
ork, estabeleceu nesta cidade ^ rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposito e agencia
ptxal, para em Pernambuce e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
ra de. Howe. Estas macninas sao justamente apreciadas peia perfeigao de seu trabalho,
-mpregando uma agulha mais curta com a mesma qualidadedelinhaquequalquer outra,
*.U tntroducc&Q dos mv> aperfei^oados apparelhos, estaaos actualmente habilitados a
ferecer ? ftxamo puhlico as melhores machinas do mundo.
As vaniagens destas wmchinas sao as segmntes:
ffinweira.O publieb stifee-que ellas sao duradouras, para isto prova incontestarel, a
trcnmitarlcia de nanea terem epoarecido no mercado machinas d Howe em segun-
< mio.
'Seganda.Crmtero 0 material preciso para reparar qualquerdesarranjo.
Terceira.Ha neflas'raerfor-fricclo entre as diversas pecas, e menos rapido estrago
* % tie tie* outras.
Quarta.Forraam 0 ponto como se fdra' feito i mffo.
Onmta.Pefrhitte que se examine o trabalho de arabos os flos, 0 que se n8o conseg*
** t?T!tfas.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atratessando 0 fio de urn A outro lado,
logo era seguida, sera modificar-so a tensSo da linha, cozem a fazenda mais
pellica MM peqaeno toque,
psra collate, grande sorti-
luvas de
1 20 rs.
Abotoaduras
nento a 12a rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs.
Lampariuas i gaz, daiulo uma lua maito
10a, a 1&000.
Duzia de pecas de cordao imperial, a
1*0 rs.
Caixa de botoes de osso para calca, a
100 rs.
Duzia decarreteis de linha, 200 jardas, a
S00 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Ma$o de fita chineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios adere^os com camafeu, a 500 rs.
a 100 c
(60 P$.
0! >V
1 ; <"xa hi volopj.t;, i.nirt.li-, k 5u r*
I W*H i!c;i! f iflfadW, "00 rs.
Cmn de panel amisttde, heira donr*'*.
1 8uo --s
I* ; idem idem lisa, a 4300 rs.
II /ui de tallu-res earn bXMfc 1
igKinu
tfeOMl <\k r>;.p'M pa'uia U-.
i 5-ritO.
1 n i !!> Iki, .-,-i.-v<..t. :i.T.x.niH .tgHKHK
C >|ues i; odtftnosc .. HM0&
liii.'.ias rtf jH'r.ts il nimbus !(- i-aracol
orai'' a. a MM
l.'fm i ft*ifitiste, ;, 2(u> ,s.
l.uquus Rspelhosi^dBmoldura dourada, de todos
os tamanhos e pre^os.
PERPUMARIAS E MR'DEZAS.
oleo Oriza verdadeiro,
Rd^r-ifii .^n tints r"Ti Y*ri-f;m S
I' (* mill -tllU lii^!i/..i, [ifcla,
de peuuas Terry, muito bw Frasco com
10000.
Idem comioaic de Kemp, verdadeiro, a
1*000.
tiarrafadeaguafloridavordadeira a 19200
(iarrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idemdivina, a 19000.
Idem idem Magdalen* (novilade) a
19200.
Caixa de p6s para dentes, a 200 r.
Idem idem de p6s chinez, muito bom. a
600 rs. e 19000.
Fote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
rrt IJTO'O.
uSeia '.. .-.nl.uuri.T. ilar a.iH-iiilua. 1
:{600.
!ur le Sal>neies de anjiuho transpn 1:-
Wi a i20.
Hem idero mm ftAr^s. 1 UHM8
Saboii'-c-.s Hlftmam irmnrtniiii m a
-?ouo.
Caixa rom sabonetes, formato de fru>i.i~,
.< lri>o n .19500.
Cesineticos, graudos e pequenoe,.a 1;
3 H., a 8'J rs
fWtu com sgjia d
45000 -iOO rr.. < 150.00.
Lxlr.h/ inuiiu tiu-is tiuM >u lUuresau-
tnr^s.
I.!nda&< I'liuantt'SCnixinhascom.ppFfuiMii-
n,Ts. pronnas [ira '.inisiauus, uo aul>ms
K. Co^lray, Kie*Wi GeHe1 Fre>,ote. .
Vii'adnis iutirsant"se estampns ttfwr*-
das. '
Entremetos e babados tfanspareiHes e ta-
dlfigas, a 200, 990,
'**.
Setima.0 compressdr 6 levantado com a maior facilidade, quando se tem' de mudar
agulha ao coraecjar aowa costura.
Oitaya.Muitais corapanhias de machinas de costura, tem tido epocas de grahdeza e
cadencia. Machinas outr'ora populaxes, sib hoje quasi descti.hecidas, outras' soffreram
adan^as radicaesparapoderem substituir : etttretartto a companhia das machinas de Hbwe
optendo a opiniao de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem cortstBhtcmeote
ogmtntado 0 seu fabric, e hoje nao attende a procure, posto qute faca 600 machinas
or d;a.
Cada machina acompanha livretos com inslrucc8es eni portuguez.
4 wm& A 90^000
69000.
Fita de vellndo de todas as cores e largu- pados.
as. Uma graiide taboleta
Microscopios com 12 ristas.fa 65000. quer loja.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
Rua do Barao da Victoria n. 28.
______________________ _______________________________________________________'___________ ___________
propria para qual-
.
Agua florida, de Guislain7 SSXtSSSt* e contimSaaTO,d8h8 v*
A' mm do Cabaga n. 1 A.
Os proprieiarios da Predilecta, no ioluito de
conservar o bum conceilo que toem merecido do
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais que negociatn no mesmo genero,
; veem scienlificar aos seat bons fregueiee que pre-
, veniram ao seus correspondentes nas diversas par-
gas d'Europa para Hies enviarem por todos ospa-
quetes os objectot de Iqxo e bom gosto, que se-
Jam mais bem aceitos pelas soeiedades elegantes
daquelles pais.es, visto aproximar e o tempo de
festa, em que o belio sexo desta iinda Veneza
mais^ oskmta a riqueza de suas toille.ltes ; e co-
mo ja recebessem pele paquete francez diversos
artiges da ultima moda, veem patentear alguus
deutre elles que se tornam mais recommendaveis,
e^perando do respeitavel publico a coslumada
eoncurrencia.
Aderegos de tartaruga os mais lindos que teem
vindo ao mercado.
Albuus com ricas capas de madreperola e de
velludo, sendo diversos tamanbos e baratos pre-
gos..
Aderegos completos de borracha pr.prios para
ltto, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
uitos.
Botoes de setim preto e de cores para ornato de
vestidos de sechora ; tambem tem para collete e
palitot.
Bolsas para senhora?, existe um bello stirtimen-
to de seda, de palba, de chagrim. etc, en., por
baralo prego.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de loufa
como de cfira, de borracha e de massa ; chama-
mos a attenjao das Exrnas. Sras. para este artigo,
pois as veaea tornam-se as criancas um pouco im-
pertinentes por falta de um obiecto que as ec-
trelenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para hoinem, vendem se por preco coramodo.
Ceroula* de linho e de algodao, de diversos pre-
gos.
Caixinhas com musica, o que ha de mais Undo,
com disticos uas tampas e proprios para pre?en-
tes.
Coques os mais modernos e de diversas forma-
t03.
Chapeos para senhora..Receberam um sarttaento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
CapeMaa siuiples e cum veo para noivas.
Calgas burdadas para meninas.
Entrefneios estampados e bordados, de liudos
desentros. .
Escovas eleclricas para denies, tem a proprie-
dade de ovilar a carie djs denies.
Franjas de seda pretas e de cores, exi.-le um
graiide sortimento de divergas larguras e barato
prego.
Fitas de sarja, de gorgurio, de setim e de cfca-
makrte, de diversas larguras e bonitas cores.
Faphas de gorgurao muito lindas.
Flores artificiaes. A Predilecta prima em con-
servar sempre um bello e jrrande sortimento des-
tas flo es, nao so para enfeite dos cbellos, como
tambem,para uruaiu dc ve.-iiJo de noivas.
Galoos de algodao, de li e de seda, brancos, pre-
tos e de divtrsas cores.
Gratatas de seda para homem e senhoras.
Laces de cambrara e de seda de diversas cores
VENDE-SE ;
uma casa na villa de BaYreiros, na rua do Com-
m^ote, por piBco modieo : a tratar com Tasso
IrmaoA C.
tassoTrmaos&c.
Em seus armazens i rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por precos commodoa
Tijojos encarnados sextavos para ladrilho..
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hvdraulicc.
Machinas de descarogar algodlo
Machinas de padaria.
Poussa da fitwsia em bairil.
Phosphoros de cera.
SagU em garrafoes.
Sevadinha em garrafSes.
Lentilhas em garra/5es.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Porto velho engarrafado
Vinho do Porto superior, dito.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Potes com linguas e dobradae ingleaaa.
Liceros Cdos sortidos.
Cognac Gaulbier Freres.
Latas de toncinho ingles.
Barris com repolho em salmoura
Roupa estrangeira.
Amaral Nabuco k C. vendem costumes de brim
branco e de cores (a marujo e a puriianos) para
meninos, paletots e collctes para homem, ditos de
alpaca e de casemira para hompm e meninos, ca-
misas bordadas e lisas para senhora, homem. rae-
nino e menina : no Bazar Vittofia, a rua do
rio da Victoria d. 2.
FLORES
0 jardim da Nova Espranca, a rua Duque de
Caxias n. 6J, esta replecto de flores a? mai3 de-
licadas que e possivel imn;inar se, desde o mais
singello ramalliete ?. mais elegante rosa, (inteir
novidade) : aa bello sexo compete, quanto antes,
! virem colhe-las emquanlo estio vigosas.
Rua do Brum n. 76
Vende se zinco puro de superior qualidade,
proprio para cobcrtas de casas, medindo it pal-
mos de comprido e 4 de largo, por prejo ranito
em ronta.
Cimento
LEITE, IRMAOS
A'
do Barao da Victoria n. 2 8.
Os verdadeipos
Vinhos de Bourgogne
das liiarcas
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
parafazer o& cabellospFe-: Veo^ou mantiRbaspretafi. "tvVos para on^^.^^^^e.
fnc A loj.ada agula branca, jHrua doDnque dc Ca- perote; marfim, os-o e velludo, tudo que ha de
*/v/* xi*s a. 60,-" raeeb'Mi IwnrtttS *eo on raantmhas boot,
A aguia branca, a rua Duque do Caxias n. SOy pnatasde seda on> noresj e ontras a iiuitagio de Pentes de taruruga e marfim para alisar os ca-
acaba de recebernova remessada apreeiavel agaa croche, e vende-as pelos;-baratos, pr,evos. de 3*, bel'os ; teera tambetn para tlrar caspas.
Honda para fazer os fabellos pretos. Oton+YB- 4* e 6*000. A faienda 6 boa e csta em -nerreito1' Ptrtbouqnet. Um bello sortimento de madre-
aoltado colhtdo por quern tem feito nso ^essa
inolfensiva preparacaoa tcmaltamento cmiceilua-
do.eporisso apenas se faz lembrar a.quamne- Parfpifn rrntri^oHQi tprpvida, nao so em extractos, como em oleos e
se aproveitar; de.- icitcua liUVIUdUC. [banhas cfos melhores odores, dos mais afamados
vamonte della
pjecise e queira
saa ntilidade. Tarabcm
oleo florido para
como aqaella.
veio
agua de tonSsio e Grampos o mesmo n -e e Ho acreditados r Ju'A. j....^ ..i_:.i_. 8
Vende se uma excelleoto casa com um peqneno
ntio, sita no Arraial junto a casa do Sr. Anslmo :'
a. tratar na mesma casa, e para in/orma;5es na
'-avcrna d Bolsas, malas indispensa- j chambertiri.
Potnraard
Virits
Volnay
Beating
Montuelie
Dito Bordeaux em quattollas.
Vewle-se por barato preco
novos, e de mais gosto que PARA LIQU1DACA0 DE CONTAS
-dm vindo ao mercado, so na rua do Queimado NA
1. 43, loja de Guerra & Fernandes, pelo diminu-;K Lapga do Rosnno 3-f,
-o Drego de 200 rs. o covado I I RnfirQ
veis
Amara), N'abuco & C. receberam completo sor-
:imento de bolgas, malas e indispensaveis de cou-
o, madeira e chagrin : vende^se no Bazar Vic-
"oria, rua do Barao da Victoria a. 2.
(Iraihlr
peiiiiiH'lu a
covado.
200 rs o
Voltas e brincos de grOssos
aljofares de cores.
A agaia branca, a rna'drj Ditque di Caxias n.
60, receben novas e bonttas vottas e brtnwsdel
grossoti aljofares de cores, o como semprecoati-
nua a vende-las por prego commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
A agnia branca, a rua do Duque de Gaxias n.
50, recebeu novb sortimento de bonilo3: diade-
mas dourados e com pedras, tanto para meninas
como para senhoras.
Colleccoes de traslados ou
normas para escrever-se^
A aguia branca, a rua Duqae dc Cams n. 50,
recebeu novas collewjSes ou normas para as erisn-
fabricantes, Loubin, Piver, Soeiedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis para
a festai
para senhora, por commodo
nhotos dourados e coleridos.
A loja da aguia branca, a rua do Doflue de ;
Caxias n. 50 recebeu novos grampos com bor-! nrSL*s Coraadas
boSetas-.-berowog e'fafcnhoios, o perfeiti.BovM.de, A qimtiaadeTpepUenai I L^ ^ bordados'para bap-
por isso em breve s0 acabitfa. j ^t(ltMlk Recebeu a pre(Jil()0ta um boBi(0 ^
JN OVaS STOlllllLiaS OrnadaS COm meirt0 de Jiversus Umanhos, tanto para sofa co-
! mo para entrada de salas.
pelUCia" OU arminhO Vesrrmentas para, bwptisado o que ha de melhor
0 verdadeiro Portland so si. encontra do caes
da alfandega n. 5, aruiazem de bacalhao, em
barricas das maiores que vem ao mercado e por
prego mais commodo do qae em outra qualqoer
parte._________________________________
Canlaria de liska
liombreiras.
Capiteis.
Soieiras.
A* venda noarmazem n. 1.1; a traressa do Corpa
Santo._________________________________
Las para vestidos de gente
sinha.
Fazenda de 800 rs., vende sc a 300 rs. na R6sa
Branca e dao-seamosti-as: a rna da Imperotriz n.
56.
^ lojir d'AffaiA branca a rtra DaqU'e de Caxifts
gosto e os mais modernos, recebeu a Predilecta e
vende por baralo prefo, para flcar ao alcance de
Matricula para cavallos.
A' venda na livraria clas.-ica, a rua do Irape:a-
dor n. 73. Prego 40 rs.
- ; receben.tink peritiena qnantidade de boni-1 Z^L^'boilT'
seovafgallmhas; trabalho de He seda, en- r *a^uej i>oJ*.
oeitada* com arminho, obras estas de muito gosto Xilia 00 LalJUSa II. 1
e inteiramente novatt
Grampos, brincos e rozetas
doiifados.
A loja da aguia branca, a rua do- Duque
linlii. rliiiolinno
Amarar'Nabuco & C. vendem tintas orisaline -
C4xias' n. 50; recebeu novanrtnte 'b'ohitos gram-i Lollon vpge'a|e para tingir de pretes cabellos, a
pos, brincos e rozetas' doufttflos ; assfm como t 8e connece de mais ntil e commodo, nilo so
novos diademas de aco, e romw.sempre conti- no raodo de e'nprega-lo, como no resultado que
niia a vende-los por pregos razoaveis
gas apreaderem a escrever por si mesmo, nojatao nski-Yinh-flja nr\m mAa AnnwnA ^JLl}^10 Ing .z
usadas nas aulas e collegios; e como sempre von- ^"*1*l"*AdS COm pOS QOttFa<10S ehrtttd! : vendem
heguom frcguezes que se acaba.
de-as por prei;o commodo.
Meias cruas finas para meni-
nas e senhoras
A loja d'aguia branca, a rua Duque de Caxias
n. 50, recebeu novo sortimento daqueilas tlo pro-
curadas meias cruas para senhora, vjndo igual-
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rna do Dn-
gue de Laxjas n. 50.
Pam acabar!
Ricos chaprosrrnra senhora : so na rua Duqne
de Gaxias n. 60 A, loja da esquiaa.
|se obtem. Cha verde e preto chegado ultimameno
z, para cigarros e ca-
r Victoria, rua do Ba-
te, e ftuno inglez e fra'neez,
no Basa
rada Victoria n. 2.
Lindas las escocezas.
De varios padroes, e inteiramente modernas, a
360 rs o covado : na rua Primeiro de Marco
antiga do Crespo n. 13, loji das columnas.de An-
tonio Corroia de Va "noviI>adF
A Predilecta acaba de receber um Undo sorti-
mento de fitas escocezas acbamalotadas, proprias
Siara fachas ; assim como um Undo sortimento de
eques de madreperola; a elles antes que se aca-
bem, a rua do Cabuga n. I A.
Cosmoraroas.
Amaral Xabuco &.C., vendem os nuiscvomo-
dos cosmorama8 com vistas actualmente w .
Bazar Victoria, rua do Barao da Victoria u. t.
Crheou o verdadeiro de Portland ; barricas
ggaodes de 400 kilos : no armazem de Tasso Ir
maos & C. caes do Apollo.
Banhos em Otindo.
Camisas e calcas de fazenda de Iwa ade,
I pruprias para os banhos em Ollnda : na I -j i dos
i arcos a rua Primeiro de Margo (antiga do '.-~spo )
n. 20 A, de Gurgel do Amaral A C.
79\
DOS PhEMlOS DA f. PARTE DAS LOTERIAS CONCeOtDAS POR LEL PROVINCIAL N, 408 A BESKFlCrO DA .M.1TH1Z-DB CABROBO' ttmUHMH 1 DE DEZEMBHO DE 1873.

VS.
->
1
8
2
n
M
39
oi
oG
78
82
87
93-
97
99
100
3
7
to
1-2
13-
11
28
29
38
W
oi
63
75
80.
87
88
97
200
i
8
18
23
2ri
PBF.MS.

6 A
aotis
4#

NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
239
a
63
64
76
9*
93
98
302
5
10
16
19
26
2fr
34
33
60
59
71
77
! 8i
85
St
*l
92
401
6
14
W
27 '
28
29
31
35"
E
38
39
i (
m
45
.

4 556
76
78
85
96
506-
1
31
3V
41
42
47
55
61
66-
69
77
80-
86
88
98
60f
3
13
38
291
4^r
48
61
55
57
58
It 73
-*? 76
0
9\
93
705
7
4*
fa*
44
tad
m
4*

105
713
16
18
25
26
36
48
49
53
58
02
84
96
823
29
3*
34
35
40'
m
43
49
50
59
60
e*
63
66
78
83
85
90
93
900
2
.3
7'
10
20
U
4
4*5

923
30
31
33
37
42
46
57
72
78
80
85
93
96
1003
16
21
25
38
30
41
46
56
63
I 78
87
88
96
1105
7
18
19
20
25
28
37
45
47
50
45
40

H
NS. PREMS. JNS. PREMS.
1159
74
76
79
80
90
1203
8
13
2ft
34
46
56
76
82
80-
94
95
1303
10
Iff
26
27
218
31
52
56
39
0:
03
60
MMWr- 70
45
45
05
45
45
1415
24
28
35
44
51
61
68
69
70
73
45
NS- PREMS. NS, PRUM6.4NS. PRfiMS. NS. PREMS.
77
80
86
87
94
98
1406
w
45
I05
45
81'
91
92:
98
15Qi
si
13
24
;4*
45
50
52
56
59
68
71
80
N?
95
f-1602
16
21
25
33
39
51
58
105
45
05
45
1664
65
SI
82
84-
87
92
1712
23
20
32
4$
65
' 67
68
84
, W
1800
4-
6.
9'
16
22
24
38
44
51*
56
66
69
75
84
91
1906
7
9
10
2fi
36
4:005
*!5
45
45*93
57'
67
80
82
S3
85
91
2003'
17
3*
.39
40
42
55
56
60
63
09
73
73
76,
87
99
1810*
45
m
n
i
2247
05
1 66"
82
84
12
27
i 35;
3?
5*
53
58
59*
92
96
95
2241
88
90
96
2304
9*
12
25
45
63
aw 7^
-' 77'
80
m
9
10
45
19*
28
34
36
37
38i
41
.47
49
I 50'
56
58
61
75
r 82
90

45 2495
2506
| 7
24
29
37
41
46
51
52:
64
73
80
89
fti
2609'
30
m
_
__
NS. PREMS.

t
*y
.
"51!
" 5

}'.'&-
~4
31
36
sir
53
58
60>
66.
71'
74.
77
86-
87
93
96
99
2308
35
'i t
45 2738
39
50
52
53
50
57
62
65
68
78
73.
89
96
2807,
23
2*
35
48
45'
63
65
H
86>
89
! 97'
m
ooa
3
3
41
43
51
45
5
45
5
45
NS. PREMS.
i
lb;
5
45i

45
- 72
2970
80
96
3015
20
31
40
57
59
64
70
74
77
87
94
99
3100
5
16
18
29
35
38
61
67
;: 82
. 83
88
91
3203
9
10
13
29
47
51
53
61
45
m
45
NS. PREMS.
3262
76
77
79
85
94
3313
16
23
34
36
00
62
04
77
82
89
91
92
96
3400
3
24
26
32
39
43
46
51
60
74
87
88
92
93
' 97
3502
8
NS. PREMvS.
1005
49
5
45
45 3511
12.
14
20-
42
52
53
56
60
07
70
88
93
94
3603
4
8
11
14
15
22
27
30
32
58
74
77
8i
92
94
fliS. PREMS,
45 3723
95
3701
6
14
19
I 23
24
31
34
44
i5 58
45 69
74
75
95
99
3808
1 9
11
17
26
* 28
45 37
45
54
1 56
64
. 67
- ' W
72
. 73
95
3913
16
" 49
56

65
45
5
45
9005
45
sod
45
45
('.;
*
.J--.
hiSSh ]
^.i?..*'>*.
ianiMM*'


HP
ll


8
D&rio dr^Eernambuco Quarta feira 17 de Dezembro do 1873.
JURISPRUDENCE
Jcampaaha concebido pelo
', levar o exercito de Chalous,
c i
itcluloi-io
A RESPEITO DO NK;0(".l> 1)0 MAREC.HAI. BAZAINE
EX-COMMA.NDAME EM.C-llKIE DO-fcHIKRCirO
DO RHES0.
( Continaar/io )
0 intendento em chefe, depois do ter
entradoem.r#lg6os com o inl^ndentu De
Preval, e co^n a commandante Magnan,
dirigio a.20, 4s onze boras e q'larenta
minutos, aogeno nl commandante superior
em Verdun, o seguing telegram ma,* que o
general Dejoeii assignou win ellt) para dar
mais autoridailo Squella communicag&o :
a Encamiuhai desde jd para Montmedy o
comboi > do viveros e d gado. Fazoi partir
para Reims os viveres carregados no wgou
e todas as munigoes. As nnssas informa-
coes sao de tal nalurcza, que nSo po-
demos entrar em duvida a respeito da
npportunidade desta medida.
Logo pela manlia, tmha o iiitendente Do
Freval deterrainado era Charleville a compra
degeneros, mesmo tin Belgica, e tinha
ordeuado que se reunissera grandos quanti-
dades de pao. Km uma palavra, tudo se
preparava para uma gr.uide reuniao de tro-
pas.
Pela sua parte, o ministro dava ordensem
present da retirada do exercito pela linha
dos Ardennes.
A 19. 4s 7 boras da tarde, telegraphou ao
< omraandanti' da praga do Thionville:
Tcnde cautela para quo os preparativos
das minas nao estejam carregados sobre o
caminho de ferro de Mezieros a Thionville,
para que os prussiauos prevenidos Ihes nao
lancem fogo. E' necessario someule ter
polvora, mecbas e meios do as encher, pre-
parados em logar seguro e occultos na
proximidade, para o caso de uma retirada
do exercito naquellla direcgao.
No animo do ministro, nao era poisques
tao a retirada sobre Verdun. Algumas horas
depois, a 20 (meio dia e vinte minutos)
ministro prevcnia o. man-dial Bazaine
daquellas disposigoes re'ativas & linha dos
Ardennes, e recomuiendava que Hie desse
conhecimento do despacho em que as an-
nunciava por todoi os meios possiveis.
Deste modo. desde o dia 20 que o inten-
dente geral Wolff sabia que o marecbal
Bazaine renunciara a dirigir-se sobre Verdun,
e que devia retirar para Montmedy, por isso
que ordenou que se dirigissem para aquella
praga os viveres que se tinham reunido em
Verdun por erdem do marechal.
Estas medidas foram prescriptas evidente-
mente com o assentimento, quanto nSo seja
com a indicagio do commandante Magnau,
que recebeu instrucgdes directas do marechal
Bazaine e do imperadar. Foram ellfs o
unico objecto das preoceupagoes dos officiaes
que esperavam em Montmedy a chegada do
exercito, e que, desde 20 ate 13. tinham
pela sua parte mandado ao marechal despa-
cho sobre despacho, para o avisarem das
medidas tomadas.
0 intendente geral nao pdde dizer donde
Ihe vinbam as informacoes que lhe permit-
tiram dar com tal autoridadeuma ordem tao
grave, e que revelava da sua parte um
conhecimento exacto dos projectos do mare
chal Bazaine.
0 summariomostraque estas informacoes
n&o lhe vinham do exercito do marecbal
Mac-Mahon. Por consequencia, nao lhe
podiam ter sido transmittidas senao pelo
intendente De Preval, nil pelo comnandantH
Magnan. 0 quo se estabeloce alem disso d-
uma maneira incontestavel, e que todos os
preparativos so fizeram em Montme ly sob a
inspiragao dos intendentes do exercito de
Metz, e do ajudante de campo do marechal
Bazaine
Eucontramos tambem a prova no despacho
dirigido aos prefeitos pelo ministro do inte-
rior a 22 de agosto (duas horas e vinte
minutos). NSo tendo o governo recebido
noticias do exercito do Rbeno ba dous dias,
em consequencia da interrupcao das com-
municates telegrappbicas, tern motivo para
ponsar que o piano assentadopelo marechal
Bazaine ainda nao praduzio effeilo.
Vimos precedenteroente que o piano de
rainistroji|rta recebeu aquelle despacho; foij intercep-
a 25^guura tado^,
de Verdun, para combater, a ^^Kre^/' O^qmmarioestabelece, que uma mulher,
Verdun e Metz. 0 aviso da reRrada do Luiza Imbert.t'rahaaidoencarregada de levar
marechal Bazaine para Montmedy indicay^de Metz a Thionville aquelles despachos de
necessariameote aquelle ponto como ncvo 20, e que duplicados foram igualmente
objectivo da m8rcha do marechal Mac-Ma- entregues a um agente de policia chamado
bon, marcha que aquella modificag&o devia Flabaut. Este mesmo homem levou tambem
notavelmeute facilitar. para, o coronel Turnior uma carta do general
Nesta ordem de ideas, era nas immedia- Coffinieres, concebida nestes termos :
coes daquella pcaga, e nao na do Verdun Metz, 20 de agosto de 1870.Meu
que devia operar-se a junccao dos dous^haro commandante. 0 nosso coramissano
exercitos na data de 26. !chegouaqui fielmente. Entreguei-lhe os 50
O intendente geral Wolff fez a cste respeito francos que Ibe bavieis promettido.
as mais positivas aflirmaQdes: P, ssotanto, Se teudes a certeza de poder passar um
ineiios esqueee lo, disse elle no sou depoi-(despacho, podeis dizer quo os prussianos
mento.quantoeccrtoquedurantetodo o dia atacaram o nosso exercito, na planiae de
26, eslive ancioso, csperando a chegada do Armaviliers, a doze kilometros a estc de
exercito. Tendo o intendente de Preval si Jo Melz. Depois de um combate dos mais vi-
man lado directamente pelo marechal Ba-' gorosos, as nossas tropas, cedendo para a
zaiue para preparar viveres ua linha dos direita por falta de cartuchos, se retiraram
Ardennes na altura do Montmedy, e tendo-mo para Metz, eseconcentraramentre Longeville,
avisado do campo de Chalons de ter tudo S. Quintino, Plappeville, le Conpillon, ea
preparado para o excreito de Mac-Mahon no!direita sobre oforte Moselle. E' uma ma
ens data de 26, nao podia posi^ao, atacavel nas duas faces d'este e
mcsmu ponto^
dos dous exercitos
concluir sonao a juncgao
naquella data.
Como affirmativaao depoimcnto do inten-
dente Wolff, encontramos no registro um
despacho que elle dirigio, a 23, its sete
horas e deaesete minutos, ao sub-intendente
militar de Stenay, e cuja exposic,ao annun-
ciava como immiuente uma batalba :
Ileuni tolos os voisos meios de trans-
oe'ste.
Os drussianosestabelecem-se fortemente
em torao, de n6s,e nio nos deixarao muito
tempo para nos refazermos. Temos 11 ou
12,000 feridos na pra$a, e poucos recursos
para cuidar delles.
O general Co/ftiiieres de Nordeck.
Estes despacbos chegaram a Thionville a
21 de agosto ao meio tfia. Tendo o telegra-
port.;, o das immediacies. Fazei guarnecer pho sido cortado havia duas boras (4s 10
os cargos. de pallia, e tende-los promptos
para irein buscar feridos. Convidai os
babilantes a terem preparados caldos.
Ao mesmo tempo o sub prefeito do Mont-
medy maudava aos maires do districto ins-
truccoes, que comeijavam por estas palavras :
lla todo o motivo para acredilar que um
combate lerd lugar dentro em pouco, muito
perlo de nos.
Desta maneira pois, em Montmedy e oas
immediacies, continuava-se, desde 19 ate
26, a preparar tudo para a juncgSo dos dous
exercitos francezes.
Despachos mavdados pelo marechal Ba-
zaine a 20 de agosto. De Metz mauda-
ram-so na tarde do 20, tros despachos, de
que j4 tivemos occasiao de fallar, destinados
ao imperador, ao ministro e ao marecbal
.Mac-Uahon. A sua importancia obriga-nos
a reproduzil-os integralmeute pela segunda
vez :
Ao imperador. As minbas tropas occu-
pam ainda as mesmas posi^oos. O iuimigo
parece estabelecer baterias que devem servir
para apoiar o seu ataque. Recebo constan-
lemente reforcos. O general Margueritte foi
morto no dio 16 ; temos na prac,a mais de
16,000 feridos.
Ao ministro da guerra. Lstamos em
Metz, foruecendo-nos de viveres emunicdes ;
o inimigo augmenta sempre e parece come-
gar a iuvestir-nos Escrevo ao imperador,
que vos dar4 conhecimento da rainha carta.
Recebi despachos do marecbal Mac-Mahon,
ao qual respondi o que conto poder fazer
dentro em poucos dias.
Ao marechal Mac-Mahon. Tive de to -
mar posi^ao proximo de Metz para dar des-
can^o aos soldados, e para os fornecer de
viveres e de muniijoes. O inimigo engrossa
sempre em volta de mim, e seguirei prova-
velmente para me reunir a vos na linha das
pragas do norte, e vos prevenirei da minha
coarcha, se todavia a poder emprehender
sem comprometter o exercito.
E' inutil insistir nadifferen^aessencial que
existe entre o ultimo destes despachos e os
ootros dous ; este s6 contem uma nova for-
ma qne podia suspender a marcha do
marechal Mac-Mahon e fdzercessar ou demo-
rar a execusao dos preparativos que se
proseguiram em Montmedy.
O marechal Bazaine,. nos seus interrogato-
r's, fez sobresahir o caracter especial das
demais communicacoes que trrnsmittio ao
marecbal Mac Mahon ; sao instrucijoes dadas
por um chefe ao seu subordinado. As ou-
tras informacoes eram simples avisos. O
despacho para o marechal Mac Mahon
apresentava pois um interesse capital.
Infelizmente o marechal Mac-Mahon nur.ca
l7Cse:ia soa&xi
. MEMORIAS DE SATANAZ
boras e 15 minutos da manha), o coronel
Turnier fe-los partir iatmediatameuto pelo
Sr. Guyard, commissario de policia canto-
nal para Longwy. Eutregou ao mesmo
tempo uma c6pia dessos despachos a Mr. de
Bazelaire, discipulo da eseola polytecbnica,
que se dirigio para Paris. Aquelle mancebo
expedio-os no dia seguinte pela estacaotele-
graphica do Grvet. O annexo relativo 4s
communicagoes contom 4cerca de expedi dos despaclus de 20, detalbes multiplicados
em que se deve sobreestar para nao inter-
romper a exposig4o geral dis factos.
0 despacho destinado ao imperador chegou
4s suas maos 4s 2 horas e 12 minutos da
tarde, por intermedio do commandante da
praga de Longwy, o coronel Massaroll. O
que era dirigido ao ministro da guerra foi-lhe
entregue 4s 2 horas e 30 minutos, pela
mesma via.
Este despacho foi transmittido directamen-
ta ao imperador por inspectors delegados
do estaJo maior em missSo em Longwy. O
imperador fe-lo chegar 4s m4os do ministro
4s 8 boras e 35 minutos.
O coronel Massaroll nio dirigio directa-
mente ao marechal Mac-Mahon o despacho
que lhe era destinado. Foram os inspecto-
rs delegados que tomaram conta delle,
que o transmittiram ao corouel Stoffel, chefe
da seccao das informacoes no estado-maior
do marechal Mac-Mahon.
Eis-aqui o seu texto official:
Longwy, 22 de agosto de 1870.4 ho-
ras e 5'i minutos da tarde.
* Ampliagdo.Os inspectores delegados
do estado maior ao coronel Stoffel, aggrega-
do junto de S. Exc. o marecbal Mac
Mahon.
Julguei dever tomar posigio... O co-
ronel commandante da praca de ThiooYille,
assignado, Tournier.
Temos em nosso poder o original; des-
pachos mandados ao mesmo tempo 4 sua
magestade o imperador pelo coronel Mas-
saroll, commandante da praija de Longwy,
que fazem conhecer as posigoes que occupa
o marechal Bazaine. Ser4 necessario entrar
de novo ? Resposta j4. Assignado Ra-
basse e Mies.
Recibo le Longwy (sem se indicar a
hora ). Reims, visto.
Este despacho n&o chegou nunca 4s maos
do mareciial Mac-Mahon.
Interrogado a este respeito, o marechal
respondeu :
Este despacho e bastante importante,
para me tornar responsavel, se tivesse co-
nhecimento delle, mas nao me recordo de
maneira nenhuma.
Da mesma maneira que o marechal, tam-
bem nao tiveram conhecimento daquelle
despacho os officiaes do seu gabiuete, os
coroneis Abzac e Broye.
Emquanto 6 despacho de 2) de agosto
para o marechal Mac-Mahon lhe oao era
entregue, o que foi expedido ao imperador
pelo mesmo correio chegava ao seu destiuo.
O marechal, |0 qual se perguntou se tinha
tido communfcagao do despacho de 20 ao
imperador, respondeu :
Lembro-me que o imperador me fez
saber que tinha morrido o goneral Marga-
ritto ; mas nao me recorJo que elle mo
tenha communicado o despacho todo.
Todavia, o despacho destinado ao mare-
chal tinha silo expedido ao coronel Stoffel
pelos Srs. Rabasse e Mies, inspectores dele-
gados de estado-maior, como so ve pela mi-
nuta que foi reproduzida.
Quern eram os inspectores delegados do
estado-maior ? Eram os agentes da policia
de seguranga quo tinham sido pedidos, no
dia 18, a Mr. Pietri, pelo coronel Stoffel.
O coronel S.offel tinha dado, a 20 de
agosto, instrucgdes aos agonies Rabasse i
Mie"s, pura procurarein chegar ate junto do
marechal Bazaine, e para reeeberem os
seus despachos; tiaha-lhes nscommenda-
do que Ibe dirigissem pi'ssoalmente tod s as
informagdes que pudessem colher.
Aquelles agentos dirigem-se para Longwy,
onde chegaram ao mesmo tempo que o Sr.
Guyard, seu collega, que vinha de Thion-
ville, sendo portado* do quatro despachos de
20. Tomam posse do expedientc, por copia,
para o coronel Stoffel, recebem d'aquelle
official superior aviso da chegala dos des-
pacbos, e ordem para voltar ao exer-
cito.
Reunem-se a elle a 26 em Rathel, e entre-
gam ao coronel os originaes de que toram
portadorcs.
0 despacho chegou pois, pelo menos duas
vezes, por via do coronel Stoffel ; a 22
quando chegou pelo telegrapho, e a 26,
quando os agentes lho entregaram em mSo
propria o original.
Dizemos pelo menos duas vezes, porque a
expedigao feita pelo joven do Bazelaire nun-
ca chegou, e deve tambem ter sido inter-
ceptado pelo coronel Sioffoel.
Interrogado sobre este ponto, o coronel
Stoffel desculpou-se primeiro coma falta de
memoria ; depois contestou a impos:ibilida-
de de semelhante incidente. Iustado c i la
vez mais, negou, mas de u.n modo muito
embaragado
O conjunct) ta j complexo de prgvas nao
deixa a monor duvida sobre este ponto. O
corouel Stoffel interceptou o despacho diri-
do ao marechal.
Ora, ser4 admissivel que elle tenha ousa-
do tomar sobre a sua responsabilidade um
semelhante' procedimento? Ninguem se
poderia demorar por um instante n'esta
idea. Deve ter evidentemente recebido or*
dens para esse iim. De quera as teria ?
Quern o poderia dizer? Seja como fdr,
associando-se a um piano destinado a euga-
nar o seu preprio chefe, a quern dtjvi* a
verdade, mais do que a ninguem, e como
official do seu estado-maior particular,
como encarregado do servigo das informa-
goes, o coronel Stoffel commetteu um acto
inaudito. a
Este facto poder4 tomar no decurso dos
debates uma importancia consideravel, por-
que ha de certamente ser iuvocado para al-
liviar o marechal Bazaine da parte da res-
ponsabilidade que sobra elle pesa a respeito
da catastrophe do Sedan. Ainda que o ma-
rechal seja completamente estraubo ao pit-
no que reteve o despacho do 20, dirigido
ao marechal Mac-Mabon, fica a cargo d'elle
ter guardado silencio nos seus despachos
do mesmo dia para o imperador e para o
ministro da guerra, sobre o ponto essen-
cial de que daria aviso ulterior, annuncian-
do o movimento do exercito de Metz. Por-
que lhes nao indicaria elle aquella ristric-
gao t4o importante, de que faria mengJo no
seu desp.ieh i ao marechal Mac-Mahon?
Nio deveria elle igualment* a verdade ao
imperador e ao ministro ?
E' justo accressentar que o marecbal
Mac Mahon, a quem se perguntou se, tendo
recebido o despacho que tormina com es-
tas palavras: eu vos previuirei da minha
marcha elle teria marchado.ese nio teria
os commandantes de oorpos para ouv?r as
julgado indispensavel esperar novo avisj do j^ 0pini6es a respeito lla situacSo.
marechal Bazaine, respondeu que conscien- Decidio-se na cooferenxia que teve lugar'
POR
D.Uanoel Fernandez yGouzalez
PRIMEIRA PARTE
O GRAN-CAPITAO.
(ContinuagSo do n. 286)
XXV
DC COMO NAO ERA FAC1L FAZER CAHIR O GRAN-
CAPITAO n'uma ratoeira
Voltemos 4 cruz da Buena-dicha na occa-
siao em que Orsini e Pedro de Napoles,
unidos pelo perigo, se preparavam para fa-
zer frente ao esquadrSo de langas que vinha
de Roma.
A' frente. d'aquelle esquadrSo, montado
em um soberbo ravallo, empunhando uma
forte langa, vinha o gran-capitao rodeado
pr. aljjuns capitSes e cabos da sua gente.
Por S. Lazaro, nosso patrono, capitfto
T'lescas, disse Gonzalo a um velho veterano
jue is 4 sua direita, parece-me que esses
nlloes seatrevem a cortar-nos o caminho.
Deve ser a gente de Orsini, respondeu
: capitao Klescas.
Pois com esses canalhas n5o ha que
parlamentar ; visto que nos impedem o ca
ninho, invistamos com elles e demos-lhes
um bom repellao. 014, alferes Arevolo,
inande 4s trombetas que toquera ao assalto.
A. elles Santiago e Hespanha !
A este grito de guerra solto com voz to-
i ^nte pelo gran-capitao, unio-se o clamor
das trombetas hespanholas que tocarara ao
Ho, e os cem homens de armas que
iam <:orn-o gran-capitSo, enristaram as'Ian-
i^S, .iiclinaram-se S'ibre argoes, apnrta-
ram as esporas, e.o esquadrSo avaugou iM> uno I'ii.jo ona primeira investida atropellou
' em Jesordem o esquailrio de Orsini.
Q; bandidos do Rora, us bravi convnr-
is m homens de armas, nSo podiam re-
s soldados vellios do Castella, haoi-
! 9 a euijiregos mais difliceis, sub o
) nndocto pessoa do Gonzal > do C6r-
ei..m lovaio dianto dc si uma mura-
i. quaatu mais aquella turba multa do
is. mais habituados ao assassinato
sorpreza- em quairilba do que au
Ko momento em quo o esquadrSo de
Orsini foi dostr gado, viram-se alguns caval-
leiros que se afastavam 4 redea solta, uns
na direegfio de Albano, outros atravez dos
vinbedos quo cobriam as collinas.
Enti e aquelles homens que fugiara, con-
tavam-se Pedro de Napoles e Dominico.
Por um momento, Pedro teve a idea de
avangar sobre as ruinas do mosteiro das
Santas Virgens, arrebatar d'ellas Angiolina
e valer-se da joven como de uma arma para
uma nova inlriga que podia ser mais feliz
do que aquella que acabava de ser aniqui-
lada por uma reuniao de coincidencias.
Encontrou-se, porem, sozinho com Do
minico que se juntara a elle como a som-
bra do corpo.
Angiolina estava bem guardada, e alem
d'isso nao era prudento deter-se e dar occa-
siao a que lhe cahissem em cima os vence-
doresque seguiam avangando pelo cami-
nho.
Pedro de Napoles chegou esporas ao ca-
vallo e continuou correudo sem outra di
recgSo senao a do lugar onde se achasse a
salvo.
Nao eram todos os soldados do esquadrSo
castelhsno, os que seguiam correudo sem
parar pelo caminho de Veletro.
A metade do esquadrSo ficara por ordem
de Gonzalo de Cordoba com o capitao llles-
cas e alguns outros cabos occupados emj
destrogar os pouco? homens que lbc resla-
vam.
Gonzalo com outro meio esquadrao, isto,
Ah 1 vossa senhoria e o Sr. duque d
Sessa ? disse avangando um dos frades.
0 mesmo era pessoa, a nio ser que
ao penetrar n'estas ruinas me tenha con-
vertido em alma do outro mundo.
E que pretende vossa senhoria ? per-
guntou o frade.
Quero que se me entregue iramedia-
tamente uma dama que ost4 captiva n'estas
ruinas.
Sabe vossa senhoria que nSo posso
cumprir com o que me manda ?
0 que sei 6* que se me nao obedeces,
raando-te enforcar em uma d'essas columnas
com o cordao do teu habito.
Isto e uma traigSo, replicou o frade ;
verdadeirameute eu nSo me comproraetti a
^ciosamenteQ provavel que mesmo depois
da recepgSo d'aquelle despacho, elle tives-
se continuado a sua marcha sobre o Meuse,
salvo ver o quo tinha a praticar quando alii
chegasse.
0 summario nao tem mais do que currar-
se dianto d'esta declaragSo generosa. Mas
se a suppressao do despacho de 20 nao fez
souSo poupar novas hositagoes ao marechal
Mac-Mahon, nao poderia alliviar o marechal
Bazaine Ja responsabilidado primitive da ca-
tastrophe da Sedan.
Entretondo o governo com os seus pro-
jectos de sabida, continuando, uma vez en-
trado em Metz, a queixar-se de penuria de
viveres e munigoes, de maneira a fazer re-,
ceiar um desastre iinmcdiato, nSo rectifi-
cando as suas primeiras assergoes, 0 mare-
rechal Bazaine devia determinar esforgos des-
esperados para se ir em seu auxilio. Se
esses esforgos produziram uma catastrophe,
como poderu elle fugir 4 responsabilidade
de a tor provocalo?
Vamos ver tambem essa responsabilidade
aggravada pelo procedimento que teveo ma-
recbal Bazaine, se tivesse ido informado da
marcha do marechal Mac-Mahon.
0 marechal teve, effectivamente, conheci-
mento d'aquelle movimento, e todavia con-
servou-se immovel e nSo teutou cousa algu-
ma corn o proposito de diminuir o perigo cx-
tremo a que se expunha o seu lugar-tenente
para ir soccorrel-o.
Chegada em 23 a Metz de um despacho
annunciando a marcha do exercito de Cha-
lons.Numerosos emissarios tinham sido
oxpedidos para Metz, afim de avisar o mare-
chal Bazaine da situagSo.
A imperatriz e o ministro da guerra ti-
nbam-uos feito partir. Foram mandados
de diff-rentes pontos da linha dos Ardennes
pelo general Dejean, pelo intendente geral
Wolff, pelo intendente De Prevat, pelo com-
mandante Magnan, e polo capitao d'estado-
maior Tossent.
0 summario mostra que um emissano
chegou ao quarlel general na tarde de 23.
Eisaqui em que termos se expressa o corouel
Lewal no seu depoimento :
A 23, de tarde das 2 para as 3 horas,
um correio civil entragou-mo um despacho
enrolado; levei-o iramodiatamente, como
costumava ao marechal Bazaine. Pergun-
tei-lhe se nao tinha nada que raandar pelo
correio, respondeu-me que nSo, e que de-
morasse o homem. Saudei-o para me reti-
rar, quando o marechal mo disse : Espe-
rai, vamos *ero que diz este despacho .
Abriu-o, e leu-o em voz alta; indicava
um movimento sobre o Meuse do marechal
Mac-Mahon. N'essa occasiSo, conhecendo
quasi a posicSo dos exercitos inimigos, Qquei
ferido pelo perigo que corria o eiercito de
Chaions, po'Iendo ser atacado d flanco por
forgas superiores, e exclamei: Senhor
marechal, e necessario marcharj4 .0 ma-
rechal replicou-me: a J4, e muito depres-
sa __ Quero dizer amanha, accrescentei
eu 0 marechal allegou necessidade de
fornecimento de viveres e municoes, quele-
vavam muito tempo. Iosisli para que es-
sas operagoes se fizessem rapidamente, dili-
genciando fazer sobressahir a urgencia da
marcha. Pedi ao marechal que suppriinis-
se completamente to las as bagagens ; tive-
mos uma discussSo a este respeito. Esta
conferencia terminou, e o marechal disse-
me : Eu ro faroi cbamar qttando tiveft-
mos de estudar 6 movimento da marcha .
A'.pergunta frita 80 coronel Lewal, se a
data de 23 se ligava na sua idea a outras
circumstancins, aquelle official superior res-
pondeu : Devia eu preparar tudo quanto
dizia respeito 4 ordem ; tinha de fallar com
o coronel d'A'ndlau, que era o chefe da sec-
gSo do movimento
Interrogado a este respeito, o corouel
d'Andlau respondeu o seguinte :
No dia 23, tive occasiSo dc conhecer
que o coronel Lewal estudava um projecto
de sahida pela margem direita. Communi-
cou me esse projecto. 0 exercito poz-se em
movimento, como se sabe, na manhS de26...
Cuegaudo ao campo, o marecha 1 convociu
que
4quelle respeito, quo o movianento proiectado
naquelle dia fosse adiado, e nds tivemos de
voltar aos nossos acampamentos. Todos
estavtm iurpreiendidos do que se passava/
e como eu manifestei este sentiraento na
prosenga do coronel Lewal, elle respon-
deu me i Tudo isto e" mais triste do que
pensais ; porque o marechal sabe por um
despacho recebido a 23. que Q njarecbal^
Mac Mahon esti em marena para vir em seu
auxilio.
Contou-me errtao que naquelle dia 23,
tinha cbegado ana cmissario, portador de um
despacho enrolado. Accrescentou, que
tendo-o levado ao marechal, este o tinha
desenrolado, e o tinha lido em voz alta
diante delle. Aquelle despacho annunciava
a marcha do marechal Mac-Mahon na
direcgSo de Metz. >
0 marechal Bazaine negou com a maior
energia ter nunca recebido o despacho de
que fallam o coronel Lewal e de Andlau ;
assegurou que os seus officiaes estavam em
erro, e que o facto dc que elles dSo teste-
munho de so lembrarem, se refere a 29 de
agosto, e nSo a 23. Recouhece cemtndo
tor recebido um despacho a 22 ou 23 ; mas
accrescenta que foi o que dirigio o marechal
Mac-Mahon, a 19, do campo de Chalons, o
qual e concebido nestes termos :
o Se, como creio, fordes forgados a reti-
rar proximamente, n&o sei a que distancia
estou de v6s, e como hei de ir em vosso
auxilio, sem descobrir Paris? Se pensardes
de outro modo, fazei-m'o saber.
Repetio muitas vezes esta assergao. En-
contramo-la na sua obra: 0 exercito do
Wieno. Repetio-a no seu depoimento peraute
o conselho de inquerito, na sua memoria
justificativa, e finalmente no seu interroga-
torio.
0 capitSo do Mornay Soult, official de
o-denangas, veio confirraar o que dizia o
marechal.
Escreveu ao marechal Baraguay d'Hilliers,
chamado porante o conselho de inquerito,
e depois peraute o relator. Entrou nos mais
circumstanciados pormenores : o despacho
recebido a 22 ou 23, era o do marechal Mac
Mahon de 19, o nSo p6de ser nenhum ou-
tro ; affirmou que era effectivamente a pri-
meira co.amunicag&o vinda por emissarios
depois da interrupgSo do telegrapho; que
ale entSo nio tinha cbegado um unico.
Concebe se o interesse que o marechal
teria em apresentar uma explicac&o que
destruisse os testemunhos t&o concludentes
dos Srs. Lewal e d'Andlau ; mas esta expli*
cag&o, formulada com tanto cuidado, um
facto material demonstra peremptoriaroante
que 6 nulla.'
0 despacho de Mac Mahon de 19, n&o
chegou senio a 22 ou 23; foi levado a 10.
4 estag&o telegraphic* pelo guarda rural
Dechu, e transmittido immediatamente ao
marechal por Mr. de la Vasselais, director
do telegrapho; ainda mais o marechal
escreveu com o seu proprto punbo, no ori-
ginal mandado pelo director do telegrapho,
a minuta da sua resposta dntada da 20,
transcripta no registro da correspondencia,
e expedidada no mesmo dia para Thionville
pelo omissario Flabaut. Este documento
existe no processo.
praticar impossiveis, e n&o tenho a culpa
d'isto. Consiste tudo em saber-se que essa
senhora esta" aqui; n&o posso defende-la,
nio devo niata-la e portanto vejo-me obri-
gado a entrega-la. Qua diabo hei de eu fa-
zor contra o gran-capitao que me cahe em
cima com um acompanhamento t&o respei-
tavel ? Queira seguir-me senhor duque.
E metteu-se pela arcada.
Entao, quatro frades que o acompanha-
vam, muaidos de tochas, uforam adiaate al-
lumiando.
A arcada era sombria, ramiQcava se,
'.orcia-se e descia pelo terreno.
0 gran-capitao notou pela humidade do
ambiente que caminhavam por baixo do
ch&o.
Desceram mais algumas escadas, entra-
e, com cem langas, ia em direcgao as rui- ram n'uma galeria estreita, na qual havia
nas do convonto das Santas Virgens, onde algumas portas e o frade que ia adianto,
se dizia que estava Angiolina. parou diante de uma d'ellas, abriudo-a com
Alferes Arevalo, disse Gonzalo quando uma chave que lirou da manga do habito.
estiveram proximos das ruinas, corra & to- Queira entrar, meu senhor, esta aqui
da a brida com sessenta homens e cerque a dama que procura, disse elle.
esses muros derrocados, prendendo todo e Gonzalo entrou e encontrou-se n'um re-
qualquor homem que saia d'elleo. Alferes cinto humido, estroito, de abobada, no qual
Majuelo venha c migo e os f uarenta ho- havia um leito, uma mesa, algumas cadei-
mens restantes. Cinco minutes depois, as ras e um tapate encharcade pela hurai-
ruinas estavam cercadas e o gran-capitao, o dade.
alferes Majuelo e as quarenta langas apeia- Quando Gonzalo de Cordoba entroa, uma
vam-se dentro das ruinas. mulher que estava sentada sobre o leito,
Segurando os cavnllos ficaram dezsolda- uma joven formosissima, Angiolina Crespi,
dos, e Gonzalo, o alferes Majuoio e os ou- correu, para elle, langou se-lha nos bragos
trus trinta, tendo deixado as langas, avan- eexciamou com alegria delirante:
garam para uma arcada, por ondehaviam Ah 1 e o duque ? Dar-so-ha caso que
apparocido alguns fra Is com-^chas. on esteja li*re T Nio term nada mais a
Ah 1 tenos que tratar com almas pe- temer? Obrigada, meu araigo, n&o espe-
ualas, disse o gran.capiiao Su^aiafo uma rava tauto. Que ho. rivets quuize dias !
vamtis, ^.iiiiorai aimas do ou- Julguei que enlouquecia. Agora nio me
Icixe n-so Ah I nSo, nSo se apartard mais de mim, e
se nSo quizer amar-me, so n&o quizer ter
me ao seu lado, ponha-me debaixo da pro-
tecgao do santo padre e faga com que elle
me encerre n'um convento.
Angiolina pronuneiara aquellas palavras
com precipitagSo febril, fixando o olbar ar-
dente no gran-capitSo que estremecia.
Nunca The parecera tao formosa Angioli-
na. Estava vestida do mesmo modo que
na noite em que elle a encontrara na torre
dos Tres-Enforcados ; porem o seu trajo es-
tava manchado pela humidade.
Saiamos d'aqui quanto antes minha
senhora, disse elle. e encaminhemo nos para
a proxima povoagSo do Veletri. Alii encon-
trar4 um aposeoto digno de si, e veremos
entSo o que se deve fazer.
Oh I sim, saiamos quanto antes d'esta
caverna horrivej em que julguei morrer de
horror e de frio ; tenho ancia de respirar
oar puro.
E deu o brago ao gran-capitao.
Sahiram, e precedidos pelos cinco frades
que allumiavam, percorreram aquelle es-
treito reciuto, subiram as escadarias, avan
garam pela arcada e acharam-se afiaal a
descoberto, entre as ruinas, allumiados pela
luzdi lua.
0 alferes Majuelo e os trinta homens de
armas, eguiam a passo, acompauhando o
grat.-capitao e Angiolina.
Emquanto aos frades, ou por outra, cm
quanto aos esbirros de Lucrecia, que ate1
entao haviam guardado Angiolina, no mo-
mento em que esta, Gonzalo d os homens
que os acompanhavam estiveram fora da
arcada, desapp'ireceram por entre as ruinas.
Vao com Dous, disso 0 gran-capitao ;
n&o ha nada a dizer, porque foram doceis
como cordeiros.
Angiolina aspinva com prazer o ar per-
fumado do campo.
Como soubo quo eu estava aqui ? per-
guntou ella a Gonzalo.
Armavam-mo um lago, ou para melbor
dizer uma ratoeira de que asenbora. era o.
engodo ; porem o. rato fez em pedagos os
que queriam apanha-lo e foi tudo com o
diabo. Estou conteote, viva Deus salvei-a
Demais, o despacho do marechal Mac-Ma-
hon. sendo escripto em cifra, nSo podia ser
senao o que o marechal desdobrou e lou em
voz alta diante do coronel Lewal.
Mas em presenga das provas materiaes de
inexactidao das suas declaragdes e das do
seu official de ordenangas a esto respeito, o
marecbal voltou nos seus ultimos interro-
gatorios 4s suas precedentes assergoes.
Explicou-se nestes termos:
Ouvi dizer, quando cheguei da Alleraa-
nha, que se pretondia que eu tinha recebido
a 23, um despacho do marechal Mac-Mahon,
no qual me prevenia do movimento que ia
executar a 22 para Este.
(Continual-se-ha).
Uma [carta disse Angiolina com es-
tranheza ; eu nao recobi nenhuma carta
sua.
Prova isso que essa carta foi deixada
no seu aposento para me comprometter,
para que se julgasse que era eu quem a ti-
nha raptado. Mas, se n&o leu aquella carta
como foi que sahio do palacio da duqueza
de Urbino ?
Eu estava louca, haviam-se suueedido
tantas cousas terriveis h'aquella noite... vi-o
e Qquei fascinada.
Ameagava-me o furor d$ Jeronymo Sa-
vonarola, fflra abandonada cobardemente
pelo duque de Gandia, a unica pessoa gene-
rosa que eucontrava junto a mim, era o
senhor ; n&o sei como isso foi, mas em
quanto fallavamos sentia :por si o quer que
fosse parectdo com o amor, o quer que fosse
de mais elevado do que havia sentido por
Jeronymo Savonarola. 0 duque olhava
para mim de modo tal que parecia estar
namorado de mim, exactamente como me
osta olhando agora.
E' porque i-ontemplo a mulher mais
formosa que tenho visto na minha vida.
E o duque e o unico homem de quem
me tenho recordado com mais amor. Quan-
do me separei de si, senti uma ddr immen-
sa, pareceu-me que o nao tornaria a ver ;
por isso, quando um homem qufe comecsra
por cantai debaixo das janellasJBo meu apo-
sento, me disse que o duque^esperava por
mim, julguei que aquelle homOpi era um juelo.
OU onviado seu e segui-o. Metterara-rae V'
n'uma liteira e desde entao estou prisionei-
ra. Ah I Lucrecia araa-o, gozou com a
minha Josesperagi), doixou-me comprehen-
I der que com ciaraes meus, me raptara para
me afastar do si, Gonzalo.
Oh I que nova infamia I exclamou o
gran-capit&J ; so essa mulher nao 6 o pro-
prio satanaz, e pelo menos sua filha.
0 duque nao sabe qu&o terrivel 4
Lucrecia Borgia ; eu tremia, receiava ser
envenenada com as refeigoes que ma apra-
seutavam, c so oomia quando me obrigava
afonae. Tenho soffrido muito, porem dei-
sarei de soffrer, por isso que o duque n&o
mais se auarta-4 de mim.
gargalhada
trc
muado,

m fallar*de boa v.mtade cote c Sr

ra que linua empenhado com sou pai
Que diz ? exclamou Angiolina ater-
rada.
Uma carta falsitLaJi tao habilmerile,
que, se so tratassc de outro aasum'pto u teria
reputado minha, foi oncontr.i la no sen
e posso satisfazer um compromisso de hon- Ifaqiielle momento chegavani ao suo
onde estavam os cavallos.
Ao raosmo tempo rhegivam dous iiavaL-
hoiros, e u.n d'ellas disse ao gran-capitao
ran- seria expor-me 4 vinganga de Lucrecia, a quarto abandonsJ0, no pa! -s T86
.wlera de meu pai, i raiva de Savonarola, "de Urbino. (dado, nada tenho a dizer
"bado por ima lancada. foi presoe r&co-
nrweeu-se ser o Sr. Genaro Orsini.
ipp nhn qtie estar4 hem guar-
Si'ii&a que O Ta-
vern para Veletri com os outros dos seus
que ficaram prisioneiros.
S&o trinta, e ha mais cincoenta ho-
mens entre mortos e feridos.
Parta atbda a brida e mande que o
resto da nossa gente conduza os prisionei-
ros a Veletri.
Os dous cavalleiros partiram a todo o
galope.
Gonzalo raontou, .collocou Angiolina no
argao da sei la, os homens j;le armas monta-
ra.n a cavallo e dirigiram-se para a povoa-
gao que iicava proxima.
Antes de chegarera, os quatro homens
que iam na vanguards descobrindo o terre-
no, pararam.
Pouco antes de chegar a Veletri, junto de
uma casa isolada, haviam encoutrado um
esquadrao de quareuta- langas aproximada-
meote, que esperava a pe firme.
V4 reconhecer aquella gente, alferes
Majuelo, disse o gran capitSo.
0 alferes avancoa com alguns homens de
armas.
Do esquadrao que esperava, avangaram
ate ao meio do caminho, outros tantos ho-
mens.
Quem sao? perguntou o alferes Majuelo
aos que Ihe sabiain ao encontro.
Homens de armas da duqueza de la
Roumania, respondeu 'Francesco Buotti. E
os souhores quem sae?
Hespanha, respondeu o alferes Ma-
em na sua companhk o Sr. duque
de Sessa ?
Vem.
Pois vou fallar ao senhor duque, disse
Buotti avangando sozinho e chegando pou-
co depois como alferes Majuelo 4 presenga
do gran-capitao.
Guarde Deus a vossa senhoria, disse
Buotti levant* nJo a vizeira ; n&O me co-
ubece ?
Ah I e o capitao dos homens de ar-
mas da Sra. Lucrecia Borgia T
Um servo seu.
E que faz entao por aqui tao carrega-
do le ferro, Sr. Francesco ?
Vim com a minha senhora.
Ah Ta duqueza esti aqui ?
Si-o, senhor, H'aquella casa isolada.
E que faz por estas sitios ?
\ eio entregar-so a Genaro Orsini em
Senhor, i chefe dos inimigos, derru- penbwr de uma reconeiliagao com o santo
aadre.
Cimtomar-ie-Vifl.
/
1 IHBB 1
"tYL:D0 DIAIUO. -ai'A DCfJUS UE CA&laS.
j 1

-.

v"
r