Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20007


This item is only available as the following downloads:


Full Text
k
R'
k'.
I
-
^


*
I
AMKO XLIX. MMEM 285
PARA A CAPITAL E II G ARES OSDB SAO 8E FACIA POBTE.
Por tres raezes adiautados......
Por seis ditos idem.......
Por um anno idem ........
Cada huraero avulso.....
. 69000
129000
349000
420
SEXTA FEIKA 12 DE DEZEMBRO DE 1873
PABA DEXTBO E FOB A DA PRO VIXCIA.
Por tres mezes adiantados................. WIM
Por seis ditos idem................... 189500
Por noTe ditos idem.................. 809860
Por um anno idem................., 879000
PROPRIEDADE DE MANGEL FICOE1R0A DE FARIA & FILH0S.
0 Srs. Gerardo Antonio Aires & Filhos, no Pari; Goncalves d Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose de Oliveira d Filho, no Ceari; Antonio de Letups Braga, no Aracatj ; Joao aria Jalio Chares, no Asso; Antonio Marques da Silva, no Ratal; loU Juat
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, n Parahyba ; Antonio Jos<$ Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antao ; Domingos Jose da Costa Braga, emffazarethj
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Alagoas; Aires d C., na Bania; e Leite, Cerquinho d C. no Riojde Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
(overno
proximo lindo,
expedidas, foi
Nazareth com
"f
da proviiioia.
I KPEOICtTE DO DIA 26 DB SKtEUBIW DE 1873.
1.' seccao.
Offieio:
Ao engenhoiro onearregad) das obras mili-
fares. Maude Vmc. sem deni ira, proceder aos
concertos precisos na coberta do cimpartimento
contiguo a secretaria do 2. batalhao de infantaria,
na forlaleza das Cinco Pontas, na importancia de
199*060 reis, de conformidade com o orjamento
anaexo ao seu offlcio de 10 do corrente, sob n. 16.
2.' seccao.
Ados :
0 presidente da provincia resolve designar o
capheo da 6.' companhia do batalhao n. 2i de in-
fantaria da guarda nacional do municipio de Es-
cada, Caetano Correia de Qtieiroz Monteiro, para
-xercer as fancies de major no dito batalhilo.
0 presidente da provincia, attendendo a pro-
posta do jui.; de direito da comarca do Bonito em
nfficio de 20 do corrente, resolve nomear, de con-
formidade com o 7. do art. I.0 do decreto n.
Si)33 de 20 tie setemhro de 1871, o cidadao Joa-
iuim Cypriaho Bezerra de Mello para o cargo de
adjunto d-> prom.'tor publico da comarca de Bo-
nito, no termo de Bezerros.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia. Em resposta ao
offioio de V. S., de hontem datado, ten no a dizer-
Ibe ijae nesia data adiei a eleicao de vereado-
re? e juizes de paz, de quo trata o sou dito offlcio,
para a 3.a dominga de novembro vindouro.
Ao commandante superior de Santo Antao e
Escada. Informe V. S. qual o numero das pra-
.a- qua ificalas na ultima revisao feita no servico
activo da guarda nacional do municipio de Santo
Antao.
3.' secf&o.
Officios :
Ao inspector da thczouraria de fazenda.
Araearan lo desahar, segundo informa o briga-
deiro commandante das annas em offlcio de 6 do
corrente sob n. 903, a coberta de um pequeno
lotnpartiraento cootiguo a secretaria do quartet
t.i- Cinco Pontas, autorisei nesta data a execucao
dos reparos ali precisos, orcados na quantia de
190*060, o que communieo a V. S. para os devi-
dos eflfeitos ; prevenindo-o de que essa despeza
rteve ser effectuada sob responsabilidade desta
presidencia, por se achar comprehendida na dis-
posicao do 80 do art. 5.- do decreto n. 2884 de
i.' de fevereirode 1862.
Ao mesmo.Communieo a V. S., para os de-
vidos fins, que, segundo oflkio do juiz de direito
da comarca de Escada, de 23 do corrente, por
se haver anojado a 20 do dito mez o promoter
publico d'aquella comarca, foi nemeado interina-
meuie o bacharel Aquilino Gimes Porto.
Ao-mesmo. Communieo a V. S., para os
devidos fins, que a 25 de agosto
?? conformidade com as ordens
^ujmentado o destacamento de
mais 7 pracas.
__ Ao mesmo. Communieo a V. S., pa**.-*a-
devidos fins, que por portaria de hoje foi noraeado
o cidadao Jose Cyprlano Bezerra de Mello adjun-
to do promotor publico da comarca de Bonito e
terrao de Bezerros.
Ao mesmo.- Com a inclusa rela;ao das ca-
maras municipaes ententes nesta provincia flea
satisfeito o pedido de V. S., contido em offlcio de 24
do corrente, sob n. 318 serie E.
Ao mesmo.Tendo em vista o que informou
V. S.em offlcio de hontem datado, sob n. 333 serie
V. acerca da peticao de Jose L. de Sant'Anna, a
municipio de Bonito, proferi o seguinte despacho :
Nao tendo side imposta ao supplicante a multa
a quo se refere, nada ha qua deferir : o que
i\ mmunico a V. 8. para os tins convenientes.
Ao mesmo. Dando provimento ao recurso
interposto per Jose Coemo de Andrade Luna, e
lendo em vis:a a sna informa^So de hontem data-
da, sob n. 332 serie E, autonso V. S. a mandar
que pela collictoria de Nazareth seja elle relevado
da multa de 2 OiOOO, em que incorreu por nao
ter dado a matricula dentro do praso legal as
ingenuas Olympia e Joanna, tithas de snas escra-
vas Maria e Foaquina
Ao inspector di thezouraria provincial.An-
nuicdo ao que solicitou o tenente coronel com-
mandante do corpo de policia em offlcio de 2i do
corrente, sob n. 549, autorisoV. S. a mandar abo-
uar os ven(;imentos e soldo* dos destacamontos
d'aauelle corpo, existentes em diversos nontos da
provincia, wmdo 3 mazes a 1 otficial e 36 pra^as
em Buique, a ( official a i4 pra^as em Moxoto,
a I" official e 7 pracas en S. Bento, a 13 pracas
em Bom Conselho, i raezes a i official a 7 pracas
ein Terra Nova, a 1 official a o pracas em Vicen-
cia, a 1 official e 12 pra$as na cidaae da Victoria,
a 5 pracas em S. Caetano, a 1 official e 6 pracas
em Capoeir&s, a 1 official e 8 pracas na Gloria a
nnalraente a. 1 official em commissao em Ponta de
Pedras, tudo a contar do de outubro vin
douro.
Ao mesmo. A vista da coota doeumen-
tada annexa ao incluso requerimento, qoe me foi
lemottido plo Exm. Sr. pm*4enl9 da provincia
das Alagoas com offlcio da S3 do corrente, mande
V. S. pagar ao gerente da companhia bahiana de
navegacao a quantia de 3O#009, proveniente de
passagens dadas em vapor d'aquella companhia
do porto da cidade de Maceid para o desta a 1
criminoso e 2 pracas, como so ve da referida
conta.
Ao mesmo. Becommenlo a V. S. qne, a
vista da reUicio e conta juntas, mande pagar ao
eapitao Jose Firmino Pereira do Lago, conforme
solicitou o Dr. chefe de policia em offlcio de hon-
tem sob n. 1673, a quantia de 89*800, em que
importou a despoza feita daraate o mez de agosto
ultimo com o sustento dos presos pobres da cadeia
de termo do Ouricury.
Ao mesmo. Communi:o a V. S., para seu
ronhecimeoto e fins convonintes, que, em vista
do que me expoz o Dr. regdor interino do gym-
nasio provincial em offlcio da i\ do corrente,
resolvi nomear por acto desta data o bacharel
Francisco da Cunha Castello Drauco para exercer
mterinamente o cargo da secretario d'aquelle es-
tabelecimento, no impedimento do respectivo ser-
ventuario.
4.' stcptA.
Acto: .
0 presidente da provincia, allendondo ao que
expoz o Dr. regedor intarloo do gymnasio provin-
cial em offlcio de de H do eofrente, resolve no-
imear o bacharel Franetaea- da Cunha Castello
J*r-aco para exercer iateriaameale o cargo de
aecretarto iaquelle estabeleciinento, no impedi-
mento do riwpectivo serrentoario.
Offlcios :
Ao Evm.president* do provmciadas Alagoas
Communieo a V. Exc, para seu eonhecimento e
tins convenientes, que nesta data expe;o ordem
a iheeouraria provincial no seatido de ser effec-
tuado o paisamento da quantia de 301, provenien-
te de passagens dadas do porto dessa cidade para
o desta| am vapor da eompanhia bahiana a
nm criminoso e duas pracas, conforme solici
tou o respectivo gerente ao requerimento qua
acompanbxiu o offlcio de V. Exc, de 23 do cor-
rente.
Ao cjmmissario vieriaadar provincial.Re-
L.etta Vra:. com urgencia a secretaria desta pre-
;dpncin; ftlgumas laTinns com pus vaednlco c m
destino ;i cidade da Escada, onde esta grassando
a variola.
Ao presidente do conselho de recurso de
qualinVacao de Limoeiro.-Informe Vmc. com ur-
gencii a razao por que ainda nao foi remettido a
secretaria desta pr^sidencia, o resullado dos tra
balhos do conselhoraunicipal de qualifieagao por
Vmc. presidido, nao obstante ter sido exigido ver-
balmcnte e por offlcio de 6 do corrente.
Ao Rvm. vigario da freguizia do^Limoe'ro.
Fica adiado para a 3* dominga de novembro vin
douro a eleicao de vereadores e juizes de paz des-
se municipio, por nao haver ate esta data si-
do remettido a secretaria desta presidencia o
resultado dos trabalhos do conselho municipal de
recurso de qualificacao ; o que communieo a V.
Ryma. para os fins convenientes. Mutatis mutan-
dis ao vigario da freguezia de Taquarelinga.
Ao Km. vigario da freguezia do Cabo Declaro
a V. Rvma., em resposta ao seu offlcio de 21 do
corrente, que nesta data reitero a ordem que ex-
pedi a thesouraria de fazenda em 15 do corrente,
para ser entregue a coramissao de que V. Rvma.
faz parte, a quantia de zOSjOOO. Quanto a cartei-
ra homeopatiica e pus vaccinico, ja ordenei ao
Dr. chefe de policia que remettesse ao delegado
de poiicia dessa localidale, que tambem e mem-
bro da mesma commissao.
Ao juiz de paz mais votado da freguezia do
Limoeiro. -Nao tendo ate esta data o conselho de
recurso da qualificacao remettido a secretaria des-
ta presidencia o resultado dos seus trabalhos, fi-
ca adiada a elei;ao de vereadores e juizes de
paz desse municipio para a 3' dominga de novem-
bro vinlouro ; o que commuaico a Vmc. para
os devidos fins. Mutatis mutandis ao juiz de paz
mais votado da freguezia de Taquaretinga.
Portarias :
ti caraara municipal da villa de Panellas.
Declaro a camara municipal da villa de Pa-
nellas, em re-posta ao seu offlcio de 5 do corrente,
que, nada tendo resolvido a assemolda legislative
provincial sobre posturas a que allude o citado
offlcio, cjnvem que essa camara organise as
que julgar necessarias e remetta a esta presiden-
cia para serera approvadas provisoriamente.
A' camara municipal da villa do Limoeiro.
Communieo a camara municipal da villa do Li-
moeiro para os fins convenientes, que resolveu
esta presidencia adiar para a 3* dominga de no-
vembro vindouro a eleiQao de vereadores e juizes
de paz desse municipio, por nao ter ate esla data
sido remettido o resultado dos trabalhos do conse-
lho municipal de recurso .de qualificacao.
A' camara municipal da villa de Itambe.
Declaro a catnara municipal da villa de Itambd, em
resposta ao seu offlcio de i9 do corrente, que con-
cede appro vac io a arrematacao dos impostos que
tera lugar perante essa camara, prestando o ar-
remitante fianca, ou dando garantia as letras
que aceeitou.
5 seccao.
Acto :
0 presidente da provincia, para execucao do
aviso do ministerio dos negocios do imperio, de 3
do corrente, resolve dcaignur o dia, 7 da Janeiro
DM
de 1874 para ter lugar o' recenseatnento da po
pula^ao da freguezia de FloresU, e nomear para o
dito fim a seguinte commissao censitaria : coronel
Francisco de Barros do Nascimenlo, Jos6 Gon^al-
ves Torres, eapitao Antonio Alves de Carvalho e
Silva, Francisco serafim de Souza Ferraz e Firmi-
no Gomes de Menezes.
Offlcios :
Ao coronel Francisco de Barros do Nasci-
menlo.Tendo por portaria desta data nomeado
V. S. para membro da commissao encarregada de
proceder no dia 7 de Janeiro proximo vindouro ao
recenseatnento da populacao dessa freguezia, nos
termos do aviso do ministerio dos neg icios do im-
perio, de 3 do corrente, que por copia Ine remet-
to, espero que nao se recusra ao deserapenho
dessa tarefa ; certo de que o governo imperial to-
mara na raaior consideraQio os servicos que V.
S. prestar para a prompt a execucao d) citado aviso.
Iguaes aos detnais membros Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Caxanga.-De posso do relatorio que,
com offlcio de 23 do corrente sob n. 6a, apresen-
tou-me Vmc. dando conta do estado dessa estrada
de ferro, autorisoo a mandar pubhcal-o, como
pede no final do mesmo efflcio.
Ao Sr. Thomaz Mac Connan, gerente interino
da companhia pernambucasa. Accuso recebido. o
offlcio de Vmc, desta data, no qual participa que,
em virtuiie da dernissai que deu o Sr. Francisco
Ferreira Borges de gerente dessa companhia, as-
sumira a respective gerencia interina, pornomea-
cao a que procedeu o conselho de direccao.
EXPEDIENTE DO SKCRETARIQ.
1.' $ec$5o.
Offlcio :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.Determina-me S. Exc. o Sr. presidente da
provincia que responda aos offlcios de V. Exc, da-
tados de 16 de agosto ultimo e 6 do corrente, sob
ns. 821 p 9C3, declarando que ficara dadas as con-
venientes ordens para serem feitos no quartel das
Cinco Pontas .os concertos de que tratam os cita-
do.- offlcios
2.' seccao
Offlcios .
Ao Dr. chefe de policia. De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, declaro a V. S., que
nesta data a thesouraria provincial foi autorisada
a pagar a despeza. de que trata o seu offlcio de
hontem, sob n. 1673.
Ao commandante superior de Santo Antao.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S., para os devidos fins, que por por-
taria de hoje foi designado o eapitao da 6.* com-
panhia do batalhao n. 21, Caetano Correia de Le-
mos Monteiro, para exercer as funecSes de major
do dito batalhao.
Ao juiz de direito do Bonito. -0 Exm. Sr.
presidente da provincia manda communicar a V.
S., para os devidos fins, que por portaria de hoje
foi nomeado Jose Cypriano Bezerra de Mello ad-
junto do promotor publico dessa comarca, no
termo de Bezerros.
Ao commandante do corpo de policia.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. SJ que nesta data expedio ordem a
thesouraria provincial afim de serem feitos os abo-
nos de que trata o seu offlcio do 24 deste mez,
sob n. 549.
4.' seccao.
Offlcio .
Ao Dr. regedor interino do gymnasio provin-
cial.0 Exm. Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. S. para seu conhecimeuto e fins con-
venientes, qne, em vista do exposto em seu offlcio
de 14 do corrente, resolveu nomear por acto desta
data o bacharel Francisco da Cunha Castello-
Branco para exercer interinamente o cargo de
Mcretario desse estabelecimento.
Manoel Alves Barboza.=Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Vicencia Melquiades de Miranda. Rcqueira ao
commandante da^armas.
Il-|.urti-a da polieia.
t.' ieccao. Secretaria da policia de Pernambuco,
11 de dezembro de 1873.
N 2013.Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hontem recolhidos a casa de deiencio
os individuos seguintes :
A' minha ordem, Ricardo Roberto de Lima, vin-
do termo do Triorapho como criminoso.
A' ordem do subdelegado do Recife, Felix, es-
cravo de Gustavo L. F. de Mendonca, a requeri-
mento d'este; Damiao, escravo de Clementina
Theodora da Silva", a requerimento d'esta, e Da-
vid, escravo de Francisco Ayres Segismundo de
Monies, a requerimento de Antonio Fernandes
Fradique.
A' ordem dodo Poco da Panel la, Manoel, escravo
de Antonio Jose Rodrigues de Sonza, a reqneri-
raento d'este.
Por offlcio de 6 do corrente communtcou-me o
delegado de Pao d'Alho que, no dia 3, em terras
do engenho Pindobal, d'aquelle termo, Paulo de
tal, conhecido por Paulo Grande, assassinou com
diversas facadas, a sua propria mulher, iogrando
evadir-se.
N'esta data reuommendei aquelle delegado que
proceda ao corapetente mquerito e remetta-o ao
respectivo Dr. juiz municipal, dando-me sciencia
do resultado de seu procedimento a tal resneito.
Deus guarde a V. Exc.-Win. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi-
mo presidente da provincia. 0 chefe de policia,
Antonio Francisco Correia de Araujo.
DlARIODEPERNriMBUUu
RECIFE, 12 DE DEZEMBRO DE 1873.
\oticiu* donorte do imperio.
Amanheceu hontem em nosso porto o vapor
brasileiro Para, trazendo datas: do Amazonas 23
de novembro, do Para 2, do Maranhao 4, do Ceara
7, do Rio Grande 9 c da Parabyba 10 do corrente.
Eis o que colhemos de jornaes e cartas :
AMAZONAS.
Continuava a ser mao o estado sanitario, regis-
trando-se ainda muitos casos fataes de variola na
capital e em quasi todo o interior da provincia.
Chegaram a Manaos noticias do resultado da
eleicao para deputados provinciaes, a que se pro-
cedeu em 9 de novembro. Sao deputados os Srs.:
Dr. Luiz Larneiro da Rocha, padre Torqnato An-
tonio de Souza. Dr. Joao Carlos Antony, Francisco
Antonio Monteiro Tapajos, Clementino Jusc Perei-
ra Guimaraes, Jose Wanoel da Rocha Turv, Hen-
rique Barbosa de Amorim, padre Daniel Pedro
Marques de Oliveira, Jose Justiniano Braule Pinto,
Jose Coelho de Miranda Leao, Francisco de Paula
Bello. Nicolao Jose de Castro e i.osta, Felynto
KlysioTSreira ae ^sraes, Joao Jo6 de Freitas
ipaimarSas, Jos4 PaSlino von HnnnhnltT, Join Pir.
los da Silva. Pictieiru, Manoel Rodrigues Checks
Nina, Tbomaz Laiz sympsoo, Damaso de Souza
Barriga e Francisco Benioio de Carvalho e Mello.
No dia 10 assumira o cargo de encarregado
no consulado de S. Magestade Fidelissima n'aquel-
la provincia, o commendador Francisco de Souza
Mesquiti, nomeado em 1.* do corrente pelo consul
de Belem.
Proseguira e.m seus trabalhos a imperial
commissao de demarcacSo de limites entre o im-
perio e o Peru, confiada as luzes c ao patriotismo
do illustre eapitao de fragata barao de Teffe. No
dia 11 seguiram para a Tabatinga, no v^or lnca
e em duas lanchas da flotilha, o ba ao de Teffe e o
pessoal da commissao brasileira, que vao alii es-
perar os membros da commissao peruana, para
procederera a estudos e exploracoes no Javary.
Na noite de 11 do corrente diz o Diarto do
Amazonas ia sendo barbaramente asjassinado na
estrada dos Remedios, o Dr. Candido Antonio Pe-
reira Lima, por um marinheiro da flotilha de
nome Noe.
a Sem' nada temer, o Dr. Lima, caminhava
tranquillameute, quando seu aggressor, que ja de
emboscada o esperava, lancou-se sobre elle com
um tercado, atirando-lhe golpes formidaveis, dos
quaes pOJe evitar alguns por sua ligeira resisten-
cia, opposta de tromento.
Se nao fosse o acudirem de prompto algumas
Sessoas, por certo seria victima, pois ja debaixo
as garras desse arrojado malfeitor foi elle arran-
cado com di versos ferimentos.
Por portaria de 13 a presidencia da provincia
domittira, a bem do servico publico, o professor de
philosophia do lycen Agostinno Rodrigues de Souza.
Reapparecera a Refvrma Liberal, orgao do
partido liberal da provincia.
Pelo respectivo balaneete verifica-se que a
camara municipal de Manaos tinha em cofre em
l. de outubro :
Saldo de setembro 1321047
Receiu de outubro 17:054*819
Saldo do exercicio de 1872 a 1873 2:848*139
Despeza de outubro
Saldo
20:037*005
7:101*557
12:935*448
PAHA.
DEtfttUKM \ l'RH8iBNC.IA DO MA 6 DE DBZEMBRO
i>e 1872.
Antonio Francisco de Moura. Deferida com of-
fici.i desta data ao. inspector da thesouraria de fa-
jenda
BentoJSeveriauo da Fonceca Pitta.Em visu da
informacao do inspector da thesouraria de fazenda
nsao provimento ao presente recurso.
Fw.nciseo Xavier de Souza Ramos. -Informe o
Sr. Dr. juiz municipal e o de direito do Bom Con-
selno.
Irinandade de Nossa Senhora da Paz da Matriz
. "jjados.Informe oSr. inspector dathesou-
A camara municipal de Belem reausou a ar-
rematacao para o calcamento das ruas e travessas
da cidade pele systema de paraltelipipedos, acei-
tando para este servico os precos de 11*280 para
o metro quadrado de calcamento de paralli-lipe-
dos, 9*750 para o metro quadrado de passeios de
lages de caotana, e 3*500 para o metro corrente
de bordadura dos passeios.
Os arrematantes d'este servico os Srs. Joao Fran-
cisco Fernandes e Pedro Vallete Filho obrigam-se
a comecar o calcamento tres mezes depois da data
da assignatura do contrato e dar cal^ada pelo me-
nos uma area de 10,000 metres quadrados de ruas
ate 3 de dezembro de 1874.
0 piano para o calcamento, contido no edital da
camara, de 12 de Jjulho, revela estudos conscien-
ciosos para realisar este melhoramento, adiado
ate aqui pelas administrates municipaes que pre-
cederam a que em 7 de Janeiro tomou posse do
poder. Igual, se nao superior ao que esta sendo
I'eito por conta da provincia, o calcamento contra-
tado vai ser realisado por cerca de 20 0/0 menos
do preco por qne foi aquelle contrattdo.
Foi nomeado promotor publico da comarca
de Breves, o bacharel Raymundo Jose Rabello.
Lemos no Diario do Gram Para :
Com 126 accionistas representando 5,565 ac-
coes abrio-se hontem (1.) mela bora depois do
meio dia a sessao extraordinaria de assemblea ge-
ral da companhia fluvial do Alto-Amazonas, con-
vocada para tomar conhecimento da proposta da
fusao com a Amason Steam Navigation Compa-
ny limited.
a Aberta a sessao apresentou a commissao no-
meada para tratar com a companhia ingleza o
relatorio de sens trabalhos e o accordo para a
fusao. Por este accordo da a companhia ingleza
1,030:00010''0 pela do Alto-Amazonas, cujo capi-
tal e de 800:0009000 sendo 800:000*000 em ac-
;5es da mesma companhia, ao par, e 210:000*000
em dinheiro, ao assignar-se a escnptura de trans
ferencia.
a Posto em disctissio este accordo lomaram a
palavra diversus Srs. accioni-t >s e um apresnnt.n
n in a proposta para ser augun-ntado o capital da
fluvial .lo Alto Amazonas.
'II proposra, quejiao p tdla (et aecita,
198 votos.
184
184
183
183
182 B
176
175 B
175 B
174
174 I
174 B
174 1
173
171 h
por deverem as assembleas geraes occuparem-se
apenas com os objectos qne determlnaram a sua
coavovacao, scguio-se calorosa discussao, que fez
com que se retirasse a maioria dos Srs. accionis-
tas, levantandose a sessao, a falta de quorum e
adiando-se-l'a para quando fosse convocada de
noro. .
A alfandega rendeu no mez de novembro
*58.-:}90a229 rs.
Achavamse surtos no porto os navios se-
guintes :
A carga.
Hiate americanb Mary Burdett New-York.
Hiate americano Victor New-York.
Galera portugueza Castro 2 Lisboa.
Eseuna hollandeza Henriett Pernambuco.
A descarga
Brigue dinamarquez Anna Cardiff.
Eseuna allema Anna Hamburgo.
Barca noruegueza Mogda Now Port.
Patacho allemio Annhen New Port.
Barca suecca Maria Cardiff.
Brigue inglez Ramber New-Port.
Brigue suecco Framat Cardiff.
MARANHAO.
Era bom o estado sanitario da capital.
A sociedide Humanitaria festejou, nos dias
30 de novembro e de dezembro o anniversario
da restaurajao de Portugal, com diversos actos,
entre os quaes um vasto bazar, que produzio dous
contos e tantns mil reis.
No dia 2 do corrente, depois do TeDeum so-
lemne na cathedral, segnio o Sr. presidente da
pojvincia com todas as autoridades civis e railita-
res, nacionaes e estrangueiras, ate o edificio da es-
coia da freguezia da Se, afim de assistirem o as-
sentamento da camieira.
As 4 horas da tarde foi installada a escola da
freguezia de S. Joao, e as 5, a da Conceicao, sen-
do nessa occasiao entregues a S. Exc as chaves
das ditas escolas, que se acham vigtosa e decen-
temente preparada3.
Na precisa occasiao, recitou o Sr. commendador
Belfort um discurso no salao da escola da fregue-
zia de S Joao, e o Dr. Cesar Marques na da Con-
ceicao, cujos discursos foram distribuidos impres-
sos era cadernetas.
Tocaram dua3 bandas de musica na frente dos
edrficios, e ate as 10 horas da noite foram visita-
dos por grande numero do familias e cavalheiros.
Resolveu a presidencia que logo que forem
installadas as duas comarcas em que foi dividida
a da Cbapada, fique o respectivo promotor Ignacio
Vioira da Silva Coqueiro pertencendo a da' Barra
do Cord a.
0 Sr. Alexandre Magoo Rodrigues, offereceu
para a escola do sexo feminino de Jossatuba os li-
vros para o expediente e diversos objectos para o
ensino.
Segundo se \6 no discurso recitado pelo Dr.
Cesar Marques na occasiao da entrega da chave
da casa para escola da freguezia da Conceicao.
obteve elle mais dous importaotes dnnativon, ooodo
um de 12 contos de reis, de nm abastado fazen-
deiro'fle outra provincia, e nm conta de reis de
nmjprtnguez residente em Lisboa. -^
-*T% ar. rieenie *reas nuts uma vez prestou-
se a > embaudeirar gratuitainente as frentes das
escolas de S. Joao e Conceicao para o dia da inau-
gurajao dellas.
No dia t8 do passadn, no lugar Sobradinho,
pertencente a eidade do Itapecuni-mirim, houve o
seguinte acontecimento :
Jose Bento da Silva, de 16 annos de idade,
deseiava-se casar com Libania Maria d'Aquino,
de 15 annos. Amavam-se muito, mas infelizmente
Jose Bento commetteu brutal incesto com uma sua
irma, de que ficou esta gravida; necessariamente
isto desgostou a Libania, que entendeu nao dever
mais casar com o seu amante, e elle desesperado
por tal resolucao delta, matou-a com um tiro e di-
versas facadas, e terminou seus dias com um tiro
de espingarda.
No districto Catian pertencente ao ter-
mo de Guimaraes, estando duas criancas de 8 e 4
annos de idade, a beira do rio, foram accommetti-
das por um boi que vinha perseguido por dous
homens, que, nao teudo tempo de soccorrer as in-
felizes crianca?, foram estas gravementi feridas na
espinha dorsal, e na testa, de cujos ferimentos fi-
caram em parlgo de vida.
No dia 26 do mez lindo, dirigindo-se do lu-
gar Monte Alegre, districto do Icaui, uma canoa
com 15 pessoas que acompanhvam o cadaver de
uma mulher de nome Helena, para darem-lhe sepul
tura em S. Jos6 do Riba Mar, um rijo tufao virou
a canoa, e morreram logo 13 pessoas, salvando-se
duas em nma taboa, sobre a qual vinha o cada-
ver de Helena ; destes porem um ja falleceu em
consequencia da muita agua que bebeu, e a outra
esta em perigo de vida.
Do dia 16 a 30 deste mez sepultarara-se 37
cadaveres.
A cidade de Viauna tern 1352 casas e 9475
habitantes ; destes sao livres 7170, e escravos
2305; sabem ler 1541 e sao analphabetos 7934 I I;
sao brancos, 2869 ; pardos, 4034 ; pretos, 2011;
indigenas 561 ; sao casados 1345 ; solteiros 7785 f
e viuvos 345. Tem 35 aleijados, 12 surdos, 8 ce-
gos, 5 mudos e 3 doudos.
Lemos no Pair :
Reunio-se para proceder a apuragao de votos
para deputados provinciaes pelo 1 districto a ca-
mara municipal.
Esliveram presentes os Srs. vereadores Dr.
Silva Maia, Jorge de Carvalho, Lopes da Silva, Pe-
reira da Rocha, Joao Monteiro, Goncalves Macha-
do e Ribeiro da Silva e sommando os votos que
constam das actas authenticas dos collegios da ca-
pital, Alcantara, S. Bento, Rosario Guimaraes,
Santa Helena, S. Vicente Ferrer e Vianna contando
todas 203 eleitores, fai este o resultado
Dr. Jos6 Francisco de Viveiros
Tenente-coronel Francisco P. do Prado
Capitao Joao Alexandre Ewrton
Coronel Ignacio Antonio de Viveiros
Major Joao da Matta Moraes Rego
Dr. Candido Vieira Chaves
Major Joaquim Pinto Saldanha
Dr. Alfredo da Cunha Martins
Dr Ignacio Vieira da Silva Coqueiro
Capitao Casemiro Dias Vieira
Dr. Emiliano Jose Rodrigues
Joaquim Ramos Villar
Capitao J. J Pinheiro Uomem Junior
Tenente-coronel Marcelino G. Macs ado
Alferes Alexandre C. M. Junior
Acaba de dar-se no termo do Coroata um
horroroso assassinato, que vem mais augmentar o
catalqco dos crimes perpetrados este anno.
Lm escravo, de nome Pedro, do lavrador Diniz
Antonio Mendes, o qual escravo conta mais de 80
annos de idade, passando no caminho da roca pelo
iudividuo Antonio Ferreira, com quein morava e de
quem era compadre, toma a espingarda que este
levava c desfeeha-lhe um tiro, do qual tal vez a
esta bora ja tenha fallecido I A mulher de Fer-
reira, gravida de 7 mezes, corre a soccorrer o
marido, e o assassino crava-lhe duas facadas no
estomago e nos rins, das quaes falleceu noueos mo-
mentos depois t
i 0 assassino foi logo preso, e causa verda-
deira admira^ao o ver-sc a sua flgura e pensar-se
que podesse haver tanta maldade n'um ente de tao
avancada idade I
A alfandega rendeu no mez do novembro
125:814*331.
MAIA.
Lemos na ConttituifSo:
No dia 14 de novembro, pelas 6 haras da tar-
raro :?sassinados na ma priucipal da povoa-
gbJLKrrranciS^e^enezeS? SSSS&I^ %L>*. "' ^^ ^ *"
No districto de Utinga, Maria Rosa do Espirito
Santo descarregou tres facadas em Joanna Maria
da Conceicao, das quaes resultaram leves feri-
249 votos.
245 i
245
245 i
245
244
244 0
243
242 >
242
225'
205 i
49
37 a
23
23
23
Benedicto, escravo da viuva D. Maria Felicia dos
Santos, a tiros e a facadas, ficando graveraente
ferida uma filha de Manoel Ignacio Bezerra que
sahio com uma imagem para implorar aos assassi
nos miserieordia para snas victimas
Os assassinos foram um escravo, outre liberto
do vigario Maia, e o outre do fallecido Miguel Au-
tonio Rodrigues Machado, assassinado por seus
escravos.
< A victima principal parece que era Getulio,
por querer furtar um prima, filha de Andre Be-
zerra de Menezes, a qual para ver-se livre do vi-
gario que com todas as forcas a persu idia para
nao casar-se com Getulio, sanira da casa dos
pais para a casa de Zeferino Calazans Lopes Pi-
nheiro, que solicitara dispensa para casa-los, ao
que se oppunha com todas as forcas o vigario, che-
gando a dizer que Getulio nao havia de casar com
a prima.
Na informacao que den o vigaria para a dis-
pensa, mostrou-se inimigo da victima, que nao ti-
nha outro inimigo.
Tal era o estado das cousas por este casamento
que Raymundo de tal, que veio buscar a dispensa,
encontrando no caminho uma pessoa da amisade
do vigario que Ibe perguntara se vinha ver tal dis-
pensa, negou o, e aqui disse ao major Sabino que
duvidava desse casamento e que nao volt aria pela
mesma estrada
Parece pois facil descobrir o mandinte destes
assassinatos, porque os dous pretos nao o faziam
de seu motuo proprio.
a 0 Sr. Calazans deve talvez achar-se em perigo
com a sua depositada. porque a audacia destes cri-
mes revela impnlso forte.
A' ultima hora dizia-se ja terem sido presos
os dous mandalarios.
Consta-nos que S. Exc. o Sr. Dr. Teixeira de
Sa, logo que teve conhecimento do facto, tomou as
necessarias providencias, madando para o lugar
do delicto o coronel commandante do corpo de po-
licia, nomeado delegado, e com uma force de li-
nha a sua disposicao. >
a Temos noticias do Pereiro de 21 de novem-
bro, que ja dao presos os dous assassinos, que ha
pouco praticarara no lugar Frade, do termo de
Jaguanbe-merim, os barbaros assassinatos, de que
fallamos no numero antecedente.
a Esta importante dibgencia e devida aos e-
forcos do nosso presume amigo capitao Paulo
Goncalves de Souza, juiz municipal supplente do
termo do Pereiro, secundado pelo digno subdele-
gado de S. Miguel.
< Consta-nos que as feras, apenas foram presas,
entregaram a autoridade, entre outros papeis, car-
tas do celebre vigario Maia, recommendando-os a
amigos do Riacho dos Porcos; e sendo interroga
das -declararam ser mandataries do vigario, que or
havia incumbido de faier nao so aquellas mortcs
<>um<> o.ui vuuai, que so nao azerim |ir nSu tu-
na encontrado as victimas, recommendando-Ihes
ao mesmo tempo que nao offendessera a virtuosa
mo;a, i quem ae atiribue a sua damoada paixao.
Parece que nao node mais harer dovida so-
bre agraade criminaltdade do vigario.
< Os aaeassioos, depois de interrogados devida-
mente, foram remettidos para a cadeia do Ico, on-
de acbavani se eom toda seguranra.
E' uma ditigencia importante que muito honra
a policia do districto Dr. Silva Rego.
a 0 nosso amigo Rvd. Joao Aureliano Correia
dos Santos s< lemnisou o dia de sua ordenacao (30
de novembro ) conferindo carta de liberdade a seu
escravo Benedicto, conn uma justa remuneracao
dos bons servicos que lhe prestara durante o tem-
po de seus estudos.
a Resumo dos collegios da capital, Maranguape,
Aquiraz, Cascavel, Aracaty e S. Bernardo, na elei-
cao de deputados provinciaes:
Lonego Bravcza
Dr. F. Justa
Dr. Praxedes
Dr. Piauhylino
L. J. Oliveira
Commendador Machado
Coronel Sombra
Dr. Garcia
Dr. Benicio
Coronel J. Nunes
Capitao M. Barroso
Dr. Co#ho
Dr. Portugal
Dr. A. Augusto
Dr. Nogueira Pinheiro
Capitao Gustavo
Capitao C. Mendes
Abrio-se definitivamente o trafego na sub-sec-
c5o da capital a Arronches, da via ferrea de Ba-
lurite.
a Consolidados os aterros, completas as obra3
relativas ao estabelecimento dos desvios nas duas
estacoes, a directoria resolveu franqucar ao pu-
blico aquella parte da linba, pond) em communi-
cacao rapida com a capital o pittoresco arrabalde
de Arroncbes.
Segundo somos informados, tocam a seu ter-
mo as obras do leito da via ate Pacatuba, aguar-
dando a directoria a chegada dos trilbos encom-
mendados para prolongar a linha ate aquelle
ponto.
a As duas locomotivas funccionam perfeitamen-
te e o servico do trafego vai sendo feito com mui-
ta regularidade.
A directoria espera obter do governo imperial
garantias de juro de 7 /. para um capital de 400
contos, afim de realisar-se a construccao da estra-
da ate Baturite, conforme o contrato lirmado pelo
governo provincial com os emprezarios.
Se o conseguir, como e de esperar, sera era
breve uma realidade o Importante melboramento
que a patriotica directoria tomou a si promover,
nao poupando ate hoje nenhum esforco para o
conseguir.
c 0 movimento nesta estrada de20 do mez pas-
sado a 5 do corrente foi de 1,765 passageiros, pro-
duzindo uma Tenda de 1:204*000. >
BIO GRANDE.
Da capital escreve nosso correspondente :
< No dia 7 reunio-se o collegio eleitoral desta
cidade.
a Compareceram 32 eleitores.
Os candidatos da chapa do partido conserve-
dor foram bem votados.
Em S. Jose de Mipibu apenas reuniram-se 6
eleitores.
Escrevo-ihe apressadamente, e por isso limito-
me as noticias seguintes, exlrahidas do jornal Con-
servator :
No dia 28 de novembro em caminho do Taipu
para o lugar Boa-Vista, do termo do Ceara-mirim,
Amaro, escravo de Jose Leao Soares, foi aggredldo
por Antonio Custodio e um seu filho de nome Ma-
noel Custodio, dando-lhe o 1" uma cacelada sobre
a cabeca e o 2* uma horrivel facada. 0 offendido
acha-se em perigo de vida. 0 respectivo delega-
do procedeu ao competente corpo de delicto e ao
inquerito policial na forma da lei, e tendo expedi-
do immediatamente as convenientes ordens para a
prisao dos criminosos, conseguio realisar a de Ma-
noel Custodio. 0 outro criminoso evadio-se.
a Pelas 7 horas da noite do dia do corrente
foi assassinado na povoacao de Macahyba, e m
uma punhalada sobre o estomago, o infrliz Joao
Charuto, de 18 a 19 annos de idade. Foi autcr de
semelhante attcntado Carlos da Rocha Silva, qua-i
da mesma idade, e que com a victima havia esta-
do, ha pouces instantes, em uma mesa de jogo.
0 crimmoso foi capturado incontinenti e ja ne a-ii i
recolhldo aadela da capital, para w$ n
muntos. 0 facto douse no lugar Perituba daquel-
le districto, na noite de 22 do corrente. A crimi-
nosa foi presa em flagrante delicto. >
Acabam de ser capturados Miguel Dionisio da
Camara e Clemente Jose de Araujo, aquehe sen-
tenciado que se havia evadido em maio ultimo da
cadeia do Ceara-mirim, e este pronunciado em
crime de morte no districto de Santa Cruz da Ca-
choeira. A prisao do foi realisada pelo subde-
legado do districto da Picada do Ceara-mirim, e a.
do 2 pelo subdelegado de Santa Cruz, Jos6 Fran-
cisco da Rocha.
0 Dr. Abilio Cesar Borges, que tem dedicado
sua vida a nobre missao do ensino, e tao vantajo-
samente conhecido no paiz, acaba de offertar a
esta provincia, onde a insiruccao vai tendo nota-
vel desenvolvimento, 800 exemplarcs de suas in-
teressantes obras.
No dia 2 do corrente houve cortejo no pala-
cio da presidencia. Para solemnisar este acto S.
Exc. o Sr. Dr. Baudeira de Mello leu a carta de
liberdade que por si e sua Exm. Sra. eoncedeu a
seu escravraho Pedro, assim como outra que por
igual motivo lhe fora remettida pelo negociante
Daniel da Cunha Sampaio, concedendo liberdade a
seu escravo Raphael. A' noite illurainaram-se as
repartifdes e estabeleciraentos publicos, sobresa-
hindo a casa da companhia de aprendizes mari-
nheiros, que conta actualmente 50 menores. n
< Por acto de 3 do corrente fo nomeado o ba-
charel Arthur Annes Jacome Pires para o cargo
da promotor publico desta capital, visto nao ter
aceitado esse lugar o bacharel Aquilino Gomes
Porto.
Em vista do estado pouco lisongeiro era que
se acham os cofres provinciaes, S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia resolveu, por acto de 3 do
corrente, dispensa r do servico a t alferes e 10-
pracas, inclusive as que faziam parte da musica.
PARAHTBA.
- Nada occorreu digno de mencao.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Autoridades po!ieiaes.-Por portarias
da presidencia da provincia, joe 10 do oomine,
foram nomeados : !!----rweira da Rocha- 3
supplente do delegado do termo de Serinbaem ;
e Manoel da Camara Pimentel 3* supplente do sub-
delegado do 3 districto do termo de Santo An-
tao. __
fiiuuia ae Pimeuteira-s As 8 boras
da manha de 7 do corrente partio S. Exc. o Sr.
commendador Henrique Pereira de Lucena, em
trem especial, da eslacio das Cinco Pontas desta
cidade, acompanhado nor varias pessoas de distine-
(^o, outre, as quaes o* brs. wumu... ai. or.
balbo Ccboa Cavalcaote e Francisco de Barros
Ba reta e de dous engenbeiros, com destino a Pi-
menteiras, onde tinha de ser collocada a pedra do
edificio da escola artistic, industrial, agricola,
para os meninos orphaos e devalidos.
A noticia desso acontecimento correu rapida e
com o ioteresse que dispertam as graodes eni-
prezas de interesse geral.
Durante a pequena demora do trem na estacao
de Gamelleira, varios cidadaos vierara sandar S.
Exc. cora musica e foguetes.
Seguindo d'ahi para a estacao terminal de Una,
ahi chegou o trem as II horas e 15 minu>os.
Numeroso concurso de pessoas das mais distinc-
tas daquelle lugar, entre as quaes se achava o de
legado o Sr. Austreclinio de Sa Barreto, aguarda-
vain a vinda de S. Exc, que foi recebido com de-
monstracdes de grande regezijo.
As ruas, por onde tinha de passar S. lExc, es-
tavam ornadas de arcos triuraphaes embandeira-
dos ate a casa da camara, para onde se dirigio S.
Exc. e os de sua ccraitiva, os quaes forara segui-
dos por uma multidao cada vez mais creseente
de pessoas da villa, uma banda de musica e ao es-
talar das girandolas de foguetes, que davam
a aquella recepcito um certo ar de expansiva alle-
gria e vivo enthusiasmo
Na casa da camara estava preparada uma bem
servida mesa para 40 talheres.
Por occasiao do almoco muitos brindes foram
dirigidos por varios cidadaos mais notaveis daquel-
la localidade ao Exm. Sr. co Dtnendador Pereira
de Lucena, como o iniciador da grandiosa empre-
za e aos dous Srs. senadores Alvaro Barbalbo e
Barros Barreto, que com as suas presences da-
vam o nobre exemplo de patriotico empenho pela
fntura prosper idade de sua provincia natal.
Varios outros brindes foram cerdialmente' tro-
cados entro os cavalheiros, que acompanharam 8*.
Exc. e aquelles estimaveis cidadaos, que lhes
prepararam tao esplendida recepcao.
A musica, que tocava durante a refeigao, ter-
minou com o hvmno nacional pelo brinde de hon-
ra dirigido por S. Exc. a S. M. o Imperador, que
foi enthusiasticamente correspondido.
A's 4 X boras da tarde seguio S. Exc. da villa'
acompanhado por mais de 50 cavalheiros e foi
pernoitar no engenho Pdo d'Oleo, cujo proprieta-
ry muito desvelou-se no acolhiraento que fez a
S. Exc. e a grande comitive.
As J noras aa manha do seguinte dia continuou
S. Exc a sua viagem, sempre acompanhado por
numeroso sequito de cavalheiros, cada vez mais
creseente e as 6 horas da manha entrava em Pi
menteiras, onde aguardavam a sua chegada cerca
de 40 outros cavalheiros.
A aproximacto de S. Exc. foi annunciada nor
gyrandolas de foguetes, musica, repiqaes de sino,
etc, etc.
Grandee mages toso era en tao o espectaculo, qua
se estendia aos olhos do observador ao apreciar
a recepcao extraordinaria, qne lhe prepararam
aquelles povos dirigidos e inspitados pelo bene-
merito Rvm. Fr. Fidelis, missionario capuchinho.
Mais de tres mil pessoas saudaam a boa vinda
de S. Exc, como se fora um enviado da Provi-
dencia, para trazer-lhes a esperanca, a vida e a
prosperidade naquelles formosos e fecundos cli-
mas, abandonados entretanlo pela incuria e in-
gratidao dos homsns I
Por occasiao do almoco, abundantemente ser-
vido, fizeram-senovos brindes ao Exm. Sr. com-
mendador Lucena eaos respeilaveis Rvms. Fr.
Fidelis e Fr Francisco, aquelle eomo executor e
este co no sabio arciiitecto, delineador do vasto
monumento. Muitos outros forara reciprocaraente
dirigidos entre os de primenlavam com expausdes de verdadeiro jn-
bilo.
Aos dons illustres senadores, de que acima fal-
lamos, foram por vezes, dirigdas gratas felicita-
cSes, vivamente applaudidas, e bem assim ao sym
pathico e mmto digno Sr. Dr. chefe de policia,
cujas distinctas qualidades sao bem reconhecidas
e aprecladas.
S. Exc. conversou largamente durante o dia com
o Rvm. Fr. Fidelis e varias pessoas experiences
c conhecedoras daquelles lugares, combinando
igualmeute com os engenheiros os pianos a rear
hsar para a grande obra da esc Ja agrcola indus-
trial a >;'n citio s i!ir.> o ei!al'elecim,'nt) future
da nova ci-ltde, qun tera d" snrgir rapid i e como
por Piicani> najue'li soberba e raag*4-jsa e;tan-
ia di i.'I -.ine),
.

