Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19982


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO LIIJ-- fOIJillf
K
PARA A CAPITAL E LIGARE* OSDK SAO K PAA PORTE
Por tres mezea adiantados............... 6(J000
Por seis ditos idem.......... ...... 'OOO
Por um anno dem................. 230000
Cada numero avulso, do mesmo dia............ 5100
iii-'Fl 13 DE SETEMBfiO CE 1381
PARA DE-Vl'HO PORA DA PROVIMCIA
Por seis meses adiantados............... 130500
Por nove ditos idem................. 20(J00O
Por um anno idem.....^............ 270COG
Cada numero avulso, de dias anteriores........... 0100
NAMBUGO
Pr0prie^a^e tft JHaimtl itflurira *e iaria 4 Jilljo*
TELEGRAMMAS
lllW PASTIWLAS BO SUBID
RIO DE JANEIRO, 12 de Setembro s
4 horas e 5 minutos da tarde. (Receido
a 5 horas e 35 minutos, pela linha terres-
tre).
Ooint- boje panno ai Cmara do
Diputacin.
O Dr. Pedro Bel t rao apreaentOa um
reqaerlmento. raja cllnrunno flcoo
adiada por baver pedido a patarra
otro deputado. pedlado copia do
decreto, que fea coaceuo pecunia-
ria aoa pratlcoa da barra do Recite
A Cmara contina a tratar da 3.
diacuaao do orcamento da recelta
seral do Imperio.
Dr. Bosa e Silva combaten o *ab-
atltntlvo da commlaao e defenden
a sea auditivo, referente a laencao
das direltoa de expediente para o
aaaeblnlamoa agrcolas.
O Senado fanecionoa boje e appro-
i'oa em 3 dincnnawo o orcamento do
Inlaierlo da Mariana.

7:;d
:-
A
.:3:: sms
RIO DE JANEIRO, 12 de Setembro, s
4 horas e 28 minutos da tarde.
Senado vofoa em .1 dlacaaaao o
orcamento do Mlnlaterloda Hartaba
con oa addltlvoa.
VIENNA, 11 de Setembro.
Rata deamentlda a noticia relati-
vamente a ier partido da Sopbla o
principe Fernando deSaxe Cobour*.
HAYA, 11 de Setembro.
catado de an'de de S. B7. Bel
ararravon-ae conaaderavelaaente.
BERLIM, 11 de Setembro.
acaba de ebegar aqu S. A. o prin-
cipe de Blumark.
ROMA, 11 de Setembro.
Telearammaa recebidoa de Maa-
oaaii n nnunrl am ter clie sacio a eata
ddade o explorador Italiana Sawl-
ronx.
DUBLIN, il de Setembro.
deus methodos (o inductivo e o deductivo), visto
que a historia nao nos da canta de outros ; se um
terceiro fosse possivel, teria apparecido por seu
turno na 1 nga serie da tentativas t-o difirante
mente inspiradas : teria tido dcbaixo da forma de
um syatema o sen lugar no passado.
Mas nSo ; a historia do methodo resume-se u>
predominio, segundo os tempes, lugares e hornees,
ora da experiencia, ora da rasSo... A sua anuo,
que raras rete se den, produsio tudo o que se tes
de eatavel e douradouro. O exeessivo emprego
dellea, o sacrificio de ata pelo outro, foi origera
dos mais tunalos desvos.
Donde se coueluc em ultima analyse, que, sendo
o methodo ama questo capital na sciencia., deve
empregar-se com as maiores cntelas.
VIL Ha tres sciencias principaes que se oceu-
pam e acooopanham pari passu o desenvolvimento
da vida do bomem. Urna dellas determina o fim,
o destino humano e indica os principios, as regrss
que devem observar para o conseguir ; a phi-
losophia. Outra presenta-nos successivamente a
evoluco dos tactos no passsdo e o estado actual
da so-iedade ; a historia. Finalmente a ter-
ceira aprecia e julga o passado e presente dos
pavos, fundando-se nos preceitos que a philosophis
Ihe fornece, mostrando quaes as reformas sus-
ceptivas de se realisarem, em harmona com o
progresso actual da sociedade.
Esta terceira e ultima scieocia a pbilosophia
da historia.
Applicando estas ideas geraes sciencia do di-
mito, nella podemos tambem encontrar tres scien-
cias especiaes. A primeira a pbilosophia do di-
reito, que se oceupa (como vimos) das leis e causas
dos pbeoomenos jurdicos, determinando com de-
vem estabelecer-se as relacoes entre os homens,
em harmona com os principios da justic*. A
segunda a historia do direito, qae estada as mo-
dificado s por que teem passado os povos as suas
iostitoicoea e leis. Emfim a poltica, bajeando -se
de um lado nos principios da pbilosophia do direi-
to e vendo pela historia os precetentes e estado
actual de um povo, eosina-lbe quaes as reformas,
para as quaes est preparado.
aqu temos, como a sciencia sobre que esta-
mos discorrendo so relaciona intimamente com a
historia do direito e a poltica.
(Covnua)
Beaordenn de urna certa gravlda-
de acabaa de ter lugar em Mlctaa-
ciato wn.
Km nm encontr doa naclonallataa
cana a polica renuncie morrerem
dola naclonallataa.
PARI3, 11 de Setembro.
Ojo-nal tidal deelaron boje que
a Pran -< e a I rnill recnaarana a au
(riar K::>b:!ca de Connan fon-
dada pelo explorador roa no ter-
ritorio conicnlnc'o da provincia do
Amaaona i.
Acreces Havac, nial em l'emambuco,
12 de Setembro da 1887.
IHSTROCClO POPULAR
PHILOSQPSLA DO DIREITO
CfTildjllisl'ifiO
<>A B1BLIOTHKCA DO POVO E DA3 ESCOLAS
PRELIHIVtRKN
1) A miLOSOPBI DO DIEBITO NA HI3T0BIA.2) FHILO-
SOFIIIA DO DIBBIT0 8 DIEElTO NATHAI. 8BBAO 8VSO-
BTTMOS?3) DKPIHICO DE PHIL0SOPHIA DO DIBEITO '
-----4) PASTES QUE SE DI JTIX30KH NA PWL0J0PHIA D )
Diairro b) impobtascia d'esta scibscia6) me-
thodo A SEOCIB M 6U BSTODO7) BBLAgO DA
PHILOSjPHIA DO DIBE1TJ C0B A HISTOSIA DO DIBEITO
A POLTICA.
(Continuaa >)
Certamente. Como dissemos no n. 4 destes pre-
liminares, na pbilosophia do direito estudam-se as
maniteatacoes do principio de direito no mundo
social, as turmas praticas que ento reveste, e estes
pbeaomenos s pela experiencia os conbecemos.
Bastar no emtinto este proeesso ? Nao, decerto .
to pela iuduccao, nunca poderiam s ebegar ao
descobrimeuto do principio do justo. Os toctos do
mondo social eo diversos c confusos. Se uns se
harmonisam com as regras da justica, outros
afastam se d'ellas. En segundo lugar, as leis dos
pbencinenos sociaes, como mais complexas e di tu-
cis qae as da mundo phyrco escapara por maior
razio a percepcao humana.
Nos factos do mundo pbysico ha leis fataes que
b repetem indefinidamente, dadas certas bypethe-
es. Nos factos sociaes, coma intervem a lber-
dade do bomem, produa se ama alterscao profun
da de eircumstaucias. Por todo isto, preciso
sar-sc tambem do methodo deductivo que, send
exclusivo, Umbem nao sufficiente, pois compre
nao p^rdermos de vista que se estada o direito,
para o applicar s sociedades, e o estado d estas
a se alenda com o proeesso experiment*!.
Fallando do methodo e querendo mostrar os pe
rigos que ha em segair-se am proeesso exclus.vo,
is am eecriptordutincto Nao ha seno destes
7ARTE OFFICn
toveroo da Proviacia
EXPROIETB DO DIA 18 DE AOOSTO DI 1887
Actos:
O presidente da provincia resol ve, de confor-
midade cora a proposta do Dr. chefe de polica em
officio de hontem, sob n. 718, nomear para o lagar
de subdelegado do districto de Maricota do termo
de Izaarass, o actual 1* sapplente Tamerl&o de
Albuquerque Nascmento, em aubstituicao de Je
rooymo l>ilio da CmU Machado, qae nSo aceitn
a nomeaco.
Outrosim, resolve nomear para o cargo de Io
sapplente do referido subdelegado, Jo? Cbiyaos-
tomo L -itilo Kingel.
O presidente da provincia resolve, de coufor-
midade com a proposta do Dr. chafe de polica
em officio de hootem, sob n. 717, nomear p*ra o
logar, qae est vago, de sublelegado do districto
de S. Vicente do termo de Timbaba o actual 1
supplente Joo Francisco de M iura, qae fica subs-
tituido pelo cidado Elias Elsea Alves Camello.
O presidente da provincia resolve, de coofor-
midade com a proposta do Dr. chete da polica em
officio de hontem, sob n. 717, nomear para o lugar
de 3 sapplente do subdelegado de districto de
Vicente do termo de Timbaba, Paulino Gomes
Cavalcante, em sabatituico de 8ebasti&o Jos de
MendoDca Fiiho, qae fica exonerado.
Officio:
Ao brigadero commandaote das armas.
Autoriso V. Exc, de accordo com a sua informa-
cao n. 425, de 16 do crrente, a conceder ao dete sargento ajudante do 14 batalbo de infan-
taria, Miguel Archanjo Baptista, tres meses de li-
ceo ca para tratar de sua eale na comarca de
Itamb.
Ao mesmo.Faco coustar a V. Exc, para
sea conhecimento o devidos fins, que, segundo me
foi communicado pelo Ministerio da Guerra em
tele^ramma de hoje datado, pode demorar-se aqui
por 30 dias o capito Ernesto Alves Pacheco.
Ao inspector do Arsenal de Manaba. Res-
pondo o officio de V. Exc. de 16 do correte, sub
n. 97, declarando-lhe que, tendo seguido para a
provincia da Parabyba, onde foi servir na respec-
tiva escola de aprenda-* marinheiros, o 1" teoente
Jos Rodrigues de Abren, nao pode ter effeito o
aviso do Ministerio da Manaba de 2 deste, qae
mandou entregar ao referido tenente a casa
per encent a c-sse Arsenal, perminecsndo assim,
a ordem desta presidencia, contids no officio de
10 do presente mes.
Ao inspector da Tbesourara de Fasenda.
Tendo o collector geral do municipio d Igaarasa,
na iuforuiBCao prestida em 11 do corrente sobre o
reqa^rimento de D. Generosa Sebastiana Furtado
de Mendonca e D. Maria Francisca Fortsdo de
VlenJonca, d-clarado que fizera com ellas, perante
o jalao de direito, novo accordo quaoto ao preco
dos escravos Damio e Francisco, libertados por
conta da 7* qaota do fundo de emancipac&o, dan-
do-se quelle o valor de 600JU00 e a este o de
550000, destinaodo-se ao in'mi fondo o peculio
que este constituir e recolhera collectoria em
19 de Abril de 1884, sirva ae V. S- de mandar pa-
gar-Ibes as quantias ddvidas, em additamento ao
meu cffijiu ae 19 de Julho ultimo.Commuacoa-
se ao Dr. juiz de direito de orpbios da comarca
de Iguarase e ao respectivo collector das rendas
geraes.
Ao inspector da stde do porto. Em solu-
cao ao seu officio de 10 do corrente, sob n. 87,
junto remetto a V. 8. a informacio prestada pelo
fiscal da Compaohia do Bebenbe para, em vista
d'ella e do contracto do guverno com a mesm
compaohia, V. 8. requuitar as obras de qae tiver
necessdade.
Ao presidente da Cmara Munieioal de Ca
ruai.Em resposta ao officio de 13 do corrente
mes, declaro qu a Vmc. cumpre proceder nos ter-
mos do art. s8 da le do 1.* de Ouiubro de 1828,
art. 22 5 4. e 6 da lei a. 3,629 e aviso de 27
de Set' moro d* 1881, isto : mollar os verealo-
res remidsoB, e se aioda assim nu comparecerem,
convocar supplentes em num-ro strictanente oe-
cessario para buver sesso, devendo ser provada
a molestia pelos que teem faltado s sesso-is da
cmara, allegando esse motivo.
Previno a Vmc. qa o mandato de vereador
obrigatorio ; pelo qoe, se os cidados eleitos, in-
da mesmo sen lo suipleotes, apcaar das maltas
impostas, caja cobranca dever-se-ha promover,
coniiDUarem a faltar, nao apresentando motivos de
legitima escusa, nos termos do art. 19 da citada
lei de 1828, esto sujeitos a proeesso de respinsa-
bilidade eom incaraos as penas do art 12S do
codiu criminnl : 4 vista dos avisus de 28 de Fe-
vereiro -)- 1833. 23 de Junho de 1834, 13 Je Mar-
cu de 1837, 29 de Outubro de 1838, 16 de Desem-
bro de lo6i 11 de Marco de 1884
Au ar. Ivu R Mingues Lias de Albuquerque,
I. ju'S Je paz da paroebia de Nossa Senhora da
Cuuceicao de Bello Jardim Em resposta ao offi-
cio d^ 8 Jo crrente mes, em qae Vmc. me parti-
cipa ter di-izado de funeciouar abi a junta de alis
tameoto miutar, pelos motivos qae bxpoe, declaro-
ihe que, ach^odo-e ssa paruchia, desde o dia 10
de ,iuuh ulciun ., instituida cunouicamente eum o
lim i. indicaioa na le de sua creacio o. 1,830,
de 8 de juuhu de 1864, segundo consta deofficio
do Eira Mr. bispu diocesano do 11 de Julho tudo,
deve Vmc, us termos do aviso do Ministerio da
Guerra de 21 de Agosto de 1875, dirigido presi-
dencia da Baha, faaer novas convocacoes para a
reuniio da mesma junta, convidando, no caso de
nao haver anda panocho, um sacerdote brasileiro
ah residente, e na falta deste o eleitor qoalifleado
votante, de conformidade com a lei eleitor*! vi-
gente, observaudo-se a ordem numrica no alista-
ment eleitoral, segando o disposto no aviso do
referido ministerio de 13 de Julho de 1881.
Achando-se Vmc. no cargo de subdelegado
dessa fregoeza, conformo declara no predito offi-
cio, determino-lhe que, ex observancia do aviso cir-
cular de 5 de Julho de 1875, passe o respectivo
exercicio aosen substituto, afira de presidir a jun-
ta do aiistamento militar, como Ihe competa, em
face do $ 1. do art. 10 do reguiamcoto de 27 de
Fevereiro de 1H75.
Portara :
O Sr. agente da Companhia Brasileira de
Na vegiciio faca transportar corte, por contado
Ministerio da Guerra, o 1 tenente Achules Vel-
loso Pederneiras e o alferes alumno Antonio Pe-
reira de Albuquerque e Souzi, os quaes exerce-
ram, o Io o lagar de secretario e o 2 de aju-
dante de ordena da iaspeccao do Arsenal de
Guerra, cajos trabalhos foram saspsosos, segundo
asrdeos do referido Ministerio.Officiouse ao
inspector da Tbesourara de Fazenla mandando
sjastar contas aoa referidos officiaes e communi-
coa-se ao brigadeiro commandaote das armas.
EJJPBDIESTE DO DB. SESBETABIO
Oficios :
Ao inspector do Thesouro Provincial.O
Exm. .Sr. presdsute da provineia manda remetter
a V. S. para seu conhecimento e os neoessarios
fins, copia da petico do thesooreiro das loteras
ordinarias da proviocia, commeodador Jos Can-
dido de Moraes, sebre adiameoto da extraccAo da
9' lotera a beneficio da Santa Casa de Miseri-
dia do Recife, anuunciada para ter lugar boje ;
contendo o despacho da presidencia tambem de
hoje.Cammunicou-se ao Dr. chefe de polica e
ao inspector da Tbesourara de Fasenda.
Ao director da Colonia Orphanologca Isa-
bel.O Exm. Sr. presidente da provincia manda
commanicar a V. Revma qoe aubmettea coosi-
deracao do Exm. Sr. ministro do imperio o sen offi-
cio de 16 do correte, relativo aoa servicos pres-
tados a esaa Colonia pelo commendador Fraociaco
Justino de C estro Rabello e o cidado 01 j mpio
Frederico Loop.
EXPEDIEUTE DO DIA 19 DE AOOSTO DE 1887
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao qos
reqaerea a directora da Companhia Pernambu-
cana de Navegacao Coste ira por Vavor, e tendo
em vista a informacao prestada pelo inspector do
Thesouro Provincial em cfficio de 3 do correte,
sob o. 773, resolve, de conformidade com os arta.
3 e 10 da lei n. 1884, de 30 de Abril ultiaio, qae
seja innovado o cootracto a qoe se refere a porta-
ra da presidencia de 7 de Agosto ds 1884, me-
dante aa segointes clausulas :
1. A Companhia Pern toibacana obriga-se :
1. A continuar por mais tres anoos, cootados
do dia 1* de Julho ultimo, a navegacao entre os
portos da Parabyba, Natal, Macan, Mossor, Ara-
caty e Fortaleza ao norte ; Macei, Peoedo e Ara-
caju, ao sal, na conformidade da clausulas appro-
vadaa pelo decreto geral n. 8125 A de 28 de Maio
de 1881, que fas parte deste contracto.
2.* A realisar, em dia designado, de accordo
com a presidencia da provincia, ama visgem
mensa! ac porto de Tamandar e barra do Rio
Formoso, sem direito subvencAo maior do qae a
marcada na clausula &* j 2.
O pre<; > das passageos ao Rio Formoso e Ta-
mandar ser reduzido metade do qae actaal-
mente se cobra, nSo podendo exceder de 3f, ida
on volta, a passagem de proa, e o vapor dever
demorar-se no porto do Ro Formoso pelo meaos
6 horas.
$ 3- A transportar gratuitamente e sob saa
responsabilidade todo e qualquer dioheiro publico,
desta provincia para qualquer dos portos servidos
e vice-versa.
| 4' A conceder duas passagens gratuitas de
r e outras tantas da pri, para todos os portos
obrigados forsa publica, agentes ou empregados
publicas, ou mesmo particulares, em falta daquel-
les, precedendo ordem do govirno. As passagens
de r podero ser substituidas por numero daplo
de passageos de proa.
| 5' A taser am abatimento de 10 *( nos pre-
cos filados naa tarifas do contracto que a mesma
companhia tes como o governo imperial em re-
UcAo s passageos e tretes por conta da pioviu
ca, no que exceder do disposto no ptragrapbo
aotecedents.
6- A proporcionar ao presidente da provio-
cia, mediante preco rasoavel, cue ser previa-
mente ajustado, um oa mais vapores, quando as-
sim o exigir o servico publico.
2* A provincia por sua parte obriga-se :
5 i- A manter e tazer cumprir o presente con-
tracto pelo prazo de 3 aonos nelle estipulado.
2* A pagar companhia na forma do 23 di
art. 2- da"lei n. 1884, de 30 de Abril uitim >, a
subveocAo aonual de 24:0o\)00) em prestacoes
mensaes de 2 0 () W, e maia a quaotia de lOO
de cada dia de demora que por ordem do governo
exceder de dous nos portos a que forem mandados
os vapores.
3*. A prestaco mensal de que trata o 2- ser
paga avista de attestado do administrador dos cor-
reioe, exhibido perante o inspector do Tbesoaro
Provincial, pelo qaal prove a compmhia que fo-
ram preeoebidas as obrigaeoes dos 1* e 2- da
clausula 1*.
4*. A iDterropcSo do servico cootractado, por
mais de am mes, em todas as linhas, em parte,
oo qualquer dellas, salvo motivo de foroa maior,
sujeitar a companhia, alm da multa cm que in-
correr, anda indemnisscAo de todas as despezas
que a proviacia fiaer para a contiuuacao do ser
vico durante o tempo de interrapeo, com aceres-
cimo de 50 |0 das mesmas despesas
No caso de aban tono d-se a caducidade do
presente cootracto, e a coinqaobia pagar pre-
vi ocia 50 (t da subvenco aoooal ; entenJen lo
se por abandono a interrupcSo do servico por mais
de tres meaos, apesar das multas impostas.
5*. Oa casos de torca maior, de qoe trata o 3-
da clausula 2* a-rao recoohecidos por dous arbi-
tros de nomeaco de cada urna das partes, os
quaes antea de tornarem couhecimeott do caso
accsrdaro em am terceiro para desempatad r.
Os outros casos de forca maior seiu justificados
perante o presideute da provincia, que julgar de
sua procedencia.
6*. As faltas e omissoes que constiturem n-
fraeco do coo'racto sujeitaro a companhia
multa de 254 100* e ao dubro oas reiucidencias.
Easas multas aru impostas pelo presidente da
provincia, dep ms de ouvida a companhia, sem
mais r.curso.Bemetteu-se copia ao inspector do
ThebOOro Provincial.
O presidente da provincia attendendo ao
qa requereu o partidor e distribuidor do termo
de Nasaretb, Carlos Barromeu da Silva, resolve
prorogar, provisoriamente, por tres meses, a li
cenca c m tue se ach para tratar de sua saade.
Officios :
Ao inspector do Arseoal de Marnha.Faco
constar a V. Exc. para seu cooavcimen'o e fins
convenientes, que, segando consta de aviso do Mi-
oisteiio da Manaba de 10 do corrente, sob n. 904,
foi oa mesma dala foi transferido desse Arsenal
para o da corte, o capi'&o-teneote Francisco Au-
gusto de Paiva Bueno Brandao.Uommuoicoa se
ao iospector da Taesouraria da Fasenda.
Ao mesmo.Faca V. Exc. seguir para a
corte, oa pnmeira opportuoidade, conforme deter-
minua o Exm. Sr. Ministro da Guerra em tele-
gramioa de hootem datado, o espito-teneate
Bueno Brando.
Ao inspeetor da Th'soararia de Paseada.
Teodo o tenente-corcoel Brat Caroeiro Lias de
Mello provado com certido passada pelo cartorio
de orpbos do termo do Cabo baver sido o sea es-
cravo Maooel, libertado all pela quantia de 5504,
por conta da 7" quo'a do fundo de emancipado e
nao por 350J, como consta da relaclo que temet-
teu V. 8. coa o officio de 19 de Julho ultimo e
offerecido em roque rime ato de 13 desse mes o
abate de 504 naquella quantia, com o que coa-
cordou o respectivo collector oa ioformaco de 2
do correte, sirva ae V. S. de maodar faser efe-
ctiva a indemoisaco de 5004, vista do que io-
formou o jais competente em otft;io do 11.Com-
muoicou-se ~o iuiz ma~icpal e de orpbos do ter-
mo do Cabo. uo respectivo collector das reodas
geraes.
Ao mesmo.Remetto a V. S. o ocioso offi
co em original, do inspector do Thesouro Provn
cial, datado de 12 deste mes, n. 786, afim de que
se sirva de providenciar oo sentido de ser minia
trada urna nota especificada das contas dos forue-
cimeotos a qoe se refere o aviso, junio por copia
ao citado officio, com determinacao de suas datas
e das ordena desta presidencia expedidas a res-
paita.
A referida nota me ser enderecada, com devo-
luco ds peca official de qoe tratei cima.
Ao presidente do conseibo fiscal da Caixa
Econmica Mete de Soccorro. Em observancia
ao aviso dirigido a esta presidencia pelo Ministerio
da Guerrs em 3 do carrete, remetto a V. 8.
copia do mesmo aviso, afim de que esse cooselho
fiscal sirva-se de providenciar no sentido de qae a
importancia de 174000, constante da caderoeta
junta, perteoeeote ao ex operario militar do Ar-
seoal de Guerra da corte, Beato Tavares da Silva,
seja recolhida Tbesourara de Fazeoda para ser
escripturada como supprimeato recebido da Paga-
doria das Tropas, ceoforme determina o dito Mi-
nisterio.
Declaro a V. S. que sebre o presente objecto,
dirijo-me tambem ao inspector da mencionada
Thesoarara. Officion-se ao iospector da Tbe-
sourara de Faseoda.
Ao iospector da Sale Jo Porto.Para os
fias cooveoieotes traosmitto a V. S. aa inclusas
copias dos avisos do Mioisterio do Imperio, os....
3,l'-0 e 3,181 de 6 e 9 do correle mes, declaran lo
infecciona Jos de cholera-morbos diversos portos
italianos.
Ao administrador do Tbcatro Santa Isabel.
Attendendo ao qae requeren Eu .-liles Foaseca,
concedo-lbe o salo deste tbeatro para um con
certo que pretende realisar ; indepenleste da con
tribuyelo e mediaote.as condifes do regulamento
de 16 de Marco de 1885, assim como para os pre-
cisos eosaios, seodo o dia do concert indicado por
V. 8. vista de sua intormaclo dd 17 do cor
reate.Coomaaicoa-se aos membros da directora
e ao inspector do Thesouro Provincial.
Ao aesmo.Tendo permettido, na forma do
regulamento de 16 de Marco de 1685, a ama cm-
missao acadmica, realisar nesss thsatro na oeite
de 21 do correte, ama sesso Iliteraria sem pre-
juisode qualquer outras coocessocsj feicas, assim
o commuoico a V. S para os devidos fins.
Ao inspector du Thesouro Provincial.-Por
officio de 13 deste mex o. 785, trouxe Vmc. ao
meu coobecimeoto, em observancia ao qae foi por
m'm recommeodado, qoe, baveodo convidado o
thesooreiro das loteras dn ingenuos da Colonia
Orpbsfldogica Isabel recolber a importancia de
5:27540TK)Jcr.je coasta existir emjcu poder em bi-
lbetes ds grande lotera daquella concess', at a
data do dito officio neobama resposta recebeu.
Accosaodo o allndido recebimeoto, teoho para
diser-lhe que deve proceder polos muios legaes a
seu alcance, afim de obrigar o m 'amo thesooreiro
a resttaivo desses valores deatioados a reverte-
rem em beoeficio da referida colonia oa conformi-
dade do acto desta presidencia de 16 do correte.
Ao director do Arsenal de Gaerra.Fica
Vmc. aatorisado a sat-sfaser o ocioso pedido, em
duplicata de diveisos livros e mappas impressos,
destinados a E ifermari Militar, urna ves que,
segando informa a Thesouraria de Faeoda ?m offi-
cio n. 53) de 1 do corrente existe crdito a verba
competente para a respectiva despesa.Commuii-
eou-se ao bngadeiro commaudante das armas e ao
inspector da Theeurara de Fazenda.
Ao juia de ps presidente da junta de aiista-
mento militar da parochia de 8. Flix de Buique. -
Em resposta ao officio de 10 Jo corrente em que
Vmc participa ter deixado de fuoeciooar a junta
de aiistamento militar dessa parochia pelos moti-
ve qoe expJ, declaro que, segundo ioformacao do
Dr. chefe de polica de hontem datada, sob n. 720
foram dadas as providencias no sentido de serem
apresentadaa pelss autoridades oorapetentes as
listas de que trata o nico do art. 14 do regula-
meato de 27 de Fevereiro de 1875.
__ Ao 1 joiade pas presidenta da junta de aiis-
tamento militar da parochia de Nossa Senhora da
Assumpco de CabrobDeclaro a Vmc. em res-
posta ao officio de 1 do corrente qu<-, segundo
infoimacJo do Dr. chefe de polica de hootem dA-
tada, sob n. 721, foram dadas as providencias so-
bre o assumpto do citado officio.
Portara : _~.
O Sr. agente ds Companhia Brazileira de Na
vegacao faca traasporUr a corte, por eonta do Mi
msterio da Marraba o director das offieinas de ma-
chinas do Arsenal de Marraba, capito-teoeote
Fraucisco Angosto de Paiva Bueno Braodo, qoe
foi transferido para o arseoal d'aquella corte.
Ao referido official acompaah* sua mulher Je-
ny Bueno Brando. Commoaicou-ae ao iospec-
tor do Arsenal de Marioha.
EXPSDIESTB DO DR. SECRETARIO
Officics :
Ao iospector da Thesouraria de Faseoda.
O Exm. 8r. presidente da proviacia manda re-
metter a V. 8. a inclua ordem do Thesouro Ni-
cional sob o. 103.
Ao commandaote superior da guarda nacio-
nal das comarcas de Bonito e Bezerros 8. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda acensar re-
cebido o officio de 8 do corrente em qae V. 8.
participa ha ver oomeado para faser parte do con-
seibo de qualificaco o capitao Jos Fraocsco Coe-
Iho, eia substituico do capito Maooel Jovino
Brayner, que fa ieceu.
_ Ao commaudante do corpo de polica O
Exm- 8r presidente da provincia manda comisa-
uioar a V. 8. que, nesta data exaroa o segainte
despacho em seu officio de 17 do corrente n. 7,117
soore ajuda da custo a diversos officiaes desse
corpo: ___
R-tnettido ao inspector do Tbesoaro Provio-
cial para atteuder, se tiverem diieito, nos termos
das recominendncoes qoe j tem tido teitas
Ao r. juz de direito da comarca de Taca-
rat.. Exc. o 8r. presideote da proviocia
manda declarar a V. 8. para os devidos eff tos
e era solnco do seo officio de 20 de Julho lindo,
que fica scieute de ter sido designado por V. 8. o
ubel'io Maooel Francisco Butelbo para servir
prwviaoriameote de otocial do registro geral das
bypoihecas d'essa cemarca, na forma do art. 56
d.dec. n. 9,420, de 28 de Abril de 1885.
A' eogeuh'iro fiscal da via frrea do Reeife
so 8. Francisco.-De ordem de 8. Exc. o Sr.
presidente da provincia c minunico a V. 8. que
nesta data tiveram o devidu deatiao os doeumeo-
tos que acompanoaram o seu ufficio de 16 do cor
rente sob o. 5'J, hoje recebido.
Ao director do presJio de Feruaodo de No-
rooha -De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia comoauoico a V. S. qoe nesta data fui ap-
pruvada a propusta preferida pela junta da Tbe
sourariade fazeoda, de Mederos 4 C, pela qual
se offoreceram para fnrnecer por 1044 os dous li-
vros requisitados por V. S. em officio de 17 de
Julho ultimo, o. 245, deveodo cada um do cita-
d. s livros cooter 350 f.lbas e ser completameote
encaderoado em cour>.
EXPEDIENTE DO DIA 20 DB AOOSTO DE 1887
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao
que requeren Jos Octaviaao da Rocha Mello,
professor de casino primario em Pao Ferro, e
tendo em vista a informacao o. 218, do inspector
geral da Inatruco Publica, res lve conceder ao
peticionario, a contar de 9 do corrente, u jo mes de
iicenca com ordenado para tratar de sua saude
onde Ihe convier.
O presidente da provincia, attendendo ao
qae reqaereu o juiz municipal e de orpbos dos
termos reunidas de Grarautraos e Correntes, ba-
charel Bernardina Maraoho, resolve conceer-lhe
dous meses de Iicenca, a contar de 10 do corren
te, com os vencimentos a que tver direito para
tratar de sua saude
O presideote da proviocia, attendendo ao
que requereu Sofa Gailhermina de Mello, profes-
sora da escola pratica annexa Escola Normal, e
teodo em vista a informacao do respectivo di-
rector, resolve conceder peticionara, a contar de
8 do corrente, 30 das de Iicenca com ordenado
para tratar de sua saude, onde Ihe convier.
Officios :
Ao Baro de Nogueira da Gama, mordomo
da casa imperial.Em additamento ao officio de
16 do corrente, transmiti a V. Exc o recibo
passado pelo pai do menor Tito Hygiao de Miran -
la do saque sobre Londres a ordem desta presi-
dencia, enviado por V. Exc. em officio de 29 de
Junho ultimo.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
do Recite. A' vista do que V. Exc. representa
em officio o. 326 de 17 do corrente, spprovo a de
liberaco que tom.u a juota de crear mais um
lugsr de procurador oo Reeife, contractindo para
isto Julio Ferreira da Costa Porto percebeudo cada
um dos procaradores a taxa correspondente a ar-
recadacao que fiserem.
Ao iospector da Thesouiara de Fasenda.
Attendendo ao reqaerimento de 12 do corrente,
em qae Albiao Maooel de Paiva, residente no mu-
nicipio de Iguarass, declarou abater no preco do
sea escravo Jos, libertado all por conta da 7a
quota do fundo de emancipaco a quantia de 404,
recommmdo a V. 8., em additamento ao meu
cfficio de 19 do Jolho ultimo, que mande fazer-Ihe
effectiva a indemoiaaco de 5004000.Communi-
cou-se ao juiz de direito e de orpbos da comarca
de Iguarass e ao respectivo collector das rendas
geraes.
Ao meamo.Sirva se V- S. do maodar pajar
a Octaviano Jos Correa a quantia de 3504003,
importancia da libertaco de sua escrava Simpli-
cia por conta da 7* quota do fundo de emancipa-
cAo no municipio de Ouricmy, conforme a ielaclo
junta.Declarou se ao juia municipal e deorphioi
do termo de Ouricury, qie o saldo da quota deve
ser de 839 ris e nao 840 ris.
Ao mesmo.Communico a V. S. que. segun-
do o aviso do Ministerio da Agricultura Commer-
cio e Obras Publicas de 12 do corrente, foi por
portara da mesma data nomeado o bacharel Jos
Osorio de Cerqueira para o lugar de inspector es-
pecial de trras e colonisaco nesta provincia com
o vencimento mensal de 5004000.
Ao presidente e membros do Club Litterario
Caxuaruense.Em virtuie de ordem da Exm. Sr.
ministro e secretario de estado dos negocios do
ioperio, constante do aviso n. 3202 de 12 do cor-
rete mea, faco constar a Vv. 8a. qoe 8. A. a
Princesa Imperial It'gente, em nome de S. M. o
Imperador, manda agradecer as mauifeitacoes de
regosijo tradazidas em sesso solemne dessa asso
ciaco pelo reatabeiecimento da sande do mesmo
augusto senher.
Ao commandaote do Corpo de Polica.Ae
Dr. chefe de polica mande Vine, apresentar oo
dia 22 do correte mes, ao meio dia, duas pracaa
afim de escoltarem um criminoso que vai respon-
der ao jury oo termo de Iguarass.Comamoi-
cou-so ao Dr. ehefe de policia.
Ao director geral das Obras Publicas.
Tendo apprsvado hrje o orcamento oa impartao-
cia de 2:9774806, que acompaohoa o officio de
Vmc, de 6 de Juoho ultimo, sob u. 120, para
execuco dos reparos precisos na casa que serr
de cadea emGoyaooa, recosimen do Ibe que mande
pol-os em praca, nos termos do regulamento em
vigor. Rcmetteu se copia do respectivo orea
ment do inspector ao Thesouro Provincial.
Ao eogeoheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Caxaog e Varzea.Ioterado do que
Vmc. informa em officio de 16 do erreote, sob
u. 182, declaro-lhe qoe deve toroar effdctiva quao-
to aotes o alargameota do porto do sitio da Ja-
qaeira
Ao mesmo.Para cumplimento do aviso cir-
cular Jo Ministerio da Agricultura, Commercio e
Obras Publicas, de 17 de Juoho ultimo, hoot.m
recebido, recommendo a Vmc qae, at o fim de
Jaoeiro do aooo prximo viodouro, seja, imprete-
rivelineute enviad* Secretaria desta presidencia,
com destino respectiva Secret-ria d'Estado.o rea-
torio dessa estrada de ferro, correspondente ao cor-
reute anuo, acompanhado de todos os dados de qae
tratara os modelos foruecidoe com a circular do dito
mioisterio, de 30 de Dczembro do aono passado e
os quadroa loseridos oo relatono apreaeotado a
Assembla Geral legislativa em 3 de Maio deste
aooo.
Igaal aos das estradas de ferro de Ribeirao ao
Booico, do Recife a Oada e da Ferro-Carril.
Ao eogeoheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao S. Fraocisco.Para camprimeoto do
aviso circular do Ministerio da Agricultura, Com-
mercio e Obras Publicas, de 17 de Junho deste
anuo, hontem recebido, remetto a Vmc. um exem-
plar dos qaadrot estatisticos relativos a viacae fr-
rea do Imperio em 1886, afim de que a admiois-
traco d-ssa estrada de ferro, cempletaodo o e
corr termedio desta presidencia, com a maior urgencia,
com todas as informaces que se acham em brac-
eo em suas columnas de m ido que poasam ua mes -
mos quadros ser novamente publicados, iseotos de
todas as lacuoas e omisaoes que nelles se notam
por falta dos esclarecmentos exigidos.
Igual ao eogeoheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Limoeiro.
Officiou se ao eogeoheiro director do Prolonga-
mento e da de Caruar, remetteodo um exemplar
para os fias cooveoieotes.
Ao juis de direito da comarca de Itamb.
Sirva-se Vmc. de informar me quaotas parochias
existera no territorio dessa comarca
Mutatis mutandi ao jais de direito da co-
marca de Timbaba.
Ao 1 juis de paz da parochia de Nossa Se-
nhora do Desterro de Itamb.Constaodo Je of-
ficio do juis de direito da comarca de Itamb, de
16 do correte, que tem deixado de se proceder
abi ao astameoto militar, o qoe para esira-
ohar, quand > ex-vi do disposto no art. 8 do regu-
lamento o. 5881, de 27 de Fevereiro de 1875,
obrgada a respectiva junta a renuir se oo da Io
de Agosto de cada aono, determino a Vmc que
sem perda de tempo e observados os prasos est*.-
beleeidos no referido regulamento, convoque a
juot O'essa parochia e d comeco aos seos tra
balhas, certo de qae pela falta de camprimeoto de
s-meihiat obrigaco Ihe sero impostas as penaa
comminadas no mesmo regulamento.
Igual ao l* juiz de paz da parochia de 8. Vi-
cente de Itamb. -Comrauoicou-se ao juiz de di-
reito presideute oa junta revisora do aiistamento
militar da comarca.
Portaras : .
Informe a cmara maaicipal de Timo-taba
quaotas parochias existem no territorio d'csse
municipio.
Mutatii mulandis a de Itamb.
Declaro cmara municipal de Buique em
resposta ao sea officio de 22 de Fevereiro do cor-
rete aono, que de saa loformaco de 18 de Maia
ultima e das que prestou o Dr. juis de direito da
comarca se verifica nao ser o cemiterio d'essa
villa publico ou municipal, nos termos dos arta.
30 e 14 da lei provincial n. 962, de 14 de Julho
de 1870, e sim particular da matriz construido ha
aooos em terrea do seu patrimoaio, por missio-
narics capachiohos e conservado pelos respectivos
parochos sem dispeodio de qaalidade alguma at
hoje por parte da muoicipalidade.
Assim, oo pode a cmara chamar a sua admi-
oistraco o referido cemiterio, ficaodo-Ihe salvas
entretanto as attribuicoes a seu cargo especial-
mente a do 2" do art. 6S da lei do Io de Outu-
bro de 1828 e o direito de estabelecer, por sua vea,
cemiterio municipalRemetteu-se copia ao juis
de direito da comarca.
O Sr. agente da Companhia Brasileira de
Navegacao faca transportar corto, por coota do
Ministerio da Guerra, o alferes do 14 bitalho
de iofaotaria Raymundo Mogoo da Silva, que se-
gu para al.'i em virtude dd ordem do referido Mi-
oisterio, contidaem telegramau de 16 do corren-
te. Officiou-se ao inspector da Thesouraria de
Fasenda para ajusfar contas ao referido official e
commuoicou-se ao brigadeiro commandaote das
aricas.
EXPEDIENTE DO DR. STCBBTABIO
Officios :
Ao director geral das obras publicas. O
Eim. Sr. presidente da proviacia, eou ioterado
pelo officio de hontem, sob o. 180, de baver V. S.
mandado lavrar termo de recebimeoto da casa de
barreira oa estrada do norte junto a ponte ds
Timb, por haver terminado o prazo da eotregs,
de coutormidade com o cootracto de 29 de Agssto
de 1881, eachar-se ella cm perfeito estado, coma
ioforma o eogeoheiro Fraocelino Amrica de Al-
buquerque Mello.
Ao superintendente da estrada de ferro do
Recife ao Sao Fraocisco.Dd ordem do Exm. Sr.
presideote da proviocia, traosmitto a V. 8. afin
de que sirva-se de enviar para Una no trem de
baje das 3 horas s 20 minutos da tarde, o passe
aqui junto concedendo transporte a duas pracaa
ds corpo de policia e am criminoso que d'alh teem
de vir amanh para esta capital.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DIA 10 DE
SETEMBRO DE 1887.
Antonio Jos Pereira Jnior.Informe
o Sr. brigadeiro commandanto das armas.
Antonio Lina Barretto. Sim, mediante
substituto.
Affonso Moreira Temporal.-Informe o
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda.
Alferes Antonio Francisco Pereira Qi-
tirana. Informe o Sr. juiz municipal do
termo de Bonito.
O mesmo.Como requer.
Felismino Rodrigues Laurinlo. Reque-
ra do tribunal competente.
Joo Preciliano da Costa.-^Encaminhe-
se, devendo ser p->go na reparticAo dos
Correios o competente porte.
Jos Vieira de Paivf.Infirme oSr.
juiz municipal do termo de Cimbres.
Manoel Henriqu3de Miranda Aocioly.
Entre em accordo, querendo com o collec-
tor de Iguarasb, para abatimento razoa-
vel no valor da indemnis ic3o
Melchiades Antunes de AlmeiJa.Infor-
me o Sr. juiz municipal do termo do Bo-
nito.
Secretara da Presidencia de Peroambuco, 12
de Setembro de 1887.
O porteiro,
F. Chacn.
Ilepartico da Polica
2* seesto. -N. 805. -Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 12 de Setembro de
1887Illm.e Exm. Sr. Participo a V.
Exo. que foram recolbiios Casa de De-
tengao os seguinte8 individuos :
No dia 10:
A' ordem do subdelegsdo do districto deBsIm,
Maooel Jos, por disturbios e uso de armas da-
fe98 .
A' ordem do do Io districto do Poco da Pauella,
Igoacio Pereira de Hollanda e Aotouio Alves de
Medeiros, por crise de ferimeatcs graves.
No dia II :
Nenhum individuo foi rccolhido aquelle estabe-
leciracnto.
__ aute-hontem cerca de 3 horas da tarde e ao
lugsr Encauamento, do districto do Poco da
Pauella, Antonio Alves de Medeiros, foi casa de
Jos de Hollond, afim de pedir o pagamento de
unos v-aora que Hollanda havia meito por ter ella
destruido um meado a e'le pertencente.
Dpo8 de urna altercacao que tiveram, Medei-
ros armou-se de urna faca de poota e investio con-
tra II >ll -oda, que relugio-se para o ioterio: da
casa- Neste iuterim appareceu Ignacio Pereira
de Hollauda, e sjodo tambem aggredido por Me-
deiros, lansou mJo de um ccete e procurou deten-
der-se travodo luta da qual resultou suhirem
trabos ferdos, sendo Hillanda cecn duas facadas
e Medeiros com um braco quebrado e outros feri-
meatos.
O respectivo subdelegado tomou conhecimeoto
do facto, f*x proceder a vistoria pelo Dr. Gama
Lob >, qae declarou graves os ferimeuros.
Os erimioosos foram preses e coatra os mesmas
se procede dos termos do ioquerito p.licial.
__ Participou-me o delegado do termo da Es-
cada que no dia 9 do corrente mes, pn-udeu o in-
dividuo de nome Jos Severino dos Sautos, por ter
con.essado ser deoertor da marinba, e ter assentado
praca em 1884.
Hontem s 4 horas da tarde na ra da Sen-
sata Sov, da freguexia do Reufe, o individuo de
nome Joo de tal, eonhecido por Joca da Passa-
(fpm, f rio com uo.a tacada a Nicolao Faustino
Wanderley, que sendo viatoriado pelo Or. Jos
Joaquim de S-uxa, declarou grave o ferimeoto.
O criminoso evadi se logo aps o crime e con-
tra elle o respectivo subdelegado prosegue aos
term os da le.
t.'ummuoicourn-e o subdelegado do districto de
8 m que hootem s 6 horas da tarde, foi ferdo
cm duas facadas o pardo de oorae Abdoa, sem
que declaras le qual o seu iffeosor.
O offeodido fu viatoriado pelo Dr. Jos Joa-
quim de Soasa e a tal respeito abri se ocompe-
teose ioquerito.
Pa.tici,'ou-me o delegado do termo de Rio For-
moso, que pelas 9 horas da noite do di 7 do cor-
reute, quando urna msica percorria s raas da-
quella eidade, o meuof Jos Mano'I de -ousa, fe-
rio com urna facada a Manol Rufiue do Almeida,
que veio tallecen horas depois.
O criminoso foi preso em u\*rautd e contra esse
abno-se o cooipefjte inquento policial.
Pelo Dr. delegado do 1" districto da capital, fo-
ram oesta data remettid >s ao Dr. juis de direito do
3- districto criminal, os inqueritos pi.liciaes, proce-
didos coutra Benardino Alves do Oliveira, conhe-
cido por Gordiuh eJue Gomes de Am nm, in-
digitatoa, este como mandante e aquelle coso
maudatariu, eibre o assassinato, pratica lo na pes-
soa de J s Po Cesar.
Por telegramma de ante-hootem tard-com-
municnu-toe o delegado de Caobonohi, que no
lug.r Lus, daqaelle districto, foiaseaesiuado o de-
I



flrf-*~____
2
Diiu de ftrnarobfoTer^a-fcira 13 de Sctcmbro de 1887
legado de Alaga de Bu Bellarmino
Pinto de Paiva. ~ mm
Affirma aquella .tondade que cffioal de po-
lica, a fMpeo de qu.m d o commandante teste,
muubo de sus aptides, que segua para o logar
do acontecirnento, fim Je proceder aa diligenciaa
uecetvesi,em aoseu alcauc.
Tflegrapbti ern resposta orden, odo que, de ac-
ecido cim afc circumfaiaiicit.8 da occasiao dsae
elle todaa as providencias, podecdo seguir os as-
aassinos, chamar a teu serv yo es destacamentos
que estivesstm alcance prempto, dando conta do
quer que fosse recorr ndo.
D.ub guarde V. ExcIUm. e Exm.
Sr. Dr Pedro Vicente de Azevedo, amito
digDO presidente da provincia. O chele
de polia, francisco Domingues Ribeiro
Vianna

Thesoaro Provincial
DESPACHOS DO DA 11 DE SETEMBRO
DE 1887
Florencio Jos de Birros Moraes "-In-
forme o ?r. coector de IguarasB nos
termos do despacho.
Antonio Aujkdco Freir e Antonio Pin-
to de Queiroz.Certifiqese.
Eduardo A. Burle e JeSo Kemp Jnior.
Entrcgue-se pela porta.
Pret do corpo de polica.Examine se,
diseando Hilario Ri.rnos, Dr. Joao Fe-
liciano da Motta Albuquerque, Fiancelina
Foriaz de Laccrda, Dr. Manoel Polycar-
po Rloreira de Azevedo, Miguel Arcbanjo
Mindello, Felippe Cavalcante de Albuquer-
que e Isabel Francisca Monteiro de Quen-'
tal Barros.-Haja vista o Sr. Dr, procu-
rador fiscal.
D.rectoria Geral das Obras Publicas.
Pagese.
Francisco Ferreira da AnnunciacSo.
Enliegue-se a quantia em deposito.
Daro Jos Peixoto, Josepba Tbereza de
Santa Rosa, Aris'ides Thenorio Bezerra
de Menezes, Joao Walfredo de Medeiros
e Joao Lourciro CIoforme o Sr.
Contador. .
Jacintho Pacheco Pontes Satisfaca a
exigencia.
Maria Manoela do Sacramento lavares.
Informe o Sr. Dr. administrador da R-3-
ebedoria Provincial.
Pret do corpo de policia. Pague-so.
da
da
fasel-o sug'itar-ae-hia a ser considerado, como o
ceg que n&o quer ver.
Quer como deputado provincial, quer como ad-
ministrador da provincia, cu ermo lente da Facul-
dade cu como Ueputaio Aasemblu Geral, ou fi-
nalmente como simples particular, t---m elle B desenvolvido a mais constante si-licituds e nex.
ccdivel zelo pelos legtimos interesses de sua pro-
vincia e do Ejtado.
Esto ubi para attestar o que dexamoa affirma-
do os annaeg da Assembli Provincial, na parte
n I itiva as questdes de interesaea d agricultuia,
do commercio c dss artes, os rclatorioa da presi-
dencia, que denunciara os aervicos do viee-presi-
dente de enlo em favor do Asylo de Mendicidade,
da Colonia Militar de Pimenteiraa, transformada
em colonia agrcola, do Lyceu de Artes e Officios,
da Assccia?o Commercial e da emaneipacao
gera?o eBcrava.
Os archives das saciedades Auxiliadora
Agricultura, Propagadora da Instructo, Patroti
ca Doze de Seteinbro o outras, podem tambem for-
necer provas dos assignalados servicos do inclyto
pernambucano.
Por occasiao do ongresso agrcola de 1878,
promevido e presidido pelo conselheiro Portella foi
elle alvo de expresabas manifestacoes dentre as
quaes se destaca a de ser-lhe conferido pela Asso-
ciaco Commercial Agrcola o diploma de socio
btnemcrito
Os artistas, esti classe datincta pelo seu traba-
lho, pela generosidade de seu coraco, pela inde-
|p.-acacia de sua posico e carcter, j reconhe-
ciam tambem o quanto devem aos estreos do so-
cio do Lyt< de Artes e Officios e da Imperial So-
cedade dos Artistas M^chsnieos e Liberaes, con-
ferindo-lhe o titulo deproecor e de presidente ho-
norario.
Tudo isto revela nc intestavelmente muto pa-
triotismo e muita dedicacoa provincia e aos seus
comprovincianos.
E agora, para maior e mais brilhante reconhe-
cimenio dos mritos do honrado ministro do impe-
rio, a opposico do Senado acaba de fazer-lhe ma-
nitestavoes que nunca ministro algum teve a glora
de receber.
O Ilustre chefe liberal, senado"- Octaviano Rosa,
eloquentemente recommendou o conselheiro Portel-
la a considera?o do pau, disendo :se de mim
dependesse organisar um parlamento, aempre
nobre ministro teria n'elle entrada.
Se tudo isto nSo estabelece decidida preferencia
em avor do conselheiro Portella no pleito de ama-
nb, se estes motivos apenas se isnpuserem aos
amigos e correligionarios do distincto conselheiro,
os mais vitaes interesses da provincia exigem que
seus filhos sem distineco de partidos e ligados
pelo sentimento do patriotismo e pela prosperida-
de de Peraambuco se congreguem e unidos e for-
tes pela forca desea grandiosa idea signifiquen!
Recebedorla provincial
DESPACHOS DO DA (J DE SETEMBRO
DE 1887
Onze petictes de Francisco Gomes da
Silva Neves. Certifiqese.
_ 12 -
Joao Eutbimio de Brito Macedo.Cer-
tifique-se.
Francisco Cardoso da Silva Pinto, Joo.
Francisco Ramos da Silva, JoviniaLO da com a solemne demonslrscao do voto, que esta
Rccba Pereira, Carneiro de Souza & C, provincia confia e espera que o ministro do impe-
Manoel Martina Torres, Francisco Martina | rio cumpra o seu dever.
Gomes, Carlos Sinden Domingues Jos Prxima esti a poca da renovaco geral do
Antonio Guimaraes, Antonia Gonjalves f mandato, conferido aos actuaea repreeeBtantes da
Pereira & O., Eugenio Goetchel, Rodrigo nacao, e emqaanto esta poca nao chega, o eleitu-
S Sobral, Eugenio Jlo Barbcaa de Car-: rado do distrieto ter tempo snffioiente para ti-
valbo Barbosa & Santos, Jos Monteiro } rara prova do procedimento do ministro doimps-
Torre's de Castro, Francisco Jos dos r0 e negar-lhe entilo eom fondada raso o seu
PaBsos Guimaraes, Sodr da Motta Filho j apoio confanos, se por ventura o ministro ae ti-
& C Manoel Jos Fernandes, Bsrros & ver etquecdo dos compromissos, que como simples
Brito,'Neves & Salgado, Cesar Jnior,
Antonio Domingues de Lima & O.. Mar-
ques & Almeida, D. J. Seve & C.t Joa-
quim Bernardo doB Re-a, Antonio Sampaio
io Nascimento, Antonio Jos da Nova, Ju-
lio & Irmao, Luiz Cesar da Silva & Pinto,
Manoel da Cunha Lobo, Pinto Alves &
C., Jos E. Purcell, Jos Clementino ti.
da Silva e Manoel Joaquina da Rocha.
'Duarte C, Joao Luiz de Paula, Jos
SoaresLapa, Cardoao & Bittencourt, Maia
Irmao C, Jos Cardoso da Mello, Lesl
rmao, Bernardino da Silva Ramos, Souza
Pinto dt C, Manoel Luiz de Ohveira,
Caetano Cyriaco da Costa Moreira, Jos
de Almeida & C, Miguis dC, Ferreira
Cascao & Filho e Joaquim Antonio do Sou-
za. -Informe a Ia seccSo.
M.iria Pulch-ria de Jess Justinque-
ie o que constar.
Amelia Augusta Alves de Souza. Ui-
rija-se ao Thesouro Provincial.
Barao de Albuquerque.Junte conhe-
cimentos de quitajao de decima relativo
ao ultimo semestre. ----------------------------
Jos Hugo Goncalves. -Deferido, em tella com a aua confianca, nao querer deslustrar
deputado solemnemente contrahio cm favor des
melbcramentog de sua provincia.
Negar-lheagora esteapoio, retirara confianca tan
tas veses merecida e ostentosamente prestada, se-
ria o maior erro poltico, que um conservador pe-
dera commetter, seria a maior ingratidao de que
um pernambocano poderia tornar-se culpado, se-
ria um verdadeiro contraeenso.
Se por ventura amauh se lavrasse as salas
dos escrutinios urna sentenca desfavoravel ao con-
selheiro Portella, a provincia de Pernambuco te-
ria taires a lamentar a sua ausencia no conselho
dos ministros e consequentemente o estaciona-
ment de seus mais pslpitantes e legtimos inte-
resses.
E que proveto real d'ahi lhe resultara ?
Qrande, muito grande mesmo a resposabilida-
de do eleitorado no pronunciamento de amauhS,
E este eleitorado que em outros lempos, como
em 1884 tem afrontado com o maior civismo e
abnegacao todos oa perigos, at o da morte e todos
os sacrificios, at o da miseria, para com indepen-
dencia e sobranceria tornar distincto e honrar o
conselheiro Manoel do Nascimento Machado Por-
viata das intormacSs.
Andr Affjnso & Filho.-A' 1* sec5ao
para os devidos fins.
A. Joao Azevedo & CSim.
Qurtcl do caminando do 66 batahjo de
intaoteria da guarda nacional de Msran-
guape, era \2 de Setembro de 188^__
Ordem do dia a.
O tenente-coronel commandante do 66 batalho
3e infantera da gua.da nacional de Maranguape,
docomo maliciosamente cfficiou em data de J do
correte, a prea.dencia da provincia, o cap.Uo
Fr-derico Colombiano da S;lva Guimaraes, e sen-
sura-lbe o procdlmento irregular que teve, j por
r inveridico c conedo do s-q officio quaado af-
firmou achar-se aceph.lo o mesmo commando, pois
oue anda oo dia 9 do corrente respondeu a um ct-
ficio do Il'm- Sr. commandante sup-nor, ja por
B,Mtr-r completa ignorancia do art. 44 do decreto
u. 5.VJ3, de l de Marc > de 1874, que d nova or-
eaoi'saco b guarda nncional.
Herculano Cavalcante de Albuquerque,
Tenente oronel commandante.
DiAl^TEaMaiicc
REC1FE, 13 DE SETEMBRO DE 1887
A elelco
O pleito politico, que amanha ser decidido pele
resultado das urnas eleitoraes, tem pelas circums-
tancias em que se acha estabelecido grande e ele-
vado alcance.
Sao de mxima importancia as consequeocias re-
sultantes do pronuncumento do eleitorado do 1.
distrieto, que tem actualmente pendejte de sna re-
oluclo os mais graves e subidos interesses politi
eos e sociaes.
Ja nio sao o mrito, os ser vicos e as qualidades
petsoaes do estimado pernambucano, cooselhefro
Manoel Portella, que estatelecnm nnicamante a
preferencia, que deve merecer o seu nome na coa-
quista dos suffrHgios eleitoraes.
8o cert*mente respeita veis, preponderantes e
grandes estes motivos para inspirar ao eleitorado
a escolba e a eleiclo do ccnselheiro Portella, mas
lio anda maiores e mais decisivos os motives, que
se prendem e que envolvem o progresso e mel hora-
mente desta provincia e os crditos do partido
conservador na primeira circumscripcao eleito-
ral.
Sao certamente relevantese dignos de toda con-
sideraco os servicos eesforjis do conselheiro Por-
tella, prestados em todas aa pocas em favor do
hdantamento e bem eststr d. sia provincia.
E' impossivel pol-os em dnvida e quem tentasse
suas honrosas tradiccoef, negando hoje ao minis-
tro do imperio os ltimos meios de que elle precisa
para habilitarse a corresponder a espectativa e
esperancas do governo e patritico povo pernam-
bucano.
Nao, e eleitorado do l distrieto, que antes de
tudo pernambucano, saber comprir o seu dever-
titvLSTA DIARU
Eleir&o de um deputado srerstl pelo
1 dlHtrlcloFicaiam ante-hontem organisa-
daa assim as diversas meaas eleitoraes, que teem
de dirigir amanh os trabalhos da eleicao para
preenebimento da vaga aberta no 1 distrieto pela
escolba do Exm. Sr. Conselheiro Manoel do Nas-
eimento Machado Portella para o cargo de minis-
tro do imperio :
Freguesa do Hee 1* scqIo (cobpo santo)
Piesidente
Cipito Jos Vicente Ferreira da Silva Jnior.
Mesarios
Joo Jaouario Pereira de Asevedo.
Joo Gomes de Oliveira.
Balthazar Jas dos Res.
Tuuente Caetano Jos Goncalves da Fonte.
2* SECfO (ARSENAL DE HARINHA)
Presidente
Dr. 9ilvino Cavalcante de Albuquerque.
Mesarios
Cornelio Babello Padilha.
Lauriano Jos da Costa Lyra.
Domingos Bruno
Manuel Jos KodriguA Pinbeiro
Freguezia de Santo Antonio
1* SECC/O (cmara municipal)
Presidente
Antonio Macario de Asss.
Misarios
Antonio Leonardo Rodrigues.
Jos Dis Alves Quintal,
id ii.-bior Miguel dos Santos .
Major Antonio B' rnardo Qm'nteiro.
2a SECCo (rosario)
Presiii'-niH
Joo Francisco Teixeira S brinho.
Msanos
Domingos Jos Marques.
Decio Augusto Rodrigues da Silva.
Joo Landelino Dornellas Cmaras.
Olegario Saraiv de Cirvalbo Neiva.
3* secco. (escola do calabodo)
Presdeme
Dr. Maneel Francisco de Barros Reg.
Mesarics
Ricardo Jos Corruia Lima.
Antonio Augusto de Sonsa L -bo.
Henrique Cecilio Barreto de Almeida.
Ilpiphamo de Souza Freir.
ifl SECQAO. (C NCEIcXo DOS MILITARES)
PreaiOente
Francisco da Silva Miranda.
Mesarios
Antonio Marinho Falcio.
Tito Taciano Maris.
Jos Martiniano de Souaa.
Jos de Arimalha f osta Gomes.
5 scelo, (escola nobmal)
PresiOente
Manoel Clemenoo Ribeiro.
Mesarics
Alfredo dos Santcs Almeida.
Antr nio Venancio da Silva.
Joaquim Ar ncio Branco.
Antonio da Motta Botelbo.
Freguezia de S Jos
1 SECCO (MATB1Z DE S. JOS)
Piesidnite
Capito Faustino J.s da Fonsec.
Msanos
Pedro Jos Corris.
Liberato Luiz de Freitae.
Pedro Lu de Oliveira.
Joaquim Pereira Baatcn.
2' secco. (martybios)
Presidente
Francisco Jote de Oliveira Rodrigues,
Mesarios
Bernardo Ferreira Loureiro.
Joaquim Jos de Oliveira.
Ernesto Perda Lyra.
Joaquim C Barreto.
3' BECCAO. (8. mi DE BIBA MAR)
Presidente
Libanio Presidio de Carvalho.
Mesarios
Manoel Jos de L?mos Barros-
Antonio Ignacio de Albuquerque.
Jas Ignacio Pereira do Lago.
Manoel Rodrigues da Sijva Filho.
4 SECQO. (TERQO)
Presidente
Dr. Antonio Elias de Souza Pontes.
Mesarios
Henrique Jos da Silva.
Francisco Jorge de Souza.
Caetano Caluto de Carvalho.
Antonia Dias da Silva Cardeal.
Fieguetia da Paz de Afoqado
1* SECCO. (MATRIZ)
Presidente
Arcbias Lindolpho da Silva Mafia.
Mesarios
Francisco Monteiro Goncalves da Luz
Augusto de S Montenegro.
Benjamn da Cunha TorreSo.
Luiz Antonio da Silveira Tavora.
2* seccIo. (s. miqcel)
Presidente
Major Jos Thomas Cu valuante Pessoa.
V csarios
Adelpho Alves Falco Tucques.
Thomax Domingos Ta/ares.
Joo Paes Ferreira.
Hearique da Fonseca Continho.
Remedios
Pr. sidente
Evaristo Marques de S Azevedo.
Mesarios
Manoel Joaquim de Moraes e Suva.
Bernardo Damio Correia Vires.
Vicente Ferrer de Salles Menezes.
Antonio de Morara Carneiro da Cuuha.
Magdalena
Presidente
Arthur Marques do Amorim.
Mesarics
Manoel Francisca de Souza.
Jos Aurelio de Oliveira.
Jos Marcellino Alves da Fonseca.
Virginio Carneiro Leal.
As mesas do Peres e Bos-Viagem organisar-se-
ho ht je, na forma da lei, sendo constituidas pelos
juizes de pas e supplentes respectivos.
Freguezia de 8. Fre Pedro Goncalves
I. Seeso. Corpo-Santo:
Votam os eleitores do Io ao 9" quarteiroes.
2.' Secco.Arsenal de Marinha :
VoUm os eleitorej do 10 ao 22 quarteiroes.
Freguezia de Sanio Antonio
1 Secco.Cmara Municipal:
Votam os eleitores d 1 l ao 8e qaarttiroes.
2 Secco. --Igreja do Rosario :
Votam os eleitores do 9o ao 14 quarteiiOes.
3.a Secco.Escola do INIabouco :
Votam os eleitoiea do 15* ao 21* qusrteres.
4.' S-cco. Consistorio da igreja da Conceico
dos Militares:
Vetam os eleitores do 22 ao 28 quarteiroes.
!>.a Secco.Escola Normal:
Votam os eleitores do 29 ao 32 quarteiroes.
Freguezia de S. Jos
1.a Secco.Matriz de S Jos:
Votam os eleitores do 38 aa 42 quarteiroes do
,1 distrieto policial, e os do I ao 10 quarteiroes
do 2 distrieto policial.
2.' Secco.Martyrios:
Votam os eleitores do 25" ao 37* quarteiroes do
1 distrieto policial.
3.a 8ecco. S. Jos de Riba Mar:
Votam os eleitores do 15 ao 23 quarteiroes do
lo distrieto policial.
4.a Secco.Igreja do Tereo :
Votam os eleitores do 1 ao 16 quarteiroes do 1
distrieto policial.
Freguez'a de Afogados
1.a Secco.Matriz :
Votam os eleitores do 1 o 2 quarteiroes.
2.a Secco.S. Miguel:
Votam os eleitores do 3 ao 8' quarteiioes.
3.* Secco.Remedios :
Votam os eleitores do 1, 2 e 4a quarteiroes.
4.a Secco.Magdalena :
Votam os eleitores do 3 e 5 quarteiroes.
5.a Secco.Peres:
Votam os eleitores do 1 so 12 quarteiroes. .
6.a Secco.Boa-Viagjm :
Votara os eleitores do 1* ao 3 quarteiroes.
Para que o eleitor saiba a secco em que tem de
votar, basta ver no seu ttulo o quarteiro e confe-
rir com a nota cima.
Serclpe e Alasroa Racebemos hsntem
folhas destas provincias.
as de Aracaj, que alcancam a 27 do mes pas-
sado encontrante o seguinte :
Por acto de 17 bem do servco publico, foi
exonerado o bacbarel Jos Matheus de Aguiar
Cardoso, do cargo de promotor publico da comar-
ca do Lagarto.
Por acto de 19 foi nonoeado o bacharel An-
tonio Henrique Silvestre de Faria para exercer o
lugar de promotor publico da comarca do Lagarto.
O decennio do Gabinete de Leitura da Ci-
dade de Maroim, foi commemorado com a mais es-
plendida festa que all, jamis realiaoo-se.
Oraram os Srs. Filinto Elysio, Luis Barbosa,
Carvalho Lima, Ernesto Nascimento, Sevenano
Cardoso e Bncio Cardoso, sendo muito applaudi-
dos e abracados pelos intelligentes cavalheiros
daquella cidade.
A casa, ostentando tres mil volumes de selectas
obras, depositadas em estantes de valor e pre?o,
vangloriava-se dos seus ornatos resplanduroso, e
de mais de quatraceotas eadeiraa austracas todas
de urna s cor, oceupadas por senhoras mui formo-
sas e cavalheiros de esmerada educaco.
Em Maroim, dii a Gazeta de Aracaj, nunca
se fes tanto, nunc se vio o maior e mais bello em
lettras, sendo tudo devido iniciativa intelligente
do distincto cavalheiro Sr. Francisco Wynne, a
quem basta ver-se para am^r-se. ,
A direceo do Gabinete de Maroim, est hoje
confiada aos Ilustres e benemritos Srs. commen-
dador AlDinoLop>-8 Mcieira, Joo Amancio Be-
zerra, Francisco Eduardo V* ynne (que por si f <5
vale urna direcci), Francisco Antonio da Silva
Graca, Arthur Jor de Macedo (litterato Ilustra-
do) Antonio Augusto Gentil Fortes (predilecto fi
lho de Gutenberg), Luiz de Franca e Mello, Ho-
racio Martina de Almeida e Selecno Alves de Oli-
veira.
Ao Gabinete tudo bom.
Na uoite seguinte o Sr. Eduardo Wynne deu
na sua t duenda, delicada e mimosa casa urna par-
tida dansaute familiar, qna acabou pegando se o
eol na mo s t 1)2 horas da manh.
All estivt ram mais de 40 senhoras ; all es-
teve o superlativo do agrado, a supremaca das
fioeas. *
De Macei recebemos apenas o Orbe at 8 do
corrente e delle ritrahimos as seguintes noticias :
Cngara no dia 5 a esta capital e Exm. Sr.
Dr. Antonio Caio da Silva Prado nomeado presi-
dente da pro vi ca.
8. Exc. fei reeebido a bordo por um cortejo
numeroso de cavalheiros que se apresaaram em
renderem as h-.menagens devidas a alta posico de
que vinba investido.
Em bo'ids fxpressoe seguio 8. Exc. para o
palacio do goveruo onde aimocou,
A* 1 hora da tarde perante a Cmara Muni-
cipal preatou juramento.
c O Sr. Dr. Jacinlho Filho com o Sr. Dr.
Antonio Pedro e o deputado Antonio Cardoso
Sobral tinham preparado a S. Exc. mani-
festacSes de rrgosij 1 em nome de seus ami
gos ; accedendo ao gracioau convite S. Exc. di-
guo'u-se de acceitar o jantar que lbe fji offerecido
no chalet do Sr. Sobral, elegantemente decorada.
Ahi S. Exc. foi c inprimentndo por muitos
cavalheiros qae aproveitaram o cortejo para cffe-
recer seus teatrmunhos de adhesao.
Ao jantar trot-aram-so mu tos brindes quefo-
ram iniciados pelo que o Sr. deputado Sobral le-
vantou a S. Exc. em nome da provincia cuj
prospendade est a pedir o devotamento de seus
administradores.
S. Exc. se dignou do responder levantando
briudea a provincia de Alagoas, e ao cavalheiris-
mo tradicional da familia Mendonja.
Os ExmB. Sra Dr. chefe de polica Luiz
Morera, oa rs. Nocolo Jnior eJacintho Fi-
lho com o fulgor da palavra que gera a convicc
levantaram brindes a S. Exc. o Sr. Dr. Caio Pra-
do, a sua Exma. familia e ao Exm. Sr. senador
Paes da Mendonca.
o Tocou a b nda da msica de policia lindas
pecis de seu escolhido repertorio.
A's 9 horas da noitc retiraram-se todos os
convidados no nieo da mais geral satisfajao tendo
reeebido de S. Exc. as mais agradaveis impres-
soes.
Fazemos votos para que S. Exc. tenha longa
a feliz admmistraco.
No da 5 prcBtuu juramt-nto e tomou p06se
do emprigo do Sccrotano do giverno o Dr. scar
de Maci'd'i S 'ares.
Eui 19 do Agosto preximo findo. o Sr. Joao
Jos da Rocha, natural e residente na villa de
Piassabuss, pasBOU carta de liberdade, sem onus
algum, a seu uni escravo de nome Pedro com
idad de 21 annos.
Tribunal do Jury do Heclfe. Hoa-
tem nao bouve aesso neste tribunal por teren
comparecido 24 jurados. Foram sorteados es se-
guintes jurados supplentes:
Freguezia do Rerife
Flavio Jos dos Santos Silva.
Jos Francisco dos Santos Naves.
Freguezia de Santo Antouio
Augusto Gonc4ivea d Barros.
Joao Antouio Gosendo.
Joa inim Antonio Ribeiio.
Jote Carneiro Maciel da Silva.
Manoel Januario da Silva.
Freguezia da Boa- Vista
Adolpho Thiago de Parias.
Antonio Martin de Carvalho.
Beneiicto Ferreire. Jararaca.
Francisco Luatess Macahiba.
Fernando Affjnso Miranda Leal.
Francisco Leopoldo M iruho de Souza.
Henrique Jos Vn ira da Silva.
Jos de Azevedo Souza.
Jos Bandeira d.- Mello.
Jos de Barros Pinentel.
Leodcgario Padilha.
Manoel Francisco Honorato.
Walfndo B. de Mello Reg.
Freguezia da Graca
Francisco Geraldo Barroso.
Luiz Leopoldo dos Guimaraes P.ixoto.
Fre^Mezia de S Jos
Fraucisco Jos de Siqu"ira Jnior.
Freguezia de Afogados
Leoncio Quintino Carneiro L:-ai.
Foram e eontinuam a ser multados em 20
diarios os jurados abiixo mencionados, que tendo
sido notificados para comparecerem presente ses-
so nao n'o teem feto :
Antonio Augusto P. Barreto.
Antonio Alves Barbosa Filho.
Antonio Romualdo de Miranda.
Antonia Muniz Pereira.
Antonio Luiz A. de Mello.
Antonio Ulympio A. de .Souza.
Antonio Meodes da Costa A.
Antonio dos Santos Bessone.
Dr. Antonio Witruvio P. B. de Vasconcellos.
Antonio Ferreira Mandes Guimaraes.
Antonio Lourenco da Costa.
AuUnio Aastriclino M. Pimentel.
Aatonio Joaquim Ferreira.
Dr. Antonio Sampaio Pires Ferreira.
Tenente Antonio Joaquim Machado.
Aatonio Machado Gomes da Silva.
Antonio Medeiros Matra.
Antonio di Silva Castro.
Alexandre B. dos Res e Silva.
Alfredo Martina
Tenente-coronel Augusto Octaviano de Sousa.
Beimiro Carlos de Almeida.
Bemvenuto de S;uza Travassos,
Candido Eustorgio T. Chaves.
Domingos Bruno.
Erasmo Gomes de Souza.
Eduardo H. Garca.
Francisco da Costa Maia.
Francisco Borjes Leal.
Francisco Jos dos Santos Jnior.
Francisco Joaquim Pereira da Costa.
Francisco de Anwjo Caldas Lima.
Francisco de AsSs Castro e Silva-
Francisco Augusto de Araujo.
Firmino R. da M. M. Pimentel.
Guilherme Ferreira Ramos
Guilherme Francisco dos Res.
Hermenegildo Baduem.
Ignacio Martina Monteiro Jnior.
Jos Antonio Piato Serodio.
Jos Moreira da Silva.
Jos Rodopiano dos Santos.
Jos Augusto Rodrigues.
Jos Pedro Velloso da Silveira.
Jos Joel Esdras de Souza.
Jos Ferreira da Cunha Vieira.
Jos Irineu da Silva Antunea.
Jos Joaquim Martina da Crus.
Jos Pedro da Cruz N.
Jos Vieira Dornellas Cmara.
Jos AfFonso dos Santos Bessone.
Jos Ildefonso S. Miranda.
Jos Antonio da C. Vianna.
Jos Cavbante de A Lins.
Jos Francisco Moreira.
Jos Antonio da O e S.
Jos Isidoro P. dos Reis.
Jos Frrancisco da Cunha.
Dr. Jos Osorio de Cerqueira.
Jos Joaquim Fernandes.
Jos Joaquim do Reg Batros.
Jos de Castro Monteiro.
Jos Pedro de Souza.
Joo Antonio da Silva Bastos.
Joo Paulo da Silva Porto.
Joo Vctor Alves Matheus.
Joo Barbosa de Sousa.
Joo Chryaostomo de Oliveira.
Joo Ignacio Ribeiro Roma.
Joo Tiburcio da Silva Guimaraes.
Dr. Joo Baptista Regueira Costa.
Dr. Joo Alfredo de Freitas.
Dr. Joaquim T. Soares de Avellar.
Joaquim Getulio da Silva.
Luiz Alfredo de Menejes.
Luiz Jos da Silva Guimaraes.
Dr. Lus Jos da Silva.
Luis Alfredo de Carvalho.
Lucas F. Maris Maracaj.
Landelino Rocha.
Leopoldo I. Felippe Santiago.
Manoel Ugolina P. Giraldes.
Manoel Joaquim de M. e Souza.
Manoel Flix da Silva.
Manoel Maria de Oliveira Cavalcante.
Manoel Cesar de Andrade.
Manoel Rodrigues das Neves.
Manoel Diogo Chaves.
Manoel Diogo Teixeira.
Manoel Figueira de Menezes.
Marcellino A. Pereira de Oliveira.
Marnode de Paulo Albuquerque.
Salustiano B. Baptista.
Tbom B. de Araujo.
Simplicio Rodrigues Campello.
J. rbegaramAs 301 barracas pedidas
ao Mnisterio da Guerra pelo Ex;n. Sr. geneial
Jos Clarindo, para faser acampamento nos pas
seos militares que o activo e zeloso general pre-
tende dar fra da cidade, ebegaram no vapor Ma-
nos, que aq'ii tocou a 6 do corrente.
Brevemente teremos de ver esses abarracamen-
tos, qie to necessanos ao a disciplina e instruc-
co da tropa.
Os nossj applausos ao activo e incansavel ge-
neral Clarindo, que nao tem poupado eeforcos para
levantar o nivel moral da tropa confiada sua ad-
ministraco qu tanto j lhe deve.
Por can* de ama cabrasCerca das
tres he ras da tarde de ante hontem e no lugar Kn-
canameuto do 1 distrieto do Poco da Panella,
tendo Antonio Alves de Medeiros ido casa de
Jos de H illanda, afim d- pedir o pagamento do
prifi de urna cabra que este havia morto por es-
tar-lbe destruidlo amas plantacoos travaram se de
razes, puxaudo Mideiros da orna faca de ponta
investio contra o seu contendor, que para livrar-se
teve de refugiar-se no interior da casa.
Cbegando n;-ss occasiao Ignacio Pereira de
H llanda f> igualmente aggredido por Medeiros,
Uncaudo euto aquella mo de um dacete travou
luta com Medeiros, resultando sabir ilollauda fe-
rido com duaa facadae e o sen aggressor com um
braco quebrado e outros ferimentos.
Foram ambos 1 s contend. res prcs'S e vistoriados
pilo Dr. Gama Lobo, que considerou graves 's fe-
rimentos.
A autoridade prosegue no inquorit}.
I'erimcnloJoao da tal conbecido por Joca
da Passi gem, t.-ndo hontem se encontrado na run
da S>-nzaila Nova s 4 horas da tarde com Nico
lo Faustino Wanderley, fez-lhe um ferimento
com um caivete.
Vistonado o otfendido pelo Dr. Je s Joaquim
de Souza este deelarou ser grave o ferimento.
O criminoso evadi-se.
OutroAnte-h ntem s 5 horas da tarde e no
2o distrieto de Belui foi ferido com duas tacadas
o pardo Abdon de tal, nao tendo, porm, conbe-
cido o oftensor.
O respectivo subdelegado tomou conhccimcnto
do tacto e precede nos termos da le.
Vapor do .'VareE' koj. esperado dos por-
tos do norto o paquete braseiro Para, que ama-
nb tarde seguir para os do sul.
CucKAda N 1 vapor americano Finance che-
gou ltimamente dos Estad, s Unidos o Sr. G. R.
Nind distincto profeseor da liugua inglesa, ja
muito cinhecido nesta cidade.
Acompanba-o sua senhora.
Dea liibcrlareMDa cidadi da Escada
commumcaram-noB que o Sr. Jos Ilermiilo Caval-
cnitc Lins, proprietario do eogeuho Primoroso,
acaba de libertar tolos os jui escraviaadoa cm
numero de 10 medante a condico de prest -cao de
servicie por deus annos, bavendo dispensado os
servicia d.s ingenuos.
E' um acto este que registramos com a maior
satisface).
Igreja da (sania Crui- VmHuha vene-
ravel confraria do Scnhir Bom Jess da Via-Sa-
cra festeja nesta igreja a Exaltaeii da Santa
Cruz, mandando HW uooa missa as 7 horas da
manh e umajladaiuha cantada ejacompanhada pjr
orchestra aa 7 horas da noite.
Un* llberiacOesiOSr. Antonio Flix de
Sousa Lo na villa" de Nossa Senhora do O' de
Ipojuca, pira Bolruiniear o consorcio de sua filha
D. Iguezda Natividade de Souza Peixoto como
Sr. Joaquim Peixoto, no dia 8 do corrente libertou
Ecm onus algum o seu eseravo Jos Cardoso.
No mesmo dia o para solemnidade do mesmo
casamento o Sr. Joaquim Peixoto lbertou seu es-
cravo Valentino, de 22 anuos de idadecom a con
dco de pre8taeo de servicos at o 8 de Setem!oro
de 1889.
Club Itinerario Pialo Jnior -lt 'a-
lsou-se no dia 8 do corrente a seoso ordinaria
desteclub, presilida pela Exma. Sra. D. Caroli-
na Falcao.
Depos de ter sido lida e approvada a acta di
sessao anterior, uscu da p-ilavra o socio honorario
Dr. Galdino L reto, pateateando o seu sentimeu-
to por nao ter td> s.-iencia da sessao, eua que se
proceders eleisi dt nova directora^ pelo que
e3ta deaculpou-3?, apresi'ntauda as raioeo justifi-
cativas d'i lei.
Passando a ordem do dia asocia D. MaraLan-
dim dicutio a seguinte tbese : A concordancia,
regencia e eonstruc^o das pa!avra3 em que se
funda ? a.
Em seguida a socift D. Ad-Iin* Cabral dissar-
tou sobre a thsM : Q'Jaes s) e para que servem
os circuios da esphera celeste ?
Novamente o socio honorario Dr. Gildiao Li-
reto, usanco di paiavri, contest ou algumas opi-
n.o.-s aceitas peu"socia D. Adelina na cxpo3i<;io
de sua dissertaco, e oflereceu aa club a aasign-i-
tura de um pequeo jornal denominado Echo do
Povo .
Prcc-idcu-se a sorteiode outrss theses, aa quaes
foram addicionadas duas, que nao tinham sido
discutidas, sendo por sorteio desgnalas as tocias
D. Maria Laudim, D. Adeliua Cabral, D. Anna
de Oliveira e D, Maria do Rosario o Silva para
discutir urna dellas na sessao seguinte.
Depos de ter deaigmdo o dia 18 do corrente
para sessao ordinaria, na ile do mencionado
club, s 10 1/2 horas da manh, a Exma. presi-
dente, encerrou a sessao.
Soeledade Recreativa Juven.1- K .
Hsou-se na quarta-teira ultima a iustalUcio d s-
ta sociedade com o concurso de 60 senhoras e mui-
tos cavalleiros.
Com-?ou a testa por urna sessao magua qu: foi
aberta p lo digno presidente, seguiodo sa o ora
dor da sociedade Recreativa Commercial e os Srs.
Bolisario Pernambuco, Horacio Maia e muitos ora-
dores que fallaram por si e o acadmica Cicero
Cesar que recitou um 1 bonita poesa.
Ao terminar a sessao seguio se o sarao que ter-
minou s 5 horas com muita ordem e aoimaco.
Ble-Formoso Communicam-nos em data
de 7 do corrente :
1 H mtem 6 do corrente, pelas 9 horas da nou-
te, na ra do Mercado desta cidade, qoando to-
cava a msica o bymno brsEleiro, travaram-se
de razoes os individuos de nomes Jcs Manoel de
Souza e Manoel Benedicto resultando aquello fe-
rir gravemente a este com urna facada vindo o of
tendido fallecer duas horas depos, o delinquente
lngrou evadir-se, paiin sendo perseguido pelo ca
mor publico, entrou na casa lo commandante do
destacamento, sendo por este preso e recolbido a
cadeia; deve-se notar que Souza pode ter 17 an-
nos de idade e Manoel Benedicto 20.
LiijtnnaMovimento da bibliotbja de
Goyanna no mez de Agosto de 1887, foi o se-
guinte :
Foi frequentada por 240 socios e visitantes.
Sahiram para leitura dos socios 131 volumes de
obras.
Foram offertadas:
Pelo Sr. tenente Manoel Jos de Sant'Anna
Araujo : Juventude numero nico de 14 de Agos-
to de 1887.
Pelas respectivas redac?5es :
Jornal do Recife, Diario de Pernambuco, Pro-
vincia, Gazeta de Goyanna, Echo do Povo, Diario
das Alagoas, Imprensa Evanglica e Seis de Ou-
tubro.
Directora da* obras de consoerva
o don portnBoletim meteorolgico do
i 11 d^ Setembro de 1887:
Horas
6 m.
9
12
3 t.
6


2406
269
26a8
280-2
26'2
Barmetro a
O
?6173
764-aOl
763m(it
76207
76222
Tensao
do vapor
16,63
17,34
17,96
17,65
19.01
a
a
a
8
3
71
65
68
62
76
Temperatura mxima29*,5'J.
Dita mnima24,75.
Evaporaco em 24 horasao sol: 6<,0 ; som
bra: 3",4.
Chava0">,6.
Direc?3o do vento: ESE de mea noite saos
17 minutos da manh; ENE at 1 hora e 16 mi-
nutos ; E vanaval entre ENE e ESE at 3 horas
e 46 minutos ; E e ENE vana veis at 8 horas e
29 minutes ; ESE at 11 horas e 3 minuto* ; E
at 4 horas o 31 minutos da tarde; ESE at 10
horas e 13 minutos; ME at meia n..itr.
Velocidado media do vento : 2 ",45 por segando.
Nebuiosidade media: 0,28
Boletim do porto
P. M.
B. M.
P. M.
U. M.
Dia
11 de Setembro
a

12 de Setembro
Horas
10-58 da manh
219 da tordo
1200 s
621 da manh
Altura
l.84
1,0
l.">90
0,>1
tjeii^eaEuccuar-se-nao:
Hoje :
Pelo agente Modesto Baptista, s 10 horas, rua
do Vigario Tenorio n. 10, de gneros existentes
na mesma casa, em lotes.
Pelo agente Brito, s 10 1|2 hiras, rua de
Pedro Affouso n. 43, de urna armaco, movis e
vdroa.
Quinla-ieira :
Pelo agente Martina, s 11 horas, ra da
Aurora n. 45, de movis, um piano, etc.
Operarn clrurglca-Foi praticada no
hospital Pedro II, no dia 12 do corrente, a se-
guate :
Pelo Dr. Berardo:
Extracco de catarata senil dura pelo processo
de Wckr.
Casa de Oelnne SoMovimento dos pre-
sos da Casa de D'te'nco do Recife no dia 11 de
Setembro de 1187 :
Exiatein 401, a saber :
Nacionaea 366 ; mulberes 16 ; eatrangeiros 11;
escravos sentenciados 6 ; dem proccasado 1;
idem de corree?io 1Total 401.
Arracnados 375, sendo :
Bona 351 ; doentes 24.Total 375.
Movimento da enfermara :
Tiveram baixa :
Ignacio Pereira d- II illaada.
A'iionio Alves da C sta.
Martiulio Lopes da Costa.
Antonio Gomes da Silva.
T ve alta :
Antonio Tenorio Cavalcante.
PremiosForam vendidos nsta provincia
os seguiutes premias da loteria do Cear extrahida
no da 11 do corrente
727 10:000*000
4*06 4 OOOfOOO
2891 2:000000
6884 1:000/000
Assim como 0 bilhete n 5G02 com 0 premio de
ijOOO da loteria do Espirito Santo, extrahida
no dia 9.
Todos estes premios forsm vendidos pela Roda
da Fortuna.
olera do CearKis os premios da 3a
parte da 4a loteria da provincia do C'cari extrahi-
da em 11 do corrate :
250:000*000
9522 40:0104000
206 BiONJOJOOO
727 10:00 000
4806 4:i OOOOO
6692 4:0O0o0J
Esto premiados com 2.030/ os seguiutes nu- ,
meros :
2391, 3148, 8301,8503.
Esto premiados com 1:000/ os seguintes n-
meros :
75, 4451, 5807, 6884,1521, 5100,6134, 8056.
Esto premiados com 500/ os seguiutes n-
meros :
445, 1875, 6592, 0731, 7G0, 470, 2465, 5787,
6939, 54, 8541, 6036, 8520, 1575, 58iO, 6359.
Approximacoes
2:000/000
67.il 2:000/010
9521 8110/000
9o23 800/00 I
205 600/000
207 600i00 *
786 450/000
728 450/000
Oa nmeros ce 6701 a 6300 est, premiados
com 300/000 excepto o da serte grande.
Oa nuinr..s de 9501 a 9600 esto premiados
coir. 200/000 excepto o da sirte de 40:000/000.
Todos os nmeros terminados em 2 e 3 esto
premiados com luO/000 excepto os dous premios
maiores.
Lotera* diversa*A Casa Feliz, de A.
A. dos Santos Porto, na pra?a da Iudpendencia
ns. 37 o 3.', t uo a renda01 bilhetea das seguintes
loteras:
Ep'.ritj-'janto : A 3a parte da 4a loteria,
cojo premio Sdfl 50:000/000, p-lo novo
ge extrahira no dia 16 de Setembro impra-
terivtlinente.
Alagoas: A i. parte da 20.a loteria, pelo
nsvo plano, cijo premio grande de 4 :000/000,
ser excrabtia no dia 15 de Setembro, ao meio
dia, impreterivelmente.
Provincia : A 10a loteria, pelo novo plano,
cuj premio grande 12:000/000, se extrahir
quindo for atinuuciada, s 2 hiras da tarde em
beneficio d Casa dd Misericordia do Re-
cife.
Santa-Catharina: A 1'parte da 2a olera
cujo premio grauio de 50:00)/ ser extrihida
bievement.
Do Ciar : c::a o premio gande da 40:000/
(novo plano) ser extrahida amaab 14 do corren-
te (quirta-fei)ra.
Bilbetest da loterasEm mo do agen-
te Bernardino Lopes Alhero acham sa a venda os
bilhetes das seguintes loteras :
Do Kspiri <-*aoio : A 3' parte da 4a lote-
ra, cujo premio grande da 50:000/, pelo novO
plano, ser ext.-io.ida no dia 16 de Setembro, im-
preterivelmente.
so Cear c;jq nm importante plano, cujj
premio grande de 40:000/000, eer extrahida
amanh 14 de Setembro.
Oo Uro-Par : A 5' parte da 12a lotera,
pelo novo plano, cujo premio grande de 100:000/
ser extrahida luianh 14 dj corrente, impreteri-
velmente.
De Santa-Calbarlna : A Ia parte da 2
lotera com um importante plano, cajo premio
grande de oO.OJO/000, ser extrahida qasndo
for annunciads.
De Alagoas: A 1.a parte da 20.a lotera,
pelo novo plano, cujo premio grande de........
40:000/000, ser extrahida no dia 15 de Setem-
bro, (quinta-feira), s 12 horas da manh impre-
terivelmente.
Liiieriad'j.ro-Para Al' parte da
113a loteria desta provincia, pelo novo plano, cujo
premio grande 100:000/000, ser extrahida
amauh 14 do corrente (quarta-feira) impreterivel-
mente.
Oa bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23, de Martin*
Fiuza & C.
Lotera do Espirito-SantoA 3' par-
te da 4a loteria deata provincia cajo premio gran-
de 50:000/000 ser extrahida no dia 16 de
Sotembro.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 Martin Fiu-
sa & C.
Lotera do CearEsta acreditada lote-
ra cajo premio ina>or de 40:000/000 ser ex-
trahida ananb 14 de Setembro.
Os bilhetes acham-se a venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 de Martina
Fiuza & C.
Lotera de AlagoasA 1.a parte da 20
loteria, pelo novo plano, cujo premo grande de
40:000/000 ser extrahida no dia 15 de Setembro,
q(aintafeirs) s 12 horas da manh, impreterivel-
mente.
Oa bilhetes acham-se venda na Casa da Fot'
tuna ra Primeiro de Marco n. 23, de Martina
Fiuza & C.
Lotera da provincia do Paran
A 26 loteria desta provincia.pelo novo plano, cu-
jo premio grande de 12:000/000, se extrahir
hoje 13 de Setembro.
Bilhftea a venda na Casa da Fortuna, ra
Primeiro de Mar?o numero 23, de Martina Piu-
sa &C.
Loieria de S. PauloEsta lotera cujo
premia grande de 9:000/000, sr extrahida im-
preterivelmento no dia 19 do corrente, (segunda-
feira).
Os bletesacham-se venda na Casa da Fortu-
na ra Primeiro de Mar?) n. 23, Martins
Fiuza A C. g
Cemlierlo publicoObitasno do dia 11
io corrente :
Jos, Pernambuco, 7 dias, Ba-vista; convul-
soes.
Liuriano J. Pereira da Luz, Pernambuco, 31
annos, casado, Boa Vista ; leso do coraco.
Maria, Pernambuco, 20 meses, B^-Vista;
pneumona.
Joo Francisco do Nascimente, Pernambuco, 69
annos,, viuvo, Bi-Vista; gangrena.
Marcelino Manoel de Almeida, Pernambuco,
20 annos, solteiro, Boa-Vista ; tubrculos pulmo-
nares.
CHR0N1CA JUDIGIARIA
luiita Commercial da cidade do
Hecife
ACTA DA SESSAO EM 9 DE SETEMBRO
DE 1887
PBE3IDENC A DO ILLM. 38. COMSIENDADOR NTOSIO 0)0-
MRS DE MIRANDA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guimaraes
A's 10 horas da manh deelarou-so aberta a
gesao estando presentes os Srs. deputadoa Oiinto
Bastos, commendador Lopes Machado, Beltro
Jnior e Hermiuo de Figueiredo.
Liaa, foi approvada a acta da sessao anterior,
e fez-se a leitura do seguinte
BXPEDIESTR
Officios :
De 3 do corrente, da junta dos corretores
desta pra?*, enviando o boletim das cotacoes
officiaes de 29 do Agosto a 3 do presente.Para
o archivo.
D numero 16 do Jornal dos Economistas.Seja
archivado. ,.
DUrios officiaes de ns. 236, 237, 238, 241 e
242 c o n. 92 do liiario do Parlamento Brauent,
faltando portanto os n8. 239 e 240. Seiam, ar-
chivad. 8. r
Foi mandado rubrica o livro copiador do Lon-
don & Braziiiau Bank, limited.

-
. t






.r^^-rr* -'-=--.
Diario de Pernambuco---Ter^a-feira 13 de Setembro de 1887

DESPACHOS
Petica* :
De Bartbolomo & C, aolioitanlo baixa no re-
gistro da mmeiQo de aeu ex-caixeiro Aatouio do
Oliveira Andrada.Dte a baixa pedida.
Oe Cjdrouio Igaacio de Mello, adiada na pre-
cedente s^siao, do 40 auaja de idade, natural
desta provincia, estabelecido com commercio de
carnes verdes no largo da Pa em Afosados, soli-
citando carta de comnierciantc matriculada. Sao
attestantes d) crdito commereial do impetrante
Gratuhaao do3 Santos Vital, Pedro A. Maia e
Silva e Joio Rodrigues de MoaraAdiada.
De Domingos Mancel Martins. para que se ro-
gutre a nameaco de seu caixeiro.Registre-se,
depois da satisfeito o parecer fiscal.
Da viuva Adolpho Marques dos Santo, dem.
Como reqier, depois de aatiafeito o parecer
fiscal.
De Augusto Octaviano de Souza, para que se
d balxa do registro da nomeaco de sdu ex-ca-
xeiro Joi Bento ferreira Bailar e se registre a
que apres-nta.C >mo reqaer.
Do Jos Luii Salgado, iJem do ex-caixeiro Ma-
noel luguato de Pigueiredo, e que se registre a no-
meaco qu-? apresenta.Na f.ma requerida.
De CardoBO & C de caja firma sao socies Joao
da Costa Cardoso e Manoel da Costa Cardoao,
para que se rsbistre a marca que adoptaran] para
o seu commercio de cigarros travesa do Corpo
Santo n. 1G, sendo a denominado de dita marca
Argeiitiu.. S-isfacam o parecer fiscal.
De Joo Ferreira & C, para que se registre a
nomeafao que apreaentaui, e se d baixa no re-
registro da dos ex-caixeirjs Jos de Castro Lm-
driz e Juvenal Cirdeiro de Benevides Falcao.
Regiere e d-se a baix > pedida.
Proferio-se o despacho Registre-ieas se-
guiutes peticoe', solicitando registros de nomea-
oes de eaixeiros de
'raucisco Joaquim Autunes.
Jos da Costa Pinto $ C.
Abilio de Araujo Cesar.
Jos Antonio do Cont.
Moraes & Kilho.
Jos Ricardo da Costa.
Joo Francisco Torres Bandeira,
Oliveira Castro & C.
Antonio Francisco da Costa.
Ludovico l.nfi & C.
Nada mais h uve e foi encerrada a aesslo s
11 horas da manh
INDICARES DTEIS
Medico*
Dr. Barros Sobrinho d consultas da
meio dia 1 1/2 na ra do Barao da Vic-
toria n. 2b por cima da Pharntacia Fran-
ceza, c das 2 s 4 na ra do Vigario n. 4.
l.o andar
O Dr. Lobo Hoscoso, de volta de sua
viagem ao Kio de Janeiro, conntia no
oxereicio de sua profisso. Consltuas das
10 s 12 horas da manh. speciaidades
eperacoes, parto e molestias de sen horas e
meninos. Ra da Gloria n. 39.
Dr- Barreto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da caaa
a ra to Barao da Victoria, n. 51. Resi
dencia ra Sete de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
O Dr. Castro Jess tem o seu consul-
torio medico, ra do Bom-Jesus n. 23,
sobrado.
Dr. Gama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ra do B. de S.Borja n. 26.
Consultorio: ra Larga do Rosario n. 24 A
Consultas das 11 horas da manha s 2 da
Urde. Especialidade : molestias e opera-
rles dos orgaos genito-urinarios do homem
e da mulher.
Dr. Joaquim Loureiro medico e parteiro
Consultorio na ra do Cabuga n. 14, Io
andar, do 12 s 2 da tarde residencia no
Monteiro-
O Dr. Barros Cialruarfie
Pode ser procurado no escriptorio deste
Diario das 11 horas da manhl s 5 da
tarde, todos os dia3.
Bacharel Antonio Annes Jacome Pires'
praca de Pedro II n. 6.
O bacharel Bonifacio de Arago Fara
Rocha continua a encarregar se, mediante
previo contrato, de questoas perante os jui-
ses desta cidade e os das comarcas cisi-
onas. Poder ser procurado em sea es-
criptorio ra do Duqus de Caxias n. 50,
1. andar, das 10 horas da manh s 3 da
tarde.
Collcglo Speneer
Estabelauimedto de educacSo primaria e
secundaria em Jaboatao, sob a direejao de
Jos de Oliveira Cavalcante.
rosario
Francisco Monoel da Suva & C, deposi-
tarios de todas iis especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cos e medi.'amentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Oros-aria
Faria Sobrinho & C, droguista por
atacado, ra do Msrquez de Olinda n. 41.
aterrarla a vapor
Serrara a vapor e officinas de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribo n. 23. Neste grande estabele-
cimento. o primeiro da provincia neste ge-
nero, compra-se e vende-so madeiras
de todas as quaiidades, serra-se madeiras
de conta alheia, asbim como se preparam-
obras de carapina por machinas e por pre-
go sem competencia Pernambuco.
PUBLiaCOES A PEDIDO
aquellas pes-oas para se dispersaren), no que uo
foi attendido, recrudoaceodo aquellas naaoifei ta-
co's adespeito doa conaelhoa e pedidos do meimo
oih'ial.
Ao correctissimo procedimento do digno militar
ro.'ipondeu, entilo, um iniividuo coahecdo por
Zicademodo inconveniente e em ama lingia-
gem s propria de quem deseonheee o meuor ru-
dimento de educi^ao, dando lugar a que inler-
vindo as pracas de cavallaria, alias coilocadt.s a
grande distancia, tratassem de dispersar a re-
unio, que formara-ee porta de um Sr. Luii
Rocha.
Vendo Eduardo que a aceto da forca publica
ia ser legal e eficazmente empregada, e no natu-
ral receio de ser confundido entre os umotinadores
e turbulentos que, em m hora e sopor mera su-
riosidado fra acompaohar, tratou de fugtr, o na
desordenada carreiraem que procuravaconsegui-o,
foi batercom o ventre de encontr a urna peque-
a carroca de conduzr agua, que se achava para-
da, no seu caminbo, nao tendo podido evitar o
choque porque, olhando frequenteraaute para triz,
nao se aperceera desse empecilho.
I)j resultado dj choque talleceu Eluardo, cuja
vida fora sempre achacada pjr padecimentos u-
testinaes, o que podemos affirmar.
Longo de queixar-se do regular procadimeato
du torca publica, Eduardo Bjrgjs de Cerqueira nos
instantes que precedern o seu trespasso attri-
buia nicamente a culpa do que ihe havia suce-
dido aquellos que, para coosecuco de seus fins,
nao hesitam em incitar o povo a reunioes o des-
atinos, muito embora fujam na occasio doperigo.
Edunrdo Borgesde Cerqueira era sslteiro, teudo
apenas em sua companhia urna moca da qual hou-
vera um nico filhiaho, nao militando jamis em
qualquer dos grupos pjliticos, ncm sendo eleit r,
Dar o que nao tinha os requisitos exigidos por
lei.
A impreosa (Jornal do Recife o Provincia),
que toin procurado explorar para fina pili icos o
tacto da morte de n isso inditoso filho e irmao, pe-
dimos, imploramos mesmo que nao mais o faca, se
nao por nos, coj.i dr so deve respeitar, ao menos
pelo dever de curidade para com os morcas.
Rostabelecida assim a verdade dos factos, res-
ta-nos faxer um app.ib ao Illm. Sr. Dr. chefe de
polica, pedindo-lhe tm nome da paz das familias
que nao consiuta taes reunios, pira que as po-
bres mais e desgracadas irmas nao sejsm cotao
nos atiradas ao desamparo o miseria.
Ao Sr. Dr. Nabuco e aas que o seguem, Deus
lhes perde.
Recifo, VJ de Setembro de 1887.
Umbelina Emilia Camello.
Olindina Paulina do Cerqusira.
Isabel Julia de Cerqueira.
rar-se aenao discursos j um tanto estafados, ao
pieso que do Exm Sr. conselheiro Portella muito
beneficio real poder advir.
Pese o eleitor sensato, o bem intencionado a
responsabilidade do seu voto o sahir victorio3>
das amas o indefso propugnador do engrande-
cimento desta provincia, o Exm. Sr. conselheiro
Maooel do Nasciineuto Machado Portella.
A familia de Eduardo Borges de
Cerqueira ao publico
As abaixo aseignadas, anda sob a maisdolorosa
impressio que Ibes acaba de causar a infausta
norte do seu iaditoao filho e irmao, Eduardo Bor-
gea de Caajqueira, julgam do si-u rigoroso dever vir
ao publico dar conhecimento d^a faatos, como
elles se deram, nao aequiescendo, com o aeu si-
lencio, 3 C8pe"cul9o-a que alguna individuos mal
intencionados ho procurado fazer, jogando com
os meamos factoa como melhor entendem, nar-
rando-08 e deturpando-oa 4 fei^-ao doa seus inte-
resses o para fins meos confasaveis.
Achava-se Eduardo Borges em sua caaa,
ra Imperial n. 255, na tardo da dia 4 do cor-
rente, quindo, abi, foi ter com elle um aeu compa-
dre acomp-iohado de tres amigoa, que inaiatente-
mente o convi laram para ir ver no largo da Paz,
o mteting quo a li devia tr lo^ar, ao que negou-
ae Eduardo, apresentaodo como pretexto, nao s
o facto de nao estar isto nos sena hbitos, como
tambem haver aido o mesmo meeting prohibido
pela polica, em edttal naquella da publicado
tanto que pira o lu^ar delle acaba va de passar
ama fur<;a de cavallaria.
A tilo justas recusas de nosso bom filho o ir-
aaao ritorquiram os acua pretenso amigos, que
ao tivesse o menor recnio, quo o mesting se f ira,
que a forca .publica all lira por formalidade
apenas e qu-i os Dra. Joaquim Nabuco e Job
s Marianno garantism ao povo qne nenbom mal
n succe lena aos que l fosa m, pois a probibi-
cao nao tinba razao de aer, era ama illegalida-
de, etc., etc.
Seduzido por to falsas insinoaces Eduardo
compaoba aquelles amig ia, s voltando para caaa
0 dia atgainti*, em ama tele, o na maia lastimoso
titado : at ah o que abouoo pur us meamaa.
O qaa ae paaaou dorante o tempo que esteva
Eduardo fra do casa noa foi por elle referido
com o maia amargo arrep.ndimento, foi o ee-
guinte :
Aggl oterava-M no logar destinado ao meeting
numero nunca inferior a 150 peaaoas qoano,
chocada de nm b'nd e ao* itntoo que aelle par-
tiam dvita Nabmeo, mtrra Prtela, fra a
friicia, e outroo. eowodu o capito cummaodaote
da companhia do oawllaria aa dever intimar
Amanh
E' amanh o dia em que oeleitorado do Io dis-
tricto ae vai empenhar o'um pleito dj que depen-
den) os destinos desta provincia.
Qravissima a responsabilidade que sobre elle
peza ; e tod s quantoa se interessam vivamente
pela prosperidade de Pernambuco, a: contemplar
boj': o seu futuro to obumbrado, nao podeai dei-
xar de experimentar aquella seusif) extranht,
mixta de anciedado e esperanca, que sempre pro-
cede o desenlace dos grandes aontecimtntos.
Periplita a causa da orden) e do progreaao, agi-
r mais do que ouuca identificada com a do par-
tido conservador.
De feito ; desde a sua ascencao ao poder, tem
este partido lutado constantemente pelo reatabele-
eimento da tranqididade publica to perturbada
e explorada pela situaco transaeta.
Coosequencias fataea do nefando periodo das
arruafai, essas perturbacoes contiiuam a produ-
zir oa seus perniciosos effeitos ; e s um governo
estavel, e inspirado noa principios de verdadeiro
patriotiamo, poder n'um lap30 de tempo rsxoavel
debellal-as cimpletamente.
A diffieuldade da tarefa bbe de ponto quando
ae considera que os adversarios do ministerio
actaal, sacrificando a sua avidez deameaurada .de
governar os interess'a aagradoa do bem publico,
que tambem lhes compete zelar, incitara o povo
ao desreapeit) da lei, o que nada menos do que
o desrespeito de ai proprio.
E nm povo que ae deareapaita a ai mesmo, tem
em si o germen do aeu anniquilamento
Felizmente, poru), o povo pernambuesno em sua
mxima parto anda ho est contaminado por
essas doutrinas subversivas, malavolamente eepa-
Ihadas ; felizmente ainda tempo de arrancar o
escalracho que j corneja a alastrar o aop de
noesa sociedade.
Cumpre entretanto, emquanto posaivel, atacar
de frente a anarchia quo podo aasumir maiorea
proporsea entre us, e establecer mais tarde o
eeo-impeiio de horrares innominados.
O combate de amanh ser talvez decisivo.
Nao ae illudam os eleitorea : a victoria dos amo-
tinadorea nao produzir outro resultado aenj o
predominio da desorden) em sua maia repugnante
hediondez.
O tripudio das paixes tumultuarias, doa odios
aculados, das vingancas aviltautes, sobre os des
trogos dajustica o do direito conspurcado, seria a
conaequencia immediata dease triumpho.
Aquelles que de boa fe se deixrem fascinar pe
las apparencias engaosa com que os amigos d3
Sr. Dr. Joaquim Nabuco procuran distarcar o
verdadeiro principio palo qual combatem, mi
tarde reconhecero o seu erro, quando talvez nio
poasam re-> ara I o.
O candidato opposicionista paz oa seus talentos
ao servico doa anarebistas, e foi sem _du7ida por
esse motivo que nao encontrou o tpoio daquelles
que constituem a parte responsavel do partido li-
beral.
O Sr. Dr. Nabuco nao representa no momento
actual a idea abolicionista, porquanto o paiz j
foi consultado especialmente sobre esta questo, e
a resol ven.
Demais ; o abolicionismo hoje urna questo
completamente vencida ; e nao tardar o dia em
que o partido conservador deite a ultima p de
trra sobre a neraeta instituico, acautelando a
sorte da lavoura, e a dos propnos escravos.
Quem refloctir, pois, desapaixooadamente, ver
que o Sr. Dr. Nabuco apenaa repreaentante do
troco de desordeiroa que outr'oraaob o pretexto de
urna manitestico a um reapeitavel sacerdote, aa-
salt a a mo armada um egtabelecimeuto de edu-
caco, onde commetteu toda a aorte do attentadoa ;
em seguida entrego 4s chamaas urna typographia,
que publicava urna folha religiosa ; maia tarde
profanou o templo de S. Jos com o aaogue das
victimas, all immoladas, e finalmente tem gran-
geado urna triste celebridade.
Ter o Sr. Dr. Nabuco o arrojo de affirmar que
esta multido que o acompanha, a menlalidade
desta provincia V
Quando um dos lemmaa dos povos cultoa a ex-
tinccojgradual.daainetituicoea que dovem desap-
parceer; quando o raaior empenbo do estadista
deva ser a di prevenir as transicea bruscas, que
mutas vezes produzcm a mina de um paia, aera
de bom aviso entregar os destinos de um pjvo aos
exoessos da turba desvairada ?
Que respondan) os eleitores em anas conscien-
CBB.
Conaidere-se agora por outro lado que o Exm.
Sr. conselheiro Porte la o candidato legitimo, e
uo conteatado do partido conservador; que 8.
Ese. um diatiocto cooperador daquelle puntudo
ae biasileiros qus tuno ompcnham paraomelho-
r ment de nosso estado econmico, e progreaao de
todas as artes e induetrias ; que S. Exc. tem urna
vida pjlitica, rig irosamente ilibada; que 8 Ecc
j4 na adminiatraco desta provincia, j na de Mi-
nia Geraea, pela qu>l applaudido pjr aeue pro-
prio adversarios, sempre tea) didu provaa doaceu-
drado patriotismo ; que' 8 Exc, como deputado
em diveraao legialaturaa, tem continuadam-nte
pugnado pelos interesaea puolicoe; que 8. Exc,
em urna palavra, tem encanecido no aervico leal e
aedicado do aeu paia, oeaemp-nhando seinpr.-|ejm
htura para si, e para sua provincia aa mltiplas
commissoes que Ihe foram em tas boa hera confia-
das.
Neasas cond coes preterir na direccao do paia o
nico pernambucano que all coliabora, merecedor
*a coofiauca publica, maia do que um erro :
menme de Itao-patriotismo.
Cidado reapeitavel por suaa virtudes cvicas,
Um agora o Exm. 8r. conselheiro Portella nmt op-
pjrtumdade para revelar todo o amor quu de lie-
a ana provincia e ha de faaH-0 cerU-mente, por-
que nunca mentiram tradives honrosa.
O Exm. Sr. conselheiro F itelU, continuando no
ministerio, ha do esforcar-se para colmar de be-
neficio a aua provincia ; e naturalmente cona-i-
gnh4 muito; o 8r. Dr. Joaquim Nabuco, a for
oleito, ir fazer aomante deciamaco a vaaia de
ntereaae, apregoando o aeu federal amo motilado
(porque 8. 8 monarcbata em ja(a).
Maa isto que o Sr. Dr. Nabuco quer faaer no
parlamento, poder4 faael-o fra delle, ae nao jal -
car mai conveniente ao i ulereases da caaua ir
temear a idea em territorio infles.
Em summa, do Sr Dr. Nabucj nada ka a eape-
Ao eleitorado do I* distrlcto
Pernambucanja Amanh o dia do pleito de
14 de Setembro ; que cada cidado ae compenetre
que chegado o momento de posar em suas mos
o valor d'aquelle qus deve representar os seus
interesa? e o de sua provincia !
O conselheiro Mamobl no Nascihbhto Machado
Pobtella, actual Minisiro do I'nperiu, j mereceu
por diversa vezes, os vosaoa autr'ragios e tem sa-
bido defender com prudencia o inexcedivel patrio-
tismo os interesaos desta nobre, altiva e generosa
provincia !
Nao voa eaquecaes do que chegado o momento
de recompensardes a dodicaglo pelos amigos e
pela patria, e, dardes urna severa lico a quem s
agrada o povo em pocas eleitoraes !
Dizem e .prapalam que ae preparam para per-
turbaren) o pleito, e, aasim inutilisirem a victoria
do grande cidado, o Ministro do Imperio !
Nao voa arrecoicia, porm, porque aa autorida-
des, a quem esto confiada a manutenco da oi-
dem publica e a garanta do direito do cidado,
teem tomado as precisas e enrgicas providencias,
afim Je que cada qual pissa exercer o seu direito
com indeoendencia, deiassombro e tiauquillida-
de!
A'a urnas, pois, parnambucaooa .'
Os amotinadores uo oonaeguiro o qne pre-
tenden) |
A ordem publica ser mantida, e, de esperar
do patriotismo e altivez do lo districto, que obte-
nha esplendida victoria o Ilustre o eaforgado per-
nambucano o Exm. Sr. Conselheiro Manoel do
Nascimento Machado Portella !
A elelco de 14 de Setembro
Amanh f ire-se o grande e esperado pleito de
14 de Setembro !
eleitorado do 1. districto tem a escalher ou o
Sr. Manoel Portella, que diversas veaes o tem re-
presentado com honra, dignidade e muita altivez,
ou o 8r. Nabuco que b vem a esta provincia
quando precisa dos suffragios populare.
O primeiro tem encanecido oa luta pela defeza
desta trra ; tem partilhado com ella assuas glo-
rias, como as suaa quedas, aempre firme, aempre
no seu posto de honra ; o segundo s aqu tem ap-
parecido em poeaa eleitoraes para impor-se 4
consciencia do eleitorado, pelos elementos de des-
orden que procura provocar.
Aquelle um homem prudente, desintereaaado,
calmo, honesto, Ilustrado, interTIgente, e que tem
por seus merecimentos conquistado oa applausos
at de seus adversarios polticos.
Este um homem imprudente, revolucionario,
provocador de desordens, e traidor das proprias
causas que defende !
Escolha, portento, o eleitorado do 1." districto,
certo de que a derrota do illostre ministro do im-
perio a queda desta provincia, a osqueeimento
de seus interesaos, e o aviltamento de seus bros e
de auas gloriosas (radicosa !
A justica.
Ao eleitorado do Io districto
Libertas, deas el anima nostra in dubio est !
Pernambucanos A nossa liberdade, honra o vi-
da esto em perigo !
E' preciso aalval-as, o s o conseguiremos re-
elegendo o Ilustre pernambucano ocmselheiro Ma-
noel do Nascimento Machado Portella !
Aquelles que ae oppem a candidatura do digno
pernambucan}, que tem conseguido os applausos
de bous proprioa adveraarios polticos, nao sao pa-
triota, porque querem privar esta trra de ter um
detensor assiduj e esforzado da seus direitos e in -
teresses!
Pernambucanos Acautel i-vos.contra aquelles
que voa querem Iludir Lembrai-vo8 do sangue
derramado de veaao irmoa em 1884; e, derrotan-
do pacificamente o candidato forastoiro, moatrai-
Ihe que 0i negros e pobrestambem sabem ser
altivos I
Nao vos apivoreia daa desordena que proposi-
talmente os defensores da candidatura do Gladsto-
ne n rioi. procuram espalhar, que ae daro, porque
a ordem publica era mantida, e cada cidado po-
der exercer o seu direito com inteira liberdade, e
em plena paz!
A'a urnas, poia, pernambucanos! E que cada
cidado deposito nella unajaajjraan qao a* lea:
__Para deputado geral o osaat-uaiao Manoel do
Nascimento Machado Pobtlla.
Antonio Caetano de Jess.
Arthur Qaadros Collares Moreira.
Alcxaudre Collares Mareira Netto.
Jos de Assis Collars Moreira.
Augusto iympio Viveiroa de Caatro.
Manoel Lopea Perreira Pinto.
Frederico A. Correia de Sampaio.
Jos Dantas de Msgalhaes.
Honorio Pinheiro Trixeira Ci-imbra.
araciliauo >Ilrque3 Pedrera de Preita.
Jrio Ignacio Cabral de Vaseoncello.
Antonio Monteiro do Nascimento Filho.
Joo B. da Costa Honorato.
Joas B. C. Meira do Vaaconcelloe.
Joo Baptiata Ferreira de Souza.
Qenino Maximino da Silva Gusino.
Augusto L. Meira de Vaaconcello.
Antonio Joa Peraira Jnior.
Loiz Zachariaa de Lima.
Joaquim Carneiro Nobre de Lacerda.
JooBaptista Costa Carvalho Filha.
Jovino Tollos.
Joo de Moraes Martins Filho.
Agnello Tavares de Mello.
Homero de Souza Mende*.
Ricardo Hardman Cavalcanti de Albuquerque.
Augusto Vz Ferreira.
Joo Alvea Pedreira Fran?.
Augusto Olymplo de Araujo S;uza.
Eugenio de Aodrade.
Cicero Seabra.
Do mingoa da Rocha Vianna.
Malaquiaa de Qoeirs.
Agnello Ribeiro de Mieedo.
Eloy de Souza 8imoes.
Veriato Xavier da Silva Britto.
Arthur Napoleo Coelho de Souza.
Fructuoso Alves de S. Boaventura.
Pi Alves de 8. Boaventura.
Manoel P. Mcreira de Aaevedo Jnior.
Aacendiao Lina de Albuquerqae.
Carloa Borromeo Pereira.
Francisco Martiniano de Oliveira.
Francisca C. Nobre de Lacerda.
Pedro Marques Cavalcanti de Albuquerque.
Jos Coalho da Silva.
Marcoliuo Silveira de Araujo.
Henrique Eugenio Antunes.
Theophilj de Paula.
Luiz Fernandez.
Alfonso Fernaudes Vicira.
Jos M. Silva Freir.
Joo Thom A. da Silva.
Joo Ferreira de F. e Oliveira.
Manoel Pimenlel de B. Bittencouit.
Antonio R. do Prado Jnior.
Figueir Sobrinho.
Joa da Silva L>yo Netto.
Francisco de Oliveira Memoria.
Alfredo da Silva Loyo.
M. Suloa Rodrigues Pinheiro.
Affjnso Jos de Oliveira Sobrinho.
Aifredo Oaorio de Cerqueira.
Sergio Nunes de Magalhes. '
Paulino de Arauj) Quedes.
Heurique E. de M -'lo Tamborm.
Jovino Frederico de Figueiredo Santiago.
A escrava Ooaata
O abaixo assignado declara, em rtspos-
ta a ama publicagao feita por esta fulba
no domingo, que vendeu a escrava Dona-
ta em 1830 ao Sr. Joaquim Fernandes do
Monte, o qual a matrioulou.
Recife, 12 do Setembro de 1887.
Antonio Jos Pedro Gonqolves
Olinda
Aos moralores do Olinda a directora
do Club Io de Julho participa que tendo
oontractado com a Cjmpanhia Ferro Car-
ril, o transporte de passagiros do Re.ife
a Olinda e viceversa, a masma companhia
do Io de Setembro em dianle establecer
um servico de diligencias, que partiriio do
Varadouro em Olinda a se encontraren
com os bonds em Santo Amaro, custaodo
cada viagem do Recife a Olinda ou vice-
versa 300 rs., inclusive o transporte no
bond, e para os meninos at a idade de 12
anno3 200 rs.
Os bonds da linha de S .nto Amaro em
correspondencia com as diligencias levarao
urna bandeira azul-
Certamenle os passadores do festa e mo-
radores de Olinda darao preferencia as di-
ligencias nao s por economa como tam-
bem por commodidade, tendo alm disso
a vantagem de saltar em qualquer ponto
at a estaco da ra do Bruta.
En outro lugar vai publicado o horario
das partidas dos bonds e diligencias.
+-
Aggresso
Acabo de 1er no noticiario do Jornal do Recife,
de 10, 8obre o titulo\ggressioum tpico que
dizendo respailo a minha passoa, obriga-me vir a
imprensa oppor urna cootestaco. "
1) z se nesaa noticia, que eu na quarta-fera
ultima na eataco da Victoria, da va-terrea de
Caruar, aggredi armado de faca, o fiel da mesan
eataco Julio Costa, e que devido a proteceo do
ebefe Joo Ges ficou impune esse acto.
E' falsa easa noticia, e maia urna intriga de
que ae aerve o Jornal para molestar ao diatincto
e honrado chefa da estacio o Sr. Joo Qes. O
faito passou-ae de um mido diffrente daquelle
narrado na Gatelilha, notando eu ao fil que ha-
va erro no despacha, de um caixo do ovos ; ni-
camente por causi dieao, elle enfureceu-ae, e na
presen? de algumas pesaoas inaulta-me aggre-
dindo me, o que nao conseguio, por ter se opposto
o chefe da eataco que melhor attestar a ver-
dade.
Eu bou, Ion vado Deus, muito ouhecido, e nun-
ca pratiquei desordena ou birulhoj, como empre-
gado cuapro os meus deveres, respeitando sempre
os superiores.
Recife, 12 de Setembro de 1837.
Paulo Barbosa dos Santos.
Subdelegada da freguezla do
Recife
Na sexta-fera (9), tend o cabo Viziato effec-
tuado urna priao no Becco da Lama, em conae-
quencia de um disturbio que all houve, pretende-
ram alguns individuos tomar o preso e foi necessa-
rio repellil-oa.
Recommendei, quando logo depois tive conheci-
mento deste facto, que no da seguinte (10) me fos-
sem apresentados oa autores desse desaguisado,
afim de melhor ioformar-me.
Hontem (10), cerca do 9 hora da manh, com-
municou me o Sr. Jos Vicente, que no quartel da
guarda cvica eatava detido Antonio Pedro Mar-
tina, o mesmo que na sext -feira linha ido queixar-
se 4 redaeco do Jornal do Recife, segundo a no-
ticia publicada bootem mesmo. En companhia do
Sr. Jos Vicente fui 4 estacio, e all aoube que
Mirtina, em virtude de moha recomtnendaco do
dia antecedente, fra levado e estava retido at
qne eu chegasse. Admoestei-o e immediatamante o
puz em liberdade.
Portanto, oo raandei prender Martins, em con-
aequencia da noticia publica la no Jornal de 10,
nem o indiquei nominalmente quando no dia 9 re-
commendei que me fossem apresentados os indivi-
duos que fizeram o disturbio.
Quanto 4 narradlo de Martina inverosmil que
elle fosse aggredido e ferido sem nenhum motivo,
pelo cabo Viriato.
Recife, 12 de Setembro de 1887.
O subdelegado,
S. Neves.
Cmara Maaicpal de Ollada
Pede se a Cmara Mmnicipal do Olinda
que se digne dar a informacao pedida por S.
Exc, Dr. o Sr. presidente da provincia so -
bre urna petic3o dos berdeiros do Manuel
Luiz da Veiga, pois j fazem um mez e tres
dias que foi pedida essa informacao o nao ha
motivo que justifique tal demora a menos
que nao 8'j o dessjo de prajudisarem aos
mesmoB herdeiro3, nao realisando o paga
ment j autorisalo por despacho de 6 do
Outubro do anno prximo finio e de cuja
quantia a Cmara depositara em virtude
de p>nhora feita nos rendimentos do predio
sito ao largo do Corpo Sinto, nesta cidade.
Recife, 12 de Setimbro de 1887.
Joho Demetrio Fernandes Vianna.
Arsenal de Marinha
Pergunta-se qual a vistoria verdadeira do va-
por Jaguaribe >, a que foi feita pela commisao
do arsenal ou a que foi feita palo juii do com-
mercio ?
Em ambas foi perito o profesional D. Rodrig)
e em qual dolas cumprio o seu dever ?
Os 40 tachos.
Ao distinelo eleitorado do Io dis-
tricto
Nao pode pasaar deaapercebida aoa membros do
Partido Conaervador Acadmico, abaixo aseigna-
doa, a grande lucta que tem de travar-ae, no dia
14 do corrente mez, entre os douj partidoa monar-
cbicoa do nosso paiz.
O Partido Conaervador Acadmico, compoato de
mocos que ae nao deixam arrastar e fascinar pelos
our ipis de idta subversivas ; por moQ08. que col-
locam cima da tudo a paz e a tranquilidade de
aua patria, uo cumpriria o sen dever ae nao virase
fazer-vos nm appello, pe lido todo voaao apoio o
coadjuvaco para que vi-nc, i no prximo pleito elei.
toral a sy-Bpathica candidatura do Exm. Sr. con-
aelbeiro Portella, cujos merecimi,ntos o aervicoa 4
provincia acabam du aer recouhecidoa per membros
conspiem a do partido liberal, que teem aaaento na
cmara vitalicia, trumpho esse que ser4 mais um
oara o partido conservador o para o benemrito
Gabinete 20 de Agosto que o representa
Na > voa donis engaar pelas phantaaticaa ideas
de alguna doa noaana dversanoa que parecem dis-
patar entre si qual ser o primeiro a eaphanellar o
uoaao pas. Muito ae tem especulado com a aania
causa da redempoo doa escravos contra o partido
couservador o qual tambem qer extirpar o cancro
da escravido da sociedade branleira, mas quer
fiel -s meoa lcitos e legaea ua> prejudicandj os
ioteres8ea doa parlicularea e asegurando a pz e
tranquilidade publicas.
Que o partido conservador quer chegar a esse
desidertum, ah esto com provaa aa aabiaa leia
de 7 de N. vembro de 1831, 28 de 3tembro de
1871, o concurso valioso que preaton para a passa-
gem da Ni de 28 do Setembro de 1886 e os vultos
uiinericos de Euzebio de. Q iiroz, ttu Brancn, Joo
Alfredo eoutroa que muito fi-ram em favor deasa
causa, que de odos oa braaileiroa.
8e assim empregai tudo o vosao esforco, con
correado cada um do va com o voaao voto, para
que o proxim > da 14, marque maia orna data glo
riaa para o nosao partido, elegendo para aurar dos
vussse do iuteresaea da patria, a illuatre Sr.
conselheiro Manoel do Naicimento Machado Por-
tella.
E oxal assim acooteca, poia, estaia certo, neaae
da p-idere dormir traoq tillo porquj a voisa pro-
priolade ser garantida, asiegurad o voaao futuro
e o fmuro doa voaaoa' filho, e, finalmente, terei
eoocorrido para nm acto que denotar mais urna
ves o voaao civismo e alto patriotismo.
Raoife U de Setembr de 1887.
Joa Luiz Cavaloanti de Meudouca.
aamel B. Correia de Oliveira,
Ao publico
Joao de Souza Ranga!, era casado o nai
solteiro, como por engao sabio no obitua-
rio do dia 23 proxino passado nosta Dia-
rio do dia 31 do mesmo mez.
.-------------->
Oleo paro medicinal de Osado de
bacaiaaot de Lanman & Leiup
SS9
Nioguem pode dizer quando um fysico tem che-
gado a tal extremo que nao pode ser carado com
oleo de ligado de baca'bo. Elle sempre produz
allivio. Anda mesmo aquelles j4 desengaados, vi
vero muito mm tempoo com menos doresoom
o oleo, do que sem elle. Comquauto existam inume-
raveis artigjs eapuriosos do mesmo nome, comtudo
pde-se alcancar o legitimo, elle merece a confian-
ca que nelle ae deposita, quer neate paiz, quer no
ebtrHDgeiro.
Exiax-m duaa quaiidades d'elle, branco e negro,
poru neuhum delles conten) urna gotta de outra
cousa qne nao s ja o fluido vivificador o curativo
eztrahido dos ligados tr<-scos e saos da melhor es-
uoiha de peixe. O sen cffeit/i para slliviar o curar
a t'.ase a mais obstinada, verdadeiramente pas-
moso. Oa suores nocturnos ct-ssam geralment, de-
pois de ee haver tmido algumas garrafas d'clle.
O doente adquire carma e torcas, gracae ao seu
benfico iufluxo. Eites resultados sao uniformes
e eguros.
Aa pessoas quo aoffrem de affoc(oes pulmonares
ou do ligado, acbaro i/elle um auxiliar seguro e
um remedio poderoso e etficaz.
Ene ntra ae 4 venda em todas as pharmacias e
drogaras.
Agentes em Pernambuco, lenry Forater r. C,
ra uo Commercio n. 8.
L-ae na Iribane Medicle :
Ap zar doa proceasoa de purificaco maia
aperfeicoa lo, o oleo de figado de bacalho Wm
um medicamento prohibido a muitoa doentea, cajo
estomago nao ple maia aupportar as substancias
graxaa. Era portanto nocesaario procurar um meio
de mudar radicalmente a aua trma conservando
todoa oa imi principios activos to preciosos: ate
resultado foi obtido pela composioo do vlnho
de extracto de ligado de aaaeaiaao.
de Ckevrler. preparado aegando orna formula
apDruraoa pela Academia de Medicina.
Reeommendamoa aoa noaaoa lei'orea eate excel-
lente producto que contm a ves todos oa elemen
toa do oleo de figado de ba.-alho e possue as pro-
priedadea tberapeutiou doa prep_aradoA,alcoj-
lico.
Gostore e modista 09 Pars
Madame Olympia Perchault, recentemente che-
gada da Europa, tem a honra de previnir aa
Exmas. familias, que desejam ter vestidos e cha-
peos da ultima moda que abri o seu ate'ier. Rus
da Aurora n. 41 Io andar.
As Exmas. Benhoras que quizerem honral a com
a sua confianc bao de encontrar o bom gosto, a
elegancia o em urna p ilavra o verdadeiro chic pa-
risiense sob condicoea daa maia razoaveis.
A thesoara empregada por m&daroe Fercbault
tr ibalhou aas pnmeiras casas de Pana e obteve nm
diploma de capacidade na Exposico Universal
de 1S78.
O atelier de Madame Perchault, portanto, pide
se encarregar da coneccao da todo genero, endi-
reitar vestidos de mo gosto, e de qualquer modi-
ficaco nos mesmos.
Ra da Aurora n. 41
Primeiro andar
-------- -SQOOS-
Elixir depurativo vegetal
Frmala de
Angelino Jos dos Santos Andrade
Approvado pela inspectora geral de by-
gene publica do Rio de Janeiro, em 20 de
Julho do correute anno (1887).
Este depurativo de grande effiacia as
molestias syphiliticas o impureza do sangue
e encontrado a venda, por ora, ra do
Baro da Victoria n. 37 e ru3 estreit do
Rosario n. 11.
Para provar a grande effijan.ia ou quasi
pro ligios, do preparado do Sr. Andrade,
basta aprese itar o crescido numero de
attestados espontneamente prestados por
muitos cavalheiros que tora feito uso delU
dos quaes publicamos alguns de passoas
conhecidaa e residentes nesta cidade.
Documento n. 11
Illm. Sr. Angelino Jos do3 Santos An-
drade.
Tendo eu sido atacado em diversos lu-
gares do corpo pelas escrfulas, e entra-
do no uso de diversos moiioamentos taes
como, o vinho iodado de Jely, de quo gas-
:e 28 frascos, assim como outros muitos
remedios externos, sem que resultado al-
gum tivesso obtido, o progredindo onda
vez mais o meu mal, nao alimentando
mais esperanga de conseguir melhoras
com os banhos salgados e o oleo de figado
de baoalhau, que j tinba usado, o que nao
evitava que viessem a suppuraflo de taes es-
crfulas, resolv, desengaado como estava,
da imprjfisuidade dos medicamentos que
usava, experimentar a Salsa de sut com-
posijao. Depois do uso de tres garrafas
do seu medicamento, o effeito produzido
foi verdaderamente maravilhoso, visto que
o mal ceder completamente, e hoje consi-
dero-me inteiramente curado. Julgo do
meu dever dar-Ihe este testemunho da effi-
cacia do seu preparado, e feffitnQar que a
elle s devo o meu completo restabeleci-
mento.
Outras pessoas a quem o tenho aconse-
lhado, e que soffriam o meu mal teem
igualmente sentido grandes melhoras, como
a seu tempo Ihe diro.
Aulorizo-o, pois, a fazer deste o uso
que Ihe convier.De V. S. amigo, attento
obrigado, Jos Mara da Silva Fernn
de.-Recif*, 30 de Abril de 1886.
Estava sellado com urna estampilha de
duzentos res, e inutilisada da maneira si-
guite : Recebedoria, 11 de Maio de
1886. Alonso Be la.
Reconbeco a firma retro,Recife, 11 de
Maio de 1886 Em testemunho do verda-
de (signal) o tabeliiEo publico, Apolinario
Florentino de Albuquerque MaranhSo.
a. 12
Attesto que o preparado do Sr. Angeli-
no Jos dos Santos Andrade, sem a me-
nor duvida do grande utilidade, porquanto
estando urna senhora de minha familia a
soffrer de feridas as pernas, ha cerca de
seis annos, e tendo esgotado todos os re-
medios do botioa, j estava desacoroQoada
de ficar boa, entretanto que oom tres gar
rafas do dito preparado se acha completa
mete boa.
Re.fe, 28 de Agosto de 1883.
O majjr Justino Rodrigues da Silvvira.
Estava sellado com urna estampilha de
duzentos ris o inu Usada da maneira se-
guinte : Recebedoria de PTuarubueo, 10
de Setembro de 1883. Ullysses F. de Al-
uouerjue.
Kecoub-co n firma supra.Recife, 12
de Setembro de 1883.En testemunho
de verdade signal)- o tabellio publico in
termo, Jos Carlos de S.
N. 13
Attesto que, soffrendo de ataques he-
morrhoidaos, cujo peior effet i era grande
perda de singue, aoho me restab le com o uso do Elixir Depurativo, prepara-
do p lo Sr. Angelino Jos dos Santos An-
drade, e por ser verdade passo o presente,
autoriaando o seu uso como convier au
mesmo Sr. Andrade
Recife, 30 de Abril de 1887.
Francisco da Silva Miranda.
Eatava sellada oom urna estampilha de
20 rs. e inutilisada da maneira seguinte :
Keoeb-vioria, 28 de Junno de 1887.
Affonao M- Bel i. Recooheco a firma su-
pra. Recife, 10 do Agosto de 1867. Em
testemunho de verdade (signal) o tabellSo
publico, Apolinario Florentino de Albu-
querque MaranhSo.
N. 14
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos An-
drade. Eu abaixo assignado declaro a
bem da verdade, quo soffrendo um anno
e pou?os raezes de urnas escrfulas, quo
tomaram carcter grave e serio, tendo es-
gotado a medicina e outros remedios, usei
do licor denominado Elixir Depurativo
do Sangue o com to bom resultado,
que rae acho completamente curado, como
tambem de outros ncommolos qua sof
fra.
Aprovcitando aqu a occasi3o fajo ao
Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade,
autor do til preparado, os meus votos de
etern? gratido, podando deste fazer o usa
que quzer e convier.
Rocife, 13 de D'zembro de 1884.
Jote Ajfonso dos Santos Lima.
Estava devidaraente sellado com uint
estampilha de 200 rs.
R-conhego a firma supra. Recife, 26 de
Janeiro de 1835. Em testemunho de ver-
dade (signal) o tabellio publico, Apolina-
rio Floreatino do Albuquerque MaranhSo.
N. 15
Illlra. Sr. Angelino.Recife, 1 de Mar-
co de 1884.A presente tem por fim pro-
clamar ainda mais o poder curativo do
seu valioso Elixir. Victima de urna
infecyao syphilitica que se pronunciou com
o apparecimento de alguns pequeos can-
cros venreos, recorr aos meios aconsa
lhados pela scencia medica, e dentro em
A.
pou3os dias acbava-me livre de incommo-
do. Durou pouco a minha illusSo, visto
como, comecei a soffrer de engorgitamen-
tos glandulares sobre a orelha esquerda
que tratei de contrariar con proscripto
medi.'a.
Melhorei dos incomraodoa glandulares,
porem, para maior infelicidade minha
fui atacado de fortes dores nevralgcas,
sobre a parte superior da testa, dando la-
gar ditas dores ao apparecimento de ama
urna exostose, que muito me assustou. Foi
neste estado que recorr ao seu < Elixir
e grayas ao uso que fiz exclusivamente
delle, tomando tres garrafas, conforma
suas dbterminac.o'es, acho-mo perfoitamen-
ta restabelecido, tendo a exostoso cedido,
logo s primeiras dses. E' esta a pura
verdade, e em bem da humanidade pode
V. S fazer desta exposgSo o uso que en-
tender.
De V. S attento venerador e criado
Pedro Alves Barbosa,
Estava sell-do com urna estampilha da
200 rs. e inutilisada da maneira spgainte:
Recebedara, 14 de Agosto de 1886. O
escrivao do sello, Affonso Beda. Reconha-
50 a firma retro. Recife, 19 de Agosto de
1884. Em testemunho de verdade (signal)
o tabellio publico interino, Jos Carlos
de S.
Qualquer p'-ssoa que ti ver necessidade
de- :informacc3e8 relativas a este preparado
pode dirigirse ra do Birao da Victoria
n. 37 que encontrar quem d todas as
explicaccojs necessarias.
Emulso de Lanman
& Kemp
A Euaulsao de oleo de figado de baca-
lho com os hipophosphitos de cal, soda e
potassa, preparada pela acreditada casa
de Lanman & Kemp de Nova York,
melhor, a maia perfeita, e a mais efficaz e
agradavel que at agora so tem cfferecido
ao publico.
E' um regenerador poderoso das consti-
tuigoes debis e um remedio certo para
tjdas as affeccoes do paito, da garganta a
dos pulmoes.
Use se b a Emulsao de Lanman &
Kemp nao confundindo-a com as outras.
Vende-se em todas as drogaras e phar-
macias.
Lanman & Kemp
Previn.jm o publico que exiatem nesta praca
imitacoes fraudulentasdo aeuoleo pdbc t> ?i-
oado de Bacaluocontra aa quaes ae devem
acautelar 03 consumidores, por aso que o nao
d'esscs leos falsos ser em prejusu doi
doentea.
Entre essas talaificacSea ha uira quealm da
dfiereuca ua puresa do liquido que s pode apre-
ciarse comparando o oleo verdadeiro com o falso,
engaa fcilmente os incautos, e por aso apresen-
tamos as differeufss que exiatem nos fraseos e in-
volucros :
s A. circular que acompanha -ada frasco devf
ser assignada porLanmu Kemp^o u=o
Lenman & Kemp -como na falaificago.
Oa nosaos frascosnos tres lados descobertoa
trazem em relevo no rceamo vidro aa aeguinte
palavrx8 : -Cod liver oil Lanman & Kemp
New-York, em quanto que os falsos vidros tem :
Refined Cod Liver Oil=Vew York.
* as noasas capsulas metallicaa I-se :Lan-
man & Kemp, Droguistas, Nueva York, em quanto
as falsas se l ;Coi Liver OU=Refined=Nae-
va-York.
Reeommendamoa, poi, aos doentea que quize-
rem usar do nosso oleo, e retirar es resultados
maravilbosoa peloa quaea se tem acreditado em
todo o mundo, tenbain todo o cuidado em exami-
nar oa frascos que comprarem, para nao aerea
engaados por fame falsificado-js.
Tambem ha mutas falsificado :s da nossa aoc
FLORIDA DE MDRBAT & LAKMAN, E TNICO ORIENTAL
de kemp, falsificarnos essa* preparadas geralmen-
te com substancias prejudiciaes pelie e ao ca-
bello ; exijam, paia, oa consumidores os verda-
deirus e nao recebam outros.
HAVENDO REQISTRADO NB8TB IMPERIO TODAS A8
N0S9AS MARCAS IN.ICSTBIAES E RTULOS, PPKVF.NIMO
OS IMITAUORK3 E FALSIFICADORES, QCK PE CEDEREMOS
CONTRA ELLES N03 TRIBCNAE3, EM PROTBCCO DK
HOSS03 DIREITOS.
Pernamouco, 28 Junho 1887.
Laoman & Kemp.
Leonor Porto
Roa do Imperador u.
Primeiro andar
45
Contina a execatar os maia difficeia
figurinoa recebidoa de Londres, Paria
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicode coatura, em bre-
vidade, modicidade em precoz e fino
gosto.
Dr Lopes Pessoa
Medico e operador
Residencia Ra L.rga do Rosario
38 Pandar.
ConsultorioRa do Bom Jess n.
1* andar.
C insultasDas 12 s 2 horas da tar
de.
Chamados A qualquer hora, por es
cripta).
n.
3T
I


t




-4.
Diario de PcmambucoTcrfa-lcira 13 de Setcmbro de 13i7
Lyceu de Artes e
Officios
A Imperial Sociedade dos Artistas Mechanicos
e Liberaes de Pernambuoo, que tem a sea cargo
Lyceu de Artes e Officios, no intuito de Ilustrar
aa claases artsticas e manufactureras, mantm
orno j bem conbecido era sea palacete, no
Campo das Princesas, aulas de diversas linguas e
sciencias, as quaes fuaccionam em todos os das
atis, das 6 as 9 horas da noite.
Com o mesmo utuite mantm ella ama peiuena
e modesta bibliotheca, que com patriticos dona -
tivos, augmenta-se de dia para da, e franque i-
da ao publico em geral diariamente, a m-sosas
horas aeima, o assim como um pequeo musen
artstico.
Assim, pois, com o mui applaudido atento de
tornar bem conhecido o progresso das artes e
officios entre nos, a perfeicSo e utilidade de seas
productos, faser conhecido seus autores, bem
como os lugares de seas eatabeleciasentor-, afim de
facilitar a sahida e o consum delles, promove
todos os annos, para o dia de sen anniv> rsario,
segundo disp5o o 6 do art. 2" dos seus estatu-
tos, ama exp sr;o dos trabalbos d'artes e officios
e manufacturas.
E' para a consecuco de to aperfeicoado quo
vantajos > fim, que a directora da Sociedade vem
pelo presente solicitar de todas aquellas pessoas
que possuem por pergaminbo o trabalno, sua effi -
eas concurrencia expojifo que em Novembro
deste anno se efectuar em sua sede, Lyceu de
Artes e Officios.
Cumpre tambem a ella fase-r conhecedorea os
illustrea senhores e seohoras que o quiaerem hon
rar com seus productos, os seus direitos e
Deveres
1. Devero at 15 do dita mes enviaren as
amostras de seus vendaveis productos para o dito
Lycen.
2." Em todos os objectos devero acompaubar
o nome do autor, ou proprietario dos meamos.
8. Ser imprescindivel em todo e qualquor
objecto a decUracSo do preco e lugar de su* fa-
brica ou deposito.
4. Que os objectos para a exposi fSo devem sei
tal qual os costuma fazer e vender.
Dlrello
Art. 8o do regulamaato da Exposico Artsticos
Industrial : .
Somente aos expositores permittido abrir as
vitrinas para mostraren! aos visitantes os seus
productos.
A directora, co iscia de quo muito se eaforca-
rao para o faustoso resultado desta certamen to
proveitoso e lisongeiro a todas as classes iodus-
triaes, antecipa seus devidos agradecimentos.
Secretaria da Imperial Sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes de Pernambueo, em 30 de
Junho de 1887.
O Io secretario,
Paterniano Barreno.
Dr. Balthazar da Silvcira
Especial dadesfebres, molestias das
eriancas, dos orgios respiratorios e das
senhoras.
Prestase a qualquer chamado para
fon da capital.
AVISO
Todos os chamadas devem ser dirigi-
dos pbarmaca do Dr. Sabino, & ra da
BarSo da Victoria n. 43, onde se indicar
sua residencia.
Dr. Mello Gomes*
MEDICO PARTEIRO
44 Ra Larga do Rosarlo -4
Onde tem eonsultorio e residencia, e ple ser
procurado a qualquer hora do lia e da aoite.
Especialices : Febres. molestias de senhoras e
do pulmo, syphilis e cstreitamentos da urethra.
Consultas : 10 ao meio dia.
m
Telephor- n.
Consultorio medico-
cirurgico
O l)r. Castro Jess, contando mais de 12 anno
de escrupulosa observacio, reabre conaaltorio nes
U cidade, a ra do Bom Jess (antiga da Crui
n. 23, l. andar.
Horas de consultas
De dia : dasl s 2 da tarde.
De noite : das 7 s 8.
as demais horas da noite ser encontrado m
sitio tavessa dos Remedios n. 7, primeiro por-
fo esquerda, alm lo portao do Dr. Cosme
rOHHERCIO
Bolsa eonsaierclai
COTl^BS 0FFICIAK8 DA JCNTA D08 COR-
BECTOBE3
Red fe. 12 de Setembro de 1887
Cambio sobre Londres. WJ d|V. 22 3/4 d. por
14, do bineo.
Cambio sobre Lisboa, vista 136 0/0 de premio,
do banco.
Dito sobre dito, 60 d/v. 132 0|0 de premio, parti-
cular, chbbado.
O res; JeuU,
Autouio Luouardo Rodrigues.
Eduardo Dubeux.
Moa Intento lianrarlo
BBC1TB, 12 DE SBTEMBBO DB 1887
PRAQA DO RECIFE
Os bancos mantiveram boje a taxi de 22 3/4 d.
sobre Londres e dersm a 22 13/16 d.
Em papel particular 6z -ram negocio a 22 15/16
e 22 7/8 d, passando fechar menos firme.
PRAGA 1/0 RIO DE JANEIRO
A Uia orheial coctiuu i a ser de 22 3,1 d. so-
bre Londres.
Sem papel particular.
\s tabellas expostas aqu feram estas :
Do IsTEBKAClOKAL :
SOdJv
uondres....... 22 3/4
Paria........
Italia........
Hamburgo......
Lisboa e Porto.....
Principaes eidades de Portu-
gal........
New-York......
Do Losaos Bank :
418
517
234
vislet
22 1/2
422
422
522
236
24 h|
2/1220
Clnica medico elrurglea
DO
Dr, Alfredo Gaspar
EspecialidadePartos, molestias de senhoras
eriancas.
Residencia Roa do Conde da Boa-Vista 24 I.
Telephone n. 412.
-----------------#>
Grinaura, modista
39-RA DUQUE DE CAXIAS-39
(I andar)
Fas, por fignrinos, vestidos para senhoras e me-
ninas, com promptidlo e precos mdicos.
R cebe mensamente da Europa jornaes
modas.
di
Cal virgeni de Jaguaribi
regs
TRADA
EDITAES
Avisa-se aos senhores de engenho e
mais consumidores desta excellente cal,
que continua ser o seu deposito ge<*al a
ru 1 do Bom Jess n. 23. Perfeitamente
erebarticada e em pedras, como a que n ib
vem do estrangeiro e em nada nf rior a
esta, continua a sr vendida pelo preco fixo
de 6&000 a barrica.
Alm do deposito geral j indicado, sao
taiib ra vendedores della os senhores :
GuimarJes & Valente6 Pateo do Cor
po Santo 6.
Lopes 4 Araujo38 Ra do Livramen-
to38.
Bento de Freitas Guimares &C
Ra do Visconde de Itaparica 51, Re cife deira.
Certido.Oertificames nos officiacs de justica
O Dr. Thomas Garcez Paranhos Monte-
negro, comraendader da Imperial Ordem
da Rosa, juiz de direito especial do com-
mercio desta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambueo par Sua
Magestade o Imperador a quem Deus
guarde etc.
Paco saber aos qoe o presente edital virem ou
delle noticia tiverem que por este juiso de direito
especial do commercio pendem ana autos de exe-
cucao de sentencia, entre partes : exequentes Joo
Gonclves Torres e executado Candido Goncalves
Torres, e tendo se feito penhora, em dinheiro foi
pelo solicitador Frederico Chaves acensada dita pe-
nhora em audiencia do dia 9 de Setembro de 1887,
como se v do requerimento do theor seguinte :
Aos 9 das do mea de Setembro da 1887, em
audiencia do Dr. juit de direito especial do com-
mercio o solicitador Frederico Chaves, por parte
do Joo Goncalves Torres aecusou a penhora feita
em dinheiro pertencente a Candido Goncalves
Torres e reqoereu que ficasse assignados seis e des
aos credores ausentes paasando-se editaes.
O que foi deferido pelo juiz precedido o prego.
do eatylo. Do que fia este. Eu, Eneas do Reg
Barros Falco.
E' o que se continba em dito requerimeoto aqu
copiado.
Termo de penhora.Aos 5 das do mea de Se-
tembro de 1887, nesta cidade do Recife, de Per-
nambueo, onde foram vindos os officiaes de justica
do juizo, abaixo assignados, em virtude da pre-
sente carta precatoria foi ao deposita publico desta
provincia e abi apresentoa a referida pr catoria ao
&r. administrador, o qual pos o seu cump a se
pelo que nos offoiaea de Justina ficemos pnhora
e apprtheaso, sobre a quantia de 2:936*577, em
dinheiro ah depositado pertencente iv devedor
Candido Goncalves Turres, do producto da arre*
matt fo do predio do referido executado, e ficou
dita quantia peuborada para pagamento desta
axeeucao e depositada na mesma repartido, a
cargo do tbeaoureiro da mesma como consta do
lancmrento feito nesta precatoria pelo empregado
da eseripturaeao dos d-p /sitos pblicos, para con-
star fizemos este termo que assignamos. Eu Joe
Jo-quim Pinto Martina e crucial do juizo o es-
OfiSeial do juiao, Albino de Jess Bao-
Dr. Cerpira Lsita
HEDIC O
Tem o sen escriptorio roa Duque de Caxias
n. 74, das 12 s 2 horas da tarde, e desta hera
em diante em sua residencia ra da Saeta
Cruz n. 1.
Especialidadesmoestias de senhoras e crian-
cas.Tolephone n. 326

i
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico ocu-
litta, ex-chefe de clnica do Dr. de
Weckcr, d consultas de meio da s
3 horas da tarde, no 1. andar da casa
n. 51 rna do Baro da Victoria, ex-
cepto nos domingos e das santificados.
Residencia ra Sctc de Setembro n.
84. Entrada pela ra da Saudade n. 25.
}{
Clnica do Dr. SidSjs Barbosa, Espe-
cialidades : partos, molestias de senhoras
e de criancas.
Consultorio ra do Mrquez de On-
da n. 64- consultas de 1 s 3 horas da
tarde.
Residencia ra da Sjledade n. 78.
TM-ohone n. 213.
Cl loica do Dr. Silva Ferr i n
Espectalidadca. molestias de Senho as e de
prisa.
Consultas de 1 s 3 horas.
Ra da Cadeia n. 53.
Residencia temporaria Ponte U'Ucba n. 55.
TELEPHONE117
Humanidad*'
Os repetidos desastres occasioaados p-l ,2 trai-
ooeiros candii'iro de vidro para kerosene, devem
despenar vs o desejo de acautelar vjssai vidas,
tazendo acquisico de cindieiroS de m-.-ral, nicos
solidos e inrxplosivos.
A' venda na ra Duque de Cix'ns n. 86, Fer-
reira Gaimarea & C
EXTERN A.TO
Para II meninas
21 RA DO HOSPICIO 21
Lacons part.culires de franjis e |d'anglais
regulam de
3. sorte boa .
3 regular .
Hmidos e baixos
Smenos .
Mascavado .
Broto ....
Rtame .
22200 a 2/400
1*900 a 21100
1*700 a 1/8.J0
1*500 a 1*700
U300 a 1*400
1*040 a 1*100
*900 a 12000
*700 a *800
Entrada ate suturar e alsodu
HEZ DE SETEMBRO
As.ucar
Entradas
Das Saccas
1 10 2 628
Via-ferrea de Caruar . 1 10 92
1 12 29
Via-ferrea de 8. Francisao . 1 9 2 181
Via-ferrea de Lmotiro . 1 9 300
HO dj'o vista
Londres.
Pars. .
Italia. .
Hamburgo
Portagal
Sew-York
22 3/4
41
518
234
22 1/2
422
42
r>3
i:<6
2*220
Suiini.
Entradis
Algoiao
Oias
Barcacas...... 1 1 I
Vapores...... 1 10
Via-terrea de Oaruar 1 10
A limaes...... 1 12
Via-feuea de 8. Francisca 1 i 9
Via-ferrea de L'inoetro 1 9
Soimn j .
5.199
Saccas
977
8.309
81
2.376
138
567
7.351
abaix > assigntdos intimamos ao executado Can
dido Goncalvea Torres, em sua propria pessoa
para todos os termos da peohon, e ficou enten-
dido.
Recife, 6 dt Setembro de 1887.
Em fe de verdade.O official do juiso, Jos
Joaquim Pinto Mirtina, official do juiso Albino de
jess Bandeira.
E mnis se nao continba em dita certido aqu
copiad.
Em vrtude do requerimeoto aqui copiado, o
respectivo escrivo fec'passar o presente edital
pelo qnal e seu tbeor cham> todos os oradores do
executado para que comparecam ante este juizo
dentro do praso de des das contados da publica-
fo deste allegando e provando tudo quauto r a
bem de seus direitos e justica.
E para que ebegue ao cunhecimento de todos,
rnaudei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e affixado nos lugares do costume outro
de igual theor do que se juntar certido aos
autos.
Dado e passado nesta eidade do Recife, capital
da provincia de Pernambueo, aos 10 dias di mea
de Setembro de 1887. Subscrevo e assigno. Re
cife, 10 de Setembro de 1887.O escrivo inte-
rino, Eneas do Reg Barros Falco.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
Dom Jos Pereira da Silva Barros, por
Men de Dcus, e da Santa S Apjsto-
lij1, Bispo de Onda, do Conseho do S.
M. o Imperador etc.
Pasemos saber, que resolvemos por em concurso
as seguintes freguezias vagas deste Bispado : San
tiseiino Sacramento de Santo Antonio do Recife,
iV'tsa Senhorados Prazeres de slarangui e, N/ssa
Senhora da Concejero rlultamarac, Nossa S. nhora
do D'Sterro de Itawb, Nossa Senhora da L'is,
S.nt'Anna de Gravat, S. Miguel de Iocjuca,
Nossa S-nhora do O' do AHinho, S. Jos da Itio
Fcrmozo, Nossa Senhor- da Conceifo de Alag 1
de Baixo, Nossa Senbora da Side do Tacarat,
S. Jet de Belmonte, Bom Jess dos Remataos de
Aiogados de Ingazeira, Nossa Senb /ra 8+ Coacei-
co do Paje de Flores, Bom Jess dos Am de
Fatenda Grande (Floresta), Ssnta laria S,i-..
ds Aojos da Pe rutina, Nosaa Senhora da s s.S|j -
S&o e S. Goncalo de Cabrob, Saota Mara d
Vista (alto sertac), Nssa Senhora das Moatanh-.e
de Cimbres, Sant'Aona de Leopoldina, Santo An-
tonio de Salgueiro, Nossa Senhora da Conceifao
da Pcdra, B m Jess dos Arl ctos do Ex, Nnssa
Senhora do B m Conseibo de Granito, Nossa Se-
nh.rada Coucci^i do Bello Jaidim, Nossa Seuh)-
ra da Conceifo de Aguas Bellas, Jess Maria
Jos de Papacc<, e Nossa Senhora da Couceico
de Uorrentes ; nesta provincia de Pernambueo:
Bom Jess do Paseo de Camsragibe, S. Luiz de
Qjitunde, Nosia Senhora da Conceico de Matta
Grande, Saut'A mi de Ipanema, S. Bento de Por-
to Calvo (Vlaraeogy), Nossa Senhora da Apresen-
u.ci) de Porto Calvo, Nossa Senhora da Conceico
Pekxamqcco, para i.-agameuto da segunda presta-
(o na razo de 25 0/0.
At o dia 29 do errente, devem os accionistas
da Coupaxhia le EniricacZo entrar com a oitava
prestaco, na raz^ de 10 0/0 sobre O valor das
respectivas acedes.
Aos accionista i da Estrada db Febbo do Ribbi
alo ao Bohito foi marcado o prazo de 60 dias, a
contar de 4 de Agosto, para realizaren a 7.' en-
trada de 10 OyO de snas acedes.
Com o dncoiito de 4 0/0 e at 30 de Seteab-o
vindouro, sero substituidas na Thesogbabia db
Fazenda as notas do valor de 2*000 da 5.* estam-
pa, 5*000 da 7. 10*000 da 6.
Pauta da lauleja
saMAm db 12 a 17 de setembeo db 1887
(Vide o Diario de 11 de Setembro
Van o a carga
Barca nacional JfarianutnAtf, para o Rio Graude
do tul-
Patacho ioglez Tiber, para os Estados-Unidos
Vapor a leinao liaumicill, pira Lv rpc.il.
Vapor uiglez Oratvr, para Liverpiol.
Vapor nacional Giqai, para Femindo de N iro-
nhi.
Do Esqlish Bank :

30 djc d vista
22 1,2
421
421
521
236
241
241
241
22220
Cotaro de amarar
ryl'ara os agricultores)
Por 15 kos
Branco, os melborea qoe
appareecn no mercado,
22 3/4
417
Italia........
- Hamburgo ... 517
Lisboa e Purto..... 231
.. Principaes eidades de Portu-

Uha dos Acares
IIha da Madeira ....
ew-York.....

\atlo* a descarga
Barca noruegu-nse Nina, carvo de pedra.
Birca noruegueose Petrus, tniiera.
Barca norueguense Verouico, madeira.
Barca nacional Afana Angelina, gorduias.
Barca uac:onal Marinho XI, gorauras.
Barca noruegueose Expedit, varis gneros.
Barca uurueguense Viva, carvo de p^dra
Barca noruegueose P. A. Slanth, car?o de po-
dra.
Brigue inl z Ephrutoh, carvo d ; pedra.
Bngue uuruegu nse Hirdi, carvo da pedra.
Escuna dinainarqutza Fides, xarque.
L^ar noruegueuse Sir us, varios gneros.
Lgat in(rlez Viduna, baealh-io.
LjU ingUz Ne'ly, bicalho.
Lgr ingles l'/anderer, arios gneros.
Lugar iuglez iaru Aui, carvo de pedra.
Patacho ingle* Nfiv Oumn oit, bacalho.
Vapor nacional Jocuhype, varos geuero?.
Vaoor nacional Mandoln, varios gene os.
Hi-ni.ial
Em 23 do corr nte, lermina o prazo da 30 <\
conced i j aos subaciiptore da nova atufo de
aeces para o levantaueuto da fabrica na To re
pertenceute a O araiiaiA. db Fuflo s Ticidos db
de-Porto Kesl do Ccllegio.Bom Jess do Bom Fim
da Asaembla, Nossa Seuhora do Bom Conseho da
Laga Fonda, 8. Joo Baptista da Egreja Nova e
S. Francisco de Borja de Piassabuss, Da provin-
cia das Alagas : Nossa Senhora da Conceico
da Villa do Conde (Jacoca), S. Miguel da Baha da
Traico, Nossa Senhoia da Conceico de Gurnhem,
Nossa Senhora da Boa-Viagem de Alagoa Grande,
Nossa Senhora da Conceico <'o Brrjo de Areia.
Nossa Senhora da Luz de Independencia (Guara-
bira), Nossa Senhora da Luz de Pedra LaVrada,
Nossa Senhora da Guia de Patos, Nossa Senhora
d*s Milagres do Brejo do Cruz, Nossa Senhora
doa Remedios do Catle do Rocha, Nossa Senhora
do Bom Successo de Pumbal, Santo Antonio de
Pianc, Nossa Senhora da C neeicio de Pianc,
Nossa Senbora do Btm Coneelbi de Pianc, Nossa
Senhora da Conceico de Misericordia, S. Jos de
Piraohas, Bom Jesas do B- m Fim de Serra da
Raz, Nossa Senhora da Conceico de Campia
Grande, e 8. Sebatto de Picuhy, Da provincia
da Parabyba : Nossa Senbora da Conceico de
Macabvba (out'ora S. Goncalo de Amarantbo),
Nossa Senbora da Conceico de Macu, sant'Anna
de Mattos, S. Joo B.ptista do Ast. Nossa Se-
nhora da Conceico do Azcvedo (Jardim),Sot'An-
na do Sendo (Priucip ), 8. J. u Baptista de Por
to Alegre, Noasa Senbora da C neeicJ < de Pao dos
Ferros, 8. Miguel de Pao dos Ferros, S. Jto B*p
tsta de Ares, Nesta Senhora da Conceico de Nova
Cruz, e Sant'Anna de Curraes Nuvos, na provincia
do Rio Grande do Norte.
Todo o Reverendo Sacerdoto ou Clrigo, que
pretender alguna destas freguezias, dever pre-
sentar o seu requerimeuto instruido com documen-
tos, na forma de direit que compruvm as suas
habiliUtoes, vida, costume, e services ; e na nos-
sa Cmara assignar termo dentro do prazo de
60 das a contar dt-tta data, findo o qual nenhum
documento ser mais receido : c no da 30 do
mes de Novembro d'ste anno se proceder ao con-
curso, no qual os concurrentes faro um exposi
(o ou homila sobre e texto do Evaogelho, que
assiguarmos, e resp ndi-rilo a 9 casos do Moral e
CoDSciencia. Feito o concurso, propoicmos os mais
dignos dos appruvados a 8. M. Imperial, na f/m>
do costume. Dadu, em nosso Palacio da Soledade
da cidade do Recife, ao Io de Setembro de 1887
Eu padre Valeriano de Alleluia Curreia, escrivo
da Cmara Ecclesiastica, que o eccrevi.
fy Jos, Bispo Diocesano,
DtliLARCOES
Club Concordia
Vjt/tls Kegela
(logo bolas com premios)
Domingo, 18 de Sitcmbro de 1887
as 2 horas em poato.
A directora.
CTilSlii
Pe ordem do Sr. presidente, convido aos asso-
cialos deste club, para reunidos em assembla
geral no dia 15 do corrente, s 6 horas da tardo,
na sede do mesmo, aprrciarem a Icitura cb rela-
torio da directora fiada, e elegerem os novos
tuoccionarios que teem de dirigir este elub.
Secretaria do Club Crios Gomes 12 de Setein-
ro de 1887.O V secretario,
Pompeo C. Casanava._____
Obras publicas
De ordem do Iilm. Sr engeubciro director ge-
ral das obras publicas e de conformidade eos a
autorisajo de S. Exc. o Sr. p-etidente da provin-
cia de 3 do correte, f-c 1 pub.ieo que 00 dia 29,
ao meio dia, na referida repartico, receb;-e
propostas para a ixecuf) da obra de reparos da
ponte dos Carvalhos, subie o rio J /bjaio, orea-
dos em 4:48**48").
O orcameato e as clausulas especaes do con
trato acbam se nesta secretaria para serem exim
nados por aqoelles que pretenderem arrematar a
mesma obra, de accordo com o que dispe es arts.
70 a 73, 89 e 90,92, 97 a 101, 106, 115 c 116 do
regnlamento de 20 di Juobo do corrente anno.
^Secretaria da repartico das obras publicas, em
I do Setembro de 1887.O engenheir secretario
Josquim Gomes de Oliveira e Silva.
O administrador da ReeebedorU Provincial
fas pubso, para c -nbeciinento dos ioteressados,
que por partaria n. 1141, exp-dida pelo Mis. Sr.
Or. inspactor do Thesouro e a 31 de Agosto ulti-
mo, es proregado at o dia 15 do corr nte o pra
s* da cobranca, livie de oiultn, das annuidades e
mais svrv5 -s do Recife Drainage Compaoy rela-
tivos a* t* semestre doexercicio de 1887.
Francisco A. ue Carvalho Moara.
Arsenal de Guerra
De ordem do Llin. Sr. major director, diatribue-
se osturas nos dias 10, 32 e 13 do corrente mes,
s costureiras de us. 351 450, de conformidttde
com as disposifocs dos annuncios anteriores.
> ecao das costuras do Arsenal de Guerra de
Pernambaoo, 10 de Setembro de 1887.
Flix Antonio de Alcntara.
Alfe e* adjunto.
Importa Barca aoruesuens; .1 P. iunch chogada da
New Port em 10 do corrente e consignada a II.
Forster 8c C, manifestou :
Carvo de p'dra 65 tonelsdas aos consig-
natariot.
Hiato nacional D. Smk ebegado do Rio Grande
do Norte em 12 do corrente e consignad; a Ma-
noel Joaquim Pessoa manifestou :
Courrs seccis salgados 922 a Fernandes &
Irmos.
Teros de mangue 1:000 a o consignatario.
fxp /r nacional MandaUi ebegado dos partos
do sul, em 12 do correute e consignado a Conp-
ohia Pernumbucana, manifestou :
Algodo,em rama 731 Siceas a JosiS de S
L-ito.
Mercadorias divdrsas 8 volumos a L lis Joi da
Silva Guimares.
Vapor americano Finance, flkegado di N- w
York em 10 do corrente, e consignado a Heoij
VonMf & C m nif'stou:
Banba 50 oarro a los Joaquim Al ves i C, 50
a Juaqu'ui Ferreira de Carvalho & O.
Candieiros 1 caixa aos consignatarios. Ditos e
pertenees 18 volumos a Barnardiuo Daarto Cam-
pop 5t C.
Orugas 15 volumes a A. M. Veras & C 14 a
Fraociseo Mau /el da Silva & C.
Electro p'ate 2 caixas a Augusto Reg de C.
Estopa 20 vol im"S a B 'Itrio & C >sta.
Farioha di trigo 700 barricas a Pereira Cunci
ro & C, 200 a Juiio Ferrageus 7taixas a W. H lliday 0,7 Al-
bino Silva 4 C, 40 a Ferreira Guimaros & C 2
a Antonio dos Santos Oiiveira.
Graxa 6 volumes a Gomes de Mattos Irmos, 2
a J Kerosiue 50 caixas aus consignatarios, 50 a
Fraga Richa & U 50 a Francisco Manoel da
Silva de C, 25 a Soares dv A-naral Irmos, 25 a
Fernandes & Irmos, 12 a Hcrmes de Sjdza Pe-
reira & C, 3 ordem.
Loua 1 tardo ordem. ->e 1 a 10
Linba 4 voluine* a Ferreira Guimares i C. Id "J> Mercadonaa diversas 7 voluinea a Beltro &
Coma, 1 a Compaubia Ferro-Carril de Pernambu-
eo, lk a Hennea de Souza Pereira & O, 5 a Li-
vrameuto A C. 10 a W. U. Cassels & C, 1 a G
B. Nendj6 ordem, 1 a Augusto Reg & C., 6 aos
CjnsiguatHios.
Mascu 40 caiiis a Joo Moreira di C.
Machinismo 6 volumes a Couipanhia Ferro-Car-
ril de Pernatnbucs, 12 aos consignatarios.
Oleo 6 volumes a Livramsnt & C., 8 a Manoel
A'vcs Birbasa Succesaor, 5 a Hsrmes de Sousa
Pereira & O., I a The Singtr.
Papel de embrulb'j 50 fardos a Jos Joaquim
Alves de C.
Perfumaras 7 volames a Fraucaco Manoel da
Silva & C.
Pregos 5 volames ordem.
Remos 12 aos Consignaran s
Saboneta 25 caixas aos mesmos, 1 a W. llalli-
day & C.
Tecidos diversos 2 volumes ordem, 2 a A.
Vieira & C,2 a Narcs3 Maia & C., 2 a Rodri-
gues Lima & C.
Toaciuho 40 barris a P.iva Valento de C, 2u
aos consignatarios, t'J a Domingos Uruz de .
Vidros 6 volum?s a Ferreira Guimares Se C.
Exp*rtaco
aaenra, 10 de sbtbmbbo de 1887
tara o exienor
No vapor ingle Orator, carregaram
Para Liverpool, J. Pater & C 150 saceos com
11,250 kilos de assuear mascavado ; M J. da
Rocha 384 saceos com 28,80) kilos de a-.sucar
mascavado.
Para o interior
No vapor allemo Baumwa'.i, cu-regou :
Para o Pari, J. H. Boiwe.l 1,000 saceos com
75,000 kilos de assuear mascavado.
No hmte nacional Veus te Guarde, carrega-
ram :
Para o Natal, P. Alves & C. 12 barricas com
720 kilob de assacir refinado.
Nabareac> Sol-Fixo, carregaram :
Para Parabyba, 8. G. Brito 30 saceos com
2,25J kilos da asancar branco ; A. Figaeiredo 8c
C. 1 caixao con 60 kilos de doce
Na baicaca./, Ascencia, carregaram :
Para P. do Alag.as. Maia & Rezende 10,000
litros de sal.
It cu di atentos pblicos
HSS DI SETEHBBO
Atjandeya
Alfandega de Pernaroboio
De ordem da inspectora se fai publico que no
dia 17 do corrente, s 11 horas da manb e as
portas do trapiche Conceico, sero arrematadas
em leilo as mercadorias abaixo declaradas, co-
udas em dous pacotes com a urea H Lundgren,
que foram apprehendidos a bordo do lagar norue-
gueose Solcha, no dia 29 de Outubro do anno
paiBado, a 1 1/2 hora da tarde :
8 pares de meias de l para senhora.
12 ditos de ditas para homem.
1 gorro de borracha.
6 caixiohas com colcnetes.
2 pe;as de seda.
1 dita de cadarco de seda.
2 ditas de linho.
3> secco da Alfandega de Pernambueo, 10 de
Setembroo de 1887. O chefe,
Cicero B. de Mello.
Estrada de ferro de Ri-
beirc ao Bonito
Faco saber aos senhores accionistas desta em-
presa, que apenas ralisaram a quarta entrada de
10 0/0 desu'8 scces, constantes das cautellas
os. 6, 10, U. 29, 87,109, 111 e 131, que em face
do que dispoe o n. 1 do art. 9 dos estatutos, fiea-
Ihes marcado o praso de 80 das, a contar de 15
deste mes, para malisarem a quinta entrada com
a multa de 20 0/0
O accionista, que ni realisar suas entradas Da
forma determinada, perder em beneficio da em-
presa as entradas que j tenha feito.
Recife, 10 de Setembro de 1887.
Jos Beliarmioo ereira de Mello
Director secretario.
Companhia de Edifi-
ea$o
Por ordem da directora ede accjrdo com o art,
3 dos estatutos, communico aos senhores accio-
ristas possnidores das ac^oes de ns. 1141 a 1155
e 1836 a 1815, que o ultimo prazo para o recolbi-
mento da stima pretaco. termi a no dia 14 do
corrente. Recife, 10 de Setembro do 1887.
Ricardt Menezes,
Gerente.
Estrada de ferro do Re-,
cife Caruar
De ordem do Illm. Sr. director, faco publico
que at o meio dia de 20 do corrente recebem-se
propostas para a c /nstrucfo de um armasen, na
estaco da Serra, nesti estrada de ferro, de con
iormidade com o plano e condices que os propo
o nts podero examinar no escriptorio do enge
uheiro residente, em Jibiatao, onde sero receb
das as propostas e abortas no dia e hora cima
indicados.
Secretaria do prolongamento da estrada de tet-
ra do Recife ao S Francisco estrada de ferro do
Recite Ciruai, em 9 de S-tembro de 1887.
Pelo 8'crctario, o 1' escriturario
Victaliano P. Ribeiro de Soasa.
Obras Publicas
De ordem do II!m. Sr. engenhero director geral
das Obras Publicas e do conformidade com a or-
dem da presidencia da provincia de hontem da-
tada, fac i publico que no dia 22 de Setembro pr-
ximo vindouro, a} meio da, na mesma repartico,
recebe-se propostas para execucao dos reparos pre-
cisos na Casa de Deteu^o, oreado sem 11:5852100.
O orfameoto e as clausulas especiaes para o
contracto acham-sc nesta sccretaiia e sero apre-
sentado a aqnelles que pretenderem arrematar a
mesma 8ubra, de accordo com o qne dispoe os arts.
70 a 71, 89 e 90, 92. 97 a 101, 106, 115 e 116, do
regulameoto de 20 de Junho do correute aono.
Secretaria la Repartic) das Obras Publicas
em 30 de Agisto de 1887.
O engenhero secretario,
Joaquim Gomes de Olivcra e Silva.
Companhia de Edifi-
Cago
Communico aos ?rs accionistas qne por deli-
beracao da directora foi resolvido o recolhimento
da oitava prestaco na razo de 10 per cento sob
s valor das respectivas aeces, o qual dever rea-
lisar-se at o dia 29 de Setembro prxima futuro.
Recife, 29 de Agosto de 1887.
Ricardo Menezes,
Gerente.
~^- De ordem do lllm. Sr. Dr. inspector, faco
publico que no da 15 do corrente ir praca,
perante a junta da fazenda provincial, o pedagio
da barreira de Timb at 30 de Junho do anno
prximo vindouro, servndo de base a quantia de
4002000.
Secretara doThesouro Provincial de Pernam-
bueo em 5 de Setembro de 1887.
Lindolfo Compeli.
De ordem do Illm. Sr. Di. iuspector.faco pu-
blico que no da 15 do corrente ir praca, peran-
te a jnnta de c inpras, o foruecimento de 20 keps
de olead i com ventiladores, para a guarda cvica-
Os senhores concurrentes devem habilitarse na
sesso da j inta da tazenda do meamo dia e apre-
sen tar suua propotas em carta fechada por occa-
sio da respectiva junta, acompanhadas de um
exempiui doa referidos keps.
Secretaria co Thesouro Provincial de Pernam-
bueo, em 5 de Set mbro de 18S7.
Lindolfo Campello.
k
DO
BRASIL
Capital '0,000:0004
dem reallsado 10,000:0004
A caixa filial d'este Banco funecionaado tem-
porariamente roa do Commeruio n. 38, saca,
vista ou u prazo, contra os seguintes correspon-
dentes do estrangeir j :
Londres......... /N. M. Rotbschil & Sons.
De Rotbschild Frres.
Deutsche Bank.
Banquc d'Anvers.
Banca Genrale o suas
agencias.
Paris..........
Bamburgo.......
Berlim..........
Brmente........
Frankfurt s/ Main
Autuerpia......._ a
Roma..
en iv.i
aples.........\
Vlo e mais 340
eidades de Ita-
lia............
Madrid..........
Barcelona.......
Cdiz...........
Vlalaga.........
Tarragonp......>
Valencia e outrasl
eidades da Hes I
puuba e ilhas 1
Canarias....../
Lisboa.........\
Porto e mais ci-l
dades de Por-J
tugal e ilhas... 7
Buenos-Ayres... .)
Montevideo......)
Nova York......'
Banco Hypctecario de
Espaa e suas agen-
cias.
Banco de Portugal e
suas agencias.
English Bank of the Ri-
ver Pate, Limited.
G. Amsick & C.
Compra saques sobre qualquer praca do impe-
rio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de movi-
mento com jures a tazo de 2% ao anno e por le-
tras a prazo a juros convencionados.
O gerente,
William M. Webster_________
Diligencias de Olinda
Dorarlo
Estrada de ferro de Ribciro ae
Bonito
m
Pelo presente fac saber aos Srs. accionistas
desta empresa, qoe apenas realisaram a 3.a en-
t-ada de 10 */o de suas aey-ts, constantes das cau-
tellas ns. 19, 28, 29, 31 e 35, que em virtude do
disposto no n. 1 do art. 9 dos estatutos, fica-lhes
marcado o praso de 30 diss, a contar de 16 do cor-
rete mez, para realizaren! a 4 a entrada de suas
aeces com a multa de 20 "/-
Oatrosim, o accionista que nao realisar suas en-
tradas no praso determinado, perder um beneficio
da empresa as entradas que j tenba feito.
Recite, 11 de Agosto de 1887.
Jos Bellarmino Pereira de Mello,
O director secretarlo.
o
a
m
a.
6 25
7.25
8.25
9.25
10.25
12.25
2.20
3.20
4.20
5.20
.20
7.40
8.40
9.40
>. t>

< <
s 4*
c. B
J3 91
_'
6.45 6.45
7.45 7.45
8 45 8.*'
9.45 9.45
10.45 10.45
12.45 12.4o
2.40 2.40
3.40 3.40
4.40 4.40
5.40 5.40
6.40 6.40
8.00 8 00
9.0J 9.00
10.00 10.00
a


7.05
8.05
9.05
10.05
11.05
1.05
3.01
4.00
5.00
6.00
7.00
8.20
9.20
10.20
O B
SO
o 5
O 1 1

0 o
A

aiadonro Pultilca
Foram abatidas ao Matadouro da Cabanga 96
reses para o consumo do dia 13 de Setembro.
Sendo: 69 rezes pertencante a Oliveira Castro,
& C, e27 a diversos.
Renda eral
J 1 a 10
Uem o 12
Renda provincial
De 1 a 10
dem de 12
iKebe-ioria geral
re. I a 10
dem .e 12
314:496 269
57.230.509
31.2301097
4.650.4 6
17:4372219
1:6028S5
37I:74fii'77v
35:880 5523
Heceieioria p.vomoiai
Rtcife. Drminagt
1 a 10
Ide n u 1 i
6:710i767
3:39720-'!
23:7012238
3:6051161
407:627 j 301
19:3832104
9.1U72780
27;30>459
Kmbarcsroe surtas ao porto ei
II e 11 de Setembro
HACIOHAES
Giquicoosig. Companhia Pcrnambucana.
Jacubype Companhia Pernambocana.
Jaguanbe Compinbia Pernambucana.
Lamego(canboneira de guerra).
Marques de Caxias 4 Domingos A. Matheus.
Mariaoninhaconsig. Baltar Oliveira & C.
Marinho XI Jos da Silva Loyo & Filho.
Maria A'igeliua L~yo 4 Fi.bo.
Mandab Companhia Pernambucana.
Pira ama Companhia Pernambucana.
E8TRANGEIBA8
Aone Charlottecoosig. ordem.
Aune Branschweig- ordem.
Baiiinwalli J. II. Bowxell.
Cito Num.yer Cahu & C.
Darpa ordem.
Expedit Fooseca Irmos & C
Ephratah ordem
trato Johnston Pater 8c C.
Fides ordem.
Farsan ordem.
Garfieli- Niemeyer Cahn & C.
Hardi Wilson Sons 4t C.
Jorgen J. Lote ordem.
Ljuisei ordem.
Lindla ordem.
Mary Ann Bsltsr Oliveira 4 C.
Nina ordem.
Nelly ordem.
NeW Dominion ordem.
Oratori L. S. Johnston.
P. A Muuch Henry Forster 4 C.
Petrus Pereira Carneiro 4 C.
Sirius H imana Lnodgrin & C.
Tiber Saunders Brothers 4 C.
Uuiou H. Lundgriu 4 C.
Vernica ordem.
Vedjuia4 Saunders Brothers 4 C.
Viva4 Wilsou Soos 4 C.
Wand-rer Fooseca Irmos Vaporea a entrar
DOS rOBTOS DO SX.
Mondegoamanlii.
Sergipoamanb.
Galiciaa 15.
Pcrnamiueoa 16.
Portugal a 18.
VillcdeCVaia 18
Marinho Viscondea 25.
Caminoa 27.
Tagosa 2.
dos rosTos do soans
Paraamanh.
Espirito Sautoa 23.
ia Buaora
Villa de Pernambueoa 21.
Nevaa 2*.
Aconcaguaa V5.
DB HAMB17HOO POB LISBOA
Rioa 15.
db uvaaroot.
Anthjra 19.
*re?os
Recite Olinda e vice- versa iaclasive
o bood .........
Meninos at 12 annos inclusivo o bond.
i
2
2
1
1
3
s
2
2
2
1
1
1
300 rs.
200 rs.
Vapores smblr
Jacubypehoje, s 5 huras da tarde, para a Ba-
j^hia e escala.
Paraamanb, s 5 boras da tarde, para os por-
tas do sul.
Mrquez de Caxiasamaah, s 2 horas da tarde,
para Cear e escala.
Moudegoamanb, ao meio da, para Southamp-
ton e escala.
Galiciaa 15, ao meio da, para Liverpool e es-
cala.
Rioa 16, s 4 oras da tarde, para Santos e es-
cala.
Giquia 16, ao m-o di, par* Fernando de No-
roaha.
Navio* a entrar
Autelop de Hamburgo.
Charityde Cardiff.
Concordiade New-Castle.
Catberinede Carditf.
Ceciliado Rio Grande do Sal.
Farward de Liverpool.
Ibisde New-port.
Jo>vale Cardiff.
K-fflr Chieffde Cardiff.
Lidador-do Rio Grande do Sal.
Manedo Rio de Janeiro.
Marietta do Rio Grande de Sul.
Marinho Ido Rio Grande do Sul.
Manjunillade Montevideo.
Positivodo Rio Grande do Sul.
Rose ot Devonde Cardiff.
Stellade Liverpool.
Temerariodo Porto.
Tabordado Rio Grande do Sul.
Voyagerde Cardiff.
Mov ment do porto
Navios entrados no dia 11 de Setembro
Cardiff54 das, brigae noru?guense Hardi, de
279 toneladas capito L.Nielsen, carga car-
vo de pedra ; a Wilson Son 4 C.
Port Eiisabeth30 dias, barca uorueguense JJ/i-
se, de 45 i toneladas, capito Oiaf Dah!, em las-
tro ; ord-'m.
Santos18 dne, barca noruegueose Lindla, de
364 toneladas, capito A. T. Ltraen, em lastro :
ordem.
Rio de Janeiro17 dias, ''arca noruegueose Cio,
de 524 toneladas, capito H. W- Pederseo, em
lastro ; a Niemeyer, Chao & C.
Rio de Janeiro10 dias, barca sueca Erato, de
584 ton ladas, capito Rob Petersni, em lastro ;
a Johnstoo Pater oc C.
Obsermctlo
Nao houve sahil'i.
Navios entrados ao dia 12
Montevideo20 das, lugar ingles Auna Brans-
chweig, de 246 toneladas, capito Robert Jones,
equipigem 8, em lastro : ordem.
Rio de Janeiro10 dias, barca noruegueose Gar-
field, de 716 tooeladas, cipitao D. Pedersen,
equipaaem 13, em lastro; a Niemeyer Cban 4 C.
Santos14 das, bHje ingles Darpa, de 344 to-
neladas, capito W. M. Gillmare, equipagem 8,
em lastro ; 4 oidem.
Araeaj e escala6 1,2 dias, vapor nacional Ma-
dah, de 22 toneladas, commandante Armando
da Suva Pereira, eqaipagem 18, carga varios
genero- ; a Companhia Pernambucana
Observa^Ho
Nao houve sabida.



1 urna i


*< Os-
-*fc
- 10 *r

Diario de PernarobucoTcrfa-leira 13 de Setcmbro de 18S7


Monte de Soccorro de
Pernambuco
Sao convidados os pogsuidores das cau-
telas dos numeres abaixo, a virem resgatar
as mearaas at o dia 17 do correte, avi-
sando-as-lhes de que udo este prazo se
rao ellas impreterivelmente levadas a lei-
lo publii o.
13533
13924
13939
33949
13975
13994
140.7
14036
14047
14061
14073
14085
140H8
14114
MI 42
14166
14192
14222
14240
14246
U258
34266
14272
14297
14311
14325
14368
14397
14448
13597
13925
13941
13953
13977
14001
11018
14038
14U51
14062
14U74
14087
13709
13926
13942
13960
13980
140U4
14021
14040
14052
14063
14075
14088
14100 14102
14123 14125
14147
14186
14207
14223
14241
14247
14260
14267
14273
14298
14312
14326
143o9
14422
14455
14149
14187
14213
1426
14242
14248
14261
14268
14276
14300
14314
14331
13835
139.7
13944
13963
13982
14006
14026
14043
14054
1407
14080
14094
14103
14136
14151
14188
14214
14231
14243
14250
14263
14269
14280
14304
14315
14333
14371'14376
11424 14132
14476 14178
M490 14491
14503
14531
14550
14582
14602
14626
14651
14665
14680
14694
14718
14731
14755
147*0
14791
14510
14552
14551
14460
14479
14492
14ol2
14538
14555
1451)2 145I3
14604 14609
14464
14482
14496
145.6
14542
14558
14594
14622
14633
14654
14673
14689
14707
14723
14742
13859
13929
13945
13968
13984
14007
14028
14045
14057
14070
14081
14095
14110
14138
14157
14190
14215
14233
14244
14251
14264
14270
14285
14308
14319
1431.)
14377
14434
11470
14484
14497
14o 18
14543
14571
14597
14624
1463-J
14658
14675
14690
14710
14725
14717
13914
13932
13946
13974
13986
14016
14036
1404 i
14060
14071
14084
14097
14112
14139
14165
14191
14217
4239
14245
14253
14265
14271
142*6
1430'J
14321
14346
14390
14439
11473
14487
14502
14521
14547
14581
14598
14625
14650
14661
14677
14693
14713
14730
14752
14778
14789
14814
Comitnnlii:.
DE
Fiayo e teeidos de
Pernambuco
A directora ti sciento aos aeobores subscrip-
tores da nova emisso de accoes para o I varita-
ni'nto da fabrica na Torre, que fioa marcado s
prazo de 30 das, desta data, para o pagamento
da segunda prestaco de 25 0/0, e autor isado o
Sr. thesoureiro Jos Jo3o de Amorim Jnior, para
o recebimento, 4 ra do Bom Jess n. 3.
Recife, 23 da Agosto de 1887.
Os directores
Manoel Jos da Silva Quimares.
Henrique Saraiva^
Secretario.
Jos Joo de Amorim Jnior
Tuesoureiro.
14627 14629
14S52 14653
14668 14670
14683 14684
14695 14696
14719 1470
14732 14733
14756 14763 147.0 14775
i4783 14785 14787 14788
14793 14794 1803 14807
14812 14818 14819 14822 .........
Recife, 2 de'Setembro de 1887.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coho.
*aa Itecife
Por esta secretaria sao chamados os parentes
n protectores das menores abaixo declaradas,
pan, at o dia 30 do corrente, apresental-as no
ollegio das erphs, ufim e seren abi admittidas.
fistj ai-bar. m se inscriptas eiu puno, irj lugar, no
respectivo quadro.
Laura, filha de Miguel de Seuza Galvo c Isa-
.1 Mria da Siiva Galvio.
Sydroma, filha de Cosme Dainio Feiippe da
Silva e Constancia Maria do Ca-mo.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do
Recife, 16 de Julho de 1887.
O cscrivao intprino,
Francisco Gomes Castellao
De boje por diante os presos
dos materiaes da Olaria a Vapor,
siM'o regulados pela tabella se
pinte, sem descont:
Tijoi >s grossos formato com-
ninoi, milheiro I8 Ditos for-
mato pequeo .6$ Tellia.s, mi-
lheiro .).')$, Ladrilhos de diver-
sos formatos 30JW0,
Recife, i de Agsoto de 4887.
Coiwnii fl Sosiuros FMiIHhiIb,
de Lisboa
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 7RA DO BOiV JESS -N 7
Segaron maritimes terrestres
Nestes ltimos a nica oompanbia nesta praca
que concede sos Srs. segurados isempco de paga-
mento de premio em cada stimo ann?, o que
equivale ao descont annual de cerca de 15 por
cento em favor dos segurados.
Londoa *$c Braslilao Bank
Uuiited
Raa do Commercb n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca-
sa do mesmo banco em Portugal, sendo
en Lisboa, ra dos Capellistas n. 76. No
Porto, ra dos Ingleses.
le
Dampfschifnabrts-GeselIscBaft
O vapor Rio
Espera-se de HAMBURGO.
por LISBOA, at o dia 15 do
corrente, seguindo depois ds
demora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para passageiros e earsra a frete tratase com os
CONSIGNATARIOS
Borste lmann & C.
RA DO COMMERCO N. S
i* andar
"
MARTIMOS
GERENTE INTERINJ'

IXe ordem do Sr. Dr. insp;ctor gera', se declara 1
i piofeasora publica C>rdolna Amelia da Pas, j
lenuvida por portara da presidencia da provincia
Y- 22 de Agosto fiudo, da cadeira de Vicenoia
para a do Porto do Gallinhas. que Ibe fica raar-
sido o prazo de 60 das, a contar da dati da dita
rfflaocao, afim de assumir o respectivo exercicio.
Secretaria da inetucco publica de Pernarobu-
so, 2 de Setembro da 1887.O secretario,
Perffntino 8. de Araujo Galvo.
gompaiiOeIdgW
Ocscriptorio d'esta
companhia a cha-se
funceionando no largo
de Pedro II, n. 77, 1.
anda.. i
Imcumbe-se median-
te contrato e a paga-
mento em prestafoes,
de construcfcs e rc-
construefocs de pre-
dios, cujos projeetos e
ornamentos sejam ou
nao confeccionados
pela companhia.
No cscriptorio se cn-
ontraro sempre, as
amostras dos produc-
tos da fabrica vapor
do Taquary, tendd sem-
pre venda: fijlos
niassiVns de al venara.
ditos para ladrilhos,
diversos formatos, te-
Ihas romanas, francs
zas, de capote comen-
caixe, de crista; cano-
e curvas de diversos
dimetros, ornatos va-
riados e tjolos fun-
dos de diversos forma-
tos.
Para vendas c en-
comendas. no cscripto-
rio central.
tanta Casa de Misericordia do
Recife
Na secretaria da Santa Casa arrenda-sc os se-
guiutes predios :
Ra do Bom Jess n. 13, 3- andar.
dem dem n. 14, 1- andar e loja.
dem do Vigario Tbenorio u 22, 1- andar.
dem idem n. 25. sobrado.
dem do Marque* de Olioda n. 53, 3- andar.
dem do Apollo n. 24. 1- andar.
Ide ii da Mtda n. 4".
Ipem idem n. 47.
dem idem n 49.
dem idem n. 37.
dem da Lingeeta n. 14, Ia aodar.
Becco do Aoreu n. 2, 2* andar.
Secretaria da Santa Casa de Misercordu do
Recife, 25 de Maio de 1887.
O escrivo intrino,
EogliSuBfof luJI
Lia'ted
Capital do Bm-o..... 1.000.0CO
Capital realisado......... 500,000
Fundo de reserva....... 200,00G
A contar desta data e at ulterior reso-
luc&o, conceder-se-hs juros de dous por
cento ao anno, sobre os saldos do dinheiro
depositado em conta corrente de movinien-
to no mesmo Banco.
Recebe-so tamben dinheiro em deposito
a jaros por periodos determinados, ou bu-
jeito ao aviso pivio de triota das para ser
retirado, uedunte as condicS-s de que se
dar conbecimento as i teressados.
Peruamcuco, 23 de Maio de 1887.
Hanry K, Oregory,
Qireite.
COMPAMIIIE DH* nNWAVK
IIIES HAftITIHES
LINHA MENSAL
O paquete
PORTUGAL
( oiuiiiaudaut- (.ron
' esperado dos portos de
sul at o dit 18 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costme, para Bordeaui
tocando om
Dakar e Lisboa
Lembra-se nos senhores passageiros de todat
as classes que ha lugares reservados para este
agencia, que podum tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimonto de 15 % em favor das fa
milias composta de 4 pessoas ao mebog e que pa-
garen] 4 paseagens inteiras.
Por excepcao os criados de familias que torna-
rem bilhetes de proa, gosam tambem d'este a bati-
mento.
Gs vales postaes b se daa at dia 16 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e dinh?ir-
a frete : tracta-se com o
AGENTE
4ogusle Labille
9 RA DO COMMEliCIO-9
CJnied SUtes & Brasil M S. 8. C
0 paquete Finance
E' esperado dos portos di
sul at o dia 26 de Setembro
depois da demora necessaria
seguir para
aramhSo, Para, Barbados, 8
Thomaz e Xcw-Vork
Para carga, passagens,e ic mnonis jdinheir
frete, tracta-se com os
AGENTES
goMFAX;
JMPERIA 1
N.
'Itft CTTRA FOCO
EST: 1803
Edificio e mercadoria*
Tazat baixat
Promplo pagamento de prejuitoi
CAPITAL
Rs. 16,000:000*000
Agentes
broWns a c
>Ra Jo C&mmercii> N. f
SEGUROS
MARTIMOS contra fogo
Companhia Phenli Per-
naiubiicana
Ra do Commercio ii. 8
Hl'4 DOCOMMtclCIO X. t 1' SWOaH
'COMPANHa DE SE50BOS
l'OSTKi FOGO
Sorth Brilisti & Mercaalile
CAPITAL
ttooo.ooo de libras sterllnas
AGENTES
Adoinsoii lio wic & C.
em ca.a do
SB JOHN H BOXWELL
Ba do Commercio n. 26.
0 nw Allimta
SEGUROS
CONTRA FOGO
fhe Liverpool & London & Globe
conP%XIII % D2
NECiUROS
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Eatabelclda em I "*?'>
CAPITAL 1,000:0001
SINISTROS PAGOS
li 31 de dezembro de 1884
llarilimos..... 1,IIO:000000
rerrestres... 316:060800
41Ra do C^ommrelo
NORTHERN
de Iiondre e Iberileen
PohUhu annnrelro (Oeiemsro 195)
Capital oubsciipto
Fundos accumulado*
eeeia soonali
Di premios cou'ra fogo
De premios sobre vidas
De joros
3.000.000
3.134,34*
577,330
191,000
132,000
John. H
O AGESTE,
Boxaell
spera-se de Sew-f'or'.
News, at odia 4 c Outu-
bro o qoal seguir uep-i-b d>
d mora nec ,'8jai i a p 11 a
Baha, Ro de Janeiro e Mantos
Para carga, passagens, e encommendas traera-
AGENTES
Henry tmitr 4 C.
* 8 ROA DO COMMERCIO -N. 8
1 aiidat
Companhia Bahlana de navega
cao a Vapor
PORTOS DO SUL
Macfti, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Baha
0 vapor Sergipe
Ccmmandante Pedr Vigna
E' esperado dos oorio aci
ma at o dia 15 de Setembro
e regressar para os mea-
mos, depois da demora dooos-
tume.
Para carga, passagens,encommendas e dinhei-o
t frete tracta-se na agencia
PORTOS DO NORTE
Maco, Mossor. Aracaly e Ceara
0 nw Mrquez He Canas
QammandanU J. J. Coelho
Este vapor sahi
rapara os portos
cima indicados,
no dia 14 do cor-
rente, s 2 horas
da tai de.
Recebe carga nicamente at ao mcio dia do
referido dia 14.
Psra carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete, tratarse na
AGENCIA
7tua do Vigario7
Domingos Alves Matos
BOYAL MIL STIAI PAGUE.
COIPAN.
O paquete Mondego
esperado
do sul no dia 14 dr
corrente seguink
lepcis da demora
necessaria para
8. Vicente, Lisboa, Vlgo e 8011
ihampton
Redueqao de passagens
^da Ida e volta
A' outbampton 1 classe 28 42
Camarotes reservados para os patsigeiros de
Pernambnco.
fara passagens, fretes, etc., tracta-se u os
Consignatarios
Amorim limaos &C.
RIJA DO BOM JESS N. 3
lOHPtVIl PKhlIHiIlti *
DE
VavegacSo Coslelra por Vapor
Fernando de Noronba
O vapor Oiqui
Comandan te Lobo
Scgne no dia 16 de
Setembro pelas 12 ho
ras da manha.
Kecebe carga at o
ia 15.
Passag,. jb at as 10 uras da manhJ do dia da
partida.
ESCKixTORIO
cae m Companhia PerMiabn
cana n. I
S. 3-
Pacilic Steam ^avigationiompany
STRAITS OF MAGELLAN LTNE
Paquete Galicia
Espera-se dos portos do
sul at o dia 15 de Se-
tembro seguindo para
a Europa depois da
demora do costume.
Este paquete e os que dora
em diante segoirem loca rao em
Plviiiouth, o que facilitar che-
garem os passageiros com mai
brevidade a Londres.
Para carga, passagens, encommendas e din-
heiro a frete tracta se com os
AGENTES
Wllson ton A t\, Llnted
N. 14 RA DO COMMERCIO N 14
ARuERS IIUNIS
Companhia Franceza de IVarega
cao a Vapor
Linha quinzenal entro o Hvre, Lis-
boa, Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos
0 nw Villa U Poluto
Conmandwnte Chancerel
' esperado da Europa
at o dia 21 de S. tembro, se-
guindo depois da indispen
savel demora para a Ba-
ha. Bto de Janeiro
e Manto*.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p.'loi
vapores desta !inha,qu<:iram apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvarengu. | ju-
quer reclamars concernenta a volumes, que po-
vpntu n tenham seguido para os portos do sul.afia
de se poderem dar a tempo as providencias neces-
sarias.
Expirado o referido praso a companhoa n se
responsabilisa por extravos.
Para carga, pat sag ma, encommendas e dinheirx
a frete : trata se com o
AGENTE
O vapor ViDe de Cear
Cominandante Simn.t
Terrado
Gaiolas oom passares cantadores, jarros e vasos
com plantas, cilos e ootros objrctos.
O leilSo principiar
__________As 10 1\2 horas
Leilo
Agente Brito
De 1 srmac&o envidrbala, faiendas, mobilias,
1 guarda-roups, 1 guaida louca, 1 secretaria, 1
mesa com estante, mesas, commodae, oratorio com
pedra, 1 cama de Jacaranda, marqnrxo^i e mar-
quesas, esdeiras avulfas, 1 grande fiteiro, malas,
quadros, jarros, candieiros para kerosene e gas
earbonico, espelhns, facas, copis, clices, chapeo?,
gneros de molbados, 1 carrinbo e outros artigos
ao correr do martello, para liqoidscio.
Terc As 10 1[2 horas
Ra de Pedro Affuoso n 43
Leilo
Terc.a-fe>ra, 13 do corrente
A'h 10 b raa en ponto
\.j roa do Vigario Tenorio n. 10
O AGEETE MODESTO BAPTI8TA por man-
dado e com assistencia do Exm. Sr. Or. juis do
commercio, far leilo (a retalho) das mercaduras
e utencilios existentes no armasem n. lOda ra
do Vigario, pertentes a massa fallida de Alberto
Ridiigues Bran o, aasim como de 350 caixas de
vioho do Porto e 13 barris de quinto de vinho
branco, existentes no trapiche alfaodegado da
Companhia Pernambucana, pertencc.tes a mesma
massa fallida.
Leilo
De 50 caixas com ce-
bolas
Terga feira 13 do corrente
v % 11 horas
No armazem do Sr. Anncs
DEFRONTE DA ALFANDEGA
Em lotes a vontade dos compradores.
Por iotervensSo do agento
Gusmo
Precisa-se de urna ama para cosinba e mais
srrviQjs, para casa de tres pessoas ; a tratar na
ra da r*raia n. 12.
15/000 mensaes o 1 andar da roa do Pa-
dre Ploruno n. 69, dando fiador idneo, pira ver
ss chaves na loja ; a tratar na ra do Pilar nu-
mero 125.
Leilao
De boas
qaa-
Espera-se dos Dorios do
sul ateo da 18 de Setembro
seguindo depois da odis
pcnsavel demora para o Ha-
vre.
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece exccUentes commodos e ptimo passa-
dio.
As passagens podero ser tomadas de antemo.
Recebe carga encommendas e passageiros para
oi-quaes tem excel lentes accompnodacoes-
Para carga, passagens, encommendas dinheir o
frete: trata-se com o
AGENTE
An*uste Labille
9 -RA DO COMMERCIO-9
COMIMMII t I*EIl>%1fUlC4>*
DE
tfavegaco costclra por vapor
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaj e Babia
0 vapor Jacuhype
Commandante Esteves
I "'^'--mI^i Segu o dia 1 5 dt
Setembro as 5 horas
da tarde.
Kecebe carga at o
da 14.
Encommendas, passagens e dinheiros frete ate
4* 3 horas da tarde do dia 13.
ESCRD7TORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Rio Grande do Sul e Pelotas
Segu com brevidade para as portos cima a
barca nacional Marianinka ; para o resto da car-
ga que falta trata-se cum Bailar Oliveira 4 C.
movis, 1 piano da Pleyel,
dros e 1 fogSo ioglez
A saber :
Urna m:bilia preta com consclos de pedra, 1
dita de junco, com cadeiras de balauco e conso-
los com pedra, 1 piano forte de Pleyel, 1 cadeira
para o mesmo, 1 capa para piano, porta-mus
cas, de Jacaranda, 1 espelbo oval, 2 jarros de
alabastro, diversos jarros, 4 quadros, 4 etageres,
2 sanefas e sf-us pertences, 2 venesianas, 2 esesr-
radeiras, 1 relogio despertador, 1 cama franceza
de pao carga, 1 cabide de columna e 1 colxopara
cama.
Urna mesa elstica de amarello, 2 aparadores
grandes de caixa, 1 sof de amarello, 2 consolos,
12 cadeiras de faia, 2 cadeiras de bataneo de ama-
rello, 1 marqueso, 3 veloci pedes, 1 grade de
ferro para poita, 1 machiua de limpar facas, 1
ilho, 1 carrinbo para crinaca, 1 cavallo sobre
rodas, 1 pedra marmore para mesa, 1 galinheiro
de trro e 1 fogo ingles.
Quinta feira 15 do corrente
As 11 horas
No 1- andar do sobrado n. 45 da ra da
Aurora
O agento Martina far leilo dos movis e mais
objectos cima descriptos, os qoaes se acham bem
conservados e sero vendidos ao orrer do mar-
tello.
Leilo
De um excrlleute bilhur e seus perteneei (novo),
1 tapete de coco forro de ama sala grande, 2 guar-
da-loucas novos, 2 mobilias e 2 pianos.
ulula feira. 15 do corrale
A's 11 horas
Agente Pinto
Vb armazem da ra do Mrquez de Olinda
n. 62
Por occasiSo do leilo de predios e ter-
renos
Aluga se por 18* da ra do Galabouco, com 2 sal .s, 2 cuartos, or-
redor indeppndonte : a tratar na ra das Trin-
cheiras n. 17, loja.
Preei a se de urna pessoa de idade para
servico de urna casa de familia composta de mari-
do o mulber ; a tratar na ru do Queimado n. 4b',
loja.
Aluga-se p,r 14000 mensaes a casa n. 13
do caes do Gasmetro, com 2 salas, 2 qusrtos, co-
siiiha e quintal; a tratar na ra das Trincheiras
n. 17, loja.
Quem precisar de urna senbora habilitada
para ensioar bem primeiras lettras, portugus,
francs, msica, pino, ores e tapecaris, dirja-
se rua do Marques do Serval n 23, loja, que
achara com quem tratar. Na mesma casa vnde-
se einco quadros multo bonitos da historia roma-
na ; tambem se dir quem aluga a casa do pateo
de S. Pedro, em Olinda n. 2, cica c inm idos para
grande fumilis, muo frisca, com gas e agus, em
excedente posico.
= O abaixo assignado, tend de retirar-se
para o centro da provincia, ven le un grande s'tio
no Salgadinho com una I.g j de trra, com duas
casas de pedra e cal e urna de taipa cnberta de
telhas ; as cusas de pedra e cI, urna tem 2 salas,
4 qnartos, despensa e co salas, 4 quartoa, soto com .'{ quartos e um miran-
te com Sjanellas, concertaHiis, caiadas e pinta-
das de novo, grande estribara, cacimba com duas
bombas, um vivero, grandes baixas para capim,
tres ros, grande quantidade de arvores fructfe-
ras, sendo sopotas, romeiras e outras fructas.
O sitio principia dos trilitos urbanos de Olinda
e finda em Beberibe, rio do PeixiDho, o qual
proprio para plantacoes, criaco e s;lti3 de gado,
e es' todo cercado.
O mesmo abaixo assigiado vendo um graude
sitio u'Agua-Fria de Beberibe, cem urna casa de
pedra e cal e quatro ditas de taipa cobertas de
telhas, sendo tres acabadas de novo e anda nao
habitadas ; a casa de pedra e cal tem 2 salas, 1
gabinete, 4 quartos, dispensa, cosinba, estribara,
cacimba om muito bia agua de beber, riacho
corrente e banbeiro, grande baixa de c-ipim, gran-
de quantidade de arvores fructferas, como laran-
jeiras, romeiras, sapotas, abacates e outras fruc-
tas, todo cercado, tendo na frente g'sdamento
de ferro e porto-
Vende um grnie sitio na estrada dos Afflietos,
com casa de pedra e cal, tendo 2 salas, G quartos,
despensa e coaioha, cacimba, um grande pomar
de laranjeiras e outros muitcs arvoredos de diver-
sas fructas : quem pretender ditos sitios, dirijam-
se ao sitio de Agua-Fria, a tratar cem o abaixo
assignado.
____ Flavio Ferreira CatSo.
:. Quem deixar de convalescer crear appetite, e
engordar para evitar gastar alguna mil res na
deliciosa bebida Agua de Caj pura.
Veude-se a taveroa sita no pateo do Terco
n. 18, bem afreguesada ; a tratar na mesma.
= Vende-se um rico santuario de Jacaranda e
dous frontera bjrdados a ouro na rua da Impe-
ratriz n. 37, 1* andar.
Bom negocio
Vende-so urna arma^o muito boa para qual-
quer negocio, na rua Imperial n. 7 ; a tratar junto
non ero 5.
Taverna
Vende-se a taverna sita rua de Ghristovo
Colombo n. 14, antigo boto do Lbate, com pon-
eos fundes, bem afreguezads, propra pira prin-
cipiante ; a tratar na travessa de S. Jos n 1.
Telhas de zinco
Vende-se telhas de zinco, usadas ; no caes 22
de Novembro, armazem da bo'a amarella a. 36.
Sementes de cae
Vende-se sementes de cacio novas ; ao caes 22
de Noverobro, armasen) da bila amarella n. 36.
Leilo
De urna casa terrea ma do Coronel Suas-
suna n. 57, a qual rende 240#.
Um sitio em cbSo propric, em B.-boribe
de Baizo rua da Regenerscllo, com 50
palmos de frente e 4(0 de fundo.
Qulota-felra, lft do corrente
AO MEIO DIA
Agente Pinto
No armazam rua do Mrquez de Olinda
n. 52
Por occaaio do Icilj da movis, quadros, vidros
urna caixa cem latas de manteigs.
LElLUf
Terci-fera 13 o de um neo espelbo oval
grande, 1 piano, mtViis, electro-plate, loucis e
vidros no 2 andar do sobrado da rua Nova n. 52.
A entrega eVetnarse-ha no mesmo dia.
Leja
oval
can-
De movis, cryst,ies, 1 rico espelbo
grande, 1 piano forte, quadros, 1
dieiro de cryat.il de 2 bicos pira carb-
nico, jarros par >re, obj.-ctos de eJec-
tro-plate, plantas e jarras.
Tirga-fcira, 13 do corrente
No 2' andar do sobrado da rua do Barao
da Victoria n 52
O agente PINTO autarsado pr urna familia
que retirou-se para o sul tara leilo dos movis e
mais objectos de casa de sua residencia a rua Nova
o. 52 por cima da Phjtograpbia A Henschell.
A SABifiR
Sala de visita
Um piano f rte de 8aseoi>biff, 1 mibilia com
1 a fa, 1 jardinera e consol* com pedra, 2 cad>
ras de bracos e 12 d guarnir;!', 2 ditas de batan-
eo, 1 candelabro de eryjul, i laucas e 3 pares de
coi tinados, 2 candieiros para k rosene, 6 jarros
para flores, 1 rico e-pelho ovkI grande e dourado,
1 quadr grande a ole quadros menores, 2 eta-
gers, 2 cacarradeirrs, 'ap.-ift e cap cbos.
Gb:ee
Urna m bilia para srbbiii'-'.e c m temp de pedra,
1 estante, 2 oan^uiunas, \ quadros dourados e 1
relogio.
Primeiro quarto
Um santuario, 1 commoda de Jacaranda, 2 qua-
dros, 6 cadeiras e 1 bah de flaudres grande e
forte
Segundo Quarto
Una cama (ranees*, 1 cumula e cortinado, 1
com ico-la, 1 ti peto, 1 guarda roup'is, 1 toilet, 1
ava'orio, 1 cabide. 1 m si de cama.
Sala de Jautar
Urna meza elstica, 1 guarda lou^as, 2 apara-
dores, 1 relogio, 12 cadeiras de j-neo, 1 qunrti-
ubeira, 1 mesa c.'ra pez torneados, i cadeira alta
p.nra menino ir a mez*, lou^a para cli e juntar,
cipjs, ches, sanafas, caupoeiras, talheres,
colherrs, 1 caicas com g-irfos, fticeas e outrs ob-
jectos, do electro-p'at-, b ciat, lata?, frascos de
boceas largas, uteihS, pratileirt s e trem de co-
eiuha.
AVISOS DIVERSOS
Ns anemias
Caj pura >.
nico reconstituinte a Agua de
Aluga-se casas a 8IK/U no becco dos Ooe
bos, junto de S. Oon^allo : a trasw na rua d>
(mperatric n. 56.
Alnga se por 10*000 a casa o 21 na Var
zea, defroute da estaco, com arunacJ; ; a tfatai
na rua da Imperatriz n. 56.
Compra-ce urna casa terrea na rua da As-
sampeo ou Santa Cecilia ; a tratar na rua do
Mrquez de Olinda n. 3, loja.
Aluga-se por 25f a ct>sa terrea n 127 da
rua daa Cin -o Puntas, com 3 quartos e grande
quintal, a da rua do Apollo n. 71 por 124000 a
tratar na rua de S. J rge (Pilar) n. 5>.
= Precisa-se de um feitir que tenba pratica
or a, tirefeie se portugus ; a ti atar no hotel
Be beribe, das 6 s 8 horas da manb.
Precisa-se de duas amas, de ccs:nba e de
engemmar : no largo da Penba n. 8.
Nao ha quem nao sana que? no tempo do caj
familias inteiai acimpam debaixo doa cajueiros
d'onde sabem nedios e anafadss, nutrindj-se ex-
clusivsment Aluga-se o sobrad} n 81 rua de Marcilio
Das, e o 2 andar d j sobrado n. 22 rua est.eta
do Rosario ; a filiar com o Piubeiro i rua da Paz
Urgencia
Precisa se de boa costureiras para vestidos ;
ns raa da Aurora o. 39, 1- andar
Barato
Vende se ou p rmuta-se p r pequeas casas em
qnalqner das tregueiias do Recite, a sasa n. 22
ladeira do Varadouro, com commodos para
grande familia, pois tem quatro salas, eeis quar-
tos, gabinete e boa cosinha, com grande quintal
todo murado, cacimos e de muit-j b)a agua, e
sabida para o becco da Poeira ; a tratar na raa
velba de Santa Rita n. 11, sobrado, das 8 horas
da manb a 1 da tarde, ou das 4 i 6.
Criado
Precisa-se de um criado de 14 a 16 aonos ; na
rua Imperial n, 17.
Restaurant Doria
O proprietario deste estabelecmrnto pede a
seus devedores queiram vir solver seua debitss
com brevidade, porque do contrario vero seas
nomes publicados neste Diario.
AMA
Prccisa-se de nma ama para cosinhar
de Pedro Affonso n. 58, antiga da Praia.
rua
GASA DA FORTUNA
Aos I^OOSOOO
Blihetes garantidos
23 -RUA PRIMEIRO DE MARgO -23
Da 9 lotera da provincia venderam
Martina Fiuza & C. os seguintes premios
numero 42.
Precisa se de nina ama pira c.siuhir em
casa de p'quena familia ; na rua Imp.iiil nume-
ro 128.___________________________________
Aluga se por lfSOO a casa terrea n. 5
rua dos Pescadores, liinpa, com 2 salas, 2 quartos,
cosinba f.-a e quintal pequeo.
Aluga-se quartoa mobiliarios, rua de Joa-
quina Nabuco n. 9, Cpunga; tambem se recebe
pensionistas.
Precisa-se de urna perita coaiubeira que v
comprar e que durma em casa ; rua de Joaqnim
Nabuco n. 9, C-ipunga.
Precisa-se de urna cosinbeirn, na rua da Mi-
tris da Boi Vista n. 9
= Entre duat estaces Cruz das Almas, alu"
ga-se urna casa propra para i strang'ir, com to"
las ka aicomioJ^O ;* em frente da chcara do
Sr. Thon : a tratar na rm 1 de M*rc> n. 25,
loja de joias. ______^___
A agua pura de Caj (> nome o dit) nao tem
droga nenhuma nociva, apenas o sumo da me-
dicinal frncta conservado.
- Criado ; prcisa se de um no largo da P .
nha n. 33, hotel.
garantidos .
3725
2560
3101
2932
A.'hara-se venda os afortunados b-
ILetes garantidos da 10* lotera da provin-
cia em beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife, que se ex'.rabir quan-
do for annuciada.
1:000^000
SOOOOO
200,$000
506000
os afortunados
axang
A'uga-Be quartos mobiliados a i5 mensaes
com eommo'J-.s psra familia e cosinba ;
df Parofa
no bote

D. Alexandrina da SIUr Piulo
Maiuiiiai da Silva, sua esposa, filbos o georoa
msndam celebrar miss.s por alma ilesua presa-
dissima filha, irmi e cunhada, D. Alexandrina da
Silva Pinto, na igr.ja de N S do Tete pi'las 7
horas da j>anh do dia quiuta-feira 15 do corren-
te, trigsimo do seu fsllecimento, psra o que con-
vidam a todss os seus em sistirem a este acto de reiigio e earidade, snte-
cipando stus agradecimsuto*. _______.
los Bernardo Mtcnllls Jnior
Mara Desideiia Maf.-a, auas filhas e netos,
agradecer a todos que acompaobaram os restos
inortaes de seu georo, cu.ihado e pai, e de novo
con vidam aos seus prente te pessoas de amizade
para sssistirem a missa que por sui alma man-
dara rosar na ireji do Pilar, s 7 borai da ma-
nb do dia 14 do correte, stimo do sou fallec
ment ____.
[W]



-
Diario aifc FerBambucoTcr$a--leira- 13 4c Setembro de 1887
Fabrico de issicar
Apparelhoa econmicos para o eozimen-
te e cura. Proprio par engenhof peque-
nos, a ievtro em operaeXo.
Pode-se ajuntar aos engenhos existentes
do Bystema velho, melhorando muito a
qualidido do assucar e augmentando a
quantidade.
OPERAgAO MUITO SIMPLES
Usinas grandes ou engenhos contraes,
machinismo aperfeijoao, systema moder-
no. Plantas completas ou machinismo
separado.
Especifcales e informales com
Browns V.
6RA DO COMMERCIO5
Ao commercio
O abiixo sasignado retirando se boj para o
norte do Imperio temporariamente, a tratar de
aaa sanie, deiza na gerencia de todos os sens ne-
gocios o sen amigo e socio o Sr. Miguel Lopes
uimaraes e como seus procuradores os Srs. Joo
Custodio Martina Leite e Guilherme Spiller, e pede
desculpa aos seus amigos por uo poder despe-
dir se pessoalmente, offereceudolhes seus traeos
prestios na provincia do Ceai.
Eeeie, 7 de Setembro de 1887.
Jote de Sampaio Cotlho.
Extracto fle Malta fle Krlopa
Prsparado
DE
BIIROLGIIS WEl.IXOII12 & C
CHIHIC08 DE LONDRES
Um poderoso agente digestivo e acimilativo; um
alimento nutritivo, especialmente adoptado para
os enfermos nao; na grande succedaneo do
aieite de ligado de baealbo.
O Extracto de Malta de Kepler um alimento
porfeito eos si mesmo e contem todos os principios
digeativos e uutritivos da cavada, isto phospha-
tot, maltosa, dtstrina, albmina e o importante
quanto poderoso aeeessorio digestivo chamado
Diastas,podendo-M aasim diaer que cosa a n
troduccio do Extracta de Malta, como agente tbe-
rapeutico, ae ba produiido nma revoluco no trac-
taminto de certas eaermidades da nutricio, ope-
rando eapeci__nte aa dyapepsia, ulceraco do
estomago, eancres do estomago, debilidades, con-
valecencias de enfermidades agudas, vmitos^ e
gastro-ententes das criaocas, marasmos, affsecoes
escrofulosas, tuberculosas, etc.
Inles Jeponito
34Ra do Rosario34
Pharmacia e Drogara
Advogado
[Foro civil e ecclesiastico)
Baehare Antonio de Lfllis e Souz Pontes, ra
do Impera Jor n. 37, 1 andar.
Industria nacional
Alcool de canna rectificado desinfactado, cog-
nac brasileiro (agurdente Je canna desinfectada),
obtidos por A. M. Veras & C__________________
Lfliam
Na ra do BarSo da Victoria n. 2, primeiro an-
dar, preparam se capellas mortnarias de flores
natnraes e artificiaes, de diversos g os tos e precos,
e mais artigos desta profissao. como sejam : bcu
quets para casamentas e cffertas, com disticos
bardados a ooro e prsta.
LOTERA do ceara
NOVO PLANO
40:000*000
Com a diminuta quantia de 20400 habilita-se a tirar 8:0000000 e com 10200
4:0000000.
CORRE IMPRETERITELMEXTE
Quarta-feira 14 do corrente
LOTERA
__>;_>
ESPIRITO-SANTO
5O:00O$000
Corre sexta eir, 16 do corrente
ESTA LOTERA NUNCA FOI
O portador de um Lilbete est habilitado a tirar mais de UM PREMIO \
Cada numero pode ser repetido duaa ou tres vezes, prevalecendo todos premios
que sabir.

FUNDICAO GEM,
ALUN PATERSON & C
N.44Eua do Brum--N. 44
UHTO A ES f AA0 DOS BONDS
Tem para vender, por precio mdicos, as Begui t-'s ferragona:
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamanhos.
Rodas de espora, idem, dem.
Ditas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com serra circular
Gradeamento para jardim.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modeles
Portasd fornalha.
Vapores de forca de 3, 4, 5, 6 o 8 cavallos.
Moendas de 10 a 40 pollegadas de paadora
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-se de concertos, e assentameuto de machinismo a executam oual
trabalho com perfeicao e preste.
(M1RUBEBA
PWER40 VINOSO DEPURATIVO
APPB07AD0 PBLl JUNTA DE HYGISHE PBUGA DA GORTE
Aolorisado por decreto imperial de 20 de Jonho de 1883
Gomposicio de Firmino Candido de Figueiredo
EMPREGADO COM A HAIOR EFFICACIA NO RHEUMATI8MO
DE QUALQUER TATUREZA, EM TODA8 AS MOLESTIAS DA PELLE, NA8
LEUCORRHAS O Fl.OKES BRANCA8, NA A8TBMA
BBONcniTES (molestias das vas respiratorias), nos soffbimentos
OCCASIONADOS PELA 1MPCBEZA DO SANGUE E FINALMENTE
AS DIFFERESTES FORMaS DA 8YPHILIS
PropagadorA. P da Cunha
As importantes curas, que este importante medicamento tem produzido, attes-
tadaa por pessoas de elevada posicSo social, fazem com que de toda parte seja elle
procurado, como o melhor e mais enrgico depurativo do sangue.
Depurar o sangue, como ondicSo de urna circuladlo benfica e efficaz, eis ero
que consiste principalmente o meio mais seguro de conservar a sade e de curar as
"molestias que a impureza do sangue oucasiona.
O Cajrvbba, pela sua aceito tnica e enrgicamente depurativa., o medica
monto que actualmente pode conseguir esse resultado seno prejudicar nem alterar as
fanccSes do estomago e dos intestinos, porque nao contm substancias nocivas, tpesar
do vigor depurativo dos productos que conslituem a base principal d'este medicamento.
As muitas coras que tem feito, esto coroprovadas pelo testemunho dos din
dos e conhecidos cavllle ros que firmam oa attesudos, que este jornal tem publica
do em sua secf&o ineditorial
Deposito central, Fabrica Apollo, ra Hospicio 79
i en Multa. pkarauwlM I* Brasil e eatraasrelr
9K.W A*
,*? fvv *&
>f&y*r
V
Ama
Precita-se de urna ama paia engommar e taxer
servioos de casa ; na typographia do Diario, no
3- andar, n. 24, ra Duque de Cazias.
Ama
Precisa-se de urna aam para o aervico de casa
de familia e que tenba boa conducta ; a tratar na
ra do Baio da Victoria n. 46. loja.
AMA
Precisa-se de urna ama para comprar e
cozinbar em casa de familia : na ra Du-
que de Cazias n. 14 se dir.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar : na
ra de Domingos Jos Martina n. 104 se dir.
~~ Ai '
Precisa-se de nma ama para cosinhar ; no lar-
go do Paraizo n. 14.
Ama
Precisa-se de nma ama para todos os servicos
de casa de familia ; a tratar na ra do Bario da
Victoria n. 7, 2- andar.
%* %
* Precisa-se de nma ama para cosinhar em casa
de pequea familia ; na ra Doque de Cazias n.
86, 3- andar.
Precisa se de nma ama para casa de ponca fa-
milia ; a tratar no becc3 do Peize Frito n. 9, se-
gunda andar.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite ; na rna da
Restauracao n. 3, 1- andar, antiga ra da Guia.
Alugasc barato
Boa Visconde de Itaparica o. 43, armazem.
Ra Coronel Suassuna n. 141, quarto.
Rna do Tamb' n. 5.
Largo do mercado com agua n. 17.
Ra do Calabouco n. 4, loja.
Crata-se na ra do Commercio n. b, 1* andar
eso-iptorio de Silva GnimarSes & C.
Alug-se
a casa terrea da rna Lomas Valentinas n. 40'
freguezia de Santo Antonio, com bons commodos.
quintal e cacimba b, est hirpa ; a tratar na
ra velha de Santa Rita n. 14, sobrade, das 8 ho-
ras da manh a 1 da tarde.___________________
Milita alleiifao
Na raa Sete de Setembro (outr'ora becco dos
Perreiros) n. 6, faz-se plises e recorta-se babados
largos e estreitos.
Attenco
Vende-se as partes dos engenhos Cachoeirinha
e Independente da comarca do Rio Formoso : quem
pretender dirija-se 6o eseriptorb da ra Duqne
de Cazias n. 50, que achara com quem tratar.
Attenco
Offerece-ee um typographo especialista em obras
avnlsas, composiyoes corridas, paginacjes e im-
pressoes, etc., etc.: tratar na raa doVigario
Tenorio n. 12.
VIXHO DE JURUBEBA
COI IODIRETO DE POTASSIO
Tnico, depurativo c anty-
rheumatlco
PREPARADO POR
Barilioloniea & C. Successor
Approvado pela Junta Geral de Hygiene
da Corte e autorisada pelo governo
Os repetidos pedidos que nos foram feitos por
muites dos nossos illustrados clnicos para juntar-
mos ao nossoVioho de Jurubrba,j tas vanta-
josameute conbecido no no.-so pais, como no estran-
geiro, ama dose ezacta sempre determinada de
iodurcto de potassio, creando assim nm medica-
mento certo e inalteravel, de immensas virtudes
medicinaes, nao nos deizuram hesitar um e in-
stante, e hoja ti mos a satisfco de apresentar ao
Ilustre corpo medico do nosso paiz e ao publico
em geral esse novo preparado, cuja aeco curativa
e certa em grande numero de molestias incon-
testa ve I, como seja no rheumatismo agudo ou
chronico, as obstrnc(des do ligado e baco, as
anemat, as cloroses, hidropesas, maleitias or
narias, debilidade do estomago e as de origem
ypbilitica.
A juruneba, rssa planta preciosissima, to ebeia
de virtudes meaicinaes, associada assim ao iodu-
reto de potassio, o depurativo de um valor im-
menso, fas com que o aosso preparado seja usado
de preferencia, como um medicamento certo e in-
fallivel para a cara das molestias que cima dol-
amos descriptas.
Seu oso de fcil cpplicacao, podenio por isso
ser tomado pelo doente : todava reccmmendamo
a direcyo de um medico, e t ello Ueve modificar
a sua accSo, elevando ou diminoiudo a doso se-
gundo o effeito que julgar preciso em face das
molestias combater.
O nosso vinho de jurubeba e iodarete de potas-
sio paro tem ama dose ezacta de iodureto repre-
sentada em ama colber de sopa por quatro graos
de iodureto, podendo por sso sir t< mado pelos
adultos na dose de 3 coiheres do sopa por dia e
pelas creancas na d> 3 das de cha, momentos an-
tes on no acto das refundes.
BARTHOLOME C. SUCCESSORES
DEPOSITO
34-Roa Larga do Rosario-34
O EXTRACTO COMPOSTO DE
Salsaparrilha
do Dr. Ayer,
E* um al mplota-
,,,,.,,1,1 ,. "oful lli ri-.litar:i. :i
atfccoOes que tem aflluitladi; ccia as iiferinidaries
contagiosa, e as oocasionadas pelo mercurio. Ao
nicemo tempo vitalisa e eniiquece o saugue com-
niunicajido urna acefio sandav^l ao org.-v
rejureucscendo o systema intelro. Ksta grande
Medecina Regeneradora,
t cnninosta com a verdadeirn Salsanarrilha de
Hondura, dos Iodos lo l'otnsslo ( de Ferro, v
outros Ingred ""'e potencia e virtudes
, nrativa ,! preparado?.
A fornuda i- cralin.nio conliccida ila pronssao
. Salsa-
i'Ai:i.n.n.\ DO I": Avi:i! como uia
Remedio Absoluto
para as enfermidades occasionadis pelo estado
vicioso do sangue.
Bstt concentrado no grao mais alto pracl
i i.reparacfio da sua
clasK, que pretende proporcionar isuaes lcitos, e
por tanto a in.Mocina mal barata, assim como a
melhor para purificar o sangue.
PEF-rAIlADO TELO
DR. J. C. AYER k CA.,
Lowcll, Mass., E. U. A.
A' venda as piiucipacs pliarmaciaii e drogaras.
Fumo carioca
Prenarado pela acreditada fabrica do Rio, de-
nominada Fante Limpa ; vende se em paectinhos
em todos os estabelecimeutos de retalho.. nico
deposito, na fabrica Veneza, arco da ConceicSo
nmeros 4 e 6.
PEKNAMBUCO
Peitoral de Cambar
()
PREQOS
as agencias : frasco 24500, 1(2 duzia 131 e
dnsia '4*000.
as snb agencias : frasco 2*800, 1(2 duzia
15*000 e duzia 8*000.
Ageates e depositarios geraea em toda a pro-
Sucia Francisco M. da Silva & C, ra do
arquez de Olinda n. 23.
Cromos em relevo
e cartees para fellcitacdes e pre-
sentes
Novo e esplendido sortimeuto
Na livraria PARISIENSE
? A Biin Primeiro de Marro 1 A
Fabrica de chapeos
Antonio Jos Maia & Q.
DEPOSITO
rna do Baro da Victoria ns.
34 e
Os proprietaiios deste estabelecimento scienti-
cam aos seas numerosos freguezes e ao respeitavel
I publico, que continan) a ter grande sortimento
de chapeos de todas as qualidades e formatos.
i manufacturados com toda a perfeicao e por precoa
i mais vantajtaos que em outra qualquer parte.
! Sitio c casa para ala
gar-se
Alaga se o grande sitio do Abrigo, cm Oiinda.
nos Arrombados, cam grande casa terrea e sobra-
do, cocheira, quartos para criado, seis viveiros,
mais de 609 pes de eoqudrcs, mnitos cajoeiros,
espctiseiroB, mangueiras, com pasto para vaccas e
tendo muito fcil transporte por nm lado pela
via-ferrea de Olinda, e por ontro lado pelas dili-
gencias e bonda, arrenda-se por commodo preco :
trata-se na rna Primeiro de Marco n. 17, primeiro
andar Alnga-ae tambera a casa da ra do Prin-
cipe n. 4, no mesmo escriptorio.
P.r 40 000
Aluga-se o 1 andar do sobrado n 45 da rna
estreita do Rosario, com bons commodos para fa-
milia, mnito fresco, est pintado de novo, boa es-
cada, quintal e quarto para criado ; a tratar na
ra Duque de Caxias n. 85, loja.
Ao commercio
Jos Joaqnim Pereira da Luz, tendo da segnir
para Poitugal em 14 do corrente, declara nada
dever a peeso algnma nesta prsca, e se porm
algaem se julgar credor do mesmo, aprsente seus
ttulos, que depoia de conferidos sero pagos at o
da 12 do corrente. Aproveita a opportuoidade
para agradecer a boa confianca que esta praca
oii' dispensen, assim cerno ais meas bons amigos
e fregutzes'________________
Para pequea familia
Alngi-ae por t *0O o soto do 1 andar ti. 63
da ra do Visconde de Itaparica, antiga do Apol-
lo. No mesmo precisa-se de um menino para tazer
compras, di-se roupa e b m ordenado-
Cocheira Norle-Pernambucana
Com este titulo acaba de se fundar na cidade de
G ynna, um grande estabelecimento de carros
de alugael, pertencente a firma social Aranha,
Ucha & C-, que se prpe servir ao publico com
a maior regularidade, presteza e por precos m-
dica.
D'ora em diante partirSo todas as quintas-feiras
do Ooyanna, s 6 horas da marihi c 88 3 Ha tarde
para Olinda, e de Olioaa para Goyanna aos sab-
bados, a 6 boras da tarde, e aos domingos s 7
hjras da manha. Os carro* n2o admittirSo nu-
mero de passageiros superior a sua lotaco.
O preco de cada viagem de ida e vulta ser
12*000.
Viagem de ida on volts somente, ser 6*000.
O passageiro tera direito a aesento reservado,
pagando mt\ia 2* 00
Espera a empresa que nao Ih Paitar o tuxilio
do publico, com especialidade do commercio de
Gi.ynna, auxilio que promover retribuir, eafor-
(ando-se para que o servico se faca c?m a maior
regularidade possivel.
Logo qne o ti rapo e aa estradas mtlhorarem,
sera reduaido o preco d pasB^g-ns
Pala para a lugar
Aloga-se a sala do 1' andar do sobrado da rna
do Marqu-x de Olinda n. 02, a qual fresca, cla-
ra e est limpa ; a tratat no armasem do mesoso
obrado.
SEMOLIM
De Brons & C, de Glasgow
Este artigo, preparado por um novo proceseo
de trigo da melbor qualidade, possue os eletneu-
toB neceaaarios para nutricio de criancas e d en-
tes, e muito ae recommenda *por ser de fcil di-
gesto e gosto muito agra-iavel ; tambrm p'.de-ae
tazer urna excedente papa, misturado em partes
igaaes cjm a maizena dos mismos fabricantes,
addicionando-se-lhe algum leite. nicos agentes
nesta praca, Saunders Brothers & C, lo/go do
Corpo Santo n. 11, primeiro andar.
Chegc u a primeira remessa do precioso farello
de caroco de algodao, o mais barato de todos os
alimentos para animaes de rafa cavallar, vaceum
suino, etc. O careco de algodo depoia de ex-
trahida a casca e todo o oleo, o mais rico ali-
mento que se pode dar aos animaes para os forta-
lecer e engordar com admiravel rapidez.
Nos Estados-Unidos da America do Norte e na
Inglaterra elle empiegado (com o mais feliz re-
sultado) de preferencia ao milho e outros farellos
que eao muito mais caro e nao sao de tanta sus-
tancia.
A tratar no Recito com Frganorha
Antonio Duarle
Criado c cosinheira
Precisa-se de criado e cosinh ira ; a tratar no
terceiro aa Jar, por cima da typographia deste
Diario.
VENDAS
recebeu directamente do Porto vinho verde, dito
do D-iuro, salpicoes de fumeiro, ditos em calda, e
vende por preco mdico em seu estabelecimento,
ra da Unio n. 54, confronte a estaco.
IGUAH4SSU'
Francisco Xavier Paes
Bar reto
Advogado
(Encarrega se d cobranzas, mediante
ajuste muito razoavel.
ft
^fc
Modista Franceza
Mme. Fanny Silva de volta de sua via-
gem a Europa, scientifca as Exmas. fa-
milias e as suas freguezas, que reabri o
sea atelier de modas e costuras a ra do
Barao da Victoria n. 15, 1.a andar. Par-
tipa tambem que trouze de Paria completo
sortimento de artigos de modas, e novida-
des, etamines, moscovites, corsades plas-
trars, guarns8e3 de vidrilho e seda, etc.
Espera quo as suas antigs freguezas con-
tinen a dispensar-lbe sua generosa pro-
tecjSo e pede as mesmas visitar seu ate-
lier, onie encontrarlo tambem um lindo
sortimento de chapeos. (Alta novidade de
Paris.)
15-RA BARAO DA VICTORIA15
1. andar
V'nde- se a casa da ra da C'jaceicao do
povoado da Torre n. 2. com um terreno ae cento e
tantos pilmos de frente e 300 ditoe de fundo, ten-
da diversas arvores fructferas, eacimbi e bomba ;
a tratar na mema. __________
Vendi:-s o sobrado dd d ua andares e sotas,
em bom estado, s_ chao projirio, i ra de Aguas
Verdes n. 22 ; a tratar com o leiloeiro Martina.
Para acabar
Os segnintes artigos:
MadapolSo am< ricano com um metro de largura,
de 13* por 6*500.
Fustoea braacos de 500 rs a 240 rs.
Setinetaa de quadrinbos de 500 rs., a 240 rs.
Luvas de linho de 800 rs., a 320.
Cretones americanos, superior qualidade, de 400
rs., a 240.
Casemira telpou para vestido, de 800 rs., a 240.
Cambraia victuria, de 4*500, a 2*5(10 a pe$a.
Cortes de cambraia branca, bordados e de co-
res, com um peqneno toque de mofo, de 8*000, a
a 4*500 e 5* 00.
Atoalhados, bonitos desenhos, com pequeo to-
que de mofo, de *000, a U200.
Guardanapos de 4*, a 2*000.
Lint n de todas as cores, de 640 rs., a 210.
Toile de Vichy de 5'JO rs., a 210.
Meias inglezas para senbora de 12* por 6*.
Toalhas scolchoadas, de 3*500 por 2*200.
Merinos de todas as cores, de 1J200 por 5i0.
Lene.a com barra de lr, de 2* por 1*200
duzia.
Nanzuks lisos de 280 rs., a 160.
Leques de setim de 800 rs. e I*.
E muitos outros artigos que deixam se de men-
cionar, aaaim como retalhos de diveraas qualida-
des de fazei.da.
56Loja das estrellas56
Raa Hque de Casias
Telepbone210.
m
Quem quizer alugar a casa n. 8 ra da Uniao
com muitas ,accommodacdes, poder i entender-se
com os Srs. Negreiroa ra do Imperador n. 24.
Scmentes de carrapalo
Compram le pequeas quantidadea ; na droga-
ra de Francisco M. da Silva 4 C, ra do Mr-
quez de Olinda n. 23.
Lavadeira de brrela
Precisa -se de nma lavadeira de brrela, que
d cenheeimento, para lavar para casa de fami-
lia ; na ra Angosta n. 274.__________________
Hotel Dnas \afoc, em Gara-
nbuns
Ferreia Monteiro & C. dispondo de nm pessoal
habilitado em tndo que diz respeito arte culina-
ria, convidara aos seus numeropes amigos e fie-
guezes urna visita ao seu estabelecimento. Sin-
ceridade e modicidade absoluta em preco o
noaso programma.
Hospedaria mediante previo ajusto
A*ruado Imperador.
Caixeiro
Precisa-se de um menino ; na ra da Palma
numero 37.
Sitio
Aluga-se o sitio n. 22 no Chacn, em que mo-
rou o Sr. engenheiro Makentosh e ltimamente o
Sr. Loror, com muito boas commodos, caiado e
pintado, jardim e muitos arvoredos fructferos, pas-
sando o sitio do Sr. coronel Bno ; a tratar na ra
Pedro Affonso n. 23.
P; ra passa a Testa
Alaga-se ama czcellente casa com agua e gaz,
com bastantes commodos para familia, na travessa
da rna de S. Bento n. 4, ou largo de S. Pedro no-
vo em Olinda : a tratar na ra do Commercio n
26 A, Recite.
Madenioiselie (otinba
Ra do Imperador n. 55, segando andar.
Modista
Bandos salgados
Aluga-se urna casa em Olinda, no pateo de S.
Pedro, com agua c gas encanados ; trata-se com
o thesoureiro da Recebedoria Provincial.
EXPOSiriON j, UHIVUe 1878
Medaille d 0rl^CCroixdeCbevalier
US PLUS HAUTS RtCOMPENStS
OLEO .* QUINA
E. COUDRAY
ESPECIALMENTE PBE PARADO PABM FORMOSUR 00CABELLO
Recommeadamos e-te producto,
considerado pelas celebridades medicas,
pelos seos principios de quina,
como o mais poderoso regenerador que se conbece.
Artigos Recommendados
perfumara de lagteina
ImiMliiliiili pe Celesridades aJicas
GOTAS CONCENTRADAS para o lenco.
AGUA DIVINA dita agua de saude.
ESTES ARTIGOS ACHAM-SE NA FABRICA
pars 13, rae d'Eighiei, 13 pars
Depsitos en todas as Perfumaras, Pharmacias
e Cabellereiros da America.
20$O88
Alagase a casa terrea a ra de 8. Francisco
n 27, est limpa, no becco das Carvalhas n. 1.
Alaga se n sitio da estrada de JoSo de Barros
n 27, cum bom obrado, tend* agna e gaa> enca-
nados ; trata-te na loja Annel de Ouro.
Sitio para alugar
O litio n. 9 da estrada do Rosarinho, com boa
casa para familia, bastantes commodos, boa asna
e pasto para gado, por preco c< mmodo ; a tratar
om Frederico Chavea, no pateo de Pedro II n.
75, 1- andar, on na estrada dos Aflictos n. 17.
i!,-Rna do Baro da Victoria16
Dami3o Lima & C. chamaco a attsncjto
das Exmas. familias para seus presos :
Pecas de biecs de cores a 3/500.
Ditas de ditos brancos a 2500.
Ditas de ditcs a 1/500,1/8U0 e 2/000.
Botoes de madreperola finos a 'k320, 400, 603 o
800 ris.
Bolsas para meninos, de 1/500 a 5/000.
La para bordar a 2/800.
Dita meselada a 3/800.
Meias para senhora a 320, 4C0, 600 e 800 ris.
Baleias a 320 ris.
Arquinhos a 120, 160 e 200 ris.
Lencos de teda a i/000.
Fitas modernas a 5i 0, 600 o 1/000.
Paaaarinhoa de ceda a 500 ris.
Apparelhos para crianca a 1/200 e i/509.
Ditos de metal a 1/500 e 2/000.
Finos chapeusinhos a 5/.
Sapatinhos de setim a 3/ e 4/000.
Modernos espartilhos a 6/000.
Bonitos collarinhoa a 500 ris.
Punhos todos os nmeros a 900 e 1/000.
Touquinhas a 2/000.
Leqnes transparentes a 2/500
Ditos de eda a 5/000.
Ditos desetintta 1/500.
Ditos de papel a 400, 500, 600 e 800 ris.
Canas com 3 sanetes a 500 ris.
Urna barra de sabo a 700, 900 e 1/200.
Lu\8s detdaa 2/500. .
j Bunitos jarroa a 5/, 10/ e 15/000.
Invisiveis grandes a 320 ris.
L abas 200 jardas a 80 ris.
i (> -Roa do Moda Victoria16
Papel para inipressSo
Vende-ee papel para iropressao, do formato Dia-
rio e Jornal do K-'cife ; na ra do Marques de
Olinda n. 31.
Falla de carnauba
Vende se em grosso e a retalbo ; na rus de
Hortas n. 41, e na rna da BeteocSi n. 9,
FTTOBIDi
Basa Duque de Casia* n. 143
Grande sorlitrento de objectoa para pre-
sentes, sendo: carteiras, porta joias, l-
bum de madreperola para baile, idem da
marfim, estojos para agulbas, lapiseiras*,
broches de madreperola, idem de marfim
desenbando em alto relevo flores e um mo-
lbo de trigo.
Casacos bordados para senboras a 54000.
Leques transparentes pretos e de cores a
24000 e 20500.
dem de setineta a 10500 e 20000, uto.
dem de papel a 500 e 800 rs., um.
Agua Florida verdadeira em guarrafi-
nbas a 500 rs., urna.
Contas lapidadas pretas e de cores.
Missaogas pretos e de cores.
Lindo sortimento de fitas e bicos bran-
cos e de edres.
Grande sortimento em botSes de ma-
dreperola o phantasia.
Luvas de pellica a 20500 o par.
dem He seda a 20000, 20500 e 30000.
Capellas, veos e ramos para noivas.
Suspensorios americanos a 20500.
Linha para machina "a 800 rs. a duzia.
Meias de cores, escocia, para senhorat
a 10500 i par.
Caixas de jogo para salSo a 50000.
Sabonetes a 120 200 e 500 rs.
Bol ya s de couro, de chagrn, de pdlucia
e de pellica para senhoras e meninas.
Espartilhos a 30000, um.
Lindas pastas de couro, chagrn e pe!
lucia a 500, 10000, 20000, 30000 e 50000.
Carteiras para sedulas com os reparti-
mentos de 100000 a 1000000.
dem para letras com os repartimento
dos mez'-s de Ji-neiro a DeZembro.
Estrados corylopsis do Japao, nexis d
JapSo, B.uquet de exposico, Tlieodora,
Rita fcargally, Porte Veine, Ixora Brione,
Roger, Gxllet, Biiza da Serra, Paris-Bou-
quet, E&tracto Dodeur, etc.
Luvas de seda bordada com missangas.
dem bordadas com vidrilho dourado,
bronzeado e granad.
Ideas com palmas da mesma seda.
dem arrendadas a xadrez.
Anquinhas a 10JOO, 10500 e 20000
urna.
103-RA DUQUE DE CAXIAS105
Vende-se ama mobilia ; na roa da Florentina
numero 2. ________^^______________^^___
tteOIBTl
no mu. _
P*** 'iLERY Vende-sMitossisrt
Piano
Veads-se tm eicelleote piano do afamado autor
A. Bord, grande formato, com 3 cordas, 7 octavas
e excetleiitrs vosee, tendo o sopo foliado com me-
tal, obra btm acabada e est comonovo; vende.
se em conts, as (-cias depiano de Carlos C.
Trease, ra da Imperatris .



I




Diario de PernainbncoTcrfa-feira 13 de Sctcmbro de 1887
7
AS PEROLAS
U'\
5
Quinina do Dr Clertan
Approbaco da Academia de Medicina de Pariz
Contem dez centigrammas dois graos) de Quinina pura
E' ndispensavel exigir a Firma :
FABRICA
Casa L. FRERE, 19, ra Jacob, PARIZ
De urna grande parte de fazendas existentes na acreditada casa ra Duque
de Caxias n. 59: apresontaroos em seguida uma lista de alguna artigos que realmente
sSo baratissiraos.
Espknlido sortimento ^de cachemiras para vestidos, de 400 rs. a 10OOO o
covado.
Merinos de cores a 600 e 800 rs., duas larguras 1
dem pretos desde 800 rs. a 20500 o covado 1
Setinetas lindissimas a 280 rs. o dito!
Riscadinhos para vestidos, coren lindas, a 160 e 200 rs. o dito !
Cretones claros, superiores, a 240 e 280 rs. o dito !
Damascos de 13, duas larguras, proprios para capa de piano a 2#000 o dito I
Camisas inglezas, branca, a 365000 a duzia !
dem de cretones finos a 240000 a dita I
Ceroulas de bramante, bordadas a 120000 e 140000 a dita !
Meias superiores a 20800 o 30800 a dita !
Camhraia Victoria com 10 jardas a 30000 a peca!
M .dapolao pelle de ovo, 24 jardas, a 60500 a dita 1
Dito americano, supericr, a 50800 a dita I
Bramantes de linbo puro, 4 larguras, a 20000 o metro !
dem de algodao superior a 800 rs. o 10200 o dito 1
Cortes de casemiras e meia-casemiras a 20500, 30000, 50000 e 60000
Casemiras diagonal para roupas de enancas a 800 rs. 1
dem de duas larguras a 10800, 20000, 20200 e 30200 o covado !
Brios de cSres e pardos para todos os precos.
Guarnieres crochets para cadeiras e sof a 800001
Cortinados de bordados a 70000 o par !
Col has e cobertores a 20000, 20500 e 30000 1
Sortimento de fiobs, luvas, loques, enxovaes para Exmas noivas.
Deposito de fazendas e as vendas cm grosso damos descont da praja.
QleodeFigadodeBacalhau
do I>r XJOOTJX
lodo-Ferruginoso de Quina e Casca de Laranja amarga
-----------' --------------
liste medicamento fcil de tomar, nao provoca n.tuseas,
e de cheiro agndavei. Pela sua composicao, possue todas as
qualidades que lhe pjmittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a D1ATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua accao multplice e
I segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
I | DEPOSITO CJETtAJJ =
PARS, 209, ra Saint-Dems, 209, PARS
} WMIII EM TODAS AS PIUSCIPAES PHAHMACIA8 DO UNIVERSO
DESCONFIAR DAS FALSIFICAQOES E IMIXACOES
SdCCESSORKS DE,
CARNEIRO DA CUNHA & C.
59--Rua Duque de Caxias--S9
ELIXIR DESOBSTRUENTE
Eupeptico de Gervo
Preparado pelo pharmaceiitico
JOS' FRANCISCO BITTENCOURT
O Gervao tem urna aceito desobstruye extraordinaria para os incommodos
do figaJo, bsco e estomago, conforme o deserove Dr. Mello Moraes.
Um grande numero de pesso.is qua tem usado dee considera-o infallivel.
Levados por estas inform8c3:s c por muitas experiencias presenciadas por
nos mesmos spresentamos aos clnicos e no publico em geral, um Elixir desta planta
de un sabor delicioso e da un eF^ito verdadeiramente benfico para os pobres despep-
ticos, spleneticos e aquelles que soffram do figado.
Os proprii larios da Plia-roacia Ceutral
DSPDSITD 1TA PHARMACIA CENTRAL
N. 38 Ra do Imperador -N. 38
I'ERNAMBITO
PILUL AS
FILMS ** #*<<* &** ^"co oti-Catmbal <> JJr BUILLI
GAGE
GUSLLI
PAUL
Phu*"d Velase, D'rtn Medicina de la Facnltvta de Para
RICO PROPIUETARIO D'ESTE EDICiMEHTO
PARS, 8, ra de Brtnelle-StQermtln, PARS
Febret
Epidmica
Flaxes do Hito
molestia
da Mulheres
e tas Crlanct
Khxo de am pequeo volunte u propne-
Bd'sloni-rur^siM- !.'Elixir Gullll, oqnl remedio con herido.
fc mais de !r _ rurgaate Depurativo.
DESCONFIAR as FitSlFlCiCES, exigir ai LIGITIHiS PILCLS 6ILLIF ireparada ptr PAOl GiE.
llepositiiios em Pertiaih'wco : FRAN M. da SILVA e G\

FUNDICO DE FERRO
CARDUZO IRMAO
Ra do Bara do Triumpno lis. 100 a 104
Deposito a na do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem sempre em deposito todos os machinismos e ferragens precisas agricul-
tura desta provincia, como sejam : vapores locomoveis, semi fixos, com caldeira
efaornis ou para fogo de assentamento, moendas de todns os tamanhos, tachas batidas
e fundidas, etc.
Mandam vir por encommenda qualquer macbinismo, encarregam-se de sental-os
se respnaabilisam pelo bom trabalbo do mesmo.
Vendem a prazo ou a dinheiro com descont e a precos resumidos.
INJECTION CADET
Cura certa em 3 das sem outro medicamento
fJHH 7, H*U**mr4
V -VAHM*
Jim 1I.IFSE I
Ra 1" de Marco n. 6.
Paati ipam ao respeitavel publico que, tendo augmentado sen
estabeloeimento de JOIAS com mais uma seccSo, no pavimento terreo,
com especialidades em artigos de ELECTRO-PLATE, convidam as
Exmas. familias e seus numerosos freguezes para visitar seu estabele
cimento, onde en< ontraro um riquissimo sortimento de oas de ou -i
prata, perolas. brilhantes e outras pedras preciosas, e relogios de uro,
prata e nikel.
Os artiges que recebem directamente por todos os vapor sSo
executados pelos mais afamados especialistas o fabricantes da Europa e
Estados-Unidos.
A par das joias de subido valor acbarSo uma grande vriedade
Je objectoB de ouro, prata e electro pate, proprios para presentes de
pasamentos, baptisados e aniversarios.
Nem em reanlo ao preco, e nem qaalidade, os objectos cima
mencionados, encontrarlo concurrencia n'esta praca.
A LA REINE DES FLEUHS
Raraaltietes Hoyos
L. T. PIVERjm PARS
Mascotte
PERFUME POBTE-BONHETTR
Extracto de Corylopsis do Japo|
PERFUMES EXQUISITOS :
Bonquet Zamora ^ Anona da Bengala
_ Cydonia de Chine
Stephania d Australia
Helfotrope bl^no Gardenia
Boutjaet de l'Amiuc White Rose cf KezanLk Poly.Ior oriental|
Erise de Klce Bonquet ce Reino des Prs, etc.
ESSENCIAS CONCENTRADAS i'V*V) QUAL1DADE EXTRA
J ?ito nai principas feriamarias, Pharmacias e Lal>auviiros u" '
Gotta, Rheumatismo, Dores
Soluqo do Doutor Clin
Laureado da Faculdadi de Medicina de Pars. Premio Montyon.
\
AVerdadelra Solu^So CLIN ao Salicylato de Soda emprega-se para curar:
As Affecgoes Rheumatismaes agudas e chronicas, o Rheumatismo gottoso,
as Dores articulares e Musculares, e todas as vezes que necessarlo calmar os
soffrimentos occasionados por estas molestias.
A Verdadeira Soluc&o CLIN o melhor remedio contra o Rheumatismo,
a Gotta e as Dores.
Kij Urna explicago detalhada aoompanha cada frasco.
Exigir o Verdadeira SoIuqSo de CLIN b Cie, de PARS, que 3e eneontra em
__________casa dos Droguistas e Pharmaceuticos.

Sem competencia
Yenda de sitio
VeaJe-ee oa permtate por predio nesta cida-
de um bom sitio com boa cata, muitas fructeint
exccllente baDho do rio, boa agua de cacimba',
i'ztenaSo de terreno para baixa de capim, to 'o
murado na frente, com ortJo e gradeamento, com
camioho ie ferro e eitacSo junto ao dito sitio, no
Porto da Madra, c uhccldo pelo sitio do Joio
Selleiro, junto ao Dr. Erne-to de Aquiao Ponse-
ca : quem prct uder dirija-ae praca da Inde-
pendencia n. 40, das 11 horas s 4 da tarde.
Fio de mlKoJtlo da fubrlea Catiiina
rt naira. da Babia
Vendem Mitcbado Se. Pereira, ra do Impe-
rador n. 57, por commodo preco.
Para rata
Uma mobilia completamentu nova, de uma fa-
milia eatrangeira que se retira no pnmeiro vapor
pra Europa ; na ra do Marques de Olinda n.
59, 1- andar.
Co:faacao lo Norte
Diariamente debate-se na imprensa
Attencao
2(X)0 a arroba : na padaria da travessa do
P.'mbil n. 1, pertencente a Pnreira 6c Pinto.
Telephone296.
Barato
estrangoi- de
quem pretender dirij i-sa ra das Fiares n. 18.
4 llevolucao
43-Ruaflo Daaae fle Caxias~48
Recebe as seguintes fazendas de novida-
Popelinas de seda de listras a 500 rs. o covado 1
Toalhas alcochoadas a 3|$5O0 a duzia I
Tecidos transparentes para soire a 500 rs. o covado.
ntremelos tapados e transparentes Ti 500 rs. a peca.
FuBtoes brancos, mu finos e largos, a 700_rs. o covado!
Len^s abainbados a 2^000 a duzia I
Cretones finos a 300 e 360 rs. o covado 1
Setins largos a 10200 o covado 1
L-ques transparentes a 2A500, um I
Bicos de cores, oom 6 jardas, a 25000 a peca 1
L3s de quadrinbos a 300 rs. o covado !
Atoalhado de linbo adamascado a 3#000 a vara I
Vegiidos de cretones, em carto, a 8^000 e 10^000, um I
Gravatas pretas de gorgorSo e de setim a 500 e a 600 rs., uma !
Camisas de meia, alvas o mui finas, a 1^000, uma !
^gua Florida a 600 rs. a garrafa 1
Brim pardo a 320 rs. o covado 1
Zephyro de una s cor a 300 rs. o covado I
Guardanapos de linbo com barra de cor a 4J500 a duzia !
Colchas de gorgoarao de 13 para noiva a 28;$000, uma.
Cobertores de ll a 3)5500, um, bem larges !
Sotinetas estampadas a 400 e 5C0 rs. o cavado 1
Algodo trancado de duas larguras a 10000 o metro I e muitos outros artigos
que convm aproveitar a quadra
4 Roa 1. de Marco n. 20 4 (esquina)
Vende se especial farinha de milhu e de arros,
criae feita vapor, e preparada pura bolo, cangica,
aterradora porque esto pastando as pravincia cuscus o outras diversas especies de comedorias,
do norte deste imperio ; sj innmeros os recia- j que aecessitein destes mesmos gneros, sendo a
mes de todas as clasaes, sem que sejam attendidos 240 rs. o kilo da de miiho e a de arroz a 320 rs.,
os seus justos pedidos, de que se gloriam as na- assim como farinba para tender o pao cerveja a
coes civilisadaa.
E para que se possa dar impulsos aos desejados
progresos que certamente traro o bem estar de
todos, resolveram Martina Pires 6c C. eatabele-
cid(S com armazem de molhados roa Ea-
treita do Bos :rio ns. 1 e 2, a vender por precos
mdicos ca artigos concernentea ao seu ramo
de negocio, que certamente cnnstitne uma eco- Vende-se uma casa de taipa, coberta de telha,
nomia diaria e onde su acha nm completo sor- na ra da Palha, freguezia do Pojo da Panella,
timento dos seguintes artigos, que pela sua qaa- esta edificada eu terreno proprio, o qual tem 47
lidade e precos sao recommendaveis, oomo e- palmos de frente e 150 do fundo, e com cacimba:
jam :
Vinhos finos do Porto
Madeira
Sherry
Cbamberin
Bordea uz
Moscatel
Collares e Bucalaa.
_ C impleto sortimento de cervejas, cognac, bitter
licores, doces, bolacbinhas nacionaes e eatrangoi-
ras.
Queijos frescos do serto, prato, Minas e fla-
mengo.
Azeite de coco, mate do Paran, formicido ca-
panema.
Precos sem competencia.
Ns. 1 e 2Ra Estreita do KosariaNs. 1 e 2
Martins Pires & C.
WHISKY
ROYAL BLEND marca VIADO
Este expeliente Whisky Escossez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de oanna,
para fortificar o corpo
Vende se a retalbo nos molhores arma-
zens de molhados.
Pede ROYAL BLEND marca VIADO
cojo nome e emblema sSo registrados para
todo o Brasil.
BROWNS & C, agentes.________
Liyramento & C.
vendem cimento port'and, Jmarca Bobina, de 1
qualidade ; no caes do Apollo n. 45.
Sitio no Arraia
Vende-se a casa terrea com 7 quartcs, 3 salas,
casinba, quarto com banbo de cnuvisco, depen-
dencias para criados, cacimba com muito boa
agua e bomba, um lindo jardim, passa um riach i
pelo centro do sitio, tendo uma pequea ponte
com bancos para recreio, arvores fructferas, es-
queiros, laranjeiras, sapotiseiroe, mangueiras, ja-
queiraa e outras diversas, ra da Harmona,
dividindo com o sitio do Sr. Baduem : a tratar
I com o Sr. Domingos Gomes Correia, na casa ama-
relia, ou na ra da Paz n. 42.
i
Vinhos da (an&feira
Finos
Carcvolloe.
Madeira.
Moscatel.
Uva Bastarda e de Passas.
PABA MESA
Genuino do Lavradio a 500 rs. agarrafa.
Na mercearia de Manoel Correia & C.
Praca do Conde d'Ra a. IB
COLLARES fiOYER
Electro- Haarnat
INM "CdMra mi*iii it aeht" Matra a
OONWZ.BE8
i fui tittuiu k nuil iii tiifis
Os COLLARES ltr*Ca,atbMMlo ha mais
Je 2B anaoa, lo oa ualcot que pwaer '*o
realmente u creaacu^at 0ONVUL8QIES
ajutm ao mmi Umpo tUmn/tu-
Para vitar ai Ti>telfinnlii lsd!> eama-m tu*
afiKARw?*
Lotera da Provincia
Acha se vciida a 10.a lotera a bene-
ficio daS. Casa de Misericordia do Recife, que
ter I ligar no consistorio da igrej i de Nossa
Senhora da Concei^ao dos Militares, onde
estaro expostas as espheras em ordeni nu-
mrica, para serem examinadas.
Terreno
Vende-se nm terreno confronte a estsefio do
Principe, estrada de Joo de Batros, com 90 pal-
mos de frente e bastantes fondos, e cm alicorees
para 3 casas; tratar na roa d'Apollo n. 30, pri
airo andar.
Carros osados venda
Vende-se victorias e carros fecb dos ffim boa
estado ; a tratar na taverna de Vieira ft Silva,
sita k roa de S. Francisco, esquina da roa da
Florentina.
Taverna
Vende-se uma taverna propria para principian-
te por ter poucos fundos, na ra dn CapitJi An-
tonio Lima n. 68 : a tratar na meatna.
Cachemira de listrinha a 600 is o co-
vado.
dem broche borda a 1,$500 o dito.
dem pretas 700,800, 10000, 10200,
1^400, 1^600 e 2,JO0O o dito.
dem de todas as cores a 800, 1J000 e
10200 o dito.
Ricas guarnieres de veladilho a 60000
ama.
Setins lisos a 800, 10000 e 10200 o co-
vado.
Seda escosseza a 640 rs. o covado.
Lindos metins com listrinhas a 400 res
o dito.
Faile com palminhas a 400 rs. o dito.
Setinetas escossezas a 320 rs. o dito.
Ditas com listrinhas e palminhas a 320
o dito.
Lionay-se com palminhas de retroz a
140000 peca.
Organdir bordado a seda a 150000 a
dita
Etamine tecido transparente a 100000
a dita.
Cambraia bordada a 50000 50500 e 60
a dita.
FastSes branco a 360, 400, 440. 500,
600 e 640 rs. o covado.
Lindas alpacas de cores a 320 o covado
Sintos de cbagrem a 10500 um.
Camisas inglezas a 360005 a duzia
Colarinhos e punbos para senhora-
Sabidas de baile 30500 urna.
Fechus do la a 20, 20500 30 e a 80000
nm.
GaarnicSes de crochet a 80 e 100000
ima.
Lengoe de esguiSo a 203CO e 30500
duzia.
Grande sortimento de madapolaode 40
a 100000 a peca
Leques de papel 500 rs. um.
Cortes de cachemira para vestido a 200
um.
Toilet para baptisado a 90000 e 140000
um.
Veludilhos lisos, lavrados e bordados a
retroz a'10000 e 10800 o covado.
Anquinhas a 14800 uma
Colchas bordadas a 50, 60000 e 70900
ama.
Coberas com dous pannos a 20800 ama.
Grande sortimento de casemiras, brins
brancoss e de cores, punhos, colarinhos,
gravatas, meias e lengos e artigos para
hornern e senhora.
S na loja da Revoluto
Ilenrique da Silva Morera
Vende-se
um boin cabriolet, a tratar na cochelra de Jote da
8ilva Montes, ra de Santo Amaro u. 3, esquina
da ra da Soda.
P.T!P>T.p,
^feifefe
rilllICH CENTRAL
,rS)
Perfumara- Oriza
L. LEGRAND, PARS, ra Saint-Honor6, 207
ESS.-ORIZA SOLIDIFICADA
PERFUMES CONCRETOS
mVENCXOSCIENTil-ICA COM DIPLOMA DE INVKNIJaO EM FBANfA E NO ESTRANOBIRO
Os Perfumes aolldoa da Ess.-Oriza
Prqmioi y*r aeio it u prtctiu MfO, rtutm im fru di eonceotracao t saavidadi ate eolio dsconnecid
Sao encerrados, debaixo da forma de IjP* ou Pantilluis, dentro de frasquinhos u
vidrinhos fcis de levar comsigo. Esses LApia-Perf untes nao se evaprao e pdem ter
substituidos por outros, guando estiverem gastados.
Ten a enorme vantsgem de communicar o cheiro aos objeotos pdstos em contacto com elles,
sem os molhar e sem os estragar. BASTA ESFREGAA LEVEMENTE PARA PERFUMAR INSTANTNEAMENTE
v*
*s/
&

0
e toda e Qnialcruer Eoupa Branca, Papel, etc., eto.
DEPSITOS km tooas as PRINCIPA Utndi-se i quem o ptdir. Franco de Porte
fRRKUMARJAS DO MUNDO o Cttalogo dot Ptrfum.,, com oa prtcol.
38Ra do Imperador38
Nesta gn nde pharmacia avia-se receitas e pedidos com promptidao,
solicilude o modiciJade.
As prescrpf5es en linpas estrangeras sao fielmente
despajadas
O pharroace utico pernambucano JOS FRANCISCO BETTENCOURT
convida os clioieos desta cidade que queiram hnralo com sua confianca
para qualquer trabalbo profUsional e ao publico. Garante se a mais atten-
ciosa e consieneiosa execncto.
Esta casa recebe sens productos cbimicos e drogas directamente
das melhoreB casas da Europa, especialmente encommendadas para sem
receituario.
ESPEOALDADE
larop di liiM, Guaco i Balsn o Tolo
Preparado pelo pharmaceuo JOS FRANCISCO BETTENCOURT, ^
de uma efficacia verdadeiramente maravilhosa as molestias dos orgSos ^
re8pir Bronchiles, asthma tosse. eenvolsa, etc.
Essencia depurativa. Formula do distincto clnico Dr. Ramos.
Depurativo por exiellencia para todas as molestias que tem a origem
na impureza do saogue.
lilis, lartm ateas, orapnoas larpeticas, etc., etc.
;:
Tinta preta para escrevernuiteravei, fabricada oom muito cuidado
por uma formula inglesa, especial para escriptUrajSo mercantil e repartijoes
publicas, seeca de pressa, perfeitamenta preta, uSo corroe aspennas, nao
deposita e d opia.




i

r-


.






8
Diario de- PernanHinai--Tcr^a-feira 13 de Setembro de 1SS7
ASSEMBLEA GERAL


CAHIRA DO DBPITADOI
-DISCURSO PRONUNCIADO NA SES-
SAO DE 24 DE AGOSTO
O *. F. BelUarlO (ministro da
faaende) : Cornejo, Sr. presidente, pelo
ultimo ponto do discurso do nobra deputa-
do. S. Exc. nSo se ioteressa mais do que
eu pela lavoura da provincia do Rio de Ja-
neiro e d'aquMUs s quaea o Banco do
Brasil obrigado a fazer emprestiraos hy-
pothecarios, coc as vantagens estabeleoi-
das; mas qualquer que spja o meu desejo.
est elle subordinado le que teotao de
cumprir.
Fui o proprio que honteno, no Senado,
sem"que se tivesse apresentado qualquer
duvida a respeito, deolarei que, embora da
redacgSo do contrato entre o governo o o
banco resultasse claramente o direito que
tem o banco ou de completar a somma em-
prestada, o i pagar a multa...
O Sr. J. Peoido : Nao multa.
O Sr. F. Belisario : Equivale.
Augmentada a esta proporgSo em que o
Banco obrigado a recolher a sua emiesSo,
fica elle privado da vantagem gratuita da
sua circulagSo...
O Sr. Andrade Figueira ; Serao aem-
pre os mesmoB 8 /0.
(Ha rouitos apartes)
Sr. F. Belisario : Perdao, peco aos
nobres deputadoa que me aUendam. Acho
tSo grande o sacrificio do banco recolhen-
do a emissao em coraparagSo com empres
fimos novoa, que discut este ponto com a
sua administracSo.
Parecen-me que o sacrificio de 400:000o,
desde j, e augmentado todos annos, du-
rante 12 ou 13 annos, maior de que ar-
riscar se a alguns emprestimos que a ad-
ministragSo reputa aleatorioa por nao offe-
recerem base estavel. (Apartep.)
Eu disse que a redacgSo do accordo oSo
me deixava o alvitre do impor outra pena.
A exposigSo de motivos que precede o
accordo, feita pelo Visoonde do Rio Bran
oo, entao ministro da fazenda, parece ia-
d ar que essa pena, se assim me posso ex
primir, era creada somente para o case do
banco nao preencher os 2 J. 000:000)5000,
oa at que o preenchesse ; mas, urna vez
completa a somma, nao se determina outra
pena para as faltas que se deasem quando
a somma visse a ser desfalcada por meio
de prejuizos, de IquidagSea e de outras
causas. Esta hypothese de desfalque da
quantia de 2l..000:0C00, ficou bem expres-
sa, roas a pena ou omeio de coerci qu
se deu ao governo contra o banco toi
o mesmo, quer o banco nao completasse a
somma ou at completa--, quer desfalcada
depois, nao a preenobesse na quantia esti-
pulada.
Senhores, fastidioso, ooufesso, mas nao
posso deixar de 1er os rticos do ac:ordo ;
s pode haver urna intellencia.
O Sr. Andrade Figueira: L^ia desde
o art. 2.
O Sr. F. Belisario: Farei a vontade
so nobre deputado e pego toda a atteneSo
da Cmara, cont deixal-a convenida:
f Accordo celebrado entre o governo e
o Banco do Brazil para execugSo da lei
n. 2,400 de 17 de Setembro de 1873 :
Art. 2.* O fundo da C*ixa Hypothe
caria, destinada especialmente a empresti-
mos Bobre bens ruraes, nao ser menor de
25.000:000(5000, e dever ser logo preen-
cbido em moeda cerrente, ou apolices da
divida publica, retiradas da carteira com-
mercial.
1. O fundo de reserva de que tra-
ta o art. 8.* dos estatutos approvado pelo
decreto n. 4,566 de 10 de Agosto de 1870
tica limitado 30 /, do capital realizado
do banco, angmenUndo-se com 20 % res-
tantes o fundo especial da Caixa Hypo-
thecaria. .
Sempie que por motivo de prejuizos
verificados em cobrancas de titulos em li-
quidagSo, o fundo de reserva desea d'a-
quelle mximo, aupender-ae-ha o dito
augmento do fundo especial da Caixa Hy-
pothecaria at quando Be integrem os 30/0-
t j 2. Nenhuma parte do fundo de
urna das duas caigas Commercial e Hy-
pothecaria, poder ser applicada a opera-
grjea di outra, excepto para o oumprimento
de que se prescreve no presenta artigo.
t J 3. Depois de convertido em em
prestimos o fundo destinado repartigSo
hypothecaria qualquer desfalque que soflfra
essa caixa ser preenebido do mesmo modo
que se determina na primeira parte do
art. 2
t 8 4. O fundo dispooivel da Caixa
Hypothecaria que nao puder ser logo em-
pregado em emprestimos lavoura, po
dera ael-o provisoriamente em apolices da
divida publica, bilbetes do proprio banco,
ou de outro estabelecimento de crdito
real.
Est aqui como se v perfeitamente de-
finida a obrigacao para o Banco do Bra-
zil de conservar efectivamente empregado
na lavoura a quantia 25,ooo:ooo0 ; se, por
qualquer motivo esses 25,ooo:oooi5 se per-
derem, ou essa quantia for reduzida me li
ante prejuizos supervenientes, o banco de
via integral-a. Est perfeita a obrigacao o 2o e assim por diante. Da aorte que, na
vaotagem que era a de reduzir a sua
emisaao a urna proporgSo menor, de 5 [0
para 2 1(2 (, Se, porem, elle nao conser-
vase os 25,000:000(5, este favor era dimi-
nuido na proporgSo em que nao empres
Usae, paaundo de 2 1[2 a 8 [0.
O Sr. Andrade Figueha da um aparte.
O Sr. F. Belisario: -V. Exc. deacul-
pe-me; nSo comprebendo como V. Eu.
figura dous casos idnticos como falta, e
entende que s pira um a lei comminou
pena.
O Sr. Andrade Figueira :Est defini-
do no 1 art., porque entilo tratava-se de
completar urna som na V. Exc. j leu.
O Sr. F. Belisario :Da accordo, em
quanto o banco nao completasse os.....
25,000:000(5 estava sujeito essa pena.
Mas desde 1875 a somma ficou comple-
ta, nSo houve o caso da imposicao da pe-
na. Depois de completada, agora des-
falcada .
D se, pois, a segunda hypothese, iden-
tifica primeira, como resultado o com pena
idntica; est escripto e claro no contrato.
O Sr. Andrade Figueira:A lei stric-
ti-juris ; a pena para o Io e 2* anuo da
execugSo.
O Sr. F Belisario : -Para o Io, para
t pn-
alte-
dc empregar os 25.000:000(5 se o nSo
fizer...
O Sr. Andrade Figueira : Nao as-
sim.
O Sr. F. Belisario : -Pos bem, conti-
nuo a 1er :
t Art. 3. A proporgSo marcada no art.
lo 6o da lei n. 1,349 de 12 de Setem-
bro de 1866, para o resgate das notas do
banco que ainda existem em circulagSo
fica reduzida 2 li2 *[. annuaes de sua
mitiva importancia, e nao poder ser
rada at o fim do prazo da duracoao do
estabelecimento, designado no art. Io, de-
vendo dentro desse prazo acbar-ae extioc-
ta a referida circulagSo.
Se, porm, findo o Io anno, contado
do Io de Janeiro de 1S74, o banco no
tiv>;r empregado effectivamente em em-
prestimos lavoura sob as condigoes da
lei n. 2,400 de 17 de Setembro de 1873,
pelo menos 25,000:0000, a proporgSo de
2 li2 0r para o resgate das suas notas se
r elevada a 4 'j0 aobre a differenca entre
aquella somma e a proporgSo dos ditos em-
prestimos. Findo o 2 anno a mesma se-
do 4o
sobre
anno em diante de
a indicada differen-
r de 6 [0, e
8 r8, calculada
ca.
Nao ha mais nada ; o banco empregou
25,000:0000, excedeu mesa o, eroprestou
27,000:0000000...
O Sr. Andrade Figueira d um aparte.
O Sr. F. Belisario :Pois pequea
desvantagem augmentar se-lhe a propor-
cao da porcentagem em que devia reco-
lher as suas notas perdendo un goso gra-
tuito ?
O Sr. Andrade Figueira d um aparte
O Sr. Belisario :Desculpe-me V. Ex.
estes apartes ora para um lado, ora para
outro, desviam-me do assumpto, sabe que
nSo son advogado...
OSr. Andrade Figueira :-Eu tenho
muita honra de ser.
O Sr. F. Belisario. .. a tanto gosto do
direito, como nao gosto da advocacia ; ve-
jo ns ooasaa como ae me afogarare, clara-
mente ...
O Sr. Andrade Figueira : E os advo-
gados tambara goatam de ver as cousas
claramente ; a bonra da classe.
O Sr. Aran jo Ges da um aparte.
O Sr. F. Belisario :Encaro os assum
ptos naturalmente... Emfim, nSo possuo
nem aprecio os recursos forenses.
O Sr. Ratisbona :-Somente os advo-
gados nao tm culpa na culpa.
O Sr. Belisario : -Voltamos ao assamp
to. O governo obrigoa o banco do Brazil
a emprestar a quantia de 25,000:0000000
lavoura, ao juro de 6 "[, quando o juro
na praca sempre superior. Dau lhe urna
FOLHETIM
VICTIMAS E ALGOZES
POR
EMILIO DE KICHEBOURG
o.
PROLOGO
:.:aldi3Aq
/Continuas 3 o do n. 2 0 7)
VII
Havia tanta ingenuidade e candura as
palavras do garoto, que ella tomou inte-
resse por elle ; commoveu se sabendo que
elle nunca tinba conhecido sen pai e que
tinha apenas dous annos quando perdeu a
mai, que era italiana. Tinha sido reco-
bido por pessoas cariosas, de quera fallou
cm as lagrimas nos olhos.
A moga deu-lbe algum dinheiro. Paolo
rgradeceu-lhe com expressao de profundo
reconhecimento.
Voltou no dia s^gainte, e depois muitas
vezes.
A sympathia de Gabriella tinba augmen-
tado pelo pobre abandonado, que sabia
dar um encanto extraordinaria a tu lo
qnanto contava da sua infancia. Passava
cora extrema facilidade da gravidade para
a alegra, diverta a menina com as sudS
brincadeiras, ia-lbe bus:-r conchinhas e
fcrvas martimas. Agradando a crianza,
captivava o coraco da mai.
E eBta perguntava a si m^soja, como po-
^Ta elevl o cima da condiflo misTavtl,
na qnal elle vegeta va.
Seria urna obra meritoria, pensava
i-ila, ajudal-o a cb'gar a ama posico em
relami com a sua grande intcllig ncia.
Nao ds8eonfiva da astueia e da perver-
sidckde que tinba j aquella ente, de ex'.e
/-ior^s tao seductores.
Como o italiano Paulo seja chamado a
r^'^r^sentar, mais tarde, um pipel muito
importante no nusso dnm. julgaroos, des
de j, conveniente fazel o conhecer boro ao
nosso leitor.
Poda ter tres annos, quando tinha sido
abandonado em Marsclhn p-los marinbei
opiniSo do nobre deputado o banco soffria
multa se nao cumprisse a obrigacao em
1874 a 1875 ; mas tendo cumprido ento,
e como a agora o nao faca, nao soffre pe-
na alguma I
O Sr. Andrade Figueira d um aparte.
O Sr. F. Belisario :Recolheu maia
380:0000. Isto questao da facto.
Asseguro ao nobre deputado que reco-
lheu certa somma no anno passado, e maior
este anno.
O Sr. Andrade Figueira d um aparte.
O Sr. F. Belisario: Permitta-me que
volte ao ponto. Fi^urarei urna hypothese
que me occorre. O jury urna obrigacao
que a lei imp3> ; se nao oompareco, sendo
sortead, o juiz applica-me a pena ou a
multa estabelecida em lei, creio que de
100 por dia em que falto ; pode impor ou-
tra pena ? Se fajo um contrato estabele-
cendo condco\'s, obrigacSes e meios de
coercSo, nao posso cogitar de outros.
O Sr. Andrade Figueira d um aparte.
O Sr. F. Belisario :Para mira claro.
Para mim, j o disse, claro que o banco
tem obrgagSo de emprestar 25,000:000!,
que esta foi a intencao do legislador ; maa
ha no artigo do accordo urna disjuntiva e
o banco pode emprestar ou nSo, sujetndo-
se a multa.
Mas, desde quo um representante da
nacao no caso do nobre deputado0 tSo en-
tendido nestes assnmptos, tSo conhecedor
ds lei que regula o banco, pois, como S.
Exo. aoabou de dizer por muito tempo
applicou essa lei na qualidade de advoga-
do do mesmo banco, vea por em duvida a
interpretacSo que dou, nao posso oppor o
meu juizo como'o melbor e farei aquillo
que se me offerece : submettere a questao
ao exame da seceso do conselho de Esta-
do. (Muito bem.)
E' nicamente o que posso dizer em
attenco duvida do nobre deputado,
mrmente, quando no senado occorreu da
vida idntica a um distincto mombro da
quella cmara. Por mais claro que noa
pireca um assumpto, nao recuso estudal-o
melbor.
O Sr. Andrade Figueira : O que digo
que essa pena nao applicavel no oaao
actual, mas sim outra.
O Sr. F. Belisario: -Entao uj ha no
chuma. O nobre deputado d como corto
nao ter sido cumprido o contrato e de ter
eu, por cons 'quencia, o direito de rom-
pe-o dando-o por findo ; mas do que se
trata justamente de saber se alea da
pena estabelecida no contrato e j impos
ta, ainda tenho o direit", como parte, de
aonullar um contrato bilateral, s por mi
nha autoridade.
I Sr. Andrade Figueira d um aparte.
O Sr. F. Belisario : Bem ; pela solu-
cao que dei fica terminada a questao. Do
contrario em replicas e treplicas nao aca-
baremos.
O Sr. Andrade Figueira : Nao fico sa-
tisfeito com a solucao.
O Sr. F. Belisario : -M nao posso
faZT mais.
OSr. Andride Figueira.- -Bem ; siato
quo n&o possa faz r mais.
O Sr. F. Belisario :Deixemos, porem,
este ponto; e j qoo estamos em questao
de lei...
O Sr. Araujo Ges : -V. Exc. provou
que ainda sabe advogar bem.
O Sr. F. Belisario : Nao, senhor;
nun:a soubo e tenho decidida repugnada
pela profissao.
O Sr. Andrade Figueira d um aparte.
O Sr. F. Belisario : Palo direito tenho
gosto, mas desagrada me o exercicio da
profissao.
O Sr. Rttisbma: -Nao parece.
O Sr. Araujo Ges : -Mas agora em-
pregou muita subtileza na argumentado.
O Sr. F. Bslisario : -At fago mal e
provo a minba siogeleza em estar fallando
nisso diante de tantjs advogados. (NSo
apoiados.)
Paasemos, Sr. presidente, a outro as-
sumpto. O nobre deputado deolarou que o
dficit do exercicio encerrado, de 1885
1886, continba um engao, que davia ser
nao de 25,000,0000, mas do 27,000:0009,
porque eu nao tinha incluido na despeza
a quantia empregada no fundo da emanci-
oroamento, mas dizia-se o fim devana
escusar a contiouacao da despza; outros
eram mdicos erapregado3 na fiacalisacan
da saude publica, objectava se logo ii-
legal a despeza, mas justificada pela lei
das leis, a salubridade da populacSo, etc.,
etc E eram despezas todas llegaos. (Apar-
tes.)
Nao porm, cortando as illegalilades,
que no fim de contas nao avultam muito,
nao meamo pela exageracao dos orea
mentos, fazendo-se aparas em todas as ver-
bas que sa ha de colher o resultado que
desi jamos de limitar e'estringir de modo
apreciavel as despezas publicas.
E' para isto que eu p?dia o concurso
de ambos os partidos ; os erros e abusos
ebegaram a tal ponto que necessario que
os dous partidos se uara no intuito de ex-
tirpados.
E' urna obra de patriotismo e da boa
administracao a que ninguem deve eximir-
se e que ordenada pelo parlamento ter
autoridade para ser executada.
Dou um exemplo ao nobre deputado:
as repartieres da guerra e marinha, ha
arsenaes espalbados por varios lugares do
Imperio, V. Exo procure extinguir um e
ver as difficuldades que apparecem Cala
qual suppoe que defende um interessa da
sua provincia, que defende a d'-scentrali
sacao, que combita este polvo de que fal-
lou o nobre deputado pelo Para a que es-
tende as antenas para todas as provincias
e que sugi o sangue das extremidades para
engrossar o'centro. (Apartes.)
Assim, Sr. presidente, este meio para
paco, tendo sido na receita a renda dosti obter um grande resultado deve serappro-
origem. Houve um equivoco do nobre de-1 vado pelos mbres deputados. Enteudo que
putado.
Na pagina 6a do rotatorio se acha tanto
a renda como a despeza, exceptuado o
fundo de emancipado que considere! sem-
pre parte.
Ahi sa diz que a renda, segundo a ta*
bella n. 1: (L)
O fundo de emaacipacao e depsitos
estao excluidos. Na despeza tambem digo
o mesmo.
Qnanto ao assumpto principal do impor-
tante discurso do nobre deputado, nao te-
nho observsjBea a fazer, porque estamos
na mesma politica, estivemos juntos na
opposicSo, e ainda boje ; anima-me o mes-
mo desejo que o nobre deputado tantas
vezes maoifesta.
Eu disse em aparte e permita o nobre
deputado que repita : o nobre deputado
planejou urna campanha co mappa, tracou
os planos, e delinoou os incidentes com a
calma e precisao do gabinete ; eu me acho
no campo, e nao posso deixar de proceder
senao attandendo s condig3js, aos aeci
dentes do terreno e a mil circumstancias
que occorrem no momento de operar.
O nobre deputado bem reconhece a dif-
ficuldade em que se acha o governo no
mesmo facto que apontou. Embera seja a
opiniSo de cada um dos membros desta
cmara pela economa, disae S. Exc.
nao falla um deputado desde o Para at o
Rio Gran le do Sul que nao seja para
pedir augmento de despeza 'Apoiados.)
O que se d nesta cmara d-ae no paiz
inteiro ; nao ha urna economa, uao ba
urna restrieco de despeza que nSo encon
tre opposicao : eu ainda nao vi nenhuma
das que o guveruu tem feito ser applaudi-
da, ao contrario vejo que aSo todas impug-
nadas aqui e na impreosa.
Referrei mesmo um facto.
ros de um navio napolitano, que tinba ido
buscar urna carregacito de fructos. -4
Tinham-o encontrado era urna ra visi-
nha do porto, chorando e dando grandes
gritos. Urna boa*, parte da gente reco-
Iheu-o provisoriamente e depois metteram o
em um asylo de orphttos.
Nunca se pode saber delle e da familii,
senao o que elle mesmo contou.
Nao tinha pai.
Um dia sua mai fi ara deitada : nao se
mecbia mais ; j nSo fallava, estava fria
e birta : metteram a dentro de urna grande
caixa e uns horaens muito feios, vestidos
de preto tinbam a levado.
Tinham-lbe ensinade a ler, a escrever e
a contar.
A sua iotelligencia extraordinaria causn
admiragao aos mestres.
Desgrajadamentc tinha instinctos de urna
natureza refractaria ao jugo.
Um da,tinha entao oito annos, fugio
da casa de refugio.
Depois, tinha levado ama vida vagabun-
da no porto.
Sobrio come t m ior parte dos seus com-
patriotas, ganhava fcilmente para ter co-
mida e casa, prestanio prquenos serviecs
aos negociantes e espitis do porto.
De urna rlxibilidade de corpo admira
vel, muito datro, ehcio de atrevimento, su-
ba as cordas como nm gato, diverta os
espectadores cora as suas partidas de acr-
bata e encantava toda geute com as suas
sabidas tiradas da diferentes Ilnguas, por-
que era dotado de urna memoria mar vi-
Ibosa.
Apropriava 3e das palavras, das phrases
que recolbi pelo contacto dos homens de
toda3 as nacionalidades.
Tinba aqnellae formas elegantes, aquella
pureza de linbas que 8 > notam em cortos
lazzaron! e que rev-lam a presenja do sau-
gue hslleuico
Era cemeducte de r .ca e, segundo a
occasio, de era atrevimento cynioo. Met-
tia m< do cora os seas instinctas, que o le-
vavam para c ra 1 e quando quera pola
ingenuidade o.ndura, provocara
sympatbias.
Bati o. olhos negros tomavam
urna expressae d uice seductora, a
oo:a tioba norrios de menino do edro e t
sua voz musical tinha tfl'xSes, que encaa-
tavam o OUvi
A irr : o como um lagarto e
actirj como urna icriiga, vagabundo pir
gosto, ningjacm :onhecia melbor do que
elle, o po os recantos da prai.i.
Era auxiliar para os con-
tratan Jia;as, que servia hr.via algum ten-
po e da queo: -". s -tv, emquanto esperj-
va tomar o vdo, em urna direcclo em que
elle nao pensava ainda.
Um dia em que elle vinha de deixar a
a casa da praia, que voltava para a cida-
de, caminhando sobra o cimo dos rocha-
dos, que se prolongara com a praia, o seu
olhar nao se afastava do mar alto, onde
procurava distinguir alguma vela perdida
na neblina longinqua.
De repente, encontrou Darassa.
Paolo, disse-lhe o marselhez, vens da
casa da praia ?
Sim, patrao.
Em que disposigSes deixaste a Sra
Fraud ?
Ha alguns diaa que anda bem triste.
Antes gostava de conversar commigo ; in-
terrogava-me sobre os meua gostos, sobre
as miabas esperangos e promettia oceupar-
se com o meu fu uro. Agora j nao; fica
calada, tem nos joelbos um livro que nao
l, ou onto, fica immovel durante longos
instantes. Oir-sa-bia que estava sonbando.
E ella nao te diz nada ?
Nada. Por maia que tenha feito pa-
ra ganhar a sua confianga, para lhe prov..r
que me bfflijo em vl-a triste, persiste em
nSo me dizer nada.
Tal vez que desconfie de ti.
NSo o creio. Entretanto, j nSo a
mesma com o seu pequeo Paolo.
Tal vez que fizesses alguma asneira.
Paolo hesitou por alguns iastantes e res-
pondeu :
Ha alguns das, estava eu borla
do mar, urna cabra coma hervas no roche-
do, comeoei a implicar com ella, depcis
veio-me a idea que figura faria ella se ca
hisse agua. mpurrei a, e como ella se
abstivesse a tornar a subir, piquei a com a
minba faca. A cabra balava com toda for-
ga. Continuei, at a oocasiSe em que ella
mergulbou ao mar, e quando ella quera
voltar para a trra, U estava eu para a
tornar empurrar.
No momento ere que extenuada, nao po
dendo mais lutar com ella ia ao fundo, ou
vi urna voz gritar por cima da minba ca
bega :
- Paolo, 880 monstruoso !
Era a Sra. Feraud, que eu nao tinha ou
vido ebegar e quo me via.
Prouurci apauhar o animal ; mas j era
muito tarde.
Ento desculpei me, mas a Sra. Fraud
voltou a cabega e quando eu quiz brincar
com a pequea, ella tirou-a a toda a pres-
ea dos meus bragos e atastou-se rpida-
mente.
E depiis ?
E' commigo fria como o gelo j nSu
me deixa brincar com a crianga.
Quando tomamos conta da administra-
gSo haviam alguns empegados irregular-
mente nomeados, e o governo teve de sup-
primir easas despezas illegaes. Entretanto,
nSo houve um e attingin lo pelo curapri-
mento restricto da lei que nSo encontrasse
da imprenaa em garal urna defeza, ou urna
attenuante para a continaagSo do emprego.
Uns, por exemplo, eram empregados da
instrucgSo publica, nSo contemplados no
o paiecer, o exame e estudo de urea com
missSo dos membros do parlamento sa im
pora s nossas delibsrago^s. E com esta,
dovoitoa fazer outra reforma nSo menos
importante, para a qual chamei a attengSo
das cmaras no meu relatoro: a refor
ma do nosso rgimen financeiro. NSo po-
demos continuar com .esta systama de fa-
zer todas as reformas, de improviso, ul-
tima hora na lei do orgameoto, de modo
que as cmaras nSo sabem positivamente
o que votam; e todo o valor e alcance do
seu voto.
No orgamento de 1883 a 1884 fez-se a
reforma de toda a instrucgSo superior, aug-
mentando-ae enormemente a despeza, por
urna emeuda do senado, lei do orgamen-
to (Apartes do Sr. Araujo Ges )
V. Exc. apoia a sappresso do arsenal
da Bahia T
O Sr. Araujo Ges:Apoio, se fr
complementar, sa se acabar com o esban-
jamsnto aqui na corte.
O Sr. F. Belisario : E' preciso notar
que ainda nSo apoiei urna s despeza escu
sada aqui nesta cidade. (Aparte do Sr.
Araujo Ges.)
J v a camira como diffi;il proceder
pjr partes, sem um systema completo que
taga calar aa rivalidades e exigencias pro
vincianas.
Quanto ao edificio da praia da Saudade
a que ae refere o nobre deputado, votei
contra todas as obras novas ; tomando, po-
rm, conta da administragSo, achei as obras
adiantadas e nSo estava naa minhas attri-
buigSes suspendel-as. Suspendi outras mu-
as na miaba repartigSo, mas easas, nSo po-
da. (Apartes.)
NSo tenho mais nada que rosponder ao
nobra deputado neste ponto, porque esta-
mos de accordo : vizamos o mesmo fim,
embora, por vezes discordemos nos meios
e sobretudo nometbolo.
O nobre deputado fez a seguate obssr-
vagSo, que eu nao devia esperar que coa
tinuasse a ser prospera a renda publica,
causa principal da dininugSo do dficit ;
tantea era pr> eiso ter em vista a queda que
houve na renda no exercicio de 18S4 a
1885.
Sr. presidente, nSo tinhamos visto nos
nossos orgamentoa um decrescimento tSo
coosideravel aa reada publio, como nessa
exerci io, o qual ch-gou a quisi......
15,000:0000. NSo de esperar qua se M-
produza.
O augmento de renda nSo somonte o
resultado do acara. E' impossivel negar
que em muito se deve ao partido conser-
vador. A coafiaoga restabeleceu se com a
stuagSo conservadora. O comraercio rean-
trou as suas condig3es normaos.
A diminuigSo de rendas nSo sa deu ni-
camente na importscao dos productos da
exterior ; a diminuigSo, como eu tive en-
sejo de verificar ; revelou-sa na renda in-
terna ; at os contratoa commerciaea de-
cresceram n^sse periodo o todos os tactoi
de entorpeciraento se patentearam.
Houvo urna certa paralysagSo geral de
negocios. A volta da confianga oomegox
com o ministerio anterior ao actual, conti-
nuou com e8te ; a renda voltou ao nivel
em que devia estar.
Eu conte com essa f..cto quando no anua
passado orgauisei c oreara rato ; capera va
certa a elevagSo da renda.
No senado a roioha previsSo foi taxada
como um cumulo de ex-igeragSo ; entretan-
to essa cumulo ficou quem da realidada.
Quando ha um decrescimento de renda
por factos anormaes, cessando esses factoe
a renda volta ao estado anterior e recupe-
ra nSo s o nivel em que sa achava coma
o accrescime qua deveria ter, a menos que
o paiz nSo tivesse decahido, o que eu na
poda suppr. O facto, portante, poda sef
acientificamente previsto, o resultado era
mathematico.
NSo houve exagragSo as previsdes,
estas nSo falharara ; nada indica que M
calcule agora com circumstancias diversas.
Tenho era conta esse progresso, e nSa
posso deixar de ter, nSo s para evitar
maior sacrificio do contribuinte, exiginda
impostas, que poderSo [ser dispensados,
como para nSo ma assustar alera do qua
deve determinar os limites da prudencia.
Sim, porque o recaio exagerado, um mal
para quem administra, como tambem a
excesaiva confianga.
O Sr. Andrade Figuaira : V. Exc-
tera rauita confianga.
O Sr. F. Belisario : Termoo aaaia
a miaha resposta ao boorado deputado,
com cuja poltica estou de accordo, embo-
ra a S. Exo. parega qua nSo fago quante
devo, ou quanto pos3o. (Muito bem ; mui-
to bem.)
PRIMEIRA PARTE DAORDEM DO DIA
PENALIDADK PARA O USO DE ARMAS PRO-
HIBIDAS E PARA OS VADIOS, VAGABUNDOS
E DESORDEIBOS.
SESSAO DE 27 DE AGOSTO
Entra em 3* discussSo o projecto n. 49
de 1886 sobre penalidade para o uso d
armas prohibidas e para os vadios, vaga-
bundos e turbulentos.
Vem mesa, lido apoiado e entra em
discussSo conjlindamente, coa o projecta
o seguate :
Artio additivo.Pertencem ao numera
dos crimes pblicos para o fim que tratan
os arts. 37 do cdigo do processo criminal
e 20 do regulamento n 4,824 de 22 da
Outubro de 1817, os crimes previstos nos
arts. 257 a 260 do cdigo criminal.
Paragrapho nnico.. Os crimes de fnrt*
do valor inferior a 1000 serSo punidos cona
a pena de 2 a seis mezea de prisSo sim-
ples a multa correspondente matado d
tempo.
No caso de duvida sobra o valor dos
furtos, prevalecer a opiniSo mais favora-
vel ao reo.
Supprima-se o 2o do art. 2" do pro-
jecto.
S. R.Sala das sessoas da Cmara, em
24 de Agosto de 1887. -Coelho de Be-
zende.
(Continua)
Darasse carregou o aobr'olbo.
E's nm desageitado Paolo, disse elle,
desagradaste Sra. Fraud ; preciso ar-
raojar-te, por asneira a tornar a ganhar a
sua amizade.
Fique descansado, hei de conaeguil-o.
J estou id boa caminbo.
Varaos l, Paolo ; porque est ella
tSe triste T
Saba-o Uto beta como eu, patrSo. O
Sr. Fraul nSj pode resistir por muito
tempo paixSo do jogo. Os seus primei-
ros lucros, no negocio da compauhia em
briagaram-o ; acreditou que ia ser millio-
nario e jogou.
E' verdade e perdeu.
Parece-me que ainda estou a ver a
cara, qua elle tinba, na note em que o jo-
go lhe levou as ultimas moedas de oaro.
Estava paludo como um morto, mettia rai-
do. J nSo ha pSo na casa, a |Sra. F-
raud est desesperada.
E' verdade, eatSo em urna situagSo
terrivel, apezar doa adiantamentos, que lhe
tm ieito os collegas, sobre os lucros futu
ros e que elle talvez nunca consiga pa-
gar.
Ouvi fallar que oa collegas, patrSo,
desconfiam agora do Sr. Fraud.
Tambem eu oa ouv, fallar, a Sra.
Fraud falla te em mim ?
Antea da historia da cabra eu dizia-
lbe muitas vezes que o patrSo lhe era de-
dicada at a morte. Ella tinha prazer em
ouvir pronunciar o seu nome e estava mu
to sasfeita, por saber que marido se dei-
xava guiar pelos seus conselhoa.
E agora ?
Agora nSo sei.
D rasae ficou por momentos pensativo,
depois disse :
Paolo, sabes qua o navio que nos
traz as mcrcadorias de Srayrna, ohega esta
note ou na seguinte ; fica no teu posto e
esteja prompto para nos avisar.
Com estas palavras deixou o garoto e
dirigi se para a casa da praia.
E' tempo de tentar o ataque, dizia
elle comsigo ; extraordinario, aquella mu-
lher iotimida-me, tem urna maneira de olhar
para a g rate que nos faz entrar outra vez
as palavras para dentro da garganta Com
um railbSo de diabos, nSo aou entretanto
um novigo. Seria quaai impossivel que ella
contiauaase a amar o imbcil do marida.
Nao nao 1 a praga est livre, chegou o
momento de tomar posso della.
Recuperando a confianga em si mesmo
e acreditando no triumpho comegou a ca-
minhar com passo seguro.
NSo era somente a sua paixSo por Ga-
briella que o impella, era tambem o odio a aenhora, que deveria aer rica, careada
contra aquello e a quem tragoeiramente
chamava seu amigo.
Odiava o visconde, primeiro, porqua era
marido de urna mulher encantadora, de
quem elle ambicionava a posse ; em segui-
da, em presenga do abysmo para o qual
elle sa tinha deixado arrastar, o viscoade
tinha dirigido com azedume censuras a Da-
rasse e pronunciado palavras que, posto
merecidas, tinbam profundamente uffenddo
o maraelbez, que tinha jurado viogar-se.
Gabriella estava encostada ao parapeito
da janella, o sea olhar triste abragava o
horizonte, que envolva as sombras da tar
de. A filha, a quem acabava de dar o
seio secco, tinha adormecido nos joelbos.
Desta vez a esperanga estava bem ac
bada nella e acbava-se naquelle estado de
prostragSo, em que se daseja a morte, co-
mo urna libertagSo.
Ab I se sua mhi, que a tinha amaldi-
goado, a tivesse visto naquelle momento,
por muito legitima que fosse a sua colera,
ter-ae-hia enternecido e teria perdoado.
Mas teria Ha perdoado crianga, para
quem era crimo irremedavcl haver nasci-
do de ura pai como o sea ?
Infelizmente nSo lhe reatava nem urna
moeda na caaa, nem um objecto que po-
desse vender se.
Ni-sse dia, G.briella tinha-se sustentado
com o auxilio de um padago de pao que
Ibe tioba adormecido e oSo matado a fome.
O que seria della no dia seguiote ? Con-
templava a filba, sem que uraa lagrima po-
desse-lhe brotar das palpebras, devoradas
pela febre.
__ Meu Deus meu D-us 1 exclamou
ella, tenle piadade de miaba filha !
Nesta occasiSo Darasse eutrou.
VIII
A moga nao desanimou.
D'itou os olhos para o bomem e pergun-
tou Ibe :
Onde est o mea marido ?
Deixei-o com amigos, de quem, ha
certo tempo, roceio, para ella, a fuoesta
iuflueacia. Quiz trazel-o, nSo o consegu.
Ah disse ella com tristeza, esperav
mais da sua dadicagSo.
Daraase parecau mortificado com aquella
ceosura.
Miaba senhora, replicn elie, nSe ti-
nha pracisSo deesas palavras para lamen-
tar nSo ter feito tudo quanto queria. O
seu marido incorrigivel; a fatal pnixSo
do jogo exerce nelle tal imperio, que nem
a mulher, nem a filha e menos anda os
consellios de um amigo, podem vencer.
NSo p .sao exprimir a dor que sinto ven-
do-a reduzida a tSo lamentavel situagSo;
de homenagens e tSo feliz. Porque quaa-
tas pessoas teriam orgulho em consagrar a
vida intaira sua ventura. Ah I minba
senhora, porque eecolhcu um marida ti*
indigno Je si ?
Estas ultinas palavras offcnJarara a mo-
ga : o rosto pallido cobrio se de vivo ver-
melhidSo e levautou altivameuta a cabega.
Sr. Darasse, disse ella com voz vi-
braote, s a mim compete julgar as actos
de meu marido.
O bomem ficou completamente inter-
dicto.
Aquella resposta cortava-lhe a declara-
gSo, que estava prestes a sabir lhe dos la-
bios. Mas, em breve, recuporou o sanget
fri.
Queira perdiar, mioha boa Sra. Fe-
raud, respoudeu elle com tora adocicado,
o que acabo de dizer traduzio bem mal 9
meu peasameato, sa a ofifendi. E para
admirar que eu nSo pos3a conservar o mea:
aaogue fri, venlo-lhe o rosto eramagreci-
do, os olhos vermelhos p-Ias lagrimas e eaa
volta da senhora, os indicios de urna mise-
ria que soffrem a saohora a sua filha ?
A senhora pede sua coragem mais da
que ella pie dar. A saa resigoago ad-
mira vel, ma8 parece se com um suicidio c
a seuhora nSo tem o direito de se suicilar ;
a senhora nSo tem tambem o direito da as-
sociar sua filha a um terrivel destino, que
a senhora poda mudar.
Gabriella fez ara moviraenta de sorpreic
Darasse coatiauoa:
__ Billa como a senhora i, dotada da
taatas qualidades preciosas, qua a collacaat
cima de todas as outras mulheres, ser-lhe-
hia tSo fcil sabir deste meio, oade morra
lentamente, para gozar do bem estar e sana
que a inqaietagSo viessejamis perturbaras
sua tranquilla existencia 1
__Nao eonprehen (o iuteiramente nada
do que o senbor est dizenao, respondes
ella cora frieza.
Havia tanta nobreza na attitule e na
olhar de Gabriella, que Darasse ficou ex-
traordinariamente embaragado ; nSo oasos
ir mais longe e disse :
Queria dizer, miuha boa Sra. F
raud, qua a senhora tem, sem duvida, pa-
reates que se apressariam em vir em sex
auxilio, se a senhora se dirigiese a elles.
Mas a seuhora tem a alma muito altiva,
para so queixar e pedir a qualquer, seja l
a quem for. Prefere soffrer e esperar que a
desgri-oa a tenha prostrado. Posso admi-
ral a, Sra. Fraud, mas nSo podere ap-
provar o seu modo de pensrr.
(Continuar Meta)
Typ. do Diario ra Duque de (Ja*'ss n. 41.
I
(Wl
(
t
1
V-J
<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECBMA0V3I_S6YX1W INGEST_TIME 2014-05-28T14:39:27Z PACKAGE AA00011611_19982
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES