Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19922


This item is only available as the following downloads:


Full Text
fMUl A CAPITAL LKAREI OVOF. NA PACA POUTiG
Por tres meses pdiiintadoB.
Por seis ditos icbn .
Por um anno id0.1:3 ,
Cada numero ayuuo, do mesmo da.
60000
125000
235000
lOO
SBBADO 28 fEMBRO DE 1889
---i ------------------- '- >-------------" .
PARA BESTaO E FOA DA PROTIXC*
Por seis mezes adianado........,..... 13j550".
Por noye ditos idem................. 205000
Por um anno idem................ 265000
Cada numero avuliw, de dirs~anteriore ............ 100
DIARIO
Trcprkdade de Marwel dnqkeiroa de &aria $ 3%;vs

AVISO
Anda urna vez pedimos
aos nossos assignantes, em
atrazo,o obsequio de manda-
rem abonar suas assignatu-
ras at o dia 30 do eorrente,
para que nao soja interrom-
pida a remessa do Diario no
dia l.deOutubro.
Os Si s. Amede Prin-
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
a publicantes naFran-
oa e Inglaterra.
TELEGRAMAS
ssbvijo il ::-s:ia satas -
ROMA, 26 de Setembro.
O governo italiano deve contractar pr-
ximamente um eruprestiino de quatrocen-
tos milhucs de liras.
LISBOA, 27 de Setembro.
Acha-se muito doente o Duque de Coira-
bra; o seu estado de urna gravidade ex-
cessiva.
NSo La mais esperanzas da salral-o.
ROMA, 27 de Setembro.
. Acaba de ser norneado coaimaudante em
rcierto exercito italiano o general de di"
visa- Eienell..
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
27 de Setembro de 1889.
INSTRCClO POPULAR
os
TKMPOS GOLONIAKS
POR
A L.llteratur.i Hrazileira do ecalo
XVI ao coincco do XIX
ESBOCO HISTOEICO
II
(CoBiilUUgla)
N4o queremos co:n Isto dizer que a civilisacao
do indgena braxileiro fosse to culta era tao
completa como a dos Incas1, mas deixar assenta-
do, como provum os recentes descobrimentos da
cermica indig ma, os estados de Gongs! ves Das,
Couto de Maga b&ea c ouiros. que os indios bra-
zileins tinliain urna civilisagaoque se relaciona-
va cotu as dos povoadores do continente ameri-
cano ; como vemos esforgar nes por demonstrar.
A theogonia lopy, segundo Couto de Magallies
reconhecia urna trndade progenitura : o sol crea-
dor de todos os viventes ; a la creadora de to
dos os vegetaes ; e Perud ou Ruda o deus do
amor, encarregado de promover a reprodcelo
dos seres creados. Denouunava se o prime-iro
Guaracy,de guara, vvenle c cy. mai ; o segundo
Jacy, ej. vegetal e cy, mai (1). Esta theogo-
nia que nao descrevenios miudamente para nos
nao aftartarmos demasiado do nosso objeclivo,
n5o patenteia urna relagiio intima com o culto
do sol dos Incas do Per, e dos Talscaltecas do
Mxico ?
Demais como podiam estar os indgenas do
Brazil alrazados em poesa, quando entre elles
bastava que um prisioneiro tivesse boa voz para
o canto ou soubesse improvisar urna cangao, para
fue se llieconcedesse a vida e muitas vezes
a propria liberdade f Nao era possivet que se-
res, que viviam em continuo contacto com a na-
tureza mais esplendida do mundo, 40 meio de
paizagens superiores a quantas hajam podido
sonhar os poetas ou colorir 03 mgicos pinceis
dos pintores, nao hmbessem experimentado a
necessidade imperiosa, que sentem as almas, de
expandir os sentmentos era. fitlimos mais ou
menos narmoniosos, mais ou menos perfetos. e
traduzir de urna maneira sublime a sublimidade
de sua adjuiraco e de seu sentir.
NA-podiain ser tao rudes na manifestago de
|T iinpressfles, porque entre elles exista o
.Jor da familia, o regpeito velliice, a g-atidao
pelos beneficios recebidos, e nao so as recorda-
ces tributadas ao hroe, como tambema remu-
nerago vitalicia a viuva, se elle era casado
pr>r todos os sentiinenios, que imperara no co-
raco humano, o mor o quedesenvolve no es
pirito mais admirago, mais encanto, mais ancie
ade, niaU tristezas, mais duvidas, mais esperan-
cas, Buds harmonas, mais sonhos, mais doguras,
por tmsegumle mais poesia ; por essas mes-
as razvs e que elle acta mais sobre a ereatu
ra pbysica, e moralmente. Vejamos a maneira
como a theogonia indgena representava Ruda,
o den do amere das tradiges indianas.
(1) Os indio* nao reconhecem partertdade na
creaco mas sim maternidade.
(2) Os indios consideram a la em dous perio-
dos, e como seres ditin( tos.
(CcmttaJ
PARTE OFFICIAL
icios do poder executivo
Decreto n. 103 iil de O de Setembro
de 1889
Manda executar o ajuste feilo com a Repblica
Argentina para a mutua concessao das meda
Ihas commemorati.as da guerra contra a dic
tador do Paraguay.
Hei por bem ordenar que seja ejecutado o
ajuste feito com o governo Argentino por raeio
do protocollo de 13 de Maio do anuo prximo
passado para a mutu concessao das mcdaltias
ommeraorativas da guerra centra o dictador do
Paraguav.
Jos Francisco Diana, do .nou Tonselho, mi
nistro e secretario d estado dos negocios es
traugeiros, assim o tenlia entendido e taca exe-
cutar.
Palacio mez de Setembro de 1889, sexagsimo oitavo da
Independencia e do imperio.
Com a rubrica de Sua Magostarte o Imperador
Jos Francisco Diana.
PTOTocoLi.0
Aos 13 dias do mez de Maio de 1888, rcuai
ram se na cidade do Rio de Janeiro o ministro c
secretario de estado dos negocios estrangeiros
do Brazil conselheiro Rodrigo A. da Silva e o
enviado extraordinario o ministro plenipoten
ciario da Repblica Argentina Enrique B. More-
no, e, tendo presente que os seusgovernos coin
cidem no pensamento de conceder cada um dos
dous Estados aos cididos do outro a sua raeda-
lta commemorativa da guerra contra o di-talor
do Paraguay, convieram no seguinte :
1 Cada urna das partes contrastantes apre-
sen tara outra un: 1 rulacao. dos membros do
exercito, da armada e das casses annexas do
seu paiz que, por haverem servido na referida
guerra, tiverem direito dita medalha em vir
tude desle ajuste.
2." Tendo a Repblica Oriental do Uruguay
tomado parte activa na guerra, como alliada, fi-
ca-lhe reservada a faculdade de adherir pre-
sente eslipulacao, se lhe conviere qoando o seu
governo se declarar habilitado para cumpril-a.
Em 'stemunho do que se lavram c firmam
dous (templares desle protocollo, um em por-
tugue:: e o outro em hesnanhol.
(t. S.) Rodrigo A. da Stic a.
(L. S-) Enrique R. Moreno.
DECRETO X. 1035-i>e14 de setembbo de
1880
Altera algumas disposiges do regulameoto do
registro civil
Usando da autorisago que me contare o art.
2" do decreto legisla'ivo n. 3316 de 11 de Junho
de 1887, b*i por bem decretar o seguinte:
Art. 1.* 0 director da Casa de Correcjao, os
administradores da Caja de DetenQo e do Asy-
lo de Mendicida le, o chele do servido funerario
da Santa Casa da Misericordia e em geral os di-
rectores, administradores ou chefes do servico
dos bospitaes, tnfermarias e a!ylo3 custealos
pelo Estado, pelas provincias, pelas municipali-
dades, ou por assoeiages pia^ e de benelicen-
cia, poderao, no? casos previstos no art. 75 do
regutamento annexo ao decreto n. 9886 de 7 de
Marco de 1888. ord'nar a inhumaco das pes-
soas fallecidas em fcw estabelecimen'os, liean-
do obrigades a remetter ao escrvo competente
do registro civil, at ao dia seguinte ao do en-
terraraento, as declarages especificadas njs
arts. 77 e 78 do citado regulamenlo.
Art. 2.* Xos attestados de bito das pessoas
fallecidas nos estabelecirnentos de que trata o
artigo antecedente, deverao os mdicos respec-
tivos declarar se os faecidos eram tratados a
cus'ado estabelecimento ou por conta p-opria,
alim de que, neste ultimo caso, possam osescri-
vaes do registro civil receber do espolio ou da
familia os emolumentos que Ihes competem
O Barao de Loreto, do meu conselho, ministro
e secretario ae estado dos negocios do Imperio
assim o tenha entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, li de Setembro de
1889, 68 da Independencia e do Imperio.
Com a rubrica de SuaMagestade o Imperador
Barao de Loreto.
DECRETO N. 10.333d 14 de setembro de 1889
Manda executar o ajuste feito en'.re o Brazil e
Portugal sobre a propriedade das obras lute-
ranas e artsticas.
IK-i por bem ordenar IJue seja executado do 1."
do prximo Xovembro em dian'e o ajuste con-
stante da declaraco firmada nesta corte em 9 do
eorrente mez de >etembro,|pelo qual os governos
do Brazil e de Portugal coucordam em que os au-
tores de obras luteranas escripias emporluuez,
e das artsticas de cada um dos dous paizes, go-
zem no outro do mesmo direito de propriedade
que as Icis ah vigentes ou as que forera promul-
gadas concedera ou concederem aos autores na
cionaes. .
Jos Francisco Diana, de meu conselho, minis-
tro e secretario de estado dos negocios estran-
geiros, assim o tenha entendido e faca executar
Palacio do 10 de Janeiro aos 14 dias do mez de
Setembro de 1889, 68." da Independencia e do
Imperio. ,
Com a rubrica de Sua Magestade o imperador,
Jos Francsco Diana.
O governo de S. Magestade o imperador do
Brazil" e o governo de Sua Mogestade el rei de
Portugal e dos Algarrea, animados do mais vivo
dese,o' de estreiai- e consolidar os vnculos de
amiz'ade que unetn os dous paizes, concordaram
em que os rntores de obras Iliterarias, escripias
em portuguez e das artsticas de cadaum delles,
gozem no outro, em relaco a essas obras, do
mesmo direito de propriedade que as leis ahi vi
gentes ou as que forera promulgadas, conce 1 ni
ou concederem aos autores nacionaes.
Este accordo comprar a vigorar desde o pri-
meiro dia do mez de Xovembro do eorrente anno.
Decorridos dous annos desde a data da u-
natura. cada um dos dous governos ter o dire
to de fazer cessar os eltaitos do mesmo accordo,
preveoindoo outro com umauno.de antecipacSo.
Em f do que, os abaixo assignados, d-'vida
mente autorisados pelos seus respectivos gov r
nos. fizeram lavrar a presente d '.:larac. 10 e Mr
maram e sellanm.
Feita em duplcala no Rio de Janeiro, aos 9 ae
Setembro de 1H89.
(L. S.^ Jos Francisco Duna.
(L. S.) D. G. Noguena Soares.
- ^?eses-
nlalsterio do Imperio
Foram agraciados cornos spguintes graos da
Ordem da Rosa : gri cruz honorario, Tnomas i
Jarvis, ex enviado (itraordinario e ministro ple-
nipotenciario dos ciados Unidor di Amhm
commeniladores : 0.irl*s de li.
tario da legaco iIj imperio allemo; conde
M. Prozer, ex rio di legu^o iaiperiaJ
da Ru.-.-i 1; 'I '-l.y Armatroog cnsul ge
ral dos Estados-Unidos da America ; caall
o Sr. Carlos M 1 -vice-consul do Br.izil ra
Gott'ia, na Alleman 1 .. <>)in o grao de eavallei
ros ila ordem de s. b>nio de Aiz os uiajores do
corpo de engenheiros Antonio Vicente Ribeiro
Guiraaraes e Luiz Autoaio de Medeiros e a capi-
tao Olegario Antonio deSampaio.
Ministerio d"a Rustica
Foi exonerado o badiarel Alvaro Augusto da
Costa Carvalho do lugar de secretario da Relaco
de S. Paulo, e nomeado o bacharel Joao An'onio
do Oliveira Cesar.
Foi reronduzido o deserabargador da rclac'io
da Fortaleza, Joaquitn Tiburcio Ferreira Gom -.
no lugar de presidente da mesma reineao.
Foi declara I j sea etteo o docreto de 6 do
eorrente me.i, que removeu a )aii de direito
Amador Al ves da Silva, da comarca de Entre-
Rios, de l.* entrancia, para a do Rio das Vellias,
de 2.*, ambas na provincia de Minas-Geraes.
Foi concedida ao bacharel Jo3 Silvestre Ma-
chado a exouerago, que pedio, do lugar de juiz
municipal e de orphSos do termo de Iguape, pa
provincia de S.. Paulo.
Por decretos de 18do-correal: 'viremovido
o juiz de direito Felippe Gabriel de Castro Vas-
concellos da comarca de Sete Lagoasde 1. en-
trancia, para a do Rio das Velhas, de 2., ambas
na provincia de Minas-Geraes.
Foram nomeados juizes de direito : da comar-
ca do Rio das Almas, de 1 entraiea. na pro-
vincia de Goyaz, o bacharelJbioPenin! da Silva!
Contincntino ; da de Sete Lagoas, ae 1.' entran
ca, na de Minas Geraes, o bacharel Manee'
reir Teixeira.
Foi nomeado juiz- municipal e d< ptios do
termo do Pomba, na provincia de Minas Geraes.
o bacharel Anlenor Augusto de Araujo.
Foi nomeado director do presidio le
de Xoronha, o coronel Luiz Paulino de Rollanc 1
Valenja, sendo exonerado o capilar Joaqui'
Agripino Furtado de Mendonca.
Foi exonerado Manoel Gracindo Rabello do iu
gar deolucial, servindo de secretario, da palic.a
da provincia de Alagoas, sendo nomeado Remar
dio de Scnna Ribeiro.
Foram reintegrados na guarda nacional nos
termos do art. 5 do decreto n. 10.264 de 13 de
Julho ultimo:
Provincia de AlagoasComarca do Pilar0 te
nentc-coronel Elydio Pereira Baracho, no exer
cicio de comraand.inte do o." batalho de infan-
taria, Meando aggregadoao dito batalho o len-
te coro-iel Antonio Casado Lima Jatob.
Provincia de Sergipe Comarcas de Maroi-n.
Japaratuba e Capella O raajir Antonio Jos da
Cunha, no de commandante da 7.* secgo do ba-
talliao de infamara, ticando aggregado mesma
seceo o raajor Manoel de Oliveira Mallos.
Foi privado do posto, nos termos do art. 6'i,
1." da lei n. 602 de 19 de Setembro de 1830, o
major commandante da 1." seceo do batalho
pa reserva da guarda nacional da comarca de
Ilabaiana, na provincia de Sergipe, Jos Amancio
Bezerra, visto nao ter solicitado a patente no
prazo legal.
Governo da provincia
PACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 25 DE
SETEMBRO DE 1889
_ >aixo assignados, oHiciacs do corpo de poli-
Informe o Sr. inspector do Tliesouro Pro-
pal.
ntonio de Lacerda Pereira da Silva.Informe
director das Obras Publicas,
mtonio Jos Ilenriqucs Lima. Informe o Sr.
isector geral da Instruccao Publica.
mpanhia Pernambucana.Informe o Sr. in
speclor do Thesouro Provincial.
A mesma.Informe o Sr. inspector da The-
souraria de Fazenda.
'"irispim do Amaral.A'vista da inforraaeSrt i
aguarde opportunidade para
Valparaso, 17 de Setembro :
0 pre: idete da Repblica recebeu em audi-
encia o novo ministro do Per.
Pelo mesmo presidente foi aberto o congresso
medico de SaaliAgo.
0 almirante Vid foi nomeado representante do
Chile no congresso internacional de Washing-
ton.
E' provavel que seja cleilo presidente daP^-'i
o Sr. Rosas.
Bio da Prosa
Datas d? Buenos-Ayj'es ate" 8 de Sete.:
0 paqui 13 iuplv. ubnttz levara cort
pubhcadal' -Ayres a 78 r.c coi
iltutnnos foram expnlsos do cailegio m-
ior .i-rea assistulo ao neeting da juventu
o pavimento n ;^.m-lo a 1 do correle, ao Jardn Fio
querido. ;ca: fioien'j Hcrmelo, AthaniMO
Rp/Misco Alfonso Me Oliveira.Gerliiqae-se: uurb'-, Alberto P.ozende, Joo Monscrrat, Jos
Henriqe de 11. '.? Chacn Ii.cime o Sr f,,. m. Vieyva e Mariano G. Jurado
ministerio da Agricultura
Foi exonerido Joo Moreira de Carvalho do
cargo de thesoureiro-pagador do prolongamcn-
to da estrada de ferro de Sobral, por nao ter
prestado a respectiva nanga, sendo nomeado Jos
Carlos Figueira de Saboia.
Foram expedidos 03 seguintes avisos :
Ao director e engeob.eiro-ch.-fe do prolonga
ment da estrada de ferro do Recite a S. Fran-
cisco a 27 de Agosto.
Informando Vine, em ofDeio de 2 do eorrente,
que o ex-thesoureiro desse prolongamento, Xu-
meriano Barbosa da Silva, fra intimado a 26 de
Dezembro, alim de entrar para os respectivos
cofres, dentro de 15 dias, com a quantia p la
qual se acha respnnsavel ; e bem assim nao s
que aquelle prazo havia sido prorogado, em dif
ferentes datas, por mais 120 dias, lindos a 9 tfe
Maio ultimo, mas tambera que. o recurso nter-
posto para este Ministerio pelo referido ex-ilie-
sourelro fra apresentado a 10 de Julho, declaro
a Vmc. que anda quando fosse regular o pro-
cediraento da directora dessa estrada, conce-
denlo as alluJidas prorogag5es actos para os
quaes careca de competencia, verificase que
seraelhante recurso foi exhibido fra do prazo
lixado no art. 39 do regulamento n. 124 de o de
Fevereiro d; 18i2 .e por isso nao pode ser
acceito.
O que lhe communico para os devidos effeitos.
I/eus guarde a Vmc. Louren$o Caaleante de
Albuquer'qne.
Ao director da estrada de ferro de Paulo
AfTonso, a 9 do correte :
Con formando-me cora as ioormaces pres-
ta as por essa directora a 10 do mez passado,
declaro a Vmc. que lica de nenhum effeiio nessa
estrada o aviso circular de 6 de Maio ultimo,
mandando reduzir o fele dos creaes aas vias-
ferreas do Estado,e bem asMm autoriso-o por em
execuyo as seguintes alterajOes propostas pelo
seu antecessor, de preferencia aquella medid,
em olncio de 4 de Junho ultimo.
1.* As mercadorias podero ser sempre expe-
didas com frete a pagar na e3taco do destino,
salvo quando forcm de fcil deteriorajo ;
2.* A armazenagem de sal ser d'ora avante
cobrada pela seguinte tarifa :
Sacco de 50 kilogrammas :
Pelos 30 primeiros dias 050
Pelos 30 seguintes lOO
Pelos 60 seguintes 5200
3.* O agente da eslaco de Piranlias fiear en-
carregado, quando oqu'zerem osexpeditores, de
mandar receber a bordo das canoas ou vapores
as mercadorias que tiverem de seguir para o in-
terior, mediante a taxi de 20 ris por 10 kilo-
grammas ou fraeeio de 10 kilohrammas ; c 40
ris, quando forem de gran te volume e pouco
peso ou exigirem mais de dous homens para con-
duzl-as.
A despeza cora esse servico poder ser paga
juntamente com o frete, na es'.acao uo destino.
Deus guarde a V. S.Lourenro Ciialcinte di
ilbuqiierque.
Ministerio da Cucrra
Pur decreto de 13 foi nomeado commandan
te das armas >ia prnvincia ao Para o bngadelro
graduado Manoel Francisco Coelho de Oliveira
Soares.
Foram transferidos : para o Io batalho de
infamara o major do 26" da mesma arma Joa-
qun) FiTiiindi's ''t Ainiradce Silva, e daquelle
para e.-ti- b.a ilho o major Aureliano Augusto d-'
Azevedo Pfilr-.i. e para o corp > de esla i >-raiior
de ariilhaiia o capiao do 3* batalhio da m
arma Persilio de Carvalho Ponseca e daquelle
corp < para e-te batalho o major graduado Luiz
Rabello de VascouccUus.
Foi mandado reverter 1" classe do exer-
cito o cap liic) aggrrgadO a arma de infantaria
Antonio o lid do Ithvussos Airas, visto ier (ido
julgado prompto par.i o servico du mesm > exer
cito em DOVa iuspeego de aude. ;j que bi ub
ojetUdo.
Ministerio da Marinha
Fui ootattNo secretario interioo da rpita
n a do pono do i iauhy, Euclydes Godofredo da
Silva Miranda,
Fid nomea-io pulro-mr do Arsenal de Ma-
rinha do Para o sargento do corpo de imperiaes
inarinheiros Severo Faustino da Franca.
Foi nomeado para commandar interinamen-
te a escola de aprendizes marinheiros do Cear
o 1 lente Othon de Carvalho Bulhes.
I)-, director di fostruccio Publ!
lo Reg Cavaicajte da Silva.-aforrae o
Sr iiisprctur do Tiesonro Provincial.
Jo&o Francisco d^ Santos. Enraminhe se
SBperintendeiite da catrak jie rorro do Re
o S. Francisco. informe o Sr luspector
Fi ovioclal. g&
Coren"! AuL'ii to Ottaviano de Souza.--l'asse.
tano da.iLos'a Moreira O praso foi exec-
. i"-'
arn Emilia Cmara Perrei direito o
nJBor Gercindo^lho &. ) professor An-
MflbCandid. "Ti-ia, n.is a potico deve ser
js.a|gnada por pessoa competente que represente
o dit'- menor.
Pelmto do Reg Barros.Volte jo Thesouro
Provincial para que aprsenle o calculo da im-
portancia que perceber o supplicante no caso
de aposentadoria.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 27 de Setembro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
-*kSSaSBE=-
Reparticiio* da Polica
secgao.N. 1181Secretaria dePo-
L8S9. ITlm. e Exm. Sr.Participo a V.
Esc. .^ue foram recolhidos hontem Casa
de Deteucao, os seguintes individuos:
A' ordem do subdelegado do.Recife, Athonier
Z -skmes, a requeriinento do cnsul allemSo.
A' ordem do de Santo Antonio, Augusto Jos
de Sant'Anna, por crirae de furto; Claudino
Francisco do3 Santos e Manoel Demetrio da Pai
xio, por embriaguez e disturbios.
A' ordem do do Io districto da Boa Vista. De-
siderio Belmiro de Luna e Bernardino da Rocha
Wanderley, o primeiro por crime de ferimentos
e o segundo como alienado, an de ter destino
para o asylo da Tamarineira.
A' ordem do do Io districto da Graca, Manan-
no Cardoso do Xascimento, por disturbios.
QUidivi luq^da nome Desideri^Beliuira de
Luoa^*de queWIcima trato, foi tPtop puT^W
hontem, s 2 horas da tarde, em um predio que
se est construindo na ra do Hospicio, dispa-
rado um revolver, na occasio em que o expe-
rimentava, empregando se a bala no peito es-
querdo de Joaquim Clemente Cesino Ribeiro.
O oft'endido foi recolbido ao hospital Pedro II e
sobre o fado procedeu o subdelegado respectivo
nos termos da lei.
Coraraunicou me o delegado de Quipapa, que
no dia 21 do eorrente, s 6 horas da tarde, a
machina de lastro do prolongamento da estrada
de ferro de S.Francisco, no kilmetro 74, alirou
ao chao a mulher de nome] Antonia Mara da
Conceico, que veio a morrer cinco horas depois.
Dinquerito a que se procedeu evidenciase
ter sido casual o acci lente.
Deus guarde a V. Exc. Illra. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d'esta provincia.
O chefe de polica, Geroncio Dias de .Ar-
ruda Falcao.
Es'i ultimo cursa va o-4o anno e os
a" e deviam fazer exames em DejoabTo aflu de
entrar {.-araft asercit a rrtrafida'e d< i- lentes.
As ra oradas pa a e: uUno sSo as
segu^ites constan:es. do Jftrrto de Outubro de
18Sj, fir:i;ido pelo general R
Icgri'ii: _^-T
Neo r ne ihWn militar era servico activo
i: uevClubs polticos, nem assistir a re-
jti'es de carcter poltico. Os militares da re-
serva nao podero assistir, fardados, a laes
reunies.
Nao pode tambera nenhum militar criticar
publicamente, por palavras ou por escriptos, os
actos do governo ou de scus superiores hyerar-
chicos.
Xo pode, oulrosim, nenhum militar fazer
publicacOcs na imprensa, assignadas ou com
pseudonymos, que tenham por Um discutir ou
criticar actos referentes ao servico.
O grande jury da exposico universal de Pariz
concdeu 14 grandes premios aos expositores
argentinos, sendo 11 ao governo e s commisscs
o 3 a particulares.
Concdeu mais : 80 medalhas de ouro, 170 de^
prata, 179 de bronze e 215 mences honrosas.
O presidente da Repblica Oriental do Uru
guay pz o Compra-se no projecti dos Srs.
Castro e Petit para construeco de urna linha
frrea de Colonia fronteira do Brazil.
in
.'vame.r 'aniitMba,
"T-1'1' "" o ^'rupo da Unio
Repuujje i csC i v-^nma que o Sr.
i u tu; ; .-.por ao Sr. Ruiz Zor-
iHma bp*'*"la r !,: ...Jioria republicana, as bases
.Jas para a unio dos republicanos.
.,.pOe-se que o Sr. Ruiz Zorrilla as accei-
tar.
Pelo que respeita ao Sr. Salmern, sabe-se que
este applaude o espirito de coaliso, mas que

cil de Pernambuco, 27 de Setembro de I"01 ,Ps,s p? Rberdade Emiliano Florencio
e Bernardo Larreda, complicados na questo das
bombas de dynamile.
Achava-se gravemente enfermo de urna rae
ningite o Sr. Magaenios Cervantes, nresidente da
cmara dos deputados.
Conside-ava-se ro npletaraente perdido o vapor
Saint Murlin.
Xa corte forom publicados 03 seguintes
telegrammas :
Buenos-Ayres, 14 de Setembro :
Os carpinteiros continuam a fazer parede.
O Sr. Pacheco, ministro da fazenda, fez urna
rounio de banqueiros eom o tim de lembrarera
um alvitre, no sentido de ser raelhorada a srcgo
econmica.
Montevideo, 14 de Setembro :
O governo apresenton cmara dos diputados
m projeclodelei, adherindo ^onvcnco.arten
Thesouro Proviucial
DESPACHOS DO DIA 23 D^ SH.TEMBBO
DB 1889
Augu sto Octaviano de Souza, Biblhtheca Pro-
vincial, Cmara Municipal de Alagoa de Baixo,
Joo Athaaslo Lins Oavalcante, Antonio Valen-
tim da Silva Barroca, Ordem Terceira de S-
Francisco, Anna Barreiros do Xascimento, Mara
do Rosario de Oliveira Mello, Je s do Reg Ca-
valcante Silva, Joaquitn Firmo de Oliveira, con-
fraria de S. Francisco, Florimena Joaquina de
Mello Montenegro, Antonio Joaquim de Souto
Lima, Aprigio Braz de Oliveira Lima e Au
rebano Augusto de Vasconcelloa.-A' Conta-
doria.
Ribeiro Albuquerque e Manoel Soares de Oli-
veira. Ao Contencioso.
Collectoria de Muribeca, Procuradura do
Triumpho, Companhia Pernambucana de Xave-
gago Costeira, Com|ianhia de S. Francisco, Ge
noveva Joaquina da Cunha, Francisco de Paula
Correia de Araujo, Miguel Rcinaux Duarte, Ma-
ra Joaquina da Trindade, Torquato Laurentino
Ferreira de Mello, Vicente Ferreira da Costa Mi
randa. A' Contadoria.
Officios do chefe de polica e Obras Publicas,
Joao Carlos de Moura, Jos Joaquiro Samarcos,
Fianklin Minervno Martins, Uonatiila Julia Gui
maraes Albuquerque' Antonio Francisco Re
gueira Duarte.Ao Contencioso.
Reccbedoria Provincial
DESPACHOS DO DA 27 UE SETEMBBO DE
1889
Jo3o Manoel de Siqueira (8 peticoes), Manoe'
Luiz de Medeiros Jnior, Estevo Jos da Cunha,
J.iaquim Horo da Silva. Guilhermc ^rchanjo dos
Santos, Pedro da Hora Santiago, Tertuliano de
MelloCarneiro, Antonio VUtti da Silva, Jos
rcicio Pac Barreto (2 petif^Oes). Alberto de
S Iva Santos de, Moraes, JeieiOl 13 Gomes de M t
ra,M niel Francisco G. Pire-, Piragibi
Hayaase da Silva C ota (2 peticfie) e Francisco
Xavier da Cruz (o peticOes) i'ertillque-se.
amara Braga & CA' 1" secyao para os de-
vidos lins.
Jos Xunes da Costa.Sellada a pelico ten
despaebo
Ernesto Pereira de Lyra (6 petlJOss).
EXTERIOR
noticias do Paciaco e Rio da
Prata
Pelo paquete Espirito Santo, hontem chegadodo
sol, tivemo dates noticias:
Pacifico
Foram publicados oa corte estes tegrammas
ra/Baro-so,.15 de Setembro:
A cmara dos deputados da boliwa approvou
o projeclo apresentado pelo governo sobre a
questo de limites com a Repblica Argentina,
um
wno brasf
guerra do Paraguay.
Bwnos Ayres, lo de Setembro :
O tenente Koward foi encarregado de diluir
os trabalhos da contruego do lazareto da ilha
Verde.
Buenos Ayres 17 de Selembro :
Continuam a baixar as aguas do rio Paran.
N costa da Rocha, junto da Laguna, appare-
ceram destrocos e cadveres que se suppOe se-
rera dos nufragos do vapor D. Pedro.
O Dr. Gorostiaga foi reeleito presidente da as-
soclacao da imprensa.
Buenos-Ayres, 19 de Setembro :
A taxa do ouro 212
O governo da provincia de Buenos-Ayres vai
vender a estrada de ferro provincial.
Ao congresso argentino apresenteu o aroverno
um poojecto autorisando o Banco Xacional a
emiltir trinta railh0e3 de bonds hypotbecarios.
O vapor Laiario encalhou no canal exterior,
nao se-podendo ainda calcular as consequencias
desse sinistro.
Montevideo, 19 de Setembro :
Est grassandoo sarampo na provincia deS.
Jos.
Os ofliciaP3 da cinhoneira Suarez vao pooces-
sar a redaecoda R--zon pelo crirae da calumnia.
mens competentes e de ordem civil para desem-
penhareoj as funccOes de governador geral.
Com rspeito organisacio do lri\ laes, a
maioria coalisionista defeiuli--'
que 0 Sr. Villalfa He.-* r ollas-
urna unir inste-
pnblica i.' JiSBj
I QBBniCp,>e^ 3 r8fomi,
js li- -:-
u>- -'bltfuTI at Oattijro*
' i prxima candan' .
rulados da minora coa-
Iwion- .a. I09a8g3 reforjmas democrati
^ O tmpa.'ia, dv-,,, ;,.,
gromtrad- -

' pero DT^veii-p^ narecer que esta se realise entre os partidos
j formados & iS''wiilQs, emanante que os mem-
bros da maioria pretenden juntar todo e quaU
quer elemento republicano, seTrrvvsJ4nc&o 4jf
nome e dc-bandeira, formando assim u(IKfs4a,
roso agruparacnto in.ra combaler os governos
monarchicos.
Acerca da questo econmica, alguns deputa-
dos da maioria republicana parece que esto em
desaccordo com as pretences apresentadas no
meet'ng de Barbastro. dizendo elles que, pelo
facto mesmo de se fazerem reclamaces excessi-
vas, se torna impossivel obter economas.
O Sr. Sagasla, fallando em Sun Sebastian com *
um redactor que all teo a Correspondencia air-
mo-lhe que nao havia motivo para urna crise, e
que nao existia desinlelligencia entre os minis-
tros, mas accrescentou que sabia de lodos os
boatos que a esse rspeito se tem espalhado.
O jornal L dias um telegramma, expedido de Haro, dizendo
3ue no domingo anterior, o magistral do cabido
e Victoria, D. Calixto Garca, pregou um vio-
lento serrao contra as auloridades constituidas,
pondo em grande excitago todos os seus ouvin-
tes.
Atacou a liberdade de mprensa e do ensino.
Entre outras phrases pronunciou as seguintes :
E' necessario, a todo o transe, que vos con-
servis a f tradicional dos nossos antepassados,
trabalbeis sera cessar at extinguir completa-
mente o liberalismo.
Os governos teem a culpa de todos os ma1e3
que padece a sociedade, por consentir a liber-
.lale dessa imprensa, que nega a existencia de
Deus e afirma que nada ha para alera do tmulo.
O liberalismo incompalivel com a igreja-
Houve, ha algufls annos, soldados cheios de
f que, tendo quasi alcanzado a victoria da sua
causa, marcarara a fronte com o sello da cobar-
da, celebrando, por dinheiro, convenios com os
liberaos.
Temos como nossos inimigos, os inimigos
sQo os inimigos da veruadeira luz,
Xoticias da Europa
O paquete inglez Trent. chegado hontem. fui
portador das seguintes noticias, alm das de Por-
tugal, em outro" logar publicadas, constantes da
carta do nosso correspondente de Lisboa :
Hcffpnnlin
Sobre este reino e^creveu-nos o seguinte o re-
ferido correspondente:
Un telegramma de S inSebastian para o Impar-
cial de Madrid deu rebate attenco publica, lti-
mamente pelo que nos diz acerca da attitude de
um dos grupos poli'icos do visinho reino. Trata
se da OiSo Republicana.
Pelas iriforraacOes que podemos comer (diz o
cerrespondente d'aquella folhal concluo que
manifest dos deputa los Ruados na PniSo Repu-
blicana contera um programraa ampio e amolda-
do s exigencias a actual sttustcao, segundo a
encarara os membros da minoria.
Depois de tragar a historia das fracgO's repu-
blicanas, durante a restauragao. e de expr as
tentativase dtfficnldadea para constituir um par-
tidii capaz "de poderosas iniciativas, e de absor-
ver todos os elementos democrticos do paiz, af-
firmar se in a neceasidade de emprehender ne-
vos rumos, j que nem os homens influentes dos
partidos, nem certos agrupimentos realisarra o
proposito de acbar com as oppo-.igOes e antago
nismos.
Em seguida o manifest tratar das quesles
polticas hoje d lineadas, e que, na opinio dos
deputados alludidos, reclaraam com urgencia urna
solugao deliuiva. Entre pilas, figura o cae-
quismo causa de graves perturbages e obstcu-
los a que das mais raroaveis reformas surtara
lions resaltados.
Advogara a neceasid ide de ser tratada sr*: .-.-
ment to do mauicipio do pais. pediodoo
castigo e remedio para os abusos sem contera-
placao algumi insistir igualmente na n es i
le r co.n-.i in e as irregala
i i-nin-straiivas em t das as espitaras.
Qu.uito a reformas, o manifest propor solu
an ijadas. Reconliece a qrgen-
utteuder 4 justas quetxas dos contriboin-
tes, do transforaiar a admfaiistraco publ ca rae
diante de e i|h reducir cjis ieru-
veoionie j orcamenKi das despejas. N
Ni qu tao da? Alfa niegas e pautas, devian
ter sido bu es diveru ncias a j
pe i qadizum alga is reprea ntantes da minoria
coiilisluuisti e o Sr. Muro, defensor .a sol
proioceionistjs, na,) conseguio que in";>-'
prev.ilece-se. En co npen-aga-i eoosegoio qw
essa (|ue-t.o na, liguro como dogmi do p;.r
' Aminor..! r.ira sua. no man resto, a e nend.i do
deputado Vallisolrlano e do Sr. (.orles, relativa
a redaccao do ornamento da guerra e a reorg.,
nisago da Torga armada, rospoitando no enllanto
os direitos adquiridos pelos.cheles e offlciaes do
exercito.
O mauifesio pedir tambera a idenlidade do
direitos entre os habitantes m proviocus ultra
inarirn e os dametropole, e a noraeac&o deho-

in jla 'io? nes
"*r" e o'ur^iWxercitodcvc comboter eontra elles al
dar a ultima gcta de sangue.
O auditorio grita :
E' pena que nao baja mais homens como
este
O orador continuou mais exaltado :
Formemos as milicias da f para coaibater
essas hordas I
Algumas vozes gritara do raeio da igreja :
Venham armas I
Segu?-se um graade tumulto, no ineio do
qual^se ouvem vivas Virgera, ao papa e re-
ligo. O vereador D. Sa'urio Luso, que assistia
ceremonia religiosa representando o munici-
pio, retirou se com a guarda para o edificio da
cmara.
Na ra, a banda municipal rompeu cora o*
hyinno de Riego.
O municipio informado do que occorrera, de-
funcin o facto ao juiz e relatou-o oflicialmente
ao governador civil da provincia.
Os nimos,.tanto dos carlistas, cmodos libe-
raes, caram muito excitados ua localidade por
causa do sermo lo padre Gavaia.
Xas conferencias do.ininistro da justiga com
o nuncio de S. Santidade, tem-se tratado de urna
questo importante.
Quer o nuncio que o governo nao use de rigor
para com os clrigos que fazem do pulpito tri-
buna poli'ica ; e pelo contrario, o ministro sus-
cita, com toda a razo, a necessidade de repri-
mir com a maior energa a falla que os clrigos
commeltern contra as leis, dcsobeeccndo, alm
disso. ao que pelo proprio papa tem sido orde-
nado ; que se iiio envolvam na poltica.
O padre Zeferino tem insistido na sua re-
nuncia do cargo de arcebispo de Serilia, a qual
lhe foiadmiltida; po:em conservar o chapen
cardinalicio, por vontade expressa de Lefio XUT.
O bispo deTuy enviou urna notavel caria
de felici'.agao ao s-iio i eral.
O Poplo Romano de 13 de Setembro des-
mente que seja enviudo a Mjdrid como embaixa-
dor de Italia o general Cial dial.
Levantaran! grande alvorogo no campo dos
polticos, e em especial nos circuios consewadcv
res, as deelaraces altribuidas ao presidente ,1o
congresso o SrAlonso Martnez, entre as quaes
se encontra a seguinte :
Se li.uvesse uiu.i cnse e a rainha me con-
sultas:?, dir-lhe hia francamente que nenhum.
mouarcba constitucional seria capaz de entregar
o poder a um parado como o conserrador, que
se tornouimpossivel para o governo pelo seu
obstruccionismo e pulas suas velleidades.
i ministerlaes, que couhccem a proverbial
c.rouusp cgo do Sr. Alonso Martina, r.egam
que elle podesse proferir semelhantes phrases,
e ateo Sr. Sagasta, ao ll-as em San SeoiL-tian,
par ce que as desmenta
Os conservadores consideram eslranho seme-
Ihaute procedimento n'uiu hornera que oceupa
tao alta posigo na poltica hespanhola, e espe-
rara que elle ratiliquetaes declarages.antes de
as corabaterem com a energa que mecerem.
O genro do Sr. Alonso Martnez, Sr. D. Alvaro
Figuetra, espera um telegramma de seu sogro,
dusmentiodo cora a suu assignatura as citadas
iragoes.
E ii resultado do horroroso incendio occor-
ndo :ia estago .lo caminbo Je ferro do Norte) o
oro do fomente dirigi um enrgico oflicio
respectiva companhia para que termine a sua
e.-taco e coustrua depsitos de ferro para as
mercaduras. No Circulo Mercan'il reuniram-e
o-oo.- os comuierciaiites prejud.ca los peto si-
.. por culpa da dita companh:a, cjjos arma-
. madeira. c omeando u;na corarais-^
ida d tratar com o director dar1
xfgir u:.i.i justa indemnlsaj'.o.
U di rtor prompti.i uu se, depois fle
: ss, a reunir o conselho da coaJJIni
|j ,ra i es i -er.
C iiiimuam'a gr .; e i Vigo c seus arre-
dores as molestias epidmicas de ty-
plioi o. Ai ida nao esl i offioialmentc averigua-
; entretallo a por-
ceutagem dos bitos 6 n e Portugal
culi nij ,i manter as sanitarias, que ri-
- io.-. i.ene foram impotas na fronteira da
Gaiu/. i ii.i da.invasao epidmica.
.N i F nol e na Coi gundo consta., de-
i.i.o -e, lia dou3 dias, ., de molestia suspei-
Nenboina iiilorraagSo oficial. conforma por
ora este booto.





-
>i
:



Diarft de PerauBufojSjJbbado 28 de Setembrod* 9
s*
-. Figaetra. novo ministro plenipotea-
de Hespanha, junto Jo su to Ih^apreien-
consta de cinco
O
_^fcenle as suas credenciaes,~e foi por- No prirneir, prpara se a materia prima.
di: magnficos presentes da rainha regen- So segando, em um grande cylindro de ferro,
para aquel le soberano e personagens daJ illa eoziahada a vapor. N o quarto, pa-ssa pelos
rte.
ao passo que esta* demonstragoes diploniti-
cas de alTecto se estao dan Jo ntreos njssos
vizinhos e o sulto de Slarrocos, ceno que
muitos liespanhoes residentes ern Tnger resol.
veram fazer san r d'alli ascuas fifluaan. duraa- tnaastis.passam
' le a permanencia do saltao iptnllii ai I ln.r laJana" "-lia sjaaa n
' pelo receio que teca U qm pura ssaav I -r 3 cliijomjpta Q II
pois, em ooosequea*ia da spHl^a >
t mos contra a 11 'spanhi, tuda ?* es
kabilos que acorapnUa n o sapera I ir.
Em Vetean contigua a fallar -se da
dade de guerra corneta Hespinha, e
e que o imperio nuwuquin o**Tse
a em toda a oarte, atxaa Muaedor.
O que fdr soar, da a Mu reo.
Um escriplor m Hitar da H 'ipissa lamenta
aue o exercito hespanhol nao tema grandes ma-
nobras nesta poca e cita coni magua o exem-
plo da Franca, que tem em manobras qualro dos
seus dezoito corpos de exercito, e o da I'alia que
tem dore corpos de exercito mobilisados
1.
nobras de um corpo de exercito hespanhol com
o modestissioao eilectivo de 13,33a homeng e
J,790 cahUl$ y nimios
Anta hunteo era espetada em Granada a
lenhorii fcanlii YtMacatopn til lia do dcsdiloso
brigadeiro revolucionario, a quem a formosa
i menina deu as oais extremadas pravas de affec-
toTftnU^
A ceiebre-V0'"*,tao digna de figurar as
paginas di Mo?' eul Aec&c recebena hos-
pedagem um easaaC, enefo republicano daquella
cidade. T*^
Fallase do regresso fa Sr- R>* Zorrilla
Heapanha, se o ministerio >?gasu estabelecer o
uffraio universal e concedeTvUma amnista am-
pia para.os deudos p diticos, ""v-
; O padre Jeremuod, chefedos mis?0"4"03 ca-
Iholicog sin Tanj-er, sabir dentro eraHj^uco. de
Madrid, o.t" go/.a de geraes syrapalhias>-
FaHeceu na villa de Sequeito (Biscaya), EQP-
77 annos de idade o Ilustre marque* rte Molina, flagrancia.
B. Mariano Roca de Fogores. Era um dos raros
compautieiros que restawam de Esoronceda. Foi
por dillerentes vezes ministro e embaixador.
Eslava liliade agora ao partido conservador, e
ert era hornera de lettras, de coraprovado jme-
recimento Ao rebeotar a primeira guerra civil
dm 1833, foi elle um dos udalgos que defunde-
ram o llirooo Je D.Ljaesi contra" D. Garlos.
ltimos procesaos d j lavagera e embranqueci-
mento, entrando em seguida para e machina es-
pecial da fabricago do papel. No quinto, final
neate, estao assenta las as turbinas.
E' realmente curioso assistir-se s pilases
;mr'"J pedamos de panno
paviaaasto a raa-^
lhes aasuiiiad** ai que -de L'.sboare
surftseo nr^arto no que por acanto iraos-
foeejados f.m alvo papel dameeaaeaa I
. > papelpcoacMa pela fabrica aKCellale.
E', atMi coalHtaffao, melhor e mais tote da que
o caawiuBMBinteaapregado no joroMismo bra-
silnro.
Uif-orara noa ^ue perfeilaaente poda ser
poato v mtiiajKTC*do por preso^Kio a*e-
"tgual ao que importamos da Enropa.
L se no Diario da Afann, de Santos :
Escrevem do Oeste a provincia de S. Paulo:
Eiitamos quasi e n meiado de Seterabro o
ainda nao ha noticia de florescencia nos caf;zaes
e ja agora mesmo os optimistas na lavoura per-
0 escriplor hespanhol pede, ao meaos, as iaa-daijkui sua uUious *ttpraucas, porque, attu
das teadas em todos os municipios, o fri in
lenso anormal e venios continuos atrophiarara
de re toda a germirucao dos cafeeiros. E' por-
lanto tora de duvida qne a safra de 1890 ser
mnima cumo a le 1S89.
Diz a Gazeta do Hurte que a 10 do corrente,
na capella da Apparecida, termo de Guaratingue-
la, Francisco Jos da Costa Machado, organista
da me^ma capella, asgredio o conego Marques
Henriqoes, e fei-lhe com urna bengala dous fe-
riiflenlos, oor causa de una noticia que Iha era
ofTensiva, publicada na Estrella di Apparectda
redigida por esse sacerdote.
O conego Henrique-, auxiliado pelo negocian-
te J. Vieira da Costa, conseguio tomar a enga
la ao asgressor e den I he vos de priso.
Compareceu immeliatamente o subdelegarlo
Antonio Luiz de Andrade, qne tornou efectiva
a prisao, fazendo recolher o delnqueme e man-
ijando proceder a aulo de corpo de delicio e3e
fr
INTERIOR
Rio lo Jiiin'iro
Datas at 20~tte-Sileiubro :
Deliberou o ministerio fT~agTcTlHUTShatiglIiBa-
tar de 150.009*600 o crdito destinado s des-
pezas do trafego, no actual exercicio, da estra-
da de ferro do Kiete a Oamar e do prolonga-
mento da do Recife i!S7*^ncisco.
As demais noticias sao u"e popco valor, ato-
ra as ofliciaes, que vaosob a ru iriciKpropria.
Espirito Innlo

L
f4P>-
oicla* la hu do Imperio
O paquete nacional Espirito-Sonto, hontem che-
gado do sol, transcrevemos as seguintes noti-
cias :
Kio-linind)' do Sol
Datas at 13 de Setembro :
0 Jornel do Commemo de Porto-Alegre refere
seguinte:
Pessoa chegadaCachoeiraeomraunicouque
a 27 do mes fliido, no Rinco de S. Pedro, deu-se
um cr>me horrive.
Eis a coraraunicaco :
Francisco de Almeida Grott, que ba dous an-
nos exercicia a prolisso de curandeiro e actual
mente negociava n'aquella freguezia, liaba urna
questao com Ires purenles seus, residentes era
D. Pedriio, por causa de 3 quadras de campo que
julgavain estes perte.tcerem-lhes. A's 2 horas da
tarde d'aquelle da, Grott foi procurado por seus
prenles, diaendo-lhe estes que iain despedir se
e, corMinuaudo a conversado, refenram se tal
questao do -campo e terminaram por dizerem a
Grolt que ella seria decidida com 5 balas e re-
tiraran! se.
A's 8 horas da noite do mesmo dia voltaram os
referidos individuos acompanhados por mais dous
e, aproveitando se da occmSo em que urna criada
da casa de Grott despejava urna baca, penetra-
ran na casa, foram ao leito onde se acnava ac-
commodado Francisco de Almeida G oti, arras
taram-n'o para o pateo e abi deram rhe 15 faca-
dase um uro de pistola no estomago, arrancando
a vida ao infeliz negociante.
A esposa d'este, tentando sabir para pedir
soccorro foi derrubada por um dos auassinos
com um golpe no nariz !! t
A populacho do Rinco deS. P^droeatater-
rorisadacom esse acontecimento e revolladacon-
tra os autores do crime.
Em Santa Mara da Bocea do Monte, a 27 do
mez uliimo, foi pronunciado como ocurso nos
artigos 20o e 192 combinado ao 34 do cdigo cri-
minal o coronel Martins Hoehr, como autor dos
ferimeotos graves e ten tal ira deorte na pessoa
de Ernesto da Silva Oliveira na noite de 5 do
mesmo mez ; sendo tambera pronunciados corao
cumplices do mesmo reo cima, ocursos no art.
193 combinado ao 33 do referido cdigo, os ex-
soldados da seocao policial d'aqueila itdae Ma
ximiano Militio Rodrigues e Jos Pacifico, os
quae3, como o reo principal, j se achavam pre-
os preventivameale.
Na cidade de Pelotas, inaugurou-e como
melbor resoltado novo balo da fabrica de gaz
e reunirn) se a directora, socios e gerente da
companliia de desobstrueco do rio S. Goucalo e
resolveram aceitar apedices de 6 / da divida
provincial em pagamento do que a provincia
aeve i campanilla e pedir presidencia que os
titeios fossem pascados ao portador e os juros
das apolices pagos era Pellas.
Na cidade do Rio-Grande reuniramwos
empreados nnblicc-s para tratar da fundaco de
um monte pi local.
Sanio de Porto Alegre com deslino ao Rio-
Grande e Santa Catharina a cannoneira fraocexa
Ltoe.
ina* Ucrae*
Datas at 16 de Setembro :
De Janeiro a Agosto do corrente auno ven le-
ram-se na fuira de gado dos Coraces do Rio
Verde 18.289 rexes.
Em alfjuns pontos da freguezia,de Passoa geou
consideravelim rile, na noite de 4 para S do cor-
rente.
Felizmeote to exlemporanea geada nao cau-
gou estragos s planlaces.
Fallecen na cidade da Varginha o fai~:ndeiro
liberal Antonio de Godoy.
n. Paulo
Balas al 19 de Setembro :
Era relcao ao ramal frreo de Santa Rita, l-se
0 segunde :
Trab-lha-se activamente no movimento de
trra os trabalhos comecaram em Junbo do cor-
rente anuo e at o dia 10 d'este mez j estavam
promplos 7 kilmetros, de Porto Ferreira em di-
recjo villa de Santa Rita do Passa Qaatro.
Oque ha de mais importante em toda a li-
ona, que mede 26 kilmetros de Porto Ferreira
aquella villa, a ponte sobre o Rio Claro, que
tambem est prompta, fallaado apena} a super-
structura, que ser em parte metallica e em par-
te de madeira.
A ponte tem dous vaos, um de 12 metros,
outro de 8. A largura de 22 metros entre os
encontros.
A bitola de" 60 centmetros, notando-se, po-
rm, que o tragado de 1 metro, e os directores
do ramal pretender mais tarde cooverter a bi-
tola de 60 a l metro.
Espera-re que o trem de lastro ebegaea San-
ta Rita do Passa-Quatro era Janeiro prximo fu-
taro, e que a inauguraco se etTectue em Marco
ou Abril de 1890.
A Provincia faz a seguinte descripcSo da fa-
brica de papel, inaugurada na estafio do Salto,
em It.
O que primeramente chama a attenco do
visitante, ao cnegar ponte do Salto, o Iraba-
lao da abertura do-canal, que coudui fabrica
Mjegua necessaria para torga motora e servigos
Tnternos na preparago do papel. Esse canal,
aberto atravz de rochas vivas, tem 3# metros
de extentio sobre quatro de largara e pode con-
doiir um volurae d'agua le tres metros de pro-
fandidade. Inforraaram-nos que a sua constrac-
efto, verdaderamente titnica, custou quantia
wperor a 100 000*000!
Foi necessario desviar um brago do Tiet, e
fazer um grande acude, entrando as aguas no
canal por urna solida repreza de pedra.
As aguas sao conduzidas da extremidade do
canal para as turbinas, caaos de ferro batido, de
metro e meio de dimetro, na eiteiso de 76
metros, sendo a differenga de nivel entre o ca-
nal e as turbinas de cerca de 17 metros.
Funccionatn tres turbinas coa a torga ap
proximada de 800 cavallos, havendo ainda agua
lufficiente para o triplo daquella torga.
Datas-at 12 de Setembro :
Foi designado o dii 7 de Dezembro prximo
futuro para a eleigo de deputados provincia**.
O r.'ii 11 ot iia di alfaudega no m<'z (Indo foi
de 32:i03i64 e era iual mez em 1883 de...
13-6011628, sendo a differenga para mais nesle
exercicio de I6:803*9t.
A mesa de rendas arrecadou no mez de Agotv
to 6:278*207.
Baha
Datas at 24 de Selembro.
Foram removidos ".os- promotores publioos, o
Sr. Dr. Saoino Jos dos Sanios, da comarca de
Condelia para a de Alcobaga. para aquella co-
marca o da do Porto-Seguro, Sr. Manoel da Silva
Lentos, e para esla o da de Alcobaga Sr. Bemye-
nuto Primo de Lima.
Fura mapreosa communicado um facto que
borrorisa to barbare foi o procedimente da Sr.
Eugenio de tal morador de um predio ra de
Saldsnho ; o caso :
Achava-se o pedreiro Jos Romo dos Santos,
(Je 32 annos de idade. oceupado em plantar ama
barra na escada do dito predio que se aettava
em obras, quando por descuido oa proposito
foi Ihe, dos aposentos de Eugenio, atirada.uma
porgao d'agua que luolltou a Jos Romo. Gomo
era natural reclamo o mesmo contra to wso
lito procedimento pois que se aebanJo suado
iwdia Ibe ser jtrejudual. Por este simples facto
ucftou-se o Sr. Eugenio de tal autoriaado a ari-
rar da-*sscada atwixo ao pobre e idoso artista,
de que resultou fracturar a perna, sendo precisa
corlar pina parte do osso
Consta que a polica toraou conbecmento do
faeto sendo de suppftr que nao deixe tao brbaro
crine asa a devida rorraegrj.
0 Sr. Delphino Jos Pires, zelosaemprega
do da alfandega, foi vidima Je um roubo, era
sua inorada no 4," andar do predio n. 16, ra
direilade Palacio.
E' tal a audacia dos ladroes, diz o Diario de
fiot tesas que por abi surdera de todos os. cantos
sera, uera de leve, perturbar e somnolencia da
nossa famosa polica,,que o roubo foi praticado
em pleno dia. n'uuiadas ras mais contraes da
capital.
XrromDadas as portas de entrada e da alcfiva.
levarara os ladrOes : 3335000 em dinheiro, 2
anneis de brilhantes. urna cadeia de ouro com
relogio da prata, um pinse-nei e urna .abolladu-
ra de camisa, tambem de ouro e finalmeni-: um
binculo nikelado.
As roupas foram respetadas.
O Sr. profcssor Tuut, digna subdelegado da
fregnezia da-S, fez corpo da delicio e prosegue
em diligencias policiaes.
Tinbam fallecido oa capital :
Flavio Reginaido de Freitas, Antonio Francis-
co da Cunha. Gustavo Ioliliano Pessoa, Elosbo
Cassiano Augusto de Lima, o veraador Jos Pe
reir de Almeida, Eduardo Alves de Figueiredo,
Braz Laorentioo Guildes dos Santos e Sessstrie
da Silva Leraos; em Alagoinhas Antonio Pinto
de Aguiar e ora Maragogipe Salustio Calazans
Alnsoan
Datas at 26 de &rferabro.
Estava marcado o dia 1.a de Oulubro para
a eleigao de t." escrutinio no i. disircto em
que entraro oa candidatos Drs. Bernardo An
tonio de Mendonga ."obrinho (C) o Jos Januario
Pereira deGarvabo (L).
, L se na Ordem :
O Exra. Baro de Traip e o engenheiro
Antonio Pedro-de Mcadonca. eatao encorporando
urna fabrica de fiago e tecidos no municipio do
Penedo, no logar denominado Boa-Sica.
A fabrica est oreada em 280 cont de ris
e conipor se-na de 103 teares
As aeges sao do 200^000 ris cada urna e
as entradas sero fritas meosalmente na razo
de 10 tp do valor nuraiaaJ de cada aego.
Sendo, na provincia, a zona ascolhida a mais
productora do algoc.ao, este, livre de maiores
transportes e outra Jespazas inclusive o desca-
rogain-uto l'eito na jropria fabrica e enfrda-
melo, se obter com milita vantagem, lucran-
do-se anda o prego do carogo de fcil venda fl-i
fabrica de leos, fronteira.
> D'estas e oulras coodigCes cstabelecidas
oonuluimns ser esta empreza de um futuro eura-
raamente vantajoso, como est perfeitamente de-
monslrado no respetivo projecto que nos foi fe
ee ciilo -
< Segundo coasta nos, acna se j'subscripto o
capital de 108 conts
Desejaraos que os illastres encorporadores
realisem em breve ttano o seu desidertum.
L-se no Gutmbcrg de 23 do corrente :
Hontem s 8 1/2 horas da noiie deu-se nra
facto gravissimo que nao podemos hoje miuda-
mante relatar.
A msica dos Artistas e as pessoas que a
acompanhavam a urna mauifestago ao capito
Virginio Ramos, em casa de sua residencia, fo
ram aggredidas na praga do Mercado por cerca
de 60 pragas de linlia
Os soldados receb-ram ordens do Sr. coronel
Flix Bandeira, delogado de policia, para pra-
ticarem taraanbo attentado -
E-se delegado qiu se esconder no edifficio
do mercado, appareceu depois do conflicto di-
zendo que nao tinha dado ordem para tal I !
Esse delegado pe vence historia I
Foram espaldeirados os msicos e o povo,
(cando mais de 5 pessoas feridas por golpes de
sabr. w .
O msico Manoel Boaveniura, barDeiro, loi es-
pancado de modo ta.' que se ach i em perigo de
vida, tendo sido n.colhido casa da candosa
viuva Exma. D Mara. Lins.
O povo, sem armas, nao pode reagir. Por 3
vezas foi dispersado pelos sicarios fardados e
tambem por 3 -vexeii conseguio reunir se reali-
sando afinal, sua manifestoslo de aprego ao
bravo militar alagoano.
Maior seria a detgraga a lamentar si nao se
apreseotaMsm a conter a furia dos soldados
diversos ofliciaes de linha e os capites Antoni-
oo, Acisclo e Jos Leocadio. *
COR
Ho Diarlo de Peraatnbuco
POlTIGAXi Lisboa, 16 db Setbmbuo
de 1889
Ouvi que, afiuil. se decidir que a3 elegoes
Seraes de deputados se realisassem no domingo
9 de Outubro. .
Sendaatwiia,oqjas Uika nisteriaes e
fliciaeaAaam wii;, mnlmfm nwiiiipauu^
Mndas a 13 de BvealKro.
*iia dasateicSwa*unioipas wn tu lo puz.
Den tro ox aaaflM dt *'aa**irii a l.noo
sua alte mal ptnelp3 D. iMos, duque ik'
fteiganga.
fie Italia, oade fot asaMr aa Jaipiva U do li-
Inodo lanjar-1' Aasta.aMr t aiatanio. atad..
voHeu aris e ragressara*por 4iespaob;i, aav
ir m.rjnma--n-# n*9i*lm*-mtmt fa mta
ranean Jo em San Subintran, que frea pou-j dis-
tante da fronteira francesa.
A saude de el re, o Sr. D. Luiz 1 contina, a
inspirar fsraes receios, infelizmente fan.la^l^
posto que a imprensa governamental se afadi-
gue todos os dias a dis3iparos boatos asaltado-
ras a qao o oiUros oraae* dio curso
Nao se percebe, realmente, este empenlio da
imprensa eftkiosa em desmentir at com desa-
bnmento as noticias que, a tal respeito, do as
folhas opposicioaijtas; ao mesmo terapo, qae,
parparte destas. hega tambera a parecer im
perliaeoto a insistencia com que fazera prever a
ventu ilidade mais ou menos de un desenlace
fatal aos padeciraentoa que est softrendo o che
fe do Estado.
; Um medico, amigo dedicado de el-re a que de
proposito foi ltimamente visitar a sua raages-
tade, sera carcter official, asseverou me que o
soberano est rauto paior do que team dito as
folnas da opposigo I
O certo que a ida da familia real para Cas-
caes, quena ratona ultima Ihe dava, como certa,
para o dia e qne le;n sido tantas vazespro
U'stada. ja se nao realis segundo ouvi.
Sua mige-tade ir do pago de Cintra para o
da Ajuili. raasisto s quando pudav.-fazei est
breve jornada.
Parece, norm, que o augusto enfermo se re
vea ainda muito com a msica, porquanlo ain-
da' urna njit>) nao deixou a bau-la marcial do des-
tpcamenlo de execatar.no atrio do pago de Cintra
que-esl franco a toda a gente, ranos thechos do
seu escolhido repertorio.
A assignatura real que devia ter-se eftoctuado
na quima feira ultima, 12, licou adiada por in-
qomraodo do soberano.
E' o que se affirma em voz baixa.
AHegou-se ostensivamente outro motivo.
E' altamtHile lisongeira para este paiz a se-
guinte iaforraagiio, que se l no ultimo numero
do ticononiite Frangau acerca das nossas nao-
gas.
Rep-oduzil a no ministerialismo; por isso
areio que alguraas folhas menos affectas sita-
gao a tem transcripto :
I Eis a traduego :
Os fundos portugueses .continuam a ser ge
ramente tirraes, dando lugar a transaegoes mui
to numerosas.
O 4,5 por cento oscilla serapre perto do par,
fechando a 301.23.
Como est exposto a ser convertido, acba-
mos-lbe prererivel o 3 por cento que, alias, d
pouco mais ou menos o mesmo rendimento.
O que da a Portugal urna clientela cada \cz
mais numerosa principalmente o seu afasfV
raeuto do Ihealro das lucias eventuaes da Euro
pa, do que resulta que esse paiz nao tem prejti
zo directo oom urna guerra europea.
Por outro lado, se Portugal se langou um
pouco ousadamente era obras publicas, e por
esse motivo muliiplicou os -emprestimos nos ul-
timo* dea annos, nao se pode negar que a pros-
peridad rto pais se tem desenvolvido muito se
mente.
O grande augmento das receitas das cu: i
olios d ferro o indicio do que asseveramos.
ltimamente a Companhia eal dos Canii-
nhos de Ferro Portuguezes proeedeu a urna im
portante emisso de obrigagoes, operago esta
que se acha definitivamente conejnida com o
Uai'co de Darmstadt, o qual abrir .brevemente
a subseripgo publica em Oerlim e em Frauc-
fort.
Este negocio estava reservado ao eyndicato
portuguez, o-^ual j preeeteotepieate haviu
contractado firiRs urna certa quaoifado de obrt-
gagot^s do mesraotypo de 4 If2 0|0, reservando
para si, nesta oceasio a faculdade d'opgo e a
prefeienca para a emisso actual.
Os contracianles allemea ti veram naturalmen-
te de resgatar esta faculdade.
Sj estas as informagOesque a tal respeito nos
d o Jornal do Comm-rtw de Lisboa.
Da questao de Lourengo Marques nada consta,
por ora quanto abertura da concurso para a
adjudicagio da linha, ou da sua explorageo defi-
nitiva por couta do Estado.
Emquanlo se nao d urna solugo a este as-
sumpto, foi assiguada ba poucos dias, urna con
vengo de tarias entre o caminho de ferro de
Lourengo Marques e o do Transwaal.
0 primeiro foi representudo pelo governo por
toguez. que hoje o preprietario dellee quanto
ao seguudo, foi o cnsul do Transwaal era Lis-
boa que representou neste acto companhia
hollandeza Sul-Africana, concesaionaria do ca
minho de ferro de Pretoria fronteira transwa-
liana, cujos trabalhos de construegodevem, se-
gundo se affirma, comegar brevemente.
O conselho de sade, reutiklo anlehpatem,
resolveu manler as medidas preventivas eslabe-
lecidas, em visto das ulor naces que recebeu
do Dr. Henrique Maia. comraissionado pelo go-
verno em Vigo, afirn de eominunicar diariamen-
te os progressos, marcha ou declinagao da epi
dcaiia que aUi se maeieetou ollimauteole.
O referido clnico dii qne, as avenguaces a
que tem procedido at agora, ten so encontrado
doentes com eores lyplioides.
Parece 'due alm de Vigo e seus suburbios,
estao gr**aundo fefcros suapaitos ao Ferrol e na
Comuna.
O Sr. Mndez Vigo, plenipotenciario de lies
panha-em Portugal, veio ha-dia da pruia da
Ancora, onde, eslava u banho* com ana familia,
eui virtude de instruceoe do seu gorerao, aliui
de conferenciar cora o ministro dos negocios es-
tranL'.'ii us eerca das preeaugoes temadas na
fronteira.
O mesmo diplomata, tonga de encordar com
ass resolugoes da junta consultiva de sade pu-
blica, instou vivam-nte, era preseng do eecla-
recimentos ofliciaes, tornecidos pelo seu governo,
para que cessassom precaugoes, que reputava
injustificadas : e altamente nocivas aos inleresse
econmicos e boas relagoes entre os dous povos.
Por parte do governo portugus, em vista do
inleresse supremo da sade publica, pola qual
Ibe cumpre velar, se deca ron nao poder pres-
cindir se dos botos esclareriiupotos que se
aguardavam, para de qualquer fOrma alterar ou
annullar as resolucoes j lomadas, sendo certo
que, da aua parte, na o vivo desejo de evitar
ludo quanto as informages ofliciaes e o parecer
das repartigoes competentes nao demonstrem
ser recoohecuiamente necessario-
"Um jornal regenerador dos mais aggressivos
ao governo progressta, reepoodendo a um ar-
tigo da Concordia de Vigo, louva as providencias
lomadas aqu, e incita o governo a nao esmore-
cer, no camiaho encetado.
Os interesses commerciaes pouco soffreram
n'este periodo e as boas relagoes entre os dous
pj'.zes hito de manter-se na maior cordealidade.
A exigencia do governo hespanhol nao ra-
zoavel, e depois de termos de c mandado um
medico a Vigo para.apurar qual a enfermidade
reinante n'aquella cidade, parecera humiliativa
transigencia desistir logo de todas as precau-
goes antes de recebida a informago do nosso
comraissionado official e ante as reelaraages do
governo hespanhol.
O governo cumprio o seu dever. E este elogio
Ihe faz tambem a Esqnerda Dynasticaa, da oppo-
sigo.
Nem a Hespanha tem motivo para melindrar
se, era os interesse3 de Vigo ho de esperar
por rauito terapo pela resoluco que desejam, se
nao liverem fundamento as noticias que nos po
zerara em alarme.
O gado e o peixe, vtndo de Galliza, pode en-
trar em Bortogal, comanlo quffos individuos
que o trouxerem nao passem a fronteira.
Por ora, ainda esto, pois cortadas as comrau-
nicagdes pessoaes com a GaUa.
No otario do Governo feio publicada, no
dia 14, a carta de lei autofisando o governo a
crear tnbunaes de arbitros aviadores as loca-
lidades em que houver centros indtrstriaes im-
portantes.
Em Lisboa e Porto pode haver mais de um
m ,
. d'estes tribunaes, conforme o agrupameoto-'de"
industrias que para tal lira 3e effectuar.
Seo da competencia dos tribunaes, de arbi-
tros-avindores, qualquer que- seja o valor da
canea; em geral todas as controversias sobre a
eatecncao de contractos, ou convengoes de ser-
vtca, em aaanmptos indusiriaes ou commerciaes
eore patroes de urna parte, e os operarios ou
rof>regado3, da outra; ou entre operarios ou
erapregadoj entre si, quando trabalharera para
o meame patrio e era especial as que disserem
reaperta a-alarios, prego v> quilida*- da mo de
or, horas de trabalno. contractadas oa ilevi
das.-obatwuncia de cstipalaeckie wpeeiaes. im
petfeigao na rao de obra, oainpuaiai'tes de sa-
larios por alttracao na quiiMade da materia
prime, ktHwcida, ou por mndMp^e-t-aasi u
cagos do irabalho; itidetiiaisi^e pti aban
dono dafaoiica.'ou por ueenctuiMiio, ouvbaa-
dono antes de Ando o traba loo ajustado e ia-
demnisafio pir n.to cuwepruueutu-dj eontracto
de aprendtzagetn.
Os tribunaes de arbitros-aviadores poderSo
tambem funeciohar corao cmaras sindicaes,
f^naado assm Ibes fdr requerido, ou pela maioria
nos operarios ou empregados. on pelo respec
tivo patrio, para toraarem conlicimenlo das re-
PMaa#jOiii contra as eslipululos do *rvigo ou
contracto do traballio em vigor, e emlirem o
seu parecer sobre a opportunidade e equidade,
auc porventura assistem a essas reclaraacOes.
O governo lica tambera aulorisaJo a decretar
era diplomas especiaes a forma do processo
para os julgamentos das controversias a que se
refere esta lei a forma de recensearaento e elei
gao nos collegios para a constiluigao dos tribu-
naes de arbitros aviadores e os regukraentos
necessarios para a inteira execugo d'esta lei.
Foi um dos actos mais importantes que na re
cem-floda legislatura sabio do parlamento por-
tugus, e a lei de que se trata veio, na verdade
preenclier urna laouna que a todo o momento se
razia sentir era a nossa kgialacfio.
O govejno acaba de nemear urna commis-
sa para se oceupar da reviso das tarifas dos
caminhos de ferro, e propor superiorioeiire o
que resultar i*"s iOVS a^m-fOB averiguagoes.
Nomeada a coramissao, o governo mostrou. qw
coraprebende os melinilres de quesISo, e o fun
damento das reclamacoes que os coniiressos agr-
colas feera apresetitado a tal respeito, seguindo
n'isso o e-xempla de outros paizes.
Urna das aspirages, tambe-n eeralraenle for-
muladas, a da unilicag&o das tarifas, que dei
xariam de ser mais c menos funeco de distan
ca, para se converlerem era direitb frxo, so de
terminado pela natureza das mercadori.is trans-
portadas.
Essa reforma est feita umversalmente para os
servigos telegrapbicos e para as franquas do
correio.
O regulamento da agencia financia! do go-
verno portuguez no Rio le Janeiro devera ser
publicado por estes dias.
Diz-se que foi presentada ao governo urna
proporta para urna carreira de navgagfio a va
,por entre'o porto de Macau e alguns principaes
nortos do Mxico.
O intuito da empresa parece que transportar
trabalhadores chinezes para as obras do cami-
nho de ferro mexicano.
Pelas ultimas noticias coneta que a estago
civilisadorade Porlugal no Nyassa (fricaOrien-
tal) fora reforgada com soldado do districto de
Minie i e cypaics de Joo de Jess Mara.
IIavia mais vassallagens.
O reglo Chuccica declarara se subdito do
rei de Portugal e o poderoso Macanjire mandara
estago dous fllbos sen com protestos de ami-
sade, e a declarago de querer arvorar nos seus
estados a bandeira portugueza.
Para Quelimano tinha partido urna embaixada
do rgulo ilatapire. que iimndou pedir assenti-
raenlo para a vassaHagem dos rgulos Gicumbo,
Slncaoda e Qiioaja.
Este ultimo das visinhancas da m'ssao evan-
gelice dos escossezes de Blantyre.
O representante da Allemanha era Lisboa
airadeceu Sociedade de Geographia, em noine
do governo allemb e da direcgo dos museus de
Berira, as recommendagOe-^ d'aquells sociedade
era favor da expedigo sciontilica ailem.que foi
llia de Timor.
11HBH~1
Post scriptum.A folhas de hontem noite
disera que tendo a junta de saude decebido ter-
minantes informages do Dr. Maia de que a epi
demia oa Galliza nao s nao apresentava o ca-
rcter suspeito que se Me suppunha. como, prin-
cipalmente, ia em rpida declinagao, foi de pa-
recer que se levantassem as precaugoes to-
madas.
. Em vista d'isso. foi j enviada ordem ao go-
vernalor civil de Vianna para se restabelecer o
livre transito, tomndose ao mesmo tempo se-
veras medidas de vigilancia para qualquer even-
tualidade futura.
Fallecen m Coimbra o sabio lente jubilado
da Universidade Dr. Manoel Marques de Figuei
redo, com 8i annos de idade.
Prestou relevantes servigos causa da llber-
dade e durante o tempo era que pertonoeu acti-
vamente ao magisterio da Universidade, teve
quasi serapre a *eu cargo a regencia da cadeira
de agricultura.
Todos os jomaos eslo celebrando eom alto
louvor. tanto para o governo brazileiro, como
para o ministro portuguez dos negocios estran--
geiros o Sr. conselheiro Barros Gomes, e o nosso
ministro na corte do Rio de Janeiro, o Sr. con
selneiro Nogueira Soares, o facto recente deter
sido assignado um convenio litterario entre Por-
tugal e o Brazil, o que se reazou a 9 do cor-
rente.
S5o dignas de attengo as considerages apre-
sentadas pela grande maioria da iraprensa de
Lisboa sobre ura assnmpto, que de um inle-
resse vital para as nossas lettras.
Um telegrama do Porto, de 14, transcripto
nos folhas de Lisboa de hontem noite, 4n que
o presidente do conselho de ministros telegra
phou nossa data ao orernador civil d'aquelle
disircto, dsendo-lhe que el rei passa melbor.
Espera se a 18 S. A. o principe real.
.1.
Acloi ofiiciaea -Por actos da presidencia
de provincia de 26 do corrente :
Korara nomesdos-Augusta Elvira Uchoa e Fran-
cisco Alves de Asevedo para, na ordem em que
veo eottocados, regerem effectivamente as cadei
rasde eosino primario de Panillas e Agua Branca.
Foi nomeado o promotor publico bacharel Anto
niode S Cavalcantede Alboquerque, para exer-
cer o cargo de ajudante do procurador dos foilos
da fazenda provincial no municipio de Cimbres,
Ocando assim exonerado o bacharel Herculano
de Oliveira Torres Gallindo.
Por actos da mesma presidencia de 26:
Foi nomeado Francisco Theotonio Pereira ra
Costa, para reger efTeclivamente a cadeira do
sexo masculino de Mimoso.
dem Autonio Gablno de Almeida Mendonga,
para exercer os oficios de escrivo de orphaos
ausentes, da provedoria de capelles e residuos
da comarca de Liraoeiro, durante o impedimento
do serventuario vitalicio, que obteve, em 6 do
corrente, 8 mezes de licenga.
colonia snaaauaa-Pela presidencia da
provincia foi expedido o seguinte oflicio :
5.' SeccSo.Palacio da i residencia de Per-
nambuco, em 27 de Setembro de 18&9.Approvo
o parecer por V, S. exarado em oflicio de 21 do
corrente, sob n. 18. acerca da preferencia qne
devem ter na deatribuigao de lotes de trras na
Colonia Suassuna, Joaquim Xavier Carneiro de
Lacerda e Jos Ferreira da Silva por ja haverem
requerido o primeiro o de n. 18 e o segando o
93' antes de Jos Bezerra de Barros Cavalcante
e Joaquim Baptista Gomes Pereira. Remetto-lhe
as petiges sobre as quaes deu parecer para
Sroceder de conformidade com o raeu oflicio de
9 deste raez. Deus guarde a V. S. M. Alves de
Araujo -Sr. engenheiro Gregorio Thaumaturgo
de Azevedo.
Titulo de engcaaelro Acha se na se-
cretaria da presidencia o titulo de engenheiro
civil conferido pela Escola Polytechina a Misael
Domingues da Silva, aUm de ser Ibe entregue
depois de assignado perante o Exm. Sr. conae-
Ineiro presidente da provincia.
*S de Nelembro-Fazem hoje 18 annos
que foi promulgada a lei que libertou o ventre
da mulher escrava e tomou outras providencias
tendentes accelerar a extinego dos escravos
no Brazil.
Essa data gloriosa merece nao ser esquecida,
e cumpre tambem recordar que foi o venerando
A legago fran
a 16 do corrente ao
govern- do Bey de
Vizconde de Rio Branco, de saudosa memoria
quem eavklou os maiores esforgoa para que fo3-
se lei aquelle generoso pensameoio.
A sociedade musica 13 de Maio, de Olinda
Cara oommemorar to auspiciosa data, tocar
oje diversas pegas de seu repertorio em frente
estatna da Liber lade. al!i inaugurada no anno
(indo para relembrar a data memoravel de 13 de
Maio, e depois far urna passeiata pelas prioci-
paes ras da velha capital.
Maulfeataf ia kunroaa Hontem. s 6
iVhoras da tarde, Rana, conego Dr. AntoBio Ar-
coverde Cavalcaale df.Albuquerque, digno rege-
dor do Gymnasio Peraatnbucano, acorapaniado
por cerca de 100 al amaos daqaelle estabeleci-
.ment, dirigie-se ao hoepital Pedro 11, aam de
felicitar ao i I lastra-to clnico Dr. Ignacio Alce-
biadcs \'elle-o, aliimamente oatuealo che te d i
igo saaitariodesteeatabelecifnentoe ao ms-
alo tempo, em aauo de seus aUimnos, agrade
,;u Ihe a solicitad* e urbani'la-Jj cora qne as
tratou durante o tempo que foi medico do Gytn-
oasio.
llecebidos os maoifestaute3 pela3 irms da ca-
ridade, a cujo cargo est o hospital, agradeced
o Dr. Velloso, conmovido, a geatileza da raaoi
festago, fazeado votos pela pro3peridade de urna
insiuigSo que tanto honra a pr. vincii.
Foi urna fructuosa ligio que o digoo regador
deu a seus alumnos, essas gatitis avesinhas que
all se csto emplumando para os vos da vida
social.
Teridosaacionaes-Viraos urna pega de
flan-'lla rxa ofTor>cida Santd Casa de Miseri-
cordia do Recife, tecida na fabrica Rlteingantz,
do dio Grande do Sul : efTectivamente o que
ha de rnellior nessa especie de tecidos.
Recommendamos, pois, aos Srs. coramercian-
tes nao s esse lecido corao todos aquellas qu-i
aao manufacturados na alludida fabrica, por se-
rena os mais aperfeigoados e deverem preferir se
lauto por isso como por serum di industria na-
Qional.
liaiircnm -Socebomos hontem o n 14
da Il'.ustnigao, magaici folha Ilustrada que se
publica em Pariz e de que redactor propneta-
wo o Sr. Mariano Pina.
De Lisboa o n. 3 da Revista de Portugal,
de que director o Sr. Ega de Queiroz
Da Corto recebemos o n- 17 da Es'aco, ex-
cellente folha de modas panzienses.
O Brasil era ISSO na exaoaieo
de Paria. O commissariado geral do lm
perio do Brazil na expo-igo universal de 1889
acaba de oflertar-nos ura exeraplar do importan-
te livro que acaba de publicar em Pariz sob o
titulo Le Bresil en 1889.
Acompanbam este livro, que tornase de 700
paginas, una carta do imperio chroinolithoara-
phala numerosos quadros estatisticos e graphi-
eos e cartas.
Foi publicada esta preciosa obra pelo syndi-
cato da convnisso tranco brasileira para a
aclual exposigo de Pariz, cora a eotluboravo
de inultos esenptores brasileiros e sob a intel
ligente direegao doSr. Dr. F, J de Santa Anna
Nery.
. Agradecemos a offerta-
Cabos iibmariiio
ceza na corte coraraunicou
governo imperial, que o .
Tunis acceder convengo internacional de
44 de Margo de 1884, assignada em Pariz, para
protecgodos cabos submarinos,de conformida-
de com o disposto no art. 14 da mesma conven-
go, tendo o governofram-ez, nos termos do art.
3~d o protocollo de ? de Julliode 1*87 annexo
aquella convengo, examinado e aehado con-
formes as disposiges adoptadas-na- Tunesia s
do art. 12 da referida convenci.
circular sobre lotei-los. Por aviso
de 26 de Agosto o ministerio da fazenda no in
leresse de Mscal3ar a execugo das leis e or-
.dens vigentes relativas aos impostos a que sao
sujeitas as loteras do imperio e os contractos
celebrados as provincias, e principalmente de
conhecer:
i." -Se aquellas pagam o sello de seus bi-
Ibete3, segundo o numero delles em cada serie.
de extraego, e o respectivo imposto du lo \*
do capital, para ter destino que Ihe houver sido
proscripto as leis gtraes, conforme foi expli-
cado na circular deste ministerio de 7 de-Feve-
reiro de 1887;
3." Se das tiaaogas a que sao obngados os
contraladores ou empreiteros -pago o sello de
que tratara o art. 2', o. 3. e a tabella A. S V n.
12. do regulamento n. 8 9i6 de 19 de Maio de
1883;
3.* Se da porcantagem abonada aos raesmos
coulratadores ou empresarios pago o sello a
que se refere a circular do thesouro n. 24, de l*
de Outubro de 1888;
Resolveu que fossem enviadas ao mesmo mi-
nisterio copias dos planos, contractos e quaes
quer outras disposiges em vigor regulando a
concessao de loteras as provincias, bem como
que fosse providenciado para que dora em
(liante se d regularmente conheclmento aquelle
ministerio de quaesquer alterages que de fu-
turo seoperarcm as meamos leis, planos, con-
tractos e disposiges. .
E' mais urna sem ceremonia da ceotralisagao i
as provincias nao ha agentes do fisco geral
incumbidos dessa liscalisacito e da execugo das
leis c ordens allndidas 1
"club Carlos JomesHoje ser empos-
eado o novo conselho administrativo do Club
.Carlos Gomes, depois do que baver sarao dan
san te.
Boa* desas dos AOlIcios-Amanha, s
10 horas do dia, devem reunirse os confrades
da irmandade do SenborBom Jess dos Afllictos,
erecta na igreja de S. Jos de Riba Mar, para o
flra de elegerem a nova mesa administrativa no
anno comproraissal de 188990
Recreativa Coaamerclal Os me'li-
bros da sociedade Recreativa Commerctal sao
convocados, em assembla geral, para amani
s 4 horas da tarde, com o m de elegerem a
sua nova directora.
Baaeo Naeleaal do Brasil Em as-
sembla geral dos accionistas do Banco Inter-
nacional do Brasil, realisada na corte em io do
cojrente mez. foi deliberado, por BnaniaMdade
de rotos, que aquelle Banco se fundiese com o
Banco NicomI do Brasil, paseando os dous, as-
sim fandidos, a terem este ultimo nome.
O capital do Banco Nacional do Bras de
90000:000*d<>0. T*-r elle caixas tiliaes as
provincias, e far todas as operares propnas
de taes estobelecimeotos de crdito.
' fiesta provincia, a partir do 1* d Oulubro
prximo, a aotiga caixa filial do Banco Interna-
cional, funecionar sob o ttulo de Caixa Filial
do Banco Nacional do Brasil.
Ferimeato casual Foi antehontem
tarde preso pelo Sr. subdelegado do 1* districto
da Boa-Visto, o-aiderio Belmiro de Lima, por
ter, era ura predio que se est construindo na
ra do Hospicio, disparado um revolver, na
oceasio em que o experimentava,empregandose
a bala no peito esquerdo de Joaquim Clemente
resina Ribelro, que foi recolhido ao hospital Pe-
dro U.
Sobre este facto proeedeu aquella autoridade
nos termos da lei.
Accidente A's 6 horas da tarde de l des-
te mez, amachina de lastro do prolongamento
da estrada de ferro do Recife ao S. Francisco,
em o kilmetro 74, atiroi ao chao Antonia Ma-
ra daConceigo, dando esta urna queda tal que
cinco horas depois fallecen.
Do inquerito a que proeedeu o Sr. delegado de
Quipap evidenciou-se ter sido o facto casual.
1 Fe. lfueato graveAntehontem, s 81/2
horas da noute, na travessa da roa de 9 Fran-
cisco, foi aggredidoe ferido gravemente, na re-
gio parietal direita, por um fuo Alm, o Indi-
viduo de nome Vicente da Costa Gomes.
O offeasor evadio-se e o Sr subdelegado da
freguezia, tomaodo conbecimento do facto, pro-
cede nos termos da lei.
PassaaaeatoFalleceu hontem o profes-
sor de msica Amaro Joaquim do Espirito San-
to, victima de padecimentos cardiacos.
Contava 43 annos de idade, e era estimado pe-
los seus collegas.
Era um oom hornera, e, como artista, sabedor
de sua arte.
O sahimento ter lugar hoje, pela manh, da
igreja de Nossa Senhora do Livramento, onde
est depositado o corpo.
rasscilo publico -A proposito da noticia
que publicamos, ha poucos das, sobre o novo
passeio publico, recebemos a seguinte commu-
ni cacao:
E' sempre com viva aatwfago que vejo a rea-
lisago dos nrelhorameutos pblicos, applandin-
do-oade nanita obscuridado.
Acompaouando sempre o progresso material
do paii' conhego quasi tudo o que se tem felto
na ultima inetade do secuto, pelo que posso u^-
gerir urna idea pratica para que em breve seja
uraa realidade una obra to importante.
A salubridade publica est a cargo do governo
geral, ella que nomeia todos os Agentes que
devera velar por ella ; erabora, em geral, limite
a corte do imperio a execugo de obras.
No entretanto, de vez em quando, o governo
geral lembra-se das provinciase raandalhes al-
guin subsidio para o saneamenio.
Quando o conselheiro Joo Alfredo teve noti-
cia do que se tratava em Pernambuco para o
passeio publico, raandou logo, pelos cofres geraes
10 cotilos de ris, cora destino aquella obra, para
comeen-, recommeodando a boa ap?licag5o afim
de poder contiouar ao seu justo e acertado pro-
ceder.
Gragas a esse auxilio e do contingente obtido
da pnpnlacio, se tem custeia lo as despesas at
boje -ilas com o grande irabalho j oxecatado.
Ha pouco o goaeaio geral deu tambera ura au-
xilio de 10 contos de ris para o saneamento da
cidade de Macei.
Se S. Exc. o Sr. consellieiropresidente da pro-
vincia devras daseja ver realizado o nosso pas-
seio publico, corao boamente o acreditamos, pode
obter do geverno geral ura auxilio, de 50 contos
de ris porque conseguir coocluir a obra, sa-
tisfazendo o pedido da Cmara MuQicipal em sua
sessao de Io de Agosto pe 18S8.
Nao urna obra poltica: 03 conservadores
coraegaram ; os liberaes a acabera, porque nao
sao arredios do bera do pai e nao querero que
se espare que de novo os conservadores subam
ao poder para termos um passeio publico
Apresentamos- esta tdeia aSs-Ss., contamos
que erapregaro os meios para que medre no
espirito do nosso presidente.
as vistos do nosso communicante, parece-nos
que satisfazemol-as cora a publicagao de suas
coosatococes, que sao bstanles para despeitar
e comraunicar o inleresse que dellas resulta, sen-
do de esperar que a administrago nelle com-
tiungue, e assin seja conseguida a subvengo
de que trata se.
Revista lllustradaRecebemos e agra-
decemos o n. 5o2 d'essa importante publicagao
fluminense.
I (incala De regresso de sua viagem a
Europa, etiegou hontem o Sr. Jos Livramento a
esta cidade, sendo recebido por crescido numero
de amigos.
O comraercio de qua faz parte o mesmo se-
nhor embande-irou seus navios em demonstra-
cao de aprego e estima ao receravindo, a quem
felicitamos pelo facto que noticiamos.
Trabuaal do Jury do Recife Func-
cionou hontem este tribunal em sessao prepara-
toria, sob a presiden.-ia do Dr. Francisco Domin-
gues Ribeiro Vianna. juiz de direito do 4." dis-
tricto criminal, deixnndo de ser inslallada a 5*
sessao ordinaria por s haverem comparecido 27
juizes de facto.
Foram multados em 2050 0 os que faltaram e
sorteados os seguintes supplenles :
Freguezia do Recife
Januario Jos da Costa
Freguezia de Sanio Antonio
enriqne das Mercas Jansetn,
A o I i-i Jos Bezerra Cavalcante
Pedro Alexnndiino Carlos Maia.
Augusto Gongalves da Silva.
Freguezia de S. -fos
Joaquim Mauricio Gongalves Rosas.
Pedro Luiz de Oliveira.
Freguezia da Boa-Vista
Jeronymo de Allraquerque Maranho.
Jos da Cruz Sanios.
Antonio Gomes de Oliveira e Silva.
Luiz Alfredo de Moraes.
Manoel Gongalves Ferreira Costa.
Francisco Marco dos Santos.
Freguezia da Graca
Jos Augusto Rodripues.
Joaquim de Souza Pinheiro.
Freguezia de Afogados
Joo Duarte tiarneiro da Cunha Gama,
ijdefouso Vieira da Cunha.
Manoel Jos de Magalhes Soares.
Freguezia do Poco
Luiz de Oiveira Lima. m
Jovino Bandeira.
Antonio Soriano ao Reg Barros.
Foi addiada a sessao para boje s 10 horas.
va por BoaPor telegramma recebido pela
agencia sbese que partir hoje da Baha pelo
que estar neste porto segunda-feira.
ser vico militar Entra hoje de superior .
do dia o* Sr. major Alves e de ronda de O
um official de cavallaria.
O 2.* batalho dar as guardas da DSfipgao,
Alfandega e Thesouraria de Paseada com o respe-
ctivo official e o 14* a3 de Palacio, Enfermara,
Thesouro Provincial e Brura.
Foram destribuidas ao 2o e 14* batalho,
destacamento de cavallaria, delegaciajdo cirugio _
mor, fortaleza do Brura e Buraco as ordens da
dia da repartico de ajudante general de ns-
2277 h 2279.
Foi transferido do 14* batalho de Mon-
tara para um dos corpos da 1* brigada na corte
o atispegada Miguel Jos Archanjo conforme com-
municou a repartigo de ajudante geog-nU?^. ,, .
Oflicio n. 953 de 10 do corrente. %^P
Pedio se ao 2* batalho de infantana cer- *"
tido de assen lamento do 2 cadete i sargento
Virgilio Eugenio Lavenere que se acha no Azyls
dos'invlidos da patria em vista da requisigao
da mesma repartigo em oflicio n. 7063 de 14 da
crrenle; e entregou-se ao 14 batalho a per-
tencente ao 2* cadete Nstor da Silva Brillo re-
mettida pelo 24* batalbao. <
Apresentou-se hontem ao commando das
armas vindo da corte o 2* cirurgio do corpo da
saude Dr. Emilio Freir de Carvalho, que por
deternimacao do Ministerio da Guerra foi man-
dado servir n'esta guarnigao.
Existem era Iratamento na enfermara mi-
litar 17 pragas dos corpos da guaroigo.
Directora das otbras de conserva
sio dos Portos de PernambucoReci-
te. 26 de Setembro de 1889.
Boletim meteorolgico

.

~\~-*



- %
Horas Barmetro a 0 Tenso do vapor 5 ta
im. W*-6 760'93 16 71 83
0 28-^1 761-97 1940 7
12 29-4 761-53 20.27 66
37t. 28-4 766-0o 20,03 70
6 27-4 g 20,18 75

Temperatura mxima30,00.
Dita mnima 22,o.
Evaporago em 24 horasao sol: 7".2; som-
bra: 4"2.
Chuvanulla
Direcgo do vento : E durante todo o dia.
(Calmara durante 2 horas pela mah).
Velocidade inedia do vento : i~,36 por se
pudo.
Nebulosidad? media: 0,28.
Boletim do porto
"I l-l1 '......-U-.J. --1JJ.J1L1_LLI_-JJI_ ,
-
Das
46 de Setetnb.

t
27 de SeWmb.
Horas
11-03 da manh
5-34 da Urde
1124
542 da manh
Altura
belldes Eftectuar-se baoi ds-^e^ainiee :
Hoje: ->__
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra Estreita
do Rosarlo n. 8, de uraa casa e parte do sobradaV
da travesea do* Pociono.
Pelo agente Pite, s 10 1/1 horas, roa Vis-
conde de Goyanna n. 173, de movis, espelhos,
quadros e muitos ontros objectos.
Segunda-feira :
Pelo agente Slepple, s 11 horas, ra do Impe-
rador n. 39, de urna casa.
Pelo agente Modesto Baptista, s H boma, i
ra da Palma n. 27, de mobilias e outros mo-
vis,
i -Masas raaeftreaSero celebradas :
Hoje :
A's 7 1/2 horas, na matns da Boa-Vista, pela
alma de GratUltano Jos Gesteira.
A's 7 1/2 horas, na igreja da Soledade, pele
alma de Francisco Antonio Pontual.
Seguada-feira:
A's 8 horas, na igreja de S. Francisco, pe*
alma de Antonio Argemiro de Gonveia.
y



V
I


vapor
Diario de Pernambuco---Sabbatto 28 de Setembro de 1889
3
Paaeagetros llegados do sul no
nacional Espirito-Santo :
Dr. Eloy Teixeira e sua senhora, Antonio Joa-
quim de Moraes, capilo Antonio I de Albuquer-
ue, sua senhora, 4 ti 1 ros e 1 criado, Dr. Emilio
eixetra de Carvalho, sua senhora e i tildo. Mag-
dalena S. Oliveira, Jos Aires de Oliveira Filho,
Joio da Cunta, Antonio Baplista de Oliveira,
Edraond Cox, Antouio Cesar Campos, D\ Ma
noel Augusto de Medeiros, Jos Martins Leito,
Walfrido Monteiro, Manoel Franaisco da Motta,
Ceiar Auuusto Zenati, D. Francisca Monteiro de
Miranda, B. HoffiBann, Mara Pastora da Concei-
cSo e 3 ex-pracas do exercito.
Chegado3 do sul no vapor nacional S. Fran-
caco :
Dr. Livio Pereira Ferraz, 2 fillios e 1 criado,
SimeSo de Aguiar Leite, Conceljo Jnior, D.
Mara Joaquia eLuiz Alves de Lima.
Chegados da Europa no vapor ingles
Trent:
J B. Foy, F. C. H. Taddet, A. Poblmann. Ja
mes Joliason, J. A. Alvares de Carvalho, Mara
A. Mattos Carvalho, Jos do Limmento, sua se-
nhora, I filho e 1 criada.
Sahidos para o sul no mesmo vapor :
Etnilo Petit.
Caa de Ueu-ncdoMovimento dos pre-
sos da Cusa de Detenco do dia 26 de Setembre
de (889.
Existiam 411 ;entraram i7;sahiram 17 exia-
tem 441.
A saber:
Nacionaes 386 ; mulheres 23 ; estrangeiroB 32,
Total 441.
Arracoados396.
Bons 378.
Doentes 13.
Loucos 4.
Loucas 1. -Total 396.
Movimento da enfermara
Tiveram baixa :
Jos Nogueira da Silva.
Manuel Jos Luiz.
Tiveram alta
Manoel Jos Vieira.
Izidoro de Souza Lima.
Foram anle-hontem vsitados os presos deste
estabelecimento por 237 pessoas, sendo 86 lio-
uiens e 151 mulheres
Hospital Podro ii O movimento deste
estabelecimento de caridade, no dia 23 de Setem-
f)ro fci o seguinte :
Entraram 16
Sahiraiu 21
Frileceram 2
Tixisteni 563
Foram visitadas as respectivas enfermarla*
pelos Drs.:
Moscoso s 81|4 Cysneiro s 101|2, Barros So
brioho s 7 1)4, Malaquias s 8 1|4, Pontual s
8 3|i, Simes Barbosa s 11 horas.
Nao compareceram 03 Drs.:
Berardo.
Estevo Cavalcanle.
O cirurgio dentista Numa Pompilio as 8 ho-
ras.
O pharmaceutico entrou s 8 1(4 da manh e
sabio s 3 1|2 da tarde.
O ajndante do pharmaceutico entrn s 7
da manh e sahio as 4 horas da tarde.
Lotera do t-inm-Par-A 6* parte da
29* lotera, dessa provincia, cujo premio grande
60:0000 0, -era extrahida no dia 4 do Outu-
bro.
A 4a parte, da dd 250:000*000, ser extra
hida no dia .. do correte.
t-nindc lotera do faraolio A 7'
serie da 1 lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:uOOJOOO ser extrahida o dia 30
de Seterabro.
SgCemiterlo PublicoObtuario-do da 26
e -etoiubro de 1887.
Paschoal Bruno, Italia, 21 annos, solteiro,
Boa-Vista; alcoolismo agudo.
Ludgero, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista
athrepsia.
Anglica Maria da Encarnaeo, Pernambuco,
26 annos, viuva, Boa-Vista ; cachexia syphih-
lica.
Firmina Maria da ConceicSo, Pernambuco, 97
anno;. solteira, S. Jos ; cachexia senil.
Marieta, Pernambuco, 22 dias, S. Jos ; erysi-
pela.
Coriolano Cosme Xavier, Pernambuco, 28 an-
nos, solteiro, S. Jos; delirium tremens.
appellado Juvencio ds Chagas Leite. Relator o
Sr. desembargador Alves Ribeiro. Mandon-se
|a novo jury, contra es votos dos Srs deseen l>aa
gadores Monteiro de Andrade e Tavares de Vas-
concellos.
Appel aco civel
De CatnaragibeA apellante Dr. Elysio Firmo
Partios, appellado Augusto Jos Pacheco. Re-
lator o Sr. desembargador Silva Reg. Reviso-
rus os Srs. desembargadores Toscano Brrelo e
Deltino Cavalcante Coofinnou-se a sentenca,
uaanimemente.
PA8SAOEN8
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
d isembargador Monteiro de Andrade :
Appelhgo crime
De Mamanguape Appellante Pedro Vianna,
a|ipellada a justiga.
Do Sr. desembargador Pires Goacalves ao Sr.
desembargador Alves Ribeiro :
AppeHaeo .commercial
Do Recife Appellante Joo Goncalves de
Souza Beiro, appellado Gratuliano dos Santos
Vital.
O Sr. desembargador Pires GonQalves como
promotor da justira den parecer nos seguintes
feitos :
Appel Iac5es crimes
Do PilarAppellante o juio, appellado Flix
Manoel dos Santos.
De Araruna Appellante o juizo, appellado
Manoel Rodrigues de Oliveira.
De S. Benlo Appellante o juizo, appellado
Miiooel Pereira Eleplianic.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
desembargador Tacares de Vasconcellos :
Appellaco crime
De Garanhuns Appellante Joaquim Ignacio
de Senna i'ordeiro, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Oliveira Andrade ao
Sr. deseinbaigador Silva Reg :
Appellaces enmes
De Campia Grande-Appellante Candido Jos
de Queiroz, appellada a justiga.
De Barreiros Appellante o juizo, appellado
Jo* dos Santos Malta.
DILIGENCIAS *
"otn vista ao Sr. desembargador promotor da
justica:
Appellaco ennse
Da Palmeira dos Indios Appellante o juizo
appellado Isidoro T< ixelra dos Santos.
Com vista s partes :
Appellaco civel
De MamanguapeAnpellantes Bento Alves de
Mtllo e outros, appellado Ignacio dos pantos
Coelho.
DI8TBIB19OES
Recursos crimes
Ao Sr. desembargador DelBno Cavalcante :
Do RecifeRecrreme o juizo, recorrido Jos
Bernardo Mendes
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do RecifeRecrreme o juizo, recorridos Ma-
noel Martins Capito e Jos Pires Lieate.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Do Recife-Recrreme o juizo, recorrido Emi-
lio R berto. .
Ao Sr. desembargador Al :es Ribeiro :
Do ReciteRecrreme o juizo, recorrido Luiz
Abranche de Figueiredo.
Appellaco civel
Ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
De MamanguapeAppellante Dr. Joo de A l-
buquerque Maianhao, appellado coronel Joo
Rodolpho de Azevedo.
Encerrou-sc a scsso 1 1/2 hora da tarde.
NJBLICMJOES A PEDIDO
SPORT
O grande premio Derby Nacional, corrido no
dalo do corrente5000 metrosanimaes na-
ci laes de 3 annos -foi ganho pelo puro sangue
nacional Calina ein 150 segundos.
Caliua, por Valence e Tulipe, fez a carreira de
ponta ponta.
Poule em Io 22700 e em *> 10600.
CHRONICA JDICIARIA
Tribunal da Relami
SESSO ORDINARIA EM 27 DE SETEMBRO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EX.M. SR. CONSELHEIBO
QUINTN O DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume. presentes os Srs. des-
embargadores em numero legal, foi aberta a
scsso depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
JUL GAMENTOS
Habea8-corpus
Paciente :
Jos Gomes da Silva. Negou-se a soltura,
unnimemente, por estar pronunciado.
Recursos crimes
Da ImperatrizRecrreme o juizo, recorridos
Manoel Antonio de Souza e outros. Relator o
Sr. desembargador Toscano Brrelo. Negou-se
provimento, unnimemente.
Do RecifeRecorrente o juizo do commercio,
recorridos Jos Felisberto da Cruz Braga e ou-
tros. Relator o Sr. desembargador Silva Reg.
Conlirmou se a deciso recorrida, contra o
voto em parte do relator.
Aggravos de petiQo
Do Recife Aggravante Laura Emilia de
Almeida Seve, aggravado Antonio Gomes de Mi-
randa Leal. Relator o Sr. desembargador Pires
Ferreira. Negou-se provimento, unnimemente.
Do Recife Aggravante D. Anna mbelina
Gomes da Costa, aggravado Joo Francisco de
Almeida. Relator o Sr. desembargador Montei-
ro de Andrade. Negou-se provimento, unni-
memente.
Appellaces crimes
De GuarabiraAppellante Jos Firmo da Cos-
ta, appellada a justica. Relator o Sr. desembar-
gador Toscano Brrelo.Conlirmou se a senten-
ca, unnimemente.
De Camaragibe-Appellante o promotor publi-
co, appellados Jos Rulino Marques e outro. Re-
lator o Sr. desembargador Toscano Barreto.
Conlirmou se a sentenca de Joo Marques e jul-
gou-.;e extincta a aecusa^o de Jos Rutino.
De Campia GrandeAppellante Candido Jos
de Queiroz, ai pellada a justica. Relator o Sr.
desembargador Alves Ribeiro. Reformou-se a
sentenga, para o mnimo dos arts. lo! e 201 do
cdigo criminal.
De Souza Appellante o juizo, appellado Ri-
cardo Marinbo Falco da Normandia. Relator a
Sr. desembargador Toscano Brrelo. Mandou-
se a novo jwy, unnimemente.
Do RecifeAppellante o juiao, appellado Sal-
vador Goncvlves Braga. Relator o Sr. desem-
bargador Silva Reg, Mandou-se a novo jury,
contra oa vo;os dus Sqj. deserabargadores Tos-
cano Barreto, Monteiro de Andrade e Oliveira
Andrade.
Do CaboAppellante o juizo,appellado Anto-
nio Goncalves, conhecido por Antonio Gordura.
Relator o Sr. desembargador Del fino Cavalcan-
te.Conflrmou-se a sentenca, unnimemente.
De Correnles Appellante o juizo, appellado
Pedro Dias Ferreira. Relator o Sr. desembar-
gador Delfino Cavalcant. Mandou se a novo
jury, unnimemente.
De Alaga do Monteiro Appellante Antonio
Francisco Tavares, appellada a justica. Relator
o Sr. desembargador Tavares de Vasconcellos
Conlirmou se a sentenca, unnimemente.
De OlindaAppellante Genuino Jos dos San-
tos, appellada a justiga. Relator o Sr.- desea-
bargador Pires Ferreira. CobBhboo-8 a sen-
tenga, unnimemente.
Da Palmeira dos Indios AppeBaote o joiio,
Alistamento eleitoral
Em cada anno que surge, novo systhema de
fraude apparece para augmentar o alistamento
eleitoral I
Nao ha phaase bastante enrgica que sirva
para qualificar to escandaloso proeedimento.
Esgolados os recursos da prova de renda pelo
aluguel de casa, pretendem agora que sejam
alistados, aqni, individuos que se apresentam
com publicas formas o'e crtidoes de que foram
jurados de 1878 nos sertoes das mais remotas
provincias do Imperio.
A oceultago dos originaos de laes certidoes
faz desconfiar da aulbenticidade d'ellas; e, ha
queui diga (*alha a verdade) qae ludo feito
aqu mesmo.
E' preciso por um paradeiro a isto !
Os dignos juizes da comarca d'esta capital,
sao incapazes de tolerar que se desvirtu assim
a grande lei de 9 de Janeiro de 1881.
O eleitorado deve ser composto de cidadSos
que possem provar a sua capacidade poltica e
nao de homens cuja individualidade perde-se no
desconhfcido de snas protisses e residencias.
Todo o cuidado, pois, pouco em relagao a
semelhante assumpto.
Consentir que se abuse mais do que se tcm
abusado... nao I
Exms. Srs. Drs.:
Costa Ribeiro,
Oliveira Andrade,
Thomas Montenegro,
Ribeiro Vianna,
Domingos Piolo,
atiendei e vede !...
PUBLICAS FOBMAS TIRADAS, .n'KSTA CA-
PITAL DB CBBTIDOBS SOBBE A QUALIDADE
DE JURADOS DE 1878 PASSADAS EM RBLAgO A INDI-
VIDUOS RESIDENTES m'AQELLE ANNO KM TBHMOS
PRXIMOS DO .. INFERNO-.-
Mandai juntar os originaes d'essas certid0e6
ao processo do alistamento; e, ento. veris
como se tem coragem de abusar tanto da vossa
e da nossa paciencia t
Havemos de acompanhar pari passu essa nova
fabricago de... eleitores.
27 de Setembro de 1889
J. de Lacerda.
cabem na sua gordurosa cabega de poreo, coa
o lira de insinuar que na proposta sobre que de-
cida havia leso fazenda publica.
Regressando agora de minba' viagem a Natal,
encontrei a besta do presidente demittldo, por
incapaz, c assim foge-me a opnortunidade de
discutir ponto por ponto, sob todas as rctaeocs.
o seu asnatico, absurdo e insolente despacho, e
depois, dia por dia, sua administrago que se
distingue por inmoralidades, assaltos aoe co-
fres, delapdacaodos dinheires pubeos, meniti-
ra, falsihcagoes, venda de erapregos .em hasta
publica, corretagem de forneciraentos na pro-
pria mesa de trabalho do presidente.
Devo, porem, dizer Ihe alguma cousa, antes
di' ver se a Ierra cearense livre do bandido que
assassinav? no Rio Grande do Sul a 10 ongas
por cabega, Como esl provado com documento
publicado na iraprensa de todo o imperio ; do
ministro que comeu bola na qnesto da Capo
Cabana e vio rasgados pelo imperador detpa
chns seus, extorquidos a sua inepcia e sede de
dinheiro pela advocacia administrativa ; do ad
vogado que tomando a causa m de um gordo
cliente .o duvidou solicitar o cargo de presi-
dente de urna provin ia para dar melhor conta
do seu ajuste.
Direi. pois, em quatro palavras, ao Sr. Avila,
que nem um s dos pouquissimos aduladores
que o cercam e, muito menos nem um do3 de
mais habitantes desta infeliz provincia, acredi-
tou que a casa de que son chele tenha pleiteado
peraute o governo urna causa cm que podesse
ser, de m f, lesada a fazenda publica.
*Coo](iiercianlc3 estabelecidos ha 50 annos, tem
nome e reputago feitos no trabalho de todos os
dias, estao muito acostumados a letar a vida
honradamente, negociando com a mais lisa e
franca publicidade, sem myslcrios, sem negocios
oe.cultos.
O que todos, porem, acreditara immediata-
mente sem hesilago, que a mesnia petigo in-
deferida com desaforos, teria sido deferida, com
asneiras apenas, si era vez do caminho recio
que scguirain os supplicantes, livessem elles
feito escala pelo empento ou pela pcita, como
foi praxe corriqueira na condemoada e desas-
trosa admuiislrago que va i lind ".
NaO de partes, como aquella, que tem que
arreceiar-se o thesauro, mas siin dos presiden-
tes que mandm saques de 30 contos em dous
mezes de administrago, para levantar hypothc
cas; dos minislro3 que recebem dinheiro de
duas partes litigantes na mesma qaesto : dos
adininislradores que do ordem aos agentes de
soccorros pblicos que recebara cm notas de
grande valor as grossas sommas in nomine des
tinada a pagamento de satirios e esmolas.
Por ultimo:
O Sr. Avila v em paz, porin, lique certo de
que hojo S. Exc. perfeilamente conhecido no
i.ear, a quera fez mais damno do que a secca e
cuja miseria explorou, como o bandido que sa-
queia o bolso aos cadveres nos campos de ba-
talha ou as ras da c 'ade taladas pela peste.
Ao Sr. Visconde de Ouro Preto urna sup-
plica :
Quando V. Exc. tiver doidos, mande ahi para
o hospicio de Pedro II e quando quizer por la-
drees longe de si, faga-a os installar em Fer
nando de Noronha.
O Cear nao asylo era presidio.
Felizmente, espero, tambera ho ha de durar
muito o governo dessa quadrilha organisada pelo
Sr. Conde d'Eu, sob a chefia de V. Exc.; mas
em quanto a Repblica nao opera a regeneradlo
desta nobre patria, arraste o corrupto reinado
do Sr. D. Pedro II os seus ltimos dias, poupan-
do ao menos urna provincia victima, ao mesmo
tempo, da monarcma, da secca e do Sr. Henri-
rique d'Avila.
Jos Amara'..
Fortaleza, 12 de Setembro de 1889.
----------------tSCGOS-------------------
Pao d'Alho
Corre o boato, entre algumas pessoas d'esta
cidade, de que era mos d'uma lavadeira; mora-
dora na ra das Cobras, encuntraia-se urna
crianca do sexo masculino, em perfeito estado,
a qual crianga,ella enterron,ignorando-se o facto.
Pcrgunta-se grande autoridade, to minu-
ciosa, d'esta cidade. qual a razo de nao lor to-
mado conheciraento d este facto ?
S6 se oceupa em olhar para o conwnercio, que
tem-se sempre conservado livre era todas as epo-
ehas, qualquer que- seja o governo.
26 de Setembro de 1889.
*< ------
11. 8
A raulher funda um dos seus principaes orgu-
llios na suave rotundidade das suas formas, e
quando a nalureza, que nao sempre favorece
medida dos humanos desejos, nega esta rotundi-
dade, ou, o que anda peior, a troca por urna
superabundancia de ngulos e ossos impertinen-
tes, cnlo s a modista pode acalmar o desespero
da lilhade Eva.
Mas boje nao ha porque desesperar: com o
uso constante dealguns vidros da legitima Emnl
sao de Oleo de Figado de Bacalho de Lanman &
Eerop. segundo as iostruegoes que acorapanham
a cada vidro, as carnes reapparecetn, os tecidos
cellulares augmertam, a demacrago cessa, e a
desejada rotundidade natural das formas obtida
ao mesmo tempo que o systema geral purifica-
do de lodo elemento ou humor malso, e ospul-
raOes fortalecem-se e adquirem urna robustez
excepcional.
Alera disto a Eraulso de Lanman & Kemp,
3ue sem duvida, a melhor de todas,cura ra-
icalmenle todas as molestias do peiio e da gar-
ganta e constue o agente digestivo mais efliraz
em casos de dyspepsia ou enfraqucimento do
estomago ou da digesto.
Gratido
Venho do alio da imprensa testemunhar ao
distincto clnico hotneopatha, Dr. Frederico Cha-
ves, o meu eterno reconhecimento e gratido,
pelo zelo e dedicaco com que se presin, con-
seguindo o restabeleciraento de ininlia raulher,
que, em cousequencia de um parto horrivel, es-
lava prestes murte, leudo sido at desengaada
por um ou outro facultativo: entretanto, aquelle
destnelo homeopatha, tocado pela Providencia
Divina, salvou-a do terrbel mal. que Ihe rainava
a existencia. Nao vo estas palavras offeoder a
soa modestia, mas, sirvam para provar-lhe a mi-
nba eterno gratido.
Pao d'Alho, 23 de Setembro de 1889.
Manoel R'beiro Pinto ios Santos.
Que vergonha!
Ha dias, os jornaes tiesta capital, noticiaran!
que duas autoridades policiaes se fingiram rou-
batlas, por urna arara qualquer, moradora ra
da Florentina, travessa da ra Bella e que o Sr.
Dr. chefe de polica recebeu a queixa dos seus
ag ntes. Naturalmente S. S. rise do caso e
avaliou logo urna tramoia, pois os laes cujos sao
seus coohecidos velhos e capazes de outras bri-
ihaturas !
Para que o publico nao lique na ignorancia
dos nomes da3 zelohs autoridades que erapre-
hendem viagem de Bonitas leguas, cora planos
de tal ordem, affirmsmos, segundo nos consta
qua se traa do subdelegado e do 1," supplente
de subdelegado de Goyanna, Julio Nogueira de
Carvalho e Osrae Damtto da Silva I
Porque no toma S. S. o Sr. Dr. chefe de po-
lica a resolugo firme de meralisar a polica de
GOyanna, que, como S. S". sabe, acha-se entregue
a fcente que o euvergonha ?
Nao ha duvida, os dominadores da trra con-
seguirao transformar completamente um carac
ter digno e o qualquer presidente que nos governa
muito tera concorrido.para o descalabro que se
noiaem todos os ramos do servigo publico.
O reprter
AoSr. d'Avila
(Do Ltberador)
O Sr. senador Henrique d'Avila, por falta de
estylos officiaes, por ausencia absoluta de boa
edi'cago, adoptou no seu infeliz e execrando
governo nesta provincia o systema de inftltnr
us parles nos seus despachos ridiculos, a que
falta moralidade. bom senso e gramroatica.
Mullos requereotes perante sa autoridade re-
celieran despachos que sao verdadeiras inju-
rias e, ou porque se tratasse de un presidente
alienado, ou porque nao tivessem para quem
appellar, engoliram as alTrontas, receberam os
couces dabesla e deram-lheas costas.
Bu, porem, tenbo oniaoveso de trazer para a
imprensa as questes que, rae duendo respeito,
iuteressam lambes ao publico.
Desta vez, infelizmente, achava me ausente
da provincia, quando o pulha coronel de gin-
Sogos do Jaguaro, escreveu e firmn um ce-
ir despacho em petigo da casa Joio A do
Araaral 4 Filho, no qual, faltando f de um
eontracto valioso e regular, contracto perfeila
pote igual a diversos outros a que S. Exc
dea cumplimento, movido por empeaho ou su-
brono, entendeu deve' lancar conceito* qae so
AO
tlos
alto popular Dr
Harianno
Pede se encarecidamente para que, logo que
melhore de seus encommodos, se digne fazer
urna conferencia publica, para* expor por meio
da sua mgica' palavra, a sua attitude e inter-
vengo nos ltimos aconiecimentos havidos, e
assim por mais urna vez era prova a affeigSo
que o brioso povo pernambucano Ihe dedica.
L'm seu admirador.
P. S.Pede-se tambem, afim de que se co-
nhega a franca manifestago do povo, nao coin-
parega S. Exc. rodeado dos tradiccionaes Nico-
laus, Rozendos, Paula Nerys e seu rancho, geral-
mente encarregados de o victoriarem.
A o commercio
O abaixo assignado declara que em 31 de
Agosto prximo passado dissolveu araigavel-
menle a sociedade que tinha na pharmacia, sita
ra doJVisconde de Inhauma n. 34, sob a firma
de Jansen & Ebla, retirando-se o socio Henrique
das Mercs Jansen, pago e satisfeito de seu capi-
tal e lucros ; e ficando o abaixo assignado de
posse e responsavel pelo activo e passivo do
mesmo estabelecimento, como consta do distrae-
to registrado na meritissima junta commer-
cial.
Recife, 26 de Setembro de 1889.
Victoriano de Aragao Ebla.
oeooooocc >ooooo< <>>>ooc AO ILLM. SR. DR.
Pelo seu feliz regresto |
Urna cora de louros vos cinge #
a fronte ao saltar a esta
heroica provincia
Julio Soares de Azetedo.
?<5c>oo<oc<<>o>ooooi>coc<*ooeocec<
Aos Srs. agricultores e com-
missarios de assucar e al-
godao.
Os abaixo assignados, proprietarios de car-
ros de conduzir mercadoria, era vista da al-
ta laxa do imposto que Ibes classilicou a Assem-
b'a Provincial, teem resolvido que do Io de Ou-
tubro era diante os saceos com assucar ou algo-
do, transportados pelas estradas de ferro de S.
Francisco e Caruar, fiquem sujeilos ao carreto
de 200 ris por volume.
Delphino Silva A C.
Albino Lima & C.
Paulino Antunes.
Jos dos Reis Gomes.
Jos Leite.
Jos do Espirito Santo.
Valdevioo Pimeotel.
Francisco Barreto de Gusmo.
Pedro Correia.
Manoel Joaquim da Silva GuimtrSes.
Manoel de rreita*.
Joso da Silva Marroqu ra.
Antonio Caetano Accioli.
Geroncio da Silva Saltes.
Jos Thomaz de Aquino Pereira.
O Directorio Central do Partido Re-
publicano declara ter sido inteiramente
alheio ngitaco havida nesta cidade
com relafo s violencia soffiidas pelo
jockey Antonio i .lirispim.
Ootro-sim, que considera simples-
mente como um derivativo a insistencia
com que se falla, rm certa imprensa
em griios bostis aos portuguezes.
Para prova de seus senlimentos o
Directorio lembra ao publico que con-
ta em seu seio um portuguez naturali-
sado, o Dr. Antonio de Souza Pinto.
E, j que provocaran! a qaeslao,
lembra ao povo que o tal grito de or-
gem liberal, praieira, sendo ao som
dille que foram assassinados em Junho
de 1847, na ra da Praia, diversos
portuguezes.
Esta va no poder o partido liberal e.
como agora com o assassinalo do por-
tuguez naturalisado Ricardo Guima-
raes, nenhuma pena soreram os au-
tores da carnificina.
MUidou-se
Joaquina Adelia dos Santos Costa,
assistente examinada, participa que
mudou se do pateo doCarmo para a
ra do Caldeireiro n. 20, prestase a
chamados a qualquer hora do 'ia ou da
noite para exercicio de sua protiss&o.
Theatro Santa Isabel
BENEFICIO DA VIUVA MTNEEVIKA AMELIA
MONTENEGRO DE MESQITA
Em vista de achar-se doente a pessa
encarregada d'este beneficio, ficar trans-
ferido para sabbado 5 de Outubro prxi-
mo, sendo annunciado com antecedencia.
A beneficiada pede as pessoas que se
dignaram acceitar bilhetes de aguardaren)
esse dia, confessando-se mais urna vez
agradecida.
Recife, 25 de Sembr de 1889.
A Beneficiada.

Secretaria da- Presidencia de Pernambuco.
em 23 de Setembro de 1889.-.'seceo.Por
esta Secretara se fas publico, deordem do Exm.
Sr. conwMMro presidente da previncia e de ac-
cordo um m lei proviBcial n. 1974 de 26 de Mar-
o ultin, que, a requer ment de Eduardo de
loraes Gomes Ferreira, aeha se aberta a concur-
rencia, com o prazo de 5() dias, a contar de hoie,
para apresentago de propostas em carta fechada,
fundaco de um moinho, nesta provincia, des
tinado a moer o grao de trigo e preparar a tari-
nha de conformidade com a lei infra transcripta.
O secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
LEI N. 1974
Innoconcio Marques de Araujo Geai bacharel
em sciencia8iuridicase sociaes pela Faculdade
do Hecife, depnlado Assemblca Geral pela
provincia d Babia o presidente da de Per-
nambuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que a
AssenMa legislativa Provincial decrelou e eu
sanecioaei a resohigo seguinte :
Artigo 1." Fica o presidente da provincia au-
torisado a contractar com Eduardo de Moraes
Gomes Ferreira, ou com quem melbores vanta-
gens olferecer, a fundajo e creaco de um moi-
nho a vapor ou qualquer outro motorrdesrinado
a moer grao de (rigo e preparar a farinha, cora
a capacidade de moer diariamente, pelo menos,
7.S00 kilogrammas.
g 1." Para a explorajo e uso da industria de
que trata este artigo, concederse ha privilegio
por 10 annos.
g 2. Dentro de dous annos o contractante
obrigado a montar os estabelecimentos precisos
e a dar principio aos trabalhos da fabrica, em
cujo servigo ser obrigado a admillir al 1S or
phos, para Ihes ministrar o ensino da industria
alimentando os, e dous annos depois dando-lbeg
salario equivalente ao que trabalharcm.
Art. 2." Flcam revogadas as disposigOes em
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a
quem o conhecimento e execugo da presente
resolugo pertencer, que a cumprara e fagam
cumprir to inteiramente como netla se contm.
O secretario da Presidencia desta Provincia a
faga imprimir, publicar e correr.
Palacio da Ppresidencia de Pernambuco, em
2(5 de Margo de 1889, 68.- da Independencia e do
Imperio.
L. S. Innocrncio Marques db Araujo Gof.s.
Sellada e publicada a presente resolugo nesta
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, aos
26 de Margo de 1889
O secretario interino,
Manoel Joaquim Stlveira.
EDITAES
O Dr. Joaquim Correia de Oliveira An
drade, juia de direito privativo de
orphaos e ausentes n'esta comarca do
Recife, por Sua Magostado Imperial a
quem Deus giuude etc.
Faz saber aos que o presente edital
virem ou delle tiverem noticia que estan-
do se procedendo por este juizo o inven-
tario do raajor Laurentino Jos de Miran-
da o sua mulher D. Maria Severina Lins
de Miranda, tendo o desembargador Quin-
tino Jos de Miranda inventariante testa-
ra enteiro declarado que residiam na In-
glaterra os berdeiros Emilia, Edith, Bertb,
Reignatd e Antonio rilhos do finado Diogo
Middison Oenn, mandei que fosse expe-
dida carta precatoria para as justicas
daquelle Reino, afim de serem all citados
os reforidos herdeiros, sendo o inventa-
riante testamenteiro intimado deste meu
despacho, o seu advogado Dr. Antonio
Estevao de Oliveira me derigio a peticZo
do theor seguinte:
Illm. Sr. Dr. juiz de direito de orphSos.
O conselheiro Quintino Jos de Miranda,
testamenteiro e inventariante do major
Laurentino Jos de Miranda, vem reque
rer a V. S. que se digne de mandar que
a citacSo da herdeira Emilia Genn, se
faca, n3o por precatoria, como V. S. or-
denou, para a cidade da Columbia Brita-
5.a scegao. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2 do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junbo de 1887,
que, tendo-se concluido por meio de laudo
de arbitro desempatador, a questao de ava-
iagao do material da empreza de ilumi-
aagJk) gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente edital.
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3. Nenbuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito n Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0004
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto
no caso de ser preferida a sua proposta
| 4." O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nSo ser retirado
pelo contractante seno lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
| 5. O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6. A n5o ser no caso do paragrapho-j
antecedente, a actual empresa nSo ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo coBtractanto sera obriga-
do indemnisacSo, a que a provincia
sujeita por forca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacSo ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o mtenla
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realiaada a indemni-
sacSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. Opreco da illuminacao, qer publi-
ea, quer particular, nlo poder exceder de
60 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
se urna reduccao de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas.
10." O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
cao do gaz.
11. A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranhas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a bygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13. As horas de illuminacao publica
serSo fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduccao no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questSes que
se suscitarem, quer om o governo.,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
se da d*9S8T766d8, total daivaaaao,
a importancia de 3:8600000 paga enr-
presa en 1860> proveniente de 202 canoa
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com mm-
pe5es, collocados fra do permetro do
contrete. O secretario interino,
Manoel Josewri Sveira.
Empreza do Gaz,
ATI SO
A empreza de illuminacao a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
cao do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacio da. empreza
actual a quantia de 998:7770528, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que de ver ser paga pela
novo contractante, vem pelo presante
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao nao pode servir
de base para tal ndemnisacao, por ter
sido llegal e irregularm^nte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos- feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberen fazer a
presente publicacSo para scieneia dos n-
ter e asados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windtor,
O Dr. Thomaz Garcez Prannos Monte-
negro, commendador da imperial ordem
da Rosa, juz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife, ca-
pital da provincia de Pernambuco, por
Sua Magestade imperial e constitucio-
nal, o Sr. D. Pedro II, a quem Deus
guarde, etc..
Fao saber aos que o presente edital
virem e delle noticia tiverem, que a re-
qnerimnto de Antonio Luiz do Reg
Barreto, foi aberta a allencia da. firma
commercial Manoel Rodrigues da Silva,
como se v da sentenca que do modo,
forma, maneira e theor seguinte :
Sentenca Em vista das peticSes de
folhas duas, e folhas cinco e auto de fo-
lhas quatro, declaro aberta a fallencia do
negociante fallecido Manoel Rodrigues da
Sdva.
Nomeio curador ao Dr. Barros Guima-
res.
Officie-se ao juiz perante quem corre o
inventario, coramunicando-se-lhe a abertu-
ra da fallencia.
Junte-se o respectivo balanco em pra-
80 breve.
Faca-se publica a fallencia por editaes e
eonvoque-se os credores para elegerem no
dia 28 do corrente o depositario.
Proceda-se arrecadacSo da massa, em
cujo acto designarei quem a receba pro-
visoriamente. .
Recife, 24 de Setembro de 1889.
Thomaz Garcez Paranlios Montenegro.
E mais se no continha em dita e men-
cionada sentenca aqui mu fielmente co-
piada, em virtude da qual o respectivo
escrivo fez passar o presento edital, por
cujo theor convoco todos os credores da
firma fallida para se reunirem no dia 28
do corrente, s 11 horas do dia, na sala
das audiencias, afim de elegerem o depo-
sitario effectivo.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presente edital,
que ser publicado pela imprensa, e affi-
xado nos lugares do costume.
Dado e passado nesta cidade do Reci-
fe capital da provincia de Pernambuco,
aos 25 de Setembro de 1889.
Subscrevo e assigno, Ernesto Machado
Freir Pereira da Silva.
Thomaz Garcez Pranlos Montenegro.
DECLARARES
nica, porem sim por editaes, com o prazo tos e jurisdiccao dos tribunaes judicia-
de 30 dias, urna vez que nao certo que
a referida herdeira all resida, e apena
o supplicante presume, em razSo de car
tns muito anteriores ao fallecimento do
inventariado, que ella tenha, com. seus
irmaos, para alli se encaminhado.
NSo havendo, pois, certeza oade a refe-
rida herdeira resida hoje, com seus irmSos
menores, razoavel e consentaneo com
o direito que a citacSo se effectue por
editos.
Por esse modo fica rectificada a deca-
rasSo feita nos auto a respeito da sup-
plicada.
Pede aV. S. deferbnento. Espera re-
ceber merc.Recife, 10 de Setembro de
1889.Ettev&o de Oliveira.
Estava oom urna estampilha de 200 ris
inutilisada na forma da lei.
Despacho.Sim. Recife, 12 de Se-
tembro de 1889. Oliveira Andrade.
Nada mais se continha em dita peticSo
e despacho fielmente copiados dos proprios
autos.
E para constar mandei passar o presen-
te que ser publicado pela rmprensa e
afHxado n logar do cosame.
Dado e passado nesta cidade do Recife,
19 de Setemhro d W89".
En, Olavo Anto Ferreira, eiarivlo o
subscrevi.
Jmm*m-Corr*ia de Otiveita Andrade.
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante Ber obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometrs, se houve necessida.de,
nos lugares qne o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to ie forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencSo oscillacSo do cambio.
j 17." O contractante poder organisar
companhia, a qual ficara subrogada em to-
dos os direitos e obrigaoSes do contrete.
18. Para as despeaas com a fiscali-
sacao d servigo de illuminacao {o contrac-
tante concorrer annnalmente com a quan-
tia de 3:000|J000, que serSo recolhidos ao
Thesouro Provincial.
% 19." O presdanle da provincia esta-
belecer as multas e mais condicSes, no
intuito de garantir a boa exeoucSo do con-
tracto, quer com- veiaeao. a illuminco pu-
blica, quer com a particular:
Faz-a publico, finalmente, que o novo
contractante tere de pagar actual em
presa, conforme o 7o cima- citade,
quantia de 994:9t7)J528v de accordo coa
a araliacSo feiia palo arbitro desempatav
dor em 18 de Marco ultima} visto dedsua
Pla secretaria da Cmara Municipal da
cidade de Olinda se faz constar a quem intere*-
sar possa, que foi transferida a arrematavo dos
imposto* municipaes (conforme o edital publi-
cado) para o dia 2 de outubro prximo vindon-
ro, por haver comparecido somente dous lici-
tantes, cujos irapostos sao os seguintes :
Alu^ueis das casinbas da ribeira por 34M875;
40 rs. pjr p de coqueiro, exceptuados 20 ps
para o uso do propnetario por 796*250 ; 500 rs.
por cabega de gado vaceum por 622|; 120 rs.
por carga ou volume exposlo venda no mer-
cado publico por 904000 ; e tinalmente o de 200
rs. por cabega de gado suino, ouvelhum e ca-
brum por 175*200.
03 pretendentes devero comparecer no allu-
dido dia, habilitados na forma da lei.
Secretaria da Cmara Municipal da cidade de
Olinda, 26 de Setembro de 1889.
Jos Mnrcolim da F. Manguinho,
Secretario.
S. EL O.
Sacledade Becrealiva Commercial
Assembla geral ordinaria
ELEICO
De ordem do Illm. Sr presidente, convido a
todos os senhores socios a reunirem-se na sede
social, domingo 29 do corrente, s 4 horas da
tarde, afim de proeeder-se eleico da nova
directora.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
cial, 26 de Setembro de 1889.
O 1 secretario
Adolpho Mendes Torres
Irmandade
. DO
Senhor Bom Jess dos A-
flictos na igreja de S. Jos
deRiba-Mar
MEZA. GERAL
De ordem do irmo provedor, convido a todos
os nossos caros irmaos para comparecerem em
nosso consistorio s 10 horas da manh de do-
mingo 29 do crreme para, em numero legal de
mesa geral, procedermos eleico dos novos
funecionarios que teem de reger a r,osa irman-
dade no anno coraproraissal de 1889 1890.
Consistorio, 26 de Setembro de 1889.
Miguel dos Santos Costa Jnior,
Escrivo. _____
Club Carlos Gomes
No sabbado (28) ser erapossado o conseibo
administrativo, que tem de funeciouar no anno
soeial de 1889 90, havendo depois desse acto
sarao dansante, para o qual os senhores socios
podem procurar seus ingresse*
Secretaria do Club Carlos Comes,. 25 de Se-
tembro de 188.O I- secretan,
Andr Costa.

m





:>
_

_
i

V.
_H
'p
m
- ',?

,-J






_____


Diario de Pernambuco-Sabbado 28 de Setembro de 1889
:
Faculdade de Direito
Por esta secretaria se fu intimar, de ordem
do Exm. Sr. conselheiro direclor, aos escudan-
tes los Leopoldo Pereira Lima, Ueliodoro de
Almeida Brito, Francisco Olympio de Lyra e Es-
tephamo Barroso da Silva, a decisao da' congre-
gacJo em sessao deante-honteni, pela qual fo
ram os ditos estudaotea, no processo a que es
ponderam, condemnados na pena do art. 20 S
do decreto de 1 de Abril de 1879, da qual Ibes
cabe, dentro do praso de oito dias, recurso sus-
pensivo para o governo imperial, na forma do
art. 129 dos estatutos videntes.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recifc
27 de Setembro de 1889.O secretario,
Bonifacio de Arago Faria Rocha.
De ordem do 111 m. Sr. Dr. inspector
deste Thesoiro declaro aos 8rs. collecto-
res Provinciaes, que ainda nSo completa-
ram as suas nangas, que o facam do pra-
so de 30 dia, a contar desta data, sob
pena de serera suspensos at que as regu-
farisem, conforme deterrainou S. Exc, o
Sr. conselheiro presidente da provincia
em offlcio de 14 do corrente.
Secretaria da Thesouraria Provincial de
Pernambuco, em 25 de Setembro de 1889.
O official,
Lindolpho Compeli
1ERBY U
DE
PERNAMBUCO
Gorreio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor brasileiro Espirito Santo, esta ad-
mioistracao expede malas para os portos do
norte, recebendo impresso e obiectos a regis-
trar ateJ horas da tarde, e cartas" ordinarias at
3 horas ou 3 1/2 com porte duplo.
Administraco dos Correios de Pernambuco,
28 de Setembro de 1889.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
Companhia de Edificacao
Sao convidados os Srs. Accionistas da extlocta
Companhia de Edilicaco, a comparecerem no
escriptorio de Muura Borges C, ao Largo do
Corpo Santo, das 9 horas da manha as 4 da tar-
de, munidos de suas aecOc, adra de receberem
i quantia de 4300 por aegao, quanto tocou no
rateio.
Recifc, 20 de Setmbro de 1889.
Joaqun) de Oliveira Borges
Prazo de 60 e 50 dias
Secretarla da Inatrucco Publica.
B de Setembro de 1889
De ordem do Sr. Dr. inspector geral, fajo
saber aos professores Jos Francisco Florencio
de Souza e Josepha de Godoy Vasconcellos, o
1.* removido por acto de 24 de Agosto, da cadei
ra do C dro de Caruar para a da Ilha de As
sumpgo, e a 2.' por acto de 23 do corrente, de
Alaga de Baixo para a mixta de Afogado de
Ingazeira, lica marcado o praso de 60 dias ao
1.", a contar de 13 do corrente ; e de 50 a 2.
a contar de 23 dn corrente.
O secretario,
Pergenlino S. de A. Galvao
Banco Internacional
do Brazil
Participamos ao publico que, por assenibla
geral dos accionistas deste Banco, no dia 16 do
correle, foi deliberado, por unanimidade de
votos, a fusSo do Banco Internacional do Brazil
como
Banco >n< ionai do Brasil
CAPITAL 90,000:000*000
pelo que, do 1" de Outubro prximo em dianle.
funecionar a caixa filial do Banco Internacional
lo Brazil, nes'.a provincia, sob aquo le titulo.
Recife, 26 de Setembro de 1889.
Recebedoria Provincial
O administrador dB Recebedoria Provincial
faz publico para conhecimento dos interessados
que, por dtterminago do Illm. Sr, Dr. inspector
do Thesouro, lica prorogado at o dia 30 do
corrente o praso concedido para o pagamento,
livre de multa, das annuidades c mais servicos
da Recife Drainage Coropany, relativos ao pri
meiro semestre do exercicio era vigor de 1889.
Recebedoria Provincial de Pernambuco. 25idc
Setembro de 1889.O administrador.
Lulz Osario do Rogo
Llevista do Mercado
REC1F3. 27 DE SETEMBRO DE 1889.
O movimeato limitou se a transaeges no mer-
cado de cambios.
Cambio
Os bancos mantiveram no balco a laxa de 27
3/8, recusando saccar cima daquelle algarismo.
Em papel particular u3o houve negocio,
No Rio foi em geral cotado papel bancario a
27 3/4.
Houve falta de pupcl particular.
TABELLAS AFFIXADAS
z
I f
2. 3
r" s; K
o
S 5
ii tu
-1
i
o
3.
S1
O
t
p
9
18


- te
co en
s
II
3
ss s ^
j ra 00

5t oo
I
8?
o.
1
9*
-* s.


"oS
5T
Bolsa
OTAyKS OPFICIAES D.V JUNTA DOS COR-
RECTORES
Recife, 21 de Setembro de 1889
iiio sobre o Rio de Janeiro, 15 d/v. com 3/8
i de descont.
ido sobre S. Paulo, 30 d/v. com 3/4 0/0
de descont.
Dito sobre dito, GO 0 de des-
cont,
bio sobre Far, GO d v. com 1 1/2 0,0 d-
adres, 9j d/v. 27 3,3 d: por
JO. do banco, o
re dito, 90 d/v. 27 3/4 d. por 1*000,
do banco, hc>
.
Para a 21.a corrida
A realizar-se domingo 6 de Outubro de 1S89
' W&1A MINIMS 800 metros. Peqniraa ia provincia at 1 "28 de
altura. Premios: 150)5000 ao primeiro, 30 ao terceiro.
' IVs^,^ONNIM l.SOO metros. Animaes de menos do meio san-
gue. Prem'oa : 3003000 ao primeiro, 60*5000 ao segundo e 30#)O0 ao
terceiro.
1V&1.9 CONSOL AO---------SOO metros. Animaes da provincia que
nio tenham ganho nos prados do Recife. Premios: 200^000 ao pri-
meiro, 40|j000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
*** PRADO DA ESTANCIA l.l>9 metros. Animaos nacionnes
at meio sangue. Premios : 3505 ao primeiro, 700 ao segundo, e 350000
ao terceiro.
'SV^1*, ANIMACO OO metros. Animaes da provincia que nao
tenham ganho no Derby em distancia superior a 1.U00 metros. Pre-
mios : 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
*\VM INTERNACIONAL 1.8OO metros. Animaos de qnalquer
paia. Premios : 5000000 ao primeiro, 1000000 ao segundo e 500000
ao terceiro.
llklrtA PROVINCIA DE PERNAMBUCO-l.SOO^mctros.- Animaes
da provincia que nao tenham ganho no Derby em distancia superior a
milha. Premios: 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000
ao terceiro.
Observacoes
Serto acceitas para cada pareo as 16 prmeiras propostas que primeiro forem
lidas.
S se rcazarao os pareos em que se inscreverera, pelo menos, cinco animaes
de tres proprietarios differentes.
N5o poderSo inscrever-se no raesmo pareo mais de dous animaes do mesmo
proprietario, ou tratados na mesma Coudelaria.
Cada enveloppe dever conter urna s proposta e ser recusada aquella que
uSo vier acompanhada da importancia da inscripcao.
A' directora reservase o direito de alterar a collocacilo dos pareos na organi
jaco do programma.
A inscripcao encerrar-se-ha segnnda-feira. 30 do corrente, s 6 horas da tardo,
na secretaria do Derby Club, na ra do Imperador n. 22, 1." andar.
Recife, 26 de Setembro de 1889.
O GERENTE,
*."
rt.
1.a
Henrique Svhutel.
Conselho de compras da repar-
tic&o de marimha
Supprimento de sobresalentes c abasteci-
mento do almoxarifado, aos navios de
guerra fundeados no porto desta oidade
c s dependencias deste Arsenal, duran
te o futuro exercicio de 1890.
De ordem do Illm. Sr. capitlo-tenente Manocl
Augusto de Castro Menezes, inspector deste Ai-,
seal e capitao do porto dela provincia, faco
publico que de accordo com o decreto n. 10,066
de 20 de Outubro de 1888, no dia 2 de Outubro
prximo futuro as ti horas da manha, em urna
das sallas da secretaria desta inspeceo, recebe- i
se propostas para o fornecirneoto dos artigos.
abaixo declarados, a saber :
Abastecimenlo do almoxurfado
A
Agulbas para bitacula, prego de urna.
AgulhQo, dem.
Agulha para lona, dem.
-------------------------------------" |
O presidente, i
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Oubeux.
Algodo
O mercado contina lrouxo e sein traasac-
coes.
A exportacao, feita pela alfandeaa neste mez
at o da 2o, attingio a :i92.203 213.2701/2 para o exterior e 178.933 para o inte-
rior.
As entradas verificadas neste mez at a data
de hoje, sobem a 4.933 saccas, sendo por:
arcacas..... 568 Saccas
Vapores..... 1/3
Animaes..... 1 628
Via-ferrea de Caruar. 134
Via-ferrea de S. Francisco. 60
'ia-ferrea deLimoeiro 2.372
Somma. 4.933 Saecas
Assucsr
Oh precos pagos ao agricultor, por 13 kilos, se-
gundo a Associacao Commcrcial Agrcola, forara
os segaintes:
Branco ..... (600 a 4JO
Somenos....., 3*700 a 3:
Mascavado purgado 2*800 a 3000
broto especial. 2*400 a 2*700
bruto baixo 1*400 a 2*000
Rtame..... U000 a l*2;*
A exportacao, feita pela alfandega neste mez
at o dia 25, constou de 923.301 kilos, sendo...
430.000 para o exterior e 475.301 para o iute-
nor.
As entradas verificadas neste mez at a data
de boje, sobem a 14.112 saceos,sendo por:
Uarcacas..... 4.338 Saceos
Vapores..... ...
Animaes.... 1 544
Via-ferrea de Caruar. 469
Via-ferrea de S. Fiancisco. 6 194
Via-ferrea do Limoeiro 1.549
Somma. 14.112 Saceos
Hcl
.Cota-se a 60*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 345 ris, e os verdes a 210
ris.
ignardente
Cota-se a 112*000, por pipa de 160 litros.
Aicool
Cota-se a 220*000 por pipa de 480 litros'.
Panta da Alfaadega
semana le 23 .\ 28 de s::tbmpbo de 8S9
Vide o Diario de 23 de Setembro
"Varios descarga
Barca norueguense Solid, carvao.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Barca noruegueose N, f. Ntlsen, carvao.
Barca norueguense Byfoyed Christense, carvao.
Barca nacional Mtt'ia Angelina, xarque.
Lftgar nacional Lot/o, xarque.
Patacho allemo Frederick, xarque.
Patache sueco Ahuma, xarque.
ha norueguer se E/rain, xarque.
Sumaca hespanhol Annita, xarqne.
Agulha para brim, dem,
Amarras de farra, idem por kilo.
Ancoras de ferro, dem.
Ancorte.-, iilcm.
Azas ou pegadeiras de !ao, qualquer dimcnao,
dem.
Azul uliramat, kilo.
Amarello francez, idem.
Archotes alcalroados, cento.
Arcos de pao para barril, dem.
Ancorles, idem.
Arrebem, idem por kilo.
Algodao em rana, dem.
Dit branco, idem.
Dito'em lio, idem.
Azeite de sebo, litro.
Alvai.ide de zinco, kilo.
'to de chumbo, idem.
Azeite de peixe. litro. -.
Alcatro da Suecia, barril.
Agua raz, kilo.
A-uihas meio palombar, urna.
Exportacao
BECir, 2i Da SETe.MB o lia 18S9
'Para o exterior
Nao houve exporlago.
rara a interior
No vapor auslriaco Meduza. carregaram :
Para Rio de Janeiro, Burle & '.. 230 saceos
cora 15,000 kilos de ossucar masca vado.
Para Santos, J. H. Boxwell 40 fardos com
7,068 kilos de algodao.
iNo vapor francez VUle de S. Nicols, car-
reparara :
Para Santos, P. Carneiro & C. 100 saceos com
G,000 kos de feijfto e OO ditos com 36,000 kilos
de assucar mascavado ; S. Guiniaraes & C. ;'7'
saceos com 34,440 kilos de assucar branco e 750
ditos com i>,0< ditos de dito mascavado; A
V. de Barros 1,585 saceos com, 93,100 kilos de
assucar mascavado; Bartholouwo & C. Succes-
soies 10 caixas com proparados medicinaes.
No vapor naeiona Espirito Santo, carreaa-
ram :
Para Far, M. A. Seuna & C. 90 barricas cora
3 400 kilos de assucar refinado e 30 ditas cora
1.230 ditos de dito branco; A Guiwiares 230
liarricas com 19,522 kilos de assucar branco ;
M. J. Alves'JO voluraes com 7,110 kilos de assu
car Dranco; J. A. kilos de asucar branco ; i Borges 200 volumes
ooai 17,200 kilos de assucar branco ; l'. Aftas
& C. 230 volua'os cora 17,0*4 kilos de assucar
branco ; C. U. da SiUa 300 volumes com 21,000
kilos de assucar branco ; Amorim Irmos C
342 volumes com 22,683 kilos'Je assucar bran.'o-
Para Mano3. P. Pinto & G. 20 barns cora 192
litros de agurdenle ; J. Borges 90 barricas com
6,410 kilos de assucar branco.
No vapor nacional Jaguare, cawegaram :
Para Mossor, P. Alves A C. 40 barricas com
1,600 kilos de assuc.r branco.
Diohefro
RECEBIDO
Pelo vapor nacional Espirito-Santo, do sul,
para :
Gerente Ao. Conparihia Pernambu-
cana 3.032*690
Antonio Augusto dos Santos Porto 2.000*000
Martiiis Fiuza & C. 2.000*000
BXEHUDQ
. Pelo vapor nacional Para, para :
Rio de Janeiro
4.000*000
Rcudlmentos pHblicos
MeZ DB SETEMRO
Alfandega
Renda geral :
Do dia 2 a 26 7l8:296864
dem de 27 10 89i*3i2
Rebda provincial :
Do dia 2 a 26 77:793*770
dem de 27 4:410*993
Soturna t jtal
82:206*763
Sil.397*969
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco.
27 de Setembro de 1889.
O thesoreiroFlorencio Doraingues.
O chefe da seceoCicero B, de Mello.
Recebedoria geral
Do dia 2 a 26 '2
dem de 27
30t928*597
Ditas de palombar, idem.
es de ac, redondos, idem.
le ac. quadrados, idem.
Ac quadrado, kilo.
Dito em barra, idem.
Dito fundido SS, idem.
Dito em vergas, dem.
Dito batido, dem.
Dito fundido em var&o SS, idem.
Dito em vergalhao redondo, idem.
Dito em vergallmo sextavado, idem.
Dito em ve-galhao oitavado, id
Dito em balda, id
Dito para molas,idem.
Aldrabas A. ferro, urna.
ilg de metal amarello, idem.
rame de cobre, kilo.
Dito de ferro, idem.
Dito de laiao, idem.
Argola de lato, dem.
Arcos de ferro, idem.
Amagro, idem.
Bandeira nacional de 2 a i2 pannos, urna.
Ditas de nacao, de 4 pannos, dem. .
Brim branco, metro.
Brim de inlio para veame, idem.
Briruzao. Moni.
Brim da Russia, idem.
Baelilha ou flanella branca, idem-
Balansa.3 horisontaes com conchas de metal,
urna.
Ditas para mesa com conchas, dem,
Basddja de p.1o, idem.
Baldes foirados, pequeos, idem.
Ditos lanados grandes, idem.
.Dito de sola, idem.
Dilos de zioco, idem.
Bitacelis, idem.
Baiiquinlias de patente, dem.
Barrotes de pinho de riga de 0,037 a 100.
Badames. um.
lieliiiuzes de ferro, kilo.. .
Ditos de lato, idem.
Borracha em.lencol, idem.
BolOes de metal para caixilhose vidros, idem.
Breu, kilo.
Brochas chalas, duzia.
Brochas para pintar, uma.
Ditas para eaiar SS. idem.
Brooze, kilo,
llro'izil, grammas.
Bules de fuilu. um.
Baldeadeira de foiha, dem.
Bules de folba, um.
Baglas SS, uma.
C
Chenchas de ferro paracosinha, uma.
Ditas de ferro gatha, idi-m.
Cera preta para corrame, kdo.
Dita smarrta idem
Dita em pao, idem.
Dita em velas, idem.
Dita virgen;, dem.
Carmim, liquido inglez, vidro grande, un.
Cera em prchotes, kilo.
Colcho de capim de lm330X6G6, um.
Cabo de linho branco, kilo.
Dito de manilhu, idem.
Dito de Caire, idem.
Croks de ferro, um.
olheres de ferro urna.
Cassarolas de ferro stanhado. kilo.
Dilae de ferro enmallado. dem.
Chaleiras de ferro estanhado, idem.
Ditas de ferro esmaltado. dem.
C :rnte| de barquidia, idem.
Camurcd, pelle.
Cadinhos de palente,differcnles numero?, ura.
Catracas de inversas dimen^Oes, uma.
Ditas rom manivella. idem.
Cal branca, litro.
Dila prela, idem.
Da iie Lisboa, i.lem.
iiii de iaguaribe, idem.
(Jadeados de ferro, um.
Cera de Ierra, kilo.
Dila braoca, idem.
Cinzas zoes, dem.
Cotia da B..lna, lj qualidade, idem.
Dila de pellica, jdem.
Dila de pintara, idem.
Colheres de ferro para pedreiro, uma.
Compassos di ferro, ura,
Corroa de sola singeJIa de Tute, metro.
Dila de sola dobrada de Tuke, idem.
Cobre era chapa, kilo.
Djlo em I ana idem.
Dito em vergaihao, idem.
Duo em follia para forro, idem.
Dito em raro, idem.
Dito em follia, idem.
Dito em Icnool, idem.
Chambo euriencol, idem.
Dito em barra, dem.
Chaves de fenda ou parafusos, uma.
Ditas inglezas, idem.
Cimento Portland, barrica, idem.
Caruaba em velas, kilo.
Recebedoria ^roTincal
Do (lia 2 a ?0 2ij:382597
21:101*123
Jeui de 27
78626
ReeHc Dralaagc
Do iiia 2 a z6
dem de 27
42 062*750
* 785*816
42:848*366
Mercado .tiuniripitl de H. Jane
O moviraeoto deete mere ido no da 26 de Se
tembro foi o seguinte:'
Entrarara :
40 1/2 bois pesando 4,923 kilos.
479 kilos de peixe a 20 ris 9*'590
23 cargas com farinlia a 00 ris 55000
10 ditas de fructas diversas a 300ria 3000
9 laboleiros a 200 ris l80ii
14 suinos a 200 rC'ia 1*600
25 raatutos cora legnmes a 200 ris 5*00:
Foran oceupados :
27 columnas a 60) ris 1WJ00
1 escriptorio a 300 ris 300
28 compariiine.nlos de faaooaafiOO
ris i 5000
22 ditos de comidas a 500 ris 11,5000
74 ditosdeieguuH e fazendas a
4ii ris 290;K)
16 ditos de suinos a 700 ria U*Sm
8 ditos de fressuras a 600 ris 4*8i>
43 talhos a 2* 86*00\!
Rendiraento do da la 23do Br-
rente
2002So
-
3:223*340
Foi arreeadado liquido at hoje 5:423*620
Precos do dia :
Carne verde de 240 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1* ris idem.
Suinos de 360 a 640 ris idam.
( ctrinha de 400 a 6 (i r Hs a cuia.
Millio de 360 a 400 ris dem.
Fo;:ao dc800a 1* idera
Siatadouro :5h Neste estalDeleciraeto foram abatidas para o
consumo de hc^o 89 rezes pertenecntes a diver-
sos m;'
Vapores a entrar
MEZ DE SETEMBE
Sul.......... Don........... -23
Vapores a sabir
MRZ DE SETEMBKO
BioFormoso Pirapama........ 23 as 3 h
Norte........ Espii ilo Santo ... 2* aa 5 h
Souttiamptom. Don..'........ .' 29 as 2 h
------
Slovimcnto do Porto
Navios enh-ados no dia 27 de Setembro
Rio de Janeiro c escala -7 Bina, vapor nacional
Espirito Santo, de 1999 toneladas, comman-
danto Carlos A. Gomes, equipagem 60, carga
varios gneros, a Pereira Carneiro & C.
Soulhampton e escala13 dias, vapor inglez
Trenl, de 1698 tonelada- idanle A. fi.
Bell, equipagem 95, carga varios gneros, a
Am is & C. (
Baha e dias vapor nacional S. F/n-
cisco, de 382 toneladas, eominondantc.Joaquirn
da Silva Pereira, equipagem 30, carga varios
gneros, a "ompanbia Pernatnbucaoa.
SahidoH no mesmo ia
Buenos Ayres e escalaVapor inglez Trent,
commandaute A. E. Bell. ios gneros,
e escalasVap Villc de
colas, commandanle J. Hanry
ero.
Cr, dem.
Cravos de ferro, cento.
Canos de chumbo, kilo.
Caibros de qualidade, ura.
iro de ferro estanhado, kilo.
Cobertores de la,.ura.
Cadernaes bronzeados SS idem.
Chinello de vaqueta para a enfermara, par.
Camisola de brnn, urna.
D
s de repinlio, um.
asco de l, metro.
ftiamante para cortar vidro, um
Dobradgas d ferro, refurcuda, de junta,
pridas, de qualquer dimenso, ura.
Ditas de dito qeadradaa para machina, de qnal-
quer dimepso, idem.
Ditas de dito balido, quadradas, de qualquer di
liunso, dem.
Ditas de lato, compridas, de junta cora eixo do
mesrro metal, reforcadas, de qual(|ucr dimeu-
sao, dem.
Ditas Je dito compridas ou de junta com eixo
do mesmo meiat, nao refor<;ada3, de qualquer
B n.-fio, idem.
Di las de dito qnadradas, reforcadas, de qual
quer diraensao, idem.
Ditas de diio quadradas, nao reforjadas de qual-
quer dimenso, idem.
Dit;is de do quadradas, reforjadas, para ma-
tlr.nas, de qualquer dimenso, dem.
Ditas lie dito reforcadas para madeira, idem.
Ditas de ferro, idem.
Ditas t: metal ideqk
:
Enxofre ern p, kilo.
D''0 era eilra. idem.
Espirito de vintiode 37 a 90graos, litro.
Estando era vergninha, kilo.
Dito em barra, idem.
Cnxadas de ferro, urna.
Ditas de dito calcadas de ago, dem.
E:ix6s para carapinas'ou doriteirs, idem.
Di'a para carpntcira, com cabo, dem.
Estjia da trra, kilo.
Dita de linho, idem.
Dita americana, dem.
Escpulas de ferro, idem.
Ditas de lato, idem.
Escalas mtricas, uma.
Escarradeiras. de ferro, idem.
Ditas de ferr agalha, idem.
Ditas de folha, dem.
Esquadro de'aco de qualquer dijicnso-, u:u.
Estopa de algodo, dem.
Dita iugleza, idem.
Esfovas fe ar.hiie para tubos de caldciras, qual-
quer oimensfio. uma.
D;tas para cabello idem.
Dil.is inglezas, idem.
Ditas de anime, idem.
E-puiiideira de folha, una. ,
Esmeril em (, nio.
Fille SS, metro.
Ti i i.e wtatue de qualidade kilo.
Dito deaL 'U.
le ferro, uma.
F-cii.- para c > na, 'ni
Piigideirus de fi rro omallado, kilo.
Ditas de ferro e.' .:ah.\do, i le:n.
FU (lo l'vi!:.!, U 0.
Fio de cobre. Kilo
FI!k3 de Flandres gran les, Carcool, marca X,
XX, XXX, caixa.
D-las dl.is gandes Iv.k', marea X, XX, XXX,
dem. .
Ditas dilas piqeonas Kik, marca X, XX, XXX,
i em.
Pi fujoe*. un.
Ronces, uma.
Flor de eoxofre, kilo.
-ezes dcou.ro i l-.n.
Fellro seceo, bien.
Ffechoa de ferro, qualquer dimenso, um.
Fechaduras de ferro para armarios c gavetas,
qualquer dimenso, uma.
Dus de dito para gavetas, dais linguelas e duas
voltas, qe'!iiuerdiiiiensrio, idem.
Fechaduras de ferro, uma,
Ditas de mocanetas, fraacezas, idem.
I Ditas de metal, sorlidas, idem.
Ferro era chapa BB, kilo.
Do em vergalho, dem.
Dito em barra BB, idem.
Do era cantoneiras BB, idem.
Do Balea era barra, idem.
Dito dito era varSo, dem.
Dito do em lencol, dem.
Dito do eimrantoneira, dem.
Dito Lawraoor em chapa, dem.
Do dito em vergalho, idem.
Dito dito em cautoncira, ide n.
Dito dito em barra, iJetr.
Do dito em vario, dem.
Dito dilo em lencol, idem.
Do da Suecia em barra, idem.
Du dito era vergalho, idem.
Do pateflic em barra, idem.
Do dito era vergalho, idem.
Do para arcos, idem.
Do para grelbas, idem.
Do xadre em chapa, idera.
Perro guza, idera.
Dito inglez em varoredondo SS, idem.
Dito inglez era varo quadrado. idem.
Dito de Suecia em varo redondo, iJem.
Dito galvanisado era vrOes, kilo.
Fuchina prela. dem.
Da encarnada, idem.
Fechos pedreses idem, idem.
Foies SS, idera.
Ferro!los de metal amarello, idem.
Dito de ierro SS, idem.
Ganchos de lato, um.
Ditos de ferro, idem.
G irlopes de ferro, idem.
Uoivas para calafates, idera.
Ditas para carpinteiros, idem.
Crozas de ac, idem.
Gaxetas de algodo, kilo.
Dita de linho, dem.
Dita elstica pateute, idem.
Da patente, idem.
Dita americana, idem.
Giz em pedra, dem.
Gomraa lacra clara, dem.
Gesso, idem.
Gadanhos de ferro, ura.
Gomoia arbica em pedra, kilo,
Garfea para cosinha, um.
Dito de ferro, idera.
U tos com sapatiluo, idear.
Ditos singelos, i lera.
Ditos dob-ados, dem.
Graxa do Rio Grande em bexigas, kilo.
II
Hostias, ama.
K
Kerosene, lata.
t. <
Lixa de panno branco, uma.
Da de papel, dem.
Da de peixe, idem.
Dita de vidro, idem.
Dita esmeril, idem*
LubriOcadorea, um.
Linha aleatroada, kilo
Da de barca, idera.
Lati era chapas para todas aj di neasfes, idem.
Ditos era vergalliOes, idera.
Dito em folha para fowos, idem.
Dito em lencol, idem.
Limas iraperiaes. pollegadas.
Lim)!0es, ditos, iaera.
la Rus?i:i larga, roelro.
itreita, ide
Dita ingleza, larga, dem.'.
Dita Citrea, idem.
Dila de algodo nacional, dem.
Lanterui de patente, uma.
de ferro, um.
Lenfio! de brim, ura.
de FaDer para deseni:o, am.
M
.Mealhar bran;:o para gaxota, kilo.
Do alcairoado. idean
Merra, idem.
Meinhos para Caf de Fry. da 0, 8, ID, 12, 14, 16,
r
0"
los, um.
e ferro decimaes para seceos, jogo.
as mtricas de folha, terno.
Morim, metro.
Hachado, um.
Malhos de ferro, dem.
Martello de carpnteiro, idem.
Dito de pedreiro, idem.
Metal raunts, kilo.
Metal papel, id
Dito em lita, dem.
Mordente, kilo.
MoilOes-bronzeados, idem.
Uadeiras
Devera ser por metro corrente os precos
seguintes :
Pinho americano
Taboas, tendp cada uma, pelo menoa ,223 de
"argura e as seguintes grossuras: 0,012,
),0i9, 0,025, 0-.037, 0-.050 e 0-.075.
Pinho da Suecia
Taboas, lendo cada uma pelo menos, 0m,225 de
largura, e as seguintes de grossuras : 0*,0I2,
0-,019, 0-.025, m,037, 0-,030. 0al,075 e pran-
cliSo de 0-.100,
Pinho de Riga
Taboas, tendo cada urna, pelo menos, 0,n 23 de
largura e a3 seguintes grossuras : 0,012,
0,019, 0-.023. 0-.037, (30. 0-,073 e pran-
ciiiio de '",500K u barrotes de 0,075 a 0,l00.
Lacro, cedro, cedro da llaiiia, amarello, pi
"ga, perobu c ruirindiba
Taboas destas qoalidades, com as seguintes
grossuras : 0-,012, 0"019, 0,025, &,037,
0-.030, Qm,0~o e prancbo de 0ra,l00, 0" 175 o
:.>>. larguras le 0m.3 e 0,n,4.
Devem ser por medidas as pegas das segua-
les :'
Travs de sicupra, sapucaia, sapucarana, gua-
ra bus, louro.i imbiriba preta, maesaranduba,
condur e gararaba, de diversas dimensoes,
variando entre 0' 2X"\6, 5 e 0-.25X 0",25X9".
Enxaras de qualidade, variando enlre C- 1X0!',
1X5-, 5 e G, 13X0", 15X8-.
Vigas de qualidade de 0, 25X0, 23X10, 0",
3X0*. 3X11- e 0, 33X6, 35X13".
Vigas do sicupra verdadeira. de 0, 33X0",
35X13.
Toros de janipabo, sem nos, de 2,6 e 3",8 de
com primelo e 0">,22 a 0^,23 de dimetro no
topo oais gtossO;
Paos de sicupra verdadeira e de angelim amar-
goso para vaos de navios das seguintes diraen-
ses :' de 3" a 6-XO". 33X0, 23 c de 7 a 8
metros X0. 33x0a1, 25.
Caibros de qualidade de comprimeiitos entre
6-,6 e 8,8.
Hipas de imbiriba das mais co npridas, prego de
cada cento.
Paos curvos de sicupra de comptiraento entre
2M,0 u 5,0, para bracos de navios e camblas.
o
Oculos de alcance, um.
oleo de liohaga, kilo.
Oce, idem.
Ouro em pao livro.
Oxido de Ierro, kilo.
P
Ps de ferro, uma. *
Ditas de ferro com ponta, dem.
lias do ago, idem.
Ditas de uVo com ponta, idem.
[Vdr.is.; dar, idem.
Ditas de amolar, idera.
Dita de rbholo. idem.
Dita de moer tintas, idem.
luchadores de vidro e loug.a, idem.
Penciras de rame de ferr galvanisado, dem.
Dilas de rame de lalo, idem.
Ditas de cabello, idem.
Dita de rame, idem.
Dila do seda, sera lampo, idera.
Pedra pomo, kilo.
Dita podre, dem.
Pliiibagina, idem.
;i ra pedra, dem.
Pixe de Suecia, lro.
Pinceis escopeiros, um.
Pos pretos, kilo.
Pica rea 3 de ferro, uma.
Pas completas, iJem.
Pregos de cobre balido, kilo.
I) 'es de cobrS de embutir, dem.
i),; s de bronze, idem.
Ditos de cobre para forro, idem.
Ditos de cobre de talhamar, dem.
Dilos de ferro para forro, idem
Diios de Ierro de peso, idem.
Dilos bateiriofios, idera.
Dilos de ferro, de batel grandes, milheiro.
Ditos de ferro, de batel pqneuos, dem.
Ditos de ferro, ripacs, idem.
Ditos estopares, dem.
Ditos de ferro, caibraes, idem.
Ditos de embocar, kilo.
Ditos de zinco. idera.
Ditos Dos de cobre rinal, idem.
Ditos babeases, idem.
Ditos de ferro, de costado, idem.
Ditos de costados, galvauisados, idem.""
Ditos de cobre, de batel, idem.
Ditos de cobre de costado, idem.
Ditos de cobre para forro, idera.
Ditos de ferro, de guaroigo, milheiro.
Ditos francotes, kilo.
Ditos de ferro de assoalho, milheiro.
Ditos cabega de porcelana, um.
Ditos de cabega dourada, idem.
Pungoes, idem.
Parafusoa de ferro com porcas, qualquer dimea- ,
sao, idem.
i dios de porcas com espelho, idera.
Dilos de ierro de cabega chata, dillerenles d-
raensoes, grosa.
Ditos de lato, cabega chata, differentes dimen-
ses, dem.
Ditos SS, um.
Ditos de metal amarello, idem.
Pinceis de malla, idera.
Ditos de s^da, idem.
Pralos fundo de ferro, aalha, idem.
Ditos de dito travessos, idem.
Ditos de dilo estanhados, idem.
Ditos de dito esmaltados, idem.
Ditos de folha, idem.
Piassava, kilo.
Phares para topes, um.
Dito para 03 lados, verde e encarnado, idem.
Pannos para mesa, metro
Papel para desenlio, idem.
Do transparente para copiar desenlio, idem.
Dito de linho, idem, idera.
Pucaro de folha, ura.
Pralo travessa de folha, idera.
Dito redondo de folha, idem.
Pelle de carneiro preparada, uma.
B
Remos de faia SS, metro
Rebote de ferro galvanisado, kilo.
Raspa de ferro, uma.
Kouge, kilo.
txo rei, idern.
Ratoeiras, urna.
Ripea para cumieira, cento.
8
Bapatilhos de ferro, um.
Ditos de bronze, idem.
Ditos de metal, idem.
Sextante, idem.
Sebo em velas, kilo.
Dito cundo, idem.
Stearinas em velas, dem.
Ditas em archotes, idem.
Sondureza, idem.
'Serrle para cortar carne, um.
Sola ingleza,. kilo.
Da da trra, idem.
Sangue de drago dem.
Seccante de zinzo, dem.
neceante de chumbo, dem,
Sida forte, idem.
Sndalo, idem.
Seccante fezea de ouro, idem.
Safras de ferro calcadas, uma.
T
Terouras para cortar metal, uma.
Tornos de ferro de bancada, kilo.
Tornos de mesa, um.
Tornos pequeos de mo, um.
Torauezes, urna.
Ta loa de ro3ca.de todas as dimenses, dem.
Ditos de colher de todas as dimenses, dem.
Trena mtrica, uma.
Tubos de ferro, ura.
Ditos de ferro para caldciras, idem.
Ditos de ferro para estaos de caldciras, idera. '
Ditos de lato para eslaes de'caldeiras, idera.
Ditos de cobre, idem.
Do do chumbo, idtm.
Dilos de metal, idem.
Dilos de borracha, dem.
Tedias de zinco SS, uma.
Telhas de ferro galva'oisadb de 1/16 de g
dem.
Tijolos inglezes, idem.
s de bomba, kilo.
Dilas de zinco, idem.
Ditas de cobre, dem.
Ditas de ferro, idem.
Trinca!, idem.
Terra de sene crua e queimada, idem.
Tubos de tinta, fraacezas bisnagas, ide:
Tinta azul ultramarina, idem.
Dita amaiella, preparada, dem. m
Dita branca de zinco, idem.
/;
i
X,




L
\
Diaria de PernamhucoSabbado 28 de Setembro de. 1889
MMM
III
m.
ii. dem.
.i.
Dita verde, pn !em.
Dita encrnala, preparada,idem.
Dita azul, preparada, Ui
Dita roo-terra, idem.
Tij >loa de alvrnaria ^ro>i. milheiro.
Ditos de tapamenlo, idem.
Ditos de Udrilho, idem.
Telas de alvenaria, idem.
Torneiras de estanbo Ola 10, uina.
Ditas de metal, curvas, idem.
Torcidas fran ro.
Terrina de ferro, ngatho, urna.
Dita de follia ide
Tr:;. [e c ina, um.
Ditos di pallia, idem.
V
Vi iros curvos para iIki"6c?, brancas, ve:
encarnados, um.
Vidro de vidraca, brancos e de cores, i lem.
Vassooras da piassava cotn cabo, idem.
Verramas de ro.-cj para calafete, idem.
Verniz branco de boneca, kilo.
Dito de colner, idem
Din branco fraacez, encorpado, idem.
Dito amarello, idem.
Dito Je pincel, branco e preto, vidros grandes.
Dito de queimar nos, kilo.
Dito de alambre, i tera.
Di:o branco e preto de S. Freir, vidro grande.
Di'o scccavo luglez, kilo.
i copal, idem.
Dito metalllco, idem.
Ditocrjstul, idem:
Dito '.i; Brel Blank Jap >a, la'a.
Mto Bert westnirag, dem.
Verde Taris, dem.
Ve: mi de coaltar, iam.
Verde com posta, idem.
Dito nativo, idem.
Dito (ronces, idem.
Vermelhao da China, idem.
Vidros para dracas de 0.00200.001, um.
DHos iagjezes de 0,0020,0.003, dem.
Ditos de Bohemia, idem.
Ditos lavrados, idem.
Ditos estrellados, idem.
Dito? de cores, lisos, i-iem.
Ditos de cores, curvos, idem.
Ditos opacos, dem.
Ditos para espetaos, idem.
Ditos mas8elina, idem.
Ditos redondos para vigas, idem.
7. irco, kilo.
Zinco ern barra, idem.
X ico em folln, idem.
Zinco estampad}, idem.
I*crvacc
Sao devores dos proponales :
1 Organisar as suas propostas, atlendendo a
que ellas, alem do serem em dupiieata. escrip
tas em papel forte e cora dom centmetros de
margem, pelo menos, do lado da juneco, fecha-
das, iscotas de setlos u referentes a especie de
artigos dos negocios dos co:itraetantes deverao
comer:
O nome do proponenle no alto da pagina e os
artigos classiliearos deconformidaiie com o edi-
tal le chamada, os nmeros c marcas desses ar-
tigos, se a sua nalorcza o determinar.
O prazo irnprorog-ivel da entrega total ou par-
cial, se tratar se de artigo que dependa de la-
b ico on lenha de ser adquirido em grande es-
cala e de urgente necessidade.
A declarago expressa de que o proponente
sujeita-se as condicOes geraei dos contractos,
estatuidas no aviso circular de n. 1.087 de 29 de
Julln de 1882, e modificadas tanto pelo novo re-
gulamento do sello, como pelo aviso circular n
172 de 28 de Janeiro de 1S81, e bem assim
multa de 5 por cerdo da importancia a quemon-
tarem os artigos que lhe torea aceitas, se deixar
de comparen r pan ussignar o respectivo con-
trato ou de assistir discusso e Untura da mi
BOtadelle, is;o dentro do prazo que for notifica-
do pelo diario oficial, e que nunca sera raaior
de tres dias.
A indicaco da casa cora.ucrcial do concu-j
rente :
A asignatura lo proponenle, cu se for lirraa
social, do socio ou sucios que possam usar da
mesma firma, salvo aulorisacao concedida por
instrumento de procnracSo.
Entregar, por iou por seus legtimos copre-
sentantes, direetau.enle ao conselho, no lugar,
lia e hora marcados, nao s as BOU propostas,
orno as arrostras correspondemos ;
Exhibir, no acto de entrega, aliu da cerlidao
do respectivo contracto social, quando nao se
Talar de firma individual, documentos que com-
provem : -
llaver pago como negociante cslabelecirto o
imposto dp casa commercial relativo ao ultimo
semestre vencido :
Ser negociante matriculado. Tcdos esses do-
cumentos sero restituidos a quemosapiesentar,
logo que se baja de proceder a leilura da res
p ctiva proposta.
Assistir, na sala das sessOes, leilura expres-
sa no numero antecedente.
As fabricas .ou estabelecunentos industriaes
lo imperio sero dispensados da condicao de
matricula na Junta Commercial, e. em igualdade
de circunstancia?, terao preferencia sobre os
outros concurrentes.
as localidades, onde nao houver jnnta com-
mercial. serao admiltidos a concurrencia os ne
gociantes de maior crdito, independentemente
da prova de matricula ; devendo as firmas so-
ciaes exbibirem a cert forme pre* eila o art. 13, n. 3.
Recoramenda se aos proponentes queorgani-
ecm as propostas de accordo com o annuocio.
Todos os contractos celeb aios em viriude da
preferencia do conselho de compras ser&o an
nuos e terminaro com o excrcicio do anno
tinanceiro em que tiverem sido effeetuados, sal
\o se se referirem a certo numero de artigos
i-uio fabrico ou feitura demande maior terapo.
Ouando fr necessario aos interesses do ser-
vico sero os fornecedores obriyados a con ti
nuar o suppnmento mediante os precos e coidi-
rfiea estabelecidos em seus contractos por raais
60 dias, sera que d'alii resulte direito a proroga-
c3si dos ditos contractos.
Tojas as minutas dos contractos, lavrados em
razo da preferencia do conselho de compras
ficarao sujeitas A'approvaco da Secretaria de
Es'ado dos Nogocios da Marinlia.
As amostras 03 artigos correspondentes as
propostas preferidas Ikaro depositadas na re-
par! cao onde o conselho livor celebrado as suas
jos : ao passo que as dos artigos correspon-
dentes as demais propostas, se nao forem reti-
radas dentro de 48 horas, serao dadas a consu
mo nos termos do regulamento da intendencia.
A concurrencia ser annullada :
Ouando nao forem observadas as disposicOes
do "presente rcgulamento;
Quando comparecer um su proponente, salvo
se tratar se de suppnmento especial ;
Quanlo por motivos poderosos acreditarse que
baja coniuio entre os proponemos.
Secretaria da Inspeeclo do Arsenal de Mari-
ota de Pernambuco, 2o de Setembro de 1889.
O secretario,
Antonio da Silca Asevcdo.
\
Conselho de compras da Repar-
tleo de marinha
Propostas para o fornecimento de diversos
igos de expediente para escriptura-
ueste Arsenal e suas dependencias,
iavagem concert e passameuto a ferro
a roupa da Enfermara de Marinha
desta provincia durante o futnro exer-
cicio de 1889.
De orJera do Illra. Sr. Capitao-tenente Manoel
asto de Castro Menezcs, Inspector deste r-
,1 e Capitfio do Porto desta provincia, faco
que no dia I. de Outobro prximo fu-
t horas da manh, pra urna das salas
laria da lispeccao, de accordo com o
ele o. 10066 de 20 de Outubro da 1688, re-
propostas para o fornecimento de arti-
!e expedieute para a escripturaco deste
nal e soas dependencias, lavagem, concert
nento a trro de roupa da Enfermara
lia desta provincia, a saber :
Artigos de expediente:
ipassos Hms, um.
as, urna,
're iihas, urna.
i finos, um.
papel, sortidos, caixa.
A. B. C, urna,
no de Doutrina, um.
o Brasileiro, um.
de compendios, ama.
3es, um.
Cordao, rolo.
Campainba de metal, una.
Enveloppes pequeos, mo.
Bi os para papel uiinislio, cento.
Ditos para ollicios, cento.
Ditos para oftlcios cora inscripeco, cenia
Ditos m folio, um.
Escrivanioha pequea de vidro, urna.
Dita grande de vidro, urna.
Facas de osso para papel, urna.
Ditas do marfio para papel, urna,
(ornma arbica liquida, Irasco
Lipis da b.trracha, um.
Ditos do cores, Faber, um.
Ditos pretos, Faber, ora
Livro em branco, pap lautado, com cn-
caderuacao panuo e pupei, com 23 folbas, nm.
Dito era branco, papel Ujme paulado, com eiica-
dernacao de panno c papel e com 50 folhas, um.
Ditoem branco, papel Sttme pautado.com enea-
dernacSo de panno e papel com 150 Tolii s
um.
Dito em branco, papel Hume pauta lo, com enea-
dernaooMe panno e papel e oo:n 200 folhas,
um.
Dito em branco, de papel Ho!l inda,, paula
mato Cassi com enciidermjao d^: cu
brim, com 50 folhas, un.
Ditos de ditos cora 100 jm;-, o,n.
Ditos de ditos com 130 folhas, nm.
Dilos do ditos VttB Ditos de ilitos cora I f n n, un.
Limpado-' s lo pa mas, u n.
Loosas
n pao, u
, imn.
D. i 'iu lie pajil ii.
Bio Wlaada ii'-e. eaderno,
Dilo de ::ilio az :, r
Dito de linlio branco ingle, resma.
Dito sera margem para olficios, resma.
Papel sem margem com inscnpgo para oftlcios
resma.
Papel branco para oflicios. com inscripgo, resma.
Papel rosado para olficios, com inscrip^ao, resma.
Papel pequeo para carias, caixa.
Papel ministro para cartas, caixa.
Papel ministro com timbres, caixa.
Papel mata borro, carto, folha
Papel para mappas, folha
Papel parlo para capas, folha.
Peona; d'ago Perry, n. 150, caixa.
I'ennas d'ajo Malltt, caixa.
Pennas d'aco Americanas, caixa.
Pastas de oleado com floroes, una.
Pesos de vidro, sortidos, nra. M
Reguas de bano chala oa quadrada, com friso
de cobre, urna.
Raspadoiras cabo de osso ou raadeira, urna.
Raspadeiras caivete, cabo de osso, urna.
Tinta ingleza pasa escrever, litro.
Tinta nacional, litro.
Tirapanos de metal um.
Tintoiros pequeos de vidro ou looga, um.
Tiuta carmira, frasco.
Tiralinhas, nm.
Tesouras grandes para p&ael, urna.
Talle! de gutta percha, um.
Vasos para esponja, um.

Lavagera e concert de roupa da enfermara.
O preco de cada urna pega de roupa, lavada,
concertada e passada a ferro, com pregamcnlo
de botOes.
ObscrvacAcit
Sao deveres dos propone tes :
1." Organisar as suas propostas, altendendo a
que ellas, alera de serem em duplcala esenptas em
panel forte e com dous centmetros de margem,
pelo menos, do lado da Hncete, fechadas, isen-
tas de sello, referentes a especie de artig03 dos
negocios dos contrawantes, deverao conter:
O nome do proponenle no alto da pagina e os
artigos elassibeados de conformidade cora o edi-
tal de chamada ; os nmeros e marcas desses
artigos, si a sua natureza o determinar;
O prazo improrogavel da entrega total ou par-
cial, si tratar se de artigo que dependa de fabri-
co ou tenha de ser adquirido em grande escala
e de urgente necesecidade
A declaraco expressa ilj que o proponente
sujeita-se as condic5c3 geraes dos coutractos,
estatuidas no aviso circu ar n. 1.087 de 29 de
Julho, de 1882 e modificadas tanto pelo novo re-
gnlamento do sollo, como oelo aviso circular n-
172 de 28 de Janeiro de 1884, e bem assim a
multa de 5), da importancia a que montarcm
os artigos que lhe fot esa aceitos, se deixar de
comparecer para assignar o respectivo contracto
ou de assistir discusso e (eitura (fa minuta
del le, Isto dentro do prazo que fr notificado
pelo diario offcial, e que nunca ser maior de
tres dias;
A enumeracao dos anises, qualidades, precos,
etc., por extenso, sera rasuras, emendas ou en
trelinuas;
Um nico preco por cada artigo ;
A enumeracao dos artigos, qualidades. precos
etc., por extenso, sera rasuras, emendas ou en-
trelinhas ;
Um nico preco para cada artigo ;
A indicaco da casa commercial do concur-
rente ;
Aassignatura do proponente, ou se fr firma
social, do socio ou socios que possam usar da
mesma firma, salvo cutorisacao concedida por
instrumento de procuraco;
Entregar, por si ou por eus legtimos repre-
sentantes. directamente ao conselho, no lugar,
dia e hora marcados, nao .' as suas propostas,
como as amostras correspondentes;
Exhibir, no acto da entrega, alm da certidao
do respectivo contracto sccial, quando nao se
tratar de firma individual, documentos que cora:
provem ;
Havcr pago como negociante estabelecido o
imposto de casa commercial relativo ao ultimo
semestre vencido;
Ser negociante matriculado. Tod03 esses do-
cumpnlos sero restituidos i quem os apresentar,
logo que se haja de proceder leilura da respec-
tiva pro posta;
Assistir, na sala das sessOes, leilura ex-
pressa no numero antecedente.
As fabricas ou estabelecimentos industriaes
do imperio, serao dispensados da condigao de
matricula na Junta Commercial, e, era igualdade
de circunstancias, tero preferencia sobre os ou-
tros concurrenies.
as localidades onde nao houver Junta Com-
mercial, sero admittidos concurrencia os ne-
gociantes de maior crdito, independentemente
da prova de matricula; cevendo as firmas so-
ciaes exbibirem a certidao 3e seu contracto, con-
forme preceita o art. 13, ji. 3.
Recommenda-se aos proponentes que fjrgani-
sem as propostas de accordo com o numero.
Dos contractos
Tolos os contractos celebrados era virtnde de
preferencia do conselho de compra serio aunos
e terminaro com o exercicio ou anno financeiro
em qoe tiverem sido effect jados, salvo se se re
feriretn' certo numero de artigos, cujo fabrico,
ou feitura demande maior :empo.
nando fr necessario aos intereses do servico,
serao os foraejsedores fbrigados a continuar o
supprimento, mediante os arecos condicOes es-
tabelecidos em seus contraL-tos por mais 60 dias,
sem que d'ahi resulte diruto prorttgaso dos
dilos contractos.
Todas as minutas ddte contractos lavrados em
razo da preferencia do conselljp de compras fi
cario sujeitas approvago da secretaria de Es-
tado dos Negocips da Marinha.
As amostras dos artigo.) correspondentes s
propostas preferidas, ficariiq depositadas na re-
partkSo onde o conselho tivr celebrado as soa3
sesses: ao passo qu as d,os artigos correspon-
dentes s deraais propostts.se nao forem retira-
das dentro de 48 horas, sero dadas consumo
nos termos do regularatfnto da intendencia.
A concurrencia ser aunliada:
Quando nSo forera observadas as disposices
do prsenle regulamento,
Quando comparecer um proponente, salvo
se tratar se de supprimento especial;
Quando por motivos poderosos acreditarse
que haja coniuio entre os proponentos.
Secretaria da inspeceo do Arsenal
de Mari-
nha de Pernambnco, 24 de Setembro de 1889.
O secretario,
Antonio da Slea Azetedo
ConseJho de compras da re-
particao de Marinha
Propostas para o Bupprimeolo de medicamen-
tos enfermara de marinha d'esta provincia, e
ao3 navios de guerra fondeados no porto d'esta
cirfade, durante o futuro excrcicio de 1890.
De ordena do Ulm. Sr. ca oito tenente Manoel
Augusta de Castro Meoezes. inspector d'este Ar-
I e capitao do porto d'esta provincia,
publico que no dja f." de Oatubro prximo fu-
turo, s 11 horas da manhS, em urna das salas
di secretaria da iuspeccao, de accordo com o
decreto n. 10,066 de 20 de Outubro de 1888, re-
cbense propostas para o aviamento do recoi
tuario da enfermara de marinha d'esta provin-
cia, e aos navios de guerra fundeados no porto
d'esta capital, tendo por base os precos do for-
I mulario, que acha-se na secretaria da referida
rmaria, expo3to consulta dos proponentes.
0bservacdet
Sao deveres do3 proponenle
. 1." Organisar as suas propostas, altend
a quo ellas, alera de serem em duplcala, es-
criptas era papel forte e com dous centmetros
de margem, pelo menos, do lado da juncg'io,
fechadas, isentas de sello e referentes a especie,
de artigos dos negocios de conlmelantes deverao
conter:
O noiiie do proponente no alto da pagina.
O prazo improro.'avcl da entrega total oa par-
si lratar-e de arfigo que dependa de fa-
brico ou lenha de sor adquirido em grande es-
cala e de. urgente necessidade ;
A decfaruyo expressa de que o proponente
snji.'ita-se s condiges geraes dos.contractos,
estatuidas no aviso circular de n. 1,0^7 de 29 de
Juio ie 1882 e modificadas tanto pelo novo re-
gula nenio do sello, como pelo aviso circular
n. 172 de 28 do Janeiro de W8ii < bem assra
multa de i> % da importancia a que mootarera
os artigos qoe lhe forem aceitos, se deixar de
comparecer para aasignar o respectivo contracto
ou de assistir discusso e leilura da minuta
dello, isto dentro do prazo que fr n
pelo diario ofikial e .|ue nunca .-era maior de
ires dias.
a declataco de que os artigos sero de I '
'Halid:;J:'; e qnal o ilesc ato sobre o preco do
formttrarios ele. por extenso, sem rasuras,
emendas ou onlrelinlias ;
A indresijo da casa commercial do concur-
rente ;
A assignalura do proponenle, ou se fr firma
social, rio socio ou socios que possam usar da
mesma firma, salvo autorisago concedida por
Instrumento de procuraco;
Entregar, por si ou por seus legtimos repre-
sentantes, directamente ao conselho, no lugar,
dia e hora marcados, nao s as suas propostas,
como as amostras correspondentes ;
Exhibir, ao acto da entrega, alem da certidao
do respectivo contracto social, quando nio se
tratar de firma individual, documentos que com-
provem;
Haver pago como negociante estabelecido o
imposto de casa cemmcrcial relativo ao ultimo
semestre vencido;
Ser negociante matriculado. Todos e3ses do-
cumentos sero restituidos a quem o apresen
lar, logo que se haja de proceder leitura da
respectiva proposta.
Assistir, na sala das sesses, leitura ex-
pressa no numero antecedente.
as localidades onde nao houver junta com-
mercial, sero admittidos concurrencia os ne-
gociantes de maior crdito, independentemente
ua prova de matricula; devendo as firmas so
ciaes exhibirem a certidao de seu contracto,
conforme preceita o art. 13 n. 3.
Dos contractos
Todos os contractos celebrado3 em viriude da
preferencia do conselho de compras sero an-
nuos c terminaro com o exercicio ou anno li-
nanceiro em que tiverem sido eflectuados, salvo
se se referirem a cerlo numero de artigos, cujo
fabrico ou Tortura demande raaior terapo.
Quando fr necessario ao3 interesses do ser-
vigu, sero os fornecedores obrigados a conti-
nuar o supprimento, mediante os precos e con-
diges estabelecidos em seus contractos por ms
60 dias, sem que d'ahi resulte direito proro
gagao dos ditos contractos.
Todas as minutas dos contractos lavrados em
razo da preferencia do conselho de compras
licarao sujeitas approvago da secretaria de
Estado dos Negocios da Marinha.
A concurrencia ser annullada :
Quando uo forem observadas s disposige3
do presente regulamento ;
Quando comparecer um s proponente, salvo
se tratar-sc de supprimento especial;
Quando por motivos poderosos acreditar-se
que haja coniuio entre os proponentes.
Secretaria da Iuspeccao do Arsenal de Ma
rinba de Pernambuco, 2o de Setembro de 1889.
O secretario.
Antonio da Silva Azevedo.
Administracao dos correios
de Pernambuco, 25 de Se-
tembro de 1889
Mala* para Pedra Tapada
Fago publico que de Outubro em diau'.e a
mala para a agencia do correio de Pedra Tapada
passat a ser expedida nos dias 3, 8, 13, 18, 23
e 28 de cada mez.
O administrador,
Alfonso do Rogo Barro i.
Companhia Locomo-
tora Pernambucana
Afluembla geral
De conformidade cora o art. 14 dos estatutos
desta companhia, convido aos senbores accio-
nistas a reunirem se em assembla geral no dia
8 do prximo mez de Outubro, ao raeio dia, no
pateo do Carmo n. 1, escriptorio, para Jhe3 ser
a presentado o bal anco e mais documentos refe-
rentes ao estado da companhia, e resolver-se o
meihor soore assumplo de interesse da mesma
companhia.
Recife, 24 de Setembro de 1889.
Andr M. Pinheiro,
Secretario adhoc.
Colonia Orphanolo-
gica Isabel
De ordem desta Directo-
ra aviso aos parentes, tu-
tores ou protectores de me-
Qores despachados at apr-
sente data para serem reco-
lhidos a esta Colonia, de os
apresentar at o dia 20 do
mez vindouro, julgando-se
cedido o direito adquirido
pelos despachos da Presi-
dencia, se q nao fizeremat
o referido dia,
Secretaria da Colonia Or-
phanologica Isabel, 20 de
Setembro ce 1889. O se-
cretario. Francisco G en-
calves de Siqueira.
-------------
Thesouraria de Fazenda
ttuhntituirui de notan
De or^m do Illra. Sr. inspector, fago publico
que, na forma do edital desta Thesouraria de 17
le Junho ultimo, no dia 30 do crrente mez
ue termina a prorogago do praso marcado para
substituigao sem descont das notas de 200/
da a." estampa.
Vencido esse praso, comegar o descont de
accordo com o preceituado pelo art. 13 da lei
3313 de 16 de Outubro de 1886, isto : durante
03 tres primeiros mezes 2 0; at o .* mez 4
0 0 ; at o 9. mez 6 e/0 at o 12" mez 8 0/0;
duraute o 13." mez 10 0/0, e mais 6 0/0 roensaes
d'ahi por diante at que as notas perco de todo
o valor.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 9
de Setembro de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Atina
PRADO PERNAMBICANO
HEATR
DAS
VARIEDADES
Grande espectculo em favor
DO
QUE SE REALIZAR
Domino; 29 de Setemko
a
Jiome
I
s
=
9
POlI OH
datura-
lid.
Cor la voh<
monta
Proprief arios
Paladino.
Transclave..
Augelino,ex-
Cacique...
Pao Brasil
Jaguaro....
Lord Byron,
ex-Lo ...
Belga......
Sans-Souci...
4 Castanho----
ii Alazn......
4
lo
4
5
o
5
5
o
J

I
I
Rodado .....
Russo pedrez
Cacliilo.....
Mellado.....
CasUuilio ...
Rodado .....
Alazo.
Rusilho
Baio
Russo pedrez
Baio........
Baio........
Pernamb..
ai Branco, preto c ene...
56 Encamado e branco..
l. PareoInicio800 metros.Aniraaes da provincia que nao tenham ganho premio nos pra-
dos do Recife.' Premios : 2003 ao 1., 40/ ao 2. c 20 o 3.
Cauby ......
Maran^uape..
I'apacaceiro ,
ex-Barra...
Rio da Prata
II.......
Humilde.....
Berlim.....
7 Ramss......
56
54
56
54
56
56
56
56
56
56
56
56
5
Azul e branco.
Encarnado e branco.
Encarnado........
Azul e rosa.........
Branco c encarnado-
Ouro e preto.......
Escarate e ouro
Encarnado c preto.
Grenat c ouro------
Ouro e branco.'
A. M.
B. B. Fonseca Filho.
Francisco Coelho.
Felismino Leopoldino.
M. N. F.
J. Cavalcante.
F. M M.
B. B. Fonseca Filho.
Jos N. da Silva.
C. Depurativa.
Candido II. Ribeiro.
A. M. S.
X. R.
J. P.
D. Anna L. de Mattos.
2." Pareo l. de Julho 1,500 metros Animaes pelludos do paiz. Premios: 3003 ao Io,
60* ao 2o e 30* ao 3o
Parahyba
Cometa..
Gallileu-.
Aymor .
Favorita .
Recife .
Vulcano..
Castanho
Alazo...

Castanho.
Zaino-----
Castanho.
Alazo...
S- Paulo.. 52
54
a 52
54
52
R. de Jane. 34
S. Paulo.. 34
Azul e ouro.
Ouro e preto.....
Azul e ouro......
Verde e amarello.
Azul e ouro.....
Coud. Internacional.
Coud. Luzo Brasileira.
Coud. Fraternidade.
P. V.
Maia & Crysostomo.
S. P.
Coud. Internacional.
Pareo -Internacional -1,200 metrosAnimaes estrangeiros que n3o tenham ganho pre-
mios era 1889 era maior distancia. Premios : 400 ao Io, 80 ao 2o e 40 ao 3o
Alazo......
Franca ... 30
Coudeh.ria Temeraria.
Totti......
B:azil......
Zngara, ex-
Stephame.
Feuillage ex-
Jo3epbus..
Vanda ......
Castanho...
Franga ...
Zaino claro.. R. da Piala
Inglaterra
50
54
52
Branco c ouro........
Grenat..............
Verde e amarello -
G. Oliveira C.
A. T.
4. pareoComoUco-830 metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho premios
em 1889 em" raaior distancia. Premios : 200* ao 1., 40* ao 2. e 20* ao 3.
liPiramon
2 Corsario ...*
3 Esqumo ..
iTupy.......
5[Pinta silgo..
Phariseu.
Humilde__
Caira......
Cndor. ..
Lucifer
5
I
5
7
5
5
10
s
6
5
Castanho
Rodado.....
Baio........
Russo......
Castanno
Russo pedrez
Baio
Rodado
Pernamb.
56
56
56
58
58
58
56
56
58
58
Preto e ouro........
Preto c branco.....
Encarnado e branco

Azul, ene. br. e pret.
Xadrez............
Azul e grenat.......
Azul e encarnado
Coud. Bella-Vista
J. F. S.
A. de Miranda.
F. C. Rezende.
J. M. B. C.
Tasthersal Pernamb.
M. N. F.
A. F. C.
R. Cardoso.
choa 4 C.
3.' PareoGRANDE PREMIO -imprenta Pernambucana 1,800 metros. Animaes da
provincia. Premios : 80* ao Io, 200* ao 2, 1005 ao 3.- e 60* ao4.-
10
Arumary ....
Monitor......
Guarany 2o..
Templar
Mouro......
Florete .....
Iguarass...
Beberibe...*
Nao se espan-
te .......
Capibaribe ..
a
a
4
5
7
5
4
10
5
5
Alazo .....
Husso......
Rodado .....

Alazo......
Castanho
Alazo......
Russo......
Pedrea......
Castanho
Pernamb.. 54
54
S
a 54
a 54
54
52
V 54
54
54
Azul e creme.......
Encarnado c branco.
Ouro e branco.......
Branco.............
Encarnado e ouro
Encarnado e branco..
Ouro e preto.........
Preto, encarn. e ouro
Azul e encarnado
Crdepalha.........
F. Siqueira & Bastos.
Coud. Pernambucana.
J. Mello.
J. F. F.
A. Taques.
F. Freir.
M. P. F.
Coudelaria Beberibe.
J. J. A.
Milner.
6." Pareo. Prado Pernamnucano 1,700 metros. Animaos de qualquer paiz.
Premios : 400* ao 1," 200* ao 2. e 40* ao 3.
Gladiator ex-
Derby___
Irene, ex-As
pasia.....
Ernani.....
Apollo......
Vesper .....
Africana.....
Alazo.
Zaino.-
Alazo.
Zaina.
Inglaterra
R. da Prata
Inglaterra
R. da Prata
50
48
56
52
57
54
Branco eouro.
Grenat........
Preto e ouro...
Ouro e branco.
m c
Preto e branco
Coudelaria Temeraria.
j
Guimares O. & C-
Arthur Silva.
Dr. Joo de Sa.
Coudelaria Emulago
Coudelaria Riachuello
. pareoAninaco1200 metro3-Animaes da provincia n&o inscriptos no grande premio.
Premios : 200* ao Io, 40* ao 2 e 20* ao 3o
Village.....
Cupido.....
Cajurubeba
Tupy.......
Atheu^----
Good- mor
nins
Mellado.....
Russo......
Castanho
Baio........
Castanho....
Rodado .. ..
Pernamb.
56
54
54
54
54
54
Azul e branco.......
Ouroe preto.........
Encarnado e branco.
Xadrez............
Azul branco.....
Jos Joaquim Dias.
S. N.
Coudelaria Depurativa
F. C. Rezende.
A.F. Cabra!.
R. Cardoso.
(*) Montado por amador. tv
OBSERVACOES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem achar-se no ensilhamento
s 9 1|2 horas da ruanlifi.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento
urna hora antes da determinada para o pareo era que tiverem de correr.
Os forfaits serao recebidos at sabbado, 28 do corrente, 3 horas da tarde..
O animal inscripto em mais do um pareo, que deixar de correr no primeiro,
nSo correr no segundo.
Qualquer reclamagao sobro corridas devora ser apresentada por escripto
directora.
Os jockeys que at sabbado 28 do corrente ao meio-
dia nao se apresentarem a matricula n'esta Secretaria,
nao poderao correr no dia 29.
HORARIO
Encorramento da venda de poules Corridas
1. pareo.llh.50
2. 12.40
3." 1.20
4. c 2.10
5. c 2.55
6. c 3.40
.o
4.30
PREQOS
Geraes.......
Entrada e archibancada
Entrada, archibancada e ensilhamento
Cartoes de familia at 5 pessoas
Ensilhamento.....
Differenca para archibancada
12\
12.50
1.30
2.20
3.5
3.50
4.00
liOOO
20000
30000
55000
20000
10000
Recife, 26 do Setembro de 1889.
O GERENTE,
Francisco de Souza Res.
Domingo, 29 do corrente
Depois que a orchestra, dirigida pelo distincto
professor Antonio Martins, tiver executado urna
, das suas melbores ouverluras, subir scena a
i multo applaudida ZARZUELA em um acto
Seguir-se-ha a importante comedia, que to
applaudida foi era anoitede 21, no tneatro San-
Ma Isabel, escripia pelo distincto comediograpbo
fluminense, Dr. Franga Jnior :
GOyOSEHZItliMIiEPUTiDO
N'ura dos intcrvallos a hbil actriz Marieta
AUverti, em obsequio ao beneficiado cantar a
linda
CANSAO DOS LARANJAS
Principiar iis 8 horas
O resto dos bilhetes, na billietaria do thea-
tro.___________________________________
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Alves
IV. 7Boa do Itoin SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhia
aesta praga que concede aos Srs. segurados semp-
cao de pagamento de premio em cada stimo
rano, o que equivale ao descont annual de cer-
' de 15 por cento em favor dos segurados
Companhia
Imperial
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edlficio8 e mercadoriat
Taxas bausas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Rs. 18,000:0004000
AGENTE
BBOV\<* A C.
N. 5RUADOCOMMERCIQN. 5
"SEGUROS
martimos contra fogo
Companhia l*henix er-
uanilmcana
RA DO COMMERCIO N. 38
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercw n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool k London k Globe
HTSURAITGS CDMPA3MY
ftACSsm mssAU & c.
Ra do Commercio n. 3
S*ttH(WHAOfiO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R.DEDRUSINA&C.
13Rua Mrquez de Olinda13
Cmpanljia te Seguros
CCSTSA FSO
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Psito Gnanceira (Dczembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
lie celia annnal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxinelll
INDEM1VISADORA
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
Efttabelecldaem 1*55
CAPITAL l,00O:000|000
SLMSTROS PAGOS
At 3 i deDezembrodel884
Martimos.. 1,110:000|00G
Terrestres. 316:000$00O
44Rua do Commercio44 .
COMPANHIA PEBSABBICASIA
DE
\avegaco costelra por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 2S de Setembro as 12
'horas da manh&. Recebe carga at o
dia 27.
Passagens al s 10 horas do dia da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
United States and Brazil
M. S. S. C.
Ovapor Advance
E' esperado de New York-
at o dia 5 de Outubro
too qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e Santo
Para passagens carga, encommendas e di-
nheiro a frete. traU-se : com os < GENTES.
1
ti


-
Diaria de Pernainbuco-Sabbado 28 de Setembro de 1889




i '-_

O vapor Allianca
E' esperado do* portos a
sul at odia 6 te Outu-
bro o qual depois da de
mora necessana seguir
para o
raahio. Par*, Barbados, S.
Thomaz. Martlaique e Xew-
Para carga, passagens, encommendaa e di-
nheiro a trete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commeaiar8
1* andar
1X4*4
COMPANHIA PM*A
DE
IfaTexacia eosleira. por vapor
PORTOS DO SUL
Taniandare Rtofannoso
O vapor Pirapama
C ominando nt Carvalho
Segu no dia 29 do corre-
le s 5 horas,da manb Re
cebe carga al o dia 28.
Passagens at s 3 horas da tarde da vespera
da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
9 Ra
COMPUAIVA
PERViHKICnt
DE
Navegaeio costelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Una
Commandante Monteiro
Segu no dia 3 de Outubro s 5
horas da tarde. Recebe carga at o
lia 2.
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 2 horas da tarde do dia 3.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucanu
n. 12
Roy al Mail Steam Packei
Company
O vapor Don
E' esperado do sul no dia 29 de Se-
terubro, seguindo depois dademora
necessaria para
Lisboa, Vigo, Santhampton e Antuerpia
lieduecao de passagen
Ida Ida e tolta
k' Lisboa i classe 20 i 30
A' Southampton 1' classe t 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros dt
Pemambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
Agentes Britto
3/ leilao
De predios
l ma casa grande 4 na Imperial n. 14.
l'ma dita travessa do Pocinho n. 28.
limo dita mesma travessa o. 30.
Urna dita ra Nunen Hachado n. 6,-no Espi-
nheiro.
Urna dita mesma ruar n. 18.
Urna dita ra do Ns sceote n. 24.
Os Srs. pretenden tes podem ir ver ditas casas,
devendo ser este o ultitjo leilao
Sanhado %H do corrate
A's 11 horas em ponto
No pateo do Paraizo n. 26
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do norte at
o dia 4 de Outubro e depois da de-
'mora indispensavel segura para os
portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e alo-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante Joao Mara Pessoa
E' esperado dos portos do sui at o
rdia 7 de Outubro e seguindo depois
da demora indispensavel para c?
portos do norte at Manos.
As encommendas so serio recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Caroeiro & C.
6=Rua do Commercia=6
lo andar ^^^^^
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Equateur
Commandante Moreau
E'esperado da Europa no
dia 4 de Outubro e se-
; guir depois da demora
1 uecessaria para
Baha, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatqoer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado
rias que so se attender a reclamacoes por fal-
tas, nos volumes, que forem rcconhecidas na
occasio da descarga, assim como deverao den-
tro de 4 horas a contar do dia da descarga das
alvarengas, fazerem qualquer reclamaso con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul, afim de poder-se
dar a tempo as providencias necessarias.
Este paquete lllumioado a
elctrica.
Para carga, passagens, encommendas
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE]
Augirste Lbil] e
do Commercio 9
lu/
e di-
Leilao
sobado de 2 andares e soto i. 24 da
ra do Visconde de Iubauma. edificado em ter-
reno proprio e pertencente ao acervo inventa-
riado do finado Victorino Jos de Souza.
Os pretndanle podem examinar o referido
sobrado.
JLeilo
De movis, espelhos, quadros, jarros, ob-
jectos de electro -pate, licores, vinhos e
plantas, urna linda mesa elstica, obra
gosto, 1 silhio, a sabor:
Urna mobitia de jacaiana, com tampos de pe-
dra, 1 dita de junco pr.-to, cadeiras dabalanco,
espelbos dourados, quadros, etagereg, castieaes
com mangas, tapetes, ougas, cortinados, jarros
para flores, camas, guarda-roupa, 2 lavatorios,
gu irnigoes, enfeites de toilette, i rede, i jogo de
damas, cabides, capitis, camas de ierro com
colxoes e travesseiros, 1 estante envidracada, i
relogio, thermometros, 1 mesa de jan lar, I guar-
da louca, 2 aparadores, loteado para mesa, 1
guarda-comida, cauer, s de balanc, louea para
cha e jantar, copos, clices, garrafas, compotei-
ras, bandejas, talheres, colheres, saccarolhas,
quartinhas, latas de Flandres, mesas, trem de
cosinha, gaiolas para carrafas, mesas e taboa de
engommar, balancas, ferramentas, trem de jar-
dim e rauitos outros objectos de casa de fami-
lia existentes na casa da ra do ViscouJe de
Goyanna n. 173, em frente ao Colegio de S. Vi-
cente de Paula,
Sabbado, 28 do corrente
O agente Pinto leva a a leilao os movis e
mais ODjectos cima mencionados existentes na
ra do Visconde de Goyaioa n. 173, em que 100-
rou o Sr. Jacob Vsllenweider.
A's 10 horas e o minutos partir da ra do
Brum o bond da Magdalena, que dar passaeem
gratis aos concurrentes.
0 leilao principiar is 10 l\ boros.
Da fabrica Cajurubeba, constando de prensas,
depsitos, praparados j proraptos, vasilhames,
40 pipas com extractos de jurubeba, canalisaco
e todos os mais pertences.
(kuiuin-feira IO de Oudiltru
A's 11 horas
O agente Gusuio, autorisado por mandado do
lllm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commer-
cio arequerimento do Dr. curador llscal da mas-
sa fallida de D. Mar Amelia da Cunba, far leilao
da bem montada fabrica de Cajurubeba, perten-
cente mesma massa fallida, cuja fabrica sita
ra Luiz do Reg.
Garante se a casa ao comprador; est avalla-
da am 12:157*800.
Os pretenderes qoe quizerem examinar pre-
viamente podem entenderse cora o agente.
Leilao
Agente Silveira
jLeilo
De urna parte do sebredo n. 26 traves-
sa do POcinho, freguezia de S. Jos
Sabbado 28 do corrente
A's ;ll horas
A' ra Estreiia do Rosario n. 8
O Agente Silveira, por mandado e com aalo-
risa$So do Exm Sr. Dr. juiz de orphos e a re-
querimento da invena rante de Sebaslio Jos
Gomes Peona, levar a leilao urna parte do re
ferido sobrado.
jLeilo
Segiioda-fclra 30 do correne
s 11 horas
Na ra da Palma n. 27 .
De 1 mobilia de mono. 1 meia duzia de ama-
relio, i cama d asal, i lavatorio, 1 mesa de
jantar, 2 aparadores, 1 guarda-louca, 12 cadei-
ras de junco, 1 mesa le cosinha. 1 espelbo, 1
cubide, 1 quartinheira, i marquei-o, louca de
jantarede almoco, copos, garrafas, candieiros,
trem de cosinba e outros arligos de casa de fa-
milia.
O agente Modesto Baptista, autorisado por
urna familia que se retira para fora da cidade
far leilao do que acicoa se declara.
Ao correr do martello
JLeilo
De urna casa t-'rren sob n. 73 ra do
Padre Nobrega (antiga Alecrim) fre-
guezia de S. Jos
Segnnda-feira, SO do corrente
A's 11 hiyra em ponto
No armazem ra do Imperador n. 39
O agente Stepple, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. jui;: de.direito de orphos e
ausentes, a requenmento do curador geral de
ausentes, levar a ic lo a casa cima, espolio
de Antonio Jos Bruno para pagamentos de des -
pezas e impostos.
Os Srs pretendentes desde j podem exami-
nar a referida casa.
LEILOES
Leilao
De azendas
de fazendas, miudezas, ferragens, chapeos,
papel, feltroi, seliins e mates.
Terea-felrn f de Outubro
A's 11 horas
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
O agente Pinto levar a leilao, por liquidaco,
diferentes fazendas de lei. laes como : casemi
ras de la. feltros, chapeos de diferentes qnalida-
des, cambraias de r., maltas ontras fazendas e
9 caixascom lon^a de agatha e porcellana com
um variado e completo sortimento.
Leilao
do sobrado de 1 anear e soto n. 38 da ra do
Dr. Joaquim Nabuco, outr'ora da Ventura na Ca-
Sunga. freguezia da Graca, em solo proprio, com
janellas e i porta de frente no pavimento ter-
reo, 3 janellas em cada oito, 3 salas, 3 quartos
cacimba, quarto fra, coxeira, estribara sitio
com algumas arvoret de fructo, me lindo o pre-
dio 22 metros de largura e 8 de compriineoto.
Terca feira, 1 do Outubro
A' 1 hora da tarde
\o armazem ra do Bom Je-
ras a. 4
O agente Pinto tetar a leilao por mandado e
em presenca do Exm. Sr. ir. juiz de direito da
provedoria de capellas e residuos, e sobrado ci-
ma mencionado, pertencente ao acervo inventa-
riado da finada D. Candida Senhorinha Vieira
Lasserre, 1 hora da tarde do dia 1 de Outubro,
ro armazem da ra do Bom Jess n. 45, onde
I a ver um outro leilao de azendas chapeos
miodezas e ferragens.
Leilao
Sabbado, 28, deve ter lugar o leilao dos
moris da casa em que residi o Sr. Jacob Val
Jenmeider, na ra do Visconde de Goyanna n.
173, para onde partir um bond, que dar pas-
sagem gratis aos concurrentes.
Terca-feira 1 de Outubro o de fazendas de
le, chapeos, miudezas e 9 caixas com ferragens,
jouca de agatha e.porcellana, no armazem da ra
do Bom Jesua n. 4o.______
2lflao
Da casa terrea ra do Conde da Boa-
Vista n. 36, em terreno proprio
Sabbado 28 do corrente
A'$ 11 horas em ponto
No armazem ra Estreita do Rosario n. 8
0 ageote Silveira, por aivar do Exm. Sr.
Dr. juiz de direito do civel e com assistencia do
nesmo, e a requeriasento da inventariante de
Ceraldollbreira da Silva, levar a 2 leiRfo a
referida casa.
Da grande fabrica Apollo, constando de todas
as mercadorias para prepirar fumos, offiema de
cigrreiro, de charutiiro, de ferreiro, de funilei
ro, todos os pertence, prelcs, typos e mais per-
tences, machinas para cortar papel, litbographia,
urna fabrica bem mentada para leos, machinas
a vapor paramovimeato dasoflicinas differentes,
materiae3 e bemfeitonasera todo o estabelecimen-
to pertencente a grande faorica Apollo.
Terra-reira H de Outubro
A's 10 e 1\2 horas
O agente GusmSo, autorisado por mandado do
lllm. Sr. Dr. joiz do wmmercio, a requerimento
do Dr. curador fiac.il da mesma massa LUida de
D. Mara Amelia da Cunha, far leilao da grande
e importante fabrica cima mencionada, perlen
ceule referida masea fallida.
Os pretendentes que quizerem examinar a dita
fabrica podero entender-se com o mesmo agen-
te ; garante-se o predio ao comprador da fabrica
sita ra do Hospicio. _______
Leilao
Do sobrado de 2 andares, n. 24, da ra
do Visconde de Inhauma (antiga do
Rangel) espolitf de Victorino Jos de
Souza
Qnarla fclr\-i. de Outubro
A'S 11 horas
lo armazem ru do Imperador n. -16
q ageote Hartins vender em leilao por man-
c ado e com assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de
cireitoda provedoria deeapellas e reidaos o i
Agente Britto
De predioose terrenos
0 agente cima mencionado e na presenca do
lllm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito da provedo-
ria e a requerimento do Ilim. Sr. Dr. promotor
de capellas, levar a leiiao o patrimonio da ir-
mandade de N'ossa Senhora da Boa-Viagem, a
saber:
Predios
Urna casa terrea n. 1 com soto interno, na
frente da igreja, com 3 salas, 4 quartos, cosinha
fra, tendo uo soto 4 quartos e urna janella para
0 oito.
Duas ditas n. 35, cada urna com 2 salas. 3
quartos, saleta e cosinha fra.
Duas ditas ns. 7 e 9 com 2 salas, 2 quartos,
saleta e cosinha lora.
Urna dita n. 13 com 2 salas, 3 quartos e cos
nba fra.
Seis ditas ns. 15, 17, 19, 21, 23, 25, cada urna
com 2 salas, 2 quartos e cosinha fra.
Urna dita n. 27, com 2 salas 4 quartos e cosi-
nha fra.
Duas ditas ns. 29 e 31, cada urna com 2 salas
e 2 quarto-.
Urna dita n. 33, com 2 salas, 2 quartos e cosi-
nha fra.
Urna dita n. 35, de esquina, com 2 salas, 2
quartos, saleta, cosinha fra. com porta e janella
no oitao.
Urna dita do lado opposto n. 6, com 2 salas e
1 quarto.
Urna dita n. 8, com 2 salas e 2 quartos.
Urna dita n. 10, em ruinas, teudo o terreno 20
metros e 40 cenlimetros de frente e 52 metros
de fundo.
Terrenos
Um terreno ao lado da casa do Sr. Baro de
Souza Leao, ao corabro da praia.Jcom 46 metros
de frente e 80 de fundo, com algumas casas de
taipae palha e cerca de 400 ps de- coqneiros.
Um dito onde est edificada a casa do Sr. Ba-
ro de Souza Leo, com 16 i|2 metros de frente
e 60 ps de coqueiros.
Um dito com 17 metros de frente e 60 de fun-
do, com coqueiros, e tica ao lado da casa do Sr.
Baro de Souza Leo.
Um dito com 8 metros e 90 cenlimetros de
frente e 60 de fundo.
Um dito com 4 1|2 metros de frente e 60 de
fundo, onde est edificada a casa de D. Archan
gela M. dos Anjos.
1 dito devuluto com 5 m., e 907 de frente e
60 d fundo, contiguo mesma casa
1 dito devoluto com 10 m., 80 de frente e 60
de fundo, com coqueiaos c outres alvoredos con
tiguo a caa arruinada.
1 dito com 5 m., 10 de frente c 60 de fundo,
onde est edificada a casa de Antonio M. Leite
Braga, com coqueiros.
1 dito com 11 m., 30 de frente o 60 de fundo,
onde est edificada a casa do actor Lyra, com
coqueiros elr.
i dito na ra de S. Jos, com 26 m., 90 de
frente e 33 de fondo, onde est edificada a ca
sadetaipade Jos F. Accioli, cercado e bem
plantado.
1 dito na mesma roa com 10 m., 60 Je fren-
te e 28,307 de fundo, dividindo com Ierras de
D. Arcbangela M-dos Anjos, occapado por fuo
Garca.
1 dito cora 53 1/2 m., de frente e 140 de fun
do, com coqueiros, larangeiras, sapotiseiros e
muitos outros arvoredos, todo cercado, oceupa-
do por D- Archangela M dos Anjos.
1 dito com 58 metros de freUle e 62 de fundo,
devoluto, na 2- travessa de S. Jes, plantado com
mandioca, etc.
1 dito, devolulo, com 60 nielros de frente e 33
de fundo, com diversas plantaces, junto ao de
Joo F. Accioly, lado de oeste.
1 sitio com 58 metros de frente 139 1/2 de
fondo, ao lado da igreja na estrada que vem da
estaco, oceupado por Antonio Samico.
1 terreno na ra da Aurora com 207 metros de
frente e 23 1/2 de fundo, cora plantaco de man-
dioca e baixa de capim, oceupado por Deodato
da Silva.
1 dito na ra da Aurora, com 25 metros de
frente e 23 1/2 de fundo at o no onde esta edi-
ficada a casa de taipa de D. Joanna de tal, com
plantaces, etc.
1 dita na mesma ra, com 48 1/2 palmos de
frente e 700 de fundo, oceupado pelo coronel
Maximino P. Vianna, tendo urna grande casa
edificada.
1 dito na mesma ra com 22m,80 e 700 pal
mo3 de fundo, onde est edificada a casa da
viuva de Joo Ducha.
1 dito, na mesma ra com 45 metros de frente
e 700 palmos de fundo, onde est edificada a
casa de Joo B. de Oliveira.
1 dito, na mesma ra, com 62 metros de frente
e 700 palmos de fundo onde est edificada a
casa do Sr. Baro de Santa Cruz, teado bastantes
arvores fructferas.
1 dito, na msma ra, do lado opposto, com
26m,6 de frente e 23 1/2 de fundo, cercado, com
baixa de capim, devolulo.
1 dito,na mesma ra, com 362 metros de frente
e 23 de fundo, confina com o rio Jordo, de-
voluto.
1 dito na estrada que vem da estago, com
30m SO de frente e fundo at ao rio, onde esto
edificadas as casas de Jos Pereira dos Anjos.
1 dito com z7m,10 de frente e fundo at ao
rio com diversos arvoredos, tendo nm porto em
ruinas.
1 dito com 10m,90 de frente c 112 1/2 de fun-
do, onde est edificada a casa da viuva de Joo
Ducha.
1 dito com 11 m. 107 de frente e 112 1/2 de
fundo, oceupado pela viuva de Francisco Canuto.
1 dito com 11 m 807 de frente 112 1/2 de
fundo oceupado pelos herdeiros de Joo Baposo.
1 dito em seguida, fazendo esquina para a ra
da Gamelleira, oceupado por Joo Accioly, tendo
de frente 99 metros e de fundo 23 1,2. com mui
tos arvoredos.
1 dito na mesma ra, com 9 ra. de frente e
fundo at ao combro da praia com coqueiros. etc.
1 dito com 12 m., 700 de frente e fundo at ao
corabro da praia, oceupado pelos herdeiros de
Joo Calado, tendo 2 casas de pedra e cal, co-
queiros.
1 dits com 10 ra. de frente e fundo at ao
combro da praia onde esto edificadas 2 casas
de Martba M. da Conceio.
1 dito com 23 m. de frente e fundo at ao
combro da praia, cercado, com 100 ps de co-
queiros, oceupado por Modesto Baptista
1 dito com 45 m. de frente e tundo at ao
combro da praia oceupado, pelo Sr. Visconde de
Tabatinga, que nelle tem urna boa casa.
Um dito com 10 m. de frente e tundo at ao
combro da praia, oceupado por Bemvinda M. do
Espirito Santo.
Um dito com 6 m., 90 de frenteQe fundo at ao
.combro da praia com 28 pes de coqueiros, oceu-
pado por Miguel de Saut'Anna.
Um dito com 8 m. de frente e Tundo at ao
combro da praia com 35 ps de coqueirss, occa-
pado por Monoel de Sant'Anna.
Um dito com 12 m. de frente e fundo at ao
combro da praia com 35 ps de coqueiros, oceu-
pado por Manuel Eduardo Sant'Anna.
Um dito com 28 ra. de frente e fundo at ao
corabro da praia com 28 ps de coqueiros, oceu-
pado por Julio de Mello, que tem nelle urna boa
casa.
Um dito com lo n. de frente c fondo at ao
combro da praia com 23 ps de coqueiros, oceu-
pado por Sabina M. da ouceigo.
Um do cOm H m. de frente e fundo at ao
combro da praia com 26 ps de coqueiros, oceu-
pado por Anna J. Pereira.
Um dito com 19 m. de frente e fundo at ao
combro da praia com 35 ps de coqueiros, oceu-
padopor Beuto Feij.
1 dito com 76 metros de frente e fundo at ao
combro da praia, com 80 ps de coqueiros, ten-
do n'elle urna boa casa de pedra e cal, perten-
cente aos herdeiros do finado Baro de Seri-
uhera.
1 dito com 51 metros de frente e fundo at ao
corabro da praia devoluto.
1 dito com 21 m,60, de frente e fundo at ao
combro da praia, cora 34 ps de coqueiros, oc-
eupado por Antonio Rufino de Oliveira.
1 dito com 31 metros de frente e fundo al ao
combro da praia, com 150 ps de coqueiros, oc-
eupado por Modesto Baptista.
1 dito com 12 metros de frente e fundo at ao
combro da praia, com 35 pea de coqueiros, oc-
eupado por Candida da Silva.
1 dito, devoluto, com 57 1/2 metros de frente e
fundo at ao combro da praia, cora 70 ps" de
coqneiros.
1 dito cora 250 pulmos de frente e 400 metros
de fundo, rom 106 ps de coqneiros, oceupado
por Francisco Dias de Souza, onde lem urna pe-
quena casa.
1 dito em seguida cora 700 palmos de frente,
para o mar, fundo 400 metros at o rio Jordo,
com 250 ps de coqueiros.
1 dito, devoluto, medindo pela frente do mar
511 i/2 metros e fundo at ao Rio Jordo com
200 ps de coqueiros.
1 dito, devoluto, em seguida demarcando com
trras da Piedade, com 202 m. de frente e fundo
at ao Rio Jordo.
1 dito, na ra da Gamelleira, oceupado por
Bento Feij, com 279 m. de frente e 77 1/2 at
ao Rio Jordo, tenao urna casa e 159 ps de co-
queiros.
1 dito com 47 12 m. em frente e 62 de fundo
com 3 casas, sendo 2 de pedra e cal, oceupada
por Celerioa M. do Espirito Santo, e tendo 56
coqueiros.
1 dito com 12 ni. de frente e 62 de fundo,
com casa de taipa, 15 ps de coqueiros, oceupa-
do por Manoel F. Rodrigues.
1 dito, devoluto, enesgado principiar da es
trada de Setubal at a cerca, com 142 m. de
frente 16 12 de fundo, com 16 coqueiros.
Os Srs. pretendentes podem desde j exami-
nar ditas casas e terrenos; o leilao lera lugar no
Sabbado 5 de Outubro
NA RA DO IMPERADOR N. 16
A'a 11 hora
AVISOS DIVERSOS
Precisa-se de urna ama de cosinha ; a ra
Direita n. 40, l,- andar.
Aloga se o 1 e 2- andares na da Roda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservacSo ; a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65._________________________________
Por nao se poder encontrar Dr. Argemiro
Arxa", pede-se a esle senhor que appareca no
pateo do Collegio.
Desoja se saber noticias do Dr. Lydio Ma-
rianno de Albuquerque, no Paco da Patria nu-
mero 50. __________________________
Lava-se e engomma-se roupa de senhora
for prego muitoem conta ; no Caminbo Novo n.
28. Na mesma casa fazem-se bandeijas de bo-
los para casamento e baptisados. e tumben) fa-
zem-se ramos de rosas para enfeites de salas,
toilettes e bandeijas. As encommendas, no caso
de querer, dcixa-se escripto o nome da pessoa
e morada.
O agente Pestaa tem para vender os
predios abaixo declaradas :
Travessa do Carreo n. 10, 1 andar.
Ra de Santo Amaro n. 14, 1- andar.
Becco da Bomba n. 8, 1- andar.
Ra da Palma n. 11, casa terrea.
Ra de Lomas Valentinas n. 4, com soto.
Largo do Mercado n. 17, i* andar, com dnas
lojas.
Ra do Nogueira n. 13, casa terrea.
Ra Vidal de Negreiros n. 45, com soto.
Ra de S Jos n. 74.
Ra Coronel Suassuna n. 141.
Grande sitio na estrada de Joo de Barros nu-
mero 19.
I(u:i do Tambi n. 21.
idem iilem n. 5
Rna Visconde de Goyanna n. 107.
Ra do Rosario da Boa Vista n3. 11, 37, 39
e 41.
Ra da Ponte Velha n 22.
Ra Visconde de Goyanna (Estancia) n. 163.
Baixa Verde (Capunga) ns. 1-B, 1-C e 3.
Ra da Santa Cruz n. 30.
Ra da Aiegria n. 4.
Kua Gervasio Pires, com soto, n. 63.
Ponte Velha ns. 116 e 118.
Ra do Riachnello n. 11.
Rna Madre de Deus, sobrado n. 16*.
Ra Vidal de Negreiros, sobrado com tres
andares n. 86.
Ra da Im leratriz, sobrado n. 5.
Largo do Paraizo n. 19.
Ra Major Agostinho Bezerra n. 27.
Um chalet na travessa das Pemambucanas (Ca-
punaa) n. 3.
Todas estas casas acbam-sc livres e desemba-
rar nas : a tratar com o agente Pestaa, na
travessa do Corpo Santo n. 27. ________
Precisa-se de um menino- cam pratica de
taverna ; na roa da Florentina n. 34. _______
Precisa se de urna boa cosinlieira ; na roa
da Imperatriz d. 21, andar. A cosinheira
deve dormir em casa dos patres.
Precisa-se de um criado que seja de boa
conducta ; na ruada Imperatriz n. 21, primeiro
andar.
Precisa se oe um caixeiro de 12 alean
nos, que tenha pratica, preferin io-se do mato :
na na Visconde de Inhauma n. 41.
INSTANTNEA
(MASCA lEfllMIlABA)
Tinta de copiar sen prensa
52Ra do Amorim62
ESNATY ROMIGUKS & G.a
Esia maravilhosa tinta de copiar a MAIt
TIL dcscoberta americana, impreacindlve!
a (odas am pcnsoas que encrevem
qoe, sem uso da classica e tracricioda prens;
de copiar, deftejam guardar copla nt
(Ida. Maltaravel de sean irabalhoi
nanuocrlplos.
A i&'HTAXtf anea o m?is prompto auxi
liar material para a Correspondencia Com
inercia! ou particular, porque simplificando (
trabalho, diinmue-ihe tempo: o escriturario nt
necessita sabir da sua carteira ou mesa para le
varo manujcripto prensa de*copiar, reliral-f
da mesma, voltar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da kwstaxta
MEA para a sna escripturaco do Diario, Caixa
Contas Torrentes, Facturas, Contas de Vendas
l'recos Correntes, etc., podem obter duplicau
autnentica, d'esses livros em papel de seda.
A INSTANTNEA depois de dar copiv
conservase inatleral, pela flxa nao so uo origi
nal como na copia.
A instantnea nao oxida absolutamen
te as pelmas, assiin como nao demanda penn
especial para com ella escrever se.
M-D- W>K EM>RISPAR.
Com urna esponja, ou pmcel embebido n'agua, he
medece se ligeiramente o papel de seda propru
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor
rao, eollocase o manuscripto em baixo do pape
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se j
mo rpidamente em todas as direcges, e a co-
pia admiravel; ntida, INSTANTNEA.
Tamben d copia, correcta, sem molharopipel
de seda
Pregos de venda a dinheiro
Um frasco.................... 1*500
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 ris.meias ditas,
a 500 ris.

DOEMAS
I..O
4 33


; ? i
sao c
rn%'<-: ?, male:
PUR!F?CAM A BILIS
iA
'
Ern Jaboatao
C|AlugasiMie-.sa ap.a-ivr r^t.-ilc. por f-sta ou
anno. a casa n 51 rna do linperadir. defronte
da do commendador Hachado ; tornando 8* re
commemiavcl pelo local e seus commodos e se
achar lirnpa. coMdous lindos jardins, cacimba,
taaque, agua encanada para a cosinha, quartos
paracnailos. latrta, gallinheiro v. grande quin-
tal at o rio Jiboato ;' a tratar na mesr.ia.
Para criado
No sitio n. 5 da estrada de Joo Femandes
Vieira se precisa de um menino de 10 12 an-
nos, para criado e copeiro.
Pat
acoes
Compra-se na praca da Independencia nume-
ro 22.
Coronel Marclontllo da Silveira
LiM
O partido republicano de Pemambuco, por de
trranago do seo Directorio Central., tendo re-
solvido mandar rezar um memento pelo seu Ilus-
tro e chorado correligionario coronel Harcio-
tiiio da Silveira Llnt fallecido em Pars
a 2 de Setembro corrente; convida os correli-
gionarios nao so da capital como do .interior,
bem assim os prenles e amigos do Ilustre fina-
do, a assistirem referida solemnidade, que ter
lugar no prximo da 2 de Outubro trigsimo
do passamento, no convento do Carmo, s
horas da manh.
O directorio do partido desde j agradece aos
correligionarios o seu comparecimento a esse
acto.____________
Praiirisio Antonio Poninal
Jos Hermino Ponlual, seus iimos e cunba
dos agradeeem cordiaimente aos seus parentes
e amigos que tiverara a bandade de acompa
nhar ao cadver de sea pai e sogro Francisco
Antonio Pontual, ao dar se-lhe sepultura ; e de
novo pedera Ibes a fineza de sua assistencia s
missas que em sufi'ragio d'alma do finado mau-
dam celebrar amanh 28 du corrente, na igreja
da Soledadc, pelas 7 1/2 horas do dia.
.ti6^*4.i1c*JSS--', '
Graluliano Jos Cieatetra
Antonio Jos Gesteira, Maria Antuues Gesteira
e seus fllhos convidam aos seus parentes e ami-
gos para assistirem as missas que por alma de
seu prezado irmo, cunbado e uo, Gratuliano
Jos Gesteira, fallecido na Bahia no da 22 do
corrente, teem de ser rezadas na matriz da Boa
Vista, s 7 1/2 horas da manh de 28 do yr-
rente. ____________
f
Antonio Argemiro de Geuveia
Julita urea de Azevedo Gouveia c seus lilhos,
Dr. Manoel Polvearpo Moreira de Azevedo e sua
familia, Manoel" Bruno dos Santos Gouveia e sua
lamilia, Geroncio dos Santos Teixeira e sua fa-
milia. Antonio Ignacio da Silva e seus filhos,
Dr. Oliveira Escorel e sua familia, mandara ce
lebrar urna missa na igreja de S. Francisco,
pelo repouso eterno d'alma de seu prezado c
nunca esquecido marido, pai, genro, irmo e
cunhado Antonio Argemiro de Gouveia, s 8
horas da raanbft de segunda feira 30 do corren
te, trigsimo dia de seu passamento ; e convi-
dara aos parentes e. amigos para assistirem a
esse acto de relieiao.
taMjSS
Antonio Feliciano da Silva
A directora do Monte Pi Porlueuez manda
rezar urna missa e memento por alo do tinado
consocio Antonio Feliciana da Silva, na matriz
de Santo Antonio, pelas 7 horas da manh de
terca-feira 1." de Outubro, stimo dia de seu
passamento, em viagem desta cidade para Ma-
cei, para cojo acto de religio e caridade, con-
vida aos si ulioies socios e a'nigos do tinado.
Secretaria, era 27 de Siembro de t889.
^anoel F. Velloso,
2- secretario.
Pl LULAS
Para o tratamento e prtmpta cura da*
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do figado,
dispepsia, lndirestoes, clicas,
nauseas, diarrhea, prisSo do
ventre, falta de appetite, incom-
modos depois da comida, enxa-
quecas e dores de cabeca obro-ni-
cas, rheumatismo e nevralgias,
molestias da pello, molestias pe-
ridicas das senboras, e, al
destas, multas outras enfermidadesque se
classiflcSo debis o de urna infiuidade de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
cansa, a saber;
Desarranjos dos oreaos de di-
gestao e assimllacSo,
donde provm a impnreza e o enfraqueci-
mento do sangne, com a debilidade e con-
gestao de todos os orgos vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILULAS GATHARTICAS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Kst.-Unidos.
DEPOSITO GKB4K-
Precisa-se Je urna ama para cosinliar e lavar,
que d conhecimeuto de sua conducta ; na ra
da Aurora o. G7, andar terreo.
A
rna
Para cosinliar, precisase na ra Velha nume-
ro 137.____________________________
Ama
Precisa se de urna ama que cosiohe bem. para
casa de familia ; a tratar na rna do Hospicio
numero 41.
A ug,a-se
Aluja-
se
urna casa de p< dra e di junto estaco de
AguaFria, na entrada do B'beribe, leudo 2 sa-
las, 3 quartos, cosinha. despensa e banbeiro,
no sitio tem diversas frocteiras ; a tratar na ra
dos oelhos n. 10.
AlufiTue barato
Becco da Bomba n. 8Joja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43. arraasem.
Largo do Mercado loja n. 11.
Becco do Campello n. 1, Io. andar.
Visconde de Goyanna n. 167, com agua e gaz.
Loja do sobrad do becco do Calabouco u. 4.
A alar ra do Commercip n. 3, l'anda
esenptorio de Silva Guimares 4 C.
Aos interessados
Estando annunciadn para o dia 28 a venda em
leilao, agente Brilo, de duas casas terreas no-
Espinheiro, ns. 16 e 18, venho declarar aos in-
teressados, que ditas casas esto em litigio, por
quanto inierpuz o competente recurso de revis-
ta, que lera provimento, corao de justica,
E, caso seja negada a revista, tenho recurso
na lei para reivindicar o que me pertence, esteja
em poder de quera estiver.
Recife, 27 de Setembro de 1889.
Francisco Cecilio F. da Silva Guimares.
Aviso necessario
Anda previne se a quem quer que arremate
as casas ns. 28 e 30 do becco do Pocinho, e rna
Imperial, foreiras mrinha, que eslo sujeitas
a om litigio judiciario em grao de revista pen-
dente dejulgamento.
AVISO
Adolplio Jacintho Pereira e Bellarmino Jacin-
tho Pereira, previnem que ninguem faca tran-
saeco com o predio da ra Direita de Afugado?
n. 58, com casa de droga-
t
Francisco Jacintho de Sampaio e sua mulher
mandara rezar missas por alma de seu prt'.ado
irmSo e cunhado Dr. Raymuido Jacintho de
Sampaio, 1." cirurgio do corpo de sadc da
arma-la, fallecido no Rio de Janeiro, ua igreja
do convento de >. Francisco, desta cidade, s 7
horas do da 30 do corrente, s< gunda-feira. Iri
gesmo do seu passamento ; e desde j agrade
cem o comparecimento das pessoas di sua ami
zade.
MM|
f
Joi Antonio Murques
(Em sen 1- anniversario)
Josephina Sebastiana Cavaleante oe Albuquer-
que Marques, lillius e filhas, netos e netas, gen-
ros e poras (presentes e ausentes) mandam re-
zar missas por a'ma de sea jamis esquecido
esposo, pai, av, padrasto e sogro, Jos Antonio
Marques,, e rogam aos prenles e amigos, seus
e de seu fallecido esposo, a comparecerem a esle
acto de regiao, qu,.' ter lugar no dia 30 do
corrente, s 7 horas da manh, no Chora-Meni-
no, capella da Sagrada Familia:
apei
T
^rniin
altecimeiito
A vinva de Amaro Joaquim do Espirito Santo
convida a todos os amigos do mesmo para acein-
panbar os restos morlaes de sea prezado esposo,
eaindoo fretro da ra-de Loman Valentinas n.
16, s 3 horat dtente.
G'aldeireiros hngaros
Tendo chegado a esta cidade de Per-
nambuco, procedentes da Europa, a bordo
do vapor austro-hngaro Menduya, seis fa-
milias de hngaros, compostas de habis
artistas em fabrico e concertos quaesquer
de caldeireiro, e igualmente de qualquer
obras e concertos em machiuismo de en-
genho, offerecem seus servicos a quaesquer
essoa que possa precisar d'elles; achan-
o-se promptos a qualquer chamado em
seu estabelec: ment no sitio da Jaqueira
Ponte de Uchoa.
Especialidades
HA LOJA DA EA DA IMPERATRIZ N. 80
Reos espelhos dourados ores para salas
a 5Q01OO.
Bonito candieiros americanos para salSe
a4@,S00O.
Ditos menores a 15(5000.
Ricos cortinados de crochet, grandes, para
camas a 30(5000".
Cortinados de cores, phantasia, para ja-
nella, metro a 180O.
Ricas bandejas esmaltadas de madreperola,
terno 18(5000.
Lindas cambraias arrendadas, finas, para-
vestidos.
Candieiros de p, inexplosivos, de Berlina.
Especial oleo hjgh-life para o cabello,
frasco 1,5000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dona
pospentos a 12(5000.
Sapatos para casa, especiaes para doente-
a500rs.
Flores artificiaes.
Galles pretos com vidrilhes, procos sem
competencia.
Las de quadros, covado 160 rs.
Etamines de 18, duas larguras, cavad
-J105OO.
Grande sortimento de perfamarias, min-
dezns e fazendas.
ANGELO RAPHAEL&C
v.
a loja, primeiro e segundo andares do sobrado
ra Duque de Caxias n. 2*, asseiado. com
bastantes commodos para familia, encanamentc
de gaz e candieiros ; urna casa terrea na tra-
vessa da Ponte de Urhon n. 1 ; a bastante gran-
de, com 6 quartos, 2 salas, gabinete, sitio todo
murado, margem do rio Capibaribe, com agua
da companhia do Be veribe, e boa agua polavel,
com bomba, deposito e banbeiro; a tratar junto
ao mesmo sitio com sen proprietario, ou na pa-
dana roa Duqne de Casia* n. 30. '
Al uga-se
o primeiro andar da casa ra ila Aurora n. 81,
junto a estaco da estrada de ferro de Olinda,
com grandes commodos para familia, gaz e
agua encanados ; a tratar com Sebastin de
Barros Barreto, ra do Visario n. 31


m
i

i


/
I

V


-.
I


Uiario de PernaiHmicoSabbado 28 de Setembro de 1
88^
Os proprietarios deste novo estabelecimento pr^vinem s
Exmas. familias e ao respeitavel publico, que acabam de receber
m grande e variado sortimento de novidades do melhor gosto
parisiense, que sero, em vista do estado favoravel do cambio, ven-
didas por presos excepcianaes.
Todos os das das S horas da manh s 8 da noite.
Alqgam-se as seguintes
casas
Ra do Rangel d. 73, 2- andar, com boni
commodos, muito fresco e perto do mercado .
ra do Fogo n. SO, com duas salas muito boas, 5
quartos e cosinha fra; ra da Roda n. 46, loja
propria para pequea familia : a tratar na ru;
do CabugA n. 10A Venturosa
Vinho Collares
genuino
Em ancortas
Gnero superior, remettido para consumo
particular, por prego sem competencia. Vnde-
se no trapiche da Companhia, largo do Corpo
Santo n. 19*
Hotel doMastro
Estauelecimento montado com todo asseio a
commodos para os viajantes, como seja: boa
dormida, bom tratamento, e cocheira para o*
anunaes que o fregu* levar, existente na Russi-
nba junto es'.aco, para o qual chamamos a
attenca do publico. ^____
Tigipi
20Ra 1. de Marco20
Boo.i lospAnhoIa, todas as cures a 23U Cachemiras lisas, duas larguras, a l^O
o eovado.
Cachemira de listras, Iduas larguras, a
a 15000 o dito.
Fichs de 12 bordada a 15000 hiu.
Cambraia Victoria a 2800 a peca.
Cambraia com sal picos a 34800 a peca.
Caixas com lencos, para presentes, a
3(5000.
Lutos de seda a 2000 e 2(5500.
Tanellas de cores para camisas a 280 rs.
o jova/'o.
Colchas de corea a o 2O0 urna.
Espartilho ooraca a 4JO0 e 55000 um.
Camisas brancas a 20000 urna.
Madapolao no a G^Or-O.
Toalhas para bembo a 15500 ama.
Camisas de flsnelin a 35300, 45 e 55000.
Extrato Ri-a Sanga) a 2/5000-nai.
Dito PartVeme a 15500 um.
Velbutr.ia preta a 7(H) rs. o covado.
Abpac;: branca a 400 rs. o dito.
Dita preta a 300, 500 e TOO rs. o dito.
Panno da Costa para m*za.
AtealharU. bordado a 15000 o m**ro.
Gases arranciada a 400 e 440 rs o covado.
Lanooes de bramante a 1 Cobert<-res escaras d-. 5 a 15700 um.
Toalhas para rosto a 36 0 a dasia.
Cortes de seda para collcte a 55000 um.
Cartea de fusto para clete a 2500 um.
Bapfista de cores a 120 rs. o eovado.
Heri:<'- de cores a 440 rs., duM largurss.
rs. o
Etamine l.sa a 503 rs. o co^|d >.
Sargoiins, todas as cores a 200
covado.
Uncos brancos a 15200 e 15800 a duz.a.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 135000 om.
(xuarnicao de crochet a 75000 nrua.
tferiri preto a 800, 15000 15200, 15400
1 $800 o covado.
Loques transparentes a 25500 um.
Cortinado bordado a 65500 o par.
Fusto de cor para roupa, a 800 rs. o
covado.
Bitos brancos e de cores a 15800 e 25500
Colchas de fusto a 45000 uina.
Cretonas a Derby Club a 240 c 280 rs.
o covado.
Futlo braneo a 300 e 600 rs. o dito,
(irinalda para noiva a 75000 um;;.
CoHarinbos c puncos de celiuloid.
Setius, todas os cores a 800 rs. o'cuvado.
ls amazonas a 400 rs o covado.
Palitots de seda palba a 85000 um.
Palitota t!c alpaca preta a 45500 um.
Palitots de toile p-rdo a 45500 um.
Palitots de alpaca de cor a 45500.
Ceroulas de bramante a 155000 a dezia.
Pecas e csguiSo de algodao a 35' O.
Guardanapoa de iinho a 25200 a dnaia.
Chambres para he roe ni a ;>5000 e65000
^leias fio da Escocia a 15500 o par.
Brim pardo a 280, 320, 400 e 500 rs. o cov.
Cachemira de quadro a 280 rs. o dito,
'amante dt linho c de algodSo.
FDNDICAO 6ER1L
ALUKMTSnSDNSC.
-Kl \ B4R40l0 TKIMO-44
Machinas a vapor
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
Llcondado pela ZaapaetorU da Bygitna do Imperio do BraxlL
'"%.
Para han los sainados
Costme para senhora a lOfliXX). I Coatemea para meninos a 550T-0.
Ditos paia boflDaaa 86000. | Boleas de pa'ha p;ira o mesmo fim.
ESPECIALIDADES
Suarda-po para sonhora tUfSOQe JGuarda-p para'vmfns C$000.
fijeos cartea de caseinira para cal<;as. j Lindos ortaa de a.si-iuira finia orwt tunes
Extratos, rucias, entre-meios b* ntidos, bale as., aspat, Shbonetes/collarinhos,
unhos, regntaf, principe de Callee, cretones para cobertes e outros muitos art-gos.
D-se amostras sem penhor e niai.a-se levar quat-sjuer amostres
cas Exmas. familias.
Vil
-- lU' aun***
,' "" _,"
. ^*^sni-
VINdeMOITIER
HtHeo, gtttidisU U cadma i* iH$ > iIM *> *ri
DIGESTIVO, TONISO, FEBRFUGO
PREPARADO COM
Quina e Pyrophosphato de Ferro |
BSTB VUriO POI PRECONIZADO POl TODA A mPKIMSA MBD1C4
COMO SKNDO O MAM PODBBOSO
Tnico empreado para curar
ANEMIA. CHLOROSE
EMPOBRECIMENTO DO SANGUE,
Soberano centra me Febrem
\ HOUYVET, PkarmaceuttCB Y Classi. HOOARBAU Sacr
PARS 44, ra des LombarUs, 44 PARS
Deposttarlos em Pemambuco : fran M. da Sil.VA O.
B AS PRINClPASS PHARMACIAS
eni caBa
DK
CASA W CONFANCA
)

L
G.
CURA SEGURA das MOLESTIAS SECRETAS
Medilht d Pritt na ftgjfcJP Unlnruld Unthnitm 19*8
Mealka ae Oaro, Paria, 1W6. >- Diploma da Honra, Parto, 1116
e Iniecciode
KAVA KAVA
DO DOTOR FOUMJltt
BLENNORRHAQIA8
SPERMATORRHAS, CYSTITE8
URETHRITES, CORRIMENTOS
Estas enfermidades, recentes on antigs, caram^e raAtealmeate en akans Has,
em tegredo, aem rgimen nem tisanas, e sem sanear nem perturbar o orgia* dif estire.
MxJJm-me mdbre cada plalm, robre eada misa, aobre cada rotulo,
a Mfiffamtnm faa i i'j.
PAUL MAM
Tenhoa honra de participar -bo respei-
tavel publico e especialmente aosmeus fre-
g*uezes, que mudei a alfaiataria da ra da
Imperatriz para a do Baro da Victoria n. 50,
onde com mu ta satisfac/ao espero suas or-
dens.
FASXS,
Ktdaleiae,
SAUDE PARA TODOS.
PILULAS HOLLOWAY
Al Pllula parlflcao o Sangue, oorrigem todas as desordems de Estomago 9
dos Intestinos.
Fortalecem a saude das constitujoes delicadas, e sao d'um valor incrivel para todas as enfermMades
pecaliares ao sexo feminino em todas as edades. Para es meninos assim como tambem para as
. pessoas de idade avanzada a sua eficacia e incontestaveL
I
Bata* medicinas lio ptspatadas smenle no Estabelecimento do Profes 78, NEW OXFOEfl 8TBBET (antes S33, Oxford Street), LOORES,
E vendemse em todas as pturmacias do universo.
GttOs comnradore sX oondr.dos respeitoaamenu a examinar ot rotte de cada caixa'e Pote Se nlo feesa
direcsao. 533, Oxford Street, sao falsificaoes.

F.UNDCA DE SINOS EiBRNZE
RE
LUIZ M CHUZ MKSQUiTA
66ra do Baro do Triump'hof?6
i a para vender o seguinte:
Machinas de cobre par?, fazer espirito de destallar e restillar.
Alambiques de cubre do antigo e rrov.> systema com esquenta garapa.
KerpentlaaM de cobre e de estanho.
Carapueas de cobre.
Taixas, taixos e cadeires de cafare.
Bombas de todas as quaiidades de repuchos, aspiruntcs e coutinuac.
Xoraelras de bmnise c madeirr. de "todos s tcmanhoa.
Caaos de cobre, de chumbo c de ferro.
Reparf ideiras. pa^sadeiras e escumadeiras de cobre c de ferro estanhadc.^
Cobre em lenyol e arnrelas.
oia ingleza e do Rio.
Cadinfeos patente e'de Itpts.
Aiaos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
EKCAKRE6AM-8E do qnalquer eoucerto e obras de encommenda, rgarat
4indo prestera, perfeico e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
*"p,lDE a praso o dinheiro com descoato.
mmmm miranda
89-RUA DQE E CAXAS-39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machina*
mais aperfeiyoadas e movidas a vapor, echase em condijSes de executar qualqner
trabalho em
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memorfaes, despachos, cartees de
mdicac3es, mappas, pre^s correntes, 05608, bilhetes de toteriai e rotnl"? de todas
aa quaiidades em preto, ouro ou cores.
sn$ft
IAROPE DE P
Depurativo e Regenerador do Sangue
Privilegiado pelo Ooverno de S. M. el Rei d'Italia
00 pse FESaon
-Onle* SnoeoMOP do eManto rofeor JEROMYMO PAQUaNO, VWKIlK-SB EXOLUSIVAMENTB EM
aples, 4, Calata S. Marco (Casa propria)
A CASA D FL0RENCA EST SUPPRIMIDA. 0 Ser. ERNE8"0 PAGLIANO poue
todat as recaitas eteriptat pela propria mi do dffiffto Profeasof ,'EOMYMO PAGLIANO,
aeu t, outroum um dooumanto qua o daiigni como nico aucettor :
ERNESTO PA0LIAMO.
eaa Fmtambuo / Mar* BE. aa XLYA *. O*.
E BV TODAS AS PBtnaPABS PHARMACIAS DO BnuU
Brochuras, cartonados, encadernacSes, livroa' em braneo para 6 commercio e
repartijSes, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
ARTOES BE VISITAS
Variado sortimento em cartSes para visitas, participa53es e convites de casa-
mento, bailes, menus, felicitacoes, etc., etc.
Livros de recibos de alnguel de casa, papel de impressao, tintas, vernizes e
mais irtigos para typograaphia e llthographla.
Manoel J. de Miranda
Telephone i94
_______ -
Para frentes de casas, cor-
redores, banheiros, cozinhas,
agougues, etc.
Devalorde 10O#000omi-
lheiro a 54^000.
Rna do Bardo da Victoria n. 41
Aviso
Casa para alugar
tirria, fresca, camagua, ra do PaysaDilu
i (H'iil'i Mu Oior;..merino) o. ti ; u
tratar na .csma ra n. .
Alberte Henscgel & C Succeasores avisare aos
senhores qninto annistas que o oraso para o
quadro dos hachareis finda-se iinpreterivelmen-
te no da 30 do corrente mez.
Gneros italianos
Vermouth deTorino.
Feroet Branca (verdadeiro).
Manteiga (em latas).
Aeitc doce, qualirtade.
Mortadella de Bolonha.
Aaisette (licoi |
Oanjiru. o^riBejano rceginno, ele, etc.
n. 6i
Constantino de SU Brrelo
Convidase a este senbor a comparecer na
do Bom Jess n. 23, para prestar contas das
cobrancas que fez no termo de Agua Preta, em
Margo prximo passado.
Est para alugar
a casa assobradada da ra Joaquim Sabuco n.
22 (Capunga) muilo fresca, com agua, gaz, bom
quintal, e todos os commodos para grande fami
lia. Na mesma dir-se ha com quem se trata
Cosinheira
Quarenta por cento
Pechincha sem igual
Vende se a loji de lauca >ua da Imperatriz
n. 13, dando-se ao conprador o abate de qua-
renta por cento ; a pessoa que quizer dirija-se
esma.
Boa Viag-em
Aluga-se urna casa de construccao moderna e
bem asseiada, com bastantes commodos e mo
buhada, sitio murado e bem arborisado. com
porto de ferro, e situada na melhor localidade
da mencionada povoacao ; a tratar no largo do
Corpo Santo n. 4, l- andar.
Professora de piano
Urna senhora perfeitamente habilitada e com
pratica de ensino. offerece s Exmas. familias
os seus servicos como pianista : pode ser pro-
curada ra do Queimado n. 74.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA1
Excede toda as ootras pelo wc
perfiHoo exqaUito.
Afamada
AfiUA (te COLOMiA e ATKINSOS
em rival pelo seu perfume eu* corecn-
tracfto. Excede twloe os prodactos siinl-
lbues Ten AGUA FLORIDA de ATKINSON
delica-io perfume para o lenco rlistUladO
de urna eacolha exquisita.
Enantrt-st em C tu 4* todo ot K--Q-
cr.rtts t F bri antes
J. E. ATKINSON
24, Od Bond Street, Londi'es
Mw abre un Lym de Oro "
coa en.ero?.. na t otaiidado.
;6
CARDZQ i IRMiO
A RA BARO DO TRIUMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de cal, que nao s faz alve-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
Cal de Lisboa
a 71000
Vendem Lopes & Araujo
Ra do Livramento
n. 38.
r**s"~%s. *
MMulie rOr^CnixiAiralw
ta n'as murts ntcoHnua
SJTor* Craaeio
PRIMAVERA
E.COUDRAY
l.---tcr _
mmm especial da lctcu
To unUtf do a mundo.
Saboaete........ PRIMAVERA
Olso............ PRIMAVERA
Agua de Tornead PRIMAVERA
Esseada........ PRIMAVERA
P le Arree... PRIMAVERA
FAMICA E OEWSITO ;
pars II. Bm i Eiikiu. 1} pars
rtu
Precisase de urna cosinheira para casa de pe-
quena familia ; a tratar na ra Duque de Ca-
sias n. 77-A, loja._______________________
A's maes de familias
QUERIS V08808 FILHOS 8EMPBE 8ADI08,?
Administrae-lhes o xarope ou ae
Pillas Vermipurgalivas
DO DR. GALASA1W8
ptimas preparacSes de mastruz
a rhuibarbo, para a expulsSo completa, sea
dores uem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigaa
(DAS CRANLAS E D08 ADLTOg)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO| ^
< Estas excellentes prepara9oes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliare
visto serem purgativas por si niesmas. >
As pessoas que tm vermes sentem eo-
licas, tem constantemente diarrhas, india*
posicSo, sensacSo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s veees, vmitos. Rangem os dentes, quan-
do dormem, algumas e pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as material
dos vmitos. As crianjas apresentam a>
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pi lulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pihuas 10200
I vidro de varopje 10200
AS PR1NCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS____________
Engrommadeira
Precisa se de urna engommadeira, na ra da
Aurora n. 119.__________________________
A' caridad e publica
Marianoa de S. Jos Gavalcante, eobrecarrega-
da de tres netos menores, deixados na orpban-
dade pela morte de seu lilho Balbino Rabello da
Silva Cavalcante, orpbaos de pai e ini, e na
idade avancada em que se acha, lhe summa-
mente pesado procurar-Ibes meios de subsisten-
cia ; vem implorar iaquelles que, pesando a
sua sitoac&o, Ine possam vir em boccoito com 0
pouco que queiram dispensar, certos de que
Dens os abencoaro. A supplicante reside roa
da Concordia n 231. ____________ .
MNC\
Cunha Carneiro & C. mu-
daram o seu escriptorio da
travessa do Corpo Santo,
n. 23, para a ra Mrquez de
Olinda (antiga da Cadeia)
n. 36, 1. andar.
Cha preto superior
melhor que ha no mercado
2SOOO a libra
Carlos Sinden esta vendendo por este preco
para liquidaco de facturas.
Tem tambem um grande
sortimento de camisas, colla-
rinhos, gravatas, meias, ca-
misas e seroulas de la e de
algodao, que vendem-se por
presos sem competencia.
48
Ra do Baro da Vic-
toria
i4k*-e rufeta Mu
A I-asta Mack (eia oartoes alegariw?**3109! |
de a Uhoinhaa) um novoe maraviihso pre-i
nrado proporcionando amlaalio delicioso | I
;-'i ii. i< o, e ama excellente a^ua de toucEdcr.i *
\'.>t a Pasta Mack goza de fama universal.
.'.' r.irh-a c sua visa a cntis, c, como refres-
cante, supere todo qitarito se condece at boje. ;.
Vcode so em todas asAharmacis, droga- .*
ris, e as principis peiTnmariaa do mundo.
ico fabric.-Invent.: II. MACK. lm s/P.
D< p siuiri em Pwnarrtbuco : mjiu Sofcrliok (?-
Atten Aluga-se urna casa propria para eslabe
niertto, com rtWac5o, em um dos melhores i
tos da freguezia de Afolados, a qual acaba da
passar por urna grande reclificaro ; a tratar no
pateo da Paz n. 96.
Csinheiro
Precisa-se de um cosinheira ; a tratar na na
de Paysand n. 19 (Passagem da Magdalena).
GAL
DE
JAGU ARIBE
a 4$> a barrica
com o abate de 10 0{9 em porc3es maia de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
IOS FCOFSIGTAKIOS HdCAVAltOl
UNGENTO STEVENS
O nico suhslUuia-V) cauterlsaijao dos ct11ob
pelo foa,: .i imso preparado o nico
remedio voriadeiramente erflca para curar todas
qiir.squer Ifltcc^s dat itnu io cavalla, Eilermti* la
airgiaii p. DUlM?;3ts i ttii a mtirtla. o asnoi da
3itimo e contlano xito em tedas a cer-
das, Iwtraa e nos princlpa.es eatmbelec-
moiitoa de csrallo* em rntrlaterr Xvrep*.
Nunca delxa nodoa alguma. B1 mlsler experi
monta lo para flear conTeucido do sen rator.
Vende-ae em cauro* oout. as compcienu indieact*
. para o seu cir\preqo, tmpartugiHi
Uailiinti prepiradopor H, B. STEVENS, mulica-raljnaaB
. Pus Laaa. Uailrea {IngUUnal
tjaatart a Pvanr,c-ca : M\<- U. U UUl
I
Irritacao do Peito e da Garganta
Contra essas alTclcoes, a pasta peitoraL q o
XAROPE de MAF d DELAHChEKISB, de PARS,
possUem uuia eficacia infalliuel verificada pelos
Siembros da Academia de Medicina de Franca, roo
contendo opio nem tao pouco saes de opio tae3
como Morphina ou Codeiiu, esses productos m-
nistrao-se com ptimo ciito c seguranca aE
criancas solTrendo de Toase ou Voaiu.lr.cuc
Depsitos as Pharmacias rio Hundo intelre.
Sement de carrapato
Compra se em grandes e pequeas quantida-
desepclo aaior preso possivel ; no armaien
de mercearia de Gomes Alves & C, ra Vidal
de Negreiros n. 86, antigo pateo do Terco, ou
na fabrica de leos vegetaes ra da Aurora
numero 163^___________________
Paraco/inhar
No 3. andar oo predio n. 42 da roa
Duque de Caxias, por cima do Diario U
Pemambuco, precisase de urna ama que
saiba cozinhar bem.
PILULAS BLAIR
GOTA oEs RHUMATISMOS
0 (Mtborrlmo rfodio inghi para
Ch>t, RheoiMtisWBO, Sciatica,
Lumbago Nevralgias.
Acnnselha-M a todas as petaoas que padacerem
ai molestia' aeima, recentes on aatina, qns
asem as PILULAS BLAIR CONTRA A GOTA
B OS RREUMATISMOS, por serem astas pillas
considerada* o remedio mais secoro e efflcas que
jamis foi presentado ao pablico, sendo mpre-
f sitas coa ptimo xito ha ja largos annos lano
na Eoropa como na America.
' Estas rillas, alias perfeitamenlo iuoffensiras,
Bio eiiajai dieta aigoma. Vendidas em calas
del jOWe 1 ASOpreis. AcBsm-semriade lodos
o Pfcannaceulieos ou Drosnistat do mundo eoteiro.
jsatsltart em Pemambuco rr" I.ea Sllratg*.


mt
I
Vr
I


^
o de PernambucoSabbado 28' de Setembro de 1889
Aviso
As aceites de dous cavallos, sendo um russoe
ootrocastnnho, que co i a oltima lote-
ra do Para, di mez de Setembro, do plano de
250:0094, paisam a correr com a i.' do mez do
Putubro do raesmo plano, visto nao correr lote-
ra deste plan id.
VENDAS
Vndese um terreno t-m solo prqprio, com
S8 palmos de largura e 1"20 paleos de fundo,
contendo duas roea? ac'uas foo n 28G. siJas'
ruado Principe, Ja fregwzia da Boa Vista, com
meiac&o no oito e muro, reiidendo meusalmente
dealuguel a quanlia du lOOO ; quem preten-
der dirija-se a ra Brrelo Mtnezes n. 1. arma-
sem de ramos, onde achara com quem tratar.
rrs()VIDADES~
A Loja das Lisras Azues
BA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Cortes de vestidos de casemira bordados
com vdrilhos.
Gaze3 da seda tecido arrendado urna s
c6ra l#40O.
Voaile tecido de 13 muito largo com ra-
magens a 800 rs.
Creps de lindas cores para vestidos a GOO
res.
Surak de linhos cores iecido novo em seda
a 1(5300.
Sedas com listas largas c estreitas todas
as cores a 900 e 10400.
Cortes de vestidos braceos todos borda-
des ultima moda.
Cambraias organdys de quadros brancos e
creraes a 700 rs.
Renda austraca tecido aborto todus as co-
res a 400 rs.
Cortes de Zefirocom 16 Ii2 covados a 4(5000
tecido bordado.
MadapolSo lavado pecas com 10 varas a
35500.
Morim com um metro de largo pecas com
12 jardas a 46000.
Mosqueteiros americanos com armacSo se-
melhante a cortinados muito lindos para
ornamento de gabinete a 10*, 12 e
1000.
Tecidos baratos
Chitas linas a 200 e 240 rs.
Cassas de ama s cor a 120 rs.
Nanzuc de lindas cores a 240 rs.
'Brim esguiao pardo infestado para vesti-
dos ou roupas de meninos a 320 rs. o
covado.
Setiin da china tecidos de quadrinhos a
200 rs.
LSns de quadrinhos a 1G0,200 e 240 rs. o
covado.
Espartilhos inglezes a 4(5000 e '55000.
Bramantes de 4 larguras a 700 rs. e 15000.
Tecidos de linho muito bonitos padrSes a
200 e 240 o covado.
Bicos brancos e de cores para tote o prego.|
Baleias a 240 rs.
Arco a 120 rs.
Fitas da cxposigio ultima novidade.
Lavas de seda a 10MX) e 2&000.
Leques transparentes e de pennas.
Relogios despertadores om movime.nto a
7;>000 o 86000.
Sabonetes finos a 500 rs.
Pentes fantazia para cabello a 400 rs.
Meias fina3 para homem senhora e mini-
nos.
Fishs de renda e prateados todos os pre-
cos.
Bordados com 4 li2 metros cada pega a
1-500) e 1,5 OO.
Grinaldas com veos de blond seda.
Cortinados Bordados de cores a 1<5500 o
metro (novidade).
Crochet para cortinado a 800 rs. o metro.
Sargelim de todas as ''ores a 180 e 200 rs.
Crinolina cor de chumbo e cor de caf a
360 o metro.
Colxas de fusto de cores a 2*5000.
E muitas fazendas baratas que se ven-
de com descont a quem comprar de 205
para cima.
Qualquer pessoa que comprar fazendas
nesta casa, nao sendo do agrado para quem
for comprada, trocase a contento.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vaccina
Vende-se da melhor, na botica franceza ds
Rouquaryrol Frores, ra da i ruz n. 22, Recife.
Gr mde oovttlftte
48 -Roa IMique 4e Cfcjlas48
Tendo recebido um grande <> variado
sortimento do fazendas resolved vender
por meaos 30 /0 do que em outra qual
quer parte, COIBO seja :
Madapollo americano com 1 metro de lar-
gura a 66000 a pesa.
Algodfiozinho muito largo a 46 a 56000 a
pega.
Chitas oretones, modernas, a 200, 240,
280 e 320' o covado,
Zophir de quadros, padrSes modernos, a
120, 150 e 200 r*. o covado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 rs.
o ovado.
Atoalhado cora flores a 16000 o metro.
Brim pardo trancado para roupa de ho-
mem a 500 rs. metro.
Dito de cor e fustao a 500 c 600 rs. o co-
vado.
Dito de lnho para calca de 46000 a vara
por 26500.
Casimira prela e de cor para costumes a
16200 e 26000 o covado.
Cortes de fustSo para collete a 500 rs.
um.
Ditos de vellido bordado a seda a 26000
.um.
Camisas braacas para homem a 26000
urna.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
200 urna.
Colchas adamascadas de 26000, 36000,
46000 e 5jJ000 ama.
Cobertas forradas para casal a 26500 e
26800 urna.
Lencol de bramante com urna largura a
16800 ama.
Cortinados bordados para cama a 66000 o
par.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Cobertores brancos de 13 com pequeos
defeito a 26000 um.
Cortes bordados pira vestidos, ultima mo-
da, a 86OO0,?96OO0, 106 e 126000 um.
Lindas I3s com listras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
vado.
Lindos fichs de retroz, prateado e dou-
rados a 16000, 16500 e 26000 um.
Lavas de seda, todas as cares, para senho-
ra a 16000, 16500 e 26000 o par.
Casacos de Jersey para senhora, borda-
dos, o 6(5000 um.
Costumes de Jersey para crianas de 4
5 annos a 7 000 um.
Cachenez para homem e senhora a 16500
n 26000 um.
Bicos brancos e de cores a 16800 e 26000
a peca.
Saias bordadas para senhora a 36000 urna.
Renda hespanhola com um metro de lar-
gura a 26000 o covado.
Bordados e entre-meios a 500, 600, 700 e
800 rs. a pesa.
Grir.alda3 com veo de seda a S6000 ama.
Collarinhos e punhos de borracha, a 16800
o par.
Lencos de linho, especialdade, a 26000,
36000 c 4 5000 a duzia.
Ditos de sed.i com a exposic2o de Pars a
500 rs. um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 rs. um.
Lindas mantas e gravatas de todas as qua-
lidades de 500 a 26000.
Espartilhos de coaracas a 46000, 55000 e
66000 am.
Collarinhos e pannos de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de sal picos a 46000 a pega.
E muito oatros artig03 que s com a
vista, assim como roupa por medida em
saa officina, para istotem peritos officiaes.
S na Hnoludo
A ra naque de C'axSas n. 18
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
FOLPSTIM
POR
JLL.ra I&RY
SEGUNDA PARTE
l mn as ic Jff:s
( Continua cao do n. 219)
VIII
Havia encontrado
mais fraca e como
qnando, precipitando
jues, seu8 exames e suas provas
sempre Magdalena
que sem coragem,
elle suas observa-
ella nao
tinha terapo de comraunicar-se com Fran-
cisco.
Semelhanteraente ella s mostrava mais
coragem e mais energia, qnando Magna -
bat doixando-lhe alguna dias de repouso,
podia receber a visita de Francisco. O
velho soubera que o seu collega nao dei-
xava de ir ao hospital todas as vezes que
aeus clientes o ehamavam para longe de
Saint-Claudo.
Antes do apparecimento das suspeitas,
nao havia reparado muito nisso, levando
as idas soladas de Francisco conta de
seu zelo e do desejo que tinha de salien-
tar-se em um inquerito to cheio de diffi-
culdades.
Cada um desses pormenores, solada-
mente, nada provava. Reunidos, tomava
sbitamente a importancia de urna reve-
Jac&o.
E Magnabat approximava-at, em seu
FECIIINIUS!
50Roa Duoue de C axias59
Cassinetas de cCrS para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de cores idem
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o.dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 e
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o ditc.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 16000 e 16200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
e 16000 o dito,
dem de puro lnho a 16600 o dito.
Riquissimas guarnig"e8 de crochets a 66 e
8000.
Toalhas para m&bs a 16200, 36500 e
46000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 26500 c
36000 a dita.
Camisas saperiores idem a 246 e 306000
a dita.
Seroulas bordadas a 126000 e 186000 i
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 26800
e 36000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 46000.
Superiores algodOes da corte a 36000 e
36500.
MadapolSo americano a 66000, com 24
jardas.
Flacella de cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
16200 o dito.
Ca6emiras de todas as qnalidades a 16400
16800 e 26000 o dito.
Para as Exmas. nolvas
Lindissimas grinaldas e veo para 86000 e
146000.
Ricas colchas de crochets e fustfio a 86000
e 66000.
Bonitos cortinados bordados a 56500,
76600 e 86000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 16000. o
dito.
Popelinas de seda a 800 16000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lengos de seda c de linho para 26800,
em lindas caixinhas.
Lcnces de bramante a 16800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 26500 e 26800 urna.
Colchas de cores a 26000 e 36000.
Tapetes para portas a 36500 e 56000-
Pannos para mesas, de cores modernas a,
14600 16200 e 16600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 306 a
356.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
preeos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 46000 urna, e
urna infinidade de artigos que serao lem-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHAES
Para os festivaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestra c cemmodidade em
pregos: bolo, pao-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides do doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos c baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
AO'55
Pede-ae ao respeitavel publico que s.t-
teuda aos pregos abaixo mencioaados :
Setim da China, fazenda de jihantasia,
alta novidade, a 240 rs.
Amor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo,a 800 rs.
Vestuarios jersey, uliimo gosto, a 106
c126000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanho3.
MadapolSo largo a 66060.
Flanella azul, muito lisa, a 16200 o co-
vado.
Fichs de phantasia a 16000.
Luvas ;de seda a 26000 e 36000 o par.
Gruardanapos a 16600 a duzia.
Sargelins de qualquer cor a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, fcousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 26800
a peca.
Cortinados bordados a 66000.
Flanellas para camisa a 820 rs. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Renda da China a 200 rs. o covado.
FustSes braceos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para ^baptisados, o que ha de
mais novo.
coliarinho,
rlroi
com
o metro.
a 160 e 200 rs. o covado.
s, sortimento grande, a 500 e
por
800
Farello
25700
superior
o sacco
Cofres de ferro
Carlos SiHdtn tem para vender cofres de su
perior qualidade. mais barato do que em ou'.ra
qualquer parte. Ra Barao da Victoria n. 48
Pao centeio
Mrlio & Biset., avisam ao respeitavo! pobirx,
que todas as trras e sexta frfrn, tem esto sa
boroso pao; -ua l.-rga do Rosario n. 40.
Vende-se no armazera de Arcelino Lima 1 C,;
Caes d'Assembla n. 24, garantindo-se 42 ki|0-
! grammas cada sacco.
Vinho de mesa
Quem nao poder beber o que bom Caegou
nova remessa, que se vende pelo mdico prego
de 7000 o garrafao de tres caadas (voltando o
casco); na ra do Amorim n. 60.
IMPIBIITI
MM,
espirito, da perturbacSo, que Francisco
oceultava mal, todas as veze3 que Magda-
lena era submettida a urna nova experien-
cia, do enthusiasmo com que o mojo a
defenda da convicjilo do sabio, da obstr
nacao do infeliz, cuja intelligencia, csma>
gada por urna sitaajao t3o eetranha e to
raedonha, rocusava comprehender certas
demonstrajSas que teriam impressionado
a qualquer outro ; da colara que se apos-
sra delle quando Magnabat reconhecendo
o insaccesso do tratamento pelo opio, pelo
hischich, pela etherisa2o, pelas duchas,
declarara que no tardara muito em ser-
vir-se de meios rigorosos.
Reanidos e grupaios, esses indicios er-
gaiam-se como urna terrivel aecusaejio.
Magnabat tivera a principio o pensa-
mento de dar parte a Dampierre do que
descobrira. I
Esse pensimento assustou-o.
Em Saint-Claude oceupavam-se muito,
nessa occasio, com o casamento do juiz
de nstruecao e de Suzana.
Todos fallavam nisso e por mais alheio
que se conservasae o sabio a esse viver
social, o boato nao deixoa.de chegar aos
seus oavidos e impressionon-o.
Advertir Dampierre era de algum mo-
do denanciar Francisco, sem ser capaz de
dar a prova real do que avanyava, pois
que, em sunima, o qne poderia. dizer ao
juiz se reduzia a suspeitas. Era, talvez,
sem utilidade levar o desespero e a an-
gustia ao coracSo desse homem que vivia
ha dous annos com o sonho do casamento
e bruscamente ia ver dissiparem-se suas
illusoes e surgir medonha iealidade.
Magnabat teve medo : Francisco Hor-
mais assassino, o general aterrorisado,
Suzana deshonrada, Dampierre mortalmen-
te attingido, tantos desastres fizer..m-n'o
recuar.
- Nao, r So, disse o sabio, antes de
fallar, devo estar seguro!...
E pensou de repente que apenas pou-
cos dias faliavam para o casamento de
Dampierre com Suzana.
Reflectio que nao havia tempo a per-
der e que assumira agora urna pesada,
muito pesada responsabilidade.
Que fazei ? O que resolver ? Que par-
tido tomar para levantar o espesso veo
ILERY Vende-* era toda amtU
Camisas francezas,
26000!
Grande sortimento de setins lavrados a
16000 o covado.
Orinolincs a 400 rs.
Zefi
Mer
ra. o covado.
Cambraia suissa, a 76000 a pe5a.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 46000 a peca.
Babados e entremeios a 600, 800 e 16000
a peca.
Lencos de seda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combinacSo com listas de seda
a 16400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantil as pretas a 46500.
Atoalhado, lindros padroes a 15 o metro.
Espartilhos com couraca a 46000, 56000 e
66000.
Colchas brancas e de cores a 26, 36000,
46000, 56000 e 66000.
Grande sortimento de fichas de edres para
todo preco.
Cassa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
vendo a bda qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criangas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 16000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes !de fustao para colete, alta novida-
de, a 16000.
Camisas de flanella franceza a 36O0O urna.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartSo, cousa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 86000.
Ditos de casemira de cor a 45000, 65000
e 8600:.
Alm de outras muitas fazendas que
mpossivel mencionar.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessa.
&5 Ra Durjue de Casias .3
Fernandes Azevedo &C.
Superior vinho de 41-
cobac,a
0 acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pelo ebefe desta
casa, tornndose recommendado por ser puro
e de boa qualidade. Jos Fernandes Lima 4 C,
ra Barao da Victoria numero 3, Telepbone323-
A LOJ MAIS BAMTORii
PARIZ N'AMERl
AZEVEDO, IRM/iO & O.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone-200
Tendo racebido directamente da Euro;:
grande Sortimento de fazendas modas
que ha de mais novo e prejog sem c
petencia.
A sa&er"; \
Capas e surah, senda c merino.
Renda preta, diversas qualiades.
Etamines, protn, de ia e 18 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 16000 e 1620.
Criaoline preta e branca s 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com V-
palmos.
Toalhas para banho a 16000 e 1650fc
Chachemiras com 2 larguras a 800 rt
Ditas .qo l e seda 2 larguras a 1600
MadapolSo trancado a 96000 a peca.
Dito globo a 76000 a dita
Dito camiseiro a 76000. -
Dito B6a-Vista, verdardeiro, a 66000.
Fichs de la e seda 16000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Esparttlhoa couraca a 46000 e 5000b
Colchas de fustSo a 25000 e 36000.
Capellas para noiva com veo bordado
65000.
Toalhas de c6res para rosto.
Rendas, comprimento de aaia a 1650<
Renda de 1S, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de sait
a 16000.
Camisas de flanella a 56000.
Cortinados de crochet para cama -
106000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas Bem forro.
Seda de cores a 800 e 16000.
Extracto Rita Sangal a 26000.
Velbutina de quadro a 800 e 16900.
Guarnijoes, pretas, de vdrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de c6co.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de so
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collccte de seda.
Dito de fusto de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
A FLORIDA
rosas de vidrilho.
de algodab com
sea
Cales, palmas e
Bicos de seda e
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodab.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 36000 e 4600C
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500'
600 e800rs.a peca.
dem com 3 e 12 metros, de qualqur
argura a 16200. V
Lencos-de inhe em caixinhas a 36000 s~x
dia.
Meias para homem, duzia a 46000.
dem para senhora, duzia a 46000.
Finas pulseiras americanas a 46, 6^ *
86000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
125000, 176000 e 196000 o par,algani
de cores.
Ditos para anellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800
16000.
Ditos para sof a 25000.
Capellas com veo para noiva a 66000
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 106
126000.
Toacas de setim para baptisado a 36, 46
55000.
Grinaldas e ramos de seda, o qae ha ri
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos. '
Lavas de seda, cano comprido a 26 9 par.
Ditas de seda para creanga a 15000.
Dita para moca a 15500 o par.
Espartilhos para creanga a 46 e 46&00.
Ditos para senhora a 45, 46500, 56000
65000.
Boa Duque de (laxias n. 105
esse mysterio sarfgutno-
que oceultava
lento ?
Eis o que imaginou :
Tres ou quatro dias nSo appareceu no
hospital mas pedio ao seu collega que
fosse l, que visso Magdalena e o infor-
masse de tudo quanto podia interessar
suas observac3es.
Aproveitou esse tempo para tentar en-
trar na confianza de Francisco. Pareceu
renunciar idea de submetter a Sra. Gons-
sohn s medonhas torturas do ferro em
braza e dos mozas.
Nao estava longe de parecer desanima-
do por todas as suas tentativas infructfe-
ras, e confessava que, loucura simulada
ou nao, a energia de Magdalena comeca-
va a fazel-o duvidar da sua experiencia e
da sua autoridade.
Francisco, enervado pela approximaco
do casamento de sua irm2, pelo incessan-
te perigo que corra sua amante, por essa
vigilancia de todas as suas faculdades em
tensilo, havia dous mezes, nao podia adi-
vinhar o perigo dassas confidencias.
Elie vio nellas urna parada, um coraeco
de derrota.
Isso deu-lhe coragem, mas tirou-lhe a
prudencia.
Posto que declarando-se quasi vencido,
Magnabat arriscava ainda algumas obser-
vaeSos, porm mais tmidamente.
Ora, queixava-se do mutismo guardado
pela Sra. Gonssolin em certa* circuinstan-
cias e que, disse elle, nJb estava de ac-
cordo com o genero de loucura de que
ella fra atacada
Ora, achava que suas divagacoes eram
to completas, tao singularmente loucis,
que lhe inspiravam de novo suspeitas o o
punhara perplexo. Garanta que a razao
nSo ficava banida para sempre dos discur
sos dos loucos, que urna idea razoavei po-
dia encontrar-se nelles, que era um erro
acreditar na loucura constante, sem re-
missao nem treguas e que smelhante lou-
cura, ao contrario, s poda ser simulada.
Outras vezes lamentava ver Magdalena
sempre triste e melanclica. Essas lou-
cas tm muitas vezes accessos de ruidosa
alegra, dase elle, e essa nS- a obser
vacilo menos curiosa de semelhante mo-
lestia.
E depois de ter formulado assim suas
duvidas e reflex8es, depois de ter indica-
doassim como inconscientemente o
ponto para o qual devia dirigir-se a atten-
5^0 de Magdalena, afim de dizer urna si-
mulacao perfeita, accrescentava :
S depois de reconhecer esses symp-
tomas, minha conviccao se faria. Ento,
nlo haveria duvida, e poderia aflrmar que
o Sr. Gonssolin est realmente louca...
Francisco, incapaz de suspeitar do lajo
que se lhe armava, ouvia attentamente es-
sas palavras e dellas se aproveitava-para,
em suas visitas a Magdalena, dar-lhe con-
selhos que no dia seguinte ella segua
diante de Magnabat, sem pensar siquer
que^^abio conhecia nos seus modos, nos
aeo^Bstos, as suas palavras, na sua phy-
iionomia, a corabinacao que existia entre
ella e Magdalena, sua secreta intelligen-
cia.
Desde entao para Magnabat nao podia
haver mais nennuma duvida e era preciso
que os acontecimentos se succedessem com
urna rapidez elctrica, afim de nao dexar
aos dous cumplics tempo algum de se
concertarem, de recobraren! coragem.
Elle toi ter com Dampierre :
Sr. juii de instruccSo, disse elle,
necessario que o senhor assista a urna das
visitas que meu collega Hormais e eu fa-
rcinos por estes dias Sra. Gonssolin.
Estamos s suas ordens e se quizer fixar
o da... aceitaremos o'dia que foi indica-
do...
Fixem os senhores mesmo, meu ca-
ro doutor, e que seja o mais cedo possi-
vel. Tenho presea de por ponto final nes-
te ponto neste triste negocio.
AmanhS, se quer.
Seja amanha Venha buscar-me ao
tribunal; esperal-o-ha.
Estarc aqu, pontualmente, s duas
horas. Iremos juntos ao hospital. O se-
nhor assistir a essa visita, mus a louca
nao deve saber que o senhor s acha perto
della. Mesmo, meu collega Hormais o ig-
norar. .. Pego-lho que nlo me interro-
gue acerca dos motivos porque tomo essas
precaucSes... ser-me-hia mpossivel res-
ponder-lhe... AmanhS comprehender...
e praza a Deus que me tenha engaado...
Assucar
da usina Pinto
Vndese na ra da Imperatriz n. 26, pequeo
armazem.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazuoi Central, ra
do Cabuga n. 11, avisara aos seus distinctos fre-
guezes eao respeiCaTel publico que receberam
nova remessa deste e>pprial vrnho, o qual se
recoiwiienda por ser puro da uva, e s se reta-
Ina em seu armazem.
Joaquim Christovo & C
Telephone 447
..

WI1SI?
Boya! KM marca VI4D0'
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cani.,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Tlado,
cujo nome e emblema sSo registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Dampierre, admirado, n3o respondeu
logo.
Depois : _
Soube alguma cous nova ? pergun-
tou elle. Nesse caso devo ser sabedor...
Magnabat abanou a cabega, desviou o
olhar e murmurou :
N5o ; amanhS, Sr. Dampierre ; ama-
nha. Esteja prompto s duas horas.
IX
No intervallo que mediou entre o mo-
mento em que foi marcada a entrevista e
o dia seguinte, s duas horas, o Dr. Mag-
nabat, tendo eito sabir Magdalena de seu
quarto, deu instruc9oes para que esta fos-
80 collooada em coodijSes de poder Dam-
pierre assistir visita, seguir os menores
movimentos do doutor e da enferma, sem
ser visto.
Promptas duas cellulas as condicS^s,
Magdalena foi levada para ellas e, por in-
dfcajao do sabio, foi vigiada pelos enfer-
memos com accrescimo de severidade.
Devam impedir qualquer commanica
5S0 com o exterior e Magnabat, com am
pretexto qualquer, ordenara que o avisas-
sem logo que Francisco Hormais viesse
visitar a Sra. Gonssolin.
Emfim elle prescreveu urna poc3o opia-
da para dar louca no dia seguinte de
manh3, de modo que Magdalena fosse
adormecida na occasiSo em que recebesse
a visita dos mdicos.
No dia seguinte, s.duas horas, o juiz
de instruccSo, um pouco inquieto, por-
que nao podra percebe.- as hesitacSes de
Magnabat,estava oceulto em urna das
duas cellulas, antes da chegada de*Fran-
cisco Hormais, ao qual o velho medico
marcara a conferencia para as duas horas
e meia.
Magnabat esperou.
Seu joven collega chegou logo.
Vendo Magdalena, que dorma tran-
quillamente, Francisco nao pode reter um
gesto de sorpreza que Magnabat fingi
nSo perceber.
O velho medico disse smente :
Dei-lhe urna poco para adorme-
cel-a. A pocao era fraca, de sorte que o
somno nao pode ser muito profundo.
Leite puro
Ka estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lc
go depois das casas novas da direita, vende-st
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, parante-se a qualidade do leite.___
Taverna
Vende-se urna pequea taverna bem locajwa-
da, com poucos fundos, propria para princ'
piante, tem commolos para pequea familia
para informaces, ra da Concordia n. 16
Libras sterlmas
Vende-se libras sterlinas
mercio, armazem n. 5.
na ra do*Com-
O grande e importante estabelecimento de
Pocas Mendes & C, sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba .de rec ebe
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
O nico que, sem a mnima confecgo, im-
portado neste mercado, e s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, sendo
como e, feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as outras qnalidades
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur-
baeo as digestes do estomago, ainda mesmo
o mais enfraquecido, dando-llie vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, ed-forcas
s que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
^Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
propr2tarios capricham em bem trabzlhar neste
artigo, afim de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composico duvidosa.
Em outros artig03 como ementes de, hortalifa
e flores, Kngucts seccas do Rio Grande,bjectos de
rime e tamancos do Porto para homens e senho-
ras, para isto tao pouco temos competidor,
nossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que niuilo nos honrarao. Aps urna infini-
dade de artigos de primeira ordem, que achara-
se em exposico, acresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos 03 que nos
honrara com a sua presenca, junto a modicidade
de pregos sem rival.
Boa eatreita du Rosario 11. O. Jante
a Igreja
Pocas Mendes & C.
Qual o seu fim ?
Vou fazer-lhe urna cauterisagao na
planta dos ps, de modo a produzr nesta
senhora urna dr viva e espontanea que,
sorprendendo a no somno a acordar brus-
camente. Ella trahir-se-ha sem duvida,
porque nao ter* tempo de recuperar a
presenga de^espirito e em seu rosto ater-
rorisado veremos apparecer claramente
um clarSo dessa intelligencia que nos oc-
culta...
Francisco interrompeu-o com voz tr-
mula :
Acreditava que o senhor havia de-
finitivamente renunciado a servirse des-
sas deshumanas torturas. Acreditava que
a minha convccSo o vencer e que o se-
nhor mesmo tinha'acabado por duvidar da
simulacro dessa senhora. -
Talvez. Emfim, esta experiencia
decisiva... Se ella abortar, declarar-me-
hei impotente de descobrir a verdade...
ou antes, reconhecerei qun. a Sra. Gons-
solin t realmente louca e que minhas sus-
peitas nao eram fundadas.
Mas, quando se empregam esses
meios rigorosos, uso prevenir os doen-
tes de modo que, se a sua alienagab ape-
nas um estratagema, lhes fcil subtra-
hir-se logo a es3a medida rigorosa.
Na verdade, assim na maiora dos
casos. No que diz respeito Sra. Gons-
solin, prefiro actuar por sorpreza. Se a
cauterisagSo na planta dos pos nSo derbom
resultado, e se, acordada bruscamente, a
doente nao offerecer indicio algum de si-
muli.cao, empregarei, depois de preve-
nil-a, a cauterisagao da nuca.
Francisco nSo respondeu, mas tornou-se
extremamente paludo e sentou-se em urna
cadeira, com os olhos baixos, a bocea en-
treaberta e agitados os membros por tre-
mores.
Magdalena continuava dormindo.
Nao disse Francisco a menor cousa em-
quanto Magnabat preparava a cauterisa-
gp.
(Continiiar*e-h)


i
l
Typ. do Diario ra Duque de ax.as"n. 1
3


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFBH3RQV4_WBD9WR INGEST_TIME 2014-05-28T14:53:05Z PACKAGE AA00011611_19922
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES