Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19987


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO mu jumo 213
PAR % A CAPITAL. E UUHKN ONDE IlO K PAA PORTE
Por tres rnezc adiantados............... 60000
Por seis ditoB idem................. 1^000
Por om anuo idem................. 230000
Cada numero avulso, do mesrao di............ (5100
201110 la I SETEMBfi E IW
PAR 4 DEXTHO PORA DA PROV1ICIA
Por sai! meses adiantados........'......
Por nove ditos idem................
Por um anuo idam.....- .........
Cada numero avulso, de dias anteriores....... .
13,5500
20^000
210LOG
0100
DIARIO
PERNAMBUCO
Jlropriefcalie ht Jflanocl -ftfiuctra >e arta & Hos

TELEGRAMHAS
1
i
s:s::;: :asis::las ss siabio
RIO DE JANEIRO, 17 de Setembro s
3 horas e 40 minutos da tarde. (Recebido
^3 7 horas e 40 minutos da noite, pela li-
aba terrestre).
fJFol escomido leador do Imperio
pela provincia do alio de Janeiro, o
eonselhelro Tnosnas Colno de ti-
anelda<
l'oram removido*:
O Juiz de direito baca arel Ignacio
accloly de Yasjroncelloa da comarca
da imperatrlK para a de Crajab.
asaba na provincia do Maranbao.
O jala municipal -bacbarel Jlou
Emyadio Goncalvea Lima do termo
de Paranaga e Wuaitiuba, na pro-
vincia do Paran para o de Ipojaca,
na provincia de Pernansbueo.
l'oram nomealoa :
Jui7 de dlrelio da comarca da Im-
peratrls. no Maranbao. o bacbarel
Manoel Alvares Ferrelra.
Juii municipal do termo de D. Pe-
drlto. no Rio Grande do Sal. o ba-
cbarel l.y dio Harlannu de albaqaer-
qae.
A Cmara do* Deputados nao
finirrionou boje.
>n Senado o conselhelro Jo o
Alfredo proferto boje nm dlacarso
notavrl que Impreaslonoa mallo a
ambo os lados d'essa cmara.
S.Exc. tratando da qaestao servil,
dectarou qne os seas amigos nada
bavlam anda proposto A respelto.
porque estavam A espera do resal-
tado da matricula determinado pela
le de de Setembro de 18S5. Ac-
erescentoa. parm. qae coabecldo
esse resaltado, e altendendo &n ge
raes manlfestacdes. camprla adan -
lar a solarn definitiva do proble-
t>tiftttre etadi;a rol Tivmanraate
apolado por ambos os lados polti-
co* do Senado.
O Baro de Cotegipe. presidente do
coaselbo.respondendo dlsse qae es-
iHdar essa solurSo. e qae na futura
sessao o parlamento farA o qae Ibe
canapre.
O Senado approvou boje em *.a dls-
cusso o orcRtnento do Ministerio da
erra.
::r::::: amix satas
RIO DE JANEIRO, 17 de Setembro,
1 hora e 40 minutos da tarde.
a?ol escolbido senador pela provin-
cia do Klo de Janeiro o ir. Cocino de
anida
r.ii rMMi para a comarca de
Kijura ..... i".-' nambuco o Jala mu-
nicipal dn 'un ca de Paranagu
bacbarel l. 11 1
BUENOS- AYRES, 17 de Setembro.
Oa direito* da Alfandega sobre to-
da* a mercadorlas importadlas do
estrangeiro sero augmentados bre
venaenie.
HESSINA, 17 de Setembro.
A epidemia do cbolera-naorbas aa-
gmentou consideravelmente duran-
te as ultimas 21 boras.
oave 132 casse *~> victima*.
cintro mdicos fnglram desla cl-
dade abandonando seas doentes.
PARS, 17 de Setembro.
* Jornaes francemes commeniam
vivamente o novo manifest do Coa-
de de Pars.
A malor parte dos Jornaes euro-
peas desapprovam completamente
o procedimento do Conde de Pars
Agencia HavaE, filial om Pernambuco,
17 de Setembro da 1887.
coes e augmentando as relace-es aociaes, viram ae
oa houiena na neceaasidade de, com mitig certeza
e anfoiroidade, eatabeleceiem regras iuvariaveis,
em harmona com preceitos da justica, que fixas-
sem os direitos p obrigacoea dos cidadoa. Appa
receram ento aa lea escripias. Donde se ve,
qne estas, faaendo desapparecer ama tal ou qua-
arbitrariedade, sao nm progresso sobre oa costa-
mes.
Vamos, pois, demonstrar qne o direito ante-
rior Unto a amas como a oatraa leis, o qae na ver-
dado quasi evidente.
Em qne consistem os costumes ? j vimos qae
sao a maoifestac,ao tacita da vontade do legislador.
E as leis escriptas ? distemos tambem aerem a
manifeataco ezpeaaa da meama vontade. Maa
qual a causa que inatiga eaaa for( do homem
a sus vontade ?
E' o principio do justo, o direito, do qual
ambas aa leis de que fallamos, sao phenomenos.
Log como consequencia mmediata, podemos csn-
cluir : ease direito (cansa) anterior a ambas as
le>s (effeitos dessa cansa).
2 pn.posico : O direito independente de
todas aa leis.
Esta prorcaico nao mais do qne a consequen-
cia da antecedente. Se o direito anterior a to-
das aa leis, independente dellas. E note-se, qne
se varia muitaa vezes a concepyo qae se fai do
direito se outras tantas vezes mesmo s- cbega
oppoeico completa, sobre o qne seja justica e o
qae nao seja, isto resultado das circumstanciaa
existentes em cada epocba e de modo como a in-
telligencia humana interpreta eaaa mt.sma justica
Esta existe em si, independente.
3,* proposico : O direito independente da
vontade humana.
Ha leia de canaalidade livre e lea de causali
dade necesaaria, A moral e o direito perteneci
ao primeiro grupo.
E qne o direito independente da noasa vonta-
de d-nos disto testemunbo a onscieocia. Te-
mos direito ; os nossos semeibantes teem direitos
tambem. Nos podetnoa transgredir oa deates, piles,
pj sna ves, podem transgredir oa nossos.Maa a
consciencia de cada um l est a accaaar-noa e ao
mesmo tempe a patentear-nos, com toda a eviden-
cia, qae o prineipio do direito independente da
vontade humana.
4.* propoaicio :O direito fanda-se na naturexa
humana.
Antes de mostrarmos a verdde deste prineipio
cumpre-nos desde j advertir, qae maito impor-
tinte a reaeluco deste ponto.
Em eppo*ico com este principio, como vamos
ver, appareceram doatrinaa que baseavam o direi-
to na vontade humana, theorias qae, com tac i I
de conjecturarse, poderiam levar as sociedades a
urna completa anarchia. Demonstrando, por era,
qne o direito se tunda na natureza do homem, qae
a esta qae devenios ir procurar principios rega-
ladores daa relacoea sociaes, temos assim dado um
grande passo d 3. progresso, contra aa anteriores
doctrinas, falsas e perigosas.
Expongamos, agora, as ideas que as escalas
dos seculos XVII e XVIII nos deixaram.
THE OBI DA III ViOltl \irLHU,
A origem deste systema de direito proveio das
circumstanciaa da rpocha.
A einancipaco do espirito, qae a restaurabao da
pbiloscphia e das lettras, as guerras religiosas, etc.
-originaran!, fel-o desviar das poras a batea qita,
das idealidades cbimericas com qae at all o eo
tretinham. A philosopbia procurou na conscien-
cia humana a base daa suaa refU-xo -s ; a religio
entregoa-se ao estudo dos livros sagrados ; e as
sciencias nataraes adoptoa-se iateiraaiente o pro-
cesso de observsco, o experimentalismo. Para
a sciencia jurdica a feeao da epocba originou a
doutrna do estado natural.
Em que consista ?
Segando ella, para se legitimareis os principios
de direito natural, recorria-se concepeo de um
estado natural em que os horneas tivessein primi-
tivamente vivid 1 solados, aem leis, tesen io-se ab-
straccao completa de tudo quanto o desenvolv
ment das 'elaco s sociaes tivesse accrescentado
natur. za individasl.
Oeste estado sahiam oa individuos, fazendo um
pacte em que ae fixavam os direitua com que cada
om ficava e os que se cediam em proveto dos
oatros. N .te se, porm qae asopinies vatiavam,
quanto interpretacio d'essejcontraeto.
Este estado natural nao era concebido por todos
do meaino modo. Segundo Hobbes era o bellam
omoium contra omoea (o que traduzid i em portu-
guez, quer diser : guerra de todos contra todos).
Segundo Rousseau era um estado de simplicida-
de, iunocencia e felicidade.
Vamos ver, todava, que este systema inaccei-
tavel. Em pnmeiro lagar, o tal estado anterior
ao social, pintado de diverso modo pelas tintas
imaginativas de diferentes philosophos, ama
para ficcao qae nada tem em que se fundamente.
Em s- gu:i J j lugar, nma theoria destinada a re
ger aa relacora dos bomens, se nao quiser ser es-
tril, deve basear-se no exame profundo e serio da
natureza humana e conforma-se com ella.
IHSTRPCCiO POPULAR
PHILM 00 DIIEIW
OA
(Extrahido)
BIBLIOTHECA DO POVO E DAS ESCOLAS
CAPITULO I
PslI.'VCUPIOS DE PHILONOPHIt
DO DIREITO
(4) AKTSMJOK A TOBAS AS LEIS, INDErEBDEUTE DBL-
LA8 BDA TOKTADB ; B FDBDA SE BA KATDBEZS BDXAKA
(Continuac")
(Contina)
JARTE UFFItU
i.jiverno da provincia
EXPEOIENTE DO DA 'i DE AOOSTO DE 1887
Actos :
O presidente da provincia, de conformidade
com a ptoposta do Or. ebefe de polica em offiuio de
bontem, sob n. 736, resolve exonerar Antonio Ar-
thur M. reir de Mendonca do cargo de 1' eupplnte
do subdelegado dj 1- diatricto de S. Jos deata
cidade, visto nao ter acceitado o lugar e uomear,
para aubstituil-r, o actual 2- aupplent'-, Pedro Jos
Correa e para o lagardeate o cidadao Tbeodumiro
doa Santos Selva.
O preaidente da provincia reaolve, de cont r
mi iade com a propoata do Dr. chefe de polica rm
ufficio de boje, n. 740, exonerar a pedido o Dr.
Fulgencio Infante de Albuquerqu Mello do cargo
de aubdelegado do diatricto de Boa- Viagem e no
mear, para eabstita.l-o, o alferej Tiburtioo Jos
de Oliveira.
Oficios :
Ao presidente da provincia do CearRe-
cebi e agradeco oa exemplares impreasos da i Pal-
la dirigida AasemMi Lrgiaiativa desaa pro
vincia, enviados per V. Exc. com o ufficio, a que
respondo, n. 26 de 13 do correte mes.
o agente da Companhia Braaileira de Na
vegaco a Vapor.Declaro a V. S., em reapoata
ao sea officio de h je, qae a sabida do vapor > Per-
nambuco, r.hegado do norte, deve aer transferida
para amanh, por conveniencia do aorvico pu-
blico.
Ao gerente da Sociedade Auxiliadora da
Agricultura de Pernambucor.Para aatifazer are-
qaiaico do Exm. Sr. ministro da agricultura eui
telegramma de hoiiteai sirva se V. 8. de providen-
ciar para qne seja remettida, com urgencia, A se-
cretaria deata preaidencia ama barrica de sement
de gramma deata provincia.
Ao inspector do Tbtsouro Provincial.De-
volvendo a Vuic. aa propoataa e amostras que acom-
paoharam aeu officio de 1*2 do corrate mez, s> b
d. 787, ricommendo-lbe qae faca lavrar termo de
contracto para o forneci ment de tarda ment s
prscaa da guarda civica com oa concurrentes, cu-
jas propoataa foram preferidas pela junta de com-
pras, exceptuadas, p -i m as qne se referem As cal-
cas de brim branco trancado e gravatas de couro
de lustre.
O fornecimento das calcas de brim branco tran-
cado devera ser effectaado pelos negociantes Ro-
drigo Carvalho & C, visto qae se propoem a ra-

il) Oitribunats dejaitifa
Dfpia. desenvolTendo-s e progre dindo aa na ae|.0 Ctm 0 Drio)| que de qalidade auperior A do
apreaentado pelo concurrente pieferido pela junta,
constante da amostra, devidamente rubricada sob
o. 1 e por 4450 ria cada calca, e nio, como opi-
nou a junta, pelo negociante Joao Rodrigues de
Moura, o qual pede por cada calca 4700, seado a
fazenda inferior.
C Jin referencia as gravatas, recommendo-lhe que
providencie de modo a que ae effectue o respectivo
fornecimento pelos commerciantea Joo Rodrigaes
de Moura e Rodrigo Carvalho & C, ama ves qae
ambos ae propoem a rffoctual-o por preco igual.
Ao inspector geral da Instruccaj publica.
Commuoico a Vmc, para oa fina ou venientes, qae,
no requerimento da profeasora Aana Marques Pe-
reira do Reg, aobre qae versa sua informacao n.
216, de 17 do correte mes, profer hoje o despa-
cho seguate :
Sim sem ouus de especie alguma doa cofrea
pblicos, aem mesmo de pagamento de exped-
" ente no caso previsto pelo art. 41 nico do re-
gulameato de 6 de Fevereiro de 1880. -Com-
mancoa-se ao inspector do Tbesoaro Provincial.
Ao director do Arsenal de Guerra.De con-
formidade eom a informacio dessa directora de
22 do correte, sob n. 1268, autoriso Vmc. a
maodar satisfaser o incluso pedida, attinente ao
concert de diversos artigos perteocentes ao 2 ba-
talhj de infantaria.Commanicou se ao b.-iga-
deiro commandaute das armas.
Portaras :
Declaro Cmara Municipal de Seriohiem,
em resposta ao sea officio de 16 do corrente, qae
deve dirigir aogoverno imperial sua representado
aara a concesso de ama estaco telegraphica
da meama villa.
O Sr. agente da Cimpanhia Brasileira de
Navegaco a Vapor mande transportar no vapor
Pernambuco com destino A secretaria de estado
doa negocios da agricultura, commercio e obras pu-
blicas, e por costa do respectivo ministerio, dous
caixotes contendo 30) exemplares da Memoria jus
tificativa sobre o porto de Pernambuco.Commu-
nicou-se ao engenheiro director interino da repar-
ticAo encarregada da conservaco doa portoa.
O Sr. agente da Companhia Brasileira de
NavegacAo a Vapor faca transportar provincia
da Parahjba, por conta do ministerio da marinba,
conforme solicitoo o commaodaate da escola de
aprendises niarinheiros deata provincia, em officio
de bontem, sob n. 34, o ex-aprendiz Joa Baptia-
ta de Carvalho.Commuaicou-aeao commandaute
da esc)la de aprendises mariuheiros.
O Sr. gerente da Companhia f'eruambucana
mande dar passagens de t, at o porto de Ta-
maadar, na primelra opportanidade, ao Rvm.
Jos Porfirio G^mes e a duas pessoaa de sua fa-
milia, por coota das gratuitas a que o governo tem
direito.
O Sr. engenheiro director da eatrada de ferro
do Recife a Garuar mande transportar at a es-
taco de Russiohas, de accordo com a informacao
de bontem, laucada no requerimento de Francisco
Apjlooio B>'Z> rra e Silva, um sino destinado ma-
triz da cidade de Beserros, a ser entregue ao ci-
dadao Miguel Aragao.
EXPEDIENTE DO D8. SECRETABIO
Officios :
Ao inspector da Tbesouraria de Fazenda.
O Exm. Sr. presideate da provincia manda reinet-
ter a V. S. a incluaa ordem do Tbesoaro Nacio-
nal n. 99 de 5 do corrente, boje r< cebida com of-
ficio do secretario da presideivia da proviqoia do
-Bio Grande do Norte.
Ao director do presidio de Fernando de No-
ronha.De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia recommendo a V. 8. qae ufarme si existe
nesse presidio, em camprimento de pena, ou fal-
lecido, o soldado do 2 batalbo de infantaria Jos
Ferreira Lima, que, a 29 de Marco de 1883, foi
condemoado pelo jury de termo de Taquaretiuga a
14 aaooa de prisio simples. Communicon-se ao
brigadeiro commandante das armas.
BXPEDIBBTB DO DA 25 DB AOOSTO DE 1887
Officioa :
Ao brigadeiro commandante daa armia.
Sirva-se V. Exc. de providenciar afim de que
sejnm opportunamente remettidos para a pharma-
cia do presidio de Fernando de Noronha os me-
dicamentos e artigos constantes da relacao que
acompanhou o sea officio do Io do corrente mes,
sob n. 394.
Ao mesmo.Autoriso V. Exc nos termos da
sua informacao de hontem datada, soD n. 437, a
dar baixa do servio > do exercito, mediaute suban-
tuicSo, ao 2 cadete do 2a batalbo de intantaria,
Emilio Pereira de Araujo Filbo.
Ao meamo.Com relacao ao asBumpto do
officio n. 434 de 20 do corrente, relativamente aoa
reparos de que necsaita o qaartel do 2 batalbo
de infantaria, declare a V. Etc. que se est
aguardando resolnc do Ministerio da Guerra, a
cuj i coohecimento j foi submettido o mesmo as-
sumpto.
Ao contador da Tbesouraria de Fazenda
Vlauoel Antonio Cardoso.Fico inteirado p-lo aeu
officio de 23 do corre i te, de qae V. S. assumio
nessa data o exercicio de inspector dessa Th- aou-
raria por bavel-o pataado o commendador Joaquiu
Autonio Vasqses. em consequencia de ter sido
aposentado.
Ao mesmo.Duvolvendo a V. 8- o pedido de
medicamentos, necesa^rioa para a pbarmacia do
presidio de Fernando de Noronha, que acompa-
nhou o seu cfficio de 23 do corrente mez, sob n.
542. recommendo-lhe que faca proceder ao respec-
tivo fornecimento mediante arremataco p r pro-
postas, que opportunamente ser) submettidas
consideraco deata preaidencia, exceptuados os
aaedicamentoa e artig >s que teem de ser remetti-
dos pela pharmacia militar, conatantes da relajan
aqu junta.
Ao meamo. Declaro a V. S., em soiuco
consulta d i collectoi geral do municipio de Pa-
nellas, annexa ao seu cfficio de 22 oo corrente, sob
n. 539, qae, por aviso do Ministerio da Agricul-
tura, Cuwmercio e Obras Public, de 20 de Julho
ultimo, pub icado ao Diario Oficial de 26, s b u.
206, foi a duvida relativa lioertaco dos eacra-
vos de filiac&o desconhecida reaolvida pelo go-
verno imperial, com o que est de accordo o jul-
gado do Tribunal da R--laca> da corte, com
consta de telegramma publicado no Diario de
Pernambuco de boje.
Ao Dr jais de direito do 2' diatricto crimi
nal da comarca do Recife Por officio de 20 deste
mes, n. 345, solicitou V. S. a esta presidencia urna
oatra copia do relatorio apreaentado pela cem-
missao Humeada para sysdicar na Tbesouraria de
Fazenda do desfalque havido na meama Theaou -
rana, fim de aer junta ao proceaao do tbeaourei
ro barharel Eduardo de Barros Falcao de La-
cerda.
Em resposta, declaro qae deixo de tszer a allu-
dida remesas, porque o mencionado relatorio foi
enviado em original ao Ministerio da Fazenda per
' fficio de 24 de Jolho prximo paseado, podendo
V. S. mandar extrabir da o pa existente em aeu
jaiza outra g al pelo respectivo esenvo do pro
cesso.
Ao inapector do Tbeaoaro Provincial.Re-
meti a Vmc para a fim de sorem Jistribuides pela
Alfandega, pela Recebedoria Provincial e pelos
coliectorea a ara cargo, 130 exemplaiea imprea-
aoa do regulamento de 25 de Jalbo ultimo, expe-
dido para exteuco do dispoeto nos 12 a 15,
art 2o da le n. 18*0, de 11 de Ajoato a 1885, a
qae se refere o % 19, rt. 1 da lei n. 18*4 de 30
de Abi do corrente anuo. Remetteu-ae 10 exem-
plares ao inspector da Tbes .arara de Fazenda.
Ao meamo.Devolvendo a Vmc. as propos-
tas qae acompanba.-sm o seu officio n. 790 de 13
do corrente mes, declaro Ihe que nao pode ser ap-
provada a arremataco feita peraate a jauta de
compras, pur serem os precoj excessivos; e, nma
ves que os pr motore* exigem 50 "/. mais do qae
o preco do mercado, convem.que o aOuiinUtrador
da Casa de Detenca seja enearregado de ver por
quanto pode obter aqui os objecin, ou mandal-os
vir de fra, afim de ser-Ihe entregue a respectiva
importaocia, para cffsetuar a compra admioistra-
meate.
-- Ao meamo.Providencie Vmc, par que ae-
ja despachado na Alfaodega, livre do imposto de
gyrc,o instrumental vindo da Europa, por conta
da admniatraoo provincial, e por intermedio do
negociante Emilio Roberto, para o carpo de po-
lica.
Ao commandante do corpo de polica.Ao
Dr. chefe de polica mande Vmc. apresentar ama-
nh, ao meio da, urna escolta de cinco pracas,
sfim de conduzir tres criminosos que vio respon-
der ao jury ua comarca da Victoria.G jmmuni -
coa-Be ao Dr. chefe de pslieia.
Ao eogenheiro eucarregado interino daa
obras geraaa.Devolvendo a Vmc. o requerimen-
to qae acompanhou o sea officio de 22 do orreote,
sob d. 50, declaro Ihe qae a prorogaco a que elle
se refere devs ser requerida a esta preaidencia.
Ao director da Conolonia Orphanologica Isa-
bel.A' vista do qae V. Revdma. representa em
seu oicio de 16 do corrente mez, autoriso o aug-
mento qae prope de 600 anouaes ao vencimento
do secretario desaa colonia.
Ao Dr. juiz de direito da comarca do Boaito.
Para ser observado o disposto no n. 4 do art.
2 do decretj n. 2566 de 28 de Marco de 1860,
convem qae Vmc. faca apresentar na secretaria
desta presidencia copia da prouuucia do reo Manoel
Jos de Oliveira, visto nao ter sido tal peca in-
cluida na rertido, que por Vmc. me foi trauamit
tiHa com o officio de 19 do corrente mez.
Aojis municipal e de orphos do termo de
Bom Conaelho.Convem que Vmc. transmita-
me cam urgencia copia do teatameuto de Domin-
gos K issi, declaraudo se a mulher d mencionado
rtossi existe nesse termo, e quaes os motivos que
teve Vmc. para nao admittir no respectivo inven-
tario o representante do agente consular italiano.
Assim fica respondido o seu officio de 4 do cor-
rente mes.
Ao jais de psz, presidente da junta de alis-
tamento militar da parochia de Noasa Seobora do
Rosario de Goyaona.Cooataodo da informacao
do Dr. chefe de polica de bontem datada, sob n.
738, terem sido expedidas as precisas ordena para
que pelas autoridades competentea aejam apresen
tadaa junta de aliatameuto militar dessa paro-
cha as listas de que trata o nico do art 14 do
regulamento de 27 de Fevereiro de 1875, asaim o
declaro a Vmc. para os fins convenieutea e em
resposta ao seu officio de 12 do corrente.
Pertarias:
Acenso o recebimanto do officio de 17 do cor-
rente mes, em que a Cmara Municipal da Victo-
ria pede providencias afim da que os juises dos 1
e 2 distrtetoa de paz desaa cidade racolbam ao
archivo da municipalidadeoa livros eleitoraea, que
anda nao restituiram, apezar de tel-os a cmara
requisitado por vezes.
Em resposta declaro cmara que de .-o comma-
nicar o facto ao promotor publico da comarca, ao
qual compre proceder a respeito noa termas do
art. 2 S 2* ds lei n. 3311 de 15 de Outubro de
18H6. ^
Em resposta ao officio de 17 do correte mez,
declaro Cmara Muuicipal da Victoria que os
valorea daa fi ancas de qae trata pode rao aer sub-
stituid js ;,or predios, mediante bypotheca devida-
mente registrada.
O Sr gerente da Conpanhia Pernambacaaa
mande dar passagem de r do p .rto de Tamaoda-
rc ao desta capital, aa primara opportunidade, a
Joaquim Francisco da Crus, por conta das gratui-
tas a que o governo tem direito.
XPDIENTE DO DE SECRETARIO
Officioa :
Ao Dr. chefe de polica.O Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S., em
esposta ao aeu officio de hontem, aob a. 739, que
em 20 do corrate maadea-se chamar concurren-
tes execnc dos reparos da cadea de Goyanna
Ao engenheiro fiscal da eatrada de ferro do
Recite a Caxang e Varzea.De ordem do Exm.
Sr. preaidente da provincia c.muiuui:o a V. S.
que, no requerimento do gereute da Companhia
d'eaaa estrada de ferro, a qae ae refere a sua in-
formacao de 23 do corrente, sob u. 184, foi pro-
ferido hoje o seguate despacho :
Remettido ao Sr. Dr. ebefe de polica pira
mandar indemnisar com os pasaes impreasos for-
mcidos uo principio deste anno.
Ao agoute da Companhia Bahiana de Nave-
gaco a Vapor. De ordem do Exm. Sr. presidente
na provincia aecuso o recebimeoto do officio de
hoje, no qual V. S. participa que os vapores Afar
quet de Caxiat e Mirinho Vitconde chegados hon-
tem, ii 1. do porto de Aiacaty com escala por
M.isso.- e Maca i, e o 2." Ja Babia e escala, re
gressar o 1. no da 2* aa 3 horas da tarde, e o
2.' a 30, s 4 horas da tarde.
EXPEDIBHTE DO DA 26 DE ASOSTO DE 1887
Actos :
O preaidente da provincia, considerando que
a junta de alistamento militar da freguezia de
Noesa Senbora da Sada do Poco da Panella, que
devis funeciouar no da 22 dV&te mez, e aer com-
posta doa inembros de que trata n art. 10 do regu-
lamento anuex ao decreto n. 5881, de 27 de Fe-
vereiro de 1875. deixou de encetar oa seus tra-
balhoa, por baver o reepectivo 1 jois de pas
presidente, Maiiano Francisco Xisto, pretendido
constituir junta diversa, com exciuso do escrivo
de pas, que esta va presente, para introdusir ostro
escrivo que dis ser o seu privativo (officio de 22
do corrente) obstando assim a que a junta fosse
constituida e fuaccionasse de modo legal, resolve,
asando da attribaico conferida no art. 122 do
citado regulamento, impor ao referido juiz n multa
ae 10O4OiO; e ordena que n'estr sentido se e-ipe-
ca m as leci-saariaa ordena, e deaigna o da 15 de
Setembro vmdouro para ter lugar a reunio da
mencionada junta.
E para que aquello juiz nao continu a embara-
zar > servic'i publico, eom violaco da lei, oslen
lando nio obdecer aoa pre u'eata Preaidencia, como ae v de seu officio de 4
Je Julune officioa da Cmara Municipal do Recife,
de 21 de Julho e 3 de Agosto, sob na. 64 e 68, e do
Dr. ebefe de p ilicia, de 22, s b n. 734, tudo- do
c rreme anuo, peraiatindo em querer m-tuter como
eacnvi de paz um cidado que nao tem es^a
qa!i de tolos a seus actos,reaolve outrosim, suspen-
der o referido juiz de pas do exercicio do cargo,
nos termos do art 5. 7 o da le de 3 de Outubro
de 1834, e determina que ae remetta copia d'eate
seto e de toJoa oa inicios a qae elle se refer -, a.
2,o promotor publico da comarca, para que pro-
inova immediatamente a responsabilidade do mesmo
ju r'izeram-se aa devidas cimmunicacdea ao
inapector da Theaonrana de Fazenda, Cmara
Municipal, ao 2 o promotor publico e ao 2." juiz de
pas da respectiva parocba
O presidente da pr< vincia de conformidade
com a propoata do Dr. chefe de polica em officio
de boje, sob n. 752, reaolve exonerar a pedido An-
tonio Campello de Albuquerqoe do cargo de dele-
gado do termo da Eauada, 1 delegada, e nomear,
para aubatituil-o, o capito Joo do R go Lima
Jnior.
O presidente da provincia reaolve, de eos-
formidade com a propiata do Dr. chefe de polica
em i fficio n. 747, de hontem, exonerar a pedido
Joaquim Teixeira de Oliveira do Cargo de subde
legado de diatricto da Pedra Branca do termo de
Santo Anto e nomear, para substituil-o, o tenente
Bernardino de S na Teixeira Cavalcante.
utruaim reavive nomear para o lugar de 2.
auppiente do subdelegado do 2.' districto do mesmo
termo Cbriatovo de M..ura Cavalcante, em aub-
titu cao de Joo Caaeio Cavalcante de Albuquer- ]
qae qae fica exonerado,
Officios :
Ao conselbeiro preaidente do Tribunal da
Relacao do Recife.Sirva-se V. Exc. de provi-
denciar ao sentido de ser ministrada a certido do
procesao de Joaquim Jos de Azevedo, qae nter-
poz recurso de graca da pena de galea perpetuas,
que Ihe foi impasta em 7 de Outubro de 1858 pelo
jury do termo do Bonito.
Ao Dr. chele ds polica.Sirva-se V. S. de
informar o que ha de verdade sobre a local do
Jornal do Recife de hoje com a eplgraphe :
Attentado policial.
Ao inspector da Tbesouraria de Fazenda.
Tendo em vista a informacao prestada por eaaa
inspectora em 18 do corrente, a. 532, autoriso
V. S de accordo com o art. 83 do decreto n.
9,356 de 10 de Janeiro de 1885, a mandar entre-
gar ao curador geral de ausentes, bacbarel Luiz
Emy<;dio Ridriguea Vianna, a qu -ntia de.......
2:279800,'representada naa cadernetaa dos sen-
tenciados fallecidos e ausentes do presidio de
Fernando de Noronba, constantes da relacao jun-
ta par copia, apresentada por essa Thesoarana.
Commuoicou-se ao Dr. juu de direito de orphos
e ausentes e devolveu-se a relacao que acompa-
nhou seu offioio.
Ao director do Arsenal de GuerraNa for-
ma daa dapoaicoea em vigor, autoriso Vmc. a
mandar satafasar o incluso pedido de rticos de
fardamepto que fas o capito do 2. batalbo de
infantaria, Honorio Clementino Mirtina. Com-
munieou ae ao brigadeiro commandante das armas
e ao inspector da Tbesouraria de Fazenda.
Ao director geral daa obras publicas. De
accordo com o que Vmc. prope no officio de 22
do corrate, aob o. 181, autoriso-o a mandar pro-
ceder ais repar s mais urgentes de que carece a
estrada do norte, na parte frouteira aoa engenhoa
Pauliata e Fragoso, onde ha miiorea eatragoa.
deependeado para isso at a quauta de 150000.
Communicou-se ao inspectir doThesouro Pro-
vincial.
Ao jois de piz preaidente da junta de alia-
tamento militar da parochia de Noasa Senbora da
Cooceico do Bonito.Constando de informacao
do Dr. ebefe de polica, de hontem datada, aob
n. 748, terem aido expedidas as necessariaa ordena
para que aejam apreseatadas juita de alista-
meato militar desaa paroebia, pelas autoridades.
aa Iiata8 qu deixaram de ser remettidaa, asaim o
declaro a Vmc. para os fius convenientes e em
resposta ao aeu officio de 12 deate mez.
Portaras :
Em resposta ao tffijio da Cmara Municipal
de Agua Preta, de 11 de Julho ultimo, sobre a ue-
ceaaidade d- urna eatrada de ferro, a partir de
Palmares at a Colouia Leopoldina, declaro mes
na Cmara que os contractances dessa estrada
desistirn de leval-a a effeito, tendo preferido
urna segunda que cootractaram na meama occa-
aio, qae a da estaco do R be ra, na estrada
de S. Francisco villa do Bonito com a conces-
so, mais tarde, de prolongal-a at Peaqueira.
O embaraco actual, perianto, para a feitura da
referida eatrada, nao o aotigo contracto, nessa
parte desa aparado, mas a ausencia de qu- m qaei-
rs, em falta d'aquelles contractantea, emprrhen-
der a obra, para realidade da qual est o governo
autorisado a faser modificacoei ou ampliacoes naa
aotigas clausulas pela le n. 1,837 de 6 de Abril
de 1885.
Sr. gerente da Companhia Pernambucana
de NavegacAo mande dar passagem a r, at o
porto da Parahyba, no vapor que seguir para o
norte, a 5 de Siembro prximo, ao Dr. Fraocisco
de Aasis Correia Lima e sua senbora, por conta
das gratuitas a que o governo tem direito.
EXPEDIENTE DO DE. 8ECRBTABIO
Officioa :
Ao engenheiro enearregado interinamente
daa obraa geraes.Dd ordem do Exm. Sr. preai-
dente da provincia, aecuso o recebimeoto do of-
ficio de 23 do corrente, aob n. 51, no qual V. S.
d conta do eatado de a iiautim -nto daa obraa da
ponte Buarque de Macedo.
Ao jais municipal e de orphos do termo de
Caruar.De ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia, recommeado a V. 8. qae devolva, com
sua informacao, os papis que Ibe foram para ease
fim remettidos em 6 do corrente mez, de Luiz de
Franca Andrade Lima, solicitando provimento
nos officios de tabellio e eaerivo ds termo do
Altinbo.
Gymoaaio Pernambu:ann em 15 de Setembro
de 1887.Illm. e Exm Sr.Acabo de paaaar a
admimstraco deate eatabelecimento ao Rvm. ro-
sego Dr. Antonio Arcoverde de Albuquerque Ca-
valcante, mui acertadamente por V. Exc. nomea-
do regedor effaetivo, em virtude de portara de 5
do corrente mez.
No momento de denar a direccao, que por V.
Exc. me foi confiada no priccipio do con ente anno
lectivo, encho-me de praz.-r, pr ter de fazer ebe-
gar ao canh cimento de V. Exc que tudo euvidei
e muito coosegui em favor do eatabelecimento, j
amparado pelo aeu corpo docente, que um Uos
pootoa onde elle deauaoca, e ja merecendo a con-
Qanca daqaellea que tiubam nece^aidade de edu-
car e instruir seus filhoa.
Tudo envidei e muto consegu, porque, tendo
tomado conta da admioistraco cois alumnos in-
ternos e 73 externos c -ntribuintea, deixei om 27
internos o 147 externos, nao ae comprebendendo
ueste numero oa internos gratuitos oem oa exter-
nos d'aula primaria, qae nada pagam ao estabelt-
cimento.
Quanto a outroa movimentos do eatabelecimento
e medidas por mico adoptadas, j tive a aatiafa-
cao de fazer ebegar ao conbecimeoto de V. Exc,
qae sedignja responder me em 4 de Maio lo cor-
rete aun > ficsr de tudo acieote.
Tendo bailado a m-nsalidade dos alumnos in-
ternos cootribuintes do l" de Jalbo em diante, e
retirada a verba qae ero deatinada para os alamnoa
pensionistas da provincia, creaceram aa difficulda-
dea aa parte econmica do eatabelecimento porqoe,
teodo de proseguir conforme bavia principiado,
nuda pudendo tirar aem nugmeutar, cada vez me
pareca mais difficil e m-liudrosa a tarefa.
No entretanto venc, e venc, porque deixti a
admioistraco do estabelecimeuto com toda a saa
despi za paga at o fim de Aifoat >, ficaade de saldo
en caixa a quantia de 295)682 e maia a de...
5:463320 ni cofre do Tbesoaro Provincial, pro-
veciente da in-nsaiidade dos alomos pob'es, que
fumn susteutidos por eate eatabelecimento at 30
de Junho do corrente anuo, cuja quantia addicio-
nada a que fia o eofre deste estabelssimeato
prefaz o saldo de 5:759*002.
E si nao fossem aa deauezaa extraordairiaa qae
tve necessidade de fazer, por conaideral-as im-
preaciadiveta, e inadiaveis <,ot relativas ao aceio
de Certoslompartin. -ntos doestabelecimento ; quer
acquaic j de utensilios para o servico da casa,
por certo que seria maior o mencionado aaldo.
Fui assiis qae, nao se schando decente o forro
de papel da Capella e sacbristia da mesms, man-
d substituir por outro de mod.i a ficar. lomo
< ffectivamente ficou sendo, um mimo de simplici-
dade e aceio.
Nao teodo tambem a habitaco da regedoria a
conveniente .decencia, visto ae acharen cmplete-
mente deterioradoa oa sena m v ib, oem aa accom-
modacoea uecesearia-, providencie! no sentido de
remediar essa falta, j alargando estas, e j con-
certando aqnelles e substitualo por outros os que
nao rm tusceptiveis ae concert.
Urna oatra falta qae repare foi estabelecer um
lugar apr.pnado dentro do Intrnalo para o re-
creio dos internos na estaci invernosa, valo nao
ae prestar a isso o antigo pavilho, em rtao do
mo eatado em que se aeba a aoa coberta.
O lavatorio, lugar onde oa alumnoa lavam o
rosto p la manb, nao t- ndo bacas conveniente-
mente aceiaaas, pois alm da estarem deterioradas,
eram de zinco sem galvanismo, acha-se actual-
mente prvido de bacas novas e de melhor quali-
dade.
Todas estas ^espesas extraordinarias e outras
mais que deixo de mencionar, foram satisfeitas por
coota da mdica minsalidade, que actualmente pa-
gam os alumaos.
Outras muitaa necessdadea que nao poderam
por mim aer aatiafeitaa tem de encontrar prompto
remedio no tino e zelo do meu muito digno auc
cessor.
Aproveito a opportaaidade para agradecer a
V. Exc. aa atteucoas que se dignou dispensarme
durante o tempo de minha regedoria, ficands
V. Exc. certo de que aempre me achara pronto ao
servico que- publico quer particular de V. Exc
Dcus guarde a V. Exc.Illm. e Exm. Sr Dr.
Pedro Viceate de Azevedo, inui digno preaidente
da provincia.O regedor interino, Celso Tertu-
liano Fernandcs Quintella.
N. 817.Secco 1.*Secretara de polica de
Pernambuco, em 16 de Setembro de 18i7.
Ulna, e Exm. Sr. Apreaento a V. Exc. no an
nexo junto por copia a informacao do aubdelega-
do de polica da Poa-Viagem, com referencia
priao do individuo que se dizia ter aido violenta
dona Boa-Viagem p>r motivo eleitoral, ficando
assim aatiafeica a indcaco vocal que me tai dada
por V. Exc. a proposito da reclamaco feita por
ama commisso comp ista dos Drs. Pedro Affjnso
Ferreira e Ascencio Maacarenh&s.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm. Sr. Dr.
Pedro Vicente de Azevedo, muito digno preaiden-
te da provincia.O ebefe de polica, Francisco
Domingues Ribeiro Vianna.
Subdelegacia de polica do diatricto da Boa-
Viagem, em 15 de Setembro de 1887.Illm. Sr.
R.-spondendo ao o!Sio de V. S. datado de 14 do
corrente mez, cumprc>me informar, que, constan-
do a esta subdelegacia que diversos grupos de
desirdeiros pretendan) perturbar os trabalhos
eleitoraea uesta scelo, entend que devia maodar
algumaa pracas em direccao do caminbo da esta-
i;to que vem ter a este povoado, ordenando-Ibes
q-ie corresaem a algnmas pessoas que julgassem
suspeitas mais tarde; de 11 1(2 horas do da urna
daa referidas pracas apresestou-me um homem
que daseme bavel-o preso aob minha ordem por
tel-o encontrado armado de um punhal, caja arma
apresentou-me, e que vinba em direccao a este po-
voado; ordeoei praca que odetivesse pr alguna
instantes em quanto se verificava a identidade de
pessoa, momentos depois verificando mandei pdl-o
em liberdade, ignorando esta subdelegacia ae era
ou Do eleitor, apenas que era residente em Imbi-
nbeira deate mesmo diatricto e official de sapa-
ttiro. Remetto a arma para V. S. dar o destino
que j"lgar conveniente.
: JDeus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. Francisco
Domingues Ribeiro Vianna, muito digno ebefe de
polica desta p.ovineia. Tiburtiao Joa de Oli-
veira, aubdelegado de p i icia. Secretaria de poli-
ca de; Pernambuco, 16 de Setembro de 1887.
Conforme. Pelo secretario, Francisco Geraldo da
Silva Barroso.
DESPACHOS DA PBESIDESClA, DO DA 16 DK
8KTEMBBO DE 1887.
Antonio Joa Pereira Jnior.Eucamiohe-se,
devendo aer pago na repartidlo doa correioa o
competente porte.
Antooio Mximo de Barros L.-e.A read-
maso do suplicaste ao qaadro doa profeasores
tffeetivo8, e dep.is ana excluao, ae fez em vrtu-
de d lei osp -cial (d. 1295 de 9 ds Julho de
1877) que nao foi revogada e rege, actualmente, a
sua apoaentaco.
Com perda deata, entretanto, se o aupplicante
quer voltar ao magisterio, prove nao se acbar in-
capaz, phiaica ou moralmente, de exercer as
funecocs de professor.
Companhia de Bebjrbe.Informe o Sr. fiscal
da Companhia Recite Dranage.
Faustino Jos Rodrigues.Entregue se.
Francisco Jos Leite & C.Informe o Sr. ins-
pector do Taeouro Provincial.
Florencio Domioguea da Silva.Em vista da
informacao fiscal, aguarde a deciso judiciaria.
Guilhermina da Cooceico B irros Carneiro.
Hoje diriji-me so ministerio da guerra a respeito
do que requer a supplicaate
Jeronyaro de H>ilanda Cavalcante de Albu-
querque Juoior.Informe o Sr. Dr. chfe de po-
lica.
Joo Piuto da Silva.Apr.-scnte-ae o auppli-
cante Junta Medica Provincial para ser inspec-
cionado.
J. o Ferreira de Menozes.Providenciado.
Joo Fernandes Lopes.C mo requer
Juaqim Pisto de Almeida Juoior.Informe o
Sr. director do presidio dt Fernando de Noronha
J t Cnapiano da Silva.Deferido com calcio,
de boje ao Tbesoaro Provincial.
Maria Joaquina da Cooceico. Informe o Sr.
director do prtailio de Fernando de Norooha se
a aapplicsLte a Die.-ms de qae trata o seu offi-
cio n. 1614, de 20 de Maio de 1885.
Miranda & Sousa.Informe o Sr. inspector da
Tbesouraria de Fazenda
Maraolino i-ranciseo Pereira.Informe o Sr.
commandante do corpo de polica.
Manoel Tbomas Barbosa.Informe o Sr. ins-
pector da Tbesouraria de K z nJa.
Marcicoiilo da C-ioha Machado Pedresa.Sim
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, 17
de Setembro de 1887.
O porteiro,
F. Chacn.
Repartico da Polica
2* seer-Io. N. 821.
Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 17 da Setembro de
1887 Illm. eExm. Sr. Part :ipo a V.
Exc. que foram hontem recolbi ios Casa
de Detengan os seguintes individuos:
A' minha ordem Joaquim Pedro Ribeiro, a dis-
p nielo do Dr. juis de direitr- do 5' districto cri-
minal, como pronunciado no art. 133 do Cdigo
Criminal.
A' ordem do aubdelegado da fregr.ezia do Reci-
fe, Anthony K lly, a requerimento do cnsul in-
gles .
A' ordem do de Santo Antonio, Ricardo Gomes
Ja Suva, Malina Rufina do Carmo, Manoel Anto-
nio da Silva, Mana Joaquina doa Prazerea, Lino
de Jeaua de O-iveira, Eysa Maria Theodora, An-
tonia Mana Ja Couceico, A-igelma Mana de
Mello e Antonia Arcelioa de Sousa, por embria-
guez e diaturbios.
A' ordem do d.> V diatricto do Poco da Panella,
Joa Barboaa da Silva, p >r disturbios.
No dia 12 do errante, e no lugar Mocos,
perteucente ao 4- districto policial do termo da
Victoria por motivos de j >go, os iolividaos de
aomes Pedro de tal, coubecido por Pedro Burgos
e um seu ssbnuho, feriram gravemeote a Eieute-
rio Francisco do Santos.
O respectivo subdelegado tomou conh-cimento
do tacte, fes pr.iceder a vistura e diligeoeia a
captura dos criminosos que te evadirn
N dia 15 do corrente, assumie o exercicio do
cargo de d- legado do termo de Pao d'Alho, na
qualidade de 1- supplente, o cidado Flix Jos
Ue Oliveira Mello.
A proposito de telegramma dirigido a V.
Exc. pelos Drs. juis muoiciptl e promotor do
rmo de Paneilaa, noticiando um conflicto entre
paisanos e pr-icis de polica al i dest Cadas, ouvi
o delegado do t- rmo e este commuuicou me que
loo da 10 do corr-nte, pelas T hoias da noite, foi







I



B
sgredida a guarda da cadeia dsquella villa, pelo
individes de acm tbrisiinii.no Florentino do*
Santos e Jcaquim Vctor, borneo ceebeeidos como
tsordeircs, ..robos srm^t, de tacas df pouta a
revolver, os quae. desfijaran, div.rscs tiro.no
intuito de assassiner os soldados que naquella
oeeasiao ccnprifci sru dever.
Felizmente nao he uve o mais leve fenmento,
oeer da parte dos aggredicos qaer dos aggres-
sores.
Logo que squelle delegado teve sciencia do m-
eto. par all se dirgio << mpanbado do Dr. pro-
motor publico, e abri o cimptteute inquerito po-
licial, que j toi remettide ao respectivo Dr. jan
acaicipal.
Como medida ctmple mentar s providencias
dadas, fia substituir quatro soldados por outroa
do quartel.
Hontem, s 9 horas da noite, na rna Bella
da freguezia de Santo Antonio, Elpidio Villar,
cadete do 14- batalbao de infantera, estando a
praticar desordena, foi preso e recolhido ao respe-
ctivo quartel pt.r urna patruiba de pracas do mea-
se balaiho e soldados de cavallara.
Deus guarde a V. ExcIllm. o Exm.
Sr. Dr. Pedro Vicente de Azevedo, omito
digno presidente da provincia. O chefe
de poli-ia, Francisco Domingues Ribeiro
Ytuitna.
Thesoure provincial
DESPACHOS DC DA 17 DE SETEMBKO
Manoel Benjamim Pereira Canejo.Ao Sr. col-
leetor da Victoria para cumprir o despacho da
anta, devolvendo depois estf 8 papis.
Prente Vianna gre, ifficio do Dr. procurador dos feitos, Fran-
cisco de Paula Sonsa Leao e Francisco de Barros
Cordeiro. Haja vista o Sr. Dr. procurador
Sseal.
Joaquina Mria da ConceicoAo contencioso
ara cumprir o despacho da junta.
Jos Cordeiro dos Santos. Informe o conten-
jaM.
Herdeir s de Manoel Antonio de Jess, Eoge-
> Goetschell e Joaqun Ferreira Netto.Entre-
ne-se pela porta.
Bonifacio de Ligo Ferreira Costa. Lertin-
Gustavo Mennoud 4 C, Vietor Marques San-
tiago, Dr. procurador dos feitos, Marganda Ma-
TMana de Oliveira Figueiredo, JoSo Joaqoim Alves
de Albuquerque, Jos Ferreira Campos, Oliveira
J C, Cssiano Pereira ae Soasa, e officio do Dr.
Traenrador dos feitos.Informe o Sr. contador.
Donatilla da Costa Ramos.Rcgurtre-ae -
aaavse as de vi das notas.
Hermino Ferreira Pinto Malheiros e Martina
Pr*a 6 CEntregue se a qnantia em deposito.
e fa-
Recebedoria Provincial
despachos do da 17 de setembeo
de 1887
lote Rodrigues Macieira, Adolpho Jacintho
Pereira, Joaqoim Goucalves Cancn, Ferreira Ir-
- aio *C, Andrade Lima & Irmo, Laurentino
Pires de Carvalho.Iofonne a 1* scelo.
D. Maria Angela do Carmo.A' 1 seccao para
9* devidos fins.
Joaquim Nunca Padilha, Balthszar Jos dos
Seis Filho, Francisco de Paula de Oliveira Vil-
las-Boas, Joe Mana de Albuquerque Mello eJes
Maria d- Albuquerque MelloCerifique-se.
D-.miogoB Goncalves Penna. Nos termo do
3Ug. de 30 de Abril do correte anno, interponha,
jsxrrnds o seu recurso para o Thescuro Provincial.
KhviSTA DIARIA
Do relattrio rcni que P. Ea pastara, no
dia 5. e >.cninim*ce- d'j n \ii-t-ia ao euiuece
sor, extihh n,oa o eeguis.te trecho, iclativo ao es-
tado fiisr.ceiio da jr.v neis, digto dt r li lo, e
que n uiti'tbena a sdrr.uiftrr.co do noeso 'cm-
provincii.ro :
Aon.nu (uiontrei s qusntia e vid na ""P0'
taieia de l.2:St:.''JO nH"ntt' de venenen
tos atraztett e> i H* e cutres conpro-
misses o ifcd : fi*r- 8l,n da d vid
fundada, que era a* iC':: 00*000.
Tive, pon, dt Hfktsi t.ta minha attencto ao
estado nenia ico da p. \itfia, qui ba algum tem-
pe se acbava pcitnrbeuY, lano ptlo deerescirnen-
tosensivel da nenia, eemu tambero pela pone
cautela havida im tu disinbuicao.
A ctuea prinerdial do decnaciment da recei-
ta foi a baila de pr- eo do a'gcdo e do asencar,
que sao ee deus principie* producios de exporta-
rSo na prtviocia.
Tal aituaco Itvou meus dignes antecessores,
Drs. Ampbihpbio Bctclbo Freir, de Carvalho e
Gemimano Brasil de Oliveira Ge, a tomurem
mrd'das energiras no leuvavel i mpenho de tor-
nar menee ptncta a criee finaneeira da prcviicia.
A pesar dos gentes estoicos empsegados, uthei
ain-ta squel e giande debito de que cima ffillei
Cib as picviceccias eccncmicas per mim adop-
tadaa pude centeguir nao i pagar os .........
132:282J515, cerne mente* im dia a satisfaco da
despexa crdinaria da provincia, que importa iren-
salmente tm qutsi 60;474#437, e que no peiiodo
de minba administracio cbtgiu a cerca de......
544:269^33.
A divida da provincia actualmente de......
829:200*000, a saber:
1.448 apolices a juro de 6 / ao
anno
Ao Monte-pio dos Empregados
Provinciaes a juro de 6 /, ao
anno
Aos htrdeiros do Conde Pereira
Marinho, a juro de 8 /, ao an-
no
144:800*000
124:400*000
60:000*000
329:200*600
Sesta ultima divida tem praso fatal, que a
31|de Dezembro preximo futuro.
Para faaer face a ella e a outros pagamento
ficaro no cofres, segundo dados colbidus no The-
aouro em 31 de Agosto ultimo, a quantia de.....
118:663*570, sendo :
No caixa geral
No de cauches, perlencente pro-
vincia
No de loteras, tambero pertencen-
te provincia
7 5:436*071
34:157*443
9:070*057
118:663*570
Alm da quantia mencionada, existe mais em
cofre para ter applicaco especial, determinada
em le, a de 30:842*023, a saber :
No caixa de cauces 2:47d*2l2
Nodo Monte-pio dos Empregados
Provinciaes 5:677*379
No do Asylo de Mendicidada 2:692*432
Tribunal do Jury do Beclfe -Hontem
teado comparecido 33 jurados nao bouve ainda
jexsio neste tribunal.
Foram sorteados os sguintes jurados supplen-
tots
Freguetia do Rtr.ift
Carlos Barbosa Prcn -.
Jos Jeronymo Fi rreira Coelho.
Jos Franciaco Cardoso Ayres.
Fregutzia de Santo Antonio
Aatonio Jos de Abreu Ribeiro.
VepTetia da Boa-Vittm
Dr. Jlo de S Albuquerque.
Jesuino Barroso de Mello.
Mantel Luia de Siqueira.
Freguetia da Graga
Jio Paes Barretto.
Freguetia de S. Jos
Joie Henriquc de Albuquerque Mello.
Jes Car!, s de S.
Manoel Osar Alves.
Salvador Barbalho Ucba Cavalcante.
Freguetia de Afogado
\ntenio Mendes da Cunba Azevedo.
Jlo Jos da Matta Jnior.
Manee) do Naecimento Paiva.
Foram multados em 20*000 os jurados que fal
laram chamada.
Sahta e tlaeoa Pernambuco trouxe-nos hontem folhas da Ba-
)a at 14 c de Macei at 16 do correte.
Lemos no o Diario de Noticias de 12 o se
Jtoale: ...
O Sr. Dr chefe de polica receben hoje com-
Moicacao telegraphica do Sr. Dr. juii de direito
de Villa Nova da Rainha, annunciando-lhe um
triste e sanguinolento drama occorrido ha dias,
tas Pilao Arcado.
O delegado de Pilao Arcado expedio um pro-
yrio para Villa-Nova, afim de communicar o oc-
eorrido a aut ridade.
Eis o facto :
Em plena ra foi assassinada o alferes do 16-
bataibao de infantana, Alberto i-aldino de Al-
-aeida Castro, que para all tinba seguido no ca
7ae!tr de commandante do destacamento, por um
rairiduo cojo nome ignoramos. Provavelmente
je? algum desBes tantos faemoras que alastram
iodo o interior da noaea bella provincia, levando o
aanico ao seio das familias honeatas, a dor e de-
Mlaeio a alma i ffleta de maes, de esposas e de
:risas inditoeas
Em acto continuo ao brbaro crime, foi tam-
iem aesassinado o assassino do inditoso militar :
a pena de Taliao.
A p^pulacao de Pilo Arcado ante o especta-
talo contrist.dcr sangrento que apresantava c
Ikeatro do crime, aterrou-se e clama providencias
SS autoridades.
Ap^ dolorosos e longo9 soffrimentos falleceu
na da 7 do corrente, n villa de Itaparica, pora
ande seguir em busca de bIvio o Sr. Fortunato
Busagl, natural do Maranhao, o qnal por algum
leaopo oicupou um lugar na rtdaccao do Diario
de Nticas ediyj da manb.
Ah nao poude elle exhibir as anas qualidades
tellee-tuaes, porquii Ih'o nSo permittia a pertinaz
eefermidade a que auceumbio ; foi, poim, um com-
jauheiro muito apreciav 1 c que scube conquistar
aesritoa dos srus colligas.
Registrando pesarosos o pas.-amento do dea-
seatnrado moco, apresenlamos as nossaa condo-
*dcib a bui digna familia .
F ll'ceram : na villa '8 Santo Antonio da
Barra em 28 da paesado Beliaario Alves Pereira e
a 10 na capital o cidadao Martinho Pereira do
Eaatriro-Santo.
. O finado, dis urna folha, fez toda a ctmpanh
do Paraguay como msico do 10- batalbao de in-
faB'nria de linba.
Fui condecorado cem a medalhas de Uru-
lay.na, Urugu. y e Paraguay.
. U timamouie era empregado na afengao de
aedidas na cmara municipal.
C ntava 43 annos de idade e gosava de ge-
ral estima. *
O Diario da ManAa de Macei de 16, diz o
seguinte sobre o embarque do Exm. Sr. Dr. Jote
Mcreira Alves da Silva :
Imbarcram bontem para o Recife o Exm
Sr. Dr. Moieira Alves, ex presidente desta pto
-filela e sua Exua. f. milis.
Grande numen de i-avalheircs de toda as
alas* eociaes e muitas familias ac.mpanbaram
a Bb Exc. e a sua refpeitavel consorte at a ponte
mbarqoe tm Jarapu, em cinco bond, que
rst. v.m lUteralmeate ihiLs, teudeudo assim ho
tn>
vim
sal*.
O Exm. Sr. presidn.it Dr. Caio Prado e sua
Sima, enante, ua Exrus. Dr. cbtfe de po'icia e
Bi. juis de oireilj a. ata capital tsnib m all fo-
taa. oitpeOir-st de qu>in Je.xa to elevada me
a\ona de sua tiCn.iuistri.c2i tm ursca pn.vincia.
Durai.lt as a. t^uidat toccU a banda marcial
do corpo dt polica.
Dtujinoo a S. Exc. todos as prospetidadee,
fez. >. s \oi pal* pnspiia visgem de S. Exc. e
de toda sua illostre lamilla.
MII llllt.IHIUiUl wmv.^o, .^-------------------
rgtm a quem se htuve no governo desta pro-
h cea Unta dialinceao, c.iteri* e htmbri
30:842*J23
A renda tem melhorado de certo tempo a esta
parte, principa (mente depois da decretaco do im-
pesto de taxa sobre volumes, impeato que concor-
re com avultada somma para a receita provincial.
Por estes rpidos trac a ver V. Exc. que pre
sen te mente pode dizer-me prospero o estado fi-
naneeiro da provincia.
Lemoe no Orbe de 16;
Fallecen neeta cidade no dia 13 do corrente,
tarde, o infeliz moco Innocencia Celso, que ha
bem pouco tempo se havia catado. Era cultor
das lettras, d-ixaudonos apenas publicado dos
fructos de suas locubracoes um pequeo romance
denominado Alaria ou Vtnoanea de Uulher.
Moco modesto e arredio da* *gita(des sociae,
ia gastando os dias de eoa existencia no louvavel
trabalbo do ensinamenta no Extrnalo Tres de
Fevereiro, estabelecimento do sua propriedade.
Vapor para o norteSegu boje a tarde
para os portos do rorte o paquete nacional Per
nombueo da companhia brazileira, hontem chega-
do do aul.
Vapor Portnffal E' boje esperado do*
porto do sul o novo paquete francs Portugal
que he je mesmo seguir para a Europa.
Por eauaa de Joo No dia 12 do nr-
rente no logar Moc, do 4 districto policial do
termo da Vietoria o individuo de nome Pedro e
um aobrinho deste feriram gravemente a Eleulerio
Francitco dos Santos por motivos de jego.
Os dtlinquentes evadiram-se.
CobUicIONa noute de 10 do corrente, s 7
horas, os individuos Christiniano Florentino dos
Santos e Joaquim Vctor, conhecidos c*mo aesor-
deiros, armados de faca de pouUe revolver ag-
grediram a guarda da eadeia de Panellas, dea fe-
chando diverso* tiro* sobre as pracas, que na-
quella cccasiao estavam de sentmella
Felizmente nao houve t*rimento algum.
A autoridade local den as providencias neces
sanas.
Foi preaoAnte-bontem, s 9 hars da nou-
te estava a tazer desordena na ra Bella um ca-
date do 14 batalh2o de infantaria e para cobibil-o
de tal procedimento foi preso e recolhido ao res-
pectivo quartel por urna patrulha do mesmo bata-
lho e por soldados da companhia de cavallaria.
Commlufio bydrograpbica Lemos
ni Diario de Noticias da Baha de 12 do cor-
rente :
Em consequencia de ter naufragado o cruza-
dor Imperial Marinheiro que ia, conforme j
i vemos occasiao de noticiar, fazer a demai cacao
da pedra que apparecera a 12 miibas ao NSmg
dos Abrolhos, o quartel-general de Marinha tele
graphou ao digno cemmandante da Mar j
surta neste porto, Sr. capitao-tenente Aonso de
Alencastro Grsca, para qne preparaase o navio,
afim de substituir o Imperial Marinheiro na
quella commisso.
O n.eamo telegramma disia que o Sr. Baro
de Teff, chefe de diviaSo e director da reparti-
^o bydrograpbic, sahioda certe, no dia 10 do
corrente, no paquete nacional Pernambuco cem
deatino a esta provincia, onde de ve chegar ama-
nb.
S. Exc. vem ixpretsamente para realixar a
commissao que os seus ajudantes cepita -tenente
Calheiros da Greca e 1- tenente Indio do Brasil,
nao poderam tffectuar por causa do nBUtragi :> que
cima referimos.
S com a chegada do Sr. Bario de Tt T se
podet saber quando a Maraj seguir pa a os
Abrolhos .
Aaaoctaco Medico Pbarmaceafl-
ea Peruambncaaa Ante-a utem tuve
sestao desta assoeacao, sob a presidencia do Sr.
Dr. A. Velloso.
Lida a acta da sesso antecedente foi appro-
vada.
Foi receido, ofivrccido pelo Sr. Augusto Cesar
Cous8eiro de Mattos, um pamphltto, tendo por ti-
tuloMemoria descriptiva e justificativa do me-
Ihoramento do porto do Recite,- pelo engenheiro
Dr. Alfredo Lisboa.
Fui presentado pela mesa, discutido e appro-
vacio pela C88a o seguinte ponto : Da nter ten-
co rirurgica nos traumatismos do tubo digestivo.
O Sr. Dr. Joao Paulo communica um ca w de
sua clnica civil de urna aoente que soffnu de
criscs bjstenco* peridica, manifi atando-ie de
um modo anmalo.
O Sr. Dr. Ermirio Coutinbo aprsenla um caso
tumbeen de sua clnica civil de typhilia, percor-
rendo todas as r-hases, quasi todos os orgo mas
bende cada grupo de manitestaces dcil ao Irala-
meoto e cedendo para dar logar a um outro ter-
minando poi' um etado de pnturbaco das faamt-
dades mentae e que teve esplendido rrsultado
com o emprego da urina de vaeca na anasarca
qne se manifestou no correr da molestia.
Dada a hora fci marcada para ordtm do dia da
sessio seguinte que ter lugar no dia 23 do cor-
rente, a contiauajo da antecedente e levanttiu se
a sesso.
Aaaorlaco doa Fnncrlonarloa Pro-
vlnrlaea de PernansbacoNo da 15 do
corimte reuni se em seeeo otdiuarlaa atsem-
bla geral deesa Associaco sob a presidencia do
Sr. Dr. Witruvio Pinto Bandeirs.
Aerta a sessio, foi da e approvsda a ac*a da
anteri.r; e em seguida relatndolo Br. presidente
os trabalhoB do conseibo deliberativo na constan-
cia dw mea social fiud", declar. u que omeamo
cmselbo fonociouara em ossio economcii nos
dias 25 de A tato nlfimo e 1 de Serembro cor-
rete, sendo que *s trabalbo* das meema* se niis
e n^istitam no seguinte :
Na primen,paiecer da commissio de syndicen-
i-.a rre o aoxilio sitial pedido plo conse^ie Ma-
noel Ferteira da Costa, rtquisitando audiencia do
tbi. nreiro, a quem foi a informar ; e parecer da
mean coanusto bre a admisao para i ocios
dos Sr*. eaipregados municipaes Francisco Jos
do* Santo* Honorato, Genuino Jos da Rosa, Joa-
quim Milete Maris, Manoel Joaquim de Sonsa
Viegas e Augusto Franco do Reg; e sendo apre-
srntado pelo Sr. Lindolpbo Compeli umrcqueri-
mento de adiamento da votacao do mesmo pare
cer e de outres quaesquer referentes a despesas
at que se resolveese s> bre a referma des estatu-
tos, foi o mesmo rrquerimento depois de diseussas,
retirado a sen pedido ; e corrido o escrutinio, foi
approvado e declarado sacio o Sr. Genuino Jos
da Roe a, ficando os detoais prejudicados, c- m ex-
cepco do 8r. Augusto Franco io R. go, cuja vo-
taeao foi diada a requerimento do Sr. major He-
meterio da Silva.
Ainda na meema sessao foram lides e manda-
das commissio de syndicancia ci e a peticio
da Exms. Pra. D Mana Dcrnellas Pessoa Cata-
nbo pedndu auxilio social, viuva do socio Andr
Jos Pessoa Catanko, como urna proposta do Dr.
Antonio Pires, i presentando para socia a Exma
Sra. D. Clara O ympia de Luna Freir ; bem co-
mo um i feio do Gremio do Profetaore* e fiertan-
do differenti s brochuras para a bibliotbeca, que
recebidssccm agrado, tiveram o competente des-
tino ; e outro do Glub Cario Gomes convidaedo
a Associacao para aeeistencia da festa coromemo-
rativa do 7* anniversario de sua installacio, na
na quel se fez representar esta Asscciac2o por
lima commissio cemposta do* Sr*. Lindolpho
Campello, Dr. Pergentino e Silva Fragoso.
Na segunda foram lidos officios de convites das
sociedades Nova Thalia e Club Ayres Gama para
assistrncia do espectculo e a sessio Iliteraria
com que eolemnisaram seu aniversarios ; e a
Aseociscao fez-se representar por commissio
cemposta do orador e dos conse.heiroa Franca Tor-
res e Silva Miranda no espectculo da primeira,
e dtixou de fazel-o na sessio da segunda por co-
incidiris o dia e hora ci m es da eleicio ; o que
f^i communicado ao Club.
Na meama sessio sendo lido o parecer da com-
missio de syndicancia sobre a pretencio da Exma.
Sra. D. Oliva de Castro, ponderando que a mes-
ma nio satibfizera as condifoes exigida no art.
21 do acto da reforma, mandou-se que a mesen*
commiseito bservasse o alludid^ disposto.
Terminada esta reaenba, nio havendo outros
trabalhos, cantinuou a discussio adiada do projec
to da reforma dos estatutos, sendo approvado os
art. 64 a 68 e rtjeitada* toda tenencias off re-
cides ao* mesmo artigos, com excepcii de urna
do Sr. Silva Fragoso ao nico do art. 63, decla-
rativa de aer o preso de 2 annos restricto aos no-
vos admittidos, emenda cuja votacio nio ti ver i
lugar na seseao anterior ; e de outra do Sr. Fe-
lippe Meca ao art. 65, firmando o auxilio social
familia do socio por espaco de um anno aomente,
quando j coutasse elle mais deste tempo e me-
nos de dous annos de associado. Estas duas emen-
das, depois de discutidas, foram approvadas.
E por aehar-se j bastante adiantada a hora, o
Sr. presidente levantou a sessio.
Dlatbeae FibroaaFomos pelo Sr. Dr.
Adolpho F. de Luna Freir obsequiados com um
exemplar do aen Estado Clnico da diatbese ri-
b.osa tbese approvada com distoccio pela Fa-
cuidade de Medicina do Rio de Janeiro.
E' um trabalho importante e digno de ser
lido.
Agradectnos ao Sr. Dr. Adolpbo F. da Luna
Freir a offe'ta que no fes.
A E alacao D'este jornal de moda pari-
sienses dedicado a senh< ras brazileira e publica-
do n i corte pelos Srs. H. L mbaerts & C, rece-
bemos o n. 17 de 15 do corrente.
XeasyAssim e intitula urna linda polka para
piano composta pelo Dr. Misael Domingues, autor
das polka' Calouro, Belleza do Recite, Vamos
danettr, Zaza, Brazileira, 82iemando e Mes
Songea.
Agradecemos a offerta que nos tez de um
exemplar.
Club Abollrlonlata D. loa Reali-
sar-se-ba hoje em Oiinda a 6 li2 horas dt tarde
a 8 conferencia feita pelo orador do Club, leneute
Castro Vilella.
A parte recreativa constar de urna comedia in-
titulada Urna exper enca.
Urna commiesio diatribuir na porta do theatro
senhas de nitrada, mediante esportula fixa.
Familia da rus doa Guararapea-
Para a viuva desvalida D. Auna de Olivara, mo
radora a ra do Guararapes n. i.0 em companhia
de seis filhos menores, enviaram-nos hsntein dous
anonymoa a quantia de 3*000, que hontem memo
Ihe foi entregue.
Beunloe aoclaea -Ha hoje as segua-
te*:
Da Sociedade Mi narra Progresao Pernambuca-
no, s 10 hora* da man ha, em sua sede, psra em
sessio de assembla geral ordinaria tratar d ne-
gocios diversos e urgentes.
Do Monte-Pi dos Typographo* de Pernambuco,
s 11 horas da manhi, na Praca de Pedro II n.
75, 2 andar.
Da Sociedade Recreativa Juventude, na sede
social, s 4 horas da tarde, em assembla geral,
para eleicio de presidente e tbesoureiros.
Do Instituto Litterario Olindense, 10 horas
da manhi, na sede social, em assembla geral,
para approva io de contas.
Quarta-feira:
Do Club Maicelno Cleto para eleger a nova
directora.
Agencia de commlsies-Desde 15 de
Agosto findo acha-se estabeltcida nesta cidade
urna casa de agencia e commistoes sob a firma
C. Weiesenfeldt.
A mesma casa agente da Transatlatiscbe Han-
delsgeBells-chaft de Hemburgo e espera breve-
mente poder representar agencias du importantes
fabricas inglesas, francesas e americanas.
Longa experiencia e bastante pratica no eom
meraio desta praca habilitam ao Sr. C Weissen-
ttldt a bem satisfazer a 8 ordens dos seu trege
se*.
Enrola de Minan de Onro PretoL-
se no Jornal do Commercio da corte :
Temos noticias, que mnito nos prz regitrar,
desta importante escola, fundada na capital de
Minas Geraei e mui proveitoeamente dirigid pelo
Sr. Dr. Henrique Gorceix, que tanto tem con-
corrido para os estados da mineraloga no Brasil.
No primeiro anno da organisaco da escola fre-
quentaram-na lio smente 4 alumnos e esta pe
quena frequencia motivou a prevencio com que se
slbou a principio para o nasceme estabelecimento
que algumas pessoas chegaram a considerar iou-
tilidade dispendiosa, eem advertir que em tio curte
prazo, nio poderia instituicio de tal genero cavar
o leito da sua influencia na ordem de estados a que
devia dedica'-se. Nio tardou felizmente a sanecio
do tempo til empresa, e j no corrente anno,
ao leabrirem-se os cursos a 16 do corrente, poude
a matricula registrar 53 alumnos, alm de 30 ou -
vmtes que nio puderam completar em tempo a
habilitaeio pr-paretons per haver sido alterada a
poca dos exames. Conta assim a escola 83 alum
nos das duas categoras contra 52 que frequetaram
no ult'mo anno.
Somcs, alm disto, informados de qne, no fien
do corrente anno, muito ter melhorado a crgani-
sacio material da eso la cem as novas construc-
cots em aiidamento, as quaes cstao eenlo empre
gada as economas apuradas na verba com que a
assembla provincial de Minas-Geraes auxilia o
estabelecimento.
O gabin-te dt mineraloga e geologa cootm
mais de duas mil amostra, destinadas s demon-
atracoeg do cursos e ao estudo dos alumnos, en-
cerrando valiosa culleccao quasi completa de ro-
, has e mmerae da provincia, e outra dos diversos
rumen, s de onro de Minas-Geraes e dos deposito
diamantferos, quo nos asseguram ser nica no
eu genero tm tudo o mundo. Estas important-s
eolleccS'S, rtc. Ibidas pelo infatigavel Sr. Dr. H.
Goie-ix e slgunsdos seus colaboradores, acham-s.-
orgatisadas scientificamente, tendo j4 fornecido
elementos a investigaeorB de summa valia.
Ao laboratorio reiervado aos exercicios dos
alumno* accrescenton Be, ba pouco, urna sala es
pecialmente destinada pesquisas de petrogra-
pbia microscpica. A chimica, pbysica, metallur
gia e topographit eetio providas de todi o mate-
rial necessario ao ensino, pjssuindo cada urna
daquellas disciplinis compait'meuto especial para
depoelto de modelos e instrumentos Os lab.re-
toos de ch mica, j insoffieieutc para os alumnos
que os frequ- ntt.m, vi. ser substituidos por outro
espacoao e espocialroente constanido para tal fim.
Abraoger este novo laboratorio umi sala para
os tm balboa pralico* dos alumnos do curso geral ;
urna para <>s trabalhos de decimasia dos alumnos
de curso superior, urna para as investigaedea dos
professsores e repetidores e outra para deposito
de apparelhoB e reactivos.
Dos Annaes da Escola de Minas, que j consti
t. em opulento repositorio de cabedal scu-ntifico,
ser brtv< mente publicado o 5" tumo, compreben
dendo alm dos resultados de analyses, estados mi-
neralgicos e geolgicos de urna bacia diamauti
ftra de Minas-Gera- s ; pesquisas caroa da pre-
pareci mecan.ca do ouro as pequeas muera-
coes da provincia e estudo* abre jasidas de amian-
tho e de pedra olar bem como sobro metallurgia o
mecnica epplicada. >
> Bue'oi de aalvaro a bordo dos
paqueteaO o Bear ot Trade ucmeou urna
commiesio eocarregada de estadar os meios que
se podem empregar a bordo dos paquete para sal-
var o* passageiro* e a equipag.'tn em caso de si-
nistro producido por abalroamento, incendio, ou
qualquer occurrencia que obrigua a abandonar o
navio precipitadamente.
Depois de largas consideraces, a commissio
conclua que, so com effeito n'um paquete que con-
duz es vese* 1,200 ou 1,400 pessoas, o meios de
salvscio a empregar nestes casos, que sio as em-
bsreuces do navio e as jangadas que seje poasi-
vel construir, nio sio suficientes porque apenas
poderio transportar, segundo a opiniio da mesma
ctmmissio, 250 cu 28 i pessoas ; nio comtudo f-
cil indicar outro meio mais < ffioaz, attenta* ascir-
eumstaneia* da falta de espaco para transportar
um grande numero de embarcaces, e o p dtsordem que torcosamente renam eai taes cir-
cumstancias.
O mal evidente e bem conhecido, diffi.il com-
tudo prover de ren edio. Ainda aesim, < na im-
po8biiidade de resolver satiefactoriamente o pro-
blema, a commissio ndica como sendo talvez o
ceminho a seguir o emprego de jangadas e caca-
lores, que se podem desarmar e ir deste modo ar-
rumados a bordo occtipaudo um pequeo espaco ;
e insiste para que as leis e regulamentoi que
marcara o numero de embarcaces e outros meios
de salvacio exigidos actualmente aejam revistos e
modificados afim de snpprimirem quinto possivel
a reconhecida insuficiencia dos meios que boje se
podem empregar.
Nova espingarda francesa Deratn
excedentes resultados as experiencias das noves
espingardas confiadas aos alumnos da escota de
Saint-Cyr, durante as manobras de Chalos.
Estas novas espingardas, de calibre 8 millime-
tros, foram inventadas pelo general Tramond e o
Sr. Lebel.
O tiro muito mais certo que o da Chassepot e
da Gres : a trajectoria percorrida pela bala quasi
se confunda cjm a linha recta, e durante as expe-
riencias que se fizeram durante cito dias os alum
no acertaran! no alvo 95 bala por cada 100.
Nunca se obtuve com outra espingarda resulta-
do igual.
Ha a accrescentar que o recua insignificante
e a bulba da explosio tio frac, que nio se ouvia
a vinte metros.
Naturalmente, a espingarda Tramind- Lebel
ser adoptada no ejercito.
Directora da* obraa ue couaerta-
co doa porto*Boletim meteorolgico do
Im 16 de Setembro de 1887 :
I o e -o
-lora o 3 -a g S o oo Barmetro a 0o Ttnsio do vapor X o a
-= t a
& 3
6 m. 23-l 62I1 16,96 79
9 25'9 763*37 18,11 73
12 271 762"94 17,50 66
3 t. 27- 1 761>"39 17,04 64
6 25'8 76148 17,55 70
Temperatura mxima27*,75.
Dita mnima23,50.
Evaporacao em 24 horas ao sol: 6i,9 ; som-
ara: 3",3.
Chuva2,L
DireccSo do vento : SE de meia noite s 3 horas
.' -1 minutos da manhi ; ESE at 5 horas e 43 mi-
nutos ; S at 5 horas e 55 minutos ; SE at 7
horas e 5 minutos ; S at 7 horas e 15 minutos ;
SVV at 7 horas e 51 minuto ; S at 8 horas e 7
miuutos ; SSE at 8 horas e 25 minutos ; SE at
5 horas e 24 minntos da tarde ; SSE at 6 horas e
8 minutos ; SE at 8 botas e 3 minutos ; SSE at
8 horas e 49 minutos; SE at meia uoilr.
Velocidade media do vento : 2ln,34 por segundo.
Nebulosidade media: 0,48.
Boletim do porto
ns B. M. r. M. B. <. P. M. Dia Horas Altura
16 de Setembro 17 de Setembro 957 da manhi 348 da tarda 1021 416 da manhi 0,>13 2.'"til 0,26 2, 74
Operaeao clrursclca Foi praticada no
hospital Pedro II, no dia 15 do corrente, a se-
guinte :
Pelo Dr. Estevio :
Amputaco da mama esquerda indicada por
cancro da mesma.
belldeaEUcr.uar-se-ho:
Amanhi :
Pelo agente Brito, s 10 3(4 horas, rna do
Cepitio Lima, de armacao e utensilios ahi sito.
Terca-feira:
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra do Mar-
ques de Olioda n. 52, de nm motor, buhar a u i
sobrado.
Pelo agente Gusmio, s 11 horas, no arma-
sen) da ra do Marquis de Oiinda n. 19, de pre-
dios.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra da Con-
quista n. 6, de bons movis, piano e louca.
Pelo agente Pestaa, ao meio dia, ra do Vi-
gario Tunorio n. 29, de urna Lj&de funileiro.
Quarta-feira:
Pelo agente Stepple, s 11 horas, travessa
do Carmo n. 6, de ama oficina de funileiro.
Pelo agente Pestaa, ao meio dia, ra do Vi-
gario Tenorio n. 12, de predios e terrenos.
maman fnebreSerio celebradas :
Amanhi:
A's 8 horas, na greja de S. Goncalo, pela alma
do capitio Joaquim Leocadio Viegas.
PaaaagelroaChegados do sul no vapor na
cional Pernambuco :
Dr. Francisco de Paula Silva Primo, Joio E.
de Oliveira Gondim, Antonio G. dos Santos, An-
tonio A. dos Santos, oficial da fazenda Marciooillo
O. P. Vas, Dr. Joaquim Francisco Leal, Affonsu
da Silva Santos, Antonio Nones de Campos, Tito
Jos Evacgelista, Amelia Carolina, Pedro Jos
dos Santos, ex-prac* Almeiro de Barro* Primeiro,
Alexandre A. da Lima, Jos Carlos, Jos A. de
Almeida, Augusto H. Nogueira, Jules Le Brui,
Jos Luis de Sonsa Filho, Malaquia* da Fonseca,
Joaquim Nunes. padre Getulo de Vasesoncellos,
Ignacio Francisco de Almeirim, Fraecisco R de
Lemos Lesse, Hermn Water, Dr. JosT. da Costa,
Antonio Mafra, Dr. Joe Fiel de Jess Leite, Jus-
tino de Oliveira Costa, Maria Jos, Jos Joaquim
Pereira, Jilo Antro e Edmundo Alberto Leio.
Chegados da Europa no vapor allemio Ato :
Paul Stublmann, Jersie Stnblmanu, Henricb
Stublmanu, Frita Stublmann, Dora Schnvkel e
Bernardino Ferreira.
Lotera do Para Foram vendidos pela
casa da Formas os ns 4408 com a sor te de..,..
100:000* e 1270 com a surte de 50J* da 6* parte
da 12 do Para.
Caaa de DeteneaoMovimento dos pre-
sos da Casa de Deteneao do Recife no dia 16 de
Setembro de 1887 :
Exisain 395 ; entraram 15 ; aahiram 12 ; exis-
tem 398.
A saber :
Nacionaes 356 ; mulheres21 ; eatrangelros 12 ;
escravo* sentenciado* 6 ; dem proceasado 1;
dem de correccio 2Total 398.
Arrac.-ados 373, sendo :
Bons 342; doeutes 30Total 372.
Movimento da enfermera :
Tiveram aita :
Jos Couto da Silva.
Bernardino Alves de Oliveira.
Arthur Paiva Martines.
.olera do Cear-Eis os premios da
parte da 5* lotera da provincia do Ciar exlrahi-
da em 17 do corrente :
9516 40:0001000
3494 6:0.'0*000
2977 2:0iK)*OU0
764 1:00 *000
4935 ;:iO0*UU0
Es tio premiados com 500* os seguinte* nu-
mero* :
14:6, 1459, 3284,6612.
Estio premiado* com 200* os ssguintes n-
meros :
1670, 1736, 4077, 5206, 8221, 11373.
Esto premiadas com 100* os seguinte* n-
meros :
635, 1086, 3640, 6056, 5125, 5614, 6352, 6984,
7260, 8765, 9572, 10106, 10497,10714.
Approximacdtia
9515 500/000
9517 500*000
3196 2tK)*000
3497 200*000
2976 130*000
8! TS 130*000
Todos os nmeros terminados em 16 estio
premiad s cim 20*000 excepto a sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 96 estio pre-
miados com 20*000 excepto o segundo prtmio.
Todos os numer. s terminados ein 6 eatio pre-
miados com 10*000 excepto a sorte grande.
A seguinte lotera correr quirta-tcira 21 do
corrente.
jirande lotera do Para Eis os n-
meros premiados da 6* serie da 12* lotera ex-
trahida em 17 de Setembro :
4408 100:000*000
4456 15:000*000
8488 5:000*000
722 2:000*000
2055 2:000*000
653 1:( 00*000
4660 1:000*000
5804 1:000*000
Esto premiados com 500* :
271 464 941 1048 1270 1570 2424 2937
3628 3808
Approxima.es
44 7 1 .000*000
4409 1:000*000
4455 300*000
4457 300*000
Os nnmeros de 4401 a 4410 esto premiados
cora 200*.
Os nmeros de 4451 a 4160 esto premiados
com 100*.
Os nmeros de 2481 a 2490 estio premiados
com 100*.
Os mmeos terminados em 8 estio Dremiados
com 100*.
Os o'.smeros terminados em 56 estio premiados
com 100*.
Todos os nmeros terminados em 8 eatio pre-
miidos com 60* excepto os terminados em 08.
Todos os nmeros terminados em 6 esto pre-
miados com 50* exeepto os terminados em 56.
A seguinte lotera corre no dia 24 do correte
com o plano de 120:000*.
liOterlaa dlveraaaA Casa Feliz, de A.
A. dos Santo Porto, na praca d Independencia
ns. 37 e 3?, tem a venda oa bilhetes das seguutes
loteras:
Espirito-Santo : A 4* parte da 4" lotera,
cojo premio grande de 50:000*000, pelo novo
plano, se extrahir no dia 23 de Setembro impre-
tenvelmente.
Alagas: A 2. parte da 20. lotera, pelo
n-vo plano, cujo premio grande de 4'':000*000,
ser excrahida no dia 22 de Setembro, as 3 ho-
ras da tarde, impreterivelmente.
Provincia: A 10a lo'eria, pelo novo plam,
cujo premio grande 12:000*000, ae extrahir
quando fjr auuuucia ia. s 2 h iras da tarde em
beneficio da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife.
Sauta-Catbarina: A 1* parta da 2 otlcria
cujo premio grande de 50;00'J5 ser extrihida
bievemente.
Do Cear : cim o premio grande d*.......
40:000*'(novo plano) ser eztrahida no dia 21 do
corrente.
Bilbetea de lotera*Em mi do agen-
te Burnar lino Ljpes Alh-.'.iri acbain se a venda os
bilh'ites das seguiotes loteras :
Do Espirito-Santo : A 4' pxrte da 4a lote-
ra, cujo premio grande du 50:000*, pelo novo
plano, ser ext. anida no di i 23 de Setembro, iin-
preterivelmente.
Ou Cear : com nm importante plano, cajo
premio grande de 40:000*000, -cr extrahide
no dia 21 de Setembro.
Oo Gru-Para : A 2* parte da 13a lotera,
pelo novo plano, cujo premio grande de 120:000*
ser extrahida no dia 21 do corrente, impreteri
reljente.
Oe Manta Camarina : A 1' parte da 2*
lotera com um importante plano, cujo premio
grande de 50:000*000, ser extrahida quando
fjr annunciada.
De tlaxoasi A 2.'parte da 20.a lotera,
pelo novo plano, cuj j premio grande de........
40:000*000, ser extrahida no dia 22 de Setem-
bro, (quinta-feira), s 3 horas da tarje iupre-
terivelmente.
liOterla do Grao-Para A 2* parte da
13 lotera desta provincia, pelo novo plano, cujo
premio grande 120:000*000, ser extrahida
no da 24 do corrente (sabbado) impreterivel-
meote.
Os bilhetes acham-se veada na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco a. 23, de Martius
Fiuza & C.
Lotera do Eaplrlto Santo A 4" par-
te da 4 lotera deata provincia cujo premio gran-
de 50:000*000 ser extrahida no dia 23 de
Setembro.
Oa bilhete* acham-se venda na Casa da For
Cuna rna Primeiro de Marco n. 23 Martin Fiu-
sa & C.
Lotera do CearEsta acreditada lote-
ra cujo premio maior de 40:000*000 ser ex-
trahida n dia 21 de Setembro.
Os bilhetes acham-se a venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 de Martina
Fiuza & C.
IiOlerla de Alasroaa A 2.a parte da 20*
lotera, pelo novo plano, cujo premo grande de
40:000*000 ser .extrahida no dia 22 de Setembro,
q(uinta-feira) s 3 horas da tarde, impreterivel-
mente.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23, de Martina
Fiusa & C.
IiOlerla da provincia do Paran
A 26a lotera desta provincia,pelo novo plano, cu
jo premio grande de 12:000*000, se extrahir
no dia 20 de Setembro.
Bilhetes a venda na Casa da Fortuna, ra
Primeiro de Marco numero 23, de Martina Fiu
ia & C.
Loi eria de 8. Paulo-Usa lotera enjo
premia grande de 9:000*000, sr extrahida m-
preterivelmente amanhi 19 do corrente, (segunda-
feira).
Os bilnetesacham-se venda na Casa da Fortu
na ra Primeiro de Marco n. 23, Martina
Fiusa & C.
Cemlterlo publicoObituario do dia 16
do corrente :
Sabine Jos Correia, Portugal, 57 annos, caau-
do, Santo Antonio: lesio cardiaca.
Francisca Heliodora F.eire, Rio Grando do
Norte, 56 annos, casada, S. Jos ; bronchite chro
nica.
Paulina Mara da Conceicao, Pernambuco, 40
annos, viuva, S. Jos; tsica pulmonar.
Elisa, Pernambuco, 5 mezes, Recife; enterte
aguda.
Ceciliano, Pernambuco, 40 annos, casado, Re:i-
fe ; tsico.
Emilia, Pernambuco, 15 mezes, Boa-Vista ; fe-
bre palustre.
Manael, Pernambuco, Boa-Vista ; asphyxia ao
nascer.
Sergio, Pernambuco, 20 annos, aolteiro, Boa-
Vista ; ttano traumtico.
Mena, Pernambuco, 1 d Dr. Joaquim Loureiro medico e parteiro
Consultorio na ra do Oabug n. 14, 1
andar, de 12 s 2 ila tarde residencia no
Monteiro*
Clnica medica
O Dr. Matheus Vaz, de volta de sua via-
gem, contina no exercicio de sua profis-
8o, para o que ser encontrado de 11 ho-
ras da manha s 2 da tarde na ra do Ba-
r2o da Victoria n. 32, andar e em ou-
tra qualquer hora ra da Princeza Isa-
bel n. 6.
O Dr. Barro* CSaltuarea
Pode ser procurado no escriptorio deste
Diario das 11 horas da manb s 5 da
tarde, todos os dias.
O lacharel Bonifacio de Aragao Faria
Rocha continua a encarregar se, mediante
previo contrato, de questoea perante os jui-
zes desta cidade e os das comarcas aV
nhas. Poder ser procurado em seu es-
criptorio ra do Duque de Casias n. 50,
1. andar, das 10 horas da manhS s 3 da
tarde.
Collejclo Spencer
Estabelecimedto de educayao primaria e
secundaria em Jaboatao, sob a direccao do
Jos de Oliveira Cavalcante.
Drogara
Francisco Monoel da tilv & C, deposi-
tarios de todas ..s especialidades pharina-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cos e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Oiinda n. 23.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por
atacado, ra do Mrquez de Olioda n. 41.
Werrarla a vapor
Serrara a vapor e officinas de carapina
de Francisco dos Sautos Mauedo, caes do
Ciipibsribo n. 23. Neste grande estabele-
cimento. o primeiro da provincia nesti ge-
nero, compra-se e vende-se madeirag
de todas as qualidades, serra-se raadeiras
de couta alheia, asbim como se preparare-
obras de carapina por machinas e por pre-
co sem competencia Pernambuco.
1NDICAQ0ES DTE1S
Medico*
Dr. Barros Sobrinho d consultas da
meio dia 1 /2 na ra do Bario da Vic-
toria n. 25 por cima da Pharmucia F an-
,eza, e das 2 s 4 na ra do Vigario n. 4.
l.o andar*
O Dr. Lobo Moscoso, de volta de sua
viagem ao Rio de Janeiro, conntia ne
jjcercicio de sua prosslo. Consltuas das
10 s 12 horas da marina. Especiald .des
peracoes, parto e molestias de acnboraa e
neninos. Ra da Gloria n. 39.
Dr. Barreta Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da ca*
* ra to Bario da Victoria, n. 51. Resi
dnncia ra Sete de Setembre n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
O Dr. Castro J$us tem o seu consul-
torio medico, ra do Bom-Jesus n. 23,
sobrado.
Dr. Gama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ra do B. de S.Borja n. 26.
Consultorio: ra Larga do Rosario n. 24 A
Consultas das 11 horas da manh s 2 da
tarde. Especialidade : molestias e opera-
o5es dos orglos genito-urinarios do hornern
o a mulher.
PLLHJACOS A PEDIDO
A victoria de 14 de Setembro!
Quem veneeu e quem foi vencido no pleito elei-
toral de 14 de Setembro ?
Veneeu o Sr Joaquim Nabu^o, ou antes o Sr.
Jos Marianno; e veuceu pjrque empregou-se desde
a aineaca at a vergcinhjsa e ostensiva compra de
votos !
E' doloroso dizer-se, mas nece83ario_que ae o
diga; causava repugnancia e iudignacao obser-
var o espectculo que eiiereciam as difierentes
MCfSe em que est dividida o Io districto elei-
toral Jrsta to abatida provincia ? !
Revoltava at aoa mais cynicos, como os caba-
listas do Sr. Jos Mnanno, affroutavuin a morali-
daie, comprando publicamente votos, at junto
das urnas !
Hi victorias que sao derrotas, e, esta est neste
ceso.
Alm da enorme derrama de dinheiro, que eo-
mecou desde o momento em que o eminente per-
nambucano foi cliaenado para o gabinete 20 de
Agosto, par i defender os intereases de sua pro-
vincia, e, s acaban no m depositava a sua cdula na urja, accresce que ou-
tros elernintos tiveram a sua disposico 03 v dores.
Assim que acintosamente foram demittidos as
vesperas da elicao; todos oa empregados conser-
vadores da Cmara Municipal, e, grande foi a pres-
sao que soffreram o empregados de quaai tola
as empresas da provincia !
E o eonselbeiro Portella com que elementos jo-
gou f com o seu prestigio, com a confian;* que
depositava no eleitorado, com os servicos presta-
dos a esta provincia, durante urna longa vida, e
oin o beneficios que as devii esperar, que uzease
a esta trra, beneficios j iniciados, como a colo-
niaacao, edificio para a Paculdade de Direito, me-
Iborameoto do porto, auxilio ao Inatituto Arcbeo-
logieo, etc. etc.
O eonselbeiro Portella perdeu a aua cadeira na
Camera doa Dcputadoa, mas nada perdeu no con-
ceito de aeus concidados ; mostrou, no entretanto,
o quanto prudente e justo, j deixando que o
pleito correase sem a menor intervengo oficial,
j preferindo ser derrotado a entrar no parlamento
com um diploma ensopado no singue de seua com-
provincianos !
Honra, pois, ao Ilustre pernambucano !
Quem perdeu, pois, no pleito de 14 de Setem-
bro ?
S e e a provincia de Pernambuco, porque po-
da fie-ar privada de quem defenla os aeus inte-
reases, aasim como da serie de melhoracsentGa j
comecada pelo eonselbeiro Portella.
Preferir quem nada pode, porque neste caso
est o Sr. Nabuco, a quem tudo poderia, senao
insensatez, com certeza, falta de patriotismo .'
O gabinete nao cabir, conforme o progoostico
do Je-rnal, e, muito m.nos a poltica; no eotanto,
a provincia de Pernambuco nao poder dzer qne
os seus reclamos nao sao attendidoa, deade que
ella mesmo acaba de derrotar o ministro que dis-
punbase a trabalhar assiduamente pela aua pros-
peridade, e, para levantal-a do abatimento em que
ae acba !
V o Sr. Nabaco preparando oa aeua discursea
abolicion8tae, e nave n s de ver so elles passaro
de pedacos de urna rbetmea velba e estrageda i
O dia 11 de Setembro foi o do assaseinato br-
baro da provincia, e, o dia 15 o de seu funeral,
porque tanto represntalo as manifesta(des de re-
gosijj por urna victoria que s significa o quanto
eatio abatidos os bros peruambucanos .'
Os sinceros patriotas devem estar acabruuhados
e tristes !
E Be amanb se p^rguntasse porque a provincia
de Pernambuco nao tem quem a represente nos
conselnos da coroa, procurando oielborar o seu es-
tado de abatimento, ae reaponderia : porque os
pernambucanoa derrotarem a um ministro pernam-
bucano; aquelles que sedisiam patriotas matarais
tria e covardemente a provincia .'!
Que vergonha que bumilhacao! que desgreca!
II .je e patriotismo est em collocar os interes-
sea individuaes e a vaidede cima doa intereases
da communho !
Que perverso nos aeutij.entoa moraea !
Eal tudo acabado representou-se urna come-
dia, que deu em resultado o aesassinato deata to
altiva provincia, e, oa seus assassinos riem-ae, tri-
pudian), balem plmaa, e vestidos em grande gala
acompanham-n'a at a aepultura !
Que patriotismo !
Ab.' se os hroes pernambucanoa podesaem
surgir de suas campas, certamente amaidicosriaia
esta geraco de reprobos !
O que podemos acenselhar aos conservadores
cue atenbam urna poltica de absten cao at
que venbam meibores tempos.
E, at esse dia, que os sinceros e verdadeiros
patrijtes e amigos da provincia, sentados sobre
as suas ruinas, como outros Manos, lamentem
eh.in m as desgracas da patria !
Abstenco, eleve ser o brado de partido conser-
vador de Pernambuco 1
Um conservador.
Guarda Nacional
O Sr. capitao Frederiao Co .mbian* da Silva
Ouimares, eiaodieoa ao cit varias dispo-icoes
.lo decreta n. 5.573 de 11 ue Marco de 1874.
Para se ver quanto foi industrioso o citado ca-
pitn, xqui r-priiduz!mo8 fielmente os dispositivos
alterados ad-usum pelo Sr. Frederico.
E I os :
A~t. 44. Nao dependern de licenoa, essim o*
officiaes, c mo os inferiores e guardas, para se au-
euureen do districto do seu corpo por tempo que
nao exceder de seis mrzea.
Art. 65 da le n. 602 de 19 de Setembro de
1850 : O governo e oa presidentes de provincia
podeio, por um* ordem motivad, privar dos pos-
to os officiaes de ua noineacao nos aeguinto*
caaos :
8 1 Quando nao procuraren aa patentes oa
nao se pre-entareni tardados e promptas noa pra
sos marcado* pelo rtgulaoseuto.
.





I
f
f

riaW*



^r-*-
l

Diario de Pernambaco-Domingo 18 de Setembro de 1887
Q|$ 2 Quhii'Io bc ausentarem do dstrieto do sea
corpo por mai* de se.s mezcs, sem ticenca.
| 3. Q lano madarem de domicilio pira fra
do dstrieto (bavendo espera de seis meies), sem
terem ah servido auitro annos ao meaos como
officiaes, on des como guardas.
Os sAeaaea de qu trata este paragrapho, ae
nao forein privados dos postad, ficarao aggregados
ao corpo que houver no lugar de sua nova resi-
dencia, '.ni h que seja em diversa provincia.
Art. 32 .11 deeret i n. 1 :51 le 6 de Abril de
1851: t> iilici.l uii p.dr ausenf.ar-se do dis-
tricto do corpo, cjinpaubia oa saoslo avulsa por
mais de s-is uieaes sem liceoca, sob pena de per-
der o poso na firma do are. 65 da le n. 602.
Esta dispisicao extensiva aos inferiores e
cabos.
Art. 18 do decreto u. 1.354 de 6;de Abril de
1851: O commaudantes e otfi :ae* serio substi-
tuidos em su*e faltas ou impedimeotos pelos seus
mmediaro-i, e os m-j-ires e ajudantes pela forma
dispostn no art. 73 das iostrurcoes n. 728
Quaedo nao f.v^rem itnineiiat >s, o commandan-
te do corpo propor ao commaudanie superior, ou
onde no biuver ao presidente da provincia, um
official subalterno para supprir a falta ou impedi-
mento quH se der, podeudo desie logo faael-o en-
trar um exercicio, no caso do uecsssidade.
Tambera ser d signado, como eate artigo dis
poe, o official que deve com'aandar a compaobia
oo aece&o, qui.u'io faltarcm t;d)3 os orViaes.
Plutao.
Gloria do Gaita
Empreza de Gaz
Aguardamos anomeaci) definitiva da eoinmiasao
dos arbitros q'ie t>-m de dar valor s obras da ac-
tual empresa do gas desta cidade, para podermos
emittir nossa o.iiuio acerca de um sarvieo publico
de to inngna importancia, e pura o qual devem
convergir uo as vistas da administrayao, Como
d.s partculas em geral, pois que caja um deve
interessur-ae para que se obtenha urna illuminacio
a ca; mi'lh-jr una a actual e pelo preco mais baixo
possivel.
Compentralo do dever que tem cada cidadao
de coucorrer, u'i pro orcio da euas torcas, para o
betc commum, em prebendemos mostrar as vanta-
gens que resoltariw da noineacao da commisua. de
coj-t misaa i d< pandera ce.rimjnta o obter a pro-
vincia u:n contracto em condieos as mais vauta-
josas.
A C a c imposta dos Drs. Ceeiliano
Mamerie A ve- Ferreira, Apoiligirio Leal e Lycur
go J Uo. & Ic. o Sr. presidente da pro-
vincia nao poda eseolher para esta to honrosa
quS" espinhosa commissao cidadoa mu distinetos
por io do carcter 6
por sua comsetnocia na materia ; portento assegu-
ramos o melh>r e in->is seguro resuitid > para am-
bas ai partea intereaeed
O accidente que deu-fno da 27 do mez prxi-
mo passadu na Usina di gas, do qual alias nenbum
jornal d-at cidade den noticia, e foi a emborca-
Sj do um dos gazometroe, a pr iva mais cabal de
que os o.jeetosque compem a Usina so acham em
naoit mi estado.
i.' da t -asar que o entro que do m-'smo sy=tema
e est colocado em terreno igual tenba e mesmo
resultado, e rutila dous rrandisstmos males podem
solfa r oa habitantes desta cidade ; lamcntaveis
suesessoi se, se der exploalo, e que nao aconteceu
a 27 do mez paseado, porque rain 3 horas da tar-
de e o guzouietro continba moito pouco gaz, ou en-
tilo p ie ficar a cidade em trevas.
Nao exageramos e portan chamamos a atten-
cao da quem de direito para dar as provideucias
necessarias.
Apegar do mi estad i da material da actual
empreza, h.i quem dig-t que s a empreza poder
contractar u varnente esse servico, porque tendo
direita de h.tver urna enorme quantia de indemni-
MO, quautia que Ihe deve s-r paga pelo novo
con'. basta .= i circumstaucia para >-lfa8-
tar wdot M outros conterentes.
Vamos mostrar, pi>r>o, que semelbante enormi-
dfede d- val ir nao ple i xiatir, que enorm" t o
engao em que laboram as pessoas que estaa nessa
OMHBMS&O.
O eaa(o total d* Usina nao poda exceder de
460:OOJ000.
Conhecemos minuciosamente t)do o material da
emprez a extenso de sua can ilisacao, a capaci
dade e cu^to estamos portante habilitado a apresentar um cl-
enlo imparcial e razaavel do quantum de que de-
ver ser indemni.-ada a empresa.
No prximo artigo publicaremos o nosso rauculo,
cuja imparcialidaie e exaCCidao aujeitamos ao ri-
goroso jalao dos entendidos e da propri* cmpr>-za.
Entao se evidenciar que a indemnisso nao ,
com e.'ialmeiite se pensa e a empreza insina e
propala, de inilhares de contos.
Os concurrentes nu serio afiastados por esse
meio e nem se conseguir assim privnr esta cidade
de um mclhor servico de illuminacio e por muito
mais barato preco.
Proseguiremos.
ib esta epigraphe a columna liberal do Jerntl do
Btcife deu publicidade a ama carta d umpr:/-
moto libera!, na qual b poder acreditar quem nao
conhtc-r quem o digno vigario da Gloris. de
Guia, padre Joo da Coat Hezarra de Carvt.lho.
Se os redactorjB da column i soubessem o que
verdadeiramente alli se passa, nao se teriam pres-
tado a sabscrever as inverdades que se conten na
carta alludida.
A prest-icio de contas do procurador da caara
tem sido embancada, nao pelos vareadores con-
servadores e aim pelos lib-Taes, qu- s tem r:cu-
sado a comparecer para nao havir sessao.
que o pi-ocurador deseja prestar suas cootas
perante a cmara para salvagoard >r sua respoasa-
bilidade o acautelar os dinheiros municipaes para
que nao a.jao esbaujados antes memo que a c-
mara Ibes d destino.
A contrarilade do prestimoso liaeral tem por
ciusajni ter conseguido'om advogadopau d'all.en-
se embolsar os 20UHX), importancia dos honora-
rios ajustados na qu^stao de pre^tafio de centan do
ex-procurador.
E oamo o actual procurad ir, pausando melhor
e recelando ante arespiusabi!:dade dJ conrra-
ctar e pagar advogado sem sciencia e autonsa-
ca da cmara, retirasse a procuracSo dada ao
pau d'alhense, este attnbuio ao vigario o que b 'm
liie pirrceu inventar, molestando at ais lib'raea
da Gloria, que M nlo qoeixaram aiuia das auto-
ridades dalli.
O vigario da Glora tem sabido pelo seu exsm-
plar procedioiento captar as sy.npathias do tras
paroebianos, se n distineco poltica, e estamos
certo de quo ha de dar a devida reaposta ao -tau
d'al/iense, que se eueapotau sab a denomiuaca do
prestimoso liberal.
Einqu*nto, por :n, uJo ch.'ga a conteatacSo do
digno vigario, julp-unj-nes obrigado pelo conhe-
cimento que temos do movel que ievou o pau d'a-
lhense e molstalo, a desmascarar logo o uiifai-
vista e|des:ruir assim desde j o tffeito, que vsou
produzr.
Um amigo.
Elel^li) municipal
Peco encarecidamente aos digaos e!e 1.a e 2.a districtos que nao se dm ao incommodo
de comparecer na eleico municipal do da 19 do
correte para sofi.agar s minha candidatura.
Em vista do resultado da eleico que teve la-
gar no di a 14 do correte e cujas causas sao bem
ennhecidas, nao posan e nem devo exigir novos
sacrificios dos meus amigos e enrreligionarios ;
restando me apenas o dever de agradecer ao mea
partido a honra com que me distingui, apresen-
tando-me como seu candidato.
Recite, 17 de Setembro de 1887.
Demetrio Coilko.
bm que so saiba
O Dr. Jos Marianas disse no da 14 as 5 horas
da tarde na calcada da matriz da Bia-Vista pe-
rante um audt. s rao decliuados se o mesmo Dr. contestar que
apenas havia gasta com a e;ticao d Dr. Nabuco
6:000000, e que o mesmo Dr. nia seria mais
candidato pelo Io dist ictoe sm elle Jos Maria.n-
no, e que ceda o 2 para seu amigo Dr. Jos
M u:a, xsiim coma disse mais quo havia mandado
para o c .mm ndador Layo alguna eleitores con-
servadores quo a elle Jos Marianna quera ven-
der SiU vot-s.
A verdade.
Partido republicano
ELEIQO MUNICIPAL
A commissao executiva do partido republicano
n'esta provincia vetn apresentar aos eleitores seua
correligionarios o nomo do cidada anof.lo tatares,
candidato designado para a eleicao de um verea-
dor por este municipio, a qual se tem de realisar
no dia 19 prximo.
A commissao recomraenda a todos os eleitores
republicanos o referido candidato, pedindo Ibes em
nome da disciplina e onidade de vistas necessarias
em um partido novo que concorram as ornas, afir-
man Jo assim a ex's'eacia de um poderoso elemento
republicano n'eate municipio.
O partido republicano nada pede s duas par-
cialidades monarebistas ; mas eonta com a isenco
de animo das diversas mesas eieitoraes, e acre-
dita qu; nao sero fraudados os interesaos repu-
blicanos pelas baixas tricas que sao de uso nos
proceasos eieitoraes da monarchia.
Coucorram pois todos os eleitores republicanos
do 1." e 2.a districtos suffragar o nome do nosso
corro igionario Angelo Tavare, que de accordo
com a nossa lei o ganica, foi previamcute desig-
nado para reunir esses suifragios.
Recife, 15 de Sctcrabro de 1887.
Isidoro Martina Jnior.
Nilo Pecanha.
Antonio M. Veras.
Dr. Albino Meira.
Dr. Pinto Pessoa.
A' ella
(to miso e primo Adolpbo Vieira)
Eu amo a orna menina
To linda como om asmim !
Os a: us sorrisos to candidos,
Quizera os todos p'ra mim !
Cabo.
J. s. c.
'-
Eleicao municipal
Ferido no intimo d'alma pelo lamntavel acn-
tecimento do dia 14, que deve cobrir de luto os
coracocs dos pernambucanos siiieer ,s, e associan-
do-me ao pedido dos muitos eleitores. declaro fran-
camente que nao tomarei parte na eleico muni-
cipal.
An'onio Jacinho de Barros Crrela.
Errata
Yantogens d'Ararnta
(Ao dgaos agricultores)
Poi ser a gamma de araruta amia desconoci-
da pela maior parte da nossa pipulaca, animei-
me a trabar estes iinhas a respeito de suas gran-
des vantagens.
A araruta d em todos es terrenos, at mesmo
nos mais agrestes, onde nao produz outra qualquer
iavoura, e a sua gumma piesta-se tanto para as
pessoas d lentes (por ser a nnica rccommendavel
pelos nossos mais habis e inteligentes faculta-
tivos) como par, nossa alimentaco.
Della faz-se pao de-lo, bolachinhas, sequilhos,
bslinbos de d ffrentea qualidades, e at rxcellen-
te pao aovado, sendo este prelorivel ao de trigo,
com o qual nes sustentames. Alm de todo sto,
para eneommado igual a gomma arbica que to
car nos custa !
Ha muitus annos cultiva a araruta, e, pelo cal-
clo qoe tenho feito, pode ella deixar de lacro
mais de 200 pir ceno.
Em nma plantacc que fiz este anno, de 5000
ps, tenha gasto apenas 40500) ate a primeira
limpa, podendo gastar ainda p>uco mais de 100^ ;
assim sabii cada arroba a 3JU00 depois de eira, e
este o calculo que sempre fiz, pois 5000 ps ple
dar 50 arrobas, as quaes, ainda que sejam vendi-
das pelo barato, daro grande lacro.
Brevemente mandarei imprimir f ilhetos com
todas as receitas de todo quanto se fax da dita
gomma, e uelles explicarei o modo de cultivar a
araruta, fabricar a g rama e de que modo deve
ser o machinisma Por ora satisfaco-me em offj-
iecer aoa dignos agriculteres de Pao d'Albo al
50,000 ps de que poderei diaper na uiinba colbeita
qoe ter logar de Outahro a Janeiro do correte
anno.
Eng nho Arara, 23 Abril de 1887.
Thomaz Cavj lante da ti Iveira Lins.
Socicdade Recreativa
Juventude
AOSl.CAETANO PREGADO
Consta meque S 3. tem propalado que como
presidente, pagoo umitas contas desta sociedade
inclusive ks castas da qiesto da cmara, queira
declarar se ou nao exacto.
Recife, 18 Je Setembro le 1887.
Man Giao tx-thesourtiro.
One pulida arbitraria
A noticia q.i* m gua Gatetilna da baje da o
Jornal do Racife com es te titulo nao absoluta-
mente exacta.
Roque Secando, morad ir em Beb Tibe, nem foi
iatimado p*ra rondar, nem foi espantado pela po-
l.cia, o que se passuo foi o segamte.
Roqoe, come de caiiume, rstva embriagado e
em lacta com a molber, qoe sendo mais forte, que
elle, sjvava-o a valer.
Despertados os visinhos com o alarido da brig.
onjagsl e chamando o inspector, bateram a porta
de Raque, que a abri e en lio tolos viram qu
ss acbava elle maltratado com pancada* qoe Ih
dera a maiber.
Para evitar a continoaco da lacta o inspector
auxiliada pelos isiohos de Rohae, fel-o condasir
para o qaartvl do destacamento, sondo pe* n>-
bi solt- pelo digno sobdeleaido, qoe perguaUn-
do-lbeoqur tinba feito, R-que responder: joi
eckaft, tenker.
O Jornal do Recife foi, portanto, Iludido por
(peas preteuJeu lser de Roaae Instrumento de
SMCusaco contra a polica e B beribe.
Bebenbe, I7>e ettmbn.
vSS ^^ 910.
No a pedido publicado hontem sob a rubrica
Benco de imageushoove om equivoco que nos
pedem a sua correceo.
Onde se l D Francolina, espasa do Illm. Sr.
Diogo Baptista F-rnandes; leia-se, D. Augusta dos
Res.
Oleo poro meiiiciiini de Usado de
bacalo. de l-nmn & Lemp
i
Parece realmente que a tysica eatava predesti-
nada a succum'iir s qualidades balsmicas e cu-
rativas da secreco do figado de bacalho
O oleo puro medicinal do figado de bacalha, de
Lanman 6c Kemp, o qual em virtude da sua reco-
nhecida puresa e exceliencia, obteve a supremaca
em todos os mercados do mundo, produz resultados
sem precedentes. Ditos senhares teem em sea po-
der ama moltido de attestados medico em seo
favor (alm de urna infinidad.' de cartas de conva-
lescentes), o que tudo formara um gresso Volme.
Ditos attea'ados foram recebidos de quasi todas as
part' s do mundo civilisado. Alguna dos casos se
acham exteosamente tscrip'os em trma de dia'io,
com os progressos da cara de dia em dia. As as-
sercoes autbenticas, sao sem duvida algoma, mu
extraordinarias e provam de om modo o maisin-
contestavel, que aspeiores mil ostias dos ergios da
respiraco, sao susceptiveis de cura.
O oleo puro medicinal de figado de bacalho, de
Lanman & Kemp, nao contm nei.buma substan-
cia rstranha, e sim, abso utam-ntc puro, e con-
serva-se frescal em todos os climas; circumstan
cas estas qoe se devem ter sempre presentes.
Ene ntra-se venda em todas as pharmacias e
drogaras.
Agentes em Pernambuco, Heory Forster & C,
ra do rVimmercio n 8.
4,
Homenagem memoria
DO
Bacbarel fier'lBo v.
de Leos Habello
Eterna recordagiio
Hoje 3 annversario do seo
infausto passamento,
derrama orna sentida lagrima
sobre sua campa
18 de Setembro de 1887.
O irmo, Honorio.
'&&$
V^a
g)s
sHHastsBal
t
..'/.
I Hl I. 14.KIM
Sjbre a campa do sempre chorado amigo
Femando Pedro das Neves
do trigeaimo dia
d seu infausto passsmento
A morte, esta ceifadora c/nel e implacavel da
bumanidade, como qoe s compras, de preferencia,
em f .ser tumbar eternidad aqa lies que bem
m c .s inda, j demons'ram o talento, a honradez
e a affabii dade, predica los estes que coostito m
o verdadeiro carcter do homem de bem.
Fernando Pedro das Neves era um d'esnes ;
moco, bem moco anda, pois apenas contara 17
primaveras teve de ceder le fatal da morte ;
f-rido por um mal, contra o qual foraminfructi-
foros todo* o recors *, j da medicioa, j d. la-
mili, que noittt e dia c-beoeira de en leito pro-
carava minorar Ibe o soff' i ment que em poneos
das fel o finar-se, privando assim a sociedade dr
um futuro batalbadur, a familia de um irmo ei-
tremoso e os amigos de um coraco franco ( ge-
neroso.
Dorme em pos, amigo ; deixa qoe sobre toa
campa derrame lagrimas sentidas aquel le qu j na
vida soube apr- ciar te.
# __
Elixir depuralivo vegetal
Formula de
Angdino Jos dos Santos Andrade
Approvado pea irnpictoria geral de hy-
biene publica do Rio de Janeiro, em 20 de
Juina do correte anno (1887).
Este depurativo de grande effi :a -ia as
molestias syphilitieas e impureza do sangue
e encontrado venda, por ora, ra do
IJ.ro da Victoria n. 37 e ra estreiU do
Rosario n. 11.
Para provar a grande eficacia ou quasi
prodigias, do preparado do Sr. Andrade,
basta apresentar o cres.ido nuuero de at
testados expontaneamonte prestados por
muitos c&valheiros que tem ieito uso delle
dos qu.es publicamos alguns de pessoas
conhejidas e residentes nesta cidade.
Documento n. 16
Pernambuco, 1 de Dezembro de 1883.
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos An
drade.E' bem difficil dcscrever o estado
em que me achiva, quando me informa-
ran] do seu -lixir denominado Preparado
Nacional, dirigi-me ra do Barao da Vi-
ctoria n. 37 e alli encoutrei um do Sr.
Arrmla o qual ficou horrorisado de ver
nao s o roeu rosto como em todo o meu
corpo, porque tinba urna horrivel erupcjto
da pille tal ponto que, aquellos que olba-
vam para mim me julgavam inteiramente
morphetico, alm disto tinha grande india-
andar como de fallar. J eatava desani
mado, n'esse estado precario e abandona-
do pela medicina, obtive urna liconga sem
tempo de meu emprego na capatazia da
Alfandega desta cidade, principiei a usar
o seu precioso Purificador do Sangue, no
to do terceiro dia appareceu me urna
grande rea^^o em todo corpo que me as
sustou, mas como eslava prevenido pela
pessoa que me eotregou o seu preparado
soeguei. No quinto dia foi des^ppar:?-
cendo essa rea^o e fui melhorando uo tm
da garrafa.
Apresentei-me ao medico que me tinha
tratado, o que muito se admirou do meu
bom estado de sade, e me disse que esti-
va quasi bom. mas que continuasse com o
mesmo remedio, por 8 dias, e no ti n delles
voltasse p ra me -ar outro e segurar a
anana cura, pois, julgava que me estava
tratando com sua receita ; logo qu sahi do
seu cousuhorio fui buscar outra garrafa
para continuar meu tramonto, faltaram-me
os recursos, ped passagnra para a provin-
cia das Alagoas onde sxiste minba familia,
uhi com o uso da segunda garrafa do seu
santo e maravilhoso remedio e banhos sal
gados tive a felicidade de me restabeleeer
cabindo-me por fi'u todas as trabas e a
pella de todo corpo.
Renioeei inteiramente, regressei, no t n
de 4 mezes esta cidade e apresentei-
me ao medico com grande admiracSo
tocou-me todo corpo e me disse, no te
nha receio, est completamente curado,
em seguida fui casa onde comprei
seu Elixir e dando-me a conbecer levou
me em casa do Sr. Arroda e contando o
mu tratamento cou admirado.
No emtaoto tem decorrido dous annos e
nao me tem apparecido cousa alguma, do
que dou muitas gracas a Deus, o ente su
premo, fa$o esta exposicSo para mostrar a
pura verdade, pena que todos nao oonhe-
cam este precioso remedio porque deixaria
a bumanidade de soffrer borriveis males.
Portanto poder fazer o uso que melhor
lhe aprouver deste meu esoripte, summa-
mente lhe agradeco e felicito o pela sua
feliz descorberta e sou de V. S, r&speitoeo
e obigado.Daniel Pereira dos Santjs.
N. 17
Francisco Evaristo de Souza, cavalhei-
ro das Loperiaes Ordena da Rosa e Chris
to, condecorado com as medalbas geral da
campanha do Paraguay, e outras, teneote
do exer.ito, por Sua Magestade o Impe-
rador, eto.
Atiesto que, estando sofFrendo do figado,
aconselh ram-me que usasse do preparado
denominado Elixir depurativo e restaurar
dor do Sr. Ange'ino Jos dos Santos An-
drade, e appl '.ando-o consegu fijar radi-
calmente curado pelo que reputo aquello
Elixir, um poderoso especifico para a refe
rida molestia; o que jurarei se preciso fer.
Recife, 20 deNovembro de 1884. Fran-
cisco Evaristo de Souza.
N. 18
Pernambaco, 12 de Marco de 1886.
Sr, Angelino Jos dos Santos Andrade.
-Sofifrendo, ha meses de urna terrivel go-
aorrba e usado de uiversos medicamen-
tos, o resultado foi nullo.
Acons.-loado por alguem a tomar o seu
Elixir Dpurativo do Sangue, o qual me
restabeleceu completamente com duas gar-
rafas.
Aoonselho, pois, isso qaelles que tive-
rera o mesmo soffrimento, que usem sea
Elixir, pois que o mais efficaz medica-
mento para doenfas ideticas.
Som mais sou de Vmc. muito attencio-
so criado e obrigado.J. Nunes da Silva.
Estava sellada com urna estampilha de
duzentoB ris devidaments inutilisada.
N. 19
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos An-
dradeTendo soffrido muito de erysipela
no espaco de 18 annos o experimentado
um grande numero de depurativos que an-
nuneiain os jomaos desta cidade, nao tive
a felicidade de encontrar ao menos um le-
nitivo peridico ao meu soffrimento. Acon-
selhado a fazer uso do seu preparado
Elixir Depurativo depois da algumas
garrafas, encontrei o lenitivo ao soffrimen-
to dcixando de apparecer os accessos cons-
tantes, desapparecendo a indisposicSo que
me assistia, tornndome forte e disposto
para a minha vida artstica : creio mesmo,
at a compiara cara se nao fosse a inter-
venco do uso qua fiz, porem ainda con-
tinuarei a usar, e o resultido obtido de
novo lhe participarei.
Reconbeco a exceliencia do seu prepa-
rado e pode fazer o nso qno lhe convier
desta miaba narracao.
Sou com estima e consideraco de V.
S. attencioso criado e obrigado. Jos Joa-
quina de Freitas Tavares.
Recife, 23 de Abril de 1887.
N. 20
Recife, 26 de Maio de 1887.
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos An
drade -Tendo um pessoa de minha familia
sidoaccommettida ha 3 para 4 annos de
estomago o .mtros incommodos ni laring i
ponto de soffrer horrivelment;, o t odo
esgotado a mediciaa, bsm como remedios
caseros e nao ten lo obtido resultado al-
gum, a conselhos de amigos langou mao do
seuElixir Purificador do Sangue -com
tanta felicidade, que somente 2 garrafas o
restabeleceu de tao perigosa enfermiiade.
Destas poucas Iinhas que somiate di
zem verdade, pode Vmc. fazer o uso qui
lhe aprouver.
D i Vmc. criado e obrigado, Ag.ipito
Ianocencio Poggi.
Tolas as fir as estavam raconhecidas e
selladas.
' Qualquer p -ssi qua ti ver necessidade
de informado*-s relativas a este preparado
pode dirigirse ra do BarSo da Victoria
e. 37 que encontrar quem d todas as
nxplicacotfs necessarias.
Cuidado com as folsificacu-'s.
Cal virgem de Jaguaribe
REGS
TRADA
Plalas operativas a Hl Selgeld
Contra constipado, ina^gao do figa-
do, etc.
Dessemelhante a muitas outras me i ci-
as cath-articas, estas pilulas nao fazsm
com que urna pessoa se sinta peior antes
da se sentir melhor. Produzem o seu ef-
feito com brandura mas completamente,
no sendo acompanbado de accidentes
desagradaveis, taes como nausea, apertos
do vontre etc., etc.
As Pilulas Operativas da Mai Seigel sao
a medicina de familia a mais til quo se
tem descoberto. Linpam as entranhas de
todas as substancias irritantes, deixando-as
em condicao saudavel. Sio o melhor re-
medio que existe contra a peste das nossas
vidasconstipadlo e inacciio do figado
Estas pilulas impedem febres e toda a
sorte de doencas, pelo simples facto de ex-
pell:reai to.la a materia venenosa das en-
tranhas. Operam com vigor, mas suave-
mente e sem causar dr alguma.
Se urna psssoa apanhar um resfriado e
a amea$ar urna tabre, e sentindo dores na
cabera, costas e membros do corpo, urna
ou duas dses das Pilulas Operativas da
Mi Seigel expedirao o resfriado, impe
dindo a febre.
Lingua grossa asomprahada de um
gosto salobro, a causa de materia impu-
ra no estomago. Urnas poucas dses das
Pilulas Operativas da Mai Seigel limparo
o estomago, removeudo o mo gosto, res-
taurando o apetite e com elle trar boa
sade.
Muitas vezes saccede que djng ou
alimento meio apodrecido, cansa nausea e
diarrhea. Se se (impar as entranhas d'esta
impureza cora urna dse das Pilulas Ope-
rativas da Mi Seigel, estes effoitos desa-
gradaveis desapparecero, resultando boa
sade.
As Pilulas Operativas da Mi Saigel im-
pedem os toaos effeitos que produzem o
comer e beber em exc?eso. Urna ba dse
ao deitar da cama torna urna pessoa hbil
e inclinada para o trabalho do dia se-
guate.
Como estas pilulas sao cobertas de urna
carnada de assucar tomam-se com agrado.
O gosto desagradavel to commum a maior
parta das pilulas desta forma evitado.
Acham-se venda em todas as boticas e
lojas de medicinas, em toda a parte do
mundo e casas dos proprietarios A. J.
White, Limited, Londres.
Depositarios na provincia de Pernambu-
co por atacado: Francisco M. da Silva
Vendedores por retolho, na cidade do
Recite : Bartholomeu & C J. C. Lovy
4 C A. M. Veras & C., Bouquarol
Frres, Faria Sobrinho & C e T. S. Sil-
va, em Palmares, A. C. de Aguiar e em
S. Joo da Igreja Nova, J. A. da Costa e
Silva.
Avisa sa aos seahores de engenho e
mais cousumidoros desta excelleute cal,
que contiaua ser o seu deposito ge^al a
rui do Bom Jess n. 2 i. Perf-itamente
esbanic.da e em pedras, como a que nos
vom do estrang >ro e em nada inferior a
esta, continua a s >r vendida palo prego fixo
de 6&000 a barrica.
Alm do deposito geral j indicado, sao
tamb-m vendedores della os senhores :
Guimares & Valenta6 Pateo do Cor
po Santo -6.
Lopes & Araujo38 Ra do Livramen-
to-38.
Bento de Freitas Gaimares &C
Ra do Visconde da Itjparica 61, Recife
fcfii homenageni verdade
Acontecimentos se do na vdt humana que
cmquanto relativos a um s individuo, nteres-
sam, todava a todos, em geral.
Nesta ordem de tactos, eat indubitavelmente
adstricto o da cons'-rvacao de. vida, sto da vida
cera sade.
Ha quem diga, de si para si, que a nnica con-
vieco firme aquella que se funda as provaB
qu" cada u n adqaire p'ssoalinentc e nao aquella
que se transinitte ao individuo por tactos qs
do com ontram. Ma eaea aMOreo, sobre
ser mais do que um paridos i inacceitav il, mais
do que aso, pois significa a expressao mais anti-
p.-tica do cgoidiQ >.
r/oisj asto e admisaivel que s aere.
em nos mearnos? Pois nili haver, n'aqu
que nos roieiam, pessoas que merecain tanta cou-
tianca como a que temoa uo que experimentamos
ou no qu presea ciamos
Aquellea que lcrem estas linhis, far nos-bao a
justica de crer na sincerdade d'elia ; nao as-
sim ?
Pois ah esta a respo-.ta mais lgica aos argu-
mentos capciosos dus 'ju ni cr.-m nos eloqu n
tes attestados postados em ti or dos prodigiosos
eff-itfis do Peitoral de Cambar, preparadlo cujas
materias componentes nao s ', em nada, no'
sade e, alm disso, permittem que esse reme-
dio seja o preferido palas sonhoraa, creancas e
pessoas du pal .dar delicaj >.
Em liamenagem verdade, pois, rigoroso dever
de quem, como nds, sabe das innmeras curas
pp'duzi tas pelo Peitoral de Cambar, apressar-se
a fazer publicas essas mesinas curas, afirn de, com
isso, prestar relevante nervio i a humanidad e.
A voz da verdade.
Recife, 11 de Abril de 1887.
Dr.
711 juro
Tem o seu escriptorio ra Duque de ranas
n. 74, das 12 s 2 horas da tarde, e desta oca.
em diante em sua residencia ra da aafcs.
Cruz ii. 1.
Especialidadestnoestias de senhoras e i
cas.Tolepuone n. .,
*
1
. Qjrtp.rtj,
i ma lasrima
sobre o tuinalo de minha presada me,
Augusta Carolina doa R :s, amanb
4 annversario do seu pasaamejto.
A perda ie ti oh ( querida me
Ha qaatro annos qae eu lament :
Minh'a!ma cnnvertid em pranto
Enluta-so de todo sentimiento.
Olinda, 18 de Setembro de 1837.
Ineintho Anvilo do Re
^sg
EXTERNATO
21 RA DO HOSPICIO 21
Lacons partculi.es de fraucais e Jd'anglais
Clinlca uicdii-o-cirursca
DO
Dr, Alfredo Gaspar
Especial: I Partos, molestias de senhoras <
. ia.
Re8ideiiciaRus da Impera'nz n. 4, 2." andar
pbone n 2'i.
Clnica di) Dr. Silva Ferreira
eiatidadea. molestias de Senhoas e t
pelle.
Consultas de 1 s 3 horas.
. da Cndeia n. 53.
Residencia I la C u ie da Boa-Vista 24 I
Telephmc n 412.
I
Dr. Barreto Sampao, medico ocu-
lista, es-chefe de clnica do r. de
Wecker, d consultas do meio dia s
3 horas da tarde, no 1. andar da casa
n. 51 ra do Harao da Victoria, ex-
cepto nos domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setembro n.
34. Entrada pela ra da Saudade n. 25.
Consultorio medico
cirurgico
O Dr. Castro Jess, contando mais de 12 anuo
de escrupulosa observacao, reabre consaltoro nes
t.a cidade, roa do Bom Jesus (aatiga da Crui
n. 23, 1." andar.
lloras de consultas
Os dia : dasl s 2 di tari.:.
Do noite : das 7 s 8.
as dentis horas da noite ser encontrado no
sitio tavcssa dos Rem.-dios n. 7, priineiro por-
o esquerda, alm lo porcao do Dr. Cosme.
--------------^---------------
Dr. Mello Gome*
MEDICO PARTEIRO
11 Hu Larga do Rosario -4*
Onde tem consultorio e residencia, e ple ser
procurado a qualquer hora do lia e da noite.
Especiaiides : Pebres, molestias de senhoras e
do p-:lma >, syphilis e estreitamentos da urethra.
Consultas : 10 ao meio dia.
Telephon* n. 374
-------------
Dr. Lopes Pessoa
Medico e operador
Residencia -Rui Lirga do Rosario n.
38 Pandar.
Consultorio -Ra do Rom Jesus n. 37
1* andar.
ConsultasDas 12 s 2 horas da tar-
de.
ChamadosA qualquer hora, por es-
cripto.
---------------^---------------
(rinaura, modista
39-RUA DUQUE DE CAXIAS-39
(1 andar)
Faz, par figurines, vestidos para senhoras e me-
ninas, com promptido e precos mdicos.
Recebe mensalmente da Europa jornaes de
modas.
O Dr. Jos Antoni Correia da Silva, c*
valheiro da Imperial Oriern de Christo,
ju;z de direito di i, 1 da casarca k
Olin I a, por Sua Magestade o Imperador
a qii-ni U ma go : !:, ete
Paco saber a>s que o presente edit.il virem, qae
fiados os dias da lei e prc4S nos das 6,13 e 2C
Jj tuturo mea de Outubro vindouro, se ba de ar-
rematar par v-nda a quem mus d r en praca pa-
blica deste juizo, d'-pois das respectivas audien-
cias, os beus seguintes :
Casa terrea sjO n. 1, travessa de S. Jos de
Agua Fra de Bberibe, soio proprio, eom 2 satas..
2 quartos cozinba, eum eopigr ao lado desta, teodc
a casa 2 jant'llas d.- frente, "utrada latrral, coa:
p ti.io de ferro, frente de pedra e cal, com 22
palmos de largo e 5 d fundos, oitoes e reparti-
mentos do taipa, coberta, precisa de reparos aos
caibros e o copiar de ama tcri;4, tendo a casa ara
terreno ao lado que limita-se om a casa n. %
com 92 pxluos e ao ladu do nascente de dita caaa
um terreno de 26 palmos, e fundos 2.'5, diversas
arvores de fru?to, cacimba commum s casas ad-
jaeentes, avaliada por OO'XO.
Casa terrea sob n. 2 da mesuia travessa, com
janellas e 1 porta de frente, 2 salas, 2 quartas,
cozinha, tudo em mau estado, coberta soffrivel,
frente de pedra e cal, culo rs e repartimeatos de
teip i, tendj o oitao do ltd:> do nascente cabido
na sala da freute, com 25 palmos de trente e b
com 225 pa'mia de fuuoo, arvores de fructo,
avaliida em 10040UO.
Casa terrea sob u. 3 da mesrna travessa, coai
frente de pedra e cal, oit.-s e rep ir ti meato 3 d;
tiipa, com 2 salas, a quartos, cozinba e cop'uc
necessitind j de alguas reparos, com 2 jinellai di
frente, entrada lateral, com 18 palmos de frente e
55 de fundos at o limite do terreno adjaceat
mede 400 palmos de trente a limitar-se com ama
ra projectada e fundos 225 palmos, arvores ie
fructo, avaliada por l:000i000, peahorados por
execuco de Jos Mana Macaoo contra a viuva
e herdeiros de jmingos Jos Feraandes.
E niio havendi lancidor que cubra o preco da
avalkcaj, a arrematacao se far pelo preco da
adjudicacao, na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
maodei passar o presente eJifal, quo ser publi-
cado pela imprensa e afhxado no lugar dos coa
turne.
Cidade deOiinda, 10 Je Setembro de 18ST.
E eu, Joao Theodomiro da Cesta Menteiro, es-
crivao, o escrevi.
(Etava s-llado com dms rsampilhas de 20i
ris).
Jos Antonio C.-irreia da Silva.
Secretaria da Presidencia de Pernambaco.
2." seccao.Em 17 de Setembre de 1887.De or
dem do Exm. Sr. presidente da provincia taco pa-
blico, p ra os devidos effeitos, que ao provimenti
dos officios de 1. e 2." tabeilies e cartorios an-
nezos do te. mo de Currentes, comarca de Gara-
nhuns, concorreram, no praso legal, os Srs. Fran-
cisco de Arroxelias G*lvao Carapbi, Francisca
de Sojza Leao Jnior e Orxngel Leopoldo Accio'r
O secretario,
Pedro F. Correia de Oliveira.
DCCLABACOES
Oliada
Aos moradores de Olinda a directora
do Club Io de Julho p.rti ip* que tendo
oontractado com a Companhia Ferro Car-
ril, o transporte de paasageirus do Re-it-
a Olinda e vice-versa, a mesroa companhia
do Io de Setembro em diante estabelecer
m servico de diligencias, que partirao do
Varadouro em Olinda a se encontrare o
com os honda em Santo Amaro, custando
cada viagem do Recife a Olinda ou vice-
versa. 300 rs., inclusive o transporte no
bond, e para os meninos at a dado de 12
annos 200 rs.
Os bonds da lioha de S correspondencia com as diligencias levanto
urna bandeira azul-
Certamente os passadores de festa e mo-
radores de Olinda daro preferencia as di-
ligencias nao s por economi como tam-
bem por commodidade, tendo alm disso
a vantageyn de saltar em qualquer ponto
at a estacio da ra do Bruta.
Em outro lugar vai publicado o horario
das partidos dos bonds e diligencias*
Leonor Porto
Ra do Imperador n.
Primeiro andar
45
Contina a ezecatar os mais difficeis
fignrinos recebidos de Londres, Paria
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de costura, em bre
vidade, modicidade em precos e fino
gosto.
Clinica do Dr. Sim5dS Barbosa, Espe
cialidades : partos, molestias de senhoras
e de crianyas.
Consultorio ra do Mrquez de Olin-
da n. 64 consultas de 1 s 3 horas da
tarde.
Residencia ra da Soledade n. 78.
T"!ohone n. 213.
MEDICO HOMEOPATHA
Dr. Ballliazar da Silveira
Especialidadesfebres, molestias daa
enancas, dos orgos respiratorios e daa
senhoras.
Prestase a qualquer chamado para
tora da capital.
AVISO
Todos os chamadas devem aer dirigi-
dos i pharmacia de Dr. Salmo, roa da
Bario da Victoria n. 43, onde ae indicar
sua residencia.
)
^
ft
O procurador dos feitss di fazenda provin-
cial, tendo recebdod) Th-souro Provincial a rela-
co abazo transcripta dos coatribuintes do impos-
to de 10 por cento sobre estabelecimentos fra dat
cinco fregaesias da cidade do Recife, no exercicio
de 188o a 1886, qae deixaram de pagar no devida
tempo, declara aos meamos cootrbuintes que lbea
tica marcado o prazo de 30 das, contar da data
da publicacao do presente edital para pagarem oa
seas debites na Recebedona Provincial, com guia
da;secco do contencioso, certos de qae, findo aquella
praao se proceder a cebraoca ezecutivameate.
Recife, 5 de Setembro de 1887
Miguel Jos de Al.neiJa Pernambuco.
Imposto de 10 por cento sobre estabelecimentos
fra das cinco freguezias da cidade do Recife,
no exercicio de 18851886.
Freguezia de Afogad s
Ra Direita n. fi. Antonio Chryaosto-
mo de Alboquerque 18^144
Dita n. 94. \uguato Montenegro 15/129
Metocolomb n. 6. Au justo Francisco
do Couto 15/121
Dita n. 40. Antonio Ferreira de Aze-
vedo 8*I
S. Miguel n. 115. Antonio Ribeiro da
Silva 37/801
Largo dos Remedios n 56. Antonio Me-
nelio C datas Gusmo 18/90C
Estrada Nova n. 2 B. Antonio Maris
Carneiro Leo 15/121
Varzea
S. Francisco de Paula n. 37. O mesmo 18/90*
Afogados
Estrada Nova o. 14. Augusto Duarte
Leal 9/072
Giqu Jaboato n. 12. Antonio Go-
mes Grangeiro 9/072
Dita o. 132 Antonio Lino de Oliveira
liguei
fie
Dita n. 133. Antonio Joaquim da Silva
Dita n. 143A. Antonio Gomes de Lima
Poco da Panella
Travessa da Cana Forte n. 10. Antonio
Mureira da Silva
Casa Fi.rfe n. 9l Andr Buisson
Dita o. 17 A. Agapit Alves Lonrenco
Dous Irma.s n. 4. Andr Vidal Alves
Varaea
Estrada Nova o. 176. Antonio Fran-
cisco Praaerea
S. Francisco de Paula n. 22. Antonio
Jet da Silva Bi ga
Sol n. 21. Amancio Correia da Silva
S. Lourenco
Estrada Nova. Antonio Francisco dos
9*07
12/096
6/300
10/03*
7/560
7/56*
10/08*
12/600
37/800
9*oW
W



<-


V

Sbbi





I
Diario de Pernambuco---Domingo 18 de Setembro de 1S8?

i
S JoS^Aifredo da Costa Machado
Afogados
4. Benjamn Torreo
vana*
109 B Beruardino
Boa Gost n
Nova n.
Estrada
Barreiras n. 3. Bernab Lias Caldas
Afogados
Dimita n. 96. Campos & Modesto
Dita n. 1 Gamillo Baptiata de M-uecot
Taquary. Compsohia de Edificac)
Setubal n. 2. Cunado do Reg Leite
Vama
Praca d'Oaro n. 1. Claadiao Ridriguea
Campello
S. Loaren; o
(jai.anga. Claadina Mria da Con-
ceico
Poco da Panella
Estrada d' Arraial n. 66. Domingos Qu-
ines Correia
Sant'Anna n. 11. Oas dos Res
Afogados
liba de Bemfica n 20. Evaristo Men-
dos de Azevedo
Estrada Nova n. 23 A. Elias de Almoi-
da Ivma
Varsea
Barreiras n. 37. Estevo Jos Ferreira
Dita n. 49. Estevo B .rg-s
.S. L iureiifo
Largo da Matriz. Emygdio Antonio da
Rocha
Alegados
S. Miguel u. 18 A. Francisco Miguel
Mjnteiro
BemSca n. 27. Francisco do Livramau-
to (lomes 4 C.
Lirgo dos R m.dioa a. 32. Francisco
Gomes de Si Leito
2 Becco dos Remedios n. 9. Francisco
Octaviano de Souza
Travessa do Laca n. 20. Francisco
Monteir Goncaives da Luz
Conceic&o n. 2. Freitas Se C.
Estrada Nova n. 110. Francisco Mt-
noel de Oliveira
Giqui Jaboato n. 111. Ferreira e
Silva
Dita. Francisco Luiz de Franca
Poco da Panella
Casa Forte n. 48. Francisco Jos de
Andrade & C.
Poeira n. 2. Ferreira A C-
Largo d'Apipucos n. 54 Francisco Jo-
s Das
S Lourenco
Forma d'Agua n. 1. Felippe Nery da
Silva
Afogados
S. Miguel n. 164. Goncaives & C
Vanea
Caxang n. 13. Os meamos
Poco
Hypohto Martina Gomes de Pinho,
Sant'Anna n. 37
Varsea
Hygidio Uchoa Carneiro Leo, Sol n.
17
Afogaios
Josquim Mauricio Wanderley, Paz n.
34
Jos Tavares Muniz, Travessa dos Re-
medios n. 46
Jos Elt-sbio Borges Uchoa Filho, Lar-
go dos Remedios n. 10
Jlo Baptista de Meneaos, Largo dos
Remedios n. 44
Jos Luiz Goncaives, Rio n. 18
Joo Lopes de Menezes, Bom Gosto n.
21
Joo Telles, Estrada Nova n. 56A
Joaquim Rodrigues Ferreira. Dita n.
84
Jos Manoel da Cruz, Dita n. 112
Jco Manoel da Rocha, Dita n. 146
Joio Francisco Alves. Dita n. 61
O mesmo. Dita n. 61 A.
Joaquim Ferreira Lima, Dita 99 e 108
Jos L opes de Oliveira, Gequi a Ja-
boato n. 178
Jos Pedro Tavares, Dita n. 85
Jos Telles de Menezes, Dita o. 101
Jos Francisco Borges, Dita n. 139
Jos Ignacio, Dita n. 151.
Poco da Panella
Joaquim Machado Braadao, Estrada do
Arraial n. 25C
Joio Procopio, Eacaoameato n. 12
7*560
6*3 0
31*500
10*080
15*120
21*168
15*120
50*4K)
15*120
9*072
3*780
12*600
15*120
15*120
15*120
7*560
7*560
15*120
15*120
12*600
18*141
37*800
12*600
15*:20
12*096
15*120
7*560
20*160
25*200
18*114
3*780
9*072
18*144
12*0 6
12*096
(2*096
18*144
7*560
15*120
25*2i)0
15*120
12*0%
12(096
9*072
9*072
12*096
25* 00
18*144
7*56
7*.-,60
6*048
15*120
7*560
100f
6*300
Jos Felippe de H. Cavalcante, Dita n.
23 12*600
Jos Salles Peixoto, Estrada do Mon-
teiro o. 2 12*600
Jcaqnim Rodrigues da Silva, Costa n.
25 io*oeo
Joaquim Jos de Miranda, Estrada do
Brejo u. 17 15*l
Jjc Casado de Hollanda Reg, Estra-
da de Ferro do Limoeiro n 7 15*120
Joaquim Ferreira Alves, Estrada para
o Engenho n. 2 15*120
Jos R drigaes, Dita n. 25 12*096
Joo Baptista Pires Peres, Dous Ir-
mos n. 2 10*585
Varzea
Joo Jos Goncaives Tota, Estrada No-
va n. 109A 6*300
Joi'j Francisco do Couto, Dita n. 12* 12|0!
Joo Uarcellar de Uliveira, Caxang n.
2 15*120
Jos Flix dos Santos, Dta n. 11 16*1 U
Joaquim Jos de Oliveira, S. Joo
15 18*900
Jos Pires, Barbalho n. 10 9*i 72
Jos Geraldo Campello, Barraras
14 7*560
S. Louronco
Joo Ferreira de Mello, Estrada Nova
o. .. 7*560
Joaquim Francisco de Oliveira. Timby
n... 3*780
Jos Basilio de Sonsa, Muribeca n. .. 3*780
Jos Mana de Jezus, S. Jio n. .. 6*300
Aogados
Lcupoldino Carneiro Rodrigues Cam-
pello, Torres 5 e 5A
Luiz de Menezes, Gequi a Jaboato
n. 115F
Varzea
Leoncio Preira de Souza, Estrada No-
va n. J09
S. Leureuco
Luiz de Franca, Rosario n. ..
Afogados
Mandes Ribeiro Se. C. Motocolomb o.
56A
M mteiru Jorge &c C, S. Miguel n. 40
Mara Catbarina Ferreira Costa, Dita
n. 127
Manoel Joaquim de Souza Tavares,
(Ja.abo n. 20A
Manoel Antonio de Jess. 2o Becco dos
Remedios n. 7
M. Lionor Judit Cramere, Travessa do
Luca n. 2
Manoel Jos de Souza, Gequi a Ja-
boato n. 70C
Manoel Jos de Almeida, Dita n. 115E
Marcelino Jos Paixo. Dita n. 123
Manoel Antonio do Espirito-Santo, Di-
ta n. 147
Manoel Eduardo & C, Ra da Ponte
da Boa-Viagem n. ..
Martht Mara da Conceico, Gamollei-
ra n. 26
Pfi da Panella
Mariano Jacinth dos Santos, Estrada
do Arraial n. 27
Manoel Ferreira da Motta, Eocanamen-
to n. 34
Manoel Alves de Carvalho, Sant'Anna
n. 9
Manoel Evaristo Floro de Melle, Estra-
da do Monteiro n. 2A
Manoel D mingos Ribeiro da Silva,
Ditan. 16
Mauoel Simplicio Torres, Pedra Molle
n. 2A
Varzea
Manoel Cyriaco de Albuquerque Hen-
rique, Caxang n. 5
Marcolino Neves de Parias, Barreiras
n.9
S. L.urenco
Miguel Archaojo da Silva, Estrada No-
va n. 2.
Mansel Correia de Araojo, Dita n. .
Marcilina Mara da Conceico, Qui -
zanga n. ..
Pedro Carneiro, Largo da Matriz n. ..
Afogados
U se Prospo, Estrada Nova u 2A
Silvino Juveacio, Bemfica n. 3
Siles de Meneses C, Travessa do
Luca n. 22
Poco
Sabina Maria da Conceico, Trtressa
do A^ude n. 1
50*100
9*072
10*584
7*')60
7*.'i60
18*144
6*048
9*<,72
18* ''00
30*240
3*783
9*1.72
12*096
12*096
15*120
9 #072
7*560
12*096
6*300
15*120
12*600
9J702
7|560
7*560
7*560
3*730
7(U68
25*200
9/.072
15*120
Varzea
Sabino Dourado Cavalcante, Barreiros
n. 15 15*120
O mesmo, Dita n. 0 7*510
S. Loureoco
Sebastio Antonio Paes Barretto, Caia-
r n. .. 3*780
Aogados
Tbomas Domingues Tavares, Quiabo
n. 18 12*096
Thum-s de Aquino, Giquia Jaboato
n. 343 9*072
Peco
Thelemaco & C, Casa Forte a. 17 11*340
Tiburcio Vctor de Mello Santos, Es-
trada do Monteiro n. 4A 25*200
Aogados
Vinva de Joo Alves Lusia & C, Direi-
ta n. 29 30*: 40
Varzea
Viuva Plenemam, liba n. 2 a 50*40u
Secco do Contencioso 18 deTVgosto de 1887.
Manoel do Nascimento Silva Bastos,
1 o oficial.
Recife Drainag'e
Reanlo dos concert feitos nos apparelhos
no mea de Agosto do corrate anuo, de
conforraidade coro o art. 10 do contrae!
to e 2o de art. 15 do regulamento de
12 de Janeiro de 1872.
Recife
Mrquez de Olinda n. 4
Ditan. 18
Dita n. 39
Dita n. 55
Bom Jess n. 6
Dita n. b:
Commercio n. 18
Dita n. 34
Dita n. 44
Largo do Corpo Santo n. 24
Dita n. 4
D ta n. 21
Biapo Sardinha n. 5
Torres n 12
Dita n. 14
Dita n. 20
Tbom de Souza n. 5
Becco do Abreu n. 6
Vigario Tenorio n. 22
Dita n. 21
Dita u. 33
Amorim n. 65
Dita n. 13
Tuyuty o. 4
Madre de Dous n. 3
Dita n. 5
Domingos Jos Martina n. 22
Dita n. 130
Travessa de Domingos Jos Martina n. 4
K-stanraco n. 16
Dita n. 62
D Mana Cesar n. 5
Dita n. 39
i.}x;00 Visconde de Itapatica n. 25
Pharol n. 22
S. Jorge n. 112
D>ta n. 29
Dita n. 97
Ditan. 131
Dita n. 137
Vital de Oliveira n. 2
Dita n. 1
' Bario do Triumpho n. 90
Santo Antonio
Imperador n. 44
Dita u. 25
Dita o. 43
Dita n. 55
Dita n. 79
Duque de Caxias n. 26
Dita o. 7
Dita n. 33
Cabug n. 5
Dita n. 9
Bario da Victoria n. 14
Dita n. 30
Dita n 48
Dita n. 23
Dita u. 37
Trincheiras n. 16
Dita n. 38
Larangeiras n. 4
Dita n. 15
Largo do Paraiio n. 49
Lar.a do Rosario n. 10
75fi0
COMMERCIO
TELECRIMA
Servido da Agencia Havas
LIVERPOOL, 16 de Setembro.
calmo, precos
9, vndese
ASSUCAR.Mei cado
sjem ali* risco-.
O de Pernambuco a
sjp o por Quintal.
ALGODO Mercado Orne.
O FAIR de Pernambuco vende ae
S 1/I6 d. por libra.
Venda* do da 10:000 fardo*.
NEW-YORK, 16 de Setembro.
ASSUCAR .Mercado firme.
O FAIR REFIN1NG de Pernambuco
vende ae a I 8 cent, por libra.
Agencia Havas filial em Pernambuuo,
17 de Setembro de 1887.
Bolsa inmerclal
COTACRS OPFICIAK8 DA JCNTA DOS COB-
BECTOKES
Recife. 1J de Setembro de 1887
Cambio sobre Para, 15 i/v. com 1|4 0)0 de des-
cont.
Dito sobre dito, 90 d/v. com 1 7/8 OrO de descont.
Jambio sobre Londres. 90 d|V. 22 3/4 d. por
1*, do banco.
Dito sobre dito, vista, 22 1,2 d. por 1*000, do
banco.
Camoio sobre Pars a vista, 421 ra. o franco, do
banco.
<> presidente,
Antonio Leonardo Rodrigues.
U secretario,
Eduardo Dubeux.
Hollnenlo bancarto
sacro, 17 db setembro db 1887
PRAQA DO HEUIFE
Os bancos abriram h je com a taxa de 22 3/4 d.
sobre Londres.
A' tarde o Internacional e o Loodoa affixaram
a tabella de 22 5/8 d., conservando o Eoglisb a de
22 3/4 d., saccando, porm, somente quantias pe-
quenas.
PRAgA IX) RIO DE JANEIRO
Os bancos inaotivram ainda hoje a taxa de 22
3/4 d. sobre Londres, frouxo.
As tabellas expostas aqu foram estaa :
Do braasAcioHai.:
SOdJv vitU

25610
2640
24610
6*140
2*640
2*640
1*520
2*640
2*-140
2*610
5446')
8*780
2*640
3*140
14*740
2''.4()
5*280
2*640
2*640
2*640
V*610
2*640
2*610
7*370
5*280
2*640
2*610
2*640
8*310
2*610
2*610
2*640
2*640
2*640
2*64 >
2*640
2*640
2*640
2*640
18*960
2*640
2*640
2*640
11649
13*040
2*640
2*640
2*640
2*610
7*740
3*96o
8*780
3*96o
2*640
2*640
i*36o
9*46u
5*120
2*643
2**i4o
2*64o
2*64o
6*140
2*64Q
Uo Eholish BaaB
90 djv vista
Londres .
Pans. ,
Italia. .
Jamburgo .
Lisboa e Porto .
Principaes cidades
gal. .
liba dos Azores
(Iba da Madeira
lew-York .
de Portu-
22 3/4 22 1/2
417 421
, 421
517 522
234 236
241
244
Vapor allemo Baumwdl, para Liverpool.
Vapor nacional Criguid, para Fernanox> de Noro-
nha.
Vapor allemSo Rio, para Hambargo e Rio de Ja
neiro.
Colarn de aaaucar
(Para os agricultores)
Por 15 kilos
ti raneo, os melhores que
apparecem no mercado,
regulara de .... 2*200 a 2*400
3.* surte boa..... 1*9<>0 a 2*100
3regular..... 1*700 a 1*8)0
Hmidos e baixoa 1*500 a 1*700
Smenos...... 1*300 a 1*400
Mascavado..... 1*040 a 1*100
Bruto....... 4900 a 1*000
tame...... 700 a *800
Cotaro de algoilo
O algodo de 1.* sorte do sertao, foi hoje cotu-
do na raaao de 6*100 a 6*150 por 15 kilos.
Entrada de aaaoear e algodiio
HEZ DB SETEMBBO
Assxtcar
Entradas
Vavlo aesraria
arca noruegudnse Nina, carvao de pedra.
Barca norneguense l'etras, madeira.
Barca nacioual Maria Anodina, gorduras.
Barca nacional Marinho XI, gorduras.
241 j Barca norueguense Expedi, varis gneros.
2*220 Barca norueguense Viva, car vio de pedra
' Barca norueguense J?. A. Munch, carvao de
Ara.
1 Barca inglesa Ziirlxne, varios gneros.
1 Brigue noruegu-nse Hardi, carvao de pedra.
! Lg-ir ingles Wandertr, varios gneros.
i Lugar ingles Uary Ana, carvao de pedra.
Patacho ingles New Dominin, bacalho.
Patacho nacional Frawohm, xarque.
Patacho allemao Antelope, varios gneros.
Vapor nacional Mandaha, varios gneros.
pe-
Dits n. 28 16*040
Estreita do Rosario n. 4 9*1640
Dita n. 6 12*3 0
Dita n. 10 9*240
Dita n. 24 3*960
Dita n. 32 2**40
S. Francisco n. 10 2*640
Dita n. 62 4*260
Joo do Reg n. 28 10*990
liba do Carvalho n. 4 25*060
Dita a. 14 4*400
Dita n. 17 3*960
Dita n. 45 5**80
Travessa da ra Bella n. 5 6*8^0
Travessa dos Quarteis n. 4 2*640
Dita n. 42 3J960
Becco do Calabouco n. 40 2*610
Travessa dos Expostos u. 26 3*080
Travessa das Flores n. 3 8*420
Paulino Cmara n. 14 2*640
Dita n. 5 ll*oOJ
2" becco da Camba n, 5 2*610
Lar;o do Cirmo n. 8 7g460
Dita n. 19 2*640
Travesea do Carmo n. 10 4/660
Pogo n. 4 2*640
Dita n. 93 2*640
D.ta n. 31 3*9-iO
Livramento n. 18 9*340
Dita n. 26 5*480
Dita n. 7 2*640
Dita n 27 3*960
Penha n. 19 3*080
Visconde de Inhauma n. 25 2*640
Ditan. 35 5*9S0
Pedro Affinso n. 33 2*610
Marcilio Das n. 8 15*160
Dita n. 12 2*610
Dita n. 68 2*640
Dita n. 5 2*640
Dita n. 43 2*640
Lomas Valentinas n. 8 3*960
Dita n. 7 15*090
Coronel Suassuna n. 24 2*610
Dita n. 9 3*960
Santa ThfreBa n. 46 16*v60
Dita n. 23 2*640
Travrssa do becco do FalcJo n. 8 7*660
Travessa do Pocinbo n. 38 2*640
Travessa da Concordia n. 2 2*640
Ditan. 12 2*640
Dita n. 35 2*640
Palma n. 23 2*640
S. Jos
Marcilio Das n. 100 4*620
Dita n. 95 2*640
Dita n. 117 3*960
Dita n. 121 3*960
Dita n. 127 9*160
Lomas Valentinas n. 52 2*640
Dita n. 70 5*3 M
Dita n. 57 2*640
C rooel Suassuai n. 93 10*100
Dita n. 106 3*960
Dita a 108 15*610
Dita n. 286 2*640
Dita n. 157 2*640
Dita n. 229 2*640
S. Joo n. 33 2JJ610
Palma n. 124 5tfl70
Marques de Herval n. 147 51*640
Das Cardoson. 72 2*610
Puco da Patrian. 3 11*540
Padre Nobrega n. 63 2*610
Vidal de Negreiios n. 20 5*780
Dita n. 142 2*610
Dita a. 139 5*810
Travessa do Prata n. 3 5*9^0
Domingos Tbeotonio n. 16 2*6 0
Padre Floriano n. 27 3*9uO
Christovo Colombo n. Ib 3*960
Jardim n. 18 15*040
Ditan. 29 3.'*510
Porte n. 18 2*640
Nogueira n. 35 2*640
M.ata Rita n. 18 2*6iO
Dita n. 46 9*900
Dita n. 61 10*100
Dita d. 89 4*360
Travessa de S. Jos n. 7 3*960
Pescadores n. 38 3*960
Imperial n. 41 14*740
Portalesa das Cinco Pontas 2*64C
Ba-Vista
Imperatris n. 4 3*960
Dita n. 6 2*610
Dita n. 26 3*960
Dita n. 15 6*6U
Dita n. 79 2*610
Praca do Conde d'Eu n. 28 2*640
Basto Amorim < (J.4
Antonio Pe-
Dias Siegas
Barcaca* ...
Via-ferrea de Caruar .
Animaea.....
Via-ferrea de S. Francisco
Via-ferrea de Limoeiro .
4 15
16
16
a 14
T5
a
758
230
694
484
299
Somma.
Algoiao
10.465
22 5/8 22 3/8
Pan......... 419 423
Italia........ 423
Hamburgo...... 520 525
Lisboa e Porto ..... 235 237
Principaes eidades de Portu-
gl........ 242
2*240
Entradas
Barcacaa...... 1
Vapores...... 1
Via-terrea de Caruar 1
Aaimaes...... 1
Via-terrea de S. Francisco 1
Via-ferrea de Limoeiro 1
Somma.
Diss Saccas
i 15
16
4 16
4 17
4 14
4 15
1.611
5.665
92
3.854
325
1.423
12.970
Panta da tlfandea
Do Lobdom Baax
90 djv vista
Londres .
Pars. .
Italia. .
Hamburgo
Portugal
New-York
22 5/8
419
520
235
22 3/8
423
423
525
S37
2*240
saos*ha na 19 a 24 de setembro na 1SS7
(Vide o Diario de 11 de Setembro
Assucar retinado (kilo) .... 175
Assucar branco (kilo) .... 126
Assncar mascavado (kilo) ... 66
Alcool (litro)....... 155
Arroa com casca (kilo) .... 65
Algodo (kilo) ....... 363
Borracha (kilo)...... 1*066
Couros seceos salgados (kilo) 460
Couros seceos espichados (kilo) 522
Coaros verdea (kilo)..... 270
Caceo (kilo)....... 400
Caf bom (kilo)...... 8C0
Caf restolbo (kilo)..... 600
Cachaca (litro)...... 60
Carnauba (kilo)...... 333
Careos de alrodo (kilo) ... 14
Carvao de pedra de Cardifl (toa.) 16*000
Farinha de mandioca (litro) ... 30
Folbaa de jaborandy..... 400
Oenebra (litro)...... 200
Mel (litro)........ 40
Mimo (kilo)....... 40
Taboados de amarello (duaia) 110*000
avos a carca
Barca nacional Marianninha, para o Ra Grande
do Cur
Barca norueguense Union, par i Santos.
Lugar norueguense 1. J. Lott, para os Esados-
Uoidos.
Pataca o ingles Tiber, para os Estados-Unidos.
Memorial
Est marcado o da 29 da correte para ter lu-
gar a reunio da assembla geral ordinaria da
uompanhia dos Tbilh-os Urbanos do Reufs i
Uusda b Bebbbibb, na qual nero apresentadas as
contas, lidos o relatorio da directora e o parecer
da commisso fiscal e eleita a nova commisso fa-
cal que funecionar por um anuo.
Em 23 do torrente, termina o praso de 30 dita
I concedido sos subscriptores da nova emisso de
accoes para o levantamento da fabrica na Torre,
perteocente a Compahia d Fia^Io e Tecidos de
Pbbxambcco, para nagamento da segunda presta-
cao na razo de 25 0/0.
At o dia 29 do crrante, devem os accionistas
da Compashia le Ewficaco entrar com a oitava
prestaco, na razas de 10 0/0 sobre o valor das
respectivas ac.ws.
Aos accionistas da Eshiada db Febbo do Rjbei-
bo ao Bonito foi marcado o praso de 60 das, a
contar de 4 de Agosto, para realixarem a 7.* en-
trada de 10 0/0 de saaa acedes.
Com o descont de 4 0/0 e at 30 de Setemb'o
vindouro, sero substituidas na Tbesoubabia db
Fazbhda as notas do valor de 2*000 da 5.a estam-
pa, 5*000 da 7.* e 10*000 da 6.*
Inportaro
Vapor nacional Pernambuco chegado dos
portas do sul, em 17 do corrate e consignado ao
Visconde de Itaqui do Norte, manifestou :
Carga do Rio de Janeiro
Caf 10 saceos a Paulo Jos Alves & C, 71 a
Domingos Croa & C.
Calcado 1 caixo a Costa Campos <& C.
Fumo 57 valuases a J. V. Alves Matbens & C ,
53 4 ordem, 34 a (Jomes Senra C, 2 a Rodn -
gues de Paria j C-
Feijo 50 saceos a Pereira Carneiro & C.
Fogoes de ferro 9 volantes ordem.
Livros 1 caixa a Gt. Laport & C, 1 a Joo W.
de Medeiros, 1 a Jos Nogueira de Sousa.
Mercadorias diversas 34 voiumes a Capitana,
47 a Presidencia, 1 a Penna & C, 3 a Amorim
Irmos 4 C, 1 a Augusto O. de Miranda.
Panno de algodo 6 fardos a Pereira Carneiro
& C, 15 a Andrade Lopes & C, 25 a Bernet oe
C, 6 a Oliveira Basto & C.
Sola 2 rolos a Marcellino Crux & C.
Tecidos diversos 1 volume a Nuoes Fonseca Si
C, 1 a Oliveira Basto ftC.,3 Alves de Bruto
& O.. 1 a Machado & Pereira, 3 a Andrade Lopes
& C.
Vioagre 10 barris a Paiva Valente & C., 5 a
Silva Marques 4c C.
Xarque 1,355 fardos a Saunders Brothers l C ,
250 a Pereira Carneiro & C, 250 a Baltar Oli-
veira & C, 438 a Maia St Reaende, 250 a Moura
Borgea & C.
Carga da Babia
Charutos 1 caixo a Joaquim Bernardo dos Reis
& C, 3 a Almeida Machado & C, 1 a Sulser Kauf-
man ib C 2 4 ordem.
Fio de algodo 30 aaccoa a Joo Francisco Lei-
te, 4t 4 ordem, 60 a Soasa
96 a Machado & Pereira.
Fumo em folha 2 fardos a Jos
raira.
Pelles fe cabra 18 amarrados 4 ordem.
Panno de algodo 10 fardos a Andrade Loses
A C, 10 a Cramer Frey & C, 10 a Severino t
Irmos, 12 a A. Vieira & C, 6 a Olinto Jardim
6c C, 16 a Ferreira 4 Irmo, 10 a B. Maia & C,
32 a Machado & Pereira, 10 a Nrrciso Maia C,
10 a Joaquim Agostinho 4 J.
Vellas lOO canas 4 ordem.
JExportaco
aacm, 16 db setbubbo db 1887
tara o exterior
No vapor allemo Baumwa.ll, carregaram :
Para Liverpool, Borstelman de C. 500 saccas
com 35,697 kilos de algodo ; M. J. da Rocha 170
saceos com 12,750 kilos de assucar mascavado.
= No vapor allemo Rio, carregaram :
Para Hamburgo, Pohlmaa 4 C. 565 couros sal-
gados com 6.780 kilos.
No vapor francs Portugal, carregaram :
Para Lisboa, 8. Brito Amorim & C. 450 saccas
com 33,740 1[2 kilos de algodo.
Para o interior
Na barca nacional Marianinha, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, V. T. Coimera 534 j
barricas com 49,758 kilos de assucar branco. 1
No vapor allemo Rio, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, H. Burlo & C. 400
saccas com 29,764 kilos de algodo ; J. A- do C.
Vianna 738 saceos com 44,280 kilos de milho.
No vapor nacional Pernamouoo, carrega-
ram :
Para Manaoa, P. Pinto (st C, 10 barris com 960
litros de agurdente ; F. de iorass 2 pipas e 16
barris com 2,720 litros de agurdente e 30 barri-
cas com 1,700 kilos de assucar branco.
Para o Para, A. F. dos Santos 3 caixas com
preparados medicinaes ; A. da Costa Moreira 10
pipas e 50 barris com 9,600 litros de agurdente;
B. Oliveira 4 C. 60 barricas com 3,200 kiloa de as
sucar branco e50 -arria com 4,800 litros de agur-
dente ; E. C- Beltro 4 Irmo 100 barricas com
3,807 kilos de assucar refinado J. M. Dias 100
barricas com 6,172 kilos de assucar branco ; J .
S. Loyo 4 Filho 570 barricas com 33,989 kilos de
assucar branco ; P. Pinto 4 C. 20 pipas com 9,600
litros de agurdente ; M. A. Senna i C 30 bar-
ricas com 1,990 kilos de assncar refinado ; J. L.
de Oliveira 1 caixo com 45 kilos de doce ; Mou
ra Borges 4 C. 10 barricas com 600 kilos de graxa
Para Maranbo, Moura Borges 4 C. 3 barricas
com 276 k.loa de graxa.
No vapor allemo Baumtaall, carregaram :
Para o Para, P. Carneiro com 161,920 kiloa de assucar mascavado.
Na barcaca Seniora da Graca, carrega-
ram :
Para Parabyba, A. Figueiredo 4 O. 1 caixo
com 60 kiloa da doce.
Dita n. 7 6*20
Dita a. 9 9*440
Conceico o. 25 3*9->o
Visconde de Pelotas n. 9 5*480
Visconde Albuquerque n. 40 2*640
Dita o. 184 6*500
Aurora n. 7. 2*640
Capibaribe n. 36 C 3*960
Ponte Velha n. 100 2*640
Praca da Santa Crua n. 14 2*640
Riachuello n. 14 2*64"
Dita n. 9 -#40
Dita n. 13 2*640
Sete de Setembro n. 4 3*96n
Hoapicio n. 1 17*380
Dita n. 53 6*470
Dita n. 69 3*u40
Cimaro o. 13 3*960
Rosario n. 18 1*850
Gervasio Pires n. 97 2*610
Dita n. 26 4660
Traveasa de Gervasio Pires n. 19 4*460
S. G ncalo n. 24 2*640
I'.'xcj dos Coihos 4*860
Hospital Pedro II n. 4 18*890
Travessa do Quiabo n. 5 2*610
Le> Cordo n. 6 8*860
Tnvtssa do Palacio do Biapo n. 31 2*640
Visconde da Goyanna n. 135 22*040
Recife, 15 de Setembro de 887.
J. F. Macklntosh,
Gerente.
De ordem do lllm. Sr. Dr. inspector, fafo
publico que no dia 22 do corrente ir 4 praga,
pernote n junta deste tbesouro o fornecimento da
alimentaba, e dietas aos presos pobres da casa
de deteucn, relativo ao trimestre prximo findo
de Outubro a Dezenbro prximo, servindo de
base a diana d* 420 ra.
Secretaria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco en 15 de Setembro de 1837.
Lindolfo Campello.
A Cmara Municipal da cldade to
ol,1,1.1 e atea termo, em i irtu-.lc da
le. ele.
Faz constar a quem convier e interessar ponan,
que nos dias 12 e 26 do corrente, e 3 de outubro
prximo vindouro, estar em basta publica para
i.-rem arrematado par quem mais offerecer, por
ti-mpo de um anno os impostos aeguinfs : alu
gueis das casinhas da nbeira por 2H0*000 ; 40
rs. p'ir p de coqueiro de producto, ex-eptuadaa
20 pea para o propri^tano, por 635* ; 500 rs. por
cabeca de gado vaceum, por 370* ; 200 rs. por
cabeca de gado sumo, ovelhum e caorum, pjr 34* ;
100 rs. por cabera de gado reolbido ao curra,,
ijor 67* ; mascara, de fa sendas, miudezas e ob-
jectos de tolba ou cobre, sendo estraogeir, 50*, e
nacional 10*. por 1:015* ; 120 rs. por carga ou
V"lume exposto 4 venda uj marcado publico, por
89*000.
Us pretendentes devero comparecer dos dias
cima indicados, habilitados na i" ina da lei.
Pa^o da Cmara Municipal de Oliuda, 12 de
Setembro de 1887.
Theodoro Herminio dos Santos Ciata
Pro-presiiente.
Jote Marcolino da Fonseca Manguinho
Secretario.
Correio g$ral
Malas a expedirse hoje
Pelo vapor Pernambuco, esta administraco B-
pede malas para os portos do norte, recebendo
impressos e objectos a registrar at 1 hora da
tarde e cartas ordinarias at 2 horas ou 2 1 2
com porte duplo.
Administraco dos correios de Pernambu ;o, 18
le Setembro de 1887 O administrador,
Alfonso do Reg Barros.
O socio gerente da casa commercial Jos Pe
xoto e Silva de C. declara para os devidos fins,
que teadn-se completado os aove anuos do stu
contrato, est a im-sina sociedade dissolvida.
Villa do Granito, 3J de Azosto de 1887.
O socio gerente,
Jote Peixoto e Silva.
Sociedade Allianf a
De ordem superior, participo a todos os asso -
lados que a reuuio que deveria ter lugar segn
da reir 19 do corrente, fica transferida para o
dia 0. Recife, 16 de Setembro de 1887.
O secretario
Jos Joaquim Dias do Reg.
Hxaeb*'iria
->e 1 a 16
dem de 17
Hecebedoria
Oe 1 a 16
Id-.rn oe 17
geral
20:554*185
2:566*883
23:121*068
p.ootncuu
9:5994367
311*247
Recite Dra
dem o 17
inage
30:444*725
229/307
9:9102614
36:674*032
Mercado Municipal de Jone
O movimeuto deste Mercado no dia 17 de Setem-
bro foi o seguiste:
Enrraram :
45 bois pesando 6,524 kilos, sendo de Oliveira
Castro, 26 1/2 ditos de 1 qualidade, 2 ditos
de 2' e 16 1/2 ditos particulares.
610 kilos de peixe a 20 ris 12*200
60 cargas de farinha a 200 ris 12*000
21 ditas de fructaa diversaa a
300 ra. 6*300
14 taboleiros a 200 ris 2*800
22 Sumos a 200 ris 4*400
Foram oceupados :
24 columnas a 600 ris 14*400
21 compartimentos de farinha a
500 ris. 10*500
22 ditos de comida a 500 ria 11*000
60 ditos de legumes a 400 ris 24 #000
28 ditos de faseodas a 400 ris 11*200
18 ditos de suioo a 700 ria 12*600
11 ditos de tressuras a 600 ris 6*600
10 talhos a 2* 0*000
8 ditos al* 8*000
A Oliveira Castro 4 C.:
54 talhos a 1* 54*000
Deve ter sido arrecadada nestes diss
a qnantiade 210*000
Rendimento dos dias 1 a 16 3:258*340
Dlnneiru
OMM
Pelo vapor nacional Pernambaco, procedente do
3! s'Peandido de Moraes 272:270*000
Bernardino Lopes Alheiro 3:500*000
Martins Fiuaa 4 C. 2:C0*000
Francisco Goncaives Torrea 1:000/000
itendimentos pblicos
MBS DB SBTBMBBO
Alfandega
Foi arrecadado liquido at boje 3:468*340
Precos do dia :
Carne verde de 240 a 00 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris idem.
Sumos de 560 a 640 ris idem.
trariaba de 240 a 320 ris a cuia.
Milho de 240 a 320 ris idem
Feijo de 640 a 1*000 idem.
Malatluuru Publico
Foram abatidas nc Matadouro da Cabanga 111
reses para o consumo do dia 18 de Setembro.
Sendo: 83 resea pertencento a Oliveira Castre
Se C, e 28 a diversos.
Renda a-eral
D 1 a 16
dem ce 17
Renda provincial
De 1 a 16
dem de 16
515:974*284
47:018*433
48:14)1949
4.9*8*509
562:072*458
53.072*458
Emkarcaees Martas no porto
" iie Setembro
NACIOHAES
Ceciliaconsig. 4 Pereira Carneiro & C.
Francoliu -4 Amorim Irmos 4 C.
Giqui4 Companhia Pernambucana.
Jaguaribe4 Companhia Pernambucana.
Lamego(canhoneir de guerra).
Marianninhaconsig. 4 Baltar Oliveira 4 C.
Mannho XI4 Jos da 8ilva Loyo & Filho.
Maria Augelina4 Loyo 4 Fi.bo.
Mandab4 Companhia Pernambucana.
Pirapama4 Companhia Pernambucana.
fornambucoao Visconde Itaqui do Norte.
Sergipe4 Domingos Alves Matheus.
ESTBANOEIBAS
* Aune Branschweig- consig. 4 ordem.
* Aune Mario4 ordem.
Antelope4 G. Perman.
Baumwall4 J. H. Bowxell.
Cbnstine4 Baltar Oliveira 4 C.
Darpa4 ordem.
Expedit4 Fonseca Irmos 4 C.
Erato4 Johnston Pater 4 C.
Garfield4 Niemeyer Cahn 4 C.
Hardi 4 Wilson Sons & C
Jorgen J. Lots4 ordem.
em
616:065*175 I Kronoi-4 Hermn Lundgrin 4 C.
Sania casa da misericordia da
Recife
A Illma. jauta administrativa desta santa casa
contrata com quem melhores vantagens offerecer,
o fornecimento dos gneros abaixo declarados,
para o consumo dos estabelecimeotos A s-u cargo,
durante o trimestre de Outubro 4 Dezembro da
corrate a ino.
Aletna, kilos.
Arroz, dem.
Agurdente, litros.
Azrite doce, dem.
Araruta, kilos.
Esicar de Ia, 2a e 3' sorte e turbinado, kilos.
IJ.:c.lh(i, idem.
Banba de pirco, idem.
Batatas, idem.
Cli, dem.
i:al em grao, idem.
Carae secca, idem.
Cebla, ceuto.
Farn ba de mandioca da provincia, litros.
Feijo, idm.
Fumo do Rio, kilo.
iaz, lata.
Dtro inexplosivel, idem.
Milho, kilos.
Mauteiga francesa, idem.
Potasa, idem.
Pao e bolacha, idem.
Rap, idem.
Sabo, idem
Sal, litros.
Tapioca, kihs.
Tucinho, idem.
V^las de carnauba, idem.
Ditas et .'irina.-, i-i m.
Viuho brauco, litros.
D'uo fi^ueira, id-m.
Dito do Porto, idem.
Vinagre, idem.
Ai propostas devero ser apresentadas na sala
de sima searo-'s, em cartas fechadas, devidamente
sella ls, at as 3 horas da tardo do lia 20 do
corrate, declarando oa oroponentea sujeitarem-se
a u oa mulla de 5 0.0 aobre o valor lotal do for-
neciineuto, se no prazo de tres dias nao compare-
cereal a esta secretaria para assignar oe respecti-
vos contratos.
Secretaria da santa casa de misericordia do
Reciff, 16 de setembro de 1887.
O offieial interino,
Francisco Gomes Castellao.
Coiii|):iiiliiii do Beberibe
Achando-ae j approvado pelo Exm. Sr. presi-
dente da provincia, o regulamento das pennas
il'agUM, Val t-sta companhia fazer o fornecimento
j'agua a alta presso, como se obrigou com a pro-
vincia, pelo que convida aquellas pessoas que
quizerein ag'ja em suas casas, oa priineira aec(o,
entre Dous Irmos e Apipucos, a virem se inscrc-
ver ni-ste escriptono.
Ao mesm-i tempo esta companhia mudar a sua
custa os encanamentos -as sntigas pennas d'agua,
a a porta da rasa, e far a transforjiaco do
ryateuia, nos termos das disposicoes do novo re-
gulamento.
Logo que fique concluido o trabalho da priinei-
ra secco, n semana s -guinte passar-se-ha para
a segunda at a M nteiro.
Neste escriptono distribue-se aos interessados
o rf eulamemo de pennas d'agua.
Recite, 16 de Setembro de 1887.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira
Director gerente.
Estrada de ferro do Re-
cife Caruar
De ordem do lllm. Sr. director, faca publico
que at o meio dia de 20 do correte recebem-se
propostas para a onstrucco de um armazem na
estaco da Serra, nesta estrada de ferro, de con-
forrnidade com o plano e condicoes que 08 propo-
anfa podero examinar no escriptorio do enge-
nheiro residente, em Jaboato, onde sero recebi-
das as propostas e abertas no dia e hora cima
indicados.
Scretaria do prolongamento da estrada de fer-
ro do Recife ao S. Francisco e estrada de ferro da
Recife Caruar, em 9 de Setembro de 1887.
Pelo secretario, o 1 escriptarario
Victaliano P. Ribeiro de Souaa.
Lurlme ordem.
Mary Ann Baltar Oliveira 4 C.
Nina ordem.
* Nelly4 ordem.
New-Dominion4 ordem.
P. A Munch4 Uenry Forsfer & C.
Petrus4 Pereira Carneiro 4 C.
Rio Borstelman 4 C.
Rusoer Wilsan Sons db C.
Tiber 4 Ssunders Brothers 4 C.
* Taritta Hermn Lundgrin 4 C.
Uuion4 II. Laadgria 4 C.
Vibilia4 Hermn Lundgrin.
* Vedania4 Saunders Brothers & C.
Viva Wilson Sons 4 C.
Wanderer4 Fonseca Irmos & C.
O signa! indica ter a embarcacSo sabido.
Vaporea 4 entrar
DOS PORTOS DO SUL
Portugalhoje.
Ville de Cearhoje.
Marinho Viscondea 25.
Financea 26.
Camilloa 27.
Tagusa 29.
DOS PORTOS DO NOETB
Espirito Santoa 23.
OA EUROPA
Ville de Pernambucoa 21.
Nevaa 24.
Aconcaguaa 25.
DE LITBBPOOL
Anthoramanh.
DB BEW-POBT
Allian9aa 4 de Outubro.
Mala para o norle
A que leva o vapor Pernambuco, para os portos
do norte, fecha hoje no Correio s 2 horas da
tarde.
Vaporea 4 aablr
Portugal hoje, ao meio dia, para Bordeaux e
escala.
Ville de Cear4 boje, as meio dia, para o Ha-
vre.
Rioimanba, ao meio dia, para Santos e escala.
Giqni4 a 20, ao meio dia, para Fernando de
Noronha.
Sergipea 20, as 5 horas da tarde, para Babia e
Ville de Pernambuco a 22, s 4 horas da tarde,
para Santos e escala.
HoTlmeaCo do porto
Navios entrados no dia 17 de Setembro
Rio de Janeiro e escala-7 das, vapor nacion-U
Pernambuco, de 1,999 toneladas, comman-
dante Pedro Hyppolito Duarte, equipagem 60,
carga varios gneros : ao Visconde de Itaqui
do Norte. _
Rio de Janeiro13 dias, barca norueguense Kro-
noe, de 354 toneladas, capito Jacob Bentzap.
eqaipagem 10, carga madeira de piubo ; a H.
Lndgren ce C. .
Babia e escala10 dias, vapor nacional Sergi-
pe, de 411 toneladas, commandante Pedro Vig-
as, equipagem 27, carga varios geoeros ; a Do-
mingos Alves Matheus.
Hamburgo e escala21 das, vapor allemo Kio
de 1,262 toneladas, commaudaote ;A. Barrelet,
eqaipagem 45, carga varios generoa ; a|Borstel
man 4 C. ,
Bahia11 dias, barca norueguense Rasser,- de
391 tooeladas, capito E. O. Jorgtusen. eqai-
pagem 10, carga carvao de pedra; a wnson
Sons.A C.
Sahidos no mesmo da
Maco-Brigue ioglea Aoue Mario, capito n.
Fiztwilter, em lastra _:_,
Maco -Lagar ingles Anna Branschweig, capi-
to Robert Jones, em lastro. ___m_ K
Barbados Brigue ingles Faritta,. capito K
Kuatzen, em lastro. w;j-_;_ .
Rio Grandi do Norte-Log.r ingle. -V.donia..
capito Jomes Wilson, em lastro.
West-Indies-Lugar ingle. Melly,. capito Hen-
ry Olseu, em astro.
r>



''V..
*r *
Diario de PernambncoDomingo 1S de Setembro de 1887
i
Companhia ferro carril de P?r-
nambuco
Estando concluidas as obras de reparacSo da
ponte da Boa-Vista, declaro (|ue no prximo do-
satngo. 18 do corrente, ser restabelecd) o trafego
das liuhas ds Magdalena e Fernaodes Vieira pela
dita ponte, entrando de novo em vigor os hora-
rios antigos. O carro da linha de Santa Isabel
passarahser c antigo percurso at a esquina
ka laa Forraos, observando tumbem o primitivo
iorario. Recife, J 6 de Setembro de 1887.
Diligencias de Olioda
Horario _____________
6 25
7.^5
8.25
9.25
10.25
12.2;.
2.20
4 20
).2D
I -' I
7.40
S.40
9.4U
>* >
>
< <
to *#
H
Je
6.45 6.45
7.45 7.45
8 45 8.45
9.45 9.45
10.45 10.45
12.45 12.45
2.40 2.40
3.40 3.40
4.40 4.40
5.40 5.40
6.40 6.40
8.00 8 00
9.0J 9.00
10-00 10.00
T3
a


7.05
8.05
9.05
10.05
11.05
1.05
3.0)
4.00
5.00
6.00
7.00
8.20
9 20
10.20
re*;**
Secife Olinda e vice-versa inclusive
o bond .........
Mallines at 12 annos inclusive o bond.
300 rs.
200 rs.
-Santa Casa de Misericordia do
Kecfe
Pjr esta secretaria sao chamados os parentes
vo protectores das menores abaixo declaradas,
par.-., at o di 30 do corrente, apresental-as no
eollegio das orphs, afim e serem abi admiltidas.
visto acharen)-se inscriptas em pnmeiro lugar, no
respectivo quadro.
Lnnra, filba de Miguel de Seuza GalvSo e Isa-
e] Marta da Silva GalvSo.
^ydronia, filba da Cosme Damio Felippe da
Sirva e Canstaucia Mara da Carmo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Becie, 16 de Julho de 1887.
O escrivao interino,
Francisco Qomes Castellao
C'OUa!*:>aliU
DE
Fiafo e tecidos de
Pernambuco
A direetoria ti sciente hos senhores subscrip-
Sores da nova missao de accoes para o levanta-
jotBto da -brca na Torre, que fica marcado o
pr-ixo de 30 das, desta data, para o pagamento
* segunda prestaclo de 25 0/0, e autorisado o
t. theaoureiro Jos Jo3o de Amorim Jnior, para
srecebimento, ra do Bom Jesua n. 3.
Recre, 23 da Agosto de 1887.
Os directores
Manoel Jos da Silva Guimares.
Henrique Saraiva,_
Secretario.
Jos Joio de Amorim Jnior,
Thesoureiro.
Thesouraria de Fa-
zenda
Pagamento de costuras
De ordem do lllm. Sr. inspector, faco publico
:jue no dia 21 do corrente mef, s ti horas da
nanh, serio pagas no Arsenal de Guerra as pe-
.;*s costuradas para o mesmo, dui ante a secunda
ijuinzena do mes dt Agosto ultimo.
Thesouraria de Fazeoda de Pernambuco, 15 de
Setembro de 1887.
J. Hermieenes de Oliveira Amaral
Companhia de Edifi-
carlo
Communico aos *rs accionistas que por deli-
beracao da directora foi resolvido o recolbitoento
da oitava prestaclo na rasio de 10 per cento sob
j valor das respectivas accoes, o qual devera rea-
lisar-se at o dia 29 de Setembro prximo futuro.
Recite, 29 de Agosto de 1837.
Ricardo Menezee,
Gerente.
S. R. J.
ocledade Recreativa Jovenlade
Assembla geral extraordinaria em 18 d
corrente
Sao cjnvdadoa todos os socios a se reunirem na
sede social, pelas 4 horas da tarde de domingo 18
do crrente, afiui de reuuidfa em assembla geral,
<:legerem presidente, thesoureiro e vice-tbesoarei-
ro, visto ter o eleito para o pnmeiro cargo recu-
sado e os outros pedido demisso -
Secretaria da eociedade Recreativa Juventude'
15 de Setembro de 1887.0 1- secretario,
Manoel Joaquim Baptista.
(OMPANHIA
|mperia I
DE
Obras publicas
De ordem do lllm. Sr. eogenheiro d:rector ge-
ral, faca publico que no da 26 do con ente, ao
xeio dia, na mearon reparticeo, r. cebe-se propos-
tas para exesuvao dos reparo* da cadeia da cidade
de Nazsreth, oreados em 426*800. e dos do pre-
dio provincial que serve de osela publica na villa
de Barreiros, oreados em 506/000.
Os oresmentos e clausuiaa especiaes para os
respectivos contratos acam-se nesta secretaria
para serem examinados por aquelles pue preten-
derem arrematai as mesmas obras, d accordo
com o que dispoe os arta. 70 a 73, 89 e 90, 92, 97
a 101, 106, 115 e 116 do regul&mento de 20 de
,luribo do corrente aun3.
Secretaria da reparticSo das obras publicas de
feraambuco, em 16 de Setembro d- 1887.
O engenheiro secretario
Joaquim Gomes de Oliveira e Silva.
SEGUROS contra POCO
BSTi 1803
Edificio e mercadoricu
Tuxas baixas
Prcmplo pagamento de prejuitoi
CAPITAL
Rs- 16,000:000/000
Agentes
BROWNS & C.
N. -*> Ra do Commercio N. 5_
Londo & Braslliao Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca-
sa do mesmo baaco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Ingleses.________________
SEGUROS
CONTRA FOGO
flie Liverpool & Lnndon k tlolie
INSURANCE C0MP4IN\
Sanidnrs Brota & C.
COM PAXMIA PC SEGURO*
NOUTIIKUV
de Loii'iieii e berdeen
roolrau llnanrelra (Ueiembro 1S85)
Capital oubsoiipto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
Recella annaal i
Da premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000 i
De juros 132,000
O AGESTE,
John. H- Boxwell
Club Concordia
Prels Kegeln
(Jogo bolas com premios)
Domingo, 18 de Setembro de 1887
As 2 horas em ponto.
A directora.
MARTIMOS
l'ntied Sutes k Brasil I 8. 8. C
0 paquete Finalice
E' esperado dos portos di
sul at o dia 26 de Setembro
depois da demora necessaris
seguir para
Haranho, Para. Barbados, S
Thoinaz e Ven Vork
Para carga, passagens, eucui nendas 3 dinheir
frete, tracta-se com m
AGENTES
0 raior Uli9D(a
Espera-se de Sew-^ort.
News, at o dia 4 e Ootu-
bro o qual seguir lepom d
djmora nec>>adana p .111
Baha, Rio de laoelro e Mantos
i'ara carga, passagens, e encommendas trauta
AGENTES
Heory hnht & C.
8 RA DO COMMERCIO -N. 8
1 andat
a
Eilis Bani of 1 le Janeiro
Li'tl
Cspital do Banco....... l.OtO.000
Capital realisado......... 500,000
Tbndo de reserva....... 200.00P
A contar desta data e at ulterior reso-
agiio, coaceder-se-ha juros de dous por
ento ao aono, sobre ns saldos ds diaheiro
depositado em conta corrente de movimen-
*4i no mesmo Banco.
Recebe-se tambem dmheiro em deposito
a juros por periodos determinados, ou su-
jeto ao aviso ptvio de trinta das para ser
.*irad, mediaote as condijSts de que se
Sara conhecimento aos iuteressados.
Pernamcuco, 23 de Maie de 1887.
Henry K, Gregory,
Gorente.
Ricebeduria Frevncial
O administrador da Secebedona Provinaial fas
^oblico para ^ciencia dos respectivos contribuin-
r, qne por de'ermiaaco do lllm. Sr. Dr. inspee-
Ipr de Thf-8iuro, fica prorogado at o fim do cor-
nete mes, o praco concedido para o pagamento,
vre de multa, das anauidades e mais aervicos
da Becife Drain*ge Company. relativos ao se-
mestre do exercicio de 18S6-87.
Recebedoria Provincial de Peruambuco, 15 de
Setembro de 1887.
Francisco A. de Carvalbo Moura.
De ordf m do lllm. Sr engenheiro director ge-
ral das obras publicas e de contormidade coa a
autorisagao de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia de 3 do corrente, fie < publico que oo dia 29,
%o meio dia, na referida repartilo, recebe-se
propostas para a rxecucao da obra de reparos da
ponte dos Carvalbos, sobre o rio Jaboatao, orea-
dos em 4:48s*48i.
O orcameato e as clausulas especiaes do con-
trato cbam se nesta secretaria para serem elimi-
nados por aquelles que pretenderen) arrematar a
mesma obra, de accordo com o que dispoe os arts.
70 a 73, 89 e 90,92, 97 a 101, 106, 115 e 116 do
regnlamento de 20 d<5 Junbo do corrente aono.
Secretaria da reparticao das obras publicas, em
!) de Setembro de 1887.O engenheir* secretario
Joaquim Gomes de Oliveira e Silva.
*
De hoje por dianle os presos
los materiaes da Olaria a Vapor,
sero regalados pela tabella se
quinte, sem descont:
Tjolus grossos formato com-
fisiu, milheiro 18$ Ditos for-
nato pepeno 16$ Telhas, nii-
Ibeim 5S$f Ladrihos de diver-
ges formatos 30$)00,
Recife, 1 de Agsoto de 1887
MMoT.lsciBiioMta.
GERENTE INTERINO-
Obras publicas
BL

DO
BRASIL
Capital 0,000:000*
dem reallsado 10,000:000*
A eiiixa filial d'os-e Banco laoaciionando tem
porariamonte i ra -do Comorenoo n. 38, saca,
vista on a praao, cotitra os seguintes correspon-
dentes ao estraageir-*:
Londres.....'.... /N. M. KothachU & Soos.
Paris.....
Mam burgo
Berlin-----
Breronte.
Prankfurt s/ liso
Antuerpia.....
Boma.........
3enova.......
aples.......
Mao mais 340
cidades de Ita
lia...........
Madrid.........
Barcelona.......
Cdiz..........
Malaga.........
Tarragonp......<
Valencia e outrasl
cidades da Hes I
panba e ilhas |
Canarias....../
Lisboa.........\
Porto e mais ci-(
dades de Por- i
tugal e ilhas... )
Buenos- Ayres... .)
Montevideo......)
Nova York......
e Kotbschild Frrcs.
> Den tacho Bank.
Banque d'Anvera.
Banca Genrale e suas
agencias.
Banco Hypcieeario de
Espaa e suas agen-
cias.
Banco Je Portugal c
suas agencias.
AGESTE
Miguel Jos Alves
N. 7RA DO BOM JESS-N 7
Secaron marlllmos terrestre*
Nestes ltimos a nica companhia nesta praca
oue concede sos Srs. segurados isempcao de paga-
mento de premio em cada stimo anns, o que
equivale ao descont annual de cerca de 15 por
cento em fvor dos segurados.
lEGROS"
MARTIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenlx Per-
nambucana
Ra do Commercio n. 8
III DOCOWMBitCIO ^i. I' 4VI
1
t oinpanhla dos Trllhos I'rba
os do Recife a Ollnda e Be
beribe.
De oredem do Exm. Sr. Dr. Presidente da As-
teiabla Geral, convido os Srs. accionistas a as-
sistirem, no dia 29 do corrente mes, no lugar e s
koras do costme, sesso da assembli geral or-
dinaria, na qual, segundo os nossos Estatutos,
ito apresentadas as coiitas, lidos o relatorio da
directora e o parecer da commissSo fiscal o eleita
s nova commissao fiscal que faaccionar por um
Secretaria da Assemblct Geral da Companhia
Je Trilbos Urbanos do Recife a Olioda e Bebe-
ibe, 13 de Setembro de 1887.
Jos Antonio de Almeida Cunha,
Secretario.
Xleieo de nos professor para mr-os-
bro do ronnelno Iliteraria
De ordem do Dr. inspector geral, declaro aos
jrofeasores publjcos de ensino primario effectivos
vitalicios, quer de u i, quer de ontro sexo, que
iedo da proceder-se a eleico de um profesior
mra memoro do cenaelho litterario, devem ns
Jiras do art. 1 das instruccoes de 15 de Maio le
1886 c art 18 17 do regnlamento interno das
testas, remetieren! a esta secretaria at o dia 14
As Novembro viudouro, os seos officioa.
Secretaria da inatrueco publica de Permmbu-
w>, 1 de Agosto do 18&7.O secretario,
Pergentino S. de Araujo GalvSo.
English Bank of the Bi-
ver Pate, Limited.
G. Amsick & C.
Compra saques sobre qualquer praca do impe-
rio e do estrangeiro.
Recebe dinbeiro em conta corrente de movi-
mento com juros a lazo de 2% ao anno e por le-
tras a prazo a jaros convencionados.
O gerente,
William M. Webster
Obras Publicas
De ordem do lllm. Sr. engenheiro director geral
das Obras Publicas e de conformidade com a or-
dem da presidencia da provincia de hontem da-
tada, faco publico que no dia 22 de Setembro pr-
ximo vindouro, a) meio da, na mesma repartilo,
recebe-se propostas para execucao dos reparos pre-
cisos na Casa de Deteusjo, oreados em 11:585^100.
O orcameuto e as clausulas especiaes para o
contracto acham-se nesta secretaria e serlo apre-
sen tado a aquelles qua pretenderen) arrematar a
mesma "obra, de accordo com o que dispoe os arts.
7 a 71, 89 e 90, 92. 97 a 101, I6, 115 e 11G, do
regulamento de 20 de Juaho do correte auno.
Seeretana la Reparticii das Obras Publicas
em 30 de Agosto de 1887.
O engenheiro secretario,
Joaquim Gomes de Oliveira e Silva.
Santa Casa de Misericordia do
Recife
Na secretaria da Santa Casa arrenda-se os se-
guintes predios :
Ra do Bom Jess n. 13, 3- andar.
dem dem n. 44, 1- andar e toja.
dem do Vigario Tbenono u. 22, 1 andar.
dem dem n. 25, sobrado.
dem do Mrquez de Olioda n. 53, 3- andar.
dem do Apollo n. 24, 1 andar.
Ideo da Moda n. 4'.
Ipem dem n. 47.
dem dem n. 49.
dem dem n. 37.
dem da Lingoeta n. 14, 1 aodar.
Becco do Abreu n. 2, 2- aadar.
Secretaria da Santo Casa de Misercordia do
Recife, 25 de Maio de 1887.
O escrivao intrino,
COMPANHIA DE SEGUROS
CONTRA FOGO
Norlh British & Mercanlile
CAPITAL
t:OOO.OOo de libras terllnas
A GEN TES
idomson Howie & C.
em casa do
SR. JOHN H ,BOXWELL
Ra do Commercio n. 26.
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
EstabelcJda em !*.>'>
CAPITAL 1,000:000$
SINISTROS PAGOS
li 31 de dezembro de 1884
flarimos..... .,MO:OO0$OOO
Terrestres,.- 316:0008000
44 Roa do Commreio
COMPANHIA DE EDIFICADO
0 cscriptorio (Testa
companhia a c h a s e
fonecionando no largo
de Pedro II, n. 77, 1.
anda.
Iinrumbe-sc median-
te contrato c a paga-
mento em prestares,
de construcfdes e re-
construyes de pre-
dios, cujos projectos e
ornamentos sejam ou
nao confeccionados
pela companhia.
So escriptorio se en-
contraro sempre, as
amostras dos produc-
tos da fabrica vapor
do Taquary, tendo sem-
pre venda: tijolos
massiyos de al venara,
ditos para ladrihos,
diversos formatos, te-
lhas romanas, francs
zas, de capote com en
caixe, de crista; cano-
e curvas de diversos
dimetros, ornatos va-
riados e tijolos fun-
dos de diversos forma-
tos.
Para vendas e en-
comendas, no escripto-
rio central.
CHARMLRS ELMS
Companhia Franceza de Xavega
cao a Vapor
Linha quinzenal entre o H.vre, Lis-
boa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
0 yp Villa de Feniita
CommanduDte Chancerel
E' esperado da Europa
at o dia 21 de Setembro, se-
guindo depois da indispen
savel demora para a Ba-
ha. Rio de Janeiro
e Santo*.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p-'lot
vapores desta linha,aueiram apresentar dentro de 6
das a contar do da descarga das alvareng.. |...il-
quer reclamacaa concernente a volumes, que po-
ventnia tenham seguido para os portos do sul,afin
de se poderem dar a tempo ai providencias neces
sanas.
Expirado o referido praso a companhiioa n se
responsabilisa por extravos.
Para carga, pat sagens, encommendas e dinheire
a frete : trata-se com o
O vapor ViUe de Cear
Commandante Simonct
Espera-se des Dortos do
sul at o dia 18 de Setembro
seguindo depois da indis
pensavel demora para o Ha-
vre.
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece exccllentes commodos e ptimo passa-
dio.
As passagens poder"io ser tomadas de antemSo.
Recebe carga encommendas e paesageiros para
os quaes tem excedentes accommodacoes.
Para carga, passagens, encommendas dinheir o
a frete: trata-se aom o
AGENTE
Angoste Labille
9-RA DO COMMERCIO-9
Pacic Steam INavi^ation lompanv
STRAITS OF MAGELLAN LINE
Paquete Aconcagua
E' esperado da Euro-
pa at odia 25 de Se
remoro, e seguir de-
Ipois da demora do coa-
'turne para Valparaido
com escala por
Baha, Rio de Janeiro e Monte
video
Para carga, passagens, encommendas e din-
Wro a frete tracta-se com os
AGENTES
Wllson Sons Je tj., l.lmlled
N. 14 -RA DO COMMERCIO-N 14
COMPANHIA PBBNAMBtJCANA
DE
.Haveeaeio Coste Ira oor Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macu, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarahu e Camossim
O vapor Pirapama
Segu no dia 23 de
Setembro, s 5 horac
da tarde. Recebe
carga at o dia 22
Encommendas passagens e dinheiros afrete at
s 3 horas da taide do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Cae da Companhia Pemamiueana
n. 12
4 0HPt\Hli: DE HENSAGB
RES haritihe
UNHA MENSAL
O paquete
rilTEIU
Commandante Gron
E' esperado dos portos do
sul at o dia 18 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costume, para Bordeaui
tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos senhores passageiros de todas
as classes que ha lugares reservados para est*
agencia, qne podem tomar em qnalqne tempo.
Faz-se abatimcnto de 15 % em favor das fa
milias oomposta de 4 pessoas ao meaos e que pa-
garen) 4 passagens inteiras.
Por excepcao os criados de familias qne torna-
reis bilhetes de proa, gosam tambem d'este a bati-
mento.
Gs vales postaes s se d. at dia 16 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e dinheir
a frete ; tracta-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9-RA DO COMMEROIO-9
Porto por Lisboa
Com destino aos portos indicados seene com
brevidade a burea nacional iarinho ii; para
carga e passageiros, trata-se com os consigoata-
ioa Jos da Suva Loyo & Filbo.
Companhia Bahlana de navega-
cao a Vapor
PORTOS DO SUL
Maoei, Villa Nova, tenedo, Aracaj,
Estancia e Bahia
0 vapor Sergipe
Cera-mandante Pedro Vigna
Segu impreterivel-
mente para os porto
cima no dia 20 d- Se-
tembro, as 4 horas de
tarde. Recebe cargh
'nicamente at ao 1|2
diado dia 20.
Para carga, passagens, encommendas e dinhei -
ro a frete, trata-se na
AGENCIA
7Ra do Vigario7
Domingos Alves Mathens
Hini'tU!i 1'KB^.iBBUM
DE
Vavesaco Coste!ra por Vapor
Fernando de Noronlia
0 vapor Giqui
Coman dan te Lobo
Segu no dia 20 de
Setembro pelas 12 ho-
ras da manhS.
Recebe carga at o
Idia 15.
Passag<.uS at as 10 .oras da inauha do dia da
partida.
ESCRIPTORIO
rae* a Companhia Pemanihn
_______cana n. >__________
BOYAL MAILSTEAI PACKET
COMPANV
0 paquete Neva
Espera-se da Europa no dia
23 on 24 do corrente seguin-
depois da demora necessaris
para
Bahia, Rio de Janeiro Monte-
video e lineos \j-res
Para passagens, fretes, etc., tracta-se -coi os
Consignatarios
Amorim Irmos &C.
S. 3 RA DO BOM JESS N. 3
LEiLUf
2: Leilao
Agente Brito
O agente cima devidamente autorisado levar
a leilao a armacio envidracada, utensilios e bons
gneros do estabelecim- nto de molbados sito ra
do CapitoLima n. 68, em um ou mais lotes, von-
tade dos Srs. licitantes.
Garante-se a casa.
Segunda feir 19 de Setembro
As 10 3[4 horas
Leilao
Da uro piano, movis, espelbos, etc.
O asente Britto devidamente autorisado levar
a leilao os objectos abaixo pertencentes a um es-
poRo : 1 piano, 3 cordas de Bord, 1 mobilia preta
completa, 2 espelbos, 1 cama francesa, 2 cmo-
das, 1 marquesa> 1 marques, 2 machinas de coa
tusa de mSo, 1 berco, 1 bidet, 1 guarda-louca, 1
mesa elstica, 6 tabeas, 2 aparadores, 1 quarti-
nbeira,2 cabides, 1 baaquinha, 1 aarrinh para 1
csrneiro, jarros, quidro?, escarradeiras, etagerB,
louca para almoco e jaotar, vi iros, copos, calheres,
trens de cosinba e diversos obj-ctos avulsos.
A's 11 horas
Terca-feira 20 do corrente
No 2 andar do sobrado roa Di-
reita n 133
Leilao
De um motor vapor movido com alcool ou gaz,
novo e perfeito com torca suficiente para mover 9
machinas de costura.
Um bilhar com todos seus pertences, qnaai novo
perfeito.
Um grande lindo quadro feito de cera.
Um lustre gas com 4 bieos.
Duus pianos e urna serafina.
Urna mobilia de junco preto.
Urna dita de Jacaranda.
Terga-feira, 20 do corrente
A's 11 b ras
Agente Pinto
No armazem ra do Mrquez de Olinda
n. 52.
Por occasiSo do leilao de predios
Le'lao
De bens movis, piano e louga
vscca ingleza tourioa e diversos ps
de croto.
Terca felra, 'i*' do corrente
A's 11 boras
Roa da Conquista n. 6 esquina da ra das
Nymphas em frente ao palacete do
Sr. Pereira Carneiro
O agente Steple autoriado pelo Exm. Sr. Dr.
Jote AugUBto de Azevedo Marques que retirou-se
para o Ro Grande do Sul como guarda-mor da
alfandega do sul com sna Exma. familia levar a
leilao os movis em bom estado de conservado
como sejam :
Urna mobilia de Jacaranda feitio de medalhao,
commodas, espelbo oval nevo, piano, jarros, qua-
dros, tapetes, etagers, guarda-vestido, 1 cama de
vinhatico s Resten- para casal, ditas para meni-
nos, toilet de cito com pedra, cadeiraa de vime,
ditas de junco, mesa elstica, 2 importantes apa-
radores de vinhatico com pedra, maiquesfs, guar-
da-louca, louca para almoco e jantar, trem de co-
sinba, champagoe, viohos finos, e muitos objectos
de casa de familia.
Partir da estacao da ra do Brura s 10 i/2
horas em ponto um bond que dar passagem aos
Srs. concurrentes.
Leililo
Do sobrado da ra de S. Bento n. 10, em
Olinda servindo de base a cfivrta de 3214090, da
casa terrea da ra Coronel Suassuna n. 57, e de
nm terreno em BeDeribe de baixo, ra da Rfge-
neracio.
Terca felra, do corrate
A's 11 horas
Agente Pinto
No armazem da ra do Mrquez de OlinrL
n. 52
Por oeeasiat. do leilao de mobilias, pianos
bilhar e serafina
Agenie Pestaa
Leilao
Da loja de funileiro sita ra do Vigario Tenorio
n. 29
Tcrca-feirsi SO l<> corrale
A's 12 horae
0 agente Pestaa, autorisado, far leilao, por
conta e ritco de quem riferteocer, da referida loja,
com todos os seus pertences, os quaes sSo : ba-
as, bacas, regadores, vidres. etc.
Leilao
D) sitio todo murado cem casa de vivenda a.
11 ede urna pequea casa terrea n. 9 A depen-
dencia d'aquella, sita ra do Coronel Francisco
Jacintbo fregu^zia de Nossa Benhora da Graca e
b -m como nm terreno de 52 palmos de frente e
250 ditos de fundo, todo murado e faz parte do
referido predio.
Da casa terrea n. 166 sita roa Imperial fre-
guexia de S. Jos, junta taverna do Sr. Joa-
quim Netto, e defronte do ssbrado da viuva do
Valdevino, nova e edificada em solo foreiro ma-
rino, com frente de azuleje tendo porta, janella,
3 quartos, 2 salas, cosmha externa, cacimba e
grande quintal murado at a mar, onde existe um
solide caes.
Terca felra, o do eorrente
A's 11 horas
\o armazem da ra do arqnez
de Olioda n 19
POR INTERVENCO DO AGENTE
Gusmo
Arente Pestaa
Leilao
Dj sobrado de um andar sito ra Vidal de Ne-
greiros n. 91, com 3 janellas de frente e 1 por-
ta, 2 salas, 2 quartos e o pavimento terreo oc-
cupado com estabeleeimento de molhados, dan-
do o rendimento meosal de 3600J, terreno
proprio.
Urna casa terrea us fundos do mesmo sobrado,
sita ao largo do Forte n. 56, com 2 salas, 1
quarto e quintal, rendendo 15*. meniaes, terre-
no preprio.
Um sobrado sito ao largo do Paraso n. 11, com
grandes commodos para famil, em terreno pro-
prio, -endendo 4'K>i0l'0 annnaes.
QUARTA FEIRA, 21 DO CORRENTE
A's 12 borus em ponto, no armazem da
agencia,
ra do Vigario Tenorio n. 12
O agente Pestaa, autorisado, vender no dia e
hora cima mencionados os predios alludidos, que
pelo bom e-tado de canaervacao e rendimento,
chamam a attcnci dos Srs. compradores.
Agente Pestaa
Leilao
Do um importante terreno na Tamarineira
bem arborisado, com -.00 palmos de
trente e cerca de 600 de fundo, eorn urna
importante cacimba e banbeiro ; servindo
de base a offerta de 885IOOO.
tiiartu felra, I de Setembro
As 12 horas
No armazem da ra d Vigario Tenorio
n. 12
O agente Pestaa, autorisado por mandado do
Eiin. Sr. Dr. jais de orpbaos, e com asaistencia do
meamo, vender.no dia e hora cima mencionados
o terreno alludido, o qual pela sua fertilidade,
chama attenclo dos Srs. compradores
Leilao
Da officina de funileiro
Quarta feira. 21 do corrente
A'S 11 HORAS
Travessa das Cruzes n- 6
O agente Stepple competentemente autorisado
levar a leilao a officina cima, contendo ella di-
versas obraa e algumas ferramentas proprias da of-
ficina, garante-se a casa.
Desdo j podem examinar a dita officina.
Leilao
De nma grande chcara no lugar denominad*
Barreiras'em Caxang prto da eatacao, com casa
para grande familia, com 2|cacimbas bombas, estfi-
barias, 1 baixa de capim e'maitas outras bemfeito-
rias ; bem como urna pequea parte do eogenbo
Brum em cojo terreno se acha edificada a dita esaa
propriedade de J. A. Thon.
(Em um lote)
Sexta feira 30 de Setembro
Ao meio dia
ente Pinto
No armazem da ra do Mrquez de Olinda
n. 52
Os pretendentes podem examinar desde j a dita
casa, entendendo-se com o mesmo agente.
Ag
AVISOS DIVERSOS
Na anemias nico reconstituate a Agua de
Caj pura .
Aluga-se casas a 8OG0 no becco dos Coc-
hos, junto de S. Goncallo : a tratar na ra d
[mperatris n. 56.
Alnga se por 10*000 a casa n. 21 na Var-
sea, defronte da estacao, com armaco ; a tratar
na roa da Imperatriz n. 56.
Compra-te urna casa terrea na raa da As-
sompcao ou Santa Cecilia ; a tratar na ra do
Mrquez de Olinda n. 3, loja._________^^__
Nao ha quem nao saiba que no tempo do caj
familias inteiras acampam debaixo dos cajueiros
d'onde eabem nedios e anafades, nutrinda-se ex-
clusivamente de producto dos mesmos cajueiros.
Precisa-se de urna perita cosinheira qne vi
comprar e que durma em casa ; ra de Joaquim
Nabuco n. 9, Capunga. ________________
= Entre duas estaces Crus das Almas, alu-
ga-se urna casa propria para estrangeiro, com to-
das as aecommedacoeB em frente da chcara do
Sr. Thon : a tratar na ra Io de Marco n. 25,
loja de jotas. _______________^^^^^^^^
A agua pura de Caj (o nome o dix) nao tem
droga nenhuma nociva, apenas o sumo da me-
dicinal fructa conservado._______________________
Quem deixar de convalescer crear appetite, o
engordar para evitar gastar alguns mil ris na
deliciosa bebida Agua de Caj pura.
Aluga-se o grande predio n. 3 ra do V9-
eonde de Itaparica ; bem localisado por ter duaa
frentes e de grande commoddade ; b pretenden-
tes podem entender-se roa do Imperador nu-
mero t>9. ________
Preci-a-se de urna pessoa de idade para o
servico de urna casa de familia composta de mari-
do o mulber ; a tratar na ra do Queimado n. 46,
loja^__________________________________________
Quem precisar de urna senhora habilitada
para ensinar bem primeiras lettras, portugus,
francs, msica, piano, flores e tapecaris, dirja-
se ra do Marques do Serval n 23, loja, que
achara com quem tratar. Na mesma casa vnde-
se cinco quadros muito bonitos da historia roma-
na ; tambem se dir quem aluga a casa do pateo
de S. Pedro, em Olinda n. 2, com commodos para
grande familia, muito frsca, com gas e agus, em
excellente posicao._____________^^__^^^_
Alugam-se as casas ns. 6 e6-A estrada da
Torre ; as chaves junto, e trata-se na travessa d*
Corpo Santo o. 25.
ALUGA-SE nma casa em Santu
Amaso, ra do Lima. n. 30, propria para
familia grande ou collegio. Tem 7 salas,
15 quartos, agua e gaz encanado, appare-
Iho e quintal: a tratar na lytographia de
J. E. Purcell, ra Mrquez de Olinda
n. _&___________________________
= Aluga-se o 1- andar n. 9 ruado Coronel
Suassuna ; a tratar na ra da Soledade n. 30, oa
na ra Imperial d. 19, 2- andar.
Vende-se um estabeleeimento de funileiro
com todas os pertences ; a tratar no mesmo esta-
beleeimento, ra do Vigarie n. 29.
Precisa-se de urna ama para cosinbar ; a
tratar na roa das Trincheiras n. 17, leja, das Id
horas s 2 da tarde.


-<





riBt
Diario le rernamDucoDomingo 18
5 Precisa-se de criado para vender taboleiro :
na ra da matriz 2fc50
O 8r. Dr. Argemiro Arouxa tenha a hondada
da reaponder-me no prazo de seis das sob a ou-
neraclo acim*, aob pena de en dar pnblicidade do
niotiTo e o tempo deste numero.
Casa para alujar
Aluga-ae a casa u* rui do Conde da Boa-Vista
ti. 92, sendo o aluguel de 404000 menaaea, tendo
agua e gaz ; a tratar na ra do Bario da Victo-
ra n. 54, arm.izem de movis.
Quem precisar/
Aloga-ae um bom ama com aa precisas commo-
didades para familia, junto a eatacao da curva
d'Agua Fria(Beberibe), onde ae tratar* com Jos
Times Pereira. _____
Caixciro
Preeiea-se de om menino de 14 a 15 annos de
icade, com pratica de moibadoa, em Santo Amaro
d*s Salinas tavrna de Beuto Jos Ferreira.
lia
Na roa da Uniao n, 13, preataa-se de cma coai-
nheira.
O !r. Dr,
Perelra ala
Vrenle
Reg
Para nao incommodar-se, queira ter a bondade
de enviar para a ra do Barai da Victoria n. 10,
a resposta da carta rrgistrada sob n. 12, e que
foi V. 8. entregue no uia 14 do eorreute, poia o
portador ubi espera. ^____________________
i flr.B
MBOICO
Consultas : das 4! horas da manh- s
2 da Urde.
CaanMM: ra do Imperador n. *_,,
primeiro andar.
Residencia : ra da Aurora n 47.
Boas casas
Alu;*a-e na roa Imprial tres casas terreas
com aota interna, gradeamento e porto na fren-
te, com 8 quartos, cosinha tora, quartos para cria-
dos, banb.iO, agua e gaz pelo diminuto piejo da
30J4000 cada urna ; a tratar na masma ra nu-
mero 236.
Folhinhas de Laemmert
PARA
1888
Ja chegraraiii para
Livrari Parisiense n.
7 A ra Primeiro de
Marco.
9

% Ib
* E"* ? -.
5 Ss= T
sr v 9 ~ i
S s> .
<^ S" rs
a* SU
c =5 fyo* 2. s
* 55-*
o <3 < -o
ajCfS
r- ? CC f T 25
lotera do ceara
XOVO PL.4WO
40:000*000
Com a diminut. quantU de 2,5400 h:.biita-se a tifM 8:000000 o coro 1*200
4:000,5000. __. ______
CORBE U1PRETERITBLMEKTE
Sabbado 17 do corrente
5O:00O$000
Corre sexta feira, 16 do corrente
ESTA LOTERA NUNCA FOI TRANSFERIDA
O portador ae um Lilheto eBt habilitado a tirar tois de UM PREMIO I
Cada numero pode ser repetido dns ou tres veses, prevalec ndo todos premios
que sahir.
BfllttRi ma as casas 0q cosame.
tan 6 igor para todos
ESTOMAGO, FIGADO e INTESTIN
VlltHO E XAROPE DE JURUBEB*
BARTHOLOMEO & Ca
PHAhM. PEHNAMBUOO
nicos preparados de Jurubeba approcados pela Academia de Medicina, e]
I reconi mendados os cont.a as Molestia do Estomago, Per da da Apr-e-1
tita, Dlgectoe ditnceis, Dyspepsla o todas as Molestias do Ufada, e do Bapc,|
| na Disrrhea chronica, na Hydi'ooesia, etc.
CUIDADO OOII -A.S FALSIFIOAOEBI
&

& vy &
*.
^A4
/
Ama
Preciea-se de ama ama pan engommar e tazer
servicos de casa ; na typograpbia do Diario, nq
3- andar, n. 24, ra Duque de Cazias.
AMA
Precisa-se de urna ama para cemprar e
cozinhar em casa de familia : na ra Du-
que de Caxias n. 14 se dir.
Ama
Precisa-se de una ama para todos os servicos
de casa de familia ; a tratar na ra do Barau da
Victoria n. 7. 2- andar.________________________
Precisa se de una ana para casa de pouca la-
milla ; a tratar no beces do Peixe Frito n. 9. se-
gundo andar.
Ama
Precisa-se de urna ama pra cosinhar : na ra
do Pedro Affonso n. 58, autiga da Praia.
Ama
Precisa-se de urna rapariga para cuidar de
ama enanca ; na ra das Crioulas (Capunga) nu-
mero _-B.
INa ra 1- de Marco n. _0
(junto ao Louvre)
APROVEITEM!
Zephires de cores lindos desenhos, a 140, 200 o 240 rs. o covado.
Cretones claros finissimos, a 320 rs. o covado.
Ditos escuros cores fixas, a 360 rs. o dito.
Chitas tiaras e escuras a 2C0, 240 e 280 rs o dito.
Percalinas a 240 rs. o dito pechincha !
Merinos de cores e pretos, todo de II, com 2 larguras a 800 rs. o dito.
Cachemira de listras, a 400 dito, aproveitero !
Completo e variado sortimento de las para vestidos.
Cambraias de cores com salpicos a 5^000 a peo*.
Ditas brancas a 55500.
Fustao branco a 400 rs. o covado.
Dito branco rendado a 200 rs. o dito.
Esgui5o de lioho pardo para vestidos e vestuarios de crianzas e 320 ris
o dito.
Bramante de liulio com 10 palmos a 1$80 o roano.
Ditos de algudSo com 4 larguras a 800, 1J100 e 1(J300 o dito.
Panno do Ct.sti para mesa a 10000 10200 o covado.
Atoalhado de linho muito fino a 25400 o metro-
Ditos de algodSo a 10200 e 10300 o dito.
G-ardnapos a 20200 e 208OU a duzia.
Borriados de 500 a 20000 a pe<.
Cortinados bordados a 120OUO e 150000 ana.
Fichus Je 1.a a 10500 om.
Toalbas para b; nlios a 10500 orna.
Ditas alcocboadas para rosto a 30500 a duzia.
Colchas de cores a 20000 urna.
' Meias de cores para s'-nhora a 40500 e 55000 a dosis, coavem'
Ditas para homem de 3061X) a 0000 a dita.
Camisas de meias para homens, muito finas a 10000 urna.
Para banhe de mar
Costume para senboras a 100000 uro.
Dito para homens a 80000.
Ditos para meninos a 50000.
Sapatos e bolsas para o fvn e rouitoa outros artigos a preriaclo publica.
i RA 1- DE MAR0 N. 20 (JUNTO AO
LOUVRE)
Amas
Precisa-se de urna ama para cosinhar ; na ra
do Rangel n. 44, 2" an lar. _______
Ama
Na ra Duque de Caxias n. 58, necessita-se de
urna para coeicha.
AMA
Precisa-se de orna ama para casa de pouca
familia ; a tratar no becco de Pedro Affonso n 9.
AMA
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia ; a tratar na ra do Peixe Frito n. 9, pri-
meiro andar.
Ama
Precisa-se de noca ama : no largo do Corpo
Santo n. 17, 3- indar______________
Ama e criado
^Precisa-se de urna boa cosinbeira e um criado
que entenda do servico de cop"iro ; a tratar na
ra do Mrquez do Herval n. 37. _______^^^
Aluga-sc barato
Una Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra Con.nel Suassnna n. 141, quarto.
Becco da Bomba n. 8.
Coredor do Bispo [
Baixa verde n. 1 C.
Largo do mercado com agua n. 17.
Roa do Calabouco n 4, luja.
?rat_-se na ra do Cou.morcio n. 5, 1* andar
es ripfnrio de Silva fJnimariles & C.
Aluga-se
a casa n. 4 da travesea do Freitas (antiga Ja
Trindade) em S. Jos, a de n. 6 e a de n. 8 junto,
eom bastantes commodos e limpas ; a chave acha
se no n. 26 para ver, c trata-se na ra da Guia
numero 62.
Milita alh'iicaii
Na rsa Sete de Setcmbro (ootr'ora becco dos
Ferreiros) n. 6, faz-se plises e recorta-se babados
largos e estreitos.
Pillas purgativas e depurativas
de Campanha
Estas pilulas, cuja preparacao puramente ve
jetal, teem sido por mais de 2 annos aproreitadat
.om os melhores resultados as seguintes moles-
tias : affeeces da yelle e do figado, sypbilis, bou
boes, escrfulas, chagas inveteradas, erysipelas e
gonorrhas.
Modo de anal-a*
Como purgativas: tome-se de 3 a 6 por dia, be-
oendo-se aps cada dse um pouco d'agua adoca-
ia, cha ou caldo.
Como reguladoras : tome-se um plala ao jantar
Estas pilulas, de invenca dos pbarmacenticos
Altreida Andrade 6c Filhos, teem veridictum dos
Srs. mdicos para sua melhor garanta, tornande-
ie inais recommendaveis, por serem um seguro
purgativo e de pouca dieta, pelo que podern ser
isadas em viagem.
ACRAM-SE A' VENDA
* drocaria de l-'ria Sokrinho t
41 -BBA DO MRQUEZ DE LINDA 41
Leiam
Na rna du BarSo da Victoria n. 2, primeiro an-
dar, preparam se capellas mortuarias de fl'tes
nataraes e artificial'*, de diversos gostns e prego,
e mais rticos desta pr.fisea" como sejam : bu
quets para easaiiputos e offertai, com disticos
bardados a ouro e nnita.
FalsifcacOes
Para evitar falsificacoes com referencia ao co
nbecido PEITORAL DE CAMBARA, deve exi
girse este preparado com a firma do au:torAr-
vares de S- Soares em rotulo circulando a r>>
Iba do frasco e a marca da fabrica nos invclinrios,
irulada pelo nime dos ag-ntes e dep zitarioe
gentes em Peinan buco Francisco Manoel da
Silva & C roa do Mrquez de linda n. 23
Compra-se
ama casa ao bairro de S. Jos, com tres portas e
c m mudos sufiicientes para familia; a tratar no
pateo do Mercado n. 6, taverna.
0 Remedio do Dr. Ayer
OORTB SKZBS.
-i getal, e,
i
tur-, GraBAKTroo como cerdo para
as 'i brea mal de-
\ em sos origen) a mu veneno miasm
penetra no sang Itera
n Bgado e mol
febres eonbecidas por Terciarias e
Quatrenarias, Internas, de Prio,
Malignas, Intenn.ittenes, -lemit-
tontee, Bilioaas, e Typhoide.
n Rkubdio do 1)t:. ''.'> i Dentralisa >>
cpele-o do ijrsl
KSo cootem qolnlna nem Ingrediente al-
,, mineral; seguro e
DR. JT. O. AYER e CA.,
Lowell, Mass., E. ir. A.
A' i prtnclpaes pbannaciaa e
drogaras.
Fumo carioca
Preparado pela acreditada fabrica do Rio, de-
nominada Fjntc Limpa ; vende se em pacetinhos
em todos os estabelecimeotos ele retalho.. nico
deposito, na fabrica Veneza, arco da Conceieao
nmeros 4 e 6
SEM0L1M
De Brons & C, de Glasgow
Este artigo, preparado por nm novo processo
de trigo da melhor qualidade, possue es elemen-
tos necessarios para nutricio d crianzas e doen-
tes, e mnito se recommenda /por ser de fcil di-
gestao e gosto muito agradavel ; tambera pode-se
faz t urna c-xcellente papa, misturado em partes
iguaes cjm a maizena dos mesmos fabricantes,
addicionandc-3e-!h a'gum leite. nicos agentes
uesta oraca, Saundira Brothers & C- la'go do
Corpo Santo n. 11, primeiro andar.
Farello tJnarinyipi
Cbegou a primeira remessa do precioso farello
de carneo de algodao, o mais barato de todos os
alimentos para animara de rae ('avallar, vac-um
jumo, etc. O earoco de algodao depois de ex-
trahida a casca e todo o oleo, o mais rico ali-
mento que se pode dar aos anim;ies para os forta-
lecer e engordar coro admiravel rapidez.
Nos Estad os-Unidos da America du Norte c na
Inglaterra elle emoregado (eom o maie telii re-
sultado) de preferencia ao milho e outros iarelbs
que sao muito mais caro e nao sao de tanta sus-
tancia.
A frailar no Heclfe rom Fragaltocba
t
capio Jo-qu.m L.t-oradio vtenan
Os irmio do finado Joaqaim Leocadio Virgns'
mandam celebrar miasaa na igreja de 8. Goncalo'
is 8 horaa da manbi do dia 19 do corrente, 1* aa"
niveraario de s<-u taliecimento ; para que convi"
dam a< i ar'ntp e ~>t-oa.
B m e o s
2 C 95 5B 35

__L =
a m p
3.

o
ce
2
Quem quizer alugar a casa n. 8 ra da Uniao
com muitas accommoc'acoes, pidera entender-se
com os Srs. N^gieiros ra do Imperador n. 24.
Sefficntesdecairapato
Comprara se pequeas quantidades ; na droga
ria de FranciseT M. da Suva & C, ra do I
quez de linda u. 23.
Layadcira de brrela
Precisa-sa de urna lavadeira de brrela, que
d conhecimento, para lavar para casa de fami-
lia ; na ra Augusta i "I.___________
Pira passa a fosla
Alaga-se urna excelente casa erm agua egsz,
com bastantes comm.dos pira familia, na travessa
da ra de S. Bento n. 4, ou largo do s. l>. ,1ro no-
vo em Olinda : a ttatar na ra do C mmercio n
26 A, Recite.__________________________________
fladeuioiselle iotinha
Ra do Imperador n 55, segundo andar,
Modista
Aviso
Emilio Billion, Engenheiro Mecnico, engarre-
ga-ae de montar novos apparelh '8, dos melhores
fabricantes francezca, e ca mais apperfeiQoados,
pelas condic'S e precos seguintes :
U assucar ser fabricado pelo systema Bro-
cheton e Billion igual ao da Usina Pinto.
- Qarante-ae no mnimo 9 % de assucar cris-
tallisado de todos os jactes, e 10 /. com moends
de represso, augmentando os presos abaixo de-
clarados.
O traballio dos apparelhos ser por 24 ha-
rs, se aproveitarao os edificios existentes, com
pequrnas reformas ; oa proprietarioa daro todo
material, como : tijoloa, cemento, cal, area, in.-i-
deira, etc. ficando por conta do empreitorio todo
mais trabalho.
Prero dan I Minan
o: II m o o) o 3 B o H 5 S _ 9 -4 a
09 S3 5 II
a M D 'I s
1 100 tonnel. 9.000 k 110 sac. HO:000(KX)
2 125 11.250 . 140 . 130:00"000
3 150 13.500 168 150:000000
4 _"0 18.000. 225 IfcO.OOOOOO
Para qnalqu er explicacao, dirigii se Dt Usina
Aripib i-u 1,'sinv Bosque.
ocheira \or e-IVrnambucana
Com est<- titulo acaba de se fundar na cidade de
G: y-.nna, nm grande estabelecimento de carros
de aluguel, perteucente a firma social Aranba,
Ucha & _., que se prupoe servir ao publico com
a maior regularidade, presteza e por precia mo-
dlC'.'B.
D'ora em diante partirao todaa as qaintas-feiras
de Goyanna, s 6 buras da manh e as 3 da tarde
para linda, e de linda para Goyanna aos sab-
bados, s 6 horas da tarde, e aos domingos s 7
horas da manb. Os carros nao admittirao nu-
mero de passageirog superior a sua lotaco.
O preco de cada viagem de ida e volta ser
12000.
Viagem de ida ou volta s.-mente, ser 6/000.
O pasasgeiro tera direito a aaaento reservado,
pagando mais 2/000
Espera a empresa que nao lbe faltar o ; milij
do publico, com especialidade do commercio de
Goyanna, auxilio que promover retribuir, esfor-
cand-i-se para que o servico se faca C3m a maior
regularizado possivel.
Logo que o tempo e as estradas mtlhorarem,
sera reda-ido o preco das passagens.
Ao commercic
Declaro que comprei ao Sr. Manoel de Azevedo
Cruz a taverna sita ma de Gervasio Pires n.
139, livre e desembaracada de qualquer onut oa
debito ; se algaem se jaigar crednr, quera appa-
recer n > prasu de tres das. Recife, 1 '. de Setem-
bro de 1887.
Miguel Marcelino da Costa.
CURA CERTA
de tois as ABeoges pulmonares
4fL
CAPSULAS
^37CREO S OT AD ASYCA
|l/doDr.POUIlinER|
Unlc ~~-ml-l_i
[ tt UmUjto dtPtrii m Wt
KXIJ-*B A PAI'^A D
il-lfTl* nibd
. Todos aquel les que soflreml
Ido peito, devem experimentar I
las Capsulas do Dr. Fournier.i
Criado c cosinheira
Preciaa-se de criado e coeinh-ira ; a tratar no
terceiro andar, por cima da typg-.apbia deste
Diario.
MM w en!
Scm dieta e sem iuodifl-
ca?oes de costunies
Laboratorio central, ra do Visconde
Rio Branco n. 14
Esquina a ra do RegenteRio de
Janeiro
EspeeiCcos preparados pefo phar-
utaceulico Eugenio Marques
de Holianda
Approvados pelas juntas de bygiene da
Corte, Repblicas do Prata o Academia de
Industria d Paris.
Elixir de imbiriblna
Reatabelece os dyspepticos, facilita aa diges-
to'.B e promove as ejeecoes diffic is.
VIniio d anaimz rerrusinono e
qnlnado
Para os chloro-anemico?, debella a hypoemia
intertropical, rPconstitue 01 hydropicns e baribe-
ricos.
Xaropc de flor de arneira e ma-
Inniltn
Muitc recommendado na bronchite, na hemop-
ty- e as tosses agudas on chronicas.
Oleo de lewlnduM Orrogino-o e ras
can de I aran jas iinin- _n
E' o primeiro reparador da fraqueza do orga-
nismo, na fysica.
Pllulaw anie-periodiean. preparad!*
rom pererlna. quina ejahorandy
Cara r h I brea ntermittentea, ~3-
mittentei as.
ViMio ile jnrisbeba winiplea e tan
Sem ferrnsttioNo. preparado*
eni vinbo de raj
ES itiflamacoes do figade e baco agu-
das ou chronicas.
Vlnbo loulco de cnpJlarii e quina
Applicado as convalescencas das parturientes,
retico ante febril.
isc ? MaiBi (a sin k G.
RA D MRQUEZ DE OLINDA
ltanos em Pcmamtwto:
ruAHCisco M. da ilva o.
Fabrico de assucar
Apparelhos eLonomic-os para o eozmen-
ta e cura. Proprio para engenho* peque-
os, si-mo mdica* em preco e ef
fectiTO em operaeao.
Pode-se ajuntfr toa sngenhoa existentes
do systema velUo. melhor; ndo muito a;
quaiidade do assucar <; augmentando a
quantidade.
OPERAQAO MUITO SIMPLES
Uzinas grandes ou engenhos cf ntraes,
majhin8mo ap'rfeijoaJo, systema moder-
no. Plantas completas ou machinistno
separado.
Especificagoes e informaj b
Browo C.
5RA DO COMMERCIO-5
Peitoral de cambar
Agentes e depositarios geraes n> sta provincia
FRANCISCO M DA SILVA & C.
No armazem de drogas ra >io Mrquez de
01 inda n. 23.
Presos : Fraseo 2*580, 1/2 duzia
13J00O e duzia 24(XIO____________
Agencia de cobranzas
No paleo do Llvramento n. 37
Eocarrega-se de cobrunca'?.
Ferr ugino sas
JURUBEBA\
BARTHOLOMEO & Ca
Pmrm. rtrnambuto.
. Curto a Anemia, Flores brinca.
a\ Falta de Menstruago, ,4
\ Scbilidadsa Pobrea de sangue ir
*\ Eacigii a a.3signatu.ra^'
P^?^^?B
VENDAS
Costureir s
No pateo do Livramento n. 27, andar, cose
se com perfeicao roapas de alfaiatt, e uasira como
vestidos por figurino .
Alimentagao racional
das MES, CRIANZAS, AMAS 4 CONVALESCENTES
Por uso di PHOSi'HATIX.t Falieres.
PARIZ, 6, Avenue Victoria, 6, PARIZ.
tsposiUrios ea Pernambuco FH M. da SILVA CM.
Terreno
Vende-se um terreno confronte a esfacSo di
Principe, estrada de Joo de Batroa, com 90 pal-
mos de frente e bastantes fundos, e om alicercee
para 3 casas; tratar na ra d'Apollo n. 30, pri
eiro andar.
__B_fc__N_____fl_fc*__HSB_B?J
PILLAS do Dr CRKIK1
TRTMTA NOS h bom xito ua daca-l -k>
eScaolm t_nBtoUT4' 4'wUj PUulas,qo iuua
ftot m saaMBBa freedrm para rif-i-fa twf.
Pdsfl ias propriedsdflf tonieai flrps-**,
o lomraiiTo f r-aaac- QXjrjrrVM
6 4 o a-iioament/. __b TOBn ooa-m M
i Btr-t d* littomtao A-MMi *
Htt de apoetlti
t fajnrrt rmp'ihrr-'fr -t** *> Sanuun
_ ^ ansalta trJl: 1. raa w* S-sui-Santt-r:-, 'C
| *'^ra^,^,,,^^.*0,
Vende-se o sobrado de d;us andares e sota,
em bom estado, ea> chao proprio. ra de Ag'iaa
Verdea n. 22 ; a tratar com o leiloeiro Martina.
Vend '-se a casa terrea n. 1H na da Poate
Velha, freguezia da R ia-Vista ; a tratar ns roa
do Hospicio n. 29.
Fabrica de chapeos
Antonio Jos Mata & Q.
DEPOSITO
ra do Baro da Victoria as.
S4e3l
Oa proprietaiioa deste estabelecimento scienti-
I cam aoa aens numerosos fregueses e ao respeitavel
publico, que contiouam a ter grandj soitiiaeato
de cbapos de todas as qualidades e formatos,
, manufaetnradoa com toda a perfeicio e por precos
I mais vantajesos que em outra qualquer parte.
Para acabar
Os seguintes artigos:
Madapoln anx-ricaoo coro ara metro de largara,
! de 13 por 6500.
Fuatoes brancoa do 500 ra a 240 r8.
Setioetaa de qua riobos de 500 rs., a 240 ra.
Luvas de linho de 800 rs., a 320.
Cretones americanos, superior quatidide, de 400
rs., a 240.
Casemira telpou para vestido, de 800 ra., a 24U.
Cambraia victoria, de 4500, a "500 a peca.
Cortea de cambraia branca, bordados o de co-
res, com um peqneno toque de mofo, de 8200 \ *
a 44500 e 5* 00.
Atoalhados, bonitos desenhos, c >m pequeo to-
que de moto, de .000, a 11200.
Guardanapos de 4, a 2000-
Linon de todas as cores, de 640 rs., a 240.
Toile de Vicby de 5u0 rs., a 210.
Meias inglesas para senbora de 12j por 6.
Toalhas acolcboudas, de 3500 por 200.
Merinos de todas as cores, de 1 j_00 por 5SO.
Lene s com barra de tr, de 2 por 12<)0
duzia.
Nanzuks lisos de 280 rs., a 160.
Leques de aettm de 800 ra. e tf.
E muitoa outros artigos que deixam se de men-
cionar, assim como retalhoa de aiveraas qaalida-
des de fazeiida.
56Loja das estrellas56
Una Itaqae de Caxias
Teiephoae210.
Criada
Prec8i-so de nma cri>.da para cosinha" e com-
prar para um casal : a tratar no pateo do Pnri-
zo n. 8, 2- andar.
Mobil i
Vnde-so ama mobilia coro;rl-t;, em bom esta-
do ; na rut das Trincheiras n.'16, loja.
Gaz ..explosivo
De liOngmaaa A Mnrtine?.
Vendem Ahr-ntes r C- mais barato q'i em
ootra qualquer piite, eui latas de 1, 2 e 5 gnloes ;
este gas reeommend-ivel para as casas de fami-
lia polque evita a explot-). Vemlem tambem cal
deLisbia, olio de mocot. poiassa daRossiaeaa
latas de 10 kilos, aceite de carrapato e grua em
bezigas ; ra do Bom Jess n. 48.
Bestaurant Doria
O propnetario deate eatabelecim nto pede a
seaa devedores queiram vir solver seus dbitos
co n brevidade, porque do contrario verao seus
uomes publicados n--8te Diario.
Caixeiro
Precisa se de um meoino para praticar em ta
verna, qae d fiador de aua conducta : na ra da
Deteogao n. 36.________________________________
Pontos de francez
Esto venda na livraria Econmica o I. II. e
III. pontos de francs, segunda, o proeramma de
1867.
10-Ra do Baro da Victoria1
Damio Lima < C. chamam a attenc2o
das Eimas. familias para seus presos :
Pe^as de bicoa de cores a 34500.
Ditas de ditos bruos a 2500.
Ditas de dit. a a 1500, 18j0 e 2'<00.
Botoes de madreperola finos a .320, 400, 609 s
800 ris.
15 .Isas para meninos, de 1500 a 5000.
LS para bordar a 2800.
Dita mellada a 34800.
Meiss para se-hora a 320, 410, 600 e 800 ria.
Baleias a 320 ria.
Arquinhos a 120, 160 e 200 ria.
Lencos de tia a 11000.
Fitas mo lernas a 5 0, 600 e 14000.
Passarinhos de iia a 500 ris.
Apparelhos para enanca a 14200 e 1450*.
Ditos de metal a 1500 e 24000.
Fmoa chapensiDhos a 54-
Sapatinhos de setim a 34 e 44000.
Modern. s fepartilbos a 64000.
Bonitos collannbos a 500 ris.
Punhja todus oa nmeros a 900 e 14030.
Touquinhas a 24000.
Leqnes transparentes a 24500
Dit. s de sla a 54000.
Ditos de setin ta 14500.
Dttos de papel a 4i)0, 500, 600 e 800 ria.
Caixas com 3 aab .netea a 500 ris.
Urna barr, de sabo a 700, 900 e 143M-
Lu\as de t Ja a 24500.
Benitos jarros a 54, 104 e 154000.
Inviaiveis grandes a 320 ris.
L abas -00 jardas a 80 ria.
18-Rn do RarSo da Victoria!S
I


V

*\
.


r^
T





r

Diario de PernaMnbncoDomingo 18 de Setcmbro de 1887
De urna grande parte de t'szendas existentes na acreditada casa ra Duque
de Casias n. 59: ^presentamos em seguida una lista de alguns artigos que realmente
lo baratissiroos.
Esplendido sortimento de cachemiras para vestidos, de 400 rs. a 10000 o
covado.
Merinos de cores a 600 e 800 rs., duas larguras I
dem pretos desde 800 rs. a 2(5500 o covado I
Setinetas lindissimas a 280 rs. o dito!
Riscadinhos para ves'idos, corea lindas, a 160 e 200 rs. o dito !
Cretones claros, superiores, a 240 e 280 rs. o dito !
Damascos de la, duas larguras, proprios para capa de piano a 2(5000 o dito
Camisas ioglezas, branca, a 365000 a duzia !
dem de cretones finos a 245000 a dita !
Ceroulas de bramante, bordadas a 120000 e 14.5000 a dita !
Meiaa superiores a 20800 o 35800 a uita !
Cambraia Victoria cora 10 jardas 3(5000 a peca!
Madsp dito pelle dn o<--o, 24 janL s, a 6$500 a dita !
Dito ameri ano, supericr, h 50oOU a d:ta 1
Bramantes de linbo puro, 4 larguras, a 2)5000 o metro !
dem de algodao superior a 800 rs. o 10200 o Hito!
Cortes de o-semiras e mtia-ciiseiniras a 2(5500, 3)5000, 50000 e 6)5000
Casemiras diagonal para roups de triancas a 800 rs. I
Iim le doa larguras a 1,5800, 20000, 2,500 e 30200 o ovado!
Bros de cores e pardos para todos os precos.
Gui-rmcoes crochets para eadeiraa e sof a 85000!
Cortinados de bordados a 75000 o par !
Col has e cobertores a 25000, 25510 e 35000 l
Sortimento do tichs, luvas, Jeques, enxovnos para Exmas noivas.
Deposito de fazendas e as vendan oro grosso damos dcsjonto da pra;a.
VINHO MARIANI
DE COCA DO PER
O ?xkho saAJUAJrx que fol experimentado nos bospltaes de Pars,
i preacrlpto diariamente com xito para coinbater a Anemia, Oblaras*,
X)ieMoea mas, Molestia das va respiratorias e Bnfraqneol-
manto do orgo vocal.
Ot Mttfat ncommtautam-no aoi Vtlkot e CHantcu.
E' o Reparador om PsrtarbspflM gUtm
e FORTIFICANTE por EXOEIXBTrOIA
O VINMO MABIANI ss UOOSTRA u OS DI
Ut.mAMXJ%WZ,tli~9*r1m,V *i>">ini* Em Pemambuco : Francisco as. da sxxva A O*.
38Ra de Imperador38
Nesta gr. nde pbarmacia aviase receitas e pedidos com promptidao,
solicitude e modicidade.
As prscrpt'fles em linguas estrangeiras sao fielmente
despachadas
O pharmaceatico pernambucano JOS FRANCISCO BETTENCOURT
convida os clnicos desla cidade que queiram hnralo com sua confianca
para qualquer trabalbo profissional e ao publico. Garante se a mais atten-
ciosa e consL'ientiosa execucao.
Esta casa recebe seus productos cbimicos e drogas directamente
das melhnres casas da Europa, especial mente encom alendadas para seu
receituario.
ESPEOALTOADE
,s
CARJVEIRO DA CUNHA & C.
o9--l.ua Duque de Caxias59
SAUDE PARA TODOS.
i
UNCU ENT0H0L L0WAY
O Ungento de HoUoway um remedio infallivel pata os males de pernal e do peito l tamban pfira
as Sendas antigs chagas e ulceras. E famoso para a gota e o rheuraatismo e para todas as enenni-
dades de peito ni* se reconhece egual
Para os males de garganta, bronchtes resfrlamentos e tosses.
Tumores as glndulas e todas as molestias da pelle nao teem semelhante e para os membroC
contrahidos e juncturas recias, obra -orno por encasta
Casas medicinas **n preparadas smenle no Estabdecimento do Professor HOLLawAV,
78, NEW OXFORD STivEif (antes 033, Oxford Strest), LOlTOtES,
E veadcauc em Uxia* as pharmaci*6 do univeivj.
tT Ot compradores slo convidados respetoumeoic a examinar os rotlos de cada caca e Pote, te nao teem
direcgao, 533. Oxford Street, s&o lalcasoe.
J

FNDICO DE FERRO
CARDUZO IRMO
Ba do Barafi do Iriiwiplio ds. 100 a 104
Deposito a roa do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem sempre em deposito todos os macbinismus e ferragens precisas agricul-
tura desta provincia, como sejam : vapores locomoveis, semi fiaos, com caldeira
ehornis ou para fogo de assentamento, moendas de todr-s os tamanhos, tacbas batidas
e fundidas, etc.
Mandara vir por encommenda qualquer machinismo, encarregam s<- de sental-os
ep rpppr!sabilisam pelo rvm trubalhn do mrsmo.
Vend.ro a pr-zo ou < inhciro cota descont e a precos resumidos.

EDALHA DE HONRA
0 OLEO CHEVRIEB
4slnlectado pe/o Alcatrao,
torneo e tiitti'nco, o flt/e mullo
augmtntt ti proprim/tdm dJ
feo.
0 OLEO de FIGADO
IE BUC-LO FERRUGINOSO
a unir prepgrtco dm nstrar Ferro tem pfo-
i,.' Pnso de Veatre, m
Incommodo.
NrH!T0 pl ea tita
11, na fc r j'-ItgtBUrtn. 21
DIPLOMA DE BOffA
** 'K"l Oritm i'
!
S*<
IKCEITAIH POE TODAS AS
CeleDrld.ad.es Medicas
b\ 1IIIM.I E DA EUROPA
rOLESTIAs"DO PEITO,
AFFEugOES ESCROFULOSAS
CHLOROSIS,
ANEMIA. OEBILIDADE,
TSICA PULMONAR,
BRONCHTES, RACNITISMO
Vinho de Coca
LICKNCIADOS I'KI.A ISSPECTOBtA IlE HT01ENI DO IMI'ERIO DO BRAZIU

H,
Ra de Narco n. 0.
Pai ipam ao respeitavel publico que, tendo augmentado seu
estabelucitrcnto de JOIAS con. mais ama seccio, no pavimento terreo,
com especialidades em artigos de ELECTRO-PLATE, convidam as
Exmas. farsili -3 e seus numerosos freguezes para visitar seu estabele
cimento, onde tn ontraro um riquissirao sortimento de joas de ou'
pr..ta, peroles, brilhantes e outras pedras preciosas, e relogios de aro,
prata e nikel.
Os artigos que recebera directamente por todos os vapor sao
ezecutado8 pelos mais afamados especialistas e fabricantes da Europa a
Estados-Unidos.
par das joias de subido valor acharSo urna grande variedade
le objectos de ouro, prata e electro pate, proprios para presentes de
;a8am(ntcs, btptisados e ; nniversarios.
Nem em rplaco ao pre5o, e nem qualidade, os objpctos cima
mencionados, encontrarao concurrencia n'rsta praca.

TNICO FEBRFUGO REGENERADOR
Preparado pelo pbarraaceutico JOS FRANCISCO BETTENCOURT,
de urna eficacia verdadeiramente maravilbosa as molestias dos orgos
respiratorios.
Bronchiles, asthma tosse, convulsa, etc.
:o:
Essencia depurativa. Formula do distinoto clnico Or. Ramos.
Depurativa por ezcellencia para todas as molestias que tem a origem
na impureza do saogue.
Syjlis, M\m. olcBras, eruDCoes iierpeticas, etc., etc.
Tinta preta para escreverinalteravel, fabricada com muito cuidado
por urna formula ingleza, especial para escripturacao mercantil e repartieres
publicas, secca de pressa, perfeitamente preta, n3o corroe as peonas, nao
deposita e d copia.
AREVOLIJCO
4B--Rna flo Dqqb de Caxias--48
GRANDES NOVIDADES
Esplendido sortimento de cambraia com salpicos, brancas e de cores a 0)5000,
50500, 6^000 e 60500 a peca.
Metins escooezes e de hstras, combinado, a 440 rs. o covado.
Lindos cortes de cretone com barra, alta novidade, a 80000.
Lencos de seda, lindos gostos, a 10000, 10500, 20000.
L3s de quadros, o que ba Je mais novo no mercado, fazenda larga, a 600 e
800 rs. o covado.
Cachemira acolrhoada, lindas cores, a 500 rs. o covado.
Colchas de cores, esplendido sortimento, a 20000, 20500, 30000, 30500
e 40000.
Ditas de crochet muito grandes a 60000 e 80000 urna.
Cortinados bordados a 60000, 70000, 80000, 90000 e 100000, o par.
Ditos de crochet, completo, a 450000.
Lindas guarnicoes de crochet para cadeira e soph a 65000, 80000 e 100000.
Merino, lindas cores, a 700, 800 e 10200 o covado.
Guarnicoes de veludilho bordados a vidrilho para enfeites de vestidos a
60000 um
Cachemira broch ultima moda a 10500 o covado.
Ditas pretas, sortimento completo, a 600, 10000, 10200, 10400, 10600, 10800,
e 20000 o covado.
Ditas assetinadas a 1500 e 10600 o covado.
Vestuarios para baptisado ricamente enfeitados a 90000 e 130000.
Colarinbos e punhos para senhoras, ultima novidad" a 20500.
Camisas bordadas para senhora a 30000, 40000 e 40500 urna.
Sabidas de baile, lindos gostos; com pequeo defeito a 20000 e perfeitas
a 30000.
Leques com lindas paisagens a 500 e 20500.
Bordados e entremeios de cambraia baratissimo
Sintos de chagrn para sonhora e enancas a 10000.
Madapolao RevolucSo, fazenda muito boa com 20 varas a 60000 a peca.
Muitas outras fazendas que so com a presenca das Exmas. familias e respeita-
vel publico se poder?. apreciar.
Ilenriqie il Silva or ira
ooooooooooooooooooooooo
onj^ajiii oa
SY13YJTHTH.I SV SVdOl K3 SOlIBOSa
oq.acuiL-1 o J9i [Bnb e(o
'sojpfA so sopo) na
'otajd o oonvaq ojtaj;3i o jiEix as-oaoa
'ojp.'j epco
opACAu ;r.i icr.b ou ojsssoj o js7
'o^9 'enoieun; ojqaj
op
e
S3QV3ldlS1VJ
sv
jce-rj. aoosoc
aosseoorig OOT^H
seoisafipur
seorroo
sojeii
jera op opina
watoio
etxeidody
rnifcoo
uaAoa
SYirawHYD sp vssrmN
aa
VINHO
DO
dotorJOHANNO
Quina, Coca, Extracto de Carne e Hypophosphito
mecommendao-no nos casos que necessltao tnicos para recoastltnlr e recenerar
o organismo arruinado por molestias, exceasos. natureaa do clima, Anemia, chiorosu.
Amenorrllea, Cacnezla, riozo branoa, que tanto arruina a saude das mulhcres.
Pobreza de Surae, rraaaesa eral, Sebllldade, etc.
S. VIV, roiulta, 60, Boolevaxd de Strasboupg, tm PASIS

oooooooooooooooooooooooooo
Lotera da Provincia
Acha-sc Tcuda a 10.a lotera a bene-
ficio d::S. Casa de Misericordia do llecife, que
ter lugar no consistorio da igrej i de Nossa
Senhora da Concei(o dos Militares, onde
estar expostas as es pileras em orden? nu-
mrica, para serein examinadas.
! Vetilla (fe sitio
Ven le-se oa permuta < se por predio anta eiJa-
de om bnm sitio com boa casa, muitai fracteiraa,
; eicf lente baulio do rio, boa agua de cacimba,
exteuso de terreno para baixa de capim, to lo
morado na frente, cun orto e gradesmento, com
csminbo le ferrj e edtacao junto ao dito litio, do
Porto da Madeira, cjnhecldo pelo sitio do Joio
Selleiro, junto ao Dr. Ernesto de Aquino Fonae-
ca : quero pretender dirija-se praca da Inde-
pendencia n. 40, dtts 11 buras a 4 da tarde,
afeiiBra5aF lo~Norfo ~
Diariamente debate-se na imprensa a crise
aterradora poique estao passando as proviicias
do norte deste imperio ; sio innmeros os recla-
mes de todas as clasaes, sem que sejam attendidos
os seus justos pedidos, de que se gloriam aa na-
coea civilisadaa.
E para que se poaaa dar impulsos aoa deaejadoa
progresos que certamente traro o bem estar de
todos, resulveram Martina Pires 6 C. eotabele-
cidos com armazem de molhadoa ra Ea-
treita do Rosario ns. 1 e 2, a vender por precos
mdicos os artigos concernentes ao sea ramo
de negocio, que certamente constitue urna eco-
noma diaria e onde se acba um completo sor-
timento dos seguiutes artigoa, que pela sua qua-
lidade e precoa sao recommendaveis, oomo ee-
jam :
Vinhoa finos do Porto
Madeira
Sherry
Chambertin
Bordeaoz
Moscatel
Collares eBucalaa.
Completo sortimento de cervejaa, cognse, bitter
licores, doces, bolachinhas nacionaes e estrangei-
ras.
Qaeijos frescos do sertio, prato, Minas e fla- '
mengo.
Aseite de coco, mate do Paran, formicido ca- '
panema.
Precos sem competencia.
Ns. 1 e 2Ra Estreita do RosarioNs. 1 e 2
Martins Pires & t.
WHISKY
ROYAL BLEND marca VIADO
Este excedente Whisky Escossez pre-
ferivel ao cognac oa agurdente de canna,
para fortificar o corpo
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhadoa. |
Pede ROYAL BLEND marca VIADO
cojo nome e emblema slo registrados para
todo o Brasil.
BROWNS & C, sgentes.
Sitio do Arraiai
Vende-ae a casa terrea com 7 quartos, 3 salas,
cosinba, qaarto com banho de chuvisco, depen-
dencias pira criados, cacimba com muito boa
agua e bomba, um lindo jardim, paass um riach
pelo centro do sitio, tendo urna pequea ponte
com bancos para recreio, arv.irea fructferas, co-
queiros, laranjeiras, sapotiseiros, mangueiras, ja-
queiraa e outras diversas, ra da Harmona,
dividindo com o sitio do Sr. Baduem : a tratar
com o Sr. Domingos Gomvs Corris, na casa ama-
relia, oa na ra da Paz n. 42.
Vendo- se a casa da ra da ConceieSo do
povoado da Torre n. 2. com um terreno de canto e
tantos pi Irnos de frente e 300 ditos de fundo, ten-
ds diveraas arvoree fructferas, cacimba e bomba;
a tratar nt menina.
Pm mf
Urna mobila completamente nova, de urna fs-
miln estrangeira que ae retira no primeiro vapor
para Europa: na ra do Mrquez dendan.
59, 1- andar.
Uiencao
Vende ae especial fsrinha de milho e de arroz,
feita vapor, e preparada para bolo, eangica,
cuacua e outras diversas especies de comedoriaa,
que oecesaitem destes meamos gneros, aendo a
240 rs. o kilo da de milbo e a de arroz a 320 rs.,
asaim como farinha para tender o pao cerveja a
2 Pjmbal n. 1, pertencente a Pereira ot Pinto.
Telephone296.
Barato
Vende-se nma casa de taipa, coberta de telha,
na ra da Palba, freguezia do Poco da'Panella,
eata edificada eiu terreno proprio, o qual tem 47
palmos de frente e 150 de fondo, e com cacimba:
quem pretender dirija-se ra das Fiares n. 18.
Telhas de zinco
Vende-ae telhas de zinco, asadas ; no caes 22
de Novembro, armazem da bola amarella n. 36.
Semenles d cacao
Vende-ae sementes de cacao novas ; no caes 22
de Novembro, armazem da bola amarella n. 36.
Barato
Vende-se oa permuta-ae p r pequeas casas em
qualquer das treguezias do Recife, a casa n. 22
ladeira do Varadouro, com commodos para
grande familia, pois tem quatro salas, seis quar-
tos, gabinete e boa cosinha, com grande quintal
todo murado, cacimba s de muit boa agua, e
sabida para o becco da Poeira ; a tratar ns ras
velba de Santa Rita n. 14, sobrado, das 8 horas
da manea a 1 da tarde, ou das 4 s 6.
Vende-se
o bem afreguezado deposito aito ra do Vigario
n. 15 : a tratar na ra larga do Roaario n. 18.
10MB
RIGA SOLITARIA^
CABSCA DALOMBRlfl sTXPBLLJDA {
DSKTRO DE S ROKAB PBLA8
GLOBULASSECRETAN
PHABMACEUTICO, LAUREADO, PREMIADO M MEDLHA .
I O nico remedio inoR>n*ivo e ln(ill:vel
F ADOPTADO ,., hOSPITAESL: PAHI8'
OBSERVACAO. O bom'ailu das OLOBULASi
f de SECRETAN lem originado varios rnius productos 1
. similares : e misler resguardar-se d elles com lo :o i
|o cuidado.
IMtMiti firal. SI, ra Decais, Mirtns
(Pernambuco FRAM"- M.da SILVA e C
Vinhos da Gan&feira
Finos
Car c ve I loa.
Madeira.
Moscatel.
Uva Bastarda e <(e Pasaas.
PARA MESA
Genuino do Lavradiu a 500 rs. a garrafa.
Ne. merceana de Manuel Correia & C.
Praca do Conde d'Ka n 15
PEITO
Administrando diariamente urna lnjeccao I
sobcutanea com o conteudo de urna seringa |
de l'ra\z (modelo Le Brun) chela de
EUCALYPTIN LE BRUN
CURA-SK
a Tsica, as Bvnchites
E OS
Catarrhos pulmonares
A zsncalyptlna nao contm morpalna
LE BRUN, PhaTiaceutico-Chlmico
PARS, 50 e 52, Faubourfl Montmsxtre
6 47, roa Lalayette, PARS
Deposito em Pernambuco: FUI-1, tt SttTIa P.
Livramento & C.
eadem cimento port'and, mar^a Robins, de 1*
ualioade ; no cat-s do Apollo o. 45.
Papel para impressu
Vende-ae papel para impreaao, do formato Dia-
rio e Jornal do Recife ; na ra do Marques de
Olinda n. 31.
A FL0RID4
Roa Doqne de Caiia n. IOS
Grande sortirrento de objectos para pre-
sentes, sendo: carteiras, porta joias, l-
bum de madreperola para baile, idem de
rnarfim, estojos para agulhas, lapiseiras.
broches de madreperola, idem de marm
desenbando em alto relevo flores e um mo-
lho de trigo.
Casacos bordados para senhoras a 55000.
Leques transparentes pretos e de cores a
20000 e 20500.
dem de setineta a 10500 e 20000, um
dem de papel a 500 e 800 rs., um.
Agua Florida verdadeira em guarrafi-
nhas a 500 rs., urna.
Contaa lapidadas pretas e de cores.
Missangas pretos e de < Gres.
Lindo sortimento de fitas e bicos bran-
cos e de edres.
Orando sortimento em botSes de ma-
dreperola e phantasia.
Luvas de pellica a 20500 o par.
dem de seda a 20000, 20500 e 30000.
Capellas, veos e ramos para noivas.
Suspensorios americanos a 20500.
Linha para machina 'a 800 rs. a duzia.
Meias de cores, escocia, para senhoras
a 10500 c par.
Caixas de jogo para salao a 50000.
Sabonetes a 120 200 e 500 rs.
Boleas de couro, de chagrn, de pllucia
e de pellica para senhoras e meninas.
Espartilhos a 30000, um.
Lindas pastas de couro, chagrn e pe
lucia a 500, 10000, 20000, 30000 e 50000.
Oarteiras para sedlas com os reparti-
mentos de 100000 a 1000000.
dem para letras com os repartimentos
dos mezes de Janeiro a Dezembro.
Estrados corylopsis do Japao, nexis do
Japao, Bouquet de exposicao, Theodora,
Rita bangally, Porte Veine, Ixora Brione,
Roger, Gallet, Briza da Serra, Paris-Boa-
quet, Estracto Dodeur, etc.
Luvas de seda bordada com missangas.
dem bordadas com vidrilho dourado,
bronzeado e granad.
dem com palmas da mesma seda.
dem arrendadas a xadrez.
Anquinhas a 10300, 10500 e 20000,
nma.
103-RA DUQUE DE CAXIAS-103
Vende-se
ama taverna na travesea do Pombal n. 16, bem
atregueeada, propria para principiante ; a tratar
na ra da Aurora n. 35.
CAPSULAS
M athey- Ca ylus
Preparadas pelo DOUTOR CLIN Premio Montyon
As Capsulas Mathey-Caylus com Envoliuro delgado de Gluten n5o fatrgao nunoa
o estomago e so recommendadas pelos Professores das Faculdades de Medecina e
os Mdicos dos Hospitaes de Paris, Londres e New-York, para a cura rpida dos :
Corrimentos amigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrhagia, a Cystite
du Collo, o Catarrho e as Molestia da Bexigas e dos orado; genito urinarios.
1U4 Urna $xplicMfSo detalhada acomputii cada Fntco-
Exigir as Verdaderas Capsulas Mathey-Caylos de CLIN ft Cl, de PARS,
*-^ que se achao em eata dos Droguistas e Pharmaeeutieot.
ELIXIR DESOBSTRUEiWE
Eupeptico de Gervo
Preparado pelo pfcaraaaeetifleo
JOS' FRANCISCO B1TTEHC0URT
O Gervao tem urna a-cSo desobstruento extraordiaaria para os incommed)
do figado, b>ico e estomgo, confuriie o desereve Dr. Mello Moraes.
Um grande numero do pessoas qa9 tem usado delle considera-o infallivel.
L"vn us mesnios |irnauu;amos aoa lini-os e ao publico em geral, um Elixir desta plaata
de n n eff->to vf rdadeiramente benfico para os pobres despap-
.. 1 :* qaf *>'Brota do ligado.
O propri tarios rin Ph;-maeta Ceotral
rSPOSITC NA PHAHMA1A CEITORAL
N. 38 Ra to Imperador N". 38
t-ERNAUBUCO





!
-.
J

.
j Miam i
t


8
Mari de Fcrnambnco Domingo 18 de Setembro de 1887



_JSSEIBLEA GERAL
BESAD
BISCURSO PRONUNCIADO NA SES.
SAO DE 29 DE AGOSJ70 Do 1887
E' admiravel, Sr. presidente, que o 1-
lastre senador, j tendo oceupado un lu-
gar nos conselhos da coroa, tivesse trazido
ao seio do parlamento esta hypothese n-
adxnissivel, ainda mesmo declarando nao
acreditar nella.
S. Exc. disse que a minba recasa de
entao dra determinada pelo receio de mi-
nha reeleicao e que agora nao estando S.
M. o Imperador na suprema direcelo dos
negocios pblicos, e sim a Augusta Prin-
ceza Imperial Regente, pde-se contar com
a probabilidade da ageitacao demeios para
a reeleicao e que, por isto, s agora acei-
tei o cargo.
O Sr. Franco de S : N3o affi rmei ;
figurei urna hypothese que tem occorrido
a muitos.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) :Pergunto a S. Exc : esta urna
hypothese que possa ser figurada por al-
gum membro desta casa ? Si eu tenho,
como declarou o nobro senador, um paasa-
do livre de macula, nlo viria manchal o
eom um proced meato indigno de mim. E'
pois esta urna hypothese que e nobre bo-
nador, permitta que lhe diga, nao tinha o
direito de fazer. Nao podia ter a este res-
peito a mnima suspeita, nao precisava de
minha replica para que no seu esclarecida
espirito se firmasse a convcgo do contra
rio. Ainda mesmo que S. Exc. tivesse
ouvido fallar dessa hypothese, ella de
tal natureza que devia ser repellida por
quem como S. Exc. j exerceu as func-
ces de ministro d Corda.
Senhores, nunca fui candidato estando
ornea partido no poder; a minba lucta
comecou na opposigao, quando havia in-
iustica a fazer cessar, e clamores que de-
viam ter repercussao no parlamento. Na-
quelles teropos a polica exercia urna in-
fluencia decisiva ; e por melhores que fos
sem os elementos de forca|de que dispunha,
nunca consegu triumphar, vendo sempre
inutilisadoa os esforcos de mena amigos no
districto pelo qual apresentei-me. Era
1878 fui eleito, nao por districto cu jo rgi-
men havia cessado e sim pela provincia ;
mas a cmara dos deputados, cuja decisao
respeito, rasgou me o titulo com que legiti
mmente me apresentei ante ella. Em
1881, o Sr. Deao Faria, de tradicgao an-
tiga no partido liberal, e o Sr. Dr.
Costa Ribeiro, foram os n eus competido-
res pelo 1 districto de minha provincia, e
apezar de estar o partido conservador em
opposijao, fui eleito por 725 votos; tendo
o 2 daquelles senhores 390 votoB e o pri-
meiro 137.
Governava entao o gabinete Saraiva,
dando pela prim-ira vez execuco le
eleitoral de Janeiro, procedendo com a im-
parcialidade que o paiz conhece, e admi-
nistrara a provincia de Pernambuco o Sr.
Barao de Souza Lima, que souba guardar
neutralidade no pleito.
Na eleicSo senatorial a qua se procedeu
em 1882, apezar de estar ausente da pro-
vincia, (achava-ma entao na cmara dos
deputados) foi meu nome honrado com vo-
tego tao iraport nte que me colloeou no
primeiro lugar da lista. Segundo a apu-
rago a que procedeu a commissao do Se-
nado, o resultado foi seguiote (l) : Ma-
noel Portella 3,955 votos, Epaminondas de
Mello 3,940, Soares Brandao 3,838.
Era entao governo o honrado Sr. Mar-
tinho Campos, que nao interveiu na elei-
c5o, e presidia nessa poca a provincia de
Pernambuco um cidado a que nao se at-
tribuiu parte directa no pleito eleitoral.
Precisei eu do governo tanto para urna
como para outra eleicSo r
Em 1884, todo o senado sabe quem era
o meu adversario, e que meios teve su
disposicao. Apezar de tudo pude ser elei-
to por 21 votos de maioria. Foi urna vic-
toria omito honrosa para mim e que mos-
tra claramente que para ser eleito nao pre-
ciso da intarvencSo official. Essa victoria
deu-me entrada na cmara, nao por favor
dos amigos, como aprouve ao nobre ecua-
dor dizer, maa pelo reconhecimento do m)U
direito at pelos proprios adversarios.
Tive entao a satisfajao de ver que no ue-
nado nenhuma voz se ergueu para por em
duvida a minha eleicSo, facto inconteala-
vel, recunhecido e proclamado eom toda
publHdade pelo meu competidor.
O Sr. Barros Barreto e outros ;Ap li-
ado.
O Sr. Manoel Portella (ministro do ira
perio):Na eleicSo de 1885, eu era pre-
sidente da provincia de Minas, estava au-
sente de Pernambuco; abi estilo os meus
actuaei collegas de gabinete, elles que di
gam si Ibes pedi auxilio.
O presidente de entao, o Sr. Costa Fe-
reira, poder dizer si bonrou a qualqur dos
meas amigos do 1* districto com urna s
nomeacSo. Entretanto o resultado da el:i-
9S0 foi o Beguinte (l) :
Manoel Portella 1023 votos e 21 em
serado. Joaquim Nabuco 755 votos e 1
em separado.
Pois bem ; eu que tenho tido tao repe-
tidas provas da coufianca e apreso com
que mo honra a minba provincia, poderia
receiar da minha reeleicao, ou recetando-a
iria aproveitar-me de circumstancias even-
tuaes para preparar meios de victoria elei-
toral ? Nao ; nao ha um brazileiro que me
possa fazer esta injustica.
Um Sr. Senador :-Seria ama injuria
ao caractor de V. Exo.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio)j:Eu nao devia esperar que 3
Exo. uzease a supposigao a que altado,
ofFensiva mim e aos meus collegas, e ina
dmissivel, em todo caso, com relacSo a al-
ta entidade a que se referia.
Fique o nobre senador certo de que nao
haveria hypothese que me obrigasse a fal-
tar ao que devo a mim proprio para ter
procedimento que alguem imaginou e o
nobre senador reprodaziu.
A 1 saldado com que costumo proceder
seria urna garanta suficiente para nunca
tultar ao que devo a mim e coroa, quer
as funccSes desta sejam exeroitadas por
Sua Magestade o I operador, quer por Sua
Alteza Imperial Regente.
Si eu teria de ser bastante escrupuloso
servindo com aquello, muito ser o meu
escrupalo estando ao servio desta. (Apoa-
doB.)
O nobre senador, das hypotheses passou
aos tactos e articulou alguna como indica-
tivos de innterferencia eleitoral.
Tenho toda a confiaoga nos meus com-
provincianos, nao s nos meus co-religio-
narios, como mesmo em muitos dos meus
adversarios.
Quem conta com este apoio, como eu
cont, nao tem receio do resultado da luc-
ta eleitoral e nao pode cogitar na necessi-
dade da intervengo do elemento official:
s pode receiar o elemento da desordem.
O Sr. Luiz Felippe :O ilemento de
desordem em Pernambuco nao est filiado
a neohum dos partidos.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) :De elementos ofBcaes o governo
s precisar, quando tiver de cooter os
deaordeiros e anarchistas.
O nobre senador por Minas Geraes dis-
se que estava prximo o momento em que
as urnas tinbam de manifestar-sa e era
preciso que eu procurasse conciliar com a
minha posicao actual as ideas que emitti
sobre o elemento servil.
Fique S. Exo. certo de que o corpo
eleitoral ha de distinguir aquelles que em
relacSo a esta questao sao apenas domina-
dos de amor platnico, dos que serve n a
mesma causa com o criterio e reflexo, at-
tendendo aos interesses pblicos.
O Sr. Dantas :Como vai chamando a
braza para a sua sardinha I
O Sr. Manoel Portella (ministro do im
perio): -Nao chamo a braza para minha
sardinha, defendo-me da arguicSo feita,
provoco ob nobrea senadores a me fazerfem
a juutica a que techo direito. fHa um
aparte. \
O sobre senador, passando dos factos qae
considerou existente para outros que sup
poz provaveis, diase que tratava-se as
vesperas da eleicSo, de fazer passar a ad-
ministracSo da provincia a um vice presi-
dente, que em outro districto tinha pleitea-
do a eleicSo com meu competidor.
Que fundamento tem o nobre senador
para esta affirmacSo ? Urna simples noti-
cia de jornal !
O Sr. Franco de S: Eu disse que
pareca incrivel.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Perguntou S. Exc. si eu era es-
tranho a esse plano.
Julga-me, por ventura, algum inepto
para convir em plano tao mal concebido,
em vesperas de eleicSo?
O Sr. Franco de S: Eu quiz provo-
car esta declaracao de V. Exo. (Ha outros
apartes.)
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio : O presidente da provincia de Per-
nambuco, o Sr. Dr. Pedro Vicente de Aze-
vedo, um carcter altivo, um cidadao no
bilissimo por suas qualidades, merece me a
mais plena confiaos* e estou certo de que
continuar a manter os merecidos crditos
de qne goza.
O Sr. Luiz Felippe : De ve-se deixar
a liberdade ao povo.
O Sr. Manoel Portella (ministro de im-
perio : Nlo ha liberdade possivel, Bem
manutencSo ua ordem.
O Sr. Luiz Felippe : Liberdade que
est se procurando comprimir.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio : A's vezes os perturbadores da or-
dem nao soffrem a devida punilo, e por
isso torna-se difficil o exerccio do direito
do voto.
O facto criminoso praticado na matriz
de S. Jos ainda nao teve a devida puni-
cao.
O Sr. Affonso Celso: O de S. Jos
de Tocantins ?...
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : O de Pernambuco: o outro eu
nao cooheco. Por essas ke outras impuni-
dades que pode haver receios de pertur-
bsco.
O Sr. Affonso Celso : Os asaassinatos
de S. Jos de Tocantins ioram feitos com
balas de que s dispunha a forca publica.
O Sr. Silveira da Motta : Com balas
Spencer.
O Sr. Manoel Portella (ministra do im-
perio) : Dase o nobre senador que os
preparativos da intervenco eleitoral sao
de ordem tal que o Sr. presidente do con-
seibo nao se limitou a prohibir as reunioes,
os meetings na capital do Impeaio, esten-
deu essa prohibico provincia de Per-
nambuco, reparando que se tivesse tomado
esta medida na vespera de urna eleigo, oc-
casio em que os candidatos costumam con-
gregar seus amigos para manifestar suas
idea*.
Creio que e nobre senador fijar satis-
feito com esta resposta.
O Sr. Affonso Celso: O presidente
do conselho que se entende agora com os
presidentes de provincia sobre materia elei-
toral T Est dissolvido o ministro do im-
perio ?
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : O nobre senador ma desculpar
nao tomar agora em consideraco seu
aparte.
Desaas apreciacois geraes passou o no-
bre senador a individualizar tactos, e o
primeiro de que tratou foi a nomeacSo do
juiz dos feitos da fazenda da capital de
Peroambujo para desembargador da Rela-
5S0 de Goyaz.
S. Exc. disse : < Foi urna j condemna-
cSo > e um outro nobre senador cujo au-
sencia lamento accrescentou : < Esse a^to
s se praticaria as circumstancias ac-
tuaes. o Mas porque considerar cond :m-
naco e dizer que s as circumstaacias
actaaeB se faria a nomeaco do Sr. Dr.
Jos Manoel de Freitas para a Relaclo de
Goyaz? Aquelle juiz nao podia ser no
meado para a Relaco de Goyaz ? E' ell i
por ventura superior aos demais juizes de
direito que tm sido nomeades para aquella
Relaco ? Como concluir-ae que essa no
meacSo significa intervengao eleitoral ?
Pelo que me diz respeito, com toda a
franqueza deve declarar, mantenho rea
c5es particulares com o Sr. desembargador
Freitas o nao entro na apreciayo do seu
modo de proceder poltico, por ,ue isso nao
importa para o caso. Elle foi nomeado
desembargador da Relagao de Goyaz, como
poderia ter sido para qualquer outra rea
cao do Imperio. E' porventura urna cousa
nova? Aqu tem o Senado a ralacao dos
divesos juizes de direito nomeados para
aquelle tribunal; e nelia se vem nomes
de magistrados muito distinctos e nao in-
feriores em servifos aquelles que os nobres
senadores attribuem ao Sr. Freitas. Nao
receio cancar a attencao do Senado, lendo
a lista dos que tem sido nomeados (le) :
c Joaquim de Azevedo Monteiro.Her-
culano Circundes de Carvalho.Jos An-
tonio da Rocha.Jos Ascencio da Costa
Ferreira.Loureoco Francisco de Almei-
da Catanho.Sebastio Cardoso. Anto-
nio Agnello Ribeim.Caetano Vicente de
Almeida Gobar.Julio Barbosa de Vas
concellos.Luiz Jos de Medeiros.An-
tonio Joaquim Rodrigues. Evaristo de
Araujo Cintra.- Joaquim da Costa Barra-
das.Jeronymo Jos de Campos Curado
Fleury.Francisco Manoel Paraizo Caval-
canteAdriano Manoel Soares Antonio
Augusto da Silva Caedo.Miguel Ar-
chanjo Monteiro de Aodrade.Francisco
de Paula Lins dos Guimaraea Peixoto.
Elias Pinto de Carvalho.Jos Marianno
Lustosa do Amaral.Severino Al ves de
Carvalho.Bario de Anadia. Americr
Milito de Freitas Guimares.Manoel
Carrilho da Costa.Casimiro de Senna
Madureira. >
F0LHET1M
VICTIMAS E ALGOZES
POR
EMILIO DE KICHEBOURG
lIilUi:i!t A PARTE
A FAMILIA LIONiXTET
< ContinuacSo do n. 212)
II
Doai roraren deapedaeados
Meu Deus marmurou ella, nunca
mais a tornarei a ver !
Levantouse, deu alguns passos pela vas-
ta sala df arcadas elevadas e acbou-se em
frente de am espelbo que lhe reflectio as
feicoVs fatigadas e emmagrecidas.
Ficou iuipressionada com a sua palli
dez.
Entretanto, murmuroa ella, o doutor-
affirmou-me que tinha ainda longos annos
diante de mim. Como estou mudada l Nao
sou mais do que a sombra da Marqueza
de Saulieu 1 Ah I se eu fosse morrer I
Esta idea fez-loe cal .frios.
Nao nao contiouuu ella, preciso
que n&o morra, quero viver, trnho espe-
ranzas e quero continuar a tl-aa. Tm
rar^es os que me dizem qae, logo que n3 ha nada de certo, devo conservar esperan-
588
Foi ajoelhar-se no genuflixorio e ficou
por bastante tempo na attitude do recoltr-
mento e de oraco.
Quando se levantou, tinha como que um
raio de luz na expresao. Pareca que urna
visao consoladora tinha apparecido a sua
alma afflicta.
Foi janella. As grandes arvores do
jardim eram Iluminadas pelo sol, cojos
raios brincavam na folhagem agitada pelo
vento.
Debaixo da janella, em um massi;o de
verdura, oantava urna toutinegra e no meio
da relva corra ama ninhada de melroe,
sabidos a pouco do ninbo.
A nataraza estava festiva, e aos olbos
da marqueza tudo estava alegre, tudo nor-
ria para a vida.
Nesta occasiSo, o velho JjSo veio trazjr
ama um cartao de visita.
A marqoeza leu :
Mrquez Romino de Prmorin
Jlo, dis8-j ella immediatamente, di-
ga ao Sr. de Prmorin que entre.
O marquez tinha apenas mais dous an-
nos do que a Sra. de Saulieu. Do mesmo
modo que a sua amiga o tempo e os des
gostos tioham deixato sobre elle ob seas
terriveis vestigios.
Tinha a barba e os cabellos brancos ;
o rosto comprido tinha aquella magestade
austera que se nota nos retratos dos gran-
des velhos do dcimo sexto seculo, cuja
energa nunca dobrava. A physiouomia
era fra e severa-; porm o soffrimento nao
lhe tinha dado aquella exproaao de r?sig
nacao que se notava as feicBas da mar-
queza.
Nervoso e magro trazia direito e firme
o corpo aportado em urna sobrecasaca, na
qual se destacava a roseta de offijial da
Legio de Honra.
A Sra. de Saulieu era urna mulher aba-
tida ; o marquez tinha passado as duras
privaco -s sem nada perder a energa e da
sua poderosa vootade.
A ma.'qaeza recebeu-o naquella sala de
aspecto monacal onde ella viva face a face
com a ana dr. ou-lbc a mao que elle
beijoa respeitosamente, daaoia insiin ti va
mente de Prmorin olhou para o retrato do
Gabriella, graciosamente cercado como j
dissemos de ramos de jasmios.
A marqueza vio e am soluco que nao
pode cooter escapou-lhe do peito.
P^rdoe-me, mea amigo, disse ella,
mais forte d j que eu.
O m>rquez apertou-lhe affectuasamente
a mao.
Comprehendo, disse elle, deixe cor
rer as lagrimas ; se eu tambem tivesse po-
dido chorar, talvez que tivesse soflfr el o me-
nos 1 Desgragada menina, por que nlo po-
de ella amar meu filbo ? Se ella o tivesse
amado, quo de dores nSo teria poups.do a
ambos.
A Sra. de Saulieu tinha-se sentado e
convidando o marquez tambem tomou ama
c-deira.
Sabe, disse ella, o motivo por que
acabo de me entregar a esta explosilo de
dor ? Quando o aoounciaram, maginei que
O senhor me trazia alguma boa noticia,
mas logo qae o vi comprebendi que tinha
tinha tido urna esperanca v3.
A illusao doca para o cora{5o don de-
O Sr. Franco de S: Tambem per
guntei si isso era exacto.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Admira que o nobre senador
p^rguntasse si era exacta esta noticia...
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : ... quando anda hoje a impren-
sa d conta da prim*-ira conferencia do
meu Ilustre competidor.
Para dissipar qualquer duvida a este
respeito, vou 1er o telegraman expedido
pelo Sr presidente do conselho ao presi-
dente de Pernambuco (le):
Do presidente do conselho ao presi-
dente da provincia de Pernambuco, em
26 de Agosto de 1887.- Recebi telegram-
ma 24. Fico scieote das providencias to-
madas e convm que sem obstar n'esta oc-
casiSo manifestares eleitoraes esteja pra-
paraio para manter a ordem publica.
gracados, mas quando ella se desvanece
faz pagar bem caro a alegra de am ios
tanta.
-. Quem lhe diz, Sra. marqueza, que
se trata de urna va illusao ?
__Depois de tantos annos decorridos,
meu amigo.
E' verdade, depois de vinte e um an-
nos.
E o senhor daquelles qae nao qae-
rem que o desespere. Vamos l, diga mi-
nha filha e minha neta ser nes-ho restitui-
dos ?
S Deus o sabe. Comtudo, quando
lhe digo : espere, nao procuro adormecer a
sua dor com palavras banaes ; digo-lhe que
espere, porque minha conviccao que fa-
ria mal em renunciar a esperanca. ,
Acreditou se que sua filha tinha posto
fim aos seus dias, mas ainda urna vez na-
da ha de certo e ha razao de admittir o
contrario.
Nao esqueci um a instante a promessa
que lbe fiz, por toda a parte e com urna
perseveranga que nada desanimou tenho
proseguido as minhas pesquizas.
Fiz tudo quanto era humanamente p03B
vel fazer para tornar a encontrar as pega-
das do tal Darasse e do italiano Paolo.
Nada I nada 1 Deve acreditar-se que tanto
um como outro tenham morrido.
ltimamente contaram-me algumas pa-
lavras escapadas essa Carlota Lstellier
que tem a audacia de se fazar chamar Con-
dessa de Piooorio ; pois bem, Sra. mar-
queza, essa miseravel mulher de quem o
meu pobre filbo foi victima, deveria ter sa-
bido de boa fonte que nao obstante a Vis-
condessa da Mrulle tinha sobrevivido ao
marido como at ainda existia.
Como e em que circumstancias e por
quem teve essa mulher taes ioformacoas ?
Possue ella a'gum segredo que lhe tenba
sido confiado ?
A fallar a verdade era ama cousa inte-
ressante a saber. Infelizmente nao pode-
mos pensar em fazer fallar Carlota Lstel-
lier.
Porque motivo essa indigna mulher
contina a usar o nome de Prmorin ?
A Sra. marqaeza quer testemunhar-roe
a sua sorpreza do eu a nao ter obrigado a
deixal-o ?
Poia bem, verdade, estou admira
da.
Escute, Sra. marqueza, continuou de
Prmorin, se ha muito tempo nao invoqaei
a lei, para prohibir a essa indigna Carlota
Letellier usar o njme de Prmorin, Ilustra-
do, durante tres scalos, pelos meus aate-
O Sr. Franco de S : Estranbou-sa a
aomeacao desse magistrado pela occasiao
eleitoral.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : Occasiao eleitoral. Dsste mo-
do para o provincia de Pernambuco nao
poder 6er praticado acto algum p:lo ga-
binete a que nao se attribua intuito eleito
ral Alguma vez precisei do governo para
ser eleito ? Se em outras pocas tive sem-
qre os suffragios dos meus comprovincia
nos e fui eleito mesmo a pezar do gover-
no, como que boje preuisarei dessa in-
tervenco ?
Um Sr. Senador : Djb que constara da
lista nem todos a guirara para Goyaz.
O Sr. Manoel Portella (minUtro do im-
perio) :E quem poder affirmar que o
mesmo nao succeder a Sr. desembarga-
dor Freitas ?
O Sr. Luiz Felippe : Sempre conheci
V. Exc. como homem escrupuloso, e por
isso admirei que t7esse concorrido para a
nomeacSo do Sr. Freitas. *
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : -Neste caso nlo havia razao para
esi'.-upulo : porque o acto nada tem de re-
pro va vel.
Permitta o nobre senador diz9r-lbe, re-
cordando o passado ha de ver qae essa
sua doutrina nao pode sir mantida em
toda a sua plenituJe. J houve tempo em
que at por telegramma se mandara um
presidente daixar a aiininistracao em ves-
peras de eleicao. j
O Sr. Affonso Celso :assim como
tambem j houvc telegramma para que
nao entregasse a administracao.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : O segundo facto o da nomea-
gao do ex-chefe de poli.ua para o lugar de
juiz dos feitos de Pernambuco.
O nobre senador vio nessa nomeacao o
pagamento de servidos prestados minba
ultima eleicao.
Mas, senhores, se, porventura, tivesse
havido intervenclo do ex chefa da polica
na eleigao psssada, nao existira disto do-
cumento comprobatorio ? Nao c instara de
protestos perante as mesas eleitoraes, a
junta apuradora e a cmara dos deputa-
dos ? Liam-se as actas e ver-se-ha qae
nenbum pretexto foi feito eleico. No
juizo da propria imprensa da capital nao
so encontra base para semelhanto argoiyao
O resultado do pleito mostrou plena-
mente que eu na > precisava de favores of-
fiuaes para ser eleito como fui : nuaca
me resignara a ser deputado se minba
eleico dependesso da intervenyao policial.
Na distineco honorfica com que foi
agraciado o honrado negociante Antonio
Gomes de Miranda Leal, vio o nobre se-
nador mais um acto de preparo para ja
eleico.
Este juizo se desvanecer, attendendo-
se a que o agraciado dos mais antigos
presidentes das juntas commerciaes do im
perio, o nico cujos relevantes servicos nao
tinham sido galardoados.
O Sr. Luiz Felippe :Muito merece-
dor ; apaas censuro a opportunidade.
,,O Sr. Manoel Portella (ministro do im
porio) : -Pois eu, como pernambuoano,
nao tinha obrigacao restricta de reparar
estas e outras injusticas que se tem com-
mettido para com os meus comprovincia-
nos ?
Se Be trata de um cidado distinsto
e que mereca a condecoraco como o no-
bre senador reconhece ?
Da mais o agraciado nao eleitor do
1" districto ; e, circumstancia digna de
nota ; o honra lo Sr. commendador L^al e
toda sua Ilustre familia pertenecen a ou-
tro districto que nao aquelle que me tem
elegido.
O Sr Paes de Mendonc; : -Muito dig-
no.
O Sr. Manoel Portilla (ministro do im
perio) :N5o preciso insistir na justifica-
go desse acto, que nao tem nam podia
ter a mnima influencia no processo eleito
ral do 1 distrieto da minha provincia.
Outro facto censurado pelo honrado se
nador, e doeu me muito o qualificativo dado
pessoa a quem se referi, foi o da no-
meacao do Dr. Jos Osorio de Cerquera
para inspector especial de trras e coloni
sago na provincia de Pernambuco.
O Sr. Franco de S :O qualificativo
foi do nobre senador por Miuas. O qui
disse foi que me constava que nao tinha
idoLeidade.
O Sr. Manoel Portella (ministro do im-
perio) : A coloaisaco estrangeira ob-
jecto de que me tenho preoecupado ha
muitos annos ; e nao podia agora, que me
acho no gabinete, deixar de procurar rea-
lisar as deas que sempre tive e pelas
quaes saropre pugoei.
Em 1856, ainda muito joven, tendo sa-
bido apenas dos bancos da Faculdade de
Direito do Recifa e sendo ,deputado pro-
vinca!, tinha ldo nos livrosj mais coupe
passados, porque tenho para isso podero-
sos motivos.
Naquella aventureira, tudo mentira e
perfidia; d-se como descandente de urna
velha familia bespanhola, arruinada pela
insurreico da Nova Granada, onde seu
av tem inmensas propriedades. Aposen-
ta papis, em apoio desa falsidade ; mas
tenho razSas para crer que foram rocha-
dos.
Gaba-se de poder provar que Sosthenes
de Prmorin, mea filbo, casou com ella em
Hespanha. E' possivel, porque os costu-
raos daquelle paiz permitiera uni3es para as
quaes nem os pas mesmo sao consultados.
Poderia indubitavelmente reclamar-, per-
ante 08 tribnaes francezes, a annullajo
desse casamento e provavel que ganbas
se o processo ; mas seria preciso affrontar
e escndalo dos debates.
Aquella mulher extremamente habi-
para arranjar arman, que o meu pobre Sos-
thenes, muito fraco e muito
ter recusado.
cegOj
nao lbe
Viria, portento, para o tribunal, com um
arsenal de documentos, que lhe permittiria
arrastar, pela lama, a memoria do meu po-
bre filho e manchar com calumnias que te-
riam a apparencia de verdades, o grande
e velho nome de Prmorin.
E' verdade e comprehendo o meu po-
bre amigo, disse a marqueza.
Comtudo, continuou o Sr. de Prmo-
rio, com um relmpago no olhar, nao jul-
gue que tenha renunciado a viogr-me des-
sa mulher sem vergonha. Espero a occa-
siSo, em que possa fazer lbe derramar la-
grimas de sangue; o momento em qun,
bumilbada, esmagada, cahir tao baizo,
que aquelles mesmo que conbecem quanto
ella foi criminosa, acharao que foi dema
admente punida.
A Sra. Saulieu ficoa assustada com a
iuflaxo terrivel das palavras do marquez e
com a chamma vingadora, que lhe brlba-
va nos olbos.
Ah I meu amigo, dissa ella, entilo o
8 nbar nao sabe perdoar ?
Sei perdoar certas faltas ; mas nao
sei perdoar astucia, que se introduz as
almas crdulas, para as arrastar e fazer
dellas instrumentos de clculos infames I
Nao sei perdoar aos patifes, qae pera mas-
cara, que penetram no santuario das fa-
milias, para abi levar o desespero e a ver-
gonha.
A Sra. marqueza sabio do soffrimento,
como urna santa, a quem as mperfeicSes
humanas nao podem attingir. Soffrendo,
a prenden a indulgencia, nao sabe odiar o
tantea o muito que se tem conseguido e
alguns paizes com a colonisajao, espaciaJ-
raente com o estabalecimento de coioaia
de orpbos, expostos, mendigos e mesa*
de condemnaios0
Imbuido destas ideas, estava dispoito,
como deputado provincial, a apresentar aat
projecto sobre colonisajao, quando chegan
provincia como presidente o consolbeire
Sergio Teixoira de Macode. Da accorda
com este, confeccionei um projecto que foi
aprsentelo assembla.
Este projecto, porem, nao foi discutida
naquella anno ; apenas a lei do ornamenta
consignou autorisago para despozas cont
Ka demarcago e medico de sais leguas de
trras devolutas concedidas a cada urna
das provincias do imperio peia le de
1849, para proraover-sa a colonisagao.
Mas nam essa autorisaco foi utlisada
e nem o projecto entrou em discusso. A
idea param nao desapparaceu de maa es-
pirito. Em 1871, estando na administra-
gao da provincia de Pernambuco, trans-
formei a extncta colonia militar de P-
menteiras em colonia agrcola para nacio-
naes e estrangeiros. Exped rsgulamanto a
nomeei diractor para essa colonia, cu jai
trras divididas em lotes teriam do soc
vendidas de prafarencia aquellas qua as
ociupavam, populago livre, de mil e
tantas almas, e a nacionaes e estrangeiros
que se propazessam a cultvalas. Era
meu pensamento approximar o elementa
nacional do estrangairo para qua o tra'ai
lho nperfeigoado deste melhorasae o da-
quelle.
Infelizmente pouco tempo d-'pois tive
de deixar a administracao.
Estas trras foram mais tarda aproveita-
das e constituem hoje a florescanta Cola-
na Orphanologica Isabel.
Persistindo na idea de que era preets
na provincia de Pernambuco promover a
colonizaco estrangeira, quando em 1871
tive a honra de dar execuco lei de 2i
de Setembro, no relatorio com que passei
a administracao ao presidente nomeado,
pronunciei-me sobre este servgo nestes ter-
mos (l) :
O grande interesse do futuro da la-
voura reclama que, sem quebra de srac
tentativas para a emigrarlo estrangeira, 9
agricultor nao esqueja a conveniencia de
aproveitar, habilitando os ao trabalho, ot
filhos de es :r a vas nascidas depois da lei
de 28 de Setembro, bam como que cuide
seriamente da educago rural de seus mo-
radores, dispens indo-lhes todos os favorec
e proteceo: serao sempre os bragas man
baratos, que mais podaro resistir ao im-
probo trabalho da cultura da canna.
Com a dimnuico que tem tido o ele-
mento servil, foi sempre minha preoecupa-
co Bocilitar pelos meios indirectos a sola-
co desta questao.
Em 1874, antes que o governo garal ti-
vesse se ocenpado dos engenhos centraes
promettido garanta para os capitaes em-
pregados nestas emprezas, apresentava c
Assembla de minba provincia um pro-
jecto procedido de desenvolvido parecer,
mostrando as vantagans da divisao da cul-
tura da canna, da fabricago do assucar.
Foi esse projecto convertido em lei e nos
termos d illa celebrado o primeiro contrete
para engenhos centraes na provincia.
Quando, em 1878, o honrado presidente
o Sanado convoca va, como che te do ga-
binete de 6 de Janeiro, o congrasso agr-
cola do Sul, composto de agricultores da
provincias de S. Paulo, de Minas, do Re
de Janeiro e do Espirito Santo, parecea-
do-me que a lavoura da regiao do norte
devia tambera ser ouvida e manifestar as
suas necessilade8 e reclamos; resolv,
como presidente da Sociedade Auxiliadora
da Agricultura, na minha provincia, pro-
por a convocaco de um congresso agr-
cola, proposta qua foi aceita e teve o raaic
bruta ante xito.
(Continua)
acha consolago em semear beneficios em
volta de si.
Admiro a, Sra. marqueza, mas nao pos
bo iraital-a, sou daquelles que pensara, que
a indulgencia dos bons anima a perversi-
dade dos mos e qae prestar servico a
sociedade e a virtude, afligir aos seus ini
migos merecido castigo.
A senhora, vista dos criminosos, pen-
sa nos meios de os trazer para o bem, eu
acredito que se deve tratar, sobretudo, de
os impedir de fazer mal.
Quando encontr urna vbora, esmago-
Ibe a eabega.
Ah I meu amigo, disse a marqueza.
nao serei eu que defenda a causa de Car-
lota Letellier ; ess mulher um monstro
e ninguem p le ter pedabe della. Mas,
como espera o senhor atacal-a ?
Depois de ter cado am rr.omnnto cala
do, o marquez continuou, com a sua calma
habitual:
Essa mulher tem urna casa de gran-
de estadao ; sabe procurar, para ella e pa-
ra a filha, todos os gozos, que se encon
tram n'uma grande fortuna. Sai parfeita-
mente que tara especulado senpre com a
sua belleza e que tem encontrado adorado-
res bastante tolos para Iba satisfazer os
caprichos ; mas a ganerosidada dos seus
amantes nao basta, para explicar o luxo
que ella ostente.
Ora, julgo ter descoberto de onde pro-
vm os seus recursos.
Procura, sobretudo, como hospjdes ha-
bituaes do sea salo, homens que, por suas
funccoj8 ou pela posicao social, sao os de-
positarios de-fcegredos importantes.
O filho de um dos meus amigos, addido
de embaixada, teve a infelicidade de se
deixar arrastar a urna reunio em casa
della e sem duvida deixou escapar algu-
mas palavras imprudentes. Pou o tempo
depois era domittido. Ligara pouca ira
portencia a tal facto, se coincidencias es-
tranhas, que eu obaervei, nao me dssem
que pensar. Sei tambem que ella encar-
rega-se obsequiosamente de procurar cria-
dos para certas pessoas ; que nem sempre
tm que louvar a discriso delles.
Eotlo essa mulher urna espiona ?
E'.
A servico da Allemanha ?
__ Da Alie -nanha hoje, amanh de qual
quer outro governo, que a pigua mais caro
e mesmo de muitos ao mesmo tampo, nao
tendo o menor escrpulo em os trahir a to-
dos. Comtudo ainda nlo obtive provas
absolutamente concludontes ; prosigo no
meu inquerito emquanto espero que ate a
hora em qua possa esmagar essa mulher.
Maa dexemos essa miseravel que ac
vale a pena, na verdade, qua nos oceups-
mos com ella por ta longo tempo.
E para voltar a sua filha, minha amiga,
apezar dos insignificantes resultados das
nossas incessantes pesquizas persiste oat
acreditar que tanto ella como a sua filha
sao deste mundo.
__Meu Deus! meu Deus 1 disse a Sra.
de Saulieu, levantando os bracos para a
co, ajudai-me a encontrar minha filha.
Deus ha de ajada-la, Sra. marques*
e tambem a dedicajo das passoas da sua
amizade. Ha grandes acasos na vida,
porque nao ha de a senhora contar com as
dellas.
A marqueza respondeu com am longt
suspiro.
Ao cabo de alguns instantes, depois de
ter trocado ainda algumas palavras com t
Sra. de Saulieu, o marquez retirou ae.
III
O Mrquez do Prmorin
O Sr. de Prmora tinha estreado, na
vida, sob o uniforme da official do execct
to francez.
Sahido, um do3 primeiros, da escola mi-
litar de Saint Cyr, nao teve comtulo, por.
causa do seu carcter iodepondonte e mes-
mo am tanto critico, urna proraogao tao r-
pida, quento a sua experimentada bravura
e excellantes sarvicas pareciam daver asse-
gurar-lhe.
Era commandante da um bataihlo de
cajadores, quando pedio a sua demssa,
era coosequencia de urna desavenga, qut
houve entre elle e um da seus chofas.
Restituido vida privada, n'uuia k'ad
era qua o espirito e o corpo consarvam to-
do o sea vigor, partilhoa o seu tempo en-
tre estados, da arte militar e a educaca
de seu filho nico.
Coohecendo, em Sosthenes, paixoes raui-
ardentes, applicou-se a preserval o dos pa-
ngos, aos quaes olle proprio nem sempre
tinhn esoapado. Foi o primeiro a procurar
para o moco distraccoes, afino de que ole
fosse tentado a procralas em ovtra parte
e mais perigosas.
Via se as vezes o pai e o filho galopar
juntos as alamedas do bosque de Bote"
nha ; os transentes voltavam-se, para ad-
mirar a distinegao e olegancia djs dous ce-
valheiros.
[(Continuar sena)



i

!,
1

*
Typ. do Diario roa Duqae de Gana*
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJUPXW1T9_4AW9YO INGEST_TIME 2014-05-28T17:58:06Z PACKAGE AA00011611_19987
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES