Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19921


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A-NNO LXV. NUMJBR0 219
PARA A CAPITAL E LUfiAREi 0\E SA E PACA PORTE
Por tres mezes adi&ntados............... 65000
Por seis ditos idom ............... 12000
Por un auno idom............... 230000
Cada numero avulso, do mesmo dia........ 0100
DIARIO DE
SEXTA-FEIRA 27 DE SETEMBRO DE 1889
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis metes adiantados............. 13t55Cr
Por nove ditos idem................ 20^000
Por um anno idem................. 26(5000
Cada numero avulso, de dias anteriores ........... 100
Tropredade de Manoel Sfyurm de tforia # lufres
\
-t

AVISO
Aind urna vez pedimos
aos nossos assigpantes, ef
atrazo,o obsemiierde maw||-
repi abemar^uas a$sjRtu-
ras at o dia 30 do corrente,
para que nao seja interrom-
pida a remessa do Diario no
dia 1, de Outubfo.
Os Srs. Amede Frin-
oe & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios
apnblicapoes na Fran-
ca e Inglaterra.
TELEGRAHMAS '
' SSSTI33 FASTXSVZiAB SO SUBI
RIO DE JANEIRO, 2G de Setembro,
s 4 horas da tarde.
Forara concedidas as honras de grande-
za ao Visconde de Valdearo.
Forara agraciados com a Gran-Cruz
honoraria da Ordem da Rosa, os ministros
do Brazil, J. Villeneuve e Barao de Ita-
jub.
Foram concedidos 14 baronatos; 10
comraendas e hbitos da Ordem de
Ohristo; 11 commendas, 36 officialatos e
13 hbitos da Ordem da Rosa.
O fallecimenlo do conselheiro Fran-
isco Bel8ario Soares de Souza foi geral-
mente sentido.
O sa! imento foi grandemente concorri-
do por pessas de todas as classes sociaes.
ssa7i;s sa auvcia um
PARS, 26 de Setembro.
Acredita-se que o parlamento ser con-
rocadv, eiu sessao extraordinaria, no meia-
do do raez de Novembro.
A imprensa europea te mostra geral-
mente satisfeita com as eleigSes legisla-
tivas.
Agencia Hav.is, filial em Pernambuco,
26 de Setembro de 188?.
fkm
tura porlugoeza, rica em perfeigo, estylo e har-
mona, dentre oujos exrdcndores algaram-se gi-
gantfcos O iramortaes versos dos miadas e
cujos^Chos vinham trazer de tempos a tempos
aos MjrOadores dcstas regiOes, efUavios dupatria
iiivflHk com as xacaras, romances, endeixas can
cti. que pouc a pouco iam tendo carta de natu-
palisago, no Brazil, mas que mantiuha vivo o aeu-
timenio da ltteratura do alera mar. Etn segun-
do 1ugar,%presentam-sc as legendas e a pqe
indiana-jinda que Wambagen primeiro e
(iepoitpam aflirmado erradamente que
sia,
eqwsicao .
difena serviam'se antes da nossa poesa como .Hicte-de 7 do correaje, sob n. 99? mande. Vmc
de psalmodas;' quaTjfoanWs rfjHflr c
de"texto a seus cantos, especie
com que exaltovam geralmente as gentilezas d
seus anlepassados, acompanhando-os com o tam-
boril (1). t
inguera ignora que as vertentes occidea
taes deste mesmo solo (2). existan) imperios to
poderosos como os mais afamados da Asia, na-
0es que levantavam edificios mulos dos do
Egvpto c Assyria ; classes entendidas as scien-
cias astronmicas semelhanca dos Magos da
Persia, seitas religiosas cujos ritos ascticos e
severos recordara os do IndostSo, e artfices to
dextros como os Chins e os Japonezes. A ser
assim, como possivel orer que os indgenas do
Brazil eslivessem to afastados de seas congne-
res, que (jesconhecessera completamente a civi-
lisagao que existia no continente americano ?
O que certo que, cono ludo" que provnha da
civilisaglo indgena foi conderanado e proscripto
pelos missionarios e jesutas como cousas do in-
ferno ou artes malficas do rei das trevas ; pois
n aquel la epocha o Sonden de Macrobio, ou o
Satn dos Judeus, era chamado a intervir era
Juasi todos os actos da vida, so erara conbeci-
as algumas cances guerreiras e urna ou outra
tradicglo, em geral desfiguradas pelos traducto-
res, at que os recemos trabalhos dos escripto-
res braaileiros, entre os quaes se destacara
Gongalvea Das, Couto de Magalbes e Baptista
Caetano, e os estudos e investigaces antbropo
lgicas que se estao levando ao cabo actualmen-
te, rieran] demoastrar o erro e;n que incorrerara
os autores que primeiro tratarara da litteratura
brazileira. Esse erro natural e desculpavei,
desde que se tem em conta a epocha em que
Warnhagen e Wolf emprehenderam e realisarara
seus trabalhos, alias dignos dos maiores elogios,
anda que Goncalves Das, que os precedeu, j
houvesse lancado as bases da historia indgena
com o Brazil e a Oceanta tbese vasta e fecunda
que lhe havia sido corrJmettida pelo Instituto his-
trico, utilissima e sabia instiluicao brazileira,
que s admira nSo tur proseguido era seu nobre
intento de estudar as cousas indgenas com mais
alineo, e assim raelhor corresponder ao titulo de
ethnographico que acrescentou alguns annos de-
pois da fundaco a sua excellente Revista trimen-
sal.
(1) Especie de timbale que os indios fabrica-
rain com urna cabaca ou.um coco.
(2) Ladislao Nelto, Introducco Revista da
Exposiciio Ant hropologica.
(Contina)
PARTE OFFICIAL
INSTRUCCAO POPULAR
k Lr:5Aiia ssasileiba .
NOS
TEMPOS COLOflIAES
POR
A lilerntura Braaileira do eculo
XVI ao comi'ro do XIX
ESBOgO HISTRICO
(Coatinuac3<0
II
Accusam geralmente a Hespanlia ePortugal de
harerem trazido ao continente americano mais
Jne um espirito egosta de conquista e podero,
eixando igreja o cuidado de assenlaras bases
a civilisaco e do progresso ; mas esta aecusa-
Co gratuita, como a que formulou Fernn lo
olf conliaos escriptores brazileiros, no seu
Mrezil Littraire. chamando os servs imitadores
dos hespanhoes e portuguezes. Como haviam
de impl miar os conquistadores desta3 regies
oa civilisaco superior que possuia a miii
patria ? como ha iam de ser as prodceles dos
seriptores brazileiros outra cousa que nao fosse
renexo das escolas de Goimbra e Salamanca,
nde enao estudavam e que para elles censti
taam o e;iiporio da setenen do velho mundo ?
elemento civil trajou Americana ; o munici
lo pujante n>qu?llus eras, minsuado e depri
ido em nossos dias, erara entao a cpula u
fcase e ruiz de todas :is liberdades polticas : o
elemento religioso, o nico que esludava naquel-
les tempes a Cruz e o Evangelho, o ponto de par-
lada sublime que nao t suavisava como transfor
lava OH horrores da guerra sombra da carida-
e cfcriata complttava a conquista por miltrires
e adepti s que ^auhava para a civilisaco. Este
element pois tinh.i que servir de base littera-
tura americana, e o Brazil nao podia eximir-se
da lei geral ; i>or isso que destaca esplendida
e inage-tosa a figura do pudre -ncliieta, o apos-
tlo b; zih-iro na phrase de um escriptor con-
tempoiaiKO por i-er il!e quera escreveu a pri-
eirapi.ioa Iliteraria destas comarcas.
Ant> s porem de pntrar no desenvolvimento da
historia da litterataru brazileira vamos estudar,
ainda que summariaraente, os elementos em-
arTonanos que deviam constituil a.
Era primeiro lugar apreaeo'a-se como princi-
pal elemento constitutivo da brazileira, a liltera-
Aa comraandao Dr. chefe de polfia mande Vmc. apressntar
duas pracas aoMfecondijzlrem um criminoso
para o termojr Agua-Preta no trem das trez
horas da taj* de boje.
Ao oresmo.Providencie Vmc. para que o
capilo Antonio Carlos dos Santos Mergalho vi
destacar no Brejo Mandou se o inspector do
uro Provine.ial abonar a"ajuda de custo,que
mpete ao relerido capitao.
- Ao dir tor geral de obras" publicas.A'
da -Cmara Municipal do Itecife era
Governo da provincia
XTEDnerra do di\ 9 de .vgqsto de 1889
Acto :
0 conselheiro presidente da provincia, at-
tendendo ao que requereu a protessora Mara
Salom de Siqueira Varejao, cora exercic.o na i*
cadeira do sexo feminino da freguezia do Nossa
Senhora da Graca e tendo em rista a informagao
do inspector geral da Instrucco Publica, cons-
tante do ofllcio n. 176, de 30 de Julbo ultimo e
os altestdos mdicos exhibidos, resol ve jubilal-a
com a penso correspondente aos vencimenlos
de que trata o art. 180 4 do regulamento de
18 de Janeiro.de 1888 ; visto contar mais de 30
annos de servico elTectivo no magisterio publico
e achar-se irapossibilitada de continuar a exer-
cel o, nos termos do art. 177 n. III do mesmo rc-
gulanento e de accordo com a le n. i991 de 15
de Maio do correte atinoCommunicou se ao
inspector gera! da Instrucco Publica.
<-'flicios:
Ao inspector da T esouraria de Fazenda.
A' vista da informaclo de V. S. em officio de
bontem sob n. 23V sirva se de mandar pagar a-
pessoas constantes da relacao annexa ao officio do
ex-inspector de trras e colonisagao Dr. Jos Oso
no de Cerqueira datado de 2 do corrale a
quanlia total d 6:37i970, conformis inclu-
sos documentos, proveniente de materises e
uter-.silios comprados para a hospedara da Ja-
gueirae ncleo Suassuna. Coraraunicou-sc ao
engenheiro Gregorio Tbaumturgo de Azevedo
Ao mesmo.Para os devidos lins declaro a
V- S. que em oloio ae hontem, sob n. 1,676
parlicipou rae o coronel commandante das ar-
mas baver na mesma data exonerado, a pedido,
do cargo de ajudante de ordens interino o len-
te do 30 batalhSo de infuntaria Jos Xavier Fi-
gueiredo Brito e noraeado para substituil-o, tam-
bera interinamenle, o capitao do 14' da mesma
arma Jos Poma de Abreu Lima.
Ao mesura-Communico a V. S. paraos
lins convenientes, que o bacbarel Adofpho Julio
da Silva Melio assuraio hontem o exercicio do
cargo de promotor publico da comarca do Cabo.
Ao mesmo.Coramunico a V. S., para os
lins conveniente', que o juiz municipal e de or-
phos do termo de Panellas, bacharel Jos Pau-
lino Cavalcaute de Albuquerque, deixou a 29 do
mez (indo o exercicio de seu cargo por incem-
modo de sade e reassumio-o no dia 31.
Ao mesmo. Dt claro a V. S que ticam
justificadas as fallas de exercicio dojuiz muni
cipal c do orphaos do termo de S. Bento, de 11
de Junho a igual dia do mez de Julho lindo, de
accordo com a sua inforraaco de 6 do corrente,
sob n. 281.
Ao mesmo. Remello a V. S. as inclusas
relace- dos senteiiados \indos do presidio de
Fernando de Xoronha e alimentados na Casa de
Detencao nos mezes de Marco a Maio deste nn
no, de que tralara seus officios de 23, 26 e 30 de
Jul.uo ultimo, sol) ni. 264, 267 e 272 alim de que
ma'nde indemnisar o Tliesouro Provincial da
quantiade 4'523638 importancia total da allu-
didajdespeza, conforme as mencionadas re,.
Fueratu se a .rias comaiunica'jes.
Ao mesmo.Conforme me foi participado
oelo engenii'iri Gregorio Thauraaturgo de Aze-
vedo, era oflieio de 6 do corrente, sob n. 1, re-
cebera elle no lia 3 do ex-inspector de. trras e
colo&isac. Dr. Jos Osorio de Cerqueira, o ar-
chivo, materwes e perteoca s obras da hospe-
dara da J >qu ira e ncleo Suassuna.
Ao inspector do Thesouro Provincial -Para
os fins conveni'iii -i levo ao seu couheciment"
que o majoi' Solonio Soares de Mello, secundo o
ollcio n. 143 :e ti iii<,in latado, do secretario
da Asseiiib.a Legislativa Provincial, toraou par-
te nos trabilh.;- 'i i mesma asseinblo, por oc-
eaM&o da sasBo extrawdtaaria convocada para
o i de Ouiulir de 18So tendo assim difefto
re.speciiva aj i la de costo. Communicou se ao
cretano ,i .-iliva Provin
Cial.
Ao Dr. inspector de hygiene. Nao lendo
sido contemplada essa inspectora de bygiene
na distribuico de passes gratuitos das empresas
de viacao publica nesia cidade nos accordos ha-
ridos entre esta presidencia e as empresas, nao
pode ser sasfeila a requisico de V. S.
i pontos intraTtsfcaYeis da-
strada de rotlagnfda freguezia de S. Louren-
co da Matta. Communcou-se & Cmara Muni-
cipal.
PortariuS :
Declaro a Cmara Municipal do Cabo que
tan approradas as arremtaseos dos impostos
constantes do termo annexo, por copia, ao seu
oflicio de 31 de Maio ultimo.
Os Srs. agentes daCompanhla Brazileira de
Naregaco a Vapor facam transportar a corte,
por conta do Ministerio da Guerra, o tcnente
Jos Xavier Figueiredo Brillo, que vai recolher-
se ao 30 batalhao de infaotaria. a que per-
tence.
Ao referido oflicial accompanham sua mulher
D. Maria Adelaide Lins de Brito, sua rm Fran-
cisca Carolina de Brito e Hlhos Mario de 5 annos
de idade, Mara de 2 annos e seu criado de no-
me Jos.-Mandou-se a Thesouraria de Fazenda
ajustar contas ecommunicou-se ao commandan-
te das armas.
O Sr. superintendente da estrada de farro
do Recife ao s. Francisco d passagera, por con
ta da provincia, da estacao de Cinco Pontos a de
Gamelleira, ao soldado do corpo de polica. Joa-
quira Gomes da Silva, que destaca para Rio For-
moso. *
dem da estacao de Cinco Pontos a de Ipo
juca ao soldado do corpo de polica Damiao Ca-
valcantede Albuquerque, que para all des
taca.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens de ida e
volta, no trem da tarde de hoje, da estacao de
Cinco Pontos de Agua Preta, por conta da pro-
vincia, a duas pracas do corpo de polica, provi-
denciando quanto ao transporte do reo Joaquim
Jo- dos Santos, que tem de ser all submettido a
juigamento.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro d passagem, por conta
da provincia, da estacao do Brum a daquella ci-
dade, ao soldado do corpo de polica Antonio
Clementino Ribeiro, que para all destoca.
KXPEDIE.NTE DO DE. SECRKTAHIO
Oflicios :
Ao coronel commandante das armas interi-
no.-O Exm. Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia manda aecusar o recebimento do officio
de V. S. de hontera, sob n. 1676 de cujo assnmp-
to fica inteirado.
Ao 1" secretario da Assembla Legislativa
Provincial-De ordem do Exm. Sr. conselheiro
presidente da provincia rogo a V. S. se digne de
enviar com urgencia a esta secretaria copia do
parecer do Br. procotador fiscal da" fazenda pro-
vincial acerca do contracto celebrado com essa
Assembla e Manoel de Figueira Faria pira
publicacao dos trabalho3 da mesma Assembla.
Ao Dr. promotor publico da comarca do
Cabo.-S. Exc o Sr. conselheiro presidente da
provincia, inteirado do assurapto do officio de
hontem datado, recommenda a V. S. que remeta
a cerlido de seu exercicio.
'esaaee-
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 24 DE
SETEMBRO DE 1889
Auna Julia de Barros Rodrigues.fcncami-
nhe se, devendo ser pago, na reparticao dos cr-
relos, o competente porte.
Antonio Miguel Correia Gomes.informe o
Sr. engenheiro Gregorio Thaumaturgo de Aze-
vedo. 1L-J
Francisco Macei da Silva e outros recomidos
na cadeta de Garanhuns.Informe o Dr. juiz de
direito da comarca de Garanhuns.
Jos de Almeida Rabello. -Informe o Sr. fiscal
da companbia Recife Drainage.
Julia Mara Caldas Rocha.Como requer.
Joao Thomaz Torres Gallindo.Informe o Sr.
inspector da Thesouraria ae Fazenda.
Manoel Barbosa Bczerra Cavalcante.Informe
o Sr. engenlieiro Gregorio Thaumaturgo de Aze
vedo
Meneliano Peres da Silva Barbosa.-Informe o
Dr. juiz de direito da comarca de Pao d'Alho.
Manoel Xavier Carneiro de Albuquerque.
Informe o Sr. engenheiro Gregorio Thaumaturgo
de Azevedo.
Maria do Rosario de Oliveira Mello. Informe
o Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Bacharel Ricardo Pereira de Faria.Como re-
quer.
Rodrigo Carvalho & C.-IndeferiJo. Nao da
competencia do conselho de Estado tomar co-
nhecimento de actos d'esta Presidencia, quando
executo leis ou contractos provinciaes. Em
muitas resoluces do consetbo de Estado encon-
tra bices a pretencJo dos supplcantes, pois
entre outros terminantemente a resolueo Im-
perial de 18 de Maio de 1878, quando assim se
exprime: Tem se sempre recusado o conhe-
cimento de recursos relativos a questOes mera-
mente provinciaes, isto que ec julgara offen-
Jidos na exeeucao de contractos ou de leis pro
vinciaes, por nao ser applicavel a taes casos o
art. 45 do regulamento do conselho de Estado.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 26 de Setembro de 1889.
O portoiro,
F. Chacn.
peito procedeu-se nos termos
Reparticao da Polica
2.aseceo.N. 1176 Secretaria dePo
icia de Pernambuco, 26 de Setembro de
1889.Illm. eiSxm. Sr.Participo a V.
Exc. que loram recolhidos hontem Casn
de Detencao, os seguintes individuos :
A' miuha ordem, Minervina Maria do
Espirito-Santo, alienada, at que possa ser
transferida pura o Asylo da Tamarineira.
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Eloy Al ves da Silva,
por crime de furto.
A' ordem do do 1.* diatrictode S. Jos,
Joao Francisco de Almeida, por distur-
bio os e embriaguez.
Communicou-me o delegado
mo de Agua-Preta, que no dia 8
rente deu-se um conflicto, no lugar deno-
minado Assombrado, entre os individuos d
aomes Genuino Vieira de Mello, Jos do
Valle, Francisco do Valle o Antonio do
Valle, do qual resultou Bahir ferido gra-
vemente Genuino de Mello.
Os delinquemos lograram evadir se, ten-
do sido entretanto preso como cumplico o
individuo de nomo Pedro Roberto.
do ter
do cor-
A tal
da lei.
\iqfa na noite de 8 do corrente, em
trras do engenho Primoroso, do referido
termo do Agua-Preta, Pedro da Matta e
Oezario ai tal feriram gravemeute a Pe-
dro Lins'-:
Contr*.os delinquentes, que evadiram-
s, abiioe inquerito.
J^WPWfc**" denominado Alaga d'Al-
meid8riiJrmo do Triuraoho, foi assas
smada do dia ti do corrente, a tiros
bacamarte, 'a praca do corpo de Polica
Adelino Lopes de Siqueira, tendo sido
autores desse crime os individuos de no-
mes Lucio Avelino de Magalhles, Joao
Avelino de Magalbes, Juvenal Avelino de
MagalhSes e Manoel Pereira.
A victima, segua para Villa-Bella, a
cujo destsamento pertencia, conduzindo
a quantia de 380O0O, pertencente no
destacamento, a qual foi entregue ao Dr.
promotor oublico da comarca para dar o
conveniente destino.
. Depois de commettido o crime, os de-
Iinquentet apossaram-se das armas da
victima -8 evadiram se, nSo fazendo o
mesmo qianto ao dinheiro por ignoraren]
a sua exiitencia.
O delegado respectivo tomou conheci-
raento do facto e procedeu s diligencias
da lei par a captura dos criminosos.
Deus ruarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr, consdheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digro presidente d'esta provincia.
O chefe le polica, Geroncio Dias de Ar-
ruda FacUo.
Par A
Datas al 16 de Setembro :
Comecaram no dia 14 as sessOes preparatorias
da Assembla Provincial.
Nada mais referem as folhas que meteca men-
cao.
Hnraiili.i i
Datas al 18 de Setembro :
Sao destituidas de mteresse as noticias dessa
provincia.
L-se na Pacotitha de 17 :
Em viagtm do Rosario para o nosso porto
foi a pique bontem, no Bequeiro, a canoa Livra-
nto. de propriedade de Joao Josj; Tcixcira Ro
cia Pora
-^-
iSfiSS
Itfcebedoria ProTincIal
DE8PJCHOS DO DIA 26 DiS SETEMBRO DE
.1889
Antoub Jos H. Lima, (andido da Silva Car-
valho, Jlao Baptista do Nascimento, Leopoldino
Franciso 1 ereira, Dmaso Jos Antonio, Ro-
mualdo Cavalcante de Albuquerque Montenegro,
Franciso Affonso de Oliveira (2 pelicoes) Joao
Baptista de Almeida Bastos, Horacio Polycarpo
da Silva, Francisco Xavier da Cruz (3 petigOes)
Jos de Oliveira, Graciliano da Gama, Anionio
Nogueiw Casteilo Branco e Joao Toletitino Ri-
beiro. Certilique-se.
IsabelMaria do Carrao.Informe a 1 secgao.
Antono Jos Leao.A' 1. secgao para os fins
convenirates.
liastrucco Publica
DESPA0a9 EO DIA 24 DE ^ETEMBRO DE
'1889
Maria os Pereira. Encaminhe se.
lo
Eslher'orreia rrespo. -Curapra se e regstre-
se o preiente titulo.
Auguso Jos Mauricio Wanderley.Campra-
se e regslre-se a apostilla de hontem datada.
Idalirulzidio da Costa Vieira Curapra-se e
regstrese. .,.
INTERIOR
\oie do Imperio
0 paqtete nacional Para, hontem chegado do
norte, tnuxe as seguintes noticias:
Amazona*
Datos \t 12 de Setembro :
Nao lado comparecido numero sufficien'.e de
membroi da Assembla Provincial, connotada
Sara 5 do corrente, fra marcado o dia 1. de
ulubropara a 2.* sessao ordinaria do biennio.
Foidesignado o dia 1. de Dezembro para
c-r lugar a e!eig-io de merabros da Assembla
Provincia no futuro biennio de 1890 a 1891.
Recppareceu o jornal Amazonas, orgao do
partido ionservador, passando porem novos
pfoprieta"ios.
0 tominercio do imazonos fez urna edijao
especial em benelicio da familia do Dr. Tobas
Brrelo. E=;a edigSo produzio 3005, que loram
entregue! ao Sr. Maximino Jos da Matta, the
soureiroda commissSo agenciadora de donativos
para aqieila familia.
0 (omnt'rcio do Amazonas, em 4, di as se-
guintes lotk'las do rio Juru :
Sobasanle desagradaveis as noticias hon-
tera tradas d'este rio pelo vapor Juru.
As febfes palustres rontinuam a desenyol-
ver-se con grande intensidade, tendo feito muilas
victimase causando assim nao pequeo prejuizo
ao-cooittereio.
Pesca competente a!lirraa-nos que o fabrico
da gomrra elstica alli poder este anno attingir
ajando Quito metade da produeco do anno
passado,< vista do mo estado sanitario era que
permanec este importante rio da provincia. _,
> O Juna que se presuma trazer um carre
aamento guiar, apenas trouxe cerca de 23:000
kilos de torrad). .
. O varar Toomtms que para all segura na
lempos, sao poder descer to cedo por falta
A mesraa foiha d, era 10, estas noticias
do no MaoHra :
Morree afosado na noite ele 30 do crreme
to Js Fernandes Jnior, subdito portu-
raez, dispmseiro do vapor C:me!, fundeadoM
porto da vila de Manicor, por occasiao de elwr
lanceando tora urna rede de pesca.
Ten melhorado o estado sanitario era al-
uns ponbs do municipio de Manicor, oulro
tanto no se pode dizer cm referencia a outras
localidades d'esse rio, cuja populagao contina
a sotlrer as consequencias fataes das febres alli
reinantes.
O Correio do Mad ira, tratan lo do alcance
que divraos cidados tem para cora o municipio
: .uitor. diz o seguinte : .
. O 8-ogente municipal, neste no. Pedro de
Alcntara Barbosa Tinoco, acha se pela segunda
vez alr-ancado com a rauntcipalidade e secundo
nos consto tem applicado as arrecadac-s em
compra de'cheques da mesma cmara com des-
cont de 30 % para depois pagarlhe com elle:
ja saber ser agiota I .
O llscal RaymundoPorphirio Culade desviou
2 3300O) que 'recebera daquelle ageste corno
consto de u.n talSo, cuja quantia o ex-secretario
Borges nao escripturou no livro competente;
nao consta a sua applicacao do balancetc apre-
sentado pelo ex- jrocurador e nem entrarara para
os cofres: tambera foi encontrado ura desvio de
K)I we por lianca all deposilou o reo Uagama.
Os gastos attingiram a 36 contos de ris,
parte dos quaes andara ah cm cheques llegal-
mente expedidos.
Renderam era Agosto : ,r.4*Ao-i
A Alfandega ^SSSn
A Recebedoria Provincial .2
0 Correio i:W7#o8
rartPvietknas do sip!3tro Philwnena, Join-
na, Cancio e seu sobrinho Joao, unices passa:
geiros que vinbam na canoa, cuja tripolagao foi
sal va por pescadores.
t A canoa trazia carregamenlo de lijlos.
Cean
Datas at 22 de Setembro:
As noticias desta provincia sao de interesse
local.
Apenas encontramos no Libertador de ii este
pedacinho de ouro :
Se o que o Sr. Avila diz fosse cousa que se
podesse escrever, eslava muito bom de registrar
o pedacinho final do pulhissimo relalorio com
que S. Exc passou a administraeao ao Io vice-
presidente.'
E' este:
Resta-me desejar a V. Exc. mais felicidade,
do que a que me coube por sorte as relagots
com o governo central, que ainda escravisado ao
centralisador systema de administraeao*" que tem
tornado rachilico este grande imperio, continua
a considerar as presidencias das provincias, me-
ros accrescimos de suas secretarias.
Rio Grande lo Korte
Datas at 24 de Setembro.
Constara as noticias da correspondencia, que
vai inserida na seeco respectiva.
I'aralijba
Datas at 23 de Setembro.
Foi marcado o dia 9 de Outubro para ter lugar
o 2o escrutinio, no Io districto eleitoral, entre os
Srs. Drs. Gama Mello (L) e Anisio Salalhiel Car
neiro da Cunha (C).
Pelo Io districto foram eleilos depulados
provinciaes, segundo a apuraco fcita pela res
pectiva junla, 3 conservadores" e 3 liberaes. Sao
elles :
Tencntc coronel Joaquim Bapsta Espinla.
Capilo Joo Manoel da Silva.
Capitao Archanjo Cavalcante de Albuquerque.
Capitao Jos Carapello de Albuquerque Gal-
vo.
Tcnenle Jos Rodrigues de Paira.
Major Jos Francisco de Moura.
Lemos no Jornal da Parehyba de 17 :
Cartas do serlo aflirmam-nos o oslado de
miseria da populagao pobre alli residente, devi-
do, n5o falla de chuva, e sim devido falto de
soccorros, que sao distribuidos apenas pelos
amigos.
A forno e a nudez sao o caracterstico do in-
.feliz povo, residenle na regiao sertaneja.
As grossas soturnas de dinheiro e abundan-
tes remessas de gneros para all destinadas t
v ram applicagao-divcrsa, eomo todos nos sabe-
mos :' apenas serviram para jreleigao 4/>a Srs.
P. Pimentel e C. Lst.
Contina, pois, o povo a morrer de fome l
como aqui s barbas do governo, porque o Dr.
Gama Rosa tem criminosamente desviado os di-
nheiros dos soccorros pblicos para eieger os
Srs. Dr. Gama e Mello, Irineu Jollely, P. Pimea-
tel, C. Lael e Franklia Dantas!
Que bello exemp'o de morulidadade admi-
nistrativa ?!
Do Diarlo de Pernambuco
RIO GRAND3 DO NORTENatai^, 24
de Setembro de 1889
No dia 19 do corrente, reuniram-se as juntas
apuradoras do Io e 2o districtos da provincia,
sendo pelo primeiro expedido diploma de denu-
tado geral ao Dr. Amaro Bezerra. No 2 dis-
tricto nenhum dos candidatos reuni maioria ab-
soluta e assim rao a 2o escrutinio os dous mais
votados. Drs. Miguel Castro e Amaro Bezerra.
sendo que o primeiro attioio ao numero de 888
votos, ou mais 862 do que o seu contendor, que
apenas chegou a fazer 321.
Parece fra de duvida que o eleito 3cr o Dr.
Miguel Castro, que conta com muitas sympathias
e elementos de familia no districlo, de par com
um nome ventajosamente conhecido no puiz
o governo provincial ludo tem envidado para
servir ao Dr. Amaro, ja fazen Jo desbragada re-
acgo nos pobres professore3 do 2o districlo, j
desbaratando e espalhando com profnsSo os di-
nheiros pblicos destiuados aos soccorros dos in-
felizes famintos.
N'esse intuito nSo hesitou a adraiaistragio em
reduzir 03 soccorros que estavam sendo distri-
buidos nos plratos do agreste (Io districto) para
assim mais desembaragadameute cuidar .de soc
correr o Dr. Amaro no serto, em que tem de fe-
rirse a grande batalha.
Estas e outras medidas tomadas por S. Exc
deu lugar a certa exaltago de nimos e justos
clamores da populagao, que em avnltado numero
esmulava pelas portas I ...
Na noite de 20 do corrente, os famintos
acossados pela fome assaltaram urna casa em que
o governo manda expr tai intia A venda e, se-
gundo nos informara, conduzram cerca de 30
saccas que alli liara.
No dia seguinte conston que pretendan) ata
car o armazem ila Alfandega,. onde ha grande
deposite de farinha, e enlSo via-se as ras da
cidade es piquetes de soldados de linha, e de-
pois d'este facto todas as vezes que tem de sabir
farinha dos armazen; s5o es carregadores escol-
tados por grande numero de pragas!! !
Condoido o virtuoso parodio d'esta freguezia
do estado de miseria da populagao e teado e-uo
todo tolos os seus recursos particulares em soc-
correr ao povo, dirig o se ao Palacio da Presi-
dencia, fazendo ver a S. Exc. o triste esta
que estavam reduzidos os pobres infelize.s fa-
mintos, quo teriam i ub;r aos horrores
da fome oas mas publicas, -i nao fossem de
prompto soceorri los, vis! que a cari lade_ parti-
cular eslava espolada.
. Era vula d'esta justa redamagao do virtuoso
padre, resjlveu-se S. Exc. a mandar en trepar-lhe
urna quantia oua foi sem demt-ra distribuida pelo
povo.
Emquanlo houve eleigo a Iratar no
trete, corre franca a roba sMcoitm
parte.
Ento era preciso isso para qu<'
fazer 03 arraojos preeiaoa para arcuramodar o
eleitoraio e cy.ir.m s^ logares do fulores e
Qscaea.
Nada se via e nada valia o que a imprensa da
provincia dennnciava constantemente.
Agorn. por n, que esj concluida a emprni-
tada do 1" lisiiicii, tfro sido dVucobertoa cotMi-
nhas Mtere*saMet, como por exemploflagrar
as foih.is de pagamento como pedreiroshlhos
familias e criado, de altos personagens da actnali
da le .,
foiha de pedreros se elevava ao u.
cante numero de 136111 .
Falla-se em muita cousa fcia c de que nos afi-
teremos de ira!
1. dis-
etn toda
podess
As cousas chegaram aqui ao ponto de, ura di-
stincto cavalheiro em momento de justa indig-
nago, travar calorosa discusso com o secretario
da Presidencia, cm urna das ras publicas d'esta
cidade e se no a intervengo de amig03, re-
sultara de tal discusso consequencias bera
tristes I!
Em data de hontem foi exonerado por con-
veniencia do servico publico o cidado Minervino
Soares do cargo que estova exercendo de encar-
regado de todas as obras de soccorros pblicos,
sendo substituido pelo capilo commandante do
corpo de polica.
O exonerado irmo do actual inspector do
Thesouro Provincial, capilo Eneas Leocracio M
Soares.
Encerrbu-se a 16 do corrente a, i' sesso
ordinaria da As3emWa Provincial, que desde 23
de Julho nao funecionou ura s dia.
Foi noraeado collector de rendas provinciaes
da cidade de Macahyba o cidado Luiz MaranhSo
que oceupa o lugar de oflicial da Secretaria da
Assembla de que nao foi exonerado f f
Desde que na provincia se creou o imposto do
3 % sobre todos os gneros importados, que
aqui a repartirlo da Alfandega incumbida da
arrecadaco d'ele imposto, e ninguem contes-
tar que a mais competente para isso
Entretanto com a noraeago do novo collector-
de Macahyba, foi esta encarregada de tal arre-
cadacao, com grave prejuizo para a renda pro-
vincial e assiro vai tudo no melhor dos mundos
para os felizardos da situago I

PISABAS E C0MMERCIO
Foi distribuido em Lisboa o prospecto
e projecto de estatutos para a fundaco da
companhia de moagens e rnassas de Beja,
que se destina exploraao de urna fa-
brica de moagens estabelecida em Beja e
organisacao de outras fabricas onde aa
necessidades do consumo ou produegao as
recommendem.
O capital da companhia ser de 150
contos, emittidos em duas series de 5,000
acco"e3 de 15)5000 cada urna em moeda
forte.
Segundo affirmam os promotores da
organisacao dessa nova empreza, tem
ella por objectivo aproveitar as disposioea
do novo rgimen estabelecido para o com-
mercio dos cereaes, pelo qual a moagem
do trigo nacional garantida, propondo-se
a companhia a fazer a acquisicSo da fa-
brica do moagens cm Beja pertencentes
aos Srs. Santos & Chaves, que, apezar
"das boas cond5oes em que dizem estar
estabelecida, os seus resultados nao tem
compensado os capitaes nella emprega-
dos.
Mas, em vista de se ter estabelecido a
ligaJlo com a linha do Algarve, parece
que a situado se transforinou, e que," se-
gundo a circular distribuida, poder ago-
ra proporcionar ura interesse mnimo de
de '3 Ojo ao capital.
Estes annuncios pomposos e a perspe-
ctiva de lucros fabulosos com que os ini^
ciadores de qualquer nova empreza a
acercara, longe de concitarcm o capital,
afastam-n'o, porque actualmente j se nao
deixa illudir com estes devaneios de cal-
culo e rejeita geralmente as largas remu-
nerac3es pelo risco que ellas trazem adhe-
rentes.
O commercio da Baha pode honrar-se
de possuir urna casa como o estabeleci-
mento de louca. vidros e crystaes dos Srs.
Amoriin & Campos; no qual, par de apu-
ro gosto na armacao se encontra, urna or-
dem tal na collocacao dos objectos, que
permitte o transito em todo o estabeleci-
ment sem receio de chocar-se o menor
d'entre elles.
A vastidao do e3tabelecimouto, entre a
ra dos Algibebes e a do Conselheiro Sa-
raiva, o methodo e o bem disposto da ex-
posicao do3 objectos venda, e o varia-
dissirao sovtimento que teinj fazem-n'o
rivaiisar eom os mais importantes conge-
neres da Europa, e qnis levar vantagem
aos da corte do imperio.
As quatro vitrinesmontres, as raaia
modernas da Babia, contm grande nu-
mero de esplendidas obras, que se pode
com toda "a propriedaae denominar
obras Jd'arte. Em biscuit, trra cotta,
porcellana, metal, crystal, etc., ha urna
infinidade de coisas adorareis que sedu-
zem de prompto x)3 mais exigentes gostos;
e t!to bera se achara dispostos todos os
esplendorosos artigos, que nada escapa s
vistas mararilhadas do visitante, que en-
tre tantos e tao bellos objectos hesita a
qual de va dar preferencia.
Os Sr3 Amorim & Campos souberam
arromar tudo alli com tal arte, que a sua
ca3:i consti.ue urna- exposigao permanente.
Parece que houve, o designio de captar a
attencao dos vistaate3 do dia da innaugu-
racSo da casa; mas a verdade que
aquella Soar sendo a disposicao continua
dos artigoa no magnifico estabelecimento,
que est na altura das mais luxuosas ca-
sas ooraraerciaes das grandes cidades eu-
ropeas.
INDUSTRIAS E ARTES
ntreos navios que Ogniaram na grnete re-
vista naval de Srth.a i, havia n>ln
propriaraente de guerra, porm acmva so all
nara dar urna idea dos servigos que possa pre-
starimarinha mercante necesidades
nactoaa* rossem de dwtor mao della.
O vpfr chama se Tentante, e pertence com-
Danhia transatlntica chamada Mar Line. Essa
comnanha coostroica o navio era cmdigOes toea
uueo iimirai.ia lo jwigou conveniente subven-
ciona! a. Teutoaic apivfentou--e na revista na-
val armada cura quatro canhes de cinco polle-
- de Lalibre.
O barco fra con-struido pelos Sw. Hasland
Wolf; lera dois hlices e o mecanismo de cada
talmente independeote.
As machinas sao capazes de desenvolver urna
torca de i7.000 cavallos. Mede 382 ps de com-







2
Diario de Pernambuco-! exta-feira 27 de Setenibro de 1 S9
arimento para 37 de largura e J9 de altura total, e cora clles paetuam at as ordenabas de mais
?ode transportar 390 viajantes de priineir das- de urna autoridade policial.
se 150 de segunda e 730 da terceira. Ha quera os tenha vista em operacdei, sendo
barco chamou vivamente a attenclo durante certo que as patrulbas rondantes de dita ra sao
a revista de Spithead; o imperador da Allema- i c inniveutes no escauialo, pois bebem e Tolgam
ha visilou-o, e .tildando detalhadamcnte todas na indicada casa* assim garantindo os malfeito-
as suas disposicOes e com espacialidade o modo res que alli se reunem.
e poder rmalo cotn dez poderosos canhoes. Ao Sr. Dr. cbefe de polica curapre verificar
Emcaso d-i guerra, Teutonic coaverter-se-ha isso, e agir era consequencia.
em u u dos formidaveis cruzadores, era ce-ose-1 Passumento Houtera, s 4 e 1/2 horas
nencia de sua velocidada e io sariuamiaam. | da-lord', fulleceu iwstakwhiie Bernardina Airas
masa
i'UtlCO
A plvora sem fumo, de que sansl
os alemaes, fui inventada por um ph
ie Bukovar, Hungra, chamado IPilivaaa.
Sabe-se que a plvora franceza analo;afl>i
iescoberla oeeasioBolm'nte pac um (imaee/. que
andava cacando na Inglaterra. Tendo>polvoBa
ie que se servia attrahido a suaatifencipr cor-
tas particularidades proeurou o fabrcaos < quio
comprar lheo proeaoo. (Miornemnaolh' va*-,
satisfez-ltte-uma en.-omnwria d-t mrf'dte? horas da noite, 'ninifeslou-se incendio na
Neia, s-onetanu d'a mOJIn ito porto. O precia
rooid i lo e.-s csalo, natural desta provincia
wcoBtavs apenas, 40 annos de idade
Lhano e jffavel em todo os seas aotos, quer da
vida publica, quer da.privada, deixa profunda
impressao de saudade no -corncao de todos
quautos o conlieceram.
O enterrara 'nto ter lugar hoje. s 4 horas da
tarde, sahindo da-ra de Marcilio Das n. 141.
rriu.is** n incoadlo Houtera, cerca
ieu. mas
kilos. A polvo-a foi examinada chimicamente
e conseguiu-se aperfeicola.
O pharraa euiieo de ukovar teve a idea de
inventar um explosivo, tambem quando andava
asando. Conseguim realizar o invento e dlri-
giu-se com eUe ao govt-rao austraco, que nao
uiz attendel-o.
O inventor fb entilo a Berlim e realizou a
VSBda.
Seria corito qu^ os generaes austracos, me-
nor orientad.* pela deciso dos seus alliados
aflemes, aceitasswn agora o que priraeiro recu-
saram.
Um pormenor:
E' crivel que a nova plvora possua qualidades
mito apreciaveis, que ainda assim diraciltnente
supplantai o as da plvora franceza; mas o que
frfacto que entre os seus inc nvenientes avulla
re ter nm cheiro excessivamente forte e dos
man insupporUveis.
REVISTA DIARIA
Irttanal d Jury do Uecife Punc-
MDOu houtera este trlbuual em sessio prepara
loria, son a presidencia.do Dr. Francisco Dorain-
Bes Rieiro V'wuoa, jwz de direito do 4. dis-
eto criminal.
RespoHderaua a chamada 24juizes de facto,
ando multados em 20 J os seguintes, que sem
causa jasWicada deixaram de coraparecer :
Decio Augusto Rodrigues da Silva.
Floriano Kodrigues do Passo.
Felipp" Benicio avalcaute de Albuquerque.
Francisca Pereira Yiaona.
Pnente Francisco Evaristo de Souza.
Baro de Souza Leo.
Dr. Jos Osurio de Cerqucira.
Jos Hurta.
Laadclino de Luna Freir.
Theodoro Cnnstianseu.
Sebastio Lopes Guimares.
Augusto Jos i un tal ves Lessa,
Adoipho Estjnisto da Costa.
Camilto-LetB da Silva.
Custodio Moreira Das.
Dr. Joo Bastos de Mello Gomes.
Dr. Jos Ricardo Carneiro da Cunha.
Loiz Epiplianio Maurica.
Manoel Antonio Goncalves.
Antonio Jos de Moraes Sarment.
Antonio Arco-Verde de Mello.
Adolpho Teixair.. Lopes,
tent Manoel de Castro Mello.
Dr. Ermirio Cesar Coutinho.
Jeronyrao Gomes da Fonseca.
Joaquun Ignacio de Siqueira.
Domingos Jos Ferreira.
Joaquira Collaco Das.
Aleo Rodrigues deMoura.
Antonio Gomes de Mullos.
Jos Jjaquim Pereira.
Jos Goncalves de Burros.
Jos Marques Ferreira.
Mis*1! Jos da Mottu.
Foram sorteados os seguintes supplentes :
Freguezia do Rea fe
faldino Emiliano de Jess.
Fregutzia de Santo Anltm*
Joo dos Santos Corte Moreira
Antonio Pedro Dionisio.
Joo Ferreira Hamos Sobrinbo.
Dr. Joo Clodoaldo Monteiro Lopes.
Alfredo Jos Ferreira.
Fregutzia de S. Jote
Joo Gomes Ferreira de Abreu Mello.
Jos Iguacio^Ribeiro Roma.
Freguezia da Boa- Vista
Dr. Jos Izidoro Marlins Jnior.
Jos Asevedo Souza.
Antonio Jis da Cun*ha.
Jtfroiiy.no Getulio da Silva Mendonca.
Dr. Joao Feliciano da Molla Albuquerque,
Dr. Antonio Pereira SnnSes.
Jos Ricardo Dias Fernandes.
Manoel Roberto Botulbo.
Di. Arinu de Barros F. de Lacerda.
Tisconde de Mecejana.
Freguezia da Graca
Jos de Oliveira Castro.
Freguezia de Afoad Pedro Osorio de Cerqneira.
Henrique da Fonseca Coutinho.
Joo Carneiro Rodrigues Campello.
Joo Cbrysolo.no de Oliveira.
Fregutzia do Poc
Antonio Joaquira Mondes Bastos.
Foi aliada a sesso para boje s 10 horas.
Circu* C'aliiulit-o do Roe i fe Reah-
eu-se anie honlem a assemhla geral extraor-
dmana desse circulo, sob a presidencia do Sr.
Arthur Gomes de Mallos.
O orador dompriraentou os Srs. Jos de Ges
Cavalcante. Dr. Manonel Lopes Ferreira Pinto e
Jos Antonio Pinto Jnior, que tomaram r-osse.
Fci pi-oclanialo socio efectivo o Sr. Augusto
Carlos Brillo.
Approvou-se as insignias bem como as ar-
mas.
Des:gnou-se o dia 29 do corrente para ter
lugar a 8' conferencia publica, sendo orador
o consocio Dr. Migu:l Tinoco; e para expedir
onviles ora ou-se urna cemraiS3o composta
dos consocios Diogo Cabral, Josi Pinto Jnior e
Estevo l.ellis.
Fcou asseotado man lar se celebrar ama mis-
sa pelo repouso eterno do consocio fuudador,
feilccido ulti mente, Bernaidino.Joaas de Mel-
lo e Albuquerque.
SubmiUiico de nolaa K no dia 30
do corrente inez quj se esgola o prazo para a
ubstituico das notas do Tnesouro, de W0>,
da 5* estampa.
Do i* de utubro em diante.comecar o des-
cont de ditas notas, que iro succes3ivaraente
perdendo de valor at nenbum mais teren.
Recife Brainace Na Recebedoria Pro-
vincial termina a 30 do correle mez o praeo de
paganu'n.o. sem multa, das annuidades e mais
servicos prestados pela oomnnnaia Recife Drai-
age, referentes ao 1." semestre do vigente
tercicio.
(ompaniiin de EdOcaeaoSo largo
do Corpo-Santo, escriptono dos Srs. Moura Bor-
ges A C, pagase aos accioniftaa da extracta
Companhia de Edilicafo, entre 9 horas da ma-
nda e 4 da la r Je. a quantia de 4^300 por aeco,
que foi quantj tocou no raleio.
Ctremio Recreativo do Recife Al-
guns mocos reuniram se no domingo 29 do cor-
rente e fundaram urna sociedade com titulo
de Gremio R 'creativo do Recife.
A respectiva directora ticou assim consti-
tuida :
Presidente -A. de Albuquerque Mello.
Vice dito Jovino C. Monteiro da Franca.
i. secretario Francisco X. Monteiro da
Franca.
i. dito -Alfredo G. do Cabo.
OradorManoel Galdino.
ThesoureiroManoel Monteiro da Franca.
DirectorJeronymo Monteiro da Franca.
Commisso de syndicancia Francisco X.
Monteiro da Franca, Manoel Monteiro da Franca
e Manoel Gal lino.
No protimo domingo 29 tera lugar a posse.
que se effectuar 4 horas da tarde, ra do
Apollo n. ?8, 2o ailar.
Cata de JosEscreveram-nos :
Nao obstante j. estar o Dr. chele de polica
inteirado de que, na ra da Roda, do lado dos
nmeros pares, ha ama casa de jogo mal fre-
quentada, rogo lhe chame sua attenclo para essa
espelunca, afim de ver se apparscem providen-
cias no sentioo de extinguir os escndalos que
alli se do diariamente.
Na tal casa coetumam reunir-se ejogar toda
especie de jogos prohibidos diversas criminoso
casa terrea x ra dos Guararane* n. 90. Deu a
isto lugar ter urna pessoa da dita casa approxi-
mado do registro de gaz una vela, procurando
verificar a causa da falta de luz
Comparecendo iinmediatameote ao loca!, como
aoe sempre fkser, em casos idnticos, a comf a-
nina de bombeiros, nao acbou mais o logo,
que j havia sido extracto.
Toboso e OroocoA Pacotilha. do Mar
nho, era seu numero de 23 de Agosto, d a se-
grale e interessante curiosidade sobre os dous
notaveis guitarristas hespanhoes, que esto fazen-
do actualmente as delicias do nosso publico se-
lecto :
Duas individualidades distinctas, mas dous
artistas verdadeiros.
Sob o panto de vista physico, nao pode haver
maior contraste do que o que apresentara Tobozo
e 0rosco.
Este, cora a sua pallidoz e formas delgadas,
pianos 4 moj. -Thereza e Marta Luiza Fer-
nandes Ribeiro.
Hemata Fl. Petite russiennj.Emilia S.
L- ALaeida.
Rubinstein Ant. Romance rasso cm mi b.
Emilia G. Ferreira.
WillainolTBerceuse.Arthur do Oliveirj.
5. Tscluikowwky -Dana russa.-r4laria C.
Lobo.
6." Canjes russas 4 raaos por Behr. -M. U.
C. Loso e aula Gotas*.
7. WBm. H. -p. tV, JRn Makoir.P. La ptsttte>dfane jntne Hile.
A dalia. Farros.
Glioka Separa'aR (NMMrno)'. AmUja
Ria.
CaocOea rmsas 4 otaos. -Amalia- e Maria
11 io.
Wilm-H.-Oi). 13, sMs*sr-li-Li
didBWto.
VVenwr AocOp. O,
Tnereza e Miria Luiza PT Ribeiro.
Rubinstein Oy. 81, Houskaja Trepak 2
pianos 4 m&os. -L. Lobato e Z. Silva.
14." Rubinstein Ant. Op 3, Meloda em f4.
Zalmira Silva.
lo." KarganoJ G. Op. 23, Mazurka.-Francisca
Philreiro.
16. TschaikowikiOp. 51, Romanea. Ludo vi-
na Lobato.
KarganofTG. Op. 8, Romance sem pala-
vras.Julia Pinheiro
Cui Cesar -Noctarnocm f stwl. roesor.
Alfredo S..hiappo.
Hymno russo fantasa lo por Gounod, a 2
pianos 4 mos. Alfredo Schiappe e Fran-
cisca Pinheiro.
Comecar s 7 1/i horas o deverA terminar s
9 i/2 da noite.
Club Internacional do RecifeAma-
iilia ha reunio familiar n'esse Club.
As corapanhias FeroCarril e laihooo- Street
2.
3*
4.
8.-
9."
W.'
11.
13.
do Corpo Santo n. 27. de um
olhar lmpido e sereno, obnga-oos a unagmac^ acdporcinain condueco em bond paran Magda-
a transportar se aos lempos primi ios*da huma lega e tro ni para Api pucos
nidade," segundu a leoda'chrst, epocha dos
patrirebas, dos propbetas, que leoebiara inspi-
raco do creador do universo directamente e as
transmilliam ao povo reverente ; recordamos as
bailadas de Uhland, as margeos do Rbeoo, a gra-
vidade dos Burgraaves; augura so-nos um idea
lista, ura espirito superior que nao podemos
comprehender nem advinliar. Os seus gestos
lentos, o seu passo cadenciado e leve, a sua voz
aveiludada, a sua pose extactica, ludo emfira d
a Orosco una feicao caracterstica que irapoe ura
grande respailo e muitu sympathia por aquello
bello typo.
Tobozo, pelo contrario, deixa logo ver que c
um individuo de constiluico forte, estomago v-
leme, denles saos, capaz de todas as coragens c
de todos os sacriticios.
Corro Ine as veas um sangue quenle. e por
effeito do completo equilibrio de suas funeces
physiologicas nao haver receio de que elle al
guuia vez desauime, sinla a unpressao de nao
poder vencer qualquer difficuldude.
E' ura hornera que jamis passar desperce-
bido, raesrao que nao se apresunle como o artis-
ta consumado que .
Ha no seu todo o quer que soja de notorio,
que o faz rixar na memoria de acantos o vejara
Quera delle se approxiraa, quera o ouve, sen'e
se irrosistivelraente attraoido pelos maneiraa4o
cavalheiro distincto e instruido e lamentar cora
sinceridade deixar de ser seu amigo.
Um episodio para mostrar o valor do seu
temperamento e do seu carcter.
Antes de mais nada torna-se indispensavel
urna explicaco ao leitor.
Os instrumentos em que dio concertos To
bozo e Orosco e que denominara guitarras sao
violos de onze cor das e nao de seis como os
nsuaes.
< Estes instrumentos sao exclusivos dos dis
tinelos artista.; que os mandaram preparar espe-
cialmente, sendo el les os nicos que os execu-
tara
Voltemos a narraco do episodio.
Tobozo, que j realisara varios coocertos era
guitarra de seis cordas, achava qu \ se l'.-a pos-
sivel augmentar o numero destai, tornar-se-hia
muitissimo mais agradavel o instrumento.
Mandpu fazer urna nessas condicOes e licou
encantado com os effeitos que consegnio.
Abandonou a guitarra de seis cordas e co
mecou a estudar na de onze.
Alguns raezes mais tarde, desojando dar um
concert e nao se considerando ainda completa-
menta seguro do novo instrumento,, voltou ao
primitivo.
AmSrga decepgo !
Tobozo perlera, com o estudo na guitarra
de onze cordas, a execuco que tinha na de s io.
Nao pode realisar o concert sob pena de
fazer fiasco completo, elle, que eslava acostu
na io a o./ter sempre enorme euccesso.
Qualquer outro na sua situagao (arta en
mil pedamos a guitarra de onae cordas e voltaria
a estudar cora affioco na de seis, sobre a qual
havia raais certeza de bom xito-
- Tobozo tomou urna resolugao heroica.
Metteu-seem casa, guardn inuito bera guar-
dada a guitarra de seis cordas, mandou chamar
um barheiro. e, a despert da sna reluctancia,
dos rogos de sua familia, Tobozo obrigou-o a
que lhe raspasse o bigode, a barba, o cabello e
as sobrancelhas I
Nste bello estado fechou-se em um quarto
cora a guitarra de onze cordas e poz-se a estu-
dar com ura desespero e urna constancia de
que elle so seria capaz.
Orosco, notando a ausencia do amigo, foi
procurul o
Introduzido no quarto onde se achara To-
bozo com a guitarra de onze cordas, Orosco
julgou se ludibrio de algura espirito maligno que
se coraprazia era apresentar-lhe | iinaglnaco
quadros pavorosos e extravagantes-
Via dianle de si urna forma exquisitacor-
no de hornera, cabeca incomprehensivelsen-
tada em una cadeira a dedilbar urna guitarra
monstruosa que produzia sons plangentes.
Tobozo, raeu amigo I
. Sou eu, respondeu a forma phantastica,
continuando sempre a tanger as numeras cor-
das do instrumento extraordinario.
Irapossivel! tu nao s Tobozo, o meo
amigo I
Sou Tobozo todo inteiro, sem os cabel:
los* bigode, barba e sobrancelhas, explicon To-
bozo, relatando ao amigo todas as peripecias da
siluaeo.
Oroseo nao quera a principio acreditar no
que refera lhe o amigo, mas, convencido da
veracidade do caso pela pro va palpitante da
guitarra de onze cordas e da ausencia do ca
bello, do bigode, da baria e dos sobrancelhas
de Tobozo, entrou em consideracOes a respeito.
Mas que loucura, Tobozo I segregares-te
da sociedade, por ara capricho de successo du-
ridoso o cumulo
Eu hei de tocar a guitarra de onze cordas
como a de seis, ou nao sahirei daqui /
E a pandega, os divertimeatos. os espec-
tculos ?
Qaero saber tocar guitarra de onze
cordas !
y las mu/eres, Tobozo f
La guitaira de onze cuerdas o la muerte T
Orosco convencido de que nao dissua.liria
o amigo, teve a coragem de vir fazer lhe cora-
panbia, mas sem raspar o bigode, a barba, nem
mesrao o cabello-
Dado o tempo necessario a que Toboso pu-
desse puxar as guias do seu novo bigode, ane-
diar a sua barba, pentear o seu cab-lio, eram
notaveis os resultados que obtivera do estudo a
que se dedicara.
Quando appareceu ao publico, fez um suc-
cesso inenarravel.
> Quantos o haviam applaudido nos cencertos
de guitarra de seis cordas flearam raaravilbados
pela sua execuco na de onze.
E dahi datou a sua reputarlo de guitarrista
sera rival. >
Reuni&o musicalHoje, noite, no pa-
lacete do Illm. Sr. Antonio Fernandes Ribeiro,
ao Entroncamenlo, realisara o Sr. F. de Paula
Gomes com os seus alumnos de piano a 20.*
reunio musical.
Todas as msicas que vo ser executadas,
como se v do progrmala, em seguida, sao
russas.
O Sr. Paula Gomes foi o iniciador nesla cap*
tal de concertos dados por seus alumnos, do que
lera colnido incoiitestaveis. resultados, pois que
da emulaco que elle? produzem entre os ditos
alumnos, o aproveitamento destos torna-se cada
dia mais accentuado Das ultimas licoes que ex-
hibera, perante suas familias convidadas.
O Concert russo de hoje, esperamol-o, ha de
agradar bastante.
Eis o programraa :
1.* Tschaikawsky-Op. 37, Troika Farht 2
Missas em saffragk Amanda, petas
Tl/t horas do dia e na igreja da Soleoade, man-
dam os lilhos e genros do tinado Francisco Ai-
tn i o PonUiaJ, celebrar missas em sufragio
alma o mesmo finado.
Congresso Instractivo Pchsbibu-
cano Funccionou a assembla {eral d'esse
Oragresso em sesso ordinaria.
Foram expedidos chulos de socios: honora-
rios aos Srs. professor Joo Landalho Dornel-
las Cmara. Dr. Jos Osorio de Cequeira, Dr
Clovis Bevilaqua e Dr. Fclippe de Fifueira Fa
ria. em recontieciraento de servidos prestados ao
Congresso; e beneraerito, ap Sr. O)lato Cara
jur.' sendo igualmeole recohecido sicio effecti-
vo o Sr. Eloy Caslriciaoo de Souza.
Forara lidos os relatorios da presidencia e the-
souraria da sociedade, e seguidamente dissertou
o-Sr. Johnstou Magalbes sobre a ine para que
fra sorteado, levantndose ao depis a ses
sao.
Mocledadc i,iiicrarl BoncalveM
B-laa Sob a presidencia do Sr. Araijo Filho,
funccionou liontem es^a sociedade eutiesEo or-
dinaria, na qual toraaram posse os socs ellecti
vos Claudio Ribeiro, Paulino Liraeira, k-roira J-
nior e Seraphim Costa.
Forara considerados socios benemerioosSrs
A. de Almeida e A. Campos, bem comoresolveu
se dirigir um voto de louvor impreisa d'esla
capital.
Em seguida teve logaro jury historio de Fer-
nandes Vieira, que fb absolvdo. agitaido a ac
cus,i gao os Srs. Abdias Salles e H. Pioentcl, e
encarregando se da defesa os Srs. A. Campos e
Souza Santos.
Por ultimo, oceupando-se dos trbanos so-
ciaes os Srs. A. de Almeida, A. Campse Souza
Santos levantaram um reclamo concenente ao
curapriment lii-1 dos deveres sooiaes econchii-
rara por animar aos socios a prosegurem nu
gloriosa tare-fu que enceturam.
Recreativa Magdalesesse Aiirecto-
ria d'essa sociedade resol ve u em sesso a terca-
feira ultima, offererer ao distincto cnico Dr.
Cosme de S Pereira, um sarau, de vendo ter este,
logar no dia 5 de Outubro. em que, de egrasw
da Europa, ebegar a esta cidade.
Conflicto e fe.imeutos No do 8 do
corrente, no lugar Assombrado, de Agio Pela,
houve um conflicto entre Genuino Vuira de
Mello, Jos Francisea e Antonio do Yillo, sa-
hiudo gravemente ferido o primeiro.
Os criminosos evadirs se, tendo sido, po'rra,
preso como cumplice um tal Pedro Roberto.
Ferlmcnto graveNo mesmo dia cima,
noute, em ierras do engenho Primordio, tara
bem de Agua-Preta, Pedro da Malta e Cetario de
tal fenrara gravemente a Pedro Lins.
Contra os deiinquentes, qne se evadirn,abri-
se o inquerito.
AssaawinatoNo lugar Alagoa dollmei
da, do Tnurapho, foi assassinado a tiros ie ba
caraarte Adelino Lopes de Siqueira, pnca do
corpo de polica, por Lucio, Joo e Juvena Atc-
Inu de Magaihes e Manoel I\ reir.
Adelino, que pertencia ao destacamcoto de
Villa-Bella para esta villa segua condizindo
3S04 do destacamento, dinheiro que foienlre-
gue ao promotor publico para ter o contenien-
te destino
Os criminosos se evadirn apenas seapos-
saram das armas da victima
CatunoAnte-bontem, s 8 horas di non
te, foi presa em flagrante delicio Eloy Al'es da
Silva, que furtava um corte de casimira d> esta-
beleciraento dos Srs Teixeira Elias & C.
Servlco militarEntra boje de superior
do da o sr. capito Pedro Velho e de roda de
visita um ollicial de cuvallaria.
O 2.a baulho dar as guardas da Jeten
(o, Alfandega, Brum e Tbesouraria de Fizenda
com o ollicial, e o 14.* as da enfermarae The-
souro Proviucial, o destacamento de cavilara a
de Palacio.
Passou a empregado na sala das oraos de
coraraando das armas o 2'cadete 2.* sirgeuto
Olympio Nones Lins da Silva.
Existem na enfermara, em trmenlo, 16
pracas.
Foram devolvidas ao 2. e 14. batallfies de
infaniaria as guias das praeos que se ichan
destacadas em Femando de Noronha < bem
assim ao 2* batalho a guia do partcula! Fran
cisco Marinbo Falco que te ochava em diligen-
cia no Rio Grande do Norte.
Foi inundado apresenlar ao commaadante
da fortaleza do Brum o 2.* snrgeuto Jcaquim
Basilio Pirrho, nomeado almoxarife d'aiuelU
fortaleza.
Illrertorta das obras de conserva
-lio dos Porto* de Peraamboco Reci
(i. 25 de Setembro de 1889.
mu!Iteres 25 ; estrange-roi 31
Boletim meteorolgico
i loras
6 m.
9
1S
*
li
22-2
26-6
28*-*
27'- 6
26*-8
sarometro a
0*
761'54
762-07
760-99
759-04
788-61
Tenso
do vapor
S3
87
73
63
66
71
Temperatura mxima29,00.
Dita mnima 22-.00.
Evaporaco em24horasaosol: 7"JS;alom-
ara : 3'9.
Chuvanulla
Direcco do vento : SE de meia noite s 2 horas
e 10 minutos da manh ; ESE at 4 horas e 35
minutos S al 10 horas e 40 minutos ; ENE cora
iuterrupcOes de E at 9 horas e 18 minutos da
tarde ; ESE at meia noi o.
Velocidade media do vento: 1-.78 por se
:urdo.
Nebulosidade media: 0,24.
Boletim do porto
zera di travessa
terreno.
Palo agente Gusmo, s 11 horas, ra do
Mrquez de 01 inda n. 5, de vinhos.
Aman ha:
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra Estreita
do Rosario n. 8, de urna casa e'parte do sobrado
la travessa do Pocinho.
Pelo agente Pinto, s 10 i/2 horas, ra Vis-
conde de Goyanna n. 173, de movis, espelhos,
quadoos e muitos outros objoctos.
Issas ruiteoresSeiuo- celebradas :
Hcje :
A's7 lj2 horas, na matriz da Sragn, pela ahna
de Antn Sabbas de Men lonea Ribiiiro.
Amant :
A*8 7'f/l horas, na matriz da Rja-fate, pela
alma dn-6ratuliano Jos'ctteia,
A's T m horas, na ifreja da Solcdade, srb
alma de Francisco A niato Ponmal.
Paasagoiros-ChiipihiB ctonort novaoor
brasileiro Para:
Emilio Petit, Dr. Jos Ignacio de Albuqoerque
e 1 criado, Arthur da Silva, Antonio P. deMatl03
e 1 criado, Antonio Machado Coelho, sua senhora,
4 filhos e 1 criado, Virgilio de Si Antunes, Evan-
gelina sboa, Dr. Alfredo Lisboa, t-r. Francisco
Noves, Ftrmino Neves, Xalonio B. dB FtgueiredO,
Charles Frazer, Joo Gailerto do Canuo. Fran-
cisco Jos Gome de Souza. Krancelino R. do
Moura. Fulf Haak, F. Pete ildete Francisco
M. Falco, Innocencio L. Nascnbanto. Jouquim
D. T. Lima, Joo Jos de Araujo, Jwts.lt. de Car-
valho, Jos A. Ribeiro, Eurique Roiz y Caz, Luiz
A. de Vaseoucellos, Felippe Linhares Militas, e
18 inmigrantes.
Saludos para o sul no mesrao vapor:
Dr. Antonio de Oliveira Cuidoso Guimares".
Nalhan Servio; sua senhora e I criada, Joaquun
de S. ArruJa Falco, lente EduardoE. Midozi.
alfares adolpho. Fernandes Monteiro, suasenfto-
rae 1 criada; Mara, Labouche, Ernesto Pinon,
A. Pereira da Silva, Jos B. da Costa, D. Evonge-
lina Vasconcellos Costa e 2 limos, Elia3S. do
Amaral, e 1 soldado de polica.
Sahidos para os por los do norte no vapor
nacional Jagmanbe
Miguel A. Pimenta, Jos Gomes Monteiro sna
senhora e A lilhos, comraendador Heraiino Fi
gueiredo, De. Levino Vie>ra e i criado, Luiz Ma-
noel de Franca, Pedro Augusto da Silva Proa,
Elias da Costa Fialho, Pedro B. Menezes, Alfredo*
de Souza Mello, 2 presos e 2 pravas de polica.
Casa de UeiencaoMovuueoio uos pi' -
ios da Cusa de Detenco do dio 23 de Setembro
de '889.
Existiam 449 ; cntraram 3; sahirara 11; exis-
tem -441.
A saber:
Nacionue.s 385 ;
- I'otai Hl.
Arracoados394
Bous 373.
Doentes 15.
Louco8 5.
Loucaa 1. -Total 394
Moviiuenlo a enfermara
Tiveram alta
Severino Francisco do Espirito Santo.
Jos liomlim dos Santos.
Uospitai Pedro II O moviraento deslc
^stabelecimento de caridade, no cta 24 de Setem
bro foi o seguinte :
Entraruiu 10
Sahirara 10
Fdleceram 1
Existem 572
Foram visitadas as respectivas enfermarla!-
lelos Drs.:
Moscoso s 8, Cysneiro s 10, Barros Sobriaho
s 7, Berardo sjli, Malaquias s 10 1|2, Pontual
s 8 3|4, Estevo Cavalcante s 8, Simos Barbo
sas 9 I imras.
O cirurgio dentista Nnraa Porapilio s 9 ho-
ras.
O pharmaceutico entrou s 8 114 da monh e
sabio s 4 do tarde.
O ajudunte do pharmaceutico entrn s 7 i|4
la manh e sanio as 4 horas da tarde.
Lotera do rasa-Para A 6> parte 0;.
29' lotera, dessa provincia, enjo premio grande,
8i*00,s*H), -era extrahida no dia 4 do Outu-
bro.
A 4 parte, da dd 25O:000<0O0, sor extra
hida no da do corrente.
brande I oferta do Haranno -A 7*
serie da P lotera, dessa provincia, cojo premio
grande 300:u00*)00 ser extrahida no dia 30
de Setembro.
Cemtferlo Pnblloo Obtuario do da 23
de oetembro de 1887.
Muria E. de Camino Saldanha, Pernambuco,
25 anuos,casada, Boa-Vista ; febre perniciosa.
Isabel Mara Libania Lopes, Pernambuco, 80
annes, solteira. A/ogados ; enterite chronica.
Felicia Mara da Conceico, Pernambuce, 28
annos, casada, Boa-Vista ; tubrculos pulmona
res.
Rufino Jos Barbosa, Pernambuco, 32 annos,
casado, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Januano, Pernambuco, 8 dias, S. Jos ; con-
vulsOes.
Gracinda, Pernambuco, 2 anno3,S. Jos; diar-
rha.
Claudio Oliveira de Souzi, Pernambuco, 30
annos,solteiro, Boa-Vista; coogesto pulmonar.
Josino, Pernambuco, 12 anuos, Groja; ttano
traumtico.
Euatorgio, Pernambuco, 7 dias, Boa-Vista ; t-
tano.
Jos Gabriel. Cear, 45 anuos, casado, Graca ;
gastrite chronica.
Mara da Conceico deS. JosPinho, Parahjba,
80 annos, viuva, B6i-Vlsta; diarrha.
se utilissimo para conservacito do mesmo
leite, executou urna serte de expsriencias
e animado pelo bom resultado, tirou pri-
vilegio pela sua descoberla.
**#
Um veneno que adoptara 03 malgascos,
acha-se concentrado na amendoa do fructo
da tanyhinia venenfera. As amendoas for-
necidas por esta planta forara estudodas
por Arnaud, que roconheeeu que ellas con-
ten 75 por eento de urna substancia gra-
xa, butirosa, mas totalmente innocente.
Alm do oleo que so extrahe da amendoa
mediante o snftireta' de carboneo, obtem-
se pelo alcool canrphorido urna substancia
crystallisada, a taghinia, dotada de gran-
de poder venenoso semeUtanto a s1 roplian-
tiDa e com especial influencia sobre as
funccSes do coracao. A tangninina nao
conten asoto, e por isso nao nem alco-
ioide nem glycoside.
SPORT
Prado Pcraanibiicano
Para a corrida do dia 29 devem hoje, adJjBieio
dia, apresentar os jockey*, ua Secretaria do Prado,
as respectivas .matriculas, alia de se habilitaren]
para a motilara na mesrna corrida.
UM POUCO DE TDO