w
MUTHAII J
fllEfifKl
Si^


____t- '
DUrio &; Pernambuco Sexta feira 12 de Dezembro de 1873.
tssa Petropolis tie Pernambuco e que teja do de-
nomraar-se Cuionia de If abet.
S. Exc vai tnt ndar estabeleccr ja Uir.a scrraria
de madeiras, movida a agua c asscnlar duas bom-
Iias hyJrauHcas para deitar agua do* dous rios
Pirangi e Fervedouro, sobre a csplanada do mon-
le, que forma unta qaasi ilha, offerecendo a vista
o ruais soberbo o formoso quadro.
Ordenoo que te tirasse tambem a plauta da no
va cidade, afim de se irem esi ilreleeendo desde lo
go c ha devida ordem as primeiras casas que se
edificarem e inuUas outras p'ovidendas que nao
eabeenumerar ncste rapiJo esbflco.
S. Exc, dotado de um cotajao expansivo a pie-
doso, deu moitas esmolas i cercu de 30O ponres,
orphaos e aleijados.
Depois do jantar, onite repetio-se o mcsmo mo-
vim-mo de congratulates e saudos com referen-
cia ao assumplo da magua empreza, traloa-so da
asspntamento da primeira pedra do e&ficio.
Uma multidao imtfiensa de homens e inulheres
em devida ordeni achavaso em torao dos alicerces
da obra, em uma parte dos quaes, como em se-
mi circulo e no centro, devia scr collocada a pedra,
como euectivamicte foi, servindo'lhe de paranytu-
phos os Exms. Srs. commendader Henrique Perei-
ra de Lucena, SUvaro BarbalhoUchoa'Cavalcante,
Francisco do R-go Barros Barrelo e Antonio Fran-
cisco Correa de Araujo.
Tcrminada a magestosa ceremottia religiosa, o
vencraado Fr. lidelis prowcnciou uma beilissima
orac-ao, pedir.do ao Deus de inisericordia que aben
coasse aquella obra dc eeneliceucia publica e de
eariJadc, ?.ssim como qae a vigorasse o braco do
illustre peraambucano e accendesse cada vez "tuais
a sua f6 e os nobres e purosspniimentos do sen
acrisola verdadetr is, quanto enterneredoras, os immensos
benefkios, que dahi Itaviani fio cmanar para esses
pobres filhos da ignoraneia cda miscria, e concluio
solicitando o eoncurso c e tibolo de todos os lleis
presehtes para o rfBportar.te estaheleciroettto.
F.stc discurso do llvm. Fr. Fidelis iufonfiio vtsi-
velmtnte um grando e salutar inlluxa de piedadc
nus coracoes dm cir!in;tautes cm uuenerode eer-
ea de ties mil p*>ss.as.
V::rios outros tmptiHantes eeloqueflles discursos
foram proferid-is na mesma occasion pelcs Srs.
Drs. Carneiro Suntdh-o, Moraes Phiheiro, euge-
nheiro Tiburao, Josi Vicente Meira de"Vasccncel-
los c subdelegado de Pimeatciras Jcao-Joso'Jlibei-
ro L!ampos. ,
No segumta dia ft do correntc>, dilo ftvui. Fr.
Fidelis, as 4 iiior.i; da manna, v&'iin com i*.m povo
coo*idera>el paTfi as mattas, a ai-Jtan'cia de mais
de legua da sede da colonia, c, pcla 1 Iwra da tar
dc, ouviam se psi'a o ladu &c uma das tiiontanhas
iicumsvisinhas '."roneticos enthusiaslicos bradr>
da multiJao que alii vinha desceodo os ciontes, 4i-
vidiJos c-ui 4jtb;m,- com mu bauda de-musica i:a
fr. ate e trazendo cada m. iielles aos bombios
eaormes pfins, ai.ima de cida um dos quaes llac-
luava uma bacideira sywbuiicx da ;ssa religrlo !
Grande f* o fervor e h aiarido-idr^ mullrjres
que la se foram aoeacoiitro dj whsionari"*, ir-
rompendo era calorosss Aiivas.
Quo sorpnbenilente e uovo esuec^auuld .'
O Itvm.ifr. Fidelis 1em opoder -tie- rfevyKer as
arvoreS, cs ri s, os wiontos"!
Que griHiie pftfcoa fle eartdade,'dejor, de
pax e .lo *prnsperid*dc
Ueaeinfintos padrescapirchfllh dai.'.in* 4o propresso -edaregetferaca dos po-
V:l< !
A' tspSedesse memoMVil'dia,' psfrfio 6. Exe. da
coluaia, aconmaufhado por nuts de lOG i-avalhei-
<> up meio ilns viVas de uma aiulrti'.ao linmensa e
f.ii purEoitar no <^>gu^llo'Cktedde, cujfl dono reeo-
IliHii it idos com a mais attenoi&a hjsf.italidade.
I'ela manha de -Ifi, as 7 lioras, vstava de villa S.
Kxfe, ua villa de ?'alm;iri:>, otdu o ?-perav,iin OS
hi siu-s oaw.llieiros, q(i-; o luvi.iiii rocebido em
-ua viada.
huMiiit; o aliw.'it'i, (|oe foi copiosa, rcnovaram-
se inuitus briaiw a "S.'i'Jxc., Mftie psr sua vet os
retribuio. OdwRct Di-'st.uito e mtrtt cuiisP'U'rido'r!) lugsir, foi um-
bem i- irsaa nxE'eiimprimaMada com enUiusiasmo:
0 ~r. Dr. Cornoliu. .yinatnido e imp irtanic adroga-
do daquelle fo.-M, n ,-..^peinntor publico e varios
i;itrs eidadaM.
t'n aiwautewegogtoMfl da villa, fez a S Exc.
cina imporiairte atWo n-*ainS do toinmei\!io
quo f >i entbusitstJcanieiite i*orres()oiidi(ia.
?J S-. O'Cnnaol tiwry prq>oz oma saiile ao
dislinute |> riiaiKbuciro quo oonoebeu e \ua tm
sxecu'/ai uma id6a foa4ameBtal, goe ha de re"e-
ne nc a a^r:cuUuralapr eseola airrioola thjoricae pratica formaria um
vivoim, onde ds a,?riccttores encoutrariam hateis
adnruni a Mir le'iibntRfa de collocar a lesui dossa I in
daca-i "" '.....'--'- i*ra.provar praticsutRnte
que o [iniyresso I lilbe legitimo do chnstianismn
-. nj.. pi'ide pnrtanto -repallir a sua altian(a. Foi
hasUuie appkudnta esia naiide como ouiras que
foram teitsa aos dous honratlM e patriotienssena-
dires UchCa Cavalcaflte e ftmrfla Uarr.'to.
S. Exc. leKaiitoj 'Uiii-f;rinaeao Exm. Sr. vis-
coode de Cuipara^iij, moite respeitavel cliefe
do partido cbnservadorida provincia, o qua! foi
aloriisamnirts correspoiKiido.
Ao un.'iu dir. dirigHsse*S. Exc. e toda comi-
liva fan a -esla^ao, onde eiubarcou depois de
haver ri'ciilido :to.|(i:; us cumprimenlos devidos a
sua poatciofe ii e>ttnia ,~pe-:soal, ile quo e mere-
oednr.
Uest'arte tennuiou a :importante (esla. que
laotu Mefetise disperiou em os nossos aaricul-
tores daqmiloi'ail.i da.provi'icia.
Honras sejam dadai .ao nobre ad.r.inistrador,
que li'in ha coiup'diendtdo -que illustrar in-
tellijtencia dos pobres orphais de>validos < o
gramie, lieroiai; e nniversnl remedio contra o vi-
cio e a vergonh.i da miser;* social, resnitado da
ignoraacia e da. orioudade.
S. Exc. deixoEem I'imenteiras planiada a se-
rnente que em kixvelu de produzir abundantc-;
e vigorous fruut)-.
E' cei'tamente am boineu! de bem aquelle |M
Dili iKiiipaesfos^cs paia sc'.var do opproprio da
miseria e ila degBadayao-: iii.lelizes. i; c.nnu t;ie desd^ <; buii'o conde;u!ia is
ao captr.'.jni do-Rial.
A Caloniti halu!, fundalaiio dia 8 do cor-
rente naec, ha de ser uo '.Urasil o chafe d'obra la
verdadeira agricultura.
Quaudo (t'aqui ha dous anno*) ohegar a via
ferrea a Pimenleinse, e que-se hade reconhecer
o iiniaeneo benefioia que -S. Exc. legou a pro-
vincia.
Com -o-trabalho.roiiasce a aiegria e as gera.;%es
futuras vecao, eheias de gnaiidao e de. jubilo,
transformados em manaoxiaes- aquelle* vastissim s .e uberrtaio* OMnpAs, hoja
totalmeste iafructiferes.
E' na<;abeea dos boaiens expaasivos e lunradoe
que sempre garmtoam-e tvinam aorpo as graude*
deas.
S. Exa o Sr. commfindador j.ucena adiantou,
oom a iaElituigib dessa obra gigactesca, um large
passo ua canreica ile-ua vida piibJica de homeni,
que se tern deyotado com incrivel einpeuho a
causa sagrada da patrm
S. Exc. sera indicado como o verdadeiro tutor
ou antes o mesrao pai prvidente e -caridoso para
todos o< infelizes orphans e desasnparado3, aos
-luaes distr&uira ;om o pSo do eor^o n pao do espirito. Agora
distribue clle com sua m*j, e mats tarde seri
sssa mesma dkiribuicSo
o fructo beafeitor da
sua obra.
Aos transport* le alegnia e aanto entha-jw a n siasmoqiii! hoie laftuide nos jwens corac-Jes, cor- uetente dpstino
a couia toria id-j alei i muito a proposito nio
tivesso alii apparecMo um official de linha, que
ordenou Ihes se rctirasse para o quarlel, pois era
unpossivel apanhar o' fugitivo calceta no'dedalo de
quintaos quo cummunicam a rua do Capibaribe
com a da Imperalriz.
A autorididc policial da Boa-Visla lomou co-
nhecimento do facto.
Telegraplio suhmarlno costefro.
Tendo tcrminado a collocacao do cabo entre
e-ta provincia e a da Bahia, segundo commuut-
cacao recebida hontcm a tarde, i de presumir que
hoje seja inaugurado o service telegraphico entre
aquelles dous pontos.
Eis o telegramma reccbido hontem :
Do Sr. J. R. Franco, eugenheiro em cliefe a S.
Exc. o Sr. commendador presidente da provincia.
Congratulo-me com o Exm. Sr. presidente da
provincia de Peraambaeo pela Teliz collocacao do
cabo telegraphico submanno entre Pernambuco
e a Bahia.
Instituto Arclieotoijrieo e Geogra-
phical.Reunio-se hotfti'tn sob a presideneia do
Exm. conselheiro monsenhor Munii Tavares, e
com assisteucia dos Drs. Jose Avelioo, Baptista Re-
gucira, Affonso de Albuquerque, Jacintho de Sam-
paio, Paula Sales, desembargador Monteiro de An-
drade, e dos Srs. ceronel Leal, Torres Bandeira,
major Codeceira e cirurgiao Rerreira de Almeida.
E' lida e approvada a acta da antecedeate.
N'iio se achantSo presente o Sr. 8 secretario,
Sr. Dr. Paula Sales, na qualidado de supplente, o
-uh-iituo e da conta do sogaiule expedie-ntc :
'Um offlcio Co Sr. secretirio perpctaa, commani
cand j que [Kir incommode uao pode comparecer a
sessSn do hoje. Inteirado.
Oulro de Sr. i- secretario major Salvador Hen-
rique, scientificando que nao contparecia por estar
de viagem pa'a a c6rt falta e d&'erecendo aid os seas services. In-
teirado.
Outre do Exm Sr. Dr. Joao 'Capislrans Bandei-
ra do Mello, offerecendo dous relatorios d i presi-
dencia do Rio (Iraadu do Nafte. loteicado, senik
recekida a olTerta com agrafio.
OSr. Dr. Baptista HegueJra, depois de noticnr
ao l-.istituto o iufausto passamento de seu veneran
do-socio honorario o Sr. cemmendader Antonio Joa-
qtrim de Mello, propfie qae se levante a sessio, em
lestemunho do seu smcero pe*ar.
Em segutda o Sr. presidente a^creseenta algu-
rr.as palavras de condofnncia, lembrando ae Insti-
tuto quao seasivel foi n sua penii de tai distinclo
socio.
Submettiia a votaoEo a propesta, ii clla unani
memente approvada,-em virtude do que leranla-se
a scssae.
Vapor Geqaria. -Sahio do perto da For-
taleza para ti da (iranja e escala, no dia 8 do
corrente, "este vapor da companhia pcrnambucana.
.Vtvos -altos lelegrapfileos suit
inarian s -As folhas de New-Yorfi; dao a se-
gniate aoticia :
NoUcias de S. Thomas, de 17 do corrente,
i*u?uLrei annnnciam iquco govemo dinamnrqocz
lirera imia conoessao para a inmiersao de ethos
telegraphico* ae S. Thomaza Santa-Cruz, ao Para,
as BerwiucHse-a Xewi*ork.
AatigCTiaade dos jui.-rs dc direKo.
Sao estes os joizes de diriiito mais antijos.
seado que o prime r^ tern mais d? 4 antigtiidadc- :
1 AirtoBiti llenriques de Miranda.
i Fr.rncisco Lourenca de Freitas.
3 loao Salome .Queirog,a.
\ Francisco BOdrifnes Sette.
."> Ignacio Carlos Freire de Carvalho.
fi Felippe I'.aulino de Souza Uchoa.
7 loao -da (>)Ma liiiiKi e Castro.
8 Fettppe Alves de Oarvalho.
9 Antoai')'Gomes Willaca.
10 Aiitoiiiu Ruarque de Lima.
11 HaiiicI f.ni/. rloza,
(2 V'irrini.i !;oiiri'Hies da Cnsta.
13 Domiugos 'Hdieiro Folha
li AirtoiiK) AugostO'da-Silva.
I-') Antonio Agneio Itibeiro.
S;ta Lauzki.Amanha, as l horss dx ma-
drugada, ceJebi-ar-se-ha, na igreja de S. Pedro,
inn;, inissa canURla a Santa Luzia.
Rurante auohedesse dia, e seguintes, sera ex-
posta a image in da Santa martyr a veeracao dos
fieis.
Festrvidade da Cnneelca*.Havera
no (loiningo li, a festividade de Nossa Smihoia da
Conceicao, :aa igreja matriz de Nensa Senhora da
Paz dos Afogados, com pjmpa e decencia.
I'poriw ao BnvanyeiM), o uvu. -i.tu.....j, j.^r.
Umbelina Medeiros.
Havera missa rosadana madrugada do doinmgo.
I ism IdnOe rell^losa. No praximo
duniiiigo, 11 do corrente, tura lugar no ccmveqlo
do S. fraBcisco-de Olinda, com a solemnjdade do
costume, a festa de S. Benedkto. Pregara ao
evangelho, o Revd. padre Bandeira, e a unite o
padre mestre Fr. Joao de Santa Thereza.
Monte Pio Santa Crux.-Em sessao to
lemne, Kitie teve lugar ante-hontem, deu esta so-
ciedade possea sua nova adminislracao.
Pronunoiaram-se na uccasiao alguns discursos,
pn man do entre estes o que fez ouvir ao auditorio
pp-.-.Ti:,' a Sra.D. Olivia Rarroso.
Aiindttlteiii.Em data de hontem foi reen-
tregado no exercicio de suas oruens sacraa o
Revl. padre Sesostre Abdon Freire do Carvalhn.
Kova puldicacao. Esta a entrar no pre-
lo a traduccao da interessantissima obra inlitulada
Historiu -tecreta dos amores e principaes amin-
4cs de Catherina II, imperalriz da.Mussia.
Desde ja recebem-se assignaturas nas livraiias
Franeeza a rua Primeiro de Marco, e Industrial,
ma do Bariio da Victoria n. 12.
.Esamejs.-Em G do corrente houve exames
as seguintes aulas primarias :
'Na do poveado de Pedra Tapida, regida pelo
professor 'Jo^' Firmino Ribeiro, prestaram no os
alumnos Pedro de Amorim Lima e Joao de Amo
rim Lima, conseguindo o primeiro approvacao
com distinc;ao o o segundo approvacao plena.
Na sognnda cadeira da povoacao de 'Preguiga,
TCgida pelo professor Balthazar AueuT de Ohuda
Costa, prestaram-no os alumnos Pedro Antunes
Carrea. que foi approvado com distinccjaoe Joaquim
Soarcs darques, que o foj plenamente.
Na da Passagem da Magdalena, regida pelo pro-
fessor Augusto Jose Mauricio Wanderley, foram
rtn 10 do corrente examinados e apprnvados os
aJumaos, Alfredo Maia da Silva, com iistinccao ;
Udm Thomaz Guimaraes e' Jose Elesbio Borgos
Uohda Junior, plenaraenle.
Hachinas He WHon.-A loja de Soa
res Leite Irmaes, a rua do' Bario da Victoria
a. i48, acaba de re :eber pore ao destas machinas
refutaias as melhores no genero.
I.ojas iii:vni. as Na noile de 10 do
corrente, as diversa* loja* Jnaconic is, estabeleci-
4as ni'sta provincia, que se aehara filladas ao
Qrieatc.Unido aoV.Ule do.% Benedicliaot, proeede-
ram a eleicao do grao-meslre respeotivo,e o Exm.
Sr. conselheiro JoaqaTm de Saldanha Marioho,
ebteve os seguintes valos :
Na lo>a Sei< de Marco 20
Uaiao e Benefi^encia 26
Cdoeiliacao i3
Phh'otimia 48
* ReganeracTio 33
.Re?Uuracao:Pea;aambucana 16
sEspaneaiuento. -iNa villa de Buique, Ro-
eeado Rodrigues da Foueaca, espancou barbara-
meate a Haria Eufrasia da Conceigao, no dia 23
do mez ultimo. *"o4 preso eai llagrante, e 0 inqueri-
Maio, os dias 7, 11 e 17.
Junlio, os d'ds 1, 10, 16, 17 e JO.
JuHio.osdias. I, 2, 10, 16, 17 e 20.
Agosto, os dias i, SeUinbro, os dias lo, i7 e 18.
Oatttbro, os dias 1,0 e 8.
Novembro, 0* dias 6. 7 c 11.
Dezembro, os diar 1 e 6.
Tom mais 0 anno tres dia?, que Sao rauilo in-
folizes, os quacs sao :
A primeira segunda-feira de abril, porque nella
foi 0 dia cm que Cairn matm 0 seu irmio Abel.
A priaieira segunda-feira de agosto, porque foi
0 ilia em que se qucimaram as cidades de So-
doma e Gomorra.
A primeira seguaia-teira dc novembro, parque
foi 0 dia era que so enforcou ludas Iraidor.
Tem tarabem 0 aaao tres dias mortaes, que
quem adoecei' em algum morre, que sio 26 de
Janeiro, 1 de agosto 1 de dezembro.
Uuiversidadc catholica. Os bispos
calholicos de Inglaterraacabant de.conflar a mon-
senhor Capel a misslo de lundar a dirigir uma
uaiv^rsidaae catholica ingleza, cujo projecto foi
disculido e approvado reG&nlomente n'um syaodo
a que presidio monsenhor Manning, no collegio
de Santj Edmundevpraxlmo do Ware.
1: vptsk-a guinte u'ama folha aHema:
lim uma exposigao curiosa. Tudo 0 que se es-
crevau ou deseuheu durante a guerra, isto e,
obras technicas, poesias, canrios, artigos de jor-
naes, -etc, alii esta exposto, pelo menes quanto
n'este genero se pode encontrar. Alii esta pois
colleccionado quanto se Imprimio a esse respcito
em todo 0 globo. Todos os ramos da litteratura
nniilar estao representados com a sua divisao
particular, seguindo se as producooes mais im-
portantes ate aos peqienos artigos inspirados
pelo* pombos viajantes, escriptos acerca das 'am-
bulancias, Toraances, novellas, 0, poesias lyricas i
militares. Contam-se ao todo 28 diri.-oe* aas
obras iatpresis, e seis nas- gravnras, entre as
quaes uma 6 consagrada as caricatnras.i
Pagainento dc ninlte.Segundo refere
um telsgramma de Posen, e goverao seqaestrou
a carraagem de gala e os cavallos perteacentes
a monsenhor Ledochowski, e veadeu os era Itilio
publico, para com 0 sen producto se pagar da
multa a que 0 referido areebispo foi nltimamente
cea^Jemnado, e que era na importancia de 200
lhalers. A venda prodazio 42. thales.
41 dinheiru dc S. Pedro. Encoulramos
na Independencia belyi a seguinle noticia :
0 Times ptsblicoa Ua pouco nlgans esclare
eimentos acerea do prodncto do chamado Dinheire
de S. Pedro Ale hoje esses documentos nao tr-
r.hiiii apparecido ao publico. A Unita catholica
que cs publica, e qae os obteTe deboa fonte, dir
que as olferlas dos fieis teem altittgido a uma
tal suinma, que 0 Papa diz achar-se rico pelo
roubo feilo ao patriaionio de S..Pedro.
Em 1861, diz a Unita, a'collecla p.levou-se
a somma de li,184;*00 francos. Em 1862 pro-
duzio !)/iO2:0JO francos; em 1863, 7,47:uO0
francos ; em 1864 desceu a 5,8j2:0")0 francos ;
em I860 tornou a olevar-se, attingindo a somma
de 6,445:000 francos ; em 1866 desceu a......
5,839:000 franco*, mas em 1867 lornou a ele-
var-st, seodo ncste anno 0 producb da collecla
11,312:000 frances. Em 1868 deo quasi 0 totted
resultado, recebendo Pio IX cerca de 11 milhfie*
de francos. A t italidadc dos anno* que acaba-
mo* de diar, subio, pois, a quanlia do 71,101:000
franco*.
A acreditar se 0 mesnio perijdico, os annos
\ atacar'n
|li:arao
respiindorse otdras tsatas bicios sobw a ^ua
memoria.
Avante, que a obra iniquademal nao para 0
=eu irabalho-sempre ieneroso e fetal.
A Coionia hibelera a Mettray Pernambu-;aaa.
\-.ivio enconiratio. No dia 9 do cor-
rente na laj. S. 7 W long. 9. de Greenwici 31
30" a bnrcaportugueza Arabella em rlagem para
0 nosso porto fallou com a barca norts allema
Dmothei, jjue ia em viagem de Sev,- Castle para
Columbia com J9 dias. A bordo tudo carri3 se;n
novidade.
Jluaieio de Gamclleira Amanh;:. !'!
do corrente, deve ser installado o novo muaicipio
de Gam Heira.sendoileferidojuramentiao? verea-
dores eleitas para a respecliva camara muni-
cipal.
Fu^a de ealeteta. -Hontem, pouco depois
de 4 hora-i da tarde, fugi do poder de duas pra
cas do 9 batajhao do iafantaria de Hnha um cal-
ceta, qu-.- ellas con luz am para 0 respectivo quar
lei; e, ganhando 0 mcto do quintal de uma :asa
1 PUj ^'y t-alJ'fcar'i)>;- de-apparecen, deixacdo
alarmadosos tran-euile*. Dm destes, tenUnJo
aprehende lo, para 0 que saltou 0. referido mcro.
01 pr.r elle repelHdo sob a anjea^a de uma faca.
1'in dos soldados vendo 0 referido e obse-
quioso individuo, cujo nome igooramos, retroce-
der, quiz obriga lo a persegair 0 fugitivo, e,
i-ervinit-.-e do sabro- aaypneU, /erio-o JeTemente
110 pc
E:te facto ainda mais alarmou as pessoas pre-
temasas diligenxlas d)3 saldados, e sem duvida
petnte dpstino.
Captura. Em 18 de aovembro ultimo, foi
capiurado II mu.) Pereira Fijgueira Sarapaio. pela
delegacia de Salgueiro, como crimiuoso de morte
no termo de Floresta.'
Iu pecfjro distncto criusinal, rerqatteu a subdelegacia
de S Jose o que effecluOu' contra' Manoel Barros
Braga, que Xeno gravemeule a Joaquim da Silva
Nelto.-
At leu t ado Em ierras do eageoho Pindo-
bal, termo de Pao d'Alho, Paulo de.tal, conhecido
por Paulo Grande, as'sasvnou a faeadas sua pro-
pria mulher, evadindo se^n seguida.
A autoridade superior onieuou se preeedesso ao
competeate inquerito sobre 0 facto -crinjiaoso.
Meatoria dos dias uiaos quue lew o
atnao. Um curioso.de antiguafhas remetteu
prra a imprensa a segoiute noza :
N'Bstes dias nao 6 boia fazer aogocios, ou con-
iratos de cireumstancias. Nao se pode urlncipiar
casas 00 outras quaosquer obra*.
N5o se pode principiai deioanda's; nem fallar
em easantos; e casando-se em algum 'deate*
dias a muf^er e desieal'iKinarido.
Nio e bom ftzer' viagens por mar nem por
terra, flnalmenle 0 que.se pode escusar do fazer,
sera bom, porque do conlrario sempre havera
maoresuliaao. ,'.
Sao dias maos os segajates :
Janeiro, os dias 1, 2, 3, 4,^8 e 26.
F. vereiro, os dias 4, 15, 17 e 1.
Marce, os dias e 17.
seguintes toruaram-se ainda mus productivos,
pois Mlcula-se 0 rendimento do dinheire rerebido
ato hi|e, em 40 milhSes de francos ; parece,
pois, nao restar duvida que em quaiorze annos
0 patrimonio de S. Pedro, comprehendendo as
indulgencias, nao atttngiria uma somma tao ele-
vada como aquella.>
O (lull- dos mormons. 0- joruaes de
Nova-York annnnoiam que en; Brigham-Young,
0 chefe dos mormons, csla gravemente efil'erino
a que ja se desespereu da cuia. Reina a deso-
lacao no campo dos mormons, porque era 11 a
exisleucia do sen grande chefe que reponsava
toda a prosperidade do seu commercio. Young
tem 72 annos de idade
A arte Orawatlea aa China.Lord
Macartey, que obleve na quaiidade.da enviado
extraordinario da rainha de Inglaterra a insigne
honra do assistir a uma repressntacao de gala no
theatre imperial dc Pekin, da interessantes por-
mi'uores acerea d arto draamtica no celeste
imporio a represenlacao, a /joal assistio lord
Macaney, durou oada menos de doze dias e doze
uoites aeoi uuewupcao. Duranie esseaempo, l
luralmen- .'s espectadores sahiam e entrav? '.
comiaui e dormiam, mas ao que parece nu..,-)
cnthusiastas que se reiiravam do theairo apefljis
por espacu de 111:1 quarto de bora.
Na 12J noile, que era 0 nee plus ultra da arte
chineea, feofum-se 0 espectaculo com a repre-
sentapao de uma gran le panlomima, que linha
por titulo 0 r 1-um!'at 11 do oceano e da terra Os
dous noivos offereceraui se reciprocaraenle todos
os thesouros de que dispunham. Foi a terra que
coraecou esta exhibicao e que apresentou succes-
sivamente em scena ti|jres, abestruzes, elepliantes,
em uma palavra, todo* os animaes que Noe devia
ter encerrado outrora na sua area. 0 oceano.
nao quereodo ficar atraz, oflereceu por sua vez
uma culleccao de baleias, delQns, tarlarugas,
etc., etc. ; appareoendo depois em scena navios,
rochedos e montanhas de coral. Todas estas ma-
raviiiia- 11.i1 cram senao 0 preludio do umasur-
preza final : uuia baloia enorme avanccu pelo
palco adiante e arremessou um immenso jaoto
d'agua.
0 espectaculo eleclrisou os espectadores, qua
derani um grito formidavel : f/a* .' hmng hahol
excellerte! perfeito I Dous ou tres mandarins
que nao poderam comprehender a fleugma de
lord Macarley e a sua :uipassibilidade britannica
em /ace de um tao maravilhoso espectaculo, In-
terpellaram 0 directamente, gritando-lhe aos ou-
vidos : Has I liming haho !
Bonras fiimhrcs a uim I.oiiiIm-ii-o.
data a Patrie 0 mo.lo como so procedeu ao
enterraraento do cabo de esquadra do corpo de
borabeires de Paris, por nome Belle!, o qual inor-
ren noataque ao inceudio da velkn Opera.
Na capella do hospital militar, celebrotJ-se missa
pelo padre capeUao da estabolacimeulo.; durante a
qual os Srs Faure e Bosqiia acompanhados dos
cores que perlenciam a companhia da Opera, en-
toaram cauticos religiosos.
0 feretro foi deposlo n'um carro funerario, 0
qual era.laueado por uma ejcolta de bombeiros,
comuiandaiia.por um tenente.
0 prHstilq segiiio para 0 eeriiiierio do.Monl-
parnasse, sendo acompanhado por grande mulli-
dap.
A' frente do sortejo ia 0 general da Geslin, com
mandanie da praca de Paris,. 0 coronet de sapado-
res bombeiros, 0 prefeito de policia, 0 maire do 9
distriela, Charles Blanc fc Halanzier, todos os artis-
tisfas da Opera e grande nmnero de camaradas do
iinado.
Proaunciaram-se quatro discursos a beira do
tumulo do .bravo bombeirp. Os oradores foram
Mr. Halanzier, 0 general de Geslin, 0 coronel dos
bombeiros e 0 prefeito de pohcia. Essas allocu-
c5es manifestavain um profundo seut-mento pela
raorte do bravo capoml, e 0 reconheeimento dos
services orestidos pelo defunto e pela valorosa
corporaQao a que elle pertenceu impressionaram
vivamante 0 auditorio, que se relirou corainovido
e silencioso.
Es tanuis bem ser vidos Le-se 0 se
guinte na Prance :
a Comq os leilores estariio lembrados, uinas
tronomo genebrez, 0 Sr. Plantaraour, annuncioa
um bello dia i|ne 0 Dm do mundo estava proximo,
em coosequencia do choqua qua. se devia dar en-
tre a terra e 0 planeta Jupiter. Passado 0 dia li-
xado na sua prediecao, a terra conunuou a girar,
pelo que se v6 que a astronomo erroo nos sens
caleulos e que a cullisaa m devera ter lugar pa;>
sados mais. alguns seeulos. Hoje, parera, chegam-
nos do euiro Jado do oceano novas prediceoes,
e por isso yarns* cahirde L&arybeJe* em SuylU.
Na sessao da As na, que ajaba de se i Ifer.tuar em Portlaad, Vpro-
fessor Yung quiz demonstrar qua 0 sol nao eeu
tra cousa senao uma grande masca de oleogazoto,
cuja crusta coalha giaduahneote, diminuindo por
esse mode tern eesir a< suas diejenseesc Neste
easo, pois, havendo de um lado a- eoagulacaoda
crusta solar, e do outro a p-rda 4s gazes foate
dji calor e da luz 0 sol uao *e toruara senao
n'uma cru-ta inutil, sem inlluonoia algnma sobre
a economia do universo
0 resultado para 0 aosso planeia da deianpari-
y-to ou co.gula.;.ao do sol, accres.;en:a 0 prttfnlaor
rao 0 hnracra, e, iestrninlo a raja., so elle*
occupando 0 globo terreslro. .\ urra t ir-
nar-sehia por este modo iima 'rnmensa Suten U-
IkiI, haw os mosquito.', a falta de outra presa =e
(levorariam uns aos OUtros.
Kstimos, p):s, collocidos entre dnas parspec-
livas, qual deilas a mais seria : morrer como uma
candeia ou ser devorado pelo* msectos I Di tale
averlite nobit.
O encalypto e a ffebre. A academia
das sciencias de 1'i.k recaben uma muito impor-
tant* coraraunicaQao de Mr. Gimbert, 0 qual du-
rante muito tempo se lam occupado em colligir
noticias acerea do eucalyptus flobnlus, da Aus-
tralia, cujo erescimento 0 admu-avel pala sna ra-
pidez e pelas dimens5es que attinge.
Parece que esta arvoro possuo a extraordiaa-
ria propriedade de destruir a influancia miasma-
lica nas terras sujeitas a febres. Ella tem a pro-
priedade singular de absorver de solo dez vez 0
seu peso d'agua, e de emittir elHuvios anti-sepli-
C08.
Qoando sao plantadas estas arvores em terrenas
pantanosos, estes secc'am em mui cttrlo espaco de
tempo.
Os inglezes foram os priraeiros que no Cabo da
Boa-Esperanca fizeram cxperiencia, e dentro de
dous ou tres annos as condicSes climatericas dos
terrenes insalubres ondo se plantaram estas arvo-
res achavam-se mudadas.
Alguns annos depois, foi effectua Ja a planta^ao
em grande escala em diversas paries, na Algeria.
Em Pandouk a uns 30 kiloraetros da cidade de
Argel, haria uma fazenda situada na margem do
rio Hamvre, quo era notavel pelo ar extremamen-
Te pcslTTero que alii havia.
Na primavera de 1867, perto da 3;O0J eucalyp-
tos foram n-ll 1 plantad >*, e em julho do mesrao
anno, que era 0 tempo em que as febres tostuma-
vam apparecer, nao occorreu urn unico caso desta
doenca, c entretanto as arvores nao tioham ainda
tres metros de altura. e depots nao houve alii caso
algum de (ebre.
Na visinhanca da cid ide de Constautina, a fa-
zenda chamada Ben-Maphydin linha igualmente
ma reputacAo.e havia nella um grande numero de
pantanos quo se conservavam tanlo no inyerno
como no verao. No decurso de cinco annos toda
esta fazenda foi esgotada pela plantacao de 14:000
ensalyptos; e os habitantes que alii ha hoje,
adultos a menores, gozam de excellente saiide.
Na feitoria le Gue da Constautina, em tres an-
nos, uma plantacao destas arvores trausfonnou 4 a
5 hectares de terrenos pantanosos em um magnifi-
co parque, d'onde a febra d isappareceu completa-
mente.
Na ilha de Cuba, as fe'iras e todas as outras
doencas paludosas vao desapparecenilo rapida-
mente em todos os distriotos ih-alubres onle se
tem feito plantacoes destas arvores.
Em Franca, no departameuto do Var, na casa
de uma estacao do caminho de fcrro collocada em]
um dos extremes de um viaducto, 0 ar era tao pas-
tifero qae os empregados mo podiam ahi deimuar
se mais de um anno. Foram plantados 40 eu-
calyptos perto desta estacao ; e agora e ella tao
saudavel como as ouiras da mesma linha.
l\oteria. A que se acha a venda e a 79'
a beneficiii da matriz de Cabrobd, a qual corre
no dia 16
Leiiao Hoje, as 11 haras do dia, elfectua 0
agente Martins, 0 leiliUi de moveis, a rua do Viscon-
de d'Albuquerque n. 17, auliga rua da Matriz da
Boa-Vista..
Casa de detencao.Movimento do dia
10 de dezembro de 1873 :
Existiam preso?, 306, entraram 8, sahio 1, exis-
tem 313.
A saber :
Naeionaes 236, mulheres 9, estrangeiros 24
etcravos 38, escravas 6.ToUl 313.
\limentados a custa d03 cofres publicos 237.
Passagelros.Chegadosdos portos do-nor-
te no vapor brasileiro Parti '. |.'
Manoel Bernardo dos Santos, Shuchburfh, com-
menlador Jo-e Joaquim T. V Belforl sua senhora
I neto c 6 escravos, Jose Luiz Belfort, Quadros, D.
Idalina (Candida Coelab U ry, J. J, Victor, M. Lo-
pes, Dr. Raymundo Theodora de Castro e Silva,
Dr. Daniel A. de Qaeiros Lima e sua senhora, co-
ronel Joao R. Aives Lima, Manoel V. Cesar, Gus-
tavo Olyinpio Ferreira Alves e 1 escravo,-coronal
Joaquim Victor Pererra e sens sobrinhos, Manoel
J. de Andiade, Joaquim R. Pimeniel, Frederico F.
Goncalves, Antonio F. Pestana, Constantino Ra-
bflll.i, Frauciseo D. da Suva, Amaro Jose Ferreira,
Alfrodo Abrantes, T. Bejam, Joaquim Lopes, Joao
Francisco da Silva, Balthazar Marcos de Oliveira.
Manoel Jose Pires, Zeferino Moreira, e 5 escravos
a entregar
Segoem parr os porios d* sul no nfOsmo
vanor '
Oulcial de fazenda Augusto da Silva Lou?ada.G.
bobato, Maria J. Goelho, Miguel M. P. Bragat, F.
A. Cordeiro, D. Maria J. R. Lopes, D. Angela. A.
de Mattos, C. J. J. Hasht, Innocencio do Saerainonlo
sua senhora e 3 lilhos, Luiza Maria da Conceicao
e nina fllha, Franeiseo Jose V. Perdigao, 2." te-
in'iite Joaquim S. .\i. de Jesus, capilao Can lino
A., de A. Caldas e sua senhora, cadeta Jose Anto-
nio do Obveira, idem Leopoldino Raugel, P. M. P.
A. Ribeiro, Manoel F. Santiago, Fenelon X. Pereira
da Brito, 2.* cadeta Arnobis Barata Goes, 21 pra-
xis do exercilo, 1 dita da armada e 64 escravos a
entregar.
Cemiierio publico.Obituario do dia 9
do.corrente :"
Antonio Joaquip- de Mello, branco, ignora-se a
naturalidade, 76 anpos, viuvo, Santo ADtonio;
congestio cerebral.
Emilia Leonarda da Silva Paz, parda, Pernam-
buco, 9 annos, Graca : febra cerebrd.
Bert hoi ina, escrava, parda, Paraiiyba, 30 annos,
solteira, Graga ; variolas.
Maria, branca, Pernambuco, 7 annos, S. Jose ;
bexigas.
Maria, branca, Pernambuco, 4 mezes, S. Jose ;
bexigas.
Rodopiano Rodrigues dos Santos, braneo, Per-
nambuco, 33 annos, solteiro, S Pedro Martyr ;
tuberculos puhnonares.
Josepha Ftanciscii da Malta, branca, ignnra-sc
a naturalidade, 26 annos, sol(eira, Santo Antonio ;
gastro entente.
Marcelina, pr ta, Africa, 70 annos, solteira, Boa-
VisU ; velhiee.
Maria Umbelina do Espirito Santo, parda, igno-
ra-se a naturalidade. 20 annos, solteira, Santo An-
tonio ; variolas.
Jose Francisco de Souza, pardo, Pernambuco,
30 annos, solteira, Boa-Visut casexia.
Miguel dos Anjos Mendonca, branco^ Pernambu-
co, 86 annos, viuvo, Boa-Vista ; gangrena da l>e-
xiga.
Virginia Rosa da Silva Guimaraes, branca, Per-
nambuco, 1(1 aim ).-. solteira, Boa-Vista ; bexigas
- 10 -
Luiza Maria da Conceicao, parda, Pernambuco,
38 annos, casada, Boa Vista ; ulceras no utero.
Pautilla, branca, Pernambuco, 60 dias, Boa
Vista; colica.
Jose Francisco Cosme, pardo, Parnauibuco, 26
aunos. solteiro, Boa Vista, r.ospital Pedro H ; tu-
berculos pulmonares.
Gabriel, escravo, preto, ignora-se a nacionali-
dade, 38 annos solteiro, Santo Antonio ; variolas.
Maria, parda, Pernambuco, 7 mezes, Santo An-
tonio ; hepatite.
Virginia, branca, Pernambuco, 14 mezes, Santo
Antonio ; dispepsia
Haria, parda, Pernambuco, 6 mezes,
convulsoes.
Maria, parda, Pernambuco, 4 mezes,
variolas.
lumentos desta camara qua devem er pagos so-1 Era
inente ao proenrador .i bocca do cofre, e qQantoj,|nirt>
porom a qnantia de 4o3?HW. ant 0 referido iidrai-
nisiradorfa havia roceb.Jo e remtido ao procu-
rador, segundo informou este pessoal nen'.e a cama-
ra, foi resolvido deverser recolhida aos cofres mu-
nicipaes, votando a favor desse raeolhimento os
Srs. Gamoiro, Loyo Junior, Neves c Theodoro Sil-
va e contra os Srs. Rego e Albuquerque e Dr. Mos-
cozo, por entendercm ter sido recebida individual-
mente peb admmistrador aquella quantia em face
do art. 37 do regulamento
Depois passau-se aleitura loseguintt
EXPEOIEXTE :
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, de
3 do corrente, antori-ando a despender-s9 a quan-
tia de 2:700|000 com a de-apropri.i;ao do sobrado
da rua do Amorim n. 19. Inteirala.
Outro da camara municipal de Jiboatao, recla-
mando a entrega da quantia de 8081000, impor-
tancia do imposto de aferiQao das freguezias de Ja-
baatio e Muribeia, outr'ora pertencentes a este
municipioe hoje ao daquella muni-ipalidile.-Re
melieuse a contadoria para informar.
Outro do Dr. inspector da saiide do porto, dando
sciencia de que fora multado 0 barao do Livramen-
to em 30*000 por cada uma das alvarengas Vo-
luntaria, Bemfica e RolMa do Bosque, do sua
proprledade, porestarem em deploravol estado de
desasseio, recebendo carga.Ao procurator para
fazer effectiva a cobranc^.
0 senhor vereador Neves, requereu verbalmente
e foi approvado 0 adiamentb da informacao acerea
do parecer da comraissao sobre 0 lugar Peixinho,
para nelle ser cons'.ruido 0 matadouro publico.
0 Sr. Dr. Moscoso fez os seguintes requerimen-
tos :
Requeiro que se ordena ao administrador do ce
miterio quo nao receba emoluraentos qae compete
ao procurator receber.
Requeiro que 0 senhor secretario lan^e na acta
em sua intrega os roquerimentos que os sonhores
vereadores fizerem sobre qualquer ribjecto.
Pa^o da camara municipal do Reeife, :i de de
zembro de 1873.Dr. Lobo Moscoso.Foi appro-
vado.
Foi a commissao de peticoes 0 requerimento de
Bellrao Oliveira & C, roplican lo de um indeferi-
mento desta camara.
Foi deferida a pelicao de Paula & Mafra, padindo
para que Ihes fosse tambem destribuidi 0 service
gratuito dos enterra nentos dos pobres, votando a
favor o- Srs. Gameiro, Neves, Theodon Silva e
Loyo Junior, e contra os Srs. Rcgo e Alba marque
e Dr. Moscaso. Foi ao advogado a peticao da San
ta Casa de nisericordia.
Foram indeferidas as de Florencio Rodrigues de
Miranda Franco 0 Jose Luiz Alves Villela, e defe-
ridas as de Felippe Santiago, Francisco Augusto
Pereira da Costa, Jose Joaquim Per.'ira de Oliveira,
Maria da Conceicao Figiie'Tedo, Martoe! Cesar de
Mello e Felippe Jaiome da Costa.
Nada mais houve a tratar-se, e 0 Sr. presidente
ievantou a sessao as duas horas da tarde.
Eu, Pedro de Albuquerque Autran. secretario,
a escrevi.
ManotlJoaquim do Rego e A Ibuquerqw, presiden-
te. J'jse Maria Freire Gameiro. Theodoro Macha-
do Freire Pereira da Silea.Jose Cttario de Mello.
J-So d-i Cunna Soares Giiimtraca.Dr. Pedro
de A. Lobo MosC'So.Josi Pedro das Setei. Jq
rowjmode Sauza teao.Jose da Silva toy* Junior.
verdad'. brloso e independ^nre povo An-
I strict.> torn pnr mais de um.i vex pn.,*-
Estrada deferro do Recife a
Olinda e Beberibe.
15:238^600
:t:IO;)400!l
603*640
30*000
MOVIMENTO UA CAIXA EM RESl'MO I'.V COMP.V-
niha dos raiMios. uruanos i>o rii.ike a
OUNDA.RELATIVAME.NTE AO MEZ HE N0VEJI-
BaO DE 1873, A SABER.
Eiitradas.
Receita :
Bilhetes
Assignaturas
Carga e lastro
Expresso
s4*200
230*0 JO
15226*440
l:li M263
Materiacs vendidos, >
inteiramente inuti
lisados 10*600
Multas impostas a em-
pregados I3J900
Deposito dos empre-
gados
Saldo do mor. de oulnb 0 proximo
* paSsaJo
Sahidas.
Opdenados e ferias :
Movimento 1:9864461
Esta goes 1:517*108
Carga e lastro 529*623
Conservaciio da linha
permanente 628*673
Conservacao do Irem
rodante 1:133*873
Administracao 5585334
-.-0:347*703
do quo nt) se -ub iJiin a man loes, neta- ,i ampn
impertinent^ da autorilal Ainda a 18 dte agjw.
lo de 1873 deu dissa prova nao equi/oca, elsgcn'
do um corpo eleitoral. em sua maioiia adVersa-a*--
antoridades alii collocadas para 0 fim especial- df
fazer um eleilorado a sabor.
Assim, pois, nao pode ser fettwwr 0 dislrictc-
que rosiste e triumpha das derrubadas.
Por t3uto, razio tem 0 Sr. lenente coronel *
estar lisonjeadu com 0 resullado da eleicao- a qne
ultimamente se procedeu para deputados a assem
blea provincial ; mas quanto a outras aprecic,oes>
da sua proclamacao, consinta que facamos algum
reparo.
No eleitorado feilo era 1872 teve a parcialidade
da policia de entao os seguintes eleilores 1
Em Bjnito 25-
Em Bezerros B,"
Em Gravata t5;
Em Caruarii 34
Em Garanhuns
Em Papacaca {g.
Em Aguas-Bellas 30
Ao todo 136>
A'vista disto, nao adnnra, ime 0 Sr. lenen'e p>-
ronel tendo conseguido alguns votos de outra par-
cialidade, chegasse a prcfazer, em resulta*^ eanB*
e trinta
Ao conlrario, e para admirar que nao Jesse
maior a sua votacao ; tanto mais quanto 6 cert
que a sua candidatura correu com lal segredo, qoe
so pelo resullado da votacao dos diversos coIIgi r*
do district? pi'.Je ser ctniu'ecida.
Ninguem, pois, 0 guerreou, nem lbe per obkes.
Se nao foi eleito, nao pode ser a sua derrota ..t-
tribuida senao ii vontade do district.'.
O facto de nio torem volado os ereitares dc S
Beato, nao quer dizer que Tbsse pralicado coup 1
llm de prejudicar 0 Sr tenente-coronel:
1, porque nao sabia-se da sua candidatura ,
2", porque a votacao de S. Bento nio podia dar-
Ihe janho de causa.
Nao se reunio 0 collegio de S. Bento, porqiu
nao tendo eleilores reconhecidos, nao podia fazer
eleicao, segundo esta decidido pelo governo impe-
rial
Em relacio ao colfegio de Panellas, 0 ?r.4eL-.-:,
le-coronel labora emjequivocov a eleiciio foi aiii
feita de conformidaiefcom as extfencias da lei.
Palo nit-nos 6 esta a convic.ao em que esta-
mos,
Entretanto nao duvidaremos reforms la se pp*-
apresenUr provas quo destruam as em qua fonda-
mos nosso conceito.
Quanto ao collegio dc Caruarii, nada ditern^
cm conlrario ao quo allega 0 Sr. tenenle-corpnei.
apenas ihe observaremos a circum^lancia de an-a^-
re u ta; desasadamente os sous estaf poileram ehegar a teippo, a Buique, '*% leguas
alein de'Caroard, e nio a este collegio.
Nao nos consia que 6 digno administrador da
provincia se houvesse occupado com a ultima elei-
cao, e muito menos da que se fez- no quarto djs
Uicto.
Etn todo 0 case nao se preoccupou com a pteijai
do Sr- teiiente.-ooronel que, felizmeute, se bcla
ra separado de ,S, Exc.
E' certanieiite tie septir essa separattio, mas nio
obsUnte ella, S Exc. vai.perfeitam.tub> em sua.
administracao.
11 de dezembro de
1873.
Um imparcial.
era
Contas de mezes an-
teriores
Despezas diversas:
Materiaes,objectos pa
ra eseriptorio, fre
te e carreto de 600
toneladas do car-
vao de pedra e ou-
tras despezas
1:272*08)
10:656*162
Pagamento
sites
de depo-
Sald) quepassa para 0
met seguinte
^42.^*320
i-8MiSM
Eseriptorio da coinpannia de irilhos nrb&no--, 10
de dezembro de 187J.
0 thesoureire.
Luiz Jose Pinto da Costa
S Jose
S. Jose
b
CAMARA MUNICIPAL
5 DE DE-
SESSAO DA 4.' ORDINARIA EM
ZEMBHO DE 1873.
PRESIDE.NC.IA DO SR. HEGO I! Al.lll QI'KR'.M K.
! Ao, meio dia. presente* os Srs. vereadores
Rego Albuqnerqde, Gameiro, Dr. Moscoso, Theo
dero Silva, Neves* Loyo Junior 0 Sr. presidente
abrio a sessao a lida a acta da aatecedente foi ap-
provada.
0 Sr. vereador Theodoro Silva, membro da com-
missao do.cernihario deta cidade, obtendo a pala-
vra pela ordem, expnz a camara quo, tendo rece-
bido um offtoo do administrador do mesmo cemi-
ierio, commnnicando haver sid-> apresontado dous
cadaveres na tarda de 3 do corrente conduzido*
nos carro* funebres de Paula 4 Mafra sem a* tolas
launicipaes e que nao obstante es-a lalta os nzera
dopo-'itar na capeUa ate que, depois .la resporta do
Qr. chafe de pohcia a pirtieipacan qne a este fiw-
ra, osmandaia inhin ar, por torgadi art. 87 do
-respectivo regulamento, e pedia prirvideneias para
1-resbMer faetos desta ordem, bem eomo consultava
M, podia rereber de Paula ft Mafra, a Importancia
a rerener ae t'aula 4 Mamtpi
Yung. seri um lao mlejieo.^'Peaflai irevas. a-oaa* 4tfiiga\s munlcipae* e remetto-ia ao proenrador,
sacao da vida animal e um regresso ao eaboinri* awfowtera aflueUe administratkn que procedesse
Abril, os dias 5, 6, io, 16, 18 e 26.
gina* l -
E ainda isto nao 6 tudo.
0 professor Le Conte Jettuma memoria sobre
a multiphcacio medonha 4a.r!iBseete*.noves.;e
annunciou que,,a!Uiii*|'jHle>,|rilMtB *vwauo to<
J do 0 teino vegetal, p qoe nao levari muito tempo,
quanto a primeira parte de conformidade com 0
'9D.187 do regulamento e quanto a importa cia da-
Suias, arrecadasse-a a remettessn an proenrador. -
esplveu a camara levar o oecorrido ao eo heci
raedto do Exm. presidente da provincia e ordeDarfaqueWe'districto, confessando q'ue nio 1
ao administrador que se abstivesse de receber eino-1 ninguem.
miCACOES PEDIDO
I lo 4 districto.
0 Sr. lenente coconel Ernesto da Silva dujnou-
sa drrlgir do alto da imprensa a palavra ao qda'rto
districto, lazendo valer a iDfluencia de nue rawftl
cidamente alii goza.
Fez niulto bem, e nos o applandimos pela os-
tentacao de independencia que acertou de fazer.
0 applau Jimos ainda mais pela
Quest Ao Paula iL Hiili-a
lima questan .-e agita no foro desta capital, q'"'
pela sua importancia com relacio ao direito pu -
blico odiuinistrativo e ao direito privade, occupa
neste momeuto a attenc^o publica.
A. lei provincial il l,J2l ,d^ 17 de. junoo dc
corrente anno, ponde sob a direcnao da Santa Ca-
sa de, Misecicordia do Recife 0 sefvico inortua:;.
desta cidade, autorisou a para contratar esse str
vico com quem melhores. vanlageos oirerece*s.
-18 9*2*240 ^ adminisiragao da Saqla Casa eoairaton-o coin
os empraziirios de trnospjries funebres- Agra & L
e o conlrato, que, pela citada lei (art. 3) so depen-
dia de approvai^ao da iiresidencia, obtevo a, n>;-
diani.e as iuformacoes das reparli^oes cempaten-
tcs; pelo que os coutcalajRes passaram a ejacu-
talo,
Eis i|ue a casa de trafego morluario da Paul;.
4 Mafra, qne aliias nao coiicorreu ao contrati>
impeirou em juizo mandado da nianutencao para
continuar na, poste.do. direito da uegociar com
aquelle gepero de service, e Ih'o foi coneedido,
sepdq intimado a camara muBicipal, e esta,
Kiindo deolaraoi os jornaes de tiuntem, rasolveu.
por quatro contra dous votos, aceilar e cumprii >
mandado.
E!.uo> a->im wua. lei..provincial susfada ec
sua_ execui.ao por um decre^o judicial.
Teioos.assim 0 poder judiciario, que na crbiia
ounstitucional e igual (e jamais superior)'aos ou-
tros poderes politicos, collocando-so acima e em
bargando 0 passo do poder legislative, qua nao e'
m cnos suberano. qua aquelle.
Tamos 0 poder judiciario cravando um pre^u--
na roda do mechanismo adpjim'stralivo e mipe-
-7i.*078 dindo 0 luovimeuto regular de suas funcewes.
Tamos o.poder judiciario sobtaocjiro a legisia
tura e a pdinini.-tra'.ao. A lei ello a suspende
a exe^uolo della clle a condemua.
E'.o poder judiciario aonuUando 0 legislative
0 execulivp I
A iei consliUipional a as promulgadas para sua
execucao tracaram as orbitas de cada poder pu-
blioo.
: Libardada de accao, dincrirae de fuaccoes,.*u-
93hi2i2 dependencia deiuns eui relacio aos outros, t.i!-
sao o* uqnzo* sobre que gyrara. elks, sem se en
tre.chocarem.
lo0*O0Q. Coipo, pois, ,levantar-se 0 podtr judiciario e ;t
a 0140;cqm 0 execujivQ para vedar a execucao i?
lei feita pelo poder competent ?
A lei so deixa do 0 ser em virtude de.oHlra .ia--
a revogue..
Isto n.i terreno do direito publico.
:0 ii>*i'034 Q*30*' ao privado-,qqanlo .ao direito do wppce
zario de tran-portes fanebres qua *o diz otfen'L.i^
pela,tei.h ippartantes,considerateas a faaer.
A lei provincial n. 1,124 impoz.ao contralai>><
a indeuwisacaf doa,outros. emprezarios da raessiia
indusu-ja (art. 2 j t,.
Boa. ou 11 w, a lei e lei ate qua 0 nao seja peh-
meios'competeiUjsj e creado 0 privilegk) cum i-
eUusula da iudemnisacao, 0 direito dos que -.-
iplgarem pre.judicad08 ,com ello Q resiricto a --
eJamacao da jndemnidide e nada mais.
Em que preieadom Paula & Mafra ser niaau.o-
nido* ?
A|ei estatyio cc^dicees em qua. deve ser feito
servico funeral, e fora dessas condicoes nao ha di-
reitu. Ellas reduziram aquelle servi.. a um r.i
vilegio 1:0m onus t.ivoraveis a uma instituieaopt.i
qua taptos benefiws presta a provincia e 0 tnt*-
ffsse. (pms nao ba dirtitm conlra.a lei). 0 intent*
garlicular, por, mais justificado que pareca ou
qoie.realinenteeja, nap pode competir com nit!-
Oisposicao legal execotada pelo poder cooip--
tente 1
Desde que a le\ e:>ta em vigor, per ella e qne tK
regula 0 modo de ser da industria que affecta.r-
ppr e:ia se tiilola 0 direilo prirado com rela.;
aquella.
Em qae foram nianinenido* Paula & Mafra -
No exercicio.de U|" direito qne em face da jet
so cabe boje a quea. contratou com a Santa Cas-
de Misericordia.
- Ora, no dominio da lei com mum nao se conee*-.
ii manutenrao quando a -posse, resiste ao direiui
cpmo e corjeole entre. os jurisconsultos (Lobi-j.
inlerd. g 4'5, ete.)
Se tniuxermos para este terreno a,qnestay>, v.
repws qne 0 uti possidetis nao pode proteger z
Paula c* Mafra, qae nao tem poss^ legilima,'ma*
tnleirarnente vieiosa em face de lei vigente.
8 0 mandado qne se Ihes deo, e, portanto, um &
tej'-.teiramen'.e n'nlloe irrito.
Ningnem pode ser manutenido contra uma dis-
popi^io legal que confere^'enft* 0 gozo de vrn
difeito excluMvp !
Isto e o qua dnais absurdo se pode dar.
1 Neni a camara mupieipal podia aceitar 5 con -
prjro mamlafii. Pcrqtrc elle-importa nma'onteHi
S- O *"****> vi'' I8* prteede de autoridade rntompe-
K* rto tente e 4 maniftstamente ccm'rereio a let, co*.
crira. art -143.)
1E cumprindo-o a camara commette crime o
responsabilidade, no? termiis da disposigao do art.
142, segunda parte do cod. crinx
TtiBjo infringe a feto crae.expede como e nu^
expeuta a ordeq'iHegal.
^0 prdcedhneikj. da camara municipal meontt.
^em grave* ccr^ftM.-e suscita amarga?
fffcS fieou 0 civismo de nessa,edHtdade ? Qne
eerita de si dara ella a seu* mmnicipes f
Qiia flieranj de. suas. #fribnf5es> prerogaliva--
" vereadores qne euVfarSm w ahfe 0 maSda
?*

/ .

/
\
.
'
.-,
-
illigal e invasoj-, para sacrjficarem a horabrld>d>
justica que, (eaj e*>branceria de sna ymtk\6;n
w $ jeiloti'a d^^Refiaixa'ram, cercearahf W digaidade monieipai.
Jqne melhor Ihes cumpria'zelar.
\ mm 1
ILEGtVEL


^z

^
Diario dePeniamooo Sexta feka 12 de Dezemoro de 1875.
-
^
E restilvis-ra com precipiUcio e de^certo am
gocro de tauta graviJade e de honra para a mu-
Spsflidad; .'
Se se ijuer levarara o facto ao ooahecimeiHo
da preside icia, qae, primeira autoridade da pro-
vince, deveria aer lego informada para provi-
denciar.
Nesta en orgeocia todo outro procedimento fort
ncurial.
A lei esta assim sendo ludibrio e irrisao.
E qae riste e perigoso precedeute abre-3e
Vai desapparecer por ama vez a magestade da
Mi r Amanha qualquer inleresse que se julgar
. ptfejndieado por algama dtspoicao legislativa se
(Kaeurara ura mandado de roanuteneao e zomba-
xa das poderes eonstiluidos e da soeiedade.
& vcremcs, ao passo qae nos corpos legislative?
edekberaiem os negoeios publieos, o interests*
particular, u'nda o menos legislative, se premunin-
d dessa nova panacea!
E'o eaao de pergunlar oom Cicero :
4JH*tim gentium tumus t Qua urbevivimus f
Paula A Mafra queixam se da lei n. I,HI, mas
mm elles nem o jnizo a que recorreram, nem a
iauaara municipal que os apadrinliou, sao corope-
*e'para revoga-la
fijus ett ,'otlere cujus esl coniere legem.
Sea Paula & Mafra parece injustaa citada lei,
-aeai (tar it.so deixa ella de obrigar c de aer o que
<: tuna lei em vigor.
B*r* lex ted lex.
Kecowarc, pois, ellcs ao meio que Ihes resta,
. resarcimento doprejui o que tiverem, e ido Ihes
fiesu garanlido, e para isto tera competeucia os
tribune*
E a eamara municipal reconsidere seu acto me-
bos penaado, redeclindo que amanha pole al-
iuei!i se minulenir contra as proprias preiogati-
va da mur.ieipalidade e reduzi-la a zero.
Kao souics apologisla de privilegios, e so os ad-
nittimos como exeeppad e pelo principio de incon-
lestada cotiveniencia publica.
Sia- quremos e tedos devem querer que os no-
g.icijs pub'icos eorram com a precisa e devida
rejtularidade, porque. nisso vai 0 bom commum.
Grant, o isforcado presidente dos Estados-Uni-
do* ameriennos disse em sua mensagem ao con-
gnssso esla palavra sensata :
c Sao conlie;o meio algum mais etQcaz de as-
*sgurar a annnllacao dasleis nociva* do que sua
exaeta exeencao.
Deixe-se, pois, que vigore a precitada lei, e se
aJla e esse raondro que gera a necessidade do no-
vo geaero de defeza de que lancnu m3o o prejudi-
cado, o trabilho di sua execucao, a experiencia
:as iuconvenientes, sua injusti.a, reagirao no
aentida de sua revogacao.
Paula & M.ifra tern o direito d-i pelicao para
.car o wder legislativo provincial, e este tem
a faciddaJe da revogar a lei: caminho, franco, se-
garo 6 legal, -mais nobre e conveniente a preten-
sio d.'. I'aul i,% Marra que aquelle o.-cuso e envio
iue vii tomando e no qual ella se ha de omara-
nfaar e perder.
Nii cliica nemos a lei:
E" deverdo cidadao velar e:n quo ella seja fiel-
inenle execiitada e chamar a alten^aj dos poderes
?u;peteote= para factos quaes o di manutengao
Paula A Miifra.
ijaando msta capital se estabele^eu a primeira
via ferrea urbana, o emprezario da linha de om-
nibh.s leva tie perder sua empreza enlao tao flores-
.cat'-, e nio leva mauutenc/u) contra o privilegio
tjue se ere m em prejuizo delle nem foi indemnisa-
'. i do damn) que soffreu.
qae vmdiam agua potavel aos habitantes
>' cidadf: nao I'oram manuienido* ua posse des-
~e direito, nem se Ihos pagou o damno que Ihes
dacompanhia de Uelieribo.
Mas eree se a panacea da nianutencio c(>nlra os
jtrivilegios concedulos por lei e veremos isto onde
ira parar.
Logo se prrtendera tambem rettttuifSo in in-
<*jj(fctn. a nianeira da que te"m os menores e inter-
dicts, para quo seinpre e em todo tempo haja ra-
-.urso em favor dos interesses lesados, e entao ver-
so-tia que apparecerao muitas reclamacoes contra
(i priviiugio da companhia de asseio publicoReci-
te Drainage, -a qual tambem prejudicou e exter-
ttuoan de nma vez uma inJustria bam antiga e
ie tempos nnmemoriaes nesta cidade.
Mas o caso e serio e grave.
Par bem da juslica, por bem da muaicipaiidade
- por bem ilaadniiiiistrai'ao a mauutencao Paula &
Hsfra deve ser cassada.
Srs. eedacleres. Nao pretend ia apparacer na
jweslao do conllicto desagradavci havido eutre o
*-. Seixas ios Srs. Pestanas, porem, a/6m deamar
to a verdade, fui convidadd ptlo artigo desses
publicado no Jornnl do Recife de hoje, afim
ie aiBrmar <>u negar o qtteretaton o Sr. Seuas na
jjabiicaqao que frz ne>te Diarie, e por isso man-
i'3-niaa lealdad^ que nao me escuse a restabele-
r a verda la tao vilmanle adulterada.
Greio que seriam pouco mais ou menos U ho-
ra do dia, qnaudo eu e o Sr. Seixas conversava-
ta8sjunt > a secretaria em que escrevo; chegoa o
Sr. Jiiaquim M. Pestana. qae por vezes pa>sou jun-
to a nos, c nada daixou suppor de dcsagradavel :
rco dep' is entrou ura seu w-raao qne pedio ao
Seixas uma palavra em particular no findo
do arraa?i'ri. e este accedendo, dirigiram-se para
t< indicado lugar; com pouquhsimo intervallo o
>r. foaquim I'.-stana os acompanhou, nesta occa-
siaa descun ioi de alguma cousa e por issosegui-os
.ambem
T*rd porem cbeguei, por que ja encontrei de
volla e baslanteapressado o ultimo destes Sis., e
aprexim.in li-me, vejo sou irmao atracsdo com o
dr. Seixas, ja ensanguentado, diligenciando sahir
ia posiea) am qua estava para ir em procura do
Sr. 'Joaquiiii Postaoa, o que nao conseguio, porque
-; alguus amigos que vinliam entrando niocon-
Mfltntos.
H mnito tempo que o Sc. Seixas frequenta mcu
izem (visto <|tie son dona e nao administrador
ci< se di/.) e nunca ouvi do mesmo Sr. uma pa-'
lawra, um tiesto sequer quo importasse descorte
zia nao so >ara e >m os Srs. Pestanas, como mesmo
paraoodi todo nos.
E-u e a verdade do qae vi, a outra
iiio se casa com ojneu caractar, e irapropria de
sniia, e por i-so nao a direi.
Sei qae incorro nas iras destcs Srs., um dos
< Me men ompvlra, e lenho como certo sof-
freriambiui algumadesfeita. Fafam-na....porem
nao sei mentir.
Agora n ti conselbo ao Sr. Joaquim M. Pestana.
S?.S. die.qaei nada teme, porque muito confia na
Mac como S. S. eu tambem pertenco a ella; po-
creia me Sr. Joaquim M Pestana, eu ficaria
) sboorado a meus proprios olhos se tivesse a fra-
laeza de pedir e aceitar de quem quer que fosse
beneficios para impunameote promover desordens
"-sm o priraeiro qua se mo apresentas?e. Xao mais
vnltarei.
Recife, 11 de dezesnbro de 1873.
Raymundo Remigio de Hello Junior.
igua de floritla lilt II 111 All.
As seahoras qae eslao acostumadas a usar pos
4<3 arroz, quo so hi entumecor o ro f6r*< ia:pelle. priv.md.i a evapora?lo da snperfi
i'ie; obrariam (um juizo en por iuteiramente de
parto seittellianta ingradieule, substituindo em seu
iu^areste pun eosuwtioo floral; o qual nao s6
(wrluma a palle com uma fragraacia tao fresca e
4ale>uval c nn> o ra 40&U*; iini sun tambem faz remover todas as
raacuias quo dasfoiam a formosura das feicoes,
daado aas irasos superficiaes am aspecto saudavel
vigoroso. restiwrndo as feicoes a primitiva cor ro
brciindao in%sia, daod-lhos uma pura e tinda
iraaspama-ia.-B elasticidade. T.nlis essas aguas
idijiriiMje-ites, pot e puna las, etc.,-do dia, nao fa
zam mais do, quo arruiuar a pallo e estragar a for-i
ira, coitaminando mais tarde oa mais cedo ai
siropria sai'da; em quanta qua a tendencia destai
agaa saudr.vele aromatica, e inteiramente upposta.
Ouand-i fflistarada a'um pouco d'igaa, toma-so
moexcfUoaleaeKflesitti nieio de lavagew, para
>s dentes e gengivas, dando a bocca' e ao piladar
nro delicio!;o gostJ aromatico.
lea paro medicinal de figado
de llitculbaa tie Lanman dt
keuiae.
Quaudo )- orgiorda; rsipiracjw sao deraasiados
: b-is pariaxpeU.r.aBUieoidad8enstendrada pela;
mfermilaiia influnmatoria, nao ha nos arcaoos.da
<*ianeia madrja; nada que e possa comparar co?
*hj taaio, ao oe Mvuaos d.zr,.c|u'0 re->ultados da suaiVMttfad
.osas, outnas ad-dteradas, em quanto qae uma
-irande pa;'te in* composites quo tumam o njes>.
iim' >a.comatianM>atees ureas. Vi
-1.; xod's j.iUs, O'eho-'paco medicinal de
baoathao, da. LaumaiK^i ^Jta np, n'elle tamaa^.
4Mer-if|.:ii do p'imafapa d'uma reputa^ao univer,
tinrtca Mesmeiti i as esperani "
doa doeotts. 't>s medicos o racommefl4airaf pol^wVl
a sua effica'.'ia esta m* fae pravada, nos peiores
casos de aiTaegfios pulaoaares e escrofulosas. Oa-
tros oieos de figado de bacalhao, liodem ser puros,
porem este indTsnatavelmeBte a a. Gorao seja um
objecto da maior impoitancia, para aquelles que
padecem dos pulmces e da garganta ; aquelle que
for senhor d'uma preparaoao legitima, fara bem
em conhar-se unicamente oa de Lanman & Kemp,
a qual pode ser comprada em toda a parte do
mundo, em todas as prineipaes lojas de drogas e
bolicas.
Para todos.
A casa mortuaria de Paula & Mafra con-
tiada a bem servir ao publico, era quantos
sous proprietaries ou sao deferidos no re-
ourso que intorpoem ao conselho d'estado
contra o monopolio concedido a outrem, ou
sao a contento indemnisados pelos monopo-
listas. E para que ninguem se illuda a res-
peito, scientificam ao respeitavel publico que
se acharn providos do material necessario e
com carros novos.
COMMERCiG-
SEGUROS
uAHITOIOS
CONTRA 0 FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabetecide
nesta praga, toma seguros maritimos sobrt
navios e seus carregamentos e contra fogc
itn edificios, mercadorias e mobilias: nr
rua do Vigario n. 4, payimento terreo.
COMPANHU ALLIANCA
seguros maritimos e terreB-
tres estabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:00(HM>00.
Toma seguro de mercadorias e dinheiru <
ico maritimo em navio de vela e vaporei
para dentro e f6ra do imperio, assim com(
twntra fogo sobre predios, generos e fa
pondas.
Agente : Joaquim Jose Goncalves Beltrao.
ua do Commercio n. 5, 1' andaf.
Seguro contra-fogo
rUE LIVERPOOL & LONDON & 6LOf
INSURANCE COMPANY
Agentes
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
NORTHERN
Japjtal.....
.'undo de reserva.
20,000:000JK0(
8,000:00000(
Ag'intes,
Mills Latham & C.
RUA DA CRUZ N. 38.
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias,
tretes, dinheiro a risco e finaltnente de qual-
quer natureza, em vapores, navios a vela ou
barca?as, a premios muito modicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34. ^
PKACA DO RECIFE 11 DE DEZEMBRO I
DE 1873. <
Ki 3 1/2 HORAS D.\ TARDB.
CotacSes ofUciaes.
Algodaf -de Penedo sem iuspeccao 7*300 por 15
kilos., hontem.
Cambio sobre Londres a 90 djv. 25 3[8 d., e
26 1|2 d. por 14000.
Cambiosobre Hamburgoa 3 d|v. 463 rs. por R.
M banco.
OuDourcq
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
U.FANPECA
teudimeato (do dia 1 a 10. .
Idem do dia 11
416:92iA8
53:840*837
470:76oi305
Descarregam hoje 12 da deserabro.
Barca ingleza Jane Maria mercadorias para
alfandega.
Barca porlugueza Arabella lageamento para o
irapicue Conceicio, para despachar.
Patacho nacional Jabontao aduelas para o tra-
piche Conceicac, para despachar.
Barca ingleza Dora carvao coke para o caes
do Apollo.
Brigue DortugueJ Sobemno pedras para trapi-
che Gonceicao, para conferir.
IiuportacAo
Patacho nacional Jaboalao. entrado de New-
York em 11 doeurreute e consignado a H. Forster
6 C. manifestos
Agua-raz 20 caixas a Phipps Brothers & C.
Banha 100 barris a Sauza Ba?tos & C 100 a
Femandes da Costa & C. e 100 a Luiz Jose da
Costa Amorira 4 C Barricas aDatidas 7tK)0 aos
consignatarios. Breu ion barricas aos mesinos.
Carne salgada o barris aos mesmos. Dita de
porco 5 barris aoj mesmos.
D ogas, 2 pacotes a Phipps Brothers & C.
Farinha de trigo 50 barricas aos consignatarios,
a 5 a Keller & C.
Ferramenta I caixa ao* consignatarios. Ferra-
ragem 2 caixas aos mesmos.
Graxa 8 barricas a L J. da Costa Araorim & C
Jierozene 5u0 caixas a Feinandesda Costa a C.
300 aos eoBtiznatarios, 4i 0 a L. Jose da Costa
Amorira & C. e 300 a Souia Bastos & C
Machinas de costura !0 caixas aos consignata-
rios. Machinismo caixa aos mesmos.
Pa3 2 pacotes aos mesmos. Pedras de amolar
4 e 1 caixa de pertencas aos mesmos. Pregos 50
barrieas a Shaw Hawks.
Relogio 1 caixa aos consignatarios, 3 caixas e
7 pacotes a A.- Hwernat & C, Rem s 4 caixas a
Shaw Hawks 4 C.
Tecldos de algodao 8 caixas e 2 fardos a Keller
'& C.
Vapor nacional Para, entrado dos portos do nor-
te na mesma data e consignado a Pereira Viauna
& C, raaniiestou :
Carga do Para.
'Bomcha fina t caixa a ordem.
Carga do Maranhao.
Arroz com casca 1'3 sac;o* a D.'Alws Malheus
Barricas abatidas 60 feixes ao mesmo, 20 a
|i Joaquim Geraldo de Bastos.
Brigue italiano Noemi, entrado de Liverpool na
.mesma data e consignado a Simps a & C, uiani-
festou :
Canos de far ro 197. Carvao /de pedra 538 to!
neladas e 8 q intaes a rompanhia do gaz.

, Brigue inglez Janus Stvmrt, entrado de Terra
Nova na mesma Jd.ita e consignado a Saunders
Br4hers& C, mantfestou :
Bacalhao 2,423 barncas aos consignatarios.
Bftgne hespanTiol Atanlpho. entrado de 'Monte-
?jfleorom 10 do eorrenu* e consignado a Je da
ftlvsLoyw & hibo. m .nifestou:
*6aaro sald!80.
TCarqae 134,721 kilos a ordem.
SiACfflOSIDB BKWTA'.AO NO DIA 10 DE
iwesMHiio e inn
'Para o% portiu-Hn eeteritrr.
No vapor inglea Student, para Liverpool,
carregarara : T. A fameoa k C SBccessorcs 100-
sa'ceas com 7,311 1|2 kilos de algodao; Souxa
Balo ii C. il*4itss com 10,231 ados de ^ito.
.la barca ingleia Qlinia, oin Liverpool,
carregou : A. F. da Silva Beiris 1,239 saccos com
9i,425 kilos de assucar mascaado.
Na barca francez Sphere, 3ara Liverpool,
carregaram: G. Neesen 4 G. 150 sareas co*
28,422 kilos de algodao.
No lugar allemao Alemania, para o Canal,
carregaram : H. Noesen & C. 107 saccas com
19,172 kilos ie algodao.
No navio hollande'. Sphynx^. para o Canal,
carregaram : Keller 4 C. 358 saccas com 26,384
kilos de algodao.
Na barca franceza Anna Maria, para o Canal,
carregaram : R. Schmraetlau C. 3,000 saefcos
com 223,000 kilos de assucar mascavado.
No lugar inglez A. Sophie, para o Canal, car-
regaram :" R. Schmmettau 4 C. 1,000 saccos com
73,000 kilos de assucar mascavado.
No brigae americano Gah'no, para S. Mi-
guel, carregaram : A. M. Machado 79 barricas
cam 6,700 kilos de assucar hranco e 81 ditas com
9,572 ditos de dito mascavado ; J- dos Santos e
Silva 1 pipa com 489 litros de aguardente e If
barris com i,728 ditos de mel.
No vapor francez Erimanthe, para Bordeaux,
carregou : J. M. Dias 6 barricas com 100 abaca-
chis.
No brigae inglez Malaga, para Portland,
carregaram : H. Forsier 4 C. 800 saccos com
90,500 Jcilos de assucar masearodo.
No navio inglez Ariel, para os Estados-Uni-
dos, carregaram : S. Brothers A C. 100 saccos
com 15,000 kilos de assucar mascavado.
No brigue hespanhol Salnador, para Barcel-
loni, carregaram : P. .Carneiro & C. 133 saecas
com 9,578 4|4-kilosde algodao.
Napolaoa hespanhola Mercciita, para Bar-
celona, carregaram : P. Carneiro & C. 33 saccas
com 2,529 kilos de algodao.
t- Na polaca hespanhola Izidora, para Barce-
lona, carregaram : P. Carneiro 4 C. 34 saccas
com3,053 kilo&de algodao; A. Cordeiro 183 ditas
ccm 13,642 l|2 ditos de dito.
Na barca porlugueza Gratidao, para Lisboa,
carregaram : R. R. Rabeilo & C. 500 aaccoa com
37,51)0 kilos do assucar mascavado.
No navi i portuguez D. Anna, para Lisboa,
carregou : A. Cvrdeiro 403 eouros salgados com
4,826 kilos.
No brigue brasileiro Infeliz, para o Rio da
Prata, carregou : A. de Oliveira Leile 455 barri-
cas com 47,811 kilos de assucar branco.
Na barca franceza Fidelile, para o Havre,
carregaram : E. A Burle & C. 200 saccos com
com 15 000 kilos fie assucar mascavad.
Para os portos do tnurtor.
Para o Rio Grande do Sul, no palaoho_ bra-
sileiro Pvrtuna, carregaram : Silva 4 Casead 30
pipas com li,400 litros de aguardente e 10 barris
com 960 ditos de alcol.
Para o Rio Grande do Sul, na barca brasi-
leira Ahdrdde Neves, carregaram : J. R Perreira
500 barricas com 44,272 1(2 Kilos de assucar
branco ; P.. Vianna & C. 400 ditas com 33,080
ditos de dito.
Para a Bahia, no vapor nacional Para, car
regou : F. A, F. Novaes 40 saccos com 3,000 ki-
los de assucar brasco e 20 diios com 1,500 ditos
de dito mascavado.
Fara o Aracatv, no hiate nacional Graciosa,
carregaram : T\ P. de Araujo 4 barricas com 375
kilos de assucar branco ; L. J. Marques de Araujo
30 volumes com 1,091 ditos de dito ; A. da Costa
Araujo 6 barricas com 593 1)2 ditos de dito re
finado.
Para Mossoro, na barcaca Adeline, carregou:
J. C. Figueira 20 barncas com 1,806 kilos de as-
sucar branco.
Para Alagoas, na borcaga Laura, carrrgoa:
A. de Mesqaita 1 sacco com 30 kilos de assucar
rcflnado.
CaP.ATAZIA DA ALFANDEGA
Ueadimento do dja 1 a 10 7:7824145
dam do did 11..... 9104853
8:693*998
No dia 1 a 10.
VOLUMES SAHIOOS
No dia II
'nmeira porta .
Uganda porta .
Tbrceira porta .
Quarta porta .
Ti apicbe Gonceicao
SERViyO MARITIMO
U\arengas descarregadas no trapichs
alfandfga do dia 1 a 10 .
No dia 11
Savus atracados no trap, da alfaniega
Alvarengas ........
io trapicbe Gonceicao ....
12,180
28i
118
121
18
1
1
20
(tEGEBEDORlA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUW
leodimento do dia 1 a 10. 23:3294280
dem do dia 11 2:8874684
28 216496i
GONSULADO PROVINCIAL
ieaduneato do dia 1 a 10 63 9794113
Idem do dia II 5:582*182
69:561*295
Navios entrados no dia 11.
Fara n portos intermedios vapor nacio-
nal Parri, de 1,320 tonelaaas, comraandante ca-
pita) tenente Pedro H. Duarto, equipagem 59,
carga dilTerentes generos; a Pereira Vianna
4C.
Terra-Nova-32 dias, brigue inglez James Stew rt,
de 189 toneladas, capitao James Scott, equipa-
gem 12, carga #.425 barricas com bacalhao; a
Saunders Brothers 4 C.
Liverpool -56 dias, brigue italiano Noemi, de 391
toneladas, capitao B. B. Bottaro, equipagem 10,
carga carvao ; a Simpson 4 C.
New-York 47 diaj, patacho brasileiro Jabontao,
de 285 toneladas, eapitb Cunha, equipagem 9,
carga farinha do trigo e ontros generos; a Hen-
ry Forster A. C.
Navios saludos no mesmo dia.
Lisboa -Brigue portuguez Bella Figueirense, ca-
pitao Valente, carga assucar e outros gene-
ros.
Rio da PraiaEscuna hollandeza Elizabeth, capi-
ta* 0. G. Botje, carga assucar.
.Bahia e escala Vapor national Gangalves
Martins, coramandante Nunes. carga varios gene-
ros.
Observagdo.
Suspendeu do lamarao para o Rio-Grande d
Norte a escuna ingleza Fleetw-ng, capitao Mollet^
cam o mesmo lastro que trouxe do Rio de Ja-
neiro.
EOiTAK.

Faculdade de Direito.
' De ordem do Exm. Sr. director se faz publica
a lista dos estudanles examinados em linguas no
proximo findo mez de novembro, cujo re'sullado e
e seguinte :
Lingua nacional.
Approvados plenamente.
1 Alvaro Moreira de Oliveira Lima.
2 Annibal Aurelio Falcao.
3 Antonio Ferreira de Navarro Mello.
4 Antonio Ibiapioa.
5 Antonio Pacitico do Lima.
6 Archimedes Cavateautt da Albuquerque.
7 Emilio Ambrosio'Marinbo Falcao.
8 Firmino Pa* heco Saares da Siia.
9 Francisco da Borja do Nascimento' Feitosa.
to Gercino Ferreira de Lemos**bello.
1 Herculano de Oliveira Torres Galllndo.
12 I-aias Bel lino do.- Santos Andrade.
13 Luiz Barbosa de Siqueira Maciel.
14 Maoeel Maria Tavares da -ilva.
15 Miguel de Souza Borges Leal Gastello Branco,
16 Pelino Joaquim da Costa Guedes.
17 Rodolpho de Albuquerque Araojo.
18 Sfgio Fbrentino de Paiva Meira.
19 Silverio Pernandes de Aujo.*iorgeaho.
20 Temistocles Pompe'o de Albaqaerque 'Figuei-
21 Thedioro Ulysses Torres^wares
Apnrovados
S Abdon Felinto Milaner. Junior.
93 Adolpho Aires Sipioas Barbosa.
i* Artioso Jose de Oliveira Peixoto
25 Afrodinio Vidigal.
26 Aggeo Eduardo Veiloso Freire.
'1 Alcibiades i-avalcante de Albuquerque.
28 Alfredo Alves.Simoes Barbosa.
29 Alvaro Angusto Carneiro Lead.
3d Alvaro Barbalbo Uchoa Cavalcante.
31 Alvaro Lopes llachado.
3t Amaro Rodrigues de Atbaquarque Figaei-
redo,
33 Anisio de Carvamo Paiva.
34 Aalonio Alves Pereira de Lyra.
33 Antonio Auguslo Alves Maciel.
36 Antonio Carlos de Castro Madeira.
37 Antonio Glementiuo Coellio Catanho.
38 Autonio Francisco de Albuquerque.
39 Antunio Ferreira de Mello Santiago.
40 Antonio Gomes de Macedo Coutinho
41 Antonio Jo;eLeite Perei-a.
42 Antonio Luiz Madureira -Maciel.
43 Antonio f'edro de Cysneiro Costa Reis.
44 Antonio Plutarco Rodrigues Lima,
li An'onio Rogerlo de Gouvea Freire.
M Antonio Sebastiao Basilio Pyrrho.
47 Aalonio da Trindade Autunes Mcira.
48 Argemiro Alves Ferreira de Miranda.
49 Angusto Leopoldo Raposo da Caraara.
30 Bernardino Cavalcante de Albaqaerque Mara-
nhao.
51 Captulino Pereira de Barros e Silva
52 Carlos Alberto Burle.
53 Cyridiao Hermillo de Sant Anna Durval.
54fieoHiedes Theodoro da Costa.
55 fiinamerico Angusto do RegoBangel.
56 Eduardo Correa do Rego Barros.
57 Epammondas Francisco Nogueira.
58 F-Urdo IVrtuliano Baudeira Ferrer.
59 Felippe Alves de Oliveira.
(10 Firmino Jose da Silva Burgos.
01 Florismando Torres Gallindo.
6i Franeisco-Epiptianio Goncalves da Rocha.
63 Francisco Gomes Leopoldo de Araujo.
64 Francisco Goncalves do Rego Barros.
63 FranAsco I'aciano Teixaira.
66 Francisco Leopoldo Marinho de Souza.
67 Francisco L.ns Ayque de Meira.
68 Francisco llnhciro de Almeida e Castro.
69 Francisco do Rego Barros.
70 Francisco Wbeiro de Freire Argoilo.
71 Francisco aalustiano de Oliveira Costa.
72 Franklin Eigenio de Magalhaes Seve.
73 Frederico Alves Cavalcante Maciel.
74 Gabriel Cereal io da Camara Goudim.
73 Caspar do Nascimento Rigueira Costa.
76 Genesio de Albuquerque Martins Pereira.
77 Henrique das Merccs Jansen.
78 Ignacio de Barros Barreio.
79 Ignacio da <>sta Britto.
80 Jayme de Albuquerque Rosa.
81 Joao Alfredo de Madeiras.
82 Joao Baptist* de Meilo Peixoto.
83 Joao Bautisln dos Santos Almeida.
84 Joao Carlos Accioli.
83 Joao Correa dos Santos.
86 Joao Felippe ie Souza Lead.
87 Joao Luiz Sem Cavalcante.
88 load Lustosa dx Cunha Pedrosa.
89 Joao de Oliveira
90 Joao do Rego Bf.rros.
91 Joao Taiiano Carneiro de Albuquerque.
92 Joaquim Alves dt Souza Carvalho.
93 Joa |uim Ayres da Silva Costa Filho.
94 Joaquim Domicio Leopoldino Ferreira.
93 J aquim Jose Rodrigues Collares.
96 Joaquim MauricioWanderley.
97 Joaquim Pedro Cavilcaute de Albuquerque.
98 Joaquim Pereira da Rego.
99 Joaquim Rodesino de Albuquerque.
100 Jovino da Silva Santiago.
101 Jose de Amorim PaesBarreto
102 Jose Antonio Moreira Dias Junior.
03 Jose Antonio Pinheiro Lyra.
104. Jose Augusto de Souza Araarantho.
105 Jose de Barros de Audrade Luna.
106 Jose Brandao da Ro.'lia Junior.
107 Jose" Emygdio Goncalves de Lima.
108 Jose Ernesto de Moraes Sarmenlo.
i"9 Jose" Fernanies de Sa e Jorge.
110 Jos6 Goncalves de Albuquerque.
Ml Jose Hilario da Silva Costa Cesar.
112 Jos6 Libanio Luiz de Souza.
113 Jose Solano Carneiro da Cunha.
H4 Joie Tavares da Cunha Mello.
115 Julio Augusto de Luna Freire.
116 Justiniano Barbosa de Lucena.
117 Leopoldo Marinho de Paula Lins.
11* Liadcipbo Isbello CnrtRa de Aranjo
tLrftt Awtonio Ferreira Gualberto.
Luiz Gonzaga de Almeida Soares.
Manoel Antonio I'inh iro L\ra.
Manoel Candido Ribeiro de Menezes
123 Manoel Feijo de Carvalho.
124 Manoel Filgueira de Meriezes.
125 Manoel Maria de Araujo.
Ii Manoel Marques da Fotiseca Mello.
127 Manoel Ramo- de Araujo Pereira.
128 Miguel Alves Feitosa.
129 Miguel Archanjo do Nascimento Feitosa.
130 Nylo ahete Pereira de Andrade.
13' Olavo Augusto de Magalhaps.
132 Octaviaao Coutinho Espindola.
133 Pedro Celestino Felicio deAraujr
134 Probo da Silva Camara.
135 Tarquinio braulio de Soasa Amaranlo Ju-
nior.
136 Tobias Cesar de Andrade.
137 Theophilo Modesto Soares.
138 Virgilio Ramos Gordilh i,
139 Zozimo Zenaides da Caraara.
Foram reprovados 110 com attestados=2o do
bacharel Antonio Columbano Seraflco de Assis
Carvalho, 20 de Albino GonQalves Meira de \ as-
concellos, 13 do bacharel Jorge Dornellas Ribeiro
Pes-^a, 3 do professor Gemimano loaqaim de Mi-
randa, 8 de Jose Francisco Ribeiro de Souza, 7 do
Dr. Augusto Carneiro Monleiro da Silva Santos, 6
do bacharel Jose Soares de Azevedo, 4 do padre
Silvestre Jose da Rocha Pinto, 3 do bacharel Joa-
quim Goncalves Aleixo, 2 de Felix Joaquim Fer-
reira de Carvalho, 2 do professor Salvador Henri-
que de Albuquerque, 2 de Manoel Alves Vianna,
2 de Fr Antonio de S. Camillo de Lellis, 1 do Dr.
Jose Soriano de Sonza, 1 do bacharel Francisco
Jose Rabeilo, 1 do bacharel Leouardo Fraucisco
de Almeida, 1 do Dr. Gudavo A. de Sa, I de .In-
tonio Marques de Amorira, 1 do pro'essor Sebas-
tiao Antonio de Albuquerque Mello, 1 de Jose
Duarte Calisto e 1 do professor Antonio Januario
da Fonceca. Nao compareceram a prova oral 13
e 20 as chamadas,___________________________
De ordem da directoria sc faz publico ao
professor de instruccao elementar da pwoacao da
Vicehcia, Henrique Clorindo Taylor, que se acha
marcado 0 dia 15 do corrente mez para o seu
comparecimento nesta reparticao, pelas 12 horss
da ii anna, afim de ser mterrogado sobre o facto
do abandono de sua cadeira, segando commanicou
o respectivo delegado fitterario em offlcio de 25
de junho deste anno ; .-orfue se. faz publico pelo
presente, visto igaorar-se a residencia do dito pro-
fessor.
Secretarii da instruccao publica de Pernambu-
co, lO'de dezembro de 1*73.
------ 0 procorador fiscal da thesonrana provincial de Pernarabueo declara aos contnbam-
tes dos irapostos de deciraa, 4, 5 e 8 por ceuto, mascates, kerozeoe, carros e gado vaccum, a caryo da
collctoria de Igaarassii,do exercieio de 1872 -1873, que Ihes fica marcado o prazo improrpgavel de JO
dias,a contar dapablfcacao deste,na conforraidade da lein. 891, art. S3,parasolicitarem da sec$aodo
contencioso as respectivas guias, aflm de recolhercm fseus debitor provenientes dos mesmos im-
postos, certos de qae pao fazendo dentro desle prazo, proceder-se-ha a cobranca judicialmente,
publieando-se para isto a relacao dos devedores abaixo transcripta.
Seccao do contencioso provincial de" Pernambuco, 8 de dezembro de 1873.
0 procorador fiscal interino,
Miguel Jose de Almeida Pernntubuco.
Relacdo da dlcida do exercieio de 1872 d 1871, proeeniente dos impostos 4,& e8 per cento,
maseates, kerosene, carros, e gado vacum, d cargi da collectoria de Iguarassu.
IGUARASSU E ITAPISSUMA.
Decima
Matriz n. 7. Joao Lins Cavalcante de Albuquerque
Dita n. II. Os uerdeiros de Roberto Gomes de Fraga
Dit i n. 15. Herdeiros de Francisca LanrinJa
Direita n. 1. Sobrado pertencente a camara muni-
cipal
Dita n. 21. Francisco Leitio da Costa Machado
Ferreiros n. 41. Djujinges Jose" da Silva
Livramento n. 3. Herdeiros de Roberto Gomes de
Fraga
Dita n. 5. Os mesmos
Dita n. 9. Os mesmos
Dita n. 17. Irraandade de Nossa Senhora do Rosario
dos Brancos.
Dita n. 19. Cosine Damiao Pereira da Luz
A^ougue n. 3. C&sa do acougue pertencente a cama-
ra municipal
Dita n. 3. Herdeiros de Roberto Gomes de Fraga
Dita n 9. Confraria dos santos Cosme e Damiao
S. Sebastiao n. 7. Amaro Joaquim da Fonceca Gal-
vao
Dita n. 21. Martiniano Jose Ribeiro Pessoa
Dita n. 30. Luiz de Franca Bezerra
Dita n. 51. Joaquina Leopoldina da Motta
Gloria. Pedro Alexandrino Gomes de Oliveira
Dita. Cosme Ramos dos Santos
Dita. Pedro Thomaz de Sant'Anna
Dita. Joanna Thereza de Jesus
Direita. Joao Valerio de Souza
Passagem n. 3. Joao Dias da Costa
Dita. Deodato Celestino de Mello
Dita. Manoel Gomes de Fraga
Dita. Jose Damasio
T.apiche. Casa do trapiche pertencente a compa-
nhia
Dita. Manoel Gomes de Frago
Dita. 0 mesmo
Dita. Jose de Souza Sarapiao
Dita n 13. Maria Florinda Gonceicao Ferreire
Paraizo n. 1. Vicente Ferrer de Mello
Dita n. 5. Antonio Joaquim Guedes
Dita n. 14. Trajaoo Duane da Silva
Dita. Antonio Rodrigues Fernandes
Camboa n. 9. Dionyzio Alves de Souza
Dita. Maria da Gonceicao Roge
Dita. Maria da Conceicao
Dita. Antonio Geraldo da Silva
Meio. Maria Francisca da Silva
Cemiterio. Manoel Vicente Corroia
Dentro. Jose Maria da Trindade
Dita. Francisco Jos6 de Farias
Dita n. 7. Umbelina Theodora Nunes Madureira
Dita n. 19. Manoel Lopes de Albuquerque
Dita n. 26. Anselmo Ferreira Camara
Dita n. 30. Antonio Theodaro Nunes Malureire
Praia n. 21. Vmva de Marcoliuo da Paz
Dita. Jose Alves Pragana Guabiraba
Dita. Rita Felomena da Paz
Dita n. II. Joao de Luna Freire
Fogo. Thomaz Jose da Silva
Dita n. 22. Francisco Thei doro de Macedo
Travessa da rua de Dentro. Viuva de JpSo Paulino
do Albuquerque
Lima. Bonifacio Jose de Oliveira
Dita. Viuva de *ntonio Jose Guedes
Ponle. A leixo Marques da Paz
Nova-Cruz. Joao Carlos Augusto Cavalcante Vellez
Dita. Manoel Jos6 de Albuquerque Gadelha
Ramalho. Herdeiros de D. Maria Ignacia da Aunun-
ciacSo
Qualro por cento.
Tabatinga. Joao Vieira de Albuquerque, taverna
Cruz do Reboucas. Jose Ignacio Ovidio, dita
Deslerro. Antonio sebastiao de Mello, dila
Pasinadu. Jose Alves do Prado, dita
Itapissuma. CambOa Doraingos Alves de Abreu.
Wdita '
araizo. Americo Jose de Oliveira, dila
Meio. Caelana Maria da GonceiQao, dita
Fassagem. Tranquillino dos S.atos Cavalcante e
Meilo. dita
Trapiche 13. 'Maria Florinda da Conceicao Ferreira.
dita
Pilar de Itamaraea. Travessa da rua de Dentro.
Fortunato Vieira da Silva, dita
Jaguaribe. Senhorinho de Barros Dias, idem
Dita. Joaquim Jose de Barros Moraes Junior, dita
Joao Duarte do Espirito-Sanlo, dita
Dita. 0 mesmo, miud nas
Villa Velha. Briles Bezerra de Mello, taverna
S. Paulo. Antonio Pergentino Moreira de Souza.
dita
Rio do Ainbar. Boaventura Qctaviano do Paiva,
dita
Dita. Ignacio da Rocha, dita
Dita. Cosme Monleiro de Santa Rosa, dita
Manoel Carneiro de Albuquerque, dita-
Mauoel Cosme Damiao, dita
Cinco por cento.
Iguarassu.Acougue n. 9. Casa pertencente a confra-
ria dos Santos Cosme e Damiao
Livramento n. t7. Casa pertencente a irmandado dos
Brancos
Oito por cento.
Iguarassu.Direita n. 25. Francisco Xavier Cavalcan-
te, cartorio i960
Imposto de 20&00O sobre mascutes,
Q secretario.
Joaquim Pereira fa Silva Guimaraes.
Ht
iiUMtm
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, mpetenlemente autorisada
pela presidencia, em data de 3 de seteiabro do
anno proximo Gndp, e de conformidade com 0 que
dispde. 0 9.* art. 52 do seu com romisso. per-
muta por apohces da divida publica a fazenda de
criar g'ados que possue 0 patriraouio dos esta-
belecimentos de caridade a seu cargo denomina-
da Carnauba sila ao termo de Floras desta
provinoia, com terrenos para criar e plantar, e
com algum gado ca vallar e vaccum.
Recebe para isto. propostas nesta secreiaria ate
o dia 10 de dezembro do a ir rente anno.
Secretaria da saata casa da miseriwrdia do Re
life, 10 de outubro de-1873.
0 escrivio,
fPdro ftuft igKS. de Sauza.
CONSL'tADO PRO.fNCl.AL
Pela. mesa do consalado provinrial se a visa aos
dexedorea da contribuicao iridamoisadora dos ap
parilhos e servjeo dos mesmos relative ao pri
meiro semestre de 1872, perteucentes a compa
nliia Drainage, que a arrecada^ao proveniente
dos referidos debaos ja liquidados com a.malta
-de9 0(0.continuaa -ser cobrada nesta reparticao
com 0 prazo da 6G-dias, segundo determinoa 0
lllm. Sr. inspector dathesoararia por portaria de
haje datada.
Ccusuiado-pwvtaciil, I de dezembro de 1873.
Antonio Orneiro Machado Ries,
Administrador.
2
_ 0 ^9
2 4> a 3
I I 3 i r
1 MM
5*'. 00 4486 4162 6*048
24700 *243 5081 3*024
4*320 *388 *139 4*837
8*640 *777 5239 9*676
3*400 4486 5162 6*048
2*160 *194 5064 2*418
3*240 *291 5097 3*628
44320 *388 5129 (5837
2*700 *243 408. 35024
2*160 *194 5064 24418
3/240 *291 5097 3*628
8*640 *777 Mf9 9*676
4*320 *388 4129 4*837
8*640 *777 *259 9*676
9*000 4810 5270 10*08q -3*628
3*240 *29l *097
2*160 *194 5064 2*418
9*720 *874 *29l 10*883
SjftM *534 *178 6*632
2*160 194 401)4 2(418
1*720 *155 4051 15934
2*1(0 *194 *(64 2*418
6*480 5383 41C4 75W7
4*320 *388 4129 4*837
6*480 *383 4194 7*257
3*240 *291 4097 35628
6*480 *383 *m 7*257
17*280 1*535 4518 19*333
2*160 4194 *<64 2*418
2* 60 5194 4064 24418
2*160 *194 4064 25418
6*'i80 4581 4194 7*257
6*'. 80 *583 4194 7*257
64480 |883 *94 75257
3*160 4194 4064 2*418
6*480 *583 4194 7*257
4*320 4388 4129 4*837
1*728 153 V051 1*934
2*160 *194 5064 2541*
5*508 5495 4165 64168
2*7t>0 4243 4081 35024
2* 60 4194 4064 24418
2*764 4248 4082 35094
2*160 4194 4(64 24418
24160 4194 4064 2*418
6*480 5583 4194 7*257
1*620 4145 *048 4 5813
2*160 4194 4064 25418
34240 4291 ,3097 34628 125096
10*800 4974 4324
3*?40 4291 4097 3*628
2*764 a}248 5082 3*094
2*160 *<84 4064 2*418
5*940 *534 . 5178 6*652
55400 *486 4162 6i<48
1*620 4145 .4048 1*813
34508 *493 5165 0*168
5*508 *475 *163 64168 124096
10*800 4971 sm
3*240 J391 4097 3*628
10*800 4972 5324 12*096
0. 2*i00 *2I6 4072 2,5688
1*200 J108 5030 1*344
8*400 *2t6 4072 BfttS
2*400 4216 4072 2*688
2-400 4216 5072 2*688
2*880 4259 *086 35223
2*880 4259 5080 35223
1*440
2*880
4129
5259
5013
4086
Pilar de Itamaraea. Antonio Marinho Villas-Boas 20*000
Dito. Tito Dias dos Santos 20 tO 0
Iguarassu. S. Sebastiao. Manool Ignacio da Silva 20*0 0
Tapipire Novo. Joao Pedro 20*000
Tres Ladeiras. Joao Henrique de Moraes 20*000
Cruz do Reboucas. Cypriano Filgueira Galvao 20*000
Imposto do kerasene.
10*000
Francisco de Me-
086
1*800
15800
I58OO
4*800
15800
ii
*028
5600
5900
5600
f600
5600
500(1
5300
5900
450
Pasmado. Jose Alves do Prado
ItapissamaParaizo n. 18. Jose
nezes
Dita. Americo Jose de Oliveira
Meio. C iet ma Maria da Gonceicao
Passages. Tranquelmo dos Santos Cavalcante e Mello
Trapiche n. 13. Maria Florinda da Conceicio Fer-
reira
Pilar de Itamaraea. Travessa da rua de Dentro. For-
tunata Vieira da Silva
Villa Velha. Ciina. Francisco Justino de Almeida
Villarira
Rio do Ambar. Boaventura Octaviano de Paiva
Dita. Ignaria da Rocha
Imposto sobre carros.
Iguarassu. Major Pedro Jose Montenegro, 1 cabriolet
de4 rndas 85000
Monjope. Baroneza de Vera-Cruz, 1 carro de 4 rodas 1650 (0
Dito. A mesma, 1 cabriolet de 4 rodas 16000
Imposto de 2&500 por gado vaccum.
Pilar de Itamaraea. Antonio Raposo 7*000 5675
Secc5o do contencioso provincial de Pernambuco, 4 de dezembro de
0 1 official,
lloracio Walfrido Peregrino da Silva.
103000
104000
105000
. 55000
105000
10*000
10*000
10*000
10*000
5900
4800
5900
4480
15440
15440
5300
530.)
5300
4150
5300
4000
*300
5300
5300
4240
540
*480
4225
1873.
14612
35223
25880 2*4' >0 2*400 1*440 1*440 2*400 4259 42 6 4216 5129 4129 526 5086 *(.72 4072 4043 4043 5072 352o 25688 25088 14612 1*612 i 5688
2*400 4216 4072 2*688
214"0 2*400 2*400 25400 2*400 3. 4216 52 6 5210 *2I6 4216 5062 5072 4072 4072 4072 2*688 25688 25688 um 25688
4*800 5132 5144 5*376
1*200 5108 4030 15344
1*074
225400
22*400
22*400
225400
38*400
225400
115:00
11*200
H32O0
. 115200
556bfl
II52OO
114200
1U200
111200
114200
1749,2'-)
175920
7JM0
0 administrador da recebedoria de ren-
das internas geraMaz publico que, em virtu-
dodadisposi(;aodo art. 12 e da ultima parta
do art. 22 da lei do orgamento vigente n.
2,348 de 25 de agosto ultimo, a multa de
que trata 0 art. 30 ia lei n. 1,507 de 26 de
setoinbro de 1867, que 6 de 6 % a que es-
tao sujeitos os seguiates impostos, a saber:
deciiua addicion&J, imposto pessoal, dito
sobre iudu-trias e profissfies e taxa de es-
cravos, sera elevada a 10 %. ^0 dia 21 do
corrente em diante, pelo que previne a to
ds os coirtribuiates dos referidos impostos,
relatives ao exercieio uquidaeao, que sometile ate ao dia 20 des-
te mez 6 que podem e devem realis r 0 pa-
gamento ou em lttSo dos cobradores ou nes-
ta recebedoria, certos da que se nao fuerem
ate ao ref-rioo dia 20, serio obrigados a
pagar judiciabneote es supraditos impostos
com a rauHtaTle V*"7o-
' Recebedoria de Pecnambuco, 1 de dezem-
bro de 1873.
'Manoel Gamefrode'Soma Lacerda.
SANTA CASA DA MISERIGORDIA DO
RECIFE.
A jaata administrativa da s^nta caada n:
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to dos generos abaixo declarados, qae tem de con-
samir os est.ibe!ecimeutos pios a seu cargo, ex-
ceptuando o hospital Pedro II, no trimestre de Ja-
neiro a marc/j do proxim) anno de 1874. Rec-be
propostas na sala de saas sessoes, pelas 3 horas
da tarde do dia 18 do corrente.
Aletria, kilograromo.
' Aguardente. litre.
Azette doce, idem.
; Arroz do Maranhao, idem.
Bacalhao, kilogrammo.
'Ban'ia oe porco, idem.
Batatas, i.lem
Cha hyss'-n, idem.
Ca'e em grao, idem.
Cirne secea, idem.
Gebolas, c nto.
Farinha de mandioca da terra, litro.
Feijao mnlatinho, idem.
Farello, sacco.
Fumo do Rio, kilogrammo.
Gaz. lata.
Milbo, sacco.
Manteiga franceza, kilogramme. 2
Potassa, idem.

?,


idem.
. idem.
jjtoca, idem,
roucinho, idem.
yelas de earnauba, kilogrammo.
tfaagre, litro
Vinho tiato de Lisboa, idem.
'inho branco, idem,
relas stearinas, kilogrammo.
il, litro.
A junta administraliva da santa casa da raise-
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimeu-
to de pio bolaclia que cem de consumir todos os
estabelecmientos pios a sea cargo, no trimestre de
jaiieii'o a margo do prorimi anno de 1874. Rece-
be propostas ua sala de sitas sessoes, petas 3 ho-
ras da tarde do dia 18 do correnle.
A junta administratm da santa casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar o tbrneeimento
de assucar refraado qne tem de consumir todos os
estabelecimentos pios a seu cargo, no trimestre de
Janeiro a marco do proximo anno de 1874. Rece-
be propostas na sala de suas sessoes, pclas 3 horas
da tarde de dia 18 do corrente.
A junta aJministratlva da santa casa da miseri-
rordia do Recife precisa contratar o fornecimento
de carne verde que tem de consumir tolas os es-
tabelecimentos pios a seu cargo, no trimestre de
jaaeiro a mare do proximo anno de 1374. Re-
cebe propostas na sala de suas sessoes, pelas 3
toras da tarde do dia 18 do correnle.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 10 de dczembro. de 1873.
0 escrivao
_________ Pedro Rodriguez de Souza
Pela administracao d >s correios desta pro-
vincia se convida a pessoa que botou na caixa do
correio, no dia 10 corrente, com destino a Maceio,
tuna carta dirigida a Isaac Tarares Costa, a com-
parecer na mesma administracJo, afim de verifl-
car-se uma duvida sobre a referida carta.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS DRBANOS
DO
a
Recife a, Olinda.
E Beberibe.
Esta corapanbia contrata com quern por
inenos o fizer, a ollocacap de 40 a 50 pos-
tes, de madeira de qualidade, como seja :
embiriba preta, sapucaia ,etc., para fiotele-
grapbico da estacdo da Aurora a Encruzi-
Ihada, com -2-*> a 30 palmos de altura e 5
pollegadas degrossurn. Com a respectiva
gerencia se entenderao os proponentes.
Alem dos trans da tabella em vigor, have-
ra nos sab >ados, as 9 12 boras da noite,
trem para Beberibe, tocando em todos os
pontos.
0 gerente,
Laurentino Jose de Miranda.
0 presidente da assemblea geral desta
companhia mandi scientificar aosaccionistas
que por circumstancia imprevista, e quasi
-total falta de numero, deixou de funccionar
a assemblea no dia 10 do corrente, ficando
a sessao adiada para o dia 13 desto mesmo
mez, as 4 horas da tarde"no lugar do costume,
e functional^ dita assemblea com o numero
previsto no art. 11. dos estatutos.
Recife, 11 de dczembro de 1873.
0 secretario,
Luiz Lopes Castcllo Branco.
sociedade e os das commissSes nomeadas para dar
pareeer sobre os praductos a reunirem-se no edi-
licio da exposicao, aflm do constltuirem o jury
que tem de julgar os productos e conferir pre-
raios domingo 17, is 10 horas da manbi.
Lamenha Lins,
__________________1.* secretario.
-_ Por ordera do Dr. juiz de direito da 1.* va-
ra civel desta cidade, tem de ser arrematados no
dia 11 do corrente, depois da audienoia, diversos
objeetos de padaria, maceira, temleira, relogw,
balcao, caixilio, panacum, soueiras, e outran :
os quaes se achim penhoraios nor Antonio Jua
quim Salgado : quern, os pretender din ae a rua
do Vidal de Negreiros n 29, onle existent ditos
objectos, a arreraatagao sera fcita na > ila das au
diencieneias.
= 0 ad iitntstrador da recebe I >r.* de rendas
intornas geraes faz sciente aos cuitnbuii.tes da
decima addicional, que 6 no correute net de de-
zembro que tem de ser pago, sem multa, o pii-
meiro semestre do exercicio de 1873-74, e com a
multa de 6 0[0 depois do referido mez.
Recebedoria de Pernambuco, 5 de dezembro de
1873.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Pela mesa d.> onsulado provincial
_ se faz publieo quo foi prorogado por mais
30 diss, de conformidade com a portaria do
Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial,
de boje datada, o prazo marcado para o
recebiinento, independent'.! da multa. da
contribuicao indemnisadora dos apparelhos,
e service panhia Drainage, corrcspo tdente ao ultimo
6emestre de 1872.
Consulado orovincial, 1." de dezembro
de 1)373.
Antonio Carneiro Machudo Iiios,
Administrador.
Western and Brazilian Tele-
graph Company Limited.
0 vapor Hooper, agora ancorado neste
porto, vai immergir a segunda secgao do
cabo que ha de ligar Pernambuco d Bahia e
Rio de Janeiro, e espera-sa que a commu-
nicacao por tod a a e\tens3o do cabo, desde
o Rio da Janeiro ao Pard sera abcrtd ao
publieo no proximo mez de Janeiro.
As taxas pelos telegrammas expedidos de
Pernambuco serao as seguintes ;
Para o Pard...,......19000 cada palavr.t
a Babia ... ... 13000 n
i> o Rio de Janeiro l?300
Os nomes e o endereoo dos destinatarios
e remettentes serao incluidos no numero das
palavras a pagar.
Telegrammas para lugares dentro do pe-
rimetro d'um kilometro da estagao tele-
graphica serao entregues livres de despezas,
mas os que exeederetn pagarao 500 rs. por
cada kilometro ou i'rac^do.
Quando qualquer telegramma forentregue
por meios especiaes, a despeza feiti correrd
por conta do re;ebedor.
A somma de 200 rs. serd cobrada para
portes do correio nos telegrammas destina-
dos aos portos do Brasil e a de 500 rs. na-
quelles destinados ao estrangeiro.
0 remetiente do telegramma tem a csco-
Iba de pagar a resposta que desejar seja
dada pelo seu corre?pondente, se este quizer
qoe a resposta s6 conste de 10 palavras, as
palavras (resposta paga) serdo inseridas no
telegramma e cobradas, mas se elle desejar
que conste de maior ou menor numero, entdo
o numero de palavras serd declarado em se-
goida ds palivras resposta paga, por exem-
dlo : resposta paga, quatro palavras e estas
serdo igualraente cobradas; se o remettente
para maior seguranca quizer queo seu tele-
gramma seja repetido o poderd faze-, pagan-
do a metade do custo do mesmo.
Estdo feitos aceordos em virtudfi dos quaes
podem expedir-.se telegrammas para todas as
partes do mundo: do Pard pelo vapor ame-
ricano que sahe daquelle porto para S. Tho-
xnaz a 5 de cada mez e dalli serao telegra-
pbados ao seu destiuo, os pre$os para taes
telegrammas que agora podem ser pages
adiantados ate ao seu destino, podem ser ob-
tidos, procurando-se nas respectivas estac,6es
telegraphicas.
Por accordo feito entre duas companhias,
a linba da I'h'ino Brasileira Telegraph
Company-serd trabalhada por esta empreza, e
no complemento das linbas, o que se espera
dentro em poucos mezes haverd comtnuui-
cagao telegraphic directa entra as principaes
-cidades do Brasil, .Montevide"o,Buenos-Ayres
e costa do Paeifico.
Pernambuco, 6 de dezembro de 1873.
Roberto M. Hyde,
Gerento do trdfego.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publieo que
na sala de suas sessoes, no dia 11 de dezembro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
Rua de Hortas
Loja do sobradon. 41.....306*000
Rua da Virac4o
Casa teorea n. 7 (fechaia) 312/000
Travessa de S. Jose.
Casa terrea n. 11........ 201S000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209/000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421/000
Rua da Cruz
Sobrado n. li (fechada) .... 1:000/090
Rua da Guia
Casa terrea n. 25.....:. 200/000
Ruo do Pilar.
Casa terrea n. 98.......241/000
Casa tereea n. 99 (fechada) .... 351/000
Idem n. 100.........241/000
Idem n. 102 ... i ... 241/00')
Idem n. 108 .......207/000
ftua do Rosario da Boa Vista
Case terrea n. 58........2i5/000
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (fechado) 860/000
Os pretendentes dever io apresentar no acto da
arrematacao as suas fiancas, ou comparecerem
acompannados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quantia em
que for seguro o predio que contiver estaboleci-
mento commercial, assim como o servico da lim-
peza e precos dos apparelhos.
Secretana da santa casa da misericordia do Re-
cife, o de novembro de 1873.
0 escrivao
Ped>v Rodriguez de Souzif.
COSSOLAOO PROVINCIAL.
Pela adrniniijtracio do consulado provincial faz-
se publieo aos respectivos contribuintes, que do
1 dn dezembro vindouro comeca a correr o prazo
do3 30 dias uteis, marcado no art. 21 do regula-
mento de 16 de aDril de 1842, para a cobranca do
primeiro semestre dos impostos da decima urba-
na e 5 OiO sobre a renda dos bens de ralz perten-
centes as corporagoes de mao morta, no corrente
exercicio de 1873 a 1874, incorrendo na multa de
6 0[< aquellesdos contribuintes que nao os satis-
fizerem ne.-te prazo
Cansulado provincial de Pernambuco, 28 de
novembro, de 1873.
0 administrador,
______________A. Carneiro Machado Rios.
SOCIEDADE
Propagadora da instrucodo publica, na fre-
guezia do S. Jose do Recife.
Nao se tendo reali?ado no domingo 23 de no-
vembro ultimo, par falta de comparecimento de
numero legal de socios, a eleigao dos membros que
devem formar o conselho parochial de^ti socieda-
du na frcguezia de S. Jos6, que tem de funccionar
duranic o anno de 1874, de novo sao coavidadoa
todus os senlwres socios a comparecerem no do-
mingo 14 do corrente, ptJas 10 bora^ da manna,
na rua Dircita n. 23, 2 andar, afim de elegerem
diio conselho ; prevenindo-se que em face da 2"
parte do art. 24 dos nossos estatuto3 sera feita
dita eleica > com qualquer numero de socios que
oompareeer..
Secretana do conselho parochial da socieiade
propagadora da instruccao publica, na fregnezia
de S. Jose, 9 de dezembro de 1873.
0 secretario
Levino Chacon.
Diario de. Pernambwio
300 re. por 15 grammas on fracgae de 15 gram-
mas, a estes a de 40 re. por 40 grammas ou frac-
?ao de 40 grammas, na progressao esubelecida
nas tabeliasC e Dannexas as instrucr^es do 1
de dezembro de 1866.
0 administrador
Affonso do Rego Barros.
-~y .-. !-------------.
AS IMCHS 4DM1TTIDAS
NA
DE
Arienna d'Austria.
0 proprietary desta importanle colleccao de Fi-
gures de Cera, o mais perfeito trabalho deste ge-
nera que tem apparecido na America, verdadei-
ro primor d'arte, ja pela perfeicio dos contornos
e nataralidade das posicoes, come pela expressio
qae rclatuainente apresenta ; sem outra recom-
mendacao, qae nao seja a veracidade do que dito
flea, tem a honra de participar ao mnito apre
ciador puWico desta Plor da America, que muito
breve pora em exposicao as mais importantes de
suas figures.
Para as vesperas e dias da solemnisada festa
de Natal, tem elle eonsegnido reunir as mais bel-
las preduccSes da arte ceramica, e que bastante
concurrencia devem ter nestes dias, por constitui-
rem um quadro completamente analogo e muito
novo entre nos. E' elle composto de 9 figuras e
representa o nascimento do Hessias.
A Santissima Virgem,
Seu amadoFilho,
S. Jose e Santa Isabel,
S. Joao Baptista,
Um pastor,
* os tres Rcis Hagos -compoem o qua-
dro.
Expora tambem um grupa repre%entando o nas-
cimento sendo as de Cairn, ligiras de cera ma-
cica.
Tem alem diste o primeiro hemem do mundo,
Adao, perfeitamente semelbante ao Adao, que
nos pinta a bistoria. Eva com todos os attraf.vos
que deveria ter a primeira nulher, imponente
por sua belleza, o seduz a coffer da fructa pro-
hlbida ; seduccao que custou kern cara a huma-
nidade I
Apresenta Adao, sentado n'mi rochedo, pedin-
do a Deus proteccao para Cam, seu primeiro fllho,
emquanto Eva, descancada do parto, ora e o
conteinplava amorosamente.
Um trabalho especial era necanica consistindo
li'utn clown fazendo no trapezio os mais difficeis
equilibrios, bem como um zuavo, fumando, aso-
viando, tocando e conversando com o publieo,
serao tambem postos em exposicao.
Um magnifico orgao rtalejo fara as delicias
auricnlares dos respectivosconcurrentes, executan-
do as melodiosas ouverturas de Gnilherme Tell,
Diamantes da Coroa, Statat Mater, Noel, Domino-
noir e varias ontras pecs de escolbidos maestros.
Brevemente annunciara o dia da abertnra e
omdetaluado programma.
Preparem-se para admirar!
0 bom o bello e o
extraordinario.
Rua da Imperatriz n. 49.
Abertura no dia lo.
COMPANHU PERNAMBUCANA
DE
NavegAfOa costeir* a vapor.
RlOTOItMOSO ETAIANDAR*.
0 vapor Parahyba>
commandante Pedro,
seguira para os por-
tos acima no dia 15 do
corrente, as 9 horas
da noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
a. 12.
Para Lisbon
seguira brevemente a barca poi tugueza Gralidao -,
para carga e passageiros trau se tm E. R. Ra
bello C, ma do commercio n. 48.
Lisboa e Porto
Sogue viagem mnito breve a galera portugueza
Ltsboa, por ja se achar com qnasj todo o ceu car-
regaraento tratado* Para a ponca cargc que lhe
falta e passageiros, aos quaes offerece muito bom
commodo : trata-se com Tito Livio Soares, rua
do Vigario n. 17. _______________-
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\a\ e^aeffo eosteira a vapor.
MACEI6, ESCALAS, PENEDO E ARACAJU'.
0 vapor Mandahu,
commandante Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 13
do corrente, as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga at6 0 dia 12 do corrente, encom-
mendas ate" 0 dia 13, passagens e dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sahida : es-
criptorio no Forte do Mattos n. 15.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
llavega^ao eosteira a vapor.
XRAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACx-
TV, CEARA, MANDAHU, ACARACC*. E GRANJA.
0 vapor Pirapama,
commandante Silva,
seguira para os por-
tos acima no dia lo
do corrente, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate" 0 dia 12 do corrente, encom-
mendas ate 0 dia 13, passageiros e dinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Vorte do Mattos n. li.
LE1L40
DE
bens pertenceutes a massa fallida de Anto-
nio Jose dos Reis
Sabbado 13 do corrente
0 agente DIAS, levara novamente a leilao, por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, os referidos bens, constando de joias, mo-
veis, nm cofre de ferro, fazendas e arma;lo exis-
tentes na loja n. 60 do caes do Passeio Publieo,
servindo de base a avaliacio feita, e que se acha
en> poder do referido agente, a rua Jo Marqtiez
de Olinda n. 37, primeiro andar, onde pole ser
desde ja examinado.
Em segaida vender-se-ha a porla do tnesrai es-
tabetecimento dous cavaiios pectenc*r.t ;s aos bens
da referida massa.
GS9
chapeos, floras, chapellinas, chape-os para senho-
ras, gotros, chapeos de sol, cal;ados para ho-
mens, botinas para senhoras, brim branco, sa-
bonetes, agua divina, agna melosse, pos de ar-
roz, bot5es para puahos, ditos para colletes, 1
cofre de ferro fprova de fogo) 1 carteira, 1
balcao de amarello, 1 carteira de dito, 1 dita
de mogno, e outros muitos artigos
SEGUNUA-FEIRA 15 DE DEZEMBRO
A's 10 lt2 horas
No armazem n. 24 da rua do Marquez de
Olinda (outr'ora Cadeia).
ao correr do martetto
0 agente Pinho Borges, levara a leilao, os objec-
tos acima mencionados, por ordem de diversos e
por conta e risco de quem pertencer.
Pacific Steam Navigation Companj
l.inlui qainzenal
0 PAQUETE
espera-se aqui da Europa ate 0 dia 15 de dezembro,
e depois da demora do costume seguira para 0 sul
do imperio, Rio da Prata e costa do Paeifico, para
onde recebera passageiros, encommendas e dinhei-
ro a;; frete.
OS AGENTES
Wilson Rhwc &. C.
14 -^RUA DO COMMERCIOli
Con
Sociedade patriotica Doze
a hro
Sao
CONSELHO DE COMPRAS DO ARSENAL
DE MARINHA.
0 conselho contrata no dia 16 do corrente mez,
avista de propostas recebidas ate as 11 horas da
inanha, 0 forntci-'-ento ao arsenal de marinha, por
tres nuzes, findos em margo do anno proximo
v.ndouro, de carvao de ferreiro, ciraento, e de
carvao coke, assim como tambem contrata 0 for-
necnnenti. pelo mesmo tempo, dos seguintes objec-
tos de fardamento.
i'ara aprendizes artifices.
Bonets de umforme, bonets do servigo, blasas de
brim 1 ranco, blusas de algodao azul, blusas de
panno azul, calyas de b:i:n branco, calcas de algo-
dao azul, camisas de nlgodaozinho, couertores de
la, cobertores de algodao, cintos de couro branco
inv^rnisado, calgas do panno azul, colchoes de
linho cheios de palha, fronhis de algodaozinho,
lencjs de seda preta para gravatas, 'lentoes de al-
godaozinho, sapatoes, saccos de guardar roupa e
travesseiros de linho cheios de palha.
Para artifices avulsos.
Blu calcas de brim branco, calgas de panno aznl, ca-
misas de algodaozinho e cintos de couro branco
invemisado
Para imperhes marinheiros, aprendizes ditos
e marinhagem.
Bonets de panno azul ferrete. calcas de panno
azul ferrete, camisas de brim branco, calgas de
flanella azul ferrete, camisas de flanella azul fer-
rete, camisas de panno azul ferrete, calgas de
brim branco, colchoes de linho cheios de palha,
cobertores de la, fardas de panuo azul ferrete,
lencos de seda preta para gravata, sapatoes e sac-
cos de lona de marinhagem.
Sala das sessSes do conselho de compras de
marinha de Pernambuco, 10 de dezembro de 1873.
0 secretario
___________Alexandre Rodrigues do3 Anjos.
Coiiqpanhiu ferro Carril de Per
nainbuco (outr'ora Pernambuco
Street Railway).
Convido a todos os possuidores de bilhetes de
passagem nos carros desta companhia, ainda exis-
tentts em circulagao com a assignatura de-H.
H, Swift, Asst Treasr, a traze-los ao troco por di
nheiro no escriptorio da companhia a rua do
Brum, em todos os dias uteis, das 10 horas da ma-
nha as 3 da tarde, ate 3l de dezembro proximo
vindouro ; prevenindo, outro sim, que os ditos bi-
lhetes serao reputados sem mais valor para qual-
quer effeito, a partir do !. de Janeiro de 1874 era
diannte, os termos do aviso do ministerio da fa-
zenda de 6 de agosto proximo passado e da por-
taria da presidencia desta provincia de 6 de ou-
tubra corrente.
Recife, em 7 de outubro de 1873.
0 gerente,
________________Gustavo Adolpho Schmdit.
ADMINI-TRACAO DOS CORREIOS DE PERNAM-
BUCO 12 DE DFZEMBRO DE 1873.
Malas pelo vapor Cururipe da eompanhia
pernambucana.
A correspondents qae tem de ser expedida
hoje (12) pelo vapor acima mencionado para Ma-
raanguape, sera recebida at6 as 3 horas da tarde.
0 administrador
Afljnso do Rego Barros.
ma aitiericana e IsrasiSiAra
de paqneles a vapor.
Ato o dia 13 do corrente a esperado de New-
York, por S Thomaz e Para 0 vapor americano
South-America, commandante Jenhiepangh, 0 qual
depois da demora do costume seguira para os por-
tos do sul.
Para fretes e passagens, trata-se com os agentes
Henry Forster & C, rua do commercio n. 8
Risco maritimo
I. Wulff capitao do brigue allemao Coltmar, viu
do fretado do Rio de Janeiro, em. lastro, para car-
regar em um porto entre Maceio e Ceara, e depois
seguir para Falmouth a ordem, e entrado neste
porto com agua aberta, precisa, para occorrer as
despezas do <-oncerto d mesmo navio, a risco ma-
ritimo, a quantia de 0:0 05 pouco mais on menos,
sobre 0 casco e frete do dim navio. Offertas om
cartas fechadas serao recebidas no consulado do
imperil gcrmanieo (onde a carta do fretaraento
pode ser examinada), pelos interessados ate 0
meio dia, do dia 15 do corrente mez de dezembro.
0
Aracaty
com escalas por Macao sahe nestes dias 0 novo e
superior palhab9te nacional Lenillo di Cruz, ca-
pitao e pratico Manoel Caetano da Costa tem
parte de seu caregamento prompto ; para 0 resto
trata-se com 0 consignatario Antonio Alberto de
Souza Aguiar, a rua do Amorim n. 60, ou com 0
capitao a bordo do mesmo palhabote fundeado
confront" ao trapiche da companhia.
DAS
dividas da massa fallida de Amorim, Frago-
so, Santos d C.
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE
A's 11 horas.
0 agente Pinto, cumprindo 0 mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, levara a leilao
0 resto das dividas da massa fallida de Amoiim,
Fragoso, Santos & C, aquellas quenao foram ven-
didas no leilao do dia 27 de novembro proximo
passado. 0 leilao tera lugar as 11 horas do dia
acima dito, no escriptorio do referido agente, rua
do Bom Jesus n. 43, onde os pretendentes poder&o
obter qualquer infurmacao.
Leilao
DE
um variado sortimento de chapeos do Chile,
massa, castor, palha, quer para homens,
quer para senhoras e meninas
QUARTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
A's IO 11 horas.
No primeiro andar do sobrado da rua do
Marquez do Recife 11. 55.
0 agente Pinto fara leilao, por conta e risco de
quem pertencer, de differentes qualidades de cha-
peos para hamens e senhoras, no primeiro andar
do sobrado da rua da Cadeia n. 55, por cima do
armazem dos Srs. Alcoforado, Vieira & C.
Agente Dias

AIMSQS OVERS OS
Offerece-se uma mulher de niyia idade pa
ra para ama de casa de homem solteiro, para
lavar e engommar : a tratar no caes do Ramos
n. 20, com Antonio Joaquim da Hora.
Servente de botica.
Precisa se nm que tenha pratiea : na pharma-
cia Torres, a rua de Marcilio Dias n. 135._____
Aloga-se 0 primeiro andar da rua do ApoHo
n. 7 : a tratar no segundo andar do mesmo.
DA
Festa de N. S. da ConcGicao
da malriz de Nossa Senhora da Pax dos A fog-a-
dos, a qual tem de ser celebrada no dia li'do
corrente, com toda pompa e decencia.
Amanha (13) as 7 horas da noite hastear-se-ha
a bandeira daqnella Virgem.
A's 5 horas do dia 14 subira ao ar uma saJva,
annuncianna 0 dia mais opportuao era que deve-
mos ir prostar-nos aos pes da Immaculada Cob-
ceicao com 0 respeito devido e implorar-lhe sea
auxilio de que precisamos para ganharmos a glo-
ria eterna ; era seguida, as 11 horas, entrara a
festa, orando ao Evangelho 0 Rvd. padre Leonar-
do Joao Grego ; depois do acabado este acto dis-
tribnir-se ha alguns versos ; as 7 hi ras da noite
comegara 0 Te-Deum Luudamos ocenpando a tri-
buno sagrada pela primeira vez a daquella ma-
triz 0 Rvd. frei Igoacio de Santa Umbelina Me-
deiros.
A's 5 horas da tarde do dia da festa tocara di-
versaspegas a musica do 9 de linba, nos iater-
vallos desta soltar se-ha diversos baloes.
ATTENCAO.
Precisa-se de uma mnlher de idade, sadia e
bransa, que affiance sua condncta, para encarre-
gar-se do tratamento de uma menina de quatro
annos de idade e administrar uma casa : qnem
estiver nestas condigoes, dirija-se a rua dos Gna-
rarapes n. 96. Na mesma casa tem duas escravas
mogas para se negociar, acostumada ao servico do
campo.
Offerece-se um homem cem sua mother,
esta para- ensinar priraeiras letlras, graramatica
portugueza, inglez, principios de piano, de deze-
nho, cortar e fazei toda a qualidade de vestidos.
bordar de tapegaria, de branco e crochet, etc. etc.;
0 homem tambem pode ensinar primeiras lcttras,
escreve bem e entende de escripturagao commer-
cial, serve para um bom caixeiro de engenho ou
adminhtrador, e sujeila-se a outro qualquer ser-
vico ; sao portuguezes, e por terem dous filhos,
um de 3 anno., e outro de 5, se nae houver qnem
queira marido e mulher, tambem se separam, indo
os filhos na companhia da mai : quem pretender,
dirija-se a rua do Imperado.-, armazem de trastes
numero|48.
Ad COSMItl Id
0 abaixo assignado fai publieo ecom especia-
lidade ao respeitavel corpo do commercio qne
nesta data comprou a taverna sita a rua de D.
Maria Cesar n. 6, ao Sr. Antonio Jose Bias Pi-
nheiro, ficando unicamente a seu cargo uma con-
ta da quantia de 250*000, e por nada mai"
se responsabiliso.
Recife, 6 de dezembro de 1873.
______. Manoel Gomes Biaga.
Otferece urn caixeiro com pratiea de taverna,
da-se fiador da sua conducta : a tratar na rua Di-
reita n. 35. '
Aluga-se barato, umas meia-aguas novas,
na travessa das Barreiras. (becco do Aquino) : a
tratar na rua do Cotovdlo, n. 25.
Para o referido porto pretendeseguir com a pos-l
sivel brevidade 0 brigue portuguez D. Anna, por*
ter ja algunn carga engajada ; e para a que lhe
alta, que recebe a freto commodo, trata-se com
os consignatanos. Joaquim Jose Gongalvcs Bjitrao
& Filho, a rua do Commercio n. 5.
i j
Agencia de leiloes.
RUA DO MARQUEZ DE OLINDA H. 37, 1 ANDAR.
0 abaixo assignado tem : honra de scientificar
ao respeitavel publieo, com especialidade ao corpo
c< mmercial desta praga, que acaba de ser nomea
do agente de leilOes, em cujo exercicio, promette,
se eaforgara para bem -merecer a confianga de to-
das aquellas pessoas que se dignarem honra-lo,
encarregaudo-lhe de negooios tendentes a sua
proiissao.
Desde ja o abaixo assignado anteclpa os seus
agradecimentos para com aquelles que o proenra-
rem : o que poderao faier dirigindo-se a rua do
Marquez de Olinda n. 37, 1. andar
Recife, 7 de novembro de 1873
Joaquim Dias dos Santos.
LEILAO
DE
Sddedffile Keirealiva Beilalbr-
iiidnia.
De ordem do Sr. presidsnte, convido a todos
os Srs. socios desta sociedade, a reumrem-se em
assembled geral ordinana, domuii-'o 14d, corren-
te, as 10 horas do dia, afim de pruceder-se eleicao
do conselho que tem Ue funccionar no anno pro-
ximo vindouro.
Secretaria da sociedade Recreativa Bella Har
mouia, 11 de dezembro de 1873.
0 1 .-ecretano .
___________________ R. Santos.
Aluga-se em Beberibe de Baixo, roa de San-
to Antonio, uma excellcnse casa, acalat^a de novo
e com comniooos paia lamilia : na rua do Impe-
rador n. 9 se dira quem aiuga.
avo lugiiio.
100^000 de gratifica^o
Desappareceu de novo, de bordo da barca bra-
Uileira S. Jose, o escravo Joaquim, preto de ca-
Tao, o qual anda bem vestido e calcade, deixan-
do crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Esse escravo pcrtenceu ao fallecido Dr. Olym-
Marcellino da Silva, que o havia comprado na
provincia de Minas (era S. Joao d'El-rei ou Ouro-
Preto), e com elle seguio para o Rio de Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quem o compraram 03 abaixo essignados.
Sabe cozinhar, occunagao a que estava dedic&do,
e conhece se pela falla que 6 afneano. x
Offerece-se a gratificacao acima a quem o ap-
prehender e roga-se a todas as autoridades a sua
caplura. /
Recife, 6 dc outuiru de 1873
____________- Josd-da silva Loyo & Filho.
De conformidade com o disposto no art. IK
dos estatutos convoco aos senhores herdeiros da
propriedade commum Apipncos que moram fora
da cidade e seus suburbios. para a reuniao geral
ordinaria. que deve ter lugar na segunda domin-
ga do mez de Janeiro vindouro pelas 10 horas da
manna na capolla da mesTna propriedade.
Apipucos, 10 de dezembro do '873.
Clau lio Dubcux.
Triumpho da
Alieiii'iio.
Arrenda-se o siiio deuominado Hortinha, junto
ao Seminario de Olinda, do lado do norte, com
excellentes oivores de fruclos de d fit rentes qua-
lidades e pogo de muito boa agua de beber : a
tratar no mesmo, das duas horas da tarde em
diante.
13 HUH'
Companhia Franceza de Kavega-
(io a vapor
Linha mensal entre o
Havre, Lisboa, Pernambuco, Rio de
Janeiro, (Santos, somente na vol-
ta ) ^Montevideo, BuenosAyres,
(com baldeacao para o Rosario).
STKAHER
VULLE HE SANTOS
Commandante I-efevre.
E' esperado da Europa, ate 22 do corrente, se-
guindo depois da indispensavel demora para os
portos do sul de sua escala.
Relativamente a fretes, encommendas, passagei-
ros, para os quaes tem excellentes acommodajoes
por pregos reduzidos : trata-se cem
OS CONSIGIUTARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
42Rua do CommercioEntrada pela rua
do Torres.
ADMIMSTRACAO DOS CORREIOS l)E PERNAM-
BUCO 12 DE DEZEMBRO DE 1873.
Malas pelo vapor Pard di companhia
brasileira.
A correspondencia que tem de ser expedida
hoje (It) pelo vapor acima mencionado para os
portos do sul, sera recebida pela maneira se-
guinte :
Maces de jornaes, impressos de qualquer natu-.
reza c cartas a registrar ate 2 h ras da tarde.
cartas i.rdi iaria> aid 3 hora? da tarde, e estas'ate
3 l|i, paga mIi port'- di
As earns ejorna-s qgjjt drrigir.m ao Rio da
Prata, pagarao jjvevi iquellas a taxa do
^^<^-<
nmz
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\ft\egagao eosteira a vapor.
MAMANGUAPE.
0 vapor CorurijM. com-
mandante Santos, seguira para
o porto acima no dia 12 dc
corrente, as boras da tarde
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro a
frete ate as 2 horas da tarde do-dia da sahida:
escriptSrio no Forte do Mattos n. 12.
it km; I r:
Ligeiro 111
Para o Rio de Janeiro preteode segnir com a
possivel brevidade o brigue Ligeiro HI, de 1*
classe, por ter parte da carga engajada, e para a
que lhe falta, tiata-se com <>s consipnatarios Joa-
quim Jose Guncalves Beltrio & Filho, a rua do
u>mmercio n, S
13
Sexta-I'eira 1% do corrente.
Na rua do Visconde de Albuquerque n. 17, antiga
rua da Matrix.
0 agente Martins fara leilao, por conta e risco
de qnem pertencer, de uma mobilia de jacaranda,
a Luiz XV, com tampo de pedra, 2 cadeiras de
bala'ngo, 1 mesa elastica de mogno, 4 quadros com
molduras e gravuras finas, 1 castigal de crystal
com 5 luzes e porta bouquet, 1 columna de mog-
no, 1 marqueza de amarello, cadeiras de jacaran-
da para sala de jantar, 1 mesa de faia com pedra.
1 binoculo de maifim, garrafas finas, gaiheteir, e
tnnitos outros objectos que serao vistos no dia.do
leilao e se acham muito bem cconservados.
A's 11 horas do dia acima, na rua do Visconde
de Albuquerque n. 17.
LEILAO
DE
moveis, 3 pianos novos, armagSes, mesas, cartel-
ras e soalho do armazem da rua do Bom Jesus
n. 20.
HOJE
0 agente Pinho Borges vendera em leilao, 3 ri-
ces pianos, novos, ainda encaixotados e d'um dos
melhores fabricantes, I mobilia de jacaranda com-
pleta, nova e de gosto, espelhos, jarros, redomas
com (lores, escarradeiras, mesas, cadeiras avul-
sas, aparadores, quartinheiras, camas para casal
e outros moveis, 1 cofre de ferro trancez, 1 balan-
ca com conchas e terno de pesos, 45 latas de pei-
xes. 12ditas de doce em calda, armac3o de lou-
ro, mesas e soalho, no armazem da rua do Bom
Jesus n. 20.
0S7
Sociedade Monte-Pio Santo
Amaro.
Tendo-se convidado pela quarta vez os Sr?. so
cios para se reunirem em assembled geral e nao
comparecendo numero legal, deliberou o Sr. pre-
sidente que de novo se convidasse os Srs. socios
para comparecerem sexta-feira 12 do corrente, as
7 horas da noite na sede desta sociedade, ficando
scientes os Srs. socios que a sessao tera lugar com
o numero de socios presentes._____________
Precisa-se de nm feitor que entenda de plan-
tagoes e traur de 11 ores' para um siUo em Sant'-
Anna : trata-se na rua do Praia n. 28.

.>*-



Criado
Prccisa-se de um criado para
na thesouraria das loterias.
casa de familia
Padre.
Para Lisboa
egoira com brevidade o brigue iiortnguei Bel'.a
Figuetrense; Mia carga e pas-
E P.. r.abc rua do
rai 4. '
objectos de ouro e prata e
muitos artigos do uso do-
mestico
Hoje
ds ll horas
NA
18-Hki d'l.riperadoM6
pe!u agente ./lartius.
Deseja-se um sacerdote para diier as missas do
Natal em um engenho : a fallar no armazem n.
30 da rua do Imperador.
D. Theotonia Leite Monteiro, previse ao res-
peitavel publieo, quo nesta data constitue por
seus procuradores para o nm de receberem a he-
ranca deixada por seu marido Manoel Felix Mon-
teiro, na cidade da Palma, provincia de Govaz,
ao capitao Joao Benigno de Mello e a seu filho
Joao Teixeira Leite, qne para la seguem aflm de
recebe-la : sao estes seus uuicos procaradore?,
a annunciante protesta proceder criminalmente
contra quaesquer outros que por ventura se apre
sentem.
Ouricnry, 17 de novembro de 1873. ____
Pede-se ao Sr. administrado' da recebedo-
ria das rendas internas geral que mande decla-
rat, para esclarecimento dos contribuintes, qnal
& a decima addicional, de que trata seu edital pa
blicado neste Diario.______________________
Precisa-se de um menino para caixeiro de
taverna de 12 a 14 annos de idade. qoe tenha
alguma pratiea e que de" fiador a sua conducta :
ua rua Velha de Santa Rita n. 3.
Em tem pos mbrJernos nenhum desculiri-
mento opeuromaior rovolucao no modo d
curar anteriormente em voga do que o
IWORAL 1 mWBIilTA
TANTO >*0 TRATAMENTO
f
Tosse,
Asthma,
RouquidSo,
DA
600^000.
Precisa-se da quantia supra a juros ; pagando-
se mensalmente os juros convemionados e 502
do capital, ate c-ncfusao do pagamento Queul
quizer fazer este negocio annnncie.___________
Aluga-se a casa terrea n. 42 da rua da ma
triz da Boa-Vista, *4 da rua do Nacente, ao p6
da matriz de S. Jose, casa feita a niuderna e com
bastantes cominodos por 224000 mensaes, e a
cazinha pequena n. 19, do becco do Dique | or
12j0i)0 : a iratar na ma In M dre de Dens n. 46
Ama o criado.
Na rna di Ponte Velha n I, precisa-se de nme
ama qiiH -ailn coziuliai- e c-mprar para casa de, ,
familia e mi ,.. <>.,< e de um c-iado p-ra '?'" 'nr;^ l"so remedio.saomais quesuffi-
ervigos (ipinc-iicos. I'kmi es para sustentarsnt aopiniaodo
Crupo,
Thisica,
Resfriamentos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expecturagao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfeimi-
dades da Garganla, do, Peito e dos
OrgHos da respirueffo, que tanto
atormentam e fazem soffrer a humanidado.
A maneira antiga de curar consistia ger&l-
mente na applicacao de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de subst&n-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, nao faziam
sendo enfraquecer e diminuir as forcas de
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruigao inivitavel de sua
victima I Quam diflerente e pois o effeito
admiravel do
FEZTOBAL DE AUACAHUIIAl
Em vez d8 irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos soflrimeritos ao doente,
Calma, modifica e suavisa a dor.
Alii via a irritacao,
Desenvolve o entendimento,
Tortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rapid*
ate o ultimo vestigio da eniermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa, (os
entos dos collegios de medicina de Befu'm)
tostiMcam sorem exactas e vert';leiras estas
rolagdes anaiogicas, alem disso a exp*-
rieucia de milhares da pesso?* da America
Hespauhola, as quaes foram curadas com
.
P
.


TT
xi.'

/
+
Diario de Pernambuoo Sexta feira 12 de Dezembro de 1873.
FUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO DRUM H. S2
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senhorea de engenho e oulros agricultorca, e empregadoiea da m
.omplei.i qoe abi tern; sendo todo superior em qoalidade e fortidSo; o que com a ins
peccio peesoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
Vftnnt*Aik a rnrioa Alarrna dop mais modernos systemaa e em ta
? ayyji OS W l uuas U lig JO. manhos convenientea para aa diveraas
orcuuMUnciaa doa senhorea proprietaries e para descarosar algodao.
MoeildaS d.0 C&HI1& d8.lod08 tatnanho8, a^melborei qoe aqui
Sodas dentadas t"*"*** ***
Taizas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Kachinismos
Bombas
para maodioca e algodao, 1 Podendo todos
e para serrar madeira, fser movidos a m!o
i por ago a, vapor,
de pateole, garantidas........ jca animaes.
Todas as machinas p^ ^ aau precis*.
Pas qnalquer eoncerto dem,cbwi8mo' aPre ******
Form ftfl (ifl fflrrtl lem as me'tlore8 e ma's baratas existentes do nier-
ItaflftfYfTlTflATlfiaa Incambe-se de mandar vir qnaiqner machinismo J von-
auywmuwuUttB, ude do8 ciientei> lembrando-lhes a vantagem de fazerem
ua compraa por intermedio de peaBoa entendida, e qoe em qnalquer necessidade p6de
cea prestar anxilio.
Andes amerioanos *****.****
RUA DO 6RUM N. 52
O CHAFARIZ
Precisa-se de uma ama
que engomme e faca outros
services domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
I' rua Primeiro de Marco (outr'ora rua d<
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se avenda os felizes bilhetes garantidos
la 4* parte das loienas a beneficio da m atriz de
Cabrobo (79'), qae se extrahira na terca-f eira 16
do corrcnte mez.
PRECOS
Bilhete inieiro 4*000
Meio bilhete 2*000
KM PORgiO DB 1009000 PARA CIMA-
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza
li
FUNDICAO DE FERRO
A' rua do Bartio do Triumpho (rna do Bruin) ns. 100 a 104
CARDOSO IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra complete sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, as mais modernas e melhorobra que tern vindo ao raercSdo.
Vapores de force de 4, 6, 8e 10 cavallos.
UaiaeiraS de sobresalente para vapores.
MOenaa8 inteiras Q meias raoendas, obra como comca aqni veio.
laixas IUndidaS e batidas, dos melhores fabricates.
KOaaS d aglia com cubajede errcLj. fortes e bem acabadas.
RodaS dentadas de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para vapores.
BombaS de ferro, de repucho. .
AradOS de diversas qualidades.
Formas para assucar grandeS e pequonas.
ConcertOS concertam "* promptidSo qualquer obra ou machine, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS mandam vir Pr efrcommenda da Europa, qualquer machinismo^
para o que se corrdspondem com uma respeitavel casa de Londj
f. com nm dos molhore* oiiganheiros >lo Inglaterra ; incumbam-se de mandar asscmst
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Bram) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
Marcolino Victor.de Moraes
Amelia Augusta de Moraes Quin-
tal, arlota Amalia das Neves, Or-
meville Victor de Moraes, Maria
Eudocia de Moraes, Francisca Lu-
ciana B. e Ant nio Augusto de
Olivcira Quintal, agradecem cordial-
men te a todas as pessoas, qae
acompanharam ao cemiterio publico o cadaver de
seu querido roarido, filho, irmao, genro, e cunba-
do e rnui particularmente aos Srs. Francisco Fer-
reira Maia, Antonio Alves da Silva e Manoel Ja-
nuario de Arrtida e de novo os coovidara para as
sistirem as missas do setirao dia que terao lugar
sabbado 13 do corrente, as 7 boras da manna, na
igreia de S Pedro. Desde ja se confessam pro-
fnndamente penhorado?.___________________
Felismindo JosePereirl^Paula
Reis, Marcos Francisco Paula Reis
D. Felisardina Rosa dos Santos
Reis convidam as pessoas de sua
amizade para assfctirem a missa do
trigesimo dia, que por alma de seu
presado pai e sogro Francisco de
Paula Reis, fallecido no Rio de Janeiro, mandara
celebrar sexta-feira 1J do corrente, as 7 boras da
manha, na capella do N. S. da Penha.
Approvado
P' la Academia
de
Medicina
de Paris.
Autorisado
pela
sircalar especial
do
MiNiSTno.

FERRO QU
Cura a chlorosis, anemia, fluxo braoco, cansaco e debilidade geral, perdas, irregularidade na men-
siruacao seja das sennoras casadas ou das menioas debeis.. Pela miudeza da dose que se node em-
pregar pela eflkaciade sua accio, o FERRO QUEYENNE avanuja sesobre todas as oulras urepa-
rajOes ferrugineas. Bouchurdut, profesfor da Faculdade de Paris (Anouario de 1869, p. HO).
I ara evilar as fatsifica(des numerosas, exigir a marca de fabrica acima indicada, a firma
Vwvennc, e o nome de Enulio Genevoix, deposilario geral, era Paris, H, rua des Beaux-Art6.
em irascos de (medida para dosar). 100 grageas. i u
eposilo em Pernambuco, A. REGORD, e nas pharmacias acrcditadas.
56 aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
hendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
^ado p#os grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para al*o-
do, desde 10 & 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de sys e-
mas e melhoraroentos para perfeito e rapido descaro^amento ; tornam-se dignas de
wrera vistas e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, al^m disto, encontrarao
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, defor^a
de 2'/ e 3'/ cavailos com todos pertencas
precisos para trabalharem 4 machinas para
ulgodao, ou para outrd* qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mio para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
vDit>s de madeira para compras.
App.irelhos parajardius.
Gnaids-comidas.
Tarn|)iiN para cobrir pratos. -
Turn, iiis para fazer parafuzos de ferro.
Dha Jua .litos de madeiras.
TrvfK ii.tiH cozinba.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertengas avulsos para machinas.
Salitre reQnado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe\
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacete para machines.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de duo estanhado.
Ditos dechmnho.
Ditos de borracha.
Folles parii ferrnirosi
D. Jovina de Araujo Sa-
raiva.
Uma pessoa particular convida aos parentes e
conhecidos da 6nada Jovina de Araujo Saraiva
para assistirem a missa do setimo dia do seu pas-
samento, saibado 13 do andante mez, na igreja
de Nossa Senhora da Penha, as 3 horas da ma-
nha ; espera que todos comparecam a esse acto de
candade que licara summamente grato.
Iffiiri t~t "T' iTiTiiM mi iinanmi m iiMf
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
.09, Rna da Prata, 2.
WSBOA
Luiz Felippe Leite & Irmao
Executant por commissao quaesquer ordens das
provincias do reino, ilhas e provinces ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros.
Recebem a consignacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanhoe?, francezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou mesmo de outros paize?, para se-
rem vendidos no reino ou fora delle.
Executam ordens para compra e venda de fun-
dos publicos, nacionaes e estrangeirus. Tratam
da cobranca dos respectivos dividendas.
Promovein no mesmu oscriptorio, inventarioe,
liquidacfles, causas civeis e commerciaes, appel-
lacoes e recurso de reviaa.
Tem os melhores advogados na capital.
Para os negucios de natureza especial, como
:ausas forenses, administiacao de beus, etc.. que-
rondose, pode proeeder accordo previo couforme
i natureza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimoniaes e quaes-
quer outros breves apostolicos concedidos em Ro
ma ou pela Nuneiatura em Lisboa, annnllacao
de ordens, e quaesquer oulras dependencias dus
tribunaes da Santa Se".
Tratam da arrecdacao de herancas e admims-
tracao de bens no contiuento do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
to administrativo, conselho, ou freguezia do reino,
ilhas e provincias ultramarinas.
Fa e.n adiantamentos sobre consignaeoes de
quaesquer generos que tenham prompta sahida
nos mercados inglezes ou allemae*. Tambem com-
pram aquelles que se offerecerem em condi^Ses
vantajosas.
Fazem transacoes por consigna^ao ou compra,
sobre minerios, taes como de cobre, chuinbo,
phosphates, on outros quaesquer, se convierem as
condicSes de qualidade e pre;os.
Dao-se boas refereneias em Lisboa e uo Porto.
Esta ca a tem correspondents serias em todos
os pontos do reino, em Paris, Inglaterra e Ham-
bnrgo, na Africa porlugueza, em Macao (China1
reino de Siao, ilhas dos Agores e Cabo-Verde,
e acejta as propostas que do imperio do Brasil
Ihe lorem feitas por correspondencia effectiva ou
eventual.
>'a modicidade de suas commissoes, na exacti-
dao de suas contas e no credito longamente esta-
belecido faz consistlr loda a garantia de bom aco-
Ihimento.
Tem correspondent's em Sevilha e oulras pra-
cas de Hespanha.
N. B. As commissoes sao reguladas pela praxe
rtae praga
"CASA DO OURO
Aos t:000'000
Bilhetes garantidos
&ua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba de vender nos sens
muito felizes bilhetes a sorte de 4:000* em urn
meio de n. S87, e a sorte de 700* em dous meias
qg n. 1823, e um meio de n. 3672 com a sorte de
100#, alem de oulras sortes menores de 40*000
e 20*000 da loteria que se acabou de extrahir
(78'j i convida aos possuidores a virem receber,
que promptamente serai pagos na f6rma do cos-
tume.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeit*
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilnetes.que nao deixarao de
tirar qualquer premio, como prova pelos mesmc s
annuncios.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
PECHINCHAS
^6 o n. 20
RUA DO UHBSPO
MWA DAS 3 PMTA8
cumiiiua von lor muito birrato para ;ipurai
muito dinheiro.
CASSA LA
Chegou esta fazenda.sendo lindos padroes, e ven-
ae se pelo diminnto preco de 200 rs. o covado, e
pechincha I I I dao-se amostras.
METLN'S
Proprio para vestidos o arte ha de mais gosto,
padroes novos, pelo preco de 400 rs. o covado, e
pechincha I t I doi-se amostras.
Li3 ESCOCEZAS
Lasinbas escocezas, padroes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditas com listras, padrdes modernos, a 280 rs. o
covado.
DiUs 13 e seda, padrdes modernos, a 640 rs. o
covade, e pechincha I I I dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
1*000 a 400 o covado, e pechincha I I I dao-se
amostras.
CRETONE
tretone em pecas pequenas, com bonitos pa-
droes, pelo diminnto preco de 400 rs. o covado, 6
pechincha 11 1 dao-se amostras.
Cortes de casemira di cores, a 5*C0O cada um.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para luto, a 240 rs. o covado.
FastSo branco para roupa de meninos, a 560 rs
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chila adamascada, a 3*500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 3*500
e 4*000.
Lencoes de bramante, a 2*000.
Ditas de algodao, a 1*400.
Toalbas alcochoadas, aJ6*000 a duzia.
Ditas felpudas, a 6*500 a duzia.
Lenrps de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanhados, a 2*000 a duzia.
Ditos de esguiao finos, a 3*500 a duzia.
Cambria lisa transparente a 3*000 e 4*500 a
peca.
Camtraia Victoriaa a 3*800.
Aloatiado adamascado, a 2*000 a vara.
Dilo .rancado, a 1*400 a vara.
Fustfes de cores, a l*d00 o corte.
Chabs de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,4*0u0 e 4*500.
Ditos com listras muito finos, a ff*800 e 6*000
Esgtiao muito fino, a 2*000 a vara.
Brur preto irancado, a 2*000 a vara.
Branante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura, a
2*500 3 2*800 a vara.
Algoiao marca T, a 5*000 a peca.
Dito tamestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzue cambraia de cores muito flna, pelo di-
minnto preco de 400 rs. o covado.
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
CHAM Al 10
Os Srs. Jovino Fernandes da fruz e Joaquim
Clemente de Lemos Duarte, sao cnamados a
rna do Coronet Suassuna n. 28*, a negocio de
particular interesse.
ATTENCAO
0 abaixo assignado participa ao respeitavel pu-
blico que tern grande deposito de vinhos de frnc
tas do paiz, como seja o de eaju, em quatro (puali-
lade, os quaes vende por prenns razoavei*, eon-
iUis ile ui' | u! ;i vin i.: i ft1.
O uirpijpfern it --
nos mi ivnili-iiv.s .1" [:. i/ieiivrrciii -i- Iriirta"
c! eBi), sciiifiapo i! ittii-jai. n :.s i]itr>ri.iii rt-iul*,
cumpuii-ijhiii a i;ia Vid| ou J\-ui i ..s n ii'i, uii
tr'ora Cinco I'ontas, allot de se K.uar iis preens.
_______ Joao do Ainaral fiaposo.
ATTENCAO
Precisa-se alugap uma ama de raeia idade, no
rem que seja preta, que nao tenha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para com
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a traUr na cidade d* Olinda, sitio do Amparo, ca
sa terrf a grande, com portao ao lado.
Hotel duas nacoes alliadas.
No becco do Padre n. 28 faz se comedorias com
todo o asseio e perfeicSo, e se manda levar em
casa de qualquer pessoa que quizer ser assignan
te por mez ou mesmo avulso, pelo preco muito
commode de 30* e 35* por mez p*ra unn pes.-oa:
os Srs. que se dignarim obzequiar-me dirijam-se ao
mescmo hotel que acbara com quem tratar. Tarn
bem havera no mesmo hotel, papa de kite todos
os dias as 5 1)2 horas.
Criado
Precisa se de nra que seja esperto e Set : no
largo da matriz de Santo Antonio n. 2, primeiro
andar.
% ((nisiillorio medico
DO
!>.- Jlii-illo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Reccm-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres
pode sor procurado a qualquer hora do
dia ou da noute para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especia lid ' V crianca e de mulher.
J Emprega no tratamento das molestias
0 de sua especialidade as duchas frias e
o banhos a vapor, para os quaes trouxe
r* os apparelhos mais modernamente em-
.&. pregados na- Eurupa.
jt. Tambem applica com grande proveito
if. no tratamento das molestias do utero a
jjf electricidade, pelo proeesso do Dr. Tre-
d pier. Cura por um proeesso inteiramente
J novo as blennorrhagias e sobre tudo a
V (gotta militar) dispensando asinjecfoes.
6
i
A pessoa que annunciou precisar de 500*
premio sob hypotheca em bens de raiz, appareca
rua do Hospicio n. 25, das 4 horas da tardc em
dianle ________
Fugiram do engenho Jatoba, freguezia do
Bonito, um casal de escravos, sendo : um crioulo,
qpm 50 e tantos annos de idade, cabellos bastante
brancos, nariz aOlado e p6s grandes : a escrava
mulala, c6r vermelha, nariz grande e grosso, olhos
vivos,, cabellos grandes e cacheados ; ambos sao
do servico docampo e sahiram no dia 16 de no-
vembro proximo passado, desconfia se que viessem
para esta praca ou seguissem para o serlao :
quem os apprehender pode leva-ios a seu senhor
Joio Luiz Jacintho, no mesmo engenho, ou no
Recife a seu correspondente Gabriel Antonio de
Castro Quintaes, que recompensarao' generosa-
mente.
Escra vo fugido
Acha-se fugido desde o dia 18 do corrente o
escra vo Gregoiio. crioulo, ci.r full, baixo, ;
Hindus ill il ^ pnlk'g.iios ito i c corlado : ipaein
:"i:;ili: -lo. qnrira ilii paU-o Jil VatvOi
(>!i:.u.L sul.iailn n. t. que .-.i.i g>ikrutaiueow
..in. ____________
Bantros eai\^ suudavcis do
Monteiro.
Aluga-se alii duas pequenas casas muito em
couta para quem precisar de bons ares e banhos
frescos : a tratar a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n.
Attencao
Aluga se uma casa tcrrea, com sala de frente,
dous quartos, sotao iuterno, sala de janiar sepa-
rada da cozinha, muito fresca, proxima dos ba-
nhos salgados, sita na cidade de Olinda, a traves-
sa da ladeira da Se, outr'ora Xavicr de Santa Ro -
sa quem a pretender dirija-se a mesma cidade,
rua de S. Joao, casa n. 17.
Optimo banho.
Aluga se em Beberibe uma casa com um pe-
qoeno sitio, na.estrida qne vai da povoacao para
o Porto da Madeira. A casa tem commodos para
familia e banho no fundo do sitio inteiramente in-
dependent!', aluga-se por preco commodo : a tra-
tar na rua do Imperador n. 79, das 10 boras da
manha as t da tarde.
- Aluga se o armazem e o primeiro andar do
sobrado da rua do Rom Jesus, outr'ora da Cruz,
n. 20, proprios para estabelecimento commercial :
a tratar na rua do Marquez de Olinda n. 52.
Alaga-se o 1* andar do sobrado da rua
reita n. 8 : a tratar na loja do mesmo.
Aluga-se a casa da rna de S. Jorge, outr'ora
rua do Pilar n. 12, tendo sotea assobradada para
grande familia : a ver e tratar na rua dos Guara-
rapes n. 14, taverna.
Roga se ao Sr. Tbeodoro Nicet Pereira da Sil-
va, o favor de vir a rua do Barao da Victoria n
?i, a negocio de seu parlicular interesse.
Escnvo fugido
300#000 de gratificacao
A^entou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
annos de idade, i perfeito coziuheiro, alto bastante,
e bem magro, pouca barba, olhos grandes, 6 muito
ladino, consta que tem pai no engenno do Sr. Lulii
de Caiara, em S. Lourenco da Malta. Este preto
foi coziuheiro dos negociantes Adriano 4 Castro e
Sr. Jose" Joaquim Goncalves Bastos, e julga-se
que esteja alugado em algum hotel ou casa parti-
cular nesta cidade, como forro : pedese a todas
as autoridades e capitaes de campo, que o desco-
brindo, o tragam a rua Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival stm segundo, que serao gra-
tificados com a quantia acima.
Aluga-3e o 2, 3% 4 andares e sotao do sobrado
n. li da rua do Torres, perto da praoa do Curpo
Santo, commodo pira residencia de familias e es-
criptorio de negociantes: a tratar na rua do Jm-
peradorn. 57 primeiro andar.
Na rua Diieita n 45, precisa-se de um cai-
leiro de 13 a 15 annos para taverna.
0 abaixo assignado faz publico que o Sr.
Manoel do Rego Barros, foi despedido de empre-
ga do das obras do theatro e mercado, desde o dia
7 do corrente mez.
Recife, 10 de dezembro de 1873.
________________Jose Augusto de A raujo.
Aluga se uma excellente casa na povoaclo
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Amorim, a. 37.
Aluga-se um excellente sobradinho com bolas
de vidro, na rua de S. Pedro Novo n.... com com-
modos para grande familia, o melhor lugar para
quem quizer fa/.er uso dos banhos salgados: a
tratar na praca doCorpo Santo n. 17, andar.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-?
allar ao Sr. vigario Andre Curcino do Araujo Pe-
eira, a negocio de seu interesse.
CASA.
Aluga-se metade de uma casa no pateo do Ter
go a pequena familia : a tratar no pateo do Pa
raizo n. 26.
Francisco de Paula Cavalcante W
sciente ao respeitavel publicn em
cularmeute ao corpo ci'inmercial desta provin
cia, que atteudendo a coinciJeucia da haver duas
pessoas de igual nome, asiignar-se-ha desta data
em diaote :
Francisco de Paula Wanderlev
Recife, 4 de dezembro de 1873.
Precisa-se de um hnmem livre ou escravo
para andar com taboleiro, paga-se 1*600 por dia
com a mesa : a tratar na rua Duque de Caxias
numero 84. .
#0 ###<
gtfr DESCOBERTAS MEDICINAES
POO BACHAREL *&
@ Manoel de Siqueira ti$
IMPERIAL
FABRICA DE UGARROS
DE
S. J010 DE NIGTHEROY
Rio Consiando ao abaixo assignado, unico agente
nesta provincia, da imperial fabrica de cigarros
de S. Jooo de Nictheroy, no Rio de Jaueiro, que
existe no mercado cigarros que sao vindos como
fabricados em dita fabrica, imitando para isso a
etiquela em que vem elles envolios, apressa-so a
prevenir a todos os teus freguezes que os unicos e
verdadeiros cigarros de cxposicao de dita fabrica
so sao vendidos nos armazens dos Srs. Francisco
Guedes de Araujo, Manoel de Souz.i Cordeiro Si-
moes Junior e Faria A Filhos, unices deto>ito= de
dita fabrica. Recife, 22 do noverubro de i87;<.
_________________Domingos Alves Malheus.
Quem precisar alugar um escravo, com I'm
to que nao seja para servico de peso, dirija-se a
rua do Hospicio n. Ml, que encontrara um bastan-
te intelligentn. e capaz de encarregar se d> traba-
lho de jardim ou de liortalit^as.
MOFINA
Est4 encourac^ado 1! !
Agua mole em pedra dura
Tnnto da ate que a fura.
Roga-se ao Rim. Sr. Ignacio Vieira de Meiio
jserivao na cidade de Nazareth desta provincia. o
favor do vir a rua Duque de Caxias n. 56, a cor.-
-luir aquelle negocio que S. S. se-comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, e:a
fins de dezembro de 1871, e depots para janeir .
passou a fevereiro e abrii de 1872,e ml* eumpric;
e por este inotivo e de novo chamado para di:o
3m, pois S. S. se deve lembrar que este negooi
Je mais de oito annos, e quando o Sr. sen riihe .
u-hava nesta cidade
ALUGA-SE
uma casa na Caponga, rua das Pernambucana-,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Teuor-io n. 31.
- Precisa-se de l.-'i00*000 a juros, dando-.-J.
por hypotheca um predio : quem quizer annun
eiepara ser prucurado.______________________
Roga-se as pessoas que est;io a dever a ta-
verna da rua do I)uquj de Caxias n. 41 A, o fa-
vor de pagare;:: o que devcni, sol; pena de se pu-
bliear os Domes por esta Olha, se o naj fiz; e
no prazo de 15 dias.
Attencao
ww. NOVAS PUBUCACDES MUSIGAES.
S pS- A. J._d'Aseveiiaiaua!tJowan. LI.
i
Uavalcanti.

'antidos da 4" parte da loteria a beneficio "da
matriz de Cabrobd, que se extrahira no dia 16 do
corrente- mez.
Preeos
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De 1OO0OOO para elrna.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 10 de dezembro de 1873.
- Joao Joaquim da Costa Leite.
A TORRE
mm i
Kmftm muitos outros artigos, quw^av aodertowitp s i
Baku de capim.
Arrendase uma grande baixa do capim em Be-
beribe, no lugar na Fnndao a iratar com Voh-
cajpojlus_e_Lajme. no cae* 22 de Noverobro n. 26.
precisa-se
de um ra mesa nos wW\- : a tr^ur UJ hotei de Bordeaux.
- Aluga se ? '"an. II da rua da Ponte/na
povaca.. .i Mon'.'ir,), muito pn.pria para pas-laquella declarac'*''
l]r ,e^ narna do Duiue de Ca-| Recfo, 10 de dnzembr i de 1--73.
"' *' SevVr.ano ue Siqueira Cavalcante.
Aluga-se para passar festa um sitio com
excellente casa de habita?ao e banho no rio
a frente desta: quem a pretender, p6de
procurar a rua de Gervasio Fires n. 24.
Aluga-se a casa terrea a* rua Direita n.
114, propria para estabelecimento : trata-se
a' rua Nova de Santa Rita n. 55.
So nfto sera proprietario quem
nSo quizer.
Vislo qne vende se palmos de terra a 800 e
1*. As terras sao proprias e com 400 palmos de
fqndo, qne e regado pelo animissimo rio Jordio.
Sao muitas as vantagens da compra e entre ellas
- a da pureza do ar e da de ter passagem gratis
por dez annos offerecida ptla companhia da
via ferrea do Recife a S. Francisco, a quem nas
ditas immediacoes edificar. Quem quizer deve
dirigjr-se k thesouraria das loterias, a trtar com
Tsistao Francisco Torres, quo pede a aquellas pes-
soas para as quaes ja separou terras quequan-
to antes appareeam, pois que, pelo preco a con
enrrencia 4 immen9a Todos os domioKos e dia
?anlos, acho-me no lugar.
: Ainga-se a casa n. 77 a rua de S. Joao,
assim como em Santa Rita-nova o fundo da casa
n 25 a rua de Santa hita ; a traUr na loja n. 44
a rua Duque de Caxias, ou no 2* andar da casa
- it a rna do Rangel.______
Tendo lido em ns jornaes de 5 do corrente
um annuncin da Exnu. Sra. I). Adelaide Mercina
de Siqueira .sailes cm qoe declara so existirem
leiras de sou aeeile em pider dos Srs. Jose Dn-
minguee Maia e Rodrigues Almeida b C, enra-
pre-me declarar-lhe, que em meu po,lnr exisiem
aigumas letras de seu aceite ja pmtestadas .; so
por esqiieciniento acredito que foi reita
i
i" o Preservativo da cry-
sipela : para curar com certuza, e
en. pouse tempo, qualquer ataque de
erysipela, e prevenir o seu reappaie
cimento.
Este medicamento tambem e muito
poderoso para o rheumatisino.
a o Regulador da mens
trua^ao : para falta, irregularida-
de, suppressao repentina da menstrua-
cas, e dos lochios, as>im como para
todo os soffrimeuto.? devidos aquellas
affecgSes. Ambos estes mediamentos
SJ- ja sao muito conceituados, e procura-
dos nesta provincia, e na do Rio de
Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa
do autor, das 9 horas do dia as 3 da
tarde, e a qualquer hora em casos ur-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz n. 14, 2s andar.
& "
m

Casa de campo
Offerece-se a quem quizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente ca.a sita na Porta d'Agua,
qne foi do flnadoDr. Joaquim Pires Carueiro Mjo-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran
ca. A localidade e muito salubre, e a casa muito
fresca, tem magnifico banho de agua duce em
frente, e 6 muito commodo visto que o trem passa
iefronte : quem pretender pode dirigir-se ao Sr
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos. an
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
on ao Sr. Cannan, a rua do oramercio n. 4o.
- 0 abaixo assignado faz sciente ao respeita
vel corpo do eommercio que veadeu a sua taver
na siu na rua do Barao do Tnunpho n. 39, ao
Sr. Antonio Vieira.
Recife, 2 de dezembro de 872.
__________________Joao Gmiies da Cruz.
Precisa-se
de um ou dons moleques para um trabalho muito
leva : a tratar no hotel de B.. Offerece-se uma muflnf *i iia oiniucta
para cozer em ca?a de a'g na fiwiirlw u mes'iH.
em casa de madame : na iraves a d i P m h 6
-.." i -
- Aluga s" a casa n 63
commodo3 e fressa : a cut-.:
peratriz n. 30.
Pallia, elm
i in.i da In*
Acabam de publicar-se, e acbtun-se *
venda as segtriutes musicas :
PIANO SO'.
Danse ESPAKHOLA, por Asclier 2^000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
tbeimer 1^300
Valsa do Pausto, por Croyzes 13000
SonhO de uma VffiGBs, por Alber-
Uzzi 19000
Anna la 1'rik, cavalina ISoOo
AoClairde la Lows, por Bussmeyer 1500
Hstrrlla do noute( d ... _,,.
SaodacAo ao Bauia J'0,ka bnlhante WOO.)
Cricket," por Seixas, offerecida. aos
cbrickcts club pernambucano e
babiaoo l^f.
PIANO E CANTO,
Desespero, muito Undo romance
por I. Smoltz 2^000
Xo.\ m'amava, romance por Gucrcia 1-^000
Tambem re.;ebeu da Kuropa grande soi
meuide musica para piano, piano e"
antoudos, methodos, etc. etc.
Escravos fugidos
Ftlippa, negra, cabra. ja idosa, cozinheira, aiu
e sccca, foi c>crava da viuva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tem um filho escravo do Sr. Jo>h,
Antao de Souza Magalhaes, que andava fugido,
e que veio seduzir a mai para acompanha lo ;
esta ausente des 'e o dia 6 do corrente.
Roga-se a pulicia e capitaes de campo a cap-
tura das me-mas escravas que sao do engenho
Sapucaia de Beberibe.
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engen"o Serigi, comarca de Goyanua, o
escravo de nome J s6 Borges mestre de assucar.
tendo os signaes seguintes: cabra, idade 30 anno>
pouco mais ou menos, boa figura, um tanto gross >
e espadaild", ?end o signal mais visivel uma
giimma na junta do pe esquerdo : mga-ae a todas
as autoridades e capitaes de campo qoeiram ap-
preheuder dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho. ou nesta praca a Oliveua Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao generosamou:
recompensados.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Carros de luxo.
inquestinnavel que a cocheira da rua doB<,m
lesns n. 15, de Joa iuim Pies Pereira da Silva, e a
que tem as melhoVes berlindas, calecas, meias c^-
teeas e victorias de luxo, proprias para tfoalijui-r
aoivado, visitas de etiqueto, bailes e actos 4a aca-
demia, sendo iw nwsnuw ajaezados de excelle"! -
parelhas dn animatm, arreios luxuosos e boleeir.
eea fardamenios do ultimo gosto, para o pie
convida ao publico a vir por si mesmo sn> nti:
ijar-se (tie nao encontrarao pomada, e sim realiil .
''mrnudos precis
Primeiro andar paraalu;u\
\luir.i-;e o primeir- andar do sobrado de M.iml.u DitS o 1(7. iHiitatl" e eaiado ill j:
prvtxiiilH Jin h -e a pharmacia Titri'"
'uia oin 0 .....ii. t.ir
i
i]m
Aluga-se o prim
rua .adeia n. 3
iugM-se
i n. 35 a tratar *
i Rangel n. 7, l*
r
MUTIIADQ



6
iDiario de BemafflWco
12 de> Ddzcmhio de it?3.
tWeiteiros c paslelciros
culinarios e conserveiros
Nem todos estao na altura de visar qaal a mis-
sao desses quatro artistas que podem estar cen-
trincados eoi uma so pessoa.
E se nao vede .
0 nosso celebre lexicograpbo P. Huteau, cre-
mos que foi nm grande guloso.
E' **'duvidais, Teitor oa leitora, taipbem ami-
ga do docc, que nos estais lendo, abri o tomo 2.-
do sapplemeoto ao grandi vocabulario, e ahi no
vocabulano doe syoonymos e phrases, a pagioa
lOs.eneontrnreis a proposito da palavra confetteros,
nao meiM. de 22 columoas, ou 11 paginas de fo-
lio, em elogio dos esmeradjs arthtas, que a cada
passo nds seduzjm com as suas famozas golus
dices. __ B
Senao vejamos chama-lhes entre oatras desig-
nates que nos levariam muito longe se as qui
zessemos enumerar :
Artifices do comestiveis do cura.
Administradores da suavidade. .
Engenheiros saborosos.
Philosophos naturacs.
Antipodas da amargura.
Illustres propagadores do iuiperio Pomana.
Dulcissimos minislfos da suavdade.
Amabilissimos senhores do imperio da doc ura.
Paciacos moradores e tons vtsinhos.
Nobilissiinos artifices, eujas obras nao sao para
a bo:ca do vulgo.
Homen< que no mundo se dao a conhecer mais
suavemento que todos os mais.
Bonignos hospedeiros que da3 suas lojas fazeni
asylo.
Exterminadores dos corpuseulos heterogeueos,
e peritos coliectores das partes homogeneas da mais
pura substaacia do assuear.
Jae I
Ja so vij quando dissemos acima que os qnatro
artistas p.'diatu estar centrificados'era uma so pes-
soa, e por iue podemos dizer por experieueia pro-
pna e se quizerdes verificar ide
A CONFEITAIUA DO CAMPOS
Encomiucudai por exemplo :
1 fhmbre.
1 rovast beeff.
1 empada.
1 pudim.
1 bolo inglez fino.
1 pao-de-fo,
1 torta do fructa.
pasteis, bolinhos, amendoas, doees c eoufeitos.
Que tudo 1 I 1 tudo alii se prepara a conteuto
Carlos Pinto de Lemos, adminislrador da
ma roga aos-devedores di referida massa, queiram
quanto antes saldar seus debitos a rua do Mnr-
quoz de Oli ida n. 1, sob pena de recorrer-se tos
mem judieiacs. Recife, 21 de de uovembro de
1873.
Aeredilarae vendo
Retalha-se utn vaato e bello lerreno a
margem do rio, nos fundos da povoacao de
Beberibe, ainda nao visto pela maior parte
da populacao, por ter sido ha pouco derru-
bado os mattos que cobriam dito terreno, o
qua! consta de uma graride planicie, pro-
pria para edificacAo, e distancia de 3 mtnu-
tos ^a ultima estacfio da via ferrea, achan-
do se ja dividido em ruas, com approvacao
da camara de Olinda.
Quern pretender pode ir ver que sem du-
vida ficara agradaio, e entender-se com o
Sr. Jose" Honorato Medeiros (Zumba), en-
carregodo, ou com o proprietorio, junto a
ponte da dita povoacAo.
|*I $$$$$$ OOOOO
$ Consultorio homeopa- $
thico &
*
*
*
*
0
Do Dr. Santos Melio
41------Rua do Imperalor------41
Consultas todos os'dias das 11 a Ida
tarde.
Gratis aos pobres.
Residencia a rua Nova n. 7, segundo .
andar, onde da consultas das 6 as 9 da jR
manha e das 3 as 5 da tarde. *X
0
0
0
0
Chamados a qualquer bora.
00000 00000 000
Aluga-se
o pnmeiro andar do sobrado da rua do Duque de
Caxias n. 44, proprio para escriptorio, on rapaz
solteiro : a tratar bo mesmo, loja. a
AVIvSO
0 Sr. Joaqu'm Clements de Lemos Duarte tenha
a bondade do vir ou mandar a rua do Coronel
Suassuna n. 282 a negocio de sen interesse.
Liquida^ao
A T11?l Pratea-se de uma ama para c< zi-
,, "bar para rapaz solteiro : na rua do
Irespo n. 2(>.
IVi'cisa se altigar uma ama boa cozinheira
: orra ou ciiptiva : a tratar na rua da Imperatriz'
casa n. 16, 2" andar.
Precisa-so de uma ama de idade
para cozinhar, engommar e lavar
para casa de mogos solteiros : a tra-
lar na rua do Range] n. 3, taverna.
AMA
ou escrava : na travessa d
o Co
ara cozinhar, fona
orpo Santo n. 25.
Alucn se
sem iiiiio.
Ama deleile
nma na raa dos Martyrios n. 132,
* Rf A Precisa-M de uma ama pa-
\ri \ ra fomprar e cozinhar: na
l- rua do Imperalor u. 79, loja.
CHI ADO
Precisa-se de nu criado, que seja bom copeiro
e asseiado : nna rua da Unifto n. 17.
- Ainda esta por se alug.ir urn sitio na Torre,
com excollente ca^a de moradia para grande fa-
milia, quuartos fora para esrravos s e magniftea
agua de beber: trata se na rua estreita do Rosa-
rio sobrado n. 10 terceiro andar.
Precisa-se pe um
rua da Guia n. 54-
mestre de masseira : na


COMPRAS._____
frastes.
Compra se e venJo-se trastes novt>s
e usados no armazcm da rua do Im
ptfadof n. 48.
$

Preusa se de uma ama para tratar de ser-
11 ims i Jo homem silieiro, sendo muito fiel
dando Badar da sua conducta : na rua Augusta
taverna, se dira quem precisa.
i
; 2..J
\
Ul
I recisa-se de uma boa cozi-
1 Bbeira, escrava ou forra. paga-
'- \ 'o bem : na rua do Imperador
^ Preeisa-se de umiT ama "que
Baiba perfeitam.mte cozinhar : a
rua (1 o Queima Io n. 92, loja.
Pracisa-se de uma ama para
Carroga
Compra se uma earroca para andar'com hoi, "eja bem forte e sogura : na- rua Nova, loja
qie
numcro
11.
Precisa so comprar uma taverna em bom
I t| ir de nfocio, na Boa Vi^ta. ou aos arrbal-
dos : mas quo tenha po cos fundos : quem tivei
annuncie para ser procurado.
\ A't \ C07inl,at : tratar na prac'a da
, \ Indope-J
' Calfail
e
epeodencia n. 39, "1 ja d3
1 L!X
' &
r \.--y' tfrmlieo-firorgicii ?
1
PE
A. B. da Silva Maia.
Rua d" Visconde de Albuquerque n.
11, outr'ora run da matrix da Boa-Vista
n. U.
Chamados : a quaiquer hora.
Com ill! is : Aos pob.es gratis, das 2 as
4 boras da t.'.rdo.

Vende-se ou arrenda-se, altos e baixo, a
snbrado de um andar silo a rua Imperial, cantot
da traveasa do Lima n. 1, proximo ao chafariz,
em looalidade muito propria para negocio, e |>or
onde passam os bonds : quem o pretender va a
rua do Hospicio n. 35, que achara com quen*
tratar. das 7 as 9 manha, e das 4 as 6 da tarde.
Arma^oes para camas.
do Duque de Ci.xias n. 76, tem pana
para camas, obra
; nrmacoes de amarello
boa, pre^o avista da fazenda.
Furtaram na nolle de 8 para o amanlneer da
9 doeorrente, deznsefs raienrM amoricanas, sen-
d" spis dejunco e de;. Alias de madeira e uma
I do vent", isso do oarracao d.i junto a ponte
Bda-Vista; a pessoa a qmrn forom oflerccidos on
leronde es&o estes oBjectos, partidpa ao
,i dono Jose Goaealves da Silva Froire, que se
iicompeiisada.________________.___
~50|000:
. Fuuio do enyenho Arapnra, do term o dcEs
cada, no dia 26 do corrento, o escravo. Antonio,
erioulo, de 34 annos de i lade, com os signaes se-
gmates : altura regular, falU do doutos na fren-
to, p's apalhetados e ioeador de viola ; foi cam-
praJo nesia praca e julga-se andar pela fregus-
zla da Varzea, onde tem mai e irmis : Quem o
pegar leve-o na estacao das Cinco-Pontas : a tratar
com Olympio de Soua Galvao, ou no dito engo-
olio a sou Sr. Antonio Jose Gomes Junior.
Recife. 27 de novembro de 1873. ______
Precisa-se de um criado : no hctel do Jjcccd
do Padre n. 28. _________
Aluga-sc o segundo andar do sobrado a rua
do Barao da Victorian. 31, com commado3 para
amilia : a tratar na loja do mesmo.___________
Uma pessoa sujeita, com muito pouca idade,
e quf ganha i& por dia, precisa de 400* para sua
liberdade, obrigando se a dar fiador. e a entrar
todos os mexes com kOS rs. ate realisar o paga
menf i do principal, jaras e t-.das as mais despezas
respeetivaa, e tudo isso por meio de uma escriptu-
Qo-'in etiver em circuinstancias de faier
al nag .ci >, annuncie. _______^_
Uma parda eserava. boa c istureira, precisa
d* 1 OOi* para sua liber lade, offerecendo en
c ia desta quantia os sens servii;os pelo ttmp>
qu'ase coovenciomr: quem quiz*r fazer oste n--
gocio diri|a-se a rua da Imperatriz n 30, *egnnd*
andar.
VENDE-SE
um sobrado de dous andares e s.tao, na trrves sa
da Madre de Deus n. 10, o qnal rende dous cotos
de rs. annualmente : a tratar na mesmo luf^r
com o? seus proprietaries todos dias utais desde
a* 11 horas da manha ate as duas noras. da
tarde.
Vende-se um porco propno para a fesua, e
em grandeza nao ha segundo, e um extraordiua-
rio: a tra'ar na rua do Cotoveilo n. 25.
Armazem do fume
ljua da Madre de Duus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Silva participa *-.
sens fregaezes e amigos que no seu armazem a
rua dn Madre de Deus n. 10 A, se acha nm coaa-
pl;f' rtimento de fumoem fardos de patente l.,
2." e o.- sortea, dos melhores fabricantos da 3ahia
e bem assiui a flor de todos os t'umos de cord*
em rolos, pacotes, latas gran les e [iequenas, tam-
bem dos mui acreditados fabric-antes Torree &
Aranjo, Lizaur, Adolpho Sehmdt 4 C, Liiaar
Schmidt 4 C, Veigas 4 Araujo, Trindade 4 Aw-
lar, Teixeira Pinto 4 Portelja (garantido pelo>
mesmos) e de ontros ainde nao conheeidoe pelc
puhlico desta capital. 0 anuunriante deetara que
todo fumo que for vendido em sua casa sera pelo
seu justo valor, e que quando garaDtir a reapecti
va qualidade, sera siacero, mui particnlarmonb
com as pessoas que pouco enten lam da materia ,
pois para bem servir a todos. tem o annnnciant*-
'ionga pratica de 13 annna darta r unmerein____
DE
FAZENDAS
Por melade de seu valor : a rua do Barao da
Victoria n. 24, junto a loja do Caraeiro Vianna.
4 proposito da festa
0 que (lizciii p A verdade von dizer-vos,
Sem embargo do mio tempo ;
Nao? graca, von con tar-vos
o qno. d*em... por exemplo :
.Que a BAItRIGA e a mii da humamdade e que
esu corao filha obea>nte deve tratar com requio
tado desvelc d- sua dilert'rssiina e infallivel mai
Que para isto e indispensavol cme os gastrono-
mos hhBttanles desta Mia cidade e seus snbtrr-
bios, conto parte integrante da bumanklade, devera'
vir ao nmito uefl e conhectdo armazem do Cam-
pos, a raa do Imperador n. 28, eomprarem os j
novos saborosisstmosvpresuntos- pra fiambres ; os
gostosos paios, os .saborosos sa fames, os arppeteti-
veis lombos ite pnrco\; as dehcadas lingaica3 'e :
salchichas, os digestivda peixes era latas, a finis-
sima idanteiga ingleza e frauceza, os deleilosos'
biscoitos, as exciiantes conservas. as deliciosas'
ameixas, passas, rrmendoas e noze3, as aprecfa-!
veis fructa^ em caMa, os flexiveis doces, o mag- Dn <|a R.|p8a ill Wfai'ia a nifieo queijo namengn e prato, o embri^ante cha! "" "" Duiau Qd IlllUila H. LL.
perola, arjiffra e preto, os snbstanciacs chocolate e
cacao em p6, o? refrigcrantes licores, as caiman-
tes ceT-rejas, os corroborantes bitters, os inspiran-
tes vinbos do Purto, Madeira, Bordeaux, Fipm-.i-
ra, Lisbda, Chorry, Coilares o ntras moftas qua |
lidades, a eorruscante champagne, cidra e uin^em, k' este grande estabelecimento tem efafr-
numero de raros e arrebatadores aci?ipes, que ga^o um bom sorlimento de machinas para
da forca, vida e prazer, anm de rechearem dia-'
riamente o receptacnlo d*- suas idolatradissimas
Barngas ;
Que, quem quizer fazer um delieado lunch, In
mar um primwoso charuto da Bahia e batier um
eopo d'agua fria (gratis a agna) deve vir ao arma-
zem do Campos, unico que Wm d^nwastndo alii
a evideada a inftuencia da rainha ife' mundo a
barriga-
Mesftno porqite
Ora essa e boa.
Quem rjuizer ser ditoso. ser"feliz
Deve ao Campo? s >mente ir omprandc,
Evitando assim de ir mai passando,
Deleitando a barrtga e o nariz.
LlfJUIDAfjAO DE FAZENDAS
NA
Rua da Imperatriz n. 60
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo pre^o come
abaixose ve:
Pereira da 8ilva di Guim?re3 tendo cm ser um grand* depozit) da fazwdas,
fern resolvido fazer uma liquidacao das mesmas com grande abatimento nos prec,os,
com o unico fim di apurar dinheir-, para o que convidam nao ao os seus uumeroscs
freguezes, omo o respeitavel publico, a vir snrlir se de muitss fazendas, bo^s ebaratas
no seu estabelecimento denominado oPavao a rua da lmperatrra n, 60.
BE
Cameiro Vianna.
Alem jdo qoe dizem mtiitis ccasas ; por
exemplo que o Campos so quem vende torn e
barato, que s6 e o unteo que da amostras d; gene
res ; que s^ die, p qupm capncha em d r bom
peso, qoe e elle sn qirem manda te-ar gratis
em ca-a do comprador os generos coniprados-(a
dinheiro) em spu armazem, quer dentro di cida-
de, quer nos seus adjaeentes ; que uniamente
s6 6 no armtsetn do Campos, a rua do liiijierador
n. 28, onde se eaanntra um ctnplelo e rcplendi-
do sortimento, verdadeiro -Cwitro do peregvi-
nas e exque-itas victu .Ihas, onde todos (ma .ons
jesnitas) devcm vir alisfaser sia obra de mise-
rieordia (ja se sabe, trazendo dinheirt' dar dft
comer a barriga atteralendo-a cjue.
Do dia a qu-^slao ja nao existe,
Que o Campos fez cessar tod a esta briga.
De>fechando este jolpe- phil Tratem todos primeiro da barrign.
costura, de todos os autores mais acredita-
dos uitimamentena Euro|>a, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesinas, em
qualquer parte desta eidade, cmo bem as-
aim concerta-las pelo tempo tarn bom d'um ,
anno sem despendio algum do comprador.
Ksste estabelecimento timbem^ ha portengas
para as mesmas machinas e stj-suppre qual-
quer pe?a que seja necessarie: Estas ma-'
chinas trabalham com toda a perfei^ao de
um e dous pospontos, franze cborda toda
qualquer costura por finvi qu3 st-ja, sous
pre^ossaoda segumtequalidade : nnra trr-
balhar a mfio de 303*000, 40^0*0. 4-5J>000
! 50$800, para trabalhar com e ;>b sao de
fc"0DOO0, 90-31000, 1003>000, 110JJOO0,
K2C3000, 130JJOOO, ISOpOOO, 290^000 e|
25OJJO0O, emquanto aos autores nao ha a!-
teracSo de pre;o. aos eompradonts podt;?ao
visitar este estabelecimento, que rr.aito de-
verao gostar pela variedade de objector qae
ha sempre para vender, como sojarn : cadei- \
ras para viagera, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balan^o, ditas par*
crianga (alias), ditas para escolas, costurei-
ras riquiseimas, .para senhora, despensaveis-
para criangas, detodasasqualidades, camas-
de ferro para homem e criancas, capachos.
espolhos dourados para sala, grandes e pe-
Finalmente q:e, a* interessa tes meninas di- quenos, apparelhosde metal para cha, fa-
zem qw, so gostim de doces do armazem do'queiros com cabo de metal e de marfim,
S'SSSLL^ ^Juc.f',ras.e wpi"-itMas m';as me, |&tosavuisos colheres-de metal fin ),condiei-
so tomam um calice de bitter estomacai se for' \ -... j
do armazem do C^m;.s ; as respeiu. que, so se recordam do passado quando saboroiam ; arame, tampas para eobrir pratos, estetras
alguns acipipes do armazem do Campos; o" ele 'para forrar salas,lavatorios completes, ditos
games e amaveis. rapazes que, so fumam charu-1 simples, objeetos para toilette, e outros mui-
tos do Campos: os ve hos que, sosent-m exctta-1. r r -.
?ao qnando%oinem certas Sguarias do Campos, Itos 8rl.'805 Jue mu.todevemaj.
e ate os forast.>i?o- so procaram o Campos, so qae visitarem este grande estabeleeimento
auerem 0 Campos e so gostam do Campos. apcBito! qae se acha abarto de-de as 6 horas da ma-
j nh8 at^ as 9 horas da noute &
I Rua do Barao da Victoria n-
22.
trejam
Do Campos a fama como vua
Nos bailes.-theatroa e eafes;
Maxambomhas, bonds e jardins,
Retroand do mundo aos conGns,
DeiTa a twin? uiii.i- ^'liova felir, bo*
E vai passando d. s ann>.s atravez .'
Vende-se 7
carros de maa reuito bons e p9r eommod-.* prco :
na praca do Onde d'Eu n. 10, e no becco rio Tam-
biin. 9._______________________________
Formas para assucar.
galvanisadas e pintadas, por prepo commode.
Vendem 6oBba> & Mania, a rm do Marqnez de
Olinda. 11. 2:).
Nao ha maiscabellos
braatos.
TINTURARI& JAPONEZA. .
S6 e unicaapjirovada pelas academias de
Isaiancias, reconbecida superior a toda que
tarn apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
_ j quez de Olinda, 11. 51, 1 andar, e em
todas as boticas e casts de cabellei-
acasa terrear. 36, sita a rua ix Soledade, com os'?
eomraodos hhujIbi : 2 salas, 2 q -artos,. cozinlia
indepondeate, quintal murdc-e boa cacimba : a
tratar na mesmj.
I ?$ixo.
Cosmtramas.
Amaral Nabuco & C, vendem os maiscommo-
dos cosmoramas com vistas actualmeute novas:
Bazar \ir-imia. rua do Itarao da Victorian. 2.
SAQUE8
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
11. 20, acoam sobre 0 Banco Commercial
de Vianna e suas agendas em Wdas as ci
dades e villas de Portugal, A vista e a praz>
por todos os paquetes. -_______
Attencao
Vende-se barato a arma^o da taverna n. 60, si
a a rua Direita dos Afogalos : a tratar na pada-
ria de junto n. 66.______________________
Companhia do (xaz.
A^mpreza dogiztem a boora de annunciwr
ao publico qtie recebou nltimente u m esplen-
diio sortimento de lustres de vidro, candiei-
rus, araudolas e globos. cujas amostras
no escriptorio a" rua do Imperador n. 3i,
e serSo vendilos aos seus freguoz-s p [p
preco mais razoavel.possivfll.____________
SOBKADO PARA ALUGAR.
Aluga-se 0 primeiro andar do sobrado da rua
40 Mariuez do Herval n. 31. com muito bous
cbmm rflos-para-familta : a-*rai ir na rua do hUr-
quez 'ie Oliada n. St,
f'recisa-se de ma escrava para aorintiar
e eomprar : na raa Primeiro de Marco n. 2^'
oja.
Asunicas verdjideiras .
Bicbas hamburguozas qne vein a ojte mercadO'
oa ru.~ Marquez do ulicJ:i u. ''___________
Amaral, N.bucj & C, vendem magniftcaa
colchas de seda, finissimas abertaras de cambraia
de lmho bordadas pi>ra camisas do moninas e de
de enhor:s e meias d'algodiio. fio d*Escocia e de
seda para homens, senhoras, meninos, e meninas:
no Bazar Victoria, a rua do Barao da Victoria
numero 2.
~_ Vende-se duas voltas de amarelto que fe-
,c' a uma bonita armacao de amarello de uieia
lai-diija : qujm pretender comprar dirija se a raa
da Imperatriz n. 23._____________________
Na eidade do Natal
vende-se a escuna hoHaudm Pelg>im,6e 1" cla-se,
lo'.rcao 117 tonelladas, femda a zkico, que pro-
curaudo em dias do mez de novembro proximo
passado entrar na bar-a do Bio tiran-le do Norte,
encalhou napraia da redinha. A correnteza do
rio juatou gran.le quaotidade do aroia em roda do
casco, area) qne faeilila em nccasiao de mare va-
Ma a entrada para bordo a pes enxutos.
No porio existem 50 tonelladas de pedra e cer-
ca Or 4 itas de carvao, porem. poslo que facil-
mente 86 podia descarregar, faltaram apparelhos
para salvar a Pelgrin, e foi condemnada e vendi-
da em tetfao.
A escuna esta com maslaveos, a cunha e vergas
ainantilhada^; seus ma-^tros de pinho da 1* quali-
dade, mede 0 grande 67 pes, e c de proa 58 ditos.
Tem 3 excellfntes ancoras com sepo de ferro,
2 amarras do corrente medindo 130 fcracas, tudo
com pcuco USA) 2bombas de ferro, aapparelho e
de arame e foi posto na mastreacao no corrtr do
anno de 18" t.
Tem 3 cascr.s para agua. fogaode ferr<' e 0 leme
esta ainda callndo e perfeito, o boUoelte em seu
lugar.
Ate >' dia IS do corrente mez de dezembro, no
asjcriptorio do domiogos Henripue de Oliveirs, a.
rua da Alfar.Jega, na eidade do Natal, recebe se
proposlas para -corcpra da sobredila escuna, que
podem ir no vapor tie 15.
Bellos gostos em foulardma.
A msa branoa torn os mais ricos gostos em
foulardma, e uma rica fazenda para vost*d eons
as core- azul, cor de pinnae, bronze, e oor'de
lyrio, tado com li>tras bnaeas tS-i esas as ce-
res mais mod'-mas e m a< u-adas nas principaes
cidades da Europa. Dao-sojiMio>lras emanda-so
levar nas casas : na loja da rftaa branea, a rna
da Imperatriz n. 5ti.
Las finas a 500 rs.
A ro-a branra recebeu larzinhasde liodos;gos-
tos a S00 rs -ao las de 8mi rs. quem quizerobe-
gue Una di Imperatriz n. ;:,'i Dao-se amostras
cr-m penhor.
ambraia para forro.
Mntto enwrpmla e t-">-i- q-w o rarJs?hBo-;
oni-.,i. ii 'ii a j." ; "!' ci-a 4di rs.
a rua da lop sa brancn.
L7~

i
a ?0) ivs 4
ov
Gaasa la. p irS s novi-, o de mats goSlo .qae
t-n vindo an rnercado, so na rua do Queimado
n H 1" 0oe-ra & P?rn*n i.os, pelo dirninu
to prooo de 'iOO rs. n co adn '
Checuem freiinfze> que se acaba, ^
Yaya tu ja vistes ?
0 que!
As las de anas patacas qae esta venJeado a
icja da Bosa Branca.
Eu nao Rosinha.
mm Locivtvus.
De forga de d ms a seis cavallos : a venda no
aimaz-^ra de Joaqaim Lopes Maehado & C, tr-a
vessa do Corpo Siinto n. 23.
Vende-se aarmaelo c atensittes da taverna do
pate do Tcrco n. 11, barato, e propria para qaem
se q lizer estabelecer naqaelle lugar : a tratar na
mesma.
Xarope d'agriao do Pard
Antigo e coticeituado medicamento pare
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados no
e3corbuto.
Oleo de tinliaQa.
Vendem I'.unha & \kinta, em barns : rua do
Marquez de Olinda n. 23.
Wll ee Rowe & c. vendem no seu armazem
a rna de Commercio n. H :
0 veriadeiro panoo de algodao azu'. amencano.
Excellente fio de \eta.
Cognac de 1* qualidade
Vioho de Bordeani.
Carvao de Pedra de todas as qualidadea________
Vende-se uibi casa terrea era terreno pro-
pria na ruajdo Carceroiro n. 6 : na rua do Duque
de Caxias, loja n 60 se dira quem vende.
Vende-se
Peis olha qne sao boni'as e tem nm brilho qne
pareee seda, e o que mais admira 6 que a noite
ratriz n. S9,.ioja,oa Aosa Branca.
no estado cm que se acba o sitio exlstente no
dos Remedios, freguezia dos Afogados n
CAMBRA1AS A 43, 45500, 5#> 69 79.
0 Pavao vende um maguifico sortiqaento
das mais finas cambraias brancas lranspa-
rentes, tendo 10 jardas cada pecarpelo ba-
rato preso de 49, 49500,59, 69, tendo tam-
bem das mais finas que cuslumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 49
at 89, sendo fazenda que valle muito mais
dinheiro.
COM SALPIGOS DE CORES .A3 59.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
nhos miudiohos de cores, tendo 19 jardae-
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 59, por ser pechincba, ditas com
salpicos todo braacoaendo fazenda finissima
a 79500 e ditas a 59000.
VESTIDOS A ISO DA CORTE 129"
0' Pavao vende wm bonho sortimento de
corte? de vestidos a uso da corte, trazendo
cada corte todos os enfeites necessarioscomo
sejam : babadinhos,. entre-meios, rendas,
requeflfes,e vende pelo barato pre^o de 129
cada um, assim como, dios a 2 de julho
com todos os enfeites a 109. eortes de cam-
braias brancas abcrtas, com tistras e lavores
a 69, ditos finissiinosa 89,' ditos de cam-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 39500, e pechiucha.
CORTES BORDADQS A 209 E 359-
0 Pavao vende ricos eortes de cambraias
brancas dylicadamento bardados, pelo ba-
rato preco de 209 e 359-
CASSAS FBAJfCEZAS
a 300 rs, o covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vet.de pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo GI6branco liso ede salpisos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUS A. 129.
0 Pavao vende um bonito sortinaento dos
mais modernos bornous combonitas listras e
vende pelo barato preco de 129 cada um,
as&im como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales demcrin6 e com listrasde seda.
LAZI.NHAS A 320
0 Pavao vende bonitas la/.iuhas lisas,
sendo veVde e cor de lyrio, pe o barato preco
ite 320 reis o covado, assim como delicadas
dias de quadrinhos a 280 reis, 6 pe-
Uniuclia.
<7 ..*ali>e* a<640
franccz muito fino a 39000, apeuas precis?
1, */* metro para um fennel.
CHALES BiRATdS
a 29, 29500, 49.
O" Pavao vende chales a eraitacio de nae-
riu6 a 29, drtos de merin6 lisos de todas a>
cores a 29500, ditos de merinu estampados
muito fines a 49, "ditos finissimos com lis-
tras de seda a 69500, ditos muito fiuos de
crepom a 109 e 129.
AlocI 0 Pavfio vende algodao eufestado com 8
palmos de largura, proprio para lengoes
sendo do mais encorpado que tem vindo at
mercado, liso a 19 a vara e trancadoa.....,
19280.
AT0A1.HATM) A 19600, 29, 59.
0 Pavao vende atoalhado trancado com 9
palmos de largura a 19t00 e 19600, dito-
aiamascado a 29, dito de linho adamasca -
do a 39 e 59-
SEDA PARA VESTIDOS
a 19600 e9.
(y Pavao vende um bonito sortimento ier
sedas com listrinhas proprias para vesti
dos de meninas-ede ssubora a f960O o co-
vado, ditas lavradinhasa 29, os-pad roes sai-
muito bonitos e vende-se por este preco paw
acabar.
Botinas a 56000
0 Pavao te.n um completo sortimento de
botinas muito bem enfeitadas para senhoras
e vende pelo barato preco Je 59, artigo que
em oatra qualquer parte custa t>9 e 79.
LENQOS BRASF.0S
*a 29000.
0 Pavao vende lencos brancos abiinha
dos, tanto pnra homens como para senhoras,
a 29e 295.0 a duzia, ditos de esguiao t-
cambrdia de linho t-.mbem ab^inhados t
39500, 49, 59, d tos francezes escuros, pars
rap^ a 69, a duaia.
CAMISAS PABA HOMEM.
^t) Pavao vende ricas camisas com poito
de linbo bord 10)5e 129 cadi-uroa, ditas de lmhosen se
rem borl das 49, 49500 e 59, ditas cob
peito de algodao- mui'.o finas a 29, 29500 e
39, ditas dechita fina miudir.h > a 29,2950Q,
e 39, i-ssim como grande sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como deal
godao de 19600 ate 39, gr nde sorti-iiento
lc moi,s cru.s inglezas de 49 ate 89000 a
duaia
FAZENDAS PARA LUTO
\) Puvao tem um grande. sortimento di-
fazendas prct S'para luto comu sajam : cis
0 Pavao vende um elegante sorttmcuto s s, las ou lazmhas lisas que vende a iOO
das mais bonitas granadines ou gazes de e ,500 r(5ls ^nado, bombaztnas de 19600
seda para vestidos. tendo de todas as cores eld ^ c1ova'lo> ,canta t9 e 19200.
6 vende pelo barato preco de 640 rdisoco- Srand,, lwa com listras, cassas e chitas
vado e granadine preta com listras de seda ods pretascoro listras e salpicos, >lp.ca*
a 19800. todas Pretas c lavradas de branco, merinos
outrasmnitas fazendas apropri das, que st
LAZliXHAS A 360 0 COVADO. *eo&6 por menos do que cm outra qualquer
0 Pavao vende bonitas lazinhas transpa- par'e.
rentes com palminhas a 3G0 reis o covado.
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,
tanto em listras como em qaadros a 280 rs,
o covado, e grande sortimento de alpacas q
lazinhas de 40; < a 800 reis.
CUITAS DE COBES
a 20'i, 240, 280 e 320 rs.
0 Pavao vende um grande sortimento de
bonitas chitas tanto claras como escuras e
vende de 200 atd 32>rs., assim como ditas
MADAPOLOLS E.NFESTADOS
a 39000
0 Pavao vende pecasde madapolfio snfea
tado com 12 jard-s a 39, dito a 39500, dm
com 20 jardas a 59, 59500 e 69000, diu
com 24 jardas de 59 ate 89 e 109, sendo ok
mais finos que tem vindo ao mere do.
iiJgoilSozinho a 49000.
0 Pavao vende pecas de algodaozinho
com listras aolado muito finas a 360 e 400 muit0 t^orpado a 49, ditca59 e
rs., finissimas percales miudinhas com lin-
dos dezenhos a 360 e 400 re"is, garantindo
serem 'odas de cores fixas.
COBERTAS A 29, 29500, 39, 49.
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
TAPETES
CORTES DECASEMiRA A59.
0 Pavao vende um grande sortimento dt
com ramagemgrauda, pelos baratos precos' eortes de caseraira para cal^as, com bonitos
do 2c, 2-750 ), 39e 49, ditas encarnadas gostos, claros eescurosa59, ditos do 69
forradas a 59 ditas defustao branco e de cor j 79, 89, ate" 109, superiores casemiras {ran
com barras a 49 e 59, ditas decrochepara cez se inglezas, para covado, de 39500 af-
cama de noivo a 69, ditas muito ricas a 169, 65, paunos pretos e de c >res dos mais bara-
ditas de damasco a emitac&o de seda a 109 tos c mais- finos que tem vin io ao mereddt.
e 149.
FustSes
0 Pavao vendefustdes brancos ede cores,
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao
Vende-ee ama preia de SOannos.ponco mais
ou meros por i'iOiOOO : na raa da Ponte Velha
u. 104
em c-hao proprio, quem o pretender estenda-se
com o seu proprietario na rua de S. Francisco,
eomo quem vai peza a rua Bella, sobrado n. 10,
que se fara todo negocio
-v.mi oon, solidas e recfntemcnte coostruida?, com mui-1 Teem para vennVr Joaqa'nn Jose G.incalves Bel-
tus cQtnmidos e d*> Uigiar mais bollo e pitloresco' trao 4 Filho, a bordo do.patacho Sapho, chegado
daquelle arrabaide. bio muito :proprias nao so de Santa atharina, fundeado defronte do trapiche
para quem quizor o*sar o reran como roorar no Barao do Litaaroento ; e para tratar a bordo, on'
campo gozandoaojnufsmo temjto as deiicias delle no seu escriptorio a-rna do 'Commercm-n.'fi.
e os cemmodos da praca ; e a ratio e porquo fl-
eam muito pFojtimas da eatacao d rio e do mer-
cado da Casa Forte. Qianto a distancia que ha
daqai .'iqueHe arrabal w qnem ignora f Os preten-
deates dirijam *e a rua do Visconde de Albaquer- 0 verdadeiro Portland so se enoontra no caos
quo, cutflerada Olona n. 174, onde se disa guem da alfandega n. 8, armazem de-bacalhao, em
pvende barricasdasimarores que vem ao mercado e por
~~ pre^o mais eatnmudo do que em outra qualquer
iParte-
mercado, tanto para roupa de criar.c,as co.no
para vestidos e roupas de homem, e vende
pelo barato .preco de 56o atd 19, o covado.
BRAMANTES
a 19600, 2,5200 e 29-50O.
0 PavSo vende bramantes de algodao com
10 palmos de largura para lenc6es, pelo ba-
rato preco de 196'0, dito de liuho com a
mesma largura a 29, 89200 e 29500, dito
Cortes 8-5000.
0 Pavao vende eortes de chitas ascurase
claras com 10 covadoscarta corte, pelo ba-
ratismo prego de 29. 29500 e 390O0.
.CORTES DE BRIM A 19400.
0 Pavao vende c6rtes da brim pardo para
calca, a 19400. Ditos de c6r, fazenda mui-
to boa, a 19600.
Espartilhos a 3$ e 4#000.
0 Pavao vende os mais modernos esparti-
lhos, proprios para senhoras e meninas,
pelos baratissimos precos A* 39 e 49000.
Ditos muito superiores, brancos e de cor, a
59 e 69000.
por precoainuito razo .veis.
Kenpa feita
0 Pavao, tem constantemente um grande
sortimento de roupas foitaspara homem, qu<
vende por preco muito em conta, como sf-
jam :
Cal^as de brim de cores de 29?D0 ate 69
Ditas de casemira escura a 39500
Palitots da mesm.i fazendia 49500.
Calebs de brim pwrdo de 29-ate-6jJ.
Dit s de casemin de c6r de 7$ ate" 12^.
Dit-'s de casemira preta de 79 -te 14#.
j'alitots de panno prat > de 49 ate 12J.
Fraques depann > pretu Quo de 209 at>:
359000.
Calebs brancas de'linho do 49 ateffif.
Colletes de casemira de cor de 390o0 ate-
59000
Ditos de dit' preta de 49ate 79.
Cortes de 1ft a 49000.
0 Pavao vende bonitos eortes de lasinha:-,
padroes miudinhos com lindas cores, tondc
15 covados cada cotte, pelo barato preco dt
49000.__
C0"RTB6 DE ORfiAND* A 3*000 e 3S00_
0 Pavao vendecorte de organdy branco.
com listras e quadnuhos, sendo fazenda mui-
to fina. pelos baratissimos preens de 39 ft
39500 o oorte.
----
Cinmlo
#ft chegou
0 verladi'iro raa'i.ipiilao francez a '6* a
rna do Queimaio tt. 4!.
A elhiiajttCT gue se*ibe.
- Vemde-se I.bois e-duas carrotjas, nw fnnflos
da reflnacao da rua da Oncordia ; a tratar com
' Manoel Jose de Miranda Silva.
Ceroulasfnncezas de liiibo e algodao, para todos os precos e quahdades, assirr
oomo grande sortimento de meias-cru is, camisas, c lennbos, que tudo se vende por
precos muit r zoaveis.
Panno de algodao da
Bahia.
Ha para vender das segnintes fabricas :
S Salvador.
Conceigio.
Valeuca.
Modclo.
No escriptono de Lniz Duprat, a rua do Gem-
iroio n. 34, i ndar. *
Lazinhas
escocezaft Rua do QneimaHo n. '4
Lizmhas esco-ezas, padroaa-mmto bnnit ^ ntti
an. u-tda de V.He de.PaiKi|ia*o dintinutu preco
-de J80rs. 0 covado ; dao se amostras ; na rua da
Qneimado n. 43.
v
.
\ iffllMB I
^.


V
Biario dfe Pernambttco Sexta' i%$ra 12 de^^fyc* & ft?*.
T
D0I8 MNm
LEIIE,IRMAOS
UNICOS AOENTES
Rua do Barao da Victoria b. 28
Va mais simples, as mais baratas e aa melhores do mundol
Na exposico de Paris, era 1867, foi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
cio da Legi&o de Honraj por serem as macbiaas mais per-
feitas do rauado.
.

.vVii.v
? ,
A medalha de ouro, conferida i
Estados-Unidos por ser o inventor
tura.
E. Howe Junior, nos
da machina de eos-
A medalha de ouro na exposicio de Londres acreditara
eslas machinas.
A 908000
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
vor*, estabeleoeu uesta eidade a rua do Barao da Victoria n. 28, nm deposito e agenda
ral, para em Pernambuen mais provinciasse venderem as afamadas machinas de cos-
ra de Howe. Estas tnacninas sao justaraente apreciadas pela porfatgio de seu trabalho,
mpregaado uma agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
introducgso dos mv> aperfeicoados npparelhos, estamos actualmente habilitados a
"Grocer ? exanu. publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sdo as segumtes:
Triraeira.0 publico saheque elias sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
~Mrhstan*ta de tfunca terem spnarecido no mercado machinas d Howe em segun-
v mSo.
Seeuada.Contera o matorial preciso para reparar qnalquer desarranjo.
Terceira.Ma neUas menor friccao entre as diversas pecas, e menos rapido estrago
qee are outras.
Quart*.Formam o ponto como se fora feito & mao.
Qaiflta.-Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o qoe se nio consegn
oc tras.
Sexta.Far.era potito roiudo em casemira, atravessando o'fio de um i outro lado,
logo em seguida, sem modificar-ae a tensao da linha, cozera a fazenda mais
aa.
Setima.---0 oaatpresedr e levantado torn a maior facilidade, quando se tem de mudar
aulha ao comecar nova costura.
OttawaMttitas corapanhias de machinas de costura, tem tiJo epocas de grandeza e
-oadencia. Macbiftas ootr'ora popukires, sao hqje quasi descoi.hccidas, outras soflreram
udancas radiceesparapoderem substitwir : entretanto a companhia das machinas de Howe
doptaado a of iniao de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constanternente
raentado oseu labrico, e hoje nao attende a procura, posto que faca 600 machinas
or in.
GOMES DE MATT0S & TRlAO
Avisam ao rcspeitavel publico desta eidade que'o sortimento de joias, de subide va
lor, qoe extstia cm seu estabelccttneuto, osta" compjemmente reforeado com o mais ele
gante sortimento de novas joiat, que receberam directamente pelo ultimo vapor da Eu aw ja reeebosseai pela
ropa, constando elle do mais variado sortimento de aderecos Boulevard, puteeiias (k
ultimo gosto com pedras preciosas e sem elias, brkrcos d'argola, agraffes para retegio d*
senhoras, delicados aderecos para meninas, mcios aderecos de carrrafeu lindissimos, volta*
de nogordios para senhorfis, correntes iagleeas dtfotwo e de,platiBa, variada quantidadt
de botoes para punbos e peito, com emblemas maconicos, de onix, tecido de our*, eaaa-
feu, etc., brilhantes monstrosde rarissinaas agoas, em anneis, roaetas, pulseiras, alfir e-
tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro de memores fabricantes de Paris, que st
venderao com grande reduccao de precos, por serem elles reoebidos directamente de seu>
committentes.
Os proprietaries do acreditado MUZEC DE JOIAS, teudo seu estabelecimento aberti-
ate 8 horas da noute, convidam as familias quese qui-zerem prover de lindas joias,
virem escolbfi-las & voutade. para o quees"*? em exposieao nos m-str#dores.

-----
VERDADEIRO ELIXIR DO 0" GUILLIE
T0HIC0 ANTI-FLE1M0S0 E ANTI-BILI0S0
PREPARAD0 POR PAUL GAGE, PHARMAGEUTICO
Unico proprietario, rua dt GreneHs Saint-Gtrmai; 9, em Purit.
A KCit de HUlr OallM ioleiraaMnle bcselci,
Como purgaiivo nSo debiliu como os oulroi remediot
dela qualidade, porem mnlflct refretcm no meuit
tompo : auxiUa e corrige lotUa as aecrecOes; da Torpa
aos dWernn orgOos: nio ailfc* uma dieu aevera, ?*!*
coDtririo e prio tonar (M> h refei^o a lard*
quando Be osar dalle; pode ser aflminislrado ecn
egual asilo na mala itnra Idada como aa mais allan-
ladi velhiea sem ouuca causar arcidenlo qualquer.
Ha do aTinoa coIfen4ai peqatua tteauo d'ira
pouco da agua assucarada, aaja anlea aeja depots da co-
mlda, esiimuia o appetite, aviva las funccOes d^gestWas,
substiiua a losna (abimikr), o ttrmouik bebidaa amar-
gas qoe se costuma tomar.
U fo.heta qae 4 am rariladairo Iratado i* aedicini
usual e domesllca ae di de grace, com cada garrafa
de ELIXIR. Elle Indica as doencas aonda o KL1X1R
i alii e o mods de user delta.
Aa ptsseaa ^>e qalieren antes de uaarem deste ELIXIR, podem dirigir sea
pedido. franco ao S. Paul Gace, em Paria e na
prdvlBcla oa na -palaas elirangelres, em case dos
deposilarioa; Ate folheto lhas ser* enlregue le
grace el immediatamente.
Desde cincoenta annos a reputacio do ltxtr Ootltla
espalbou-se oo mundo inlerlo peloa serricoa que
qae cada die elle ure&a aas medicos e aos enfermos en
iu ai
casos graves ou
senganados.
astds considfi-a
as curas
E sobretudo ntil a classe operaria. a quern elte poupa gastos <
veis de doencas e temp* perdido, pois com o ELIXIR GUILLIfc,
s&o raptdas.
O Elixir Guillic vendfr-se^tjmjodas asjjrinpi^aes pharmaciag.daa Amtricat, nomeadameiitc
no Pernambuco : A. REOORl); B
MEO E C

""
PREDILECi'A
Cada machina
inha livretos com instruqjfies em portuguez.
A 90^000
do Bariio *da Victoria u. 28.
i
PAM COSTURA
A 30|9 e .30fOaO.
POSPONTOS
Nalojade wSoaros Leite Irmaos, & rua do Barao da
Victoria n. 28.
ptNJM oons.eaueno tooue, I Esoelhos demoldura dourada. de *odos
Agua fiorida, de Guislain,
parafazeros cabellospre-
tos.
A aguia branca, a roa Duqne de Caxias n. 50,
acaba de receber nuva reSmessa da apreciavel ajgua
florida para fazer os vabellos pretos. Obooire-
sultado colhido por quern tem feito uso dessa
inoffensiva prepara^ao a tuinatkutieiite ebnecitua-
do, e por isso apenas se faz lembrar a '^tWfn tfo- j
varaente detla precise equeira se aproveitar tie
sua utilidade, Tanibem veio agua de topasio e j
oleo florido para o mesmo uso, e Mo acrcaitad como aquella. BBS
l"7*
DE
as fm&i
to l. tic Win, 7 A.
DE
Gordeiro Sirrmes <#C.
B' esta rasa, s^m rtuvida, nrtia da rjue hoje,
VoltaS e brillCOS de grfOSSOS 'l*toiWinmklair*ntrbsw fregoezef
O um vanadiskiino aonbrnewtu
aljofares de cores.
A aguia branca, 4 rua do Duque d^Caxiaso.
SO, recebeu novas e Iwnitas \-ottas e WiucW tie
grosso >ljofares de c6re% o eomo seinpre codtt-
nua a \-ende-las por preco coinmodo.
Novo8 diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, a rua do Duque e Cuiae n.
30, recebeu novo sortimento de bonitos dia'de-
mta dourados e com "pedtks, 4anto pa#a 'mtenirias
cueto para senhoras.
Colleccoes de traslados ou
do btendaa flnas pa
ra grande loMi-lte ; asum 'cihiiu, para o uso ordi-
iiarin de lodas as cfases, e por precos vantajo-
sos'parar#'cifrh|ira1drV's, W cbjiis :ftcrtm um' pe
Mandaiu Cuendaa as rasas dos pivtendentes.
para, 0 que Wm 0 pessoal ucc^jsfarie e Jao amos-
tras medianto benlihr.
t*rles de'TsaidV-IHiiWA!i tflrrs.
Ditns *> giingtirao de i>oPes.
ijrosd^iwipte -tie'todaa aa WJrsB.
*, v**^8?."- Oorgurao Jiranw e pi-etti.
"SefiftV Macau pr'pto e de core?.
Grosdenaples idem idem.
Vetoao prpta.
Granadmc, eia preta e volhmasrt
dtsshn:is
Poix'lirias i
padroes e /a&.nda il;i ultima
e lindos padroes.
1 t#!mfrn *'hW.fh
de cores I in
ultima moda
Lnvas ie
200 ts.
Ahotoad^ras
-meato 120 rs.
Caixa de liulia df, wi*n*,. 200 rs.
Lampartfias & gaz, damio uma lux moito
oa, a 15000.
Duzia de pecas de oerdio imperial, a'
%Ui rs.
oiMB.pequeno toque,' Espelhos-demoldura dourada,
I os tamanhos e precos.
PKWUMARI.4S E HILDEZAS.
oleo Oraa verdarleiro,
Caixa de botoes de osso para cale*, a
iOOra.
Duzia de carreteis tie linha, 200 jardaa, a
i00 rs.
Idem idem 60 jardas, a^siOfs.
MaQO de 4a chineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios aderegos com camfll"e, a 500 rs.
Garrafa detinta reia eitra-fina a uoeo
Potes com dita ingieea, preta, a 100 e
160 rs.
Caixa de pennas'Perry, muito boas, a
18000.
idem idem,** Caixa de eirvaloppes-tarjadoa,a 500 n.
Ucm idemforrados, a700re-
:aixa de papel araisade, beira dourada.
4 800 rs.
Idem idem idem lfsa, a 600 rs.
Ducia de talheres cbc branpo,
6C000
iiesma de #apel pautado, a
- 558Q0,
Idem idem lisa, a2C8Q0, 3^800 e 5J6000., t .res.
Frascocom
1JJO0O.
Idem comtonico de Kemp, verdadeko, a
1JM)00.
Garrafa de agua florida verdadeira a MJ20O
Garrafa d'agua ja"ponexa, a 1)U000.
Idem idem divina, a ttWOO.
Idem idem Magdalene (novidade} a
15J200.
Caixa de p6s para denies, a 200 rs.
Idem idem de pds chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Pote com q>iata de Rieger, Rimcl e Gros-
nel, WOO.
Duzia de sabonetes de amendoa, a
35600.
Duzia deaabonetes deanjinho transpaen-
tes, a 25200.
Idem idem 00m ftdres, a 19500.
Sabonetes Glycerino wansparentes, a
15000.
Caixa eom sabonetes, formato de fructas,
a 15000 15500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100*
2 B.f af$0O rs
Frasco com agua de colagae
450OO 500 rs. e 10000.
Extractos muits finos
normas.para escrever-se. i^pukwfcfe ****.
A agtttt toaiH-a, a.rua Duque de-Cawas- n. i*), uioas a]uiitts> de *ed4.
recebeu uovas colleccoes ou norriias para as crian- Manias hrasireiras.
yas aoreDderem a escrever por si mestno, hoje Uo Coilhas de seda par*oirfia
iwadrfs nasautas ewtk**os; -como serrrfrre ven- Orfftes'de camhraia hraoca com Kudos hordados.
de-as por preco cofmniate. C*frellaVc Hritftba'parK'n ivas.
Meias cruas'finas para meni- 1SSSSS^J*Sm'i **w
nas e senhoras Vr* "JfFS"?^WlV6 4re?-
... Nansuck de lindos Viadifips.
KUtp d aguia tersmca, a rua ltqirede Gaxia* Batista de p.virnes mui delicados.
aWfMaM de qaadrr* peAs e branm).*, tie lis-
iras, etc.
Brins de lialio de cores, jroprios para vestidos
eom barra e lisiras.
Ftistlo de lindas cotvs.
Camuinhos de la 6 de tad** as cores, par a
nhoras.
Saias bordadas para aenhoras
Cair.isas idem idem
Ve Dims para bapdsaaos.
Chapeos para ditos.
Toalhas'O g6ardanapos adamascados de liuho de
A.' rua do Cabuga 11. 1 A.
Os proprietaries da Predrterta, no kitnito de
conservar 0 bom concerto que teem raerecido do
respeitavel publico, distinguinde 0 seu estabeleci-
mento dos mais qne negociam no mesmo genero,
veem scientifaar ans seas bons fregueiesque pre-
^eniram aos ens corresjondentes naa diversas par-
eas d'Europa para lhes enviarem por todos ospa-
quetes os objectos de luxo e bom gosto, qoe se-
jam mais bem aceilos pelas suriedades elegantes
aaqUeflcs paij.es, visto aproximar se 0 tempo de
festa,m que o bello sexo desta linda Veneza
mais ostenia a riqueza de suas toillettes ; e co
paquete francer. diversos
artigos da ultima moda, veem patentear alguns
d'ehtre elles qne se tornam mais recommendaveis,
espeTaodo do respeitavel publico a co9tumada
ctmcurrencia
Aderecos de tariaruga os mais lindos que teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e de
vefluda, seWo diversos tamanhos e oaratos pre-
QOS
t derecos completos de borracha prpriospara
Itto, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
nrtbs.
aWtoes de selim preto e de cores para ornato de
vestidos de sei.hora ; tanibem tem para collete e
palitot.
Bolsas para ?orihora?, existe um bello sortimen-
to de seda, de pallia, de chagrim. etc etc., por
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca
como de c6ra, de borracha e de massa ; chama-
mns a attencilo das Exnias. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam -se as criancas um pouco im-
pertinentes por falta de um obiecto que as en-
tretenhara.
Gim;sas de linho lisas e com peitos bordados
parahomein, vbatdem se por preco commodo.
Ceroulas de linho e de algodar de diversos pre-
cos.
Gaixinhas com musica. 0 que ha de mais lindo,
com disticos nas tampas e proprios para presen
Its.
(!ot|ues os mais modernos e de divenos forma
tos.
Chapeos para senhora. Heeeberam um sortimento
da ultima moda, tanto rara senhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Calcas bordadas para meninas.
Esiremeios estampad is e bordados, de lindos
ls.
E^bovj^s ele'cf[iras pan denies, tem a proprie-
aade do cviiar a carie do- dentes.
R-aiijas tie setia prutas e de cores, exi.te urn
grande sortimento de divercas largoras e barato
Fitas do sarja, de gorgurao, de selim e de cha-
nxalote, de diversas larguras e bonitas cofes.
Faohasde gorgurao riliiito lindas.
Floras artiliciaes. A Predilecta prima em con-
servar serapre um bello e grande sortimento des-
tas flo es, nao so para enfeite dos c^beilos, como
tamuom para ornato do vestido de noivas.
(Saloes dtealgodao. de la e de seda, brancos, pre-
tos e de drmins cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lagos de camhraia e de seda do diversas cores
para sehhora.
Ltgastie seda tie cores c brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, ct.m capas de madre-
perola, martini, 6s-o e velludo, tudo que ba de
bom.
Pehte* detartaruga e marfim para alisar os ca-
bel'os ,* teem tanibem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, marfim, osso e, dourados por barato preco.
Termm'arias. Neste ariigo esta a Predilecta bem
provida, nao so em extractos, como em oleos e
baffias dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudrav, Gosnel e Rimel ; s5o indisponsaveis para
a feat*.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setitn bordados .para bap-
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonito sorti-
mento de di verso* tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de saias.
Vestimentas para, baptisado 0 que ha de melhor
gosto e os mais modernos, recebeu a PfedflecU e
vends por barato preco, para Dear ao aleanee de
t|tul.|IWr lioisM.
Rua do Cabuera n. 1
#
E' sciii|ire mm
Quando narece terse e sgotado o repeiiS*
modas, pela immensidade de artigos d savSS^aaBB'
3ue tem apparecido, eis quo os velhos *-
veis eorrespendentes da Nora Esperanea*. aaasv
Duque de Caxias a. 63, descobrem unamt- m
mundo elegante, aende se- constrvam ""-~cJ**-*a-
minuciosamente as novas inven-.oes ; roaaafOaOav
para a Nova Esperanca. e antorisam na> i !"
aos sens freguezes e especialmente ao
Sue nao cream em tal : e para prova
o que acaba de ex por, vejam o qua
descreve :
MAMIaES para missa, com capa de inadtcpMaahi
ou tartaruga, tendo no centre is-
um pequeuo relogio perfeite
dor.
CARTE!R.\S, po t cliarutos, port cigarros jpM*--
moneys no mesrob gosto.
GARTEIRAS para notas com capa de marii, u.
dreperola e lartaruga, com o tgatx*.
Lembranca.
BOLSAS para senhora, o melhor que tem vMaV-at
este mercado, de diversos- ta
qualidades e modelos da nova
cao.
PORT B()L'QUETS de lindos gostos e 1r-ffrr-
espocialidades para as noivas..
CAIX1.NHAS com musicas e sem elias, prKsraat-
para presentes.
E outros de inteira novidade.
E com os memnosv
A Nova Esperanca, a rua Duqoe de aa as
63, recebemos bonecos de borracha de fi iiiaiMm
inteiramente novos : os n.eniuos muito apr*jstrm-
esie brinquedo.
E verdade.
Qualquer senhora da bom gosto, par- usaw
nao pode completar e nta toillette, sem* far aet
passeio a .Nova Esperanca a rua do Du^Bad* j^-
xias n. 63, p >rque e- Joja de miudezas qtwsse-
completo esta em sortiment), e que mats B**M8toK<
des apresenta ao publico em geral.
E com as- floristas.
A Nova Esperanca, a rua do Duque da- f&cam-
n. 63, recebeu pelo ultimo vapor, um mlena-mai
tin ento de papeis para, fl res a elle*.
Para crianca.
A Nova Esperanca, a rua do Duque dfr Qfccoar-
n. 63, recebeu um sortimento de vesSaww: ,j-
casemira e alpaca para criancas : modem
nitos.
Las mescladas.
Um bonito sortimento de las mescladas- *as
res, recebeu a Nova esperanca, a rua Biajr**
Caxias n. 63.
(lalcado eslrangeiret
Aproxima se o mez de dezembro, tempo- ntn
jue o Pirn's na America, a rua Duque de Caxiat- ars
S9, !. andar, tem de dar o seu balance, pe>?**!r~
motivo, os proprietaries deste estabeleeiiiOsw-
tao resolvldos a venderem seus calc^dos paftv -aaos
to, aflm de minorarem o trabalho ; assinr po?
apreciadores do bom, e com especialidad* svo^
amavel, para qnem o Pnris na America ewaww^s*.
com a devida decencia) o seu gabinete raj^?nfc
do, para a escolha de calcado, aproveiJsaai *: **~
nbam munirem-se do qae preeisaremi
a rua
a. ftO, recebeu novo s*!imento daquellas tao pro-
curaoas meias cruas 4ra senhora, vindo igual-
mente para meninas, e continua a vende-las por
prapw commotios.
Veos ou raantinhas pretas.
A loja da aguia -branca, a rua do Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu bonitos vcos on inantinhab
pretas de seda com flores, e outras a imitacSo de
eroehe, o vende-M^elos baitatos precos de 3a,
44 e-isjOOO. A laoenda e boa e esta em perfeite
ejtado, pelo que eoBtimia a ter prompta exirac-
f.io
Ferfeita novidade.
Grampos com liorboletas, bezouros e gala- Cortinadus bordados.
nhotqs dourados e coloridos. Carmsas "bordadas para bon
A'loja da agaia branea, a rt tie Dauue it
Caxias n. 50, recebeu novos grampes eom bw-
boletae, bezouros e gavfauhotos. o ;que de certo e
perfeita novidde. A quanudade e pepaena. e
por isso em breve se acabara.
cores para mesa.
CoffiKrs de 1;=.
soSn
VENDE-SE*
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
mercio, por preco modico: a tratar com Tasic
Irmaos 4 C.
*-- --------
Ao bello sexo.
OUsntao & Leal receberam ricos cortes de gaze
de-soda, fazeoda inteiramente nova, e vendem
pefo barito preco de 40*000 o cortc : a elles, ante^
que se acatiem: so na loja da ros Pr'mciro if
Marco n. H.
Garanh
, a 200, 32ft,
dos melhores au-
Lindas e elegantes caixinhascomperfuma-
rtas, prqprias para presentes, dos autores
E. Codray, Rieger, feelle" Freres, etc.
Quadrns com saatos e flstampas 3epara-
d.8.
En^remeios e babados transparentes e ta-
Oaques modernas, a 35000.
Duzias de pecas de trancas de aracol
oranca, a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Leques de osso e sandalo, a 39000, 49
tiJOOO.
Fita de velludo de todas as eores eiarga-[pados
ras. ? Uma grande taboleta projiria para qual-
Mieroscopios com iSvistasJa 650X10. quer loia.
Fraspo com oleo para machina a 400 rs.
Rua Jo Barao da Vkloria h. 28.
Meias de cores para bomecks e- ineniuti*.
Completo sortimento de cliapeiis i de so| para ho-
mens e semtorasi com caw:aema*rfim.
Merino de cores para vestido.-.
Dilo preto. >
Atoalhado de linho e aJgodao para toalhas.
Novas golkniias ornaaas com Auibado pardo.
Brins de linho branch, prelo e do cores.
PeiUCia OU arminhO 8eWm de lindas cores m listrte
A loja d'aguia brand anja Daqae de Caxias Cbalesde merino de cores a^eloa.
- 50, recebeu uma peqnena quantidade de btidi- ''.'Jos oe casemira.
s e novas gollinhas, irabalho de la e seda, en- Di os de seda nrela e de eoree.
neitadascom arminho, obras estas de muito gosto ?'''.oe'nfln-
e inteiramente novas. >amiS5fR de tinwo.
/-< t < i Ditas de chila.
txrampos, brincos e rozetas aus de aaneiia. ,
j j Ceraulas deWim e algodao.
UOUraaOS. Damasco de la tie cores.
Panuos tie 6hei pfcfa cadelra, sofa e con9ollos.
Colcbas da dilo.
Twlalana tie todas as cores,
Espartilhos Itos e bordados.
Fburanf -fle S'etia.
Casacos a tricot.
itii os cortes de vestidos de tint)j para seahora,
de di ersas cores, com os compolentes enfei-
tos, ultima moda.
Casemiras pretas e. de cores, clrrias, madapoldes
cambraias, pan no ftne preto e azul, eollarinbos,
pnnhos, gara.'vatas, Java* de peiliea, ditas Bo
" de Eseocia, brancas e de dires, tapetes tie todos
os tamanhos,' bolsas de viagenr, etc. etc.
' Na' Ibja tio 'PassY>, rua Primerro de#arco n.
A, wtig* do Creep*.
1------
_._-
- TTi '
Exferaordinarfa pechincha,
3^500
'iis de alg >dao adamascada- para cama
baratissimo progo de 3^1360 na loja dos
ircos. de flurnef '
ie Man;o tant
------------
Os
io A:
do Cl
a rua Primeiro

VenJe-aa uma. excellente casa com nmpequeno
-ltio. sita no Arraiaj junto a casa do. Sr. Anselmo :
i tratar na Bit e para in/ormacSes na
caver aa do Qufirasdo n. '(, andar
Ma a 6^500 a pega!!
Madapolao traneez fino com pouco sujo a 6^50
a peca; e pochiucha I na rua do Queimado nu-1
men 43.
Vinhos de Bourgogne
das D-arcas
Chambertin
Pommard
Virits
Volnay
Beanne
MontheUe
Dito Bordeaux em quartollas.
Yende-se por baralo preco
PARA XIQUIDAgAO DE CONTAS
NA
Rua Larga do Rosario 34.
Botica.
A loja la aguia branca, a rua do Duque1
Caxias n. 50, recebeu novamente tonrtos gram-
pus, brincos e rocetas dourados ; assim como
novos diademas de aco, e como.setnpre conti-
nua a vende-los por precos razoaveis
Caixinhas com pos dourados
e prateados, para cabelios.
Vende-se na loja da Aguia Branca a rua do Dn-
Ee de Caxias n. 50.
uvas depellica pretas-e de
outras cfaes.
A loja da Aguia Branca, a ma Duque de Ca-
xiae n. 50, recebeu novo sortimento de luv* dr-
paWca, pretas e de oM*as eons
-------

-----
tup eb

Baratissimo
'111 '1U
Chitas a 240 rs. o covado.
A S40rs oteovada.
_, A UtOi js. oiCDvado.
bp_naru Du/me de Caxnas a 60 A, ipia da
esquina. > w i,
iL. in zinlias com lisiras esumpadas petodimtaato
ecade 400 rs. acswado.
DatascoBi lisiras a^satinadas a 14000 o co-
vado.
'GrnmiKMaptetaa-'eam tira4de eftres a 80 rs.
a Canada
Metins traneaiWs, prt^tciix- para vestido, a 320 ra.
covado.
Na
aHar
ose Paes
se.
arannuns.
rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-st
aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
daSilva, a negocio de particular inte
7^-------;--------' -'J*fr, Alpacas tie qaadros, proprias para vesifdos,
I'ananos da Arlemanba *" L mv*4i,:
(.hegaram pelo ultimo vapor da Europa
feitcs-cantadores e de cdTes mnito lindas : a
e ;i.vendv no arawzem FidoUdttdei a
matador % ifii
,per
lam-
J\(I\liAi\ii4'5
firm braaus., toaa,:pai caJ-as a liSGOa ara.
tiiiv iraacati'* aWfiOO.a, vara.
acpaiw- Di^ de c0rejj Jiabo wur<^a i#40O a vara.
rua do Im-. T n'k:~ fe..
mmttm
~ OJwo*s dwsoi'de s*d*aho d canna, a 8|500
oada tun, iMmtiHhio w n. iO da rua do Crespo,
ia daa 1 aortas. du.iJuilbe.rine & 0.
TASSO IRMAOS k C.
Em !>eus armazens a rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por precos commodo*
Tijolos enearnados sextavos para ladrilbo.
Carlos de barro para esgoto.
1 CimeWo Portland.
CiiMMD'HydrauIicc.
Machinas de descarocar algodao
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barrel.
Phosphoros de cera
Sagu em garrafoes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentiihas em garrafoes.
Rhum da aJmaica.
Vmho do Porto velho engarrafado
Vinho do P*fto Superior, d Vinho de Bordeaux, dito.
Viono de Seherry.
VTnho da Madeira.
Potes com linguas e dobradas ingiezas.
Lktem finos aottidos.
Cdgaac Gaulhier Freres.
La las de toucinho inglex.
BarYfe com repcrtho em salmoura
Tinlii, cliii e fnnio
Amaral Nabnco & C. vendem tintas orisalihe -
Lotion vegetate para tingir de pretes cabellOSj a
qae se cmihete de mais utll e commodo, nio ao
no mndo de empreg.i-1 >, como oo resultado que
se obtem. Cha verde e preto chegado ultimameno
te, e ftttno Inglez e fra' cez, para cigarros e ca-
cairrtbos : vendem no Basar Victoria, rua do Ba-
rao da Victoria n. 2.
Canlaria de L\s\m
Hoinbreiras.
Capiteis.
Soleiras.
A' vend: marmazem n. 25, a travessftc'Saca
Santo.
Ss para vestidos de
sinha.
Fazenda de 800 re., vende-se a 30*/V3iar3>Sr!^
Branca e dao-se amostras: a rua da lir.^awaaas 2i
56. __________-___________________
(,;u?,iiiiibs e puntios
Amaral Sftbace & C, vendem camizipaaaargKF-
nhos para senhoras, brancos de algodao,. tk
bordados e de cores, no Ba ar Victoria- n
Barao Victo ia n. 2.

Matricula para cavallos*.
A' venda na livraria clas-ica, a rua do tats*?;*-
dor n. 73. Preco 40 rs.
1
a
rIV
*J :
Crheou o verdadeiro de Portland ; banrietit-
ggandes de 400 kilos < no armazem de Tas b
maos & C caes do Apollo
Alqaciana
A 400 RS. 0 COVADO.
Fazenda inte'ramente nova epropria ^araap?--
senie estafao, pelo baratissimo prejo de iOOnv k
covado, -aloja dos arcos de Gnrgel do Am-and v
C, a rua de Marco, antiga do-Crespo b. SD--.Br.
Vende-se
nm sitio no largo da Casa Forte, com ."iWt paia-
de frente e 970 de Inndo pouco rnis ou; aw in .
com casa de peora e cal, 7 Quartos, 3 ?afcaSr,.a
zinha fora, 4 eacimbas < diversos arvosafias- ti*
fructos ; assim coiiio, um eulro menor sti-.i-
veasd da mesma, voltando part a estradt tpt* j
para o Arraial, com casa de pedra e eal,- t-xc "-
Juartos, cozinha fora, cacimba e al/uns aJVp.T*.^
e fructo : no pateo do Canno n. 3, ou n, aa. -
da TYiacrwiras n. 1. ________________
J; 0. C. Boyle."
Tem para ve i r" :
(lognac de Hennessv, superior e verd^Ae"**^
Vinho Xeres das melhores qualidades.
Bitters de Angostura
Whisky.
Cha preto em lattas de 10 libras.
Totias as p>eparac5es chimiSas do Dr. *
armazem da rua do Commercio n 38.
Mp eslrangeira.
tem
Amaral! Nabneo 4 C. vendem costumes de brim
braoco'e de cores (a murirjo e a puritanos) para )
meninos, jialetots e colletes para homem, ditos de
alpaca e de. casemira para homem e meuinos, ca-
misas'burtladas e lisas para senhora, homem, me-
niooo arnlna : no Baiar Victoria, a rua do Ba-
rao da Victoria n. 2.
BanhfDftemOHnda
J6"FUho T"?."J"*,im- ** *B-i= Qrnisas e ca!; as de r.a-enda tie Boa qualidade,
d nn,,mprlnK^ W>a9n ,OT,'Hono a rua pmpriaa .*ra r* tatto* tm Olinda : nalojidos
uu uommercio n. o. <____^___;___________________ arc^s ima Pn.nir) de Mrfrca (anUga do Crespe)
Bnrreaa venda
J Deiro avisa a sens freguezes que esta
viagem para aa provincias de A1alg6as e Pernam-'
buo, conduzindo excollente trnpa de burros
FLORES
tropa
pasiara por Penedn. Filar, CastaJlhaG^ande,JlUi-
to Calvo. Harreiros, Rio Fofmoso, Escada, Caho.e
Srovavelroente por. Santo Amaro de JaboaiSb a
lazaret'' ; por isso pode ser avisado ou encon-
trad > era qualquer destes lugares.
^iiraogeiraa, 20 de outubro de 1873.
0 jardim da Nova Esperanca, a rua Duque de
Caxias n. 63, esta reple<-to de flores ar mais de-
licatiasque e possivel iinayinar se, desde o mais
singeilo ramalhete a mais elegante rosa, (inb-ir
novidadej : ao bello sexo compete, quanto antes,
virem come-las emquanto estio vicosas.
Rua do Brum n. 7ff
Vende se' zinco puro de superior qualidade,
Vende-se quatro caixtles proprios para estabe- proprio para cobertas de casas, medindo 11 pal -
lecimentos de molhados, 4 rua de Marcilio as Imos do comprido e 4 de largo, -por prejo mnito
n. 76. em couta.
Para acabar!
Ricos chapeos para senhora so na rua Duqne
, de Gaxias-Q. 60 A, loja da esquina.______________
Caixdes
Bolsas, malas indispensa-
vels
Amaral, Nabuco & C. receberam completo- asm
timento de Boljas, malas e tntiispensaveis de- gkp-
ro, madeira e chagrin : vende-se no Bazar lfc
torias rtfa do Barao da Victoria a. 2.
Agiias Ale,rliflo-G,.2()$as das
dm Salgadas.
Villa Rouca de A^uiafc ',
BiCARBONATADAS-SODICAS
Analyses do Dr. Jos* JnHo Ro#r
frees; lente da eseola Polyttv
ebniea de Lisbon.
Esta excellent^ agua usada com vantagem
padecbnentos' das vias digestivas, urinatias,
estomago ele., eie.
Yende-se
NA
riirtniacia c drogarin
DA.
RUB larga do Ro'sSrio b 34.
Lindas las escoeezas.
De varios paJroes, e intelranteote motiernasy au
360 rs o eovado : na rua Primeiro de Marto--,
antiga do Crespo n. 13, loja das eolumnas, da Aa-
tonio Correia de Vasconcell'
*-
A Predilecta acaba de receber um linda
mento de fitas escocezas achamalotadas, pr
[tara racoaa ; assim como um iindo sortiinat A
eques de madreperola; a elles antes que se aax
bem, a rua do Cabuga n. 1 A.
Vende-se
A tvaerna da rua da Penha n. 6, Bem atragaft
zada tanto para a terra como para 0 mato a
na mesma %
.w
Tf
A
ilegM
.
m


w
f
. I.
8
Diario de Pernambuco Sexta feira 12 de, Dezernbra dc 1573.
CASO NO MAR. Escrevem de Inglater-
ra ao 5tecfe o seguinte :
Lima dassconas mais dramaticas acaba
de se passar om Kingstown Harbour, no
porto dc Dublin, a' uma hora e meia da
noite, uni navio raercante de grandes di-
mensdes, entrava na bahia a todo o panno.
Quando se aproximou. c*nhpeeu-se que tra-
zia fogo a borlo, <> quo ;i tripolagSo nSo
manobrava pirs Ihe dimimiir o and a men to.
0 porto estava elieio de navios, e foi imnen-
-1 a consterotgAo ao ver astim a entrada de
urn navio de tatnantio port-, entran lo sa n
gorerao e em chanmas. Conbeceu-se quo
era o Nafigpore, navio ile ferro, pro.iedente
de Calcutd, com carga de algodao e salitre.
O fogo havia se declarado cinco dias antes
e a tripolagao cxhausta de fadiga para ver se
t-xtinguia o inceudio, ja nao tinha forgas
para manobrar. Entrando no porto o Nang-
pore, foi logo abarrnar com nm navio car-
regado, quo immediatamente motteu no
fundo, salvanlo-se todavia a tripolagSo.
Conlinuando na sba desgovernao"a carreira
encontrou segundo navio, que do mesmo
modo metten no fundo.
Depois foi de encontro d chalupa Echo,
que com demora, cortou as amarras; o
apitao cahio ao mar com a forga do embate,
e desappareceu, e a chalupa foi baler contra
niu quebra-.nar; oode se despedagou.
Os treschoqnes successivos abratidaram
o seguimr-nto do Mangpore e entao os salva-
vidas (life bouts) poderam chegar-se para
salvar a tripolagao, e cm seguida os guarda-
costas Fanny o Victoria atiraram sobre elle
para o metter no fundo.
AI DOS COURACADOS I Kscreve o
Siccle que urn homem de espirito dissera
certe dia, que dentro do algumas centenas
de annos havia de nascer um grande genio,
que invcntaria diligencias uuchadas, nas
rstradas ordinarias, por cinco on seis vigo-
rosos cavallos, com mudas de distancia em
distancia, e que esse inventor realisaria,
com tal inovagao, consideravul fortune. Ser-
Ihe-hiam decretadas honras pubiicas; os
pootas oantar-lhe hiam a sua gloria^ e as po-
pulagdespdr-lhe-hiam o nome entre os hem-
feitores da humnnidade
Estamos quasi tentados a acreditar,
continua o mesmo jornal, quoeste paradoxo
nao e tao paradoxal como parece, quando
|>ensamos nas sommas oxh irMbmtes quo
lodos os governos dos dous munlos teem
dispendido para se proporciouar o luxo de
navios couragados, blindados e roslrados ;
c que boje se reconhece a inutilidade abso-
lute dessas famosas couragas, que apenas
protegem muito imperfeitamente os navios
a que se applicam, a custo dc grandes des-
pezas
A Franga possue neste momento V4 na-
vios couragados de todas as dimencdes, desde
;> ndo de guerra ate ao mais simples navio
costeiro. Es'es 44 navios estdo armados
com 357 canhO>*s, e sdo movidos por ma-
rhinas a vapor representando a forga dc
23,220 cavallos.
A marinba couracada de Inglaterra
conta 57 navios armados com 707 canhous
i :n a forga collective de 38,400 cavallos.
A Allemanha, a Austra, a Italia, a
Prussia o as outras nagoes europeas, fazem
todas juntas 138 navios couragados, arti-
Ihados coin 1,023 pegas, e da forga de
133,370 cavallos.
Isto representa centenas de milhoes
deitados n'um abys.no enorme.
E facilmcnte se comprehende que o
tthysmo se afunda, d medida que prctendem
eiichel-o. Quando se principiou a couragar
liavios, cercoram-os com chapa de metal
bastante espess3s para resistir aos projectis
que se empregavam nessa occasido. Ira-
inediatamente foram inventados outros mais
penetrantes ; entao apphcaram-se couragas
mais espessas aos navios ; mas os iuventores
nao se consideraram batidos. Ah 1 blindaes
navios com cbapas de 25, 3J) e 40 centi-
metros? pois aqui vos apresentamos um
raDhdoqueentrard nas vossas chapas, como
a ponta de uma faea penelra n'ucn pao de
manteiga.
Hojeas chapas attingem taes proporgdes
de espessura, que ndo e" possivel empregar
outras mais fortes ; mas os inventores de
projectis continuam no sou trabalho ; nao
ha boje couraga que possa resistir aos seus
canhdes.
Ainda outro inconveniente: essas chapas
formidaveis, das quaes alguma tern mais
do 50 cenlunotros de espessura, o que im-
porta em sommas fabulosas, acham-se oxi-
dadas e destruidas em muito pouco tempo
pela acgdo da agua do mar, sendo preciso
renoval as continuamente.
Um engenheiro de construcgdos navaes,
que e secretario do ministcrio da marinba,
publicou um livro quetem todo o valor de
liK-umento official, cheio de demonstragdes,
cuja exacti ldo ndo d contestavol. O distincto
engenheiro resume assim a sua opinifio :
A couraga estii dustinaJa a desappare-
cer, e antes de pouco tempo, dos costados
dos navios do com Jate.
O outro engenheiro de mar'nha o Sr.
Dislere, exp:ime-se assim:
Entre onumero dos agentes de destrui-
gao, cujo poder torna inuteis as couragas
mais espessas, ha um, que nSo s6esti cha-
mado a supprimir a blindagem, as couragas,
os mstros e lodos os meios de defi-za, mas
tanbem a modificar os systemas maritimos|
conhecidos e desconhocidos. Esse agente e o
torpedo aperfeigoado. Tacticas, construc-
tors, armamnntos, artilherias, manobras,
tudu absolutamentc tern que mular em
presenga deste formidavel engenho de des-
truii;ao.
O que, po'dera" fazer, por exemplo, a'
nossa magnifi'-a n/io a liochamb"au, que
nos custiu del milhoes de francos (1,8 JO
contos de rcis), quando fdr atacada por um
traigoeiro torpedo, que sem que pessoa
alguma possa ate suppor a sua presenga,
vai colear-se mesmo por baixo da quilha'
e quo a fara" sdtar e despedagar como
um brinquedo salta e se despedaga nas mSos
de uma manga T
NSo tratamos, c preciso notar, do tor-
pedo clissico ou ilormente, que funcciona
com o choque, ou por meio de corrente
electrica. O torpedo actual, para ir pro-
curar o destruir o navio inimigo nao precisa
de embarcagio e de homens dedicados eco-
rajosos. Eis o que a este respeito diz o
nosso engenheiro :
0 torpedo tomou acgao propria. Diri-
gido a distancia ou disposto de maneira que
attinja por si mesmo o ponto ameagado, es-
correga pclo costado do navio, durante o
combate, e realisa o problema por longo
tumpo procurado sem se resolrer ; o dos ca-
nhOes submarinos. Invisivel, cbega ao ponto
necessario, e, sem perigo para o navio que o
langa ao mar, consegue o resultado tao dif-
licil de realisar com o esporao. sempre tao
perigoso para a mhos os adversaries Em
presenga desta nova machina de guerra, qual
sera" a vantagem do navio couragado? Essa
pesada armadura, a que se sacrificam tautas
vantagens navaes, n8o Ihe serd da menor
utili lade, nem o preservard da terrivel ca-
tastrophe que oameaga.
JURISPRUDENCiA.
Ilclislorlo
k RESPEITO DO NEGOClo DO MARECUAL BAZAINE
EX-COMMANDANTE EM CUEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
(Continuacdo)
Siluacdo das uuinifoes.Mo decurso da
noite de 1G, o general Soleille, commandaa-
te de artilheria do exercito, tinha mandado
o seu cbefe de cstadomaior prevenir o ma-
ruclial, que o consumo das munigoes ti-
nha s*do consideravel, que se podia calcu-
lar na terga parte ou na metado dos provi-
mentos do exercito para as munigoes d'ar-
tilheria, e que seria util raandar a Metz,
n'essa mesma noite, procurer novos muni-
ciamentos. Deve lamentar-se, que antes
de se dirigir ao general em cbefe um rela-
torio tao assustador o general Soleille nao
tenha prociralo obter informagdes pelos
ofliciaes do seu estado-maior junto dos ge-
neraes commandantes d'artilheria dos cor-
pos, a respeito do consumo por dia. Se os
houvesse consultado, 6" facil comprehender
isto.
Completamente municiados depois do
P0LHETM.
l:cs::iTbosju
hemorias de satanaz
POR
I*. II iinaelFcruandezy Gonzalez
PRIHEIRA PARTt
O GRAN-CAPITAO.
xxiir
DE COMO O GRAN-CAPITAO SE ACHOl' ENVOLVI-
DO EM UM NOVO ENREDO.
(Coutinuagao do n. 281,
E' chegado o momento eui que nao
posso consentir que guardes silencio por
mais tempo, disse Lucrecia. Em tua casa
encontrou-se uma area antiga que parece
ter pertencido a uma familia tambem anti-
ga. 0 escudo d'arraas que se ve" n'ella per-
tence aos Coisinis, nobre familia napolita-
na, d qual nao falta nenhum dos seus re-
presentantes. Ha seis annos que falleceu
a ultima pessoa d'essa familia, Helena Cor-
sioi, e os outros Corsini estio em Napoles.
I'.omo foi parar essa area tao antiga, tao ri-
camente lavrada, e que pelo escudo que se
\u n'ella, pertencia d familia Corsini, ao
teu poder ou ao poder de Boavinetto ?
A-posse d'essa area nao siguifica cou-
&a alguma, mioba senhora, respondeu Ma-
rietta. Dm movel pode vender-se, pode
passar de uma familia para outra, e, sobre
tudo, eu ndo sei nada acerca d'essa area.
Dentro encontrou-se apenas um pu-
nhal enferrujado, um v6"o de mulher com
manchas que parece terem side de sangue
e uma coroa de noiva.
NSo sabia que a area encerrava esses
objectoi.
E' singular, disse Lucrecia ; a curio-
sidade 6 am vicio commum a todas as mu-
lheres, e tu deves ter querido saber o que
a area oneerrava.
Sempre que manifesto! esse desejo,
.disse me Bonvinetto : -Nao qui
que estd alii dentpo, porqu im
porta.
Quern e Bonvineito? disse Lucrecia.
S< -npre quete tuuii" hi res
I^ito, tens-me re5,,ondhlo : tjrtura-ir
ncmoria d'esse homem.-
combate de 14, em que o consumo foi mui-
to r.ioderado, o exercito tinha comsigo na
planicie de Gravellotte : 95,460 tiros'para
obui: de quitro e 11,033 Itiros para obuz
de doze, ou na totalidade 106,493 tiros
fiara obras, nao compreheniendo a metra-
ha ') os tiros de bala, queeram assaz abun-
dantes:
O consumo da batalha de Gravellotte foi
para os dous calibres de 26,000 tiros de
obnx.. O exercito dispunha pois & \6 & noi-
te de 90,493 tiros pelo menos. NSo 6 pois
exacto dizer, que o consumo do'dia^ tinha
side de um tergo, ou de met dVda to-
talidade das munigoes. Ndo- chega a um
quarto.
Se 90,500 tiros de pega ndo pareciam
sufficientes ao marechal para proseguir a
sua tnarcha sobre Verdun, onde o espera
vam novos recursos, o arsenal de Metz es-
tava habilitado a dar-lhe em poucas horas,
e n'essa mesma noite, 9,000 tiros de qua-
tro, 3,500 tiros de doze, ou 12,50) tiros
immediatamente dispnniveis, carregados em
cofres, e montados. Este municiamento
suppleimntar, tirado em parte ds baterias
maiores da praga, podia ser roconstituido
em menos de um dia pelo arsenal, que, a
19, 20 e 21 forneceu ao exercito mais de
25,000 tiroide pega.
A exactiddo d'estes dados encontra-se da
mantiira mais precisa era um capitulo espe-
cial do relatorio relativo d artilheria. Dif-
ferem da* parcellas referidas pelo general
Soleille, Pela boa razdo de que aquelle ge-
neral deixou de fazer entrar era linha de
conta os livretos diarios do arsenal de Metz,
que alcangavam a 18, ao numero de.....
21,059 tiros de obiz, e em 23, a 54,617
d'obuz.
No que diz respeito ds munigoes d'infan-
teria os soldados marchando para Verdun
tinham nas patronas ou burnaes 90 cartu-
chos, e alguns regimentos 108 cartuchos, o
que representa um total de mais de dez
milhoes. As reservas das divisfies e outras
forgas, transportavam alem d'isso mais de
cinco milhoes e quinhentos mil.
Estava pois fornecido com quinze milhSes
de cartuchos. 0 general Soleille eleva este
numero a einco milhoes, porque oraittio de
fazer entrar em linha de conta as munigoes
que estavam nos burnaes nas patronas. Ora
o consumo de cartuchos em toda a campa-
nha ate 19 de setembro, no dizer d'aquelle
official general, ndo alcangavam o numero
de trt'S milho -s e quinhentos mil cartuchos.
Poie-se por tauto affirraar altameute, que,
16 d uoiie, o exereito estava sufficien-
temente municiado para coutinuar a sua
marcha.
Recebendo as informagdes que lhe man-
ddra o general Soleille, o raarechal que ti-
nha a experiencia da guerra, nao devia ter
recuado. Sabia que muitas das suas divi-
soes tinham estado ligeiramente envolvidas
no combate, e que era possivel proceder
durante a noite a uma di visao summaria de
munigoes.
Seja como fdr, em Lugar de mandar pro-
curar immediatamente ^munigoes a Metz,
como padira o general Soleille, o marechal
esperou o dia seguinte para tomar esta reso-
lugao. Naojulgava portanto as necessida-
des tio urgentes.
Siluacdo dos viveres.Pelo que diz res-
peito d penuria de viveres, a inexactiddo das
assergdes do marechal e ainda mais salien-
te. 0 exercito, d sahida de Metz, levava
comsigo 3,390 carros, que conduziam
150,000 ragoes (pdo, biscoito e fartnha)
para homens, e 200,000 de aveia, sto e,
quatro dias e meio de viveres. Tinham-se
alem disso. preparado grandes provimentos
per parte do intendente geral Wolff, nas
ferteis plsnicies que separam Metz do Ver-
dun. Kmtim, n'esta ultima praga 600,000
rag6es espera vam o exercito. 0 conjuncto
d'estas disposigdes assegurava pois, muito
largamente, a subsistencia das tropas, quan-
do a ordem de licenciamento do trem auxi-
liar veio espalhar a perturbagao n'aquelles
preparativos. Se se tivesse dado seguimen-
to a esta ordem, o marechal nSo teria tido
de se queixar sendo de si mesmo, da situa-
gdo critica em que essa ordem o collocdra.
Seria entdo que se acharia em penuria, tan-
to mais que, quando se deu a ordem para
deixar os viveres, ndo era possivel fazer dis-
tribuigdo para reconstituir o proviraoirto de
burnal, estando as tropas ora marcha, e ha-
vendo ultrapassado o comboio.
Mas, como dissemos acima, s6 uma parte
dos comboios tinham ficado parados na es-
trada; o do segut:do eorpo e o do grande
quartel general chegaram d planicie. Com
osseusunicos recursos, o exercito tinha com
que viver durante dous dias, por isso que
sd o comboio do quartd general tiuha, a 1G,
d noite, 174,000 ragdes de pao e de biscoi-
to, e 136,000 ragdes de farinha, o tres dias
de viveres de campanha para todo o exer-
cito.
Os soldados estavam providos de viveres
ate" 17 inclusive. Podia-se pois, coutinuar
a marcha sem correr o menor risco. Se
fosse permit tido o receio, a 16, d noite, aos
commandantes de corpos, que a ordem do
licenciamento do trem auxiliar tiuha sepa-
rado dos seus comboios, o marechal que ti-
nha sido acompinhado pelo seu, cujos re-
cursos per.nitlio occorrer ds necessidades
de todo o exercito, devia estar tranquillo.
0 marechal tinha conhecimento das provisoes
que existiam em Verdun e na estrada ; tinha
silo iuformado a esse respeito nossa mesma
manha pelo intenlente geral Wolff. Tinha
visto o comboio do grande quartel general
ficcumulado em (iravelotto. Em vez de se
deixar veneer pela inquietagao de alguns
coram.indantes de corpos, tiuha o dever de
os tranquillisar.
E' verdade que o in endente De Preval,
que elle fez chamar no Qm do combate, nao
soubo informar o marechal sobre o que
existia em Gravelotte. Aquelle funcciouario,
investido havia apenas tres dias nas funcgdes
interinas de intendente em chefe, podia
ignorar os]detalhes do servigo ; mas tratava-se
aqui dc uma questdo capital, e valia a puna
ter della informagdes exactas. Nao se fez
nada, e deu logar a que o marechal invo-
casse, para explicar o seu movimento
retrogrado, um molivo de;truidj le funda-
mento, e que devia impressionar as tropas
de uma maneira assustadora.
E'comdifficuldadequeo marechalquererd
aproveitar a ignorancia em que o deixou
o intendente De Prcval para langar sobre ella
a responsabilidade. Effectivamente n'um dos
seus interrogatories, expressou-se nestes
termos : Quando Ihefalloi a 16, d noite,
da nossa situagdo, respondeu-me que udo
estava ao corrente do servigo dos viveres.
Se elle queria estar informado com exactiddo,
porque se ndo dirigio aos que estavam
habilitados para lhe responder, aos directo-
res dos servigos .das subsistencias e dos
transports ?
Surprendido pela inquietagao que o
raarechal lhe testemunhava, o intendente De
Prd'val offereceu-se a ir procurar a Metz
o comboio que alii se acbava prompto a
marchar. Tirou da praga especialmente
todo o biscoito; conduziria aquelle comboio
logo que soube a noticia de que o exercito
se concentran i em Metz.
Em resumo, a 16 d noite, o marechal
tinha na planicie viveres para os dias 17 e
18, eparte de 19. Na preximidadeachavam-se
e resto dos comboios que podiam juntar-se
na manhd de 17. EmGm, provisoes estavam
preparadas em Verdun.
Como d que nestas condigdes podia o
commandan'.e era chefo acreditar que existia
uma tal penuria para que fosse forgado a
retrogradar? Ndo o podia acreditar
reconhece-o no seu interrogatorio, e langou
para um erro de redacgdo as assergdes dos
seus despachos dcerca da falta de viveres.
No meu pensamento, disse elle, ndo eram
viveres que faltavam, mas era necessario
distribui los de maneira que os homens
tivessem dous ou tres dias de viveres no
burnal, de modo que nos deserabaragassemos
dos nossos imraensos comboios.
Mas esta difficuldade nao era invencivel
dando ordens na mesma noite, o comboio,
que estava reunido em Ban-Saint Martin,
teria facil men te atra vessado os doze kiloraetros
que separam Metz das planicies, e a
distribuigdo pedia ter lugar na manha de
17.
0 marechal, fornecendo-se em Metz de
viveres e munigdes, diminuio entretanto os
recursos da praga, e o seu dever era tomar,
sem perda de u n momento, as medidas
necessarias para os substituir. 0 telegrapho
que me ndo falasse n'elle. Tenho respei-
tado o teu desejo, porem hoje, slnto me,
nao sei porque, ameagada por Bonvinetto ;
necessito a todo o custo saber quern e esse
homem. Nao encontraste em mim protec-
gao e carinho ? Porque me pagas com a
frieza do desagraJecimento o que fago por
Estou sd no mundo, replicou Mariet-
ta, tern razao, minha senhora; ndo devo
occultar-lhe cousa alguma. Pore"m e pouco,
muito pouco o que posso dizer-lhe acerca
de Bonvinetto ; sei sd que se ndo chama
Julio Bonvinetto.
0 seu nome T
Ignoro.
Onde o conheceste ?
Em Napoles proximo do Vesuvio, uma
noite, em uma situagdo terrivel.
Marietta inclinou a cabeca, guardou si-
lencio por um momento, e erguendo de no-
vo a cabega, disse :
Acabavamos de chegar de Franga
meu pai, minha desgragada irraa Julietta,
que era entdo uma crianga, e eu que con-
tava apenas quinze annos. Viviamos po-
bremente era um mesquinho albergue, e
desde pela manha ate ao escurecer percor-
riamos as ruas e as pragas, cantando, dan-
gando e lendo a buena-dicha. Logo nos
primeiros dias da nossa chegada a Napoles,
seguira-nos com insistencia um joven caval-
leiro, a quera meu pai fizera rad cara por-
que comprohendera que o raancebo se ena-
raorara de mini.
Eramos muitt* pobres, por^m, ainda que
offerecessem a meu pai um thesouro pelo
meu amor, te-lo-hia rejeiUdo. Se meu
pai me tivesse visto enamorada de um es-
trangeiro, como nds chamamos a todos os
que nao sdo cigsnos, ter-me hia matado.
Felizmente ndo me enamorei do joven fi-
dalgo, por mais que este, collocando-se
sempre d minha vi-ta, apeztr da md cara
de meu pai, me fizesse comprehender que
estava loucameute. upaix'-nado por mim.
Uma noiti-, ha cm -o annos, volta'vamos,
meu pai, minha irmd e eu pelas faldas do
Vesuvio, do uma pov. agao proxima doNa-
poli s, onde tiahanos i lo ganhar a vida.
A noite est apenas le joz em quand pela cbamma qio
I :ii ava o vnlcao.
|i r .. ; '; : i cerca-
liK, l i ... lij flOU
u na fers.
Nds foramos collocadas sobre dous ca-
vallos e os homens afastavara-se levando-
nos.
Os gritos de furor de meu pai cessaram
de repente e eu perdi os sentidos.
Certamente meu pai perdera a vida.
Quando tornei a mim, encontrei-me era
uma estancia quasi regia, deitada n'um
magmfico leito.
De pd,j:into do leito, conteraplando-me
com anciedade, estava um formoso man-
cebo. .
Aquejle joven ndo era o que me havia
perseguido, o que certamente nos havia ac-
commettido com a sua gente. Era esse
homem que a senhora duqueza e eu co-
nhecemos sob o nome de Julio Bonvinetto.
E que apparencia tinha entftj ? per-
guntou Lucrecia.
A de um cavalleiro nobre e rico, a de
dono d'aquella sumptuosa habitacdo.
Continda.
Enaraorei-me d'elle logo que o vi.
Entdo o meu primeiro cuidado foi perguntar
por meu pai e por minha irmd.
Sua irmd estd n'outra habitagdo, en-
ferma e bem cuidada ; emquanto a seu pai,
sinto dizer-lb'o, mas cheguei muito tarde
para o salvar.
Como, pois, ndo foi o senhor que nos
arrebatou ? perguntei eu.
Ndo a conheci sendo esta noite, res-
pondeu-rae Bonvinetto ; vinha eu de Napo-
les para esta quinta com alguns criados,
quando ouvi gritos desesperados de am ho-
I mem e nos cahiram era cima dous cavallei-
ros que corriam d redea solta ; compre-
) hendi que se havia comraettido am crime e
atravossand- -no6 adiante dos dous cavallei-
ros, libertamo-las a si e a.sua irmd, que es-
tavam ambas desmaiadas de terror. Mandai
que as trouxessem para esta quinta que fica
muito proxima do lugar onde se encontra-
ram mortos um cigano que deve ser seu
pai, e um anligo amigo meu, Conrado Al-
bert.. For* m ambos transportados para
aqui, porque e seuipre bem tirar do cami-
nho publiuo dous cadaveres quando estio
proximos la casa de um homem que
tem muito boa fama, e que este os encon-
tra ; ha que evitar iuformagoes e desgostos.
A sua vista bastou tao somente para curar
uma f ri la que eu tinha no coraedo o quo
julgivHincuiavel ; pi toudo toma-Ia debaixo
o i mioba prou'cgd i e necessitj evitar que
scjulgue que mi cu o auto'r da morte de
sou ;iai, para a ruubae a si.
estava d sua disposigdo ; desJe 16 d noite
podia pedir. Em vez de proceder assim de
dar conta por um despacho da situagdo em
que estava, redigio um relatorio, que confiou
a Mr. Belle, secretario da embaixada, e
dirigio o seu enviado para Verdun, em vez
de o fazer passar pelo caminho de ferro dos
Ardennes. Mr. Belle sd chegou a Chalons
no dia seguinte 17, pela tarde. *
Foi sd na tarde de 17 que o marechal
pensou em recorrer ao telegrapho para
informar o imperador dos aconteeimentos.
K' uma cousa digna de notar se: o seu
despacho ao ministro ^couhecido, ver-se-ha
adiante, sobre o pouto essencial da situagdo,
a penuria dos viveres e munigoes, de maneira
que o ministro ndo pdde tomar, sendo na
tarde de 17, medidas para o municiar. Pelo
facto desta demo: a, as provisoes expedidas
pela sua ordem encontraram ocarauiho
cortado, e ndo poderam chegar a Metz.
Como explicar o silencio do marechal,
sendo com a resolugdo de se subtrahir a
con vites muito infantes para continuar a sua
marcha ? >"ao se poderiam ad./iittir as
desculpas qie elle apresentou no seu
interrogatorio :o esquecimento da linha
dos Ardennes ; o receio de se servir do
telegrapho, quando o exercito inimigo estava
na sua retaguarda, por isso jue se podia
servir da cifra que existia para a correspon-
dencia official; a ignorancia finalmente, em
que, tomando posse do seu commando, se
tinha deixado a respeito da situagdo do
exercito, por isso que o seu dever o obrigava
a informar-se de tudo.
A assergao do marechal ralativa a penuria
dos viveres ia receber um notaveldesmentido.
Uma parte das carruageas do grande quartel
general tinham sido descarregadas na tarde
dc 16, ou em virtude da ordem do
licenceamento, ou para permittir que se
evacuassem para Metz os fundos do dia.
No movimento retrogrado executado na
manha de 17, nao se tomou nenhuma
medida para distribuir ds tropas os germens
que tinham sido depositados nas margensde
Gravelotte; ne momento emqueseabando-
nava aquella posigao devia ter-se-lhe langado
o fogo para evitar que cabissem em poder >1o
inimigo. Segundo a acta da perda redigida
naquelia occasido, 1,400,000 ragdes de
viveres de toda a especie, sendo 50,000 ragdes
de biscoito e 625,000 desal, ticaram assim
destruidas.
Tendo sido levados ao conhecimento do
raarechal osfactos que precedem, respouieu
elle : que a verdadeira causa determinante
do movimento retrogrado que elle ordenara
fdra a dissiminagao em que se achavam os
corpos na tarde de 16, e que elle ndo julgou,
debaixo do ponto do vista tactico, dever pdr
de n ivo o exercito em marcha sem ter
restabelecido a ordem Na sua opinido, o
movimento de retirada de 17, ndo foi mais
do que uma rectiQcagdo da linha do batalha
com o fim de rectiber, em melhores condigdes,
o inimigo, se se apresentasse. 0 marechal
accrescentou noutra occasido que o movimen-
to sobre Briey teria necessitado uma conversdo
do exercito. e que o comboio nao a teria
podido seguir.
Estas razdes, que teriam sido sufficientes
nas condigdes ordinarias da guerra, ndo
podera just-flcar a resolugdo do marechal
em um momento tdo critico, quando ndo
havia um instaute a perder para coaservar
a sua linha de retirada.
0 exercito estabelece-se em Rozerieulles-
Sainl Privitf.Depois de ter annuiiciado
ao imperador que ia estabelecer-se sobre a
linha de Vigneulles-Lessy, o marechal hesi-
tou em face de um movimento retrogrado
tdo pronunciado, e decidio-se a occupar na
manha de 17 uma posigao intermedia em
frente do valle de Monvaux entre RozeVieul-
les e Saint-Privat. A sua resolugdo de vol-
tar para Metz era jd bem Complexa no seu
espirito, porque depois de ter dictado as
ordens que iam levar o exercito para as
suas novas posigdes, o marechal a alguns
officiaes do seu estado-maior, disse-Ihes :
Se algum de vds ve que ha alguma
cousa de u elhor a fazer, estou prompto a
ouvi-lo. Alem disso, e necessario salvar o
exercito, e por isso voltar para Metz.
Esta reflexdo, que deixava ver o fundo
do seu pensamento, ndo estava raenes de
accordo com o despacho telegraphico se-
Diga-me, perguntei a Bonvinetto, esse
tal seu amigo, esse Conrado Alberti, era
um joven de vinte e quatro annos, excessi-
vamente branco, com cabellos ruivos e
abundantes ?
Ah I coiihecia-o ? disse-me bonvinet-
to com uma inflexdo que me fez conhecer
pela primeira vez a violencia das suas pai-
xdes.
Conhego-o porque ha alguns dias que
nos tem perseguido com tenacidade. Po-
rem, meu pai, meu pobre pai I Quero vd-
lo, quero ver tarabem esse homem e con-
vencer-me de que foi elle e ndo o senhor,
quern causou a morte de meu pai.
E, dizendo isto, ergui-me do leito.
Espere um pouco... ha pouco ainda
que tornou a si do seu desraaio, disse Bon-
vinetto.
Ah I ndo,1 sinto-me com forgas. E,
saltando do leito, puz-me em pe.
Mas, para que quer soffrer a ddr de
ver sea pai mono ?
Se isso te ve lugar, quero saber, sem a
mais pequena duvida, se ou e minha irmd
estamos sds no mundo.
Ndo, replicou Bonvinetto olhando
para mim com mais insistencia, com mais
paixdo, ndo estd sd no mundo bem como
sua irmd, emquanto eu existir.
Quero ver men pai ; sem ter a certeza
deque morreu, ndo posso aceitar a sua
protecgdo.
Visto dizer qua se sente com forgas,
queira seguir-mo.
Sahimos d'aquelle aposento, atravessamos
alguns outros, igualmente suraptuosos e
descemos por uma escada muito estreita,
para am grande salao.
No centro d'elle, sobre um tapete, este
vats dous homens estendidos. Bonvinetto
illuminou-os com a luz da lampada que
tinha na mdo.
Soltei um grito de horror e precipitei-me
sobre um d'elles.
Era meu pai.
Estava ensanguentedo e livido.
BbovroettoarrancoB-nievrgorosaraente de
nio sobre o cadaver de meu pai.
Bern lhe disse eu que este prova ora
terrivel; venha comigo.
Espere um momento, repliquei eu,
deixe-me v.r o rosto d'esse outro homem.
Bonvinetto Uluminou o rosto do outro
cadaver dizendo :
Este d o meu amigo Conrado Alberti.
A frieza com que Bonvinetto pronunciou
guinte, n. 3,428, que ele mandou, a 17*
ds quatro horas e vinte'minutos da tarde,
ao imperador:
0 marechal Bazaine to imperador.
Metz, 17 de agosto.
Tive a honra de escrever a V. M. hon-
tem a* noite, para o informar da batallta
.stentada, desde as nove horas da manhd
ate as nove boras da noite, contra o exer-
cito prussiano, que nos atacou nas noss s
posigdes do Doncourt a Vionvillo. 0 ini-
migo foi repollido, o nds passaruos a noite
nas posigdes conquistadas. 0 grande eon-
sumo quo se fez de munigdes de artilheria
e infanteria, o unico dia de viveres que res-
ta d gente, obrigaram-me a aproximar-me
de Metz, para prover de novo, o mais de-
pressa possivel, os nossos parques e os nes-
sos comboios.
Estabeleci o exercito no Rheno nas po-
sigdes comprebendidas entre Saint-Privat la-
Montagne e Rozerieulles. Peuso poder pdr-
me em marcha depois de dmanhd, tomando
a direcgdo mais ao norte, de maneira a vir
desembarcar na esquerda da posigao d'Uan-
diornont, no caso do inimigo a occupar era
forga, para evitar combates inuteis que do-
morariam a nossa marcha.
0 carainho de ferro dos Ardennes con-
tinua a estar livre ate Metz ; o que indica
quo o inimigo tem por objectivo Chalons
e Paris. Continua a fallar-se da juncgdo
dos_ exercitos dos dous principes. Hontem
linhamos diante de nds o prin.ipe Frederico
Carlos, e o general Steinmetz.
O marechal telegraphava ao mesmo tem-
po ao ministro da guerra :
Fomos atacados a 14 nas nossas li
nhas em frente do Borny, quando uma par-
te do exercito jd estava na margem esquerda
do Moselle. Hontem 16 de agosto, susten-
tou-sa uma batalha dc-sde as nove horas da
manha ate ds nove horas da noite, na posi-
gao quo occupavaraos entre Doncourt e
Vionville contra os corpos reunidos do prin-
cipe Frederico Carlos e o general Stein-
metz.
O inimigo foi repollido nos dous re-
contros, soffrendo perdas consideraveis.
nossas sdo sensiveis.
As
aquellas palavras, fez-me ter medo d'elle,
medo que ndo perdi ainda.
O outro cadaver era o do joven cavallei-
ro que me bavia perseguido.
Fdra estrangulado, e tinha no pescogo
os signaes da mdo que Ihe ddra a morte.
Bonvinetto levou-meem bragos de junto
dos dous cadaveres, e voltou comigo para o
aposento onde eu tinha recuperado os sen-
tidos.
Decorreram rauitos dias sem que eu e
minha irmd vissemos outra qualquer pes-
soa ale n de Bonvinetto.
Era ellle que nos trazia a comida com
abuiidancia para que Qcasse ate & noite,
hora em que elle tornava a voltar.
Nds viamos a luz do dia por uraas fres-
tas redondas que havia por sobre as janellas
fechadas da sal ; nao ouviamos nem sen-
tiamos cousa alguma, nem podiamos abrir
as janellas porque estavam pregadas.
Bonvinetto chegava pouco depois do es-
curecer ; trazia-nos a comida n'um formo-
so cesto, comia comnosco, e, acabada a re-
feigdo, fechava minha irmd n'um aposento
contiguo e flcava sd comigo.
A meia noite abria a porta do aposento
onde dormia jd minha irmd era commodo
leito, e retirava-^e fechando a porta dos
nossos aposento:.
Bonvinetto pedia-me a historia da minha
vida que se resumia no seguinte :
a Eu ndo couhecera minha mdi, que, se-
gundo dizia meu pai, morrera ao dar d luz
"Julietta. Ndo conhecera nem parentes nem
amigos de meu pai. Este ensiuara-nos tudo
quanto era necessario para illudir a .gente
credula e sacar-lbe dinheiro. Era mos ci-
ganos. Tinhamos corrido muito mundo e
nunca haviamos estedo n'uma povoacdo
mais de dous mezes. Reduzia-se a isto
minha historia.
Eu ndo sabia, nem sei ainda o verdadei-
ro nome de Bonvinetto.
Qutndo- Ih'o perguntava, respondia-me :
me chamo ?
Tinha razdo ; eu, sem lhe saber o nome,
amava-o com tola a minha alma, tanto
quanto oodeio agora.
Ah 6 um dembnio 1
Marietta callou-s-:, abatida por aquella
rccordagao ddorosa.
Alii il | ii :
Por muito que ra-j embrigas$e o
amor de Bonvinetto, s^ntia a necessidade de
espago, de ar, do luz. Suffocava n'aquelle
A resolugdo em que assentara o mare-
chal, ia tomar muito difticil a execugdo dos
projectos departida, que elle communica-
ra ao imperador. Conduzindo o exercito
para a retaguarda das posigdes que tinha
gloriosamente conquistado na vespera, o
marechal deixava ao inimigo toda a facili-
dade para ir estabelecer-se sobre os cami-
nhos de Etain e de Briey. Deraais, longe
de dirninuir as prohabilidades de um en-
contro, a sua resolugdo tornava um comba-
te Inevitavel para se abrir uma passagem
para o norte. Ndo foi o movimento de 17
uma medida preparatoria, que precedeu a
entrada do exercito em Metz ? Ou, como
expoz o raarechal na sua memona explicati-
va, estabelecendo-se nas posigdes d'Aman-
villers ndo se propunha elle a dar uma ba-
talha defensive era boas condigdes tacticas
para a sahida, depois de ter feito soffrer ao
adversario grandes perdas ? Tal e a alter-
native em face da qual elle estd collo-
cado.
Se os avisos que dirigio a 17 d noite ao
imperador pelo commandante Magnan ; se,
como veremos adiante, a missdo que deu
ao mesmo tempo ao intendente De Prdval
fiara ir preparar viveres a Longuyon e na
inha dor Ardennes, pareciam iestemunhar
a intengdo de se afastar de Metz, o resto do
seu procediraento nao corresponde de ma-
neira* nenhuma a essa resolugdo. As or-
dens que deu, durante os dias 17 e 18 sd
podera indicar quaes eram as suas -verda
deiras intengdes.
Se tivesse sido realmente o pensamento
do marechal emprehender de novo a sua
marcha para o interior, todo o interesse da
posigao teria sido para elle A direita do seu
exercito, lado por onde devia sahir, e que
a present ava a posigao mais fraca. Te-
ria collocado as suas melhores tropas, as
suas reservas e a sua bella cavallaria.
(Continuar-se-ha).
sumptuoso saldo, e n'aquelle maravilhoso ga-
binete que servia de aposento dminha irmd.
Pelas pequenas frestes circulares das ja-
nellas, penetrava uma luz triste, escassa,
que transformsva em espectros os grandes
retratos de familia que ornavam o saldo.
Em todos os retratos de familia ha o
competente brazio, disse Lucrecia ; recor-
das te de como era'^aquelle ?
Havia quatriT distinctos, respondeu
Marietta.
Paze a deseripgdo d'elles.
Aos pes de am cavalleiro que tinha no
rosto uma grande cicatriz...
Vou dizer-te como era esse brazdo,
atalhou Lucrecia : escudo de ouro com facha
negra da esquerda para a direita, e sobre
o escudo uma corda de duqae.
Era assim effectivamente.
Como iria parar proximo de Napoles,
urn retrato de Paulo Vizcenti ? Espera : i
esquerda d'esse retrato ndo havia outro de
uma dama muito formosa, de quarenta
annos pouco mais ou MelBK ?
Sim, minha senhora.
Aos pds d'ossa dama devia haver um es-
cudo de prata, dividffrem quatro partes
poruma cruz roxa, e sobre o escudo uma
corda ducal.
E' verdade. *
Obi deve ser: disse Lucrecia
como que recordando Como o" ndo ti-
nha visto nunca, Sflganar-me. Ha
quanto tempo sahio Bo Wnetto d'esse pala-
cio para vir comtigo para Roma ?
Ha perto de cinco as
Exactamente, 6 elle.
Elle quern ?
Um senhoji 'ppderoso que sc occuUo.u
sob uma condielto vil. Dize-me, nio lo-
graste ver nunca ,os soburbios d'aqueila
qm'nta 1
Sim, minha senhora ; alguns dias
depois de estarmos encerradas alii, eu e
minha irmd coHecamos junto da janella
uma mesa e sobre esta uma cadeira. Subi,
olhei pelafresta da janella, e vi um jardira
e no fim d'elle um muro. Mais akkn, uma
praia, depois o roar ; d direita o'^vesuvio e
para Id do Vesuvi uma ilha.
fc' isso mssmo, disse Lucrecia. Ah I
Sr. Bonvinetto, Sr. Boavinetto, arrastou-se
aos r"?ns pes, enviiuceu se e agora preten-
U envolver'-me n'uma traigao I Contimia,
continua, Marietta ; comftahiste il'ajuelle
palacio? (Continuar-se-ha)
. DUQUii OE CAXI..S.
\
[


L
J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERVE11IFV_ZDZUGJ INGEST_TIME 2014-05-28T16:00:06Z PACKAGE AA00011611_20007
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES