Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19992


This item is only available as the following downloads:


Full Text

"'W'
tttt+-Jrr*nbyp**


AMD IIJIJ mifiy
H
PARA A CAPITAL L1RE OSDE HA O SE PACA PORTE
Por tres meses >kdiantados. ,............. $000
Por eei8 dito* ido, ,.....*......... V4QQ
Por um mm dem................. 23,5000
Cadh numero avulso, do mesmo da............ 100
DIARIO DE
SAIASO 24 ES SETMBfiO M
PARA DEHTRO E PORA DA
Por seis mezes adiantadoi..........
Por nove ditos dem...........
Por um anno idem...........
Cada numero avulso, de dias. anteriores.....
ROVIilll
134500
200000
270COC
100
Ifkfifxie'bdtot ht JBLmotl Jfyncha Z>e *ria i Sd\os





TELEGRAMMAS





:z::::: iasbdlai bs subi
RIO DE JANEIRO; 23 da Setembro s
4 horas da tarde. (Recebido s 8da noite,
pela liaba terrestre).
HiMilrin. no Senado, o eonaelbelrn
Warnlvu. cllnotitnelo o orraiaenlo do
niniNlerlo da srlcaliara, opinoo
em retaceo & qaee(io nervll. qae tam-
e elevada & ?9% a depreclaco do*
valoren don esteravow segundo a la-
bella da le de 3N de Wetembro de
9S5. pa*anlo para a renda seral
do Imperio o rundo atlrihuirio por
enna l*i V emancipara.
Foram boje na referida cmara.
reeonbecidoK oh poderen do candor
Thomai Jjtt COlho de Almrida.
elelto pela provincia do Rio de Ja-
neiro.
Ka Cmara dow UepuladoN. boje.
Moa Irex quarlon de bora do expe-
diente, o lr. Rima e Uva proferto
iim dtftcumio em reapnata a oulro do
enador Lui Fellppe. na parle re-
ferente r quealo do carlorio de or-
phu da cidade do I-imuelro, defen-
dendo o presidente da provincia de
Pernnmbuco. rujo acto Nuitent-iu
rom" correcto e legal.
Consta que o Baro de Coieajlpe.
preaidente do conselbo J ministros,
val reunir a malorla da Cmara dos
Reputados aflu de deliberar tobre
o qae concern fazer na questao ser-
vil.
-r.ir.im boje publicados os decre-
tos q nela commandantes do 5 le 55 feata-
IbAes da suarda nacional do muni-
cipio ile Pao d'fclbo na provincia de
Pernambncoos Srs. capllo Francia
co Vital Aranba Montenegro e major
Franco Vielra de Mello.
Fol exonerado do reapeciivo car-
ao o r-apito-mor da barra do Cabe-
dello. na provincia da Parabyba.
RIO DE JANEIRO, 23 de Setembro, s
9 horas da noite. (Recebido s 10 e 15
minutas ta noite, pela liaba terrestre).
"\i> correr da dsoussao do orna-
mento d a agrlcultara. o senador
Godoy apresentou um adtflllvo de-
claran lo llvres os escravos existen
tes no Brasil a partir da data da let.
sendo poretn obrlicadosa prestarem
serv-.co por um trlennlo. e appllcado
o funjo de emauclparao a imnilgra-
c&o.
BUENOS-AYRES, 23 de Setembro.
A epidemia d e cholera-morbus
acaba de reapparecer ao sul da re-
pblica do Chile.
NEW-YORK, 22 de Setembro.
Telegrammas receb Idos de Guate-
mala annunrlam que o arceblipo
desla repblica fomenta a revola-
cao.
PARS, 22 de Setembro.
arredilase que a abertura das c-
maras lera lagar a 18 de Outubro
prximo.
MESSINA, 22 de Setambro.
Dorante as Hadas SI hoyas bouve
aqui 151 casos de cbolcicos e 4-1
bitos.
ROMA, 22 de Setembro.
^nnnncla-ae* que ana eorpo de x-
ercilo abyssinio marcha sobre a cl-
dade de Mas ounli. entretanto esta
noticia precisa de eonOrniaco.
\ir-nea Ha vas, filial aa Perna-nbuco,
23 de Setembro da 1887.


zm
A, _i de Setembro.
% oaalwr .!.-... den* reina neste mo-
mcnt>> m C:ii:na.
HAYA, 21 de S.tembro.
lioje teve tusar a abertura dos Es-
tados Cieraes.
A mensagena real annunria qae o
governo val propor brevemente m re-
viaao da constitulco do reino.
iHSTRDCCiO POPULAR
PEILOSOMA DO DIREIT
(Extrahido)
B\ BIBLIOTHKCA DO PO70 K DAS ESCOLAS
CAPITULO I
THEORIA DA III STUItl 1 VtTI !lt!,
(6) POHTCS DE CONTACTO S DE DIPFEBECA ENTRE A
M0BAL E O DIREIT0 (7) C0LLIS0ES
Pontos de dliTerenca entre a moral
e o dlrelto
(ContinutiQ o)
Assim. a obrigau-o jurdica que teobo de dar a
Pedro 500 q je Iba devo, tero como c.irreapondente
em Pedro am direit 1 p lo qu*l elle me pode
exigir quantiaem debito. O dever moral que
temos d dar urna eamola a um pibre muito ne-
cesitado, nao corresponde a direito algum que te-
nba esse pobre para connosco. Nao podemos ser
obrigados por firma alguma a dar a estrila ; se
a quizermua conceder, depende uso exclusivamen-
te da nossa vontade.
6o) Tudcs os actoi provenientes da liberdade hu-
mana, podem reduxir-ae aoa seguate.; : Accoes
para com Deus, para comneaco, pira com oa nossoe
semelhantea, e para com os seres do universo que
nao sao uo?s is semelbantea.
Todas estas accoes entram n* esphera da moral.
0 direit) nao ae oceupa nem das accoes para com
Deus, nem das accoes para core cosco, nem das ac
cues para com os aerea que nao sao nossos seme-
1 ha u tes.
Podemos resumir tudo quauto temos dito, dixeo-
do como breos: ordem moral perteniem todas
as accoes que teem um valor iutrinseco, cujo me-
nt ou demerita deve ser apreciado pela coascien-
cia e cojo principal cfijito reside na intenco ;
ordem jurdica, pelo contrario, petencem todas as
acedes que sao urna e indicio de existencia e des-
envolvimento da vida humana e cuja realisacio
deve dar-se independen te da boa ou ma intensa .
Concluiremos que a moral e o direito sao, por
tanto, duas sciencias completamente distinctas.
Ni emtanta nio se julgue que implicam contradic
cao. Pelo contrario, ambas ellas, tendo alias cada
nma oa aeua caracteres eapeciaes, harmonisam-se
e prestam-se mutuo auxilio.
o legislador, tendo em vista que nao pode ha-
ver direito immoral n> m moral injusta, deve n-
ter a lei, nao deapresando nenbum dos elementos,
que as duas sciencias Ihe mimstram.
Advertiremos, p.rfim, que a importancia do as-
sumpto, sobre que diacerremos agora, nac so pra-
tica.
(Continua)
PARS, 21 de Setembro.
Acreditase que os radlcaes da Ca-
mar dos Reputados, em cooseqaen-
cla do manirroto do Conde de
vao reclamar do governo a expulso
Immedlaia do territorio, dos outros
principes perteacentes as familias
qae lat reinado, e qae tiuham sido
aatorlsados a residir na Franca.
PARS, 21 de Setembro. i
'ARTE OFFIGUL
As negociacCes diplomticas enla-
boladas entre a Franca e m Ingla-
terra a respelto do Canal de soei
acabam de chegar a aaslgnatara de
ana arranjo analgavel.
O (toma Ingles acreila a neutra
lisarao do Canal de aaex, conforme
as vistas do governa francs.
A safra dos eereaes em Franca esta
este anno maxaifira, e como na* se
tl'iba presentad b multo tesapo.
RIO UE JANEIRO, 23 de Setembro, s
5 horas e 25 minutos da tarde.
O Senado oecupa ae em S > diaras
sao cosa o orcaaaent* do Ministerio
da aarlculinra.
A Cmara dos Repuladoa discute
i: rojee lo concedenda am crdito as
ministro Ja agrlcnltura.
i.ov rno da ProvlDcla
KXPB0I8MTS DO DA 5 DE 8ETKIIBB0 DI 1887
Aet.ia :
O preaidente da provincia, attendendo ao que
requ reu Alolpbo Astolpho Lina de Albuquerque,
profpaaor da cadeira de enaino primario da cidade
do Cabo, e tendo em vista a infjrnacao n. 204,
rls. de 8 de Azoato fiud), do inspector gerai da Ins-
truccao Vublica, reaolve remover o peticionario
para a cadeira de Ia entrancia de Bello-Jardim,
o qual pausar a perceber tmente aa vantagena
inbetint.es aoa profesaores d'aquella entrancia.
O presid-nte da provincia reaolve nomear o
coiiego Dr. Antonio Arcoverde de Alququerque
Civalcaute para exercer e cargo de regedor do
(Jymuasio PtrnambucanoCommunicou-ae ao re-
gedor interino.
U preaidente d provincia, reaolve exone-
rar o bacbarel Diomedes Tbeodoro da Costa do
cargo de promotor publico da comarca do Rio
Formoso, visto ter sido hornead i juix municipal e
de orphos dos termos reunidoa de Diamantina e
Rosario na provincia de Matto Grosao.
O presidente da provincia, reaolve nomear
o bacbarel Salustio Limenha Lina de riousa para
exercer o cargo de promotor publico da comarc*
do Rio Formoao. Fiseram-ae aa devidaa comino
nicacoca.
O preaidente da provincia, attendendo ao qoe
requeren o engenheir da repartico daa Obra
Publica, Joao Pinto da Silva, e tendo em viata
o atteatado medico, que exhibi, resolve prorogar
por 30 diaa, aem vencimento, a licenc, em cujo
goio ae acha.
Officiog :
Ao Dr. Loii Eugenio HorU Btrbos*, pre-
aidente da provincia de Miuaa-Ger-es. Pelo
offiaio, a qae reapondo, de 20 de Agoato (indo, fico
scit nte de haver V. Exc. na mesma data prestado
juramento e aaaumido o exercicio do cargo de
preaidente deaaa provincia.
Apreaeoto a V. Exc. mena proteatoa de eatima
e elevada contideracio.
Ao brigadeiro commandante daa armas.
Em aviso circular de 25 de Agoato fiad > declara
o Exm. Sr. miniatro da guerra que, oa voluntarioa
e jngajadoa, que ae aliauram antea da publicada
ni. provincias a lei n. 3317, de 20 de Junho elti-
j e nceberam os respectivos premios, deven ser
mantidos nos aeus contractof, ad trufar do que
impz a Imperial Resoluto de 6 de Agoste de
1873 com iuiafS.) ao engajameuto iudevida-
mentc roaliaado com urna praca por contemplar
vantageoa em desbarmouia com a le^ibUcJo en-
tao em vigor ; e que aquellos que nao receberam
o premio devem reformar oa seus contrastos, ou
ser eicusos do aervico do exorcito, como Ihea
cenvier.
U que taco eoostar a V. Exc. para seu conbeci-
m.-nt e execucao.
JSiutatis mutandu ao inspector da Theaoura-
ria de Fazenda.
Ao inspectir do Araeaal de Marinha.Faco
c matar a V. Exc., para seu coubecimeate, que, se
ando ei nata, .de aviso circular do Ministerio da
ftarinba de 22 de Agosto fiado, sob n. 1300, fo-
ram por decreto de 9 do mesado mez indultados do
crin., de ariineira e segunda desergao simples dif-
ftrente3 pracas dosf orpoa d.i marigha.
Ao Dr. cbefi' de polica. Constando dfl offi-
cio do juiz de paz, presidente da junta de alistu-
mento militar da paro^bia de Nossa Senbora da
Penha de Gamslhira, datado de 2 do correte,
que, ainda urna vez deixou a mesma junta de func-
cionar em consequ-'ncia da falta de rea 'asa das
listas deque trata o nico do art. 14 do regula-
meato de 27 -le Fevereiro do 1875, sirva-ae V. S.
de informar quaes os embaraC/ja que ten encon-
trado as autoridades policiaes daquella localidad.:
para o cumprimento desta disposicSo.
Ao me:mo.Fica spprovado o contracto, ce-
lebrada p lo delegado do termo do Buique c m o
capitao Jos Ant-nio da riilva Galvao, de aluguel
da casa, percncente a este, para all servir de ca-
deia e quartel ao respectivo destacamento, pelo
preco de lGOOO mensaes, a coatar de 8 de Abril
ultimo.
O que declaro a V. S. para os devidos efieitos e
em selucao de aeus officios ns. 436 e 770 de 9 de
Maio e 31 do Agosto fiudo.Remetteu-se copia ao
inspector do Thoaouro Provincial.
Ao inspector da Tbesauraria de Fazenda.
Communico a V. S., paraos flus conveuieutes, que
o bacbarel AugUoto Cesar Pereira Caldar, promo
tor publico da comarca de Bom Conselhu, reassu-
mio em 26 de Agosto fiado o exercicio de seu car-
go, por ter terminado a liceoca em cujo goao ae
acbava.
Aos Srs. juiz e soais membros da rae3a
regedora da irmaudade de Noasa Senhora do
Terco. -Acbando-ae a correr o praao da convoca-
cao dos eleiteres para a eleicao de um deputado
gem que dever ter lugar a 14 do crreme mez,
declaro a Vv. Ss. que, por isso, nao poaao por ora
tomar em considera jo o officio de 29 de Agosto
fiudo, relativo transferencia da 4" seecao eleito-
ral da parochia de 8. Jos do consistoria dessa
igreja para outro lugar.
Ao gerente da Companbiu fernambucana.
Declaro a Vmc, que as passagens gratuitas a que
se refere a portara de 22 de Agoato ultimo, con-
celidaa ao bacharel Manoel Ferreira Escobar, ua
uof.i e irmS, devem ser aceitas para o vapor Ja
guaribe.
Ao gerente da Companhia doa Trilhoa Urba-
nos do Recite Olinda e Beberibe.Em cffijio do
10 do corrente, aoticitou Vmc. providencias acerca,
do modo porque sao dados os pastes gratuitos nos
trena d'essa estrada de farro, e indicou medidas,
que Ihe parecei am convenientes regularidade da
oiiceaao de taes paaaea.
Em officio do da aeguDte, pondo de parte easas
medidas, declarou Vmc. que a compaubia d'ejsa
estrada de ferro est diapoata :
1." A conceder pasaagem gratuita aoa agentes
do correio, munidos da competente gnia do aervieo
diario.
2 o A transportar a tropa, suas bagagens e pre
aos, segundo aa requiaic.-s por eacripto do Dr.
chefe de polica.
3.* A conceder igualmente transporte 7 em-
preados pblicos designados per esta presidencia,
e 360 paaaageiroa avulaoa mentalmente, que via-
gem em servido publico, para o que fornecer a
companhia Secretaria d'eata Prebidencia, nos l-
timos das do mez anterior, 7 bilhetes de periodo,
rubricados por Vmc, e 3 series de 30 viagens de
ida o volta aoa extremoa da linha, c >in valor den-
tro do mez e ao portador, com 360 oilhetea de
seecao.
4 o A transpo-tar as mercaderas que o governo
ti ver de expedir nos caaos previstos uo regulamea
to de 11 de Outubro de 1872, com o abate de 60
por cento.
5 o A man ter a ebrigacao de conceder paaae ge-
ral ao engenbeiro fiscal d'easa estrada de ferro, na
forma do regulamento ao presidente da provincia,
ao Sr. biapo diocesano, ao Dr. chele de polica, co-
mo tem feto expootaneainente.
Em reapoata, deelaro-lbe que approvo aa medi
daa propostas, at segunda ordem.
Ais engenbeiro^ fiacaes da estrada de ferro
do Reeife ao Limoeiro e doa engenhoa centrara do
1 diatiicto Approvo provisoriamente como Vmcs.
solicitaran) no ofhjoo de 29 de Agosto, o contracto
celebrado entre o superintendente da companhia
(re*t Western ot Braail Ki!w.y e o gerente da
North Brazilian Sugar Factoriei para o aervieo de
trausporte de canoas entre o engenbo cential de
S. Lourenco da Malta e as propredadea Camonm
c Massiape.
EXPED1ENTK DO DB. SE CBETABIO
dicioa:
Ao iaspector da Tbeaouraria de Fazenda.
O Exm. Sr presidente da provincia manda remet
ter a V. 8., 5 ordena, aendo 3 de na. 116 a 118, do
Tbeaouro Nacional, e 2 do Ministerio da Guerra,
datadas de 2} e 25 de Agosto fiodo.
Ao agente da Companhia Bahiana de Nave-
gnco.De ordem do Exm. Sr. preaidente da pro-
vincia, aecuso o reeebimento do officio de boje, em
que V. i. participa .que ebegou hontem da Baha e
escala o vapor Guahy, n que regreaaar jno di9a
do corrente,4a 4 horas da tarde.
DESPACHOS DA PBESIDENClA, DO DA 22 DE
SETEMBRO DE 1887.
Dr. Antonio Joaquim de Barros Sobri-
n3o. -D-se
Antonio Carlos deJjArruda Beltrao.In
forme o Sr. iaspector da Thesouraria de
Fazenda.
Antonio Ribeiro Rodrigues d Silva.
Ao Sr. Dr. juiz de diraito da comarca de
Nazareth, pira atteoder nao havendo in-
conveniente.
Firmino Qotnes Lsal Remettido ao
Sr. inspector da Tbeaouraria de Fazenda
para attender nos termos de sua informa
co de 21 do corrente n. 594.
Frederico Times. Informe o Sr. Fiscal
da companhia Recite Draiasge.
JeronyiDO dn Hollanda (Javalcante de
Albuquerque Jnior. Como requ-r.
Genesio Libauio de Albuquerque Mon-
te iro.Informe o Sr. inspector geral da
Instru-gao Publica.
Ignacio Alvea Monteiro. Informe o Sr.
Dr juiz de direito da comarca do Bonito.
Jis Joaquim da Silva Barreto. Infor
me o Sr. inspector do Tbesouro Provincial
JoSo Fructuoso da Rocha.Ao Sr. Dr.
juiz de direito da comarca do Bonito para
atteoder nilo bavendo inconveniente.
Jos Teixeira de S, Jos Augusto Por-
to Carreiro, Rufina Onalia Freir de Al-
buquerque e Rita doa Santos Lea!.-Sino.
Rita Francisca dos Aojos Cbacon.
Sim, cora ordenada.
Sofia Guilhermin* de Millo.Junte-se
ao roaju^rimento a que allude.
Virgilio Graciliano da Cunha Cavaisan-
te.-^Informe o Sr. commaudanto superior
da grda nacional de comarea do Racife.
Secretaria da Presidencia de Pcrnambuco, 23
de SeiaWbrode 1887.
O porteiro,
|F. Chacn.
---------------a---------------
i Heparti$io da Polica
-M 848.-^Secretaria e Po-
lica d^ l'jrnambuViO, 23 de Setinbro de
IScoT[Km. eExm.. Sr.-Participo a V.
Exc, que foram hontem recolhiios Casa
de Det^ngao os seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado da freguezia de San-
to Antonio, Joo Antonio N^pomuceno, Jos Joa-
quim de Sant'Anna e Joa Fagundes de Souza,
por disturbios e uso de armas defe.a ; e Laiza
Mana da Couceicao, por embriaguez e distur -
bioa.
A' ordem do do 1 distrijto da freguezia da
Boa-Vista, Jos Theodoro de Aguiar e Jos Joa-
quim Alvea da Silva, por diaturbios.
No da 13 do mez prximo fiodo, nj lugar Ca-
jueiro, do termo do Bom Conseibo, na occasilo em
que tapavam urna cusa de Manoel Vieira do Le -
moa, oa individuos de nomea Antonio Castor, co-
nhecido por Antonio Quenada, e Manoel Bispo
da Costa, travaram luta com Joaquim Casado d
Lima, da qual resuitou sabir M.irc il f t Jo com
urna facada.
Oa criminosos evadiram-se em seguida.
No da 20, taoiDem daquelle mez, no lugar Gra
ta Funda, do referido termo, oa meamos i.idivi
dos eneootraram-se de novo e tr i varano no?a
lucta, dando m resultado aahir o musmj .Marjal
gravemente ferido, vindo depois fallecer.
O respectivo delegado tomou conhecimeuto do
facto, fez proceder a vistoria e abri o competen-
te inquerito policial.
Oa criminosos evadiram-se.
Participou-me o ciaadao Jos Joaquim Antunee,
ter e,m data hontem asaumido o exercicio do car-
go de delegado do termo de Olinda
Ilontem o aubdelegado do diatricto de Belm,
reine!teu ao Dr. juiz de direito do 4- diatricto cri-
minal, o inquerito policial, procedido contra Liu-
nndo Gomea Cardoao, por ter no dia 2 do corren-
te ferido com duas tacadas a Rufino Abdon de
Mendoooa.
Hontem s 2 boras da tarde, uo Forte do Mat-
toF, do diatricto do Recite, o individuo de noine
Oeiaviauo de tal, ferio com urna a.-ulb-i de coser
saceos o peito esquerdo da Joaquim Alvea dos
Santos.
O subdelegado respectivo tomou conhecimeato
do facta, fez proceder a vistoria pelo Dr. Jos
Joaquim de Souza, que julgou grave o fenmontu.
O criminoso evadi-ae.
A's 7 1|2 heras da noite do hontem no mesmo
lugar, Joa Njnes, foi ferido com urna tacada no
braeti esquerdo, por um individuo que evadio-se
aeaa'er conhecido.
fPofleodido foi vistoriado pelo Dr. Souza, que
decurou ieve o ferimento.
Sobre catea factoa procedeu-s: n.s termes da
If, -
Amsnheceu hoje roubado o eatabelecimeoto de
molbados a ra do Mrquez do Herval n. 73, per-
tenceute a Santos Al vea.
Presume se que os ladroea fi .aram oceultoa no
eatabelecimeoto hontem a noite, porquanto ne -
nbum vestigio de violeucia aprese tam as portas
exteriores do predio, sendo para notar que apenaa
foi violentada urna carteira de madeira em urna de
suaa gavetas, d'onde aubtrxhiram cerca de i.i
em dinheiro, urna rede, que foi encontrada na cal-
jada da casa da ra da Palm, urna cadeia de
ouro para relogio e doua anneia eugatados a dita
cadeia.
O subdelegado respectivo tomou conhecimeato
do ficto, e procedeu a respeito nos termos da lei.
Com relacao ao facto de que fallei hontem sobre
a publicaco do Jornal do Beei/e, na epigraphe
Q ie oorror > apresento a V. Exc. a copia junta
da luformaco que presiono aubdelegado da Mag-
dalena .
Snbdtlegacia de polica do diatricto de Mag-
dalena, em 22 de Setembro de 1887.
Illm. Sr.Reapoudendo ao officio de V. S ,
de hontem no qual inauda que esta sabdelegacia
informe aobre-a epigraphe Que horror publ
cada no Jornal do Beeife, paeso a expor a V. S.
que indo em esa de Francisco Joa de Araujo,
informarme do occorrido, Jisae-me elle que de
na la sabia com r-iaco ao artigo publicado no
Jornal, que iato uo pasaava seao do una embna-
teiroa que aproveitando-ae de aeu nome querem
calumnial-o, e disse maia qie apeuaa vio Manuel
Jacintho, no dia 14 do eorreute na eleic.to e eati-
vermn juutoa converaando em boa harmona, e
diaae mala que M mu-I Jacintho, a.'tupre foi aeu
cainarada nuuca tiveram questao algum*, e
quanto ao nao poder aahir de casa eia mentira
porqunto todos oa dias vai ao Recife.
Deus guarde a V. S. Illm. Sr. Dr. Francisco
Domiuguea Ribeiro Vianna, muito digno ebefe de
polica de Pernambuco.O subdelegado aupplen-
te, Francisco Primo da Costa.
Deus guarde a V. Exo.Illm. e Exm.
Sr. Dr Pedro Vicente de Azevedo, muito
digno presidente da provincia. O chefe
de poli:ia, Francisco Domingues Ribeiro
Vianna.
Thesoure provincia!
DESPACHOS DO DIA 23 DE SETEMBKO
Pedro Jorge da Silva Ramos, Franciaco de Bar-
roe Cordeiro, Vioconde de Campo-Alegre, J. Lm-
r.iro & C, Mara de Jess Percira, Josepha T.
de Santa Rosa e Franeeliua da Silva Almeida.
Ai Contencioao para cumprsr o deapacho da
junte.
Margarida 51. de Oliveira Figueiredo, Oliveira
& C.Hja viata o Dr procurador fiscal.
Souza Nogueirs Botelbo e Joaquim Francisco CollaresEutregue-
se pea porta.
Collaco I C., Hortencio Tolentim Ferreira Ra
moa, Rodolpbo Vulpiano da Cuuha Pontual e Al-
fredo da Silva Rocha.Certifique-ae.
Diaa Silva St C, con go I la'ioo Fernandes de
Sousu, Dr. Jos Euataquio Ferreira Jacobina, An-
gelo Cardeal, Raymundo B rnardo Lasserre, offi-
c.o do r. pr .curador loa fetos e Amalia Augus-
ta Alvea de Souza. Int rrae o Sr. coutador.
Antonio Alvea da C.sta. Informe o Sr. Dr.
administrador da Recebedora Provincial.
Maxmiano Henrique da Silva Saotiaaro um-
pra-ae, regiatre ae e fa^am-ee oa aasentamentoa.
\ilK10 DE PEREAISBC
RECIFE, 24 DE SETEMBRa ti 1887
Modelas do Korte do Imperio
O paqu. te nacianal Espirito Santo, eutrado hon-
tem dos purtoa di norte, truuxe-uoa as seguintea
noticia* :
Amaioosa
Datas at 11 de Setembro :
Foi confima >a pela relacio do diatricto a sen-
tenca do juis de direito de Manos, que julgou im-
procedente a deouucia dada contra oa vareadores
suspensos pela presidencia da provincia.
No dia 3, por occasio de forte trovoada,
cahio urna faise-i elctrica no eatabelecimento dos
educandos ai tifiees de Manos, produzinio estra-
gos oa casa do respectivo director. A faiaca nao
oflendeu a pessoa alguma.
No da 5 toi soleuinemente inaugurada a 2
eypoaico induatrial o agrcola da provincia, pro-
movida pelo Club 5 de Setembro. Aasiatiram ao
acto umitas peasoaa gradas.
Foram presoa e recolbidos cadeia do ^'a-
nicore, de onde iam aer transferidos para a da ca-
pital, os asaasainoa de. Alvaro Cesar.
Sob o tituloExploraco do Be.ni ao Pur
esereveu o Commercio do Amazona :
Do ro Orton, afitieuts do lleai, (BolivU) ti-
vemos noticia da exolorvjSo que o Sr. coraje!
bre faz para os rioa Ituxy, Purs e Maleira, des-
ta provincia.
O Sr. coronel Labre parti de Santo Antonio
(Madeira) a 6 de Maio, subindo anas aguas em
demanda do rio Beni, em euja foz chegou a 9 du
de Junho, tendo atravesaado um rercurao enca-
choeiraJo de 250 kilmetros, de saltos catadupaa,
paasos perigoaoa e diffceis, em que foram empre
gados 34 dias de insano e arduo trabalho.
E'n Villa Bella, povoacao Boliviana, stuida
na toi.fl lene::, do Beni e Mam-ir, demorou-se
esse cavalheiri 7 dias, subindo a 16 de Juubo o
Beni, chegaudo famosa cacho ira EsperanCH
na mauba do dia seguin'e; foi feita em dous dias
a perigosa paaai^em d'-:ssa cachoeira, e no oa 19
seguio sua derrota em demunia do rio Orton em
cuja barra apirtou no dia 22.
E' es3e o pinto cacolbido para centro de suaa
tentativas e trabalhos de exploraco.
Para
Datas at 15 de Setembro :
No da 6 com .'caram a3 aesso:-s preparatorias
da Asaemblea Provincial, as aunes proseguiram
at o da 13, sem aer posa.vel reunir o numero le-
gal de seua membros para ter lu^ar a abertura
solemne dos trabalhos.
No dia 13, o presidente da provincia, por aqucl-
le facto, adiou-se es traoalhoa p tra o d:a 20 de
Outubro prximo.
Cbegou no paquete Manos, sendo recebido
com pomposas fest^s, o senador coue^i Manoel
Jos de Siqueira Mndea, chefe do partido conser-
vad t do Para.
Lemoa no Diario do Grao-Para de 10 :
Ante-hontem 1 li ra da noite deu se um
grande coi.fl cto, depois do baile realisade, em so-
lemniaacao ao dia 7 de Setembro, pelos emprega-
dos da companhia de bonds paraense, estrada de
S. Joao.
< Dizem-nos :
Terminado o baile, muitos convidados t.mi-
ram oa bonis afim de regresaarem s suas casas.
Momentos antea de sahirem oa carros, os conduc-
tores principiaran a cebrar a 500 rs. cada passa-
gem.
Esta esperteza provocou logo grande indigna-
cao da parte doa pasaageiroa, travaude-se g.-aude
lucta eotre eates e oa espertalbo;s.
H^uve varios ferimentos e contuses.
Meia bora depoia appareceram aa autoridades
que ainda conseguiram calmar a justa indignaco
: que ae achavam poaauidoa os passageiros, vic-
timas da esperteza d'aquella meia duzi.i de tra-
tantes cuja demissao pedimos directora da com
panbia de bonds parsense, a qual estamos cerros
nao foi connivente nquel arranjo
Fallecen o capitao Jos Joaquim da Gama e
Silva Jnior, membro do partido liberal.
Harai.liao
Datas at 17 de Setembro:
No dia 13 entrara no exercicio do carg i de se-
cretario da presidencia da provincia o Dr. Augus
to MgalhSea de Barros e Vascoacelloa.
Lemca no Paiz:
Vimos urna amostra de borracha de Pinheiro,
que tem em aeu escriptorio o conciituado commer-
ciante dcata praca, o Sr. capitao Jos Pedro Ri-
beiro.
Parece-nos de excellente qualidade ; e ji nao
duvidamoa atfirmar que ao Maranh) est reser-
vado um lisougeiro futuro.
Aa peasoaa daqui mandadas para a explora-
cao doa aeringais, embrenharam-ae as mattas
daquella villa e garantem que porde se de vista a
extensa o desaes aeringaea.
Congratulando-nos com a provincia por tai
auspiciosa descoberta, lineamos um voto de reco-
nhecimeuto ao Exm. Sr. Dr. Joa Bento de Arau
jo, que veio despertar entre i.Oa a iniciativa par-
ticular, com a fundaco da Sociedade Auxiliadora
da Livoura e Industria, que relevantes aervicoa
vai prestando.
Oxal continuem a Mr coroadoa de iguil xi-
to 08 seua esto.ca em beneficio da provincia. *
A referida ulha accresceatou das depois que
acabara de cneorp irar-ae uma'socipdade com o ca-
pital ae 10:000*. para explorafo doa referidoa ae-
ringaea iic Pinheiro.
lista sociedale, que trata de continuar a ex-
ploraco de seringaes, tem tambem por fim o ea-
tabelecimento de fabricas de extraeco, que pro-
mettem grandes resultados, attendendo vasta
extensa i doa aeringaea, os quaea nopini> du
um p-.'.fi'sio.ial i|U os examiuou, sao to abun-
dantes como os do Amaxouas.
i Est pirtioto aberta actividado dos homeoa
de trabtilii mais um novo caminho de nealcula-
veis nquozaa.
Se a emprebendedora aociedade estender o
campo de exploraco a micas de ouro, que consta
existir entre Pinheiro e Santa il-d-na, ou ineamo
res Iver-se exploraf.ii das minia aurife.-aa do
Curupy, estamos eerios nao ae arrepender.
Indicamos tambem aoa empreheodedorea nego-
ciantea de noasa praca as importantes sali.iaa na-
turaes de S. Bento, que ced ou tarde merecero
a attenco da industria, em raza i dos grandes
proven: .a, que, com pequeo capital, d'alli podem
"ser retiradoB.
O Sr. Conspiro Becktnan, aocio da firma
Cinto aues 4 C, de Alcntara, tentou auicidar-
ee, ao amanhecer do d>a 12 do corrente, feriado-
ae no eatomago e na garganta.
O infeliz moco medicado immediatamente, es-
capou ra irte, acbando-ae comtudo muito maltra-
tado pelos fenmenroa.
lguura ae qual o motivo que o levou a commet-
ter .-ste acto de d-aespera.
Na madrugada de 15 falleceu na capital o
Dr. Altino Lellia de Miraea Reg, promotor pu-
blieo da comarca do Baixo Mearim.
cearft
Dataa at 20 de Setembro.
IJo da 13 S. Exc. o Sr. preaidente da pro
vincia seguio em trera expreaao para a cidade de
Baiurit, donde se dirigir a diversos lugarea da
serra.
En companhia de S. Exc. foram o D-. Rocha
Campe||., iaspector do Tbeaouro Provincial, e o
Sr. Dr Lasaance.
De Baiurit escreveram ao Libertador :
A afr> de caf tem aido muito boa e ai oa
precoa attingirem a 104000 e, talvos maie, como
-e espera, eutraro ueste municipio maia de aeia
md cutos de ria
Estamos, porrc, apesar de tanto dinheiro, lu-
tandj com b.ias d.fH -uldadea por (alta do cobre
e notaa de 5n0 rs. a 5J000. Ha diaa em ]ue mui-
tas cishs de.xam de cemprar gen roa e vender
mercaduras por falta absoluta de troco
A'justa reeiamtcio do nosso correapondonte,
acereacenta a referida folha, e temsa a accrea-'
centar qua aa mesmaa queixas tasem-nes oa com-
morcian'eB deata capital, onde maia fcil acbar
z0* na ra do que trocar 10 em notaa miudaa.
As I In.a noticiara os seguintea falleciineu-
tos :
No dia.29 da paaaado, em Ico, de urna fysica
pulmonar, o negociante Jos aorio de Souss ;
liuba 34 aanos de idade.
Em a noite de 12, na capital, o antigo nego-
ciante daquella praca, Manoel Pereira Valente,
mnito conhecido na provincia.
Era natural de Braga, em Portugal, diz urna
folha, e resida nesta capital ha muito tempo.
Commerciante laborioso e activo,chegou a cer-
to grao de prosperidad.', ma repetidos accidentes
la fortuna reduzram-no, j ha alguna anno?, a si-
tu;i..\t -, precaria, de aorte que morreu pauprrimo.
Attencioso, affavel, pai de familU excellente,
gosava de eatima geral e nunca tove deaaffect08.
Oa reiterados g.lqea do infortunio auppor-
teu-os o finado com a mais perfeita resignacao e
quaolo taltou-lhe a abistanca, e at o neeessario,
entregou-se corajosamente a todoa oa meio) decen-
tes ds gloriar a subsistencia.
Tiaha 52 ann'oa, era casado com a Exma. Sra.
D. Genoveva Nunea Valente, e deixa doua filhos
de tenra id-ule :
Tamb?m na capital, 14, pela manha fallecen
o capitao D miugos do Paula Barbosa, pai do
Bvd. conego Joo Paula Barbosa, paroche da
freguezia do Patre.-iojo.
Era natural do Aracaty, viuvo, de 74 anaea de
idade.
Foi commercimte na cJade de aeu nascimea-
to, asida exerceu tambora cargos pblicos de ele-
co e de nsmeacSo do go7erno.
Tanto no commercio como no exercicio des3ea
cargos houve-se com a mainr probilade conquis-
tou merecida rpputacio de bomem da bem a toda
prova.
Em 1866, por occasio da grande eocheote do
Jaguaribe, no exercicio do cargo de delegado de
polica, prestou relevantissimos servicoa popula-
cao, 8ervic-s ploa quaes foi coile:orado com o
grao do cavalheiroda Ro9a. D:ixa scia filhia.
No dia 16 fallecer tambem na capital de urna
i .'s i cardaca, Joa da Rosa Oliveira. T.uhi 38
aanos de idade e deixou cinco filhos.
Fin-u se, ainda na capital, a 19, D. Mana
Pranjisca Samico, que pertenca a urna honrada
familia da mesma capital.
Tiuha chegado a idade de 75 auno;, e em sua
longa vida serapre deu provas de senhora de apre-
ciaveis qualidades.
Hio-Cirande do cVor(
Datas at 21 de Setembro.
Constam aa noticias da carta do nosso corrss-
dente, puolicada na rubrica Interior.
Parabyba
Datns at 22 de Setembro.
A junta apuradora do 1* distrieto eleitoral, de-
pois te sommar os votos para deputado provincial
na elaioSo de 4 do corr.'nti, exp'dio dipLmiai
candidato eleiro, tunete corouii Joaquim Bip-
tista Espinla (C).
Nada mais que mereca menco.
----------------a> -------
noticias la Earopa
Eia o completo das noticias da Europa de que
foi portador o vapor Vi lie de Pernambuco
Pal/.e* Raixo*
"Houve a 2 ^este mez um serio conflicto entre a
polica dos socialistas na Haya, realisando-ae
muitaa prisOes.
nata
Corre o boato de que entrevista do czar C3m o
imperador Guilberme se realisar em Swine-
mdnde.
Diz a Gazeta de Colonia que a entrevista
do imperador Guilh -ru com n czar da Rusia nao
rest iD'.ecer relacoea cordeae| entre oa doua pai-
zes, e que a Afemanha ser provav.-tmeote obri-
ga a nrovar com as armas na mo que as theo-
rias de Katk iff sao perniciosas para a Russia
O Navaati diz que a Turqua aceita a pro-
posta da Ruasia oara n mear o general Cbeuroth
governador da Bulgaria, at a eleicao do principe
por urna as embla legal. Em caso de opposico
por parte dos blgaros a Porta euviaria um corpa
de exercito a Bulgaria.
Os peridicos ruasos fiz?ram ha pouc- o recen-
a'amento dos estuiaut -a israelistaa que frequen-
tam as universidades russas.
9numero deatea bastante alto para as facul
dadea de medicina, naa qua^s se contam, em ge-
ral, 224 pir mil. Em Kti-nk ff. a cifra attiuge a
propori;Jo d; 41,5 por ceuto ; em Derpat, 28,2 ; e
emK.eff. 20,2.
O numero do3 israelitas foi limitad i a 5 por
cento as academias ru^aas ; por tanto o ministro
da iaatraceo publica t m iu medidas par que,
de futuro, nao exceda esta cifra em Kharkoff.
Por cffeitn d.'stii deliberavo.'a inuitoa mancebos
de proveniencia judaiza, que coucluran os es
tudos nos gymnosi.'a, partiram para o eatran-
geiro.
A Gazeta de Mosc: w fallando da sympa-
thia aparentada por certoa jornaes ellemaes, acon-
selha a Ruasia mu:ta circumspec?ao para o pnn-
eipe de Biomarck, e nao confiar no tratado de
Berlim cujo principio foi excluir a influencia ras-
ga da Pennsula doa Btlkiura.
(Brela
As flirestas gregas tui sido ltimamente de-
vastadas pir incendios pavorosas.
Anda ha piucas semanas, a moutanba do Pea-
(tico, prximo de Athenas, com na., aeua valles
delieioa is u as suas cucostas reveatidas de opu-
lentas e vinosas flirestas, era o encanto dos ex-
cursi nistas n .ci.naes e estraugeiroa; essaa en-
costas, porm, estao'-hoje uuaa, e travaucadaa
de troncos calcinados e montees de cinza.
Foi no dia 8 de Agosto. A's 9 horas da nonte*
osatheuieua a, qui tomavam o fresco em 8"ua ter-
ratos deaeobriram no boriaonte um elatu intenso.
Muitos curio808 aubiram ao Lycabeto r aviata-
ram entao um braaeiro enorme; eram aa ireatas
do Pentuco incendiudas.
Um destacauento de engenbaria aabo logo da
cidade, paraatalbar o incendio e ealvaro bosque
de Tatui onde a familia real posnue urna formoaa
casa de campo.
Foi muito 4iffie.il localisar o incendio, e, trez
dias depois, ainda o horiaoate estava vedado por
urna expesaa fumarada.
Foi um grande desaatre para o paiz da Attica,
que nao muito abundante em riquezaa florea-
taea.
A'm dis33 a desarborisaco difH?.i'ta aschuvas,
que, j antea disau, eram baata.ite raras naquella
rego ; e em Alhenas e suaa visiuhancas incida
a usta hoia um calor tropical.
O incendio do Pentlico nao foi um facto sola-
do ua Grecia ; n'outioa pontos do reino atearam-
se, quaai ao mesm tempo. incendios anlogos, taes
como os daa fl reatas de Egion, e outro naa cerca-
niaa de C'jnniho.
Nao eat verificada a causa deatea desastres.
Nao ae ce gera'm- nte que provenham de um acto
de criminosa malevolencia. Sup^S-se que estes
fact03 denunciara a imprudencia dos cacadore e
doa fumistas ; mas, com mais fundamentos, attn-
buem-ie esa a calamida les aos pastores vlacos,
que iofeatam o pais.
Sao muito couhecidoa estes psrsonageus otto-
reecos e malfeitores. Encoutram-ae beira daa
eatradas, cercados de caes femzes, e cobortos de
pedes de Cabra, com o seu grande cajado de oli-
veira, longa barba e um arsenal de pistolas e fa-
cas, sao ao mesmo tempo hoinencoa e aelvagens.
Qi-alqu-r viajaota nexperieote toual-oa-hia por
a Iteadores. Os paatores vlacos naa asaaltaoi os
vKiaotes aaa encruzilhadaa ; mas quandg ama alo-
reata os embaraca, deitam-ae togo, paraWem no
anuo aeguiote boaa paatagen. Foi assim que
Grecia ae deaarboriaou na idade media, Begunda
rezam aa chromcaa. O incendia dasiireatas
nm habito vulgar, para aquella raca de pastores
nmadas.
S.ja o que for, a npiniao publica em Athenas
est profundara ale indignada e reclama a repres-
sao severa dos malfeitnres. Reuoio-se j urna
grande commisao para tratar do assHeopts. O

1



i uavR i


t



H.mw
W
Tf
gf
Diario de feraambacoSabbado 24 de Setembro de 1887


ministro da fast-nda expedio ama circular aos pro-
curadores da coroa, ordenando-Ibes que procedam
a u t inquerto rigoroso.
Reforcar-se-ba, di<, corpa das guardas fio-
reitaes ; qne se faria roada e patrulhaa ; maso
que positivamente nao obter nestes annos man
rojimos restituir ao Pentlico oseu estendal de
Terdaras, os -as perfumes, as suas abelhas, que
tornavam daquella moatanha um* d*s regioes maia
pittorescas e encantadoras da Grecia, que foi
tempre o paiz da bellesa da poesa.
Turqua
Disem de Conatantinopla ao Times qne a pro-
Sista da RuBBa de mandar o general Cbruroth
algaria, produxio na Porta urna iinpresso des-
agradavel, porque significa faier muito pouco caso
dos direitoa de soberana da Turqua. O governo
turco submetteu, pois, o programla russo s ou-
tras potencias. Segundo parece a Austria j
responden que nao poda approvar a nomsacao de
um nico regente, porque aquella modo de proce-
der nao estava previsto no tratado de Berlim.
O correspondente ingles accrescenta que a I ur-
quia acaba de convidar o gabinete de Saint-Pe
teraburgo a submeter-lhe outra propoeta mais pra-
tca. Este pedido da Tuiquia deve ter sido em
Tirtude de iovestigaco da Austria.
De Berlim tambera dizem ao Standard que corre
aaquella cidade o boato de que a Ruasia ameaca
Broceder Botadamente na Bulgaria e mandar para
l om zovernador russo, se a Turqua nao se deci-
dir rpidamente a adoptar medidas que ponham
8m crise. Com tudo, a opmio geral em Berlim,
que nao se realisa esta ameaca e que a questo
blgara permanecer anda p.r muito tempo no
terreno diplomtico.
O Standard exprime-se aasi n no seu artigo de
fundo
O shah deu logo ordem a forcas do norte para
destacaren! cavallaria, que fosse no encalco dos
fugitivos at a fronteira.
Suppt-.e que sari trabalbo perdido.
Aratbanlatan
No da 10 do correte mea Ayub-Khan estava
na fronteira persa pbrto da fronteira afghan a
qaal ae acba cuidadosamente vigiada.
A euiruicao russa de Kerki partiu em direccao
do H-rat, os combat.s coutinuam entre os gbil
tais e as tropas do emir.
Foi chamado um medica Ilustre para ir ver o
emir do Afgbaniatan que est atacado de gota re-
montante n'uma perna.
Diiem de Cabul que houve urna escaramuoa en-
tre as tropas de llerat e es soldados r usaos pertc
de Zuefikar.
Bgypio
Dizem de Cairo, segundo aotieas de Scudau,
que Sheib Salees e as tribus aabbalshs bateram
os derviches as proximidades de Biggara. Os
derviches tiveram 1,300 mortos, marrende tambem
no combate o ruio de Salech.
Parece que es abecbins avancararn contra os
derviches na direccao de Seunaar e Kassala.
INTERIOR

. Aquelles que gostam de paz devem diligen-
ciar diasuadir a Turqua e impedir a Russia de
intervir n'um assumpto que nao necessita de n-
tervencao. Se as potencias nao querem recouhe-
cer o principe Fernando, deixem no arranjar-se
com os blgaros ; se elle conseguir formar um go-
Terno solido, a Europa devera finalmente reconhe-
Cer o facto consummado.
A verdade que a Turqua mostrase muito
oerpleva em preaenca das divergencias das poten-
ciasi sobre b questo do principe Coburgo e anda
Dgo responden proposta russa a respeito do ge-
neral Eheuroth ; ouvira a opiniao da Allema-
O Times convidava o principe de Coburgo a que
breve faca responder a nota turca. O acto de
tubmisso ao sultao nao bastante presente-
mente.
lluUarla
Urna correspondencia datada de Phihppapolis,
d-noa intereasantes pormenores acerca da entra-
da do principe Fernando de Saxe Coburgo naquel-
la cidade da Bulgaria, no da 16 de Agosto ul-
timo. ..
Seguido o informaior blgaro, a municipali-
dad e o prefeito da cidade haviam tomado nos
das anteriores, as mais enrgicas medidas para
limular esse enthuaiasmo que a populacao estava
longe de sentir. Os gendarme* iam de casa em
casa para verificarem se os habitantes estavam
munidos de bandeiras regulamentares (novas com
um metro de comprimento pelos menos), e lam-
pela patriticos, ornados com as iniciaes do novo
principe. Todos os logistas tinham receido ordem
de techar os estabelecimeotoa, ornando as portas
com ramos de lores. Os contraventores senam
punidos com a malta de 5*UO0 a 20*000 e at
eom priso e acaites.
No da 18, depois do meio dia, 101 tiros de
eanho annunciavam a chegada do principe.
Foi urna ceremonia triste, da o correspondente.
Nao se vi urna pbisionomia alegre, Percebia-se
que era um ea'pectaculo organsado roela polica.
O principe pareca muito preoecupado. Soubera
durante a jornada que o agente diplomtico da
AHemanba em Sofia havia interrompido as suas
relacoes officiaes com o governo bulgaio, e que o
snlto nao ae tinha dignaeo responder ao tele-
gramma de submisao que lhe havia dirigido. Os
cnsules eatrangeiros haviam recebido ordem de
te abaterent de quaesquer manitestacoes.
Durante o peicurso que o principe havia feto,
leve occas de verificar que a populacao tem pouca
sympathia por elle : que os blgaros em geral,
e os rumelistas em particuiar, esto convencidos
de que a crise nao est conjurada. Entender que
foram Iludidos pela regencia, e que o principe
eleito atrahir sobre si novas complieacoea.
Alm d'iaso a populacao dos campos tem a maior
eonsideraco pela Russia; os padres, apetar de
todas as ameacas, continuaram a retar pelo prin
cipe Alexandre, (i nao ha cabana, que nao tenha
o retrato do czar libertador, junto do qual est
acceaa urna lampada, de noite e de dia.
Accrece ainda, que o thesouro est vatio, o qm
quer dizer que a meo esteja arruinada.
O camponez da ulgaria essencialmente eco-
nmico e trabalhador; e a administrado publica
tem aproveitado e abusido d'esta circumstancia ;
mas, tanta vez vai a bilha fonte... Os campo
neze's comprchenderam ja que o actual rgimen
ihea fica muito caro.
O encasto est sem unio e sem diociplina. A
queda do principe Alexandre foi um golpe pro-
luudo na forca militar; e nem o prestigioso coro-
nel Mutilan ff ae julga capaz de restaurar a disci-
plina e restituir ao exercito a unidade e a torca,
de que elle dispuuha, ainda nao ha muitos metes.
A situaco do principe Fernando pois pouco
lisoug'iira e nada invejavel.
Niiiguc-m sabe de certo, como acabar o drama
da Bu'giria. Os jornaea russos, e os que gostam
de ir de accordo com eiles, denominam o principe
Femando um aventnreiro.
E no em tanto o principe foi eleito por unani-
nidade por urna assembla nacional: que maia re-
gular legitima investiJura podia e.le ter?
Falta->he a approvacao das potencias, que o
tratad o de Berlim decUrou njcesaaria. Mas por
que lh"a r gateiam? Para lisougear as ambires
da Ruasia.
Agora )a nao s a Franca que reza pela car-
tilha da Bussia, tambem a Allemaoha veio dar o
seu contingente. S a Iuglaterrn, a Austria e a
Italia que se mostram inais brandas com o prin-
Re-conhecem que lhe f-lta o aaseotimento da
potencias; mas sustntala a le^aiidade da sua
ele" a. j r_l u l
Ora, as p tencias podein anda reconni-eel-o
Fara que uta ha remedio para a situ^cio que a
Ruaai i, Fr*nc* e AliBtnlia arraujam ae aven-
turera Coburgo, neganio-lhe al a legitimi-
dade a*, eleico. Era uecessario convocar nova
aasemb'.i, conforme a Russh determinasse, e
inv->mettel-o outra vea votaco como candidato
aovo. ...
O principe ha de querer evitar tal desat'e, e o
melhor meio chegar-se aos blgaros, laocrr os
fnn-im-ntos do seu governo, de modo que seja
preciso um acto da violencia para o arrancar do
thron
A regencii e a Suberam teriam foito melhor
em aoplicir energa de que derara provas, em
tornar ditioitiv. a lrma democrtica de governo,
que provisoriamente regia a Bulgaria aesde a
abdicacao do principo Alexandre.
M-s urna vez que os blgaros preferirn) ter um
principe, devem ser igualmente enrgicos em man-
5er a ua vontade e a esolba que fisuram.
A'guna agentes diplomticos, nomeodamente o
da Italia, form autorisados a visitar oficialmente
o principe Fernando.
Corre o b iato de qua o principe Fernando Co-
burgo partir prximamente de Soba para fazer
amas visitas diplomticas na Europa.
O limes diz que a Bulgaria persiste em repellir
toda a iiiterveuco ruasa ou turca. ___^
O ministerio est definitivamente constituiao
ocupando o Sr. Stambal^ff a presidencia e o in-
terior, e o S.-. Stcsaski a pasta dos eatrangeiros.
O novo ministerio rcuniu-se debaixo da presi-
dencia do principe de Coburgo.
A i J i dominante as regioes governamentaps
resistir a todo o custo s potencias que appro-
ram a misso do general Eheuroth. O Sr. Stam-
bouloff repetio que ir at resistencia armada.
Corre o boto de ter bavido urna tentativa de
revo'ueao m-litar contra o princpf Fernando de
Coburgo, sendo preaoa quiozIfieiaea.
Receia-se que algn< emigradoa blgaros ten-
tem um golpe de mo contra o actual governo da
Bulgaria.
O couselho de ministros decidi que as eleicoes
legislativas se realise.n ni dia 9 de Outubro, e que
te levante o sitado de sitio em 8 de mtx cor-
rente.
Pcrala
Na Peraa, o revolucionario Ayub-Kao, que.
om oa seus priocipaes sequates, chegou a estar
incgnito em Tiheran, fugio para o norte e eup-
poe-aa que, embarcando no mar Caapio, se recolhe-
ra no territorio rusto.
Ayub K u sabira de Tehern em 14 de Agosto,
e t a il que ae soube que elle tinha estado na
capital.
Correspondeacia do Diario de
Pernambuco
RIO GRANDE DO NORTEnatal, 21
de Setembro de 1887
O glorioso anniversario de nossa indo
pendencia, nao paasou aqu desap^rcebido,
havendo na forma do costurae illuminacSo
nos edificios pblicos e alguos particulares,
nos dias 6 e 7.
Urna sociedade de amadores, deu tam-
bem um espectculo em grande gala no
tbeatrinho que temos, e ao comparecern)
o Ezm. presidente da provincia, Dr. chefe
de polica, Dr. jniz de direito da comarca,
director da natruefao publica e outros
chefea de reparticSas e cidadaos qualificadoa.
Depois dos vivas do estylo, levantados
pelo Exm. Sr. presidente Dr. Pereira de
Carvalbo, foi represen'ado um magaieo
drama, que teve em geral satisfactorio des-
empenho, mostrando todos os amadores
tomaram parte no drama, bastante
que,
gosto pela arte e louvavel esforo no estu-
do dos papis que lhe foram destribuidos.
Infelizmente nao se realisou no dia
7, a libertacao do municipio que se pre
tenda conseguir, conforme demos noticia
em nossa carta da 10 do passado.
Em vez d'isso, s conseguiram os pro-
pugnadores da iJa, levantar poeira e cau-
aar perturbajSjs.
Se n2o se sentam com a forca sutfi -ien
te, para a realisacao deste nobre euopre-
hendimento, (como nos parece foi o que
faltou) melbor seria que deixassem as cau-
sas se encaminbar regularmente, guardan-
do melhor opportunidade.
Ae envez d'isso, anounciam a propagan-
da imprudentemente e o resultado, nao s
mente foi negativo, como s produzio per-
turbajao nos visinhos municipios, dando
lugar i fjgida de muitos escravos par*
esta cidade, com grave prejuizo para agri-
cultura.
Do mesmo modo que temos bempre um
brado do enthusiasmo e animaco para es-
tss nibres emprehandmentos, n2o deiza
remos tambem de censurar aos que, im-
prudentemente, levantam a idea sem poder
re*lisal-a, nao levando mesmo em conta as
decepcSes de um fiasco.
A nossa linguagem deixs bem ver, que
somos francamenti sectarios da generosa
idea, mas, nao queremos pertencor ao nu-
mera d aquelles, que se deixam arrastar
pelo enthusiasojo de ocasiao e que pr-j-
tendem imprudentemente conseguir 03 fins
sem dispr dos meios.
Ahi temos tambem o Dr. juiz municipal
do Cear-Meirim, commettendo os miao-
res abusos e arbitrio, declaran lo de sur-
preza livres, escravos legalmente raatrL-u-
ladose postergando, assira, direito daquellcs
que repou8avain tranquillamenle som-
bra da le.
E, o que mas, na poca exactamente
em que todos os sanhores de eng-nhos da
luelle municipio, comem o seu penoso
trabalho de moagem. Do sorte que, alm
de lutr a industria assucareira entre nos
com mil difficuldades para se sustentar, e
a brajos com 03 precos mnimos que tem
tido de seu producto, veem-se repentina-
mente assoberbado e surprendiios, com
as libertado":s em maesa d> juiz abolido
nista que lhes vai perturbar o sau traba-
lho e augentar as difB mldadea.
Cerca de 40 escravos empregados na
agricultura do Cear Mirim, acaba aquelln
iz de declarar livres, mauJando intimar
aos senhores, que s entilo tiveram notiia
liquelle arbitrio, praticado sob frivolos
pretextos, um de discordancia de idade da
matricula antiga com a nova, e outros de
filiacao desconhecida na ultim* matricula
e que all ga s-r ouincida na antiga.
Informa-nos pessoa criterios, que, o
juiz abolicionista nSo pretende ficar na-
quelle numero de libertacoes e que co.ita
attingir pelo menos ao numero de 200 I I !
E entretanto, ao passo que se quer mos-
trar tSo adiantado, procura um systeru i
moderno do escravismo, dando a soldada,
infelizes desprotegidos da sorte, a titulo de
orphos e em numero avultadissimo, a in
diw!uo certj e determinado, abusando
portante do oarg) e procurando acobertar-
se com a lei, e com o que chama cumpri-
mento de dever.
O clamor que isso tem levantado, na. j
pequeo.
Os offi.-iaeg da justica andam as estra-
das com grande numero da mandados, a
recrutar orp'aaos, que arraucam muitas ve-
zes no meio das lagrimas de desolada mai
ou prente, de quem talvez a uaica com
panhia e auxiliar, na afanosa e pobre vida
que 1 varo.
E tulo isso se pratic em nome da le !
Consta nos qu-s sement um amigo do
peito do juir, j conta ou pr tunde coa
spguir p^ra seu engenh, numero superior
a 60 orphSos a titulo de soldada, que n^ra
ao menos se sabe, se recolhida ao co-
fre !
Infjrma-n03 psssoa competente que, os
senhorea dos es -favos libertados v4o n&o
sraente recorrer do despacho do juiz abo-
licionista, como tambem representar, con
tra e seu pncedimento e com certeza, os
poderos publieos hlo de por um para-
deiro carreira vertiginosa qua lea.
Sentimos que nos limitas que no sio
tricados, n'uma simples missiva noticiosi,
nio ma permittam fazer outras considera-
rles a respeito o sera pretender abasar,
damos firo a esta noticia lembrando o pro-
verbio rabe que diz : que a justic/.
que povoa o mando, como a injustict>
s qr.e o devasta. >
Em dias do mea passado, o illuatra-
do director da inatraccJlo publica, Dr. An-
tonio de Amorim Garca, declarou livres
todos scus escravos, praticando assira um
acto digno de louvor e que faz honra a
seas sentimeatos, tanto maia quanto S. S.,
fez aquellas libertacSes modestamente, de
sorte que nem o jornal da provincia dea
dolas noticia. Os libertados nao quizeram
deixar a companhia do seu ex-aenhor, a
quem continan) a prestar seus bons ser-
vaos.
Do Correio de Natal de 16 do cor-
rente extrabimoB a aeguinte noticia :
LibertacaoNo dia 7 de Setembro um
jantar familiar em casa do Sr. Dr. Jos
Calistrato Carrilho de Vaaconcellos, dis-
tincto clnico n'esta capital, commemorou
o 5. annivorsario de seu casamento com
a Exma. Sra. D. Mara Terceira, decla-
rando livre para Bempre e sem condiyao
alguma, sua ultima escrava de nome Rosa.
0 nosso amigo e collega da redaccao Dr.
Luiz Wanderley achava se d'aquelle fes-
tina e saudoa com enthusiasmo o Dr. Ca-
listrato e a Exma. D. Terceira, pelo acto
generosa e espontaneo que acabavam de
praticar.
Na Macahyba deram se no mesmo
dia 7 "de Setembro trinta libertarles, por
inu-iacSo do Club Abolicionista.
E assim vai se extinguindo o elemento
servil, sem precisar mais do que o sent-
ment altruista e philantropico do coracao
brasileiro, estimulado pela consciencia do
bem.
A 22 do passado no Rio do Fago,,
do termo de Touros, tentou suicidar-se,
disparaodo um tiro do revolver ao lado da
garganta, o italiano Angelo Danieli, nego-
ciarte e residente na povoagao de Muri.
O delegado do polica tomou conheci-
mento do facto, procedendo interrogatorio
i o paciente que declarou t-T sido feito por
elle proprio o ferimento, com o fim de ter-
minar a existencia, sem querer declarar
os motivos que o levaram a aquello acto
de loucura.
- A' 4 do corrent3 no lugar Prituba
lo termo de Macahyba Manoel Joao Fer-
nandes, seu irmiio Manoel Moraes e Can
dido Coelho, tiveram unn luta, da qual
reBultoa a morte deste e sahirem aquelles
feridos.
A autoridade procedeu s deligencisa
legaes; preadendo a Manoel Fernandos,
como autor da morte.
No lugar Cunarab, do termo de S.
Jos, Rosa de tal, mulher de Trajano Pi-
aheiro, espancou brbaramente a Leandro
de tal, resultando deste espancamento fer-
mentos graves, segundo a vistoria que pro-
ceded o respectivo del-rgado.
A criminosa consegua evadir-s*.
fiscal do ultimo exerccio, tambem ju'gindo pros-
pero o estado desta empreza.
Seria para desejar no interesse desta Companbia
nm maior numero do carros, tanto de 1.* como de
2 classe, afim de evitar atropello por occasiao de
afluencia de pasaageiros; assim como desejaria-
mos toda attencb da administraco sobre o as-
teio dos referidos carros, bem como sobre a con-
servaco da linba permanente, ainda mesmo que
seja necessario algum augmento de despeza.
Achuraos tambem de muita conveniencia que na
conta doa propnos da Compaubia se eepare os que
servem de estaclo d'aqnelles que produzem ven-
das, especificando a receita e despega de cada
um.
O arrecadado no ejercicio de 1S36
a 1887 181:157*970
O dispeodido no mesmo exercicio 115:610*764
Saldo resultante
Dividendo de 8 /,
Juros de accoes preferenciaes
Juros de debentuees
Balde levado a conta de L. e P
dem dem do exerccio anterior
Abatimento por deterioramento no
material da Companhia e seus pro-
pnos
Saldo da conta L. e P. que passa
para o exercicio de 1887 a 1888
65:541*206
40:000*000
2:030*000
2:568*990
20:942*216
68:177*813
89:120*029
54:550*281
34:569*748
Finalisacdoo presente trabalbo afiumamosj:
Que os interesses da empreza tem sido adminis-
trados com intelligencia e telo ;
Que as contal do exercicio de 1886 e 1887
acham-se conforme e exactas e merecem ser appro-
vadas.
Eaoriptorio da Companhia de Trlhos Urbanos
do Recfe a Olinda e beberibe em 22 de Setembro
de 1887.
A commisso,
Dr. Estevao Cavslcante de lbnqu -rque.
Sebastiau Lopes Guipantes.
Aurelio doa Santos Coimbra.
KviSTA DIARIA
Companhia Trlhos Urbanos do
Kocife Olinda e Beberibe
Transferencia de accoes no perio-
do de 1 de Jaltio de' I ss m 30 de
Jnahu de 1889.
P08S01DOBES E PAK QUEM TRANSFESIDAS
1886
Agosto 12, Manoel Francisco Pontea (berdeiros),
10, Alfredo Ferreira Baltar.
Setembro lo, Antonio Felippa Mouroau (herde-
ros), 10, Alfredo Fouqueau.
Setembro 18, Dr. Joio Francisco da Silva Braga,
10, Thomaz Comber.
Setembro 29, Joa Joaquim Moreira, 20, Dr. Joo
deOhveira.
Setembro 3U, Antonio Jos Ferreira Monteiro, 35,
Dr. Joao de Oliveira.
Setembro 30, D. Amalia Machado Halliday, 10,
Dr. Joao do Oliveira.
Outubro 6, D. Maria Eugenia R, Bastos, 1, Dr.
Joao de Oliveira.
Outubro 15, O. Amalia Machado Hilliday, 9,
Dr. Joo de Oliveira.
Outubro 27, Antonio Correa de Vaaconcellos, 20,
Manoel Jos Carnero.
Dezembro 4, Sebaatia-i Lopes Guimares, 20, Joa-
quim da -Silva Carvalho.
Dezembro 7, Aduano A. do Almeida Jordao, 22,
Juo de Oliveira Laite e Souza.
Dezembro 7, D. Amalia Machado Halliday, 1, Dr.
Ermino Ciuriuho.
Dezembro 7. D. Amalia Machado Halliday, 1,
Mathous F. L'hjuoeur.
Oezeuibro 7, JcSe Fortunato Saavedra (h-r.li i-
ros), 20, Joaquim (tilbo de Joaquim da Silva
Carva.ho).
1887
Janeiro 29, Sebastiao Lopes Gaimaraes, 20, An-
t) no Ferreira Pinto de Migalhies.
Janeiro 31. Manoel Jos de Sauta, 10,- Antonio
G incalves Pereira.
Fcvereiro 26, Sebaetio Lopes Guimares, 20, Au-
toni. Ferreira P. de Magalhes.
Mirco2, Joaqnim GonQtlves du Azevedo, 10, An-
tonio Ferreira P. de Migalhaes.
Marco 19, W. Robilliard, 10, Antonio Goucalvea
Pereira.
Malo 28, Alexandre da C. C. Catanho, 1, Dr. Joo
de Oliveira.
II
Balanco em 39 deJunno de 1889
ACTIVO
Material fixo :
Estrada de ferro di Recife Olinda
8<-u valor Mutual
Ramal de Beberibe
Obras d'arte :
Poutelbio de Joo de Barros : sen
valor actuil
Ponte do Varadouro : seu valor
aetnal
-"orne de Duarte Coelho
Conloa & Brazilian Bank : saldo
em deposito
C>mp*nhia S*nta Tuereza : saldo
Almaxarifado: saldo em mate-
riaea
Caita : saldo em dinbeiro
Prupno* da companhia : valor
actual
M .tenal rodante : valor actual
Uieocilios: Valor actual dos exis-
tentes
Liana t- lephonica : valor actual
J .o M- Martina : saldo
Depsitos : valor
186 931*533
86:560*061
168*400
2:897*282
11:375*367
23:000*00-1
5:0JO*0^0
11:785*029
3:879*110
177:173*911
116:712*^3
5:092*782
1:1H2*7IK)
300*000
15:000*000
647:374*598
PASSIV*
Directora : valor de 75 aeces
dep sita as 15:000*000
Acedes pHf renciaea: valor de
t.tO a 2O'J*0OJ 29:000*000
Debutares : valor de 208 a 200* 41:60 1*000
Dividendos : saldo 22:634*00'
Jnr a : de accoes preferenciaes t :0|5*000
Juros: de debeatures 1:146*440
Deposito da empregados : saldo 1:76*500
M.ute po dos empreados : saldo 639*510
Capita> : valor de 2500 accoes de
200*000 500:000*000
Lucros u perdas : saldo em conta
nova 31:569*748
Em 30 de Junho de 1887 647:374^*598
O guarda-vro,
Joo Fonseca.
III
-^Illms. Srs. accioniataa da Companhia de Trilhos
ibaus do Recife a Olinda e BeberibeEm face
do art. 27 dos estatutos desta empresa ampliada pelo
dispjsto do art. 57 do regulamento vigente das
sociedades anonymaa, examinamos toda eserptu-
rco desta noasa empresa, relativamente ao exer-
cicio de 1886 a 1887, e acharaos estar feta cun
regularidade e limpesa.
Ufanamo-noa em ser accordes com o parecer
>alur*llaaco--l'jr portara da preaideoaia
da provincia de 21 dojeorreute, foi naturaliaado o
subdito portuguez Mauoel Pacheco de Araujo.
I.lii-nrsnPor porturia da meama presiden-
cia de 22, foram concedidas as seguinteslicrncas :
Dous tnezes a professora de Maraoguape, Rita
Francisca dos Anjua Chacn.
Scasenta dias ao monitor do Gyoinasio Pernam-
buco Jos Teixeira de S.
Tribunal do Jury do m-ife Hon
ti ui preaeules 37 jnradoa bouve s-ssij ucote tri-
bunal.
Foram tubmettidoa a julgamento os roa Ma-
noel Paulino o Ant-mio Pedro doa Snnloa, com -
cido por Doia, ambos pronunciados no art. 193 du
Cod. Crim., combinado com o art. 34, sendo o ul-
timo mais pronunciado no art. 193 do lefcndo c-
digo.
N5o trndo trazido defensor, fji-lhes dado o Sr.
Dr. Jos da Silvcira Pilar p--h presidente do tri-
bunal.
Coinpoz-se o conselho dos seguiotes senhorea :
Jeremas de A. Mello Jnior.
Dr. Autonio Jos da Costa Ribeiro.
Antonio Joaquim Ferreira.
Dr. Pedro Jorgo de Souza.
Francisco da Silva Miranda.
Carlos Augusto Lina de Souza.
Joo Cuaba Moreira A Ivs.
Franciaeo de Paula Marinho Falcao.
Jos Tavares da Silva.
Joaquim Lucillo de Siquera Varej2o.
Joa M. Beckenfield Vieira da Silva.
Arthur Octaviano da Siiv Ramos.
Os roa eram aecusados de terem na noute de
9 de Janeiro de 1884, tentado contra a vida de
Mara da Luz e Doia de ter tambem aeaassinado a
Manoel Francisco da Luz, na inatta de S. Joo,
emS. Lourenco da Matta.
Depois dos debates e seu resumo pelo presiden-
te do tribunal, recolheu-se o conselho sala eecre-
ta, donde voltou 40 minutos depois, trazendo a
absolvico de ambos p lo crime de tentativa de
morte, sendo porm Doia condemuado a 14 annos
de priso simpies, medio do art. 193 do C.d. Crim.,
pelo crime de morte.
\ Hijo entra em julgamento oreo Vicente de
saia Tavares e outros por crime de morte pra-
ticado em Fernando de Noronba.
Acampamento e exerclclosi militar
Informam-nos que o Exm. Sr. g neral comman-
dante das armas pretende estabelecer um acam-
pamento por trez dias margem da via-ferra de
Olinda, l-'go adiante da capclla de Nossa Senhora
do Belm.
A es vallara e o 2o batalhao de infantaria esta-
ro formados aa 5 e mcia horas da manh de25 do
corrente entre a Escola Modello e 1* estaco da
guarda cvica, d'onde marcharo quaodo chegar o
Exm. Sr. general Clarindoe seu esiado maior.
A forca ir em ordem de marcha levando as pra
(aa suaa barracas.
Durante os da6 em que estiveracampadahaver
carneaco e sero feitos exercicioa e trabalbos de
guerra.
Todo o servico ser feito con^ideranio-se o
acampamonto em territorio inimigo.
O FuturoDistnbuio-8e hontem o n. 7 deste
peridico, de que sao redactores os Srs. Samuel
Freitaa, Pedro Bsrreto e Austregeaillo Jnior.
tiialventarloFazem hoje 53 que fa'leceu
o primeiro imperador do Brazil o fundador do im-
perio aul americano.
Por esse motivo baver salvas s 6 horas da
manh e 1 e 6 horas da tarde, e no correr do
dia um tiro de 10 em 10 minutos.
FerimenioaAnte-hontem s 2 horas da
tarde e no Forte do Matto, treguesia de S. Fre
Pedro Goncalves, Octaviano de tal ferio com urna
agulba de coaer saceos o peito esquerdo de Joa-
quim Alves dos Santos, q-ie foi vistoriado por or-
dem da polica, tendo declarado o Sr. Dr. Jos
Joaquim de Souza ser grave a ferimeuto.
Octaviano evadio-ae.
No mesmo dia e lugar, mas s 7 e meia horas,
Jo-; Nunea foi terido cum nma facada no braco es-
querdo, por um individo que ae evadi sem ser co-
ndecido.
O mesmo medico cima vietonou o offendido,
declarando ser leve o ferimento.
Coatresso Oramttilco Benetlcente
Estu sociedade realisar amonba, no theatro
atada Isabel um espectculo em beneficio de seus
cofns, levando a scena o importacte drama iotitu-
udo Espido Fda'ge.
Para o nalPara o Rio de Janeiro seguir
hoje no paquete infles Neva o Sr. Dr. Joo Pinto
\Iarhn.in P .rtella.
No paquete nacional Espirito Santo seguiohm-
t m o ftr Dr. Tito CeleuCorreia Ceaar, oltimnmen-
t nemeado juit muuicipnl de Palmeiras, no Rio
Grande do Mu. Cargo de que vai tomar poste.
Agradecendo as visitas que nos fizeram, dse-
jamos a ambos boa viagem.
(anhoaelra Lnmeto Este oa/io de
guerra nacional aucoradu n<-ste porto, acaba por
or lem do quartel general de njs^nnba de ser posto
a disposico do Exm. Sr. cbefT de diviao, J..s
Mainel Picaneo da Custx, afim de se empregar no
servico das Roccas.
HouboAmanbeceu hontem roubado o esta-
h-|.-cimento de m ohaaos ra do Mrquez do
llerval n. 73, pertenceote aos Srs. Santos & Alves.
Parece que os ladroes ficaram durante a noite
oceultos no eatabelecim ni o, donde sahiram tmen-
le depois de torcarem urna cartela, de quesubtra-
hiram cerca dr 40* em dinbeiro, urna cadeira de
uro para relugio, a que estavam presos dous an-
n id. e urna rede que f ji encontrada na calcada da
casa, ra da Palma.
Eleico municipal na EaaadaNo
dia 30 do crreme miz tei lugar na Escada a
eleico para um camarista que preencha a vaga
deixada por Francisco Napoleo da Siva Lobo,
fal ecido.
VarrlnaraNo Aaylo de Mendicidade, em
Sauto Amaro das Salinas, podero as peasoas que
desejari-m Vaccinar-se, comparecer a tercas-teiras
pelas 8 horas da manh poia ahi encoutraro o me-
die i do estabelecimeoto, o Sr- Dr. Santa Rosa,
oue de boa vontade se presta esse fim
Oonvem que os moradores das circumvisinban-
cas aproveitem a opportunidade que ae Ibes ofie-
reca de vaccinar-se, visto havsr all actualmente
excelleote vaccint.
Heunie aoelaeaHa amanh aa segu'n-
tes: '
Da Sociedade Minerva Progresso rernambuca-
oo, s 10 horas da mauh, em sua sede, para em
sesso de asaemoia geral ordinaria tratar de ne-
gocios diversos e urgentes.
Do Monte-Po dos Typographos de Peraambuco,
s 10 horai da manh, na Praca de PWro II n.
75, 2 andar.
Do Club Internacional de Regatas, s 11 horas
do da, na respectiva sede.
Da t'ortugueza de Beneficencia, s 4 1/2 horas
da tarde, para eleico de um director.
Do Ncleo Artibtico Abolicionista, s 4 horas
da tarde, na ra do Coronel Suassuna n. 190.
Segunda teira tero lugar as seguintes :
Do Comit Litterario Acadmico, s horas do
costnme, para eleico da respectiva direetoria.
Cluli Carlos Gomesj Hoje realisa-se o
sarao deste Club, precedendo a ceremonia da posse
da uova directora.
Neasa meama necasio ser collocado um qua-
dro no qual so acha retratada o corpo musical de
mesmo Club.
Gabinete de Leliura (.amelletren-
aeCcmmu'iicam-nos :
No da 7 do corrente esteve o Gabinete de
Leitura Instructiva e Recreativa Gamelleircnse
emband.irado sendo a noute Iluminado nao s
por ser a data gloriosa da nosaa independencia
como tambem por ser a vespera do 9 aoniversa-
rio do mesmo Instituto, sendo a noite muito con-
corrida por familias o cavalheiroa.
No dia 8 pelas 4 horas da tarde, ao toque do
bymno brasileiro e perante peasoas gradas, foi
aberta a sesaao, proferindo o presidente Sr. Lou-
renco do O' uin discurso eorrespoulendo perfoita-
meute a espectativfc do auditorio.
Oraram tambem os Srs. Auatricliano e Joa-
quim Piraj, tendo sido ambos applaudidos.
As 5 horas da tarde sahiram em paaseiata pelas
rusa da villa, oa socios acompaubados de msica e
creacido numero de cavalheiros.
As 10 horas da noute teve principio um sars
que probngou-seat as 2 horas da manh tendo
sido bastante concorrido.
O Imperador da ailemanbaSegnn-
do urna correspondencia dirigida de Berlim para a
Independencia Belga, cjrreu o boato do que o im-
perador ti vera na tarde de quinta- fuira, 29 de
Agosto, comeco do urna Eyacepe.
Em os pormenon a, com a data de 26 do corren-
te qu-i aquelle jornal d a respeito da indisposico
de su* mugestade :
II nteic noit, segundo o costuma, tomou-se
o cha no Dalaco assiatind < olguns ofiiciaes :
O imperador eatava muito oem diapqsto. Os
convidados tir.hau-ae despedido alguns minutos
antes, quando sbitamente, ao atravessar a sala,
easaSoaieoa, havendo temp de impedir que elle
cahisse.
A imperatnz, que j se tinha retirado momentos
antes, voltou l-go.
O deamaio duroa c rea de dez minutos.
03 mdicos permaneceram cabeceira do doen-
te tuda a noite. si b-m que o aeu estado algumas
boras depois nao insprasau uui lados.
Eata msnh eatava bom, e rec-obeu o conde Per-
poucher, grande marechal da corte, que vem todot
os dias presentar ho soberano o aeu relatro.
E' conveniente nao ligar grande importancia a
c-cta recepcao.
O im, 'Tidor, moribundo ainda, recebera o con-
de Perpoucher, qu-, d'entre todos que cercam o
imperador, e excepcao da familia real, a pes-
soa que g'.aa de inaio- intimidado. Para receber
o conde Perpoucher, o soberano no f*z toile'le.
Trata o conde cato ao toas-; toa camarista.
E' extraordinario que eate bomem, n'uma t-dade
tao avanyadH, afiectado d'uma doenc* rio dolaros,
iiio teaba ] > exiiilulo o ultimo suspiro.
Nao ihea oinmunieo ueuhuma u-vijade, dizen
do-Ibes que o imperador padece de urna molestia
de bexiga ha.muioa autius, < que esta doenca com-
plica muito aa couaas quando o do-mte :orn de aa-
sistr a urna parada, a urna manobra, n'uma pala-
vra, a qualquer ceremonia que obrigue o perma-
necer multo tempo em puolico .
O muen de contrabandoEm Lon-
dres or Janiaou-se receatemeute o mais original dos
museuB : o de contrabando.
Ao entrar no local, a primeira coisa que se v
urna cnerme estatua de Wellington, toda de chum-
bo. A historia deata estatua nao destituida de
interease.
O chumbo, como metal utilisado na guerra, paga
na Inglaterra elevados direitoa ; mas transforma-
do em ubjecto de arte nao paga nada.
Um industrial, que era um finnrio, conceb'u ha
annos, um pensamento patritico em harmona
com os sena proprios interesses. Man Java con-
struir em grande escala as estatuas do vencedor
de Waterloo, com o fim, dixia, de dotar a todas aa
povoacoes do Reino Unido de un. monumento em
honra daquelle beroe. A' medida que iam en-
trando aa estatuas, eram enviadas a Birmiogham,
onde eram tundidas.
Admira-ae tambem naquelle musen o modelo de
urna mulher contrabandista, que apresenta em
Vilta da cintura aberturas hablm-nte disfarcadas,
as quaea se ocuultavam urna infinidade de ebje-
ctoa, que deviam ser pasaados fraudulentamente.
A estatua, admira velmente construida, est cheia
de mercaduras da Blgica.
Por todas as partes veem-ss objectos sorpren-
dentes. Um cao cheio de alfayas, um gabo em
cujas algibeiras podem esconder-se 140 relogios,
sem que o voiume despert a mnima suapeita ;
um par de botas cujas solas esto providas de
caixas, e varios lvros encadernados que nao sao
mais que preciosos estojas para joias e diaman-
tea.
O novo museu foi organsado para a instruccao
do peasoal das alfandegas e nao est aberro para
o publico. Mas com urna autonsaco especial
podem ser admirados os productos da maravilbosa
iniciativa dos eternos inimigos da fisco.
Wianley Cntina a nao baver noticias posi-
tivas acerca do explorador americano, ou, para
melhor dizer, ha noticias, mas que sao anteriorea
algumaa semanas ao momento em que teria tido
lugar a catastrophe annoneada pelos despachos
do conaui geral da Franca em Zanzbar.
Segundo o Mouvement Gugraphiqte, de Bruxel
la?, Stanley deveria, se nenbum traastorno o im-
pedase no caminho, ter ebegado ao lago Alberto
na primeira semana de Agosto; e, segundo este
clenlo, deveria estar junto de Emin pacha, em
Wadelai, at ao dia 15.
Mas tudo isto nao sao seno auppasicoes, e as
noticias que agora ha sobre os principios da expe-
dico sao muito mais intereasantes
Pelo agente Modesto Baptista, s H horas, aa
Companhia Pernambucana, de vinhos.
Pelo agente Brito, aa 11 horas, ra do Im-
perador n. 16, de predio*.
Segunda-feira :
Pelo agente Pestaa, s !11 horas, na ra do
Vigano Tenorio n. 15, do estabelecimento ahi
BtO.
Pelo agente Pinto, s 10 horas, na ra do Mar-
ques de Olinda n. 53, de solea, coaros, peles, ar-
tigo* para loja de sapateiro e eelleiro, etc etc.
Pelo agente Brtto, s 10 1/2 horas, na ra
Pedro Alfonso n. 43, de movis, loucas e vidroe,
etc.
Terca-feira:
Pelo agente Pinto, s 11 hora, ra do Mr-
quez de Olinda n. 52, de um cofre, etc.
Mlsata fnebreSerao celebradas:
Segnnda-teira :
A's8 horas, na ordem terceira de S. Francisco,
por alma de D. Emilia Vieira Nones ; s 8 horas,
na igraja dos Marlyrios, por alma de Themoteo
Marcelliuo da Silva; a 7 1/2 horas, na Ordem
Terceira do Carmo, por alma de Jas Po Cesar ;
s 8 oras, na matriz da Boa-Vista, por alma de
D. Anna Mara Kneip.
Qnarta-feira :
A'a 7 horas, na igreja de S. Pedro Marfyr de
Olinda, por alma de Miguel Pereira Giraldes.
PantiageiroaChegados dos portos do norte
no vapor nacional Espirito Santo :
Manoel da Silva Brando, Manoel Baptista Hen-
rque, Mauoel Cesar, Manoel Fauatiuo Gomes,
Joo Baptiata Rezende, Isabel Mara Henrique,
Juo Baptista da Franca, Raymunio Jos da
Silva, Dr. Thomaz Pompeu Accoly, 4 impsraea
marinheiros, Eugenio do Amaral, Ismael Cesar
Duarte, Antonio Hrtencio, Augusto Lem.38, Luiz
Antonio de Souza, Victorino Vinagre, Vicente
BermenzoU e Joo Carvalho.
Sahidos para o norte no vapor nacional Pira-
pana :
Manoel Pires, Mauor-.l Lapes Pessoa, Mauoel
Freir de Araujo, sua senhora, 3 filhoa, Antonio
Fernandes Bargas, Dr. Francisco da Cimba Silva
Primo, Antoiio Joaquim Goncalvea Fraga, sua
lilha, Jerooymo Ribeiro de So iza, Diomedea Ti-
noco, Francolino Rodrigues de Moura e Prudente
Alecrim.
Sahidos para os portos do sul no vapor na-
cional Espirito Santo :
D. Guilhermini A. da Silva, Dr. Francisco
Jaciuth > Pereira da Motta, sua senhora e 4 filhos,
alferes Raymundo Magno da Silva e 1 criado,
Jos Augusto do Azevcdo Marques, sua senhora,
5 filhoa e 1 criada. Io cad -te Herrao;enca Costa
da Silva, 2o dito Manoel agasto d- Athahyie, 2o
dito Antonio das Ctiagaa Oaveiro, 2o tenente Jos
Borges L-tao, Pucer Andrea, Friorn Gio7ani,
Joaquim Pedro dos Santo?, Argemiro Pereira, Ma-
i I (criado), Seraphim Games, Vctor Dantas
Villar, Ame-rico Macedo, Antonio Aff mso dos San-
toa, Vicente da Silva Paranhos, Bernardina Jos
Caldoso, Pedro de A. S-lveira, Dr. Jacintho C.
. Motta, Dr. Jos Hiracioda Ciata, Manoel Vi-
cente Cav.,lcantc, ana senhora e 2 filhos, camiien-
dador Cuoertino de Guimares Bastos, Tito Car-
rea C--aar e sua senhora, Americo Christma C.
Cesare 1 filha, Anisio T. da Costa, Pedro Cor-
roa da Cunba, Aftonso Goncalves, Ernesto Geor-
ge, Julio Guimares. Alfredo Marques e D. Al-
bertina da rtilva.
Directora, da obran ao conaerva-
cao doa portoaBoletn) meteorolgico do
JU 22 d- Setembro de 1887:
ilora; a-a Barmetro a ll<> Teaao do vapor o a as 'i
s* 14,72 3 3
6 m. 21ol 762">66 80
9 1*0 763n>90 16,15 61
12 23'3 76322 17,35 62
3 t. 27-7 761">56 16,74 61
6 262 76l'5; IH.11 73
Tempc-ratura mxima28*,75.
Diu mnima21",25.
Uvaporaco em 2i huras an sol: 7",8 ; som-
bra: 3-,8.
Cbuva0">,4.
Direccao do vento : SE de maia noite at 4 horas
e 10 minutos da mauh; SSE at 4 horas e 39
minutos ; S at 6 horas e 54 minutos; SSE at 7
horas e 10 minutos ; SE at 11 boras e 23 minutos;
S com interrupcdes de SSE e S at 7 boras e 33
minutos da tarde ; SE, ESE e SSE alternados
at meia uuitr.
Velocidade media do vento : 2n>,64 por segundo.
Nebulosidade media: 0,23.
Boletim do porto
15. Z 3 a Dia Horas Altura
P. M. B. M. P. M. B. M. 22 de Setembro 23 de Setembro 822 da manh 150 da tard 8-41 224 da manh 2,n>30 0,>9 2,n>20 0,">65
Cata de laeteucoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detenco do Recie no dia 22 de
Setembro de 1887 :
Existimo 380; entraran) 6 ; sahiram 9 ; exis-
ten) 377.
A saber :
Nacionaes 351 ; malheres 9 ; eatrangeiros 10 ;
eacravos sentenciados 6 ; dem processado 1 ;
Total 377.
Arracoados 358, sendo :
Bons 334 ; doentes 24 Total 358.
Movimento da enfermara :
Teve baixa:
Joo Francisco de Oliveira.
Tiveram aita :
Antonio J-a de Santa Auna.
Ait nio de Souza Almeida.
Emilio Joaquim da Silva.
lioterla diveraaaA 'aai Feliz, de A.
A. dos Santos Porto, na praca da Independencia
StanTej deTxo Stanl7y-Poo" ao 1 de Maio, 1'. 37 e 3?, tem a venda os bilhetes das seguintes
frente de 612 b .mons, dingindo urna fl >rilha com- '
pesta do Henry, Reed, do Stanley, da Florida, do
Peace, do En-Avant o de dous balieiros.
A 30 de Maio, depois de numer sos accidentes,
Sfaul-y chegou a Bcn {ala ; tiuba encontrado no
caminbo o major B irttelot, que tinha subido a p
a nv;rg-m esquerda do Congo.
Em Bengala, Stanley aeparou-sc de Tippo-Ti-
p i, que ta tomar o co.-nm.ando do dittricto de Stan-
ley-Fal la.
O explorador americano julgou iuutil reclamar
o concurso do chele rabe, e tinha-o confiado ao
major Barttelot, que tinha ordem de acompanhar
at Stanley-Falls e ahi permiueeer o meaos tem-
po jotsivel, e voltar a juntar-se exp-;dieo no>
rpidos do Arurviibi, facto que deveria ter lugar
em 20 de Junbo.
19 de Junho, Stanley, frente da sus fl ti
Iba, como diz o orgo olficial do notado livre do
C ngo, estava diante da aidea de Yanbonja. Jul-
gava verte obrigsdo a dar batalba, mas os iudi-
genas, espantados pelo ruido do sibilar do vapor,
fugiram.
atanley todo proceder sem combate installa-
co de um posto t irriticdo. Aqu terminam as
noticias. Sibe-se, entietanto, que Stanley devia
partir a 17 de Junbo e dirigir-ae a marchas forea-
da5 para o lag > Niganta com 414 soldados, levan-
do cuui-igo ama baleeira de ac > para navegar ao-
bre o lago. Nada prova que na sua marcha para
a frente nao tivosae sido atacad ; preciso, pois,
esperar o prximo c .rreio do Congo para poder con-
firmarou desmentir a noticia da morte do explora-
dor americano.
Urna actriz aaaasalaa-Eji Sant Malo,
Fruc,a, urna actnt dramtica, chamada Eugenia
Z unel, vendo passar pela ra um teoent-< do 15
baUlbo de artilbTia, dirigo-ae a elle e ferio-o
o-8 coate Ns com orna espada que levava escon-
dida no guarda-sol.
O officinl gritn :
Aiarri-m na, toi ella quem me ferio !
-- Sim, respondeu Eugenia Zouriel, e tenho pi-
na de te nao ter morto.
Eugenia foi entregar-se priso, e declarou
qne proceder assim por vinganca. Depois de
ter vivido doas annos com elle, tinha sido ltima-
mente abandonada.
wae ""Ettectuar-se-hao:
- Hoje :
Pelo agente Martina s 11 horas, ra do
Coronel Suasauna n. 24, de moveit, loucas e vi
dros.
Pelo agente Pinto, a 11 horas, k ra do Im-
perador n. 16, de predios.
Pe agente Pinto, a 10 i/2 horas, na Baixa
Verde n. 10, de movis, lonca e vidros.
loteras :
Espirito-Santo : A 4* parte da 4 lotera,
cojo premio grande de 50:000*000, pelo novo
plano, se extrahir no dia 30 de Setembro impre-
terivelmente.
Alagas: A 3. parte da 20.* lotera, pelo
n-vi plano, cujo premio grande de 40:000*000,
ser extrabida no dia 29 de Setembro, as 3 ho-
ras da tarde, impreterivelmente.
Provincia : A 10" lotera, pelo novo plano,
cuja premio grande 12:000*0u0, se extrahir
quando ior annunciada, s 2 horas da tarde em
beneficio da Sauta Casa da Misericordia do Re-
cite.
Santa-Catharina: A 1' parte da 2a otleria
cujo premio graude de 50:000* ser extrahida
bievemente.
Do Cear : com o premio grande de.......
40:000* (novo plano) aera extrahida amanh 25 do
corrente.
Bilbetea de loterasEm mo do agen-
te Beruardiuo Lipes Alheiro acham-se a venda os
bilhetes das seguintes loteras:
Do Eapirlto-Manto : A 4'partc da 4* lote-
ra, cujo premio grande de 50:000*, pelo novo
plano, ser ext. abida no dia 30 de Setembro, im-
oreterive'mente.
Uo Cear : com nm importante plano, cujo
premio grande de 40:000*000, eer exrbida
amanh 25 de Setembro.
o Grao-Para : A 2* parte da 13* lotera,
pelo novo plano, cujo premio grande de 120:000*
aera extrahida hoje. 24 do corrente, impreteri-
velmente.
De llatoaai A 2.'parte da 20. lotera,
pelo novo plano, cojo premio grande de........
40:000*000, aera extrahida no dia 29 de Setem-
bro, (quinta-feira), s 3 horas da tarue impre-
terivelmente.
Lotera do Grao-Para A 2* parte da
13 lotera deata provincia, pelo novo plano, cojo
premio grande 120:000*000, ser extrahida
hoje 24 do corrente (aabbado) impreterivel-
mente.
Oa bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23, de Martina
Fiuta & C.
Molerla do Eaplrlto-Santo A 4* par-
te da 4 loieria deata provincia eojo premio gran-
de 50:000*000 ser extrahida no dia 30 de
Satembro.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna roa Primeiro de Mareo n. 23 Martin Fia-
wftC.
Lotera do "CearEsta acreditada lote-
ra ojo premio maior de 40:000*000 ser ex-
trahida amanh 25 de Setembro.

* -

I




Diario de PemambncoSabbado 24 de Setembro de 1887



Os bit he tea acham-ae a venda na Casa da For-
tuna 4 rna Primeiro de Marco n. 23 da Martn*
Fiuza & C.
Lotera de tlasroa*A 3.* parte da 20
loteria, pelo novo plano, cujo premc grande de
40:000VKO ser extrabida no dia 29 de Setembro,
(quinta-ieira) as 3 horas da tarde] impreterive! -
mente.
Os bhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Margo n. 23, de Martina
Fiusa & C.
Latera da provincia do Paran
A 27 loteria desta provinci,pelo novo plano, cu
jo premio grande de 12:000*000, se extrahir
no dia 4de Outubro.
Uilhtea a veuda na Casa da Fortuna, ra
Primeiro de Marco numero 23, de Martins Flu-
a & C.
Lotera de H, Paulo Esta lotera cujo
premio grande de 9:000*UOO, sr extrabida nn-
preterivelineute no da 26 do eorronte segnnda-
feira).
Os bilhetesacbam-ae venda na Casa da Fortu
na ra Primeiro de Marco n. 23, de Martins
Fiusa 4 C.
Cemlterlo publicoObituario do dia 22
do correte :
Jos Maria Pereira, Parahyba, 43 annos, ca-
sado, Boa-Vista; cachexia citncerosa.
Raymundo, frica, 72 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta ; bronchite.
Antonia de Paula Mafra, Pernambuco, 40 an-
nos, casada, Santo Antonio; carcinoma.
Peiisinina, Pernambuco, 5 meses, Recife; ente-
rite chronica.
Israel Affonso Ferreira, Pernambuco, 40 annos,
casado, Boa Vista; bepatite intersticial.
Marganda Romana dos Santos, Pernambuco, 40
annos, viuva, Boa- Vista; queimaduras de kerosene.
Idalina Aidrexa do Espirito-Santo, Pernambu-
co, 25 annos, casad, S. Jos; tubrculos pulmo-
nares.
Honorato, Pernambuco, 7 meses, Boa-Vista ;
convnleoes.
Benedicto Sabino dos Santos, Pernambuco, 20
annos, solteiro, Bja-Vista; ferimento penetrante
do pulmo.
Florentino Jos dos Santos, Pernambuco, 25 an-
nos, sclt iro. Boa VUta ; cancro do estomago.
^Antonio Goncalves dos Santos, Pernambuco, 38
auno?, solteiro, Ba-Vista; tubrculos pulmonares.
Cordolioa Farias da Coocecs, Pernambuco, 20
annos, solteira, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Appellaco civel
Do CaboAppellante Manoel Camillo Pires
Fslco, appellados Joaquim Custodio Duarte de
Azevedo e outros.
DISTRIBUI95E8
Reruraoa crimes
Ao Sr. conselheiro Queiroz Barros :
De Bom JardimKeoorrente o juiz de direito,
recorrido Joaquim Bento da Motta.
Ao Sr. deaembargador Buarque Lima
De Bom JardimRecorrente o juno, recorrido
Joo Baptista de Oliveira.
Ao Sr. desembargador Tostano Barreto :
De Pao d'AlhoRecorrente o juizo, receido
Joao Carneiro da Motta Silveira.
Ao Sr. desembargador Delfino Cavalcante :
De Villa Bella Recorrente o juico, recorrido
Clemenlino de Sousa Diuiz
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciel :
De Ouricury Keeorrente o juiso, recorrido
Apolanio Pedro da Silva.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De SousaRecurrente o juiso, recorrido Andr
Tavares de Oliveira.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Do PombalRecurrente e juiso, recorrido Jos
Pereira da Silva.
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
De S. JuoRecorrente o juixo, recorrido Pa-
cificj Ene-i s Cavalcante de Albuquerque.
.0 Sr. desembargador Tavaros de Vasconcellos :
De Jaboatao Recorrente o juiso, recorrido Jo-
s Maximino Pereira Vianna.
Embargos infriagentes
Ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
Do RecifeEmbargantes Saunders Brothers i
C-, embargados os berdeires de Joaquim Jos de
Miranda.
Encerrou-se a sesso a 1 hora da tarde.
Jauta Commercial da cldade do
Recife
ACTA DA SESSO EM 15 DE SETEMBRO
DE 1887
HT0N1O OO-
CHRONICA JUDICIARA
Tribunal da ftelaco
SESSO ORDINARIA EM 23 DE SETEM-
BRO DE 1887
PRESIDENCIA DO EXH. SR. CONSELHEIRO
QUISTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume, presentes os Srs. desem
bargadores em numeo legal, loi aberta a sesso,
depois de lida e approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e passados os fetoa deram-se os
seguinles
JULGAMENTOS
Uabeas Corpus
Paciente .
Joo Pinto Leo.Negou-se a ordem, unni-
memente.
Recurso enme
Da Jaboatao Recorrente o juixo, recorrido
Francisco de Paula Lupes. Relator o Sr. des
embarcador Ta vares de Vasconcellos.Negou-sc
provimento, unnimemente.
Aggravo de petico
Do RecifeAggravante Dr. Jos Domingos da
Costa, aggravado Dr. Francisco du Reg Barros
de Lacerda. Relator o Sr. desembargador Alves
Ribeiro. Adjuntos os Srs. deserabargadores Ta-
vares de Vasconcellos e Monteiro de Andrade.
Negou-se provirneuto ao aggravo, unnimemente.
Frorogaco de inventario
Ioventaiinte Jesuina Paula de Asaumpco.
Concedeu-se o prazo pedido.
Appellacoes crimes
Do IngaAppellante o juizo, appellados Joao
Alves Nnpomoceno o outro. Relator o Sr. des-
embargador Alves Rib'iro.Deu-se provimento
a appellaco. unnimemente, para se annullar o
processo de fli. 9 ein diante.
De GaranbinsAppellantejo juiso, appellaio
Manoel Gomes do Nascimento. Relator o Sr.
desembargador Monteiro de Andrade.Mandou
se a novo jury, unnimemente.
PASSAGENS
Do Sr. conselheiro Queiroz Barros ao Sr. des-
embargador Buarque Lima :
Appellacoes civeis
Do Recife Appellante Dr. Alvaro Augusto
Carneiro Leao, appellados Jos Pereira de Ama-
res e outros.
De BinaneirasAppellante Luiza Josepha da
Gonceico, por seu curador, appellado Joo Lou-
renco.
Appellaco eriinc
Do LimoeiroAppellante o promotor publico,
appellado Manoel Alexandre de Mello.
Dj Sr. desembargador Delfino Cavalcante ao
Sr. desembargador Oliveira Maciel :
Appellac-'S crimsa
Do Brejo da Madre de DeusAppellante o jui-
zo, appellado Manoel Felippe Gines.
Do Rio FormosoAppellante o juizo, appellado
Joo Fagundes dos Santos
De PalmaresAppellante Francisco Nunes da
Silva, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrnde :
* Appellacoes crimes
De Xazareth Appellante Antonio Ferreira Pin-
to, appellada a Justina.
Da ParahybaAppellantcs Genuino Francisco
de Mello e outros, ap,o liada a justica.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade ao
Sr. desembargador Pires Goncalves :
Appellaco civel
Do RecifeAppellante Joaquim Monteiro Gue-
des Gondim, appellado Virginio Horacio de Fru-
tas.
AoSr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellaco crime
Do LimoeiroAppellante Fortunato Alves Pi-
nbeiro, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Pires Goncalves ao Sr.
Sr. desembargador Alvs Kibeiro :
Appellaco crime
Do LimoeiroAppellante o promotor publico
appellado Manoel Francisco Tavares.
Appellaco civel
Do RecifeAppellante Luiz Pereira de Faria,
appellado Antonio da Silva Ferreira Jnior.
O Sr. desembargador Pires Goncalves, como pro-
curador da cora e promotor da justica, deu pa-
recer nos seguintes teitos :
Appellacoes civeis
De Cmara ibeAppellante o juizo, appellado
Manoel Francisco Salgueiro.
De Pao d'AlboAmpollante D. Joanna Fran-
cisca de Mello Cavalcante, appellados D. Auna
Joaquina da Motta Silveira e outro*.
Appellaco-s crimes
D'AreiaAppellante o promotor publico, appel-
lado Joo Jos Pereira.
De PesqueraAppellante Manoel Goncalves
da Silva, appellada a justica.
De Serinbem Appellante Angosto Camello
Pessoa de Siqueira, appellada a justica.
Da IndependenciaAppellante .0 juizo, appel-
lado Manoel Joo de Oliveira.
De ItambAppellante Joo Galdino de Arau-
jo, appellada a justica.
De Alaga do Monteiro Appellante o juixo,
appellado Joo Augusto do Moraes.
De Pao d'AiboApp'llante Adeiino Candido
ia Cunha, appellada a justica.
Do Limoeiro Appellante .0 juiso, appellado
Mauoel Francisco B >rges.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
desembargador t'avares de Vasconcellos :
Appellaco civel
Do RecifeAppellante Dionisio da Silva Gui-
mares, appellado Manoel Alves Guorra.
Do 8r. desembargador Tavares de Vasconcellos
ao Sr. conselheiro Queiroz Barros :
Appellaco commercial
De PalmaresAppellante Leocadio Antonio
Lflio e outro, appellado C.ndido Alves de Paria.
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica :
Appellacoes crimes
De Ouricury-Appeiiaote Maximiano Josa Cle-
mente, appellada a justica.
De Alag* do Monteiro Appellante Joo Ela-
terio da Hilva, appellada a justica.
De OlindaAppellante o juiso, appellada a jus-
tiaa.
Ceo vista s partes,:
PBBSIDENC A DO ILL*. SR. COMMENDADOB
MUS DB MIRANDA LBAL
Secretario, Dr. Julio Guimardes
A's 10 horas da manh declarou-se aberta a
sesso estando presentes os Srs. deputados Olinto
Bastos, Beltro Jnior e Hermino de^Figueiredo,
(altando com participado verbal o Sr. commen-
dador Lopes Machado.
Lida, foi approvada a acta da sesso anterior,
e fez-se a leitura do seguinte
EXPEDIENTB
Oficios :
De 10 do corrente, da junta dos correteros
desta pracs, enviando o boletim das cotacoes
officiaes de 5 a 10 do p.esente. Para o ar-
chivo.
Diarios Officiaes de ns. 239 a 240.Para o ar-
chivo.
O n 95 do Diario do Parlamento Brazileiro.
Archive-se.
Foram distribuidos rubrica os seguintes
livros :
Diario de Manoel B;nto Borges Cmara, co-
piador de Tavares de Mello Genro & C.
DESPACHOS
Petices :
De Cydrouio Ignacio de Mello, adiada as ses-
ses de 1 e 9 do corrente, solicitando carta de ne-
gociante matriculado. O supplicanle natural
desta provincia, de 40 annos de idade, domiciliado
nesta cidade e estabelecido com casa de coinmercio
de carnes verdes ao largo da Paz, em Afogados.
Sao attestantes do crdito commercial do impe-
trante Gratuliauo dos Santos Vital, Pedro Atezan
driuo Maia e Silva e Joo Rodrigues de Moura.
Indeferida.
De Joaquim Cancalves Casco, nica represen-
tante da tirina Goncalves ac C, para que se d
baixa no registro da procuraco que passara a
Antonio Jos Das Piuheiro. D ce a ba;xa pe-
dida.
Da J. A Maia e Silva Jnior 4 C, proprietarios
da pharmacia denominada dos Pobres, para
ijue se f*c>t nota no registro da marca de commer-
cio de Firuiino Antonio Souto-Maior Raposo, n.
43, que dita marca perteuce aos supplicantes
Facain-se as competentes averbaco;s nos termos
do art. 13 do decreto n. 2,682 de 23 de Oatubro
de 1875, devendo o etfeito legal do registro n. 43
durar somente at o anuo de 1892, sendo renovado
fiudo esse prazo, para que a propriedade exelusi
va da marca seja mantida de conformidad^ com o
predi t o decreto.
De Miguel Archaojo Ramos de Oliveira, para
que se o baixa no registro da nomeaco de seu
ex-caixeiro Candido Jo de Santa Anua. fago
o s -lio da baixa, como requer.
De Alfredo Alves da Silva Freir, para que se
registre a uomeaco da seua caixeiros Como re-
quer, depois de satisfeito o parecer fiscal.
De Mancel Joaquim Ribeiro & C, para que se
d b*ixa no registro da nomeac^o de seu caixeiro
Nero Correia Maciel.C>mo pedem.
De Jacintho Pacheco Pon tes, para que se re-
gistre a nomeaco de seus caixeiros e lhe seja
restituida a procuraco que apresenta. De-
ferida .
Prcferio-se o despachoRegistre-seas se-
guintes peticocs, solicitando registro de nomea-
coes de caixeiros de :
Manoel de Barros Cavalcante.
Manoel Alves da Silva Maia.
Gustavo A. Hallichard.
Jor Ribeiro & C.
Manoel i^n-ier drneiro de Albuquerque.
Das & C.
Barbosa Ramos & C.F
Antonio Liralvia.
Andr Affonso & Filho.
J. A. Maia Silva Jnior &C.
Antonio Francisco Areias.
Pedro Manoel da Trindade.
A Gomes Maia i C
Pedra Emilio Roberto.
Uenrique de S Leito z C.
Affonso Ferreira Baltar.
Santos Sl C-
Do gerente dos trilhos urbinos do Recife a
Olinda e Beberibe, para que s-j-im archivados o
balanco e a relaco dos accionistas desta compa-
nhia.Archive-se, na forma dalei.
De Jos Joaquim G. de Barros 5c C-, pra que se
registre a uomeaco de seu caixeiro.Regstre-
se, depois de satisfeito o parecer.
De Papoula Irroaos, dem. Deferida, depois
de satisfeito o parecer.
De J. Bastos & C, dem.Como pedem, depois
de s tisfeito o parecer.
De Carpinteiro Peres xa nos sens ex-caixeiros Antonio Venancio da Sil-
veira e Auaatacio Alexandrino de Salles Dutra
Jnior.Como pedem.
Dos mesmos, para que s"-ja registrada a nomea-
co de seus caixeros--Registre-se.
De Jos Frencisco Pinheiro Ramos, da cidade
do Espii ito Santo de Pao d'Albo, para que se re
gistrem duas nomeacoes de seus csixeiros Severl
no Gaudencio Fortado de MendoDca e Jos Fran-
cisco da Rosa Jnior.- -Sejam registradas.
Nada mais bouve e fui encerrada a sesso s
11 horas 1|2 da manh
^5es dos orgaos genitourinarios do bomem
da molher.
Dr. Joaquim Loureiro medico e parteiro
Consultorio na ra do Gabug n. 14, Io
andar, de 12 s 2 da tarde residencia no
Monteiro-
vaeelaa
O Dr. Santa Rosa medico do Asylo de
Meadicidade, vacciaar as pessoas qu
para esse fm se appreaentarem n'aquaile
estabelecimento de caridade, todas as tar-
cas-feira8 pelas 8 horas da manh3.
Clnica medica
O Dr. Matheiu Vaz, de volt* de sua via-
gem, contina no ezercicio de sua profis-
sao, para o que ser encontrado de 11 ho-
jas da manhS s 2 da tarde na ra do Ba
rSo da Victoria n. 32, 1. andar e em ou
tra qualquer hora ra da Princeza Isa-
bel n. 6.
Pode ser procurado em seu escriptorio a ra
1." de Marco n. 4, 1." andar.
O baeharel Bonifacio de Arago Faria
Rocha continua a encarregar se, mediante
previo contrato, de questoea perante os jui-
zes desta cidade e os das comarcas visi-
nhas. Poder ser procurado em seu es-
criptorio ra do Duque de Casias n. 50,
1. andar, das 10 horas da manhS s 3 da
tarde.
Cognac braxileiro
De A. M, Veras C. garrafa 1JO0O,
descont de 5 [ em duzia na fabrica.
Collesrlo Spencer
Estabelecimedto de educaco primaria e
secundaria em Jaboatao, sob a direccSo do
Jos de Oliveira Cavalcante.
Drogara
Francisco Monoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cos e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por
atacado, ra do Merquez de Olinda n. 41.
Herrarla a vapor
Serrana a vapor e qfficinas de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Neste grande estabele-
cimento. o primeiro da provincia neste ge-
nero, comprase e vende-se madeiras
de todas as qualidades, serra-se madeiras
de conta alheia, asbim como se preparam-
obras de carapina por machinas e por pre-
yo sem competenciaPernambuco.
Chefe !...
Habis o que ser chefe?
Nao sabis o que disse Christo ?
O cargo nao para ser servido, para ser-
vir.
O chefe o que mais possue a idea, e que mais
capas de lhe dar o movimento poasivel.
O chefe poltico nao servida, serve. Serve com
amor, paixo, pasiencia, sacrificio ; porque no ser-
vico ao publico pelas batalhas das idiis, so ha sa-
crificio.
Nao dos menores sacrificios a responsabilidade,
e por isso o homem nao pode confiar so de suas
torcas, por mais robustas que as si uta, o des m-
penho das altas tarefas que toma seus hombros,
se nao espera de Deus o maior auxilio, como muito
bom o disse Joaquim N .buco da varanda do Sr.
Numa Pompilio ao povo, que o victoriava por seu
trinmpho.
Ha Leo que ao menos comprehenda isto 1
Pie ser; mas noconheco algum.
Recife, 22 de Setembro de 1887.
Affttuo de Albuquerque Mello.
-----------------^,
Ao iiiajur Alfonso Leal
No doro...
Como cidado brasileiro repleto do direito que
me asaiste e ferido dir? e indirectamente par
estas e outras injusticas da 14 de Setembio de-
claro que abanHaoo o partido conservador a que
sempre pertenci e llio-me ao partido republicano
onde aojcolono nao dado coloniaar, como o ineu
amigo e collega major Antonio Affonso Leal que
se fes secretario da dita sem nomeaco quando o
secretario sou eu e muito Utico e sem ser da viga
verca.
Sobre o assumpto aguardo devida resposta de
primo para dar comeco a diacusso que sobre dita
causa tem reeolviJo abrir.
Mascaras abaixo.
J. F. da FjUh Cruz,
Capito da guarda.
Gloria do Goit
Horroroso
Srs. redactores. Queiram Vv. Su. ter
a bondade de chamar a attencjto dos Drs.
juiz de orphlos e chefe de polica para
urna ciulher desalmada e perversa mora-
dora a ra daCadeia Nova n. 35, pois cos-
tuma a honrada senhora castigar barbara-
mente a urna menina de tenra ida le por
qualquer fJta que oommetta.
Nao haver um meio do fazer nessar to
revoltante acto de malvadez, tilho de um
corayo alheio aos s;ntim-intos de compai-
zSo para com aquelles qu nao tem paes ?
Muito nos penhororao Vv. Ss. inserindo
em seu conceituado Diario esta nossa re-
clamado.
Muitos vis inhos.

Nao respondera ao mlssivista desta cidade, para
o Jornal do Recife de 17 do corrente, se foses lido
nicamente pelas pessoas desta localidade, mas,
como lido por pessoas que nao me conhecem, vou da parte femioina da nossa sociedade, afim de que
mostrar as inexatiJoes que n'ella se contem. j todos se c.ngreguem em urna reunio imponente
Qualifica o missivista de exaltado e rancoroso o 1 digna a todos os respeitos da Ilustre seuhora a
Conferencia abolido nista
A 19* conferencia, das promovidas pelas socie-
dadesUuio Federal Abolicionista e Pernambu-
cana Contra a Escravido, ter ligar no domin-
go, 25 do corrente, 1 hora da Urje, na th -atro
das Variedades.
Com a uiior gentileza eocarregou-se dessa
conferencia 4 Exma. Sra. D. Mara Amelia de
Queiroz Sodr da Motta.
Enunciar daqui o svmpatbico nome da gentil
se ihora, de certo bastante para que o resultado
da conferencia, miis do que o de todas as outras,
seja traduzido em um immenso beneficio i raca
escravisada ; tanto mais quanto pura honra desta
provin-ia ser a primeira ves quo urna senhora
brasileira. respeitavel sob todos os ttulos, ha de
transmittir-nos da tribua as mais delicadas eno-
9oes da alma femimna em prol de urna raca que
chora 300 annos de martyrio no proprio solo da
patria !
E: do dever porm das sociedades promotoras
da conferciicia, appellar para os elevados sentl-
mentos de humaudade e espirito de civilisaco e
progresso deste publico generoso, e especialmente
rotechnico Teixeira e fendero os nV^H
versos morteiros e bal5es areostaticos. A.
Companhia Ferro Carril augmentar nea-
8es dias o numero de carros para satisfa-
zer completamente concurrencia publica.
Afogados do Recife, 22 de Setembro d
1887.
Vigario, Francisco Raymundo da Cun
Pedrosa.
Deseja-se saber
Na travessa do Veras, sonrado n. 15 deseja-st
saber onde moram o Sr. R.ymundo Tavares da
Costa Miranda, u as Exmas. Sras. DD. Catharina
Tavares da Costa Miranda e Manuela Tavares da
Costa Miranda.
E' para assumpto que interesas as mesmas pes-
soas.
Cognac Brazileiro
Amanb, domingo, de manh na casa de Bauhoc
do Sr Medeiros e a noite no sorvete .Familiar de
Sr. Cirios, distribuir-se-ha, gratis, aos frequen-
tadores destes estabelecimentos, um calix do puro
e saboroso Cognac Brazileiro de nossa fabricaco.
Recife, 24 de Setembro de 1887.
A. M. Veras & C.
PLBLICOES A PEDIDO
INDICARES DTE1S
Medico*
Dr. Barros Sobrinho d consultas da
meio dia 1 1/2 na ra do Barao da Vic-
toria n. 25 por cima da Pbarmacia F an-
ceza, e das 2 s 4 na ra do Vigario n. 4.
l.o andar
O Dr. Lobo Moscoso, de volta de sua
viagem ao Rio de Janeiro, sonatina ne
oxereicio de sua profisafio. Consltuas das
10 s 12 horas da manh. Especialdades
aperarles, parto e molestias de senboras e
meninos. Ra da Gloria n. 39.
Dr. Barreto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da oaaa
a ra 1* Bario da Victoria, n. 51. Resi
dencia roa Sete de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
O Dr. Castro Jess tem o seH consul-
torio medico, ra do Bom-Jeaus n. 23,
obrado.
Dr. Gama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ra do B. do S.Borj 1 n. 26.
Consultorio : ra Larga do Rosario n. 24 A
Consultas das 11 horas da raanhi s 2 da
tarde. Especialidade: molestias e opera-
A tiefl 1 do partido liberal per-
nambucano
Nao porque pertenci a esta familia que ve-
nh) dizer a minba Ida nesta delicaJa queato ;
pois, se pelas minhas idis adanfadas est essa
grei mais perto de mim do que a outro monarchi-
ca, muito maior mal faz ella s taes adiantadas
ideas, dizendo-se mais approximada a ellas, do
que a conservadora, que Ibes abertamente ad-
versa.
Mas enafim, como elles, os senhores liberaos, di-
zem que esto muito p^rto de nos outros da rep-
blica (embora as minbas circuinstancias ic; te-
nbam prejudicado para a sua propaganda) e mais
anda porque, sempre que posso, entro as qoea-
td>s que, directa ou indirectamente influem uob
interesara de miuba trra, e infelizmente teuhi de deixar meus filbos e ne-
tos, por isto que vou dizer essa loa nesta ques-
to m alentosa.
Mnln memoria frac* e nao tenho tempo de
consultar agora livros que ha tantos annos li,
para citar os noines e os tactos com preciso ; mas
embrome do certo episodio da revoluco franceza,
em que Napoleo e mais dous uo sei se Birras e
Siaey, se constituindo nao asi se um conselho ou
governo, um dos outros dous, o que pretenda a
presidencia ou ebefia, dase para Napoleo e para o
outro :
a Devemos aasentar em qual de nos nos deve
presidir.
E o outro respondeu-!he com urna accentuaco
esmagaoora e indicando com a mo abeita Na-
poleo :
Ora! pois isto queato que se propouha
sendo entre nos o general ? a
A minba ld*> parodiar este dito :
Pois ha queato de dictatura sendo Joaquim
Nabjco entre Lu>z Felipp) e Jos Mirianno ?
E quem que dentro e fra do Brazil nao dir
que assim ? !
Na buco nao bavia Je dizer eu sou o chefe !
Por isto proclaojou tal por palavra e por escripto a
Jos Marianno, que o none que ao seu ajuntam
todos os que Victoriano o seu triumpho.
Mas o chefe, se o verdadeiro chefe, em qual-
quer lugar e em qualquer tempo, nao se nomi,
nem se elege. E' o assentimento geral que o re
cebe, pela superioridade de eua inteligencia, pelo
seu patriotismo, pelos sens sentimentos humanita-
rios, p:los seus trabalhos, dedicaclo e sacrificios
cousa publica, pela purezo de sua conducta mo-
ral, pela sabodoria dos conceitos, pela eloquencia
que arrebata ou que impos na expresso ingenua
dos puros sentimentos, na clareza das ideas gran
des ou peque as.
E' por iatoque seado Joaquim Nabuco entre Jos
Mariauno e Luiz Felippe, nem a mil leguas de dis-
tancia licito perguntar quem seja o chefe do
partido liberal pernambucauo.
l):ixemol-o ebegar cmara, e vamos a verla
quem o ser.
vem o Jornal do Recife em a columna do
partido liberal pernambucano, com urnas queixss,
una choros, uns lamentos, urnas lamunas e at
ameacas de dividir o partido em dous bandos, mo-
derados u nao adiantadoa, para ser o chefe Luiz
Felippe -
Em verdade, urna das desgracia desta trra
a ques'o da chefatura.
J oa Ledea fugiram dos conaervaderes porque
l nao eram nem segundoa, para screm os pri-
meiros entre os liberaes.
Esta pretenco que nao podem sustentar por sua
incapacidade e que elles tem re alisada muitas vezes
por protecco,porque elles tem dinbeiroque nem tem
a coragm de gasur, tem produsido alternativa-
mente a roptura e a uuio do partido liberal ou an-
tes dos liberaes com elles. que de ideas livres nada
tem, cujo espirito puramente conservador.
E' por uso que a si chaiiamlioeraca modera-
dos.
A sua constancia, a sua teima para serem os pri-
meiros, todos elles juntos constituindo uxa oligar-
chia para ser servido pelo povo liberal, leva os a
todos os meios, asa b.rbandade da ecatoxibe da
Victoria, quando os libfraes e os conservadores,
soffrendo as tropellias de seu governo, disputavam-
lbe aquel le passo.
Agora vem a mese* do rompimento por causa
da chefatura.
Onega-se a chamar ingrato a Nabuco porque
consultou-os para a eleijo. A consulta bem
clara :
Quem nao por nos contra nos.
Querein separar-se como moderados, comtanto
que seja chefe o L-u !
Com quem vo elles? Qia! seu povo ?
S podem fater ecatomoe com as armas do go-
verno, quando por triste graca lhe derem parte
nelle.
Fradisso s pdeos sahir a voltar para os con-
servadores. Mas la vo faser o papel de menos que
segundos.
Deixem-se pois de caretas, que seos dentes de
leo sem cauda nao fasem inedo.
Tomem ao cooselbo de quem nao Ihes quer
mal :
Se querem ser liberaes, estejam quietos, socega-
dos, emsegundose dim iracas a Deua. Ou-
cam a palavra de quem a sabe diaer, recebaos o
sauto e a senba, puenem pelos cobres, generosos,
patriotas, liberaes, aj dem.
Fra disso, oa faser ecatombe da Victoria, ou
como o ftlho prodigo, volcar ao lar paterno do con
lervatorio. Mas vo logo cei tos de que de segundos
nao pakssro ; porm 14 estarlo m el or pois as
ideas de uns e ouires saW mais moderadas.
De chefaocas, a nao ser de logar, villa, oa co-
marca, nao se lembrem.
digno vigario padre Joo da Costa li. de Carvalbo,
que alias, muito estimado pelos seas paroebia-
no8, sem digtinccode cr poltica, pela sua norma
de conducta, digna por certo de encomios.
Se o padre Joo fosse exaltado em poltica,
talvez que o missivista estivease militando em
suas fileiras, se elle o julgasse digno dallas.
Para o padre Joo da Costa eogrossar as suas fi-
leiras nao precisa empregar meios incompativea
com a sua vida sarcedotal. Basta a simpatbia de
que gosa,entre os seus parochianos. Mas nao se
serve della para explorar os seua adveraarios, tem
seu partido bem regimentado e confia na solidarie-
dade de seus amigos.
Ora, se elle dispoo d.;ste elemente muito pode-
roso, e nao fas uso delle, muito menos o de forcar,
na qualidade de delegado luterano, a um* pro-
fessora publica, com ameacas para obter n reti-
rada de urna procuraco que seu marido hava pas-
sado ao Dr. Marcolioo Ferreira Lima, advogado
no foro de Pao d'Alho.
Quem uo \ que tuda isto nao passa de un.
emauste, proprio de quem nao teve a devida co-
ragm de uaiuujir a respinsabilidade de seu es-
cripto, assiznaudo-o ?
E, quando meamo o noas-i digno cura, quizesse
aervir-se daquelle meio para chegar a seus fins,
ira pessotinento, e nao se servira de seu dedi-
cado amigo para faser delle um astela como disse
o missivista,
Convenca-se o missivista de que, com seus im-
properios, nao ha de abalar o prestigio de que gosa
o capito Antonio de B. Correia.
O capito Barros amigo do,nosao cura, e como
tal procura satiatazer os seus pedidos justos c com-
medidoa, mas nao um assecla, e nem emprega
muios ucojipativeis com a sua dignidade, quer
como homem poltico, quer como pariicular.
Ha aqui urna commandila diz o inissi v.sta ; con-
cordo e tceuo mes no o qualificativo. Mas urna
commandita 1'galmente formada pelo giverno do
nusso paiz, e que tem por fim garantir a honra, a
vida e a propriedade dos cidadaos desfe muucipio.
Esta ctmmandUa compoe-ae de nm juiz muni-
cipal, de um delegado de polica e de 2 subleie-
gadoa, todos solidariamente reaponaaveis, em suas
torvas, pelo bem estar de seus jnrisdiciouados.
E esta commandita in, porque uo permitte
que campHem impunemoute neste muuiuipio as-
aaaainos e desordeiros .'
Esta commaniita m, porque nao conacnte que
83 tome a torca de bacamartes a casa de umx po-
bre e inerme mulher, nico arrimo da pobreza em
que vive, como succedeu na situaco que pertence
ao missivista.
Esta commandita m, porque nao consnte
que alguem entre despticamente na propriedade
aiheia, derribando casas de moradores.
F.na'meot:. esta commandita m, porque quer
fazer reinar n'esta localidade o imperio da le-
Eis p: ique diz o missivista que o juiz munici-
pal, f-z-inao parte da commandita, mamfesta se
logo em plena cidade por urna parte.
Nao, nao coatuino pronunciar-me em favor de
qualquer das parles que perante mim litigo,
aeno quando lavro miuna a-ntenca, ou quando
concedo mandado de manutenco em favor de
quem se julga offeudido em sua posa. E, se por
cate prucedimento legal e juridi^u, o missivista
me censura, euta nao passa de um deocio, com
fuinscas de sabichu.
Exerci, durante 15 mezes o cargo que aqui heje
oceupo, no termo de S. Vicente Ferrer, e durante
nquelle tempo nao sofiri a mais leve eensnra,
quer como juiz quer como poltico, quer como
particular ; pelo eontrario permita-me]o publico a
franqueca, fui muito elogiado, como o missivista
poder 1er na Pacotilha de 17 de Maio do anno
passado, folha muito conceituada que se publica
na capital do Maranbo.
Saiba anda que nao sou conservador de 20 de
Agosto gmente, sou de mais looge, sou desde os
tempos acadmicos, e alem disto sou memoro de
urna familia conservadora, que reside muito perto
desta localidade.
Nao sou tutelado do missivista para dar contaa
da niuha norma de proceder com poltico, mas
ge quizer provaa dap lh'aa-hei.
Coacluo aconselhando-o que s diga, pela isa-
prensa aquilio que poder provar, do contrario far
a figura de um cao que ladra a la.
Termino prometiendo nao voltar a imprnsa,
principalmente para responder a quem tem sua
urigem nos desertog areuosog do Sahara.
Gloria de Goit, 18 de Setembro de 1837.
Jos' Cornelio Leitio Kangel
inielligeute poetisa pernambucam encarregada
da conferencia.
Haver a parte recreativa do costume a cargo
de distinctos artistas dramatices e professorea de
mueica.
Secretara da Sociedade Pernambucana Contra
a Escravido, 21 de Setembro de 1887.
Adolpho Guedes Alcoforado.
secretario.
A' m 11 h 4 aiha
>i horas qm eu passo nesta ausencia,
<1o correndo com entado rigoroso.
P3 trazendo a lembranga de que soffres...,
triodo sol de mioh'alma, esplendoroso,
i-inda mais avivecem a saudade
Sttural de quem vive pez-roso,
>S8stinio da sorte a crueldade! ...
faz divina que, as dores, no infortunio,
--Iluminas o chaos por onde piso...
Zo duvides que do co de meus amores
enejas tu, innocente, o paraso I...
1837.
Ihomaz Cavalcante da Silveira Lins.
Marca imitada
Todos conhecem os neg ciantea Asevedo & C.,
que tanto tem perseguido seua col egas, attribnin-
do-lbes falsificacoes e imitacoes de marcas.
Pois bem, estes sensores acabam de ser apa-
nhados com a bocea na botija, como imitadores
fraudulentos da marca registrada por Santos 4 C.
Por deciso da meretissima junta commercial,
foram apprehendidos no estaoelecimeoto dos ditos
Asevedo 4 C. rna Dnque dt Caxiag, aea mi-
Iheiros de ei arros tendo nos rotlos marcas intei-
ram-nte iguaes i registrada pelos mesmos S*nto->
a C-, que, cenita-noe, terem iniciado urna aeco
de indemnisaco contra seas sn^inarise asso-
ciados.
Al qae um da cabio a casa em cima dos Srs.
Asevedo 4 C.
UmeoUega
Potramma da tentm do Menbor Bom
1 ') do* itiuiii*. na lu i* de H
losi de Riba-Mar no dfatSdo cor-
rete.
Hoje, 24, ao meio dia, ser annunciada com urna
salva e diversas gyrandolaa de fogos do ar, tocan-
do nessa occasio a insigne banda marcial do
Crpode Poiieia. A's 7 horas da noite, terMugar o
ultimo setenario.
A's i 1\ horas daj madrugada de 25,jser reaa-
da urna miasa no altar do Uom Jess em tenco
dos irmos e devotos que concorreram com o seu
bolo para a testa, depois d que ser annuociado
to faustoso dia com una salva e diversaa gyran-
dolaa de fogos do ar, tocando a mesma banda.
A's 9 horas da manh ter lugar a misaa rasa-
da do Arsenal de Guerra com asaiatencia dos me-
nores.
A's 11 horas, depois das tercias entrar.', a fesfa,
sendo a msica da miasa a denominada Santissi-
ma TrinJade, a cargo do nosso illu3t.-e irmo Jos
Tavares de M.-deiros, sendo cantado o solo Domi-
ne Deus pelolm. Sr. Antonio Teixeira Carvalhi
Lisboa, e os melhorea profesaore3, no Evangelho ;
occupa' a tribuna sagrada o insigne pregador o
Revm. conego Antonio Euatnquio Alves da Silva,
que fara o panegrico do nosso Divino Padroeir..,
A tarde toearo no pateo da greja que ae ncha
ornamentado com bandeiraag na bandas marcicaes
do Corpo do Polica e menores do Arsenal de
Guerra, soltndo-se nessa occasio diversos bsloes
aerostticos.
A's 7 horas da noite subir a tribuna o pregador
da capella imperial o capello capito o Kevm.
padre Leonardo Juo Grego, em seguida entrar
o Te-Dcum com a msica denominada Rio de Ja-
neiro.
A igreja acha-ae ornada a capricho pelo mui
digno artista e nosso irmo Bartbolomeu Valeria-
no da S iva.
A' noite, ra e,'pateo.da igreja, aero Iluminados
com urna bonita e vistosa illuminaco a gierno
fcita a ceprcbo por preatim jsoa irmos e devotos,
depois do Te-Deum soltar-se-ha um balo aeros-
ttico com o qual dar fim a festa.
Consistorio, 23 de Setembro de 1887.
0 escrivo,
Miguel dos Santos Costa Jnior.
Festa da inslallafo do Instiu
Primario para crianzas cgas
bus \ 1:1.11 i iw. ae
Ter lugar, domingo 25 do correntl} pelas 7
horas da noite, s solemne mstallaco deate Insti-
tuto, dirigido pe hbil proreasor do Imperial
Instituto de meninos cgos da corte, o Sr. Fran-
cisco V. Coelho, e administrado p^Io director do
collegia o Sr. Julio Soares de Azevedo.
Constar a nstallaco de urna exposicao dos
apparelbos, pelos quaea os cgos lm e escrevem,
com a presenca do respectivo professor, mostran-
do e explicando afirma pela qual os cgos ap-
prendem.
Depois entrar urna sesso litteraria, sob a pre-
sidencia do Xxm. Sr. conselheiro O. r*into Jnior,
na qual tomam parte diversas oradoras e orado-
res llustrados desta capital.
Sao convidadas todas aa socedadea litterarias
e ecientifieae desta prjv ocia, e as Exmas. fami-
lias para aaeistirem esta festa do lettraa, e de en-
grandecimento para a nossa querida patria.
S ter entrada as familias, e cavalheirca de-
centemente vestidos.
Domingo, 25 do corrente, pelas 7 horas da noi-
te, ra Velha n. 36.
Director do collegio,
Julio Soares de Azevedo.
Protcaaor doa cgos,
Vancico V- Coelho.
Oleo paro medicinal de fizado de
bacaiiio. de Lanuinn A Lemp
_ 389
, t lando os orgaos da reapiraco ao dmaaiados
debis para expedir a muecsidade engendrada pela
euteririidade inllimmatoria, nao ba nos arcanos da
eciencia medica, nada que se poeaa comparar come
tnico, ao oleo de figado de bacalho. P^rm ouvi-
mos dizer, que os resultaioa da sua operaco va-
riem. Algumas sao comp atas de materias ranej-
sa8, ontraa adulteradas, emquanto que urna grande
parte daa complico -a que tomam o mesmo nome
ao completamente espreas. Vol vendo de todas
estas, o oleo poro medicinal de fijado de bacalho,
de Lanman 4 Kemp, nelle temos um especifico de
primaface e d'uma reputaco universal, que at
nojo nunca desmentio as esperancas dos doentes.
Os mdicos o rec^mmndam, porque a eua efficacia
e3t maia qu- provada, nos peisres casos de affec-
enes pulmonares e escrofulosas. Oatrcs leos de fi-
gado de bacalho, podem ser puros, porm eate in-
disputavelmente o .
(Jomo seja um objecto da maior imp rtancia pa-
ra aquelles que padeee-n dos pulmoea e da gargan-
ta ; aquelle qie tor aenhor de urna pr'paraco le-
gitima far bem em coafiar-ae nicamente na Lan-
man 4 Kemp, a jual pode ser comprada tm toda
a parte de mundo.
Encontra ae venda em todaa as pharmacics e
drogaras.
Agentes em Pernambuco, fleury Forster & C^
rna do Commercio n. 8.
?
PrograuBia da festa do glo lo-
so principe *. Mlgnel em Afo-
gados no corrente anno.
No dia 25 do corrente (domingo) levan-
tar-se-ha a bandeira em frente da capella
de S. Miguel. A's quatro horas da tarde
desse raesnio dia, S. Exc. Revdioa. o Sr.
hispo diocesano se dignar de administrar
o sacramento do ebrisma s pessoas que
previamente se confesaarem e s enancas
que se apresentarem para esse fm. Fin-
do o Cbrisma, oitenta meninas uniforme
mente trajadas de brancof ormando duas
alas e acompanbadas das importantes mu-
sicas de policia e do 2 batali 2o de infan-
taria, con iuziro processionalmente da ca-
sa da Exma. Sra. D. Francisca Thereza
dos Santos Araujo, digna consorte do
Illm. Sr. Manoel dos Santos Araujo e juiza
perpetua, a rica ban ieira por ella off.Ttada
percorrendo em boa ordem a extensa ra
de S. Miguel at o largo da Paz, e d'ahi
voltar ao som das msicas at a mesma
capella onde ao eatrugir dos foguetes e re-
piques dos sinos subir ao mastro que alli
se acha decentemente preparado.
Nos dias seguintes 26, 27 e 28 haver
um triduo solemne que preceder a festa,
terminando se sempre com um bymno ad
hot cantado pelo insigne maestro Sabino
de Luna Freir e alguna meninos de ante-
mo por elle preparados.
No dia 29 (quiota-feira) em que a igreja
catholica commemora o grande dia do prin
cipe da milicia celeste, ser celebrada a
sua importante e sympathiea festa em sua
tradicional capella, cantando a missa o vi-
gario da freguezia e pregando ao evange-
lho (s 11 horas da manh) o joven e ta-
lentoso orador padre Americo de INovaes,
digno vigario da Victoria, e ao Je-Deum
s 7 huras da tarde) o Revd. padre mes-
fre Leonardo Joo Grego, j vantajosa-
mente conhecido na tribuna sagrada. A
capella que aoaba de ser eaiada e pintada
por habis artistas, ostentar oesses dias
estivos, de modo encantador, os adornes
de que vai ser revestida segundo o gosto e
capricho de bem conhecido armador Bar-
tbolomeu Valeriano da Silva.
A ra de S. Miguel apresent r pela
variedade da illuminaco, bandeiras, ga-
Ihardetes, arcos de folhtgens, lores na-
turaes e outros enfeites a maia linda e
agradavel perspectiva, pois para isso nao
poupar esforcos a digna commissZo en-
carregada desse particular e honroso tra-
balho. Depois do Tt-Deum ser condusi-
da a mesma ba ideira de S Miguel para
a casa da juiza p-rpetua e protector da
capella, Exma. Sra. D. Francisca The-
reza dos Santos Araujo, e ltimamente
para distra-clo do religioso povo Pernam-
bucano, queimar-se ha um lindo e moderno
fogo de artificio preparado pelo hbil py-
AOS INCRDULOS
O abaixo aaaignado, attesta e jura ae for pr-a
ciso, que s.ffreu muitos mezes de rheumathismo,
comefado no pescoco e que em p'meo tempo esten-
deu-so pjr todo o corpo at os pea, ficando entre-
vado e servido por outras p?sgoa8 : traten-so con
esmero sem poupar nada, e j desanimado com o
muito S'.ffrer sem esperanca de sarar, resolvea
tomar o Anti rheumatica Paullstano, especialidade
do ph&rmaceutico Luiz Carlos u que felicidade! ha
maia de quatro mezea que nao sent o mnimo n
ommodo Deaejando que o bem chegue para
todos, o motivo real porque d eate atteatado.
Joaquim Dimz Valois.
S. Carlos do Pluhal, 22 d^ Dj.euuro de 1885.
Depositarios : Fraaeisco Mau-ie| da Silva & C,
droguistas, a roa Marque a-. Olinda n. 23
Documento importante (5)
Dia a dia vai augmentando o consumo do Poi-
toral de Cambar, o remedio soberano para as mo-
leatiaa do peito c que to bnlhantes provaa j tem
dado da sua grande efficacia.
V jornaliamo de quaai todo o Imperio nao tem
deixado de elogiar eate excellente preparado ; a
ciencia consagrou-o eloquente mente, por meio de
attestados valiosos, firmados por llastres apost-
los da medicina ; o povo, essa grande torca que
representa a voz de Deus, tem prestado as mais
eloqoentes provaa de reconhecimento pelos benefi-
cios prestados bumanidade pelo Peitoral de
Cambara.
E assim devia ser; porque nada mais digno dos
elogios da imprensa, da conaagraco da sciencia e
da gratido popular, do que aquillo que se destina
cura das enfermidades que mais affligem e maior
mal causam bumanidade.
Acabamos de lr nos tres mais importantes e
conceituadoa jornafa da corte, o Jornal do Com-
mereio, Paiz e Gazeta de Noticias, urna eloquente
prova do que levamos dito, prova qne vem juntar-
se as muitaa que j teem sido publicadas.
O Exm. Sr. Baro de Aveliar Rezendc, impor-
tante tazendeiro, proprietario da fazenda de Mat-
to-Dentro, na estrada de ferro Leopoldina (eata-
co de Santa Isabel), que liga o Kio de Janeiro i
provincia de Minas Geraes, dirigio-se, pela im-
prensa, ao descubridor e preparador do Peitoral
de Cambar, nos termos mais liaongeiros, que con-
stitue um valioso e importante documente, cuja
eitura recommendamos a todos quanto se interes-
sam pelo bem estar da humanidade.
Eis o documento :
Illm. Sr. Jos Alvares de Souza Soares.
Atacado de urna forte rouquido, e sem ter tide
a livio algum com o uso de muitos medicamen-
tos receitados. experimente! o seu xarope, Pai-
tobaj. db Cambaba, e em poneos dias a molestia
< cedeu completamente.
Depois d'este facto tenho aconselhado a di-
versas pessoas o seu remedio, e todas teem lo-
grado os melhorea resultados. Queira, pois, re-
ceber miuhas ameras felicitaedes.
Barao de Aveliar Rezende.
Fazenda do Matto-Dentro, eataco de Santa Isa-
bel, estrado de ferro Leopoldina, 18 de Janeirt
de 1887.
O referido preparado vende-se na agencia 4
cargo dos Srs. Francisco Manoel da Sil-
va t C. roa Marques de Olinda n. 23.
Frasco 2,1500, meia dusia 13/ e duzia 2if.
A agencia envia a quem pedir, condices isa-
ressas para as vendas por atacado.
Leonor Porto
Ra do Imperador
Primeiro andar
B. 45
Contina a execatar os mais difieeis
figurinos recebidos de Londres, Pars
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeico de costura, em bre-
vidade, modicidade em procos e fino
gosto.










*-
I


* v* *#
y
Diario de PernambucoSabbudo 24 de Setembro de 1SS7
EDITAES
q j)r_ Thomaz Garcez Paranhos Monte-
negro, juiz de direito mais antigo da co-
marca do Re-jife e presidente da junta
apuradora do 1 districto eleitoral, ex-vi
do disposto no art. 18 $ 1 da lei n. 3029,
de 9 de Janeiro de 1881.
Faco saber a quem ioteresssr posea, que tenbo
designado o dia 1" da Outubro, pelas 10 horas da
manh, no paca da Cmara Municipal afim do se
proceder a apuracio dos votos da eleico que para
m deputado Assembla Geral tuve lugar no dia
14 do corrente mes.
O presente ser affizado do lugar do costumo e
publicado pela impreuaa.
Recife, 24 de Setembro de 1887.
Ihomaz Garcez Paranhos Montenegro.
O Dr. Thomaz Garcez Paranhos Monte-
negro, cotnmendador da Imperial Ordera
da Rosa, juiz de direito especial do com-
mercio desta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco par Su*
Magestade o Imperador a quem Deus
guarde etc.
Paco saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia livertm que se ha de arrematar por
venda a quem mais der em praca publica deste
juno de direito especial do eommercio, depois da
respectiva audiencia do dia 20 de Outubro do cor-
rente anno, o seguinte :
Urna cas-i terrea de pedra e cal em bom estado
sob^n. 44 sita a raa da Ainizade da freguesia di
Graca dest cidade, com 5 metros de vo e 12 me-
tros e 50 centmetro i de tundo teudo ucq porta o
janella de frente, 2 salas, 2 quarto, corredor ao
lado e consinha externa com uin pequeo sitio todo
morado e arborisado medinio 31 metros de fren'e
e nesgado para o funda avallado par uro c^nto de
ris.
Urna oatra casa terrea do pedra e cal em mao
estado sob n. 47 ra das Pernambueauas da
mesma freguezia com 7 metros de vio e 11 metroB
e 40 ceutimetros de f uodo, tendo 1 parta c 2 ja-
nellas em eonstrueco na frente e 2 salas e repar-
timento cabido que serviu a 2 quartos, correior
no cenrro, casinha interna ; a casa edioeaia no
centro de um terreno quetnede 14 metros de lar-
gura e cerca de 60 metros de frente ao fundo, todo
murado com grande cacimba de toa agua, t'o
proprio, avaiiado tudo por um coato de ris.
Vo a praca por execuco que move Antouio da
Silva Fariaa contra Jos Nuues de Oliveira e ou-
tro. E nao bavendo laneador que cubra o apreca
da avaliaeo, a arremataco ser fet* pelo preco
da adjudicaco com nbitiuie.itj da lei.
E para que ihegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente edital que ser publicado
pela imprensa e afExado no lagar do costume.
Dado e paseado nesta cidado do Recife capital
da provincia de Pernambuea ais i i d Setembro
de 1887.Subscrevo e assigio R-cifa 23 de Se-
tembro de 1887.O eaerivo interino, Eaeas do
Seg Barros Falco.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
n&IHERCIO
Bolsa -
JOTAV'KS OFF1CIAKS DA JUNTA DOS COK-
KECTOKES
Recife. 23 de Setembro de 1887
Acces da companhia de edificarla do valar rea
usado de 704 a 30f cada urna.
Cambio sobre o f orto, vista, 137 0/0 de premio,
da banco, hontem.
Na hora da bolsa
Veuderam-se :
30 accoea da ctmpanhia de edificacio.
<< reamente,
Antonio Leonardo Rodrigues.
Eduardo Dubeux.
Hovlmrnl bornearlo
UtClF, 23 DE 8ETKMBKO OS 1887
PRACA DO RECIFE
Os bancos abriram boje com a taxa de 22 5/8 d
sobre Londres, constando, porm, que dariam a
22 11/16 d.
Nada fiseram em papel particular.
PRACA DO RIO DE JANEIRO
A taxa adoptada boje peUs bancos, em geral,
foi de 22 5/8 d. sobre Loudres e 22 11/16 d. sobre
a caixa-matris.
As tabellas expostas aqu foram estas :
Do Ihtsbjiaciokal :
ODr. Ihomaz Garcez Paranhos Montemtgro,
commendadorda Imperial Ordem da liosa,
juiz de direito especial do commercio tiesta
cidade do Recife, capital da provincia de
Pernambuco, por Suz Magestade Impe-
rial e Constitucional, o Sr. D. Pedro II,
a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital viren, ou
d'elle noticia tiverem, que por este juiz do direito
especial do commerei, pendetn una autos de exe-
cuca de sentenca entre partes, exequentes a Com-
panhia de Fiaeo e Tecidos de Pernambuco. exe-
cutada a Companhia Toe Central Sugar Faetones
of B'azd Limited, e teodo-ae feito peuhora em di-
nheiro pertencente. a executada, foi em audiencia
do di 22 do corrente mes e anno, pelo solicitador
Ricardo H -nrique da Silva, acensada dita penho a
como se v do requerimenio de audiencia que do
theor seguinte :
Aos 22 de Setembro de 1887, em audiencia do
Dr. juis de direito especial do commercio, o solici-
tador Ricardo Henrique da Silva, por pare da
Companhia de Faco e lucidos de Pernatnouco,
aecusou a penhora faita em dmb.iro a Companhia
Central Sugar Faetones of Brasil Limited, e he
assignou 6 das da lei bein como 10 aos credores
ncertos, para o que requereu que se passaese os
d'vidos editaea soa pena de laucainenta o que foi
deferido pelo juiz precedida o pregao do esty^e.
Do que fis este. Eu, Eneas do Reg Uarroj
Falcao, escrivo interino.
E' o que se confiaba em dito requenmento aqu
copiado fi' lmente, em seguida via-se o termo de
penhora que do thor segiiint--:
Aos 21 dias do mez de Setembro de 1387,
ri'-ata cidade do Rieife onde foi vindo cominiga
official abaixo assignado.
Em virtude do presente mandado retro, as
dirigimos a freguezia do Rcife ra do ComOaSf-
ci escriptorio uo 1. aniar d) sobrado n. 10, per-
tencente ao supplicado Pobliran 4 C, ahi proce-
demos penhora e apprehenso na quantia de 5:00O*
em poder do mesma Pohlman, e pertencente a
(ompanhia Tbe Central Sugar Faetones of iir<.zil
Limited, e l b'm penborado a referida quantia e d.'positamcs
em mi e poder do inesino Pohlman <5 C qu>* se
constitua fiel depositario na forma da le, para
constar lavramos este termo no qual nos assig-
oamos c m o dito depositara P.iblmaa 6t C Eu
Hermenegildo evenauo Gonc*lves, official do
juiz.Por procuraco Pohlman t C.VV. Gil-
demeisher.Oficial do juizo Francisco Rodrigues
dos Santos.
E' o que se continua em dito termo de penhara
aqui copiado.
Em virtude do requerimenio aqui copiado, o
respectivo escrivo fez pasear o presente edita!,
pelo qual e atu theor chamo todos os credoree au-
sentes da executada, para allegarem seus direitjs
e justica.
E para que ebegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente edital que ser publi-
cado pela impreusa e anixado nos lugares dj cos-
tume.
Dado e paseado nesta cidade d> Recife de Per-
Dsmbuc., aos 22 de Setembro de 1887.
Eu, Eneas do Reg Barras Falcao, subscrevo e
asaigoo.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
fO di vista
L odres ...
Pars.....
Italia.....
Hamburge .
Lisboa e Porto .
Principaet eidadea
de Portu-
gal. .
New-York
22 5/8 22 3/8
419 423
. . 423
520 525
235 237
242
24210
Do LoanoH Bahk
H0 djv vista
Londres .
Pars. .
Italia. .
Hambnrgo
Portugal
New-York
22 5/8 22 3/8
419 423
. . 421
520 525
235 237
2*240
Do EasLisa Baaa
Londres.......
Pars........
Italia........
Hamburgo......
Lisboa e Porto.....
Principaes cidades de Portu-
gal........
liba dos Acores ....
Ilha da Madeira ....
New-York......
SO djv vista
22 5/8
419
520
235
22 3/8
4*3
423
525
237
242
245
242
2*240
Vapores i:-pa'!ut*
Vap'.r nacional Espirito Santo, sahido hontem,
levou para : .
Babia : 20 o-.rricas com assucar branca.
Rio de Janeiro : 103 saceos com cojos e 2.500
fructas diversas.
Rio Grande do Sul : 5 caixas com oleo vegetal.
Carregatain diversos.
Vapor nacional Pirapama, sabido hontem, le-
vou para
Natal : 16 fardos de xarque, 1 barrica e 4 sac-
eos cun caf, 1 caixa com calcado nacional e 1
dita com Acaraba : 4/2 barricas com assur-ar branco.
Camossim : 5 barricas com assucar branco e 1
barril com alcool.
Cear : 50 tardos de xarque.
Carregaram diversos.
raala u Aitandeca '
SailAHA DB 19 24 DE SETEXBO DB 1S87
CVide o D ario de 19 de Setembro
___
.avin t\ carca
Barca norneguense Union, part Santos.
Barca naciourl liana AngeLna, para o Rio Gran-
de do Sul.
Barca nacional M-ir'.nho XI, para Lisboa.
Lugar oorueguense J. J. Lotz, para es Estados-
Uaidos.
Patacho ingles Tiber, para os Estados-Unidos
Vapor fraucez VUl.e de fernambaa, par Santos.
Vapor nacional S. Francisco, para Baha e es-
cala.
Navio* A aesrarga
Barca norueguense Viva, carvio de pedra
Barca norueguense P. A. idunch, carvo de pe-
dra.
Rarca sueca Linda, farinba de trigo.
Barca noruegueuse Ib i, carvo de pedra.
Barca noruegaense Joma, carvo de pedra.
Barca noruegueuse Rttsser, carvo de pedra.
Barca narueguense Kronos, madtira de pioho
Barca inglesa Cnanly, carvo de pedra.
Bngue noruegu-nse Hardi, carvo de pedra.
Brigue ingles Ta'-bot, bacalho.
Bri^u-? ingles Vfild-Rose, carvo de pedra.
Lgir ingles Wanderer, varios gneros,
[jugar ingles lary Ana, carvo de pedra.
Lugar ingles Chief. carvo de pedra.
Patacho nacional Franmhm, xarque.
Patacho allemt Antetope, varios gneros.
Vapor ingles Carbis, varios generas.
Vapar ingles AuUior, v.-rios gneros.
O Dr. Joaquim Correia de Oliveira Aodra-
de, juiz de orpbSos d'esta cidade do Re-
cife, capital da provincia de Pernambuco,
por S. M. o I. o Sr. D. Pedro II, a quem
Deus guarde, eto.
Faca saber aos que o presente edital virem ou
d'elle noticia tivorem, que corre por esto meu juizo
e ca torio do scrivo Thomaz Ferreira Maciel Pi-
nh.-iro, ons autos de penhora executiva entre par-
tes, como autor Salvador Jos Ferreira Guimares
e rea Augusto Pinto de Queiroz, inventariante dos
bens de D. Calixta Francisca de Queiros, e que
tendo-se feito penhora na quantia de I:500j00,
nstente em poder do leiloeiro Joaquim Maximia-
no Pestaa, producto da venda de urna casa, foi
dita p;nhora aecusada em audiencia de 13 do cor-
rete, desiguando-se 6 das ao executado e 10 aos
ere lares iucertos ; pelo que, pelo presente, h-i por
cita lo os meamos credores ncertos para no prazo
de 10 dias opporea quaesquer artigos de preferen-
cia que porventura teoham em dito dinheiro, sob
p >ua de ser elle levantado.
Dada e passado n'esta cidade di Rjcife, aos 21
de Setembro de 1887.
Subscrevo e assigno. Recife, 2i de Setembro de
1887.O escrivo ioteriaa, Thomaz Ferreira Ma
ci'jl Pioheiro.
Joaquim Correia de Oliveira Anirade.
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civei desta cidade do Re-
cite e Beu termo, capital da provincia
de Pernambuco, por Sua Magestade Im
perial e Constitucional o Sr. D. Pedro
II, a quam Deus guarde, etc.
Paca saber aos que o presente edital virem ou
d'elle noticia tiverem, que fiudoe os dias de pre-
gues e as pracas legaes e na audiencia deste juivo
do dia 24 de Setembro prximo, ir praca por
venda a quem mais der e maior lance ifferecer, o
bein constante du respectivo auto de avaliacla, a
saber : A parte do sobrado de um andar ra
da Peuha u. 31, com duas portas de trente, tendo
o 1." andar c in varanda de ferro, 2 salas, 2 quar
toe, OOBinba fra, medindo de comprimento 80 me-
tros e 6 centmetros e 10 metros de largura, acu-
do o andar terreo um arroaz m com 2 portas, pe-
qaeno quintal muradi, ca -imba. avaliado todo o
predio na quantia de 4:0 Mi, sendo a parte uo
exevutado no valor de 1:450(568.
E nao bavendo laocador que cubra o preco da
avaliaclo, proceder-ae-ha nos termos da adjudica-
fo na forma da le. A parte do predio cima
d-'acrijito foi p 'iihorada e vai ser vendida em bas-
t publica para pagamento da aeco txecutiva
que muve a mesa reg- dora da veneravel Ordem
Tercera de Nossa S nbora do Carota, contra Luiz
Antonio Pereira o sua mulher.
E para que ebegue a noticia a todos mandei
passar o presente edital, que ser aturado no lu-
gar do costume e publicado p -la imprensa.
Dado e passado nesta cidade do R-cife, are 13
dias do mez de Agosto do anno do Nascirneto de
Sos^o >enhor Jesas Cbristo de 1887.
Eu, Felicissimo de Azevedo Mello, escrivo, fiz
escrever e subscrevi.
R cife, 13 de Agosto de 1S87.
Joaquim da Costa Ribeiro.
O Dr. Ihemaz Garcez Paranhos Montene-
gro, c&mmendador da imperial ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por
S. M. o Imperador a quem Deus guar-
de, etc.
Faco saber aos que o presente fdital virem ou
delle noticia tiverem, que por parte de Jos de
Almeida Rabello me foi dirigida a peticlo do
tbeor segninte :
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito es
picial do commercio. Jos de Almeida Ra-
bello, credor de Francisco Jos da Costa Ribeiro
da quantia de 2:U0O/i0t0, importancia da letra
junta, alm dos jarus estipulados, e como o sup-
plicado est. ja ausente em lugar interto e nao sa
bido pelo supplicante, estando prestes a presenp-
co da mesma letra, quer elle interromptr a pres-
cnpco na forma do art. 391 do Regulamento
Commercial, para o que, requer a V. Exc. se digne
mandar que, distribuida e autuada a pree.nte,
seja tomado por termo seu protesto c designado o
Jta para a iuquiricao das testen unhas, s guindo
se aos dentis termos para o fim requerido.__
Pede defenmmto.Espera receber men.
Recife, 20 de Agosto de 1887.Lydio Alerano
Bandeira de Mello, prteu bdur. (S. Hada cm
urna ebtumpilha de 200 re., regularmente inutiii
sada.)
E' o que continha dita petla cima copiada
na qnal profer o despacho do theor teguinte :
Distribuida. Como p de. O ifcnva > designe da.
iiicife, 20 de Agosto de 1887. Montenegro.
Em virtude deste meu despacho studo a mesma
petico apr. sentada ao respectivo distribuidor
cate a distribuio ao escrivo do primeiro officio
que fez lavrar em seguida o termo de protesto do
tbeor seguinte :
Aos 22 dias de Agosto Je 18S7, nesta cidade,
do Recife, em meu cartorio compareceu o solici-
tador Lydio Alerano Banacira de Mello, procura-
dor bastante do supplicaote Jos de Almeida Ra-
bello e ante miin e as tcstemunbas intra aasigau-
das disse que poff parte de seu constitaiote redu
zia a termo de proteste para inlcrrupcu de pres-
crpfo o conttdo da petico retro que fica fa-
zendo parte integrante do presente Hfim ri ser
intimado ao suppiicado para os devidos off'eitoa.
E de como assim o diese o protcstou, lavro este
termo em que assigno com aa testemunhas pre-
sentes depois de lido por mim Mauoul Ljpee de
Carvalbo Chaves, e escrevente juramentado, que o
escrevi.
Ea Jos Franklin de Alencar Lima, escrivo, o
fiz eserover, subacrevo a dou f.Lydio Alerano
Bandeira de Melio.Francisco Manoel de Al
m. ida Junio'. -Matheus Eugeuio Pi-ixoto.
Nada mais coutiuba cito termo de protesto aci
ma fielntnte transcripto.
E teudo o snpplicaute produzido a justifioaco
do estyic, o reepectivo ';scnvj me fez os autos
conclusos sellados e preparados e uelles profer
a sentenca do theor seguate ; Vistos. Het
por justificada a ausencia do sup liesvdo em
lu ;ar iucerto, e mando que seja o uicauu intimado
par editaes com o prazo de 3U dias do protesto du
tolhas duas Verso, para interrupeao da prescnpyo
do titnlo de folhas. Custas ex-CMUsa.
Bcetfe, S2 de Agosto de 1887. -Thomaz Gar-
cez Paranhos Montenegro.
3 Em virtude desta mioha sentenca o respectivo
escrivo fes pasear o preseute edital por cujo
tbeor chamo, cito e hei por intimado o supplicado
Francisco Jos da Casta Ribeiro, para que no
prazo de 30 dias contados da data da pubiicaco
comprela ante este juizo, afitn de allegar o que
for a bem de aeu direito.
E para que chegue ao conhecimento de todos o
presente ser publicado pela imprensa e outro de
igual tbeor afiliado no lugar do costume.
Dado e paseado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 22 dias de Agosto de 1887. Ea,
Jos Lrsnkiin de Alencar Lima, subscrevi.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
SEULARACOES
S. R. J.
Socledade Becreallia Jnveniude
Sarao bimestral a 9 de Outubro
Oa socios que quizerem tir.r convites para e*te
sars, podero deixar su as notas ncatu s-crefaria
e procralos as aegundaa, quartas e aabbndoa,
das 9 As 10 h. ras da noite, e ooa domingos das 5
s 9 horaa da noite.
Os socios podero procurar seua ingresses em
osa.) do thesoureiro, A ra do Rangel n. 7.
Aos aenhorea convid-doa pede-ee que nao evem
tggregado8.
Pcde-se aos a- nhores socios e convidados a fie!
observancia do legulumento interno.
Secretaria da eoci. dude Recreativa Juventude,
24 de Setembro de 1887.0 1 tecrctario,
Manoel Joaquim Baptista.
Olinda
Carlorlo do emerivo Dr. Calda
No da 29 rio corrente vai praca, perante o
Dr. juiz de Direito de orphos da coaiarea de
Olinda, urna parte da casa u. 13 ra do Vara-
douro da mesma cidade, no valor de 486^
sendo todoo predio do vulor de 1:203 Olinda
22 de Setembro de 1887
Colarn de assntar
(Para es agricultores)
Por Ib kilos
Branco, os melhores que
apparecem no mercado,
regolam de ....
3." surte boa.....
3.' regalar.....
Hmidos e baixos .
Smenos......
Mascavado.....
Broto.......
Rtame......
2/200 a 2/400
1/900 a 2/100
1/700 a 1/8)0
1/500 a 1/700
1/300 a 1/400
1/040 a 1/100
/900 a 1/000
Z700 a /300
Coiat-ao de slzodo
O preco do algodio baixou hontem, tendo sppa
recido offertas de 6/400 por 15 kilos, para a de
1.* sorte do serto.
lo
MEZ DE SETEHBBO
^<*ucar
Entradas Dias
Bsrcacas...... 1
Vapores...... 1
Via-ferrea de Caruar 1
Animaes...... 1
Via-ferrea de S. Francisco 1
Via-ferrea de Limaeiro 1
21
21
22
23
21
21
Saccas
6.899
2.356
355
1.138
8.476
3.309
Memorial
Est marcado o da 29 da corrente para ter lu-
gar a reuuio da assembla geral ordinaria da
companhia dos Trilhos Urbanos do Rbcifb i
Olinda e Bebebibb, na qual s -rao apresentadas ae
cootas, lidos o relatorio da directora e o parecer
da commisso fiscal e eleita a nova commiaso fis-
cal que funecionar por um anuo.
At o da 29 do correte, devem os accionistas
da Companhia lb EoiriCACo entrar cam a oitavs
prestaco, na razi de 10 0/0 saora o Valor das
respectivas accoea.
Aos accionista; da Estbada db Feauo no Ribbi-
eo ao Bonito foi marcado o prazo de 60 dias, a
contar de 4 de Agosto, para realizaren! a 7.* en-
trada de 10 0/0 de soaa accoes.
Com o descont de 4 0/0 e at 30 de Setemb-o
vindouro, sero substituidas na Thksocbabia db
Fazenda as notas do valor de 2/000 da 5.* estam-
pa, 5/000 da 7.' e 10/000 da 6.*
Vapor ingles Autor, chegadu de Liverpool es-
cala em 22 do corrente e consignado a Johnston
Pater & O, manifestou :
Carga de Liverpool
Amostras 4 voluuies ordem
Arroz 50 saceos a Ferreira Rodrigues & C, 50
aS-iaresdo Amaral Irutos, 54 a Domingos Fer-
reira da Siva 4 C, 100 a Paiva Valente & C, 50
a Silva Marques & C.
Arcos de ferro 45 feixes a Jos dos Santos Oli-
veira, 131 a Manoel Rodrigues da Suva, 190 a
A. D. Cirnciro Vianoa.
Acn 16 f.-ixes a Vianoa Cistro & C 50 a Sa
muel P. Johnstoo 6 C.
Alvaiade 10 barriecs a Francisco Manoel da.
Silva & C.
Agua mineral 5 caixas ao3 mesmos.
Ancorad de fer.o 22 a Beltro & Costa.
Briuzn 1 fardo a Jos A. da Silva Santos.
Barras de ferro 50 a Josquin Jos de Castro
Vledeiroa 242 e 50 feixes a Ferreira Gunoar.ies
& C, 139 e 16 feixes a Antonio Rodrigues de
Souza C.
HiaeouUis 6 caizes s Carvalbo A C.
Cmreccea 1 caixa aos iresmos.
Cwbre 6 velumes a Ferreira GuimaraJS Chapeos 1 Caixaj a Augusto Feruaudes ti C, 2
a Maia Irmo C.
Cha 4 grades a Jo3a F. da Costa, 10 ti 13 cai-
xas ordem, 32 a Sonsa Basto Amonm & C.
Cerveja 20 barricas a Oomiugos Ferreira da
Silva C, 50 a Souza Basto Amorim & C, 25 a
Domingos Alves Matbeus.
Correntes de ferro 2 e 10 barricas a C. O da
Costa Moreira & C. 1 dita a Prente Vianna&C-
Cidra 50 caixas a Gomes & Pereira.
Cartas para jogas 2 caixas a Gomes de Mattos
Irmos.
Campeche 1 barril a Antonio Jos Maia & C.
Calcados 1 caixo ordem, 2 a Ferreira Barbo-
sa & C., la Thomaz de Carvalbo 6c C.
Curreias de couro 1 caixo ordem.
Canos 1 caixo a J. H. Bo j w.ill & C, 40 barri-
cas a Ferreira Guimaraes iSi C.
Chapas para fogo 40 aas mesmos, 50 a Samuel
P. Johnstoo & C.
Drogas 9 voluntes a F. Manoel da Silva & C.
Eoxadas 10 barricas a Gomes de Mattos Irmos,
4 a Miranda & Souza.
Etopa 97 fardos u ordem.
Esleirs 15 rolos a Francisco Gurgel t Irmo,
15 a Manoel da Cunba Loba, 1 a Manoel da Cu-
nba & C.
Eoxofre 30 barricas a Prente Vianoa & C.
C.
Entradas
Sommi.
Algoiao
Barcacas...... 1
Vapores...... 1
Vis-terrea de Caruar 1
Animaes....... 1
Via-lenea de S. Francisco 1
Via-ferrea de Limoeiro 1
Somma.
Dias
22
22
22
23
21
21
22.533
Saccas
3.018
4.221
tli
3.986
382
1.887
13.616
Pretaznecuo
Foi hontem fechado o do patacho ingles New-
Dominin, para carregar em Natal, com destino
aos Estados-Unidos, assucar ns raao de 22/6.
Importaco
Vapor nacional S. Francisco, ebegado dos
portos do norte em 22 do correte e consignado a
Cimpaobia Pernambucana, manifestou :
Algodo 70 saceos a Machado & Pereira, 336 a
Barsteimsnn & C, 150 ordem, 192 a Sonsa No-
gueira & C.
Couros seceos salgadas 71 a Wilson Sons & C.
Cabos 2 volumes a J. M. de Almeida.
Carne 3 amarrados ordem.
Counnhas 2 fardos a H Nuesch & C.
Eeteirae 11 amarrados ordem.
Gomma 9 barricas e 20 saceos a H. Nuesch 6z
C., 11 a Gomes de Mattos Irmos, 17 a Radrigoes
Lima & C, 25 a R. F. Alves, 28 a Josl Antonio
de Carvalbo, 34 ordem.
Jaborandy 2 fardos a Fernandes & Irmos.
Mercaduras diversas 1 volutne a Albino Silva
& C, 4 ordem.
Pelies 40 fardos a Abe Stein & C, 15 a H. Lund-
gren & C, 2 a H. Burle & C, 5 a Wilson Sons A C.
Queij s 2 caixes a J. A. R. Lima, 3 a Gomes
de Mattos Irmos.
Sola 300 1(2 a Gomes de M. Irmo?, 200 ordem
Velas 5 caixas a J. F. & Aguiar. Vassouras de
palha 2 amarrados ordem.
Vapjr nacional Espirito Santo, ebegado dos
portos do Norte cm 23 do corrente e consignado
ao Visconde de Itaqui do Norte, manifestou :
Caf 30i) saceos a Pereira Carneiro & C, 250
ordem, 300 a Paiva Valente .* C, 50 a Fraga
Rocha C, 37 a Joo Ramos & C.
Polvilho 10 encapados a Santos c Alves.
Palitos 4 eaixoes a Francisco Gu'edes de Arsu-
Pipas vasias 25 a Amorim Irmos de C., 22 a
Manoel Marques de Oliveira, 33 a Pereira Car-
neir & C.
Tapioca 25 paneiros a M>ura Borges dt C
Folhas de ferro 10 a Ferreira Guimares 4
Fio 1 fardo ordem.
Ferragens 7 volumes a Olibeira Basto 4 0., 2
a Cardoso 4 Irma i, 6 a Gomes de Mattos Irmos,
13 a Ferreira Guimares 4 C, 56 a William Hal-
liday 6 C.,2 a Samuel P. Johoston 6c C, 14 s
Mirauds 4 Souza, 3 a Albino Silva 4 C, 16 a P-
rente Vianua ce C, 9 a Manoel Rodrigues da
Silva, 3 a Antonio dos Santos Oliveira, 5 a A. D.
Caroeiro Vianua, 4 a H. Nuesch & C, 26 a A.
B Lugman, ditas e outros artigos 85 volumes e
prcas ao director das obras do porto de Pernam-
buco .
Farinha de trigo l'.O barricas a Joo Moreira
& O-
Forareiro3 67 a Antonio dos Santos Oliveira.
Pulhafl de Fiandrus30 caixas ordem, 50 a Ma-
noel Rodrigues da Silva, ditas de chuutlo 6 volu-
mes a Prente Vianoa & C.
Ferro galvanisado 75 barras a Livratnento &
C.
Genebra 50 caixas ordem, 6 a Browas 4 C.
Lona 3 fardos ordem.
Liuca 40 gikos a Gomes 6z Pereira, 35 e 5 bar-
ricas e 2 caixas ordem, 1 barrica a Samuel P.
Johnstoo ce C, 2 a Guimares Perman.
Linha 25 caixas a Manoel Collado 4 C, 2 a P-
rente Vianna At C, 17 a Netto Campos 4 O, 40
a H. Nuesch 4 C, 1 a Mancal Joaquim Ribeiro
& C.
Machinas para impreaso 4 caixoea a Jos de
Vascancellos.
Manteiga 10 barra a Guimares e Perman.
Macbimamo 19 volumes e pecas ordem, ditos
e ferragens 21 volumes e pecas a Alian Paterson
4 C., 24 a Cardoso 4 Irmo.
Moseis 8 caixes ordem, 1 a Silva Fernandes.
Materiaes para encanamentos d'agoa 840 volu-
mes s pecas a Campanhia do Beberibe, ditos para
estrada de ferro 4 volumes so Dr. H. V Peder-
neiras, 302 a Urc.it Western of Brasil Railway
4 C-, dito para telegrapbo 9 volumes a The Bra-
sil Submaruie Tclegraph Compauy, ditos para gas
8 voinmes a empreza
Machimsmo para eng'nha 2 voiumes a Joaquim
Jos Castro Medeiros, 51 aos herdeiras da Bow
mann.
Mercadorias diversas 40 volumes ordem, 2 a
A. D. Caroeiro Vianna, 5 a Francisco Lauria 4
C, 6 a Francisco Gurtrel de Irmo, 4 a Gomes
de Mattos Iriros, 5 a Guimares Cardoso c C, 1
a Manoel Joaquim Ribeiro 4 C.
Oleo 1 barril a Francisco Mauael da Silva &
C.
Pedra hume 20 barricas aos mesmos.
Pregos de cobre 1 barrica a C. C. da Casta
Mcreira 4 C.
Preznntos 4 caixas. ordem.
Proviso-'s 7 caixas ordem.
Perfumaras 2 caixas a E. G. Casco.
Papel 10 caixes a Gomes de Mattos Irmos, 19
a G. Laport & C.
Poospboros 3 caiioea a Cos:a Lima & C.
Soda caustica 22 tambores a Francisco Manoel
da Silva & C-, 5 ordem.
Soluca de sulphato de alooica 2 voluntes a Bal.
tar Oliveira 4 O.
naceos 2 fardos a Jos de S L -ito.
Tiap e 1 fardo a Viauna Castro 4 C.
Tazas de ierro 4 a Cardoso & Irmo.
Tinta 25 caixas ordem.
Tecidos diversos 34 volumes a Olioto Jarrino &
C., 320 i ordem, 12 a Guerra ce Fernandes, 3 a A.
Vieira 4 C 12 a A- Duarte 4 C 2 a Rodrigues
Lima 4 C, 1 a Charles Linden, 4 a Souza No-
gucna & C, 39 a Couto Santos & C, 7 a D. P.
Wild 4 C 14 a Albino Amorim & C 16 a Aodrade
Lopes & C, 1 a Figueirodo 4 C-, 23 a Rjdrigo de
Carvalho 4 C-, 9 a Bernardiuo Maia4 C, 4 a Al-
ves de Bntto 4 C, 40 a Goucalves lrjtao 4 C,
16 a Machado 4 Per-i.ra, 12 a A, tsaatta fi O,
30 a Narciso Maia 4 C, 1 a Manoel da Cunba ce
C, 7 a Joaquim Goncalves & C 16 a Luiz Amo-
nio Sequeira, 2 a H. Nuesch de C, 3 a E. G. Cas-
>-ao, 5 a Silveira 4 C, 4 a Loureiro .Mala _\ C 3
a F. Launa 4 C, 16 a Bem. t A O
Tapeto 1 fardo a Manoel da Cunba Lobo.
Trilbos de ferro 26J a Coispauhia Perro Carril
de r"eruaiuDuco.
Zarco 1U Oarncas a Joa A. da Si.va Santos, 20
a Gomes de Mattos Iruiaos.
Viudo lo cana- a Sauuores Brothers ii C.
Carga de Lisca
Amostras de trigo 1 cana a Manoel Pereira da
Cruz.
Azeite o'oliveira 15 caixas a Domingos Ferreira
da auva 4 C, 30 a Ooimugou Aivcs Matheus, 3
barra a Esnaty Radrigues di C.
Albos 50 cauastras a F. O. de Araujo.
Alfaaeuta 10 caceas a Daniingoa Ferreira da Sil-
va C.
Atneudoaa 2 barricas a Jos Joaquim Alves
4C.
Batatas 40 1/2 caixas a Silva Guimares < C.
Bagas de sabugueiras 1 barrica a F. Manoel da
Silva C, 1 a Joaquim Duarte Simo.-s de C, 1 i
ordem, 1 a Martina Viegas 4 C.
Ceblas 135 caixas a ailva (iuimares di C 20
a Goncalves Rosa 4 Fernandes.
Cal 25 barricas a B. de Frenas Guimares, 50 a
Leal Si Irmo, 100 a Guimares Ce Valente, 50 a
Cuuha Irmos ce u.,_25 ordem, 30 a Manoel
Piulo Borges.
Cbrijos 1 caixa a Domingos Joa Alves Gui-
mares.
Carne defumada 9 caixas a Cunba Irmo.
Cabos 81 rolos a Jos A. da -ilVa Sanios.
Conservas 10 caixas a Damingos Ferreira da
Silva & C
Carvo animal 20 barricas a Jos da Silva
Salgueiral.
Fructas 62 '/ caixas a Domingos Ferreira da
Silva 4 C, 10 a Jote G. Ganches.
Louca 1 caixo N. N. Pacheco.
Msica 1 caixa a Jos Gancbea.
Mercurio 2 caixas a Nuues Fouseca 4 C, fia
Cuoha Iroios 4 C.
Macas 20 caixas a Ferreira Rodrigues ce C., 2
a Domingos Jos Antonio Guimares.
Pinturas 1 caixa a Augusto N. Pacheco,
Passas 10 fardos a Silva Guimares:* i
caixa a Francisco Manoel da Silva 4 C.
Rolhas 1 lardo a Martius Viegas t C.,
Sardiaba 50 caixas ordem.
Toucinh > 10 barris a Ferreira Rodrigues j4 C.,
29 a Silva Bim.raes 4 C, 45 a F. R. Pinto
Guimares & C.
Uvas 10 caixas aos mesmos, 1 a Domingos Jos
Antones Guimares, a Miranda 4 Souza, 3
ordem, 1 a Joaquim da Silva Salgueral.
Vinagie 6 pipas e 20(5 a Souza Basto, Amo-
rim C
Vinho 4 pipas e 30 barris a Souza Basto, Amo-
rim 4 C, 14 e 44 ditos a Jos G. Ganches, 10 e
20 a Antonio Mara da Silva, 14 e 20 a F. R.
Pinto aimares 4 O, 14 e 24 a Paiva Valente 4
C, 2 barris a Manoel Pereira da Cruz, 5 a Joa-
quim da Silva Salgueral, 20 a J. F. Figaeirio,
3 a Justo Teixeira 4 C, 5 a Antonia Casimont,
50 a Antonio de Oliveira Maia, 1 a Salasar 4
C, 40 a Ferreira Rodrigues ce C, 10 a Goncal-
ves Rosa 4 Femantes, 25 a Monra Borges 4 C .
24 a Cuoha Irmos ce C, 6 a Caetauo da Suva
Presada, 6 a Olinto, Jardim e C, 2 a Jos Go-
mes Das, 50 e 57 caixas ordem, 5 a Rodrigues,
Lima 4 C 3 pipas a Joo F. da Costa.
Carga do Porto
Albos 50 canastra & Joo Fernandes de Al-
meida.
Batatas 2|2 caixas a P. do Oliveira Maia.
Centeio 5 saceos ordem.
Drogas 1 caixa a Clemente Lima e C.
Ferragens 15 volumes a Almeida Machado 4
C., 7 ordem, 2 a Soares do Amaial Irmas.
Linha 7 caixas a Antonio M. Ferreira.
Li 'ros 1 caixa a G. Laport 4 C.
Pregos 16 barris a Soares do Amaral Irmos,
ditos e eementes 3 caixas a Res 4 Santos.
Pertencas de urna chspellaria a vapor 15 volu-
mes a Antonio Jos Maia i C.
Uvr.s 1 caixa a Joo Ramos.
Vi "ha 10 caixas a Jos Ferreira Baltar, 2 bar-
ris a Lourenco Ribeiro.
Veneravel Irnandade do Sentior
Bosn J.aus don Panson. da tuairls:
do Corpo Manto.
A mesa regedora d.-sta venerael innanddde,
representada pelos abaixo assiguados, faz coustar
que a festividade de seu divino padroeiro, teri
lugar no dia 9 de Outubro vindouro. Outrosim :
Como ttnba andiido pelas raas desta cidade urna
commisso dizendo se encarregada e solicitando
donativos para k fusta do Senbor Bain Jeeus dos
Pasaos, fat-F.e constar pelo presente aos nossos
charos firmaos e fiis devotos que tal corcmis'o
toda estrauba i i:ossa veneravel iraiauJaJe.
Recife, 3 de Setembro Je 1887.
Aurelio dos Santos Coimbra.
Pravedor
Francisco Antonio C. Cardoso.
Escrivo
Manoel M. Campea Juntar.
Thubonreiro.
Sociceade Italiana de
Beneficencia
Sao convidados todos os socios a se rennirem,
domingo 25 do correte, em sua ade, para proce-
der-se nova deico da directora.
Recife, 23 de Setemoro de 1887.
0 secretario,
A-gelo R-ffaele Pellegrin.
*. R si.
Soeiedade Recreativa Juvenil
Assembla gen.1
D ccnformidade com os estatutos desta Socie-
dad.', sao convidados todos os socios a comparecer
domingo 25 do corrente, peas 4 horas da tarde,
na tde social, afim de proceder-sc el-ieao dos
funecionsrios que teem de compor a directora
para o anno social de 1887 a 1888, e asaistirem a
leitnra do relatorio da presente adminiatraco.
Soeretaria da Sociedad Recreativa Juvenil, 22
de Setembro de 1887
M. C Almeida,
1 secretario.
Club Internacional de
Regatas
Kegata em 2 du Outub.-o na baria do eazom tro
Acha-se aborta at o dia 28 do corrente, na
sede des e club, das 7 s 9 horas da noite de
t eHeoes que queiram tomar parte Desta regata.
.Secretaria do Cllub Ioteruacional de R.gatas,
21 de Setembro de 1887.
Alfredo B. R. Borges,
2* secretario.
Pura o Rio de Jaueiro, T. de Moraes 1.600 cna-
pos de CaritK'ia.
Para Babia, T. du Moraes 30 caixas com cju-
rub^ba.
No vapor nacional Espirito Santo, carrega-
ram :
Para o Rio de Janeiro. J. L. de Barros 7.000
cocos, friiota ; B C. M. Vieira 3,'-0J cacos, fructa.
Para Babia, M. C. L. Vianna 2 caixas com 120
kilos de doce.
No vapor nacional Pirapama, carregaram :
Para Acarnh, E. C. Beltrao & Irmo 4 barri-
cas com 22 kilos de assucar branca.
= Na bareaQa Gracinda, carregaram :
Har Main-.n^uape, E. C. Beltro & Irmao 2
barricas cam 120 kilos de assucar refinado.
Na barcada I). Sinh carregaram :
Para Macabyba, E. C Beltro 4 Irmo 5 bar-
ricas com 251 kilos de assucar retinad?.
Dlnlielro
BECBBIDO
Pelo vapor nscional S. Francisco, para :
Parete Vianoa & O. 2:8I0710
Pelo vapor nacional Espirito Santo, proce-
dente dos portos do norte, para :
Machado Lopes de C. 7:0005000
Jos Candido de Moraes 1:000000
Joseph Krauee 400000
Francisco Goncalves Torres 300*000
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Piraoanj, para :
Parahyba 24:000*000
Natal 47:000*000
Maco 1:000*000
Mossoe 8:000*000
Aracaty 2:000*000
Pelo vapor nacioual Espirito Santo, para :
Macei 20:000*00
Rio de Janeiro 11:500*000
Rendlnieatos pblicos
MIZ DB SBTBKBBO
Renda eral
- 1 a 22
dem du 23
A Jando, a
7.'l:679582
32:305*417
766:984*999
Renda provincial
De 1 a 22
dem de 21
RteebrAoria geral
De 1 a 22
dem de 23
67.481*487
2.962 a 936
26:400*570
957*181
Obras Publicas
De ordem do Iliro. Sr. eogenheiro director geral
das obras publicas e de cooformidafe com a au-
torisaco de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia de 12 de Agosto do corrente anno, faco pu-
blico que no dia 15 de Outubro prximo, aa meio
dia, na mc-rna reparticS-a, recbese propostao
para a obra dos r.paros precisos no acude publi-
co da comarca de Florea, oic^dos cm 3:781*200.
O ornamento u clausulas especia~s do contrato
ac-iim-S'- nesta secretaria para sereut examinados
por nquelles que preteud-rem arrematar a mesma
ubra, de accurdo cam o que dispoe os arta. 70
73, 89 e it, 92, 97 101, 106, ll e 116 do regu-
lamento de 0 de Juno do con ente anuo.
Secretaria 1a repartirla das obras publicas de
Pernambuco, em 23 de Agoste de 1887.
O engeuheiro secretario,
Joaquim Gomes de Oliveira e Silva.
Fabrica de FiacSo e Tecldos de
Peruambifco
A directora recebe propjata para o forneeimen-
to e 200 milbeiros de tijtlos o'alvcnaria grossa
de 12 pol.gadas de comprido, 6 de largo e 3 de
grossura : neecanegado uo pjrta da Fabrica de
r'i&ea da Torre.
As pre.pistas devem ser fechadas e dirigidas a
a ra do Bum Jess i>. 3, at o da 30 do correte
EmbarcacOen hurta no porto cal
33 de Welemliro
MACIONAES
Ceciliaconsig. Pert-ira Caroeiro 5 C.
# Espirito Santoao Visconde Itaqui do Norte,
Fraucolim Amorim Irmas 4 C.
Jaguaribe i:-. i:ip .nhi.i Purnambucana.
Lamego(canboneira de guenaj.
Manuho XIcausig. Joo da S. Layo de Filho.
Mara Angelina Loro 4 Fi.ho.
Mandab Companhia Pernainbueana.
* Pirapama Companhia Pernambucana.
S. FranciscoA Companhia Pernamtucans.
BSTBANOEIBAS
Antelopeconaig. (i. Perman.
Autbor Johnstoo Pater 4 C.
Bauutwaili J. II. Bowxell.
Charny Henry Forster & C.
Carbis Bay Wiisou Sons 4 C.
Darpa ordem.
# Exped t Fon seca Irmos 4 C.
GurfielJ Neuteyer Cahn 4 C.
Hardi Wilson bous e C.
ibis Wilson bous e C.
Josva ordem.
Jorgen J. Lotz ordem.
.lustme H. Ingesoll Hermn Luadgriu & C.
Kronos Hermn Lundgrin 4 C.
Kitfir ChiefA Compaobiado uberibe.
L Mary Aun Baltar Oliveira 4 C.
Nina ordem.
New-Dominion ordem.
P. A. Munch Henry Forster 4 C.
Pstmos Hermn Luodgriu < C.
RusourA Wilson Sons & C.
# Siddons Saunders Brothers 4 C.
Severnk John H. Boxwell de C.
Tiber Saunders Brothers 4 C
Tttlbot Johnston Pater *fc C.
Union H. Lundgrin 4 C.
Ville de Pernambuco Angosto Labilla.
Vibilia Hermn Lundgrin.
Viva Wilson Sons 4 C.
Wanderer Fooseca Irmos S C.
Wild Rose Wilsou Saus 4 C.
O signal indica ter a embarcaco sabido.
ttecebedoria
De 1 a 22
Ide.ui 23
p. uinneuu
12:644*414
625*491
Reate Drnage
1 a 22
I den u 23
39:092*554
855801
Mercado Naniripal de doae
O movimento deste Mercado no da 23 de Setem-
bro foi o seguiste:
Entraram :
34 bois pesando 5,114 kilos, sendo de Oliveira
Castro, 20 ditos de 1* qualidade, 2 ditos
de 2* e 12 ditos particulares.
810 kilos de pene a 20 ris
64 cargas de farinha a 200 ris
28 ditas do fructas diversas i
300 re.
10 taboleiros a 200 ris
9 Sumos a 200 ris
Foram oceupados :
24 columnas a 600 ris
20 compartimentos de farinba a
500 ris.
20 ditos de comida a 500 ris
68 ditos de legumes a 400 ris
28 ditos de fasendas a 400 ris
17 ditos de suiao a 700 ris
11 ditos de Iressuras a 600 ris
10 talhos a 2*
8 ditos a 1*
A Oliveira Castro 4 C.:
54 talhos a 1*
Oeva ter sido arrecadada nestes dis
a quantia do
Vaporea 4 entrar
DOS POBTOS DO 801.
Marinho Viscondeamanh.
70:414 423 Ftnancea 26.
Cantilloa 27.
837:429*420 Taguaa 29.
DOS rOBTOS DO SOBTB
Marques de Caxiaxa 26.
")A BUBOPA
Navaboje.
Aconcaguaamanh.
27:357*751 DB w-fobt
Alliancaa 4 de Outubro.
DB HBW TOBJC
Portuensea 26.
14:26:1*935 Vaporea 4 aasslr
Ville de Pernambuco boje, s 2 horas da tar-
de, para Santos e escala.
Neva hoje, 1 hora da tarde, para Buenos-
Ayres e escala.
39:948*355 Acoucagua amanh, s 2 horas da tarde, para
Valparaso e escala.
Tagusa 29, ao meio dia, para Southampton e es-
cala.
S. Franciscoa 29, s o horas da tarde, para Ba-
bia e escala.
*

11
16*200
12*800
8*400
2*000
1*800
14*400
10*000
10*000
23*200
11*200
11*900
6*600
20*000
8*000
Rendimento dos dias 1 a 22
54*001
210*500
4:478*300
4:688*800
Exnortaco
Bacn. 22 DB SBTBMBBO DI 1887
fara o exterior
Nao honve despacho.
Pora o interior
Na barca norueguense Union, carrega-
ram :
Para Santos, F. Casco z Filho 1,000 saceos
com 75,000 kilos de assucar mascavado.
No vapor francs Ville de Pernambuco, car-
regaram :
Foi arrecadado liquido at boje
Preces do dia :
Carne verde de 240 a 400 res o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris dem.
Sumos de 500 a 560 ris dem.
Farinha de 240 a 320 ris a cuia.
Milho de 240 a 320 ris dem
Feijo de 640 a 1*000 dem.
Fui multado e suspenso o talbador Francisco de
Oliveira no da 21, por fraude em peso de carne.
Maiadouro Panuco
Foram abatidas no Matadouro da Cabanga 90
reses para o consumo do dia 24 de Setembro.
Sendo: 64 reses pertencente a Oliveira Castro
a O, e 28 a diversos.
Na v loa 4 entrar
Arcelina -do Rio de Janeiro.
Bine Birdde Darien.
Concordiade New-Castle.
Catherinede Carditf.
Germaniade Memel.
H. Ingersel Justinedo Rio de Janeiro.
Loyodo Rio Grande do Sul.
Manedo Rio de Janeiro.
Marietta do Rio Grande d Sol.
Marinho Ido Rio Grande do Sul.
Hovlmenio do porto
Navio entrado no dia 23 de Setembro
Manos e escala 11 dias, vapor nacional
Espiritn-Santo, de 1939 toneladas, com-
maadante Carlos Gomes, equipagem 60,
carga varios gneros; ao Visconde de
Itaqui do Norte.
Sahidos no mesmo dia
LiverpoolVapor allemao Baumwall cosn-
mandantj I. C. Benock, carga varios
gneros.
LiverpoolVapor inglez Siddons, com-
mandante James Broawnu, carga varios
gneros.
West IndiaBarca nornegenae Expeditt,
capita.)C. Christiansenjem lastro.
Cear e escala Vapor nacional Pirapama,
com mandante Antonio Mara Ferreira
Bapista, carga varios gneros.
Rio de Janeiro e escalaVapor nacional
Etpirito-Santo, commandamte Carlos
Gomes, carga varios gneros.
Rio Grande do Norte Lugar inglez Se-
vern, capitlo A. Tbomas, em lastro.


"**(
Diario de PernambueoSabbado 24 de Setembro de 1887


^^^^
Moninto da Estra da i Fano
16 S.
Delaraco
De ordem do Illm. Sr. director, fuco publico que
no da 28 do correte ser entregue ao trafego a
esaco de Garanhuns, n'.-ete prolongamento, co-
raecaodo a 29 a vigorar o horario seguate :
l*la<-e
Una , 1.16
Boa Forte
ude 1.45 1.48
Jaque ra 8.16 2.17
Col ini
Marayal 2.30 2.32
'iirrH 8.56 2.57
S. Benedicto 3.15 8.11
Quipap 3.45 3.50
Ag la Branca 4 18 4.20
(,'inh riiih ) 4 55 5.00
A'igeliin 6.65 5.37
S. Jo . 6.10 6.12
liaranhr.rifl 7. O
Ida
(Tarde)
Chegada Partida
Fabrica de Fiago e Tecdos de
PcrnanLaco
A diaaatoria recebe propostas para fornccimento
de cal preta e areia descsrreguda no porto da Fa-
brica da Torre.
As propostas devem ser fechadas e dirigidas a
ra dn Bom Jrgns n. 3 at o dia 30 do crente mes.
A. P. B.
Obras publicas
De ordem do Illm. Sr. engenbeiro d'ractor ge-
ral, face publico que no da 26 do coneate, ao
D-.eio dia, na mesma reparticeo, rccebe-gj propos-
tas para ezecayo dos reparo* da cadeia la cidadu
de Nzaretb, oreados em 4264800. e dos do pre-
dio provincial qus serve de osela publica na villa
de Barreiros, oreados cui 5064000.
Os ornamentos e clausuiab especiaea para os
respectivos contratos acam-se neata secretaria
para seren examinados por equelles pue preten-
derein arrematai as mesmas obras, dn accordo
cem o que dispoe os arta. 70 a 73, 89 e 90, 92, 97
a 101, 106, 115 e 116 do regnlamento de 20 de
Junbo do crrente anno.
Secretaria da repartilo das obras publicas de
Pcrnambsco, em 16 de Setembro d^ 1887.
eugenheiro secretari)
Joaquina Gomes de Oliveira e Silva.
Obras publicas
E Garanhons
S. Joiio
Augeliin
Canhotofo
Agua Branca
Quipap
o. Benedicto
Barra
Moray.il
Colonia
Jaqueira
Uat.nde
Boa Sjrte
Una
folta
(Mauh)
Chegada
7.05
7.40
8.10
8.45
9.15
9.45
10 5
10.30
10.49
11.12
11.45
Partida
6.30
7.07
7.42
8.15
8.47
9.2(1
9.47
10 07
10.35
10.50
11.15
De ordrm do Illm. Sr engenbeiro dir ,-ctor ge-
ral das obras publicas e de conrortnidado coa a
autoris.'i.-ao de S. Kxc. o Sr. p-esidente d provin-
cia de 3 do crrente, fac i publico que no dia 29,
ao ineio dia, na referida reparticao, recebe-se
nropontas para a i xecuco da obra de reparos da
ponte dos Carvalhos, sobre o rio Jabaato, orea-
dos em 4:489*485.
O ornamento e as clausulas especiaes do con-
trato achato se tiesta secretaria para seren exami-
nados por aquelles que pretenderen, arrematar a
mesma obra, de accordo com o que dispoe os arts.
70 a 73, 89 e 90,92, 97 a 101, 106, 115 c 116 do
regnlamento de 20 de Junbo do corrente anno.
Secretaria da repartico das obras publicas, em
9 de Setembro de 1887.O engenheir* secretario
Joaqun) Gomes de Oliveira e Silva.
Aisuclaro l'uriiunea de Beaefl-
cencla
Aeeembla geral extraordinaria
Convido os sruhores socios a comparecercm na
sede social domingo 25 do corrente, s 4 1|2 horas
da tarde, fin de elegerem nm associado para o
cargo de director, visto ter n cusado o eleito era
14 de Agosto fiado.
Recife, 22 de Setembro de 1887.
O 1. secretari da.assemb geral,
Benfo de Aguiar
Manta Casa de Misericordia do
Kecife
Na secretaria da Santa Casa arrenda-se os se-
guintes predios :
Ra di Bom Jess o. 13, 3' andar.
dem dem n. 44, 1- andar e leja.
dem do Vigario Theuono u. 22, 1 andar.
dem idem u. 25, sobrado.
dem do Mrquez de Olioda n. 53, 3' andar.
dem do Apollo n. 24, 1- andar.
Ide ii da Muda n. 4'.
Ipem idem n. 47.
dem idem n. 49,
dem idem n. 37.
dem da Lingoeta n. 14, 1' andar.
Becco do Abren n. 2, 2- andar.
Secretaria da Santa Casa de Misercordia do
Recife, 25 de Maio de 1887.
O escrivo intarino,
COHPAMIIt >>CltVttlBl/CVl
DE
Havegaco costeira por vapor
/ORTOS DO SUL
Macei, Penede, racaj e Babia
0 vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 29 di
Setembro s 5 horas
-da tarde.
Recebe carga at o
_ldia 28.
Enominendas, passageos e diobeiroa frete ate
i 3 horas da tarde do dia 29.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
A'- 9 horas e 26 minutos partir da estacao do
arco de Santo Antonio o tretn da lioha de Caxan-
g, que ebegar s 9 horas e 45 minutos aos Qua
tro Cantos.
O leilSo principiar s 10 e meia horas.
Pacific Sleaai Navigalion ijompan;
STRAJTS OF MAGELLAN UNE
Paquete Aconcagua
THE V rito
k
DO
Secretaria do Prolongameutu daEstradada Fer-
ro do Rix-ife ao S. Francisco e Estrada de Ferro
do Beeife a Caruat, em 22 de Setembro de lo87.
O Secretario,
Mam el Juvenc i de Sabrya.
Rccebedoria deludas internas
geraes
ImpoUoa de taza de escravos e de industrias
e profisso a.
O administrador da rccebedoria de rendas in-
ternas geraes avisa aos senbores coatribuintes
que nda-se no dia 3J 'lo corrente o pagamento
S'-in multa da taza de escravja dj terceiro semes
tre do ezercicio corrente, ssitn como at o fim de
Outubro o pagamento do imposto de industrias e
prefisoes, e depois desses prasos sero cobrados
com a multa de 6 0/0.
Retened jna, 21 de Setembro de 1887.
Alexandre de Sousa P. do Carmo.
De ordem do Sr. Dr. Iospwtor faco publico
que no da 13 de Outub'o prozimo ir a praca pe-
rante a Junta deste Tneaouro a eobranca do disi-
mo vaccom, cavallar e moar na municipios de
Panellas e Bonito, durante o triennio de Julho
de 1887 a Junho de 1890, servindo de base a
renda -jnnual de 590j'X0. alm de 6 *i, do im-
posto addicional sibre esta qoantia.
Os concurrentes devero habilitar se perante a
referida Jnnta na fsrma regulamentar.
Secretaria do Thesouro Provincial de Pernam-
bueo, em 13 de Setembro de 1887.
hindolpho CamptUo
Diligencias de Olioda
Horario
BRASIL
capital *o.ooo:ooo*
dem realisado 10,000:0004
A caixa filial d'este Banco funecionaodo tem-
porariamente ra do Coa.mert.io n. 38, saca,
vista uu u praza, contra os segumtcs correspon-
dentes no estrangeira :
Londres......... s/N. M. Rothschil fc Sons.
COMillESSO
DRAMTICO JENEFICENTE
Espectculo extraordinario ero beneficio
dos cofres sociaes
Domingo, 23 du corrente
Grande Cenia Iheatral:
Aps urna linda ouv-rtura pela orchestra da so-
ciedade, sob a regencia do consocio o insigne maes-
tro Antonio Martins, subir scena o importante
e apparatoso drama em 5 actos, intitulado :
E' esperado da Euro-
pa at o dia 25 de Se
teinbro, e seguir de
pois da demora do eos
turne para Valparaso
lio de Janeiro e non te
Tido
Para carga, passagens, encommendas e din-
teiro a frete tracta-aecom os
AGENTES
Wllson Nona & ej., Limited
N. 14 -RA DO COMMERCIO N 14
Grande Hiedo Sul
Segae com brevidade para j porto cima a bar-
ca nacional Mara Angelina : para o esto da car-
ga que Ihe falta trata-se cica Jos da Silva Loyo
& Filhj.
O
OU
P&ris
Hamburgo.......>
Berlim..........f
Bremenie......../
Prankfurt s/ Main)
Antuerpia.......
Boma...........
3enova.........
aples.........
Miiao e oais 340
cidades de Ita-
lia............
Madrid..........
Barcelona.......
Cdiz...........
Malaga.........
Tarragone......
Valencia e ontras
cidades da Hes
panba e ilhas
Canarias......
Lisboa.........\
Porto e maia ci-f
dades de Por- /
tugal e ilhas
Buenos- Ayrea...
Montevideo......
Nova York......
De Botbscbild Frrcs.
> Deutsche Bank.
Bao que d'Anvers.
Banca (enerale e f
agencias.
Banco Hypctecano de
Espaa e snas agen-
cias.
Banco de Portugal
suas agencias.
)
)
a
a
6.25
7.25
8.25
9.25
10.25
12.25
2.20
3.20
4.20
5.20
6.20
7.40
8.40
9.40
K K

< <

c E
Jl
u a.
6.45 6.45
7.45 7.45
8.45 8.45
9.45 9.45
10.45 10.45
12.45 12.45
2.40 2.40
3.40 3.40
4.40 4.40
5.40 5.40
6.40 6.40
8.00 8 00
9.0J 9.00
10.00 10.00
13
a

1-Z
7.05:
8.05,
9.05|
10.05
11.05
1.05
3.09
4.00
5.00
6.00
7.00
8.20
9.20
10.20
*reeos
Recife Olinda e vice-verea iaclusive
o bond......... 300 rs.
Meninos at 12 annos inclusive o bond. 200 rs.
Eoglisb Bank ot tbe Ri-
ver Pate, Limited.
O. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do impe-
rio e do estraogeiro.
Recebe diobeiro em eoota correte do uovi-
tnento com juros a larao de 2% ao aono e por le-
tras a prazo a jaros convencionados.
O gerente,
William M. Webster
Companhia do Beberibe
Achando-se j approvado pelo Ezm. Sr. presi-
dente da provincia, o regnlamento das pennas
d'agua, vj esta companhia faser o fornecimento
d'agua a alta pressio, como se obrigoo com a pro-
vincia, pelo que convida aquellas pessoas que
quiterem agua em suas casas, na primeira seceo,
entre Doas Irtnos e Apipucos, a virem se inscre-
ver oeste escriptorio.
Ao rcesmj tetnpo esta companhia mudar a saa
cinta os eocaoameotos das sotigas penoas d'agua,
al a porta da rasa, e far a transforasacao do
systema, nos termos das disposices do novo re-
gnlamento.
Logo que fique concluido o trabalho da primei-
ra seceo, na semana segninte passar-se-ha para
a segunda at M nteiro.
Neste escriptono distribne-se aos interessados
o regnlamento de pennas d'agua.
Recite, 16 de Setembro de 1887.
Ceciliano Mamede Alves Fcrreira
Director gerente.
Esta eomp:inhia compra terre-
nos, preferindo os situados no
bairro da Boa Vista, Magdale
a, Fernandes vicira. AfOicto.s.
na do Principe, t'aminho ^i<>
to. Mondejo. Riachuelo, Ca-
punga e Manguinho.
riit-in os ilver para vender,
quelra apresentar suas propos-
tas no escriptorlo da mesma
companhia Hito ao largo de Pe-
dro If antlgo do Colleglo n. 19
1' andar.
Recife, 22 de Setembro de 1887.
Ricardo Menezes, gerente
Por deliberacao da directora sao chamados os
Hra. accinistas desta empresa, para no praso de
60 das a contar de 4 do correte mez, realisarem
u 7* entrada de 10 / de suas acedes nos termos
nnico do art. 4o des estatutos.
Kecife, 3 de Agosto de 1887.
Jos Bellarmino Pereira de Mello,
__^__^_______ Director secretaria.
Companhia de difi-
cagao
Communico aos Srs accionistas que por deli-
beracao da directora foi resolvido o recolhimento
da oitava prestaco na razao de 10 por cento sob
valor das respectivas accoes, o qual dever rea-
iisar-se at o dia 29 de Setembro prozimo futoro.
Rrcife, 29 de Agosto de 1887.
|Ricardo Menezes,
Gerente.
Companhia dos Trilhos l'rba-
nos do Reeife a Olinda e Be-
beribe.
De oredem do Ezm. Sr. Dr. Presidente da As-
sembla Geral, convido os Srs. accionistas a as-
sistirem, no dia 29 do corrente mez, no lugar e s
horas do costme, sessao da assembls geral or-
dinaria, na qual, segundo os nossos Estatutos,
sero apresentadas as contas, lidos o relatorio da
directora e o parecer da commisso fiscal o eleita
a nova commisso fiscal que fnnccionar por nm
aono.
Secretaria da Assembla Geral da Companhia
de Trilhos Urbanos do Recife a Olinda e Bebe-
ribe, 13 de Setembro de 1887.
Jote Antonio de Almeida Cunha,
Secretario.
EBisBaiirof~Iiie"FJaiiiiro
Capital do Banco....... 1.000,000
Captol realisado......... 500,000
Fundo de reserva....... 200,000
A contar desta data e at ulterior reso-
luto, conceder-se-ba juros de dous por
cento ao anno, sobre os saldos do dioheiro
depositado em conta corrente de movimen-
to no mesmo Banco.
Recebe-se Umbea dinbeiro em deposito
a juros por pariodos determinados, ou su-
jeito ao aviso ptvio de triota das para ser
retirado, mediante as condignas de que se
dar conbecimento aos intoresaados.
Pernamcuco, 23 de Maio de 1887.
Henry K, Qregory,
Gerente.
Santa Casa, de Misericordia do
Recite
Por esto secretaria sao chamados os parantes
on protectores das menores absizo declaradas,
pars, at o dia 30 do corrente, apresentol-aa no
collegio das rpbs, afim e serem abi a Imittidas.
visto acharem-se inscriptas etu primeiro lugar, no
respectivo quadro.
Laura, filha de Miguel da Soasa Galvo e Isa-
bel Mara da Silva Galvao.
Sydronia, filha de Cosme Damio Felippe da
Silva e Constancia Mara do Carmo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 16 de Julho de 1887.
O escrivo interino,
PranciiM Gomes Castellao
0 vm IIM0OLE0UE
DENOMINAgO DOS ACTOS
1 ActoA sorpresa.
2o ActoO desafio singular.
3* ActoO duello de morte.
4' ActoCobarde e traidor.
5 ActoA punico.
A banda marcial do 14 batalho ejecutar as
melbcrrs pecas de sen repertorio, tanto na recep-
co como nos intervallos.
Urna commisso n'um des intervallos ir aos ca-
marotes cotnprimentar aos sensores convidados
qoe se dgnarcm homar esta testa.
Principiar s 8 horas.
Os bilhetes que aioda ezistem pii.-tn ser desde
j procurados na ra da Duque de Csxins n. 21, e
no dia do espectculo na bilbt-toria do theatro.
Bonds para Afogados, Magdalena e Fernandes
Vieira.
A sociedade convicta da coadjuvacio e benevo-
lencia que Ibe dispensar o respeitavel publico,
antecipa os seus ainecroa agradacimentos.
Frogramma
DA PARTE CONCERTANTE DO SARAO DE 24
DE SETEMBRO DE 1887
Do
Club Carlos Gomes
H. N. Gusmao1. Fantasea obre motivos de Ma-
ra Tudor, arranjada para marcial pela banda
do club.
Singele2. Fantasa Le Pardon de Ploirmel,
para violino e piano, por Paulino de Mello e
Miguel FalcSo.
Tito Maitei3. La Capricieose, romance, canta-
do pela Ezma. Sra. D. Luisa Medeiros, acom-
paunado a piano pelo Sr. Claudio Filho.
Ascbor4. Fantasa sobre motivos de Linda de
Cbamuoiz para piano, pela Ezma. Sra. D. An-
tonia de Mello.
Erneet Depaa5. Mennt de Boccherini para vio-
lino e piano, pelos Srs. Gomeb Ferras e Clau-
dio Filho.
R. Galli6. Fantasa obre motivos do Goaraoy
para flauta e piano, peloa Srs. Gervasio de
Castro e Miguel Falco.
Verdi7. Vespres Sicilienes para canto e piano,
pela Extna. Sra. D. H. Springer e o Sr. Clau-
dio Filho.
Principiar s 8 horas em ponto,
Bonda para a Magdalena e Fernandea Vieira.
LElLUES
De 1 piano quasi novo, 1 mobilia de mogno,
1 guarda roupa, 1 guards lauca, 1 cama francesa
de Jacaranda, 1 mesa elstica de 6 taboas, 1 mesa
com estante, 2 carteiras, 2 bercoe, 2 malas, 4 me-
sas para ja-itar, 1 lavatorio com pedra, 2 mar-
qu- ro -s, 1 guarda-comida novo, candieiros para
ketosene e gaz carbjnico, quadros, looca, jarros,
mouzoa de palinha, aparadores, grande quantida
de de livros e outros objecto*.
Segundafeira 27 do corrente
.%'* to l|' horas
Ra de Pedro ArTonso n. 43
Agente Bruto
cente Pestaa
Leilo
Da armaclo gneros e utencil os da taver-
na sita ra do Vigario Tenorio n. 15
Segunda-feira, 26 do corrente
A's 11 b ras em ponto
O agedte Pestaa Icgalm-nte autorisado ven-
der no dia e hora cima mencionados a armacaOi
gneros e utencilios da taverna ra do Viga-
rio n. 15.
Grande e variado leilao
de vaquetas da Ruasia Eztra, e de cores para
carros, sola de lustro-lizo iogleza, lindas lanteroas
para carros, casemira de seda azul e galoes para
carros, botoea de metal, chaves, armellas eprege a,
olcadoa pretos e palbinha para carros, Avelina para
arrcios, argas, colleiras, guias de sola iugleza e
chicntea para montara.
Quarenta pelles de pjrco Bsynet, 10 duzias
bezerro l Sozer, bezerro de diversos fabricantes,
elsticos de seda e Ja algodo, cordavo e man-
tas francezes, marroquins de cores, tapetes para
patos, castores para forro de carro, cadarzos,
presilhas, enfiadores, iihozes, satn Polisch.
Tapetes aveludados, sola do Rio, bezerros cor
= Aluga-ae a casa terrea n. 127 da roa das
Cinco Peotoa, com 3 quartoa e grande quintal, e
da ra Imperial n. 196, com mnitos commodos,
ambas em bom estado e limpas ; a tratar na roa
de S. Jorge (Pilar) n. 56, taverns.
18J0 0 mensaes, dando fiador idneo, a casa
da travesea da Bjmba n. 4 ; trata-se ra do
Pilar n. 125.
Na engeohoca Bemfica rua Real da Torre
precisa-Be de um carroceiro entendido ; a tratar
na mesma.
Aluga-se urna pequea canoa de carniza
propria para pescara ou para passagem no rio :
quem quizer trate no armazem de materiaes rua
do Mrquez do H-rval n 35.
Precisa se ou urna auta que Haiba Cuaiubar e
comprar, para casa de pouca familia ; a tratar no
Monteiro, junto a casa do Dr. Loureiro.
Cestas de vime do todos os tamanhos, para
compras.
Araruta a mais especial que vero ao noaso
mercado, propria para alimentaco de criancas.
= Abanes, teem grande porc-i e vendem
mais barato que em outra qualquer parte ; no
armazem i .'onfederaco ds Norte, de Martins Pi-
res & C. rua estn-ita do Rosario n. 1-
Precisa-se de urna ama qua cosinbe com
perfeico, para casa de homem soiteiro : rua da
Unio n. 54.
Aluga-se a bella caaa dj pateo de S. Pedro
Novo n. 2, muito tresca, tuda murada, com omito
ooas sapotas, gaz e muitos commodos a tratar
na rua do Mrquez do Herval, loja n. 23.
Precisa-ae de urna ama para cosmhar ; a
tratar na ruu uqae de Caztaa n. 60-A.
Precisa-so de urna ama
mero 36.
Ama
na rua das Cruzes nu-
25:0 10
Aluga-se pelo preco cima urna grande caaa
rua de Marcio Dias n. 104, propria para qual-
quer genero de negocio ; a tratar na loja da Es-
perane,
Previne se ao Sr. thesoureiro e aos senhores
garautidores de bilhetes, que vendem bilhetes de
outras provincias.que o a aixo assignado perdeo
Sabbado, 24, deve ter lugar o leilao de mo-
vis, lou de ouro da casa de residenciado Sr. Antonio F. nelliesT solas preparadas para correas, e bombas, ^'qi lotera do Grao Para da 2*
Moreira, na Capunga, travesea da Baiza Verde pellica,, malas de mo, oleado para forro de es- P"te d" 13 '0ler'Vi'.'lfl <'Xt/!^i* i!??}*-
a *"* _________________________________________ I cada, capas de borraeha,
Segunda-feira, 26, o de objectos de selleiros, / Silhoes, sellas, mantas,
sapateiros, corrieiros, e aitigos para carros, ezis-
teotes no armazem dos Srs. Meode: & Pereira da
ruado Mrquez de Olinla n. 53, em liquidacao,
bem como a armaco, fiteirns e carteiraa.
Qaiota-feira 29 deve ter lugar o leilao de
dous rmaseos e urna caaa de rcaideacia na cidade
de Limoeiro, a rua da Matriz, na referida casa;
Sexta-feir 30 o de urna excellente chcara
as barreiras em Caxang : boa acquisfo para
quem precisar de urna propriedade.
couros e mais per-
Francisco Angelo Cesar.
Venda de t rreiios
tencea.
SEGUNDA-FEIRA 26 DE SETEMBRO
No armazem rua do Mrquez de Olinda Vende se em grandes e pequeos lotes os ter-
n. 53 renos do sitio, que na entrada dos Afflictos, fieam
Mendcs & Pereira fazem leilao por intervencio Junt0 a capella e defronte da estaco da linba
do agente Piuto de um variado e completo aorti- ', (errea do Arraial : quem os quizer comprar diri-
mento de artigos para loja de sapateiros, aflleiros, '*'se B Dr- Portell,t em sen escriptorio rua do
corrieiros e artigos para carros existentes em seu ImPerador n. 65, 1- andar, ou casa de sua re-
estabelecimento na rua do Mrquez de Olinda n. j aidencia^os AfHctos.___________________________
53, em liquidacao.
Cosinheira
De 32 barricas com vinho do Porto
Sabbado, 4 de Setembro
As 11 1[2 horas
No trapiche da Compaohia Pernambucana
Leilao
De um tanque para agua, urna bomba para
jardim, um carramanchao de ferro
Sabbado, 84 de Setembro
A's 11 horas
Na Capunga, taverna da Baixa Verde
Por occasio do leilao de movis na casa do resi-
dencia do Sr. A. F. Moreira.
MARTIMOS
R0VAL1AILSTEA1 PAC.ET
COIPASV
0 paquete Tagns
esperado
do snl no dia 29 de
corrente seguinJt
depois da demora
neceaaaria para
Lisboa e Sonthampton
Redcelo de passagens
Ida Ida e volta
A' Sonthampton 1" claase 28 42
Camarotes reservados para os pasaigeiroa de
Pernamboco.
Para passagens, fretes, etc., tracta-ae cr.m os
Consignatarios
Amorim Irmos &C.
S. 3 RUA DO BOM JESS N. 3
(Inned Sutes & Brasil M- 8. S. C
0 paquete Fnance
Do hotel da rua do Coronel Suassuna
n. 24, antiga rua de Hortas
Constando :
De 3 mesas grandes, 1 fiteiro de amarello, 1
banca, 1 espelbo dourado, 2 qaadroe, 2 jarros fi
nos, 2 cabidea de 6 tornos, 2 iruteiras, copos, pra-
tos travessas, 12 casaes de chicaras, cassarolaa,
caldeiroes, guardanapoe, panos de cobrir mesas,
garrafas com cerveja nacional, pharol, quarti-
nheira, cadeiraa avulsas, marquesa, candieiros e
outros muitos movis proprios do estabelecimento.
Sabbado, 94 do corrente
A's 11 horas em pooto
POR INTERVENQO DO AGENTE
Martins
Em continuaco
Precisa-se de urna cosinheira
vender o mesmo agente orna armaco inglesa, 3 perador n. 51, 2- andar,
fiteiros envernisadoa e envidrajados, 1 armario!
grande, mezas, carteiras, estrados e repartimentos
para escriptorio e outros movis.
Principiar s 10 horas.
na rua do Im-
Caixciro
Leilao
De um cofre inglez, novo
Terca feir, 99 do corrale
A's 11 horas
No armazem a rua do Mrquez de Olinda
n. 53, (deposito de couros preparados)
Por occasio do leilao de ctbecadas, rabichoa,
lroa e mais ebjectos para selleiros e sapateiros.
Leilao
De cabos para navio, em diversos lotes
Sabbado 94 do corrente
A's 11 horas
No trapiche Moutidho, caes da Companhia
Pernambucana
Agente Modesto Baplisla
Leilao
DE PREJDIOS
O agente Brtto, levar a leilao os segnintea :
Um sobrado de um andar sito rua do Coronel
Soaaaunan. 101, terreno proprio, rende 450/000.
Urna casa terrea, grande, rua Augnsta n. 26S,
terreno proprio.
Estes predjoe esto em boaa condicoea e sero
para maior ofFerta.
Sabbado 24 do corrente
A's 11 horas
Na rua do Imperador n. 16
Do grande predio edificado rua da Ma-
triz na cidade do Limoeiro, perteocente
ao expolio do finado Quilherme Deliren.
tilinta feira, 99 do corrente
Ao meio dia
IV* propria caaa no olto da Matriz
da cidade do l.ioiixlro
O agente Piuto far leilao per autorisaco do
Sr. cnsul do imperio germnico, em preaenca de
aeu delegado e por contr risco de quem perten-
cer.
Dos 2 grandes armazens que podem comportar
1.000 aaccas de algooo, 1 grande caaa de rao-
radia com grande quintal, todo murado, teiheiros,
cacimba e maia bt mfeitorias, formando aa trez
casas nm s predio perteoceote ao eppolio do fina-
do subdito allemo Guilherme Deffren.
Os pretendentea podem desde j examinar dita
casa, coja chavo aera encontrada na casa vismba
dos Sra. Medeiros t Vareda, e comparecerem ao
leilao no dia 29 do corrente.
Preciaa-se de um caixeiro de 12 annos de idade,
que d conhecimeoto de sua conducta ; a tratar
na rua da Roda n. 11, taverna.
Livro subtrahid*?
craz Januario Fernandes previne aos seus de-
vedores que nao paguem as coutss que Ibes torem
apresentadas se nao si proprio ou ao sea caixeiro
Jos Clementino Pires Ferreira, viato que lhe foi
subtrabido do bolso do paletot um pequeo livro
de devedores, na occasiso em que elle se retirtva
para casa em viagem ao tre.-n.
Ao commetTO
O abaxo aasignado, gerente e socio da firma
Moreira 4 Irmao, retirando se temporariamente
para a Europa, para tratar de sua saude, deixa
como seus bantantes procuradores os Srs. Fran-
cisco Jos Lopes Braga e Jos Paulo fiotelho.
Recife 23 de Cetetnbro de 1887.
Aotooio Francisco Moreira.
Emilia Vieira Kanes
Ceme ate Nones Pacheco e Herminia Vieira
Braga de Licerda agradecem s pessoas que
acompanharatn ao cemiterio os restos mortaes
de sua presada esposa e filha, Emilia Vieira Nu-
! nes ; _e convidam seus parantes e amigos para
assistirem aa misaas que, pelo deacango eterno da
j alma da finada, sero celebradas na Rreja da or-
De urna grande chcara no lugar denominado denJ tefcei*. de Sl fBCo, no dia 26 do cor-
Barreiraa em Caxang perto da eataco, com casa j Teu*> *8 noras. do para grande familia, com 2 cacimbas ..tobas, eetri- j^^ec^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
Leo
Leilao
De
E' esperado dos portos de
sul at o dia 26 de Setembro
depois da demora neceaaaria
seguir para
Haranho, Para, Barbados, N
Thomaz e XewVork
Para carga, passagens,ene.mmendaa i dinheir
a frete, tracta-se com o*
AGENTES
0 f pAllianca
Eapcra-se de New-fort-
News, at o dia 4 de Outu-
bro o qual seguir depois d
demora neceaaaria para
Baha. Rio de Vanelro e Santos
fura carga, pasaagena, e encommendas tracta-
ie com oa
AGENTES
Henry fmtet & C.
M 8 RUA DO COMMERCIO -N. 8
1 anda
Porto por Lisboa
Com destino sos portos indicadas setrne com
brevidade a barca nacional MarinAo XI; para
carga e passageiro?, trata-se com os consigoata-
ios Jos da Silva Loyo & Filho.
350 caizas om vinho do Porto e 13
barris com vinho branco
Sabbado, 94 do corrente
A'S 111/2 HORAS
No trap che afjandegado da Companhia
Pernambucana
O agente Modesto Baptista por mandado do
Exm. Sr, Dr. juiz do commercio far leilao do
que cima se declara, pertencente a maaaa fallida
de Alberto Rodrigues Branco.
barias, 1 baixa d capim e maitas outras bemfeite-
rias ; bem como urna pequea parte do eogenho
Brum em cujo terreno se acha edificada a dita easa
propriedade de J. A. Thon.
(Em um t lote)
Sexta-feira 30 de Sftembro
Ao meio dia
Agente Pinto
No armazem da rua do Mrquez de Olinda
n. 52
Os pretendentea podem examinar desde j a dita
casa, entendendo-se com o mesmo agente.
AVISOS DIVERSOS
Precisa-se de umar apariga para andar com
urna crianca : a tratar na rua Augusta n. 282.
as anemias nico reconstituinte a Agua de
Caj pura >.
Aluga-ae casas a 8*000 no becco dos Coe
hos, junto de S. Goocallo : a tratar na rua d
(mperatriz n. 56.
Leilao
De movis, louca, vidros, crystaes, quadros, jar-
roa, 1 uspelho ovni grande, dourado, e objectos
de ouro, a saber :
Urna niobilia de Jacaranda com 1 sof, 2 conso-
los, 4 cadeiraa de bracos e 12 de euarnicSo, 1 es-
pelbo oval grande, dourado, 2 casticea e mangas,
4 jarroa para Sores, 2 escarradairaa, tapetes de
sof, cama e portas, 3 candieiros a gas e pannos
de crochet.
Urna eama franceza, 1 colebao, 1 toilet, 1 la-
vatorio, 1 guarda-vestido, 1 commods, 1 meia dita,
2 cabides, 1 marquezo e 1 espelbo grande.
Urna mesa elstica com 5 taboas, I guarda-Iou-
ca eovidracado, 2 aparadores, 1 sof, 12 cadeiras
de junco, 1 quartiobeira, 1 relogio do parede, 1
jogo de gamao, 2 apparelhos de porcelana para
cha e juntar, 21 copos, 24 clices, bandejas, ta-
lheres, cclheres, mesas, cadtiras e tretn de co-
zinha.
Diferentes objectoa de ouro de lei.
SABBADO 21 DE SETEMBRO
Na Capunga, travessa da Baixa Verde casa n. 15
Antonio Francisco Moreira, tendo de faser urna
viagem a Europa com sea familia, fas leilao por
intervmco do agente Pinto dos movis e mais
objectos exiatentes em caaa de sua residencia, na
Capunga, caaa n. 16 da Baixa Verde, perto dos
Qua tro Cancos.
Alnga se por 10*000 a casa n. 21 oa Var
zea, defronte da estaco, cora artna(So ; a tratar
I na rna da Imperatriz n. 56.
Compra-ee nma casa terrea .na raa da Aa-
sumpcio ou Santa Cecilia ; a tratar na raa do
Marques de Olinda n. 3, loja.
Nio ha quem nao saioa que no tempo do caj
familiaa inteiras acampam debaixo dos cajueiros
d'onde sabem nediua e anafadas, nutrinda-se ex-
clusivamente de producto dos meamos cajueiros.
Precisa-sa de urna perita cosinheira que v
comprar e que durma em casa ; rua de Joaquim
Nabuco n. 9, Capunga.
= Entre duas estacoes Oras das Almas, alu-
ga-se urna casa propria para estraogeiro, com to-
das t.s aicomtnodacea em frente da chcara do
Sr. Tbon : a tratar na rua Io de Marceo n. 25,
loja de joias.
A agua pura de Caj (o nome o diz) nao teto
droga nenhuma nociva, apenas o sumo da me-
dicinal fructa conservado.
Precsa-se de criado para vender taboleiro :
na rna da matriz da Boa-Vista n. 3.
ALUGA-SE urna casa em Santo
Amaso, rua do Lima. n. 30, propria para
familia grande ou collegio. Tere 7 salas,
15 quartos, agua e gaz encanado, appare-
Iho e quintal: a tratar na lytographia de
J. E. Purcell, rua Mrquez de Olinda
n. 8.______________________________
Quem deixar de convalescer crear appetite, e
engordar para evitar gastar alguna mil ris na
deliciosa bebida Agua de Caj pura.
Aluga-a? barato o 1' e 2' andar do sobrado
da rna do Fogo n. 18 ; a tratar na rua de Marci
lio Dias n. 31, armazem.
Themoleo Marcollne da Silva
Jfartinho Marcolino da Silva, Eustaquio Marco-
lino' da Silva, Joaooa Marcolina da Silva, Catha-
rina Mara da Paixo, agradecem cordialmento
todos os pareles e amigoa que acompanharatn ao
cemiterio publico oa restos mertaes do aeu falle-
cido pai e cunbado, Themoteo Marcolino da Silva,
e de novo convidam assistirem a misaa qoe
mandam celebrar no dia 26, pelas 8 horas da ma-
nh, na igreja dos Martyries, stimo dia de sea
tallecimento, e desde j ae contesaam agradecidos
a aquelles que se dignarem sssistir a case acto de
relitrio e caridade.
Miguel Pereira Glraldes
Francisca Candida Geralde?, Joo Sabino Pe-
reira Geraldcs, sua mnlber e filbos, sen irma,
suas irma, sea ennbado e aobrinboa, convidam a
todos os seus parentes e amigos e aos do aeu
nunca aaaa pranteado esposo, pai, av e sogro,
para asaiatirem as missaa que por sua alma aerSo
celebradas na matriz de S. Fr. Pedro Martyr em
Olinda, s 7 horaa da manh do dia 28 do corren-
te, 1* anniveraario do seu passamento, desde ja
antecipam o sea eterno reconhecimtnto a todas as
pessoas que se digoarem comparecer ao referido
acto
I A fi*}
Anata Maiia Koelp
Carolina Luiza Speler, Anna Carneiro da Ca-
nba, Guilherme Speler e Joo Silveira Carneiro
da Cunha, sinceramente reconbecidoa a todoa
aquelles que se digoaram comparecer ao enterra-
ment de sua presadsima mae e sogra D. Anna
Mara Kneip, os convidam, de novo, sssistir as
missas que pelo repouso eterno dp meama finada,
mandam resar na matriz da Hoa-Vista s 8 horas
da maoh de segunda-feira 26 do corrente.
E por maia esta prova de estima e apreco a to-
d"8 protectaoi a sua eratido.
lok t*lo tetar
Cuafy Juveual do Reg e sua ruulher Claudina
Francisca Guimares Reg mandam resar ama
missa n ordem tere ira do Carmo, s 7 1/2 horas
do dia 26 do corrente mes, pela alma de lev pri-
mo e afilDado, Jos Pi Cesar, e convidam os pa-
rentes e amig e do metro" finado.

<
\
I

I


4>0> IllSWli I 1l" -
ti
Diario e feriuuuDucoSabbado 24 de Setembro de 1887



Retrates Americanos
Cata rlean moldura* doaradan etn
lio relevo e corde
rom daik bola de seda
Desde 2SS000
SEM MAIS DESPESAS A FA8ER
n expotiqdo
Na Lua das Listras Aznes
N. 61-Ra Duque de Caxiac-N. 61
Para encommendas baatante um pequeo re-
trato, nao importa que seja antigo, diaeudo a cor
dos oaos e do cabello, cbega um;liudo retrato para
presente ou pora sala de visitas.
Encommendas para o Natal sao feitas at 30 de
Setembro.
Jos Augusto Dias
________AGENTE GERAL_________
Precisa-se
de um homem e de urna mulber para vendagem :
a tratar na rua'do Vigario n. 9, 1 andar.
Ao commercic
Os sbaixo assignados declaram ao respeitayel
corpo cominercial desta praca, que nesta data dis-
Bulveram amigavelmente a sociedade que tinham
no estabeleeimento de molbados sito ra do
Visconde de lubhraa r. 55, sob a firma Das
Guimaries & C. retirando ee o NtH Antonio
Goncalves Dias pago e aatisieito de seu capital e
lucros, e ficando respensavel pelo activo e passivo
o socio Ernesto da Silva Araujo Guimaries, conti-
nuando a inesma firma at o tim do auno.
Recife, 20 de Setembro de 1887.
Antonio Goocalves Dias.
Ernesto da Silva Araujo Guimaraes.
"Casa para a lugar
Alaga-se a casa da ra do C. .nde da Boa-Vista
n. 92, sendo o aluguel de 40*000 mensaes, tendo
agua e gaz ; a tratar na ra do Bario da Victo-
ria n. 54. armazem de movis-
Quem precisan
Aluga se um bom sitio cora as precisas commo-
didades para familia, junto a estacao da curva
d'Agua Fra (Btberibe), onde se tratar coin Jos
Times Pereira.______________________________
O Sr. oV. Vicente Pereira da
Reg
Para nao incommodar-se, qucira ter a bondade
de enviar para a ra do Bara da Victoria n. 10,
a resposta da carta registrada sob n. 12, e que
foi a V. S. entregue no dia 14 do eorrente, pois o
portador ahi espera. ^^^^^
Poltica
Leia-se os impreesos que se est di;tnbuindo
na pharmacia americana.
Para passar a Testa
Aluga se urna excelente casa com agua c g*z-
com bastantes commodos para familia, na traves-
ea da ra de S. Bento n. 4, ou largo de S. Pedro
Novo em Olinda ; a tratar na ra do Commercio
n- 26, A, Recife.
Pcchinchas
M Uji das Listras Aznes
61RA DUQUE DE CAXIAS61
Telephone n. 211
Leques transparentes alie 2(5000.
Luvas de sida de cores, pretas, de renda
ou botSes a 24000.
Luvas de pellica para borneas e sei.ho-
nis a 2*500.
Baleias da melbor qualiJade a 300 rs.
a duzia.
Extractos finos com inscrip^ao para pre-
sentes a 24000.
Bicos de cores e brancos para vestidos,
por todo o prego.
Babados e entre--neios, tapados, trans-
parentes ou de bstSo, todo preco.
Lencos finos a 14400 e 24000 & duzia,
em lindas caixas.
Espartilhos bordados e de differenteB
modelos a 44, 54 e 74000.
Coutas para enfeites de vestidos, pretas
e de todas as cores a 800 rs. o maco.
Seda indiana, fazenda de antasia a
200 rs.
Renda da China, ultima moda, a 200
rs e omito fina a 240 rs.
Zifiros lisos e de quadrin ios a 100 e
120 rs., rauito largos a 200 rs.
Chitas fines, claras, audas, s 'guras, a
240 rs.
Cortes de vestidos branaoB bordados a
54000, e bordados a cres 64500.
Las chinezas com listras miudiohas a
400 rs.
Velludilhot lisos, lavrados e com contas
a 900, 14000 e 24000.
Setim Maco de todas as rres a 900
ris.
Sargelim franeez preto e d e todas as
tures a 240 rs.
Batistas de lindas cores a 160, 200 e
240 rs.
Renda hespanhola, preta, branca e re-
me por todo o prego.
Marinos enfestados de todas as cores a
800 14 e 14200.
Euchovaes completos para casamentos
desde 404000 at o prego que se desejar.
Ditos para baptisados a 104, 124, 144,
164 e 184000.
Na loja de
JOS' AUGUSTO DIAS
Attenco
Manoel Carpinteiro e Souza previne a seus de-
vedorea de virem satisfacer seus dbitos no En-
troncamento (Manguinho) no prazo de 15 dias, a
I contar d. ata data, fiados os quaes proceder ju-
dicialmente. Recite, 23 de Setembro de 1887.
Manoel Carpiteiro e Souza.
LOTERA do ceara
\ovo 1*1. %\o
40:000^000
Com a diminut quantia de 25400 habilita-se a tirar 8:0004000 e com 14200
4:00040(10.
CORRE Iht-RETERIVELMENTE
sexta -feira, 25 do eorrente
5O:00O$000
Corre no dia 28 do eorrente
ESTA LOTERA NUNCA FOI TRANSFERIDA
O pnrtsdor de um Liihete est habilitado a tirar mais de UM PREMIO !
Cada Luraero pode ser repetido dua ou tres eze, prevaleoendo todos premios
que sabir.
Billictes vena as cssasffo Gostame.
Na ra 1* de Marco n. 20
(junto ao Loirvre)
APROVEITEM!
Zephires de cores lindos desenhos, a 140, 200 e 140 rs. o covado.
Crotones claros finissiroos, a 320 rs. o corad.
Ditos escuros cores fixas, a 360 rs. o dito.
Chitas claras e escuras a 200, 240 e 280 rs o dito.
Percalinas a 240 rs. o dito pichincha >
Merinos de cores e pretos, todo de la, com 2 largaras a 800 rs. o dito.
Cachemira de listras, a 400 t dito, aproveitem '
Completo e variado sortimento de las para vestidos.
Cambraias de cores com salpicos a 54000 a pata.
Ditas brancas a 54500.
Fustao branco a 400 rs. o covado.
Dito branco rendado a 200 rs. o dito.
Esguiao de linho pardo para vestidos e vestuarios de criancas e 320 ris
o dito.
Bramante de liobo com 10 palmos a 14800 o metro.
Ditos de algudSo com 4 larguras a 800, 14100 e 14300 o dito.
Panno do Costa para mesa a 14000 e 14200 o covado.
Atoalbado de linho milito fino a 24400 o metro.
Ditos de algodao a 14200 e 14300 o dito.
Guardanapos a 252<)0 e 24800 a duzia.
Bordados de 500 a 24000 a pega.
Cortinados bordados a 124000 e 155000 um.
F'chus Je 12 a 14500 um.
Toalhas para b* ribos a 14500 urna.
Ditas alcocboadas para rosto a 34500 a duzia.
Colchas de cores a 24000 urna.
Meias de cores para s-nhora a 44500 e 55000 a duzia, convem I
Ditas para hornera de 34600 a 84000 a dita.
Camisas de meias para bomens, amito finas a 15000 urna.
Para banhedemar
Costure para senhoras a 104000 um.
Dito para hornees a 84000.
Ditos para meninos a 54000.
Sapxtos e bolsas para o fin e rauitos outros artigos a preciacSo publica.
A RA 1 DE MARCO N. 20 (JDNTOAO
LOUVRE)
AMARAL&C
.AMA
Precisa-se de urna ama para comprar e
cozinhar em casa de familia : na ra Du-
que de Casias n. 14 se dir.
Precisa ae de urna ama para casa de pouca fa-
milia ; a tratar no becco do Peize Frito n. 9, se-
gundo andar.
Ama
Precita-se de urca ama : no largo do Corpo
Santo n. 17, 3- andar.___________________________
Ama e criado
Precisa-se de urna boa cosinbeira e um criado
que entenda do servico de copeiro ; a tratar na
ra do Mrquez do Herval n. 37.
AMA
Precisa-se de urna criada para engommar ronpa
lisa e outros servico leves em casa de tamilia :
na loja de tazendas ra Duque de Canas nu-
mero 44.
Ama
Precisa-se de urna ama para engommar ; na
ra Imperial n. 43.
Ama
Precisa-se de urna ama para o servico de casa
de familia e que tenba boa conducta ; a tratar
na ra do Baro da Victoria n. 46, loja.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de 1. te ; na ra do
Mrquez do Herval n. 163, defronte da fabrica
Venus.
\higa~sc barato
tina Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra Coronel Suassuna n. 141, quarto.
Becco da Bomba n. 8.
Coredor do Bispo i 1 .
Baiza verde n. 1 C.
Largo do mercado com agua n. 17.
Ra do Calabouco n. 4, loja.
(Yata-se na ra do Commercio n. 5, l4 andar
es.-riptorio de Silva Guimaraes & C.
Pilulas purgativas e depurativas
de f.anipanha
Estas pilulas, cuja prepara;o purameute ve.
getal, teem sido por mais de 2 anuos aproreitadae
com os melhores resultados as seguintes moles-
tias : affeecoes da pelle e do figado, sypbilis, bou
bes, escrfulas, ehagas inveteradas, erysipelas e
gonorrhas.
Modo de uMStl-aa
Como purgativas tome-se de 3 a 6 por dia, I-e-
oendo-se apos cada dse um pouco d'agua acloca-
da, cha ou caldo.
Como reguladoras : tome-se um pilula ae jantar.
Estas pilulas, de iuvenc&o dos pharmaceuticos
Almeida Andrade it Filbos, teem veridictum doi
Srs. mdicos para sua melhor garanta, tornaode-
je mais recommendaveis, por serein um seguro
purgativo e de pouca dieta, pelo que poden ser
usadas em viagem. ,
ACHAM-SE A' VENDA
a drosaria de Patria Kobriiibo *
A\ RBA DO MRQUEZ DE OLINDA 41
Compra-se
orna casa no bairro de 8. Jos, com tres portas e
commodos sufficientes para familia ; a tratar no
pateo do Mercado n. 6, tavrna
GASA DA FHTUNA
Aos i2:C0O$00O
BI.heles garantidos
23-RA PRIMEIRO DE MARgO-23
Da 9a lotera da provincia venderam
Martina Fiuza & C. os seguintes premios
garantidos ;
3725 1:00(WXX)
2566 500*000
3101 200*000
2932 50,5000
Acham-se venda os afortunados bi-
lletes garantidos da 10* lotera da provin-
cia em beoe*icio da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife, que se extrahir quan-
do fr annuciada.
DOENCASaoSTOMAGO
DlflESTOIS D'FFICEII
Dyspepsias, Gastralgias, Anemia,
Perda do Appotite, Vmitos, Diarrbea,
Debihdade das Criancas
cura skouba m uapiua pbxo
TNICO-DIGESTIVO
com Quina, Coca t l'epsina
Adoptado em todos os Hospitaes
MEDALHAS AS EXPGSigflES
FaRJS, r. La Brnjre.34, i em todas u Pharoicii.
Ao commercio
Os abaixo assignados tendo justo e eontractado
a compra da fabrica de leos Vegetaea a ra da
Aurora n. 161, que gira sob a firma de Martina A
Haetos Saccesaorea, pedem aos erndores da meaos
firma que aprsente seus tituloa no pravo de 8 dias
na mesma fabrica do meio dia a 3 horas da
tarde.
Recife. 19 de Setembro de 1887.
Jos Gomes d'Amorim.
Tbcmas Antonio Guimaraes.
0 Remedio do Dr. Ayer
OONTBA 'L2KS.
E' um tonteo Forte paramenta vegetal, e,
peloeonh m into practico dos seuseBei-
i medio curto para
as febres malig desordens de-
vem a sua origcm a um veneno minsmatico
qne penetra no sangue pelos pulmoes, :.lter.i
o figado e motiva as diffei es de
febres conhecidas por Terciarias e
Quatrenarias, Internas, de Fri,
Malignas, Iutermittentes, Reimit-
tentes, Biliosas, e Typhoido.
O Kf.medio no Dr. Aye nentralisa o
loo e i \;>rii-.> do nyntsmn
contera rum mlBoral; aegnro e Luoflenstro, e
nunca ralba se se u.-.-i seguido a cUrcceoes.
PltKPARADO PHD
r>r. J. C. AYER e CA.,
TiOwell, Mass., E. 17. A.
A' venda as principos pharmacias e
drogaria.i.
DAY& MARTIN
Fornecedons de Sua Majestad* a Rainha da Inglaterra,
to Exerato e ta Mannha britannica.
GRAIXA BRILHANTE LIQUIDA
GRAIXAemPASTAUNCTUOSA
OLEO para ARREIOS
Etudooquinecesurio panaminuten(jodo couro
so todas as formas.
DEPOSITO GERAL EM LONDRES:
07, Bigh Holborn, 97
Im Perumbuui i FHAHC" M. DA SttTA & C'\
Cochera Korle-Pernambucana
Com este titulo acaba de se fundar na cidade de
Qoyanna, um grande estabeleeimento de carros
de alugoel, pertencentc a firma social Aranha,
Ucba & C-, que se prjpoe servir ao publico com
a maior regularidade, presteza e por precos m-
dicos.
D'ora em diante partirSo todas as quintss-feiras
de Goysnna, s 6 horas da manh e As 3 da tarde
para Olinda, e de Olinaa para Goyanna aos sab-
bados, s 6 horaa da tarde, e aos domingos s 7
horas da manh. Os carros nao admittirSo nu-
mero de passagi-iros superior a ua l"acao.
O prepj de cada viagem de ida e volta ser
12000.
Viagem de ida ou voita sement, ser GOO.
O passagriro teru direito a Hssento reservado,
pagando mais 'i'-W
Espera a empresa que nao lbe faltar o auxilio
do publico, com esptcialidade o commercio de
Goyanna, auxilio que promover retribuir, esfor-
(aud- ,e para que o servico se faca cjin a maior
regulariaade pussivel.
Logo que o tempo e as estradas melborarem,
sera reduaido o pncj das passageos.
VINHO
lEPEPTIGO/
Contando os tres ttrmantoa
dm digeBt&o :
Pepsina, Diutase e Paicreatini
SCKTADO
i laboriosas,
iSlfratSea
OaatnOfla
mito, OoavaJeaoea
, etc.
(reral : H. VIVIEN
I Strasbonra. em Par!
Fumo carioca
Prerjarado pela acreditada fabrica do Rio, de-
nominada Foote Limpa ; vende se em pacetinhos
em todos os estabelecimeotog e retalho.. Uoico
deposito, na fabrica Veneza, arco da Conceicao
nmeros 4 e 6
[flMWIMMliH
NICA TNICA
O FILLiOL Dt FILLIL
INSTANTNEApu. o.rba. i BOSADA >> dir,,t
SA na Tid-j, mb prapartol > I hiaocoi
na I(b. sua COr prlmitlvs I
ls|*vti|tnl a Parla i RUOK,k1, na tu -me, PAlf
la ftrtomtuot: TOAN* M. da au.va. O.
Pendes inane en nofTrciM do pello 4
ssi o melhor remedio, que o PEITURAL Dt
CAMBARA', e veris como vosso soffrimento des-
apparece. Vende-se na drogara dos nicos agen-
tes e depositarios geraes na provincia, Francisco
Manoel da Silva & O, ra do Marques de Oliada
23.
Alimenta^io rsuiioxxaU.
das aUES, CRIANCAS, AMAS CONVALESCCNTE
Por uto a PHOHPHA TMXA Falitre*.
PARl, C, Arsau* Victoria, *, PAJUZ.
DnatiUriN sa Ptrnimbuai: FHAN- M. da SILVA CS
SE310L1XV
De Brons i C, de Glasgow
Este artigo, preparado por um novo processo
de trigo da melbor qualidade, poisue os elemen-
tos necessarios para nutricio de criancas e dren-
tes, e mnito se recommenda 'por ser de fcil di-
gesto e gosto muito agraavei ; tambem pode-se
tazer urna excellente papa, misturado em partes
igoaes com a maiiena dos mesmos fabricantes,
addicionando-se-lhe algum leite. nicos agentes
nesta praca, Saunders Brothers & C, la/go do
Corpo Santo n. 11, primeiro andar.
Cbegou a primeira remessa do precioso fsrello
de caroco de algodao, o mais barato de todos os
alimentos para animaes de raes cavallar, vaceum
saine, etc. O caroco de algodao depois de ex-
trahida a casca e todo o oleo-, o mais rico ali-
mento que se pode dar aos animaes para os forta-
lecer e engordar com admiravel rapidez.
Nos Estados-Unidos da America do Norte e na
Inglaterra elle emoregado (com o mais ieliz re-
sultado) de preferencia ao milho e outros farellos
que sao muito mais caro e nao Bao de tanta sus-
tancia.
A tratar no Recife rom FracaHuriu
Quem quizer alugar a casa n. 8 na da Uniao
com muitas accommodacces, poder* entender-se
com os Srs. Negreiros ra do Imperador n. 24.
Sementes de Garrapato
Compram se pequeas quantidades ; na droga-
ra de Francisco M. da Silva & C, ra do Mr-
quez de Olinda n. 23.
Mademoiselle olinha
Roa do Imperador n. 55, segundo andar.
____________Modista___________
Fabrico de assucar
Apparelhos econmicos para o cozimen-
te e cura. Proprio para engenho peque-
nos, sendo mdico em preco e ef
lectivo em operaco.
Pode-se ajuntar aos engenhos existentes
do systema velbo, melborando muito a
qualidade do assucar e augmentando a
quantidade.
OPERAQAO MUITO SIMPLES
Uzinas grandes ou engenhos centraes,
ma:hinismo aperfeigoado, systema moder-
no. Plantas completas ou machinismo
separado.
Especificares e informajSes com
BrowDS C
5RA DO OOMMERCIO-5
Agencia de cobranzas
No pateo do Uvramento n, 25
Euc&rrega-se de cobranzas.
Criado e cosinheira
Precisa-se de criado e cosinheira ; a tratar n8
terceiro andar, por cima da typographia deste
Diario.
As afamadas
re
nico deposito ero casa-de
Paria Mobrlnho A (.
^1__Ra do Mrquez de Olinda-41
Foiliinhas de Laemmert
PARA
1888
Ja chegaram para
Livraria Parisiense bu
7 A ra Primeiro de
Mar^o.
-------------
Criado
Precisa-se de um rapaz de 12 a 14 annos de
idade ; na trsvessa do Corpo anto n. 27.
Prf csa-se
de um menino para vender ; na ra do Csjn nu
mero 30.
Central Silgar Factories
O escriptorio desta comp'.nbia de engenhos cen-
traes mudou-se para a ra da Mo;da n. 5, pri-
meiro andar.
Feitor
Precisa-se de um feitor para horta e sitio, sera
jardim ; a tratar na ra Real da Torre, junto da
engr>nhoca Berufica.
Pao Lcnteio
Mello & Bisot avisam ao respeitivel publico
que todas as ton; a e sextas teras teem este sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
VENDAS
Vende- se a casa da ra da Conceicao do
povoado da Torre n. 2. c un um terreno le cento e
tantos palmos de frente e 300 ditos de fundo, ten-
da diversas arvores fructferas, eacimba e bomba;
a tratar na mesma.
Costureiras
No pateo do Livramento n. 27, andar, cse-
se com perfeica muas de alfaiate, e assim como
vestidos por figurinop.
taxanga
Alugam-se quartos mobiliados por 155000 men-
saes, com commodos para familia e cosinha : no
antigo hotel do Far ifa.
Para passar a testa
Alagase e vende-se por barato urna casa pe-
quea, propria para passar o tempo da festa, no
largo de Apipucos n. G, no correr da igreja.
' Urna casa e sitio na estacao dous irmSos, em
Apipucos. Quem pretender dirija-se ao Camiuho
Nevo n. 79, que far negocio.
Multa illencaG
Na raa Sete de Setembro (outr'ora becco dos
Ferreiroa) n. 6, faz-se plises e recorta-se babados
largos e estrenos.
PO CLERV Vende-se em toda i part
Casas em Jaboato
Alngam-se boas casas novas, prximas do rio e
da estacao do caminho de ferro : tratar no Caes
do Apollo n. 47.
IGUAittSSU'
Dr. Pae Brrelo
PROMOTOR PUBLICOE
Advogado {{
Terreno
Vende-se um terreno coufronte a estsco do
Principe, estrada de Joao de Batros, com '.0 pal-
mos de frente e bastantes fundos, e eim alicerces
para 3 casas; tratar na ra d'Apollo n. 30,pri-
eiro andar.
Barato

Pedido
Pede-se ao Sr. Dr. engenheiro e ebefe da estra-
da de Caruar, o obsequio de prestar attenco ao
engenheiro residente no trecho de Gamelleira
Beserros, pois qne dito engenheiro s se oceupa
em urna sociedade de daes, e manda pessoas
pouco habilitadas para o local nivellsr obras d'ar-
te, visto que manda por Ismbaios que s tem
pratica de cavar mandioca. Se as obras esto
bem construidas, isto ao bom desempenho do
Sr. empreiteiro, que presta toda attenco em dito
servico.
O espiao.
Para evitar duvidas
Couio tenham e andem esmolando e dirigindo-
se officios a diversas pessoas firmados por um Sr.
Manoel da Costa Pereira, que se diz secretario de
urna commisso, e enearregada da festa do Senhor
Bom Jess dos Passos, sem dt-claraco da igreja
aonde tem de ser celtbrada tal festividade, para
evitar duvidas, declara-se qu nao se entrnde
com a irmandade do Senbor Bom Jess dos Pas-
sos da matiiz do Corpo Hauto, a qual tem de ce
lebrar a festa da seu Divino Padroeiro no dia 9
de Outubro vindonro.
Amas
Precisa-se de duas amas, sendo urna boa cosi-
nheira e outra engommadeira ; na rus Primeiro
de Marco n. 16.
Chromos e car toes de
pliantasia
Grande sortimento receben a
Livraria popular
na do Imperador numero ? 1
Vinlios da (arrtfeira
Finos
Caro vellos.
Madeira.
Moscatel.
Uva Bastarda e de Pascas.
PARA MESA
Genuino do La vraoi a 500 rs. a garrafa.
Na merceana de Manoel Cnrreia & C.
Frara la Cande d'Ku m. 1S
Vende-se ou permuta-se por pequeas ca^asem
; qualquer das freguezias do Recife. a casa n. 22
ladeira do Varadoaro, co o commodos para iumi-
; rosa familia, a qual tem quatro salas, seis gran-
i des quartos, gabinete e boa cosinha, com qiintal
; grandp, arborisado e todo murado, cacimba de
: muito boa agua, e sahida oara o b eco da Poeira :
! a tratar na ra velha de Santa Rita n. 14, sobra-
, do, das 8 horas da manh a 1 da tarde, ou das 4
1 as 6, onde tambem se aluga barato a casa terrea
n. 40 ra de Lomas Valentinas, com bons com-
modos, bom qui tal, cacimba s, e est limpa.
Fabrica de chapeos
Antonio Jos Maia & G
DEPOSITO
rna do Baro da Victoria ns.
Me 31
Os proprieta! ios deste estabeleeimento = ^inti-
cain aos seus numerosos freguezes e ao r< ^p^aavel
publico, que centiouam a ter grande sortimento
de chapeos de todas as qualidade* e forn.atos,
manufacturados com toda a perfeico e por precos
maia vantajesos que em outra quaiquer parte.
Pontos de francez
Esto venda na livraria Econmica o I II.
III pontos de fruncez, segundo o programla de
1887.__________________________________________
EIPOSIOO GHMT8AL
IHRa do Baro da Viclorir16
Damiao L'ina & O chamara a attenoSo
das Exoias. familias para seus presos :
Pecas de bicos de cores a 3J500.
Ditas de ditos brancos a 250U.
Ditas de ditcs a 1500, 1*800 e 2f(K).
Butoes de madreperola finos a 320, 400, 600 e
800 ris.
Bolsas para meninos, de 1*500 a 5*000.
La para bordar a 2*800.
Dita meselada a 3*800.
Meias para senhora a 320, 400. 600 e 800 ris.
Baleias a 320 ris.
Arquinhos a 120, 160 e 200 ris.
Lencos de seda a 1*000.
Fitas modernas a 5 0, 600 o 1*000.
Passarinhos de sida a 500 ris.
Apparelhos para crianca a 1*200 e 1*500.
Ditos de metal a 1*500 e 2*000.
Finos cbapeusinhos a 5*.
Sapatinhos de setim a 3* e 4*000.
Modernos espartilhos a 6*000.
Bonitos collarinhrs a 500 ris.
Punhos todos oa nmeros a 900 e 1*000.
Touquinhas a 2*000.
Lpqoes transparentes a 2*500
Ditos de sida a 5*000.
Ditos de setin la 1*500.
Ditos de papel a 4>>0, 500, 600 e 800 ris.
Canas com 3 sab netes a 500 ris.
Urna barra de sabo a 700, 900 e 1*200.
Ln\as de teda a 2*500.
Benitos jarros a 5*, 10* e 15*000.
Iovisiveia grandes a 324 ris.
L Bbas 200 jardas a 80 ris.
16- Kuif do Rarao da Victoria-16
Boa localidade
Vende-se um deposito ra do Raogel n. 58 :
tratar no mesmo.
Bom neg-ocio
Vende-se a taverna sita ra da Detenco n. 8
a tratar na mesma.
Terrenos era Bcberibe
Vende se terrenos em Beberibe de Baizo, Agua
Fra, que pertenceram a D. Senhorinba e boje aos
berdeiros do Dr Burgos Pooce de Len, cam ti-
tulo legal ; a tratar na rna do Imperador n. 81,
com o solicitador Luiz Machado Botelho.
YERNIIFUGE COLMET
CHOCOLATE oom SaNTOMINa
nrriurra san attnir a ummu
la> Trmlrailliisiaiitili lili ffirV
m uaw apattid ttammaT IslatiMi, }/4
Ultjr a anltnttvn : / VK ti
twkJVmMt-iAU. tahnut HWW iSB.Jkt*



Diario de Pcrnamboco Sabbado 24 de Setembro de 1887
De urna erando parte de faeendas existentes na acreditada casa ra Duque
do Caxias n. 59: aposentamos em seguida urna lista de alguna artigos que realmente
sao baratissimos. .... lonA
Esplendido sortimento .de cachemiras para vestidos, de 400 rs. a 10000 o
O Vil 3 O
Merirs de c6res a 600 e 800 rs., duas larguras I
dem pretos desde 800 rs. a 20OO o covado !
Setinetas lindiasimas a 280 rs. o dito!
Ris'adinhos para ves'idos, cores lindas, a 160 e 200 rs. o dito !
Cretones claros, superiores, a 240 e 280 rs. o dito!
Damascos de la, duas largaras, proprios para capa de piano a 0000 o dito
Camisas ingl zas, branca, a 360000 a duzia !
dem de retoes finos a 24)5000 a dita !
C roulas de bramante, bordadas a 12,5000 e 14,5000 a dita !
as superiores a 20800 c 35800 a diU !
Camhraia Victoria com 10 jardas p. 30000 a peya !
M.dapolao pclle de ovo, 24 jardas, a 60500 a dita 1
Dito aaieri:ano, supericr, a 50800 a dita I
Bratol de linbo puro, 4 larguras, a 2,5000 o metro 1
dem de algodo superior a 800 rs. o 1200 o dito!
fortes de casemiras e meia-casemiras a 2,5500, 30000, 50000 e 60000
Casemiras diagoncl para roupas de criancas a 800 rs. I
dem de duas larguras a 10800, 20000, 20200 e 30200 o oovado!
Brins de cotes e pardos para todos os preos.
Gu> rnicSes crochets para cadeiras e sof a 800001
Cortinados do bordados a 70000 o par !
Col has e cobertores a 20000, 20500 30000 !
Sortimento de fichs, luvas, leques, enxovaes para Exmas noivas.
Deposito de faxendas e as vendas em grosso damos descont da praja.
Lotera da Provincia
Acha-sc venda a 10.a lotera a bene-
ficio daS. Casa de Misericordia do Recife, que
ter lugar no consistorio aigrejt de Nossa
Senhora da Conceifao dos Militares, onde
estaro expostas as espberas em orden? nu-
mrica, para screm exani^adas.
SCCCISSOIES DE,
CARNEIRO DA CNHA & C.
59Bua Duque de Caxias-59
VINHO GILBERT SEGUIN
Ajprorido x*l* Aoadamla Om Medioin d Franfl
AIS DK SESSENTA ANNOS DK BXPERIENCIA __ _
YinbO de nma etheacia 'ncontestavel como Antiperiodico para cortar as Pebre*,
e como Fortificante as C'onvaleeencas, Itebtltdadedo ?j^
faUa de MetintruaciU, Inappetencia, IMpeftem dtffleeU,
Enfermtdadem nervotu, Debilidad*,
Pharmacia G. SEGUIN, 378, ra Saint-Honor, PARS
Depositarios em Pfr*Mmfruce ; FRAN" M. da S LVA a_C*L

FNDICO DE FERRO
CARDUZO IMAO
Ba do BaraO do Triumpho ns. 100 a 104
Deposito a rna do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem sempre ero deposito todos os machinism^s e ferragens precisas agricul-
tura desta provincia, como sejam : vapores locomoveis, semi fixoa, com caldeira
ohornis ou para fogo de assentamento, moendas de todos os tamanhos, tachas batidas
e fundidas, etc.
Mandara vir por encommenda qualquer machinismo, encarregam-se de sental-os
se rpspnsabilisam pelo bora trabalho do mesmo.
Vendem a prazo ou a dinbeiro com descont e a precos resumidos.
S
XAROPEd reinvillier
*******
Uomdo pela Aoademla de Mediolna
CwaMMfro e Legiao 4* nomr ^ *&&
s?a
-A.TOa.C-AJ-.
o-six^-'
o*
O rUosphato decui substancia mineral mata atrancan! 3 do organismo e toda vei 4H
(TMD'Jtjae normal dlmln--: resulta umaaaeccSo orgnica grave. _.._ *.. nmUaiM
Malsde emee mil curas, a mor irte ^ll&da pelos Frotesores M<*EE3SS&
torio oDtldas ltimamente e Ozerao com Oomo o especifico mals seguro costra a Tsica pulmonar. ~n"',^"",C-,^I^SrSS
a.cmtlimii, Xtrbillds'e do Organismo, o Tarop do ir KeiMUi-sr '^'"Sl?";?,
2artan5S claucas facilita dentico e o ^cimento: o*? mies e><>'* c
' leim melnor; Impede a carie e quena dos denles tao frequeoto depots da prannea.
Dori-iU,: Pharmacia ?xmBWftXJE, 8, Paos da Ib Maonaseln, Ma
Em Pcrnzmbuco: FRAN* M. da SILVA 4b C-, t nu prltieipn* Ptafm.cn. Dnt*
Chlorose, -Anemia- Catharro pulmonar,- BroncMte chronica,
.marro da Bexiga, Phtisiea, Tosse convulsa, Dyspepsta, Palidez,
Pardas seminaes, Catharros antlgos e complicados, etc.
Anulevard Senaln. 7, em PAXXZ. e n* eiiaclpaas ?harmil*i.
i*****Mitl lilil *>*>.* ******.* >!<
Belleza Hygiena Saude
ULTIM NOVIDADE PREPR*DA CONFORME OS POCESSOS SCIENTIFICOS OS MAIS APERFEIfOAOOS
Mira NfistradA
^^y
V>
Productos
SUPERIORES
*" >^ *" s>' V *" *r r
AJON i Perfumista, 62, B'de Strasbourg, PARS
hfMttarlM m Pernambuco : niall" M. ti SILT 4C" B AS pruicipaks Casas de perfumaras
Venda d-; sitio
Atteupo
Vende-se ou permufa-se por predio nesta cida- Vende se especial farinha de milho e de arroi,
de um bom sitio com boa casa, mu tas fmeteiras, feita vapor, e preparada para bolo, cangica,
fxcr lente baubo do rio, boa agua de cacimba, cuacus e outrss diversas especies de comedoriag,
extensao de terreuo para baixa de capim, to io que aecisi tcm destes meemos (eneros, sendo a
morado na frente, com ; ortao e gradeamento, com 240 ra. o kilo da de milho e a de arroi a 320 rs.,
caminho de ferro e eitaclo juntoaoditositio.no assim como farinha para tender o pao cerveja a
Porto da Madeira, c .nhecido pelo sitio do Joao 2(JU u arroba : na padaria da travessa do
Sellciro, junta ao Dr. Ernesto de Aqnino Fonse-
ca : quem pretender dirija-se praca da Inde-
pendencia n. 40, das 11 horas as 4 da tarde.
10
P,mb .1 n. 1, pertencent a Pereira de Pinto.
Telephone296.__________^
Telhiis de zinco
Vende-se telhas de zinco, usadas ; no caes 22
de Novembro, armazem da bola amarella n. 36.
GEIT1.1L
38Ra do Imperador38
w>
Diariamente debate-se na imprensa a criss
, aterradora poi que estilo passando as provincias
do norte deste imperio ; saa innmeros os recia- :
mes de|todas as clasaes, sem qae sejam atteudidos Vende-se si mentes de cacao novas ; no caes 22
! os seus justos pedidos, de que se gloriara as na- de Novembro, armatero da bola amarelk d. 36.
cues civiusadas.
E para que se pessa dar impulsos aos desejados
progresos que certamente trarao o bem estar de
todos, resolveram Martins Pires t C. estable-
cidos com armazem de molbadoi ra Es-
treita do Ros:.rio ns. 1 e 2, a vender por precos
mdicos os artigos concernentes ao seu ramo
de negocio, que certamente constitue urna eco-
noma diaria e onde se acha um completo sor-
timento dos segnintes artigjs, que pela sua qua-
lidade e precos sao recommendaveis, como se-
jam :
Vinhos fios do Porto
Madeira
Sherry

Nesta grinde pharmacia aviase receitas e pedidos com promptidao,
policitude e modiciJade.
As prescripffles em linguas estrangeiras sao fielmente
despachadas
O pharmaceatico pernambucano JOS FRANCISCO BETTENCOURT
convida os clnicos desta cidade que queiram honral-o com sua confianja
para qualquer trabalho profissional e ao publico. Garante 83 a mais atten
ciosa e conscienciosa ezecuyao.
Esta casa recebe seus productos chimicos e drogas directamente
das melhores casas da Europa, especialmente encommendadas para seu
receituario.
ESPEOALDABE
^y7
Preparado pelo pharmaceutico JOS FRANCISCO BETTENCOURT, ^
de urna eficacia verdadeiramente maravilhosa as molestias dos orgaes
respiratorios.
Bronchites, aslhnia tosse, convalsa, etc.
Essencia depurativa. Formula do distincto clnico Dr. Ramos.
Depurativa por ex-jellencia para todas as molestias que tem a origem
na impureza do aaugue.
Sltflis, aiK, ulceras, eritoes lerptticas, etc., etc.
Tinta preta para escreverinalteravel^ fabricada com muito cuidado
por urna formula inglesa, especial para escripturagao mercantil e repartigSes
publicas, secca de pressa, perfeitamente preta, n3o corroe as pennas, nlo
Sementes d cacao
Liyramento & C.
vendem cimento port'and, marca Robins, de 1*
nalidade ; no caes do Apollo o. 45.
Papel para impresso
Vcnde-se papel para imprf-ssao, do formato Dia-
rio e Jornal do Bi'cife : na rna do Mirquez de
Olinda n. 31.____________________________
A FliRlDT
Chamberin
Bordeaux
Moscatel
Collares e Bocalas.
Completo Bortimento de cervejas, cognac, bitter,
licores, docts, bolachinbas nacionaes e estrangei-
ras.
Queijos frescos do serto, prato, Minas e fla-
mengo.
Azeite de coco, mate do Paran, formicido ea-
panema.
Precos sem competencia.
Ns. 1 e 2Ra Estreita do RosarioNs. 1 e 2
Martins Pires & C.
WHISKY
ROYAL BLEND marca VIADO
Este excellente Whisky Escossez pre-
fer vel ao cognac ou agurdente de canna,
para fortificar o corpo
Vende se a retalho nos melhores arraa-
zens de molhados.
Pede ROYAL BLEND marca VIADO
cu jo nome e emblema sao registrados para
tedo o Brasil.
_______BROWNS & C, agentes._________
Sitio no rraiai
Vende-se a casa terrea com 7 quartos, 3 salas,
cosinha, qutrto com banho de chuviseo, depen-
dencias para criados, cacimba com muito boa
agua e bomba, um lindo jardim, passa um riach i
pelo centro do sitio, tendo nma pequea ponte
com bancos para recreio, arvores fructferas, co-
qoeiros, laranjeiras, sapotiseiros, mangueiras, ja-
queiraa e outras diversas, ra da Harmona,
dividiudo com o sitio do Sr. Baduem : a tratar
com o 8r. Domingos Gomes Correia, na casa ama-
rella, ou na ra da Paz n. 42.
KWEI
Ra \ de Marco n. 0.
Pa>ti ipam ao respeitavel publico que, tendo augmentado seu
eaUbelecimonto de JOIAS com mais urna secsao, no pavimento terreo,
com espii-liiades em artigos de ELECTRO-PLATE, convidara as
Exma8. familias e seus numerosos freguezes para visitar seu estabele-
eime-nfo, onde en. ontrarao um riquissimo sortimento de joias de ow a
prata, perolas. brilhantes e outras pedras preciosas, e relogios de aro,
prata e nikel.
Os artigos que recebem directamente por todos os vapor sao
executados pelos mais afamados especialistas e fabricantes da Europa e
Estados-Unidos.
A par ibjeotM de our>\, praa ^ ekotro pate, proprios para presentes de
asaiEen'os, baptisatios e anniversaries.
Nem em relagSo ao preyo, e nem qualidade, os objectos cima
mencionados, encontrarao concurrencia n'esta praya.
IPILULAS DIGESTIVAS DE PANGREATINA!
de
Pharmaceutico de Ia
Classe, Fornecedor dos Hospitaes de Paria
A Pancreatina empregada nos hospilaes de Pars, o mais*i>oderosoj
[digestivo, que se conheca, visto como tem a propriedade de digerir ei
tornar assimilaveis nao sement a carne c os corpos eordurosos, mas
lambem o pao, o amido e as fculas.
Qualquer que seja a causa da intolerancia dos alimentos, alteraco, oul
I ausencia de sueco gstrico, inflainmacao, ou ulceracOes do estomago, oul
ido intestino, 3 a 5 pulas de Pancreatina de Defresne depois da co-j
Imida, sempre alcangam os melhores resultados e so por isso prescrptas|
Ipelos mdicos contra as seguintes affecSes:
I Falta de appetits.
'Ms digestoes.
Vomite ;.
Flatulencia estomacal.


I
8
ivmw Vletsrli
f.MAlll***
: EBiCAMaaiO de uin gusto agradavei. adoptad coin ^'^i'Jltfa^
9STae ao ana pele* melbo.es liuiicoa de Partf, curjw Or>*. *n>ZL
AO LOUVRE
Os proprietarios d'esse anligo estabdecimento sempre no intuito de correspon-
der confianc* das Exmas Sras nao poupam esfor5os fim do sat.sfazer a exigen
Ca do bom gosto e para o que acha se actualmente em Pars um dos socos da casa,
qe vai por todos os paquetes remetiendo o que o capricho da moda vai inventando, e
ara prova presentamos O seguinte : .
Lindissimos cortes de 12, montados em cartao, com guarnicao de conUs oxy-
dadas!
Esplendida collecclo de capotas e chapeos para senhora 1
Guxrr.icSo completa de vidrilho sui generis!
Rimeiras dolmans e visites em t cit o* differerJtes !
Mantlbas andaluzas, espedialidade I
Ditas de fil de seda primorosamente bordadas !
Rendas hespauholas chaniilly em sortiias cores !
Luvmb de seda bordadas em alto relevo !
Sedinhas e srahs, grande moda !
Colebss tur-as a imitacio do crochet!
Palitots de seda cra, pretos e cinzentos 1
E muitos outr s artigos de moda.
Tavcrna
Vende-se a taverna da esquina
Pocinbo n. 24 ; a tratar na mesma.
do becco do
Bom piano
Vende-sc um bom piano muito pouco usado, por
preco mdico ; a tratar no pateo de S Pedro n.
4, 1' andar.
'licenciadopela Inspectora Geral
de ygine do Imperio do Brazll.
4 Ba i.' de Narco n. 20 A (esquina)
CASA DE COiNFIANCA
Anemia. \ Gastralgia"
Diarrhea. Ulcera9es cancerosas.
Dysenteria. \ Eniermidades do gado.
Gastrites. j Emmagrecimento.
Somnolencia depois i: comer, evemitos que acompanham a gravidez
PANCREATINA DEFRESNE em frasquinhos com a dosc de 3 a 4 colhe-
radazinhas depois da comida.
Em casa de DEFflESNE, autor da Peptona, PARS, e :m ledas as Pharmacias
A REVOLlAO
4B-Raa ao DaauB ae Caxias-48
GRANDES NOVIDADES
Esplendido sortimento de cambraia com salpicos, brancas e de cores a 5000,
50500, 6^000 e 60500 a pe^a.
Motins escocezes e de Ustras, combinaco, a 440 rs. o covado.
Lindos cortes de cretone com barra, alta novidade, a 80000.
Loncos de seda, lindos gostos, a 10000, 10500, 20000.
Las de quadros, o que na Je mais novo no marcado, fazenda larga, a 600 e
800 rs. o covado.
Cachemira acolchoada, lindas cores, a 500 rs. o covado.
Colchas de cores, esplendido sortimento, a 20000, 20500, 30000, 30oOO
e 40000.
Ditas de crochet muito grandes a 60000 e 8000 urna.
Cortinados bardados a 60000, 70000 80000, y0Ut 0 e 100000, o par.
Ditos de crochet, completo, a 450000. nannn
Lindas guarnicoes de crochet pxra catira e soph a 6$000, 80000 e 100000.
Merino, lindas tor^s, a 700, 800 e 10200 o covaao.
GuarnijSes de veludilho bordados a vidrlno para enfeites de vestidos a
60000 um
Cachemira broch ultima moda a 10500 o covado.
Ditas pretas, sor.ioiento completo, a tO, 10000, 10200, 10400, 10600, 10800,
e 2000*' o covado.
Ditas ass'-tinadss a 15500 e 10600 o royado.
Vestuarios para baptisado ri.-aim-nte enf-it-dos a 90000 e 130000.
Colarinhos e punhos para senhoras, ultima n>vid.d- a 20500.
Camisas bordadas para senhora a 30UOO, 40000 e 05OO urna.
Sabidas de baile, lindos gostos, 0*b pqueno defoito a 20000 e perfeitas
a 30000.
L'qucs com liadas paisag?ns a 500 e 20500.
Bordados e ntremelos de cambraia baratissimo
Sintos de chagrn para senhora e enancas a 10000.
Madupolao R^volucio, fzenda muito boa com 20 varas a 60000 a pega.
Muitas cutras fazendas que com a pretenja das Exmas. familias e respeita
vel publico se poderSo apreciar.
lien, ique d i Silva Mor ira
lina Dnqae de Cailnn n. IOS
Grande sortimento de objectos para pre-
sentes, sendo: carteir&s, porta joias, l-
bum de raadreperola para baile, idem de
raarm, estojas para agulhas, lapiseiras,
broches de madreperola, idem de marfim
desenbando em alto relevo flores e um mo-
Iho de trigo.
Casacos bordados para senhoras a 50000.
Leques transparentes pretos e de cores a
20000 e 20500.
dem de. setineta a 10500 e 20000, um
dem de papel a 500 e 800 rs., um.
Agua Florida verdadeira em guarrafi-
nhas a 500 rs., urna.
Contas lapidadas pretas e de cores.
MisBaogas pretos e de cores.
Lindo sortimento de fitas e bicos bran-
C08 e de cores.
Grande sortimento em botSes de ma-
dreperola e phatitasia.
Luvas de pellica a 20500 o par.
dem de seda a 20000, 20500 e 30000.
Capeilas, veos e ramos para noivas.
Suspensorios americanos a 20500.
Linha para machina a 800 rs. a duzia.
Meb.8 de cores, escocia, para senhora
a 10500 i par.
Caixus de jogo para salao a 50000.
Sabonetas a 120 200 e 500 rs.
Boleas de couro, de chagrin, de pellucia
e de pellica para senhoras e meninas.
Espartilbas a 30000, um.
Lindas pastas rte couro, chagrin e pe-
lueh a 500, 10000, 20000, 30000 e 50000.
Carteiras para sedulas com os reparti-
mentos de 100000 a 1000000.
dem para letras com os reparfimentos
dos mezes de J-neiro a Dezembro.
Estrados corylopsis do Japao, nexis do
Jpao, Buuquet de exposiao, Theodora,
Rita ^argally, Porte Veine, Ixora Brione,
Roger, Gallct, Briza da Serra, Paris-Bou-
quet, Estracto Dodeur, etc.
Luvas de seda bordada com missangas.
dem bordadas com vidrilho dourado,
bronzeado e granad.
dem com palmas da mesma seda.
dem arrendadas a xadrez.
Anquinhas a 10300, 10500 e 2000,
urna
103-RUA DUQUE DE CAXIAS-103
Vende-se
urna tavcrna na travessa do Pombal n. 16, bem
atregui zada, propria p*ra principiante ; a tratar
na ra da Aurora n. 35
XaropeZed \j tengo
{De C0DEINA a TOLO)
O Xarope Zed emprega-se contra, as
Irritofdes do Veito, Tosse dos Tsicos, Toss
tonvulsj KCoquelucbt),'BrotichiUs,CoHStipafdts,
Colorrhos Insomnios persistentes.
PABIS. M. me Drouot, paaaiuoi*
PrancbdeN de plnbo da Saerla
Vendase pranchoes de Piuho da Suecia !e 3 x 9
pollrgadas, eiu lotes de '0 dunas para cima, por
pnco nijdico ; a tratar na ra do Commercio n-
mero 4.
SUSPENSORIO MILLERET
Elstico, sem CordSes
Para evitar as ContrafacSes
Exigir a marea do Inmtor imprimida
rm cada tuijmtorio.
Meta para Varixem
mi- >h Tecidos elasti** tlgodi Kdi.
MILLERET,
FUNDAS MILLERET
A Casa BKlUeret rttommenda as
nuii Fundan anatmicas
mu tu miau inisiiein. par-
ewnter ai .Wmioi t quebraduras o mauJ
diffiuU.
ClTtCIiS PIRA i BARRICA E 0 CMBlb.
LE QIDC, Succesaor, 49, ra J.-J. Rousseau, PARS
DEPSITOS EM TODAS AS PRINCIPAES PHARMACIAS
ELIXIR DESOBSTHEXTB
Eupeptco de Gervo
Preparado pelo pharmseeiiilco
JOS' FRANCISCO BITTENCOURT
O Gervao tem urna a-gao desobsfru^nte PXtnmrdiosri p*ra os incommodo
do figado, bago e estomago, conforme o desereve Dr. Mello Moris.
Um grande numero de pesso s que tem usado di-He coBSldeTa-o infallivel.
Lv idos por estas informacB-is e por muitas -xprienins presenciadas por
nos meamos apresentamos aos clinicos e ao publico em geral, um Elixir desta planta
de um sabor delicioso e um eflvito verdaderamente benfico para os pjbres despep-
. spleneti'-os e aquelles que sofTrem do figado.
Os propietarios da Pha-macia Central
33PCSITD ITA PHARMACIA G2ITTHAL
N. 38 Ra do Irop^raor N. 38
PERNAMBUrO
BXTRAIT JAPONAIS
Agua papa fazep Crescer os Cabellos
Esta AQUA, inventada pelo celebre Chimico
H. ROTHE, impede instantuneamente a cahida dos
cabellos e fortalece de tal forma o seu crescimento
que basta applical-a durante alguns mezes para pro-
porcionar s Senhoras cabellos de ItO centmetros
de comprimento. Pelo emprego d'esta AQUA, os
calvos recuperarlo em breve es seos cabellos ja
cabidos.
jCasa producto m%o oontm substancia afftuoa
nociva por m aand*.
DefoU |enl: I. ROTHE, Ckiaici, 11, Bd itt Itm. PARS
Km Ptnumtum : rraaeaaeo M. a A C*.
4m >tt^ w#j_aa-





u







8
Diario de Fernambuco-~Sabbado 24 de Setembru de 1837
ASSEMBLEA GERAL
SENADO
DISCURSO PRONUNCIADO NA SES-
SAO DE 5 DE SETEMBRO
(ConclusAo)
E tanto, senhores, isto natural que o
mea Ilustre antecessor, no projecto que
leo, de pedido de crdito, incluio a drai-
nagem e, se assiin e fez foi sem duvida
porque comprehndeu, e bem, que era ne-
oessario reunir em um todo as diversas
obras, nao solicitando os meios pecunia-
rios precisos desae o anno passado, por-
quanto b estovara concluidos os estudos
relativos a urna parte do mesmo todo, e
entSo sguardava prudentemente a conclu-
sSo dos estudos oonceruentes drainagam
para apresentar a sua proposta. Isso
evidente,
Demais, essa proposta nSo foi, como S.
Exc. mesmo declarou ante-hontem, sub-
metid a conselho de ministros ; por con-
seguinte, nSo havia urna resolugao do go-
verno.
O nobre senador por Minas procurou
debaldo mostrar que eu estava em desac-
cordo com o governo.
Permita que eu lhe diga nSo haver des-
accordo algum entre o modo porque me
ennunciei e o modo porque tem procedido
o governo a respeito desta questao.
Varios Srs. senadores disseram que eu
nSo quers resolver cousa alguuoa, tratando
anda de nomear urna commissao para exa-
minar os trabalhos dirigidos pelo Sr. Rvy.
D'oode concluiram isto os nobres sena-
dores?
Pois eu nSo declarei que estava estudan-
de esses trabalhos, que tivera com aquello
engenheiro largas conferencias, as quaes
expuz le duvidas que me occorreram,
procurando assin f.onvencer-ma da etica-
cia do plano por elle proposto ?
Como, pois, se me attribuc a intengao
de nomear outra couimisso ?
Volto questio, que reputo mui impor-
tante, da influencia das aguas do mar no
lenco' d'agua subterrnea.
Foi neste ponto que o nobre senador
por Santa Oatharina disse que procurei
urna escapatoria para justificar o meu pro-
cedimento de nao pedir crdito.
J disse ein aparte ; a minba vida pu-
blica, nSo curta, e em tempo algum re-
corr a escapatoria ; fallo sempra com mul-
ta franqueza e lealdade ; quando erro,
confesso o meu erro ; mas quando estou
convencido de que me a-ho DO terreno da
verdade, sustenUr-a com todo o vigor.
N:o preoisava, pois, recorrer a urna es-
capatoria pera explicarme parante o sena-
do e especialmente tratndose de assum-
pto como este. J justifiquei o meu pro
cedimento, o esta justificado nao podia
assombrar ao senado, como approuve ao
nobre senador dizer mas siin eselareeel o
como presumo ter ficado esclarecido.
O Sr. Escragnolle Taunay d um aparte.
O Sr. Manoel Pjrtella (ministro do im-
perio) E' urna illusio parfeita essa em
que o nobre senador collocou se,
todo o seu aisjurso e em que
insiitir.
O meu discurso ser publicado, e aquel-
lis que nao tiveram oceaaiao de ouvir-me
poderao cotejar as raiohas palavras com o
relatorio do Sr. Rvy o as memorias apo-
sentadas pelos engenbeircs que, antes delle,
estudaram a questao ; aquello entendendo
que a agua do mar nao influa, e e^tes,
opinando em sentido contrario.
O Sr. Escragnolle Taunay : -Na pro-
ximidade do mar influe.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio, :_Ouv o nobre senador com toda
a attengao, pejo reciprocidada neste pro-
cedlmento.
Disse com p'ena convicgio ; isto e um
ponto do grande importancia a resolver, e
o nobre sanador pela provincia de Minas,
apoiou rae, accrescentando ponderag<5es de
grande vlia.
durante
acaba de
De feito ; se o iencol d'agua do sub salo
se compSd de agua doce e nao tambem de
agua salgada, a drainagem no primeir >
caso, fucillima ; mas no segundo muito
diffioil ; e o nobre senador accrescentou :
Sera um motuo continuo. >
O Sr. Barros Barreto : Era o tonnel
das Danaides.
O Sr- Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Foi esta justamente a expressSo
de que elle Be servio.
Se as aguas quo doraiuam urna granda
extensao do sub solo sSo fornecidas peb
mar, a extracgo dellas ser um servigo
dispendiosissimo. Portanto ha esta ques-
tao a resolver : e como estou procurando
resolvel-a ?
Nio nomeanlo outra commissao para
apreciar os estudos do Sr. Rvy, sim,
ouvindo-o sobro este ponto, presentndo-
le objecgSes da aceordo eom os trabalhos
do Sr. Dr. Paula Frenas e do illustre len-
te da Escola-Central, a que se refere este
engenheiro.
O Sr. Rvy tem me dadc explicagSes
que, pela maior parte, me parecem proce-
dentes ; de aceordo com elle se proceder
verificacao do fa -to, do mesmo modo
porque se r.rocedeu outr ora.
Procuro elucidar este ponto, que muito
importa, nao por significar absoluta impos-
sibidada de se fazer draiuagem, mas por
que de resoluco delle depende o maio a
empregar, afim de extrahirem as aguas do
sub solo e leval-as para lora da barra,
oomo projeota o Sr. Rsy.
Tem sa dito que este meu modo de pro-
ceder parece indicar falta de confianca no
engenheiro a que est incumbido este ser
vico, e que assiin to to o tempo de meu
ministerio ser pouco para, por mim pro-
prio, entrar no conhecimento de todos es-
ses detalhes.
Quaesquer que sejam as apreciagris,
nSo pretendo afastar-me da nerraa que ce
tenho tragado, de ver e examinar por mim,
embora deposite a maior confiang* naqnal-
les que servem as repartigoes dependen-
tes do ministerio a meu cargo.
Em qus posifSo ficaiia eu, como minis
tro, perante o parlamento, pe tindo crditos
para obras, sem ter conviccao da sua pro-
ficuidade e do emprego ulil do crdito que
fosse votado para a sua execugo ?
E -tejara, portanto, o nobre senador e
aquellos que porventura nutrem as raesmi.8
suspeitas que S. Exc, cortos de qua estou
acouipanhando esses estudos, procedendo a
todos os ex mes e que hei de dar copia de
mim a respeito deste objecto, que tanto in-
tereasa causa publica.
Tratando da sade publica, o nobre se
nador pela provincia de Miaas referio-se ao
desenvolvimento que tem tido a variol*
uesta capital.
O nobre senador como que censurou nao
tar havido providencias tendentes a fazer
cessar, seno a diminuir o mal.
Sr. Presidente, encontrei as providencias
j dadas pelo meu illustre antecessor, e,
para quo a minha consciencia ficasse tran-
quilla e no tivesse de aecusar-me do in
cremento dessa epidemia, dirigi-me ao dig-
no inspector geral de hygiene, procuranJo
saber de S. Exc. se as medidas tomadas
pela admioistricSe eram suffici-mtes ou so
havia necessidade de outras e neste caso as
indicasse.
Na ultima reunio do conselho superior
de sade declarou me elle que as providen-
cias tomadas eram bastantes, concordando
com isto o conselho.
Se ellas sao ou nSo suficientes, a mim
nao cabe dizer. Confiaodo nessas agentes
da administragao, suppondo-os competen-
tes e habilit dos, nio devia seno confor-
mar-rae com a sua opinio.
Fallou o nobre senador na inconvenien-
encia do hospital da Gamboa e na necessi
dade do estabelecimento de hospitaes-bar-
racas.
Ainda lo ti ve occasiSo de visitar o hos-
pital da Gamboa ; mas quando se sabe ,uo
o ser vico deste hospital est a cargo da
Santa Casa de Miscricorlia, pie sa ter
certeza do que, zelosa como no cumpri-
mento de sua humanitaria misso, se nao
removeu o hospital dessa lugar reputado
improprio, oo deixar coratudo de tomar
em conaideracao as observaySes de S. Exc.
Quando crescida mortalidade dos va-
riolosos no hospital da Ilha de Santa Bar-
bara, a que so referi o nobre senador em
ama das ultimas sessdes, preciso fazer dcs-
apparecer do espirito de >. Exc. a suppo
siyao em que est, porque convm que a
populacto saiba que a opinio de S. Exc.
nao assenta em bom fundamento.
Das boas condic5.'.s desae hospital eu
dou testemunho p .-ssoal, porque o visiiei, e
e com 8atJsfac&o confesso que nSo suppuz
eneontral o em estado tuo regular.
Porcorri todas as enfermaras sem a m-
nima repugnancia, parecendo at que nao
existiam all enfermos dessa molestia.
Quanto ao augmento da mortalidade no
hospital, S. Exc. labora em equivoco.
Tenho aqui os dados; at ao 1. do
crrante mez entraram 518, sahiram cura
dos L63, existem 174; a proporco da
/o-
FOLHETIM
VCTIMAS E ALGOZES
POR
EMILIO DE RICHEBOURG
PRIHEIRA PARTE
A FAMILIA.LIOTJtfEI
mortalidade e de 30,77
Creio que nao se p le tecer elogios mais
eloquentes a esse estabelecimento. (Apoia-
dos.)
Restabelecendo, portanto, a verdade, con-
corro para que as palavras aqui proferidas
nao sejam mais um motivo para que a pe-
pulayo evite ir para um hosp-tal onde en-
contra todos os meios facis e commodos
para o seu curativo.
O nobre senador perguntou porque, dan-
do um dos jornaes da capital noticia de
quo eu havia encarregado ao Dr. Henrique
Djdswjrth de ir Europa em commissao
do governo, foi depois essa noticia official-
mente contestada, declarando-se que a ai-
min8tracao apenas havia auxiliado ao Sr.
Dr. Pedro Affonso Franco com a quantia
de 2:QO0(?0O0.
A razio muito clara, qu9 nao quero
ser responsavel senao palos aotos que pra-
ticar. Desde quo nao commissionei aquvlle
medico /:o devia consentir que corresae
por minba conta urna versSo infundada.
Desoja tambem S. Exc. saber se tive
participadlo oficial dos resultados do sys-
tema de vaccinaglo do Sr. Dr. Pedre Af-
fonso. Direi a S Exc que, se algum of-
ficio existe expendo esses resultados, nao
foi recebido por mim. Entretanto, inda-
garei se existe a este respeito alguma com-
municaao oficial, e, se della tiver conhe-
cimento,. a transmitiroi ao nobre senador.
O Sr. F. Octaviano: Em minba casa
foram perfeitas as operagoas.
O Sr. Lima Duarte : Nlo ponho om
duvida a affirmaso do nobre ministro,
mas o governo tem o dever de indagar,
de informar se dos resultados desae syst;
ma. Sem duvida, at conveniente para
o paiz todo.
O Sr. Manoel Portella (ministro de im-
peirio : Quando meu antecessor nao te-
nha exigido essas informales, natural
que o digao inspector geral do hygiene as
possua e me as transmita.
S. Ex:, mostrou o desejn de saber o que
pretendo fazer com referencia ao Instituto
Pasteur, e accrescentou conatar-lhe
que eu havia celebrado contracto de arren-
damento de um predio as Laranjeiras por
72:000^000.
O Sr. Lima Duarte:Aceresjentei qua
nao era isso accreditavel.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im
perio :) Devo dizer que inteirameota
destituido de fundamento
Quanto ao instituto, cabe-me declarar
qua a sua creayo correr por conta da
Santa Casa oe Misericordia.
Quando ella resolveu mandar a Europa
o Sr. Dr. Ferreira Santos, o meu illuetre
antecessor auxiliou-a no intuito muito nobre
que se propoz realizar, e estou disposto a
continuar a prestar a coadjuvacSo que de
mim depender afim de que se consiga a
fuuJacao de um instituto d'aquella na-
tureza.
O Sr. Lima Duarte: Muito bem I
T
( CsntinuacSo do n. 217 )
VI
Ooe a proposito de um nc rali
de ouiro
E' verdade, Sra. marqueza, sou Da
rasse, Pedro Darasse.
Era-lhe impossivel negal o, Sr. Da-
rasse. Tenho ah nos meus papis urna
folha em que esto trabados os Beus sig-
naes. Bem v que nao desprezei nenhu-
ma informaclo e que nXo por minha cul-
pa nem pela dos meus amigos que nao ob-
tive o resultado que devia esperar.
Ficou por in8tantes calada e proaeguio :
__Sei, Sr. Darasse, que conheceu minha
filba e seu marido e que vio a filha delles :
o senhor disse-me ainda agora que sendo
migo do Sr. Fraud tinha-lhe seropre da
do bons conselhos, de que infelizmente elle
dJo fizera caso. Pois bem, Sr. Darasse,
as nforooajBes que me sao fornecidas di-
zem o contrario. E' nellas apresentado co-
mo tendo conduzido o ateliz Fraud sua
perda, como o seu mo gjnio.
Sra. marqueza! exclamou o misera-
vel com atrevida iniignacao, calumniaram-
me odiosamente.
__ E' possivel, respondeu framente a
marqueza, uoicaroente conservo duvidas a
tal respeito; mas deixemos isso. O senbor
pretende que minha filha morreu ; eu que-
ro acreditar que c senbor est engaado e
conservar esperanza de que um dia a
tornarei a encontrar. NIo me oceupo por-
tanto ni-sta occasiSo senao da minba neta.
O aenhor compremette-se a fazer-me saber
daqui a um mez onde ella eBt T
Sim, Sra. marqueza.
Se vem aqui com a utenjo de en
ganar, se veio fazer jogo com os meus sof-
frimentos, dando-me apenas urna falsa es
peran9a, terei urna decepglo a maia e urna
nova dr a accresentar a tantas outras. Mas
se n) raentio, se por sua intervengio en-
contrar minha neto, j saba a promessa que
lhe fiz. No dia em que vier dizer-me : ta
sua neto est em tal lugar e que o senhor
me leve prto[della, nesse dia, Pedro Da-
rasse, a marqueza de Saulieu metter du-
zentos rail francos na sua mJo.
__ Neste caso, Sra. marqueza, est feita
a minha fortuna.
__Desejo-o ainda mais ardentemente do
que o senhor.
A marqueza pz as cinco moedas de ou-
ro em cima da*mesa.
Entretanto, accrescentou ella, tome
estes cinco luizes.
O bomem no esperou que lbe repetis-
sem o offereeimento ; tratou logo da .-setter
o ouro no bolso.
__Agora, S.\ Darasse, continuou a mar
queza, pode retirar se
O marsel iez curvr.u-se ^humildemente e
sabio do saino.
Quando elle atravessava o pateo o cria-
do disse para JoSo :
Eu nao sou medroso ; apezar diaso,
all est um que eu nilo gostaria de enceu-
trar do noita no ineio de um bosque.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Falln tambem o nobre senador
na conveniencia da mudanca da casa da
machina da companbia City Improvementt
estabelecida em Botafogo
Examinando diversos relatnos sobre o
aaneamento desti capital, encontrei al-
guna tpicos referentes a esse objecto ; af-
firmo, porm, que nao tenho ainda juizo
formado.
Tomaroi em consideraco a opinio do
nobre senador e estimarei resolver de ac-
eordo com ella.
Do servijo da renovagao do lixo, tam-
bem sa oceupou o nobre senador pela Pa-
rabyba.
Varifiquei que no intuito de reformar este
servico tiuha-se abarlo concurrencia para
um novo contracto, mas que, sendo essa
concurrencia annullada, resolveu meu Ilus-
tra antecessor abrir outra sobre bases qua
a inspectora de hygiene tivesse de for-
mular.
O Sr. Meira de Vaajoncellos : NSo
pie V. Exc dizer aa razoaa da annulla-
jlo da concurrencia ?
O Sr. Manoel PortelU (ministro do im-
perio) : Nao sai: em todo caso facto
consumado : o que me cabe agora exa-
minar aa novas bases que nao ha muito
tempo estao na secretaria.
Desta questao j me oceupei em urna
das sessSaa anteriores, notando a diver-
gencia que ba entre pessoas muito autori-
rizadas, opinando urnas que a iocinerago
do lixo ae taca em lugar afastado da cida-
ie, para onda ser elle transportado por
estrada de ferro, pensando outras que o
lixo deve ser removido por mar e laucado
fora da barra.
O Sr. Lima Duarte : Ni ha nada
como a incinerabaj.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio : O nobre senador medico e, por-
tanto, muito competente, mas posso eu,
sem datido estudo, afirmar desde logo
qual dos dous systemas o melhor ?
O Sr. F. Octaviano: Tem de sujei-
tar-se s autoridades competentes.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Fallou o nobre sauador na ne-
cessidade de analysaram se as aguas mine-
raes de sua provincia. Saba S. Exc.
quanto me mereca a provincia de Minas, e
eu nao ignoro que taea aguaa constituem
urna parte importante de sua riqueza ; fi-
que, portanto, certo de que este assumpto
encontrar em mim a melhor disposi^oo.
Se nao esto examinadas as aguas a que
S. Exc. alludio, nao terei duvida em man-
dar tazel-o, examiuando-se tambem essas
de que acaba de fallar em aparte.
O Sr. F. Octaviano: O governo de-
via mandar examinar essas aguaa falsaa
qua nos vem da Europa.
O Sr. Manoel Portella (ministro do ira-
Derio : Caba agora completar a resposta
que devo ao nobre senador pela Parahyba,
relativamente s aguas dos rios Covanca e
Tres Rios.
Foi esse um doa objectos a reapeito
dos quaes ouvi o coasalh > superior de sau-
de em sua ultima reunio ; maudei reunir
os respectivos papis, e do ligeiro exame
ou i delles fiz, resultou o aeguinte: em vis-
ta do parecer do inspector geral de hygie-
ne, meu illostre antecessor tomou as pro-
videncias que estavam ao meu alcance,
mandando proceder s necessarias intima-
res aos proprietaros e arrendatarios dos
terrenos, em que se achara os mananoiaes ;
recommendou Cmara Municipal a execu-
$ao das posturas concernantes ao assumpto,
e dirigio-se ao Ministerio da Agricultura,
de quera tambem depende a resoluglo da
questao, na parte relativa desapropria-
(o dos terreos. Sa taes providencias
nao forera bastantes, o que trato de verifi-
car, tornarei as que me parecerem acer-
tadas.
O nobre senador pela provincia de Mi-
nas Garaes chamou minba attengo para o
beriberi.
Creio que S. Exc. ha de ter lido o re-
sumo da sess3o do conselho de saJe a
quem racommendei a necessidade de ser
convenientemente estudada essa molestia
que infelizmente grassa no norte do Impe-
rio. Se o fez, havia do ter visto que de
clarei prestar todo o auxilio que dependa
do governo para o bom resultado dessa no-
bre tarefa.
O Sr. Lima Duarte : Mis V. Exo,
deve nomear urna commissao que v estu-
dar a mol stia no norte.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio :) Aqui mesmo no sul ha muitos ca-
sos e at, sem sabir do Rio de Janeiro,
pode esta enfermidade ser objecto de estu-
do. Apezar, porm, de ser iacrepado de
muito econmico, estou disposto a fazer tu-
do quanto possivel para que seja estudada
esta molestia, mandando mesmo urna com-
missao ao norte.
O Sr. Lima Duarte : Mas a questao
que estes estados sejam proveitosos, e por
isso devem ser feitos nos lugares em que
mais se desenvolve a enfermidade.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio ):Sobre o instituto para tratamento
da elephantiaaia, j disse, em aparte, ao
nobre senador pela Parahyba que tinha ti-
do occasilo do visitar aquella estabehei-
mento particular, dirigido pelo distincto
clnico Dr Jos Lourenc;o de Magalhaes ;
e quanto me possivel ajuizar, palas intor-
macoes e pelo que vi, penao serem da
maior relevancia os servic/is que est pres-
tando.
Verificado que o seu pracesso produz os
efeit08 desojados, sem duvida n3o se lbe
poder negtr auxilio, porque ser feliz a
humaninade, o principalment: graudo par-
te do sul do Brazil, onde esta molestia tem
desenvolvimento, so descobrir-se o moio
eficaz do fazel a dcsapparecer.
Tenho dito, Sr. presidente, o que me
pareceu necessario, ao menos quanto me
permitte a estreiteza do tempo.
O Sr. Meira de Vasooncellos :V. Ex.
nao fallou a respeito das reclamagSes fei
tas pela Inspectora Goral de Hygena e
que foram atteodidas, segundo ella diz,
pela Cmara Municipal e pela Santa Casa
de Misericordia.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Satisfarei ao nobre senador.
Quando S. Exc. se pronuncou a este
respeito, eu j havia expedido um aviso
ao inspector geral de hygiene para que de-
clinasse os factos, em virtude dos quaes
fazia aquella arguijao, quer Santa Casa
de Misericordia, quer Cmara Municipal;
e vista da resposta que recebi providen-
ciarei convenientemente.
O Sr. Meira de Vasconcellos :Nao trou-
xe a resposta ?
O Sr. Leao Velloso : -Nao a podi* 1er?
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : N3o a tenho aqui.
O Sr. Escragnolle Taunay :E sobre o
casamento civil ?
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio/ : Revele-rna o senado, se exced
alguna minutoa hora regimental.
Aguario-me para de outra vez tomar
na devida consderaao as observarles fei-
tas pelos honrados senadores, a cujos dis-
cursos eu ainda na> tenha respondido.
(Muito bem; muito bam.)

Quando Darasse voltou a esquina da ra
de Varennes e do Barbet-de Jony, o moyo
de recados? o gancho, o escabello e o c-
cete tinham desaopareciio.
Mas ainda Darasse nao tinba dado cem
pasaos quando o commiasario, que sem du-
vida o esperava oceulto n'ura portlo, appa-
receu de repente na ra e tratou de seguir
o roaraelhez" com ar de bomem que passeia
e que procura matar o tempo.
Nio podia reconhecer se senao pela bar-
ba e pelos cabellos brancos, porque urna
blusa de operario substitua a j aqueta de
velludo e porque em lugar do bono de
grande pala tnba na cabeca um chapeo de
foltro sebento, que pareca ter sido apanha-
do na ra em um monto de immundicea.
Darasse bnge de desconfiar que um bo-
mem o segua regulando os seus pasaos
pelos delle, deacia alegremente para o caes,
e de vez em quando fazia tinir as moedas
de ouro no bolso, oomo para verificar se
ell.s o3o lhe tinham fgido por algum bu-
raco.
guela secca ou porque precisava de troco,
entrou em urna taberna, raandou servir
mesmo no balcao tres dses de agurdente,
urna atrs da outra, que elle engolio gra
vemente e sem faser caretas.
Para pagar, orgulboso como Artaban,
pz um lu'.z em cima do balclo.
Na ra, por tras da vidraca, um moyo
de recadoa va tudo.
A marqueza deu-lhe diaheiro em ou-
ro, raurmuroa elle.
O tabernero olhou de cima a baixo para
o freguez mal vestido, examinou a raoeda
para verificar se era de ouro verdadeiro,
aorro e, sem dizer nada, deu o troco.
Instantes depois, Darasse entrou era urna
charutara e comprou dous charutos, nao
dous insaparaveis, maadous londres e acen-
deu um, de que aspirou o tumo com indi
zivel Batisf-co.
Havia muito tempo, sem duvida, que
nao furaava um bom charuto. Aquillo lem-
brava-lhe os bellos das em que, grajas ao
contrabando, nadava em ouro.
Emquaato caminbava e fumava o seu
charuto, ao longo do caes e como se a fu
maca agradavel lhe tivesse repentinamente
despertado todas as suas recordaos, t-z
urna excuraao atravez o passado, antes de
ae regoaijar com as maravilhas entrevistas
i.o futuro, quando tivesse a fortuna pro
mettida pela velha marqueza.
Ah I o ho nem tinha visto o diabo desde
o dia em que a Sra. Fraud o ia quasi ma-
tando com urna bilba de barro, que lbe ti-
nba aberto o crneo.
Assim que lhe passoa o atordoameato,
tnha-se levantado e, vendo se b, paasou
urna revista a toda a casa.
Em urna gaveta da commoda achou urna
carteira com braz3o, que encerrava diver-
sos papis, entre outros a cerdidio do casa
manto do visconde Ernesto de Mrulle e
de Gabriel! de Saulieu, filba maior do
marquez e da marqueza da Saulieu, sendo
o prmeiro fallecido.
A deacoberta nesse tempo pareca ser da
pequeo valor para Darasse e nao vala as
tres moedas de ouro dadas de manha a Ga-
briella e qua elle encontrn na mesraa ga-
veta. Sem escrpulos metteu-asno bolso.
Comtudo guardou tambem a carteira, di
zenlo de si para si que a polica abrira
inauerito a respeito do assassiaato coramet-
tido pelos contrabandistas e que ella nao
tinha precisao de saber que F.aud era
visconde e a mulher filha de marqueza.
Dous ou tres das mais tarde, por pruden-
cia, queimou a carteira e o que ella cooti-
Em ama ojcuiao, fra porque tinha a'nha, mas fazendo tenca) de oSo esqueaer
que Gabriella era filha da marqueza de
Saulieu, e que essa marqueza devia adiar-
se em qualquer parte desta mundo.
Nesse tempo Darasse julgava que Ga-
briella e a filba tinham morrido afogadas.
Entretanto, tinha trnalo a encontrar-se
com o italiano Paolo, mas este tinha-lhe
simplemente confirmado que a moja se
precipitara no mar. Tinha a visto sabir
da casa da praia, desvairada, coma louca,
e correr em direejao ao mar ; tinha corrido
atrs della para a agarrar, mas infelizmen-
te tinha chegado muito tarde.
O patifa nao tinha cabido em dizer o qua
sabia a respeito da menina.
Dous annos depois, Darassa tinha sido
preso p*los guardas da alfandega. O pro-
ceaso nao levou muito tempo. Foi cendem-
nado a tres annos oe prisao e urna multa
enorme. Fazam, aaaim, restituir o con
trabaniista urna parte do que elle tinha
roubado ao thesouro publico.
Ficou completamente arruinado.
Posto em hberdade, depois de ter cum-
prido a pena, embarcou para as Indias,
onde esperava fazer fortuna, aahindo da
l na mais coripleta miseria.
Voltou a Franga no fim de dezeseis an-
nos, to siiseravel como tinha partido e
trazando ura vicio a mais : a embriaguez.
Tornou a encentrar a mulher em Marse-
lha.
A infeliz, que valia mais do que o mari
do, tinha enconfado msio9 da prover s
suas neeessidades, arrumava casas. Nao
aumente linha podido viver, como tinha
econom8ado, com bastante sacrificio, algu-
mas centenas de francos.
Darasse soube pela mulher que pessoas
desconhecidas tinham feito muitas peaqui-
zas, para saber se a Sra. Fraud tinha
realmente morrido afogada o, no caso con-
trario, saber o que era feito della e da fi-
lba.
A isto Darasse encolheu os hombros e
inurmurou :
Sucia de burros I Vao perguntar isto
aos monstros marinhos, que lhes devora-
rais os cadveres.
Comtudo, como nao peiesse mais fioar
om Marselba, tanto elle como a mulher fo-
ram para Paria.
A mulher, que ainda era robusto o cheia
de coragem, encontrou trabalbo no lava-
douro ; elle nao fazia nada, passeiava d
manha at a noite, e comia ou antes beba
o que ganhava a pobre mulher, urna mar-
tyr.
Procurava um emprego, fosse qual fosse,
dizia elle.
VIAuEH
loa Magestade o Imperador
(Correspondencia da Gazeta de Noticias da
Corte)
Bades- -Badn, 16 de agosto
Pouco, muito pouco cuata dizer o que
tem feito o Imperador Brazil durante a sua
estada em Baden-Baden, desde a ultima
data at boje.
Sua Magestade accorda se pela manha,
s 7 horas, veste se, segu de carro para
o grande estabelecimento de Friedrichsba-
der, sempre acorapanhado do Sr. viseando
de Nioac, alli toma a sua dueha, em se-
guida faz os seus exereicios de gymnastica.
Prompto e lesto, desee as aseadas, reto-
ma o carro, ainda com o Sr. de Nioac,
dirige-se para o hotel, almoca, conversa,
sai a passeio, sempre com o Sr. Nioac.
Reeolhe-so a 11 1|2 horas, faz as suas li-
c.ois de snscrito at 1 1|2; em seguida
conversa, descanja, anta impreterivelmen-
te a 5 horas, e depois vai com o Sr. de
Nioac para o Conversationshaus, ond3 fioa
a ouvir boa msica at 10 horas da noite,
hora em que ae recolhe ao hotel e no tofo
leito com o seu idredon,a hora em que
80 separa do Sr. visconde da Nioac, ae
que, facto inverifiaavel, Sua Magestade
n3o dorme com o illustre visconde, seu de-
dicado amigo.
Este progranma, seguido quotidiana-
mente o com a precisao mathomatica de
uro chronometro, aoffra de dous cm dous
dias urna pequea roodificagao ; as tardes
daquclles dias em que ha espectculo, Sua
Magestade,' em vez do ir ouvir msica
Casa de uonversagao, vai regalar sa assis-
tinio s engragadas operettas que os elle-
maea irapingem aos lhares de visitantes
de Baden-Baden.
Eis ahi tragado em rpido capitulo o
que se poderia chamar pompssamenta -A
historia da Vida de um Imperador.
Os passeio3 do imperador sao realisados
em geral, de carro e entre o almogo e o
jantar.
Ora Sua Magestade segu pelas inter-
rainaveis alamedas do parque, e embra-
nha-se pela densa Floresta N*gra ora vai
ao Velho Castello, em ruinas, situado do
no alto da montanha, e dentro ;la Floresta
Negra, ora dirige-se para 03 arredore3 da
cidade, passanlo sampra e ain^a. pila
Floresta Negra. E' que a Floresta Negra
envolve toda a cilale, e do tal sorta, que
o touristt em Baden-Baden. acordado alta
noite, inopinadamente, e ainda estonteado
de somno, pode responder cora seguran
ga a quam lhe perguntar onla sa acba, o
embora o enzolvara os ma3 freaooa o finoa
longes : Eu amo-rae no aeio da Flores-
a Negra. Pois que esta a varale.
Ao passeio do castello de Erbstiin Sua
Migestade parece ter do espacial aenta
para o fim da experimentar e privar a
restauragao da rijeza das auas ganbia3.
O ca8tello aaba-se idteiraraonte em rui-
nas porem por dentro daquellas enormes
paredes de pedras, que em parte estao j
arruiram, armaram e8eadaa que conduzem
o viaitanta do velho schloss a umaa alturas
enormea.
As eacada3 nem sempre primam pela
solidez e largura, constituem mesmo um
exercicio gy.onastico que faria honra ao
proprio Blondn, e exercicio a qua nao sa
arriacam tolos 03 tourittes que v3o visi-
tar o castello.
Pois bam ; o imperador, chegado ao
pincaro da montanha, saltou do carro e
entrou a galgar as taea escadinhaa com a
facilidada e rapidez com que conbacido
oficial de marinba galgou ahi todos oa
poatoa da armada e maia alguns.
Ao Sr. de Nioac custava, e muito, acom-
panhar a ascensao de Sua Magestade,
executada com aquella presteza qua o im-
perador costmua imprimir a todos os seus
actoa mesmo oa mais simples ; e, em ver-
dade, o illustre visconde tiaha saudade dos
lempos do Oirode cujoa roulis menos tra-
balho lbe davam.. mas o caso que em
breves minutos o imperador l estava no
alto do Ca8tello, pisando as pedras que
ainia se consarvavam do p, e passeiando
em derredor a vista, por um horisonte im-
menso, que abarca extensas planicies, onde
serp dam as suas listras da prata o Oos e o
Rheno, montanbas, valles, florestas e des-
campados, formando todo o conjuncto um
panorama lindisaimo, capaz de, pjr si s,
constituir a paga de quem ae sacricou
galgando tao elevadas alturas.
(Continua)
i
NaB tascas que frequentava, n3o tardou
em tomar conbecirr-ento com malfeitores de
todas as cathegorias.
Os patifes conhecem-se logo uns aos ou
tros e como diz o proverbio :
f O semelhante fcilmente se junta eom
o seu semelhante.*
Darasse fez-sa ladr3o : Lingua de Ouro,
assim Ihechamavam os companheiros -
toraava parte as exp-edigoes da qu: drilha,
sobretudo, quando se tratava de roubar urna
casa de campo.
Quando entregava dinheiro mulher, em
lugar de lh'o pedir, dizia :
Agora, que tenho um emprego, que
trabalho, justo que tome tambem os en-
cargos da casa.
A pobre mulber acreditava que o mari-
do tivesse emprego ; nao teria ousado sus-
peitar que elle fosse ladrSo.
Um dia em que Darasse ocioso passeia-
va diante das vidragas dos joalheiros do
Palays Royal, encoutrou se, de repente, ca-
ra a car, com um mogo muito bonito, mui-
to elegantemente vestido e ultima mota,
quo elle reconheceu logo, apezar das rau-
dangaa operadaa na aua peasoa peloa annoa
e, segundo parecia, na sua posigao.
Paolo I exolamon elle.
__ O italiano porque era effectivamen-
ce nio pareceu l muito lisongeado com o
encontr. Ficou, por instante-, indeciso
e hesitando se devia ir para diante, dizan-
do ao infuso estas paLvras :
< O senhor est doudo I
Maa, reflectado que poderia ter precisao,
n'ura momento dado, do antigo contraban-
dista, a sua phyaionomia toraou-lbe sbita-
mente expressio risonha.
Como, Sr. Darasse, o senhor I Mes-
mo O senhor Qua sorpreza Ora esta !
estava bem longe de esperar ter o prazer
ae o encontrar.
E' verdadeiramente um prazer, meu
caro Paolo ?
O meu antigo patrao faz-rae urna in-
juria, pondo-o em duvida.
__Entilo bem muito bem !
E comegou a fazar-lbe perguntas.
Paolo interrompeu o dizmdo :
Nao aqui que podemos conversar ;
venha dahi, Sr. Darasse.
Na praga da Palais-Royal, Paolo faz o
seu antigo patrio subir para urna carrua-
gem. sentou se ao lado delle e, pouco tam-
p> depois,
ambos estavam sentados n um
quarto ue urna casa raobiliada da ra Sain-
Denis, a pequea distancia do boulevard.
__Meu caro Paolo, tu ests perfeita-
mente vestido ; ests um principe, cadeia
da ouro com maguificos breloques e aolita-
rio no dedo, irra Ento o que que U-
zes ?
Sou empregado n'urna casa banca-
ria.
Ab I E quanto ganhas ?
Quinbentos francos por mez.
Soberbo, Paolo. Tu s feliz 1
Hura I
Se te pareca, queixa-ta 1 E aqu
que tu moras, Sr. banquero ?
__ E'. este quarto meu, mas eu quasi
ounca aqui eatou.
Da dia ?
De dia a de noite ; nio durrao aqui.
Daraaaa poz-ae a rir.
Comprebendo. Ah ah 1 tem urna
amante, seu patife.
Nao isso proprio da minha idade,
Sr. Darasse ?
Se I Vamos l a saber o que fei-
to de ti, depois de tantos anuos que nos
perdemos da vista.
Viajei, respondeu Econicamrata o ita-
liano.
Como eu, dissa Darasse.
E ontou da sua historia o que nio lhe
convinha oceultar.
Paolo pedio ao seu antigo patrio qua lha
dsse a morada, afim de sabar onde poda
encontral o, no caso em qua tivessa preci-
sao della. Por seu lado, Darasse devia ir
ter ao a PaoU ao hotel, no caso em qua ti-
vesse qualqaer cousa para lhe dizer.
O maraelbez achou meio da apanhar ara
luiz ao seu Paolosiah e ambos se separa-
rais sem ter dito urna palavra de Fraud,
da mulber e da filha.
Darasse julgva qu* Paolo gaorasae a
verdedeiro aome da Fraud e Uraoam nao
soubaaae que a moga, conhecda pelo nomo
de Sra. Fraud, era filba da marqueza de
Sauliea.
Estava engaado.
Paolo sabi*, tio bem como elle, que a
mi de Gtbriella era a marqu-za de Sau-
lieu e nio ingaorava as indagagSea, que
esta tinha t'-uo para tornar a encontrar a
dltia e a neta.
Sabia mais ainda :
Cono tiv-sse sido te3tamunha do quo aa
passou, no casa de Marselha, em qua Cra-
briella deixara a filha, tinha doacoberto, a
torga da procurar, qua a menina de Mo-
rulla chamava se Genoveva e passava por
ser filha do Sr. Lionnet, o rico negocian-
te da movis do bairro Saint-Autoine.
(Continuar eha)
Typ. do Diario ra Uuue ue CMXM a. t.
.*.
a1



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPZD6YMN3_IKRILY INGEST_TIME 2014-05-28T18:54:22Z PACKAGE AA00011611_19992
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES