Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20006


This item is only available as the following downloads:


Full Text
v-..
#**
"-.--V,
-A
ANNO UJX. M1EBO 284
PARA A CAPITAL E II G ABES OXDB If AO 8E PAG A FOBTE.
Por tree mezes adiantados................ 69000
Por seis ditos idem.................. 119000
Por urn anno idem.................. iijooo
t Cada ^umero avulso.................. jao
QUOTA FEIBA 11 OE DEZEMBRO DE 1873
I
PABA UEVTRO E FOBA DA Pf VINCI*.
'<
Por tret mezes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por noTe ditos idem .
Por urn anno idem. .
69750
189600
309*50
379000
DIARIO DE PEMAMBUCO.
PROPRIEDADE DE
FICUEIROA DE FARIA & FILHOS.
Os Srs. Gerardo Antonio Alves d Filhos, no Pari; Goncalves & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jose" de Oliveira & Filho, no Ceara; Antonio de Leiuos Braga, no Aracatj ; Joao ria Julio ChaTes, no Assd; Antonio Marques da Silta, no Satal; ioti Just
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahjba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antio ; Domingos Jose' da Costa Braga, emRaxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdas j Alves 4 C., na Bahia; e Leite, Cerquinho & C. no RioJde Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Goveriio da proviucla.
KXPSDIENTE DO DM 2i DE SETBMBBO DE 1S73.
/.* secciio.
Officio:
Ao Exm. brigadeiro eonruandante das ar-
ma*.-Para satisrazer ao que solicita o director do
arsenal de guerra em ofllcio de hontem datado
sob n. 493, e pooler elle dar camprimento ao dis-
posto no aviso do minisierio da gue ra, de 9 do
corrente, sirvase V. Exc. de exigir do brigadeiro
reformado Hygino Jose Cot31ho, e reraetler-me com
urgencia para ser remettida ao mesmo director,
uma copia do ofllcio cm que o referido brigadeiro
deu conta dos trabalhos da commissao, que sob
sua presidencia examinou o estado de di versos
objoctos a cargo do almoxari'e d'aquelie arsenal.
2' secgao.
Ados:
0 presidents da provincia, a vista do ofllcio
do Dr. chefe de policia, n. 1062 de 23 do corrente,
resolve exonerar do3 cargos de 2." e 3. supplentes
do subdelegado do districto de Pimenteiras, do
t.^rmo os Bonito, ns cidadaos Hrasiliano do Rego
Barros e Aeiuio Cordeiro Ribeiro Campos.
0 presidente da provincia, attendendo ao
uue requereu o bacharel Antonio Domingo's
Pinto, promotor publieo da comarca de Pao d'AIho,
resolve conceder ihe dois mezes de licenca, com
vencimentos na f)rma da lei, para tratar de sua
saude onde Ibc convier.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o capitao Jose Elias de Vasconcellos, do
. batalhao de infantaria da gjarda nacional do
municipio de Olinda, c a vista da informacao do
respectivo commandante superior em ofllcio de 22
do corrente, resolve, de conformidade com o dis-
posto no art 68 da lei n. 602 de 19 de setembro de
1830, reforraa-Io no mesmo posto.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o tenento quartel mestre do 9* bata-
lhao de infantaria. da guarda nacional do munici-
pio de Olinda, Florencio Gomes da Silva, e a vista
da informaoao do respective- commandante supe-
rior em ofllcio de 21 do corrente, resolve, de con-
formidade com o disposto no art. 68 parte 2.a da
lei n. 602 de 19 de setembro de 1830, reforma-lo
no posto de capitao.
0 presidente da provincia, attendendo a pro-
posts do Dr. chefe de policia em ofllcio n. 1662 de
23 do corrente, resolve nomcar para os cargos do
' e 3. supplentes do subdelegado do districto de
Pimenleiras, do termo do Bomto, os cidadaos se-
yuintes na ordem de sua collocacao : Pedro alves
Muniz Falcao e Jose Francisco Lins.
0 presideute da. provincia, attendendo ao
que solicitou o bacliarel Jose de Souto Lima, re-
solve cxonera-lo do cargo de adjunto de promotor
uublico da comarca d i Victoria, uo termo de Santo
Antao.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o tenente quartel-niestre do 1." ba-
UUiA) de infantaria da guarda nacional do muni-
cipio da cap.ul, Adolpno Pereira Moutinho, e a
vista da informacao do commandante superior
respectivo em ofllcio do 2% do corrente sob n. 703,
resolve, de conformidade com o disposto no art.
Si da lei n. 602 de 19 do setembro de 1850, trans-
feri-lo para a 7.: companhia do 3." batalhao de
igual anna do mesmo municipio.
Ofllcios:
Ao Dr. chefe de policia.Providencie V. S.
no sentido de serem alimentados os presos exis-
tentes na cadeia de Agua Preta, como represen-
ts no pedido junto.
Ao commandante superior de Olinda.A'
vista do que expoz V. S. em seu ofllcio do 13 do
corrente, tenho a dizer- lhe que mande proceder a
nova quahficacao da guarda nacional de Igua-
raaan, de conformidade com a lei.
Ao commandante do corpo de policia.
Mande Vmc. deslacar e:n Nazareth, a disposicao
das autoridades |>oliciaes, ? pracas tiradas do des-
tacamento de S. Lourengo da Malta.
Ao mesmo.-Faga Vmc. recolher ao quartel
do corpo sob seu commando as 5 pracas que se
acham na estacao das Cinco Pontas.
3.' UCfao.
' Acto:
O presidente da provincia resolve nomear os
Drs. Pedro de Athayde Lobo Moscoso e Praxedes
Gomes de Souza Pitaoga para inspeccionarem o
commendador Jose .Pedro da Silva, inspector da
ihesouraria provincial, qo* requereu sua aposeu-
tadoria.
Ofllcios :
Ao inspector da ibesouraria de fazenda.
Tomando em consideracio o que expoz Jose Ta-
vares de Oliveira no incfuso requerimento docu-
mentado, autoriso V. S. a mandar pagar ao sup-
plicante a gratiflcacao ue 604000 meusaes, a con-
tar de 16 de juulio deste anno ao 1. do corrente,
a qua) lhe foi arbitrada pelo tratamento dos indi-
pentes atacados da variola na villa de Garanhuns.
Ao mesmo.A' vista da* suas informacoes
sob ns. 229, 234 e 260 serie E, mande V. S. pagar,
sob responsabilidade desta presidencia, nos termos
do decreto de 1 de fevereiro de 1862, as despezas
a que se referent as mesmas informacoes.
Ao mesmo.Na conformidade do que solici-
tou o commandante superior dos municipios de
Garanhuns, Buique e Bom Conselho em seu ofllcio
de 6 do corrente. mande V. S. pagar a importan-
cia dos prets inciusos, relatives aos vencimentoi
das pracas da guarda nacional destacadas na villa
de Aguas Bellas duranie o ma de agosU) proxi-
mo findo.
Ao mesmo.Na conformidade do que solici-
tou o cemmandante superior dos municipios de S.
Hento e Caruaru em seu ouicio de 6 do corrente,
mande V. S. pagar a importancia dos prets inclu-
*os, relativos aos vencimentos das pragas de
guarda nacional destaeadas na villa de S. Bento
Jtnrante o mez de agosto proximo findo.
Ao mesmo.-Transmitlo a V. S., para os de-
vjdos fins, as inclusas orden9. senda 10 do thesou-
ro nacional de ns. 171,173 a 176, 178 a 181 e
186, nma do ministerio da guerra, de 12 do cor-
rente, 4 da roparticao doajadante general sob os.
960 a 963, e beat assim urn offl:io expedido pel a
secretaria de eslido dos negocios da fazenda em
21 de ago-to preterito.
Ao mesmo. Attendeado ao que requereu
Joao de Barros o Silva ao iceiuso requerimento,
tendo em vista a inforraacjio de V. S., de hontem
datadasobn. 306 serie E, autoriso o a mandar
que pela collectoria da cidade da Escada seja o
supplicante relevado da mnlta em que incorreu
por nae ter dada a matricula, no prazo legal, a
iosenua Joanna, filha Ue scus escravos Hercnlano
Kaymunda.
Ao mesmo.Mande V. S. pagar ao capitao
Antonio Gracindo de Gusmao Lobo on ao eu
prucnradT a quanlia de 134920. constant? Jr.
conta inclusa, em que imporuram as diarias abo-
nadas a dons i-e;ruus vmdos de Itambe; confor-
me requisitou o Dr. cheie de policia em seu officio
de hontem datado sob n. 100.
Ao mesmo.A' vista do incluso recibo em
duplicata, mands V. S. pagar a quem so mostrar
competeolemente aotorisadu, a quantia de 7^500
em que importoi o fornecimento de luz, feito ao
destacameoto do termo de Itambe" desde o dia 6
de ialho at6 18 do corrente, segundo solicitou o
Dr. chefe de pol.cia em sea offlcio datadq^e hon-
tem. sob n. 1663.
Ao inspector da tbesouraria provincial.-
Tendo-me decl.'iradj o director da escola normal
era officio de 20 do corrente que o bacharel Ma-
ximiano I.opes Machado reassumira n'aquella data
o exercicio do cargo de profes-orda 1." cadeira do
2." anno da mesma escola; assim o commnnico a
V. S. para seu conheciuiento e fins convenientes.
Ao mesmo.Expeca V. S. suas ordens no sen-
tido de ser indemnisado o cofre da reparticSo da
policia, conforme solicitou o respectivo chefe em
offlcio de hontem sob n. 1660, da quantia de 14X,
cuastante da conta junta, abonada aos tres crimi-
nosos mencionados, quo seguirara para o termo
de Ingazeira, afirn de serem submettidos ajulga-
mento.
Ao me3mo.-Devolvo a V. S. a conta da des-
peza feita nos mezes de main e junho deste anno
com o sustento do preso pobre Francisco Pimen-
te 1, cxistente na casa de dctencao. Outro sim,
cumpre dizer a v. S. que essas contas devem ser
tiradas para cada um dos ministerios a quo per-
tencerem seraelhantes despezas, e nao para as pro-
vincias donde vierem os sentenciados com desti-
no a Fernando de Noronha, visto como as despe-
zas feitas com elles ate" chegarem ao mesmo pre-
sidio correm por conta das respectivas provincias.
' Ao Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso.
Nesta data designo V. S. e o Dr. Praxedes Gomes
dc Souza Pitanga paia inspeccionarem o commen-
dador Jose" Pedro da Silva, inspector da thesoura
ria provincial, que requereu sua aposentadoria ;
devendo remelter a esta presidencia o result ido
da mesma inspeccao.
Ao Dr. Praxedes Gomes de Souia Pitanga.
Xesta data designo V. S. e o Dr. Pedro de Athay-
de Lobo Moscoso para inspeccionarem o commen-
dador Jose Pedro da Silva, inspector da Ihesoura-
ria provincial, que requereu sua aposentadoria ;
devendo remitter a esta presidencia o resultado
da mesma inspeccao.
4* secgao.
Actos :
0 presidente da provincia, attendendo ao
uue requereu Jose* Ribeiro de Vasconcellos, guar-
da da inspeccao da saude do porto, e tendo era
vista as informacoes dos inspectores da saiida do
porto e da thesouraria de fazenda, de 30 de agosto
findo e 20 do corrente, resolve conceder lhe tres
mezes de liceuga, com vencimentos na forma da
lei.
0 presidente da provincia, resolve, nos ter-
mos do l. do art. i. da lei n. 276, de 7 de
abrilde 1831, nomear os Drs. Francisco Goncal-
ves de Moraes e Jose Joaquim de Souza para ins-
pec eionarem o bacharel Antonio d'Assumpcao Ca-
bral. secretario do gvmnasio provincial, que pre-
tende a sua aposeatadoria por impossibilidade
physica de continuar a exercer o seu emprego.
Ofllcios :
Ao commissario vaccinador provincial.Re-
metta Vmc. a secretaria da presidencia alguns tu-
bos com lympha vaccinica para serem enviados ao
Inspector da saiile publica da provincia da Pa-
rahyba.
Ao Dr. Jose Joaquim de Souza. -Communi-
co a Vmc, para os tins convenientes, que nesta
data o nomeei para com o Dr. Francisco Goncal-
ves de Miraes inspeccienar o bacharel Antonio
d'Assumpcao Cabral, secretario do gymnasio pro-
vincial, que requereu a sua aposentadoria por
impossibilidade physica para continuar no exer-
cicio do sen emprego.Mm at is mutandis ao Dr.
Francisco Goncalves de Moraes.
Ao bacharel Adelino Antonio de Luna Frei-
re e mais membros da commissao encarregada de
distribuir soccorros aos indigentes acommettidos
da variola na villa do Cabo.Inteirado pelo offl-
cio do Vmcs, de 19 do corrente, de haver o col-
lector Joao Baptista Gomes Pe;,na se offerecido,
nao so para vaccinar as pessoas que quizerem
utilisarse de seu prestimo, como lambem^para tra-
tar a qualquer hora e em todos os lugares d'essa
villa os variolosos, cabe-me dizerlhes que, accei-
tando o offerecimento d'aquelie cidadao, o louvem
em norae desta presidencia por semelhante proce-
dimento.
Aos mesmos. Accuso a recepejio do offlcio
de Vmcs., de 18 do corrente, e inteirado do que
nelle exp5em com relacao as medidas emprega-
das para a fiel execucao da incumbencia que lhes
fura confiada, resta-me louvalos por semelhante
procedimento, certos de que muito espere de seu
zelo e philantropia.
Portarias :
A' Lima, eamara municipal do Recife.-De-
claro a Illma. camara municipal do Recife, em res-
posta ao offlcio de 22 do corrente, que, de confor-
midade com o art. 5 da lei n. 129 de 2 de maio de
1844, autoriso-a a desapropriar o terreno da rua
d*Assumpc.ao, pertencente a Antonio da Costa e
Sa, para o alargamento da rua dos Acouguinbos,
o qual elle propoz ceder pela quantia de 5004000.
A' camara municipal da villa do Bonito.
Declaro a camara municipal da villa do Bonito,
em resposta ao offlcio de 15 do corrente, que con-
cedo approvacao a arrematacao dos impostos desse
municipio, nelle solicitada.
A' camara municipal da villa de Bezerros.
Em resposta ao offlcio da camara municipal da
villa de Bezerros, de 17 do corrente, tenho a di-
zer que concedo approvacao a arrematacao dos
impostos, nelle solicitada.
A* camara municipal da villa do Bonito.
Cumpre que a camara municipal da villa do Bo-
nito remelta o resultado da apuracao da eleicao
de vereadores e jaizes de paz desse municipio,
que ja deve ter procedido, em vista do que deter-
mina o art. 105 da lei de 29 de agosto de 1846.
5* secgao.
Acto :
0 presidente da provincia, tendo em vista a
informaoao do engenheiro fiscal da estrada de fer-
ro do Recife a Olinda e Beberibe, datada de 22 do
corrente, resolve approvar a planta que a compa-
nhia da mesma estrada apresentou para a cons-
truc-.ao da esiac.ao principal na rua da Aurora,
destinada cxclusivamente a receber cargas e pas-
sageiros devando as offlcinas ser rcmovidas,
quando estiver concluida a obra, para outro ponto,
que devera ser previamente deterrainado por esta
presidencia, de acordo com a companhia; ficando
marcado o praso de 18 mezes para a conclusao da
referida obra.
Ofllcios :
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife a S. Francisco. Em resposta ao seu offl-
cio de 10 ao corrente, cumpre-me recomraendar-
Ihe de novo que os livros dessa eropresa devem
ser sellados, porque as corapanhias anonymas,
sem excepclo, estao snjeitas a esse imposto, o
qual nao pode ser considerado uma superfluidade,
como o supoe n'aquelle seu offlcio, ja porque a
lei o exige, e ja porque 6 uma garantia contra a
fraude, impedindo que se possa substituir uns li-
vros por outros ; pelo qne, emquanto o governo
imperial, ao qal von submetler o conhecimento
da materia, nio resolver o contrario, devera este
imposto ser pago, como sao os demais a que esta
nijeita ^ campanhla.
A' junta de emancipafao de escravos do mu-
nicipio de Nazareth. Autoriso Vmc. a prorogar
p )r trinta dias o praso de tres mezes marcado para
os sennores de escravos apresentarem perante
pssa junta as declaracoes d'aquelles one possui-
rem, na forma do r^gulamento n. 5135 de 13 de
novembro do anno proximo passado. Deste modo
fica respondido o offlcio de Vmc, de 15 do cor-
rente.
EXPEDIENTE DO SECBETARIO.
2' secgdo.
Oaicios :
Ao Exm. Sr. Dr. Francisco de Assis d'Oliveira
id o Exm. -r. presidente da provincia man-
da accusar o recebimento do offlcio de V. Exc, de 22
do corrente, em que participa ter nessa data reas-
sumido o exercicio do cargo de juiz dc direito pri-
vative de orphaos desta capital.
Ao Dr. chefe de policia. 0 Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda transmittir a V.S. os
titulos juntos de nomeacao dos 2* e 3' supplentes
do subdelegado do districto de Pimenteiras,do termo
do Bonito, de conformidade com a proposta de V.
S. em officio n. 1662 de 23 do corrente.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a JV. S. que expedio
ordem a thesouraria provincial, no sentido de
ser indemnisado o con-e dessa repirticao da quan-
tia de que trata o seu officio de hontem, sob n.
1660.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia-manda accusar o recebimento do officio de
V. S., n. 10,413 de 23 do corrente, em que parti-
cipa ter nomeado Francisco Xavier do Carmo
guarda da casa de detencao.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S., para os devi-
dos fins, que se expedio ordem hoje para desta-
carem em Nazareth 5 pracas do corpo de policia,
das que se acham destacadas em S. Lourenco da
Matt*.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. pesidente da pro-
vincia manda accusar o recebimento do officio de
V. S., n. 1.648 de 22 do corrente, em que partici-
pa ter n'essa data dimcttido o guarda da casa de
detencao Genesio Geroncio Peixoto d'Albuquerque.
Ao mesmo. 0 Exm Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que por Ofllcios
desta data expedio as necessarias ordens a the-
souraria de fazenda, afim de serem pagas as con-
tas de que tratam os scus ofllcios, sob ns. 1,661 e
1663.
Ao commandante superior do Recife. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. S., para os devidos fins, que nesta data
foi transferido para a 7* companhia do 3" bata-
lhao de infantaria da guarda nacional deste muni-
cipio o tenente quartet-mestre do 1" batalha) Adol-
pno Pereira Moutinho.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S., para os devi-
dos fins, que por portaria de hoje foi reformado
no mesmo posto o capitao do 9 batalhao de in-
fantaria da guarda nacional do municipio de Olin-.
da, Jose* Elias de Vasconcellos, de quem trata o
seu offlcio de 22 do corrente.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
fins, que portaria desta data foi reformado, a seu
pedido.com posto de accesso o tenente quartel-mes-
tre do 9 batalhao de infantaria da guarda nacio-
nal desse municipio, Florencio Domingues da Silva,
de quem trata sen officio de 21 do corrente.
Ao commandante superior dos municipios de
Garanhuns, Buique e Bom Conselho. S. Exc. o
Sr. presidente da provincia manda communicar a
V. S. que nesta data expedio a thesouraria de
fazenda as necessarias ordens, afim de ser paga a
importancia dos prets, de que trata o seu officio
datado do 6 do corrente. Igual ao commandante
superior de Caruaru e S. Bento, quanto aos prets
de que trata o aeu officio do do corrente.
Ao juiz de direito da Victoria. O Eim. Sr
presidente da provincia manda declarar a V. S.'
para os devidos fins, que por portaria de hoje foi
exonerado do cargo de adjunto do promotor pu-
biico, no termo de S. Antio, o bacharel Jose de
Souto Lima.
3" secgao.
Ofllcios :
Ao inspector da thesouraria provincial.
S. Exc o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que nesta data acaba de designar
os Drs. Pedro de Athayde Lobo Moscoso e Praxe-
des Gomes de Souza Pitanga para inspecional-o.
Ao mesmo. S. Exc o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
fins, que, segundo o officio do Dr. chefe de policia
n. 1,658, de 22 do corrente, foi nesta data exone-
rado Genesio Geroncio Peixoto d'Albuquerque
de guarda da casa de detencao desta cidade.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
fins, que a 23 do corrente foi nomeado pelo Dr.
chefe de policia Francisco Xavier do Carmo guar-
da da casa de detencao.
4' secgao.
Offlcio :
Ao director da escola normal. S. Exc o
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S. que nesta data se deu sciencia a thesouraria
provincial de haver o bacharel Maximiano Lopes
Machado resssumido o exercicio do cargo de pro-
fessor da 1* cadeira do 8* anno dessa escola, con-
forme communicou V. S. em offlcio de 20 do cor-
rente.
5.' secgao.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco.0 Exm. Sr. presidente da
provincia manda accusar recebido o seu offlcio
de hontem datado sob n. 114, ao qual veto annexa
uma copia do relatorio que V. S. dirigio ao Exm.
Sr. minislro da agricultura, comraerclo e obras
publicas em 22 deste mez.
Ao gerente da companhia Pernarabucana. -
0 Exm. Sr. presidente da proviniia manda decla-
rar a V. S., em resposta ao seu officio de hontem
datado, que os vapores Ipojuca e Mandahu, dessa
companhia, podem seguir para os portos do norte
e sal, at6 a Granja c Aracaju, no dia 30 do cor-
rente as 5 horas da tarde.
EXPEDIENTS DO DIA 22 DE SETEMBRO DE 1873.
1* secgao.
Officios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.Sirva-se V. Exc de mandar por em liber-
dade os recrutas Ponciano Jose dos Santos e Jose"
Antonio de Leroos, visto serem 4ncapazes para
o servico militar, segundo os termos de inspeccao
que vieram annexos aos seus ofllcios de 23 e 24
do corrente sob ns. 946 e 950.
Ao mesmo.Sirvase V. Exc. de mandar
Eor eai liberdade o recruta Antonio Fructuuo
ins de Almeida, que provou isencao legal.
2' secgao.
Officios :
Ao Exm. presidente do tribunal da relacao.
Transmitto a V. Exc os officios juntos dos jaizes
municipaes e de orphaos dos termos de.Santo Aa-
tao e Escada, para que por esse tribunal seja de-
cidido o conflicto de jurisdiccdo entre os respec-
tivos juizes, com relagao ao inventario dos bens
deixados por Jos6 Ignacio de Mello.
Ao promotor da capital. Informe Vmc a
peticSo junta, que devolvera com as dos demais
pretendentes, declarando o nuraero dos mesmos,
findo que seja o praso marcado no edital, do qua!
enviara copia.
3.' secgao.
Ofllcios :
Ao inspector da 'hesouraria de fazenda.In-
teirado de quanto expoz V. S. em sua informa-
cao de 20 do corrente sob n. 268 serie E, acerca
aa falta de credito que ha na verba Arsenaes
para o pagamento da quantia de 724500, que pede
Jose Alves da Silva Maranhao no incluso reque-
rimento, e proven lenta de di versos objoctos rendi-
dos por elle ao arsenal de guerra, tenho a dizer,
qne o autoriso a solicitar do ministerio da g|er-
ra o credito preciso para semelhante pagameflto.
Ao mesmo.-Para satisfazer as despezas de
qne tratam as suas informacoes datadas de 19 do
corrente sob n. 254 e 253 serie E, autoriso o ar
pedi:- credito ao governe geral.
Ao mesmo. A" vista da sua infonnacao sob
n. 239 serie E, acerca da inclusa peticao de Ma-
nuel Teixeira Barbosa, autoriso o a mandar pa-
gar-Ihe sob minha responsabilidade a quantia de
274000, que por falta de credito foi glosada dos
prets da guarda nacional destacada no term) do
Bom Jardira duranteomez dejulho, pertencente
ao exercicio em liquidacao.
Ao mesmo.Ccmraunico a V. S., para seu
conhecimentj e lins convenientes, quo em offlcio
de hontem declSrou-me o Exm. visconde de Ca-
maragibe haver naquella data assumido o exer-
cicio do cargo de direct ir da faculdide de direi-
to desta cidade.
Ao inspector da thesouraria provincial.
D/voIvend i a V. S. a carta precatoria rogatoria
e mais documenlos appensos ao requerimento jun-
to, a que allude sua informacao de hontem sob
n. 128, tenho a dizer que mande entregar a Nor-
bert*'Alves de Lima e Jose Pergentino de Oliveira
ou a aeu procurador, a quanlia de 2:0734500, que
coubf de preraio ao maio bilhete n. 1834 da '30.*
loterii extraliida a baneficio da igreja de Santo
Amaro de Serinhaem, o qae pertencer ao suppli-
cante, como se ve dos mencionados documenlos.
Ao mesmo. Recommendo a V. S. que man-
de tirar outra eonta da despeza feiia com os pre-
sos pobres da provincia da Bahia, nos mezes da
maio a junho ultimo, recolhidos casa de detencao
desta capital, que deve ella ser tirada conforme
determinei em meu offlcio de 22 do corrente; e para
raelhsr clareza remetto-lhe o officio do Exm. pre-
sidente daquella provincia, de 13 tarabcm do cor-
rente sob n. 985, que me devolvera, e versa .so-
bre o mesmo assumpto.
Ao mesmo.Communicaudo me o engenhei-
ro chefe da reparticao das obras publicas em offl-
cio de honfem datado sob n. 350 haver lhe V. S.
devolvido pela 2' vez as contas do que se deve
pagar a companhia Recife Drainage no t.-imes-
tie di Janeiro a junho do orrento anno, sob o
fundamento de figurarem nellas Importaucias que
devem ser eliminadas, recommenlo a V. S., que
receba ditas contas e minde quanto antes le fa-
zer os necessarios exames e verilicacoes, infor-
mando-me logo qual a quantia lijuida que se tem
a pagar a referida companhia.
4.' secgao
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo ao
quo propoz o director geral interim da instrucoao
publica em offlcio de 16 do corrente, sob n. 280,
resolve crear mais um districto de delegacia litte-
raria na villa de Cimbres, tend) por sede a po-
voacao de Nossa Senhora das Dores de Pocao e
porlimites os da respectiva subdelegacia de poli-
cia, e nomear pura o cargo de delegado litterario
daquelle districto o tenente Joao Leodegario de
Fa na, Barbosa.
Officios :
Ao Exm. Sr. Visconde de Camaragibe, direc-
tor da faculdade de direito do Recife.Inteirado
de ter V. Exc. assumido hontem o exercicio do
cargo de director dessa faculdade, conforme com-
munieon-me em offlcio da mesma data, acabo de
dar sciencia a ihesouraria de fazenda para os fins
convenientes.
Po^arla :
A' Illma. camara municipal do Recife.
Communico a Illma. camara municipal do Recife,
em resposta ao seu offlcio de 24 do corrente, sob
n. 84, que a tbesouraria de fazenda tem ordem
para receber do procurador da me3ma Illma. ca-
mara e remelter ao banco do Brasil a quantia de
12:0004000, a que allude o citado offlcio."
5.' secgao
Acto:
0 presidente da provincia, attenden 'o ao que
requereu Antonio Victor de Sa Barreto, arrema-
tante das obras do 5 lanco da estrada de Muribe -
ca, resolve conceder lhe o praso improrogavel de
quatro mezes para a conclusSo dos respectivos
trabalhos. Esta sera apresentada nas estacoes
competentes.
Officios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicasInteirado do que expoe Vmc em seu
officio de hontem datado sob n. 350, tenho a di-
zer-lhe que ficam nesta data expedidas as conve-
nientes ordens a thesouraria provincial para rece-
ber as contas a que allude o seu citado officio,
sobre o que se deve pagar a companhia Recife
Drainage no semestre de Janeiro a junho do cor-
rente anno, e proceder quanto antes aos necessa-
rios exames e veriflcacoes, afim de que tenha lu-
gar o referido pagamento.
Ao mesmo. -Remetto a Vmc vinte exempla-
res impressos do rogulameuto confeccionado para
a execucao dos trabalhos de um corpo de conser-
vadores de estradas nesta provincia.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife a Olinda e Beberibe.Para seu conheci-
mento e fins convenientes, remetto a Vmc copia
da portaria pela qual resolvi approvar a planta
que essa companhia apresentou para a constrnc-
cao da estacao principal na rua da Aurora, e que
por Vmc me foi enviada com officio datado de 22
do corrente.
EXPEDtEKTE DO SECRETAHtO.
4' secgao.
Offlcio:
Ao director geral da instruceao publica. -
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S., para seu conhecimento e devidos
fins, que, em vista da proposta dessa directoria, de
16 do corrente, resotvea por acto desta data nao
so crear mais uma delegacia litteraria na villa de
Cimbres, como tambem nomear para exerce-la o
tenente Joao Leodegario de Faria Barbosa, a qnem
devera ser remettido o titalo inciaso.
5.' sezgao.
Ofllcio:
Aos agentes da companhia bahiana de nave-
gacio. -De ordem de S. Exc o Sr. presidente da
proviucia, podem Vs. Ss. fazer seguir hoje as 5
boras da tarde para o porto da Bahia o vapor
Gongaloes Martins, como solicitaram em seu offi
o de hontem datado.
passarem vida do ursos. Quando algumas revo-
lucoes os forcavam a avisinhar-se das cidades, pro-
clamavam-nos ambiciosos. So se restringiam ao
trabalno manual e a oracao, insistia-se sobre a
ignorancia e rudcz d'esses meros artifices. Aos
que se applicavam ao estado, desapprovou-se por-
que renunciavam a sua priraitiva prolissao, e ac-
cusavam-n'os de haverem retardado o curso das
sciencias. Os profundos racionalistas queixam-se
de descaimenio nas ordens religiosas do occidente,
e es.juecera-se da vida austora e mortificada em
que desde 16 seculos pcrseveramos monges orien-
taes. Se sao pobres pesam ao povo; se ncos,
mentera a religiao. Se pios e retirados, ah qui
del rei, supersticao e fanatismo; se apparecemno
mund), sao relaxados... .Como contentar estes es-
pirilos exigentes, que nao podem tolerar nos fra-
des -nem o trabalho netn a quietacio, -nem a
ignorancia nem a sciencia, nem a austeridade
nem a laxidao, nom o isolamento nem a convi-
vjneia,nem a penuria nem a riqueza ?
Ja se ve qae nio e das mais faceis cousas arcar
com tao contradictorios antagonistas; dir-se-hia
que elles entre si se incumbem de justificar a ins-
tiluicao, visto como o defeito que este lhe expro-
bra, e antipoda do defeito qua aquelle outro Ihe
assaca; e a verdade nao pode triumphar siraulta-
noamente em dous arraiaes oppostos.
Luto com outra difflculdade : A actual socieda-
de nao onhece praticimente o que e e vale o mo-
nachisrao. Cumpre confessar que em relacao ao
clero, secular e regular, os tempos tem mudado
muito, e nao serapre para melhor nem pelo que
respeila ao clero em si mesmo, nem as relayoes
entre a sociedade e elle.
Antigamente as familias mais distinctas, e que
melhor edacac.ao podiam dar aos filhos, consagra-
vam sempre um as armas, outro as lettras, outro a
igreja. Compunha-se o reino de tres estados, e a
ordem eccle-iastica era ainda mais considerada
que a popular e a fidalga. Os cidadaos veneravam
os ministros do Senhor, a quem se tributavam
honras c congrua saslenta0o. Rodeava os mos-
toiros certa aureola de santidade, que a todos os
espiritos offuscava. Ora, este geral conceito im-
punha obrigacdes mais apertadas aos ecclesiasti-
cos; donde resultava a conservagao do espirito re
ligioso, e por elle a paz publica, a ordem domes-
tica, o freio as paixoes, e por sobre tudo a sanc-
cao moral, maxima sanccao das leis civis e sobre-
tudo penaes.
Longe esta in os desses tempos, e a tal raarchar
nao e nesta hypo these que eu chamo progresso.
Hoje da carreira ecclesiastica, fose-se! E' geral-
meute olbada como impondo mais privacies e sa-
crilicios que todas as outra?, nao sendo alias com-
pensados por excepcional consideracio pub'ica,
por honras, nem proveitos. Com candideza de es-
pii ito so nella entra um ou outro predestinado, ra-
ros sao, porque o ar que respiramos nao e o pro-
prio, nao e ar vital; para a religiao anda pouco
oxigenado, e saturado de acido carbonico; se nao
mata, enfeza. E' ja quasi precisa coragem para
arrostar preconceitos, e vestir uma batina ou am
habito : as virtudes claustraes sao pouco estima-
das; donde resulta, serem cada dia menos prati-
eadas.
Conventos sein habitantes ja nao podem dar idea
do que foram; e por isso quem so ve isto, argu-
raenia com os oilios contra a raaao, e engana-se.
Pedirei pois qne te desprendas dessas rooside-
racoes, e appliques a tua altenc.ao ao institute va-
gameule, e nao ao que estas presenciando, e que
faz lembrar a famosa phrase de D. Fr. Bartholo-
meu dos Martyres no concilio de Trento.
Conservando-me nesta posica), passarei a apre-
ciar as accusagoes arremessadas contra as or-
dens religiosas; e applicar-me-hei tanto as quelxas
contra o que consideram vicio intrinseco de orga-
nisacao, como contra os abuses commettidos pelos
monges em detrimento da sociedade. Ha conse-
guinlemente nesles ataques, ans de indole generica
outros de natureza individual. Por hoje nao te
cancarei mais; depots veremos as accusa^&es, e
diligenciarei avaliar-lbes es fundamentos.
DH VERDADEIRO LIBEBAt.
(Nagao.)
INTERIOB.
RIO E J4WEIMO
CARTAS OE CM VERDADEIRO LIBERAL SOBRE
AS ORDENS RELIGIOSAS.
CARTA IX.
Amigo. Comeceiesta minha correspondencia,
declarando que, a men ver, as ordens, taes quaes
rachiticamente vegetam entre n6s, nio preenchem,
nem podem preencher sens fins; e qae se nio fo-
rum rcvivificadas, reformadas, melhoradas, so res-
tara dar sepultara a um cadaver, collocando lhe
todavia sobre a carapa um epitaphio glorioso.
Nao roe arrasta a esta persaasao nenhum dos
argumentos que por ahi se adduzem, e sim outra
oraem de ureas, qae em sea lugar te submet-
terei.
Depois de ter mostrado, com a historia monasti-
ca em mao, os bens qae as ordens tem produzido
no mando, e pois este o logar dc aquilatarraos as
accosacSes contra ella dii igidas, ora sinceras, ora
intencionalmente sophyslicas.
Masj para chegar a este flra, antolhase-me como
primeira difflculdade o esmetrilhar a argni^ao,
visto ser a instituicSo monastics incrimlnada mui-
tas vezes por raeuvos diametralmente oppo-to* I E'
com effeite curtosa a contradiccio dos monacho-
phagos, em suas queixas contra o viver >los frades.
Qiaudo residiam nas solidoss atacavam-nos por
i'ERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Hospieio de allenados. Mais novos
donalivos para este estabelecimento :
Delegacia de policia e quartel do commando
do destacamento da villa de Ouncury, 10 de no-
vembro de 1873.-Illm e Exm. Sr. Convencido
dos bons desejos de V. Exc. qae animado do mais
louvavel patriotismo e caridade, resolveu fundar
nesta provincia um asylo para os alienados, offereco
para dito flm, a quantia de 504000, que poderao
ser descontados em 3 mezes de meus vencimentos,
para o que podera V. Exc expedir suas ordens 4
ihesouraria provincial. Pego a V. Exc desculpa
pela insignificancia de minha offerta. Aproveito a
opportunidade para reiterar a V. Exc as segu-
rancas de minha perfeita estima e distincta const
deracao a pessoa de V. Exc Deus guarda a V.
Exc. Illm. e Exm. Sr. commendador Dr. Henri-
que Pereira de Lucena, M. D. presidente da pro-
vincia. -Antonio Jose de Andrade, capitao do cor-
po de policia. >
a Gabinete da presidencia de Pernambuco, em
6 de dezembro de 1873. Illm. Sr. capitio Antonio
Jose de Andrade. Aceito e agradeoo a V. S. o
offerecimento que me fez em data de 10 de no-
vembro ultimo, da quantia de 504000 para a obra
do asylo de alienados, devendo ser descontada em
3 mezes de sens vencimentos. Comprazo-se em
louva-lo pela generosidade de sua offerta, unto
mais apreciavel, quanto partlo espontanea de im
Eulsos nobres em favor daquelle iraportante esta-
eleciraento de caridade. De V. S. muito atten-
cioso venerador e criado. Henrique Pereira de
Lucena.
Dinhciro. 0 vapor Ceara levou de nossa
ParahybT '' 20:0004000
Natel 5-.C0040C0
Para 8004000
South-America. Este vapor americano,
da linba de New-York, sahio hontem a tarde do
Para para o nosso porto.
Condeeoraeao estrau^eira. 0 nos-
so amigo o Sr. Dr. Rufino nugusto de Almeida
acaba de ser agraciado pelo imperador d'Austria
com a com i enda do oraem de Francisco Jose" I,
pelos relevantes servicps que prestou a Austria no
grande jury internacional.
Damos nossos emboras ao amigo por essa prova
de apreco que lhe acaba de conferir o governo
ausiro-haugaro, tanto mais importante que foi elle
o unico dos membros da commissao brasileira qne
obleve essa distinccao.
Iitstituto Archeolozleo eGeosra-
.phlea.-Deve reanir-se hoje em sessao ordina-
ria, no lugar e hora do costume.
Monte Pio Santo Amaro. Amanha,
as 7 horas da noite, deve reanir-se a assembler ge-
ral dos membros destt sociedade, que tera lugar
com 6 numero qne comparecer.
Sacerdote do que??! Levantamos
esta interrogativa com todo o acatamento de quo
e capax a melhor boa fe ; o caso, porera. que a
inspiroa e de tal natureza que urge para ella, a
mais prompta e esclarecida resposta.
S. Revda. o Sr. vjgario dafreguezia deAf"ga-
das, pretaxtando re^idir distante do povoado da
Torre, comprelieudido nessa fregaejia, tem-se fur-
#^
tado a ir alii cumprir seas piedosos misteres de
cura d'almas. E' tao evangelicamente caritalivo
esse reverendissimo proceder do Sr. vigario, que
entramos em duvida sobre que altar sacrifiea S.
S. sua crenca, sua fe, sua vida e sea espirito.
Era am destes ultimo* dias agonisava, no po-
voado' da Torre, uma pobre mulber accamraeUi
da de bexigas : sentindo que se lhe aproximava a
hora negra, pedio a luz serena e confortativa dos
sacramentos, para que lhe nao fosse muito cos-
toso o tremento traspasse.
E' chamado o Sr. vigario em Afogados : E'
na Torre ? E' muito distante d'aqui. Nao posso
ir. E' uma moribunla de bexigas t. .. NS), nao
posso ir ; e" muito longe...
Instado pela pessoa que o procurava, o Sr. vi-
gario responde ainda negando-se delinitivamente
ao camprimento de um de seus mais sagrados
deveres, e reraetleado aquella ae sea coadjactor,
que, par sua vez recusou se tambem a ir a Torre.
allegando pjr enhereneia ecclesiasttca, motive*
identicos aos apresentados por seu parocho.
Sciente a pobre moribunda de qae a bora da
morte era desahnadamenle abandonada pelos mi-
nistros da religiao, na qual toda sua vida confia-
ra, nao se acobardou ; ao contrario, compenetra
da da verdade suprema, qae, nos ultiraos mo-
mentos vitaes parece larapejar no vitreo olhar da
creatura humana, pedio uma imagem de Christo,
derara-lh'a, confessou se em voi alta ao saogreu-
to vulto do Divino Martyr, beijou-o, fechou os
olhos e expirou.
Quantos padres merecerao de Deus poder mor-
rer assim ?
Nada mais temos a dizer a respeito de S. S. o
Sr. vigario da fregueiia.de Afogados.
Obras publicas.Essa reparlicio, por con-
ta da qual esta correndo a desobslruccao dos ca-
nos de esgoto da cidade, attendeu-nos, mindaodo
retirar o lamacal arrumado confronte ao oitib da
botica homeopatica, a rua do Imperador ; mas
ob-equiou aquella rua deitando um outro mais
fresco, mas cheiroso, na testada da casa que faz
esqmna opposU a da botica.
Achamos bom que o deixem ficar alii ; qual-
quer remocao agora pode dar com elle dentro de
alguma casa da visinhan^a
SoeieUKiIe Propagadora da Ins
truccao Publica. Remetteram-nos o se-
guinte :
Os trabalhos do anno lectivo nas escolas diurna
e nocturua dos povoados de Monteiro e Pedro-
Molle, encerrarcm-se no dia 7 do corrente, na pre-
enea da maioria do respectivo conselho parochial
e do membro do conselho superior Dr. Pinto Ju-
nior. Depois de ter estes dirigido algumas pala-
vras de aniraagio aos atamnos para que prose-
guissem no anno vindouro, na marcba encetada,
alim de conseguirein ao menos toda instruceao
primana, os respectivos professores usaram da pa-
lavra no meson sentido, concluindo p'-r se offere-
cerem mui espontaneamente para tomar licio da-
rante o tempo das ferias a aquelles de seus disci
puUs que espontaneamente compareeesseui e nao
quizessem esqaecer-se do que aprenderam no an-
no findo.
E' desnecessario accresceutar que esse offereci-
mento foi muito bem recebido nao so pelos alunt-
nos, como por todos quantos estavam presentes.
Benefleio.-Realisar-se-ha hoje, no theatre
de Santo Antonio, o espectaculo offerecido em be-
neticio a Sra. D Emilia armsra pci swjndsde
particular Gremio dmmatico; indo a scena pela
mesma sociedade o drama Lucia Didier, a corae-
dia a Creada iinpagavel e a scena coraica denomi-
iiada Cerragao na guela pelo Sr. Joaquim Ca-
mara.
Instruceao primaria. Na respectiva
escola, havera hoje exame das alumnas habilitadas
pela cadeira da Encruzilltada do Rysarinho, regi-
da pela Sra. D. Francelina Maurina de Albuquer-
que
Exames.-Em 6 do correnfe, houve exames
nas escolas primarias abaixo decUradas :
Do Encanamento, regida pelo professor Jacin-
ths Heleodoro Alves Cavalcante : alumncs, Manoel-
Delfino Pereira de Castro e Francisco de Salles Al-
buquerque Mello, que foram approvados.
Da povoacao de Caxangdu. alumnus, Sera Cm
Silvino dos Santos, Bento Jose Ribeiro Pessoa, Jose
Soares da Silva, approvados plenamente; e Ma-
nuel doNascimento Xavier de Salles, com distinc-
cao.
Da povoacao da Alagnnha, regida pelo profes-
sor Joviniano Jose Simoes: alumnos, Francisco
Tenorio Cavalcante. Manoel Leal Monteiro da Ro-
cha e Jose Lobato Monteiro Cavalcante, que foram
approvados plenamente.
Da de Jaboatao, regida pela professora D. Ma-
ria Christina Cavalcante Pessoa Cesar: alumna*,
Francisca de Paula Silva Dias, Alexandrma Perei-
ra de Mello e Leopeldina Rabello de Moura, que
foram approvadas plenamente.
Pagradoria de fazenda. Nesta esta-
cao pagam-se hoje as stguintes folhas: hospital
militar, e todos os demais funccionarios que rece-
berera por raeio de recibos avalsos, e tambem os
que deixaram de receber nos dias qUe Ibes foram
marcados. -
Irmandade da Soledade. Esta cor
peracio procedeu, no dia 7 do corrente, a eleicao
da mesa regedora para o anno vindouro :
Presidente.Dr. Joao Maria Seve.
Secreterio. Tenente Emiliano Ernesto de Mel-
lo Tamborim.
Thesoureiro. CapitJo Antonio Raymando Luis
Galdas. ,M
Procaradores. Geraldo Correia Lima e Lou
Francisco Vieira de Luna.
Definidores. Capitao Joaquim- Leocadio Viegas.
alferes Francisco de Lemos Duarte Junior, Manoel
Antonio Teixeira, major Manoel de Azevedo Nas-
ciraento, tenente Thomaz Antonio Uaciel Monteiro,
Antonio Augusto Pereira da Silva.
Prisoes. Pelo respectivo subdelegado fo-
ram recolhidos a cadeia da cidade da Victoria :
em 30 de novembro ultimo, Manoel Joaqnim Mo-
reira, Joao Ignacio Baptista, Manoel Francisco de
Paula, Sevenno Jose da Silva ; eem o do cor-
rente, Jose Ignacio de Barros ; todos alii pronnn-
ciados no artiao 195 do eodigo criminal.
Assassiaato. No districto de Cabelleira,
do termo de Bonito, o preto Thomaz, escravo de
Manoel Antonio Soares da Fonceca, matou um sea
parceiro de norae Joaquim, sendo preso em na-
graute no dia 30 de novembro ultimo.
Inuuerito. Em 5 do corrente foi remet-
tido ao Dr. jniz de direito do respectivo d stricto
criminal, o qae effectuou a subdelegacia da Var-
zea contra Domingos, escravo do Dr. Francisco do
Rego Barros de Lacerda, pelo crime de morte qne
commetteu na pessoa de sua parceira Dami ma.
Espnncantento. Na noite de 7 do cor-
rente, Francisco Innocencio Cardoso, espancou a
Manoel dos Anjos Chaves, no engenho Bom Jesus,
do districto de Afogados, sendo preso em fla-
grante,
Porto do Recife.A proposito do raelho-
ramanto do porto do Recife, questao qae Uo de
perto nos interessa, encontramos na Nagao, impcr-
tantejornal da cdrte, as seguintes liphas, qne
convem sejara aqui lidas :
Em uma nova carta dirigida a redaccjte da
Roforma, o Sr. Dr. Buarque de Macedo faz-se io-
terprete de uma real necessidade da provincia de
Pernambuco, qual e o melhoramento, ha SOaanos
cogitado, de seu importante porto.
o A*so;iamo-no de boa mentc aos votes do Sr.
Dr. Huarirae de Macedo.
Tendo por vezes reclamado uests colu.anas


"N
^W"l
\ .
UEGfffL


a
m -



jfarlo 4e Peniambuco Quinta feira 11 de Dezembro de 1873.
.

pela realisacao deste amlncionad > meMwraruento a'
nao ha ainda unites dias que do Diario de Per-
nambuca, o mais atttorisadj orgao da irapran^a do
norte, transcrevemqs uiu extenso artigo era juo
dir-se hia ter-ss insjairado o Sr. Dr. BuarqueVle
Macedo, tal e a cotlformidade do vistas em qne esta
o distincto escrlptbr cam o artigo a quo nos rofe-
rimos.
Nao tcm sido alia* o Diario de Peruimbuco o
nuice orgao da imprmsa a demoustrar as vaata-
gens, indiscutiveis, dssse tnelbarameato. Tanto o
Jornal do Recife coma a Provincia o o Liberal,
mais de uma \ez e fonvavelmente, se tern eonsa-
grado ao estu.lo deste pi-oblema.
0 melhoramento di porlo de Peruam'ntco,
objecto de uma reprosentajao da assemble* pro-
vincial, nao fc i eseuecido pels deputario pernam-
bucana. I'm de seus nurabros, o nossa aniigo
Sr. Dr. Guscnaa Lobo, ao ser discutiJo o ercamen-
to do mieisterio daagrieoltura, coramercio e obraa
publicas, procaro demenstrar com a autoridade
de algarismos de irrecysavel valor ijuanto esse
melhorame nto podcria o devera in'fluir sobre o
movimc-rito commercial daquella gramde provincia,
talhada pela natnrexa pan sero emporiodas rola-
edes etdre o brasil, a Europa e America do Norte.,
Nem e este urn atsuinpt i abandonado, ou es
Buqueeido no- eaeselhos lo governo. Quando de
minrsterio de 7 de man/a nSo fizesse parte am H-
lu?re pernamtmeano, de cnja influencia o Sr.
arque de Macedo declarada com razao cmitiar, o
que o minisMpii) 7 de mare/) ha feito neste parti-
<>ular nos asseguraria que o melhoramerito do
jiorlo de Peniambuco, e uma de suas preereu-
pac3e9.
Dlzem no os ultimos relatarios, e diz-nos o
iacto d seado eoiltinuadas no porlo de I'ornarabuco por
duas poderosas dragai, exeellentemenic apparc-
Ihadas com todo o material proprio deite ser-
vice.
< Ainda que se Irate do um melliaramentc. one
esta a neenpar a attencao do governo, nao d me-
oor o servioo que a sua provincia acaba de por
este modo, prestar o Sr. Dr. Buarque de Macedo.
tninistirio 7 de marco que pade verdecre-
tada a communicacao telegraphica daSrasil coma
'fiumpa, o prolangamento das estradas de ferro da
D. Pedro II, Itahia e Pernambuco, a eonstmccio
da grande lima do Rio Grande do Sul, lera scm
-duvida a I uv.tvel ambicao de ver decretado o me-
Uioraineuto do porlo d PernambMea.
< Esta necessidade, diz beta a Sr. Dr. Buarque
de Mac do, e das que n to podem *r.r adiadas.
Possa o governo aproveitar interregno lo-
-gislativo para que, munido dos cecssarii>s estudos
se habilite a na primoira reuaiio dj parlamenlo,
.pedir Ihe as mcios indispensavele a rcilisac.'io de
tiio util comaietti.nento.
Rap to dc uiu marques;.No processo
de Autun, pfomovido em consequencia-de havor-
se dVscttberta- um piano ipietinlu poor objecto rap-
tar a marqueta de Mac-Mahon, sobrinha d) mare-
dial, estfto coinp oiuettidw, seguudo diz a Paris
Jeurivit, Jms deputadas da esquerJa radical, os
Srs. Biroilet e Bofseot Accreweota o citado jor-
flal reaccionarin que era iiutnr.fl que se pedisse au-
larisaeao para serem processados. Os jornaes re
publieiiKH eream que a a^casarlo uaa paasara de
uma miseravtl caluiiinia da muiresa daqnellas que
onumam seivirse os reac-.iimarius tao implaca-
vcis para com aquelles ile.qti-m tern recebidotoJa
a chsse de 00B4idiane5ea.
Prisao liuportaute. Parece, scgundo di-
zem oBjirnaej hespanlni^, que (dram presos em
\lii;ante, n 9*6 elario g-ral da latemncional e o
agenie directir da msid.i moiagibt. A parlc ac
tiva q-eo a lalei a tchanf, segunda' se diz, toinou no
riiiivimcnfii canlonal, sobretudo em Cartagena, c a
pra-.taganda que esta fazeuJo para pertarbar a or-
dem pnblica. **raa prv.ir!inenleascaujas de laj
vv.t.is m-'didas. \<-i:K ojulgmi os periodico-
quo atlrihueoi a< des TleRS do llespanha a e-sa
a-s.rtriai;a.i, o na i :i< inir gtM e uis 0>l9fn9 de toda
a qualidade que os inmn^os do actual governo
bespanhul empregam para desacrediia-lo, e eaiba-
rui-ur o resi;!ic|.icj(in'iiio da ordein.
< iH<> se iuiH (trtiaaas -Chegou ha
dias a Paris sir James llu Ublmi, membra ilo par-
la nent'i de Sidney Sir3amos Buddw'-on,que pis
-ue Imje uma das fortunas mais collossaes do mnn-
dii, estava, na idade de 3c anno-, reJazido a um
orden.ido do K> librasstxrlinas por anno em uma
mansifactura ile tecid is d Manchester. U n bello
ocu a- primeiras I'abrieas de tecidus, empregando
nellas uma planta texti! novamenie descoberta, o
china ijruss. Iloje o Sr. linddlutoo lem pelo me-
nos um fortuna de 80 milboes.
Pliilautropiu: -CouU um jarnal parisiense
que os Srs de Rotnschilij dirigiran circulars a
todos os maires de Parte, prevenindo-os de que,
corao nos annas precedentes, estava a sua disposi-
;-"io a somma de .<0,80 frwos, destinadaa pagar
a reii'ta de habiticdes das indigenes durante o in-
verno.
Proilroiuus re^rui v-^-'t.-tin. Mr. dc
Caiutoiic, ae Genebra, .'ip;c3ont..u na academia
franeeza o 17." v.il. da obra monumental que tern
o titul i desla noticia.
8 ha .*ii amius, pM Mr. de Ciindolie, p.u, e com elle
trabalharain innitas liotanicss distinctos. 0 seu
pnposito i-r.i .1 ii- a ilscnp.-ao eompleta e rainu-
ciosa, deed' ;i exirema raiz ate-a semente de todas
as planias diccitv led meas caiihecida. Ha destas
achnlnwBte iloiurlpfew ommMi e aita mil nove-
eeulas e set'Mita e eneo. Linnco so leve conheci-
mento de i-im-1 mil seMceMa* vinte e si te.
Angustu dh itoowdrtw tinha publicadq os sete
primeiros vulnuies. e morftfl em 1811. Seu filho
htlattb to D. candolle caalinuou a obra interrain-
pida. mas reconheceu a iMipossibm'dade dclle so a
concluir, e chamou eui sea aoxilio a maior parle
dos bot.inicos da Euraiia.
As dilQcnIJades desle immen-o trabailn cram
augmentadas pela cirea&isiancia de nao haver na
Europ* st-iiai oil> oh dez eidadas, onde fessem
achados herbariose livros queers necessario con-
sul tar.
O aim it- ante J ithniiurl Bis algnns
apontatnenlas biogr.ipliitos deste bravo inarinhei-
ra ultimamenle MmUl:
Francisc i ThoiuazTrehouart, almirantede Fran-
ca, nasceu em Vieuville :\< dia -27 A-. abi-il de 1798,
entrando coma grumete na nurinl.oi Traaceza; as-
sistinda aos ultimos eamhates do impvrin fai que
elie aicanciiu os prioieiius postos; em;tS28 na ha
talha de Navarin, fai Bowe^do tenente de uiarinha.
Capitiio de corveta cm 18^7, capitao de navio em
18i3,/:oi nomeada para coiiHnandar a mariulia nos
mares da Praia. A sua itandeira lluctuava na fra-
p-ata VEriijiiiv : tadw M marinhoires da Europa
coohecem a hrilhante ambaie de Obligada, onde
o almirante, collacado por detraz do Pullon, dirigia
os fogfts Ja esqoadrilha. Fogo I fayo sobr*.aho-
memdat burbas brtmcas, ouvio-se repelir de tidos
cs lados, jrera, o heroica eammandante nao tinha
de ser ferido no Praia.
Saltidu vietarioso da eambate, fai Komeadu cen-
tra almirante em 15 de fevereiro de !Bi6 e elia-
maoo para a commands de uma divisao naval par
occasiaa da ttxpedigao a Roma.
t/ice-aliotrante-em 2 deatM^il Je ISSI o prefeilo
maritiino da i' circumscrippae, um decreto do im-
perador names no em (1 de outabro de tSoii par*
o commando da esquadra da Crimea, em substi-
tuiijia do almiraoto Bruat, qa* morrera. Cbania-
do em 1838 para o cansellio da aimiranudo, fji
elevado em 1869 i alta dignidade de almirante de
Fran.-a; desde 13 de agosto de 18y leva lugar no
senado e por decrato imperial de 12 de. agosto de
IS&K mi aaineada (jracruz da Legiande ilonra.
Com a none do jkuraattj Tndiouart, cxtingaio-
*p hoje o ultimo almirante da Franca.
l-oteriit. A que se acba a venda e a 7a
a beneficio da matriz da matrir. de Cafarobo, a
qua! corre no dia 16.
Cusu >lm deteiieao.Movimento do dia
9 de*azembrode*873:
Existiara preset, 391, eceraram 6, sahio i, exis-
M3te.
A saber :
Mactonaes 838, ainlheres 9, estrangeiroa 2i.
e-.cravos :fl; escravas 6 Total 3*.
Afiraentados a oista dos cofres pnblicos 838.
Mavimonlo da eaferayia do dia 9 da dezembro
do 187:*.
Teve baixa :
Manoel do Espirito Santa da Silva Choromba;
rhenmatwmo.
t-:*lal>el4fiiueiitds do earEiade.
0 pesaoal de enfermos e educajidos a cargo da
Santa Ca?a, em novembra (iuda e p segninte :
" Jofe iaointh,a JE>|cVeco, Jase Jacinllio Sores,4 Joaquim Cav..lcanti Galvao
Antonio lacinlha Soares. Jose de Metid mea, \nta-1
nio Teixeira, ioii'i Pacbeco da l.ima, J.ioiutlto de
Luna l*aclKco, Vlanael Bor^es F. de Matlos, J iao
Pi da Costa, Carolina Augusta, Isabel e 1 fllhp
nienor, Antonio da Ponte e sua mulher, i tillios
menores, Joao Mariano Pacheoo, sua mulher e 3
filhos menores.
Sohidos para o norte no vapor CeqirA :
Scnador Nnses Gonjalvos e sua familia, Pedro
Augusto Cartalho e sua familia, Francisco P. S
Oiis, Abdea F. Milanoz, P, de la Granja, Joao
Duarte, Dr. Joao L. Espinosa, Francisco l\ de Li-
ma Mindclla, D. Cezaria C N. de Gusmao e sua
familia. Caw Lustosa, Hennqne Marlins, Antonio
IVreira Motta, Jose A. de Albuquerque, Joaquim
MarinlK Filbo, Antonio Manoel dj Aragao e Mello,
e 1 criada, Francisco Aygne Lins Meira, Jase Go-
mes teal, Francisco A. de S. torvarao, e 1 irmio,
D.-Olotilde Risa. Constantino Graf, J. F. Sauza
Lima, Manoel Lu'z, Antonio Joaquim Francisco
Machado dos Santos e Manoel J. da Sllva.
Satiidos para o Porto aa barca portagueza S.
Sanoel U :
Jose Moreira Monteiro, Joaquim da Silva, Ma-
noel da Costa e Maria T. de Jesas.
Cemlterio public*. Obitaario do dia*6
do cor rente :
Maria, branca, Pernamuco, 16 mezes, S. Jose;
sararapo.
Sara, parJa, Pernambnco, 5 metes, Baa-Vista;
enterite.
Maria Franeisca, parda, Pernambnco, 2j annos.
solteira, Boa-Vista, hospital Pedro 11; variolas oen-
lluentns.
Idalina, parda, Pernambnco, 30 annos, solteira
Boa-Vista, hospital Pedro II; hepatite aguda.
Anastacio, e-cravo, parda, Pernambuco, nos, ignore-se, S. Jose ; congest.io cerebral.
Manoel, pardo, Pernambnco, 11 mazes, Graca ;
gastro enterite.
Pedro, pardo, ignora-se, 2 annos, S. Pedro Mar-
tjr ; variolas.
Lacinda Hosalina de MeHo, parda, Peraambnco,
10 annos, solteira, Bua-Vi-t i ; insuffioiencia do
ventricnlo esque-do.
Joan ii i branca, Pernambuco, 7 mezes, Btia-
Vlsta ; bexigas.
Fartunata Amelia Leal, parda, Pernambuco, 19
annos, casada, S. Jase; bexigas.
Idalina, branca Pernambuco, 6 mezes, S. Jose ;
inleracolite aguda.
ArTrede, branco, Pernambuco, 6 mezes, Santo
Antonio; hepatite ehronica.
Quirino, escrave, Rio Grande do Norte, 40 annos,
solteiro, Graca; variolas.
7
Jovina, Saraiva de Araujo, parda, Pernambuco,
20 annos, solteira, S. Jose; variolas.
Severina, parda. Pernambuco, i annas, Boa-Vis-
ta ; congeslao cere Id al.
Jose, p irdo, I'ernamnuco, 2 annos, Graca ; be-
xiga*.
Alexandria, parda, Pernambuco, 1 anno, S.
Jose ; variolas.
Maria, cscrava, preta, Pernamfcuca, 27 annos.
solteira, Baa-Vista; bexigas.
Manoel da Silva Fonreca, branco, Portugal, 49
annos, casado, Ba- Vista ; beriieri.
Jose Lopes Delgado, pardo Pernambuco, 38 an-
nos, casada, Bua-Vista, uespiul Pedro II ; tubor-
culas pulmanares.
Fraucisco Games da Silva, pardo, Sergipe, 18
annos, solteira, Baa-Vista, hospital Pedro II ; va-
riolas.
Zeferino, branco, Pernambnco, la mezes, Santo
Antonio; pseudo-creup.
- 8 -
Tliomaz Luna Freiro, pardo, Pernambuco, 19
annos, solteiro Boa-Vista, hospital Pedro II; va-
riola*.
P.iulo Bancher, branco. Franca, 23 annos sol-
teiro, Boa-Vjsta, hospital Pedro II ; febre ama-
relU.
Balbina da Conceicao, prsu, l^rnantbuca, 25
annas, solteira Boa-Vista, hospital Pedro II; va-
riolas.
Eulogia Games do Araujo, Pardo, Pernambuco,
34 annos, solteiro, Boa-Vista, hospital Pedro II;
variolas
Rita Maria da Gmceicftn, e^bocla, Pernambuco,
20 anoos, solteira, Bua-VL-U ; hospital Pedro II;
variolas
Jose Pernira da Cruz, pardo, 38 annos, solteira
Boa-Vista, hospital Pedro II; variolas conflnenies.
Joao Jose da Silva, pardo, 13 annos, solteiro
B6a-Vista, hospital Pedro II; varialas.
Domingos, preto, Africa, 70 annos, solteiro, Re-
ci'e; diarrhea.
Marcolino Victor de Morxes, branco, Parahyba,
36 anoos, casado, Graca ; lesao organiea do o
rac4n.
Franeisca, parda, Pernambuco, 3 annos, Boa-
Vista ; bexigas.
Iria Maria Barbosa dos Santos, parda Pernam-
buco, 27 annos, solteira Baa-Vista ; caUiarro pul-
menar
Qniteria, escrava, parda, Pernambuco, 22 annos,
solteira, S. Jose ; bexigas.
Asceiulino, branco, Pernambuco, 4 annos, S.
Jose; sarnas recolhidas.
Maria, parda, Pernambuco, 4 annos, S. Jose;
enterite.
Fartunata, escrava, parda, Pernambuco, 33
annos, solteira, Graca ; variolas
Herculann Militia de Hullanda e Silva, braneo,
ignora-se, 28 annos, solteira, Afagados : variolas
heraorrhagicas.
Paula, branca, ignora-se, 20 annos, casada, S
Jase ; hydrophobia.
Bernardino dos Santas Jnnior, preto, Maceid, 30
annos casado, Boa-Vista; menegite.
Ao Sr. dose in ba^ador Reis c Silva :
Affioliagac. cii.ne.
De Taoaratd, Appellante Vicente Ftrruira de
Paula, anpcllada aju.-tica.
Da CrUlo. Appellaate Autmio Joaquim de
d rapes Petico, appellado o juizo.
Appellafao civel commercial.
Appellante Joao dc Oliveira Leito Souza, apoel
lad*) Antonio Jos* da Silva Maia.
Do Recife. Appellants Manoel Gomes Pereira
Gama, appellada a p.u da Carolina.
Do Sr. desnmbargador Aluaida Albuqnerquo a
Sr. desembargador Aceioli
Appellacoes crimes.
De Nazareth. -Appellant; Joaquim CorrcA de
Oliveira Andrade, appellado Virginia Ilaracio de
Freitas.
Do St. desembargador Baria ao Sr. desembar
gador Domingues Silva :
Dattecife. Appellanle Guilhermc Augusto Ro-
dngaes Sette, appiellaios Jose Hodrigaes de Oli-
veira Lima e outros.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
dsembargador Souza Leao :
Appellacoes crimes.
Do Sobral. Appellante Dianizio Pereira da
Maltos, appellado Antonio de Paula Maria.
De Palmeira dos Indijs. Appellante Luiz de
Barros Luna, appellada a justice pnblica.
Do Recife.Appellante Marcolino t C, appella-
do Nicolao Fclipald.
Appellacoes civcis.
De Cimbres. -Appellante Joaquim Rodrigues di
Silva, appellado Jose de Goes Mello.
Da Recife. Appellante Manoel Zeferino de Sal-
les, appellado Bartholomeu Si C
Do Sr. desemliargador Araujo Jorge ao Sr. des
embargador Neiva :
Appella<;5es crimes.
De Flores. Appellanle Francisco Jose de Lima,
appellada a juslica.
Da Independencia.Appellante o juizo, appet
lado Jovino Coelho da Cunha.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque
Do Recife.Appellante Francisco das Chagas
Salgueiro, appellado Jose Jacome Tasso.
Do Sr. desembargador Neiva ao Sr. desembar
gador Silva Guimaraes :
Appellacao crime.
De Pcnelo.Appeilanie o promator, appellado
Antamo dos Santos Lima.
Appellacoes eiveis.
De Iguarassii. Appellante o juizo, appellado
Pedro, escravo da Dr. Sorpa Brandao.
Do Ic6. Appellante Manoel Candida Martins e
outros, appellado Antonio Joaquim de Figueiredo.
Diligencia civel.
Ao Dr. curadar geral :
DeOlinda. -Appellants O juizo, appellada For
lunata, escrava.
Assignou-se dia para julgamenlo dos feilo:
segnintes:
Appellacoes eiveis.
De Atalaya -Appellante F. da Cunha Lima Arau
jo Rocha, appellado Jase Antonio de Almeida Gui-
maraes.
Do Recife. -Appcllanles Roberta Caroll e oa-
tros, appelladis Jaio Caroll e outros ; appellante
Ar slides Duarte Carneiro da Cunha Gama, ap-
pellado Joaquim Francisco de Albuquerque San-
tiago. -
Da Imperatriz. Appellanle Felix Correa de
Araujo, appellado Antonio Games dos Santos.
Apiiellacao crime.
De Atalaya. -Appsllante Pedro Correa da Costa
Camaratuba, appellada a justiea.
Eneerrousea sessao a 1 hra da tarde.
Tribunal do coiiiaiercic.
At.TA DA SKSSAO DE 4 DIs DEZEMBRO DE
PRKSIDE.NCIA
Hospital Pedro II
Filhos'de enfermas
Hospital dos lozaros
Haspicio de alienado*
Asylo de menjicidado
Collegio dos orpftles
Duo das orphiis
Casadaa exposlos
Expostos em ciiacJo
Total
,t'assaeiPos. A barca D)rtuguesa
Ibela entrada da Una de S. Miguer, trouxe :
1,033
Ara-
iAKOiNitl Ji iM!|ARI%.
I KIBIWl, DA UBL.4C.lO.
SE-Srt0 DE 9 DE DEZRMBRO DE 1873.
BKSIPKNCIA DO 8XJI. SB. COXSELHKIHO CABTA.M
SANTIAGO.
Secretary Dr. Virgtlio Coelho.
As 10 boras da inaniia, presentes os Srs. des
^uihargadores Silva Guimaraes, Loureneo Saatia
go, Almeida Albuquerque, Doria, procurauor da
carGa, IXimingnus Silva, Souza Leao, Araujo Jor-
ge o Neiva, faltan la com causa os Srs. desetn-
bargadores Reis e Silva, Aceioli e Regueira Costa,
abrio-se a sessao.
1ULGAHEKTOS.
Recursds crimes.
Recorrente o juizo de direito do Recife, recorri-
do Andre Joaquim de SaiU'Auaa. Juizes os Srs.
desembargadores Silva Giuauraes, Araujo Jorge,
Almeida Albuquerquee Neiva.Improcedente.
Recorrente o juuo de direito de Ilauobe, recor-
rido Francisco de Araujo Lima. Juizes os Srs. des
embargadores Lourenc.0 Santiago, Domiugues Sil-
va. e Araujo Jorge lmproeeleate.
Recorrente o juizo dedireiio de Itambe, rccor-
rida Josii Felix da Silva. Juizes os Srs. desembar-
gadores Almeida Albuquerque, Laurenco Santia-
go, Doaiingues Silva e Souza Leao. Improce-
dente.
Recorrente ojuiza do direito do Recife, recorri-
do Jase Antonio de Faria. Juizes os Srs. desem-
bargadores Souza Leao, Neiva, Almeida Albu-
querque e Lourenco Santiago Inpracedene.
Aggravos de pelican
Aggravante Ehas Emiliano Ramos. Juizes os
Srs. desembargadores Loure*cy Santiago, Seiva e
Araujo Jorge-Negaram piwtmeato.
Aggravante Jose Monteiro de Siqnoira. Juizes
os Srs. desembargadores Silva Gaimarae*, Al-
meida Albuquerque e Araujo large Deram pea-
vimento,
Aggravante Jise Felix Pereira. Juizes os gr*.
desembargadoreres Almeida Albuquerque, Arauja
Jorge e Souza Leao. Deu se provimento.
Aggravante o admiuistradar da massa de Se-
bastiao Jase da Silva. Juizes os Srs. dosembar
gadores liwningues Silva, Araaja Jorge e Silva
Guimariies.Neguu-se pravimeato;
Afpellacao crime.
Appellante Pedro Correa da C. C.imaratuba, ap-
pellado o juizo dedireiio de Atalaya.A nova jury.
Appellacoes eiveis.
Do Recife.Appellante Aristid^s I). Carneiro da
Cunha Gama, appellado Joaquim Francisco de
I Albuquerque Santiago. Receberam os embargos.
AppeUantes e appellados juiitaaiento Francisco
Luiz dos Santos e os herdeiroi do raesmi.Des-
prezados as embargos
Da Atalaya. -Appellante Felippa da C. L. Arau
ja Raehi, appellado Jose" Antonio de Almeida Gui-
maraes Desprezados os embargos.
PASSACRITS.
DoSr. desembarfai*tr Sva Gjiraaraes ao Sr.
Sr. desembargador AoeiOli :
Appellacao commercial.
Appellante Jeaa Marques Pernandes, appellados
Azevedo & Maia.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque: -
Appellacdcs eiveis.
Da led.- Appellante, Manoel Candida Martins,
appellada Aujonio Joaquim de Figueiredo.
De Iguarassti. -Appellants D. Anna Jeaquina
Teixeira da Motta Cavalcanli, appellada Francisco
DE 4
1873.
DO KXM. S. OiNSKl.llKino ANSELMO
nuHcnoo pebetti.
A's 10 horas da manna, presentes os Srs. de-
putados secretario Olinto Bastos e supplentes Sa
Leitao e Alves Goerra, deixando de comparecer o
Sr deputado Lopes Machado, com parliclpacao
de nao o poder faxer, S Exc. o Sr. conselneiro
prosidente declarou aberta a sessao.
Foi lida e approvada a acta da precedenta
sessao.
expeoiehtk.
Distribuiram-se os seguintes livros :
Copiador de E. A. Burle 4 C, dito de Jose Tha-
les de Mello & C, dito de Pereira Junior A C,
diario de Hyvernaty Je C., dito de Radrigues Ir-
maos & Guimaraes.
DESI.\aiOS.
llequeriiuentos :
Do lnnocencio Garcia Ciaves, para registrar-se
a nomea^ao de seu caixeiro de igual name. -,Como
requer. ',
De Frederieo Cesar Barlamaiue, solicittfida a
regiutro da nomeacau junta de seu caixeirojNa
forma pedida.
De Antuni's 4 Irm.io, reiiuerendo o registro da
noniaa.-ao de Fraucisco Antonio do Oliveira.
Sim
De J .m: Joaquim Barbosa da Silva, snbmcttendo
a registro a nomeacao inclusa de seus caixeiros.
Deferido.
Do eommendador Candido Alberto Sodr6 da
Motta, trazendo a registro a nomeagao junta.
Como aede.
De Mi i Capistrano 4 C, sujeitando a registro a
noraeacao de Joaquim da Costa Dourado Filho e
Benjamin Capistrano de Oliveira,Na forma re-
querida.
De D. Marcionilla Rita do Rego Correa, aprc-
sentando a registro a notneacao de Manoel Xavier
de Barros Campello, Joao Jase Uancalves Plexe e
Luiz Bandeira Pessoa de Mello. -Proceda-se a*
registro peoido.
Da viuva Paula Lopes 4 Filbo, Umbem pedindo
que se rsgislre a nomsayao que deu a Jesuiuo Xa-
vier SuassunaSeja registfado.
De Antonio Jose da Costa Cabral, igualmente
pedindo o registro da nomeacao de Thomaz de
Aquino da Costa Cabral.Deferido.
De Pinto Moreira & C, registro da nomeacao
de Bernardino Dias Ferreira. Faga-se o registro
pedido.
De Jose Hulina Climaco da Silva, cidadao bra-
sileiro, eslabelecida nesta cidade cam armazem de
madeiras, requerendo carla de matricula.-Vista
ao Sr. desembargador liscaL
De Gaivao 4 C., registro da nomeacao de Braz
Si-raiim dos Santos. Como requerem.
Representacao da directoria da Associagio Com-
mercial Beneficente, a respeito do exame dos li-
vros dos corretores.Adiado, por nao estar pre-
senle o Sr. Lopes Machado, cujo requerimento deu
lugar a representacao de que se trata.
Informagao da secretariaa respeito da pretencao
da companhia das trilhos urbanos do Recife a
Olioda.ProcejQ a duvida, abas, o que expende
a secrstaria em sua ulii na infarmagiio.
COM 0 PABECEE FJ6CA1..
PetK&es:
De Pedro Ortiz de Canargo, pedindoo registro
do coatrato da liruta Duarte Guimaraes Bandeira
A C.Ilegistre-se o eontrato jnnlo, nos termos do.
decreto n. 4,391.
De Joao Francisco de Souza e Frederieo Alves
Ferreira Pinto, registro do distrato da firma Fre-
derieo Pinto & C. Scja registrado o distrato jnnto,
sendoquea peticaa das supplicantes sa foi apre-
sentada a este tribunal ao dia 45 de novembra pro-
ximo passado, quando ella tern a data de 1 de se-
terabr-i ultunoi que d a masma do referido dis
trab.'
De Manoel Vieira das Neves, pedindo carta para
o hi*'-" "'-i ''mini fiqiiac -,..
De Candido Cayimiso Gneies Alcoforado, pe-
dindo exoneragao do cargo de deputado. -Adiado
para a pruxinwsessfw, rilto ahsr-se incompleto
tribunal pela falta de coraparecimento do Sr.
Lopes Macoadi*.
Autoatnento do procejso iusXaurado contra o
corretor Goncalo Jose Affbhso.Seja convidado o
corretar contra quem se representa, enviando-se-
Ihe copia da peUgao cantra elle dirigida e papeis
que aeoinpantiarani.
Ao aeio dia, nao haveado mais nada a despa^
ehar, S. Exc. o Sr. conselheiro presiUeote encer-
roa a sessao.
das dcjpezas feitas no mez ultimo neb) rcspeelivo
thesoureiro na importancia de 2:4706910..
I) j Dr. chefe de policia? com as contis das dgs-
pczas (bilas na respectiva secfetaria pelo porteiro
no oiez preximi pissala tia im.irUucia de........
3980O.
Do director da faculdade de direito, com as
contas das despezis feitas pelo portciro na impor-
ancia de 128J803 no tn x de novembro.
t Do administradT da cfcebedoria, com as con-
las das despezas ae \noiien;e feilas pelo respec
tivo porteiro na iiupjetancia de "9fW3 no mez
proximo passado.
Do presidonte do tribunal da relacao, remeltea-
do a conla das despezas feitas pdo respectivo can-
tinuo na importancia de 24j240 ao mez ultinu.
Requerimentos:
De Caetano Marques
De Fielden Brothers.
De Joaquim Snares de Pinho.
Do Dr. Joaquim de Aquiuo Fonceca.
Do Dr. Estevao Cavalcanic de Albuquerque.
De Joaquim Jose de Olinia Tavarss.
Secrelaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, tOde dezembrode 1873.
0 secretario da junta,
Jetuinn Hodrigues Cardoso.
THESOURARIA DE FAZENDA
10 de dezwBBro.
Foram remettidos ao *. thesoureiro para e
rem pagos.
Offlcios :
Da presidencia, tnandando pagar a Augusto
Ca'>rs a qnantia de 100*000 e a Antonio Correia
d. Vasconcellos-a de H6&V1Q.
Do inspector da allauleg.t, com aa cantas das
despeza- miudas feilas com o servieo interne e ex-
terno na importancia de 2 0734378 e as do'no*-
teiro na de 64#8 i relativas ao mez da- novem-
bra.
Da eomraandante'do fotte do Buraco, coma
conta do foroeeimento d'agna feito ao mesmo fo*-
ta na imporlancia de 38*400 r**lativa ao mez'
finda. j
Do adrainistrador dos crreios, com as contas I
PARTE POLITICA
PART1DO < t\SIi\ AIMHt
RECIFE, II DE DEZKMBRO DE 1873.
Todas os dias o patriotico ministerio de 7 de
marco da provas exubtrantes da palitica larga
e geuerosa, que adoptou, e que vai realisando
de iii'iJo superior a toda o elogio.
As importanies e sabias medidas votadas no
iaborrioso periodo legislativa, que acaba de fm-
dar, vao lendo oxecucao satisfactoria e intelii-
gente
Nada se ha esquecido nestes ultimos tempos ;
entretanto os escriptores da. ft-ouincia, obede-
ceudo ao preconceito de que, recoohecer os ser-
vk.uis do adversaria e trahir a causa do partido,
desconbecem tedos os dias a muito que se tern
feito, e accominettem a actual situacao politica de
modo por demais iojusto, senao iodtgno.
Cegos pelo espirito partidaria, e despeitados
pelas impurtaules medidas que ten sido adop'.a-
das, as incptos escriptores da Provincia injuriam
e insultam.
Esquecem-se sem duvida que ja niio e raais
tempo de ser adoptada a politica detestavel do
poder por amor do poder, politica que se acha
irremissivelmeute condemuada.
Hoje as ideas geuerosas de prasperidade, de
engraudeeimealo, de bem estar publico, substi-
tuiram a politica pessoal, igoistiea, tacanna, que
os nossos adver-arias querem fazer prolaminar e
reviverJ>nJa9anUo aquellcs que, com abnegacao e
palriotasuio iuexcedivel so teal de-Jicada, com es-
foreo superior, em bem da patria.
Estes desacredilados escriptores, sem ideas, sem
priucipios, setnpre conti-adictari-s, lefractarios
ao progress), nao couaprehendem o que seja a
vetdade, o direito, a justi.a |tara cam seus adver-
sarius.
E' cousa natavel I
Quapto maior e o e.-for-.-o do cidadao em bem
do paiz, maioros sao os ataipios desses discolos
provincianoe I
Ninguem tem mais ineorrido em suas iras- do
que a ben^merite adinimsiradur da provincia o
Exm. Sr. Dr. Lucena, precisamenle porque tem
prestado a sua provincia natal relevantes e im-
portanies seivieos.
Em seu despeito nao podem eslea proriucians
verem o illustre adunui.-tradar proseguir sempre
calnii e tranquiilo na glorias* larefa, que em-
prebendeu, dotandi* esta provincia de toelhora-
tnentos reaes, proinavendo e danda impul-o a
grandes obras sem despendio algum para os co-
Ires publicos !
Traaquillise se, parent, o illustre Sr. Dr. Lu-
cena.
Os homeiH de bem, desprendidos das cstreitas
vistas de partido, sabein aferir os aclos- pelo que
elles valeta j em todo o tempo o periodo ailuu-
nisiralivo de S. Exc. Iia de ser ajiaiUado como
um grande exetuplo de moraltdade; de justiga e
de prasperidade, Jigno cerlamante da generosa
palitica de que o gabhiete de 7 de marco e a
eJevada persenitiKiciio.
Nan deve ser esiranhada a linguagetn um pouco
vehemenle que empregamns.
A descommunal aggressao- da que e sempre
victima o illustre admiuistradar Sr. Dr. Lucena,
nao pode ser repellida senao com lioguagem
energica, posio que discreta,
Nao Iia lint so. acto da S. Exc. que o orgao
opposicionista. nao o considers digno da censura.
Trata-se da nuraeacao de ui funecionario pu-
blico ? Pa'is brm ; niio foi a merecimento, as ha-
bililacoes que deram lugar a cscolna do nomeada ;
fai a aJHhadagem, o pagamenlo de servicos.
Trata se de demissiiiT Pais bem; nao fai a
falta ile cumprimento de fTeveres do empregado,
a sua relaxajao, a sua inepcia o movel da demis-
sao ; mas sim a paixao partidar a.
E assim sem especilieacao de faclos, sem a
raenor prova das falsas allegardes, os escriptores
desacreditadas da Provincia naosabem do terreno
da deelaniaciio, do doesto.
Entretanto quem consullar os factus tera oc-
casiao de ver qne na escolba do pessoil para o
exercicio dos cargos publicos, lem presidido a
mais escropulosa indagarjao, a mats severa juslica
e imparcialklade.
Se um i so das nomcacaes feilas par S. Exc.
pode ser averbada de menus justae acertada,
uenhuma das poucas demissoes dadas a bem do
serviijo publico, pode ser considerada como filha
de paixao partidaria.
E senao os deiacredilados escriptares da Pro-
vincia que demonstrem o cxniraHO.
Examine quem quizer uma a uma todas as
nomeacoes que o Exm. Sr cimmendanor Lucena
tem feito e se convencera de uma verdade, e e
que a escollia do pessoal tem side isenla de es-
pirito de partido, motivada c discreta.
Em que tempos eslamos nos em que aquillo
mesmo que devia captar o respeito dos adversa-
rios, serve sdraente para insnltar-se I
Mas como nao ha de ser assim, se o orgao op-
posicionista nao represenla mais da que a pessoa
de nm homem, que a par de sua proverbial im-
becilidade, so se recoramenda pelo seu genio odi-
enlo e rancoroso I
A inveja, o odio, o despeilo uao canscntom que
a Prooincia faca justiga a quem a merece ; mas
appellamos de seu juizo partial e suspeito para
us espiritos rectos e desapaixonados e estamos
certos que a sentenca sera esta :
0 illustre presidente de Pernambuco e um ci-
dadao benemerilo.
^BLICACOB a PED1DC,
HFEUAL
INSTITUTO
Hosam Senhora lo Itnm Conselli*
0 bacbarel Antonio Columbano Seraphico de
Assis Carvalho. director e proprietario deste ins-
titute, tem a satislacao de efferecer a apreeiagae
dos pais, tatores e correspondentes de seus alnm
nos in'ernos, e externos, a Iista abaixo onde se ve
o resultado dos exames que uJtimamente presta
ram na faculdade de direito.
Recife, 9 de dezembro de 1873.
Portuguez.
1 Antonio Paeifieo de Lima, filbo de Joaquim Pa>
eilico de Lima, natural do Pitufcy, approvada
2 Antonio Gomes de Maado Coutinho, filho CM
Antonio Gomes de Macedo Coutinho, natural
do Piauhy, idem.
3 Antonio Jos6 Lette Pereira, filho de Angelo Gns-
todio Leite Pereira, natural do Piauny, idem.
4 Antonio 1'lutarcho Hodrigues Lima, filho de
Jnse Rodrigues Lima, natural do Ceara, idem.
5 Antonio da Trindade Antanes Meira, (ilho do
Dr. Balduino Jose Meira, natural de Goyaz,
idem.
6 Abdon Felinto Milanez, filho do Dr. Abdon
Felinto Melanez, natural da Parahyba, idem.
7 Antonio Francisco 'de Albuquerque, filho do
tenento coronal Pedro Francisco de Albuquer-
que, natural de Pernambuqo, idem.
8 Aftujso Jose de Oliveira Peixoto, filho do Dr.
Domingos Monteiro Peixoto, natural de Pernam-
bnco, idem.
9 Bernardino Cavalcanie de Albuquerque Mara-
onao, lilho de Bernardino Cavatcante de Albu-
querque Maran^ao, natural de Pernambuco,
Idem.
10 Franklin Bugenio de Magalhaes Seve, filho do
tenente coronel Francisco de Miranda Leal Se-
ve, natural de Alagoar, idem.
< I ft-aoAco Saltistiaao de Oliveira Costa, filho de
Justino Nevos da Costa, natural de Alagoas,
idem.
12 Jose Alfredo dc Medeiios, filho de Jose (ion
calves de Medeiros, natural da Parahyba, idem.
13 Joao Lnstoza da Cunha Pedroza, filho do coro
net Manoel Gomes da Cunha Pedroza, natural
de Pernambnco, idem
It Jo5o Correia dos Santos, filho de Semiio Cor-
reia dos Santos, natural de Pernambuco, idem.
la" Joaquim Pedro Cavalcaote de Albuquerque,
filho do Dr. DelOno Augusto Cavalcante de Al-
buquerque, natural de Pernambuco, idem.
16 Joaquim Rodosinode Albuquerque, filho do te-
nente coronel Pedro Francisco de Albuquer
que, natural de Pernambnco, idem.
17 Jose Hilano da Silva Costa, filho de Joaquim
Ayres da Silva Costa, natural de Alagoas,
idem.
18 Joaquim Ayres da Silva Costa, filho de Joaquim
Ayres da Silva Costa, natural de Alagoas, idem.
19 Jose Solano Carneiro da Cunha, filho do capi-
tao AristoU'les Carneiro da Cunha e Albuquer-
que, ns lural de Pernambuco, idem.
20 Jose Tavares da Cunha Mello, filho do Dr.
Francisco Tavares da Cunha Mello, natural de
Pernambuco, idem.
21 Luiz Canzaga de Almeida Araujo, filho de Flo-
resando Pinto de Araujo, natural de Pernam-
buco, idem.
22 Linaolpho Hisbello Correia de Araujo, filho de
Joao Firmino Correia de Araujo, natural de
Pernambuco. idem.
23 Manoel Candido Ribeiro de Menezes, filho de
Raymundo Candido Ribeiro, natural do Rio
Grande do Norte, idem.
24 Manoel Maria de Araujo, GUio de Antonio Ma-
ria de Araujo, natural de Pernambuco, idem.
25 Miguel Archanjo do Nascimento Feitoza, filbo
do Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa,
natural de Pernambnco, idem.
2o Nylo Cahetc Pereira de Andrade, filho de Fran-
cisco de Paula Pereira de Andrade. natnral de
Pernambuco, idem.
27 Pedro Celestino Fe'icio de Araujo, filho de
Luiz Felicio de Araujo, natural da Parahyba,
idem.
28 Sergio Florentino de Paiva Meira, filho do Dr.
Joao Florentino Meira de Vasconcellos, natural
da Parahyba, idem.
29 Zosimo Zeaaides da Camara Lima, filho do
major Antonio Pereira da Camara Lima, natu-
ral de Pernambuco, idem.
Latim.
1 Antonio Ferreira de Mello Santiago, filho de
Manoel Cc reia de Mello Santiago Villela, na-
tural de Pernambuco, approvada.
2 Antonio ILiapina, 011.0 de D. Carolina Furtadc
de Mendonca, natural do Ceara, idem.
3 Antonio Alves da Silva Acciili, filho de Sebas-
tiiio Alves da Silva, natural de Pernambuco,
idem.
4 Antonio da Trindade Antunes Meira, filho do
Dr. 8aldnino Jose Meira, natural de Goyaz,
idem.
0 Manoel Alves Villela, filho de Luiz Alves Vil-
lela, natural dc Pernambuco, idem.
ii Manoel Candido Ribeiro de Menezes, lilho de
Raymundo Candido Ribeiro, natural do Rio
Grande do Norte, idem.
7 Nylo Cahete Pereira de Andrade, filho de Fra*
Cisco de Paula Pereira de Andrade, natural de
Pernambuco, idem.
8 Sergio Florentino de Paiva Meira, filho do Dr.
Joao Florentino Meira de Vasconcellos, natural
da Parahyba, idem.
Francez-
1 Antonio Cesario Ribeiro, filho de Antonio Emi
lio Ribeiro, natural de Pernambuco, approvado.
2 Antonio Ferreira Navarro de Mello, lilho do
major Joio Machado Navarro de Mello, natural
de Alagoas, idem.
3 Antonio Paeifieo de Lima, filho de Joaquim
Pacilico de Lima, natural do Piauhy, idem.
4 Epaminandis da Costa Travasso, filho de Ma-
noel da Costa Travasso, natural da Parahyba,
idem.
5 Francisco Seraphico de Assis Carvalho, filho do
Dr. Francisco Seraphico de Assis Carvalho, na-
tural de Alagoas, idem.
6 Francisco da Rocha Santas, filho. de Antonio
Barboza dos Santos, natural de Alagoas, idem.
7 Fortunate Augusto da Silva, filho do Dr. For-
tunate August > da Silva, natural da Parahyba,
idem.
8 Honorio de Oliveira, filho do Dr. Joaquim Jo-6
de Oliveira, natural de Sergipe, idem.
9 Joaquim Ayres da Silva Costa, lilho de Jaoquim
Ayres da Silva Costa, natural de Alagoas,
idem.
10 Jose Hilario da Silva Costa, filho de Joaqnim
Ayres da Silva Costa, natural de Alagoas,
idHiD
11 Jose Tavares da Cunha Mello, filho do Dr.
Francisco Tavares da Canha Mello, natnral de
Pernambuco, idem.
12 Jose Candido de Souza Castro, filho de Jose
Candido de Souza Castro, natural de Pernambu-
cc, idem.
13 Leonardo Pereira Maia Vinagre, filho de Jose
Antonio Pereira Vinagre, natural da Parahyba,
idem.
14 Manoel Maria de Araujo, filho de Antonio Ma-
ria de Aranjo, natural de Pernambuco, idem
15 Manoel Candido Ribeiro de Menezes, filho de
Raymundo Candido Ribeiro, natural do Rio
Grande do Norte, idem.
16 Manoel Rodrigues Leite Imbuseiro, filho do
tenente coronel Joao Ferreira Costa Imbuseiro,
natural de Alagoas, idem.
17 Marcolino Dornella* Camara, filho de Marcoli-
no Dornellas Camara, natural de Pernambuco,
idem.
18 Nylo Cahete Pereira de Andrade, filho de Fran-
cisco de Paula Pereira de Andrade, natnral de
Pernambuco, idem.
19 Perminio de Abreu Lima Figueiredo, filho de
Leocadio Jase de Figueiredo, natnral de Per-
nambuco, idem.
20 Secundino Epiphanic Mauricea, fttho de Luiz
Epiphanio Mauricea, natural de Peniambuco,
idem.
21 Sergio Florentino de Paiva Meira, filho do Dr.
Joao Florentino Meira de Vasconcellos, natural
da Paiahyba, idem.
22 Tobias Cesar de Andrade, filhe de Prancisco
Beranger Cesar de Andrade, natural di Per-
nambuco, idem.
23 Theodisto Arispio de Sonza Castro, filho de Jo-
se Candido de Souza Castro, natural de Pernam-
buco, idem.
24 Vicente Liberalmo de Albnquerqne, filho do
tenente-coronel Domingos Jesnino de Albuquer-
que, natural do Ceara, idem.
Inglez.
1 Autonio Ibyapina. filho de D. Carolina Furtado
de Mendenca, natural do Ceara, idem,
z Antonio Paeifieo de Lima, filho de Joaquim
Paeifieo de Lima, natnral doPianhy, idem.
3 Antonio Alves da Silva Aceioli, lilho de Sebas-
Alres da Silva, natural de Pernambuco, idem.
4 Antonio Cesario Ribeiro, filho de Antonio Erni-
milio Ribeiro, natural de Pernambuco, idem.
5 Afrodisio Vidigal, filho de Antonio Pedro Vidi-
gal, natural de Pernambuco. idem.
6 AfTonso Jose de Oliveira Peixoto, filho do Dr.
Domingos Monteiro Peixoto, natural de Pernam-
buco, idem.
7 Abdon Felinto Melanez, filho do Dr. Abdon Fe-
linto Melanez, natural da Parahv ba, idem.
8 Chrislovao Brekcufeld Vieira da Silva, filho de
Jose Caetano Vieira da Silva, natural de Per-
nambuco, idem.
9 Davino Nomisio de Aquino, filho do major
Manoel Thomaz, natural de Sergipe, idem.
10 Ernesto Marques da Silva, filbo de Telesphoro
Marques da Silva, natural de Pernambuco, idem.
11 Franklin Eugenia de Magalhaes Seve, lilho do
tenenle-coronel Francisco de Miranda Leal Seve,
natural de Pernambuco, idem.
12 Francisco Salustano de Oliveira Casta, filho de
Justino Nunes da Costa, natural de Alagoas,
idem.
LI Francisco Fraocino Alves de Aguiar, filbo de
Jase Joaquim da Costa Aguiar, natural de Ala-
goas, idem.
14 Honorio do Oliveira, filho do Dr. Jose. Joaqnim
de Oliveira, natural de Sergipe, idem.
15 Irineo L'ma Verde, filho de D. Maria Vicencia
Lima Verde, natural do Ceara, idwi.
16 Joaquim Ales da Silva Costa, filho de Joaquim
Ayres da Sdva Costa, natural de Alagoas, idem.
17 Jose Cordeiro Alves e S Iva, Who de Ignacio
Alves e Silva, natural de Pernambnco, idem.
18 Lourenco Justmiano de Hullanda Chacon, filho
Lourenco. Justiniano de Hollanda Chacon, na-
tural de Pernambuco, idem.
19 Lindolph i Hisbello Correa de Araujo, filho de
Join Firmino Correa de Araujo, natural de Per-
namboco, idem.
29 Malaquia-- Lagos Ferreira da Costa, filh > de
Malaquias Lagos Ferreira da Costa, natnral de
Pernambuco, idem.
21 Manoel Maria Tavares da Sdva, filho do Dr.
Abilio Jo.e Tavares da Silva, natural de Per-
nambuco, idem.
22 Manoel Eugenia, da Rocha Samico, filbo de
Manoel Antonio Rodrigues Samico, natural d
Pernambuco, idem.
23 Sergio I'l Tcntino de Pliva Meira, filho do Dr.
Jaso Florentino ^erra fe Vasconcellos, natural
daPa ahyba, idem.
Para 8. Exc. Sr. presidenteda
pro vinria ver.
Sera permittldo ter assento em uma camara dous
marcbantes 1
Quango apenas comparecerem cinco membros
como podera a camara tomar medidas sobre os ta-
Ihos, qualidade da came e tudo o mais coneernen-
le a tal servico ?
Os fiscaes, que sao subordinados aos vereadores
terao coragempara arrastar com as iras dos ve-
readores, marcbantes, multando os, visitando os
acongucs e revendo os pesos *
Pode uma camara marcar ordenados de uns em-
pregados sem tor orcameute feito ?
Poderao os fiscaes ser ao mesmo tempo procu-
radares. e thesoureiros e isto sem fiadores ?
E' licito, moral, decente uma camara absorver
uma peqinma renda com o pagamento de ordena-
dos aos empregados ?
Crear-se-hia a camara de Jaboatao so para isso '
Que Babel I I
Tem ainda muito o que saber e para isso volta
rao os pobres
Jaboatonenses.
Reaiiltaflo do espeetaenlo eui
beucfleio d* Mjarliunten
da praca de D. Pedro II.
Cadeiras
Andrade 4 Mello 4*&0
Machado & Pereira 2*<*>
Gurgel da Amaral 3#(X)0
Gustnao & Leal 3*000
Lehmanii 3*fXHi
Ramos & IrnSo oifi'*'
Joao Jose Marques 3 JO 0
Francisco dos Santos News 30000
Agoslinho Ferreira I*al 3*000
Jose Nogueira de Souza 5*000
Francisco Jos Gohcalves de Siqueira,
(2 cadetras) 10*000
Manoel Jose dos Santos 35000
Antonio Goocalves de Barros ( 2 ca-
deiras ) 10*000
Leshone Joaquim Dias 2*680
Pinto L. Goncalves 60OO
Pinheiro & Bertholdo 3*000
Lidio Bandeira de Mello 'i*000
Guilhermino Rodrigues Monte Lima 2*( 00
Jo.-e Joaquim Barbosa da Silva 2*000
Joao Fernandes Lopes 5*000
Abreu & James 3*060
Jeronymo Jose* Ferreira, ( 10 cadeiras ) 30*010
Ernestino Cavalcante de Albnquerqne
(5 cadeiras) 17*000
Mauricio de Torres Temporal 4*000
Jose Alexandre Ribeiro 25"0O
Galdino Alves Ferreira 20000
Bernar lino de Sena Dia? 5*000
Papoula & C. 5*600
Joao Vicente Torres Bandeira 4*00:1
Joao Ferreira Villela :<*00u
Seis cadeiras vendidas na tliealro 120OOI
Um camarots vendtdo no mesmo 10*000
Saldanha A C. 20OOO
Francisco de OHveira Leite Guimaraes 2*0<:0
Valentim do VaUe Lobo 3*610
Mauricio Jose dos Santos 3*060
Antonio FraBcisco dos Santos 3*000
Antonio Domingos L'ma 3*f>J
Manoel Perrcira Pinto Malheiros 5*000
Joaquim M mteiro de OHveira Guimaraes .3*0>J
Jose Ph. Kranc 5*00o
Marcelino Jos* de Brito 5*000
Lrbanio Lopes Monteiro 3*Oa\i
Casimiro ,^ C. 2*000
Affonso do Rego Barros 5*000
Jese Ruflno Climaco da Silva 6*<^ 0
Jeronymo Gomes da Fonceca 2*000
Jose Lopes de Arevedo, ( uma fri.-a ) 8*000
Ferreira & C, ( 2 cadeiras ) 10*00")
Francisco Ferreira Barboza 4*0C0
Beojamin A Irmao 3K00
Bartholomeu & C. 5*600
Ferreira Lima A Irmao 2*000
Manoel Ferreira dos Santos 2*0'*0
Casta Snares 3*000
Teixeira A Primo 3*000
Castro MoAeiro & C. 5*000
Joaquim Soares Neves 3*000
Amaral 4 Valente :'*00
Vrriato <:enteio Lopes -J*00 Franja (hotel) 2*000
Raphael Blanmiel 3*r*0
Albino Jase dos Santos Si C. 5*009
Bemarda Pares 3*690
Fernandes A Magalhaes 3*660
Azevedo Peres & C. 11*000
Bernardo Jase Correia 3*000
Joaqnim Pereira A rattles (2 cadeiras) 4*000
Porto k Bastos ( 2 cadeiras ) 5*009
Joaquim Bernardo do Reis 5*600
Joao Fa^undes de Castro 3*000
II. Ferreira da Silva 3*000
Joaqnim Jase Gomes 3*660
Jose Moreira da Silva 3*0)0
Pacheco Si Gonzaga 2*0 0
Antonio Luiz das Santos 3*000
Dionizio Dias 2*009
Joaquim Mamede do Nascimento 2*000
G. II. de Mira 3*600
Norberto Antonio dos Santos 3*6i.O
Manoel Antonio de Jesns- 3*000
LoureBco Jose de Freitas 3*600
Joaqnim da Silva Costa 4*00 >
Sa k Goncalves 2*000
Joao Manoel Rodrigues 3*000
Luiz Jose da Silva 2*003
Pacheco A Azevedo 3*aO0
Manoel da Costa Azevedo Nascimento 2*000
Campos Rapozo A C. 5*000
Ribeiro A Irmao 2*000
Luiz Antonio Pereira 2*000
Jose Lucia Lins 2*600
Doarte de Figueiredo 20006
Manoel Goncalves Barros 5*606
Jose da Silva Oliveira 2000)
Antonio Maia de Brito 2*000
Manoel Goncalves Agra ( 2 cadeiras) 10*600
Delphim Lopes da Cruz 20000
Dr. Joao Ferreira da Silva 30006
>. Leonardo Antonio- de Almeida 20600
Manoel Azevedo Andrade 2000)
Antonio Francisco de Albuquerque dos
Santos 3*000
Pateo do Carmo n. 2 2*000
Silva Cardozo 2*660
Bulamarque A Araujo 2*600
Bento Machado- A C. 20006
Commendador Manoel Camilla Pires 509(0
Dr. Jorge DorneBas 30600
Francisco da Silva Rego 20000
Dr. Jose Osorio de Siqueira 3000^
Sorama 4350000
Recife, 6 de dezembro de 1873. Dr. Pedro de
Aikayde Lob* Moscow.
Para que se possa liqnidar quanto antes o bene-
ficio e mandar encoramendar a pedra, rogo aos
IIIins. Srs. que de tao boa vontade se prostaram a
coadjuvar esta empreza, se dignem mandar as
suas esportulas ou ao Sr. Joao da Cunha Snares
Guimaraes, qne tanto tem-nos ajudado, ou aos Srs.
Ferreira Maia eC, rua Duque de Caxias, pbar-
macir,.~ Pedro de Athayde Lobo Mosceso.
Salsaparrilka de Bristol
Trinta annos de triuraphantes resultados teem
outorgado a esta antiseptico vegetal uma reputa
cao incoramensuravelmente superior a todas quanr
los se conbecom para a cura das escrofulas e
de todas as mais classes de enfermidades nice.
rosas e eruptiveis. Os medicos os mais aeredita-
tos e xperi nu'dicina, sao teslemunhas vivas de sua eflleaci-
quasi maravilhosa. Ten salvado e cantinna a
salvar as vidas e os membros de raiUiarea de
peasoas, Ella ate o dia de boje nnnca foi admJT
oistrada em vao, nem ate mesmo nesses casos
reputados como desesperados on incuraveis. E
o unico remedio para as. escrofulas, erysipella*,
herpes, ehagas nas pernas, abcessos, eaneros.
tamores, enfermidades syphiliticas e meisuriaes
e toda a casta de erupcoas cutaneas.
Invalidos Racionaes.
Uma moia iluzia de palavras simples .e sefia.v
com algum. d'enlre vos outros que Bofireis de
indigestao, e sua acasturaada companheira prisa-a
da venire habitnal. Daaejais alih-io sem pros
tracao, uma cura rapida..sem dores. 0 meio de
alcancardes aqaelle allirio, o da conaeguirdes
aquella cura, vos e ouei das tiipulas assucaradas de Bristol ; o unico ca-
thartico e allecativo existenle, o qual abre as
passagens obetrnidas dos intestinos sem caosar
o minor desmaio ou ancias, e torna a restituir
ao estomago e ao figad o vigor qne lhes, bavia
sido roubzdo pela moleslia, Este desobstraente
} mm 1
r


J. 1
Di*rid dePeraawMW Quinta feira. LI de Bszeinoitt de 1ST3.
r. .'..-.--.-
mnaral auncaf caijue.ee orgap algumouabate
as foreas geraes, ao comrario alls infalli*elmeut-.3
htboova .% sadie aatural do apparelho digeativo e
4m *aaoe aBcaetorios. Rararacnta tufa i-eciso
daatnar^e am medico aa casa em que este se-
juro e todo poderoso remedio de familias exis-
ir,e tram sera quo todo o bom pai e maide fa-
"^Ji.0 tlaham sempre a mlo. As pilalas vao
mettdas dentro de vidrinhos, e por isso a sua
eoasemo^o i daradora em todos os climas. Em
todos os easos de impureza do sangue, a salsa-
parrriha de_ Bristol deve de ser administrada iao-
umente com as pilulas.
Para todos.
\ casa mortuaria de Paula & Mafra con-
tinuaa bem servir ao publico, em quantos
seustfroprietarios ou sao deferidos no re-
*airso que interpocm ao consclho d'estado
ntra o monopolio concedido a outrem, ou
sfto. a conteato iodemnisados pelos monopo-
lisms. E para que ninguem se illuda a res-
peito, scientificam ao respeitavel publico que
e acham providos do material necessario e
or>aj carros novos.
pispai
eOMMEItClO.
SEGUROS
MAKITMOS
CONTRA O FOGO.
;. \>mpanhia Indemnisadora, estabelecids
aestt praca, toma seguros maritimos sobrt
aavios e seus carregamontos e contra fog<
em edificios, mercadorias e mobilias: n
*a do Vigario n. 4, pavimento terreo.
daJrata, carregaram : P. Carneiro 4 C. 100 bar-
ricas com 11,107 kilos de asaucar mascavado|)e
150 ditas com 17,166 ditos de dito branco.
Na barca portugueza Gratitflo, para Lisboa,
carregaram : R. ft. Rafcetto & C. 600 saccos com
45,000 kilos do assucar braaco.
No navio portuguez D. Anna, para Lisboa,
carregou : A. F. da Silva Beiris 100 saccos com
7,500 kilos do assucar raascavado.
Para os portos. do interior.
Para Maranhio, no vapor, brasileiro Ceara,
carregaram : A. Quiatal & C 4|2 rarricas com
2,365 kilos de assucar branco ; L. J. S. Guimaraes
20 ditas com 2,405 ditos de dito ; J. Tavares C. &
C. 10 saccos com 750 ditos de dito.
. Para a Baliia, no vapor nacional Guncalces
Martins, carregaram : A. Loyo 330 saccos com
26,230 kilos de assucar branco ; para Maceio, Per
nandes & Irraao 1 barril com 96 Iitros de alco >l.
Para o Rio de Janeiro, no patacho brasileiro
D. Francisco, carregou : J. B. Belem 1,800 cocos
(fructa).
Para Macao, no biate national Adelino, car-
regaram : J. A. de Albuquerque 8 barriscom 323
titros de aguardeute e 2 barrica3 com 136 kilos de
assucar branco ; para Mos;or6, J. G. Figueira 10
pipas com 4,800 litros de agaardente e 4 barris
com 382 ditos de met; A. 3. Campos 15 pipas com
7,200 ditos de aguardente.
Para Mossird, na barcaca F. Jardim~ carre-
garam : A. Oliveira 4 G 9 barricas com 360 kilos
de assucar branco..
CaPATAZIA da alfanprga
Keadimento do dfa
'dam do dia 10.
1 a 9
6:457*522
1.324*623
7:782*145
No dia 1 a 9
VOLUMES SAHIDOS
No dia 10
~;jii;uros
COMPANHIA ALLIANCA
maritimos e terrefc-
tres estabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0009000.
tV*ma seguro de mercadorias e ditiheiro i
I mnritimo em navio de vela e vapore*
-^Mra dentro e f6ra do imperio, assim come
contra fogo sobre predios, generos e fa
-roadas.
Agente : Joaquim Jose Goncalves Beltrao
j Commercio n. 5, l4 andar.
Seguro eonlra-fogo
. LIVERPOOL A LONDON & GLOr
INSURANCE COMPANY
Agcntes
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
iial.
NORTHKRiN.
lo de
reserya.
20,000:000^001
8,000:OOOJSOOC
Ag>?ntes,
Mills Latham & C.
iUA DA GRUZ N. 38.
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias,
. s, dinheiro a risco e fina]mente de qual-
natureza, em vapores, naviosa vela oc
:a';as, a premios muito modicos.
ilUA DO COMMERCIO N. 34.
?RAGA DO REG1F3 10 DE DEZGMBRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HO HAS DA TARDB.
/otade ofUciaes.
'JiMifcio sobre Londres a 90 d|V. 2*5 i\i e 26
3|8 d., e do banco 26 1|4 d. por 1*000.
':> sobre Paris a 90 d|v. 339 e 360 rs. por
franco.
bio sobre o R o de Janeiro 15 d(\\ no par.
- ;obre Lisboa e Porto 90 d|v 103 o(o de
premio.
OuDourcq
Presidente.
Leal Seve
Secretano.
?rimeira poria .
>egunda porta .
Tbrceira porta .
Quarta porta .
Vi *piche Conceicao
9,300
194
i*5
136
1
2,384
12,180
gRw* dlo i resposta paj;a, quatro palavrai e estas
serjo igu'^lwente cobradas; se o remettentej
para maior s^u^fCa qu'Zer q^eo seutele-^
gramma seja repe'.'do o podera faze-, pagan-
do a metade do custo C.'0 mesmo.
Estao feitos accordos em ; .'rtuda dos quaes
podera expedir-se tdlegrammas para todas as
partes do mundo: do Pard pelo vapor ame-
ricano qua sabe daquelle porto para 9. Tho-
maz a 5 de cada inez e dalli serao telegra-
pbados ao seu des.ino, os pregos para taes
telegrammas que agora podem ser pagos
adiantados ate* ao seu destino, podem ser ob-
tidos, procurando-se nas respectivas estaijOes
telegraphicas.
Tor accordo feito entre duas companhias,
a linha da Platino Brasileira Telegraph
Compaaj|sera trabahala por esta empreza, e
no conip&Jieato die linhas, o que sa espera
dentro em poucos raezes havera communi-
cacao telegraphica directaentfa as principaes
cidades do Brasil, Montevideo, Buenos-Ayres
e costado Pacifico.
Pernambuco, 6 ie dezembro de 1873.
Roberto M. Hyde,
(lerente do trafego.
SEP.VigO MARIT1MO
vlvarengas ilescarregadas no trapioni
alfaDdega do dia 1 a 9 .
No dia 10
VaNUs atracadosno trap, da altantiega
Aivarengas........
So trapicbe Coaceicao ....
3
18
1KCEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS Git
RAES DE PERNAMBUTO
tendimento do dia 1 a 9 23.298i>236
d.im do dia 10..... 2:031*044
23:329*280
CONSULADO
lendiraeato d dia 1 a 9
ldra do dia 10 .
PROVINCIAL
52:771*1-20
11:199*151
63:970*571
Navins enlrados no dia 10.
Uha de S Miguel 30 dias, barga portu-
gueza Arabella, de 337 toneladas, capi-
tao Manoel Casi niro I'acheco, equipagem
13, carga lagedo, e encomendas; a Jost:
Candido Furtado.
Montevide'o 30 dias, brigue hespanhol
Alaulfo, de 213 toneladas, capitSo L.
Julio, equipagem 13, carga 130,000
kilos de carne ; ao mesmo capitao.
.Xaviossahilos no mesmo dia.
Canal Brigue inglez Bloomer, capitao H.
Jones, carga assucar.
Porto-Alegre Brigue brasileiro 5. Manoel,
capitao Joao Jose de Mattos, carga assu-
car e outros generos.
llio do lanoiro Patacho nacional D.
Francisca, capitao Beler.i, carga assucar.
New-York Patacho inglez Ai\el, captlao
James Franch, carga assucar.
Sociedade patriotiea Doze
de Setembro
Expsifio a^cicola.
Sao convidados os membros da direc^ao desta
sociedade e os das commissoes ncuneadas para dar
parecer sobre os prodactas a reunirem-se no edi-
Qcio da exposi^jo, aim de conslituircm o jury
que tern de julgar os productos e conferir pre-
mios domingo 17, as 1) horas da manha.
Lamenha Lins,
4. secretario.
4o flnado Dr. Antonio d'Assnmpjao Cabra), o
Sg361 seacham avaliado3 pelos pre^os^Bguirttes >
EfiHtr 'de amarello 4*u00, I chapeo d
PIWl.'STT- P" de escarradeiras 3|000,1 jar
ra a*ooo, l mesa decozinhajordinaria, 1*000,1 lo--
gareiro e uma chaleira de fcrro 2*000, 1 lavato-
rie de ferro UOOO, I mappa velbo liOOO, 1 es-
tante de pinko 3*0( 0, 1 caixa d*J amarello para
serveotia secreta, 2*000, I trancelim e uma me-
dalha de onro, pesaudo 33 oilavas a 3*000 99*000,
1 trancelim fmo com uma chave de relogit, pesan-
do 7 oilayas a 3*000 21*000, 1 par dc ftotoes de
pnnno, um alllnete de peito e urn botao do aber-
tura, tudp com i oitavas a 35000 !J*00, 1 relogio
com caixa de ouro por 70*000, 2* coheres de pra-
ta, sendo uma do lirar arroz e as deinai; para so-
Ba echa, pesando todas 225 oitavas a 240 reis.
Para ess.i arrematajao convidam-se os prelen-
dentes, aflm de que comparecam no refendo dia
e bora na sala das auliencias, onde tera fllla de ser
effectuada.
JJ
- Por ordem do Dr. juiz de direito da 1." va-
ra civel desta cidade, tern de ser arrematados no
dia 12 do corrcnte, depois da audieiicia, diversos
obiectos de padaria, maceira, tendeira, relogio,
baLao, caixitio, pana;um, suadeiras, e outros :
os quaes se achim penhoralos oor Antonio Joa
3uim Salgado : quern os pretender dirija se a rua
e Vidal de Negreiros n 29, onde existem ditos
objectos, a arrematagio sera feita aa sala das au-
dienciencias.
TAES,
\LFANDF.r,A
Sesiimer.to Jdo dia 1 a 9 .
i do dii 10. .
347:824*931
69:101*314
416:924*448
Descarregam hoje 11 de dezembro.
i portugueza AraftW/a-encommendas para
o irapiche Conceif So.
Barca io-jleza Dora divenos generos para
alfandega.
Hires, ingleza (Hindi bacalhao ja despachado
para o trapicho Conceiga", para despa-
:har.
brigue pcrtuguei Soberano pedras para trapi-
cbe Conceicao, para conferir.
Itarr.a ingleza Jane Maria mercadorias para
alfandega.
IlllIIOi-llK'itO
Barca portugueza, Aral>ella, entrada da iiha de
s. Miguel em 10 do corrente e consignada a An-
i vnio Jose Furtado, manifeslou :
Arado 1 a Francisco Vieira Pacheco.
Barricas vazias 201 an consignatario.
Cascalho 50 barricas a Julio Mornson de Farias.
ares. Game de
gjreo 26 ancoras ao mesmo, 1 caixote a Affonso
urge e S.lva, e 1 a Jose" Xugusto Leal. Gastanha
1 cesta a lulio Morisson de Farias.
Hoee 3 caixas ao mesmo.
Feijao 1 9acco a Julio M. de Fans, I a Joao M.
t^ordeiro Lima, 1 a Jos6 C. Rego Pontes, e 1 a
1 .-' do Rego Borges.
Mobilia i caixas a Joao Scares d'Amaral.
Xozes :! barricas a Jose Augusto Leal.
Panno le linbo 1 caixa a Franciseo J: Raposo.
Hedras de lafeamento 6,S10 co;n 4,425.cosados ao
jtisignaturlfl. ftixe salgado 10 barris a- Jose" do
Kego Borges, 3. a Jos6 jacintho Medeiros, i a Joao
M. Cordeiro Lima e 10 a Miranda & Vieira. Psras
1 malotc i, Jose C. Rego Pontes.
Queijos 2 caixas a Jose" Augusto Leal.
De ordem da directoria se faz publico ao
professor de instruccao elementar da pjvoacjio da
Vicencia, Henrique Clorindo Taylor, que se acha
m.nrcado o dia 15 do corrente mez para o seu
omparecimento nesta repartijao, pelas 12 horas
da :i anha, a6m de ser interrogado sobre o facto
do abandono desua cadeiia, segundo communicou
o re-pecltvo delcgad) litterario em oflicio de 25
de junho deste anno ; o que se faz publico pelo
presente, visto ignorar se a residencia do dito pro-
fessor.
Secretaria da insiruc^ao publica de Pernambu-
co, 10 de dezembro de 1873.
0 secretario,
Joaquim Pereira da Silva Gitimnnies.
SANTA CASA DA MISER1CORDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Visericordia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas sess5es, no dia 11 de dezembro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens olTerecer, pelo tempo de am
a tr^s annos, ?s rende.s dos predios era seguida
declarados.
ESTABELECIME.NTOS DE GAR1DADE
Rua do Hortas
Loja do sobrado n. 41.....306*000
Rua da Viracao
Casa teorea n. 7 (fechala) ." 312*000
Travessa de S. Jose.
Casa terrean. 11.......201*000
PATRIMOMO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea a 16.......209*000
Becco. das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
Ruf. da Cruz
Sobrado n. li (fechada) .... 1:000*090
Rua da Guia
Casa terrea n 25.......200*000
Ruo do Pilar.
Casa terrea n. 98.......241*000
Casa tereea n. 99 (ftchada) .... 351*000
Idem n. 100.........241*000
Idem n. 102........241300H
Idem n. 108........207*000
Rua do Ros: i io da Boa Vista
Case terrea n. 58.......245*000
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (fechadr) 800*000
Os pretendenles dever o apresentar no acto da
arrematacao as suas fiancas, ou comparecerem
acoir.panhados dos respectivos tiadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quantia em
que for seguro o predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assim como o servico da lira-
peza e precos dos apparelhos.
Socretana da santa casa da misericordia do Re-
cife, 5 de novembro do 1873.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza,
SANTA CASA DA MISKIUCORDiA DO
RECIFE.
A junta adraioistrativa da sum* casa da mise-
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to des generos abai^o declarados, qua tem de con-
sumir os estabelecimeutos pios a sou" cargo, ex-
ceptuandoo hospital Pedro II, no triraestre de Ja-
neiro a marco do proximo anno de 1874. Recebe
propostas na sala de suas sessoes* pelas 3 horas
da tarde do dia 18 do corrente.
Aletria, kilogrammo.
Aguardente, litro.
Azeite doce, idem.
Arroz do Maranhao, idem.
Bacalhao^ kilogramniu.
Ban'a ae porca, idem.
Batatas, I* ib.
i.lia hyssoB, liny.
Cafe em grao, idem.
C;.rne secca, idem.
Cebolas, c nto.
Farinha de mandioca da terra, litro.
Feijao mnlatinbo, idem.
Farello, sacco.
Furao do Rio, kilogrammo.
Gaz, lata.
Milho, sacco.
Manteiga franceza, kilogrammo. *
PoUssa, idem.
Rap6, idefcfe
SabSo, idem.
Tapioca, idem.
Toucinho, idem.
Velas de carnauba, kilogrammo.
Vinagre, litro.
Vinbo tinto de Lisboa, idem.
Vinho branco, idem.
Velas stearinas, kilogrammo.
Sal, litro.
A junta administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to de pao e bolacha que tera de consurair todos os
eslabeleciraentos pius a seu cargo, no trimestre de
Janeiro a uiar^o do proximo anno de 1874. Rece-
be propostas na sala de suas scssoes,. pelas 3 ho-
ras da tarde do dia 18 do corrente.
A junta administrativa da santa casa da miseri-
cordia do Recife preci-a contratar o fornecimento
de assucar reflnado que tem de eonsumir todos os
estabelecimentos pios a seu earg>, no trimestre de
Janeiro a marjo do proximo anno do 1874. l\eze-
be propostas na sala de suas sessoes, pelas 3 horas
da tarde do dia 18 do corrente.
A junta administrativa da santa casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar o fornecimento
de carne verde que tem de eonsumir tolos oses
tabelecimentus pios a seu cargo, no trimestre de
Janeiro a marjo do proximo anno de 1374. Re-
cebe propostas na sala de suas sessSes, pelas 3
horas da tarde do dia 18 do corrante.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 10 de dezembro de 1873:
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza
INSTIUT
GRA
Haverd
10
PL"
EO
LOGICO E GEO-
tu-Jl A8AC8ES.
DE
'JBSPAGfffJS DE BXPOIITACAO NO DIA
DEZEVIBRO DE 1873.
Para os portos do exterior.
No vapor insto Student, para Liverpool,
cairenrac] : M. Latban & C. 900 sacops com
67,500 kilos de assucar mascavado; R. Sohmraet-
tau 4 C. 36.5 ditos com 12,375 ditos de dito ; T.
A Foaseca 4 C. Successores 100 saccas com 7^76
ditos de algodao:
No navto inglez Ariel, para os Estado>-L'ni-
Jos, carregaram : S. Brothers 4 C. 1,000 sacco3
i 75,000 kito3 de assucar mascavado.
Na birca franceza. Anna Maria, par.ao Canal
carregarati: R Schmmettau C. 2,000 saccos
um 15QJJ00 kilos da asacar raascavado.
Na birea franceza ViUt de Frontingnau, car-
regaram : E. a Borle A C 3,000 saccos com
225,000 kilos de assucar raaacavado.
No vapo* It-Meea Mmdosa, para Bordeaux,
garafi] : Landro l sacco com 73 <|2 feiios de
c*ta, iwra o Havre, D. P. Wild 4 C. 1 ba/Hca
com 34 abwachis e I caixa com 12 kilos ie doce.
Si* irca franceza Fi&eUle, para o Havre,
ctregaram : E. A. Burle 4 C 500 co-arcs sal-
sans com i0 300 kilo-.
Nipilnca hespanhola MercelUa, para Bar-
eeloaa, carrsgoa: A. Loyo-116 saecas, aom 8,832
kilos de a'VodaO;
K* Iwrca brasileir* 5. Joat, para o Rio da
Praia, oaitagaa :
A, Loyo 57 ban-leas com 6,6M
Jidos de No patacho hespanhol Elisabeth, para o Rio o iiumero do palavras seri declarado em 3-
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise
ricordia do Recife, mpetentemente autorisada
pela presidencia, em data de 3 de seterabro do
anno proximo findn, e de conformidade com o que
dispoe o 9.* art. 52 do seu com. romisso. per-
muta por apolices da divida publica a fazenda de
criar gados que possue o patrimonio dos esta-
belecimentos de caridade a seu cargo denomina-
da Carnauba sita no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar e plantar, e
com aigura gado cavallar e vaccura.
Recebe para isto propostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 10 de outubro de 1873.
0 escrivio,
_______________Pedro Rodrigues de Souza.
Western and Brazilian Tele-
graph Company Limited.
0 vapor Hooper, agora ancorado neste
porto, vai immergir a segunda sec$ao do
cabo que ha de ligar Pernambuco & Bahia v
Rio de Janeiro, e espera-se que a comrr.u-
nicafjflo por toda a e*tensSo do cabo, desde
o Rio da Janeiro ao Para" sera" aberta ao
publico no proximo mez de Janeiro.
As taxas pelos telegrammas expedidos de
Pernambuco serao as seguintes ;
Para o Para*........ ... 1000 cada palavra
a Babia ... .... .. 13000
o Rio de Janeiro.. I^dOO <
Os nomes e o endere^o dos destinatarios
e remettentes serSo incluidos no numero das
palavras a pagar.
Telegrammas para lugares dentro do pe-
rimetro d'um kilometro da estacJSo tele-
graphies serSo enttegues livres de despezas,
mas os que excederem pagarSo 500 rs. por
cada kilometro ou fracgao.
Quando qoalquer telegramma for entregue
por meios especiaes, a despeza feita correri
por conja do recebedor.
A SQOJma de 200 rs. sera" cobrada para
portes do correio nos telegrammas desUHa-
dos aos portos do Brasil e a de 500 rs. na-
quelles destmados ao estrangeiro.
0 rometieute do telegramma tem a esco-
Iha da p*gar a resposta que desejax seja
dada pelo sou corre*pondene, se est* quizer
que a resposta sd conste de 10 pafavras^ a9
palavras (resposta pag) srao inseridas no
telegramma e cobradas, mas se elle desejar
qae conste de maior ou menor numero, emao
0 administrador da recebedoria de ren
das inlemas geral faz publico que, em virtu-
dedadisposigaodo art. 12eda ultimi parto
do art. 22 da lei do orQmento vigente n.
2,348 de -25 de agosto ultimo, a multa de
que trata o art. 30 .a lei n. 1,507 de 26 de
setembro de 1867, que 6 de 6 % & que es-
tao sujeitos os seguintes impostos, a saber:
decima addicional, imposto pessoal, dito
sobre industrias e profissoes o taxa de es-
cravos, sera" elevada a 10 %, do dia 21 do
corrente em diante, pelo que previne a to
dos os contribuintes dos referidos impostos,]
relativos ao exercicio de 1872 a 1873, em
liquidar,ao, que sdmente ate ao dia 20 des-
te mez e que podem e devem realisor o pa
garaento ou em mao dos cobradores ou nes
ta recebedoria, certos de que se nau fizerem
ate" ao ret'erino dia -20, serao obrigados a
pagar judicialmente os supraditos impostos
com a multa de 10 /0.
Recebedoria de Pernambuco, 1 de dezem-
bro de 1873.
Mav.oel CarneirO de Souza Laccrda.
sessao ordinaria quinta-feira, 11
lo corrente dezembro, pelas 11 horas da ma-
nha.
ORDEM DO DIA.
Pareceres e mais trabalhos decomvnis-
soVs.
=*= 0 adntnistrador da recebedoria de renda s
internas geraes faz scieote aos contribuiutes da
decima addicional, que e no correule mez de de-
zembro que tem de ser pago, sen multa, o pri-
meiro semestre do exercicio de 1873-74, e com a
multa de 6 0|0 depois do referido mez.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de dezembro de
1873.
Manoel Garneiro de Souza Lacerda.
CONSLLAUO PROVINCIAL.
Pela adrninistracao do consulado provincial faz-
se publico aos respectivos contribuintes, que do
1" do dezembro virdmro comeca a correr o prazo
dos 30 dias uteis, marcado -no art. 21 do regula-
mento de 16 de abril de 1842, para a cobranca do
primeiro semestre dos impostos da decima urba-
na e 5 0[0 sobre a renda des bens de ralz perten-
centes as corperac,<3es de mao mirta, no corrente
exercicio de 1873 a 187i, incorrendo na multa de
8 0[0 aquellesdos caBlribaintes que nao os satis-
Bzerem neste prazo
Cansnlado nroviacial de Peroambuco, 28 de
novembro, de 1873.
0 administrador,
________ A. Carneiro Machado Rios.
Pela mesa dj consulado provincial
se faz publico que foi prorogado por mais
30 dia;, de conformidade com a portaria do
Illra. Sr. inspector da thesouraria provincial,
de hoje datada, o prazo marcado para
recebimento. independente da multa, da
contribuicao indemnisadora dos apparelhos,
e seryigo dos mesmos, pertencentes 6. cora-
panhia Drainage, correspoodente ao ultimo
semestre de 1872.
Consulado provincial, 1." de dezembro
de 1873.
Antonio Carnniro Machado Rios,
Administrador.
2. Pdlestra litteraria.
Secretaria do Instituto, 9 de dezembro
de 1873.
J. SOARF.S D'AZEVEDO,
Secretario perpetuo.
Pela admiaistracao dis correios desta pro-
vincia se convida a pe^soa que botou na caixa do j
ci>rreio, no dia 10 corrente, com destino a Maceio,
uma carta dirigida a Izaac Tavares Costa, a com-
parecer na mesma administrate, aflm de veriii-
ear-se uma duviJa sobre a referida carta.
COMPANHIA"
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
EMeribe.
Esta companbia contrata com quern por
menos o fizer, a collocac5r> de 40 d 50 pos-
tes, de madeira de qualidade, como seja :
embiriba preta, sapucaia ,etc.,para fiotele-
graphico da estacao da Aurora a Encruzi-
lhada, com 23 a 30 palmos de altura e 5
pollegadas degrossura. Com a respective
gerencia se entendcrao os proponentes.
Alem dos trens da tabella em vigor, have-
rd nos sab'^ados, ds 9 1/2 horas da noite,
trem para Bebenbe, ticando em todos os
pontos.
0 gerente,
Laurenlino Josi de Miranda.
Eoisua belleza, o seduz A eomer da fructa pro-
Ih^a ; seductao que custou bgm cara a Lnma-
Qidade I
Apresenta Adao, senudo n'um rochedo, pedin-
do a Deus protecgao para Cairo, seu primeiro fllho,
e*quanto Eva, dascaacada do parto, ora e o
contemplava amorosamente.
tUm trabalho especial era mecanica consisiindo
nura clown fazendo no trapezio os mais difBceis
equilibrios, bet como um zuavo, fumando, asso-
viando, tocando e conversando com o publico,
serao tambem postos em exposicjio.
Um magnific-o orgao realejo fara as delicias
auriculares loarespeciivosconcurrenles, execulan-
do as raelodtosas ouverturas de Guilherme Tell,
Diamantes da CoWa, Stabat Mater, Noel, Domino-
noir e varias oatras pegas de escolhidos maestros.
Brevemente annnnciara o dia da abcrtura e
nradetairado programma.
Preparera-se para admU"ar!
O bjim o bello e o
extt'aordinario.
Rua da Imperatriz n. 15.
Aleclira no did Id.
LJS110A
Para o referido porto p'fefenddseguir com a pos-
sivel brevidade o brigue portuguez D. Anna,, por
ter ji alguma carga engajada ; e para a que lhe
alia, que recebe a (reto commodo, trata-se com
os consignatanos Joaquim Jos6 Gongalves Beltrir>
At Filho, a rua do Commercio n. 5.
MARITIMOS
?i

Compaiiliia ainericana e brasileira
de paqueles a vapur.
Ate o dia 15 do corrente e esperado de New-
York, por S Thomaz e Para o vapor americano
South-America, eominandante Jenhiepangh, o qual
depois da demora do costume seguira para os por-
tos do sul.
Para fretes e passagens, trata-se com os agentes
Henry Forster A C, rua do commercio n. 8
Risco maritimo
I. Wulff capitao do brigue allemao Cuilmar, vin-
do fretado do Rio de Janeiro, em lastro, para car-
regar em um porto entre Maceio e Ceara, e depois
seguir para Falmouth a ordem, e entrado neste
porto com agua aberta, precrsa, para occorrer as
despezas do oncerto dn mesmo navio, a risco ma-
rilimo, a quantia de 6:0003 pouco mais ou menos,
sobre o casco e frete do dito navio. Offertas em
cartas fechadas serSo recebidas no consulado do
imperio germanico (onde a carta d fretamento
pc-de ser examinada), pelos interessados ate o
meio dia, do dia 15 do corrente mez de dezembro.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
lavegaclo eosteira a vapor.
RI0F0R.M0S0 ETAMAXDARE.
0 vapor Parnhyba>
eominandante Pedro>
seguira para os por-
tos acima no dia 15 do
corrente, as 9 horas
da noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete : escriptorio no Forte do Malto?
n. 12.
Para Lisboa
--vT?r 'i nrrrr*TBTir-| -jB-aPi^nwniwiriMiiii > i
CONSULADO PROVINCIAL
Peia mesa do consul ido provincial se avisa aos-
devedores da cootribmcao indemnisadora dos ap
parelhoi e servico doa meamos relativo ao pre
meiro semestre de 1871, pertencentos a compa-
nhla Drainage, que :. arrecadaeao proveniente
dos referidos debitos jf, liquldados com a multa
de 9 0|rj, continiia a Sir cobrada nesta repartir;iio
com o prazo de 60 dfcg, segundo determinon o
Him. Sr. inspector da thesouraria por portaria de
haje datada.
Consulado provincial, 1 de dexetnbro de 1873.
Antonio Carneiro Mapbado Rios,
___________Adtoiniatwdor.
Mbja, Jl de deaanvtra, depolsda andieneia *o
Dr. jdu substUoto do do diralto da provedoria de
capellas e resutoes, lra a praca para serem arre-
matados dirrs) objet')s p&tten&Mm ao espoHo
AS IMCIIS AD.H1TTIDAS
HA
EXPOSI^AO
DE *
Vienna d'Austria.
0 proprietario deata importance colleecao de Fi-
guras de Cora, o mais perfeito Irabalho deste ge:
j nero qne torn apoarecido na America, verdadei-
ro primor d'arte, ja pela pcrfei'-ao dos contnrnos
e naturalidade das posicdes, como pela expressao
que relatiamente apresenta ; sem outra recom-
mendajao, qne nao seja a veracidade do que dito
Oca, tem a honra de particioar ao muito apre
ciador publico desta Flor da America, que muito
breve pora era exposicao as mais importances de
suas figuras.
Para as vesperas e dias da s-)lemnisada festa
de Natal, tem elle eonsegoido reiinir as mai bel-
las produccoes da arte ceramics, e que bastante
jconeurrencia devem ter nestes dias, por constitui-
rem um quadro completamente analogo e muito
novo entre'qo3. E' ellftcomposto de 9 figuras e
representa o nascimento do. Mossias.
A Santissima Yirgem,
Seu amado Filho,
S. Jose e Santa Isabel,
S. Joao Baptista,
Urn pastor,
^*os Ires Rcls Hugos -corapCem o qua-
dr&
Expora tambem um grupa representando q nas-
cimento sendo as de Caim, figuras de cera ma-
cica.
Tem al6ra dtote primeiro bowiern do mnndo,
Ao, perfeiuuBeflte semerBado ao Adao, que
nos plow a historic Eva ecuh todos os aU',:*M
que deveria ter a priiQMra mulher, ftuponente
seguira brevemente a barca poitugueza Gratidao,
para carga e passageiros trata se tm\ E. R. Ra
bello A C, rua do commercio n. 't8.________^_
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\Hvegacflo costelra a vapor.
MAMANGUAPE.
0 vapor Coruripe, eom-
inandante Santos, seguira para
o porto acima no dia 12 dc
corrente, as 5 horas da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro a
frote ato as 2 horas da tarde do dia da sabiJa :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.________
Lisboa e Porto
Sague viagem muito breve a galera portugueza
Ltsboa, por ja se achar com quasj todo o ceu car-
regameuto tratado' Para a pouca carge que lhe
flta e passageiros, aos quaes offerece muito bom
conmodo : Irati-se com Tito Livio Soares, rua
do Vigario n. 17. _______________________
COM PANH1A PERNAMBUCANA
DE
.^avegacilo coeteira a vapor.
MACEld, ESCALAS, PENEDO E ARACAJt'.
0 vapor Mandahu,
commandante Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 18
do corrente, as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia \i do corrente, encom-
mendas ate o Jia 13, passagens e dinheiro a frete
it6 as 2 horas da tarde do dia da saluda : es-
criptorio no Forte dc Hattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.^lavegacito costeira a vapor.
PARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACx-
f, CFARX, MANDAHU, ACARACO'. E GRANJA.
0 vapor Pirapama,
commandante Silva,
seguira para os por-
tos acima no dia 15
do corrente, as 8
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 12 do corrente. encom-
mendas ate" o dia 13, passageiros e dinheiro a fre-
te ate" as 2 horas da tarde dj dia da sahida :
escriptorio no Forte rio Mattos n. 12.
LEILOES.
Agencia de leiloes.
RUA DO MARQUEZ DE OLINDA N. 37, 1' AI|DAR.
0 abaixo assignado tem : honra de sciontiiicar
ao respeitavel publico, com especialidade ao corpt'
commercial desta praca, qae acaba da aer ncmea-
do agente de leiloes, em cujo exercicio, proruette,
se esforjara para bem mertcer a coafianca do to-
das aqoellas pessoas que se dignarem bonra-lo.
encarregando-lbe de negoaios tendenles a sna
profissao.
Desde ja o abaixo assignado antecipa os seus
agradeeimentos para com aquelles que o procura-
rem: o que poderao faier dirigindo-se a rua do
Marquez de Olinda n. 37, I.' andar.
Recife, 7 de novembro de 1873
Joaquim Dias dot Santcs.
loja de fazendas sita & rua da Imperatriz n.
48, pertencente d massa faMi'la ''.. Paulo
Kernandes deMelloGuimaraeb. '
HOJE
as 11 horas da tnanha
0 agente Pinho Borges levaranofamentealeilao,
por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, a armacao envidracada e euvernisada, es-
pelhos, fazenda?, roupa feita, cat\as, colletes, pali-
tots, Ccroulas, camisas, etc.
Os pretendentes poderao desde ja examinaro
balanco, e (jualquer esclarccimento com o agente ;
no seu escriptorio, a rua do Bora Jestis n. 5^ pri-
meiro andar.
LEILAO

DE
Sexta-feira 13 do corrente.
Na rua do Visconde de Albuquerque n. 17, antiga
rua da Matriz.
0 agente Martins fara leilao, por conta e risco
de quem pertencer, de uma m.bilia de jacaranda.
a Luiz XV, com tampo de pedra, 2 cadeiras de
balanco, 1 mesa elastica de mogno. i qnadros com
molduras e gravuras finas, 1 casti^al de crystal
com 5 lnzes e porta bouquet, 1 columna de mog-
no, 1 marqueza de amarelb-, cadeiras de jacaran-
da para sala de jantar, 1 ma^a de faia com pedra,
1 binoculo de maifim, garrafas finas, galheteir, e
muitos outros objectos que serao vistos no dia.do
leilao e se "acham muito bera cconservados.
As 11 horas do dia acima, na rua do Visconde
de Albuquerque n. 17.
LEILAO
DE
moveis, 3 pianos novos, armacSes, mesas, cartei-
ras e soalho do armazem da rua do Bom Jesus
n. 20.
SEXTA-FF.IRA 12 DO CORRENTE
0 agente Pinho Borges vend'era era leilao, 3 ri-
cos pianos, novos, a nda encaixotados e d'um dos
melhores faLrieantes. i mobilia dejacaranda com-
pleta, nova e de gosto, espelhos, jarros, redoraas
com (lores, escarradeiras, mesas, cadeiras avul-
sas, aparadores, quactiuluiras, caraas para casal
e outros moveis, 1 cofre de ft no Ir-anrez, 1 halan-
ca com conchas e terno de psos, io latas de pei-
xes, 12 ditas de doco em calda, armacao de lou-
ro, mesas e soalho, no armazem da iui do Bom
Jesus n. 20.
objectos de ouro e prata e
muitos artigos do uso do-
mestico
Sextu-feir.i 12 rjo corrente
as 11 horas
NA
VMM V SElVIANaL
\i\-Rua (Id liiiperador-"-^
pelo agente Martins.
Pf1g
DE
bens pertencentes d massa fallida de Anto-
nio Jose dos Reis
Sabbalo 13 do corrente
0 agente DIAS, levara novaraente a leilao, por
despaeho do Illra. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, os referidos bens, constando de joias,mo-
veis, um cofre de ferro, fazendas e armacao exis-
tentes na loja n 60 do caes do Passeio Publico.
servindo de base a avaliacao feita, e que sd acha
em poder do referido agente, a rua do Marquez
de Olinda n. 37, primeiro andar, onde pode ser
desde ja examinado.
Em seguida vender-se-ha a porta domesnn es-
tabelecimento dous cavallos pertencentes aos ben-
da referida massa.
Pacific Steam ^ivigatii/ii CompaD)
Linha quiuzenal
0 PAQL'ETE
espera-se aqui da Europa at6 o dia 15 de dezembro,
e depois da demora do costume seguira para o sol
do imperio, Rio da Prata e eosta do Pacifico, para
onde recebera passageiros, encommendas e dinhei-
ro a.,frete.
OS AGENTES
Wilson Howe A. C.
14 RUA DO COMMERCIO14
Para Lisboa
segnira com brevidade o brigue portuguez Bella
Figueirense; para carga e passageiros trata-se
oramE R. Rabeilo 4 C, rua do Commercio nu-
raoo 48.
Ligeiro 111
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com a
passive! brevidade o brigue Ligeiro III, de 1*
Classe, por ter parto da carga engajada, e para a
que lhe falta, trata-se com os consignatarios Joa-
?uim Jose" Goncalves Beltfao & Filho, a rua do
ommercio >i. 3
DAS
dividas da massa fallida de Amorim, Frago-
so, Santos & C.
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE
A's li horas.
0 agente Pinto, curaprindo o mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commerch. levara a leilao
o resto das dividas da massa fallila de Anioiim.
Fragoso, Santos & C, aquellas quenao foram ven-
didas no leilao do dia 27 de novembro pnxim
passado. 0 Ieil3 acima dito, no escriptorio do referida agente, ma
do Bom Jesus n. 43, onde os pretendentes podera;
obter qualquer informacao.
______------
0
Aracaty
com esoaias por Macao sabe nestes dias o novo e
superior palhab'Me nacional Lemillo dn Cruz, ca-
pitao e pratico Manoel Caetaco da Costa tem
pane da seu caregamento prorapto ; para o resto
trata sa com o consignatario Antonio Alberto de
Souza Aguiar, a rua do Amorim n. 60, ou com o
capitao a bordo do mesmo palhabote fnndeado
confronte ao trapiche da compSHhia.
DE
um variado sortimento de chapeos do Cbite,
massa, castor, palha, quer para hompn^.
quer para senhoras e raeninas
QUARTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
A's 1 1|3 laoras.
No primeiro andar do sobrado da ma do
Marquez do Recife n. 55.
0 agente Pinto fara leilao, por cunta e risco dc
quem pertencer, de differentes qualidades de cfcr.-
p^os para namens e senhoras, no primeiro andar
do sobrado da rua da Cadela- n 53, por aria do
armazem dos Srs. Alcoforado, Vieira & C.
Agente Dias
5VIS0SDVERSOS
Offerece-se uma mulher de meia idade pa
ra para ama de casa de homem solteiro, para
lavar e enfomrear : a tratar no caes do RamuSv.^*"^
n, 20, com Antenio Joaquim da Hbra.
Aluga-se barato, umas meia-atua ------
na travestt das Barreiras, (beocb < -- novas,
tratar n* rua do Colovsllo m Aquino) : a
' a. 15.



^
.el. '
Diario de Pernambuoo Quinta feira 11 de Dezembro de 1873.
Ml
lf!A HUM L*/S1
Precisa-se de uma ama
services clomesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
Wk DA FORM.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
A' rua Primeiro de Marco (oulr'ora rua dt
Crespo) n. 3 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos-
6a 4'pane das loterias a beneflcio da matriz de
Cabrobo (79*), que se extrahira na terca- feira 16
do eorrente mez.
PRECOS
Bilhete inteiro 4#000
Meio bilhete 2*000
KM POR^XO DB 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*760
Minoel Martins Fiuza
V
iv:
v.-?":.
Harcoliuo Victor de Homes
Amelia Augusta de Horaes Quin-
tal,''arlota Amalia das Neves, Or-
nieyille Victor de Moraes, Maria
Eudocia de Moraes, Francisca Lu-
ciana B. e Ant nio Augnsto de
Oliveira Quintal, agradecem cordial-
meote a todas as pessoas, que
acompanharara ao cemiterio publico o cadaver de
tea querido marido, filho, irmao, genro, e cunha-
do emui particularmente aos Srs. Francisco For
reira Maia, Antonio Alves da Silva e Manoel Ja-
nuario de Arrud.% e de novo os convidam para as-
sistirem as missas do setimo dia que terao lugar
sabbado 13 do eorrente, as 7 horas da manha, na
igreja de S PeJro. Desde ja se confessam pro-
fBBdamente penhorados.
Felismindo Jose Pereira Paula
Reis, Marcos Francisco Paula Keis
e D Felisardina Rosa dos Santos
Reis convidam as pessoas de sua
amizade para assistirem a missa do
riigesiruo dia, que por alma de seu
presado pai e sogro Francisco de
Paula Reis, fallecido no Rio de Janeiro, mandam
celebrar sexta-feira 12 do eorrente, as 7 horas da
manha, na capella do X. S. da Penha.______
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
m, Una da Prate, 2.
Luiz Felippc Leite &. Imiilo
Executam por jommissao quaesquer ordens das
provincias do reino, ilhas e provinces ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros. m
Recebem a consignacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanhoes, francezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou niesmo de ontros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou fora delle.
Executam ordens para compra e venda de fun-
dos publicos, nacionaes e estrangeiros. Tratam
da cobranca dos respectivos dividendos.
Promoveiu no mesmo escriptorio, inventarios,
iiquidacoes, causas civeis e commerciaes, appel-
la^Ses e recurso de revista.
Tera os melhores advogados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
causas forenses, administracso de bens, etc., que-
rendo-se, pode proceder accordo previo conforme
a natureza do negocio.
Solicitaiu-se dispeusas matrimoniaes e quaes-
quer outros breves apostoliccs concedidos em Ro
ma ou pela Xuuciatura em Lisboa, annullacao
de ordens, e quaesquer outras dependencias dos
tribunaes da Sanla Se.
Tratam da arrecadacao de herancas e adminis-
traeao de bens no continente do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
ts administrativo, conselho, ou freguezia do reino,
jlhas e provincias ultramarinas.
Fa>em adiant:iinent03 sobre consignacoes de,
quaesquer generos que tenham prompta sahida
nos mercados inglezes ou allemaes. Tambem com-
pram aquelles que se offerecerem em condic5es
vantajosas.
Fazem transacts por consignacao ou compra,
3obre minerios, taes como de cobre, chumbo,
phosphates, ou outros quaesquer, se convierem as
oondicoes de qualidade e precos.
Dao-se boas refereneias em Lisboa e no Porto.
Esta ca a tem correspondencias serias em tedos
os pontoa do reino, em Paris, Inglaterra e llam-
irnrgo, na Africa portugueza, em Macao (China)
reino de Siao, ilhas dos Acores e Cabo- Verde,
e aceita as propostas qne do imperio do Brasil
lhe lorem feilas por correspondeneia elTectiva ou
eventual.
Na modicidade de suas commissoes, na exacti-
dao de suas contas e no credito longamente esta-
belecido faz conslstir toda a garantia de bom aco-
ibimento.
Tem correspondentes em Sevilha e outras pra-
jas de Hcspanha.
N. B.-As commissoes sao regnladas pela praxe
alac praca
Com pan hia ferro Carril de Per-
nainbuco (outr'ora Pernambuco
Street Railway).
Convido a todos os possuidores de bilhetes de
passagem nos carros desta companhia, ainda exis-
lentts em eirculaeao com a assignatura de-H.
H, Swift, Asst Treasr, a traze-los ao troco por di.
nheiro no escriptorio da companhia a rua do
Brum, em lodos os dias uteis, das 10 horas da ma-
nha as 3 da larde, ate 31 de dezembro proximo
vindoui o ; prevenindo, outro sim, que os ditos bi-
lhetes serao reputados sem mais valor para qual-
Juer effeito, a partir do i. de Janeiro de 1874 em
iannte, os terraos do aviso do ministerio da fa-
zenda de 6 de agosto proximo passado e da por-
taria da presidenoia desta provincia de 6 de ou-
tnbro eorrente.
Recife, em 7 ds outubro de 1873.
0 gerente,
IGustaco Adolpho Schmdit.
CASA DO OURO
Ao* -1:0009000
Bilhetes garantidos
&ua do Barao da Victoria (outr'ora flova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos sena
araito felizes bilnetes a sorte de i:000| em um
meio de n. 587, c a sorte de 700S em dous meias
de n. 1823, e um meio de n. 3672 com a sorte de
100*. alem de outras sortes menores de 4OJOO0
e 20#C00 da loteria que se acabou de extrahir
(78'j ; convida aos possuidores a virem receber,
qne promptamente serai pagos na forma do cos-
tume.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeit*
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer i remio, como prova pelos mesmc s
annnncios.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da 4* parte da loteria a beneflcio da
matriz de Cabrotd, que se extrahira no dia 16 do
eorrente mez.
Preeo*
InViiro 4#000
Me.o 2*000
De tOO;^MM) para elma.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 10 de dezembro de 1873.
___________J'oSo Joiigntm da Costa !jiU.
Baka de capiin.
Arrtin-'-' 'xa ^e capim cm Re-
,(. ,],, in lay : i iralar eum PdIv
carp j ^' 22 d; Novembro n. 2iJ.
LINHAS
DE
RETROZEDEALGO-
DAO
UK
TODAS
4 s
GORES
mm
E
Accessorios
PARA
QUALQUER
PARTI
DA
Machina
Aing-se a casa n. 77 a ma de S. |*of
assim como em Santa Rita-nova o fundo da ;-asa
n. 28 a rua de Santa Rito ; a tratar na I-^ja n. 44
a rua Duque de Caxias, ou no V an^aj fa &<&
n. 41 a rua do Rangel.
Com as falsifica^des que tem apparecido
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SINGER
g Nenhuma ma-
00
Porq
uer
china Singer elegi- f/k
*a tima se nao levar i# \
C5
H
g esta marca fixa no
jg braco da machina.
Paraevitarfalsi- ^
10
ficagoes notem-se g
bem todos os deta-
iner ds marca.
o
S
o
Q
!A dinheiro e a prazoj
A. contento das Exmas. familias
iAErMAS DI I11S
S5o as mais baratas
S5o de dous pospontos
Sao mais simples e rapidas
S3o duradouras
MACHINA DE SINGER
DOIP POSPONTOS
Abainham
Franzom
Pregam trauma
Marcam pregas
Bordani de liafaa de seda
Alcolchoam
E pregam cordSos.
UNICA AGENCTA
EM
- Offerece-se um horcom cera Sua mulher,
esta para ensinar pn^ciras lettras, grammatica
portugueza, ingle/, principios de piano, de dexe-
nho, cortar e iazei toda a qualidade de vestidos,
bordar de tapecaria, de branco e crochet, etc. etc.;
0 homem tambem pode ensinar pnmeiras lettras,
escreve bem e entende de escripturacao commer-
cial, serve para um bom caixeiro de engenho ou
administrador, e sujeita-se a outro qualquer ser-
vico; sao portuguezes, e por terem dous Olhos,
um de 3 annoj e outro de 5, se nae houver quem
queira marido e mulher, tambem se separam, indo
us mhos'na companhia da mai : quem pretender,
dirija?e a rua do Iniperado/, arniazem de Irastes
numero. 48.
0 abaixo assigoado faz publico e com especia-
lidade ao respeitavel corpo do commercio que
nesta data comprou a taverna sita a rua do D.
Maria Cesar n. 6, ao Sr. Antonio Jo*e Oias Pi-
nheiro, ticando unicamente a seu cargo uma con-
ta da quantia de 250*000, e por nada mais
se responsabiliso.
Recife, 6 de dezembro de 1873.
Manoel Gomes Riaga.______
Casa na Boa-Viagem.
Alugaseon vende-se uma naqaeUe larrabalde,
sendo a primeira do lado direito, indo da esiaijao ;
tem 6 quartos, 4 talas, co inha fora, muito fresca
e com sitio arborisado : na rua do Sebo, hoje Ra-
rao de S. Borja n. 5i, se dira quem aluga.
Preeisa-se
de um moco que tenha mnita pratica de servir a
mesa nos hoteis : a tratar no hotei de Bordeaux.
Ainda esta por se alugar um sitio na Torre,
com excellente casa de moradia para grande fa-
milia, qnuartos fora para escravos s e magnifiea
agua de beber : trata se na rua estreita do Rosa-
rio sobrado n. iO terceiro andar.
Precisa-se pe um mestre de masseira: na
rua da Guia 11. 5V ________________________
SOBRADO PARA ALUGAR.
Aluga-se 0 primeiro andar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31, com muito bons
commodos para familia : a Tatar na rua do Mar
quez de Olinda n. 52,
- Precisa se de nma escrava para cozinhar
e comprar : na rua Primeiro de Marco n. 23
loja.
Aos senhores negociantes.
Continda-se a fornecer comedorhs para fora
por precos commodos ; algum senhor negociante
que tenha de retirar suas familias para ir passar
a festa e qnizerem deixar os sens caixeiros bem
servidos, quanta ao fornecimento de eomida, diri-
ja-se a rua estreita do Rosario n. 35, primeiro an-
dar.
JORINAES D4 EtROPA
lXSI(.\iHllVS PARA 1894
Acham-se abertas conforme 0 respectivo
catalogo
UVHARIA FRANCEZA.
(
A CASA AMERICANA
45 RUA DO LMPERADOR 4l>
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo delinitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tern, uovos e
usados, pelo preco do custo de factura..
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLKAUOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura o 100 de comprido, podendo forrar-se umasala por sra;:ae que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNE IS electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARf.A e papel picado para bordar com la ou seda.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato preco.
Aluga-se em Beberibe de Baixo, rua de San-
to Antonio, uma excellente casa, acabada de novo
e eom commodos para familia : na rua do Impe-
rador n. 9 se dira quem aluga^_______ _____
AUenc&o.
Arrenda-se o sitio denominado Hortinha, junto
ao Seminario de Olinda, do lado do norte, com
excellentes arvores de fructos de differentes qoa-
lidades e pdeo de muito boa agua de beber : a
tratar no mesmo, das duas boras da tardo em
diante._________________________________j__
Sociedade Monte-Pio Santo
Amaro.
Tendo-se convidado pela quarta vez os Srs. so
cios para se reunirem em assemblea geral e nao
comparecendo numero legal, deliberou o Sr. pre-
sidente que de novo se convidasse os Srs. socios
?ara comparecerem sexta-feira 12 do eorrente, as
horas da noite na sede desta sociedade, ficando
scientes os Srs. socios que a sessao tera lugar com
o numero de socios presentes.
Precisa-se de um feitor que entenda de plan-
ucoes e tratar de flores para um sitio em Sant'-"
Anna : trata-se na rua do Praia n. 28.
Padre.
Deseja-se um sacerdote para dizer as missas do
Natal em um engenho : a fallar no armazem n
30 da rua do Imperador.
Pede-se ao Sr. Gomes, negociante ae caval-
lns, para apparecer quanto antes no engenho
Conceicao, para ahi receber o cavallo, qne afflan-
cou nada soffrer nas maos, dizendo que a man-
cjueira era estropeamento da viagera e por causa
aag pedras do calcamento do Recife ; quando se
sabe que dito cavallo tem sido rejeitado, mesmo
em Ipojuca, onde o Sr. Goroe< tem pretendido ne-
gocia-lo, como aconteceu com am senhor do en-
genho Sebastopo).
Criado
Preeitia-'e de um criado para casa do familia :
na Ihescuraria das loteria?.
Em dezembro do anno proximo passado e Ja-
neiro do eorrente, liquidou-se a massa fallida de
Joao Hygino de. Souza. No mez de agosto appa-
receu um annnncio para se apresentarem os cre-
dores e conferirem-se as contas. Em fins de no-
vembro e no presente dezembro, outros annuncios
no mesmo gosto I... Pergunta-se : nao estarao
ainda apresentadas e conferidas todas as contas,
ou sera necessano outro tanto tempo para se che-
gar a nma solucao deiinitiva?
Isto deseja saber um
______________________Credor.
U. Theotonia Leite Monteiro, previne ao res-
peitavel piibhco, que nesta data constitue por
seus procuradares para o Am de receberem a he-
ranca deixada por seu marido Manoel Felix Mon-
teiro, na cidade da Palma, provincia de Govaz,
ao capitao Joao Benigno de Mello e a seu nlbo
Joao Teixeira Leite, sue para la seguem aOm de
recebe-la : sao estes seus unicos procuradores, e
a aoQunciante protesta proceder criminalmente
contra quaesqner outros que por ventnra se apre-
sentern.
Onricury, 17 de novembro de 1873.
HeJe-se ao Sr. adrainistrado' da recebedd^
ria das rendas internas geral que mande decla-
rar, para esclarecimento dos contribnintes, qua)
e a drcima addicional, de que trata seu edital pu-
blicado neste Diario.
Precisa-se de um menino para caixeiro de
taverna de 12 a 14 annos da wade, quo tenha
alguma pr>tica e qi>e Jd nadir a sua copjducla :
ua roa Velha de Santa Rita n 3,
NaVA.S-PUBLICACOES MUSICAES.
L. J. d AzcveiloItiia.lovnn 11.
Acabam de publicar-se, o acham-se a
venda as seguintes musicas :
PIANO SO'.
Danse espanuola, por Asclier 2C000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
theimer 1500
Y.vLSA do Fausto, por Croyzes 15J000
Sonho de uma viRGEM, por Alber-
tazzi 136000
Anna la Prie, cavatina 15000
AoClair de la Lune, por Bussmever 1C500
sE!;LTx:roE!f*.bmh,e,ooo
Cricket, por Seix8s, otYerecida aos
chrickets club pernambucano e
bahiano 19000
PIANO E CANTO.
Desespero, muito lindo romance
por I. Smoltz 23J-000
Non m'amava, romance por Guercia 19000
Tambem recebeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
AO ARMAZEM
BO
VAPOR FRANGEZ
RUA DO BARAO DA VICTORIA
itf. 7Outr'ora NovaN. 7
Calfadi)
fraucez.
Escravos fugidos
Felippa, negra, cabra, ja idosa, cozinheira, alta
e secca, foi escrava da viuva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tem um filho escravo do Sr. Jose
Antao de Souza Magalhacs, que andava fugido,
e que veio seduzir a mai para acompanha-lo ;
esta ausente desle o dia 6 do eorrente.
Roga-se a policia e capitaes de campo a cap
tura das mesmas escravas que sao do engenho
Sapncaia de Beberibe._______________________
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do eor-
rente, do engenbo Serigi, comarca de Goyanna, o
escravo de nome Jose Borges. mestre de assucar,
tendo os signaes seguintes: cabra, idade 30 annos
pouco mais ou menos, boa figura, um tanto grosso
e espadaudo, sendo o signal mais visivel uma
gomma na junta do p as antoridades e capitaes de campo queiram ap-
prehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao generosamente
recompensados.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Escravo fugido.
100#000'de gnitincacao
Desappareceu de novo, de bordo da barca bra-
sileira S. Josi, o escravo Joaquim, preto de na-
;io, o qual anda bem vestido e calcade, deixan-
do crescer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Esse escravo pertenceu ao fallecido Dr. 01 ym
Marcellino da Silva, que o ha via comprado na
provincia de Miaas fem S. Joao d'El rei ou Onro-
Preto), e com elle seguio para o Rio de Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Jastino Epaminondas Ne-
ves, a quem o compraram os abaixo essignados.
Sabe cozinhar, occupacao a qne estava dedicado,
e conhece se pela falla que e afneano.
Offerece-se a gratiGcacao scima a quem o ap-
prehender e roga-se a todas as antoridades a sua
captura.
Recife, 6 de outubro de 1873.
Jose da Silva Loyo & Filho.
Carros de luxo.
inquestionavel que a cocbefra da rua do Bum
Jesus n. 16, de Joaquim Paes Pereira da Silva, 6 a
que tem as melhores berlindas, calecas, meias ca-
lecas e victorias de lnxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta, bailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de excellentes
parelhas de animaes, arrews luxuosos e boleeiros
com fardaraentos do ultimo gosto, para o qne se
convida ao publico a vir por si mesmo scientifi
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrario pomada, e sim realidade e
commodos precos.__________________________
Ama o criado.
Na rua da Ponte Velha n. 1, precisa-se de uma
ama qne saiba cozinhar e cimirar para casa de
familia i e duas pes.-oas e d- Uin criado para
mandadoj e outros services dc-moslicos.
Para homem.
BOTINAS de bezorro, cordavao, peHica, lusire e
de duraque com biqueira, dos melhores
fabricantes.
SAPATOES de bezerro, de cordavao e de case-
mi ra.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
. prios para banhos, jitios e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e portuguezes.
Para senhora.
BOTIiNAS pretas, braneas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tran;a.
Para meninas.
BOTINAS pretas, braneas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatSes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
Lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen.', e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balan;o, de braco, de guerni^oes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, ludo isto muito bom por serem fortes e
levos, e os mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, ontr ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
BIdonel, Henry Hers e Pleyel Wolff & 6.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, :u-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfiimarias.
Finos extractos,Ibanhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de ilor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes,
cosmeticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
phantazias.
Espelhos dourados para salas e gabin-.-'.--.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de fio deEscociaede camur^a
Caixinhas de costura ornada com musica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinlias com vidro de augmentar retratos.
Diversas ohras de ouro bom de lei garaniido.
Correntes de plaque muito bonitas para relo-
gios.
Brincos a imitacao e botSes de punhos de pla-
que
Bolsinhas a cofres de seda, de velludo e de cou-
rinho de c6res.
Novos objectos de phantazia para cima de me?a
e toilette.
I'iucinez de cores, de prata dourado, de sjo e
de tartaruga.
Oculos de aro fino e de todas as gnarnieSes.
Bengalas de luxo, canna, com cast5es de mar-
fiui.
ilengalias. diversas em grande sortimen;: para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas 7nalidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembara^ar e para
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
ies.
Carteirinhas de medreperola para dinheiro.
Gravatas braneas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para eh- mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mino e outros muitos differentes joguinhos alle-
mies e francezes.
Malas, bolcas e saccos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as crianeas morde-
rem, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar crianeas.
Cestinhas de vimes para braco de menin:.-.
Carrinhos de quatro roda?, para passeios de
crianeas.
Venezianas transparentes para portas e janeilas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com e?colhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avnlsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminators de
festas.
Baldes aereostaticos de papel de seda mai facil
de subir.
Machinas de varios systemas para ca:'-.-.
Espanadores de palha e de pennas
Tesourinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lan'.emas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
yjuadros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos pequenos de veio com lindas pecas.
Realejos barmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de qninquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmos para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade qne se pode desejar de todos
os brinquedos fabricados em differentes paries
da Europa para entretenimento das crianeas tudo
a precos mais resumidos que e possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Bario da Vic-
oria, outr'ora ma Nova n. 7.
Cestinhas para costura
Grande sortimento de bonitos modelos chegados
ao armazem do vapor francez, $ua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Poga-se as pessoas joe entao a dever 4 ta-
verna da rua do Duqut- de Caxias n. 41 A, o fa-
vor de pagarem o que devem, sob pena do se pu-
blicar os nomes por esta folha, se o nao fizerem
no praz" de 15 dias.
luga-se
o sitio da Ponte He Uchoa n. 35 : a tratar no mes-
mo sitio, ou na rua do Rangel n. 7, ( ou 8
aadar.
PREDILECTA
\' rua do Cabuga n. 1 A.
Os proprietaries da Tredilecta, no intoito de
conscrvar o bom conceito que teem merecido do
respeitavel publico, distingufndo o sea estabeleci-
mento dos mais que negotiant no mesmo genero,
veem scientificar aos ?eus bons freguezes que pre-
veniram aos seus c^irespondentes nas diversas par-
kas d'Europa (-ari !hes enviarem por todos o* pa-
quetes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bem atcitos pelas sociedades elegantes
daquelles paiiOi. visto aproximar se o tempo de
festa, em que o bcllo sexo desta linda Vener.a
mais ostenia a rirraeza de jnas toillettes ; e co-
mo ja roeebessem pp!.* paqucte francez diverso*
artigos da ailima moda, veem palentear algnns
d'entre dies que se tornam mais recommendaveis,
esperando do respeitavel publico a costnmada
conenrrencia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos qne teem
vindo ao mercado.
Albnns com ricas capas de madreperola e de
velludo, sendo diversos tamachos e baratos pre-
cos
Aderecos completes de borracha proprios para
It.to, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
nitos.
Botoes de setim preto e de cores para ornato de
vestidos de sethora ; tambem tem para collet e
palitot
Bolsas para senhoras, existe um belk) sortimen-
to de seda, de palha, de cbagrim, etc, eta, por
barato preco.
Bonecas de todos os lamanhos, tanto de lonca
como de cera, tie borracha e de massa ; chama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tomam-se as crianeas um pouco im-
pertinentes por falta de um obiecto qne as en-
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem se por preco commodo.
Ceroulai de Iinho o de algodie, de diversos pre-
cos.
Caixinhas com musica, o que ha de mais lindo,
com disticos nas lampas e proprios para presen-
tes.
Coques os mais modernos e de diversos forma-
tes.
Chapeosparaienhora.Receberamum sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noiras.
Calcas bordadas para meninas.
Entremeios essampados e bordados, de litdos
desenhos.
Escovas electricas para dentes, tem a proprie-
dade de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, exL-to cm
grande sortimento de divercas larguras e barai i
pre?o.
Fitas de sarja, de gorgurao, de setim e de efca-
malote, de diversas larguras e bonitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Flores artificiaes. A Predilecta prima em con-
servar sempre um bello e grande sortimento des-
tas floes, nao SO para enfeite dos cabellos, como
tambem para ornato de vestido de noivas.
Galoes de algodao, do la e de seda, brancos, pra-
tes e de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lagos de cambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e braneas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, ccm capas de madre-
Eerola, marfim, os-o e velludo, tudo que ha de
om.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar os ca-
bel'os ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um hello sortimento de madre-
perola, marfim. Bcso e dourados por barato preco.
Perfnmarias. Neste artigo e.-ta a Predilecta bout
provida, nSo so em extractos, como em oleos *
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Lonbin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis para-
a festa.
Saias bordadas pnra senhora, por commodo-
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos taraanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais modernos, recebeu a Predilecta e
vende por oararo preco, para near ao a lea nee de
qualquer bolsa.
Rua do Cabuga n. 1
VENDE-SE
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Cwii-
mercio, por preco modico: a tratar com Ta&se
Irmaos & C. __________
Ao bello .sexo.
Gusmao & Leal receberam ricos cortes de gaze
de seda, fazenda inteiramente nova,' e vendem
| pelo barato preco de 40*000 o eorle : a elles, antes
que se acabem: so na loja da rm Pr'rjaeiro 3e
Marco n. 14. _______________________
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria a. 36, precisa-s*
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
ose Paes da Silva, a negocio de particular into-
\
^sse.
TASSO IRMAOS & C
Em seus armazens a rua do Amorira
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por precos commodes
Tijolos encarnados sextavos para ladrilbo.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descarogar algodao.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cera.
Sago, em garrafoes.
Sevadinha em garrafSes.
Lentilhas em garrafdOs.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Porto velho engarrafado
Vinho do Porto superior, dito.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Poles com lingua? e dobradas ingluas.
Liceres finos sortidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toncinho inglez.
Barris com repolho em salmonra
Tinla, cliii e I'unio
Amaral Nabuco i C. vendem tintas orisaline -
Lotion vegetale para tingir de pretes cabellos, 0
que se conhece de mais util e commodo, nio so
no modo de emprega-lo, como no resultado qne-
se obtem. Cha verde e preto cbegado ultimameno
te, e fnmo inglez e fraocez, para cigarro3 e ca-
chimbos : vendem no Basar Victoria, roa do Ba-
lao da Victoria n. i.
Roupa estrangeira.
Amaral Nabuco 4 C. vendem costumes de brim
branco e de cores (a marujo e a pnritanos) para
meninos, paletots e colletes para homem, ditos de
alpaca e de casemira para homem e meninos, ca-
misas bordadas e lisas para senhora. homem, me-
nino e menina : no Bazar Victoria, a rua do Ba-
rao da Victoria n. i.
FLORES
0 jardim da Nova Esperan^a, a rua Duque d#
Caxias n. 63, esta repieclo de flores a; mats 6>-
licadas que e possivel imaginar se, desde 0 ma>
singello ramalhete a mais elegante rosa, (ioteir
novidade) : ao bello sexo compete, quanto antes,
virem colbe-las- ernqnanto eaUo vicosas. t
Rua do Frum n. 76
Vende Mm Juro de superior nuaiidade,
proprio para cobertas de casaa, medindo 11 p*l-
mos de comprido e \ de largo, por prejo nunto
em conta.
\


^
Diario de Pernambuog *tf T
FUNDICAO DO BOWMAN
RUA DO DRUM H. 52
(Passando o ehafariz)
PEDEM AOS seaborea da engenho e ootros agi icuUon.8, e ouVjiregadjrea de m
hioismo o favor de oma visits a sea estabelecimento, para verem o novo toriimento
Ktmplet > qne abi tem; sendo todo superior em qoalidade e forlidJo; o que cm a ins
MCfio pesaoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENCAOAONUMEROB LUGAR DE SUA FUNDICAO
^TftnnrA* ft rnrina d'aorm dos raais mo:!erno8 systemas eem ta
w apuioi XJ lUUrta U agUo manbos convementes para as diyersas
arcamstancias dos senhorea proprielarios e para deacarocar algodao.
Moendas de canna 0,tamMh0"' u>^otw ^
Eodas dentadas para "taaM:agna e vapor*
Taixas de ferro fundido, batido e de cobi e.
Alambiques e fandos de alambiques.
WTflrViiniamna pars maodioca e algodSo.I Podendo"todos
BMHiUllllBIHW 6 pira Ierrar mideira. I ser movidos a mSo
Rnmha |Pr ?gM' V8por'
"UUJUtw de patenie. garamidas........ Jon animaes.
Todas as machinas p^ Pan qualquer concerto de m>chifli8moa ere< BDi re8nmid0-
Form as da ferro X6m u nwUlore"e mai*baratas entente* ,no mer"
KnAAmman^a Incambe-ee de mandar vir qaalqoer machinismo 4 tod-
QUU JIUIIlQllUiiB* ude dos clientes, lembnndo-lhea a vantagem de fazerem
o eompraa por imermedio de pessoa entendida, e qoe em qaalqoer necessidade p6de
>as prester aaxilio.
Arados americanos
e instromeoios agricolas.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUIVDICAO DE FERRO
A' ma do Rarito do Triumpho (rna do Brum) as. 100 a 104
CARDOSO RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
geahos, iismais modernas e melhorobra que tem vindo ao mercado.
VaporeS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
\jai(16ira8 de sobresalente para vapores.
MOOil'laS Hlt6iraS e meias moendas, obra como ounca aqni veio.
iaixas lUncliaaS e batidas, dos raelhores fabricantes.
KOdaB U aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
riOdaS QentaaaS de todos os tamanhos e qualidades.
ReloglOS e apitOS para vapores.
DOHlDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
Formas para assucar grandes a pequenas.
OonOPTtOS concertam com promptidio qualquer obra ou machina, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoai.
EllUUmmendao mandara vir por encommenda da Europa, qualquer machinismo^
para o que se correspondom com uma respeitavel casa de Londres
e com urn dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbera-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua.do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
PI L UL
VEGETAES
DE
BRISTOL
Ins bofes sadios e saos
Uma digestiio vigorosa,
Urn excel lente appetite,
sSo alguns dos benoficios que se podem de
rivar, fazendo se urn uso regular das
Pilulas vegetaes le Bristol.
Uma cura certa e efiicaz dos intestinos,
Um remedio admiravel para os rins,
Um tonico poderoso para oestomago,
Sao as inapreciaveis qualidades medicas
que se podem encontrar, usando-se das
PilulniN vegetates de Bristol.
Umamedicina que nao produz dores nem
colicas.
Um purgante que nao debilita nem en-
fraquece.
, Um laxante que nao causa a menor
nausea.
Formam uma ds amuitas virtudes que
possuem a s
-Pilulas vegetaes de Bristol.
Um medicamento suave e favoravel para
o bello sexo.
Um correctivo seguro dos desarranjos do
sy sterna.
Um remedio completo e seguro para as ii
regularidades.
Sao os effeitos sem falta, resultantes dc
usO e emprego das
Pilulas vegetaes de Bristol.
Uma complei$5o clara, alva e transparent^
Uma pelle macia e delicada e um
Halito doce e agradavel.
S8o os resultados certos e infalliveis, de-
pois de se
haver tornado algumas d6ses desta
melhor dos
Remedios as
Pilulas vegetaes de Bristol.
Em todos os casos de molestias d'uma na
tureza escrofulosa, ulcerosa ou syphilitica,
ou quando a massa do sangue se haja tor-
nado turva ou viciada pelo uso de ferro
mercurio, ou por outra qualquer substancii
mineral a
Salsaparrilha de Bristol.
devera ser usada de conjuncto com as pilu
las, e assim obrando-se, em restricta con
brmidade com as direcc,des inscriptas nt
envolto; os doentes podem ficar certos que
uma vez usada conjunciamente uma com t
outra, nenhuma enfermidade ou molestia,
por mais severa ou arraigada que se ache,
nao podera" resislir ao-combinado poder se
cretorio e sanitario destes dous
PECHINCHAS
$6 o n. 20
RUA DO CRESPO
DAS !) PORTAS
*4
Ot>>, phrmeeo*lco, ,.< CtlUone, Parii, mnlco propricinrio e prtpMB^or1:
HmKH
DE
PEPSINA
DE
HOGG
1* Pilulas alimentosas de Hogg com pepslna aclduia, pruprias para molestias
gaatrioaa dyspepticaa, etc, e Doe case* de digestSo dlfficil on impoesivel.
2 I'liuias de Hogg eom pepaina unida ao ferro reduzido pelo hydrogeneo,
para molestias chronicaa e as doencas qne das mesmas resultio (escorrimentos, fluxos-brancos,
menst-uacOes dlfficeis) e para restabelecer as saudes debilitadas.
Pll ilas de Hogg com pepaina e proto-ioduro ferreo lnalteravel, para molestias
escrofiUosaa, lymphaticas e syphrliticas, para a tisica, a cachezia chlorotica e para as affeicoes
atonicis geraea do corpo.
Em, frascos triangulares de 100 et 50 pilulas; preoos indicados sobre os fiascos.
Deporito em Pemambuoo, A. REGORD, e liM principaes pharmacias. ________^^
fffMVfVIV V f VVVPIM
56 aRua do Marquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Smdo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
(iado pei5s grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em tcr das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas auaericauas para algo>
dSo, d>de 10 A 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e meJhoramentos para perfeito e rapido descajrocamento ; tornam-se dignas de
erem vista* e apreciadas pelos Srs. agncultores; os quaes, ale"m disto, encontrarSo
lambem mais :
Apurados vapores locomoveis, deforca
de a'/s e 3'/s cavallos com todos pertengas
precisos para trabalharem A machinas para
jlgodio, ou para outro qualquer mister.
Machines para lavar roupa.
Aradoft americanos para varzea cladei-
ra.
Carros de mio pars atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos do ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorioav
Ditos de madeira para compras.
Appare hos para jardins.
Guards-comidas.
Tampa;; para cqbrir pratos.
Tarra-'lias para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertenjas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe.
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de'Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltadoa.
Ditos de dito estAnhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borraeha.
Folles para ferreiro*.
Trens (>ara cozinhj.
Vmtim muitos outr-ws artigos, que sdavstae neste stabelf*>moderac>entp s i
xamini'lo5.
mais gosto,
o covado, e
ATTEKCAO
iym
cojniima a \ruder muilo biiralo psra itpurai
muito dinheiro.
CASSA LA
Chegou esta fazenda.senilolindospadrSes, e ven-
ds se pelo diminuto preco de 200 rs. o covado, e
pechincha! I I dao-se amoslras.
METINS
Propriu para vestidos o que ha de
padroes novos, pelo prepo de 400 rs.
pecbincba t I I doi-se amostras.
LAS ESCOCEZAS
Lasinhas escocezas, padroes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditas com listras, padroes moderno?, a 280 rs. o
covado.
Ditas la e aeda, padroes modemos, a 640 rs. o
covade, e pechincha I I dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
UOOO a 400 o covado, e pecbincba t I t dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas peqnenas, com bonitos pa
droes, pelo diminuto preco de 400 rs. o covado, e
pechincha 11 I dao-se amostras.
Cortes de easemira ii cores, a 5#C0o cada um.
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o covado.
Ditas pretas para luto, a 240 rs. o covado.
Fustio branco para roupa de meninos, a 560 rs
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de cbila adamascada, a 3f 500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 3*300
e 4*000.
Lencoes de bramante, a 2*000.
Ditos de algodao, a 1*400.
Toalbas alcochoadas, a!6*000 a duzia.
Ditas felpudas, a 6*500 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados, a 2*0uu a duzia.
Ditos de esguiao linos, a 3*500 a duzia.
Cambria lisa transparente a 3*000 e 4*500 a
pecs.
Cambraia Victoriaa a 3*800.
Atoalbado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito trancado, a 1*400 a vara.
FustSes de cores, a 1*000 o corte.
Chales de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,4*000 e 4*500.
Ditos com listras muito finos, a s*800 e 6*000
Esguiio muito fino, a 2*000 a vara.
Brim preto trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura, a
2*500 e 2*800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodio com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzuc cambraia de cores muito Una, pelo di
minuto preco de 400 rs. o covado.
86 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
0 abalxo assignado participa ao respeitavel pu-
hiico qne tem grande drposilo de vinhos de True
las do paiz, como seja o de caju, em quatro quali
ilade*, os quaes vende por precof rJmftvefr, o on
trs uuis ile i!ivi:i.-.:- i\'.:\'.!. (iio a vl,i !:;:a fe.
O^l i\s- i'.-i;ilnli i '<>
nos mi rthtttfn-s it rlh'i* qne ti*vr>'in a* frnrla?
de or.jti. giiiiru|Hi o .-.!.;<-:.% i. i.-.s himht^hi vin.iri.
co:irpyii'r.:i) a ma \iie -Vfr iros i> li'i, DM
tr'ora Cinco Ponias, alim de Joao doAmaral RapdeA.
Escravo fugido
ATTENCAO
Precisa-se alngar uma ama de meia idade, po
rem que seja preta, qne nao tenha vicios nem
achaqnes, e que affiance sua conducts, para com
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade do Olinda, sitio do Amparo, ca-
sa terrea grande, com portao ao lado. _____
Hotel duas nacoes alliadas.
No becco do Padre n. 28 faise comedorias com
todo o asseio e perfeicao, e se manda levar em
casa de qualquer pessoa que quizer ser assignan-
te por mez ou mesmo avulso, pelo preco muito
commodo de 30* e 35* por mez p*ra umi pes.-oa:
os Srs. que se dignarem obzequiar-me dirijam-se ao
meserao hotel que achara com quem tratar. Tarn
bem havera no mesmo hotel, papa de leile todos
os dias as 5 1|2 boras.________________________
A pessoa que annunciou precisar de* 500*
premio sob hypotHeca em bens de rait, appareca
rua do Hospicio n. 25, das 4 horas da tarde em
diante
Acha-se Tugido desde o dia 18 do corren
pseravo Gregorio, rrioulo, ccr fula, baixo, t
mn rt'.s drdus |nllcg;ites do it'corjsdo : i\
. iMiitttr !=c :'' !-"'-'' w Cwiao,
Wiuda, f.-bradu n 2, qn^ --.la g^n.i*-3tniie
ilticado- ___,___________
SaiiUoa caios saudavcis.ao
Monteiro.
Aluga-e alii duas t.u.|uenas casas ninito em
eonta para quern precisar de bons ares e banbes
frescos : a tratar a rna do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7._______________________
Attengao
Aluga se uma casa terrea, com sala de frentc,
dous quartos, solao inlerno, sala de jantar sepa-
rada da cozinha, muito fre?ca, proxima dos ba-
nhos salgados, sita na cidade de Olinda, a traves-
sa da ladeira da Se, outr'ora Xavier de Santa Bi
sa quem a pretender dirija-se a mesma cidade,
rua de S. Joao, casa n. t7. _______
Ftitor
El
REMEDIOS.
Ambas estas medicinas acham-se & venda
em todas as principaes boticas e
lojas de drogas.
Acha-se a venda em todas as boticas.
H. Forster & C.
AGENTES.
Tem siiio apresenlada ao publico
Durante o espaqo
OE
4 0 A N N O S.
SVI_SAPAMUI.I1\
DE
RBIST0L
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS I
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri
Qca a massa do sangue, expelle para fdra
todas as materias e fezes viciosas e impuras
regula todas as secrec,des, d& vitalidade e
energia a todos os orgios e da" for^a e vi-
gor ao systema aflm de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. E'
pois este um remedio constitutional. Elle
nunca distroe afim do poder curar ; pore"m
constantemente assiste a natureza. Portanto
em todas as doencas constitucionties e em to-
das as molestias locaes dependente d'um es-
tado vicioso e imperfeito do systema em ge-
ral, achar-se-ha que a Salsaparrilha de
Bristol e um remedio seguro e efficassissi-
mo, possuindo inestimaveis e incontestaveis
vrtudes.
As curas milagrosas de
Escrofulas,
Ulcer as,
Chagas nut i gas
ENFERMIDADES SYPHILT'f/CAS
ERYSIPELAS,
RHEUMATISMO,
NEVRALGIAS,
ESCORBUTO,
ETC., ETC., ETC.,
que torn grangeado e dado o alto renome i
Salsaparrilha de Bristol
por todas as partes do universo, sSo t2o so-
mente devidas &
UNICA LEGITIMA E ORIGINAL
Salsaparrilha de Bristol
H. Forster i C.
AGENTES.
NA.PHABMACIA CENTRAL
Aluga-se a casa da rua larga do Rosario n.
21 1 andar ; a tratar na loja do me=mo._______
So afto sera proprietario quem
nfto quizer.
Visto que vende se palmos de terra a 800 e
1*. As terras sSo proprias e com 400 palmos de
fando, que e regaao pelo amt-nlssimo rio Jordio.
Sio muitas as vantageos da coinpra e entre ellas
a da pureza do are da de ter nassagem gratis
por dez annos offerecida pela companhim da
via ferrea do Recife a S. Francisco, a quem nas
ditas immediacies edificar. Quem quizer deve
dirigir-se a tbesouraria das loterias, a tr-ttar com
TristSo Francisco Torres, que pede a aquellas pes-
soas para as quaes ja separon terras qne quan-
to antes apparecani, pois que, pelo preco a con-
current e immensa. Todos os domingos e dias
santos, acho-me no lugar.
OfTerece um caixeiro com pratica de taverna,
da-se fiador da sua condueta: a tratar na rna Di-
reitan. 35.
Tendo lido em os jornaes de 5 do corrente
um annuncio da Exma. Sra. D. Adelaide Herein a
de Siqneira Salles em que declara so existirem
letras de feu aceite em poder dos Srs. Jose Do-
mingues Maia e Rodrigaes Almeida & C, enm-
pre-me declarar-lhe, que em raeu poder existem
algumas letras de sen aceite ja prutestadas e so
mente por esquecimento acreditu qne foi feita
aq^lla declara^io
Recife i dc dezeinbr-j de 1873.
Severiano de Slqueira Cavalean^.
Fugiram do engenho Jatoba, freguezia do
Bonito, um casal de escravos, sendo : um crioulo,
com 50 e tantos annos de idade, cabellos bastante
braneos, nariz afilado e pes grandes : a escraV*
mulata, cer vermelha, nariz grande e grosso, olhos
vivos, cabellos grandes e cacheados ; ambos sao
do servicp do campo e saftiram no dia 16 de no-
vembro proximo passado, desconfiaseque viessem
para esta praca ou seguissem para o sertao :
5uem os apprehender pode leva-ios a seu senhor
o5o Luiz Jacintho, no mesmo engenho, ou no
Recife a 3en correspondente Gabriel Antonio de
Castro Quintaes, que recompensarao generosa-
mente.
Em S. Joso do Manguinho, silk) de Jose Duarte
das Neves, precisa se de utn bom feitor e de nm
criado para tratar de dous cavallos e mais al-
gum servigo no mesmo sitiio._________________
CHAMADO
Os Srs. Jo vino Fernandes da Cruz e Joaquim
Clemente de Lemos Duarte, sao cbamados a
ma do Coronel Suassuna n. 282, a negocio de
particular interesw.
Criado
Precisa se de um
largo da matriz de
andar.
que seja esperto e
Santo Antonio n. 2,
del : no
primeiro
Offerece-se uma senhora para traba-
lharem qualquer casa de familia, em cos-
turas por machinas : quem pretender diri-
ja-se ao pateo da Penha n. 19, 1. an-
Consultorio medico
DO
Dr. Marillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quenton os hospitaes de Paris e Londres
node ser proenrado a qualquer hora do
dia ou da noute para objecto de sua pro-
fisslo.
Consultas do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Esperia lid': crianca e de mulher.
Emprega no tratamento das molestias
de sua especialidade as duchas frias e
banhos a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modernamente em-
pregados na Europa.
Tambem applica com grande proveito m
no tratamento das molestias do utero a ft.
electricidade, pelo processo do Dr. Tre- '.
pier. Cura por um processo inteiramente
novo as blennorrhagias e sobre tndo a
(gotta militar) dispensando as injeccoes.
Fugio, ao amanbecer do dia 16 de outubro
do corrente anno, do engenho Paraizo, do termo
do Rio Formoso, o mulato Cyrilo, de idade de 23 a
24 annos, escravo do padre Miguel Peres de Aze-
vedo FalcJo.
O referido mulato e de estatura regular, cor
roxa, cabellos pretos, nao soltos, porem nao muito
pegados, com estrada de liberdade, ja tem buco
de barba e pouca baiba no queixo.inferior, e bem
parecido, sabe le*r, porem escreve mal, e muito fal-
lante, bom montador em burros, trabalha de oleiro
em formas e e canhoto.
Ao amanhecer do dia 9 do corrente (novembro)
fugio do mesmo padre o escravo Theraotheo, criou-
lo, idade 26 annos, estatura regular, bem preto,
Sauca barba, dentes limados : ha prababilidade
a que fogissem para a capital com o intento de
assentar praca. Quem os apprehender sera bem
recompensado, e os podera entregar ao Sr. major
Jose Antonio de Brito Bastos, no engenho do Meio
da Matriz da Varzea ; e sendo preso em outro lu-
gar fora da capital ou sens snbnrbios, sejam con-
duzidos para o referido engenho Paraizo, qne se
recompensara bem, devendo ser conduzidos com
toda a cantela, porque sio muito ardilosos, maxi-
me o mnlato.
i
i
s
CASA
Aluga-se o 2, 3*, 4s andares e sotao do sobrado
n. 14 da rna do Torres, perto da praca do Corpo
Santo, commodo para residencia de familias e es-
criptorio de negociantes : a tratar na rua do Im-
perador n. 57 primeiro andar. __________
Na rua Direita n 45, precisa-se de um car
xeiro de 13 a 15 annos para taverna. ______
- O abaixo a&ignado faz pnblico que o Sr-
Manoel do Rego Barros, foi despedido de empre-
gado das obras do theatro e mercado, desde o dia
7 do corrente mez.
Recife, 10 de dezembro de 1873.
_________ Jose Augusto de Araujo.
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte CoeJho, em Olinda, com bons commo-
do- para familia; a tratar com Jorge Tasso, rna
Amorim, a. 37.
Al'jga-se am excellente sooradinho com bolas
de vidro, na rua de S. Pedro Novo n.... com corn-
modus para grande familia, o melhor lugar para
quem quizer fcuer uso dos banhos salgados : a
tratar na praca do Corpo Santo n. 17,1 andar.
A' TORRE
Aluga-se p>ra passer fp-ta um sitio com
excellnte casa de habitacSo e banho no rio
a frentu desta; qu^m a pretender, p6de
procurar & rua du Gervssio Pires n. 24.
> Aluga se a casa terrea a" rna Direita n.
"1H, proprifl para ^stah. Ii>i imento :* trata-se
i rya N va de Sapta Rita o. 5o.
\mm
n.
O quarto andar da
ma do Marquez de Olinda
Optimo banho.
Aluga se em Beberibe uma casa com um pe-
queno sitio, na esUvda que vai da povoacao para
o Porto da Madeira. A casa tem commodos para
familia e banho no fundo do sitio inteiramente in-
dependents, aluga-se por preco commodo : a tra-
tar na rua do fmperador n. 79, das 10 horas da
manha as 2 da tarde.
Aluga se o armazem e o primeiro andar do
sobrado da rua do Uom Jesus, outr'ora da Cruz,
n. 20, proprio3 para estabelecimento commercial :
a tratar na rua do Marquez de olinda n. 52.
Aluga-se o 1* andar do sobrado da rua Dj
reita n. 8 : a tratar na loja do mesmo.
Aluga-se a casa da rna de S. Jorge, outr'ora
rua do Pilar n. 12, tendo sotea assobradada para
grande familia : a ver e tratar na rua dos Guara-
rapes n. 14, taverna.__________________^^
IMPERIAL
FABRICA DE CIG-ARR0S
DE
S. JOiO DE NICTHEROY
Rio dc Janeiro
Consiando ao abaixo assignado, uuieo agenv
nesta provincia, da imperial fabriea de cigarros
de S. Jodo de Niclheroy. no Rio de Janeiro, qne
existe no mercado cigarros que sao vindos como
fabricados em dita fabrica, imitando para isso a
etiqueta em qne vem elles envoltos, apressase a
prevenir a todos os .ens fregnezes qtie os uuicos
verdadeiros cigarms de exposigao de dita fabrica
so sao vendidos nos armazens dos Sr?. Francisco
Guedes de Araujo, Manoel de Souza Cordeiro Si-
m5es Junior eFaria & Filhos, unicos dejositos do
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de 1873.
_____________ Domingos Alves Mathens.
Quem precisar alngar um escravo, com tan
to qne nao seja para servico de peso, dirija-se a
rua do Hospicio n. 61, que encontrara niu bastan-
te intelligento, e capaz de ehcarregar se do traba-
lho de jardim ou de hortalieas^________________
Precisa se da quantia de 2:000* ou 3:0005
a premio por seis mezes, da-se garantia em bens
peraiz: quem liver annuncie por este Diario a
sua morada para ser p.oeurado^______________
Aluga se a casa n. 11 da
povoacao do Monteiro, muito
sar a testa : a tratar na rua
xias n. 71.
Roga-se ao Sr. Theodoro Meet Pereira da Sil-
va, o favor de vir a rua do Barao da Victoria n.
?2, a negocio de seu parlicular interesse._______
Escravo
fugido
300$000 de gratificacao
Ausentou-se desde o dia 13 de maio do 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
annos de idade, e perfeito cozinheiro, alto bastante,
e bem magro, pouca barba, olhos grandes, e muito
ladino, consta que tem pai no engenho do Sr. LuM
de Caiara, em S. Lourenco da Malta. Este preto
foi cozinheiro dos negociantes Adriano Castro e
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e julgase
que esteja alugado em algam hotel ou casa parti-
cular nesta cidade, como forro : pede-se a todas
as autoridades e eapitaes de campo, que o desco
brindo, o tragara a rua Duque de Caxias n. 91, loja
de miudezas do rival sem segundo, que serao gra-
tificados com a quantia acima.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 precisa-s.
allar a o Sr. vigario Andre Curcino do Araujo Pe-
eira, a negocio de seu interesse.
CASA,
Aluga-se metade de uma casa no pateo do Ter
co a pequena familia : a tratar no pateo do Pa
raizo n. 26.
fl
Attencao
Francisco de Paula Cavalcante Wanderley faz
sciente ao respeitavel publico em geral e parti-
cularmeote ao corpo commercial desta provin-
cia, que attendendo a coincideacia da haver duas
pessoas de igual nome, asilgnar-se-ha desta data
em diante :
Francisco de Paula Wanderley
Recife, 4 de dezembro de 1873.
Precisa-se de um homem livre ou escravo
para andar com taboleiro, paga-se 1*600 por dia
com a mesa : a tratar na rua Duque de Caxias
numero 8i.
SI 0 B @ 9 #
DESCOBERTAS MEDIC1NAES
I'EI.D BACHAREL
Manoel de Siqueira
(;avalcanti.
Is O Preservative da ery
sipela : para curar com certeza, e
em pouee tempo, qualquer ataque de
erysipela, e prevenir o sen reappare
cimento.
Este medicamento tambem e muito
poderoso para o rheumatismo.
2S* o Rcgulador da niens-
truacao : para falta, irregularida-
de, suppressao repentina da menstrua-
cao, e dos locbios, assim como para
todo:' os sotTrimentos devidos aquellas
affeccdes. Ambos estes medicamentos (jt
ja sao muito conceituados, e procura- SJ
dos nesta provincia, e na do Rio de
Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa
do autor, das 9 horas do dia as 3 da
tarde, e a qnalqner bora em casos ur-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz n. 14, 2 andar.
rua da Ponte, na
propria para pas-
lo Duque de Cr.-
MOFINA
Esta encouraqado 11 !
Agua mole em pedra dura
Tanto da ate Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello
dscrivao na cidade de Nazareth desta provincia, >
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comproroeiteu a
realisar, pela terceira chamada deste jorr A, e_i
6ns de dezembro de 1871, e depois para japeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872,e nada cnu^rio;
e por a;te motivo e de novo chamado para di; .>
am, pois S. S. so dove lembrar que esto negocio- J
le mais de oito annos. e quando o Sr. seu nlco .>
n'hava nesta riii.nli-
ALU&A-SE
uma casa na Capunga, rua das Pernambucana-'.
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua d.>
Vigario Tenorio n. 31._______________________
Aluga-se a casa n. ii I da rua da Palma, com
commodos e fresca : a entender-se na rua da Im-
peratriz n. 30.
Precisa-se de 1:500*000 a Juros, dando-sc
por hypotheca um predio : quem quizer annun-
cie para ser proenrado._______________
Ciiiiiaiia de Lishoa
Hombreiras.
("apiteis.
Soleiras.
A' venda no armazem n. 23, a travessa do Corpa
Santo._____________________________________
Las para vestidos de gente
Fazenda de 800 rs., vende se a oOO /s. na Rosx
Branca e dao-se amostras: a rua da lmperotriz n.
56^________________________________________
Caiiiizinhds e punhos
Amaral Nabuco & C, vendem camizinhas e pu-
nhos para senhoras, braneos de algodao, de linho
bordaaos e de cores, no Ba-ar Victoria rua d>
Barao Victa-ia n. 2.____________________
Matricula para cavallos.
A' venda na livraria clas-ica, a rua do fanpera-
dor n. 73. Pi ego 40 rs.
m
a
1
9

99/
m
de campo
Offerece-se a quem quizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Carneiro Mm-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
ca. A localidade e muito salubre, e a casa muito
fresca, tem magnifico banho de agua doce em
frente, e e muito commodo visto qne o trem passa
iefronte : qnem pretender pode dir'girse ao Sr
Francisco Carneiro Monteiro, em Aplpucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pmto, na rua do Bonr Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do Oominercio o. 40.
O abaixo assignado fsz scienie ao rwpeita
vel corpo do eommerno que en na sita na ma do Barao do Triunpho n. 39, ao
Sr. Antonio Vieira.
Recife, 2 de dezembro de 1872.
Joao Gomes da Cruz.
Precisa-se
de um ou dons molequ's para um trabalho muilo
leve : a tratar no hotel dn Bnd _nx.
fJ..
I
Crheou o verdadeiro de Portland ; barriers
ggandes de 4Q0 kilos : no armazem de Tasso Ir-
maos C, caes do Apollo.
A
Al^aciana
400 RS. 0 COVADO.
Fazenda inteiramente nova e propria para a pre-
sente estacao, pelo baratissimo preco dc 400 rs >
covado, a loja dos arcos de Gurgel do Amaral _
C, a rna 1.* de Marco, antiga do Crespo n. 20 A
Vende-se
nm sitio no largo da Casa Forte, com 520 palmcs
de frente e S70 de fundo pouco m?s on meno:.
com exsa de pedra e cal, 7 quartos, 3 salas, co-
zinha fOra, 4 cacimbas r diversos arvoredos de
fructos ; assim xoino, um eutro menor na tra-
vessa da mesma, voltando para a estrada que vi
para o Arraial. com casa de pedra e cat, com '.
quartos, cozinha fdra, cacimba e aUuns alvoreo ">
de fructo : no pateo do Carmo n. 3, on na r
das Trincheiras n. 1.
N0VID4DE
A Predilecla acaba de receber um Hndo sorli-
mento de fitas escocezas schamalotadas. pcoffriad
para fachas ; assim c<>mo um lindo sortimento di
leqnes de madreperola; a elles antes que se tea-
bem, a rua do Cahnga n. 1 A.
Vrende-se
no eslado em que se acha sitio existem.;
lugar dos Remedios. freguezia dos Afogados ...
21. hoje becco da travessa Jos Remedios n. 1^,
em chao proprio, quem o pretender enb;uda-
com o sen pmprietario na rua de S. Prancist ,
como quem vai para a rua Bella, sobrado n 1<\
Hue se fara iod negocio
Offerece-se uma uiuiIihi ov iia condueta
para cozer mh easa de algma familu m im -
em casa de madatne ; na trav.j-u Jo Forte u. 6.'no seu escriptorio a rua do Ccumnerc o o.
Farinha de mandioca no
T< em para tender Joaquim Jo>e GoncaJv
tra<>4 Filho, x burd.idu paiaclio Sapho, et."v
ile Santa aiharma, fundt-ado 'efnuue do t:
'laiao uo Livraiiii'iitn ; e para iraiar a l>

r-
N.


-si- '
6
Diaria-* Psr^wb^o Qufrjp teira 11 tie Dezembio de l?J,
^onfeitciros e pasteleiros
culinarios e conserveiros
Xem todos estao na altora de visar qual a mis-
s5o desses quatro artistas qne podem estar cen-
Jrineados em urns so pessoa.
E se nao vede :
0 nosso celeb *e lexicographo P. Eluteau, cre-
nios qne foi um n-ande guloso.
E se duvidais, leRor ou leitora, tambera ami-
fa do doee, qne nos estais lendo, abri o tomo 2.'
o sopplemento ao grande vocabalario, e ahi no
voeabulano des uynonymos e phrases, a pagina
I08,enontrareis a proposito da palavra confeileros,
nao menos de "22 colamnas, ou <1 paginas de fo-
lio, em clogio dos ssmerados arti-tas, qne a cada
passo nos seduiem com as soas famozas golus
dices.
Senao vejamos : ehama-lhes entre ontras desig-
nates qne nos lovariam muilo longe se as qui
zesseraos enumerai-:
Artifices de comestiveis do cura.
Administradores da snavidadc.
Engpnheiros saboroso?.
Philosophos naturae.;.
Antiprwas da amargura.
Illustres propagj.dores do iuiperio Pomana.
Dulcissiraos ininislros da suav'dade.
Amahilissimos sonnores do imperio da dorura.
Pacificos moradores e bons vtsinhos.
Nobilissimos artifices, cnjas obras nao sao para
*i 1)0 :ca do vulgo.
Homens que no mundo se dao a conhecer mais
.-uavemente que todos os mais.
Benignos hospedeiros que das suas bias fazem
asvlo.
Exterminadores dos corposculos heterogeneos,
e peritos colleetores das paries homogeneas da mais
pura substaacia dc assusar.
Ja6!
Ja se ve quando dissemos acima que os qnatro
artistas podiam esiar cemrificados em uma so pes-
soa, e porquc podemos dtzer por experieacia pro-
ana e se quizerde.-; verifies r ide
A C0XFE1TA-1IIA DO CAMPOS
Eneommccdai por exemplo :
1 fhmbre.
1 rovast beeff,
1 empada.
i pudim.
1 bolo inglez lino.
1 p5o-de-16.
1 torta do fructa.
pasteis, bolinhos, amendoas, doces e confeitos.
Que tudo I I I tjdo alii se prepara a contento
Carlos Pinto de Lemos, administrador da
na?sa fallida do lo.iquim Silverio de Souza A C.
rog.a aos devedores da referida massa, queiram
quanto ant.r; sal.Jai- seus debitos a rna do Mar-
que de Oil i meios jadieiaes. Recife, 21 dc de novembro de
187-J.
Precisa se de uma ama qne
compre e cozinhe pata casa de
11 pouca familia : a tratar na rua
atraz da matnz de Santo Antooio n 18, segundo
andar.
A
Amfl '''ccisa se de uma ama para cozi
onar para ranaz solteirn : na ma a<
Uresp i n. :
para rapaz solteiro : na rua do
Mi Preosa-se de uma ama que saiba
I ,1 c-zmhar, lavar e engommar para
l ^ duas possoas: na Baixa-Verde n. 22,
_'TSo do Mangumho.
I'r'ci-r, se aluzar uma ama boa cozinhcira,
f orra ou capliva : a tratar na rua da Imperatriz.
casa n. 16, 2< andar.
Acredilarilo vendo
Retalha-se um vasto e bello lerreno a
margem do rio, nos fundos da povoacfio de
Bebenbe, ainda nao visto pela maior parte
da populagao, por ter sido ha pouco derru-
bado os mattos que cobriam dito terreno, o
qual consta de uma grande planicie, pro-
pna para edificagSo, e distancia de 3 minu-
tos ^a ultima estagSo da via ferrea, achan-
do-se }& dividido em ruas, com approvagSo
da camera de Olinda.
Quem pretender pdde ir ver que sem du-
vida ficard agradado, e entender^se com o
Sr. Jose Honorato Medeiros (Zumba), en-
carregodo, ou com o proprietorio, junto i
ponte da dita povoacao.
$&m $*$$$ ooooo
< Oonsultorio homeopa- $
thico 8
Do Dr. Santos Hello ft
M 41------Rua do Imperador,11 *
^x- Consultas todos os dias das If a 1 da S
m tarde. 0
0 Gratis aos ppbres".
Residencia a rna Nora n. 7, segnndo "
R andar, onde da consnltas das 6 as 9 da
manha e das 3 as 5 da tarde.
Chamados a qualqner hora.

DE
FAZENDAS
Por metade de seu valor : a rua do BarSo da
Victoria n. 24, junto a loja do Carneiro Viaona.
A proposito da fesla
0 que dizen pr ahi.
A verdade vou dizer-vo*,
Sem embargo do mao tempo;
Nao e graca, von contar-vos
0 que diiem... por.xemplo:
aa!: a B;mLUUG^' a m*' da namanidadfl e ae
esta como lilha obedieate devetratw com requin
tado desvelo de sua dilecU*ima e infallivel mi
Que para isto e indispensavel que os gastrono-
mos habilaiites desta Delia cidade e seas subar-
bios, como parte integrante da hnmanidade, devem
,vir ao muito util e eonheeido artnazera do Cam-
pos, a rua do Imperador n. 28, eomprarem os'
novos saborosissimos presuntos para fiambres os'
gostosos paios,.os saborosos salames, os-aimeieti-!
vew lombos deporco; as delicadas ltagniea*fei
salchichas. cs digestivos peixes em latas a flnis-'
sima .uanteiga ingleza e fraoceza, os deleito'os'
bisaaitos, as exciianles conservas. as deliciosas'
ameixas, passas, amendoas e noies, as apreeia '
Aluga-se
o primeiro andar do sobrado da rua do Duque de
Caxias n. 41, proprio para escriptorio, ou rapaz
solteiro : a tratar no mesmo, loja.
AVISO
0 Sr. Joaquim Clemente de Lemos Duarte tenha
a bondade de vir ou mandar a rua do Coronel
Suassuna n. 282 a negocio de sen interesse.
LIQUIDACAO DE FAZENDAS
NA
Rua da Imperatriz n. 60
______, Mil UTOAL
gsS&jS^SSr^&tfS ln4.lHia da Victoria n.22.
Perola, ajjofra e preto, os substaneiaes ca*eo4ate e w
Carneiro Yianna.
Vende fazendas para liquidar, por baratissimo pre^o como
abaixose ve:
Pcreira da Stlvatfe&uim?raes tendo em ser um^raade dfpozitj d laj.mda$,
tern resolyido fazer uma liquidagao das mesmas com grande abatimento nos prejos*
com o unico fim dj jpurar dinbeir.\ para o que convidam nao so oaseus numeroscs
freguezcs, como o rospeitavel publico, a vir surlir se de muit fazendas, boas e barata*
no seu eatabelecimentodenominado oravao-a rua da Imperatriz n. 60.
CAMBRAIAS A 4#, 4JN*0O, 5f 69 19.
Para cariMceiros.
Aluga-se urn terreno murado, na rna da Sau-
dade, que tern com pal mos de frente e 300 de
fundo, com pequena casa e telheiro para ani
maes, proprio para plantacoes : a tratar a rua
Primeiro de Marco n. 23, loja.
CHIADO
\
Prcrisa-se de uma ama de idade
para cozinhar, engommar e lavar
Mra easa de mogos solt>;iros : a tra-
___,.'!:; ~ ar m rna d-> Rangel n. 3, taverna.
te i m.i ama para c izinhar. forra
n i travessa do Corpo Santo n. 25.
Ama deleilc
ama na rua dos Martyrio.- B. 132,

A ^ **~ I'rfcisa-si de uma ama p-
~. ^_ t eomprav e cozinhar : na
1 ^- rua d > Imperador u. 79, loja.
de ama ama para tratar de ser-
asi le homem solteiro, scndo muito fiel
la sua <^ondncta : na rua Augusta
se iii:;' quem precisa.
>)iningos Pintn", qneiendo resumir
i leoaoKlia.'tem resotvidb fazer um
il i'i por cento nos prm>s de suas
as sao : ricas DtoboiaS-de jaca-
, fabrieadas em Franca, ditas de
9ft .-iiiaL-:.?, gu >r.!.is-roupa de jacaran-
do aoable cum e. aslidoa da amarello, ri.-,os guardas-lon-
t
jacar.pdit e de mogno, aparadnr-s
tampe d3 pudra, ditos d- amarello
mesas BTastica- para jantar. dit s
i abas para almo>;o, mesinlias dc
. ii .tnra, o uma inliuidade de objec-
ia enfadonho mencionar; tem lid
fan'! iUo d; cadeiras de muitas qualida-
do Barao da Victoria n. 57 c 58,
>=
E
b -: iaecinMBfio5
A B. da Silva Maia.
Tiae nde de Arbnqnerqae n.
a rua da mi'.riz da Boa-Vista
u. II.
Chamatlos : a qnaiqner hora.
Consnltas: Aos pobres gratis, das 2 a?
4 hcras da tarde.
%
a noiio de 8 para o amanh^cer da
9 do correnf, .1 zescis cadeiras amorieanas, s?n-
e dz ditas do madeira e uma
i isso io Darracao da junto a ponte
i-V.irt ;. i pessoa a quem forem ollerecidos ou
r ,,-j osag estes objectos, particlpe ao
Gongalves da Silva Freire, que se-
iisada.


50^000.
enho Araquara, do term o d i Es
>" 25 do corrente, o escravo. Antonio,
' .ninos de idade, com os signaes se-
ali.ua regular, falta de dentos na fren-
I idos e locador de viola ; foi com-
r oraea e julga-se an Jar pela fregue-
v irzea onde lm mai e irraSs : Quem o
ii estecao das Cinco-Pontas : a tratar
<:,:ii Qiympio de Sorjza Galvao, ou no dito enge-
1 Sr. Autonio Jose Gomes Junior.
27 Be novembro de 1873.
. de um criado
Hrfi n ^
Wo
no hotel do becco
S'HSlfiJ
i \ > o
>"^-> i "" -a
fel -' 2 Si
-*-
:" 5 %

13-
Md8H
Precisa-se de um criado, que seja bom copeiro
e^asseiado : naa rua da Uuiao n. 17.
Atlen^ao
Vende-so barato a arraa^Jo da taverna n. 60, si-
a a rua Oireita los AfogaJos : a tratar na pada-
ria^de junto n. 66.
Qompanhia do Gaz.
A emprcza dogaz tem a huura do annunciar
ao publico que recebeu ultimente um esplen-
dido sortimento d lustres de vidro, candiei-
ros, arandflas e globos, cujas arnostras estao
no escriptorio a rua do Imperador n. 31,
e serSo vendidos aos seus freguezcs pelo
preco mais razoavel possivel.
Aluga-se o segundo andar do sobrado a rua
do Barao Ja Victorian. 31, com commados para
amilia : a tratar na loja do mesmo.
Cuia pessoa sujeita, com muito pouca idade,
e que ganha ii por dia, precisa de 400 para sua
liberdade, obrigando se a dar flador. e a enirar
todos os mezes com 403 rs. at6 realisar o paga
mento do principal, juros e todas as mais despezas
respectivas, e tudo isso por meio de uma escriptu-
ra. Quem e*tiver em circumstancias de fazer
al negocio, annuncie.
Uma parda escrava, boa costureira, precisa
de .i.OOd* para sua liber Jade, offerecendo em
paga desta quanlia os seas servicos pelo tbmpj
qusse convencion'ir : quem quizer fazer este ne-
gocio. dirija-se a rua da Imperatriz n. 30, segundo
andar.
SAQUES
Carvalho & Nogucira, na rua do Apollo
n. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Viaona e suas agendas em todas as ci-
dades e villas de Portugal, d vista e a prazo
por todos os paquetes.
cacao eorpd, os refrigerantes lioeres, at ealman-
tes cervejas, os eerroboranles bitters, os insoiran-
les vinhos do Porto, Madeira, Bordeaux, Figuei-
ra Lisbda, Cborry, Collares o ootras muitas qaa-
hdades, a corruscante champagne, cidra e um sem
numero de raros e arrebatadores acipipes, que
da for?a, vida e praier, aflm de rechearem dia-
namente o receptaculo de suas idolatradissimas
Barngas ;
Que, quem quizer fazer nmdetieado lunch, fn-
mar um primoroso charuto da Bahia e beber um
copo d'agua fria (gratis a agoa) deve vir ao arma-
zem do Campos, unfco que tem demonstrado aWi
a evideneia a influencia da rainha do mundo a
barriga
Mesmo porqne
Ora esta e boa-
Quem quizer ser ditoso. ser feliz
Deve ao Campos simente ir cnmprando.
Evitando assim de ir mal passando,
Deleitando a barriga e o nariz.
Alem Jdo que dizem muitas eensas ; por
exemplo que o Campos e so quem vende bom e
barato, que so e o unico qne da. arnostras de gene
res.; que so elie,-e quem capricha em d .r bom
peso, que e elle s6 quem manda levar gratis
em casa do comprador os generos comprados (a
diDheiro) em sen armazera, qnor dentro da cida-
de, quer nos seus adjaeentes ; que unicamente
so e no armazem do Campos, a rua do Imperador
n. 28, oade se encontra um complelo e eeplendi-
do sortimento, verdadeiro Centre de peregri-
nas e exquesiias vkHualhas, pnde todos (masons
jesuitas) devem vir satisfazer esta obra de mise-
ricordia (ja se sabe, trazendo dinheiro) dar de'
comer a barriga attendenio a que :
Do dia a questao ja nao existe,
Que o Campos fez cessar toda esta briga.
Desfechando este uolpe philosophic :
Tratem todos prjmeio da barriga.
O Pavao vende'um magnifico sortimento
das mais finas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada pega, pelo ba-
rato preco de 49, 49500, 90, 65, tendo lam-
bent das mais finas que custumam vir ao
roercado, assim como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias que vende de 45?
ate 8?>, sendo fazenda que valle muito mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORES A 50.
0 PavSo recebeu um elegante sortimento
A' este grande estabeleeimento tem che-
gado um bom sortimento de machines para
costura, de todos os autores mais acredita- a
dos ultimamentena Europa, cuias machinas' t cam?r!asuDrapcas com bomtos salpiqui-
slo g*rntida* por um anno, e teado am I "h?s m,udl"hos de cores, tendo 10 jardasl
perfeito artists para ensinar as mesmas, em nr*T%Je vest.do e vende pelo barato
qualquer parte desta cidade, eomo bem as- ffiW T *r peebmcha, ditas com
slm concerta-las ,polo tempo tawbem d'um *T?* ,odo- branco sendo fazenda Dnissima
anno sem dtespendio algutn do comprador.
Neste estabeleeimento tambem ha pertencas
para as mesmas machinas e se soppre qual-
quer peca que seja necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfeicao de
um e dous pespoatos, franze e" borda toda
a 70500 e ditas a 50000.
VESTIDOS A USO DA CORTE 120
O Pavao vende um bonito sortimento de
certes de vestidos a uso da corte, trazendo
cada c6rte todos os enfeites necessarioscomo
precos sSo da seguinte qualidade
Fmalniente que, a? interessantes meninas
zem que, so gostam de doces do armarem
Campos
di-
do
verao gostar pela variedade de objectos que
ha sempre para vender, como sejam : cadei-
ras para viagem, raalas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balanco, ditas para
criaoca (altas), ditas para escolas, costurei-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis
para criangas, de todas as qualidades, camas
de ferro para homem e Griancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelbos de metal para cha\ fa-
.- queiros com cabo de metal e de marfim,
SKtMaSJ32,,d.e ZT^nlTX!dltos avu,sos; **" de fl". ?*f
do armazem do Campos ; as respeitosas matrcnas: r03 Para sala- jaRfOS, guarda-comidas de
que, so se recordam do passado qnando saboreiam arame, tampas para cobrir pratos, esteiras
alguns acipipes do armazem do Campos ; os ele- 'para forrar salas,lavatorios eompletos, ditos
(WisrwB ms skjjss obJectos? ?**e tos mr
tao quando conjem certas iguarias do Campos, tos art,80s qe muito devem agradar a todos
o ate" os forasteiros s6 procuram o Campos, =6 1 visitarem esta grande estabeleeimento
querem o Campos e so gostam do Campos, aponto que se acha aberto de-de as 6 horas da ma-
nha ate as 9 horas da nouted
Rua do Barao da Victoria n.
22.
8oX? 9Po?00^^ noS \ n^nnn6 ibr9 braQcas aber,as- c0,n listra^ lavores
Koo iSfiL iSnnn J 5 ,a68' dit03 ""^simos a W, ditos de cam-
12C$000, 1300000-, 150S000, 2000000 e braia branca com listras de cores, para aca-
2500000 eraquanto- aos autores nao ha al- bar 30500, e pechincha
teracao de precos, e os corapradores poderao
visitar este estabeleeimento, que muito de-
Do Campos a fama como voa
Nos bailes, theatros e cafes ;
Maxambombas", bonds e jardins,
Betroand i do mundo nos conOns,
Deixa a todos uma nova -, feliz. boa
h vai passando des annos atravez !
Vende-se
carros de mao muito bons e por commodo preco :
na praca do Conde d'Eu n. 10, e no becco do Tam-
bia n. 9.
mmh%
f 1 rastes.

Compra se e vende-se trastes novos
e usados no armazem da rua do Im-
perador n. 48.
Carroca
Compra-se uma carroca para andar com boi, e
que seja bem forte e segura : na rua Nova, loja
nuai II.
rmk%
Vende-se ou arrenda-se, altos e baixos, o
sobrado de um andar sito a rua Imperial, canto
da travessa dj Lima n. 1, proximo ao chafariz,
em localidade muito propria para negocio, e por
onde passaro os bonds : quem o pretender va a
rua do Hospicio n. 33, que achara com quem
tratar, das 7 as 9 manha, e das 4 as 6 da tarde.
Arma^oes para camas.
Na rua do Duque de Caxias n. 76, tem para
vender armacoes de amarello para rarnas obra
boa, preco a vista da fazenda.
Fumos especiaes
para o fabrico dos melhort's cigarros finos de seda
e linho, e para caximbo, a saber:
O verdadriro fumo de Daniel.
Idem do Rio Novo destiado.
Idem cabello s e picado.
Idem de Baependy.
Idem de Goyaz.
Idem dePomba.
Idem do Mineiro.
Idem de S. Paulo.
Idem Ift Minas.
No arma'em de fumo a rua da Madr-i de Dens
n. IO A, de Jo-e Domingues do Carmo e Silva.
O proprietario deste estabeleeimento tem tido o
maior capricho possivel em obter do Rio de Ja-
neiro as qualidados de fumos mais especiaes.
algumas ate me>mo nao conhecidas neste merca-
do ; ponmi muito apreciado em outras provin-
cial do imperio, como os fumos que acaba de re-
ceher pelo vapir nacional Bahia, entrado em 6
do corrente e por isso convida a U dos sens fre-
guze< e amigos para verem e examinarem as
melhores qualidades de fumos fiaos, e promette
conservar sempre em ?-u armazem o qne houver
de melhor neste artigo, desde 3$ arroba ate" Si a
libra ; tudo a contento dos seus numerosos fre-
guezes e amigos.
Nat) ha mais
brancos
TiNTURARiA JAPOHEZA.
S6 e unicaapprovada pelas academies de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal d rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1 andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
CORTES BORDADOS A 203 E 360.
O Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco de 200 e 350.
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, ocovado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimofi!6 branco liso edc salpicos, etarla-
tanas de todas as cores.
BORNOUSA 120.
O Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernosbornous combonitas listras e
vende pelo barato preco de 120 cada um,
assim como um elegante sortimento dos mais
bonitos chales demerin6 e com listras de seda.
LAZINHAS A 320
O Pavao vende bonitas lazinhas
lisas,
francez muito fino 30000, apenas precis*1
1, V* metro para um lencol.
CHALES BARATOS Jrlflfi!
a 20, 20500, 40.
0 Pav5o vende chales a emitacao de rae-
riud a 20, ditos de merino lisos d6 totlas as
cores a 20500, ditos demerit estampados,
muito (mos a 40, Jditos finrssimos com lis-
tras de seda a 60500, ditos meito fiuos d>
crepom a 100 e 129.
%1-odAo cnfe^Htl* a I3efl?0
0 Pavao vende a+godSo eufestado com 8
palmos de largura, proprio para lenc6es
sendo do mais encorpado que tem vmdo ao
mercado, liso a 10 a vara etrancadoa.
10280.
ATOAiHADO A 106OO, 20, 50.
0 Pavao vende atoalhado trangado com 8
palmos de ljwgijra a 10249 o 10600, dito
adamascado a J0, dito da liijho adamasca-
do a 30 e 50.
SEftl PARA VESTIDOS
a 106OOte 2*
0 Pavao vende um bonito sortimento de-
sedas com listrinhas proprias para vesti-
dos de meninasede ssuhora a 10600 oco-
vado, ditas la?radinfca*a,-J20-,os padroes sac-
muito boaitos e vende-ae por este prec/>par
acabar.
Botinne a 5^000
0 PavSo tem um complete, sortimento de
botinas muito bem enfeitadas parasenhoras
e vende pelo batato preoo de 50, artigo qut
emoutra qualquer-parte custa 60 e 70.
LENCOS BRANCOS
3 20000.
0 Pavao vende len^os brancos abiuiu-
dos, tanto parahomenscomo parasenhoras,
a 20 e 20500 a duzia, ditos de esguilo e
cambraia de linho timbQm-abainbados a
30500, 40, 50, d tos francezes esetwos, par?
r8p^a 60, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 PavSo vende ricas camisas com peito
de linho bordndas, proprias p'ra noivo ?
10)5 e 120 cada uma, ditas de linbosan se-
rem borl das a 40, 40500 e 55?, ditas con
peito de algodao muito fuias a 20,20600 e
30, ditas dechita fina miudinha a 20, 20500.
e 30, assim como grande sortimento de ce
roulas francezas tanto de linho como de al
god3o de 10600 ate 30, gr nde sortimentc
Veude-se.ou permutta-se por um mo-
leque de 12a 1 i annos, uma escrava moga,
sem yicios esem achaques, do serviro domes-
mestico : a tratar & rua do Mondego n,
129, casa de azulejo.
Cimenlo
VENDE-SE
um sobrado de dous andares e s?t5o, na trrvessa
da Madre de Deus n. 10, o qnal rende dous contos
de rs. annualmente : a tratar na me com os seus proprietaries todos dias uteis desde
as 11 horas da manha ate as duas twras da
tarde.
Vende-se um porco proprio para a festa, e
em grandeza nSo ha segundo, 6 um extraordina-
ry : a traiar na rua do Cotoveilo n. 3S.
Armazem do fumo
Rua da Madre de Deus n. 10 A.
Jose Domingues do Carmo e Silva participa -lot
sens freguezcs e amigos que no sen arawxem a
rua da Madre de Deus n. 10 A, se acha tun com-
i pleto sortimento de fumo em fardos de patent.-- |.,
; 1" e 3." sortes, dos melhores fabricates da ?ahia
, e bem assim a flor de todos os fumos: 4e corda
; em rolos, pacotes, latas grandes e peqnenu, tarn-
{bem dos mui acreditados fabricantet Doires A
I Aranjo. Lizaur, Adolpho Schmdl 4 &, Lizaor
Schmidt A C, Veigas A Arauio, Trindade A Ave-
lar, Teixeira Pinto A Portella (garantido pelo*
mesmos) e de outros ainde aio eonhecidos palo
I publico desta capital. 0 annunciante daeiara qne
i todo fumo que for vendido eni sua casa acra. pak
sen justo valor, e que qiundu garantir a respecu-
va qualidade, sera sincero, mui particulannantt
com as pessoas que ponco entendanj da materia ,
' pois para bem servir a todos. tem o annuncfanu
l i^nsra pratlca de 15 annos deste cimmercio.
VENDE-SE
a casa terrea n 36, sju a rua da Soladade, com os
commodos seguintes: 2 salas, Z quartos, coalnha
independente, quintal murado e boa caciraba ; a
tratar na mesma.
0 verdadeiro Portland so se encontra no cae
da alfandcjza n. 3, armazem de bacalhao, em
barricas da.- rmiores que vem ao mercado e por
prego mais commodo do que em outra qualquer
pane.
- Vende-se 2 bois e duas carroca;, nes fundos
da reflnacao da rua da Concordia : a tratar com
'Manoe! Jose Je Miranda Silva.
Yaya tu ja vistes ?
0 que!
A las de duas pataeas qne esta vendendo a
icja da Rosa Branca.
Eu nao Rosinha.
Pois olha que sao boni'as e tem um brilao que
parece seda, e o que mais admira e" que a noite
ainda sao mai liudas e o prefo e de
De fbrca de d ius a seis cavallos : a venda no
armazem de Joaquim Lopes Maehado A C, tr-a
vessa do Corpo Santo n. 23.
Vende-se a armacio e utensilios da taverna do
pate" do Terco n. 11, barato, e propria para quem
s quizer estabelecer naquelle lugar : a tratar na
mesma.
Xarope d'agriao do Para
Antigo e conceituado raedicamento para
cura das molestias dos orgSos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados no
escorbuto.
sendo verdee cordelyrio, pe o barato prego [Je Qrs cru;s '"glezas de 40 at^ 80000 a
de 320 reis o covado, assim como delicailas "uzia
laainhas de quadrinhos a 280 rl-it, Po_ n n ^'^"dao r.in* Mro.
cbincha. | u lava0 tem um grande sortimento d-
Gianadliiea a40 fazendas pret's para luto como sejam : cas
0 Pavao vende um elegante sortimento s s' '5s>,?u lSzinhas lisas que vende a 400
das-mais bonitas granadines ou gazes de e 50 r<5's o covado, bombazinasde 10601
seda para vestidos. tendo de todas as cores at^ 2'5. c?vado> cantao a 10 e 10200.
e vende pelo barato preco de 6i0 reis o co- ?rana(''ne lisa com listras, cassas e chitas
vado e granadine preta com listras de seda tor,as Pretas corn listras e salpicos, ateacas
a 10800. toJas pretas e lavradas de bianco, naeriao?
outns muitas fazendas apropri das, que ?
LAZLM1AS A 360 0 COVAUO. veudje por monos do que em outra quilquer
0 Pavao vende bonitas lazinhas trarspa- P^rte.
rentes com palminhas a 360 reis o covado,; MADAPOLOESEJfFBSTADOS
ditas ditas indianas com lindos dezenhos,; a 3?000.
tanto em listras como em quadros a 280-rs. I 0 Pavao vende pegasde madapolao enfe>-
o covado, e grande sortimento de alpacas e tado com 12 jardas a 30, dito a 30900, dit<
lazinhas de 400 a 800 reis. com 20 jardas a 50, 50500 e 60000, dito
' com 24 jardas de 50 ate 80-e 100, sendo os
CHITAS DE CORES maisflnosque tem vindo ao mercdo.
a20>, 240, 28De320rs.
G Parto vende um grande sortimento de j AIg;doinho a- 4-rOOO,
bonitas chitas tanto claras como escuras e!
vende de 200 ate 32 com listras aolado muito flnasa 360 e 400 muit0 encorpado a 40, dito a 50 e 60:
rs,, finissimas percales miudinhas com lin-
reis, garantindo
dos dezenhos a 360 e 400
serem todas de cures fkas.
CORERTAS A 20, 20500, 30, 40;
0 Pavao vende bonitas cobertas de chita
com ramagemgrauda, pelos baratos preros
de 20.205OH, 30e 40, ditas encarnadas I gostos, c'.aros eescurosa50, ditos de 6-r.
forradas a 50, ditas defustfio branco e de cor 70, 80, at<5 100, superiores casemiras fran-
com bsrras a 40 e 50, ditas do crochtS para j cezns e inglezss, para covado, de 30500 ate
TAPETES
CORTES .DE CASEMIRA A 50.
0 Pav5o vende um grande sortimento de
cortes decasemira para calgas, com bonitos
Oleo de linhaca.
Vendem Cunha & Manta, era barris
Marquez de Olmda n. 23.
rua do
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a este mercado-
na rnr Marquez de ulinda n. 51
Wil-on Rowe 4 C. vendem no sea armazem
a rua de Cormnercio n. 11 :
0 verdadeiro panno de algodao aznl amencano.
Excellente no de vela.
Cognac de 1" qualidade
VinSo de Bordeaux.
Carvao de Pedra de totfas as qualidades.
aprovei-; Vende se umi casa terrea em terreno pro-
tar-se a oecasiao, se quizeres comprar manda prio na ruajdo Carcereiro n. 6 : na rua do Duque
buscar as pegas ou as arnostras na rua da Impe- de Carias, loja n. 60 se dira quem vende.
ratnz n. 99, loja da Aosa Branca.
Vende-se uma preta de 50annos, pouco -mais
ou menos por 230*000 : na rua da Pcnte Veiha
n. 101.___________________-
Vende-se daas emeMeBtea casas no Cha-
n, olidas e reeeniamente constrnida*, com mui-
tos commodos e no lug jar mais bello e pittoresco
daquelle !irrali3lde.. S4o muito proprias nao so
para quem quizer passar r> Verao como raorar no
campo gozando ao mesmo tempo as dellcias delle
e os commodos da prasa; a a razao e pornue fl-
eam muito proximas da estagao do rio e do mer-
cado da Casa Porte. Quanto a distancia que ha Fogdes economicos.
daqui aquelle arr^alde qnem J^iora t Os preten-, Fdrmaa para assuoar.
demes dirijam sc a rua-do Visronde de Albuquer- Guards garrafaa.
que, outr'ora da Gloria a 174, onde se dlra quem Cofres de erro.
_____ Pranaas da eopiar cartas.
Veade-se
A tvaerna da rua da Pen ha n. 6, bem afregne-
zada tanto para a terra como para ..o mato ;a tratar
na mesma.
Vende-e no lugar das Areias ama casa com
todos as pertencas de padaria em ponto pequeno,
ou tatubem vende-se a proprie-lade somente, fal-
se todo negoeio : a tratar na meama com JoSo
Manoel de Souza.
cama de noivo a 60, ditas muito ricas a 160,
ditas de damasco a emitagao de seda a 10-"*
e 140.
FustSes
0 Pavao vende fustoes brancos ede cores,
sendo as mais bonitas cores que tem viudo ao
mercado, tanto para roupa de criangas como
para vestidos e roupas de homem,;e vend8
pelo barato prego de 560 at 10, o covado.
BRAMANTES
a 1.0600, 2^200 e 20500.
0 PavSo vende bramantes de algodSo com
10 palmos de largura para leogoes, pelo ba-
rato prego de 106nO, dito de Huho com a
mesma lacgura a 20, 20200 e 20500, ditb;
Corte de ehfta a &*, ^50f>
3t>ooe
0 PavSo vende cortes de chitas sscurase
claras com IH covadosoada cdrte, pelo ba-
ratismo preco de 20. 20500 e 30000.
CORTES DE BRIM A 10400.
0 Pavao vende cdrtes de brim pardo para
calga, a 10400. Ditos de cOr, fazenda mui-
to boa, a 10600.
Espartilhos a 3$ e 4#00-0.
0 Pavao vende os mais modernos esparti-
Mjos, proprios para senhoras e meninas,
mIos baratissimos pregos de 30 4i0OOO.
Ditos muito superiores, brancos ade cdr, a
80 e 60000.
6$, paunos pretos ede cjresdos mais bara-
tos e mais finos que tem vindo ao mercad..
por pregos muito razo i vois.
Roupa feila
0 PavSo, tem constantemente um grandr
sortimento de roupas feitaspara homem, que
vende por prego muito emconta, como se-
jam :
Calgas de brim de cores de 20500 ate 60.
Ditas de casemira escura a 30500.
Palitots da mesma fazenda a 40500.
Calgas de brim pardo de 20 ate 5*>.
Dit s de casemira de- cdrde 7i$ ate 125-
Ditaa de caaemira preta de 70 ate 14^.
Palitots. de panno preta d&i40 ate> 120.
Fraques dc pann > preto fbo do 200 at*
.350000.
Calgas brancas de linho de 40'ate 70.
Colletes de casemira de cor de 30000 ateV
'50000.
Ditos de dita preta de 40 ale 70.
Cortes de la a 40OOO.
0 PavSo vende bonitos cortes de lasinhas,
padroes miudinho6 com lindas cores, tendo
15 covadoscada cdrte, pelo barato prego de
40000.
CfJRTES DE ORGAIiftY A 30OOO e 305OQ.
0 PavSo vende cdrte de organdy brajjeo,
com listras e- quadnnboa, seodo fazend,* mui-
to fina, pelos baratissimos pregos de 30 e
30500 o corte.
Chafariz de ferro para jardim.
Machinas do oortar fumo.
Em oasa de Shaw Hawkea & C, rua do Bom
Amj.ral, Nabuco A C, vendem magniQcas I
colotaade seda, finissimas aberttras de cambraia Jwaa-P-^-
de linho bordadas para camisas de meninas e de T?^-~,~r, nr.r..,^^>
dfe senhona e meias d'algodao, no dEscoc1a e de Orm&S )ara aSSUCar.
seda para homens, senhoras: meninos, e meninas: galvanisadas e pintadaa, por preco commodo.
no Baaw Vietoera, a rrt* d Raift da Vletorla. Vendem Cunha & 1 tMa doMaravet de
Ceroulas francezas de Knbo e algodSo, para todos os pregos e qualidades, assirr.
camisas, colerinhos, qua tudo* se vende por
como grande sortimento do meias cftrn,
pregos muit r.zoaveis.
Panno de algodSo da
Bahia.
Ha para vender das seguintes fabricag :
S Salvador.
Conceigao.
Valenga.
Modelo.
So escriptorio de Luiz Duprat, a rua do Cam"
mercio n. 34, I* andar.
Lazinhas
esoooeaaft a 280 r& a covado.
Baa do a^aeiraado o AS
Lizinhas escocezas, padroea aaito bonitos, ulti-
1 ir aBod* de Vdla deParia, peJo diminuto preco
; de 280 rs. o covado ; dao-se arnostras : ua rua co.
' Qnetmado a. 43.
IlIBtlHl




?
/
1

Diark) Je Per&affibuCO Qirinta feifa II dfc -I)*?tt*lhrt %
UNICQS AGENTES
"Roa do Barto da Victoria n. 28
U mail* simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposi$ao de Paris, am 1W7, foi ceacedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
c,to da LegiSo de Honra, por serem as machinas maia per-
feitas do mundo.
MGHINAS PAM
A 30|000 e 30^000.
-MUS Pf^POMfOS
Nalojade Soares LeitIrmaos, a rua do Barao da
Victoria n.2'8.
norm peqin-no
A medalha de ouro, conferida i
Estados-Uuidos por ser o inventor
> E. Howe Junior, not (
da macbina de cot-;
tura.
A metlalna de ouro aa exposi^Xo de Londres acreditam
estas machiaas.
Cabe-nos o dever de aimunciar q.ue a companhia das machinas de Howe de Nora-
*rk, estabeleceu uesta cidade a rua do Barao da Victoria n. 28, um deposilo e agencia
<*ral, para em Pernambw> e mais provincias se vouderem as afamadas machinas de cos*
<*ri da Howe. Estas machinas sao justameate apreoiadas pela porfaioao cte seu trabalho,
-napte^ando unia. agulha mais curta.com.a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
*' tntroduccao dosmsv" aperfeicoados apparelhos, ostamos aetualmente habilitados a
As vantagens destas machinas sao as segmntes:
frtmeira.-0 puWico safe* que ellas sao duradonras, para isto prova incontestarel.ia
~csastanci " aaao.
Sejrunda.>C^Hra o -material preciso para reparar quiiquer desarranjo.
Tarceira.-Ha ne!(as men ** ^ae nts ootm.
Qaarta.-^FortBam o potato cobbo se fdra fetto k mao.
Qamta.Permftte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nio consega
* QBtras.
'Seita.~-PaeHi ponto miado a casemira,.atrafessando o fio de um i outro ldo,
togo omi seguiea, sem modrScar-se a tensao da linha, cozem a fazcnda mais
Setiioa.-0iconrpTes9Ar e'leraatado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
agalha ao comecar nova costura.
Ohara.Muit'as companhias de machiaas de oostura, tern tido epocas de grandeta e
cadeucia. Machinas otrtfow populdres, Bio hoje quasi descotiiecidas, outras soffreram
-tadanijas radieaes parapoderem substitmr : entretanto a companhia das machinas de Howe
doptando opmtao ife^Kfias Howe, mestre emartes mechanicas, tem constanteraente
ofmantado o seu fabrlco; e hoje nao attende a procura, posto que faca 600 machinas
or dts*.
Cada machina acompanha livretos com instruccoes em portuguej.
Luym de .pellica
200 rs.
Abotoaduras para collete, grande soi U-,
nento a J 20 rs. |
Caixa de- linha de marca, a 200 rs.
Lamparinas a gz, ooa, a 19000. I
Duzia de pecas de corddo imperial, a
40 rs.
Caixa de botoes-d.5 osso para calca,
100 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
Mt rs.
Idem idem-60 jardas, a 210 rs.
Maco dehta chineza, a 800 rs.
Caixa de Unha com 40 noveUos, a 500 rs.
Meios aderecos com camafeu, a 500 rs.
Garrafa detinta roxa extra-fina a 19OO0
Potes com dita ingleza, preta, a 100 e
160 rs.
Caixa de penrtas Perry, muito boas, a
I3>000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 800' r.
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa depapel amisade, beira dourada*
1 800 rs.
Idem idem idem lisa, a 660 rs.
Duzia de talheres cabc branco,
58000
N. 4Rua do CabugaN. 4
JOSEPH KRAUSE & C.
Resma
J 5JW06.
Idem idftm liso, a*P800, 3jp800e 5$000.
Coqaes modernos, a'39000.
Duzias de pegas de trancas de caracol
^ranca, a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Leques de osso e saudalo, a
690.00.
toque,, Bspethos de naoldura dourada, de todos
os tamanhos e.-prccos.
pERFl'MARIAS E MIUDEZAS.
Frascocom oleo Omia \erdadeiro, a
19000.
Idem com tunica de Kemp, rerdadeiro, a
If000.
Garrafade agna (tenda verdadeira a 19900
Garrafa d'agua japonesa, a 19000.
Idem idemdivina, 19600.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200.
Gaixa de p4$ Idem idem de p6s ehinez, muito bom, a
500 rs. e 19606.
Pote com opiata de ftieger, Rimel e Gros-
uel, t9PW.
Duzia de sabonetos de amefidoa, a
390O0.
Doiia de saboneteside aniinho transpa ren-
tes, a 29906.
Idem idem com fldres, a 19600.
Sabonetes Glycerino transpareotea. a
15EOOO.
Caixa com" sabonetes, formato de fructas,
a 19000 e 19tW0.
Cosmeticos, graedos e-pequenos.-sv 16* e
2-B,, a'fcOO rs
Frasco coiikagua de eolge, a 260, 320*
de' papel paalatlo, a' 49600 560 rs. e t#0O6.
1 F.Ttrartos muito frnos dos nv Iheres au-
torts.
Lindas e elegantes clixinhas compe^foraa-
rias, proptias para presentes, das a4ores
E. Codray, Riegw, Gelid Frere9;tc.
Quadros com santosc cstampas separa-
29000,49 das.
Entromeios e babados transpacentes e ta-
Fita de yelludo de todas as cores e largu- pados.
s. Croa grai.de
VJieroscopios com 12 vistas,|a 69000- quer loja.
Frasoo com oleo para maehinaa 400 rs.
Rua do Barao k Victoria ft 28.
a propria para qual-
------------
do .Barao da Victoria

Extraordinaria pechin^ba
3*5:00
Colchas de alg >dio adacnascadas para caraa
pelo baratissimo preco de 2^500 na loja dos
ircoe, 6aun;el do Amaral *C. a raa Primeiro
tie Marco (antifa do Crespo) n. JO A.
Os verdadeiros
Vitihos de Bourgogae
ara acabar!
Clritas a 240 rs. o covado.
A MO n o covado.
A 410 rti o, corvado.!
So na rua Duque 4e Caxias a. 0 A, lcijd*
esquioa. i
Ricos cltapeos para senhora : so na ruaiDuqne
de GaxJas n. 6'J A, l^ja da cs:.|uina.______
Caixoes
Antaral Nabuco & C, vpndem os'mills cortrao-
dos cosmoramas com tfsis* afttftlwWff notas :
Bawr Viiuria, ru* do Itaiao da Victorian. 2.
Veade-se quatro aix5e3 proprios para estafra-
lecimeotos de moHiado?, arW de Marcino as
n.76.
Birrros a venda
IliAl
i
"frcguezes que esta em
i* rte -Alagoas Peream-
Tem para vender
a" o Filho : atratar
do-Comhrercio n. 5.
Joaifuim Jose GonfalresBe-l
no eou escriptorio a rua
I
J. 9. C. IfeyJe..
V 1 C
ffliii
Vende-se uma excellente ca?a com um pequeno
sitio, siu no Arraial junto a casa do Sr. Anselmo :
a tratar ua mesma ca iaeraa do Qwimado. 3, 1* andar
Hmlapolae francez
a 0|500 a pega I!
Madapolao franeeE fino com poueo sujo a 6*50 ,
i peca ; e pechincha I na ma do Qucimado nu- j
mero 43.
mtm
Chambertin
Pommard
Virits
Volnay
Beanne
Monthelie
Dito Borde8Ui em quartollas.
Voodo-se por iiarato preco
PARA -LIQU1DACAG DE CONTAS
NA
Rua I-ara do Rosario 34.
Botica.
Tem para
Coroac de Hennessy, superior e verdadelro..
Vinho Xeres das melhores qnalidades.
Bitters de Angostura.
Whiaby.
Gba prote em lattas do 40 libra*.
Todas as preparacoes chiisicas do Dr. Ayr : no
^armazem da rua do Commercio n 38.
Bolsao, malas ifidispensa*
Amaral, Nabeo A C. receberam compJeto sor-
j lioiento de bolcas, malas e wdispensaveis de con-
j ro, madeira e chagrin : vende-se no Batar Vic-
: toria, rna do Barao da Victeria n. 2. _______
. gl Canarios da Allemaiaha
Ghegaram peie altimo vapor da Earopa, por-
feilos cantadores orde cures rauilo lindas :acbam-
se awendi no armazem Fidekdade, a raa do In>
perad6r n. r4.
T
J. Deivo avi=a a seus'fr
viagem.^ira as province
biieo, cOBdutindo oxoeMtnle Wnpa da 'buiros
rpnssaraipor Penedo, Pilar, Castanlia-Grande, Por-
j to'Galyo. Barreiros, Bio Furuioso, Esrada,,CabO e
! [irovaveljnentc por Santo lAmaro do Jab'oatao a
Nazai^tti ; por t?so pode set avtea'ao ou orcod-
tra*i nvqualquer destfe lafMes
Uwaaytfas;.gftBonmb-ode:1873.
Alctnmi-eazttsas lias Ffe
jiffs' Sn4gt!ds.
>>uiafloca de Ag-ui&r.
/ BfGMTBONATADASSODrOAg
ftaiys< <1 u r. Sna JMlit* Rodrt
ffueH, Icnte da <-sMla Po1j te
edmioa de Lisbon.
Esta excellente agoa usada com vaurigem no
>p entomago etc^ etc.
Ven4e-se
l*liiM>iiiacia c di*f aria
BA *
Rua larga de flosario n. 3t.
Lindas las escocezas.
Do vatios paJr.oeSj e mieiratnente modernas, a
360 rs 0 covado : na rua Primeiro de Marco,
antiga doCrespo tf. 13, lefa'dds colutWKw, de-i*n-.
looio Cor-reia de'VaicotKeilflti
DE
GOMES DE MATTOS & IRMAO
Avisam ao respeitavel publico desta cidade que 0 sortimento de joias> desabido va^-
lor.que cxisua em sou ostabelecimento, estd completamcnte reforcado com 0 mais ele-
gante sortimento de novas joias, que receberam directamente pelo ultimo vapor da Eu-
ropa, constando elle do mais variado sortimento de aderecos d Boulevard, pulsekas de
ultiaw gosto com pedras preciosas (\ sem ellas, brincos d'argola, agraffes para relogic de
senhoras, delicados aderegos para meninas, meios aderecos de camafeu lindissimos, voltas
de nogordios para senboras, correntes inglezas de ouro e de platina, variada quantidade
de botoes para puuhos e peito, com embletnas ma^onicos, de onix, tecido de ouro, can.-
feu, etc., brilbantes monstrosde rarissimas agoas, em anneis, rozetas, polsejras, alfiie-
tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro de melhores fabricantes de Paris, que se
venderao com grande reducgao de precos, por serem dies recebidos directamente de seu
commiUentes.
Os proprietaries do acreditado MUZELi DE JOIAS, lendo ;eu estabelecimento abert
ate 8 horas da noute, convidam as /amilias que se quizerem prover de lindas joias, 0
virem escolba-las & vontade, para 0 que es'i> em eiposicao uos mostradores.
33

A VERDADEIM TINTA VIOLETA
JOSE FERREIRA DA SILVA
SUCCESSOR
DE
SANTOS 3JEVES
C.onfinun a vender a verdadeira tinta violeta extra-fina de.Montei-
ro, em meias botijasa quartos, a retalho e
Em grosso com vantajoso desconto
MA PRIMEIRO DE MARCQ N. 19
ANiIGO DEPOSITO
ss-

e*
DE
Fazendas finas
NA
Rd i de Marco n. 7 A.
DE
CoEdeiro Simoes & C.
E' esta casa, sem duvida, uma das que hoje,
pode com primazia apresentar aos seus freguezes
umvatfaiissimo sortimento de fazendas flnas pa-
ra grande toilette ; as9in> como, para o oso oroi-
nario ' sos para os cempradores, de cu>as fazem um pe-
queno resumo.
Handam fazendas as casas dos prctendentes,
para"o'ne-tem tras imAianie p*nbor.
Cortes de seda de lindas cores.
Ditos de orgurao de cores.
Orostlebaple de tedas as cores.
G^gur*D branco e preto.
Setim Macau pnato e de cores.
(Jrosdenaples idem idem.
Veluao preto.
Grauadtee, eda preta e colismasrt de cores lin-
dissimas padroes e fazenda da ultima moda.
f operrnas de Hndos padrdes.
Filo de seda branco e preto.
fticas basquisas tie seda.
Mantas brosileiras.
Colchas de seda para noivos.
Cortes de cambraia branca com lindos bordados.
Capellas e mantos para n ivas.
ftiquissitno sortimento de las com listras de seda.
(^arabraias de cdrej.
Ditas maripozas, brancas e de cores.
'Kansuok de lindos padnSes.
Baptista de padroes mui delicados.
Percalinas de quadros pretos e brancos, de lis-
tras, etc.
Brins He *nho de cores, proprios para vsstidos
com barra e listras.
Fustao de lindas cores.
Casaquinhos de la e de todas as cores, para s
nhoras.
Saias boruadas para sennoras
Camisas idem idem
Vestuarios para meninos.
Ditos para baptisados.
Chapeo para dilos.
Toalbas o guardaoapos acamascados de irdlio a*
cures para mesa.
Colehas de li.
Corlioados bordados.
Cinunil boriladas para bomem.
Meias de cores para bomens e meninos.
Complete sortimento de chapeos de sol para he
mens e senhoras, em cabo de marlira.
Merino de cores;para veslido?.
Dito preto.
Atoalbado de linho e algodao para toaltias.
Atealhado pardo.
Brins de linho branco, preto e de cores.
Setim de lindas cores e com listras
Chales de merino de cores e pietos.
Dilos de casemira.
Ditos de seda preta e de c*jre#.
Dito de touquim.
! Camisas de linho.
Ditas de cbita.
Ditas.de Oanella.
Ceroulas de brim e algodao.
Damasco de la de cdres.
Pannos de crochet para cadeirs, sefa e consoile
Colehas de dito.
Tarlatana de todas as cores.
Espartilhos lisos e bordados. ^A
Foulard' de seda.
Casacos a tricofc
Rii.09 cortes de vestidos de liulu para senhora,
de di ersas cores, com os competentes eflfei-
tes, ultima moda.
Casemiras pretas e de' c&re*, chitas, madapoloes
camferaias, panno ftno preto e azul, collarinhos,
punhos, gravatas, luvas de pellica, ditas d 60
de Escocia, brancas e de d6res, ta petes de todo:
os tamanhos, bolsas de viagem, etc. etc.
Na loja do Passo, rua Primeiro de Marco n
A, antiga do Crespo.
m d .1.
10.
78

DOS PREM10S DA IU PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR 1*1 PROVINCIAL N. SNA BESEFKJO DO HOSPITAL DA OKDEM 3." DO ARMO EJH 10 DE DEZfeiWBRO DE 1873.
NS. PRBMS.
7
S
II
it
44
17
18
26
29
39
ii
47
67
69
74
75
81
87
98
101
16
27
U
39
H8
47
SI
&t
M
69
711
80
8i
88
93
208
9
il
4*
_

SB. PfffiMS. NS.

_
2H4
37
48
57
rB9
80
75
76
7.7
84
87
89
97
301
3
7
II
38
39
41 but
4i
47
:n *jip
57
6V
68
71
73
85
Hi
t
9
26
50
66
70
44
40

503
24
,25
37
M
48
47
48
^0
69
78
80
65
87
601
13
fa
21
it
28
37
55
-59
80
84
88
.92
S
708
9
1*
*6
28
-25
31
41
48
PflEMS.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. -PAEMS.1NS. PREMS.-NS PREMS..INS. PREMS. NS. PRUMS. NS. PREMS.



4:OOtt
m
ro5
4?>
1O0
m

749
50
60
66
70
75
76
89
99
801
6
8
17
19
27
34
36
42.
46
47
54
6i
78
80
84
87
91
94
99
e8
u
12
22
24
27
41
54
69
70
40
m
43J
I
4d
4,3
975
78
1001
11
12
29
40
42
49
52
58
63
70
76
81
40
3
M 18
4,5
u
#
95
98
4101
6
8
H;
f 4
15

26
40
47
49
84
62
64
67
75
81
84
87
89
93
1198
99
1201
12
35
45
46
54
56
.
76
78
79
1OO0
40 81
1301
6
4 *
1
28
42
59
61
64
65
84
89
92
96
1401
14
16
22
28
46
47
1O0
40
60
401
__
401450
54
69
75
77
82
84
91
93
94
99
1300
5
10
17
21
24
35
42
54
68
71
74
83
88
93
96
1604
20
tt'
2
-> 1687
40: 89
91
r il
--- 28
37
45
: 64
1O0 75
40 76
-1 81
_
v*ft
40
O0
40
_
71
BftglfeS
,
TI
2a 17
((BO;
23
29
33
39
58
59
61
70
78
M
f2206
7
11
22
23
39
42
4:}
Vkf
55:
59
2313
A6
31
33
37
39
43
40

0
40
__
100
tm
40
1-
46 nniiM
65
71
61
84
88
96
2436
2444
,i54-
67
84
94
98
{2542
27
37
5f
58
70
71
73
89
91
92
94
96
99
2600
20
.41
S*
59
CO
m
08
79
83
84
67
2701
3
11
30
32
44
NS. PREMS.

*0
40
2733
4
58
63
70
79
84
99
280d
6
12
44
30
36
40
41
48
71
74
78
82
91
40
NS. PREMS


tr

_
_
V.) 3909-
-41
51
54
m
69.
73
75
78
86
87
90
3000
20
23
0
3034
50
55
64
81
87
93
94
3103
9
12
m
26
39
47
48
63
67
73
77
85
96
97
98
aao8
t
r9
26
43
52
62
6S
85
86
87
99
3306
17
1O0
1O0
40
40
NS. PRK.M.S.
3318
25
30
45
51
56
62
66
71
78
81
85
96
97
99
3403
5
7
9
12
44
?5
28
- 30
9O0 45
40 49
*0 32-
40
**>
m

NS.
3510
15
17.
27
28
32
'.'1
54.
59
72.
81
86-
91
94
3615
19
23
29
PREMS NS.
40
-

40
94
m
69
7B
78
84
86
87
91
3502
6
36
72
7:}
"m
79
84
.98
3712
15
18
19
21
25
29
34
42
45
58
40
40
ie0
40
3772
74
75
16
81
84
3802
4
8
13
14
ft
47
48
. i>4
65
78
90
m
9G
97
98
3901
10
18
19
25
29
34
52
54
62
65
70
75
62
99
PREMS
40-
4
0
40
r
100
40
\
mm
MUTIUUM ]
HECiVH





.
jmm
8
Diario de PerntabtieO -=* Quinta feira II de Dezenibrd do
JUiSISPRUDEHC'A.
Helntorlo
A RESPEITO DO NEl.OCIO DO MARECHAL BAZVINK
EX-COIHIANDAWH EM CHEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
[ Conekisao)
E' para lamentar quo elle nao tenha
aproveitadu esta demora para observar a
esqueriia do scu exercito. Se se nio toma-
ram estas rrecaugfies nio foi por ignorancia
da situagao ; o marechal Lo Boeuf tinha-o
prevenido. Porque <5 quo desde a vespera,
se n3o occupou em forcar a entrada das quo-
bradas que desciam ao Moselle, verdadeiras
passagens c,ue OS aHemies tinham a soguir
para alcancar as planiceis antes de se pode-
rem descnvolver ?
Em uma palavra, se o marechal Bazaine
nao tinha tencao dc ir a Verdun, para que
deiiou ao inimigo toda a facilidade de lhe ir
embaragar o caminho. Porque 4 que nio
ordenou, polo menos na manha de IG, ao
general Frossard, que reconhecesse bem as
gargantas quo davam nas posigfies occupa-
deuma maneira vaga, assim como a todos
05 outros coalman lantes, que fizesse reco-
nhecimentos diarios ? Porquee que aquel-
le general, cuji posig.ao, inteiramento A es-
querda do exercito expunUa, de uma manei-
ra particular, ds cmprezas do ir.imigo, e que
no mesmo tempo lhe indicava a sua presen-
ga, n3o so assegurava corn o maior cuidado
as passagens d'onde o inimigo devia desem-
bocar ?
Seja como for, o marechal, cujo quartol
general estava em Gravelotle, nao podia
declinar a responsabili lade da empreza,
quetornoi. notavel o priucipio da batalha,
e que afinal compro etteu o resultado.
lima vez feitaesta reserv;, reconbeceremos
que no moniento critico em que o 2 corpo
foi atacado pelo inimigo, o sangue frio e in-
trepidez do marechal foram supcriores a to-
do o elogio. Em pouco tempo, as suas
sabias dispcsigoes, depois de haver repara-
do o mal que tinlia feito, prepararam o exi-
to do dia, que a entrada em linhado quar-
to corpo devia definitivemente assegurar.
Movimerrfo retrograde/ do exercito.
Chegou a noite ; estavamos seuhores do
i-ampo : quanto a perdas, dozosete mil ho-
inens fora de combate, nos quaes o 2 e o
ii corpo contava cada urn mais de cinco
mil homens, comprovam a enorgia da luta
que acabavamos de sustentar. As perdas
do adversario eram muito mais considera-
veis ; todos os seus ataques so tinham mal-
logrado. Devia reinar grande confusao nos
corpos que se tinham successivamente em-
peoha lo na peleja. Ncsta situagao, so ha-
\iam dous pirtidos a tomar para rosta-
belecer as communicagfies do oxercito com
o interior: ou atacar o inimigo e repelli-lo
para alem do Moselle, ou occultar-se-lhe
por meio de uma marcha rapida para Briey,
na direocSo do none. Toda a hesitacao,
toda a demora devia ser fatal, porque per-
mittia no inimigo que se estabelecesse na
linha de retirada do exercito. Estava alii o
lnomento decisivoda campanha.
A prime.ra destas combinagfios nJo se
apresentou nunca a idea do marechal; nao
faz menjao lella nem ua sua memoria jus-
tificativa nem no relatorio que na niesma
tarde de 1C expedio ao imperador. Tam-
bem aHi'Se nao encontra nenhum outro
vestigio do projecto de marcha sobre
Briey.
Eis aqui os termos em que o marechal
fez conhecer ao imperador, no relatorio que
Hie diriglo naquella noie, as resolugoes
em que tiuha combinado.
Gravelotte, 16 de agosto, ds 11 horas
da noite
Senhor. Esta manha, is 9 horas, o
inimigo ataoou a frente dos nossos acam-
pampntos em Kezonville. 0 combate du-
rou desde pela manha ate ds 8 horas da
noite. Esta batalha foi encarnigada ; fica-
mos si-nhores das nossas posigfies, depois
de termos ssffrido perdas sensiveis. A dif.
ficuldade, agora, funda-se principalmente
na diminu'n;ao dos nossos parques de re-
serva, e ser nos-hii penoso sustentar outro
dia como este, com o que nos resta nos
caixoes. Por outro !ado os viveres sio tio dente, que sera garantias constitucionaes, a
escassos como as munigfies, esou obrigado autoridade, por moderado que seja quern a
a dirigirme pela estrada de Vigneulles a exeTe, nao dcixa de ser utna dictadura
Lesey para me fornecer. Os feridos foram mais ou menos disfargada.
evacuados esta noite para Metz. Segundo As duas fraegfies da commissio estio de
as noticias que tenho da concentragSo dos accordo em que a pessoa do presidente da
exercitos dos principes, e pravavel que me republic* 6 inteiramec.te de Wra dos nossos
veja obrigado a tomar o caminho de Ver- debates; elle merece a todos o mais sincero
dun para o norte. respeito : o suffragio da assemblea elevou-o
Os viveres sao tao escassos como as 6 suprema magistratura da Franca, e nada
inunicdes, disse elle no seu rt-latorio. Sou se oppoe a que se prelonguem.
obrigado a dirigir-mo pela estrada de Todos tambem ostao de.accordo em
Vigneulles a Lessy para me fornecer. que o titulo official cepresidente da repu-
Segundo as noticias que tenho, e blica seja inscripto na lei, e do mesmo mo-
provavel quo mo veja obrigado a tomar o do tod s ontendem que sendo prorogados
caminho de Verdun para o norte. os poderes do marechal, sem demora se
Deste modo, na sua apreciacJo, elle ia nomeie unia commissio para examinar as
dir:gir-se para Metz, e nSo emprehenderia leis constitucionaes.
a sua marcha sem o fornecimento do exer- Os pontos de divergencia eram : A
Clt0- assemblea poderd legal.nente prolougar os
A resolugao do marechal acentuava se poderes do chefe do astado para alem da
ainda mais na sua carta dirigida ao gene- existencia da propria assemblea T Sendo o
ral Bourbaki na mesma tarde, ao meio presidente pela actual .egislagito urn manda-
diae meia hora : Como i.6s concorda-, tario da assemblea, podera" o mandatario
mos, as dez horas devois retomar os vos- conservar o seu podor quando deixe de
sos antigos acampamentos, concontrando- existir o mandante ?
os. 0 grande consumo que sefez hoje dej Em outra occasiao, a assemblea resol-
munigdes de artilharia e de infantaria, assim vera negativamente'; como se propoe entSo
como a falta de viveres para muitos dias, !que em 1873 se resolva ocontrario do que
nao nospermitte tontinuar a marcha que fora decidido em 1871 ?
haviamos tracado. Vamos pois reunir-nos A commissao, por maioria de 13 votos
aerSo prorogados talvez por seis ou sele
fMOOS.
9e as leis constitucionaes s3o votadas, o
poder do marechal repousara* sobre bases
fixas e inabalaveis. Se essas leis n8o sJo
votadas antes da dissolucfto da assemble, a
prorogagao e v3, e a camara immediata pode
estabelecer o contrario. Nao e possivel achar
um meio termo: ou promulgamos uma
constituigao e os poderes do presidente fica-
r3d consolidados, ou nao temos constituiQSo
e a Franga fica ainda entregue aos azares
da guerra civil e da revolu^ao.
na planicie de Plappeville.
Nao foi portanto o receio de n3o poder
contra 2, entendeu que se nao podia impe-
dir que uma assemblea jegulasse ao menos
abrir o caminho de Verdun que suspendeu jo meio de abrir o seu testamento ; queella
mas so apenuriade viveres e;tinha portanto o direito de nomear um chefe
o marechal
de municoes. Quo havia de verdadeiro
nesta dupla nssercao ? E' isso que vamos
examinar agora. As municdes eos viveres
eram muito suflicientes para continuar a
marcha.
VARIEDADE
ASSEMBLEA NACIONAL FBANCEZA.
Na sessao do dia 15 de novembro, Mr. La-
boulaye apresentou na assemblea o relato-
rio da commissao dos quinze. Este notavel
documunto, que reune d opiniao da maioria
da commissao, couclue pelo seguinte pro-
jecto de lei:
Art. l. Os poderes do marechal Mac-
Mahon, presidente da republica, lhe serao
pror.igados por um pcriodode cinco annos,
alem do dia em que se reunir a proxima
legislature.
Art. 2. Estcs poderes se exercerSo nas
condiijoes actuaes ate quo sejam votadas
as leis constitucionaes.
Art. 3.1 A disposicao do art. I' encor-
porar-se-ha nas leis organicas, e nao terd
caracter constitucional se:3o depois de vo-
tadas essas leis.
Art. 4." Dentro dos tres dias que segui-
rom a promulgacao da presente lei, uma
commissao de trinta membros sera" nomea-
da pelas mesas das differentes commissoes
da assemblea para examinar as leis consti-
tucionaes que foram apresentadas a* assem-
blea em 19 e 20 de maiode 1873.
0 extenso relatorio que precede este pro-
jecto, analysa a proposta de Changarnier,
e explica porque a commissao a modificou
e converteu no actual projecto, fgjo resu-
mo aqui damos.
Prorogar, diz este docuraento, por dez
annos, a autoridade. exeeutava em uma na-
cao, ondo os poderes publicos nao estao
uem definidos nem organisados, seria um
acto legUUiivo sem precedente algum.
A commissao divide-se em duas partes
quasi iguaes ; de 8 votos por um lado e
7 pelo outro faz todos os esforgos para che-
gar a uma conciliacao, uo intuito de evitar
fuuesta divisao da assemblea. Se existis-
sem leis constitucionaes, teria sido facil o
accordo, pjis que a discussao apenas versa-
ria sobre a maior ou menor duragao dos
poderes prorogados. Na ausencia destas
leis as duas fraccoes da commissao nao
poderao deixar de dividir-se sobre um pon-
to fundamental.
A minoria entendeu que podia desde
jd prolongar os poderes do chefe do estado
deixan lo ao future o encargo de definir e
organisar esses poderes. A maioria, ao
contrario, nao julgou licito prolongar sem
condigdes, um pode.-, cuja eitensao n3o fica
sujeita a nenhuma regra-, e torn como evi-
FQLHETIM.
LUcnsciA~BQnaiA
MEMORIAS DE SATAHAZ
POR
D. Manoel Feruandezy Gouzalez
PRIMEIRA PARTE
0 GRAN-CAPITAO.
XX11I
DE COMO 0 GRAN-CAPITAO SE ACBOU E.NV0LV1-
DO EM UM NOVO ESREDO.
(Continuag5o do n. 279}
- E' ingrato e cruel, Gonzalo ; julga
que o n3o chorafiam em Roma ?
Por um que chorasse, haveria cem
rail que se regosijassem ; eu estorvo e
olham para mim de travez.
Mas n8o aqui.
Eu nao disse isso.
0 mesmo succede no palacio Borgia
onde vai com tanta frequencia Ah 1 diga-
rae, que fez de um certo retrato de marmo-
re de Lucrecia Borgia que representa Leda
(ecordando-se de Jupiter, segundo dizum
distico latino que se 16 no pedestal ? Sup-
ponho que nao leard para Loja essa obra
prima. Que escandalo E pode" amar se-
melhante raulber !
Lucrecia Borgia 6 a pessoa mais im-
portantedo Roma, disse o gren-eapitao, e
se a vejo com alguma frequencia...
E' porque ella lhe deu alguma cousa
para que a amasse, e o duque ama-a, esta"
louco por ella, e sua amtnte, apezar de que
lhe roubou uma mulher inGnitamente mais
formosado que ella, mais pure, maisjoven
e comprometteu a sua honra, fazendo acre-
ditar com uma intriga, que o duque havia
raptado e seduzido essa joven.
A proposito, disse Gonzalo de C6rdoba
aproveitando o ensejo, o dever que tenho
do restituir essa joven d sua familia, e a
certeza de que Lucrecia Borgia estd senho-
ra d'ella i o que me obriga a entreter rela-
Qoes com Lucrecia. Tenho, pore"m, uma
prova de como n3o sou tratado com lealda-
de ; acabo de recber uma carta de Angio-
Hria, que parece ta^. falsa como aquella quo
Angiolin." julgou c a eollocou e.a
poder de Lucrecia. Sabe Deus que lago
me pretendem armar I Embora, me n3o ti-
vesse mandado chamar, Isabel, teria eu
vindo para que me prestasse o seu auxilio.
Pois recebeu uma carta de Angiolina,
e vem pedir o meu auxilio ? exclamou a
duqueza empallidecendo e tremendo de co-
lera.
Sim, minha senhora, replicou Gonzalo
tirando a carta da algibeira, venbo pedir-lhe
auxilio, porque temo que esta carta encerre
uma traicao ; necessito que me auxilie di-
zendo-rae, porque com certeza m'o poderd
dizer, se Angiolina escreveu ou nSo esta
carta.
E entregou-a A duqueza que pegou n'ella
com mdo tremula.
Esta carta e sem duvida alguma de
Angiolina, disse a duqueza, porem podem
te-la obrigado a escreve-la ; esta carta pode
ser um lago armado pela propria Lucrecia ;
de outro modo n3o coraprehendo como ella
pdde cbegar ds suas rnaos. Lucrecia guarda
muito bem os seus pnsioneiros, e, em ulti-
mo resultado, para melhor os guardar, ma-
ta-os. E pode o duque amar semelhante
mulher 1 Terd quasi a prova de que o
atraicoa e continuard aruando a ?
Se eu amasse Lucrecia, disse o gran-
capitao aproveitando o attaque de Isabel, se
ella fosse minha amante, nao pretenderia
atraicoar-me ; provar-lhe-ha isto, duqueza,
que se deixei de a ver e porque receio que
me enlouqueca, e que se visito Lucrecia
corn frequencia, e porque vejo n'ella o po-
der deRoma, e a mulher que occulta uma
outra mulher que necessito enconlrar como
cavalheiro.
Os olhos e os ouvidos da mulher ciosa
estao em toda a parte, disse Isabel fixando
um olhar tao intenso no gran-capitio, que o
fez baixar os olhos. Lucrecia e eu somos
inimigas mortaes, e se nio sou tambem sua
inimiga, Gonzalo, e porque nao posso, 6
porque o amo, apezar do seu desp.ezo, e
por tanto estou desesperada e resolvida a
tudo.
Affianco-lbe, minha senhora, que se
a n8o amo como deseja, 4 porque nao posso,
e se n5o sou seu amante e porque a res-
peito.
Concluamos, disso Isabel; o duque
vai salvar Angiolina ?
Vou.
Pois bem, irei eii taiabeui, nao para
irAogiftluw, mas para o salvar a si;
,! estd Ai /'lir.a,
do po ler executivo que durasse mais que
ella ; que nada havia de illegal em fixar em
periodo mais ou mono; extenso a existencia
de qualquer magistrat jra.
Mas qual e o cara:ter, quaes os limites
e o valor deste poder prorogado ? E' esta a
principal questao. A lei que n6s agora
fazemos e uma simples lei, ou e uma dispo-
sicao constitucional ? Pdde esta lei, que a
assemblea actual promulga, ser abrogada
pela assemblea seguinte. ou c inalteravel
como um acto onstituinte?
A minoria tern esta lei como constitu-
cional, e n3o quer que uma assemblea pu-
rameute legislative tenha poder de a mo li-
near. A maioria segue opiniao contraria
e entende mais que uma lei, feita com res-
peito a determinada pessoa, que constitue
um privilegio e uma exceptjao, daria lugar
a ponderosas objeccOes, mais proprias pare
enfraquecer, do que para fortiBcar a auto-
ridade. A maioria entendeu, portanto, que
o meio de consolidar o poder s6 era ligar a
noinearao do presidente ao voto das leis
organicas, de modo que a constituicAo e
os poderes do chefe do estado dimanassem
da mesma origem, e tivessem a mesma au-
toridade.
Evidentemente a Franca requer segu-
ran^a e estabilidade ; e alguns tomam a re-
publica pela mobilidade do poder executivo,
e podem um poder duradouro como penhor
da desejada seguranca.
0 norae do marechal tranquillisa os
mais timoratos ; sob a preside ncia delle
cessarao todos os vfios terrores, e habituar-
nos-hemos ao governo do paiz pelo paiz.
Damos todo o valor a estes sentimeotos,
queremos attender a estas exigencias, mas
sob condieao de que a seguranca e estabili-
dade nao serao unicamente garantidas por
um grande nome, mas sim pelas institui-
<;6os. A Franca nao pede unicamente um
presidente, pede um governo constUuido.
E' sobre este terreno que a maioria df\om-
missao se estabeleceu, 4 nesta terror' que
ella julga possivel a conciliacab. n&o
quer sacrificar a liberdade a oale^i, nem
a ordem d liberdade. Fazer cessar o provi-
sorio, orgauisar o governo legal do paiz,
iste e a republica, eis aqui o nosso fim e
os intuitos da nossa politics. Sob estavs con-
digoes, admittimos a prolongaQao dos pode-
res por tempo limitado; sem ellas nada
po demos fazer. Nos somos os primeiros a
desejar que em um governo livre o poder
executivo seja forte e energico ; mas e ne-
cessario que esse poder seja constitucional.
Nestas condicoes, n6s aceitamos que
os poderes do chefe do poder executivo du-
rein todo o tempo da futura camara : ir alem
destes termos poderia prejudicar o regular
funcciooamenlo das instituicOes que n6s de-
sejamos constituir. Deste modo os poderes
nem quando o duque tenciona ir soccorre-
la ; Id nos encontraremos.
N'esse caso, ate" i vista, minha se-
nhora, disse Gonzalo.
Vd com Deus, accrescentou Isabel
contondo as lagrimas que lhe marejavam
nor olhos.
Gonzalo beijou-lhe a mao e sahio.
Proximo da porta do palacio de Urbino
encontrou um pagem com libre encarnada,
isto e, com a fibre dos Borgias.
Da parte da minha senhora, disse o
pagem entragando uma carta ao gran-capi-
tao.
A carta dizia :
0 meu pagem entregar lhe-ha esta
carta onde quer que o encontre. Venha
ver-me immediatamente ; e negocio impor-
tante. Lucrecia.
. Corre e dize d tua senhora que jd Id
vou, disse Gonzalo ao pagem.
Aquelle comprimentou respeitosamente e
partio correndo.
Um momento depois, Isabel sabia que
Gonzalo tinha recebido, A porta do palacio
de Urbino, uma carta de Lucrecia.
Em seguida chamou Christobal de Villos-
lada, seu capitao de esbirros, seu amante,
seu confidente, n'uma palavra o seu facto-
tum.
A que ponto vai chegar iste, label ?
disse Villoslada; ctda dia me sinto com
menos fore,as para soffrer; tu amas esse ho-
mem.
Nio, respondeu Isabel, mas cada dia
precisamos mais d'ello. Savonarola escre-
| ve-me dizendo que 6 necessario de todo o
ponto quo o gran-capitao se ponha do nosso
; lado; elle afasta-se cada vez mais, e cada
' dia Lucrecia toma sobre elle maior ascen-
dente. Lucrecia, poiim, nio o ama a elle,
mas sim a sua arabi;ao. 0 gran-capitio
estorva-nos a todos, e pode servir-nos a to-
dos ; i, porem, um homem de aco, que ser-
ve tio somente os iseus reis. Mata-lo e
inutil, porque ficariam d frente do exercito
j hespanhol outros capities, sem eontar com
' Marco Antonio Calonna, que se subrtetteu i
' edsa de Aragio, e estii em Terracina com
os exercitos de Napolos e de Hespanha que
11; todo um. Nio poderaos mover-nos, e se
o gran-capitao morresse, seria peior. Oque
(do todo o ponto nos convinha era attrahir d
[ reforma Gonzalo de Cordoba, o que talvez
se conseguiria se Savonarola podesse fallar
com elle. 0 wu prestigio 6 immenso, e o
seu noT.1?, por si so, 4 synonimo de victo-
0 PBETr.NDENTE TICUBOHNE. No
dia 29 do outubro, 12o.a audieucia do jul-
gamento da causa Tichborne, no tribunal
Queen's Bench de Lo^dres, M. Hawkins ad-
vogado da accusacdo comecou a inquirigao
das testemunhas por elle dadas para refutar
os depoimentos das testemunhas produzidas
pela defeza.
Lady Radcliff ( outr'ora miss Doughty )
relatou todos os factos, palavras e gestos
del la coin referencia a seu primo Rogero
Tichborne, que se deram entre os annos de
1812 a 1853. rectificando muitas inexacti-
does das testemunhas, que affirmaram tel-a
visto passeiar s6 com seu primo em logares
retirados, declarando n3o conhecer algumas
dessas testemunhas.
Lady Radcliffe marcou *as datas de todas
as epocas em que se encontrou com seu
primo.
Nas suas respostas consultant uma cartei-
ra que continha o seu diario, onde dia por
dia estavam apontados todos os acontecimen-
tos da-sua vida.
Na 126V audiencia do dia 30 continuou
a inquiricao de testemunhas.
C. Sporting, raagistrado em Essex, disse:
que era falso o que alfirmou a testemunha
Maria Nealy, a qual disse : que sendo criada
no hotel King's Arms, era Melksham em
1849, ahi vira a testemunha com Bogero
T chborne. Elle testemunha esteve alii duas
ou tres veros, mas nao conheceu naquelle
sitio Rogero Tichborne, nem pessoa alguma
da sua familia.
Coronel Bickerstaff disse: que n3o era
exacto o que disse a testemunha Marks, que
elle correra a aposta com Rogero Tichborne:
nunca tal fez com official algum.
H. Allen acompanhou Arthur Ortoir para
Middleton : nunca lhe vio cicatrizes na cara
nem nas maos.
Mais 8 testemunhas disseram o mesmo.
Capitao Oates disse : que nao tem o menor
couhecimento ou lembranca do capitao Bro-
son, que vio no Rio de Janeiro por 4 ou 5
dias Rogero Tichborne; mas nao o apresentou
a nenhum iudividuo chamado Brown, nem
a pessoa alguma ; que era falso o depoimen-
to do capitao Brown no tocante aos factos
passados com elle testemunha.
Capitao Hoskin disse: que estava uo Rio
de Janeiro em 1854, mas que n8o foi a
bordo do Bella, nao conheceu nunca Brown,
nem fallou a Rogero Tichboru, sendo f ilsas
as referencias que o capitao Brown, fez a
elle a testemunha
Major Foster disse: que nao era verdade
que Rogero Tichborne disparasse sobre elle
um tiro de rewolver, como alfirmou a tes-
temunha Wild.
W. Kolly, antigo capitao do navio Bella,
deu largas informacdes sobre a construccio
daquella embareacao, as quaes nao concor-
dam com as descrip$6es que fizeram as tes-
temunhas da defeza, as quaes disseram tel-a
visto em Melbourne.
J. Gallot, agente maritimo no Rio de Ja-
neiro, foi encarregado de fazer o seguro do
Bella; os donos do navio e da carga e os
seguradores fizeram todas as diligencias para
terem noticias da embarcacao, ou da tripo-
lacio, nunca souberam cousa alguma; todos
os interessados se convenceram qu tudo se
tinha perdido, navio, carga, tripola$ao e
passageiros.
H. Bigmore foi do regimento de carabi-
neiro ; disse : que tendo perguntado ao ac-
cusado como se chamava o sargento que
esteve ds ordens do alferes Tichborne, o ac-
cusado nunca lhe deu o nome certo.
Na 127.' audiencia do dia 31 continuou
a inquiricao das testemunhas.
Um jornal de Londres deu a noticia que
um dosjurados estava gravemenle enfermo
ria. Talvez que, estimulando a sua ambi-
gao. podo-lbe diante dos olhos a soberania
da Italia, se nos vendesse em corpo ealma.
Uma coroa pode muito, Christobal; os
Borgias seriam esmagados pelos nossos, e
Julio de la Rovere seria o pontifice de uma
igreja puriGcada e pederosa.
E Savonarola 7
Savonarola seria o apostolo da refor-
ma.
Estou vendo a fogueira em que Roma
dos vai reduzir a cinzas, disse Villoslada.
Tenhamos Gonzalo pelo nosso lado e
essa fogueira naj se accenderd.
Se Roma for vencida, os vencedores
serao vencidos por seu turno pelos reis ca-
tholicos. Se o gran-capitao os atraicpar, o
quemeparece impossivel, vird sobre elle
com todo o poder de Hespanha, o rei D.
Fernando ; tudo isto e um sonho ou antes
um pretexto. Hoje nao te important nem
Roma nem Savonarola, nem o mundo in-
teiro ; o que te importa 6 esse homem.
Seja comoquizeres, disse Isabel ; mas
vamos a saber, tu e*s meu escravo ou meu
senhor 7^
Teu escravo.
Pois entao o escravo deve callar e
obedecer ; necessito de quantos homens se
possam reunir, a cavallo e bem armados.
Como pela estada do gran-capitao em
Italia, terminou a guerra, ha em Reraa um
sem numero de aventureiros anciosos de
ganharem a vida.
Quantos ?
- Conforme a occasiao em que forem
precisos.
Esta noite, reunidos entre Roma e
Veletri, d diroita, fora do caminho.
Poderio reunir-se treeentos.
Quanto custard isso ?
Mil escudos.
Isabel abrio um armario, tirou d'elle al-
gumas joias e disso a Villoslada :
Procure um judeu e aceita o que elle
tede*r por estas joias ; depois reune o maior
numero de homens que f6r possivel para
esta noite. Estd ospiado o palacio Borgia ?
Estd.
Logo que Lucrecia saia d'elle, quero
ser avisala; retira-te.
N'aquelle momenta penetrava Gonzalo no
gabinete onde Lucrecia o esperava.
Esta estava pallida e agitada.
Dava causa a isso, o ter-lhe dito Farfa-
rello, "r'-do por Domintco, que o gran-
e que havia grande risco de se annullar todo
o processado, se o doente morresse.
M. Taylor era ojuradode que se tratava ;
felizmente a sua doeuca nio era tio peri-
gosa como se dizia, era apenas uma ulcere
n'uma perna, que nio lmpossibilitou o
doente de vir ao tribunal, assistindo a toda a
audiencia sentado n'uma poltrona com a
perna estendida.
H. Bigmore foi do regimento do carabi-
neiro. Fallou com o accusado em um in-
cendio que houve n'uma occasiao em que
um conlingente do regimento ia em mar-
cha, e em quo morreram 4 cavallos asphi-
xiados. 0 accusado disse que isto aconte-
cera era Newbridge, quaudo foi em Fermoy
a 100 milhas de distancia daquelle logar.
Rogero vTichborne nio se achava entao em
Ballincollig ou em Dubilu.
Anna Phillips, viuva do major Phillips,
de carabineiros, disse : que sendo mostrado
ao accusado um album com pothographias,
em que estava umgrupo deofficiaes, e por-
guntando-se-lhe qual era o retrato do major
Fraze, elle mostrou o do capitao Phillimore.
0 contrario alfirmou a testemunha de
defeza Greenwood.
Jeffery, sapateiro, disse : que em junho
de 1868 tomou medida ao r&) de dous
pares de botas finas ; quo os p4s do reo sdo
dos maiorcs que conhece; referindo os.nu-
meros das medidas, concluio que as dimen-
soes deste calgado correspondiam as do cal-
jado de Arthur Orton.
Havendo entre os membros do jury um
sapateiro suscitou-se discussao sobre os me-
thodos de tomar medida, e sobre a signiQ-
cagao de varidS termos technicos. Foram
apresentadas as medidas e as formas dos
calcados, cuja grandeza se comparava.
0 presidente exaltou as vantagens dos
julgamentos pelo jury, onde se encontram
sempre pessoas com conhecimentos praticos
da materia em discussao.
kobb, Runcciman e Taylor, sapateiros,
affirmaram quo em 1849 tinham trabalhado
para Rogero Tichborne e que elle tinha os
pes mais pequenos do que o reo, cujos pes
s3o dc dimensao que muito se aproxima A
dos pes de Arthur Orten.
M. Hawkins roquereu que o julgamento
fosse adiado at4 ao dia 17 de novembro afim
de podorem vir testemunhas dos Estados
Unidos para refutarem os depoimentos de
Jo3o Luie, testemunha de defeza, ndo tendo
sido possivel a accusacao apresentar teste-
munhas contra esta, porque nao teve ante-
riormente conhecimento delta, visto que o
Dr. Renealy, na sua allegagao, disse que ha-
via de inquirir um marinheiro do Ospirey,
mas nio declarou o sou nome.
A testemunha Luie depoz nos dias 14 a
17 de outubro, s6 desde entio pdde a accu-
sacao procurar provas para destruir as suas
affirmativas. Mr. Purcell, advogado, sahio
no dia 21 de Inglaterra para a America, por
parte da accusacao, para procurar as tes-
temunhas precisas.
0 Dr. Kenealy declarou que n8o concor-
da va com o adiamento e protestava pela
concessio que o tribunal havia feito.
0 presidente declarou que concedia o
adiamento requerido ate aodia 17, mas que
era o ultimo, e que este intervallo devia ser
aproveitado pelos advogados para prepara-
rem as suas allegagdes.
O correspondent da Independencia
Belga faz as seguintes reflexoes sobre a in-
tarrupQao do julgamento :
Antes de promulgada a lei intitulada
Common law procedure Act. que data de
20 annos a esta parte, nenhum juiz tinha di-
reito de suspender por qualquer motivo um
processo comecado, quer fosse civil, quer
fosse criminal; a lei referida estabeleceu
uma excepgao d regra geral, mas somente
em relai;ao aos processos civis. Na pratica
entendeo-se que a regra subsistia para os
processes criminaes..
Quando Mr. Hawkins pedk) um adia-
mento ate 17 de novembro para ter tempo
de fazer uma investigacio na America a res-
peito da exactidao do depoimento da teste-
munha Luie, Mr. Kenealy limitou-se a pro-
tester, sem apresentar argumento algum ju-
ridico para fundamentar o seu protesto.
0 juiz presidente concedendo a reque-
rida suspensao do julgamento, introduzio
capitao sabia onde estava Angiolina e que ia
salva-la.
Lucrecia comecara por mandar encarcerar
Farfarello, quo se negara a dizer-lhe quem
lhe havia dado a noticia do que Angiolina
estava nas ruinas do convento das Santas
Virgens, que ssbia isso o gran-capitao, e que
n'essa mesma noite iria salva-la.
Farfarello permanecera mudo a estas per-
guntas ; nem os rogos nem as ameacas ha-
viara conseguido arrancar-lhe uma res-
posta.
Ainda mais : quando era levado para o
castello de Sant'Angelo, Farfarello fugira
langando-se ao Tiber e nadando por baixo
d'agua.
Lucrecia escreveu entao a Gonzalo, es-
perando obter d'elle, insidiosamente, a cer-
teza de que sabia onde estava Angiolina.
Por isso, quando o gran-capitao entrou,
encontrou Lucrecia pallida e commovida.
Como sabemos, o gran-capitao, pela sua
aha missao politica e porque ha muito tem-
po estava habituado a tratar e a entender se
com Fernando V, era, quando necessitava
se-lo, um diplomata consumado.
Ao ver Lucrecia n'aquelle estado, affec-
tou entristecer-se, e fe-lo tao bem que a
enganou.
Que succede ? disse elle, que desgrac,a
nos ameaca, minha querida ?
Ah I Gonzalo I replicou Lucrecia cho-
rando ; vejo-me obrigada a separar-me de
ti, niosei por quanto tempo.
Separar-nos I exclamuuJGonzalo de
Cordoba fingindo-se altamente contrariado
e assustado. E para que nos separamos ?
Quem o ordena 7
0 santo padre. _
E para onde vai ?
Pare Plorenca.
Para Florenca I
Sim, mas com o mais rigoroso incog-
nito. Ha que obstar radicalmente d funesta
pregagio heretica de-Savonarola quo seduz
os florentinos, rebellando-os contra a igreja.
E' necessario acudir, intrigar, offerecer,
veneer com a astucia a audacia ; sei que
pode dizer-me que um dos seus capities
com alguns esquadrdes, basta pare prender
o tierege e faze lo morrer na fogueira. Isso
seria peior, infinitamente peior, Gonzalo ;
fseria fazer um martyr de um miseravel,
atentar os seus discipulos que sio fanaticos,
augmentar o mal em vezde o arrancarpela
raiz. F.u procederei do modo difTepente.
irarei Si
uma innovacio
assim ne processo criminal
sem precedente.
Mr. Kenealy obteve tambem ha tempe,
mas por meio de um requerimento expresso,
uma suspensio de dez dias, motivada pela
necessidade de preparar a sua defeza ; ha-
via nesta concessio igualmente um vicio na
fdrma de processo, mas 4 provavel que um
tribunal de appellagio nao annullasse o pro-
cesso por am defeito proveniente de j
concessio fei'a pelo juiz em favor do reo, a
requerimento deste e em seu bonuficio*
Mas nao aconteceria o mesmo se o de-
feito do processo se desse, oppondo-se o ro
em tempo opportuno.
Os annaes da jurisprudencia criminal
em Inglaterra nio citam um so caso em que
o representantc da coroa pedisse um adia-
mento, afim de complatar a prova em pro-
cesso jd comecado .
Ha muito boas opinides que sustentam :
que no caso de uma condenniac-io, Mr. Ke-
nealy recorrerd para a camara dos lords com
fundamento nesta nullidade.
Conforme a jurisdic^io ingleza, se a
camara dos lords admittir a nullidade do
processo, o reo nio pode ser accusado de
novo pelos mesiaos factos, e a condemnacao
Qcard sem effeilo.
No caso contrario, a decisao dos lords
fard uma importante modiucacAo na fdrma
do processo criminal, que exige que um jul-
gamento seja continuado sem interrupcio,
desde o principio ate a sua conclusio, modi-
ficagao que ha vinte annos sefez no-proces-
so civil com a inte'rvengio da legislature.
Am la outra bypothese so p6de dar. Se
Mr. Hawkins encontrar na America um ho-
mem que conteste a exactidao do depoimen-
to da testemunha Luie, Mr. Kenealy terd di-
reito de exigir do tribunal, pelas raesmas
razdes que Mr. Hawkins fez valer, e que fo-
ram admittidas pelo juiz presidente, que lhe
seja concedida umr suspensio de seis rae-
zes ao menos para ter tempo de pro-
curer na Australia e trazer para Inglaterra
testemunhas que possam destruir as.allega-
goes das novas testemunhas produzidas por
Mr. Hawkins vindas da America.
0 Times diz que se fcrmou em Lon-
dres uma sociedade com o capital de........
20,000 libras (90:0008*>00) dividida em
400,000 acgoes a schilling (225 reis,, quo
tem por fim commemorar o processo Tich-
borne por meio de um quadro historico na
maior escala possivel, que representa o tri-
bunal Queen's Bench na occasiio do julga-
mento, apresentando as personagens officiaes
que figuraram no processo, e todas as pas-
soas que nolle tem tido parte mais nota-
vel.
0 quadro ha de ser reproduzido em gra-
vura e photographia.
Alguns admiradores do Dr. Kenealy fize-
ram uma reuniio em Paddington, pare da-
rem um testemunho desatisfagio publica
ao intrepido defensor do pretendente Ti-
chborne.
Vio fazer-se iguaes reunifies em Lon-
dres.
0 pretendente n3o compareceu por moti-
vo das medidas tomadas pela justiga a seu
respeito, probibindo-lhe assislir ds reunifies
publicas, mesmo como espectador. Vai
abrir-se uma subscripgio para se fazer um
presente ao Dr. Kenealy.
INFELB AEREONAUTA.Refere uma
folha franceza que ha dias cahio, d distancia
do 800 metros do forte de Aubertilliers,
um balao com a respectiva barquinha, mas
sem o aereonauta. Dentro da barquinha
encontraram-se ainda diversos instrumentos
de precisio, levando tudo a crer que o infe-
liz viajante que dirigia o aereostato morreu
de algum desastre.
A QUESTAO DA BAHIA DE LOURENgO
MARQUES.-0 marechal Mac Mahon decla-
rou por meio do duque de Broglie, ministro
dos negocios estrangeires de Franga, que
aceita a commissio que lhe foi confiada
por Portugal e Inglaterra para resolver ar-
bitralmente a questio da bahia de Lonrengo
Marques.
ate mesmo os mais ignnrantes, vojam n'ellt
um ambicioso, um infame e nio um apos-
tolo.
Todavia correrd risco. Dizem que
Savonarola 4 um homem terrivel e que odeia
mortalmente os Borgias.
E onde estou eu com seguranga ?
disse Lucrecia. Que taga posso levar aos
labios sem o receio de que esteja envenena-
da ? Como lhe disse ja, e o duqne com-
prehendeu, siu eu a martyr da minha fa-
milia.
E Lucrecia choreva por tal modo, que
se Gonzalo se podesse Gar n'ella, te-lo-hia
enganado.
Durante duas horas que durou a entre-
vista, nem uma so palavra proferio Lucre-
cia acerca de Angiolina, nem o gran-capi-
tao se referio d joven. Parecia que Lucre-
cia se esquecera de tudo na situagio gre-
vissima em que se enoontrava.
Entio quando parte 1 perguntou Gon-
zalo a Lucrecia.
Amanhi, respondeu ella.
Eu a acompanharei, minha senhora.
Sim, acompanhar-rae-ha ate" aos limi-
tes do campo. Oisini que intentaria con-
tra mim um golpe de mao, nio o intentard
sabendo que me acompanba.
0 gran-capitio sabia parfeitamente que
Lucrecia partiria n'aquella mesma noite,
que tinha.zeios e que procuraria saber por
si propria se Gonzalo ia ou nio salvar An-
giolina. Com tudo, guardou uma tal re-
serva e guardou-a de um modo tio natural,
que Lucrecia duvidou se com effeito Gon-
zalo sabia do esconderijo de Angiolina, ou
se o aviso que lhe haviam dado fora tio
somente uralagoque lhe tinham armado.
Veremos ae esta mulher me ama de-
veras, dizia Gonzalo sahindo do palacio
Borgia.
__Ird ou nio irtl ? murmurou Lucrecia
quando ficou so.
. Depois chamou as suas damas e disse
uma dVllas :
Diga d Marietta que venha fallar-me.
Cinco mioutos depois, Marietta estava na
presenga de Lucrecia, porem transfermada
em dama de honor.
Connecia-se|que soffria muito, porque es-
tava muito pallida.
(Continuar-st-ha)
TYP.DO D'AR'tO.-HUADUQUE DECAXIaU.
'I
%

I
*
ihtiwb |
I UpHL
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETRXQNG98_ISQ9GA INGEST_TIME 2014-05-28T17:13:43Z PACKAGE AA00011611_20006
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES