Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20009

Full Text
zL.
!
110 XLIX. NIMERO 287
I
I
PARA A CAPITAL E LUCASES OXDE SAO SB PAA POBTE.
for tros mezes adiaiitados......... aiuum
Jor seis ditos idem............ .... iSono
Por urn anno idem.......... JSSnn
Cada nuraero avulso......... ....... 84*}0
SEGUNDA FEIRA IS DE DEZEMBRO DE 1873
PABA IIEVTKO
Por tret mezes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por note ditos idem .
Por um anno idem
E FOB A DA PRO VISCI A.
69750
189600
809*60
*T9000
BE MANOEL FIOIEIR0A 0E FARIA & FILH0S.
Gerardo Antomo Alvesd Fdhos.no Para; Goncaires A Pinto, no BaranhJo; Joaqnim Jose de Olireira AFilho, no LW;iiitonio de leruus Bra no Aracatv Joa IV r. M
Pereira d'AImeida, em Mamanguape ; Aueusto Gomes da Silva Par.hvh. in, r rnl,, I *' J -m Jal10 ^"^ o Assd; Antonio Marques da SUta, no Ratal; Jorf Jnrt
| pe Augusto Gomes da Suva, M Parahvb. Antocuo Jose Gomes, na Yflla A Penha; Belannino dos Santos Bulcao, em Santo Antao ; Dpmingos Jose da Costa Braga. em Kaiareth:
_________________________ Antomo Ferrer deAgmar, em Goyan__}Joao Antonio Machaeo, no Filar d. AH***, Aires d C, n. Bahia; e LeiterXerquinho d C. no Rio /de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Gorerno la proviuuia.
DK 1873.
KX.-SIXEKTE DO DIA 27 DE SETSMDBO
2.' seccao.
Actos :
Te5.pIe3iien.te da Pr("vi>cia, a viata do offlcio
u. 1,681de 26 do corrente, do Dr. chofe de poll-
ma, resolve declarer sem effeito a portaria que de-
miltio o cidadao Antonio Ulysses da Slrta Peixoto
do cargo de subdelegado d> f districto d&xtenno
de Exu. e bem assim a <|ue oomeia para-^sj car-
^ i o alferes Joaquim Apridio Rosa da Costa.
O presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia, em offl-
cio n. 1681 de 20 do corrente, resolve nomear o
Alferes Joaquim Apridio Rosa da Costa para o
.argo de subdelegado do dislncto de Grauito L"
do termo do"Exu, em iagar de Cezario de Souza
Leao nomeado adjunto do promotor m dito
termo.
0 presidente da provincia attendendo ao que
Juquereu o capitao do balalliao n. 2) da guarda
nacional do municipio de Santo Antao. Joaquim
de Barros Correia de ijasiroz, e tendo em vista a
intormacao do commandante superior respectivo
em offlcio datado de 23 do corrente, resolve, de
conformidade com o dispose no art. 63 da lei a
02 de 19 desetembro de 1830 reformal-o no me-
mo posto.
0 presidente da provincia, attenlendo a pro-
posta do major commandants do 6" osquadrao de
oavaUaria da guarda nacional do raunicipio do
Cabo, o a informacao do commandante superior
resaectivo em offlcios ns. 60 e 71 de 6 de maio e
4 de julho ultimo*, resolve.de conformidade com
o art. 48 da lei n 602 de 19 de setembro de 1850
nomear para o referido esquadrao os officiaes se-
parates :
! companhia. Alferes, o guarda Jose" Joaquim
de Araujo Pac eco.
** de Souza Leao Junior.
O presidente da provincia, alteudendo a pre-
posta do tenente coronel commandante do bata-
lhao n. .27 de inrantaria da guarda nacional do
rauwcipio de Caruarii e a vista da informacao do
commandante superior respectivo em offieio de 27
do Inez proximo passado, resolve nomear, de
ronformidade com o disposto uo art. 48 da lei
n. 602 de 19 de setembro de 1850, para o dito
batalhao o* officiaes seguintes :
E?ft_omxai?r -T?nen'c cirurgiao, o alferes Ma-
noel Thome Alves do CoUk>.
t' companhia. Alferes, o guarda Manoel Ro-
dri^ues Porto. ?
0 presidente da provincia, attendendo a pre-
poa.a do commandante do >J batalhio de infanta-
iia da miarda nacional do municipio de Olinda, e
a vista da informacao do commandante superior
leapectivo em offlcio de honieru daudo, resolve,
Ja couformidade com o disposto no art. 48 da lei
.. dito batalhao os offlciaas seguintes ;
K-fado inaior. Terutf.to quarlel-mestie, o al
tres Joao Jose da Silveira.
2* companhia. Alferes. o 2* sargento Jose llu
Una Torres
- 3' companhia. Cipitao, o tenente Joaquim
Cezario da Roza ; tenente, o alferes Antonio Sa-
bino Torres.
4* companhia. Alferes, o 1 sargento Miguel
tontoura.
8* companhia. Alferes, o guarda Custodio da
Silva Pessoa.
0 presidente da provincia, attendendo a pro-
poitado major ommandan:e do2esqu3draode ca-
vailaria da guarda nacional do municipio do Re-
cife, e informacao do eommandante superior res-
pectivo, em offlcio n. 651 de 19 de julho ultimo,
resolve, de conformidado com o art. 48 da lei n.
602 de 19 de setembro do i50, nomear para o
referido esquadrao os offJiiaes seguintes :
! companhia. Tcncn:o, o alferes Maooel do
Niscimeoto Pereira.
2 companhia. Capita >, o tenente Roque Ja-
cintho de Oliveira e Sonz..
0 presidente da prov.u:ia, attendendo a pro-
p.sta do tenente coronel commandante do 1* ba-
talhio de infantaria da vuarda nacional deste rnu-
L.cipio, e ao que informou o commandante supe-
ncr respectivo em offlcio n. 697 de 16 do corrente
i e?olve, de conformidado com o disposto no art.
^8 da lei n. 602 de 19 de setembro de 1850, no-
mear para o referido batainlo, os officiaes seguin-
tes :
i' companhia. Alinros, o guarda Adolpho de
brito Tavares Cordoiro.
3* companhia. Capilao, o tenente da mesma,
.lose Clementino Henrique- da Silva ; tenente, o
alieres da 3*. Joao da Siiva Guiraaraes.
4 companhia. Capiilo, o tenente da mesma,
.los6 Vidal de Negreiros ; tenente, o alferes da 2',
f rancisco Augusto de Agui.ir.
5" oompanhia. Alferes, o guarda Jose" Joa-
quim Fernandes Junior.
6" companhia. Capitao, o tenente da 7', Leon-
i-ic Quintino de Castro Leaj.
7* companhia. Tenant j, o alferes da 4", An-
tocio Adolpho Leite do Rego.
8' companhia. Alferes, o guarda Candido
cisco Pereira.
0 presidente da provincia, attendendo ao
uue requereu o tenente onnel ommandante do
r-I'.alhao n. 42 de infantaria da guarda nacional
i: municipio de Serinhaem, Antonio Vieira de
Barros, e a vista da informacao do respectivo com-
i.nndante superior, resolve, em vista do disposto
l art. 14 3 da lei n. 60S de 19 de setembro de
iSoO, transferil-o para o servico de reserva, fican-
d{ aggregado a re 0 presidente da provincia, attendendo a pro-
f.iU do commandante do batalhao n. 46 da guar-
itacao do respectivo comniandante superior em
o-3kio de 23 de julho ultimo, resolve, fle confor-
i. .dadc com o art. 48 da lei a. 602 de 19 de se-
t^fjbro de 1850, nomear para o referido batalhao
( offlciaes seguintes :
2' companhia. Alferes, o guarda Laurindo
ci Fonceca Lnaa.
61 companhia. Alfers, o guarda Petronillo
Piita de Albuquerque.
7* companhia. Capilao, o tenente Erneslo
j- niliano da Silveira Lopes; tenente, o alferes
' -incisco Alves Maciel.
8* companhia. Teceata, o alferes Francisco
Eomingues de Barros Lopoj.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de poJie.a. Satisfaco o offlcio
de V. S. de 21 do julho proximo passado trans-
jQUttindo-lhe copia das pe<^s que com o offlcio do
JJxm. prejldente da provin-ia dc Ceara, de 4 do
dito mez me foram onviji ; ioui relac^o a-
nor Vicente.
Ao iuiz de direiio dj i' vara civel. Nos
lurmos da sua inforroara) de hontem datada,
mande V. S. apresentar ao geuaral commandante
das arinas, para ser eraprogaao no servico da fa
china do forte do Buraco, *. sentenciado de justi
oa Joao dos Santos Barro3
Ao juiz de direito da Eseada. Com a re-
iuesa Jo incluso invohoria canteudo lamina' e
lubos cjin lympha vaccinica. fiea satisfeito o pe-
dido qne fez Vmc. em oflkio de 24 do corrente.
St) commandante do corpo de policia. Ex-
pe{a Vmc. as suas ^rdena aStn de que destaque
oqj Cruangy o official dc ;:rpo sob ;eu comman-
do que seacha em Vicencia, passando a comman.
dar o destacamenio desla localidade o alferes Per-
geniino de Miranda Pimenlel.
3' sewfio.
OUicios:
Ao inspector da thesouraria defazenda.De-
clarando V. S. em sens offlcios de 25 de corren-
le ns. 328 e 331 serie E que acha-se esgotado o
crcdilo distribuido a verbaexercito, arsenaes de
guerrano exercicio de 1872 a 1873 em liquidi-
cao, para os pagimentos das despezas reiativas
aos vencimentos dos destacamentos da guarda
nacional, estacionados nas villas de Garanhuns e
Triumpho, ten'o a dizer quemande ertecluar esses
pagamentos sob a responsabilidade da presidencia
visto se acharem comprehendidos na lettra do de-
creto 2884 do de fevereiro de 1861
Ao inspector da thesouraria provincial.Ex-
peca \. S. suas ordens no sentido de ser abonado
por adiantamento um mez de soldo a 5 pracas do
corpo de policia que se acham em S. Lourenco
da Matra, e vao destacar em Nazareth, a contar do
I.' de outubro vindouro, conforme solicitou o res-
pectivo commandante em offlcio de hontem sob
n. o52.
4' seccao.
Offlcio :
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
-Devolvendo a pelicao de Honrique Soares de
Azovedo, que acompanhou o offlcio de V. S., de
hontem datado, concedo a autorisacao nelle solici-
tada pela junta dessa Santa Casa para entregar ao
peticionario a educanda do collegio das orphas, Ma-
ria vtagdalena de Mello.
Portaria:
A' camara municipal da Villa Bella.Com-
mumcando-me o inspector da thesouraria de fa-
zenda em offlcio de hontem datado que em 12 do
corrente foram entreauea na repar cao do correio,
afim de terem o conveniente destine, os livros de
que trata a camara municipal da villa de Ouri-
cury em offlcio de 8 deste mez; assim o declaro
a mesma camara para seu conhecimento e em
resposta ao seu citado offlcio.
EXPEDIENTS DO SMMTABO.
__ 1-' seccao.
Offlcio : ^^
Ao Exm. brigadeiro commandante das annas.
S. Exc. o !r. presidente da provincia manda
declarer a V. Exc, em respo >. ao seu offlcio de 17
do corrente sob n. 932: qtf % r. juiz de direito
da I.' vara se recommend a'- ..a data que faca
apresentar a V. Exc. o seutenciado Joao dos San-
P8 Barros, para ser empregado no servico do forte
do Buraco.
. seccao.
Offlcios :
Ao Dr. chofe de policia.-0 Exm. Sr. presi-
d*nte da provincia manda declarar a V. S. que
licott sem effeito a exoneracao do cidadao Antonio
I lysses da Silva Porto do cargo de subdolegado
do |. distneto do termo do Exii, e manda trans-
nnltir a V. S. o titnlo junto de nomeacao do snb-
delegado do districto de Grenito, 2. do dito termo
de conformidade com a proposta em offlcio do,
\. S., n. 1681 deliomem daudo.
Ao commandante superior do Recife. 1)
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarkr
a v. S., para seu conhecimento, que por portaria
de boje e de conformidade com a informacao em
offlcio n. 651 de 19 de julho ultimo foram nomea-
des Manoel do Nascimento fereira e Roque Ja-
cintho de Oliveira e Souza, este capitao da 2."
ompanhia e aquelle tenente da 1.* do 2.* esqua-
quadrao de cavallaria da guarda nacional sob
seu commando superior
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que por portaria
desta data e de conformidado com o seu offlcio n.
697 de 16 do corrente foram nomeados para o 1."
batalhao de infantaria da guarda nacional sob seu
commando superior os officiaes constantes da re-
la.Ft'j junta.
Ao commandante superior de Olinda. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda partici-
par a V. S. que por portaria de hoje foram no
tncados para o 9.* batalhao dc infantaria do rau-
nicipio de Olinda os offlciaes constantes da relacao
junta.
Ao commandante superior do Cabo e Ipojuca.
-0 Exm. Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S. que por portaria desta data e
de conformidade com os seus offlcios ns. 60 e' 71
de 6 de maio e 4 de julho ultimos foram nomea-
dos Jose Joaquim de Araujo Pacheco e Joaquim
Francisco de Souza Leao, este para o porto de
tenente da 2.* companhia e aquelle para o de al-
feres da l. do esquadrao n. 6 de cavallaria da
guarda nacional sob sen commando superior.
Ao commandante superior de Santo Antao e
Escada. 0 Exm. Sr. presidente da prevlncia
manda declarar a V. S. que por portaria desta
data e de conformidade com o seu offlcio de 23 do
corrente foi reformado no mesmo posto o capitao
da 3." companhia do batalhao n. 27 da guarda
nacional sob seu commando superior, Joaquim de
Barros Correia de Queiroz.
Ao commandante superior de Serinhaem.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., para os devidos fins, que por portaria de
hoje foi tranferido para o servico da reserva e
mandado aggregar a respectiva seccao o tenente
cirurgiao do batalhaon. 42, Antonio Vieira de Bar*
ros.
Ao commandante superior d'Agua Preta e
Barreiros.0 Exm. Sr. presidente da provineia
manda inteirar a V. S. que por portaria desta
data e de conformidade com o seu offlcio de 23
de julho foram nomeados para o batalhao n. 46
da guarda nacional sob seu commando superior
os offlciaes constantes da relacao junta.
Ao commandante superior de Caruarii.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que por portaria desta data e de confor-
midade com o seu offlcio de 27 de agosto ultimo
foram nomeados Manoel Thome Alves do louto e
Manoel Rodrignes Porto, este alferes da 2.' com-
panhia e aquelle tenente cirurgiao do batalhao 27
da guarda nacional sob seu commando superior.
Ao commandante do corpo de policia. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. S. que acaba de expedir ordem a the-
souraria provincial, no sentido de ser feito o abono
de que trata o seu offlcio de hontem datado sob
n. 552.
Joaquim Pereira de Souza.Requeira ao com-
mandante das armas.
Joae Ferreira dos Anjos.- Requeira ao comman-
dante das armas.
Jose Joaquim de Santa Anna. -Coueeda-se.
Jose Macario dos Prazeres. Indeferido.
Luiz Bernardo Castello Bianco da Rocha. Ia-
forme a illustrissimi camara municipal do Re-
cife.
Tenente-coronel Manoel Francisco de Souza
Leao-Deferido com offlcio desta data dirigido, ;i
tnesouraria provincial.
Manoel Thomaz do Albuquerque Maranhao. -
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Norberto Moniz Teixeira Guiraaraes.Con-
cede.
gwJJM these : A instruecao monastica (alias coma
oaw rauius da igreja) nao estara nominalmente
a no Evangelho ; mas muito menos esta ex-
eluaaa; antes pelo contrario se eonforma inleira-
mme com eile, no pensamento, no intuilo e nos
mens.
KIo quero abusar da tua attencao; amanha con-
ncrarei, ocenpando-rae ainda desta iraputacao de
conaradicao com o espirito do christianismo.
UM VER0ADE1R0 LIBEBAL.
(Xacao.
INTEEIOR,
Rio de Janeiro
DESPACIIOS DA PRUSIDE.NUA DO DIA 12 DE DEZEMBRO
DE 1872.
Antonio Augusto Pereira da Silva.Passe por-
taria na forma do estylo.
Anna Bezerra Cavalcante da Silva Costa.No-
meio os Drs. Pedro de Athayde Lobo Moscoso e
Jose Zacarias de Carvalho para inspeccionarem
a sopplicante, na forma requerida.
Companhia Santa Thereza.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Companhfa dM trilhps urbanosdo Recife a Olin-
da e Beberibe. Eucararahe se.
Major Domingos Jos6 da Costa Braga Cavalcan-
te. Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Emilia Candida de Mello Luna.Sim.
Irmandade do Santissimo Sacramento da fre-
guezia da Boa-Vista desta cldade. -Informe o Sr
insepetor da thesouraria provincial.
Ignacio de Barros Barreto e padre Antonio da
Cunha Figueredo. Encaminhe-se.
Jose Manoel de Barros Wanderley.Passe por-
taria concedendo a licenca requerida.
Jose Benedict dos Santos.Requeira ao com-
mandanr: das armas.
CARTAS DE UM VERDADEIRO UBERAI. SOBRE
AS ORDENS RELIGIOSAS.
CARTA IX.
Amigo. Especifiquemos agora as accusagoes
que se tem levantado contra o raonachisnio, ava-
liando as a luz da imparcialidade. Nao me con-
tentarei com as que uma polemica apaixonada ahi
traz enterreiradas ; ousarei subir ate as da ordem
mais elevada, embora corra o perigo de flcar e3-
magado sob o peso das graves questdes que eflas
susciura.
1* accusacao. t As ordens regv.lares. sao uma
superfetacao do christianismo, pois nao foram crea-
das pelo Ecmgelho.
Se nao estao no Evangelho formalmeute estabe-
lecidas; estao n'o virtual e implicitamente. O Evan-
gelho apresenta as bases da religiao; a igreja
competio elevar sobre ellas edificio que perdure, e
3ue em todos os pontos se harmonise com o geral
esenho da religiao catholica. Assim disse S.
Paulo aos Corynthios (1. 3.) estas palavras do
Christo : Segundo a graja de Deus que me foi
dada, lancei o alicerce, como sabio architecto ;
agora yenha outro, e edifique sobre elle.
0 alicerce do monachismo esta no Evangelho.
0 conventos sio associacoes de levitas do Se-
nhor, so censagrados para, em commum on sobre
si, prestarem culto ao Eterno, e servirem aos seus
proximos, nos limites das suas forcas. Distinguem-
seos ministros regulares por suas aspiracoes a
mor perfeic.ao, e por seus votos especiaes de po-
breza. obediencia e castidade. Ora, tudo isto vai
buscar o modelo a biographia e a moral do Re-
demptor.
Qunato a perfeicdo da vida, ja esta exemplifl-
cada na resposta que Jesns deu a pergunta do
maocebo. S. Paulo aos Corynthios (1. IX 25) re-
flecte assim : 0 que tem de contender, de tudo
se abstem, e issi apenas para alcancw uma coroa
perecedoura; abslenharao-nos de todo, 06s que
aspiramos a uma coroa incoi'rupuvel. Em mil
ouiros lugares, recommendam as eseripturas
gradas o despreso ds coasas mundanas e o ma-
ximo grao de perfeicSo.
A pobreza e amada do Senhor, como o provam
as historias de Lazaro o mendigo e do mao rico ;
da viuva, do gazophiIaclo e tantas outras ; e da
Biblia conclun S. Thomat que 7 bens confere a
indigencia honrada : reconhecimento das culpas
conservacao das virtudes, tranquillidade de coracao,
preenchimento de desejo, docura de bens espiri-
tnaes, exaltacao deraeritos, e celestial heranja.
Por isso diz S. Panlo a Timotheo (II II. 4): t
Ningucm que milita para Deus se embaraca com
os negocios do seculo; que so assim acradara
Aquelle qne o alistou.
A obediencia, sujeicSo da- voutade, reverencia
para com o superior, e a cada momento recom-
mendada nos livros santos, se.aun.io os quaes o
verdadeiro obediente nao procrastina o mandato,
mas sujeita instantaneamente os ouvidos a audi-
?ao, a hngoa a voz, os pes ao caminwiO, as maos a
obra ; e todo se roconcentra para bem executar a
ordem recebida. Quando Christo disse aos irmaos
Simao e Andre que o seguissem, pels elle os faria
Pescadores de homem, e repetio o mesmo aos fi-
Ihos de Zebede todos deixaram logo barcos e
redes pare Ihe formarem o sequito ; este o exem-
plo que frequentemente se reproduzio, o que levou
S. Paulo a dizer aos romanos (XVI. 19): o E'
notoria em toda a parte a vossa obediencia ; pelo
quo eu me alegro em vos; o a pOrcomo precei-
to aes hebreos (XIII. 17) : e Obedecei a vossos
superiores, e sedelhes sujeitos; e pois que a dies
esta commettido o velar como quein hade dar con-
la das vossas almas, obedecei com prazer e nao
gemendo.
_E' finalmente a castidade o sumino da perfei-
cao, por is-o que mais rudes comlates tem essa
virtude que sustentar. Sem duvida, as portas do
empyreo estao igualmente patentes aos
gam por lacos insoluveis ; mas o zenith
esta na contlnencia. Christo morreu
como nascera, e assim nos deu em si
typo da immaculada pudi-icia. Em sua doutri-
nacao formalmente o recommendou, como quando
disse (Luc. XII. 35): a Tende cingidos os vos-
sos lombos. Pelo que, S. Paulo pregou aos Co-
rynthios (VII) : a Fara melhor em nao casar,
quem tiver o dom da continencia. b Por isso tam-
bem, no Apocalypse (II 23), assim falla Aquelle
que anda no meio dos 7 candelabros aureos, i
tem na dextra as 7 estrellas: < Ferirei de mor
te os filhos da prostituicao ; sou aquelle que sonda
os rins e os corac5es ; e a cada um retribuirei se-
gundo suas obras. >.
Se assim, tomando um ou outro entrc mil exem
plos e preceitos. produrei excavar nos livros sa
grados as raizes da3 ordens religiosas, parece-me
tundada a conviccao deque estas assentam perfei
tamente na moral do Crucificado.
E se as cnusas maximas podem as pequcnas
comprar-so, direi que era grande parte a vida do
Redemptor deixou vestigios que as crdens procu-
raram depois imitar.
Caristo, para diffundir a religiao divina, buscou
varios companheiros, aos quaes se aggregarara
outros ; e esses discipulos foram hierarchicamen-
te classificados. Que outre cousa eram os apos-
tolos senao companheiros do cbefe divinal, mas
trabalhando com elle em .communidade ? A? ad-
miraveis scenas do Cenaculo lembram essa uuiao
de esforc.s. Dewi-* da cruciQxao, nao se con-
gregavam o> aposlolos para conjunctamente ora-
rem, comerem, conferenciarem, e repartirent en-
tre si os encargos ? Se no testameulo do Messias,
Ihes foi i m posto o deverde levarem a sua palavra
a todas as gentes, nao lancou elle assim a semente
das ordens de missionaries e de pregadores ? Se
Jesus mandava aos seus escolhidos que tudo lar-
gassem para o seguirem, nao os imitava o frade,
desamparaado patria, familia, gozr?, commodida-
des, amigos, casa, para ir a longes terras ignotas
ser pescador de hemens___quando nio victima
delles ? Se Jesus se refugiava na sclidadao para
orar a seu pai celestial, nao se originou o proprio
vocabulo monge do viver tambem separado do hu-
mano tracto, para mais de perto conversar as re-
giiies de alem-campa ? Se os iejuns eram obser-
vado3 assiduamente pelos fraaes, nao seguiram
elles o exemplo do Salvador, que jejuou 40 dias
e noites, antes de ser tentado pelo diabo; e que
entre as bemavenluranfas que pregou, proclamou
bemaveoturados aquelles que assim tinham fome,
porque elles Sbriara saciados 1
Levanto a mao e julgo coder ;: a se-
PERWiMBTJCtt
REVISTA DIARIA.
Colleetri provincial.-Por porUna
da ptesidencia da provincia, dp 12 do corrente,
foi nooaoa.J-)_Olegario de Souza Baadeira cobrador
da collectona provincial do municipio de Bom Jar-
ospicio de alienados. Damos em se-
Ruida mais donativos para as obras de*le novo es-
tanefccimento :
ot Ulin. e Exm Sr. comraendador Henrique Pe-
^,*i,^n',Uceaa-r?8nletl0 a V-Exc- aquantia
oe **uuu e a relacao das pessoas que ten con-
corrgo dun esmolas para o asylo de alienados,
wanIe a oflorta do hymno a caridade, que com
??r a anteriorn>ente, faz a quantia de
L, v t- com twio resPeito o consideracio
4ii. i t''- am,K e efi*ia "brigadissimo, Pedro de
,Z%P,de Lobo Mosmso. Recife, 6 de dezembro de
1873.
5X0O0
SJflOO
54000
oiOOO
Antonio Joao de Amorim
Jose Francisco Ribeiro de Souza
Justmo Jose de Souza Campos
Joao Francisco Paredes Porto
101000
10*00)
20*000
5*000
5< 5*000
5*000
500l
4*000.
5*000
5*000
5*000
5*001
lOiOOO
10*000
10*000
10*000
10*000
5*000
10*000
5*000
8*000
5*000
S#000
5*000
5*000
5*000
5*000
5*000
10*000
5*000
10*000
Pedro de
Sue se li
a purcza
tiio puro
mesmo o
Tenento-corcnel Apolinaiia de Albuquer-
que Maranhao
Barae de Nazareth
Major Francisco Raphael de Mello Rego
Tiburcio V. da Silva Tavares
Dr. Jo4o Barbalho Uchoa Cavalcante
Dr. Joao Augusto d.i Rego Barros
Dm ville e Silva
Dr. Alexandre de S. Pereira do Carmo
Antonio Jose de Abreu Ribeiro
Tenente-corocel Decio de Aquino Fonceca
Joao dos Santu Ferreira Barros
Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascare-
nhaa
A. Francisco Correa de Araujo
Carlos EJuard.i Mulhert
Condessa da Boa-Vista
Commendador Joao di Cunha Magalhaes
Dr. Franciseo de Carvalho Soares Bran-
oao
Dr. Jesuino Lopes do Miranda
Dr. Raymundo Honorio da Silra
Antonio Duarte Carneiro Vianna
Dr. Gomes Parento
Joe&.ae Sa Loitao Junior
Msffce! de/Sa leilio
*=*^4Jo Bernardo. Vu O.rvalho
Amjnlo M. Marques Ferreira
Antonio Maria Marques Ferreira Filho
Dr. Machado Porteila
Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacerda
Jose Targiao Fialho
Bernardino Gomes de Carvalho
Joaquim Aurelij Vanderley
Tenente coronel Jeronvrao de Souza Loao
itecife, 6 de dezembro de 1873.Dr.
Athayde Lobo Moscoso.
' Gabinete da presidencia de Pernambuco, em
11 de dezembro de 1873. -Him. Sr. Dr. Pedro de
Athayde Lobo Moscoso.Com a relacao dosrespec-
livos assignantes, remelteu-me V. S. cm carla de
6 do corrente, a quantia de 244*000, proveniente
de retnbuic5es ao hymno a cariiade, pare ser ap-
plicada a obra do asylo de alienados. Desvane-
co-me em renovar a V. S.,nao s6 a expressao de
meu reconhecimento pela signiQcativa coadjuva-
cao que me ha prestado, como tambem os louvo-
res de que e credor o seu valioso empenho em
prol daquelle estabelecimonto de beneficeneia.
Re tir aos dignos contributes, consumes da refcri-
da relacao, quanlo tenho em apreco esse acto de
generosidade, ao qual esta ligado um pensameuto
esscncialmente huraanitario. Assigno-me. -De V.
S. amigo, attencioso e criadoj Henrique Per eta de
Lucena.
Jury do Recife Ainda ate sabbado (13)
nao node ser installada a sessao desse tribunal,
sob a presidencia do Sr. Dr. Francisco Alves da
Silva, juiz substitute.
Nos dias 12 e 13 foram sorteados
juizes de facto :
Antonio Bernardo Quinteiro.
Antonio Feliciano Rodrigues Sette.
Januario Constancio Monteiro de A.
Antonio Henriques Mafra.
Antonio Goncalves Ferreira Caseao.
Antonio Carlos de Lemos Duarte.
Antonio Jose de Mendonca Belem.
Braz Jose dos Reis.
Barao do Livramento.
Dr. Cicero Odon Peregrino da Silva.
Dr. Dcmocrito Cavalcante de Albuquerque.
Dr. Estevio C. Cavalcante do Albuquerque La-
cerda.
Eulhychio Montim Pestana.
Dr. Felix de Figaeirda Faria.
Francisco B. dos Santos Freitas.
Dr. Felippe Nery Collaco. S
Francisco Jose Pinto de Oliveira.
Galdino dos Santos Nunes de 0.
Henrique S. de Andrade Brederodes.
Joaquim Goncalves Ferreira.
Conselheiro Joao Silveira de Souza.
Jose Alfonso dos Santos Bastos.
Joaquim Ferreira Ramos.
Jose Augusto de Araujo.
Joao Gregorio dos Santos.
Dr. Julio A. da Cunha Guimaracs.
Dr. Jose da Silva Braga.
Joao de Assis Pereira Bocha.
Joao Pacheco Alves.
Luiz Cesario do Rego.
Dr. Lniz Demetrio Dias Simoes.
Dr. Manoel Perreira de Moraes Pinheiro.
Manoel .intonio Viegas Junior.
Manoel Francisco Marques.
Luiz Amavel Dubourcq.
Br. Silvino Cavalcante de Albuquerque.
Dr. Vicente SimSes Pereira de Lemos.
Virgilio Jose da Motta.
Sebastiao A. da Silva Baixa.
Dr. Antonio Clodoaldo de Souza.
Ceciliano Mamede de Almeida.
Joao Baptista de Oliveira.
Heleodoro Fernandes da Cruz.
Dr. Ezequiel Franco de Sa.
Thomaz Carneiro da Cunha.
Daniel Cesar Ramos.
Dr. Jose Maria Ramos Gurjao.
Antonio Jose Duarte.
Manoel Francisco de Moura,
Dr. Antonio Vicente do N. Feitosa.
Rufino Jose Fernandes de Figueiredo.
Jose Joaquim da Costa Leite.
Maooel josc da Silva Guimaraes.
Augusto Pereira dc Lemos.
Antonio Goncalves Torres.
Joao Baptista de Castro e Silva.
Jose" Luiz de Atevedo Maia.
ConoloJose AfTonso.
os seguintes
Francisco de Paula Correa de Arauio.
Dr. Joio Barbalho Uchoa Cavalcante.
Dr. Maxiraiano Lopes Machado.
Elias Goncalves Pereira da Cunha. *
Jose Antonio Vieira de $ouza.
Candido Jose da Silva Guimaraes.
Dr. Manoel Francisco Ferreira.
Julio Cesar Pereira da Rocha.
Manoel Fonceca do Medeiros.
Antonio Jose de Souza Cousseiro.
Antonio Henriques de Miranda.
Telegrapho sub mar inn costeiro.
No sabbado procedeu-$e a inauguracao offlcial
do fio telegraphico entra Pernambuco e a Bahia,
sera nenhuraa solemnidade nem regosijo, senJo
nesse dia trocados diversos telegrammas. Da
Bahia consta que os regosijos, de que nos occu-
paraos em nossa Revisla de sabbado, prolonga-
rara-se ate quasi 2 hor^s da manha, sempre com
o mesmo enthusiasms.
Vapor Hooper. I Segundo noticias da
Bahia, deve este vapor largar h >je d'ahi para a
immersao da 3 seccao do cabo telegraphico sub-
marino, que pora em rbmmunicacaj o norte do
imperio com a corte.
Se o Hooper encontrar tao b)m tempo, como
entre o nosso porto e o (da Bahia, devera chegar
ao Rio de Janeiro de 21 4 23 do corrente.
Santa Casa de Misericord la. A jun
ta administrativa de-bi corporacai contraU, na
quinta-feira ( 18 do conente ) o fornecimento de
generos aliraentlcios, de pao e bolacha, dc assu-
car refinado, e de carne verde, para os estabele-
cimentos de caridadd a sau i-arg), no triraestre de
laneiro a marco proximc| vindouro.
Hospital militar. -Perante a dirsctoria
deste estabelecimento s contrala amanha as 10
horas do dia, o fornecimonto de generos alimenti-
cios, de carne, de pao, de assucar, de sanguesu-
gas, e de objectos part o expeiiente, bem cora> a
lavagem e concerto da ropa dos doentes.
^polices provinciies -Ni thesouraria
provincial esta aberta a venda de apolices, ao par,
com o iuro de 7 por cenjto ^o anno, ate a impor-
tancia de mil contos de reis, como e de ver do res-
pectivo edital publicado Da seccao propria.
Clarinetlsta. Acha-se entre nds o Sr.
EusUquio Pereira Rebopcas, distiacto bahiano,
que, ha mezes, exbibio peraute o nosso publico
seus talentos como clari wtista. De viagem re-
gressiva das provincias do norte, em cujas capi-
taes foram sempre laureados os sous trabalhos,
pretenie ainda uma vez ohsequiar-nos, fazendo-se
ourir em seu inspirado imtrumento.
Eataaaes. -Em 6 do corrente procedeu-se a
exarae na escola publica de insiruccio pnmaria,
3' da freguezia de S. Frei Pedro Goncalves, regida
pelo professor Benjamin Ernesto Pereira da Silva,
com o resultado seguinte t Alfonso Faria de An-
drade, approvaio com distinccao; Francisco
Narciso do Nascimento, Jose Maria de Oliveira
Santosje Geraldojle Paula de Azevedo Falcao, ap-
provaios plenaraente,
CupturaEm l'i do nw proximo ftodo (oi
eapturado ao termo do Triamphu, pelo respectivo
deieado, Jcse Ferreira da Silva, pronunciado no
termo dos Milagres, da provincia do Ceara, como
autor da tentativa de morte commettida alii contra
o tenente-coronel Manoel de Jesus.
Desappareeeu. O subdito portuguez An-
tonio Carneiro de Mello, estava a banbar-se no
porto do Caldeireiro, districto do Poco da Panella,
das 3 para as 4 horas da tarde do dia 12 do cur-
rente, e desapparoceu. Baldadas foram as diligen-
cias empregadas para o encontrarem e salva-
rem-no.
Inqueritos.Seguiram a seus destinos : o
que effectuou a subdelegacia de Bel6m contra
Jos6 Dativo dos Passos Bastos, sobre a violencia
por este praticada na casa de Maria Romana da
Conceicao; e o que praticou a subdelegacia de
Afogados contra Francisco Innocencio Cardoso, a
respeito dos feriraentos por elle feitos na pessoa
de Manoel de Araujo Chaves.
Homicidio.O'ympio Gjndim de Vascon-
cellos, travandose de razoes com o soldado do
corpo de policia, Manoel de Albuquerque de Hoi-
landa Cavalcante, em 10 do corrente mez e no
lugar denominado Craangy, do termo de Itambe,
assassinon-o com diversas punhaladas.e evadiose.
A autoridade tomou conhecimento do tacto e
procedeu segundo a lei.
Assassinate. Na villa do Triumpho, as-
sassinou a cacetatas a um seu cunhado, Antonio
Jorge de Castro, era 25 de noveinbro proximo
Gndo, um inuivi luo de norao Antonio Alves dos
Santos. A despeito de ser dos Santos, foi preso
em flagraote, e o competeote inquerito a que foi
submettido, ja teve o conveniente destino.
Prisao. -Em 7 do corrente mez foi recolhido
a cadoia d*e Itambe, Claudino Jose da Silva, alii
pronunciado nas penas do art. 205 do codigo cri-
minal.
Supremo tribunal de justiea.-N.i
sessao de 3 do corrente, foi lida a resposta do
Exm. e Rviii. Sr. bispo de Pernamduco as accusa-
coes que Hie foram feitas p:l > Exm. conselheiro
proeurador da coroa, soberania e fazenda nacional
por ordem do governo imperial pela desobeiien-
cia desse prelado aos actos do governo em ma-
teria puramente civil; mandando-se ajunta-laaos
respectivos autos para serem coaclusos ao Sr.
relator.
Exposicao de Philadelphia. -A ex-
posicao de Philadelphia abrir-se-ha no dia 19 de
abril de 1870, no qual completa um seculo a inde-
endencia dos Estadus Unidos, e fechar-se-ha em
0 de outubro do mesmo anno. Foram convidadas
as diversas na<;des para que respondam antes do
dia 4 de niar.;o de 1874 se desejam ou nao concor-
rer a refcrida exposicao. Os objectos poderao ser
remetlidos ate ao 1." de Janeiro de 1876. Sao dez
as divisoes do referido certame : a primeira dealt-
nada a malarias primas, mineraes, vegetaes e ani-
maes ; a segunda a materias primas ou productos
empregados como alimenlo ou nas artes, rcsul-
tantes de processes de extracoio ou de combina-
cdes ; a terceira a productos textis, feltros e ves-
tuarios ; a quarta a moveis e utensilios domesticos;
a quiota a machinas e prensas; a sexta a motores
e transportes; a setima a apparelbos e raethodos
para aomonstrar e diffundir os conheciraentos
uteis ; a oitava a obras de engenharia, obras pu
bhcas e architectura ; a nona a artes graphicas ;
a decima a objectos que raauifestem as tentativas
para melhorar a condigao physica, intellectual e
moral do homem.
Urn homem pundonoroso -Um sar-
gento francez, de antecedentes irreprehensiveis,
chamado Barba, perdera a seu posto por ter com-
promettido a sua dignidade, bebendo em compa
nbia dos seus subordinados. Desde esse dia afas-
tou-se o mais possivel do trato dos seus caraaradas
e so encontravam sentado era algura corredor es-
curo. Nao lhe parecendo safflciente este afasta-
mento, abandonou o batalhao e refugiou-se em um
bosquc nas imedia;6es de Neuville, onde fez um
leito de folhas seccas, alimentando-se de vegetaes
durenta 54 dias Os gendarmes encontraram-o
junto a uma arvore em um estado que mettia
compaixao, e o couselho de (juerra, tendo em con
ta os seus antecedeatei exemplares e a causa da
sua paixao, acaba de absolver por unanimidade,
reintogrando-o no seu posto.
Prodnecao de Quiua.Um rclatqria
stbre os progressos da Iadia em 1872, content no-
ticias interessante; acerca da arvore de quo se ex
trahe o importanti?si.xo produ;to da quina e do
qniuino. Esta arvore foi introduziJa da America
do Sul nos districts fflOnlanbosos da India em
1870. i;ade-sc l to na bxjk ou cosaio
01:719 libras sterlinas, porem os resultados sio
mcalculaveis. Existem actualmente 2,639:284
plantas soraente nas plantacoes do governo sobre
as cordilheiras Neilgharry, sera contar com as que
existem dos plantadores particulars de outros
districtos. As maiores arvores teem 30 pes e Ii5
de alto e mais de 3 pes de circuim erencia em rod.i
do tronco.
A superficie coberta pelas piantacSes e actoal-
mente de 950 acres ( um acre 6 igual a 4040,40
metros quadrados ) eaugmenla de anno para an-
no. A cortica da arvore cultivada e muito mais
nca era quinino que a cortica silvestre da America
do Sul. No anno passado venderam-se no mer-
cado de Londres 7:295 libras de excellente corti-
ca. Este anno seriio mandadas para Inglaterra
20:000 libras. 0 alcaloide fabrica-se nos proprios
sitios da produccao e a prefo estipulado paraos
usos medicinaes ; assim e que cada anno se curam
de febres centenares de doenles. Brevemeute fi-
cara por preco commodo o uso do um febrifugo
tio importante.
Para aeeender clgarros. -Segundore-
fere um periodico francez, acaba de ser exposio
em Paris um appareibo ou pequena machina, j
de ha muito conhecida nos Estados-Unidos, por
meio da qual se pode aeeender um cigarro, uma
luz de gaz, etc., etc.. sem necesidade dos palito-
phosphorico'i. 0 referido apparelho contem uma
pequena pilha electrica, que despede pela pressao
uma faisca sufliciente para abrazar um fi- de
platina, com o qual se comraunica o fogo ao que
se quer aeeender. E' de tao pequenas dimensoe*
que pode trazer-se comraodamente uo bolso.
Vida por vida.-Grata uma folha estran-
geira, que Simao, chefe vaseo dos espioes carlis-
tas, cahira ultimamenle em poder das tropas re-
publicanis. la ser fuzilado, quando pedio para
ser apresentado ao general Moriones, doente, nes-
occasiao. Simio tinha-lhe salvado a vida em
uraa da* aventuras da existencia tao accidentada
do general republicano, e este ao ve-Io, lerabran-
do-se do servico que lhe fizera, pagou-lh'o nobre-
mente, perdoando-lhe, porem exigindo-lhe pro-
raessa, pela vida de seus filbos, de nao tornar a
tomar parte na guerra civil.
Proelamas. Foram lidos na igreja do Ro-
sario, que serve de matriz da freguezia de Santc
Antonio, no domingo 14 de dezembro, os se-
guintes :
1.* denunciacao.
Joao Francisco Correia da Silva, com Luciuda
liana de Santa Roza.
Antero da Cunha Torreao, com Joanna Maria
da Conceicao.
Benedicto Marques Vieira, com Felippa Flori-
pes de Farias Mello.
Januario Claudino Machado, com Olympia Maria
Ramos.
Silviano Moreira Cavalcante, com Paula Joa-
quiua Cavalcante de Albuquerque.
Antonic Joaquim de Campor, com Maria Leo
poldina de Albuquerque.
Antonio Pinto do Verat, com Cvxrutiu-a Boaiaau
Tesek.
Joaquim Conradode Aguiar, com Anna de Al-
meida Guedes.
Joao Francisco Duarte Monteiro, com Ignez Ma-
ria Ce.eslin.i,
Antonio Samico de Lyra e Mello, com Emilia
Eugenia do Rego Barros.
3* denunciacSo.
Juvenlino dos Santos Silva, com Angelica Can-
dida Ferreira.
Joaquim Jose de Oliveira Tavares Junior, coir.
Maria Emilia Sabina de Mello.
Antonio d \ Silva Oliveira, com Maria Luiza da
PurificacAo.
Antonio Manoel do Nascimento, com Maria Jose
de Santo Antao.
Jose Luiz da Veiga e Silva, com Carlota Maria
da Silva Cordeiro.
Paulo Jose da Silva Freire, com Autonia Fran-
cisca Correa da Silva.
Feliciano Antonio Luiz Apolinario, com Maria
Guilhermina dos Ramos.
Balbino Antonio de Souza Teixeira, com Maria .
Ignacia das Neves.
Laurentino Gomes Piuheiro, com Rosa Maria d^
Conceicao.
Antonio Gomes Pinheiro, com Claudina Haifa
da Conceicao.
I-oteria.-A que se acha a venda 6 a 7ft*
a beneficio da matriz de Cabrobo, a qual com:
no dia 16.
I.eilao. Hoje effectua o agente Martins o
leilao de moveis do Ramonda, a rua do Viscond.4
de Albuquerque n. 17, antiga rua da Matrizjda
Boa- Vista, principiando as .11 horas do di
Casa de tleteucao.Movimento do il...
(2 de dezembro de 1873:
Bxistiam preso?, 319, enlraram 2, sahiram 12.
existem 309.
A saber ,
Nacionaes 237, mulheres 10. esurangeiros 23,
eicravos 34, escravas 5.Total 309.
Alimentados a custa dos cofres publicos 243.
Movimento da enfermaria do dia 12 de dezem-
bro de 1873.
Teve alia :
Cmbelino, escravo de Bernardino dc Senna Tem-
poral.
Passogeiros.Sahidos para a Bahia e por-
los intermedios no vapor brasileiro Goncalves
Martins:
Antonio Ferreira Novaes Mello, Antonio Soare*
Mello, Theotonio Ribeiro Silva, Martha de Araujo.
Joao Agripino Figueiredo, Dr. Manoel Caldas Bar-
reto e um escravo, Domingos Silva Nogueira, Jose
Humberts, Henrique Cunha Rodrigues. Manoel
Ramjs Pereira, Luzia Fernandes Santos, Francisco
Ferreira Coelho, Niceas Ramos Silva Guimaraes,
Maria Rosa Gusmao Guimaraes e 1 escrava,
Thomoz Reeder, Arthur H. Figueiredo Mello, Can-
dido Jose Oliveira Silva, Geraldo Silva Porto, .Ma-
noel Bernardo Assumpcao e Francisco Barboza.
Sahidos para a Europa no vapor francez .
Erymanlh :
Robert Hoyole, Uhry Isaac Isidore, Jose Antonio
Pereira, Manoel Bernardo dos Santos, Jeffoni Fran-
cisco Antonio e 2 filnos, Buonafiuo Guizeppe, Me-
chele Falci, Michelarcongelo Falci.
Chegados de Mamanguape no vapor brasi-
leiro Cururipe :
Manoel Francisco Ferreira da Costa, Joao Anto-
nio Ferreira, Caetano.Foutes, Joaquim Dias. D.
Rosa, A. da Conceicao, Graciano Alves da Cunha,
Joao Alves Salles, Joao Rocha Faria, Eux e Jos
Alves Paraguayo.
Sahidos para os pottos do sul, no vap.r bra-
sileiro Para :
Maria de Mello, Dr. Alcibiades D. de Albuquer-
que Lima, Antonio Franca Junior, Salvador Hen-
rique de Albuquerque, Dr. Francisco Cesar de
Andrade, Alfredo de Areno,Diogenes Junior, Dand
Lery, Der Plinio Soares, Joao de Assis Pereira di
Rocha, Francisco da Rocha Cavalcante Filho, Dr.
Joao Zenobio A Vasconcellos, Pedro Vicente Vian-
na e 1 criado, Adolpho Dreyfieis & C, Dr. Feli-
ciano Ferreira Martins, Bento Ramio e sua senho-
ra, Octaviano Espindola, capitao Ignacio da Silva.
'.'fciro, Joao Tavares Cordeiro, Antonio Carccllo de
Freitas, Francisco J. F. Paschoal. Francisco Luiz
de Andradade, o criminoso Claudino CorioUuo Ae
Arruda e 2 pracas de policia, 2 sargento Silvino
Jose da Costa, Joao Jacinlho M.guel, Luiz. Ignacio
Ismael (africano livre) Luiza Maria da Conceive,
Jose Joaquim Correia, Manoel Rodrigues dos San-
tos, Jose Antonio dos Smtos, Felippe Neves dos
Santos, Felippe Xavier dos Santos e I escravi.
Larment Jeau. Beuiamin Lniz Lucarim. recrutas
\ Murimw I
( KEBfwEL
iiii^ai
Hi
hhhhhhhhhhi


1
3i&rio de Fermimbuco So^UnJa feira 15 de Dezembro de 1873.'
ferreira Jose de Sottta, Jose Bento Bodrrgdesl
Jose Bi-nio Femandes, Joso A. dns Santo?, Jose 1
Joaquim da Paixao, I to Ferreira da Silva, J. An-1
tonio dos Santos-, Manoel Luiz Ferreira, farricl
Jose Bento da PaixiOt George F. Velloso, Manoel
E. Avelim, Raymundo de Jesus, Jolo Ignacie, Ma-
noel Jose Ferreira, Francisco de Mattos, JoSo Pi-
mentel da Costa, sua mulhere i filho, Jose Ribeiro
Pontes, lsat>el C. da Conceicao (atricana ltvre) e
56 escravos a tmtregar.
Ceokiterto puMkso.Obftuario do dia II
Jo corrente :
Antonio Felix de Araujo, pat do, Pernambueo,
39 annos, cazado, S. Jose.; bextgai.
Antonio Joaquim Jos Santos, pardo, Alag oas,
25 annos, solteiro, Boa Vista, hospital Pedra II;
variolas.
Maria da Conceicao, parda, Pernambueo, 2i
annos, solteira, Boa Vista, hospital Pedro n ; va-
riolas.
Jose Ignacio, pardo, Ceara, 21 auuos, solteiro,
Boa Vista, hospital Pedro II; variolas.
Luiz, pardo, Pernarabuco, 17 mezes, S. Jose; be
xigas.
Manoel, eseravo, preto, ignora-se, 88 aunos, sol-
teiro, Santo Antonio; variolas.
Antonio, pardo, "Pernambueo, 2 mezes, Boa-Vis
la; i'.iilimm.xj.i'.
Juveline, panic. Pernambueo, 11 annos, Santo
Antonio ; febre lyphoide.
Maria, brane-i, Pernambueo, t 1/2 annos, Reci-
fe ; variolas.
Isabel, bratxa, Pernainbuie, 3 amos, B ja-Viita ;
bexigas.
Augnsto, pardo, Pernamfceco, o annos, Boa-Vis-
ta; bexigss.
Josa, pardo, Pernambato, 21 mezes, S lose ;
a patite.
Maria, preia, Pcroainbeco, 3 annos, Bja-Vista j
bexisas.
Amelia, branca, Pernambueo, 1 anno, S. Jase;
peritonite.
Antonio Sebasliao da Silva Carvalho, branco,.
ignora-sc, 2i annos, efliado, Santa Antonio; lozuo
oreanica do coracao.
Maria, parda. P^rmaabuco, 18 mezes, S. Jose.
Kanoel, pardo,, Pera.ambu.ci, 1 mez, Gfaca;es-
pasmo.
Mathilde, esxav.i, preta, Pernauibuco, 13 annes,
solteira S. Josii; erpxsmo.
tklarmino 4t>Sunza, pardo, Pernamfcnco, 32 an-
nos, solteiro, S. Joy; ; hexigas.
Bruno Lepoenre, hranco, Hespanha, 24 annos,
-oltciro, Bna-V^;-., hospital Pedro n -; cachcxia
Luiz Sercnsa, branco, Franca, 28annos, solteiro,
Bia-Vi.-ta, hospiu.i Pedro II; febre amarella.
Rogeria Kpiphania de Santa Roza, parda.Peruam
bnco, 57 aaone, viuva, Boa-Vista, hoapila4 Pedro
II; canero uleerada., .
Porvpae S. Exc ten por si o sen proprio partldo, J fpetes, ditiheird ft risoo"o firi3l:nente de quali
* juor uaturo2a, om aporos, navios & vela oo
I 'vireacas, a preniios muito medicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34N.
OS |
res-
os homens de bem e honcstos o mats
mesiDM adversaries, qnercm os prorinmno$
ponsabilisa'tj por ifso ?
Coino sao uijustos os redactorcs da Provittri i I
Nao hio de conseghi-lo, teraos fe; e a Provin-
cia de 6 des'e mez ja se desmentio.
E que e verdadeiro o alagio popular Deus es-
ereve certo por lianas tortas.o
Qaando escrevemos no sentido de to nar mais
vulgar a intriga qne a Provineid preteodeu fazer
entre a presidencia da proviocia e a associacao
coraraereial a proposito do oficio que por cquivo-
co foi parar na associacao, dissemos:
0 que podeinas alllamjar a associaqao t que nao
se devolve um offleio, senao qaando tera-se uma
prova de que a conservarao delle no poder de
queino recobe, importa uma oftensa aos seas biios
e digaidades.
A Procnicia, intrigante sempre, lem felto jogo
com csse topico ; e pensa tirar partido, corao se
a associacao fosse alguraa criai^a, a que estiau-
los mal cabidos arrastam para Iota.
Cremos que a Provincia perdeu o seu tempo :
[utAe continuar a alunealar a iatriga.
0 que, porcm, queremos provar ao publlco 6
que o Exm. Dr. Lucena e inteiramente estcanho
a polemica: S. Exc., espirito lodagador, oada tern
com a defcza que nos eonservadores Ihe faze-
inos.
Se S. Exc. tivesse sciencia e cc4ihccimeato dos
artigos ^ue sao publicados p^ta seccao, como
dizcr es proviociaaos por cert" qi nao teriauios
a propesitosito do oflicio, d.lo que a associacao
dtivehwra-o a presidencia; S. Ex. nao eonsenti-
ria que assim nos expressa^semos.
Mas, desde que os artigos sao scriptos por con-
servaaores, sem quo deHesa prefidencia tenha no-
ticia, e facil comprehender-se que um on outro
engano pode da*-ie.
Se o Jionrado Dr. Lucena mandasse escrevef,
como imprudentemwite assevera a Provincia, que
tivesse de escrever jamais cahiria em equiweo
a respeito dos facto* de palacio.
Ora, desle que, aoconirano da se engano, o qual
nao se veriflciria se os artigos viessem da pre-
sidencia, cr mo dizoin os sens inimigos, e claro
qne e uma falsidade propalarem os' provittcia-
nos que S. Exe. manda escrever artigos em sua
defeza.
Temos, pois, qne o engano serve de resposta a
ludo que a Pvooincia tern escripto quanto a fazer
crer que os artigos da columna conservadera sao
raandados escrever pelo Exm. Sr. Dr. Lucena.
Deus escreve certo par linhas tortas : os pro-
prios procincianos desmentiram-se._____________
).'
i:\Yi\R\ MlMCIPiL.
SESSAf>!3A t." OBDINAR1A EM 10 DE
' DEZEMBRO DE l73.
presisSnci* do sn. bftOpK MLnyoeeaWB.
Ao meio dia, pr.esentps < Sr<. vereadpres
Rego Albuquerque, president**, Tbeodoro Siiva,
Cczario jameiro/^eves, Souza Leao e Loyo Junior, foi
aberta a sessao e lida a acta da antecedente, foi
ajiprovada.
KstasjrJo sohre a mesa o livro Has actas das elei-
3 jTOtcdidas no dia 9 dp mex^iroximo passadc
no coMeio do Recife e a autbenticado de Pao
d'AlhQj para 9 memhros a assemijlta provincial, a
earnar.-v fez a apura^lo geral da votafSo corao
detenRipa a lei lie 19 de agnsio^ie 18i0 o ordenou
que so- tayrpsse a competentc acta da apura';io no
livro rsspectivo.
Fin*! i o que passou-sc alerinra do scguinte
KM'KOULVTE :
Um oflicio do Exm. president'' da provincia, de
."i iio corrente, autonsapde o recolhimento ao d&
posKc publico daquantia de#:00OifW0, import.m-
t-ia-rio arbitramento judicial para a nYsaprppriacio
do trapichePi-louritiho. Ficou a earnara intei-
raili'-
Oih-i) dp gerente do banco do Qrasi.l, de 29 do
.passaifo, communicando que em cumpriniento do
quo s ri : lindo, fora entrejrue no tbesouro nacional
para, por intcrmedio da Ifcesauraria de fazenda.
d^sla provincia ser postausua disposicao a quan-
tia de 50.000 j();'(, pur con.'a do. emprestimo con-
p.'.ulo em 3 do abnl de anno proximo dodo,"
inti'ir.ila.
Utlieio do sabdelegado de Belem, de 5 do cor-
rente. declarando qnej^e acha em seu poder a iin-
ii rtancia da multa em qhe'incnrreu foao Luiz Viei-
ra, pela infraccilo do art. i8i ias postuias. Ae
procurator para arr-Miadar.
Oliicio do liscat da Boa-Vista, participanJo que
Pernardin. load Kodvicues, a quetn fora concedido
o prazo de duus mezes |mia transfurir a nflirioa
de si'ir.ilhoiro da rui do eonde da Boa-Vista, para
o lugar marcado tias postiiras, ate o presente nao
o tooi f'-iti), tendo ja sido multado. Ao proeura-
dor para promowr a iransferencia pelos meios le-
gaes
Outro do RWMB0 liseal, trazendo ao conhecj-
mento da caojara o estadu do ruina em que se
acha a pontn da Madnro. Ao engenheiro, para
exanunar e (aaer o oivameato.
Retacao das uiultiisicpostas pelo niesmo fiscal,
de 27 Jo mez proximo passado a 9 do corrente,
na importance de I4i6jmi.A archivar.
Piesiou jafMitpn'.o de ajudante de liscal da fre-
iruezia de Bna-V'i*ta, o cidadao Joaquim de Gou-
veia ("ordeiro.
Pui aprcscii'ta^n e approvado uuanhnemente o
segaioto reqik riweiito :
lt"'i|uiiro tjiie se ollieie ao Exm. prosidente da
tiroviucia, |H*,dindn provkhncias para que cesse a
impeza dos canes, que se-esta fazendo actualmcn-
te, u-io so per ser o tempo improprio, como por
serem exnesivameoto iucoiKmodos e prejudiciaos
a saude esses utejiles de immundicias que fleam
depositadas me .puas dusaote mtntos dias, pn-
meiro que sejara eomkuida^. Pai,o da eamara
muuic.ipil do Reed", 10 de d.zembro de Mfra.
i juiiia Gaunardes.
Foi ao i'geiilirtiT4> para ir/ormar a pelican de
Luiz de Fritsw-.i Scares.
Foram d tos Goiuibra, Autooto Ferreira Braga, Antonio dc
Paiva Ferreira, Antonio Jose Pereira, Antonio
Martins Dusrte, Alexandre Richard, Fausta Feli-
cia da Cunlu .R >sal, llermeaegildo Fernndes de
Oliveira, hwaodade do SS Sacramento da Paz,
Join Antonio Alves, Jose Antonio Barboza, Jose
.lar.intho Pewdia da Costa,'Juaqiiim Ro.drigues Ta-
i-ares d^ IfeHu, J e da Costaffeispo, Joaquim Es
tanislao dc Medeiros, Joao Soares da Foneeea Vel-
lozo, Jose Jenm.ymo llaliello,^Manoel Maria da Sii-
va, Manoel J dro de Obveiif, Maiiuai Alves barboza, Dr. Pedro
de Alaliyde Uibo Moscozo, I'into & l>onarves e
Victer- Jusiini.uo de Jesus.
Nada mais huuvo a tratar-se, e o Sr. pt>;-;idente
Jevantiiu a sert&o as duas lioras da tarde.
Eo, Pedro d-j Albuqaerque Autran, secratar^o.
a escsevi.
ManetlJoaqiUMtdoRgfjeeAIbuqucrque, presiden-
te. J-ti Maria Fteire Gutneiro. tone Pedro das
sSeves. Theodora Jiachade FreireHeretra daSitsa.
Juw da Cunha Soares Guimumss.Dr. Ptdro
ae A. Lobo Moscow.
'USLICACOES A PEBIPC.
ltrii benedfeio do itjariiinaiwcuto
. Pedrw II.
Continuacao.
Cadt'n s.
Luiz Antonio Pereira 'tO00
Bernardmo Dnarte Campos & '-., I frisa 8S(X)0
Dr. Soares Brandao 4iOOO
Dr. Affmso Cysneiro 5jOOO
Joao jHei|uim da Costa Leite ifOOO
Antonio Jose de Ab eu Ribeiro 26000
Dr. Mri&o Pereira da Silva 3a009
Dr. Amerieo V, spncio 5J030
Tenente-coronel Apolinario Maranliao 2iO00
Coriskino de Abreu 2i000
Jose "Vital de Negreiros 2*000
Dr. Joaquim Jose de Oliveira Fenceea "iiOOO
Manoel Martins Piuza 5*KJrt
Francisco Antonio de Britto 4000
Dr. Malaquias A. Goncalves 5*000
Sampaio & C. 2000
ABtuoio Leite Ferreira Dias 3*000.
Manoel Rodrigues da Silva, 1 camarote !OJ#uO
Capiiao law Candido de Souza 'Castro 21090
Ferreira Guimaraes & C 3*000
tir padre AnDnio da imm Fignoiredo 2*000
Dr. Antonio J Hermenegildo E. do Rego M>mteiro 38000
Franci-co Rodrigues da Silva 2*000
Manoel Lourenco Pedrosa 3*000
lose Joaquim da Costa Macial 2*0.40
Joao Pereira Moutmho, I camarote lo*0t)0
Maia Domingos do Rego Karros Souza Ld4o 5*000
Henrique Jose A Ferreira, 1 camarote 10*000
Dr. Joaquim Jose da Foacoea, 1 dilo 20*000
Senador Franeisco do R. Barros Barreto
I dito V **0fX)
Academico Antonio Fianciscp_Bereira
do Carvalho
Reniettido ao Dr. Lobo M*;oo :
Cdeiras.
Francisoo Antonio de CarvalUo
Jose Rodrigaes de Souza
Antonio Correa de Vaseoacellos
Dr. Luiz Antonio Pires
Antonio Jose Redrigues de Souza
Domingos Mauoel Monteiro, um cmnarole
4ioiMj Barca pprtugueza Arabella la?eamento para o
'**' trauiche Concei?io,
lianspirte
2*000
is***
10*000
imn
5*000
15*000
39*000
10'J*000
208*0 0
H90000
827*000
PARK POLITICA
I'UKI'IIMI Ctt1iIiK%'.l3
RKCIFK, 1") UK DLZKMBRG UE 1S73.
liilo fits i'r(tiUM.
Nunca A-P.ruomciu sustentou po|o .-ica, que nao
dasse logo com os bi-rut u\igua : scnipi<3 cavilo-
sa, viveaos tomlw- no terzetto falso ein foe >ws-
tuia i pisar.
A opiniao pablica a delesta, assim corao detasta
^quelte que proeura illudi-Ja aoerro.
K porquu aqu pulo teuha em miii^jar com tod.> arma, a Proem
cia iiaj es'jolne a anna or.a qne deva atrar c
iote a presidencia.da provincia.
Devcmos, pureia, acooip.niUaf a Prpafo-'ut nesso
terr-no, quando ofn cnterio, pruduiicia e leal-
Aide, leruj* defendido a verdadc ?
Haveinds do laocar nno da intriga para ::niiia-
ter a iutn'g ?
0 publico, ante qnem tantJ3 iriumphos temos
obiii.i nc.-sa luia iujusta o capnehusa que a Pro-
vinci; oiov.' ao jlluttre e djoiraoto pcrnanibinu-
no 0 Exm, DV. LiMr'eia, seute se mdignalo, quaodu
ve um "ppiilKido deailequins .espaeuUu Io na im
pri'iua, que devera -:r eiupivgada sonieule na
def.-ta do .qiu e beni, alimeiitar intrigas.
Ttrn"syut.iHad'; us acios di> hoiirad o talenio
so aJmiui-tj n.lor na allura qu^ a Jof-enciae (%;ni-
dade aiMu^'ilitiny S. Exe,, cuja adiDini-tracao e
til' cBlreV advuriiirio^ iliguus, como justa e be
n-li nad l|( ia de ituosee
SaliH, s. Eke., e ceru* que o purM* eoiuervador
qua vdniaUo um dos mais hnliiaiites brnameutOS
d. narlria,' dataade-o contra o furacao dos poli j
ticos apaixonadw ; mas o que tern S. Exc. com
isto ?
(Continila)
O que pide a SalsaparriUaa de
Iti-istnl fazer ?
Dinja-se essa pergunta e esse resto dc humani-
dade, o Jayme Wyckuff, nao so foi arrancado c
morte como tambem restabelecido a sadde, quan-
do ja se achava meio devorado pelas escrofulas;
a Joaquim Mejia, de Valparaiso, que se estava
definhando com p"tysica escrolulosa ; a Jose
M. Gomez de Vera Cruz, que pelo espapo de qua-
tro annos padeceu d'um canero no nariz ;a bra,
Auta Queiroz, da Havana, desiignrada por um
rheumalismo ctironieo.; a Sra. Isidora Aguilera,
de Buenos-Ayres qae tinha quinze ulceras abertas
no ioelho direito ; a Sra. D.dnrcz Meudes, de Li-
ma, que ficon rednzida a nm esqueleto vivo em
e^nsequencia de uira meleslia exterior; e tados
attestam e certiflcaia, que depois (|ue os medicos
os mais eminentes pronuaoiaram sua .-entenca
de morte, a Salsaparrilha de Bristol, nao so os alii
viara, como tambem -os re.-tabelecera e Ihes de-
volvera ao mais complain esbulo do saude. Em
oada cidade, povoac,ao aldea da America Hespa-
nhola acharse-hiio homens, mulheres c meninos
que dirao o mesmo.
Ak pilulikN asgntearadas de liristol
Neahum remedia cathartico para o uso das fa-
milias tern raerecido ou reeebido os louvores que
!'in -sida outotyadas in pilulas assucaradas de
Bristol, tanto dos medicos como dos deenle-. Os
festeiaunhos tendendes a sua eficacii e a sua
perfeiia isencao de toda a casla de coraposicao es
tranha e olfensiva, sao 4as mais elevadas autori-
dadas .inedicas. 0 sea grantle inerito, segundo
tissas tectemunhas, coHsiste em que alias nao so
limpam-e purilicaiu o eslomago e os intestiuos,
como; tambem obviaw a aeceasidatle de uma pur-
gacde -coctinuada. Aiem disso ellas uao enlra-
quecem a forca geraL como aconteoe com todos
asses purgantes mineraes; nem tao pouco cau-
sam a mais love dor ou nausea durante a sua
operacao fuaccional; e porisso mesmo se tornam
inapreciavehpara as mulheres, criancae o homens
ido-os. Isto-e um assguipto de vasta isiportancia
que todos doem estudar, principiaudo por expe
riiientarem era suas pessoas asgrandes e ineon-
testaveis virtudes das pilulas assucaradas de Bris-
tol. Acham-se aeondieiouadas dentro de trasqui
nbose por.isso c seu c-tado perfeito se oanserva
em todos os climes- Em todos os casos causados
par af^ravacao on provopientes de impnreeas do
sangue, a iaLsaparrilha do Bristol, dovera str to-
madaeuniuntamenta coin as pdulas.
Pura todos.
A case K>rluaria de Paula A Mafra cou-
tiniia a, bem servir o pulilico, eaa- quantos
sus propristarios ou sao. dpfpridos no re-
eurso que iotccpoem ao coaselho d'estailo
contra o motwpolio co*:eJido a outrem. ou
sao a contendi itidomnisados pelos moaouo-
tistas. E para que tiinguetn se illuda a reft;
pe;to, scientiiicatflao respeitavej publico que
se acham proyidqs "Jo material twcessar,i' e
(Vim carrus novos.

GOMrvtNHlA
Phenix Perrsambucana.
TOma riscos maritimos em mefcadonns,
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
A companhia lndemnisadora, estabetecida
aesu pra^a, totna segwos maritimes sobtt
navios e seus carregamentos e contra fogc
eta edificios, mercadorias e mobilias: tw
rua do Vigario n. 4, pavimeuto terreo.
GOIPOHjT ALLItlGJl m \
seguros maiitimos e terreb-
treg estabolecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,000:000^000.
T-eraa segtrro de mercadorias e dinbeiro
*co maritimo em navio de vela e vaporei
para dentro e f6ra do imperio, assiin comt
rontTa fogo sobre predios, generos e fa-
-ondas.
Agente : Joaquim Jose Goncalves Beltrao.
rttf doCommercio n. 5, I* andar.
%nro; coolra-fogo
THE LIVERPOOL & LONDON* GLOr
INSURANCE COMPANY
AjrontcN
SAUNDERS BH0THERS4 C.
11Corpo Santo11
Para o Rio Orande do Sul, no brigue brasl-
leiio PrnDiilencia, carregaram : C. E Merrin J,000
cocos (frocta); J. S. Barros 20 barrie com 19?
linos de met.
Para o Rio Grande do Sul, no brigue bra-
sikire Cgmc, carregaram : Amoctai Irmaos & C.
300 barricas com 17.596 kilos de assucar branco
e SO ditas com 3.366 l|2 ditos de dite miscavado
Para o Rio de Janeir no paUco nacional
Rival, carregaram : J. S. Leyo 4 PHho 600 saccos
com 45,000 tilon d-j assucar bianco.
Para o Rio Grand:: do Sul, no patacbo bra-
sileiro Portmna, carregaram: J. J. Ferreira 94
barris com 11J240 litros do mel ; F R. Pinto
Guimaraes 30 pipas com 14,400 litros de aguar-
Idente.
Para Mossiro, na barcaca P. Jardim, carre-
garam : Mouteiru Junior 4c Fernandes 3 pipas
coin 1,440 litros aguardeale e 10 barricas com 727
kilos de eassucar branco..
Para Mossoro, no hiate brasileiro Leonilla,
carregaram : B. Gomes k C. lii barricas com 9i
kilos de assucar branco; para o Aracaty, L. J.
Marques 30 volumes com z,ol4 1|2 ditos dediio.
Para Tabatinga, no hiate nacional P. do Rio
Granite carregarara Costa 4 C. 2 barricas com
185 kilos de assucar refmado.
Para Macao, na barcaca Triumpho, carre-
garam : Costa & C. 6 barricas com 358 kilos de
assucar refmado ; faria 4 Filho 4 ditas com 360
ditos de dito; Prago& Rocha 13 barris com 1.248
litros de aguardente.
3 Para o Natal, ha barcaca Siloina, carrega
ram : Fraga 4 Rocha o barricas com 450 kilos de
assucar branco; T. Pereira Machado 12 ditas com
7,261 ditos de dito; J. F. Marinpo 1 dita com 70
dilos dc dito.
Para Alagoas, na barcaca Bom Successo,
earregon J. V. Paiva Junior 1 barril cjn 90 li-
tros do alconl.
Para a Batria, na barcaca Unitio, carregoa :
J. F. da Costa 1 barrica com t(0 kilos de assucar
branco.
NORTHEM
Capital. ... 20,000:000300l<
^undo de reser*a. 8,000.-oeo$00*
Agvntes,
Mills Latham & C.
RUA OA CRt^ N. 38.
PRAOA DO REOFS 13 DE DEZEMBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 I10RAS DX TARDR.
Ctac-s offleiaeai.
Algodao de Mamanguape sem inspeccao 74-300
por 15 kilos, hontsnr
Cambio sobre Loadres a 90 djv. 26 3(8 d. por
1*000, h intern.
Duoourcq
Presidente.
Leal Seve
Secretano.
ALFAXDEG*
ieadimento (do dia 1 t 11
'dem do dij 13 .
506:7434432
55:5604065
562:304*417
Desearregam hoje la. do dezenibro.
Barca iogleza ti&ra mercadorias para alfan-
dega.
Barca ingleza Jane Maria. inercad&rias para
alfandega.
Barca franjeza -MuHriccen-varies generos para
o trapiche Conceicao, e vinno para al
fandega.
Brigue nulez Junes Stwart bacalhap ja despa-
cbado para o trapiche .ConceiQao.
Briguebespanhoi -ifrt'/"oxarque ja despacha-
do para terra.
Patacho nacional Jafmtao kercaene para o
trapiche Conceicac, para deapachar.
trapiche Conceic*o, para despachar.
<:a ;:h\i;ao na paiita dos rnccos dos cE-vunoi
SI-JRITI-S A DIRRITOS DB BXl'.nTA5AO, NA SMIAMA
l)B lo A 20 l)K DEZGMIUU) DB 1873.
Aigndaaem rama on fa 474. rs. o kilo.
CaruQ de pedra estranzeiro, tonellada metrica
234000.
Carocode algodao 20 rs. o kilo
Crina-animal em brut) 300 rs. o kilo,
AlfauJ.ega do Pernambueo, 13 de dezembre de
1873T
0 1 conferento-A. C. de Pinho Borges.
O 2- conferenteJulio da Costa Cirne.
Approvo. -Alfandega, 13 do dezembro de 1873.
u inspector da alfandega
Fabio Alexandrino de Carvalho Reis.
CAPATAZIA
Keadimeolo no dia 1
ddrii do dia 13
DA ALFANDEGA
a 12
9:8464406
613*637
10:460*08-1
Jo dia 1 a 12
VOLUMES SAftlDOS
No dia 13
?rtmeira potU .
{egunda porla .
rtrceira porta .
Quarta porta .
ri apicbe Conceicao
SERVICO MARITIMO
vl>arengas descarregadas no rrapich*
alfandega do dia I a 12 .
vNo dia 13
N'aMJsatracadosno trap, da altaodsga
Alvarengas........
lo trapiche Conceicao
14,836
439
388
226
1,042
17,131
21
22
-tBCEBEDOtUA DE RENDAS INTERNAS QB
RABS DE PERNAMrrUpO
dendimento do dia 1 a 12. 30:262*904,
dera do dia 13 725*636
0.988*360
CONSUL A DO PROV1NOAL
Aendimeuto do dia 1 a 12
ld.sm no dia 12 .
8:iu073*IS2
7:340*098
9-2:4134280
llHItlM-tlK'UO
Barca franeeza Mauricien, entrada de
Cetto em 13 do corrente e consignada a
Harismandy & Labille, manil'eston :
Mass.is 604 caixas.
1'apel de embrulho 2;>0 fardos.
Sal 220 toneladas.
Virjho branco 200 pipas, 940 barris de
quinto, 60 de decimos. Dito Unto 21 pipas,
800 barris de quinto, 30 de decimos e 25
quartolas tudo aosconsignatarios.
JBSPACHOS, DE BXPOUTACAO NO DIA 12 DE
DEZEMBRO DE 1873.
Para os portos do exterior.
No vapor francez Ertmaiitht,Qar& Bordeaux,
carregaram : Keller 4 C, 1 barrica com loabara-
chis.
Na barca franceza Fidelile, para o Havre,
carregaram : E. A. Burle di C 330 saccas com
com 24 773 kilos de algodao ; L. Freres 20 volu-
mes com 10 ditos de dace e 3 ditos com 234 oitos
de cafe.
Na barca franceza Vilte de Frontingiuiu, pa-
ra o Canal, carregou : A. 0. Leile 400 saccos com
10,000 kilos de assucar mascavado.
No navio hollandez Sphynix, para o Canal,
carregaram : Keller & C. 283 saccas com 20,936
kilos de algodao.
No Utgar allemaa Alemania, para Liverpool,
arrogaram : G. Neesen & C. 153 saccas com
11,728 iilos 1e algodao.
N'aga4era portugueia A adacia, para Liver-
pool, carregaram : M. Lalhan 4 C. 3,800 saccos
com 283,008 kilos de assucar massavaljo.
No vapor ingl^z Student, para Liverpool,
carregaram (I. Wiat 4 C. 3 barricas com 60
abacachis.
Na polaca bespanhola lz,aora, para Barce-
lona, carregou : A. Cordeiro 41 saccas com 3,110
1)2 kilos de algodao.
Na polaca hespanhola McxeUla, para Bar-
celona, carregaram : P. Carneira & C. 70 saccas
com 5,037 kilos de algodao.
No brigue hespanhol Salvador,, para Barcel*
lont, carregaram : P. Carneiro & C. 100 saccas
com 7,304 kilos de algodao.
Na barca brasileira S. Jose, para o Rio la
Praia, carregoa : A. Loyo 400 barrif as com 49,007
Jcilos de absuoar branco.
Na barca portugueza Gratidao, para Lisboa,
cairegaram : E R. Rabello 4 C. t)0> saccos,com
0,0(MI kilos do assucar mascavado ; P. Vianna
4 C. 2>0 ditos eppi 15,000 ditos de dito branad;
T. A. Fonseca 7,300 ditis do dito ma-cavado ; Sa- Leitio irmaos
SOd cnuros salgados com 6.000 kilos ; P. G. Flu-
ks 50J uit i- coin 4,693 ditos; P. Carneiro &C
272 ilitos com 3,2fii ditos.
Para o< poiio> do iuirrwr.
Para a Bahia, no vapor nacional Goncalves
Mar/ins. carregaram : A. Luyo 330 saccos com
26.2.30 kilos de assucar .branco ; Olto Boners I
caixa com iO abacachis.
= Para o Acaracii, no vapor nacional Pirnpa-
ma, carregaram : A. Cordi ir 5 barns com 480
liti'ns de aguardente ; J. C. Figueira B> barricas
cm I, 02 i|2 kilos de aisuear branco ; J. F. Pan-
la Baoi'>s i ditas com*4ti8 dt m de dilo ; oara o
Ce.ira, J. J da Rosa 40 barricas com.2,701 >\i ki-
los kilo- d a*su ar branco; Costa & C..30 cascos
coin 3,750 ditos de dito e 45 barriiuiBhas c.im
?,82!i ditos de dito n-Onado ; Pintu Mariips a C.
tO ditas com 602 ditos de (lit" : para o Natal J. F.
Ferreira I barnquiuha coin iOOkiiiM.de. aucar
branco > Costa C. 6 ditas com 37,dltos de. dito.
MOVIMENTO E TUANSACgOKS C.QMMERCUKS DA
PR4QA DO RECIFE NA) SESUNA DE 8 A 13
DE DEKEMDRO DP. 1873.
Cambies.
Sobre Londrcs -a 90 d/v 26 1/2. 26 3/8 parti-
cular, e de papel bancario 26 e 26 1|4.
Sobre Portugal a 90'o/v, iti4 por cento do
premio, particular.
Sobre o Rio de Janeirp-a 30 d/v 1 por cento
de desennto ; e a 13 d/v o par, particular,
Sobre Hamburgo a 3 dVv 463, o reiehs-mark, do
baico.
Sobre Parisa 90d/v',339 e 36Q ppr franco, par-
ticular f
'W.Srire Lisboa e Porw 103 por cento de premio
rw d/v. /
Vcndas do algtxlifo e do assucar.
Algodao de Pernambueo 74600 e 84 por 13
kilogrammas. \
Bo Penedo sem inspec^io 7*300 por' 13
kilogrammas.
Assucar mascavado do Rfo Grande do Norte,
posto a bordo a f' etc de 45 evJ por cento por to-
nelada, 14870 por 15 kilogrammas para o Canal.
Entradas do assucar e do algodao art nvio dia
de sabbado.
Assucar 29;032 saccos.
Algodao-4,590 saccas.
Expnrtacao \
Para Liverpool2,962 saccas de algodao e 3,465
de assucar mascavado. \
Para o Canal --4,2*1 saccos de aaswcar> idem.
fara New York12,300 ditos, dito.
Para Portland -5,o00 ditos, dito. \
Para Barcelona552 saccas de algodao. \
Para Lisboa20 saccas de algodao, 33 pipas
aguardente, 630 saccos de assucar branco e 1,350
de dito mascavado.
Para o Porto 353 saccas de algodao, 24? sac-
cos de assucar branco e 173 de dito mascavado.
Para o Rio da Praia1,450 barricas de assucar
Dranco e 200 dita3 dc mascavado.
Para o Rio Grande do Sul 1030 saccos e 330
barricas de assucar branco, 20^ saccos e 30 bar
rieas de dit* mascavado.
Para o Hio de Janeiro-3,170 saecos de assucar
bracco. *
Para a Bahia760 saccos de assucar branco.
Para o Maranhao-90 saccos e 130 barricas de
assucar branco e 80 barricas de dito mascavado.
Para o Para00 barricas de assucar branco.
wovimento m mm
de380
carga
Navio entrado no dia 13.
Celte-47 dias, barca franceza Mauricien,
toneladas, capitao Marim, equipagem 14,
varios generos; a Ilarysmandi & Labelle.
Navios sahidos nomesmo dia.,
Aracaty-Hiate brasileiro Adeline doi Anjos, capi-
tao Manoel F.TWonteiro, carga varios generos.
Portland -Pataci o inglez Malaga, capitao Carbau,
carga assucar.
Navios enlrados no dia 14.
Terra Nova-33 dias, patacho inglez -Britannia, de
130 toneladas, capitao R. Kearney, equipagem 8,
earga 1782 barricas, 99 meias e 64 caixas com
bacalhao a Johnston Pater 4 C
Terra Nova 32 dias, barca ingleza Calderbank, de
182 toneladas, capitao Alexandre Taylor, equi-
pagem 10, carga 3000 barricas com bacalhao a
Johnston Pater A; C.
Cardiff 34 dias, lugre allemao, Hongkong, de 220
tonejadas capitao C. Sou), equipagem 8, carga
carvao, a Fennely & C.
Observacdo.
Nao houve saliidas.
=
P
tDiTAIS.
Consulado provincial
Parascienoia dos contribnintes dos impastos
abaixo deelarados e os effeitos legaes, se publica
em Feguida as alteracoes varilicadas no langamento
dos mesmosimpostos no corrente anno flnanceiro dt;
1)873-1874, ficando aberto o prazo is reclama-
cpes, que porventura possam tera fazer osinteres-
sados, na forma da lei e regnlamentos respec-
tivoa.
Alteraoues feitas n > laneamanlo da deeima nr -
bana, na seccao da freguezia de Jaboatao, no
exercicio de 1873 a 1874, pelo lancador Izidoro
Theodulo de Mattos Ferreira.
Estrada, do Gequia a JaboaUo.
N- 5 A. Lonrenjo Gomes de Oliveira,
umaca>a frrea arrenlada por 184000
N. 9 A. Severino J.ise Filgueba deMe-
nezes, uma dita p.ir 1444000
N. T3. As menses filhas do Ignacio
Very Ferreira da Silva Lopes, uma
dita por eOJfJW
N. 23 As masmas, uma ,dita por 604060
V: 27. B<>aveulura Jo:6 Jo Ca.-tro Aze-
velo, uma dita por 60*000
X. 31. Maria Cirolina Pereira de Car-
valho, uma dita por 6O4OOO
de Castro e
N. 33. A roesma, otna dita por
N. 39. Manuel Kosas de Oliveira, uma
di'.a por
N. 41. Manoel Joaquim Baplista, uma
dita por
N. 43. 0 raesmo, uma d!ta por
N. 47. Antonio Esteves Moreira da
Costa, uma dita por
N. 49. Antonio de Almeida Lima, uma
dita pir
N. 51. 0 mesmo, uma dita por
N. 37. Jacmthu Jose de Sampaio, uma
dita por
If. 59. 0 mesmo, uma dita por
N. 103. Antonio Esteves Moreira da
Costa, uma dita por
if. 107. Manoel Hemeterio de II. Tor-
res, uma dita por
109. 0 mesmo, uma dita por
109 A. 0 mesmo, uma dita por
N. 109 B. 0 mesmoj uma dita por
!%. 149 A. Joaquim GoucalveB da Silva
Brito, uma dita por
N. 119 B. 0 mesmo, uma dita por
N. ti9 C. Victorino Lopes da Costa,
uma dita por
N. 112 B. 0 mesmo, uma dita por
N. 123. Felix Lins Cavalcante, uma
dita por
N. 123. 0 mesmo, uma dita por
N. 131. 0 mesmo, uma dita por
N. 14'J. Francisco de Paula,Gourinho,
uma dita por
N. 217. Francisco Antonio das Chagas,
uma dita pox
N... .0 mesmo, uma dita por
N. 231 Mauoel da Silva Ainorim, uma
dita por
N. 233. 0 mesmo, uma dita por
N. 261. Bosa Feliciana Galvao, uma
dita por
N. 279. Maria Roza da Gloria Ferreira,
uma dita por
N. 285. Joao Carlos de Souza, uma dita
por
N. 293. Argerairo Ferreira da Costa,
uma dita por
N. 303. Autouio losti Ferreira Retina-.
idor, uma dita por
N. 327. Aul nio Correia Maia, uma
dita por
N. 337. Alexamlriuo Machado Correia
de Barros, uma dita por
N. 341 G. Joao Bernardo, um rancho.
avaliado por f
N. 341 G. Josejloaquim
Siiva, uma Au pur________
0 capitao Maifoel Joaquim Ferreira Ksteves, ca-
valheirodaiimperial ordem da Rosa 0 juiz de
paz presidente da junta de qualificacao da fre-
guezia de S. Jose do Recife, em virtude da lei,
etc., etc.
Fapo saber que devendo-se proceder a revisao
da qualuieaeao dos votantes desia froguezia.de
conformidade com a lei regulamentar das eletcoes
de 19 de agosto de 1846, e mais decretos em vigor,
convoco ao Srs. cleitoras e supplentcs desta fro-
guezia, e nella residentes, para que eomparecam
ua 3" dominga do mez de Janeiro proximo faturo,
as 9 horas da manha, na igreja matriz desta fre-
guezia, alim deqne se organise a junta de quali
licaciio, licando sujeitos e multa comminada pela
tuesma lei, os que- deixarem de comparecer, st-m
motivo jusliftcadv ou meemo coinparecendo nao
assigne arespecti-.a acta.
Eleitorts.
Capitao Manoel Joaquim Ferreiro Esteves, padre
Antonio de Mello e Albuquerque, Joao Baptista do
Rego, Jose Lopes Dias, Franeisco de Paula. Mari-
nho Falcao, Joso Xivier Coelh, Fraderico de
Souza Gomes, Simao Jos6 de Aaevedo Santos, Clan-
dino Jose de Siqneira, Paulino Herculano de Fi-
gueiredo, Joao Xavierda Forieeca Capibaribe, Jose
Juvenal Dias Barreto, Jose- Anaeljno Gonzaga de
Oliveira, Joso Antonio Candido de Lyra, fedro Ra-
tis itorges, Finnino 1 -no de Azeedo,-Pedro Au-
reliana da Cruz Muni^, apitao Join) Cesar Caval-
cante de Albuquerque, capitao. CamiUe Augusto
Ferreira da Silva, Felix das Mwces" tttmiz^Antonw
M. Tavares, Manoel de Almeida Lima, teneoto
Joao Soares da Fooceca VelkHio, JoSe Simplicio de
Sa Esteves, capitao Manoel Antonio Ribeiro, Er-
nestine Cavalcante do AlbuqnArqne, VicenH Liei-
nio da Costa Campello, Joaquim Pedro des SaTftos
Bezerra, Felix Paes da Silva Pereira, Franoelmu
Augusta de Hollanda Chacon.
Supplentes.
Liberato-Luia de Freitas, MaaoeLde Paula Cor-
reia, Valdevino Hibeiro da Silva, Luiz de Souza
Bandiira, DomiagosPrsnoiaco Duraes, Jb6i-da Mi-
ii(04 Durao, Clail'iino *>*6 CarvatoDte. Antonl.) Jo-
se do Saitloe, Miguel dos Santos Cwla Junior, Jacob
Ujieovlcnte, Piiulino Augusto do Siqaeira, Jos6
Dias dos Sank-s, Justiuo Ansberto de Souza, Sim-
pliCio Hemeterio de Farias, Joaquim Moreira de
Mendonca, Antonio Tavares i'atanho, Joao Paulo
de AMtuipierquo, Vicente Josd da Siiva, Bernardino
de Senna Ferreira Leite, Francisco- Joaquim Vie-
gas, Prancisco Jose dos Santos Honoralo, Marcoli-
no Martins da Luz( Francisco Manoel de Oliveira,
Geminiano Infante Lumach Miguel*, Jose Pacheco
de Menezes, Antonio Jose de Souza e Silva, Anlo
nio
604000
1264000
604003
00400J
724000
724000
724000
724000
724000
T24OO0
004000
004000
605000
60*000
724000
7240O0
96*000
964000
004000
',04000
t',04000
72*000
130*000
cO*000
1204000
1203000
484000
1204000
064000
120400J
I2O4OOO
964000
1204c00
724000
334000
sm/tRAeofs.

I
., franeisco Monteiro, Antonio Dias da Silra
Cardeal, Joio Gualberto dos Santos, Joao Gualber-
to de Paula Praneo, Mignel Marlins do Sacra-
mento e Ignacio Josti Gomes.
E para que constar, mandei fazer a presente,
que sera afflxado no lugar do costume e ptibliea-
do pela imprenta.
Dado e passado nesta freguezia do S. Jo?4 do
Recife, aos 15 de dezembro de 1873
Eu, Jose Goncalves dc Sa, eseriwio 0 escrivi.
Manoel Joaqnim Ferreira Eslevs.
i;.iiui n. roje".
1 Pela inspectoria da alfandega de Pernambueo se
faz publico que as 11 horas da manha do dia 16
do corrente so ha de arrematar livres de direitos
e sujeitas ao imposto da capatazia, as mercadorias
abaixo declaradas, anuunciadas a consumo por
edital n. 99, e que deixaram de ser despa:hadas
denlro do prazo mareado.
Trapiche Concei'-ao.
Marca CM 30 saccos com farello, vindos de
Liverpool na bqrea portuguera iVowi Sympathia,
descarregadas em 12 de agosto passado, ptsando
1,9*30 kilos, avaliaiios por 2114680.
Sem marca 1 Br\de compJantas seccas, vmdas
do Porto no briguo pa^tuguez Recife, descarrega-
da em 29 de letembro jiassado, sem valor.
Alfandega do Pernampuco, 11 de dezembro de
1873.
0 inspector,
Fabio A. de C. Rgis_______
Edital 11. 103
Pela inspectoria da alfandega oe Pernambueo
se fai publico que achando-se as mercdorias
contidas nos volumes abaixo mencionados no caso
de serem arrematadas para, cunsumo, nos tecmos
dol*doart. 3d tembro de I860, os sets ionos ou consigaatarios-
drverio despacha-las no -jirazo de 10 lias,, sob,
pena de, Undo elle, serem vendidaa por sua ccnta,
sem que lhes lique competiudo allegar contra os
effeitos desta venda :
Marca JJGB-1 caixa contendo fructas, vindas
de Lisboa no vapor inglez. Valparaizo.
Idem MJFC -100 barricas com cal. vinaas de
Lisboa na barca porlu^ueza iVoz>o Sgmpatlua, ia-
trada em 12 de agosto passado.
Alfandega de Pernambueo, 12 de dezembro de
1873.
0 inspector,
_______Fabio A. de Carvalha Rui:,
O ilbn. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimenlo do aete do Exrai. Sr, conn
mendador presidente d: provincia, de 4 do mez
correntev manda fazer publico que, na uiesma
thesouraria, acha se aberta a inscripcao de apoli-
ces de divi la provincial, ao par, vencendo 0 juro
de 7 por canto ao anno, ate a imporlancia de mil
contos de reis.
Secrelaria da thesouraria provincial d< Pernam-
bueo, em 13 de dezembro de 1873.
Vicloriano J it, Palhares,
Oflleial-uiaior interino.
A eamara municipal desta cidade. tendu
de demolir o trapicbo denomirfado Peiou-
rinlio e veniar a quem mais vantagens
off rocer, sob a base >le 500|$000 todus os
materiaes i1o mesmo trapiche, convido pelo
presente aos pretemientes a cornparecHreui
no dia l7'lo corrente. pelas 12 horas do dial,
no paijo das suas sessdes, cormndo dita de-
inolicao por ccnta do arreruatauto.
Pago da earnara municipal do Rcptfe, id
de diizeinbru 0 1873.
Manoel J. do Mego-e Albuquerque,
Presidente.
Pedro de A Ibuquerque A utran,
Secretario.
Santa 0;isa da Misericordia
do Reeife.
A junta administrativa da Santa C*?a de Mlse
rienrdia do Recife, e mpe'.onlomaBte autorisada
pela presidencia, em data de 3 de setembro do
anno proximo findo, e de conformidade com 0 qne
lispSe 0 9.* art. 51 do sen cora.romisso. per-
Tiuta nor apohces da divida publica a fazenda d*
criar g'ados que poasae 0 patritooio dos esta-
belecimento? de caridade a seu cargo deaoraina-
da Carniuba sita ne termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar e plantar, *
com algum gado cavallar e vacenra.
Reeebe para isto propostas nesta see'retaria ate
0 dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
-,ife, 10 de oulubro de 1873.
0 escrivSo,
Pedro Rodrigues de Stmza.
0 a lministrador da recebedoria dte ren-
das ititernas geral faz publico que, em virtu-
de dadisposir-aodo art. 12 eda ultima parts
do art. 22 da lei do orcamento vigente n.
2,348 de 25 de agosto ultimo, a multa de
que trata 0 art. 30 da lei n. 1,507 de 26 de
setembro de 1867, que e de 6 % a que es-
tao sujeitos os seguintes irapostos, a saber:
deeima addicional, imposto pessoal, dito
sobre industrias e prolissoes e taxa de es-
cravos, serd elevada a 10 */0. do dia 2t do
corrente cm diante, pelo que previne a to-
dos os contribuintes dos referidos impostos,
relativos ao exercicio de 1872 a 1873, eoi
iii|iiiilarao, que sdmeute ate ao dia 20 des-
te mez e que podem e devem realis r o pa-
gamento on em mao dos cobradores ou nes-
ta recebedocta, certos de que se nac fiaerem
ate ao ret'eriao dia 20, serao> obrigados a
pagar judiciabnente es supraditos impostos
com a multa de 10*/0-
Recebedoria de Pernambueo, 1 de dezem-
bro de 1873.
Manoel Carneiro dc Souza Laeerda.
INSPECCAO DO ARSENAL DE
MAR1NHA.
Pal-so publico que nesta data a eo.nmissao de
Ceritos vistoriou os vapores Imperador, Camaragi-
', Ptrapama e Cururipe, sende os dous primeir <
da companhia vigilante de rcboque, e os DWne
da companhia pernambneana de navegacio cos
teira, e julgou era estado de poderem os vapoiws
ciMitiuuar no ^ervico em que se erapregam.
Iiisjieccao do arsenal de marinba d> Pernam-
bueo, 12 do dezembro de 1873.
Francisco Romano Stepple da Sika-
Inspector.____________
No dia W do corrente mez, depois da audieaeia
do Sr. Dr. jniz direito substitute dasegunda. vara.
lem de ir em praca uma casa terrea meia-agua
n. 210, na rua Vital de Negreiros, com duas pr-
tas na frente, 20 palmos de largura e 30 ditos
de fund-), repartida por taboas, em mao estado,
chao foreiro e avaliada por 7004..
Outra dita de n. 229, na rua do Coronel Saas-
suna, a qua' faz fundo para a casa acima,,.cora
duas porta* de frente, 22 palmos de, largura e 30
de fundo, tamhem repartida por taboas em chao
foreiro, avaliada por 600*. as quae3 foram peph
radas a loao, Rodrigues Lima e sua mulher. por
execucao qae contra os mesmos encaminha.Ftan-
cisco Pelix Goncalivg. Escrivao 0 Sr. BapUsta,
SANTA CASA DA MlSKRiCORDIA DO
RECIFE.
A junta administrativa da sinta casa da.misc
ricordia do Recife precisa eonlratar 0 forpecinien^
to dos generos abaixo deelarados, qne lem de con-
snmir os eslabe'.eciineutos pioe a sen cafgp, ex-
ceptnando o hospital Pedro IJ, no trimestre de Ja-
neiro a mareo.do prfiximo anno de 1874. Reccbe,
prepostas na sala Se soas ses5es, peta?. 3 h'ora^
ifeitarde du dia 18 do corrente.
Aletria, kilcgramm".
Aguardente. lilro.
Azette doce, idem.
Arroz do MaranhSp, idem.
Bacalhao, kilogrammo.
Ban'a oe porco, idem,.
Kiitatfls. idem
(Ilia hysson, idem.
Cafe em grao, idem.
'Gfcrne secca, idem
Cebolas, c-nto.
Farinha de.mandioca da terra, litro.
FeijSo mnlatinho, idem.
Farello, sacco.
Fumo do Rio, kilogrammo.
Gaz, lata.
Milho, sacco.
Manteiga franceza. kilogrammo.
Potassa, idem.
Rape, idem.
Sabao, idem.
Tapioca, idem.
Toucinho, idem-
Velas de carnauba, kilogrammo.
Vinagre, litro
Vinho tinto de L'sboa, idem.
Vinho branco, idem.
Velas stearinas, kilogrammo.
Sal, litro-
A junta administrativa da santa casa da m-
ricordia do Recife precisa contratar 0 fornecimeu-
to de nio e belacha que tem de consumir lodos -
eatahelecimentos pios a seu cargo, no trimestre 1!"
Janeiro a marco do proximo anno de 1874. Reee-
be propostas na sala de saas sessSes, pelas 3 hd-
ras da tarde do dia 18 do corrente.
. A junta administrativa da santa casa da mis ri-
cordia do Reeife precisa contratar 0 fornecimento
de assucar reflnado que tem de consumir todos os
estabelecimentos pios a sen cargi), no trimestre de
Janeiro a marco do proximo anno de 1874. Re:
be propostas na sala de suas sessSes, pelas 3 hora-
da tarde do dia 18 do corrente.
A junta administrativa da santa casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar 0 fornecunento
de carne verde que tem de consumir tolas os-es-
iabelecimentos pios a seu cargo, no trimestre d
Janeiro a marco do proximo anno de 1374. Re-
cebe propostas na sala de suas sessoes, pelas 3
horas da tarde do dia 18 do corrnte.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 10 de dezembro de 1873.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Souja
Hospital militar
Precisa-se contratar para as diftas dos doetts
e racfes dos empregados do raesmo hospital 0 for-
necimento dos generos abaixo dedarados, dur&ntv
0 trimestre de Janeiro a marco de 1874,. a saber :
Aletria.
Araruta.
Arroz pi lade.
Assuiar reimado.
Batatas inglezas.
Bolachas.
Bolacnas ingleus.
Bananas.
B.iscnutos.
Carne de vac'a..
Cape secca.
Carne de porco.
Cna hysson.
Cafe moido.
Doce de.goraba.
Farinha de mandinea.
Feij 10 mulalioho ou preto
OaQinbas.
L-oha, achas.
La rani as.
Mauteiga ingleza.
Manteiga franceza.
Maroiellada.
Macarrao.
I'a's le 114,762 grammas.
Paes de lio.grammas.
Sal.
Tapinca .
Toucmho de Lisboa.
Vinngre de Li-boa.
Vinho do Porto.
Ovi-
T1 i.m esicsgeneros dev-m ser da 1' qualidatJ<
a carne verde nao de?e->nter no peso qae sc
pedir mais do quinto em essos, e to*)s sao m"d'-
dos e p^sados pelo system* oltiniarnente adnptatto.
Con'rata amla mesow bospital e para 0 w
ferid', (riniestre:
Saogue-ugas de Hamburgo.
I

mniAl 1
UECfVEL


M.1
Diino de Fernaffi>fio Segunda feica 15 de Dezemoi-o de 14)1*.
*
Lavagem e concerto de raupa.
Contratase ifualmcote o fornecimento dos ah-
leetos abaixo declarados, para o expedite da
reparttoao, a safct-r :
Penasi'afo Perrv, caixas.
Lapi;.
Canetas.
Canivetes.
Papel greve paulado.
Papel liso.
Hapel Jesii.
Obretas, oaes.
Tinta violeta da verdadeira.
Gomm'arabica, (rasco.
Eavelope para oflkios, cenlo.
Papel matta-borrao, caderno.
As pessoas que quizorem fornecer os objeclos
acima mencionados, apreseatem na secretaria do
mesmo hospital, no dia 16 do corrente raez, pelas
10 horas oa manha, suas propostas em cartas fe-
chadas, e as respectivas amostras.
Hospital milital de Peroambuco, 11 de dezetnbto
de 1878.
0 escrivao
Avulino Pereira da Cunha.
Pela administracao dos correios desta pro-!
vincia se convida a pessoa que botoa aa caixa do
correio, no dia 10 corrente, com destino a HaceiO,
uraa carta dirigida a Isaac Tavares Costa, a com
parecer na mesma administrate, aflm de veriB-
car-se uma duvida sobre a referida earta.
godijzinho. sapattles, jaccfli de guardar roupa e
ravesseiros de liulio caeios de pallia.
Para artilices avnlsos.
Blnsaa de panno ami, blusas dealgoaao azul,'
cal&as de brim branco, caljas de panno azul, ca-
misas de algodaozinho e cintos de eouro branco
invernisado
Para imperiaes mariubeiros, aprendiies ditos
e marinhagem.
Bonets de panno azul ferrete. calcas de panno
azul ferrete, cainiias de brim branco, calcas de
flanella azul ferrete, eamisas de flanella azul fer-
rete, camisas de pabno azul ferrete, calcas de
brim branco, colchdes de linho cheios de palha,
cobertores de la, fardas de panno azul ferrete,
lencos de seda prela para gravata, sapatoes e sac-
cos do lona de marinhagem.
Sala das sessSes do conselho de compras de
raarinha de Pernambuco, 10 de dezembro de 1873.
0 secretario
________Alexandre Rodrigues dos Anjos.
COMPANIIIA rERNAMBUCANA
DE
vegltffto co.telra ujiir
MACEl6, ESCALAS, PENEDO B AftMlAJU'.
0 Taper Mandahu,
command ante Julio,
seguira para oe por-
to? acima no dia 15
do corrente, as 5 bo-
ras da tarde.
Recebe carga ate 0 dia If do corrente, eneom-
-Tiondas ate 0 dia 13, passagens e dinheiro a frete
ite as 2 boras da tarde do dia da safeida : es-
criptorio no Fort* do Mattos a. 12.
fa cidade, fara leilao, por iutervenr,lo do ageatg
Bartins, de 1 raobilia de jacaaaada, quadrrs, 1
*w!ln,*,franceza' marquezafcoisolOT, 1 mesa elas
- iica de mogno com 2 taboas, cadeiras de balanco.
i commoda, casticaes 4e metal com lanternas, 2
ninpculos, cadeiras para sala de jantar, e outros
muitos objectos que serao vendidos ao correr do
martelto.
A's 11 horas do dia acima.
?
GRANDE LIQUIDACAO DE ftZPDAS
Pela mesa eta consulado provincia
se faz publico que foi prorogado por mais
30 dias, de conformidade com a portaria do
Mm. Sr. iuspectorda thesouraria provincial,
de hoje datada, o prazo marcado para 0
recebimento, independente da multa, da
contribuieao indemnisadora dos apparelbos,
e seryico dos mesmos, perteneentcs a com-
panhia Drainage, correspo:idente ao ultimo
semestre de 1872.
Consulado provincial, 1. de dezembro
de 1873.
Antonio Carneiro Machado Itios,
AdminUtrador.
Western and Brazilian Tele-
graph Company Limited.
0 vapor Hooper, agora ancorado neste
porto, vai immergir a segunda secgao do"|
cabo que ba de ligar Pernambuco a Bahia e
Rio de Janeiro, e espcra-se que a cotntnu-
uicacao por toda a extensao do cabo, desde
0 Rio do Janeiro ao Para- sera1 aberta ao
publico no proximo mez de Janeiro.
As taxas pelos telegram mas expedidus de
Pernambuco serao as seguintes ;
Para o Para"..........10000 cada palavra
a Bahia ... ... ..10000
0 Rio do Janeiro. .155500
Os nbmes e o endereco dos destinatarios
e remettentes serao incluidos no nurnero das
palavras a pagar.
Telegrammas para lugares dentro do pe-
rimetro d'utn kilometro da estagao tele-
graphica serao entregues livrcs de despezas,
mas os que excederem pagarao 500 rs. por
cada kilometro ou frargao.
Quando qualquer telegramma for entregue
por meio-. espuciaes, a despeza feita correra*
por conta do reci'bedor.
A souima do 200 rs. sera" cobrada para
portes do correio nos telegrammas destina-
dos aos purlos do Brasil c a de 500 rs. na-
quelles deslmados ao estrangeiro.
0 remetiente do telegramma tem a esco
laa de pagar a resposta que desejar seja
dada pi'loseu corre-pondente, se este quiz que a tesposta s6 cofflrte de 10 palavras, as
-;-"jlavras (resposta ptga) serao inseridas no
".'.legramma e cobrads, mas se elle descjar
q-je conste de maior ou menornumero, entio
numero de palavras sera" declarado em se-
uiida .-is palivras resposta paga, porexem-
.0: P'sposta paga quatro pdavras e estas
sercio ifjualrrente cobraiias; se o remettente
t :ira maior s<'gurang..-iquizer queo sfeutele-
graNlfm spjn repeti-^o o poier* foTe-,-pgan-
do a metaled > custo do mesmo.
Efitao feitos accordos em virtudf dos quaes
podem expedir-se telfgrammas para todas as
parflB do mundo: do Para" pelo vapor ame-
ricannquft sahe daquelle porto para S. Tho-
maz a .i de cada mez e dalli serao telegra-
pbados ao sou destino, os preg-os para taes
telegrammas quo agora podem ser pagos
adiantados ate ao seu destino. podem ser ob
tilos, pro-urando se nas respectivas estagoes
tciegraphicas. "
Por accordo feito entre duas companhias,
a linha da Platino Brasileira Telegraph
('.ompanysera trabnlhada por esta empreza, e
no C'linpleinento das linhas, o que se espera
dentro em poucos mezes haveri communi-
cagao telegraphica directaentra as principaes
cidades do Brasil, Montevideo, Buenos-Ayres
e costa do Pacifico.
Pernambuco, 6 de dezembro de 1873.
Roberto M. Hyde,
Gerente do trafego.
= 0 admtnistrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz sciente aos contribaintes da
decima addicional, quo e no corrcute mez de de-
zembro que tern de ser pago, sem multa, 0 pri-
meiro semestre do exercicio de 1873-74, e com a
multa de 6 0|0 depois do referido mez.
Recebedoria de Pernambuco, 5 de dezembro de
1873.
_______Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
ADMl.MSTRAgAO DOS CORREIOS OE PER.XAM-
BUCO IS DE DEZEMBRO DE 1873.
Malas pelos vapores Mandahu e Pirapama di com-
panhia Pernambucana.
A correspondencia que tern de ser expedida
hoje (15) pelo vapor acima raencionado para es
portos do sul, sera recebida pela maneira se-
guinte :
Macos de jornaes, impressos de qualquer natu-
reza e cartas a registrar ate 2 horas da tarde,
cartas ordiaarias ate 3 horas da tarde, e estas ate
3 1)2, pagando portc duplo.
0 admmistrador
Affonso do Rego Barros.
n in ci
AS IMS ADMTTIDAS
EXPOSIClO
no
SANTA CASA DA M1SER1CORD1A DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
saiseriiT nlia do Recife, manda fazer publico que
ax sala de suas sessSes, no dia 11 de dezembro
p-elas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
1 rx s amios, >s rendas dos predios em seguida
dcclarados.
E3TABELECIV1ENTOS DE CARIDADE
Rua de Hortas
1/ja do sobrado n. 41.....- 3065000
Rua da Viragao
Casa teorea n. 7 (feehaia) 312,5000
Travessa de S. Jose".
'iasaterrean. 11.......201^000
PATRFMOXIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Can terrea n. 16.......209S000
Becco das Boias.
rcbrado n. 18.......421^000
Rua da Cruz
S:brado n. 14 (fechada) .... 1:000090
Rua da Guia
Casa terrea n. 25. ....... 200*000
Ruo do P:iar.
I terrea n. 98.......ttUOno
Casa tereea a. 99 (fechada) .... 35-<000
Mem n. 100.........ziU'WO
Idem n. 102........241400"
11m n. 108 .... 207*000
Rua do Rosario da Boa Vista
i'jsb terrea n. 88...... 215*000
Rua da Moeda.
Armazero n. 37 (fechado) 800i000
3s pretendentes dever '.0 apresentar no acto da
irreraaticao as suas flancas, ou compareeerem
a>:oirpanbados dos respectivos fladores, devendo
pagar alem da renda, 0 premio da quantia em
quo for seguro 0 predlo que contiver estabeleci-
mento commercial, a^sim como 0 serrico da iim-
peza-e precos dos apparelhos.
Secretana da santa casa da misericordia do Re-
cife, Jde novembro de 1873.
0 escrivao
Pedro Rodrigua de Souza,
-DE
Vienna d'Austria.
0 proprietario desta imporlante colle^cao de Fi-
guras de Cera, 0 mais perfeito trabalho deste ge-
nero que tem apparecido ua America, verdariei
ro primor d'arte, ja pela perfe'n-ao dos eontortns
e naturalidade das posic5es, como pela exprt--i\i
que relati/amente apresenta ; sem outra recom-
mtndacao, que nao seja a veracidade do que dito
Qca, tem a hnnra de participar ao muito apre
ciador publico desta Flor da America, que muito
breve pora em exposicao as mais imporlantes de
suas figuras.
Para as vesperas e dias da sI-mnisada festa
de Natal, tem elle '-onseguido reuuir as mai- bel-
las preiluccSes da arte crramica, e (jne bastante
concurrencia dovcm ter notes dias, por constitui-
rem um quadro completami-nte analogo e muito
novo entre nos. E' elle compusto de 9 figuras e
representa 0 nascimento do Messias.
A Santissima Virgem,
Seu am a do Filho,
S. Jose e Santa Isabel,
S. Joao Baptista,
Um pastor,
e os tres Rcls Jlajjos -eompOem 0 qua-
dro.
Expora tambem um grupa repre^entando 0 na-
cimento sendo as de Caim, figuras de cera ina-
cica.
Tem alem disto 0 primeiro homem do mundo,
Adao, perfeitamente s^melhante ao Adao, que
nos pinta a bisturia. Eva com t idos os attrat:os
que deveria ter a primeira mulher, imponente
por sua belleza, 0 seduz a comer da frueta pro-
hibida ; seduc^-ao que ct^tou bem cara a buma-
nidadc f
Ajiresenta Ad3o: sentado n'um rochede, podin-
do a Deus protercan pnra Cxim. sen primeirolilho.
emuuanio Eva, dpscancada do parto, ora\e o
contemplava amorosamente.
Um trabalho especial em mecanica con n'um clown faz^ndo no trapezio os mais diffkeis
equilibrios, bem como um zuavo, fumandn, aso-
viando, tocando e conversando com 0 publico,
serao tambem postos em exposicao
Um magnifico orgao realejo fara as delicias
auriculares dosrespertivosconcurrentes, executan-
do as melodiosas ouverturas dc Guilherme Tell,
Diamante* da Coroa, Stabat Mater. N>el, Domino-
noir e varias outras pegas de rscolhidos maestns.
Brevemente annnnciara 0 dia da abertura e
umdetab-ado programma.
Preparem-se para admirar!
0 bom o beilo e o
extraordinTfrio.
Rua da Imperatriz n. 49.
Aberlnra no dia R.
IYIM5 MARITIMOS
NSELHO
DE COMPRAS DO ARSENAL
DE MARINHA.
0 com-elho contrata no dia 16 do corrente me*,
arista de propo usnhi, o fornecinento ao amnal de aiarinha, por
ires me::es, flndos em otarco do anno proximo
7indoaro, de carvao du ferreiro, cimento, e de
arvao coke, assim eoino tambem coitrata o for-
Mcimenw. pelo mmmolempo, doi segninies objec-
toii de fsrdamento.
P*ra aprendiz?s artifices.
Bonet? leuniforme, bofiets do servieo, blusas de
ljr,m nranco, blusas da algodao azul, blusas de
panno a.'.ui. cafeas de brim branco, ca'.eas de algq-
1*) azui, oaahas -de al|bdaozinhn. <-3bert'res de
!ftv*erU)re*d4jfoitto,-'<*itoi dec<,uro'bWB
Coinpanliia americana e hrasileira
de paqueles a v;ip r.
Ate o dia 15 do corrente 6" esporado de New-
York, por S Thomaz e Para o vapor americano
South-America, coinmandante-Jenhlepangh, o qual
depois da demora do costume seguira para os por-
tos do sul.
Para fretes e passagens, trata-se com os agentes
Henry Forster A C, rua do commercio n. 8
Risco maritimo
l. Wulffcapitao do hrigue allemao Cotlmar, vin-
do fretado do Rio de Janeiro, em lastro, para car-
regar em um porto entre Marei6 e Ceara, e depois
seguir para Falmouth a ordem, e entrado neste
porto com agua aberta. precisa, para occorrer as
despezas do oncerto d mesmo navio, a risco ma-
ritimo, a quantia de 6:0 0* pouco mais ou menos,
sobre o casou e frete do dito navio. ^Offertas em
cartas fechadas serao reccbidas no Consulado do
imperio grrmanico (onde a carta du fretamento
pode ser examinada), pelos interessados ate o
meio dia, do dia 15 du corrente mez de dezembro.
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\.ive,;neiio costelra a vapor.
RIOFORMOSO ETAMANDARE.
0 vapor i'arahyba>
commandante Pedr,
seguira para os por-
ti is acima no dia 15 do
corrente, as 9 horas
da nmte.
carga, encommendas, passageiros e di-
frete : escnptono no Forte do Hattos
Recebe
nheiro a
u.'.
m.
Coiiipanhia Franceza de Navega-
CiV) a vapor
Linha mensc&mtve o
Havre, Lisboa, Pernambuco, Rio de
Janeiro, (Santos, souiente na vol-
la ) Montevideo, BuenosAyres,
(com baldeaeao para o Rosario)
STEAMER
MWAm ^BfE S&XTOS
Comuinndanto Lcfevre.
E' esperado da Europa, ate ii do corrente, se-
guiudo depois da indispensavel demora para os
portos do sul de sua escala.
Relativamente a fretes, encommendas, passagei-
ros, para os quaes tem excellentes- acommoda';oes
por precos reduzidos : trata-se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEiRA 4 C.
42rRua doComtnercioEntrada pela rua
do Torres.
ciupeos, flores, cliapellinas, chape"os para senho-
ras, gdrros, chapeos de sol, calcados para ho-
niens, botinas para senhoras, brim branco, sa-
bonetes, agua divina, agua melesse, p6s de ar-
roz,.bol8os para punhus, ditos para colletes. 1
cofre de ferro (prova de fogo) 1 carteira, 1
balcao .de pmarello, 1 carteira de dito, 1 dila
oe mogBo, e outros muitos artigos
HOJE
Rua da Imperatriz n. 72
ii:
A's 10 1|2 horas
Noarroozem n.'iida rua do Marquez de
Oliuda (outr'oro Cadeiaj.
ao correr do marteUo
O agente Pinho Borges, levara a leilao. os objec-
tos acima menefcnados, per ordem de diversos e
per cota e risco de (jueni pertencer.
um
gran .le
DE
Lisboa e Porto
Sague viagem muito breve a galera portugueza
Usbua, por ja se achar coin quas; todo o ceu car-
regamento tratado* Para a puuca carge que lhe
filta e passageiros, aos quae< offerece muito bom
CO nmodo : trati-se com Tito Livio Soares, rua
do Vigario n. 17.
ISIMJ\
Para o referido porto preten le seguh* com a pos
sivel brevidade o brigue portuguez D. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a que the
alia, que reecho a fr.eto commodo, trata-se com
is consignatanes Joaquim Jo6 Gon^alves BeltrSq
5c Filho, a rua do Commercio n. 5.
Para Lisboa.
Sesuira em pnuens dias a barca portugueza
Giatidao. Para alguma pouca carga que lhe falta,
trata se com E. R. Rabello k C, a rua do Com-
m^reio n. i^.
Pacific Sleam MvtMim Coaipan)
Linliu quinzenal
O PAQUKTE
espera-se aqui da Europa ate o dia IS de dezembro,
e depois da demora do costume seguira para o sul
do imperio, Rio da Prata e costa do Pacifico, para
onde recebera passageiros, encommendas edinhei-
ro a frete.
OS AC.ENTES
Wilson Rowe A C.
14 ----IHIA DO CoMMKnorO----14
sortimeiito de chapeos de sol
para bomens, senhoras c ineninos
A S A B E R :
chapefel de sol de seda com cab) de canna e lovic
(sortidos), ditos de seda de cores para senho-
ras, eabo de osso, ditos patente Paragao, seda
sarjlda, com caboi de marlim, ditos de alpaca
para hemens, cabo de madeira, ditos de alpa
ca para meninos, cabo de madeira e osso
Lourenco Pereira JHeodes Guimaraes
Declara aos seus freguezes quo tem resolvijo fazer uraa granie liwriidacio, ate
lira do corrente anno.
A SABER :
CAMBRAIAS BRANC4S A 3000; i Ditos de palha, a 29, 3O00 e 4000.
Vende-se pegas decambraia branca, tapa-
da e_transparente, a Z$, 3500, 4^000 e
a200,
58900.
LASINUAS A 200 RS.
Vende-se lasinuas para vestidos,
320 e 500 rs. o covado,
ALPACAS A 640 RS. rs. cada um. E outros muitos extructos que
Vende-se alpacasde cores com listras a 640 se- vende muito barato para liquidar.
TOALUAS A 600 RS.
Ditos de massa, a 49400.
PERFU.WARIAS EM LIQUIDACAO.
Vende-se sabonttes de diversos tamanhos,
a liO, 200 e 240 e 320 rs.. todo bora.
Frasco de banha, a 160, 320 e iOO rs.
Frascos com aguadecolonia, a 2V0 e 320
e 800 rs. o covado.
GRANADINEA800RS.
Vende-setoalhas felpudas.a 800 rs. cada
\eude-se granadine preta com listras de uma. Lencos brancos, a 20O0 a 6mm, e
cflres; para vestidos, a 800 rs. o co-. 39000 abainbados, fazenda que vcudb-se
por 59000.
POUPEL1NA JAPONF.ZA A 19800.
"Vende-se uma fazenda nova com listas,
GIUVATAS PRETAS A aOO RS.
Vende se gravatas pretas, a 500 is. Man-
corn o nome do poupelina ja^oneza, propria tasde cores a 200 rs
para vestidos de senhoras, a 19800 o co-| Chapeos para baptisados -de menines,
lodas estas fazendassao vendidasno 39000.
vado.
as
11
Hoje
horas da
manha
no armazem n. 24 da ma de Marquez de Oliuda,
outr'ora cadeia.
0 agrnte Pinho Borges levara a leilao, os men-
cionados chapeos de sol, por conta e risco de
quern pertencer.
Agente Dias
LEILAO
DO
hiate de 1" classe Game Cock, com bote e
sobresalentes, ancorado no quadro dos
navios de carno secca em frente i esca-
dinba
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE
as 11 horas
Na sala da Associa^ao Commercial
0 agente DIAS, competentemente autorisado,
levara a leitao, no dia e taora acima mencionados,
0 hiate inglez Game Cnck, de 91 toneladas ingle-
zas, segundo a Maca \ mas p.-gando 130 de car
ga, demandando 8 J|2 pes d'agua, forrado de co-
bre, e prompto para seguir qualquer destino
Este navio que se torna recoinmcndavel pelas
condi^Ses de sdidez com .que foi cHstruido, e
por ser de" classe, 6 vendido por motivos de or-
dem particular, e por ter de retirar-se immedia-
tamente para a Eurnpa 0 seu propnet*rio.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examinar
0 navio, e enteader-se a respeito de .jualquer in-
formaQSo de que nrecisarem com 0 mesmo agen-
te, a rua do Marquez de Olmda n. ; 7, primeiro
andar.
o
Aracaty
com escalas por Macao sahe nestes dias 0 novo e
superior palhab^te national* l pitao e pratico Manoel Caetaco da Costa tem
pane dc seu caregamento prompto ; para 0 resto
trata sa com o cousignatario Antonio Alberto de
Souza Aguiar, a rua do Amorim n. 60, ou com 0
capitio a bordo d- mesmo palhabote fundeado
confronte ao trapiche da c<>mpanhia.
Para o Rio Grande do Sul.
Sahira muito brevp a barca national Deolinda.
Recebe ainda alguma pouca carga, para 0 que
trata se com E. R. Rabello kC,\ rua do Com-
mercio n. 48.
DAS
dividas da massa falli-ia de Amorim, Frago-
so, Santos & C.
TERQA-FEIRA 16 DO CORRENTE
A'* 11 horas.
. "n"'"."'." "'"in. 1'iimpritiHn n ijianrtailn do Illni
Sr. Dr. juiz especial do commercio, levara a lenao
0 resto das dividas da massa fallida de Araoiim,
Fragoso, Santos & C, aquellas quenao foram ven-
didas no leilao do dia 27 de novembro proximo
passado. 0 leilao tera lugar as 11 boras do dia
acima dito, no escripd rio do referido agente, rua
do Bom Jesus n. 43, onde os pretendentes poderSo
obter qualquer infnrmacao.
COMPANH1A PERNAMBUCANA
DE
liavogacAu ciwteira a vnp.r.
ARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACa-
TT, GF.ARA, MANDAHU, ACARACU'. E GRANJA.
0 vapor Pirapama,
cnfnniaodante Silva,
soguira para os por-
tos acima no dia 15
do corrente, as 6
horas da tarde.
i-
Recobe care* ate 0 dia 12 do corrente. encom-
tnvernisalo, caJaas^de paano ami, colc*^*;^*0**0*4*'*1* "a '- P*^eiros e dinheiro a fre-
lirJ le palha, fwnhis de algodaotinho,4e ate as i horas 1a tarde do dia da sahida :
leifM de sada preta para gravaias, liapm de al-1 escriptorio no Porte aoMattosn.il"
PACiriC STEAM NAVIGATION COM
PANY
Linha quiuzenal
0 PAOUETE
ACONaGU*
eapera se aqoi dos portos do sul ate 0 dia 19 le de-
zembro, e depois da demora do costume, seguira
para Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde
recebera passageiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14RUA UP COMMERi:iQ14 _____
Lisboa
Para 0 referido porto preteude seguir com pouca
demora 0 brigue poitugiez Ligeiro HI, de 1
classe, capitao Nobre. por ter a maior pane de
seu carregamento engajado, e para 0 resto que lhe
falta trata se com os consignatarios Joaquim Jose"
GoncalvesReltrao & Filho, a rua do Commercio
n. 5.
Rio Grande do Sul
Para 0 R'o Grando do Sul pretende seguir com
brevidade 0 patach > portugucz Joten Gorrea, por
ter alguma carga; e para a que lhe falta trata-se
com os consigoatarios Joaquim Jose Goncalves
Beltrao, a rua do Commercio n. 5.
tcittra,
Agencia de leiloes.
RUA DO MARQUEZ DEOLINDA N. 37, 1 ANDAR.
0 abaixo assignado tem ; honra de sclentiflcar
ao respeitavel publico, com especialidade ao corpo
commercial d>'sta praca, que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercicio, promette,
se esforgara para bem merecer a confianoa de to-
das aquellas pessoas que se dignarem honra-lo,
encarregando-lhe de negoeios tendentes a sua
pronssao.
Desde ja 0 abaixo assignado antecipa os seus
agradecimentos para com aquelles que 0 proenra-
rem : o que .podtrio hr dirigindo-se a rua do
Marquez de Olinda n. 37, 1 andar.
Recife, 7 de novembro de 1873
Joaquim Dig*-dot Santos.
DE
um variado sortimento de chapeos do Chile,
massa, castor, palha, quer para homens,
quer para senhoras e meninas
OUARTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
A's IO l|'j horan.
No primeiro aniar do sobrado da rua do
Marquez do Recife n. 55.
0 agente Pinto fara leilao, por conta e risco de
quern pertencer, de differentes qualidades de cha-
peos para hamens e senhoras, no primeiro andar
do sobrado da rua da Cadeia n. 55, por cima do
armazem dos Srs. Alcoforado, Vieira & C
Eiuo
DE
moveis eloiica
Quaitii f^-ira 17 de t 0 agente Martins fara leilao; de diversas mobi-
lia3 de jacaranda, de faia ede amarello, marque
zoos, marquezas, camas francezas, novas e usa-
das, cadeiras avulsas de diversas qualidades, re-
logios, e muitos outros objectos que serao vendi
dos ao correr do martello.
No armazem da rua do Imperador n. 48, as 11
horas do dia.
LEILAO
DA
armacao, generos e mais pertencas da ta-
verna da rua da Penha n. C
Quinta-feira 18 do corrente
0 agente Martin? fara leilao, por conta e risco
de quem pertencer, d'arma?io, generos e mais
pertencas da taverna acima, em um ou mais lotes,
conforme convler aos compradores, cuja taverna
se acha muito bem localisada e propria para
qualquer principiante, por ter poucos fundos.
A's 41 horas do dia, na mesma;laverna.
Grande e variado
Bazar Nacional, a" rua da Imper ariz n. 72.!
CORTES DE CASSA A 2#5 0,
!
DE
Na rua do Visoonle de Albuquerque n. 17;
aMiffa rua da Matriz da Boa-Msta.
Oar. Ramenda tendo derefirar-se pflra*fora
LEILAO
DE
mobilias, pianos, bons moveis, ricos espe-
lhos, quadros, finos jarros, louca, vidros,
e obras de prata do Porto
SEXTA-FEIRA 19 DO CORRENTE
Pm intemB^i /agente Pinto
No armazem db sobrado' da rua do Bom Jesus
n.80.
U leilSo principiard as 10 1|2
horas.
AVISOS DVFRSOS
Precisa-se
dBum^criado^tra o Wrvi^o de eosinha
a tratar no hots!'de Bordeaux.
Tende-se cdrtes de cassa
com lOcovados, a *2ff500.
CHITAS LARGAS A 240 Rs.
Vonde-se chitas francezas, largas, de cdres
Has, a 240, 300, 320 e 360 rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 260RS.
Tende-se cassas francezas finas de cores,,
a 260, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 2JS000.
Vende-se saias brancas com barras de cd-
res, a2000.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 e
360 rs. o covado.
MEIAS PARA HOMENS A 69Q00 A DUZIA.
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
homens, a 60000 a duzia, a qual vel
8*000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de la, a 800 rs. cada
um-.
CHITAS UNAS A 400 RS.
Vende-se chitas finas de campo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALKS DE MERINO" A 2500.0.
Vende-se chales de merind estampados, a
20, 30, 40000 e 50000.
Ditos de listras a 50000 e 60000.
BRINS EM CORTES A 10500
Vende-se cortesde brim de cdres e pardo,
a 10jOO, para liquidar.
COBEHTAS DE CHITA A 10600.
Vende-se cobertas de chita a IrGOO e
20000.
BRIM PARDO E DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de c >res, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 20000.
Vende-se colxas de cores para cama, a 20,
e 40000.
TRANSPARENTES PAR* CADEIRAS A
v 10500.
jIP.P.de-se transparentes para
105OO, para iri|u/uai. r
BONETS A 500 RS.
Vende se bonets de seda para
500 rs.
CHAPEOS A 20500.
BENGALAS E CHlCOTfcSiA 800 RS.
Vende-se beugalas e chiooies, a 80-rs.
para vestidos, cada uma, para liquidar.
GRANDE LIQUIDACAO DE ROUPA EEITA
Vende-se ceroulas de algodao, a 13000.
Ditas de linho, a 10600 e 29000.
Camisas de chitas finas, ari9600.
Ditas de peito de cores, a 20000,
Ditas brancas finas, a 20900, 30000 e
40000.
Caljasde brim pardo e de cores, a 20000
e 20500.
Ditas de casemira de tores e preta, a 30,
60, 70 00 e 80000.
Palitots de alpacas de ores, a 20500.
Ditos pretos, a 30000 e 305>OO.
Ditos de casemira de cores, a 40 <
60000.
Ditos ditos pretos, a 50000, 60300
80000.
Colletes de casemira de cores, a 20, 30 t-
40000.
Camisas de flanella, de cores, a 20000 f
20500.
AI/'ODAO A 40000.
Vende-se pec.as de algodao, a 40, 50 v
60000.
CASEMIRA DE COR A 20500.
Vende-se casemira de c res, a 20SOO o
covado.
MADAPOI.AO A 30000.
Vende-se pecas de malapolao enfestado,
a 30000.
Dito inglez, a 40500, 50, 60 e 70000 a
peja.
BOTINAS A 40500.
\ende-se botinas para senhora e meninos,
a '.0500, 50 e Dilas deenfiar, a 20000.
Sapatos de tapete, a 10500.
. Ditos de trani-a, a 10800 e 20000.
BRAMANTE A 10600,
Vende-sc brainantu mm 10 nalnoos de
cadeiras, a lar^ura, para l> uirViu. t, umiiis uiiiiu.j ru^i. p-r..-_.
do mercado, qu>' se vende sem reserva, de
homens, a preen, para liquidar ate o fini d corrente
anno, por isso coiivem aos compradores sor-
tirem-se de fazendas baratas, para a presen-
Vende-se chape"os de castor para treninos te fiesta que estd na porta, & rua da Imperatriz
e homens, a 20500 e 30000. n. 72. Bazir Nacioual.
l8 DR0GA3A HOMEOPAiHICA
DA
41 Rua do Imperador 41
Os proprietaries deste estabelecimento, no intuito dc lhe cnniervarem os cre-
ditos de primeiro neste genero, continuant a esmerar-se aa preparacao escrupulosa
de seu3 medicamentos, podendo j-arantir ao respeitavel publico desta cidade e in-
terior que sao rigorosamente ob^ervadas tudas as regras pharmacolngicas. Outro
sim, que com o mesmo fim acca-se a testa do estabelecimento, tendo a seu cargo a
inspeccao de suas preparacoes e direcgao do consultorio, o acreditado medico ho-
meopatha Dr Jesuino Augu-to dos Santos Hello.
Tem todos os medicamentos especiaes para bexigas e os considerados pre-
servative* : assim tambem, is medicamentos da sua drogaria em todas as dvni-
nanisa^oes conhecidas e mais usadas. M
Carteiras homeopaticas de 12 a 120 medicamentos em tinturas ou globu'os c
a excellente obra do Dr. Mure Medico lo Povo em 3.* edi^ao.
Plumeria, para mordeduras de cobras,
Sarracenea, para bexigas ( ou preser-
Vaccina, para bexigas ( vativo.
China cruzeiro, paia febres intermi-
tcntes.
Schynns, para angina.
Calendula, para queimaduras.
Tarantula, para paralysias.
Carnaiiba para syphilis
Chocolate homeopathico d'Epps.
Encerado d- arnica.
Pos homeopathicos, para dentes.
Jtrico, para rheumatismo.
Matamata ou Jaboty, para tosse.
Espirito de Hahneman ou de campho-
ra.
Cactus Grandiflora,_ para pneumonias
ou molestias do coravao.
Consultorio lime palhico
DO
DR. SANTOS MELLO.
Consultas das 11 horas da manha a 1 da tarde.
/
=5J
Is
o
Q3
eZ
s
A VERDADEIRA TINTA VIOLETA
JOSfi FERREIRA DA SILVA
DE
SANTOS NEVES
. Confimia a vender a verdadeira tinta violeta cxtra-fina de Montei-
ro, em meias butijas e quartos, a retalho e
Emgrosso com vantajoso desconto
RUA PRIMEIRO DE HARMON. 19
ANflGO DEP^ITB
owww oa vKii-vara
&
c
21


Diario de Pernambuco Segunda feira
k

AO AR
BO
VAPOR FRANCE!
ItUA DO BARAO DA VICTORIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
10
francez.
Pura ho mem.
BOTINAS de bezerro, cordavao, pellica, lustre e
de doraque com biqueira, dos melbores
fabricantes.
SAPATOES de beierro, de cordavao e de case-
mira..
SAPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, dittos e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranc.
francezes e portugnezes.
Para Nenhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfcitadas e bordadas.
SAPATINHOS de ptaantasia com salto, brancos,
pretos e de cores difTerentes, bordados.
SAPATOS da tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pittas, brancas e de cores differentes,
___ lisas, enfeiladas e bordadas.
ABOTI.NADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINaS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatfies de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen*, e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francer, a rua do Barao
la Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernieoes,
so&s, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
4evos, e os mats proprios moveis para saletas e ga
ninetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
Jo elegantes modelos, dos inais notaveis e hem
eonhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C..- no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
Ir'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extraclos,fbanhas, oleos, opiata e pos den-
trificc, agua de llor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
uopneticos. muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentss com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
ahos d'agua de cologne, tudo de prirueira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victori?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differences gostos e
phantaziaH.
Espelhos donradi'S para salas e gabmetes.
Leque* para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, d flo de Eseocia e de camiuva.
Caixinhas de eostura nrnada coin musiea.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinftas >cni vidro de augmentar retratos.
T)iversas ofcras do ouro bom de \ei garantido.
Correntes de plaqu6 muito bonitas para relo-
gioa.
miim IUf 08IASIE5
PILULAS
VEGETAES
DE
BRISTOL '
Uns bofes sadios e sites
Uma digestdo vigorosa,
Urn excellent^ appetite,
sao alguns dos benclicios que se podem de-
rivar, fazendo se um uso regular >ias
Pilulas vegetaes de Bristol.
Uma cura certa e efTicaz dos intestines,
Um remedio adniiravel para os rins,
Um tonico poderoso para oestomago,
Sao as inapreciaveis qualidades medicas
que se podem encontrar, usando-se das
Pilulas vegetaes de Bristol.
Uma medicina que nao produz ddres nem
colicas.
Um purgante que nao debilita nem en-
fraquece.
Um laxante que nao causa a raenor
nausea.
Formam uma ds amuitas virtudes que
possuem a s
Pilulas vegetaes de Bristol.
Um medicamento suave e favoravel para
o hello sexo.
Um correctivo seguro dos desarranjos do
sy sterna. ,
Um remedio completo e seguro para as ii
regularidades.
Sao os effeitos sem i'alta, resultantes dc
usoe emprego das
Pilulas vegetaes de Bristol.
Uma compleigdo clara, alva o transparent^,
Uma pelle macia e delic.ida e um
Halito doce e agradavel.
SSo os resultados certos e infalliveis, de-
pois de se
, E
REHEDIOS.
Ambas estas medicinas acham-se a venda
em todas as principaes boticas e
lojas de drogas.
Acha-se a venda em todas as boticas.
H. Forster & C.
AGENTES.
UNHAS
DE
RETROZEDEALGO-
DAO
que
'" 'l" nunhos de pla-
o murea u seaa, ue veiiaao c de cou-
rinho de cores.
Novos objectos de pbantazia para chna demesa
e toilette.
Pincinez do cores, de prata dourado, de aco e
de tartaruga.
Oculos de aco lino e de todas as guarnicoes.
Bengalas dc lax i, canna. com castSes de mar-
um.
tiengalias diversas em grande sorlimento para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltus de botas.
Ponteira? de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
harba.
Ditos de marliai muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para ronpa, cabollos, unhas epara den-
ies.
Carti'irinhas de medreperola para dinneiro.
Gravaias brancas e do ^cda preta para homens
rt meninos.
Campain'ias de raola para ch mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
nind e oulro muitos differentes joguinhos alle-
:naes e francezes.
Malas, bnl as e saccos de viagem de mar e ca-
minbos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, Dotn para os dentes.
Bercos d-; vimes para embalar criancas.
Ce.-tinha?. de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro roda>, para passeios de
rrian?as.
Venezianas transparentes para portase janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos o cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lantersas m igicas comricas vistas de cores em
vidns.
Vidros avulsos para cosmorama.
GIobo3 de papel de cores para illumiuacoes de
'estas.
Baloes aereostaticos dc papel de seda mui facil
ie subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de pennas
Tesourinhas e canivetea finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lantemas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras donradas e pretas para
jaidros.
Quadros ja promptos com paysagens e pbanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
X)b]ectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Jtealejos pequenos de voio com llndas pecas.
Bealejos hannnnicos on accordions de todos oS
amauhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflce's de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Me.lidas de 40 a 100 metros.pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinqnedos fabricados em difTerentes partes
da Europa para entretenimenlo das criancas tudo
a pre :os mais resumidos que 6 possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rna do Barao da Vic-
oria, outr'ora rua Nova n. 7.
Ccslinhas para eostura
Grande sorlimento de bonitos modelos chegados
ao armazeti; do vapor francez, cua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
\lnga so buraio, umas meia-aguas novas,
natravesca da* R.irreiras. (becco do Aqniao) : a
tralar n;i I vello, n. 25.
~ZTpr
tavti
algui:
na rna .

;.' um inooiBo para caixeiro ue
It Hnn.i- ile idade. que t-ntia
> pie il(* Ii iiior a na cunducla :
"'la n. :i.________
'. enzinhar
n. 2"!
Tem sido apresenUula ao puhlico
Durante o espac^o
DE
4 0 A N N O S.
SAL.SikP\liKILH\
DE
RBIST0L
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS I
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri-
fica a massa do sangue, expelle para f6ra
todas as materias e fezes viciosas e impuras,
regula todas as secrecoes, dd vitalidade e
energia a todos os orgaos e da" for^a e vi-
gor ao systema afnn de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. E'
pois oste um remedio constitutional. Elle
nunca distroo afim do poder curar ; porem
coustantemente assiate a natureza. Portafto
^..u maiu uj iivuiuh i.uinnii/luill'S 0 Cm 10-
das as molestias locaes dependente dam es-
tado vicioso e imperfeito do systema em ye-
ml, achar-se-ha que a Svlsaparrilha de
Bristol e um remedio seguro e eflicassissi-
mo, possuindo inestimaveis o incontestaveis
vrtudes.
As curas milagrosas de
Escrofulas.
Uleeras,
Chagas an t igas
ENFERMI DAD ES SI PHI LI'. ICA S
ERYSIPELAS,
RHELMATISMO,
NEVRALGIAS,
ESCORBUTO,
ETC., ETC., ETC.,
quo tem grangeado e dado o alto renomc 6
Salsaparrilha de Bristol
por todas as partes do universo, sao tao so-
mente devidas a"
VJNICA LEGIT1MA E ORIGINAL
Salsaparrilha de Bristol
II. Forsler k C.
AGENTES.
NA PHARMAQA CENTRAL
m
&
*
m
Oonsultorio homeopa-
thico
Do Dr. Santos Hello
41------Rua do Imperador------it
Consultas todos os dias das i 1 a I da
tarde.
Gratis aos pobres.
Residencia a rua Nova n. 7, segundo
*
0
manha e das 3 as 5 da tarde.
Chamados a qualquer hora.
0
0
&000&ft 00000 000
Escravo fugido.
Desappareceu no dia 7 do corrente, do engenho
Pimentel, comarca do Cabo, o escravo Isaac, ten-
do os signaes seguintes : cabra claro, muito pon-
ca barba, altura e grossura regulares, idade 25
annos, tem em um dos dedos pollegares da mao
dua- unhas, suppoe-se andar pela capital, aonde
ja fura preso duas vezes : roga-se a todas as au-
toridades e capitaes de campo a captura do refe-
rido escr*vo, e tra?t-lo aeste engenno, ou na ca-
pital no escriptorio do Sr. Barao de Nazareth, que
serao generosamente recooipensados.
Por cautella
Pede-se ao Sr. tbesonreiro e mais garantidores
da loteria da provincia que nao paguem, taso saia
algum premio no meio Dilhet) n. 2627 garantido
pelo Sr. Leite, pois pertenco ao Sr. Felix Ferret-
ra de Senna, o qual bilhete foi comprado ao Sr.
Affonso Muniz, no pateo do Ter^o ; assim como,
gratifica-se, caso saia a sorte, a quem o achoo.
- Aluga-se o primeiro andar a rua da Impe-
ratriz n. 24, com commodos uira fTmilia, esta cm
muito bom estado: quem preten ler, dirija se ao
cafe imperatriz que achara com quem tratar.
Aluga-se meude de uma casav de Tamilia,
mulher e marido, sem filtios, so i casal : a rua do
caes da Detten^io n. 11^___________
I ISA!
E
Accessories
PARA
QUALQUER
I'.UVTE
DA
Machina
I
Pode-obwr era ponce tpmpo com o djo do rnplbor dos Iteorei >rTanji^>
ir""Ki!IIN,V
F'.z 'uk. ^Qoos qoe e tontacido eue preciow t..p.i-', e e difliiil acbar oma pe'
me. tando x rimentado peMorfltDeote, Dao filie em seo fator, ;a cooii bom etomtt
4 aJotiadof, ii.'iiando um calix delta *c'.e ih> jaiii-r, uo tottfl faci:itador da dt>
IpUl
',omndo-ie depoii.
A BASK
Com as falsifica^oes que tem apparecido

Alleutao.
Pcrsu-1- se a junta administrative da Santa
Rasa da MisericorJia do Recife, em que ficou o
aforarapiito do sitio da mesma, no Ingar da Ta-
marinira. s1) se realisa ou nSo, pois queja fazem
la e^lao as propostas.
Alguns reqaeronles,
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SINGER
Porque?
o
00
M
Nenhuma ma-
china Singer elegi- ^
3 tima se nao levar |
g esta marca fixa no
jj braco da machina.
Paraevitarfalsi-

ficaQoes notem-se g
bem todos os deta-
iner ds marca.
i

i)
! A dinheiro e a prazo
A. contento das Exmas. familias
mmm m
Sao as mais baratas
S3o do dous pospontos
SSo m8is simples e rapidns
Sao duradouras
MACHINA DE SINGER
. DOUS POSPONTOS
Abainbam
Franzem
Pregam tranga
Mart-am pregas
Bordam de linha de sWa
Alcolchjoam
E^pregam cordaos.
UNICA }AQENLIA
eh
lal
la HESPKK10INA e a LARANJA AMARGA, nlo baum s6 habilante do BRASIL (iiern
isperial das laranjas) que b5o conbeca ai propriedades meliciDies di don-ida fro
.........LARANJA AMAB&A
jm sen eatado natoral ttm um goato pooco agradavel, e 0 merilo da Heaperidiui u*
tisle em reter anas boas propriedades, e ao mesmo tempo apre*enta-h como
EXQUISITO LICOB
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NAClOxNAL nao tem bid* que tnvaiar a*
melbores importacSea enropeaa de cathegoria semelhm>. E^t, qoaodo mmto. poo*
aer goatosas. porem a Hesperidiua e a comb;D?g3o perfei'. do
AGRADAVEL E SADDAVEL
Para prova de que 6 om artigo no qoa) p6de-se tpr nteira confiaDga. por w pr
a inuoeente, basta dizer-se que foi plenamet te apprfvaoa e aoJori^a''* p*",J
JUNTA DE HYGIENE
do Hio de Janeiro, permittindo aoa livre elaboracao no imurro: niur
HESrEHDKA
0 homem veUio toma HesperidiDa para o^ter
VIGOR
0 bomem Aaente toma Hespendioa para obter
SAUPE
0 homem debil toma Heaperidipa para ihler
Ncs bailea as doozellas e os mocos tomara rteaparidtb* vm irfiei o< kv
tnimagao durante oa loacos gyros da
BARR0S JUNIOR 4 C, a ma do Vffano lr\-&. n. 7. *a4ar rewbf.i *
grande ospecifico, e venuom-DO noa deposits aegciirlea :
Jnaquim Ferreira Lobo, rua da Imperatriz.
Z-ferino Ca'rwro. ma do Commercio
Marcelino Jc-e Goncalves !a Fodi^. rt:a da Cadeia : "
AntoDio Gomes Pires 4 C., rua 6a Cadeia.
Antouio Gomes I'ires 4 C., caes 22 de Novpu.b;o.
Gomes 4 Irmao hotel da Passagem.
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 4o
VINH0OEBORDEAUXQUINADOoECHEVRIER
De uma
convalescenci
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
(juerendo definitivamente liquidar este negocio, verde todos os que tem, novos e
usados, pelo prego do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEAD0S inglezcs para assoslbo de salas, de muitos liudos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma saia por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFIC0S espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNEIS electricos para curar dores de cabega. nevralgias e ncrveso.
MUITO lindas gravaras, grandes, para quadros de saia.
GBAMP0S para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com 13 ou seda.
VF.RDAPE1RA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato prego.
Precisa-se de 600 a juros por ponco tempo,
dando-se garantia : a pessoa que quizer dar, an-
nuncie para ser procurado.
600#000.
Precisa-se da quantia supra a juros ; pagando-
se mensalmente os juros conventionados e 50
do capital, at6 conclusao do pagamento : quem
quizer fazer este negocio annnncie.
Aluga-se a casa terrea n. 42 da rua da ma-
tnz da Bua-Vista, 24 da rua do Nascente, ao pe
da raatriz de S. Jose, casa feita a moderna e com
bastantes commodos por 224000 mensaes, e a
cazinba pequena n. 19, do becco do Dique por
12^000 : a tratar na rua da M dre de Dens n. 16.
Ama o criado.
Na rua da Ponte Velba n. 1, precisa-se de ume
ama que saiba cozinbar e comprar para casa de
familia ce duas pessoas e de um criado para
mandados e outros servicps domesticos.
Alnga-se a casa n. 63 da rua da Palma, com
commodos e fresca : a entender-se na rua da Im-
peratriz n. 30.
$ CONSULTORIO
* MEDICO-CIRURGICO
W DO
1
m
DO
Dr. Santa Rosa.
Rua de Barao da Victoria n. 46, 1.* ^
andar, outr'ora rua Nova.
Consultas das 10 horas da manha ao 0
meio dia. a
Chamados por escripto a qualqurr bora ^
Especialidades. Partos, molestias de jp
m olhos e do apparelbo re? piratorio.
ft* H*H*Bfi O O*^
Aluga-se a casa n. 11 da rua da Ponte, na
povoacao do Monteiro, muito propria para pas-
sar a testa : a tratar na rua do Du me de Ca-
xias n. 71.
Companhia do Gaz.
A empreza do gaz tem a bunra de aununciar
an publiro que receb-u ultimente um esplen-
dido sortirmnto de lustres de vidro, candiei-
ros, araudelns f globos, cujasamostrasestfio
uo eseripttirm a run do Imperador n. 31,
e serao vemiiiios aos seus freguczes pelo
prego niais razoavel possivel.
Naj rnTd^BaFa\rde s Borja n. 25, preclsa-
so de Ions piHio- escravos ou livres, para servico
padaria.
segundo anilar do sobr;-.i.o a rua
co bi> na n. 31, com commndus para
amilia ; a tratar na loja do mesmo.
Ausentou-se desde o dio !. de dezembro d
1873, da propriedade Besonro, freguezia de S.
Lourenco da Malta, o escravo Daniel, de 14 an-
nos de idade, vdr preta, esiatura baixa e olhos
grandes ; levando cal^-a e dmisr. branca da algo-
dao : roga"-s<*, portanto, a quem delle souber, ou
appreher.ile In leva lo a dita propriedade, ou nes-
ta cidade a rua do General Ceara n. 20, outr'ora
rua do Jasraira, que sera bem recompensado.
riquna incomparavel em principios aclivoa, tonico, forlificanle: emprega-so nas febfei rebeldes, ill
>cencias lardias, naa rtiarrheai chrooicai e em todos os casos d'alonia.
VINHOdeMALAGA QUINADOoeCHEVRIER
Possoe as mesmas propriedades do que o anterior, mas emprega-se com preferencia para a' mulheres, m
criancas e as pessoas cuio estomago debilitado.
VINHO.OUINAFERRUGINOSO.CHEVRIER
Que rftine os dous agentesmais poderosos da thcrapeutica. soberano na chloric ca anemi., Icucorrbea,
pysmenorrhea, nos meninos durante seu cre?cimento e nas donzellas no momento da pubcrdade.
YINHO-iPEPSINAeDIASTASEsiCHEVRIER
0 digestivo m.iis beroico que se conhece, favorece a asslmilacSo e rostabelece instantaaeamonle as funccOet
do apparato digestiro.
VINH0oPH0SPHAT0 de CAL de CHEVRIER
Na tisica pulmonar, fecba as chagas do pulmao attacado, cura as alporcas, o raquilifmo resubcloce a saua
das pessoas exbaustas pelas igilias e pelos excessos. NotaTeis successos oltidos dos hospitaes.
YINKO DEPURATIVC DO D? CALVO, SOBRINHO E
DrSCIPULO DO CELEBRE PROFESSOR RICORD
Espociflcoindispensavelparaassegurar acura radical de todas as molestias syphililicasanlijuas ou rocenl**.
Deposilo em Pernambuco, A. REGORD-
A ^r^HOO rrecisa-se
* ^ "*'*-'v V/ je um mogo (|iio tenha m'lita pratira de
cada um queijo o mais fresco o do melhor frJ J mesa nos hotf is : a trat8r n0 hotel
que se p6de des-'jar : na rua Duque de de BorJeaux.
Caxias n. 40, junto d tvpographia do I 'iililqp
Diario. ,,,
Aluga-se o 1. andar A rua do I'adre
Floriano : a tratar na rus ?arga do Rosario
n. 2^2.
Continua a estar fugida
a escrara Felippa, cAr : da, aha, sccca,
beigos salientes, car secca, olhos amorte-
icidos, t'alla mansa ; 6 ccsiaheira, postoque
j do servigo de eniada : fc: vista em Bebo-
ribe em uma casa, quo a acoita.
Ksta escrava fugio corn o filho, escravo
do Sr. Jose Antonio de Souza Magalhaes,
naturalmente dard scuspasesios do Recife a
Beberibe, estd-se esproitando provas para se
prooeJer contra quem a ncoita ; entretanto
rog-a-se ds autoridades pcliciecs e capitdes
de campo a sua captura e conducgSo ao en-
genbo da Sapucaia om Beberibe.
Cavallos furtados
No dia 3 do corrente, a noite, furiara n da estri-
b^ria du engenho Pi urn;, da freguezia de S. Lou-
renjo, dous cavallos com 08 signae.-1 seguintes :
um 9 mellado algemado, crinas e ivuda baataBte
alvas, grande e gordo, castrado e andador haixo ,
o on'.ro e russo com pinta* amarellns, crinas e
cauua pretas, inHro bom nndador ; e de meio a
esta bastante gordo, e tem 09 denies quehrados e
uma reladura na mao csijuerda; ambus cstao ripa-
flos de novo. Gratiflca->e generosamente a quem
os levar ao referido engenho, ou .Mies der notieia
exa;tr.
como o certo que nesto armazem se fornece
a despensa d satisfagao de qualquer chefe
de familia, com toda a sinceridade e econo-
mia. 0 tempo e proprio, pois aproxima-se
a fes'a do Natal.
Jose dos Santos Neves
D. Joanna Maria do Rego
Neves, seus ftlhos e genros,
convidam aos parentes e arai-
gos do seu presado filho,
irmao e cunhado, Jose dos
Santos Neves, a assistirem ds missas que por
alma do mesmo mandam celebrar no con-
vonto de S. Francisco pelas 8 boras da
manha do dia 17 do corrente, anniversario
do seu fallecimento, pelo que se confessam
summamente gratos.
m
d^Me
Porcia Cunstanca de Meio, e
Antonio Epaminandas de Mello,
filhos do fallecido pernambucano
Antonio Joaqnim de Mello, teste-
munham profunda gratidao, por
___________ si e era m me de seus parentes, a
todas m pessoas que Ibes deram provas de pezar,
consolacao eamisade, desde as solemnidades reli-
giosas do enterro, ate a do septimo dia, por occa-
siao da maxima dor que eslao sentindo,qual a
morle dc sen semnre chorado pai._____________
CHIADO
Preci?i-se de ut criado, quo s'p b
n n a rua da UniSo n. 17.
Commendador Antonio Joa-
quim de Mello.
0 vigario Gjnuino Gomes Pereira, resa na igre-
ja da Madre de De.i*. p Us 7 horas do dia 15 do
eorrente aoa mi-- > pela i^?anco eterno do com-
inn.l.i.tor
mm

Precfca-se
de uma inulhor ja idosl para an lar com uma
menina de 4 annos: a tratar ne hotel de
Bordeaux.
\nt >ni I >.i jumi
Cria/lo
37,
pile, 9 para cu-
ainigos do (made

- Amda esta j>or soifSjrir u.u sum m.T
ojm excellente -a de moradia para grand* ra-
rmiia, qunartos fori parn esfruv-is e m.ignifi?.!
'> beber: trata se !. d" Resa-
le n. 10 terceiro amlo.
iga-se as "essoas que esi
verna d.i ma do t>uqua de Ca
*or de i)ti.ireai c .|ue devem, --
. num is p-r esta fjlha,
no prawde lSdns
ata-
o fa-,
hhHel
. V-
.
i


*
r
'
%
/
*L*
Diario de fe
Segunda feira 15 de Dezembro de 1873.
PUNDIOAO DO BOWMAN
RUA DO BRUM N. 52
(Passando o chafari/,)
PEDEM AOS senhorea de eogenuo e outros agncuitoreb, e enipregadores de in
aini8mo o favor de oma visita a sea estabelecimento, para verem o iiovo lonimento
iomplet qoe ahitem; seado todo soperior em qoalidade e fortidao; o que com a Ids
oaccio oesB ja! pode-se verificar.
ESPECIAL ATTEN(?AOAONUMEROE LUGAR DE SUA FUNDICAO
Vrann?*A8i A rnrlas fratrna dos mai8 mo!,erD08 systemaa eem la
* tt|J ur5 U rOUBS a ag^ua maDh0S convenientes para as diveraas
arcamsiancias dos lenhorea proprietarios e para descarocar algodao.
SCoC'IldftS d6 C&HH& de l0d8 0> lamaDho8' a8Imel"ore qoe aqai
RodaS deiltadaS P aoianesl agna e vapor.
Taixas de ferro fundido, batido e de oobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Mftnhiniflmnfl Par* maDdiocae aigodio,|
IttttUUimS nOB 8 ptra ierrar mideira.
Bombas
Podendo'todoa
(ser movidoa a mio
por agaa, vapor,
on animaes.
Todas as machinas e pecai de q06 M C0SUUM preci8lr*
de machiuismo, a preco
mai resamido.
Fas qualquer concerto
ForiDaS dfl fAl*TO tem m6l'>orda e m8il baratas existentei no mer-
^nPnmmonHaa Incambe-se de maadar vir qaalqoer machinismo i von-
auuuwiUOUUttB. Ude dot clieoteiUembrando-lhea a vantagem de faierem
ma* compras por intermedio de peisoa entendida, e qoe em qaalqoer necesiidade p6de
hec prestar auxilio.
Arados americanos i-*"*^ ***
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
4' rua do Barao do Triumpho (rna do Brom) ns. 100 a 104
CARDOSO IEMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, asmais modemas e melhorobra que tem vindo ao raercado.
VapOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
t/aideiraS de sobresalente para vapores.
MOenaaS lllteiraS e meias moendas, obra como .mnca aqhi veio.
laixas iundldas e batidas, dos raelhores fabricantes.
CVOClaS d agua com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KOaaS CleiltadaS de todos os tamanbos e qualidades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
oOIQDaS de ferro, de repucho.
AraQOS de diversas qualidades.
Formas pafa assucar grandes e poquenas.
Ooncei'tOS concertam cm promptidao qualquerobra oumaehnu, parao quo teem
sua fabrica bem montada, coin grande e bom pessoal. <
EnCOmniendaS mandam v>r VT. encommenda da Europa, qualquur maehinism*?
para o que se cortespondem com uma rospeitavel casa do LondroS
a corn urn dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & I R M A O.
II..
y

56 aRua do Marquez de Olinda .56 a
(outr'ora rna da Cadela) ^
LOJA DE MACHINAS
Sendo esta autigo estabelecimento assaz. conhecido como principal e recommen-
4ado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acroditadas e verdadeiras machinas aniericanas para algo-
dao, desde 10 a 60 terras, e hprfndo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhorarnentos para perfeitf* e rapido descarocamento ; tornam-se dignas de
serem vistas e apreciadas pelo*. agncultores; os quaes, alem disto, encontrarSo
tambem mais : ^ >
Apurados vapores locomoveis, deforest;
de 2!/ e 3l/i cavallos com todos pertwn^as
precisas para trahalharem 4 machinas para
ilgodao, ou para outro qualquer mister
Machinas para lavar roapa. *
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mao para atterros.
Tinas de madeiras. *
Baldes de dita.
Ditos Ac ferro estanbado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos d> madeira para compras.
Apparelhos para jardiiis.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarractias para fazer p.u-afuzos de ferro.
Dita dit l ditos de madeiras.
Trans jiara cozinha..
Kmfim mnitos oatros artigos, soavu
iairin idos,
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertenjas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe.
Debulhadores para milho.
Azoite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro csmaltados.
Ditos deditn estanhado.
. Ditos de cttumbo.
Ditos di ha.
Folios para Ipi reiros.
Precisa-se de uma ama
que engomme e faca outros
services domesticos, em cusa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
GA84 lAlRTDNi
AOS 4:000^000.
BILHETES GARANTIDOS.
1' rua Prtmetro de Mar$o (outr'ora rua di
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se 4 venda os felizes biJhetes gaxantido?
la 4' parte das loterias a beneflcio da matriz de
Cabrobd (79"), qua se extrahira na terca-feira 16
do corrente mez.
PRE^OS
Bilhele inteiro 'i/OOO
Meio bilhete i*000
KM PORgAO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 34500
Meio bilhete 14750
Manuel Martins Fiuza.
"ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
199, Rua da Praia, 2.
lASttOV
Luiz Fclippe Leite & Irinfto
Executam por commissao quaesquer ordens das
provincias do rein, ilhas e provincias ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizos estran-
geiros.
Recebem a consignacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanhoe?, fr'ancezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou f6ra delle.
Executam ordens para compra e venda de fan-
dos publicos, nacionaes e estrangeiros. Tratam
da cobranca dos respectivos dividendos.
Promoveiu no mesmo escriptorio, inventarios,
liquida^oes, causas civeis e commerciaes, appel-
laci5es e recurso de revista
Tem os melhores advogados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
causas forenses, administragao de bens, etc., que-
rendo-se, pode proceder accordo previo confonne
a natureza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimoniaes e quaes-
quer outros breves apostolicos concedidos em Ro
ma ou pela Nunciatura em Lisboa, annullacao
de ordens, e quaesquer outras dependencias aos
tribunaes da Santa Se.
Tratam da arrecadacao de herangas e adminis-
tracao de bens no continente do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
to administrativo, conselho, ou freguezia do reino,
ilhas e provincias ultramarinas.
Fa-em adiantamentos sobre coosignagoes de
quaesquer generos que tenham prompta sahida
nos.raercados inglezes ou allemaes. Tambem com-
pram aquelles que se offerecerem em condigoes
vantajosas.
Fazem transacoes por consignacao ou compra,
sobre minerios, taes como de cobre, chumbo,
phosphatos, ou outros quaesquer, se convierenTas
condifdes de qualidade e prepos.
DSo-se boas refereoeias em Lisboa e no Porto.
Esta ca a tem correspondents senas em todos
os pontos do reino, em Paris, Inglaterra e Ham-
burgo, na Africa portugueza, em Macao (China?
reino da Siao, ilhas dus Acores e Gabo-Verde,
e aceita as proposta? que do imperio do Brasil
lhe torem feitas por correspondencia effectiva ou
eventual.
Na modicidadp de suas commissSes, na exacti-
dao de suas contas e no credito longamente esta-
belecido faz consistir toda a garantia de bom aco-
Ihlmento.
Tem corre=pondentes em Sevilha e outras pra-
jas de Hespanha.
N. B. As commissSes sao rcguladas pela praxe
stae praca
"CASAD0 0UK0
Aos 4:000^000
Bilhetes garantidos
iiua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos sens
aiuito felizes bilhetes a sorte de i:0o04 em um
meio de n. 587, c a sorte de 70 em dous meias
de n. 1823, e um meio de n. 3672 com a sorte de
1005, alem de outras sortes menores de 405000
e 204000 da loteria que se acabou de extrahir
(78*i ; convida aos possuidores a virem receber,
que promptamente sera> pages na forma do cos-
tume. '
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer > remio, como prova pelos mesmc j
annuncios.
Acham-se a venda os muito feli es bilhetes ga
antidos da 4* parte da loteria a beneflcio da
matriz de Cabrobo, quo se extrahira no dia 16 do
corrente mez.
Precos
Inteiro i 000
eio 2*000
e 100#000 para clma.
Inteiro 3*500
Meio 1/750
Recife, 10 do dezembro de 1873.
Joao Joaquim da Costa teiU.
mm
gosto,
covado, c
PECHINCHAS
^6 o n. 20
RUA DO CRESPO
lift DAS ;]
coutitntn ,-t v. inlrr muiKi barn to [>: muito dinheiro.
CASSA LA
Lhegon esta fazenda.sendolindospadrSes, even-
de se pelo diminuto preco de 2tX) rs. 0 covado, e
pechfhcha I I daosc amoslras.
METINS
Proprio para vestidos 0 que ha de mais
padroes novos, pelo preco de 400 rs. 0
pechincha I f I doa-se amostras.
LAS ESCOCEZAS
Lastobas escocezas, padroes bonitos, a 240 rs. 0
covado.
Ditas com listras, padroes modernos, a 280 rs. 0
covado.
Ditas 15 e seda, padrdes modernos, a 640 rs. 0
covade, 6 pechincha I I dio-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
14000 a 400 0 covado, e pechincha 1! I dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas peqnenas, com bonitos pa-
droes, pelo diminuto preco de 400 rs. 0 covado, 6
pechincha 11 I dao-se amostras.
Cortes de casemira di cores, a 54c00 cada um.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs 0 covado.
Ditas pretas para Into, a 240 rs. 0 covado.
Fustao branco para roupa de meninos, a 560 rs
0 covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. 0 co-
vado.
Cobertas de chita adamascada, a 34500 rs.
Cole has brancas e com barra de cores, a 34500
e44O00.
Lencoea de bramante, a 2*000.
Ditos de algodao, a 14400.
Toalbas alcochoadas, a;65000 a dnzia.
Ditas felpudas, a 6*500 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a dnzia.
Ditos de cassa abanhados, a 24000 a dnzia.
Ditos de esguiio finos, a 34500 a duaa.
Cambria lisa transparente a 34000 e 44500 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 34800.
Atoalhado adamascado, a 24000 a vara.
Dito trancado, a 14400 a vara.
FustSes de cores, a 1*000 0 corte.
Chales de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,4*0)<0 e 4*500.
Ditos com listras muito finos, a 3*800 e 6*000
Esguiio muito lino, a 2*000 a vara.
Brim preto trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao, a 14600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura, a
24500 e 24800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito dome*tico, a 34000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. 0 covado.
Nanzuc cambraia de cores muito fina, pelo di-
minuto preco de 400 rs. 0 covado.
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
ATTENCAO
0 abaixo as.-ignado participa ao resneitarel pu-
blico qne tem grande drposito de mn> de True
l;is do paiz, como scja o de caju, em qo.tlro quali
Jades, os quaes vonde nor preens rasoatef*, <: rus mai* lie div, i .t- :. r !;. ci*ta I
i> pr< irii:l:.rij UM l>M rctMlHT.nl de v :,-..i'.;i ;tr fflK'tM
ue-i-jijii. gt-:ii|.:v)m i-, ......j. ,.- rj.ni i. I -.1'
i'.l.ii ui' ,V.;i.i \a '.. ;,'.i. [I.. j,
aiim de re tratar dos prr$ns.
Joao do Ainaral Raudsn.
Escravo fugido
Arha-se fugido desde o dia 18 do enr-ente o
escravo Gregorio. rrionlo, cf.r 'nln, baix. imd >
i!tn des di'tT" s pi lii'g.i'es do i b eortado : qoem
[r. till,- In. (!, jrrt iliiivir s- i |''"-' #1 C'i"", t-
UCiidn. .4>r.iln n. 2. {ij n-M grtti ry,fnHii<3 $n
IIVjiiI i.
L'ullipan JSiii .'i i ;:.i
tr'cri Cinco I'oritas,
ATTENCAO
Precisa-se alngar uma ama de meia idade, po
rem que seja preta, que nao tfnha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para com
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade d-i Olinda, sitio do Amparo, ca-
sa terrea grande, com pr.rtio ao lado.
Hotel duas nacoes alliadas.
No becco do Padre n. 28 faz-se comedorias com
todo o asseio e perfeicao, e se manda levar em
casa de qualquer pessoa que qnizer ser assignan
te por mez ou mesmo avulso, pelo preco muito
commodo de 30* e 354 por mez pira umt pes-oa:
os Srs. que se dignarem obzequiar-me dirijam-se ao
mescmo hotel que achara com quem tratar. Tarn
bem havera no mesmo hotel, papa de leite todos
osdias as 5 1(2 horas.
A pessoa que annunciou precisar de .*>f 0*
premio sob hypotheca em bens de raiz, apparega
rua do Hospicio n. 25, das 4 horas da tarde em
diante
Optimo banho.
Aluga se em Beberibe uma casa com um pe-
queno sitio, na estnda que vai da povoa^io para
o Porto da Madeira. A easa tem cotnmodos para
familia e banho no fundo do sitio inteiramente in-
dependente, aloga-se por preco commodo : a tra-
tar na rua do Imperador n. 79, das 10 horas da
manha as 2 da tarde.
Consullorjo' medico
ihamaoo
Os Frs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim
Clemente de Lemos Duarte, sao cnamados a
rna do' Conmel Suassuna n. 282, a negocio de
particular interesse.
- fi
DO Q
Dr. Murillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres
pode ser procurado a qualquer hora do
dia ou da noute para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas do meio dia as duas horas
i tarde.
Gratis aos pobres.
Especia lid-'des.=ilolesli&a da pelle, de
crianca e de mulher.
Emprega no tratamento das moleslias
! sua especialidade as duchas frias e
banhos a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modernamente em-
pregados na Europa.
Tambem applica com grande proveito ,
no tratamento das molestias do utero a *
)
Aluga se o armazem e o primeiro audar do
sobrado da rua do Bom Jesus, outr'ora da Cruz,
n. 20, proprios para estabelecimento commercial
a tratar na rua do Marquez de olinda n. 52.
Aluga-se o andar do sobrado da rua
reita n. 8 : a tratar na loja do mesmo.
tofc e ;:res fcitudaveft do
Monteiro.
Aluga-fe a'li duas pequcnas casas mdito e i
ronta para quetn precisar de bons ares e btnhUM
frescos : a tratar a rua do Barao da Victor11, on-
tr'ora Nova n. 7.
\ttencao

Aluga se uma casa terrea, com sala de i*Bt,
dous quartos, soflo interno, sala de janiar p-
rada da cozinha, muito fresca, proxima di ba-
nhos salgados. sita na cir'ade de Olinda, a i res-
sa da ladeira da Se, outrVra Xavicr de Sac Ro-
sa quem a prutender dirija-se a mesma c ade,
rna de S. Joao, casa n. 17.
Aluga-se a casa da rua de S. Jorge, outr'ora
rua do Pilar n. 12, tendo sotea assobradada para
grande familia : a ver e tratar na rua dos fiuara-
rapes n. 14, taverna.
Escravo fugido
30W000 de gratificagao
Ausentou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 3<> a 40
annos de idade, ( perfeito cozinheiro, alto bastante,
e bem magro, pouca barba, olhos grandes e muito
ladino, consta que tem pai no engenho do Sr. Luld
de Caiara, era S. Lourenco da Malta Este preto
foi cozinheiro dos negociantes Adriano 4 Castro e
Sr. Jose Joaquim Goncaivos BasUis, e julga se
que esteja alugado em algura hotel ou casa parti-
cular nesta cidade, cimo forro : pede sh a todas
as autoridades e capitaes de camp), que o desco
brindo, o tragam a rua Dnque di> Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival sem seguudo, que seriio gra
tificados com a quantia acuna.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-s
allar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
eira, a negocio de seu interesse.
Aluga-se metade de uma casa no paleo do T.r
co a pequena familia : a tratar no pateo do Pa
raizo n. 26.
electricidade, pelo processo do Dr. Tre-
pier. Cura por nm processo inteiramente
novo as blennorrhagias e sobre tudo a
9
jotta militar) dispensando as injeccoes. -
Aluga-se o 2, 3", 4 andares e solao do sobrado
n. 14 da rua do Torres, perto da praca do Corpo
Santo, commodo para residencia de familias*e es-
criptorio de negociantes : a tratar na rua do Im-
perador n. 57 primeiro andar. __________
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso. rua
Amorim, h. 37.
Aluga-se um excellente sobradinho com bolas
de vidro, na rua de S. Pedro Novo n.... com com
modus para grande familia, o melhor lugar para
quem qnizer fe<.er uso dos banhos salgados : -a
tratar na praca do Corpo Santo n. 17,1 andar.
Attencao
Francisco de Pau'a Cavatcante Wanderley faz
sciente ao respeitavel public- em gi-ral c parti-
cularmeote ao corpo c< niniercial desla piovin-
cia, que attendendo a coincidenria da haver duas
pe^oas de igual nome asiignar-se ha desta data
eHBBiaiiti.- :
Francisco de Paula Wanderley
Recife, 4 de dezembro de 1873.
DESCOBERTAS
PEI.O BAOHAKKL
\*6 "Wif^i
MEDICINAES
31
Manoel de Siqueira @
1 avalcanti. ^3
h

Baixa de capim.
Arrendaso uma grande baixa de capim em Be-
beribe, no lugar do Fundao : a tratar com Poly-
carpo Jose Layme, no caes ii de .Novembro n. 26.
1 recisa-se
de um moco que tenha muita pratica de servir a
mesa nos hotels : a tratar no hotei de Bordeaux.
4:0008
Precisa-se da quantia acima, dando-se hypothe-
ca acontentojnestatypographia se dira.
Precisa se dc um menino de 12 a 14 annos
de idade o que tenha pratica de molhados na
ua'da Senzalla Valha n. 52.
Ao publico.
s t
En abaixo assignado declaro que o facto que
se deu na loja dos Srs. Moreira Reis & C. a rua
Primeiro de Marco n. 10, entre mim e sen cai-
xeiro Joao Antonio Gozende Jnnior,foi uma levian-
dade de minba parte para com o mesmo Sr. e
nao com lim nem proposito de injuria lo em
attribuir-Iho o desapparecimento de minha car-
teira, que sem duvjua ja tena perdido antes de
ter ahi entrado, pelo que e pelo presente lhe peco
a devida desculpa de tudo quanto alii dis e.
Recife, 12 de dezembro de 1873
_____________ Manuel M rques Avila.
Cmx-ii
Para taverna de seccos e molhados fora desta
cidade, se off-reco um moco brasileiro bastante
habilitado : quem quizcr uiilisiT-se de sen presti-
mo, dirija-se a rua da Floreotlna n. 28, ou declare
por esta folha para ser prwurado o tratar do
ajuste.
Precisa-se de uma mnlht-r de idade, sadia
braiica, que affiance sua Cnndufta, para encarre
gar se do tratamento de uma menina de quatro
an s de idad e administrar uma -*sa :qpem
estiver nestas condicoes, diri'a *h a ru.i do.- Gua-
>es n. 96. Na mesma casad uu duas ftcravas
para st iegoci.ir, acosiumada ao '.-.> do
jnmpo.
Aluga-se o primeiro andar da rua do Apollo
n. 7 : a tratar no segundo andar do mesmo. ,
Aluga se a casa terrea a rua Direita n.
114, propria para estabelecimento : trata-se
a rua N -vade Santa Rita n. 55.
So nitu sera proprictario qiieut
into quizer.
Visto que vende'se palmos de terra a 800
14- As terras sao proprias e com 400 palmos de
fundo, que e regado pelo amtnissimo rio Jordao.
Sao muitas as vanlagens da compra e entre ellas
- a da pureza do ar e da de ter passagem gratis
por dez annos offerecida pela companhia da
via ferrea do Recife a S. Francisco, a quem nas
ditas immediacoes edificar. Quem qnizer deve
dirigir-se a thesonraria das loterias, a tr-tar com
Tri>tao Francisco Torres, que pede a aquellas pes-
soas para as quaes ja separou terras que quan-
to antes ai-parecam, pois que, pelo preco a con
enrrencia o immensa. Todos os domingos e dia-
santos, acho-me no lugar.__________________
Aiuga-se a casa n. 77 a rua de S. Joao,
assim como em Santa Rita-nova o fundo da casa
n 25 a rua de Santa Rita ; a tratar na loja n. 44
a rua Duqao de Caxias, ou no 2' andar da casa
n. 41 a rua do Range!._______________^___^_
Escravo fugido.
100#000 de gratifica Deoapparecen de novo, de bordo da barca bra-
sileira S. Jost, o escravo Joaquim, preto de na-
;4o, o qua! anda bem vestido e calcade, deixan-
io crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Bsse escravo pertenceu ao fallecido Dr. Olym
Varcellino da Silva, que o havia comprado na
provinda de Minas (em S. Joao d'EI rei ouOuro-
Preto), e com eile seguio para o Rio de" Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quem o comprarara os abaixo essignados.
Sabo cozinhar, ocenpacao a que esiava dedicado,
a conhece se pel* falla qne e afneano.
Offerece-se a gratificacao acima a qnem o ap-
prehender e roga-se a todas as autoridades a sua
aptura.
!! i-ife, 6 de outuvro de 1873
_____________Jose da Silva Loyo &'Filno.
De couformidade com o disp i to no art. H5
dos e. latutos coui'oco aossenhuiis heideiro- da
propriedade co'i'inom Aoipuco-i que fora
-1
m
1" o Preservativo tin ery-
sipela : para enrar com c-rt-/a, e
en. pousd tempo, qualquer ataque de
erysipela, c prevenir o seu reappare
cimento.
Este medicamento tambem e muito
poderoso para o rheumatisnio.
8' o Regul.-irictr truacao : para falla, irr de, suppressao repentina da mei >liua-
cao, e dos lochios, as-im como para
todn> os sot'rimeiitox devidus aquellas
affeccoes. Amlms estes medianifiitos
ja sao niuito conceituados, e procora-
dos nesta provincia, e na do Itio de
Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa
do autor, das f horas* do dia as 3 da
tarde. e a qualquer hora em casos ar-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz n. 14, 2 andar.
Casa deeampo
IMPERIAL
FABRICA DE CIGAKR 3
DE
S. JfliO Dt NtCTHEROY
Rio de Janeiro
Consiando ao abaixo assignado, unico agir '
nesta provincia, da imperial fabrica de cigarr s
de S. lodo do -N'iclheroy, no Rio de Janeiro, qi *
existe no mercado cigarros que siio vind-s com >
fabricados cm dila fabnea, imitando par- i0 i
etiqueta cm que vem dies envoltos, aprssasf i
prevenir a todos os teus freguezes que os UQfaot ft
ver.ladeiros cigarros de exposigao de dita fabri
so sao vendidos nos armazens dos Srs. F-ancis- i
Guedes do Araujo, Manoel do Sonza Getdfir-i'
moes Junior e Faria & Filhos, unicos dejolloa e
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de '873.
_________________Domingos Alvcs Ma the us.
Quem precisar alngar um escravo, e.-vn tai
to que nao seja para service de peso, din,:- e -
rua do Bospia-i n. Rl, que encontrara um bas'an
te intelligent!>. e rapaz de encarregar se d traba-
lho de jardim ou de hortalicas.
M0P1NA
Esta eneouragado !! !
Agua mole cm pedra dura
Tanto da ate que a fura.
Roga-se ao illm. Sr. Ignacio Vieira dc
5scriv5o na cidade de Nazareth desta prov
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 85,
luir aqnelle negocio que S. S. se compron
realisar, pola (erceira chamada deste joi
rtns de dezemhi o de 1871, e depois para
uasson a feverosro e abril de 1872, e nada ci
i por este motivo 6 de novo chamado pa
im, pois S. S. se deve lembrar que este d- i
le mais de oito annos, e <|uando o Sr. sen '
u'hava nesta cidade
Mello
a, o
oD-
n a
ra
ro,
vine;
lito
e
~e
ALUGA-SE
oma rasa nn Capunga, rua das Perzumbi
com coxdra e quartos fora : a trstar na
Vigario Tenorio n. 31.
Precisa-se de 1:5004000 a jnros, d
por hypotheca um predio : quem qnizor
cie para s- r procurado.
nas,
ua d >
i.iun
a
ria
Altencao
Vende-se barato a aitnacio da taverna n
a rua Direita ** AfogaJm : a tratar u.
de junto n. 6i".
m 9i-
ada-



.

Wf-r-
23; 'JO
19>
JO
19 o
Offerece se a quem quizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente ca>a sita na Porta d'Agua,
que foi do flnado Dr. Joaquim Pires Carueiro M in-
teiro, passando-se escriplura para maior seguran-
ca. A localidade e muito salubre, e a casa muito
fresca, tem magnifico banho de agua doee em
frente, e e muito commodo visto que o trem passa
ielronte : quem pretendtr pode dirigir-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bora Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do oiomercio o. 40.
0 abaixo assignado faz sciente ao respeita
vel corpo do commer.-.io que vendeu a sua taver-
na situ na rna do Barao do Tritinpho n. 39, ao
Sr. Antonio Vieira.
Recife, 2 de dezembro de 872.
Joao Gomes da Cruz.
Precisa-se
de um ou dons moleques para um trabalho muito
leve : a tratar no hotel de Bordeaux.
Offerece-se nma mulher de boa conducta
para cozer em casa de algorna familia on mesmo
em casa de uiadame : na traves*a do Forte n. 6.
'Servente de botica.
Precisa se um que tenha pratica : na nharma-
cia Torres, a ma de Marcilio Dias n. 135.
Casa.
Aluga-se o
rua de Apollo
primeiro andar da casa n. 61 da
: a tritar na rua da Cadeia u. 3.
- Uma pwsoa sujeita, cam muito pouca idade,
e que ganha ti por dia, precisa de 400 para sua
liberdade, obngando se a dar flador. e a entrar
todo3 os mezes com 40J rs. ate realisar o paga
uicnto do principal, juros e todas as mais despezas
respective, e to lo isso por meio de uma escriplu-
ra Quem estiver em circumstancias de lazer
al DPgocio, anuuncie.
de
Uma par la escrava, boa c
1 On i para n.i liber I:!.,
'Stureira, precisa
offereendo em
_ ES MUSICAE..
A. J. Ara'iam de publicar se, e achi.ru &
venda as scguintts musicas :
PIANO SO'.
Damse espanhola, por Ascher
Arabella, iiazurka, por G.
theimer
Valsa do Fausto, por Croyzes
Sonho de uma virgem, por Alber-
t izzi
Anna la Prie, cavatina
AoClairde la I.uhe, por Bussmeyer
I.STRELLA DO NORTEtn^r, -,. ntn
e ,-. ,.! ,~ it .}Polka brilnanto
Sauda(;.\o ao Ijaiiia (
Cricket, por Scixas, offerecida aos
chrickets club pernambucano e
bahiano 13J00O
PIANO E CANTO.
Desespero, muito lindo romance
por I. Smoltz 29000
Non m'amvva, romance por Guercia 13000
Tambem reeebe'u da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, mcthodos, etc. etc.
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, eomarca de Goyanna, o
escravo de nome Jose Borges. mestre de a tendo os signaes seguiutes: cabra, idade 30 annos
pouco mais ou menos, boa fignra, nm tanto gross"
e espadaiido, sendo o signal mais visivi-i uma
gomma na junta do p6 esquerdo : roga-se a todas
as autoridades e capitaes de campo queira-n ap-
prehender dito escravo e leva lo ao refer Jo en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao generosa nonte
recompensados.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Carros de luxo.
inqoestionavel que a cocheira da rua do Bom
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, & a
que tem as melhores berlindas, calecas, meias ca-
lecas e victorias do luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta, bailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de exrellentes
parelhas de animaes, arreios luxuosos e boleeiros
com fardamentos do ultimo gosto, para << que se
convida ao publico a vfr por si mesmo scientifi-
car-seda verdade do que deixamos dito, certns de
que nad encontrarao pomada, e sim realidade e
commodos precos.
Primeiro andar paraalu^ar.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado rua
de Marcilio Dias n. 137, pintado e caiado d .icvo:
quei" pretender dirija-se a pharmacia Tor s que
achara com quem tratar.
as sa'nr'iios. para a reaoian geral
da cidade
ordiuaria. qu-j deve ter lugar na sean Kt domin-
ga do mez de innei o vind-uro p.] as da
roaoiw na capella d;- meaina propri''
Apipucos, 10 de de/.e.ubro de K
ulaujio L^.,:a.
paga desta quantia
qiMse convenci hi >
i gucio, dirija-3e a ra i
i iadar.
SOBB
Aluga-ie o p
do Marquez d II
quez deO'o-'.U u. .
.nit v irvicos pelo I
:e ue
' '
A U
I!.
Ja rua
.'.iuga-se
o sitio da Ponte de Uchoa n. 35 : a tratar DO mes-
mo sitio, ou na rua do Rangel n. 7, on 2*
audar.
SAQUES
Caivi.lbn iv. NugU'ira, na rua do Apollo
n. -20, Hci-rtiu sobre o Banco Commercial
d ViauiNi e suas agpneias em todas as ci-
istaeap
pur todos os pai^uetes.
Q ILEfifVH
L
1



_iD
Diarie 4e*jfowmnifcttei Segunda &lra 15 de Dezembro dfe MIS.
Cbnfeiteiros e pasteleiros
ctflinarios e conserveiros
Hem todos eUo aa alum de visar qual a mis-
-*a desses quatT9 artista* que podem estar cen-
v'aificados em u.tu >6 pessua.
S e nSo vede :
0 oosso celebrc lexicographo P. luteau, cre-
;a que foi um grande guloso.
E ee d'lvidai-s Teitor ou leitora, tambem ami-
io Ar-ce, que oos eslais lendo, aLri o tomo 2."
snpplemenlo aj grands vocabulario, e ahi no
cabiflano dos synonymos e phrases, a pagiaa
tfl8,eaontrareis a proposito da palavra confeileros,
aiainenos de 22 columnas, au II paginas de fu-
o,em elogio dos esmerados artirtas, que a cada
aa9M nos seduzem com as suas famozas golus
Seniovejamos : chama-dhes entre outras desig-
uocSes que uos levariam moito long? se as qui
sessemos numerar :
Artifices de coinestivcis do eora.
Administradores da suavtdade.
Engenbeiros saborosos.
PniiosoplHis natoraes.
Atitipudas da amargura.
illuslres propagadores do ii.ipcrio Pomana.
Duleissimos minislros da suav'dade.
Araabilissimos -enhores do imperio da docura.
racilicus moradores e boas vlsinhos.
Nobiii.s * bo sea do vulgo.
Homens que no mundo se dao a conhecer mais
ttvementti que todos os mais.
Benijnos hospedeiros que das suas loias fazem
asvlo.
Exterminadores dos corpusculos hcterogeneos,
peritos colleciores das partes fiomogeneas da mais
pura substaacia do assucar.
Ja e I
Ja se ve quando dissemos acima que os qnatro
artistas podiam estar cenlrifieados em uma so pe3-
*ea,e poriue poiemos dizer por experieucia pro
3ria e se quizerdes verificar ide
A COSFEITARIA DO CAMPOS
Encoinruendai por exemplo :
I fijmbre.
J rovast beeff,
1 etnpada.
1 puilim.
1 bolo inglez fino.
i pSo-de-16.
* tortn de fructa.
pasted, lulinhos, amendoas, doces e confeitos.
Qu.e tudo I I I tado alii se prepara a contento
Carlos Pinto de Lemcs, adminislrador da
:aa roga aos deved r>s da referida massa, queiram
puato anip saMar seus debitos a rua do Mar-
quez de Oli ida n. I, sob pena de recorrer se aoj
.ii"ios iudiciaes. Recife, 21 de de uovembro de
I.
Ama
Pi cisa-sa de uma ama
nliar para rapaz solteiro
-i> n. i'.
para c na rua do
iv -a alugar uma ama boa cozioheira,
ou Ciittiva : a tratar na rua da Imperatriz
o. l(i andar.



IA
h N \
Precisa-sa do uma ama pa-
ra om,.rar e cozinhar : na
ma d pwiadat u. 79. loja.
Prcci-r, o de ua boa cozi-
nheiraj eserava on forra. paga-
sc bi'in : na rua do Imperador
ii. 17.
A M-\
Precise de uma ama que
ia u if'itamenie cozinhar : a
rua da Qiirtiinalo n. 92, loja.
\ r i Krecisa se de uma ama |
> \ eozinhar : a tratar na prag
1 ill i\ ,ml''l,findnc'a d- 39, luja
uma ama para
praga da
de
VI \


lo.
Pn cisa se de uma ama forra
-in e.=cr.iva, i ara c tratar na rua Nova, loja n. 7.
Precisa-se de uma ama para
eoiinhar : a tratar a rua do Im-1
pTador n. Ii.
Cavanga
Aluga se por comraodo preco nma boa casa na
povoafao do Caxanga, principio da (strata do
Ambole : a tratar a rua do Imperador a 54, loja
de livros.
OfTerece-se um moco para feitor on adminis-
trador de engenho, com bastante pratica por ser
sua proQsssao: quern preclsar aonuucie.
:r
COMPRAS.
7^ ^ff*',W ''ii'^? zz'v!& '*' ^S
f Trastes.
Compra se e vende-se trastes novos )
e u.-ados no annazem da rua do Im-
perador n. 48. jg
Precisa se comprar uma taverna em bom
lugar de negocio, na Boa-Vista, ou nos arrabal
des : mas que tenha poucos fundos : quern tiver
annnncie para ser procurado.
VrNDAS.
Vende-se ou arrenda-se, altos a baixos,
sobrado de nm andar sito a rna Imperial, canto
da traves^a do Lima n. 1, proximo ao cbafariz,
em localidade muito propria para negocio, e por
onde passam as bonds : quern e pretender va a
rua do Hospicio n. 35, que achara com quern
tratar, das 7 as 9 manha, e das 4 as 6 da larde.
Armaqoes para camas.
Na rua do Duque de Caxias n. 76, tem para
vender armacoes de amarello para camas, obra
boa, pre;o avista da fazenda.
VENDE-SE
um sobrado de dous andares e sstao, na trrvessa
da Malic de Deus n. 10, o qua] reade dous contos
de rs. annualmente : a tratar na mesmo lugar
com os seus proprietaries todos dias uteis desde
as 11 horas da manha ate as duas neras da
tarde.
Vunde-se um porco propno para a festa, e
em grandeza nao lia segundo, e um extraordina-
rio : a traar na rua do Cotoveilo n. 25.
Armazem do fiimo
Rua da Madre de Deus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Silva participa aoi
seus freguezes e amigos qne no seu annazem a
rua da Madre de Deus n. 10 A, se acha um com-
lileto sorlimento de fumoem fardos de patente 1.*,
2." e 3.' sortes, dos melhores fabricantes da 3ahia.
e bem assim a flor de todos os fumos de cerda
em rol is, pacotes, lata- granles e pequenas, tarn
bem dos mui acreditados fibricantes Torres &
Araujo, Lizaur, Adolpho Schmdt 4 C^ Lizaui
Schmidt 4 C, Veigas 4 Araujo, Trindade 4 Ave-
lar, Teixeira Pinto 4 Portella (garantido pelos
mesmos) e de outros ainde nao conhecido3 pel'
pulilii-o desta capital. 0 annunciante declara que
tado fomo que for vendido em sua casa sera pelo
seu jnsto valor, e que quando garantir a respecti-
va qualidade, sera sincero, mui particularmente
com a- pessoas que puncu eutcnJam da raateria ,
pois para beat servtr a todos, tem o annnnciantf
'f>n?a pratica de IS annos deste eommercio.
- \enJe-se duas voltas de amarello que fe-
c* a uma bonita armaijao do amarello de meia
laranja : qnmi pretender comprar dirija se a rua
da Iinpcratriz n. 23.
;

HE
A B. da Silva Maia.
i dn Visrnnde de Albuquerque n.
; 'hi Mi da matriz da Boa-Vista
; I.
tornados : a quaiqaer bora,
>>i nii.i': \.is pobres gratis das 2 as
t Ituras 11 tirde.
!
I ram ua n ule de 8 para o amanti ji-<-r dj
i'' n ;!. dezeseis cadeiras amencana^ n-
- join-, i- d vent", iss() iii narraca i dj junto a poit.-
ia B istaj n ii-m a ...; i< m forcm oflereridi s o"
1 s'a) Hstes nbjectos, partielpe ao
J'we Goocalves da Silva Freire, qu se-
i mpensada.
iblffU-SQ
imeiro andar i) la ran d. D.-qu- d.
is ii ii. pr rio i' a oao.ipwrio, ou
ro : a tratar R> lutt^mo, loja
Vende-se
um sitio em Agua-Fria na rua de Santo Antonio,
o dito sitio tem de frente 100 palmos e 47z de
lundos e a e;isa ainda esta por aeabar : a tratar
ua rua do G.tovello n. 8.
VENDE-^E
Dous savallos muito bons andadores : a Jaatar
na rua das Fiores, cochiira do Sr. Firmirfl^ou
na pa iaria sita a rna do Marcilio Dias n. 69; tarn-
bom te vende uma armagao de taverna muito
harato.
Liquida^ao
DE
FAZEI^DAS
Por melade de seu valor : a rua do Barao da
Victoria n. 24, junto a loja do Carnejro Vianna.
A proposito da lesta
0 que (iizeiii por alii.
A verdade vou dizer-vos, .
Sem embargo do nuo tempo ;
Naoe graga, vou eontar-vos
0 que dizem... por exemplo:
Que a BARRIGA e a mai da humanidade e qne
esta como filha ofoedieiite deve tratar cqra.requin-
tado desvelo de sua dileetissima e infallivel mai
Que para isto e indispensavel nue os gastrpno
mos habitantes desta Delia cidade e seos subur-
bios, como parte integraute da humanidade, devem
vir ao muito util e conhecido armazem do Cam-
pos, a rua do Imperador n. 28, comprarem os
novos saborosissimos prasuntos para fiambres ; os
gostosos paios, os saboroaos salames, os appeteti-
veis lombos de porco; as delicadas lioguicasie
salchichas, os digesiivos peixes em latas, a finis-
sima uianteiga ingleza e franceza, os deleito?o
biscoitos, as excitantes conservas. as, deliciosas
ameixas, passas, amendoas e nozes, as aprecia
veis fructas em calda, os flexlveis doces, o mag
nLCco queijo flamengo e prato, o ejnbriaganle cha
perola, aljofra e preto, os substanciaes chocolate e
cacao em po, os reftigerante3 licores, as calman-
tes eervejas, os corroborantes bitters, os inspiran-
tes vmhos do Porto, Madeira* Bordeaux, Figuei-
ra, Lisbda, Chorry, Collares o outras rmiitas qua-
lidades, a corruscante champagne, cidra e um tem
numero de raros e arrebatadores acipipes, quq
da for^a, vlda e prazer, aflm de recheaiem dia-1
riamentp o receptaculo. de suas idcJatradissimas
Barngas- ;
Que, quern.quizer fazer um delicado lunch, fu-
mar um primoroso charnto da Bahia e beber um
copo dj'agua fria (gratis a agua) deve vir ao arma-
zem do Campos, unico que tem demonstrado alii
a e-vitfencla a influencia da rakiha do mundo a
-bariiga
Mesmo porque
Ora esta e boa.
Quem quizer ser ditoso. ser feliz
Deve ao Campos s^mente ir comprando,
Evitando assim de ir mai passando,
D Jeiiando a barriga e o nariz.
A16m ;do que dizem muitas cousas ; por
exemplo que o Campos e" so quem vende J)om e
barato, que so 6 o unico que da araostras de gene
ns ; que so elle, 6 quom oapncha em d.r bom
peso, que 6 elle s6 quem manda leiar gratis
em ca^a do comprador os generos comprados (a
diuheiro) em seu armazem, quer deniro da cida-
de, quer nos seus adjaeentes; que uoi^amente
s6 6 no armazem do Campos, a rua do Imperador
n. 28, onde se enantra um complclo e eeplendi-
do sortimento, verdadeiro -Centro-de peregri-
nas e exque-itas victualhas, onde todos (ma ons
jesuilas)'devem-vir salisfazer esta ebra de Bise-
ricordia (ja se sabe, trazendo dinheiro) dar de
comer a barriga attundendo a que :
Do dia a questab ja nao existe,
Que o Campos fea cessar toda esta briga.
De.-fechando esle nolpe philoaophico :
Tratem todos pnjfsjta^^iriga^
Finalmente que, ,', ^e mais de ^ntp,^inas di.
zero que, s6 g..su,m *?uoces do armazem do
Campos ; as seductoras e espirituosas mucas que,
so toraam um calice de bitter estomacal se for
do annazem do Campos ; as respeitosas matronas
que, so se recordam do passado quando saboreiam
aljjuns acipipes do armazem d<> Campos; o* ele-
gantes e amaveis rapazes que, so fumam charu-
tos do Campos ; o.< velhos que, so sentem ex ita-
gao quando comem certas iguarias do Campos,
ate os forasteiros s6 proenram o Campos, so
querem o Campos e s6 gostam do Campos, a ponto
vejam :
Do Campos a fama como v6a
Nos bailes, theatres e eafes ;
Maxambombas, bonds e jardins,
Retroand do mundo nos confins,
Deita a todos uma nova feliz,
E vai passando des aonas atravez
2
AVISO
O Sr. Joaqu'io i mi a de Lemos fluarte leqlta
ndade d vir a nuiidar a rua to .
Soassnna n i82 a n-'gneio de eu intere .
Hngenlio CaiajptS no term de
I
'''illlMSHU
Na rua do Marqdez de Olind i n .');.
rcomoSr Laiz Vntonij da Silva
ie seu pi>rtii'iiUr interes-e.
preeisi se
a rngxiu
Vigor do Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovacao do ca-
bello, restituicSo de sua cor
e vitalidade p.-imitiva e nat-
ural.
O Vigor do Cabello 6 nma preparacSo ao
Tipamo temj>o agnidavel, saudarel e efficaz pava
ranaewar o oabello. Por meio do seu uso o
:ibello ruco, grisalho, e enfraquecido, dentro de
jpooco tempo revolve a cor quo lhe 6 natural e
Tmxnitiva, e adquire o brilho e a frescura do
.hello da juventude; o cabello ralo se torna
i^nso e a caTvicie muitas vezes, posto que nao
"-m todos os casos e neutralizada.
Nfio ba nada que pode refbrmar o cabello
d^pois dos folliciLos estarem destruidos, e as
zbaades cansadas e idaa, mais se ainda resfcarem
xlgiuus podem ser salradas e utilizadas pela
Jtppiicacao do Vigor. Libre de essas snbstancias
J^eterias que tonum muitas preparacoes de este
janero t*m nocivas e destructivas ao cabello, o
Vigor somente lhe e beneficial. Em vez de
y*r o cabello e o fazer pegajoso, o .. iaaara
^tupo e foi-te, embellizando o, impedindo a queda
-: o tornar-se rujo, e por coneequinte previne a
i-altiuiB.
Para uso da tollotte nio ha nada mais a desc-
^a5 nao contendo oleo Bern tintura, nao pode
"aiekar m< sms o mais alvo len^o de cambraia;
peidura no ouhello. Hie di nm lustre luxurioso,
e ran perfume uiui*;agradavel.
Para tefonmx a coar da burba, 6 neceaeario
ai8 tempo deque com o cabello, porem aepode
oppress: i e 1'cito, envolvendo a barba de no:
cnj nm Ienc<> molhado uo Vigor.
h hwiWpi. de (Mm k Iriiiao,
;irini' Bru n ns. 100 a 405
Vende-se os seguintes ob-
jectos, por pregos
commodos:
VARAXDAS franeezas de ferro fundido de diver-
e booitna go-tos.
FOCOKS f ancezes gratides e pequenos.
liiT'i dito para tralialhar com gaz.
I. MB *S francezas de repuxo.
HA.N OS com pis de fe.ro, com molla e sera
ella.
PES de ferro para mesa.
JARROS de ferro para jardim, graades e peque
na.
ACHINAS para gelar agua e fazer gelo ; gelam
agua em 10 minnto/ izem gelo em
2U dit -.
P*RA ACABAR
A' rua da Imperatriz nume-
ro 16.
Canibraias transparentes muito fioas, peca,
3 franrezas Unas a 240 280, 300 e <20 rs; o covado,
camiiraias finas de cores a 320 rs. o cevado, ca-
niisiohas para senhora, ricamente eofeitadas a
2i-H>0 cada uma, popalinas de cores a IjtitiO o
e.v.do sedas d listras a U60, oque ba de
milli.r, chap;os de palba paraseuh< ra, o que ht
d mai-moderno a 8, 0, Ha e 16* cada um,
liheis de crochrt a lj cada nm, madapolao fino
a 5 HO l a pega, vestiilos de cambra-a boTdados a
ii, ditosde linho a 20{? 22^ e 26i, o qne pode
haver de tneflior, e outras muitas fazendas que so
a vista do comprador, como sejam nirtes d* seda,
omcas, etc. etc. N. B. Vrjara que se estao
u-ahando.
a,r.
Formas para assucar.
galvanisadas e pinta las, por preco enmmodo.
Vendem Cunha & Manta, a rua do Marquez de
Olinda, n 23.
T*r -I r
FI;PAB*DO POR
'-YEft & OA., Lo\
S^tados TJnidos,
Vrende-se
Imcos de laiiyrint.o nmit > 6ms e bem trabalha-
l"s, ch.-gados do Ceara a loja de miudezas do
r.alio Vigdante, do Cardo-o & Freitas, na rua ^
ii-irode Margo junto a arco de Saiite-ABtonw.
i.-*sas p;ra veader
Veudeto se as casas seguintes. por precis mo.
Iirog : r-as terreas a rua da tiestujracSo ns. 33
- 47, sobrado a rna do raorirn n. 43, Msas ler-
a- a rua de Comas Valentinas ns. 7 rll', sobra
1 dfl dous andares nn me idiro, na I'assa^em da Magdai.-na. com casa de
morada a margem do rio Capibaribe : os preten-
'ntes dirijam se a run P : ir de Marco n. 8,
mina da rua do Impera'or, quo acbario com
quem tratar.
>l \NV, H v'WKE.S 4 C, A~ UA DA CWIZ N
4, VBNUBat:
MarMnas de eortar fmuo.
M i-liiius de di-.car igar algodao.
vlaclnnas a vapor de forca dc 2 Iii, e de '* ca-
vallM.
il.l.mcasde diversas qualidi I
'i-mj- e mediJ*s 1,. dir ;
lia jriz dt! f i liaj.
pan a sucar.
v !os americanoi.
Na cidade ,do Natal
vende-se a escuna hollandeza Pelgrim,&4 I' classe,
lotajao 117 tonelladas, forrada a zinco, que pro-
curando em dias do mez de novembro proximo
passado entrar na bar, a do Rio Grande do Norte,
encalhou na i>raia da redinha. A corrente/.a do
rio juntou grande quantidade de areia em roda do
casco, areia que facilila em oecasiao de mare" va-
sia a entrada para hordo a p6s enxutos.
No porao existem 50 tonelladas de pe.dra e cer-
ca de 4 iitas de carvao, porem. posto que facil-
mente se podia desrarregar, faltaram apparelhos
para salvar a Pelgrim, e foi condemnada e vendi-
da em leiht -.
A escuna esta com mastareos, a cunha e vergas
amantilhadas; sens mastros de pin'ho da I" quali-
dade, mede o grande 67 ps, e o de proa 68 ditos.
Tem 3 excellent** anc.ras com sepo de ferro,
2 amarras de corrente meflindo 150 bracas, tudo
com paico uso, 2 bombas de ferro, o apparelho e"
de ara me e foi posto na mastreacao no eorrer do
anno de 1872.
Tem 3 cascos para agua. fogao de ferro e o leme
esta ainda eallado e perfeito, o bolinette em seu
lugar.
Ate dia 18 do corrente mez de dezembro, no
escriptorio de domingos Henrlpne de Oliveira, a
rua d* Alfandega, na cidade do Natal, recebe-se
prnposlas para cunpra da sobredita escuna, que
podem ir no vapor de (5.
Vende se uma preta de 50annos,pouco mais
oumenos piriHOflOOO : na rua da Ponte Velha
n. 101._________
- Wnde-se dnas excellentes casas no Cha-
con, gtlidas e recentemente construida*, com mui-
to* commodos e no lug iar mais bello e piltoresco
daquelle arrabalde. Sao muito proprias nao so
para quem quizer passar o verao como morar no
campo gozando ao mesmo tempo as delicias delle
e os commodiis la praca; e a ratio 6 porque fl-
eam muito proximas da esta^ao do rio e do mer-
cado da Casa Forte. Quanto a disuncia que ha
daqni aquelle arrabalde quem ignora f Os preten-
deiites dirijam ?.- a rua do Visconde de Albuquer-
que, outr'ora da Gloria n. 174, onde ae dira quem
vende
Ja chegou
overladeiro madapolao franoez a 6* a peca
rna do Queimado n. 43.
A elle antes que se acabe.
Rua da Barao da Victoria n. 22.
DE
Haitueiro \iaima.
A' esta grande eatabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimameutQnaBufopa, cujas machinas
sao garantidas por um anoo, e tendo um
perfeito-artista para ensinar as mesmas, em
cpialquer parte desta cidade, como bem as-
sim concerta-las polo tempo tambem d'nm
antio sem despendio algum da comprador.
Neste estabelecimento tambem ha pertencas
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca que seja nocessario. Estss ma-
chinas trabalham com toda a perfeicao de
um e dous pospontos, franze e borda toda
qualquer costura por fina que wja, spus
precossio da seguinte qualidade : p;ira tra-
barbar a mao de 30*000, 40*001 45*000
e 50*000, para trabalhar com o pe sao de
808000, 90.1000, 1003000, I 10*000,
120*000,130*000, 150^000, 200*000 e
250*000, emquanto aos autores nao ha al-
teracSo de precos e os compradoros poderao
visitar este estabelecimento, quo muito de-
veriio gostar pela variedade de objector que
ha snmprf- para vernier, enmo sejam : cadei-
ras para viagmn, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balanco, ditas para
crianca (alias), ditas para escolas, costurei-
ras riqniasimas, para senhora, despensaveis
para crianc,as, detodasasqualidades, caraas
de ferro para homem e criancas, capaehos,
ospolhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para chd, fa-
queiros com cabp de metal e de marfim,
ditos avulsos," colheres de metal fino, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
arame, tainpas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito dovem agradar a todos
que vrsitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nha at^as-9 horas da nouted
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Nao ha mais cabellos
-4
LIQUIDA0AO DE FAKENDAS
HA
Rua da Imperatriz n. 60
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo preco como
abaixo se ve:
Pereira da Silva dGuimardes tendo cm ser u en .-grande depozito de fazendas,
tem resolyido fazer uma liquidagio das mesmas com grande abatimento nos pregos,
com o unico fim di apurar dinheir", para o que canvHam aSo .4,os seus oumeroscs
freguezes, como o respeitavel publico, a vir surtir se de muitas fazendas, boss e baratas
no seu estabelecinient) denominado oPavaoa rua da Imperatriz a. 60.
CAMBRAIAS A 4*, 4*500, 5, 6* 7*.
0 Pavao vende um magnifico sortimeuto
das mais finas cambraias Waucas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada peca, pelo ba-
rato preco de 4*. 4*500,5*> 69, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 4*
ate 8*, sendo fazenda que valle muito mais
dinheiro.
COMSALPICOS DE CORES A 5*.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
de cambraias braucas com bonitos salpiqui-
nhos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 5*, por ser pechincha, ditas com
salpicos todo branco sendo fazenda finissima
a 7*500 e ditas a 5*000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 12*
0 Pavao vende'um bonito sortimento de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cnla c6rte todos os enfeiles necessarioscomo
sejam : babadinhos, entre-meios, rendas,
requefifes, e vende pelo barato prego de 12*
cada um, assim como, di os a 2 de julho
eom todos os enfeites a 10*, cortes de cam-
braias braneasabertas, com listras e law res
a 6*, ditos finissimos a 8*, ditos' de cam-
braia branca com listras de cores, para aca
bar 3*500, e" pechincha.
CORTES BORDADOS A 20* E 35*.
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco, de 20* e 35*.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, o covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fisas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara ii-
nissimo fil6 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
francei .muito too a 3*000, apenas precisa
1, lf' metro para um lencol.
CHALK aURATOS
a 2*, 2*500, 4*.
Q Pavao vende chales a eraita$ao de oie-
riho a 2*, ditos de merind lisos de todas as
cores a 2*300, ditos de Bttrm6estaropa
muito finos a 4*, ditos finissimos
tras de seda a 6*500, ditos mai
crepom a 10* e 12*.
ii
TINTURAR1A JAPflNEZA.
S6e unicaapprovada pelas acad".mias de
sciencias, reconheoida superior a toda que
tem apparecido ate" hoje. Deposito princi-
pal & rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1 andar, e em
todas as boticas e casas de cabellsi-
r6iro.
BORNOUSA 12*.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous combonitas listras e
vende pelo barato preco de 12* cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bouitos chales de merind e com listras de seda.
LAZINHAS A 320
0 Pav5o vende bonitas lazinbas lisas,
sendo ver-ie e cor de lyrio, pe o barato preco
de 320 re'is o covado, assnn como delicadas
"izinhas de quadrinhos a 280 reis, e pe-
chincha.
Cirauaili ics a 40
0 PavSo vende um elegante sortimento
das mais bonitas grenadines ou gazes de
seda para vestidos, tendo de todas as cores
Xm b
a lencdes
/vindo ac
9oa..,..
Al^ndito enfestado a f
0 PaySo vende algodao t
palmos de largura, proprio,
sendo do mais mercado, liso a 1* a vafl
1*280.
ATOALITADO A {$ ^*, 5*.
0 Pavao vende at0c4h*fl j^tran^ado com 8
palmos de largura & 1*3C Ep 1*600, dito
adamascado a 2-r, dfk^^^nho adamasca-
do a 3* e 5*.
SF.HA PA^J&riDOS
a-rfWWi*.
0 Pavao vende um bonito sortimento de
sedas com listrinhas proprias para vesti-
dos-da meninasT(id s*tihora a 1*6^0 o co
vado, ditas lavrailiafe is a 23, os padrfies sSc
muito booitos* vende-se por este prtco para
aeabar.
II.MiiiHs a 5)000
0 Pavfift ten* utt completo sortimento de
botinas muito be* enfeitadas para senhoras
e vende ptDlo|J||o prego Je 5*,artigo que
em outra LENf.OS BRANfOS
'a 2*000.
0 Pavfio vende lencos brancos ab inha-
dos, tanto para homens como para senhorjs,
a 2*e 2*500 a duzia,- ditos de I'sguiao e
cambraia de linho t mbem ab'inhados e
3*500, 4*. 5*, '1 tos francezes escuros, par*
rap^a 6*,duzia.
CA5ITSAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas eamisas com peitc
de linho bord das, proprias p ra noivo *
tOfSe 12* cad- uma, ditas de linho sun se-
rem borl das 4?, 4*500 e 5*, ditas core
peito de algodao muito finas << 25, 2*500 e
3*, ditas de ctiita fina miudinh i a 2*. 2*500.
e 3*, ssira como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como de al-
godao de 1*G00 ate 3*, gr nde sortimento
le mei.s cru s inglezas de 4* ate 8*000 t
duzia
FAZENDAS PARA Ll'TO.
O Pav&o u-m um grande sortimento de
fazendas pret s para luto como sejam : cas-
s- s, las, ou lazinhas lisas que vende a 400
e 500 rcis o covado, bombazinasde 1*600
ate 2-? o covado, cantfio a 1* e 1*200,
e vende pelo barato pre?o de 640 rtisoco- 8ranJ,l,ine bsa com listras, cassas e chitas
vado e granadine preta com listras de seda lo,!as pretas com b'slras e salpicos, ;lp cas
todas pretas e lavradas do branco, merinos
outras muitas fazend s apropri das," que se
veude por menos do que em outra qu Iquer
parte.
MADAPOLOES ENFESTADOS
a 3*000
0 Pavao vende pecasde madapolao eufes-
a1*800.
LAZINHAS A 360 0 COVADO.
0 Pavao vende bonitas lazinhas transpa-
rentes com palminhas a 360 reis o covado,:
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,'
tanto em listras como em quadros a 280 rs.
o covado, e grande sortimento dealpacase tado com 12 jardis a 3*, dito a 3*500, ditc
De for^a de d ^as a seis cavaBos : a venda no
annazem de Joaqaim Lopes Machado & C, tr-a
vessa do forpo Santo n. 2-S.
Vende-se a arraacao e utensilios da tiverna do
pate1 do Terco n. II, barato, e propria para quarh
se quizer estabelecor iiaqaelle lugar : a tratar na
mesma.
Vende-se
no estado em que se acha o sitio existente no
lugar dos Remedios, fregaezia dos AfogadoB n.
31, hoje becco da travessa dos Remedios n 48,
n ehao proprio, quem o pretender entenda-ae
com o seu proprietario na rea de S. Francisco,
como quem vai para a rua Bella, sobrado n. 10,
-6>a.
[Wlios linos engiirrrfodos
Pr prios para presenie de" fHt>de di-
is qualidades ; vende n se na "rua do
Commercio n. 48, 1 andar.
Bellos gostos em' foulardina.
A iom branca tem os mai9 ricos gnatos era
roulardma, e ufiia rica fazenda para vtstido com
as cores aauL cor de plaliSe, b'rtnue, e cor de
lyrio, tudd com fctras brancas, sao estas as co-
res mais moderoas e mais usadas nas principaes
cidades da Burepa. f>ao-M amontras e mandaso
levar nas casas : na loja da resa branca, a raa
da Imperatriz n. 56.
Las finas a 500 rs.
A rosa branca recebeu laniinhasde liodc tos a .WO rs, s*o las de 80ii rs. anem qui*er che-
gue. Rna da Tmper-triz n. 56. Dao-se amostras
cf m penhor.
1 ambraia para fbrro.
Muito encorpada e tatoda, o que o rarissimo
encontrar, a 2 000 a peca a-em vara a 400 rs. :
a rua da l")per*tri n. 56, USJa da rosa branca.
Amaral, Si bucj M C, vendem magnificas
Sfl^h^^Ha8"^^35 *>*f,a"M *e*a*raia 0 verdadeiro Portland s6 se encontra no cacs
S2l^hA^mL^,f!,s^di5e,,,,?*1e'> alfandega^ n. 5. armazem dc bacamao, em
0oaf n, w SJT *a'B(il<>- ? Kscocia e de barricas das maiores quo vem ao mercado e por
^iK^T!!,?i,BSP,,SSS s^eommoio^qae em outraqualUQer
n*men> 3. iv '--_---------, ____
1 Venae se 2 bois eddas carrojas, nos fundos
da reflnacSo da raa da Concordia : a iratar com
'Manuel Jose de Miranda Silva.
Asunioas verdadeiras
Bichas hamburgueza3 me vera % este mercado
' na ruts Marquez da uliada a. 51
Xarope d'agriao do Para
Antigoe conceituado medicamento para
cura das molestias.dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados no
escorbuto.
- Wil-on Row & L. vemftm no seu armazem
a rua de Commercio n. ii :
0 verdadeiro panno de algodao azul araencano.
Excellente flo de *ela.
Cognac de 1" qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de t"3as as qualidade*
Vende-se umi casa terrea em terreno pro-
prio na ruajdo Carcereiro n. 6 : na rua do Duque
de Caxias, loja n. 60 se dira quem vende.
lazinhas de 40u a 800 reis.
. CHITAS DE CORES
a 20', 240, 28'i e 320 rs.
0 Pavao vende um grande sortimento de
bonitas chitas tanto claras como escuras e
vende de 2!>o ate 32 > rs., assim como ditas
com listras aolado muito finas a 360e4iM
rs., finissimas percales miudinbas com lin-
dos dezenhos a *360 e 400 re5is, garantindo
serem todas de cores fixas.
COBERTAS A 2i*. -2*500, 3*. 4*.
0 Pa-vSo vende bonitas cobertas de chita
com 20 jardas a 5*, 5*50o e 6*000, dito
com 24 jardas de 5* ate 8* e 10*, sendo os
mais finos que tem vindo ao mere do.
Algotlaozinho a 4*000.
OPavSo vende pecas de algodaozinhc
muito encorpado a 4*, dito a 5* e 6*.
TAPETES
CORTES DE CASEMIRA A 5*.
0 Pavao vende um grande sortimento de
com ramngm grauda, p dos baratos pregos cortes decasemira para calgas, com bonitos
de 2*. 2*50', 3*e 4*. ditas encarnadas gostos, claros eescurosaS*. ditosde 6*,
fornutasa 5*. ditas defostao branco e de cor 7*. 8*. at6 10*, superiores casemiras fran-
com barr.s a 4* e 5*. ditas decrochepra cez se inglezas, para covado, de 3*500 ate:
cama dH noivo a 6*, ditas muito rlcas a 16*, j 60, paunos pretos e de c .res dos mais bara-
ditas de damasco a emitacao de seda a 10* tos e mais finos que tem vindo ao mercado.
e 14*.
Fustdes
0 Pavao vende fustdes brancos e de cores,
sendo as mais bonitas cores.que tem vindo ao
mercado, tanto para roupa de criancas como'
para vestidos e roupas de homem, e vende
pelo barato prego de 560 ate 1, o covado.
BRAMANTES
a 1*600, 252'0 e 2*500.
0 Pavao vende bramantes de algodao com
10 palmos de largura para le.nc6es, pelo ba-
rato preco de 1*6 0, ito de liuho com a
mesma largp'ra a 2*. 2*200 e 2*500, dito
C'orte* de chila a *, *-30 e
35090.
0 Pavi-j vende cortes de chitas ascurase
claras en..i 10 covadnsca^a cdrte, pelo ba-
ratismo preco de 2*. 2*500 e 3*Ot)0.
CORTES DE BRIM A 1*400.
0 Pavao vende cdrtes d-. brim pardo para
calca,.a 19400. Ditos de cor, fazenda mui-
to boa, a 1J?600.
Espartilhos a 3$ e 4#000.
0 Pavao vende o< mais modernos esparti-
..s^t*B1i?'iu!?'v^d*5 inaqtrim JosC^Goncalves Bel- Jhos, proprins para senhoras e meninas.
cOr, a
Farinha de mandioca nova
Teem para-vetSder Joaqnim Jose'floncalves Bel-
traoi Filho, a'bordodn patacho Sapho, chegado
de Sanu -atharina, fundeado defronte do trapiche PJ?los brat'-si^nos precos da 3* e l
Barao do Livramento; e para tratar a bordo, ou Ditos muit- superiores, brancos e de
no sea escriptorio a rua do Commercio n. It. Hi c 6B000.
no seu escnptorio a rna do Commercio n'. 5.
Cinietilo
por precos muito razo.vets.
Ronpa fella
0 Pavao, tem uonstantemente um "grande
sortimento de roupas feitaspara homem, que
vende por prego muito em conta, como se-
jam :
Calcas de brim de cores de 2*500 ate; 6*.
Ditas de casemira escura a 3*500
Pnlitots da mesma fazend < a 4*500.
Calcas de brim pardo de 2* a$e 50.
Dit s do casemir. de cdrde H$ ate 120.
bit s de casemira preta de 7* -to 140.
Pahtots- de panno p*et> de 4* ate 12*.
Fraques de pann- preto fino de 20* ate
35*000.
Calc's brancas de linho de 4* te 7*.
Colletes de casemira de cor de 3*000 ate
[Ditos de drta preta de 4*atej 2*.
C'ortes de la a 4*000.
0 PavSo vende bonitos'cortes de lasiohas,
padroes miudinhos com liodas cores, tendo
15 covados cada c6cte, pelo banato preco de
4*000.___
CORTES DE ORGANDY A 8*000 e $500.
0 Pavao vemle corto' 'de,*gandy branco^
com listras e qaadruihosiSendo fazenda mui-
to fina. pel os baratissimos precos de 3* e
3*500 o corte.
Boa compra.
Vend -ma padaria con todas a portcocas,
muito sfrMRneeaaa em boa iecaKdnie, tivr e
desemharaetid* ; n molrro da trala nlo dara > < mprMer : a -^er e Watar na r dd Ba-
rao de S. Bwrja n. 25,. te.dira quem vende.
5* e 6*000.
Ceroulas'fr ncezas de linho e algodao, para todos os precos e qaalidades, assim
como grande sort!rrreoto de meias cruas, eamisas, c.lerinhos, que tudo se vends por
precos inuit r zoaveis.
-------------------------------------------------------:-------------------------___________________________________.__________!________________________^
Panno de algodao da
Bahia.
Ba para v^yder das seguintes fabricas ;
S Salvador.
Oiaceicftj.
Valnga.
Medeto.
No escnptoro de Luiz Duprat, a raa do Com-
mercio n. 34, 1* andar,
Lazmnas
esc ceza*a a -286>s>. o 6vado-
llua do Qalnttade m. 4
Lizinlia&escorezas. nadfO^'MW>d WR'>. titi-
aia moda de Ville ^nrtC,-fm (Wlttoto preco
de 280 rs. o covado ; dio se amiMtras : na rua do
Qneimado a. ii.
HUIIlftPD |
[ uiHi


t
BE
wts mmm
SOARES LEITE, MAOS
UNIGOS ACENTES
Ra hMm da Victoria n. 28
la mais simples, as aiais baratas e as melhores do mundo!
Na exposiQao de Paris, em 1807, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a coridecora-
5I0 da Legiio de Honra/por serem as machinas mais per-
feitas do laundo.
A medalha de ouro, conferida a "E.' Howe Junior, nos
Estados-Uhidos por ser 0 inrentor da maehina de cos-
tuha.
A medalha de ouro na fciposiJo de tondres acreditam
estas ma'chinas.
A
&be-no 0 deWt de arihuneiar. que a cdmftanhia das maebJnas deflowe de Nova-
'ork, estabeleceu nesta cidade a ma do Bario da Victoria n. 28, am tteposlto e agencia
ral, para em Pewiarabpm? e'raais protincias se vendererfi'as afamadas machmas de cos-
*ra de Howe.. EstaS macmnas sSq justamente^apreeiadas pela perfeitjSo de seu trabalho,
.mpregantlu uraa agulha mais eurta com a mesma qualidade do linha que qualquer outra,
*>]* introdu c$ao dos m" aperfei^oados apparel nos, estamns actualmente habilitados a
farecer *oiamc publico as melhores machmas do mundo.
As mitfagemdmtm machinas s&o as segmntes:
fiimeira.0 publico sate que ellas sao duradouras, para isto proya incontestavel, a
! ireujnstancia de nunca terem annarecido no mercado maohinas d Howe em segun-
1 vUo.
Segunda.Cnntern 0 matoial preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas manor'fncc,ao entre.as diversas pecas, emenos rapido eslrago
' ae ur.s outras.
Quarta.Forraam 0 ponto como se fdra fetto i mio.
Qninta.Permitte que se examine 0 trabalho de ambos os fios, 0 que so nao consegn
* s outras.
Sexta.-Pazem ponto miudo em casemira, atravessando 0 fio de um i outro lado,
. VW en seguida, sem modilicar-so a tensao da linha, cozem a fazenda mais
n*.
Setima.0 compressor e" levantado com a maior faciiidade, quando se tem de mudar
0 igulha ao comecar nova costura.
Oitaya.Muitas companhiasde machioas de costura, tern tido epocas de grandeza e
ecadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje, quasi descoi.hecidas, outras so&Vcram
mdancas radipaesparapoderem substitnir : entretanto a companhiadasmachinas do Howe
4 cfmcn'ado 0 seufabrico, e hoje nio attende & procure, posto qne fa$a 600 machinas
-r dja.
Cada maehina acompanha lirretos com instruc^des em portuguex.
N. 4Rua do Cabwga-
JOSEPH ERALSE & C.
DE
GOMES DE If ATTOS &IMA0
Avisam ao rospertavel publico desta cidade quo 0 sortimento de joias, de subido va-
lor, que existia em seu estabelecimento, asi& completamente reforgado com 0 mais ele
gante sortimento de novas joias,. que receberam directamente pelo ultimo vapor da Eu
ropa, coustando elle do mais variado sortimento de aderecos & Boulevard, pulseiras dt
ultimo gosto com pedras preciosas e sem ellas, brincos d'argola, agraffes para relogjo At
senhoras, delicados aderecos para meninas, meios aderecos de camafeu lindissimos, voltaf
de nogordios para senhoras, correntcs inglezas de ouro e de platina, variada.quantidade
fde botdes para punhos e peito, com eiablemas ma^onicos, de onix, tccido de ouro, cama-
feu, etc., brilhantes monstrosde rarissimas agoas, em anneis, rozetas, pulseiras, alfiie-
tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro de melhores fabricantes de Paris, que se
venderao com grande reduc^ao de prejos, por serem elles recebidos directamente de seus
committentes.
Os proprietaries do acreditado MUZEU DE JOIAS, tendo seu estabelecimento abertf
ate 8 horas da noute, convidam as familias que se quizerem prover de lindas joias, t
virem escolhe-las d vontade, para 0 que ePli em exposi^ao nos mostradores.
OLEO
DE FIGADO DE BACALHAU
IOD0-FERRE0
COM QUINA
B CASQA DE LARANJA AMARA
tin Dootor DOCODX, IS, gnlerit d'Orleans (Pafo Real), Paris.
Es medicamU) beil de lomar, fem resaibo, a de cheiro agrmtorel. Pels na eepielt,
potsie tedat as qaalidades qne Ike permeitem subsliiuir cm taoUtem tnda a serie de nedidahCBMl,'
como pilulat ferruginnia', vinho de quina, oleo dt figadb atJxioalhau, xarope de catca dt
/aranja arnara, empregidos para combater a anemia, a chlorose, as affee'edes do peito, a bronehitt, '
os catarrkoi, a litioa, a diathese esttuntoia, tnrophnlosa, i#|c., et.
Per melivo do seu emurege facil, da sua accio inuUiplice aegnra, da economia para os doeates,
os medicos prescretem 0 0 por pfeferencia a qualquer oulro medicamenlo rimilar.
Deposito era Pern*mbuco, A. RECORD. M
iV^ua florida, de Giuslain,!
para fazer os eabellos pre- \
tos.
A aguia hranca, a rua Duque de Caxkw n. 30,
acaba de receber nova reuiesta.da apreeiavel agua
florida para fazer os eabellos pretos. 0-boui re-
sultado colhido por quem tem feilo uso dessa
inoffensiva preparacio a tem altamente conceima-
do, a por i&o apenas se fax iembrar a qutiDo-
vamente deila preeiee- e qtieira ae aprovaitir de
sun utilidade. Tanibcm veio agua de tppasio
oleo florido para 0 mesmo a "o e tio acreaitados
como aquella.
DE
Hua I
s finas
ile'Marco n. 7 A.
NA
D
4o Barao da Victoria
A 3W000 ,e 30jga00.
DOUS P0SP0NT0S
Nalojade Spares Leite Irmaps, a rua do Barao da
Victoria n. 28.
pellica com pequcno toque, Espelhos de moldura dourada, do to Latas de
200 rs.
Abotoaduras
mento a 120 rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs.
Lamparinas & gaz, dando uma luz muito
(.3a, a 19000.
do
com pequcno toque, Espelhos de moldura dourada,
os tamauhos e precos.
m^mmrn e mmm.
Frasco com oleo Onza verdadeiro,
19000.
Idem com ioaico de Kemp, verdadeiro,
Lordeiro JSifnoes it C.
_ esta casa, sem duvida, uma das que hoje,
VOltaS e'OfinCOS de grOSSOS; p"lie.cili" l,r!m"ia aprcsmiar aos seus- frfgucres
.. A l'um vamdissinio swHiWnto ^fMerrtas-flBas pa-
aliotares de cores. -fw'Bra**'*iJo;***m"mev . .> ..ii;irio de -Uuias .as -cla*se.i, e por..pi'e.;tis VdUUiio-
A aguiabranca, a raa do-Dunne dj "Caxias a. SOs pata os compradores, de cuias fazem urape-
30, recebeu ovas e bomtas volias e bnH09*de quepo re Hirossoa .Ijofares de cores, e.no sempre cooli- .Manflam -faiowias mniua dos rtfetendontesi
nua a vende-las por prego commodo. ,;|lftra 0,p-Mu.a.|e^el*eees*aiio e^4a<>-amus
Novos diadeinas douraaosre.!J!?rs*'elrnS-|,*?hV!'-*
Cortes fle setja -le lindas cores.
com pedras. T0?'^ 6,?r^^da *5^3-
. '-flrohltflMJe wdbs a*^oOres.
A aguia branea,axua do Duque de Uxias. n. KJorgurio^raneo e pveto.
50, recebeu novo ,ortunento de honitos diade- Seiim Macau preto e de cores,
mas dourados e com pedras, tanto para' meninas Grosd^naules idain idem
como para senhoras. "Veluoo'preto.
Colleccoes de traslados -ptf. dissiuaas padroesce^azuida da ultima mod*.
nojmas para escrever-se. ^9irs'^in(l08 r***5es.
. *. rilo,de seda nranco e prelp.
A aui branca, >ru*Snque de C**ias n. 0, Rica* r.asqninas'yie seda.
recebeu novas cullecf5es ou normas paradpriii- Manias brailewH.
c* apreaderem a escrever.pw si Mesmorf^oje tao. (;flia9-de-:seda.Bara..ioi03.
usadas nas aulas e collegios; e como senipre ven- fortes de. camuraia. 1anca com lindos bocdadoa.
de-as por preco commodo. ^ Capellas e aiantos para n ivas.
Meias cruas finaspara meni- W'l^pw^in^niodciaseomiistrasdeseda.
(ambraias du corea.
Ditas uKiwfwzas, i>caiwas e de c'*e^.
Nausutk deJindos padf5es.
Baptista de pafliOes mui delicados.
Percal.inas de quadros pretos e braneos, de lis-
tras,"etc.
Drios de liabo de aSrej.-preprios para rvestidos
ciun barra e lisfras.
Pustao de lindas cores.
Casaquinhos de H e de todas as cores, para se-
nhoras.
.as de cordao imperial, a
de botdes de osso para cal^a, a
Duzia
*40 re.
Caixa
*00 rs.
Duzia do carreteis de linha, 200 jardas, a
:00 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 re.
tfaco de fita chincza, a 8Q0 rs.
Caixa de linha com 40 nov^lps, a 500 rs.
Meios aderc^os com camafeu, a 500 rs.
'j.arrafa de tinta rox^i extra-fina a 19000
Poles cqm dita ingleza, preta, a 100 e
GO rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas, f.
S000.
Idem idem, a 4Q0 rs.
p.aixa de caveloppes tarjados, a 500 ri.
Idem idem forrados, a700rs.
Caix de p.ipel amisade, beir^ dpurada,
* 800 rs.
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzja de Udheres cabc branco, 2 B., a
5JO00
19000.
Garrafade agua florida verdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200.
Caixa de pos para denies, a 200 rs.
Idem idem de pos chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Pote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
nel, if 00.
Duzia de sabonetes de araendoa, a
39600.
Duzia de sabonetes de anjiuho transparen-
tes, a 29200.
Idem idem com flores, a 19500.
Sabonetes Glycerino transparentes, a
19000.
Caixa com sabonetes, formato de fructas,
a 19000 e 19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
800
nas e senhoras
. rs.
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
Resma d) papeJ pautado, a 9000 500 rs. e 1*3000.
e 59800. Extractos muito finos dos nulhores au-
idora id^mliso, a2800, 39800 e 59009. tores.
Coques modernos, a 39000. Lindas e elegantes caixinhascoraperfuma-
Duzias de pe^as de trangas de caracol rias, .proprias para presentes, dos autpres
oranca, a 400 rs. E. Codray, Rieger, GelW Freres.etc.
Idem idem lisas, a 200 rs. Quadros com santos e estampas separa-
Leques de osso e sandalo, a 29000, 49 das.
6900.0. Entrcmeios e babados transparentes e ta-
fita de telludo de todas as cores Margu- pados.
ras. Uma grande taboleta propria para qual-
Microscopios com 12 vistas,|a 69ft00- querloja.
Frasco com oleo para maehina a 400 rs.
Rua do fiarao da Victoria 11.28.
t
ytnJe-se.urtia exceUenle casa com um.pequeno
:.tio Mta do Ai'raial junto a'c'asa do Sr. Anselrao : \
i '.ratar na mesma 3e*% e para infermacoes na
jveraa do Quf imado n. 3, I* andar
a 6.3500 .a pp Madapolao fraocez flno com pouco sujo a 6*50
a ptica ; e pect'incha na rua do Queimatlo nu-
men' 43.
Bolsas, malas ludispensa-
veis
Anural, Natnco dt C receberam completo sor-
limcnti) de bolsas, malas e lndigpensavais de cou-
ro, madeira e chagrin : ven>te-se no Bazar Vic-
loria, rua do Birio d^ Victor'* n. 1
Vinhps de Bourgogae
das mareas
Chambertiu
Pommard
Volnay
Beanne
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Veiule-se por harato \my
PAR.i LIQUIDAgiO DE C03TAS
HA
Rua E.arga da Rosnrio 3-1.
Botica.
A loja d'aguia branca, a rua I'umicde Caxias
n. 50, recebeu novo sortimento da^uetlasitao pro-
curadas mejas cruas para *enbora, viodo jgual-
menie para meninas, e cjutiniia a venJe-Jas por
precos coramodos.
Veos ou mantinlias pretas.
A loja da aguia branca, a rua do Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu bonitos veos ou mantinhas .Saiasboriudas para s*boj-8s
pretas de seda com flores, e outras a imitacao de Camias jdam idem
croche, e reude as pelos baratos prefos de 3*, Vestuarios para meninas
iS e 6*000. A fazaida eboa e esta em parfeito Dites para baptisades.
estado, pelo que continiia a ter prompja extrac- Chapeos para ditos.
cao Toaibas o- guar4ai)apos iMiamascados de
Perfeita novidade. ^n d^'llmew-
Grampus com borboletas, bezouros e gafa- Cortinados bordados.
iinho de
nhotos dourados e colondos.
A loja da aguia branca, a rua do Di.que de
Caxias n. 50, recebeu novos grampos com bor-
boletas, bezouros e gafauhotos, o que de certo 6
perfeita novid do. A quantidade e pepuena, e
por isso em brere se acabara."
Novas golliuhas ornadascom
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca A rua Duque de Caxias
50, recebeu uma pequena quantidade de boni-
s e novas gollinbas, trabalho de la e s*ra, n-
Ufcitada-- com arminho, obras estas de muito gosto
e intcirau'eute novas.
wampos, buncos e rozietas diim de fkneiia.
j j Ceroulas de brim e algodao.
aOUraClOS. Damasco de la de cores.
A loja da aguia branca, a rua do Duque
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diadem as de aco, e cemesempre eooti-
nua a vende-los por precos razoaveis
Camisas bordadas-jwraihomem.
Meias de cOres para homens e meninos.
Completo sortirhento'ile chapeos de sol para fcu-
mens e senhoras, eom eaoo-demartini.
Merino de cores para vestidos.
Dite preto.
Atualliado de linho e algodao para loalhas.
Aiwa Hi a do pardo.
Hrins de Iinho branco, preto e de cores. .
St* m de lindas cftres ecom listraa.
Cfcilos de merind de cores e-ft:etos.
Ditos do oast'inira.
Dilqs de seda preta e de cores.
Dito de tooquim.
Camisas de Iinho.
Uitas deohita.
A-raa du Cabnsa n. 1 A.
Os proprtetarSos'"da Pfedilecta, no Intoito de
conservar o bom concetto qne teem merecido do
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais que negociam no mesmo genero,
veera s^ientificar aos seus bons freguezes que- pre-
veniram aos seus correspondenles nas diversas par-
kas d'Europa para lhes enviarem por todes os pa-
quetes os objecto; de luxo e bom gosto, qne se-
jajn mais bera aceitos pelas sociedades elegantes
aaqnefles paizes,' vlsto aproxtmar se o tempo de
fewa, em que o bello sexo desta linda Veneia
mais ostcnla a riquoza de saas toilleltes ; e co
mo, ja recebessem pelo paquete fraocez diversos
arbjros da ultima moda, veem patentear alguns
ifehtrff eltes- que se tornam mais recommendaveis,
e.'perando do retpeitavel publico a costumada
conturrencia.
Aderecos de tartaruga os mais Undos que teem
vindo ao mercado.
Allrans com ricas capas de madreperola e *de
veHudo, sendo diversos tamanbos e baratos pre-
cos.
Aderecos completos de borracha pnprios para
Icto.tambem se vendem meios aderecos muito bo-
nitos.
Brt6ele setim preto e de cores para ornato de
vestidos de sechora; tambem tern para collete e
palitot
'Bolsas para senbora?, existe um bello sortimen-
to de seda, de palha, de chagrim, etc, etc., por
baralo pre^o.
'Bonecasde todos os tamauhos, unto de louca
como de tera, de borracha e de massa ; cbama-
raos a atten;ao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam-se as criancas um pouco im.
perlinentes por falla de um obiecto que as en-
iretenbam.
Camisas de iinho lisas e com peitos bordados
para horaem, vendem se por preco commodo.
Ceroutat de h'nho e de algodac, de diversos pre-
cos.
Qaixiahas com mosica, o que ha de mais lindo,
com disiiiMs uas tampas e proprios para presen
tes.
Coques os mais modernos e de diversos forma-
tes.
Chapeos para seBhora..Recaberam um sortimento
da ultima moda, tanto para sonhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
CaJcaa bordadas para meninas.
Bmremeios eslampados e bordados, de lindos
desenbes.
Ejcokss cieclricas para denies, tem a proprie-
dade dc eVrtar a carie dos! denies.
Praitjas de seda pretas e de cores, exbte um
grande sortimento de divercas larguras e barato
P9o.
Fitas de sarja, de gorgurao, de setim e de eta-
malote,' de diversas larguras e bonitas cores.
Fa'chas de gorpurao muito lindas.
Flores < artiliciaes. A Predilecta prima em con-
servar setspje um bello e grande sortimento dos*
las'llo es, nao so para enfeite dos cbf llos, como
tambem 'para ornato dc vestrdo de noivas.
Ga**iesdealgodao, de la e de seda, brancos, pre-
tos e de diversas eores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Laco9 de cambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
litgas de seda de cores e braneas bordadas para
ooiva.
Li vros para ouvir missa, com eapas de madre-
Serola, marfim, oso e'velludo, tudo que ha de
om.
IVtrtes dB tartaruga e marfim para altsar os ca
bet os ; team tambem para tirar caspas.
Port bouquet. I'm bello sortimento de madre
perola, inarlim, osso e dourados por barato preco.
Perraroarias. Ncstc artigo esta a Predilecta bera
provMa, nao sd em extractos, como em oleos e
asbM'dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubip, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray/Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis para
a festa.
-Saias bordadas pnra senhora, por commodo
pre?o.
Sapattnhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonito sorti-
menta>4e diversos tamauhos, tanto para sofa co-
mo para tnlrada de saias.
Veattoaentas para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais modernos, recebeu a Predilecta e
veode por barato preco, para Hear ao alcance de
qualqwerholsa.
'Rua do Cabuga n. 1
VENDE-SE
tma caea na villa de Barreiros, na rua do Com-
mercio, por preco modico: a tratar com Tassc
Irtoaos A C. ______
Ao bello sexo.
GusmSo 4 Leal receberam ricos cortcs de gaze
de seda, fazenda inteirameote nova, e vendem
pelo-barato preco de 48*000 o cdrte: a elles, antes
que se acabem: so na loja da ri'r. iVmeiro it
Marco n. 14.__________ '_______
Garanhuns.
assim.
Qoando parece ter-se esgotado o rejietto^o da
mooas, pela immensidade de artigos de noidade
que tem apparecido; eis que os velbos e in ansa-
veis eorrespendentes da fTova Efreranca, a rua
Duque de Caxias n. 63. doscobr*m outros no
mundo elegante, aoide se const t vam cscngitando
miauciosamente as novas inven>.5cs ; rmnettem
para a .Nova Esperan;a. e auterisam na a direr
aos sens fregneies e especialmeute ao beilo sexo
que nao creiam em tal : e para prova evidente
do que acaba d descreve :
MANUAES para missa, com capa de madreperola
ou tartaruga, tendo no ctntro da capa
om pequeuo relogio perfeito regula
dor.
CARTE!RAS, po t charulcs, port cigarros e pi.rls
moneys no mesmo gos,to.
CARTEIRAS para notas com capa de marfim, ma
dreperota e tartaruga, com > distico
Lembranta.
BOLSAS para senhora, o melhor qne tem vihdo a
este mercado, de diversos tamanhos,
qualtdades e medelos de nova iuvea-
cao.
PORT BOUQUETS de lindos gostos e ttmaohos
cspecialidades para as noivas.
CAIXI.N'HAS com muslcas e sem ellas, proprias
para presehies.
E outros de inteira -aovidade.
E com os meninos.
A Nova Esperanca, a rua Daque de Caxias n.
63, recebemos bonecos de borracha de formates
inteiraroente novos : os meninos muito apreciarao
este brinquedo.
E verdade.
Qualquer senhora de bom gosto, parece que
nao pode complerar e sua toitlette, -em dar um
parseio a Nova Esperanca a rua d" Pn tie de Ca-
xias n. 63, porqne e a loja de mio-1 complete esta em sortimento, des apresenta ao publico em gen!
fi com as ilorihi
A Nova Esperanca, a rua do Duque de Caxias
n. 63, recebeu peto ultimo -por, Dtp inteiro sor-
tirrcnto dc papnis para flores I a elles.
Para crianca.
A Nova Esperanija, a rua do Duque de Caxias
n. 63, recrbeu um sorltmeoto de vestuarios de
casemira e alpaca para criancas : modernos e bo-
nitos.
Las mescladas.
Um bonito sortimento de las mescladas em co-
res, recebeu a Nova esperanca, a rua Duque d
Caxias n. 63.
Pannos de-orechet para cadem, sofa e cotiscHos.
Colcaa} de dito.
Tarlalaaa.de U-das as cores.
Espartithos lisos e bordfldoe.
Foularrf de seda.
Casacos a tricot.
/S_ l / j j t4>acos a tricot.
UaiXinnaS COm DOS aOUraaOS Rkus cootes^de vestidos ahtHfh\ para senhora,
e prateados, paxa ca,beHos. "" ** "miMmi '"*
.tvs, ultima moda-
Vfde.-seinalojadaA"guiaBranc**.rWad.Pn- ^K''^.^S^iSl ^^-^
puaios, ^eaivakkfi, ituvos de paUiua,
eblfarinhes.:
dit&s d fio
iAiyas de pellica pretas e de dsswMci
outras c6res.
A loja da. Agqia Brapca, a rua Duque de Q
xias n.' 50, recebeu novo sortimento de Inn *
pellica. pretas e de outras- cores
os tamanhos, bolsas de vjagem, etc. etc.
Na loja do Passo, rua Pnhieiro de Maj^o n.
A, aMlga-*)- Cresp*.
Na rua
allar aos
ose Paes
sse.
do Barao da Victoria n. 36, preeisa-st
Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
daSilva, a negocio de particular inte-
Baralissiaw

Chitas
a 240 rs.,0 covado.
A 840 r* o covado.
A ttO us. o covado.
iu-na-rua Bu'UJe de Caxws n. 60 Aiiioia-da
esquina.
Oanariosda Allemanha
rLai zinhas oi lirtips estamygdas pelo diminuto
ceo de 400 rs. o covado.
Dila.- cum listw .asaeliaa4* A 1*000- o co-
vado.
Granadinas pretas com listras de cores'* 508 rs:
o covado.
H.-isitra^adte#n^ru* pafra v*JiuVk avfliO rs.
o covado.
Al[iacas deqna'dror, "proprias para vestidoa, a
1^40 rs. o covado.
IirM) Dito trancado a 1^600 a vara.
TASSO MAOS k G.
Em seus armazens i rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por preens commodo*
TijoJos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Gimento Portland.
Cknento Hydraulicc.
Machmas de descarocar algodio.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosptioros de c*ra.
SagU em garrafSes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentrlhas em garrafoes.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Psrto velho engarrafado
Vinhsdo Porto superior, dito.
Vinho de.Bordeaux, dite.
Vinho-de Scherry.
Vinho da Madeira.
Potes com lingtras e dobradas rngleras.
Liearet flnos sortidos.
Cognac Gaulbier Freres.
. Latas de toucinho inglez.
Barris com repolho em salmoura
Tiiilii, i-ha e fiimo
AUiarat' Nabnco 4 C. vendem tlntas orisallne -
Lotion vegetale para tingir de pretes cabelios, a
que se conhece de mais util e commodo, nao so
no moda de empreg.i-1 <, como no resultado que
se obtem, Cba verde e preto chegado ultimameno
te, e fnrBrj inglez e frarcez, para cigarros e ca-
ohMbos : vdem no Basar Victoria, rua do Ba-
ao da Vietoi ia n. 2.
Caicado estrangeiro.
Aproxima se o mcz de dezembro, tempo em
jue o Paris na America, a rua Duque de Caxias n
59, 1 audar, tem de dar o seu balance, por este
motivo, os proprietaries deste estabelecimento es-
tao resolvidos a venderem seus calc dos pelo cus-
to, aflm fie minorarem o trabalho ; assim pois os
apreciadores do bom, e com especialidade o sexo
amawel, para qnem o Paris, na America consen'a
com a devida decencia) o seu gabinete reserva-
do, para a e^colha de cal^ado, aproveitem e ve-
oham mnnirem-se do que prc-cisarem.
Catilaria de ll#a
Hombrerras.
Capitols.
Soleiras.
A' venda no armazem n. 2o, a travessa do Corp j
Santo.____________________________
Las para vestidos de gente
sinha.
Fazenda de800 rs., veadese a 300 ,s. na Ros.
Branca e dao-se aniostras: a rua da Imperotriz a.
m.___________________ _____________
(aiiii/iils e {tuitkos
Amaral Nabnco A- C, vendem camizinhas e pu-
nhos para senhoras, brancos de algodao, de Iinho
bordados e de cores, no-Baar Victoria rua-do
Barao Victe'ia n. 2.
Matricula para cavailos.
A' venda na livraria eras ica, a rua do Impera-
dorn. 73. Preco 40Ts.
Crheou o verdadeiro de Portland ; barrieas
ggandes de 400 kilos : no armazem do Tasso Ir-
maos & (-., caes do Apollo.
Vende-se
um sitio no largo da Casa Forte, com 520 pairs :
de frente e 570 de fundo pouco mi s ou menos,
com casa de pedra e cal, 7 quartos, 3 galas, co-
zinha fora, 4 cac;mbas- diversos arvoredos de
fructrs ; assim coino, um eutro menor na tra-
ves-a da mesma, volundo para a estrada que va
para o Arraial, com rasa de pedra e cal, com %
3uartos, cozinha f6rs, cacrmba e aliun" alvoredos
e fraeto : no pateo do Carmo n. 3, ou na rua
das Trineheiras n. I.
J. 0. C. Doyle,
Tem pare ve-i r" :
Cognac de Hcnnessy, superior e verdadeiro.
Vinho Xeres das melhores qualidades.
Bitters de Angostura.
Whisky.
Cba preto em lattas J 10 libras.
Todas as preparacoes ehimicas do Dr. A>e> :
armazem da rua do Commereio n 38.
Aguas Alcalind-fiazisas das IV
dras Satgadas.
Villa Roucade Aguiar. .
BICARBOtfATADAS-SODICAS
Analyses du Dr. Jose Julio Rot gucs, lente da escola Puljte-
elinica de I.islm.i.
Esta excelleute agua usada com vantagem dc >
padecimentos das vias difestivas, urinaxias, d.
estomago etc., etc.
Vemte-se
NA
Pharmacia e drogprfa
DA
Rua larga do Rossrio n ;il.
'"hegaratn pelo ultimo vin)i da Eniww, per-
feit,s c^ntadorns e de core- inuit.. lindas achftn- jDiLj^k.^*, linfao-uurq, aiiiOfl.a vara
se a vend-* no armazem Fidelidade.a raa do lm- )*"w**w|i', wjm^jwjv. 4*>m~
perador n. 14. P^lMflf lltt
J m:\H\iMiiV,
Chfrpewde sol-destda,- cabo-de canna, a 8i300
{cada um, isto tudo -6 iioa. lO'daTua do Crespo,
loi* da-;i iwrt**, dt Gutiheane A C.
, Banhos emOlinda
doCoiMMSi.", n S e^cjlpterta.a rua proprias para os tianh k> err.: Ollnda : nalojidos
no uommercm n. a._______________________ grc,,s ^ ma Pr1ineiro da Mar0 Burros a veuda na0A-(lhGart'-1 d0 AfflBrai v G
Para acabar!
Ricos chapeos para 9enhora : so na rua Duqne
de Gaxias n. 6i a, loja da esquina.
J Deir6 avisa a ?eus frignezes qne esta em
Viapem para ;,s prnvim-ia* biic cmdurindo ex>-ellente tnpa de burros
pas-^ri por P.-nedo. I'il.ir, rastanha Grande, Por-
to C-ilvn. iWrniroR, lii,, FoimMio, Escada, >bo e j
provavpimentr i>or Santo Amam de Jaboatap a
Naziret ; our'isso pnie ser avi ld" em quitqu-r destes !ugares leciinentos de raolhados, a rua de Mareilfo as
Larangeiras, JO de outubro de 1873. n. 76.
(laixws
Rtwpa eslrangeira.
Arrow!; Nabnco k C. vendem costume de brim
toiaoco 9de cores (a marujo e a purifanos) para
meninos,. paletots e colletes para homem, ditos de
alpaca e de casemira para homem p meninos, ca-
misas bordadas e lisas para senhora, homem, me-
nino-eau-p'aa : no Bazar Vici ra, a rua do Ba
r4o da Victoria n. 2.
Lindas las escocezas.
De varios padroes, a. inteiramente inrxlernas, a
360 rs o covado : na rua Prime: de Marco
antiga do Crespo n. 13, loja das cblo.iinas, dc An-
tonio Correia de VaconCenos.
A Predilecta acaba de receber ura ii^d-
mento de fitas escocezas aehamal-.'.!! la-, pr
para face's ; assim como um h'nd > wartime ito de
Icqnes de nadr*pe-o1a; a elles an!
bem, a rua do Cabuga n. 1 A.
Vende-se
HMES
0 jardim da .X v.i Esperanga, a rua Duque de
Caxias n. 63. eslii replecti do flores u mais de-
licadaa qne e |.n T na in.ir se, desde o mais
srajwll* ramalhct. a m;s elegante rosa, (iuteir
novidade) : ao bello s*x i compete^ quante antes,
virem colhe-las emquwito e-U > vicoeas.
Rua do Bruin n 76
Venda se zioco pun de superior qualidade,
proprio para cobertas de casas, medindo II pal
mos d comprido e 4 de largo, por preco unite
em conta.
A tvacrna da rua da Penha n. 6, beta
zada tanto para a terra como para n
na mesma.

Gfriule prrliifH'liii a
<0Vild6.
Cassa la, padrdea novus, e do
tiin vindo ao mercado, so Jia ru
n 43, loja de Guerra i Raraao
to preco de, 00 rs. o covado I
<:hegncm fr rnezes qne a
)raiii:
i & i"., vpfile n
;'ii ri tas ^:
. rui da Biffo fa

mm



>l
^
.
8
Diario de Pernambueo Segunda feira 15 de Dezembro do 1673.
(
LITTERATTOA. *
Theaiiro de Santo Antonio.
A Dama das Camelias. A empreza
Vicente.
A noite de 29 do moz passado, foi uma
noite de festa.
0 theatro regorgitava de ospcctadores que
voluntariammtu concorrerain d admiral",
ainda uma vez, os altos dotes da primeira
actriz do theatro brasileiro a Sra. D. Manu-
ella Lucci.
Nao ha via um logar vasio.
Quando uma actriz, programma de uma festa sua, consegue o
compareciraento espontaueo das multidoes,
p6de dosvarioccr-se de que a sua reputacao
urraa-seein basesmuito solidas.que os ventos
da inveja niio poder&o aluir.
Foi uma festa simples, porem cheia de
grandeza e magestade, como sao as festas
d'arte, por si mesmas grandes o mages-
tosas.
No theatre na havia nada que a indicasse,
a 1cm d'uma musica raarcial postada no sa-
lao d'entrada, e quern nelle penelrasse eo.n-
prehenderia que alguma cousa de gran le e
extraordioario alii se passava.
Osespectadores diziam-no pelo scmblant.-.
que c o espelho om que so reflected as erne-
yoes d'aima, e as liarmonias da orchestra
casavam-seeom os hymuos, qu>-. a lyra do
coracdo, em taes occasioes, dosfere em sau-
dacao a intelligencia.
As flores solws, os bouquets lancados is
plantas da beneficiada, foram a expressao
eloquentissima do enthusiasino daquellas
almas, pro>tra las n'uraj extasi admirativo.
Se ha momentos, como diz Victor Hugo,
em que qua.quer que seja a posicfio do cor-
po a alma estd de joelhos, esses momentos
nao podem ser outros, si nao aquellos em
queotalento, essascmtelha de luz divina.se
irradia, seexpande c illumina.
* *
A Dama lias Camelias da Alexandre Du-
mas Filho, foi o drama eseolliido pela Sra.
D. Manuella para o seu beneficio.
Avonturaremos ligei as consi leracoes so-
bre este drama, quasi, si ndo geral.nente
reputado a molhor proiucc&o do notavel
romaocista e dramalurgo francez, nao sem
receio, por isso que, o uosso juiz discrepa
do da maioria.
Que e elle u:n ilrama de -norccimento,
sob a rolacao dramatica propriaraente'dita,
nao ousaremos negal-o ;. em bora reconbe-
c.amos que a these que Ihe servo de assump-
to a rehabilitagao da mulher pelo amor
nao 6" original, jd precedentemeute havia
sido discutida pelo illustre abbade Prevost
na Manon Lescaut.
Mas, como pensamos com um celebre
critico citado por Lopes de Mendonija, que
para inventar uma idea, cujo germen em
nenhuma parte se eneontre, seria mister
inventar todi a humanidade; pouca impor-
tancia nos m-jrece a questdo de ongmalidade,
e por isso nao trataremos della.
Apreciando a Ihima das Camelias pelo
prisma da moralidade, que e" o nosso. tanto
no romance como no drama, confessamos,
embora mallicoes possam chovo- sobre a
nossa cabeca : que nao sympathisaraos com
pssa detestavel theoria, que nelle se eleva a
cathegoria de dogma, de que o amor eum
lago, cujas crystallines aguas fazemdesappa-
recer as nodoas d'aima da vendida, e por si
mesrao sulficiente para Ihe serem perdoadas
todas as culpas no mundo ulterior.
Julgamos essa theoria muito prejudicial ;
encaramol-a como um van-no pmpinado a
mocidade que, naturalmente in-xperiente,
nao sabe escapar d sua accdo destruidora.
Seduz-se pelo brilhantismo das cores.como
a maripOsa pelo das chammas.
Que o amor seja um dos raais sublimes
sentimentos, ndo ontestamos, pois, se o
iizessemos, negariamos a excellencia do pri-
melro orgdo da vida ; mas, que elle puri-
fique a mulher que ilespenhou-se no pelago
dos vicios ate restituir Ihf a castidade per-
dida ; eis o que niio nos parece ad oissivel,
por demasia lo extravagante.
Desde que tal princip'o fosse acceito, a
virlude nao teria mais razdo de ser.
Porque e, que a mulher virgem e objecto
de todos os preitos, de todas as horaenagens
e considerables do homem, si nao porque o
seu recato, innocencia e pureza contrastam
com o despudor e desenvoltura da que se
precipitou no abysmo do vicio ?
1UCEECU imiL
MEHORIAS DE SATANAZ
POR
D.ManoelFernandezy Gonzalez
PRIMEIRA PARTE
0 GRAN-CAPITAO.
XXIV
EH QUE SE VE DO QUE LUCRECIA ERA CAPAZ.
(Co utinuacao do n. 282)
Os aventureiros de Pedro de Napoles ha-
viam achado tao bom estar ds ordens dfl
Orsini como as de Roberto Roberti. Existia
eutre elles um unico homem a quern nao
convinha ser reconhecido.
i Esse homom era Dorainico.
Quizera fugir, chegando esporas ao ca-
vello, porem os homens de Orsini haviara-
Ihe cortado o terrenft.
Era o unicn que insistira na fuga, e, tor-
nando-se suspe.it'>, fora preso.
Monta a cavallo, Pedro de Napoles,
tiisse Orsini, e vamos para Roma.
Para Roma T realicou Pedro. Estd-
n:e parecendo que vamos parar ambos ao
i ?stellode Saut'Angelo.
Ndete importe isso ; vamos, a ca-
vcllo e a carainho.
Muito bem, redarguio o bastardo
n. mtando, raeu bom pai, o rei Frelenco,
a::i9-meo bastanlo para que se ndo alegrn
muito por eu nao ter morridn e para que
j:.c l.ao reclame ; a ti e* que eu nao sei
quem te reolamara\ Mas,*jd qu assim o
q\: N'aquelle momento crvgmi u u i- valloiro
at^daabrida, a i psqueita distancia de
, par u i
"r-p i v. so, men seohur, porque nao
o que pod.' ;ui <-.i.-r ; u istaru
postadv junto dl catwdfa de lit alia Dei, >
vi vif pelo camitilm um nuiner"S< cs.jui-
drao de cavaHeiros armados iu lancas.
Ah I disse Pf Irode Napol s, e o ;
que envia geute para to recob r, Unt
Que idea se poderia fazer da sublimidade
da virtu I.-, si n*o houvesse o vicio em toda
a sua heiiion lez?
E' pe'a confrontacflo que chogamos a
apreciar a primeira, e a detestar o segundo.
Pelas theories d Alexandre Dumas, che-
ga-se a confundir a donzella com a mulher
equivoca.
Se o amor, que 6 o talisman d'alina da
primeira, resiituc d segunda a castidade per-
lida, segue-so quo aquella nao deve con-
siderar a bonra um thesouro inaprecia-
vel, porque, rnalbarateaado-o,rehavel-o-ha,
quando no vortice das orgias, sentir atear-
se-Ihe no peito a chamma do amor.
Ndo serd isto um convito direclo d pros-
tituigdo ? Ndo cremos que so possa fazel-o
mais claro. nem mais positivo.
Nao pretendemos negar comtudo, qiie no
cora^ao da inul ier cortezS, ndo p >ssa achar
guarida o amor, e que este sentimento a
faca esquecer-sc do vicio, que a regenere
emfim.
Neste sontido, diz o moralissimo E.
Poitou, (*) p6de-se dizer que o amor pu-
rifica e eleva Porem, ver em uma paixao
deste geiiero a jibsolvigdo d'um passado in-
fame, o esquecimento de todos as faltas, a
expiacao do to los os desregramentos ; eis o
quo fore a razao e revolta a consciencia.
Erigir este amor, por mais profundo e des-
interessado que seja, em merito, em virtude ;
eis o que 6 extranho e pasmoso ter-se con-
cebido.
L assim e com efleito I Ptiie um espirito
reilectido acceitar jam us que a mulher
possa ser p.;r load) por Deus, s6 por tcr
araado muito a um homem ; sem que para
a obtenijao do p.?r lao influa no animo do
Creaior quaesqur accoes boas, quaesquer
praticas de pie la le e religiao, que em sua
vi la tenha pratica Falle am la o autorisado e circumspecto
Poitou :
Estranha intorpretajdo do Evangelho !
Ji'sus perdoa a pec.'.adora, quese arrepende
o que o implor.i de joelhos e banhadhe os
pes com lignmas e perfumes. Como I foi
por ter amado muito os filhos dos homens,
que elle a per-loou. ou por amar muito o
lilho de Deus ?
Escrever o contrario. fazer de caia mu-
lher cortesa uma Migdaleua, a!e;n de ser
muitissimn extravagant^ prova que, ou se
desconhece a origem da conversao daquella
peccadora, oque ndo e admissivel em espi-
rilos esclareui I'ls, ou, conhecendo-se.se tern
em vista lancar o ri liculo e depreciar tio
edificante exemplo offoreeidoa humanidade I
Julgam >s qu'>. a liberdade religiosa deve
ser bem enten li la, assim como todas as li-
berdades ; e que, nunca poderd autorisar o
juizo de que perante a justiga divina, a mu -
llier que affroutou a moral, della escarne-
ceu, osquoceu -)eus e os seus precoitos,
possa ser absolvila s6 por ter amado, sem
oconcursodo arrepeadimento d'uma verda-
deira contricgdo.
Mai da litteratura era geral se fosse a ex-
pressao das theorias do eminente auctor da
Damn aas CaneVas ; seria uma litteratura
prejudicialissimi, um elemento de dissolugdo
para as sociedades
0 drama, sendo a forma litteraria, que
maior e mais directa influencia exerce sobre
os costumes, ser escoima Io de quaesquer impurezas. A
moral Ihe e tao neoessaria, que banil-a e
deturpar-lhe a uiissao civilisadora.
0 typo de Margarida Gaatbier, descripto
como se acha, nao deixa de possuir belle-
za ; o na ver lade u-n rasgo de heroicidadeo
sacrificio queella f Mas, o que resta saber e: se conv^m quo
0 theatro offereca scenas semelhantes 4
contemplacao da mocidade incauta, se esta
sem perigo p6J observadas.
Para n6s a qu'td'> e de conveniencia, de
moralidade.
Nem toias as scenas, porque sio reaes,
podem ser produzidas sera escandalo.
Se porescola realists entende-se a negacdo
da moral, en'.ao, a logica que a tudo preside,
ordena, impde ; que o, que houver de
mais intimo na vida do homem, se descortine
a vista do espectad *r.
Por que n8o ? E' natural I...
Ndo o fazem, porque Ihes falta logica, e,
julgando proscrever a moral, reconhecem a
sua necessidade._________________________
(*) Da Human el du theatre contem-
porains.
Dd-meaminha espada, manda procurer a
miuhalanga, porque me parece que temos
faina grossa.
Tenho-a em meu poder, disse Orsini,
e se me atraicoar, morre.
Quem e que tens em teu poder !
Lucrecia; a maior parte dos homens
de arm is que me acompanham sao osseus,
e os que vem nao devem ser inimigos ; se
<> forera, corabateremos, e emquanto a Lu-
crecia, cstou seguro d'ella. Emquanto
chega o esquadrdo que se esperava, o qual
se udo sabia se era amigo ou inimigo, ex-
pliquemos a situacao em que se encontrava
Orsini.
A carta que Lucrecia Ihe enviara, era-
concebida nos seguintes termos :
Necessito entender-me comsigo, Genaro,
e para isso irei ve-lo esta noite a Voletri ;
conRo em si. Levarei escolta pelo cami-
nho. Tenha proujpto um homem que pos-
sa cmduzir-me ao lugar onde estiver;.
acompanharei sozinha esse homem. Lu-
crecia.
Genaro Orsini respondeu a Lucrecia em
uma carta que continha apeoas esta pala-
vra :
Espero.
A's nove horas da noite, uma muiher en-
uita n'ura mauto, com uma mascara no
ro to, penetrou no aposento de uma casa
isolada, situada proximo de Veletri, onde
babitava Genaro Orsini.
Este esp'-rava de pe* elegantemente vesti-
do, i.upaciente e excitado.
Sepodesse v-roque Lucrecia tinha foi-
to um momento antes de penetrar na habi-
tayao onde elle so acliava, teria estreme-
cido.
Lucrecia tirara da tlgibeira um porno de
ouro, e deitara parte do seu conteudo na
1 v,i da mao direita.
Api-nas eutrou despojou-se do manto,
tirou mascara e o chapdo, e appareceu
ns'inha t'-nta i ra aos olbos de Orsini, ti-
t mi len Io -Ihe a m.io.
Acaiiemos por uma vhz com discordias
que sA" fiit.ies a Roma, disse el la com voz
mi.ivi', pcrsu'.>iv,i, tili^u.i.
(i'Miro estendeu a
lu'ii apfrt. pri?Sr
i. ,i pudtr e ma-
Lopes de Mendonca {), que ndo pdde
ser acoimado de suspeito, porque era adepto
do realismo, diz : Ndo julgamos, entretanto
util que, certas scenas seproduzam no palco.
Sem nos presarmos de austeros moralistas,
supporaos, jue as ideas e impresses que
o romance admitte, offendem a dignidade
apresentadas no theatro. Para que descor-
tinar cssas fraqufzas condemnaveis, esses
deploraveis caprichos ?
E accrescenta, terminando o seu juizo
sobre a Dima das Camelias :
0 amor, que a imaginacdo se coraprazia
era pintar nas Candidas faces d'uma virgem,
jd o vein is illuminando os olhos d'uma
morelriz...
Creraoj ter dado as razoes, porque ndo
fazemos cdro com os que apreciam e divini-
sara a D Oassumpto, pedia maior desenvolvimento,
que nao abe nos limites d'uma chro-
nica. V
OdesempenW^h geral nSo foi satisfacto-
ry, julgamo-lo inferior as forcas da compa-
nhia.
A Sr\ D. Manuella oonduziocora alguma
frieza as scenas do 1." acto, ao passo que
jogou perfeitamente bem a scena da luva,
no 2. D'ahi ate o 5." acto agradou-nos
o seu trabalho.
Achamos que, o papel de Margarida Gou-
thiere de muita importancia, o estd ua alt'ira
das forcas da Sr*. D. Mauuella.
Se n5o podemos classiticar o seu trabalho
lisento do sen6es, ndoolvidaremos que, para
' isso concorreu o estado de saiide da illustre
actriz.
Felicitamo-la, entretanto, peloesforcp que
despendeu para manter-se na altura de seu
talento.
0 Sr. Bahia trabalhou no Duval pai, de
mo lo a laraentarmos que, o papol nSo fosse
maior para poiermos admira-lo mais.
Quanto ao Sr. E luardo ndo nos agradou
desta vez o seu trabalho, tanto quanto
d'outras. Achamos o papel pouco astudado
e em geral frio o seu desempenho.
0 defeito da voz, aquelle costume de
partir as palavras e mesrao supprimi-las, que
nos pareceu ter corrigido na Morgadinha ae
Val-flor, raostrou-se-nos como daotes.
Se tivesseraos espaco apontariaraos as
scenas, em juu o illustre actor nos desagra-
dou, pois, evitamos emettir qualquer juizo
sem dar a razao em que nos baseamos.
Esta maneira de criticar e facil e comrao-
da, e muito,era mo la em certos circulos,
porem, nos, nao a queremos.
A empreza Vicente montou dramas de
merecimento e de custosa exeeucdo ; alguns
ainda njo representados era Pernambuco,
taes como : a Estatua de Game, Mendiga,
Morgadinha de VaUFlor, Qigana de Paris,
Republica dos Pobres, dramas estes ua altu-
ura de serem representados em qualquer
theatro, por mais esclarecida que seja a sua
platda.
Em vista dos factos, julgamos que nao
poderemos ser acoimadosdelouvarainheiros,
se dissormos que o emprezario do Santo
Antonio e digno de apreco, e merece a
gratiddo da provincia, pelo bom que fez a
arte, trabalhaado, na obra difficil de sua
regonoracdo.
Cremos, pois, interpretar o sentimento
geral louvanJo-o por tdo importante ser-
vido.
empreza a
0 chronisla despede-se da
sejando que na proxima estac&o theatral as
portas do Santo Antonio se Ihe abram sob
s mais fclizes auspicios; e pede desculpa
se em suas apreciacoes f >i alguma v justo.
Se ainda ves'.ir essa especie de tunica de
Nessus que, jd comegava a dilacerar Ihe as
carues, procurardrepararquesquer faltas em
que houver incorrido. _____ garrick.
JTRISPRUDEiiAT"
Devia pois estar-se persuadido em Chalons
que a batalha de 18 deixara o marechallivre
nos seus raovimentos, e habilitado a marchar
novamente.
Algumas horas depois de ter expedido o ^^ je Saulny e de Lessy, & pequena dis-
* *
Com a representagdo da linda comedia
draoaa Os Estroinas, fechou a empreza
Vicente o cyclo de seus trabalhos no presen-
te anno.
Apot 16 mezes de incessante labor, vai
ella refocillar-se do cansacp produzido, pelo
excessivo trabalho de mais de cento e q uaren-
ta e tres representacdes.
E' digna de encoraios a empreza ftnda.
ConQando em seus proprios esforcos e sem
neuhum auxilio estranho, realisou o Sr.
Vicente um facto virgem, o de viver uma
empreza theatral sem auxilio algum dos
cofres'da provincia, mais d'uma vez abertos
para tat tim.
Para chega" a este resultado, quanta f jrca
de vontade, que esforgo nao foi necessario,
que luta nao foi preciso sustentar ; para
veneer difficuldad^ de todo o genero !
Quem conhece as condicdes de vida de
nosso theatro avalia e admira.
Renderaos preito a verdade, recordsndo
que o emprezario do Santo Antunio fez al-
guma cousa de notavel em prol do thea-
tro.
A arte dramatica agonisava em Pernam-
bucc e i Sr. Vicente fe la entrar em uma
nova phase.
Pesavn-nos o espectaculo que nos offerecia
esta cidade, no assumptoque nosoccupa.
A arte e o bora gosto, eram olvidados;
em lugar de dramas de merecimento, nas
condicoes de elevar o theatro, de attrahir
para elle a concorrencia, de mante-lo era
uma attitude digna e moralisada; o que
viaraos ? Operetas buffas, musicas de Offen-
bach, e o chronico cancan.
0 theatro comojd esteve satisfazia a vista,
deleitava, mas. nao preenchia nenhuma de
suas sublimes funccoes.
Felizmente esse esudo cessou^_________
(**) Litteratura contemporanea.
jurado ndo descangar sera vingar em si a
morte de meu pai, de men tio e de meu
irrado ?
Vingue-as, replicou suaveraente Lu-
crecia sem soltur a mao de Orsini, aqui me
tern ; a minha gente ficou f6ra, pode dis-
por de mini e de alguem mais que o ena-
mora.
Como 1 quem vem na sua companhia
de quem possa dizer-se que estou enamo-
rado T
Quer acreditar que encontrei noca-
minho a duqueza de Urbino, a frente de
um pequeno exercito. e que se lancou so-
bre mim cm a furia de uma panthera T
Ah 1 sim T e porque ?
Ndo sei, replicou Lucrecia que con-
tin uava retendo a rado de Orsini e estreitan-
! do-a cada vez com mais force ; a verdade e
que me obrigou a um combate e que a mi-
nha gente venceu e fez prisioneira a duqueza
de Urbino ; successos da guerra. Nao Ihe
parece isto muito singular, Genaro ?
i Comsigo anda tempre tudo quanto
ba de extraor linario e de terrivel; mas,
aonde estd Isabel T
Estd guardada di sua ordem ; mas va-
Jmosao que importa, quero enteuder-rae
comsigo, sentemo-nos.
Foi so mtao que Lucrecia soltou a mao
de Orsini.
Sentaram-se e Lucrecia disse:
! Sabe que necessito que me eutregue
um homem e que se eacarregae de uma
mulher ?
Que homem e ease, e que mulhw
essa ?
0 homem 6 o principa bastardo do
Napoles, Pedro de Aragao.
Muito bem. E quem e a molher Y
Angiolina Crespi.
Ah 1 a formosissima fidha de Affonso
Crespi ?
Sim, dou-lh'a.
E* sua inimiga ?
E'.
E em vez de mata-la, entregs-m'a
Ah I e timli'in dos quejilgim que
eu matu, G.'.'ii.to ?
hi faliemos n'isso, minha senhora,
jux nao ilM ei ten lemos ainda e junto
iros de meu pai, de meu
tio e do meu irmapv
Estardo a mais distancia, Genaro, do
Rolatorio
A RESPEIT0 DO NEGOCIO DO MARECHAI. BAZAINE
EX-GOMMANDAME EM CHEFE DO EXERCITO
DO KIIENO.
(Continuacdo)
0 procedimento do raarechal explica-
se por outras consideracdes. Tudoannun-
ciava uma catastrophe proxima. Prevendo
isto, era menos compromettedor esperar os
aconteeimentos ao abrigo de um campo in-
trincheirado ; qualquer que fosse o resulta-
do da crise, c mtava-se sempre com o com-
mandante em chefe de Metz ; a sua posi-
i;ao e inatacavel, por isso que se foi no-
raeado general era chefe pelo iraperador,
foi em parte d intervencdo dos membros
da opposicdo que elle deveu o sbu com-
mando.
Resta ver qual e a conta que o mare-
cbal ia dar da situacao do exercito e dos
seus projectos. 0 telegrapho de Thiouvil-
le estava cortado no dia 18 desde as seis
para as seta horas da tarde. Foi a 19 que
elle redigio o seu relatorio ao imperador,
e expedio someute na raanba de 20, ds tres
horas da tarde por Verdun, pelo guarda
Braldy, ao qual elle proprio o entregou.
0 exercito bateu-se hontera durante todo
odia nas posicdesdeSaint-Privat-la-Mon-
tagne a Roserieulles, e conserva-as. 0
4" e 6 corpos fizeram, pelas nove ho-
c ras da noite, uma raudanca de frente, a
ala direita para a retaguarda, afira de
obstar a ura movimento sobre a direita,
que as massas inimigas tentaram, operar
com o auxilio da escuriddo. Esta ma-
nha, Qz descer das suas posiroes o 2* e
3* corpos, e o exercito estd de novo con-
centrado na raargem esquerda do Mosel
le, desde Longeville a Sansonnet, for-
ando uma linha curva, que passa pela
a parte detraz de S. Quintino e de Plap-
peville.
As tropas estlo fatiga las destes coraba-
tes incessantes, que ndo lhes permittera
os cuidados materiaes, e e iudispensa
a vel deix'-ias descangar dous ou tres
dias.
0 rei da Prussia estava esta manhd
em Rezonville, com Mr. de Mottke, e
a tudo indica que o exercito prussiano vai
affrontar a praga de Metz. Conto sem-
pre tomar a direccdo do norte, e seguir
depois por Montmedy, sobre a estrada de
a Saint-Menehould a Chalons, se esta ndo
estiver muito occupada ; do contrario,
continuarei sobre Sedan ou Mezieres,
para ganhar Chalons.
Em resumo, tinha-se dado uma grande
batalha, mas o exercito achava-se ainda em
estado de emprehender de novo a sua marcha
para o interior.
0 ultimo despacho expedido a 18 I noite,
pelo marechal, annunciava que o exercito
tinha conservado as suas posicoes; na manhd
seguinte, o marechal conlirmou, no despacho
que acabamos de citar, o projecto em que
estd de marchar na direccdo do norte,
passando por Montmedy.
estado sanitario do exeftito 6 satisfactory
o estado moral deixa mffis a desejar. Nes-
te momento, onze horas, grossas massas
pru'ssianas apparecem nos alturas^os bos-
seu relatorio ao imperador, o marechal
expedia nessa mesma tarde, ds 7 horas,
por Thionville, tres novos despachos.
0 primeiro ao imperador, era concebido
assim :
As minhas tropas continuara a occupar
as mesraas posigdes.
a 0 inimigo parece estabelecer baterias
que dizem servir Ihe para apoiar a sua
investida. -Recebo constantemente refor-
cos. Temos na praja de Metz mais de
a dezeseis mil feridos
Telegraphava ao ministro :
Estamos cm Metz fornecendo-nos do
vivores e municdes. 0 inimigo continua
a engrossar, e parece eomecar a inves-
tir-nos.
Estes despachos sio muito menos tran-
quillisadores do que o relatorio datado
de 19.
0 marechal foi ainda mais explicito com o
marechal Mac Mahon :
Fui obrigado a tomar posigao proximo
de Metz, para dar descan^o aos soldados,
e fornece-los de viveres e municdes.
0 inimigo augmenta sempre em tomb
de mim, e seguirei provavelmente, para
me reunir a v6s, a linha das pracas do
norte; prevenir-vos-hei da minha marcha,
se poder omprehende-Ia sem comprometter
o exercito.
Antes de se pflr em marcha, o marechal
Bazaine prevenira o marechal Mac-Mahon.
E' este o facto que se deprebende daquelle
despacho importante, que chegou a Reims
no dia 22 de tarde, isto e, no mesmo dia
que o relatorio de 19, o qual determina d
partida do marechal Mac-Mahon. Mais
adiaute indicaraos os pormenores relativos a
oxpedicao, e d chegada deste despacho.
No mesmo momento (20 de agosto) era
que o marechal Bazaine publicava nos
jornaes de Metz que o seu exercito estava
retido na praca por necessidades politicas e
militares, entretinha elle o imperador com
os seus projectos de marcha (despacho de 19
expedido a 20) ; ao mesmo tempo, diziaraos
nos, e isto fard sobresahir a prevencdo das
combinacoes do marechal, evitava contrahir
para com o seu logar-tenente coraproraissos
exactos e dizia-lhe (20 de agosto) : Eu
vos prevenirei da minha marcha. Por
outros tempos, havia naquella data de 20
de agosto, nas declaracoes do marechal, tres
afBrraativas differentes a respeito das suas
resolueOes e los seus{prejectos irtteriores.
Interrogado sobre a hesitacdo que pare-
recia trahir estas contradi^oes entre os des-
pachos de 19 o de 20, o marechal Bazaine
respondeu o seguinte :
Ndo havia hesitaodo nos meus projec-
tos, e era um simples aviso que eu dava ao
imperador, sem indicar a epocba exacta da
execucao, por isso que o imperador jd ndo
command*va, e que todo e movimento es-
tava subordioado ao inimigo que nos cer<
cava, e ao estado das minhas tropas.
A 2 ) escrevi ao marechal. Mac-Mahon
para Ihe dizer : Fui obrigado a tomar po-
sigao junto de Metz para dar descanco aes
soldados, e para os fornecer do viveres e
muui ,6es. 0 inimigo augmenta em torno
de nos, e eu proseguirei provavelmente para
reunir a vos as linbaa das pra<;as do norte.
Eu vos preveojrei da minha marcha, se pn-
der emprwhendel-a sera comprometter o
exercito. Este despacho era dado a titulo do
aviso s6iinnte, como os precedentes despa-
chos dirigidos ao imperador ; mas era ura
despacho official de serv>co, o unico que
obrigava o marechal, uma vez que estava
debaixo das minhas ordens .
Os despachos de que acabamos de tratar,
formara ura grupo importante, a respeito
dos quaes trataremos de novo um pouco
mais adiante.
Ulteriormente d partida d'estes despachos,
encontramos era data de 21 de agosto, outro
expedi lo por Verdun, e por Luxeraburgo ao
ministro da guerra; Era concebido n'estes
tormos:
Recebi todos os vossos de;pachos ate"
19 inclusive, e ndo passo coramunicar sendo
difficilraente, e por raeio de proprios isola-
dos com Thionville e Verdun. Deveis ter
recebido um despacho ; dirigi um ao impe-
rador e outro, ao marechal Mac-Mahon. 0
que entre si e meu irmao Cesar Borgia, e
isso nada tern de singular. Os Orsini fi-
zeram guerra a Cosar, e Cesar fez-lhes sen-
tir a sua inimizade como pdde.
Como um Borgia, disse Genaro com
indignagao.
Ndo confunda os Borgias era uma so
e injusta accusa^do, replicou Lucrecia, eu
tarnbotn sou Borgia, e como ve, veuho como
intermediaria entre o santo padre e o so-
nbor.
Como I exclamou o ambicioso man:
cebo, o santo padre...
Sua santidade tinba poderosos moti-
vos para se ndo entender nem com seu pai,
nem com seu tio, nem com seu irmao ;
comsigo o caso e differente. 0 santo padre
ndo Ihe deve oflensa alguma pessoal. Di-
ga-me, submettor-se-ha lealraente ao papa
se Ihe entregarem os estados confiscados aos
Orsini, e a investithrra de vigario de Roma?
Sim : porem que segoranca posso eu
ter de que procedem comigo de boa fe" T
Fico eu aqui em refens, mande-me
guardar, eutregue-me a gente de sua con-
iaaca e ndo me de a liberdade ate que pu-
blica e solemnemente o santo padre tenha
cumprido o que Ihe eu prometto em seu
nome.
Ah 1 minha senhora, disse Orsini, a
minha espada e a minha vida estao ao ser-
vice de sua santidade, e ao seu.
Tao miseravel como os seus parentes,
disse comsigo mesma Lucrecia ; eis aqui um
cadaver que vende o sangue dos seus, mor-
4 to* couw elle.
K acerefeentou em voz aha :
(Sao que nada mais temos que fallar
da sua submissao ao soberaao ponti
fiee.
Nada mais, minha senhora ; amanhd,
fiado nos-cxcellcntes refens que ua sua pes-
so* m* da o papa, irei beijar-llie o pi no
Vaticano.
Pode ircom seguranca. Faltam po-
tita dnas rondicocs.
Quaos s3o ?
Angiolina CFespi estorva-m...
Estorva-a .'
Sim ; faca a
. ftseapparecer?
Sai ; o st-nhor sabe perfeitamenta o
que-aa q'i j fazer para que desapparesa um i
pessoa.
taucia nas minhas posicoes, outras massy
occupam as alturas que ucara ao norte, e ao
i>rte estd Saulny, do lado opposto da es-
trada de Briey a Metz. Ha tambera gente
em frente do 4 e do 6* corpos, do outro la-
do de Wornpy .
Nada indica que elle tenha podido pas-
ser. A 22, era o despacho seguinte dirigi-
do ao imperador, por Luxeraburgo ; ndo
chegou ao seu destino :
Nada tem mudado na situacao ; o ini-
migo continua a investir-nos, levanta ba-
terias, corta estradas e intercepta todas as
nossas communicacoes. Activamos o traba-
lho dos fortes e dos seus armaraentos. As
nossas posicoes estdo protegidas por obras
novas, que tenho feito executar, e que todos
os dias se consolidate .
A 23, o marechal escrevia ao irapera-
dor :
a As ultimas informacoes indicam ura
movimento de grandes forcas inimigas, e
ndo existem nas duas margens do Moselle
seuao os exercitos do principe Frederico
Carlos e do general Steinmetz. Testemu-
nhas occulares affirmara ter visto equipa-
gens de pontes entre Ars e Gravelotte. Se
essas noticias se confirmam, posso empre-
hender a marcha, que indiquei precedente-
meute para as fortalezas do norte, afim de
ndo co.nprehender cousa alguma. As nos-
sas baterias foram reorganisadas e providas
de novo, assim como a infanteria. 0 ar-
raamento da praca de Metz estd quasi com-
plete, e deixarei alii duas divisoes, por isso
que as obras de S. Julido e de S. Quintino,
estdo longe de estarem ultimadas 0 esta-
do moral e sanitario do exescito deixa pou-
co a desejar. As nossas perdas foram tao
consideraveis n'estes ultiraos combates, que
os quadros estdo muito enfraquecidos;
provarei a isto ate onde me for possi-
vel .
Este despacho pod" atravessar a? linhas;
encontrava-se em Sedan a 31, do ode foi
expedido para o ministro. Os registos de
correspondencia do marechal, ndo indicam
despacho expedido a 24 de agosto.
A 25 escreveu ao imperador. (Desde 20
nao dirigio mais nenhum despacho to mare-
chal Mac-Mahon, particularidade que se de-
ve notar era presence da declaracdo do ma-
rechal Bazaine, que citamos.)
Para deseinbaraear a praca de Metz,
mudei os feridos prussianos pelos nossos, e
enviei 800 prisioneiros contra igual nume-
ro de francezes. As forcas inimigas ndo se
torn modilica io depois du meu ultimo des-
pacho. Apezar de todas as indieacdes pos-
siveis, e utilisando tudo, podemos comple-
ter as nossas fileiras nas baterias de canhdo
de 4 .
Durante os dias que se seguiram A bata-
lha de Saint-Privat, vimos o marechal Ba-
zaine occupado em estabelecer a 19, 20 e
21 ii exercito no campo, e em reformar e
reconstruir os seus provimentos de municdes
de artilheria.
Gracas d actividado desenvolvida pelo ar-
senal de Metz, e ao descobrimento de um
comboio de quatro milhoes de cartucbos,
que ficaram confundidos na guerra com o
material de toda a especie, o exercito, na
data de 22 de agosto, estava quasi tdo bem
provido coeao at* atoiaoipio da campanba.
Estafeliz notieia foi anauociad* ao mare-
chal Bazaine pelo general Soleille, o qual
pedio fiua 1 men te que ella fosse coramunica-
da ao exercito. 'Ndo se deu audaraeuto a
este pedido; accressentaremos, porem, que
no dia ioaraediato 23, foi lev-ado, iudirecta-
mente e verdade, ae conheciraento do exer-
cito, que estava provido de novo de muni-
cdes como no principio da guerra.
Este aviso, dado bo um de um despacho,
era que se prescrevia vigilancia e o maior
cuidado na conservacdo das munigoes, per-
dia toda a sua iraportan<-ia, e tomava a ap-
parencia de uma simples communicacdo
destiuada unicamento a restabelecer a mo-
ral das tropas, desfavoravelmeute impres-
sionadas com os boatos espalhados a respei-
to da penuria de munigoes. Ndo apresen-
tava nem o nuraero apontado pelo general
Soleille, nera o annuncio do descobrimento
de quatro milhoes de cartuchos na gare.
{Centintiar-sc-ha.)
Os que verdadeiramente desapparecera
sdoos que morrem.
. Com tanto que ella desappareca; a
sua gente estd habituada a isso.
E e a senhora quem diz que ndo cos-
tuma matar.
Como ve, eu ndo mate.
E e essa uma condigao necessaria ?
Certamente. Porque razdo Ihe daria
eu o vicariato que tiveram os Orsini, se ndo
necessitasse de si ? Ouca : amo um homem
a tenho zelos porque elle ama esssa mulher,
essa Angiolina funesta, sabe onde ella estd e
procurard 1 berta-la. Eu ndo posso fazer
cousa alguma ; se a matasse, esse homem
que a ama e a quem eu amo, se afastaria
mais de mim ; que o faca a sua soldadesca,
supponharaos que a encontram nas ruinas
do convento das Santas Virgens...
Muito bem, essa mulher desappare-
eerd-.
Isso quanto antes, esta noite, dentro
de uma bora.
Dentro de uma bora ?
Ouca : a gente que a guarda appare-
cerd nas ruinas quando sentir quese aproxi-
ma alguem. Deem-Ihe a seoha crux e fogo
e entregardo logo Angiolina.
Muito bem, disse Orsini lovantando-
se como que para dar uma ordem.
~ Espere, vd o senhor mesmo, nao tome
parte no facto, mas presencei-o. Vamos A
segunda condicao ; co no me disse, quero
que me entregue Pedro de Napoles.
Sabe-se acaso se e* morto-ou vivo f
Vive, e estd debaixo das suas o- dens.
Debaixo das minhas ordens ?
Sim, chaiua-se para si o capitdo Bo-
berto Roberii.
Como itssim, minha senhora I Dizem
que Pedro de Napolis er.i branco e louro e
u capitdo R'aberto Roberti e trigueiro como
u.n raulato e tern os cah>dlos pretos.
Tingio a pelle e os cabellos, eis-ahi
tudo.
Ah I o Pedro do Napetss e seu ini-
migo?
Sente ; led
an de'ni m:o. V i bngala .
sua e inii-a-
!i -or um pc-ri^p imIMvi-I .
w-ria i la-me falta lo cm
sic bavin-He d.t i : i-:>tt noite p.)der(
apoderar->s recia ; esteja com o
maior nuraero de gente que Ihe for possi-
vel, uma bora depois de anoitecer, ua
Cruz da Buena-dicha. Quiz que meex-
plicasse a razdo porque a senhora se atre-
veria a sahir para o campo, e respondeu-
rae: Esse e o meu segredo ; juro-lhe que
esta noite poderemos apoderar-nos d'ella e
de alguem mais. Gouzalo de Cordoba estari
esta noite onde Ihe disse, e nao me per-
gunte mais cousa alguma ; respondo com a
minha cabeca, pelos resuftados. Elle re-
urou-se e pouco depots recebi a sua carta.
Agora raudara-se as scenas, seremos
n6s qqe nos apoderaremos d'elle.
Oh I a senhora pode tudo quanto
quer.
Pois bem, va, nao se detenba ; deixe-
me aqui encerrada, mas antes d'isso encer-
re comigo Isabel de Gonzaga. Quando se
tiver apoderado de Pedrj de Napoles e feito
desapparecer Angiolina, e que m'o possa
provar, volte.
Adivktolhe eaisdw senhora, disse
Orsini lerantando-se de novo, que em vao
me acnurd ua Uco. A gente que fica
guardando-a, e-me siaeetamente leal, teme-
me, e por cousa alguma d'esse mundo se
atre veria a atraicoar-me. Ainda que o papa
me encarcerasse, acredite quo enaootraria
meios para reeuperar a liberdade e que the
nao perdoaria. Atom d'isso, e isto 6 o mais
seguro, ver-se-hia cercada no campo para
qualquer lado quo se dirigisse. A gente
que me served tal, que ainda quando the
offerecessfm o perdiov dopapo, nao acredi-
tariam n'elle, mos sim que Ihe armevam
uma ciiada. 0 reoojo de ser justicada, as-
segu ra-me a sua leoldtde.
VaT dfescantjador 9nm ; deatre- em
pouco estari li*re Jfftsdoo reoeio.
Adeus. mimwseohora. vou enviar-lhe
a sua inimiga.
E Orsini si>nio.
Logo depois de Wsini sahir, Lucrecia
tirou a luva da mao direita.
Por baixo d'ella titrha uma outra luva
de 9*ta, impermiavel.
Aquella luva" interior, rtrvira cc-riamento
vjii.- Iho udo cbngasse ii pelleo veaeno
. auiara sobrp -a luvg exterior.
V-
(Con' -ha) .
IV '.DO DlAoIO.-RlADl'Qv'':. DECAXI.aS.
ILEGtVEl