M
M.
M
Dias
25 de Setem b.
2o de Setemb.
Horas
10-31 da manh
4 34 da tarde
10-53.
508 da manh
Alturi
0-23
2-62
0-.29
2-,67
LeudesEft*ectuar-se ho os seguiotee :
Hoje :
Pelo agente Gusmo, s 10 i|2 horas, ra
Marqeez de Olinda n. 48, da mercadorias di-
versas.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, no arma -
O Dr. Giacehi obserrou um phenomeno
que at hoje eacapou a todos os alienis-
tas, e que consiste n'uiua sorprehendente
metamorphoso que os loucos frequente-
mente apresentara uas ultimas horas da
sua vida. Estes infelizes antes de expi-
rarem, readquirem o uso das suas facnt-
dades mentaes, e morrem tranquillos o
plenamente conscios de si mesmos.
Existe, pois, um contraste, como fax
observar o mesmo doutor, entre aquelles
que morrem de doensas ordinarias e que
as mais das vezes morrem em delirio ou
em torpor da iatolligencia e os loucos nos
quaes, no ultimo momento, a intelligencia
readquire a primitiva lucidez.
O autor descreve minuciosamente alguns
dos casos por elle observados em grande
numero, e comprehende-se quanto este
singular phenomeno,' alm do interaese
scientitco deve apresentar urna grande im-
portancia para os juristas.
O editor Eduardo Perino de Roma, pu-
blicou em um opsculo que se vende em
todos os livreiros, o notavel discurso com
que o insigne Bonghi fechou o curso das
suas conferencias, feitas este anno no Cir-
culo Philologico de aples. Tal discurso
intitula-se O Seculo.
Vauvr Symphonique de, Franz Liszt et
l'esthetique moderne, o titulo d'uma inte-
ressante publicac4o de critica musical de
A. Boutarel.
O livro impresso por Hengel e Fisch-
bacher de Pars, est adornado com um
bollo retrato de Liszt.
*
La France prehistorique d'apres les tepul-
tures et les monumento o titulo d'uma obra
de Emilio Cartellar, director da revista
Materiaux pour l'histoire primitiw de l'hom
me. A obra foi recentemente publicada
la Bibliotheca Scientifica Internacional
e Flix Alean, de Pars.

Acaba de ser reconhedo por Maisonhau-
te que a passagem d'uma corrente elctri-
ca pelo leite retarda a fermentacao d'este
liquido. O autor pensando que tal pro-
pnedade da corrente elctrica pode tomar-
- Derbjr Club de Pernambuco
aegundo o projecto de inscripcao para a 2:.
^ornda, realisavel no dia ftde Outubro prximo,
Toi considerado um pareo de
PBOinAs da pu oviifciAi /tetro e 28 centme-
tros ie altura da linka de trra.
A medida desses animaes precede a inscrip-
cao, para a qual a condigo preliminar ; e por
isso hoje ter logar esse processo das 3 s 5 ho-
ras da tarde, no ensilhamento do Prado da Ei-
t unca.

A proposito do suicidio do jockey Charles
Woon, noticiado ha pouco tempo, acharaos o
seguinte em urna revista sportiva ingleza:
As consequencias do proceso Chetwynd-
Durham comecam a fazer-se 3entir.
Charles Wood e Henrv Macksey, cujos trpota-
oMoram deocobertos, acabara, por deciso do
Jockey-Club, de ser excluidos do campo de cor-
ridas do Newraarket o. de todos os hippodroraos
da laglaterra.
#
O conhecido sportsman franca Bario de Finot
vendeu para a America do Sul a gua Desse
*
Xo corrente anno, nos hippodromos fluminen-
ses, aestatistica do moviraeuto sportivo assignala
o seguinte numero de victorias eo total dos pre
mos oblidos pelos jockey* :
G. LutT !' 46:800*000
F. Luiz M 42.oO'000
L Alcoba 1:1 4:800iOt.tO
J. liu.-tos 17 13:6503000
Arnold ii 18:730*000
Cousins f2 9:45 OOO
A. Toon 11 9:300*000
Beorge II 9:1004068
Marcelino '. 8:30o0
J. Figueiredo 12 7:000*000
J. Goncalves II 3:250*0o
G. Bailes li 4:600*000
J. Baptista 0 3:600*000
Beales 3 3:500*000
Firmino > 3:100*000
Arthur S" 2:800* *00
Jackson 1 2:200*000
Crokette 2 1:900*000
A. Teixeira :t 1:700*000
Balbioo 3 1:600*000
A. da Fonseca i 1:3OMO00
E. Esteves i 1:200*000
F. Rodrigues 1 1:100*000
Manoel da Silva . 4 900i000
Luis Gomes 2 800*000
Strugnell 1 B0B#OeO
Daniel i 750*1 '00
Horacio Silva i 700*000
J. Nogueira l 600*000
Tilomas 1 600*0 t
Seraphim de Souza 1 Alberto de Souza 1 500*000 500*000
Vai ser feita por estes oas, pelo veterinario
francez. recentemente chesado a esta corte, a
applicaco do fogo no tendo inflammado do ca-
vallo Medon, no qual deposita ainda gjanies es-
peranzas o seu distincto entraineur e proprie-
tario.
CHRONICA JODICIARIA
1HD1CACES OTIS
Hedieos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratca a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Crac) n. 23, Ia
andar. Telephone n. 380
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o sea
escriptorio a ra do BarSo da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de dervasio Pire n 27. Encarrega-
do tratamento da molesti is de olhos.
"FWephorre n. 4W.
O Dr. Simplicio Mavignier.Cnitja me-
dico cirurgica. Especialidades : molestia
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forto (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manh e
tarde. Telesbone n. 392
ir. Ribeiro- de Britto d consultas de
raeio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, 1. an-
da ser procurado para chamados na sua
residencia ra* do Hospicio n. 81. Te-
e n. 303. >-
Lout e\ro "Tliedico e partei-
quirn
ra do Cabug u. 14,
nula Commerefal da cidade do
Recife
ACTA DA SESSO DE 19 DE SETEMBBO
DE 1889
nESIDBNCIA DO ILLM. SR. COMHBNDADOB ANTO.tlO
GOMES DB MIRANDA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guimares
A's 10 horas da manh declarou-se aborta a
sesso, estando presentes os Srs. deputados tilin-
to Bastos, commendador Lopes Machado, Bel-
Iro Jnior e Herminio do Figueiruo.
Lida, foi approvada a acta da precedente sesso
a fez-se a Untura do seguinte :
exped entb
Officios :
De 17 do corrente, da junta dos corretores
desta praca, remetiendo o boletim das cota-
ces onctaes de......Para o archivo.
Ofkio do interprete Jos Faustino Porto, re-
metiendo traduzidos os documentos referentes ao
oflkio da presidencia da provincia de 16 de Agos-
to.Offlcie-se presidencia.
Dtartos Offiotaes de as. 235 a 247.Sejam ar-
chivados.
Distrihuiram-se rubrica 03 seguintes livro :
Transferencia de aceces "da Compmlifa do Be-
beribe. Copiador de Silva Guimares 4 C.-dito de
Augusto Octaviano de Souza.
DESPACIOS
Peticoes :
De Anastacio da Silva Lorega, pedindo que se
transNram os registros do emblema de sua fa-
brica Tigre, das marcas denominadas Pedro Af
fonso l.Princeza Imperial 2, Bohemios 3, Pldrde
Hespanha 4 e Daniel 5, efectuadas sob a firma
Viuva Lorega A C.Satisfaca o parecer ffscal.
De Bernariino Lopes Alheiro para se lhe re-
gistrar urna procuraco bastante que lhe outor-
gara D. Mara Eugenia Crrela, para gerir o seu
estabelecimento commercial n'esta praca, sob a
firma de Viuva Bernardo Jos Correia & C.Re-
gistre-se.
' De Firmino Gomes Leal e Jos Martinbo Pinto,
apresentande a registro o contracto que ho ce-
lebrado com o capital de 3:547*500, para o com
mercio de explorar a padaria sita ra Imperial
n. 208.Arcbive-8e na forma-da le.
De Jansen A Ebla, tambem apresentande a re-
gistro o distracto social, que celebraram pela-re-
tirada do socio Henrique das Mercs Jansen, ue
foi pago e satisfeito de sea capital e lucros, pas-
sando ao socio Victoriano de Arajo Ebla, todo
o activo e passivo do estabelecimento de phar-
raacia sito ra do Visconde de Inhauma n. 34.
Seja archivado.
De Mello A C, da cidade de Penedo, provincia
das Alagdas. submettendo a registro o contracto
de sociedade commanditaria que celebraram sob
a firma cima dita composta de Jos Weira de
Mello e I. W. Mundt, paraolim de estabelecerem
em dita cidade urna machina a vapor para o cor-
turne de couros e mais pelles com o capital de
20.000*O'K)1fornecidos por ambos os socios.
Satisfacam o parecer fiscal.
De Lopes A Silva, igualmente submettendo a
registro o contracto em nome collectivo que cele-
braram Justino Lopes de Azevedo e Seranra da
Silva Araujo, com o capital de 1.352*680, sendo
o fim social, o commercio de compra e venda
grosso e retalho de gneros de estiva e o do-
micilio ra do Visconde de Inhauma n. 31 A.
Archive-se.
A's 11 horas como nada mais hoavesse a des-
pachar foi encerrada a sesso.
PUBLICARES 4 PEDIDO
tuem se deve llmptr
Na Provincia de hoje appareceu de novo o furi-
bundo Sr. Jos Mara cora um artigo dirigido aos
komem de bem, e, na forma do cosime, d por
paos e por peers, invectiva a tudo e a todos, e,
ao termmar, iatpde ao Nsrte o dever de impar-
se da resposabilidade que me cabe no assassi-
nato do infeliz Ricardo Guimares.
Isto o que se chama andar o carro odiante
do* bois. O Noiie nunca foi, nem poderia ser,
lgicamente^ suspeitado de ter concorrido para
o horroroso crime da ra do Crespo.
Desde que foi conhecido o attentado Chrispim.
contra o qual se levantou a briosa populaga
d'esla ci 1e, que a redaego do orgo republi-
cano se n.anifestou, de accordo com os senti-
mentos populares, contra as autoridades qoa
haviam consentido n'essa violencia sem nome a
nica nos factos de nossa historia poltica.
Ricardo Guimares, o inofensivo agitador, es-
lava as mesmas ideas, navegava as mesmas
aguas; convocava reunies populares para re-
clamar as mesmas providencias pedidas pelo
Norte a reparaco da injustica que soffrera
Chrispim. Ricardo Guimares era republicana
e portanto tmha anda esse laco que o prenda
redaecao do Norte.
Ha vendo tal identidade de ideas e de vistas, s-
por urna aberraco, que ja confina com a loucura,
se poder dizer que o assassinato de Ricardo Gui-
mares poderia de qualquer modo aproveitar aa
Norte.
Por outro lado:
As reunios populares, a cuja frer-te se achava
Ricardo Guimares estavam incommodanda
aos dominadores da trra. A polica procurav
evital as e a Protmeia as ceasurava em termos
os raais frisantes ; o assassino de Ricardo Gui-
mares, sem ter ligaces cora os republicanos,
faz parte do povtnho do Poco da Panelia e i eatr
pregado na Cmara Municipal, onde so ten ao
cesso a femte do peito de certa parte do liberalis-
mo c da trra ; praticado o crime barafuslou
se pelas oflkinas da Provincia e desapparecea
como que por encanto; sendo perseguido por
pessoas do povo, dous soldados tomarara a por-
ta daquelle jornal e nao conseAtiran que nin-
guem entrasse...
Nao precisamos dizer mais. Medite o publica
sobre tudo isto ; examine todas as circumstan-
cias que precederam e succederam ao assassina-
to de Ricardo Guimares e nos responda per-
gunta qne adoptamos por epigraphe :
Quem se deve limparT
Ajustica.
2*-2-8f
Caso-Chri.aplm
Tentara desvirtuar o generoso movimento da
povo pernambucano, em prol de Antonio Chri-
Sim, allegando j que o violentado exercia o of-
cio de jockey, ja que o movimento era orianda
a--..
ro, consatlorlo
l.8 andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr: Gorqweira Leite, tem o seu escripto-
rio na ra Nova u. 32, do raeio dia s 2
horas e desta hora em diante ra BarEo
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianca senhoras e parto.
Telephone n. 326. da casa de residencia.
Dr. Alvares Guimares, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
cao, pulmoes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s ffeccSes das enancas.
Reside pra?a do Conde d'Eu, n. 28, e
tera consultorio na ra do Bom-Jesua
(antiga da Cruz), n. '45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.* andar da casa
ra do Bariio da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Seto de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Oceullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
pos hospitaes e clinica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do R^aario o. 20.
Advogados
O bachard Bonifacio de Aragao Fario
Rocha contina a advogar. Lscriptorio
ra do Imperador n. 46., 1." andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandetra,'
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, l.- andar.
Silveira, advogado. Escriptorio raa
do Imperador n. 69.
.7. A. de Magalhaes Bastos. Duque do
Caxias n. 66, 1." andar..
O Dr- H. Milet contina com sou es-
criptorio de advocacia, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1 .
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra o Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de eserever
A melhor a tonta Victoria, vende-se a
500 re. meia garrafa e a 800 re. urna gar-
rafa inteira na Livraria Comteraporanea
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
2, loja de ferragens de Albino da Sirva
& C, roa da cadeia n. 42; loja de ferra-
gens de Brandao & C, ra Duque de Ca-
xias n. 46.
.

t


mm


,. **m *m**

Diario de PernambucoSexla-eica 27 de Setembro de 1889
i

I
:-

. -
soroenfe de bometis arruaceiros, sabidos da ul-
tima carnada social.
K*apaixouada a aprecia jo 1
Q facto de Antonio Chrisoim ser jockey, pro
IsbSo que nao iodigoa, sao prejudiea, nem
avilta o pronunciainenlo syiDpathico.
Antonio Chrispira, antes de tudo era um ho-
saem do povo, era um cidadao, e, si as vcias
d'elle gyrasse sangue aribtocratico, nao seria
victima da oppresso.
>'o momento elle representava a con obstan
iacao dos diretos do cidaJao, violados em sua
pessoa
A qualidade de jockey nao pode, nen deve
affectar o acontecimento, si bem que o assenla-
nenio de ornea voluntaria nao passasse de ver-
tadeira corri ia da violencia sobre a liberdude
do cidadio !
Nao foram os arruaceiros que proraoreram o
movimento. Era geral a iodignacao sascitada
relo attentado e as raanifesLacoes de reprovaco
rotavam espontaneas da alma popular.
Pretender, que a violencia fosse recebidae re-
gistrada com agrado, importava desconhecer o
carcter altivo do povo e amesquiohar-Ihe os no-
fcres sentimentos!
O povo te ve bastante sensatez para, desde
principio distinguir logo no Caso-Chrtspim duas
questes : a quesio do facto e a questao do di
reito. Xa questao do faci, particular e toda de
familia o povo nao se envolveu ; na questao do
direito, que apresentava se sob a forma publica,
. O povo devia interferir por isso que Iratava-se de
1 na violencia publica, feita cora ostentacao e
scandalo.
O povo, portanto. procedeu noblemente.
Disse o Dr. Jos Mara que eu, ao cgnvidal-o
para acceitar a incumbencia popular, ja eslava
tio certo quanto S. S. de que haviara promettido
ao Dr. Gabriel de Araujo a baixa de Antonio
Shrispira.
E' verdade e nao o conlestei no histrico, que
s.
Entretanto, entre estar certo da promessa e
confiar na realizacSo d'ella, a differenca no-
ta vel.
Podia o Dr. Gabriel de Araujo ter confianga,
as eu nao tela, como nao ti una.
Demais, si a violencia fra publica, publica
lambem deveria ser a reparacio.
Levantada a questao pelo pronunciamento do
povo, nao parecame decente que fosse ella re-
volvido particularmente. Antes de tudo, visa va-
ae firmar o precedente para que o cidado uho
eoatinuasse, j exposto a violencia da* autori-
dades, j na dependencia de padrinbos-para rei-
vindicar seus diretos.
Eu assim pensava ; e tanto que, j depois da
ciencia da promessa e antes de envolver rae p-
nicamente a questao, ao Dr Gabriel de Araujo
comiirani 'ira o desejo de requerer ao Tribunal
da Relaco hubeas corpas em favor de Antonio
bnspira.
Eu estava tao certo da baixa de Chrispim. quan-
to o Dr. Jos Mana Pois bem ; porque ento o
Dr. Jos Maria nio procurou desmanen >r-me a fi
fura, quando convidei-o, diante do povo para
acceitar a incumbencia? Porque nao garanti ao
povo, que a baixa sena concedida e nao apon-
tou-rae como explorador?
S. S. teriaraaquclla occasiio prestado um du-
plo e relevante servico. desmacan ndo rae e
tranquillisando o povo com a declarado de que
a baixa j estava promettida.
Entretanto nao o fez.
Muito embora minha ntervenc&o na questao de
Antonio Chrispim fosse, por assim diser, impos-
ta pelo povo, na occasiao em que eu impedia
me a autoridade effectuasse a priso de um ho
mera do povo simplesmcote pelo grande crime
de tentativa de querer fallar em publico ; muito
mbora os esforcos, que Gx para recusar a in
Bombeara, alie honrosa, declinando-a para o
Dr Jos Maria muito embora mcus protestos
Sublicos de qu eu poderia parecer um advoga-
o suspeito, acceitando a causa para exploral-a
em proveto dos interesses opposicfonislas do
meu partido, tenho sido mal apreciado por es
piritos pouco jusliceiros que apontam rae como
explorador poltico, assim tentando desvirtuar a
attitude que circumsuncias, todas occasionaes,
forcaram-me a tomar em face daqueila questao
frente do povo.
Entretanto, eu fui explorador que procedeu
por este modo.
Ao voltar de conferenciar com S. Exc. o pre
idete da provincia, na tarde de r7 do corrate
fallando ao povo em frente de palacio, em cuja.'*
Tarandas achava-se S. Exc, depois de assegu-
rar que o presidente ira rever o caso e protes-
tara corresponder a confianca popular por urna
aedida de jusliga, ped ao povo que dissolvesse
pacificamente a reunido e que eonliasse na de-
ibio.
Ao dispersar a multido que acorapanbou-me-
at a ra do Bardo da Victoria, pedi prudencia
e moderaefio, fazendo sentir ao povo qu* nato
conseotisse em manifi-stacei boatis aos portu
guezes que nenbuma p>Hw tmbat - violencia e flenbuma solidariedarte haviarn nia-
ifestadocom o proceder das autoridades.
Erara estrangeiros, que tinbam vindo para a
ossa patria explorar o trabalho honesto, onde
"fcaviam radicado seu interesses" e estavam es-
treiamente ligados por affectos de familia, n o
povo que defenda os direito* de ura cidadao,
violados na sua liberdade, deveria, dar o exem-
plo de acatamento a essis dreilos, respeitando
a lnviolablidade dos estrangeiios, protegida pe
los sagra los deveres de hospitalidad-.
Fui explorador, que asim fallou ao povo e teve
a satisfago de ver a mullidao dispersar se dan-
do vivas colonia portuguesa.
> i larde de 18 do crrente, para a qual liavia
ido convocada urna reunido popular, procurado
por diversas pessoas, que instavam coraafeo
para presidil a. reconhecenJo que nao haviaw
zao para fazer m'eting, por isso que j o prusi-
dente da provincia havia solvido a quesldo,
mandando dar baixa ,em Antonio Chrispim, fui
at o largo de S. Francisco, onde achava-se reu-
nido o povo e das varandas do Gabinete Portu-
gus, depois de ter garantido que eu linha visto
copia do oliio dirigido pelo presidente da pro-
vincia ao commandante das armas, resolvendn a
questao. pedi ao povo que se dispersasse pacifi-
camente, o que consegu com facilidade.
Na tarde sinistra de 18 do correte, quando o
cadver do infeliz Ricardo Guimaraes, victimada
arma cobarde e tracoeira do sicario, eslava anda
estendido na calcada da ra do Imperador, pro-
vocando a compaixo em favor da victima e o
horror centra o assassino, n'aquella hora amar
gurada em que os impetos da indignico popular
eriam attenuados, quando projectava-se levar o
cadver para o palacio presidencial e invidir a
typographia d'A Provincia, onde affirmava se ter
entrado o assassino, eu aconselhava ao povo. ape-
nas, para agglomerar se em trente e por detraz
d'aquelle estabelecimenlo, afira de manter o ca
mor publico, eraquanto fosse a palacio pedir ao
presidente da provincia a pruo do assassino. E
o pavo que, n'aquella occasiao podera tudo fa-
zer, nada fez, limitando-se, apenas, a manier o
clamor publico at que cbgasse a forja I
Se eu fosse explorador, nSo orientara o povo,
pelo modo porque fiz.
Teria publicado muito boletim incendiario, e
excitado francamente as paixes popuLres.
Nao era a circumstancia de ter sido noite
conduzido anonyrnamente pela polica o cad
do infeliz Ricardo Guimaraes, ao deposito,
impedir me hia de fazer com. qe o povo a
panhasse o corpo, assistisse no dia feguinteao
enterramento, fo>se ao Cemitc-rio Publico, em pie
dosa romaria, depositar capellas mortuarias efi-
zesse IhefulTragios pblicos; teria meios,logo que
obtive a baixa e as precisas communicagoes, de
fazer partir expresso um vapor, ndo com destino
ao presidio de Fernandod e Noronha, mas a pretexto
de qualquer viagem, e fazer trazer a seu bor-
doaex-praca voluntaria, muito a cootra-gof to das
autoridades competentes; emlira nao teria proce-
dido como proced
Por isso julguem-me os bomens sensatos.
Recife, 26 de Setembro de 1889.
Gaspar de Drummond.
Infeliz creatura !
Por essa linguagem nojenta, que mais urna
prova de sua crlrainalidaie, pode-se bem ava-
llar o que ter concebido o cerebro do ?r. Lou
renco de S, nos seus concilibulos tenebrosos,
explorando ambices e od03, com a forca pu
blica a sua disposicao, ana vesperas do pleito,
diante do receto de que escapasse-lhe a furto
planeado I .
Um diploma nao da nem tira votos; entretanto
so poique nao teve diploma, nos o temos visto
em anonymos na imprens? d'esta capital, face
face com a opiniao publica, a jogar pedras !
O Sr. Lourengo' de S tinha o direto de em
pregar as violencias, as p>:s de ferro, as fraudes.
as faleifiracoes, para ser diputado I Os amigos
do consellieiroRosae Silva no podiam dar-Tbc
um diploma, nao para qae elle seja deputado,
mas para que lenha o dir:to de ir Cmara de-
nunciar em pleno parlamento as miserias, os
crime.- praticados na eleico do 10. districto I
As violencias, as peas de ferro, as fraudes, as
falsiflcaces irapediram e constrangeram a ma-
nifestado de grande numero de eleitores, e fi-
zeram com que votos dados ao Conselheiro Rosa
e Silva figurera as actas como obtidos pelo Sr.
Lourenco de S t O diploma um protesto hon
roso e p .cinco, nao fea desapparecer nem um s
voto, pois, todas as actas vo para a Cmara, que
as ba de apurar; apenas da ao portador o direi-
to de discutir no recinto da Cmara, em sesso
ordinaria I
L Ora, tanto desespero, s por causa d'esse di-
roito, f porque o Conselheiro Rosa e Silva pode,
se quizer, ir Cmara discutir a eleicda, bem
significativo 1 Qoem nao leve r.ao teme.
O Sr. Lourengo mandou commetter crimes,
fraudes e falsiticacOes de actas, os amigos do
Conselheiro Rosa e Silva podiam tambera, em
represalia, alterar as outias actas os resulta
dos, e, alias, elles dispunham das mesas, pa a
impedir que se coosummasse o roubo da elei
c&o ; mas nao ha urna s ceta falsificada pelos
conservadores, e o diplomi., repetimos, nao ti
rou un voto ao Sr. Lourenco de S, pois
todas as actas, toes quaes, hito de ser presentes
a Cmara dos deputados.
Portanto, de um lado planeou se e realisou se
o crime, a falsiflcacSo. De outro tao somente
empregou se um'recurso inoffensivo, cora o fim
honesto, confessavel, de faz;r o tribunal compe-
tente coohecer das infamias corametlidas, mas
nao allerou-se urna virgula rtas actas.
Eis porque foge se di.scussao seria, com o
lira ignobil de equiparar cousas distinctas. Eis
porque a"corre-se ao anonymo vil, ao insulto
baixo, para se fazer crer lina tambera dj> lado
conservador se empregou a fraude.
Nao, Sr. Lourenco de S. A dignidade dos
que expediram o diploma n.o ficou nem de leve
compromettido, porque elles nao comraetterara
fraude alguma ; e o Conselheiro Rosa e Silva, se
for Cmara, nao ser para pleitear a cadeira
de deputado, mas nicamente para denunciar
ao parlamento e ao paiz que Lourenco de S
nao entra pela porta larga que d ingresso aos
represeataotes da naco, mas sim pelo corredor
esireito e sombrio aa fraude, arrastando ocas
de fero, e com a gaza do gatuno poltico!
Continu a e.-bravejar, impvido falsificador,
mesmo calnmniando pessoa extranha lucia,
por lodos os ttulos respeitavel e que j o bene-
liciou. Faca-se bem conhucer em todas as suas
asquerosas manifestajes, porem pode ter a cer-
teza de que nao intimidara nem as suas bravatas
nem os seus nojentos icauUos.
O hornera de bera est sjpeiior calumnia
e aos calumniadores.
A voz da virdade.
mingos Manoel Martina, thesorjreiro da
commissao para fretamento do vapor, afina
de retiraron suas qutas, caso nao accei-
tem o louvavel alvitre do men amigo e
collega Dr. Gaspar.
Era tambem esse o meu alvitre, o
manifestei intimamente, quando, na segun-
da-feira ultima, um amigo me revelou o
penaamento do goveroo, sobre o regreaso
do cidadSo Chrispim.
Mas nao me era licito tornar publica,
ex-outoritate propria, urna lembrancu, que
desvirta a inteucSo dos subscriptores,
sera que os houvesse consultado, esperan-
do consentimento tcito ou expresso.
Elles, pois, que acolbam ou nao a feliz
lembranca de amparar infelizes orphSos.
A mira, somonte, cabes o dever do
agradecimento, e o direito a urna consul-
ta, dando por terminada a missao, que to-
mei em favor de um hornera, que, nas-
cendo em paiz culto e livre, e sob gover-
no constitucional, sentio da noute para o
da a ausencia de garantas civis, como se
vivesse em paiz brbaro, e sob governo
desptico.
26 de Setembro de 1889.
Clodoaldo Lopot.
AO ILLM. SR. DR.
ALFREDO LISBOA j
Pelo seu feliz regresso
I FELICITA
Maximino da Silva Gusmao.
A Mr. Loureucinho
Deputado gatuno, trampulia,
Que de fraude e gazuas uso fez,
Que em fraudes, gatuniges e trapacas
J tara sido aparraado muita vez,
Si cuuzef encontrar algum diploma,
V Q(fcal-o em pescco de francez.

r
t
O companhetro do Fer.
----
ooo< occoocoox:cc>cco<>;.-moo<
Ao multo popultir Dr. Jos
Marianao
Pede se encarecidamente para que, logo que
rraeluore de seus encommodos, se digne fazer
urna conferencia publica, para ex por por meio
da sua mgica palavra, a sua attitude e nter
vencao nos ltimos acouteciraentos bavidos, e
assim por mais urna vez era prova a afieicao
que o brioso povo pernambacano lhe dedica.
Um seu admirador.
P. S.Pede-se tambera, afira de que se co-
nlleva a frauca manifestagao do povo, nao cora-
pareca S. Exc. rodeado dos tradiccionaes Nico-
laus, Rozendos, Jaula Nerys e seu rancho, geral-
mente encarregados de o victoriarem.
Musa extravagante
Sob esta epigraphe e era um soneto emtrava-
um
gante publicado n'.l Prorinoio de boolem, um
meu desaffecto gratuito prelendeu deitar espiri-
to, abusando du minlia asignatura. .
mu iiifiumuim
naj col MBxFrjvittcia. polfl qnc tenho mi
irtif. illpWirao as do Diario, razo esta para que
ao ler-sc tal soneto fique-se saben Jo que elle
nao de minha lavra.
Nunca Uve por eos ume envolverme em intri-
gas e crear desaffeclos, por isso desconheep esse
que pretende molestar me.
Aproveito o ensejo para declarar que no'sou
o escriptor do Diario que usa do pseudooymo
thkm s; fago-o por que se me tem argida_
disso: como tarabem que anda nao me euvolvT -
na questao Chrispim nem per palavras, nem por
escriptos na imprensa.
E bom ticur isso limpo para tranquillidade
do meu espinto.
Ficueirva Sobrinko.
Proaramma da fe(a do Principe da
Milicia Celeate, o Arcbanjo Mi-
guel em ana capella de Atogn-
doa.
Na quarla feira 25 do corrente ter logar a
bandeira a qual sahir da casa da juiza a Exma.
Sra. D. Amalia Maranhao de Moura, acompanha-
da por duas alas de meninas vestidas de branco;
na vanguarda ir um batalhao de meninos e na
retaguarda a banda musical Club Afogadense.
Nos dias 26, 27 e 28 ter logar um triduo so
leinne s 6 1/2 horas da tarde.
No sabbado ao meio dia subir aos ares urna
salva de 21 tiros, precedida de alguraa sgirando
Iss de foguetes, anaunciando que a ves pera do
da em que a igreja commemora o nasciraento do
juiz das almas.
No dia 29 (domingo) pelas 4 1/2 horas da ma-
nila ter logar urna missa resada em teocao de
todos os devotos de S. Miguel.
A's 5 horas, depois da missa tocar alvorada
o incansavel Club Afogadense, rompeudc os ares
urna salva de 21 tiros, seguida de muitas girn-
dolas de foguetes, alertando ao povo catbolico
que ebegadp o dia do nclito Miguel.
A's 11 horas da manha entrar a festa, cons-
tando de missa solemne a grande-orcheslra can-
tada pof mocos amadores; oceupar a tribuna
sagrada o distracto pregador padre Pedro da Pu-
rficagao de Paes e Paiva.
A's 7 horas da tarde entrar o Te-Deum deno-
minado de D, cantado tambem pelas mesmas
mocas ; haver sermo antes do Te-Deum, lindo
elle descera a bandeira acorapanbada do mesmo
cortejo seguindo para ser depositada em casa da
futura juiza da bandeira a Exma. Sra. D. Herme-
lin-la Moreira Chacn.
O templo estar ricamente ornado, coja arma-
co confiada ao hbil artista Agostinho.
A ra de S. Miguel nao deixa a desejar; ser
bem embandeirada e Iluminada a giorno com
cerca de 900 baldes; e se os moradores d'ella
eofeitarem as fachadas de suas casas ser urna
vista deslumbrante.
Finda a festa queiraar-se ha um lindo e varia-
do fogo de artificio, feto a capricho pelo distin-
cto artista o Sr. Teixejra.
Para mais abrilhantur a festa, sahir do Recife
em toad expresso, tocando no trajelo suas me-
lodiosas pecas de seus vastos repertorios, as dis-
tinctas bandas marclaes ClukfcEuterpe e Juven-
tude, que graciosamente accedern] ao convite
f*a commissao s quaes a jbs>> a camiuwso n
tecipa seus sinceros agradijcimenlss ; tambem
tocar tarde e nos dias de triduo a nosaa amavel
fISWS ClUlf Amgadense.
A commissao agradece a todos que concorre-
ram para abrilhantarem a festa do nclito Miguel
e pede a todos os devotos que n'esse grande dia
resem urna Ave Maria era tenco d'aquelle que
restituio ao culto catholico aquella capellinlia
que a quatro annos achava-se em ruinas, Rvdm.
Aos $fs. agricultores e com-
missarios de assucare al-
godao. -
Os abajao-assignados, proprietarios de car-
ros de cbnduzir mercadorias, era vista da al-
ta taxa do iarpoeto que Ihes clastificou a Assem-
bla Proviuoial, teem revolvido que do 1" de Ou
tuhro em diante os saceos com assucar .aa algo-
do, transportados pelas estradas de ferro de S.
Franciscoe Caruar. fjquera sujeilos ao carreto
de 200 riapor volume.
DelMino Silva A C *
Albina Lima 4 C.
Pauliajo Antunes.
Jos Res Gomes'
Jos ftite..
Jos da Espirito Santo.
Valdehao Pimentel.
Francpco Brrelo de Gusra8o.
PedrojCorrtia.
Manoel Joaquim da Silva Guimaraes.
Manoel de Freitas.
Jos da Silva Marroquim.
Antonio Caetano Accioii.
Geroncio da Silva Salles.
Jos Tbomaz de Aquioo Pereira.
Thealro Sania Isabel
O Sr. Lourenco de S
Certo de ser esmagado na lucta joraalistica,
onde nao podia erapregar as bayonetas, aa frau-
des e as lalsificaces, como fez na eleicai, oSr.
Lourenjo de S, que em tudo ha de ser rapre
o mesmo bomem, batxo e vil, recorreu ac expe
diente degradante do intuito anoBymo para fu-
gir discussao t
Quem nao sabe que esae o recurso da qae,
em desespero de causa, lancam aaao os crimi-
dir a justica publica I
Subscrip^ao Ghrispim
Na leitura, que fiz no Diario de Per-
nambuco de hoje, ti ve conhecimento da
conferencia, que, honten, o meu amigo e
collega, Dr. Gaspar de Drummond, realisa-
ra com o Exm. Sr. presidente da provin
cia, e na qual se resol veo o regresso do
cidadao Antonio Chrispim d'Oliveira pelo
vapor Sao FrancUc, que segu, em via-
gem extraordinaria, para Fernando de No-
ronha, no dia 2$ do corrente.
Acceito, e nem opporia resistencia, quan
do me fosse permittido, a resoluclo toma-
da, porquanto, estou certo, que os inte-
ressados pelo regresso de Chrispim nao
fuzem questao em effectuar-se elle no va-
por frotado, porm demorado na espera
de legal consentimento para a viagera;
ou no vapor, que o governo, extraordina-
riamente, manda era commissao a Her-
nando.
Era qnalquer caso verifica se o cumpr
ment do acto do governo, reparando urna
injustica, que desafiou uentiuientos de in
dignado na populacao d'esta cidade, cor-
rendo em auxilio nao do Jockey, mas do
idadSo, que pela humildad? do honesto
meio de vida, nao deixa de gozar garantas
e favores legaes, anda mesmo que fosse
um criminoso.
E, por isso, intervii am favor de Chris-
pim, depois das vioIegfHb praticadas, re-
correndo a meios pacficos e rogando a
amigos e pessoas affeicoadas, que aubscre-
vessem alguma quantia para o regresso
d'tquelle cidadao, que se havia obtido a
restituicao de sua liberdiide, pela cessacao
de um acto violento, estava, entretanto,
sujeito aos ejfeitos de lcis militares at
que fosse vafor da c.rreira ordinaria a
Femando, e trouxesse o paisano !
D'ahi acolher eu a iia do fretamento
do vapor, e da abertura de urna subscri-
pcSo para esse fim, na qual deixo do tra-
balhar pelo resultado da confereneia, a
que al lud.
Entretanto cumpre-me, nao s agrade-
cer s pessoas, que, por obsequio a mim
e por sympathias aos diretos do violenta-
do, nio recusaram concorrer com suas
nosos, quando denunciados, com o fia ele iu- qutas ; mas anda rogar-lhes, que se en-
tendam com o honrado oommerciante Do-
igario Francisco Raymundo da Cunha Pedrosa,
cntao vigario d'esta freguezia.
Afegados, 21 de Setembro de 1880.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoraa e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratrz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
Em virtude do que dispSe o art. 66 do
regulamento que baixou com o decreto n.
9554 de 3 de Fevereiro de 1886, a Ins
pectoria Geral de Hygiene faz publico,
pelo prazo de oite dias, que o cidadSo
Angelo Vieira Sampaio, lhe dirigi a se-
grate peticao com documentos que satis-
fazem as exigencias do art. 65 do citado
regulamento.
c Angelo Vieira Sampajo, cidadao bra-
sileiro, casado e residente na villa de BOa-
Vista da provincia de Pernambuco, deso-
jando continuar a ter pharmacia nesta
mesma villa, attento ao estado insalubre
e o crescido numero de seus habitantes,
onde nao ha outra dirigida por pratico ou
pbarraaceutico formado, e julgando o sup-
plicante ter satisfeito a exigencia do art.
65 do decreto n. 9554 de 3 de Fevereiro
de 1886, com os seis documentos juntos,
pede a V. Exc. para que se digne conce-
der-lhe a precisa licenca. Nestes termos
espera benigno despacho. E. R. M.
Villa da BSa-Vista, 14 de Fevereiro de
1889.Angelo Vieira Sampaio. Sobre
urna estampilha de duzentos ris.
E declara que, si nesse prazo nenhum
pharmaceutico formado lhe communicar
ou a Inspectora de Hygiene da provincia
de Pernambuco, a resolucSo de estabele-
cer pharmacia na citada localidade, conce-
der ao pratico a licenca requerida.
Inspectora Geral de Hygiene, 1
Maio de 1889. Dr. Pedro Affonto
Carvalho, secretario.
de
de

Auxilios lavoura
Pereira Carneiro k C. continuara, aotorisadoa
pelo Raneo do Brasil, i conceder emprestamos^
lavoura das provincias de Alagoas, Parahyba
e Rio Grande do Norte, mediante as condiebea
de que os ioteressados ser&o informados do es-
criptorio roa do Commercij n. 6, das 11 horas
da manha s t oa te
1.KNEJ1CI DA VIUVA MUlI.VBU AMELTA
Em vista pe a^ptr^e- doente a peasa
encarregada d'este beneficio, ficar tcana-
ferido para sabbado 5 de Outubro prxi-
mo, sendo anunciado com antecedencia.
A beneficiada pede as pessoas que se
dignaram acceitar bilhetes de aguardarem
esse dia, ceofessando-se mais urna Vez
agradecida.
Recife, 25 de-Sembro de 1889:'
A Beneficiaba.

N. *
A lielca t
S O NOME ESPANTA !. .
A tisica tE' como dizer: a morte por polle-
gadas, urna i urna; a dissoluco do corpo e da
vida, dia por dia, hora por hora, e afinal, por
minutos, por instantes; isto no tempo ; na ma-
teria ainda peior; a dissoluco por libras, por
oncas. por graos, por atoraos, por molcula, at
se sentir apegar como urna faisca t
Isto chaman os mdicos o Periodo Terciario,
isto o periodo sem esperanca, o periodo mor-
tal e fatal.
Pois bem, se mesmo j no segundo periodo
emprega se sem interrupeo a Emulso de Lan-
man & Kemp. nao ha perigo de que chegue o
terrivel terciario^ e comecando no primario
questao de poucos dias e de poucas garrafas o
curativo radical da molestia.
Isto um ficto provado, demonstrado e irrecu-
savel.
Si existe um remedio para a tisica ainda ro
seu estado mais pengoso, esteremedio a
Emulso de Oleo de Figado de Bacalho de Laa-
man A Kemp, a qual feita com o oleo mais
puro da Noruega e os hypophospbilos de cal,
soda e potessa segundo os principios mais aca-
bados da sciencia.
Aviso a nuestros lectores
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin, saben ya que
podran leer los ltimos nmeros de nues-
tro peridico recibidos sea en casa de los
O Directorio Central 4 Partido Re-
publicano declara ter sido inteiramente
albeio agilacao batida nesta eidadel
com relacao s violencia sofTi idas pelo
jockey Antonio Chriapim.
Ouro-sim, que considera simples-
mente como am derivativo a insistencia
cem que se falla, em certa imprensa,
em gritos hostis aos porluguezes.
Para prova de seus senlimenlos o
Directorio lembra a" publico que son-
ta em seu seio um porttigiie-z natuialt-
sa'do, o Dr. Antonio de Souza Pinto.
E, j queprovoearama questo,
lembra ao povo qae o tal grito da ori-
gem liberal, prajira, sfcudo ao sim
delle que foram assassinados em Junbo
de 1847, na ra da Praia, diversos
porluguezes.
Estava no poder o partido liberal e,
como agora com o assassinalo do por-
Itigticz naturalisado Ricardo Guima-
raes, ncnbjjma pena sofireram o au-
tores da carnificina.
fVbidou-se
Joaquina Adelia dos Santos Costa,
assistente examinada, participa que
mudou-se do pateo do Larmo para a
ra do Caldeireiro n. 80, prestase a
chamados a qualquer hora do 'ia ou da
noite pura exercicio de sua prolissao.-
O Feitoral .de
on
Cambar
Bellic
medio.
^ j^i^Tw&Arra?; ?r^.*?s-?d
el-gabincie oa, lectura instalado por
correspopaalaj en el abellon de la Rep-
blica de Guatemala, en donde el comisario
general de Guatemala ha puesto graciosa-
mente a la disposicin de dichos Sr. Am-
de Prioce y O., una sala con terrado.
Para evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
pondencia a la casa de las citados Srs.
Amde y C. deberSo hacerlo 36, ru La-
fayette, en donde estar especialmente or-
ganisado ese servicio.
Toase convulsa t coqueluche!
Nao deis crianca senao o Peitoral de
Cambar,
Dr. Coelho Leite
Medico
Declara para conhecimento de todos os
interessados que nao se entende comsigo
mas com o acadmico J. C. Coelho Leite,
proprietario do animal Piramon o que
est escripto. em varios j orna es de hoje.
19 de Setembro de 1889.
Tubereulose pulmonar
Cura garantida pelo ^Peitoral de Cam-
bar.
V viso aos bossos leltores
Os nossoa leitores que visilarem Par
durante a ExposicJlo j sabem que pde-
nlo J_er os ltimos nmeros reeem-chega-
dos do nosso jornal que em casa dos Srs.
Amde Prince A C, 36, ra Lafayette,
quer da sala de leitura -pelos nossos cor-
respondentes estabelecida na exposic&o
no Pavilhao da Repblica de Guatemala
cujo commissario geral dignou-se de por
graciosamente urna sala com varanda
disposicSo dos meemos senhores.
Para se evitar qualquer confusao, os
nossos amigos que quizerem receber a
sua correspondencia em casa dos Srs.
Amd tinco & '., devem mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do servico especialmente organisado
para isso.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Billl***. da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das crianca*, dos orgSos respirato-
rios- e das senhoraa.
Presta- se a qualquer chamado para
ora da oapital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
H ra do Bario da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
La Rosa Alemana
E' o nomo de urna qualidade de cerneja
branca que pela primeira vez veio a esta
provincia. A cerveja La Rosa Alemana
nao contm cidos ou productos chimicos.
A preparacao da cerveja,' La Rosa Ale-
mana, chegou ao mais alto'grao de per
feicao. 12' sublime, muitissimo agrada-
vel ao paladar, finalmente urna conbina-
93o de substancias poderosas para a boa
alimenta?ao. Aa mais afamadas cervejas
nao trazem o nome do fabricante. Entre-
tanto '0 proprietario da cerveja La Rosa
Alemana tendo conquistedo o segredo da
sua sal'dayel cekveja registrou a mar-
ca com a sua firma no rotulo.
E como teve a honra de requestar a
sympathia publica, e para que a cerveja
La Rosa Alemana continu a gozar do con-
rseito do respeitavel publico, amindadas
vezes manda examinar a sua cerveja pelas
celebridades chimicas.
Diversos attestados de chimicos e dou-
tores em medicina justificara que a cerveja
La Rosa Alemana muito saudavel e' um.
soberano alimento, cujoa documentos fi-
cara disposicSo do respeitavel publico.
Diz o Dr. Vernier: t Tenho por muitas
vezes examinado no laboratorio publico a
cerveja La Rosa Alemana e nao encontr
materia chimica e sim urna gigantesca pre
paracSo de substancias que representara
urna valiosa riqueza para alimentacao.
A cerveja La Rosa Alemana goza de gran-
de conceito na Europa, e um lliustre ca-
valheiro deata praca, a pouco chegado do
estrangeiro, animou o fabricante a expor-
tal-a convencido de ter grande acceitacao
aqui
Albino Azevedo & C, roa Mrquez de
Olinda n 2; Jos da Costa C;
ra da '.'ruz n". 13; Lopes & Araujo, ra
do Livramento n. 38; Vasconcellos So-
brinbo & C, ra da Aurora n. 81 ; Ra-
mos Ferr ira & C, ra Mrquez de Olin-
da n. 50.
a rfvd& bardara a&i resida, e apena,
o sopplicante pnesume, em razao de car
tas muito antsnaros ao fallecinaonto do
inventariado/que ella tenha, cosn seus
irrnaos, para alli se enoaminhado.
No haveado, pois, certeza oade refe-
rida herdeira resida hoja, com seus irmaos
menores, razoavel e consentane com
o direito que a citacSo se efBectue por
edito.
Por esse modo fica rectificada a decla-
ra cao feita nos autos a respeito da sup-
plicada.
Pede aV. S. deferiraento. Espera re-
ceber merc.Recife, 10,de Setembro de
1889.Estevao dt'&imira.
Estava com ama estampilha de 2(X)ris
inutilisada na fras* da loi.
Despacho.Sim. Reoife, 12 de Se-
tembro de 1889. Olivara amatad*.
Nada mais se continha em dita peticao
e despacho fielmente copiado doe yroprios
autos.
E para constar mandepsasr o presen-
te que ser publicado pela rmprensa e
affixado no lugar do osatume.
Dado e passado nesta cidade do Recife,
19 de Setembro de 1889.
Eu, Olavo Antonio Ferreira, eserrvab o
subscrevi.
" Joiquim Corroa de Qleira Anirade.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco,
em W de Setembro de iStt. -fl." seeofta.Por
esta Secretara se faz publico, de orden; do Exm.
Sr. conselheiro presidente da provincia,e 4e-ac-
cordo cora a lei provincial n. 1974-de 26 de Mar-
SD ultimo, que, a reqeriraento de Eduardo de
loraes Gomes Ferreira, actsj.se- berta a concur-
rencia, com Qpraw de *> dias. a contar de hoie,
para apreseeUrcaode proposUs em earta fechada,
fondacao deom moinho, nesta provtnna, des-
tinado a moer Cgrje de" tripa e preparar alan-
nha de conformidad.e cama le mfra transcripta.
O secretario,
"Francisco L. Marinho de "Souza.
LEI N. 1974
Innocencio Marques de Araujo Goes. bacharel
em sciencias jurdicas e sociaes pela Faculdade
do Recife, depulado Asserabla Geral pela
provincia da Baha e presidente da de Per-
nambuco :
Faco saber a todos os seus habitantes que a
Asseoibla Legislativa Provincial decretou e eu
sanecionei a resolucao eguinte :
Artigo l. Fica o presidente da provincia au-
torisado a contractar com Eduardo de Moraes
Gomes Ferreira, ou cem awm meibores vanla-
gens offerecer, a fundafio e creago de um moi-
nho a vapor ou qualquer outro motor, destinado
a moer grao de trigo e preparar a farinba, com
a capacidade de moer diariamente, pelo menos,
7.300 kilograocmas.
i. Para a exploracao e uso da industria de
que trata este artigo, conceder-se ha privilegio
por 10 "annos.
g J. Dentro de doos annos o contractawte
obrigado' a montar os eatabeleciruenlos precisos
e a dar principio aos trabalbos da fabrica, em
cujo servigo ser obrigado a admittir al 13 or-
phos, para Ibes ministrar o ensino da industria
alimentndoos, e dous annos depois dando-Ins
salario equivalente ao que trabalbarem.
Art. J. Ficam revogadas as disposicOes em
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a
quem o conhecimento e execacao da presente
resolucao pertencer, que a comprara e facam
cumprir taa inteiramente como ella se contm.
O secretario da Presidencia desta Provincia a
faca imprinSir, publicar e correr. ,.
Palacio da Ppresidencia de Pernambuco, em
26 de Marco de 1889, 68." da Independencia e do
Imperio.
L. S. Innocencio Mabques de Abaujo Goks.
Sellada e publicada a presente resolucao Besta
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, aos
26 de Marco de 1889
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
5.* seccSo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do | 2a do art.
:..,



m
^8
O Or. Ermiri* (oulinho. de
volta de sua viagem Europa, onde
se dedicou especialmente ao estu-
do das molestias do systema ner-
voso, tem seu consultorio Praca
do Corpo Santo n. 3, defronte do Te-
legrapho Nacional
Consultas de urna s tres horas da
tarde.
&.=
*sm
Advogado
Miguel Jos de Almeidj.jPernambuco tem o seu
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os dias uteis, das
hons da 9 manh s 4 da tarde.
, Cirurgio Dentista
DR. RORERT P. RAWLDSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seH consul-
torio, na ra Baraod Victoria 18, 1* an-
dar.
Consultas daa 10 s 4 horas da tarde.
EDITAES
O Dr. Joaquim Correia de Oliveira An
drade, juiz ^de direito privativo de
orphaos e ausentes n'esta comarca do
Recife, por Sua Magestade Imperial a
quem Deus guaade etc.
Faz sabor aos que o presente edital
virem ou delle tverem noticia que estan-
do se procedendo por eate 4oizo o inven-
tario do major Laurentino Jos de Miran-
da e sua mulher D. Maria Severina Lins
de Miranda, tendo o desembargador Quin-
tino Jos de Miranda inventaran te testa-
menteiro declarado que residiam na In-
glaterra os herdeiros Emilia, Edith, Berth,
Reignatd e Aatonio filhos do finado Diogo
M^ddiaon Genn, mandei que fosse expe-
dida carta precatoria para as justicas
daquelle Reino, afim de serem alli citados
es referidos ierdeiroa, sendo o in venta-
rante testamenteiso intimado deste meu
despacho, o seu advogado Dr. Antonio
Estevao de Oliveira me derigio a peticao
do theor seguinte:
Illm. Sr. Dr. juiz de direito de orphaos.
O conselheiro Quintino Jaso do Miranda,
testamenteiro e inventariante do major
Laurentino Jos de Miranda, vem reque
rer a V. S. que se digna de mandar que
a cita$ao da herdsam Emsa Cren, se
faja, nao por procatoria, como V. S. or-
denou, para a cidad da Cohunbia BriU-
nicsu porem sim por oditaea, com o praso
de das, na rem qno ni certo qmo
ue, tendo-se concluido por meio de huido
itador, ajupestao de ava-
iacSo do material da empreza d illumi-
aacao gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente edital,
para contracto da dita iljbminacSo, me-
diante as seguintes clausulas da citada lei:
3. Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente cora ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000#
em dinheiro ou apohees da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto
no caso de ser preferida a sua proposta
4. O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
polo contractante senao lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5.' O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6." A nao ser no ca> do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacSo, a que a provincia
sujeita por forca-da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
ndemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o materila
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
| 8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
% 9. Opreco da illuminacSo, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna redcelo de mais de 30 i0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e reparticSes publicas.
3 10." O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
cao do gaz.
% 11." A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranhas, que possam pre-,
judicar a illuininacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de des velas de espermaeete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos ingleses.
3 13.9 As hora de illuminacao publica
sero fizadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de'dcz, devendo neete caso haver ama
reduccS no proco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
3 14.* O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as oasacSea que
se suscitarem, quer enn o governo,
quer com os particularsa, ficando ssrjaitoe
todos os seus actos s leis regulamen-
to* e jurisdiccjra dos tribunaes judicia-
rioa oa administrativos do pak.



Diario de Pernambuco-Sexta-feira 27 de Setembro de 1889
I

t 15. O extractante ser obrigado a
oollocar e congtruir aua eusta um ou
mais gasmetros, se houve necessidade,
Boa lugares qne o presidente* da provincia
designar, e a introduxir todos os melho-
ramentos que dorante o prazo do contrac-
to ae fbrem descobriado, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminaofio pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencao oscillacao do cambio.
17. contractante poder orgamsar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigaooes do contrete.
18. Para as desposas com a fscali-
saclo do servico de illuminacao o contrac-
tante concorrer annualmento com a quan-
tia de 3:000)>000, que serlo rccolhidos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas mais condicSes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer com relacao a illumincao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7 cima citado, a
quantia de 994:9175528, de accordo con
a avaliacao feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:7770528, total da avaliacao,
a importancia ds 3:8606000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peoes, collocados fra do permetro do
contrete. O secretario interino,
Manoel oaguim Sveira.


Emprez do Gaz
AVISO
A empresa de illuminacao a gaz deata
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
rlo do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao. mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empresa
actual a quantia de 998:777^28, por
qnanto foram avalladas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empresa,
quantia essa que dever ser paga polo
novo contractante, vem pelo presente
aviBo, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido i Ilegal e irregularnnnte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o xm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito. for, deliberen fazer a
presente publicaclo para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
Gerente.
George Windsor,
5.* Scelo Secretaria da presidencia de Per-
nambucoEra 3 de Setembro de 1889
Por esta secretaria se faz publico que lica
aberto o praso de 50 dias, a contar desta data,
para o recebimento de propostas em carta fecha-
da dos concurrentes construeco de urna es-
trada de ferro de que trata a ei provincial infra
n. 1055 de 8 de Agosto prximo (indo.
O secretario
Francisco L. Marinlto de Sottza.
Fuco st^^Hv os seus habitantes que a
Assemblia L J-: tiva Provincial decretou e en
sanecionei a reseucao seguate:
Artigo i.* Fica concedido 'O engenheiro New
ton Cesar Burlara iqui ou a quem melhores van
tagens offerecer privilegio por 60 annos para a
conitruccao, uso e goso de urna estrada de ferro
de hitla estreta que parlindo da Serra *)ous
Irinos, Da extrema desta provincia com a do
Piauhy, v terminar na villa de Petrolioa pon-
to marginal do R.o S. Francisco
J 1 A zona privilegiada ter 10 leguas para
fcaca lado do eixo da linha, sera que seja sso,
em tempo algum empecilbo a que a qualquer
outra estrada de ierro, parallcla ou no a de que
cogita a presente concessso, possa a provincia
azer concessSo de zona privilegiada. No caso
de futuras concesses, se a zona privilegiada da
estrada a qne refere se a actual le for invadid
pela de qualquer outra estrada de ferro conce
dida mais tarde pela proviucia, ser o es paco
de Ierra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao raeio, ficando urna metade delle como
zona privilegiada tocada urna das referidas es
Iradas.
i." Em igualdade de condigoes o concessio-
ario ter preferencia para conslrucco, uso e
goso de futuros ramaes convergentes.,
3. Ficam isentos de direitos c impostos
provinciaes e municipaes os edificios, as machi-
nas e materiaes necessai ios para a construeco e
exploraco da linha principal e dos ramaes que
forem construidos.
g 4.0.0*concessionario ser obrigado a cons-
truir linha telegraphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isencao de direitos impostos.
5. Fica concedida a garanta de juros de
6 % sobre o capital que for empregado effecti
varaente as obras, calculado o preco mximo
do kilmetro, em 23.000$ e pelo praso da dura-
cao do privilegio, Codo o qnal reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
machinismos, materiaes e lionas telegraphicas,
e bem assim cada um dos ramaes que tenbam
sido construidos, logo que tenbam sido oxplora-
dos por igual tempo,
o." A garanta de juros s se tornar effec-
tiva no caso de ser levada a elfeilo a concesso
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a Serra I>ous IrmSos, qual se prende a
presme concessio, perdtndoo concessionario o
dir;ito referida garanta se obtiver o coverno
geial, subvenco kilomtrica, quaolia de-juros
ou qualquer outto favor equivalente.
7. A provincia ter o direito do embarcar
gratuitamente a sua forra publica, autoridades e
respectivas cargas.
{: 8. O concessionario poder transferir em
presa ou companhia, que organisar o presente
privilegio cora todos as seus favores e obriga-
coes.
5 9." Dentro de o annos da data do contracto
devero ser apresentados os respectivos cstudos
definitivos e o.s respectivos orcaraentejs delalha-
dos e ter comeco de execuco as obras, cadu-
cando a concessio, se dendro desse praso nao
forem ditas obras coraecadas, salvo caso de Tor-
ca maior, devidamente provado.
Art. 2. Ficam revogadas as disposices em
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a
quem o conhecimento e^KCUCao da presente
resoluco pertencer, que a cumpram e facara
cumprir to inleira.menle como nella se cora-
lera.
O secretario da presidencia da provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Peraanbuco. 8 de
Agosto de 1889, 68* da Independencia c do Im-
perio.
I,. S. M. Alces de Araujo.
Sellada c publicada a presente resoluco nesta
secretaria da pr-rsidencia de Pernambuco, aos 8
de Agosto de 18<9.
O secretario
Francisco L. Marinho de Souza
lhas quatro, declaro abert a fallencia do
negociante fallecido Manoel Rodrigues da
Silva.
Nomeio curador ao Dr. Barros Quima-
raes.
Officie-se ao juiz perante quem corre o
inventario* comraunicando-se-lhe a abertu-
ra da fallencia.
Junte-so o respectivo bataneo em pra-
so breve.
Faca-se publica a fallencia por editaes e
convoque-se os credores para elegorem no
da 28 dd corrente o depositario.
Proceda-se arrecadacao da massa, em
cujo acto designarei quem a receba pro-
visoriamente.
Reeife, 24 de Setembro de 1889.
Thomaz Garcez Paranbos Montenegro.
E mal se nao continha em dita e men-
cionada sentenca aqui mui fielmente co-
piada, em virtude da qual o respectivo
escrivao fez passaro presente oditl, por
cujo theor convoco todos os credores da
firma fallida para se reunirem no dia 28
do corrente, s 11 horas do dia, na sala
.das audiencias, afim de elegerem o depo-
sitario effectivo.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presento edital,
que ser publicado pela imprensa, e affi-
xado nos lugares do costumo.
Dado e passado nesta cidade do Reei-
fe capital da provincia do Pernambuco,
aos 25 de Setembro de 1889.
Subscrevo e assigno, Ernesto Machado
Freir Pereira da Silva.
l'homae Garcet faranhns Montenegro.
i
DECLARARES
LE if. i.OSfi
Manoel Alvcs de Araujo. do conselho de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado era
ciencias sociaes e jurdicas pela Faculdade de c_ '____
S. Paulo, coramendador da Imperial Ordem da pentenca .
Rosa e presidente da provincia de Pernambuco
COMERCIO
Revista do Mercado
RSCIFZ, 26 DK SETEMBRO DE 1889.
Houve algum movimento no mercado de cam-
bios.
Foram vendidos 5.400 saceos de assucar bru-
to do Rio Grande do Norte por l300 os 15 kilos,
posto a bordo.
Cambio
Os bancos manliveram no balcSo a Tabella de
27 5/8, saccando pela manha reservadamente al-
gumas quantias a 27 3/4, retirando, porm, to-
los larde para 27 5,8.
Em papel partii
cues a 27 15,16
rticular constou pequeas trans-
accoe
e 27 7/8.
No Rio foi colado papel bancario a 27 3/i.
Papel particular escasso, exigindo os sacca-
lores 27 13/16.
TABELLAS AFF1XADA8
' I
1.
2.
-3
O
5
i
CQ
I
a
o
c
a
s

%
O &
3.
B
a
i

O Dr. Thoma:s Garcez Paranhos Monte-
negro, comraendador da imperial ordem
da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Reeife, ca-
pital da provincia de Pernambuco, por
Sua Magestade imperial e constitucio
nal, o Sr. I). Pedro II, a quem Deus
guarde, etc..
Faco saber aos que o presente edital
virem e delle noticia tiverem, que a re-
querimento de Antonio Luiz do Reg
Barreto, foi aborta a fallencia da firma
commercial Manoel Rodrigues da Silva,
como se v da sentenca que 6 (Id modo,
forma, mancha e theor aeguinte :
Era viata das peticoes de
fothas duas, e folhas cinco e auto de fo-
Algodao
O mercado centina frouxo, tendo sido as ul-
timas vendas do de 1* sorte do serto a 6500.
A exportacao, feita pela alfandega neste mez
at o da 24, attiogio a 354.184 12 kilos, sendo
213.2701/2 para o exterior e 140.914 para o inte-
rior.
As entradas verificadas neste mez al a data
de hoje, sobem a 4.413 saccas, sendo por:
Borcacas.
Vapores.....
V nirases.....
Via-ferrca de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea delimoeiro
Sorama.
Issacar
Oh presos pauos ao agncoltor,
gando a Associjao Commercial
os seguintes:
Branco '.
Somenos.....
Mascavado purgado .
bruto especial.
bruto baixo .
Rtame.....
53i Saccas
173
4.413 Saccas
por 15 kll03, se-
Agricola, forara
44600 a 42800
3*700 a 3900
28!H) a 3 000
2400 a 2*700
1*400 1 2*000
1/000 a 1*20:)
A exportacao, feita pela alfandega neste mez
at o da !4, csnslou de 777.581 kilos, sendo...
450.000 para o exterior e 327.581 para o inte
rior.
As entradas verific idas neste mez at a data
de boje, sobem a 13.328 saceos,sendo por:
Barcacas,- .... 3.898 8acces
Vapores.....
Auimaes..... 1 544
Via-ferrea de Caruar. 469
Via-ferrea de 5. Francisco. 6.094
Via-ferrea do Limoeiro 1.323
Somma.
13.328 Saceos
COTA^SES OFFICIAES DA JUSTA DOS COB-
EECTORH8
Reeife, 26 de Setembro de 1880
o houve cotafo. j v
Pelqpiesidente,
Ed aardo Dubeux.
Pelo secretario,
Anffusto P de Linios
Mel
Cota-se a 6Cp000por pipa de 480 litros.
Coaros
Couros salgados, 350 ris, e os verdes a 210
ris.
Agurdente
Cota-se a 112*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-sc a 220*000 por pipa de 480 litros.
Panta da Alfandega
semana di: 23 a 28 de setembbo de 889
Vide o Diario de 23 de Setembro
Xavos descarga
Barca norueguense Solid, carvSo.
Barca norueguense Spes, ferragen3.
Barca norueguense -V P. Ntelsen, carvo.
Barca noruegi.ense Byfuged atrstente, carvo.
Barca nacion;il/J/ai Angelina, xarque.
Lugar nacin :.l Loyo, xarque.
Patacho allem.io Frederick, xarque.
Patacho suecc Alalina, xarque.
PaUcho noruf guense EJrain, xarque.
Sumaca hespinhol Annita, xarqne.
' Exportacao
BECns, 25 DB SBTaMBao DE 1889
Para o exterior
Nao houve exportacao.
yara o interior
>o tapir francs VtUe de S. Nicols, car-
Cnselho de compras da repar-
tico de marinha
Supprimento de sobresalentes e abasteci-
mento do almoxarifado, aos navios de
guerra fundeadps no porto desta cidade
e s dependcnc'aS deste Arsenal, duran
te o futuro exercicio do 1890.
De ordem do Illm. Sr. capitlo-tenente Manoel
Augusto de Ciistro Menezes, inspector diste Ar-
senal e capito do porto deta provincia, fa o
publico que de accordo cora o decreto n. 10,06o
de 20 de Oulubro de 1888, no dia 2 de Outubro
prximo futuro s 11 horas da manha, em urna
das sallas da secretaria desta inspeceo, recbe-
se propostas para o forneciraento dos arligos
abaixo declarador, a saber :
Abastecmenlo do almoxarifado
A
Agulhas para bitacula, preco de urna.
Agulho, idem.
Agulha pura lona, dem.
Agulha para brira, idem.
Amarras de ferro, idem por kilo.
Ancoras de ferro, idem.
Ancorles, idem.
Azis ou pegadeiras de latao, qualquer dimensio.
idem.
Azul ultramar, kilo.
Amarello francez, idem.
Arcbotes alcatroados, cento.
Arco3 de pao para barril, idem.
Ancorles, dem.,
Arrebem, idem por kilo.
Algodo era rana, idem.
Dito branco, idem.
Dito em lio, idem.
Azeite de sebo, litro.
Alvaiade de zinco, kilo.
D.'to de chumbo, idem.
Azeite de peixe. litro.
Aleatrao da Suecia, barril..
Agua raz, kilo.
Agulhas meio palombir, urna.
Ditas de palombar, dem.
Alicates de ac, redondos, idem.
Ditos de ac, quadrados, idem.
Ac quadrado, kilo.
Dito em barra, idem.
Dito fundido SS, idem.
Dito em ver(U, idem.
Dito batido, dem.
!>to fundido cm vor&o C, i la
Dito em vergalho redondo, idem.
Dito em vergalhao sextavado, idem.
Dito em vergalba oitavalo, idin.
Dito era balha, dem.
Para Santos, A. Taborda & C. 300 sacc.os-com
18,0 0 kilos de assucar mascavado ; Amorioi
Irra03 & C. 830 saceos cora 49,800 kilos de
assucar branco e 1,270 ditos com 76,200 ditos
de dito mascavado.
Para Rio de Janeiro, A. Labic 500 saccas
com algodao.
No vapor nacional Jaguares, carregarnm :
Para Cear, P. Pinto 4 C. I caixa com 30 kilos
de rap; M. Rufino 100 saccoa com 6,0'M kilos
de feijao.
Para Aracaty, J. M. Dias 4 caixas eom 38 1/2
kilos de rap.
No vapor nacional Para, carregaram :
Para Rio de Janeiro, J. A. de s 39 saceos
cora 2,340 kilos de assucar branco e 73 ditos com
4.380 ditos de dito mascavado ; F. l^isco C.
30 pipas o.n 14,403 litros de agurdente.
No lugar nacional Tigre, carregaram :
Para Mossor, J. J. da Silva Campos 10 barri-
cas cora 600 kilo3 de assucar relinado.
Para Cear J. Fuerslemberg 1,000 saceos
com fdri nha de mandioca. .
___ ^
Dittbelro
KECEBIDO
Pelo vapor nacional Para, para :
LoMoif dcBrasiiian Bank 44.174*9*50
Niemeyer Cabn fc C. 12.000*000
Ferreira Rodrigues & C. 8 000000
Prente Vianaa & C 232*000
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Jagurribe,* para:
Parabyba 26.670*000
Natal 7.000*000
Mossor 10.600*000
Aracaty 2.000
atcnlimsao3 pblicos
Dito para molas, idem.
Aldrabas de ferro, urna.
Ditas de metal amarello, idem.
rame de cobre, kilo.
Dito de ferro, idem.
Dito de lato, idem.
Argola de lato, idem.
Arcos de ferro, idem.
Amagro. i-lera.
B
Bandeira nacional de 2 a 12 pannos, cma.
Ditas de nacfio, de 4 pannos, idem.
Brim branco, metro.
Brim de linho para veame, idem.
Brimzao. dem.
Iiruii da Russia, idem.
Baetilha ou llanella branca, idem'
Balancas horisonlues com conchas de mclat
urna.
Ditas para mesa com conchas, dem.
Bandeija de pao, idem.
Baldes forrados, pequeos, idem.
Ditos forrados grandes, idem.
Dito de sola, idem.
Ditos de zinco, idem.
Bitaculas, idem.
Banquinhas de patente. dem.
Barrotes de pinho de liga de 0,037 a 100.
Badamcs. um.
Belmazes de ferro, kilo.-
Ditos de lato, idem.
Borracha em lengol, idem.
BotOes de metal para caixilhosc vidros, idem. '
BrW, kilo.
Brochas chatas, duzia.
Brochas para pintar, urna.
Ditas para calar SS. i Jen).
Branzi', kilo.
Bronzil, gramiBH.
Bules de iolha, um.
Baldeadeira de folha, dem.
Bules de folha, um.
Baglas SS, urna.
c
Chonchas de ferro para cosinha, urna.
Ditas de ferro agatba, idem.
Cera preta para corrame, k-lo.
Dita amareila. idem.
Dila eui pao, iAitB.
Dita em velas, idem.
Dita virgen:, dem.
Ca-mim, liquido inglez, vidro grande, ura.
Cera em ardiles, kilo.
Colchu de capim de lm550X6'36, um.
Cabo de linho branco, kilo.
Dito de manilha, idem.
Dito de Caire, idem.
Croks de ferro, um.
olheres de ferro, urna.
Cassarolas de ferro estanhado. kilo.
Ditas de Ierro esmaltado, idem.
Chaleiras de ferro estanhado, idem.
Ditas de ferro esmaltado, ideiri.
C UTitel de barqundia, idem.
Camurca, pelle.
Cadiabos de patente, differentes numero;, ura.
Catracas de diversas diraenscs, urna.
Ditas com manivella, idem.
Cal branca, litro.
Dila preta, idem.
Dita de Lisboa, idem.
Dita de Jaguaribe, idem.
Cadeados de ferro, um.
Cera de trra, kilo.
Dita branca, idem.
Crazas azue?, idem.
Colla da Baha, 1 qualidade, idem.
Dila de pellica, idem.
Dita de pintura, idem.
Colberes de ferro para pedreiro, urna.
BompasBos de ferro, um,
Correia de sola singella de Tuke, metro.
Dita de sola dobrada de Tuke, idem.
Cobre em chapa, kilo.
Dito em barra idem.
Dito em veigailio, idem.
Dito era falla para forro, idem.
Dito em carao, idem.
Dito era folha, idem.
Dito em Icneol, idem.
Gnuinbo era leocol, idera.
Dito era barra, dem.
Chaves de fonda ou parafusos, urna.
Ditas ioglezas, 'viem.
Craento'PorlIani, barrica, idem.
uarnanba em velas, kilo.
Br, dem.
Cravos de ferro, cento.
Canos do ehu uno, kilo.
Caibros de qualidade, um.
Caid.ir de ferro estauhado, kilo.
Cobertores de l.ura.
Cadernacs bromead >s SS idem.
Cliineilode vaaoela para a enfermaric. par.
Caiuiiota da brim. urna.
Dedaes de repudio, um.
Dama-co de la, metro.
Diam.iiite para cortar vidro, um
Dobradicas de ferro, reforjadas, de junta, com-
* pridas, de qualquer dimensao, um.
Ditas de dito quadradas para raachiua, de qnal-
quer dimensao, idem.
Das de dilo batido, quadradas, de qualquer di-
mensao, idem.
Dilas de lato, compridas, de junta com crxo do
raesiro melal, reforcadas, de qualquer dimen-
sao, idem.
Ditas de dito compridas ou de junla cora eixo
do mesio metal; nao reforjadas, de qualquer
dimensao, idem.
Ditas de dito quadradas, reforcadas. de qual-
quer dimensao, idem.
Dilas de dito quadradas, nao reforcadas do qual-
quer dimensao, idem.
Ditas de dito 'quadradas, reforcadas, para ma-
chinas, de qualquer dimensao, idem.
Ditas de dito reforcadas para niadeira, idem.
Ditas de ferro, idem.
Ditas de metal, idem.
E
Renda geral
Do dia 2 a 25
dem de 2G
MeZ DE SF.TEMllO
Alfandega
C83:931-*661
34 335*203
Rehda provincial :
Do dia 3 a 25 74:636*015
dem de 26 3:139*755
718.296*864
77:795*770
Somma Dial 790.092*63 i
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco
26 de Setembro de 1889.
O thesoureiroFlorencio Domingues.
O chefe da seccSoCicero B. 4e Mello.
Rceebedorla geral
Do dia 2 a 2o 27:268*160
dem de 26 2:915*142
30:183*302
Reccbcdoria Provincial
Do dia t a J5 19:608*984
dem de 26 718*800
20:327*784
Rccifc Dralnagc
Do dia 2 a 25 40:6544230
dem de 26 1:468*013
42:122*263
Mercado Municipal de n. Jone
0 movimento deste mere;
tembro foi o seguiule :
Entraraui
bou pesando 4,923 kilos.
591 lulos de peixe a -20 ris
1820
24 cargzs com farinha a 200 ri3 4*^00
14 ditas de fructas diversas a. 300 ris 44200
9 taboleiros a 200 ris 1*800
16 suinos a 200 ris .'1200
27 matulos com legumes a 200 res 5*400
Foram occupa.dos :
2 columnas a 600 ris lo20
1 escriptorio a 300 ris 300
27 compartimentos de farinna a 300
ris 13*500
21 ditos de comidas a 500 ris 105'J0
78 ditos de legumes e fazendas a
400 ris 31S2J0
16 ditos de suinos a 700 ris U2iX<
8 ditos de fressuras a 600 ris i*80tl
38 talhos a 2* 76*00,'
Rendimento do da 1 a 24 do cor-
rente
19ii)20
5:030*420
Foi arrecadado liquido at hoie 5:223*340
Preces do da:
Carne verde de 240 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 15 ris idem.
Suinos Je 560 a 6i0 ris idem.
-ariiiha de 400 a G 0 ris a cuia.
Milho de 360 a 400 ris idem.
Ff?3 de 800 u 1 idm.
Matadonro publico
Neste csiaDeleciinetO foram abatidas
consumo de hoje 8J rezes perleucentes a dive.'-
sos msrebantes.
Vapores-a earar
HEZ DE SETEMBRO
Sul........... Espirito Santo..... 27
Europa....... Trent............. 24
-ul.......... on.............. 2J
Vapores a sabir
HEZ DE SETEMBBO
Rio Formoso Pirapama......... 27 as
Santos e esc Vle de S. Nicolao.. 27 as
Norte........ Espitto Santo..... 23 as
Buenos Ayres. Trent............ 28 as
Southamptom: Don
D
i
8
2
20 as 2
Slovimento do port**
Navios entrados no dia 26
Manos e escala14 dias, vapor nacional Para
de 1999 toneladas, commanda:ite Actinio Fer-
reira da Silva, equipagem 60, carga varios g-
neros ; a Pereira Caraeiro & C
Liverpool e escala19 das, vapor inglez Scho-
lar, de 1020 toneladas, commandanto W. H.
A l-head, equipagem 27, carga varios gneros;
a Johtuton Pater 4 C. -
Fernando de Noronha-3 dias, vapor nacional
Pirapama, de 360 toneladas, commandante
Raymundo C irvalho, equipagem 39, em las-
tro'; Companhia Pernambucana.
San Nagaire (Franga)-ol das, vapor francez
Vichuquem, de 36 toneladas, ebraraandaole
Edraond Piquet, equipagem 8, em lastro; a
SVilson Sons & C.
Sahido no mesmo dia
Mossor-Patacho noruegnense Ephraim, cap-
to T. Koudscn, em lastro.
Santos a escalaVapor austraco Uedaza, com-
mandante G. Mettel, carga varios gneros.
Cear c escalaVapor nacional Jaguaribe, cora-
uiaudanlo Alfredo Monteiro, carga varios g-
neros.
Rio de Janeiro e escala-Vapor nacional Para,
ante Antonio Ferreira da Silva, carga
varios ffr.i
Enxofrc em r., kilo.
Dito em pedra, idem.
Espirito de vinho de 37 a 90 graos, litro.
Estanho em verguiuha. kilo.
Dito embarra, idera.
Basadas de ferro, urna.
Ditas de dito calcadas de ac, idea;.
Enxs para carapinasjou doriteirs, idem.
Dila para carpinteiro, com cabo, idem.
Estopada trra, kilo.
Dita de linho, idem.
Dita americana, idera.
Escpulas de ferro, idem.
Ditas Je latQo, idem.
Escalas mtricas, urna.
Escarradeiraa de ferro, dem.
Ditas de ferro a;ra'.lia, idera.
Dilas de folha, idera.
Esquadro de ac.o de qualquer dimensao, um.
Estopa de algodao, dem.
Dita ingleza, idera.
Escovas de rame para lubos decaldeiras, qual-
quer aimen3o, urna.
Ditas para cabello idem.
Ditas inginas, idem.
Dita.! de rame, idem.
Espumadeira defullia, u:i.a.
Esmeril cuj p, kilo.
F
Flele SS. metro.
Fio de veame do 1* qualidade kilo.
Dito de algodao, Idem.
Fo.quetas de ferro, urna.
Facas p:ira_ co;inha. idem.
Frigideral de ferro esmaltado, kilo.
Ditas de ferro estanhado,- idi-ra.
Funil de foihi. um.
Fio de cobre kilo
Folhas de Flaudres grande-:, Cli-ircoo!, marca X.
XX, XXX. caixa.
Ditas ditas grandes Koke, marca X, XX, XXX,
idem.
Ditas ditas pequeas K"k3, mares X, XX, XXX,
idem.
Formoe?, um.
Fouces, urna.
Flor de enxofre, kilo.
Fezes deouro. idem.
Feli:o secco, idem.
Fechos de feno, qualquer dimensao, un.
Fec'i.iduras de ferro para armarios e gavetas,
qualquer dinenso, u na.
Ditas de dito r> ra gave: is. duas Tingelas e duas
vollas, qualquerdimeusae, idera.
i"" lia Inras de ferro, u na,
Ditas de marelas, francezas, idem.
Bitas de metal, sortidas, dem.
Ferro em Chapa Bl!, k!o.
Dito em vergalhao, dem.
Di'o em barra ff, id va.
Dito em cantonearas B3, idem.
Dito ingle* em barra, idem.
Di!) dito em vara), idera.
Dilo dito em leucol, ide.n.
Dito do em cantoneka, idem.
Dito Lwinoor em chapa, d.'m.
Dito dilo em vergalhao, idem.
Dito dito em canoneira, i.len.
Dito dito em barra, i lera.
' Dito dilo em vaio, idem.
Dito dilo em Icneol, idem.
Ibito da Suecia em barra, idem.
! Dito dito em vergalhao, idem.
Dito patente em barra, idem.
Dito dilo em vergalhao, idem.
Dito para arcos, idem.
Dito para greihas, idem.
Dito xa diez era chapa, idem.
Ferro gaza, idem.
Dito inglez em varo redondo SS, idem.
Dito ioglez em varo quadrado. idem.
Dito de Suecia em varo redondo, dem.
Dito gilvanisado em vrocs, kilo.
Fuchina preta, idem.
J^aencarnad i. dem.
rczi s idem, idem.
Foles S3, idem.
Ferrolhos de metal amarello, idem.
Dito de ferro SS, idem.
a
GiDchos de lato, ura.
Ditos de ferro, idem.
Garlopes^e ferro, idem.
Goiva- para calafates, idera.
Ditas para carpinteiros, idem.
Grojas de ari, idem.
Ga'xetas de algodao, kilo. ,
Dila do linho, idem.
Dita elstica palete, idern.
Dita patente, idem. ,
Diui americana, idem.
Giz cm pedra, dem.
Gomma lacea clara, idem.
Ge?so, idem..
G.idanbos de ferro, um.
Gomma arbica em pedra, kilo,
Garfcs para cosinha, ura.
Dito de ferro, idem.
Galos com saputitho, idem.
Ditos singelos, idem.
Ditos dobralos, idem.
Graxa Uo Rio Grande em bexigas, kilo.
u
Hostias, urna.
K
Kerosene, lata.
i.
Lixa de panno branco, urna.
Dita de papel, idem.
D.ta, de peixe, idera.
Dita de vidro, idem.
Dita esmeril, idem.
Lubrilicadorts, um.
Linha alcatroada, kilo
Dita de barca, idem.
Latao em.chapas para todas as dimenses, idem.
Ditos em vergalboes, idem.
Dilo em l'oia para forros, idem.
Dito*em lengol, idem.
Lima3 imperiacs.'pollegadas.
Limatoai, ditos, idem.
Lom da Russia larga, metro.
^Dita eslreita, idem. H
Dita mgleza, larga, idera.
Dila estreita, idem.
Dila de algodao nacional, idem.
Lanlerna de patente, urna.
Lavatoii s de ferro, um.
Lengol de brim, um.
Lapes de FaDcr paradesenho, um.
M
Meallitr branco para gaxeta, Hilo.
Dito alcatroado, idem. ?
Merlira, idem.
Moinhos para caf de Frvde 6, 8, 10, 12, 14, 16,
18 e 20 kilos, um.
Medidas de ferro deciraaos para seceos, J030.
Medidas mtricas de folha! temo.
Morim, metro.
Vachado, um.
Mallos de ferro, idem.
Martello de carpinteiro, dem.
Difo de pedreiro, idem.
Meta! munts, kilo.
Metal papel, idem.
Dito era lita, idem.
Mordente. kilo.
MoitOes bronzeado3, idem.
Madeiras
Devem ser por metro corrente os pregos das
seguintes :
Pinho americano
Taimas, tendo cada urna, pelo menos 0m,223 de
largura p. as seguintes grossuras: O^Ol,
0-.019, 0-.023, 0-.037, 0-,050 e 0,075.
Pinho da Suecia
Taboas, tendo cada urna pelo menos, 0,225 de
largura, e as seguintes de grossuras : 0",012,
0",019, 0-.025, 0",037, 0",030, 0,075 e pran-
cho de 0",100,
Pinho de Riga
Taboas, tendo cada urna, pelo menas, m,2
'""SUfa e as seguintes .'rossuras : 0 -,012,
0-,019, 0,025, O-,037, o- (30, 01,075 e pran-
clio de 0-,l00, e barrotes de 0-.075 a 0-100.
Lcuro, cedro, cedro da Baha,-'amarello, pao
carga, peroba rairndiba
Taboas destas qualidades, com as seguintes
grossuras : 0"\0I2, 00t9, 0-,025, O1",037,
O'-.OO, 0-,073 e pranchSo d. 0m,100, O" 173 e
0-,200, larguras de 0-,3 e 0.4.
Devem ser por medidas as pecas das seguin-
tes :
Travs de sicupira, sapuca, sapucarana, ua-
rabus, louro, imbiriba preta, massarar.U.
condur e gararaba, de diversas dimensOes,
variando entre 0",2X0'\6, 5p0-23X0m,23X9,u.
Enxams de qualidade, variando entre <-"' 1X0',
1X5-, 3 eO-, 15X0, 153
Vigas de qualidade de 0-, 23X0, 23X10, 0,
3X0, 3X11" e 0". 35X0-, 35X13'".
Vipis de sicupira verdadeira. de 0. 33X0-.
33X13.
Toros de janipabo, sera n3, de 2",6 e 3.8 de
comprimento e 0,22 a 0"',23 de dimetro no
topo mais grosso.
Paos de sicupira verdadeira e-de angelim amar-
goso para vos de navios das seguintes dnien-
ses : de 3" a 6-X0". 35X0, 23 e de 7 a 8
uielros X0-. 35X0, 2o.
Caibros de qualidade de comprimentos entre
6-.0 e 8,8,
Hipas de imbiriba das mais compridas, preco de
cada cento.
Paos curvos de sicupira de comprimento catre
2,0 a 5!u,0, pira bracos de navios e camblas.
o
Oculos de alcance, um.
Oleo de linhaca, kilo.
Oc e, idem.
Ouro em pao, turro.
Oxido de ferro, kilo.
P
Ps de ferro, urna.
Ditas de ferro cora pona, idem.
Hitas de ac, idem.
Ditas de ac com pona, idem.
Podras de aliar, idem.
Ditas de amolar, idem.
Dita de roblo, idera.
una de moer liutas, idem.
fechadores de vrdro e Iouca, idem.
Peueiras de rame de ferro galvanisado, idem.
DUas de rame de lato, idera.
Ditas de cabello, dem.
Dita de rame, ioem.
Dila de seda,.sem tempo, idem.
Pedra porae. kilo.
Diia podre, idera.
pfdmuagma, idem.
Polassa era pedia, dem.
l'ixe de Suecia, litro.
Pinceis escopeiros, um.
Pos pretos, kilo.
Picaretas de ferro, uaia.
Pas completas, idem.
Pregos de cobre batido, kilo.
Ditos de cob'e de embutir, idem.
Kilos de bronze, idera.
Hitos de cobre para forro, idera.
Ditos de cobre de talhamar, idera.
Ditos de ferro para forro, idera
Ditos de Ierro de peso, idera.
Ditos bateliiiihos, idem.
Ditos de ferro, de batel grandes, milheiro.
Ditos de Ierro, de batel pequenos, dem.
Ditos dv! ferro, npaes, dem.
Dito- estopares, idem.
Ditos de ferro, caibraes, idem.
Ditos de embocar, kilo.
Ditos de zinco, idem.
Ditos de ierro galvanisado, idem.
Ditos de cobre ripel, idera.
Ditos balmozes, idera.
Ditos de ferro, de costado, idera.
Ditos de costados, galvanisados, idem.
Dito-; de cubre, de batel, idem.
Ditos de cobre de costado, idem.
Ditos de cobre para forro, idem.
Ditos de ferro, de guarnicao, milheiro.
Ditos franeezes, kilo.
Ditos de ferro de assoalho, milheiro.
Ditos cabi'ca de porcelana, um.
Ditos de cabeca dourada, idera.
Pu.'ices, dem.
Par.'lusos de ferro com porcas, qualquer dimen-
sao, idem.
Hilos de porcas com cspelho, idem.
Ditos de ferro do cabeca cnata, diQerent;s di-
mensOes, grosa.
Ditos de latb, cabeca chata, differentes dimen-
sOes, idem.
Ditos SS, um.
Ditos de metal amarello, idem.
Pinceis de malla, idem.
Dilos de s-'da, idem.
P.-utos fundo"de ferro, ajalha, idera.
Ditos dedilp iravessos, idem.
Ditos de dito estanhados, idem.
Ditos de dito esmahados, idem.
Ditos de folha, idem.
Piassava, kilo.
Phares para topes, um.
Dito para os lados, verde e encarnado, idem.
Pannos para me_sa, metro.
Papel para desenlio, idem.
Dito,transpareote para copiar desenlio, idem.
Dito de linho, idera, idem.
Pucaro de folha. ura.
Prato travessa de folha, idera.
Dito redondo de folha, idem.
Pelle de carneiro preparada, urna.
n
Remos de faia S3, metro.
Rebote de ferro galvanisado, kilo.
Raspa de ferro, urna.
Rouge.-itilo.
Itxo rei, dem.
Ilatoeiraa, urna.
Hipas para cumieira, cento.
s
Sapatilhos de ferro, um.
Dilos de bronze, idem.
Ditos de metal, idem.
Sextante, idem.
Sebo em velas, kilo.
Dito cuado, idem. '
Stearinas cm velas, idem.
Ditas em ardiles, idem.
Sondureza, idera.
Serrote para corlar carne, um.
Sola iogleza, kilo.
Diia da trra, idem.
Sangue de drago idem. .
Seccante de zinzo, dem.
Seecante de chumbo, idera.
Sida forte, dem
Sndalo, idem.
Seccante fezes de ouro, idera.
Safras de ferro calcadas, urna.
Tcouras para cortar melal, urna.
Tornos de ferro de bancada, kilo.
Tornos de mesa, um.
Tornos pequeos de mo, um.
Torquezes, urna.
IrsdS de rosca de todas as dimensOes, idem.
Ditos de colh r de todas as dimensOes, idem.
Ti in mtrica, urna.
Tubos de ferro, um.
Ditos de ferro para caldeiras, idem.
l):los de ferro para estaes de caldeiras, idem.
Ditos de lato para estaes de caldeiras, idem
Dilos de cobre, idem.
Ditos de chumbo, idera.
Ditos de metal, idem.
Ditos de borracha, dem.
Telhas de zinco SS, urna.
Telhas de ferro galvanisado de 1/16 de grosora,
idem.
Tijolos nglezes, idem.
Taxas de bomba, kilo.
Ditas de zinco, idem.
Ditas de cobre, idem.
Ditas de ferro, idem.
Trinca!, idem.
Terra de sene crua e queimada, idem.
Tubos de tinta, francezas, bisnagas, dem.
Tinta azul ultramarina, idem.
Dita araarella, preparada, idem.
Dila branca de zinco, idem.
Dita branca de chumbo, idem.
Dita palha, idem.
Dila preta, preparada, dem.
Dita verde, preparada, dem.
Dita encarnada, preparada, idem.
Dita azul, preparada, idem.
Dita rxo-terra, idem.
Tijolos de alvenaria grossa, milheiro.
Ditos de tapamento, dem.
Dilos de lidrilho, idem.
Telhas de alvenaria, idem.
Torneiras de estanho na 10, urna.
Ditas de melal, curvas, idem.
Torcidas francezas, metro.
y
CC
i


Diario de PernambucoSe: feira de Setembro de 1889

)
h
i
t:
f
n
T> ferro, agalha, urna.
Trav'-iii- i! c pinj ou de ;;ini, um.
palna. dera.
v
ViJros carros para pbares, brancas, verdes e
encamados, mn.
Vidro de vidraca, braneos e de cores, idera,
Vassouras de piassava Cora cali, idem.
Verrumas de rosca para cabate, idem.
Yerniz branco de bonoca, kilo.
Dito de colher, idera
Dito branco francs, eneorpado, idem.
Dito amarello, idera.
DUo de pincel, bnme i e prcto, Ytdroa grandes.
Dito de quciinr nos, kilo.
Dito de alambre, idem.
Dito branco e preto de S. Freir, vidro grande.
Dito seccativo ingle, kilo.
Dito copal, i'!em.
Dito metalllco, idem.
Dito crystal, idem.
Dito de Brct Blank Japn, lata.
Dito Bsrt Wesmirag, dem.
Verde Pars, idem.
Verniz de coaltar, idera.
Verde eomposto, idem.
Dito nativo, idem.
Dito francez, idera.
Vermelho da China, idem.
Vidros para vidracas de 0.00200.004, um
Ditos inglezes de 0,0020,0,005, idera.
Ditos de Bohemia, idem.
Ditos lavrados, idem.
Ditos estrellidos, dem.
Dito: de cores, lisos, i lera.
Ditos de corr-8, curvos, idera.
Ditos opacos, dem.
Ditos para espelbos, idem.
Ditos musselina, i lem.
Ditos redodos para vigias, idem.
JE
2arco, kilo.
Zinco em barra, idem.
.Zinco era folln, idem.
Zmco estampad:, idem.
UliMi-rvat-ucH
Sao deveres dos proponenles :
i' Organisar as suas propostas, allendendo a
que ellas, alm de serera era duplcala. cscrip-
tas em papel forte e co:u don' centmetros de
raargem, pelo menos, dolado da juneco, fecha-
das, isentas de sellos c referentes especie de
artigos dos negocios dos contractantes devero
conter :
O nome do proponente no alto da pagina e os
artigos classilicados de conformidade cora o edi-
tal Je chamada, os nmeros c marcas desses ar-
tigos, se a stra natureza o determinar.
O prazo improrogavel da entrega total ou par-
cial, se traUr se de artigo que Uependa de fa-
b:ia> ou tenha de ser adquirido em grande es
cala e de urgente necessidade.
A declaraco expressa de que o proponentc
sujeita-se as condigoes geraes dos contractos,
estatuidas no aviso circular de n. 1,087 de 29 de
Julho de 1882. e modificadas tanto pelo novo re-
gulamento do sello, como pelo aviso circular n
172 de 28 de Janeiro de 1S84, e bem ass>ra
multa de 5 por cento da importancia a que mon-
taren] os anigos que llie forem aceilos, se deixar
de comparecer para assiynar o respectivo con-
tracto ou de assistir a discussao e leitura da mi
nutadelle, isto dentro do prazo que for notifica-
do pelo diario oflieial, c que nunca ser maior
de tres das.
A indicar/io da casa commercial do concu-j
rente :
A assignatura do proponentc, ou se fr hrma
social, do socio ou socios que possam usar da
mesma irma, salvo autorisaao concedida por
instrumento do procuraso.
Entregar, por si ou por seus legtimos repre-
sentantes, diredaiiente ao consellio, no lugar,
dia e hora marcados, nao s as suas proposlas,
eorao as amostras correspondeutes ;
Exhibir, no acto de entrega, alni da certido
do respectivo contracto social, quando nao se
tratar de Hrma individual, documentos que com-
provem ;
Haver pago como negociante estabelecido o
imposto de casa commercial relativo ao ultimo
semestre vencido :
Ser negociante matriculado? IVdos esses do-
cumentos sero restituidos a quemosapiesentar,
logo que se naja do proceder a leilura da res
p> ctiva proposta.
Assistir, na sala das sessoes, a leitura exprs
sa no uumero antecedente.
As fabricas ou eslabelecimentos industriaes
do imperio sero dispensados da condico de
matricula na Junta Coranercial, e, era igualdade
de circumstancias, lerao preferencia sobre os
outros concurrentes.
.Vas localidades, onde nao houver jnnta com-
mercial. serao admittidos a concurrencia os ne
"ociantes de maior crdito, ind;fe!detemente
da piova de matricula ; devendo as firmas so-
ciaea exhibirem a certido de seu contracto, con-
forme pre. eitia o art. 13, n. 3.
Rccoramenda se aos proponentes queorgani-
sem as propostas de accordo com o annnncio.
Todos os contractos celebrados em vir'ude da
preferencia do conselho de compras serao an
nuos e terminarao cora o exercicio do anno
tinanceiro em que tiverem sido effectuados, sal
yo se se referiretn a certo numero de artigus
cuio f.ibrico ou feitura demande maior tempo.
Quando for necessario aos interesses do ser
vico serao os fomecedores obrisrados a conti
nuar o 3uppnmenlo mediante os precos e condi-
pOca estabelecidos em seus contractos por raais
60 dias, 8em que d'abi resulte d.reito proroga-
cao dos ditos contractos-
" Todas as minutas dos contractos, lavrados em
.razo da preferencia do coosellio de compras
ticaro sujetas approvarjio da Secretaria de
Estado dos ogocios da Marinha.
As amostras dos artigos correspondentes as
propostas preferidas Hcaro depositadas na re-
partirlo onde o conselho tiver celebrado as suas
sfles ; ao passo que as dos artigos correspon-
dentes as demais propostas, se nao forcm reti-
radas dentro de 48 horas, serao dadas a consu
nio nos termos do regulamento da intendencia.
A concurrencia ser annullada :
Quando nao forem observadas as disposicOcs
do presente rcgulamento;
Quando comparecer ura s proponente, salvo
se tratarse de supprimenlo especial ;
Quando por motivos poderosos acreditar se que
haja conluio entre os proponentes.
Secretaria da Inspeccio do Arsenal de Mari-
nha de l'crnambuco, 2o de Setembro de 1889.
O secretario,
Antonio da Suca Azetedo.
Ditos de cores, Faber, um.
Ditos pretos, Faber, um.
Livro era branco, papel Hume pautado, com en-
cadernugao panuo e papel, cora 23 folnas, um.
Dito em branco, papel Hume pautado, cora enca-
dernaco de panno e papel e cora 50 folnas, um.
Dito em branco, papel fluine pautado, com enca-
dernaco de panno e papel com 150 folhas,
ura.
Dito em branco, papel fiumo pautado, com enca-
dernaco de panno e papel e com 200 folhas,
um.
Dito em branco, de papel Hollanda,, pautado, for-
mato tJassi com encadermejio de couro e
brini, com 50 folhas, um.-
Ditos de ditos com 100 foilias, um.
Ditos de ditos com 150 fallas, ora.
Ditos de ditos om 200 fjtflJs, ura.
Ditos de ditos com 303 follias, u:n.
Limpadores de pannos, um.
Loosas para comas, urna.
Lacre en pao, um.
Papel liume liso, resma.
Dito liume pautado, resma.
Dito hollanda lis3, caderno.
Dito de linho azul, resma.
Dito de linho branco inglez, resma.
Dito sera margeia para oflicios, resma.
Papel sem raargem cora inscnp;o para oflkios
resma.
Papel branco para oflicios, com ioseripgo, resma.
Papel rosado para oflicios, com iiicrioco, resma.
Papel pequeo para cartas, caixa.
Papel ministro para caria-, caixa.
Papel ran>:--ir.: eren liurbt-G?, cala
PapH mala b >rr ). car .lo, Mira.
Papd para mannas, foVia.
Papel pano un capas, folha.
Pen:u- ii'ai.M Per y, n. 130, caixa.
Pennas daca MaH< t caixa.
Pennas d*aco Americanas, caixa.
Pastas de oleado cora HorOes, una.
Pesos de vidro, sortidos, ura.
Rcguas de bano chata ou quadrada, com friso
de cobre, urna.
Raspadeiras cabo de osso ou uiadeira, urna.
Raspadeirs caivete, cabo de osso, urna.
Tinta ingleza para escrever, litro.
Tinta nacional, litro.
Timpanos de metal, um.
Tinteiros pequeos de vidro ou louca, um.
Tinta carmim, frasco.
Tiralinhas, nm.
Tesouras grandes para papel, urna.
Tallet de gutta percha, ura.
Vasos para esponja, um.
Conselho de compras da Repar-
tlcSo de marinha
Propostas para o fornecimento de diversos
arriaos de expediente para escriptura-
cXo deste Arsenal e suas dependencias,
.vvagem concert e passamento a ferro
di roupa da Enfermara de Marinha
:a provincia durante o futnro exer-
cicio de 1889.
De ordemdo Illtn. Sr. Capito tenente Manoel
\u'ts'o de Castro Meoaes, In3|>ector deste Ar-
sen-:i o Capito do Porto desta provincia, fago
pubc.J que no dia 1. de Outnbro prximo fu-
turo, a-; 11 horas dajuanh, em urna das salas
da S 'cretaria da Inspecro, de accordo com o
Decreto n. 10066de 20 "de Outubro de 1888, re-
cebe--:c proposta? para ocorneciment^de artb
para a escripturaco deste
Arsenal e soas dependencias, lavagem, concert
o passamento a ferro de roupa da Enfermara
.ie Miridia dosta provincia, a faber :
Xrligon de expeilientc:
Compa>-os liuos, um.
;:ras, urna.
.3 entre linas, urna.
Caivetes finos, um.
para papel, soitidos, caixa.
i de A. B. C, urna.
Catheciemo de Doutrina, um.
':athecismo Brasileiro, um.
CollecSes de compendios, urna.
CrayOes, um.
o, rolo.
Camiiainhi de metal, urna.
loppes pequeos, cento.
tos p;;ra papel ministro, cenio.
pura olbcios, cento.
Dito3 para ollicios com inscripego, cento.
Ditos in folio, um.
ivaninha pequea de vidro, urna.
vidro, urna.
osso para papel, urna.
Ditas de marfio para papel, tima.
Gomma arbica liquida, frasco
um.
Lavagem e concert de roupa d enfermara.
O prego de cada urna pega de roupa, lavada,
concertada e passada a ferro, com pregamento
de botes.
Cliscruifc
SSo deveres dos propanentes :
1. Organisar as suas propostas, altendendo a
que ellas, alem deserem em duplicata.escripias em
papel forte e cora dous centiraelros'de raargem,
palo menos, do ludo da junegu, fechadas, isen
las de sello, referentes especie de artigos dos
negocios dos contractantes, devero conter :
O nome do proponente no alto da pagina e os
artigos classilicados de conformidade com o edi-
ta! de chamada ; os nmeros e marcas desses
artigos, si a sua natureza o determinar;
O prazo improrogavel da entrega total ou par-
cial, si tratarse de artigo que dependa de fabri-
co ou tenha de ser adquirido era grande escala
e de urgente necesecidade ,
A declaracSo expressa d ; que o proponente
sujeita-se s condigOcs geraes dos contractos,
estatuidas no aviso circular ti. 1.087 de 29 de
Julho, de 1882 e modificadas tanto pelo novo re-
ul miento do sello, como pelo aviso circular n.
172 de 28 de Janeiro de 1884, e bem assim a
multa de 3 ), da importancia a que montarem
03 artigos que Un forem aceitos, se deixar de
comparecer para assignar o respectivo contracto
ou de assistir discussao e leitura da minuta
delle, tsto dentro do prazo que for notificado
pelo diario oOicial, e que nunca ser maior de
tres dias;
A enuraerago dos artigos, qualidades, pregos,
etc., por extenso, sem rasuras, emendas ou en
treliauas;
Um nico prego por cada artigo ;
A enuraerago dos artigos, qualidades. precos
etc., por extenso, sera rasuras, emendas ou en-
trelinhas ;
Um nico prego para cada artigo
A indicago da casa commercial do concur-
rente ;
Aassigoatura do proponente, ou se for firma
social, do socio ou socios que possam usar 4a
mesma firma, salvo cutorisago concedida por
instrumento de pracurago;
Entregar, por si ou por seus legtimos repre-
sentantes, directamente ao conselho, no lugar,
dia e hora marcados, nao s as suas proposlas,
como as amostras correspondentes;
Exhibir, no acto da entrega, alm da certido
do respectivo contracto social, quando nao se
tratar de firma individual, documentos que com-
provem ;
Haver pago como negociante estabelecido o
imposto de casa commercial relativo ao ultimo
semestre vencido;
Ser negociante matriculado. Todos esses do-
cumentos sero restituidos a quera os aprsenla r,
logo que se baja de proceder loitura da respec-
tiva pronos la;
Assistir, na sala das sessoes, leitura ex-
pressa no numero antecedente.
As fabricas ou estabelecimentos industriaes
do imperio, sero dispensados da condigao de
matricula na Junta Commercial, e, em igualdade |*
de circumstancias, tero preferencia sobre os ou-
tros concurrentes.
as localidades onde nao houver Junta Com-
mercial, sern a imittidos 4 concurrencia os ne-
gociantes de maior crdito, independentemente
da prova de matricula: devendo as firmas bo-
ciaes exhibirem a certido de scu contracto, con
forme preceita o art. 13, n 3.
Recommenda-se aos proponentes que organi-
sem as propostas de accordo com o numero.
Dos contractos
Tolos os contractos celebrados era virtude de
preferencia do conselho de compra sero annuos
e terminarao com o exercicio ou anno fraanceiro
em que tiverem sido effectuados, salvo se se re
ferirera a certo numero de artigos, cujo fabrico,
O feitura demande maior lempo.
Qnando fr necessario aos intereses do servigo,
serao os fomecedores obrigados a continuar o
snpprimento, mediante os pregos e radicos es-
tabelecidos em seus contractos por mais 60 dias,
sera que d'abi resulte direito prorogago dos
ditos contractos.
Todas as minutas dos contractos lavrados era
razo da preferencia do conselho de compras fi-
cario sujitas approvago da secretaria de Es-
lado dos .Negocios da Marinha. .
As amostras dos artigos correspondentes s
propostas preferidas, ficaro depositadas na re-
partigo onde o conselho tiver celebrado as suas
sessoes; ao passo que as dos arligos correspon-
dentes s deraais proposlas, se nao forcm retira-
das deutro de 48 horas, sero dadas a consumo
nos termos do regularoenlo da intendencia.
A concurrencia ser aunullada:
Quando no forera observadas as dispoeiges
do presente regularaento
Quando comparecer ura s proponentor salvo
se tratar se de supprimento especial;
Quando por motivos poderosos acreditar -sed.
que haja conlui^entre os proponentes.
Secretariai||a inspecgo do Arsenal de Mari-
nha de Pernambuco, 24 de Setcrabro de 1889.
O secretario,
Antonio da Silva Azetedo.
Conselho de compras da re-
particao de Marinha
Propostas para c suppriranto de medicamen-
tos enfermara de marinha d'esta provincia, c
aos navios de guerra fondeados no porto d'esta
cidade, durante o futuro exercicio de 1890.
De ordem do illtn. Sr. capito lente Manoel
Augusto de Castro Menezes, inspector d'este Ar-
senal e capito do porto d'esta provincia, fago
publico que no dia I." de Outubro prximo fu-
turo, s 11 horas da manha, era urna das salas
da secretaria da inspecgo, de accordo com o
decreto n. 10,066 de JO de Outubro de 1888, re-
cebe-se propostas para o aviaraento do recei
tuario da enferm ira ne marinha d'esta provin-
cia, e aos navios de guerra fundeados no porto
d'esta capital, tendo por base os precos do for-
mulario, que achu-se na secretaria da referida
enfermara, exposto consulla dos proponentes.
Observaron
Sao deveres dos proponentes :
ganisar as suas propostas, atteodendo
a que ellas, alm de serem em dupl
criptas era papel forte e cora dous centimetros
de margem, pelo menos, do lado da junecio,
fechadas, isentas de sello e referentes a especie
de artigos dos negocios de contractantes devero
conter:
O nome do proponente no alto da pagina.
0 prazo improrogavel da entrega total ou par-
cial, si tratar-so de artigo que dependa de fa
brico ou tenha de ser adquirido em grande es-
cala e de urgente necessidade ;
A declaracao expressa de que o proponente
sujeita-se s coudiges geraes dos contractos,!
estatuidas no aviso circular de n. 1,0*7 de 29 do
Julho de 1882 e modificadas tanto pelo novo re-
gulanento do sello, como pelo aviso ciraular
it. 172 de 28 de Janeiro de 1881, e bem assm
multa de 5 '/o da importancia a que montaren
os artigos que Ihe forera aceitosr se deixar de
comparecer para assignar o respectivo coalraclo
ou de assistir discussao e l"itura da minuta
delle, isto dentro do prazo que fr notiii
pelo iliario oflieial e que nunca ser maior de
tres dias.
A declarago de quo os amigos sero de 1.*
qualidade ; e qual o descont sobre o prego do
formularios, ce. par extenso, sem rasura?,
emendas ou entreliulias ;
A i.micagao da casa commercial do concur-
ren te ;
A asignatura do proponen!, ou se fr firma
social, do socio ou socios que possam usar da
mesma firma, salvo autorisaeflo concedida por
instrumento de procurc'
Entn-gar, por si ou por seus legtimos repre-
sentantes, directamente ao conselho, no lugar,
Administra^ao dos corres
de Pernambuco, 25 de Se-
tembro de J889
Mala* para Pedrn Tapada
Fago publico que de Outubro em diante a
mala para a agencia do correio de Pedra Tapada
pasaar a ser expedida nos dias 3, 8, 13, 18, 23
e 28 de cada mez.
O administrador,
Alfonso do Reg Barro .
liecebedoria Provincial
O administrador di R-cebed-iria Provincial
faz pujlico para conhecimento dos mteressados
que, por dttermiBaco do'Illm. Sr. Dr. inspector
do Tnesouro, liea prorogado at o dia 30 do
correte o praso concedido para o pagamento,
livre de mulla, das annuidades e mais servigns
da lleciferainagu Corapany, relativos ao pii
meiro semestre do exercicio em vigor de 1889.
Recebedona Provincial de Pernambuco, 23.de
Setembro de 1889.-0 administrador.
Lutz Cesario do Reg*
Companhia Locme-
t ra Pernambucana
ANMorcinin ge ral
De conformidade com o art. 11 dos estatutos
desta companhia, convido aos senderes accio
PRADO PERNAMBICANO
dia e hora marcados, nao s as suas proposlas, j nistas a reunirem se era aseejpbla geral no dia
cohm as amostras correspondentes; j 8 do prximo mez de OuiUbro, ao ratjio dia, no
Exhibir, ao acto da entrega, alm da.eertido; paleo do Carmo n. 1, escriptorio, para Ibes se/
do respectivo contracto social, quando nio se^ anreentado o balanco c mtis documentos refe-
tratar de firma individual, documentos que com-1 raptes ao eslado da companhia, e resolver-seo
provetn : rajUhor soore assumpto de intcre3se da mesma
Haver pago como negociante estabelecido o' ctnpanhia.

A
QUE SE REALIZAR
Domingo 29 de Setembro
imposto de casa commercial relativo ao uliimo
semestre vencido;
Ser negociante, matriculado. Todos esses do-
cumentos sero restituidos a quera os apresen
tar. logo que se haja de proceder leitura da
respectiva propona.
Assistir, na sala das sessoes, leitura ex-
pressa no numero antecedente. ,
as localidades onde nao houver junta com-
mercial, sero admittidos concurrencia os ne-
gociantes de maior crdito, independentemente
aa prova de matricula; devendo as firmas so
ciaes exhibirem a certido de seu contracto,
conforme preceita o art. 13 n. 3.
Dos conhactos
Todos os contractos celebrados em virtude da
preferencia do conselho de compras sero an-
nuos e terminarao com o exercicio ou anno li-
nanceiro em que tiverem sido effectuados, salvo
se se referirem a certo numero de artigo, cujo
fabrico ou feitura demande maior tempo,
Quando fr necessario aos interesses de ser-
vigo, sero os fomecedores obrigados a Conti-
nuar o.supprimento, mediante os precos < con-
digoes estabelecidos em seus contractos por mus
60 das, sem que d'abi resulte direito proro-
gagio dos ditos contractos.
Todas as minutas dos contractos lavrados em
razo da preferencia do conselho de compras
Hcaro sujitas approvago da secretaria de
Estado dos Negocios da Marinha.
A concurrencia ser annullada :
Quando nao forem observadas ts disposige3
do presente rcgulamento ;
Quando comparecer ura s proponente, salvo
se tratar-se de supprimento especial;
Quando por motivos poderosos acredibr-se
que haja conluio eutre os proponentes.
Secretaria da Inspecgo do Arsenal d< Ma
rinha de Pernambuco, 23 de Setembro de 1889.
O secretario,
Antonio da Silva Azevep.
Recife, 2i de Setembro de 18S9.
Andr M. PinheirrJ,
Secretario adhoc".
Per
Derby Club de
nambuco
Previno aos Illms. Srs. proprietarios fe pe-
quiras que quizerem inscrovel-os pala a
SI.* corrida a realisar se en O
de Outubro de 48S9
EM
PAREO DE PEQUIRAS DA PROVINCIA,.al 1
metro c 28 centimetros de altura, contar da li
nha de trra, que podero apresen tal os para se-
rem examinados e medidosSEXTAFEIRA, 27
DO CORRE.NTE das 3 s 5 horas da tarde, o en-
silhamento do PRADO DA ESTN IA.
Os animaes que nao forera medidos antes de
realisada a inscripgio. nao podero ser inscri-
ptos.
Recite, 2i de Setembro de 1889.
O gerente,
Henrique Schutel.
Oelonia Orphanolo-
gica Isabel
De ordem (Jesta Directo-
ra aviso aos parentes, tu-
tores ou protectores de me-
nores despachados at apr-
sente data para serem reco-
lhidos a esta Colonia, de os
apresentar at o dia 20 do
mez vindouro, julgando-se
cedido o direito adquirido
pelos despachos da Presi-
dencia, se o nao fizerem at
o referido dia,
Secretaria da Colonia Or-
phanologica Isabel, 20 de
Setembro ce 1889. O se-
cretario. Francisco Gon-
Qalves de Siqueira.
Thesouraria de Fazenda
Nul>*t i tilica o de notaa
De org-m do Illm. Sr. inspector, fago publico
que, na forma do edital desta Thesouraria de 17
e Juoho ultimo, no dia 30 do corrente mez
que termina a prorogago do praso marcado para
a substituigio sem descont das notas de 2004
da 5.* estampa.
Vencido esse praso, comegar o descont de
accordo com o preceituado pelo art. 13 da le
3313 de 16 de Outubro de 1886, isto : durante
os tres priraeiros mezes 2 0,0; at o 6. mez 4
0/0 ; at o 9. mez 6 0/0 ; at o 12 mez 8 0/0;
(faraute o 13." mez 10 0/0, e mais 5 0/0 mensaes
d'ahi por diante at que as notas percSo de todo
o valor.
Tbesouraria de Faxenda de Pernambuco, 9
de Setembro de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna
__----------------------------------------------------------1 ...........--------------
DERBY H
DE
PERNAMBUCO
mm ii wm
z
3.
Para a 21.a corrida
A. realizar-se domingo 6 de Outubro de 1889
"SV&^s llINIMUS 800 Metros. Peqniras da provincia at l,m28 de
altura. Premios: 150^KXX) ao primeiro, 30|JOOO ao segundo e 15)5000
ao terceiro.
TSk^.9 ONNIM l.SOO metros. Animaes de menos de meio san-
gue. Premios : 3000000 ao primeiro, 60^000 ao segundo e 30?J00O ao
terceiro.
"*VMA CONSOLACO---------SO metros. Animaes da provincia que
nao tenham gnho nos prados do Recife. Premios: 2000000 ao pri-
meiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
*VM PRADO DA ESTANCIA l.00 metros. Animaes at meio
sangue. Premios : 3500000 ao primeiro, 700000 ao segundo e 3o0OOO
ao terceiro.
?lk*?A ANJHACAO 00 metros. Animaes da provincia que n3o
tenham ganho no Derby em distancia superior a 1.000 metros. Pre-
mios : 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
tlkWA INTERNACIONAL i.SOO metros. Animaes de qualquer
" paiz. Premios : 5000000 ao primeiro, 1000000 ao segundo e oO0OOO
ao terceiro.
"SV^S PROVINCIA DE PERNAMBUCO -i.SOO^metros. Animaes
da provincia que nao tenham ganho no Derby em distancia superiora
milha. Premios: 2O:'0OOO ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000
ao terceiro.
Observacoes
Senio acceitas para cada pareo as 16 pujmeiras propostaa que primeiro forem
lidas.
S se realizarao os pareos $m quo se inscreverom, pelo menoB, cinco animaes
de tres proprietarios differentcs.
Nao podero inscrever-a/3 no mesmo pareo raais do dous animaes do mesmo
proprietario, ou tratados na mesma Coudelaria.
Cada enveloppe dever conter urna s proposta e ser recusada aquella que
nao vier acompanhada da importancia da inscripcao.
A' directora reserva-se o direito d alterar a collocacito dos pareos na organi
gaceta do programma.
A inscripcao encerrar-se-ha segunda^feira, 30 do corrente, s 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby Club, na ra do Imperador n. 22, 1. andar.
Recife, 26 de Setembro de 1
O GERENTE,
i:
nrique Schutel.
i
Xomcn
c
s
I'ello*
Lxaiuca-
ll.
c
Cor davettl-
menta
Proprictaron
ParcoInicio800 metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho premio nos pra-
dos do Rccffe. Premios : 200/ao i.", 40* ao 2. e 20* ao 3.
liCauby
2 Maraguape..
" 4
5
ti
7
S
9
10
II
li
13
1'.
13
Papacaceiro
ex-Barra...
Rio di Prata
II.......
Humilde.....
Berlim.....
Ramss......
Paladino___
Transclave..
Anselmo, ex-
Cacique...
Pao Brasil ..
Jaguaro..-.
Lurd Byron,
ex-Lo ..
Belga......
SansSouci...
4
lo
I
5
S
5
5
5
o
i
5
5
Gastando-----
Alazo-----
Rodado ...
Russo pedrez
Cachito
Mellado...
Castanho
Rodado
Alazo-----
Rusilhp ..
Baio......
Russo pedrez
Baio......
Baio......
Pernarnb.. 54 I
56
m 56
< 54
c 56
* 5i
56
56
> 56
c 56
* 36
56-
* 56
56
56
Branco. preto e ene...
Encarnado e braneo i
Azul e branco.
Encarnado e branco. -
Encarnado..........
Azul e rosa.........
Branco e encarnado.
Ouro e preto-----
Escarate e ouro
Encarnado e preto...
Grenat e ouro.......
Ouro e branco.......
2. Pareo i.
de J uiiio i,500 metros Animaes peiludos do paiz.
60/ ao 2o e JO* ao 3
A. M.
B. B. Fonseca Filho.
Francisco Coelho.
Felismino Leopoldino.
M. N. F.
J. Cavalcante.
F M M.
B. B. Fonseca Filhb.
Jos N. da Silva.
C. Depurativa.'
CnndidoH. Ribeiro.
A. M. S.
N.R.
. P.
D. Anna L. de Matlos.
Premios : 3003 ao !
Parahyba .
Cometa
Gallileu
Aymor ...
Favorita ..
Recife ...
Vulcano___
Castanho ...
Alazo......
Castanho...
Zaino.......
Castanho-----
Alazo......
S- Paulo..
R. de Jane.
S. Paulo..
52
54
52
54
52
54
54
Azul e ouro.........iCoud. Internacional.
Coud. tuzo Brasileira.
Ouro e preto .... Coud. Fraternidade.
Azul eouro.........P. V.
Maia 4 Crysostomo.
S. P.
Coud. Internacional.
Verde e amarello
Azul o ouro........
2. Pareo-Internacional-1,200 metrosAnimaes estrangeiros que nao tenham ganho pre-
mios em 1889 em maior distancia. Premios: 400* ao Io, 80* ao 2o e 40* ao 3o
Totti ......
Brazil......
Zngara, ex-
Stephame.
Feuillage ex-
Josephus..
Vanda ......
Alazo.
Castanho...
Zaino claro..
Inglaterra.
Franca ...
Inglaterra.
Franca ...
R. da Prata
48
50
50
54
52
Azul e ouro.
Branco couro.
Grenat............
Verde e amarello..
Coud. Internacional.
Coud. Independencia.
Coudelaria Temeraria.
G. Oliveira C.
A. T.
4. pareoConolaco850 metros.Animaes da provincia que nao tenham ganho premios
em 1889 em' maior distancia. Premios : 200* ao 1., 40* ao 2." e 20* ao 3.
Piramoa....
Corsario .. .#
Esquimo ..
Tupy.......
Pinta silgo..
Phariseu. ...
Humilde.....
Caim.......
Cndor.....
Lucifer.....
5
6
o
7
5
5
10
5
6
5
Castanho
Rodado .....
Baio........
Russo......
Castanno
Russo pedrez
Baio.......
Rodado ....
Pernarnb..
56
56
50
58
58
58
56
56
58
58
Preto e ouro
Preto e branco......
Encarnado e branco..

Azul, ene. br. e pret.
Xadrez............
Azul e grenat.......
Azul e encarnado
Coud. Bella-Vista
J. F. S.
A. de Miranda.
F. C. Rezende.
J. M. B. C.
Tasthersal Pernarnb.
M. N. F.
A. F. C.
R. Cardoso.
choa 4 C.
3. PareoGRANDE PREMIO -iniprensa PeraMaMM 1,800 metros. Animaes da
provincia. Premios : 800* ao 1, 200* ao 2o, 100* ao 3.' e 60* ao 4.-
Arumary ....
Monitor......
Guarany 2..
Templar
Mouro......
Florete ,
Iguara8s...
8|Beberibe...*
9|No se espan-
te ........
lOlCapibaribe ..
5
4
5
7
S
4
10
5
i
Alazo .
Husso
Rodado
Alazo
Castanho..
Alazo....
Russo
Pedrez......
Castanho
Pernarnb.. 54
54
51
54
54
54
* 52
54
54
64
Azul e creme ...".-----
Encarnado e branco.
Ouro e branco...
Branco.............
Encarnado e ouro
Encarnado e branco..
Oaro e preto.........
Preto, encara, e ouro
Azul eencarnado
Crdepalha.........
F. Siqueira & Bastos.
Coud Pernambucana.
J. Mello.
J. F. F.
A. Taques.
F. Freir.
M. P. F.
Coudelaria Beberibe.
J. J. A.
Milner.
6.* Pareo.Prado Pernamnaeano 1,700 metros. Animaes de qualquer paiz.
Premios : 400* ao !, 200* ao 2." e 40* ao 3.
Gladiator ex-
Derby
Irene, ex-A*-
pasia.....
Ernani.....
Apollo......
Vesper .....
Africana.....
Alazo.
Zaino.-
Alazo.
Zaina.
Inglaterra
R. da Prata
Inglaterra.
R. da Prata
50
48
56
52
57
54
Branco eouro.
Grenat--------
Preto e ouro .. -
Ouro e branco.

Preto e branco
Coudelaria Temeraria.

Guimares O. & C.
Artuur Silva.
Dr. Joo de S.
Coudelaria Emulaco.
Coudelaria Riachuello
pareoAninaco1200 metros -Animaes da provincia nao inscriptos no grande premio-
Premios : 200* ao Io, 40* ao 2o e 20* ao 3o
Village.....
Cupido.....
Cajurubeba
Tupy.......
Atheu.....
Good- ni o r -
ning......
Mellado.....
Russo......
Castanho
Baio.......
Castanho
Rodado .. ..
Pernarnb.-
56
54
54
34
54
N
Azul e branco.......
Ouro e preto.........
Encarnado e branco.
Xadrez............
Azul e branco.....
Jos Joaquim Dias.
S. N.
Coudelaria Depurativa
F. C. Rezende.
A. F. Cabral.
R. Cardoso.
(*) Montado por amador. cv
OBSERVACOES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem achar-se no ensilhamento
s 9 1|2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento
urna hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Os forfate sor&o recebidos at sabbado, 28 do corrente, 3 horas da tarde..
O animal inscripto em mais de um pareo, que deixar de correr no primeiro,
nao correr no segundo.
Qualquer reclamacao sobre corridas dever ser apresentada por escripto
directora.
Os jockeys que at sabbado 28 do corrente ao meio-
dia nao se apresentarem a matricula n'esta Secretaria,
nao podero correr no dia 29.
HORARIO
Encerramento da venda de poules Corridas
1."
2.
3.
4.
5.
6."
7.o
pareo.llb. 50
t 12.40
1.20
c 2.10
t 2.55
t 3.40
4.30
P.REQOS
12b.
12.50
1.30
2.20
3.5
3.50
-4.00
Geraes........... 1*000
Entrada e arebibancada ......
Entrada, archibancada e ensilhamento .... f 3*000
Cartoea de familia at 5 pesaoas.....
Ensilhamento........... 2^5S
Differenca para archibancada 1000
Recife, 26 de Setembro de 1889.
O GERENTE,
Francisco de Souza Meis.

!

'."


6
Diario de Pernaxabuco-Sexla-feira 27 de Setembro de i 889
De ordena fio IHm. Sr. Dr. inspector
deste Thesou o declaro aos Sr. collecto-
res Provinciaes, que aiida nlo completa-
ran! as suas nances, que o facam o pra-
o de 30 dia, a contar desta data, aob
pesa de serem suspenso at que as regu-
urisem, conforme determino S. Exc, o
8r. conselheiro presidente da provincia
em offlcio de 14 do corrente.
Secretaria da Thesouraria Provincial de
Pernambuco, em 25 de Setembro de: 1889.
O official,
Lindolpho Campeilo
Companhia de Edificado
Sio convidados os Srs. Accionistas da exlincta
Companhia de Ediiicaco, a comparecerem no
escriptorio de Moura Borges C, ao largo do
Corpo Santo, das 9 horas da aaoba as 4 da tar-
de, munidos de suas accoe*, aftm de receberem
quantia de 4*300 por areao, qaanto tocou no
rateio.
Recife, 20 de Setmbro de 18*.
Joaquiu do Ohveira Borges.
Irmandade
DO
Senhor Bom Jess dos Af-
ilie tos na igreja de S. Jos
de Riba-Mar
MEZA GERAL
De ordera do irrao provedor, convido a todos
os dossos caros iranios para comparecerem em
nosso consistorio as 10 horas da mantaa de do-
mingo 19 do correte para, em numero legal de
mesa geral. procedermos eleicae do novos
funecionarios que teem de reger a Lossa irman-
dade no anuo corapromissal de 1889 1890.
Consistorio, 86 de Setembro de 1389.
Miguel dos Santos Costa Jnior,
Escrivao. .
Club Carlos Gomes
Ko sabbado (28) ser empossado o conselho
administrativo, que tem de Tuncciouar no anno
oeial de 1889 90, havendo depois desse acto
ario dansante, para o qual os sentares socios
podem procurar seus ingressos. *
Secretaria do Club Cario Gome, 25 d Se-
tembro de 1889.O l* secretario,
Andr Costa______
- S. R. O.
octetlade RaeresUiva Cummercial
Assembla geral ordinaria
ELEICAO
De ordem do Illm. Sr. presidente, convido a
todos os seuhores socios a reunirem-se na sede
social, domingo 29 do correte, s i horas da
Urde, afim de proeeder-se a eleicao da nova
directora.
Secretaria da Sociedade Recreativa Lommer
al, 26 de Setembro de 1880.
O 1 secretario
Atlolpho Mendos Torre
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MSNSAL
O paquete Equateur
Commandante, Moreau
E'ejperadoda Europa no
dia 4 de Outubro e se-
gu i a depois da demora
neo fosara para
Sahia, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. paaageiro de todas as
;lasea que ha lugares reservados para esta
gencia, que podem toma- em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
ias que s se attendera a reclamacOes por fai-
na, nos volumes, que forem reconhecidas na
jecasio da descarga, assim como deverao den-
to de 48 horas a contar do dia da descarga das
ilvarengas, fazerem qualcraer reclamagao con-
;erneotes a volumes que porventuxa lenhain se-
ntido para oa portes do tul, ano de poder-se
lar a tempo as providencias necesearias.
Bate pagele illuminado ft las
elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
neiro a frete: trata-se com o
AGENTEj
Augmste Labille
9 Ra do Commercio 9
Agente Silveira
Leilo
De urna parte do sobrado n. 26 traves-
sa do Pcinho, freguezia de S. Jos
Sabbado 28 do corren te
A's 11 hora
A' ra Estreita do Rosario n. 8
0 Agente Silveira, por mandado e com auto-
risac&o do Exm Sr. Dr. juit de orphaos e a re-
querimento da inventarame de Sebasti&o Jos
Gomes Peona, levar a leilao urna parte do re-
ferido sobrado.
Prazo de 60 e 50 dias
Secretarla da liwirurnio Publica.
5 de Setembro de !
De ordem do Sr. Dr. inspector geral, taco
saber aos professores Jos Francisco Fioreniw
de Souza e Josepha de Godoy Vasconcellos, o
1." removido por acto de 24 de Agosto, da cadei-
ra do C dro de Caruar para a da Ilha de As-
6Umpcao, e a 2.' por acto de 23 do corrente, de
Alagoa de Raixo para a mixta de Afogado de
Ingateira, Rea marcado o praso de 60 das ao
i.', a contar de 13 do corrente ; e de 30 a 1,
a contar de 23 do corrate.
O secretario,
Pergentino 8. de A. Galtao
Banco Internacional
do Brazil
Participamos ao publico que, por assembla
geral dos accionista deste Banco, do dia 16 do
corrente, Ibi deliberado, por unanimidade de
votos, a fusao do Rasco Internacional do Brasil
como
Banco nacional do Brazil
CAPITAL 90.000:000*0
pelo que. do Io de Outubro prximo em diaDte.
funecionara a caixafflial do Banco Internacional
do Brazil, nes'-a provincia, sob aquclle titulo.
Recife, 26 de Setembro de 1889.
MARTIMOS
COVPtMIIt IMRVVMBl CANA
DE
reavega?o tostel ra por vapor
PORTOS DO SUL
Tamaudar e Rio Formoso
O vapor Pirapama
Commandante Carvalho
Segu no dia 29 do corren-
te s 5 horas da manha. Re
cebe carga at o dia 28.
Passagens at as 3 horas da tarde da vespera
da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambueana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante (arlos Antonio Gomes
B' esperado dos porto do sul at o
, dia 27 de Setembro ese guindo depois
|da demora indispeasavel para os
portos do norte al Manaes.
A encommendas so serao recebidas na agen
ca at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendaa e vate-
re trata-se com os AGENTES.
PORTOSDO SUL
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddingtoft
E' esperado dos portos do norte at
o dia 4 de Outubro e depois da d-
'mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
A encommendas sero recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e Talo-
re trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneirc & C.
6=Rua do Commercio=*6
1 andar
COMPANHIA PKB.\.4MBl'CAXA
DE
VaregaeiB costeira por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
^Uj^Segae m dia 28 de Setembro s 12
jjl hora da manha. Recebe carga at o
B^BB^Bdia 27.
Passagens at s 10 hora do dia da sabida.
ESCRDTTORIO
Ao cata da Companhia Pernmmbucanm
n. 12
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Ad vanee
E' esperado de NewYork-
at o dia 5 de Outubro
toe qual depois da d-
me: *a necessaria seguir
v para a
Baha, Ro de Janeiro e ftaato*
Para passagens carga, encommendas e cu-
nheiro a frete. trate-se : com os AGEHTKb. ,
D vapor Allianca
E' esperado dos portos d
sul at o dia 6 de Outu
bre o qual depois da de-
mora necessana seguir
pal'a O.
Para, Barbados, S.
MartlnSque e \ew-
Maraoho.
ThoBiaz.
York
Para carga, passagens, encommendas
oheiro a rrete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1' andar
e di-
Royal Mail Steam Packt
Company
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
BBB.
Bspera-se da Europa at o dia 27 de
Setembro, seguiudo depoi da demo-
ra do costume para
Baha, Rio de laaelro noolevl
* do e> Buenos-.4yre
Para passagens, fretese encommendastrata-
*e oom os CUENTES.
O vapor Don
E' esperado do sul no dia 29 de-8e-
tembro, seguindo depois dademora
necessaria para
go, SantLainpton e Antuerpia
Redcelo de pauagau
Ida Ida e votto
t i' Lisboa 1* classe t 20 i 30
i' Southampton 1" classe 28 t 42
'"amaretes reservados para os passageiro de
.'ernambaco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
om os
AGENTES -
^Linorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JeuN. 3
LEILOES
Sabbado, 28, deve ter lugar o leilo dos
movis da casa em que residi o Sr. Jacob Val
leomeider, na roa do Visconde de Goyanna n.
172, para onde partir um bond, que dar pas-
sagem gratis aos concurrentes.
Jerca-feira 1 de Outubro o de lazendaa de
le, chapeos, miudezas e 9 caixa com ferrageo.
|ouca de agatna e.'porcellana, no armazem da ra
do Bom Jess o. o.
Leilo
20 decimos com vinho verde tinto, 4 ditos
com verde branco de superior qualidade e novo
marca R. M. C. ; 10 caixa com vermoulh frau-
cei, 8 caucas com vinho scharre; 170 latas com
leite fresco, 6 caixas con bitter, 4 caixas com
cognac, 9 caixas com vinho bordeaux, 5 caixas
com aaeite francez em garrafas, 2 caixas com
meias latas de azeite doce, 5 barris com azeite
doce, caixas com licores de diversas qualidades,
5 eaixas com agua mineral selever, 1 pipa e 8
barris com vinho branco nacional.
fSexta-felra t do corrente
A'i 11 horas
Por interrenco do agente
Gusmao
No arnazeai raa do Mrquez
de Ollada n. A
jLeilo
De grande variedade ds mercadorias, constan
do de louca, vidros, jarros, fazendas e movis
existentes no armazem n. 48 da roa do Mrquez
de 01 inda.
Hexta-felra, *<* do corrente
As 10 112 horas
Pelo agent j Gnsmao
?gente Pestaa
Leilo
De um terreno com 120 palmos de fren-
te e 75 de fundo sito travessa da ra
do Principe pertencente ao espolio de
Felicia Mara da Conoeicao
Sexta-felra, 99 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazem travessa do Corpo Santo
n. 87
O agente Pestaa vender por mandado e as
sislencia do Exm Sr. Dr. juiz dos orpbaos.e are-
Hueniento do iaventariante Diogo Baptista Fer-
nn les, o terreno cima mencionado, que ser
vendido a quera melbor offrta fizer.
Da casa terrea bu do Conde da Boa-
Vi n. 36, ib tiBpiwri prprio
Sabbado 28 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazem ra Estreita do Rosario n. 8
O agente Silveira, por alvara do Exm. Sr.
Dr. juiz de direito do civel e com assiBencia do
awsmo, e a requerineoto da inventariante de
Geraldo Moreira da Silva, levar a 2* leilo a
laUfifi lu
Ag*ente Britto
3.- leilo
De predios
Urna casa grande ra Imperial n. II.
Urna dita travessa do Pocinho n. 28.
Urna dita* mesma travessa n. 30.
Urna dita ra Nunes Machado n. 6, no Espi-
nheirp.
Urna dita mesma ra n. 18.
Urna dita ra do Nascente n. 24.
O Srs. pretendentes podem ir ver ditas casas,
devendo ser este o ultimo leilo
Mabbado tS do corrente
A'/ 11 hora em ponto
No pateo do Paraizo n. 26
Leilo
De movis, eapelho, quadros, jarro, ob-_
jectos de electro-plate, licores, vinho e*
plantas, urna linda mesa elstica, obra
gosto, 1 silhSo, a saber:
Urna mobitia de Jacaranda, con tampos de pe-
dra, i dita de. junco preto, cadeiras da balanco,
espelhos dourados, quadros, etagere, casticaes
com mangas, tapetes, loueas, cortiaado, jarres
para flores, camas, guarda-roupa, 2 lavatorios,
SuarnigOes, enfeites de toilette, 1 rede, i jogo de
amas, cabidos, capitel, camas de ferro com
colxOes e travesseiros, 1 estante envidracada, 1
relogio, therraometros, 1 mesa de jantar, i guar-
da louca, 2 aparadores, i oleado para mesa, i
guarda-comida, caaeiras de balanco, louca para
cha e jantar, copos, clices, garrafas, compotei-
ras, bandejas, talberes, coiheres, saccarolhas,
quartinhas, latas de Flandres, mesas, trem de
cosinha, gaiolas para garrafas, mesas e taboa de
engommar, bataneas, ferramentas, trem de jar-
dim e moitos ostro objectos de casa de fami-
lia existentt'9 na casa da ra do Viscoade de
Goyanna n. 173, era freale ao Collegio de S. Vi-
cente de Paula,
Sabbado, 28 do corrente
O agente Pinlo levar a leilo os movis e
mais o ojelo cima mencionados existentes na
ra do Visconde de Goyanna n. 173, em que mo-
rn o Sr. Jacob Vallenmeider.
A's 10 horas e 5 minutos partir da ra do
Brum o bond da Magdalena, que dar passacem
gratis aos concurrentes.
O leilo principiar s 101|2 horos.
te Pestaa tejn para veDder os
declarad j :
n. 10, 1- andar,
ron. 14, i- andar.
_ b. 8, 1 andar.
Hu?. da Palma n. il casa terrea.
Ra de Loma Valentinas n. i, com sotao.
Largo do Mercado n. 17, 1- andar, com dnas
tojas.
Ra do Nogueira n. 13, casa terrea.
Ra Vidal de Negreiro n. 48, com sotao.
Ra de S Jos n. 74.
Ra Coronel Suassuna n. lil
Grande sitio na estrada de Joao de Barros nu-
mero 19.
Ra do Tambi n. 21.
idem idem n. 5.
Roa Visconde de Goyanna n. 107.
Ra do Rosario'da Boa Vista os. 11, 37, 39
e 41.
Ra da Ponte Velba n. 28.
Ra Visconde de Goyanna (Estancia) n. 163.
Raixa Verde (Capunga) ns. 1-B, 1-C e 3.
Ra da Santa Cruz n. 30.
Ra da Alegra n. 4.
Ra Gervasio Pires, com soto, n. 63.
Ponte Velha ns. 116 e 118.
Ra do Riacbnello n. 11.
Ra Madre de Deus, sobrado n. 16.
Ra Vidal de Negreiros, sobrado com tres
andares n. 86.
Ra da Im jeratriz, sobrado n. S.
Largo do Paraizo n. 19.
Ra Maior Agostiobo Bezerra n. 27.
Um chalet na travessa das Pernambucanas (Ca-
pun<*a) n. 3.
Todas estas casas acham-sc livrese desemba-
razadas : a tratar com o agente Pestaa, na
travessa do Corpo Santo n. 27.
Precisa-se de um menino cim pratica de
tatema ; na roa da Florentina n. 34.
Leil
ao
do sobrado de 1 andar e soto n. 38 da ra do
Dr. Joaquim Nabuco, oulr'ora da Ventura na Ca-
ringa. freguezia da Graca, em solo proprio, com
janellas e l porta de frente do pavimento ter-
reo, 3 janellas em cada oito, 3 salas, 3 quartos
cacimba, quarto fra, coxeira, estribara sitio
com algumas arvores de fructo, me lindo o pre-
dio 22 metros de largura e 8 de comprimento.
Terga-feira, 1 do Outubro
A 1 hora da tarde
\o armazem ra do Bom Je-
sais a. 45
O agente Pinto levar a leilao por mandado e
em presenca do Exm. Sr. i>r. juiz de direrto da
provedoria de capellas e residuos, sobrado ci-
ma mencionado, pertencente ao acervo inventa-
riado da finada D. Candida Senhorioha Vieira
Lasserre, 1 hora da tarde do dia 1 de Outubro,
no armazem da ra do Bom Jess n. 45, onde
ha ver um outru leilo de fazendas. chapeos
miudezas e ferrageo.
Leilo
Da grande fabrica Apollo, constando de todas
as mercaduras para preparar furnos, oflicma de
cigarreiro, de charuteiro, de ferreiro, de funilei
ro, todos os pertences, prelos, typo e mais per-
teuces, machiuas para cortar papel, litbographia,
urna fabrica bem montada para leos, machinas
a vapor para movimento das oficinas UBereates,
materiaes e bemfei tonas em todo o esta bel ecimen-
to pertencente a grande fabrica Apollo.
T.rrn frlr a Be Outubro
A's 10 < i|2 fwras
O agente Gusmo, aulorisado por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio, a rcquerimenlo
do Dr. curador fiscal da mesma massa Tullida de
D. Maria Amelia da Cunha, far leilo da grande
e importante fabrica cima mencionada, perten-
cente referida massa faUida.
Os pretendentes que quizerem examinar a dita
fabrica podero enlender-se com o meemo agea-
te ; garante sa o predio ao comprador da fabrica
sita ra do Hospicio.
Leilao
De fazendas
Constando de 24 sellins, louca esmaltada, feltros,
casemira de cores e pretas. ebeviott, topetes
grandes e pequeos, um grande e variado nu-
mero de chapeos de palba, feltro e la para no-
mens, senhoras e meninos, cassas de corea,
las, muitas outras fazendas e linda candiei-
aos gaz.
Terea-felrn 1 de Outubro
A's 11 horas
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
O agente Pinto levar a leilo, por liquidacao,
differeotes fazendas de le, taes como : caserai
ras de l, Htros, chapeos de differentes qualida-
des, cambraias de coi, omitas outras faztudas e
9 caixas com lunta de agatha e porcellaoa com
um variado e completo sortimento.
Leilo
Da fabrica Cajurubeba, constando de prensas,
depsitos, praparado j promptos, vasilhames,
40 pipas com extractos de jurubeba, canalisaco
i.* todos os mais pertences.
Quimu-reira IO de Outubro
A's 11 horas
0 agente Gusmo, autorisado por mandado do
Illm. c Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commer-
cio a requerimento do Dr. curador liscal da mas-
sa fallida de D. Maria Amelia da Cunha, far leilao
da bem montada fabrica de Cajurubeba, perten-
cente mesma massa fallida, cuja fabrica sita
ra Lu.z do Reg.
Garante se a casa ao comprador; est avaha-
da am 12:137^800.
Os pretendentes qoe quizr-rem examinar pre-
viamente podem enlender-se com o agente.
MuauBMUuuauua
AVISOS DIVERSOS
Precisa se de urna ama para cosiohar ; a tra-
tar na ra Direita n. 40,1. andar.
Alaga se o i e 2- andana ra da Roda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservaco ; a tratar na ra do Rangel du-
mero 65.__________________ ..______
Por Do se poder encontrar Dr. Argemiro
Ardxa, pede-se a este senhor "que appareca no
pateo do Collegio. __________^^^ '
Deseja se saber noticias do Dr. Lydio Ma-
rianoo de Albuquerque, no Pago- da Patria nu-
mero 50.______ .____________
ava-se e engomma-se roupa de senhora
ror preco muitoatn coala; ao Caawabo Novo a.
18. Na mesma casa fazem-se baudeija de bo
los para casamento e bptisados. e tambem fa-
cemse ramo de rosas para enfeites desalas.
toilette e bandeijas. As encommeada, n easo j
de querer, deixa-se escriplo o nomo da pessoa
e morada.
^ Precisa se de urna boa cosinheira ; na ra
da Imperatriz n. 21, andar. A cosinheira
deve dormir em casa dos patroes.
Para engenhos
Lopes & Araujo, vendem
a presos ^em competencia,
garantindo a boa qualidade,
os attigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jagaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de-peixe.
Pixe em latas.
jKerosene inexplosivel.
Polassia da Russia em caixa-
de JO e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
Ra do Livranionlo n. 38
Telephone 316
Gasa para alugar
~ Terrea, fresca, com agua, roa do Paysand
(passando a ponto do Chora-menino) n. 11 ; a
ratar na me?ma ra n. 19.
AZULEJOS
Para frentes de casas, cor-
redores, banheiros, cozinhas,
agougues, etc.
De valorde lOO^OOOomi-
lljeiro a 54^000.
RuaJIojario da Victoria n. 41
Cal de Lisboa
a 71000
Vendem Lopes & Araujo
Ra do Livramento
n. 3a
(oroarl Harcionlllo da Silveira
Lia*
O partid* republicano de Pernambuco, por de
terminacho do seu Directorio Central, tendo re-
solvido mandar rezar um memento peto seu Ilus-
tro e chorado correligionario coronel Harcio-
nlllo BafiHfBra Mu*, fallecido em Paris
a i de SetembrO corrente ; "convida os correli-
gionarios nao s da capital como do interior,
bem assim os prenles e amigos do Ilustre fina-
do, a assistirem referida solemnidade, que lera
lugar no prximo da de Outubro. trigsimo
do passamento, no convento do Carmo, s 8
horas da manha.
O directorio do pariido desde j- agradece aos
correligiontrios o seu comparecimento a esse
acto. ________
Franciai-o Anfoati* l**MtBAl
Jos Hermino Pontual, eeus iim^ic-s e cunha-
dos agiadeeem cordfalmenle aos seus parentes
e amigos que tiveram a bandade de acompa
niiar ao cadver de seu pai e sogro Francisco
Antonio Pontual, ao dar se-lhe sepultura ; e de
nove pedem lhes a fineza de sua assistencia s
missas que em suffragio d'alma do Uado man-
dam celebrar aaiaoli 28 do corrate, na igreja
da Sflledade, pilas 7 l/> horas do dia^_______
braluliano Jo* e*teira
Antonio Jos Gesteira, Maria Aoluues Gesteira
I^^^Bos convidam aos seus prente e ami-
go mt MMstirem as miss que por arma de
retada irrao, cuahado e to, ratuliauo
fallecido aa Balita no cua 1 do
n de ser rezadas na matriz da Roa
i horas da manh de 88 do csr-
PECTORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
As enfermldades mais dolorosos da garganta *
dos pulmSes, ordinariamente desenvolvc'm.e,
tendo porprlncl pi bases pequanas, calos resulta,
dos nao sao'dlfllois de curar se promptamente se
trato com o remedio conveniente. Os Resfri-
ados e i Toases dSo reciprocamente o resultado
de Laringitis, Asthuia, Brouchitis, Affec-
cao Pulmonar e a Tsica.
Todas as ramillas que tem criuncas derem ter o
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em casa para o usar em cuo de necessidade.
A perda de um s dia, pode em mnitos casos
accarretar serias consequencias. Por tanto nao
se deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de eficacia duvldosa, emquanto que
a enfermidade se apodera do systema e fie arraiga
profundamente, entSo que se neoeuita tomar
nesse instante, o remedio mais certo e activo em
eu efleito, e este remedio sem dnvida aiguma
o Peitoral de Cereja do Dr. Ayer.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-Unidoa.
dkfosito qeb
O OLEO PURO
-DE-
FIGADO de BACALHU
DE
LADTMA1T & EEMP
produz effeitos anlogos a os da
Emnisao com Hypopfaospbites'
do meamos senhoros, no ceso de
ser preferido o traetamento nesta
forma para o curativo dos incom-
modos
do Peito, a Garganta e os PniioM
Precisa-se de urna ama para cosinhar e lavar,
que d conhecimento de sua conducta ; na ra
da Aurora n. 67, andar terreo.
Ama
Para cosinhar, precisase ca ra Velha nume-
ro 137. _______
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar e com-
prar para pequea familia ; a tratar na ra Di-
reita n. 64, i- andar
Ama
Precisa-se de urna ama que coeinhe bem. para
casa de Familia; a tratar na rna do Hospicio
numero 41.
A luga-se
a loja, pnmeiro e segundo andares do sobrado
ra Duque de Caxias n. 28. asseiado, com
bastantes commodos para familia, encanamento
de gaz e candieiros ; urna casa terrea na tra
vessa da Ponte de lYho n. t ; a bastante gran
de, com 6 quartos, i salas, gabinete, sitio todo
murado, a margem do rio Capibaribe, com agua
da companhia do Beoeribe, e boa agua potavcl,
com bomba, deposito e banheiro; a tratar junto
ao mesmo sitio com seu propietario, ou na na-
dara a ra Duque de Casias n. 30.
Aluga
-se
o primeiro andar da casa ra da Aurora n. 81,
junto a estac&o da estrada de ferro de Olinda,
com grandes commodos para familia, gaz e
agua encanados : a tratar com Sebastio de
Barros Barreto, a ra do Vieario n. 31.
Alug*a-se
urna casa com commodos para familia, caiada e
pintada de novo, perlo do sobrado grande (Pas-
sazemi ; as chaves para ver esto em casa do
Telinho, no hotel. m
Alugfuel barato
Becco.da Bomba n. 8 loia.
Ra da Roda os. 58 e 60. .
Ra Visconde de Itaparica n. 43, ^armaaem.
Largo do Mercado loja n. 11.
Beccrrdo Campello n. 1, 1. andar. .
Visconde de Goyanna n. 167, com agua e ga.
Loja do sobrado do becco do Calabouco a. 4.
A tratar a ra do Commercio n. 5,1 anaa.
escr'.p'.orio de Silva Guimaraes & C.
O grande e importante estabelecimento de
Pocas Mendes 4 C, sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, coLtiguo a igreja, acaba de rec ebe
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
0 nico que, sem a minima confecfo, iiu-
portado neste mercado, e s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejara : o vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as seguinte8 vanlagens que as outras qualidadet
de vinho nao tem ; facilita sen a menor pertur-
bado a3 digestes do estomago, ainda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
a olhos vistos as pessoas debilitadas, e da forca
s que as tiver arruinadas pelo aso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos," cujos
propri jtarios capricham era bem trabs lhar neste
artigo, afim de terem a prirassia sobre tantos
OUtros similares, cuja couiposicSo duvidosa.
Em outros artigos como tenientes de hortaliza
e flores, linguas seceos do R o Grande, objectos de
vme e amneos do Porto para homens e senho-
ras, para isto to poueo temos competidor,
nossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certilkar podem comparecer, com
o que muito nos honraro. Aps urna infini-
dade de artigos de primeira ordem, que acham
se em exposicao, acjeece a ameiiidade do trato
com que timbramos tratar todos os que nos
honrara com a sua preseoco, junto a modicidadt
de precos sem rival.
Raa eatreita Jo Roarlo n. 9, Jnato
a >rej
Po^as Mendes & C.
n
Atten(jo
Aluga-se urna casa propria para estabeleci-
mento, com arinacao, em um dos melhores pofi-
tos da freguezia de Afogados, a qual acaba de
passar por urna grande recuficacao ; a tratar iw
pateo da Paz n. 96.
Cosinkeiro
Precisa-se de um cosinheiro ; a tratar na ro-
d Paysaad n. 19 (Passagem da Magdalena).
DE
Aviso
Hv
Alberto Henscgel & C Successorcs avisara aos
seuhores qninto annistas que o nraso para o
quadro dos hachareis finda se impreterivelmen-
te no da 30 do corrtnte mt-z.
Para criado
No sitio n. 5 da estrada de Joao Fernandes
Vieira se precisa de um menino de 10 it a li-
nos,- para criado e copeiro.
Gneros italianos
Vermoulh de Torino.
Fernet Branca (verdadeiro).
Manteiga (em latas).
Azeite doce, i.* qualidade.
Morladella de Boloaha.
Anisette (ricor).
Qaeijos, paxmejaoo e reggiano, etc., etc.
______ Raa do Boga Jeaua n. 61_________
Caxang
Aluga-se a casa amarella sita no Ambol : a
tratar na Resma casa _____________
Vaceina
Vendc-sc da melhor, na baatwt
Rooquaroy Frrea, a na
JAGARIBE
a4|>a barrica
com o abate de 10 0\* em por^Ses mais d
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
Sement de carrapato
Compra se em grandes e pequeas quantida-
desepelo maior preco possivel ; no armases-
de mereparia de Gomes Al ves 4 C, ra Via
de Negreiros n. 86, antigo pa^eo do Terco, *>
na fabrica de leos vegetaes" ra da Aurore-
numeao 163.____________________________
Pataces
Compra-se na praca da Independencia nuflw-
ro2J.
Visto nao correr a terceira lotera de S. Pauto-
de 24:000 Domet de Setembro, a rifa de joias
(para amigos) correr com a primeira lotera d*
Outubro (4. da 149.*).
B&pecialidades
DA LOJA DA BA DA IMPERATKIZ N. 80
Ricos espelhos dourados oves para sala
a 5O0COO.
Bonitos candieiros americanos para tsdit-
a 4W0OO.
Ditoa jauore8 a, 1500Q.
Ricos cortinados de crochet, grandes, par
can* a 3O*J00O.
Corttjflpos de cores, ph&taaia, para ja>
nella, metro a I18OO.
Rica bandejas esmaltadas de madreperola,,
terao lfiOOO.
Lindas caSbraias arrendadas, finas, para-
vestidos.
Candieiros de p, inexplosivog, de Beriixa.
Especial oleo high-Iife para o cabeMey
frasco 1(5000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, doas*
pospentos a 12^000.
Sapatoe para casa, especiaes para desata
a 500 re.
Florea artificiaes.
GralSea pretos com vidrilhoa, precoa n
competencia.
L&a de quadros, covado 160 re.
Etamiaes de -1S, duaa largura, coTa4
1,9500.
(rande sortimento de perramarias, sai-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL &
*vil
Para ^multar
No 3. andar do predio n. 42 da
Duque de Caxias, por cima do Diario i
Pernambuco, precisase de urna ama qa
saiba cozinbar bem.
INSTANTNEA
(MARCA REGISTRADA)
Tinta de copiar sem prensa
52Ra do Amorim52
KSNATY RODRIGUES & C*
Esta maravilhosa tinta de copiar a MAI3-
TIL descoberta americana, lsnpre*eiiMlivc>
a lotlH* a* pensoa* que escreien
le, sem uso da classira e tradicional prensa
de copiar, deMeJam guardar copla -
(Ida. inaliiirnvcl de puh trabalRaa
maiimxripIoN.
A i.\>*taxtaxea o mais prompto auxi- .
liar material para a Correspondencia Coot-
mercial ou particular, porque simpliltcando
trabalho, dimmue-lhe tempo: o escriptnrario ni*
necessita sabir da sua carteira ou mesa para le-
var o manu ;cripto prensa de copiar, retira)-*
da mesma, voltar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da 1NSTANTA- ,
xea para a sua esrripiuracao do Diario, Caixa,
Contas Correntes, Facturas, Contas de Venda,
frecos Correntes, etc., podem obter duplica
autbentica, d'esses livros em papel de seda.
A iwitaxtaxea depois de dar copia
conierva se inalteral, preta fixa nao s no -origi-
nal como na copia.
A INSTAXTAXEA nao oxida absolutamen-
te as penoas, assim como nao demanda pena
especial para com ella escrever se.
Com urna esponja, ou pincel embebido n'agua, hu-
medece se ligeiramente o papel de seda propri
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor-
rao, coltocase o uianuscripto em baixo do pape
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se a*
mao rpidamente em todas as direceties, e a ca-
pia < admiravel; ntida, INSTANTNEA.
Tambem d copia, correcta, sem molhar o popel
de seda
Precos de venda a dinkeiro
Um frasco..........v......... i*V50O
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 ris, meias ditaa,
a 500 ris.
\
-


I
v-
fm
Diario de PernambucoSexta-feira 27 de Seterobro de 1889
A NOTRE DAME DE PARS
as
Os proprietarios deste noy estabelecimento pr^vinem
ExiiKis. familias e ao respeitavel publico, que acabam de receber
um grande e variado sortimento de novidades do melhor gosto
parisiense, qi*e sero, em vista do estado favoravel do cambio, ven-
didas por presos excepcionaes.
Todos os dias das 8 horas da manh s 8 da noite.
Alugam-se as seguinte*
casas
Ba do Rangel n. 73, 2- andar, com bont
commodos, muilo fresco e perto do mercado
ra do Fogo n. 50, com duas .salas muito boas,
quaftos e cosinha fra ; ra da Roda d. 46, loja
propria para pequea familia : a tratar na rus
do Cabug n. 16-A Venturosa____________
Attengo
Na engenhoca de Bemfira, ra Real da Torre
a 21, vndese um grande alambique'de cobre
com todos os pertenoes, laxas de ferro batido e
fundido de diferentes tamanhos, grandes cubos
de louro para fermentac6es vinosas, rodas e ro-
detes de ferro de engrenagem, etc.. etc.; a tra-
tar na mesma.
JUNTO AO LODVRE!
20Ra 1. de Margo20
Banda hespanhola, todas as corea a 20000.
larguras, a 10000
larguras,
Etamine lia a >00 rs. o covado.
Sargelins, tdas as cores a 200 rs. o
corado.
Lencos brancos a 10200 e 10800 a duaa.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 13i}000 um.
Guarnidlo de crochet a 70000 urna.
Merino preto a 800, 10000 10200, 10400
10800 o covado.
Leques transparentes a 20500 um.
Cortinado bordado a 60500 o par.
FustSo de c5r para roupa, a 800 [rs. o
covado. *
Bicos brancos e de cores a 10800 e 20500
Colchas de fust&o a 40000 urna.
Cretones a Derby Club a 240 e 280 rs.
o covado..
FustSo branco a 360 e 600 rs. o dito.
Orinalda para noiva a 70000 urna.
Collarinhos e punlios de celluloid.
Setins, todas as cfires a 800 rs. o^covado.
Las amazonas a 400 rs o covado.
Palitots de seda palha a 80000 um.
Palitots de alpaca preta a 40500 um.
Palitots de toile pardo a 40500 um.
Palitots de alpaca de cor a 40500.
Ceroulas de brante a 150000 a duzia.
Pecas de esguiao de algodao a 30500.
QuardanapoB de linho a 20200 a duzia.
Chambres para homem a 50000 efl60OOO
Vteias fio da Escocia a 10500 o par.f
Brim pardo a 280, 320,400 e 500 rs. o cor.
Cachemira de quadro a 280 rs. o dito.
mi* de cores a 440 rs., duas larguras. Bramante de linho e de algodao.
Para banhos salg-ados
Cbslusae para senhora a 100000. ICostumes para meninos a 50000.
Satos paia Lomens 80000. | Boleas de palha para o mesmo fim.
ESPECIALIDADES
arda p para senhora 100000. I Guarda-p para horneas 60000.
Cieos cortes de casemira para caigas. | Lindos cortes de casemira paia coertumes
ExtratOT, meias, entre-meios bordados, baleias, aspas, sabonetes,'collarinhos,
fKmhem, regatas, principo de Galles, cretones para cobertas e outros mnitos artigos.
D-se amostras sem penhor e manda-se levar' quaenquer amostras em casa
jtt Exinas. familias. I
CSfcebemiras lisas, duas
covado.
^fctthemira de listras, Jduas
10000 o dito,
tfcfc&a de 12 bordada a 10000 um.
Guabraia Victoria a 20800 a pega.
Cambraia com salpicos a 30800 a peca.
Gaixas com longos, para presentes, a
30000.
Lavas de seda a 20000 e 20500.
fffanellas de cores para camisas a 280 rs.
eevado.
Colchas de cfires a 20000 e 20OO urna.
Eapwtilho ouraga a 40OCO e 50000 um.
Cbatiaas brancas a 20000 urna.
adapoiao americano a 60000.
Vtaflias para banho a 10500 urna.
Cksttkas de Banella a 30500, 40 c 50000.
fctrato Rita Sangal a 20000 um.
Hito Port-Veine a 10500 um.
?IbutiiiH preta a 700 rs. o covado.
BgttM branca a 400 rs. o dito.
IXta preta a 300, 500 e 700 rs. o dito.
Panno da Costa para meza.
do bordado a 10000 o metro,
arrendada a 400 e 440 rs. o covado.
Lences de bramante a 108< 0 e 20000 um.
Gabertores eacuros de la a 1700 um.
To*lhas para rosto a 305( 0 a duzia.
Cartea de seda para collete a 50000 um.
Oartes de fustao para collete a 20500 um.
tista de cores a 120 rs. o covado.
fM0 611L
44-414. B4R401)0 TRIIHPH0-44
Machinas a vapor
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
Indispensavelemtoda a elasse de vivendas
PARA
Familias, hospitaes, lavadeiras, hoteis, administraefies, etc., etc., a NOVA MA-
CHINA AMERICANA AUTHOMATICA para lavara roupa branca.
Proco franco de porte e alfandega So francos
Garantida por 5 annos como solidez e funecionamento perfeito.
Grande diploma de honra de Pariz, 1888. ExposicSo Universal de Pariz, elasse 51
A machina americana authomatica para lavar a roupa branca adaptase a qual-
quer forno em tres ps e se aquece com qualquer combustivel. ^om meio arratel
s de sabao se lavam em urna hora 80 pegas de roupa de todo o genero, ficande
branca como a nev, sem esfregagao nem ingredientos nocivos. Sobre pedido pros-
pectos franco. nica casa
22, ru d'Armaill Richard Schnelder 22, ru d'Armaill
PARIZ Inventor e fabricante pikix
No anno de 1888 venderam-se em Franga e no estrangeiro 86,859 machinas (com
certificados)
MEDALHAS DE 0UR0, PRATA E BRONZE
Pedem-se representantes, depositarios, gerentes, podendo dispor urna garanta. (2248)
Hotel doMastro
Estabelecimento montado com todo asseio a
commodos para os viajantes, como seja: boa
dormida, boui tratamento, e cocheira para os
aniniaes que o freguez levar, existente na Hussi-
nba junto estaco, para o qual chamamos a
attenc* do publico. ____
kAm
GRAGEAS
FORTN
INJECCAO
U,aitHcu $
Oo#JWbj. Cubtbm
nmumhli i farro. Blsmwfo _
Uoalra. Ter*t**tnlna, f HHHHHBhHB tooHont
A* IHOBIiH FORTN, forte m pnmeirm* qua obtTeraai approTaac*a
aiM m M HocpitaM. Csrtri molMllu
mmim rcfcaldet aam fatigar oa aatomagoe mala daDoadoa.
A mmOQ&O FORTN a mmpn reeomnandada aoao o
.a-V a *<*, mailiiii V
Tigipi
(uuslanlino de Brrelo
Convida-se a este senbor a comparecer ra
do Bom Jess n. 23, para prestar contas das
cobrangas que fez no termo de Agua Preta, em
Margo prximo passado.
CURA CERTA
ae todas 5 Affeocefs ptlakXMKU
CONSTIPAQES e MOLESTIAS do PE
ANTIPHLOGISTICO
DE
PARS, Pharmacia BRIANT, 150, ra de Rivoll, PARS.
XAROPE
BRIANT
As celebridades medicas de Pars rccommeodao ha mals de 50 annos o
I XAROPE BRIANT como o medicamento peiloral de oosto mais agradavel e
\ae effteacia mais certa contra OS DaQoxos, Conatlpa;6e, Catharroa, etc.
Ette Xaropa nanea fermenta.Deve-se exigir a Brocliura em aove liaguas,
| com 4 asslgualura bem slve do Inventor:
DBPOSITOS BM TODAS AS PRINCIPAHS PHABMACIAS
CASA DE CONFANCA
ii:
AMARAL & C.
CAPSULAS THEVENOT
Tratamento daa doangaa do paite
a todos os degrAos.
Ateatro.
Alcatro Creosotado o Tolii.
lodoformio (Ether lodoformado).
Creosota lodoformada.
Creosota de Tala.
Oleo de ngado de acalMu creosotado.
Balsmicos creosotados.
PAUL JLLIEN
Ten'ho a honra de participar o respei-
tavel publico e especialmente aosmeus fre-
guezes, que mudei a alfaiataria da ra da
Imperatriz para a do Bar ao da Victoria n. 50,
onde com mu ta satisfac.no espero suas or-
dens.
Todos aquelles que sollrem
Ido peito, devern experimentar
Mi Cipsulas do Dr. Fournibh.
Depositarlos em Penumbato:
niANCISCO M. d SILVA O".
11
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de ]
quena familia ; -u tratar na ra Duque de (
xias n. 77-A, loja.
a-
Ao clero
C culto catholico com solemnidade sem minis-
tros tagrados, pelo bispo d'An)?ra, 1 rol. 5*000.
Com este livro ticam habilitados os reverendos
vigarios e curas capel les a celebraren] em suas
igrejas, por mui pobres quesajam, asprincipaes
festividades seno com pompa, com simplicida-
de attrabente. Vendem Ramiro M. Costa AC,
na livraria Contempornea, ra de'Marco nu-
mero 2.
Est para alugar
a casa assobradada da ra Joaquim Xa buco n.
22 (Capunga) mnito fresca, com agua, gaz, bom
quintal, c todos os commodos para grande fami
da. Na mesma dir-se ba com quem se trata
Vinho Collares
genuino
E.m ancortas
Genero sunerior. remettido para consumo
particular, por preco sem competencia. Vnde-
se no trapiche da Companhia, largo do Corpo
Santo n. 19-
Depoeltarloe m PERNAMBUCO: WtAJT
edalba nrran
0 OLEO CHEYBIER
i tis^irttcUdo #>Q AlcatrlA,
Utico t tjtieam co. Qu '-tuto
agmmta m fropritdttm do j
0 OLEO de FIGADO
DE IKUAO FERRUCINQSO
t unle* p'tprtcio aut perm,tt
tdmnietrMr o Farro nm pro-
duilr Priado da Veore, ot
loconunodo.
BlfOSlTO Vt IB MIS
tt,n* di Firt-lonmarir. 21
BRANCO.L0IR0
trvE FERRUGINOSO^

#

dplcHadenon ra
RKCKITADO POE TODA! AB
Celsbrldadei lCsdlOM
D\ FB A!C EDA IL'ROPA
RDtRTAS M FEITO,
JFFi.CgOES ESCROFULOSAS
CHLOROSIS.
ANEMIA, DEBILIDADES,
TSICA niLMONAR,
MllMCHITES, RACHITISMO
V inho de Coca
LICENCIADOS PKLA INSPECTORA D HYOIENB DO IMVEBIO X) BRAZIL.
RONZE
ftNDICO .DE SINOS
LU1Z DA CRUZ MESQ1TA
. 66ra do Baro do Triumpho66
iCeixi para vender o seguinte:
Maehiaas de cobre para fazer espirito de destilliir e restillar.
Alaanbiqaes de cobre do antigo e novo systema ce m esquenta garapa.
Aerpenflaas de cobre e de estanho.
Carapneaa de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Dojnbas de todas as qualidades de repiichos, aspirantes e continua?.
Tornciras de bronz e madeira de todos os tamanbos,
Caaos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repart deiras, passadeiras e escumadeira de cobre e de ferro estanhade.
Cabr em lencol e arruelas.
- Sola inglesa e do Rio.
Ca Aisios de 1 libra at 110 arrobas.
E mnitos outros objeetc-s
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de encommenda, garan
As maes de familias
QEKEIS VOS80S FILHOS SEMPRE SADICS ?
Adminwtrae-lhes o xarqpe ou as
Plalas Vrrmipiirgalivas
DO DR. CALASANS
ptimas preparadles de mastruz
e rhuibarbo, para a expnlsSo completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos on lombrigas
(DAS CBEANgAS E DOS ADLTOg)
SEIS ANNOS DE SUCCESSOJ ^
< Estas excellentes preparacSes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto seren purgativas por si mesmas. >
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
POS9S0, sensayo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, o
s vezes, vmitos. Rangem os den tes, quan-
do dormem, algumas e pessoas expolien!
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As criancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levara impresso o nome do
DR. CALASANS e sSo c6r de rosa.
1 caixa de pilulas %200
t vidro de varope lp200
AS PRINCIPAES DROGARAS E
_____PHARMACIAS_______
Engommadeira
Precisa se de urna engommadeira na ra da
Aurora n. 119.
CMor ose, AnemiaCatharro pulmonar, Bronctilte cUro nica,
Altharro da textga, Phtislca, Tosse conuulsa, Dyspepsta, Pallde?
Pardas semtnaes, Catharros amigos e complicados,
Moilnv%rcl aenaln 1, VAX1V o oa< vrtonraa P'oar-jii ets-
Uetieliic ftt rciMoMWa t rtrtl.ne te imotn 4o //.'.
CAPSULAS de SNDALO CITRHf.
de
Pisprmelo fHn tata <
MOLESTIAS ^EOHHT
j 4o que tt famouu CapxuUu unlrersmltmmt* rmwwiliito ftai
Uma ox (oom MiiuouOet cantptmtMM pan t*mU"-.Dt*) onn *erlin0ot daatro i* na
"^rifcn
AJIH. H.W rstm LIVERPOOL. MfTA T, t\KtlVMtK 1TWBB, m LOHOUS.
E*HBi
A|>MaCI*H
EXCVDKRVACAO MU\U
39-RA DUQUE DE CAXIA8-89
Sato antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
mais aperfeicoadas e movida a vapor, acha-se em condijSes de executar qualquer
trabalho em
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartos de
mdicacSes, mappas, procos correntes, aegoes^ bilhetes de loteras e rotlas de todas
as qnalidades em preto, ouro ou eflres.
Sto presteza, perfeicSo e precos mdicos, para o ifc
VK,*Bl! praso oh dinheiro com descont.
ue tem possoal habilitado.
AVrwttfCfS
1891
UmmUn Mi iiifNttrii < Itsm a < "*
QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debilid&de
____Ola das Febres
todoa4cwUmUSi^f^^-iua,Stm^MatdtitkemSHU USbirateU.
VIWHOS TITy OSSIAW HENRYl
Brocharas, cartonados, encadernagSes, livros em branco para o commercio e
repartieses, tendo para este fim nma excellente naebina de pautar.
AETOES BE VISITAS
Variado sortimento em cartSes para visitas, participares e convites de casa-
monto, bailes. menus_, felicitaoSes, etc., etc.
Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impress&o, tintas, vernizes t
hla.
A fell?; rouniro, n'osle i.reparado. dos dous tnicos por excellencla, a QUX1TA
c 0.S5Rao' SoMHtu0 ITn Precioso medicamento contra a vh'orte,
puili^u*, Anemia, Florea branca; ConsUtuicOem jtrmeaa, etc.
PARS, BAN Sl rOURNIER, 43, ra d'AmsUrdam.
o em rerwimbtceo FRAN" M. a SILVA le O^
ibos de aluguel de casa, pa
irtigos para tj pograaphia e lflhograp
Manoel J. de Miranda
Telepljone i94
de FIGADO FRESCO de BkCkLHkp, MATURAL 0 H1CWAL
trascripto daada o annos. sb> Franca. Inglaterra. Hsspanoa, rort'jmi. Brasil.
ili'i '
i
PAPEL RIGOLLOT
MOSTARDA EM F0LHA8 pin SINAPISMOS
IMOISPENSAVEL AS FAMILIAS
AOS VIAJANTES
Usd* ao mando inteiro.
+
NADA DE
?BRDADEIRA
que nao leves
FIRMA
atrfts
com
tinta
UCUI1U
O malo
simples,
o mals
commodo
e
o mals
efflcaz
dos
Revulsivos.
EXIGIR
ata maw^A
para evitar
a ContrafacQea. I
DEPOSITO SEBAL: AVEWTE VICTORIA. 24
,R*W8
Quarenta por cento
Pechincha sem igual
Vende-se a loja de louca pa da Imperatriz
de qtw-
di rija-se
n. 13, dando-se ao conprador o abate de q
ifz
renta por cnto ; A pessoa que qafzer
i mesma._____________
Boa Yiagem
Aluga-se urna casa de constraccao moderna e
bem asseiada, com bastantes commodos e mo-
bilbada, sitio morado e bem arborsado. com
portao de ferro, e situada na melhor localidade
da mencionada pvoac^p ; a tratar no largo do
Corpo Santo n. 4, I- arioar.
Professora de piano
Urna senhora perfeitamente habilitada e com
pratica de cnsioo, offerece s Exmas. familias
os seos 8er?icos como pianista : pode ser pro-
curada ra do Queimado n. 74.
fiAIBMQ 1SM
A RA BARAO DO TRIMPHO
N. 100 A 104
Tem para vender tri-sulphi-
to de cal, que nao s faz abe-
jar muito mais o assucar, co-
mo evita o grande gasto de
cal no fabrico do mesmo.
A' caridade publica
Marianaa de S. los Cavalcante, sobrecarrega-
da de tres netos menores, deixados na orpban-
dade pela morte de seu Gibo Balbino Rabeilo da
Silva Cavalcante. orphaos de pai e mi, e na
idade avancada em que se acha, Ihe somma-
mente pesado procurar-lhes meios de subsisten-
cia ; Tem implorar daquelles que, pesando a
sua 8ituac5o. ne possam vir em soccorro com o
pouco que queiram dispensar, certos de que
Deus os abencoario. A supplicante reside roa
da Concordia n 231.
MUDNC\
Cunha Carneiro & C. mu-
daram o seu escriptorio da
travessa do* Corpo Santo,
n. 23, para a ra Mrquez de
Olinda (antiga da Cadeia)
n. 36, h andar.
AlimentoiCrianQas
Para remediar a fraque das orianras, desenvolver
suas rorros s presrvalos -las ioncas ttnra, os principara Mdicos de Pars, memroa
da Academia de Medicina de ?aris, receito com
ptimo xito o verdadelro
acahout des Araba t Delangrenier, i Parle
Es te agradavel aliroentacompasto com substancias
vegetaesnutritivasefortalecedoras divide-sena eco-
noma tldate, pelas suas propriedades analpticas,
aielhora a composlco do lelle das senhoras que ama-
mentao. e acorda as forcas lnguidas do estomago.
Sl, ra TiTieue, Pvi*. Bipwilw ui tUrmuiu i lutS eiUirt,
MEDALHA r>E OURO
DA ACADEMIA NACIONAL
DO DOOTOR
VIVlEN
com EXTRACTO de
FIGADO de BACALHAO
Mal tffleai anda do que o oleo escuro. Ot iibor
multo agraianl. Sem delxar percebero menor mc gosto.
receltado por lodos os mdicos pf.ra o
Racbitismo, Escrophulas, Anemia, Tialea,
Oat&rrbo Pulmonar, Contpac6aa,CttoKj#,
laolaatlaa do Palto, etc.
Em todas a Pharmacaa
PARS, Boulavard de Strasboung, UO
preto superior
meilior que ha no mercado
2SOOO a libra
Carlos Sinden est vendendo por este preco
para liquidado de facturas.
Tm tambem um grande
sortimento de camisas, colla-
rinhos, gravatas, meias, ca-
misas e seroulae de la* e de
algodao, que vndem-se por
precos sem competencia.
48
Ra do Baro da Vic-
toria
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA
Escedq todaa bs oatras pelo mu
perfume xqnUrto.
EAU BE TOILETTE DE LONDRES
DC XTKINSON
luoomp*ravel p*r refrescar e gnavizar a
palle pela in^xccdirel eecolhA de
rerfAimes pr o lroco. Artigos noToa I
preparados jx\CrS Inventores exclost'
Tamente.
EncOfl'.ra-se em Casi de tedoe oa *J-
c antes o Fabricantaa
J. E. ATKINSON
24, Od Bond Street, Londree
Mar; d fAbrtc Vmn\ B ** *
sotar* a Ljrt % onro "
com wwfwgn m totala*.




^^1.



I
m

'1
>

iario de PernambucoSexta-feira 27 de Setembro de 1889
VENDAS
Vende se um terreno em solo proprio, com
J8 palmos de largura e 120 palmos de fundo,
contendo duas meias aguas sob n. 28 G, sitas
ruado Trinche, da freguezia da Boa Vista, com
meiacao no oilao e muro, rendendo raensalraente
de aluguel a quantia de UJ000 : quem preten-
der dirjase ra Barreta Menezes n. 1, arma-
zem de fumos, onde achara com quem tratar.
Grande novidade
A Loja das Lisiras zoes
Est vendendo fazendas muito baratas
Com descont
a quem comprar de 200000 para cima.
Hadapolo lavado com um metro
de largura a 80800 a peca,
Horlm das Lustras Aziies com
20 varas, a 60000, a pega.
Chitas percales finas, cores seguras a
180 e 200 rs.
Cassas de urna so cor a 100 e. 120 rs.
com palminhas.
Lanzinhas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de Uohos com 16 1/2 co-
rados, tecido phantasia, a 4)5000
Bordados finos com 3 metros a
500 rs.
Bicos forneos a 600 rs., a pega
com 9 metros.
* argelina diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 rs.
Crinolina de cores para vestidos a
360 rs. o metro.
Luvas de seda, lisas e bordadas a 10.
Leones transparentes lindas cores, a
2*000.
Grinaldas com veos para noiva a
7*000.
(Setlm de Maco bronco, q/de todas
as cSres a 750 e 800 rs. ~
Cortinados bordados para cama ou
janella a 60000.
Flchs pliuntasia a 800 rs.
Leos de seda a 500 rs.
E multas fazendas que se vende por
qualquer prego.
Trocase a fazenda vendida se n3o fr
de muito agrado para quem fr comprada:
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Surprws agradar*!
UM RETRATO.
Que se offerece a um amigo no dia do
seu ann i versar io
De 2:>S000 at I00$000
Obtem-so um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, e com cordoes de 13 e
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
da America
POR FRBD. PLATT
Qualquer familia que desejar um per-
fecto retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartSo de visita, nSo im-
porta qae sea antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello, para ebegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Esto expostos ao publico na
AGENCIA GERAL
Loja das Lisiras zoes
BA DUQUE DE CAXIAS 61
Para as Exmas. familias verem o quanto
3o lindos, e muito fcil fazer encommenda.
QUALQUER MCOMMENDA -
Por maior que seja se prompta em me
nos de 90 dias, e restjtue se a importan-
cia recebida, se nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ce-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO PAS
pi<:itv%MBi:co
48 -B.ua Dmine de Caiias48
Tendo recebido um grande e variado
sortimento de fazendas resolveu vender
por menos 30 /0 do que -em outra qual
quer parte, como seja :
MadapolSo americano com 1 metro de lar-
gura a 6(5000 ;\ pega.
AlgodSozinho muito largo a 40 a 5(5000 a
pega.
Chitas cretones, modernas, a 200, 240,
280 e 320 o ovado,
Zepbir de quadros, padrSes modernos, a
120, 150 e 200 rs. o covado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 rs.
o covado.
Atoalhado xora flores a 10000 o metro.
Brim pardo trar.gado para roupa de ho-
mem a 500 rs. metro.
Dito de cor e fuetao a 500 e 600 rs. o co-
vado.
Dito de linho para caiga de 4)5000 a vara
por 2)5500.
Casimira preta e de cor para costumes a
10200 e 20000 o covado.
Cortes de fustSo para collete a 500 rs.
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
um.
Camisas br.incai para homem a 20000
urna.
Toalhas brancas para crianga a 120 e
200 ama.
Colchas adamascadas de 20000, 30000,
40000 e 50003 ama.
Cobert&s forradiis para casal a 20500 e
20800 urna.
Lengol de bramante com urna largura a
10800 urna.
Cortinados bordados para cama a 60000 o
par.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Cobertores, brapcos de 13 com pequeos
defeito a 20000 um.
Cortes bordados para vestidos, ultima mo-
da, a 80JKO,!90OOO, 100 e 120000 um.
Lindas 13s com listras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
. vado.
Lindos fichas de retroz, prateado e dou-
rados a 10000, 10500 e 20000 um.
Lavas de seda, todas as corea, para senho-
ra a 10000, 10500 e 20000 o par.
Casacos de Jert.ey para senhora, borda-
dos, o 60000 om. -
Costumes de Jersey para criangas de 4 a
5 annos a 70000 um.
Cachenez para homem c senhora a 10500
n 20000 um.
Bicos brancos e de cores a 10800 e 20000
a pega.
Saias bordadas para senhora a 30000 urna.
Renda hespanhola com um metro de lar-
gura a 20000 o covado.
Bordados e entre-meios a 500, 600, 700 e
800 rs. a pega.
Grinaldas com veo de seda a 80000 urna.
Collarinhoa e punhos de borracha, a 10800
o par. ~
Longos de linho, espccialdade, a 20000,
30000 e 40000 a duzia.
Ditos de seda com a exposigSo de Pars a
500 rs. um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 rs. um.
Lindas, mantas e gravatas de todas as qua-
lidades de 500 a 20000.
EsDartilhos de couragas a 40000, 50000 e
60000 um.
Collarinhos e punhos de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de tpicos a 40000 a pega.
E muito outros artigos que s com a
vista, assim co.no roupa por medida em
sua officina, para istotem peritos officiaes.
S na Reolnco
A ra Duque de Cavias n. 48
HENRIQUE DA SILVA MORETRA
PECHINCH4S!
59Ba Duque de axlas5
Cassinetas de cC:-js para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de efiref dem
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 o
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o dite.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 10000 e 10200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
e 10000 o dito.
dem de puro linho a 10600 o dito.
Riquissimas guarnigoes de crochets a 60 e
8000.
Toalhas para mos a 10200, 30500 e
40000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 20500 e
30000 a dita.
Camisas superiores idem a* 240 e 300000
a dita.
Seroulas bordadas a 120000 e 180000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
e 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 40000.
Superiores algod&es da corte a 30000 e
30500.
MadapolSo americano a 60000, com 24
jardas.
Flanella de c6res para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitota a
10200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 10400
10800 e 20800 o dito.
Para as Exmas. noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 80000 e
140OOOT
Ricas colchas de crochets e fustSo a 8(5000
e 60000.
AO
J200
55
Pede-se ao respeitavel publico que at-
ienda aos pregos abaixo mencionados :
Setim da China, fazenda de phantasia,
alta novidade, a 240 rs.
Amor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 rs.
Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 100
e 120000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
Madapolao largo a 60000.
Flanella azul, muito lisd, a 10zy
vado.
Fichs de phantasia a 10000.
Luvaa de seda a 20000 e 30000 o par.
Guardanapds a 10600 a duzia.
Sargeline de qualquer c'5r a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, cousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
a pega.
Cortinados bordados a 60000.
Flaneilas para camisa a 320 rs. o covado.
Setins, qualquer c6r, a 800 rs.
Renda da China a 200 rs. o covado.
FustSes bratcos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para Lbaptisados, o que ha de
mais novo.
com collarinho, por
Bonitos cortinados bordados a 50500,
70000 e 80000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maco* todas as efires, a 800 rs. o
dito.
Longos de seda e de linho para 20800,
em lindas caizinhas.
Lcnges de bramante a 10800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 20500 e 20800 urna.
Colchas de cores a 20000 e 30000.
Tapetes para portas a 30500 c 50000"
Pannos ara mesas, de cores modernas a,
10000 10200 e 10600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de
350.
Fustoes bordados brancos a 400 e oOO rs.
de tetina lavrados a
800
300 a
oAvado.
OEsemiras
Lifij*as steriinas
Tende-se libras steriinas; na ra do Com-
mertio, armazem n. 5.
UMMI
M0M4S,
*?LSRY VMM-M
fci a oart*
FOLFETIH
f

II
POR
J13IJES *MKY
SEGUNDA PARTE
k mu es t w;a
( Continuag&o do'n. 218)
VII
*E se, apezar de tuas previsSes, a
Sra. Gonssolin n3o puder fugir, se Tho-
maz Lhoir, innocente, for condemnado em
teu lugar ?...
EntSo, tu conheces minha resolu-
9*o. Nao por covardia que me occul-
to, para salvar Magdalena e para pou-
par a mea pai uma velhice medonha. Mas
3o deixare Thoinaz Lhoir em difficul-
dades.
Saberei advertir a juatiga e raorrer sem
que meu crime seja conhecido. Tu vs,
peis, nSo serao precisos Hen3o poneos dias
le paciencia... podes resistir anda von-
tade de meu pai e retardar o momento de
faceres conhecer tea suprema resolugSo ?
Ella reflectio largo tempo ; depois, re-
selutamente, tendo tomado uma decisSo :
NSo, disse ella ; n8o esperarei mai-.
EntSo, o que pretendes fazer ?
AmanhS, Hirei a nosso pai que vi
o juiz de instrucgSo e que nao recuso ser
ana mulher...
Pobre irmi !
NSo me lastimes. Cuida em ti, pen- gem causa physica bem determinada, en-
s* principalmente em papai. I cneu de anciedade, evitou lembrar-lhe a
C^ofres de ferro
Carlo3 Sieden tem nara vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Barao da Victoria n. 48
Pao centeio
Mello A Biset, avisam ao respsitave! publico,
que toda3 as tercas e sextas-feiras, tera.este aa
boroso pao; rui larga do Rosario n, 40.
gemirs pretas e de cores de todos os
pregos, cheviots, merinos, damascos para
pianne, cobertores, redes a 40000 ama, e
uma infinidade de artigos que serSo lem-
brados na presenga dos dignos leitores.
LOJA DE
PKRKIM & MAGALHAKS
Para os festivaes
A' ra da soledade n. 06, preppram se,
com limpesa, mestria e commodidade em
pregos: bolo, pio-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d ella.
At teu casamento, muitas cousas te-
dio talvez de acontecer que impedir3o teu
enlace de ter lugar, de consummar-se teu
sacrificio.
i No dia me far revogar minha resolugao.
Despedigas o teu coragSo, pobre
crianga.
Ella murmurou muito baixo :
E quem sabe? Talvez eunSominta.
O que izes i
NSo sei o que se passa em mim, mas
me parece que esse sentimento, que se
agita em mini pelo juiz de instrucgSo de-
ve ser amor ; comprehendo-o pela pertur-
bagao em que fico quando elle me falla
com sua voz doce, pelo rubor que me in-
vade o rosto quando insta para que eu lhe
responda.
- Mas ent3o...
Adivinho o teu pensamenio ; julgas
que nito 'a ioais que hesitar e que mea
casamento nio mais um sacrificio...
Ella deteve-so um instante, abanou-a
cabega, depois continuou:
NSo abusar singularmente da sua
boa f j>reparar-lhe semelhante lago ? eque
futuro me reservas tu se, apezar dos teus
Lesforgos, de tuas precaugSes e da energa
de tna cumplice, teu crime" vier a ser
descoberto ?
Comprehendes as desconfiangas de meu
marido ? N3o adivinhai elle essa intriga
vergonhosa c'.ijoa fios o rodearara desde o
primeiro dia V O que julgar elle do meu
amor e dos nieus protestos, e nSo ter o
direito de r mentira e de perfidia ? Sou anda mais
desgragada, porque o amo, e uma pro-
vagSo cruel jue me espera...
Ella deixiyU o irmSo c voltea ao seu
quarf> chorando.
Essas emogScs a matavam.
No dia sef;uinte nao sahio io quarto.
Tinha feb.-e c ficara de cama.
Sen irra3i collocou-se sua cabeceira e
nSo a abandonou um s instaute.
Esteve doente oito dias, depois a moei-
dade tnumphou. A febre diminuio. Ella
pode levantar-s.
Seu pai, quem essa doenga singular,
Farello superior
21700 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima 4 C,;
Caes d'Asserabla n. 4, garantindo-se 42 ki|o-
grammas cada sacco.
E' vender barato
Teijo a lilOO a cuia
Farinha a 5 0 rs. idem
Milho novo a 320 rs. idem
Dito velho a 280 r3. idem
o nico que pode vender mais barato, no
largo do mercado n. 12, Gomes Ferreira & C
Successores.
Camisas francezas,
20000!
Grande sortimento
10000 o covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a. 500 e
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 70000 a pega.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 40000 a pega.
Babados e entremeios a 600, 800 e 10000
a pega.
Lengos de seda, muito bonitos e baratos.
Oacbemira combinag3o com.listas do seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantil as pretas a 40500.
Atoalhado, lindros padroes a 10 o metro.
Espartilhoscom couraga a 40000, 50000 e
60000.
Colchas brancas e de cores a 20, 30000,
40000, 50000 e 60000.
Grande sortimento de fichs de cores para
todo prego. \
Cassa baptista a 120 rs.^ covado.
Chitas brancas e escuras 240 rs.,s se
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 380 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras "e criangas,
erando sortimento.
Covisbs de meias a 10000.
Grande sortimento era merinos pretos.
Cortes 'de fdstSo para colete, alta novida-
de,'a 10000.
Camisas de flanella franceza a 30000 uma.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartSo, cousa
cbic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
Ditos de casemira de cor a 40000, 60000
e 8000 ".
Alm de outras multas fazendas que
impossivel mencionar.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessoa.
S Ra Dnqne de Caxlas 55
Fernandes Azevedo & C.
promessa que ella fizera de prbnunciar-se
a respeito de Dampierre.
Durante a indisposigao da moga, este
tambem cstevp muito inquieto e todos os-
dias veio saber noticias della.
Quando Suzana ficou melhor, a primei-
ra vez que elle a vio, ella o acolheu com
seu adoravel sorriso de cranoa e esten-
deu-lhe as duas mos :
Esteve muito inquieto ?
Diga que n3o,viv oito dias... Amo-a
tanto e maldade sua entristecer assim
aos amigos.
Nessa occasi3o entrava o general.
A' i est meu pai, disse ella, que
justamente tem que fallar-lhe...
A mim ?
Sim, disse o general? Minha filba
n3o tambem demais, porque se trata
um pouco della. Nos temo3, eu e ella,
uma informagSo a pedir-lhe...
Escuto-o, general.
O anciSo fez um signal a Suzana e sor-
rio vendo oar admirado de Dampierre.
Que dia convm escolher para a ce-
remonia do seu casamento, Sr. Dam-
pierre ?
O juiz de instrucg3o tornou-se muito
palhdo e nSo respondeu.
Sua emogSo era tid violenta que f'oi
obrigado a sentarse.
Balbuciou, repetindo :
Mas verdade, verdade ?
O general,, commovido tambem, tomou-
lhe a n>3o e apertou-a vigorosamente, eui-
quanto que Suzana, com os olhos rasos de
lagrimas, exclaava, inconsciente do que
lhe vinba aos labios :
Como elle me ama !
Depois, de repente, bruscamente, o juiz
de instrucgSo veio ajoelhur-se diante da
moga e toraou-lhe as nj3o< :
Suzana, querida Susana, toda a mi-
nha vida lhe pertence, disse em voz bai
xa, oppriraido pelas lagrimas de alegra
que lhe subiam aos olhos a que com diffi-
9uldade retinha. Se soubesse, crianga
amada, quanto soffri, quantas vezea me
desespere pensando na sonhora Assim,
sinto diffiejudade em acreditar na real:
de de semelhante alegra, r'arece que
zombam de mim, que tuda o que se passa
agora nao mais do que um sonho e que
A LOJA MAIS BARATEIftl
PARIZ Am-BRIOa
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone200
Tendo reoebido directamente da Euro;.,
grande sortimento de fazendas e modaa : '
que ha de mais novo e pregos sem cou
potencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 1S e 13 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 102O<
Crinoline preta e branca b 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 ra.
Bramante de linho a 10500, com i
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 105a
Chachemiras com 2 larguras a 800 ra
Ditas de l e seda 2 larguras a 10OOC
MadapolSo trancado a 90000 a pega.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camkeiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000
Fichs de 13 e seda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartiihos couraga a 40000 e 50OU
Colchas de fustSo a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado >
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 1050-
Renda de 13, preta, para quare&ma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sel
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama .
100000.
Chitas de cores a.200 rs".
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cSres a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
. Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnigSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flaneilas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
. Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com Sres
Crep inglez para enfeitej
Grande sortimento de chapeos de so
Setineta para coberta a 600 ra.
Cortes de collecte" de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de c6res.
TELEPHONE 200
Assucar
da usina Pinto
Vndese na ra da Imperatriz n. 26, pequeo
armazem.
Vinho puro de- Santarem
Da qnlata do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do CaDugan. U, avisam aos seus distinctos fre-
gueses e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinbo, o qual se
recomuienila por 3er puro da uva, e s se reta-
Iha em sea armazem.
Joaquim Christov3o & C.
Telephone 447
A FLORIDA
sea
Superior vinho de Al-
cobaya
O acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber uma nova remessa deste especial
vinho, escolbido propriamente pelo chefe desta
casa, tornando-se recommendaao por ser puro
e de boa qualidade. Jo-Fernaddes Lima & C,
ra Barao da Victoria nomero 3, Telephone323.
despertarei em breve, ao sahir desta casa,
mais infeliz mil vezes do que entieinella
Falle-me, respndame, Suzana... dign-me
que eu comprehendi bem, que tudo isso
n3o um sonho... que a 6enhora minha
e que amauh3 ser minha mulher... Fga-
me ouvir sua querida voz e repita-me o
que seu pai acaba de communicar-me...
Ella escutava-o com a cabega inclinada.
Estavam sos agora. O general sahira sor-
rateiramente para nao perturbar essa pri-
meira expansSo.
Suzana, emquanto Dampierre fallava,
tinha fechado os olhos, cujas palpebras es-
tavam pesadas e as suas veias senta cor-
rer mais rpido o sangue, mais quente
subindo para o corag3o...
Elle ficou assim muito tempo a fallar-
lhe, contando-'he todos os sonhos que aca-
riciara e que agora se realisavam ; dizen-
do lhe por que angustias passra, por que
torturas, por que desesperos j ha muito
que elle a amav e s della vivia, pensan-
do nella, julgando-a o nico fim da sua
vida... Na verdade, hoje que esse sonho
acariciado toma va uma forma, elle era
muito feliz... era indigno della... dessa
bella crianga de olhos azues scismadores...
sua felicdade inspirava-lhe uma sorte de
medo e pareca lhe presentir a ameag de
uma catastrophe.
E pouco a pouco, ao hlito dessa bocea
que murmurava t3o perto della palavras
de ternnra embriagadora, todas embalsa-
madas de amor ; ouvindo essa voz que ella
amava; diante dessa infinita felicdade
que ella conceda, Suzana esquecia o cri-
me de Francisco, o perigo que o meaga-
va, a loucura de Magdalena e essa vergo-
nha suspensa sobre a cabega de seu pai :
ella tudo esquecia para s pensar em
Dampierre, e" quando este lhe perguntou
era voz baixa :
Suzana, a senhora me ama ?
Ella respondeu com as mSos postas co-
mo em xtasi, com os labios trmulos sob
o desabrochar de um sorrito celestial :
Sim, amo-te, amo te, amo-te !
Quando Dampierre sabio, alguns mo-
mentos depois, deixou combinado com o
general, que o casamento se faria d'ahi a
tres semanas.
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodSo,
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Cslkrinhos para homem a 35900 e 40OOC
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500*
600 e800rs,Ja pega.
dem com 3 e 1[2 metros, de qualque
argura a 10200.
Lengos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de grase a
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40. 60 t
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, da
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par, algn
de c6res.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000
80000.
Lindos enxovaes baptisadoa a 80 100
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40
5(5000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha d
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de c6res.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante,
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car*
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas %
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 par.
Ditas de seda para creanga a 10000.
Dita para moga a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabega e segurar
chapeo.
Espartiihos para creanga a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 a
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
10500 um.
Estojo com faca, gario e colber, preprit
para creanga.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 13 para homens e senhoras.
Lichas dourada para faxer crochet.
Lindas fitas para facha a 20, 30 e 4CC
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarga,
Finas carteiras para algibeira de 10, 2/j
3 e 3^500 uma.
Roa Duque de Caxias n. 105
Rojal tad marea YUDO
Este excellente Whisky Escocez pi'3-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retamo nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Roral lllcnd marca Viada,
cujo nome e emblema s3o registrados para
todo Brazil.
BROWNS A C, agentes.
VIII
A conducta singular de Francisco Hor-
mais, suas hesifagiea, a energa com que
defendase contra a ev dencia de certas
observagoes feitas em Magdalena, tinham
acabado por inspirar suspeitas ao Dr.
Magnabt.
Essas- suspeitas nao tinham, por em-
quanto, nada de preciso, mas reunindo
todos os indicios que haviam chamado sua
attengSo no modo de proceder do mogo,
desde o principio do negocio, elle chegava
a presentir um mysterio de que nao po-
d;a estar ainda senhor de todo, mas de
cuja existencia j n3o podia duvidar.
Entre Magdalena Gonssolin e Francis-
co nada sorprender por emquanto, os
dous cumplices estavam sempre alerta e
tomavam o maior cuidado em seus gestos,
em seus olhares, em seus menores movi
mentos; mas, sobretudo, agora que seu
espirito estava prevenido, elle reconhecia
mil pequeas cousas superfciaes a que
n3o prestara grande attengSo a principio e
que agora o interessavain.
NSo estava longe de acreditar em uma
combinagSo entre a louca e o seu col-
lega.
Uma semelhante suspeita era muito gra-
ve para que Magnabt a r.ceitasse sem
exame.
Se ella fcs8e justificada, n3o acarreta-
ria, com elteito, menos do que a curapli-
cidade de rancisco no assassinato de
Gonssolin.
Esse velho sabio appellou para a sua
memoria e todos os incidentes que se ha-
viam produzido desde o crime de Bou-
choux lhe voltavam ao* espirito.
Lembrava-se muito de pequeos por-
menores, que tomavam agora importan-
cia inmensa.
Assim, o primeiro que trouxe a noticia
do assassinato a Saint -laude fora Fran-
cisco Hormas, que, parece, se achava du-
rante o dia na aldeia di Moussires. Vol-
tando a cavallo, elle encontrara Guido, um
guarda de Gonssolin, Guid lhe contara
tudo.
Em semelhante circumstancia, o primei-
ro movimento de um medico correr
victima, dar-lhe todos os soccorros, os
Leite puro
Na estrada de JoSo Fernandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas novas, da direita. vende-te
todos os dias leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-.-e a qualidade do leite.
Taverna
Vende-se uma pequea taverna bem localUa-
da, com poucos fundos, propria para princi-
piante, tem commoios para pequea familia :
para informacoe3, ra da Concordia n. US.
mais rpidos, tentar slvala, se n3o fr
muito tarde.
Ora, o que fizera Francisco ?
Continuara seu caminho, em lugar de
.voltar o freio e ganhar, a galope, Bou-
choux.
Semelhante indifferenga pareca tanto
mais extraordinaria, quanto o joven medi-
co e toda a sua familia eram recebidos
em casa do madeireiro e este tinha a mais
viva amizade ao general.
Priraeira suspeita.
Magnabt lembrava-se tambem que Fran-
cisco chegando no dia seguinte a seu cha-
mado tinha o brago em uma tipoia.
A uma observagSo de Magnabt, o mo-
go responder, alludindo a um accidente
que dizia lhe acontecer na vespera.
Essa resposta nao attrahio logo sua at-
teng3o naquelle da, tanto mais quanto
contava-se, em Saint-Claude, que Fran-
cisco de volta de Moussires, cahira de
cavallo.
Mas esse hombro deslocado coincida
singularmente com tira dos indicios obti-
dos pelo inquerito.
Com effeito, nao se havia notado que
um arbusto fra quebrado debaixo da ja-
nella do 8al3o pela qual devia ter saltado
o assassino!
A grossura do ramo fazia adivinhar que
nSo tinha sido sem damno para o ni al fe i-
tor que elle se quebrara.
Ora, como o desconhecido tinha podido
fugir e subtrahir-se muito rpidamente s
buscas, era, pois, nos hombros ou nos
bragos que devia ter sido ferido. As per-
nas nao haviam recebido contusoes.
Segunda suspeita.
Magnabt notara tambem, no hospital
Saint-Claudo que a Sra. Gonssolin apre-
sentava menos presenga de espirito e
prestava-se om menos naturalidade e
franqueza ao seu exame, quando nSo era
sustentada pela presenga.de Francisco.
Esta observagSo fizera elle muitas ve-
zes inconscientemente. Pde-se dizer e
sem que percebesse bem.
Agora voltava-lhe ao espirito com gran-
de, intensidade de luz e nao estava longe
de olhal-a como probatoria.
(Conunuar-se-h a)
Typ. do tario ra Duque de^ axias n. 41
I
'
i
J
>
**


- "t*
rt i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHQ8QSOCX_Q220XJ INGEST_TIME 2014-05-28T18:53:05Z PACKAGE AA00011611_19921
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES