Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:20000


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*-
ANNO YLIX. NUMERO 278

\
I
-'
PARA A CAPITAL M GABES OYUE SAO SB PAGA PORTE.
Por tre mezes adiantados................. 69000
Por seis ditos idem................. 1W000
Por urn anno idem.................. 84*000
Uda numero avulso.................. 420
f\
Por nove ditos idem
Por um anno idem.
DE PERNAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA & FILHOS.
0 Sra. fierardo Antonio Aires d Filhos, no Par*; Gon$aives d Pinto, no Maranhio; Joaquim Jose de Oliveira d Filho, no Cear4; Antonio de Lemvs Braga, no Aracatj ; Joio aria Jnlio Chaves, no Assd; Antonio Marques da Silta, no Hatal; Jose Jut
Pereira d'AImeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, aa Parahyba ; Antonio Jose" Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo^ntao ; Domingos Jose" da Costa Braga, em Nazareth j
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar das AiagOas; Aires d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio jde Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Goveruo la provincia.
LIIE.NTE DJ
DIA 18 DE SETEMDRO
1' secgao.
de 1873.
offlcios :
Ao inspector do arsenal de mariiha. Defe-
riudo o requerimento de Joaquim Theodoro de
v.nconcellos Aragio, autoriso V. S., no* termos
I so iuforraacio de 15 do corrente sob n. 720,
>. mandar elimiaar da companhia de aprcndizcs
marinheiros o menor Daniel Huguliuo de Vascon-
i-ellos Aragio, e entregal-o ao supplicante, seu
pai.depois que houver osle indemnisado a fazen-
da da quantia de i76lli, importancia da despe-
.;< feita com o Veferido menor.
Ao capitao do porto. Participando-me o
>n3Ul da Belgica, Luiz Antonio de Siqueira, que
! trante a sua ausencia na viagem que vai fazer
a Europa, deixa incumbido da gerencia daquelle
j-ulado o consul de Portugal ; assim o commu-
nico a V. S. para seu conhecimento.
Ao engenheiro das obras militares.Devol-
> i.iJo as prupostas que vieram aunexas ao seu
"tflcio de 21 do agos'o ultimo sob n. 11, para exe-
r-uf-ao das obras uecessarias na forlaleza do Brum,
dos reparos, caiadara e pintura da casa de resi-
deaen do director do arsenal de gaerra. tenho a
dizer-lbe, em resposta, que chame novamente a
puneurreneia para as referidas obras ; servindo
a base as oilertas mais vautajosas.
Ao consul da Belgica. Pelo offlcio que na
data de liontem me dirigio o Sr. Luiz Antonio de
Siqueira, consul da Belgica nesta provincia, Qco
inteirado do que durante a sua ausencia na via-
gem que vai fazer a Europa, deixa encarregado
daquelle consulado o consul de S. M. Fidelissima.
Dando seiencia as estates competr-ntes da delibe-
racio do mesmo Sr. consul, aproveito a occasiao
para renovar as segurancas de rainha perfeita es-
liina e distincta consideraeiio.
2" secgao.
Actos :
0 presidente da provincia, attendendo a
proposta do commandante do nono batalhao
de infantaria da guarda nacional do municipio
de Olinda, e a vista da informacio do com-
uundante superior, em offlcio de 17 do cor-
rente, resolve, de conformidade cam odisposto
no art. 18 da lei n. 602 de 19 de setembro de
1850, nomear para o dito batalhao os offlciaes se-
aaintes : I.' companhia, alferes o 1. sirgento
Jose Goncalves de Oliveira Filho ; 2." companhia,
tenente o alferes da !. Astolpho Adolpho de Pai-
va Vianna ; 4.' companhia, capitao o tenente da
2." Manoel Igoacio 4a Silva Braga.
0 presidente da provincia, attendendo a pro-
posta do commanlaote do 3. batalhao de infanta-
ria da guirda nacional deste municipio, que veio
annexa ao ofllcio do commandante superior res-
pective, de 18 do corrente sob n. 701, resolve, de
conformidade com o disposto no art. 48 da lei n.
da 6.' companhia do dito batalhao o terente ag-
gregado Justino Jose de Souza Campos.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o capitao do 8.* batalhao de infantaria
I i guarda nacional deste municipio Jose" Fernan.
des da Silva Daltro, a vista do parecer da junta de
*aude, que o julgou incapaz de servico, da 0 de
i!Ueio, e informagao do commandante superior de
!) do corrente sob n. 691, resolve, de conformida-
de com o disposto no artigo 69 da lei n. 602 de
18 de setembro de 1850 transferi-lo para o servi-
co da reserva, ficando aggregado ao 2." batalhao
respective.
0 presidente da provincia, de conformidade
com o disposto no art. 7 g 2 do decreto n. 3,453
df 28 de abril de 1865, e attendendo a proposta
d i juiz de direito da comarca da Escada, em offi-
rio de 15 do corrente, resolve designar o 1. ta-
belliao Joao Damasceno c Silva para servir o offl-
cio de official do registro de dita comarca,visto de-
ver continuar no da Victoria, o que foi nomeado,
nntes da creagao desta ultima comarca, por alii
re^idir.
Offlcios: .
Ao Dr. chefe de policia.Para que possa
ser satisfeito o pagamento da quantia de 60^, im-
p'.ii tancia do aluguel da casa, que serve de cadeia
e quartel ao desttcaraento da villa de Petrolina,
faz-se necessaiio que V. S. mande tirar duas eon-
ia-. descriminando a imporiancia,"que se refere
ae alngael do quartel da que diz respeito ao alu-
qnel da cadeia, visto c.omo devem ser pagas por
(ires differentes.
Ao mesmo.Em resposta ao offlcio de V. S,
D. 1,637 de 16 do corrente, tenho adizer-lhe que.
tuna vez que a nova cadeia de Palmares offerece
s-e^uranga, nlo ha inconveniente na remogao dos
jo.-'os, de que trata o seu dito offlcio.
Ao mesmo.Opportunamente sera attendido
o I'tfdido, que faz o aelegado do terrao de Santo
AntJo, de augmento para o destacamento d'alli; o
que declare a V. S. em resposta ao sen offlcio n.
l.f>21 de 15 do corrente.
Aa mesmo.Transmitto a V. S. o requeri-
ztifUto de tres negocian'.es de gado cavallar daco-
marca de Limoeiro, e as informacSes da thesou-
raria provincial, em original, que deveti devolver-
me, para que providencie, cauu no caso couber,
'. de modo a cessar a exigencia feita pelo arre-
matante do iroposto, creado na provincia da Para-
byba, de dous mil reis por cabeca daquelle gado.
Ao mesmo. Partisipando-me o consul da
Belgica, Luu Antonio de Siqueira, que durante a
sua ausencia na viagem que vai fazer 4 Europa,
deixa incumbido da gerencia daquelle consulado
o consul de Portugal; assim o communico a V. S.
para seu conhecimento.
Ao commandante superior do Recife.-De-
sigue V. S. tres offlejaes superiores para, no dia 20
i! corrente, ao meio dia, neste palacie, comporem
junta que em ultima iustancia tern de julgar
a praca do corpo de policia Jose Victor da Silva.
Ao commandante superior de OlindaAd
virta V. S. ao commandante do batalhao n. 7 do
servico de resorva da guarda nacional desse mu-
nicipio, que u estranhavel que eUe duvide dar
cuuiprimento a um acto oue devia cumprir, alle-
sando para isto improcedentes raziSes. Si, como
coufessa o commandante, o posto de alferes secre-
tario nunca foi provido ; si o batalhao n. 7 nio
tern pracas fardadas, e nem ao menos descnmi-
juJas por companhias, e fora de duvida que, se-
gaudo a lei, nao esta organisado ; e portanto po-
diaoi ser feilas pan elle nomeagSes indepeodente
d^ proposta, e de c*servan:ia da ordem gradual
de acceaso. AdvirU mais V. S. ao dito comman
dante que e ainda estranhavel que tenha elle di-
rigido o offlcio junto direcUmeote a esu presiden-
cia, sem ser por intermedio desse commando sa-
p*rior, como estatue o art. 22 do decreto n. 133*
de 6 de abril do 185i, pelo que o devolvo, para
qn* Ao inosiuo.-Para cuiaprimento do deipneho
do Exm. Sr. ministro da guerra, profer.do do in-
riuso onTcio do ajndante general do esercito, que
me sera devolvido com os paneis annetoc, relau
voa ao soldado do 16.* ba'alhao de infantaria,
Florencio Jose da ConceicSo. exija V. S. do com-
maadante do 9.* batalhao da guarda nacional, se
essa praca, que foi por aquelle commandante
wandada apresenUr a esta presidencia, com oflki j
de 10 de Janeiro de 1868, na qualidade de desig-
nado para o servico da gaerra, apresentou-se vo-
luntariamenle, on foi a i&io constrangido.
Ao cmman4ante superior de Barreiros i A-
gua Preta,-Informe V. S. qaal a palente, qu.5 tea
o cidadao indicado na proposta junta, que devolvo,
para capitao quartel-mestre, seado que, segundo
deeisoes do governo imperial, deve, com relacao a
esse posto, ser guardada a ordem gradual de ac-
cesso' e outrosim, si nao conviriaUogo preencher o
outro lugar de major ajudante de ordens, que tara-
bem esta vago.
Ao juiz de direito da 1' vara. Designe V.
S., para servir na junta, que a 20 do corrente, ao
meio dia, tern de, neste palacio, julgar em ultima
m-t incia o soldado do corpo de policia Jose Victor
da Silva, cujo processo incluso envio a V. S. para
nessa occasiao apresentar o relatorio do estylo.
Aojuiz de direito de Santo Antao.Nesta
data tenho designado o 1 tabelliao Joao Damasce-
no e Silva para servir da official de registro n'essa
comarca, de conformidade com a lei, e proposta
de Vmc. em offlcio de 15 do corrente, devendo Jo
nomeado tirar titulo e solicitar a entrega dos res-
pective livros, cuja importancia devera satisfazer.
Ao promotor publico de Iguarassu. -fiumpre
que Vmc, procedendo as mais minuciosas averi-
guagoes informe, com urgencia, sobre os factos
narrados na publicacao feita pelo Dr. Antonio Tris-
tao de Serpa Brandso, no incluso numero do Din-
rio de Pernambuco com relagao a Jose Teixeira da
Motta, collector provincial do municipio de Igua-
rassu, pnncipalraente quanto ao processo, quo se-
gundo dita publicarar, Ihe foi instaurado.
3' secrao.
Acto :
0 presidente da provincia resolve nomear
Francisco Leio da Silveira para cobrador da col-
lectoria provincial do municipio do Bonito.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmitto a V. S., para os fins convenientes, as in-
clusas contas documentadas da receita e despcza
da enfermaria militar'do presidio de Fernando,
relativas aos mezes de junho, julho e agosto do
corrente anno, e com ellas o parecer em duplicata
da junta de inspeccao, que nos termos do aviso do
rainisterio da guerra de 29 de dezembro de 1861,
procedeu ao rejpectivo exame. .
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
devidos fins, que a 13 do corrente reassumio o ba-
charel Menelau dos Santos da Fonceca Lins o
'exercicio do cargo de juiz municipal e de orphaos
do termo de ltambc, por ter sido jnlgado nullo o
processo em que foi elle condemnado por injurias
verbaes.
Ao mesmo.Em resposta ao seu offleio de
hontem n. 231-serie E, em que impugna o
pagamento da quantia de 71200, despendida com
o recruta Pedro Jose" de Lima, vindo da villa
de Itambe, por falta de credito na verbaeven-
tuaes do ministerio da guerratenho a dizer a
V. S. que mande effectuar esse pagamento sob a
responsabilidade da presidencia.
Ao mesmo.Transmitto a V. S. a inclusa
conta em duplicata que me remetteii o Dr. chefe
de policia com offlcio de 20 de agosto ultimo sob
n. Ii60 e a que se refere sua informacio de hon-
tem datada sob n. 228 serie E, afim de que mande
pagar a quantia de 121400, despendida pelo dele-
gado do termo de Itambe com as di arias forneci-
das aos recrutas Andre Avalino do Carmo, Manoel
Francisco Barbosa e Avelino Evaristo dos Anjos,
vindos d'aquelle termo.
Ao mesmo.Mande V. S. pagar ao nego
ciante Jose Maria Ferreira da Cunha a importan-
cia dos prets inclusos, relativos aos vencimentos
das pracas do batalhao n. 22 da guarda nacional
destacadas na villa de Bom Jardim durante o raez
de agosto ultimo, segundo solicitou o respectivo
commandante superior em offlcio de 8 do cor-
rente.
Ao mesmo.Dando provimento ao recurso
interposto por Manoel Antonio Gomes no reque-
rimento que Ihe devolvo e a que se refere a sua
informagao de hontem datada sob n. 225 serie E,
autoriso V. S. a mandar releva-lo da multa em
que incorreu por nio haver dado a matricula o
ingenuo Jos6, filho dos escravos Marcolino e Paula,
constantes de sua citada informagao.
Ao mesmo.Inteirado do que expSe V. S.
em seu offlcio de hontem datado sob n. 23 serie E
ao qual veio annexo o do collector do municipio
do Brejo, dirijo-me nesta data ao presidente da
respectiva junta emancipadora, autonsandoo a
designar novo dia para os trabalhos da classifi-
cacao dos escravos de que trata seu menciouado
offlcio, que fica assim respondido.
Ao mesmo.Reraetto a V. S. para os fins-
convenientes as tres inclusas ordens impressas em
duplicata, do ministerio da guerra. sob ns. 957 a
959, expedidas pela reparticao do ajudante ge-
neral.
Ao mesmo. Tendo nesta data expedido
ordem ao engenheiro encarregado das obras pu-
blicas geraes, afim de examinar a casa onde func-
ciona a reparticao da recebedoria de rendas inter-
nal desta provfneia, e orcar os concertos nella
precisos; assim o declaro a V. S. para seu conhe-
cimento e em resposta ao seu offlcio de h-ratem
datado sob n. 233 serie E.
Ao mesmo. Communicando-me o consul da
Belgica, Luiz Antonio de Siqueira, que durante a
sua ausencia na viagem que vai fazer a Europa,
deixa encarregado da gerencia d'aquelle consula-
do o consul de Portugal; assim o declaro a V. S.
para o fazer constar ao inspector da alfandega.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Attendendo ao que expoz o major Sebastiao Anto-
nio do Rego Cavalcalcante no incluso reqaerimento
e documento a qne allude sua ieformacao de 16
do corrente sob n. 407, autoriso V. S. a mandar
pagar ao supplicante, na conformidade do parecer
da contadoria dessa thesouraria, o aluguel de sua
casa, que na villa de Pao d'Alho serve de quartel
ao respectivo destacamento.
Ao mesmo.Mande V. S. entregar, mediante
fianca idonea, ao thesoureiro da confrana de Nossa
Senhora do Araparo, erecta na igroja da mesma
invocacao na cidade de Goyanna, Frncelino Fer-
reira Crespo, conforme pede no incluso requeri-
mento a que se refere sua informagao de 16 do
corrente sob n. 405, o beneficio da loteria conce
dida a favor das obras da sobredita igreja.
Ao mesmo.Inteirado do contevido de sen
offlcio de 16 do corrente sob n. 404, tenho a dizer
que mande imprirair editaes declarando qne os
bezerros ferrados pela forma a que V. S. se refere,
nao pertencem a fazenda provincial e a marca so
tern por fim designer aquolles coio imposto, de-
cretado pelo 17 do art. 15 da lei do orgamento
vigeote, ja foi pago. Assim, pois, logo qtie forem
impressos esses editaes devem ser remeuidos aos
collectores para os distribuir pelos respectivos mu-
nicipio?.
Ao meimo. Communicando-me o bacharel
Manoel de Barros Barrelo haver entrado nesta
data no exercicio de engenheiro fiscal da compa-
nhia Ferro Carril de Pernambuco por ter findado
a liceaca que Ihe foi concedida ; assim o declaro
a V. S. para seu eenhecimento eflns convenientes.
Ao mesmo.Devolvend* a V. S. o rcqueri-
tueiito documentado que veio annexo a sua infor-
macao de 16 do corrente sob n. 406, tenho a djzer
que" maude pagar a Antonio Jose Brum da Silveira
Junior, conforme a informacao da contadoria
de-sa reparticao, o que Ihe ficou a dever nos exer-
cicios de 1871 a 1873 e do que tambem se deve
pertencente ao de 1872 a 1873, em liquidacio, dos
alugueis de sua casa que em Timbauba serve de
cadeia e quartel ao respectivo destacamento.
Ao mesmo.Annuindo ao que solicitou Jose
Cordeiro do Rego Pontes, no incluso requerimento,
autorise V. S. a mandar substituir as 50 apoliees
de 100^000 cada uma por outras de 1 :OO0$OO,con-
lorme a praxe seguida nessa thesouraria.
4.' secqao.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da Parahyba. -Commu-
nico a V. Exc. qne por offlcio desta data ordaoei M
Dr. chefe de policia que providenciasse como no
caso conbesse, contra a exigencia fe>ta pelo arre-
matante do imposto creado nessa provincia,
2*000 por cabega de gado cavallar, imposto, c
cobranpa tem querido realisar na comarca do
moeiro, segundo cossta da represenlagao de tres"
negociantes d'aquella comarca e das informacoe*
da thesouraria provincial, que remetto por copie>
a V. Exc. para os fins convenientes.
Ao commisserio vaccinador provincial.Re^
metta Vmc. a secretaria desta presidencia tubos
com pus vaccinico com destino ao termo de Seri-
nhaem, onde esta grassando a variola.
Ao presidente do conseiho municipal de re-
curso de qualiflcagao do Limoeiro.Cumpre que*J
Vmc. satisfaga quanto antes a exigencia que fiz
era ofllcio de 6 do corrente, da remessa do resul-
tado dos trabalhos desse conseiho.
Pcrtaria :
A' camara municipal da villa de Buique.
Para satisfazer ao que solicitou a camara munici-
pal da Villa de Buique em offlcio de 4 do cor-
rente, relativamente a creacao de uma agenda de
correios para a freguezia de Pedras, cumpre que
essa camara mdique pessoa habilitada para o res-
pectivo lugar de ageote.
5' secfao.
Offlcios :
Ao Exm. desembargador presidente do tri-
bunal do coramercio.Havendo resolvido por acto
de 13 do corrente dispensar a Union Marine In-
surance Company Limited, do intersticio dos 60
dias, e conceder-lne permissao para tirar a res-
pectiva carta patente, afim de effectuar suas ope-
ragoes, visto ter provado achar-se desembaraga-
da por esse meretissimo tribunal; assim o com-
munico a V. Exc. para seu conhecimento e fins
convenientes.
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. Expega Vmc. suas ordens pan que o
empregado dessa repartiaao, Bernardino de Oli-
veira Coragem, se apresente ao Dr. juiz de direi-
to da 1' vara c vel desta cidade,.afim de depor
no processo de accao ordinaria, que contra Jose
Dativo dos Passes Bastos move a adminislracao do
recolhimento de Nossa Senhora da Conceicao de
Olinda, conforme solicitou e referido juiz de di-
reito em offlcio de hontem datado.
Ao eogenheiro das obras publicas geraes.
Examine Vmc. a casa onde funcciona a reparticao
da l ecebedoria de rendas internas geraes desta
provincia, procedendo ao orgamento necessario
para os concertos de que precisa aquelle] edificio,
que, segundo communica o inspector da thesou
raria de fazenda em offlcio do hontem datado,
ameaca ruina.
A i presidente da junta de emancipacao de
escravos do municipio do Brejo.Communicando-
me o inspector, da thesouraria de fazenda em offl-
cio de hontem datado que, segundo Ihe participara
o colleetor desse municipio, deixara de ter lugar
per difflculdades supervenieates no prazo legal, a
matricula dos escravos, de que trata o regulamen*
to de 13 de novembro do anno passado, autoriso
Vmc. a designar novo dia para a rnaniio da res
pectiva junta emancipadora, afim de que ahi se
cumpra o preceito da lei.
Ao administrador interino dos correios Ten-
do nesta data exigido da camara municipal da
villa de Buique que indique pessoa habilitada para
servir o lugar de agente dos correios na fregue-
zia da Pedra, afim de ser creada a respecti-
va agenda, como solicitou a referida cama-
ra em offlcio de 4 do corrente, e a que se refere
sua informacao de t7 deste mez ; assim o decla-
ro a Vmc. para os fias convenientes.
EXPEDIENTS DO S1CRETAR1Q.
1.' secgao.
Offlcio :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.-S. Exc. o Sr. presidente da provincia man-
da declarar a V.jfExc, para seu conhecimento,
engenheiro fiscal da estrada de ferro do Recife
ao S. Francisco.
Ao engenhdro Manoel de Barros Barrelo.
S Exc. o Sr. presidente da provincia manda accu-
sar recebido o offlcio de V. S., de hoje datado, com-
muDicando haver entrado no exercicio do cargo
de ongenhdro fiscal da companhia Ferro Carril
de Pern imbuco, por ter terminado a lieeuga que
Ihe fora concedida.
e expressiva, desde os habilmento cocbinados hrann Pernamhnr-.i
tropheos das armas do trabalho, que Ihe abrera as variolas' Pernambuco, 3 annos, S. .lose".
entradas, ate ao seu canto mais humilde, onde se
encontram os objectos de ordem inferior.
INTERIOR.
que por despacho de hoje concedeu aos recrutas
Antonio Fructuoso Lins de Almeida e Manoel Ber-
nardo o praso para poderem provar isencao legal,
o primeiro de 10 dias e ao segundo o de 15.
3." secgao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.-0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda coramunicar a V. S.
que expedio ordem a thesouraria de fazenda, no
sontido de effectaar o pagamento da despeza, de
que trata o seu offlcio de 20 de agosto ultimo
sob n. 1,460.
Ao commandante superior do Recife. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., para os devidos fins, que por portaria de
hoje foi transfendo para o 2 batalhao do servi-
co de reserva, o capitao do 8 batalhao de infan-
taria Jose Fernandas da Silveira Daltro, de que
trata o seu offlcio n. 691 de 9 do corrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
fins, que por portaria de hoje foi nomeado capitao
da 6* companhia do 3* batalhao de infantaria da
guarda nacional deste municipio, o tenente aggre-
gado ao dito batalhao Justino Jose de Souza
Campos, de conformidade com a proposta, que
veio annexa a seu offlcio n 701 de 18 do cor-
renle.
Ao commandante superior de Olinda. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., para os devidjs tins, que por portaria de
hoje foram nomeados para o 9* batalhao de infan-
taria do municipio de Olinda os offlciaes constan-
tes da nota junta, de conformidade com a propos-
ta que veio annexa a seu ofllcio de hontem da-
tado.
Ao commadante superior do Limoeiro.Sua
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. que, nesta data expedio as necessa-
rias ordens a thesouraria de fazenda no sentido de
ser satisfeito o pagamento dos prets, de que trata
o seu offlcio de 8 do corrente.
Aojuiz de direito da 1* vara civel da capi-
tal. S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
coramunicar a V. S., em resposta ao seu offlcio de
hontem datado, que ficam expedidas as convenien-
tes ordens ao engenheiro chefe da reparticao das
obras publicas, afim de que se apresente perante
sse juizo o empregado daquella reparticao, Ber-
nardino de Oliveira Coragem, para o fim indicado
em seu citado offlcio.
Ao juiz de direit) de Itambe.S. Exc. o
Sr. presidente da provincia manda aecusar o recc
bimento do offlcio de V. S., de 15 do corrente, era
que participa ter a 13 do mesmo reassnmido e
respectivo exercicio o juiz municipal e de orphSos
desse termo, por ter era appellagao sido julgado
nullo o processo, em que foi condemnado por
crime de injurias verbaes.
3.' seccao.
Offlcio :
Ao inspector da thesouraria provincial.
S- Exc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S., para os devidos fins, quo nesta
data resolveu nomear para cobralor da collecto-
ria provincial do municipio de Bonito, Francisco
Leio da Silveira
5.' secgao
Offlcios :
Ao presidente interino do Imperial Institute
de Agricultura.Remetto a V. S., de ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia, dous exempla-
res impressos ; sendo urn, em dous volumes, da
eolleccao de lels geraes, e outro de decis9eSi am-
bos relativos ao anuoproxim) passad). Igaal ao
ilia de Jueiru
_ 24 DB NOVEMBBO DB 1873.
A UniSo de Pernambuco ja deve a esta hora sa-
ber que nao fui autor do kitigo aqui publicado
em 30 de ontubro sobre a qoestlo religiosa.
Por ahi habilitada a nio me fazer responsavel
por aquillo de dizer-se que o Rvm. bispj de Olinda
prohibira o casamento dos macons, fizera impost-
goes subversivas a algum vigario e os reunira em
grande numero para obriga-los com pena de sus-
pensao a resistir a ordens emanadas do compe-
tente poder, permiita a Unido que me defenda e
aos conservadores de Pernambuco da injusta accu-
sagio, qual nos attribue a todos o orgao episcopal,
de pretendermos fazer acredi tar pela Nagdo que o
bispo de Olinda e os calholicos sao infensos a co-
r6a, em quanto pelo Vinte e cino de Margo e Cons-
litucionat desrespeitavamos o chefe do estado.
Sem fazer grande reparo no artillclo de lingua-
gem com que a caridosa redacgao nos recusa a
qualificacao de catholicos, e nem viria ao caso di-
zer que nos prezamos por tao bons eatholicos, e o
somos, como os mais exagerados defensores da
autoridade episcopal, bora e advertir oue nao e a
nossa imprenss, mas a iraprensa religiosa que ca-
mera a ver de um lado catholicos e, provavelmen-
te de outro, nio catholicos. Nao por nossa, mas
por sua conta lanca-se assim em ctrculagao uma
distincgao cheia de perigos, 'iue muito graves os
node suscitar, a avaiiar pelo curso que levam os
acontecimentos.
Os que corabatem por doutrina heredica a que e
consagrada pela constituicio politica, e senao im-
poem ou aconselham, pelo menos afflrraam em
acto? irrecusavel desobediencia a preceitos legaes,
podem nao ser infenses a coroa, mas o sao em tode
caso ao regimen constitutional.
Nem sei bera aue Unto escrupulo seja de inquie-
tar a Uniao ao entrever que andamos os conser-
vadores a intrigar o bispo com a coroa, quando
nenhum parece inftuir no espirito do joven prela-
do ao recusar obedieneiaa uma regra constitucio-
nal, era que predecessores sens illustres e venera-
bilissiraos uns por sua piedade e outros por sua
sanedoria, nunca julgaram ver ameacada a li-
berdade ou quebrantada a inlependencia da
Hgreja.
I Como qner que seja, de nenhuma palavra do
rg*o conservador se pode conclatr para a inten-
Slo Nie intriair com a coroa o Sr. bispo de
lindl
A irfRiiencia da coro i no mechanismo governa-
mental esta tra.-afa em preceitos constitueionaes
tao sabiamente ordanados que nada alias haveria
a ganhar em fa?r cror quo o ir. bUpo de Olinda
nao e cidadao tao rererente e dedicado ao_chefe
do estado como desejaramos que fosse a constitui-
cao e is leis.
A melhor prova de que a Uniao nio anda muito
corrente na pratica do regimen constitucicnal, e o
accusar-nos em ar de triuinpho de desreverenciar
na opposigio o que ella chama ordens do impe-
rador.
0 Vinte e cinco de Margo bem como o Consti-
tutional, organs conservadores no dominio liberal,
guardaram sempre para com o c lefe de estado
quanto* respeitos lhn sao devidos.
Tao pouco nos apartavatnos desta regra quan-
do, do scepticismo politico, qne se nos afigurou a
invadiro paiz, tiravamos razao para receiar en-
fraquecimento do principio raonarchico, como em
escrever que, logalmente irresponsavel, n4o o e
moralmente o poder raoderador.
Viria de.molde recordar em quaes circumstan-
cias escreveram conservadores as palavras que a
Uniao nos mette ao rosto? Ignora alguem que,
com a complicidade de uma fracgao respeitavel do
partido liberal, tinhauns razio de afflrmar a exis
toncia de um terceiro partido no que mantinha o
poder ?
Nataral consequencia de partidos artificiaes, e a
descreng^a publica. Ha ahi inimigo das institui-
goes mais insidioso que este ?
Quando, portanto, o combatiamos com raro es-
forco, e no enfraquecimento d) principio monar-
chico viamos o pos-ivel perigo de uma. situacao
mantida contra os voto do paiz, serviamos tap
sinceraraente as instituigdes como heje as servi-
mos.
Ja o nome Constitutional, posto a frente do or-
gio conservador, comegava de ser solemne afflr-
raacio das convicgoes que tinhamos entio, e hoje
temijs.
A responsabilidade moral que attribuimos ao
poder moderador, ao mesmo tempo que afflrmava-
mos solemnemente a irresponsabilidade legal, quem
a pee em duvila? Da responsabilidade moral, que
acto huraano e isento? Que poder ja se eximio a
esta lei universal ?
Quanto a proclamagJo incendiaria, que se tenta
lancar a conta dos conservadores de Pernambuco,
futilissima accusacio e a que d'ani pretende a
Uniao derivar. Tanto a conservadores pode essa
proclamagio ser attribuida como a graade fracgao
liberal que, por esse tempo, armava ao poder.
Fosse provadamente um conservador o autor des-
sa pubticacio, e ainda assim nao seria de razao
attribui-laa um partido.
Por mais de uma razao julgueime no dever de
deixar aqui estas observagoes. Uma dellas e sen-
tir-me pelo menos compreheodido entre os con-
servadores de Pernambuco, a quem a Uniao se re-
fere, o dos quaes diz que servemse deste jornal
para fim menos confessavel.
F. L. de Gusmtlo Lobo.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Exposifao aicTicolaComo havia sido
annunciado, inaugurou-'se hontem, |las 11 horas
da manha, nos saToes do novo edilicio do hospital
da ordem terceira do Carmo, a exposigio agri-
eola promovida pela sociedade Patriotica Doze de
Setembro.
No salao de henra do edificie, onde estavam
rennidos os convidado3, entre os quaes contavam-
se alguraas senhoras; prosentjs o Exm. Sr. com-
mendador prasidente da provincia e a illustre di-
rectoria da Doze de Setembro, foi aberta a sessao
inaugurativa da exposicio, sob a presidencia de
seu muito digno e illostrado director o Sr. com-
mondador Dr. Manoel do Nascimento Machado
Portella. que na occasiao proferindo o discurso do
estylo, conseguio geraes applausos.
Seguio-se-lhe como orador dessa directoria o
muito illustrado jSr. Dr. Coelho Rodrigues.
Sendo pelo Sr. Dr. Portella offerecida a palavra
a quom mais quiiesse fallar e ninguem a acei-
tando, den I. Exc. por encerrada a sessao, e con-
vi* o* coraparecentes a visitarem as salas da
Toda a decoragio do edificio & a mais elejante
A disposicio dos produclos da grande e pequo
na lavoura, por secgoe3, segundo sua qualidade e
sua importancia, bem como a arrumacao d'aquel-
las, foram cuidadosamente observadas, de modo
a se prestarem a mais minuciosa apreciapao.
A nossa pobreza, por assim dizennos, em artes e
industrias, occasionou, talvez, a raridade de sens
productos.nessa exposigio, que teve, assim, um as-
pecto todo agricolo.
Certo e, que para isso deve tambem ter con
corrido a circumsiancia muito attendivel do pouco
tempo interposto a idea e a realisacio de tao ci-
vilisador commetlimento da sociedade Patriotica
Doze de Setembro.
Ja pelos acanhados limites deste artigo, ja para
nio prevenirmos o juizo de quem pretender vi-
sitar a exposicio, que alias e digna da apreciacao
de todos aquelles que amam e desejam o engran-
decimento economico desta provinda, deixamos de
analysar detalhadamente os objectos expostos.
De iniciativa toda particular, e iisistimos neste
ponto, o esforgo praticado pela sociedade Doze de
Setembro e digno da gratidao de toda a provincia,
e do auxilio, qualquer que seja, de quem esteja
uocasode prestar Ih'o, porque nao coohecemos
em outra associacSo, das que so agitara entre nos,
intuitos mais promettedores da prosperidade pu-
blica e particular, fins mais generosos, como os que
aquella illustre associagao nutre e vai manifestan-
do em facios.
Opportunamente publicaremos os discursos pro-
feridos alii, assim como uma poesia do Sr. V. Pa-
lhares, que por motivos inliinos; deixou de a re-
citar na occasiao propria.
Imposto sobre passeios. Dentro do
prazo de 30 dia-, a contar de 2 do corrente, os de-
vedores do imposto sobre passeios na cidade do
Recife devem solicitar as respectivas guias para o
recolhimento do valor de seus debitos, na secgio
do contencioso da thesouraria provincial, sob pena
de serein os debitos cobrados judicialmente.
Soeledade Propa^adora da Ins-
truecao Publiea. Hoje, as 6 horas e meia
da tarde devera reunir-se, no primeiro andar do
sobrado n. 45 da rua do Imperador, os membros
desta sociedade, que pertencem a parochia de San-
to Antonio, afim de proceder-se a eleicao do con-
seiho director da parochia.
Loja Uniao Benefleente. No dia 10
do corrente, as 6 horas da tarde, devem reunir-se
os socios desta corporacao, a rua de Marsilio Dias
n. 31, afim de se pneeder a elei;io de diversos
membros da sua directoria.
Reuniao medlea. is 7 horas da nol-
le de hoje devem reunir-se, na rua do Imperador
n. 3, os medicos, cirurgides e pharmaceulicos exis-
tentes nesta cidade, que desejarem fazer parte da
sociedade medica em organisagio.
Faeuldade de Direito. Hoje, is 11
horas da manha, tera lugar na sala de honra des-
sa faeuldade, com assistencia de toda a congrega-
gio de lentes, a solemnidade da collaoio do grao
aos doutorandos Elisej de Souza Martins e Joio
Vleira de Araujo, depois do que seguir se-ha o
acto de encerrameato dos trabalhos lectivqs,
Uorid. littcfario.Ao talentoso litterato
o Sr. Jv-Z. Rangel de Sampaio, foi eoviado o diplo-
ma de seek) correspondente do conservatory dra-
raatico da Bahia.
Ainda a exposi^ao. A sociedade Pa-
triotica Doze de Setembro, promotora dessa expo-
sigio, resolveu que de hoje em diante a entrada a
mesma fosse remunerada, dando cada um o que
sua generosidade dictar, applicando o que d'ahi re-
sultar as obras do Lyceu de Artes e Offlcios.
A exposigio estara aberta das 10 da manha as
3 horas da tarde, e das 6 as 10 da noite.
Artistas lyrieos. Acabara de chegar do
sul do iraperio os Srs. Joaquim Francisco Yieira,
barytono portuguez, e Jorge Ciceri, cantor carica-
to, os quaes pretendem dar alguns concertos no
theatro Santo Antonio, sendo o primeiro no dia 10
do corrente. Os jornaes do sul do iraperio sio
accordes em tecer elogios a esses dous artistas.
Pagadoria de fazenda.-Nesta estagao
pagam-se hoje as seguintes folhas : tribunal do
comme cio, pessoal da policia, consiguagao dos
offlciaes do exereito e outros, juizo do feitos, ma-
rinhagera e guardas da alfandega.
Os funccionarios que deixarem de receber neste
dia, so poderio faze-lo do oitivo dia util em
diante.
.Mais uma vietima. Hontem, por occa-
siao de findar-se a novena de Nossa Senhora da
Conceifio, do arco do Recife, tendo a rausica de
policia de tocar, ia-se collocar por baixo do arco,
quando o musico Tranquilino foi vietima da im-
prudencia do bond que as 7 3[4 horas descia dos
Afogados, ficando contundido na fonte, face e raio
direita.
Transfcrcneia.Para o dia 11 do corren-
te fica transferido o espectaculo annunciado para
hoje, em beneficio da consorte do Sr. Camara.
Club litterario.Hoje havera sessao nesta
sociedade as horas e no lugar do costume para a
continuagio da discussio da reforma dos estatutos.
Processo Bazaine. Sendo este proces-
so o assurapto que na actualidade prende todas as
altengoos, e ligando-se em geral grande interesse
ao julgamento desse marecnal de Franca, enceta-
mos boje em nossa 8.* pagina a publicagio de todo
esse trabalho, que forma como que a historia da
ultima guerra, por isso que nas conclusSes do
conseiho de investigagao e na exposicio do rela-
tor se encontram descriptos os successos Jaquelja
tremenda luta. Recommendamos essa publicacao
aos nossos leitores !
Loteria.A que se acha i venda e a 77.*
a beneficio da matnz do Bom-Jardim, a qual corre
hoje.
I.cilao.Hoje, as 11 horas do dia, effectua o
agente Martins no trapiche do Cunha o leilao de
vinho branco em barns de quinto e de decimo.
Omiterlo publico. -Obituario do dia 29
do novembro :
Manoel, pardo, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista ;
convuboes.
Dinumerico, branco, Pernambuco, 1 anno, S.
Jose ; diarrhea.
Ceciliano Francisco da Assumpgao, pardo, Per-
nambuco, 18 annos, casado, S. Jose; meter-
rhagia.
Anacleto, pardo, Pernamfcuco, 4 mezes, Boa-
Vista; espasmo.
Luiz, preto, Pernambuco, 15 mezes, Boa-Vista ;
bexigas. -.,.
30
Anna Francisca da Luz, parda, ignora se, 22
annos, solteira, Santo Antonio ; variolas.
Znlmira, parda, Pernimbuco, 8 mezes, Boa-
Vista ; deutigao.
Manoel Augusto de Santa Anna, pardo, ignora-
se, 16 annos solteiro, Santo Antonio ; variolas.
Jos* Pedro, escravo, pardo, Pernambaeo, 45
annos, ignora-se, S. Jose ; bexigas confluentes.
Um parvulo, pardo, Santo Antonio, o mais igno-
ra-sc.
Jose, pardo, Pernambuco, 12 annos, solteiro,
Boa-Vista, hospital Pedro II i variolas.
Sebastiao, preto, Pernambuco, 13 raoae.*, BOa-
Vista, hospital Pedro II; varlelas.
Maria, preta, Pernambaeo, 12 dias, Recife ; con-
vulsdes.
Antonio Guilhermo da Silva, branco, Uwra, 20
annos, solteiro, Recife ; variolas.
Francisco, broco, Pernambuco, fl mezes, Poco ;
indigestio,
Antonio Gomes Beniz, pardo, Minas Geraes, 39
annos, solteiro, Boa-Vista, hospital Pedro II; tu-
berculos pulraonares.
Albioa. preu, Africa, 60 annos, solteira, Bda-
Vista, hospiul Pedro II ; hemorrhagia interera-
neo.
Henriqueta Teixeira Machado Reis, branea,
Pernambuco, 30 annos, casada, Boa-Vista; scirro
cherso uterino.
!. de dezembro.
Joao branco, Pernambuco, 6 mezes S. loii- va-
riolas.
Joaquim Antonio da Silva, pardo, Penedo, 23
annos, solteiro, Boa-Vista ; variolas.
Alfredo, pardo, Pernambuco, 2 annos, Gniga ;
congestao.
Rosa branea, Maranhio, 1 anno, Recife,, in-
tero colite.
ao
ap-
de
CHRONIC A JUDICIARIJL
itiiti \ ti. da iti:i.\< io
SESSaO AO 1* DE DEZEMBRO DE 1873.
fKBSISBNCU DO BXH. SR. CONSBLHBIRO CAKTAJ10
SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgtlio Coelho.
A's 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
drabargadores Silva Guiraaries, Lourenco Santia-
go, Reis e Silva, Almeida Albuquerque, Accioli,
Domingues Silva, Regueira Costa, Souza Leio *
Araujo Jorge, faltaodo com causa os Srs. des-
embargadores Doria, procurador da corda, e Nei-
va, abrio-se a sessao.
JULOAMBNTOS.
Recurso crime.
Recorrente o juizo de direito de Garannus, re-
corridoJose Antonio Dimasceno. Juizes os Srs.
desembargadores Regueira Costa, Domingues Silva,
Souza Leaoe Araujo Jorge.-Improceiente.
Appellagao crime.
Dc Canguaretana.Appellante o juizo, appella-
do Joio Coelho da Costa.Improcedente.
PASSAGBJfg.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago
Sr. desembargador Reis e Silva :
Do Recife.Appdlaote a fazenda nacional,
pellado o visconde de Suassuna.
Do Sobral. Appellante Francisco Bezerra
Araujo, appellado Francisco Alves da Fonceca
Ao Sr. desembargador Souza Leio :
Do Ipd Appellante Adeodato Ferreira de Sou-
za, appellados Antonio Raymundo Pires e outros.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago :
Appellario crime.
De S. Joao.Appellante o juize, appellado lose
Manoel de Lima, escravo.
Appellaeio civet commercial.
Appellante major Jose Guedes Nogueira, apoel-
lado Epaminondas da Rocha Yieira e outros.
Do Recite. Appellantes Manoel da Silva Firia
& C, appellado Manoel Jooquim Pessoa.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque a
Sr. desembargador Accioli :
Appdlagdes crimes.
Da Borburema.'Appellante o juizo, appeihdo-
Do BonTOinselnp. -AppelTante e juizo, appefla-
do Joio Soares de Mello.
De Goyanna*. -Appe'lante Justino Jos6 dos San-
tos, appeltada a justica.
Appellagio civel.
Appellante Joaquim Loureago, appellado Pedro
do Rego Chaves.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Domingues Silva :
Appellagao commercial.
Appellantes Machado & Brandio, appellado
Francisco Antonio de Albuquerque Mello ; appel-
lantes Silva Leio & C, appellado Antonio Domin-
gues Ribeiro Lima.
Da villa do S. Miguel.Appellante Jose" Guedes
Nogueira, appellado Epaminondas da Rocha
Vieira.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
desembargador Regueira Costa:
Appellagoes civeis.
Do Bonito.Appellante Francisco Pio da Silva
Valenca, appellada D. Josepha Joaquina Bezerra
de Mello.
Embargo remettido.
Da villa de S. Joio. Erabargantes, Lino, Paeiii-
co, Lidia e outros, embargados padre Paulino Vii-
lar dos Santos Barbosa e outros.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Souza Leio :
Do Recife.-Appellante D. Josephina Burle Du-
beux, appellados cerdeiros de Joaquim Jose* de
Miranda.
Diligencia crime.
Ao Sr. desembargador procurador da justica :
Appellantes e appellados juntamente o juizo e
Francisco Antonio da Silva.
Assignou-se dia para julgamento dos feitos
seguintes:
Appellaeio civel.
Appellante o juizo da fazenda, appellado bario
de Atalaya; appellante o juizo d03 feitos, appella-
do Francisco Ferreira de Andrade.
Encerron-sea sessao a 11 horas e meia.
Balanco do 1%'ovo Banco de Per-
nambuco. em liquidaclto, ao*
99 de novembro de tH J3.
- ACTIVO.
Letras protesladas.....121:189*380
Despezas geraes......17:124*526
Caixa^........ J-W>
153:063*396
PASS1VO.
Capital......... 43:328*000
Fundo de reserva..... 101:444*490
Massas fallidas a cargo do Banco. 638*787
Dividendos........ 310*600
Lucres e perdas...... 7:3%i*71
r S. E. eO. 153-003*596
PARTE POLITICA
PARTIDO
RECIFE, 3 BE
tOVHUKVAl
DEZEMBRO DE 1873.
ASSOCIAGAO C01WKBC1AL.
0 orgao do Sr. Villa Bella nao eessa de invecti-
rar o Exm. Sr. Dr. Lucena.
Temos por deraais comprehendido que nao se
discutem os actos do administrador, mas sim a sua.
pessoa.
Qualquer qne seja o assurapto da discussioy
nou-sa quo o objectivo 6 intrigar era linguagem
viruteula e impropria de homens serios, o honrado-
pernambucano, contra o qual o Sr. de Villa Delia
nutre odios de longa data.
Em quanto se manteve a Provincia, orgao do Sr.
de Villa Bella (como teremos de provar em outra
occasiao), no terreno da personalidade eacontrar-
nos-ha sempre na estacada para repeUir com de-
Concia e dignidade i ggressoes miseraveis qne a pre-
texto de noticia veera na chrontoa da Provincia.
Tal e a neccssidade que temos de tirar a limp)
uma lenga lenga da Provhcia sobre o offlcio olio

lEfflO


p
aai-t* feira 3 de Dezembro de 1873.
,,roced'er do Sr.^W^Wk Hell* a resBeiUrdo-midin,
preoccupado coiwflfittfcos de moltiorar aproviacia,
delle nao se leribr*.
E com effeito dove* fic.tr indignaao o cidadao
sensaia e imparcial, que pega o orgS'i do Sr. de
Villa Bella e so enuir ataques a. pessoa do illus
tre administrador. /
E tanto mais riVdUaute se torna a poaicao da
Rente do Sr. barao, qaanto marts srtie no conceito
da opiniao publica o boiiraao e distinclo pernam-
bucano, cuja artministraeao, temos [coino cert o ha
de fazer a foneidade de saa provincia.
Nao hao de seros amigos 4o peito do Sr. barao,
qne emorpeceiao a carreira hrilbante do quern
possue merecimentoa reaes e que 5o sao b*tc-
yoNttis, como os desstx eircunistancias momefltancas, de entes nullos que
eram, tornaram-st. tttulare*.
Devem ?aber rnkmuns quo cercam o Sr. Villa
Bella, ou commendador de Villa-Y'icosa, que a in-
iriga e uma esiiecalncao torpe e aegra ; c uma ar-
ma vil e miseravel c que della so sc servem os
que com ella se confundem.
Nao se no? pode aiirar em rosto -o lermos aggre-
dido o Sr. Villa Bella, ou outro qaalquer do sen
rancko : provocamos a quern qer que fare;e a
casa do baif.o, para que declare se em ahjuma oc-
casiao assnraimos a poafcao de ag^ressores.
0 publica, portaato satie maito bem que temos
nos matrtiSo ua discussao com mdo respeito o de-
coro, use alguma vcz fomos cnergioos por demais,
e pnrqire se nos tern feito pcrder a calma.
Outro Ianlo, porem, uio pode dizer o Sr. barao
de Villa Bella, que sendo urn chle ante-politico
nao cscolhe meios naravingar se do Exm. Sr. Dr.
Lucena, prom >vendo-lhe uma giterra toda pes-
soai
A inepcia e a miopia do Sr. barao sab de tal
Wicm quo o_ fazera siippor--e graude cousa.de
modo qne n5o respaiia a Asso'ciacio Commercial,
;u? sendo uma CiTporacao de h omens de todas as
oacionajidades naSa, (em com a |>olitiea.
Entende a matrfha do Sr. barao, o qual esta Wo
distante do partido liberal, quauto o sol dista da
terra, quo. dev<: esoecular e ihtrigar uiisoravel-
mente o Exm. Sr. Dr. Lucena coin a Associacio
Cnmmer.chl.
Engaaa-se Sr. barao, suppomos que o partido
liberal nao.srve de instrumento do vinganca,:; so
0 Sr. 6 inimi^o gratuito do Exm. Sr. Or, L.ucena,
e contra pile alini-Ma odios volhos, a poato do es-
crever uma carla a nm senador no Rio, dando-lhe
podcres para declarer ao miuisterio, qne parti lo
liberal se reltraria da Qnestao Heiiyiosa se
n Exm. Sr. Dr. I.ucena f^sse demit t id i de presi-
ilrnte, on mesHU) remavido para on Ira provinci-i,
a Associac/'o Commercial, que so compoe de mais
de :X) socios c que nio liga iipportancia a barao,
sabeni despresar esses maiejos politicos, e apre
ciar os meritos de quo ja foi galardoado pnla ines-
ma As-ooiac3o Oniuiiercwl com o lilr.lo de socio
lifHnrario.
\<-. pi'is, a nialilha do Sr. Villa Bella que por
esiij 4a lo poido o sou tempo, e <\m a melhor
oniiuuar a fazcr exeavaSea do docmncntos em
) inwiry.
Saria mesmo incomprehensifd |ueo Sr. barao,
a quoin o commorMO so, dcvo males, lizesse fortu-
ria ua A>socia(; 10 Cumuitfroiat.
Dizem, |oroin, os liowiu que es[ieram que o
harno os faca dcpnUilos, que liouve propusito do
I-\iii. Sr. Dr. Lucena no lal officio : o ecretario ja
00SH''~tOll.
EntreUDli i-to nao os euibarga.
S.nlia u publiro, para quoin e;oreveukiS, quo a
propiia A>>oci.o;au Couiuii'iiMjil csta convoiicida
de quo mi por equivoco liti-luo dirigido tal oIHimo,
1 qual a prosidoiicia so lcv coiiheoittiolo puste
rinrihrnip.
E isto e\plici-se |..la racMque deu o secretario
da pre-idi'ii'-i i
S. Kxc. o Sr. prosid'-nlo, quando dirigio o olTicio
a A^s n'i i;ao i',o ouificUl ^oJiiijIo dados para o seu
ri'l.ilirio, iirigui oiia.; poJinlo laiubom a inosina
issooiifAo e>cl irt'-imeiilos oslatis.-os para o minis-
!iTio da agiicuUura : o 1 que lot dirigido por
opiivoco, era i in Mruu le circular, e b.ista isto
M.ira pir angano, nao 1a dirigk* circular a Assoeiacao
Jomnii-rcial o i' era tudo eu) termos roga'orios
'. attenciosos conn a propria associa^ao confossa ;
ora, se liouvoitso proposfto da parte da presiiloncia
era dirigir uma circular a a-sociagao p>ra feri-la,
.1 presidancia nao maniacia o oOicio pedindo es-
lan'ouuenlos para o lainisterio da agricultura, de
convite |iara o dia t de dezembro, ora termos ro-
L'.itorios e att.'nciosos.
Se pois a as-ociacao I'ccobeu d ms ofilcios na
iii'siiia occasiao : inn cm leruus rogatorios, e ou
iro em furina do circular, como Uizor-so ijuo a pre-
-idoiij-ia do nro.iosito atiic ferir a Associacao Com-
mercial '
Evidentemente, houve equivoco, e disto estao os
commcrcianies nidus cenvoncidos. .
Ora, digamo< (oda vordado ; reconheeido o equi-
voco, como alguem declarcu em sessao da directo-
rta, nao bavii lambem racae para quo a Associa-
c;ao Commercial, se jul^awe, sem mais txame, of-
len.liil i, o devolve-se a presidencia o ouicio allu-
lido.
E lanlo mais a associacao dizia coavencer-se de
quo o Kxm. -r. president^, nio a procurava dos-
cousaderar, quaitdo a pn-sidencia em todos os seus
illici'sdirigidiis aiiteiiormeiitesempie se mostrara
attoiicioso para com ella.
Nao Iiivi.i, p.ijs, mu so facto que aulorisasse a
resposta quo em veidade uuuca so espcrou, Ihe
ilesse a Associacao Commercial.
Pormitla-nos a Assuciavio Commercial, que de-
claremos : illaqucaram a sip boa fe.
0 que podetnos altiaucar a associacao, e que
nao so devolve um olJicio, seuaa <|uai'ido lem-se
uma prjva do quo a cjnservacao delle no poder dj
|uom o recede, importa uma offensa aos seus brios
edignidade.
Assim comprehende-ee e o.\plica-se o procedi-
meuto de quern devolve a outro uma carta, sem
mais indagar se com -tiffoilo as expressoes nella
jipregadas conlom voueno.
Mas, so nao bavia estre a assooiasao e o presi-
dente uui si'i ofBcio, oade se procurasse olTuscar os
ioros a que inoontostavolmonte tern direito, os
commerciantes qne coiuptJem essa corporaQio, lo-
go a associag..o foi um pouco injusta para com a
presidencia.
Perguntamns:
Que razAo tmha S. Esc. para assim. proceder,
>e a Associacao Commercial |be lem dado sobejas
provas de considera^ao, ji eondecorando-,o com o
titiilo de socio Iwaarario; e i*,auxilindo o na
graude obra pia, destinadaaos ajieoados ? ..
Ateera, pois, os anigoa do Sr. barao que nera ha
razoo da parte da presidencia c item da parte da
Assoeia;aa Commercial para tal supposigao.
Se .assim a, claro esta que, a posieao do Sr. ba-
rio- de a intrigante, e por isso mesmo mesqui-
nho e despresivef. --
Rt^e eerto oSr.bacaa qne iu' Urjawe .eom
que cicatrirai uis-aiaj faciiias, if .quiztssemos :
bastava-nos somente lerabrar os episodios da Gpi-
niao. National
Antes, porem, de concluh*: -responda-nos Sr. ba-
rao; cam xpie direito foi o Sr. pfopdr baldroea
para o partido liberal se retkar da questao reH-
giosa, sendo o Exm. Dr. Lucena demitttido oa re-
movirto da presidencia ?
0 Sr. pole dispor do partido liberal, que nao o
juer reconhecer como sotdado ale pret quanto
mate como chefe ? ...
I*o prov* quanto e supinaroeata ignoraate Sr.
barao commeodador de Villa-Vicasa I
apresehtoiT-so'sfg\ii'!e por pf'*?
policia e sem que Ihe Mvesae eu dado lic-a.a para
enirar em miaua propriedide e n-vn icr-s.e preen-
chido as disposicSes legaes para ter lugar a enira-.
da em easa do cidadSo ou em sua proprie'dad6, fez
saa busca, abusando do podor de autoridade poli-
cial que Ihe f.)i contiadc.
lulgando, como estou persaadido, que a3 lois de
meu paiz nio sao uma Utopia e que acima da au-
tondaSe arbitraria e caprichosa, esta a autoridade
moralisada e cirenmspecta, procure dirigir-me a
cstas, aflm de que facam aqacllc subdelogado res-
peitar as lois e conhecer qne nao se abusa do po-
der de autoridade.
0 subdelegado do Belem ha maito tempo esta ia-
disposto comigo enao deixa de proenrar-me traba-
llios e privacoes ; o pablico sensato ajuize a qnem
esta entregue a policia do nossa terra.
Voltarei com o resultado.
Becife, 2 de dezembro de 1873.
lost Datito dos Pasos Basto.
\ veiirfa le reuiedios de coiai-
posicfte descoiaheciria.
Se le oo jorml Official do Imperio do Bra-
sil, -- de 8 de novembro do corrente anno, o se-
guinte :
Ministerio do Imperio.Expediente do dia V de
novembro. Requerimentos despaehados.
Bachirel Manoel de Siqufira Cavalcante. Sa
tisfaca a disposiciio do art. 73 do regulainent) que
baixon com o decreto n. 828 de 29 de sctembro
de 1831. >
K o que diz este art. 73 do regulamento supra-
citado ? () segninre :
t Para qtte possam ser vendidos os remedios de
composii.-So dosconhecida, seus autores os apre
ncntarao com a receita e com a dcclaraijao das
molestias para que sao proprios, a junta central,
que os examinara, etc.
E e so isto ? Nao, porqne 6 art. 71 dessc regu-
lamento dlz o seguinte :
Sem autorisardo especial e prohibida a venda
de remedios, cuja composicao 6 descorrheciaa, ds-
( como o f-izerem se annurielos por meio dejor-
naes, periodicos ou cartazes de taes remedios,
etc.
Se a juata central e a umca competente para
examinar os remedios do composicao desnonheci-
da, o governo imperial 6 o nnica competente para
permittir a venda, como e expresso nos arts, ft,
73 e 76 do referido regnlamento ; e mesmo as-
sim e preciso qne preceda a approvacao, dopois
de exame desses remedios, pela junta central.
Os inspectores de saudo publica nao tern anto-
risaQlo para cxamioarem ou auprovarcm seme
lhantcs remedios, e ainda menos para permittir
a venda.
Se a neuhnm facultativo matriculado c permit-
tido fornecer remedios aos seus dooHtes, nem ter
parccria ou sociedade com boticarios, que sao
os unicos qne podam fornecer remeaios^ ain-
da menos o podem fazer aquelles qne o nao fo
rom, embora sejam inventores dos remedios. A
venda se ha de lazor, depots de olitida a respecti-
va approvacao, nas boticas. Noin mesmo aos fa
cultativos homeopathicos epermittido fornecer re-
medios aos seus docntes, como 6 espresso no avi-
so n. 13' do l de abrilde 1813.
ln:istir depois da doci-ao do governo imperial e
commeiter um delicto previsto pelo regulamento
citado.
i 'fin difTcrcntcs i mi la coos do
figtado do bucalhttv
se vendem como legitimas. Mil hares de doentos
sao diste modo- illudidos,o o melhor remedio que
ale liojo se lem desuoberto |wa asaffecoSes pul-
monares [ierde a sua reputa^ao. 0 melhor meio
de se evitar semelhaotes iinposi;6es, e nao com-
prar se o arligo, urua vez que nao se aclie elle ga-
rantido por uma casa resfM-ilavel, e isenta de toda
a suspeita, que pode engaoar. 0 oleo puro me-
dicinal de ligado do hafalliaode Lanman 6j Keinji.
land, bianco como prelo, goza de uma ropulacio
de superioridado em todo o hemisphcro occiden-
tal, na Australia e na Europa. Na sua comppsi-
i;:io so se faz uso dos figadns do peixe fresco, e
pode-H conservar por um tempo in klinilo em to
dos os climas do uiuado. A perfeita pureza da
preparacao, e a que o torna lao admiravel, e uni-
formemente eilicaz uns casos mais graves de be-
morrhagia ilos pnlmoes, bronchios, pneumonia,
phtysica incipiente, oongestAo e a coiisuhuq$o do
bofe, magreza e decadencia corporal; e para to-
das as molestia dos organs da respirag.ao e da'gar-
ganta, complicadas com alfecgo^s escrofulosas.
Agua de B<'loi-iIit do Murray e
unman.
Desde os mais remoto dio aot>aooobrta8 hos-
panholas, o formoso paiz d- Florida, tern sido
justamente afamado [>elo balsamico e odorifero
aroma de suas raras e llorescentes IIores e vt-rde-
jantes arbuslos. Aqui temps pois o lluctnante per-
fume c incenso de seus jardins agrestes e sens
aromatieos e refrigerantes bosquezinhos, harmo-
niosamonte concentrados e encerrados dentro de
um dimmutivo cspaco liermeticamente fechado e
sellado. E-ta agua Florida doriva e recebe a sua
exquisila fragrancia das frescas, verdejantes e llo-
rescentes folhas de llores e plantas do tropieo 0
sen sublime e delieado perfume, nao desmereco
em nada, posto em comparaeao com aquelle da
mais fina agua da Colonia, e e infinitamente su-
perior a que se fabrica em Paris; em quanto que
ao contrario o seu pp> apenas e a metadc do
custo de qualquer mu dos outros.
lliim-ii se ine o eabcllo! dizia o ca-
cique indio ao ver que a sua longa e comprida
madoixa de cabello se torn.ira branca. Uavia uma
razao philosophica neste symptoma de decalencia
por elle desconhoeida. FT quando a circulacio do
sangue na capa'membranea da cabe^a seentorpe-
cc, (|ue o cabello, secea e este entorpecimento
da circnlicao pode-so impedir. mesmo na ve-
Ihice mediante a applica^ao d'um eslimulante
proprio.
0 fonico oriental, qae t.Vo geralmente tern sido
iittroduzido nos paizes tropieos com tao felizes re-
siiltados, sustem a acgap vital na cuticula a ao
mesmo tempo assimila.com o nutrjmenlo natural
do cabello e augmenta milagrosamente o poder
productivo das raizes.
Progressoa aa. medeeina.A seiena'a
fnos da alegres novas annuncianil-i-nos que se ha
feito am grande e importante *eseobrimenio, e qne
as insidiosas amarguras e soffrimentos, causados
pelas molestias da garganta e dos orgaos la respi-
racao, podem ser atalftados com o immediato uso
do Peitoral de A irreiiarta de Kemp; e isto com
uma certeza e iofallibilklade, ale agora desconhe-
cida na pratica da medieina. A base fundamental
deste delicioso e riqutasimi xarope consiste balsamico s.ueco extrahido d'uma arvore mexicana,
chamada AnacahuHa, n unico espeeifico natural
ate hoje coahecido para as affeecfies pulmonares.
As esquineucias, os bronehiles e a asthma, cedem
a stfa accao com uma faciiidade verdadeirnmente
assoalbrosa. Faz desappareeor a rouquidio deutro
de poucas horas, e tornado a tempo e a boras im
pede a possibitidade da phtysica.
9U8UCAC0S A PEDIDO.
Tra Mferenela,
F.m cwiseauencia de ter fallecido a filhi-
!ika mais velha 4o t>r. Joaquioa Camara,
:ica o beneficio olfereeido a>iia senbofa pelo
Grma Dramatieo-, que devin ter lugar
hoje. (8), transforido jptru o dia 11 do cor-
relate.
A sociedade pela as pewoasque se digna-
:-auj aweitar Ijilhetes para este beneficio o
o^jpequio de os conserirar, cam o que Jhes
-i-zari ella sempre grata,
---------in
Srt. red-ui-im.-'-A aha pnlieial do mbdelegado do Belern e par* que
aio Jque maissse faoto no olvid >, nsla data di-
rijo uma petido a S. Exc. o Sir. president* da pro-
vincia,.pediodo pNfcidatfcias- trago o facto ao ohecimeaio do puBHeo, alim deque ajuize do eomo
se raz p-ilieia naaaelle distrjeto.
Son rendeiro dositio Tacaruna, onde tenho ola-
na e trabaiho; tendi uma roulher apwsado-ge
sem mu coosentiweiito da casa de farinha do
mesmo sitk>, de*pem-a e tendo dividido a roeama
u'asa, colloqaei nella os trabalbadoras de minba
olaPfa ; a malher, porem, vendo-se desalojada, prq-
Para todos.
A casa mortuaria de Paula & Mafra coa-
tiwua a bem servir ao publico, era quautos
seo proprietario6 ou 6ao deferidos no re-
curso quo iiitorp6em,.ao. .conselho d'estado
contra o monopolio concedido a outrem, ou
sao a contcnto indornnisados pelos monopo-
listas. E para que ninguem so illuda a res-
peito, soientificam ao respeitavel publico que
se acham providos do material necessario e
com carrosiiovos.
m
n
u
OMMERCIO
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOfJIO
Acompanhia Indemnisadora, estabelecid*
oesta pra^a, toma seguros maritimos sobrt
navios e seus carrogamentos c contra fogc
em edificios, mercadorias e mobilias: m
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
coiilra-iogo
Segur^
THE LIVERPOOL & 'LONDON 4 GLO>
INSURANCE
AgenMb
SAUJSDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
V
NORTHERN.
;8nital..... 20,000:000^001
'undo de reserva. 8,0OO:0O0?500(
Ag^ntes,
Mills Latham d C.
ftUA DA CniJZ N. 38.
COMPANHFA
Phenix Pernambucana.
Toma rtscos maritimos" em mercadori**.
iretes, dinheiro'a risco eflnahriente de qual-
juer naturezi; em vJupdres; aa-yios a" vela ou
T.inai.as, a premios muito modicos.
RUA DO COMMERG10 If. 34.
ttoy Siicm enlrado no dia 2.
Liverpool38 dias, barca iugleza Jane Malta,He
31 toneladas, capitaj John Jones, equipagem li,
carga varios generos; a Johnston i-alcr & C.
Navio sahido na mesmo dia.
Canal -Escuna iugleza Margaret, capitao D. Bax-
ter, carga assucar.
Observafdo.
Suspendou do lamarao para os portos do none o
brigue ingtez Somereille, capitao J. Byuon, com o
mesmo lastro que trouxe do llio do Janeiro.
mim,
Consulado provincial
Para sciencia dos contributes do impusto de
1:0004 por estabeiecimento em que se vende pol-
vora e os seus elfoitos legaes, om seguida publi-
can) se as altera<;des veriiicadas no laouaraento do
mesmo imposlo no corrente anno financeiro de
1873-1874, licando aberto o prazo as rcelama-
fdes,qne porventura possamiera fazer osinteies-
sados, na forma da loi e regulamentos respec-
tivos,
Lan(amenio lei to pelo laacador Joao Pedro de Jc-
su- da Malta, de 1:000*000 por estabeiecimento
ou e.-criptorij em que se agencie ou se ellectue
a venda dc polvora, o qual temde servir para o
anno de 1873 a l7i.
Kua do Bom Jesus.
Keller & (I
Rua do Vigario Tenorio.
Barao de Benfica
Rua do Bom Jesuz.
Vnlonio Ctzario Moreira
1:000*009
l:000i0 0
Rua do Vigario Tenorio.
Josao Jose de Carvalho Mo-
N. 23.
Dias
rf. 10.
raes.
Largo do Corpo Saulo.
N. 11. Saunders Brothers & C.
Rua do Amorim.
Manoel Kernandes da Costa.
Cais \inte Dous de Novembro
N. 28. Claudio Dubeux
1:000*000
1:000*0 '0
l:iMj#00u
1:000/000
1:001006
II.
COMPANHIA ALLIANfA
seguros maritimos e terreb-
tres estabeleci^a na Bahig 1
em 15de Janeiro em 1870
CANTAL 4,O0O:0005JO0O.
Toma seguro de mercadorias e dinboiro.<
.^0 maritimo em navio de velaevaporei
para derKro e f6ra do imperio, assim cork
jontra fdgo sobre ppedios, generos e fa
ondaa,
Agente i Joatpim Jose Gongalvte JBel'trio
rua do Commergjo n. 5, i* and&r.
AlteraQocs veriiicadas pelo laucador Joaqulm ijus-
mio Coelho, no lancamento da decima urbana
da freguezia da Boa-Vista, no anno corrente de
1873 a 1874
Rua das Nymplias.
N. 3. Manoel Jose da Silva Maia,
uma casa lerrea arreudada por
N. S. 0 mesmo, uma diia por
N. 7. 0 uiosiiio, uma dita por
N. 9. Ilordeiros de Antouio Ontes
Martins, uma dita por
N 11. Os mesmos, uma dita por
N. 19. Antouio Joaquim Ferreira
Porto, uma dita com solao avalia-
da por
Rua do Passan'n'
N. 1 C. Autoqio Goucalves de Aze-
vedo, uma casa lerrea por
N. 1 D. 0 mesmo, uma dita por
N. 1 E. 0 mesmo, uma dita por
N. I F. 0 me3mo, uma dita. por
N. 7. Bento Manuel ue Castro Aina-
ral, uma dita por
N. 9.. 0 mesmo, uma dila por
N. II. Manoel Antonio da Silva
Rios, uma dita por
N. 13. Luiz Antonio da Silva Rids,
uma dita por ,
N..15. Anna.Bernardma da Silva
Rios, uma dita por
N. 17. Herdcirosde Januario Alexan-
dria Rabello Caneca, uma dita
Ppr
N. 21. Joaquim de Sa Lopes Fer-
nandes, uma dita por
N. 23. o mesmo, uma dita por
X 23. 0 mesmo, uma dita por
N. 29. Jose Jacinlho Ribeiro, uma
. dita por .
N. 3lI. 0 mesmo, uma dita por
N. 37. Augusto Candido dc Athay-
de Tavares, uma dila por
. Rua do Cajueirp..
N. 6. Francisco Jose da Costa Arau-
jo, uipa dita pqr
N. I. Joaquina Bernardjna de Cas-
tro Rios, uma dila com sotao por
N. 3. A mesma, uma dita por
,Rua Velha da Passagem.
N. L HennqUeta Frcderica Meiron,
uma dita por
Camiioa do Pa'ssandu'.
W. 1. Domingos Nuncs Perreira.uma
meia agua por.
N. 3. 0 mesmo,uma dita por
..yisconde.de Goyanna.
N. 8. M^ria da.Conpeifao. Dourado
da Fooceca, uma dita por
N. 18. Barao de Una, urni dita por
N. 20. 0 .mesmo, uma dita por
N. 26. Manoel dos Santo- Nunos de
Oliveira, uma dita por -
N. 28. Dr.. Qirisiovao dos Santos
Cavalcante, uma. diu por
N. 30. Alfredo, Glho de Joao Gon-
calves Ferreira, uma dita por
ft. 40. Manoel Marques de Amorim,
uma dita pur
N. 82. Joaquim Pereira de Carva-
lho, uma dita por
N. 54. Maria Carolina Ferreira de
Carvalho, uma dita por
N. 56. Dr. Aatonio da Araujo Fer
reira Jaeobina, uma dila por
\. 70. Joaquim Pereira de Carva-
lho, uma dita por
N. 72. Anna Theophila Seluffer, nma
dita por
N.19. Fractooso Martins Gomes,
nma dita-par
N.*l. Jose Joaquim Pereira, nma
dila par
N. 33 Luiz Pereira Raposo, nma
' dita por
N. 37. Carlota V. Ribeiro, uma dita
1 por
N. 81. Manoel dcaSantos Nunei de
Oliveira,iumA-dita por
N.'55. Padre M*roef|no- Antonio
Dornella, uma dita pbr
N. 67. .Marceline Jose Lopes, uma
dila por
,N. 81. Jose Faustinode Lemos, nma
420*000
JiXIJ.00,)
3001000
300*000
264*0OJ
1:300*000
800*C00
800*000
800*000
800*000
336*000
336*000
336*000
360*000
360i0o0
300*000
240*000
240*OOo
240*000
200/000
300*030
800*000
800*00i)
800*000
240*000
192*000
144
144
360*Ti00
216*000
216*000
144*080
144*000
240*000
300*COO
300*OOJ
300*000
192*000
192*000
192*000
300*000
300,1400
300*000
240*000
191*000
:K*0O0
dita por 216*000
N. 97. Vanoel Gomes Vicgas Jonior,
uma dita divididi e:n 3 anenla-
da por 376*000
N. It". Vicencia Maria dac.llMUir
cei^ao uma dila por. 3OO*QO0
Rua da Alegria.
N. 40. Filhos de Maria Carolina de
Brito Carvalho, uma dita por 300*t00
N. 42. Joaqttai Ferreira-flo Sa, uma
dita por 420*000
N. 17. Jose Anton;;. Bastos, uma
dita por 240*000
Rua do Leao Coroado.
N. 6. Maria do Rosario Borges, Oma
dita por 600*000
N. 10. Manoel Antonio de Azevedo,
uma dita por 240*000
N. 18. Bernardino da Coaia Ferrei
ra, uma dita por 300*000
N. 24. Rosa Carolina dee Santos
Ramos, uma dila por 3M*O00
N. 7. Antonio Gomes de Mirattda
Leal, uma ditat por_____ 300*000
N. 9 Iternardina de Senna Castro,
uma dita por 300*000
Rna do Barao do S. Borja.
N. 20. Idalina de Jesos Monteiro e
Maria Bernardina Monteiro, uma
dita por 600*000
N. 22. Francolino Xavier da Fon-
ceca, uma dita par i 600*000
N. 54 Bernardina Theotonia Mon-
teiro, uma dila por ____ 480*000
N. 62. Viuva e herdeiros de Manoel
Jose da Silva Guimaraes, uma
dita por 240*000
N. 64. Os mesmes, nma dita por 240*0.0
N. 11. Juao Oias Moreira, uma dita
por 400*000
N. 17. Dr. BentoCeciliano dos San-
tos Ramos, uma dita por 400*000
N. 29. Ilelhidoro de Aquino Fon-
ceea, uma dita- por 500*000
N. 39. Dr. Jose Joaquiin de Moraes
Sarmento, uhia dita por 420*000
N. 49. Bartholomi-u Loorenco, um
sobrado de um' andar e loia i oc-
enpado pHo mesmo, avaliado'per 1:500*000
N. 51. Orrteswio, uma casa terrea
em obra, avaliada para pagar o se-
gundo semftstre na razie de 1:200*000
N. S3. Luiz Jose da Costa Amorim,
um sobrado dc um andar e sotao
avaliado por 1:200*000
N. 35. Antonio Conicalves de Aze-
vedo, um dito por 1:000*000
Soled a de.
N. 38. Jose Pertes da Cruz, uma
casa lerrea por 720*000
N. 42. Joaquim Pinto Lapa, uma
dita nor 216*000
N. 46 A. Luiz Jose da Costa Amo-
rim, uma ca?a terrea com sotao
por 480*000
N. 52. Annunciada Camilla Alves da
Silva, uma casa terrea por 480*000
N. 38. Alexandre Joso da Silva, uma
dita por 1.000*000
N. 64. Dr. Luiz Fellppe dc Souza
Leao, uma dita por 240^000
N. 62. Maria de Jesus Monteiro, nma
dita por 240*000
N. 23. Ermelinda, lilha de Carolina
Soares de Amorim, nma dila por 800*000
N. 29. Jose Joaquim da Cunha, uma
dita por 60'i*000
N. 35. Dr. Manoel Ferreira da Silva.
uma dila por 240*000
Visconde de Goiahna
N. 147. Paulo Jose Gomes, um por-
tao quo da entraoa para um so-
brado de um andar e oiais am ar-
mazem, avaliado tnda-por 1:400*000
Estrada de JoSo de Barros
N. 28 A. Luiz Cabral de Medeiros,
uma casa terrea avaliada pir 240*000
N. 1 G. Joaquim Gama, uma dita
por 72*000
N. .1 A. Jacintho da Hora Pires,
nma dila por 240*000
N. 3 B. Jose Nicolao Ferreira, uma
dila por 2405000
N. 7. Dr. Pedro Dornellas Pessoa,
uma dila por 500*000
N. 9. Joaquim Kernandes dos San-
tos, uma dita por 200*000
N. 93. Anna Joaquina da Silva, uma
dita por I 60OJ00O
N. 27. Jose Joaquim Goncalves de
Barros, um sobrado por" 1:000*003
!N. 43. Francisco Jose Fernaades
Pires, uma casa terrea por 300*000
AitoracSea feitas no lan;amcnto da decima urba-
na na seccao da freguezia de Jaboatto, no ex-
ercicio de 187-1 a 1874 peio lancador Isidoro
Theodulo de Mittos Ferreira.
Estrada do Giqnia a Jaboatao.
N. 8. Felix Lins Cavalcante uma ca-
sa terrea arrei.dada por 72*000
N. 42 B. Joaquim Domingues Tava-
res, nma dita dita por 60*000
N. 62. Antonio Jose Ferreira, nma
dita dita por 60*000
N. 70 B. Horacio Leopoldino Alves
da Fonceca, uma dita dita por 72*000
N. 74 A. 0 mesmo, um telheiro que
serve de rancho nor 06*000
N. 90. Manoel Jose da Costa Cabral,
nma casa lerrea arrendada por 96*000
N. 100. Jose Vieira de Lima, uma ,
dita dila por 96*000
N. 118. Maria Francisca dos Prate-
res, uma dita dila por 120*010
N. 128 B. Ji So Arminio Alves da
Guarda, uma dita dila por 84*000
N. 130. 0 mesmo, uma dita dita par 7z*000
N. 132. 0 mesmo, uma dita dita por 72*000
N. 144. Maria Bernarda da Concei-
cao, uma dila dita por 60*000
N. .144 A. Luiz Jose da Franca, nma
dita dita por 60*000
N. 146. Monica Maria da Annuncia-
. cao, uma diu dita por 60*000
N. lo2. Manoel de Paula Pinto, uma
dila dila por 72*000
N. 158 A. AotoqiOi Jose do Carrao
uma dita dita.pqr 0 72*000
N. 174. Jose Antonio Tinonco, uma
dita dita por 96*000
N. 176. O mesmo, nma dita diu por 72*000
N 178. 0 mesmo, uma dita. dju por 72*000
N. 180. 0 mesmo, uma dita diu por 72/000
N. 180 A. Maria de tal, uma dita di- ; ,,
. ta por 60*000
N. 184 B. Araujo Lima, uma diU ,,,
avaliada por, 96*000
N. 184 C. Domingos da Costa Mar-
lins, uma-dila diu pqr. -y ..... 84*000
N. 184 A. iebasliaa i Jos* de Santa ,
Anna, uma dita dita por 84*000
N. 218. Balbino da Sa Cavalcante,
uraa diu dila por ,. 60*000
N. 216 A. Antooie Lucio AJves Bau- .,.
deira Campellp, uma dita dila por 60*000
N. 252. Joaquim Gomes Saraiva,
uma diu diU por ,.,,., 48*000
N. .254. O emo, uma *U dila par 48*000
N. io6. O mesmo, uma diU dita por 40*000
N.,271 Padre Pedro Gome* Fesriz
do Albuquerque, nma diu diu
- por
N. 272 A. Joao DomiBlos dos Pas-
sos, uma dita diu por
N. 274. .Ricardo Francisco Correia
uma dita diu. por
N. 478, Anna Lourpnca da Fonceca
Feitosa, uma diU diu por
uma dita arren-
N. 280. A' mesma,
dadapor
N. 294 C. Antonio Vieira, uma dita
N. i94. D. O mesmo, uma dita diU
. por -
N. 300, Manoel Ferreira da Co'su,
uma diu dita por
1:400*000' N- 300 a. Manoel Rozas de Olivei-
ra, uma .diU dita por
N. 310. Clara Maria da CopeeicSo,
uma casa terrea avaliada por
K. 330 A. Monica, uma dtfa dita
for,.-,.-- -, -.,
rimeira seccio do consulado provincial, 29 de
novembro de 1873.
0 chefe,
^ttuardo Augusta iOiiteira.
130*000
192*000
18*000
120*000
60*000
84*000
84*000
96*0f0
60*000
60*000
72*0CO
--Deordem de Iltar. Sr. Inspector ^a thismi-
raria de fazenda desta provincia se faz publico
para cdhhecimento'dos intcressadds, que o tribu-
nal "dj theseuro autorisou o pagamenlo de dividas
de excrcicios, cujos oredures- saa- oc ssguintes :
Agostinho Moreira. Guerra. 44.0*839; Ainalia Ju-
viana de Albuquerque Lessa 728*357 ; Or. Este-
vao Cavalcante de Albuquerque 78*139 ; Eugenio
Jose Martins 150*530 ; Fausto Ferreira da Carva-
lho 'SOO* ; Pbfix AmaJo da Stlva 175*290 ; Fran-
celina PerpeMa da Fbnse^a 216 j ; Hilario Carme-
litano da Porciuncula 644*134; Jose Pedro dos
Passos 458*730 ; Manoel Caetano Nunes Pinto
62* ; Manoel Joaquim do Nascimealo 43*500 :
Maria Suzana Cavalcaute de Albuquerque 6' 0* ;
Vicente Raymundo de Siqneira 82*060 ; Vic ton-
no da Silva Azevedo 168*310.
SecreUria da thaeeuraria de fazenJa de Per-
oambuco, em 19 de novembro de 1873
O secretario da junta
___________ Jezuino Rodrigues Cardoso.
O Dr. (Juintino Jose de Miranda, juiz de
direito da primeira vara nesta cidade do
Recife do Pernambuco, etc.
Faco saber pelo presente edital que nos
termos do art. l. do decreto numero 1,695
de 15 de setembro de 1869, dentro do pra-
so de 30 dias, cortttttos da pubh'cacM) do
presente, recebera esb3 juizo propostas em
cartas fechadas para arrematagao por venda
das escravas Gertrudes, preta de 41 annos,
avaliada por -2509000. e Firmina, preta,
idafle 11 annos, avaliada por 4005000,
ainbas natnraes desta provincia e de S9r-
vigo domestico, as quaes pertencem a
Manoel Cabral Borges, e vao a praca
requerimento do Dr. Frafccisco do Rega
Baptista e Diogo Baptista Fernandes, na
execu^iioque Iheencaminbnm por eslejui/.o;
sendo que ditas escravas acham-se em po-
der do respectivo depositario Jose Miguel
dos Santos, a rua da Lingueta, onde po-
derao ser examtnadas ; e maisfnido o prazo
da lei, os sejguintes mbveis : Uma macm'na
de costura,. avhliada em 209000, nma mar-
atieza de ama'reflo em 259^00, scis cadeiras
e-guamiQio de junco om 3O90OO.
K para que chegue ao conhecimento de
todos, rrtandei passar o presente que sera'
affixado no lugar do costume, e p'ublicado
na imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
aos 30 de outubro de 1873. Subscrevo,
e assigno. Uecife 30 de outubro de 1873.
O escrivao interino, Henrique Cectlio
Barreto d'Almeida.
Quintino Jose da Miranda.
.ii^
(IfCLABACOES.
Correio geral.
Pela administra.(ao djs correios desta provincia
se faz publico qtie do dia 8 em dlante as partidas
dos pedestres, conduzimlo malas para as agendas
do interio da provincia, regular se-hao de confor-
midade com a tabella abaixo nierlCionada, fechando
as respectivas malas ao moio-dia.
TABKLI.A dos dias das partidas dos pe-
destres DA ADMINISTRAIJAO DOS
CORItKIOS DE PERNAMBLT.O PARA OS
LEGARES ONDE EXISTEM AGEXOIAS.
LUGARES
DlAS DA PARTIDA
Agua-Preta............
Iguarassti.............
Gnyarina............
ltambe............."...
I, 7, 10,
19, 22, 23 e
13,
Victoria.................
Gravata.................
Bezerros.................
Caruard.
Brejo...
Ipojuca..................
Scrinliiein..............'
Rio Formoso-----.........
Barrreiros...............
........... I j, 5, 9, 13, I", 21,
'23 e 29.,
I h..............i
i................f2, 6.
),..............} i6
Paotl'Alhb...........
Nazareth.
Limoeiro................
Bom Jarilini..............\
Floresta...
Cabrobo. .
Boa-Visla.
Petrolina. .
10, 14, 18,
e 30.
.!.<
7,
27.
12, 17. 22
Paoellas
ItonilOp
GLiranhuns.............
3, 7, II, 13. 19, 13
Bora Conseiho.'.........'.'. | e 27
Aguas-Bellas............
Villa Bella...............m
Salgueiro................f3, 8, 13, 18, 23 e
Granilo.................> 28.
Ouricury................
,4, 8,
e 2
12, 16, 20, 2i
S Bento.................
Iliiiiue.................
Tacaratii................
Altinbo.................
Pcsquefra..............
Inga,zeira................
Afogados de Ingazoira.....
Ftores..................
Trium'pho...............
OHnda...................| Todos os dias.
Escada................. j
Frecheiras..............
tamelleira...............
ibeirao. ........ ......
Estacao de Agua-Preta
Trom&etas...............
Todos os dias nteis.
Hasa tere6.h.'99 f?chana) : 351*000
Idem a. 10'. .......24l*)00
Idem rr. 102........24l*0(>
Idem n. 108........207* Rua do R-Uarlo da'Roa Wsla
Case terrea n. o.......243*000
Os prelendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas tiancas^ ou comparecerem
acompanhndos dos resj.fletf\'03 Bdores, devendi
pagar alem da renda, "o premio da quantia era
que for seguro o predio que cortiver esubeleci-
raento commercial, assim como o senigo da lim-
peza e preens dos anparelbos.
Secretana da saou casa da raiaarieordia do Re-
cife, 5 de novembro dc 1873.
0 escrrrio
Pfro liodrigaes de Souza.
De ordemdo presidente d'aaseinblea geral
da mencionada companbta, faz-se sciente ao*
accionistas, que, e ta mesma conformidade
do art. 11 dos cstatutos, visto proceder-se
em continua^ao da sessao adiada, no dia 10
do corrente mez, pelas 4 horas da tarde, no
lugar do costume, proseguira a assemble
geral nos traballios adiados da sessao orJi-
naria, qoe fOra convocada parao dia 31 de
outobro proximo passado.
Recife, 1 de dezembro de 1873.
0 secretario,
Luiz Lopes Casldlo Braneff.
0 a lministrador da roceba|a<4e rea-
das internas gefalfai publico qui.'-eojvirtu-
dedadisposir;aodo art. 12 eda uflims parf.t
do art. 32 da lei do urcamento vigpnte n.
2,348 de 25 de ngosto ultimo, a multa dn
quetrata o art. 30 da lei n. 1.5oTde20 de
setembro de i67, que e de 6 e/p & que os
tao sujeitos os seguintes impostos, a saber :
decima additional, irtipsto pessoal, drto
sobre industrias e protissOes e ta\a de e'5-
cravos, sera elevada a 10 /o, do dia 2l do
Gorrente em diante, pelo que previne a *.j
ilos os contribuintes dos refcridos iaipostvs,
relntivos ab esercicio de 1872 a 1873, ern
liquidacao, que sOmeulo ate ao dia 20 des-
te mez e que podem e devem realisnr o pa-
gamenlo ou em mao dos cobradores ou nes-
ta rccebedoria, certos de que se nao fizertn:
ate ao reteridb dia 20, serao obrigados a
pagar judicialmente os supraditos impos' -
com multa de 10 %
Recebedoria de Pernambuco, Ide dezem-
bro de 1873.
Manoel CarneitO de Souza Lacerdu.
Qninta-feira. 4 de dezembro proximo virTd71-
ro, depois da andiencia do Dr. jarz sabsthWa l
de direito d.i provedoria de capellas' e rt'sfdn w.
irao a praca para serem arrematado* diver- -
dbjeclas pertencentcs ao espoho do ffnadb Dr. An-
tonio dc AssnmpcSo Cabral, os qhaes se acham
avaliados pelos prefos seguintes :Uma banAji-
nha deamarello 4iO00, 1 chap6o de pasta 2*000 :
1 par de escarradeiras 3^000; t jarra 2*00:); 1
mesa de ensirrha, ordinaria l*0Cr>; I: fogareiro e
uma chnleira de ferro 2SO00; 1 lavatorio de ferr"
1*000 ; 1 mappa velbo 1*000 ; 1 cstante de pinbo
33n00; 1 carxa de amarello pan scrventht secre-
la 2*000; 1 trancelim e uma mcdalha de outo,
pesando 33 oitavas a 3*000, 99*000; 1 tranpel.-i
lino com nuia cave de ndogio, pesando 7 pjlav..-
a 3*<)C0, 2r*tX)0 : I par dbbotSes'de.tfcanb, um
allinete de pcHo e um botSii de aberlura, tuda
com 4 oitavas a 35(00 i2*000 ; 1 relogio com
caixa de ouro psr 70*0'a0; 2t coheres rjepfata.
sendo nma de tirar afrnz e as demais para scpa
e cha, pesando todas 223 oitavas ,a 240 reltjft*
Para cssa arrematacao convidam'se os pTb'ten-
denles, afim de qite comparejam no refe'rido Ja
e hora na sala da? andiencias, onde (era ella de
ser effectuada.
\rreniata^ao
.i
No dia 3. de dezembro do correnle anno, qpar-
ta-feira, depois da andiencia do Dr. juiz de direito
da, 2' vara. deve ser arremaUda a armajao e suas
pertencas da loja n. U da rua da Impcralriz,
assim como alguns chapeos, ponhorados por exe-
cuyao do conselheiru Fraqciscv Xa.yier Pinto Lima,
contra Joao Uenigno Pereira do La go : os prelen-
dentes podem, examinar ocscripto oue se acha em
poder do porleiro dos audiiorios : sendo a arre-
mala^o effectuada no proprio eat, lielecimento.
Qnarta-lcira, 3 de dezembro, Ooda a auditn-
cia do lllm. Sr. Dr. juiz substitute da 2." vara ao
civet, ira deflnitivamente a praca, por arrenda
mento annual, o sobrado n. 4 da rua estreita d"
Mosario, servindo de base para a arrematacao o
preco de 900*, por quanto se acha actualmeut^
alugado : cuja praca e requerida por Fructuo'o
Martins Gomes, como consenhordo referido sobra-
do, e deste tambem sao consenhores Apt Unarm
Pereira Baduem e sna rnulher._______________
eOMPAMHIA
DO
BEBERIBE
0 caixa desta eompatibia o Sr. Cqrben.,
uj de Aquino Fonceca, acha se autorisati.
a pagar no seu escriptorio rua do Vigario
Tenorio n. 19, das 10 hnr&K do dia ds 3 da
tarde o 51 dividendo da msfiia compantli'a,
na razao de 39000 por apolice.
Escriptorio da corapannia, 22 de novern -
bro de 1873.
0 secretario,
Luiz Manoel Hodriqucs Valenca.

Pela secrelaria da camara municipal de Ulin-
|a se faz publico para conierimento dos interes-
4|ados, que nao tendo-se effectuado a arremaUcao
dos lmpustds annunciada para o dia. de hoje, foi
nksferida pwa o dia 4 pe dezembro proximo vin-
oonro. .
.^ecreuria da samara municipal de Olinda, 27
e novC.n'^ro aa 1873-
> 0 secreurio,
Marooimo Dias de Araojo.
Correio de Pernambuco, 3 de dezembro de
1873.
0 administrador,
_______ Affmso do liego Barros.
Santa Gasa da Misericordia
do Recife.
A junU administrativa da Santa Casa de Mlse
ricordia do Recffe, mpetentemente autorisada
pela presidencia, em data, de 3 de setembro do
anno proximo fipdo, e de conformidade com o que
dispSe o g 9.* art. 52 do seu com, romisso. per-
nuu por apohces da divida publica a fazenda. de
criar g"ados quo possue o patrimonio aos esta-
belecim'entos de caridade a seu.cargo denomiaa-
da -Carnauba siU no termo de Flores desta
provincia, com terrenos para criar e plantar, i
com algum-etdo cavanaf e vacenm.
Recebe para isto propostas nesta secretaria ate
o dia 10 de dezembro do corrente anno. .
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 10 de outubro de 1873.
0.escriv5o,
...._______ Pedro Rodrigues de Souza.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Hfraa. junta administrativa da santa ca3a da
Mfsericordia do Recife, manda fazer pablico que
na sala de suas sessdes, no dia 4 de dezembro
pelas 3 horas da tarde, tern de ser arremaudas a
quern mais vaaUgens offereeer, pelo tempo de um
a tr:s annos, as rendas dos predios em seguida
dechtMdoB. : -
ESTABELECIMEiNTOS. DE CARIDADE
Rua de Hortas
Loja do sobrado n. 41. .
Rua da Viracio
Casa. teorea n. 7 (fecbada), .
. ... Iravessa do S. Jose.
Casaterrean.il.. ......
PATRIMON'IO DOS ORPHAOS.
i Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16. .... 209*000
Becco das Boias. ..,
Sobrado n. 18 421*000
Rua da Cruz
Sobrado n. 14 (fechada) .... 1:000*090
Rua da Gflia ..^itn
Casa terrea n 25.......200*000.
Rtio do Pilar.
Casa terrea n. 98. ,...,, 241*000
306*000
312*000
201*000
COMPANHU
DOS
TRiLHos mm
00
Recife a Olinda.
E Bekribe.
Esta compannia contrata com quern por
menos o fizer, a collocagSo de 40 & 50.pos-
ies, de madeira de qualidade, como seja :
embiriba preta, sapucaia ,etc, para fiotele-
graphico da estagio da Aurora a Encruzi-
Ihada, com 25 a 30 palmos de ahilfa e !>
pollegadas de grossura. Com a respectiva
geTencia se entenderao os proponentes.
0 gerente,
Laurentino Josi de Miranda.
capltania do porto pe perjjambugo, 28 dk
SoVeubro de 1873
. Para sciencia dos interessados faz-se publico a
segdinte nolicia -maritima :
MlNrSTERlO DA MARINHA
Pela secretaria dc estado dos hegociosue mnn-
nha se publica a segoin63 ncticia maritjma :
(Traduccao do cap. fed. P. B. de CerqUeh-a Lima.'1
, imf.K DO COMMERCfO
Whichall Gardens, 2S de dezembro
. d\,lS7l.
A junU do commercio recabeu do secretario de
esudo dos negacjos estrangeiros copla de um des-
pacho do encarregado de negocios de Saa Kages-
fade; em BjgoU, acerca. de um decreto do govexno
c festos e relacoesde generos, que chegarem aos
portos francos do tsthmo de Paaaaaa, *wam ser
^ertificados pelo consul boliviano, resideote no
pvrto do .embarque ; o diz que o govarno to-
i):obiano expedira.qrderis aos.consoles para da-
rem taes documentos livre de Jespeza, quanto aos
generos em traosito. ps que forero para consumo
no Isthmo, como os que forem -para,..os;portos co
ompianos do,Paciflcotde Buana-ventora e Tuma-
co, devem pagar como atJ entao.
(traduccao do-cap.,ten P B. de Ceraueira Lima.)
n... -.^WA-JKaCQfilttBicfeo.
iBJWefcaJJ Garitns.Z^d^dmnkf &
A.junu do conweripte#ei)ejuw'
consuUeral de Sua Magesw&i,eii-
pia, mformando-a de qu* ,o governs
Clarou fran a paasafeox dos eatiakv.
baBos.adefipsphoro, desde 13 de JUawbro do
1P71 ej dlapte,
0 seguinte avis"o aes fopitaes de navw, acompa-
I
I
f
.'
v
<


')

gfeib de Peraamouco Quarta teira 3 de Dezemoro de 18 a.
nhado .fa necessaria itfortnaja?,' lot pnblicado
pelo consul sM fl
t Cdfisulado feraTbrrtanSieo: Cosstertmopla, 12
de dezembro 401871.
a Todos os davfos pidem de hoje em diante
passar pekra eariloe do Bospuoro e dos Darda-
nellesftqualtnKr hora do dia ouda noite.
Para avitar.que os navios parera afim de eb
ter os seus pa3saportes (Firman*) em Constant-!
nopla, aa passagem do Mar Negr'i para o Mediter-
raneo, 03 capiiaes de navio podem prover-se, ao
chegarem do Mediterraneo, do? dous preeiio! pas-
saportes, isto e, am para o Bosphoro e outro para
os Dardanelles. Estes passaportes devem ser en-
Iregues, d'ora em diaifle, pelos navios que vao
para o Mediterraneo a bordo de am navio de guer
ra aneorado* ha ponta Galata, em (rente de Gal-
lipoli.
Afim de qae os capitaes de navio possam
apioveitai-se da vantagein de nio se demorarera
:n sou regress* devem prover-se dos passaportes
para o" Bosplroro e para os Dardanelles ao mesmo
tempo, em cujn caso deverao pagar os direiios e
emolumentos, e tomar os rpcibos eYn Constantino-
pla, antes de seguirem para o Mar Negro.
Por este neio evitarao a necessidade de parar
no Bospaoro-fem seu negres*o do Mar Negro, ex
i-epto era Cavaa ou Buykdere para tomar pra-
tico.
Ksta'cenfotrae.
0 secretario da eapitania
Decio de Aquino Fonseca.
PODEB DO OURO
Terminara o esaaetacnlo eom a muito chistosa
comedia em 1 acto :
laidita e\pf sicao.
Havera trem depois de espectaculo.
N. B.Os S.-s. soaios podem mandar buscar no
ilieatro e das 4 as 6 da tarde os bilhetes que lhes
tocarem ; guardadas porem as restricgoes do art.
9 dos estatutos.
AVISOS MARITIMOS
CONSULAOO PROVINCIAL
t'eia adnMOisiracao do consuiado provincial faz-
public aos respective* contribuintes, que do
1 de dezjimbro vindouro comeca a correr o prazo
dos 30dto* nteis, marcado no art. 21 do regula-
mento du Ifl'de abril de 1842, para a cobranca do
prinieiro semeslre dos impostos da deciroa urba-
ua e 5 0(0 sobre a renda aos bens de ralz perten-
cebtes as corporaeoes da niao nurta, no corrente
exPreieio de 1873 a 1874, iucorrendo na multa de
i> Ojo aqnetlesdos contribuintes que nao os satis-
lizerein ne.>ta prazo
Cansulado provincial de Pemambuco, 28 de
novembro, de 1873.
0 administrador,
A. Garneiro Machado Bios.
Sociedade Fropagadora da
Instruccao Publica.
Sao novameute convidados os membros dessa
siicidade, que perlencem a parochio de Santo An-
tonio do Becife para no dia 3 de dezembro as 6
1(2 horas da tarde, comparecerem no primeiro an-
dar do s'ebrado n. 43 da rua do Imperador, afira
df eleger-se 6 conselho director de parocbia, que
tern de dirigir os trabalhosjlojante o anno Gnan-
ceiro faturo. Nessa reuniao, havende neeessida-
de sera executado o disposto no segundo mem-
bro do artigo 24 dos estatutos da sociedade.
rreoflte, 30 de novembro de 1873.
Olympio Marques,
Presidente.
Ferreira Villela,
Secretario.
COirAMIA BUMM
DE _
P\Q\3ETES \ V\WU
LHtTADA
llneeio. Penedo, Aracaju
e Bahia.
E' esperado dos portos do sul ate o dia 9 do
corrente o vapor Goncalves Martins, o qual segui-
ra para os portos ac'ima no dia seguinte ao de
soa chegada.
Becebecarga, encoraaiendas, passageiros e di-
nheiro a irete.
AGENTE3
Aotoaio Luiz de Olireira Azevedo d' C,
37Baa do Bom Jesus -37
Pel a sccretaria da camara municipal desta
i-idadese faz publico que a mesnia camara princi-
pia a sua 4 sessao ordiuaria em o dia 3 do cor-
rente.
s cretaria da canara municipal do Becife, de
b'ifmbro de 1873.
0 secretario
Pedro de Albuquerque Aatran.
I fospital portuguez de bene-
ficencia em Pernambuco
Ue confermidaie com o que dispoe a primeira
pjrle do art. 48 dos estatutos, sao convidados os
.-ocios effecli'vos a rennir-se em assemblea geral,
no domirigo 7 do corrente, as II horas do dia, na
- critaria do hospital,, afim de se proceder a elei
cao da juuta administrativa e da commissao de
contas que tern de funccionar no proxiTio anno
le 1874.
Hospital portuguez de benefieencia em Pernam-
. 2 de dezembro de 1873.
Luiz Duprat
Secretario.
Correio geral
ttelaf&o dos objeclos regislrados existenles
na adminislraga-o dos correios desta pro-
"incia, para as pessoas abaixo decla-
ration :
Antonio Clementino Accioly Lin>, Anna Josepha
ra dos Santos, Brilhandina Gertrudes Wan-
J rley (2), Domingos de Souza Barros, Eugenio
relies da Silveira Pontes, Francisco da Fonseca e
Silva, Francisca Candida da Silvira Cardoso, Fir
ir.ino Theotonio da Camara Santiago, Francelina
Pae Barreto, Francisco Socrandino, Henrique da
Cunha Bodrigues, Joao Cavalcante de Albaquer
que, Joaquim Augusto Ferreira Jacobina, Jose An-
ti nio de Oliveira, Joaquim Antonio Pires, Laurinda
Maria Rigueira,' Leandra Joaquina do Sacramento,
Manoel Dejoces da Silveira, Maximino de Aguiar
Montarrovos, Manoel J. da Silva Vianns, Rufino
Augasto de Almeida, Baphael Estefano, Umbelina
ii isa e Lima Pinho, Ulysses Segismundo de A-
raujo Batinga.
Administra^ao do correio de Pernambuco, 2 de
.b'zjmbro de 1873.
Jose" Candido de Barros
Encarregado do rgisatro.
Santo Antonio
. emprezaJyicente.
Peiiultimo espeetaculo ncste
theatro.
(^uinta-feira 4 de dezembro.
BENEFICIO DE
Subira a scena o drama de grande espectaculo
m 3 aetos:
GRACA DE DEUS
Desempenhara os principaes papeia a Sra. D.
M.muela, Bahia, ( o de Loustalot) Vicente e D.
Olympia Valladas.
O Sr. Bahia cantara por obzequio, no !. acto,
am romance que se intitula :
Amor paternal
Doesia do illustrado Sr. Dr. Celso Magalhaes,
niujjea do benaGciado.
Termhiara o espectaculo com a scena comica
Ic^SBipenliada pelo artista Camara:
Pedro Ghierreiro Recife
iaindo com o applaudidlssimo
Aiigii musical
A.ibandad* corpo de policia executara no? in-
"i vallos, as melhores peeas do seu repertorio.
N'udi dos intervallos o beneficiado ira agrade-
er as familias que ?e dignarem obsequiaslo.
N. B.A numeracao das cadeiras de 1.* erasse
snbe at'' 118, todte as mais sao avolsas.
Prinoipiara is 8 Ii2.
Yt
T^TRO
SOCIEDADE PARTICULAR
RECREIO MMVATICQ.
Domingo 7 de dezembro-
Km 8 h*rai m ponto.
pois que a orchestra dirigida pelo maestro
i-r..ntM*ta.lHJtiv exeenttdo una linda ouvertu-
ra sablrftia ecena iaw'to applaudklo drama em.
4 :Ct'
Pacific Steam Sa\igalin Compaij
l.inlm qiiinzenal
0 PAQURTE
espera-se aqui da Eu/opa ate o dia t3 de dezembro,
e deiwis da demora do oostume segnira para o ml
do imperio, Bio da Praia e costa do Pacifico, para
onde recebera passageiros, encommendas e dinhei-
ro alfrete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14 BUA DO COMMERCIQli
PACIFIC STEAM MUM COM
PANY
l.inhu qulnzenal
0 PAQUETE
.17
espara se dos portos do sul ate o dia 4 le dezem
bro, e depois da demora do costume, seguira para
Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde re-
cebera passageiros, encommendas e carga a frete.
Espera-se tambem dos portos do sul dentro dos
proxiraos oito dias, extraordinariamente, o vapor
CHILI
o qual depois de mna pequena demora neste por-
to, seguira para Liverpool e escalas.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14RUA DO COMMERCIO14
V
t01IJA\lliA
MESSAGERIES HARITIMES
l.inlia mensal
MENDOZA
Espera-se dos poi tos do sul ate o dia 6 do cor
rente, seguindo depois da demira do costu
me para Bordeos, tocando em Dakar (Goree) e
Lisboa.
Para contuses, fretes e passagens, trata-se cor-1
OS AGENTES
llarisnirnily A l.ululle
9 Rua do Commercio 9
Ligeiro III
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com a
possivel brevidade o brigue Ligeiro III, de la
classe, por ter parte da carga engajada, e para a
que Ihe falta, trata- se com os consignatarios Joa-
?uim Jos6 Goncalves Beltrao & Filho, a rua do
ommercio n. 5.
GOHPAXHIA
nESSAGERIES MARITIMES.
I.inli:i inensal
RIO GRANDE
Espera-se da Europa ate o dia 8 do corrente,
seguindo depois da demora do costume para Bue-
nos-Ayres, tocando na Bahia, Bio de Janeiro e
Montevideo.
Para passageiros, encommendas, etc., a tratar
com
OS AGENTES
Harisinendy A Labille
9. Rua do Commercio 9

(OHI'WIIIl
MESSAGERIES MARITIMES
I.inlia mensal
Kspera-*e dos portos do sul no dia JO do cor-
rente, seguindo depois da demora do costume pa-
ra Bordeaux, tocando em Dak,ar (Goree e Lisboa.
Para passageiros, encommendas, etc., a tratar
com
OBAGENTES
tf arlsmendy A Labille
9 Rua do Gommercio 9
T
ara
seguira bre\smente a barca portagueza GiatidSo -,
para cari e passageiros trata se eom E. R. Ra
Ml* G.. rua do commercio n. 48
Para Lisboa
epjra com brevidade o briguo portugaez Bella
ymffput > Para oarga e passageiros trata-se
'qjanffl!. R. Rabello 4 C, ma do Commercio nn,-
H
J* A. feindamam, capttSo do pa4abo aPf
lem5o yieance viodo do Rio de Janeiro com
carga deassucaj, com destinopara Falmoutfi
para recaherordens, entrado neste porto com
agua 8berta, preei3 para oefcorrar 4s despe-
zas do concerto dr> mesmo natio, a riseff
tnaritimo, da quantia de dezoilo contos d
Hi, pouco mais .on menos, sobre o casco,
at&e carregao^enlo do dito naWo.
; Oifertas era cartas fechadas serao retfebi-
das no consuiado do imperio germanico,
onde a carla do fretamento pode ser exa-
minda pelos interessados, ate o dia 3 do
e dezembro ao meio dia.
io de Janeiro
attobo portuguez iJiwoisagua para o Rio de
o por ter ja psrte do. $eu xarregameato en-
), epara o resto da carga dsvem os preten-
_tes entender.se com Silva & Gaseio, escripto-
rio a raade Mawiuea-dttflriBda b. 60; l'andar.
Ul
2a l,z barris com manfeiga franccza ns. 1 a
99, marca R V. C, 20 barris com an-
teiga ingleza de ns, 1 a 20, marca B.
Ouiiita-feira \ do corrente
A'S 11 HORAS DAMANBA
0 preposto do agente Pestana, fara Icilio por
conta e risco de quern pertencer. de 2j 1|2; Irri3
com manteiga franceza de ns. 1 a 30, e lOditos
inteiros com manteiga ingleza de ns. 1 a 20, indos
do Ceari no vapor Para, desembarcados allima-
mente, quinla-feira 4 do corrente as 11 horas da
manhl, no armazemde An,defronte da a! fan
':'
Para o referid porto pretence seguir com a pos-
sivel brevidadeo brigue portuguez 0. Anna, por
ter ja alguma carga engajada ; e para a que Ihe
alta, qua reeebe a frete commodo, trata-so com
os consignatarios Joaquim Jose Gonealves Beltrao
4 PHho, a rua do Commercio n. 5.________^^
Tsco m\\m
Dominico CdpoHo, capitao do vapor itaiiano
^Wrttannox (A. 1. 20 annos) devidamente seguro,
de 791 toneladas de regi&to, procedente de Macao
(China) com destino-allaiaaa (Cuba) conduiindo
730 passageiros ehinwes,: ndo sido obrtgado por
forca maior, a arribar a este porta^iara prover-se
de carvao, agua, viveres, etfr, alim de proseguir
sua viagem ; e precisando para taso de cerea de
2,300 libras esteilinas a risco; maritiino lobre o
casco e passagen*, segund*-* earta de ftetamente)
do referido vapor, cujo reembolso sera feito em
Havana ; coavida as pessoa? a q.uem convier, para_
apresentarfera sua* proposta3 eirt carta fechada no
vice-con?ulado de nalla ate o dia' 5 do corrente,
as II horas da manna, alim-deaertai abertas em
presenca do regio viae-colsul, e aceita a que mais
convier aos interesses do vapor.
jfBatMiiodMtttf* po
aaioar t
arroado
_
4eitaprt-
es
SEXTA-FEHIA 3 DO CORREN11
- as II l|2 da manna
Por intervenc3o do agente Pinto, rua do-Bom
Jesus n. 43.
_
f I
DE
um cornploto e variado sorlimeuto de cha-
peos do Chile e feltro
SEXTA-FEIRA 5 DO CORRENTE.
Anil lxrA.
I'or iutervengao do agente Pinto.
, Rua do (Bom- Jesus n. 43.
LEILOES.
Agenda de leiloes.
RUA DO MABQUEZ DE OI.INDA N. 37, 1 ANDAR.
0 abaixo assignadn tern a honra de scientiflcar
ao respeitavel publico, com especialidade ao corpo
commercial desta praea, que acaba de ser nomea-
do agente de leiloes, em cujo exercicio, promette,
se esforcara para bem merecer a confianca de to-
das aquellas pessoas que se dignarem honra-lo,
encarregando-lhe de negoeios tendenles a sua
profissao.
Desde ja o abaixo assignado antecipa os seus
agradecimentos para com aquelles que o procura-
rem: o que poderao fa^er dirigindo-se a rua do
Marquez de Olinda n. 37, 1 andar.
Becife, 7 de novembro de 1873
Joiquim Dias dos Sanies.
It Leilao
laiewlas variMlas
COKS1ANDO m :
. inadapoldes, ahtdfloes echitas
SEXTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
V* IO t|9 horas.
Por Jeiervencao do agente Pinto, em seu es-
criptorio a rua do Bom Jesus n. 43.
IMlO
DE
7 barris do quinto e 38 ditos de decimo
com vintio branco, marca J S S
0 agente Martins fara leilao, por trdem do Illm.
Sr. consul portuguez, de 7 barris de quinto c 38
ditos de decimo, com vlnho branco, pertencentes
ao eSpolio de Joaquim Simao dos Santos.
0 leilao tera lugar no trapiche Cunlia, as 11 ho-
ras do dia.
LEILAO
DE
10 duzias de camisas;bordadas e lisas para
homens
HOJE
A'S 11 HORAS EM PONTO.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e. risco de quern pertencer, de 10 duzias
de camisas bordadas e lisas, muito liuas, para bo-
mens
QUARTA-FEIRA 3 DO CORRENTE
a"s 11 horas em ponto
No arraazem da rua do Vigario n. 11.
LEILAO
DE
louc,as, ,1 piano de jncaramla, 1 dito de
mogno, de mesa, proprio para aprender,
1 excellente cofre inglez, prova de fogo,
e cerca de 200 1|2 caixas com charutos.
AVISOS DVt-RSOS
Precisa-se de uma ama
que engomme e fac> outros
servicos domesticos, em casa
de pequena familia: na rua
do Capibaribe numero 40.
- Precisa se de uma escrava para cozinhar
e comprar : na rua Primeiro de Marco n. 23
loja.
Aos senhores negociantes.
Cnntini' .". fornecer comedorias para fora
por prec "modos ; algum senhor negoeiante
que ten jar suas familias para j-, passar
a festa e quizt.em deixar os seus caixeiros bem
servidos, quanto ao forneciinento de comida, diri-
ja-se a rua estreita do Rosario n. 3<>, primeiro an-
dar.
Feitor.
VPrecisa se de um portuguez que entenda de ar-
voVedo e jariiini, que tenha boa oonducts^prererin-
do'-so casado sen) familia : na rua das Cruzes n.
34, primeiro andar.
OBEBTAS MEDICLNAES
PE1.0 BACHAHEL

as It horas em ponto
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quern pertencer, de I mobilia de
jacaranda com tampos de pedra, 1 dita de junco
nas mesmas condieoes, 1 dita de amarello sem pe-
dra, 1 dita de ohicica, mesas elasticas de 6 laboas,
guarda-loue>s, guarda roupas, guarda-comidas.
aparadores, mesas redondas, consolos, sofas, mar-
quezdes, marquezas, camas francexas para casal,
1 piano de jacaranda, com excellentes vozes, 1
dito de mesa, proprio nara quem quizer aprender.
I excellente cofre inglea, prova de fogo, candiei-
ros a gaz, quadros, cabides, quartinheiras, toilet-
tes de mogno, dito de jaciranla, cadeiras de ba-
lanco de amarello, ditas de jacaranda, c cerca de
200 1|2 caixas com charutos exposicao, tudo
ao correr do marteUo
QUARTA-FEIRA 3 DO CORRENTE.
as II horas em ponto.
A' RUA DO VIGARIO N. 11, ARMAZEM.
LEILAO
DE
moveis, lou^a e crystaes
QUINTA-FEIRA 4 DO CORRENTE
as 11 horas
NA
16-Rna do Imperador-IO
Trastes avolsQs, lopca, crystaes, e nraftbs arti-
gos do uso Jjoroestico; 1 cabriolet de 4 rodas,
com arreioe, cobert*, com 4 assentos, objectos de
ouro, etc.
w
loja de fazeodas ait* i rita da Imperatriz n.
48, pertgb;&hie|rifna^afallida de faulo
Fernahaes de MelloGuimaraos.
Quinta-feira 4 do corrente
As 11 horas da manhft
Oagente"PinhoBorjes levara a leil*
dado do Illm. Sr. Dr. Tnft especial do Confhlei
a armacio envijracada e enveraisada, epelhos,
fazendaa, roupa fena,calc*s, culletes,, paltQt9,0j)-
roulas, camisas, moveis, 1 mobilia de jacrwida,
constando de 12 cadeiras de guaroirao, 1 sola, 2
consolos, 1 jardineira, 2 cadeiras de brawh2ditas
de balanro, lanternas, figuras, copos, aparadores,
commoda, mesa para jantar, cabidias, cama, ban-
cos, 1 cofre dfe icrro, ( mano, caodieiro a gaz, e
muito outros artigos que se acnam. pflKB'.es no
dia do leilio.

Manoel de Siqueira
('avalcanti.
1 o Preset*vativo da ery-
sipela : para curar com certeza, e
en. pouce tempo, qualquer ataque de
erysipela, e prevenir o sea reappare
cimente.
Este medicamento tambem e muito
poderoso para o rheumatismo.
a o Re^nladtir da mens-
truaeuo : para falta, irregularida-
de, suppressao repentina da menstrua-
jae, e dos lochios, assim como para
todo> os soi'rimento* devidos aquellas
affec^des. Ambos estes medicamentos
ja sao muito conceituados, e procura-
dos nesta provincia, e na do Bio de
Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa
do autor, das 9 boras do dia as 3 da
tarde, e a qualquer hora em casos ur-
gentes.
GBATIS AOS POBBES
Bua da Imperatriz n. 14, 2 andar.
m
$
,
m>'
AVISO
O Sr. Carlos Schleicber em Schonthal, perto de
Langerwehc ni Prussia Bhenana, fabricante de
superiores qnalidades de agulhas para costura,
tendo recebido encommendas de Pernambuco por
outros correspondences sobre agulhas para costu-
ra de sua fabrica en cartonagesn, e tendo deltas
umdeposito para vender, no armazem do corres-
pondents especial delle, o Sr. Otto Bohres, roga
aos senhores c )mmerciantes de Pernambuco que
querem comprar deltas, ou fazer encommendas
sobre outras, de dirigir-se a mesma casa, na rua
do Vigario n. 8, onde se dario todas as explica-
cSes neeessarias^________________^__^__
Aviso.
Perdeu-se o 1 volume da obra intilulada-Os
Dous Mundos de Alexandre Dumas : quem o ti-
vcr acbado e querendo restilui-lo, dirija-se a rua
do Torres n. 10, que s ri grauflcado. ______
Uzinheira
Ouem precisar por alugael, de nma escrara ex-
cellente eozinheira. dirija-se a rn& do Hospicio n.
01, 2 andar, onde tambem ba nm mulatinho de
13 annos, bastante enlendido em servico de casa
e de rua, que se prefere alugar na mesma casa
em qua for alugada a referida escrava.________
Na rua Sate de Sc^embro n. 36, ou no becco
da Lingoeta n. 3, ba para alugar nma cnada boa
engommadeira, e que entende de todo o servjtjo
de casa. I* ..*
Aluga-se uot tobrado da esquina da travess.i dos
Semearos, na Passagrm da Magdalena : o preten-
dente dirija-se ao armazem do sal na Passagem da
Magdalena, que achara com quem tratar
Aluga se o armazem e o primeiro andar do
sobradoda rua do "om Jesus, outr'ora da Cruz,
n. 20, proprios para estabelecimento commercial :
a tratar na rua do Marnuezde Olinda n. 82.
- Os ab'alio assignado dcclaram ao publico
e com especlalmde ao respeitavel corpo do com
mefeio que atroofveram amigavelmente a socie-
dade. que tiokam no estabeleci.uento de molbados
Sito too pflteo da Rmeira de S. Jose n. 11, a qual
gyrtva sobre a flrma de Campos fttnentel, fi-
eanap todo o activo e passlvo a cargb do ex-sdcio
"Pimente!..
Recife ta d^dizenAfq^e 4873.
Antonio Bento de Campos.
- Joa Jose rafcefatel.
Vernizes especiaes fm carrua-
gODS.
Este verniz, cuja falta aqui tanto sentem
os Srs. fabricaates e pessuidongs de carrua-
gens, acab* de cbegar para sea anico depo-
sito, dns seguintes quaiidades.
VERNIZ SCPERnNO PARA CAIXAS DE
CARRUAGENS.
E'. um verniz muito claro e duravel pasa
as caixas de carruagens, para )odas as.de-
maos, ou para a ultima someute, sobre
outros Yernizes. A snperficie secca em 12
horas, depois das quaes se expoe ao ar por
algum tempo, o que faz endurecer, e passa-
das 15 a 18 horas pdde passar-se a caiaa a
pedra pome e dar-lhe em seguida outra de-
mflo. Dao-se com facilidade tres demaos
deste verniz sobre as tintas, em tres dias.
A primeira demao servindo de apparelho,
ajuda a seccar as ultimas demaos e produz
um ercellente brilh'o.
Verttiz superior seccante para
enrrnngens.
Este terniz e da mesma odr-qae o ante-
cedente, mas endurece e secca com mais ra-
pidez. Emprega-se com bom exito nas
obras urgentes, e pode mislurar-se com o
anterior. A duracAo do verniz permanente
diminue na proporfSo da mistura.
VERNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS
JOGOS DAS CARRUAflHNS
Nao 6 tio claro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carrnagens e tambem para aspri-
meiras demos sobre c6res escuras. Pode
passar-se a pedra pome passadas 10 horas,
podendo dar-se era seguida ootra demflo.
Verniz preto do Japao, superior.
Para trabalhos em preto de carruagens.
Prodaz o preto raais escuro e brilbartte, e
p6de passar-se a pedra pomes 10 horas de-
pois. Deve dar-se does demaos sobre um
fuudo preto'e cobrir-se com outras duas de
verniz que se emprega nas caixas das carrua-
gens.
VERNIZ PARA COUROS, BRILHANTE E
ELASTIC0.
Este verniz, contendo na sua composic,ao
grande quantidade d'uma substancia muito
semelhante ao azeite denominado pieds bceuf,
e o unico quo di flexibilidade ao couro ve-
rho envernisado. Em geral basta uma de-
mJo que deve ser applicada muito ligeira-
mente, com um pincel depois de ter limpo
o couro com agua-raz. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 horas, e & sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempo humido e inutil tal
trabalho, por que nao e possival tornar o
verniz elastico e seccantc ao mesmo tempo,
Verniz para apparelho.
Depois de ter apphcado 2 ou 3 demaos
deste verniz n'um intervallo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no fim dos quaes se p6de pulir com extre
ma facrlicidade. E' essencialmente neces-
sario cobrir este \erniz com duas dem3os do
verniz superflno para caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas de apparelho, e
sobre tudo com as tintas moidas, para que
sequem mais facilmente e para lhes dar
mais consislencia.
Como n3o 4 necessario dar lustro a ultima
demao de verniz empregado nas caixas de
carruagens e no dos jogos, convent dd lo
n'um local separado aonde nao haja p6.
Quando a obra urge, deve por-se & sombra
e "ao ar livre depois de secco, isto e, passa-
das 12 boras, lava-se e enxuga-se bem com
uma esponja huraida. Quantas mais vezes
se fizer isto, mais brilhante ficard o verniz,
e mais depressa ss terminari a carruagem
(em caso necessario tres dias depois da ulti-
ma demao). Durante as duas ou tres pri-
meiras semanas deve-se lavar a carruagem
com agua fresca, depois de ter ser-
dido.
Os frascos devem conservar-se sempre
bermeticamente tapados, o resto do verniz
nao se deve deiiar near no frasco, e p6de
usar-se para as primeiras demaos.
Nao deve misturar-se com este verniz ne-
nhum outro ingrediente, nem agua-raz, e
de nenhum modo com o seccante. E' pre-
ciso limpar bem os vasos e os pinceis, e o
melhor e servir um piucel para cada ver-
niz.
Deposito unico para o Brasil, Bartholo-
meu & C, Pernambuco, Rua do Rosa-
rio n< 34.
AO
VAPOR FRANCEZ
RUA DO BABAO DA VICTORIA
It. 7-Ouir'ora Nova-N. 7
!.- hon>
BVZS iK1
PENHORES
Na travessa da rua
das Cruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Al PUBLICO
Os encarregados da devocao de Nossa Senhora
da Conceicao da travessa da rua da Roda, fazem
sciente ao respeitavel publico que no d'a 8 do
corrente tera lugar a soa festividade do costume,
havendo no domingo ao meio dia, diversas gyran-
dolas de fogos ; a noite tocara a mnsica do 1.* ba-
talhao de artilbaria ; na seganda-feira havera
uma missa no convento de S. Francisco a mes-
ma senhora ; a tarde, no mesmo dia -havera di
versos baloes de differentes gostos ; a node havo-
ra ladainha, sendo a joia do muito digoo professor
de musica Joao Paulo Carneiro; tinda a mesma
havera fogo artificial, dando fim a todo acto e a
esta festividade que os encarregados teem por cos-
tume fazer todos os annos. Os mesmos encarre-
gados pedem a aquellas pessoas que ainda estao
por concorrerem com saas joias, com algum re-
ceio, que contribuam para mais brilhantismo do
acto.
Constantino Antonio Ramos,
Enearregado.
Feiior
Em S. Jose do Manguinho, sitio de Jose Duarte
das Nevos, precisa-se de um bom feitor e de um
criado para tratar de dous cavallos e mais al-
gum servico no mesmo sitiio.________________
0 abaixo assignado faz sciente ao respeita-
vel corpo do commercio que vendeu a sna taver-
na siU na rua do Barlo do Triunpho n. 39, ao
Sr. Antonio Vieira.
Recife, 2 de dezembro de 1872.
Joao Gomes da Cruz.
ui ii iiiiiuv-iii. -
BOTLXAS de bezerro, cordavao, peflica, tuitre *
do doraque com bkweira, dos melhorej
fabricantes.
SAPATOES .de beierro, de cordavao e de case-
mira.
SaPATOS de lustre com salto. .
SAPATOES atarnancackw eom sola dd pao, pro-
prios para banhos, iitios jardins.
SAPATOS de tapole, chariot, castor e do tranca
francezes e portuguezes.
Para senhora.
80TINAS pretas, brancas e de cores differentes,
hsas, enfeitadas e bordadas.
SAPATIM'OS de phantasia.com salt*, brs.ms.
pretos e de cores differentes, bordddoe.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e do iianca.
Para ineuinus.
BOTINAS pretas, brancas e de cures differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINAIIOS de diretsas qnalidades.
SAPATOS de tranca portugueres.
Para meninos.
BOTIN'aS de bezerro, lustre e de cordavao.
AB0T1NAD0S e sapatSes de bezerro, de diversas
qnalfdades. *
SAPATOS de tranga francezes e nortagusaes.
Botas de montaria.
f.otas a N'apoleao e a Guilherme, perneh-as
meia3 perneiras para homen', e mms peroewa-<
para meninos.
No armazem do vapor france;, a rua do Barlo
da Victoria n. 7.
Mobilia de times. .
Cadeiras de balaaco, de braco, de guerni'.-oes.
sofas, jardineiras, mczas, conversadeiras e costu
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
levos, e os mais proprios moveis para saletas oga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barai
da Victoria n. 7, outr ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelo*, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonso
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos exiraelos, banhas, oleos, opiata e posden-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete.
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosneticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presents com frascos de extractor, cai
xinhas sortidas e garrafas de differentes tania
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira qnali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver n Cou-
drav.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victo.-i?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
phantazias.
Espelhos dourados para salas e gabinates.
Leques para senhoras e para nvninas.
Luvas de Jouvin, de flo dc Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com musica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de angmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bonitas parti relo-
liaa,
Brincos a imitacao e botoes de punhos de pla-
que
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de cou-
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima demesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de aco e
de tartaruga.
Oculos de aco fino e de todas as guarnicdes.
Bengalas de luxo, canna, com castoes de mar-
gin.
Jengalias diversas em grande sortimentc para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qnalidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
l'onteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para din' eiio.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de raola para chmar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mino e outros muitos differentes joguinhos alle-
m5es e francezes.
Malas, boli.as e saccos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas rnorde-
rem,bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Ce^tinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios do
criancas.
Venezianas transparent^ para portasejanellas
Beverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhida>
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de ceres em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminaeoes de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mm faci!
de subir.
Macbinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de pennas
Tesourinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanle'-ru-
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas pars
quadros.
Quadros ja promptos com paysagens e pfcanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e^ phan-
tazias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Bealejos pequenos de veio com liadas pecas.
Bealejos haraionicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de qumquHha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmo:) para
medir terrenos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de tode*
os brinquedos fabricados em differentes parte?
da Europa para entretenimento das criancas tud<-
a precos mais resumidos que e possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Barao da Vic-
oria, outr'ora rua Nova n. 7.
Cestinlias para costura
Grande sortimento de bonitos modetes chegados
ao armazem do vapor francez, cua do Ba-ao da
Victoria (outr'ora Nova) n 7.________________
Auseotoii-se da casa do seu senhor, a pre-
ta erloula, de nome Ignacia de estatura regular,
falta de dentes na frente, cor fula, cabeca algu-
ma cousa chata, nariz grosso, falla pesada levou
um vestido de ganga verde. andar vagtiroso e
coxo, provenieote de dores rheumaticas, e costa-
ma alguraas vezes andar de apercatas" aos pa r
roga se as atttoridades piliciaes e capitae* f'*
po que a capturem e fevem a rua "" -; ?am'_
n. 6, que serarecompjus''''
testa contra aaetn J -a I v """"'
aver acoitadoem sia casa.
. contra quem
1
I wmuifl


Diario de Pemambuco Quarta feira 3 de Dezembro de 18TS.
GRANDE LIQUIDACAO DE FAZENDAS
NO
II llEIMIi
Rua da Imperatriz n. 72
DE
Ldurenco Pereira NendesGuimaraes
Declara aos seus freguezes que tem resolvifo fazer tuna gran'e liquidacao, ate o
lim do corrente anno.
A SABER :
CAMBRAIAS BRANC4S A 3W00" l
Vende-se pecas de cambraia branca, tapa-
dae transparente, a 39, 3ft500, 49000 e
59000.
LASINHASA200RS.
Vende-se lasinhas para vestidos, a200,
320 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A640RS.
Vendo-se alpacasde cdres com listras a 6i0
e800rs. ,o covado.
GRANADINE A 800 RS.
Vende-se granadtne preta com listras de
fdres, para vestidos, a 800 rs. o co-
vado.
POUPELINA JAPONEZAA 19800.
Vende-se uraa fazenda nova com listas,
com o nomo de poupelina japoneza, propria
par* vestidos de senhoras, a 19800 o co-
vado. Todas estas fazendas sao vendidas no
Bazar Naeional, a* rua da Imper ariz n. 72.1
CORTES DECASSA A 295 0,
Vende-se curies de cassa para vestidos,
com 10 tovados, a 19500.
CH1TAS LARGAS A 240 Rs.
Vende-se chitas francezas, largas, de c6res
lias, a 240, 300, 320 e 360 rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 260 RS.
Vende-se cassas francezas finas, de cores,
a 260, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 29000.
Vende-se saias brancas com barras de cd-
res, a29000.
CH1TAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chitas para cobertasj a 280 e
360 rs. o covado.
MEIAS PARA HOMENS A 69000 A DUZIA.
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
homens, a 69000 a duzia, a qual val
89000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de 18, a 800 rs. cada
urn.
CHITAS FINAS A 400 RS.
Vende-se cbitas finas de campo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALES DE MERINO'A 2^000.
Vende-se chales de merin6 estampados, a
29, 39, 49000 e 59000.
Ditos de listras a 59000 e 69000.
BRINS EM CORTES A 19500.
Vende-se cortes de brim de cures e pardo,
a 19500, para liquidar.
COBERTAS DE CHITA A 19600.
Vende-se cobertas de chita, a 19600 e
29000.
BRIM PARDO E DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 2&000.
Vende-secolxas de cores para cnma, a 29,
i 49000.
TRANSPARENTES PARA CADEIRAS A
19500.
Vende-se transparentes para cadeiras, a
19500, para liquidar.
BONETS A 300 RS.
Vende-se bonets de seda para homens, a
500 rs.
CHAPEOSA 23500.
Ditos de palha, a 29, 39000 e 49000.
Ditos de massa, a 49000.
PERFUMARIAS EM LIQUIDAQAO.
Vende-se sabonetes de diversos tamanhos,
a 120, 200 e 240-e 320 rs., todo bom.
Frasco de banba, a 160, 320 e 400 rs.
Frascos com aguade colonia, a 240 e 320
rs. cada um. E outros muitos extractos que
se vende muito barato para liquidar.
TOALHAS A 800 RS.
Vende-se toalhas felpudas, a 800 rs. cada
uma. Lencos braneos, a 29000 a duzia, e
39000 abainbados, fazenda que vende-se
por 59000.
GRAVATAS PRETAS A 500 RS.
Vende-se gravatas pretas, a 500 rs. Man-
tasde cores a 200 rs.
Chapeos para baptisados de meninos, a
39000.
BENGALAS E CHICOTES A 800 RS.
Vende-se ben gal as e chicotes, a 800 rs.
cada uma, para liquidar.
GRANDE LIQUIDACAO DE ROUPA FE1TA
Vende-se ceroulas de algodao, a 19000.
Ditas de linho, a 19600 e 29000.
Camisas de ehitas finas, a 19600.
Ditas de peito de cores, a 29000,
Ditas brancas finas, a 29000, 39000 e
49000.
Calcasde brim pardo e de cores, a 29000
e29500.
Dit83 de casemira de cores e preta, a 59,
69, 79P00 e 89000.
Palitdtsde alpacas de cores, a 29500.
Ditos pretos, a 39000 e 39500.
Ditos de casemira de cores, a 49 e
69000.
Ditos ditos pretos, a 59000, 69500
89000.
Colletes de casemira de cores, a 29, 39 e
49000.
Camisas de flanella, de cores, a 29000 e
29500.
ALGODAO A 49000.
Vende-se pec,as de algodao, a 49, 59 e
69000.
CASEMIRA DE COR A 29500.
Vende-se casemira de cores, a 29500 o
covado.
MADAPOLAO A 39000.
Vende-se pe$as de madapolao enfestado,
a 39000.
Dito inglez, a 49500, 53, 69 e 79000 a
peca.
BOTINAS A 49500.
Vende-se botinas para senhora e meninos,
a 49500, 59 e 69000.
Ditas de enfiar, a 29000.
Sap8tos de tapete, a 19500.
Ditos de tran^a, a 19800 e 29000.
BRAMANTE A 19600,
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura, para lencdes, a 19600 ^e 29500 o
metro. E outras muitas fazendas proprias
do mercado, que se vende sem reserva, de
preco, para liquidar ate o fim do corrente
j anno, por isso convem aos compradores sor-
' tirem-se de fazendas baratas, para a presen-
Vende-se chapeos de castor para rr eninos te festa que esta" na porta, a" rua da Imperatriz
e homens, a 23500 e :)3000. n. 72. Bazar Nacioual.
| UllUWUf lUHViK
Pode obter em ponco tempo com o oso do melhor dos licoreia affanoad*
'"h
Faz oito annos qoe e conbecido este precioso tonico, e e diffieil achar ama pei<>
que, tcDdo ex'erimentado pessoalroente, nao falle em serj favor, ja como bom estomaci
e apetisaiior, tomando om caiix della antes de jantar. en como facilitador da dige>t<
omando-ae depois.
ABASE
it HESPER1DINA e a LARANJA AMARGA, nao ba cm so habiiaoie do BRASIL (a terr.
especial das iaranjas) qne nSc conheca as proprifdades meclicinies At dorj-ada ffocta
ora bem, a
LARANJA AMARGA
*m sen estado natn-ral tem nm gosto ponco agradavel, e o merito da HesperidiD* god-
ijgte em reter soas boas propriedades, e ao mesmo tempo apresenU-la como
EXQTJISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL nao tem nada qne invejar
meibores importacSes enropeaa de cathegoria semelhante. Estas, qoando mnito, doom
er gostosas, porem a Hesperidina e a combinacao perfeita do
AGRADAYEL E SAUDAVEL
Para prova de qoe e nm artigo no qnal p6de-se ter inteira confianca, por aar pnr>
e innoceste, basta dizer-se qne foi plenameote approvada e aotonsada pel*
JUNTA DE HYGIENE
Co Rio de Janeiro, permittindo sera livre elaboracSo no impeno; octra
HESPERIIMi
0 homem telho toma Hesperidina para obter
VIGOR
0 homem doetue toma Hesperidina para obter
AIJDE
0 homem debit toma Hesperidina para obter
crones
Not bailes as donzellas e os mocos tomam a Hesperidina para obter boa co
aotmaclo dorante os loucos gyros da
BARROS JUNIOR <4 C, a rna do Vigario Tcnorio n. 7, 1 asdar, receberam ui.
graude especiflco, e vendem-no nos depositos segoiote:
Joaquiin Ferreira Lobo, raa da Imperatriz.
Zeferino Caroeiro, raa do Commercio.
MarceiiBO Jose Goncalves da Fonle, rua da Cadeii D. t.
Antonio Gomes Pires A C, rna da Cadeia.
ADton'f? Grates Pires A C, caes 22 de Novembro.
3o* solo hiuel da Passagem,
DR0GA3A HOMEOPATHICA
DA
41 Rua do Imperador 41
Os proprietaries deste estabelecimento, no intulto de the comervarem os cre-
ditos de priraeiro neste genero, contiouam a esmerar-se aa preparacio escrupnlosa
de sous iiiedicamentos, podendo jaraniir ao respeitavel publico desta cidade e in-
torirr que sao rigorosamente obfervadas todas as regras pharniacologicas. Outro
sim, que com o mesmo fim aeha-se a testa do estabelecimento, tcodo a sea cargo a
inspeccao de suas preparacdes e direcgao do consultorio, o acreditado medico ho-
meopath* Dr Jesuino Augusto dos Santos Meilo.
Tem todos os medicamentos especiaes pars be.\igas e os coasiderados pre-
servativos : assim tainbem, rg medieamenic? da sua drogaria eru todaa as dym-
nanisacdea conhecidaa e uiais usadas.
Carteiras homeopaticas de 13 a 120 medicamentos em lintnras ou globulos e
a excellente obra do Dr. Mure Medico do Povo em 3.' edielo.
Plumeria, para mordeduras de cobras.
Sarraceoea, para bexigas ( ou preser-
Vaccina, para bexigas ( vativo.
China cruzeiro, paia febres intermi-
tentes.
Schynns, para angina.
Calendula, para queimadoras.
Tarantula, para paralysias.
Carnaiiba para syphilis
Chocolate homeopathico d'Epps.
Encerado de arnica.
Pos bomeopathicos, para denies.
Jerico, para rheumatismo.
Matamata ou Jabory, para tosse.
Espirito de Hahneman ou de campho-
ra.
Cactus Grandiflora,. para pneumonias
ou molestias do coracao.
Para aboaconserva^ao
DE
i
TOSSO CABELLO
Consultorio homeopathico
DO
DR. SANTOS MELLO.
Consultas das 11 horas da manhaa 1 da tarde.
Iff!
ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tem, novos e
usados, pelo preco do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalbo de salas, de muitos liudos desenbos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
ANNE1S electricos para curar dores de cabeja. nevralgias e nervoso.
MUITO lmdas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA. e papel picado para bordar com IS ou seda. .
VERDADE1RA 8gua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por muito barato preco.
in
Elle 6 um preventivo soguro ecertoc6ntra
a calvice.
Elle da" e restaura forca e sanidade i pelle da
cabeca.
Elle de prorapto faz cessar a queda prema-
tura dos cabelles.
FUe di grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabeilos, em
qualquer forma on posi;&o que se dese-
je, n'um estado formoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabeilos bastos e compri-
e os.
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabeilos de se tornarem bran-
cos.
Elle conserva a cabega n'um estado de freer
cura refrigerante e agradavel.
Elle nao 6" demasiadamente oleoso, gordo-
rento ou pegadigo.
Elle n&o deixa o menor cheiro desagrada-
vel.
Elle e o melhor artigo para os cabeilos das
cnancas.
Elle e o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservagao e arranjo dos ca-
beilos das senhoras.
Elle e o unico artigo proprio para o pentea-
do dos cabeilos e barbas dos senhores.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
PODE CONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
TONICO ORIENTAL
o qual preserve, limpa, fortifica e aformosea
OCABELLO.
Acha-se & venda nos estabelecimentos de
H. Forster & C, agentes. E em todas as
principaes lojas de perfumarias e baticas.
CASA DA FORTH
AOS 4:000#000.
BILHETES GABANTIDOS.
V rua Primeiro de Maryo (outr'or* rua dt
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda os feliies bdhetes gaxantidoit
la 1' parte das loterias a beneflck) da malrlz d.s
Horn Jardira (77*), que se extrahira na qnarta-
(eira, 3 do met vindouro.
PHECOS
Bilhete inteiro IWOO
Meio biiheie 2*000
EM PORCXO DC 1009000 PARA CIMS-
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 4*760
Manoet Mart it Fiuia
Perdeu-se hontem, 1." de dezembro. em
um dos wagdes do Recife & Olinda, um
meio bilhete n. 3,688, ds -i.\ *3 da lote-
ria n. 77, a beneflcio da m 'o Bom
Jardim,garantidopor ManceAflait.os Fiuza,
a qual corre hoje.
Roga-se portanto & pessoa que o achou o
favor de entrega-lo em Olinda, no oitao Ao
Amparo n. i, pois houve quem visse a pes-
soa que achou-o, e conhece-se-a.
Roga-se ao Sr. thesoureiro e mais caute-
lista, o favor de n&o pagar qualquer pre-
mio que por sorte lbe sahir senSo ao abaixo
assignado, pois prova-se em juizo onde foi
comprado.
Recife, 3 de dezembro de 1873.
Marcelino Jorge de Campos.
Attencao
Aluga se uma casa terrea, com sala de frente,
dous quartos, sotao interno, sala de jantar sepa-
rada da cozinha, muito fresca, proxima dos ba-
nhos salgados, sita na cidade de Olinda, a traves-
sa da ladeira da Se", outr'ora Xavier de Santa Ro-
sa quem a pretender dirija-se a mesma cidade,
rua de S. Joao, casa n. 17.
#
Caixeiro.
Preeisa-se de um caixeiro de 14 a 18 innos,
com pratica de taverna, dando conhecimento de
sua conducta : a tratar na ma do Rangel p. 3.
CHAMADO
Os ?rs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaquiin
Clemente de Lemos Duarte, sao chamados a
rna do Coronel Suassuna n. 28J, a negocio dc
particular interesse.
IMPERIAL
FABRICA DE OIGARROS
DE
S. JMO be mciHEnor
Rio de Janeiro
Constando ao abaixo assignado, unico agente
nesta provincia, da imperial fabrica de cigarros
de S. Jooo de Nictberoy, no Rio de Janeiro, que
existe no mercado cigarros que sao vindos como
fabricados em dita fabrica, imitanrto para isso a'
etiqueta em que vem elles envoltos, apressa-se a
prevenir a todos os seus freguezes que os unicos e
verdadeiros cigarros de exposicao de dita fabrica
so sao vendidos nos armazens dos Srs. Francisco
Guedes de Araujo, Manoel de Souza Cordeiro Si-
mdes Junior e Faria & Filhos, unicos depositos de
dita fabrica. Recife, 22 de novembro de 1873.
______________Domingos Alves Matheus. _
Escravo lugido
300^000 de gratifica^ao
Ausentou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
annos de idade, e perfeito cozinheiro, alto bastante,
e bem magro, pouca barba, olhos grandes, e muito
ladino, consta que tem pai no engenho do Sr. Lulti
j de Caiara, em S. Lourenco da Malta. Este preto
. foi cozinheiro dos negociantes Adriano & Castro e
Sr. Jose Joaquim Goncalves Bastos, e julga-se
i que esteja alugado em algum hotel ou casa parti-
I cular nesta cidade, como forro : pede-se a todas
| as autoridades e capitals de campo. que o desco-
! brindo, o tragam a rua Duque de Caxiaa n. 91, loja
' de miudezas do rival sem segundo, que serao gra-
tiGcados com a quantia acima.______________
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso. rua
Amorim, a. 37.
H. J. Cannan, testamenteiro do finado C. t h. J. Cannan, gerente da casa commercial de
Starr, avisa que tendo de fazer viagem a Europa Adamson Howie & C, avisa que tendo de fazer
deixi encarregado dos negocios do dito fallecido o viagem a Europa deixa encar/egado dosnegocios
Sr. William M. Wibster. Recife, 29 de novembro da dita casa, em 1 lugar o Sr. Wiliam M. wibs-
de 1873. _________________________ ter e em 2* o Sr. Thomaz J. Harding. Recife, 29
- Fugio, ao amanhecer do dia 16 de outubro de oovembro de 1(
do corrente anno, do engenbo Paraizo, do termo
do Rio Formoso, o mulato Cyrilo, de idade de 23 a
24 annos, escravo do padre Miguel Peres de Aze-
vedo FalcSo.
0 referido mulato i de estatura regular, c6r
roxa, cabeilos pretos, nao soltos, porem nao muito
pegados, com estrada de liberdade, ja tem buco
de barba e pouca barba no queixo inferior, e bem
parecido, saoe Mr, porem escreve mal, 6 muito fal-
Iante, bom monudor em burros, trabalba de oleiro
em formas e e canhoto.
Ao amanhecer do dia 9 do corrente (novembro)
fugio do mesmo padre o escravo Themotheo, criou-
lo, idade 26 annos, estatura regular, bem preto,
Souca barba, dentes limados : ba prababilidade
e que fugissem para a capital com o intento de
assentar praca. Quem os apprehender sera bem
recompensado, e os podera entregar ao Sr. major
Joae Antonio de Brito Bastos, no engenho do Meio
da Matriz da Varzea ; e sendo preso em outro lu-
gar fora da capital ou seus sriburbios. sejam con-
duzidos para o referido engenho Paraizo, que se
recompensara bem, dtvendo ser conduzidos com
toda a cautela, porque sao muito ardilosos, maxi-
me o mulato.
Consultorio medico
DO
Dr. Murillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.. AHDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaea de Paris e Londres
gpode ser procurado a qualquer hora do
1 dia ou da neute para objecto de sua pro-
' fissao.
Consultas do meio dia as duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especialidades.=}Aolesliz& da pelle, de
crianca e de mulher.
Err prega no tratamento daa molestias
de sua especialidade aa dvchat frias e
haulms a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modernamente em-
preg;.dos na Europa.
Tambem applica com grande proveito
no tratamento daa molestias do utero a
electricidade, pelo processo do Dr. Tre-
pier. Cura por um processo lnteiramente
novo as blennorrhagiaa e sobre rudo a
/(gotta militar) dispensando isinjeccdes.
Piioto.
0 capitao da Anita, precisa de um para a sna
: viagem deste porto a Barcelona : trata-se com o
' mesmo a bordo ou a rua do Commercio n. S.
Paris, 38, Rua Vivienne, D*
lH:rV.HM MEDKCM SPECIAL
OEPURATIF
an SANG
PLUS DE
COPAHU
DAS EMHIIMIIMDAI DCS MXDABS, AS UTFICCOI
Cl TA-EA 130,000 curas das impin-
gens,putlutat, herpe$,
uma, comixoet, acri-
I monia, e allerfoes, vU
leiotas do tongue, vi-
rtu, auti ut uk semgu*. iXaropo vegetal
sem mercuric*). npnr*iii>i MMf biiivebabs tomao-se dons por
semana, seguiudo o tracUmento Depuraliro : t
empregado nns mesmas molestias.
Este Xarope Citracto de
ferro de CBABLE, core
imm^diatamente qual-
quer purgacao, reta-
xafao, e dtbiUdade,
e inudmeme os jiuxos t tores brancas das
muiberes. Esta iuieccao keugna empregasse
con o Xarope de Citracto de ferro.
eaa*rrMaa>Pomadaque as cura ems dias.
POMAOA ANTIHERPETICA
Contra: nas affeceoes cutaneat e comixoet.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do OkakI| cada frasco vrai accumpabado
do um folbeto.
AVI80 A08 SRS. MEDICOS.
Cura calarrket, louti
cogueluctxt, irrUac6u
turnout na de* eron-
chiot i todtu at doencat
de ptUe:barta ao dorata
Sirop du
d-FORGET
m colhe rthdw daitt xarope IV rVwur.
0r. WHlia Paris, rmo TlvMsuie, M.
Deposito em casa de Augusto Caors n. 22J
rua da Cruz.
Aluga-se metade da casa n. 16, no lugar
dos Quatro Cantos, na Capunga Velba : quem a
I pretender dirija-se 4 mesma casa.
Silva Barroca & Filhos teem.para vend
sen a'mazem, a rua do Marquez do Olinri'
seguinte :
Folba de Flandres.
Estanho em verguinhas.
Machinas para descarocar algodao.
Cerveja escossesa branca e preta.
Filleie para bandeira.
Vidros para vidra;a, qualidade.
Guinchos para ijar.
r
Triumpho da
i^Bl*CA
Em tem pos modernos nenhum descuL^-
mento ope uromaior revolugSo no niodo de
f
10
TANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
RouquidSo, Resfriamentos.
Broucbites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expecturacao de Sangue.
Como era toda a grande serie de enfeum
dades da Garganta, do Peito e dos
OrgSos da respiractSo, que tanto
atormentam e fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applicac.ao de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, nSo faziam
senSo enfraquecer e dirainuir as forces de
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruiQdo inivitavel de sua
victima 1 Quam differente e" pois o effeito
admiravel do
FEXTQEAL BE mCAEUIIAI
Em vez de irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
i'.alma, modifica e suavisa a dor,
Allivia a irrita$ao,
Desenvolve o en tend i men to,
Fortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rapida
ate o ultimo vestigio da enfermidade.. Os
melhores votos em medicina da Europe, (os
entes dos collegios de medicina de Berlimj
testificam serem exactas e verdadekas estas
relagoes analogicas, e alem disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maraxilhoso remedio, sao mais que suffi-
cientes para sustentarem a opiniao do
PEITORAL DE ANACAHUITA I
Deve-se notar que este remedio se acba
inteiramente isento de venenos, tanto mine
raes, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ultimos, e particularmente aquelles
que sao dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, formam a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes tio fa-
cilmente se engana a credulidade do pu-
blico. A composirao de anacahuita peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafade
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se
toma e so d'uma colher pequena, basta
geralmeute a* applicagao d'um ou dous fras-
cos para a effectuacao de qualquer cura.
Acha-se a venda em todas as boticas.
H. Frosters & C., agentes.
Unicos agentes nesta provincia os Srs. J*
0. D. Coyle, rua do Commercio n. 38.
Casa de campo
Offereoe-se a quem qnizer fazer os concertos
necessarios, o arrendamento por alguns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Joaquim Pires Carneiro Mon-
teiro, passando-se escriptura para maior seguran-
Su A localidade 6 muito salubre, e a casa muito
esca, tem magnifico banho de agua doce em
frente, e e muito commodo viato que o trem passa
defronte : quem pretender pode dirigir-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Igoacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
ou ao Sr. Cannan, a rua do Commercio a 40.
HURT11EHT0
MEDICINA
Preparado ptr
. Lanman&Kemi
para thi iaca
toda a qualidad;
de doencas, quer
seja na garganta,
peito ou boles.
Eipressament.j
escolhidodosme-
lhoresfigadosdos
quaes se extrahe
o oleo no banco
da Terra Nova
purificadochimj-
calniente, e sUas
valuaveis propri-
edades conservu-
das cam todo o
cuidad6,emtotii>
o frasco se garar-
teperfeitamer-
te puro.
Este oleo tera
sido subrnettki -
aumexamemu
to severo, pelo
chimico de mais
talento, do go-
verno hespanfcol
em Cuba e f'i
pronunciado por
elle a conter
MAIOR PORgAO D'lODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E UMPODER SALVADOR.
Cm todo o oleo de figado de bacalhao, e na-
quelle no qual contem a maior pcrcio destn
invaluavel propriedade, e o unico meio f *rn
curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, bronchistes, asthma, catharrha,
tosse, resfriamentos, etc.
Uns poucos frascos di carnes ao muito
magro que seja, clarfia a vista, e di vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, da tart>
nutimento aosystema e incommodando quasi
nada o estomago.
As pessoas cuja organisacjio tem sido d(s-
truida pelas affecgoes das
ESCROFCLAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas, cuja digestao se acha com-
pletamente desarranjada, devem tomar,
OOLEO DE FIGADO DE BACALHAO
DE
LAN.MAN & KEMP
Se e que desejam ver-se livres e isentts de
enfermidades.
Acha-se a veuda em todas as botka> :
Jrogarias. H.^ Forster & C, agentes.
0 INEXTI1SGUIVEL
PERFUME
agua
BE
MURRAY tl L1\H1\.
Uma pura distillagao das mais raras fli-
rts dos tropicos. Contem, para assim ui-
zer, quasi o oddr odorifero das flores 60
tropico da America, esua fragancia 6 qt&si
iuexhausta ainda mesmo por continui.da
d/aporacSo e diffusSo. N'este respeito 6
i.icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de venda para :
uesmaios, ataques nervosos, dor
de cabeca, debilidade e
hVstericos.
t um certo e ligeiro allivio. Com o bom
on, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
perfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
idexico, America Central, e do Sul e :16s
<.om toda a confianca o recommendaraos
como um artigo, pelo seu aroma mnito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QUEIMADURAS DO SOL,
SARDAS E BORBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se toma uma
excellente mistura para banhar a pelle,
dando um aroseado e cor clara a complei-
c,ao nublada, sendo applicada depois de
barbear, evita a irritac*ao que geraluunte
occorre, assim como tambem garganteando-
se, o cheiro do cigarro desapparece, e me-
lhora a condifie dos dentes e gengivas.
Como ha muitas imitaQdes, as quaes :a&o
possuem nenhumas d'estas propriedades,
deve7se tomar cuidado e contar sdmente e
o famoso perfume e cosmetico do sul da
America, cham
Afil VFL0R1DA
DE
MURRAY 1. V\li \\.
Ss acha a venda em todos odroguista{
perfumarias da moda.
Sociedade medica.
Os medicos, cirurgioes e pharmaceutieos etis-
tentes nesta capital, que quizerem pertencer 4 so-
ciedade medica que se esta organisando, devem
coraparecer no- dia 3 do corrente, a9 7 boras da
noite, na rua do Imperador n. 3; aala onde tuac-
ciona a sociedade Luso-Brasileira.
Recife, 1* de dezembro de 1873.
Dr. Sa Pereira.
Caxanga
1
A!uga-se uma casa na povoacao do Caxanga, no
rincipio da estrada do Ambole : a tratar aa rua
o Imperador n. 54, loja de livros.
Alugase um meleque de 13 annos : a tra-
tar na raa Duque de Caxiaa n. 44. II
MUTI1AD0


j '
Diario de Pernambueo Quarta feira 3 de Dezembro de 1873.
FUNDICAO DO BOWMAN
0
RUA DO BRUM N. 52
(Passando o chafari/.)
PEDEM AOS MDtoret de engenho e ontros agncoliurei, eeiupregao^rea tie m
-cinismo o favor de tuna vieita a sea estabelecimeotu, para veran o dovo lortimento
omplet > qoe abi ten; aeado tado loperior em qoalidade e fortidao; o que com a ids
,*ccio pess ial pode-se veriffcar.
ESPECIAL ATTENQAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
TKpuros O rUUUB U g m maDh08 convenientes para as diversas
-reams tanci as doa aenborei proprietaries e para descarocar algodlo.
Hoondas do ciinna de.,od08 0I Uau****o8 a8;**.elaor6 qoe aqui
Sodas dentadas ***-*****.
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismoe ^^dJRdN
oOOlDaS Todas as machinas
Faa qualquer concerto *"*a Prfl*> mni re8noid0-
Formas de ferro
Sucommendas.
Podendo1todoa
ser movidos a mio
por agni, vapor,
oq animaes.
e pe^ai de qoe ae costoma precisar.
tem aa melhores e maia baratas existentes do mer-
cado.
Incumbe-se de maodar vir qoalqner macbinismo i von-
Ude dos clientes, lembrando-lhes a vaotagem de fazerem
rj-u compraa por intermedio do peaaoa entendida, e qoe em qoalqoer necessidade pdde
bet prater aoxiKo.
irados americanos 1~m*m ,gr,colM
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
A rna do Barao do Trinmpho (roa doBrom) ds. 100 a 104
CARDOSO IRMAO
RE6EBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, asmais modemas e melhorobra que tem vindo ao mercSdo.
YaporeS de fore* de *, 6,8 e 10 cavallos.
OalQeiraS de sobresalente para vapores.
-VLOCnCtaS lIlt6iraS e meias moendas, obra corno ,iunca aqui veio.
laiXaS ilUnuiaaS e batidas, dos raelhores fabricantes.
itOClaS Q aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
KrOQaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
RelogiOB e apitOS para vapores.
-DOmDaS de ferro, de repucho.
AradOS de diversas qualidades.
FonnaS para aSSUCar grandes e psquenas.
Concertos CODCertam com promptidfto qualquer obra ou machina, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmenda8 mandflra v'r Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO S IRMAO.
NOVAS PUBLICAGQES MUSJCAES.
l.J. II.
acham-se i
Acabam de publicar-se, e
venda as seguintes musicas:
PIANO SO'.
Danse espanhola, por. Ascher
Arabella, mazurka, por G. Wer-
tbeimer
Valsa do Fausto, por Croyzes
Sonho de uma virgem, por Alber-
tazzi
Anna la Prie, cavatina
AoClair de la Lune, por Bussmeyer
Sauda^ao ao BahiaI
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickets club pernambucano e
bahiano
PIANO E CANTO.
Desespero, muito lindo romance
por I. Smoltz 2JJ000
Non m'amava, romance por Guercia l$O00
Tambem recebeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, methodos, etc. etc.
29000
19500
19000
19000
19000
19500
19000
19000
Joaquim Jos6 Goncalves
Beltrao & Filhos
Teem para vender no seu escriptono a rua do
Commercio n. 6, o seguinte :
AGUARDENTE de caju: caixa de W garrafas.
t de laranja, idem idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, recentemente chegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
de marfira e 6s?o.
FEIXES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia, da fabrica do eommen-
mendador Pedrozo.
LINHA de roriz.
OBRAS de palbeta.
PAN-NO de algodao da Bahia, da fabrica do com
mendador Pedrozo.
RETROZ de todas as qualidades, das fabricas de
Peres e Eduardo Militao.
ROLHAS proprias para botlca.
SALSAPARRILHA do Para.
v'ELAS de cera de todos os tamanhos.
VLNHO engarrafado do Porto, caixas de 1! gar-
rafas.
dito Moscate do. Douro, idem idem,
i dito Setubal, caixas de 1 e 2 duzia?.
c da Italia engarrafado, caixas de 6 gar-
rafas,
de Collares superior, em ancoretas.
c de caju, caixas de 12 garrafas.
c Malvasia do Douro, caixas com IS gar-
rafas.
Carcavellos, idem idem.
Escravos fugidos
Pelippa, negra, cabra, ja idosa, cozinheira, alta
e secca, foi escrava da vinva do fallecido Jacin-
tho Botelho, tem um filho escravo do Sr. Jose
Antao de Souza Magalhaes, que andava fugido,
e que veio seduzir a mli para acompanha-lo ;
esta ausente desde o dia 6 do corrente.
Roga-se a policia e capitaes de campo a cap-
tura das mesmas escravas que sao do engenho
Sapucaia de Beberibe.______________________
Desappareceu ao amanhecer do
rente, do engenho Seri.
E' leY e aproveitar
0 invcrno nao albuminado em risco de pcrder-se. Se ha de ha-
ver prejuizo de um, haja pnveito para todos
APROVEITEM.
6000 por uma dezenn tie Mrnlff cm cuijcs!
Avisa h a ijtiein se rjniziT cti." i;n- ein cartoes
d^ vislla, qup ua imperial photignipliiu, a ni.i do
Cabiiira ll. 18..an wlUr |ra |-al tiram-.- rt-tra!oa eui rarius du vi.-i'a a li^OOO
cada dezena.
APR0VBI1EH !
0 que 6 bem dura peuco...
Todos os dias uteis ou &antificado, chova ou
faca sol, das 9 horas da rr<3nha as i da tarde ti-
ram-se retratus.
Bda acquisicao.
Vende-se a casa terrea sita a rua do Padre Flo-
nano d. 59 : a traiar ua roa do Marques do Her-
vai n. 118.
I. Porto
participa aos sens amigos e antigos freguezes one
tem aberto nm novo etabelecimento de fazendas
e roupas feitas, a rua do Barao da Victoria n. II,
aonde encontrarao um optimo sortimento, a precos
muito commodos; e no mesmo tem montado uma
completa ofQcina de alfaiate sob a direccao do Sr.
Souza Lobo, habil artista e excellente tesoura I o
qual executa qualquer obra a gosto do freguez e
com pontualidade.
Roga-se
A um certo Dr. que alugou o sotao do sobrado
n. 35 da rua estreita do Rosario, o obsequio de
vir ou mandar receber unt trastes que a mais de
seis mezes existem no priraeiro andar do mesmo
sobrado; assim como satisfazer o pagamento do
alugael do mesmo, is to no prazo de 3 dias fiodo,
os quaes serao vendidos ds mesmos trastes para
pagamento dos alugueis.
MAM
Precisa-se de um : no largo da matriz de San-
to Antonio n. 2, 1* andar.
ATTENCAO
0 abalxo assignado participa ao respeitavel pu-
blico que tem grande deposito de vinhos de fruc-
tas do paix, como seja o de cajd, em qoatro quali-
dades, os quaes venae por precos razoaveis, e on-
tros mais de diversas fruclas, que a vista fara fe.
0 proprietano deste estabelecimento pede aos do-
nos ou rendeiros de sitios que tiverem as fructas
de cajd, genipapo e abacaxi, e as queiram vender,
comparecam 4 rua Vidal de Negreiros n. 144, ou-
tr'ora Cinco Pontas, aflm de se tratar dos precos.
Joao do Amaral Rapdso.
Fugio a 10 de setembro proximo passado, a
escrava Maria, crioula, idade de 35 a 40 annos,
cor fula, olhos grandes, rosto comprido, qnando
anda envergapara traz : qnem a pegar, leve a ao
Caes do Ramos n 42, que sera generosamente re-
compensado. _____
Irgencia
Precisa-se alugar por dous mezes um
piano de armario, de bom aotor ; quern ti-
ver aiiiiuncie.______________________
iS:^- ^-.^-X^Z W/i
Guilherme Frederico de Sou-
za Carvalho.
56 aRua do Marquez de Olinda : 56 a
(outr'ora rua da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
: ado pelos grandes depositos e bons sortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo>
dSo, desde 10 a 60 aerras, e havendo em todos os tamanhos diversiaades de syste-
nas e melhoramentos para perfeito e rapido descaro^amento ; tornam-se dignas de
erem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alem disto, encontrarSo
.ambem mais :
Apurados vapores locomoveis, de forga
de 2'/ e 3'/i cavallos com todos pertenjas
orecisos para trabalharem 4 machinas para
'lgod&o, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mfto para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com valvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos,
eiaminados.
Ternos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinbo de diversos fabricantes para mi-
lho e cafe".
Debulhadores para milho.
Azaite de spermacete para machinas.
Cam as de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannes de ferro esraaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folles para ferreiros.
dia 4 do cor-
i, comarca de Goyanna, o
escravo de nome Jose" "Borges, mestre de assucar,
tendo os signaes seguiutes: cabra, idade 30 annos
pouco mais ou menos, boa figura, um tanto grosso
e espadaiido, sendo o signal mais visivel uma
gomma na junta do pe esquerdo : roga-se a todas
as autoridades e capitaes de campo queiram ap-
prehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19 que serao generosamente
recompensados.
Recife, 19 de novembro de 1873.
Escravo fugido.
100$000 de gratificacjio
Desappareceu de novo, de bordo da barca bra-
sileira S. Jose, o escravo Joaquim, preto de na-
cao, o qual anda bem vestido e calcade, deixan-
do cre$cer os cabellos a modo de meia cabelleira.
Esse escravo pertenceu ao fallecido Dr. Olym
Marcellino da Silva, que o havia comprado na
provincia de Minas ('ems. Joao d'El-rei ouOuro-
Preto), e com elle seguio para o Rio de Janeiro e
d'alli para esta provincia, donde foi para Maceio,
tendo o vendido alii a Justino Epaminondas Ne-
ves, a quem o comprarara os abaixo essignados.
Sabe cozinhar, occupacao a que estava dedicado,
e conhece se pela falla que e afncano.
Offerece-se a gratificacao-acima a quem oap-
prehender e roga-se a todas as autoridades a sua
captura.
Recife, 6 de outubro de 1873
Jose da Silva Loyo & Filho.
Carros de luxo.
inquestionavel que a cocheira da rua do Bom
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, 6 a
que tem as melhores berlindas, calecas, meias ca-
lecas e victorias de luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta, bailes e actos da aca-
demia, sendo os mesmos ajaezados de excellences
parelhas de animaes, arreios luxuosos e boleeiros
com fardamentos do ultimo gosto, para o que se
convida ao publico a vir por si mesmo scientific
car-se da verdade do que deixamos dito, certos de
que nao encontrarao pomada, e sira realidade e
commodos precos. ____
Maria Carolina da Silva Carva-
lho convida aos parentes e amigos
de seu prezado marido Guilherme
Frederico de Souza Carvalho, falle-
cido em Buenas Ayres a 4 de ou-
tubro passado, para assistirem as
missas qne manda celebrar no con-
vento da Gloria, no dia 4 do corrente, pelas 7 1(2
boras da manha.

Andre Bezerra de A. Mem.
Felix de Albuquerque Mello agra-
dece do fundo de sua alma a todas
as possoas qie se dignaram assis-
'*J%%
CASA M0RTUAR1A
DE
PAULA &MAFRA
NO
LARGO DO PARAIZO NS. 10 E
Contintia ate que sejam indemnisa-
dos pelos contratantes.
Enterros, carros fuaebres e anuacOes, etc., clc.
fCOOCVC! j*SMC5Qi
3
fi Gonsulluno medico-cirurgico fi
a DE ^5
% A. B. da Silva Maia. %
1
Rua do Visconde de Albuquerque n.'
11, outr'ora rua da matriz da Boa-Vista m\
n. II. d
Chamados : a qualquer hora. >
Consultas : Aos pobres gratis, das 2 is Q
4 horas da larde.
I
de mandar
de seus d.onos ;
Muita attenc,ao.
Exposii.ao de figuras de cera admittidas na
exposicjiode Vienna d'Austria.
0 proprietario desta exposicao tem a honra de
participar ao respeitavel publico pernambucano,
que semelhaute trabalho nunca fui exposto a vista
do publico em parte nenhuma da America.
Para semelhante prima d'obra chamo a atten-
cjto dos amantes das arles, principalmente dos ar-
tistas pintores, esculptores e poetas, no qual en-
contrarao dados para estndos profundos,_ como os
homens scientiricos para uma recordacao de tra-
balhos anatomicos.
Um dos grupos representa a natividade de Nos-
so Senhor Jesas Christo, bem como a adoracao
dos tres reis magos, Gaspar, Belchior e Bal-
thazar.
Formam um oulro grupo, o filho de Deus, a
Santissima Virgem, S. Jose, Santa Isabel, S. Joao
Baptista, um pastor e os tres reis magos.
Em um outro grupo de cera raascica represen-
ta'se o nascimento de Caim.
Temos alem disto, Adao, como o primeiro ho-
mem, seduzido e attrahido pela encantadora bel-
leza de sua mulher, esquecendo-se um momento
da prohibi,ao de Deus, e peccando, por ter comi-
do a frncta prohibida, d'onde Ihe resultou a terri-
vel sentenca de ser expulso in Paraizo e de se
to mar sujeito aos vai-vens desta yida
a nrocurar o meio de .sub.-istencia.
Ver-se-ha tambem Adao s;ntado n"um rochedo,
pedindo a Deus proteccao para o seu primeiro fi-
lho, Caim, e Eva descancada de parte, olhando
cheia de prazer e de amor para seu filho tao que-
rido.
Tambem sera exp.sto um trabalho mechanic
extraordinario que constara de um cloun, fazen-
tv^ XSSStiSgfiS&ZSl i
com o publico.
Havera nos intervallos e durante a estada do
pobfieo um magnilico orgao realejo, tccando as i
ouverturas completas de Guilherme Tell, de Ros-1
sini, Diamantes da Coroa d'.Auber, Stabat Mater, '
de Rossini,, noel de Adao, Domino noir d'Auber e Precisa-se de um (|ue tenha pratica de todo
varias outras pecas. servico de casa de farailia c qne seja de boa con-
/=----- ..;-------------------------t~1 ducta, preferinJo-se escravo : na rua da Impera-
Conleiteiros e pasteleiros triz n. is, 1 andar.
Uma senhora perfeita engomadeira oflerece-
se para esse servico, incumbindo-se
buscar e levar a roupa em casa
a tratar a rua das Calcadas n. 1._____________
Refinacjio.
Na rua do Rangel n. 43, precisa se de batedo-
res de assucar, bons.____________________
Aluga-se
o terceiro andar e sotao da rua Duque de Caxias
n. 57.__________________________________
e obrigado j Aluga-se a casa da rua de S. Jorge, outr'ora
rua do Pilar n. 12, teudo sotea assobradada para
grande lamilia a ver e tratar na rua dos Guara-
rapes n. 14, taverna.______________________
Proprio para noivo.
Aluga-se o 1 andar d > sobrado da rua da 1m
peratriz n 24, com excellentes commodos ;
como, esteirado e forrado a papel, tendo a
assim
ua e
ram feitas : a tratar na thesouraria das loterias.
Criado
culinarios e conserveiros
Nem todos estao na altura de visar qual a mis-'
silo desses quatro artistas que podem estar cen-
trificados em uma so pessoa.
E se nao vede :
0 nosso celebre lexicographo P. Eluteau, cre-
mos que foi um grande guloso.
E se duvidais, Teitor ou leitora, tambem ami-
ga do doce, que nos estais lendo, abri o tomo 2.*
do supplement ao grande vocabulario, e ahi no
tir as exequlas e acompanhar a ca- vocabulano dos synonymos e phrases, a pagina
pella do engenno Arandii os restos 108,enontrareis a proposito da palavra confeiteiros,
mortaes
engenno
de seu sempre
lembrado
ipai Aiiure uezeira ue Albuquer-
ue Mello, fallecido no dia 30 de novembro, certo
e qne jamais serao esqnecidas.
,doSupr.- Arch.*. doUni.*.
Cap.*. Regeneracffo.
A' Gl.
L.-.^ap.*.
Em virtude do regulamento promulgado por
decreto de 9 de setembro do corrente anno, sao
convidados todos os RR. membros da Sob. .
L.*. Cap.'. RegeneracSo a uma reuniao no dia
10 de dezembro do corrente anno, pelas 7 horas
da noite, no recinto de seu Aug.'-. Tem. ., afim
de se proceder a eleicSodos SSaps.*. Gram-Mes-
tre e Gram -Mestre adj.-., sendo facultativo aos
que por molivo justo nao poderem compareccr, o
enviarem suas listas em carta fechada ao Pod.*.
Ir. Ven.-.
Se;r. da Sob.*. L.-. Cap.-. Regeneracao,
1 de dezembro de 1873, era vulg. .
OSecr.-. V. deM. Mello,
I. Amanda Paranagua
Antonio Jos6 Duarte Loimbra, ex-
tremamente grato a caridosa me-
moria da Exma. Sra. D. Amanda
Paranagna, esposa do Exm. Sr. con
selheiro Joao Lustosa da Cunha Pa-
ranagua,fallecida na corte do impe-
rio manda celebrar uma missa de
requiem pelo descanso eterno daquella virtuosa se-
nhora, no -convento de S. Francisco, as 8 horas da
manha do dia 4 do corrente, e para assistirem a
esse acto de caridade christs, convida aos seus
amigos e aos daquelle Exm. Sr. con?elheiro,prote3-
tando desde ja a todos o seu profundo reconheci
mento.__________________________
que soavista e neste estabeleomoderfioentp s i
HOTEL
Restaurant de Bordeaux.
Rua 1. de Mar90 n. 7 A, 1. andar.
Neste hotel, onde se encontrara" aposentos bem mobiliados, garante-se as pessoars
que 0 frequentarem, nao so a boa quahdade da cozinha, como tambem o aceio e promp-
tidSo em servir-se aoscjncurrentes. Situado no melhor bairro desta cidade, o hotel de
Bordeaux offerece todos os commodos possiveis, quer com relacSo aos aposentos mobi-
liados com gosto e aceio por modico preco, quer com relacio a sua posigao.
Almogos Vinhos de todas as qualidades.
Lunchs Conserves idem idem.
Jantares Cervejasidem idem.
Ceias Licores idem idem.
Agua de vichy verdadeirae nova a 1#000 a garrafa.
Assignalnras inensaes a 35$ 000!
DO i. DE NOVEMBRO EM DIANTE.
Casa de banhos em Olinda
A companhia Santa Tbereza abre no dia 3 do
corrente uma casa de banhos que acaba de cons-
truir defronte da igreja dos Milagres, na cidade de
Olinda. 0 estabelecimento achar-se ha a disposi-
cao do publico durante o verSo, diariamente, das
5 as 9 horas da manha, e das 6 da tarde as 9 da
noite, e nos domingos e dias santificados desde 5
horas da mauha as 9 da noite-
PRECO DOS BANHOS
Um banho (stm toalha) rs. 200
Dito (com toalha) rs. 300
. Assignatura mensal (30 banhos) tera um abati-
mento de 20 0|0 ; pagamentos adiantados. Olinda,
1 de dezembro de 1873.
0 gerente
Justino I. de S. Campos
UMENCU.
Pr< cisa-se de uma metade de casa para um ra-
paz solteiro, em ruas publicas, na freguezia de
Santo Antonio : quem tiver para alugar, dirija-se
a rua do Fogo n. 20, taverna.
Confraria de N. S. da Soledade da freguezia
da Boa-Vista.
De ordem da mesa regedora desta confraria con-
vido a lodos os irmaos a comparecerem no consis-
torio da reapectiva igreja, no domingo 7 do cor-
rente mez. pelas 10 boras da manha, afim de pro-
ceder-se a eleicio da mesa regedora que tem de
fuccionar no anno compromissal de 1874.
0 irmao secretario
E. Tamborim.
Casa em Olinda
Aluga-se uma casa na roa de S. Pedro, com
commodos para familia : a tratar na rua do Hos-
picion. 17. _________________^^_
nao menos de 22 columnas, ou 11 paginas de fo-
elogio dos esmerados artistas, que a cada
nos seduzeiu com as suas famozas golus
Aluga-se o 2' andar do sobrado da rua de
Hortas n 48, com sotao e cinco quartos: a tratar
no 1 andar. ______
AlTENCAO
Precisa-se alugar uma ama de meia idade, po-
rim que seja preta, que nlo tenha vicios nem
achaques, e que affiance sua conducta, para com-
prar e cozinhar para uma familia de 3 pessoas :
a tratar na cidade Ai Olinda, sltlo do Amparo, ca-
sa terrea grande, com portao ao lado._________
passo
dices.
Senao vejamos : chama-lhes entre outras desig
nacoes que nos levariam muito longe se as qui
zessemos enumerar :
Artifices de comestiveis do cura.
Administradores da suavidade.
Engenheiros saborosos. .
Phiiosophos naturaes.
Antipn'das da amargura.
Illustres propagadores do imperio Pomana.
Dulcissimos ministros da suavidade.
Amabilissimos senhores do imperio da docura. i
Pacilicos moradores e bons vtsinhos.
Nobilissimos artifices, cujas obras nao sao para
a bo^-ca do vulgo.
Homens que no mundo se dao a conhe^er mais
suavemente que todos os mais.
Benignos hospedeiros que das suas lojas fazem
asvlo,
Extcrminadores dos corpusculos heterogeneos,
e peritos collectores das partes homogeneas da mais
pura substancia do assucar.
Jae !
Ja se ve quando dissemos acima que os quatro
artistas podiam estar cenlrificados em uma so pes-
soa, 6 porque podemos dizer por experieucia pro-.
pria e se quizerdes verificar ide
A CONFEITARIA DO CAMPOS
Encommeudai por exemplo :
1 lUmbre.
1 rovast bee IT,
1 empada.
1 pudim. |
1 bolo inglez fino.
I pSo-de-lo.
1 torta de fructa.
pasteis, bolinhos, amendoas, doces e confeitos.
Que tudo I I I tudo alii se prepara a contento.
Carlos Pinto de Lemos, administrador da
massa fallida de Joaquim Silverio de Souza 4 C,
roga aos devedores da referida massa, queiram
quanto antes saMar sous debitos a rua do Mar-
quez de Olinda n. 1, sob pena de recorrer-se aos
meios judiciaes. Recife, 21 de de novembro de
1873._________
Hotel duas nacoes alliadas.
No becco do Padre n. 28 faz-se comedorias com
todo o asseio e perfeicao, e se manda levar em
casa de qualquer pessoa que quizer ser assignaa-
te por mez ou mesmo avulso, pelo preco muito
comraodo de 30J e 35J> por mez para urn* pescoa:
os Srs. que se dignarem obzequiar-me dirijam-se ao
mescrao hotel qie achara com quem tratar. Tam
bem havera no mesmo hotel, papa de leite lodos
os dias aso 1|2 horas.______________________
ALUGA-SE
o segundo e terceiro audares do sobrado da rua
da Moeda n. 11 : quem os pretender dirija-se ao
caes da Companhia Pernambucana, armazem nu-
mero 4.
Aluga se a casa n. 11 da rua da Ponte, na
povoacao do Monteiro, muito propria para pas-
sar a festa : a tratar na rua do Duque de Ca-
xias n. 71._____________
Toraa-se a quantia de a:00t>000 a jnros,
com garantia s jbre escravos: a traiar na rua do
Impurador n. 48, 1. andar.
AVISO
0 secret. -. da Aug. -. loj. r.apit. *. Uniao e
Benef. fill. ao sap.. gr. Oriente Uuido do
Bras.-., avisa a todos os seusch *. iir.*., a com-
parecerem a sess. especial de eleipSes, do sab...
grao-mest.*. graude comm.-. e do sob.*, grao-
mest. adj. -. lugar tenente comm. -., no dia 10
do corrente, as 6 horas da tarde, em o nosso
aug.-. tempi.-., a rua de Marsilio Dias n. 31,
como detennina o art 2.* do regulamento especial,
com referenda ao decreto n. 9 de 23 da setembro
ide 1873.
Aluga se uma grande casa na povoacAo
do Monteiro, em estado de asseio, qoe tem
excellentes commodos para grande familia :
a tratar na rua 1." de Marco loja n. 18, ou
no Monteiro com o Sr. Nicoldo, com esta-
belecimento fronteiro a* dita casa.__________
SOBRADO PARA ALUGAR.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31, com muito bons
commodos para familia : a tratar na rua do Mar-
quez de Olinda n. 52,
' CASA DE CAMPO
Aluga-se por festa, ou por anno, nma casa com
basnntes coramoodos para uma familia regular,
com sitio bastante grande e arborisado com agua
de beber na estrada do Monteiro, per to do esta
cao do Caldereiro: a tratar no mesmo.
Matricula dos cavallos.
i.
Aluga-se metade de uma easa no pateo do Ter
co a pequena familia : a traiar no pateo dj i' i
raizo n. 26.
I
iaUUU I 11
0 quarto andar da l ua do Marquez de Olinda
n. 4._____________________________
Joriwes da Europa,
Assignaturas para 1874.
Acham-se abertas conforme o respectivo eal
m mm *
m de g
m PHILOSOPHIA, GEOGRA- W
S PHIA e HISTORIA 8
S Dprante as ferias
5 POR M
0 ELIZEU MARTI MS &
J9 Rua da Imperatriz n. 6
Acham-se a venda em todas as livrarias map*
pas impressos para matrieula dos cavallos con-
forme determina a lei provincial de 17 de junho
de 1873. _______I
ao lilleraria
AMA
Precisa-se de uma ama que aaiba j
engommar para duas pes-
na rua do Hospicio nume-
0 FIM DOS TEMPOS
su .
A PROXIMA VINDA DO BEINO
DE DEOS,
tudo mostrado pelos f?ctos que se eslao passan '.
no mundo, e que se acham claramente antiuncia-
dos na propheeia de Daniel, Ezequiel, no apoca-
lypse de S. Joao, e nas epistolas de S. Pedro e de
S. Paulo. Acha-se prompta esta interessante obri
rua do Imperador n. 79, loja. e ^ disposicao do publico, na livraria universal, a
nineos Pinto, querendo resnrair rua do Imperadoi n. 54. Na mesma livraria po-
procurar os exerr.-
lavar
soas:
ro 30.
AMA
Precisa-se de uma ama pa-
ra comprar e cozinhar : na
que comprou
Triumpho n. 39, ao Sr.
- Antonio Vieira faz sciente a quem convier
a taverna sita na rna do Bar3o do
Joao Gomes da Crnz, li-
vree desembaracada de qualquer onus; se al
guem se julgar com direito a qualquer reclama-
cao, queira apresentar-se no prazo de 3 dias, a
contar de hoje, undo os quaes nao terao mais di-
reito algura.
Recife, 2 de dexembro de 1873.
Aluga-se a casa n. 77 da rua de S. Jo4o e a
loja do sobrado n. 25 da rua nova de Santa Rita :
a tratar na rua Duque de Caxias n. 44, on na rua
do Rangel n. 41,1* andar.
Franca, ditas de Banhos e ares saudavcis do
nogaeira e de anable, guardas-roupa de jacaran- TUTr\nfoiir
da de mogno e de anable com espelho, ncos: JBLUIlieiru.
guardas vestidos de amarello, rieos guardas-lou-, Aluga-se alii duas pequenas casas muito era
Qa, toillettes de jacarnda e de mogno, aparadors conla para qUem precisar de bons ares e banhes
de mogno com tampo de pedra, ditos de amarello fresC08 : a tratar a rua do Barao da Victoria, ou-
om armario, mesas elasticas para jantar, dit^s lr-ora pova n 7 ____.
mesinhas de
com
de mogno com abas para almbco,
mogno para costura, e uma infinidade de objec
tos que seria enfadonho mencionar ; tem um
Srande sortimento de cadeiras de muitas qualida-
es : a rua do Barao da Victoria n. 57 e
r
Aluga-se nm excellente sotiradinho com bolas
de vjdro, na rua de S. Pedro Novo n.... com com,-
modos para grande familia, a melhor lugar para
quem quizer fater uso dos banhos salgados : a
tratar na praca dojCorpo Santo n. 17,1 andar.
Escravo fugido
Acha-se fugido desde o dia 18 do corrente >
escravo Gregorio, erioulo, cor fula, balxo, tendo
um dos dedos pollegares do pe cortado : queu
prende-lo, queira dirigirse ao pateo do Carmo, eci
Olinda, sobrado n. 2, que sera generosamente gra-
tificado.________________________________
- Aluga-se o 1 andar do sobrado da rua da
Imperatriz n. 53: a tratar na rua do Barao di
Victoria n. 57, loja ^_____^^
4luga-se
__________ um 9itio na T />elo tempo da fesla ou an-
- Preci de idade, que tenha pratica de taverua, dando grande familia, quartos lora iiara oscravi. -.ag-
conhecimento desna eondncu u. Recife, rua do nifkaagua de bebw ^brado n. 10,
Bom Jesus n. 29. da rua estreita do Rosaiio, 3.' andar.
asa para alugar.
Aluga se a casa n. 63 da rua do Hospicio, com
bastantes commodos eagna, propria para uma
grande farailia : os prelendentes que queiram
examina la, acharSo a chave na u.e,.na rua n. 55,
collegio de Santa Genoveva._________

HHHHi


'
1
dim* %e*PeWmm& Quarto ftte*$ cte I^zeinlfcode rfc7&<
Boa casa para a festa.
ttlajp-se uma excellenle casa no Monteiro, tra-
kw Xisto, a qual se acha em muiio bom es
ifla Se limpeza : a tralar na ma Priraciro de
-JMbkb. antiia do Crespo n. SO A, loja do Gurgel
Acreditarao vcndo
fltalha-se um vasto e bello terreno a
margtva do rio, nos fundos da povoagao de
SAerJbe, ainda nJo visto pcla maior parte
3 papulagSo, por ter si Jo ha pouco derru-
.stdeos mattes qae cobriam dito terrono, o
^aal coasla do uma grande planicie, pro-
jssajiara edificagao, e distancia de 3 ininu
.*as *a ultima estagao da via fet-rea, acten-
o4 ja divMidoem raas, com approvac.30
3* camera dc Olinda.
Qem pretender pode ir ver que sem du-
vida Heard agradado, e entender-so com o
Jose Honorato Medeiros (Zumba), en-
sarregodo, ou com oproprietorio, junto &
-saute da dita povoagao.
'mmmw$MW**-m*m*m
0 Consultorio homeopa- $
5| thico
o Dr. Santos Mello
&> 41------Rua do Imperador------11
.25 Consultas todos os-dias das 11 a 1 da -^
? tarde. 0
JS Gratis aos pobres. ^t
25 Ttesidencia a rua Nova n. 7, segundo 2
andar, orcde da consultas das 6 as 9 da
, manha e das 3 as 5 da tarde. |gf
Chamados a qualquer hora.
4K**Stt OOO0O 00<
Aluga-sc
3 {jrimeiro andar do sobrado da rua do Duque de
-axias n. 44, proprio para escriplorio, ou rapat
'dtteiro : a tratar ho mesmo, loja.
AVISO
-0 Sr. Joaquim Clemente de Lemos Duarte lenha
i bondade do vir od mandar a rua do Coronel
Sanaa n. 28:! a negocio de seu inleresse.
Para carriifeiros.
Aiuga-so um terreno murado, na rua da Sau-
11 de, que tern com palmos de frente e 3C0 de
endo, corn pequena casa e telheiro para ani
aaes, proprio para plantacSes : a tratar a rua
ffrimeiro de Marco n. 23, loja.________
CRIADO
'cisa-se de um criado, que seja bom copeiro
isseiado : nna rua da Uniao n. 17.
Atieneao
Ven-le-se barato a armajSo da taverna n. GO, si-
a rua Oireifa fas Afogados : a tratar na pada
de junto n. 06.
A pessoa q;
premio sob hVpot_
ma do Hospicio n.
dianle
noneiou precisat de 50OJ a
:eni bens de rui/., apparec,a a
das a horas da tarde em
~=^rr.
UTTENCAO.
De novo pefle-se aos ctedSYes da massa fallida
de Joao Hygino de Souza,- que apreseotem seus
inulos a rua do Vigario n. 19, 1 andar, afim de
serem conferidos.
Quern precisar ahtgar um eseravo, com tan
to qne nAo seja para servico de peso, dirija^e a
rua do Hospicio n. 61, que encontrara um bastan-
ie intelligento, e caps* de encartegar se do trnba-
Ino da.jardim ou de hortaliras.
Aluga-se um sitio em Beberibe, com casa
propria para familia, com mobilia ou sem ella :
a rua do MawmezUe etfada p. 36._______^^
Precisa-se de dons retlnador.s para o Para :
a tratar no eseripterio 48 Joaquim Jos*&*alve3
Bellrao & Filhos, a rua do Commercio n. K.
(MINHvMG
presii-a-se de um em S Jse
do Manguinho, sili-* a. '% am-
ro cinzftiito antes da igr^Jn.
Ofterecese uma mulher de boa eonducta
para cozer cm casa de alguma familia ou mesmo
em casa de madame : na travessa do Forte n. 6.
MOFINA
Esta encouragado !! !
Roga-se ao Illm. Sr. IgnaCio Vieira de Mello
escrivlo na cidade de Nazareth desta proTincia, o
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aqnelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste joraal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou 4 fevereiro e abril de 1872, e nada etimprio;
e por este motivo 6 de novo chamado para dito
Sm, pols S. S. se deve lembrar que este negocio 6
de mais de oito annas, e quando o Sr. seu Blho se
achava nes(a eidade.
Na rua do Barao da Victoria n. 36 preeisa-S'
fallar ao Sr vigario Andre Corcino de Araujo Pe-
reira, a negocio de seu inleresse.
SAQUES
Aiuga-se o 2 andar e sotao, com todos os
Bunodos para grande familia, do sobrado n. 12,
a rua do Hortas : i tratar na rua do Trapiche
i3, armazem de assucar. Tambem se vende
b dej)|l paries do mesmo obrado.
Coiiipanhia do Gaz.
a eanpreza do gaz tern a honra do annunciar
.-7 pithiioo quo recebeu ultimente um esplen-
itc sortinunlo de lustres de viilro, candiei-
MBdelas o globos, eojas amostras estSo
icriptorio a rua do Imperador n. 31,
So vendidos aos seus freguezes pelo
50 mais razoavel possivel.
Alnga-se n segundo andar do sobrado a rua
ao da fir tor ia n. 31, com commados para
a tratar na loja do mesmo.
I ina pi- oa sojeita, con mnito pouca idade,
iBiia .'> |ior dia, [nvcisa de 4005 para sua
uade, obiigandose a dar liadur. e a entrar
os mezes com 403 rs. ate realisar 0 paga-
do priri"i: al, juro? e todas as mais despezas
itivas, e tu lo isso por meio de uma escriptu-
Quem etiver em circumstancias de fazer
. laegucii, annuncie.
Banhos temperados.
Aloga-se por f'-ta ou por anno, uma casa
eonmodos para grande familia e mnito fres-
lituada na pitnresca illia do Retira (Magdale-
margem do saudavel rio Capibaribe : a tra-
oa rua d-> i- Aragao n. 12. ________________________
Uma parda escrara. boa r istureira, precisa
l.0'V>t para sua liber lade, offerecendo cm
t desta quantia os seus servicos pelo temp 1
mvencionar : quern quizer fazer este ne-
1, dirija-je a rua da Imperatriz n. 30, segundo
lar.
Serviqo mortuario
Oa abaixo assignados ten lo contratado com a
1 casa da iniiericordia 0 servico mortuario e
irros funfbr.'s desta cidade, de conformidade
iom a lei proviueial n. 1121 de 17 de jullio do
ttDM anm, d.rlaram que comeca a ter execu-
ia a mesmo contrato, a conlar do 1 de dezembro
xiiiio fu'uro, pelo que so com os abaixo assig
s podeia 0 publico entender-se para aquelle
ico, encontrando 0 seu estabelecimento a rua
mperadur ns 9 e 11. provido do necessario e
:elhor gosto. Garautom os abaixo as-ignados
3o zelio e promptidao para bem servir, e nSo
nerecer da confianca com que ate hoje teem
irados ; ascio) como convidam aos senho-
. loves para que quanto antes coraparecatn
estabelecimento para rejeberera a autoii-
flm de continuar em sua industria, inde-
de paga. Recife, 29 de novembro de
Agra & 0.
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
n. 20, accam sobro 0 Banco Commercial
de Yianna e suas agendas em todas as ci-
dades e villas de Portugal, vista e a prazo
por todos os paquetes.
50$00G. h
Fugio do engeoho Araquara, do terino da Es-
cada, no dia 26 do corrente, 0 eseravo, Antonio,
crioulo, de 34 aonos de idade, com os signaes se-
guinlei : altura regular, I'alta de deatos na fren-
te, nes apalhetados e tocador de viola ; foi com-
prado nesla praca e julga-se andar pela fregue-
zia da Varzea, onde tern mai e irmis : Quem 0
pegar Icvc-o na estacao das Cinco-Pontas : a tralar
com Olympio de Souz Galva*, ou no dito tnge-
nho a sen Sr. Antonio Jose Gomes Junior.
Recife. 27 de novembro de 1873.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, prerisa-se
allar aos Srs. Pedro dii Rego Cbaves Peixoto e
ose Paes da Silva, a negocio de particular rate-
flsse.
JACARANDA'.
Tem para vender Joaquim Jos6 Goncalves Be-I
i 0 Fillio : a tratar no seu escrip'.orio a rua
do Commercio n. 8.

a jl r^isiGS* *>,
Compra se c vendo-se trastes novos
e usados no armazem da rua do Im-
perador u. 48.
f? V,'
@!fl
Compra-se
um sitio nos arrabaldes desta cidade. onde passe
linha de bonds : a tratar na rua do Imperador n.
48, armazem.
Compia se em uma to Antonio, S. Jose on Baa Vista, um sobrado de
um andar ou uma casa terrea que esteja cm bom
cstado : a pessoa que quizer vendpr dirija-se a
esta typographic que se Hie dira ipiem pretende
comprar.
r-m*t
i
Precisa-se de um homem portuguez recente-
nte chegado, que tenha boa eonducta e pratica
ra feitor de eogenho : quern estiver nestas con-
ii$3es, queira apparecer no largo do Corpo Santo
'.), escriplorio.
Uaixeiro
Precisa-se de um menino de 14 a 16 anno.*, com
ica de taverna: na ma do Amorim n. 62.
USA DO OUHO ^
Son 4:0007000
Bilhetes garantidos
1 do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos seus
auito felizes bilhetes a sorte de 4:000#000 em
iyas naeioa de n. 1341, alem de outras sortes me-
Bvjres de 404000 e 20/000 da loteria que se aca-
de extrahir (76" 1 ; e convida aos possuidores
a vfrem reeeber, que promptamente serai pagos
na forma do eostume.
O fliesmo abaixo assignado convida ao respeiu
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes.que nao deixarao de
qualquer f,remiq, como prova pelos raesmc j
itnnuncios.
Aeiiam-se aveada os muito feli.es bilhetes ga
*anlido5 da pane da loteria a beneficio <)a
mlrie de teni-lanlin, qua se extrahira no dia 3
Ao met de dezembro vlndouro
Pre$s
Inleire 44000
veio 24000
De lOO^OOO para clmu.
Tnteiro 3f?m
.Meio 14750
:aecife, W de BTvembro de '.873
J0S0 Joaquim di Costa LeiK.
.Vende se a casa terrea da rua das Trincheiras
n 21 : a tratar na rua de Saul?. Thereza n M.
Uj eto e branco branco e
preto.
Sio cambraias para luto, preta com listras
brancas e branea com listras pretas, gostos no-
vos : na rua da Imperatriz c. 06, loja da I'osa
Branca.
atu ja vistes?
0 que!
As las de duas palacas quo csla veode'ido a
loja da Rosa Branca.
Eu nao Rosinha.
Pois olha quo sio boui'as e lein um btillio que
parece seda, 0 0 que mais admira e que a nolle
ainda sao mais linda* e 0 unco e de aprovei-
tar-se a oeea'iao, se quizeres comprar maoda
busear as |i"f:is on as anii-tras n 1 rua da linpe-
ratri n s;'! '"-a d i'
Yayj
AGUA DiYINA
E.COUDRAY
OITTA Af.JA OE SAl.O:,
Freconltada para 0 toucador, como oona*rraatf
eonsunteiBoaU a bellaa cfirei da mocldada, prtter-
rando da peste do cholera morbo.
iDlERTEHCU 1HP0RTAHTE
I'mas imilacfcs e fali8ca{6es (raodalaiUu,
as mais vezes 'damnosas a sailde, exciladas pela
fama tao iusUmeDle adquirida pela Agua dl-
vina, obngao-me a recommendar aoa coownl-
dores de reconhecer unicameDle como lagitimai
as garrataa do gaigalo daa quaes acha-M ama
pequenna faxa con a minha
firma e marca da fabrka.
4a*&
PARIS, IS, rae d'Eacblea.
Eacontn-n em ou* d todM M yrlaolpawra
Phamaceotlco* CakaUaruro* 4* AaAaca.
VELOUTINE
a UMA ESPECIB DB
POS de FLOR oe ARROZ
Espccialmentepreparadogcom bimiuth
e por conseguinte a'ama accao aaaAtwai
lODre pelle.
K' ADHEHENTE e.totalment* INVI-
SIVBL, dando 4 pelle nna fraaaora
aveludado naturaee.
Preeo da Cauuaha, com borla 5 f^ni
paaa tleCh. FAY, 9,>-uc,lelaPaix.JAHJHr.
Deposit em Pcnambwo, A. RKQORD
PREDILECiA
A' rua do Cuhu^a n. 1 A.
Os proprietarios da Predilecta, no iotuito de
eonservar o bom oonceito que teem merecido do
respeitavel publico, distingumdo o seu estabeleci-
mento dos mais que nugociam no mesmo genero,
veem sciemificar aos seus boas fregoeres que pre-
veniram aos sen? cCrVesporidehtes nas dTversaspar-
cas d'Enropa para Ihes envrarem p*r toflos o*pa-
Siueles os objeoMk -4e"lum am mais bem aceitos pelas sociedades elegante-'
laquelles paizfcs, visto apwxgnar saw 'tempo de
festa, em que,- o Wio -seifc lesla Mda Veneza
mais ostema-a riijuea te sfcs torlMttes ; e co-
mo ja recebessem pete paquete francez diversos
artigos da ult.ma mod a, veem patentear alguns
d'eatre elles qae se tornam mais recommen'daveis,
espwafido do respeitarel publico a eostamaaa
cofrtanreacia.
Adewcps de iartaruga os mais lindos que teem
viDdo *o mercjkdo.
Albuns com rieas capasde madreperola e de
velludo, sendo diversos tamanhos e baralos pre-
cos.
Adorecos completos de borracha 'pr. -prios para
icto,tambem se veodoia mewsaderecos muito bo-
oitos.
Beiaes de setim pTeHo%e edres'para Onwrtb^e
veatidosde ser.hora ; -tatniiein'tem para eolietfe e
paHtoi.
Boteais para sehhoras, enisle um%eHo sottimen-
to de seda, de palha, de chagrim. etc, etc., por
barato preco.
Bonecaede todos os tarmwhos, tanto de lon^
como de eera, de borracha e eJe'rnassa ; ehan*-
mos a attem;ao das Exmas. Srae. para este artigo,
pois as vezes trfraam-se as eriancas-nm pouco im-
pertinentes par fella de onrebiecto que as en-
tretenham.
CatmMs -Jto linho lists e com peitos bordados
para homem, vendera-se per preeo eomraodo.
i^rotnard^hTihtreTteatgodao; dte dtversos-pre
igos.
Caixinhas x:ont moStea, o que 'ha de mais lindo,
com disticos ns tampas e proprios para prosen
tea.
Coques os mais modernos e de drrersos forma
tot.
ehaneotpara senhora.'Receberam'Bm sortimento
da ultima moda, laolo para senhOrt, como para
meninas.
Capellas simpler e com veo para noivas.
Calcte bordadas para meninas.
Eatremeios -estampados e bordados-, de lindos
desenhos.
Eroovas etecblcas para dentes, em aTiroprte-
dade de evitar a carie dos denies.
Franjas de seda pretas e de cores, existe um
grande sortimento de diVefcas larguras e barato
pre^o.
Pitas dc 'sarja, de gorgurao, de setim e tie cba-
tnalote, de diversas larguras e bonitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Flores artificiaes. -A Predih^la prima em eon-
servar sempreum bello e erande soriiroento des-
tas flo es, nao so para enfaite dos e^belloe, como
tambem para ornato de vestidb de noivas.
Galoes de algodao, de 1a e de seda, brancos.pre-
tos e de diversas cores.
(Iravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas cores
para senhora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiya.
latros para onvir tnia, ccm capas de madre-
Eerote, marQm, 6so e velhido, tudo qae ha de
om.
Periles de tartaruga e marfim para alisar os ca-
bdt os ; teem tamhenr para tirar easpas.
Port bouquet Um iwilo sortmiento de madre-
perola, marfim, osso e donrados por baTato preeo.'
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilesta bem'
Erovida, nSo so em xtractos, como em oJeos e
anhas dos meiiores odores, dos niais sfamados
fabrieantes, Loubin, Pi ver, Sociedade Hygienica,,
Coudray, Gosnel e Rirael ; sao indispensaveis para
a festa. ,
Saias bordadas para senhaw, por commods
preco. ,
Sapatinhos de IS e de setim bbrdados .para bap"
tisados. /
Tapetes. Recebeu a PredQecta um bonito sort*
memo de diversos tamanhos, tanlo para sofa co<
mo para entrada de salas.
Vestimenta* para, baptiado o que ha de melhor
gosto e Os mais modernos, recebeu a PrediteCfa e
vende per barato pre jo, para Scar ao alcanee de
qualquer bolsa.
Rua do Cabuga n. I
Amaral Nabuco 4 C, vend m por b.trato
preco, cortes de vestidos de la, de chaly de seda e
de gase de cores, vestimenta de casemira, fustao
e brim para menin s. no Bazar da Moda n. i
rua do Barao da Victoria.
II
a
Cbitas a 210 rs. o covado.
A 2'iO n o covado.
A 240 rs. o covado.
So na rua Duque de Gaxias n. 60 A, loja da
esquina.
A 280 rs o covado!
Lazinhas de c6res para vestidos : s4 na rua do
Duque de Caxias n. tiO A, loja da esquina,
TIE 7AHHN0AS
Rua d
Vende fazendas para iiquidar, por bai atisfiimo preco como
abaixo se ve:
Pereira da Silva A (;.iimar*a teudo enHJf RJ^ndth] ia?DJTIMwK
tem resolyido fazer oma lniui'l.igao das m'esinas' com prande abatiroento nos pregos,
com o unico fim dj ?purar cftriheirli, para o qne cunvidam nio sd-os seu*dmer090s
freguezes, como o respeitavel puhlico, a v;r surlir se de muiUs fazendas, boss e baraUs
fwseaestabeleciraenjodenotllinado o Pataoa rrta da Itlfonttii n. a.
bazar nmm
Rua do toito h Ticlorra b. 22.
DE
Canieiro Yianna.
A' este-grande estabelecimento tem che-
gado- um bom sortimento de machines para
costura, de todos os autores mais acreelita-
dos oltimamentena Europa, cujas nwchinas
6*0 garantidas por um anno, e tendo um
peFfere) artists 'para ertsinar as mesmas, em
qualquer parW deJta cidade, como 'bem as-
Sim' concerta-las pelo tempo tambem d'um
afln sem despetidio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambem ha perten^as
para as mesflrts machinas e se suppre qual-
quer peca aue seja necesswio. EstaS tea-1
chinas trabalham coin toda a porfeicao de
ura e dous pospontos, franzo e* -borda toda
qualquer costura por fina q^ie seja, seus
precossSo da segnintequaHdade : para tra-
oalhar a mao de 305SOOO, 409000. 45JM)0O
e 50JJS0OO, para trabalhar com. o pe sao de
80000, 00W)00, 1002K)00V 110JJ000,
120JS009, 130J5000, 1505POOO-, 200JJ000 e
250JpOO(t, emqoanto aos autores nao ha al-
lera?ao de precos, e os compradores poderao
Visitar este estabelecimento, que muito de-
Verao gostar pela variedade de objectos que
ha sempre para vender, como sejaon: cadei-
ras para viagem, raalas.para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balaneo, dhas para
crianca (a>ltas), ditas para. Kcola, eosturei-
ras riquissimas, para sennora, despensaveis
para criancas, de todas as qualidades, camas
de-ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para salt, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha\ fa-
queiros com cabo de metal e da marfim,
ditos aYulsos, colheres de metal fino, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
araai&, tampas para- cobrir pratos-, esteiras
para ferrar las, lavatorios completes, ditos-
simples, objectos para toilette, eoutros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabeleeJBaento
que se acba aberto desde as 6 horas da ma-
riha ate as 9 horas da uoute a -
Rua do Barao da Victoria n.
__________2^__________
INaoha mais cabeilos
brancos.
TtNTUflARIA JJlPONEZi
S6 e unicaapprovada pelas academias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ate hoje^ Deposito princi-
il a rua da Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, lc andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
CAMBRA1AS A 4, 00, *, >655 7*.
O Pavfto vende-um magaiftco sortimento
das mais finas cambraias brancas transpa-
rentes, tendo 10 jardas cada pe^a, pelo ba-
rato prec.o de 45P, 45J500, 5, ,fefido tam-
bem das mais I'mas que cjstumam vir ao
mercado, assim como um grande sortimento"
de ditas tapadase victorias que venda- de 48
ate 88, sendo fozenda que vallo muito mais
dinheiro.
COM SALPICOS DE CORE* A 55J.
0 Pav&o recebeu um elegante sortimesto
I de cambraias brancas com bomtos salpiqai-
j nhos miudinhos de cores, tende If) jardas
,'eada corte de vestido e vende pelo barato
preco de 5, por ser pechincba, ditas com
, salpicos todo branco sendo fazenda finissima
a 78500 e ditas-a 68000..,
VESTIDOS %HiSO DA'GORTK |r
0 Pavao vende um bonito sortimento de
cortes do vestidos a oso df carte, tra%endfe
| cada c6rte todos os enfeites neCessariof como
sejam : babadinhds, orllrti-meios, "readas,
rquefifes, vende jfel bar%to preob'^a lJf
. cada um, assim eemo, di os afi de julbo
com todos osenfeites-a 108, cortes de cam-
braias brancas abertafe, com listras e lavores
I a 68, ditos finissimosa 88, ditos de cam-
braia branea com listras de cores-, para aca-
bar 38500, e pecWneha.
CORTES BORDADOS A 208 E 36.
O-Pavio vende ricos corles de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco de 208 e 358-
CASSAS FRANCEZAS
a 300 rs, oeovado
0sPavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padtoes e'
cores fisas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 ts. a vaa fi-
nissimo fil6 branco liso ede salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BORKOUS-A 128.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos
mais modernos bornous com bonitas listras e
vende pelo barato prego de 128 cada um,
assim como um elegante Sortimento dos mais
bonitos chales demerin6 e com listras de seda.
LAZINHAS A Ji-20
0 Pavao vende bonitas lazinhas lisas,
sendo vorde o cor do 1 yrio, pe'o barato preeo4
de 3-20 reis o covado, aSsirn como deiicadas
ldzinhas de quadrinhos a 280 reis> e pe-
chincha.
Granadiues a J40
0 Pavao vende um elegmte sortimento
das mais bonitas granadines ou gazes de
seda para vestidos. tendo de todas as cores
e vende pelo barato preco do 640 r6is o co-
vado e granadine preta com listras de seda
a 18800.
retro.
Caixues
Vendese qualro cai*5ej proprios para estabe-
lecimentos de molhados, a rua de Marcilio iai
n. 76.
Para presepes.
Gaixas completas com flguraspa'a presepes de
33 a 5i0T0 eada uma ; a veoda. no Basar da rua
Din-ita n. 51.
Bolsa s, malas indispensa-
veis
Amaral, Nabuco & C receberam completo sor-
timento de boltjas, malas e indispensaveis de eou
ro, madeira e chagrin : vende-se no Baiar Vic
tin in, rua do Barao da Victoria n. 2.
Para acabar!
Ricqs chapcos para senhora : so na rua Duqne
de Gaxias n. Gi) A, loja da esquina.
Matricula para cavallos.
A' venda na Uvraria las-a, a rua do Impera-
dor a. li. Pi ego 40 re.
Amaral Nabaco & C, veudem os mais commo-
dos cosmoramas com vistas actualmente novas :
Bazar Victoria, rua do Barao da Victoria n. 2.
F1QWE
L(tOD40D4B4HIA
Tem para vender em. seu escriplorio Joaquin
Jose GoncaJvei Bellrao Filho, a rua do Commer
cio n. 5.
francez mwttr'fiBo a 39600, apienas precisa
1, lp metro para um lencel.
CHALES BARATOS Hi
a S8, 28500, 48.
0 Pavao vende chales a emit
rin6 a 28, ditos de 'merino lisos de todas as
cores 28500, dkee de merm6 estampados.
muito finos a 48, ditos finissimos com lis-
tras^ seda 685*f>, crepoma-108 e 128.
AI^orfito enfeMacIo a I* o Ir* *0
0 Pavao vende-alged* eufestodo eom 8
palmos eVforgrifa, proprio para Iengoes
sendo do mtris eneWpado-qoe tem vindo ac
mercado, liso a 18 avara etran^adr/a.....
18280.
ATOAUIADO A 1^600, 28, 5>.
0 l'avlo vende atotlHMb Van^ado com 8
palmos de Iar|ura a%*)0 e 18600, dito
wlSmascdW) lr-28, drib de Kriho adamasoa-
p>ai
O
sedas
aSfcDA#A4iA VfSnDOS. ~--j^
o vende om: bonHo-sortihielto'*
com 'lis'IfiWlias proprias para vesti-
dos de meninas ede seuhora a 18600 o co-
vado, ditas lavra'Ainfeasa 98,ospadY(Jes sao
muito bonitos e vende-se por este preco para
aseber.'
BoNaa-. a .> )MH>
0 Pavao tem um 'complete i sortimento de
borinas muito bem enfeitad,* part senhoras
e vende peto barato preco ,.le 58, artigo que
emeurtra qualquer partocuste ti8"e *#'
LEMEOriBRANrOS-
a 280UU.
O Pavao vende lenQOS.b'rancos abunhz-
dos, tauto para homalsoomo para senhorss,
a 28 e 28500 a duzia, ditos d& esguiao e
cambraia de linho t 38500, 48, 58, d tosfrdBcezes-e9uros,; paPa
rape* a 68, a duzia.
CAtflSAS PARA HOMEM.
O-Pa^ao vende ricae'camisas-'(torn peitr
de linho bordadas, proprias. p-ra iorvo a
iOfJe 128 cada'u'ma, ditas de linho sen se-
rem bori das 8, 4*500 e 58,'difete com
peito de algodao muito finas a 28,28500 r
38, d4tasdecbita fma-aHudimVi a 28,28500,
e38, f-ssiracomo graiide sortimento de ce-
roulas francezas tanto de linho como de al-
godao de 18600 ate 38, gx nde- sortimentc
Je mei^s cru-s iugtezas de .48 ate 88000 a
duzia
FAZENDAS PARA Tl'TO.
0 l'avao tem um grande sortimento de
fazendas pret s para luto como sejam : cas-
s s, las, ou lazinhas lisas que vende a 400
o 500 reis o covado, bombazinas de 18600
ate 28 o covado, caatao a 18 e 18200,
granadine lisa com listras, cassas e chitas
todas pretas com listras e salpicos, alpacas
todas pretas e lavradas de branco, merinds t
outras muitas fazend s apropri das, que sr
veude poi menosdoque emoutra qualquer
VAPORES LOCOMOtllS.
De forca de dous a seis cavallos : a venda no
armazem de Joaquim Lopes Machado & C, tr-a
vessa do Corpo Santo n. 2o.______________
Vende-se a armacao e utensilios da taverna do
pateo doTerco n. II, barato, e propria para quem
se quiaer eslabelecer naquelie lngar : a tratar na
me? ma.
Xarope d'agriao do Para
Antigae conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com optimos resultados no
escorbuto.______________________________^
Oleo de linkaca.
Vendem Cnaha & Mania, em barris : rua do
Marquez de Olinda n. 83.__________________
Vende-se uma taverna oa oidade de Olindal
a rua de Mathias Ferreiri n. 59 : quem pretender-
dirija-se a mesma, que aohara com quem tralar*
Mobilia
LAZINHAS A 360 0 COVADO.
O PavSo vendo bonitas liizinhas transpa- parte.
rentes com palminhas a 360 reis o covado, MADAPODOES ENPESTADOS
ditas ditas indianas com lindos dezeuhos,; a 38000.
tanto em listras como em quadrosa280 rs. 0 Pavao vende pecasdemadapolao enfes-
o covado, e grande sortimento de alpacas e tadocom 12jard s a 38, dito a 38500, ditc
lazinhas de 401) a 800 reis. i com 20 jardas a 58, 58300 e 68000, dito
com 24 jardas de8 ate 88 e 108, sendo os
CHITAS DE CORES mais finos que tem vindo ao mere do.
a20i, 241., 280 e 320 rs.
0 Pav3o vende um grande sortimento de; Algodfioiinho a 48000.
bonitas chitas tanto claras como escuras e' ^ .
vende de 200 ate 321. rs., assim como ditas ?av3 ve"de P^a,& de algodaozmhc
com listras.aolado muito floes a 360 e 400 mnit0 6COI*d<> a **
rs., finissimas percales miuilinhas com lin-
dos dezenhos a 360 e 400 reis, garantindo-
serem todas de cores flxas.
COBERTAS A 2$, 28500, 38, 48.
0 Pavao vende bonitas cobertas de chila
dito a 58 e 68.
TAPETES
CORTES DE CASEMIRA A 58.
0 Pavao vende um grande sortimento do
com ramagemgrauda, pelos baratos precis cortes de casemira para calcaa, com bonitos
de 28, 28500, 38 e 48, ditas encarnadas t gostos, claros e escuros a 5|j dito* de 68,.
"8, 88, ate 108, superiores casemiras fran-
Na rua do Barao da Victoria n. 36 vendese uma
mobilia de jacaraada, nova e de gosto, por preco
commodo.
Bom negocio
Vendese muito barato uma casa da taipa, com
2 salas, 2 quartos e cozinha fora, com um terreno
de 78 palmos de frente.e 200; de fondo, eom algu-
mas frueteiras em ponto pequeno, silo no lugar
das Aretas, freguezia do? AforSdcfe : a tratar no
pateo do Carmo n. 8^
Asunicas verdadeiras
Richas hamburguezas qne vem a este mercado-
na rar Marquez de atlnda n. 51
- WuseoJtewe & U veodom no seu armazem
a rua de rJomtrcio n. li :
0 veriadeiro papao de algodao azul amencano.
17y i*ft?^AW**rt fin oa vaUa
UnUWIUUIv iiv UTJ VCItl.
Cognac de 1* qualUaia jf i
Vinao j}e Bordeaftx: '
CarVS? Ae Peara de tndas a-; qualidades._______
Fogo.Qs aeonowicos.
Balaoaas decimaes.
Em4?^sa k^m to^Jies U.
Vaade-iW saj do Assii.a bcrdo do laale low
VmIM, cooftiMtta p trapiche de Gunha, eaes da
CompajW,ftrna*ua, a tratar com Joao Jose
da Cunha uges ou com o mesire a bordo.
forradas a 58, ditas de fustao branco e decor
com barras a 48 e 58, ditas de croche para
cama de noivo a 68, ditas muito ricas a 168,
ditas dc damasco a emitarao de seda a 108
e 148.
I'iin tiles
0 PavSo vendefustoes brancos e de cores,
sendo as mais bonitas cores que tem vindo ao
mercado, tanto para roupa do criaocss como
para vestidos e roupas de horaem^e vende
pelo barato preco de 560 ate 18, o covado.
BRAMANTES
a 18600, 20200o2&800:
0 Pavao vende bramantes de algodao com
10 palmos de largura para lenses, pelo ba-
rato prego de 186' '0, dito de liuho com a
mesma largura a 28, 28200 e 28500, dito
Cortes rfechitaa *$, 98AOO e
3 5000
0 PavSo vende cortes de chitas ascuras e
claras com 10 covadoscada cdrte, peio ba-
ratismo preco de 28. 28500 e 38000.
COBTES DE BRIM A 18400.
0 Pavao vende cortes de brim pardo para
calga, a 18400. Ditos de cdr, fazenda mui-
to boa, a 18600.
Espartilhos a 3$ e 4#000.
0 Pavao vende os m#is modernos^esparti-
lhos, proprios para senhoras e n|enia,
pelos baratistiaios pregos de S$ e 48000.1
Ditos muito superiores, brancos e de c^r, a
58 e 68000.
cez-se inglezas, para covado, de 38500 ate
60, paunos pretos e de c >res.dos. mais bara-
tos e mais finos que,.tenL.vindo ao mercado,
por pregos muito razo vets..
Itoiipu feita
0 Pavao, tem constantemente um grande
sortimento de roupas feitaspajfa homem, que
vende por prego muito ein couta, como se-
jam :
Calcas de brim de cores de 28500 ate 68.
Ditas de casemira escura a 38500.
Palitots da mesma fazend.4 a 48500.
Calgas de brim pardo de 28 ale 5*?.
-Dit s de casemir\ de cdr de 7.at i2(5.
Ditas de casemira preta de 78 ^te 144.
Palitots de pamio preto do 48 ate 128.
Fraques de panh'o preto fino do 208 t'i
358000.
Calgas brancas d^ljnbe de 48 3te78.
Colletes de casemira de cor de 380OO ate
58000.
Ditos de dita. preta de 48 ate 78,
Cortes de la a I OOO
0 Pavao vende bonitos cortes de fasinhas,
padroes rnkidinhos com lindas cores, tendo
15 covados cada c6rte, pelo barato preco de
48000.
48000.
CORTES DE ORGANDY
OP
eom lb
38000 e83G0.
como
preco;
stras e ^OaArrnfiOs, sendo fazenda mui-
to fina, pelos haratissimea precos de 38'e
Ceroulas francezas de linho e algodSo, para todos osp.re-jf.ps e qualidades, assim
grande sortimento de meias cruas, cam.isas, colennlios, quo 'tuijo se vende por
s muit > r^zoaveis.
_
Pajjino de algodao da
Bahia.
Ha para vender das seguiates faaricas :
S Salvador.
Gonceijao.
Valenca.
Hodelo.
No escriptorio de Luiz Duprat, a ru,a do G-Br
mercio n. 34,1* andar.
i
I -' 1
escocezas a 280 rs. covado.
i fhm do ^QlnaAiio W
Lazinnas escoceza.padrpea maito bonitos, ulti-
ma moda dc Tito daJWfli, pelo diminulo preco
de 230 rs. o cbvacfo J daose amostras : na rua do
Qneimado a. 43.

CSSm


1
i
t.
I
I
',
H
i *
*-
Diarl'e Je^ i^namftueo Quart* fefr 3 de^Oftttft ^ 1 W!.
N. ^-Rua-do Ca%gaN. 4
smJSiH
& c.
GOHES-DBHATTOSAIHttO
Avisam ao respeitavel publico dcsta cidade que o sortitnenUy dd joias, de subido va
lor, que exisua em seu estabelecimento, estri complctamcnte reforcado com o raaisele
gante sortimento de novas joias, que receberam dircclamenle pelo ultimo- vapor da-Eu
ropa, constando elle-do mais variado sortimento de aderecos d Boutovard, pulseiras d(
ultimo gosto com pedras senhoras, delicados aderecospara mcninas, raeios adereoos de camafeu lindissimos, volta*
de nogordios para senhoras, correntcs irigrezas de ouro e deplatina, variadd quantidade
de botOes para punhos e peito, com embtemas ma^oniflosyde-entiyteefdo V maift fcirrmW oa mais haratfTQ A OR mpl hftfPS do TTllindo! feu> etc' brilhante8; monstrosde rarissimas agoas, em anneis, rezetas, pulseiras, alfire
\a maissimp*e% as maisoaraias e as meiuoresuouiuuuui,teseboWeg>eoutrosjmitos obj Itt* expos^ao d* Paris, em 1867, foi coooedido aj tenrjerao com grande reduccSO de precos, por serem eHe rtc6idos direct*ente de s.
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-1 coramittentes. r nB iamc ..,,.,'. ,. ... Os nropnetanos do acredrtado MUZEU DE JOIAS, tendo sen estabdecimento aberti
cSoda Legl6o de Honra, por serem as machinas mais per,! ^ g ho*M ^ noute> ^.^ as fami,ias que se-qfljaerera^row de lihdas joias,
UH1C0S MENTES
Rua do Barao da Victoria d. 28
E' seinprc
ssim.
feitas do raundo.
A medalha de ouro, confcrida i
Estados-Uoidos por 'ser o inventor
E. Howe Junior, no*
da machina de cos-
tufa.
A medalha de ouro na exposigio de Londres acreditam'
eslis machinas.
virem escolbe-las a* vontade, para o quees*li em esposicSo nos'mostradores.
A
DE
Fazenclas finas
Rua
NA
E'
,. de Marco n. 7' *
DE
Cordeiro Siraoes & C.
das qne
esta casa, sem duvida, unia
pode com primazia apreseniar
hoje,
Agua florida, de Guislain,
para fazer os cabellos pre-
i tos.
A aguia branca, a rua. Duque de Caxias n.,50,
acaba de receber nova remessa da apreciavel agua
florida para fazefvjs -eabellos- pretos. Obomre-
'snltado comidO'por qnem lenr fetto uro dssa
; inolleasiva preparicio a temaltameutc conceilua-
do, e por Jfso apenas e -far leinbrar a quern,no-
vajueiHe deila precise e queira se aproveitar de
' ai%. utilidadc. fMibra veio agua dc topacio e
also Qorklo para o.mosmo uso, e t*/> acreditados
coibo aquilia.
ra grande toilette'; assira como, para o uso ordi-
nano de todas as classes; c por precos vantajo-
Gabe-nos o dever de annunciar que a companhlaidaamachiaaa. de Howe de Nota^
ork, estabele'ceu nesta cidade i rua do Barao da Victoria n. 28, urn deposho e agenda
rai, psra em Pernambueo mais provinciasse venderem as afamadas machinas de coe-|
*a de Howe. Estas maenmas sio justamebte apreciadas pela perfei^ao de seu trabalho, |
tapregando uma aguma'mais curta com a mesma qualidade de Iinha que qualquer outra,
w' introduc(j5o dos ms^ aperfetQoados apparelhos, eslamos actualmente
Ureter *# exami pubTitit as melhores maohinas do raundo.
As vantngens destus machine sao as seguinies: \ so para os cempradores, de cuj^ ra
MnrialNiO pubScvaa*'que ellas sio duradouras, para isto prqva incontestavel, a(q jiandaia 'faiendas as casas dos
!*cmnstanci de nunca teretr. aooarecido no mercado machinas d Howe em segun- para o que torn o pessoal necessario
mio ,ras mediahte penhor.
S*4rada.-Contera omaWHalprecise para reparar qualquer desarranjo. SS de^w^de^?*"
Tere^ra^-Hrnellas menor frlccio entre as diversas pecas, etnenos rapido eslrago Qrosdenaple de tod.asas cores.
o queues oetpas.-- Gorgurao branco e preto.
Qutarta^^FoffflaM O:ponto como se fdra feito a" mSo. Setim Macau preto e dc cores.
Jointa.iPermitte qufl-se examine o trabalho de arabos os fios, o que se nio consegn ve?udopreto 'd0m
ajoutras. Granadine, seda preta e colisniasrt de cores lin- nnllpPOOPQ flft trasladofi
Sfextr.-^Farefli pOnfd'miudo em cdsemlra, atravessando o fio de um i outro lado, dissimas padroes e fazenda da uliima raodai. v^v/ii^vv^^cj \a*j muo.wuvo
:< e. segutda; seTft modificar-se a. tensao da linha, cozem a fazenda mais Popelinas dc lindds padrScs. |, nomiftSDara eserever-Se.
t>. Fil6 de seda branco epreto. r. __,
. Ricas basqninas de seda I Aflgula bMocara YUa Ddqna'VJeCaTtta* n. 30,
SeVimftiO^ompressdr-e* levairtado com a maior facilidade, quando se tem de mudar ^anlas brasileiras. reoebeu ndvas-coiteccoes onmoriMe^aaaas eriao-
'igftlha Oitata.MniWs--comt*n*n'aS de machinas de costura, tern tido epocas de grandeza e' Cortes de tatnbrafa branca com lindos bortfaMos. usadas na. aulas o coliegios; e como sempra van-
aesseos fregoeaa VoltaS e &ABM6 de STTOSBOS
habilitados a um vanaditsirao sorlimentu de fazendas tinas p t,^ <->
aljofares de cores.
A agui* branca, a rua do Duque d> Caxias n.
30, .recebeu. novas e bouitas voltas e brincos de
pretendentes- grosso >ljofares de cOres, e como se'itfpr* conti-
e dao amos- nna a vende-las por preeoeommodoi
Novos diademas donrados e
com pedFas.
A agnia bratieai'aTU'a do'Dunne de Caxias n;
5ft, recebeu 'novo sormento debonitos diade-
mas. duufado* e com p^dras, tanto para meoinas
, como para senhoras.
ou
fiidii*jas,rad?ca5S'parpo(i
optando a opiniao de Elias' Howe1, meslre em artes mechanicas, tem
:;?mentado o seu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que faca
or dlai
>da machina acompanha livretos com instruccoes cm portuguez.
600
na"9-es1eTfh^ra
constanteraente nitas maripozas. braneas e de cores.
machinas Nansuck de lindos padrties.
Baptists-de padroes niui de'Iicadds. A kiJa'd'agnTa brajica, a rftir Dmwe-de, Caxfes
Percalinas de quadros pretos efrancos; de lis-> n. o0, recebeu novo **tiPnto"da^iiells tao pro-
tras, etc. caradasiitefas=crtaH pan- senbwa*' rinda Igual-
Brins de linho de cores, proprios para vesiidos" menio para uanuias, e centiniia-a vende-la pr
com barra e lisfnts. precos cominodos. ^ ^
Fnstao deiindas cores. i \J>\a on mantiiihaa-nretaft.
Casaquinhos de la e de todas as. cores, parase-. v^Uto uu "^""""^M^c**^
nhoras. A4oja da gn**ranrta;aniadDuqu'd,e ta-
Saias bordadas para senhora* xita-n. SOs'tirecebeu Umilos veos-" ou matmhas
Camisas ia*3m idem prelas de seda com flor.es, e outras a irtutec5o de
Ve^umos para meninos. croche,' e v'dnsde -'as p'eioS baratds pre-.-os de 3#,
Dilos para baptisados. i IjHB'WWft1 A f3*e%dS :e'bte *ffiestf m pPrWto
Cbapeos para diu>s. esudo; pelo-uoe^ conttnna' a ter-'ptwnpta extrae
Toathas o gnardanapos aiJamascados de linho de cao
cores para mes3.
Coichas de I 11
Gm
II
A 30^000 e 30^000.
0OUS P0SPONTOS
NaTojade SoJlres Leitelrmaos, aruado Barao da
Victoria n. 28.
pollica com pequeno toaue. Esuelhos demoldura dourada. de todos
LuVas de
200 rs.
Abotoaduras para collete,
mento a 120 rs.
'"aixa de linha de marca, a 300 rs.
Lamparinas a* gz, dando uma luz muito
oa, a 19000.
Duzia de pe iiO rs.
Caixa de botdos de osso para calga, a
'09 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200" jardas, a
fiOOrs. .
Idem id'im 60 jardas, a 240 rs.
Maco de fita chineza.a; 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Meios aderecOs com camafeu, a 500 rs.
iarrafa detinta roia' axtrfrDnaalfOOO
Petes com dita ingteka,; preta, a:100 e
I60rs'.
Caixa de pennas Perry, muito boas,- a
1*000.
Idem idem, a 400 rs.
Oaixa' de enveloppes tarjados, a 500 ri.
Idem idem forraaofc, -a TOO rs.
'^aixa de papel amisade, beira dourada,
t 880 rs.
idem idem idem lisa, a 600 rs.
Duzia da talhercs cabc branco, 2 8., a
5JW80
Resma de papeL padtado, a 49000
e55800.
Idem idem liso, a9*t00, 380e 59000.
Coques moderaos, aa000.
Duzias de peeas de'-tranoas de caracol
'ranca, i 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
toque, Espelhos de moldura dourada,
' os.tamanhos e precos.
grande sorti-
PERFUMARIAS E MIUDEZAS.
Frasco com oleo Ortza verdadeiro, a
19000.
Idem com tonico de Kemp, verdadeiro, a
19000.
Garrafa de agua florida vcrdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdale'na (novidade) a
19200.
Caixa de pds para dentes, a 200 rs.
Idem idem de pds chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Pole com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
ncl, 19000.
Duzia de saborietes de amendoa, a
81*00.
Duzia de sabonet*6 de ahjinhotransparen-
tes, a 29200.
Idem idem com lores, a 19500.
Sabonetes Glycerino transparentes, a
19000.
Caixa com saborietes, formato de fructas,
a 19000 e 19500.
Cosmetrcos, graudes e pequenos, a 100 e
800 rs
Frasco com agua de colagne, a 200, 820,
500 rs. e 10000.
Extractos muito finos dos melhores au-
tores:
Lindas e elegantes caiiinhaseofb perfuma-
riaSj pW^rias para preserites, dos autofes1
E. Codt-ayi'ra^r.GelW Fibres, etc.
tjua'dros com s&fitos'e eStampas separ'a-
^>>rtinadus bordaios.
Camisas bordadas para homem.
Weias de cores para homens e mehino?.
Oompteto sortimento de' ctrapeVia' de'sol para-ho-
mens e senhoras, com cabo de marllm.
Merino de cores para vestidos.
Dito preto.
Atoalhado'de linho c algodSo para toalhac.
Atealhado'pardo.
Brins de linho branco, preto e de cores.
Setim de lindas cores e com listras
Cu'alcs dc merino de cores e p;etos.
Ditos de casemira.
Dilos de seda preta e de cores.
Dito de touquim.
Camisas de linho.
Ditas de chita.
Dita*'de' flanella.
Ceroulas de brim e algodao.
Damasco de la de cores.
Papnos de crochet para cadeira, sofa e consollos.
Coichas de dito.
Tarlafaha de todas as cores.
Espartilhos lisos e bordados.
Foulard' deseda.
Casacos a tricot.
Per.feita^ novidade*
Ss com borboletas,. bezeupos- e gala-1
ihetos doursdos e coloride*?.
da a
'50,;
Qtiando parece tep-se esgotado o reperto^o das
medas, pel* imniensidadd^e arligosde noid ade
qua tem apparecido, ei* qneos vtlhds e-ln ansa-
veis correspcndenles da Nova E^peranca, a ma
Duque de Caxias n. 63. descobrem outros no
mundo elegante, aonde se conservam escogitando
mionciosaraente as novas invencSes ; remeltem
para a Nova Esperanca. e autorisam na a dizer
aos- sens freguezes e especialmeute ao beilo *exo
Joe nao creiain cm tal: e para prova evidente
ft que acaba d^ ex por, vejam o que abaixo se
descruve :
MANL'aES para missa, com capa de madreperola
ou tartaruga, tendo no centro da capa
um pequeno relogio perfeito regula-
dor.
CARTE'.RAS, pot charutos, port cigarros e ports
moneys no niesmo gosto.
CARTEIRAS para nolas com capa de marfim, ma-
dreperola e lartaruga, com o distko
Lembranca.
BOLSAS para serrbora, o melhor-qne tem vindo a
este mercado, de diversos tamanhos,
quaiidades e modelos de nova inven-
cao.
FORT BOUQUETS de lindos gostos e Umanhos
especialidades para as noivas.
CAlXINHAS'com musicas e sem ellas, proprias
para presantes.^
E outros de inkira novidade.
E com os raeninos.
A Nova Etperanca, a ma Duque de Caxias n.
6'i, recebemos bonecos de borracha de formatos
inteiramente noxos : os meninoareuito apreciarao
este brlaquedo.
E verdade.
Quakquer senhora de bam gotle, parece qne
nao pode completar e sua loillette, sem dar um
passeio a Nova Esptranca a rua do Duque de Ca
xtas n. 63, porque e a loja de miudezas que mais
completo esta em s^tinientJ, e que mais novida-
desaprestnta'a publico em gerai.
E com as floristas.
A Nova Esperanga, a rua do Duque de Caxias
n. 63, receban pek) ultimo 'apor, um inteiro sor-
ttmento de papeis para Hires I a dies.
Para crianca.
A Nova Esperanca, a rua do Duque de Caxias
n. 63,' recebeu um sortimento de vestuarios de
casemira e alpaca-para criancas : modernos e bo-
MtM
Las mesciadas.
I'm benilo sortimento de las mesciadas em co-
r^s, recebeu a N6vac?peranca, a rna Duque de
Caxias n. 61.
(]i\k<\\h oslrangoiro.
, A^roxiinase o mez de dezenibro, tempo em
,iue o Paris na America, a rua Duqoe de Caxias u
5f,' (* siWjnylem de dar o sen balanco, por este
motivo, os proprietaries de-te estabelecimento es-
tao resoiviclos a.v^jderem sens-calc.dos pelo cus-
to, anm de minoraremo trabalho; assim pois os
apreci'adores do bom, e com cspecialidade o sexo
amavel, para qnetnt) Part* na America conserva
com a devida deeencia) o seu gabinete reserva^
do, para a escolh'a de calcado, aproveitem e ve-
nham munirem-se- do que precisarem.
Biin'osa venda
J. Deiro avisa a feus freguezes qno esta
viagem para as provincial de Alagoas
buco, conduzindo exccllente tropa de knn-
passara por Penedo, Pilar, Castanha- Grande, Eta*-
to Calvo. Barreiros, Rio Formoso, Escada. Caft* *
provavelmcnte por Santo Amaro de Jaboatas**,
Nazareth ; por isso pode ser avisa** oaeomt-
trado em quatquer destes logares.
Larangeiras, 80 da outubro de 1873;______
"VENDE-SE ,s
uma casa na villa de BarreiroSj na rua do Gbo*-
mercio, por preco modico: a tratar com TkmP-
Irmaos 4 C.
0 jardim da Nova Esperanca, a rua Daqmt:
Caxias n. 63, esta repleeto de flores a? mas ?-
licadas que e possiwl" iraaginar se, dead* *
singello ramalhete a mais elegante rosa, (m*ir
novidade) : ao bello sexo compete, quanto aamv
virem coiha las emquanto estio vicosas._____
Ao bello sexo.
Gusmao 4 Leal receberam rieos cortes d* gx*/
de seda, fazenda inteiramente nova, e veadBK
pelo barato preco de 40*000 o corte : a eUw,aafc
que se acabem : so na loja da ros Pr'meia* Si^
Marco n. li.
A lB>da aguia branca, a rua do Duque de
CaxiasTn. '50,~recebon aovos grarnpos com bor-
BoWtti 'beztr&Ws e-gafalibtos; o quede Certd' 6
perfe'fM'ubvWide. A qnanadw e pepuenaj e
porisso eift'breva se-aedbarii'
NovaS* goilftlhasoffflidawoom
pelucia ou arminho
A l<>ja d'aputa branca -a ma-' Duque de Caxias
- 30, recebeu uma*pequena quantidadeHla boni-
s e ndvas gollinfias., trabalh'o de IS e soda, ea-
1 neitadas'com arfimmo, btfras 'estas'de mUito gdsto
; e;!irterr*raente riWasf
Grarnpos, brincos e rozetas
dowrados;
< A lerja dai aigtiia^ Wa*a; a ro*'- *9 Duqde
Caxias it.1 SJO,-refceEteolnovarneHfc'-boBitc geam-
i pes, brlneos: e" rozetas deuradoe ; assto como
I novos diademas de act), e oomo.sempre coati-
ntia a vetfd'e--l6supbr'pr^6si-Tzo{rVefS'
Ri..os cortes de vestidos de linln parai senhora, Oaixirilia'S COffi 66*S"dbufadClS
de di ersas cc-res, com os competentes enfel-; ,- -r l: n
tes, ultima moda. e prateaclos, para caoellos.
gass2,pssoe ^rs., tssss > ^.-*.-?B^ A^ia ^ *Da-
punhos, gravatas, luvas de pellica, 4jUa< d Qo oue de taxias p. 50. ........
de Escocia, branoas ede dorcs, tapeteS de todos LllVaS CLQ POlllCa Dretase (&
os tamanhos, bolsas" de viaigem, etc. etc.
Na IdfaVdb Passo, rtta Pnmeiro de March if.
A, antiga do Crespo. ____________
Armazoin do fumo
Rua da Modre de Oeus n. 10 A.
Jdsd Domingues do Carmo e SHva participa aot
setts freguezes e amigos^que no seu armazem a
rua da Mid re de Deus n. 10 A, se acha tun com-
pleto sotltoiflBto de fumo em fardos de patente t.'T
$.' e 3.* sortes, dos melhores fabricantes da 3ahia.
e nem'assim'a flor de todos os fumos de corda
em rolos, pacotes, latas grandes e pequenas, lam
beat dos mui acreditados fabricantes Torres 41
AraujOi'.Iauaur^ Adolpho Schmdl 4 C, Lisaur
Schmiaf 4 C, Veigasi Araujo, Trindade 4 Ava-
tar, "Tetxelra Pinto 4 Pbrtella (garantido pelot
mesmos) e de outros' ainde nio conhecidos pelo
pubKcordesta capital. 0 annuncianie declare que
todo fumo que for vendido em 9na casa sera pek
sea justo valor, e que quatido garantir a respecti-
va qnalidade, seta siBcero, mui particnlarmente
com as pessoas qne pouco errtendam da materia
pels para bem servir a tod m, tem o annunciant.
ikinpa firalica de 15 annos deste commercio.
Caiifarfa de liska
Hombreiras.
Capitals.
Soleiras.
A' venda no armazem n-. 25, a travessa do iw^-
Santo.
Las para vestidos de geute
sinha.
Fazenda de 808 rs., vende se a 500 ts. na I**.;*
Branca e dao-se amostras: a rua da Iinpexotriar tz~
K________ '___________________
Vende-se *
Uma casa terrea na rua de S. Miguel n 65r
commodo preco : a tratar na rua do Impera*
a. 75.
(iiiiii/inlias c punlios
Amaral Nalmco A-'C:, vpndem camiiiohas e ps-
nbos para senhoros, braneos de algodao, de liaR
bordadas-e do.cjres, no Ba ar Victoria rna> *>
Barao Victoria n. i.___________________ ..
Vende-se na rua do Vigario n. 19 :
Cignac da melhor qualidade.
Retroz do Porto.
Vellas de cera.
Vinho do Porto engairafado em dnzias.
Farinha de mandioca nova
T< em para vender Joaquim Jose Gonoalvcs Be,-
trao 4 Filho. a bordo do pntacho Sapho, chegad.
de Santa alharina, Tundeado defrnnte dotrapist-
Barao do Livramento ; e- para tratar.a bordoyec?
no seu cscriptorio a rua do Commercio n. 5.
Alcatifas ou tape es de liulio adamaseaaW.
proprios para salas : a venda no armazem dis-i
0. C. Doyle, rua do Commercio n. 38-
^
Leques atfdsso e* saVMSfci, a"000,-4 d.
69MDv Entremeios e bafcados trdnspafentes e ta-
-as. I Uma grande tafcoleta proprla para qual-
Mtooscopios com H risii|B 8oe". qtfer loja.
PraM) cdm 6ieb p^ramachitiaa 400 rs.
Rim -to MUk Victoria n. 28.
ExtraorihxriaiecliiTxt5ha.
lasvpata
. na loja. 4
a rua Prill''
Ojlcla*_dfl ,algrf
peb haraiissimo preco
4TC0, da Gurgel do Am.i
4e Marco (antTfelde"
Vende-se Tftna'e
6tt ti* tafclno
itid, sita uo Arraial'|iAt8aeii*ai) ArJseJnw :
*. tratar na mesma oasa, e jura intormardes na
avero;t do Qucimado n. 3, aodar
ilao francez
a 6j?S0iO a pe^a!!
Madiipolio francez fino com pouco sujo a 6|S0
a peca ; e pechincha I na rua do Qaeirr.ado nu-
nero 43.
Viriios dte otirgegii*
iparcas
Souza e Sa
Riua do Bom Jesus n. 23
Neste estabelecimento tem-para vender,
commodos precos, o seguinte:
Tacos muito leves para brlhar.
Carrinhos de 3'rodas para conduzircpiaiw
eas.
Tomerras de buxo- de system a mo*-'
demo.
Malas para viagem.
Espeihos oom moldoTa dburada e vidro
deprimeira qualidade, com 1/4' d^^ollega1-
da'de espesstrra,' envernisado pdrV' evkar
r/ii6fo no aco.
Bandeias Unas e ordinaries.
Retogios frauoezes, boos TeguiadiaWfe, pro -
prios para pendurar, com corda para W?
dras.
Cadeiras de lona com e sem efrcosto-, me^l
bilia h'geira,- proprias jwra- eastr $0 daaafov
em tempo defesta, pela eommedBdadaTde^te
fecharem, serem baratas e fortes.
Completo 3ortmtonto de iecBadtnJas' friaj
cezas para garetas, cartetras e fitorio.
Machinas para costura, o nk'Atnm oa*
bado xfie tem vindo a este rtrercado^ ijjfro-
pTtss- para irabaJhar com a mto; trabaah*
feito aobrea (Hrecqio dos Srs. "IWe*. fbo>
masdlC, de tdndre*.
-Sibonetes de^lcatrSo do iabKcmttalA^
N. Castro, os melhores e mais medi
que tQru tiodo a *e mercado.
outran <*$res.
A loja da Aguia tiranca, a rui Duque' de:Car
xlas'nV -W; tH&dMO rirrtrj sbTtlrirrtrtrt'd'e IdtfVv de
peUiea, prettVB-de'oatrds' of8.
Pommar
I
Virits
Volnay
me
onmelie
Dito Bordeaux era quartollas.
Yende-se por barato pre^o
PARA LI0IDA(;aO DB C0NTA8
NA
Bu Larga do Rosario 34.
Botica.
i
om easa d aedY* ear^rtiwftoa,' ^-lflrfkagaeH
zinha fora, i cacitebas ? diversos arvqradoa ;de
(ruiMcs ; asiim com, um autro 'manor na ira-
vessa da mesma, vbltando para a estrada que v*i
para o Arralal, com (xtsa1 de pedra c*'. eo *
Suartos, cozinha fora, cacimba a atfuM dwredas
e frueto : no pateo do Carmo n. 3, ou na rua
das Trincheiras 1.
e-se
A tvaerna 4a roa da Penh* n. S, bem ifregde^
zada tanto para a terra conio para p raat na mesma.
Em sens armaxens ruad n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por pre^OJf commodos
THofce^acarimdoS seartasroal para'fad*ha;
"utosdiarbarrb para eagoto.
"anC
ilfcc.
MachittS'd*
MaatunM dd padaria.
da Bussia em bariil
_oros de c'dm.
._ enHtaVraWe*
Sevadinha em garrafoes.
Lauirthw em-gHrrafoes.
Rhum da aJmaica. .-. ,M .)JU
aAWdt440
Vmho de Scherry.
Set totSs*' a dobradxs ulu
licdres feWlflrtlaSs".
XAI|UK UB uTTTTCI r 1CI Va.
Latas de.toucinho inglex.
Barris-eom feyatto or* s^moara
Fiiiriofi Msmvm
par* ft*rtc dos MMUpm a6nd**vm*$
HI
Wiprie
0 propri
maior capric:
nWro!al ;
ilgmiias ate me*mo
do ; porera muito a.
eta* do impeno.'como os
ceber pelo vi^>r''nacjo*
doeorMrna e ptrittbtqaHii auAiaseus fre-
guasca -a um%fi^m** ***** *- ?xamina.rwi raa
melbores qualidacUis. d Comos MM* a sroraette
couservar seirtpre em sea 0rdMzfff o qud nonvdr
de melhor neste WMwilSMW atYcAi Ut W a
libra ; todo a eofctetfttnlbs sans amuttotoi fr*
gueza# e amigos.
ft'a71en*ad6 effl 6
Vende-se
no estado em que se- acha o sitio existente no
lugar dos' Remedios, fregtiezia dos Afogados n.
zT,:hota beceo da travessa dos Remedios n. 18,
em-chao pi-aprio, quern o pretender entenda-se
cam o seu proprietario na rua de S. Francisco,
como' quern vai para-a rna Bella, sobrado n. 10,
qu'e'se fara todo negocio
-~-x i i ---------------.----------------1----------------------------'-------------------
II
A Predilecta acaba de receber um lindo sorti-
mento 4f fitas eseocezas achamalotadas, proprias
^ara facias ; assim como um lindo sortimento de
.eques de madreperola; a elles antes que se aca-
bem, a rna do Cabttga n. 1 A.____________ __
rLaa zinhas com listras estampadas pelo diminuto
eco de 400 rs. o covado.
Ditas com listras assetinadas a 1#000 o co-
vado.
Granadinas pretas com listras de cores a 500 rs.
o covadu.
Uetins irancados proprios para vestido, a 320 rs.
b-ddvade;
Alpacas de quadros, proprias para vestidos, a
AAOrs/ooovado.
Brim branco, lona, para calcas a 1*500 a vara.
Dltb'traueadd a 1/600 a vara.
Dito 8#"<.'are*t lidho puro, a I#100 a vara.
Pedliiifha
Cbapeos desol de seda, cabp de canna, a 8^500
cada um, isto tudo so no n. 20 da rua do Crespo,
loja das 3 uortas.'de'Gdllnerme' & C.
Banhos em'Olinda
CahiisasrcaT^as de fazedda da boa qualidade,
proprtati'para os UaWhtwe*" OllUd*: nalojadoa
arws arua PriraeiFO de Mareo (antiga do Crspe)
n. 20 A, de Gurgel do Amaral 4 C.
PEGHINCHAS
>6 o ij. 20
RUA DO CRESPO
loja m t mm
continua a vender muito barato paraaporat-
muito dibheiro.
CASSA LA
Chegoa esta fazenda, sendo lindos padroes, e vd-
desepelo diminuto preco de 200 rs.o eova*--, -
pecliincha I 1 1 dao-se amostras.
METWS
Proprio para vestidos o que ha de- mais got*
padrdes novos, pelo preeo de 400 rs. o- eovadet-v
necbinchal I I doa-se amostras.
Ll5 ESCOCEZAS
Lisinbas eseocezas, padriJes bonitos, a 250 w..o
covado.
Ditas com lisiras, padroes modernos, a 2. >
covado.
Ditas la e seda, padroes modernos, a 640 ts
covado, e pechincha I I I did-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda. afo-
1*000 a 400 o covado, c pechincha I I t dacs*
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas peqnenas, com bonitos- pa^
droes, pelo diminuto preco de 400 rs. o covadoy i
pechincha I I dao-se amostras.
Cortes de casemira di cores, a o#0b cada-umi
Cambraia de linho de cores, a 360 rs o eovaalr*
Ditas pretas para-luto. a 240 rs. o covada.
Fustao branco para roupa de m jninos, a 560 r~
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. a ;
vado.
Coberusdechita adamascada,a 3*500 re.
Coichas braneas e coin barra de cores, a 3*?r*
e 4*000.
Lencoes de bramante, a 2*000.
Ditos de algodao, a 1*400.
Toalbas alcochoadas, a}6*000 a duzia.
Drtas-f#uda3, a 6*500 a dnzia.
I.eaeoe tfe casaa com barra,a 1#000 dam.-
DHos de ca&sa abanhados,_a 2*000 a duzia.
Ditos d esguiio ttoof, a 31900-a duzia.
Cambria lisa transparenW a .3*000 e 4S" i
peca.
Cambraia Victoriaa a 3*800.
Atoalhado adamaseado; a **000 a vara.
Dito trancado, a 1*400 a vara.
Fust5es de cores, a 1*000 -o corte.
Chales de merin6 liso, a 2*000.
Ditos estampdos, a/31*e, 4*0^0 e-4*o00:
Ditos com listras muito finos, a 5*800 e 6*&
Esguiao muito fino, X 2**000 a vara.
Brim preto irancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodSo.a 1*000 a vara.
Dito de linho ae9t 10 paMnos de tartars,
2*500 e 2*80 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodao com lisffas proprio para eanu
sas. a 400 rs. o covado,
Naniric cambrai* de cores muito fina, peteo.
minuto preco de 400 rs. o covado.
86-na rna do Crespo n. 2#t
L*ja de
Giiilnemie <& C.
De tudo ile tudo
Seenearfegaa oonfeitftria do Canapes.
BaAeuridiSso'
A wMifaiiarie do- Canapos
Ear* isemfpre -paovida
fitt tdo quarto. 4f>Mcaw ^ara
Uma boa Bieaa.
Rua do Imp&atitfr it. 24
b.-J !** MllLII ^111 f -*
J. 0. C. toyfo
Tem para v i c :
Cognac de Htnasssy, superior e verdadeiro.
Vinho Xeres das melhores qualiaades.
Bitters de Angostura.
VVhisky. u_
Cha preto em Uttas de 10 nwas.
fodaa as pfeparacdes ebinitaai do Dr. Ayer. n(
armaaem da rua do Gomnanrcto n 38.______^_
Rua do Brum n. 76
Vende se zioco puro de superior qualidade,
onrfooara cobertas de casas, medindo 11 pal-
4 da largo, por prefo mnito
mos de comprido e
em conta.
Aguas AIcafino-Gazosas das P
dras Salgadas.
Villa Roucaide Aguiar,
BI(^RBONATABAS-SODICA5
Analyses do Dr. Jbe Jutto Rodrr
cues, lente dPa scola Polyte-
elnteafcLfebee.
Esta excelel'agaa.15sadat eom vaotag *
padeeimentos das vtas ffifestivaa, urinanas, cz
Mstomago ete, etc.
Tende-se
NA
Pbarmaeia e drogaria
DA
Rna larga de Roeario n. 34.

para mm
120 BS. A
Do 1.* de dezembro em
rora n. 104.
diante : narnadaAu.-
Ale,aciana
A 400 RS. 0 COVABO.
Fazenda Inteiramente nova e propria para-a fjw>-
sente estacao, pelo baratissimo preco de 400 rs
covado, a loja dos arcos de GarfeJ do Annrf *
IC, a rua 1." de Margo, antiga do Crespo b. ) &-

[ Hhimb 1


Diario de Peraambuco Quarta feira 3 de Dezembra do 1673.
UTTERATPRA.
CANQAO DO CEGO.
Cego estou nada mais vejo,
F'asso a vida em s dedade ;
Oh como tenho saudade
D'enxergar a luz d > dia !
Como sera" delicioso,
Apreciar da natureza
Os encantos a belleza
E prodigios qu'ella cria !
Muitas plantas tdo vicosas....
Tantas arvores crescendo ...
Lindas flares rescendendo.. .
Sem que eu possa jamais ver I
Tantas aves elegantes,
De novas plumas vestidas,
Nas varzeas sombrosas lindas
Mil voltas a descrever I...
Oh I meu Deus por piedade,
Dai-me a vista tao querida !
Consolai a triste vida
D'um cego sem mais ventura !
Quero ver o flrmamento,
Que ha tanto tempo nao vejo !
Ao menos um s6 lampejo
Da luz do dia tao pura !
Nasce o sol o sol desmaia
Caminhando ao seu occaso ;
E nem sequer por acaso
Delle um raio posso ter !
Passo vida sem mais gosto,
Na maior mysantropia,
Sem gozar nunca alegri8, '
N'um continuo padecer.
Nesta vida tormentosa,
Cheia de espinhos abrolhos,
Se perdi a luz dos olhos
Como posso inda viver ?
A" cada passo que avanco,
Receio d'um fundo abysmo...
.la de tudo tremo e scismo
E prefiro antes morrer.
Quao pesada e dolorosa
la sc me torna a existencia,
Pois que vive em triste ausencia,
De tudo quanto eu jd vi I
Dos meus irmaos e meus pais,
lnda que os tenha presente,
Pareco viver ausente,
Porque a vista perdi 1
Cego estou nada mais vejo,
Passo a vida em soledadc ;
Oh I como tenho saudade
D'enxergar a luz do dia I
Como sera" delicioso,
Apreciar da natureza
Os encantos a belleza,
E prodigios qu'ella cria !
Eugenio Leonel Ferreira.
JORISPRODEHCIA.
Relatorlo
A KCSPEITO DO NEGOCIO DO MARECHAL BAZAINE
F.X-COMMANDANTE EM CIIEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
Pela sua decisai de 7 de maio de 1872,
0 ministro da guerra, em consequencia da
opiniao emittida pelo conselho de investiga-
<;ao, encarregado de examinar o negocio da
capitulagao do exercito do Rheno, e da pra-
;a de Metz, promulgou uma ordem para
que se procedesse a informacoes contra o
marechal Bazaine, commandante em chefe
tl'aquelle exercito.
As conclusoes formuladas pelo conselho
de investigac.5o, na sua sessio de 12 de
abril, sao as seguintes :
C onsiderando que o marechal Bazaine,
pelos seus despachos de 19 e 20 de agosto
de 1872, fez decidi' a marcha do marechal
>lac-Mahon, de Keims sobre o Mense, para
ir em auxilio do exercito de Metz ; que as
tentativas de sortida nos dias 26 e 31 de
agosto, nao podiam ser consideradss como
-uflicientemente seYias para operar uma
liversao util ao exercito- de Chalons.
Por estes motivos o conselho, de inves-
LUCSSCZA SQBaiA
MEMQRIAS OE SATANAZ
POR
2). Hanoel Fernandez y Gonzalez
PRIMEIRA PARTE
O GRAN-CAPITAO.
XX
DE COMO, DEPOIS DE VENCEB GENARO ORSINI,
OGRAN-CAP1TAO TEVE UMA ENTREVISTA COM
O REI DE FRANCA, NA PRESENCA DE LUGRE-
CIA.
(Continuagao do n. 274)
Estava, por^m, escriptoque naquella noi-
te nao deviam terminar ainda as aventu-
ras.
Apenas Lucrecia se bavia assentadon'um
sofa" ao lado de Gonzalo, epegando-lhe nas
maos olhava para elle com a loucura do
amor, ouviram-se pancadas repetidas na
porta da camara, que Lucrecia bavia fe-
chado.
Lucrecia sentio-se coutrariada, levantou-
se e foi abrir a porta.
Francesco Baotti appareceu no liraiar.
Vinha pallido e cuidadoso.
Estamos cercados, disse elle, e em
l.reve seremos accommettidos.
Cercados I acommettidos! exclamou
Lucrecia com colera : por quern ?
Pela gente de Orsini.
Ah I os Orsini atacam-n'03? exclamon
e gran-capitio ; n8o ha raeio de avisar mi-
nha gente?
A noite estd tio escura que 6 possi-
vul passar por entre a gente de Orsini sem
ser notado, e eu irei; pordm entretanto e"
necessario cuidar na defeza.
Quantos horaens tens aqui ?
Quarenta horaens de armas, com suis-
sos e sessenta bravi; estio todos armados
e dispostos porque jd se tomia isto. Orsini
eulouqueceu.
Ndo e certamente a Orsini jjuedeve-
mos culpar deste atrevimento.
Ja sei que Carlos Orsini morreu, po-
i nao morreu seu irniio Genaro Or-
sini.
De-meuna escudo, um capaccte e uma
tigagan julga, que o marechal Bazaine, e em
grande parte responsavel pelos revezes d'a-
quelle exercito..
0 conselho 6" de opiniio que o mare-
chal Bazaine, causou a perda de um exer-
cito de 150,000 homens, e da praca de
Metz, que a responsabilidade lhe incumbe
inteiramente, e que, como commandante
em chefe, n8o fez o que lhe prescreviam o
dever e a honra.
0 conselho censura o marechal por ter
mantido com o inimigo relagdes, que pro-
duziram uma capitulagao sem exeraplo na
historia.
Se nas stias precedentes opinides sobre
outras capitulagdes, o conselho tem sempre
censurado os commandantes das pragas,
que, forgados a renderem-se, nao destrui-
ram o seu material de guerra, antes de
assignarem a cnpitulacSo, e entregaram
assim ao inimigo recursos de que elle fez
valioso uso no proseguimento da guerra,
com mais razao o marechal Bazaine merece
a mesma censura
0 conselho censura-o por ter aceitado
a clausula da capitulagio que perraittia aos
officiaes voltarem. a suas casas, dando por
escripto a palavra de honra para nSo ser-
virem contra a Aliemanha durante a guerra.
0 conselho censura-o por nfio ter, de
accordocom o art. 250 do decreto de 13 de
outubro lagao melhorasse a sorte dog seus soldados,
e estipulado para os feridos e enfermos to-
das as clausulas de excepcao que podesse
obter.
0 conselho censura-o finalmente por
ter entregado ao inimigo as bandeiras que
podia e devia destruir, e por ter levado ao
cumulo da liumilhagao os bravos soldados,
dos quaes o seu dever era garantir a
honra.
Tal e a questao complexa que se trata
de resolvcr. E' indispensavel por isso fa-
zer a exposicao dos lactos censurados du-
rante o periodo do commando exercido
pelo marechal. Esta exposicao divide-se
em tres partes que correspondem aos tres
periodos seguintes :
Operagdes activas desde 5 de agosto
ate o 1." de setembro,cerco do 1." de se-
terabro ate 10 de outubro.Capitulacpo de
10 a 29 de outubro.
Em consequencia desta exposicao, reu-
niram-se os apontamentos especiaes que
coraportam o exame das questdes relativas
^s communicagoes, a artilharia e as subsis-
tencias.
No resumo geral agrupa os factos prin-
cipaes colhidos no summario, e motiva as
conclusoes fmaes do relatorio.
PRIMEIRA PARTE.
Operates activas anteriwes ao cerco ali
ao l.9 de setembro de 1870.
CAPITULO I
Rompimento da guerra ; batalha de
Forbach.
Organisacdo do exercito do Rheno.
Quando, depois da guerra de 1866, so tor-
nou provavel uma luta entre a Aliemanha
do norte e a Franca, o marechal Kiel, entre
outras medidas preparatories, estudou quaes
deviam ser a composi$ao e a divisao das
nossas forcas em presence daquella grave
eventualidade. Concordou no projecto de
formar tres exercitos, dois em primoira li-
nha, na Lorena e na Alsacia, e o terceiro na
reserva em Chalons. Deviam, alem disso,
formar-se dous corpos distinctos em Belfort
e I.yao. Eram estes destinados a ser o nu-
cleo de novas reservas. No pensamento do
marechal Niel, o commando dos tres exerci-
tos devia sor dado aos marechaes Bazaine,
Mac-Mahon e Canrobert.
Na occasiao em que se decidio a guerra
de 1870, o governo francez, conhecenlo
bem quo no principio da carapanha as nos-
sas forjas senam inferiores em numero a"s do
inimigo, decidio para compensar aquella
desvantagem, tomar a offensiva. Seguindo
o projecto de 1866, devia haver dous exer-
citos om primeira linha na Alsacia e Lorena,
para doixar o inimigo na incerteza a res-
peito do ponto onde se dirigia o principal
esforco.
Havia em vista duas combinac,des. Na
primeira hypothese, a de termos alliados,
dever se-hia passar o Rheno e avancar entre
os exercitos do norte e sul. Na segunda
hypothese, a de nos faltarera os recursos que
esperavamos, o theatro da guerra devia cir-
cumscrever-se desde logo ao Palatinado e i
Prussia rhenana. Em todo o caso a esqua-
dra devia operar uma diversio no Baltico.
Desgracadamente no mesmo momento em
que os nossos exercitos foram mobilisados,
renuueiou-se a estassabias disposi^oes, com
o proposito, ao que pareco, de poder modi-
ficar mais facilmente a divisao das forces
segundo as circumstancias. Nao se formou
sen5o um exercito subdivido em oito corpos,
comprehendendo a guarda. Esta combina-
5S0 permiltia reunir, no caso de necessidade,
muitos corpos sob a direccfio de um dos
marechaes.
Quanto ao commando supremo, o impe
rador tinha-o reservado para si.
Com o proposito de diminuir quanto fosse
possivel a confusao que ia produzir-se du-
rante o periodo critico da passagem do es-.
tado de paz ao estado de guerra, julgou-se a
proposito dividir os corpos d'exercitOj for-
mando ao longo da fronteira e sufficiente-
mente proximo della para proteger o terri-
torio contra a numerosa cavallaria ininiiga.
Estes corpos reuniram-se : 1.* em Strasbur-
go ; 2.s em Saint-Avoid ; 3." em Metz ; *."
em Thionville ; 5. em Bilche ; 6. no cam-
po de Chalons ; 7. em Belfort; e a guarda
em Paris.
A concentragSo das tropas devia seguir-se
rapidamente a sua formagSo. Esperava-se
poder operar no Qm de julho, e com esse
proposito tinham se reunido era Forbach e
Sarreguemines graudes provisoes. So tarde
se soubo a demera que havia na reunido da
gente da reserva, e na reunido dos servicos
administrativos; demora que se devia ter
previsto. Esta causa, junto & incerteza que
existia a respeito dos projectos reaes do ini-
migo, fez adiar ate i de agosto os primeiros
i movimentos de concentrac&o, e o inimigo
sorprehendeu-nos antes que elles estivesse-Ti
terminados. Foi assim que, depois de ter-
. mos sido os provocadores, nos vimos inva-
, didos.
j 0 imperador reservou-se, tinham-nosdito,
0 commando do exercito. Demo ran do-se
em Paris, por interesses politicos, foi o
marechal Bazaine, para occorrer a qualquer
eventualidade investido no dia 16 de junho
no commando interino do exercito.
Por decreto de 17 de julho, foi o marechal
Le Bueuf nomeado major general do exercito,
e marchou a 24 para Metz, precedendo al-
guns dias a vinda do imperador, que che-
gou alii a 28 de julho.
Tomando e commando, o imperador jul-
gou conveniente ate que se tivesse fixado
bem a respeito dos projectos do inimigo
aproximar o exercito do caminho de ferro
de Metz a Sarrebruck. Segundo as suas
ordens, foi elle occupar, no dia 31 de julho,
as seguintes posi(des :
2. corpo, Forbach; 3/ Saint-Avoid ;
4. Bonlay. Nada mudou em relacdo i
posigio dos outros corpos.
Desde o mo men to em que se nSo tomava
a offensiva, era certo que o inimigo o ia
fazer. Neste caso, as linhas de invasSo es-
tavam francamente indicadas pelos caminhos
de ferro de Sarrebruck a Metz, e de Saverne
a Nancy. Tudo exigia. pois, que se agru-
passera as tropas francezass, que se sabia
serem inferiores em numero as do inimigo,
sobre aquellas vias ferreas, e em boas con-
diodes de defeza.
Na Alsacia nada se fez nesta ordem de
idas, e o comeco da centralisac&o da> Lo-
rena, n'uma parte saliente da frontal-1, ex-
posta por isso mesmo a um ataque, f ^ effec-
tivaraente insufTicieute. Os acontecimentos
encarregaram-se depois de o demouslrar.
Os primeiros dias de agosto passarara-se
nesta situacio perigosa. Um reconhecimento
operado no dia 2 em Sarrebruck pelo 2."
corpo, nao deixou saber nada de exacto, a
respeito das disposigoes do inimigo. Mas
nos dias seguintes, as informacjdes que se
obtiveram, quanto aos seus preparativos,
perraittiram saber que a sua concentragao
estava imminente. Nessa occasiao, formava-
se effectivamente, e entrava em linha um
primeiro exercito, commandado por Stein-
metz, entre Sarrebruck e Sarrelouis, e um
segundo exercito is ordens do principe Fre-
derico Carlos na direcgao de Kaiserslantern
e Homburgo, e finalmente um terceiro exer-
cito, commandado pelo principe real, se
caixa d'armas, disse o gran-capitao, e illu-
mine todas as janellas do palacio para que
se veja claro. Juro lhe, minha senhora que
dentro em pouco darei boa conta dessa ca-
nalha.
Saiamos, e faca-se immediataraente o quo
acabo de dizer.
E o gran-capitiSo sahio ap6s Francesco
Buotti, desceu ao pateo do palacio onde es-
tavam alguns suissos e disse a*quelles :
E' esta toda a gente de que podemos
dispdr ?
0 resto estd nas janellas do andar in-
ferior, armado de arcabuzes.
Que essa gente retire donde esta" e ve-
nha para aqui; antes de illuminar o pala-
cio faca com que se avise D. Hugo de Mon-
cada, que ficou governando a minha gente
no Vaticano, deem-me as armas que pedi,
e esta* tudo prompto.
Momentos depois, trezentos homens bem
anna Jos estavam formdos em massa no cen-
tro do pateo.
Gonzalo de Cordoba, armado com um
escudo, com um capacete e uma bacha
de combate, fallou-lhes do seguinte modo:
Eu sou Gonzalo de Cdrdoba a quem
chamam o gran-capitao ; por acaso encon-
tro-me no palacio da su> senhora quando
uns miseraveis se atrevem a ameaca-lo;
nao fui nunca vencido quando me acompa-
nha a minha gente ; dizem-me que sao va-
lentes e vejamos se farao o que comigo fa-
riam os meus leoes castelhanos que nao tar-
darao em chegar, porque foram avisados.
Defendamo-nos um quarto de hera, eos
meus atacarSo pelas costas a gente de Orsi-
ni. Em nome de Deus e de Santa Maria,
trata-se de vender earas as vidas, meus fi-
lhos, para que se nao diga que esses bandi-
dos lograram o seu intento.
Lucrecia e o gran-capit8o foram acclama-
dos com enthusiasmo.
0 gran capitao dividio em qualro esqua-
droes os trezentos homens, e collocou um
esquadrio no centro de cada uma das qua-
tro fachadas do palacio.
Cada um destes esquadroes formou em
quadra do compacto.
Para si reservava o gran-capitao uns qua-
renta homens d'armas, afim d? acodir onde
raaior fosse o perigo.
0 palacio estava completa.xente illumi-
nado, e as trevas haviam desapparecido.
Por fortuna, no jardim n*iO havia arvo-
res que podessem servir de abrigo ao ini
migo.
Nas janellas das quatro fachadas havia
alguns criados com arcabuzes.
Por Deus I disse um joven de vinte
e quatro annos que, armado de ponto em
branco, seguido por duzentos homens de ar-
mas a cavallo, levando no centro o estan-
darte dos Orsini, quem seria o traidor que
avisou aqaella loba ?
Os seus esbirros estao em toda a par-
te, respondeu com voz louca um homem
que camiuhava a pe junto do cavallo do
raancebo.
Era Bonvinetto.
Quando fugio de casa, dirigio-se sem per-
da de tempo & praca del Populo onde esta-
vam aposentados os homens de Orsini, pro-
euro u seu irmao Genaro e disse-lhe:
Ja* sabe quem sou e pode fiar-se em
mim ; Lucrecia Borgia envenenou seu irmao
Carlos, e eu venho avisa-lo para que se vin-
gue.
Onde estd essa mulher? perguutou
Genaro que era feroz.
E' de suppdr que esteja no seu pala-
cio chorando a morte do seu querida irmao
o duque de Gandia.
Bonvinetto suppunha com razao que
Lucrecia, salva pelo gran-capitao, se te-
ria apressado em voltar para o seu pala-
cio.
Genaro Orsini mandou reunir a sua gen-
te ; porem como nao queria que as trombe-
tas tocassem a chamada, para que esse to-
que se nao tomasse suspeito, foi necessario
ir avisando um por um os soldados e por-
tanto levou rauito tempo a reuni-los, dan-
do logar a que Lucrecij veltasse ao seu pa-
lacio e a que os espioes que Francesco
Buotti tinha entre a gente do Orsini, avi-
sassem que o palacio ia ser atacado.
Genaro Orsini, que era mais feroz do que
valente, parou a ver o formidavel aspecto
de defeza que tomava o palacio Borgia, reu-
nio os seus capities, que eram quatro mi-
seraveis condotieri, e disse-lhes:
Que lhes parece isto ? Vinhamos sor-
prehender a fe"ra, julgando que estaria a
dormir, e encontramo la desperta.
Essa Kra, porem, replicou um dos
capities, nio tem forca bastante para nos
resistir, e o assassinio de seu irmao autori-
sa-nos par*a tudo ; por muito prompto que
acudam em auxilio do palacie Borgia, per-
turbado como esta" o papa com a morte do
formava tambem na Baviera, ao norte do
Lanter.
ConcwUracao dos exercitos da Lorena e
da Alsacia. Sob a irapressao das infor-
mac,oes chegadas ao quartet general, julgou
o imperador indispensavel, a 5 de agosto,
dividir as suas forcas em dous grupos prin-
cipaes; um destinado a operar na Alsacia
sob o commando do marechal .Mic-Mahou ;
e o segundo a"s ordens do Bazaine, no quo
dizia respeito a"s operagSes militares; o im-
perador reservou-se a direcgao geral, e o
commando directo da guarda.
0 exercito da Lorena devia tomar nesse
mesmo dia, 5 de agosto, e por ordem do
imperador as seguintes posic,6es : o 4. corpo
occupar Teterschen, Boulay e Ronchepoio ;
o 3. corpo Saint-Avoid, Pattelange, Marien-
thai e Sarreguemines, onde se encontrava a
brigad3 Lapasset do 5." corpo. 0 2 corpo
agrupado na frente devia recuar ligeiraraonte
de Sarrabruck sobre as alturas na retaguar-
da. A guarda achava-so forraada na estrada
de Metz. Annunciou-se a chegada do 6.
corpo a Nancy nos dias seguintes. Quanto
so 5." corpo, devia marchar para Bitcho, e
formnr a esquerda do exercito da Alsacia.
A 5 de agosto tomou o marechal Bazaine
posse do seu commando. Era consequencia
das moJificagOes operadas no projecto pri-
mitivo do marechal Niel, o marechal Ba-
zaine, chefe designado para o exercito da
Lorena, vio se reduzido a" posicao de simples
commandante de um corpo de exercito.
Este facto deve ter sido de uma verdadcira
decepgSo para elle.
A resoluQao tomada em 6 de agosto, e da
qual lhe resultava o commando do 3 corpo
de exercito na frente do inimigo, veio dar-
lhe em parte a alta posigao que elle ambi-
cionava. Vamos ver agora como soube
exercer o commando que acabava de lhe
ser confiado. 0 combate do dia seguinte,
6 de agosto, langa uma luz muito particular
a respeito dos sentimentos que animavara o
marechal, e por esta razao exige-se que a
exposicao seja feita com a maior particula-
ridade.
Batalha de Forbach. 0 terreno em
que ia empenhar-se aquelle combate, tem,
entre Sarrebruck, Saint-Avoid e Sarregue-
mines, a f6rma de um triaugulo, projectan-
do-se no territorio alleraao, e toudo por
altura Sarrebruck, ponto onde despontaria
provavelmente o inimigo, pela parte de traz
do qual estava reunido o 3. corpo. A base
do triangulo forma-se pela estrada de Saint-
Avoid a Sarreguemines, sobre a qual tinham
marchado de novo as divisoes do 3." corpo,
que estavam em Saint-Avol, Marienthal,
Puttelange e Sarreguemines.
Entre Forbach e Sarreguemines, estende-
se parallelamente a base daquelle triangulo,
a bell a posigao das alturas de Cadenbornn,
3ue dominava o caminho de la Sarre, e o
a grande Rosselle, igualmente ao alcance
das divisdes do 2. corpo, guarda avangada
do marechal Bazaine, e do 3." corpo, que
se achava directamente as suas ordens.
Esta posigao de Cadenbornn reconhecida
muito detalhadamente em 1867 pelo general
Frossard, tinha sido de ha muito, designada
por elle ao marechal. Apresentava ella na-
quelle momento um interesse muito parti-
cular para a protecc,ao que assegurava aos
grandes depositos de viveres estabelecidos
em Forbach e em Sarreguemines, na hypo-
these de uma guerra offensiva e que o meuor
movimento de retirada devia fazer cahir em
poder do inimig *
Em presence das informagoes que che-
gavam sobre a concentrac&o das forcas inir-
migas, o general Frossard, inquieto pela
situagao nvancada que occupava em Sarre-
bruck telegraphou a 5 de agosto ao impera-
dor, empregado em obras de fortificai;ao,
que o 8. corpo estaria muito melhor na
planiciede Forbach a Sarreguemines. Res-
pondeu-se-lhe que se dirigisse no dia se-
guinte para Forbach.
Foi na tarde de 5 de agosto que este ge-
neral foi posto s b o commando do marechal
Bazaine, ao qual deu conta da ordem que
acabava de receber.
A 5 de agosto, as dez horas da noite, um
despacho do major general indicava movi-
montos consideraveis do inimigo entre Sar-
rebruck e Sarrelouis, e prescrevia a maior
vigilancia e diligencia. No dia 6 de agosto,
as 4 horas e 40 minutos da raadrugada, um
duque de Gandia, teremos tempo para ma-
tar Lucrecia, saquearo palacio ou incendia-
lo. A gente de Lucrecia 6 como a nossa
alYeiQoada ao ouro, e quaado saiba que vai
haver saque, juntar-se-ha a nos ; comtudo
e necessario nao perder um momento.
Genaro Orsini mandou atacar pela entrada
dacerca do jardim.
Na janella de uma casa do monte Pala-
tine, tomando o fresco ao lado de uma For-
mosa rapariga chamada Toneta, estava o
conde d'Auvigny, graude siguatario, ou
porta-estandarte real de Carlos VIII, quan-
do vio ao lenge destacar-se, illuminado en-
tre as sombras, o palacio Borgia.
Que e aquillo, Toneta ? disse elle. A
terrivel Lucrecia illumina o seu palacio fes-
teiando a morte de seu irraSo Giovanni Bor-
gia ?
Ah I conde, parece-me que vejo me-
lhor, respondeu Toneta.
P6de ser, porque tenho jd a vista can-
cada. Entao que ves tu, minha To-
neta?
Vejo reluzir arnezes a luz de archo-
tes.
Isso e grave, gravissimo, e indica que
vai ser atacado o palacio Borgia. Por
quem 1 Quem tera" interesse nisso ? E' ne-
cessario avisar o rei.
Um quarto de hora depois montava a ca-
vallo a tremenda gendarmeria franceza, e
Carlos VIII, armado de ponto em branco,
collocava-se & sua frente.
Alguns ginetes enviados por d'Auvigny ti-
nham ido fazer um reconhecimento, e ha-
viam trazido a noticia de que Orsini
com os seus aventureiros tinha atacado o
palacio Borgia que se defendia corajosa-
mente.
Todavia o combate durou muito pouco
tempo. ',
Genaro Orsini que lograra arrombar as
portas da cerca do jardim, foi recebido com
um fogo mortifero pelos quadrados situados
Selo gran-capitao na frente das fachadas
o palacio, os quaes foram atacados sera re-
sultado pela gente de Orsini.
Do reponte ouvio-se para as bandas do
Vaticano o som de trorapas de guerra que
tocavam ao assalto.
Eram os homens de armas castelhanos
que acudiam com Hugo de Moncada.
Orsini e os seus capities fugiram ganhan-
do os campos, e os bandidos disperse ram
se em differeotes direc^Qes. Entao, um
novo telegramma ao marechal Bazaine e ao
general Frossard, ordenava que estivessem
promptos para um ataque seno. Duas ho-
ras depois, a guarda e a divisao Forton fo-
ram postas debaixo das ordens do marechal.
A 5, pela manha, as tropas estavam bem
postadas nas suas novas posigcies ; a divisio
Laveauconpet em Spicka.*en ; a divisao Ver-
ge, no valle em frente de String, e a divi-
sao Bataillc, na reserva em CEfingen, quando
se descobrio.ao romper da alva.o movimen-
to offensivo do inimigo.
A's 9 horas e 10 miiritos telegraphou o
general Frossard ao marechal Bazaine :
Sinto o canhao nos meus postos avan-
Qados; vou dirigir-me para alii. Nao seria
bom que a divisic Montaudon fizesse mar-
char uma brigada, e que a divisao Decaen
avan^asse para Rosbruck ?
A's 10 horas e 10 minutos, novo tele-
gramma do general Frossard:
0. inimigo torn feito descer das alturas
de Sarrebruck na nossa directo fortes re-
conhecimentos, mas nSo pronuncia ainda o
seu movimento de ataque. Temos tornado
as nossas modidas na planicie e na estrada.
0 marechal responde que raanda a briga-
da dos dagroes de Junial.
Chegava o m unento ou de aceitar o com-
bate a pe Brme, eu de recuar para esperar o
inimigo na p sigao de Cadenbornn. 0 gene-
ral Frossard hesita diante da idda de aban-
donar sem batalha Forbach e as provisoes
consideraveis que se achavam accumaladas
na gare. Em vez pois de retirar, conserva-
se no seu lugar, o espera o inimigo.
0 marechal entendia, como disse no seu
interrogatorio, que era vantajoso occupar
as alturas do Cadenbornn. Era a elle por-
tanto que competia tomar a resolugao e or-
denar quo aquella posigao fosse occupada ;
mas contentou-se era indica-la como ponto
de concentra^ao no caso do perigo se tor-
nar sfirio.
Todavia sentindo o general Frossard for-
temento erapenhado na peleja, e compre-
hendendo a necessidade de tomar precau-
goes, mandou o capitao Loemaria transmit-
tir ao geneial Montraann ordem de abando-
nar Marienthal, ede observer a desembo-
cadura de Morlebach.
A missao dada dquell* general era pois
de cobrir o proprio marechal na sua posi-
c3o de Saint Avoid.
0 general Castagny recebeu tambem or-
dem de marchar com uma brigada para
Eroeschwilier, e de mandar outra para The-
ding ; mas nao recebeu ordem para licar
d dispose ao do general Frossard. A se-
gunda brigada, teria pois podido entrar era
linha, se as ordens do marechal tivessem
sido executadas das qu&tro para as cinco
horas. Em vez de se conformar com a or-
dem, o general proseguio na sua marcha,
mas ndo ouvindo mais nada ao valle cerca-
do de bosque, por onde tinha conduzido a
sua divisao, retirou para Puttelange, d'on-
de, sentindo distinctamonte o troar da arti-
lharia, marchou de novo pelas seis horas da
tarde na direc No caminho recebeu ordem para se pdr a
disposiQao do general Frossard mas era jd
muito tarde para lhe poder prestar o me-
nor auxilio.
Quanto d divisao Montaudon, que um
fio telegraphico ligava no quartel general,
que era a mais proxims do 2 corpo, nio
recebeu nem instrucgoe-. nem ordens, quan-
do foram mandadas para outras divisdes do
3 corpo.
Se como tudo exigia, como o proprio ge-
neral Frossard tinha podido ds nove horas
da manha, se tivessedirigido para o segundo
corpo, se tivesse recebido ordem de se
apoiar, aquella divisao teria chegado a tem-
po de entrar em linha, eo negocio teria na
turalmente tornado outra attitude; mas a
ordem so chegou ao general Montau Ion ds
3 horas.
No momento em que o marechal apre-
ciando a gravidade da situagao, deu ordens
ds suas divisdes, nao mandou marchar pa-
ra o general Frossard seado a divisao que
estava mais distante, ao passo que absor-
veu, para se cobrir a si, o appoio da divi-
sao Montaudon, e deixoj nos seus acampa-
mentos a divisao Montmann, que era a
mais proxima do carapo de batalha, e
aquella d que de prompto podiam chogar as
suas ordens.
Todavia o perigo augmentava em frente
do general Fressar 1; este telegraphou a 1
hora e 25 minutos.
Estou fortemente empenhado no com-
bate; e uma grande batalha ; peep que
faca marchar uraa divisio para Montau-
don, e a sna brigada de dragdes para
Forbach.
0 marechal deu afinal ordens neste sent i-
do ds 2 h. e 30 m. Mas nada houve que
deixasse deleter o marechal em Saint-Avoid.
0 caminho de ferro podia conduzi-lo em
vinte minutos a Forbach, onde poderia elle
melhor tomar conta, do que no proprio
campo de batalha, das peripecias da luta,
e das resoiucpes a tomar? Limitou-se a
responder que julgava mais conveniente
a sua presenca em Saint Avoid, centro das
suas opera goes.
'Assim, abandonado ds suas proprias ins-
piracoes, o general Frossard. cada vez mais
inquieto, activou a marcha do general
Montaudon e chamou para si o general Mont-
mann. Veio pois entao s6mente ao campo
para tomar conta por si mesmo da situac.i.0
das suas tropas, empenhadas desde a mu-
nlia n'um combate horrivel. Dirigio-se
primeiramente sobre Stirraing, e alii attra-
liio o resto da sua divisao de reserva, corr -
mandada pelo general Bataille, que se
empenhou successivamente na luta.
Apezar disto, nenhum outro soccorro lhe
appareceu. Pelo contrario, o inimigo, que
recebia continuamente reforgos, derrotava a
nossa esquerda pelo lado dos bosques, e fa-
zia avancar as suas tropas de columna, no
caminho de Sarrelouis para Forbach toman-
do assim o flanco do segundo corpo de exer-
cito e araeacando as retagueruas da es-
querda.
Comprehendendo que maior resistencia
no valle podia conduzir a um desastre, o
general deu ordem de se concentrarem nas
alturas. As tropas reliraram-se, contendo
o inimigo, atravez do incendio de String,
para a planicie, que so alcancaram d noite.
A serie de telegrammas trocados entre o
marechal e o general Frossard pinta de
uma maneira muito saliente os aconteci-
mentos que se precipitaram ate ao moraemo
em que, ds 7 h. e 20 m. da tarde, elle te-
legraphou : Recuamos para .Werdeu.
Dirijo toda a minha gente para as altu-
ras.
0 marechal respondeu :a Mandei-lhe
tudo quanto pude; so tenho tres regimen-
tos para defender Saint-Avoid. Quei>ra
indicar-me as posigoes que julga dever
tomar. Como se nio fosse a elle, ge-
neral em chefe, que competia dar as or-
dens. Naquelle mesmo momento era cor-
tado o telegrapho, desapparecendo assim to-
da a direccio.
Sob a impressao do movimento da retirada
pelo caminho de Sarrelouis, o general Fros-
sard, em vez de se concentrar s6mente na
posigao de Cadenbornn, para alii se estabe-
lecer com as divisoes Montaudon e Castagny,
que sabia estavam em marcha com direcgao
a elle, posigao que lhe tinha sido indicada pe-
la manhi pelo marechal, como ponto de ccn-
centragdo geral, julgou opportuno dirigit o
seu corpo de exercito para Sarreguemines,
sendo o seu fim, segundo disse, informal' a
sua linha de batalha i direita do 3 corpo.
Sobreveio a noite; desgracadamente, reti-
rando, nao deixou neohumas instruegces
para as tropas que chamara em seu auxi-
lio, nem as prevenio do movimento que es-
perava. Depois de ter ordenado d divisao
Laveaucoupet, ainda formada no campo a
uns '00 metres de Spickeren, nao obs'ante
estar exhausta das suas munigoos que o se-
guisse, poz-se em marcha para Sarregue-
mines, que apenas atravessou para se diri-
gir sobre Puttelange. .
Foi entao que se desenvolveram fataimen-
te as consequencias das disposigdes tomadas
pelo marechal das suas ordens de marcha
muito tardias e incompletas, e do silencio
do general Frossard para com as divisdes,
que chamou em seu auxilio.
(Continuar-se-ha.)
homem saltou a cerca do jardim, n'um si-
tio obscuro, e perdeu-se nas sombras mur-
murando:
Nao era tempo ainda: protege-a o
diabo; porem nao importa, eu me vinga
rei.
Aquelle homem era Bonvinetto.
Quando Hugo de Moncada chegou, nao
havia inimigos para combater.
Reconheceu-se o jardim e encontraram-se
alguns soldados de Orsini raortos e feri-
dos.
Da gente do palacio, nao houvera nem
uma morte, nem um ferimento, porque os
de Orsini nao tinham arcabuzes.
m Pelo que vejo esta tudo acabado, disse
Hugo de Moncada estendendoamao aogran
capitao.
Sim, replicou aquelle rindo, foi como
se nos atacasse um enxame de raoscas, que
fizemos fugir com surama facilidade. Com-
tudo, D. Hugo, colloque as devidas sen-
tinellas; tanto faz, qua acampemos aqui
como alii; afigura-se-me que ndo estd ain-
da tudo concluido. Nao ouve ? apostaria
que temos em cima o rei de Franca; conhe-
(0 jd demasiado o ranger dos arnezes da
gendarmeria. Saia ao encontro do senhor
rei de Franca e pergunte-lhe o que perdeu
aqui esta noite, e a estas horas ; se tardar
mais do que o tempo rjzoavel, montj a ca-
vallo, saio e accommetto com os francezes,
apesar de que as suas lancas tem mais dous
palmos de comprimento do que as nossas;
tenho grandes desejos de saber se esses
dous palmos mais serve n de alguma cousa.
Vd D. Hugo, e acabemos de saber em que
param as aventuras desta noite.
Hugo de Moncada voltou dizendo que o
rei de Franca desejava fallar com o Sr. du-
que de Sessa e com a senhora duqueza da
Roumania.
Transmitta A senhora duqueza o de-
sejo do senhor rei de Franca, disse o gran
capitao d Francesco Buotti que estava ao
lado delle.
Sua alteza pode entrar, replicou Fran-
cesco Buotti, as portas do palacia da duque-
za da Roumania, nio podem fachar-se a um
tdo grande senhor.
Nesse caso, D. Hugoj traga-nos o se-
nhor rei de Franca.
Hugo de Moncada afastou-se.
Queira seguir-rae, senhor duque, dis-
se Fraooesco Buotti; a minha senhora estd
Impaciente por torna-lo a ver.
Oh I obrigada, Gonzalo I gxclamou
Lucrecia cahindo-lhe nos bragos; senti
me Jo... julguei que nio o tornaria a
ver.
Eu n3o vim ao mundo para morrer
ds maos de uns bandidos, Lucrecia, replicou
Gonzalo ; tranquillise-se, pois, e prepare-se
para uma visita regia.
Como?
Sim, as detonacpes dos arcabuzes at-
trahiram certa nente o rei de Franca, que,
jd que aqui veio, quer fallar-nos a ambos,
isto e, com o santo padre e com os senhores
reis catholicos.
Buotti, disse Lucrecia ao seumordo-
mo que permanecia alii como que esperan-
do ordens, e via* com semblante som-
brio a intimidade que existia entre Lucrecia
e Gonzalo, mande illuminar a sala i:o-
bre.
Dei jd essa ordem e foi executada, mi-
nha senhora, respondeu Francesco Buotti.
Nesse caso, vd receber com os anas
pagens o senhor rei de Franga. Venha co-
migo, Gonzalo.
E, pegando-lhe na mio, levou-o, atra-
vessando alguns aposentos, para um sum-
ptuoso saldo, completamente illuminado.
Espere por detraz do reposteiro det>ta
porta, meu amigo, disse ella, o entre quan-
do o rei Carlos tenha entrado pela outra ei-
tremidade.
Lucrecia, ficando s6, foi sentar-se no es-
trado, tomando a attitude altiva e seria de
uma rainha.
Pouco depois levantou-se o reposteiro da
porta situada no extremo opposto dquel-
la por detraz da qual espera va o gran-capi-
tao, e o rei de Franca eutrou.
Ao mesmo tempo entrava por outra
porta o gran-capitao com o gorro na
mio.
Chegou ao mesmo tempo que Carlos VIII
junto do estrado, e cumprimentou, do mes-
mo modo que o rei de Franca, a Lucrecia
que se havia posto em pe.
Em seguida Carlos VIII e o gran-capitao
cunapriraenlaram-se um ao outro nao me-
nos ceremoniosamente. 0 rei de Franga
ado via nem podia ver era Gonzalo de Cor-
doba, outra cousa seoao um representante
dos reis catholicos.
(Contimtar-se-ha)
' v

{

. s_
TYP DO DfARIO.-RL'A DUQUE DECAX^SXTiJ
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2OOF0V8H_91JUW0 INGEST_TIME 2014-05-28T17:41:29Z PACKAGE AA00011611_20000
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES