Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20008


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*"T
A\i\0 XLIX. NIMERO 286
v


VARA A CAPITAL E LUCASES O.VDE SlO SB PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados................ 69000
Por seis ditos idem.................. 129000
Por um anno idem................... 14JW00
Cada numero avulso.................. 120
SABBADO 13 DE DEZEHBR0 DE 1873
PARA DENTBO E F OH A DA PROVIXCIA.
Por tres mezes adiantados.............. .
Por seis ditos idem................ .
Por note ditos idem........- ........
Por am anno idem................. .
6ft7&d
i500
40*250
379600
DE PEMAMBUCO.
PR0PRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA & FILHOS.
t Srs. Gerardo Antonio Alvesd Filhos, no Pari; Gonc^ves d Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jose" de Oliveira & Filho, no Ceari; AilWnio de Leiuu* Braga, no Aracaty ; Joao aria Julio Chares, no Assu; Antonio Marques da Silva, no Satal; Jori Just
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, u\ Parahyba ; Antonio Jose* Gomes, na Villa da lanha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antio ; Domingos Jose- da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Alag^ji; Aires d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio |de Janeiro.
PARTE OPTICIAl.
Ministerio do iuiperio.
Fr despacho de 29 de noverabro :
Foi concedida ao Dr. Domingos Jose da Cu-
uha Junior a exoneracao que pedio du cargo de
presidente da provincia do Para :
Foram noraeados :
rresidente da provincia do Para o Lacliarel
P-iro Vicente de Azevedo.
Ordem da Rosa. Ofticiaes : Domingos Antonio
de Azeredo, em altencao aos relevantes servicos
prestados ao estado; e Pedro Augusto Camara,
da provincia da Bahia, pelos rclevantes servicos
Hue prestou em relacao a guerra contra o ex-pre-
sidente da republica do Paraguay.
Cavalneiros : Edward Bramerd Welbb, subdito
fie S. M. Britanica, em atten;ao aos rclevantes ser-
viooa prestados em relacjio ao Brasil.
Jose Moreira Fabiao, da provincia de S. Pedro
do Rio Grande do Sul, pelos relevantes servicos
que prestou ao estado.
Ordem de S. Bento de Aviz. Cavalneiros : o te-
ii;ate-coronel do estado maior de artilharia Flo-
riano Peixoto e o capitio doinfantaria Raymundo
Ribeiro do Amaral.
Foi concedida a pensio de 400 rs. diarios ao
ox-guarda nacional da provincia de Minas-Geraes
Cassiano Corraia da Silva, oqual, en eonsequencia
de um tiro, recebido em dilligencia policial na
perseguicio de criminoww, ficou inteiramente ce-
go, e impossibilitado do procurar meios de subsis-
'encia.
Foi elevada a 300 rs. diarios a pensao de 400 rs.
tarabem diarios, concedida ao soldado do batalhao
de engenheiros Jos4 dos Sautos Ferreira, visto ter-
se verificado scr elic cabo de esquadra do dito ba-
talhao e nao soldado. *
Estas merci5s ficam dependeates da approvacao
da assembled geral.
Foram naturalisado9 :
Ocidadao hespanh:)! Jose Cassanobas, o cidadao
fraacez Erailio Ponsolle, e os subditos portuguezes
lose1 Bento Soares de Almeida e Jo5o Barbosa da
Silva.
Foram expedidos os seguintes avisos :
(Um. e Exm. Sr. Em resposta ao offlcio de V.
Exc. de 20 de Janeiro deste anno, ao qual acorn-
panhon copia do acto pelo qual V. Exc. julgara
nallas as eleicSes qae para vereadores e juizes
de paz se fizeram na parochia da Misericordia,
em setembro anteeedeme, declaro a V. Exc. que o
governo imperial aparovou o meuciouado acto
pelas seguintes razoes
Quanto a eleicao presidida pelo 1 juiz de paz
Aadrelino de Araujo Lima.
I.* Por ser material men te irapossivel que em
loasdias apenas -6 tivessem feito regularmenle
os trabalhes relative* a primeira e a segunda
uamada, achando se iTualificados 2,063 votantes e
a organisacio da relaoao dos cdadaos que nao
i'oupareceram, e outrosiro, que alem da 3' cba-
nada dos votantes, so contassem, separassem e
mmac_assem 2,302 cedulas, fazendo-se flnalmente a
vedaccao das actas respectivas com especificacao
d03 noma9 dos Totaoiet que n*o comparoo-
ram.
2." Por nao combinar o numero dos cidadaos
quo faltaram e dos que acudiram as chamadas
lomo dos <|ualificados, vfcio jadoclarado substan-
ciai pelos avisjs ns. 23ft de 27 de setembro de
I3b'9 e 13 de 12 de Janeiro do 1869.
E quanto a outra eleicao, porque tendo sido fei-
ta em uma casa particular e presidida pelo 4 juiz
i*e paz do districto de Agua-Branca de termo di-
verso; acha-se por estas circumstancias essencial-
mente viciada, seguaJo a doutnna do aviso n. 65
de 8 de fevereiro da >55 e arts 1', 2, e 3> das
icstruc^oes de 31 du dezembro d; 1868.
Deus guarde a Y. Exc.Minod Antonio Duar-
'te de Azeced-i.Sr. presidente da provincia da
Parahyba.
Rio de Janeiro, 29 de novembro de 1873. Em
resposta ao sou ofQcio do 27 do mez passado, de-
claro a V. S. quo, sendo applicavol aos professo-
rea substitutos dos cursos de preparatorios an-
nexos as faculdades da direito a disposigao do
aviw de i de setembro ultimo, relative ao venci-
meato que devem perceber os lentes substitutos
das mesraas faculdades quando regein cadeira,
deve entender-se qao compete aquelles substitutos
oeste caso, alfim do seu venciraento uma grati
licacao igual a do profossor a quern subslituirem ;
na hypothese, porem, de nao perceber o professor
venciraento algum, oa de achar-ee a cadeira vaga
tem elles direito ao ordenado e a gratificacao
desta, cessando o reucimento do lugar de subs-
titute.
D9ue guarde a V. S.Manoel Antonio Duarte
if Azcvedo.Sr. director da facaldade de direito
de S. Paulo.
da mesma data, obteve a mesma graca, tambem
por dez annos, Henrique Jacques De3marais, para
usar de um processo, de sua inveuc.ao, destinado
a tornar imputrecivel o sangue do gade que se ma-
ta diariamente e, reduzindoo a po aproveita-lo
para estrume.
\
Ministerio dos negocios do iinperio. Rio de
Janeiro, cm 29 do noverabro de 1873. -Illm. e
Exra. Sr. -Accuso o re^ebirnento do ofllcio de 5
do corrente, com o qual V. Exc. remetteu-me o
requerimento em que o Di. Diogo de Mendonija
Pinto, professor de historia e geojtraphia do curso
de preparatorios annoxo a faculdade de direito
dersa provincia recorreu para o governo imperial
do despacho da junta de fazenda. qne foi por V.
F.xc. sustentado. relativo a reclamacao feita por
aquelle professor, por nao ter sido comprehendida
no angraento de vencinaentos, de 50 0|0, concedido
pelo decreto n. 2,223 de 5 de abril do corrente
anno, a gratificacao extraordinaria que percebe
peia prestacao do servicos distinctos no magiste-
rio.s por mais do 18 annos,. e tambem par nao lhe
ser paga a dMma gratificacao nos casos de li-
ceoea.
Em resposta communico a V. Exc, para seu co-
nbecimento e para o fazer coastar a referida junta:
!. Que, de eonformidade com a imperial reso-
iu^o 3e consulta de 1 do mez passado, declarou-
se ao ministerio da fazenda no aviso, junto por
copia, de 6 daquelle mez, que a pratificaeSo ex-
traordinaria da 5.* parto dos vencimentos, conce-
dida aos professore3 que se distinguirem no ma-
gijteno por mats de 15 annos de servic,o effesti-
vo, e da qual tratam os arts. 29 de regulamento
4e 17 dc fevereiro de 1854 e 59 do de i\ de oa-
lubro do 1857, acompanha na mesma proporcao
os augmsatos de vencimeaios qne posterlormeate
possam ter os professores publicos de instruccJo
firiraaria e secundaria, c bera a63im que aos pro-
993ores que entao estivessem nas aUadidas cir-
cumsteucias se devia fazer o pagaraento da men-
cioaada gratificacao corn c augmento de 50 0[0.
F.sta doeisS) e ext609iva aos professores dos
cursos de preparatorios annexes as faculdades de
direito, visto qae elles gozam, por forca do dispos-
t.> ne art. t4 do regulamento que baixou com a
portaria de 4 de maio ne 1356, das vantageus a
qae se refere o art. 28 acima citado; e portanto
Mrw reo r p: : i : wferrao Ms-
men*? a gra^ficaflo r q'u*nls ; irte dos roael
rcentos.
2.Q.i: wsa gr-:nicafa' dev; s^r descontada
no"3 casos de bcenja ou de faltus dos professores,
ivio senrlo esta< deternrnadas por servlfo puhlico
graluito e onrigatorio por lei-
Ieus guard* ,a V. Eie.Manoel Antonio Duar-
t* te Azeved<).Sr. presidente da provincia dc S.
P ilo.
Por decreto n. 5,479 de 26 de novembro foi
'Vacedido priviteglo por dez annos a Jose" da Silva
.S*rtorio para Iniroduzir ne>sta corte e na provincia
do Rio dj Janeiro o sriteraa, de sua invenclo, do
fabrico de luvas d> pollka, 3 gn>r decreto n. 5.480
Ministerio Por decreto do 29 de noverabro, foram re-
mo vidos os juizes de direito :
Reiaaldo Francisco Moura, dacomarca de S. Joao
de 1* entrancia na provincia da Parahyba para a
do Assu, da 2" entrancia, na provincia do Rio-
Grande do Xorte ;
Jesuino de Souza Martins, da comarca da Maiori-
dade, de ia entrancia, na provincia do Rio-Grande
do Norte, para a de Therezina, de i' entrancia,
na provincia do Piauhy ;
Joaquim Cordeiro Goelbo Cintra, a pedido, da
comarca do Crato, de I' entrancia, na provincia
do Ceara, para a de Garanhuns, da mesma entran-
cia. na provjocia de Pernambuco.
Foi concedida ao bacharelJoao .Manuel Mendes
da Cunha Azevedo a demissao que pedio do lugar
de juiz municipal do termo do Rio-Grande, na pro-
vincia de S. Pedro do Sul.
Ror portarias de* do corrente foram no-
meados amanuenses das sesretarias das relacSes :
De Belein, Cyprian.) Theodoro Pereira de Mcllo
Junior; de S. Luiz, Jose Elydio de Oliveira Santos;
da Fortaleza, Daniel Vieira da Rocha; de S. Sal-
vador, Joaqaim Avellino Antunes da Luz ; de Ou-
ro Preto, Ant lo, Antonio Publio da Granja Mendonca ; de Por-
to- Alegre, Marques Alencistro Andrade.
0 decreto n. 5,482 de 26 do passado mandou
subsistir no anno de 1974 a designagao feita no
decreto n. 5,156 de 28 de novembro de 1872 quan-
to a ordeai da substituicao reciproca dos juizes de
direito da corte; e 0 da n. 5,183 de igual data
manda igualmeate subsistir no refertdo anno a dc-
signacao feita no decreto n. 4,860 de 30 de dezem-
bro de 1871, quanto a ordem em que os juizes
substitutos da cdrte devem cooperar com os jnizes
de direito e substituir-se reciprocamente
Ministerio da fazenda.
Por decretos de 3 do corrente, foi aposentado,
a pedido, 0 porteiro do thesouro nacional, Leonidio
Felix da Silva, substituindo 0 naquelle emprego 0
respectivo ajudante Francisco Rodrigues Barboza.
Ministerio da agrieultura.
Por portaria do 29 de novembro, foi exone-
rado Aristides Jose de Meirelles do lugar de ama*
aueuse da reparticao especial de terras publicas
da provincia do Rio-Grande do Sul.
Por igual titulo de 4 do corrente foi exone-
rado, a seu pedido, 0 bacharel Andre Braz Chal-
reo Junior do cargo de engenheiro do ministerio
da agncuitura, com exercicio na provincia do Pa-
rana.
Por igual titulo da mesma data foi prorogada
Ser um mez, not termos do decreto n. 4,484 de 7
a marco de 1870, a licenca concedida ao chefe de
trem da estrada de ferro D. Pedro II, Jose Luiz da
Silva Leite.
INTERIOR.
Ministerio da guerra.
Por decret09 de 3 do corrente:
De confurmidade com 0 1* do art. 9* da lei n.
6i8 de 18 de agosto de 18o2 concedeu-se reforms
ao brigadeiro graduado do corpo de engenheiros,
conselheiro Jos4 Joaquim Rodriguez Lopes, visto
sofTrer molestia incuravel que 0 torna incapaz para
0 servico do exercito, contiuuando, porem, no ex-
ercicio de secretario de guerra, que occupa
Em virtude do 2' do art. 22 do regulamento
3ue baixou com 0 decreto n. 772 de 31 de marco
e 1851, foram promovidos a tenentes coroneis
graduados os majores Luiz Jose da Franca e Eu-
genio Luiz Franco, este do corpo de estado-maior
dc 2* classe e aquelle do de engenheiros.
Por portaria de 1 do corrente foi nomeado
cornmandante militar da cidade de Santos 0 tenen-
te coronel graduado relormado Joao Pinheiro
Guedes.
Por portarias de 28 de novembro foi transfe-
rido do 14* batalhao de infantaria para 0 18 da
mesma arma, 0 alferes Fenelon da Annunciacao
Vianna, e deste para aquelle batalhao 0 alferes Ma-
noel Martins Chaves dos Reis Miranda, por troca.
De 4 do corrente foi tambem transferido do
4 para 0 1 batalhao daquella arma, 0 tencntc
Severiano Nunes.
Ministerio da mariuha.
Por decreto de 29 de noverabro foi exone-
rado a pedido 0 bacharel Joao Baptista de Moraes
do lugar do official archivista da secretaria de es-
tado, c por outro decreto da mesma data foi no-
meado para 0 referido lugar Joao Antonio da Sil-
veira.
Por decreto de 3 do corrente foi concedida
ao cimrgiao de esquadra Dr. Tnomaz Antunes de
Abreu a graduacao do pnsto de capitao de mar e
guerra.
Por decreto da mesma data concedeu-se a
demissao pedida pell 2 cirurgiao do corpo de
saiidc Dr. Rodrigo Antonio Barboza de Oliveira.
Governo da provincia.
DKSPACHOS DA PRESIDENCU DO DIA 9 DE DEZEMBRO
DE 1872.
Tenon te-coronel Braz Nunes de MagaMes. Ao
Sr. inspector da thesouraria de fazenda para in
ormar.
Companhia Ferro Canil de Pernambuco.Ap-
prove
Domingos Jose Martins.Deferido com offlcio
desta data, dirigido ao Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda.
Jose Crispiniano Rodrigues Coelho Brandao.
Ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
informar.
Pedro da Rocha Wanderley.Deferido com offl-
cio desta data, dirigido ao Sf. inspector da thesou-
raria de fazenda..
Capitao Joao Francisco Antunes.Sim.
Jo*6 Luiz Innocencio Poggi.Passe.
Luiz Ferreira Bandeira de Melio.Informe o Sr.
Dr. juiz de direito de Iguarassi'i.
Manoel Caldas Barreto. Deferido com offlcio
desta data, dirffido a thesouraria de fazenda.
Rita Maria de Jesus.Informe o Sr director
do arsenal de guerra.
- 10-
Major Carlos Magno da Silva.Fornera-se.
Companhia Ferro Carril de Pernambuco.In-
forme o Sr. eagenheiro fiscal respectivo.
11
Antonio Camillode Miranda, Antonio Gomes Ma-
chato da Hora, Antonio Francisco das Chagas e
Manoel J>s<5 de Magalhaes Soares. Indeferido.
Ben'/i Ferreira llaposo.iuforme o Sr. Dr. che-
fe de policia.
Francisco de Castro N'uncs.Passe portaria con-
cedenJo a lieenca rajuerida.
t>r. Francisco i iuto Pessoa.Deferido com offl-
cio de?'a data a thesouraria provincial.
Irmandade da Santa Casa de Misericordia da ci-
dade de Goyanna.Informe o. Sr. inspector da the-
souraria provincial.
Jose Pinto da Cunha.Passe pcrtaria na forma
do est;lo.
RIO K J WIIHO
4 DE DEZEMBRO DE 1873
FJiToctuou-se hontem a reuniao para que esteve
convocada, pela segunda vez, a corporacao dos
corretores de nossa praca, aim de proceder a elei-
cao de dau? membros da nossa praca, alim de
proceder a eleicao de dous membros da classe de
fnnios e um da de navios que tem de servir na
junta do 1874. Achavam-se na sala 30 corretores.
Procedendo se a eleiQao, obtiveram maloria de vo-
tos os Srs.: Joaquim Jose Fernandes e Francisco
de Paula Palhares, da classe de fundos e Numa do
Rego Macedo, da de navios.
Depois da apuracao das listas, o Sr. Luiz Rfbeiro
Gomes requereu que se consignas^e na acla um
voto de louror a junta actual, pela dedicacao_ e
zelo com que curou dos interessas da corporacao,
durante o periodo de sua administracoo; o que
foi approvado.
Fica, portanto. a junta do corretores para 1874
composta dos Srs.: Manoel Gomes de Oliveira,
Joaquim Jos6 Fernandes e Francisco de Paula Pa-
lhares (da classe de fundos) Agostinho Jcse Gon-
Qalves Pereira (da de mercadorias) e Numa do Re-
go Macedo (da de navios). Os membros eleitos
i en de reumr-se a 2 de Janeiro futuro, para proce-
der a eleicao do respectivo presidente, secretario e
thesourciro
Foram expedidas as seguintes instruccoes para
o processo das notas do despacho, na alfandega da
corte :
a 0 inspector da alfandega, attendendo a ailluen-
cia do expedientc, e usando da faculdade que ine
6 dada pelo art. 5' do decreto n. 5,455 de 5 de no-
verabro ultimo, determina que no processo das dif-
ferentes notas porque se arrecadara as diversas
receitas da alfandega sejam observadas as instruc-
coes seguintes:
a Art. 1.* As notas para despacho de mercado-
rias de importacSo, quer paguem direitos de cori-
surao, quer sejam somente sujeitas ao expediente,
ser io forrauladas de accordo com as disposicoes
do art. 44 J 2*, e depois de receber a verba da
entrada no armazem, so tiverem sido descarrega-
das e a do manifesto, serao apresentadas ao en-
carregado da distribuicao, o qual, achando-as con
formes com as disposicoes regolamentares, as ac-
ceilara, esereveado no alto deltas C. e P. (calcule
e pague) ; se as mercadorias do despacho forem
das que sao dispensadas da conferencia interna; e
no caso do necessidade dc. primeira conlerencia
additara o no me do conferente por esta forma:C.
e P.; cooforrae o Sr. F. (Cilcule e pague; confe-
rente o Sr. P.).
S !. Se a nota nao coutiver todos os requisi-
tes dos regulamento3, o distribuidor a raandara
corrigir, e nao podendo ou querendo a parte fa-
ze lo, mandara apre-enta-la ao inspector para
a imposicaj da multa. noa lerraos do $ 1 do
art. 5- do decrfto n. 5,455 de 5 de .novembro til-
tirno.
S t' DiMribuida a uota ao conferente, so este
encont<*ar entre as declaragoes da nota e as raer-
cadarias propostas a despacho, dilTerencas que
deem lugar a multas, a mandara igualmente apre-
sentar ao inspector para elle decretar a multa que
no caso couber. Da mesma sorte procedera no caso
de ter passado sem advertencia do distribnidor al-
guma c rcumstancia porque a nota devesse ser
sujeita a multa do art. 5- 2* do decreto n. 5.455
de 5 de novembro ultimo.
Art. 2.' Conferidas as notas pelos conferente*
designados, e immediatamente, se for dispensada a
conferencia interna, poderao ellas ser calculadas
pelos proprios despachantes, e por esles serao le-
vadas a2* sec^ao, onde, depois de pagos a thesou-
raria os direitos devidos, sera nas metmas notas
averbado o lancamenlo em receila, seguindo-se
no mais o processo actualmente era vigor.
t_ Art. 3.' As notas para os despaehos de expor-
tacao de generos nacionaes para fora do iinperio,
se forem de mercadorias que tiverem avaliacao
na pauta, poderao ser calculadas e pagas sem de-
pendencia de apresentacio ao distribuidor. Porem
se forem de generos que nao estejam considerados
na pauta, o distribuidor as mandara a um dos
coni'erentes qne tiver organisado a ultima pauta,
e por sua avaliacao poderao os despachantes cal-
cular e pagar os devidos direitos.
c Paragrapho unico. No caso do despachante
nao querer ou nao poder qualificar o genero,
Juando este tiver mais de uma qualidade, a nota
ere ser logo apresentada ao inspector para a im-
posicao da multa, como nos despaehos de consumo,
e nomeacao de um con'erente para o exame da
mercadoria.
n Art. 4.' As nous para despaehos maritimos
ou para pagamen'.os de differences, multas e emo-
lumentos serao organisadas pelos despachantes e
depois de conferidas pelos empregados pelos quaes
correrem os differentes actos que motivarem esses
pagamentos, poderJo ser calculadas aelos raesmos
despachantes e levadas logo a 2"*secsao para se-
reri pagas.
Art. 5. As notas para entrada dos precos das
mercadorias arrematadas em leilso de alfandega
continuarao a ser organisadas na 3* seccio, corno
actaalmente.
Art. 6. Se os. despachantes nao quizerera
aproveitar-se das faculdades que lhes da o decreto
n. 5,455 de 5 de novembro ultimo, serao as notas
calculadas na 2* seccao, onde contiauira uma me-
sa do calculo composta de dous escripturarios ou
de maior numero quando for necessano.
c Paragrapho unlco. N'esta mesa se fara tambem
o calculo do* juros quo se houverem de cobrar
pela prorogacao de prazos nas cauc5es de exporta-
cao e re-exportacio.
o Art. 7." Os conferentes da sahida terao muito
em vista as disposicoes do art. 595 e seguintes do
regulamento de 19 de setembro de I860, e imme-
diatamente que estiver completa a sahida dos des-
paehos passarao estes pela revisao de que trata o
art. 29 I 4 do regulamento do 1860.
a Alfandega do Rio de Janeiro, em 3 de dezem-
bro de 1873. -B.A. de MagaMes Taques.
0 resaltado dos exames de hontem na Facul-
dade de Medicina, foi 0 seguinte:
6s anno (clinica).-Ranuro Fortes de Barcellos,
Jos6 Benicio de Abreu, Henrique Jos6 do Carmo
Netto e Joao Baptista Bneno Mamore, approvados
plenaraente.
Is anno medico.Oscar Ernesto Caire, approva
do com distinccao; R ymuado de Miranda Camil-
lo, Viriato Goncalves Vianna, Manoel do VaUadio
Catta-Preta e Antonio Fortunato de Saldanha da
Gama, approvados plenaraente; Eugeuio do Rego
Toscano de Brito, approvado simplesineute.
8" anno (exa e do anno -Diogo Fernandes Al-
vares Fortnna, Alfredo Vieira Barcellos e Bernar-
dino Silva, approvados plenament0 ; Fcrnandi Al-
berto Vieira de Lemos, Autonio Zacarias Alves da
Silva Junior, approvados coai distin-cao.
3 anno pharraaceutico. Admillidos extraordi-
nanamente por motivo de inolestias; Antonio loti
Duarte e Domingos da Silva Pinto, approva ios pie
namente.
0 resultado dos exames da 4* classe d; esciip-
turacao pratica do deposito de aprendizes artilhei-
ros, foi o seguinte :
2" sargentos: Estevao A Tmso Sabatiere, Anto-
nio Jos6 de Siqueira, furrinl Francelino Jolo do
Prado Sampaio, cabas Carlos Pachecodc Sao Ma-
noel kitonio de Mello, approvados plenaraente;
rurrie aonorio Santarem, cabos Jos6 Thomaz Go-
mes, Mmiro Jose Vianna, Antonio Bernardo de
Mirautt. corneta-mor Gregorio Pereira ~4a Silva,
furriefjoao Francisco Pereira Antunes, soldados
Jose" dfe Reis e Jacintho Jos6 Botelho, approvados
simplepente; cabo Luiz Henrique Rochem, re
prova

UueRndo dar uma deraonsteacao de apaeco ao
Sr. Drrnlexandrinn Freire do Amaral pelos servi-
cos por elle prestados a ordem maconica, diversos
membros do Grande Oriente Until do Brasil offe-
receram a respeitavel mai do raesmo senhor o re-
trato a olej de u filho,
_ Uma commissao de veneraveis, a que se asso-
ciou grande nuraeri de magons, dirigio-se a casa
de reswencia de Dr Amaral, e alii foi o relrato
inaugurado petos Sis. conselheiros Saldanha Ma-
rinho, Felix Martinse Visconde da Ponte Ferreira,
pronunciando nessaoccasiao um discurso o Sr.
commendador Jose ^uiz de Almeida Martins.
Seguio-se um anmado sanio, a que assistiram
cere a de 300 conviiados.
6 -
A commissao eleta pela associa;ao Rio-Gran-
dense Beneficento eHumanitaria remelteu a pre-
sidencia da provinca do'Rio Grande do Sul, em um
saque do thesoun, ; quantia de 8:0C0J> por conta
da subscript que ;sta promovendo para socccor-
rer as victiraas das iltimas inundacdes.
A mortandade da udade do Rio de Janeiro, du-
rante a quinzena de 6 a 30 de novembro ultimo,
foi a seguinte, conforne o boletim do Sr. conselhei-
ro Dr. Pereira Rogo, pesidente da junta central de
hygiene pnblica:
Causas de morte.lebre amarella 2, ditas re-
raittentes e iuterrailtenes 26, variola 76, escarlati-
nis 3, lyinphatites (irysipelas) 3, bronchites e
pneumonias 26. congesSd pulmonar 3, tuberculos
pulmonarcs 67, lesoes irgauicas do coracao 30,
diarrheas 7, atTeci;3es d> figado II, phlegmasias
cerebro espinhaes .10. applexias e conge3t5es ce-
rebraes 14, convalsoos 6 desastres 3, suicidio 1,
homicidio 2, mortos de acimento 19, outras cau-
sas 110. Total 419.
Nacionalidade : Nacions 291, estrangeiros 117,
ignorada 11.
Condicao : Livrc 3i3, acrava 75, ignorada 1.
Sexo: Hasculino 240,feminino 179.
Idades: Ate 7 annos l!l, de 7 a 25 74, de 25 a
40 81, de 40 a 55 65, nais de 55 56. ignora-
da 22.
LocalidaJes: Domicilit 285, hospitaes militares
13, ditos civis 121.
Sobre esta estatistics fez o Sr. commendador Re-
go as seguintes obserracSes :
1. Que a cifra da nortalidade geral foi raenor
do quo na quinzena interior.
2.* Que o da varicte decresceu sensivelmente,
dando-se menos 43 faileciracntos.
3.* Que a das iutras pyrexias guardou propor-
oes equivalente.-, excepto a da escarlatina, da qual
.ouvajuis falkcimentos.
4.* ail a dxs outras molesiias nada offereceu
digoo Wmeciyao.
A tempio abaixo de 80
ate o dia 27, dominando os ventos dos quadrantes
do sul nais ou menos frescos, excepto no dia 2i,
em queallingio a 81,50', dando-se para tarde tro-
voada NO. segnida de chuva, marcando o pluvio-
metro 21""*, chuva que se reproduzio na nolle de
22, procedendo-a veuto de SO. e indicando o plu-
viometrp 4".
Do dia 28, por6m, at6 30, as viragoes esca3sea-
ram e c calor tornou-se insupportavel, chegando o
thermoiietro a mircar no dia 30. as 10 boras da
manha, 93,20'.
Nesse dia houve trovoada de NO depois das 5
boras dalardo, pouco forte, mas bastante duradou-
ra, segaida de chuva de \oam, e durante a noito,
cahindo com mais forca para a madrugada.
0 dia de maior mortandade foi o dia 26, que se
deram 37 fallecimentos, c o de menor o dia 27 em
que apenas houve 17.
A roddia diaria da mortalidade geral foi
de27.
Por occasiao de ser empossada a nova mesa
administrativa da veneravel ordem terceira do
Carmo, foi apresentado o relatorio organisado pelo
secretario da adminislracao finda, o Sr. commen-
dador Bento Jose" Barbosa Serzedello ; deste docu-
ment) oxtrahimos as seguintes inforraacdes :
0 patrimonio da ordem consiste em 18 predios,
um terreno, eo ediQcio da igreja, o cemiterio, as
marinhas fronteiras e 201 apolices, sendo 140 ge-
raes de 1:0001, 14 de 600$, 3 de 4005 e 44 pro-
vinciaes de 500*000.
Consta o patrimouio do hospital de 5) predios,
82 apolices, sendo 58 geraes de 1:0004, 1 de 6001,
3 de 4005, 20 provinciaes de 500J e 24 ac;oes do
Banco do Brasil. -
Em novembro de 1872 o patrimonio do hospital
estava onerado com uma divida de 155:0001,
vencendo Juros de 7 0/0; a mesa conseguio du-
rante o anno reauzi-la a 140:000lG00.
A receila da ordem foi durante o anno compro-
missal de H7:789J736 que junta ao saldo de
1871 a 1872 na importancia de 11:9171999 ele-
vousea 129:7071735; a despeza foi de........
114:2931993, inclusive 19:0001 supridos ao hos-
pital : passa para o annno futuro o saldo de.....
15:4131742.
A receita do hospital foi de 99:8821027 incluindo
o suppriinento, acima mencionado e o saldo de
1871 a 1872 na importancia de 1:6451128. a des-
peza elevou-se a 83:75 <1218 c foram amortisados
15:0001 como acima dissemos.
Entraram para o hospital durante o anno 1,688
irmaos enfermos ; foram trata los com os que pas-
saram do anno anterior 1765; a despeza de medi-
caraentos e alimerilos eleveuse a 31:9055890.
Distribniram-se 3,793 preslacoes mensaes a 335
irmaos pibres.ua importancia de 37:1371, alem
de 1:9281 com soccorros extraordinarios. Os be-
neficios presudos pela ordem e pelo hospital su-
biram a 77:6331391.
No cemiterio foram sepultados 3d6 irmaos.
Professaram 602 irmaos, sendo a receita prove-
niente das proGssOes de 51:9021000.
Em seu relatorio lembra o Sr. secretario a ne-
eessidade da creacao de uma escola de ensino pri -
mario para os filhos e Slhas das irmaos que falle-
cerem em pobreza e de uma caixa pia em que os
pais vao deposltaodo contribui;oes proporcionadas
as suas posses para manutencJo das mesmas es-
colas.
Os socios do Club Gymnastico Portuguez, qae
assistiram a sessao de posse da sua nova directo
ria, concorreram com a quantia de 4001, dividlda
em paries iguaes para auxiliar as aulas gratuitas do
lyceu litterario portuguez e as victiraas da inun-
dacio da provincia do Rio Grande do Sul.
0 resultado dos exames hontem, na Facul-
dade de Medicina, foi o seguinte:
!. anno medico. Approvado com distinecjto,
Arthur Fernandes Campos da Paz; approvado pie-
namente. Rosalino Evaristo Monteiro Braga; appro-
vados siraplosmento Augusto Cesar do Amaral, Al-
fredo Freilas de Sa, Manoel da Silva Queiroz e Jose
Paulo Nabuco de Araujo Freitas.
6.* anno (exame do anno. Approvados plena-
mente, Paulino Cyrilio Leao da Silveira, Antonio
pjmpen de Souza Brasil. Jos Martins ..arneiro
L^ao, Francisco Leopoldice Bneno de Faria e Ma-
noel Feltzardo de Azevedo.
6.* anne (exame de clinica). Approvado com
distinccSo, Leocadio Jos6 CorrC.i; approvados pic-
namente, Jo^e" Joaquim de Alvarenga Cunha, Felix HT A I) [A TYU PT?R\f A If RTTfal
Rodrigues Seixas e Leoncio Gomes Pereira de MIAJBJU Vsh LLitxa IADU\AJ
Moraes.
No exame do 6." anno, effectuado ante-hontem,
so obteve a nota de approvagio com distinccao o
alumno Antonio Zacarias Alves da Silva Junior.
0 resultado dos exames da 3.a classe de escrip-
turacao no deposito de aprendizes arlilheiros, foi o
seguinte : 2 sargentos : Jorge dos Santos Rosa.
Jose fereira Pegas, Alfredo Joaquim Pugat, Er-
nesto Vietorino; furriel Jose de Si Earp; cabos
Jose Antunes de Souza Guimaries, Jose Domingos
Pacbeco, Antonio Benedicto da Silva Ramos, e Au-
tonio Jose da Silva, approvados plenamente ; cabos
Joao Rodrigues de Faria, Luiz Candido do Amaral,
Asselino Innocencio da Hora, Manoel Jose Alves
Rodrigues e Luiz linden ; anspecadas Guilherme
Fernandes da Costa, Narciso Fernandes de Olivei-
ra, Jose" Barata Junior; soldados: Antonio da
Piedade Mattos, e Jose Gomes Braga Sobrinho, ap-
provados simplesmente; cabo : Josino de Barros
Falcao; anspecadas : JoJo Lanriana Gloria, Can-
dido Jose Teixeira, Joaquim Valeutim Coelho, Fre-
derico Luiz Macliado c Cesar Julio Perreira; sol-
dados : James Nerwell, Ciaudino Antonio Carlos,
Henrique Jose de Sant'Anna, Palmeirim Jose do
Amaral, Luiz Januario da Silva, Joaquim Jose
Alves Chaves e Joao Rodrigues da Rocha, repro-
vados.
As 6 horas da raanhaa de hontem foi encontra-
do roorto em seu quarto, a rua da Quitanda n.
107, Francisco Lniz Fernandes de Freitas, portu-
guez.caixeiro do Sr. Manoel Martins da Silva Vian-
ar, estabelecido a referida casa. Lompareceu o
inspector Joaquim Pedro de Alcantara Junior, que
deu conhecimento do facto ao Sr. subdelcgado.
Chegando alii esta autoridade, requisitou a pre-
senca do medico da policia, que declarou ter sido
a morte devida a uma apopluxia cerebral fulmi-
nante.
Ante-hontem, das 8 para as 9 horas di manha,
tentou suicidar-se, ferindo-se com uma faca, em
sua residencia, a rua de Estacio de Sa n. 3, o
portuguez Jose Martins da Rocha, casado.
Foram-lhe prestados os primeiros soccorros me-
dicos pelo Dr. Joao Fortunate Saldanha da Gama,
que assevera ter notado em Rocha, a quern pouco
tempo aates medicara, desarraujo das faculdades
mentaes e tendeneias para o suicidio.
0 ferido foi enviado para a Santa Casa de Mise-
ricordia.
6
Lo-se no Standard de 8 de novembro :
No dia 6 do corrente, teve lugar a experien-
cia de uma lancba a vapor lancada ao mar, e fa-
bricada pelos Srs. Yarrow & Hedley, de Poplar,
para o governo brasileiro. Este pequeno vapor e
destinado para o servico do porto na bahia do Rio
de Janeiro, e foi construido segundo o nsco do ca-
pitao tenente Level, director das construcc^es na-
vaes do Brasil. Tem de comprimento 48 pes, de
poutal 9 p^s, e de calado 4 1(2 pes. A raa:hina
esta collocada do meio para a prOa do navio e a re
ha um bello camarim.
- Na experiencia, obteve.se facilmente uma ve-
locidade de 10 1(2 miiiias por bora, dando a ma-
china 260 rotacdes por minuto, e marcando a for-
ca de 50 cavallos. Os capitaos-tenentes Level e
Braconnot acharam-so presentes a experiencia por
parte do governo brasileiro, e entre outros cinvi-
dados distinctos que honraram os Srs. Yarrow &
Hedley esteve tambem presente o mimstro da Co-
lumbia, para a qual a mesma flrraa social esta
construindo uma grande canhoneira, destinada
para o servigo de guardar as costas de Nova Gra-
nada.
0 resultado dos exames de hontem na Faculda-
de de Medicina, foi o seguinte :
i anno medico.-Geraldo Correa Barbosa Lima,
approvado plenamente; Francisco Ignacio de Car-
valho Sampaio, Octavio Esteves Oltoni, Jo.-e Eduar-
do Teixeira do Souza e Francisco Bahia da Rocha,
approvados simplesmente.
Houve uma reprovai;ao.
6- anno (clinica).Jose Leopold) Ramos, Juve-
nal Martiniano das Neves, Miguel Zacarias de Al-
varenga e Miguel Archanjo da Silva, approvados
plenamente.
6 anno (exame do anno).-Cornelio Emilio das
Neves Milward, Francises Manoel Guedes de Mi-
randa, Galdino Emiliano das Neves Sobrinho e Luiz
Joao Falleti, approvados plenaraente ; Arlindo Ra-
mires E> jaivel Junior, approvado simplesmente.
3 anno pharm xeutico (exame pratico) admitti-
dos extraordinariamente por motivo de molestia. -
Antonio Jose Duarte e Domingos da Silva Pinto,
approvados com distinccao.
0 resultado dos exames da 2> classe de escrip-
turacio pratica, no deposito de aprendizes arlilhei-
ros, foi o seguinte :
Cabos Arthur Vietorino Coelho, Ludgero Pereira
da Luz, Jose Lauriano Costa, Joao Carlos Ribeiro ;
anspecadas Alfredo Muniz Telles de Sampaio, Ma-
noel Saraiva de Carvalho ; soldado Antonio Bap-
tista Leal, approvados plenamente ; cabos Leopol-
do Beimiro da Silveira, Jose Bibiano de Oliveira
Pi' Iho, Antonio Maria de Mello Queiroz ; anspeca-
da Arthur Jose Pires ; soldado Antonio Luciano
dos Santos, approvados simplemente ; cabos Diego
de Aguiar Pantoja e Antonio Jose da Silva ; ans-
Seccadas Joao Caeiano dos Santos, Joao de Deus e
ilva, Maximiano Jose de Oliveira, Militao Manoel
de Souza Lobo; soldados Ludgero Braiilio da Sil-
va, Antonio Manoel Ferreira, Bento Jose da Silvei-
ra, Manoel ilarcelino Pereira e Alfonso das Chagas
Guiraaraes, reprovados.
Prestaram mais exame das materias do 4' classe
do mesrao ensino e foram approvadas simplesmen-
te as seguintes pracas : cabos Antonio Benedicto
da Silva Baraos, Joao Rodrigues de Faria, Jose
Domingos Pacheco e Luiz Candido do Amaral, e
soldado Antonio da Piedade Mattos.
Na quinta-feira, devia ter-se effectuado a pri-
meira conferencia do curso de geographia e coro-
graphiado Brasil, deque seencarregara e conhe-
cido professor bacharel Theophilo das Neves Leao.
Mas tendo se aggravado os incomraodos que sof-
fria, pedio o mesmo professor desculpa do invo
luntario adiamemo dessa conferencia para a pro-
xima quinta-feira, 11 do corrente mez.
Substituio o, porem, na tribuna o illustrado ora-
dor. o Sr. Dr. Duque-Estrada Teixeira, que em um
brilhante improviso demonstrou a necessidade e
importancia do estudo da geographia, fazendo con-
sideracoes especiaes sobre o Brasil.
A Sra. D. Marii Philomena das Dores Palhares,
viuva de Antonio dos Santos Palhares, concedeu
liberdadc a uma cria do espolio do seu casal, filha
da escrava Josephina.
Hontem, as 8 horas da manha, Martinho de Mel-
lo Lima Ferreira, portuguez, recreiava se na ponte
do Pharoux quando, depois de pouca deinora nesse
lugar, atirou-se ao mar.
Achavam se alii alguns calraeiros, que logo acu
diram para salva-lo ; porfim, tat era o ddsejo do
suicida era acabar com a existencia, que rejeitou
todo auxilio ; e foi, so depois de alguns esfprcoi, e
vencida a sua obstinacao, que pode ser salvo
boto da barca do banhos, e Ievado a 3* estajao pelo
catraieiro Manoel da Silva.
Compareceu na mesma e3tapao o respectivo
subdelegado, quo remelteu Ma.-Jinho para a poli-
cia, ondo se reconheceu sofi'ryr ella de alienage
mental.
RECIFE, 13 DE DEZEMBRO DE 1873.
Noticias do sul do iinperio.
Chegou hontem as 2 horas da tarde o vapor
francez Erymanthe, tnuenlo datas : doRiodi
Prata 29 e do Rio Grande do Sul 25 do passado.
de Mi nas Geraes 1. do Rio de Janeiro 6 e da Ba-
hia 10 do corrente
AI6m do que damos sob a ruhnVaa Pnrte n/f,.
cial e Interior, encontramos nos jornaes o qua
segue :
REPUBLICAS DO rACIFICO.
Os telegramroas de Valparaizo annanciam com
referencia ao Peril, qne se ret iron o ministro da
fazenda, sendo subslituido por Camillo Carrilto.
cujo primeiro acto foi cassar a casa Dreyfus Ir-
maos a licenca de exportar guano, ate que estu
desse explicacoes sobre as reclamacSes que fizera
ao governo. Causara isto grande inqmetacao e
desconfianca ne comraercio, e rauitos navios que.
em consequencia desta prohibicao nao achavam
carga, acudiam a Valparaizo.
0 governo aceitara uma proposta para construc-
cao de uma linha telegraphica do Paita ao Pa-
nama.
Na Bolivia cahio doente o presidente Ballivian,
e o horisonle politico apresentava-se borrascoso.
tendo havido no congresso sessoes tempestuosas,
por causa da discussao sobre empre3tiraos.
0 congresso nacional chileno tratava de refor
roar a constituicao c o codigo penal. Uma parti-
da, dirigida por Pertinset, sahira a explorar a
Terra do Fogo, e tinha chegado a colonia de Pun-
ta Arenas.
BIO DA PRATA.
0 presidente Sarmiento regressara a Bueuos-
Ayres. No dia seguinte rennio conselho de mi-
nistros, aos qnaes expoz raiudamente as medida?
qne acabava de tomar no Parana, para terminal
dentro de um mez, dizem as foi has, a guerra de
Entre-Rios. Nao se sabia bem quaes eram estas
medidas, nein na wrJade teria sido convenient,-
a sua public-cao, que aproveitaria aos rebeldes
Apenas se ^3 que o presidente nomeou director
supremo d/T guerra, naquella provincia, o minis-
tro, em c-mpanha, coronel Gainza, debaisode
cujas ordens continuaria o general Vedia a com
mandar o corpo de exercito que lhe esta coa-
fiado.
Nao parece haver nisto grande alteracao do es-
tado de cousas ja existente. Quanto ao mais,
apenas se accrescenta que ficou combinado um
piano de ataque definitivo, realisado o qual, licaria
a rebelliao reduzida a cinzas. Ja depois de chega-
do a Buenos Ayres, recebeu o presidente, diz-se
ainda, comraunicac5es, segundo as quaes estava
irarainente uma batalha decisiva, aproximando-se>
Lopez Jordan das fore as nacionaes. Que em tai
caso estas haviam de triumphar, nio era cousi
que alguera se atrevesse a por em duvida.
0 tteneral Ivanowski foi nomeado cornmandante
geral de todas as forcas] de linna e guarda nacional
mobilisada nas provmcias de Santa F6, Co dova.
S. Luiz sMendota, com residencia no Rosario.
Alguns corpos vindos do oeste tinham passado para
Entru-Rios.
0 conselho de guerra reunido no Parana con-
demnou a morte o tenente-coronel Mendez, por
naver abandonado La Paz, quando esta praca.
confiada ao seu commando, foi atacada pelos jor-
danistas. 0 mesrao conselho, comtudo, commutou
a pena na de degradacao publica diante das tro-
pas, e exclusao perpetua do exercito da repu-
blica.
Na provincia de Mendoza tinha havido novos
tremores de terra, que causaram estragos.
0 Dr. Albarracin prestou jurameuto e toraou
posse da pasta da jqstica no gabinete argentino.
A collecta a favor do papa tinha produzido em
Buenos-Ayres 3,500 pataedes, que pela secretaria
do arcebispado foram remettidos para Roma em
libra- stetiinas. Este dinheiro ia era uma bolsa
de seda branca, com as annas argentinas borda-
d>s de ouro, e esta inscripgao :os fieis de Bue-
nos-Ayres ao seu Santissimo Padre Pio IX.A
bolsa a seu turno foi mettida em uma caixa de
prata allema, presente do consul geral dos Esta-
dos Pontificios.
As noticias do Estado Oriental,sao destituidas
de importancia politica. Dizia se que o general
Caraballo ia ser riscado do quadro do exercito,
por estar militando era Entre-Rios com Lopes
Jordan.
RIOGBAXDGDO SLX.
As folhas da capital referera que o Sr. J. Dais-
son, estabelecido com tabrica de berva-mate em
S. Jeronymo, carregara ultimamente em dous na-
vios, a escuna italiana Maria e a barca hollandeza
Colo, carvao de pedra do Arroio dos Rates com
destino ao Rio da Praia, alcancando vca.de lo alH
por 22 patacoes a tonelada.
Por ordem do mesmo Sr. Daisson, a casa J-'
Herbert & C. tratara os hiates, Liberal, Acaria e
Uarianno I para irera receber do trapiche da
empreza, em S. Jeronymo, um consideravel carre-
gamento do melhor carvao que se tem exlrahido
das minas. Ja anteriormente, nas ultimas viagens
que os hiates Liberal e Castello tinham feito a Pe -
lotas, haviam leva lo um importante carregamento
do mesmo genero.
Fallecera na cidade do Rio Grande a octoge-
naria Sra. D. Luiza Lorena Garcia.
MINAS GERAES.
Refere o Diario de Minus:
a No dia 6 de novembro, pelas 8 horas da ma-
nhla, foi assassinado o alferes Joao Jacintho da
Silva, comraandante do destacaraento de Minis-
Novas, pelo soldado Pedro Antonio de Faria, qne,
tendo de se recolher a prisao no quartet por (alias
que corametteu, foi .a casa do dito alferes pedtr-
lbe alivio do castigo, mas nao sendo attendido, ati-
rou-se a elle com uma faca, fazendo-lhe cinco k-
rimentos graves nas costas. No acto do conflict.)
appareceu o soldado Manoel Pedro da Fonseea,
que querendo cvitar a perpetracao da delict".
tambem recebeu do aggressor dous ferimentos
leves. Acudindo o furriel Cochrane, o assassino
poz-se eiu fnga, porem sendo perseguido pelo fur-
riel e soldado Manoel Pedro, foi preso a pouca
distancia,
< Acha se o criminoso recolhido a cadcia, e>
esta sendo processado.
RIO DE JANEIRO.
= No dia 6 do corrente reassumio a pasta dos
negocios do imperio o Exm. Sr. conselheiro Joao
Alfredo Correia de Oliveira.
S. in. o Imperador visitou, no dia 4 do cor-
rente, a escola militar, onde se demorou desde 11
horas da manha ateV 1 1|2 da tarde : assislio ao
exercicio de armar a ponte sobre pontSes de bor-
racha, do syslema do general Cullen, trabalho des-
empenhado pelas pracas do batalhao de eugenMi-
ros na praia da Saudadc. c em seguida a um, ex-
ercicio de esgrima de bayoneta pelos alumnos da
ecola.
Eis as noticias commerciaes da ultima data:
Buenos Ayres, 28 de novembro. A aguardente
lica muito procura la porque nao ua deposito em
primeiras maos. Urn lotc de 40 pipas de aguar-
deute de Porto Alegre vindo no Erne, obteve 63
i|2 fortes a bordo, o qne indica alta de 1|2 f. Q
merca'o fecha Brme a 64 1 fortes.
0 assucai tevo sahila facil activa, sobw-
modo o branco dc 1 c 2.* qualidade. 0 as3ucar
soroeuos e o ma-cavjnho nan torn sahida em nossa.
praca ; e, poi% de eonveuienda que os exportado-
res se acautele.n do fazer embargoes parrnao stjl-
--. projuizca.
m
mm

MDTIIADO
I Ittfttl


3Uri,fde Pernambuco -=- Sabbado 13 de Dezembro de 1873
^>-J^-r.-iir-r- .-'

0 eafo torn havido poucas entradas e o mer-
cado fecha firme. Cotamos a 29 20 por 100
despachadas.
0 mercado de funjo fecha calmo, sendo diflkii
effectaar vendas.' Cotamos as maiorcs acreditadas
de 7 a 8 c as regulares de 5 a 6 l|2 em de-
posito.
0 cambio sobre Londres 49 3|4 e 50 d; sobre
o Rio de Janeiro 30J600 por onca.
t Rio de Jineiro, 5 de dczembro.~0 mercado do
cambio apresentou hoje ponca actividade, mas
two houve alieracao alguma nas taxas anterior-
mente estabelecidas.
Effeetuaram-se transaccfles menos que regu-
lares sobrr Londres a 25 7|8 e 26 d. papel ban-
cario, 26 l|S e 26 l|4 d. particular e pequenas
sobre Franca a 363 rs. por franco.
As trausaccdcs realisadas na quiuren.i foram
do :
Sobre L-ndres 3^,000, a S3 7j8 e 26 d.
papcl bancario, 26 l|8 e 26 l|4 d. particular.
Sobre Fran.-a frs. 653,000 de 360 a 36 S rs
por franco.
a Sobre Ilamburgo in. r. 370,000 a 452 e 465
por marco reiicksmtmze.
Sobre Lisboa e Porto sacousc ao premio da
tabella seguinte :
110 a lit 0(0 a vista
a 109 a 110 0(0 a 30 div.
108 a 109 0|o a 60 div.
107 a 108 O|o a 90 d|v.
Foi hoje activo o movimento dos soberanos.
Negociaratn-se lotes inais que regulares a 9*360,
9*370, 938o c 9**00 a dinheiro. .
0 mercado de ace>s esteve mais animado do
qnc hontem. Negoeiaram-se lotes regulares das
do banco do Brasil a 250* a iWiSQQ a dinheiro
e uma parlida impoitanle das do banco Industrial
e M'Tcuntil a 62* paeamento e entrega no ultimo
dia de transferancia deste semesire. Urn pequeno
iotede accoes do roesmo banco alcancou 613 a
dinheiro, t; nutfo da companhia Ferro Can il da
Villa Isabel 210*, tambem a dinheiro.
As vendas de cafe elfectuadas hoje foram re-
gulares.
Desde o dia 21 do passado, data On nosso Do
leliin nara n nnqiielc inglez Dmo, ate hentem,
teve o mercado de cafe movimento muito liinitade.
Apeear de noticicias desfavoraveis relativamentd
ao cafe e a siluacao monetaria, taut., da Europa
como dos Estados-Unidos. jua-i ludos us possui-
dores niostraram-se pouco dispostos a anuuir a
reduc;a > de prccos que crxigiaui os compradores.
A" vista das pequenas tcdnacc5es que se cffectua-
ram durante a quinzeza deixamos de dar cota-
yoes e eonsiderauios os precos como iiominaes.
Fizeram-se hoje pequenas vendas de assuacar,
pnra consumo.
Sahiram, tambem para consumo, cerca de
6,000 arrobas dc earne secca.
Fretou-se urn navio para carregar cafe, com
deslino a Porl-Elisabetli em direitura a t 200 por
inteiro.
Krgularam norninalmcnte duranle a qtiinzeoa
os seguinte* prccos para os Tieiamentos : Canal
.i onleui. 30 a 35 s. ; MeJitcrraueo, 30 a 31 s ;
Estadosl'nidos norte, 20 a 30 s. ; sul, 25 a 30 s.
Ellecitiarain se uo mesmo periodo os seguin-
tes fretameiitos:
llampi*in-liv>ads a ordem : brigue-escuna in-
glez S/>j!mots, 2;-fiO0 saccos cafe a 36 s.
IVrtiambuco a ordem c (.'anal : barca ingleza
Ardmur, assu,-ar. a 40 s.
i'ern.unbuco a ordem e I>iv;rpool: galera por-
luguoza Tent"dora, aJgodao, a 3|8 d.
a I'arahvba e Canal : hrigue-escuna inglez
Francis Dr hi; assucar, a 4"2 s. 6 d.
Parahyba e Liverpool : brigue snecco Oscar.
algoJ.a-i, Sj* <
Paranagua o Valparaiso : barca allema Alma
Elisabeth., mate, a 3 s.
liio da Praia : esauna nacional Diamante, ma-
diiia, |ior 1.050.
P.h Flisab.nli cm direitura : brigue inglez
Julia kewUU, 2j000sicco< cafe, por 200.
Ficam ;i carga com deilino os segtuntes na-
vio; :
Cai:a! : oscona ingleza Ctnnelford, couros.
Havre : barca franccza Online, carga geral.
liivre barca franceza V. des Ckavgws.
MarseOia : barca frahceza Magnolia.
H. Knads : brig'.ie-uscnna iugfez Slybooh,
2,801 succs.
Nitva'-Y rk : barca ingleca 5/. U'SOIU.
Port Elisabeth : brigue inglez Jonh Kendall.
a alfandega renJeu de I a 5 do corrente
415:08 USB.
ItAHIA.
CUegara alii o vapor francez S. Muilim, pro-
B ieato do 'Havre por l,vsboi'_
Isqhios no Diario :
(i Oimn nstava annunciado. teve Ingar ante-lion-
i?m (K> a inaogura'^ao do sen-ifO dii elevndor hy-
giauUae, obras ita sociedade Transpvrtes (Jrba-
n$t. oi^aniaodii nesta cidado pelo iutelligente e
infatigavel negocianle Sr. Antonio de Lacerda.
A' korn marcada (10 boras da manlia; estava
pelo gens e Landeiras o cdiii'cio, ondo trabalha o nia-
chinisiiip, e u respee(iv.i ponto, assim eumo na
parte inferior na cidado- fciixa.
Uma guarda de bonra de tropa de liima se
achavA postada na pra^a com duas bandas de
musioa,4aendo alii giimJe concurrencia.
IK'i.'ois que cbegou o primeiro bond dos que
pela piimeira vez f>ram ate a prafa, nma eom-
jui-s.k) da siiuifis da npre/.a fm a paiacio receber
S. Use. o Sr. president.! da )rovincia ; e logo que
estt chegon coin sua cniiitivii ;i frente do edificio,
onde 96 traha levantado um altar, teve Ingar a
bencai Mto i'.evd. i;nra da Re, por delega^ao de
S Exc. Ikvni. conde de S. fialvador.
Depots da ben^iio teve lugar a primeira des.
:ida df.s diu9 camarins do -tdevador, annuaciada
por girandolas de fnguete*, ambos a Am tempo,
'.onduzindo o presUente da provineia e sua comi-
tiva, subiaflo immediatamenteeontinuou o machi-
nismo a tcabtihar ate as 10 horas da noite sem
o menor ioridente, apesar da grande concurren-
eia que hmive.
Foram tran-portados 6,067 passageiros, secdo
dons mil trial oil. is, e fi r-esto pagando, cujo pro-
daeto foi destinado ao asyio de expostos da Santa
Casa de UUericordia.
A' noite o gercnie do empreza, Sr. Lacerda,
em regozijo pelo triumpho de seus esforcos, deu
em sua exoeliente habita.ao, no Garcia, um gran-
de baile, dos maiores que wmi .tklo esta cidade.
Uistriiiurain para mais de mil e duzentus
convites e corcparecoram eerca de 800 convida-
djs.jendo um?. biilliantissuoa festa, graga9 a si-
tuavla, as pr^jorjoes do vasto edificio, a sua de-'
coras&o, ao g'Mto ime presidio a ludo e ao trato
ameii9 do Sr. Lacerda e de sua Exma familia.
Ha'.'ia uina-i!lumina;ao eslerna de grande tf-
feito na chacar.a.
Duron a feste ate dep-iis de 3 horas da ma-
nlia, minanJo seopre a meilior ordem.e alegria
nos convwas.
No-intervalla das quadrilhas, c walsas uma
fcanda deiinusi ra tocava lora do edifkio em lugar
preparado na cbacara.
0 servigu esteve magnifico por sua abundao-
cia e dolicadeza, terminando jur uma csptendida
mesa ou aat.:s trcs isesas parallcias, nas quaes se
sentaram osconvivas, cerca de uma Ivtra da noite.
Levantou o prioseiro brinie u Sr. Lacarda,
agrad^cendo a seus consocios o eoncurso que Ihe
pres aratn, sea o qaal oao teria levado a clfeito
sen comroettimento.
E' cealmeote import&ate o eoneurso prestado
pelos sneios da empreza n'uma praea.onde os ca-
pitaes qua encottrara facil eraprego a juros at6
de 42 por cento ao anno, difflcilmente se em-;
barcam, e emprezas, entbora de futuro, nao
podem prometter lucres procptos e certos i
rti). grande flgewlo da civtlisaQfio o prospe-
ridadc dos povos moJcrnos, e ser^i e!Ie um
elcmento quoprenderd asduasgranles gefn'-
tnas do diadema imperial.
Do Exm. presidenie de Pernambuco'
ao da Bahia. -A provineia de Pernam-
buco, por meu intermedio, agradece & he-
roica proviucia da Bahia a communicagSo
que, em sea nome, acaba de fazer-lhe o sou
muito digno e illustrado administrador, de
ja se achar ligada as suos irmas do norte
pelo maravilhoso invento do cabo subraa-
nno, que grandemento concorrerd para
estreitar cada vez mais os vinculos, quo
prendem-as entre si, e augmeotar a sua
crescente prosperidade.
Do Sr. Robert )l. Hyde, supirinlen-
dente ao presidente de Pernambuco. A
Western and Brasilian Telegraph Company
congratula S. Exc. pela feliz collocacao do
cabo submarinho, que agora unc por com-
municasao telegraphica as provincias de
1

ornambuco e Bahia.
Do Exm. presidente de Pernambuco ao
Sr. Robert M. Hyde. Congratulo me
com a Western and Brasilian Telegraph
Company, pela fortuna de ter levado a seu
termo a seRunda sectjao do cabo submarino,
seta encontrar o minimo obstaculo ; e Cagp
votos para que na immersao da terceira
secc^io tenha igual dita.
Constando a populai;3o d'aquella enthu-
siastica provineia achar se o seu illustrado
administrador na estaijao do telegrapho
snbmarino, occorreu em numeroavultadis-
sitno aquellc ponto, tendo A sua frente duas
bauitas dc musica, c, nhi cheg.indo, pro-
rompeu em phreneticos e estrepitosos vivas,
que foram correspondidos unanimemente,
. tocando as duas bandas de musica o hymnno
nacional.
Sendo adianlada a hora (4 1/2 da tarde
em quo se deu a visita de S. Exc, e prolon-
gando se a troca dos telegrammas acima ate
l) boras da tarde, foi adiada para hoje, das
10 para as II ruras da manha, a inaugura-
g3o olTtciai; seguindo a populacSo, que alii
se achava reunida, a pcrcorrer as ruas da-
quella capital manifestando, do modo mais
esplendoroso possivel o entranhado jubilo de
que estava possuida pela realisar;;io de tao
avamjadj passo no caminho da civilisa
c.ao.
A capital de Pernambuco nao ficari somc-
DOs d da Bahia em external- hoje a vasta
comprehensiio quo tern da missao quo Ihe
esta assi^nalada em futuro proximo, com-
memoran lo tao impartante quao momentoso
melhoramento.
Conflicto grave Tendo sahido da villa
de Triumpho, em 12 de novemhro ultimo, o l>
sargento da gnarda nacional Candido Ferreira de
Olinda Campell", pelo Dr. juiz mnnietnal e delega-
do d'aquelle t.Tino incumbido de conduzir para
esfct cidade nove presos, alguns dos quaes ja s#n-
tenciados, ao cnegar cm 21 do mesmo mez a po-
voncao ite S. Thome, da provineia da Parabyba, a
uma hora da tarde, pouco mais ou menos, ahi
arampou e pennittio que alguns pra^as da escolta
qne commanlava e rpie goardava aqncHes pre
sus, coiiqiosta de cinco soldados e um 2. sargen-
to do 2 batamao de infantaria de Imha e de dez
soldados de guarda nacional, fossen fazer feirn a
40 ou 50 passoa disiantes do ponto em que acam
para.
Muito mat andou. Os presos de sfbfto se re-
viiltam, apanham as annas earregadas, da gen-
te que se afastara, e travam-se em renhido edit-
fli :to com o resto da escolta presents. Fefizmento,
os da feira, aendindo a tempo de fazerem mudar
a face a luta, depois de muito brigarem, conse-
gu rarn iriumphar, aprisionando, na occasifto, 5
dos presos, 2 outros a 17 legdas distantes d'alli.
0 de nome Francisco Moreira succombio pa
lota ; evaflindo-se apena, gravemente fcrido,
como se suppoe, o de nome Joaqutm Marianno. Da
escolta sahio o 1." sargento commandante aa
m.isma com um ferimento de arma branea no bra-
50; pelo que, somente 5 dias depois de tal occur-
reneia pt'iJe elle continnar sua viagem para esta
cidade.
Fvasao Da casa que serve de cadeia no
disiiicto de CanhotiHho, do termo do S. llento,
eva.lio-se em 5 do corrente 0 preo Angelo Custo-
dio do Nascimento, qe aHi se achava sob a vigi-
laneia do inspector de quarteirao Jeronymo Jose
de Lima; 0 que faz sappor a autorldade local que
houve no lacto da evasao do criminoso concarren-
cia vpluntaria d'aquelle que 0 cuardava.
Ferimento grave. Em S do correnle
Ludovico Querino da Cnnha Maehado, ferio gra-
vemente a I'arisio de Valladares, na cidade de
Goyanna.
Teve 0 conveniente destino 0 inqnerito a que se
procedeu sobre tal crime, e 0 deliquente ja se
acha preso.
Caleeta.0 de que nos occupamos em nossa
Revisla de hodtem, foi antc-hontom mesmo captu-
rado nas immediacijes do local d'onde fugira, por
nma patrulba do 9 batalbio de infantaria de linha,
para alii mandada em diligencia pelo respectivo
comrnandanle. a reqaisi^ao do Sr. tonente Sa Bar-
reto, ajudante de ordens do Sr. general comman-
dante das armas.
Os dous soldados de rnja guarda fugio 0 calee-
ta, bem como este ja reeeberam 0 devido cas-
ligo.
luquerito Em li do corrente a subdele-
gacia do Beberibe eoviou ao Dr. juiz de direito do
respectivo districto criminal 0 que formou acerca
do crime de ferimentos praticado pelo liberto de
nome Zacharias.
Dinlieiro. Os vapores Cornripe e Para
tronxeiam para :
Joaquim Jose Goneal.vcs & Filho 10:000^000
Keller & C. 7:0tt9*iO0
Tasso h-uiaos 3:700*000
Ballhar. Olivaira & C. 3:601*970
Clememe Lima 3:000*000
Joaquim Jos6 Gomes 2:952*890
Jos6 Rodrigues de Sooza 2:48o*(HiO
Joaquim Graldo de Basto 2:300*000
Guerra & Fernandes 1:625*000
Joao Femandes Lopes 1:500*000
Caflos Jose de Medeiroe & C. I:260i000
Mooteiro Gregorio & C. 1:087*380
Jose Duarte das Neves 500*000
Alvares Quintal & C 400*000
Joaquim Antonio de CarvalUo 234*000
0 vapor Para levou de nossa praca para :
J
iMAMiM
Pracada Iiidepenrfeueia. Pedemnos
para charaar a attenclo da aatoridade corapetente
para 0 abusiro cos tame que tem os varredores
dae ruas nas proximklades da praca da Indepen-
dencia. na freguezia de Sanlo Attoaio, do reaoi-
rem oesse lo.^ai quanta immundieia collecchmaoi,
RPVIfiTA deixaudo Gear ate alto dia, qiiando apparecem as
ikuvieiA i/iAiviA. carrocas de remojio do hxo, eauuBdo grave in-
Tolegrapko subaaaariavo ew- comuibdo aos habiuaies dessa pra\-a com os mias
tciro. 4m Esta estabelecido o sevrvigo dejma31ue s" aespendeai do mbnturo.
om.nunicacio electro-telesraphico.entre esta
Maceic
Bahia
Rio Je Janeiro
0 sapor francez
Keller i C.
David Ferreira Baltar
Th Christiansen
Pereira Cm nejro 4 C.
Para
nosso porto
21:164*890
8:144*03')
7:055*500
Eryutajithe Irouxe para :
4:000*000
8:000*000
l:800*00i)
1,000
Europa.Cum 11 recebidos em
levou 0 Ei-ymmUhe 8 passageiros.
Honroso.-Informam-nos que, no vapor Pa-
rd, seguio hontcm para a corte uma supplica, as-
signada por oorca de 200 pessoas, moradoras na
comarca de Villa-Bella, todas e|las recommenda-
veis [ior seus iilulos e posiffies, pedindo aa g wer-
no imperial a notneipio, para o lugar do ]uix de
direito dessa camarca, do actual juiz muoicipal
respectivo 0 Sr. bacharal Angelo Caetano de Sou-
za CouEseiro, cm puem reconhecem os predicados
de magstrado probo, justiceiro e digno de apreco
pela sua illnstracao e nteircza.
A supplica e dirigida ao govorno imperial; na
qnadra actual, porque esta esse magistrado a com-
peltar 0 seu segundo quatriennio.
Hotoeoloinbo.-- A' polieia de Afofados,
pedem-nos, que recommendemos um grupo de ra-
dios que vaga pela rua de Motocolombo d'a juelle
povoado, a roer a paciencia dos quo por alii tran-
sitam.
Sociedade Bella Harmonia. Ama-
nha, a< 10 horas do dia.deve reunir-se a ass&mbliSa
geral dos membros desia sociedade, para proca-
cor-se a eleirao do conselho director para 0 anno
vindouro.
Croiaima.Nosso eorrespondente deal* cida-
de escreve em data de 7 do correate:
No domingo passado nao fiz a missiva d) cos-
tume, nao so porpue lb a havia feilo em meios da
semana, communie!.ndo 0 resullado da ultina di-
ligencia feila pelo dclegado desta comarca, ao po-
voado da Lana, como porque nada mesmo tive a
communicar Ihe.
Cabe-mc, porem, dize -Ihe que gramas 19 me-
didas tomadas pelo tenente Moraes em aco*ar os
criininosos da Lapa, acha.se aquelle lugar mais
ou menos livre do grande coit) que la estava re-
fugiado, tendo sido presos na ultima diligdicia 2
individuos sobre os quaes correm versoes mnito
desagradaveis e que se chamam Francisco de tal,
conhecido por Chlco Bernardo, e Antoniotose. 0
primeiro destes requeseu e obteve ordem de ha-
beas corpus, sendo por isso posto em liberdide.
Installou-se no dia 2^" do mez passa'tu e en-
cerrou se hontem a 4a sessao do jury desttlermo,
presidida peio Dr. Alfredo Vaz, j uiz munfcipal e
scrvindo de promotor o respectivo adjuncft 0 Sr.
Lydio Marianno de Albuquerque.
t Foram .submettidos a julgamentos9 processos,
deixando 0 Sr. Lydio de fazer a acciuacio em^dous
delles, por se achar incompatibilisado em razao de
ter sido advogado dos reos antes de ser nomeado
a dj unc to jlo promotor.
Dos reos comprehendidosnestes processos fo-
ram absolvidos 7 e cnndemnadis 2 em seus res-
pectivos pjlgamentos, que tiveam lugar pela or-
dem seguinte :
a Dia 28He (presa) Ros; Maria da Concei-
?3o, prontinciada no art. 197 d> Cod. Crim. Pro-
motor, 0 Sr. Lydio Marianno di Albuquerque. Ad-
vogado, Dr Julio Apo'onio Va: Curado. -Absol-
vida.
Dia 29.-Re"o fpreso) Beneucto Correa do Espi-
rito-Santo, pronunciado no art 193. Promotor ad
ft c, 0 Dr. Julio Apolonio Vaz Jurado. Advogado,
oSr. Lydio Marianno de Albtuuerque. Absolvido
por unanimidade de votes.
Dia 1" de dezembro. -Rco(preso) Severino Go-
mes da Costa, pronunciado 10 art. 193. Promo-
tor aihoc, 0 Dr. Julio Apolorio Vaz Curado. Ad-
vogado, 0 Di'. Sebastiai Corcfciro Coelho Cintra.
Absolvido por unanimidade ic votos
t Dia 2. Na0 houve casa >or falta de numero de
Srs. juradoa.
Dia 3. lteo (preso)0 peto africano lose Rei,
pronunciado no art 1'2 'romotor, 0 Sr. Lydio
Marianno de Albuquerque. Advogado 0 Sr. Parizio
Vafladares.Cundemnado ixpena de gales perpe-
tuas. 0 Dr. juiz de direio interpoz a appellacSo
necessaria.
Dia 4.Reo (preso) Mctor Pereira dos Santos,
pronunjiad i uo art. 201. Promotor, 0 Sr. Lydio
Marianno de Albuqnerqti). Advogado, 0 Dr. Joao
G.incalvos de Azevedo. ibsolvido por unanimida-
de de votos.
Dia 5Reo (preso) Bonifacio Jose Pereira da
Silva, pronunciado no an 192. Promotor, 0 Sr.
Lydio Marianno de Albunierque -Advogado, 0 Dr.
Joaauini Tavares de Melk Barreto. Absolvido.
-V) mesmo dia. Reo (ireso) Francisco ds Assis
de Albuquerque Maranhao, pronunciado no art.
19 da rei n. 20)3Jde 20 d>, serembro de 1871, 2"
parte.-Promotor, 0 Sr. Lydio Marianno de Albu-
querque. Advogado, 0 Dr. Julio Apolonio Vaz
Curado.Absolvido por unanrnidade de votos.
Dia 6.Reo (preso) 0 pnlo Antonio, escravo
de Joaquim Cordeiro de Lirm, pronunciado no
art. I9i, combinado com 0 art. 34 do Cod Crim.
('romotor, 0 Sr. Lydio Marianno de Albuquarque.
Advogado. 0 Dr. Joaquim Tavare: de Mello iiar-
reto.-Cmdemdado a pena de 2 Oicoites. -
No uie*mo dia. Reo (a(naDcado\ Germa4o Pe-
reira dos Santos, pronirnclado no art. SOt. Pro-
motor, o Sr. Lydio Marianno do Albuqtier'iiy, Ad
vogado Luiz Goncalvos da Silva.--Absotvifc.
Teve hoje lugar com grande solonrnilade na
igreja de Nossa Snhara ila Conceicao, desfe cida-
de. 0 benzimento de um sino, que logo ap6sio acto
subio ao seu compotente lugar.
II intern, por volta de 4 horas da tarde, tra-
vando-se de razoes Ludovico Generino da Cnnha
Maehado com 0 ;olicitador Parizio de Valladares,
soffreu este diversos ferimentos feitos por aquelle,
os quaes foram julgados graves pelos petitus que
pfocederam a competente vistiria.
0 delinquente logrou evadirse, e a antorida-
de respectiva proceleu as diligencias da lei.
0 anniversario natalicio de S. M. 0 fmperador
foi aqui soleinnisado com illuminacao no edificio
11a camara municipal e em algucas casas parti-
culares.
bilidade, contra Joaquim Jose de Sanl'Anna, por wz.com 0 fim de nw fazercm cat tar, onfano ma-|rie Mftnu.M8
crime de furto do cavallos e contra Mauoel Jacin-
Iho 0 outros, por diversos rrimo*.
Teve comefo a execir.io da paiia de acoilos a
que pe!o jury" deste termo foram condenmadoa os
oseravos Manoel Peru e Luiz.
a Ale a seguinte.
I. <> tori a do Rio de .Janeiro Resu
mo dos premios da 69." loteria a benelicio das
casas do caridide extrahida na provineia do Rio
de Janeiro em 3 d e irroale :
a. 4655...................... anOO'iOOO
J388....................... 10:000*000
5'|^5..................... 4:000*000
3^?,'-*^................. 2:000*000
Ns. 9o4 e S92.2 -1:000* a cada um.
Ns. 284, 1783, 2101 e323l -800* a cada um.
Ns. 125, 1089, 1966, 2118, 2308, 2862. 2J50,
3713, 4953 e 8082 -200* a cada um.
Ns. 347, 445, 461. 538, 8)8, 1182, 1942, 2023,
2756, 2761, 2843, 2854, 3215, 3239, 3278, 3973,
458i, 5308, 8369 e 5570100* a clda um.
Ns. 305, 317, 321, 433, 490, 628, 674, 711 774,
1082, 1271, liOo, 1511, 1581, 1660, 16^72, 1737,
193), lOa-5, 2009, 2407, 2458, 2330. 2336, "-"
3007, 3011, 3043, 3l, 3100, 3222,
3412, 3661, 3878, 40*9, 4044. 4154,
4)72, 4373, 4382, 4390, 4653, 4739,
48-M, 4833, 4842, 3113, 5300, 5)7i,
5864 e 5921 -40* a cada um.
Loteria. A qoe se acha a veada e a 79*
a benelicio da matriz de Cabrobo, a quaf corre
no dia 16 -*
Casa de detencao.Movimento do dia
11 de dezembro de 1873:
Exisiiam presos, 313, enlraram 10, sahiram 4,
existem 319.
A saber :
Naekmaes 240, muiheres 10, estrangeiros 23.
e'cravos 10,-escravas 6.Total 319.
Aliraentado9 a ctista dos cofres publicos 242.
Tiveram baixa :
Jos6 Marques da Silva ; nevralgia.
Manoel Romao do Livramento; samas.
Deodato Benedicto da Silva ; febre.
Francisco Pereira de Lyra ; indigestao.
Teve alia :
Armina Maria daConceicSo.
v Passageiros. -Entrados dos pertos do Sul
no vapor fraricez Erymanthe :
0 bispo inglez de Folkland e Lniz Azzanco.
jraoti
provineia e a da Bahia. ^
H'ltitem a tarde 0 i^xrR. Sr. cooselheiro
Cruz Vtanbado, presidente da provineia da
Bahia,'tendo sc.encia de que o rospe.tivo
cabu se achava ftxado na 'PstacSo da capital,
ahi foi ter de visita e depois de exauiinar
todas as dwpendencias desse importantissimo
vehiculu do pregresso, assistio i troca dus
'guiutes felegrammas :
i :Hi-Xxm. aresidmle- da provineia da
Bahia ao de Pernambuco. A provineia
da Bahia,-por intermedio do seu presidente.
fehcita cordialmmrte a provineia de Pernam-
buco, na possoa do seu illustrado adini-
nistr.idor, pela inauguraguo em seu solo do
magaifico invento do telegr pho submari-
Rcuoiiio social.Tendo deixado de rea-
lisar se no dia 10 do corrente a reuniao da aasem-
blea geral dos accionistas da companhia Trilhos
Crbancs de Olinda, por faita quasi total de uumc
ro, e ella de novo convocada para hoje, as 4 ho-
ras da larde, ho lugar do cotume, de conformida-
de com 0 art. 11 dos respectivo* estatutos.
Mfto esqneeam. Termma no fim do eor
rente mez 0 prazo marcado para a troca por di-
nheiro doe bilhetes do pas-igom ros oarrm da
companMa Perro CarriCdt Pern'nmbuco, ainda em
eircoJajao, ScaDdo elies sem valor algum do 1."
de Janeiro proximo em diante.
?wpores esperados -A 15 do eorrentp,
0 inglez Cuzco, da Europa, e 0 amerieann South
A meriea, de New-York e Para; a It 0 francez
Ville de Santos, da Europa.
Vapores a sabir. -A 15 do corrente, n
Ptrapama para a Grama pelas escala*, 0 Mandahu
para Aracajd pela escalw, e 0 Parahyba para Rii
Formoso e Taraawlare. I
Grande numero de cavallos tem sido matricu-
lados qa collectoria desta cidade.
Hontem encerrarramse as aulas de inUruc-
C-So primaria desta cidade, tendo sido feito da do
professor Henrique de Miranda Henriques ccm al-
guma solemnidade, pois que dirigio-se elle a ma
triz com todos os alumnos em numero de cento e
tantos afim de assistir a uma missa cantada, de-
pois do que voltando a casa, ahi foram proferidos
discursos pelo delegado litterario Dr. Alfredo Vaz,
pelo respecitivo professor, e por alguns alumnos.
0 acto esteve imponente e solemne, e ao mes-
mo tempo tocanle, pois qiie os alumnos em abra-
cos de despedida, 0 tocadoi por esse sentimerito
a saudade vertiam lagrimas sentidas que
tocavam os coragdes de todos quantos assistiram.
fern tudo isto reinou a melhor ordem, tocando es-
coldidas pegas nma banda de musica marcial.
Sao exemplos que devem estimular, e praza
Deus que oS nossos professores de instrucjio pri
maria, imitando 0 di^no Sr. Miranda Henriques
apresentem os resultados de seu disvelo, iguaes
aos que elle pole conseeuir.
Tendo preparad alguns alumnos para exa-
me," teve este elleciivamenle lugar no dia 2 com
assistencia do Dr. delegado litterario e de varias
p^ssoas gradas d'aqni, que realmenle ficaram ad-
iniradas do adiantamento e do desenvolvimento dos
a.umnos no exame que prestaram.
Foram approvados com dislinccao : Joao Fran-
cisco Vianna, Manoel Martins Viegas Junior, Jo
ventino Mannho da Silva, Joao Francisco de Oli-
veira Gitahy e Henicio Antonio do Sacramento, e
plenamente : Intonio Firmino da Silva, Jose Can-
d.do Pessoa de Mello, Joao Francisco Xavier da
Motta e Joaquim Gomes Palmeira.
No dia 4 teve tambem lugar 0 exame de uma
alumna preparada pela professora da cadeira
B. Maria Cavalcante de Albuquerque Mello, a qual
foi appro vada com dislinccao.
* Consta-no? que o Sr. Justino Campos tem de
vir dar comeco as obras da empreza da iUamina-
5io a gae nesta cidade, 0 que para nos e par de-
nials satisfactory, visto como temos grande ne-
cessidade desse Welhoramento. Praza Deus que
elle nao se demore muito.
0 nubdelegado de Pohta de Pedras remetteu 0
nqueriio p .licial procedido contra Manoel Fran-
cisco liorges, pelos ferimentos feitos em sua pro-
pria irraa Maria da Penha da Conreicao.
O lelegado deste termo tambem remetteu 0
njuerrto procedido contra Ludoviei Gaaeriao da
Oxta Maehado, pelos ferimeatosftitosna pessoa do
soliciiaJnr .'jrizi ii- v'alladares.
Hoe, a- 3 imras da tard>-, seguio caminho do
Recife 0 Sr. Dr. Abel Graea, juiz de direito desta
comarca, ipie aiaba imperial para a eomarra de Santa Maria Magda-
lena na pr ivmcia do Rio ,le JaoeiFo.
AJguitM aniigos do-Sr Dr- Abel Graca 0 acom-
panbarain aie lora da onht-le, danlo assim uma
prova do apre^i e consideracao em que sempre 0
tivoraui, e da qual e elle realmento credor pela
tnaueira di>tincta c cavalheirosa porque sempre
aqui se port-iu.
,UBUCAC0ES_A_PE0ID0._
TranscreVendo 0 artigo infra, nao nos e possivel
deixar de notar uma omissio, que nelle se da de
faelos que muito fallam cm abono do caracter
evangelico de Fr. Fidelis e que dio ainda teste-
muhho da dedicaeao e da abnegajao que sempre
orflaram 09 capuchinhas no Brazil, como nas de-
mais partes para onde os conduz 0 sou zelo de mis
sionarios apostolicos.
Par'.indo para os campos do Paraguay, quando
nelles as hastes nacionaes prOcuravam sustenta'r
os brios e a honra do imperio, em qualidade de ca-
pellao de um doscorpw d>) oxercito, e depois occn-
pando 0 elevado cargo de vigario apostolieo, Fr. Fi-
delis soube constituirse verdadeiro pai daquelles
povos desolados.
Inslado pelo goveriro imperial para determinar
o quantum devia ser marcado aos missionaries
destinados ao! campos de batalha, 0 muito digno
comntisaario geral dos capuchinhos no Rio de la-
neiiM apftnas exigio 0 alimento para olios, dispon-
sando toda outra retribu-rrio pelos servicos que
houverem de prestar. Fr' Fidelis, poctanto, se-
guio 0 seu destino apenas com 0 necessarrb para a
viagem.
Deste pouco, porem, qne era applicado ao seu
alimento, elite repartio a maior parte com os solda-
dos e com aquelles povos entregues ao horror da
fome e da nudez. E }a estavam tso certos do bom
aeolhimento, qne lhds fazra elle, que todos pre3su-
rosos corriam a elle a pedlr o nao que mes mntas-
se a fome, e 0 panno que Mies cobrisse a nudez. E
0 qne i! admiravel e t'x'ante, nunca vollaram que
nao fossem soccorrMos.
Por este modo nao et& s6 com 0 seu esforco in-
divrdoal que elle serria a causa do imperio, eeum-
pria 0 seB apostolado : ao lido do pio d'alma elle
tambem dava, e c^m Inntade, 0 pao do corpo. Sou-
be cuidar do homem inteiro.
Para sen completo elogio basta-nos direr que
voltou mais pobre do que havia sahido pata 0 Pa-
raguay.
nifesto, porque Srs. Pestanas, la mesmo, aqui, em||j gooza Pereira
Prei Ftdelis de A oh.
Acha se entre nos, como ja notwiamos. 0 m-
caosavcl Fr. Fidelis de Avola, 0 apostoto do Pa-
raguay. '
Taes foram 0 servi^os prestados por este missio-
iurio capo ;hirrtio iturantc ft jruerra do Paragsay,
que seu nome se conserva ainda com fama e hon-
ra entre aquelles qoe 0 acompanharam e admira-
ram sna coragem. seu amor e dedic*c;V> pela cura
do corpo e do espirfto do so-'Mado e de qualquer
outro que delle precisava.
Porespaco de 8 annos e tantos mezes honron
a si, distinguio sna ordem e deu exemplos do rim
verdadeiro apostolo.
Partio desta corto em companhia de Fr. Jerony-
mo de Monteliore, sendo ministro da guerra 0 fal-
lecido conselheiro Ferraz, que reqaisitou os ser-
vices dos Rvds. capuchinhos, no dia 22 de maio
de 1865 Esse dia ficou assignalado para sem-
pre ; foi nesse dia que partiram com 0 apostolo do
Paraguay os valentes batalioes 11 de volontarios
de Pernambuco, e de zuavos da Bahia, e a com-
missao medica sob a direccJo do distiucto e illus-
trado Dr. losi Ribeiro de Souza Fontes, eritao 1'
cirurgilo do hospital militar e hoje coronal cirnr-
giio-mdr do exercito.
Chegando ao rio S. Francisco (baixo Pa>ssandii)
incorporouse ao exercito, e assistio, a organisacio
do hospital militar, onde mais de 22,000, bexiguen
tos c choleneos reeeberam os cnidados e desvelos
de Fr. Fidelis, que com a maior abnegacao nunca
abandonou 0 posto de enfermeiro e director espi-
ritual.
A 21dejulho foi chamad.) pelo bravo Mirqnoz
do Herval, que nao quiz prescindir dos servicos de
nm saeerdote, que no principio da campanha mi-
litar era objecto ja de tanto louvor, pelo espirito
apostolieo, qne principiou a dosenvolver.
Desde entao a vlda de Fr. Fidelis fi i um lidar
continue, uma labutarilo sem cessar. Todos, des-
de as mais elevadas posigoes militares e civis, ate o
ultimo soldado, pruaunciam com revereniia 0
nome do amigo, do caosolador na hora da af-
fticcao.
Desde que pisou terra mimiga ate 29 de abril
de 1870, era que desappareceu 0 unico inimigo do
Brasil, Fr. Fidelis- acompanhou 0 exercito nas suas
mais jiloriosas accfies. Esteve com 0 principe con-
de d'Eu, que e tambem apreciador de suas vir-
tudes.
Terminada a guerra, seus services foram de or-
dem ainda mais elevada, no Paraguay.
Era preciso reorganisar a lta adininislra.;ao ec-
clesiastica do Paraguay, foi Fr. Fidelis de Avola 0
lembrado para tio melindrosa missio.
0 santo padre Pio tX 0 nomeou vigario aposto-
liio do Paraguay, e noexercieio desta alia funccao
bouve-se Fr. Fidelis, com tanto criterio, quanta foi
a caridade que pratieara como enfermeiro e capel-
lio mor do nosso exercito.
Servio a igreja no Paraguay, na qualidade de
sen vigario apostolieo, desde 7 de setembro de 169
ate obter sua exoneracao, que recebeu ainda de
Pio IX.
Eotregando a alia administrac,io eeclesiastica a
28 de outubro de 1873 ao Rvm. Sr. Morene, sa-
cerdote paraguayo, retirou-.se para 0 Brasil e aqui
se aeha prohipto para conlinuar sua missao eapi-
ritpal.
S6 tem admiradores, so tomamjgos, no exercilo
brasileiro, e em todo 0 Paraguay.
Os aetos de Fr. Fidelis de Avola, e de seus.com-
panheiros de habit.) os religiosos capuohiohos,
mostram cabal mente < para que :ervem os tra-
des.
Consequencias de nAo prestar-
K iiniH lianca.
Srs. rcdactores. Em 0 Jornal do Recife do dia
II, os Sr<. Joaqiira M. Peslana e seu irmao 0 te-
nnnte de marinha Jo-e Maria Peslana Junior, pro-
curim responJer ao artigo que com a epigraphe
acima fi' pnblicar no Diario do dia 10 do corrente
ro^z.
Nao ei do que mais me admire, se do proceder
iosolito eom que fui aggredido e otTendido, on se
ae todo este conjnncto de falsidades e montiraN
'z
toda a parte, eu diroi liem alto01 homeiis que
manco munaram se para com superiuridada de
forca-e Iraipoeiramente me desfeitearsao unsrni-
seraveis cobardes.
A expesicao tio franca quanto succinia que faz
0 Sr. Rayraundo R. de Mello Junior, iraz toda a luz
para esta questao, e por ella ajuize 0 publico sen-
*ato, do qual estes Sr*. nao formam parte, qual 0
quilate destes dous cavalheiros.
Provocara 0 liso quando asseveram que nunca
turn por si, turn poroutrem pediram que me pres-
tasse a substituir ao fiador que exigia desoneracSo,
e que mais de uma pessoa muito r.estas condi-
cots se Ihe offerecera, isto nao se respoode, e por
isso quern os nao conhecer que os compre.
Paro aqui por emquanlo, por que nao lenbo gos-
to algum em entreter poleraioaj com semelhantes
trialaras ; porem e muito provavel que ainda le-
nha devoltar, e entao fecharemos em regra 0 nos-
so saldo de cant s.
Ao respoitavel publico peeo desculpa de ter oc-
cupado a sua attencia; porem eu tinba precisao
de um desabafo, e foi a este t5o illustre quao seve-
ro tribunal que vim apresentar as minhas razoes:
Elle pois, que nos julgue.
Recife, 12 de dezembro de 1873.
Augusta Candido A. Selxas,
Mais 11m all ntado commettido pelas aulorida
des policiaes, vai ser rogistrado na historia infeliz
daquella malfadada localidade, para a qual dove
lan^ar as vislas com seria atlencto 0 Exm. Sr.
presidente da provineia e Dr. eliefe de polieia.
Eis 0 facto:
Somente para desmoriliser 0 tenaale-coronel
Vicente Mendes Wanderley, comrnandanle do ba-
talhao n 42 da guarda nacional deste muuicipio,
mandou 0 subdelegado em extrcicio Anlonia Pe-
reira da R.icha notiQcar guardas para uma dili
gencia imaginvia, sera ao menos dar sciencia ao
commandante ou ao capilao da respectiva compa-
nhia, porque tinha certeza da legal e legitima op-
posicao destes, por isso qne a lei so concede esse
poder aquellas autoridades om casos urgentissi-
mos, 0 que nao se veritlcava na hypolhese.
Incommodado 0 commandante com senielhaate
procedimento que importava solemne despreso a
sua autoridade, e, mais ainda, menos-cabo as suas
ordens do dia anterrormente aadas mandou re-
colher os guardas que se prestaram aquella cilada.
No dia seguinte 0 subdelegado atlrou-se com
desabrido furor sobre diversos guardas, prendeos
sem 0 mais leve motivo, sob 0 falso pretextode
recrutamento pretendendo ale lirar a for^a da
cadeia um dos guardas de nome Luiz. Bernardo
que se achava doenle, conservando os outros de-
tidos em sua propria casa. 0 que e Contra a lei.
Esse terrivel desacato e desabrida violencia dis-
perlavam as atten;3es, e a iusla indignaeao de to-
dos os habitanies da villa, de modo que quando 0
tenente-coronel procurava saber 0 motive da pri
sao e offlciar ao Exm jr. presidente da provineia.
por intermedio do commando superior, aquelles
em massa acercaram ti'o, rompendo em acre re-
provaijao aquelle modo brusco de proceder.
De feito, agitada como estava a popula^ao, era
de certo um rompimenlo desagradavel. senio fo
ra a prudencia e moleracio do taneuie-coronel,
que, acalmando os, garanlia que 0 Exm. Sr. presi-
dente da provineia e Dr. eliefe de polieia, que so
*iio aedstumados a conduzlr-se pelas nor mas rigo-
rosas da ju9li';a providenciariam cmveaienle-
mente.
Ainda nao Ccouahi a violoncia, 0 subdelegado
de polieia, que nao estava em exercicio, teuton
obrigar a Manoet de Araujo Birbosa para servir
de eschvao no irtquerito qoe se ia proceder, e co-
rn) este rcsistisse formalmente, porque procurava-
se cohouestar esses factos, calumniandose, foi no
meio da rua amea.;ado com cliicote, e bjindado
com os mais baixos e degradantes improperios.
A autoridade que desce a e.'te terreno nao tem
mais forca moral, e autoridade desmoraJisa.la nao
pole de torma alguma exercer suas flinches,
porque sahio da orbita restricta de seii5 dev'eres,
infringindo as regras de cdncafaa e da lei, e como
tal pode e deve ser repel lido em seas 'tresloca-
m en tos.
Proci*derm 0 inqneito e (estemunhas foram
arranjadas adrede, o quo nao e difllcil, porque ahi
encontram-se individuos, que irahindo mesmo as
suas conscienc***, prestam-ae aos torpes iaeio
daquellas autoridades. qne so sao e#ergias e acti-
vas quando exerciiam vmgancas possoaes.
E' falso, e" falsissimo qoe se tivesse MHtado sol-
tar presos, e isto provar-se ha de modo a eonven-
cer que as autoridades de Serhrhdem nlo tem
mais receio de um desmenrido solemne.
Nada mais hiuve qne a in*gia revolta todoj os esplrllos por mais tleugm'aticos
peK pratica de attentaJo daquella ordeiB, c isto
nao poJe nem deve ser proh'bido.
So em SermhAem |do ser antovidBde Antonio
Pereira da Rocha, porque ahi o maior deteito que
so pode ter 6 ser sebonesto e iadependente, cujos
predicado* uao tem osle, que presla-se machinal-
mente a tudo, uma vez que tenha 03 guardas ne
cossarios para 0 trabalho da sua olaria a ;tista
dos cofres pablisos, ainda ijue a cadea nao seia
guardada.
Se nao houver uma refonna em semelbantes
autoridades, ter se-ha necessaria mente de lamentar
tristes accideotes, porque, sofl'rer-se injastamente
6 inequidade e malvadeza que reelama nma justa
e eaergica reprc-aiia.
Um serinhiiense.
J.ise Luiz dc Mello
Jose Joaquim Ferreira Una
Moraes & Motta
Joaquim Jose da Costa Fajozes Junior
Manoel Jose Bastos Mello
Clemente Nunes pachejo
Goes A Bastos
llemeterio sdaciel da Silva
Gregorio Francisco Sa Leitao
Joaquim Gemioiano de Arruda
Major Antonio Jose Alves de Brilo
Jose" Joaquim Alves (l camarole)
N'uma Pompilio
Joao Ferreira Ramos
Jose da Rocha Siqueira Cavalcaoli
Arminlo & Moreira
Manoel Victor de Jesus da Matta
Thome Lopes de Sena
Soares I.eiie 4 C. >
Araujo Carvalho & C.
Almeida & Viauna
Hyppolito Roberto
Emilio Roberto
Cuslodio Jose Alves Guimaraes
Manoel Macsiral
Luiz Clementino Carneiro de Lira
Braga 4 Pimenlel
Rodrigues Ferreira C.
Souza & Guimaraes
Antonio Jose Candido de Souza
Alves & Mello
Emilio Bedel
Marques & C.
Bernardino Silva Cosla Campos
Guimaraes & Oliveira
Santos Maia & C.
Francisco Jos6 Leile
Bernardino Jose Pereira & Irmao
Cardoso & Freitas
Monleiro Correa \ C.
Guimaraes & Luz
Mendonca & C.
Jose de Azevedo Maia e Silva
Manoel Joaquim Ribeiro
Nelto Sampaio & C.
Joao Antonio de Almeida
Jose Antonio da Costa & S;i
Manoel Nunes da Fonseca
Casimiro Jose da Silva
MeWb A; Silva
Francisco Neve? da Siiva
Ba-ios jSi Irmao
Mooteiro \ Quirino
Jose Nogueira da Silva
Clementino Farias Tavares
Guilherme Porto &. C.
Joao Baptisla dos Guimaraes Peixoto
Franciseo Pereira de Mcndouca-
Marcolino Do^nellas Camara
Antonio Joaquim dos Santos
Antonio de Paiva Ferreira
Moraes & Braga
Moraes & Pinlo
Miguel Ferreira da Costa
Manoel Fraucisco Pocas
Thoinaz Ferreira da Cunba
Balthazar Pinlo de Gouvea
Antonio Jose Gomes de Azevedo
Joao Francisco Ferreira Junior
Ferreira Junior & Rodrigues
Andrade & Maia
Sa Ila nos & C.
Olympio Goncalves Rosa
Goncalves & Irmao
Vianna & C.
Francisco Jose Moreira
J ao Baptista Monteiro
C.ustodio Jose Pereira
V. Ferreira da Porciuocula (l camarole)
Major Mello Rcgo (I dito)
Francisco Ferreira Maia (I diiu)
sebastiao i.opes Guimaraes (I dilo;
D. Rufina Freire (I friza)
njooo
.:*000
34000
2*000
54000
34000
44000
440U)
340O0
2400a
34000
34000
54000
104000
3400O
3400O
340OO
44000
24000
3400."
34000
24OOO
34OOO
54OOO
5400'1
44OOO
54OO0
34000
2,500.1
44000
4400H
3J00o
24OO..1
wm
34000
340U.1
24010
3i00n
2400-1
3400O
440-0
54000
24000
340.. I
2400'.'
3400.1
3,tCW
3(100'
2A00O
34^0"
3A000
64OOU
:$*Oo)
34OO.1
OiiOuo
5f,00'>
2400)
5400O
3#000
3400O
240KI
34O0O
34000
24000
3*000
24000
54OOO
44000
340OI
34000
34000
3*00"
S4OOO
10401W
34000
64OOO
34O0O
241-0"
24000
34000
154000
124000
15*000
154000
84OO0
1194000
----------- o mu.. rare uoojuiiuio ne .ai-ouaoct a niemiia
fazeuios votos para que bons venlos levem olcom que procuraram desvirtuara uarracto quefi
Y Dr. Abel e sua Exma. famijia ao porto de seujde todo o occorrido.
destino. Basta isto para conhecer-
> Em virtude da remocao do Sr. Dr. Abel, assu- a 6 a situacao destes digi
mi a vrtia de direito oSr. Dr. juiz municipal deste
lermo AltV-.l B?aeeto Vaz d'Oliveira, e a muni-
npal o r.pe:tivo suppleale Sr. major Jose" Fran
cis:o de Paula Cavwcaote,
Achainse em andamento os processos Ipslau-
rados contra Joaquim Jose Morojra d'Agliiar es-
cr i-ao do grl, e Mauoel Eduardo tins Wander i falencia...'....
ley,escr|vao de eapellas, por crimes de respoqas-' Prometterem-me cliarnar a responsabilidade, tal
se quao difllcil peno-
dlgnos funccionarios pu-
WlCd*.
As cartas graciosas pubheadas pelo Sr. Joaquim
Peslana nio fazem prova alguma, por que alem de
la pr^starem a uma interpreiacao diversa, Irazem
o cunho da escapatoria, alcm de qne sao de cru-
Geres seus (nao todosj que na i quizgram abxir-ltie
Eleicao
dos juiztvx. juiBan, sorfvfio. es-
crivSes e mais devotos edevo-
(as quo htio de Testejar \o*sn
Seaiaera da Coaeeiefto do Pe-
res, no anno de 1H73.
Juizss por eleicao.
Os lllms Srs. :
Tenente-coronel Francisco Carneiro Ma.-*.-; Bins.
Capitio Jose Caetano de Albiquerque.
Tenente Francelino Carneiro de Lacerda.
Juizas por eleicao
As Exms. Sras. consortes dos lllms. Sr-
Joaquim Gomes Saraiva.
Luiz Comes Silvino.
Lucio de Albuquerque Mello.
Juiaes por devecao.
Os lllms Srs. :
Manoel Tertuliano Pereira da Curalba.
Manoel Carneiro da Cuaha.
Capilao Andre de Abreu Porto.
Juizas por devocao.
A> Exms, Sras. consortes dos Illm- S.-
Malaquias Lagos Ferreira da Costa.
Capilao Jose Buarque Lisbona.
Filha de Jose Lucio Lins.
Escrivaes pc.r eleicao.
Os lllms. Srs. :
Jose Maria da Silva Femandes.
Dr. Manoel do Regos Barros,
Manoel do Carmo e Filho.
Escrivas per eleicao.
As Exmas. Sras. consortes dos Illm*. *-
Bento Manoel Cassulos de Mello.
Caetano Jose de Barros.
Ignacio Esteves Moreira de Carvalho.
Esorivao por devocao.
Os lllms. Srs. :
Antonio Saraiva de Araujo Galvao."
Arquias Lindolpho da Silva Mafra.
Anionio Arrada, professor de Macnje.
Escrivas por devocao.
As Exmas. Sras. consortes dos Ulms. e*s :
Silverio Nogueira Baflos.
Manoel Luiz de Albuquerque.
Constancio Goncalves do Amor Devino.
Mordomos e mordomas todos os devo.os e devo-
las qoe con con-cram para a festa da padroeirs
0 secretario,
Francisco Jose de Sampaic.
0 vigario, Joaquim Jose o Fttrias
Rendiuieuto do esiiect aeulo em
beneflcio do ajardinaiucn&o
da praca de Pedav> IE.
Caieiras.
Pereira da Silva & Irmao 2/000
Francisco Guimaraes & C. 3*000
Almeida Lopes & G. 5*000
Fortunato Ribeiro Bastos ,'>000
Lavra 4 Gratuliano 54000
Antonio F. Nlva o*000
Vianna Castro & C. aAOTJO
Jose Antonto Pereira :.4*0l>
Cerrda & 11 0*000
Domingos Jose Ferreira 3*000
I-oureiro dt C. 4*480
Jose Femandes Lima HifW
Jose" dos antos Oliveira 5*000
Jose dos Santos ;\'atividade (2) lf*0eo
Gra -iliano Marlins. 44000
Pocas 4 Irmio 2*000
Anreliano Luiz Alves 3*000
Joao Barbosa de Lima 9*!
Joao Baptista Telles 2*000
Ponta de Pedras.
Srs redactcres. Lendo a Provineia, foiha que
ahi se publica, n. 144 de 12 de novemhro, depa-
ramos com uma tremenda calumnra atirada acin-
tosamente a nosso digno subdelegado alferes Ma-
noel Antonio Cametlo ; e como somos inimigo? da
mentira, e ainda mais, ferindo a quem devemos o
rest-ibolecimentj do socego deste lugar, somos for-
5dos a declarar que tudo aquiWo que esta escrip-
to nas cotamnas daquelle papeHjo, 6 nma rra sem
fuedamento e so propria dovil mjntiroso -quo
tit notieia mtnisiron.
O fxi-to adnlterado que narrou o tal idiota, acha-
so em poder do juiz neropetente. com todas as
stray circnmsiamaasflminoclostdaaes, e sobre elle
nada dizemos por ser inutil, visto como a sensatez
dos homons de liem nao 6 susceptivel de acertar
taes aleivosias.
As familias desle lugar estao satisfeitissimas
com o nosso subdelegado, pois elle tem procedido
muito regularmente ; nada temem erogam a Deus
a esta 1a da garantia que Dies mandou o msigne
administrador da provineia.
Srs. redactores, o alferes Camello tem procedi-
do com muito lino, nao deixa passar nada incolu-
me. tem energia e segue os dictames da boa jus-
tiea ; c eis porque o calumniam, pois nao podem
mais por em exerucao o que praticavam aqui
conslantemcnle ; hoje pelo contrario vivemos oa
santa paz do f'enhor.
Ate outra vez, sendo que appareca qoalquer
facto que va de encontro a nosso socego, direito e
liberdade, que Ihes promel'.o communicar.
De lembranjas a Provineia de papel.
Uin reaiedio vegetal assom-
broso.
Afinal chegou-se a descobrir na essencia con-
centrada d'um producto vegetal, um efficacisslm >
remedio positivo, contra todas as enfermidades
precursoras da phtysica. A arvore da saiide.
pois que assira verdadeiramente e que se deveria
chamar, da qual se extrabe este inestimavel th- -
souro, e a Anacahuita do Mexico, e o Peitoral dc
Anacahuita de Kemp, forma a preciosa composi-
fao que alcanca sempre a victoria sobre as enfer-
midades inimigas dos orgaos da respiracio. Jama -
houve remedio algun que se fizesse dentro em tao
pouco tempo tio universalmente popular. Os gra-
los leslemunnos dos cora^oes agradecidos, que
padeceram de tosses, espuinencias, rouquidao, in-
tlammacSo do peito, Bronchites, asthma, catarrhos
constipacoes, phtysica, etc., se recebem cada dia
aos centenares, de todas as quatro partes do
mundo.
Pergunlas imiiortanlisimas
para os euieriiios.
Se por acaso visseis quo um perigo emioec;'
vos aoercava, esperarieis voluniariamente que o
seu contacto ineviiavel vos privaase da vida f Se
uma grande e calamitosa inundacio vos amea
i;asse, por entura ficarieis quedos e traoquili -
ate que a mesma vos viesse arrebatar t Por eerto
que oao I Sabei, pois, que, se nao fazeis caso de
uma tosse, de u"n catarrho ou de uma dor de gar-
gania, isto poder-se-ha tornar lao fatal como um
incendio ou uma inundafio. Cada um access
ou paroxismo violento de losse, e um golpe que
debuita eproslra vossa vida. gede, pois, prudea
tes eprecavidos coutra o perigo, munindo-vos kc-
mediatameate do maravilhoso Peitoral de Anaca-
huita. Em suas qualidades calmantes e salutii-.--
ras se encontra a verdadeira seguranca-ea i>ro-
pria vida. Nem a tosse, nem as inflammacoes 6
garganla, nem as constipacoes e eaurrtios, nem a
asthma, nem a irrilacio dos pulmdes, tinalmeo:-
nenhuma enlermidade pulraonar, precursora da
plitysioa continuada, podeai resislir a sua pode-
rosa mllueocia curativa ; o seu poder e immeasc
e seu valor e impagavel.
Para todos.
A casa mortuaria de Paula d Mafra con-
tin Aa a bena servir ao publico, era'quantos
seus proprietaries ou sSo deferidos no ro-
eurso que .iuterpoetn ao conselho d'estadu
contra o monopolio conoedido a outretn, ou.
sao a contento indemnisados pelos monofio-
listas. E para quo ningoem se illuda a res-
peito, scieottficamaoresDeitayel publico que
sb acham providos do material necessario e
com carro6 novos.
*
1MMEBM1S
OJAIPANHIA-
Phenix Peralwiibuoaiia..
Torna risoos marititnos em mercadorii.
iretos, dinheiro a risco e ftnalrnente de qufll-
Ji


nniunB (
[ IfEfVEL



X*.'
Di;irio dePeraaffltMK& S&bbftdo* 13 de Bezemoro de 18?d.

)
.*
quer natura, em vapores, naiios 4 vela on
harcacas, a premios muito raodicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
SEGUROS
NARITINOS
CONTRA O FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabetecid*
aesta praca, toma seguros marititnos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em e-liticios, mercadorias e mobilias: ne
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
COMPANHir ALLIANCA
seguros maritimos e terres-
tres estabelecida na Bahi
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0005000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro <
ico maritimo em navio de vela e vapore*
para dentro e f6ra do imperio, assim conu
contra fogo sobre predios, generos e fa-
rondas.
Agente : Joaquim Jose* Goncalves Beltrao
rua do Commercio n. 5, 1* andar.
Seguro conlra-fogo
TUE LIVERPOOL & LONDON* GLOl
INSURANCE COMPANY
Agentes *
SAUNDERS BROTHERS* C.
11Corpo Santo11
NORTHERN.
Capital..... 20,000:00000l>
fundc de roserva. 8,009:0005001
Agsntes,
Mills Latham & C.
RUA DA CRUZ H. 38.
PRACA DO RECIFE 12 DE DEZEMBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HOHAS DA TARDB.
Cota$Se>s ofilciaes.
Algodaode 1" sorte 8JJ0OO per 15 kilos, hontem
c hoje.
Algodio-do Goyaiuia 1* sorle 75600 por lo kilos.
Cauibio sobre Londres a 90 div. 26 3i8 d. por
14000.
Gambiosobre Portugal a 90 d[v. lOi 0(0 de pre-
inio.
Cambio sobre o R o de Janeiro a 30 d|v. 1 0[0
de desconte, honlein.
Uuoourcq
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
'dem do dia IS.
VOLUMES SAHIDOT
U52|10S
8*106
13,579
No dia 1 a 11.
3riraeira pofta
Uganda pc>rta .
Tbrceira poria .
Quarta porta .
fi apiche Conceicao
I If -
SERVigO MAR1TWD
U\arengus descarregadas no trapieht ml
alfandega do dia 1 a 11 20
No dia 12 .
Ya\os atracados no trap, da aittndefB 1
Alvarenras .
So trapfcfc* Conceicao
OB
-tBQEBBDORa DE RENDAS 1NTBRNAS
RAES DE PERNAMBUCO
Aendimento do dia 1 a 11. 28:216*964
dem do dia 12..... 2:045*940
20:281*904
CONSULADO PROVINCIAL
-tendiraento do dia 1 a 11. 69:561*298
Idem do dia 12...... 15:480/269
if-f'v 85:041*564
ALFANDEGA
*audimento;do dia I-a 11. .
idam do dia 12
470:7654-103
35:978*147
506:7434452
MOViMENTO DO P0RT0
-" ------------- I-
Navios entrados no dia 11
Mamanguape14 horas, vapor nacioaal Curunpe,-
de 222 toneiadas, commandante Santos, equipa-
gem 17, carga dilferentes generos; a companhia
pernambucana.
Rio de Janeiro eBahia 5dias, vapor-francez Ery-
manlhe, de l,3i3 toneiadas, commandante Ge-
rard, equipagem 91, carga varios generos; a
Herysmaadi \ LabHIe.
Trieste -64 dias, lugre inglez Clackmacud&m, de
237 toneiadas, capitao A. M. M. Stanimy, equi-
pagem 9, carga 2.900 barricas com farinha de
trign ; a ordem.
Navios sahidos no mesmo dia.
Portos do sul -Vapor nacional Paid, commandan-
te capitao tenente P. H. Duarte, carga differenles
generos.
New York -brigue inglez Bertha Carrington, capi-
tao A. E. Guilbert, carga assucar.
New-York -lugre inglez Ann Stpltia, capitao W.
Crocher, carga assucar.
Havana -Vapor italiano Glcnsennox, commandante
Capella, carga mantimentos para os passageiros
que trouxe de Macau.
LiverpoolVapor inglez Student, commandante......
carga algodao e outros generos.
EtfiUttL
Faculdade de Direito.
Descarregara hoje 13 de dezernbro.
Vapor nacional Curunpe varios generos na
cionaes para o trapiche da companhia
pernambucana.
Barca portugueza Arabella lageamento para o
trapiche Conceicao, para despachar.
Brigue portuguez Sobe>-ano -pedras para o trapi-
che Conceicao, para confe'rir.
Barca ingleza Jane Maria mercadorias para
alfandega.
!:irca ingleza Bora mercadorias para alfan-
dega.
i'.dacho nacional laboalao keruxsna para o
trapiche Coneeicac, para despachar.
Brigue italiano Noemi carvao de pedra ja
despachado pat a o caes do Apollo.
Import tM/tlo
Vapor nacional Cururipe, entrado de
Mamanguape, consignado & companhia
Pemambucann de navegwcao costeira por
vapor, manifostou :
Algodao -280 saccas a l-'ernnndos da Costa
& C, 40 a Jose S. Loyo Sobrinho. Assucar
160 sar-cos a Saunders Brothers 4 C.
Couros salgados 450 a Rabe Schatnelteau
%C.
Pazenda 1 caisa a Conceives & Irmao.
Milho 50 saccas & ordem.
Lugre inglez Clacknacndden, entrado de
Trieste na mesmadata e consignado a Phipps
Brothers & C, manifestou :
Farinha de tngo 2,900 barricas aos
tonsignatarios.
OESPAGHOS, DE EXPORTACAO NO DIA 11 DE
l)E/.ERO DE 1871.
Pini os portos 4o exterior.
No vapor inglz Student, para Liverpool,
earragaram S. P. Johnston 4 C. 1 caixa com 5)
ibacachis ; J. Pater & C. 115 saccas com 9,874
kilos de algodao.
No brigue hespanhol Salvidor, para Barcel-
ona, carregaram : P. Garneiro & C. 23 saccas
coot 1,721 1(2 kilos de algodao.
Na p ilaca hespanhola Mercelita, para Bar-
celona carregaram : P. Carueiro & C. 17 saccas
com i,261 l|2 kilos de algodao.
No navio inglez Coila^ para o Canal, carre
garam : S. Brothers & G. 1,650 saccos com
123,751 kilos de assucar mascavado.
Na barca franceza Vilte de Frontingnau, pa-
ra o Ganal, carre/aram : E. A. Burle & G. 3,000
saccos com loO.oOO kilos de assucar ma-cavado.
Na barca portugueza Gratidao, para Lisboa,
carregou : A. Gordtiro 100 saccos com 7,500
kilos de assucar mascavado.
No navi > nortuguez D. Anna, para Lishoa,
^.arregoa : A. C rde.ro 303 volumes com 25,354
1(2 kilos de a-sucar mascavado, 300 saceos com
22,500 ditos de dito someaos, 267 voluues com
20,993 !|2 ditos de dito branco
No brigue americano Galino, para S. Mi-
jiael, carregaram : J. dos Saoto- e Silva 58 volu-
mes com 3,312 1(2 fctlos de assucar branco e 152
tiit-is cm 13,577 l|2 ditos de dito mascavado;
I.. Rotelh i Ambar 1 barrica com It ditos de cafe" e
I dila com 40 ditos de assucar branco ; J. A. Leal
30 volumes com 480 litres de aguardente.
Para OS portoi do nilxiun
Para u Rio de Janeiro, no vapor nacional
Para, earregara n ; A, F. Saiitiag>> 2,500 cocos
(fruota) ; B do Rego Barros 6 barricas com 390
kilos d assucar brasco ; Amorim Irmaos 4 C.
210 saccos com 15.750 diioa de dito ; para a Ba-
hia, P. Garneiro C. 200 ditos com 15,000 ditos
de dito.
= Para o Acaracu, no vapor nacional Pirapa-
via, carregaram ; Pernandes 4 Irmao 36 barrj-
iiiinlias com ',079 kilos de assucar branco e 7
cascos com 2,2 8 litres de aguardonte ; Sa Leitao
Irmaos 2 barricas com 170, kilos d* assu ar bran-
-3 ; para o Aracaiv, S. Junqueira & C. 10 ditas
in 6,14 droa de dim fefinado.
Para o Aracaiv, no hiate national Qraciosa,
oaj*flaraio : Cawwro 4 C. 10 barris com 1,350
iitroaae m.e.1,.
Jhiri o Rio*ferad dp Sul, no brjgue bra-
yieiioiP954, earr-tiram : Ainorim Iriaaos 4 C.
ijfpit.irric.is com A 2.4,7 J kilos do assucar branco.
Para Macetp, no htate brasileiro Le.nilla,
ftirMgnram ? J. ThaP'< d Millo 4 C. 2 pipas
10 WQ lilros d aguardonle.
Para o Ceara, na b^tniu Filnmcna, carre-
*ram : 1 M. d Barroa ffilhos 4 C. 1 barrica
com 6.i k'.io* de assucar branco.
Para Mirid, ni bareaca Silrina, carrega-
ram : Mouteiro 4 Pornan les 2 barricas com 134
kilos de assucar bram-o.

C.KPMtAXlA
tlendimenu do dia 1
O a ALFANDBGA
ali
-8;IB3*8
De ordem do Exm. Sr. director se faz publica
a lista dos estudantes examinados em linguas no
proximo findo mez de noveaabro, cujo resultado e
o seguinte :
Lutim.
Approvado com disiin^ao.
1 Miguel de Souza Burgos Leal Gastello Branco.
Approvados plenamente.
2 Alvaro Lopes Machado.
3 Antonio Ferreira de Hello Santiago,
4 Antouio Ibiapina.
5 Antonio Pedro de Cysneiro Gosta Reis.
C Antonio Rogerio de fioaveia Freire.
7 Eduardo Augnsto de Araujo Jorge.
8 Francisco Gomes Leopoldo de Araujo.
9 Joao Ferreira da Silva.
10 Jose Fernaniesde Salles Jorge.
11 Miguel Alves Feitosa.
12 Sofronio Eutiquiniano da Paz Portella.
Approvados.
13 Alvaro Barbalho Genoa Cavalcante.
li Antonio Alves da Silva Accioli.
15 Antonio Ferreira de Novaes Hello.
16 Antonio Luiz de Araujo Maciel Sobrinho.
17 Antonio Rabello Quiniella Gorea.
18 Antonio da Trio ia 19 Archimedes Cavalcante de Albuquerque.
20 Epiphanio Fran jsco de Sampaio.
21 Fausto Tert'iliarm Bandeira Freire.
22 Florismundo Turres Gallindo.
23 Franci^ce Domingues da Silva Nelto.
2i Francisco Lins Ayque de Meira.
25 Prancisco Lins Ozorio.
26 Gabriel Gercalis da Camara Gondim.
27 Izaias Beilino dos Sautos Andrade.
28 Jayme de Albuquerque Rosa.
29 Joao Carlos da Silva Guimaraes.
30 Joao Pedro Bandeira de Mello.
3t Joaquim Pereira do Rego.
32 Julio Augusto de Lemos Freire.
33 Mauoel Alves Villela.
3t Manoel Candido Ribeiro de Menczes.
35 Manuel Gyridiao Buarque.
36 Manoel Clementino da Gonceicao Monte.
37 Manoel Falcao de Azevedo.
38 Misael Domingues da Silva.
39 Nilo Gahete Pereira de Andrade.
40 Pedro.Gelestino Fehcio de Araujo.
41 Sergio Florentine de Paiva Meira. r
42 Silverio Fernandes de Araujo Jorge Filho.
Foram reprovados 71 com attestados 14 do ba-
charel Antonio Columbano Seraphico de 'ssi*
Carvalho ; 11 de Jose Francisco Ribeiro de Sou-
za ; 10 do bacharel Jose" Diniz Barreto ; 7 de Al-
biLO Goncalves Meira de Vascono-llos ; 5 do ba
charel Francisco Jose Rabello ; 5 do padre Felix
Barreto de Vasconcoilos; 3 do Dr. Augusto Car-
neiro Monteiro da Silva Santos; 3 do bacharel
Leonardo Francisco de Almeida ; 3 de Manoel Al-
ves Vianna ; 2 do bacharel Manoel Francisco de
Barros R 'go; 2 do pad e silve-tre Jose da Rocha
Pinto ; 2 de Fr. Automo do S. Camillo de Lelles ;
2 do Felix Joaquim Ferreira de Carvalho ; 1 do
bacharel Bzeqmel Franco de Sa ; e 1 de Gandido
Jose Lisboa. 12 nao c<>mparcceram a prova oral
e 33 as chamadas.
France:.
Approvados com distinccao.
1 Joaj Ferreira da Silva.
2 Miguel de Souza Burgos Leal Castello Branco.
3 Silverio Fernanles de Araujo Jorge Filho.
Appmvados plenamente.
4 Adolp'io Alves-Sundes Barbosa.
5 Alf-edo Alves SnnoVs Barbosa.
6 Antonio Ferreira d Mello Santiago.
7 Bernardino Cavalcante de Albuquerque Ma-
ranhao.
8 Carlos Buarque de Macedo.
9 Gezidio de Albuquerque Martins Pereira.
10 Diomedes Tneodoro da Costa.
11 Epaminnnda* da Costa Travasso.
12 Finnioo PacQeco Soares da Silva.
13 Jayme de Albuquerque Rosa.
14 Jose Goncalves da Ainu iuerque.
15 Miguel Aiv--s Feitosa.
16 Numeriano H >nprio de Serpa Brandao.
17 Ocavjano Goutinno Espindola.
18 R ivmundo Nina Ribeiro.
19 Sergio Florentiuo de Paiva Meira.
Approvados."
20 Abili j F-rreira Baltar.
21 Adolpho Moreir i Gomes.
22 Alfredo H-cHiiterio Ribeiro.
23 Alvaro Karbalho OcWia Cavalcante Junior.
24 Alvaro Barbalho Uchpa Ca alcante.
35 Alvaro L'ipes Machado.
26 Amaro Rodrigues de Albuquerque e Figue
redo.
Aoizio de Carvalho Paiva.
Auiunio Cezariu Ribeiro.
29 Antonio Cieiueuuno G >elho Catanho.
3 Antonio Ferreira to Novaes Mello.
31 Antmio Ibiapina.
32 Antonm Jose Freire
33 Antonio Paciflco de Lima,
34 Antonjo Piro ,Je,G|s4iairo C s|a Reis.
35 Antodjo Rab- il i Quniiell.i Correa.
36 Antonio daRiolia H.ilandi Gavalcante.
37 Antonio itogeriu d# Gimvei Fraife.
36. Aatonk> da Sjlva Pess,),.
39 Arthur Bezerra de Mmiezes.
40 Augusto Net to de Mrndonca.
41 Christ ivao Breck-nl>ld Vieira da Silva.
42 Cosm^ Augo > Peryira da Lnz.
43 Dinamerico Augusto do Rego Rangel.
44 fdelbeiio Licinto da a%U Capello.
4rS JWfirdu \ngo-H de ARjujo Jorge.
fwrdp 01 > inpio Ferira Barbosa.
Kmilio Ambrosia Marihho Falcao.
^SrmnoBdas Pratteisco Nogueira.
49 Epiphanio Francisco ttspaio.
10 Fausto Tertuliano Ban leira Ferrer.
, 8t Firmo Antonio Dourado
82 Fortunato Augusto da
Ul3 Florismundo Torres Ga
84 Francisco Domingues da Silva Netto.
Francisco Goncalvfflo Rego Barros.
Francisco Gomes Leopoldo de Araujo.
57 FranWWJBgiiiim da Silva.
38 Francisc^Mpoldo Mariplio de Souza.
FraMfeMHins Ayque de Meira.
60 Francisco do Rego Barros.
61 Francisco da Rocha Santos.
62 FrancMcoSalu-tiano do Oliveira Costa.
! Assis Garvaloo.
Gi Francisco Tilloso da Silveira Telles.
63 GabjMI Getcaliz da Camara Gondim.
fin Gibriel lldi'fonso das Neves Cardoso.
67 Genesio dfc Suuza Campos Barros.
08 Gregorio Magno Borges da Fonceca.
69 noDorio dB Oliveira.
70 Ignacio da Gusta Britto.
71 IzaiaajBaUbo dos Santos Aranda.
72 Joao IJ[Hila de Mello Peixoto.
73 Joao Gmbl Accioli.
4 Joao Hraf8hegildo de'Gouvea Moura.
8 Joao Pelippe de Souza Leao.
"78 Joao de'Oliveira.
77 Joaojlo Pratio Mizael Baptista,
78 JoaoSeferlno Ferreira Velloso.
70 Joa |unn Ayres da Silva Costa Filho.
80' Joaquim Raphael de Mello Sobrinho.
81 Jorga Jacome Tasso Filno.
82 Jose de Amorim Paes Barreto
83 Jose (Cavalcante Ribeiro da Silva.
84 Jose Emyffiw Goncalves de Lima.
83 Jose Francisco do Rego Rangel.
86 Jose Gomes Leal Netto.
87 Jose Hilario da Silva Gosia Cesar.
88 Jose Moreira Alves da Silva
89 Jose Netto de Siqueira Cavalcante.
90 Jose da Silva Ramos Neves.
91 Jose Tavares da Cunha Mello.
.92 Jose Theophilo Gomes de Mello.
93 Julia Augusto de Buna Freire.
94 Jovmiano Lamenha Lins
93 Lawindo 'ristoteles Garneiro.
96 Leopoldo Marinho de Paula Lins.
97 Leimaedo Pereira Maia Vinagre.
98 Luiz Antonio Ferreira Gualberto.
99 Lniz Barbosa do Siqueira Maciel.
100 Manoel Gandido Ribeiro de Menezes.
101 Manoel Gavalcauie Ferreira Melto Junior.-"
102 Manoel Maria de Araujo.
103 Manoel Paes Barreto Pereira dos Santos.
101 flannel Ramos de Araujo Peroiral
103 Manoel Rodrigues de Albuquerque FigueireJo.
106 Mmoel Rodrigues Leite linbuzeiro.
107 M.ircolinu Dornellas Camara Junior.
108 Miguel Nunes Vianna.
101 Misael Domingues da Silva.
I 0 Nilo Caiiete Pereira do Andrade.
111 Palrino Moreira da mIv.i.
112 Paul i Marlins Pereira Mouteiro.
113 Pedro i>!e-tino Ffelicio de Araujo.
114 I'erounio de Abreu Lima Figueirfido.
115 Socundino Epiplnnio Mauricea.
i'6 Tobias Cesar de Andrade.
117 Theodisto Aristliu > do Souza Castro.
118 Theophilo Modesto Soares.
ii9 Vicente Lilieralrno do Alliuquerquc.
120 Virgiliu Ramos Gwdilho.
Foram repmvailos tOI cora attes|ados 23 do
bacharel Antoaio Columbino Seraphico de Assis
Carval ,o, 19 do Dr. Gandilo Jose Casado Lima, 9
do bacharel Franciso Jose Rabello, 9 do bacharel
Fortunato Raphael dos Santos Uittencourt, 8 do
Dr. Augusto Garneiro Monteiro da -ilva Santos, 6
de Antonio Marques de Amorim, 6 de Jose Fran-
cisro Ribeiro de Souza, 3 de Manoel Alves Vianna,
3 do professor Antonio Jose de Moraes Saroiento,
t de I'rei Antonio de S. Gmiillo de Lelis, 2 do ba-
Charel Manoel Francisco de Barros Rego, 2 do pro-
fessor .-'ebastiao Antonio de Albuquerque Mello,
I do bacharel Jezuino Lopes de Miranda, 1 do pa-
dre SiWestre Jose da Rocha Pinto, 1 de Anacleto
I'ublio de Moraes Gu vnlho e 1 de Gaurino Gon-
calves Albuquerque Silv.i. Nao compareceram a
prova oral duus, e treze as chamadas.
fnglez.
Approvados com distinccao.
AHonso Jos6 do Mendonca Junior.
Miguel de Sonza Borges Leal Castello Branco.
Approva-los plenamente.
Alvaro Moreira de Oliveira Lima.
Annib.il Aureho Falcao.
Antonio Ibiapina.
Antonio Pciitco de Lima.
Felix Joafuim Daltro Cavalcante.
Francisco Francino Alves de Agniar.
9 Francisco Salusliano de Oliveira Costa.
10 Ignacio cle Rarros Barreto.
It Jayme dc Albiifiuer(|ue Rosa.
12 Joao B.iptista de Mello Peixoto.
13 loio. Pedro Bandeira le Mello.
14 Manoel Eugenio la Rocha Samiee.
13 Romulo Romano topple da Silva.
16 ^ilverio Fernandes de Aiaujo Jorge.
Approvados.
17 Obdnn Felinto Milanez Junior.
18 A'Tonso Jos6 do'Oliveira Peixoto.
19 Afrodizio Vidigal.
20 Alvaro Lopes Maclndo.
21 Antonio Alves ua Silva Accioli.
22 Antonio Gesario Ribeiro.
23 Antonio Luizde Araujo Maciel Sobrinho.
24 Antonio Rabello Quint-lla Corrga.
23 Ueiito Manoel Ribeiro Garneiro Monteiro.
26 D.ivino Nomisio de Aqulmr.
Christovao Br-ckeufel I Vieira da Silva.
Eduardo Correa do -ego Barros.
Ernesto Marques da Silva.
Felippe Alves de Oliveira.
Francisco Alves de Souza Carvalho.
32 Franci-co Josd Rabello Fflh...
33 Franklin Eugenio de Magalnaes Seve
34 Genezio de Souza Campos Barros.
35 Guilherme Austarco.
36 Henrique Domingues da Silva.
37 H.norio cle Barros Wanderley.
38 llonorio de Oliveira.
39 Ireneo Lima Verde.
40 Joao Capistrano Ribeiro de Souza.
41 Joao Felippe de Souza Leao.
42 Joao Gualberto Gomes de Sa.
43 Joao Zeferino Ferreira Velloso.
44 Joaquim Ayres da Silva Costa.
45 Jose Antonio Wanderley Junior.
46 Jose ardoso lvim da Silva.
47 Jo-e Francisco dos Srnlos Alueida.
4^ Jo e de Mendonca Mattos Moreira.
49 Juiiao Tenorio de Albuquerque.
0 Litto Clotides de Azevedo e Silva.
51 Liodclpho Isbello Correa de Araujo.
52 L ureoco Justiniano Tavares e Hollanda.
53 Luiz Francisco de Paula Mesquita.
54 Malachias de Lagos Ferreira Costa Junior.
55 Manoel Maria Tavares da Silva.
56 > anoel Ramos do Araujo Pereira.*
57 Marcolino Dornellas da Camara Junior.
58 Miguel'Alves Feitosa.
59 Misael Domingues da silva.
60 Pedro Celestino Felicio de Araujo.
61 Pedro Nulasco dos Reis Lima.
62 Sergio Florentino de Paiva Meira.
63 Thelesphoro Gomes de Araujo 64 I'hemistocles Pompeu de Albuquerque Figuei-
reJo.
65 Turiano Lins Meira Vasconcellos.
66 Victorino de Paula Ramos.
Foram reprovados 78 com attestados24 do ba-
charel Auton'o Golumbano Seraphico de Assis Car
valho, 14 do bacharel Fortunato Raphael dos Santos
Bittencourt, 9 de Antonio Marques de Amorim. 8
do bacharel Cicero Odon Peregrino da Silva, 5 de
Joso Francisco Ribeiro de Souza, 4 do Dr. Augnsto
Carneiro Monteiro da Silva Santos, 4 do padre Sit
veslre Jose da Rocha Pinto, 3 do bacharel Fran-
cisco Jos6 Rabeljo. 2 da Manoel Alves Vianna, 1
do bacharel Ayres de Albuquerque Gama, I do ba-
charel Jorge Dornellas Ribeiro Pessoa, 1 do pro
fessor Sebasiiao AnJonip de Albuquerque Mello, 1
de Anacleto Publio de Moraes Carvalho e 1 de
Goncalo de Almeida Souto. Dods tteiitaram de
fazer a prova oral e oito nao comparecerem is cha-
madas.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife, i
de novembro de 1873.
O secretario,
Jose Honffrio.Begen.ra.de Meneges.
faz publico que as 11 horas da roanlCi do dia 16
do cor'rente se ha de arrematar" litres-de direitds
Aauieitas ao iilB|tosto da capatazfa, as mercadorias
amlxo dcolaradas, annunciadas a consumo por
eoital n. S9, e que deixaram de ser despachadas
dentro do prazo marcado.
Trapiche Conceli;ao.
Marca CM 50 saccos com fareilo, vindos de
Liverpool na barca portuguera Nooa Sympathia,
uescartflgadas em 12 de agosto p9ado, ptsando
1.9S0 kilos, avaliados por 2tli680.
8am marca 1 grade com plantas saccas, vindas
do Porto no brigue pnrtaguez Recife, descarrega-
da em 29 de setembro passado, sem valor.
Alfandega de Pernambuco, 11 de dezembro de
1873.
0 inspector,
_ ________Fabio A. de C. Reis.
Cxnnnaudo das armas
O Sr. alferes honorarlo do exercilo Joao Rodri-
Sues & enamado ao quartel general para objecto
e servico.
E' tambem chamado o ex-voluulario da patria
Finniaao Jacintho de Souza Barros, que esteve no
asylo de invalidos da patria, afim de dar esclare
cimentos queaao exigidos pela reparticao da guer-
ra com relacao ao seu requerimento datado de 7
de junho de 1872
Sacretaria do eommando das armas de Pernam-
buco, 12 de dtfiembro do 1871.
Francisco Ganiello Pessoa de Laeerda
Tenante-corpnal seqratario.
1
2
3
4
S
6
7
8
27
28
29
30
3i
Saoia Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, '. mpeteritemente aotorisada
pela presidencia, em data de- 3 de setembro do
anno proximo fiad o^e de cortufrmMade com o que
Jispoe o 9. art. 52 de seu com romisso. per-
muta por apolteesda divida publica a fazenda de
criar gados que possue o patrimonio dos esta-
belecimeatoft de caridade a seu cargo denomina-
da Camiuba sita no terme de Flores dbsta
previncla, com terrenos para eriar e plantar, e
com algum gado cavallar e vaccum.
Ttecebe para isto pronostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 10 de outabro de 1873.
0 escrivao,
__________ Pedro Rodrigues de Souta.
GONSCLADO PROVINCIAL
Pela nesa do comulado provincial se avisa aos
devedores da Contribnieao indemuisadora dos ap
parelhos e servico dos raesmos relativo ao pri
meiro semesire de 1872, pertencentes a compa-
nhia Drainage, que a arreeadacao proveniente
dos referidos debitor ja liquidados com a multa
de 9 0|(). cuntintia i ser cobrada nesta reparticao*
com o prazo da 60 dias, segundo determinou o
lllra. Sr. inspector da thesouraritr per portaria de
haje datada.
Consulado provincial, 1 de dezembro de 1873.
Antonio Carneiro Machado Rios,
__________________Administrador. _______
-0 aiministrador da recebexloria dc reu-
das internas geral faz publico quo, era virtu-
dedadisposicaodo art. 12 eda ultimi parts
do art. -22 ila lei do orcamento vigente n.
2,348 de 25 de agosto ultimo, a multa de
que trata o art. 30 da lei n. 1,507 de 26 de
setombro de 1867, que e de 6 /0 ^ que es-
tao sujeitos os seguintes impostos, a saber:
deciioa addicional, imposto pessoal, dito
sobre industrias e proiissoes e taxa do es-
cravos, serA" elevada a 10 %, do dia 21 do
corrente cm diante, pelo que pre vine a to
dos os contribuintes dos rel'eridos impostos,
relatives aoexercieio de 1872 a 1873, em
liquidagao, quo somente ate" ao dia 20 des-
te mez e que podem e devern realis r o pa-
gamento ou em mao dos cobradores ou nes
ta recebedona, certos de que se nao fizerem
ate ao ref'riao dia 2D, serao obrigados a
pagar judicialinente es supraditos impostos
Jra a multa de 10 /0.
|t.ecebi-fioria de Pernambuco, 1 de dezem-
o- de I.&73.
Manoel Carneiro de Souza Laeerda.
tautado.
- De ordem da directoria se faz publico ao
professor de instrupoao etemeniar da pj.vaacao da1,
Vicencia, Henrique Clorindo Taylor, que sa achjii
marcado o dia 15 do corrente mez para o seu-'
comparecimenjo nkta reparlJciR, pelaa J2 hor si
da i anha, afim de ser interrogado sobre o faptd
lo abandono de sua eadoira, se'gabdo commnnicou
i raspflctivo delegado litterario am offleto de 4ft
de junho deMe anno ; o qm as.faz ppfelicq jwio
areseoie, \-\ r-se a rea^encja.^^jj^
Secretaria da iL;truccio pubrjea de Pernaobix- ^af^ .moi^0-
; 10 de uezembro da 18M. oc.e de 0,aba- _,
tftsJWi4tje, Farinha de niftadjoc*.
Joaquim Peffirjt la$*{* i G^i K4IU1 m. !. LeX^has,
Pela iuspectoria da alfandega.do Pernambuco sc Laranjas.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A junta administrativa da s^nta casa da misc
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to dos generoi "abaixo declarados, que tem de con-
sume os estabe.'ecimeutos pios a sen cargo, ex-
ceptuando o hospital Pedro II, no trimestre de Ja-
neiro a mareo do proximo anno de 1874. Rectbe
propostas na sala de suas sessSes, pelas 3 horas
da tarde do dia 18 do corrente.
Aletria, kilogrammo.
Aguardente. btro.
Azeite doce, idem.
Arroz do Maranhao, idem
Bacilhao, kilogrammo.
Ban' a oe porco, idem.
Batatas, idem
Gha hysson, idem.
Gafe em grao, idem.
Girne secca, idem
Gebolas, c uto
Farinha de mandioca da terra, litre.
Feijao mnlatinho, idem.
Fareilo, sarco.
Fumo do Rio, kilogrammci.
Gaz. lata.
Milbo, sacco.
Manteiga franceza, kilogramme.
Pota-sa. idem.
Rape, idem.
Sabao, idem.
Tapioca, idem.
Toucinho, idem.
Velas de carnauba, kilogrammo.
Vinagre, litro
Vinho tinto de L'sboa, idem.
Vinho branco, idem.
Velas stearinas, kilogrammo.
Sal, litro.
A junta administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to de pao e bolacha que tem de consumir todos os
estahelecimentos pios a seu cargo, no trimestre de
Janeiro a marco do proximi anno de 1874. Rece-
be propostas na sala de suas sessSes, pelas 3 ho-
ras da tarde do dia 18 do corrente.
Manteiga ingleza.
Manteiga franceza.
Macmellada.
Macarrao.
Paesde 114,762 grammas.
Paes de 125 grammas.
Sal.
Tapioca. *,
Toucinho de Lisboa. ^i
Vinagre de Lisboa.
Vinho do Porto. *
Ovos.
Todos estes generos devern ser da qoalidade
a carae verde nao leve center no peso que se
Sedir mais do qninto em ossoSj e to Jos sao medi-
os e pesados pelo system a nltimamente adoptado.
Contrata ainda o mesmo hospital e para o re-
ferido trimestre:
Saaguesugas de Hamburgo.
Lavagem e concerto de roupa.
Contrata se igualmente o lomecimento dos ob-
jectos abaixo declarados, para o expediente da
repartifao, a saber :
Penas d'ae.o Perry, caixas.
Lapis.
'ane"tas.
Canivetes.
Papel greve pan
Papel liso.
Pftpel Jesii.
Obreias, paes.
Tinta violeta da terdadeira.
Gomm'arabica, frasco.
Envelope para offlcios, cento.
Papel matta-borrao, iiderae.
As pessoas qua quizerera fornecer os objeetos
acima mencioaados, a.jresentem na searetaria do
fiesmo hospital, no_^dia :16 do corrente rnez, pelas
0 horas oa manha, suas propostas em cartas fe-
chadas, e as respectivas amostras.
HCspitalniflilalde Poraambuooj 11 de dezembto
de 1873.
0 escrivao
.___________Avelino Pereira da Cunha.
Pela admicistracao d js correios desta pro -
vincia se convida a pessoa que botou na caixa do
correio, no dia 10 corrente, com destino a Macei6,
nma carta dirigida a laaac Ta fares Costa, a com-
parecer na mesma administraoao, aflm de verifi-
car-se uma duvida sobre a referida carta.
COMPANHIA
DOS
TKILHOS URBANOS
BO
Recife a Olinda.
EJtebcribc.
Esta companhia contrata com quern por
menos o fizer, a collocacSo de 40 a 50 pos-
tes, de madeira de qualidade, como seja :
embiriba preta, sapucaia ,etc, para fio telo-
graphico da cstac,ao da Aurora a Encruzi-
lhada, com 25 a 30 palmos de altura e 5
pollegadas dogrossura. Com a respectiva
gerencia se entenderao os proponentes.
Alem dos trens da tabella em vigor, bave-
ra nos saboados, ds 9 1/2 horas da noite,
trem para Bebenbe, tocando em todos os
pontos.
0 gcreute,
Laurentino Josi de Miranda.
0 presidente da assemble'a geral desta
companhia tnand, scienttficar flosaccionistas
que por circumstancia imprevista, c quasi
total falta do numero, (teuton do funcciouar
a assembiea no dia 10 do corrente, ficando
a sessao adiada para o dia 13 deste mesmo
mei, as 4 horas (la tarde no lugar do costume,
e funccionara dita assembiea com o numero
previsto no art.. 11. dos estalutos.
Recife, 11 de dezembro de 1873.
0 secretario,
Luiz Lopes Castello Branco.
Pela naesa <1j< consulado provincial
Sociedade patriotica Doze
de Setembro
ExposicAo agrfeoU.
Sao convidiidos os membros da f Hm* jlesla
sociedade e os das commissSes norrieadas para dar
parecer so5re os productos a reunirera-se no edi-
ficio da exposicao, aJim de constUulrfO^f lury
que tem dc julgar os productos e cAnfeYir pre-
mios doinmgo 17, as 10 horaa da intiJU.
Lamenha Lins,
1.* secretario.
209*000
'1-21*000
A junta administrativa da santa casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar o fornecimento
de assucar refinado que tem de consumir todos os
estahelecimentos pios a seu carg >, no trimestre de
Janeiro a marjo do proximo anno de 1874. He;e-
be propostas na.sala de suas seesoes, pelas 3 horas
da tarde de dia 18 do corrente.
A junta administrativa da santa casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar o fornecimento
de carne verde que tern de con&umir toios os es
tabeiecimentos pios a seu cargo, no trimestre de
jaoeiro a marco do proximo anno de 374. Re-
eepe propostas na sala de suas sessaes, pelas 3
horas da tarde do dia 18 dp corrente.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 10 de dezembro de 1873.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Souza
Hospital militar
Precisa-se contratar para as dir-tas dos doentes,
e racfies dos empregadoB do mesmo hospital o for-
necimento djs generos abaixo dedarados, durante
o trimesue de Janeiro a raarfco de 18J4, a saber :
Ahyrja,
Araruta.
Af roz pilado-
Assuiar refinado.
*p" iflglezas.
Bolachas.
Bolachas inglezas.
Bananas,
iscoutos.
jroB de vacca.
aiie, secca.
Cha hysson.
se faz publico que fo4 prorogado por mais
30 dia, de conformidade com a portaria do
film. Sr. inspectorda thesouraria provincial,
dc- hoje datada, o prazo marcado para o
recebimento. independente da multa, da
contribuicao indemnisadora dos apparelhos,
o servico dos mesmos, pertencentes a com-
panhia Drainage, correspoudente ao ultimo
semestre de 1872.
Consulado provincial, 1." de dezembro
de 1873.
Antonio Carneiro Machado Rios,
Administrador.
Western and Brazilian Tele-
graph Company Limited.
0 vapor Hooper, agora ancorado neste
porto, vai immergir a segunda secgao do
cabo que ha de ligar Pernambuco & Bahia e
Rio de Janeiro, e espera-se quo a commu-
nicacao por toda a extensao do cabo, desde
o Rio do Janeiro ao Para" serA aberta ao
publico no proximo mez de Janeiro.
As taxas pelos telegrammas expedidos de
Pernambuco serao as seguintes ;
Para o Parti..........1JJ000 cada palavra
a Bahia......19000
o Rio de Janeiro.. 15J500
Os nomes e o endere^o dos destinatarios
e remettentes serao incluidos no numero das
palavras s p.tgar.
Telegrammas para lugares dentro do pe-
rimetro d'uen kilometro da estagao tele-
graphica serau entregues livres de despezas,
mas os que excederem pagarao 500 rs. por
cada kilometro ou fraccuo.
Quando qualquer telegramma forentregue
por meios especiaes, a despeza feita correra"
por conta do recebedor.
A somma de 200 rs. sera cobrada para
portes do correio nos telegrammas destina-
dos aos portos do Brasil e a de 500 rs. na-
quelles destmados ao estrangeiro.
0 remetiente do telegramma tem a esco
lha de pagar a resposta que desejar seja
dada pelo seu correspondente, se este quizer
qii a resposla s6 conste de 10 palavras, as
palavras (resposta psga) serao inseridas no
telegramma e cobradas, mas se elle desejar
que conste de maior ou menor numero, eutao
o numero de palavras sera" declarado em se-
g iida as palavras resposta paga, porexem-
dlo : resposta paga, quatro palavraa o estas
serao igualrente cobradas; ss o remettente
para maior seguranca quizer queo seu tele-
gramma seja repetido o podera faze-, pagan-
do a meta e do custo do mesmo.
Estao feitos accordos em virtudc dos quaes
podera expedir-se telegrammas para todas as
partes do mundo: do Para pelo vapor ame-
ricano que sane daquelle porto para S. Tbo-
maz a 5 de cada mez e dalli serao telegra-
phados ao seu destino, os prec,os para taes
telegrammas que agora podem ser pagos
adiantados ate ao seu destino, podem ser ob-
tidos, prO'Mirando-se nas respectivas ejtacfies
telegraphicas.
Por accordo feito eutre duas companhias,
a linha da Platino Brasileira Telegraph
Gompanyjseri trabalbada poriaeta empr^za, e
no coinplemento das lrabas, o que sn espera
dentro em pnucos mezeshaverd communi-
casfto telegriiphica directaenjra as Drin, ciila a costa do Pacifico.
Pernambuco, 6 de dezembro de 1878.
Roberto Jf. fyyf*
uerente do
= 0 adetnistrador. da rewbedona 4$moii;\s
internas geraes faz sciente aos eoftfribroRw da
decima addicional, que e no correute mez de de-
zembro que tem de ser pago, s6* multa, o pri-
meiro semestre do exercicio de 1873-74, e com a
multa de 6 0|0 depois do referido met.
Recebedoria de PernamlMico, 5 daflezembro de
1873.
________Manoel Garneiro de Souza Laeerda.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A lllma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas sessdes, no dia 11 de dezembro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens oiferecer, pelo tempo de urn
a tr s annos, as rendas dos preuios em seguida
declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Rua de Hortas.
Loja do sobradoa. 41.....30G20OO
Rua da Viraeao
Casa teorea n. 7 (fechada) 312*000
Travessa dc S. Jose.
Casaterrean.il.......201*000
PATRIMONIO DOS ORPiiAO-,.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16......
Becco das Boias.
Sobrado n. 18 ......
Rua da Cruz
Sobrado n. 14 (fechada) .
Rua da Guia
Casa terrea n 25......
Rno do Piter.
Casa terrea n. 98. .' tj \J JfalidBO
Casa tereaa n. 99 (fechada).....aolfiOOO
Idem a. -100. ........ 84U000
Idem n. 102........241*000
Idem u. 108.......207^000
Rua do Rosario da Boa Visfn
Case terrea n. 58.;'......24ii*O0O
tlua da Moeda.
Armazem n. 37 (fechad.) 860*000
Os pretendentes dever o apresentar no ado da
arremalacao as suas liauoas, oa comparecerera
icompanhados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quaatia em
|ue for seguro a predio qHe contiver estaboleci-
mento commercial, assim como o servico da lim-
peza e precos dos apparelhos..
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 5 de novembro de i873.
0 escrivao
Pedro. Rodrigues de Souza,
CONSULADO PROVINCIAL.
Pela administraflo do consulado provincial faz
se publico aos respectivos eontribuintes, que do
1 do dezembro vmdouro comeca a correr o prazo
dos 30 dia< uteis, marcado no art. 21 do regula-
mento de 16 de abril de 1842, para a cobranca do
primeiro semestre dos impostos da decima urba-
na e 3 0|0 sobre a renda d s beus de ralz perten-
centes as Oirporacoes de. mao m>rta, no corrente
exercicio de 1873 a 1874, incorrendo na multa de
6 0|ii ai|uellesdos contribuintes que nao os satis-
lizerem ne te prazo
Cansulado provincial de Pernambuco, 28 de
novembro. de 1873.
0- administrador,
A. Carneiro Machado Rips. ;
SOCIEDADE
Propagadora da instrucrijo publica, na fte-
guezia do S. Jose" do Recife.
HID se tendo realisado no domingo 23 de no-
vembro ultimo, por falta de coropareciinento de
numero legal de gncios, a eleicao dos membros que
devern formar o conselho parochial de.-ta sorieda-
de na freguezia de S. Jose, que tem defuncc
durante o anno de 1*74, de novo sao convidados
lodti* os senhores socios a coniparecerem no uo-
mingo 14 do corrente, pelas 10 horas da mr.nha,
na rua Direila n. 93, 2 andar, afim do elcgorem
dito conselho ; prevenindo-sc que em face da 2J
parte do art. 24 dos uossos estatutos sera feita
dita eleicao com qualquer numero de socios que
comp.treeer.
Secretaria do conselho parochial da sociei/ade
propagadora da instruceao publica, na freguezia
de 5. Jos6, 9 de dezembro de 1873.
0 secretario
Levino Chacon.
CONSELHO DE COM PR AS DO ARSENAL
DE MARINHA.
0 conselho contrata no dia 16 do corrento mez,
avista de propostas r cebidas ate as H horas da
manha, o fornnci euto ao arsenal de marinha.por
tres mezes, findns em marco do anno proKimo
v ndouro, de carvao de ferreiro, cunento, e |e
carvao coke, assim como tambem contrata o for-
necimentu pelo mesmo tempo, dos seguinies objee-
tos de fardamento.
Para aprendizes artifices.
Bonets de uniforme, bonets do servigo, lilusas de
brim i>ranco, hlusas de algodao azul, blusas de
panno azul. caleas de brim branco, calyas do algo-
dao azul, camisas de algodaozinho, cobertores de
la, cobertores de algodao, cintos de cuuro branco
invernisado, caleas de panno azul, colchoes de
linho cheios de pallia, fronhas de algodaozioho,
lencis des^a preta para gravatas, lencjoes de al-
godaozinho, sapatS^-s, saccos de guardar roupa e
travesseiros de linho cheius de palha.
Para artifices avulsos.
Blusas de panno azul, blusas de algodao azul,
caleas de brim branco, calgas de panno azul, ca-
misas de algodaozinho e cintos de couro branco
invernisado
Para imperiaes marinheiros, aprendizes ditos
e marinhagem.
Bonets de panno azul ferrete. caleas de panno
azul ferrete, camisas de brim branco, caleas de
flanella azul ferrete, camsas de flanella azul fer-
rete, camisas de panno azul ferrete, caleas de
brim branco, colchoes do linho cheios de palha,
cobertores de la, fardas de panno azul ferrete,
lenpos de seda preta para gravata, sapatoes e sac-
cos de lona de marinhagem.
Sala das sessfies do conselho de compras de
marinha de Pernambuco, 10 de dezembro de 1873.
0 secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Soeiedade Fropagidara da ins-
trnccao publica.
Nao se tendo reunido numero sufflciente de so-
cios do conselho parochial da freguezia do I'o^o
da Panella, para se proceder a eleiQao dos mem-
bros qne devem conpor o conselho. que tem de
funccinnar durante o anno vmdour-i de 1874 ;
sao novamente convidados todos aquelles socios
pertencentes ao referido tonselho, para compare-
cerem no edificio da escola daquella freguezia,
no pbvoa io do Monteiro, domingo 14 do corren-
te as 6 horas da tarde.
Novamente se previne que a eleigao tera lugar
impreterivelmente com o numero que compare-
cer.
P. de Oliveira,
Presidente.
A. Lins, -- .
Secretario.
TRIBUNAL DO COMMERCIO BE PER-
NAMBUCO.
Fsta secretaria fat publico que acha-se ar>
vado na forma da lei o Ji-trato de sociedade da
JdJo Francisco de Souza e Frederico Alves V
ra Pinto, que gyrou nesta praca sob a firma de
Frederico Pinto a C. retirando-se Joao Francisco de
Souza pago de seu capital e lucres e sem respon-
sabilidade no passivo da extincta firma. c licando
o seu activo e passlvo a cargo do outro socio.
Secretaria do tribunal do commercio do Per-
nambuco, 6 de dezembro de 1873.
Julio GQimaraeB
0 official -maior.
Pel? :r. snn secretaria faz-se igualmente pi
quo ne-ta iati foi admitlida'a matriedla
nacio:ui Helena, de 213 toneiadas melricas, pro-
priedade dc Manoel Vieira das Neve's.
Secretaria do tribunal 4o oomraercio de Pernam-
buco, 10 de dozen bro-tle AIM.
jfflolal-maior
Julio Guimaraes.
f
L
r


Diario de Pernambuoo Sabbado 13 de Dezembro de 1873.
I'
>
THEATRO
mum mm
Domingo 14de dezembro
A's A t| Benefleio do
Programma.
Gomedia em 1 acto :
Mas lenlafftes.
Scena comica pelo beneficiado :
Man .el d'Aliiiliula
Camedia em 1 acto :
I ma experiencia
Scena comica pelo actor Camara :
0 beberrao.
Pelo beneficiado e a actriz Olympia Valladas,
> etigrac&do duetto caracteristico :
Trovadur engraxale.
O beneliciado recorre a proteccao da rapazeada
caixeiral e espera ser attendido.
AS IMCHS MITTIDAS
NA m
EXPQSIQAO
DE r
Vierlna d'Austria.
O proprietario desta importante colleccao de Fi-
furas de Cera, o mais perfeito trabalho deste ge-
nero que tem apnarecido na America, verdadei-
ro primor d'arte, ja pela perfei. a* dos contornos
e nataralidade das posipSes, corao pela expressao
que relativamente apresenta ; sem outra recom-
mendacao, que nao seja a veracidade do que dito
fica, tem a honra de participar ao muito apre
ciador publico desta Flor da America, que muito
breve pora em exposicso as mais importantes de
suas figuras
Para as vesperas e dias da solemnisada Testa
de Natal, tem elic eonseguido reunir as mais bet-
las produccoes da arte ceramica, e que bastante
concurreneia devem ter nestcs dias, por constitui-
-fm urn quadro cnmpletamcnte analogo e muito
novo entre nos. E' elle composto de 9 figuras e
representa o nascimento do Messias.
A Santissima Virgem,
Seu amado Filho,
S. Jose e Santa Isabel,
S. Joao Baptista,
Um pastor,
dro.
Eipora tambcm um grupa representando o nas-
cimcuto sendo as de Cairn, figuras de cera ma-
ciea.
Tem alem diste o primeiro homem do mundo,
Adao, pcrfeitamente semelhante ao Adio, que
nos piuta a historia. Eva com todos os attrat:vos
quo deveria ter a primeira mulher, imponente
por sua bclleza, o seduz a comer da fructa pro-
talbida ; seduccjio que cu;tou bem cara a huma-
nidade !
Apresenta Adao, sentado n'um rochedo, pedin-
lo a Deus proteccao para Cairn, seu primeiro iillio,
emquanto Eva, descancada do parlo, ora e o
contemplava amorosamente.
Um trabaloo especial em mecanica consistindo
n'um clown fazendo no trapezio os mais difBceis
equilibrios, bem como um zuavo, fumando, aso-
viando, tocando e conversando com o publico,
serao tambom postoa em exposicao.
Um magniii:o i>rgao rcalejo fara as delicias
aurieulares dos i esperUvasconcorrcntas, executan-
do as melo.l: as < uverturas de Guilherme Tell,
Diamantes da Corda, Stab-1 Mater. Noel, Domino-
noir e varias oairas pecas da escolhidos maeslros.
Brevemente annunciara o dia da abertura e
nmdetali ado program ma.
Preparem-se para admirar!
0 bom o bello e o
extraordinario.
Rua da Imperatriz n. 49.
Abertura no dia .5.
COMPANRTA PERNAMRUCAM
DE
!%avegacAo eosteira a vapor.
MACE16, ESCAL-AS, PENEDO E ARACAJU'.
0 vapor Mandahn,
commandante Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 15
do cor rente, as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 12 do corrente, encom-
agendas ate o dia 13, pas-ngens e dinlieiro a frete
ate as 2 boras da tarde do dia da sahida : es-
oriptorio no Forte do Mattos n. 12-
Companliia Franccza de Navega
$o a vapor
Linha mensal entre o
Havre, I.isbna, Pernambuco, Rio de
Janeiro, (Santos, soniente na vol-
ta ) Montevideo, BuenosAyres,
(com baldeac&o para o Rosarlo)
STEAMER
\II_1_R IHE S\1OTS
Commandante Lefevre.
E' esperado da Europa, ate 22 do corrente, se-
guindo depois da indispensavel demora para os
portos do sul de sua escala.
Relativamente a fretes, encommendas, passagei-
ros, para os qnaes tem excellentes acommoda>;5es
por procos redozidos : trata-se com
OS CONS1GNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
12Rua doCoinmercioEntrada pela rua
do Torres.
Ligeiro HI
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com a
possivel brevidade o brigue Ligeiro III, de 1*
classe, por ter partc da carga engajada, e para a
que Ihe falta, trata- se com os consignatarios Joa-
quim Jose Gon^alves BeltrSo & Filho, a rua do
Commercio u. 5.
Para Lisboa
aegaira com brevidade o brigue -portuguez Bella
Figueirense; para carga e passageiros trata-se
nwmE R. Rabeilo k C, rua do Commercio nu-
uioo 48.
Para Lisboa
seguira brevemente a barca poitogueza Gratidao,
para carga e passageiros trata se torn E. R. Ra
bello 4 C, rua do commercio n. 48.
Lisboa e Porto
Sogue viagem muito breve a galera portugueza
Ltsboa, por ja se achar com quasi todo o ceu car-
regamento tratado* Para a pouca carge que lbe
falta e passageiros, aos quaes offerece muito bom
eommodo : tratvse com Tito Livio Soares, rua
do Vigario n. 17.____________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\nvegacffo costeira a vapor.
PARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACX-
TY, CEARA, MANDAHIT, ACARACU'. E GRANJA.
0 vapor Pirapama,
commandante Silva,
seguira para os por-
tos acima no dia lo
do corrente, as 5
horas da tarde.
Recebe carga at6 o dia 12 do corrente, encom-
mendas at6 o dia 13, passageiros edinheiro a fre-
te ate" as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
Agencia de leiloes.
RUA IK) MARQUEZ DE OLINDA N. 37, 1* ANDAR.
0 abaixo assignadn tem : honra de scientiflcar
ao rcspeitavel publico, com especialidade ao corpo
ccmmeicial desta pra(ja, que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercicio, promette,
se esforgara' para bem merecer a conflanca de to-
das ariuellas pessoas que se dignarem bonra-lo,
encarregaudo-lhe de negocios lendentes a sua
protissaa
Desde ja o abaao assignado antec'pa os sens
agrade>cinientos para com ii|nelles que o procura-
rem : o que poderao fa'.er dirigindo-se a rua do
Marquez de Olinea n. 37, !. andar
Recife, 7 de novcnibro de 1873
Joaquim Dias dm Sanl t.
chapeos, flores, cbapellinas, chapeos para senho-
ras, gdrros, chapeos de sol, calcados para ho-
mens, botinas para senhoras, brim branco, sa-
bonetes, agna divina, agua melesse, pos de ar-
roz, botdes para punhus, ditos para colletes, I
cofre de ferro (prova de fogo) 1 carteira, 1
balcao de amarello, 1 carteira de dito, 1 dita
de rriogno, e outros muitos artiges
SEGUNDA-FEIRA 15 DE DEZEMBRO
A's 10 1{2 horas
No armazem n. 24 da rua do Marquez de
Olinda (outr'ora Cadeia).
ao correr do marielb
O agente Pinho Borges, levara a leilJo, os objec-
tos acima mencionados, por ordera de diversos e
por conta e risco de quem pertencer. _
LEILAO
DE
SEGUNDA-FEIRA 16 DO CORRENTE
Na rua do Yisconde de Albuquerque d. 17,
antiga rua da Matriz da Boa-Vista.
O Sr. Ramonda tendo de retirar se para fora
da cidade, fara leilSo, por intervencAo do agente
Martins, de 1 mobilia de jacaranda, quadros, 1
cama franceza, 1 marqueza, consolos, 1 mesa elas-
tica de mogno com 2 taboas, cadeiras de balanco,
1 commoda, casticaes de metal com lanternas, 2
binoculos, cadeiras para sala de jantar, e outros
muitos objectos que serao vendidos ao correr do
martello.
A's II horas do dia acima.
CS9
um graude sortimenlo de chapeos de sol
para homens, senhoras e meninos
A SABER:
chapeos de sol de seda com cabo de canna e lovic
(sortidos), ditos de seda de cores parasenho-
ras, cabo de osso, ditos patente Paragao, seda
sarjada, com cabos de marfim, ditos do alpaca
para homens, cabo de madeira, ditos de alpa-
ca para meninos, cabo de madeira e osso
SEGUNDA-FEIRA 15 DO CORRENTE
as 11 horas da raanha
no armazem a. 24 da rua da Marquez de Olinda,
outr'ora cadeia.
0 agtnte Pinho Borges levara a leilSo, os men
cionados chapeos de sol, por conta e risco de
quem pertencer.
Agente Dias
Ifc>l
Pacific Steam Savigaliim Company
Ltiiha quinzenal
0 PAQUETE
espera-se aqui da Europa ate dia to de dezembro,
e depois da demora do costume seguira para o sul
do imperio, Rio da Prata e costa do Pacifico, para
onde rocebera passageiros, encommendas e dinbei-
ro a frete.
OS AGENTES
Wilson Rove A C.
14 RUA DO COMMERCIO14
tapanhia amcricana e Itrasiicira
de paqnetes a vapor.
Ate o lia i do corrente a esperado de New-
Vork, por S Thomaz e Para o vapor americano
South-America, commandante Jenhiepangh, o qual
depois da demora do costume seguira para os por-
tos do raL
.Para fretes e passagcus, trata-se com os agentes
Henry Porster & C, rua do commercio n. 8
Risco maritimo
L Wulff capitao do brigue allemao CoUmar, vin-
do fretado do Rio de Janeiro, em lastro, para car-
regar em um porto entre Maceio e Ceara, e depois
seguir para Falmouth a ordem, e entrado neste
porto com agua aberta, precisa, para occorrer as
lespezas do concerto do mesmo navio, a risco ma-
ritimo, a quantia de 6:0C0j; pouco mais ou menos,
sobre o casco e frete do dito navio. Offertas cm
cartas fecbadas serao recebidas no consulado do
imperio germanico (onde a carta do fretamento
pode ser examinada), pelos interessados ate o
melo dia, do dia 15 do corrente mez de dezembro.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\avegactlo costeli'a a vapor.
RIOFORMOSO ETAMANDAR6.
0 vapor Parahybat
commandante Pedro,
seguira para os por-
tos acima no dia 15 do
corrente, 33 9 horas
da noite.
encommendas, passageiros e di-
escriptorio no Forte do Mattos
0
Aracaty
com escalas por Macao sahe nestes dias o novo e
superior palhab&te nacional F^onillo da Cruz, ca-
pitao e pratico Manoel Caetano da Costa tem
parte de seu caregamento prompto ; para o resto
trata-se com o consignatario Antonio Alberto de
Souza Aguiar, a rua do Amorim n. 60, ou com o
capitao a bordo do mesmo palhabote fundeado
confronte ao trapiche da companbia.__________
Para o Rio Grande do Sul.
Sahira muito breve a barca nacional Deolinda.
Recebe ainda alguma pouca carga, para o quo
trata-se com E. R. Rabeilo & C, a rua do Com-
mercio n. 48.
Becebe
nbeiro a
n. 12.
carga,
frete :
L1S1I0A
Para o referido porto pretende eeguir com a pos-
aivel brevidade o brigue portuguez D. A nna, nor
ter ja alguma carga engajada ; e para a que lhe
alia, que recebe a frete eommodo, trata-se cotn
is consignatarios Joaquim Joe Goncalves Beltrao
A Filho, a roa do CuminTcio n. 5.____________
Para Lislwa.
Sfguira em poor 9 dia barca portugueza
Grni'.dau. Para atg mapou carga que Ihe falta,
Kin E. R. .bello C, a rua do Com-
mercio a. *<>.
LEILAO
DO
hiate de I* classe Gdrne Cock, com bote e
sobresalentes, ancorado no quadro dos
navios de carne secca em frente & e^tfl-
dinha ;
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE *
as 11 horas
Na sala da Associac,o Co.nmercial
O agente DIAS, competentemente autorisado,
levara a leilao, no dia e bora acima mencionados,
0 hiate inglez Game Cock, de 91 toneladas ingle-
zas, segundo a lotaca >, mas pegando 130 de car-
ga, demandando 8 1(2 pels d agua, forrado de co-
bre, e prompto para seguir qualquer destino
Este navio que se torna recommendavel pelas
conaigSes de solidez. com que foi coaslruido, e
por ser de 1* classe, e vendido por motivos de or-
dem particular, e por ter de retirarse immedia-
tamenle para a Eumpa 0 seu propneUrio.
Os Srs. preteudentes podem desde ja examinar
0 navio, e enteodnr-se a respeito de qualquer in-
formacao de que precisarem com 0 mesmo agen-
te, a rtu do Marquez de Olinda n. ?7, primeiro
andar.
Leilao
DAS
divides da massa fallida de Amorim, Frago-
so, Santos & C.
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE
A's II horas.
0 agente Pinto, cumprindo 0 mandado do Him.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, levara a leilao
0 resto das dividas da massa fallida de Amoiim,
Fragoso, Santos & C, aquella3 quenao foram ven-
drdas no leilao do dia 27 de novembro proximo
passado. 0 leilao tera lugar as 11 horas do dia
acima dito, no escriptorio do referido agente, rua
do Bom Jesus n. 43, onde os pretendeates poderao
obter qualquer informajao.
PACIFIC STEAM NAVIGATION COM-
PANY
Linha quinzenal
0 PAQUETE
ACONCAGUA
espera-se aqui dos portos do sul ate 0 dia 19 lo de-
zembro, e depois da demora do costume, seguira
para Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde
recebera passageiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C
14RUA DO COMMERCIO14
LEILOES.
Agente Dias
LEILAO
DE
bens pertencentes k massa fallida de Anto-
nio Josd dos Reis
HOJE
0 agente DIAS, levara novamente a leilao, por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, os referfdos bens, constando de joias, mo-
veig, um cofre de ferro, fazendas e armacioexis-
tentes na loja n 60 do caes do Pa>seio Publico,
servindo de base a avaliaclo feita, e que se acha
empoder du referido agente, a rua do Marquez
de Olinda n. 37, primeiro andar, onde node ser
desde ja examinado.
Em seguida vender se-ha a porla domesrai es-
talieiecimento dous cavailos pertencontes aos bens
da referida massa. 'JU
LINHAS
DE
RETROZ E DE ALGO
DAO
A&ULHAS
E
Accessorios
PARA
PARTE
DA
Machina
Com as falsillcae.des que tem apparecido
DAS MACHIBAS PARA COSTUBA
DE
SINGER
fue?
^ Nenhuma ma-
QO .
china Singer 61egi-
3 tima se nao levar
g esta marca flxa no
jg braco da machina.
Porqi
Para evitar falsi- ^
fi canoes notem-se g
bem todos os deta-
a
lhee da marca. Q
DA
Festa de N. S. da Conceicjao
da matrix de'Nossa Seohora da Pax dos Afoga-
dos, a qual tem die ser celebrada no dia 14* do
corrente, com toda pomp:, e decencia.
Amanha (13) as 7 hunis da noite hastear-se-ha
a bandeira daquelli Virgem.
A's o horas do dia 14 sabira ao ar uma salva,
annuncianna 0 dia mais onportuso em que deve-
mos ir prostar-nos aos pes da Immaculada Con-
cei'.-ao com 0 respeito devMft* implorar-lhe sen
auxilio de que precisamrs part ganharmos a glo-
ria elerna ; em seguida, ss H horas, cntrara .1
festa.jrjrando ao Evangelii^ 0 Rvd. padre Leonar-
do Joao Grogo ; depois de acibndo este acto di<-
lribuir-?e ha alguns vers'.s ; as h. ras da noite
cumecara 0 Te-Deum Luudams occupando a tri-
bnno sagrada pela primeira wz a daquella ma-
triz 0 Rvd. frei Ignacio de Santa Umbelina Me-
deiros.
A's 5 horas da tarde do dia da festa tocara di-
versas per;as a musica do 9.* de lmha, nos inter-
vallos desta soltir so-ha diversos balde?.______
ItTENCAO.
Precisa-se de uma mulher de idade, sadia
branca, que affiance sua condncta, para encarre-
ear se do tratamento de uma menina de quatro
annos de idade e administrar uma easa : quem
estiver nestas condicoes, dirija-se a roa dos Gua-
rarapes n. 96. Xa mesma casa tem duas escravas
mo^as para se negociar, acostumada ao servico do
campo._________________________________
Offerecese am homem cem sua muiher,
esta para ensinar primeiras lettras, grammatica
portugueza, inglez, principios de piano, de deze-
nho, cortar e fazet toda a qualidade de vestidos,
bordar de tapc^aria, de branco e erochet, etc. etc.;
0 homem tambem pode ensinar primeiras lettras.
escreve bem e entende de eicripturaclo commer-
cial, serve para um "bora caixeiro de engenho ou
administrador, e ujeita-se a outro qnalquer ser-
vieo; sao portuguezes, e por terem dous fllh-js,
um de 3 annoj e outro de 3, se nae houver quem
queira marido e mulher, tambem se separam, indu
os filhos na companhia da mai : quem pretender,
dirija-se a rua do Imperado.-, annarcm de traeu?s
numero|48._____________________
DE
am variado sorlimento de chapeos do Cbile,
massa, castor, palha, quer para homens,
quer para senhoras e meninas
QUARTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
A's IO t|* horas.
No primeiro. andar do sobrado da rua do
Marquez do Recife n. 55.
0 agente Pinto fara leilao, por conta e risco de
quem pertencer, de differentes qualidades de cha-
peos para hamens e senhoras, no primeiro andar
do sobrado da rua da Cadeia n. 00, por cima do
armazem dos Srs. Alcoforado, Vieira A C
AVISOS DVEBSOS
OfTerece-se uma mulher de meia idade pa
ra para ama de casa de homem solteiro, para
lavar e engommar: a tratar no caes do Ramos
n. 30, com Antenio Joaquim da.Hora.
Aluga-se barato, umas meiaagnas novas,
na travessa das Barreiras. (becco do Aquino) : a
tratar na rua do Cotovello, n. 25.
Sociedade Kecrealiva Bella Har
inonia.
Do ordem do Sr. presidsnte, convido a todos
03 Srs. socios desta sociedade, a rcunirem-se em
assemblea geral ordinaria, domingo 14 do corren-
te, a i 10 horas do dia, afim de proceder-se eleicao
do conselho que tem de funccionar no anno pro-
ximo vindonro.
Secretaria da sociedade Recreativa Bella Har-
monia, 11 de dezembro de 1873.
0 1." tecretario ,
________________R. Santos._________'
Precisa-se de nm menino para caixeiro de
taverna de 12 a 14 annos de idade. que tank*
alguma pratica e que de flador a sua condncta:
na raa velba de Santa Rita n. 3.
Padre.
Deseja-se nm sacenbt^ para nuer as mi*tu *>
iVatal em um engenbo : ;. faiur n
50 da. rua do Imperadur.
! A dinheiro e a prazo
A. contento das Exmas. familias
HIS it SHIES
Sao as mais baratas
S3o de dous pospontos
S8o mais simples e rapidas
Sao duradouras
MACHINA DE SINGER
.DOUS POSPONTOS
Abainham
Franzem
Pregam tranca
Marcam pregas
Bordam de lirfk de s^da
Alcolcho
E pr am cordaos.
UNIGA AQENtIA
EM
II
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOA fo
Escravo fngido.
100^000 de gratificacao
Desappareceu de novo, de bordo da barca bra-
sileira S. Jose, 0 escravo Joaquim, preto de na-
cko, o qual anda bem vestido e calcade, deixan-
do crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Esse escravo per ton ceu ao fallecido Dr. Olym-
Marcellino da Silva, que 0 havia compradc na
provincia de Minas fem S. Joao d'El rei ou Ouro-
Preto), e com elle seguio para 6 Rio de Janeiro e
d'alli para e-ta provincia, donde foi para Macein,
tendo 0 vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quem 0 compraram os abaixo essignado*.
Sabe cozinhar, occupacao a que estava dedicado,
e conhece se pela falla que e afneano.
Offerece-se a gratificacao acima aquemoap-
prehender e roga-se a todas as autoridades a ?ua
captura. *
Recife, 6 de outubro de 1873
___________Jose da Silva Loyo & Filho._____
De conforraidade com 0 disposto no art. 16
dos estatutos convoco ans senhores herdeiros da
propriedade commum Apipucos que moram f6ra
da cidade e seus suhurbios. para a reuniSo geral
ordinaria, que deve ter lugar na segunda domin-
ga do mez de Janeiro vindonro pelas 10 horas da
manhi na capella da mesma propriedade.
Apipucos, 10 de dezembro de 873.
___________Claudio Dubeux.
SORRADO PARA ALUGAR.
Aluga-se 0 primeiro andar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31, com muito bons
commodos para familia : a iratar na rua do Mar-
quez de Olinda n. o-t,_____________________
Precisa se de uma escrava para cozinlur
e comprar : na rua Primeiro de Marco n. 23
oja^_____________________________
Aluga-se 0 segundo andar do sobrado a rua
do Barao da Victorian. 31, com commados para
amilia : a tratar na loja do mesmo.___________
Cma pessoa sujeita, com muito pouca idade,
e que ganha 2.5 por dia, precisa de 4003 para sua
liberdade, obrigando se a dar fladnr. e a entrar
todos os mezes com 404 rs. ate realisar o paga-
raento do principal, juros e todas as mais despezas
respectivas, e tudo isso por meio de uma escriptu-
ra. Quem etiver em circamstancias de fazer
al negocio, annuncie.
Uma parda eserava. li n r stureira, precisa
de I.OO05 para sua riade, oirerecendo em
paga desta quantia os seus sorvieos pelo tbrnpi
qua se convencionnr : quem quizer fazer este ne-
gocio, dirija-se a raa da Imperatriz. n. 30, segundo
andar.
IWElfi!
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Qiiyrendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tem, novos e
usados. pelo prec,o do custo de factura.
Tambem acaba derecebero seguinte:
OI.EAPOS inglezes para assoalho de salas, de muitos liudos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura o 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala porgrande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNEiS electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com la ou s5da.
VERDADEIRA agua do colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato preco.
Precisa-se de 600* a juros por pouco tempo,
dando-se garantia : a pessoa que quizer dar, an-,
nuncie para ser proenrado.__________________i
600#000.
Precisa-se da quantia supra a juros ; pagando-
se mensalmente os iuros convemionados 50&
do capital, at6 conclnsao do pagamento : quem
quizer fazer este negocio annnncie._______'
Aluga-se a casa terrea n. 42 da rua da ma-
triz da Boa-Vista, 24 da rua do Nascente, ao pe
da matriz de S. Jose, casa feita a moderna e com
bastantes commodos por 22*000 mensaes, e a
eazinha pequena n. 19, do becco do Dique por
12*000 : a tratar na rua da Madre de Dens n. 16.
Ama o criado.
Na rua da Ponte-Velha n. 1, precisa-se de ume
ama que saiba cozinhar e comprar para casa de
familia de duas pessoas e de nm criado para
maadados e optros servicps domesticos.________
Precisa-se de um-feitor que entenda de plan-
tacdes e tratar de flores para um sitio em Sant'-
Anna : trata-e na roa do Praia u. 28.________
*"^ Aluga-se a casa n. 63 da roa da Palma, com
commodos e fresca : a entender-se na rua da Im-
peratriz n. 30._________________________
^Jompanhia do Gaz.
A empreza do gaz tem a honra do annunciar
ao publico que recebeu ultimeute um esplea-
dido sortimento de lustres devidro, candiei-
ros, arandelas e globos, cujas amustras estao
do escriptorio a rua do Imperador n. 31,
e serao vendidos aos seus freguezes pelo
preco mais razuavel possivel. ____
- Na roa do Barao de 8 "BofjiTif 25, precisa-
se de dous preto* eocravos on livres, para servico
externo de uma padaria.
0 $$-$ 0MMM 0-*** tf *
I CONSULTORIO ?
MEDICO-CIRURGICO 1
m do w
0 Dr. Santa Rosa.
Rua de Barao da Victoria n. 46, 1.* gf
andar, outr'ora rua Nova. 2
9 Consultas das 10 horas da raanha ao ^
j meio dia. ick
Jg Chamados por escripto a qnalquer bora ^
9r Especialidades. Partos, molestias de ^
m olhos e do apparelho respiratorio. a
Criada
Precisa-se de uma criada livre ou eserava que
saiba comprar e cozinhar para casa de familia de
duas pessoas, prefenndo-se eserava, paga-se mui-
to bem : a tratar na roa do Barao da Victoria n.
48 A, loja.
Atlencao
Vende-se barato a armacio da taverna o. 60, si-
a a rua Direita dos Afogados: a tratar na pada-
ria de junto n. 66.
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
n. 50, accam sobre o Ranco Commercial
de Viai;n8 e suas agendas em todas as ci-
dadrs e villas de I'ortugal, & vista o a prazo
Para aboaconservacao
DE
YOSSO CABELLO
Pfjp|||>
Elle e um preventive seguro e certo contra
a calvice.
Elle da" e restaura forca e sanidade a" pelle d
cabega.
Elle de prompto faz cessar a qucda precrja-
tura dos cabelles.
File da' gratide riqucza de lustre aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabellos, em
qualquer forma ou posic,ao que se dese-
je, n'um estado forrtfoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
e os.
Elle couserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornarem bran-
cos.
Elle conserva a cabeca n'um esladq de fres-
cura refrigerante e agradavel.
Elle n3o 4 demasiadamente oleoso, gorda-
rento ou pegadigo.
Elle nSo deixa o menOr cheiro desagrada-
vel.
Elle 6 o melhor artigo para os cabellos das
criancas.
Elle e* o melhor e o mais aprasivel arhgo
para a boa conservagao e arranjo dos ca-
bellos das senhoras.
Elle 6 o unico artigo proprio para o pentea-
do dos cabellos e barbas dos senhores.
NENHUN TOUCADOR DE SENHORA 8E
PODE CONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
TONICO ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifica e afornobaea
O CABELLO.
Acha-se & venda nos estabelecimentos 6e
H. Forster & C, agentes. E em todas as
principaes lojas de perfumarias e b^ticas.
Silva Barroca & Filbos teem para vend X
seu a mazem, a rna do Marquez de Ound*
sesninte :
Pol ha de Flandres.
Estanho em verguinhas.
Machinas para deecaro{ar algodao.
Cerveja eseosseza hraaqt e pvota.
Flllele para bandeira.
I Mimnuw i
^^----------- I- I -_y_. i i ~
>
V
- I
Jm


gfc*
Diario de Pernambuou Sabbado 13" de Dezembro de 1873.
/
v>
i
*i
PUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO DRUM N. 52
(Passando o chafariz)
PEQEM AOS aenbores de engenho e oatros agncuhorta, e erupregadorea de m
ifiinismo o favor de oma visita a sea eitabelecimeoto, para verem o &ovo aortinwoto
omplet qoe abi tern; aeado todo ibperior em qnalidade e for'.idao; o qae com a ins
Mccio peas ial pode-ae verificar.
ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDlQiO
ttpuros O ruucts U agaa maabos convcnientes para as diveraas
circomstanciaa dot lenhorea proprietarios e para descarocar algodlo.
M061lda8 d6 CHnna de.tod08 os tamanho8 a^melnores qoe aqai
Rodas dentadas p 5-<^ a **<>'.
Taizas ie ferro fuudido, batido e de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques.
M*APhiniflmna para mandiocil e algodao,] Podendo' todoi
aa,oi;uiuiBiuuo e para aerrar madeira. Tser movido* a mio
Rnmhaa ipr ?a, vaPr'
'iviuucw de patenle, garantidai........ loaanimaes.
Todas as machinas ***" p***
Pa qualquer concerto de michifli8moa Pre* mni re8amid0-
PflrTWftg da fari"0 lem as melhor6s e ms>" bmtas existentes do mer-
RnAAmmAniioa Iocambe-se de maadar vir qaalqaer macbinismo a von-
auuummouuttBi Ufje ^ clierttes, lembrando-Ihea a vantagem de fazerem
uai compraa por intermedio de peasoa entendida, e qae em qaalqaer necessidade p6de
bet preetar aaxilio.
AradoB americanos e iDlromeD,0 a*ricol-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
Precisa-se de uma nraa
que ehgomme e faea outros
serricos domesticos. em casa
de pequena familia: na ma
do Capibaribe nuraero 40.
FUNDICAO DE FERRO
A' rua do Barao do Triumpho (ma do Brain) ns. 100 a 104
CARDOSO & IRIAO
RECEBERAM de Inglaterra complete sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, asmais modernas e melhorobra quetem vindo ao raercSdo.
VapOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
Laiueiras de sobresalente para vapores.
MOeilCiaS lnteiras e meias moendas, obra como ,iunca aqai vein.
laiXaS iundldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
KOdaS a agua com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KodaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
ReloglOS e apitOS para vapores.
OODlbaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCar ^andes e pvquenas.
OoncertOS concertara com promptidao qualquor obra ou machine., para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pcssoal.
SnCOmmendaS manc^ara ylT Por encommendada Europa, qualquer machinismo,
para o quo so correspondem coin uma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-sc de mandar assentar
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDIQAO DE CARDOSO & I R M A O.
.. Approvado
pela Academia
de
Medicina
de Paris.
Autorisado
pela
circular especial
do
MlNISTIIO.
FERRO QUEVENNE
Cura a chlorosis, anemia, fluxo branco, caoaajo e debilidadejeral, perdu*, irregularidade na men-
trnacSi) seja das senhoras tasadas ou das roeninas debeis. Pela miudeza da dose que se pode em-
preRur. pela efflcacia de sDa accao, 0 FERRO QL'E\ ENNE avani.iia se sobre todas as outras prepa-
NHjOM ferrugineas. oBoucHardat, professor da Facnldade de Paris(Aonuariode 1869, p. 148).
Para eTilar as fahificagi^s numenuas, exigir a marca de fabrica acima ludicada, a flrma
wenne, e 0 Dome de Smilio Genevoix, depoeiiario geral, em Pri, 1*, rua des Beaux-Arts.
Queven
O Fiaao Qditkihe
Tenda se
em fratco* de
1
Jmedlda para dosar).
Denosito em Pernambueo, A. REGORD, e nas pharniacias acreditadas.
100 medidas. VW
200 grageas. 5
100 grageas. 5 a
-Rua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadeia)'
LOJA DE 1
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
dado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras uaaohinas americanas parn algo-
d, desde 10 & 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
raas e melhoramentos para perfoito e rapido descarocamento ; tornam-se dignas de
serein vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, atem disto, encontrarjo
ambem mais i
Apurados vapores locomoveis, de forca
de a'/a e 3'/t cavallos com todos pertn precisos para trabalharem 4 machinas para
IgodSo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Garros de raSo para atterros.
Tmas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhoa para jardins.
Guar.ls-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita dit .$ Ie ma.l.iiras.
Trent, parh cozinba.
Liii.i
xarnin .uos.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para rai-
lho e cafe1.
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaitados.
Ditos He dito estanhado.
Ditos do chuinbo.
Ditos de L'irracha.
. para fcrreiroft.
auitos outMs ligoo, ,,e s6avim,-i. m-ste estahdeomoderaoentp $ i
AOS 4:000#000.
BILIIETES GARANTIDOS.
I' rua Primeiro de Marco (outr'ora rua a\
Crespo) n. 231 casas do costume.
Acham-se avcnda os felizes bilhetes garantidc*
la 4* parte das loterias a beneficio da m atriz de
Cabrob6 (79*), que se extrahira na terca-f eira (6
do corrente mez.
PRECOS
Bilhete inteiro 4/000
Meiobilhete 2/000
BM PORQAO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inleiro 3/500
Meio bilhete 1/750
Manoel Martins Fiuza.
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
199, 1AS1UVV
Luiz Felippe Leite & IrmAo
Executam por commissao quaesquer ordens das
provincias do reine, ilhas e provinces ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros.
Recebera a consignacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanhoes, fraocezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou f6ra delle.
Executam ordens para corupra e venda de fun-
dos publicos, nacionaes e estrangeiros. Tratam
da cobranca dos respectivos dividendos.
Promoveui no mesmo escriptorio, invenlarins,
liquidacoes, causas civeis e commerciaes, appjl-
latoes e recurso de revista.
Tern os melhores advogados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
causas forenses, adminhtracio de bens, etc., que-
rendose, pode proceder accordo previo conforme
a natureza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimoniaes e quaes-
quer outros breves apostolicos concedidos em Ro
ma ou pela Nunciatura em Lisboa, aunullacao
de ordens, e quaesquer outras dependencias cos
tribunaes da Santa Se\
Tratam da arrecadagao de herancas e adminis-
iracao de bens no continente do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
lo administrative, conselho, ou freguezia do reino,
ilhas e provincias ultramarinas.
Fazera adiantamentos sobre consignacfies de
quaesquer geaeros que tenham prompta sahida
nos mercados inglezes ou allemaes. Tambem coca-
pram aquelles que se offerecerem em condigdes
vantajosas.
Fazera transacSes por consignacSo ou compra,
sobre minerios, taes como de cobre, chumbo,
phosphates, ou outros quaesquer, se convierem as
eondicdes de qualidade e precos.
Dao-se boas refereneias em Lisboa e no Porto.
Esta ca^a tem correspondencias serias em todos
os pontos do reino, em Paris, Inglaterra e Ham-
burgo, na Africa portugueza, em Macao (Chinai
reino da Siao, ilhas dos Acores e Cabo-Verde,
a aceita as propostas que do imperio do Brasil
ihe forem feitas por correspondencia effectiva ou
eventual.
Na modicidade do suas commissoes, na exacti-
dao de suas contas e no credito longamenle esta-
beleeido faz cousislir toda a garantia de bom aco-
Ihimento.
Tem corrcspondentes em Sevilha e outras pra-
^s de Hespanha.
N. B. As commissoes sao reguladas pela praxe
stac pra?a ,
CASA DO OUKO
Aos 1:00:0(K(
Bilhetes garantidos
Rua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba de vender nos sens
aiuito felizes bilhetes a sorte de i:OoO/ em um
meio de n. 587, e a sorte de 700/ em dous meias
de n. 1823, e um meio de n. 3672 com a sorte de
1005. alem do outras sortes menores de 40/000
e 2U/C00 da loteria que se acabou de extrahir
(78*; ; convida aos possuidores a virem receber,
que promptamente serao pagos na f6rma do cos-
tume.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer i remio, como prova pelos mesmc j
annuncios.
Acham-so a venda os muito felizes bilhetos ga-
-antido3 da i" parte da loteria a beneficio da
matriz de Cabrobo, que se extrahira no dia 16 do
corrente mez.
Inteiro i/000
Veto 2/000
Hie 1003000 paraolntH.
Inteiro 3/500
Meio 1/750
Recife, 10 de dezembro de 1873.
Joao Joaguim da Costa Leite.
Baixa decapim.
Arrenda-se uma grande baixa de capim em Be-
beribe, no lugar do Fundao : a.tratar com Poly-
earpo Jose Laynie, uo caes 22 de Novembro n. 26.
Frecisa-se
de um moco que tenha muita pratica de servir a
nwsa nos hotels : a tratar no hotei de Bordeaux.
Aluga se a casa n. 11 da rua da Ponte, na
povoacjio do Monteiro, muito propria para pas-
sar a testa : a tratar na rua do Duque de Ca-
xias n. 71.
4:000$
Precisa-se da quantia acima, dando-se hypothe-
ca a contento : nesta typographia se dira.
Precisa se de um menino de 12 a 14 annos
de idade e que tenha pratica de molhados na
ua da Senzalla Velha n. 52. _______
Commendador Antonio Joa-
quim de Mello.
O vigario Genuino Gomes Pereira, celebra no
dia 15 do corrente uma missa por alma do com-
mendador Antonio Joaquim de Mello e convida
aos amigos e parentea para irem assistir.
Ao publico.
Eu abaixo assignado declaro qne o facto que
se deu na loja do* Srs. Morelra Reis Si C. a rna
Primeiro de Marco n. 10, entre mim e seu cai
xeiro Joao Antonio Gownde Junior,foi uma lsvian
dade de minha parte para com o mesmo Sr. e
nao com lim nem proposito de injuria lo em
attribuir-lhe o desapparecimento de minha car-
teira, que sem duviua a terei perdido antes de
ter ahi entrado, pelo qae e pelo presento lhe peoo
a devida desculpa de tudo quanto alii disse.
Recife, 12 de dezembro de 1873
________________Manoel M--roues Avila.
iXfr t ro
Para taverna de seccos e molhados fora desta
cidade, se offerece um moco bra^ileiro bastaute
habilitado : quern quizer utiHsar-se de seu presti-
mo, dirija-se a rua da Flireutlna n. 28, ou declare
por esta foiha ^ara ser prucurado o tratar do
juste.
PECHINCHAS
>6 o n. 20
RUA DO CRESPO
P DAS I) P0R1AS
conliuya a v^inlf.r nunio bttrato paia murar
muito dinbeiro.
GASSA LA
Chegon es!a fazenda,"scndo lindos padrSes, e ven-
de se pelo climinuto preco de 200 rs. o covado, e
pechincha I I I dao-se amosirns.
METINS
Proprio para vestidos o que ha de mais gosto,
padroes novos, pelo preco ae 400 rs. o covado, 6
pechincha I I I doise amostras.
LAS ESCOCEZAS
Lasinhas escocezas, padroes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditas com listras, padrSes modernos, a 280 rs. o
covado.
Ditas la e seda, padr3es modernos, a 640 rs. o
covade, 6 pechincha I 1 I dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
1/000 a 400 o covado, 6 pechincha I 1 1 dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas pequenas. com bonitos pa-
droes, pelo diminuto preco de 400 rs. o covado, e
pechincha I I 1 dao-se amostras.
Cortes de casemira di cores, a 5/COO cada um.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para lute, a *40 r o covado.
Fustao branco para roupa de meninos, a 560 rs
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de cbita adamascada, a 3/500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 3/500
e 4/000.
Lencoes de bramante, a 2/000.
Ditos de algodao, a i/400.
Toalbas alcochoadas, a!6/000 a dazia.
Ditas felpudas, a 6/500 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1/000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados, a 2/OUU a duzia.
Ditos de esguiao fmos, a 3/500 a duzia.
Cambria lisa transparente a 3/000 e 4/500 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 3/800.
Atoalbado adamascado, a 2/000 a vara.
Dito trancado, a 1/400 a vara.
FustSes de cores, a 1/000 o corte.
Chales de merino liso, a 2/000.
Ditos est amp ados, a 3/500,4/000 e 4/500.
Ditos eom listras muito finos, a */800 e 6/000
Esguiao muito fino, a 2/000 a vara.
Brim preto trancado, a 2/000 a vara.
^Bramante de algodao, a 1/600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura, a
2/500 e 2/800 a vara.
Algodao marca T, a 5/000 a pecA.
Dito domestico, a 3/000 a peoa.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzue cambraia de cores muito fina, pelo di-
minuto preco de 400 rs. o covado.
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme dt C.
IHAMADO
Os Srs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim
Clemente de Lemos Duarte, sao coamados a
rna do Coronel Suassuna n. 282, a negocio de
particular interesse.
Criado
Precisa se de um que seja esperto e Sel : no
largo da matriz de Santo Antonio n. 2, primeiro
andar.
3
i
Omsultorio uiedico
DO
Dr. Murillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
re- S
quentou os hospitaes de Paris e Londre* G
ode ser procurado a qualquer hora do ffl
la ou da neute para objecto de sua pro- Q
fissao.
Consultas do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
ifjpecia/i crianca e de mulher.
Rmprega no tratamento das molestias
de sua especialidade as duchas frias e
bankos a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modcrnamente em
liiegados na Europa.
Tambem applica com grande proveito M,
no tratamento das molestias do utero a ss.
electricidade, pelo processo do Dr. Tie- Jf
pier. Cura por um processo inteiramente V
O novo as blennorrhagias e sobre tudo a Q
ft (gotta militar) dispensando as injeccdes. \j
i
G4SA
Aluga-se o 2, 3% i andares e solao do sobrado
n. 14 da rua do Torres, perto da praca do Corpo
Santo, commodo pnra residencia de familias e es-
criptorio de negociantes: a tratar na rua do Im-
perador n. 57 primeiro andar^_________________
0 abaixo assignado faz publico quo o Sr
Manoel do Rug) Barros, foi despedido de empre-
gado das obras do theatro e mercado, desde o dia
7 do corrente mez.
Recife, 10 de dezembro de 1873.
_______ Jose" Angusto de Araujo.
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
des para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Amorim, b. 37.
Aluga-se am excellente sobradinho com bolas
de vidro, na rua de S. Pedro Novo n.... com eom-
modos para grande familia, o melhor lugar para
quern qnizer f?*er uso dos banhos salgados: a
tratar na praca do Corpo Santo n. 17,1 andar.
V TORRE
Aluga?} para passar festa um sitio com
excellente casa de habitacSo e banho no rio
a frento desta : quern a pretender, pdde
procurar a rua de Gervasio Pires n. 24.
Aluga-se a casa terrea & rua Direita n.
114, propria para estabelecimento : trata-se
i rua Nuva de Santa Rita n. 35.
ATTENCAO
0 abaixo assignado participa ao respeitavel pu-
blico que tem grande drposiio de vinhos de fruc
tas do paiz, como seja o de cajii, cm quatro qujli
dades, os (limes vcnile pnr prrgif razoaveif, c mi
tros m;iM di' iliv-r.--.i- :V;i '..<. que .i vi>la I..
O pr^'lH ;!:.n i il -!!- i--':.;. lvc!ii'*':i t |..-di- :v do-
ims <i:j i< ,:[. hvifl mi as li
U> rajti, pmif*fNi ..:-.,-.,:.! .-.-; .;i-.,-. -.-.i:. vvihi-f,
CuflipiJCCaili i ilu '.,:,', |k .S pr. ifift li. lii. irii
trcra Cmco Pontas, afini de ^e tratar dns proi.- >.
JoSo do Amaral I'nposn.
A Tl N(IA0
Precisa-se alugar uma ama dc meia idade, po
r6m que seja preU, cue nao tfnha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para coin
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade do Olinda, sitio do Amparo, ca-
sa terrea grande, com portao ao lado.
86 mlo sera proprietario quern
nilo quizer.
Visto que vende-se palmos de terra a 800 e
1/. As terras sSo proprias e com 400 palmos de
fando, que 6 regado pelo amenissimo rio Jordao.
S2o muitas as vantagens da compra e entre ellas
- a da ptireza do ar e da de ter passagem gratis
por dez annos offerecida pela companbia da
via ferrea do Recife a S. Francisco, a quern nas
ditas immediacies edificar. Quern quizer deve
dingir-se A thesouraria das loterias, a tratar com
Tristao Francisco Torres, que pede a aquellas pes-
soas para as quaes ja separou terras que quan-
to antes apparegain, pois que, pelo preco a con-
currencia e immeusa. Todos os doinin^os e dias
>anto9, acho-me no lugar.______.____________
- Aiuga-se a casa n. 77 a rua de S. Joao,
auim como em Santa Rita-nova o fundo da casa
n 25 a rua de Santa Rita ; a tratar na loja n. 44
A rua Duquo de Caxias, ou no 2* andar da casa
n. 41 a rua do RangeL^___________________
Tendo lido em os jornaes dc 5 do corrente
um annuncio da Exma. S de Siqueira Salted -m que declara 6 existirem
lelras de seu afoite t*m poder dos Srs. Jos6 Do-
minguea Maia e Rodr>gu*s Almeida C, enra-
pre-me decrarar-lae, que em men po-|. r existem
algumas letras de seu aceite ja prutestadas e so
mente per esquecimento a credito que foi feilai
aqnella declara^ < i
Recife, 10 de dez<*i.r.ro de 1^73.
________Sv,-r "i... de Siqueira Ovalean**. i
Aluga-se criiiici. ...Tar Apollo
u. 7 : a traui uu Mgyj andar ao ao.
Hotel duas nacoes alliadas.
No becco do Padre n. 28 faz se comedorias com
todo o asseio e perfeicio, e se manda levar em
casa de qualquer pessoa que quirer ser assignan
te por mez ou mesmo avulso, pelo preco muito
commodo de 30/ e 35/ por mez para umi pes-oa:
os Srs. que se dignarem obzequiar-medirijam-sc ao
mescrao hotel que achara com quern tralar. Tarn
bem havera ho mesmo hotel, papa do leite todos
os dias as 5 1|2 horas.
A pessoa que annunciou precisar de 500/
premio sob hypotheca em bens de raiz, appareca
rua do Hospicio n. 25, das 4 horas da tarde em
diante___________
Optimo banho.
Aluga-se em Beberibe uma casa com um pe-
queno sitio, na estr.da que vai da povoacao para
o Porto da Madeira. A casa tem commodos para
familia s banho no fnndo do sitio inteiramente il-
dependente, aluga-se por preco commodo : a tra-
tar na rua do Imperador n. 79, das 10 horas da
m an ha as 2 da tarde.
Aluga se o armazem e o primeiro andar do
sobrado da rua do Bom Jesus, outr'ora da Cruz,
n. 20, proprio3 nara estabelecimento commercial :
a tratar na rua do Marquez de Olinda n. 32.
Aluga-se o 1* andar do sobrado da rua
reita n. 8 : a tratar na loja do mesmo.______
Aluga-se a casa da rna de S. Jorge, oulr'ora
rua do Pilar n. A, tendo sotea assobradada para
grande familia : a ver e tratar na rua dos fiuara-
rapes n. 14, taverna.
Roga-fe ao Sr. Theodora Nicet Pereira da Sil-
va, o favor de vir a rua do Barao da Victoria n
-2, a negocio de seu parlicular interosse.
Escravo fugido
300^000 de gratificagao
Ausenton-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
annos de idade, e perfeito coziabeiro, alto bastante,
6 bem magro, pouca barba, olhos grande*, 6 muito
ladino, consta que tem pai no engentio do Sr. Lulii
de Caiara, em S. Lourengo da Malta. Este preto
foi cozinheiro dos negociantes Adriano 4 ('astro e
Sr. JosA Joaquim Goncalves Bastos, e julga-se
que esteja alugado em algum hotel ou caa parti-
cular nesta cidade, como forro : pede-se a todas
as autoridades e capitaes de campo, que o disco-
brindo, o tragam a rua Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival sem seguudo, que serao gra
tificados com a quantia acima.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-S'
allar ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe-
eira, a negocio de seu interesse.
CASA.
Aluga-se metade de uma rasa no palco do Ter
co a pequena familia : a tralar no pateo do Pa
raiz j n. 26.
AtteiiQao
Francisco de Paula Cavalcanle Wanderley faz
sciente ao respeitavel publico em geral e parti-
cularmente ao corpo commercial desta provin-
cia, que attendendo a coincidencia da haver duas
pessoas de igual nomo. assignar-se ha desta data
em diante :
Francisco de Paula Wanderley
Recife, 4 de dezembro de 1873.
Precisa-se de um lv>mem livre on escravo
para andar com tabol^iro, paga so 1/600 por dia
com a mesa : a tratar na rua Duquo de Caxias
numero 84.
DESCOBERTAS
*>*&&s
MEDICINAES
TE1.0 BACHAIIRI.
Manoel de Siqueira
% Cavalcanti.

m
la o Preservalivo da ery-
sipela : para curar com certeza, c
en. poUBo tempo, qualquer ataquc de
erysipela, e prevenir o seu reappate
cimento.
Este medicamento tambem e muito
poderoso para o rheumaiisnio.
** o Regiilitditr tla mens
truacao : pan lalta, irregularida-
de, suppressao repentina da menstrua-
gao, e dos bchios, as-im como para
todo^ os soffrimeoto.1! devidos aquellas
affeccdes. Amlms esles medicamentos
ja sao muito conceituados, e procura-
dos nesta provincia, e na do Rio de
Janeiro.
Acham-se a venda somento em casa
do antor, das 9 horas do dia as 3 da
tarde, e a qualquer bora em casos ur-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatri/. n. 14, 2 andar.
9


Casa de eampo
Offerece-se a qovm quizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porla u'Agua,
que foi do flnado Dr. Joaquim Pires Carneiro M >n-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ca. A localidade 6 muito salubre, e a casa muito
fresca, tem magnifico banho de agua doce em
frente, e 6 muito commodo visto que o trem passa
iefronte: quem pretender pode dirigir-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinio, na rua do Bom Jesus,
on ao Sr. Cannan, a rua do pmmercio n. 40.
0 abaixo assignado faz sciente ao respeita
vel corpo do commen'.io que veddeu a sua taver-
na sita na rna do Barik do Triunpho n. 39, ao
Sr. Antonio Vieira.
Recife, 2 de dezembro rle 872.
Joao Gomes da Cruz.
Precisa-se
de um ou dons moleques para um trabalho muito
leva : a tratar no hotel de Bordeaux.
Offerece-se uma mulher de boa conducta
para cozer em casa de alguma familia ou mesmo
em casa de madame : na traves-a do Forte n. 6.
[Servente de botica.
Precisa-se nm que teuha pratica : na pharma-
cia Torres, a rua de Mamlio Dias n. l-i5.
Casa.
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 61 da
rna da Apollo : a tratar na rua da Cadeia n. 3.
501000.
Fugio do engenho Ara luira, do termo d< Es
cada, no dia 26 do coi rente, o escnvo. Antonio,
crioulo, de 34 aunos a* i Me, cm os signaes se-
gnintes : altura regular, falta de denton na fren-
le., pea apalbetados ^ |i*adg -e vi la ; foi cm-
prado nesta praca e in gi -e andar pela fregue-
zia da Varzea, onde i imiia : Quem o
pegar Icve-ona tac >: a tratar
com Oljinpio "U bo -itotnge-
ntio a seu Sr. iumor.
Recife. I* d novwi
Escravo fugido
Aclia-se fugido desde o dia 18 do corrente o
escravo Srworia, crioulo, cr.r fula, baixo, imdo
nm il-- deil s i' llogarw do re cortado : quem
pn-mlo I I Hindu, v.lo'.n!.. it *, que r.-i.i g^nTOrEinrrite v'>
',:':. -ailo.
jjanho.^ eares ^audavcis do
Monteiro.
Aluga .-e aili duas pequenas casas muito em
i-onla para quem precisar de bons ares e banlios
frescos ; a tralar a rua do Barao da Victoria,
tr'ora Nova n. 7.________________________^
Attencao
Aluga se uma casa terrea, com sala de GrMte,
dous quartos, sotao interne, sala de jantar sepa-
rada da cozinlia, muito fresca, proxima dos ba-
nhos salgados, sita na cii'ade de Olinda, a htves-
sa da ladeira da Se, outr'ora Xavier de Santa Ra -
sa quem a pretender dirija-se a mesma cidale,
rua de S. Joao, casa n. 17.
IMPERIAL
FABRICA DE CIGARROS
DE
S. JfliO DE mctHEMY
Rio lie Janeiro
Constando ao abaixo assignado, unico agento
nesta provincia, da imperial fabrica de cigarroK
de S. Jooo de Nictheroy, uo Rio de Janeiro, que
existe no mercado rigarros que sao vindos como
fabricados em dita fabrica, Imitando para isso a
eti(|uela em i|ue vem elles envoltos, apressa-se a
prevenir a todos os feus freguezes que os uuicos e
verdadeiros cigarros de exposicao de dita fabrica
so sao vendidos nos armazens dos Srs. Francisco
Guedes de Araujo, Manoel de Sonzi Cordeiro Si-
moes Junior e Faria & Filhos. unico? dc|.ositos de
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de 1873.
_______ Domingos Alves Malheus.
Quem precisar alugar um escravo, com tan
to que nao seja para servico de peso, dirija-se a
rua do Hospicio n. 61, que encontrara nm bastan-
te intelligente, c capaz de encarregar se do lrab.i-
Iho de jardim ou de hortalicas.
MOFINA
Estd encoura^ado !! !
Asua mole em pedra dura
Tan to da ate <|uc a fura-
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
jscrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a eon-
stair aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para janeir:-,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cusnprio;
e por este motivo 6 de novo chamado para di:o
dm, pois S. S. se dee lembrar que este negoeic 6
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu filho ichava nesta eidnde
ALUGA-SE
uma casa na Capunga, rua das Pernambucana-,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
Precisa-se de l.-oOO/OOO a juros, dando-se
por hypotheca um predio : quem quizer annun-
cie para ser procurado._______________________
Roga-se as pessoas que estao a dever a ta-
verna da rua do Pnqu* de Caxias n. il A. o fa-
vor de pagarem o que devem, sob pena de se pu-
Idicar os Domes por esta folha, so o nao fize:- t
no prazo de 15 dias.

NOVAS PUBLICACOES ilUSIUES.
A. J. Acabam de publicar-se, e acham-so a .
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
Danse E8PANH0LA, por Ascher 2)000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
theimer 1950U
V.vlsa do Facsto, por Croyzcs 1^003
Soniio de uma viRGEM, por Alber-
bizi" HWO-J
Anna la Prie, cavatina .1516000
AoCuir de la 1.1'ne, por Bussmeyer 1"
ESTREM.A DO NORTEI n ... -,. ,-
o___... /Polkabrilnante I5*0-j J
SACDAgvO AO UAIIIAl
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickels club pemambueano o
bahiani) l^OO'J
PIANO E CANTO.
Desf.speuo, muito limlo romance
por I. Smoltz 2*000
Non m'amava, romance por Guercia 1"
Tambeca rcccbeu da Europa grande so:-
meoide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
Escravos fugidos
Felippa, negra, cabra, ja idosa, cozinbeira, a i
e secca, foi escrava da viuva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tem um filho escravo do Sr. Jo;-:
Antao de Souza Magalhaes, que andava fugido,
e qneveio seduzir a mai para acompanba-Io ;
esta ausente des e o dia 6 do corrente.
Roga-se a p licia e capitaes de campo a cap-
tura das mc-mas escravas que sao ao engenh i
Sapncaia de Beberibe. ___________
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenno Serigi, comarca de Goyauna, o
escravo de nome Jose Borges mestre de assucar,
tendo os signaes seguintes: cabra, idade 30 anncs
pouco mais ou menos, boa ligura, um tanto gros- >
e espadaudo, sendo o signal mais visivel uma
gomma na junta do pe esquerdo : roga-se a tod.-
as autoridades e capitaes de campo queiram ap-
prehender dito escravo e leva lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos Si C., lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao generosamente
recompensados.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Carros de luxo.
inquestionavel que a cocheira da rua do Bom
Jesus n. lo, de Joaquim Pies Pereira da Silva, a
que tem as melhores berlindas, caleeas, meias ca-
lecas e victorias de luxo, proprias para qualquor
noivado, visitas de etiqueta, bailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de excellent- -
parelhas An animaes, arreios luxuosos e boleeircs
com fardamentos do nltimo gosto, para o qne se
convida ao publico a vir por si mesmo scientifi-
ear-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrario pomada, e aim realidade 3
mmodos precos
Primeiro andar para alugar.
Aiuga-se o primeiro andar do sobrado da rua
de Marcilio Dins u. 137. pintado e caiado de novo:
qne'n pretender dirija -e a pharmacia Torres quo
achara awn quem trater
iuga-se
o siiio da P-mte do Ui-hoa n. 35 : a tratar no mes-
mo sitio, ou na rua do Rangel n. 7, t* oa 2
andar.
/ ,


^'
3
Diario dePeimmbtra? Sabbatic 13 de Dezembro do I?8.
t\
^oufeitelros e pasteleiros
culinanos e conserveiros
Xetn todo e?ifio na alttira de visar qual a mis-
v^Jto desses qr.atro artistas ijue podera estar cen-
'njSeados era unta so pessoa.
se uao vedn :
<) oos8o celebre lexicographo P. Iluteau, cre-
jbbs que fii urn grande guloso.
S se duvidais, Teitor ou leitora, tambem ami-
jgk do doce, quo nos eslais lendo, abri o tomo i.'
.Sosapplemento ao-grandt vocabulario, e aln no
wcabuiano dos synonyraos e phrases, a pagina
406,eneontnreis a proposito da palavra confeileros,
amomw.f* 22 columnas, on 11 paginas de fo-
$*, em eKigio dos esmerados arti-tas, que a cada
#asso nos seduzem com as suas famozas golos
fee*.
Seoao vejamos : chama-lhes eotre outras desig-
aae<5e9 que nos levariant muilo longe se as qui
?es3crno3 enumerar :
Artifices de comestiveis do eura.
Administradores da suavidade.
Engenheiros saborosos.
t'hilosophos naturaes.
Antipodas da amargura.
lllustres propagadorts do imperio Pomana.
Oulci?simos ntinislros da suav-dade.
Amabilissimos -enhorcsdo imperio da docura.
Paeificos moradores e bons vtsinhos.
Nebitissiinos artifices, cujas obras nao sao para
a boeca do vulgo.
Hootens que no mundo se dao a conbecer mais
ytavemcnte que todos os mais.
Benignos bospedeiros que das suas lojas fazem
I n lo.
Exterminadores dos corpasculos heterogeneos,
e fveritos cpllectores das partes Itontogeneas da mais
L'ra substancia doassucar.
Jae!
Ja se ve quando dissemos acima quo os qnatro
?.rtistas podiam ertar cenlrificados em uma so pes-
. e por ne podentos dizer por experieacia pro-
ria e se quizenles verifier ido
A CoNFElTARIA DO CAMPOS
Encommendai por exemplo :
1 fUmbre.
1 rovast beeff.
1 empada.
1 pudiiri.
1 bolo inglez fino.
1 pao-delo.
1 torts de frneta.
pasteis, bolinhos, amendoas, doees e confeitos.
Oue tudo I tudo alii so prepara a contento
Carlos Pimo de Lemos, adutinistrador Aa.
_;a=sa fallida de loaquiin Silverio de Souza k C,
-oga ao-s devedores da referida massa, queiram
nto antes saklar seus debitos a rua do Mar-
- de Olhda n. 1, sob pens de recorrer se aos
aieios juli-:iaes. Recife, -21 de de uovembri. de
Acredilarito \cndo
Retalha-se um vasto e beilo terreno &
margem do rio, nos fundos da povoacdo de
Beberibe, ainda nao visto pela maior parte
da populacao, por ter sido ha pouco derru-
bado os mattos que cobriam dito terreno, o
qual consta de uma grande planicie, pro-
pria para edifica^So, e distanciaae 3 minu-
tos ''a ultima estate da via ferrea, achan-
do-se jd dividido em ruas, com approvacao
da camara de Olinda.
Quem pretender pdde ir ver que sem du-
vida ficara" agradaJo, e entender-se com o
Sr. Jose Honorato Medeiros (Zumba), en-
carregodo, ou com o proprietorio, junto &
ponte da dita povoacSo.
$ Consultorio homeopa- 0
& thico
$ Do Dr. Santos Sfello
< 41-------Raa do Imperador-------41 {X
2 Consultas todos os dias das 11 a 1 da S
jR tarde. 9
tfjf Gratis aos pobres. 1Q
2 Residencia a rua Nova n. 7, segundo SJ
andar, onde da consul tas das 6 as 9 da W.
lii roanha e das 3 as 5 da tarde. Mf
25 Chamados a qualqner hora.
Liquidacao
para ci-zi-
na rua do
A TO3 Precisa-sc do uma aina
.'y.ll.il n|lar para rapaz solteiro :
tTrespo n. 2;'.
PrecUa s s a|ugar uma ama b"a cozinhrira,
orra ou capfiva : a tratar na rua da boperattiz,
easa n. 16, i0 an jar.
|- Hrecisa-se de uma ama de idade
A para cozinKar, engonunar e lavar
I j\ p.iracasa ile mocjs solteirus : a tra-
*- Li- i;ir na rua lo llang'-l n. 3, laverna.
Precisa-se-lo unta ama para cozinhar, fi'i'ia
x escrava : na iravessa do Corj'O Santo n. 2-*>.
J
In deleile
Alngi ;e uma na rua dos*Martyrios n. 132,
mi fi.*JO,

Precisa-se de uma ama pa
ra eomprw e cozinhar : na
-- rua do Impcrad >r u. 79, loja.

- Predisa-se le uma ama para tratar do ser-
1 lomera soltoiro, sendo muito fiel
fia i-r (I i na conduota : na rua Augusta
\ laverna, se dira quem preclsa.
'

I'recisa se de uma boa enti
\nlic!i'.i, c-ciava ou forra. p;ga
se bem : na rua do Intnerador
n. 17. ____
Precisa-se de uma ama que
saiba perCeilamente eozinbar : a
i ua d" Queirnado n. 92, loja.

( I Preclsa-se de nma ama para
\ cozinhar : a tratar na praca da
\ In! peodencia n. 39. Iija da
'x Calcado.

I

Bis i-se de uma ama forra
on t v.i, ara oazinfear : a
ir.-ii na rua Nova, loja n. 7.
Prwcisa s de uma ama para
cozinhar : a tratar a rua do Im-
i lor n. 11.
j
nsnll ri'j wlk* -rinirc'co y
H
I)R

\. B. da Silva Maia.
Rua do Vise .::!., 1' A!l)Ui]lten| IS 11.
ii, oii'i'i ,.. rua la ruatri' da Boa-Vista
n H.
Chamados : a i|o ,v: horn.
Consolias : Aos poton 2 as
i boras :l i tarde.
.^X>
i
i .
Pnrteram na notte de 8 pan o anftaali eer d*
t > reatc, <: 'zeseis I'adeiras americaoaA, fit-
isdejoncoe dez ditas de mvleiri e uma
de treat", i-o d> aarracl i i.i janto ;i poule
i-Vista;"a pessoa a (jui > forem oili-nmlus c
r on le c.-i i e.-l -. partieltie ao
ou doao Jose r, i,:,-.!'- da lilv Pr< iro, ouc se
i r- compensaii.
A!
np-se
imeiro andsr do Miara>luda rua do Dnqa-t de
.axia* n. Vi, pr "nio para escfiptorio, i>U npaz
ill.....> : a tratar m-ui'i; i <
Vigor do Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovacao do ca-
bello, restituiclo de sua cor
e vitalidade primitiva e nat-
ural.
Vigor do Cabelt.o 4 oma preparacSo ao
o tempo agradavel, saudav<-l c* e(ftr. -onsen ar o cabello. Por meio do seu uso o
'Ao rnco, grisalho, e enfraqneeido, dentro de
<> t*-mpo rerolve k cor que lbe 6 natural e
mitiva, e adquire o brilho e a frescura do
Ua da juventude; o cabello ralo se toina
to e a calvicie muitas vezes, posto que nao
m todos os casos e nentralizada.
N2o ha nada que pode reformar o cabello
'cpots dos foJMculos estareni destnuMo?, e as
Jes cansadas e idae, mais se ainda restarem
'gams pixlem ser salvadas e utilizadas pela
ppfieacao do Vigor. Libre de essas substancias
. erins que tomam muitas preparacoes de este
feo tam nocivas o destructivas ao cabello, o
igor sotnente lhe e beneficial. Em vez de
y o cabello e o fazer pegajoso, o conserva
> e forte, ombellizando o, impedindo a qucda
:iar-sem90, e por consequinto previne a
vie.
' uso da toilette nao ba nada mais a '
'>} coutendo leo Bern tintura, nuu pode
'u.t mesm^O'naais alvo lenco de anUria;
an cr.'M-iloy lbe d4 um lustre luxuri./^i,
perf uae muito agradavel.
Para rc-foznutr a or da barba, 6 necessario
j:o de que com o cabello, poret" "" nrxlo
r o effeito, envolrendo a barba de no!'
molhido no Vigor.
. P&EPAJtADO POP.
Dr. 'T. O- AYEB & CA., Lowell, M-. ,
ICatados ITnldoa,
venMo era pok
AVISO
O Sr. Joaquim Clemente de Lemos Duarie tenba
a bondade de vir ou mandar a roa do Coronel
Suassuna n. 282 a negocio de seu interesse.
CRIADO
Precisa-se de un criada, quo seja bom copeiro
e asseiado : nna rua da Uniao n. 17. ________
- Ainda esta por se alug.tr um sitio na Torre,
com excellente caa dc moradia para grande -fa-
milia, quuartos fora para escravos s e magniiica
agua de beber: trata se na rua estreita do Rosa-
rio sobrado n. 10 terceiro -adac^
DE
FAZKNDAS
Por mutade de seu valor : a rua do Barao da
Victoria n. 24, janlo a loja do Carneiro Vianna.
4 proposito da lesla
0 que dizi'iii por alii,
A verdade von dizer-vc.,
Sem embargo do mao tempo ;
Nao e graga, vou contar-vos
0 que dizera... por exemplo:
Que a BAHRIGA e a m3l da humanidade e que
esta como filha obediente deve tratar com requin
tado desvelo de sua dilectissima e infallivel mai
Que para isto e indispfiisavcl quo os gaslrono-
mos haoitantes de-sta betla cidade e seus subur-
bios, como parte integrante da bumanidade, devem
r ao -muito util e coohecido armazem do Cam-
pos, a rta do Imperador n. 28, comprarem os
novos saborosisstmos presuntos para fiambres ; os
gostosos paios, os saborosos salames, os apneteU-
veis lombos deporco; as delicadas linguicas ,'e
salcliicha6, os digestives peixes em latas, a finis-
sima manteiga ingleza e franceza, os deleitosos
bistoiws, as excitantes conservas. as deliciosas
ameixas, passas, amendoas e nozes, as aprccia-
veis fructas em calda, os flexiveis doces, o mag-
nifico rrarijo flamengo e prato, o embriagante cha
perola, aljofra e-preto, os snbstanciaes ctiocolate e
cacao em p6, os refrigerantes licores, as calman-
tes cervejas, os corroborantes bitters, os inspiran-
tes vinhos do Porto, Madeira, Bordeaux, nguei-
ra, Lisbfla, Chorry, Coilares o outras muitas qua-
lidades, a corruscante champagne, cidra e um ^em
numero de raros e arrebatadores acipipes, que
da for^a, vlda e prazer, aflm de rechearem dia-
riamente o receptaculo de suas idolatradlssimas
Barngas ;
Que, quem quizer fazer nm delicado lunch, fu
mar um primoroso charnto da Bahia e beber nm
copo d'agua fria fgratis a agua) deve vir ao arma-
zem do Campos, unico qne tern demonstrado alii
a evidencfa a inflnencia da rainha do mundo a
- barriga
Mesino porqne
Ora esta e boa.
F
m
m
Trastes. |
Compra so e vende-se trastes novos
e u.-ados no armazem da rua do Im-
purador n. 48.

Carro^a
Compra sc uma carroga para andar com boi, e
que scji bem forte e segura : na rua Nuva.. loja
numero 11.
Precisa ^e comprar uma taverna em bom
lugar de negocio. na Boa Vista, ou nos arrabal-
des : mas que tenba poucM fundos : qnem tiver
anmmcie para a r jwucurado.
iir
t
Vende-se ou arrenda-se, altos e baixos, o
si brado de nm andar silo a rua Imperial, canto
da traves-a do Lima n. 1, proximo ao chafariz,
em localidade muito propria para negocio, e por
on-le passant os bonds : quem o pretender va a
rua do Hospicio n. 3ii, quo achara com quem
tratar. das 7 as 9 man hit, c das % as 6 da tarde.
ArmaQdes para camas.
Na rua do Duque de Caxias n. 76, tern para
vender armaches do amarello para camas, obra
bi a, pre;o avista da fazenda.________________^
NDE-SE
um sobrado de d.ms andares e sstao, na trrvessa
da Maifre de Dens n. 10, o qual reade dous contos
il ra atnualmeate : a tratar na mosmo lugar
com os seus |-i-..prieiarios todos dias uteis desde
as 11 luras da utantia ate as duas noras da
tarde.
Vende se um pore.o proprio p;ira a festa, e
em grandeza nao ha segundo, 6 um extraordina-
ry : a traiar na rua do Cotoveilo n. 25".
lrmazem do fumo
/'
Rua da Madre de Dous n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Silva parMcipa ao:
-eus freguezi^s e amigos que no seu armazem a
rua da Madre pleto sortimento de fumoein fardos de pa ten to t.".
2." e A.' sortes, dos melhores fabri.antes da 3ahia
e bem assim a dor de todos os fumos de cerda
"in ruins, pacotus, latas granles e pequenas, tam-
bem dos mui acreditados fibricanles Torres a
Araujo, Lizaur, Adolpuo Schmdt k C, Lizaor
Schmidt & C, Veigas & Araujo, Trindade 4 Ave-
lar, Teixeira Pinto 4 Portella (garantido pelof
imsmos) e de outms ainde nao oonhecidos pek
publico desia capital. 0 annuncianle declara qut
iiiiln fuiiin que for vendido em sua easa sera pelo
-eu just") valor, e que quando garantir a respecti
v.i quaUdnde, sen slncero, mui particularraentt
cum as pessoas que pouco entendam da materia .
pois para bem servir a todos, tern o annuncianu
iinga pratica de 15 annos deste e .mmercin
Asunicas verdadeiras
Bichaa hamhursmezas qne vem a este mercado
aa rur Marquez de olinda n. SI
Vende-se duas vnltas de amarello que fe-
cra uma bnnita arma^ao de amarello de meia
laranja : qu-mi pretender comprar dirija-se a rua
da Imperalriz n. 23.
Vende-se
um sitio em Agua-Fria na rua do Saato Antonio,
o dito sitio tern de frecte 100 palmos e 472 ds
fundos e a c.sa ainda esta por acabar : a tratar
na rua d<> Cotoveilo n. 8.
VliiNDE-'E
Dous savaRoti mnMo bons andadores : a Iratar
na rua das Flop-s, cocheira do Sr. Firmino, ou
na palaria sita a rua de Marcilio Dias n. 69 ; tam-
briii M vende uma armacao de laverna muito
barato.
LIQUIDACAO DB PAZBNDAS
HA
Rua da Imperatriz n. 60
Rua do Barao da Victoria n. 22:
DE
por
Quem quizer ser ditoso. ser Miz
Deve ao Campos sjmente ir comprando,
Evitando assim de ir mat passando,
Deleitando a barriga e o nariz.
Alem Jdo qne dizem muitas ccusas ;
exemplo que o Campos e so quem vpnde bom e
barato, que so e o unico que da amnstras de gene
res; que so elle, 6 qu.-ni capncha em dr bom
peso, qoe e elle so quem mania le.-ar gratis
em ca-a do comprador os generos comprados (a
dioheiro) em seu armazem, quer dentro da cida-
de, quer nos sens adjaeentes; que unieamente
so 6 no armazem do Campos, a rua do Imperador
n. 28, onde se encontra um completo e eeplendi-
do sortimento, venladeiro Centra de peregri
nas e exquesitas victualhas. onde todos (ma.ons
jesnitas) devem vir satisfazer tsta obra de mise-
ricordia (ja so sabe, trazemlo dinheiro) dar de
comer a barriga allendendo a que :
Do dia a quesiao ja nao existe,
Que o Campos fez ecssar tola esta briga,
l)e.-fechando este ^olpe plwlosophico :
Tratem todos primeiro d i barriga.
Finalntente qtfe. as interessa tes meninas di-
zmtjae, so gostam dc doces do armazem do
Cameos ; as settoctoras e espirituosas mnrjas que,
h> tomam nn> calice de bitter estomacal so for
do armazem do Campos ; as respeito->as matn-nas
que, so se recordam do pas*adorqnndo saboreiam
alguns acipipes do acmacem do Campos ; o? ele-
gantes o amavels rapazes que, so fumam charu-
tos do Campos ; oi vulhos que, so sentem excita-
cao quando cinnein certas iguarias do Campos,
e ate os forasteiros so proeuram o Campos, w
querem o Campos e so gostam do Campos, aponto
de... vejam :
Do Campos a fama como voa
Nos bailes, iheatros e cafes ;
Maxambombas, bonds e jardins,
RetroanJ do mundo nus conQns,
Deiva a fodos uma nova feliz, boar.
E vai passando di s annos alravez !
9
Vende-se
earros de mao muito bons e por commode pre^o :
na praQa dr> Conde d'Eu n. 10, e no becco do Tam-
bia n. 9._______________
Formas para assucar.
galvaoisadas e pintadas, por preco commodo.
Vendem Cunlta & Manta, a rua do Marquez de
Olinda, n. 2_3.
Boa compra.
Vend-se nma padnria com todas as pertencas,
muilo afri'gueiada, em boa localidade, livre e
dpsenibaracudi : o molivo to venla nao desagra-
dara ao comprador : a ver e tratir naraado Ba-
i rao de S. Borja n. 23, se dira qucu vende.
|Ya fiiHdi^i'r ii? ilnnlosi ^Iraftu,
! irHfid) Bfisi! ns. JOOufOS
Vende-se op. sc^uintes ob-
jectos, for precos
commodos:
i VARANDAS frani-czas de fqrro nindWcrde diver-
h iMUiit' ;',.:.
1 pnr.O'vS f-aniv/.c.s g......' p. .wnos.
DITO .lit. para trabalhir cm b-Z.
r! MB ',S fraiV i d .., --".
i..s O.s ci.. pi- Jo fo ro. "i molla esem
\\*$,-> (\<- ferro .im tan.
I JAltK's de i. in. paia j.ii.iin-. gi'dudes..duPtsiiue^.
i n .'.
i tirti.lii..Af) para I;., ^c.d fazti g*to.,.gUun
a ii .in n> nun,..,.- e fajetn,^elo em
I *. '.l s.
Na cidade do Natal
vende-se a escuna hollandeza l'elgrim,tl* 1* classe,
lotacfto 117 toncllada^, forrada a zinco, que pro-
carando em dias do mcz de novembro proximo
passado cnlrar na bar. a do Rio Grande do Norte,
encalhon na praia da redmlia. A correnteza do
rio juntou grande quantidade do areia em roda do
casco, areia quo facilila em occasiao de mare va-
=ia a entrada para hordo a p6s enxutos.
No porao evistem 50 ton 'lladas de pedra e cer-
ca de 4 iitas de carvao, porem. posto que facil-
mente so podia discarr.gar, faltaram apparelhos
para salvar a Peigrim, e foi comlemnada e vendi-
da em leil,i\
A escnna esla com mastareos, a cunha e vergas
amanlilhadas; seus ma>tios de pinho da 1* quali-
da !e, mede o grande 67 pes, e c de prda 58 dilos.
Tern 3 excell-ntes ancuras com sepo de ferro,
2 amarras de corrente mrt'lindo 130 bracas, tudo
com pruco uso, 2 bombas de ferro, o apparelho e
de arame e foi posto na mastreacao no correr do
anno de 1872.
Tern 3 easco* para agua. fogao* de ferro e o leme
esta ainda callado e perfeito, o bolinette em seu
lugar.
Ate e dia 18 do corrente mez de dezembro, no
esciiptorio de domingos Hfnripue de Oliveira, a
rua da Alfandega, na cidade do Natal, recebese
proposlas para compra da sobredila escuna, que
podem ir no vapor de iS.
Vende se uma prela de SOannos, pouco mais
ou menos por 250*000 : na rua da Ponte Vellia
n. 101. _______________________________
Vende-se duas excellentes casas no Cha-
con, solidas e recentemente constrnidaj, com mui-
tus commodos e no lugaar mais hello e pittoreseo
daquelle arrabalde. Sao muito proprfas nao so
para quem quizer passar o verao como morar no
campo gozacdo ao mesino tempo as delicias delle
e os commudos da 'praca ; e a ra zlo 6 porque fl-
eam mnito proximas da estacao do rio e do mer-.
rado da Casa Forte. Quanto a diatancia que ha
daqui aqu.lle arrabalde quem ignora f Os preten-
dentes dirrjam se a nra do Visconde de Albuquer-
que, outr'ora da Gloria n. 174, oade se dira quem
vende ,
Ja ehegou
o verladeiro madapolao francez a
rna do Qneimado n. 43.
A elle antes que se acabe.
a peca
Bellos-gostos 'em foulardina.
A rosa branca tern os mais rices g. stos em
foulardina, e umarica fazenda para voslido com
as cores azul, cor de pinhao, bronze, e- cer de
ilyrlo, tudo com listras brancas, sao eslas as co-
res mais moderaas e mais usadas nas principaes'
cidades daEuropa. Dan-so amoatras e manda so
levar nas casas : na loja di rosa brabca, a rua
da Imperatriz n. 56.
Las finas a 504) rs.
A oa branca rnoebw lanzirthas de Itados gos-
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo pre^o como
abaixo se ve:
Pereira da Silva A t.uimaraes tendo era ser uingrancta depozito de fazendas,
tem resolvido fazer uma liquidacao das rnesmas com granda abatimento nos precos,
com o unico fim d^ spura'r dinheiro, para o que convidam nio idee seus numerosc-
freguezes, como o respeitavel publico, a vir surtir sc de muitas fazendas, boas e baraUs
ho seu estabelecimentodenotninado oPavSoa rua da Imperatriz n. 60.
CAMBRAIAS A 49, 43500, 53, 63 73. I francez muito fino a 33000, apenas precis*
0 Pavao vende um naagnifico sortimento i> V* metr0 Para um ^ncel.
das mais flnas cambraias trancas transpa-
Carneiro Vianna.
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machines para
costura, dc todos os autores rrfais acredita-
dos ultimamentfrnai Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as rnesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sim concerta-las pelo tempo tembem d'um
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimeuto t-.mbem ha pertencas
para as njesmas machinas e se suppio qual-
quer pega quo seja necessario. Fstas ma-
chinas trabalham com toda a porfeicSo de
um e dous pospontos, franze e borda toda
qualquer costura por fina que $v]a, sous
precos sSo da seguintequalidade : uara tra-
balhar a mao de 303000, 40300 >, 453000
e 503000, para trabalhar com o pa sao de
803000, 903)000, 1003000, H 03000,
1203000, 1303000, 1503000, 2003000 e
2503000. emi|ii,irito aos autores nao ha al-
teracSo de .precos. e os compradores poderao
visitar esu- estabelecimeuto, que muito de-
veran gosiar ptda variedade de objectof que
Lha-scmpri' para vendor, como scjam : cadei-
ras para viagitm, malas para viagom, cadei-
ras para salas, crianca (alias), ditas para escolas, costurei-
ras riqnissimas, para senhora, despensaveis
para oriaugas, do todas as qudlidades, camas
de ferro para homem e criangas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quonos, apparelhos de metal para cha", fa-
queiros com cabo de metal e de marfim,
ditos avulsos, eolberes de metal fini.condiei-
ros para sala, jarros, gaarda-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completes, diios
smiples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito ilevemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acba ab.urto de-de as 6 horas da ma-
ltha ate as 9 horas da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Nao ha mais cabellos
TtNTURARIA JAPQNEZA.
S6 e unica approvada pelas academias de
sciencias, reeonhecida superior a toda que
tem apparecido at6 hoje. Deposito princi-
pal a" rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, 11. 51, 1 andar, e em
todas as holicas e casas de cabellei-
rsiro.
De forca de d .us a seis cavallca : a venda no
armazem de Joaquim Lopos Machado A C, tr-a
vessa do Corpo Santo n. 25.
Vende-se~a armacao e utensilios da taverna do
pate" do Terc.0 n. II, barato, e propria para quem
se quizer estabelecer iiaquelle lugar : a tratar na
mesma.
Xarope d'agriao do Para
Antigoe conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados no
escorbuto.
01 eo de linhaca.
Vendem Cuiha & Mania, era barris : rua do
Marquez de Olinda n. 83.____________________
- Wil on Rowe <& C vendem no seu armazem
a rua de Commercio n. Ii :
0 verladeiro panao de algodio azul ameneano.
Excellente fio de >ela.
Cognac de 1' qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades_________
Vende-se um 1 casa terrea em terreno pro-
prio na ruajdo Carcereiro n. 6 : na rua do Duque
de Caxias, loja n 60 se dira quem vende.
rentes, tendo 10 jardas cada peca, pelo ba-
rato preco do 43, 43500,53, 63, tendo tam-
bem das mais Gnas que custumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 43
at6 83, sendo fazenda que vallo muito mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORES A 53.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
nhos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 53, por ser pecbincha, ditas com
salpicos todo branco sendo fazenda finissima
a 73500 e ditas a 53000.
VESTIDOS A CSO DA CORTE t$J
0 Pavao vende um bonito sortimerjto de
cortes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada cOrte todos 03 enfoites necessarios como
st'jam : babadinhos, entro-meios, rendas,
requefifes, e vonde pclobarsto preco de 123
cada um, assim como, di'os a 2 de julho
com todos os enfeites a 105, cortes de cam-
braias brancas abertas, com listras e lavores
a 63, ditos finissimos a 83, ditos de cam-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 33500, e pe.chincha.
CORTES BORDADOS A 203 E 353.
0 Pavo vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preQO de 203 e 353.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, 0 covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores Gxas, que vende pelo barato preco de
300 rs, 0 covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo fil6 branco liso e do-salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUSA 123.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous conbonitas listras e
vende pelo barato preco de 12 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales demerin6 e com listrasdeseda.
LAZINHAS A 320
0 Pavao vende bonita; iazinhas lisas,
soiulo venle e cor de lyrio, pe o barato preco
de 320 reis 0 covado, assim como delicadas
ISzinhns de quadrinhos a a$M> riis, 4 po-
cbincha.
Gi-anadiues aOlO
v
a 23, 23500, 43.
0 Pavao vende chales a emitacao de me-
rino a 23, ditos de merin6 lisos de todas as
eores a 23500, ditos demwim'testampados.
muito Qnos a 43, ditos finissimos com lis-
tras deseda a 63500, ditos muito fiuos- de
crepom a 103 0 123.
.%Io 0 Pavao vende algodao eufetado com 3
palmos delargura, proprio para lencdes
sendo do mais encorpado que tem vindo ao
mercado, liso a 13 a vara etrancadoa.....
13280.
ATOALHADO A 13600, 23, 53.
0 Pavao vende atoalhado trancado com 8
palmos de Jargura a 13100 0 13600, dito
adamascado a 23, dito de linho adamasca-
do a 33 e 53-
8EOA PARA VESTIDOS
a 13600 e 23.
0 Pavao vende um bonito sortimento sedas com listrinhas proprias para vesti-
dos dc meninas e de s-juhora a I300t 0 co-
vado, ditas lavradinbas a 23, os padrd%5 sac-
muito bonitos e vendeso por esto prejo pas
acabar.
Ilotina.s a 5 OOO
0 Pavfio tem um completo. sortimento de
botinas muito bem enfeitadas para senhoras
0 vende pelo barato preco Je 53, artigo quf
emoutra qualquer parte custa i3e?3.
LEiNCOS BRANCOS
*a 23000.
0 Pavao vende lencos brancos ab-inha-
dos, tanto para homens como para senhoras.
a 23 0 23500 a duzia, diios de esguiao a
cambraia de linho t mbero abinhados*
33500, 43, 53, d tos francezes cscuros, para
rape a 63, duzia.
CAJ4IAS PARA HOMEM.
0 PavSo vende ricasreanjisas com peito
de linh bord^das, proprias p ra noivo 8
10(5 e 123 cada uma, ditas ds linho sen se-
rem bori das ? i?, 43300 c 53, ditas coa
peito de algodao muito finas 23, 2*500 e
33, ditas de chlta fina miudinhi a 23,23500
e 33, *ssim como grande sortimento de ce
roulas fraiicezas tanto do linho como de a!
godSo dc 13000 ate 33, gr nde sortimento
Je /nei^s crus inglez^s- de 43 ate' 83000 a
duzia
FAZENDAS PARA LCTO.
0 Pavao tern um grande sortimento de
fazendas prct s para luto como sejant : c^s-
0 Pavao vtnde um eleizante sortimento s i'^'.?u laxuihfs 'sas quo vende a 400
das mais bonitas .grenadines ou gazes de e aOO reis o coyado, bombaztnasde 13600
seda para vestidos. tendo de todas as cores ate ^ e vende pelo barato preco de 640 reisoco- Sranatline hsa com l.stras, cassas e chita*
vado e granadine preta com listras de seda todas pretas com luirase salpicos, dp c*3
a 13800. todas prelas e lavradas debraneo, mcrmOs
outras muitas fazend s ajwiopri das, quq de
LAZINHAS A 360 0 COVADO. reude l*>r menos do gue em ou*ro qudquft;
0 Pavao vendu bonitas iazinhas transpa- Parle-
rentes com palminhas a 3<30 reis 0 covado, I. MADAPOLOES.ENFESTADOS
ditas ditas indianas com lindos dezenhos, a 33000.
tanto em listras como em quadrosa 280 rs. PdVa0 vondc p'Ssdema"dapoiao enfes-
0 covado, e grande sortimento de alpacas 0 tado eom l^jard-sa83, tlito a 335^)0, dilc
iazinhas de 400 a 800 reis.
CHITAS DE CORES
a 20", 24t., 28U0 3^0 rs.
0 PavSo vende unt grande sortimento de
bonitas cbitas tanto claras como escuras e
vende do2 com 20 jardas a 53, 53600 63000, dilc
com 24 jardas de $p at'83 e 10, sendo es
mais flnos que tem vindo ao more do.
Alg;odftoziiilio
0 Pavao vende
49000.
pegas de algodaozinho
com listras aolado muito finas a 360e4K) muit0 ^corpado a 43, dito a 53 e.
rs., finissimas percales miadiuhas com lin-
dos clezenhos a 360 e 400 reis, garantindo
serem todas de Cures fixas.
COBERTAS A S3, 23500, 33, 43.
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
TAPETES
CORTES DECASEMIRA A 53-
0 Pavao vende um grande sortimento de
com ramagem grauda, pelos baratos precos cortes decasemira para calcas, com bonitos
de 23,2350', 33 e 43, ditas encarnadas 'gostos, claros eescurosa53, ditos de 63,
Vende-se
no estado era que se acha 0 sitio existente no
lugar dos Remedios, freguezia dos Afogados n.
ti, hoje becco da trayessa dos Remedies n 18,
enj cbao proprio,.quem 0 pretender entenda-se
com 0 rea proprtrflario na rua de S. Francisco,
como quem vai para a rua Bella, sobrado n. 10,
que se fara todo negocio
Farinba de ruandioca nova]
'-Two para vender Joaquim ioti^fto^aim Bl-
. trao.4 Filho, a bordo do patacbo Sapko, cbegaido
toil* 500 rs.,.8io iaa-dftj80l.r*. quem quizer one- da^ta >thariaa, ^undaado ilefron^e -fue. Kua da Imperatriz n. 56. Dae-ao amogtraa iairjo^do Livramento"; e para ttatar a bordo, ou
stn ptnhor. no san-eycriptorio a r,u do Commerftio it. K.
('ambraia para form
Muito encorpada e taoada, 0 que ,0 rarissinw,
enccntrar, a 2 OuO a nccae em .vara a.40,i rs. ;
.a-Mtada lmperatrta n.^6,,lpjada roa-branca.
CilllclllO
0 '.-, rd iieiraPortland*6 se ancontra no -aot
da al mdogs n. 5, armaeem de bacaituo, em
ooW.a- de .da,jfaiiMina3 iatortoiard'e^iEuaia ^rikis das majores que vem ao mercado e per
amisas dfliaeaSu.de WP m*,s contmodo do
Amaial, Nbopj k C, vendem imegmfiGas
-de -xi)la,iMwuna3 iaberturas de cantbraia
de l.i.hii brdada> pra n mi ii rjn nuiwaii 11 i|u *
de .- .-uhor-s e raeias a'algoiao^fo dfflicoaia^'de '
seda nar-fboim!iM,.*enhoia?, awluos, e meninas:
gae em oatra qaajqaer
DO 3azar Victoria, a rua :d"o:fiajJo
nuttif ru %
Veado-so a.boia e daas ,stf9ia#y*o,kAm
4a Victoria da refiaacao da rua da Concordia :aiUatarcom
Manoel Jose de Miranda Silva.
forradas a 53, ditas defustiio branco e de cor
com barras a 43 e 53, ditas de croch para
cama da noivo a 63, ditas muito rlcas a 163,
ditas de damasco a emitacao de seda a 103
e 143.
Fustfles
0 Pav8o vende fustoes brancos ede cores,
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao
mercado, tanto para roupa de manors como
para vestidos e ronpas de homem, e vend0
pelo barato preco de 56o ate 13, o covado.
BRAMANTES
a 13600, 2j3 0 e 23500.
0 Pav3o vende bramantes de ajgodao com,
10 palmos de largura para lenc6es, pelo ba-
rato prego de 136 0, titu de HuBo com a
mesma largura a 23, 23200 e 23500, dito
Cortes tlechitna 93, 3?500 e
3>4HJ>0.
0 Pavao vende cortes de cbitas escuras e
claras com 10 covados cada c6rte, pelo ba-
ratismo prego de 2. 29500 e 33000.
CORTES DE BRIM A 13400.
0 Pavao vende cOrtes do brim pardo para
cnlca, a 19400. Ditos de cOr, fazenda mui-
to boa, a 136(10.
Espartilhos a 8# e 4^000.
0 Pavao venrte o mais modernos esparti-
Jhos, proprios para senhoras e meninas.
pelos baratissimos precos di 33 e 43J000.
'Ditos muito superiores, brancos e de c^5r, a
#9e63000.
73, 83, ate" 103, superiores caserniras fran-
cez s e inglezas, para covado, de 33500 ate
64, paunos pretos ede cjresdos mats bara-
tos e mais linos que tem vindo ao mercado,
por prejos muito razoiveig.
Roupa feita
0 Pavao, tent constanfemente um grande
sortimento de roupas fekaspara homem, que
vende por preco muito em conta, como se-
jam:
Calgas de brim de cores de 23500 ate 63.
Ditas de casemira escura a 33500
Palitots da mesma fazend. a 43500.
Calcas de brim pardo de 23 ate" 50.
Dit s de casemira de c6r de 7(5 ate 12$.
Dit^s de casemira preta de 73 ate" 140.
Palitots de panno preto de 43 ate 123-
Fraques do pann i preto fino de 203 at
353000.
Cftlc-s brancas de Unbo de 49 ^673.
CoHetes de casemira de corde 33060 ate
53000.
Ditos do dita preta de 43 ate 79.
CortciM de la a 4#eO.
0 Pavao vende -bonrtos oortes delasinhas,
padroes miudinhos com lindas cores; tendc
15 covados cada cdrte, pelo barato pre^o de
49000._
CORTES DE ORGANDY A 3^000 e 33500.
0 Pavao vende cdrte de owandy braaco,
com listras e quadriuhos, sendo fazenda mui-
to fina. pplos baratissimos prejos de 33 e
33500 o cOrte.
Ceroulasfr ocezas de linho ealgodao, para todos os precos e qutrtrda^te, wsim
porno grande sortimento do meiascruas,: camisas, o lennhos, quo tu8b se vende'por
precos inuit r zoaveis.

T
' .1. i .
Panao de ajgodao da
BaUiA.
Ha para vender das segotates fabricas :
S Salvador.
Conceic.ao.
Valen^a.
Kodak).
No escriptorio de Luiz Dnprat, a raa do Cent*
mercio n. 34, andar.
eseoceza^ a 280 -xm> oos^flo.
Rua doQueiaaado n.
Lizinnas escm-ezas, padr5a.ieriio imfa*, *
ma m .da 4e Vdle da Parw, .fft^mm prejo
de 280 rs. o covado ; dao se amoiuas : JM rua do
iineimado a. 43.
uiivi



___
- /

Diario Je Pernambuco Sabbado ft de Dezemhro do 187b.
COSTUJA DE HOWE
SCARES LEITE, IRMAOS
UNIGOS AGENTES
Rua do Barao da Victoria n. 28
la mais simples, as mais barates e as melhores do mundo!
ill
N. 4Rua do Cabuga-^,
JOSEPH KRAUSE
& C.
I)E
?a
Na exposicfio de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
cio da Legilo de Honra, por serera as machinas mais per-
feitas do mundo.
A medalha de ouro, conforida i
Estados-Unidos por ser o inventor
tura.
E. Howe Junior, nos
da machiua de cos-
GOMES DE MATTOS & IRMAO
Avisam ao respeitavel puhlico dcsta cidade que o sortimento deioias, de subido
lor, que existia em seu eslabelecimonto, esla" completaracnte reforcado com o mais el
gante sortimento do novas joias, que receberam dlrectamonte pelo ultimo vapor da Eu
ropa, constando elle do mais variado sorlimenta de aderecos a Boulevard pulseiras dt
ultimo gosto com pedras preciosas e sem elias, brincos d'argola, agraffes para reloeic de
senhoras dehcados aderecos para meninas, meios aderecos de camafeu lindissimos volta*
de nogordios para senhoras, correntcs inglezas de ouro e de platina, variada qua'nUdadf
de botoes para punhos e peito, com emblewis maconicos, de onj.x, tecido de ouro can a-
feu, etc, bnlhantes monstros de ranssiraas agoas, em anneis, rozetas, pulseiras'alfiifr
tes e botoes. e outros muitos ohjectos de ouro de melhores fabricantes de Paris 'que se
venderao com grande reduccao de precos, por serem elles recebidos directament'e de
committentes. v
Os proprietarios do acreditado MliZEU DE JOIAS, tendo seu estabelecimento
ate 8 horas da noute, convidam as familias que se quizerem prover de lindas
virem escolhe-las a* vontade, para o que cs'iJ em exposica nos m->stradores
sew
abern.
joias, >
A medalha de ouro na exposicao de Londres acredhara
estas machinas.
A 908000
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Rova-
'Ofk, estabeleceu nesta cidade a rua do Barao da Victoria n. 28, um deposito e agencia
A P*r* em Pernambl,':<> ma" provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
*a de Howe. Estas macninas sao justamente apreciadas pela perfeigao de seu trabalho,
.napregando uias agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
Mia mtroduccio dos maw aperfeiooados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
srecer ? eiamo publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as seguintes:
rrimeira.0 publico saba que elias sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
weainstancia de nunca terem anpareeido no mercado machinas d Howe em seffun-
' mao. ^
Segunda.Contera o material preciso para reparar qpalquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas menor friccio entre as diversas pecas, e menos rapido estraeo
*ae. ate outras. h ~
Quarta.Formam o ponto como se fdra feito a mao.
Oointa.Permitte que se examine o trabalho de arabos os fios, o que se nao conseOT
/soctrns. n ^
(M
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um i outro
logo em seguida, sera modificar-so a tensao da linha, cozem a fazenda
lado,
mais
Setima.0 compressor e" levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
sgiilba ao comecar nova costura.
Oitava.Muitas companhias de machinas de costura, tem tido epocas de grandeza e
caoencia. Machinas outr'ora populares, s8o hoje quasi descoi-becidas, outras soffrerara
adangas radicaesparanoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
oplando a opituao de Elias Howe, mestre em artes raechauicas, tem constanteraente
ugnoenado o seu fabneo, e hoje nao attende a procura, posto que faca 600 machinas
VERDADEIRO ELIXIR DO D" GUIUlE
TON ICO ANTI-FLEIM0S0 E ANTI-BILI0S0
PREPARADO POR PAUL GAGE, PHARMACEUTICO
Unico proprietario, rua de Grtnelle Saint-Gertwin, 9, em fan*.
k acco de BUxlr CuUU* e inleiramenle benefice.
Como purftaiivo nlo debiliia como os ouiroi remedloi
delta qaalldade, parent tnnllca e refresca no meemo
tempo : auxilia e corrige todaa aa secrecSes; di force
aoa divereos orgfios: nfio exige ama dieta severe, pelo
contrario e prtciio lomar ama boa reteicSo a tarde
quando ee user de'le; pode ser administrate com
egual eiho aa mala teora idede come na mala adlao-
tada velhice sem nuuca caoaar accideate qaal<|aar.
Na doae d'uma cotherada pequena denuo d'um
pouco da agua assucarada, sej* antes seja depoia da co-
rolda.esiimula o appetite, avira lafonccae dlgestlrae,
ubsiituea losDa(o*iinHt),o ttmtulk e bebldas amar-
gas que se costuma tomar.
E sobretudo util tV classe operaria, a qnem elle
veis de doencas e tempo perdido. pois com o ELI
sao rapidas.
O Elixir no Pernambuco : A. REGORD; BARTHOLOMEO EC
Ua folhelo que t um verdadeiro tretado de medicine
usua a domestlca m di de grace com cada g.rrafa
deELlUB. Elle lndtea as dowicaa aende o ELIXIR
e util e o modo de user delle.
Aa pessou qte quiioren consultar eat* folhelo
ernes de ussrem desle ELIXIR, podem dirigir seu
pedido franco ao 8. Paul Gael, em Paris e ne
prov>ncla or not paius ealrangelros, em cesa dos
aasyisttartoe; eM fnlheto Uat
grjta el immediatanenla.
Da4* dncaenlaaanoea repatacaedo illxtr maiitit
espalaa-aa m mundo laiasla palas ser.icas que
que cada die elle presia.ao medicos a aos enfermos eu
casos graves on disenganadoa.
e poupa gastos considera-
IXIR GUILLIE,
r
ill.
Cada machina acompanha livretos com instruccoes em portugnez.
A.90$>000 A 90^000
SOARES LEITE, MAOS
*
Agua florida, de Guislain;|
para fazer os cabelios pre-
tos.
A agiiia branca, a rua Dnque de Caxias n. 50,
acaba de roceber nova remessa da aiircciavel agua
florida para fazer os cabelios. pretos. O bum ra-
sullado colhido jior quem teio feito uso dessa
inoffensiva preparacio a tem altamente conceitun-
do, e por isso apems se fas lembrar a quem no-
vamente deila precise e queira se aprovertar d4
sua utilidade. Twubeiu veio agua de lopaio e
oleo florido para o mesmo u < e Uo aercditados
como aqnella.
Voltas e briucos de grossos
aljofares de cdres.
m
razendas finas
NA
M t k Mm n. 7 A.
n
hoje,
do Barao
A
da
Victoria n. 28.
Gordeiro Guides E; esu casa, sem duvida, uma das que
pade com primszla aprespntar- ars seus lYegfjeie!
nwvariaTJissinjn sortimcnlo do fazenda- t\m% pa-
ra rando toilwte; aiw con, para o usoMWdi-
narw. dp todaa. as cJasses, e pr pruyos vaulaja-
sos para os compradores, de cujas fazem um per
queuo resnmo.
MandMnvfaz/wdat- as iwm do> prote^lentea.
paoio,i>u, kiapseo*lwxii>aiio e dao amos-
A aguia branea, a rua do Duque di Caxias n.
60, reeebeu nevas e bonitas vettas e briaeosda
geossa %ljofaresde cdros, e ooma sempre couti-
niu a veude-las por precp coimntdo. ,,,.
iNovos aiademas dourados e J.rasme?anto^nlwr
j Cortes de sea de lindas cote.-.
COlll pedraS. |DKc*degra^rl6dtr cores:
A aguia branea, a rua de Duque de Casias n.
SO, reeebeu novo sortimento de bonilos diadtv
GrolflnajiedetodftB4s ixtvs.
Gorgu rte Iwmc* prto.
Seiifri llat'au petae d cores.
ICHINAS PARA COSTURA
A 30#000 e 30|000.
D0US POSPONTOS
Na lojade Soares Leite Irmaos, a rua do Barao da
Victoria n. 28.
pellica
com pequeuo toque,! Espelhos demoldura dourada, de todos
I os tamanhos e pregos.
PEIIFIMARIAS I MIUDEZAS.
Frasco com oleo Oriza verdadeiro, a
19000.
Idem com tonico de Kemp, verdadeiro, a
iPMxr.
Garrafa de agua florida verdadeira a 1JJ200
Garrafa d'agua japoneza, a 1^000.
Idem idem divina, a 1IZ6000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
1^200.
Caixa de p6s para dentes, a 200 rs.
Idem idem de p6s chinez, muito hom, a
MO rs. e 1JWOO.
Pote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
Luvas de
i 200 rs.
Abotoaduras
mento a 120 rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs.
Lamparinas 6 gaz, dando uma lui muito
toa, a 19000.
Duzia de pecas de cordao imp'erial, a
*M> rs.
caixa de botdes de osso para calca. a
MO re, l w
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
(00 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Majo de fita chii icza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios aderecos com camafeu, a'600' rs.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a 190oo
Potes com dka ingleza, preta- a 100 e
'. 60 rs.
Caixa de pennas Perry, muito boas, a
1*000.
Idem idem,* 400 re.
Caixa de>cnveloppes tarjados, a 500 r.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papal amisade, beira dourada,
800 rs.
Idem idem idem lisa, a 600 re.
Duzia de Ulheres cbc brauco, 2 B., a
l>9000
Resma de papal pautado, a 49000
> 69800. |
Idem idem liso, 829800, 398OQe69O00.'
Coques modecnos, a 890O0.
Duzias.de pegas de trances de caracol
branea, a 400 re.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Loques de osso e sandalo, a J90O0, 49
69000.
nel, 19000.
Duzia de sabonetes de araendoa, a
89600.
Duzia de sabonetes de aniinho transparen-
les, a 29200.
Idem idem com fldres, a 19600.
Sabonetes Glycerino transparentes, a
19000.
Caixa com sabonetes, formato de fructas,
a 19000 e 19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
800 re.
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
500 rs. e 16000.
Extraetos muito finos dos melhores au-
tores.
Lindas e elegantes caixinhas com perfuma-
rias, proprias para presentes, dos autores
E. Codr&j, Rieger, Gelte Freres.etc.
Quadros com santos e estampas separa-
das.
mas doundos e com pedras, tanto para meuinas Grosdenapfes Tdom ide^i
como para senhoras | Vetudo pWto.
OOlIeCCOeS de traslad0& OU Granadino. eda preta-* el9raari de coree lin-
* i dissimas padroes^efaienda da ultima moda
norraaspara escrever-se.. |Popeiinasdeiindos padraes.
A aguia.braoca a rpa Duque de Capias- d. 6ft, ^JUta^T 6
reeebeu, novas collcecoes ou uormas para as enact JHm>us lu-awiekas
yas apreuderein a escrever por si mesmo, hoje o Coichas de aeda para noivos
de^a';or3W"oaScoe,Seo'OS Cm ""^ P de canrtlraia *"'' '* '""dados,
oe as por pre..o commoao. ^ Capeiias e manto* para iHvs.
Meias cruas finas para mem- ?il<,fli.,IW Mt^isj iis eem iims deseda.
I i Lambraias-de corea
naS e SenllOraS 5itas ma'P'>w,.I)rancas e de cores.
^ansuck de rindoa padrCfes.
Bajitista de partrOes mut'delleados.
Perjalinae de quadros prrtfos e braocos, de lis-
tra*, etc.
flrins de Ijnho de cures, proprios para vestidos
com terra e listras.
Fustao de lindas coree.
A loja da aguia branea, a rua do Duqne de Ca- ^Sf *' H e'de'toda* aS Ares' para ae-
was n. 50, reeebeu bonitos veos ou mantinhas Saias bordada* para senhoras
pretas de seda com (lores, e outras a imitacao de- Camias idem idem
croche, e_vend_e -as peJos baratos pre..-09 de 3s,
PREDILECiA
A* rua do Cabnga n 1 A.
Os proprietarios da Predilecta, no intuito de
conservar o bom eonceito que teem merecido do
respeitavel publico, Jislinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais quo nrgociam no mesmo genero,
veera scientificar aos feus bons fregueies que pre-
veniram aos seus correspondent's nas diversas par-
cas d'Europa para lhes enviarem por todos ospa-
quetes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bera aceitos pelas sociedades elegantes
aaqueHes pai^es, visto aproximar se o tempo de
testa, era que o bello sexo desta linda Venera
mais ostcnta a riqueza de suas toilleUes ; e co
mo ja recebessem pelo paquete francei diversos
ariigos da ultima moda, veem patentear alguns
d entre elles que se tornam mais recommendaveis,
esperando do respeitavel publico a costumada
concurrencia.
Aderecos de tarlaruga os mais lindos que teem
vmdo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e de
velluqo, sendo diversos tamanhos e baratos Dre-
qos. r
Aderecos completos de borracha pr.prios para
lcto, tambem se vendem meios alerecos muito bo-
nitos.^
Botpes de setim preto e de cores para ornato de
vestidos de serJiora ; tambem tem para collete e
palitot.
Bolsas para senhoras, existe um bello surtimen-
lo de seda, de palha, de chagrim. etc, etc., por
baratoprego. ^
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca
como de ce"ra, de borracha e de massa ; chama-
mos a atteofao das Kxraas. Sras. para este artigo
pois as vetes tornam-se as criangas um pouco im-
pertinentes por falta de um obiecto que as en-
iretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem se por preco commodo.
Ceroula* de linho e de algodar, de diversos pre-
cis.
Caixinhas com musica, o que ha de mais lindo,
com disticos nas tatrpas e proprios para presen
tes.
Coques os mais moilernos e de diversoa forma-
tos.
Cbapeos para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como nara
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Calcas bordadas paia meninas.
Entremeios estany^dos e bordados, de lindos
deswhos.
Ejcovas e'.eclricas para dentes, tem a proprie-
dade de evtlaf a earie dos denies.
Franjas de seda pretas. e de cores, exile um
graade sortimento de divcrcas laiguras e baralo
prego.
Fitas de sarja, de gorgurao, de setim e de cha-
malote, de diversas larguras c bonitas cores.
Pachas de gorgurao muito lindas.
Fiores arlificiaes. A Predilecta prima em con-
servar. senior* urn bello e grande sortimento des-
tas flo es, nao so para enfeite dos cbollos, como
tambem para ornato de vestido de noivas.
GaJOes de atgndao, do la e de seda. brancos, pre-
tos e oe diversas cores.
Gravata* cte seda para homem e senhoras.
Lajos de cambraia e de soda de diversas cores
para serrtora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madre-
perola, marfim, 6s-o e velludo, tudo que ba de
bom.
Perttes.de- tartaruga e marfim para alisar os ca-
bel os; teem .tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de raadre*
K sempre assiiir.
parece ter-se esgotado o reperto2&tt-.
modas, pela immensidade de aitifios de n c^dadP.
Quando,
pela
que tem apparecido, eis que os veli.os e ie aHaV
veis correspendentes da Nova Esperanfst a nta
Duque de Caxias n. 63, descobnni outres b^.
mundo elegante, aonde se const rvaro escogitandi
minuciosamente as novas inven-.S-'s ; remettem
para a Nova Esperanca. e aul"risam na a dkrr
aos seus freguezes e especialmente ao bell fm
3ue nao cre^am em tal : e para prova evadena-
o que acaba de expor, veiara o que abais&s*
descreve :
MANUaES para missa, com capa de madreperofc
ou tartaruga, tendo no centre da eap*
um pequeno relogio perfeito regais-
dor.
CARTEIRaS, pot charutos, port cigarros e porr
moneys no mesmo gosto.
CARTEIRAS para notas com capa de marfim, nut
dreperola e tartaruga, com o distieo -
Lembranca.
BOLSAS para senhora, o melhor qne tem vimsW
este mercado, de diversos tamatrtxw
qualidades e modelos de nova invea-
cao.
PORT BOUQUETS de lindos gostos e [?mac;
rivivn.oSpecia,idatle9 Para as noivas-
LAIXI.NHAS com musicas e sem elias, propri
para presentes.
E outros de inttira novidade.
E com os meninos.
A Nova Esperanca, a rua Duque do Caxias K.
W, recebemos bonecos de borracha de forraaiss
mteiramente novos : os meninos muito apreetwa*,
este bnnquedo.
6 verdade.
^Qualquer senhora de bom gosto, parece
nao pode completar e sua toilletle, sem dar a,-
passeio a Nova Esperanca a rua do lmiue d^
xias n. 63, porque e a loja de miudezas que mi.
completo esta em sortimento, e que mais no-.:
des apresenta ao publico em geral.
E com as floristas.
A Nova Esperanca, a rua do Duque de Casi
n. 6.3, reeebeu pelo ultimo vapor, um inteire sat
tnnento de papets para llores-l a elles.
Para erianca.
A Nova Esperanea, a rua do Dnque de fliiaiji
n. 63, tecebeu um sorUmente de vestuario* &
casemira e alpaca para criancas: moderuos e k<-
nit08.
Las mescladas.
Um bonito sortirnento de las mescladas ec>
res, reeebeu a Nova esperanca, a rua Duou ti-
Caxias n. 63.
(lalfado eslram
A loja d'aguia branea, a roa Duque de Caxias
n. 30, reeebeu novo 6ortiraento daquellasuiio pro-
curadas meias crnas para senhora, vindo igual-
mente para meninas, e contimla a vende-las por
precos commodos.
Ycos ou mantinhas pretas.
fazenda 6 boa e esta em perfeito
continiia a ter prompta extrac-
if e 6*000. A
estado, pelo que
c5o
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros c
nhotos dourados c coloridos.
A loja da aguia branea, a rua do Duque de
Caxias n. 50, reeebeu novos grampos corn bor-
boletas, bezouros e gaXanhotos, o que de cm to A
perfeita novidade. A quantjdade e #epuena, e
por isso em breve se acabara.
gafa-
,,,.'" Entremeios e babados transparentes e ta-
rit* d vetlodo d todas as ootea e largn- pados.
rM' I Uma grande taboleta propria para qual-
M*ctoeopios com IS vistas Ja 6U0O0. qUw loja.
Frasco com oleo para machina a 400 rs.
Rua d Barao da Yiciorla d. 28
mm
\ en it se uma excellenle casa com um pequeno
".itki sita im Arraial jan#eat 60 St. Aaselmo : [
* trat^r on mesma easa, e pan in/ormacoes aa '
'averna do Queimade n, 3, r* andar
fladapda* francez
a 6|500 a peca!!
Madapolao franeez flno com pouco sujo a 6*50
pe?a ; e pechincha I na *- --->-----
nro i3.
rua do Queimado nn-
-Bolsas, malas indispensa-
veis
Amaral, Nabuco & C receberam completo sor-
0$ verdadeiros
Vinhos de Bourgogne
das mareas
Chambertin
Pommard
Virits
Volnay
Beanne
Monthelie
Dito BordeBui em quartolla?.
Vende-se |ir barrio pre^o
PARA LIQUIDAQAO DE CONTAS
NA
Baa Larga do Rosarie 84.
Botica.
Vestuarios para meninos.
Ditoe para baptisados.
Cbapeos paw di tot:
Toalhas 0 guardanapos adamascados de linho de
cures para mesa.
Colchas de It.
Cortinados bordados.
Camtsae bordadas para homen.
Meias de cores pans, liemens 0 mettioos.
Completo sortimento de cbapeos do sol. para lio-
mens e senhoras, com. cabo de marflm.
Merind de- cores para vestidos.
Dito preto.
Novas gollinhas ornadasoom ASdu tUS? "*""loa,has-
pelueia on arminho j S%SJ. r^cte
A loja-d'aguia branea a rua Duque de Caxias Cna,C8 ^e merino de cores e pietos.
- 50, reeebeu uma pequena quantidade de boni- J^108, de-c'(rai
s e novas guHinlias, trabalho de 14 e seda, en- D!tos dri ^^ Prela e de core8-
neitadas com arminho, obrag estas de muiio aoita Pil0.de touqqim.
e inleiramenle novas. Camisas de Irjrtto.
Grampos, brincos e rozeias Ie naowfe
j j jCeroulas de brim e algodao.
UOUraQOS. j Damasco de la de cores,-
A loja da aguia branea, a rua do Duque i Papnos de craehet panadeca,pia e consoUos.
Caxias n. 50, reeebeu novamente bonitos gram- Co'cim de dito.
pos, brincos e rozetas dourados ; assmv come n'ana de todaa.as cure*
novos diademas de aco, e cemo.sempre conti- Espartilhos bios e flordados.
ruia a vende-los por preens razoaveis Foulard' de seda.
CaixinhaS COm p6s d0UradS Rt!oT(^hde vestidos de.lmba pica seabora,
e prateados, para eabelks. I t^SSS,wm ^^^ e8&i'
Vesde-se aa loja da Auia Branca a raado-Atv- Caseroiras prrtas e de-cCres, ehftaa, madapoloes
Es d> Caxias n SO. canrbraras, panrro fmo preto e azul, eoHatmlios,
uvas de pellica pretas e d* r^l^J^S^iJX%
,(,, .* os Umanhos, bolsas de viagem, etc. etc.
OUtraS COreS. Na loja do Passo, rua PrimeTro de Marco n.
A loja da Aguia Braaca, a rua Dnque da Ca- A, antjga do fjrespo.
lias n. 5*0, reeebeu novo sortimento de luv? 1 de
Kl'
perola, marfim, 6sso e dourados por barato preco.
Perfnmarias. Neste aitigo esta a Predilecta bem
provida, nio so era ej.tractos, como cm oleos e
t>aa*S'ds meUanres odores, dos mais afaraados
fabricautes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rime I ; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
pregot
Sapaliahos-de lie de setim bordados,para bap-
tisados.
Tapeteg. Reeebeu a Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entradn de saU.s.r
VeeiMnentavpara, bapr.isado o que ha de melhor
gosto e os mais raodernos, reeebeu a Predilecta e
vende por barato preco, para-flcar ao alcance de
qualquer bolsa.
Rua do Cabuga n. 1
VENDHJT-
umaaasa na villa de Barreiros, na rua do Com-
mercio, por preco modico: a tratar com Tasso
Irmaos & C.
geiro.
Aproxima se o mez de dezembro, tempe e^
jue o Paris na America, a ma Duque de Cax'as
59, if andar, tem de Oar oseu balanco, por m*
molivo, os proprietarios deste estabelecimenle t *-
tao resolvidos a venderem seus calc-dos pelo
to, afirn de minorarem o trabalho ; assim poi
apreciadores do bom, e com especialidade o sea.
ainavel, para qnem o Parn na America imtMiPliili
com a devida decencia) o seu gabinete rese:
do, para a escolha de calgado, aproveitem e >
ohani munirem-se do que precisarem.
Cmilaria de Lish,;a
Hombreiras,
Cauiteis.
Soleiras.
A' venda no armazem n. 25, a iravessa do tmm
Santo.
Las para vestidos de genfr
sinha.
Fazenda de 800 rs., vende-se a iiOO rs. na Rr)E
Branca e daose amostra: a rua da Imperotrb
56.
;ti
Caiiiiziubs e iiuohus
Amaral Nabuco & C, vendom camitinhas e ;
nhos para senhoras, brancos de als;odao, de lii.-
bordados e de Cotes, no Ba ar Victoria rua
Barao Victo ia n. 2.
pellica, pretas e de outras cores
Chilas a 240 rs. o covado.
A 240 n o covado.
A 240 r$. o covado.
So-na rua Duque de Caxias rt 60 A, loja 4a
esqtmia. ^
Birralissiip
C^narios da Allenxanha
Chegaram pelo ultimo vapor da Eurupa, nei-
feitos canlador^s e de core- muito lindas : acriam-
se a vendi no armazem Fidelidade, a rua do far-
perador n. li.,
rtsnzinfias' oem fias estampadas pel* diminuto
ego de 400 rs. o covado.
Di las. com listra* assstioadas a i#0Q0 o co-
vado.
Granadmas pretas com Ustras de cOres a 500 rs.
covado.
MstmauwsydasfMipitaparawtiio^ 320 a.
o covado.
.,AjpacdeguadB,:uroprias para vestidos, a
440 rs. o cova5ld.
Brim*KiBcn},|ona, ptm ftitelnotarto a UGOfkanmt
Oi4^ft cO^s* lani** fluro, 4*100; a-vara.-
l^rrilN'IW
Ao bello sexo.
Gusraao & Leal receberam ricos cortes de gaze
deseda, fazenda inteiramente nova, e vendem
pelo barato preco de 40*000 o corte: a elles, antes
que ?e acabem : so na loja da ros Pr:meiro de
Marco a. ii.
Garanhuns.
Na roa do Bario'da Victoria n. 36, precisa-se
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
ose Pass daSilva, a negocio de particular inte-
esse,
TASSO IRMAOS A C.
Em seus armazeas a rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem pua vender por precos commodos
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Clmeoto Portland.
Cimento Hvdraulice.
Machinas de descarocar algodao.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia eu. banil.
Phospfrpros de cera.
Saga em garrafrjes.
Sevadinha em garrafoas.
Lentiluas em garrafoe-.
Rhnm da aJmaica.
Vfnho do Porto velho engarrafedo
Vinho4o- Porto superior, dito.
VitdKida Bordeaux, dito.
Viaao da Senerry.
Vinqp da .Madeira.
Potes com linguas e dobradas inglecas,
Lieores-fiD09 sertidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Laias ds toucinho ingles.
Barris com repoUio em salmoura
Tinia, cha & fiinio
Matricula para cavallos.
A' venda na livnam clasica, a rua do Imp^r-
dur n. 73. Prego 40 rs.
1
7!
rV,
Crhcou o verdadeiro de Portland ; bur.:;
ggandes de 400 kilos : no armazem de Tasso If
maos & C. caes do Apollo.
Vende-se
um siuo no largo da Casa Forte, com 520 pakao
de frente e S70 de fundo pouco mj.s ou mencs
com casa de pedra e cal, 7 quartos, 3 salas, so
zinha fora, 4 cacimbas e diversos ar- jredca d
fruclus ; assim como, um eutro menor na rr:
Tessa da mesma, voltando para a estrada que va
para o ArraiaL, com casa de pedra e cal, com
Suartos, cozmha f6ra, cacimba e alfuns alvoredi
e fruclo : no pateo do C.irmo n. 3, ou na rn
das Trincheiras n. 1.___________
J. o. c,
Tem para ve i ( :
Cognac de Hennessy, superior e verdad^ir
Vinho Xeres das melhores qualidades.
Bitters de Angostura.
Whisky.
Cha preto em lattas de 10 libras.
Todas as preparacSes chimicas do Dr. Aver
armazem da rua do Comroercio n 38.
Doyle.
h
Amara^ Nabuco 4 C. vendem tintas orisaline -
Lotion vegetale para tingir de pretes cabelios, e
quese coirisece de mais util e commodo, nao so
no modo de emprega-lo, como no resultado que
se objacvCha verde e preto chegado ultiuumeno
te, e fumo ingTez e franeez, para cigarros e ca-
chtmbss: vendem no Ba^ar Victoria, rua do Ba-
irao da Vtetoria. n. 2.
Agnas Alcalino-Gaziisas das
dras Salgadas.
Villa Rouca de Agaiar.
BICABBOtVATADAS-SODICAS
Analyses do Dr. Jose Julio Rotir
g^ies, lente da eseola PoJj te
oliniea de I.isl.oa.
Esta excelleqte agua usada com vantagem no
padecimentos das vias digesiivas, nrinana?, i
estomago etc., etc.
Vende-se
NA
Pharmacia e drogarin
Rna larga do Resano d. 34.
I
Lindas las escocezas
De varjos paJrues, e inialrsmenle modorna-.
360 rs o covado : na rua Primeiro d^ Marcc
antiga do Crespo n. 13, loia das columnas, de At
tonio Correia de Va*concellos.
Rtiupa eslraogeira.
JVi;4lUNIlA'.
Tem para vender yoaqUhn Jos6 Gfmealves 8*-l
Filho : a tratar utrseu escrrptorio a r*a
Chapeos de sol de seda, cabo de canna, a 8^500
oad* um, itnetudo -*n-. da.ri do Crespo,
loja das 0 dswus. d* GwllMmt^. C
I
Amaaabnco A C. vendem coslames de brim
bWBco*ile.*ite (a marujo e a pnri:anos) para
meninos, .Mjetols e couete* para homem, dilos de
alpaca, e de casemira para honifm e meninos, ca-
misas bordadas e lisas para senhora, homem, me-
ninos meMiiin.: ne Bazar Victoria, a rua do Ba-
rao da.-\hruiria n 2.
do Commereio n. 6.
Burros a venda
Banhos emOlinda
Camisas e ealas de fazeuda da boa qualidade,
jfroprias para os banhos em OilnJa : naJoJadoa
arc^s a rnafrlmfeiro de MaVcofanHra do Crespo)
n.20 A.deGwgwl do Asm) a C
Para acabar!
Ricos cbapios para seaMra : so na rua Duqne
J. Deiro a visa a feus treguezes qne esta em
viagem para as provincias de Alagoas e Pernam-
buco, conduzindo excellent* tropa de burros a." ,VitA'11*\"uTT'ZZ.t""'
pamra por Penedo. PHar, Cartanlia-Grande, Por- baxias n" 6" A' loJa da 88(lniaa'
to Calvo. Barreiros, R*. Fortntcv Ee.-ada, Cabo e Toivnno
iprovavelmeote por Santo Ama*- de iaboata* a liUlAWCa
Nazareti, ; por isso node ser avisado ou encon- Vende-se quatro eafftSas proprios part estabe-
I .Sff%fes,Ti ,U^ lecimentw de molhados, 4 roa de MarciHo as
Larangeiras, 20 de outubro de 1873. n. 70.
FIORES
NOVIDADE
A Predilecta acaba de receber um lindo serb
manto de fitas escocezas achamalotadas, pr opria;
ara fachas ; assim como um lindo so'rtjrne nto c
eques de madreperola; a elles antes que se ar-
bem, a ma do Cabuga n. < A._________
I
Vende-se
0 jardim da Nova Esperanca, a rua Duque de
Caxias n. 61. esta replecto de Mores a.* mais de
licadasqtre e possivel imaiinsr se, desde omais
siafrellaramalnete a mais elegante rosa, (inteir
noviffoaeg ; a bello Boxo compete, quaulo antes,
virem colhe las eioqnwnti esUo vicosas.
Rua do Brum n. 76
Venda se zinco puro de
proprio para cobertas de casas.
mos do comprido e 4 de largo,
em conta.
superior qualidade,
inao II pal
medinc
por prejo
mniln
A tvaeroa da rua da PeoM n. 6, bem aTregn
zada tafllo para a terra como para o mato ;a tmi
na mesma._______________
Grande peehinch* a 2<0' rs\
covado.
Cassa la, padrdes novos, e de mate 16 sit
tem vindo ao mercado, s6 narui. !a vt...n....'
n. 43, to}a de Guerra & Parnandc, yj. >
to preco de 200 rs. o covado I
Cheguem freguezes que se acau.i.
Cosmorana
s.
Amaral Nabuco & C., veadem o^ *'
dos cosmoramas com vistas actu>'.a :'.
Bazar Victoria, rua do Barao da '"
| lUGliEl j
f
m


8
Diario de Pernambueo Sabbado 13 de Dezernbw do 1873.
JURISPRUDENCE
Relatorio
A KESPEITO DO NEGOCIO DO MARECHAL BAZAINE
EX-COMMANDANTE EM CHEFE DO EXERCITO
DO RHEN'O.
(Conlinuacdo)
Kmvez d'isto,vc:no-lo estabelecersobrea pla-
nicie de Saiul Privat, chave 'la posigdo, o
corpo do marechal Canrobert, corpo quo
soffreu muito no dia 1G, e que ficou muilo
incomplete, como dissemos, com uma ar-
lilharia muito reduzi la, sem nenhum par-
que, sem mcsnio ter utensilios para se es-
tabelocer solidamente no terreno.
Quanto ds reserves, dispo-las d esquerda
do seu exercito sobre as alturas dillicil-
mente abordaveis de S. Quiutino, que co-
roam fortiQctfQoos permanentes. A sua ca-
vallaria, desterrada no fundo do valle de
Monvaux, ficou forgada & inacgao. E!le
proprio conduz o seu quartel-general para
I'lappeville. Kstas disposigdoscstavam Ion-
go de indicar urn projecto de partida de
Metz. 0 marechal tinlia o receio pou;o
fundado de ver o inimigo escapar-se entre
a praga e n exercito.
A anciednde provocada pelo silencio do
marechal na noite do combate de Ro-
zonville e na manhado dia seguinte mani-
testou-sd em urn despacho cxpydido do
quaitel-general ao governador Coffihieres,
o qual respondeu :
llontem 16, houve urn combate muito
si-rio d > lado de Gravulotte. Tivemos a
vantagem nesse combate, mas as nossas
perdas sSo grandes. 0 marechal 'coucen
trou se en Mete, l'^dimos biscoito e pol-
vora. Metz esta quasi bloqueada.
Estas noticias assustadoras sao confirma-
das no rolatorio que o marechal expe-
dio, a 17 d noite, pelo commandante
Magnan.
Ern resumo, disse elle, so ha urn pe-
queno numero de tiros de 4. Ha falta de
cartuchos, assim co no de forramentas para
os preparar. Metz ndo pode fornacer senao
de oitocentos mil cartuchos, o que para o
exercito 6" obra de um dia. Os corpjs es-
tdo pouco abundantes de viveres, e vdo
se empregar activamente os meios de os
mandar vir pela linha dos Ardennes, que
ainda esta livre.
Deste modo, ndo ha viveres nem rnuni-
goes em Metz; falta poUora o biscoito,
tal e o resumo dos sous ultimos e tristes
desp3chos,que vdolevar o espanto e a deso-
olagdo a tola a Franca, e provocar em to-
dos os espiritos uma exasperacao profunda,
porcursora da tompestade de % de setera-
bro.
E todavia, ainda que muito menos abun-
dante do que seria para desejar, os viveres
estavam longe do falla, p)risso que. ...
260,0 >0 homens iam subiistir durante se-
tenta dias com os recursos que continha a
praga. As munigoas tambem naofaltavam,
por isso que sois dias depois deste grito de
alarma, declar-iva o general Soleille, a 22
de agosto, estar tao completamente repro-
vido como noprincipio da campanha.
Balalha de Saint Privat.Durante o dia
t7, o exercito estabeleceu-se em balalha
nas coroas que forma m ao oeste a margem
do valle de Monvaux. A sua esquerda
apoiava-se na quebrada de Roze>ieulles; a
sua direita estendia-se ate alem dapovoag&o
de Saint-Privat, ponto culminante do terreno
entre l'Orne e o Moselle. E' pela parte de
detraz do Saint-Privat, que so destaca da
planicic o contra-forte 'e S. Quintino,
rercado pelos valles de Monvaux e deSaulny.
Era da mais alta importancia permanecer
senhor da base deste contra-forte, porque o
movimento de concenlracao, que preparava
entao o marechal, ia conduzir e exercito
para asalturasdeS. Quintino e a possibilidade
de emprehendec de novo a marcha para o
norte estava subordinada d posse da unica
sshida para a planicie que ia ficar em nosso
poder. Estas considoracoes, do uma ovidencia
muito salicnto nSo podiam escapar d
experiencia do marechal. Se, nasdisposigocs
que elle ordenou, nada indica a resolugdodo
defender a todo o custo, as posicoesoccupadns
pela direita do seu exercito como e que se
ha de explicar o seu procediraento, se n3o
existisseo pensamento de ha muito combinado
no seu espirito, de nSo deixar Metz, como
tomos tido occasido de reconhecer.
Todavia, o exercito estava formadoem boa
ordem nas suas posigOes; a guarda e a
artilharia do reserva achavam-so formadas
em S. Quintino. Esperava-se a pe" firme o
inimigo, cujas massas so moveram pela
manha. 0 ataque comecou pelas onze horas,
e prolongou-se durante todo o dia por uma
serie de assaltos, cuja intensidade ia sempre
crescendo para a direita. Como tudo indicava,
os esforgosaccumulndos do inimigo dirigiam-
se para aquella ala do nosso exercito, que so
podia ser dissolvida e cercada. Trescorpos
il'exercito, elevando-se juntos ao numero de
90.000 homens, munidos de 280 bocas de
fogo, se reuniram para cahir sobre- o sexto
corpo, que nao linha para lhe oppor sendo
20,000 homens e 78 bocas de fogo, mal
municiadas, e nem uma unica bateria de
raetralhadoras n'um campo admiravelmente
proprio ao eroprego daquella nova arma.
A resistencia do marechal Canrobert foij
heroica ; teria triumphado das forces do
inimigo, seja guarda e a artilharia da reserva
tivesscm si do mandadas a tempo em seu
auxilio. Mas, para aproveitar occasiio
favoravel seria necessario que o commandante (
em chefe, que, unicamente dispunha das
rfservas, estivesse habilitadoa comprehender
hem a siluac,ao. Como nao havia de ser,
assim, uma voz que elle deixou unicamente;
&s 3 horas, o sou quartel general, e
durante todo o dia nao appareceu" no campo
de balalha 1
Esto procedimento extraordinario, no
momento em que se polejava uma luta
incarnicada, que ia decidir da sorte do
exercito de Metz, exigia ser exarainado de
perto. Para o apreciar convera precisar
quaes foram as relac&es do marechal com
os diversos cornmandantes de corpos, e a
conta que elle deu ao imperador das
peripecias da luta.
Pelas seis horas da manha avistaram-se
do quartel-goneral do 3. corpo, tropas
numerosas que marchando, se desenvolviam
nos pontos mais baixos situados pela parte
de traz de Gravelotte, dirigindo-se da
esquorda para a direita e formando um
grande movimentode conversao. Attrahido
com esta marcha, que distinguia a grande
distancia, o marechal De Bmoff prevenio o
general em chefe, o qual respendeu, quese
estabe ecesse solidamente na sua posi^So, e
que se conservasse nesta a todo o custo.
A'snove horas da manha, o commandante
do 3. corpo falla de novo ao marechal
Baz one, dos movimentos consideraveis das
tropas em frente da testa do 2.e 3. corpos.
0 marechal Bazaine avisa disto ao meio dia
e meia hora o marechal Canrobert, deter-
minando-lhe que se conservasse firme era
Saint Privat, e annuncia-lhe a remessa de
municoes.
A's dez horas e um quarto, o marechal
Canrobert informa o general em chefe do
apparecimento de algumas tropas inimigas
em Vallery.
Pelo meio dia, e prevenido que um corn-
bale serio se empenha, e que a escassez das
municoes o obriga a enfraquecer o fogo da
sua artilharia. 0 marechal Bazaine faz
responder, que dd as suas ordens para que
uma divisSo da guarda e d'artilaaria o va"
suslentar. T
A' uma hora, o marechal Le Bceoff,
telegrapha que forcas numerosas pronunciam
o seu a aque em tola a linha.
0 marechal Canrobert faz responder d
uma hora e meia, que se conservard
emquanto puder, emquanto tiver municoes ;
mas que ellas se oxaurem, e que ainda nao
recebou novas.
A's duas horas e meia manda elle partir o
capitao Chalus para activar o comboio das
munic,6es jd pedilas, e conduzi-las elle
mesmo, se for possivel. Aquelle official,
conduziloproximo do marechal, explica-lhe
em detalhe n'uma carla, a situa^do da ala
direita, e ndo lhe distimula nem a gravidade
da posic,5o do 6." corpo, nem as inquietacOes
que ella causa ao seu chefe. Obtem e
conduz quatro caixdes do artilharia.
A's cinco horas, o commandante do 6.
corpo dirige ao general em chefe am bilhete
concebido nesles termos:
0 ataque cessou na frente do 4. corpo
para se dirigir mais intenso para a direita
do 6.. Um formidavel fogo de artilharia
quasi que tern feito calar o nosso. Fal-
tam-me municoes.
Emfim, ds sole horas o marechal Canrobert
annui Mia que o 6. corpo e for^ado a evacuar
Saint-Privat, que estd a arder, e onde nSo.e
possivel manter-se.
0 marechal Bazaine, convidado a fazer
saber se persistia em dizer que ndo linha
estado a j facto da situagdo do 6." corpo,
expressou-se da maneira seguinte.
Tinha dado instruc$6es, pela manhd
ao marechal Canrobert. Coutinham ordem
de concentrar a direita, no caso de um
ataque serio do inimigo contra Saint-Privat,
e mandei-lhe nesse dia o que me pe-
dio.
Eis-aqui o que escreveu a este respeito
o marechal Bazaine ao commandante do 6.
corpo :
Sepor acaso, o inimigo prolangando-
se na vossa frente, parecer querer atacar
directamente Saint-Privat-la-Montagne, to-
mareis todas as disposigoes necessarias de
defeza, para alii permanecer, e para per-
mittir d ala direita que faca uma mudan-
(,a de frente, afim de occupar as posi-
oes da retaguarda, se for necessario ;
posiQOes que se devein ao mesmo tempo
reconhecer .
Os soccorros mandados limitaram-se a
duas baterias de reserva e alguns caixdes
de municoes, o que ndo correspondia de
maneira alguma aos pedidos do marechal, e
d gravidade da situacdo.
0 marechal Bazaine ndo abindonou du-
rante todo aquelle dia o seu quartel gene-
ral. A's 2 horas e meia montou a cavallo.
Em vez de levar comsigoo seu ostado-maior,
cujonnrnoroso possoal lhe permittiria ter
continuamente noticias do combate, recu
sou ofTerecimontos do general Jarrus, e s6
se acompanhou de alguns officiaes. Diri-
gio-se em primeiro lugar para S. Quintino.
D'alli p61e ver as posi.oes occupadas pelo
2 e 3 corpos. 0 combate estava empe-
nhado com violencia, e o fogo de artilheria
era continue A' esquerda na direccdo de
Jussy, apresenta-se uma frente de columna
inimiga. 0 marechal faz assentar algumas
pe^as de artilheria n'aquella direccdo, e des-
apparece.
Parte de S. Quintino, desce ao colio de
Lossy, encontra no caminho o capitdo de
Beaumont, commandante da escolta do ge-
neral Bourbaki, e encarrega-o de prevenir
o marechal Canrobert, que o continua a
sustentar, e que retira depois. Alguns pas-
sos mais a diante estdo os officiaej de or-
denangas do general Bourbaki, que vdo
iuntar-se a elle; diz-lhe que tudo estd aca-
bado, e que retira. Sobe depois em frente
do forte Plappeville, para ver o que se pas-
sa na planicie do baixo Moselle; to uma nu-
vem de poeira sobre a estrada de Saulny,
e receiando um troco do inimigo, faz cha-
mar duas baterias da reserva; depois reco-
nhecendo que aquelle movimento e causa-
do pelas bagagens e polos que retiram pre-
cipitadamente sobre Melz, exclama: Que
se ha de fazer com similhantes tropas I e
encannnha-se da novo para e quartel gene-
ral pelas sete horas e meia.
Durante todo aquelle dia, ndo manda pes-
soa alguma para saber noticias; recebo,
sem se commover, aviso dos perigos, semy
pre crescentes que ameagam o 6 corpo,
e contonta-se, para sustentar tudo em lhe
mandar vinte caixdes de municoes, sendo
doze de artilheria, os quaes chegaram ao
campo na occasido em que a luta termina-
va. Aquellas munitjdes alimentaram por
mais alguns inslantes o fogo terrivel, que,
das alturas das carreiras da Cruz, procura
no momento critico: obstar aos progressos
tao ameagadores do inimigo.
Quaes eram as reservas disponiveis, e
que partido podia tirar d'ellas o marechal
Bazaine? E' este o ponto que resta preci-
sar.
A artilheria apresentava ao todo dezeseis
baterias, com um total de 96 bocas de fogo,
LUCmiA'BOfifrIA
MEMQRIAS DE SATANAZ
POR
to. Hanoel Fernandez y Gonzalez
PR1MEIRA PARTE
O GRAN-CAPITAO.
XXIII
DE COMO 0 GRAN CAPITAO SE ACHOL KNVOLVI-
DO EM UM NOVO ENREDO.
(Coutinuagdo do n. 282;
L'ma noite, tres mezes depois de es-
tar alii, quando estava jd inteiramente lou-
c* por Bonvinetto, disse-me elle :
Necessito ir a Roma, e ndo posso afas-
tar-me deti, porque ndo poderia viver sem
te ver. Vais acorapanhar-me, porem tu
e tua irmd irao em duas liteiras fechadas.
l>"ao quero que uinguem as veja ; importa-
nt muito que ninguem saiba que tenho
mulheres em meu poder, uma das quaes e"
tao formosa como tu.
A vontade de Bonvinetto arrastava-me
do mesmo modo que o vento arrasta uma
folha secca.
Bonvinetto deu-nos dous raantos e duas
n.ascaras, levou-DOS para uma sala do an-
dar inferior, onde havia uma grande liteira,
dentro da qual se viam grossos pedacos de
ferro.
Que significa isto 1 perguntei eu a
Iv>n vinetto,
Isto e peso para que julguem que em
vez de mulheres levo n'esta liteira muito
dinheiro. Assim, ninguem est anhardque
nas pousadas onde paremos eu durma jun-
to d'esta liteira e tenha grande cuidado
n'ella. Ha tambem ahi agua e provisdes;
entra para ella e guarda s lencio ; durante
o caminho ndo pronuncies uma unica pa-
lavra.
E' verdado ; Iratava-so entdo do casa-
mento de Bmvinetl) com Helena Corsrai
que estava em Roma no convento dc San-
Sixto. Ah I comedo a ver daro ; con
tinua.
Fizeraos & viagom occultas mysterio-
samente por Bonvinetto.
Afinal, um dia abrio a liteira e di^-o
cos :
accumuladas em S. Quintino ; o marechal
tevo apenas a idea de desmembrar a guarda
que jd ent8o nao estava em condigdes de
dar os resultados que se deviam esperar
d'ella.
1 Na manhd de 18, o general Bourbaki ti-
nha recebido autorisacdo para por as suas
tropas em movimento quando o julgasse
conveniente. Pelas tres horas comprehen-
dendo que a luta tomava grandes propor-
coes, resolve-se na ausencia do qualquer or-
dem directa, a conduzir a sua divisao de
granadeiros para Groschene, sobre a direi-
ta do exercito. Chegou alii ds quatro ho-
ras ; um momento depois, avancou um
pouco na direccdo de Saint-I'rivat, e ospe-
rou.
A's seis horas e um quarto chegaram
successivamen'.e junto d'elle o capitao La
Tour du Pin; e o commandante Pasmes,
mandados pelo general Ladmirault, para
lhe pedir que fosse "apoiar o 4 corpo, que
tinha alcangado uma vantagem. 0 gene-
ral poz-se em marcha, e chamou para si a
artilheria de reserva da guarda que estava'
em S. Quinlino. A' sshida do bosque, que
se avisinha d'Amanvillers e Saint-Privat, o
general, em presenga do movimento de roti-
rada do 4"e do6corpos, quese pronunciou
firmemente, desenvolve as suas Iropas para
o proteger. A's sete horas e quarenta mi-
nutes chega a todo o galope a artilheria da
reserva da guarda.
Neslo ultimo periodo da batalha, a arti-
lheria do 6 corpo, que so tinha municoes
para alguns tiros, vai postar-se no bosque,
proximo do caminho do Saulny, em frente
de Saint-Privat, emquanto que a artilheria
da guarda, e duas baterias do reserva s)
estacelucam pela parte de cima da estrada
de Chatel, em frente d'Amanvillers. Esla
massa de pecas de artilheria, rompe em
fogo muito vivo, e suspende de prompto a
offensiva do inimigo. A's oito horas e meia
cessa o combate.
Assim pois durante toda aquella tarde, o
marechal Bazaine e prevenido por muitas
vezes do perigo que augmenta para a direi-
ta do seu exercito, da situagao mais que cri-
tica em que se acha o marechal Canrobert,
da insufiiciencia da sua artilheria, da falta
de municoes quo o forga a enfraquecer o
seu fogo desde o principio do combate ;
ndo s6, ndo vai cm pessoa a ponto amea-
cado para dirigir para alii, no caso de
necessi lade, as suas reservas, mas abando-
ns d iniciativa, necessariaraente hesitante
do general Bourbaki, o cuidado de pdr a
divisdo da guarda em movimento, c deixa
em S. Quintino sessenta bocas de fogo ab-
solutamente inuteis.
0 marechal, que se conserva, como se
tem visto, fora do campo da batalha, mas
ao qual os cornmandantes dos corpos, que
dirigiam no meio do fogo as suas tropas,
flzerara chegar informagdes exactas, expe-
dio durante o dia muitos despachos ao im-
perador, eao marechal Mac-Mahon
A's duas horas da tarde telegraphou elle
ao marechal Mac-Mahon:
Em consequencia de combates succes-
sivos que tenho tido a 14 e a 16, a minha
marcha sobre Verdun estd determinada, e
sou obrigado a demorar-me na parte norte
de Metz para me fornecer de munigdes e
especialmente de viveres.
Desde pela manhd o inimigo apresenta
fortes massas, que parecem dirigir-se para
Buoy, e que podem ter inteiicdo do atacar o
marechal Canrobert, que occupa Saint-Pri-
vat-Ia-Montagne, ligando-so para a sua es-
querda com Amanvillers, ponto dc apoio do
4." corpo. Estamos, pois, de novo na de-
fensive, ate que eu saiba a verdadeira direc-
gdo das tropas que estdo na nossa frente, e
especialmente das do exercito da reserva,
que se diz estar em Pange, sobre a margem
direita do Moselle, ds ordens do rei, cujo
quartel-general se acha era Aubigny.
a Transmitto este despacho ao imperador
e ao ministro da goerra. Receio pelo ca-
minho de ferro dos Ardennes.
A\'s quatro noras, novo telegramma diri-
gido ao imperador:
Neste momento, quatro horas, rompe
em toda a frente da nossa linha um ataque
dirigido pelo rei da Prussia em pessoa, com
Estamos em Roma, o pormaneeeremos
aqui algum tempo.
Em seguida lev u nos para uma habita-
r.ao que era tambem rica e sumptuosa.'cn-
corrou-nos e retirou-se.
Durante um mez levamos a mesma vida
que na quinta do Napoles.
L'ma noito, chegou Bonvinetto, pallido,
desligurado, terrivel.
A nossa sorte mudou, disse elle, cahi
n'um abysmo ; n3o posso per joanecer em
Roma. Busquei um albergue seguro, mas
tenho de desligurar-me para que me ndo
possam reconhecer.
Ah exclamei eu, tu es branco e
louro c eu farei com que fiques moreoo e
de c (bellas pretos. Tens dinheiro I
Sim. muito dinheiro em joias e em ou-
ro ; porem, saiamos quanto antes ; a noite
estd muito escura, ninguem me vio entrar
n'esta casar, e ninguem me verd sahir.
Sahimos e levou-nos para a casa isolada
junto das Termas de Deocleciano onde a
senhora duqueza me conheceu. Jd alii es-
tava essa area que tem o brazdo dos Cor-
sini.
Minha irmd e eu conservavamos os nossos
trajos de ciganas, sahimos e compramos
tudo quanto nocessit^vamos. Bonvinetto,
que havia tomadc*, este nome, ficou de tal
modo desfigurado que era inipossivel reco-
nhece-lo.
Assim temos vivido ha cinco annos ; o
resto sabe-o a senhora duqueza.
Muito bem, disseste-me muito mais do
que eu esperava e podes contar cada vez
mais com a minha protecgdo; relira-te.
Marietta sahio.
Ah I murmurou I.ucrecia, eis aqui
como as culpas dos pais recahem sobre os
filhos, eisaqui as coosequencias de um adul-
terio infame. Tu, o outro bastardo de
Aragdo, que jolgam afogado no Tiber, tu,
o irmdo do que vai ser meu esposo, podeste
converter-te em cigano, em vagabundo, em
miseravel, e ndo tiveste valor para morrer,
infame E's um perigo e convem que nos
livremosde ti. Esperas-me, ajuda-te Orsi-
ni, onganas-me ou pretendes enganar-me
proci'rando que arm fit" que Gonzalo sabe
onde es!d \ngioIina e que a vai salvar esta
noite. Tdo louca julgas que me tornou o
amor de Gonzalo para que fosse impruden-
temenle em pessoa sorpronder o meu aman-
te n'uma traicdo ? Ndo, n3o serei eu quem
vd ; bastar-me-hi.i impedi-lo que so apode-
ras ; mas cllo r.io sabc onde
rei, sim, irei cntwider-mo
com [i;u'a rac apoderor l\i ti. Quo
forgas consideraveis. As tropas conservam-
so bem ate agora, mas as baterias foram
obrigidas a cessar o fogo.
Emfim, ds sete horas c'oego da plani-
cie ; o ataque foi muito vivo ; o fogo cessou;
as nossas tropas sustentaram-se coustante-
mente nas suas posigoei.
Nesta occasido, e destruido o ultimo fio
telegraphico, que ligava Mela a Chdlons c a
Paris.
6 toxto destes despachos indica que o
commandante estava ao corrente das phases
da batalha : mas nelles ndo se encontra a
cxpressao da situagao, tal como elle a co-
nhecia ; nenhuma mengao sti faz da posigdo
critica do 6. corpo.
Ndo devia este ultimo despacho tor por
objecto induzir em erro o soberano, a res-
peito dos resultados do dia, fazando-lho crer
que o marechal tinha abandonado o campo
de batalha no fim da acgdo ?
Nao se poderia eviJeiUemoute impor um
crime a um geueral por perd6r uma batalha;
mas quando se ve o marechal Bazaine ndo
dar nenhuma ordem em presenga dos pedi-
dos reiterados e cada vez mais instantes do
marechal Canrobert, e deixar esmagal-o sem
lhe prestar o menor soccorro, como e que
se lhe ndo ha de pedir contas da sua culpo-
sa inacgao, e da derrota soffrida pelas nossas
armas, preludio do desastre final ?
Porque estava elle afastado do theatro em
que se dava a raaior batalha dos tempos
moderuos, quando o rei da Prussia dirigia
o ataque em pessoa, co.no 0 marechal an-
nunciava ao imperador ?
N'uma batalha como a do dia 18, em que
o exercito fraucez, estabelecido na altura dos
marguns do valle de Monveaux, s6 tiuha que
manter-se firme, a immobilidade do chefe
ndo era de modo algum exigida Ndo havia
alii nem manobras, nem casos imprevistos.
0 marechal tinha pois toda a liberdade para
se dirigir a qualquer pont) cas suas linhas.
Tudo o chamava para a direita do seu exer-
cito ; sabia que alii as baterias estavam em
parte caladas, e nao ponsou em substituir
as bocas de fogo pelas da reserva.
Em vdo o marechal, para se desculpar da
sua immobilidade na esquerda do seu exer-
cito, quiz fazer aceitar como serios os peri-
gos que, na sua opinido, ameagavam aquelle
lado da I nha. Era pelo contrario o ponto
mais forte, e a praga podia cobrir com os
seus fogos a estreita lingua de terra quo fica
entre S. Quintino e Moselle, por onde uni-
camente o inimigo podia atravessar entre
Metz c o exercito. As explioagoes que elle
deu ndo podiam formar fi convicgdo, nem
mesmo a hesitagao em nenhu n espirito. Sim
o marechal Bazaine abandonava sem soc-
corros o marechal Canrobert; sim, e res-
ponsavel possoalmente pela derrota de 18
de agosto e pelas suas torriveis conse-
quencias.
Novo movimento retrogrado do exercito
Na manha do dia 18, uma ordem do
marechal Bazaine convocou no Caste 1 de
Saint-Germain os sub-chefes do estado-maior
dos differentes corpos, para irem reconhecer,
sob a direcgdo do coronel LewaU os pontos
a occupar ulteriormente quando para isso se
desse ordem. Foi em consequencia desta
operagao que se concordou nas ordens cujo
cumprimento devia fazer com que o exercito
se apoiasse desde logo nas obras da margem
esquerda, posigdo em que o marechal tinha
em 17 d tarde fixado por um momento o
seu pensamento. Este assumpto exige por-
menores circumstanciados.
Quando, durante d tarde, alguns officiaes
do-estado maior do 4. 6. corpos, foram
a toda pressa procurar ordens ao quartel
general para collocar as tropas, foram cen-
duzidos d presenga do general em chefe para
lhe darem conta dos ultimos incidentes do
dia, incidentes que elle ignorava ainda.
Apenas terminaram a sua narragdo o mare-
chal disse-lhes :
a Nao vos inquieteis ; este movimento
devia fazer-se amauha pela manha ; tendel-o
realisado doze horas antes.
Foram estas as unicas refiexoes que lhe
suggerio a noticia de que a estrada de Briey
estava dahi por diante fechada, e do que o
exercito, depois de um combate dos mais
encarnigados e dos mais sanguinolentos,
pretendem os Orsini ? Que se lhes levante
a accusagdo de traigdo e se lhes entreguem
os seus estados? Pois bem, nao importa,
Sfcr-lhes-hdoentregues : Old, alguem I
A' porta appareceu Francesco Buotti.
Lucrecia sentara-se a escrever, e passado
um momento disse:
Monta a cavallo e leva immediatamen-
te esta carta a Genaro Orsini.
A Genaro Orsini ?
Sim, estd em Veletri. Traze-me qjian-
to antes a resposta.
Francesco Buotti sahio assombrado. Ndo
podia esperar nunca que Lucrecia se pozes-
se em intelligencia com os Orsini.
XXIV
EM QUE SE VE DO QUE LUCRECIA ERA CAPAZ'
A noite estava bastante clara.
Roberto ou Bonvinetto, como melhor
quizerem, indo muito adiante da sua gente,
avangava por um trilho entre vinhedos, a
meio do caminho de Roma a Veletri.
Na cabega d'aquelle personagein myste-
rioso que se ndo chamava nem Roberto nem
Bonvinetto, ardia um vulcio.
. N6s, porem, podemos penetrar no intimo
da sua consciencia.
Bonvinetto ou Roberto recordava-se do
dia em que um anjo, uma mulher brilhan-
do mais pelo seu espirito do que pela sua
formosura, Helena Corsini, expirara aos
seus pes, banhada em sangue, amaldigoan-
do-o.
Aquella mulher ttvera tempo para pro-
nunciar algumas palavras, e essas palavras
tinham sido ouvidas.
Em vdo Hoberto fizera desapparecer o ca-
daver no Tiber ; em vdo guardara a area
funesta em que fora conduzido o cadaver ;
[ndose atrevera a deitrui-la. Fugira receioso
de uma vinganga terrivel, de uma vinganga
'que ndo podia evitar. Conservara a area,
'o punhal, e o veo de Helena Corsini, ndo
sabia porque, como um remorso.
Dous crimes haviam seguido aquelle ou-,
tro crime ; o assassinato de dous criados
'confilentes. Os dous cadaveres, cozidos a
'punhaladas, haviam apparecido em um lu-
1 gar obscuro das Termas de Deocleciano.
1 Quando Roberto recordava a sua existen-
"cia anterior ao seu primeiro crime e a com-
[parava com a sua Vila posterior dquelle cri
;me, ndo se reconhecia. Eram dous seres
completamente distinctos : o lobo que ndo
comprehende que e lobo, e que ao ver-sa
lobo se dosconhece.
Poder de Deus I dizia Bonvinetto. Eu
nao amei nunca ; o que senti por Helena
tinha retirado para Metz.
No fim do combate, deiiou-se por occu-
par a forte posigdo de S. Quintino, e a estra-
da de Saulny.
0 inimigo, senhor de Saint-Privat ndo
tinha podido passar alem. Mas as ordens
do marechal conduziram o exercito muito d
retaguarda da estrada o do bosque de Saul-
ny, e o 2. e 3." corpos, que, durante todo
o dia tinham conservado as suas posigdes,
tiveram de ir reunir-se ao resto do exercito,
concentrado debaixo do apoio dos fortes.
Desta vez ficou-se bem estabelecido na
linha Vigneulles Lessy, posigdo que vimos
occorrer d idfo do marechal, desde a tarde
do dia 18.
Na manhd de 19 dicta va o marechal a Mr.
Debains, secretario de embaixada aggregado
ao quartel general em chefe, uma nota que
tinha por fim ser anuunciada sem indicagdo
de origem, ao jornal Le Corrier de la Mo-
selle, o qual foi publicado no dia seguin-
te 20.
Nella encontram-se as seguintes expres-
soes:
Um dos exercitos de Franca estd hoje
concentrado em Metz, nos pontos que o
marechal designou, em consequencia dos
successos do dia 18. P6de dizer-se que
o piano do inimigo para o dia 18, ndo
produzio effeito. Mantendo-se em volta
de Metz, o exercito do marechal Bazaine
<( fez face ds nccessidade estrategicas e po-
et lilicas.
Que necessidides podiam ser essas quan-
do o exercito de Metz tinha ordem do ir
para Chalons, afim de cobrir Paris.
0 marechal Bazaine tinha pois um fim,
alcm da execugdo das suas ordens. Esse fim
deprehende-se invencivelmente da narragdo
dos acontecimentos desde 12 ate 18 de
agosto. 0 marechal Bazaine ndo .quiz
abandonar Metz.
Se elle tivesse querido abandonar Metz,
ao toraar o commando, teria ordenado, d
falta de pontes provisorias cobertas pelas
cheias do Moselle, que S3 fizesse desfilar o
exercito, desde 13 pela manhd, pelas pon-
tes da cidade, a do caminho de ferro.
Se elle tivesse querido abandonar Metz,
em vez de accumular as suas tropas na uni-
ca estrada de Gravelotte, teria utilisado as.
outrastresestradas, cujo emprego simultaneo
Iho teria permittido alcahcar rapidamente
a planicie.
Se elle tivesse querido abandonar Metz,
nao teria dado a 15, ordem para se licenciar
o trera auxiliar, medida que o devia privar
dos seus viveres e suspender a sua marcha.
Se elle tivesse querido abandonar Metz,
depois de se ter municiado na madrugada
de 17, teria recomegado o combate, ou to-
rnado o caminho de Briey. Pelo contrario,
ndo pensou logo sendo em ir estabelecer o
exercito entre Vigneulles e Lessy ; depois
hesitando era face de ura movimento de re-
tirada tdo accentuado, foi occupar as altu-
ras do Valle de Monvaur, para a parte de
traz, das quaes custava dirigir o exercito na
manhd de 19, como acabamos de ver.
Se pois o marechal Bazaiue ndo quiz
abandonar Metz, pergunta-se, sem poder
encontrar nem razdo plausivel, porque ndo
evitou aquella batalha tnutil de 18, que
custou tanto sangue ao seu exeroito, e
que foi augmentar da maneira mais perigo-
sa a accuraulagao de feridos na- praga de
Metz, e enfraquecer a moral-do exercito t
Na idea do marechal, exposta a Mr. De-
bains, actualmente primeiro secretario da
embaixada m Berlim, e que estava aggre-
gado ao estado-maior general do exercito do
Ttheno, tanto debaixo do ponto de vista da
conservagdo do territorio em paz, como de-
baixo do ponto de vista das operagoes mili-
tares, era muito importante que o exercito
protegesse Metz ate que eitivessera ultima-
das as obras deslinadas a cobrir a praga.
Estas noticias existiam com a mesma forga
no dia em que o marechal tomava posse
do commando. Se ndo eram proponderan-
tes, para que foi esse simulacra de parti-
da?
ndo era amor, mas sim vaidado e ambigdq,
desejo dos milhoes de escudos de seu pai.
Miseria I 0 que senti por Marietta, foi
apenas uma fascinagao, o que me arrastou
porJulietta, foi a sua pureza e a sua for-
mosura. Ah I Lucrecia 6 o meu demonio;
Lucrecia tem a alma tdo negra como a mi-
nha alma. S6 por causa d'ella deixaria eu
de usar esta cor morena que me escure.ee ;
so por causa d'ella faria om quo appare-
cessem de novo os' meus cabellos louros,
quando fosse minha esposa, quanlo tivesse
jd todo o podor de Roma para pagar aos
Corsini, aos ambiciosos Corsini, o prego do
sangue de Helena. Arrebatavam-n'a, da-
vam-n'a a Prospero Colonnd; ella amava-
me, enviaram-n'a a Roma, e o inhabil de
Prospero Colonna ndo sabia que Helena me
tinha amor, que acudiria ao meu charaa-
raeuto. Cora tudo, ella ndo se atreveu a
desposar-me, e para que a queria eu como
araasia T Do mesmo modo que, roatan-
do-a, teria langado sobre raim a vinganga
dos Corsini. Eu ndo a amava, queria tdo
somente ser poderoso por ella para dizer a
meu avaro pai : ndo necessito do seu ouro
para ter a elevada representagdo digna de um
principe napolitano. Ah sim, eu ndo po-
dia viver em uma esplendida quinta deser-
ta, sem criados, sem cavallos, sera carrua-
gens, sem esbirros, como um rato que pas-
seia por um palacio. Minha mdi deixou-me
tudo quanto podia deixar-me, a quinta do
Vesuvio. Com os cadaveres ninguem casa;
eu tinha empenhadu o meu orgulho, sabia
toda a gente que fazia a cdrte a Helena e
que era amado por ella. Ndo quiz unir-se
a mim por medo, propoz-me que fugisse-
mos, que abandonassemos a Italia I.. Ndo
podia ser, fugir com uma mulher formosa,
mas pobro, e tamer sempre sentir no peito
o frio da lamina do punhal de um assassino
enviado ap6s de mim pelos Corsini, ndo,
mil vezes ndo. Prospero Colonna ndo de-
via zombar de mim ; e certo que poderia
ter morto Prospero, porem os Corsini pen-
savam enta n'um outro marido para Hele-
na ; um Medicis, um Sforzia, um Crsini,
ludo, men is um bastardo e um bastardo
pobre pela avareza de seu real pai Ma-
tando Helena, o c;iso era muito mais sim-
ples. Ah ndo sei porque se me apresenta
sempre na raemoria essa mulher, e logo
ap6s ella Julietta. Sou muito cobarde ;
tenho a certeza de que Lucrecia nao se re-
corda dos seus mortos, e quem sabo o que
se agita por detraz da serei.a fronte de uma
mulher que parece um anjo ? E vai casar
com meu irmdo Affonso... ah I ndo, mil
vezes ndo I... a idea de vela pertencer a
outro... Quando a conheci estava jd se-
parada de Jodo Sforzia ; porem ella ama
Gonzalo de Cordoba... Oh I lance-se mdo
do exterminio I Orsini necessita de mim,
odeia Lucrecia, porque ella raatou seu pai,
seu tio, seu irmdo, e odeia mortalmente
Gonzalo de Cordoba porque 6 o poder que e
impede de aterrar o papa. Avancemos ;
esta noite poderd langar mais algumas som-
bras na minha consciencia, mas ndo im-
porta, avante I
E continuou caminhando.
De repente, ao dobrar uma col Una, Yio
destacar-se sobre a vaga claridade que es-
pargia na terra a luz da lua, a sombra de
uma cruz gigantesca.
Ah I disse elle, a cruz da Buena-dicha.
Orsini deve estar csperando-me ; parece-rae
que yejo brilhar armas; dvante I
E chegou esporas ao cavallo.
Pouco antes de chegar d cruz que ficava
no meio do caminho de Roma a Veletri,
Bonvinetto fez parar de repente o cavallo, e
enristou a langa.
A mim I gritou elle aos seas cavallei-
ros ; parece-me que damos com outra gen-
te differente d'aquella que esperavamos ; sao
muitos, mas ndo importa ; langa em rista,
meus filhos, fagam o que eu fizer e estamos
salvos.
A' luz da lua que produzia reflexos rao-
veis nas armas burnidas, via-se um numero
consideravel de cavalleiros que avangavam
em semi circulo com a intengSo declarada
de envolver Roberto e os seus.
Do centro d'aquelle semi-circulo, desta-
cavam-se alguns cavalleiros.
Principe Pedro de Napoles, disse o
que vinha na frente d'clles, evite um com-
bate inutii ; trago comigo quiohentos ho-
mens de armas e os seus cavalleiros apenas
chegam a quarenta. Se resiste conseguird
apenas que o faga pedacos; renda-se.
A um traidor como tu, Genaro Orsini,
ndo se rende ninguem da casa de Aragdo,
mesmo quando, como eu, seja ura bas-
tardo.
Genaro Orsini soltou uma gargalhada.
Volta a cabega e ve onde estdo os
teushomens, disse elle, olha como fogem ;
corapreheuderam o que tu ndo queres com-
prehender, c nao sao tao leaei que para
servir-te affrontem a raorte.
Pedro de Napoles, visto que dissemos jd
0 verdadeiro nome de Bonvinetto, voltou a
cabega e vio queeffectivamente os sous, in-
cluindo Dominico, o-criadu traidor do-du-
quo de Gandia, fugiam cm debandada.
(Continuar-se-ha.)
Apes elles, d desiilada, com intengdo de
os prender, corria um grande numero de
homens d'armas de Orsini, muitos dos quaes
gritavam :
Parem e entreguem-se ; aquelles que
quizerem serdo alistados, e ndo se raatard
nenhum.
0 mesmo que aquelles dizem aos
teus, prosoguio Orsini, digo-teeu a ti, Pe-
dro de Napoles : rende-te, serds meu prisio-
neiro, mas a.cseguro-te a vida.
Quem te disse quem eu era ? disse
Pedro atirando para o lado a langa inutii e
pondo pe em terra ; que traigdo 6 esta ?
Ndo te admires d'isso, replicou Orsi-
ni, apeiando-se tambem ; pagaram-me um
bom prego por ti e vendi-te como tu me te-
rias vendido em igual caso ; nada temos que
langar em rosto um ao outro, fomos com-
pletamente iguaes, com a difference unica
de bastardia ; pode ser que eu ndo seja fi
Iho de Fabio Orsini, porem, assim consta.
Vans os, dd-me a tua espada, Pedro ; ama-
nhd estards admiravelmente hospedado no
castello do Sant'Angelo. Que queres tu ?
Vales tanto, e pagaram por U um prego tdo
elevado, que ndo pude resistir d tentagdo de
vender-te.
Pedro de Napoles tirou a espada, entre-
gou-a a Orsini e disse :
Significa isso que sou prisioneiro do
santo padre ?
Assim parece, pelo menos, respondeu
Orsini.
Com queatto4$zeste a tua submissdo
d sua santidade ?
Creio que sim.
- Grande foi a tua cooveniencia.
Gertamente que sim.
Ella, aquelle demonio,- metteu-se de
Sermeio entre n6s e tu acreditas n'ella,
esarmas-te e tais metter-le no antro do
ledo.
Tanto me faz a mim estar armado no
campo como rebelde, ou nos castellos do
meu vigariado de Roma como desconfiado.
Vamos, os teus compiehenderam que Ibes
convem passar do teu servigo para o meu,
e voUam tranquillameute entre os meus ho-
mens d'armas.
E assim era.
(Contimtarse-ha)
TYP.DO DIARIO. -RUA DUQUB DE CAXUS.
HEBfVEl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E51CGVMKS_0FEBWT INGEST_TIME 2014-05-28T14:43:00Z PACKAGE AA00011611_20008
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES