Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19918


This item is only available as the following downloads:


Full Text
NUMERO 216
TEKCA-FE1RA 24 DE SETEMBRO DE 1889
PARA A CAPITAL E LV6.1REN PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
!

1
i

Por tres metes adiantadoa.
Por seis ditos idem.....
Por ura anno idt m .
Cada numero avu'so, do mesmo dia.
6,5000
12#OO0
236000
010*
Por seis meses adiantados ....
Por nove ditos idem- .....
Por um anno idem.......
Cada numero avulso, de das anteriores
1365C/
206000
266000
6100
DIARIO
Troprtedade de? Martod Syfueirca ^tffaria # Mfycs
Os Sis. Amede Prin-
ce & ., de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuacio
epublicapoes na Fran-
ca e Inglaterra.
O quo d: Re])ublicanos 354, opposicio
20(3.
O general B mlanger fo eleito por Pa-
rs.
Os Srs. Julos Perry e Rene Goblet (-
ministros) foram derrotados.
Agencia Hava,, tilia! cm Pornambuco,
23 de Setembro de 18S9.

eleitos, flcaudo cerlo quC o soverno nao su-ten-
i.ir a conduca do seus delegados, que pret i
derem pela violencia, corriipcao e fraude anlepOr
quaesqucr latidlos vootade popular.
Au mesoio.-Transmittindo a V. S. por
copia, o ariso circular do Ministerio dos Neg
cios da Jusliga dj.f.17 de Julho findo 8 o edftal
do chefe de pulicia'da corle publicado no Diario
Oficial de 18 do mesan m-z', recommendolhe
que providencio no sentido de seren previnidos
e reprerai ios os deudos a que se referen! os
mencionado avisotff'si'.al.
Ao co mmaiidaffe das armas. Sirva-se V. S.
de providenciar |ra Pinto Itlbeiro siga, araanhS, a bordo do vapor
Jacuhype, para Jatoba, cora, torda a forja que se
acha actualmente em JjJlBttury, amual junta-
EteMB.0 uLferttJHas4l^flRlCA9ar
S337IJ: ?ASTI3LAS SO SIABIO
RIO DE JANEIRO, 23 de Setembro,
a 3 horas s 45 minutos da tarde.
Vao 2." escrutinio pelo 8." districto de
limas Geraes, os Drs. Carlos Peixoto de
Mello (C) e Jos Theotonio Pacheco (L).
Foram expedidos diplomas de depu.
ados geraes pelas juntas apuradoras :
Do 2. districto do Espirito-Santo, ao
Dr. Leopoldo Augusto D. de Mello Cu-
ha (L);
Do 1. districto da Baha, ao conselhei-
ro Luiz Antonio Barbosa de Almeida (L);
Do 2. districto. idem, ao Dr. Antonio
Kuzebio Goncalves de Almeida (L);
. Do 3. dito, idem, ao conselbeiro Fran-
isco Prisco de Souza Parahyba (L):
Dt> 7. dito, idem, ao Dr. Joao Fcrrci-
ra de Araujo Pinho (C);
Do 8. dito, idem, ao Dr. Joao dos Res
do Souza Dantas Fil -o (L).
Foi agraciado com o titulo de conse-
Iho, o Dr. Jos Basson de Miranda Oso-
rie.
Foi declarada scni effeito a nomea-
o do bispo do Rio de Janeiro para arce-
fe i spo da Baha.
Foi reintegrado no commahdo do 9.
batalho de infantera da guarda nacional
de Atalaia, ros Alagdas, o tenente-coronel
Theotonio Oliveira, sendo aggxegado ao
mesmo batalho o actual.
Falleceu o abastado capitalista An-
tonio Goncalves de Araujo que em testa-
mento legou 1:500:0006000 para a funda-
#fio de um Asylo para a infancia desva-
lida.
- i-^
5SBVXCQ H LffllU SAVAS
CONSTANTINOPLA, 21 de Setembro.
A insurreicao na ila de Creta est com-
pletamente terminada.
LONDRES, 21 de Setembro.
Acaba de ser asslgnada urna convenci
entre a Inglaterra e a Italia contra os tra-
geos de escravos.
HAYA, 21 de Setembro.
O gov erno hollandcz propor urna lei cs-
tebelecendo o ser vico militar obligatorio.
ROMA, 21 de Setembro.
A noticia relativa dissolucSo da Cma-
ra dos Deputados da Italia, acha-se con-
firmada.
MADRID, 21 de Setembro.
Os marroquinos apossaram-se de um na-
tio bespanhol. ,.
O governo hespanhol exigi u na repa-
racao.
MADRID, 22 de Setembro.
As negociacoes diplomticas entre os
governos hespanhol e marroquino estao
tendo bom resultado.
PARS, 23 de Setembro, s 4 horas e
Sf minutos da tarde.
Os resultados pouco mais ou menos com-
pletos das eleicoes legislativas geraes qne
verana logar hontera, deram :
Republicanos eleitos 224.
Opposicao (conservadores e boulangistas)
157.
PARS, 23 de Setembro, s 7 horas da
oite.
Complemento das eleicSes conhecidas
at agora, exceptuando as colonias: 177
deputados eleitos, dos quaes 130 sao fa-
t .veis repul 'ica.
TEMPOS GOLONJAKS
POR
4 a iiernlura Braxi letra do eculo
XVI ao pomi'f do XIX
ksbo;o HLSTOUICO
(Coaiinuaclo)
Na salyra briliiavam os poetas daqoelle tempo
sbrele vundo aos iujs nota veis Jorge de Aguiar,
do qual cita-se, como urna das melboras compo-
icCes, a.que elle escreveo por occasiao de tima
viagem a ludia, e que damos em seguida';
Leuibra te que i por nascer
A mulher que nao errasse.
Lembra te que sem ptazer
Que o hornera se preste ao chao.
Por < Has meu coracao,
E' gr loucura morrer:
Nunca dellus bem esperes.
Leuibia-te que sao mulheres.
Que te serve o padecer ?
Que te aproveiti chorar ? .
Nunca outras hao de ser
N i sao nunca de mudar ;
Deixa as com s Ja paixo,
Deixi as com sua nago ;
E nunca teu bem esperes,
Lembri-te que sao mulheres.
Hespanhaj foi perdida
Por urna Cava, c urna vez :
E Troya foi destruida
Por males que Helena fez.
De-sabafa, coracao
Vivema.- nao desesperes,
Que a que fez r crear Ado. .
Foi a raai destas mulheres.
(CofUtniq)
PARTE OFFICIAL
(.overuo da proviacia
BXTEDIBNTE DO DA 6 DE ACOST DE 1889
Actos :
0 conselheiro presidente ja provincia, atlen
dendo ao que representou o inspector eral da
Insiri-ca PObtiea eifr oiacio n.-171-de 88 Julho tiude sobre a necessidade de ser designado
outro edificio para a reunio dos eleitores di.
S. secco da paroctiia do Sanlissiino Sacramento
da Boa-Vista, em subslituico casa n. 182, em
Jueoutr'ora'fuiiccionava a escola publica da ra
o Visconde de Albuquerque, e tendo em vista
os officios de 31 do corrente mez e de 2 e 5 do
correte do Dr. juiz de direito do 4 di3tricto
criminal, dos quaes se verifica que, em conse
quencia da revisSo ltimamente procedida, ex-
cede de 250 o numero de eleitores na 7." seceo
eleitoral da mesan parochia, resol ve, de con-
forraidade com o disposto nos arts. 9i e 93 do
decreto n. 8213 de 13 de Agosto de 1881, dividir
i referida porochia, em 7 secces para a reuniao
e trabadlo das assemblas eleitoraes pela forma
seguinte:
A i.* secco, que se reunir no edificio da As-
sembla Provincial, compor-se-ha de todos os
eleitores do 8.* districto (quarteires 1 a 10) o
doseleitor s do 1. quarteiro da 1. districto ;
A 2.* seceo, que e reunr no consistorio da
igreja do Rosario, compor-se ha dos eleitores do
2.' c 3. quarteires do dito 1." districto;
A 3." seceo, que se reunir no ousistorio da
igreja matriz, compor-se-ha dos eleitores do i.'
ao 8 o quarteirft-s do mesmo di'tricto;
A 4.* seceo, que se reunir no consistorio d i
igreja da Sania Cruz, compor se ha dos eleitores
do 9." ao 12 quarteires do mesmo districto ;
A 5. seceo, que se reunir na casa n. 4 di
ra do 1> o Coreado, onde funeciona a Socie-
dade Propagadora da Instrucco Publica, com-
por se ha dos eleicores do 13 ao 16 quarteires
do mesmo districto;
A 6.' secco, que se reuni' no consistorio da
igreja de S. Goncalo, eompor seha dos eleitores
do 17 ao 10 e 25 quarteires do mesmo districto;
A 7.* seceo, que se reunir no consistorio da
igreja da Soledade, eompor se ha dos eleitores
do 20 ao 2i quarte roes do 1. districto.
Fica assim sem effeitj a portara de 26 de Ju-
nho de I 86, relativa a designarffe edificios
para reunio dos mesmos eleitores.*-Fizeramse
as devidas communicacOes e remetter-se copia
Cmara Municipal, ao juiz de direito do 4." dis-
tricto criminal e ao 1. juiz de paz da parochia.
O presidente da provincia, tendo em vista
o que requereu o bacharel Joo Bjrbalho Uchi
Cavalcanli, e a iuforraaco sob n. 281. de non-
tem datada, preftada pelo inspector doThesouro
Provincial, resolve, de conforinidade com a lei
n. 2083 de 30 de Julho ultimo aposntalo no
cargo de inspector geral deinstrueco publica.
O consilheirc presidente da provincia re
solve nomear para o lugar de, inspector geral da
Instrucco Publica o bacharel Arthur Orlando da
Silva.
() conselheiro presidente da pit-vincra re
solve exonerar o actual delegado do districto
litterario da Penha de Floresta c nomear para
substituil-o o capito Fumino Gomes de Meenzes.
Oatrosim, resolve nomear Jos Mancio de Car
valho Canh para o lugar de delegado do dis-
tricto litterario de Belm de Cabrob que se acha
vago.Fizeram-se as devidas communicacOes.
O cooselhetro presidente da provincia alten "
dendo ao que requer u o ajudante do adminis-
trador da Casa de Detenpo, Joo de Araujo, re-
solve conceder-Ihe 3 mezes de licenga, com or-
denado para tratar de sua sa le, devendo o
supplicnle entrar no goso da referida licenca
no prazo de 13 dias.
Officios:
Ao Dr chefe de polic.aAdiando sealuxa-
doso-" editaes para a elejcfto, que lera lugar a 31
docorrent:-, dirijo me a V. S afim 'le que recom-
mende s autoridades polidaes, que tenham em
muita con.-ideraco ser seu primeno dever man
ter entre, os partidos que a pleteam a ordem e a
seguranca dos. direitos do cidaao, desde que a
forca publica s pide ser ulilsada para garuntir
todos os direitos constitucionaes.
S assim se rivettira a autondade do preciso
prestigio e do respeito dos que a ella esto su-
bordinados.
Haia V S. de exercer a rigorosa liscalisaco
para o fiel cumprimenlo da lei e prestigio do
candi'" que esu provlii a vai conferir aos
ra quc'o aTTresTHartoel Belerophonte de
Lima siga amanh a bordo do vapor Jacuhype
para o termo de Ouricury, com a forca que de-
via a companhar o capillo Leoncio Luiz Pinto
Ribeiro.
Ao mesmo.Declaro a V. S. que da forca
?ue segu para Ouricury deve ser excluido o ai-
Tes Manuel Beleroph jnte de Lima, pussando a
commandal a o sargento.
Ao mesmo.Declaro a V. S., para s lins
convenientes, que fica redusida a dez pracas a
forca que deve seguir para Jatob.
Ao mesmo.Autorlso V. S. a conceder ao
cadete do 2 batalho de infantaria Malinas Mu-
niz Tavares Fillio 15 .'.las de licenca para tratar
de suasaude.
Ao inspector da Thesourari? de Fazenda.
Transmiti a V. S. para os fins convenientes co-
pia do officio de 20 de Julho findo, do juiz de
direito da comarca de flores, acerca do exerci
ci do respectivo promotor publico bacharel Joo
Qjintiliano de Azevedo e Silva.
Ao mesmo.Coramunico a V. S para os
fins convenientes que u cidado Luiz Aurelio de
Godoy e Vasconctllos assumio no dia 20 de Ju-
lho findo o exercicio do cargo de promotor pu-
blico da comarca de Ingazeira para o qual foi
noraeado em 5 do referido mez.
Ao comman lante docorpo de polica.Au-
toriso Vmc. a alistar no corpo de seu commando
os paisanos de quem trata seil officio de hontem
datado sob n..7v.
Ao director geral da Instrucco Pablica.
Por oonta do crediio de 12:000000, consignado
no $,49, art. 2* da lei n. 2009 do* Io de Julho do
corrente anno, mande Vmc. executarcom urgen-
cia e por administracao os reparos de que pre-
cisa a estrada de rodagem da Colonia soccorro,
devendo despenderse at a quantia de.......
2:000*000, e bem assim os da estrada de Aguas
Bellas a Jacuhype cuja despeza dever correr
por eouta Jo crdito de 100:0004009 para repa-
ros e conservacao das obras e nao exceder de
1:000iOOO.Comrauulcou-se ao The.-ouro Pro-
vincial.
Ao engenheiro clvfe do prolongamento da
estrada de ferro do Recife a S. Francisco.Ten-
do o talegraphista d'essc prolongamento em Una
recusado traasmittir telegram as ofliciaes diri-
gidos a esta presidencia pelo director da Col
nia Nabel a pretexto de pagamento cumpre que
ejpeca Vine, ordem no sentido de serem taes
telegramma3 aceitos desde que forcm ern obje-
cto de servico publico.Com:nunicou-se ao di-
rector da oluaia.
^oYtarias ,* -*.
O Sr. gerente da Cempanhia Pernambuca
na mande transportar gratuitamente com passa-
gem de r, da cidade de Fortaleza para esta ca-
pital a Luiz Marcelino Borges Giraldes quando
para isso se aprsenlas.
O Sr. gerente da Companhia PernamouJa-
na mande transportar, gratuitamente com passu-
gem de r, at Penedo, no vapor que segu ama-
nh para os portos do sul a Antonio Gomes Pe
reir da Cruz
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na faca transportar provincia de Abgoas, por
coota'do Ministerio da Guerra 6 caixes medm
do todos 3124 decmetros, os quaes coutn fur-
damento para o 26* batalho de infantaria ali
estacionado; e bem assim os artigos constantes
da rclaco jur.'.j por copia destinados ao mesmo
batalho.Ccramunicou-se ao commandante das
armas.
O Sr. gereute da Companhia Pernarr.buca-
na mande transportar gratuitamente, com passa-
gera de proa, para o presidio de Fernando de
Noronha, quando para isso se apresentar Lande-
lina Mara de Oliveira mulher dn sentenciado
Conrado Francno de Oliveira.-Communicouse
ao tticeetor do presidio.
-OS., superintendente da estada de ferro
do Rec.fe :;o >. Irancisco d pungen?, or con-
ta da provincia, da estacao Cinco Pontas de
Gamelleira, s pracas do corpo de polica Cesa-
rio de Lemcs Vasconcellos e Vicente Miguel Nu-
nes que para ali destacam.
dem da estacao de Cinco Ponas de
Agua-Prela as pragas do corpo de polica Tor-
quaioJustiniano de Oliveira, Jos Francisco de
Mallos, que para all destacam.
dem'da estago de Cinco Poatas do Ca-
bo as pracas do corpo de polica Joaquim Anto-
nio Pires Filho e Manoel Ribeiro Cavalcante de
Albuquerque que para all regressam.
dem, de ida e volta da estacao de Cinco
Ponas a de Gamelleira, a duas pragas do corpo
de polica, providenciando quanto ao transporte
da crimine-a Mara da Conceigo para esta ca-
pital
dem da estago de Ciuco Pontas a de Una
ao sargento do corpo de polica Salu-diano do
Reg Barros quo vai destacar em Caiihotinho.
dem da estago de Ciuco l'onta i a de Una
as pracas de policia los Iguacio dos Prazeres,
Antonio linleiro DanUs.Seyerino Lopes da Sil
va, Antonio Simo dos Santos, Manoel Constan-
lino da Silva Carneiro e Francisco Vieira do Nas-
cimento que vo destacar em diversos districtos.
dem da estago de Cinco Pontas de Una
a praga do'orpo de polica Luiz Roberto Vieira
que vai destacar no termo do Triompho.
dem da estago de Cinco Pontas sle Una
ao cabo de polica Caetano Bezerra dos Sanios
que vai destacar em S. Benio.
dem da estago de Cinco Pontas de Una
a praga de polica Mximo Alves Lustosa que vai
destacar em .abrob.
O Sr. en arregado da estago de Palmares
d passagem at Canholinho, por conla da pro-
vincia, ao sargento do corpo de polica Salustia-
no do Reg lluros que vai all destacar.
Idea al G iranhiins s pragas de policio
Jos Ignacio dos Prazeres, Antonio Pinheiro Dan-
tas, Severino Lopes da Silva. Antonio Simo dos
Santos, Manoel Constantino da Silva arneiro e
Francisco Vieira do Nascimenlo que vo desta-
car em diversos disti'ii tus.
dem al Canliotinho praga do corpo de
polica Luu Roberto Vieira que vai destacar no
termo do Trui npho
Meo at Garanhuns praga de polica M-
ximo Alves Lustosa que vai oestacar em Ci
brob.
EXPEDIBNTB D) DR. SEGQETABIO
OIBcio ao inspector do Tiiesouro Provincial
De ordem do Exin. Sr. conselheiro presidente
da provincia remeti a V. S. para os fins con-
nles o officio junto por copia sob n. 141 do
Io secretario da AssemblaLe Provincial.
Ao promotor punlico da comarca de Inga-
zira. O Exm. Sr. conselheiro presidente da
provincia recommeoda a V. S. que remeta a es-
la sec-etaria a certi io d? u exer "icio.
Aosaj
vegacao, 1
provincia fia)
de hoje dat
manhfl, dos
que seguir "aii
do da.Com
mercio.
Ministerio di
Publicas DccreH
da meama datT
conservago djjg
buco.Escri
rettior interina!
1889,^lllr
I,
o meu parecer
quella dala a e
Deus guarde a
conselheiro Manr
presidente do pn
Alfonso Henriqu
panhiaBrazileira de Na
on^elheiro presidente da
p-looffbio de Vs. Ss.
llegado, 3 6 horas da
ll vapor Pernambuco,
i os do norte s 8 horas
Ka directora do com-
Itura, Commercio e Obras
^ReAgos'o de IS^c aviso
V- Directora das obras c
Bda provincia de Perrlsm-
peogenheiro ajudante di-
. em 19 de Selembro de
r.Dando cumprhnenio
^H^V coi oflicio dr
I afM-esentar a V. Exc.
ol>rea consulta dirigida n'a-
d rectora.
Exc. Illm. e Exrd. Sr.
I Alves de. Araujo, mui digno
miia. O ajudante director
e Souza Gomes.
cuja euergia destruid
estado em que se aejl
tos, ha uL'um teir,
e um caes rcvi-d:n
O exame destesl
Beberibe, as exca
sua margem, notoj
ao antig Laboratd
Parecer
Da simples oblervaco da carta do porto e do
ex une a que hot em pjpcedi do isthmo de Olin-
(i dirgindo, cof orine deterniinou V. Exc, mi
nha attenco prin ^paldiente para a parte do is-
thmo situada ent eos firtes do Brum e Buraco
julgo poder aflilmar que a acgo destruidora
exercida sobre d islhsno principalmente de-
vida ao rio Beberibe.
O mar, longe de actuar como causa do enfra-
quecimento do isthmo deve ser considerado, ao
contrario, como seu principal mantenedor, con
forme se deprdensela propria constituico do
isthmo. *>
Os pequeos estragos que o ocano faz ao
ihmo pela ressaca 15o favorec los' pelo e>trei-
tamento anterior'do terreno, produzido pelo Be
beribe do lado cm que o isthmo serve de mar-
gem ao rio.
Sao, com effeito, otpontos enfraquecidos pe-
las curvas bruscas de Beberibe que em occasiao
de levanlaraenlo dodpar permitte.n a ruptura da
linirua de Ierra qoejjfirige se para Olinda.
E' assim que, fcjiUs ao forte do Buraco e
Cruz do Patro, jfo$Umr-!il ua posigo mais
desfavoravel, pois"a>raga do mar ataca-a ene-
gicameqte por nao eoffrer quebras e enfraque-
cimentos,, entrando ..pelas barras do Pico e
Grande, en;onlr>m-sf fortes corvas do rio, de
ira pode-se fazerida pelo
m tnclhoratuentos ah fei-
como sejam urna estacada
o hoje em ruina,
orno de outros pontos do
Oes irregulares feilas na
ente em ponto fronteiro
a, onde se acha o caes re
vistimento a queja alluli c que precedido de
forte cu. vi, mostrai o grande estrago produz-
do pelo ro sobis o isthmo desiruindoo vaga-
rosamente as curvas pronunciadas.
Sao exactaiU'iite estas posiges atacadas mais
fortemenle pela corrente do Beberibe que. dimi-
iiuiudo a largaea do istliuio deixam-n'o em es-
tado du nao puder reeislir accao do mar.
Para corrigiisnies defeito3 do rio e diminuir
as escavayoes que se noftr.a na margem, someu-
te lia a reooinafimlar- ajeularisacao do seu Ici-
to, :n )dilicodu aynveBaiiieuio(Ue as curvas,
A limitar-se as nwdiflcaces aos pontos hoje
mais ataca los. serta de recommendar o revesi-
uieiito das corvas existentes junto ao forle do
Buraco c Cruz do Patrio e melhoramento do
moro, hoje bastante destruido situado junto ao
antigo laboratorio.
Paro eisas obras de revistiinento nao recom
mendo a adopgo de enrocamentos e pedra sec
ca ou com argamassa, trabalhos qo-i, estoo cer-
io, nao dariam resultado seno passageiro, ape-
lar da despeza que exigiran); igualmente des-
cre o dos revistimentos de facnioa, que dariam
Iraca protecgo s margeos do rio Beberibe e
que necessitam de cusiosa conservago.
Como meio previsorio e imraedlaio parece-me
poder recommendar a construegao de estacadas
de madeira que removenam, bem construidas,
suficientemente os males a sanar, satisfazendo
as exigencias actuaes.
Como meio definitivo, porfra, aquello que mais
se apropria ao revistimeuto dai curvas do rio
de que sa trata, julgo ser a protecgo por meio
ilu grandes blocos ne concreto, uo perdidos
mais sim a-rumadoa de modo a apreseutarein
corrente do rio urna superficie bastante lisa pro
tegido na base o muro assim construido por blo-
cos perdidos ou outro qualquer meio que so
mente a con3trucgao indicara.
Desic modo, apezi-r das despezas bastante
grandes que taes obras acarretariam, poder-se-
hia contar cora a durabiliaade c seguranca dos
trabalhos executados.
Quanto secunda parte da consulta, conve-
niencia do planto, sobre o isthmo, do lado do
mar, parece me pouco proveitoso tal trabalho.
O planto s poderia destinarse ou fixagao
das areias j. accumulcdas no isthmo ou pro-
tecgo do talude do lado do ocano; as areias
nao me parece precisarem ser lixadas, pois, nao
sei que tenham o raovimento particu'ar s dunas,
movimento que, muito se nota em costds areno-
sas' mas que nada indica darse aqui sobre o
isthmo de Olinda ; protecgo do talude do lado
do mar nao julgo que visse o planto servir,
pois, seria mesmo bein feilo, insulhciente para
conter a acgo das vagas e cousequente couser-
vacao do isthra.) pelo lado do mar.
Accresce quo, pelo mar, pens no haver ne
cessidade de proleccD alguiua.
Assim ex posto o meu parecer, tenho a honra
de apresental o alta apreciaco de V. Exc.
O ajudante director interino,
Affonso Hemique de Souza Gomes
nCALISAQV) DO EXGKHO CESTRAL DE PALMAttES
Recife, 17 de Agosto de 1888. Illm. Exm. -r.
-Em camprimento a ordem de V. Exc exarada
no ollicio a mira dirigido em data de 3 do cor-
rente, mandando informar do estado cm que se
acna a fabrico central sob miaba liscalisago e
is vantagens por ella auferidas da pro-
vincia, passo a dizer o seguinte :
As obras do engenho central de Palmare3, que
foram iniciadas em 16 de Abril d'este anno, po
deriam estar multo mais adianladas ; lorgoso ,
porm, reconhecer qae o respectivo contraetunte
luctou com dilliculd.des e embaragos imprevis-
derain lugar a repelidas iuterrupges
nreju liciaes ao regular andam- uto d-.*s mesmas
obras. Nao obstante, iciiIm a satisfago de poder
declarar a V. Exc. to o estado actual,
de adiantamenio das obras d'aquec engenho,
sendo para esperar, a mfnos que o contrac'ante
nao receban te np npparelhos
ndou vir da Europa, poder o eu','enlio ser
recebido pela pra'viucia em Dezerobro do correa-
te anno, praz ido por eti presidencia
para su > Ak'vii do t-diciro de ferro j
tpenas a cobertura ; osa-
nos pnucipaes de esgoo interno da fabrica;
nma bomba d*ar; a machi na princioal e mo
cees que teem de re
ceber dive.-sos apparelhos ; o boeiro construido
at o plintho de sua base ; o dovio que liga a
fabrica ferro via do prolongamento j locado
em leda sua exlensao de 240 metros e outras
o')'as secun i ,J toruar-se-
liia fastidiosa e que continuara era bom anda
ment; acham se j convenientemente assentes :
dous eliminadores ; quatro defecadores c o grupo
d trplices efl'eitos; tendo se ulmaraentii dado
comeco ao assentamento de ura vacuo e quatro
geradores de vapor que conta o machioismo da
fabrica; podendo eu aflirniar a V. Exc. ser de
todos os engenho3 centraes ltimamente contrae-
lados e em construegao, o de Palmares, o mais
avangado cm suas obras.
Diio isto, com referencia ao estado das obras
do enireuho -13 c!eMaio-pas3o a oceupar-me
das vaniagens auferidas da provincia pelo mes-
mo engenho
A provincia concorre, e;n virtudo do art. 16
da lei n. 1,860, de 11 de Agosto de 1885. a titulo
de emprestirao, com a quantia de 200:0003 00
emapolices de juro de 7/o ao anno, como au-
gjifti construegao do engenho central de Pal-
pita marro*desA qaaniia feita
emanis pre,-3(,'"'3 iguaes de 100:000100'"' a
priineira por occasiao de serem apresen'ados os
conhecimentos de embarqne, factura e apolices
dos seguros dos materiaes, e a segunda depcis
que se acharem os mesmos materiaes no lugar
em qu se estiver construindo o edificio, nie
dame urna hypotheca feita pelo contraclante
provincia, dos terrenos e dependencias do mes-
,iio, ficaado, porem, elles livres de quaesquor
impostos provinciaes e municipaes, exceptuado
o da exportago do assucar e prestada a Ranea
de que trata a clausula 14* da portara de 20 de
Janeiro de 1888
A amortisagodas referidas apolices, ser fei-
ta razJo de 10"i, annualmenle e por sorteio,
logo depois de colhidas as safras, ficando livre
ao contraclante fazer raaior amortisago com-
tanto que dentro de 8 annos, a contar da pri-
aieira amortisago, estejam registradas todas as
apolices constantes do emprestirao; devendo
tambera'o contraclante recolher no tira de cada
semestre, ao Tiiesouro Provincial, os juros das
apolices emittidas pela provincia, como auxilio
constucQo do engenho contractado.
O contraclante acha-se j de po^se de ambas
as prestacoes retro mencionadas, tendo sido re-
eemmendada a entrega da priineira em 29 de
Dezerabro de 1888, depois de ouvida a commir-
so nomeada por esta presidencia, para julgar
do estallo e capacidale dos machinismos e ap-
parellios adquirido! pelo contraclante, e a da
segur. 1a ordenada en) 5 de Juutio deste anno e
indevidainene reoebi !a pelo contraclante que
nao dea cabal -curaprimento clausula 2- do
contracto e con ligo 7* do art. 16 da lei citada,
o que fago sciente a V. Exc. a bem dos nteres
sos da provincia que to hrilhaiitemente admi-
nistra e di responsabilidude que me pesa, como
fiscal do governo, junto aquella conslrucg.o
nao ouvido nesse sentido, o que sobremaneira
sorprehendeu me.
So estas ai informacoes que m? cabo, no
caso, ministrar a V. Exc. crendo ter astral cura-
prido a ordem que me foi dada. <
Reitero a V. Ex... os protestos de rainha subi-
da estima e consilerago.
Deus guarde a V. Exc. -Illm e Exm. Sr. con-
seiheira Manoel Alves de Araujo, dignissirao
presidente da provincia dn Pernambuco.
O engenhero fiscal,
Luiz de Castro Goncalves.
QESPAC'HOS DA PRESIDENCIA DO DA 20 DE
? SETEMBRO DE 1889
-J^b.uxo a33ihaOT?ri*earreg,adi>s pelo povorlej
promover urna subscnpgo para fcetar uin'vapor
para ir ao presidio de Fernando buscaro cidadte teetos.
Antonio Cnispim de Oliveira. -Informe o Sr.
Dr. chefe de pohcia e commandante das armas.
Abaixo asignados, nogocianles, agricultores
e proprietarios moradores no povoado Augico
da parochia de Sanio Antonio de Tracunnaem.
Altende-se aos supplicantes por occasiao da re-
forma da instruego publica.
Abaixo assignados, estabelecklos nesta cidade
com fabrica de retinar assucar.Encaminhe-se.
Abaixo assignados, emprezarios de padaria
nesta cidade.Encaminhe-se.
Aurelio dos Santos Coimbra.Como requer.
Adolpho Cesar da SilvaRemettido ao Sr.
inspector do Thesouro Provincial para atlender,
do accordo com a sua informago 0. 341 de 13
do corrente.
Antonio Flix do Nascimenlo.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Antonio Vieira de Barros.-Sim, moJiante re-
cibo.
* Anna Cavalcante Araujo Barros.-Informe o
Sr. inspector geral da Insirucgo publica.
Andr de Albuquerque Mello -A rcc|araaco
relativa as consecuencias da lei provincial deve
ser apresentad i Assembl. a.
Augusto Jos Mauricio Wanderlcy.3m, em
vista' da lei n. 2,020 de 15 de Julho ultimo em
seu art. 2.". .
Agostinho Jos dos Santos Jnior.A cadeira
que requer mixta.
Braga 4 Si.Encaminhe-se.
Companhia d03 Irilhos Urbanos do Recife a
Caxangi.-Informe o Sr. Dr. inspector do The-
souro Provincial.
Domiogo3 Fernandes Correia.Como requer.
Elysio Amando Gomes de Mello,Sim, me
dame recibo. _
Galdino Jos .de Carvato.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Grata Candida de Alcntara Cont.-Cumpra
o disposto no art. 185 g 3." do regubmento de
18 de Jaueiro de 1S88.
Horacio "Jarlos d6 Araorim.Como requer.
Isidoro de Freitas Gamboa. Tendo os docu-
mentos a que refere se o supplicnle servido de
base deciso desta presidencia no sentido de
ser computada a gralilicago, nao podera ser
entregues, devenJo o peticionario, se Ihe con
vier, solicital as por certidao-
0 mesmo.-Aguarde opportunidade.
Ignacio Pacheco de Albuquerque Maranhao.
Oppoe-se a portara sobre vencimentos que ex
oedi ao Thesouro Provincia!.
Jacqucs omnefon.Tendo hoje sido publicado
o reglamento dos engenhos centraes e devendo
as prooostas harmonisarera-se com suas clausu-
las, lida o draso para o recebimento das pro-
postas a 25 de Oulubro do corrente anuo.
Capio Joao Luiz Cavalcante de Albuquer-
que.Teado o supplicnle transferido por es-
crpiuru publica, que se acha archivada no Th
souro Provincial, o seu diputo ao maior fe
Victorino de Paiva. nenhum direito Ihe assiste
para o p.'dulo que faz. .
Jos Antonio Alves.Informe o Sr Dr. chefe
de polica.
Teneute coronel Jorge Diniz de Santiago-. -
Conslituindo a reclamago materia fiscal sao
cabe a presidencia resolver confirme se infere
das ordens do Thesouro de 14 de M o de 1856
n. 178 e 12 de Setembro de 1863 n. 428.
Manoel Clemente da Costa Santos.Ifidefe-
rido.
Mirgariua I/.ia Bruno Vilella Informe o Sr.
Dr. director do Arsenal de Guerra.
Tencote Minoel da Paixo Ranos As n
lias de que gosam os oflicl.es da guarda Racio-
nal, tornan l'-sc efiectivas s depois da a
lo posto c pretenco de juramento, que uo
o p ilo suppUcaote, e por isse nao po-
de ser deferido.
Manoel Perreira da Cruz.Como requer.
Oljmpw Fraucisco de Paula. -Acoa se pro-
vida.'
i vulo do Nascimonto Be la.Sim,
Setxas Irmos c Mendes Lima 6 CEncaau-
nhe-se.
Capito Tiieolindo Augusto do Reg.Infe-
rn o Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Vasconcellcs Sob'iuho & CAguarde a so
IncSo, visto ter a Thesouraria de Fazenda de
monstrado a iii.-ufficiencia do crdito.
Vicente Ferreira da Costa Miranda.-Informe
o Sr. director das Obras Publicas e inspector de
Thesouro Provincial.
Jos Novaos de Souza Carvalho- -- Encami-
nhe-sc.
Manoel do Nascimenio Vieira da Canda.A'
vista da Informaco do commandante das arma?
nao posso deferir o pedido do supplicnle
Secretaria da Presidencia de Pornau>
buco, 23 de Setembro de 1889.
x O porteiro,
*' .'- Fthc!cm.
Slcpartl^o da Vollclst
2.a secsao.N. 1151 Secretaria de Fe-
licia de Pernambuco, 23 de Setembro de
1889.Ilira. eExm. Sr.Participo a V.
Elsc. que forana reeolhidos Casa de De-
tongrio, os seguintes individuos :
No dia 21:
A' minha ordem, Manoel Ignacio, remettido
como alienado pelo delegado do termo de Pal-
mares, aiim de ser recolhdo ao asylo da Tamn-
rineira.
A' ordem do subdelegado dafregueziade S-::-
to Antonio, Francisco das Chagas, por crime de
furto ; e Alexandrina Alvos da Silva, por distur
rbios."
A' ordem do do Io districto de S. Jos, Jc;
Joaquim de Sant'Anna, por disturbios.
A' ordem do do 2 districto de S. Jos, Gmlho;
rae Francisco de Paula, Nereu Jos de Sanl'As
na, Estevo. Jos de Oliveira e Francisco do as
cimento Lima, por disturbios.
A' ordem do do 2o districto da Graya. SIves
tre Jos do Nascimento por crime de morte.
No da 22 :
A' ordem do Dr. Delegado do
capital,'Joo LeMe do Amazonas
co de Almeida, por disturbios.
a' ordem do subdelegado do I
Jos, Maria Rosa do Nascimento,
Io districto i
e Jos Frncis-
districto de S.
Raymundu Al-
ves da Silva e Jos Lino da Silva, por distur-
bios.
Communicou-me o delegado do termo de
Buique, que no dia 21 do mez ultimo lendo Jo^
quim Olavo Mascarenhas e Antonio Vitalino d;
Araujo se dirigido casa de Urbano Lu:-: B
zerra, com o fim de assassinal o, em defeza tc
Tibaao se apresentaram dous filhos, dando isso
lugar a se travar um conflicto, no qual foi icorto
Antonio Vitalino e ferido gravemente Joaquim
Olavo.
A tal respeito procedeu-se nos termos di
le.
No dia 19 do corrente e no termo de Qui-
pap, o individuo de nome Joo Gomes assassi
uou a JoSo Rodrigues, na occasiao em que este
espancava a sua propria mulher, filha do referi-
do Joo Gomes.
Contra o delinquente, que evadi se abrio-sco
respectivo inquerito.
Foram reeolhidos i cadeia do tormo de Gj-
ranhuns os individuos de nemes Manoel LiU
dasChgM fonce. i Nungs, o prucir^
poT crime de flflmcflto'* o gippPaHtrdr-frw-
Hoitemr a t hora MTuadragada c-m iit
de Loma3.Valentina^, foi preso em flagran!
indiviuuo de nome Raymundo Alves da Sirva po;
ter praticado um ferimento nobragoesqui'i !
Joaquim Roberto de Alleluia, com quem !.-'....
luta.
O subdelegado respectivo tomou eonnecimcn
lo do facto e procede nos termos da lei.
Anda bontem, as 5 horas da tarde, o ce
r.or Jo5o de tal, que se ochava no Mercado de S
Jos, ferio com urna pnnhalada no peito esquvr
do e outras as costas, a Christovo Ics o
Santos.
Contra o delinquente, que evadise, prc
deu-se na forma da lei.
Deus guarde a V. Exe. Illm. e Exal.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d'esta provincia.
O chefe de polica, Geroncio Dias de Ar
rv.da FcdcSo.
Thesouro Provine!a!
DESPACHOS 10 DIA 19 DE 8ETEJH i>
1889
Collectoria de Barrciros.Ao Contencioso.
- 20
"orpo de polica. A' Contadoria.
Mana Helena Gaio de Miranda, Marcelino Ji
Goncalves da Fonte, Joanna Franisca do
..
Cezar de Souzi Moraes, Joo Pereira la Si-..
Jos Joaquim Simos do Amaral, Joao J
Miranda Jos Luiz da Silva, Francisco Campe
Pires Ferreira, Collictoria de Agua Pro.' e A
lia Marcelina Ferreira.Ao Contencioso.
21
Domingos Gongalves Villa Verde.A' Rea.
doria.
Isaias Manoel dos l assos, Thomaz d Aquinr
Silva, Jos Malaquias Martins, Flix Ferreir
Suva, Aotouio Francisco de Miranda. -Ceiv
que-se.
Manoel Nunes da Fonseca.Satisfaga as <
sendas da Contadoria
Gvmnasio Provincial, Recebedona, Je.
Botelbo, Justino Ferreira dos Passos, Jos .
rr.io de Paiva, Jos Barbosa da Costa, i tsi
colino da Co3ta. Anna Roraeiro d'Albsqu : ;.
MeHcs Antonio Francisco Regueira Duae. i:...-
cios do Dr. chefe de polica, da Cmara .Vv:
pal, da Alfandegae Obras Publicas, Pedro
lino Barbosa da Silva, Manoel Roberto de
valho Guimaracs, Manoel Figueira i!e M
ompachia do Beberibe Ccllecioiias d. .
na e Panoilas. A' Contadoria.
Elias Baptista da Silva, Hermenegildo I
do Reg Mouteiro, Antonia Umbelina Gji
de Carvalho, *ntonio Lins dos Santos, i rv
Soasa & C, Contadoria Ministerio da Fa*<--..
Cooopanhia do Beberibe, Martinho Jos di
-co A'ves Monlciro Jnnior, Bar.ii>
nueiro, procuradoria de Pteeada do c ;
Ao Contencioso.
EXTERIOR
. Xoicias da Earopa
O paiuete iuglez Potos, entrado
da Europa, trouxe dalas que de Ll
cam a 11 do corrente, adiaulando n
traiidu pelo Tagus.
ilgnmas dessas noticias, que cou.pt.
mos amanh :
- p^ie paiz escreveu o nosso
i.r, cm 11:
j IbIAW 1







2
Diario de Pernainb
?riiiloaiU-'i paran lo en s ni la dos os la a**a
' > aj'J o eipeliuute lo pedir uma cou-
K. aunjiun cu.-..) i; i-u advera Ihe nio
'3.
i |j' i: aaomolAiva 11 aa* so apresen tasse, manda, areeajisi
,i),i tsoootaculoaa
infestara n-e, fu lias era Vig
* carcter api lea <' Vu"
IMB dj eoad'imvil, erabara a
toca- P*riie
Igunsj l,or
taeuez tenha tornlo rigorosas pnvidaocias sa
Barias I
epidemia se o transmita para Muera di I
Era 0/wi/ri/4eil- la quo
ooroveoieaua Ij epidemia, (faenaste rcwwata
Masacra Vigo ierras aln
Soin uavioe- :n |nei: i toaiii...
Ton i'1 IUJ *
amarella. a.i sar Ij- o-: > radas | i
O nossos visinbas dalo n liana rrs-m oaradu-
adir na un Jos da* |> i rasa '!> he* >.
dando outros mis I nleslu, O'.oaMaala,
Santo Ihes passivel, o nu ero Id oasafibtaes,
ale.
Apezar das raadas loaadis na frooteira
porvigueza, leu passto li GUtli&i pasa ci to
eos os que o t n qu t 11.
Ht paros dura rea iiUm u n violento ia-
eendioni est-igia do com it de ferro do n i -te
Madrid, no caes charaila de Irun da Besan
laclo. As abare las va n se de todos os pan-
ftB4t dada 0 e es le tma assin chmala
por ser d i-u.i 11) ai faza.i tas prjveuiea'.es da
Judega de Irun, tinha ja maltas anaos e a sua
Qtru^c'n era exolusiv en me de maleira e
rairitlio.
Eslava sitalo 10 extrema la eitacid, miib
pro.ti.no lo deoosilo depurle), e tin.n 30)
etros de eoraprido por 5K) de largo.-
X occasiao do in:eudio .oitiaha raimas mor
dorias, tara o no s-das. las inglezas e fran
iraas, objectos de psssa n mora, c u'uraa das
tremidades. vinhos e licores estraageiras,
Isa carne una acorta* pirca) do alca-o.
Parece jue oinconl o fai oectslMMO par ba-
oavn cabida sabr un dH cascas conletiJo al
wat, algunas boinas da locomotiva que parti
de Madrid p ira irun as 8 horas e 5> mnalos, e
que aassoo pela liana m lis prxima da ces em
spesto.
Oui guar la, co.n ris.;o de vida, preten leu ro-
tor o cas o incendiado para a liuba ; mas forain
arateis os seus esforcos, i\ullapo>lbe liear
uto qu inda ua ppua emas bracas Os p.-i-
eiros socearrtfs forara presta las pelo pessoal
daestacao. O oh fe dispoz ludo inimediata-
ente para combate,- o fago, mis o material de
CHilios da coinpanhia achtva-se em mao es-
lado e nao pa lia prestar serv.cn I
Teio o material de incendios da cidade e sO
rIO horas u noite qu; o fugo failocalisa-
Qjasi lo las as autori la les de Madrid com-
receram no loeal do sinistro.
T-abalbar.im denodadamente na extmecao do
volio. al n dos bo nbeiros, os sapadares, le
3^rai>:nstas, e marinbeiras la armada.
O numero dos curiosos era f u irme. Depois
da meia noite o fogo estova completamente apa
Aim lo caes de Irun, licarain totalmente
destruidos 12 wagous que a elle se ad'avauj
arrw.-ados. Os p-ejuizos sao avalialos en 50,000
Aras esterlinas appi oxdame ate
Nio cnegou a r-alisar se ara Midnd a con-
fcrencia qu i fora aju-lada ein Sin bailiBO en
IreosSrs Sagasta (presidente do con-elho) e
fcssola, lican lo adiada para o mez seguate.
Attribu -se ao S. S asta havur elie dito pu
Inca ucnte que espe- a exisreer anda o poder em
M, e que para Mua ou J inha lesse anna tra-
na .la dissoluca das .simaras se estas hou-
nra votado a lei do sulTragio universal.
Os indinos do preside n-i do conselho ac
eerntam inais que o Sr. Sagasta espt'ra obier
da rai iha reiente, um drereto da aiso'ugio
d actuaos cortes c o da eonvocagao das novas,
pota que os conservadores, vista a sua ani
sdeersdo contra o sulTragio universal, padiain
to bem falsala, desgoslando o paiz.
Contina a correr no tribunal superior o
proet'ss-i instaurado contra o Conde Je Ben >-
ir, ex-embauaor d.; Hespanha, par mativo
da rp;a da memoria diplomtica, que enviou ao
1T. Caiiiv^s. quando este ja uaa era cliefe do
prano.
O actual ministra da fomanlo, chamado a de-
h perante o tribua!, por ser eatio governa-
*de Madrid, declaro a que, quando Ihe de.nun-
araui a memoria, Ihe denunciaran! tambera a
mrf de um aristcrata relacionado com o Sr
mas, aqial a;cusava a remessa da dita me-
sara, por incumbencia do Cou le de Bjnomar.
Esta carta, declarou o Sr. Cnovas, que se llie
ana extraviado.
Termioou, ao que parece, a questao entre
kapreusa reformista e a conservadora, a pro-
posita .lo regresso do Sr Homero Robledo ao
partido conservador, declarando o Sr. Cnovas
Sjaenao cscreveu o tel'gramma censuraida o
ole de Toreao por se oppor quelle regresso.
A nova or^anisago dada pelo ministro
dagu-rra jo- servicos militares, paree i na ser
degrado de var os .nilitaie*, entre os quau? se
amo mirqnez de la Habana e o Sr. Marti-
be wdi>os. Diz se tambera que os generaos
Cilfcga, Bargas Gamiz e Dabau. Domeiados ins
pectores das diversas orinas, em subslituico
lsant'gO' dir-co es. na aceitara aqu.-lles
sr?ii-, por eatenderea qu nSo ic;n sulucieri-
MB atlribuices.
O ministro da guerra nao est dispasto, en
oi'.-r ni lade eo n as ordenanzas mililares, a
asentir em tal **) de desobediencia ene-te
so. ter por sou lado a opinia publica.
frue, lia tas, um conflicto entre o caiii-
o general do Madrid e o corpa do eogenlieroj.
Bsr eausa d'um incendio, o capitn geueal or-
ie> j a saluda de urna co npaati a de eugenn i-
jo>. para iicudir a com batel o. e esta Bfto foi to
nplanHHHe coma o gene-al queria, diz S"
fv*. ix>r ler reeebjdo tarde o aviso telegraphico.
ttji'iieral detciuiinou que sempre que s.ihi-
os eugenheiros, os acomp iQiie nm oficia!
drrstiio-niaior, o que causou gran le desgosto
wm wnL is os i'orpas.
mioistro la guerra desapprotM o procedi-
jBIIu do gea 'ral, e se e*te nao pedir a sua ex
rzacao. ser exonerado pelo ministro.
.Era Cdiz houvo novas experiencias do
nxi submarino '.'eral, as quaes foram motivo
de gran le entbusiasmo.
Ifuiia toira 11 >\ 11 .'> >ave niiuolla ci la le o
feort! diestn VIi/.zau'.i n effsw cu ao inventor
dosubmariti). o Sr. Peral, rarte. do ultima
Mo eaates da sorte fez am tpeech todo patrio
tcoe o'iiliu-iasia ao benemrito ollicial de ma
jaaici, que as-istia ao papular espertaoula, de
camarote. O povo cobrio de appliusos o
taeve discurso de Mazzannni, e dentro em pau
a momentos o bicho foi despachado com to 11 -
regras da arto. Un telina de bravas epal
O ministro lo MUSo i' Mirracis, Mona
ni Torres, segante afli*mtm os rainisie'iaM
wcn-vt'u ofticilmente ao ministro h-spanlia
Tnger, danlo-lli.' a maior segara ici, a res
pnlodas n-.eiieoes pac le.is do sulto, cuja ex-
pedico, caraquiuto muito n.rn -ro-a. t.-ra uni
inroi por Um regular fon o?s iotoriorea do
a imperio, e n) le mi lo n"ii'iu n ho-"til
eapanlia, com a quul o saltao qu-r viver aaa
elfci'-es r IacSes de a.miside. Apos&r de tu lo.
(verilo hespanhal tem obsrvalo roo alten
jd a n ircha do exeretie lo saltao e m int
Mes dos poli'icos nar.-oquin >, d coja iealda-
1bh&> *' polo all-pinbi liar muit>.
Parece co iiinnar se que o general CialdiU:
aio aceita a oiu!> nxada le [i i!ia em II ispead i.
juegan Ij o :eu esta 11 de afl le e a sui ilade :
os u ver ladeira causa do recu.-a a raissao qu
Be n-riam i icuraitir di fax-ir entrar aH-

dba na trplice alliaac, eque ell-, i-onhecedor
doshospiiibese dos soati ii-it'.s que os ani-
ann ontra a Alle-n nina, julga i u i issiel des
ay-oliai' tal ncumi) mcia dioi.,matica.
Correo, que orgia pr-d lecto do actual gi
ircte li-spiiib l. Hpou qui-squer dundas,
nodo d.s-e textualmente:
luUa n s si r.:r qu aH'spanha nio sahiri
de owda nenlium da prudente neutralidade em
se s' mani n.
Fallase no general Rodrigues Avias para
obstiiuir o Sr. Goyeaeche na capitana gerai
de Madrid.
Franca
O general Boulauger dirigi urna carta ao p-e
dente docooseltio, pe.liulo-lhe para ser julga-
do por um conselho de uoerra, ou qu m lo uso
k nao seja concedido, pela .prim-ira cmara
de alto t'ibonal de appell .cao, nasos uuilida-
dedeoIBoial daLegi4u deHoira. obriaanilo-se
aprese.liar se quando leja citado por qualqu-r
daq i -i tnbunaes No ca-o de se Ino nao fa-
ro que polo, ap.iella pira o sulTragio univer-
I na prxima eleicdo.
JiapiflliiM para > sulTragio uoivers,il, im
dtet -ua condemnaca pelo alto triba-
tfdejusticj; ni sao nao pedio
primeira cmara
tribunal le poellac
O |i' leter nina, pois, agora este proced
mm'.i lig'.i' il Pare .; ler sido o liavcr sa
ih oitr' hu3 cousilhas oppos-
los das ssas iug)- n !s ni u, das quaes
uiioxigiinqi itas iwarrtn-
ga pira s:r julgila. p-i'ii rl) assi n evitara
liso!a;i) :niil::i d> airiila, outros in tian cm qu nao lesse tal passa. Solicitado
do f consultar sequ "
dao;
te idenc i ) a
u poltica ex'ernada Italia
so da gro cha icell
RjaMsna-se om 7, e
do principe Hambarto na
Aosta. \ ceremonia f)i
lia. A<-l-ram o soii
lo Dragan^a, o principe
a rai.ii Mir?arWa fb-
pliyto, q a receb u o b i
me, a p:ini-'Zi Liti
: \ n 1 1 1 SUI
.'un rearar
uovan partidarios, que se l n dissuia
da, depais dos d isastrcs do boalangismo.
- Os jarnaes rspablicanos da noite explicam
aoa agoierioda repblica n) responder a car
11 da general Bouanger, e accrescentum que
prosigue o inquerito sobre os casos da concus-
so resrvalos noprocesso do alto tribunal de
i as tic i-
U na circular do Sr. Toevenet, ministro da
iostica e dos cultos, convida os bispos a lembra-
rem .ios padres, parocca;iodo penoilo elfitoral,
que prohib la ao clero mnifestar preferencias
polil cas no oxorcicio das funcces sacerdotaes ;
e accrescenta qae o goverao da repblica nio
b sitar em castigar rom todo o rigor os mem-
oras da clera que iofringirera estas regras de
pracolT, cuj observancia Ihes tem sido exigi
das sob todas os regimeus, desde a celtbraco da
coacordata.
O tribunal correcebnal do Sena cotidem-
nau i revelia em 4 matee de prlso e 300 fran-
cos de malta o Sr. Lnermira, director do jornal
bau'ongista, u Coarde, por curaplicidaile na
subtraego de dacumonlos appensos aos autos da
eausa instaurada contra o general Boulunger pelo
all tribunal de justiga, documentos que a Coca/-
de publicou antes de sor julgado o processo.
S gjjud consta ao Temps, o Sr. Canstans, mi-
nistra do interior, or lenou ao perfeito do Sen i
que nao receba nenhuma declara {fio de candila
mra da parle dos Srs. 4louSanger, Dillun e Ro-
cbeftirt ; parquaato osles aeliando-se igualmente
interdictos, nSo podein fazor os actos que pros
creve a lei sobre a candidatura mltipla
BiTectivaraente a prefeilura. do Sena recusou
recebir a-i declaracOes de candidaluras apresen
tidas em nome dos Srs. Boulanger, Dillon e Ro-
chefort.
Assevera-se que o goverao de parecer
quo o individuos conde niialos pela alto'tribu-
nai de justica podom ser adrailtilos a fazer acto
de candidatos, se apreseatram as de -Iarages
de candidatura por intervengan de ura ollicial de
diligencias.
O principe Vctor Bonaparte, interrogado
por um reaactor do Fgaro, dclarou que nao pu-
blicara nenlium manifest porque as eleig&es de
ti do correte nao devera decidir sobre a frraa
do goverao, mas smente sobre a revisao da cons-
tituigao.
' O conde de Pariz publicou o sen manifest
eleiloral; mas nio foi mudo feliz n'aquelle docu
ramio, assignado pelo seu proprio punho
Nao provavel que tal manifest conquis
le por si grande numero de votos para os can-
didatas do pretendente. tomecaelle logo por
urna affirmaclo. que contradi tuda quanto se
observa no estado actual da Franga. E' a seguin
le : Trata-se de arrancar o poder faccSo que
vos opprirae, que os compromette a riqueza pu
blica, e que isolve as vossm libeidados ^nais
queridas. s bons ciladios trabalham ue accor-
do cara esta doutrina, de que nada pode sepa
ral os.
Jj\zer isto aos fraocezes no periodo ala exposi
gao universal, quando ate inuumeros eslrangei
ros esli observando prosoncialmente quo o es
tado da Franga muito differente do que asseve
ra o illuslre princip,-, afligura-se a tuuitos ser
de u na grande inhabilidade nutica.
Ha tambera um coaselua dado aos fran^zes.
que parece ser igualmente inhbil, e teucUmte a
alien:.r sympathias da causa orleauista: E' o se
guinte : luspirae vos das necessidades da lucia
e nc tratis de iniraigo-s os que combalcm os
mesmos adversarios que vos combate s.
Islo pedir votos para candidatos bonapartis-
tas, boulaugislas, instransigenles, para todos
quantos sejam inraigas da repblica moderada.
Ha unaddTereaga notavol entre este raaaifesto
e os que costumava publicar o conde de Chara
burd. Este coiuegava sempre por enunciar os
principios era que se basca va a sua concepcSo da
nonarcha ; depois referia se, mas piuito breve
mente aos neios que haviain de levar ao estibe
leciinonto d'ella. O conde de Pariz trata primei
ro que ludo da questo aleitoral para a dest ui
gao Ca repblica, sem se preo upar por cora o qu:
vira depois, quando os roalislae, os bonarparti--
tas, os dictadores ambiciosos comegarem a am-
rercada nm d'elles apreveita: em seu beneficio
aquella destrnigio.
O manifest do conde de Pariz so mereceu
applauso j encomios da Franca, falla boalan
gista, e da Auclorit, jornal do Sr- Paulo Cassag-
nac.
Os jornaes conservadores graves os que na
impronsa representam as ideas do amiga ngiraen
com pureza e seriedade, abstiveram se de quaes
?uer Lo.nmentanos, sobre a proelnmco do cho-
i da casa de Orlans, o que nao de signillca-
go Isongeira para a babiiidade poltica d'este,
nem pira o valor u'aquelfe do umeoto.
Os peridicos republicauos moderados como o
Tempi, o Jorn'U dos Debat, a RpHbtiqae Fraiunae
que representam a opiuiao media dos partidarios
das actuies iusiituices, esses raOslrara-se satis
leito- cam o acto do conde de Pariz, que parece
ter Ibes pro luzido amis agradavel surpreza.
Ora o mjinif'sio para ter effeito til era exacta
menta na m .ssa dos eleilores, cuja opinio aquel-
es jornaes representara que poderla fazer con
quistas. Logo o procediniento do illuslre prin
cipe foi de todo o ponto infeliz sa que nao foi
contra prodceme.
O carrespondeite do Dtily News era OJes-
sa, mencioaa o boato de que a allianga franco-
rus, a nr formalmente aununciada ni prxima
primavera ; pois parece que o tratado existe j
virtual nente, e as suas disposierjes forara com-
binadas na previso de certas eventualidades.
Aeleigo geral te de,autados real:sar-se-hin
no da de Seterabro.
BelKlca
Sobro a terrivel caiaiTopic Jo Antuerpia,
a que j refcria-se o telegrapio, coramunicara de
Bruxellas os seguimos laraentaveis pormenores.
L '; i I pois da inda dia de 6 da crrenle, deu-
M e ii Antuerpia u na explaso medonha.
SdUb.-se loga que hav.a i lo pelos ares urna
l.brica de cartuchos de dyuamite, situada no
porte d'a|U"lli c.da le.
O error das pessoas que tiansitavam pelas
ras e las que so ar.havam na pal acia da bolsa
in liscnptivel. Gran lo nu.uuro do raulheres e
ere ingas soTreram diversas acciJentes, em re
sulla lo d i su-'O.
O inonlio ataou furia-amoale as dependen-
cias la l'ibric-i. oale se cchavnm 10),000 bu ris
le petrleo. Nira e temerosa cspiOSOO, que sa
jav a )i o pavor neral.
O-ga.iisarain se os socorros, tomando parte
u'eltosj todaa pipulagSo valida dacidade. Tem-se
pralicado i tos ie v.-rdaiUiro herosmo. As ex
', -i su -.'l-sn-se oedida qu.' o fogo yai
ganliiiio terreae nos annaxens Je materas in-
llaui navoi. *
Kl wa-se a pedo de dozenlas o numero das
vi t n.-. As paraos conhecidas j attingera al-
gn- nilhues de fraocos.
fj r.-i Leopoldo foi visitar os feri los da ca
ta-troplie, senda acclanudo por imm"usa raulti-
daa de pow
O f'itiiott de Antufipii Jiz.que os cartuchos
que occasionaratn a pavorosa citastrophe de-
viam eooter dynamite ; e, na opiniao d'olle, a
respo!Hbili lade do sinistro cabe loda ao gover-
ao bespaahol.
Italia
Julga dade do iniiii-uerio1 Ji is:i Falla-se muita u'a-
macr,-' parcial do gabino'o, qual pora em
gran I i la a suajio. Diz-se que preten
dom sabir do anu.sterio os Srs. Zanardelli, mi
ii-t o la justica; Brm, ministro da marinln n
I) i la, ministro da fazeada. A sabida do
ulti; idmente motvala p-da crise li-
nan -oir lo Tunra, que nstf longe do seu termo
e que al km le a eneralisar se. Mas una outra
razao cuucorre para levar o Sr. Seirmet Do la e
eo i; 6 o s*'ntirem-se fitos de aollrer a dicta-
dura que o Sr. Crisp fterec sobre tado a ga-
biueie. Este hornera de eslado tem tomado sua
(, com urna insistencia cada vez maisabsor-
-, o resolver todas as grandes qnestes, tan-
pella) la corte. T i it i a
uage ii. ou Ij am ai sob
de aples e o du-pie ileil.i n., hsav
rosasacclaraago's da pipulig
Coifo/me assegura ura taiAgraaimide.R)- ltelo,
ma para o Jornal int Debate, eBseral Cialdini D.-sda o iitt-6 que comefoa a trabalhai-su ac
renunciou dolliiitiva n-n1 nbiixada tivamenle as margens lo Tamisa, e j foram
de Madrid, parquea Hespinlu esta p n-c n dis- descarrcgi I os muit) navios, entre edles algum
posta a adherir triplico allanfi,.que era o que co n : ir egaraento do c!i.
o geueral lha devia prapor. Os negociantes o arra id .ros recobrara socogo
Os jornaes olliciosos italianas n> se mostrara e tranquillidade, e desvaaeceram se os receios
satisfeitos como acalb .n tivo-am e n de urna grave crise.
Lyooeem Toulon os delegeos dimosmtna-l Terminada a grtve dos carregadores. polo
conalidade, e acjusini i!ta de patrio- darse por termnala a dos operarios mecha
lismo, por torera declarado 1|uo 1: i' ruisuriana nicas, que tivo-am d; abandonar o trabalho
cora a= tropas fran ; :zus en caso da gue.-ra. Torca, e qu" acabara por aceitar as novas con-
- O goverao italiana vai andar construir diges proposta; pelos directores ,ias compa
quatro baleras fluctuanles blindadas, que deve-! ninas.
rao s'ervir para a dofeza dos partos militaros. A iutervengo de lord ma>pr que contribua
Estas baleras soro armadas cada urai em seis poderosamente para i* bom resultado obtido.
canhos Krupp do grande calibre, o com ura O director das docas publicou em 7 nos
corto numero de uiotralhaJonts.- Daas destas jornaes urna carta em que lamenta a press;
Terca-eira 24 de Setembro de S9
- --------- -., -______g
B
As nicas phrases a respeitu da piltica geral
a all; n ig'io do estado cprd a! d
j le qu da I iglat-r.M : i u i) ln as ou'ras pcloaci.is, o a
a amoldar- deque nadas depais da ab-rtara da*
' sosso legislativa que tenia a diminuir a con-
baptisad) flanea ni eoattaaig i la os eurap-a.
duques de Esta altima assergo parece que acaba do dos
ite de farai- truir tola a importancia que a imprensa alleaS
B, o durm quiz a principio dar visita do imperador
:, e o- Guilharme a Inglaterra.
As -aiioaili is d 13 docas "O ice lorara o
nugmmta de salario, que os carragadores pM
.odian, isto : seis prenct por hora de trebi-
llio; mis este augn mo s se ^ettlisara deja
n'iro \ordiant1.
Os trabatlia lores devera voltar a fazor -aervi'go
njs molhes i is co.rapanh as.
Coma era de prever, a ;ittitu lo de ul^uus por
prietarios de molhes inlluiona solacio do co i-
H iraiierto e
drinhas do noo-
^Hracos Je sua
irdeal Ali-
jado polo C;-
tolla d
io-.ipa
calo-
iez.^oi
batetas servirlo para a defeza da Snezzia. N i exercida pelo lord mayor e polo wrdeal Naaaiug
prximo inverna soro omorehondi los alguns para o fazer aceitar as en ligos impostas pe-
trabalhas para so completar as falsificacoes. los grvistas para voliarom ao trabalho.
O bofolim linanceiro do Jornal dos Debates ] A juata central dos grvistas recusou as cali-
fa.; observar quo o goverao italiano, autorisando : di^os propostas pelo lord mayor ; i>or cone-
os bancos que socCorrera o Bioco Tibinn a gumtc. continuav a grve.
augmontarera a ,ui iroulagao fiduciaria, em O carrespeu lento do Daily News ora Oles-
pivga ura oapadionte, que nSo faz Seno aggra- sa acoasellu a Gra-Brolanha a romper o tratado
var a situaco econmica da He' i de Cbypre e a inlorffr pelas armas em favor
Maata M dos urun
Diz ura telejrainma do Koiaa* para aDulu Gla Istoee,
Chronicle, que o papa desisti do seu projecto : l'arls visitar a exposiga
de sabir de Roma, por Ihe ler asseguralo a Al- No banquete que Ihe foi dalo no dia 7, e a
lemaaha que, no caso de guerra, seriara salva i que assistiu o Sr.^irard. presidente do ceo-6-
guardados os direilos da San S. Uto de niuiislrus, e varios senadores e duputa-
Segundo assevera'uiutelgramma de Roma dos, o i lustre e-sladi,la e chefe da paiudoh-
para o Standard, embora a sauue do papa seja beral da Gr5 Brefanha, manifestou a sua aduii-
agora excellentc o Vaticano naa deixa todava rago profunda pola m.ravilbosa exposigo de
de prooecupar-se cora a s le do futuro conclave, Pars, e fez um caloroso elogio ao goverao fr.in-
pois se presume quo aSu poder realisar-se era ex, que ello poude bera apreciar duraiiie os dez
Ho;i)a 1 anuos era que esteve frente.do goverao britu-
informages colbidas do goute do Vaticauo nieo
dizem que a questao da partida do paposla por!
euiquanto longe d.: urna solugo d Unitiva.
A inaioria dos caldeaos cou-ullados a tal res- |
pedo por Lea XIII pranunciar.iin se contra o
seu projecto de abandonar Roma.
Foram de parecer, pelo contrario, que o papa
deve permanecer na cidadir eterna, mes no no
ea-ra que roana a rebentar urna guerra entre a
Italia o a Fraoca.
Dizera elles que urna guerra franco italiana
nada teria que ameagisso a situacio do pont-
fice.
So a Frauga fiea-sc victoriosa tuda leva a cri-
que aquella situigo nada linha a perder, e,
polo contr.rio, era provavel qae melliorasse.
Se fosse a Italia a vencedora,^ qu asi corto que j
a Austria Hungra, sua alliada.osaria da sua in- j
fluencia para que a sitaaga do>pa|ia nao fosse |
sacrificada.
Dizem de Rana queseannnncia u'Vi a pro-
sima punlicago de um livro intitulado : A ver-
dade sobre a questao romana.
Esta obra mpressa u'uraa typographia inda-,
pendente do Vaticana, foi de certe appr iva la
Morreu em Inglaterra lord Ad lington, miis
conhecido pelo nome do M.' Holbard.
Foi durante muitos anuos u n dos homens
raais notaveis do muuuo c-.m norcial e Uirancui-
ro da city que repre eatou no parlamento al
4837. auno em que foi elevado ao panato.
Lad Addingion era um dos eneros seculans
po partido da alia igroja auglicaua.
Do Diario de Pcraaiubueo
portugal, lisboa 11 de 8etkmbb i
de 1889
Continuara em vilegialura os nossos potiticos,
parle em Tariz, ou divagando pola Suissa, Italia,
Pyreneos, etc.; parte as estates balueares do
reino; alguns forrageanda votos, futftros para a
prxima campantn leitaral. O dia da grande ba
ta ha nao est anda lixadoollicialmente. Parece,
porm, que aho coincidir com o das eteiyos.
por Lo XIII, e o modo solemse pelo qual est Fallou so era que as oleiges para deputados se-
seado an ranciada, faz suppor ue scjii escripia riara em Novcmbro, depois indieou se Oatubro.
Mln nmnri.i nonlifti-.n. O cerlo que so nao -abo amda.
pelo proprio pontifico.
Secundo o Haaro. a sal.ida
ce.
Segund o i-igaro, a saluda da papa de Ouvi que araanli que el-roi ir de Cintra
Roma est resolvid em principio; mas a sua t para Cascaes. No (lia 6 forara chamados ao pago
ausencia ser de curta duracio, puis que Sua do Cintra os doutores Souza Martius e Manool
Sautidade se limitar a fazer uma excursSo pela j Bento de Souzn, dujs notabilidades clnicas d
Austria, Heapaoha, Frang o Blgica.
. Eslas iiiformages do Fipac devem, porm,
sor acolhidas com toda a reserva.
Monaco
A noticia que nos traosmitllo o telegraphu de
seachar moribundo o principe de Monaco, con
trislou os homens dados a estados scientificos, c
para os quaes em extremo sympathico o prin
cip Alberto de Monaco o viajante da Htrondelle
que ainda ha pomo visitou Portugal, e que tao
bello nome conquislou j pelas seuv estudos e
investigages sobre as correotes do atlntico.
O moribundo nao o principe Alberto ; seu
nai, o priucipe Carlos, actual reinante.
vera a proposito a lis'a dosOiUi-
circumstiucias que iuteressam a5ess
gera :
O principe Carlos de Monaco duque de Va-
lentinoseorao Cesar Borgia ; marques des
Boux, conde ue Calardez, barao de Buis, conde
de Thoriguy, barao de Saint-Lo, baro d La La-
thunnire, duque d- Estonteville, duque de Ma
lorio, duque de La Meilleroye, duque de Miyen
mos e mais
re persooa-
ioa chcia, que fazera parte do eorpo caihodratico
da escola medico-cirurgi.-a de Li>t6i. Estes m-
dicos nao sao da casa real.
Abandonou-se a idea de mandar vir uma sum
midade clnica da Aliounnha, para examinar o
real enfermo; ou esla i 'ea nunca chegou a exis
tir, seno s na plumasi dos reporten, quo tudo
qucreni saber e s retes claudicara. Os desmen-
tidos das fallas seiui-oliciaes vieram no dia se
guinte o por issa Ibes repet o boato, sera o cor-
rectivo.
Os doutores abalisados parlugaezes a que me
reflro, foram chamados epuferoacu que se fez
em '.intra paralo resolver se a transferencia de
S. M. para Cascaos e u sua residencia all, bei-
ra-raar Ihe pedera ser nociva. O resultado da
conferencia parece ler sino pela ida para Cascaes.
O Sr. D. Luiz nao tora appareci.lo n'estes ltimos
das nem aos seus (judantes de campo. No sal
bido e domingo (7 o 8 do corrento) esleve de
cama ; a forga ah distacada como guarda de hon-
ra tem ordem de nao fazor toques de corneta se
nao do meio dia em danlo. Alera d'esta ordem
ne principe de Chtoau Parolen, coude de Fer-! outras se de rain ten lentes a evitar a perturoacau
reto, de Belfort de Thauu, e de CUilly, conde do doenle ; mas a msica da banda militar tem
de Longjumau, bario de Massy, marquez de
Guiscard, grande de Hespanha de prhneira clas-
se, bailio, gr cruz da ordem de >'alla.
Naseeu era 8 de Dembio de 1818, e casou em
1816 com a coudessa Antonietta de Merode.
Esi moribundo era > balean Marchis.
Seu lilho AiUrrto oza de feliz saude.
Iu glaIerra
O governo iuglez maravilhou o parlamente e
o seu paiz com uraa verdadeira surpreza
Quasiao expirar dasossao legislativa, quando
j muitos depulaios imitara abandonado a ca-
ara, e recolbido a suas .casas, quando alguns
., r. i a-,ir.-iiii-
continuado a tocar todas as noites, com o que pa-
rece el-rei .star-se recreando. No dia 9 eslava
ura pouco melhor. .
Chegou a Lisboa no paquete Moor o duque
de Orloaos, irraao de S. A. R. a senhara duquesa
de Braganga. S. A. era acompanhado polo seu
ajudantc de campo, o coronel Parseval. Seguio
logo para Cintra, estando ah hospedado no pa
lcete do Relogio. De tarde an lou passeiando de
landau com sua irra pelas estradas e pittore-cos
arredoros de Cintra.
- J se realisou era Turin o baplisado do fl-
Iho do duque de Aosta, i.-uio de S. M. a senbora
ministros ostavam fora de Londres, o Sr. BalTour, j D. Maria Pia, e da princesa Letizia. Alm de ou
secretario de estado para a Irlanda, respondendo tros principes assistio o Sr. D. Carlo3, duque de
a uma pergunta a res pe to da organinaco da | Bragioga, depois de ter estado algnns das em
instr gao publica na Irlanda annunciou que ser Pariz, con
apresonl.do ao parlamento um bil, creauJo na-
Juel.e paiz urna universidade calliolica, subsidia-
a pelo eslado. -
Tal aunutici causou a
deputados parneilisias e
outros grupos da cmara.
Esta questao do ensino
amito debatida.
maior sutisfaga
inlignou alguns
aos
dos
como ihes refer na miuha ultima.
De Turin, S. A. R. fai para Monza.
O Sr. infante D. Augusto contina cora visi-
veis melhoras.
J foram inspeccionados pelos engenheiros
nomeados pelo governo as estages e a inha fr-
rea do Pedrougo a Cascaes. Dizem-me que a alter-
na Irlanda tem sido! tura da linha ao publico ser no dia 16 do cor
! rente. Ha ver nove comboios de ida, e outros
Excluidos, do ha muitos anuos, de se a prove- i tautos de volta.
lar da universdade de Dublin, os catholicos tm Est promettida pelo Dia a publicago de
lutado muito para reivindicar o direito de terera uma iuteresganle carta, em que o Ilustre verea-
tambem ensino superior, harmnico cora a sua dor da cmara municipal de Lisboa, o Sr. Augus
rulii,0 to Fuschini, expe destmvolvidamente ra plano
0~Sr. Gl.ulstonc ma lili mu era 1869 a situaco ; seu de melboramentos. destinado a resolver o
mas oSo consegua satisfazer as aspirages da problema, muito discutido j, de dar sahidas es
poitulaga catbolica pagosas ostagao central dos carainhos de ferro
ara garantir a absoluta igualdade ea're os e Avenida da Liberdado. Acorapanhar a carta,
dous cultos, caiholico o protestante, foi eiilo re- para -ma melhor compreheosao uma planta de
lirado tolo o subsidio do estado ao colegio pro- melhoraraentos delineados pelo-Sr. Fuscbini.
testante de Maynootb. e deteirainou-se que a un Affirma se que se vai eslabelocer na serra
versiJade de Dublin, que su ia a nica subsidia- da Louzan uma estagaosanuaria, para os tysicos,
da, fosse franqueada por igual aos protestantes
o aos calbolicos, o a uuica quo tivesse a faculda-
semeltiauga da que osi tunecionando na serra
da Estrella.
Sao to cansideraveis os eslragos feito-'
pela molestia as vinbas do tormo de.forres, que
de de conferir gaos acadmicos.
Os catholicos, porm, nao salisfeiias com taes ,
providencias, corabinaram em nao se aprovei- este anno, a coihoita calculase em i.000 pipas,
ur do ensino superior ministrado na referida quando,onnnariMBenie erado40 aaiil odpas i
universdade, e nao teom cessado- de reclamar
a cieaeo do urna universidad dislincta da ac-
tual, que, pida obsteuco delles. Sejtornou uma engan.dos de
escola puramente protestante. Preteudem que 30, o mximo
seja tambera subsidiada pelo flMSOuro publico,
e quo tenha a faculdade de conferir grus.
E' a esta aspiraban que pretende satisfazer a
providencia promeliida pelo governo.
Causou tanto maior sorpresa a promessa do
Sr. .Balfour.*quanto corto que ogta questao de
u.oa Univ.Tsi.iade catholica s tigurava ultima
mente nos ltimos captulos do progranima par-
ucllista.
As reivindicago s agrarias
nhain a deixuda lie u" ura pouco para traz, e a
agitado rdativa ao ensino universitario pare-
ca mViramente acalmada, ou pelo monos adi-
ada, visto a :uj.iior ;iportanoia de outras as-
piragoes do partido nacmwal irlaudez.
Eucerrou-se o parlameato ngloz. O dis-
Haalli proprietano; que esperaram 40u, 30it.
ou t00 pipas, segundo o costurae, e j estao des-
que na coiliein mais 10, 30, ou
Na Bairrada elevouse consideravelmonte o
prego do viubo pelo grande despacho que lera ba-
vido para Franga.
Na ilha de S. Miguel foi este anno muito abun
dante a colheita do.eh. Os ensaios culturaes d'e-
ta planta vo dando nos Agores excellente resul-
utado.
Finou se na Foz do Douro, onde estava
passanlo o vero, com >6anuos de idade, o mar
e o-home rule ti- quez de Thoraar. Aulonio Bernardo da Casta Ca-
bral.
O illuslre estadista fsi um dos vultos mais
importantes da poltica desle paiz na primeira
melado do seculo actual.
Subi ao poder pela primeira ves om 1839,
e dispoz durante muitos annos da plena e lirai-
carso do encerrameito nada apresentou de no tada coulianga da rainha D. Mara II.
savtd ; e, se alguma cou.-a orferocc importante,
es pelo quo diz, do que plo ileixa de
dizer-.
Ni.parte relativa aos negocios estrangeiras,
limita se ft enomeraco succiola dos principaes
ucidentos diplomticos do anuo.
Refere so camuriiha contra os derviches do
no alto Egypto, faz ura.rpido resumo das ne-
goeiagoes relativas s libas do Saina,- annuncia
a'convocago da cimferon.ia de BruxeUas, ed
conta de se haver celebrado um accordo entre
a Inglaterra e a Franga cora Hxaglo
do? limites pten-
lo da poltica interna, co no
da exterior, sam cias tm na cosUoriental da frica-
0 imiao conde de Thomar foi chefe do partido
conservador e era o raais antigodcsconselhoiros
de estado effectivos. pois que a sua nomoago
data de 1843.
Coincidencia natavel : Antonio Rolrgues
Sa upaio. o mais temivel dos seus adversarios
polticos, a amigo redactar do Espectro foi quem,
sendo ministro do reino, referendou o decreto,
indo a conde ;de Thomar ao titulo de mar-
quez.
A impronsa tribulou agora ao illuslre morio.
que to proemiuente papel representou na scena
poltica do Portugal, homenagens consenUneas
cora a brandura dos nossos costumes.
Muilq? amos tinham j docorri lo sobre o pe-
riodo ominosa da guerra civil era que se degla-
diavara principios diaraelralmente oppostos.
J l vai tu lo isso, quo boje perteace histo-
ria. Ex'ictoi os odios dis mssas canten Jas de
ha oOaanos. a iraprensa porruguoza nao veio
nes'ta^iora accasar a* cinzas daquelle vulto, ain-
da ba paucos dios qucDrado pelas ultimas perio
dos de senactude.
Fez justga s suas intenges, absolveu de
um voz-as culpas se as teve, e aspergio-lbe a
campa com a indulgencia posthuma de nm parce
stpuUis. atoado em todas as claves de urna pro-
sa esmerada e respeitosa. Um >io penadicos
de Lisboa, om vez de necrologa ad hoc, transcre-
tea d j Portugal Contemponneo, de Oliveir i Mar-
tii-, as paginas vigorosas ora que este n tUvol
historiador e.-calpellou a epooba.poltica solrre. a
qual, neste paiz, eampsava npiclle vario ener
gico e sagaz, qae so cha a ou Costa Cabra!, que
i pos o seu norae, &o calumniado lahis, a om
partido arrogante, compacto, a quem o pago e a
su i camarillia erapreslavam a maior parlo da
forga, 8 que, par ultimo exarcebou a paciencia
das massas papulares, qae o l varia n de venci-
da sera o appello ao deus ex mneksna la interveu-
go ostrangoira em 1847.
Costa abral ora intransigente, porque ueste
lempa havia priucipios e aslcu'.avam-se a todo
o transe.
Os nmdieatos, na aetoalidade, snbstituiram a
tenacidado dos velhos principios. J se uo
lucia petos i.ieas ; lucta-se pela existencia, mas
pela existencia deslumbrante dos Cresos e Lu-
cullos nesttfultimo quarlel do seculo XIX.
Ps'contecimentos de 18oi affustaram Costa
Cabral do poder e obrigarara no a recolher-se
aos bastidores da vida privada Retemperou-se-
Ihe o animo na doce ameni lade do lar domestico
e os novos agrupamontos polticos formados em
oonse.juen ia da queda do antigo partido con-
servador ou cabralista, exigiram novos servigos
patria.
Foi oslo o conde, e mais tarde marques de
Titn ir, cncarregado da missoes diplamatica^
.-1 imporlaneia, taes como-a einbaixada da
li-o do Jan aro e doiois junto S inta &, onde
re 'ileraoeoa 4(f||^ anuos. Unido do volver a
qaartois do invern acocada pelos achaques in-
lieronles sua provecta idade.
O marquez de Thoraar era conselheiro de os-
lada, eifeclivo, par do reino, bacharel era direito
ministro de estado honorario, grao-cruz e com-
raend.idor de muitas oidens nacionaese.estran
oolras e socio de diversas corporagCos litterdras
e scienlilicas.
ptimo chefe de familia, os sous li.hos adora-
vam-u'o. Como orador parlamentar fai emulo
condigno de Rodrigo da-Fouseca Magalhes;* e
muitos outros que enno!>,-*eram por sua co
qnencia portuguezu atriuona parlamentar.
Gomo jornaltfta coll. fforava aciivamonto nas
falbas do seu partido, sotido coa Ijuvudo ci
a briilianlismo proprio d-ssa pugna,' nem sera-
ore incruentas, por Meiides JLeal, Robello da
Silva, Carlas Berilo da Silva- e oulrys escripto-
res- que uesses liroteios da rapreasa quiti-
diana pozeram o melhor do seu elossal talento
e da .-ua juveniude intrpida e arrojada.
Ainda nossa epocba e nao zambava, i.oino
boje, de tudo o de tol03 ; pori^s* que as alia
das ironas, por oxerafHo do Robello (la Silva
contra .Ro irigo daFonseca Migalhes, corlivara
como espada de dous gumes e consliiuiam um
acontocimenlo (|ae linha tanto de litterario carao
dop ililico.
Liatn-se os artigas de fuudo ; oje leem-
se as locaes, saltara se aos ps juntas os longos
sitiaos edictoriaes, e volvex-se os olhas amoro-
sos u'tima pagina do jornal onde se annun
ciara as especulagos da !in ing i era gro -so nor-
mando.
O taera] do tinado marquez, na Faz, esleve
imponente, bem como as exequias, a que assis-
tio tudo o que o Parto pssau de mais amansa-
do c conspicuo. Recobra a chive do fretro o
Rvd. bispa do Bethsaida.
O corpo do nobre extincto vive na cpraboio
para Lisboa, chegando ostagao de Santa Apo
tenia no dia 4 do corfeuie (|o manh. lindo ani
depositado, tl'um compartimento transformado
era cmara ardente. Pessoas da familia do mar-
quez de Thoraar acompanharara o fretro para
Lisboa .
A's 4 da tarde de. 4 realisouse o sahimento
em Lisboa, assislindo representantes da familia
real, do governo e das duas casas do parlamento,
sendo-lho prestadas todas as honras militares c
civis devidas sua elevada cathegoria.
iSobre o caixao fra deposta uraa bolla corda
de violetas; a coroa do marquez, forrada de
rape ia n'ura coche de respeito-
Antonio Mana Blauc de Moura Telles era
um velno lalgo. que todos conbociam em Lis-
boa, rico e de boa linhagera, tao antiga aue re
montaba, s crzalas aos antigos Montraorency
e Ilustre familia dos Telles do nobiliario por
luguezes.
O seu gosto, porm, era viver entre as classes
intimas usando jaleca e sapatos de salto raso.
As tabernas do Bairro A'to, mas as mais sr-
didas, que elle frequentava de preferencia, e
d'ahi, as suas relagoes como de igual para igual,
cora a fadistagera que infesta aquelles sitios.
lia poucos das ou porque tivesse esbofeteado
um d'esse-s (ayas, ou mesrao sem provocagao, foi
agaredido por esse biltre com uma facaaa no
ventre que o matou I
O assassino, que um mogo quasi imberbe,
mas dos que usara navalba de pona e mola, as-
sra que soube que tinha matado o fidalgo, foi se
entregar ;policia, chorando, porque, diz elle,
nao o quena assassinar, mas nicamente des-
alronlar-se da bofetada. Nas tnbunaes se des
lindar ludo. O fidalgo foi autopsiado e sepul-
tado, o faya assassino, para a cadeia do Li-
raoeiro, e o processo, vai-se avolumando na Bfla
Hora, at ferrar com fadista na costa d'Africa...
onde tambem se come pao, disera elles,
embora seja do que o diabo amassou. .
A victima deixou '00 cantos de ris fortes.
Parece que para a vaga, que no conselho
de Estado licou por marte do marquez de Tho-
mar, ser ncmeado o Sr. consilheiro Henrique
de Barros Gomes, ministro dos negocios da la-
fazend e dos ostra.geiras.
Na seceo Hespanha podem ver os nossos lei-
lores quo as autoridades de Vigo, e o propno
governo hespaohol estao ardendo com as provi
dencias enrgicas tomadas pelo governo de Por-
tugal, alira d nos defender contra a invaso da
febre amarella, que se manifestou ltimamente
11'aquelid cidade e em outros pontos da Galliza,
apezar de filos insistirera em dizer nos que a
epidemia nao passa de utn andaco de typlios e
gastro ententes a que elles eslo acostumados
em todo os venSes.
Energa e mais energa, que necessario, e
Deus super omnia l
Acaba de sir instituida pelo nosso governo
uma nw IhIIi i de ouro destinada a recompensar
as pessoas que se tornarera benemritas-da ios-
tiucgu primaria nacional, qur sej^ra portu
gansea, qur sojara eslrangeiros.
Eis as demais disposigos do decrelo :
Art. 2. A medalha da instruego primaria
ser de figura circular com 3 centmetros de
dimetro, e lera de um lado a aSgie de Sua
MaKestade El-Rei com o legenda D. Luiz I,
Rei de Portugal, e com o millesimo 1889
na parte inferior.
Art. 3.* No reverso e em torno terfa legenda
i InstrnccSo primaria ; no centro ura facbo, e
na parte inferior a legenda Lei de 11 de Ju-
nho de 1880.
Art. 4.' A medalhi na instruego primaria
ser pendente de uraa lita de cor violeta para
ser trazida ao pescogo por aquelles a quem fr
conferida.
Art. 5.* A medalha da nst'ucgao primaria s
podesser concedida para recompensa'-:
1." Os cidados que tiverem fundado ou do-
tado o-colas ou outros estabolecimento3 de en-
sino primario e educago de creangas e adul-
tos ; -
2." Os autores dos melbores mothodos e com-
pendios para escolas primarias;
3. As pesoa* que houverem platicado em
beneficio da iusiruego primaria quaesquer ser-
vigos relevantes
Art. 6. A concessao da mcrc nao lera lugar.
sera que baja da secretaria do remo documento
ollicial que prove que a pessoa. a quera olla
feita, est u) caso do ser contemplada, e sera
parecer "previo da seccao permanente do con-
snn rior da instrueco publica.
Art 7 Nos decretos da concawio sero de-
clarados circiiistanciadam' ule os motivos que
justilicara a merc.
E por aqu m licarei hojt.
Se au fechci a missiva com chave de ouro,
como nos sonetos, a medalha servio-me de chave.
CIDAD'2 DO CABO, 21 do Setembro de
1888
Foi imponente a manifestado feita pelas habi-
tantes desta cidade ao Dr. Luiz Salazar da Veiga
Pessoa, ex juiz municipal desle termo e a sua
Exraa. familia, no dia lo do correte, quandt
seguiram para essa cidade.
A's 3 1/2 horas da tarde soguiram paraacasa
de S. S. crescidomura ira de alumnos e alum-
as das escolas publicas desta cidade, dirigidos
pelos respectivos professores, e muirs familias,
representadas per 46 Exraas. seahoras.
Pouco depais o preced lo da banda do Club
Phllarmonico, cb'gou dita casa um'crescide
numero de amigos de S. S representau lo todas
a- classes socia.s, noanda-se tambora muitos
uiombr .s das colonias higiez o porluguza uqui
residentes ; ah cliogado.s usou da palavraopro-
l'ess ir canito Ernesto Miranda que, om ame
das swodades Recreto Dramtico e Gremio Lit-
terario o le alguns amigos, poz disposigo de
S. S. o uo sua illuslre familia um wagn reser-
vadla, no Irem ordinario e, em nomo dos sens
colloi'asd disiriclo litterario, oiTe-eej a S. S,
cm uaia lida caiu, 'um rico carlio do pala
com a seguii'.e iiiscri.go : Os proditores do
disirirto Uiterurio do Cabo ao seu ex delegado lit-
terario Dr. Luiz Solazar da Ve ga l'esso 15 de
Selembo de 1889.
Em seguida foram a S. S. entregues pelos
Jamaos das escolas masculina, mixta e feminina
diversas bouquets. fallando nosta occasiao dous
meninos em nome das seus collegas. S. S. com-
movidi-sirao agradecen lo espontanea e sur-
prehendente maoifestagao de aprego, considora-
go o gratdo que Ihe tribulavam e terminoi
pondo' disposig) de todas os seus amibos e
admiradores o sou prestigio e os seus servigos;
depois do que soguiram todos para a estago da
fdrro-via, indo a sua Exraa. consorte com as
Exmas. sen oras o S. S. coai todos os seus ami-
gos, era numero superior a duzen'os, preceden-
do os a banda do Club l'inl.inno .ico c duas n-
teressantcs alas d criancas de ambos os sexos.
Cboga 198 estago coraecou S- S. a de pedir-
se e abragar a todos, fazendu o mesino a sua ca-
rinhosa esposa, ao som da "msica e dos solugos
dos amigos e de suas lamillas.
Quando lomaran) ;. S. e sua chara familia
wagn quo Ibes eslava reservado, as Exmas.se-
ntioras jogaram para dentro do carro uma chuva
de pealas do rosas que os cobrio todo >, send
erguidos ne.sla occasiao muitos vivas, e lamber
por S. S. erguidos diversos, um dos quaes ao ge-
neroso sendo povo cabensc.
Na eslagao da liba foram S. S. c sua virtuosa
esposa saodados por diversos amigos e seuhoras
notando se entre outros o capito Jaaquim C.
Duarle do Azovedo, que to nou o.carro em que
iam o na da Bia Viagem esperavam, para cum-
primenlal os. o chefe da liafego capilo Agrici*
Lins e sua Exilia, consorte.
Aeomp.ioharam S. S. al s Cinco Ponas os
Srs. capilo Julio de Mello. Dr. promotor publi-
co.-Dr. curador de orphos interino, escriv
tartao Lins, sollicitador Jaaquim Varejfio, l-
enles Jos E dos Pasaos e Jaaquim Servido,
capilo Ernesto Miranda, 'arlos Van-Lurae, Luiz
le Franca Tilomas de Aquin), Jofia Lins,I-mael
Silva. Antonio Ignacio, Fraterno Va.-ojio, Anto-
nioMinins Filbo e Jos Martins.
Avahamos o quanto fieou p ssuido de grali-
ilo para o povocaboiiso o corag5o deste mog*
qae durante os 8 annos de sua estada entre nos,
-oube impor-se i consideragao e a estima de to-
dos os habitantes d'aqui, exprimindo manifes-
taga a mais exuberante pro va do seu proceder
de juiz roclo e cumpridar de deveres e de bota
cidado e amigos de todos. A S. S. cadae a sa-
tisfaco de tor deixado immaculada a sua toga,.
N.1.UG4S E C0HUES:i
Em Liverpool acaba de publicar-se ura livra
ira portan tissi rao sob o titulo The Colonial Office
List 1880, ou A Esiatistka Official das Colonias
para 1889.
E' u.n fasto repertorio das informages sobre
as colonias britaonicas : com raappas geogra-
pbicos o qundros estatisticos, alm de observa-
ges histricas e noticias varias.
lie ura dos quadros estatisticos resulta urna
diffurenga para mais, comparada a populagao,
em 1881 e 1887, de lodo o Imperio Britannico.
1881
Colonias 15.697 67
India 8 Buraiah 198.790.853
Estados vassallos na India 5o. 191.742
Re no -unido (Europa) 34.952.204
1887
Colonias
India e Buruiah
E-ta los vassallos na India
Reino-Unido (Europa)
304-632.475
19.797.893
210.754.57*
60.382.46o*
37.453.574
328 388511
A' directora em Londres reraelteu o superin-
tendente da estrada de ferro de Santos a Jun-
diany, a 24 do Agosto, e por conta do saldo da
trafego. a quaniiajlo 20,000 ou. ao cambio de
27 i/8, 170:958*520, era letra de 90 d v.
*
Do boletim raen-al da e tatistica municipal da
cidade de Buenos Ayres, colhemos os dados se-
guimos acerca da entrada de immigranles all
realizada per 482 vapores nos meses de Janeiro
a Julho do correte anno.
Entraram ao todo 157.785 individuos,
quaes foram class Meados inmigrantes
dos
Janeiro
Fevereiro
Margo
Abril
Maio
Jdnho
Julho
22,100
23 595
18,965
20,479
20 889
20.303
16,569
Total 142,902.
Na decurso da mesino mez forara cullocados
ou internados 9,803.
Era igual periodo importamos nos (eslran-
geiros com passagera de 3* classe espontnea-
mente chegados ou medanle passagem paga pelo
Estado) :
20,673
13.337
7 479
3,300
2249
2,076
1.395
Janeiro
Fevereiro
Margo
Abril
Maio
Junho
Julho
30,709
Por decrelo n. 10.337, de 6 do correte, foi
autorisada a Socit Anonyme dn ChemiK de Fer
Benecente Minas para funecionar no Imperio, fi-
cando expressamente entendido que o capital
uros garantidos, na forma do decreto de 15 de
)ezembro do 1888, sero contados em moeda na-
cional sem neshuma referencia a oulro padra
monetario, bem como que soraente serao compu-
tadas para os elfeitos fia sobredita quantia as
quantias que forera empregadas no estabeieci-
mento da estrada, nao sendo considerados para
tal tira os dous quintos do fundo social, on
4,000 000 de francos, em acgOes ordinarias in-
teiramente realizadas, com que o art. 6" dos es-
tatutos remunera a transferencia da concessao
".
L.
INDUSTRIAS E ARTES
Do relatorio apresenlado pelo gerente da com-
panbia Progrosso Agricoli, proprietaria do en-
genho central de S Pedro, situado no valle da
Pindar, da provincia do Maranhio, constara in-
formages que muito nos alegramos de registrar,
quanto orgauisago do trabalho agrcola na-
quella importan'e zouaassucareira.
Affirma o gerente que, com excepgo de pon-
cas fazendas, cuja donos se queixaram do mo
servigo dos li lertos de 13 de Maio, no gera' t a-
bilharam ellos regularmente, de maneira que
loda a safra de 1888, come;.ada em Julho, foi co-
linda e aproveitada sem nenhuma desorganisa-
go, predominando alli o contracto de parcera
pelo systeraa de tneago que os lavradores coa-
sidoraiu prefervt-1 ao de salario.
Como, teraiinada a safra, muitos libertos hou-
vessera part o para diversos pontos da provin-
cia e da do Piuuhy procura da trra natal
dos (.renles, e das libertas ticaram poucas*no
l.-ubalho do campo, prefenndo os servigos do-
msticos, angariaram os tazendeiros da locaiida-

I

^
l
I

k

i
i

l
Jm



Diario de PeruambucoTera-feira 24. de Setembro de 1889
:i



e cerca di; 600 emigrantes cearenses que, na
roa quasi lotaliclade, se teem mostrado trabi-
lhadores.
fondo percorrido quasi lodos O ctnnaviaes,
ie;icnuTlia o gerente |ue o beoelcia n\-ito dirs
cannas tem sido bem feito e a tepipo, po.lendo
stiraa,--se que a eolhi'ita pendente sera muito
regular.
Ella seria mesuio extraordinaria srra o rijo-
roso vene que tera fllii'.do.a localidade.
A emp-e cootraetado o anmenlo do anti^o fornecimento
ajustado, cetebrou novos contractos com 26 plan
lores para auppnraento anuual de 40.050 ranc-
iadas de caona.

Consta que est sendo on?nni urna com:ian!iia para a crear) de ana grande
fabrica de hac&o, con sede eni Peirop is
Esta fabrica desuada especialmente ao pre
pa-o dos tecidos fia is. taes como 7. -phir, morim
cretone.
Consta raais que ja e das as aeces, sen.io ura ds inorporadores da
companliia o Sr. Dr. Rodrigues dos Santos.

II i alffoas anuos, projeetou o Estado fundar
i ndalede Molas da provincia do Rio Gran I
do Sul. nina e-cola de medicni veterinaria e de
agricultura pratica ulisando panu-ste Hffl OlB
Tasto c.lilicio e terreno oflereados pela compe
tente municipalida-ie.
Nao so leve o projecto canece de execugi i,
mas tao adiaalados tarara os traballios que, por
intermedio do D Ciauio Rbourgeoo proles
sor contracta lo era franca para organtsar e dri-
gir o estalieleoiment, fez o yoverno adquirir e
importar naqueHa provincia 1-5 reproductores ele
raga, apparelbos de laboratorio, etc., mandando
executar obras complementares do edificio saJ
importancia Ic 36:000*000.
A utilidade ea ueessidade ibeslabe'ecimento
m provincia criadora, qual o Rio Grande do Sul,
nao eram para ser po3tas era duvida, e .listo ti
nhura-se mostrado convencidos parlamento e*go-
Terao. aqnelle eoncedendo e este empregaulo
importante crdito para crer.eP.o e mantenga da
escola. Contestada, entreunto a competi-ncia
do D". 1. Rebourgon, e parecen lo perneo rcui-
lar e niraa-o-nte dispendiosa a par:e nanCeira
a sua directo, honve-so por acertado abando-
nar o projecio, restitu ndo o edificio a muuici
palidade, pando em basta publica o- aiiimies. ote.
Restas' circumstancia* toinou a si a amara
Municipal de Pelotas fundar all un lyceu de
agronoma, veterinaria, artes e olli'/ios, e fez
contraclar na Europa para o corpo cente do
estabelecimento os Drs. Menseu e Riimbault,
agenheiros agrnomos, e Constans, professor
e veleriuan'a tolos francezes.
Para auxilio da creicao do importinte lyceu
destinou a lei actual do ocamento a qnantia de
30:000* que, lia meses, foi posta disposiyo da
referida raunieip.ili lade.
A exposicao deste facto corrobora a arguieao,
ao poucas reses dirigida aos poleres pblicos,
la falla d>- Bequencia e de perseveranca as rata
deliberacO's e ro seu espirito de iniciativa. Tal
?ex porque lao fcil iniciar quao diflicil perse
rerar, pe menos milito commum entre n
por a caniinlio urna bella idea, f izel a vibrar
como esperanza ro leial a mesmo de extremosos
cuidados por algntn lempo, e inopinadamente,
abrir mao do trabalbo encelado ou nao mais Ihe
dedicar sen&o mediocre ou Miterrotnpi ia alinelo.
A ebronira do nosso ensino agrenla, da aecli
macan de vezetaes nteis, do nielo, iramcnlo das
rucas, etc. oll'erece exemplos dessa nossa este
rilsadora veraalili lade que, em quasi toda- as
espiaras da administracfto, po leriam ser adia-
dos.
*
As vaniagen que olTerece a arte de composi
tor com os typos movis sao ineontestaveis para
os europeus, rujo alph ib'-to se compOe de un
resumido numero de letras, sendo p >r Mi faei-
limo formar e juntar as palavras.
Este trabadla, porem. e completamenle nutro
na bina e n > J ipao. em que se neeessila de urna
letra narticul .r para representar cada p .lavra e
cada idea.
Segundo se diz, a cnHeccao completa dos lypos
japoneze8 coinprebende 7 0' caracteres, dos
quaes 5 00) estmem uso constanc e os oolros
2 000 se emrr"gam de vez em quando.
Estes estao arranjidis em iim gabinete espe
cial. on le o corapisitor os vai buscar qu indo
delles precisa.
E' por is'o que o telcrraphi nao pode ter ap-
plicagan p-atiea aaqnelles ia zes. tendo no em
tanto o le phone no Ja pao ura airolbiniento re d
ente i-nUiusi istico.
Imagine se nm tidegramma urgen'e d" duas
mil e tantas letras dirigido de Pikin para Hong-
Kong !
REVISTA DIARIA
Minii dencia de Pernambuco foi expedido o si gninte
aviso :
Mmisterio nos Nuncios da Agricultura, Com-
mercio e Obras Publicas.Directora do Com
mercio. 1.a Secca >. N 2.-Circular --Rio de
Janeiro, 2i de Agosto de 1889.lllm. Exm. Sr.
Coramuni a V. Exc. que segundo declaro
n'esta dala a directora geral do; Correins, tic un
stab. leci las .s senint>-s legras sobre a nter
posijo de recurso por parte de pessas estran
nhas ao Correio nos casos de que traa o Re_u
lamento approvado peto decreto n. 9.912 de 26 de
Margo de 1888. I Quando as mullas ferom im-
postas pelos administradoras deverao osmulti los
recorrer para os presidentes das provincias. 2 -
Quando o forera pelo director geral devero re-
correr para o Ministerio da Agricultura, Coin-
mercio e Obras Publicas. Deus guarde a V.
Exc. Lourengo Cacalcante de Albuquerqiie.Sr.
presidente ibi proviocia de Pernambuco.
ArtoM ofHrlaeMPor actos da presidencia
da provincia de sabbado ultimo :
Foi concedida ao professor da 1* cadeira de
ensino primario de Santo Antonio desta cidade,
Augusto Jos Mauricio Wanderly, a gralilicago
de que trata o art. 2- da lei n. 2.02 > de 15 de
Julho finio, visto contar mais de 15 anuos de
ftVctivo exereido no magisterio publico.
Foram ex neralo3 Francisco das Cliagns Ca
\ aleante Pessoa, a pedido, e Antonio Gorma;
Maia dos cargos de delegados dos distriotos lit-
'erarios d>' Cuyambuca e Peres, e ncraeado.-
para eubsiMuil-os, na ordinn en, que vo eolio
cados, Antonio M n tins de Ibuquerque hacha
re Manoe! Francisco de Barros Reg.
Foi aberto um crdito da qu nilia de 33991.'i
verba1) -pezas de corpos e (Ofertis, do Mi
nisterio da Gu-rra, exerenio ne 889, alim de
recorrer ao pagamento da despeza relativa ao
forneci.nenio de capim que em Asosto lindo fez
Joao Ignacio Ribeiro Roma cavalbada do des-
tacan.enio do h* regiment de cavallai ia desta
provincia, vist. ler sido inadiavel o mesmo for-
necimento.
dimrielo -No da 20 do correle reu-
nio-se a junta apuradora do 10.* Wstnfto elei-
toral derla provncia, na cidade de CaroarA, e
feita a somuia d >s votos, foi expedido diploma ao
conselbeiro Francisco de A6sis Rosa e Silva (C).
O BrMftlI decadente-E' o HlOlo que o
Sr prafesfldr Tilomas Cavalcanle da Suveira
Lins deu a urnas reflexes que Ibe foram sugge-
ridas pidos fados da nossa vida poltica, e que
mandou imprimir, para ser distribuida em fas-
cculo?.
Agradecemos o mimo que de ora exemplar (lo
i. des si -s f ascxulos no- fz o Sr. professor Sil
veira Lins.
Instmrcao Publica <> inspector geral
da instru va PabHCa, por acto de hontem da
lado, resolved, em virtude do di.-posto no art.
276 lo regulamentu de 18 d-- Janeiro de 1-88,
desicaaroaBiaouen e M-moel Torqnato leAraujo
Saldanha, para substituir o respectivo otDcial,
durante o seu impediiinnto.
Juina de direito da protedorta
Emquaoto dorar a actual sessao do jury, o Dr.
juiz d'J direito Ribeiro Vianna dar andiencia
nos mesnios dias j desigaados. as 10 borus da
maohfi.
Patiimeiiio No domingo, por obra das
2 horas da larde, rendeu a alma ao Creador o
vener. ndo anciio Francisco antonio Pontual,
em consequencia de antigos iorommodos e de-
p< is de longos soffrimentos.
Portugoi z de nascimento. era brasileiro adop
tvo e coutava 82 annos de idade. Em comeco
de sua vida nt-sla provincia, para onde viera em
tenra idade, segoio a protlssao commerciai com
e8tabeleciiBeoto de tascadas roa Mrquez de
Olioda, e depois deuou-a pela de agricultor; e
como tal foi na Escada propietario e i xplorador
de engentio de fater assoctr.
O finado e ooiro seu irraao mais velhof tam
bem j fallecido caaram cora senboras da Casa
de Frecheiras na referida comarca da Escada,
onde foram tron 50 e formaram por sua deseen
deacia numerse, a importante e respeitavel fa '
milia l'ontual, rujo ultimo a*eu lente convee
deixou assim de existir.
O tinado era u c bom carcter* auas qualida-
des pessoaes faidam-no estimado de -todos,, e
pelo concito en una representaco
bons sentiraentos do homem e do cida lao"
E urna perda que deixa muito sensibil.
soa familia, em cujo seio contamos amigos e o
nosso estimado cofiega Dr. W'itruTio, de quoni
era sogro o finida.
En deposito no Cemiteno I ublico de Santo,
Amaro o seo cadver foi hontem tarde levndoj
a sepultura em presenca de grande nuin :ro
parentes e amigas, que assim deram-lhe a ul'
prova da estima e respeHo
ossas condolencias desolada familia e mais
especialmente ai nosso mencionado collega.
Ir. Jaaqulm \ubuc Teve lugar bon-
tera. larde, como fora annunciada, a proiectada
manifestacao ao Si*. Dr. Joaquim Aurelio'Nabuco
de Araujo, dejmia lo eleita pelo Io districto des-
ta provincia.
A's 4 1|2 horas part rara da ra do Brum
carros da '.ompanhia Ferro Carril,indo era dbus
delles bandas de msica, e as cinco restantes
os manifestantes testa dos quaes iara os pre-
sidentes d s metas elei'.onu$s daquelle districto
e'asconimissoes que se empenliaran na elei
cao.
Ao ebegarem a casa de residencia do Sr. Dr.
Nabuco; o Dert y Club, oh o Sr'. Fernando de
Castro Paes Barreto. .queeotregou ao deputado
do diitriclo o seu diploma impresso em per-
i/amiiiho.
O Sr. Dr. Joaciuira Nabuco agradeceu compri-
damente aquelU manifestajao, discorrendo so-
bre suas ideas f jliticas.
Faliarara dep, is os Srs. Dr. Arsenio de Cas-
tro Viascarenhai, Dr. Mouteiro Lopes e Andr
Gomes; e foi olfcreclo ao Sr. Dr. Nabuco um
rico ramalliete.
A's 7 hars di noite regressarara os manifes
tintes, que se despernaran na ra d Impera
dor.
Aboso Aniehonlem, as 7horas da imite, ao
entrarem na roa do Bario da Vicioria, tendo sa
judo da de Santo Amaro, os Srs. Acadmico Coa-
la Neto e seu irmao Salvadar Costa, foram abal-
roados'por um rav.dlo. que, a todo o galope, des
ca da ponle da Boa-Vista.
. O Sr. Salvador Costa cahio e s por um mila
gre n'o foi esmagado pelas palas do animal.
Nao foi conhecido o imprudente cavalleiro nem
appareceu, na occasia, ninguem Ide |iodesse
castigal-o pelas infraccoes qu commetleu.
H >iiiiio para IrisoCom o preso de 50
djas, cantados le 23 do correle, aclra-se abena
con -urrenc:a para o contracto de funda^ao de
ua, moioho a vapor para moer graos de trigo e
preparar farinha.
As propostas deverao ser apresentadas na Se-
cretaria da Presidencia, e feitas nos termos da
lei n. 1.974 de. 26 FerimenloR No sabba lo ultimo pelas
9 e 1, st horas da oeite, na roa da Restaorago, da
parochia#ac S. Fre Pedro Goncalves do Recife.o
i nperial'raariiilieii-o de norae Tranquilino Ma-
nuel do Nasciineqto, que disserain-uos ser da
canhoneira Cabede^o, achando-si' embriagado e a
dirigir gracolas pesadas 3 pessas que por all
passavam, lu ferido por orna de taes pessas,
que elle nao vio, com urna facada na homoplata
direita.
Foi recolhido a bordo da raesma canhoneira,
dep ns de interrogado pelo subdelegado d'aqoi lia
l'reguezia.
Ante hontem, as 3 horas da tarde, no largo
do Mercado, paroebia de S. Jos, foi ferido com
ama-estOCada no peito direito, recebendo outros
menores ferimeatos, Christovao Jos dos Santos,
sendo seo olTensor o menor de norae Joo, com
quem aqoee >z algumas judiaras.
O 'limen! > foi reconhecido ser leve. OotTen-
dido fsi recolhido ao hospital Pedro II. O me-
nor evadio-;e.
A' hora da raanha tambera de ante-hontem,
na ra de Lomas Valentinas, lado da paroebia
de S. Jos, travaram se de razoes Ray'muodo
Alves da Silva e Joaquim Roberto Aleluia, sa-
hindo da refrga ferido o primeiro, co braco es-
qoerdo.
O ferido foi reijolhido ao hospital Pedro II e o
seu olTensor foi preso era flagrante.
Jalao de paz de 8. loVlia-se no
exercicio do cargo de. juiz de paz da freguezia
de S. Jas o cida lao Job Per-ira Bastos, oo im-
pedimento do cflV.tivo.
Despacha em casa de sua residencia rufi de
8. Joao n. 65, e onde for encontrado, dando ao
dieicia no lugar e hora do costme.
* Epocba -A red.ccao d'esle jornal mu-
dou o seu escriptorio para a roa do Imperador n.
i, 1* aa L'nio Aritieo-Bepiibltc-ana.-Reu
ne-se boje em sessao extraordinaria esta socie-
dade para a posse da n >v;i dir.ctoria.
Ajudnnie JurdicoDo Para reacebeaw
ora opu-c.ula sob o titulo Ajuiante Jurdico, con
tendo decises los tribunaes judicial -ios e do go
verno geral. seguidos de dous proviinen'.os ge
rae- de correico.
E' tnbatn do Sr. Dr. Cardoso da Cunha, juiz
de direilo n'aquella provincia, a quem agradece-
mos o mimo que nos fez do referido oposculo
Ewmola Um irmao do tinado Bernardno
de Souza uarte, remelieu-nos 2000 para dis-
tribuir boje, em que sao celebra las missas por
alma d'aquelle raorto, com viuvas pobres.
Cumprindo a incumbencia, tizemos assim a
distnbuico :
l). Heinelliuiia Sette, ra Visconde de
Albuqnerque o. 64 25H '
I). Mara Autrao, Bebenbe 2*000
D. Joauna Pires, roa de Santa Rita n. 13 2S0OO
U.-Urabelina C. Vires Dutra, roa da
Aleara n. 17 2*000
pD. Mara Salom Molhert, roa do Torres
n. 14, 4 andar 2t000
D. Seotiorioba dos Santos Bastos, ra
das Carroeai n. 4 2*000
D. Amelia Felicia Bezerra de Mei ezes,
Sanio Amaro das Salinas, prximo
dos hospital dos Lazaros 2*000
D. Francisca de Lessa Pimentel, ra de
S.Jos de Riba-Mar n. 40 2*000
D. \bria Jnanna da Silva, ra do Padre
Nobrega 2>000
D. Amelia Cardoso Rebello, ra da Pon-
te V.lba n. 33 2*00.)
Recreativa eptenlrlonal Como es
Uva annaiiciado, tevu lugar anleboiitem a ins-
lallagao da Snciedade Recreativa Septeaitrion d.
Sob a presidencia do Sr. vlfredo Castro, |iro
cedeo-se eleicio dos fuuccionarios que teem de
dirigil-a durante o anuo da 189 a 1890, dado
o Begnmte resultado :
Ptetiilente Allieio Procopio Lopes de Cas-
tro.
Vice presidente- Manoel do Reg Barro*.
Thetiiureiro Isaas Gomes de Matlos e Silva
Io seaetarioJos Ro tro.
i" dito Minervino Jos de Almeida.
OadorAlliedo Tasares Cordeiro Campos.
ViCf-orndor Joao Gomes de Mallos e Silva.
Procurador -Antonio de Lellis e Souza Pontes
Jnior.
Gommissiio de sindicando Isaas Gom -s de
Matlos e Silva, Paulo Coelbo de Vasconcellos e
Manoel Gomes de Mallos e Silva.
Tribunal do Jury do Keelfc -Prioei-
piaraui hontem os Irabalhos preparatorios deste
tribunal, sob a presidencia do Dr. Francisco Do-
mingues Ribeiro Vianna, juiz de direito do 4*
districto.
A's 10 horas da manh, acbando-se pMae.ites
o referido juiz, oDr Hennque Milel, i* promotor
oiiblico, e o esenvao Miranda Franco, fez se a
veuttcaco das cdulas e a chuada geral a que
responde!aui 10jui7.es de facto.
Foram uioltadosera 20*000 os jurados leguio-
tes que deixaram de comparecer :
Barao de Souza Leo.
Arlhor Augusto de Almeida.
Floriano Rodrigues do Passo.
Fi lippe Beni io Cavalcante de Alboquerque.
Francisco Pereira Vianna.
T nenl- Francisco Evaristo de Sooza.
Joo Vctor Alves Matbeus.
Dr. Jos Osorio de Cerqueira.
Jos Borle.
Landelioj de Lona Freir.
Thoqiaz Caroeiro da Conha.
Sebaslil Lopes Guimares.
Dr. Manoel Clementino de Bai ros Carneiro.
Tbeod. Cnrstiansen.
Decio Augusto Rodrigues da Silva.
Antonio Venancio da sveira.
Antonio Machado Gomes da Silva.
Ernesto los Felippe Santiago.
Fian cisco Marcelino do A mural
Juao Rodrigues de Moura.
Jovino Banal da Fonseca
Rodrigo Jacome Martifu Pereira.
Leoncio Quinlino de Castro L Do.
Foram sorteados os segralo.- sopplentes :
Freguezia do Recife
Francisco Ga lies Percha liis.
Adolpho Estanislao da Cesta.
Jos Francisco los Santos Neves.
Jos Joaquim Dia Fernn les.
-al. ador Pereira Baga.
Freguezia de Santo Antonio
Berna\ln i Alves Neiva.
Francisco Gurgql de Araaral.
Dr. Migad d> Ku'ueiriVi Faria.
Joao Pa lleco de Medeiros
Dr. Joan Bastas deM-llo Gome-.
Franceliiio DeoaatO Rodrigues Ferreira.
Dr. Launn Jo de Moris Pinh'iro.
Freguezia de S. Jos
Silvno C. de Alboqaerque Sobreira,
Jos Calasans RulTo Duanc.
Je.o Henrique de Albuquerque M lio.
Deodato Pioto dos Sanios.
II I o loro C. Ferreira Rabello.
Freguezia da Boa- Vista
Joao ''arlos Cavalcante de Albuquerque.
Manoel Antonio-Goncalves.
Antonio Elseo Antones Ferreira.
E luardo Cur?ino de Assumpcao.
Gregorio T. de Sa Leita/.
Dr. Loiz Emygdio Rodrigos Vianna
Pompeu Colono a-a Nova.
Felippe Nery Goncalves Pereira Costa.
Manoel Gomes da Silva.
Manoel Jos de Bastos Mello.
Freguezia da Graca
Augusto Jos Goncalves L
Custodio Moreira Dias.
Luiz Kpipbanio Banricea.
Demetrio Accacio de Araujo Bastos.
Gamillo Ldis da Silva.
Freguezia de Afogados
Manoel C'zar de Aodrade.
Fraocisco Maooel da Fonseca Ro.'as.
Dr. Jos Berardo Carneiro da Cunba.
Antonio Valeniim da Silva Barroca.
Freguezia do Poco
Joo Cesario de Mello.
Flix Ariqoinda Lieuihier.
A sessao fl-ou adiada ara baje s 10 horas.
Inquertto-PeloDr. delegado do 1* distric-
lo desla capital foi houteiu. a larde, reraettido ao
Dr. juiz de direito do 2* districto criminal o in-
qoerito sobre o assassinato do infeliz R.cardo
buiniares.
Arsenal de Marirtiin Fondou-se boa
tera nesle estabelecraeoto. por iniciativa do ca-
pitao-tenente Nuno da Costa, um lyceu, orna bi-
bHoih-ca e um mozeunaTd.
As tres instituices serio sustenladas pelos
esTorcos do pessoal e por meio de contrituices
voluntarias.
O lyceu proporcionar instrueco aos opera-
rios que della precisaiera, aos aprendizes, aos
tilhos dos operarios daos jovens de bom corpor
lamento.
A bibliolbeca C0a\por*e ha de livros de rodos
os ramos dos connccttnenlos humanos, princi-
palinenie dos de sciencias e artes rotativas
raarinha.
O muzeu constar de modelos de navios, ma-
chi nas, lanchas, esealeres e de tolo e qoalqoer
objecto relativo marinha.
Depois de expor o< raoiivos da rconio, o ca-
pitn lente Nano da Costa terrainoo com as
segrales palavras:
Fon lando o lycu, a bibliotlieca e o muzeu
aoval do Arsenal de Marioba de Pernambuco,
destinados ao cultivo da intelllgencia de nossos
cuncidada- Iraboiharemos a bem delles, c do
esiabelecimerito em que servimos, desta provin
ca e do paiz.
Todo o trabadlo e capitaes que se despen-
derem cora a in-truc^ao do povo; sero b"ra
compensados, porque sao sement: das quaes
brotaro infalliveluiente mais tarde a prosperi-
'dade e a gran eza de nossa patria.
Devemo fazer os maiores esforcos para que
o Brazil nao seja conhecido somenle como um
paiz grande, e sira para qoe veoha a ser orna
grande nacao.
App'audindo a bella inieiativa do Sr. capito
tenente Nuno da Costa, fazemos votos para que
stjam da raaior provtilo as tres ianituices por
S. S. creadas.
Feriment leve -Hontem, s 5 1/2 horas
da taide, no Io andar do predio n. 3'/ ra Es-
trella do Rosario, travaram se de razes Mara
Balbina Cavalcante, moradi.ra em dito predio
Afra Mara da oceicao criada d'esla resultan-
do esbofetear aquella a esta e alrrar lhe, era se-
guida, esta ao rosto, com orna escarradeira, pro
duzindo-lhe um friiiienio leve.
Condosidas estago da Guarda Cvica, ah
proceden a respectiva aotoridade na forma da
lei
Morle e ferinaeiiio graveNo da 21
do paseado, em Buiqne, tendo Joaquim Olavo
Mascareiihas e Antonio V'talino de Araujo se
dirigido casa de Urbano Luiz Bczorra cora o
li.n de assassinal o, em defeza deste aprsenla
rain se dous de seos lh s. Travou se en lao
um conflicto e delle resullou ser assa-sinado An
Ionio Vitalino, lirondo Ma-carenhas ferido gra
veniente.
I tal respeilo proceden nos termos da lei a
respectiva aotoridade policial.
Aaaassinato No dia 19 do correte, oo
termo de Quipap, Joo Gomes, vendo sua filtia
ser espancada pelo marido e seu genro Joo Ro-
drigues, assassioou o.
O desventurado pai evadi se.
Abri se o comoeteote inquerito.
ftociedade Italiana de Benefleen-
ela Commuuicaraiii nas :
Realisoa se no dia 20 do corrente, ni sede
da Saciedade Italiana de Beneficencia a costura i
da festa, aflra de soleinnisar o 19 anniversario
da entrada das tropas italianas era Roma.
Graude foi o enihu-iasnio que bouve entre
todas as pessas presentes, sendo estas em
grande numero.
Deu principio festa a marcha real que fo
attentam ote oovida por todos, segnindo logo
aps o i", y rano brazileiro.
lepis foi aborta a sessao magna, na qual
usar.im da p'alavra diversos oradores.
Era seguida foram pelo presidente da Socie-
dade convidados todos os cavalbeiros presento
a .-crv.rem se do copo d'agua adrede preparado
Neasa occasia trocaram-e diversos brinde^
sendo digoo deiceacJo oque foi levantado pelo
piesid-nie di Sociedade ao Brazil, e Italia.
fazendo volas para que as reluces dos dou<
panes conlinuem cora bastante harmona, poi*
seudo o Brazil, grande, era territorio e a Italia
grande em populaco poieib unidos ser uteis
urna ouira.
Comprimeularam se todos os ravalheiros
presentes, e o fiiiJio-iaaiDo foi imioenso.
Terminado o banquete tonaram bonds lodos
os cavalln iros acompanliadus pela hi.nda de
msica, indo era passeiata, al a residencia doJ
socios honorarios. S s. Jos de Oliveira Basto, e
Dr. E uybo MJBtenegro, le an lo regressaraai,
dissolvendo se em casa' do ..residente da :>oeic
dsde
A*sim terrainou a festa que com effeito foi
a mais solemne e concorrida que tem feito a So
ciedade Italiana de B ueflceneia.
Mervleo militar-Entra boje de servico
o Sr. capttao Pedro Velho e de ronda de visita
um oiliei.il de cavallaria.
O 2 batalhao da>- as guardas da Detenco
e Thesouraria de Fazenda cora o respectivo ora
cial, e o 4 as da Alfaiidega, Thesouraria Pro-
vincial Enfermara e Brum, com o uniforme
n. 7.
No requeriraenlo lo msico do 14" bata
llio de infamara Jos Casemiro da Costa podra
do para ser inspeccionado de saude, deu o Exra-
Sr. coronel comraandante das armas o segulnle
despacho: o supplicante deve comparecer are
vista medica, e no caso de estar doente seja re-
colhido Enfermara Militar para os fins coove
nientes.
Foram oomeados os Srs. capito Januano
da Silva Assompco. tenente Manoel Mauricio
Lopes Lima e alteres Joo Po da 'onseca para
hnje, s 11 horas do dia, examinar no qoarteldo
14 batalhao diversos rligos.
Hnje ser submettido inspecgo de saude
na Enfermara Militar o soldado operario artfice
do Arsenal de Guerra Leao Mara Bruno Vi-
tolla.
Existem na Enfermara Militar em trata-
mento 16 praeas. -
iit-iioeaErTec.uar-se bao os seguimos :
Hoje :
Pelo agente GusmSo, s 11 horas, ra Mar-
o. 5, de fazendas tinas, e de lei.
Modesto Baptista, s 11 horas,
de um piano, diversos movis e
quez de
Pelo
ra N
fazen !
Pelo agente Mfredo Guimares, s 11 horas,
ra do Bom Jesos n. i9. de cinco casas ter-
reas.
Pero agente Martins, s 10 1,2 horas, roa Es
treita do-Rosario n. 34, de movis, Ioucas e ou-
tros gedbg.
Pelj affi'ie Brlto, s 10 1/2 horas, no pateo
do Torco n. 19, de urna armaco, perfumaras,
etc. .
mao raneareSero celebradas:
Hcje :
A's 7 horas, oa igreja de 3. Francisco pela
alma de Bernardno de Sooza Duarte.
Amanh :
A's 7 horas, na igreja do Paraizo, pela alma
de D. Candida Machado Carneiro.
i*aaaiceiroM -Cbegados do sul no vapor
nacional Seryip?:
Dr. Jos Gomes Villar, sua senhora e 2 dia-
dos, Dr.. Jos I). Magalhfies e 1 criado, Manoel
Soares le Andra e. alteres Francisco ^ffonso do
Reg Barros e 1 criado, 1 cabo de esquadra e
sua senhora.
Cnegados da Europa no vapor inglez Po-
tos :
A. E. Wilson, James H. Darling e Jos Joaquim
Brandan.
Sahidos para c sul no mesmo vapor:
Dr. Ignacio Pereira e TheoJoro M. da Costa.
ntreetorla la* obras de conaerva
f'-uilon Porto* de PernambueoReci-
"e. 22 de Setembro de 1889.
Boietira meteorolgico
3s1 [Barmetro a ?S> 0 2 I ; Tensao do vapor 41 o 1 1
r-- 32

Jl. !5* 3 762-81 1750 Z2
g 28-2 764'08 1750 M
12 28-> 5 763-04 16 58
371. J7-9 761-75 17 35 62
6 26" 8 762-03 17.20 65
Teraperalora mxima29,00.
Dita imnioia 25 ,00.
niacao em24hora8-aosol; 9*.2 ; asoc-
ia : 3-9.
Chuva nulla
Direrno do vento : SE com interru petes de
ESE e E duraote todo o dia.
Velocidade media do vento: 2",94 por se
nr lo
Nebnlosidade media: 0.38.
illetim do porto__________
-is
Dias
8. M .22 de Setemb.
?. M I
B Vi.!
f M 23 de Setemb.
Horas
850 da manh
3 15 la tarde
9-10 .
331 da manh
Co-.iv de OetenraoMoviraento aos pr.
-os da Ci.sa de Detenco do da 22 de Setembro
de 18.
Existiam 443 ; entraram o; sahiram 6; exi*
tem 444.
A saber :
Nacionaes 388; mulheres 25 egtrangeiros31.
-Tota! 444
Arraeoados393
Boi.s 374.
Boeates 16
Loocos 3. -Total 393
Mov ment da enfermara
Teve baixa :
S'verm > Francisco do Espirito Santo.
Tiveram alta :
Joe Francisco da Silva.
Sot Theodoro da Silva.
Lliz de Franca Nazareth.
Manoel Lima de Oliveira.
Saturnino Alves Pereira.
Foram hontem visitados os presos deste esta-
beleciment por 210 pessas, sendo 116 homens
e 94 mulleres"
i8o*pital Pedro II O mammento deste
:stal.-eiecimento de car!:!ade, no di? 20 de Setem-
bro foi o -eguinte :
Kiitreraai **
Sahirara 12
Frlleceram J
Exis'am 601
r'oram visitadas as respectiva/ entermana-
Urs.:
oscoso s 8 i|4, Cysoeiro s 10, Barros Soori-
nh'o s 7 i|4, erardo \s 10 l|4, Malaquias s
8 1|2, Pontual ?s 9 1|2, Estevao Cavalcunle s
8 i|V iioras.
O Dr. Siraoes Barbosa nao corapareceu.
ii cirurgio deu lista Numa Pompilto s 8 1|4
horas. ,-,,,. t,
0 pharmaceuiico entrn 3 8 l|4da manna e
tanteas 5 li2 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s \\t
I raaube)ahioas4 horas da tarde.
tjolwria do tiram-l"ar-A 5 parle d;;
29' lotera, desr.a provincia, cujo premio grande, e
120:000 0 0, -era extrahida no dia 25 do Setem-
bro.
Grande lotera do aranbao A
.,-i!- da 1" lotera, dessa provincia, cujo premio i
grande 300:o00000 sr extrahida n<5 dia 30
de Setembro.
Cemiterio PublicoObtuano do da 21
de Setembro de 18.S9 :
Cosma Mara Daraiana, Pernambuco, 69 annos,
casada. Santo Antonio; tuberculose.
Tiburlino Manoel da Silva, Pernambuco, 19 an-
nos. silteiro, Hda Vista; tub-rculose.
Sil vera Mana de -ant'Anna, Pernambuco, 30
anaos, casada, Graca tuberculose.
Manoel Pernambuco, 10 mezes, &. Joi ; febre
remiltitente,
Antonio, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos; con-
vul-oes. '
Severina Mara da ronceico, Pernambuco, 22
annos, soltera, Boa Vista; diarrhea.
Tbeodora Maria da Puriticaco. 50 annos, sol-
teira. Ba-Vista; elephantiases.
Maria, S. Jos.
- 22 -
Domingos de Souza Monteiro, Portugal, 58 an
nos. i asado, Graca ; ferimento penetrante.
Maria Olympia da Coceico, Paraguay, 30 an-
nos, solteira Boa Vista ; leso artica.
Sevcriano 'os Faustino de Mello. Pernambuco,
45 anuos, casado, Bda Vista ; tubrculos palmo-
nares
Maria Amalia, Pernambuco. 35 annos. casada,
Santo Antonio; tubrculos pulmooares.
gnea, Pernambuco, 5 mezes S. Jos ; gastro
entente.
Epiphania, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos; ca-
tarrho intestinal.
Dionisio Vieira los Santos,Pernambuco, 38an-
no-, viuvo, Boa Vista; enterite.
Manuel Felippe da Paixo Pernambuco, 64 an-
nos. Boa Vista; laryogite tuberculosa.
Mana da Coceico, Pernambuco,.ignora se,
Boa Vi-la; febre perniciosa.
terraneo para os. seu* banheiros de Baias o im-
perador ero canalisou o mar at os seus. banhos
sulfurosos de Pozzoli.
Celso e outros escriptores mdicos da antigui-
dade encarecem a uataco no mar como especi-
fico contra rauitas molestias, como a bydropesia,
a sarna, a elephan'iasis. o rheumatismo, etc.
A deoeokerta rto aataum de Esculapio, e do
Apollo, como Deus da medicina, e das nymphas
ondinas em varias praias -o al n disto fortes
indicios de que a rae li '.ago marioba era geral-
mente pralicada na antiguidade paga.
#
O professor Marsii, mullo conhecido petos seu;
Irabalhos acerca das espantosas criaturas cojos
restes achou no eoceno das Montanbas Rocho.-a;.
conseguio restaurar o esqueleto completo de mi
daqnelles animaes: o Dmoceris wnibiU. dn
qual olTere. eu WoMtedieaM u:u modelo ao mu
seo de Pars.
Dando conta desta acquisic'lo Academia das
Sciencias, disse o Sr. Alberto Gaudry qu<- o Di
naceros foi e-maior do3 mammilerus lern stres
cujos restos se deparara no terciario inferior;
tinba comprdos caninos corlantes e na nttoca
Iros pares de coraos,
No emtanto, ap'zar de exceder era taraanha
todos os seos coi.tenipareos e de dispr de
melhores armas do que todos elles, o poderoso
re dos lempos eocenos teve reinado ephemero,
e parece ter morrillo sera descendencia.
A este respeito observou o sabio paleontlogo
que. nos seus estu los do mundo antigo, mais de
ama vez tem notado que as criaturas imdhor ap-
parelhadas para a denominada lula pela vida
nao sao as que lera ti lo maior iongevidade.
Muitos typos tm desapparecido ao chegarem
ao sum i o grao do seu desenvolvimenlo e quan-
do se expandera era toda a sua forja e magnifi-
cencia. Nao foram os reis dos tem pos geolgi-
cos que Dar mais dilatado tempo duraram, mas
sim os seres mirtos, de caracteres poseo salien-
tes, os seres pequeos e tu squinhos.

E' do Sr C. S., esta poesa.
A'....
Ha urna flor que nasce entre as geleiras.
No cimo das montanbas. flor to rara,
Que se acaso do sol um ralo a" clara,
Nao desabrocha as petal's feticeras.
Queretn calor as suas compsnheiras,
S ella o fro quer, e to avara,
Que se ostenta l onde a nao separa.
Do gelo a luz que vera das cordilhi iras.
Phenoineno ou capricho Se alguem beija
Estranha a flor esquiva, ella viceja.
Abrem-se as folhas trmulas, pdicas ..
Assim s tu----- Apenas acontece
Que ella a pre-so de uns labios refloresce,
E tu, gi-lida flor, de gelo Meas !!...
*
Um celebre e erudito allemo aflfrma muito
seriamente que no anno de 1900 j se nao dan-
sar no mundo.
E talvez tenha razio o erudito allemo, pois
allega que a decadeocia da arle de dancar lo
evidente, que a soa marcha escenden.e to
constante, que todo faz presagiar um funesto e
prximo flin.
Aprsenla depois urna lista de todas as dan
sas que desapparecerara, como o mino-te, a ga-
vota, o solo,, a pavana, a sarabanda, etc., e de-
pois accrescenia :
Se estas formosas dansas, nao obstante o
seu indiscutvel u.erito artislico, cahirara no raais
absoluto esquecimeato, que admira que em bre-
ve desapparega a montona polka e a inspida
mazurka ? A walsa, ondulosa e enervante, an-
da poderia subsistir; mas tal como fila se dan-
sa hoje, certamente que desapparecer tara-
bem-
Realizar se-hao as siuistras prophecias do sa-
bio allemo.
A huinanidade deixar de dansar para se ter
nar raais seria e grave do que actualmente?
E' o que o tempo dir.
*
Es to se introduzndo algons melboramentos
no esplendido e principesco palacio, qoe oo
anoo passado acaboa de ser construido era Simia
(India) para o uso dos vice-reis; unram-n'o
agora por ura telephone secretaria dos neg
cios estrangeiros, e vo unil-o por um fio tele
graphico secretaria do interior, que fica a duas
militas de distancia.
A revista franc za Le Tour dii Monde, fascculo
de 13 de Julno, reproduzio na iot gra o nteres
sanie artigo dedicado pela Etoite du Sd ex-
posicao das observacSes do nosso compatriota e
companheiro de trabalho l'elro Caldeira, quanto
aos effi'itos da dc-truieo da inatta martima da
baha do Rio de Janeiro e utilidade hygieoica da
sua resta urayo.

A Tscherlachalp, montanha que domina a al
deia de Tscherlach, perto d<- Wallensladt, Sus
sa. est se desaggregando e esborase em frac-
c6es consideraveis.
Arvores centenarias, enormes monolithos ro-
lara e sao precipitados no valle com om fragor
raedooho.
As aguas de ama torrete qoe sahio do leito
cobriram um campo de vinha com ama carnada
de lirao e areia de quatros metros de altura.
E-ta immineote urna terrivel cataslrophe.
A aldea foi evacuada por o dem superior e a
tropa estabeleceu ura rigoroso cordo era torno
dos lugares ameacados e impede os habitantes
de tenlarem salvar os seus movis.
*
Um mendigo, para melhor comraovero publico,
traz ao peito um painel, representando o quer
que parecido com os effeitos de um tremor de
ierra, ou urna exploso.
Um transente, realmente impressionado :
Coitadiuho, oude foi que lhe succedeu essa
cataslrophe de que foi tambera victima ?
- Nao sei bem dizer onde foi raeu senhor;
este painel coraprei-o eu n'ura ferro velho.
A Bibliotlieca Ro Grandense, ha 43 annos fun-
dada na cidade do Rio-Grande, conta mais de
14,00! tomos de diversas obras, dispondo de
fund de reserva destinado acquisico do edi
flcio apropriado.
SPORT
UM POCO DE TDO
D.-sde lempo immemorial presentirn! os po-
vos a virtude restaurante curativa dos banbos
de mar. O celebre medico Dr. Moulau diz, que
succedeu com os banhos de mar o mesmo que
tem -uccedido com todas as- medicacoi-s e med
carnelos; antes que a sciencia regulasse o seu
uso ji os banhos de. mar tinham em seu favor,
como raedicaco, urna traityao pcpular, empri-
ca, extra medica e resultados etucazes de sua ac-
{fio.
Namythologia passa, como certo. que Juno re-
cobrara a virgindade todas as vezes que se ba
nliava no mar.e das salsas espumas nascera Ve
us, a afamada densa da formosura.
Se da fbula recorrer se aos tempos histricos,
se conhecer pelos poemas de Homero a secreta
e potente efflcacia das salgadas ondas. Diome-
des e Ulyssos repararam as fadigas da guerra,
banhaodo se nas praias e o trgico Edripedes
couvlesceu de grave enferraidado com o uso dos
banhos de mar.
Cesar Augusto, imperador romano, depoi* de
vemido pelos Cntabros, salvoose de grave en-
fermidade em Tarragona com o.uso dos banhos,
aconselhado pelo famwao mdico Antonio Musa
Sorgto'Oratar'faa coodutlr ajfirdo mar Me-
3o pareo Intpren&a 900 metrosAnimaes da
provincia-Premios : 200*, 40 e 20*.
Templar, montado por Martins lerreira,iaaBTi
na vanguarda e nessa posico chegou ao rta
dor, ganhando a corrida em 6/ .
Aruraary foi e Guarany 3o.
Nao correram Tupy e Monitor.
Paule de Templar em 1, 12*000; e ,
54dU.
Ponte de Aruraary em 2o 5*500.
Muviraeulo geral, 3:425*000.
*
4*4 pareo ^gricuttura1,300 metrosAaa-
raacs da provincia que nao haviam ganboaaa
distancia superior a 1,609 metros nos prados o
Recife Premios: 2501, 50* e 25*.
O anmaes sahirara era bdlo, sendo-a osdas
oCi upada pouco depois por Cupido, que a casi-
servooat a distancia de 800 metros, quaad
Good-a;orning passa para a vanguatda
a entrada da recta de chegada, Florete, un-
gido por Pedro de Sooza; loma a ponto e ganfei.
a corrida em 105".
Gaod-morning foi 2o eCopido 3.'
Poule d- FlorCte em Io, 8*900 ; em 2. 580B
Paule de Good inorninem 2, 5*700.
Movimento geral, 3:835*000.
a
5* pareo Pro/reMo=900 metros-Animaet da
provincia qoe nao baviam ganho em distanfr"
superior a :00 metros no HippodiomoPrer1-
200*. 40* e 20*
Ao sigial de partida, qoe foi dado em
condigoes, Piramon, montado por Pedro Ale-
xandrino. ton.a apona, que conservajat ao oaa-
cedor, ganhan lo folgadoa corrida em 65".
Phariseu foi 2o c Esquimo 3o.
Os Jockey* Manoel Archanjo e Jos Marceiaaa),
que dirigiam os aiiimaes Esquimo e Phariaeav
ctaicotearam-e reciprocamente naraia.
Poule de Piramon em 1.", 10*500: em !.*
9*500.
Poule de Phariseu em 2, 15*500
Movimento geral, 3:605*000.
O 6" pareo foi annnllado sendo restituida a
import:ncia duspoules vendidas.
Com isso lucraram os tribofeiros. que tenia
feito jogo em Recife, foi a corrida entretanto ga-
nha poa Galleu, competindo o 2a lugar af-
more e o 3o ao tal Recife.
'JDICiCOES TEIS
e operadoc
quando e e-
llippodromo do Campo firaode
Com a concurrencia do costume, reaiisou-3e
ante hontem a 3* corrida.
Na casa das apostas foi arrecal ida a quantia
ue 18:105*000.
Eis o resultado das corridas:
*
Io pareoExtra 700 metros -Eguas da pro-
vincia-Premios : 150*, 304 e 15*.
Dado o signal, sahio Coruja na vanguarda,
sendo pouco depois batida por Slella, que cor-
reu na ponta at a entrada da recta d chegada.
Ah, Invicta e Ida brigara com attUa, do qoe se
aproveila Coruja, que retoma a ponta, ganhando
a corrida em 54".
Ida foi classilicada em 2o lugar e Stella em 3.
Nao Correu Marina.
Poule de Coruja, dirigida por Alfredo Freitas,
em !>, 18*900; era 2", 9*200.
Poule de Ida era 2, 14*100.
Movimento geral, 2:390*000.

2a pareo -Incentivo 900 m. t os -Animaos da
provincia que nao baviam ganho nesta distancia
uo Hippodromo e em distancia superior a 1,000
metros nos prados do RecifePremios: 2 0*,
40* e 20*.
Depois de moitas saludas falsas, foi dado o
signal definitivo, eu pessimas condicoes, menos
para Saus-souci, que tomando apona, nessa po-
sico se conservou at a entrada da recta de che-
gada, quando Humilde passou para a frente.
No distanciado, Phariseu, dirigido por Jos
Marceilino e qne havia sabido mal, colloca-se
na vauguarda e ganha a corrida em 69".
Caubye Corsario adiaataram se por sua vez e
passam juntos pelo poste do vencedor, o que deu
lugar a duvidas sobre o que havia conquistado
o 2 lugar.
A directora, para eviUr qoestes, considerou
empatados.
ioulee Phariseu em Io, 27*900; em T,
14*t00.
fowt de Cantor em f, 14*700 ; de Corsario
11*900.
Movimento gpral, 4:830*000.

Mdicos
Dr. ^asiro Jess medico
Pratica a avagera do utoro
rao acouselhada. Consultas das 11 is
3 da tarde em sua riaideiicia roa d
Uo Jess (antiga da Croa) n. 23, L*
andar. Telephone n. 38'.'
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o se*
escriptorio a ra do BarLo da Vicorist
n. 51, 1." andar, onde d consultas
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside i
rita de Gervasio Pires n 27. Encarreg-
se do tratamento das molesti :s de oltoaa.
Telephone n. 427.
Dr. Barretto Sampaio d consultas c
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da eaam
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
r. Ribeiro de Britto d consultas do
meio dia s 3 horas da tarde, no podeav
dar a ra Duque de "axias n. 46, 1.* aat-
do ser procurado para chamados na
residencia rita do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaquim Louteiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Oabug u. 14^
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
oo Monteiro.
Dr. Cerqueira Leite, tem o sen escript-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia a X
horas e desta hora em diante ra Barlc
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de criana senkoras e partav
Telephone n. 32t. da casa de residencia,.
Dr. Alvares Guimar&es, chegado ds,
corte, dedica-se medicina em geral,
com espccialidade s molestias do corav
cao, pulinoes, ligado, estomago e utcsb-
aos e tambem s ^feccoes das criaa^am.
lieside praca do Conde d'Eu, n. 28, c
tem consultorio na ra do Bom-Jeaaat
(antiga da Cruz), n. '45, onde d eonsai-
fas do meio-dia s 3 horas Telepboaas
n. 381.
O I r. Simplicio Mavignier. Clnica m-
dico cirurgica. Especialidades : moleattac
pulmonares e partos. Rua do Marques c
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 1!
s 2 hars e na Casa Forte (Poco da fav
nella) das 6 s 9 horas da manhl t
Urde. Teleshone n. 392
Oceulista
Dr. la-.eiVa. com prstica nos prines-
paes hospitaes e clnica de Pars e Losv-
dres, consultas todos os dia3 das t
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia i rua Larga do Rniri/> o. 20
Advogados
O bacharel Bonifacio de Aragao Fa
Rocha contina a advogar. Escripta
rua do Imperador n. 46., I.8 andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandeum,
ode ser procurado rua do Imperador
n. 71, l.- andar.
Siheira, advogado. Escriptorio i na
do Imperador n. 69.
J. A. de Magalhais Bastos. Duque de
Caxias n. 66^ andar..
O Dr- H. Milet contina com seo -
eriptorio de advocada, a rua do Impesav-
dor n. 46, onde tambem poder ser jar3-
curado sobre negocios concernentes & L5
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a adva-
gar. Escriptorio rua d> Imperadar
n 65. Residencia, casa n. 11 da tsaa
Visconde de Albuquerque (outr'ora roen
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. "
Drogara
Faria Sobrinho & '.'., droguista porafca-
cadoT-rua do Mrquez de Olinda n. 4L
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades phanaa-
ceutica8, tintas, drogas, productos cbias-
cas e medicamentos homeopticos, rua da
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de escrever
A melhor a tinta Victoria, vende-ee
500 rs. meia garrafa e a 800 rs. urna gaat
rafa inteira na Livraria Comteinporaaa
de Ramiro M. Costa, na 1. de Marca a.
2, loja de erragens de Albino da Sifasa
& C, rua da cadeia n. 42; loja de fert-
gens de BrandSo & C, rua Duque de Ca-
xias n. 46.
NBLICl(0ES 4 PEDIDO
Asasslaat Ricardo
A parte da polica publicada nos joraaoaj
hoje, convence de que o contacte com homa_.
desainados estraga em pouco lempo os lojisai-
jos caracteres.
O Sr. Di. Geroncio, chafe de polica destaj-
vincia. a quem eslavamos acoslumado3 a resaV
tar como um homem serio, encarregou se de fea-
var-nos a justexa daquelle juizo.
Ha su comrauoicacao presidencia soare*
N



I
I


4
Diario de Pernambuco- >Terca-feira 24 de Setembro de 1889

brbaro assaseinalo, de que loi victima o iudito-
lo cidado Ricardo Guimaraes, S. S revela un
desembarazo, que eslavamos looge de esperar
de urna autondado superior da provincia.
A opiniao publica logo anos a perpetraco
c hediondo crim?, indigitava como seu aulor
30 guarda fiscal da Cmara Municipal Paula Ne-
ves. qoe, perseguido pelo clamor publico, refu
giou-se do predio onde funeciona a typographia
a Provincta, do onde evadi se.
Grande numero de pessoas preenciouo facto,
tono
. Lourenco Ypiranga e ha aaito desaviado
eotrcoutrasoDr. Jalio Mendooca, Pinto de Le: tambero oom o lir. Miguel dos Anjoa pro-
me* empreado da Iota deL joma do Sr. Jui.o ,"_,..__ LT- X.i *.. A.JMu
Fuestemberg, o qua! al vio Paula Seres mmpa*-
to a faca, ao passar por aquelle estabeleeimen-
to, d'onde se dirigi para o referido predio t
NSo lia nesta cidade quem, pela leitura ilo-i
ornaes e fama publica, ignore que foi aquelle
ncinora o autor de tao execrando assassinato.
O Sr. Dr. chefe de polica, porm, dis muito
ingenuamente na sua communicacio :
Hontem, as 4 i/1 horas da tarde, achavase
na ra da Imperador o individuo Ricardo Gui
maraes fallando em uro grupo, guando appare-
cea um pardo, cwo iram nao est urda vbbi-
ficado (proh pudor) e depois de trocar com
aquelle aljiumas palavas deu-lbe urna facada
-obre o peito esquerdo, que o matou iustanta-
> neamFnte.
O aasutrim aproveitan lo se do pnico que
produzio tao lamentavcl acontcoimento eva
dio se, espalhando se entilo o boato de ter elle
penetrado pelo corredor do predio onde funecio
na a typographia da Provincia.
cpois accrescentou com a mais santa simpli
cidade. que dlrigiado-se ao escriptorio da Pro-
duca, informararallie o Dr. Jos" Mara e ouiras
pessoas nao terem visto entrar pessoa alguma
ttranha.....
O que havia de dizer o Sr. Jos Maa ao Sr.
Sr. chefe de polica ?
Poique nao ouvio S. S. as pessoas que forma-
am grande grupo na ra do Imperador ?
Este sena o procedimiento a seguir, e nao pe-
dir informacoes a quem seria at capaz de ar-
mar que Ricardo se suicidara t
O Sr. Dr Geroncio chegou ao local do orina
boras depois de sua perpetraban, e entilo lem-
brou-se de percorrer todo o edificio da Provin-
cia, nao encontrando pessoa alguma suspeita.
O assassino, quando .se dirigi para o predio
da typographia daquelle jornal, liona a certeza
de que aalii Ihe seria fcil e commodo escapu
lir se. como succedeu ; e alconas horas depois
o Sr. Dr. chefe de polica liaba a prelenc/io de
teda poder encootral-o mito no mesaio pre-
dio!!
Quanta simplicidade'!
Nao nos admira que S. S. assiin procedesse.
mando houve quem ua mesma noile do Uia em
que se deu esse horroroso facto, recebesse os
aens habites das quintas-reirs, com quem se
banqueteou at larde, sem ligar a mnima im
portancia 9o pnico que reinava ra cidade e
eno-aiidade do alternado, pelo qual nao Ihe pode
fleixar de caber a mais inteira c completa res-
ponsabilidadc !
Um conselho ao terminar, ao Sr. Dr. G;ron-
ao:
S. S. que, na Focada, vio-se forjado, cora des
prestigio para a auloriJade de que se acha re-
vestido, a ceder as intimacoes do elemento ano
ffmo, que o Sr. Jos Mara all espalbou por oc-
oecasio da eleico geral, e que na sua alludida
:ommunicaco procede com tamaita injustica.
se nao quer deslustrar anda mais o seu honro
so passado de juiz recto, deixe o cargo de che-
fe de polica e ncolha-se sua vida de magis-
trado.
Deixe esse cargo para aquellasque etaoacos-
ramados a servir do instrumento gente limpa
A d trra.
Justas.
ras da tarde, de.ifechando-lhe dous golpes
com um chicote de que se armar i'ugin-
do em seguida, mas, enibora as relacSes
do .promotor e jiiz municipal em quesUto
nSo sejam cordeles nada autorisa a sus-
peita soquer de que Jo2o Braz seja ins-
trumento do promotor urna vez que no-
alli que JoSo Braz nao amigo de
palava fazer o que afina! tere a audacia
de levar a effeito.
Amigo do Dr. Miguel Barros acho-me
completamente identificado com a sua causa
c comprometido a ajudul-o em todas as
providencias necossarias ao seu inteiro
desaggravo.
NSo posso, porm, consentir que vis es-
peculadores exploiem o lamentavel facto
3ue se deu em Bom- 'onselho em prejuizo
e amigos meas que teem direito a ser
acreditados as piotcstay5es que fazem de
ser completamente -alheios ao facto em
questao que como todos tambera doploram.
Recife, 23 de Setembro"de 188'.t.
Dr. JoSo Augusto.
Mais oinmedime
J & demais J
consente em todas essas
Serinhacm, 19 do Setem
0
Xonicaeao Infeliz
Outra qualificaro nao pode merecer a do Sr.
Loiz Paulino para director do presidio de Fer-
nando de Noronha.
Por maiores que fossem os empenhos empre-
gados, nenhum oulro joverno se atrevera a
aproveitar ura lioiaim naa coa lines do Sr. Luiz
Paulino para tao imporluoic caro.
Pode-se dizer que apera ir de ca'.rambas
*quelle infeliz presidio.
Quem coiiliece o chefe liberal de S. Benlo,
Quera tem acompanhado a sua vida, desde os 15
annos e sabe at onde vai a su i devoc&o por
Soasa Senhora dos Remedios nao pode deixar da assuslur-se cora DOOMaffo
'.So infeliz.
Si a propria santa fui lo (apeonada, quanto
mais Fernanda do Noronlia 1
A oomeaco do coronel Luiz Pau'ino est na
litara da situacao, nao lia negal-o.
Um sambensta.
. Mofina
AlK;.iEUcnto eleltoral de Svrl-
hrm
' incrivei o procediinento dos liberaes
desta fregnezia na revisao do alistamento,
a que se est agora procedendo.
Tratara ellos do praticar os maiores es-
cndalos, affrontanlo a mor.ilidade en pro-
pria le.
Para" que tac? eicandalos nSo cheguem a
se consumar, chimamos a attencSo do
honrado Dr. juiz do direito da comarca de
Rio Formoso para o qne passamos a expor.
Francisco Eulogio Paes de Albuquer-
que (monomaniaco) requereu a sua inclu-
so no alistamento cora o valor locativo da
casa de seu irmao Jos Theotonio Paes de
Albuquerque, que 6 em parte occupida
pqr este e em parte se acha alugada para
servir de directorio liberal.
Francisco de Mello < avalcanti, omcial
de justifa, requeren tarabem sua incluslo
no alistamento com recibo da casa da viu-
va de Flix Pacheco de Menezes, sondo
para notar quo para tal fin o respectivo
collector interino alterou a eoltecta di
mesraa casa, que foi feita pelo valor loca-
tivo de 96i>000 emendando-a para 120,-^.
Paulino de Gouveia Ramos, official de
ju.stica, requeren o seu alistamento cora
recibo da casa, que oceupada por Aus-
triclinio Alexandre Lopes Baptista.
Roque Firmino de raujo requereu para
ser alistado com um conheciniento falsifi-
cado de pagamento de imposto.
U caso deu-se asiiiin JoSo Chrysoomo
da Fonseca Fho 6 o devedoi do imposto,
que j estava incluido em divida activa
da Fazenda. Sendo pago esse imposto to-
ra m os respectivos conhecimentos tirados
mtinella
Pod'Aiho
Quem eacreveu o artigo que. com esta
epigraphe publicou a frovinciar de hon-
tem o est assignadoA justica,sc quizer
ter resposta da minha parte deixe a capa
do anonymo e venha com o sea norae.
A embudados nao respon'io.
Estou, porem, prompto a acceitar a dia-
cussao com qualquer cavalheiro quo apa-
drnhc as iuverdades c >m quo "so me pre-
tende f^rir no artigo a que me refiro.
Tenho tranquilla a rciuha ooBacioucia
para temer acceitar a lucta em terreno
ignal.
Pao d'Alho, 23 de Setembro. de 1889.
Joao Baptista Crrela de Olii
Corrigenda ao artigo do domingo sobre a
Gorapaihia de Beberibe.
Na paite. e:n que diz : o Sr. ^'-entO.jBM vi
confessar-se, etc ele., Icia-se :
de vir coulVssar o seu pecc
peito do empreslimo. Coutraui c*hj uua
s autori$ac3o !
Dr. Coelho Leite
medico
Declara para conhecimento do todos os
intoressados que nSo se entende comsigo
mas com o acadmico J. C. Coelho Leite,
proprietario do animal Plramon o que
est escripto em varios jornacs de hoje.
19 de Setembro de 1889.
iri---------1--------
Ao eleitorado liberal distrct
Acuaudo so designado o dia 12 de De-
zerabro prximo futuro, para ter lugar a
eioigao, nesta provincia, de deputades
Assembla Provincial; declaro a meus a-
migos quo sou candidato a um lugar na
mesma assembla por este 12. diatricto.
Os servi08 que hei prestado ao partido
a que perteno. me d direito a exigir
de meus correligionarios esta prova de
confianca. Na comarca de Cimbres onde
resido, cont com amigos tito dedicados
qae quasi poseo garantir ser barn succediuo
nesta minha prctencSo.
Aos Srs. eleiteres, que so dignarem
amparar-me minha etenin gratidSo.
Pesqueira, 13 de Setembro do 1889.
Mnnofil Cordciro -' 'irvaVto.
Auxilios lavoura
Pereia Carneiro & C. contimjjn, autorisados
pelo Banco do Brasil, & conceder emprestimos
lavoura das provincias de Alagoas, P.irahylia
e Rio Grande, do N'orte, mediante a* coadic6cs
de que os toteressado* serte informados no es-
criptorio ra do Coaimcrci) u. O, das !I hor..s
da manha as 2 oa (arde.
Iuj virtude do qne dispSo o art. 6(i do
regularaento que baixou cora o decreto n.
9554 de 3 de Feveieiro do 1881, a lu
pectoria Gem de Hygiene faz publico,
pelo praio de oito d .s, ue o cidadlo
Angelo Vicira Sarapaio, Ihe dirigi a se-
guinte peticSo com documentos que satis-
fazcm as exigencias do art. 65 do citado
regulamento.
t Angelo Vieira Sarapaio, cidadlo bra-
siieiro, casado e residente na villa de Boa-
Vista da provincia de Pernambuco, deso-
jando continuar a ter pharraacia nesta
mesma villa, atiento ao estado insalubre
e o crecido numero de scus liab fa
on4e nSo ha outra dirigida por pi-atico ou
MBBrnt!CO formado, e julgando o sup-
P^^^B ter satisfeito a exigencia :1o art.
''^Secreto n. 9654 de. o de Fevereiro
com os seis documentos juntos,
V. Exc. para que se digne conce
a precisa licenca. Xestes termos
espera benigno despacho. E. R. M.
Villa da BfruVista, 1- do Fevereiro de
1889. Anrjeh Vicira Sarapaio. Sobre
urna estampilha de dnzentos res.
E declara que, si nesse prazo nenhum
pharoiaceutico armado Ihe connuunicar
ou a Inspectora de Hygiene da provincia
de I ernambco, a resolocao de estabole-
cer pharmacia na citada focalidade, conce-
der ao pratico a Ucenoa requerida.
Inspectora Geral de Hygiene, 1 de
ifio d 18S9. Dr. Pedro jjvnso 'di.
O'.rvalho, secretario.
Nio exacto
Nb exacto o qac calumniosamente pu
ticam polticas, que se dizem bem infor
mados: que o promotor publico da comar-
ca de Bom Conselho, Lour.nco de Carva-
Bio de Araujo Ypiranga dra urna surra no
juiz municipal do termo, o Dr. Miguel dos
Aojos Barros.
O nosso amigo Dr. Ifigae] dos Anjos
foi, verdade, victima de ura revoltante
desacato cuja autor un individuo de norae
JoSo Braz teve a .indicia de a^grcdil-o na
porta de sua propria casa, pelas cinco ho-
COMERCIO
Revista do Morcado
RtCllTZ, 23 DE SETKMHKO DE 1389.
O movimento liraitou-se a transac(;Oes, em pe-
quea escala, no mercado de cambios.
C'antfno
Os bancos adoptara! hoje a taxa de 27 5 ti d.,
recusando saccar cima cYsse algarismo.
, Nao houve negocio e;n papel particular.
O mercado no Rio esteve a 27 3,8 c 27 11/46
teuieario particular, 27 3/, cora tendencia para
aita.
TAHKTXAS AFK1XADA8
I1
3.
%


a

a
Ti
?
i
9
-o
v.
1-9
O


s
I
w
,.x".
""- s?
8
JL

i ao
s


tt

I
S1
em nome de Roque, figurando, porm, o
norae de Jo3o Chrysostomo nos tnlies. A
esses conhecimentos juntou Roque o Jo
impoeto, em que foi pela primeira vez
collectado no corrente excrcicio e por meio
de semelhante manobra pretende elle fa
zer-se deitor.
Manocl Francisco Fcrreira requereu ser
alistado com recibo da cusa, cm que mora
e d 3ula o professor publico Francisco
Corroa de Mattos.
Que bello exemplo d cs6e perceptor
da infancia promovendo esso trlbof:'
Cassiano de tal est requerendo as
mesmas condi8es de Roque Firmino de
Araujo.
O devedor do imposto c o tenontc-coro-
nel Francisco da Rocha Wauderley c o co-
nhecimento de pagameuto foi tirado em
nome de 'assiano, figurando o nomo do
raesmo tenente-coronel no talSo.
Jos Guedea Ferreira est requerendo
as mesmas condic3es de Francisco de
Mello Cavalcanti, porm com recibo da
casa de Jos Martins dos Santos, que tem
o valor locativo de 96,5090 sendo tambera
alterada a collecta.
Eis para que d a moredidadu tio apre
goada dos Srs. liberaos.
A lei nSo lhes serve de embarazo para
aua e dizem que hlo de salvar o paiz es-
sea homens, que nada respeitam c tudo
estragam e corromper.
Bolsa
COTAyOES OFFICIAES DA OfvTk DOS < Ofc-
BECTOBES
Recife, 23 de Setembro de 1H89
letras bypothecarias com juros, valor de 10O4,
ao par.
Na Bolsa venderam-sc
283 letras liypothecaris.
O presidente,
Candido G. Atcpforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
llsjodo
Sem transarriio.
A exportaro, feita pela alfande&a oeste' mei
at o da 20, attingio a :toi.'134 1,2 kilos, sendo
213.2701.2 para o exterior e 1W.U14 para o inte-
rior.
As entradas verificadas neste mez at a data
de hoje, sobein a 3.671 saccas, sendo po
arcacas.....
Vapores .....
intmaes. ....
Via-ferrea de t"iruar.
/ia-ferrea de S. rran.
Via-ferrea de Limoeiro
Somma.
Assticar
Os procos pagos ao agricultor, ior 15 Kilo.
gundoa AascccSo Comraerciai Agrcola, foraru
js seguintes:
Branco .
Sardos
Urna pessoa que foi carada da surdej c zui-
do Je ouvidos, de mu padeca ha t?, annos
usando de um remedio iuuo simples, enviara
firatis a sua descriprio a quera a desejaf Diri-
ja-se ao Sr. ie&otaoD, HC>0 Santiago del Esie-
p, Buenos-Ayres.

O Dr. Krmii'in Contlnbo. de
volta de sua riagem i Europa, onde
se dedicou espeeialmeWB o esta-
do das molestias do systema ner-
voso, ten seu consultorio Prafa
do Coi po Santo u. .*>, defronte do Te-
legra pho Kacioeal -
Consultas de urna s Irca horas da
tarde.
-
Zii
173 *
708
112
00
2.086 *
3.571
Smenos.
Mascavado
ttame
purgado .
bruto especial,
bruto baixo .
I00 a 35000
37()0 a 4*600
2J800 a 35000
23*00 a 2*800
1*300 a t
1*000 a 1*200
A exportado, feita pela alfandega neste mez
at o da 10, constou dt 6V8.121 kilos, sendo .
450.000 para o exterior e 238.121 para o inte
rjor.
As entradas verilic idas neste mez at a data
de hoje, sobem a 11.793 saceos,sendo por:
Barcacas...... 2.933 Saceos
Vapores..... ...
Animacs.... 1 116
Vla'lerrea de Caruaru. 327
Via-ferrea de S. Francisco. 6.09.
Via-ferrea do Limoeiro -323
Soir
11.793 Saceos
Cota-ie a 60*(
i de 480 litros.
Klixlr caherade npsro.do Dr. Manta
:tos:i, aan!)'iiniti> >iii Par* < ni>-
proviiilo peln fieirift Aieral
de HyRlen*.
(Premiado u !>:.< -icio)
Conlininmo a ureveniro publico qne o ver-
dadero eiisir cabera de negro > o da formula
do Dr. Santa Rosa, que cono gamntia n o i IB
seu favor os altestados passwdos paloa mais dis
Juntos mdicos, desta e demate provincias do
imperio, por pharraaeeutieos, de3embarg advocados, eagenUeiros, ooramcrciantes. unipre-
uados publico;, lentes da Faculdadc, artistas,
etc.
Fijiue, portanto, o publico sabendo que o eli-
xir fjbricado na ra da Cadfua, pliarmacia de
Hermes Scuza rereira, Snccessorcs, urna imita
fao do nosso.
De -osito do verdadetro ra do Bora le=u.;
Coa ros
Couros salgados, 380 ris, e os verdes a 210
.'.'i. ------
%cuardcule
Cota-se a 112000, por pipa de 48^ lit-c-s.
Aicool
Cota-W a 220*000 por pipa c'e 480 litros.
Pauta da Alfandega
SPMANADE 23 A ;8 PE S.TKJIIWO DE \889
.vssucar retinado (kilo) .... 320
ssucar brauco (kilo) .... 216
-ssucar mascara do (kilo) ... 133
Agurdente........ 150
Aicool (litro) ......: 330
Arroz com csea (kil.o) ... 80
slgoda (kilo)...... 373
Rugas de mamonas (kilo) ... 8o
Borracha (kilo)...... 800
Crneos de algodo..... 22
Cour.'s seceos espichado?, (kilo) 390
Coujs seceos salgados (kilo) .
ouros verdes (kii) 190
Cacao (kilo).......
af hora (kilo)...... tlOO
Cal restotlio (kilo;..... iO
Carnauba kilo)...... 260'
i.aroQos de algodo (kilo) ... 20
arvao de pedra de Cardiff ton.) 16.6000
Farinlm de mandioca (litro) ... 80
Folhas de jaborandy (kilo) .
Genebra (litro).....'. 200
Graxa......... 2S0
Mel (Htro)........ 90
Milho (kilo........ <)o
Pao Brasil (kilo)......
Xavios 2 descarga
Barca norueguense Solid, carvao.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Lugar ioalez Rozina. bacalho.
Patacho allemo Frederick, xarque.
Patacho sueco Aluuna, xarque.
Patacho norueguense EJrain, xarque.
Sumaca hespanboi Annita, xarqne.
IinporacSo
Vapor nacional Jaguaribe, entrado dos portos
do Norte, em 21 do,corrente e consignado aCora-
panhia Pernanibucana ; mauifestou :
Algodo 138 saceos a Rodriguas Lima & C.
Cate 1 saeca a Moura Borges C.
Corda 1 fardo a Abe Stein & C.
Couros seceos salgados 83 a Rossback Bro-
thers 4 C "
Pelle3 de cabra 8 fardos aos meamos, 32 a
Te Keen Sultar 4 C 30 a Abe Stein 4 C .
Vapor nacional Seigipe, entrado dos porte
Sul, em 23 do corrente c consignado a r^H
Ozorio de Cerqueira ; manifestou :
BroacEiile aguda oa
O Peitoral do Cambar
medio.
chronica
o mehoT re-
. V^JT'-s
r<

1
ADVOGADO #
O hachan -I SamsllaOO Jo de /
Oliveira pode ser iiucu'-ido pura \
os mish-res ci sua profi
roa Eslreita doRjJrion. 10, i.-' < ;

Tabcrcnlose pulmosas*
r ura garantida polo Peitoral da Cara-
ba r.
La Rosa Alemana
E' nome de urna quadade de cerveja
hrat>.ca que pela primeira vez veio a esta
provincia. A cerveja La Rosa Alemana
nao contera cidos ou productos cbiroicos.
A preparadlo da cerveja La liona Ale-
mana, chegou ao mais alto grao de per
feieSo. 1J' (SubUie, rauitisaimo agrada
vel ao paladar, finalmente urna conbina-
yao de substancias poderosas para a boa
aimentacao. A-.i mais afamadas cervej-is
nSo trazein o nome do fabricante Entre-
tanto o proprietario c'a cerveja La liosa
Alemana tendo conquistedo o segredo t;;i
na saudavel cebveja rogistrou .i mar-
ca com a sua firma n> rotulo.
E como tove a honru de requestar a
sympathia publica, e para que a cerveja
La Rosa Alema a continu a gozar do ann-
ceito do re6peit?.vtl publico, amindiMbts
vezes manda examinar a sua cerveja pelas
celebridades chimicas.
Diversos altestados de chimicos e dou-
tores em medicina justificara que a cenefa
L i Rosa Ahmatia muito saudavel o. um
sober.mo alimento, cujos d cumentos fi-
cain disposicSi do rc.-peitavel publico
Diz o Dr. Vernior: Tenho por militas
vezes examinado no laboratorio publico a
cenefa La Rosa Alemana e nto encontr
materia chumea e siui una gigantesca pro-
pam^ao de substancias que represent::i
urna valiosa riqueza para aliraentncao.
A cenefa La Rosa A/envina'goza de gran-
de oouceito na Europa, e um Ulustxe ca-
valheiro desta praca, a pones chegado do
eatra'ngciro, animou o fabricante a expo--
lal-a convencido de ter grande acceit cao
a venda era crronso e a ret.llio.
Exposivo Universal de 18811
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amda
Prince & C, o Pavilbao do Guatemala
onde elles acabara de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jornaea
das Americas do Centro, do Sul, das An-
tillias e do Extremo-Oriente urna cons-
troecSo de madeira muito bonita.
Este pavilhSo acha se situado direit
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do I alacio das Ar-
fes Liberaos. Esta perto de todas as sec-
coes das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riqusimos palacios
nao de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attracgoes da Exposieo.
Aos nossos patricios recomraendamos
encarecidamente que. visitera no PavilhSo
le Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
C, devida ao obsequio do Ilustre com
misante geral do Guatemala.
.fls enancas criadas ao peito oupela ma-
madeira tjue digerera cura difficuldade e
padecera de clicas, curam-se com rapidez
adiaiii strando-lhes coir o seu leite urna
dinerada pequea de Xarope de Trouette
Perrtt cora papaina. E' um precioso me
dicamente que deven empregar todas as
uais cuidadosas da sade de seus fi-
tbos. (9)
aqu.
Estd
Machado i^ C ra '"
Vlbi'no Azevedo & C, na .Mrquez de
Olinda n 2; .Jos da '.'asta Camin & .,
roa da ruz n. 13; Eopes & Araujo, rjia
d
br
nao
di n.
M
\
Dr. Mello Gomes
ieeo (pcpadiF parteiro
GRa do Bario da Victoria46
(defbonte ua fhabmacia pinho)
Onde !cm C5>nKi!;>s*5o c rcal-
denela : podenco ser encontrado e
recclendo chamado? qualquer hora
do dia e da r.oite.
B$p*cialidades: parto?, fferes, moles-
:. ',; .:> ;, l nsj^cmuuaaes: partos,ieores, motes- s
o Livraraento n. ob; Vascme.elDi bo- H ti;4s de enlioras edos pulrafxv. syphilis I
ribo & C, na da Aunn-a n. 81; ia- (| ern ecral, cera rpida e completa e op- |
mu Ferreira ce C~ ra Mrquez de Ofin- **#** ,u[ -enameutos e mais soltri- \
M mentes da itrelra.
o
Biguel Jos de Uue;d.i fcrcamiueo t?m o ara
: : ra :-:- Imperador n.
81, onde cera en-.iKilr; os dias utH, daf
lioris da ,; tna ib
MED

HOMISOPATA
11
l
Leonor
flliin Larga do
(j
j
f
II
H
T. ;\ Todos oe chamadoe devem herdi- y
Prn'tr v rwdoa pharcaaciado Dr. Sabino, \
-' '} Ama do Harao da Fiotoria u. 43, {)
\(
Ir.bHk te Siti
pecifilidade ebres, iooleatta
das eraneaBj ios orgaos reepinito-
rios c das Bchonis.
Prcita-.se.; aalq"i ier chamado para
ora da cap i tul.
.4VS:-
5SO.-:iS*if
Stt
ANDAR
a-a-1 j
enero
SEGUNDO
Contina a execntur os mais d;
laurinos reeebldoa de Lcndrea, Pari?,
laaboa e Rio de Janeiro.
Prini.i mi uerleicao de co
'em .brevidade, modicidaoe era preces '
I fino (oslo.
PKOSPHATINfi FALIERES.AlimontoteCrs-r, s
M
(),-
ido se indicar sua residencia.

Oculista
Dr. Barrcto Sarapaio, mcdjw^
:cu!i:r5. cx-ehe-e do cHn do
Dr. de Weckcr, di eonai -
meio dia s horas da *.;ird* ;:<
i andar da casa n. 51 rua do
Hariio da Victoria, excepto
domingos e dias santificados.
Residencia rua Sete do S si -
bro n. 3i. Entrada pela r ;.-. da
audade n. 2.
(1
!
(I
Toase coavaSsa! cotjfirlucnc !
NSo deis enanca
Gambar.
sec.lo < Peitoral do
Azeite do peixeo larris a Lopes Araujo.
Gordas de piassava 300 p*cas ;. ). Teiseira
l'edras de amollar 200 a Albino Silva i :.
EX.'OSlTiON UNIVERSAL DE l3fi
Sogun nos escriben nuestros correspon-
sales, los Sr Asutle Prince y C
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete do lectura de los
principales peridicos de las Americas del
i entro, del Sud. de las Antillas y del Ex-
iremo-Orientc ea una construccin de ma-
dera, do las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffe!,. del lado
derecho y en fronte de la parte central
del Palacio de 03 Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Urazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueza, y
.)ue sern una de las mayores atracciones
de la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
bdlon de Guatemala, la instalacin que han
beodo nuestros corresponsales, Nl'S. Am-
de Prince y C. gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
Reccbedovla "irovincial
Do uia 2 a 21 17:0085189
IJem dc3 l:6i!,4il9
Bares nacional Ua> .r.ujei-:-i. i la Pe-
lotas, em igual pala e coiisigni r-
mios & c manifestou :
Sebo 20 barricas.
-Virque 210,000 kilos a orden.
Barca norueguense B. ChrattMiu.
Cardilf, em 20 do corrente e a hm
manifestou : ,'
Carvao de pedra o03 ton-la !aa a wen* W ?rn
ol Brasil.
lxporlaio
UOH, 2l DaSBtaJiBao m ".
Para o exterior
Nao houve exporte!
Para o uiterioi
No vapor nacional /'<;/".
Para Rio de Janeiro, S. Guin s G. 30
pipas coiu 14,401) litros de agurdente .
lomeo 4 C. Successores o2 caixa
jure beba.
~ No lugar nacional Tigre,
Para Mossor, M. Viegas t C :<~
456 litros de genebra.'
No hiate nacional ". do '.'.
ram :
ParaMacio, M. Viegas & C. 12 ua. K)
litros de mel. 4 barricas coni 330 kilos do U330
car refinado, 5 ditas com 40J di
co e 1 dita cora 100 ditos de dito mascarada
Rendimentos jubileos
MEZ DR SETEMUO
Alf'i
Renda geral :
Do dia 2 a 21
\a Je 23
573:87i
25 O:
Relida provincial :
ia a a 21 G 433*746
dem*de 23 2:32132
m:'J\?f.m
67.003.4601
Somma t a I
Segunda secgo da Alfandega :buco,
Setembro de 1889.
0 thesoureiroFlorencio Do
0 chefe da seccao Cicero B. d" Mello.
Reeebedoria
, 21 23:0;!85986
008*940
geril
u-.mtm
18:6J6:'>503
Recife ra!na--e
Do dia 2 a zl 31:1845204
dem de 23 6885600
3l.S72.i80i
SEercndo Hieisiclpitl de June
O movimento dcste ^nercade nos jias 21 o 22
de etembro foi o seguinte:
Entraram :
90 bois pesando 11^88 kilos.
970 kilos de pcixe a 20 res 19^'iO
26 cargas com 'arinta a 200 ruis 54900
8 ditas de milho a 200 r.;is i 600
11 ditas de feijao a 200 ris M*90
i ditas defructas diversas 300ris 800
19 laboleiros a 200 res 3800
^4 suiaos a 200 rcia 88M
61 matulo com legomesatOO-if-ls lUtOO
Fonun oceupados :
54 columnas ^ 6K* ffl .'400
" 2 escriptorio a 300 res 600
36 compartimentos de faosa ; i'OC
ris W0O
44 ditos de comidas a SOC rufa SW100
182 ditos de egumes e fazendas" a
400 ris 72/800
34 ditos de suinos a 700 ris 23;
16 ditos de fressurus a 60-3 9*500
90 talhos a 2* 180*000
Readimento do da
tente
la 20do

190*000
1:190*700
4:6l7(iOO
fot arrecadado liquido ut
Prec&s do dia:
me verde do 280 a 4W ris c kilo.
aeiro de 790 a 1* n
I a 6i0 r:
: arinha de 400 a 6 0 reis a cuia
Milho de 360 a.400 ris idem.
;V) de 1*000 a 13200 id-
.?IaadGuro publico
Neste esuielccimeto foram abatidas
consumo de hoje 89 rezos pertencentes a
aos marchantes.
Vapores a entrar
HEZ DE SETEMBRO
Norte......... Savotu........... 24
Norte......... Para............. 94
Europa........ Ville el 25
Sul........... Espirito Santo.....
Europa....... Trcnt.............
Sul.......... Don..........
H
Acode de prouipto a chamados para
fra, a qmilquer distancia.
Telephoae n. 3 4
:
I
!!
Vas urinarias, molestias das
ahoraa, operaees elctricas

MEDICO E OPERADOR
cota pratica de Piis e lourbs
Esirpaniento da urelhracurados
dicalmeate pela electrolyse, sem d
bydr cefc i '' \ io (cura radie;.!);
' f'-'ii fas e ulceras ebronicas, com garan-
I lia do cura rpida ; podras da bexiga,
) fstulas e l.e.nioirhuidas ; syphilis, go-
*v iTOrrneas, pelo meifiodo das mstiHa^Oes ;
i l molestias da garganta o do peito "pelas
' athmospheras medicamentosas. Con-
!( BnHas e operaedes das 12 s 3 horas da
( tarde,
i BOA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 34,
9 ANDAR
tiVlAiS ao IUl>i'CM.
Advogado
:ch ttrel tf oo Ferreira Do-
sasugue Carneiro
Raa Eslretia do Rosario n. 10,1 andar
Encarrega-Fe de Quaesquer causas
n'e.sta cidade e nas comarcas prximas,
especialmente nas de Ao d'Alho eTim-
baUba, para ende^viaja frequentemente.
Dr. Alfredo G
reuo Viras par
MEDICO
Operr.dor, parteiro trata com e^pecial-
dade de molestias de serdioras e creanc&H.
Consntorio e residencia rua da impt-.-
ratriz n. H, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer bora.
TELKPHONE N. 226
Vapores a sahr
MEZ DE SETEMBRO
Baha e esc .. Jacuhype.......... 2i as j u.
Sul.......... Para............. 2;! as 5h
Ccar e esc... Jaguaribe......-.. 26 as o n
Rio Formoso Pirapama........-. 26 as 5 h.
Santos e esc Ville de S. Nicolao.. 28 as 4 ii
Norte........ fispii to Santo.....28 as 5 h.
Uuenos Ayres. Trent............ 28 as 9 h.
Scuthamptom. Don.............29 es 2 h
llovlmenlo do porto
navios entrados no dia 22
Liverpool e escala18 dir.s, vapor ingioz
Potos, de 2515 toneladas, commandan-
te H. W. Hay es, cquipagem 97, carga
varios gneros; a Wilson Sons & O.
Bahia e escala8 dias, vapor nacional Sei-
gipe, de 411 toneladas, cornmandante
Joaquina A. R. de Mattos, equipagei
27, carga varios generes; a Pedro Oso-
rio de Cerqueira.
Navios sonidos no mesmo dia
Valparaizo e escalaVapor inglez Potoei,
cornmandante H. W. Hayer, carga va-
rios veneros.
West IndierLugar inglez Dora, captSo
Richard Mealey, m lastro.
Navios entrados no da 23
Pelotas25 dias,patac9o norueguense Svei-
eup, de 148 toneladas, capitSo O. 01-
sen, equip3gem G, carga farinhademar-
dioca; a H. Lundgren & C.
Bahia10 dias, Lugar americano Georgia,
de 033 toneladas, capitSo A. B.,Plum-
mer, cquipagem 7, cm lastro; a Ii.
Lundgren Pelotas 23 dias, barca nacional Marta An-
gelina,ie 225 tonel idas, capitn Fran-
isco Lopes Cecilio, equipagem 9, carga
Xarque ; a Amorim Irmaos & C.
Cardiff e escalas36 dia's, vapor ingles
Imcz, de 176 toneladas, com mandante
H. G. Purvir, cquipagem 12, carga ma-
deira de Pinho; a Wilsons Sons & C.
Navios sahidos no mesmo dia
Cear Patacho norueguense Sverderp, ca-
pitn O. Olsn, carga farinha de man-
dioca.
NatalLgar americano Georgia, capitao
A. B. Plummer, em lastro.
Rio GrandeHiato nacional Gerlquity,
mes tro Joaquim II. da Silveira, carga
varios gneros.

(


i
l
i\

I


i
*
.
I.
Diario de PernambucoTerca-feira 24 de Setembro de 1889
A
Emulao de braman & emp, preparada
_. o Oleo de Figado ile Uaralhao ruis pe
produz a N'orucgi nao sinen! leroo
reconstitutivo das condi^Oes debis e um reme-
dio seguro e infalliv.-i roa'ra lodas ai molestias
do peiio. da garganta e dos ptilmoes, o oulras em
ti su prescreve o us do Oleo Oo Figado de
calliao, puro, scno que Umb'-m 0 em i o
gente digestivo porcxei
delicados ou djspeplieo.
Cirurgio Dfen lisia
DR. BOBBRT i'. RAWWSBON, for-
mado pea DnTve
Estados-Unidos, c;n aborto o san eo
torio, ua ra Burao .1 a I, 1
dar.
Consultas ds 10 e 4 hori
Lili
da Presidencia
% 16." O piganicui da Uluminacao p.i i E para qu- chegue ao conheeim- udos,
blica e particular ser feito em mooda d- mani1ei Pa**r V*enlJ; ea'tal lu, ,8er Pub'1
cado pela tnprensa e afhxudo nos lugares do
paiz, sem attencSo osciUaco do cambio.
. 17. U cc-utractante poder orgamsar
companhia, a qual iicar subrogada em to-
dos ob direitos e obrigacoea do contrete.
18.* Para as desposas com a tisca-
saeo do servio*) do illuminacao Jo contrae-
tanta concorrer annunlraento com a quan-
tia de 3KXX)iKK)0, que serSo recoiIndos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidenta da provincia esta-
belecerd as multas c mais condicoes, no
ntuito de garantir a boa exocuco do con-
a lumineao pu-
tracto, quer oom relac/Xo
Secretaria da Presidencia de Pernambuco
ero 23 de Setembro de i>v'.J -5.* atxipa.Por
esta Secretara fes lis publico, riaonteni > Esa.
Sr. coosetheiro pean lente di provincia o de ae-
cordo rom a le provincial n. 1974 di- 26 S ultimo. '( :.\ ;\ r (|in'ii!ii, rata tta Eduardo de
oracs Gomes Forreir, a.-lia se aserta a ou-:w*-
reacia, c >m aanna le 3 > dias, ucunl.irdch je,
paranpresentacao de pr |) >-'. a < n ca ta c-eiail.i.
a fiiiidag.i de uoi moinho, nesta provincia, des-
tinado a moer o grao de Mea preparar a fari-
nha de conformidade com a le rafr* transcripta.
O secretario,
Francesco L. fnrinko de Sonza.
LE Si 1974
tnnocencio Marques de Araujo G&es. hachare!
em scieocias jurdicas e sociaes pela Faculdade
do Recife,- denotado Anembla Geral pela
provincia da Bahia e presidente da de Per
nambuco
Pago saber a todos os seus habitantes eme a
Asse.nbla Legislativa Provincial decreta) e eu
anecio ici a resolugo seguate :
Artigo 1." Fica o presi lente da provincia au-
toris uto a Contrariar com Eduardo de Voraes
Gomes Ferreir.i, ou com qa-in melbores vanta-
gens offerecer, a fundaeo e creacao de um uioi-
uho a vapor ou qualqu-r otilro motor, destinado
a'moer grto.de trijo e preparar a farinlia, com
a ci;iacidaJe de moer hartaroeMe, pelo menos.
7.500 kograatorafl.
| !.' Para a expltra.;ao e U0 da industria de
>jue trata este artigo, conceder se lia privilegio
por U) annos.
j 2. Dentro de dous aoooa o oootractaote
Dbrigado a montar os e-lab'deciment.' precisos
e a dar principio aoa trabalhoa da Tabrica. em
cujo ervieo sera obligado a admitrir al 15 or
pilaos, para Ibes ministrar o ensico da industria
alimentaudo os, e dods ana).; depois dando-lbcs
alario equivalente ao que trabalharem.
Arl. 2. Picam revogadas as dispo-iices em
contrario.
Mando, poi tanto, a toda.; as atondados, a
quem o ioni-ciinento e execuco da presente
resolucro perteocer, que a cumpram e facam
cumprir lio iuteirameiite como nella se contem.
O secretario da Presidencia desta Provincia a
fcea impriaiir, publicar e correr.
Pala, io da Ppre.-id ocia de Pernambuco, em
ii de Marco de 18M, 6X. da Independencia e do
Imperio.
L. S. Ln.nucim:io Maboiks k Abuju (ofs.
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o n
contractante ter do pagar d actual cm
presa, conforma o 7o aci-.a ci
quantia de 994:917(J528, de accoro con
a avaliaco feita pelo arbitro de?<
dor em 18 de Marjo ultimo, visto J
se da de 998:7770528, total da avaa^ ?.
a importancia de 8:860)9 ':iu
presa em 1860, proveniente; di
do ferro, 5 columnas e 5 braopa c
f.eSes, collocados fra do perimotro da
eootracto. O saoroaaro iaterino,
' Joagnm SUe
pea iinpr*
coslume
Daeo e passado nesta cidade do Recife capital
da provincia de Pernambuco, aos lO de Setem-
bro de 1889.
Subscrevo e assigno Ernesto Macliado Freir
Pereira da silva.
Recife, 20 de Setembro de 1889.
Thoinaz Garax Parauhot Monlentgro.
o.' Sccgio Secretaria da pesideocta de Per-
nambucoEm 3 de Setembro de t88i
Por esta secretaria se faz publico que fica
aberlo o pra-o de 50 dias, a contar dest:
para o receoiuiento de propostas em carta
da dos concurrentes costrucgao le ai
irada de ferro deque trata a lei provinciulinfia
o. i.OS de 8 de Agosto p
O s a e! mp
Francisco L. V-trintio de Souza.
Ei
do Gaz
Sellada e publicada aprsente r
Secretaria da Presidencia de Pe
resoJueao oesta
ernambueo. aos
mpreza
A empiez,". :1o luminafao a gax doaiA
cidade prr sea gerenta,- tendo visto co
- Diario de Pernumbvs.o de boje a publica-
cao do edital em quo a presidencia da pro
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas c servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777(>J,28, por
quanto foraraavaliadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia es3a que dever ser paga pelo
novo contractante, veift pelo presenta
aviso, a para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliaco nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido illegal e irregularmente feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer parante o juizo dos feitos da
tazenda. tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Paseada Provincial, como representarte
da ropvincia.
E como quer que deva em tompo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quem do direito for, deliberen fazer a
presente publicacao para scieneia dos iu-
teressados.
Reeife, 1 de Ha do 1S89.
Gerente.
George Windaor,
ie de Marco de 1889
O secretario interino,
Mtiiioel Joaqim .Si/c/Vj.
~ da"
5.* scelo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
~rdem do Exm. Sr. Dr. vice-preidente
da provincia e nos termos do 2' do art.
Io da Ici n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, fendu-se concluido por ncio de laudo
e arbitro desempatador, a queatao do ava-
!iac5o do material da empresa do iliumi-
uayao gaz dcsta cidade. ica aberta
a concurrencia, cora o prazo de seis me-
tes, contados da data do piescntc edital,
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
| 3. Nenhuma proposta ser recebida
em quo o proponente com ella aprsente
documento de baver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0004
em dinhero ou apohees da divida publi-
ca, pn.ra garantir a accitacSo do contracto
bo caso de ser preferida a sua proposta
4." O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contr?.ctante senao lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
cora quem melhore* vnntagcns offerecer
oa concurrencia.
| i. A nao ser no cp do paragrapho
antecedente, p actual mpresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
| 7. O novo contrastante ser obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sajeia por forca da clausula decima ter-
eoira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de aecordo com
?sa mesma clausula, e icando o materila
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto n2o poder
e:;ceder a 30 annos.
J 9. Opreco da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
00 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
ie urna reduccao de mais de 30 \0) para
os eetabelecimentos de caridade a benefi-
cencia, e rcparticcs publicas. _
3 10.a O 8ystema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
eSo do gaz.
| 11. A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias cstranbas, qu- possam pre-
iudicar a illuminaQo e a hygiene publica.
8 12. A intensidade media da luz ser
equavaiento a de dea velas de- espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 gr2os inglezes.
13. As horas de illuminacao publica
arito fixadas pelo presidenta da provincia
se principio de cada anno, mo podeado
er em numero menor de seis, ncm maior
de dez, devendo nesta caso haver urna
redaccilo no preco do gaz correspondente
SO acrescimo de horas.
14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
leos e illimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as queatSes que
se su'scitarem, quer cora o governo,
nercom os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos a leis e regulamen-
toa e jurisdiccao dos tribunaea judicia-
rio3 ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
coUocar e construir aua custa um ou
mais gazometros, se Uouve necessidade,
os lugares qne o presidente. da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
raaientos que dorante o prazo do contrae^
io se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Earopa.

i
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco5.a seegao.Em 20 de Setembro
de 1889. Por esta secretaria se faz pu-
blioo, de ordem do Exm. Sr. conselheiro
presidente da provincia que, tendo expi-
rado no dia lo' de Agosto finclo o prazo de
30 dias, marcado no edital de 16 do Ju-
lho, para o recebiraento dp propostru em
carta fechada para a fundacao de urna fa-
brica de cimento, preparado com materia
do paiz, nos termos da lei n. 1.987, do 6
de Maio do corrente anno,
iica marcado
o recebimento
um prazo de 20 dias para
das alludidas propostas.
O secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
O tr. Thomaz Carcez Prannos Montenogroi
commendador da Imocrial Ordem da Rosa e
juiz d* direiio especial do cotnraercio clesla ci
dode do Recife capital de Pcrnumboco, por S.
M. Imperial e Constitucional o Sr. D. Pedro
II, a (juem Deas guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem,
ou dille noticia tiverem que, por parle de D. Ma
r;a Venancia da Silva rae foi dirigida a pelifcao
que da aaodo, forma, maneira e theor segra-
te :
Petigac Illa. Exn. 9r. Dr. juiz de direito do
cominera:).Diz D. Mara Venancia da Sil-
va, inventariante dos bens de seu finado raa
rido Joo Jos da Silva, que sendo o espolio do
mesmo finado credor de Miguel da Malla Morci-
ra da importancia de 1:108iliO, de Alfonso de
Andrade Pessoa da de 1:896*360, de Francisco
Teixeira & C. da de 1:1314940 e de Manoel Joa-
quim Guerreiro & Irmo da de l:0U040QiJ, cons-
tantes das letras juntas aceitas pelos supplica-
doa e saccadas pelo fallecido marido da snppli-
cante na qualidade de socio da tiran ccuimer-
cial Silva Alves, extincla ; e como as men-
cionadas letras estejam a preacrever, vem nos
termos do art. 4">3, n. 3 do Cdigo Commercial,
pedir a V. Exc. se digne mandar tomar por ter-
mo o seu protesto pjra inlerromper a prescrip-
cao, depois do que sejara as letras desentranha-
ilas e entregues ao advogado da supplicante.
o abaixo assignado, licando copia.
E porque os sopphcados se aeliem cm lugar
i.icerto e nu sabido, requer que ascitajfies se-
jam feitas por edios, justificada a ausencia pela
supplicante. Pede a V. Exc. deferimenlo.
Recife. 17 de Setembro de 1889. Ribciro Ma-
chado.
Estiva legalmentc sallada com urna estampi-
Iha do valor de 2o0 rs, devidamente inulilisada
na forma da Ici.
E mais se nao conliaha em dita e mencionada
peticao aqui muito bem e tielmen'.p copiada e
transcripta, depois do que via-se e mostrava-se
o despacho que 6 do modo, forma, maneira c
theor seguinte :
Despacho D. Como requer. O escrivo de-
signe dia.
Recife, 19 de Setembro de 1889- Montene-
gro.
E mais se nao contiraa em dito e menciona-
do despacho aqui muit:) bem e fielmente ripia-
do c transcripto depon do que via-se e mostra-
ra se a distiibuico que 6 do modo, forma, ma-
neira e theor seguinte:
Dislribuicao A Ernesto Silva.-Olivuira.
E mais se nao conliaha cm dita e mencionada
dislribuicao. aqui muito bem e lielraer.ie copia-
da e transcripta, depois do que vase e mostra
va-se o termo e protesto que 6 do modo, for-
ma, maneira e tbeor ceguinte :
Termo de protesto -Aos 19 de Setembro de
1889, em meu cartorio, perane mim, compare
ceu a supplicante por seu advogado Dr. Jos
Francisco Ribeiro Machado e p.ir este foi dito
que pelo presente reduzia a termo o protesto
oonstante da peticao retro, que offerecia como
parte des'e em que depois de lido assigna. Eu,
Ernesto Mac hado Freir Pereira da Silva, Jos
Francisco Ribeiw Machado, Inno-encio Garca
Chaves, Jovino Rodolpho de Oliveira.
E mais se nao continua ora dito e menciona-
do termo de protesto rqui muito bem e fielmente
copiado e transcripto, depois do que via-se e
mostrava-se que, ten.lo a justificante prcduzido
suas testemunhas. que depuzerara conveniente-
mente, o respectivo csciivao fez sellar e prepa-
rar 03 aulo3 e m'os fez conclusos, nos quaes
profer a sentenca que do modo, forma, nia-J
neira e theor seguinte :
SentenfaVistos. Procede a jU3tiricagO. Pas-
sem-se os editaes pedidos com o prazo de 30
dias. Cnstas ex-causa.
Recife, iO de Setembro de 1889.-Thomaz
Garcez Paranhos Montenegro.
E mais se nao continua em dita e mencionada
sentenga aqui muito bem e fielmente copiada e
transcripta, em virlude da qual o respectivo es-
crivao fez passar o presente edital, pelo qual e
seu tbeor chamo, cito e hei por intimados os
justificados ausentes em lugar incerto e nao sa-
bido, para que, dentro do prazo de 30 dias com-
parecam ante este juizo, para allegar e provar
L I N !
Manoel Alvos de A mujo, do de Sua
dagestade o Imperador, bacliarel forrtiado em
iaes e jurdicas pela Paculdade de
S. Paulo, cote r i!,: Imperial Ordum da
osa e resMenle '.j previo ia de Peruaibuco
Pace saber a lodos os .-> us habitantes que a
.', i'embk-.i Lfyi itiva Provi <- eu
Artigo I N'cw
: ;: C ou a quem i v.m
tugeos offerecer privilegio ra ?.
'i- urna estrada dr ferro
de nitela estrella, que mi: Dous
tripos, na ejitrc.aa desta provi:. ido
ihy, va t'.'r:ii.:ir na \ iua pon-
ir inal do Rio S. Fr
I A zona privilegiada ter 10 leguas para
fcada ludoeoeiso da linia, sem q
em tempo !gu:n enipecilbo a que ti qualquer
outra ostra 11 de f..'rro. piraileia ou nao a de que
cogita a ; p^ a u provincia
azer concestao de zona privilegiada. No caso
de futuras concessoes, se a zona privilegiada da
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer outra estrada de ferro cotice
dida mais tarde pela provincia, ser o Bsaaco
de trra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao uieio. ficando urna metade delle como
zona privilegiada de cada urna daa referidas es-
tradas.
g i. Em igualdade de eondicSes o concessio-
nario ter preferencia para conslrucco, uso e
goso de futuros ruinaes convergentes.
g 3." Ficam isentos de direitos c impostos
provinciaes e mumeipaes os edificios, as machi-
nas e materiaes necessarios para a construccao e
explorago da liuha principal e dos ramaes que
forem construidos.
4." O concessionario ser obrigado a cons-
truir liona teleraphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isenco de direitos impostos.
5. Fica concedida a garanta de juros de
6 7<, sobre o capital que l'or empregado effecti-
vamente as obras, calculado o prego mximo
do kilmetro, em 25.000* e pelo pruso da dura-
co do privilegio, lindo o qual reverter para a
provincia a estrada com toda3 as suas obras,
raachinismos, materiaes e iinhas telegraphicas,
e bem assim cada um dos ramaes que lenham
si lo construidos, logo que lenham sido oxplora-
dos por igual lempo,
." A garanta de juros s se tornar effec-
tiva no caso de ser levada a cQuito a concesso
da estrada de ferro de. Amarante na provincia do
Piauny a '. erra Dous Irmaos, qual se prende a
presonte concesso, perd ndo o concessionario o
direito referida garanta ec obliver o governo
geral, subvenco kilomtrica-, quantia de juros
ou qualquer outro favor equivalente.
g 7. A provincia lera o direito de embarcar
gratuitaineiilt. a nua forga publica, autoridades C
respeclivas cargas.
g H." 0 Conceesionarfp poder transferir em-
presa ou companhia, que organisar o presente
privilegio com todos us seus favores c obriga-
cSes.
9." Denlro de 5 annos da datfao contracto
deverfto ser apresentados o^fespeerrvos esludos
definitivos e os respeclivos/orcaim>(tos detalha-
dos e ter comeco de execugo as obras, cadu-
cando a concesso, se deoHro desse praso nao
forem ditas obras compradas, salvo caso de for-
caiiaior, devidamente prflvado.
Art. t.' Ficam revogadas as d8p03<;ocs em
ccnlrario.
Mando, pnrlnnto, a todas as autoridades a
quem o conhcciuiento e execuejo da presente
resoiocao pertencer, que a cumpram e facam
cumprir to iuteiramentc como nella se cora-
tm.
secretario da presidencia da provincia a faga
imprimir, publicar a correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 de
Agosto de 189, 8" da Independencia e do im-
perto.
L. S. M. Alte$ de Araujo.
Sellada a-pubca-laa presente resoluco- uesta
secretaria da prudencia de I ernambuco, aos 8
de Agosto de 1889.
O secretario
^Francisco L. Marinho de Souza
5.a scelo. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, 20 de Setembro de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de or-
dem do Exm. Sr. conselheiro presidente
da provincia, que o prazo do 25 de Outu-
bro, a que se refere o edital de hontem
para a apresentacao de propostas para a
fundaoao de 11 engenhos centraes, abran-
ge os da que tratara os editaes de 10 de
Julho o 23 de Agosto ultimo, requeridos
por Jos Bernardino de Bourbon Arantes
e Manoel Antonio dos Santos Dias.
O secretario,
Francisco L. Marinlio de Souza
PROJECT0 DE IIVSCRIF^
!2ssi

i i'aai" '
Pe
ra a 4.a corrida a real izar-se no dia 29
de Hetenibro de 1889
0 tenham ga-
ao primeiro,
1. PARRO Saldo 800 metros. Animaes da provincia que ni
nho premio nos prados do Recife. Premios : 200fJ000
40,5000 o segando c- 20i5000 ao terceiro.
-,0 PAREO -- l..o Je oJu!Fi> 1,500 metros. Animaes pelUidos do paiz. Pre-
mian 800500) o primeiro, 60/3000 ao segundo o OjJOOO ao te:
3. PAREQfaeraaeoaal1.200 metros. Animaes estrangeiros que nao le-
nham gp.niio e:ii 1689 em maior distancia. Premios : 4003000 ao pri-
meiro, 880000 ao segundo e 40^000 ao terceiro.
4. PAREO- C'ouswSa'itje8.rK) metros. Animaes da provincia que nao tenham
ganho premios em 1889, em maior distancia, l'remioi: 200$000 ao pri-
meiro, 40:5000 ao segundo o 205000 ao terceiro.
5. PAREO=Grande Premio Imprensa Pernaiabucana.
Animaes inscriptos.
6. PAREO Prado fl'CS'naniTHlcano 1.700 metros. Animaos de qual-
quer paiz. Premios: 4005000 ao primeiro. 2005000 ao
segundo
405000 ao terceiro.
7." PAREOAnimaeiio1.200 metros. Animaes da provincia nao Inscriptos
no GRANDE PREMIO. Premios: 200,5000 ao primeiro, 40000 ao
segundo e 30-5000 ao terceiro.
Observares
S serfio aceitas para cada pareo quinze propostas. Cada enveloppe dever
eonter urna s proposta, e caso, appareca mais de urna, s ser aceita a primeira
que fr lida, sendo recusada a proposta que n2o vicr acompanhada da importancia
da inscripcao
Nenhura pareo se realizar sera quo so inscrevam animaes de tres proprieta-
rios differentes.
A inscripao encerrarle-ha ter9a-fera 24 de corrate s G horas da tar-
de, na secretaria do Prado Pertiambucano, ra do Imperador n. 83, 1. andar.
Recife, 19 de Setembro ele 1889.
Francisco de Souza Res,
GERENTE.
DECLARAvOES
Monte Pi Portuguez
(Socios cm atraso)
A directora desta benemrita associacfio sci-
eulilka aos tenhores socios contribuintes e re-
missos, que nao se pozercm quitea as suas
mensahdades at o flra do corrente mez, ter de
applicar aos iucursos a pena do art. 1G n. 2 dos
estatutos.
Secretaria do Monte Pi Portuguez em Pernam-
buco, 3 de Setembro de 1889.
Manoel P. Velloso.
3 secretario
Derby Club de Pernambuco
Pelo Starter foram multados na corrida
de 15 do corrente, em vista do art. 14 do
regiment interno os seguintes jockeys :
Em 20^900 Jos Marcelino, sendo em
10;5000 no 1. pareo e um 105000 no 2.
pareo.
Em 205000 ledro Alexandrino, no 2.
pareo.
Recife, 20 de Setembro de 1889.
0 gerente,
11. Schutel.
Pradj Escadense
Sao con.dados os accionistas do Prado Es-
cadense a reuuirera-se na aegunda-feira 23 do
corrente. no lu^ar do costume, aflm de tratar-se
de negocio urgente. Em 18 de Setembro de
1889.
O secretario,
1 lo.
X-afesS**
------83*
GRE.T mm\ OF BRAZIL R4ILW4Y C. LIMITED
AVISO
Do dia 1 de Outubro em diante vigorar ate? segunda
ordem nesta ferro-via o seguinte horario:
PAIt.l O INTERIOR
ESTACOES
Recife......
Encrozilhada.
Arraial.....
Macacos. .
Camaragibe ..
S. Lourenco..
Tiiima......
Santa Rita ...
Pao d'Alho...
Carpina......
Tracunbaem..
Nazareth.. .
Lagda Secca.
Barana.....
Allianca.....
Pureza......
Timbaba....
Carpina.....
L. do Carro.
C. Grande..
Limoeiro....
DIAS OTOS
Manha
7.30
7.38
7.46
8.02
8.14
8.33
8.44
9.05
9.32
10.02
10 17
10.32
11.02
11.20
11.40
11.02
12-22
Tarde
3.04
3.12
3.20
3.35
3.47
4.07
4.17
4.40
5.06
5.35
5.51
6.51
6.30
DIAS 8ANT.
M.in?ia
7.30
7.38
7.46
8.02
8.14
8.38
8.44
9.05
9.32
10.02
10.17
10.32
11.02
11.20
11.40
12.02
12.2
10.05
10.20
10.37
10.56
Tarde
DO INTERIOR
ESTACOES
3.48
4.04
4.21
4.41
Limoeiro.....
U. Grande...
L. do Carro..
Carpina......
Timbaba. ...
Pureza......
Allianca.....
Barana*....
Laga Secca.
Nazareth....
Tracunhaem..
Carpina......
Cao d'Alho...
Santa Rita...
Tiuma......
S. Lourenco..
Camaragibe ..
Macacos. .
Arraial.....
Encruzilhada .
Recife.......
das UTOS
Manh
6.12
6.33
6.48
7.00
7.37
8.03
8.21
8.36
8.52
9.04
9.18
9.26
9.33
Tarde
1.10
1.38
2.03
2.19
3.38
3.11
3.25
3.46
4.10
4.36
4.54
5.09
5.24
5.37
5.52
5.59
6.06
DIAS SAST.
Manha
9.03
9.24
9.39
9.50
Tarde
2.32
2.54
3.11
3.34
T.10
1.38
2.03
2.19
2.38
3.11
3.25
3.46
4.10
4.36
4.54
5.09
5.24
5.37
5.52
5.59
6.06
Escriptorio geral, 22 de Setembro de 1889.
Jason Rtjiley,
Superintendente'.
Club Carlos Gomes
\.sembla eral
Nao tendo comparecido numero
de socios para realisar-se a As3embla
Geral convocada para hontem, de novo
sao convidados os Srs. socios a compare
cerem na sdc do Club, no dia 23, se-
gunda-feira, as 7 horas da noute, para o
disposto do art. 18 Io.
Sendo essa a 2.a convocacSo, a assem-
bla funeconar com o numero de socios
que comparecer.
Secretaria do Club Carlos Gomes, 19
de Setembro de 1889.
Aidr Cela,
1." secretario.
Remo gao
S. 116.De ordeiu do Sr. Dr. inspector eral,
faco sciente ao professer publico Mamede Jus-
tiniao dos Res, removido por accesso Date a
ca 'eir do Hio Formoso, por acto dapresid
ciada provincia de 9 do corrente, que Ihe
marcado o praso de 40 dias, a contar daquella
data, para tomar posse. e assumir o.respectivo
exercico
Secretaria da Instruccilo Publica de Pernam-
buco, 21 de Setembro de 1889.
^^Jiccrelariii.
/'' Ara ajo Gah
Thesouraria de Fazenda
Substitiiiro de nota
De ordem do lllra. Sr. inspector, fago publico
que, na formado edital desta Thesouraria de 17
le Junho ultimo, 6 no dia 30 do corrente mez
que termina a prcrogacao do praso marcado para
a substituicao sem descont das notas de 20#
da 5." estampa.
Vencido esse praso, comecar o descont de
aecordo com o preceituado pelo art. 13 da lei
3313 de 10 de Outubro de 1886, isto 6 : durante
os tres primeiros mezes 2 0/0 at o 9. mez 61 /O ; al o 12 mez 8 0/0;
duraute o 13.'mez 10 0/0, e mais 5 0/0 mensaes
(i'ahi por diante at que as notas percSo de todo
o valor.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 9
de Setembro de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna
Secretaria da Iastriicco Pu-
blica, I de Agosto de 18 89
ELEiglO^PE M PROFESSOB PARA MEMRRO
*DO C NSTeCHO, LITTEEARIO
N. 101.De ordem dVSr-.-I>r. Inspec-
tor Geral, declaro aos professores ptfWicos
de ensino primario effectivo3 e vitalieibf
quer de um, quer de outro sexo, qne ten-
do de proceder-se a eleic3o de um pro-
fessor para membro do conselho litterano,
devera na forma do art. 1. das iii3truc-
edes de 15 de Maio de 1885 o art. 18
17 do regulamento interno das escolas,
remetterem a esta secretaria at o dia 14
de Noveinbro viudouro os seus votos con-
tidos em officio na forma do art. 4. das
referidas ins,ruc53es.
O secretario. Pergantino Saraiva de
Araujo Galvao.
Companhia de Edifi-
caejio
Sao convidados os senhores accionistas da
extincla companhia de ediBcacSo, a comparece-
rem no escriptorio de Moura Borges 4 O.,o largo
do Corpo Santo, das 9 hora. da manha s 4 da
tarde, munidos de suas acedes, atici de recebe-
rem a quantia de 44300 pos aeco, quanto to-
cou no raleio.
ltecife, 20 de Setembro de 1889.
de Oliveira Borges.
Secretarla da in*(rucrno publica, SI
de Setembro de 1S88>
Prazos de 40 e 30 dias
N. 117.De ordem do Sr. Dr. inspector geral,
fago saber aos professores Floriano Baplista de
Oliveira, Idaliuo Isidro da Coata Vieira, Alejan-
drina Morcira Rcis e Mara Ro?a Pereira. reno-
vidos o 1 por acto de 24 de Agosto findo da
cadeira de Bisarra para a e Tolo; o 2- por acto
de 18 do corrente da de Floresta para a de Ca-
raart; e as duas ul'imas po^ ter licado sem
elfeito a portara de 18 de Janeiro de 1888 que
as removeu, que fica marcado ao 1 o praso de
40 dias e aos outros de 30 dias, a contar da dala
das remoces, para assumirem o exerncio de
[ suas novas cadeiras.
O secretario,
Pergentino 8. de A. Galvao
Colonia Orphanolo-
gica Isabel
De ordem desta Directo-
ra aviso aos parentes, tu-
tores ou protectores de me-
nores despachados at apr-
sente data para seren reco-
lhidos a esta Colonia, de 05
apresentar at o dia 20 do
mez vindonro, julgando-se
cedido o direito adquirido
pelos despachos da Presi-
dencia, se o nao fizeremat
o referido dia,
Secretaria da Colonia Or-
phanologica Isabel, 20 de
Setembro ce 1889. O se-
cretario. Francisco Gon-
galves de Siqueira.
................a.....r;.....j:.....'..................."
Soctcdade Recreativa dnventade
Sarao bimestral em 6 de Outubro
Convites na secretaria desta sociedade ; oin-
gresso o recibo do mez de Oulubro.
Simplicidade as toilettes ; nao se admitte ag-
gregados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventud?,
19 de Setembro de 1889.
O I" secretario,
___________Me J. Kantista.
Espolio de Emilio
Soares
Attencao
Previne so a quem interessar, que o con.'ui
do portuguez nada mais tem coai o espolio d i
Emilio Soares, visto como o seu herdeiro jaso
ada representado em juizo e requereu a entre-
ga do espolio, o que ja se Ihe devia ter feito. O
herdeiro prdtesla cantra a intervengao llega! e
arbitraria do mesmo consulado, que nao poda
mais continuar na liquidago do espolio.
Recife, 20 de Setembro de 1889.
O procurader,
Antonio Fernandes Pereira.
Sociedade de S. Vicente de
Paulo
O conselho central deUa sociedade convida a
todos os membros tas diversas conferencias
desta cidtde a assistirem a urna missa que por
alma de sua fallecida bemfeitora D Candida
Machado Carneiro manda celebrar na quartu-
fera 2o do correle, is 7 horas da manha. na
igreja do Paraizo.
Thesouraria de Fazenda
De ordem do lllra. Sr. inspector, faro publico
que, de conformidade com o officio da presiden-
cia da provincia de 18 do corrente, os senhore>
fornecedores de materiaes destinados a cons-
"trucgao no edificio da Faculdade de Direito,
abaixo mencionados, devem comparecer sec-
co do contencioso desta thesouraria, no praso
de oito dias, aflm de assignarera o respectivo
contrato, sol) pena de serem consideradas 3';m
elfeito as suas propostas :
Cypriano Jos da Silva,.
Vicente I'erreira de Albuquerque Sascimcnto.
Miranda & 'noza.
Manoel do Nascimento Cesar Burlamaqui.
Recife, 20 de Setembro de 1889.O secretario
da junta, Dr. Antonio Jos de Sant'Anna.
Instituto Beneicente dos Oficiaes
da Guarda nacional
De ordem do Illm. Sr. tenente-coronel, pre-
sidente da asstmbla geral, convido aos senho-
res socio? a comparecerem em noasa sede no
dia '^6 s <" t/2 horas da tarde, afim de tratar se
de diversos assumptos de ioteres3e social.
Secretaria da asserabla geral, 23 de Agosto
de 1889.- 0 1 secretario,
Joaquim de Medeiros Raposo.
Estrada de ferro de Ribeirao
a Bonito no Recife
Assembla geral extraordinaria
Sendo rasufficientc o capital subscripto desta
empreza. para proseguir com suas obras, alm
do 22 kilmetros, que se acham abertos ao tra-
fego publico s&o convidados os Srs. accionistas,
nos termos dos arts. 39 e 40 do decreto n. 882
de 30 de Dezembro de 1882, a comparecereai
emassembla geral no dia 26 do corrente mez,
no escriptorio da empreza n. 74 ra Duque de
Caxias, atim de deliberarera sobre o augmento
de capital que fr necessario conclusao da es-
rada em construegao.
Recife, 12 de Setembro de 1889.
Francisco Lopes Gaintaraea,
Director secretario.
Conselho de compras da re-
particao de marinha
Suppnmento de viveres aos navios de
guerra tundeados no porto desta cidade
e as dependencias desta Arsenal, duran-
te e futuro exercicio de 1890.
De ordem do Illm. Sr. capitao tenente Manoel
Augusto de Castro Menezcs, inspector deste Ar-
senal e capitao do porto desta provincia, faco
publico, que de aecordo com o decreto 10,066 a
20 de Outubro de 1888, recbese propostas no
dia 30 do correte, as H horas da manha, em
urna das sallas da secretaria desta inspecc5o
para o fornecimento dos artigos abaixo declara-
oBS^nSo podendo ser acceita proposla alguma
que'no^o'enha todos os artigos anaunciados.
com excep<*5e..u,c P5 e carDe queseronrppo*-
tas distinctas. '' '~~^t&ba*~*'''f~~ ~-'~-~
A proposta de carn verde dever conter a d-
clarago de ser o genero fornecido nao tend-i
mais de um quinto de pesocm osso, para-as di-
versas dependencias e sem osso para a enferma-
ra de mariuna.
Viverea
Agurdenle, prefo por litro.
Arroz, ideai por kilo,
Asucar branco, dem por kilo,
Assucar refinado de 1* qualidade, dem por kilo.
Azeite doce para comida, dem por litro.
Azeite para luz, idem.
Azeite doce para machina, idem.
Aletria, idem por kilo.
Ararata. dem.
Boi vivo inclusive o paslo. um.
Balalas inglezas, idem por kilo.
Bolacha, idem.
Bacalhao ou peixe salgado, idera.
Bolachinlias inglezas, idem.
Biscoutos.de araruta, idem.
Ceblas seccas, kilo.
I Caf em grao, idem.
, Carne secca, idem. .
Carne de con lerva, dem.
I Carne verde, idem.
Conservas picantes nacionaes (pikles), idem.
Caf moido, idem.
Cha verde, idem.
Coa nrets, idem.
Cangica, idem por,kilo.
Cervcja Guies, litro.
Chocolate. Icilo.
Cognac lilro.
Conservas de gallinhas, de carne de carneiro, de
carne de vacca, kilo.
Extracto ile carne, idem.
Farinha de mandioca, idem por lilro.
Feijo preto ou mulatinho, idem por litro.
Legumes conservados ou julianas, idem
Galhuha, urna.
Glea de marmello, kils.
Goiabada, idem.
Leilc lo, litro.
Manteiga inglesa, dem por kilo,
Miiho, i
I


i-

^.
i
Diaria Je Pernai|ibuco-~Ter^a-feira 24 de Setembro Je> 1389
idcm.
idem.
Pao, idcm.
Pepena Catiltou oo ou!ia
Sal. proco por litro.
vr kilo-
Toucinhode Lisboa, ou San'os,
Tapion,. ideui.
Vinagre de Lisboa, ido: por litro.
Vinf.o d' Lisboa e Bordeuux ou anlogo, idem.
Vinho veibo lo Alio Douro, idem.
Vinho Figueira, idem.
Dieta extraordinaria
Cerveja preta ou branca, nacional ou estrangeira,
litro.
Carne de vite! o, idem.
Dita de Caineiro, ideui.
Frango, um.
Filhote de poiubo, um.
Gela ifructas e gallinlia;, kilo.
Leite. li'.ro.
Marmelada, kilo.
Cevadinhd,ko.
Ovos, duziv
Pao de-lot, kilo.
Pao secco, idem.
Fcula de btala, idem.
Sag, idem.
Vihu do Potto, jarrara,
Vinho Madeira, garran.
Sao deveres dos proponentes :
i.* Organisar as sota propostas, attendendo a
que ellas, alem de seren ero duplcala, escripias
era papel forte e coiu gen), pelo urenos, do lado da junepo, fechadas,
iseotas de sello, referentes especie de artigos
dos negocios dos contraclantes, devero cooter:
O nome do propoDente ho alto da pagina e os
artigos classilicados de coi.forrnidade cora o edi-
tal de chamada; os nmeros e marcas desses ar
tigos, si r. sua natureza o determinar;
O prazo impiorngavel da entrega total ou par
cial, si tratar-se de arligo que dependa de fabri-
co ou lenha de ser adquiridoem grande escala e
de urgen'.e necessidade;
A deca raya o expresan de- que o proponerle
sajeita se s c.oiidice3''geraes dos contractos, es
tatuidas no aviso circular n. i .087 de 29 de Julho,
de 1882' modificadas tanto pelo oavo regulamen
to do sello, como pelo aviso circular n 172 de
28 de Janeiro de i8S4,ebemassiG a multa de 5.
da importancia a que montarem os artigo? que
Ihe forera acceitos, se deixar de comparecer para
assignar o respectivo contracto ou de assistir
discusso e Iciiuia da minuta delle, ito dentro
do prazo que lr notificado pelo diario oflicial, e
que nunca ser maior de tres dias.
A enumeragao dos artigo, qualidades, presos,
etc., por extenso, semtasuras, emendas ou en-
trelinhas ;
Um nico prego por cada artigo ;
A kuiicapo da casa coinmercial do concur-
rente ;
A assignatura do proponente, cu se fr firma
social, do socio ou socios que possam usar da
mesma lirma, salvo autorisacSo concedida por
instrumento de procurapao;
Entregar, por si ou por seus legtimos repre
sentantes, directamente ao conselho, no lugar,
dia e hora marcados, nao s as suas propostas,
como as amostras correspondentes ;
Exhibir, no acto de entrega, alm da cerlido
do respectivo contracto social, quando nao se
tratar de firma individual, documentos que com-
provem ;
Havcr pago como negociante estabelecido o
imposto de casa commeraial relativo ao ultimo
semestre vencido ;
Ser negociante matriculado. Todos esse.* do-
cumentos sero restituidos a quem os apresen-
tar. logo que se naja de proceder leitura da
respectiva proposta.
Asistir, na sala dassessots, leitura exprs-
sa no uumero antecedente.
As fabricas ou esiabclecimentos industriaes
do imperio sero dispensados da condipo de
matricula na Junta Commercial, e, em Igualdade
de circumstancias, teriio preferencias sobre os
outros concurrentes.
as localidades, onde nao houver junta com-
mercial, sero admittidos concurrencia os ae-
gocian'is de maior crdito, iudependentemente
da prova de matricula; devendo as firmas so-
ciaes exhibir a cerlido de seu contracto, con-
forme precea o art. 13, n. 3
ReccmT.enria-se aos proponenles que organi-
sem as propoetas de accordo com o annuncio
Dos contractos
Todos os contractos celebrados em virtude da
preferencia do conselho de compras sero an-
nuos e tcrminuro com o exercicio do anno fl-
nancciro em que tiveiein sino cfFectuados, salvo
se te referirein a cerlo numero de artigos cujo
fabrico ou feitura demande maior lempo.
Quando fr necessario sos interosses do ser-
vico sero os fornecedores obrigados a conti-
nuar o suppnmento mediante os precos e con-
dipes e-tabelecidos em seus contractos por
mais 60 (Has, sera que d'ahi resulte direito
prorogapo dos ditos contractos.
Todas as minnlas dos contractos lavrados era
razo da preferencia do conselho de compras fi-
caro sujeitas approvapo da Secretaria de
Estado dos Negocios da Mariuha.
As amostras dos artigos correspondentes s
proponas preferidas ficaru depositadas na re
partipo onde o co"seibo tiver celebrado as suas
sessoes; ao passo que as dos artigos corres-
pondentes s deinais propostas, se nao forera
retiradas dentro de 48 horas, sero dadas a con-
sumo nos termos do regula ment da in ten den
ca.
A concurrencia ser annullada ;
Quando nao forera observadas as disposiges
do presente regulamento ;
Quando comparecer um s proponente, salvo
se tratar de supprimento esnecial;
Quando por motivos poderosos acreditar-se
qn* baj* eofllaio eBlre os proponentes.
Secretaria da Inspcrgo do Arsenal de Mari-
nba de Pernambuco, 23 de Setembro de 1889.
O secretario,
Antonio da Silva Axeveio.
Companhia Jrasileira de
Navegado a Vapor
PORTOS DO SUL
O
Para
vapor
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' espenc o dos portos do norte ate
o dia 24 de Setembro e depoiada de-
plora indi: o seguir para os
portos do Ha-
As enceinmenilas surto recebida3 no trapiche
Barbosa ate 1 hora da larde do dia da sabida
Para carga, passaguQS, encommendas teso-
re* trata-se cora os .-'.(ENTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante arlos Antonio Gomes
B1 esMrVlii dos pertos do su ate c
da '7 de Setembro eseguindo depoi
(da demora indispeasave! para es
poetes du norte al Manos.
A- encoranienrta* sr>era.orecebida3 na aren
a at i horada tard' do dia da sabida. -
Para carga, encomnieudas, passasens e valo
-es trata-se cora os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
8=Rua do Co7nm<>,rcio=6
1 andar
,*JJ+
Royal
iMai! Steam Packe
Compauy
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
Espera-se da Europa at o dia 27 de
Setembro segurado depois da demo-
ra do costme para
Baha, Rio de Janeiro Montevi-
deo e Bnenos-Ayrea
Para passagens, fretese encommendas trata-
O
Don
vapor
E' esperado do sul no da 29 de Se-
tembro, jeguindo depois
necessaria para
dademor;:
Lisboa, Vigo, Sar. tfiampton e Antuerpia
Reduecdo de passagens
lia Idaevolto
.'Lisboa classe 20 i 30
VSouthampton l'classe 2 42
''amaretes reservados para os passageiros >.
Pernambuco.
Para passagens frates, encommendas, trata-se
;om os
AGENTES
4.morim frmos & C.
N. 3Ra dt> Bous JemaN. 3
COMrAIKHIA iPEBBNAmiDCAA-
DE
.%'avegaoo e^atelra por vapor
PORTOS DO SUL
Rio Formoso e Tamandar
O vapor Pirapama
Commaricbnte Carvalho
Segne no dia 26 do corren-
te s 5 horas da manb Re
cebe carga at o dia ..
Passagens at s 3 horas da tarde da vespera
da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pemambucana
n. 12
CO| Pl>III 1, PERV.iaR!'Ci\i
HE .
>avegae2o eostelra por vapor
PORiOS DO SUL
flacei, Penedo, Araraju' e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segu no dia 24 Ue Setembro 4e
5 horas da tarde. Recebe car-
at o dia 23.
ls'!S
P^"
MARTIMOS
COHPIII.4.\.4
l'I.IIMHRKIM
DE
!Vavec;afio eostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Alaco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Jaguarilj
Commandante Montgif"'
Setembro as 5
Recebe carga at o
'dia 25.
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia 26.
ESCRD7TORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n. 12
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n. 12
Companhia Badiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Sergipe
mmandante Rebello
Seguir para os
portos cima
indicados no dia
5 do correle s
4 horas da tarde.
Para carga, passaueos, encommendas e dinlj'.;-
ro a frete trata-se com o ,_ -^
AGE2IE''
Pedro,Ob'ro de Cerqueira
"" 17Ra do Yignrio 17
LEILOES
CHARGEURS REUNS
l'raurrra
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro <
Companhia
DE
lavcgaco
jinh& quinzenai entre
Pernambuco, Baha,
Santos.
O vapor
VilledeSan Nicols
Commandante Voiain
E' esperado da Europa at o dia 2.
de Setembro, seguindo depois dain-
' dispensavel demora para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pele.-
vapores desU iinha, queiram.apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das al varengas
qualquer rec'amago concernente a volumes que
porvearura tenham seguido para os portos do
sol afim de se poder dar a tempo as provi-
dencias neceasarias.
oirado o referido praioa companhia nao se
respoosabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encoiamenda e di-
nbeii-o a frete : trata-se com c
AGENTE
Araste Labiile
D- RA DO COlHtEBCIO-9
I^eilo
De fazendas
CONSTANDO:
de parte da caixa n. 708 cora 4 pecaj de meri
n preto e 4 pecas "de a I parca, estas meri.-adorias
vo 4.* leilo, pirte da caixa n. 52 cora i9 pe
cas de casemira d l, caixa n. 651 com 40 pecas
de brim de cores, parte da caixa n. 1,736 cora 4<>
Secas de merino preto, estas mercadori.is vio i
.' leilo, parte da caixa n. 313 com 4 cartes de
berdados transparentes largos que vo a leilo
pela 3. vez, por nao ter o comprador tomado
conta.
Terfaftira, 24 do coi-rente
s 11 horas
O agente Gusmo. autorisado por despa ho do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio fara
leilo das mercadonas cima mencionadas per-
tencentes & massa fallida de D P. WildftC.
as quaes sero vendidas em lotes vontade dos
compradores.
X arntazeia ra do Mrquez
de Ollnda a. a______
Leilo
De fazendas, artigos para ci-
garreiros e urna caixa om
jarros.
Terea-f'li-a 94 do corrate
A' 11 HORAS
No armatem rta Mrquez de Olinda n. 6
CONSTANDO
Da aadspoiOes. chitas, baptistas, bramante.
fustOeg, 12 duaiae de meias de fio de eseossia de
cores pan hornee*e 10 ditas de ditas para se
nhoras, camisa* de meta lanpara vestaos, gre-
nadines, collarinhos de llnho e algodflo, flchf;
nella de algodo, papel para emorulho, ditos em
livros para cigarros, Ciixs com papel, ditos cora
enveloppes, ponteirasde cereja,papel paraenvolu-
cro.diio de seda, dito almassu, i carleira, 1 banco
para a mesma, 1 prensa para copiar, com mesa, i
pedra marmore grande e frascos com tinta de
ouro e piala.
Por inlerveuco do agente Gusmo e por occa-
sio do leilo das mcrcadorias da massa fallida
de D. P. Wild & C. _
Agente Britto
2/ leilo
De predios
Urna casa terrea grande, ra Imperial n. 14.
Urna dita, travessa do Pocinho n. 28.
Urna dita, travessa do l'ocinho u 30.
Urna dita, ra de Nunes Machado n. 16, no
Espinheiro.
Urna dita, ra Nunes Machadc n. 18, no Es-
pinheiro.
Uina dita, roa do Nascente n. 24.
s Srs. pretende-nies podem ir ver ditas casas.
Terca-felra, 94 do corrate
A's 11 hora*
No pateo do Paraizo n. 26
Leilo
cigarros e
De movis loucas, bebidas,
c Tutos
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 34
Ujuarta-f elra 95 do corrate
A's 10 e 1\2 horas
Agente Martins
Ao later do martelCo_____
Agente Britto
Leilo
Em coatlanaeSo
De urna armayo envidrbala. 1 fiteiro para
bali o, 1 carrinho, miudezas, perfumaras, 1 ma-
china de costura e outros objectos que nao se
venderam no 1." leilo.
Qtiarta-felra, 9& do corrate
A's 10 112 boraa
No pateo do Terco n. 19
Ao
Leilo
correr do martello
De movis de diversas qualidades, novos e
usados, um piauo, 1 relogio grande, diversos ob-
jectos de electro pate, perfumaras, copos, jar
ros, e.-pdhos. quadros relogios, candieiros, lou-
ca, cortes de caigas, de cohetes, flebus e garra-
fas de champagne e cerveja e diversas outras e
nuiilos artigos que es'arAn visla dos concur-
rentes.
4|narta-feira, 95 do corrate
A's 11 horas
Na ra Nova n. 59
Agente Modesto Baptista
Leilo
De o casas terreas edificadas moderna, n. 38,
40. 42, 44 e 46, travessa de -6. Miguel (Afoga-
dos).
Una dita n. 62, no Largo dos Remedios.
Um sobrado de um an 1ar n. JOI, ra dos Mar-
tjrios.
Um sobrado de dous andaros e solio, ao Bccco
da Lingueta n. 5.
Quarta felra. 95 de Setembro
A'S 11 HOHAS
0 agente Alfre lo Guimares, legalmente auto
risado, levar a leilo os referidos predios.
No armazem ra do Bom Jess n. 49
Ao correr do marteilo
MU fll
-DE-
Hurray l Lanman.
0 MAIS EXQESITO
DOS
Perfumes do Tomador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Superior n Agua de Colo-
nia pula (Iclicniteza de scu
aroma e a ilurabilidacie de
seu perfume
NO LENQO.
Ao
commercio
Os abaixo assignados declaram que faltando
apenas oito dias para fazer-se a nova afericao,
e nao Ihe sendo conveniente, deixam para abrir
sua casa commercial, sita praga do Conde
d'Eu n. 17, no prximo mez de Outubro, onde
sempre estarlo as ordens dos seus amigos e fre-
guezes, tanto da praja coruo os de fra.
Recife 23 de Setembro de 1889.
Alin :ida & Silva.
'? earidade publica
Marianna de S. Jos Cavalcanle, sobrecarrega-
da de tres netos menores, deixados na orpba'n-
dade pela morte de seu filho Balbino Rabello da
Silva Cavalcante, orphos da pai e mi, e na
idade avaocada em que se acha, Ihe summa
mente pesado procurar-mes meios de subsisten-
cia ; ?em implorar laquell".s que, pesando a
sua situado, ine possam vir em soccorro com o
pouco que queiram dispens=ar, certo3 de que
Deus os abengoaro. A supplicante reside ra
da Coucordia n 231. *
Garanho
Vende se o excellente animal Coupon, puro
sangue francez, com 6 annos, alaso, lilho de
Flagtolet e La Cariseuse, e neto de Plutus e />
Favortta e de Weatberbounde Stocicetl. E' una
boa acqui.-icao por ser um dos animaes de rae
Itior lilirfo que aqui temos, pois os seus avs
sao todos da mclhor raca de Inglaterra c Ira. ga :
a tratar na travessa do Corrimboque, freguezia
da Graga n. 5't.
AVISOS DIVERSOS
A luga-se o 1 e2- andares a ra da Roda
n. 17, com pramles cornnrodos, em berra estado
de conservacio a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65. -----
- Alu/a te ii rande sobrado n. 12 ra de
i ernandes Vieira, na cidade de Olinda, o qual
se ai-ha em perfeiio estado-; a tra'tax na ra da
linperatnz u 61, leja.
Aluga-se o sobrado rpa do Coronel Su-
assuna n. 278, todo ou em separado, lera bas
accoiBiiiodagOes, agua, gas e esgoto pelo novo
systeaia, a tratar ra d Imperador n. 55. l
as 3 horas da tarde, e depois a* qualquer ora
no Paysund n. 12 sbralo junto capella,
A o commercio
O abaixo asignado dedara que comprou nes-
ta data ao Sr. Demetrio Carneiro Ro Irigues (ham-
pos a armaco ma larga do Rosario n. 17, li
vre e desembarazada. Recife, 2i de Setembro
de 1889.
_________________ Jos Vieira 6, C.
Emprestimo
Um professor publico precisa descontar qua
tro mer.es de ordenado na razo de cinco por
cenlo : alguem qperendo fazer esse negocio,
deixe caria fechada Beata typographia com as
iniciae- H. C.
(apilan Jom Rodupianu d0
Sanio
Columba Emilia da Silva Santos, Jos Rodo
piano dos Santos Filho, Maria do Carmo da Ro-
cha Santos. Dt-lmira Escella dos Santos Ramos,
Alcides Aguello dos Santos, Anna Rosa dos San-
tos. Eladio Xavier Ramos e vigario Augusto
Franklin Moreira da Silva, pungidos do inais
doloroso sentimerrto pela morle de seu pre-
sado marido, pai, sogro e cunhado Jos Rodo
piano dos Santos, agradecem a todas aspessoas,
que se dignaram acompaubar ate o cemilerio os
seus restos mortaes, e convidara novaraente a
todos os seus paren tes e amigos e aos do tinado
para assistirem as missas que se tora de celebrar
na matriz da Boa-Vista, quarta teira 25 do cor
rente s 8 horas da manb, septimo dia do seu
fallecimento.
Anlecipam o seu reconheciment por esse
acto de religio e earidade.

Criad
a
Precisa se de urna rapariga asacada e de bom
coraportaraento, para Casa de familia; a tratar
na prajajiHndependeneia n. 14.
a para alujar
Terrea, fresca, com r.gna, roa do Paysanda
pa*s;iiulo i po:rtn do Chora menino) nvlt ; a
tratar na mesan ra n. 19.
Jo&o l'ereira du Brl(<*
Patricia Pereira de Brito, Manoel Pereira de
Brilo, Antonio Pereira de Brito LnurindoPirei
ra de Brito, Joaquim Pereira de brito. Fguacio
Pereira de Brilo, Miguel Pereira de Brito, Pedro
Pereira de Brilo, Antoulo atyro de Lima, Jos
Pereira de Brito, Mari?. Pereira de Brito. Cecilia
Pereira de Brito e Senhorinho Pereira de Brito,
viuva e seus filhos, pai, irjaaos cunhados e cu
nOadas do fallecido Joo Pereira de Brito, agra-
decem do intimo Taima a todas as pessoas que
acompanharam os restos mortaes de seu sempre
prantiado esposo, filho, inno, pai e cunhado
sua ultima morada, e de novo convidam a assis
tirem a raissa que pelo repouso eterno de sua
alma mandara celebrar no da i do crrenle,
s 7 horas da raanh, na matriz da Boa-Vista,
stimo dia de seu passamento, por cujo acto de
religio e earidade se confessam eternamente
agradecidos.
mmmmmBtmk
Sement de
carrapato
Comprarse -in grandes e pequeas quaotida
des no armazem de mereearia de Gomes Al
ves & C, ra Vidal de Negreiros n. 56, antigo
paleo do Tcrgo.
\
Va*- nifrcio
Offerece--e um rapaz para caixeiro, com pra-
tica de m )IhadS de firosso e.relalho, e deseos
volve-se era fazendas e miudezas, nara esta Pra-
ga ou para qnalque." loca! pnvincia,
dando dador te sua con.lucla se preciso for :
quem pn-temler dirija se praga do Conde D'Eu
n. 8, taverna
F.
GK#ftga
Alnga-se a casa aniorella s-ta no Ambol .' !
raiar na me-ma i
X (Ja G. i;
Pede se a este Sr. que venha restituir a cont
que receben para ser entregue.
(ieneros italianos
Vcrrnouth de Torin i.
iM'i-ue! Ufanea (rerdadriro).
Manleign (em l-:t
Azeile doce, I." qualidade.
Moriadella de Bolonha.
Anisidte (licor).
Qjeijos, parmejano e retgiano. ele, etc.
Ra do.Bom Jess n. 61
Mmin Joaquina Ralliinn Caml-
iilia
Coronel Guilherme Perfira de Azevedo e sua
familia convidara aos seus parentes e amigos
para assistirem a missa do elimo dia que man
dara rezar quinta feira 26 do correnle, s 8 ho
ras da raanh, na igreja da Soledad*, por alma
de sua prezada sogra Maria Joanna Balbina Ca-
minha, pelo que se confessam summamente
gratos.
REMEDIO DO DR. AYER
OONTOA
AS SEZSES OU MALEITAS.
O BE>tEDio do Dr. Ayer, descoberte
vegetal que nao contera a qntna netn o
arsnico, nem to ponco outro ingrediente
nocivo, 6 um remedio iufallivel e prompto
para toda a qualidade de febres intermit-
iente on maleitas. Sena effeitos sao per-
manentes e cortos c nenhum mal abso-
lutamente pode advir do eo emprego.
Da mesma forma torna-se o melhor
remedio posslvel para todas aquellas
doencas que provm dos effeitos. dos
miasmas, que se desenvolvem nos lugares,
pantanosos e infectados, e que geralmente
caracterisao-se pelas affecc5es do
flg-ado e do baco.
O Remedio de Aykr curar sempre,
roesmo nos casos peiores, toda a vez que
fr empregado convenientemente e se-
gundo as direccSes.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYiR & CA.,
I-ovceU. Mass.. Est.-Uuidos.
AZULE,')S
Para frentes de casas, cor-
redores, banhei ros, cozinhas.
acollones, etc.
Devalorde 100$000omi-
Iheiro a 54#000.
Rii do Bar' da Victoria n. 41
PreC!:a-se de urna ama para cozinhar ra de
Pedro Alfonso n. 70.________________________
Ama
P..ra coslnhar, precisa se na ra Velba nume-
ro 137. _______________
,Ai,ia
Precisa se de urna ama para cosinhar e com-
prar para pequea familia ; a tratar na ra Di-
reita n. 64. i- andar
Para corinhar
No 3." andar do predio n. 42 da rn
Duque de Casias, por cima do Diario de
Pernambuco, precisase de urna ama qn
saiba cozinhar bcm.
Ao
commercio
Declaro a quem interessar possa, qt:e compret
ios Srs. Jos Joaquim & C. a taverna n. 214-
ua Vidal de NegreiTjs, vre e desembaragada-
e lodo e qualquer onus.
jfc Carlos da Silra Ribeiro.
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar ; na ra
da Matriz Ja B>a Vista n. 28, 2- andar.
Ama
Precisase de uina ama que cosioh" nem. par
casa de familia u tratar n> rna do hospicio
numero 4'.
Ama
Precisa-se de'urna ama para coaiafaar
tama ra dos Guirarapes n. 88.
a ira
uga-se
urna casa cora commodos p ra familia, caiada e
pintada de novo, per'o do sobrado grande (l'as-
sa^em) ; as chaves
Teiiiiho, no hotel.
Ama e criada
Precisa se de urna ama para cosinhar e de-
una menina ou mocinha para servico domesti-
co ; na ra Biro da Victoria n. 46, primeir
indar. *
Especialidades
DA LO JA DA RA DA IMPEBATRiZ N. 80
lucos espelhos dourados oves para sala
a 500 00.
'ionitos candieiros smericanos para salSo
a 4C"#0(K>.
Dit(? menores a 15(5000.
Bteefe cortinados de crochet, grandes, par
camas a 30^000.
Cortinados de cSres, phsntasia, para ja-
nell?., metro a 1^800.
Ricas bandejas esmaltadas de madreperola-
terno 184O0O.
Lindas cambraias arrendadas, finas, par
vestidos.
Candieiros de p, inexplosivos, de Bcrlim^
Especial oleo high-Iife para o cabello-
frasco 10000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dou
posppntos a 12<000. *
Sapatos para casa, especiaes para doent
OOrs.
Flores artificiaes.
JvlSes pret'T com vidrilhos, presos senr
competencia.
LSs de quadros, covado 60 rs.
Etamines de 12, duas larguras, covado
10500.
Grande sortimento de perfumaras, miu-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL& C
INSTANTNEA
(MARCA R:i.lSM!llt\|
Tinla de copiar s; ni prensa
52Ra do Amorim52
BSNATY RODRIGUES & G.a
Esia raaravilhosa tinta de copiar a MAIS
TIL descoberia americana, Impreaelndivet
a (oda* aw poNsoan que enereveat -
que, sem uso da classica e tradicional prensa
#C copiar, deoejam (unrilar copla nJ-
lida. inaiianive de aeunt Iraballia
manuMcriploM.
A ixsta^taxea o mais prcmplo auxi-
liar material para a Correupondrnria Com-
mercial ou particular, porque simpiiticando
trabalbo dimmue-lhe ten'po: oescripturariona
neessita sahir da sua carleira ou mesa para le-
var o mnnucripto prensa de copiar, retiral-o
da mesma, voliar carteira. etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da INSTANT-
NEA para a su escripturacao do Diario, Caixa,
Contas Torrentes, Facturas, Contas de Vendas,
Precos Correales, etc., podem obter duplcate
auilienlica, d'esses livros em papel de seda.
A instantnea depois de dar copia
comera se inalteral, preta fixa nao s no origi-
nal como na copia.
A INSTANTNEA nao oxida absolutamen-
te as peonas, assim como nao demanda peni
pan ver esln cm casa lo I especial para com ella escrever se.
Aluga-se'
a casa terrea da ra CoroiH Suassuna (outr'ora
ra Augusta) o. 198. com soto interno, caiada
e pintada de novo ; a tratar no largo do Corpo
Santo n. 4, 1- andar.
luga-se
:*
I
Bernardino de Souaa luari-
A directora da'sociedade OoiSo i.oramercial
Benecente dos Mercieiros manda retar urna
artesa na terga-feira 24 do corrente, s 7 horas
da raanh, na igreja de S. Francisco, por alma
de seu consocio, ex seerelario liernarno de
Souza Duarje, fallecido na ilba da Madeira no
da 12 de Agosto prximo passado, e para as-
sistir a este acto de religio e earidade, convida
aos nossos consocios, prenles e amigos do fi-
nado, pe>o que desde j se confesa agrade-
Secretaria da directora. 20 de Setembro de
1889.0 1- secretario,
Joaquim Maia
casas ra Luiz Reg n. 47-A, Caminho Novo
n. 139-B ; a tralar na mesma ra, padaria Ber-
nardino Campos.
Repblica
' Aiuga.se b;.rato a c;.ea n. 9 ra do Hospita
Pedio ., no lugar dos Cnelhos, caiada e pinta
da de novo, com inuitos commoJos emuito fres-
ca, vista magnifica e banhos salgados na porta ;
a tratar no m -smo lugar com Joaquim Morei-a
Res.
Alugue barato
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. '-8 e 60.
Ra Visionde de Iiaparica n. 43, armatem
Largo do Mercado loja n. 11,
Becco do Campello n. 1, Io andar.
Visconde de Goyanna n. 167, com agua e gaz.
Loja do sobrad do becco do Calabouco a. 4.
A tratar ra do Coinmercio n. o, i auUa.
escriptorio de Silva (uimares & C.
Com m esponja, ou pmcel embebido n'agua, ha
medece ?e ligeiranpnte o papel de seda proprio
para copiar, e enxullo com qualquer mata-bor-
ro, colloca-se o uianuscripto em baixo do papel
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se
mo rapidanif nte em todas as direegoes, e a co-
pia admiravel ; ntida, INSTANTNEA.
Tambera d copia, correcta, sem molharop^pel
de seda
Um frasco.
Precos de venda a dinheiro
VICTORIA
! ffl*
i
r
ttenc
^_:
t
t
Quarenta por cento
Pechincha sem igual
nde-se a loj i da tonca i-ua da Imperatrit
de qua-
dirija-ss
V
n. i3, dandi ctor o abate
reni. par cento ; a pesso.; que quizar
A mesm.
Est para alugar
a ca^a as=obradada da ra Joaquim Nabui
22 (Capunja) nitrito fresca, com agua, gas,
quintal, e todos os commodos para grande L,
lia. a mesma dir-se ha com quem se trate.
Bernardino de Soasa IHiarl-
Antonio de Souza Duaite Ferreira, Domingos
es C-irreiu e Arlliur l >n-;alves Macaos, ir
o-e a-iiia-'S de Beiuardino de Suosa Duarte,
fallecido na IIha da Madeira, convidam aos pa-
reores e aos derrrais amigos do pranteado finado
para assisiirm as missas que se Idm de renar
terca feira i do correte, s 7 lloran, na igreja
de S. Francisco. 40. dia d" u.o infausto
ment. Para o mesmo fim convidam as a
irmaodades s quaes pertenca o tinado,
qunsecofessara a lo .'os_eternamente gra-
ir este acto de earidade. _________
f
. FranclNca de Paula de Van-
conrello e Carvalho
naci Ferreira Serrano e seus filhos man-
orar uraa missa na matriz da Boa-Vista
repouso etern) d'alraa de sua prezada mu
e mi Francisca de Paula de Vascnncellos e
s 7 horas da ratinM do dia 24 do
trigsimo da do seu passamento ; e
ira aos parentes e amigos para assistirem
[acto de rel
O grande e iinrortante estabelecimento df
Popas Mendos A C, silo ra estreita do Rosa
rio n. 9, c.ti^'uo a igreja, acaba de ree ene
urna grande remessa do acreditado e ctpecial
Vinho Maduro
O nico que, sem a mnima confeepo, e iu.-
portado nesie mercado, e s se vende no referi-
do estabeleiimento. Este precioso nctar se
tonta cada vea mala procurado aqu. Quicen
saber porque ? Vnjam : o vinho Maduro se
comoe,' feito utamente da uva madura, ten-
as se^uitites vamagens que as outras qualidade.-
ile vinho nfio leni; facilita sem a icnor pertur
bapo a? digesrfjes d i estomago, anda mesme
o mais enfraquecido, dando-lhe vijor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas delimitadas, ed brcat
que as liwr arruina.las pelo uso de bebida
viciadas.
Recebemos tambera
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, CBjpt
liropri Marios capricharn em bem Irab Ihar nestf
artigo, afim de terem a primazia sobre tan'o>
outros similares, cuja composicio ( duvidosa.
Bul outros artigos como sementes de km tato
e flores, linguas seceos do Rto Grande, objectos dt
rime f t -imtr.cos Jo I orto para hooicns e senho.
ras, pa-a sto rfto p: :;co tanoa cnrr;;'clidor.
tiossa casa especialista, e as'peseoas que diste
i'odem comp i ucM
o qu urna mliof
dade de anlgos de piim-iru ordem, que achato
se em exposirao, acresce a amenidade do trate
com que roa tratar todos os qne*no
honra ato a modicidade
de pregrij sem rival.
Ba enirclin do Ronarlo n. 1?. jum
f^reja
Po^as Mendes&C.
Campan ha Ab?)licio-
nista
Sao Ci nvidadas todas as pessoas que se
garein com direito medalha commeraora
desse campanil parecerein at o dia.15.'
d corrente (qu I, na praca da Inde|
denca n. li
ro andar, das 2 s 4 da tarde.
Especial tinla, sarrafas a 800 re%. meias ditas,
a 500 ris.
.ttenc,o
Aluga-fe urna casa propria para estabeleei-
niento, com ariii3ca, em um dos nulbores'pon-
tos da freguexia de Afogados. a qual acaba de
(asear por urna grande reclificaco ; a tratar na
pateo da Paz n. 96.
Cosinheiro
Preclsa-se de um cosinheiro ; a tratar na na
de Paysand n. 19 (Passagem da Magdalena).
DE
JAGU ARIBE
a 4$> a barrica
com o abate d* 10 0\* em porches mais de
10 barricas.
A RA
DO BOM JESS N. 23
Mofina
Francisco Rapozo Falcao empreado do Cor-
reio venha restituir os movis ou o alugel
d'estes visto j fater 9 annesj
lAIS OE OrOOOMS
f
X0ST8
DORES
E DeDENTES
PBKPAHADO UMICAMSTE
POE CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroieo contra os rheuma-
.itn^a, incha$o2s, dores aciat'cas, nevral-
dormencia, ete., empregi do-se ex
i'-mentayoes sobre os lugares alectadea.
Cura o beri-bori, as paralysias e as doras
de dentes.
Todos os frascos levam direceSes para
uso d'este uedicamoato admiravel.
Preco 1(5200. Descont da urna dusa
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. ras
Mrquez de Olinda n.23
iiaalelhK do lale e Soeorn
jpra-se can'ellas do Monte de Soccorro ds
qualquer joia, brilhaotes e relogios; pa^ra-ss
dependencia n. 11, loja i*
I
*KA
i

1

\r*



I
f

T
,

*
.
V

i
i
1
jJiaro Je Pi-r/ttabucoTerga-feira 24 >ta Sete ; bro de 188
A NOTRE D
^i t pi
Os proprietarios (leste novo stabelecimento pr^vinem s
Exmas. familias, e ao respeitavel publico, que acabam de receber
um grande e variado sortimento de novidades do melhor g-osto
parisiense, que sero, em vista.do estado favorave! do cambio, ven-
didas por preeos excepcionaes.
Todos os dias das 8 horas da manh s 8 da noite.
Qual hoje a melhor cousa do Brazil?
Constantino tic ti Brrelo
Com r a comparecer rua
do Bom Jess n. 23, para prestar coritas da>
cobranzas que fez no termo de Agua Pret, em
Margo prximo paasado.


EITORAL
GAMBARA'
V
E POR QUE ?
respiratorio: tosse de qualquer especie, coryza,
sabor, quadades que o tornara
Porque cura de urna forma rpida e radical as molestias do apparelho
rouquidao, astbma, bronchite, coqueluche, laryngite, tsica pulmonar, etc.
Alm d'isso, o Petoral de Cmbara de urna appaienoia agradavel e delicioso
um remedio preferido para as criabas, senhoras e todas as pessoas de palladar delicado,
Est approvado pela Exma. Juuta Central de Hygiene Publica, auctorisado por decreto imperial, premiado com duas me-
dallias de ouro de Ia classe, rodeado^dos melhores attestadus mdicos, de in umeros certificados de curas importantes realisada*
*m'*""P o: PETORAL de cambarais^ remedio garantido
For isso, precisa ha^er todo o cuidado com as falsificares c imitacSes : o verdadeiro que fabricado no grande estabe-
lecimento ngrico-industrial do PARQUE POLOTENSE, expressamente creado para esse effero, em Pelotas, provitcia do Rio
Grande do Sol, traz, alm da marca da fabrica, a firma de sed autor e manipuladorti. Alvares de ttOtiza Moars.
Vndese em todas s pl.arii.ac.as c drogaras
Presos: frascos 2|500, 1[2 duzia 13$O00 e duzia 24#000.
SAO AGENTES E DEPOSITARIOS GKH A ES
SILVA, GOMES <& G.
DROGUISTAS DA CASA IMPERIAL
RA S. PEDRO-22 E 24
IAS OF.
-'. -V
.... -...... .
-.'. f
-;
Ao clero
O culto cutholii'o com soiemnidadf sem minis-
tros sagrados, pelo hispo d'Angra, \ vol. 5*000.
Com este iivro ficam habilitados os reverendos
vigarios e curas capelles a celebrarem em suas
igrejas, por mui pobres que sajam, as principaes
festividades se mo com pompa, com simplicida-
de attrahente. Vendem Ramiro M. Costa 4 C.,
na livraria Contempornea, ra I- de Margo nu-
mero 2.
Jf Q melhur tentltrlcio
m
J
ampregada cota
Odontalina
Fl KfllM, HHUOEIM Cinill ti NCCt
paul num
1 en i o a honra de participar o respei-
tavel publico e especialmente aosmeus fre-
^uezes, que mudei a alfaiataria da ra da
Emperatriz para a do Baro da Victoria n. 50,
onde Com mu ta satisfaco espero suas or-
dens.
Boa V-
j<&*
agem
Aluga-sc urna casa de construccao moderna e
l>era asseiada, rom bstanles commodos e mo
buhada, sitio murado e bem arborizado, com
porlao de ferro, e siluada Da mellior localidude
da mencionada povoacao ; a tratar no 'argo do
Corpo Santo n. 4, 1 andar.
Profe-sora d
Una senhora pe feiturcente iiamntada e com
prutica de en.-inn offerecc s Exmas. familia?
os seus servicos como pianif la : pode *er pro
curada 4 ra do Queimado n. 74.
e piano
habilitada
Indispensavel em toda a classe de vi vendas

PARA
Familias, hospitaea, lavadein.s. hoteis, administracoes, etc., etc., a NOVA MA-
CHINA AMERICANA AUTI10MATICA para lavara roupa branca.
Preco franco de porte e alfandega 40 francos
sfc-J Garantida por 5 annos como solidez e funecionamento perfeito.
Grande diploma de honra de Pariz, 1888. Exposico Universal de Pariz, classe 51
A machina americana authomatica para lavar a roupa branca adapta se a qual-
quer forno em tres ps e se aquece com qualquer combustivel. ,'om meio arratal
s de sabSo se lavara em urna hora 80 pegas de roupa de todo o genero, ficaoxU
branca como a nev, sem esfngacSo nem ingredientos nocivos. Sobre pedido pros-
pectos franco. nica casa
22, ru d'Armaill Richard Sehneldcr 22, ru d'Armaill
i'AKiz Inventare fabricante P4mz
No anno de 1888 venderam-se em Franca e no estrangeiro 86,859 machinas (com
certificados;
MEDALHAS DE OURO, PRATA E BRONZE
Pedem-se representantes, depositarios, gerentes, podendo dispSr umi garanta. (2248)
MEIO-SEGLO DE XITO 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
Rl
ALCOOL
HORTELtTpilENTA
RECOMMENDADO
pelos mais Afamados Mdicos
I'A.'.A CU HA a \s
Indige.Hoes,
Dores de Estomago,
do GoracSo, dos ervos,
da Cabaca, te.
INDISPENSAVEL
durante a esla(o calmosa
EXCELLENTE
TAUDE TARA A
Toilette e os Dentes
Grande Preservativo nos lempos de Epidemia
Fabrica em LYON, 9, cours d'Herbouville. #\vvS\*vS\^s-.ff>' Casa em PARS, 41, ra Richer.
EXIGIR 0 NOME OE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICACOES
EeposlUs tu Pemambttco : FHAJr U. i SILVA iC'-im todas ai Paarmaclas a Drtfariu acrelada.
20Ra 1. de Mar^o20
Bend.-x hnspanhola, todas as efires a 25000.
Cachemiras lisas, duas larguras, a liJOOO
o covado.
Cachemira de listras, Jdua larguras, a
a 1^000 o dito.
Fichs de 13 bordada a 1)5000 um.
Cambraia Victoria a 20800 a peca.
-Cambraia com salp:coa a 30800 a peja.
Caixas com lencos, para presentes, a
30000.
Lavas de seda a 20000 e 20500.
Flanellas de coree para camisas a 280 r.
O covado.
Colchas de cores a 20000 e 24500 urna.
Espartho c ura'.a a 40000 e 50000 um.
Camisas brancas a 20000 urna.
MadapolSo americano a 60000.
Toalhas para banlio a 10500 urna.
Camisas de flanella a 30500, 45 e 50000.
Extrato Ra Sangal a 20000 um.
Dito^ort-Veinc a 15500 um.
Velbutina preta a 7H) rs. o covado.
Alpaca branca a 400 rs. o diio.
Dita preta a 3'JO, 500 e 700 rs. o dito.
Panno da Costa para m- za.
Atoalhado bordado a 10000 o metro.
Gazes arrendada a 400 e 440 rs. o covado.
Lences de bramante a 108< 0 e 20000 um.
Cobertores escuros de la a 10700 um.
Toalhas para rosto a 305" 0 a dnzia.
Cortes de seda para collete a 50000 um.
Cortes de fustao para collete a 2050) um.
Baptsta de cores a 120 rs. o covado.
Merinos ce cores a 440 rs., duas larguras.
Etamine lisa a 500 rs. o corado.
Sa-'gelins, todas as cores a 203
covado.
Lencos trancos a 10200 e 10800 a duai*.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 130000 um.
Guarnicao de crochet a 70000 urna.
Merino prcto a 800, 10000 10200, 10400
10800 o covado.
Leiues transparentes a 20500 um.
Cortinado bordado 8 60500 o par.
Fustao de cor para roupo, a 800 rs. o
covado.
Bicos bran?os e de cores a 10800 e 20500
Colchas de fustio a 40000 urna.
Cietoiies a Derby Club a 240 e 280 rs.
o covado.
Fusto branco a 360 e 600 rs. o dito.
GMnalda para noiva a 70000 uina.
Collarinhos e punnos de celluloid.
^et>ns, todas as cores a 800 rs. ocovado.
lils amazonas a 400 rs o covado.
Palitots de seda palha a 80000 um.
Patots de alpaca preta a 40500 um.
Palitots de toile p rdo a'40500 um.
Palitots de alpaca de cor a 45500.
Ceroulas de bramante a 150000 a duzia. J
Pecas de csguio de algodo a 305'0.
Ghiardanapos de linho a 20200 a duzia.
Chambres para homem a 50000 e360OOO
Heias rio da Escocia a 10500 o par.
Brim pardo a 280, 880,400 e 500 rs. o err.
Cachemira de quadro a 280 rs. o dito.
Bramante dt linho e de algodSo.
M
m-u
44-4(1 UEMF M Mlb
Machinas a vapor.
Moendas.
Redas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
Para banhos saldados
Costume para senLora a 100000. ICosturaes para meninas a 50000.
Ditos i.ia iODicns 80000. | Boleas de pa ha para o mesmo fim. -
ESPECIALIDADES
Guarda p para senhora 100000. I (iua da-p pra bnmesi 60000.
Bicos cortes de caseraira para calcas. |Lindos c-rtes d casemira paia costnmes
Extratos, meias, entre-meios bi rdados, baleiae, aspas, 8abonetes,'collarinhos,
pnnhos, regatas, principe de Galles, cretones para cobertno e ouiros fhuitos artigos.
DiOse amostras sem penhor e manda-se b:var'quapsquer amostras em casa
das Kxiuas. f.uiiilias.
' CASA DE COMANLA
gornecedor de $$. %[%[.
o Imperador oo Brazil e o Re dos Belgas.
A VERUADE/FtA.
AGUA de BOTOT
* o nico Dentifrioio approvado
pela ACADEMIA de MEDICINA Di PARI8
0 melno? calmante contra as Dores de Dentes
Raoommandado especialmente com os POS da BOTOT oom Quina,
para os cuidados da bocea.
Sao. Roa St-Honore, Paria, m toda u bou Drogaras. Potaurau e Cabdlanirlu.
<
tNilCO DE SINOS B BRONZE
I
L C.
OleodeFigadodeBacalbau
do X>r X>TjrOO"CT15C
!odo-Ferruginoso de Quina e Casca dt Laianja amarga
liste medicamento fncil de tomar, nao provoca nruseas,
e de clieiro agradavel. Pela sua compoeifo, possue tcxks as
qualiades q'.ie Jhe p.rmittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, 13 AFFEC?S3 do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TVSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA. EoCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua accao multplice e
3 segura, da economa para OS doentes, os mdicos receitam-n'o
^ de preferencia qualquer outro medicamento similar.
3BTOBITO aURAI. :
PARS, 209, ua Saint Ocais, 209, PARS
aMM MI Tull. < I KIMUPAI PHAIIMACUS DO BN1VKR-0
DESCONFIAR DAS F A L. S I F I C A C C E 6 C IMITACOE8
DOENCASdo ESTOMAGO E
ASTRALGIA
digestOes
DI*FICEIS
Dyspepsia y^T^TyTT^^y^^T^^^r"^ Vmitos
Ptrda m M mW rl .4 WM Diarrha
d9 ^^^tefcJ^5Jy|J^a^H|aV^3Ba3l cnronlca
TNICO- DIOI rtVO com QUINA, COCA n *CPSINA
KM todos us hospitabs aWffillias da Oaro a Dtpommm i
ARW ORO. *, ra La traiin. a taaaa sa MtrsjMln
LUIZ )A CHLZ MES0IHT4
66rua do Baro do Triumpho6*6
em para vender o seguinte:
SSacbluas de cobre para fozer espirito de destillar e restallar.
Alitinbiques de cobre do anngo e novo systema com esqnenta g-."
Merpealijas de cobre e de estanhn.
Carapucas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Baillbas de tudas as quadades de repudios, aspirantes e continuas.
Toraelras de bronze e ruadeira de todos os tanianhos.
DaBOS de cobre, de chumbo e dp ferro.
Repartidclras. passadeims e escumadeiras de cobre e de ferro esanharit.
Cobre em lenr^o! e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
C'adinfaos patente e de lapis.
Mino de 1 libra at 110 arrobas.
*E niuitos outros objeetes
ENCARREOAM-SE de qua!q'.ie.r concert e obras de encommenda, gara:
tin presteza, perfeic&O e preces mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
v^*|H3 a praao on dinheiro com descont.
Em casa de todos os Perfumistas e Cabelleireiros
da Franca e do Extrangeiro

PREPARADO COM BISMUTHO
Perfumista
de la JPadjx:, 3, Jp-A-IRIS
OS MDICOS SUBSTITOLM COM XITO
S5"
o OLEO de FIGADO de BACALHO assim como o VINHOde QUINA
ELIXIR PUCHA
COM EXTRACTO DE FIGADO DE BACALHO COM QUINA E CACAO
Ente CRE3E de CACAO tu poderoso Mepuratint
um
e incoinptirnvel Corroborante.
ICADO : DCHAMP, 15, RU OE POITOU,
Depositarlos em Penutmbuco :
d SUVA A ".
PARS
Grageas Demazre
^pproYadas pela Inajpeotoria d.o Hygiene do Brazil
CASCARA SAGRADA WDURETOcFERRO CASCARA
Vardadeiro Remedio O mala activo dos Ferrugmomom
,onira a Prisio da Vaatra habitual. Nao prodoxindo a Primeo da Vantre.
Deposito ,f'si: ?minm a. Of nwjw. n. mm w*m, e
3a Ttii i mil.- va&ip it.
J^.S*
KBIAN
UBI
GRAXA LIQUIDA IMFERMEAVEL\
EMPRBQA-8B 8RM ESCOVAS
O magnifico LUSTRO d'esra jraia!
conservase durante urna semana,
aoja qual tr o tea>>o.
BAL MORAL GL0SS Gomma fuaVa elstica para ai Bcllinas das Senhoras.I
-. APPxacA-ti: =i;p-i escovas
PASTA UNCUOSA, em caixas de tolha da Oandrea, tai qiiai|
entregue ao Mxercito Ingle*.
Tur: Ku-aiAN MA^4u^a qfuf.F' i_*. bao. nos :< Lnt. LONoma
Agei.u-3 gerau ana PEiu. A.faL,CO : arraa-iji a
Cuimarc- a\ F. -mjn. Jfj Vafl-JHa* j$j feg '^1
Kl
RC: J-b!:iiSra fe ^4 I&^M^j
Curados psios CIGARROS ESPIC
Q-ppi'emuet 'Tustte J&efluvcos evrn/iftc
: iobmciaixm pf.l.. laii'nifuna de hygiilne do larFBnf do BajucrL
Aspiru-se a ruinaca que penotra 110 pelt, acalma o -;vstei!:i nervoso,
facilita a expectorado e faTorlsaas fiiDci'csaosorpos respiratorios.
Venda em atncado, J. ECPiC/CO, rua St-Lazare, em Pars. xijo-k ctta aastg*
K Hmimouee Fr..iNC- n. 02 SILVA i C, a sa raujia fauwvuu u. -
Ghpreto superior
meior que ha no mercado
2SOOO a libra
Carlos Sioden esta vendendo por e?Ie prefo
para liquidago de facturas.
Tem tambem um grande
sorlimento de camisas, colla-
rinhos, gravatas, meias, ca-
misas e seroulae de la e de
algodao, que vendem-se por
preeos sem competencia.
Rua do Baro da Vic-
toria
Alugam-se as seguintes
casas
Rangel 0. 73, 2-
Roa do Rangel n. 73, 2- andar, com boo.-
commo'ios, muilo fresco e perto do mercado ,
rua do Fogo n. 50, coffl duas salas muito boas, 3
quartos e cosinna lora ; rua da Roda n. 46, loja.
propria para pequea ainilia : a tratar na rua
do Cabug n. 16A Venturosa.
aOt ftra. VBOrHIETAXtOS de AV-AX-tOB
UNGENTO STEYENS
O u;. lir.-v? a canterlsai;3o dos cavaUos
peloio^o. i-jst m'ira tlhso prei*railo o nico
rerueuio vcri;i l,:irauie ite oitlcaz para curar t..Jas
e in L-qiu'r Aliecef! A" fran u *"". ftlrinsiiei la
|ir(anu o Dulacaret ii Uto a MkTtU. *0 auno* de
ptimo e continuo xito em todas aa cor-
pfriaa, hars >, 9 nos principa** etablecl-
mcutos to cavall.-M em Inglaterra a Bnropa.
Nunca dcia nodos ali,uma. W mlster experi
ni' na lo para flear convencido da s^'u valor.
Vendes? cm cnij-'iA com af comprten'es maicticaei
pni-a o tru cn\i Uaaaawaia prr-parido por h. B. bTEvr.'.'S m dico-iaaaniaata
, Pal '.asa. L> d--: [loglatarrai
staiuunw ea s-aamnjo (M M. ii saviliir
Hotel doMastro
Estabeleciraento montado com todo asseio a
cemmodos pard os viajantes, como seja: boa
dormida, bom tratamento, e cocheira para o>
animaes que o frejuea levar, existente na Russi
nhu junto a pst.agao, para o qual chamamos a
atli-nc- do publico.
uaaAaAAaAi
} ANEMI
EMPOBREC
A, CHLOROSE
MENT DOSANGUE
LX
CORES PALLIOAS. COVALESCaigA
_ dos Hospliaes Se Pars
< MINIE DIPLO U da H0HR*,L ^ GOTTAS Concentradas
Mal wonomica,'!iirmni I me-
JVINHC ROBN
A Toni-Zlu.ritiYO flCOU-
. titutnlt
4 GRAGEAS ROBN
Matohlt .
iris. Hlr
Bir '
BrumhiS U?4fi
aalo
err... p
aaah>iiiavoi,.t
a-,
prC t-MV- .
tamenCo f.

nhnar Odre 4m tomaao ca
eoneilpa^o (iiAo -o enire).
ral: P** B0fiH, BOVffM (*"'
AVISO
Oabaixo assignado, propnetario da i'abrycaa
vapor, de leos vegelaes, sita rua da Aurera b
163. avisa aos seus amigos e freguezs, que fer-
cad.;> pelo enorme aeresimo de prego e escassei
da materia prima para o fabrico do oleo
lainparinas. tem resolvido de hora em di|
at segundo aviso, retirar o descont que o
tribuidos no tnez de Agosto do corrale anno.
Recife, 15 de Setrmbro de 1889.
Jos Gomes de Amorim.
Assucar
da usina into
26, pequen
Vende se na rua da Imperalriz u
armazem.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira para casa de pe-
quea familia ; a tratar na rua Duque de Ca-
sias n. 77-A, loja.
Cal de Lisboa
a
'f*?
rnu- *. asav- *C"
Vendtm Lopes & Araujo
Rua do Livramento
n. 38._______
. Cimba Carneiro &C. mn-
daran o seu escriptorio da.
.travs? do Corpo Santo,
n. 23, para a rua Alan juez de
Olinda (antiga da Cadeia)
n. 36, 1. andar.


"'"rfJT*
iari de PernambueoTer ?ra 24 VENDAS
Vende-se o deposito da rna da Detencao n.
I a tratar no menino o Sr?. Silva Mar-
ques & C -'a n 2 A- iSUSi
Vende se uin I Q solo proprio, cora
nlmos de largura e 120 palmos de fundo.
contendrduus meias asnas 60DD.28 6, pitas
ruado Principe, da fregueeia da Boa Vista, cora
neiagaono oaoemuro. rondendo mensalmente
dealuguol a qaantia de USfQQ ; :|iirm preten-
der dirjase a ra Barreta Mi-necee n. I arma-
zn! de rumos, onde ai-har cora quera tratar.
A Loja das Listras Azues
Est vendendo falencias muito baratas
Gom descont
a quem comprar de 205000 para cima.
B VENDE PfcLOS SEGl'INTES PRE9OS :
Madapolo lavado cora um metro
de largura a 63800 a peca,
Horiiu das Lustra Azues com
20 varas, a 6)3000, a peca.
Chitas percales finas, cores seguras a
130 e 200 rs.
Cassas de urna s cor a 100 e 120 rs.
com palmmbis.
Lanzlnhas do quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de liuhos com 16 1/2 co-
vdos, tecido phantasia, a 40000
Bordados finos com 3 metros a
500 ra.
Blcos braucos a 600 rs., a pega
com 9 metros.
Sargellni diagonal, todas as cores,
a 180 e '{X' rs.
Crinolina de cores para vestidos a
360 rs. o metro.
JLiavas ele seda, lisas e bordadas a 1?).
Lequcs transparentes lindas corc3, a
34000.
Cirinalrias com veos para noiva a
74000.
Metint de Maco branco, e de todas
a3 core:- a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janlla a 60000.
Fich? pcmlas* a 800 rs.
Lencos de seda a t>uC rs.
E multas fazendas que se vende por
qualquer prego.
Troca-se a fazenda vendida se nao for
de muito agrado para quera fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Surpms agradavl
IM RETRATO.
Que se offerece a um amigo no dia do
seu anniversario _
De 2;>$000 al 100$000
Obtem se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura
em alto relevo,
Grande novitlade
48--Ra Ruque de Casias4S
Tendo recebido um grande e variado
sortimento de faiendas resolveu vender
por menos 30 /0 do que em outra qual
quer parte, como seja
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gara a 6000 a pega.
AlgodSozinho muito largo a 45 a 55000 a
pega.
hitas cretones, modernas, a 200, 240,
280 e 320 o corado,
Zephir de quadrot, padrUes modernos, a
120, 150 e 200 rs. o corado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 ra.
o covado.
Atealhado c>m fl5ros a 10000 o metro.
Brisa pardo transado para roupa de ho-
mem a 500 rs. metro.
Dito de cor e fustao a 500 c 600 rs. o co-
vado.
Dito de linho para caiga de 45000 a vara
por 25500.
Casimira preta e de cor para costumes a
16200 e 25000 o covado.
Cortes de fustao para colleto a 500 rs.
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 25000
um.
Camisas brancas para homem a 25000
urna.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
200 urna.
Oolohas adamascadas de 25000, 35000,
45000 e 55000 urna.
Cobertas forradas para casal a 25:>00 e
25800 urna.
Lenc-il de bramante com urna largura a
15800 urna.
Cortinados bordados para cama a 65000 o
par.
Pannos de crochet para cadeiraa a 500 re.
um.
Cobertores brancos de 13 com pequeos
defeito a 25000 um.
Cortes bordados pira vestidos, ultima mo-
da, a 80000, 95000, 103 e 125000 um.
Lindas las com listras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
vado.
Lindos fichas de retroz, prateado e dou-
rades a 15000, 15500 e 25000 um.
Luvas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 15000, 15500 e 25000 o par.
Oascoa de Jersey para senhora, borda-
dos, o 65000 um.
Costumes de Jersey para criangas do 4 a
5 annos a 75000 um.
Cachenez para homem e senhora a 15500
n 25000 um.
Bicos brancos e do c3res a 15800 e 25000
PECHIMHiS!!!
com
24
a 280 ra.
fina dourada
e com cerdoes de la e
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
da America
POR FRB. PLATT
Qualquer familia que desojar um per-
feito retrato, 6 bastante mandar um pe-
queo retrato em cartao de visita, nao im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhoa e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ouala do visita.
Os retratos de Fred. Platt
Esto c&postGs ao publico na
AGENCIA GERAL
Loja dos Listras Aznes
Hl'A DUQUE DE CAXIAS N. 61
Para aa Exmas. familias verem o quanto
sao lindos, c muito fcil fiazer encommenda.
aUALQUER ENCOMMENDA
Por maior que seja se aprompta em me
nos de 90 diaa, c restitue se a importan-
cia rebebida, so nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
traa provincias devem dirigir aeus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
PERIAHBICO
Libras sterlmas
Vende-se libras sterlinas ; na ra de Com-
uercio, armazem n..
a pega.
Saias bordadas para senhora a 35000 urna.
Renda hespanhola com um metro de lar-
gura a 25000 o covado.
Bordados e entre-rneios a 500, 600, 700 e
800 rs. a pega.
Grinaldas com veo de seda a 85000 urna.
Collarinhos e punhos de borracha, a 15800
o par.
Lengos de linho, especialdade, a 25000,
35000 e 45000 a duzia.
Ditos de seda com a exposigSo de Pars a
500 rs. nm.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 re. um.
\jindas mantas e gravatas de todas as qua-
lidadea do 500 a 25000.
Espartilhos de couragas a 45000, 55000 e
65000 um.
Collarinhos e punhos de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de salpicos a 45000 a pega.
E muito outros artigos que s com a
vista, assim como roupa por medida em
sua officina, para istotem peritos officiaes.
S na Revoluto
A ra Ruque de Caitas n. 4 8
HENRIQUE DA SILVA MORELRA_
Cofres de ferro .
Carlo3 Sifiden tem para vender cofres de su
perior qnalidade. roais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Baroda Victoria n. 48
Taverna
Vende-s< ou aluga se com armaoo a casa
Pombal n. 11, propna para principiante por ter
poucos fondo;", aluguel mdico ; trata-se com
Bernardino ampos, no Caminho Novo.
59-Raa Dnnae de t axlasS
Cassinetas de cC:-3s para roupaa. do meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias caaomiras pretas e de efires idora
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 ra. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 880 rs.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 169 e
200 re. o dito.
Porcalcs finas a 200 e 240 rs. o dite.
Atoa! hado bordado, quasi 2 metros d lar-
gura, a 15000 e 15200 o metro.
Braraautes, 4 larguras, superior a 800 ra.
e 15000 o dito,
dem de puro linho a 15600 o dito.
Riquissimas guarnigoes de crochets a 65 e
8*000.
Toalhas para mos a 15200, 35500 e
45000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 25500 e
35000 a dita.
Camisao superiores idem a 245 e 305000
a dita.
Seroulaa bordadas a 125000 e 180000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
e 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 45000.
Superiores algodSes da c6rte a 30000 e
35500.
MadapoISo americano a 6,5000,
jardas.
Flanella de cores para camisas
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
152U0 o dito.
Casomiraa de todas as qualidades a 15400
15800 e 25000 o dito.
Para as Exmas. noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 85000 e
145000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 85000
e 65000.
Bonitos cortinados bordados a 55500,
75500 e 85000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 15000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 15000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lengos de seda e de linho para 25800,
em lindas caixinhas.
Lenges de bramante a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 25500 e 25800 urna.
Colchas de cores a 25000 e 35000.
Tapetes para portas a 35500 e 50000-
Pannos ara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS
. Ricas toalhas de labyrintho de 305 a
355.
FustSes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cSres de todos os
pregos, cheviots, merinos, damascos para
pianne, cobertores, redes a 40000 urna, e
urna infinidade de artigos que ser&b lem-
brados na presenga dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIM & MAGALHAES
AO
55
Pede-se ao respeitavel publico que at-
tenda aos pref-os abaixo mencionados :
Setim da China, fazenda de phantasia,
alta nov;dade, a 210 rs.
Amor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 re.
Vestuarios jersey, ultimo costo, a 105
e 125000
Renda oriental a 500 ra. o covado.
Crotones para coberta, 500 rs. o covado.
Plumos do crochet, todos os tamanhos.
Hadr.polSo largo a 65060.
Fh.nea azul, muito lisa, a 15200 o co-
vado.
Fichs de phantasia a 10000.
Luvas de seda a 25000 e 35000 o par.
Guardanapos a 15600 a duzia.
Sargelins de qualquer cor a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, cousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria o transparente a 25800
a pega.
Cortinados bordados a 65000.
Flanellas para camisa a 32' ra. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
[Renda da China a "00 rs. o covado.
TustSes brai eos a 320, 400 e 500 ra.
Vestuarios para baptisados, o que ha de
- mais novo.
com collarinho,
A LOJA MAIS BABATEIfA
>/
'\
h
por
de setins lavrados a
FOLPSTIM
lll
f 1 I
POR
JIXI&S MLAKY
SEGUNDA PARTE
i mu es si j:s
(Continuagao do n. 2 15)
Entilo o medico nao pode vencer um
uovimente do impaciencia, e bruscamen-
te, com colera disse :
Senhora, quanto mais a observo,
mais me convengo que representa urna co-
media. Qaer passar por louca, posto o
nao seja. Nao engaar a pessoa algu-
na e comprehendeu-o t3o bem que tomou
a resolugao de nao responder quando a
iaterrogo. Desse modo est certa de n5o
cahir de ora avante em contradicgSes co-
no at agora tem aco.itecido...
Ella respondeu com voz fraca :
NSo estou louca. Aqui estou muito
bem. Porque me querem levar ?
Magnabat encolheu os hombros.
Disse duas palavras o em voz baixaaos
enfermeiros, que seguraram em Magdale-
na, mcrgulharam-n'a na bacia at que
ella tiyesse a agua altara dos hombros.
Os dous jactos d'agua, cahindo do tec-
to, tocaram-n'a de novo.
O supplicio recomegou.
Francisco, a meia voz murmurou :
E* horriuel !
Felizmente ninguem o ouvio.
Para os fesvaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidade em
pregos: bolo, pSo-de-It, gangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap.
bandeijas para casamentos e baptisados, etc.
Reeebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Farello superior
2S700 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;'
Caes d'Asserabla n. 24, garantindo-se 42 ki|o
gramolas cada sacco.
E' vender barato
7eijao a 14100 a cuia
Parinha a 5 0 rs. idem
Milho novo a 320 rs. idem
Dito velbo a 280 rs. idem
o nico que pode vender mais barato, no
largo do mercado n. 12, Gomes Ferrelra & C.
Successores.
A principio elle affastara os olhos, por-
que senta ir se a coragem.
O que soffria era medonho e dirigindo
seu olhar para qualquer outro ponto, es
perava vencer essa fraqueza.
Um gesto de Magnabat que estava in-
clinado sobre Magdalena, restituio-lhe t
presenga de espirito.
Nesse instante, aob a impressSo do jac
to de agua fria e do peso que o lengol
d'agua exercia sobre a respiragSo, Mag-
dalena agitara as raaos. Oa labios se en-
treabriram como so fossem deixar escapar
urna queixa, mas nem Magnabat nem
Francisco a* ouvio.
Nenhum gemido sahio dessa bocea, cu-
jos cantos crispados diziam bem as tortu-
ras maraes.
Parou a ducha.
Tomar duchas desde a manhS at
a noite por todo o teinpo era que simular
loucura, disse Magnabat. S tem, pois,
um caminho a tomar, confessar a sua
simulagSo e dar justiga as informagSes
que da senhora ella espera. Devo avisal-a
que esta nSo 8 a nica prova a que ser
submettida. Tenho a convicgSo que nao
resistir aos meios que vou empregar. So
a senhora nao tem culpa alguma da morte
de seu marido, n5o deve fingir urna lou-
cura, que nao a salva, pois que n5o cofre
nenhum perigo. Sa Ihe toca qualquer res-
ponsabilidado nesse crime, pode, confes-
sando-o, cessando esta terrivel comedia,
attrahir a indulgencia dos juizes. Renicta
bem no que eu disse e siga o conselho de
um homem que nc pode alimentar a idea
de prejudical-a e que; ao contrario, est
disposto a desculpaUa, se culpada ; a
protegel-a, a defendel-a, se o nao .
Magdalena nada disse.
Entilo, pela tercena vez, os dous jactos
d agua opprimiram-a'a com tanta violen-
cia que, sua cabega, deitada sobre o hom-
bro, oscillou da direita para a esquerda...
como se, bruscamente, se houvesse desta-
cado delle.
Oa mdicos notarara, que geralmente a
ducha acta promp tamente, com forga, as
aiienagojs mentaos com excitagao, em-
quanto que sua aegio lenta e obscura na
alienacao mental, com concentragao.
Ella .Tod'is tn >s immediatos :
o resfriamento na cabega, um choque na
caixa craneana e a difficuldade na respi-
ragao.
Essea eft'eitos, dizcm todos os alienis-
tas, se corabinam militas vezes e se tra-
dluzcm em urna sensag3o muito dolorosa ;
mas cm casos um pouco raros, cada um
delles modifica a seu modo os actos func-
cionaes do encephalo.
A ducha acta sobretudo moralmente,
imprimindo um sentimento de temor pela
dr e pela suffocagao que produz.
Foi ao temor, foi dr que Magdalena
cedeu ? Pouco (importa. Em corto mo-
mento ella nao pode mais conter-se e deu
um gemido...
Magnabat fez signal que paras em.
Os enermoiros retiraram a moga da ba-
cia.
Ella deixou-se escorregar entre suas
maos e cahip no soalho, onde ficou esten-
dida.
Entilo comegou singular interrogatorio,
sem objectivo, indo ao acaso, a que recor-
rem todos os mdicos alienistas em casos
taes.
Eram questoos bizarras, rpidas, suc-
cessivas, s qaaes Magdalena, responda
com voz abafada, tSo fraca que nao che-
gava aos ouvidos de Francisco, o qual se
conservava sentado.
Ha muito tempo que est aqui a se
nhora era estado de loucura ?
Nlo estou louca.
Tem familia, innaos, marido filhos ?
Tenho filhos.
Quantos ?
Muitos
Quanos ? repetio Magnabat com in-
sistencia.
Nao sei.
Em quo d:a da semana estamos ?
NSo estou louca.
Conhece Thomaz Lhoir ?
Ella calou-se.
O doutor continuou:
Qual foi a sua responsabihdade no
assassinate de seu marido ? Foi elle quem
teve a idea ou a senbora ?
Sim; prece-me que sim.
Em que data nasceu ?
O meu nascimento ?
Sim; qtie idade tem ?
Camisas francezas,
25000 !
Grande sortimento
150' 0 o covado.
Crinolines a 400 re. o metro.
Zefiros a 160 e 200 re. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
ra. o covado.
Cambraia suiesa, a 75000 a pega.
Cambraia com saipicoa brancos e de cores
a 45OOO a pega.
Babados c entremeios a 600, 800 e 15000
a pega.
Lengos de seda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combinago com listas de seda
a 15400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 re.
a vara.
Mantil as pretas a 45500.
Atoalhado, lindros padroes a 15 o metro.
Espartilhos com couraga a 45000, 55000 e
65000.
Colchas brancas c de cores a 25, 35000,
45000, 55000 e 65000.
Grande sortimento de fichs de cores para
todo prego.
Cassa baptista a 120 re. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 re., s so
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criangas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 15000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes do fustao para colete, alta novida-
de, a I5OOO.
Camisas de flanella franceza a 3^000 urna.
Brim de linho de cor a 500 e 600 re. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 re. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartSo, cousa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 85000.
Ditos de casemira de cor a 45000, 65000
e 8500 .
Alm~de outras umitas fazendas que
impossivel mencionar.
D-se amostras sem penhor 4 qualquer
pessoa.
S3 Ra Duque de Caxlas 53
Fernandes Azevedo & C.
PARZ N'AMBRIC
AZEVEDO, IBMaO A O.
16Ra.do B. da Victoria16
200 Tdepkons200
' Tendo recebido directamente da Euro;,
grande sortimento de fazendas e moda?
que ha do mais novo e pregos sem 002
potencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e -marin.
Renda preta, diversas qutiidades.
Etamines, pretos, de 12 e IS seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 1020
Crnoline preta e branca e 400.
Sargelim, todas aa cores, a 200 rs.
Bramante do linho a 15500, com
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15501.
Chachemiras com 2 larguras a 800 r*
Ditas de l'e seda 2 larguras a 1500*.
Madapolao trancado a 95000 a pega.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito B6a-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de IS e seda 15000.
Brina de linho cSies fixes a 600.
Espartilhos couraga a 40000 e 50O1X
Colchas de fustSo a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado
65000.
Toalhas de core3 para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 105O1.
Renda de la, preta, para quaresma.
Vano verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sai*
a 10000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama -
105000.
Chitas de cSres a 200 re.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
Guarcigocs, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para anfeite"
Grande sortimento de chapeos
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de efires.
TELEPHONE 200
cea
Superior yinho de l-
cobaa
O acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de reeeber urna nova remessa deste especial
vinho, escolbido propriamente pelo chefe desta
casa, lornando-se recommendado por ser poro
e de boa qualidade. Jos Fernandos Lima & C.
ra Bao da Victoria numero 3, Telephene323.
Vinte e seis annos.
Pois bem, calcule. Estamos cm
1873.
Magdalena calou-se.
Magnabat encolheu os hombros signifi-
cativamente.
. Nao foi em 1847 ?
Sim, em 1847.
Sabe 1er, escrever e contar?
Sei tudo isso.
Qual a effigie desta moeda ?
-7- NapoleSo III.
Ha quanto tempo foi assassinado seu
marido ?
Um silencio.
Magnabat voltou-se para seu collega
Hormais, e, mos.trando-0 louca, pergun-
tou de repente :
Conhece este senhor que nos escu-
ta ? A Bouchoux elle a vel-a a mido.
Sabe como elle se chamou e reconhe-
ce-o ?
Sim.
5- Diga o seu nome.
E' meu marido, disse ella com um
sorriso, levantando-se um pouco e olhan-
do para Francisco com os olhos sem exprs-
site.
NSo ; seu marido est morto...
Morto ; repetio ella admirada.
Deixou-se cahir, vencida pela fadiga.
Magnabat voltou carga, implacavel,
nao querendo deixar-lhe um s instante
de repouso,
Ha quanto tempo foi a Assumpgao
(dia da Gloria) ?
Ah a Assumpgao foi hontem.
Comeu hoje ?
Sim ; estou aqui muito bem.
O q Sopa, ovos, doces.
Era que mez se sega o feno ?
Era Julho.
Era que mez se faz a vindima ?
Em Julho tambera.
Sabe os dez mandamentos da lei de
Dous ? Pode dizer quaes sSo ?
Creio que sim.
Qual o primeiro mandamento ?
-*- Honrars a teu pai e a tua mSi,
para que vivas por muito tempo.
o segundo ?
- Adorars aum so Deus.
de
so
Pao centeio
Mfo & Biset, avisam ao respeitavel pubc,
que todas as tercas e sextaa-feira, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Rarral
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do Cabuga n. 11, avisam aos seus distiactos fre-
guezes c ao respeitavel publico que receberam
no>a remessa este especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e s6 se reta-
Iha em sea armazem.
Joaquim Christovo & C.
Telephone 447
A 'FLORIDA
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo coro
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodSo,
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com c sem vidrilho.
Rencia hespanhola. ,
(Mlarinhos para homem a 3000 e 40000
a duzia.
Bordados de camb aia tapada a 4C0 500*
6Q0 e SOOra. apega.
dem com 3 e 1[2 metros, do qualqus
orgura a 1200.
Lengos de linho em caixinhas a 30000
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques *transparentes de eaze
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractoa d
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 601
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crocbet para cama
120000, 170000 e 190000 o par, algum
de cores.
Ditos para anellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e 1
10000.
Ditos para sof a 20000.
Piastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 45000.
Capellas com veo para noiva a 60000
80000.
Lindos enxovacs baptisados a 80 100 e
120000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 40
50000.
Grinaldas e ramos de soda, o que ha da
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos o de cores a 25000 a peg*.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punho3 celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos c leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 re. o car*
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
10500. -
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 9 par.
Ditas de seda para creanga.a 10000.
Dita para moga a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lengos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabega e segura
chapeo.
Espartilhos para creanga a 40 o 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, propri*
para creanga.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 11 para homens e senhoras.
Linhas dourada par facer crochet.
Lindas fitus para facha a 20, 30 e 400CU
o metro.
Lindos loques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim
do papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarga,
Finas carteiras para algibeir de 10, 2fi,
3 e 35500 urna.
Royal Biend marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
fer vel ao cognac ou agurdente de caca,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melkores arma*
zens do molhados.
Pede Zlo.val Bleud marca Vlado,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BRX)WNS & C, agentes.
E o terceiro ?
N3o sers luxuoso.
E os outros ?
N3o comme.tters homicidio...
Se eu a.deixassc sahir desta casa
para onde iria?
Para Pariz.
-5- Com quem?
Ella mostrou Hormais.
Com elle, com meu marido.
O senhor um medico e nao seu
marido, Elle nao poderia acompanhal-a.
Ah .' excfamou a louca com os olhos
muito abortos.
I Soffreu muito ha pouco, quando as
torneiras* d'agua gelada estavam abertas
sobre a sua cabega ?
Ella fez um gesto negativo.
NSo teme ser exposta de novo & urna
ducha ?
Sim.
Cont enta"o.
Um, dous, tres, quatro, cinco...
Cont pelos dedos.
N3o, nao quero.
Porque ? '
Por que me faria mal.
Quantos dedos tem a senhora em
cada mao ?
Cinco.
E as duas mSos sommadas?
Cinco.
Qual o valor desta moeda ?
Dez sidos.
E d'esta outra ?
Vinte francos.
Porque assasshou seu marido ?
Eil-o... este...
Foi para ficar mais livre com Tho-
maz Lhoir,seu amante?
Sim, disse ella, bateado com a ca-
bega muitas vezes e olhando para Magna-
bat.
Vamos, cara mulherzinha, difise o
medico terminando, perde o sen tempo.
Quer tingir-se louca e engana-se em ca-
da palavra que diz: v se que ainda nSo
sabe satisfactoriamente o seu papel. Cesse
essa comedia, Sra. Gonssolin; quor ou
nSo?
Nao estou louca, disse Magdalena,
que deixou cahir a cabega sobre o b'-xeo,
Roa Duque de Caxias e. 103
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depcis das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas taurinas e d
trra, garante-sn a qualidade do leite._______
Taverna
Vende-se urna pequea taverna bem Icalita-
da, com poucos ruados, propria para princi-
piante, tem commolos para pequea familia:
para infonnages, ra da Concordia n. 163.
fechando os olhos para evitar o olhar
ameagador com que a persegua o sabio.
Esta primeira e cruel prova estava aca-
bada, Magdalena foi levantada para o seo
quarto.
A irmS de cardade foi chamada para
despil-a e pl-a na cama.
A moga estava to fraca que nSo pds
fazer movimento algum.
Demais, era -tempo que a deixassem.
Apenas foi deitada na cama, desfalle-
cen.
Magnabat, sahindo do hospital e toman-
do o braco de.seu collega, dizia :
Essa senhora dotada de energa
incrivel. Ella nao da-calvez lugar a sus-
peitas, confesso... entretanto julguei notar,
pela hesitagao de algumas respostas, como
que um trabalho de combinagSo, umavon-
tade intelligente e previdenfe- Fui batido
esta tard, mas conservo ainda assim du-
vidas.
E, como Francisco sacudia a cabeca
rindo e olhando-o sorrateiramente.
Ha exemplos de loucos fingidos que
simularam seis mezes, um anno mesmd,
com tanta e energa e muito mais talento
do que a Sra. Gonssolin, continuou Mag-
nabat, e comtudo alguns acabaram por
confessar.
E os outros ?
K*j_ Oh os outros, disse o medico enco-
mend os hombros, tornaram-sc realmen-
te loucos: foi a sua punigSo.
Francisco empallidecera.
VI
Sra. Gonsso-
provas, mas,
Durante o mez seguinte a
lin foi submettida a varias
com prometiera Magnabat a Francisco
Hormais, nao foram a principio emprega-
dos os meos dolorosos.
Nesse intervallo, Francisco conseguir
urna segunda vez fallarga Magdalena e a
prevonira de todas as tentativas que ia
fazer Magnabat.
Propuzera-lhe fugr. Quera auxilia!-
nessa e vas So.
Ella recusou.
(Continuarse-h)
Typ. ca Diario ra Da^ue de;Caxias n. Ul
v-v
(

r<



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWHJDE92Q_FNHH60 INGEST_TIME 2014-05-28T16:43:09Z PACKAGE AA00011611_19918
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES