Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19915


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV NUMERO 2W
PARA A CAPITAL K LtbAKEl O.VDE IVA SE PACA PORTE
Por tres meses adiantados. ........
Por seis ditos dem .........
Por nm anao dt;m ..........
Cada numero avulso, do mesmo dia.....
6*000
12*000
23<5000
0100
SEXTA-FEIRA 20 BE SETEMBRO DE 1889
PARA DIVIH E PORA DA PROVINCIA
Por sois meses adiantados ....
Por nove ditos dem......
Por nm anno dem.......
Cada numero avulso, de das anteriores
13,5500
20.1000
26*000
0100
.
DIARIO DE PERNAMBUGO
Tropredaxk de Marwel ffigufra de Faria 3%tycs'
TELEGRAMMAS
SSaVIBO PASTIC7LAB 23 DInSIO
BAHA, 19 de Setembro, 1 hora e
35 minutos da tarde.
Est eleito, era 1. escrutinio, pelo 11.
districto desta provincia, o Dr. Aristides
de Souza Spinola (L).
Consta que tambera est eleito pelo 13.
districto, o Dr. Jos de Aquino Tanajn-
ra(L).
RIO DE JANEIRO, 19 de Setembro, as
4 horas e 30 minutos da tarde.
A junta apuradora do 1. districto do
Paran expedio diploma ao Dr. Generoso
Marques dos Santos (L).
Foram soltos por habeas-corpus do
juiz de direito competente o pagador do
Banco do Brazil e o Sr. Lima, que tinbam
sido presos por complicidade nos cheques
alaos do mesmo Banco.
PARAHYBA, 19 de Setembro, s 5 ho-
ras da tarde.
Pelo 5. districto desta provincia fof
eleito o Dr. Prado Piuientel por 876 votos,
endo o Dr. Tarares 186.
A apuraclo dos votos da eleicao do
1. districto, feita hoje, deu este resul-
tado :
Dr. Gama e Mello 400
Dr. Anizio Cimba 342
Dr. Sergio 45
Dr. Albino Meira 24
A junta apuradora nao tomn conheci
ment das actas falsas.
Vao 2. escrutinio os dous primeiros.
NATAL, 19 de Setembro, s 5 horas e
f> minutos da tarde.
Seguio hoje para ahi o vapor coste iro.
Foram remettidos mais 20:000*000
para o sertSo e mais 1:500 saceos com Ca-
rinha. Destmam-se a fazer a eleiclo em
2. escrutinio, no 2. districto.
A Thesouraria de Fazenda suspen-
deu seus pagamentos por falta de dinheiro.
O rendimento da Alfandega passou a ser
(cito mensal mente.
O fin dessa medida fazer com que esse
rendimento sirva para aecudir cabala em
pro do Dr. Amaro Bezerra; para o que
m vez de ir para os cofres pblicos, vae
para irnos particulares.
Nao pode ser maior o escndalo !
PARS, 18 de Setembro.
Diversos engenheiros brazileiros, argen-
tinos e chilenos chegarara aqui, com o fim
de visitar a exposicao.
ROMA, 18 de Setembro.
0 Banco da cidade de Bari acaba de fal.
lir.
COPENHAGUE, 18 de Setembro.
Chegou hoje, aqui, o Gran-Duque Nico-
io.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
19 doetembro de 1889.
INSTRUCCO POPULAR
L LITTESATSA SSASILEISA
NOS
TEMPOS COLONIAKS
POB
A Lillcralnra Bramileira do sceulo
XVI no eomefo do XIX
ESBOZO HISTOBICO
(Cotinuacao)
D. Joao de Caslella acudi em soccorros da
sogra, e invadi Portugal com um poderoso
xercilo ; mas essa campanba desastrosa para
e castellanos terminou ptda famosa batalhade
Aljubarrula, a qual assegurou a corda ao Mestre
ie AvizJimais tarde inspirou ao immortal can-
tor dos fSziadas as seguintes estancias formosis-
simas do canto JV :
Deu sign?l a IrombetaCastelhana
Horrendo, fero, ingente, c temeroso :
Ouvi-o o monti; Artabro ; e Guadiana
Atraz tornou as ondas de medroso :
Ouvi-o o Douro, e a trra Transtagana :
Correu ao mar o Tejo duvidoso :
as mais, que o som terribil escutaram,
Aos peito? os nlhinho9 apertarara.
Quantos rosto all se vein sem edr,
Que ao coracao acode o sangue amigo ;
Que nos perigos grandes o temor
He maior muitas vezes que o perigo ;
E se o nao be, parece-o, que o furor
De offender, ou vencer o duro imigo,
Paz nao sentir que he porda grande e rara,
Dos mempros corporaes, da vida chara.
Comecase a travar a locarla guerra ;
De ambas partes se move a primeira ala ;
Huns leva a defenso da propria Ierra, *
Outros as esperancas de ganbal a ;
Logo o grande Pereira, em quem se encerra
Todo o valor, primeiro se assinala ;
Derriba e enrontra, e a trra em tim semea
Dos que a tanto desejam, sendo alhea.
J pelo espesso ar os estridentes
FarpOes, sellas, e varios tiros voam :
Debaixo dos ps duros dos ardentes
Cavallos, treme a trra, os valles soam ^
Espedacam-se as langas, c as frequeotes
Quedas co'as duras armas tudo atroam :
Becrescem os iraigos sobre a poaca
Gente da fero Nuno, que os apouca.
Eis all scus irmos contra elle vao :
(Casa feo c cruel) I Mas nao se espanta,
Que menos he querer matar o irmo,
Quem contra o Rei e a patria se alevanta :
Destes arrenegados muitos sao
No primeiro esquadro. que se adianta
Contra irmaos e prenles, (caso estranho !)
Quaes as guerras civis de Julio Magno,
O' tu Sertorio, nobre Corioliano,
Catilina, e vos outros dos antigos,
Que contra vossas patrias com profano
Coracao vos flzestes inimigos ;
Se l no reino escuro de Sumano
Receberdes gravissimos castigos,
Dizei Ihe que tambem dos portuguezes
Alguns traidores houve algumas vezes.
Rorapem-se aqui dos nossos os primeiros ;
Tastos dos inimigos*a elles vio :
Est all Nuno, qual pelos outeire:
De celta est o fortissimo ledo,
Que cercado se ve dos cavalleiros,
Que os campos vo correr de Tetuao ;
Persegnem no co'as langas e elle iroso,
Torvado hum poucoest, mas nao medroso.
Com torva vista os ve, mas a natura
Ferina, e a ira nio lbe compadecem
Que as costas df\ mas antes na espessura
Das langas se arremessa, que recrecen).
Tal est o cavalleiro, que a verdura
Tinge co'o sangue alheio : alli perecem
Alguns dos seus ; que o animo valente
Perde a virtode contra tanta gente.
Sentio Joanne a affronta que passava
Nuno ; que, como sabio capito,
Tudo cerria, e via, e a todos dava
Com presenga e palavras, corago,
Qual panda leda, fera e brava,
Que os litios, que no ninho sos esto,
Sentio que, emquanto pasto lhes buscara,
O pastor de Massylia Ibos furtara :
Corre raivosa, e freme, c com bramidos
Os montes Sete Irroaos atroa e abala :
Tal Joanne. com outros escoltados
Do? seos, corrende acode primeira ala.
O' fortes rompanheiros, subidos
Cavalheiros, a quem nenhum se iguala,
Defendei vossas trras ; que a esperanca
Da libe.dade est na vossa langa.
Vedes-me aqui Re vosso e companheiro,
Que entre as langas c settas, posarnezes
Dos inimigos corro, c vou primeiro :
Pelejai verdadeiros pertoguezes.
Isto disse o magnnimo guerreiro ;
E sopesando a langa quatro vesee,
Com forga tira, e de9te nico tiro
Muitos langaram o ultimo suspiro
Porque eis os seus accesos novameote
D'huma nobre vergonha e honroso fogo.
Sobre qual mais com animo valente
Perigos vencer do marcio jogo,
Poram : tinge c ferro o fogo ardeote;
Rompem malhas primeiro, e peitos logo :
Assi recenem junto, e dio feridas,
Como a quem j nao doe perder as vidas.
A muilos mandam ver o Estygio lago,
Era cujo corpo a morte, e o ferro entiava :
O Mestre n.orre alli de Sauct Fago,
Que fortissimamente pelejava :
Morrc tambem, fazendo grande estrago,
Outru Mestre cruel de Calatrava :
Os Pereiras tambero arrenegados
Morrem, arrenegando o Cao e os fados.
Muitos tambem do vulgo vil sem nome
Vao, e tambem dos nobres, ao Profundo,
Onde o trifauce cao perpetua fome
Tem das almas que passain deete mundo :
E porque mais aqu se amanse e dame
A soberba do iraigo furibundo,
A sublime bandeira Castelhana.
Foi derribada aos ps da Lusitana.
Aqui a fera batalha se encruece
Com morios, gritos, sangoe. e cutiladas :
A mullid So da gente que perece
Tem as flores da propria cor mudadas :
J as costas do e as vidas : j fallece
O furor, e sobejam as laucadas :
J de Castella o Rei desbaratado
Se v, e de seu proposito mudado.
(Contina)
forraidade com o aviso do ministerio dos nego-
cios da agricultura, commercio e obras publicas I
n. 1630 de 19 do correte mez que aos enge-
nheiros e mais empregados do mesmo ministerio
que, no acto da nomeaco, se acharem em pro
vincia differente daquelta em que tenhaol de ex-
ercer as respectivas coramissOos, devem ser abo-
nados os competentes '.encmenlos, a cootar do
dia da partida, quando seguirem directamente
para seu destino, sem interrupgio na viagera,
3ue os prive de desempenhar as funecca dentro
o prazo fixado por lei; percebendo, porm,
taes vencimentos. smente depois que comeca-
rcm a servir, quando excederera o referido pra-
zo. Vitconde de Ouro Preto.
Ministerio da Agricultura
Foi exonerado Manoel de Azevedo Barroso
Basloi do lugar de fiscal da navegacao subven-
a, na provincia do Amazonas, c nomeado
referido lugar o capito de fragata Manoel
da Cruz.
exonerado do cargo de ajudante de l.
do prolongamenrt) da estrada de ferro de
o engenheiro Claudio Livio dos Reis.
Ministerio da Guerra
Foi nomeada urna csmmisso composta do bri-
gadeim quartel-mestre general como presidente,
dos afmniandantes dos corpos desta guarnicio,
directores do arsenal de guerra da corte e labo
ratorio pyrotechnico doCampinho e do intenden-
te de guerra, para rever as tabellas dos diversos
artigosde armamento e equipamento, arreiamen-
to e mais objectos para o exercito, fortalezas e
outros eslabelecimentos, approvados pelo decreto
n 5352 de 23 de Julho de 1873, e bem assim a
de 23 de Novembro de 1877. que marca os pre-
Sos dos referidos artigos, publicada na ordem do
ia da repartigo de ajudanle-geoeral n. 1407 de
30 de Abril de 1878.
s~&es&s*-----
Ministerio da Mariana
Foi nomeado Jos Octaviano Nogueira de Mel-
lo para exercer interinamente o lugar de escre
vente da directora da officina de machinas, do
Arsenal de Marinha de Pernambuco.
<^oacs-
.11 i ni .s ferio de Es frange! ros
Foi nomeado cnsul geral do BraziTem Marse-
!hu|o Sr. Manoel da Silva Ponles Jnnior.
PARTE OmClAL
Ministerio da fustlca
Foi nomeado juiz de direito da comarca de
Villa Bella, de i. entrancia, na provincia de Per
nambuco, o bacharel Carolino de Leone Ramos.
Foram nomeados juizes municipaes : do termo
do Manicor, na provincia do Amazonas, o ba-
charel Leandro Paulo .a migo no ; dos termos de
Jardim e Milagres na do Cear, o bacharel Gus-
tavo Horacio de Figueiredo.
Ministerio do Imperio
Foi exonerado, a pedido, o senador Henrique
Francisco d'Avila do cargo de presidente da pro-
vincia do Cear.
Foram nomeados: presidente da mesma pro-
vincia, o coronel deengonlniros Jeronymo Ro-
drigues de Moraes Jdrdun ; l. vicepresidente.
Dr. Thom;.z Pompen de- Souza Brasil ; e 2. o
commendador Antonio ineodorico da Costa.
Foi exonerado do logar de l.* vice presidente,
o deseuibargador Americo Mil to de FreitasGui-
mares.
Ministerio da Fazeuda
Publicouse em 28 do passado a seguate cir-
f ii I'ir *
. O Visconde de OuroPieto, presidente do
Tribunal do Thesouro Nacional, declara aos Srs.
inspectores das tbesourarias de fazenda, de con-
Governo da Provincia
5.* seccio.Palacio da Presidencia de Pernambuco em 18 de
Setembro de 1889.O presidente da provincia, para execugo dos
arts. 16 e 18 da lei u 1860 e lei n. 1972 de 22 de Margo ultimo,
resolve expedir o seguinte
II <- K ii I u > <- n I o
Art. I. Os engenhos centraes que devero ser fundados com
o concurso da provincia serio de typo maior ou menor, segundo
o capital nelles empregados e a respectiva capacidade para sa-
frejar.
g 1 .* Para a fundaco e explorago dos engenhos de typo
maior o capital ser de" 000:000*000, deveado ter elles a capaci-
dade pira safrejar 2o a 30 milbes de kilogrammas de canoas em
cero dias. Para o engeho de typo meoor o capital ser de.....
3^0:000*000 e tero capacidade para safrejar de 12 milhOes e 500
mil a 15 inundes de kilogrammas de cannas em cera dias.
g 2. Para a constituigo do capital necessario a fundacio e
explorago dos engenhos de typo maior a provincia concorrer,
em apolices do juro de 7 />. C>11- a quantia de duzentos contos e
com a de cem coutos para o capital doe de typo menor.
g 3. Os referidos engenhos gosaro da uengio de imposto de
exportago do assucar e de outros quaesquer provinciaes ou mu-
nicipaes. que existam ou forem creados posteriormente.
Art. 2. O capital ser dispendido :
l. Em estudos preliminares para organi6ago do plano e or-
' gamento das obras ;
2.* Na construccao ou acquisigo do edificio apropriados
fabrica e suas dependencias e na compra de machinas e appare-
lhos, animaes, terrenos e accessonos necessarios ao servigo ;
3." Em vias-ferreas e era outros meios de transpurte por Ierra
cu agua para trafego do engenho, comprehendido o material fixo
rodante e fluctuante.
Art. 3." As economas efectuadas na execugo das obras e na
acquisigo do material sero applicadas reduegio equivalente
ao capital com que a provincia concorre.
Art. 4. Os favores cima declarados (art. i. 3e i ) sero
concedidos smente a agricultores ou companhias por elles forma-
das, devendo as petigdes, em que os requercrem, atem de apre-
sentar contractos celebrados para o fornecimento de cannas, fa-
brica, declarar:
i. 0 municipio e o lugar escolbidos para a situago da fa-
brica ; quantidade de agua potavel, leoba ou outro combustiyel
existente no lugar em que a fabrica tiver de ser montada a via-
co interna e externa ;
2. A capacidade da fabrica ;
3. A extensao e systema das vias-l'erreas e de outros meios
de transporte destinados a ligar a fabrica aos eslabelecimentos
agrcolas;
4." Os meios para oblengao- do capital necessario empreza.
Art. 5." Tero preferencia as concessoes os agcultores o
companhias por elles formadas.
1. Que pruvarem maior idoneidade para o levantamento do
capital e desempenho das obrigaces conlrahidas;
fc Que se obrigarem a destinar do capital levantado at a
quantia ae 10 '0 para constituir fundo especial que o coneessio-
nario ou a compaubia por elle formada, emprestar, tob sua res-
ponsabilidade, a prasos convencionados e juro nao excedente de
8 /e ao anno aos fornecedores de canna, como adiantaoieuto e
auxilio aos gastos da produego. A' prcslacio desses auxilios
sero applicaveis as disposigdes do art. 4 do decreto n. 10,100 de
Io de Dezembro de 1888.
3. Qje, alem da hypotbeca sbre a fabrica, derem em bypo-
theca o engenho em que a fabrica tiver de ser construida, em
garanta das apolices emiltidas pela provincia :
4. Que se comprometterem uos contractos celebrados para o
fornecimento de caunas a pagar nos primeires quatro annos : por
cem kilogrammas de canna, quatro de assucar mascavado bom,
pelo prego correte no mercado ; cinco do mesmo assucar nos
dez aonos posteriores ; e seis de eoto em diante comtanto que a
canna encerr pelo menos, 12 % de saccharose
Art. 6." A concesso nao poder ser transferida seao a agri-
cultores e depois que a fabrica estiver em construccao. mediante
autorisago previa do presidente da provincia.
Art. 7.' O concessionario assignar contracto com o Thesouro
Provincial dentro de 30 dias da data da coucesso, fazetulo parte
do dito contracto as disposiges do presente Regulamento.
Neste contracto se obrigar mais :
1. A sujeitar approvago do presidente da provincia dentro
de quatro mezesjda data do contraciojde todas as obi aroje,ctadag,
deseado de apparelho e discriiigo dos melhodos de fabricago,
sendo obligado a aceitar as moditicagdes indicadas pelo presidente
da provincia, precedendo approvaco deste, exorne por urna
commisso de engeoheiros nomeada pelo mesmo presidente.
2. A conc uir as obras de construccao c collocagAo dos ma
chiuismos dentro do prazo de 12 mezes, contado da data da appro-
vaco do plano e do orgamento.
3." \ constituir pela dedueco annuai da quota mnima de
5 / sobre os lucros da empresa, depois de pagos os juros das
apolices, com que a provincia livor concorrido e a respectiva quota
de amortizago especial fundo de reserva destinado substitulgo
parcial ou geral das machinas o do material, assim como a obras
novas de qualquer natureza.
A constituigo desse fundo de reserva durar al o completo
resgate das apolices emiltidas e ser depositado em um estabele-
cimenlo bancario da provincia.
A contractar e manter pessoal ideneo para dirigir as obras da
fabrica, devendo ser ouvido sobre esse pessoal o engenheiro fiscal.
5.c A entregar ao fiscai, mensalmentu, relatorio circumslan-
ciado doi trabadlos e operaedes da fabrica abrar.gendo pessoal
empregado c salarios dependidos, combustivel consumido, quan-
tidade de canna esmagada, seus productos e porcentagem obtida
em assucar e alcool, prego da materia prima e despeza e receita.
6. A prestar, com promptido, os esclarecimentos e dados
exigidos pelo presidente da provincia ou engenheiro fiscal.
7." A execular as ordens do fiscal cora relaco a seguranca e
a melboramentos compativeis com o fundo de reserva, e a oo
executar, sem previo consentimeato do gpverno, obra alucia-ao
plano approvado.
8." Os juros e amortizago das apolices emittidas sero pagos
pelo concessionario e recolhidos ao Thesouro Provincial no flm de
cada semestre.
Art. 9." A proviucia concorrer com o tergo do capital necea-
bario empresa em duas preslagdes.
g l. A primeira prestago ser effectuada mediante o preen-
chimeiito das seguintes condicoes:
I Approvago. por parte da presidencia do plano e orgamento
das obras projectadas c raachioismos ,
II ExDibigo da acta de incorporago da sociedade, devfda-
meote registrada, da qual conste o levantamento dos dous teigos
do capital necersano empresa, e na falta da incorporago da so-
ciedade, documento comprobatorio do emprego ou existencia dos
dous tercos do referido capital.
III i presentago do coHhecimento do embarque, facturas e
apolices do seguro dos materiaes os quaes documentos serio en-
dossados ordem e ficaro em caugo no Thesouro Provincial.
g 2 A segunda presrago ter lugar:
I Depois de concluidas as obras de construccao da fabrica e
suas dependencias, bem como assentadas as vias frreas, que ali-
guen] aos ei-genhos fornecedores de cuna.
n Depois que se acharem os apparelbos no lugar em que for
cstabelecida a fabrica.
3o A concluso das obras de accordo com o plano e orga-
mento approvados o assentamento da linha frrea e a collocago
dos apparelbos, para que tenha lugar a effectividade da segunda
prestacio sero attestados pelo engenheiro fiscal.
Art. 10. A provincia ter durante as obras e at que s#effec-
lue o completo resgate das apolices um engenheiro fiscal, nomea-
do pelo presidente du provincia, cujo ordenado de 2:6004000 ser
pago pelo concessionario e recolbido ao Thesouro Provincial em
duas prestagdes seme3traes.
Art. 11. A provincia ter hypolheca sobre a fabrica, para ga-
ranta das apolices emittidas.
Art. 12. A amorttsacj das apolices ser feita a razio de 5
por cento annualraeote e por surteio, a contar do anno seguinte
ao em que tiverem comecudo os irabalhos da fabrica, Meando livre
ao concessionario o direito de destinar maior quota da amorti-
sago.
Art. 13. A etaissSO das apolices ser feita corh declarago
dos lins especiaes a que se destinara e contero a declarago do
resgate annuai e por sorteio.
Art. I i O cocceasicnario prestar annualmente e no primei-
ro mez do a.ino Hoanceiro no Thescuro Provincial fianga pela im-
portancia dos uros das apolices e respectiva amortisago.
Art. 15. concessionario prestar igualmente no Thesouro
Provincial nanga idnea e pela maneira proscripta no regulamen-
to de 2 de Junbo de 1879. equivalente a quantia em apolices, que
receber, devendo a mesma rianga prevalecer at que seja lavrada
e registrada a escriptura de hypotheca sobre a fabrica.
A liang ser entregada no seu valor primitivo quando tiver
sido diminuido por qualquer deduccio.
Art. 16. A lianga de que trata o artigo antecedente poder ser
dispensada no caso do g 1, do artigo nico, da lei n. 1,972 de 22
de Margo do crrente anno urna vez que a hypolheca a que se re-
fere o citado g fique subsistindo at a hypotheca definitiva da fa-
brica, que ter lugar logo que for concluida a rnesma fabrica, e
ser extensiva a todas as suas dependencias e viago frrea.
Art. 17. A hypotheca sobre a fabrica subsistir em sua inte-
gralidade at que seja amertisada toda a quantia em apolices com
que a provincia tiver concorrido para o capital da empreza.
Art. 18. 0 presidente da provincia poder estabeleccr nos
contractos multas de lOJOOO a 5:000>000 para a inexecugo das
clausulas cootractadas, e o dobro na reincidencia.
Art. 19. Alm do engenheiro fiscal o presidente da provincia
poder designar pessoa habilitada na theoria e pralica da indus-
tria saccharina que examine e d parecer sobre a execugo dos
contractos e observancia do presente regulamento, correndo a
despeza com esta Gscalisago por conta da provincia.
Art. 20. Caducar a coocesso se o contracto nSo fdr effec-
tuado e as ob as nao forem concluidas dentro dos prazos fixados.
exceptuados os caso3 de forca maior, a juizo do presidente da
provincia.
Art. 21. A expresa entrar em liquidago :
I. Se deixar de funecionar por espago de dous annos.
IL Se o concessionario nio prestar regularmente a fianga de
que trata o artigo 14 do presente regulamento.
Art. 22. Na liquidago da empreza a fazenda provincial ser
representada pelo procurador dos feitos, sendo foro competente
para a liquidago o deala cidade.
Art. 23. As que3toes que denvarem do contracto celebrado
entre o presidente e o concessionario serio resolvidas por arbi-
tros, Horneando cada parte o seu.
No caso do desaccordo entre os arbitros o presidente do Tri-
bunal da Relaco nomcar um ttreeiro, que decidir a favor de
qualquer um dos laudos.
Art. 24. As disposigOes do presente regulamento sero ex-
tensivas s concessees j feitas naquillo que lhes puder ser ap-
plicavel.
Art. 25. Ficam revogadasas dispasigoes em contrario.
(Assignado)U Alies de Araujo.
Thesouro Provincial
DESPACHOS I O DIA 1G DE SETEMBBO DE
1889
Companhia do Beberibe.A' contado-
ra.
18 ,
Manoel Nunes da Fonseca, Medeiros
& C, Jos Pereira Borges, < ompanUia de
Fiaco e Tecidos, officio da presidencia,
Franklin Minervino Martina, collectoria de
Cabrob, Alfredo Lucio de Castro e Joa
quim Andr Bentzem.A' contadoria.
Francisco Antonio DurSo.A' Recebe-
doria.
Jofio Pae3 Caininha e Francisco de Sal-
les do liego Muniz.Certirique-se.
Joaquiru Jos de Carvalho, Iustrucjao
Publica, Dr. chefe de polica, Contadoria,
Monhard Metler & C, Manoel Fcrreira
Bartholo, Albino Fernandea de Azevedo,
Jos Rodrigues de Araujo Pedrosa, Jos
Daniel Pereira de Azevedo, Jos Dorain-
gues Maia, Jos Marcellino da Costa,
Francisco Manoel da Silva & C Angelo
Custodio do Sacramento. Ao contencioso.
Lima, Alfredo Martins de Barros. JoSo
Affonso Botelho, Antonio Barbo\a de < 'ar-
valho, Manoel do Nascimento Ribeiro Pes-
soa, Manoel Cavalcanxi, Affonso Gomes da
Silva, Andr Gomes, JoSo PoDciano J. da
Annunciac&o, Jos Carlos Teiseira, Anto-
nio Jos dos Santos, Bento B. Salles de
Carvalho, Jos Ignacio de Barros, Joao
Flix dos Santos, Jos Bento a Veiga
PessGa, Pedro Celestino de Meudunca, Pe-
dro Paulo Pereira (4 peticoes), Tito Livio
de Albuqucrque Lima, Manoel Martins
Gomes e Pedro Antonio Joaquim.Cer-
tifique-so
Francisco Manoel da Silva & O.Infor-
me a i.' eeceao.
Pedro-Dias da Silva Jonior (4 petiySes),
Francisco loreira de Alcncar Miranda (4
peticSes), Joao Maciel da Rocha e Manoel
Francisco Pedrosa.Certifique-se.
Reeebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 19 DE 8ETBMBRO DE
1889
Antonio Cassuel o de Mello, Ponciano
Carneiro da Cunha, Antonio Henrique de
insi'iicco Publica
DESPACHOS DO DU 19 Di SETEMBRO DE
1889
Amalia Durvalina de Barros Marinho.
f-'umpra-8 CapitSo Manoel Rodrigues de Torres Gal-
lindo.Cumpra-se e registre-so.
Augusto Jos Mauricio Wanderley.
Encaminhe-se.
Antonia Clementina de Souza Ribeiro.
Cumpra-se o registre-se, devendo contar-
se a licenca do 1. do corrente.
EXTERIOR
O inspector de La Platentey Sr. Ve
sovich, devia ter partido no dia 5 paisa
Europa, afim de mandar construir sen
grandes vapores argentinos, que farSo em
12 dias, a viagem, directamente, entre
Buenos-Ayres e Lisboa.
O ministro Dr. Quirno Costa receben ao
dia 3 um telegramma de Pariz, em qtte
se lhe noticiava que bavia chegado alli s
segunda remessa de gado em p, o qual
tora vendido por precos mais altos do qe
os obtidos pelo gado anteriormente remet-
tido.
Fura marcada para o' dia 20 a abertura,
a bordo do vapor Conde de Villana, da
exposicao fluctuante de gneros heapa-
nhes.
O forte temporal, que se deaencadeoa
no dia 3 sobre Montevideo nao deixoa
entrarem os navios, qne estavam no porte
exterior, e obrigou os de guerra a este-
ren! com os fogos accesos.
O movimento da alfandega foi quasi ne-
nhum nesse dia porque as embarcacSea
nao podiSo atracar aos caes.
Na corte foram publicados eatea te-
legramms:
Buenos-Ayres, 10 de Setembro.
Na bolsa houve hontem pnico, chegan-
do a taxa do ouro a 200 i" e fechon s
196 oJ".
Hoje abrio-se a cotacao a 195,50 j*,
subi a 216 0i, baixou depois a 185 ,j*
fechou o 205 i.
A Prensa e a Nacin deram grito de
alarma.
O Dr. Zeballos assumio a pasta de mi-
nistro do exterior
FunSou ae no Rozario um banco argen-
tino brazileiro, tendo sido subscriptas duas
mil accSes.
9 de Setembro.
A cmara dos deputados approvou e
projecto concedendo viuva do general
Sarmiento urna pensSo correspondente ao
sold por inteiro.
As aguas dos ros Paraguay e Paran
baixaram por tal forma que muitos na-
vios tm encalhado.
Em Ibicuy, no Paraguay, sentiram-ee
alguns tremores de trra, sendo insignifi-
cantes os estragos.
Buenos Ayres, 11 de Setembro.
O presidente da repblica assignon e
tratado relativo questao das Missoes.
Foram trasladados para o tmulo defi-
nitivo oa restos mortaes do general Sar-
miento.
O senado adoptou o projecto presentado
pelo ex-ministro da fazenda Varella, po-
rm com emendas importantes ac texto
votado pela outra cmara, a qual tem de
discutir de novo o referido projecto. E7
duvidosa a pasaagem dessas emendas.
O congresao da provincia de Santa F
approvou o projecto sobae a creacSo de
urna univeraidade.
Montevideo, 11 de Setembro.
O governo est estudando o modo de
estabelecer a livre introdcelo reciproca
dos productos naturaes das Repblicas
Argentina e Oriental.
O coronel J. Dias, ministro oriental eos
Pariz, foi removido para Madrid, sendo
substituido pelo Sr. Lindora Forteza.
Considerase perdido o casco do vapor
San Martin.
Buenos-Ayres, 12 de Setembro.
O governo resolveu vender saques so-
bre a Europa, applicando o respectivo
producto retirada da circulacSo de 30
milliSes de notas do Banco Nacional.
A cmara doa deputados approvou as
emendas do senado ao projecto do ex-mi-
nistro da fazenda Varella, e bem assim o
projecto concedendo urna pensao familia
do general Sarmiento.
Oa patr3es dos carpinteiros concede-
ram-lhes o augmento de 20 Qf nos sa-
larios.
Buenos Ayres, 13 de Setembro.
O club civil da moeidade abri urna
subscripcao em favor doa cadetea que fo-
ram expdaos da escola militar, afim de
poderem continuar oa estudos universi-
tarios.
Montevideo, 13 de Setembro.
O Banco Nacional augmentar o seo
capital para 12 milhSes de pesos.
INTERIOR
noticias do Rio da Prata
Pelo paquete inglez La Plata tivemos
hontem as seguintes, que alcancam em da-
tas: de Buenos Ayres & 5 Montevideo
ti do corrente :
Foi approvado o convenio celebrado em
Buenos-Ayres entre o ministro de rea
cSea exteriores o a legacao da Holiva so-
bre'a reciproca vahdade dos estudos e dos
ttulos acadmicos das universidades de
ambos os paizes.
A cmara do3 diputados da Repblica
Argentina approvou em geral o projecto do
ministro da guerra sobre a organisajo do
exercito e da armada.
For um decreto do poder executivo cre-
ou-se um novo povoado no territorio da
Pampa Central, que ser a capital daquel-
la futura provincia.
Na noite de 4 houve no Hotel de Pariz
um grande banquete em honra do novo
ministro, Sr. Zeballos. Levantaram brindes
o genajl Bosch e os deputados Arias,
Lagos, Molina, Balestra, Pellogriui, Man-
ailla e Olmedo.
noticias do sul do Imperio
O paquete La Plata, entrado hontem do sai,
foi portador das seguintes noticias :
Ulo Grande do Sul
Datas at 7 de Setembro :
A respeito do vapor Governador Dandon antigo
S. Pedro, l se no Diario do Rio Grande de 3 do
corrente :
Ha hoje iloze dias que elle sahio deste porto,
c admittindo-fC que tenha ido costa em algum
dos pontos eDtre o Rio Grande e Montevideo,
eremos que Ja havia tempo de se saber noticia,
tanto mais considerando que ha telegrapho de
Maldonado para aquel! i ultima cidade.
Oxal estojamos em erro, mas infelizmente
eslanus propensos a acreditar que se deu ama
grande catuslropbe.
Damos em seguida os nomes do comman-
dante, trioolantes e pas-a.'-iros do vapor e as
nacionalidades a que lerlenciam.
Joaquim F dante, brazileiro; Joao Silva, iu machinista,por-
luguez ; Fr.mcisco Ricardo Nunes, 2' machinista
portuguez ; Antonio Lopes, contra mestre, hes-
panhol; Jos da Silva Bue'no (lilho do coraman-
riante), pralicsnto brazileiro; Alfredo 8algues,
foguista, frau-ez ; Justo Pastor, foguista, argen-
lino ; Joao Martins Goncalves, carvoeiro, portu-
guez; Izidro Fernandez", carvoeiro; Jos Theo-
doro Lyra, tripulante, biazili-iro Miguel Baptis-
ta, tripolunte, porlugiiez ; Joo Alexandre de
Souza, Iripolanle, brazileiro ; Antonio Theodo-
ro ila Silva, co-inheiro, portujjuez ; Geraldino
Rodrigues Piolo, criado, brazileiro ; Balthazar
Ferreira Piolo, dolsensciro.. portuguez.





>h'.S
I


.
--'



.

Diario de Peraambuco--Sexta-feira 2tT Pa3aeeirdff*"IHimHWa"Sflva, portugurzr o m^no epatado geral pelo dislricto da-
' Pouiaux comprador do vapor fraacez ;I quella provincia e emrito abolicionista e Cede
aooel Martnez de Alvamz, corista <*a xtineta1 raHtaoi eatfdado n bordo por commissOes
narnpanhia
hespanhola ; Padrn, hespanhol ;
Ikancisca Martinez corista da raestna eompanhia,
nespanhola ; Pedro Llanas, inmigrante, hespa
~ l ;a raulher do carvoeiro Isidro Fernandez e,
w este de oacionalidade hespanhola : dou-
igraates italianos, cujos nomos nao pude
i saber ao Iodo, entre o pessoal de bordo a
Hsageiros. 23 pessoa*. nxaUido
. Mr Erad Poujeaux. en^ivg,nto;ua-*o:nne* -tianina.
-. eoosiructora da eatrana-de ferro dtrtcii
kiBi.".
Terminada a coaatruceio, segaio |>axa l\-i
paMica Ar_; ntin i onde enltimameme,gvrea
Irocicousaseinclhaste de. uraa empreza 00*0 ni ai,
para servir) da qual ra o rapar cuja omu-
aHia viera expressaniotennactittr nesnr"lilaile.
Joaquim Fcliciaoo da Silva Ruano ean-aiora*
dorera S Jos do Norte, onde, coau dos, lean
tai lia.
O Sr. Seba3tio da Silva morador nesta
actade, onde tein familia. Foi empregado como
artista mecnico tu estrada de (erro desta cida-
dhaBag. .-
1 O Sr. altbazar Ferreira Pinto 101 eraprega
dadurante algum tempo das casas eoinmerciaus. dientan Josa "J "t"inl-" :
nbs'Srs- Albino Jos da Caima Campos Moraes Do Sr. Dr. Frederico Lisboa ao f-r. Dr. Joaquim
di
Gazeta da Tarde, sociedade Libertadora Bahiana
e club Luiz Gama, as quaes offereceram-lbe um
linde bouquet.
Depois dessas saudages toraaram passagem
em urna lancha a vapor, desembarcando uo caes
do arsenal de marinha, onde se achavam diver
sos amigos e correligionarios de S. Exc, que foi
com onaeUi uauauui da musir de
1'jnan an.ptdnrnHntos vivas, na loros**
mjnnrt^rinano afia s.
I Sr. Dr. Jaaqnu Nababo e S. Exnia. sanhoen
li >aoediram-ee no txcelleaie Hotel das Etrangaa,
a > Campo Grande.
A"s 7 11 /ras da anote S. Exc. falar ao povo das
j innitan da-redacfoda Gueta da Tarde. f|uu-8-
tanft iMu murada a araba ndeira la. .
No lia seguale, 14 accraacnnlou a mesma
{ulna:
Hontem frfnii, te/w^ftigur no flcrtal dos Es-
t-angeiros, ao Campo Grande, o jantar offerccido
ao distincto palamentar e ardenta tribuno popu-
lar o Sr. Dr. Joaqun. Nabuco, pela redacco da
G izela da Tarde.
Ao champagne, houve diversos brindes, sa-
a estabileiar
empreza, 10:033
u-
toabas
*oulios desla praca
II -iiEfii correu a noticia de que o film do
Sr. Poajoaux, empregado da estrada de ferro do
fioGr.iiide havit recobido teleirramma de sen
va com:nui)icaodo ter o vapor cliegado a Buenos-
ajres.
Infelizmente a noticia nao era exacta.
T venlade que o Sr. Pouiaux. lilho, lelcgra
jrfjoo para Buenos-Ayres, mas al hora em que
wareveraos nao uos consta que teuha recobido
ajnalqoer resposta.
JiX'i'ou a Pelotas o professor de agricultura G.
tacasen, para olycu da mesma cidade.
Si cidade do Rio Grande den-se no quarte!
ailar as 9 horas da noite de ante hootem, um
grave conflicto entre pracas do 3* batalho de
titubara e o 12 de infantaria.
O conflicto tomou serias proporeis, tendo
Icario varias pragas feridas, se bem que leve-
aaKe.
Compareceram no quartel o Sr general com-
anodaute da guarnisao, coronis coimandantes
4 doos cor|>os e varios officiaes.
A'iwlervtmcao dooffic:al de estado o Sr. te-
xwte o if baialhao, Joo Baptista Pinto, que
koa * e criterio, se deve o facto nao ter prodmido
issastrosas e saagn-ntas consequoncias.
lo ale Jwticiro
atlas ate la de Setembro :
Sobre a cliegada de S. A. o Sr. Conde d'Eu,
aaovveao iorw do Comnercio de 11:
T regresso de sua excursao a algumas pro-
jbaas do norte che^ou hontem. as 8 horas da
jaanita. no paquete nacional A'aaww, S. A. o
Sr. Conde d'Eu.
Qnaado entrou barra as fortalezas salva-
jau e do caes da inspectora do arsenal de ma
" jao&i parti a galeota a remos condnzindo S.
Laimpcratrz, S. A. imperial, presidente da
aeaaiho, ministros da uiarmha e do imperio
caratros pessoas.
Em nina barca a vapor da companhia Ferry
Sarn reccb-T fora da barra a S. A. os Srs. pr-
ndente da provincia do Rio de Joneiro, chefe de
yaatcia, co:nmandautes c ofliciaes da gaarda na-
'ooal da corte, officiaes do corno -de polica e
sespectiva msica.
Foram em lanchas ao encontr de S A. o
*r Caode d'Eu as commisso m do Instituto Po
rtecbnico Brasileiro, Socieda le -le Gographia
Jo Rio de Janeiro, Asso^iago Protectora da In-
Soria Desamparada, Associaco MinteneJora
Musen Escolar Nacin al, Associagao Pro.no-
Sara da EduracSo da infancia de Paquel e es-
aa superioi de guerra, representada pelo aju-
mante e instructores.
Compareceram os Srs.: conselheiro Galvo,
Mr. 9w\a Kreitas, Dr. Belfort Duarte Dr. Guara-
aa, Baro de Paranapiacaba, Barao de Pereira
Rauco. Visconde de S Franciso, Cuide da Es-
trella e sua seiihora, Dr Nctto Machido c &ua
jeobora Ir. Lopo '".ordeiro, Dr. Joaqaim Bordes,
Or. Mietario, Dr. Raymundo Monteiro, Dr. Netto
acbdo Filho, Gross, Sarihou, Miguel Lisboa,
Orcira e Dr. Alambary Luz.
A' 9 1|2 o Alagoa* ciiegou era frente a Vil -
gaignon, salvando a fortaleza cora 21 tiros;
afean leiraram es topes dos mastros os encou-
Ta^;ios Aqutiaham o Riachuelo, subindo eu con-
teencias do estylo a marinhagem era todas as
wrgos. tocando a msica do R achuelu.
A esquada ingleza surta no porto embau-
Jhioos topes dos austros, coflocando 00 tope
le tanra a banleirabrasileira.
A's lo 11 horas da manh desembarcou S.
A. bo arsenal de marinha, sendo ah rece .ido
aorS. M. o imperador eseus camaristas, por S.
J. D. Pedro Augusto, ministros da juslica e in
JeriDO daffuerra, de estrangeiroi edaagricultn-
~ra,emUroi do corno diplomtico eaoooosu-
ar. aindantes gcoeraes mennos da guerra e da
mrirha, magistrados, chefe de poiicia e autori-
fcdi-s policiaes, officiaes generaes, superiores e
SBfcalternos de mar e trra, titulares, senadores,
eaoavtt&ndaotes e officiaes da guarda nacional da
^ttie e representantes de diversas ciasses so-
6. A., de|ois de muito *ompri[nentado, par-
Sbem rnoipanhia da augusta fauilia imperial
para V I'ago da culade.
0 ministerio do imperio permitlio que o
untador apostlico da Orden) Carmelitana Flu-
aroense ceaa ao Rev. bispo do Para o oso do
oaereato do Carrao da cidade e Beieni e dos
HTeBos annexos, alim de continuar all esta-bc-
jeeido o semina'io uu'aor, obligndose o Hev.
wpo, quanto aos terrenos que cstiverem afora-
Jss. a entrar em accorrio com os foreiros : bem
Bc'sii apella da .-xiinrta ordem tercetra 4o
Carrao, alini de ner conservada em beneficio do
Man publico.
liemos 110 Jornal do Cominercio de li :
Montem, s 2 horas da tarde, sob a presi"
tacia de S. M. o Imperador, a eofnniMRao or i
peiadea do pcajeclo do CkJco <:iil Braailei-
nlfii sua 6a &*nferencia 110 paco da cidade.
Compareceram todos os membros da cammis-
9.
Vida e approvada a acia da sessao anterior, o
Sr. coast Ih^iro AITooso Augusto Moreira Peona,
aom a imperial venia, de larou que, nao tendo
podido comparecer s anteriores sessoes pelo
aoUvo parlicipado, com satisfago a'ineria s
icaolaros tomadas per f^usc-ollegas e se esfor-
pra per corresponder li airosa coulianca de
loa Mageslade e dt> Sr. mini-tro da justiga, que
Jm; entregaba adiaBlado o trabalho em que, com
aa reconhecida proliciencia, se dignar sub-
ttuil o.
Em seguida, obteudo a palavrao Sr. cdose
ifceiroCoelho RoJn^ues, dejwis de apresentar
ama exposico dos motivos de. todas as dispj-
rtjes do Direito de Familia, qne julgra conve-
jjanle fazer imprimir e distribuir aos sens col
feajas.aoticitou a alinelo para algunas ques-
Mes,sobre as quaes d.-sejava ouvil-os antes de
Mfcrfver discussoa materia articulada..
A coofereacia terminou s il horas da
arde, declarando Sua Maistate que desiguaria
t *ia da siguite rnta-> .
Habla
flotas at 1" de Selvnibro.
O Joma! de Noticias publicara os segrales le-
teramutas :
Db^s, 15 s 6 horas e 15 minutos da manh
Fot assassmado a tiro, hontem, as 10 c 1/2 ho
sm rta manha, o subdelegado Franllin Vieira de
tflo.
Oattentado teve lugar quando o assassinada
jDiao Rib S-ipucaeira. E' dcsconbecido o au-
tor do ciiiue.
A ticlima ihegon a Una s 4 horas' da tarde,
ana estado gravissimo.
LigeMararnte foram-lhe contados as costa 10
aromos de chumbo e urna bala abaixo das cos-
Mam.
Veto bascarse medico a Ilhos, para soccor-
xt o fondo, mas infelizmente este falleceu.
Ca-hoeira, 16.
A secca e a fome continoaram a assolar o in-
arior des la comarca.
Reina grande miseria. Registram-se casos de
ararte em consequencia da falta de alimentos e
t socrorros prompios.
Os habitantes do arraial do Sp, da Coocei
do Alineida e Cruz das Almas e outras loca-
oes 1 liiuiam por trabalho.
Sob o Ululo loaquim Nabuco, lemos 0 se*
pinte na .-upraci'a la fulli > de 13 :
A bordo do paquete nacional Maranhao, de
pattsagera em nosso porto para o mirle, vai em
feaavito pura Pera-trabuco o disuado parlamen-
lar Sr. Dr. Joaquim Sabuco, acompanbado de 8.
Cusa, senliora.
Nabuco ; d'este, agradecendo, ao gabinete 6 de
Junlio, representado all pelo Sr, conselheiro
Gameiro da Rocba ; do Sr. conselheiro Carneiro
da Hacha (ateta da T'irde que Uo considera
veis servicos prestou abolico ; do Sr. Paupbi-
lo da Santa Cruz provincia do Cear, represen-
tada atli pelos Srs. Drs. Satyro Dias e Joo Dan
tas Filho, enlao scu presidente e seu chefe de
polica ; do Sr Dr. Satyro Dias, agradecendo ao
sr. Dr. Joaquim Nabuco ; do Sr. Dr. Jlo Dantas
Filho. ao ardente e notavcl tribuno S-. D-. Fre-
derico Lisboa e finalmente do Sr Eduardo Ca-
rig a Exma. Sra. U. Evelina Soares Torres Na
buco.
Terminado o jan'ar, quasi s 7 1/2 da noile, o
Sr. Dr. Joaquim Nabuco dirigio-se ao palacete
da Victoria, alim e> retribuir a visita reeebida
do Sr. conselheiro Dr. Ainaeida Couto, partindo
em seguida para a re laceo da Gazeta da Tari,
em frente da .qual achava se agglouierada glan-
de multidao de pessoas de todas as classes.
No rterior do edificio, que acbava se orna-
mentado com gosto, destacava se um bello tra-
pbo de bandeiras de varias nacionalidades, no
cini 1 do qual va-se o retrato, em moldura dou
rada, do Ilustre abolicionista.
Cer.a de 8 horas, assomou saccada de'urna
das janelias do edificio o Sr Dr. Frederico Lis-
boa, que, em phrases calorosas, sau lou o deno-
dado che/e anofidonista, sendo rpplaudido eu-
tliusiasticamente psla multidao.
0 Dr. Joaquim Nabuco, responaendo, dirigi-
se ao povo, saudaodo-o, em lingoagem eloquen-
te e convencida; fallou dos gloriosos episodio
da porfa aselicionista, delnzindo da sua altu
de nesse passado a garanta do futuro proceder,
em relaco sliberddes publicas e s franqne
zas proviuciaes, cumpromisso patritico qne as
sumir ha annos com a sua provincia e que as-
ilediaut contrato com o ministerio da
agricultura obrigaram se Lui do Malafaia
e Antonio Pinto SCoreira, negociantes da
praca do Kio da Janeiro
por si, ou por meio d
familias de agricultores nacionaea e es-
harangairoe a^fWTinai, <.<* aaaas ato
aaorte a est-alas pcaviiiaaa do iuaa-
Geraes e S. P*a*k>, oaa taaaada.s yX c
aadas que adqjaanrJto aaarr as si
a proximidades das povoaoojs ou das
aatradas geraes.
Para ate elaiio tltriiraa os oanccaaio-
narios a fozooda cm lasas Jo 10 a l
anotares, tendoes^a *rmSiiireto a nm
loto, cultivado no todo oj em parte, a
urna csa do valor nSo excedente de
200, ao fornecimento do utensilios ra-
raes e animaes domsticos, e a auxilios
Liara MaaanaaanM a* a*rimeira cueita
dentro do praz de seis mases.
Dorante 15 dias em cada mez oceu-
par-se-hao as familias no trabalho dos
INDUSTRIAS E AR
i
da mesma data.
Ca>mptt.tii> de Fiaco o Tecidow
*e Peraambuco N'iima peligo dessa
Companhia deu a presidencia da provincia o
tapote despacho epi 19 do correntc :
Reclamam os supplicaotes contra a aulori-
sagao dada a esta prejidencia pela le n. 2.002,
ile.*de Jaoli) do correte. anuo. Fnudamen-
tam roo4irwlo as Iris n. l.OOi ue 13 de Jufibo
de> M71, a.-1,596 de 21 da-luulio^e <88le con-
tracto coaM-sla presidencia de li de Ootubro du
IS71.
Considerando que a "nnipinbil de Fiar) c
Tecido* possue pela lei e ontructo o pnrileg
de crear ama ou mais fabricas deecidosde al-
godo ;
Coaaieran.lo que esae prevuegio obteve a
prorogaan de dez annos,ala iex. 1 5M del!
de Juuno de 1881, devendo cxtinguir-se em li
de Outubro de 1893 ;
l^nsiderando que na expresso tecidos de
algodj se achara comprehendi los todos os te
I cidos a que se refere a lei n. 2,0j2, de 23 de Ju
nho nliitno ;
Conndersndo que na lartwde da -phrase
tecidos de algodao se comprebendem os diver-
sos ramos e cattiegorias da industria de bacn a
que se refere a lei n. 2,002, citada ;
Considerando que a provincia no interesan
seas lotes, podando os contratantes em-: de fundar a primeira fabriea lancou rao de to
oregJ-os, mediante salario ajustado, era i)i 3 recursos e al do previlegio, litnitiaodo
_.-u^, ,.r,t (npnm i,.: I*** especiadade o ampio direito industrial:
servicos estranhos emqaaato torera obn- | ^^^^ que' as Sw^, pcrinaen.
fados a mantel-as, devendo nesse casp ser leslixadas em lei e contracto favorece indis
Bduzido do salario o valor dos auxilios, cuveluienle a pogo dos supplicantes;
O preco dos lotes seta xado polo go- Considerando que, qualquerconcesso pode
verno vista do ousto das fazendas com| f^ oroeiros aabypotbese de cederemos
, T 1 (>r, o a supplicaole. parte do direilo que Ihes assnU^.ou
a Donincacao de A) ,\ senao os mesmos para (Cr couteco de necugao lindo o previlegio
lotos divididos ora classes, segundo pos- existente ;
suirem ou no plantacoes, e addicionau-! Considerando que a nao chamada de con-
do se o valor destas ao custo da trra currencia importa o respeito que a a rainislra-
uo se o viur oui.ua w" ra0 de\ie laaoter as stipulac-es que hier, e
para constituir a divida dos colonos, que ;qe a obediencia aos conlrados e leis nlra
poder ser paga em pretac3es. | guarda a sociedade em suas relages, e que ve
Logo aana o estabelecimento, Teceber rnleadosos reconhecimenlos anteriores ea re
o ehefe de familia titulo provisorio nW|fc^-fFlto!eaa|T;"r^Hllwrfei^eB
;
Fui nomcado o capito Manoel Rodrigues Tor-1 Parece que servio de pretexto ao crirae de que
resGalndo para o lugar de delegado do dil- Irot victima o facto de ter elle tomado parte nos
tricto lilterano de Alagoichas, creado por acto I ltimos meeting havidos a proposito da questao
Antonio Chrispim.
propnedade que, saldada a divida, ser
substituido por titulo definitivo.
Em cada faxenda serSo collocadas pelo
Ideeconbeceiido ten iraiierio, corrfessando no ata
que do previlegio, falla de crdito as eXipula-
coes que devem ser mantidas ;
Considerando que o actual previlegio obede
,o~ r,n ceu equidade natural que chamou capitaes t-
menos 40 familias, das quaes l l P" midos para fundar industria de tanto alcance
derRo ser nacionaes, e, teiU a collocago, rjqaeza da pr0vincia. impriinindo llie foi-ea e
construirlo os contratantes
culto e eaaa para escola.
Os immigrantes serao fornecidos
governo, que os far transportar por via-
ferrea ou linha de navegagao at o ponto
mais prximo das fazendas, respeitada a
1 i be rilad e de esc >lha do seu destino por
parte dos immigrantes.
Dentro de 15 annos deverao acnar-se
capella para o sauce&o ;
ConKideramloqoe, a restr-jeeo do trabalho
oa hypotbeBe dos Fupplieantcs legitima porque
! se baseia em lei e contracto, e seria Ilusoria s
pelo
sumia para com lodo o paiz", cuja opiniSo devial estabeleoidas as JjO,OX) familias, sendo
levar por .diante a gloriosa campa ana contra o ^ mmM 150 no primcr0 ann0i 393 no
ferrenho jogo centralisador e suas retrogradas
consequencias.
Nessa campanha, dis3e o distincto pernambu-
cano, dever se hiam empenhar os biios de tolos
os brazileiros, de todos os patriotas, cara o me^-
mo ardor com que se propugnou a independen
ca da metropole ultramarina e a grande cauja
humanitaria da aboligo da escravatura.
Um povo, disse S. Exc, em rpido lance en
tbusiastico, cujo espirito se entrega a nma in-
differenca criminosa pelos seus mais vilaes in-
teresses. pelo seu levaotamenlo moral e polti-
co nao um novo digno dee notne glorioso,
mas urna multidao ahjecta o despreziwjl.
Joaquim Nabuco nao se estendeo as palavra?
que proferto hontem. aaas demonstren, no pou-
co que disse, o mesmo eotbusiasmo ardente
polas suas ceavieeoes democrticas, que Me
lem grangeado a sympalhia dos patriotas brazi
teiros.
Ao terminar, foi o orador saudado com muiia-
palmas e vivas levantados por toda a multidao.
A's 9 1,2 embarcon S. Exc. no afana*! de Ma
riaha, tomando urna laucha a vapor, que o con-
duzio a bordo do Maranhao.
Acompanbaai o notave boraem publico a
Exma. Sra. D. Evelina Soares Torres Nabuco,
sua esposa, e o Dr. Alfredo Gomes Ferreira,
particular amigo do digno deputado pelo Recife,
e que vai de passagem para Washington, no ca
racterde addido de 1* clas.se legago brazilei
ranaquella repablica.
Urna commisso da sociedade Cavalheiros
do Bem offereceu a S. Exc. o diploma de so-
cio protector, orando por essa occasiao o Sr. pro-
fessor Auslncliano CoeHio.
Segundo o ultimo balaacele do Baoco de Hes-
panlia, o numerario era caixa campueba-se das
seguintes especies :
Em ouro
prata
cobre
Prefazendo o total de
80d3i.i69 pesetas
126.74t.316
5,743,78o
213439 271
Comparada esta reserva com a que exista.
vO-se que houve urna diminuico de 7,260,000
pselas.
As notas em cireolacao tiveram urna pequea
reducijao, licando era 720 milndes.
o intuito de defender as reservas de ouro
adoptou o Haneo o expediente de pagar as suas
olas em moeda de prata, o qae tem fetto com
que o publico pretira as notas a ter de suppor
lar oseffeitos da moeda de prata que superabun-
da s n res-idades da circulaco, c que d mar-
gern para agio deveras oneroso na sua troca pelo
ouro.
Esta perspectiva pouco lisoageira que se apr-
senla nos mercados bespaabue4, protaelte com-
tudo sensivei 'oelboria, em cousequenaa das
abundantes colheitas de cereae3.
No momento actual nao deixa de despertar
interesse a situaco monetaria das priocipaes
inslituices de crdito, cujas reservas metlicas
segundo, os ltimos balaneetes publicados, sao
as seguintes :
Baoco de Franga
Banco Imperial da Allemaoha
Banco Russia
Banco Austro-Hngaro
Banco Nw-York
banco luglalerra
Banco Hol lauda
Banco de Hespanha
Bauco Nacional Belga
465.457:li00000
199(193:500 00
152.622:0i)0000
96. 11:000*000
8.MiO:000*'W0
9S.13H339iuO
54.117.0001000
37.952:OOOJOOO
17.539:l)00000
O balanco comraercial entre a FraBja e as di-
versas nacionalidades aprsenla um saldo muito
favoravel, nao so pela concurrencia dos visitan-
tes exposKjao. mas pelo progressivo augmen-
to dus oxporuices, que n'estes 7 meies "se ele
varam j a 252 milfioes em relaco ao movi-
mento do anno passado.
Alem destas causas, que determinam e des
envolvein a prosperidade da Franca, ainda para
cumulo de toaos estes factores a colbeita de
trigo foi das mais importantes de que ha memo-
ria' pois que est avaliada em 130 milboes de
hectolitros e a sua qualidade deveras excep
einnal, porque o peso de cada hectolitro esta l-
xado l-ut. 79 kilos,quando as anteriores colhei-
tas regulara entre 75 e 77 kilos.
A Caixa de Amortisao principiou a emittir
notas de 15000 da 7' estampa, cujos caracters-
ticos sao os seguintes :
Estao impressa3 com tinta verde em papel de
linbo consistente : adundo se asquerda o qua-
dro da quinta imperial de Petropolis ', no centro
a numeracao, os dieeres da nota, e no lugar da
assiifiiatura a cora imperial, que flca parallela
i elligie de S. M. o imperador^ que ocupa
lado direito da r.ota.
O 8.-U reverso representa quadrados de mosai-
cos verdes, apelas interrorapidos no centronelo
lesenho da estatua equestre de S. M. o afD.
Pedro I, a qual est encimada pelas palarlan
Imperio do Brazil c ladeada pelo algarismo
Um.
primeiro anno,
segando, 500 no terceiro, GO0 no quarto,
e nos annos immediatos, salvo caso de
torca maior, justificando a juizo do gover-
no. At 31 de Dezerabro prximo deve-
rao os contratantes ter adquirido em cada
provincia urna fazenda onde sejam inicia-
dos os servicos
da latlilude da express&a quae^quor tecidos
se destarassem um ou alginm dos ramos em que
se exercitasse a aclividade industrial.
Resalvo baseaHo as leis n. i.00 de 13 de
astillo de 1871. n. 1,596 de 21 de Janho de 1881.
contracto provincial com a Companhia, que os
supplicanles representam, e consideracoes ex
postas julgar linn-e e valioso o direito da Com-
panhia de Piac&o e T.cdo^ de Pernambuco, de
oppor se a quaPjoer preteoco que invalide o
arculo das operacOes, que me foram garant
das, pudendo conceder se qualquer dos ramos
dessa indoMria se concorrer o conseotimeuto da
referida Compardiia r,u para tercomeco de exe
oucao, finio o periodo da concessoque lli^ Hora
oulorgada.
Cjiaapeaa da cidadeA'Cmara Muni-
cipal do Recife foi dirigido pela presidencia da
Terao direito os contratantes subven- ^#^1?Presencia de Per-
elode 2oO)J por familia lestrangeira estabe- jnambuoo, era 1 de Setembro de 1889.Rerom
lecida e de 2003 por familia nacional. Alm mendo, com muita instancia, Cmara Mumct
pal do Recite a limpeza das roas da cidade, e
que, de aceordo com o inspector de bysiene,
providencie no sentido de fazer desapparecer
quanto n'ellas possa prejudicar a sade publica.
Na stacio cm que entramos vigilante soli-
citudee exigida !e todos os que devem influir na
publica adininistrarao; cnmiirindo lhs consor-
ciarem se em mutuo auxilio para dcbellar os
multas, quanto tucaliaaco, esUtmnio-ae | aaAts pt0n^s(ItK adviro aos babUantes d'esta
a pena do rescisSo para os caaos de inob- capital, si apropriadas aedidas hygienicas sao
servancia das dusulas referentes a prazos. forem postas em pratica.
Convm que os executores das posturas
aclivem o seu compriarento, sem arteader aos
que despresam meditas sanitartas, cojo esqueci-
disto auxiliar o go verno cota a subven
S*o kilomtrica dV2:OQO5(, at 6^00, s
estradas que foram construidas para ligar
cada fazenda as estradas geraes ou a es-
tagoes de vias frreas.
Providenciou se, mediante systeraa de
Trata-se de empreza de grande vulto,
qual a collocacab de 10,000 familias, e o
nosso vivo desojo, varias vezes naanifesta-! iealo tamas e Mtokietunaas conseqBcwcias pode
do em occasioes idnticas, que a arro- acarretar populaco.
id inieittiva aphe rliante de si a enrreira' A 4rectoria das obras publicas muito re-
ala iniciativa acn Oante ce ai a arreira Ba|ae|ldei attendesse Hmpea do- canos
mais desimpedida o o xito mais prospero, I de e5g0to cu]as tjtotecOes ptridas, cm ceos
prdouzindo a um terapo compensacao sa-1 pontM, deouociam abusos qoe compre reprimir,
tisfactoria para os capitaes, bem estar para-I impedindo qoe as casas particulares utili-em se
as familias collocadas, a, para o Estado ejj^* tnisleres, da canalisaco das*uas
para todo o paiz, as vantagena resultantes E- flara i^qs estes assumptos. nns da cora-
do povoamonto e da formajb do ncleos petenea d'esta Presidencia, oatros privativos da
activos de produccSo e de consumo. Da \ IUa. Cansara, que invoco o seu concurso, cora
parto do governo nao P6de ser mais lon.^t^^.l^^o"1rr
vavel a solicitude com que est Janeando ineir0 deV(.r da administraco. (Assignado).-
bases para proporcionar collocacab prornp- Jlanori Alies de Araujo.
ta forte correte emigratoria que come- Can Ckrlapian -A commisso que foi no-
iao7 ,^ ^, ,i; *n ta-A<, meada pelo povo para agenciar meios de fretar
* umvapoTparairbuscaTaFeraanaodeNorenha
m ex-oraca Autonio nrtspim, neos composta dos
cou em iQO'i e que
r a continuar o seu curso natural, agora
interrompido por circumstancia alheia da
vontade dos poderes pblicos.
Inaugurou-se eui Petropolis, urna fabri-
ca de cerveja denominada Manufactura d
Ctrveja Petropolitana, de propriedade dos
Sr*. Vieira de Mello & 0.
O predio foi construido expressamonte
para esse fim e est situado em u:-i dos
pontos mais apraaiveis de Petropolis (Quar-
tcirio Suisso).
O material foi fabricado as principaes
oflicinas da corte, aprescotando, portan to,
a melhor garanta quanto a sua qualidade.
A forja motria a agua, da qual dispoe
a fabrica em grande quantidade.
Para o fabrico da carveja tiveram os
proprietarios de faxer acquisiyio de urna
nascente prxima por ser o liquido do pri-
meira qualidade que dahi vem canalisado.
A fabrica est prvida de todos os ap-
parellios necessarios e pode produzir at
dez mil garrafas de cerveja, diariamente.
Sao representantes e depositarios da cer-
veja na corte, os Srs. Jos Fernandos
franja &C.
Segundo o Railway-Age, de Chicago, o
total de inilhas construidas no priraeiro
semestre deste anno foi s de 1,522, con-
tra 3,600 no periodo correspondente em
1888.
A maior parte das novas
nos Estados do sul, que estao na lista
com 7*4 militas: o que mostra o grande
incremento quo vai tendo aquella regiSo
do paiz.
O mesmo peridico avalia ein 4,300 mi-
lhas o total que deve ser construido este
anno, contra 7,000 e 13,000 em 1838 e
1887.
REVISTA DIARIA
Anuullnrao de concurrencia Por
portara da presidencia da provincia de 19 do
correntb foi annullada a concurrencia feitaemlo
do correnle para fuudacaode II engenhos cen-
iraes de que trata os edilaes de 20 de Abril 3, 4,
20 e 25 de Main, 13 e 22 de Junho e 19 de Jullio
ultimo, mandndose lixsro da 25 de ululiro,
para apresentaco de novas propostas alim de
poderera os proponentes harmonisar as mesmas
com as'clausulas do regulamento hontem expe-
dido.
co offlriae Por aclosda presidencia
da provincia de ante hontem :
Foi aposentado o procurador da Cmara Mu-
nieipal do Recife com a penso anrtnel de
7:656*059, que correr por conta dos cofres da
referida Cmara.
Foi removido, poraccesHi, oprofessor hialino
Izidio da Costa Vieira; da eadeira de Floresta
para a de Caruaiu, vaga pela jubilagb de Sil-
vestre Antonio de Souza.
Srs. Dr. GlodoaJdo Monteiro Lopes, Dr. Gaspar
de Orummond, Francisco Pereira Cardoso, los
Joaquim CueltTO Leile. Amenco Vespuciode Al-
netda VeRoso Jnior, -Fclicrano de Barres Mo-
reira Lima e Domingos Manoel Martins, que,
petes seas corapanheiros, foi escolhido para the-
soureiro.
A subscrip?ao orea em 6221500. Ha, porm,
um honrado negocian te quedeelaroo que tirassem
800*000, que elle se obrigava a eompletar o va-
lor do frete do vapor.
Abte ~ Somos informados de que a Rece
bedoria Provincial tem dado diversas certtdoes,
ramo estando conectadas e pagaado imposto, de
casas que pela'lei provincial n. 1,5ii estao isemp-
tas de pagaren dcima.
Taes certidOes, occullando essa circumstancia,
sao maei fes lamente abusivas e fraudulentas.
O ti a d'ellas serviivm para qnalrticacao de
phosphoros eleitoraes.
Prevenindo dessa fraude os juizes que unecio
nam no alisiaraeutu, chamamos a aitencao do
Exin. Sr. conselheiro presidente da provincia
para o modo de agir da Reeebedoria Provincial.
Armada narloaalChegou hoMein da
Haba a canhoneira Traripe, que vai estacionar
no Para. E' seu comraandanie o Sr. capito-
teoente Antonio l^m Cmara.
Tambera chegou anlelionlem do sul a ca-
nhonotra Laamgo, ao commaBdo do Sr. eapitao-
teneute Jos Pereira Guiraaraes. Esta vai esta-
cionar no Amazonas.
xiuMlnaio Hontem, s 4 e 1/2 horas
da larde, na ra do Imperador, foi assassinado
cora uraa puuhalada uo pello direito o brazileiro
naiuralisado Ricardo Guimares, que, estando a
conversar com diversas pessoas no canto da ra
1 de Marco, foi bruscamente aggredido por um
individuo acabo lado, que nos disseram ser
guarda li.-.cal da Cmara Municipal, era exerci-
construccoes | c0 na (regaeia da coa-Vista.
0 assassino, apenas commetteu o attentado,
correu, e, segundo a voz publica refugiou-se no
predio onde tem seu estabelecimento o jornal
A Provincia.
0 povo, que estava disperso em pequeos gru-
pos pelos cantos das ras que cortara a do Im-
perador, aflluto logo para a frente e fundos do
alludido predio e o cercou, reclamando a entre-
ga do assassino.
N'esie cmenos, che-gando ra do Impera-
dor o Sr. Dr. Gaspar Drummond, e sendo infor-
mado do que occonia, e instado pelo povo. diri
gioseao palacio presidencial, e referindo o
laclo ao Sr. conselheiro Ivs de Araujo, solici-
lou provideucias.
Releva dizer aqu, que al ento, nao obstante
o cnuie e o ajuiitaraeulo da povo, nao se achava
presente a polica, e o corpo do infeliz Ricardo
Cuiniaies estava exposto uo local em que ca
tura elle, victima do puuhal homicida.
S. Exc. o Sr. conselheiro Alves de Araujo,
logo que leve iiilomiacao dos lacios, prometteu
provideuciar en ordera a ser capturado o assas-
sino e pedio ao Sr Dr. Gaspar Drummond" que
parilicasseo animo do povo.
O Sr. Dr. Drummond, regressando roa do
Imperador, pedio prudencia ao povo, que real-
mente se acalraou, logo que all chegou a forca
de guardas civjcos ede avallara, que poz era
ce.co o recanaa predio ; aguardndose, entre-
tanto, a rhegada do Sr. Dr. chefe de polica para
ulterior deliberacao.
O uiorto Ricardo Gaimaracs, naturallsado bra-
aileiro, era republicano e agitador, mas hornera
incapaz de offeoder physicarac.t e a quem quer
que fosse.
Foss1! esse, pjrem, ou fosse oulro o prelcx'.o,
o certo que foi brbaramente assassinado
n'uraa das ras mais publicas da cida la, s 4 e
1/2 oras da tarde, e sera quj nenhuma causa
imraediata tivesse provocado esse cruel acontec
ment.
At 7 horas da noite, mesmo deoois de ler
cliegado ra do Imperador o Sr. Dr. chefe de
4>oIieia, nao liaba sido preso o assasino. A
ra do Iraperadar, entretanto, conserva a aspecto
de un acampamento : filia 4 dooradas de guar-
das-cvicos guardam o odiiicio onde est A Pro-
fineta, e percorrem a ata piquetes de cavaaria.
|pque marcham airte largo.
A aititude daaavo a da expectativa.
(1 que siirgiri-de tndo issof
Sao 7 e 1 i boras da noite. Ve 110 nosso
esenptorio o Sr. Dr. Julio Cesar Furlado de Men
donga, e nos disse ter sido testemunha presen-
cial do crime.
0 Or. Julio Mendonca disse nos que o assas-
sino foi effectivarnente o guarda fiscal por nome
Paula Nery; e que depois do criiu-, perseguido
por diversas pessoas, refugiou-se elle de facto
00 predio onde tem sua typographia A Pro-
vincia.
Accrescentou o <'r. Julio Mendonca que, quan-
do o criminoso ia-sc recomend ao indicado
predio, estavam postadas em frente a esse pre-
dio, na calcada opposta, as ordenancas do Dr.
delegado do 2* dlstricto, as quaes correudo em
direccio queHe edificio, toraaram a porta por
onde entrara o criminoso, evitando assim que o
povo o perseguisse.
O co.rpo de Ricardo Guimares, que tinhi sido
depositado no convento de S. Francisco, foi s
7 horas la noite removido, por ordem da poli-
ca, para o cciniterio de Sanio Amaro.
0 rommercio das ras do [operador e suas
adjacentcs fectiou as portas desde 5 horas da
tarde.
Sao 9 horas da noite. Nao consta ainda
que tenha sido preso o assassino do rnfeliz Ri-
cardo Guimares.
O povo dispersou-se. A forja publica conti-
na de soiitinella na ra do Imperador.
Informam-nos que foram testemunhas pre
seniaes do crime os Srs. Mano'd da PaixQo
Vieira, esludante; lente Francisco (llaves do
Monte, empregado na Alfandega ; Luiz Augusto
do Rosario, morador na ra Mrquez do llerval,
e Braulino Jos do Miranda, empregado no com
mercio.
Ah tem a polica os (ios da mciada ; puxe
por riles; e s nao prender o assassino se nao
qmser.
Expaiiramciilo Atile-hontcrn, cerca de
9 horas da noute, a rtia Nuva de Santa Rita, do
10 disincto policial, da fregueza jle o. Jis, foi
llieatro de una aggreasao brutal,leita parir*
pracas do 2o batalho de infantaria dous cida-
dos paidlicos.
Um destes, donme ValentimChristovoTlieo
domiro Santiago, estando na porta da espada do
predio n. ;tl u'aquella ra, mansa e pacificsmeu-
te, foi ag^redido e espancado pelas ditas pracas,
licando com diversas cotitusOes e ferimeatos.
Procurando evitar seas aggressores, Valentim
deitou fugir; mas foi perseguido pelos iraros
militares, que, ao que parece, estavam pocessos.
Na carreira e.n que iatu. nao repiraram eai
quem Ibes g'itou que se coiniressem ; "e, creu lo
que o grito partir do alferes da guarda nacio-
nal Antonio Cardoso da Silva, que, tendo fecha
do sea estabideriraenlo sito na mesma ra, tran
quitamente dirigia-se para a casa de sua resi
deacia, aggrediram n'o tambera de sabr era pu-
nho, feriudo o e espaucan loo.
0 Sr. alferes Cardoso da Silva deu voz de pri-
so as trez indicadas pracas, nma das quaes
cabo, e dirigio-se p*ara a <1> estaco da guarda
cvica, para onde se dmgiram tambera as pra-
cas, que cooseiiuicam prender a Valenlira.
Alli chcitaado, o atieres Cardoso da Silva deu
queixa contra as pragas ao Dr. delegado do 1*
dislricto, que tomou por termo essa queixa, e
mandou por em libcrdade Valenlira.
Entretanto, o Sr. capilo Juvencio Cezar, sub
delegado do referido Io districto de S. Jos, se-
gundo nos informara, inutilisou o termo da quei-
xa que fra lavrado, alim de que licassem ira
punes as pracas !
Tudo isso que ahi dea sigelameote narrado
constituc abuso e violencia ; e para o caso pe-
dimos a attenco das pnraeiras autoridades da
provincia, que, liamos, no deixaro passarscm
correctivo o facto.
ConcreMO iHNtruclIvo Pernanalin-
rnno FuncciuQou lionteui a respectiva direc-
tora em sesso ordinaria, sendo proposto socio
effectivo o Sr. Eloy Castriciano de Souzu, e to
mando posseo Sr. Francisco Cavalcante Pessoa,
a quem o orador da associagao dirigi palavras
de boa viuda nos termos dos estatutos.
Km seguida procedeu-se ao ultimo sorteio pa-
ra apresenlaco de llieses, e levantouse a ses-
s5o, devendo ter lugar a prxima sesso da as-
sembla ce ral na futura quiola-feira hora e lu-
gar do costurae.
Perlnaento mortal Por volta da 8 horas
da noute de ante-hontem, 00 lugar Paiol. dis-
lricto policial do Peres, fregueaia de Alegados,
Horacio Olindense Brasiliano ferio raortalmente
com uraa lacada a Jos Flix dos Sanios, com
quera travou querella.
O criminoso evadise, e o ferido foi recomi-
do ao hospital Pedro 11.
Empresllmo nacionalSegundo o Jor-
nal do Coimaero, as subscripcOes para esseem-
prealrao lizeram-se do modo seguinte :
gaard, assassinado era dias do anno passado a
ra do Imperador.
O Sr. Icttenle-cjronel Herculano Cavalcante
apresentou a lista da subseripca, promovida em
Olinda, no valor d: 356*000, e os recibos pro-
vando : que foram pagos 148*340 de diversas
coalas de objectos para luto da familia e outraz
despezas. e qu foram entregues viuva Rcg-
gaard 208*060.
0 Dr. Figueiroa coramunicou que, segundo ve-
rilicou, existe era po ler do Sr. commendador
J >sepfi-Kraiise th^HOureiro das commissOes, a
quanlia de 659*300.
Resolveu se. que fosse appcada dita quantia
compra de um ou dous predi >s em Olinda.
para os orplio-, tejido o seu usufructo a viuva
do lenle Pedro Reggaard.
ftaeramiciimbidos unSbciuar eua compra os Srs leadme coronel
Maranl.mo CavaIcaole, alferes Jos Samuel fi)-
udho e Joaquim Baphael de 8ouza Gonzaga.
Sociedade Ijttteraria u.t (ii 1 <>.
Di!Sob a presidencia do Sr. 11. p'imenlel,
hontem funecionou essa sociedade. sendo admi-
tidos na qualidade de socios eOclivos os Srs.
Ofivcira Santos. L. Salazar, Daniel Mello. Malina
Faifas, Seraphim Cosa, Bezerra de Gouyeia.
Claudio llibeiro e I'aes Barreto; c approvada
como socio honorario o Dr. Maciel Ribeiro; e
tomando po.;se o Sr. Oliveira Santos.
Em seguida procedendd-se eloico para se-
cretarios foram eleitos os Srs. Souza Santos a
Cruz Jnior, tendo aps lugar o jury histrico de
person-igem Heni que Dios, no qual serviaram de
promotor o Sr. A. Campos e de advogados os
Srs. Lucena Jnior e Cruz Jnior e cujo resul-
tado foi a absolvieao unnime.
0 Sr. presidente levanlando a sesso, designo
a quiula feira prxima, ultima sesso, para ter
lagar o jury histrico de Fernandez Vieira.
airctoria aa* obran de eoaaerra-
oo do Port de a*eranii>ncoReci-
fe. 18 de Setembro de 1889.
Holetiin meteorolgico

Horas 0 = e u2
S p Si
^
E-1
6 m. 24-
9 281- .
12 29>-
371. 29-
6 27*
fiarorr.etro a
768*87
763-83
"t?3"07
760-97
761-53
Tenso
do vapor

17 54
19.23
19.62
1913
18 59
o
-o
1
3
x.
7S
66
63
62
61
temperatura mxima30'.25.
Dha'fuiuima 23\00
Evaporaco em 24 horasao sol: 8T.6 ; son-
ora : 3-6
Chuva Duila
Direcefio do vento : SE. ESE e E alternados
de mea noite s9 horas e 10 minutos da maohS:
E at 3 horas e 5minutos da tarde; ESE at6
horas e 53 minutos ; E ate 8 horas e 48 minutos;
ESE al 10 horas o 45 minutos; SE at meia
noi e-
Velocidad.e media 10 vento : 1,57 por se-
.urdo. /
Nebulosidade media: 0 2i.
Uoletim lio porto
--'3 a P. M-B M. P. M. 5. M Dias Horas 1140 da manila 5-59 da tarde 022 da manh 641 Altura
13 de Selemb. 19 de Setemb. 1",7# 1",0S 1-.77 0.'87
A9i
. 94
. 92 1/2
> 92
91 1/2
. 91 1/4
91 1/8
. 91 I 10
.91
.90 3/4
. 90 1/2
. 90 1/4
90 1/5
. 90 3/20
. 90 1,8
90

30:000*000
60000*000
3,175000 '000
6,780:000*000
44,011:000*000
400^)00 *O00
l,7oK000.000
4:00 26,445:000*100
|00c000*000
19,188:0005000
400-000*000
SO.DWWOOO
UO:0DO*O0O
9,040 000*000
112 693:000*000
269.3-6:000*000
14
12
26
8
18
18
Sil
328
14
3
Total 382,079:000*000
Tendo a somma subscripta a preco superior a
90 excedido do total do emprestimo, os subscrip-
tores a 90 nao serao contemplados.
I s. dlairaeta Sao mais conhecidos os se-
grales resultados da leico procedida em 31 de
Agosto, no 13 dislricto desta provincia :
Boa-Vista
Dr. Antonio de Siqueira
Capilo Castro e Silva
Dr. Moreira Alves
Boa-Vista
Dr. Antonio de Siqueira
Dr. Moreira AHres
Belmonle
Dr. Moreira AUee
Dr. Antonio de Siqueira
Resumo da votacao conhecida :
Or. Autonio de Siqueira
Dr. Moreira Alves
Capilo Castro e Silva
Dr. Martins Jnior
Companhia de pdlflcaro iL'vcm re-
unir se hoje. ao meio dia, no 1" andar do predio
rs. 77 da ra do Imperador, os accionistas da
Companhia de Edificaso para o fim de delibe-
rarein acerca de assumptos de mor valia.
Nacramento do* Afosados Os mera
bros da irraandade do SS. Sacramento de \fo
gados reunir-se-hio no domingo, 22 no corente,
s 10 horas do dia, adra de tratarem de assump
to de grande interesse da corporacio.
Diploma de deputado*As respecti-
vas juntas apuradoras j expedirara diplomas
de depatados :
Pelo 1 distrlcto, ao Dr. Joaquim Aurelio Na
buco de Araujo;
Pelo 2o dislricto, ao Dr. Jos Marianno Carnei
ro da Cuaba;
Pelo 3" dislricto, ao Dr, Arminio Coriolano
Tavares dps Santos ;
Pelo 4o distrlcto, ao Dr. Joaquim Tavares de
Brrelo.
Patrimonio Be*aard Reuniram se
bolem os Srs. atieres Jos Samuel Botelho te-
nente-coronel Herculano Cavalcante d'Albuquer-
ue, leaquim Rapuael de Souza Gonzaga e Dr.
elippe de Figueiroa Fana, meraoros n com-
missOes que se incuoibiram de constiiuir um
patrimonio para a familia do tenentePedro Reg-
i.niei-Eileciuar-S'iftao os segumies
Hcje :
Pelo agente Brillo, s 1012 horas, no pateo de
Terco n. 19. de urna armaco envidracada e miu-
deaas de diversas qualidades.
Pelo agente Martins, s 11 ho.-as ra do Be-
ro da Victorio n. 14, de movis e mais objectos,
Anianh:
Pelo agente ritto, s 10 '2 horas, ra do
Jasmim n. 25, de movis e muilos e variados ob-
jectos.
nuKan fnebre*Sero celebradas :
Hoje :
A's 8 horas, no convento de S. Francisco, pela
alma do bacharel Joaquim Gueanes da Sil va Mello;
s 8 horas, na matriz da Boa-Vista; pela alma
de D. Clementina dos Santos Bezerra.
Atnanha:
A's 8 bo-ras.na matriz da Boa-Vista, pela alma
de D. Philomena Carolina de Figueiredo Car-
valho.
la*iaaelroChegados do snl no vapor
tnglez a Plata:
Domingos Leopoldina da Silva,A. de Figueired
Rimes, Jos Geraldo B'ierra de Menezes.Dr.
Eduardo Rodrigues Tavares de Mello, Alfrede
Jaquos Liauser, Pauliua Mara da Gonceico, Al-
fredo de Souza Mello. Dr. Jos Rodrigues Tavaret
de Mello, Osmood P. Cox, Preyor.
Sabidos para Europa no mesmo vapor :
Wood, sua senhora e dous fillis. Dr. Pint
Pessoa Francisco A. ATelino, capltSo B A, Mul-
ler, F. Nilsen Manoel da Cmara e um filho.
Caaa de iieirnraoMovimento uos pre-
sos da Casa de Detenco do dia 18 de Setembro
Ut 1889.
Existiam.454 ; entraram6; sahiram 17; ex-
tera 443.
A saber:
Nacionaes 387 ; mulhere3 24; estrangeiros 31,
mulher 1 -Total 443
Arragoados398.
Bons 375.
DoentestI.
Loucos 4.-Total 398.
Movimento oa enfermara
. Tiveram baxa:
Jouquim Maiheus do Nascimento.
Saturnino Alves Pereira.
Libanio Jos de San'Anoa.
Honorio Rodrigues Bezerra.
Bo*pltai Pedro li -O movimento deste
estabeleciraento de caridade, no dia 17 de Setem-
bro foi o seguinte:
Entraram 22
Sahiram 12
FHeeeram 2
Existem 586
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Drs.:
Moscoso as 8 114, Gysneiro s 9 3]4. Barros So-
Oriah) s 7 1|4, Berardo s 10, Malaquias s 9,
Pontual as 8 3|4, Estevo Cauaioante s 8 1[4,
Siraoes Harbosas II horas.
O cirurgio dentista Numa Pompilio s 9 ho-
ras.
O pharmaeeutico entrou s 8 lj4da niaaba e
tahios3 1|2 da tarde.
0 ajudante do pharmaceutico entrn s ^4
la manh e sahio as 6 horas da tarde.
i.oii-ria da rana-ParA 3a parle da
29' lotera, dessanrovincia, cujopremio grande
t20:0000u0i -era extranida no da 35 dSetem-
annl
A 3 parte, da dd 856^)00*000, ser extra-
bida no da JO dooorreate.
brande lotera do Maranhao -A 7a
serie da Ia lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:"00000 s-rextrahida no dia 3#
de SeJcmbre.
Cemiterio PublicoObtuario do da lt
de Setembro de 1889 :
Clementina da Rocha Gnedes, Pernambuco, 53
annos, solteira, Ba-Vista; gastro-enterite.
Mara da Silva, Pernambuco, 18 annos, soltei-
ra, Boa-Vista; tubrculos puhnonares.
Vicente Jos Raymnnlo, Pernambuco, 60 an-
nos, casado, Alocados ; cachexia palustre.
Feliciana Maria da Conceico, frica, 80 an-
nos, solteira, Boa-Vista ; cachexia senil.
Ramira Constancia dt Magalhes, Parahyba, 4*
aran, viuva. Boa-Vista ; dyarrha.
Milito Bernardo do Reg, Peraambuco, 24
annos, sblteiro, S. Jos ; congesto cerosa.
Manoel. Pernatabuco, 1 anno, S. Jos 5 convul-
scs.
Raymundo, Pernambuco, 20 dias, Graca; as-
cite -
.
M POCO DE TDO
Teociona visitar a India, em Novembro proxi-
aac, o principe Alberto Victor, tilho mais vela
do principe de Galles.
A ramira approva o projeclo da viafara, aab
permittiono, oorm, que se loe d um carcter
oflieial, como na do principe de Galles em
1865.


P
-
-.
1 in 1
ana-







Diario de PernambuOTSexta-fera 20 de Setembro de 1889
3
^Wwy .......
do oavaanuinentoa pblicos, jauto pri-
meira autoridade da provincia.
Foi isto o que se passou e nao o que
diz o Jornal.
Ainda mais : o conselheiro Aranjo t pe-
dio ao Dr Drummond que fizesse tudo
para que se diss-lvesse em paz e o mais
prudentemente possivel a grande massa de
povo frente do qual viera S. Exc ,
PROMETTBD estadar a questao que agitava
a alma- popular procedendo depois como
fosse de justica. >
Estas foram as palavrs* do presidente
da provincia ditas commissao popular, e
nao aquellas que diz o mentiroso orgilo.
Seja, portento, o Joma1 do Recife na
pouquinho mais serio e principalmente
mais verdadeiro as suas noticias para que
nao possa ser tido por jornaleco inconsien-
cioso e lem nenhum valor moral.
Um conselho ao qualitativo....
Jakomensck.
V.
i



i
1
Alberto Victor ser acjrapanha lo de uin se-
quilo pequeo : e na telegramma d como cerlo
que Ihe servir de cicern) sir E^uard bradford.
O passeio coraprHicnder as principaes cida-
des de cala presidencia, alguns estados nativos.
as grandes estacte militares do Noroeste e de
Punjab, e aigumas excurses de caca.
Cmo a visita tera um carcter quasi privado,
desejo do principe de Galles que se evitem os
entrett-nhnentos de grande ceremonial e que se
nio recebara ou nao naja absolutamente troca de
prsenles.
0 principe Alberto Victor fez j a sua estra
na vida publica presidiado a varias sesses de
inaugaraco e abertura de estabelecimentos
e dizem que 6 indigitado para vice-rei de Ir-
landa.

A armada ingleza vai ser augmentada consi
dera vi mente com dous formidaveis cruzadores
de t class Blak' e Rienhtim.
Tero 375 pos de onpriiuento e 65 de bocea.
O armamento ser dea pegas de ii toneladas,
10 de 6 pollegadas, de tiro rpido, e 18 de 3 li-
bras, tambera de tiro rpido, diversas raetralha-
doras e 4 tubos para torpedos.
Sao de dous hlices e de forca de 20,0^ ca-
vallos, deveodo ter velocidade de 2i knots, ten-
do carvo para percorrer 15,000 milbas marti-
mas, a 10 por hora.
O Blake est sendo construido no arsenal de
Chalara e o Blenlieim, por contracto, no Thamw
Iron Works.
Na Croacia tinhase generalisado a noticia de
que o mundo devia lindar n'um sahbado.
Nesse dia urna multido de 40,000 prssoas reu-
nio-se na aldeia de S. Pedro de Crorestcc em
peregrinaco ao templo da nova iraagera da vir-
gera que all se venera.
Bebentou orna grande tempestado e os pobres
afanaos julgaram chegaJa a sua ultima hora
Sbito urna oraba que eslava ponsada n'uraa
arvore visinha do templo levantou o yo e atra-
vessou o ar por cima da enorme multido.
Ura clamor immeoso celebrou o facto altri-
buindo-o a railagre da virgera. Ura pobre diabo
manilestou duvidas sobre o railagre, e foi per
seguido pela raullido e morlo pancada. Se-
guio-sc urna grande desordem. Acudi uraa
companliiade infantaria que nao conseguio res
tabelecer a ordem.
A final l appareceu o cura de ura povoado
visinho que fez ura sermao aos devotos da vir
gem e conseguio que dispersasspm.
Mais tarde clieiraram mais dous batalhes para
eonterem os amotinados fazendo-sc alguraas pri-
sOes.
Do inquerito a que se procedeu concluiose
que a poraba tinha sido levada para all por um
camponio.
*
Umhollandez, excellenie patinador, acaba de
fazer u na aposta originalissima, islo que ir
a Paria em palias de roaas no prazo de oito
dias.
Foi no dia 2i do passado que parti de Aras-
terdo patinando.
As testemunbas e os que apo.-taram contra so-
guera o em carruagens, atim de apreclarem me-
lhor as co.idicOes era que curapre a aposta.
*
Os indios da America do Sul sao de urna ex-
trema voracidede sempre que tem supnortido
um largo jejum.
Sace," nn'iiibro correspondente na Bolivia da
Sociedade Nacional de Agricultura fraoceza, as-
segura ler visto comer a dois indios sessenla
ovos de cairao cozidos.
Estes ovos, como se sabe, sao do laraanho dos
ovos de ganso.
Por outra occasio, quatro indios, que leva-
vara urna manada de gado vaceum para Monte-
video, mataram no caminho urna vitella de de-
zoito mezes, da qual no diaseguinle nao resla-
Tam mais do que os ossos.
*
Na Allemanha e na Austria est se vulgari-
sando urna raca de gallinhas, conhecida pelo
nome de Transilvanias, que, econmicamente
consideradas, do excellentes resultados
Taes gallinhas, de azas curias, pernas uros-
sas, pescoco sem pernas e esqueleto compacto,
tanto se distinguen! das communs que tm sido
inuleii para conseguir o cruzamento das nicas.
Todava, corno sao pooco exigentes no tratamen
to e alimeulaco, vulgarisam se mu-lo nos paires
do noite, dando aos avicultores lucros impor-
tantes, porque, alera de fornecerein muita car-
ne, produzmn annualraenta, as pocas de mais
fri, de 160 a 30 > ovos por gallinha.
^
M. M. A., azulebranco. 3 Palpite, LP.L.,
encarnado e branca.' 4 Je ne sais pas, M. L.
G., prelo 5 Faz Tavor, L. A., branco e preto.
Observacoes
Pede se ao3 Srs. Andarilhos o favor de eita
rcm no Prado Pernambucano labora antes da
corrida.
A directora resolveu para facilitar o ingrenso
do publico na toilette a resumir os precosdos bi-
lletes da mancira seguale :
Gcraes.....500 rs.
Archlbancada e toilette 1*000
Poule.....2*000 .
O gerente interino,
Odilon Cabra!.
IBLICACOES 4 PIOlll
13districto
SPORT
Encerrou se effectivamente no dia 10 a in-
seripeo para o grao*- premio Major Sachte,
fue tr logar no Jockey Club do Rio de Janeiro
no dia 22.
Foram inscriptos para o raesmo narco : ani-
naes nacionaes de meio-sangue2.500 metros
premios 4:000*000. 800*<*K) e 4005000: ero,
Tenor, Monitor, Pierrot, Odalisca, Embargo, Zig
e Tenorino.
#
Pelo Halley ebegaram da Inglaterra ao Rio ha
ponco:
Urna potranca, fllha de Slandart e Briony, pelo
*Ranger e Westhourne, por Stockville, Zana, 2
annos. Ganbou em Salisbury era Maio ultimo
o Juvenile Pate. 1000 metros, premios 100 libras
Pertenceu a lord Portsmooth.
Grief, filha de Laramermoor c Christinc, por
llighborn e Melody por Macorow, alaz, 2 annos.
Tem boas corridas e.n Inglaterra, onde perten
ceu a Mrs. Eyrs.
Rubric, potro filho de Tonchet e Simbrck, por
Favouiu u Sanclitj por Calue, castaulio. 2 an
nos. Correu a 28 de Junho o Giande Pate era
Sandown Park, e a 2 de Julho era Bibury alcan-
eando o 3" logar. Rubric e pelo pai irrao de
Sorceress. que no ultimo de Julho ganhou tuna
corri la em Goodwood e foi logo vendida por
1050 libras; b;-m como de Fullerton. cujas vic-
torias nos hippodromos mglezes sao demais co-
nhecidas.
Esses animaes sSo de formas muito lindas,
foram recolhidos s cocheiras de Ph. Sedestroon
k C. e ahi aguardara negociaco, tendo Rubric,
que pertencera em Inglaterra a M. T. annon,
sido j vendido na Corle coudelaria Progresso.
Steeple-race Club
Programma da 3. corrida que realizar-se-ha
no Praao Pernambucano, sabbado 21 docorrente
s 2 horas da tarde.
Juiz de partida.-Illm. Sr. Anastacio F. Cabral.
Juiz de cotifirmacao.Illm. Sr. Dr. Raymundo
Chamo a attengio do publico para as carias
que acabo de receber de Boa Vista e Salgueiro
e vo abaixo publicadas.
Sao a prova de que nao me enganei quando.
em artigos anteriores, denuociei que os meus
correligionarios seriam victimas de alroi per-
teguico por parle dos amigos do Sr. Bario de
Caiara, que, lendo 3 suas ordeos o presidente
da provincia, queria nao s conseguir a eleigo itu
meu honrado competidor, o Sr. Dr. A. de Siquei-
ra; mas principalmente mostrar o seu enorme
poder no 13 districto o su feudo I
E;I passada a eleicio e as perseguicoes ho
de ccnlinuar, ao menos at que novo adminis-
trador vnlia para esta provincia, porque doSr
Alves de Araujo j nao licito esperar actos
de energa e moralidade. Tomaram-lhe o fole-
go!...
Eis as cartas :
Boa Vista, 1* de Setembro de 1889. Illm
e Exm. Sr. Dr. Moreira Alves.Vela mais hor-
rivel pressSo exercida contra os nossos correli
gio.iarios, conseguiram os liberaes triumphar
hontera, oblendo V. Exc. 8 votos o e seu compe-
tidor 26. Logo aps a eleicao os nossos adver-
sarios, uo satisfeitos com a victoria, embria-
gara o eserivo Franco, para insultarnos e at
aos seus superiores.
Os actos praticado-; por esse infeliz foram
de tal ordem que for^aram o Dr. Banevides do
Prado, digno juiz muninicipal, a suspndelo
correccionalmente po-30 das.
Esta suspenco caasou a melhor irapresso,
pois os desatiuos praticadoa por esse eserivo.
o estado em que se conserva de embriaguez, tera
produzido geral ind gmco e j lizerara con
que os seus proprios correligionarios chamas
sem a atlenco do goveroo pelo Jornal do Recife.
Nao obstante isto, portn, alardeia o Dr. Agnel-
lo Gonzaga, po: desgraga desta trra seu juiz
de direito, que por causa de tal suspencio sera
processado o Dr. juiz municipal
V- Exc. nao ignora de quauto sao capazes os
horaens da situaco. O Dr. Bcnevides nao o
nico ameagado e quanto a autoridades poli-
ciaes e a juiz de direio estaraos pessi mmente
servidos.
Pega V. Exc. ao goveroo providencias demo
do a que nao sejamos trucida los.
Confiado era V. Exc. continua ao seu dispor
o de V Exc. correligionario ele etc.
. Illm e Exm. Sr. Dr. Moreira Alves. Sal-
gocire, 2 le Setembro de 1889. -Compnraentan-
a V. Exc. venho communicar-lbe os pormeno-
res do que aqui occorreu por occasio da elei-
cao. Em mniha ultima caria disse Ihe o estado
era que nos achavaraos e remetli Ihe urnas lin
has para serem publicadas o que electivamente
succedeu. Poisbem ; desde enlo as cousas
peioraram rauito graras sobretudo ao Dr. juiz
de direito, o mais energmeno de quatnos juizes
polticas que lelil conhecido.
Elle diz, alto e bora sora, era toda parte, sera
nenhurna reserva, que qnem fr liberal tem sal-
vo conducto, pode fazer tudo quanto quizer. O
rigarto, mentindo aos preceilos da religio sar.c-
la, de que ministro, l pela mesma cartilha do
desabusado magistrado.
O subdelegado "Leitinho, importado expressa-
raente. pelo Sr. de Caiar, de Tacaral para esta
comarca, encorajado pelo juiz de direito e pelo
rigarlo, tera feito coasas do arco da velha.
Os meios empregados, para a campanha elei-
toral aqui, foram a ameaca, a promessa de empre-
gos c dinheiro, e alinl o emprego da forja pu-
blica I
O juiz de direito, o vigario e o subdelegado
mandaram effeeiivamenle. no dia da eleigo, a
forca assistir aos resp'ictivos traballios no edifi-
cio em que funecionava a mesa, e, a Douca dis-
tancia, eslava collocado um grupo de paisanos
do referido subdelegado, armado de pistolas e
facas de pontas, prorapto para o que dsse e
viesse.
Si nao fosse muita prudencia de nossa parte,
s Deus sabe o que poderia ter acontecido.
O partido conservador conta neste collegio
mais de 80 eleitores, c p puderam, vista das
violeocias e ameacas empreadas, volar 47 !. .
Passou a eleicao ; nas asaracacas continuara.
O que ser de nos ?
Ire dando conta do que occorrer, a V. Exc,
de quem sen, etc., etc.
E' preciso notar que, particularmente e pela
imprensa, eu havia, antes da eleicao, reclamado
do Sr. Alves dj Araujo providencias contra a
permanencia de Leitinho como subdelegado de
Salgueire.
S. Exc, apreciando a procedencia das oiiubas
allegag6es, prometteu atlender-rae; mas, como
sempre, faltou sua promessa e fugio ao cum-
priraento do seu dever!
Dou gragas a Deus por ter a prudencia dos
meus araigod evilado que graves perturbages
da ordem se dssem, nessa como as demais
localidades do 13 disiriclo, e continuo a acon-
selnar a lodos a malo- inoderago, a maior cal-
ma diante das violeocias dos agentes do go
verno.
Nein sempre ser presidente do conselho o
Sr. Visconde de Ouro Preto, o mais desabusado
dos estadistas brasileiros, e administrador desta
provincia o impvido Sr. Manoel Alves de Arau-
jo.
Nem sempre !
Tempo vira era que, governem conservadores
ou liberaes, o cidailo encontr, da parte das au-
ctoridades, respeito e ga-antias aos seus direitos.
Os dias da existencia deste govemo violento,
arbitrario, defraudador dos dinheiros pblicos,
esiao contados.
/. Moreira Alves.
Recife, 19 de Setembro de 1889.
ferimos e que foi publicado no 'omt dar'Hetffe
n. i)3. mas nao o quizera n faer sem lY al
ta e refleclitlameule a obra que se.rvio(??. ) de
orculo s theonas do redactor das Quottdia-
nas.
_ Apreciaraol a delidaraente e nella escudados
vamos dar uraa rcsposU ao sophisiico escriptor
que tanto abusou da credulidade publica.
Nao se pode ser mais impudentemente cap-
cioso.
'ois ento?
Ura articulista querendo fazer figura langa rao
de um autor de nomeuda e falo subscrever a
sua illustragao, de catalogo, pelo que vemos.
E assim.
PliiIip,)on, era todas as 380 paginas do seu pie
cioso Irabalho, nao tem um argumento siquer
que podesse ter servido de base s fallaciosas
assergdes do escriptor das Quotidianas.
Philippon quer siraplesmenle provar, esludan
do histricamente a que-lo. que o mandato era
queslo irapoe ao mandatario obrigages que
tem variado de accordo com as pochas.
E i fado notavel! ..) a obra nao se compe,
como disse o quotidiano collega, de 3 captulos
smente, mas sim de 2 livros, comprebendendo
o priraciro 4 captulos e o segundo 2.
Entre parenthesis : o collega teria lido o vo-
lurae smente pelo lombo ? E' o que parece..
Mas prosigamos que a larefa pesada.
O carcter imperativo do mandato nao est,
como deixamos transparecer mais cima na sua
aceitago, mas sim na obrigatoriedade das con-
digOes seb a* quaes teve lugar o contracto.
Citemos Philippon :
E' cora effeilo da propria essencia de
mandato i i por certas obrigages aquelle que o
recebe, de tragar a este urna norma de conducta
da qual nao se poder alfastar.
Mais ainda : na Hollandaos deputados erara
simples delegados, quando se trstava de urna
queslo nao prevista era suas insirncges, de-
viam au'es de votar reportar se a seus comrait-
lentes.
Mais adiante diz ainda o citado autor : que
quando u.i: deputado muda de ideas seu dever
dirigir-se aos tleilores Ihes declarando que re-
nunciar o mandato caso nao seja aceito por
elles o seu novo modo de pensar.
As?im entenderam os depulados geraes de
1356 e de 1413 quando a Jean de Nf ses eHes
respondern que seu mandato era mudo a res-
peito da queslo de irapostos.
Feriis era exemplos d'esta natureza eslo no-
taveis cscriptores como G. Picol, Isainbert, Thi
bandean, Thierry, Rathery, Dsjardins e inultos
ostros.
Eis ahi era que consiste o carcter imperativo
do mandato : em nao poder o deputado ir de
enconlro s ideas, pela victoria das qne se em-
penhou cora eleitores ; era nlo ser facultado ao
delegado o direito de volar sera ter em conta as
instrueges previamente receidas.
E como prova mais segura lea o articulista as
paginas 9397 da obra citada.
#*
O facto exposto no artigo relativamente a ceac
gao de que se revesta a investidura eleiloral acha-
ee cabalmente explicado na pag. 219 do votume
Motte
Corren, fuglo, foi-s'embora
GLOSA
Se na questao da Germana,
Um assumpto escandaloso,
Ulys8es fez se manhoso,
E deu com o barco em Pantana;
Na questao Chrispimana
Fingi se Manoel ra Hora,
E dande s gambiaa, cabipora!
Como qualquer valiente
Disparou opadamente,
Correu, fugio, fois'embora.
Maninho.
Subscripcao Chrispim
A cornmissao abaixo nomeada, e qne tem pe-
dido auxilio pecuniario pasa a volta do raesmo
Chrispim, tera recebido, durante os dias 18 e 19
do correnle. as segoinles quantias :
Gomes de Matios & Irmaos
Doningos Manoel Marlins
Dr. Jos Joaquim Coelbo Leito
Vianulo Ral
Dr Clodoaldo Lone
Tliomaz Harr
Dr. Manoel Gomes de Mallos
Ura commerciaute
Ura medico
Um anonymo
Outro
Ostro
Outro
Um estrangeiro
Ura dito
Oulro
i>r. J. LiTrmenlo
Um anonymo
Odtro
Araujo
Um americaRO
Commendador Nctlo
Um anonymo
Jos Joaquinrda Costa Leite
Um anonymo
na parle ntitnlada Mandato poltico e nao manda-
to imperativo.
Mas destruamos a arguciosa assergo do refe-
rido coilega.
N'aquellc tempo as leis obrigavatn smente s
communhes que tomas jein, por seus delegados,
parle as delberages da assembla.
Convinha, portanto, a estas (a observago de
Philippon) nao enviarem deiiutados afira de por
esta raelbor forraa subtrahircra-se aos irapostos.
Sob os Planlagrnetes certos burgos requeriarn,
corao graga especial, a isc.r.pco dos di re tos ue
representagao.
Ora ahi esl: os eleitos fugiam para nao obrl-
gar com sua presenga, os circuios, que os ele-
giam, a pagar irapostos e a forga obngra-os a
aceitar o mandato nao por forga d'este mas sim
para que o burgo podesse contribuir para as re-
ceitas do Estada.
Essa que 6 a verdad;.
Deixe-se portanlo o escriptor das Quotidianas
de inventar tbeorias citando autores dos quaes
talvez ouvisse simplesmente fallar (prova o o
facto de ignorar o numero dos captulos e as
ideas do volume) e ponha a sua penna, melhor
aparada ao servigo da verdade.
O hornera ( gratuito o conselho (jamis deve
na defeza de qualquer principio, descer at o
ponto da saltar por cima de tudo e... fazer ca
padocadas.
Agora somos nos qne Ibe pedimos a graga de
ler Philippon (a Livraria Franceza tera-n'o ven-
da) e de ser mais correcto ca seu procediraento.
Themis.
Ao Jornal do Recife
Pergunta-se ao empavesado Ulysses
qual dos seas olhos c mais ceg : o de
vidro ou o cutro ?
Se esse outro est furado, recorra ao
do visinho para ver as cousas como .ellas
sao.
Se nao est furado, ponha Ihe um bom
monculo para melbor enchergar o que
tem obrigagao de ver aqui, ali, alm.
Comprehendeu ?
Lord mortalha.

O Jornal em flagrante
^Tinhaos.
W Juiz ue raa. Ulnis. Srs. Jos Mamede Valen-
Ca, Eugenio Pires e Biogenes Pernambuco.
Juiz de ehegada.-lllnis Sr?, capilo J. J. da
Rocha, Felippe Purle e Thiago da Fonseca.
! pareoAcademia. -200 metros. Aodari-
Inos de 15 a 20 anm'S que ainJa nao tenham
ganho nesla distancia. Premios : 10* ao Io,
4* ao 2 e 2* ao 3.
1 Mastokles, ex Nubio. M. J. R., 19, quanros. 2
Bargosse, A. L., 16, azul. 3 Quera meganha,
J. A. Q., 19, azul e branco. 4 Palpite, L. P.
L., 16, amarello e preto. 5 Mon araour, B. M.
S., 17, amarello. 6 Je ne sai* pas, W. P., 18,
Preto.
2* pareoCaplto a. a. *aolia.-i00
metros. Andarilhos de 7 a 12. Premios : um
objeclo darte ao 1.
1 Rompe-terra, O. L-, 9, azul. 2 Ministro ex
Deputado, J. P. L.. 11. encarnado e branco. 3
Nemo, J. M. O., 9, branco. 4 Balabregas, J.
A. C, 10, preto e encarnado. 5 Amazonas. M,
R.. 8, branco e encarnado. 6 Polyphonte M.
3 pareo -r. Thiago da Fonseea.-300
metros. Andanios de qualquer idade. Pre-
mios : 35* ao 1' e 12* ao 2*.
i Hirondelle, P. O., 20, amarello fi encarnado
2 Mastokles ex Nubio, M. J. R.. 19, quadros
3 Bargosse, A. L., 16, azul. 4 Oiseau, L. F.
18, Cinzento. 5 Aristteles, A. C, 17, ama-
relio.
parco Wr. Joaqun ^tabuco.150 me-
tros. AndarHios de 12 a l& anuos. Premios
10* ao 1* 4* ao 2* e 2* ao 3.
1 Aimfz-moi, O. A., 14, eucwnaie e azul.
Good-by, G. C. F. L 14. amarello e azul. 3
Favonio, A. B. N., 15, encarnado bruna. 4
Senador, E P., rosa. iVCri cri, A. a M.,
li, xadrez.
S pareo -Br inna metm. 288 metros.
Andarilhos de 18-a l&nnaM. Premios 20* ao
1, 8* ao 2* e U ae 3.
1 Aimezmoi, O. A., encarnai'.o e izul. 2 Jack
V
A r em acia
O Sr Dr. Jos Mara, em artigo inserto na Pro-
vincia e Norte, d^clirou solemnemente que, se
lica- ein sua eleigo, renui.euiiia o seu mandato.
Apresentando provis segurissimas era consta-
tadlo das aeclaragoes feitas sobre as violencias
roinineilidas esperramos nos qu^esse cavalhei
ro CSmpruM o prorafttido.. quando o redactor
das Quotidianas do Jornal do Recife, o orgara do
auhcismo, querendo negar ao eleito(\) pelo 6o
districto corapeten'ia p.ra renunciar o seu man-
dato, escreveu o seguinte:
E sabe o collega o que diz Philiopon, de pie
no accordo com osdiei-i, Fiseh-I. B'jehrt, Fran-
quevlle, Fertes'-ne. Leroy BeanUen, etc., em re-
petidas paginas de seu magistral trabalho?
/'Mandato imperativo).
Diz que outr'ora ... muitas vezes aquelles
cujos non es tinhain sido mars sulTragados no
comicio eleitoral procuiavam esquivarse ao
man lato popular, fugindo a toda carreira, sendo
porra perseguidos c capturados pela forga, como
qualquer criminoso, para serem levados, mo
grado seu aos asseniosdo parlamento.
... De facto tal mandato como eii-ini
Philippon nm manda .o imperativo e nao facultati-
vo, n5o podendo po tanto ser renunciado, como
pretende o articulista do Diario
Resumamos a theoria das Quotidtanas : O Sr.
Dr. Jos Maria nio p)dia ter garantido que re-
nunciara o sea maniato, visto come esse im-
perativo e nao fncultit'vo'; em favor dessa asser
rgo ha o facto de ser, nos temos amigos,
obrigado o individuo a aceitar o cargo de de-
legado do povo; e ero sustentculo de todas es-
sas opioioes existe um livroo Mandato Impera
tivo de Fbilippon.
Respondamos: mas antes de tudreflexione-
mos.
Podiamos ter logo mostrado a improcedencia
das assergdes enfeixadas no artigo a qne nos re-
O Jornal do Recife de hontera afErma
duas inverdadea e de tal forma o faz que
merece bem as honras de um verdadeiro
Qaaresma da imprensa. O Ilustre orgSo
da ra do Imperador, comeen a Oazetilha,
dizendo t constar-lhe ter o presidente ofi-
ciado no dia 16 do corrente ao comrnan-
dante das armas determinando fosse eli-
minado do exercito o individuo Chrispim
de Oliveira, voluntariamente (#) alistado.
Se isto nao urna hlela a que obriga-
raino nobilissimo orgao a dar curso, urna
perfeita ulysaiada com todos os caracteres
de urna inqualificavel pulha leonina.
Pois censtou nunca aos homens do Jor-
nal semelhante cousa ?... Pois por se-
rem b -ocios os pseudos-jornalistas julgam
que todos nos o somos e que enguliremos-
Ihes as pilulas.
N5o se envergonha o Jornal de taes bro-
chas, e nao se env^rgonham os seus reda-
ctores de taes miserias ?
Que idea fazem os inglezes do publico
desta capital, e que triste idea fazem de
nossa imprensa ?...
Como dio semelhante consta quando
na vespera o proprio presidente declarara
a urna commisso popular que fora-lhe pe
dir uzease cessar a illegalidade de que es-
tava sendo vctima o cidado Chrispim,
que iria estadar a questao e que de/jois.
promettia, tomar urna resolugao qne estivesse
de accordo com a juetica e que estiveess de
accordo com a le.
Onde est, portanto, o pudor dos Jio,
inens do Jornal ?
(Jomo tao descaradamente affirmam taes
falsidades os liberaes qualitativo ?...
E menos escandalosa nao a segunda
mentira d'aquella folha quando notician o meetiug de antem-hontem, no qual o povo
procurava protestar contra a estupidez das
autoridades, que haviam sahido das raias
marcadas pela nossa constituigao, rouban-
do a liberdade a um cidado que nenhum
crimo havia commettido, diz que o hon-
rado Dr. Gaspar de Drummond prestou-se
bon gr, mal gr a servir de orador ao
povo acompanhado-o a Palacio....
Quem deu direito aos Srs. do Jornal de
interpretrar mal a patritica attitude do
Ilustre deputado Assembla Provin-
cial. S. Exc. tomou voluntariamente a
defeza do povo em quem reconhecia toda
justica e todo o direito, e fel-o, fique bem
saliente, sem que dominasse-o nemnhum
sentina en to especulativo como so era ter os
liberaldes deeta trra. Fel o accidental-
mente, levado pela accasio e ainda assim
teve a lealdade de acense Ibar ao povo que
eonvidasse o Dr. Jos Maria, que melhor
podia e devia defender Ihe os direitos. O
deputado, psrem, do 6* diatricto grosaeb-
ramente recnsou-se an cumpriroeato de-tai
dever e teve o digno Dr. Drumarand de
satisfrzer a exigencia publica interpntran-
Em virtude do que dispoe o?art. 66 do
regularaento que baixou com o decreto n.
9554 de 3 de Fevereiro de 1886, a Ins
pectoria Geral de Hygiene fas publico,
pelo prazo de oito das, que o cidado
Angelo Vieira Sampaio, Ihe dirigi a se-
guinte petigo com documentos que satis-
fazem as exigencias do art. 65 do citado
regulamento.
t Angelo Vieira Sampa'o, cidado bra-
sileiro, casado e residente na villa de Boa-
Vista da provincia de Pernambuco, dese-
jando continuar a ter pharmacia nesta
mesma villa, atiento ao estado insalubre
e o crescido numero de seus habitantes,
onde nSo ha outra dirigida por pratico ou
pharmaceutico formado, e julgando o sup-
licante ter satisfeito a exigencia do art.
5 do decreto n. 9554 de 3 de Fevereiro
de 1886, com os seis documentos juntos,
pede a V. Exc. para que se digne conce-
der-lhe a precisa licenca. Nestes termos
espera benigno despacho. E. R. M.
Villa da Boa-Vista, 14 de Fevereiro de
1889.Angelo Vieira Sampaio. Sobre
ama estampilha de duzentos res.
E declara que, si nesse prazo nenhum
pharmaceutico formado Ihe communicar
ou a Inspectora de Hygiene da provincia
de l'ernambuco, a resolugao do estabele-
cer pharmacia na citada localidade, conce-
der ao pratico a licenca requerida.
Inspectora Geral de Hygiene, V de
Maio de 1889. Dr. Pedro Afianzo de
Carvalho, secretario.
v4BMam9*#M)4attaaaaawM<


Olinda
patrimSio kegaard
Venho declarar ao publico, que a subs-
cripcao agenciada por mim e os demais
raembros da comra8Bao de Olinda, toi en
trege, mediante recibo, viuva do indi-
toso teen te Pedro Regaard, por achar-
se ella sem meios de subsistencia para si
e sua familia; e que esta entrega foi re-
solvida pela maioria da commissao contra
o meu voto, visto ter sido pedida para reu-
nida A quantia arrecadada pelas demais
comm885es constituir se um pequeo pa-
trimonio.
Outroim que existe em meu poder to-
dos os recibos das despezas feitas inclusi-
ve o da quantia recebida pela mesma viu-
va e com a assignatura de tres testemu-
nhas presenc aes e com as respectivas fir-
mas reconhecidas.
Olinda, 18 de Setembro de 1889.
Hercul'ino Cavalcante de Albuquerque.
Aniones
Dr. Barros Carneiro
H. G.
Pedro Alexandrino
F. F
F. Leal
Ramos e G.
Um anonymo
Ura dito
Lopes & Irmo
Albino Lima
Casusinba
Antonio Americano
Pedro Figueiredo
Albino Fernandes
Um anonymo
Burty
J Antonio dos Santos
Antonio Accacio Correia Lobo
Gongalves Coimbra & a
Franco
BarSo de Petrolina
J. Fernandes do Monte
Eucdes Monleiro
Manoel Joaquim Ferreira Cruz
Eduardo Gomes
Felippe Burle
Pedro de Souza
Um anonymo
Bernardno ladro
Luiz de Paula Lopes
Alexandre Sampaio
Um anonymo
Justino Teixeira de Monra
Um anonymo
Manoel Francisco Teixeira
Ura an myino
Um dito
Manol Pedrosa
Um anonymo
Anonymo A
A. P.
Antonio Pinto
Soares Guimares & C.
Um anonymo
Alfredo de Freitas
F Rodrigues
Ura anonymo
Outro
Joo Marlins Falco
Joao Rtbeiro
Antonio Duarte Correia
Jos Pereira da Silva
Antonio Duarte de Figueiredo
Jos Gongalves Dias
Un anonymo
Miranda
Hygino
Pinto
Juvencio
Pereira Borges
Antonio Rodrigues
Um anonymo
Jos Ferreira Ramos
Gustavo Dutoy
Ura anonvmo
Manoel Gomes Ferreira
Joaquim da Silva Jnior
Antonio Jos Alves Pessoa
'araillo Mendes
Guimares
Jos Francisco Guedes
Manoel Alves de Oliveira
Lagos
Um anonymo
Um dito
Um do
Joo Rodrigues Nepomuceno
Conrado
Joo Guimares
Joo Joaquim Gomes Ferreira
Manoel Joaquim Alves da Costa
Franco Ferreira
Mauoel .i'ercira. da Silva
Jos Luiz
Valeotiniano
Manoel Diogo Soares
Joo Francesco Pereira da Silva
Jos de Paula Ramos
Dous anonyinos
Joao Brando
Ura ann)nio
Oulro
Outro
Outro
Domingos Leite
Um anonymo
Antonio Joaquim do3 Sanios
Francisco P. Albuquerque
Um anonymo
Um anonymo
Jos Gomes dos Santos
Lffli Vieira
Fiorovanlc Diniz
Ura anonymo
Diogo Augusto dos Reis
Ura anonymo
Antonio Francisco C. J.
Ura anonymo
Desiderio
Ura republicano
Ura anonymo
Total
30*000
10*00>
lOOOO
5000!)
203000
30*000
205000
10000
10*000
10*000
10*000
10*00(1
10*000
9*000
3*000
300
54000
4*000
3*000
2*000
3*000
3*000
300,
2 00o
1*000
1*000
2*000
4*000
5*000
3*i'00
2*000
Vender a particulares, ea qualquer dse, i
slancias medicamentosas.
O art. 76 diz :
Deverao 08 droguistas registrar es Uva
pedal, que ser- rubricado pela autoridade aaai
taria. as substancias que venderem para has l
dustriaes, mencionando o nome, residencia in-
dustria do comprador, ele, ele,
Indo eximinar a drogara de Bcllarmin, ana-
sencici a intraegao do regulamento sagitaria),
aconselhando-o que observasse dito regafa-
ment.
Xo tendo- sido attendida minha otoerenjan,
deparando eu com rtulos de pliaricacinaaia
havendo livro algura rubricado pela iaspecaatia
e munido de provas que denuncia vara a Bettar-
inino a tal ponto de vender urna dose de purgja-
te Leroy por tintun de iodo, que felizmente an
foi ingerida pelo doent<> pornaver passado aaat
pratico de pharmacia que reconhece o engaa^
engao esse que leria conduzido eternidades
pessoa a quera fosse administrado; multan
mesmo droguista, que, reincidindo foi Maja-
mente multado.
Intimci o para fechar o estabeiecimento desda
que o considere rebelde ao cumplimento ande-
ver le sniteria.
Indi ira dos sequases de Betlarmioo.
Prend o ordem do Sr. Dr. chele de potaos
pelos motivos que passo a expr: passanneni
pela porta de Bellarmino alim de ver algas
dorales residentes naquella freguezia (Aagn-
dos), era constantemeate insultado e ataa
pelo mesmo droguista com palavras portiei
offensivas dirigidas ao f a mim comoni
soas mais caras de minha familia, o que M <
senclado por muitas pessoas, entre as quaeenes-
2*'K)0 taco a Exma. Sra. D. Clara Maria da Conoeicaa,
() O gripno nosao.
Taqoaretinga
Denunciado na comarca de Taqaaretinga por
crime de damno e conderanado no grao mximo
da re mamente o prazer de ver annullado em grao de
appellaibo o absurdo processo gragas ao criterio
e i.npardalidade do juiz de direito d'aquella co
marca Dr. Dario Cavalcanti de Albuquerque.
Restituido ao seio da familia, venho por meio
deste agradecer ao integro magistrado que me
fez justica e aos cavalheiros Dr. Jos F. de Salles,
capno Joo Uiinaco, Joo F. de Assumpgo. al-
ferea Joo Bnarrra, teaente Joo Barbosa e pro-
fessor Luiz Carlos, que nao me abandonaram n'a
quede transe afUictivo.
Ainda ha juizes em Berlina I
Bezerros -Agosto89.
Pedro Pereira di Araujo L"na.
Contra-protesto
Os abntxn nsaignadn vena declarar a
quem interessar, que o Dr. Jos Eugonio
da Silva Ramos nao tem direito algum
posse do engenJio Taquaraque vni a. pra-
ca, por exeeucaV) qae mownaaonatna-Fran-
eiaoo de Paula Pfnto, no fio d 6Bamel-
ieira.
O protesto no Jornal de hoja nio tem
aaaior algum e feito e aaaotdo- enamo exe-
eulado, par embarazar a paaga, poi -
resolve quaesquer contractos,
Intente feitos pelo iiaianin ementadrx
Recife, lo da Sataaaaa da l8B9b
esta
5*000
1*000
5*000
2*000
1*1X10
10*000
1*000
0*100
2iC00
2 000
2*000
1*000
5*000
2*000
5*00
2*000
1*00
2*000
2 000
25000
3*000
1*000
5*000
2*000
oOOii
3*000
2*000
53000
10*000
2*000
1*000
1*000
10*100
5*000
1*000
2*000
10*000
3*000
10*000
10*000
5000
2*0 0
3*000
2*000
1*000
1*000
500
2*000
400
Bellarmino, q
guardasse mais

500
500
500
2*000
1*000
500
1*000
1*000
*300
1*000
1*000
3*000
*500
*500
*500
*200
*400
*500
*100
35000
2*000
1*000
2-000
**!><

I*
*500
*500
*500
/500
1*00
4*000
5*000
1*000
2*000
2*000
2*000
1*000
2*000
1*000
2*000
2*000
20*0TO
3*0
ISHJ'
1*000
20*000
5*000
2* 00
1*000
2*000
20*000
4*500
622*300
que nao foi respeilada pelo
nessa occasio pedio que
coro.
Nao liguei importancia alguraa ao3 primei/oa
insultas de Bellarramo por ter certeza de:
desgovernago cerebral, mas repelindo-ee i
vez mais aggressivas suas offensas, dirig^-i
ao subdelegado do districto, a qnem quetxei aaft,
e que mandando chamar a Bellarmino, ae
Ilion o buscando chmalo urdem de
acatar-rae
O conselho. porm, nao foi attendida, i
que dirigi se elle a urna (averna e ahi dissera
que tinha urna faca e revolver para mim.
No da imnredlato (14 do corrente) indo ver t
um docnte ra do Motocolombo, fui pela dro-
guista alienado e ebrio desacatado por .jnaaewa
brutaes e ameagado com um revolver por eeat
empunhadoe urna faca de pona, faca essa-qm
se aclia as mos da autoridade policial: naaaa-
dendo deixar inina vida merc de ulli aoaannt
perturbado em suas faculdades menlaes, det-aaa
voz de priso.
Eis o dinheiro que ped a Bellarmino da<
Corte, qne nao tendo recurso algum precisnj
sustentar beodos, que o procuravain para i
seus vicios, dispunba de elementos para r
pedir-Ihe fosse o qne fosse.
n cynismo do parqnineiro chegou a tal
de nao corar em aecusar-me quando sabe ajan
era caixeiro da drogara um ex-soldado de naai-
cia, por nome Francisco Bezerra, que foi seaspea
conhecido como turbulento,
O nojento antor do pasquim aprsente se-, ca-
bra se de animo e venha assignando-se prnvaa
o que de mira disse; si o nao fizer nao pinar
de um miseravel, infame, covarde e horneo
teiramente desprovido de pundonor. _
Consta-me que tem tomado grande parteaen-
sas mmundas aecusages o tal Francisco; B-
zerra, a qnem responsabiliso perante as praaav
;-as autoridades da provincia pelo que pujsicn-
menle eu soffrer.
Abaixo melhor comprchender o pubfie s.
quem con pete a razo. Nunca deixarei deeaan
prir emquunto f6r funecionario publico coen a
regulamento sanitario.
Basta por hoje.
Dr. Domingues.
Follcliacao
Completa hoje urna risonha pri
mavera a interessante rreancinha
Deoora, dilecta lilha do Sr. Ene-
dino Sette. Pelo que apre?nta-
mos os nossos parabens. desejao-
% do que uraa aureola de felicidades
| engrinalde a fronte da gentil
j> creanga.
F.M F.
i
.
Lembran^a
l ni anno acaba de eacoar-ae
poi que a manio do benaave
radoa rol chumada Oltmpia da
aua CJoncalvcia.
Entretanto a aua memoria a
viva ne corai'o aaudoso c
doa que na trra a calimavam
raram.
Pai a naa alma.
I it

UM AMIGO DE SUA FAMILjtj
Aviso mundano
As senboras elegantes que visitarena a,
Exposicao de Panz nao encontraran a
Casa Leoty entre os Expositores Ao
chegarem terSo portanto de ir casa de
Mme. Leoty, 8, pra9a da Madeleine, pata,
cncommendarem um d'aquelles maraa-
Ihosos espartilhos, conhecidos no Univeano
inteiro, e indispensaveis para o aceio dar
vestidos.
A Cataplasma a mais efficaz, propria, c
cmnmoda para empregar a Catapla
Hamibton. (1)
8
A commissao,
Clodoaldo Lopes.
Gaspar Drummond.
Francisco Pereira Cardoso.
Jos Joaquim Coelho Leite.
Americo Vespucio de Almeida Velloso Jnior.
Jos Gomes dos Santos
Feliciano de Barros Moreira Lima.
O thesoureiro,
Domingos Manoel Martina.
Ao publico
Espallion-se hontera por esta cidade ura pas-
quim em que oceupava-seno s de minha hon-
ra particular como tambera da de funecionario
publico.
"Accusava-se-ms de ser o perseguidor de Bel-
larmino da Cunha Corte por pedir-lhe dinheiro
raDrstado e nao ser attendido. Para que a ca-
urania nao medre e para fazer chegar o sangue
ao rosto ptrido e gaogrenado de meu infame
detrator, vou expor o facto e os motivos de mi-
nea perteguicao a Bellarmino,
Sendo membro da inspectoria de hygiene, fni-
ejacarregado da liscalisago das fregu'zias de S.
Jos e Afogados, ecomo autoridade sanitaria re-
cebi por innmeras vezes qneixat contra Bellar-
mino da Cunba Corte, estabelecido com drogara
ra irrita de Afogados, nao s por alterar e
falsificar os medicamentos que venda, como
tambem por se adiar em estado permanente de
embriaguez, que embotou completamente suas
faculdades mentaes.
0 regnlatnento sanitario diz no art. 74 o se
guinta: '
Aa drogaras tero mr nm o coramercio de
drogas, preparados oradnos devidamente au-
torisados, utencHias de poarmaeia e apparelbos
de chtmlca^, seodo-tbes- ntooiutamuetU imtsrdicto
todo e qualquer acto q*ts seja privtUtvo profludo
simnlada depharmactutico, tana cerne:
Tj I Aviar receitaa medica, qaar de formula na-
patraes, quer de preparans-nRcinaas.
Vender a pnrttaulatvi substancia toaucc, mei-
Pereira Ferreira~& C. Imo em pesonteredicinann, aopnbKco.
Advogado
Bacharel Joo Ferreira Do-
mingues Carneiro
iiua Estreita do Rosario n. 10, i." andar
Encarrega-se de quaesquer causas
n'esta cidade e as comarcas prximas,
especialmente as de o d'Alho eTim-
baba. para ende viaja frequentemente.
Aviso a nuestros lectores
Los de nuestros lectores que vayan
Paria mientras la Exposicin de 1889,
tan ya avisados que podran leer loa
mos ejemplares, recebidos en Pars,
nuestro peridico, en la oficina de nana-
tres corresponsales los Sra. Amde Plan-
ee y <'., 36, ru Laiayette, donde puedan
hacevee dirigir toda su correspondencan,
pedir informes, dar ordena de compra,
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatroa
que ademas del servicio instalado en em
oficina 36, ru Lafayette, los Srs. Anai-
de Prince y O han orgonizado un ate
gabinete de lectura y de informes ea I
Exposicin misma, en el Pabelln de ln
Repblica de Guatemala, en donde el 3c
comisario general a puesto a la disposicaan
de dicho Srs. ana grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomoa vivamente a nuestros nan-
gos lectores que vayan a Pars, de baar
una visita a la casa Amde Prince j CL,
tanto ea su residencia, 36, ru Lafayeann,
como en su instalacin en el Pabelln de
Guatemala de la fiposicion, que rearfta-
r, aar por el hecho delna exteoaar ann-
cionee de nueatroe cormaponaalea, el an-
tro de reunin de les numerosos estranjav
ros presentas en Paria.


Diario de PernambiicoSexta-feira 20 de Setembro de 1889
10." distrieto
O abaixo asignado editor do districto
4b Carapots, da comarca de Caruar
toado militado at hoje as lileiras do par-
tido liberal, declara palo presente nao
pertencer mais a semelhantj partido, por
tor ficado indignado com a) violencias, o
aaeacas comraettidas pelo chefe liberal
'aqnelle districto, na ele i cao procedida no
da 31 do mez de Agosto fiado, alliando-
a d'esta data em diante s lileiras do par-
tido conservador.
Caruar, 14 de Setembro de 1889.
Joo Valentim Crrela de S.
m. 1
Admiravel eorabinacao scienlilico humanitaria
realmente a que constitue a Lraulso de Oleo
de Figado de Bacaihao da Noruega com hypo
hospnios, preparada pelos Srs. Laman &
Kernp, a qual lem silocomposta com tal esmero
por meio Je um processo tao perfeito, scienti-
ico e bera experimentado, que n ao hesitamos
sb recomraendal a como nica na sua especie
pala sua pureza, excedencia e e licacia em todo
caso de escrfula?, affeccao dos pulmoes, indi-
fastao. dyspepsia. debilidade geral c enfraque-
eaoento garantiodo o augment de volume e de
ames, e a recuperacao das tarcas e a saude
ardidas, em um espaco de lempo relativamente
Zxijir aMarca Industrial como garanta de
togramidade.
Avise aos nossos leitores
Oa nossos leitores que visitarem Pars
loante a ExposicSo de 1889 j sabem
|M poderao 1er os ultimes' exemplares do
aaae jornal chegados aquella cidade no es-
aripterio dos nossos correspondentes, Srs.
Ajde Prince & C, 36. ra Lafayette,
de podem mandar dirigir qualquer cor-
raapondencia, pedir quaesquer informacoes,
dar ordens de compras, etc.
'Aldro d'isso, levamos ao conhecimento
daa nossos patricias que afora o servico esta-
laietado no escriptorio da ra Lafayette,
a. 3fS, os mesmos Srs. Amde Prince d
GL, eabara de organisar urna sala de lei-
to e de inforaiacoes na Esposlcao mes-
sa, no pavilhao da repblica de Guate-
aala enjo commissario geral dignou-se dr
ptr graciosamente urna vasta sala com
aaurlii s ordens dos nossos correspon-
-
Aoanselhamos mu vivamente aos nos-
aaa amigos e leitores que se acbarem em
Paria, que visitem a casa Amde Prince
al C na sua sede social, 36, ra Lafayet-
to, bem como na installacao que possue na
Kkpoaicao no PavilbSo de Guatemala que
ka de ser, gracas s extensas relacoes dos
aaacoB correspondentes, o ponto da re-
aas&o dos numerosos estrangelros residen-
eoem Paria.
---------------'SCS9C*--------------
Attencao!!!
So antigo e bem acreditado estabeleci-
anto de relojoaria denominado Regula-
dar da Mariana, de Antonio Jos da Cos-
a Aranjo, se acha em exposicilo urna nova
variada remessa de relogios dcalgibeira,
aa oro, prata, nickel e ac do mais apu-
nado gusto c da ultima moda, tendo alguns
a torre de Eiffel fundida na lampa inferior
3 eatros desennos; escolhidos expressa-
jaaate pelo mesan Sr. Araujo. que se acha
ilaiifin nli na Europa.
Estes relogios alm do scu bom regula
santo s2o garantidos por um anno e se
andera por preces commodos e sem com-
petencia.
Coavido a todos os nossos freguezes e
aaigos a virem a este estabelecimento se
sarticarem da verdade que acabo de ex-
Kaa Larga do Rosario n. 9.
Jos Ferreira do Castro.
Dr.
Coelho Leite
Medie*
Declara para conhecimento de todos os
interessados que nSo se entende comsigo
mas com o acadmico J. C. Coelho Leite,
proprietario de animal Piramon o que
est escripto en varios jornaes de hoje.
19 de Setembro de 1889.
COMERCIO
Revista do Mercado
-
SKCIFX. 19 DI SETEMBBO DE 1889.
So mercado de cambios foram feitas algumas
Saasacgoes e no de algodio vendeu-se um lote
dada i* surte do serlo.
Cambio
A laxa oflicial bancaria regulou ainda 27 1/2
al, aflererendd o English e o Internacional sac-
aw a 17 8/8.
Woute peuco negocio em papel particular a
?r*
lio Rio Coi e it.i lo : bancario, 27 11,16 e 27 5/8:
awUcnlur, 27 J i cscasso.
TABEL1.A8 AFFIXAOA8
I
s >
fia o
O. o
2. 5
3
2.
3.
a.
r-
r s s 3 r
i I f 5' &
a
3 '
i
o
Auxilios lavoura
Pereira Carneiro & C. conlinuam, autorisados
elo Banco do Brasil, conceder emprestimos
lavoura das provincias de Alagoas, Purahyba
e Rio Grande do Norte, mediante as condices
de que os inlcressados sero informados no es-
criptorio ra do Commercio n. 6, das il horas
da manba As 2 oa tarde.
m&
*#&&
i"
M W
ce a
MI 3
a* s
"*1
s X

k*
^a <
"
oisa
TA^ObS OFFiCIAiS DA JUNTA DOS COK
RETOBE8
tenff, i 9 iu Setembro 4 66Q
JaKasda l*oriii.i!iia do Bebcrilae, do valor de
MQ. a 130 cada urna,
aeseonlo du letras, 8 0,0 ao anno.
i Venderam-sa
9 ac^Oes da Comianliia do Btbwib'.
O Dr. Krinlrio C'oiilinlio, de
volta de sua viagem Europa, onde
se dedicou especialmente ao eslu-
do das molestias do systema ner-
voso, lem seu consultorio Praca
do Coipo Santo n. 5, defronte do Te-
legrapno Nacional
Consultas de urna s tres horas da
tarde.
3&|:
*sm
Tuberculoso pulmonar
Cura garantida pelo Peitoral de Cam-
bar.
I!
BARO DA VICTORIA 39^
eiro andar I
Frederico Chaves Jnior jj
Homoepatha
H 39 RA BA1
) ) Pri iii.
0
Dr. Alfredo Gaspar
BIEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 3 s 10 da mauhu.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TKLEPHONE N. 226
MEDICO HOMEPATA
Dr. Ballhazar da Silveira
Especialididefebres, molestias
das criancae, do orgaos respirato-
rios o das sc:ihoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capit.l.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos phannacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
| ADVOCADO j
\ O bacharel Salustiano Jos de
/ Oliveira pode ser procurado para
f os mistere. de sua prolissao.
^ ra Estrella do Rosario n. 10,1."
V andar.
A drogado
Miguel Jos de Almeid i Pernambaco tem o seo
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os das uteis, das
non s da 9 man lilis 4 da tarde.
O presidente,
'andido C. G. Alcoforado.
O secretario.
Eduardo Dubeux
% I godao
Foi vendido um lote do de 1*
a 60700 por 15 tilos.
sortc do sertao
A exportarlo, feta pela alfandega neste mez
at o da 17,'attingio a ;i5i.!84 i i kilos, sendo
213.2701/1 para o exterior e 4W.914 para o inte-
rior.
As entradas verificadas neste mez at a data
de hoje, sobem a 2.323 saccas, sendo por:
ircacas..... -M>4 Saccas
Vapores
\nimaes.....
Via-ferrea de Caruar.
/ia-ferrea de S. Fraucisco.
Via-frrea deLimoeiro
Sonima.
37
708
87 .
60
967
323 Saccas
Asaucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, a/-
os seguintes:
Branco..... M900 a 4600
Somenos..... 3*000 a 3*600
Mascavado purgado 21400 a 2*700
c bruto. .. (firme) 1*500 a 2*200
Rtame..... *700 a 1*100
A exportacao, feita pela alfandega neste mez
at o dia 17, constou dt 1.170.378 silos para o
interior.
As entradas verificadas neste mez al a data
de hoje, sobem a 8.199 saceos, sendo por:
Barcacas .... 1-507 Saceos
Vapores..... ... t
Animaes.... 802
Via-ferrea de Caruar. 151
Via-ferrea de S. Francisco. j.243
Via-ferrea do Limoeiro 4%
Somma.
8.199 Saceos
Mel
Cota-se a 60*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 350 ris, e os verdes a 210
ris.
Agurdente
Cota-se a U2*0>0, por pipa de 480 litros.
Aleool
Cota-se a 220*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfaudega
gUUIU B 16 4 21 DI SHBMB&o OB 1859
Vide o Diario de 15 de Setembro
Yavios ft descarga
Barca norueguense Solid, carvio.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Lugar nacional Lo yo, xarque.
Logar inglez Roziiia. bacaihao.
Patacho allemfto Fredertck, xarque.
Patacho sueco Afronta, xarque.
Patacho norueguense Efra n, xarque.
Sumaca bespaabolu Anntta, xarque.
Bronchite aguda ou chroalca
O Peitoral de Cambar o melhor re-
medio.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-ohefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horaajjda tarde, no
1 andar da casa n. 51 ra do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e diaa santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
audade n. 25.
A's almas caridosas
Na ra das Carrogas n. 4, vivem na maicr pe-
nuria a viuva Senhorina dos Santos Bastos e
sua lilha Coleta da Silva Bactos, duas infiliau
a quem tudo falta.
Pede-se s almas caridosas e bem formadas
que vo em auxilio dessas pobres victimas do
infortunio.
Deas ihes pagar o bem que fuerera tao lo-
dilosas crealuras.

Leonor Porto
Ra Larga do Rosario nu-
mero ?tt
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difficcis (
figurinos recebidos de Londres, Pariz,<
Lisboa c Rio de Janeiro.
Prima em perfeicSo de costuras, em
em brevidade, mouicidaue em precos e
fino gesto.
Vias urinarias, molestias das se- / (
nboras, operacoes elctricas ()
is. cablos ssiTErconnr (
MEDICO E OPERADOR {)
com pratica de pars c londrks 11
Estreitamento da urclhra curados ra- \ /
dicaimente pela electrolyse, sem dr; ()
Hhydroceles sem injcccflo (cura radical); j
ferdas e ulceras clironicas, com garan- { \
ta de cura rpida ; pedras da bexiga, f j
/ fstulas e hemorrhoidas; gyphilis, go- j
f) norrhas, pelo metliodo das ostillages ; ) (
( ) molestias da garganta c do peito pelas 1 i
/ atlimospheras medicamentosas. Con- t '
i ( sullas e operacoes das 12 s 3 horas da (j
Jj tarde. J
1 ( RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 31, ( !
j 2 ANDAR i
>\ .ralis a.- pobre*. \ .
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Bario da Victoria46
(dEFROSTF, DA PHARMACIA PINHO)
Onde tem conitultorlo resi-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados & qualquer hora
do dia e da noite.
Eipecialidadet: partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pulmoes, syphilis
cm geral, cura rpida e completa e opc- :
raefies de estreltamenlos e mais sonri-
mentos da uretra.
Acode de promnto a chamados para
fura, a qualquer distancia.
Telephone n. 394
Toase eouvulsa roquclufhp !
Nao deis crianca senio o Peitoral de
Cambar.

carregou:
80 saceos com
tsxportac&o
U8CIr 18 DE SETEMIIP.O DS 1889
Para o exterior
Nao bou ve exportacao.
Para o interior
No vapor allemo B. Agres
Para Santos, P. A. de Azevedo
4,800 kilosde assucar mascavado.
No vapor americano Alliauga, carrega-
ram :
Para Rio de Janeiro, P. Carneiro & C. 6o pipas
cem 31,200 litros de aguardeute.
Na barcaga F. de Mara, carregou :
Para Mamanguape, A. da Silva Carvalbo 10
saceos com 250 kilos de lio de algodao.
Rendlaeatoa publico*
MEZ DE SETE3IBBO
Alfanaego
Renda geral:
Do dia 2 a 18 452:3471579
dem de 19 33:848*941
Renda provincial:
!)o dia 2 a 18 54-330*780
dem de 19 3:911*534
491:770*012
:>8:44732d
Somma total 350:217*334
Segunda laacaB da Alfaudega, 19 de Setembro
de 1889.
8tliesoureiroFlerencio Domingue3.
chefe da scelo Cicero B. de Mello.
Rocehcdorla Cieral
Do dia 2 a 18 22:322*9.14
dem de 19 121 040
22.444/380
Recebcdoria proviuoial
Do dia 2 a 18 16:080^625
dem de 19 486/166
C
Kllxir caliera de negro do Ur, Sania
Ran. unalyMRilo em Pariz e ap-
prvinilu pela Inspectora toral
de Hj Kii-iii-
(Premiado na Exposico)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tem em
si u favor os altestados passados pelos mais dis-
timtos medico3, desta e domis provincias do
imperio, por pharmaceuticos, desembargadores,
advogados, eogenhei"os, commerciantes, euipre-
gados pblicos, lentes da Faculdide, artistas,
etc.
Fiaue, portanto, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadea. phannacia de
llermes Souza Pereira, Successores, 6 urna imita
ao do nosso.
eposito do verdadeiro ra do Bom Jess n. 1.
SILYEIRA
ADVOGAPO
"os a t oo iiipebtuon O!
|
i | Bacharel Anlonio Witru- )
vio Pinto Bandeira
M H
. Pode ser procurado a raa do Imperador
| i a. 71, 1 andar | I
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P.' RAWLrNSON, for
nado pela Universidade de Maryland nos
Estados-1Jnidoa, tem aberto o seu cnsul
torio, na ra BarSo do Victoria 18, Io an
dar.
Consultas da 10 s 4 horas da tarde.
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
, para
benefi-
te urna reduccao de mais de 00 0, para
16:572*791
Reelfo Oralaage
Ddiode 2 a 18 31:236608
dem de 19* 4394571

31:746*239
Haiadouro publico
Neste entaDelecimeto foram abatidas para o
consumo de hoje 89 rezes pertenceules a diver-
sos marchantes.
Mercado Municipal de H. Jum
O mov ment deste mercado no dia 18 de Se-
tembro foi o seguinte:
Enlraram :
37 bois pesando 4,807 kilos.
595 kilos de peixe a 20 ris HJ900
88 cargas com farinha a 200 ris 17*600
15 ditas de miibo a 200 ris 3*000
23 ditas de feijao a 200 ris 46o
8 ditas defructas diversas & 300ri3 2*400
8 taboleiros a 200 ris 1*600
13 suinos a 200 ris 24(00
27 matulos com legumes a 200 ris 3*400
Foram oceupados :
27 columnas a 000 ris 16*200
1 escriptorio a 300 ris 300
26 compartimentos de taruma a 500
re 13*000
EDTAES
5." seccao. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
otdea do Exm. Sr. Dr. vice-preeidente
da provincia e nos termos do 2o do irt.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 18S7,
3uo, tendo-se concluido por meio do laudo
e arbitro desempatador, a questSo de ava-
ia<;ao do material da empreza de iumi-
nacao gaz desta cidade, tica aborta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zes, contados da data do presente edita!,
para contracto da dita illuininaco, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3. Nenhnma proposta ser recebida
jem que o proponente com ella apresante
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:00
em dinheiro oa apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacao do contracto
qo caso de ser preferida a sua proposta
| 4." O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo centractante senio lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
| 5." O contracto s poder ser feito
com quem mclhorcs vantagens offerecer
na concurrencia.
(g 6. A nao ser no cajo do paragrapho
inteccdente, a actual apresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponen^c.
| 7. O novo contractante sera obriga
do indemnisacao, a que a provincia
ujeita por fora da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
iudemnisacao ter lugar d accordo com
essa mesma clausula, e ficando o materila
e obras da empreza bypothecados pR-
rincia at que esteja realisada a indetnni-
laco ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
| 8.a O prazo do contracto nSo poder
exceder a 30 annos.
9. Opreco da illuminaco, qner pub-
ea, quer particuiar, nSo pxler exceder de
22 ditos de comidas a 500 ris
77 ditos de legumes e fazendas
400 ris
17 ditos de suinos a 700 ris
8 ditos de freasuras a 600 ris
39 tainos a 2*
Rendimcoto do da la 17 do cor-
rente
11000
a
30*800
11*9
4*80(i
78*000
217*040
3:562*820
Foi arreeauado liquido at hoie 3:779*800
Pregos do dia:
Carne verde de 320 a 400 rea o kilo.
Carneiro de 720 a 13 ris ide;n.
Suinos de 560 a 6i0 ris dem.
Parinha de 500 a 720 ris a cuia
Millio de 360 a 4'tO ris idem.
tfeao de 1*000 a 1*200 laV
Vnpore! a earar
HEZ DI'- SETEUBBO
Nov-Tork .... AMw;iro.......... 20
Norte......... Sacona.......... 20
8ul........... Sergtfe......... 21
Europa....... Pofosi........... 2J
Europa...... Mttlrkoicils 22
Norte......... Para............. 24
Europa....... ViUe de S. Skolo. 25
Sul........... Espirito Su,Uo..... 27
Europa....... Trent............. 28
Sul.......... Don.............. 23
Vaporea a saltlr
MEZ DE SETEMBRO
Santos e esc.. Allianca.......... 20 as i h
Montevideo .. Potos............ 22 as 11 h.
Baha eesc .. Jacnhype.......... zi as !( h
Sul..........Para............. 25 as
Cear e esc... Jaguaribe......... 26 as
Rio Formoso Ptrapama........ 6 as
Santos e esc Ville de S. Nicolao.. 26 as
Norte........ Espittto Santo..... 28 ;
Rueos Ayrcs. Trent............ 28 as
os estabelecimentos de caridad
cenca, e repartieres publicas.
10." O 8ystema mtrico, si f6r mais
conveniente, ser adoptado para a med-
cao do gaz.
11. A luz ser clara, brilbanto o senta
de substancias estranbas, que pos3am pre-
judicar a illuminaco e a hygiene publica.
12. A inten8dade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglazes.
13. As horas de illuminaco publica
sero fizadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em.numero menor de seis, nein maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduejo no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14. O coutractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questes que
se Buscitarem, quer c>ra o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s lea e regulamen-
tos e jurisdi<:cao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa usn ou
mais gazometros, se bou ver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento-da iliuniinacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencito oscillacao do cambio.
| 17. O contractante poder organisar
companbia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigaySes do contrete.
18." Para as despezas com a iisca-
sacao do servico de illuminaco ,o coutrac-
tante concorrer annualuicnte com a quan-
cia de 3:0005000, que sero reeolludoa ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
blecer as multas e mais eondicoes, no
intuito de garantir a boa exocucao do con-
tracto, quer com relaeao a lumincio pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:9175528, do accordo con
a avaacao feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777$>28, total da avaacao,
a importancia de 3:8605000 paga cm
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas c 5 bracos com lam-
peoes, collocados tra do permetro do
contracto. O secretario interino,
Mauoel Joaqun Silveira.
a
5 h
3 h
o h
4 h
5 h
2 h.
llovimento do porlo
Entradas
Baha e escalas6 das, Canhoneira de
guerra Jirasileira Traripe, de 250 to
neladas, commandante capitao-tenente
Antonio Alves Cmara, equipagem 75,
carga raunicZo de guerra.
Est London (frica) 26 dias, patacho
inglez ImbeUa Balcn, de 301 tonela-
das, capitZo E. A. Armstroug, equipa-
geni 8, carga lastro, ordem.
Natal 3 dias, hyate brasileiro Oeriquity,
de 50 toneladas, mestre Joaquim H. da
Silveira, equipagem 5, carga couros e
lastro d'ara, a Manoel Joaquim Peesa.
Buenos-Ayres e escalas13 dias, vapor
inglez La Plata, de 2049 toneladas,
commandante J. D. Spooner, equipa-
gem 105, carga varios gneros, a Arao-
riin Inna.is & C.
Sahidos no mesmo dia
Soutbamptoi e escalasvapor ingiez La
Plata, commaadaute J. D. Spooner,
carga varios gneros.
Cearlugar allemao Axd, capitao Jos
Lnnsteett, carga farinha de mandioca.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminaco a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto po
Diario de Pernambuco de boje a publica-
cao do edital em que a presidencia da pro
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminaco mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777528, por
quanto foram avalladas pelo arbitro-desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaacao nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido llegal e rregularnK.nte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos fetos da
fazeuda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos fetos da
l-'azenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicaco para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
Gcorge Windsor,
6. Seccio Secretaria da presidencia de Per-
nambucoEm 3 de Setembro de 1889
Por esta secretaria se faz publico que fica
aberto o praso de 50 dias, a contar desta data,
para o ruceoimeiito de propostas era carta fecha-
da dos concurrentes a conslrucco de urna es-
trada de ferro deque trata a lei provincialini'ra
n. 2.036 de 8 de Agosto prximo lindo.
O secretario
Francisco L. Marinho de Souza.
LEI N. 2.036
Manoel Alvos de Araujo, do consellio de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado em
sciencius sociaes e jurdicas pela Faculdade de
S. Paulo commendador da Imperial Ordem da
Rosa e presidente da provincia de Pernambuco
Fago saber a todos os seus habitantes que a
As3embla Legislativa Provincial decrctou e eji
Bnccionel a resoluco segninte :
Artigo !.' Fica concedido o engenheiro New-
ton Cesar Hurlamaqui ou a quem melhores van-
tagens offerecer privilegio por 60 annos para a
construccao, uso e goso de urna eslrada de ferro
de bitola estrei'.a, que partindo da Serra Dous
Iraios, na extrema desta provincia com a do
Piauhy, va terminar na villa de Petroliiia, 'pon-
to marginal do Rio S. Francisco
1 A zona privilegiada ter 10 leguas para
fcada Iadodoci:;o da linha, sem que seja sso,
em tempo algum empecilho a que a qualquer
outra estrada de ferro, parallela ou nao a de que
cogita a presente concessao. possa a provincia
azer concessao de zona privilegiada. No caso
de fuluras concesscs, se a zona privilegiada da
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer outra estrada de ferro conce-
dida mais tarde pela provincia, ser o espaco
de trra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao meio, licando urna metade delle como
zona privilegiada de cada urna das referidas es-
tradas.
1.' Em igualdade de condicOes o concessio-
nario ter preferencia p.ara conslrucco, uso e
goso de 'uturos ramaes convergentes.
3. Ficam iscntos de direitos c impostos
provinciacs e municipacs os edificios, as machi-
nas e materiaes necessai ios para a construccao e
explorarlo da linha principal e dos raraaes que
forem construidos.
4." 0 concessionario sel obrigado a cons-
truir linha telegraphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isencao de direitos impostos.
~a. Fica concedida a garaulia de ;uros de
6 % sobre o capital que for empregado effecti-
vamente as obras, calculado o preco mximo
do kilmetro, em 23.000 e pelo praso da dura-
go do privilegio, findo o qual reverter para a
provincia a estrada com lodas as sua3 obras,
inacbiaismos, materiaes e linhas telegrapliica3,
e bem assim cada um dos ramaes que tenharu
Bido construidos, logo que tenham sido explora-
dos por igual tempo,
| 6. A garanta de juros s se tornar effec-
tiva no caso de ser levada a eh*eito a concess
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a -erra Dous Irmaos, qual se prende a
presonte concessSo, perdtndoo concessionario o
direito referida garanta se ohliver o goveroo
geral, subvenco kilomtrica, quantia de juros
ou qualquer outro favor equivalente.
7. A provincia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forca publica, autoridades e
res wctivas cargas.
8." O concessionario poder transferir em-
presa ou couinanlija, que organisar o presente
privilegio com todos as seus favores e obriga-
CI'S -
9. Dentro de 5 annos da dala do contracto
deverfio ser apresenlados os respectivos estudos
definitivos e os respectivos orinientos detalha-
dos e ter comeco de execuc as obras, cadu
cando a concessao, se dendro desse praso nao
forem ditas obras comecadas. salvo caso de Tor-
ga maior, devidamente provado.
Art. 2. Ficam revogndas as disposices em
contraro.
Maulo, portanto. a tolas as autoridades a
quem o conhecimento e execuc da presente
resoluco parteneer, que a cumpram e facam
curnprir lo ioleira^iente como nella se com-
iera.
O secretario da presidencia da provincia a fug-i
iuipriiiiir, publicar c correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 de
Agosto de 18MJ, 8* da Independencia e do Im-
perio.
L. S. M. Alves de Araujo.
Sellada e publicada a presente resouco nesta
secretaria da presidencia de lernambuco, aos 8
Je Agosto de 18p9.
O secretario
Francisco L Marinho de Souza
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civcl desta cidade do Recifc
e seu termo, por Sua Magestade o Im
porador a quem Deus guarde, etc.
Faco saber nos que o presente adital
virem ou d'elle noticia tiverein, que findos
os dias da lei se h: de arrematar depois
do audiencia deste juizo com o abatimen-
to de dez por cento na forma da le o se-
guinte :
Urna casa de pedra e cal sita na traves-
sa de Matocolomb, freguezia de. Afogados
desta cidade, com dezenove metros e se-
tenta centmetros de largura e seis metros
e setenta centmetros de comprimento,
trndo na frente seis janeas e duas portas,
sendo que as portas diio entrada para a
sala de visita c de jantar e as janellaa fi-
cam nos quatro quartos que sao collocadon
entre urna sala e outra o ura outro qoarto
contiguo sala de jantar, no fundo do qual
a cosinha interna, achando-sc tudo em
uio estado, no terreno comprchendido ero
setecentos palmos de frente, o qual tem
cerca nativa e um portao de madeira, exis
tein duas cacimbas e junto a urna d'ella.s
um tanque e outro tanque na parte p^ste
rior da casa; oitenta pus de coqueiros,
diversos ps de cajueiros e mang tetras,
sapotiseiros e outras arvores, tudo bastan
te maltratado, e no terreno de marinha
que mede vinte e oito bracas e quatro pal-
mos de frente, est situado um viveiro
que se acha arrombado e em pessimo ca-
tado ; avaado tudo por um cont de ris,
vindo a ser o abat ment da quantia de
cem mil ris, penhorado para pagamento
da execucao promovida pelo cnsul de Por-
tugal como administrador do espolio d
Manoel de Carvalho Moura contra a viuv
e berdeiros do finado major Manoel Fe
reir Escobar, e v2o de novo praca por
nao torera apparecido licitantes que co-
brissem o preco da avaliacao.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa e affixado no lo-
gar do costume.
Dado e paseado nesta cidade do Reoife
aos 12 de Setembro de 1889.Pedro Ter-
tuliano da Cunta, cscrvSo subscrevi.
Joaquim da Costa Riboiro.
<> MercoMecretaria da prealden
ca d Pernambuco. lO de Setem-
bro de 1889
Por esta secretaria se faz publico, para conbe-
cimento de quem interessar, que o Exm. Sr.
conselheiro presidente da provincia, altendendo
a que as propostas que tiverem de ser conside-
radas para a fundacJo de onze engt-nbos cen-
traes a que se refere a lei n 1971, de 22 di-
Marco ultimo, devem harmonizar se com as
clausulas do regulamcnto expedido hontem para
execuc dos arts. 16 e 18 da lei n 1860, de H
de Agosto Marco, resolveu annullar por acto de hoje a COD-
currencia que te ve lugar a 16 do rorrete, em
virtude dos editaes de 20 de Abril, 3. 4, 20 o 2i
de Maio, 3 c 22 de Junho e 19 de Julho ultimen,
c fixar o dia 25 de Outubro prximo, para apr?-
sen'.uco de novas propestas.
O secretario,
Francisco Leopoldo Marinho de Souza.
_____DELLARAGOES_____
Companhia do Bebe-
ribe
Convida se aos accionistas desta compaahia a
reunirem se era asscmbla geral extraordinaria,
no dia 18 do correte mez, ao meio dia, no 1 -
andar da casa n. 71 ra do Imperador, para
eleger a directora que tein de administrar os
negocios sociaes em o novo biennio.
Reeife, 10 de Setembro de 1889.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira,
Director gerente.
Jos Eustaquio F. Jacobina,
Director secretario.
Sociedade Italiana de
Beneficncia
Sao convidados todos os socios a se reunirem
hoje s 6 horas da tarde, na sua sede ra da
Imperatriz n. 6, { andar, para festejarem o 19.*
anniversario da entrada das tropas italianas cm
Roma.
Reeife, 20 de Selembro de 1889.
O secretario,
Uberto .Sardelli.
Veneravel irmandade
do Senhor Bom Je-
ss dos Passos
Elcfco
Pelo presente convido todos os nossos iruao?
a se reunirem em nosso consistorio na matri*.
do Corpo Santo, hoje sexta feira 20 do comente.
1 hora da tarde, para em mesa areral, que
funecionar com o numero de irmQos que coir
parecer, eleger se a mesa regedora para o fu
turo anno corapromi-sal.
Reeife, 20 de Setembro de 889.
O escrivo,
M. M Campos Jnior.
Monte Pi Portuguez
(Socios em atraso)
. A directora desta benemrita associaco sci-
entilica aos senhores socios contribuintes e re-
raissos, que nao se pozerem quUe3 as suas
mensalidades at o flm do corrente mez, ter de
applicar aos incursos a pena do art. 16 a. 2 dos
estatutos.
Secretaria do Monte Pi Portuguei em Perpam-
buco,3 de Setembro de 1889.
Manoel F. Velloso
2 secretario.
i





:


s
%


Diario de PernambucoSexta-feira 20 de Setembro de 1889
5
HIPPODROMO
DO *
CAMPO-GRANDE
QUE SE SBAWxAB
Domingo, 22 de Setembro
Klone*
dnclt-N
Polln
Katuralida-
lea
Peno
Cor da vemimnilu
Proprietariaa
! Pareo-K*ira-700metros.-ERuas da provincia. Premios : 150*000 a 1, 30*000 2a e 15*000 3-
Slella....
Marina .
Ida......
Invicta...
Coruja
Primazia.
annos...
Zaina......
Casianha..
Rodada ------
Russa......
Rodada.------
Foveira.....
Pernambuco.
57 kilos
50
55
50 <
53
35
Azul e braneo.
Azul e amarello-
Encarnado e prelo.
Azul e grenat......
Rufino Car dos o.
H. A. D.
M. Hossoa.
F. Costa.
Manocl J de Miranda.
i. A. Albuquerque.
2o PareoIncentivo960 metros.Animaes da provincia que nao tenhara ganho ncsla distancia no Hippodromo e em distancia
superior a 1000 metros nos prados do Recife. Premios : 200*000 ao Io, 40*000 ao 2 e 20*000 ao 3
1

3
%
3

7
*
9
10
11
\i
13
II
Corsario. ...
Sans-Souci.....
Dirauclio.....
Pernambuco ..
Pombo-Preto.
Pnariseu......
Furriel........
Humilde......
Tyranno.....
Cauby.........
Pintaiilgo, ex-
Bolacninha .
Lindness.....
E-' Maranguape- .
annos.
Rodado ......
Baio........
Mellado.......
Russo-pedrez.
Cachito.......
Castanho ....
Cast.-pedrez.
Russo-pedrez.
Alazao.......
Castanho.....
Russo .
Baio
Rodado
Alazo-
Pernambuco.
55 kilos.
55
55
50
55
55
55
55
53
53 i
55
55
55
[Azul eouro......
Ouro e branco
Branco e prelo ...........
Azul, ene, branco e preto...
Encarnado e azul..........
Encarnado e azul.........
Branco, prcto e encarnado -
Branco e encarnado........
J. F. da Silva.
D. A. L. J. de 0. L. de Mattos.
Arthur Gonralves.
A. T.
Coudelaria Victoria.
Tattersal Pernambucano.
B. D. C. Pessoa.
M. N. Fonseca.
Manoel Silva.
A. Marques.
Jos B. Cavalcante.
Coudelaria Vencedora.
Preto e branco............[A. Miranda.
Encarnado e .preto.........H. A. Cmara.
3o Pareeimpre
Mft900 mclros.Animaes da provincia. Premios : 200*000 ao 1-, 40*000 ao 2' e 20*000 ab 3
Cabrio.]..
Arumary
Guaran v..
Tupy.....
Moaitor...
Templar..
Sorpreza..
annos.
Foveiro........
Alazao........
Rodado........
Baio..........
Russo .......
Rodado........
Castanho
Pernambuco
55 kilos.
55
53
57
59
61
53
Violeta c ouro.............
Azul c grenat...............
Branco e encarnado .......
Encarnado c branco........
Branco..................
Azul, branco e encarnado...
J. Mello.
F. Siqueira 4 Bastos. -
J Mello.
F. C. de Rezende Reg.
Coudelaria Pernambucana.
J. F. F.
Coudelaria Cruzeiro.
il> Parco- %*rcullura-1300 metros.-Animaes da provincia que nao tenham ganbo ein distancia superior a 1609 metros dos
prados do Recife. Premios : 2SO*000 ao Io, 30*000 ao 2 e 25*000 ao 3
Mylord.......
Flautista.......
Iguarass......
Cupido ex-Tra-
viata........
Good morning.
Atcbkn......
Florete.......
5 annos.
5
5
Baio......
Castanho.
Alazao. -
Russo.. ..
Rodado...
Castanho.
Pernambuco
54 kilos
54 .
51
54
54
54 *
54
Azul e ouro .
Ouro e prelo.
Riscado............
Azul e branco.......
Branco e ouro.......
Encamado c branco.
Coudelaria Pombal.
Coudelaria Fratornidade.
M. P. Fonseca.
S. N.
R. Cardoao.
Liberato de Mattos.
Francisco Freir.
PareoProare -900 metros. -Animae3 da provincia que nao tenham ganbo em distancia superior a 1000 metros no Hip-
podromo. Premios : 200*000 ao Io, 40*000 ao 2 e 20*000 ao 3
1 (Zambo.......
Phariseu.......
I'Esculapio cx-
Seneca .....
Esqu mo.....
Vida Alegre..
Piranion.......
Pombo-Preto...
Village........
Cndor........
annos.. Castanho.
Pernambuco
Russo-pedrez..
Rodado .......
Russo.........
Castanho.....
Cachito.......
Mellado......
Baio..........
53 kilos.
55
55
55 .
36
55
59
55
55
Prelo, escossez e ouro.....
Azul, encaro., branco e preto.
Azul e ouro...............
Branco e preto............
Branco....................
Branco e preto.............
F. R. Ramos.
Tallcrsal Pernambucano.
A. P.
a. de Miranda.
M. F.
A. W.
Coudelaria Victoria.
J.J.Dias.
R. Cardoso.
6 ParcoTrilnom 1,'rfcaaow1000 metrosAnimaes de menos de
30*000 ao 3"
Azul e grenat.......
meio sanguc. Premios : 300*000 ao Io, 60*000 ao 2 e
llFavorita..
I Recife...
:tAyraor...
'* Gallileu..
'Cometa..
6 auno,
o
5
4
5
Zaina
Castanho.
Alazo-
S.Paulo.......
Rio de Janeiro
S. Paulo......
58 kilos.
57
57
53
57 -
Verde e ouro.....
Verde e amarelle.
Ouro e preto.
Maia & Chrisostomo.
S. P.
A.M.
Coudelaria Fraleraidade.
Coudelaria Luzo-Brazileira.
(*) Montado por amador.
OBSERVARES
O Io parco se roalisar eom os animaes que se acharem no ensilhamento as 10 horas em ponto, quando co-
mecar a pe&agem. ">
Pede-sc ao3 Srs. proprietai ios o obsequio de tercm cus animaes as 9 horas da manha no ensilhamento,
visto como, impreterivelmente, ser cumprido o horario.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o pareo em que tm de correr.
Os jockeys que nao estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poderao correr, cumpnndo-lhea
ipresentar as respectivas cadernetas na occasiao da pesagem.
Os forfmta serio recebidos na forma do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
PBFCOM K HILHBTEti
Gcraes.............. 1*000
Entrada c archibancada........ lJXa
Entrada e ensilhamento......... JffK
Entrada, archibancada e ensilhamento .... 3*(KK)
Cartoes de familia at 5 pessoas...... SW
Differenca para ensilhamento
1*000
HORARIO
Corridas
1. pareo........ 11 horas
2.
3 0 "

4. ,.......
5. ........
6. ........
11
'i
2
3
e 50 minutos
e 40
e 30
o 20
e 10
Recife, 19 de Setembro de 1889.
O secretario, Eugenio de Barros.
Recife Drainage
K".la$ao dos ooncertos feitos nos apparelhos
no mez de Agosto do comente anno, de
tonfermidade com o art. 10 do contra-
cto e 2." do art. 15 do regulamento de
le Janeiro de 1872,
Freguezia do Recife
u_z de 01 inda n. 22
Dita n. 2G
Diia n. 3
Dita n. 63
Bom Jess n. 24
Dita n. 28
Dita n.38
Dita n. 40
Dita n. 19
Cotamercio n. 16
Dita n. 22
Largo do Corpo Santo n. 25
Torres b. 6
filme de Souza n. i
Vigario Tenorio n. 13
Maris e Barros n. 4
Amorim n. 36
niU n. 38
pita n. 31
2*300
3*090
uno
5 5700
2*580
2*580
13*420
3*780
2*880
2*500
8*050
2*500
3*890
10*460
5*370
6*850
2*500
8*100
3*73('
Dita n. 3o
Companhia Pernambuca n. 18
Dita n. 20
Largo da Assembla n. 4
Madre de Deus n. 32
Dita n. 3
Domingos Jos Martins n. 42
Dita n. 68
Dita n. 82
Becco Largo n. 6
Dito n 5
Travessa do Corpo santo n. 4
Bita n. 13
Travessa do aotigo Porto n. 1
Restauracao n. 30
Dita n. 40
D. Maria Cesar n. 42
Dita n. 13
Visconde de I tapanca n. 35
>>ita n. 43
Pharol n. 4
Dita n. 64
Areial n. 24
S. Jorge n. 24
Dita n. 38
Dita n. 80
Dita n. 120
Dita n. 33
Dita n. 45
73930
MWO
4.300
9*230
24*480
3*700
SJ500
2*500
1*880
1*580
174080
2 500
2*580
2*500
2*580
2*580
18*800
M8B0
6*850
5*370
2*500
4*730
12*250
4*350
2*500
2*500
2*500
21490
2*500
Cuararapes n. 90 24500
Dita n. 19 i* 750
Bario do Triumpho n. 56 i-5350
Dita n. 88 5*040
Largo da Assembla (apparehio pu-
blico! 2*500
Freguezia de Sanio Antonio
Imperador n. 42. 6*470
DitS n. 54 3*850
Dita n. 1 2*500
Praga de Pedro II n. 2 2*880
Dita n. 4 6*350
Primeirode Margo n. 14 0*850
Duque de Caxias n. 80 2S500
Dita n. 25 3*050
Dita n. 55 4*330
Dita n. 75 .2*500
Cabug n. 1 3*890
Dita u. 9 3*630
Dita n. 11 7*500
Barao da Victoria n. 10 ,-00
Dita n. 18 2*500
Ditan 60 9*270
Dita n. 33 4*480
Dita n. 59 8*800
Trincheiras n. 40 11*880
Travessa das Cruze3 n. 8 11*000
Dita o. 12 8*000
Dita n. 14 3*890
Largo do Paraso n. 29 12*130
Estrella do Rosario n. 2 h8;o
Dita n. 32 2*500
Dita ii. 3 2/580
Diia n. 45 2*500
S. Francisco n. 12 1*89U
liba do Carvalho n. 14 3*630
Roda n. 62 12*130
Becco da iravessa da ra Bella n. 1 A 2*660
Travessa dos Quarteis n. 2 9*730
Dilan. 5 3*650
Calnbouco Velho a. 9 2*330
Diiu o. 27 4*770
Becco do Culabouco n. 14 2*500
Travessa dos Esposios n. 1C 3*&50
B"icoda Matriz n. 17 19*610
Travessa das Flores n. 7 3*930
Paulino Cmara n. 34 2*500
Largo do Carmo n. 26 2*300
Travessa do Carino n. 14 :2*I0
Travessa da Bomba n. 10 2*5u0
Fogo n 30 13*550
Diia n. 43 2*3 0
Travessa do Livramento n. 18 44900
Livrainento n. 14 40t0
Visconde de Inhauma n 2 3*930
Dita n. 21 10*470
Pedro Afionso i). 33 2*500
Harcilio Das :i. 91 3*650
Trove? de S. Pedro i. ' 8*0. .0
Largo de S. Pedro n. I 19*810
Viniit c Qualro de Malo n. 9 24300
Palma n. 31 4*850
Mrquez do llerval n. li 2*500
Dita n. 44 10*500
Dita n. 57 2*3 0
Diia n. 65 8*880
Dita n. 81 3.630
Larga da Pracelan. 1 24500
Palacio da Presidencia 11*030
Freguezia de S. Jos
Marcilio Dias n. 38 4*880
Diia n. 137 24500
Dita n. 141 4*810
Lomas Valentinas n. 72 3*850
Dita n. 74 3*030
Dita n. 94 34*630
Coronel Suassuna n. 92 5*130
Dita n. 148 3*30
Diia n. 133 2*300'
Biia n. 161 1*500
Dita n. 173 6*950
Mrquez do Henal n. 217 3*630
Travessa do Pcinho n. 67 3*650
Dias Cardoso n. 70 33430
Dita n. 35 5*340
Padre Nobrega n. 3 24580
Dita n. 73 ol*820
Travessa do Gaz n. 8 3*630
Vidal de Negrciros n. 30 3*630
Dilan 1 ' 2*780
Dita n. 7 4*430
Dita n. 29 12*130
Ditan. 139 24300
Frei Henrique n. 15 25O0
Travessa do Prala n. 6 44910
Dita n. 12 7*910
Assumpco n. 26 Dita n. 42 2*500
2*500
Dita n. 44 3*800
Dita n. 58 12*150
Padre Floriano n. 65 5*650
Travessa do Serigado n. 3 2*500
Antonio Henrique n. 6 2*500
Nogueira n. 2 3<-50
Diia n. 21 2*300
Santa Rita n. 17 6**50
[Uta n. 27 3*650
Dita n. 71 2*500
Nova de Santa Rita n. 38 2*500
Dita n. 44 2*700
Diia n. 58 5*320
Dita n. 63 4*530
S. Jos n. 8 2*500
Dita u. 22 5*050
Dita n. 26 4*690
Travessa do Peixoto n. 29 2*500
Imperial n. 23 3*660
Dita n. 43 o*10o
Freguezia da Boa- Vista
Imperatriz n. 62 3*650
Dita n. 1 - 4*950
Dita n. 5 3*970
Dita n. 13 3*680
Dita n. 39 4*350
Dita n. 43 6*650
Dita n. 45 7*300
Dita n. 47 32*230
Conceicao n. 5i 17*720
B8an.3 -Visconde de Pelotas n. 34 15*490
3*650
Tambi n. 32 21*850
Dita n. 9 12*150
Visconde de Albuquerque n. 174 3*000
Dita n. 7 23*610
Aurora n. 9 3*650
Capibaribe n. 12 A 3*650
Poute Velha n. 74 4*100
Riachuelo o. 34 3*650
Dita n. 1 4*800
Dita n. 5 3*650
Sete de Setembro n. 6 3*650
Hospicio n. 4 4*350
Dita n. 50 3*650
Ditan. 51 A 3*650
Dita n. 63 3*630
Ditan. 69 2*500
Rosario n. 30 3*630
Diia n. 52 2*500
Gervasio Pires n. 83 A 5*000
Socego n. 46 59*670
Dita o. 19 7*890
Dita n. 23 3*650
Coelhos n. 14 3*650
General Seara n. 1 51*200
Coronel Lamenha n. 4 4*800
Travessa do Veras n. 6 4*250
Travessa da Mangueira n. i 5*200
Alegra n. 6 3*650
Visconde de Goyanna n. 48 3*650
Dita n. 83 8*780
Bita n. 133 2.'*8U0
Recife, 14 de Setembro de 1889.
0 gerentuo
J. F.Mackintosl .
PROJECTO DE INSCRIPGAO
Companhia de edificado
AMsemblea geral
3.a CONVOCA9X0
A commissao abaixo assignada convida
os Srs. Accionistas a reunirem se no es-
criptorio da companhia, ao Largo Pedro
II, n. 77, 1." andar, no da 20 do cor-
rente ao meio dia, afim de tomarem co-
nheeimento e resolverem acerca dos as-
sumptos j annunciados.
Sendo esta a terceira convocaco e em
vista do 3. do art. 15 da Lei n. 3150
de 4 de Novembro de 1882, consti-
tuir se-ha e resolver esta Assembla
com qualquer numero de accionistas que
comparecer, seja qual fr a somma do ca-
pital representado.
Escriptorio da Campanhia de Edifica-
c3o, em liquidacjto, 10 de Setembro de
1889.
Joaquim de Oliveira Borges.
Jos Qornes Ferreira Maia.
Bernardino da Costa Campos Jnior
SANTA CASA
CASAS PARA ALIO .111
Ra do Vigario Tenorio n. 27, loja 200*000
dem idem dem, 3." andar 18040O.5
dem do Bom Jess n. 8, 216*000
Ra Visconde de Albuquerque ca-
sa n. 81. 246*0 0
Ponte Velha n. 31. 168*000
Becco do Abreu n. 2, Io andar 100*000
Ra do Bom Jess n. 29, loja 240*000
dem idem n. 29, 1. andar 240400o
Mem idem 2* andar 240*0,10
Bispo Sardinha n. 3, loja 168*000
dem idem n. 11. 2. andar 240*000
RuadaMoedan.49 armazem 200*000
dem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado 2:131*000
dem idem n. 33, idem idem 1:200*000
Idem de Thom de Souza n. 14, Io
andar 2004000
dem Imperial n. 151, caza terrea 360f 00
Becco da Detcnco (ineiagua) 96000
Ambole. ;V8rtiaT 72*O0fl
S. Lourenco da Matta 60*0g
Becco das Boias n. 14, Io andar 180*000
Para a 4.a corrida a realizar-se no dia 29
de Setembro de 1889
1. PAREO Inicio 800 metros. Animaes da provincia que nao tenham ga-
nho premio nos prados do Recife. Premio: 200}000 ao primeiro,
4O5O00 ao segundo e 205000 ao terceiro.
2. PAREO l.o de lulho 1,500 metros. Animaes pelludos do paiz. Pre-
mios: 3005000 ao primeiro, 605000 ao segundo e 305000 ao terceiro.
3." PAREO Internacional 1.200 metros. Animaes estrangeiros que nao te-
nham ganho em 1889 em maior distancia. Premios : 4005000 ao pri-
meiro, 805000 ao-segundo e 405000 ao terceiro.
4. PAREO- Cousolaco8.">0 metros. Animaes da provincia que nSo tenham
ganho premios em 1889, em maior distancia. Premios : 2005000 ao pri-
meiro, -105000 ao segundo o 205000 ao terceiro.
5. PAREO=Grande Premio Imprensa Pernambucana.
Animaes inscriptos.
6. PAREO Prado Pernambucano 1.700 metros. Animae de qual-
quer paiz. Premios: 4005000 ao primeiro. 2005000 ao segundo c
405000 ao terceiro.
7. PAREO Anlinaco 1.200 metros. Animaes da provincia nao inscripto
no GRANDE PREMIO. Premios: 2005000 ao primeiro, 405000'ao
segundo e 305000 ao terceiro.
Obsevacoes
S serlo aceitas para cada pareo quinae propostas. Cada enveloppe dever
conter urna s proposta, e caso appareca mais de urna, s ser aceita a primeira,
que fr lida, sendo recusada a proposta que nao vier acompanhada da importancia
da inscripcao *
Nenhum parco se realizar sem que se inscrevam animaes de tres proprieta-
r03 differentes.
A inscripcao encerrar-se-ha terca-feira 24 de correute s 6 horas da tar-
do, na secretaria do Prado Peruambueano, ra do Imperador n. 83, 1. andar.
Recife, 19 de Setembro de 1889.
Francisco de Souza Res,
GERENTE.
Aviso
De ordem do nosso irmo juiz, convido a to-
dos os nossos canssimos irmos para compare-
cerem no da 22 do corrente mez, s 10 horas da
manha, afim de tratar-se de assumpto de gran-
de interesge paras uossa irmandade, o qual nao
admitte demora.
Consistorio da veneravel irmandade do SS. Sa-
cramento de Afogados, 9 de Setembro de 1889.
O escrivo,
Thomaz Domingues Tavarcs.
Thesouraria de Fazenda
iubMtituiro de notas
De ordem do Illm Sr. inspector, fago publico
ue, na formado edital desta Thesouraria de 17
e Junho ultimo, no dia 30 do corrente mez
que termina a prorogago do praso marcado para
a substituido sem descont das notas de 200*
da 5.a estampa.
Vencido esse praso, comecara o descont de
accordo com o preceiluado pelo art. 13 da lei
3313 de 16 d Outubro de 1886, isto : durante
os tres primeiros mezes 2 <,0; at o 6. mez 4
0,0 ; at o 9. mez 6 c/0 ; at o 12 mez 8 0/0;
duraute o 13. mez 10 0/0, e mais 5 0/0 mensas
d'ahi por diante at que as not63 perco de todo
o valor.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 9
de Setembro de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna
Hospital Portuguez de Be-
neficencia em Pernambuco
34 anal versarlo
PBOGBAMMA DA FESTA NO DIA 22 DO
CBRENTE
A junta administrativa do Hospital
Portuguez de Beneficencia solemnisa o
34. anniversario da sua installac2o, com
toda a pompa e brilhantismo dos annos
anteriores.
Das 9 horas da manha s 10 da noute,
estar franco concurrencia publica o
nosso estabelecimento de caridade.
As 10 e meia horas em ponto ter co-
meco a celebracilo da missa em louvor de
seu Padroeiro S. Joao de Deus.
Das 3 horas em diante, o em elegantes
barraquinhas servidas por distinctas Se-
nhora; e Cavalheiros da nossa sociedade
ser3o distribuidos os objectos expostos as
mesmas. mediante a esportilla regulamen-
tar para ajuda da manutencSo desta til e
p'a instituirlo.
A noute ser o edificio, jardim e sitio
brilhantemente Iluminado a gaz, luz elctri-
ca e baloes venesianos etc.
Durante o dia e noute diversas bandas
de msica e entre ellas as de diversas
sociedades particulares executarao as me-
lhores pecas de seu repertorio, prestan-
do estas ultimas com sua presenca maior
brilhantismo nossa festa de caridade.
A junt i administrativa convicta do amor
e affeiySo que a popula3o desta capital
dispensa a este Hospital espera que a
sua festa seja este anno urna das mais
brilhantes pela concurrencia a este certa-
men de caridade dando a esta fe3ta tra-
dicional o peculiar encanto campezino.
Secretaria do Hospital Portuguez de
Beneficencia em Pernambuco, aos 13 de
Setembro de 1889.
Cesario Accurcio da Silva Papoula
Secretario.
COMPANHIA
DE

North British Mercantile
Insurance & C.
jfs t ab ele cida em 1809
Capital subscripto
Fundo accumulados para
2.500:000
sinistros t 1.842:544
4.342:544
Asente em Pernanihuoo
N. J. LDSIONE
to Hua do Coinmercio O
SAMO immcioNL
DO
Capital 20,000:0005001
dem realisado 15,000:000,5000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
aprazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParisBanque de Paris et des Pays Baa.
LondresLondon & County Banking Oom-
pany Limited.
AUemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da Frota The London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento com juros na razao de 2 0/ ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, MiUiam M Webster.
martimos contra fogo
Companhia Phenlx er
namfeueana
RA DO COMMERCIO N. 38
Companhia
V
'/
Imperial
BE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadorias
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Rs. 1,000:0MM>
AGENTE
RROn >* A C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
Campanljia fe &egtw
cohiba ro&o
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posigao finaoccira fDezembro de I885j
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados
lleceita annual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De juros
3.134,348
577,330
191,000
32,000
O AGENTE,
John H. BoxineU
"- CONTRA FOGO
The Liverpool & London & Globe
INSUHANGS CDMPANT
2lac3b:ss, mim & c.
Ra do Commercio n. 3
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL. 9.000:000
AGENTES
R.DEDRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do matero ,banco em Portugal sendo
em LisWalrdos CapeUisUs n. a
Porto, ra Oos Jnglezes.
75. N#


'-:.-
.'L
^^B^I^H


6
Diario de Pei^ambuco-Sexta-feira 20 de Setembro de 1889

*
(juipanhia k Seguros
MARTIMOS E TERKESTRES
E tu kr Ir r Ma IS**
CAPITAL 1,0OO:000#000
SINISTROS PAGOS
At 31 drDfzcrodelNH4
Maritimos.. 1,110:000#00(>
Terrestres. 316:OOO#00O
44Ra do Cojnmeroio44
Compaiihia de Segaros
AGENTE
Miguel J<.s Alyes
MBrCAtA
DE
Xavegaco eostelra por Tapar
POSIOS DO SL
Jfacet, Pendo, Aracaju' e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteres
Segu no dia 24 de Setembro s
8 horas da tarde. Recebe car-
a at o da 23.
Encommendag, passagens e dmheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucana
n. 12
>. 1na ilo-Rum ai'ii-\.
SEGKUS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes uliimos seguios a unicu companhi
uesta praga qne concede aos Srs. segurados semp
{Ao de pagamento de premie en cada setinv
anno, o que equivale ao descont amiBul decer
oa de 15 por ceuto em favor dos segurados
iBARITIBOS
CHARGEURS REUNS
CompanhU Fpnrcia
DE
Navegaco a vapor
jinha quinzena entre o Havre, Lisboa,
Pernaubuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos
O vapor
VilledeSan Nicols
Comiuandante Voisin
E' esperado da Europa at o dia 25
de Setembro, seguindo depoi daiD-
dispensavel demora para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga peles
loores desl ir.ha, queiram apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga das al varengas
qualquer reclamacuo concernente a volumes que
porveatura tenham seguido para 03 portos do
sulafimdese podei dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa. por extravos.
Para carga, passagens, eneommendas e di
uneiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Augusto Laliille
9 RA DO COMMERCIO-9
Companhia Bahi ana de Na-
vegado Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
ju, Estancia e Baha
O vapor Sergipe
Cemmandante Rebollo
E" esperado dos portos cima
at o dia 21 do corrente, e de
poisda demora do costume re-
.gressar para 03 mesmos
Para carga, passagens, eneommendas e dnbei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vignrio 17
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Potos
Espera-se da Europa at o dia
,22 de Setembro e seguir de-
kpois da demora do costume para
'Valparaso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageros, eneommendas e di-
aheiro a frea: trata-se com 03
AGENTES
Wflso, Sons k L UwkA
14RUADO COMMERCO14
, .. ,.
Companbia Brasileira de
Naveejac.ao a Vapor -
PORT0HK) SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do norte at
o dia 24 de Setembro e depois da de-
Imora indispensavel seguir para os
"portos do sul-
As eneommendas sero recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do da da sahida.
Parar carga, passagens, eneommendas e valo-
res trata-se com qj AGESTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante (.'arlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do sui at o
, dia 27 de Setembro e seguindo depois
rda demora indispensavel para as
portos do norte at lamaos.
As eneommendas s sero recebidas na agen
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, eneommendas, passagens e valo
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commereio=S
1 andar
Royal Mail Steam Packet
Company
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
Espera-se da Europa at o dia 27 de
'Setembro, seguiud depois da demo-
ra do costume para
Baha, Rio de Janeiro Montevi-
deo e neaos-Ayres
Para passagens, fretese eneommendas trata
se aom os AEHTJBS.
O vapor Don
B" esperado do sol na dia 29 de Se-
tembro, seguindo depois dademora
ueceagaria pora
lisboa, Vigo, Saatbaaiptoa Antuerpia
Rednccao de passagens
lia da e coito
A' Lisboa i* ciaste 20 30
A' Southamptoa 1' classe 1
Camarotes reservados para os passageros de
Pernambueo.
Para paesugeos fretes, eneoiaaendas, trata-s?
com 08 _
AGENTES
Amorim Irmos & C.
COM III ANA ri:R\AMBI(A\t
DE
\avcgacao eostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mostor, Araca-
ty e Ciar
O vapor Jag'uaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 26 de Setembro as S
horas da tarde. Recebe carga at o
dia 2o.
Eneommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia 26.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n.12
C ampanha Abolicio -
nista
SSo convidadas todas as pessoas que se jul-
garem com direito medalha commemorativa
desea carapanhu, a comparecerem at o dia 25
da corrente (quarta feira), na praga da Indepen-
dencia n. 14. ou na ra do Vigario n. 4, primei-
ro andar, das 2 as-4 da tarde.
Taverna
^Vende-se una taverna na ra Bella n. 37,
livre e desembarazada, com poucos fundes,
ropria para principiante ; a tratar na ra de S.
bo n. ......_.......................________________^__
Sitio na '1 orre
Aluga-se um sitio com casa para familia, caia-
da e pintada, com bastantes arvoredos, e prego
razoavel, na rna da Torre n. 6 : a tratar no Re-
cife, caes do Apollo n. 48, cscriptorio.
COPt\U14 PEHVlini(4\t
DE
\nvcgae5n eostelra por vapor
PORTOS DO SUL
Rio Formoso e Tamaito
O vapor Pirapama
Comm andante Carvalho
Segu no da 26 do corren-
te s o horas da mana. Re
cebe carga at o dia ..
Passagens at s 3 horas da tarde da vespera
da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucana
n. 12
Leilao
Casa emJaboato
Aluga-se urna casa com commodos para
familia, caiada e pintada, por preco razoavel, na
roa Duque de Caxias n. lo. em Jaboato ; a tra-
tar no Recife, caes do Apollo n. 45, escrip-
torio.
Foi transferido para
HOJE
o lello de movis annunciado para a ra do Ba-
ro da Victoria n. 14
PELO AGENTE
Martins
Constando de urna mobilie de Jacaranda, pia-
no, serafina, jarros, secretaria, mesa elstica,
aparadores, consol, sof de amarello, cadei-
ras, marquezao, 2 ricas espingardas, lonca de
jaotar, dita de almoco, vidros e outros muitos
movis.
A' 11 horas
Agente Britto
Leilao
De 1 armagio envidracada, 4 hteiros, 1 dito
para balco, 4 quadros, 1 realejo com 6 pegas.
f requinta, 1 candieiro moderno para kerosene
i lampeo para porta, ^ prado, leques, esparti-
Ihos, bicos, Atas, botdes. linhns e mais sorli
ment de miudezas, perfumaras, charutos, ci-
garros, ponteiras, cachimbos. 1 reiogio, 1 balan
5a, i escuda, e muitos outros objectos que se
vendem ao correr do martello, existentes na
loja sita no pateo do Terco n. 19.
Sexta-felra tO do corrente
As l 1\2 horas
-------------------------- r1---------------
Leo
Agente Britto
De 1 mobilia de jacaiand, ^ espelho oval, 4
quadros, 1 cama l'rauceza, 1 toilette, 1 commoda.
2 marqueifio, 1 lavatero i guarda louja, 1
sof e 18 cadeiras de amarello, 1 mesa elstica, 1
marquesa. 1 reiogio de narede, 7 jarros anos, 5
lageres 4 lan ternas, 8 tapet< s para sof c porta,
i candieiro de suspensfto para kerosene, 2 can-
dieiros para kerosene, louja para almoco e jan-
tar, clices, copos, fructeiras, garrafas, compo-
teiras, 1 galheteiro, i cahrde, escarradeiras, 15
psde crotons, 6 ps de roseira, bandeijas fina?,
Lacias 1 jarra, regadores, mesa para cosinha e
outros objectos, pertencentes a urna familia que
retirou-Fe para fra da provincia.
Sabbado 91 do eorrente
A's 10 e _1\2 horas
Ra do Jasmim n. 25
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se a casa da ra das Flores n. 18,
com 3 quartos ; a tratar na ra Nova n. 39,
loja.
A luga se o 1 e2- andares ra da Boda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservaco : a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65.
Aloga se o grande sobrado n. IX ra de
Fernandes Vieira, na cidade de Olinda, o qual
se acha era nerfeito estado ; a tratar na roa da
Imperairiz u. 61, loja.
Aloga se para passar a Testa urna boa casa
com'commodos para familia grande, margem
do rio Capibaribe, no Ambol, fregoezia da var-
lea, tem a frente pintada de vermelho defronte
da taverna, est limpa ; a tratar em Olinda, sitio
defronte aigreja deN. S. do Guadalupe, ou nos
domingos na me.- mu casa.
Aluga-be a casa da ra Imperial n. 117
com commodos para familia, c prego razoavel ;
a tratar no Recife, caes do Apollo n. 45, escrip-
torio.
K-3
do 8a JessM. 3
Aluga se o 2- andar do sobrado n. 37, sito
ra Duque de Caxias, com commodos suffi
cientes para urna runde familia ; a tratar na
ra de Sant 1 Thereza n. 48, est caiado e pintado
de novo.
Aluga-se o sobrado rna do Coronel So~-
assuna n. 278, todo ou em separado, tem b&u
accommoddcoes, agua, gaz e esgoto pelo novo
systema, a tratar ra do Imperador n. 55. al
as 3 horas da tarde, e depcis a qualquer hora
no Paysand n. 12 sobrado junto capella,
Precisa se de um caixeiro com prfeito co
nhecimento de retalho e que d o de sua con
ducta ; a tratar na ra de Bemdca n. 7, onde
tambera se precita* de um menino de 12 a 14 an-
uos, em iguaes condices.
Preeisa-se de ao ssotaora de meia idade
e de boas rostomes, para fazer companhia a
ama senhora casida doeote e tratar da mesma;
a tratar na ra Dique de Caxias a. 7;-A.
Vende-se na praca do Capim n 149, fre
guezia deAfogados urna taverna bem localisada
e Calende iu uagoci ; 9 dono so soda par-
que precisa retirarse para fra, e qoem jal -
gaaae coa preti nco se dirija mesraa.
Na engenhoca de Bemflca, rna Real da
Torre n. tt predsa-se de um criado para o ser-
vico da mesma, de iaade de 16 para 18 annos.
Vende-se o astuto a m da Deteucio n.
v : a tratar uo rsesmo ou con o Srs. Silva Mar-
"Vies & C, large da AlfaaaVaa o, 2 A.
i
Previne-se a quom quer que arremate as casas
ns. 28 e 30 do becco do fociaho, e 14 da ra
Imperial, foreiras marinha, que estao sujeitas
a um litigio judiciario em grao de revista, pen-
dente de julgamento.
Os consenhores.
Especialidades
DA LOJA DA BA DA IMPEBATBiZ K. 80
Ricos espelhos dourados oves para salas
a DOiJkXX).
Bonitos candieiros Americanos para salivo
a 400000.
Ditos menores a 15|J000.
Ricos cortinados de crochet, grandes, para
camas a 30)5000.
Cortinados de cores, phantasia, para ja-
nella, metro a 1^800.
Ricas bandejas esmaltadas de madreperola,
terno 18i000.
Lindas cambraias arrendadas, finas, para
vestidos.
Candieiros de p, inexplosivos, de Berlini.
Especial oleo high-Ufe para o caballo,
frasco 10000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dous
pospontos a 12|>000.
Sapatos para casa, especiaes para doente
a500rs.
Elores artificiaes.
GalSes pretos com vidrilhos, procos aem
competencia.
Lis de quadros, covado 160 rs.
Etamiaes de 13, duas larguras, covado
10500.
Grande sortimento de perfumaras, mfa-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL & C
Canlellas do Noiie de Stceurn
Compra-se cautellas do Monte de Soccorro
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-M
bem na Praca da Independencia n. 22, loja dt
relojoeiro.
Gneros italianos
Vermonth de Torioo.
Fernet Branca (verdadeiro).
Manteiga (era latas). Azaite doce, 1. qualidade.
Mortadella de Bolonba.
Anisette (licor).
Qaaijos, parmejano e reggiano, etc., etc.
Ra do Bom Jess n. 61
XAROPEdeCRACES
DE MURE
Ht m*lt d olncotntt tnnoi M |
w pritlco 1 mtdielnt, Jsmiii -
ccntni nmedio mili tHlcii qm o
cartcl contri u irritntu So pefl*.
v enana, u intftur.
Este Xarope, de sabor ex-j
cellente, de nmi poderos
efQcacla contra as lr*itao*m
da Garganta 9 do reit^
FlujrBrt, ToaM rbet*e,
1 Catavrho Agua OU Chr*-
BttMk
tV WIU. Ptat-SalM-IarU (rrasfa)
A. 0iiig, Gmio SutsMor
Dtpotttoi em foda M frtnolftm
Phtrmfiu.
mtftrntmbuco: fOtf *t. d SILVA O
Ao comrnercio
Gomes Filho A C. d-claram que comprarsm a
Christovo Paulino Vieira da Cunta o feu esta-
belecimento sito tr^vessa do Pombal n. 16,
livre e desembarazado de quilquer debito :
quem se jalgar credor, aprsente suas conlas
no praso de tres dias, a contar de hoje.
Recife, 18 de Setembro de 1889.
Gomes Filho AJ_________
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira para casa de pe-
quena familia ; a tratar na ra Duque de ta-
ina n. 77-A, loja.
Tratamento Reconstituinte
[Eattll X>fiHAMP
COM EXTRACTO
de Figado de liaealhu
IJtiintt e CaeAn
Cd fraoo d'nte > Tm eobr o olas da
ELIXIR csr.tem oa > fiando da baojlhku a van-
principios dapurativoa a / tagam do aooaiarar a
tnicos da um litro da olao fonteaa do aatornaao
d figado da baoalhiu a am lugar da as perturbar,
um litroda vinho do Quina. ^ ds daspartaro appttito.J
_ Este Medicamento, de sabor e giste]
'mu agradaveis, obteve o melhor soc-i
icesso em Franca para combater :
i ANEMIA, CHLOR8E.
AFFECQES dos BRONCHIOS
ePULMES,
e a FRAQUEZA das CRIANZAS
Depsito gura! esa PAJUS :
SAXP, 16, ra as Poltoa,
Em Ptrnsmbvco:
AMr M. agW.VlL
O OLE PURO
-DE-
H6AD0 (le BACALHU
-DE
LAUMAIT & KMP
produz effeitoa anlogos a os da
Emulso com Hypopkosphites
dos mesmo3 sonhorofl, no caso de
ser preferido o traotamento nasta
forma para o curativo doa ineom-
modoa
do Peito, a Garganta e os PaiinOes-
Cosinheiro
Precisa-sc de um cosinlieiro ; a tratar na ra
de Paysand n. 19 (Passagem da Magdalena).
A o comrnercio
Christovao Paulino Vieira da Cnnha declara a
quem interessar possa, que vendeu o seu esta-
bclecimcnto de molhadoa sito travessa do
Pombal n. 16, livre e desembarazado de qual-
quer debito : quem se julgar credor aprsente
s'ias cuntas no praso de tres dias, a contar de
hoje. Recife 18 de Setembro de 1889.
Christovao Paulino Vieiroda Cnnha.
Cosinheira
Preeisa-se de urna cosinheira para casa de
pequea familia ; a tratar na praca de Conde
d'Eu n. 32, segundo andar.
Est para alugar
a casa assobradada da ra Joaquim Nabuco n.
22 (Capunga) muito fresca, com agua, gaz, bom
quintal, c todos os commodos para grande fami-
lia. Na mesma dir-se ha com quem se trata.
Libras sterlmas
Vende-se libras sterlinas ; na ra do Com-
rnercio, armuzem n. S.
Taverna
Vcnde-si ou aluga se com armaco a casa
Pombal n. 11, propria para principiante por ter
po. co3 fnndos, aluguel mdico ; trata-se com
Bernardino '.'ampos, no Caminho Novo.
Ji>t- da ilia M'vp*
Mara da Silva Neves e seus tilhos agradecem
a todas as pessoas qne acompanharam ao cemi-
tario os restos mortaes de sen Ulho e irmo Jos
da Silva Nevos, e esnvidam as mesmas para
assistirem as missas que mandara dizer no dia
23 do corrente, s 8 horas da manila, as igre
jas de Apipucos, Pilar e matriz da Baa-Visia.
t
u Phllomena Carolina de Fl-
gueiredo C'Hr\*l!io
Manoel Lopes de .-ouza 1 arvalho, seu filho e
mai, J0S0 Paulo de Carvalho, Dr. Jeronymo Ma-
terno Pereira de Carvalho e sua mulher, Octa-
viano Augusto de Figueiredo c sua mulher. An-
tonio Cesario Moreira Uias e sua mulher. Carlos
Joo de Soza Correia e sua mclber, Ernesto B.
de Figueiredo, Maria Carolina de Figueiredo,
D. Maria Senborinha da Silva, Jos Vctor da
Silva '. imentel e seus los agradecem a todos
quantos se dignaram de conduzir ultima mo
rada o cadver de sua presada esposa, mi, ora
irm, cunhada e sobnnba, D. PnilomenaCaroli
na de Figueiredo Carvalho ; e de novo os con-
vidam e aos demais parentes e amigos para as
8istirem as missas que por sua alma sero rea
das na matriz da Boa-Vista, s 8 horas da ma-
nila do dia 21 do corrente, stimo do seu pessa-
menlo. _____________
f
Antonia Hnria Mni-tiiir* Fer-
reira
Manoel Gonjalves Marques Ferreira, Zeferina
Candida Ferreira, Antonio Maria M. Ferreira.
Jos Marques Ferreira, Domingos Marques Fer
ira, Marianno Marques Ferreira Julia. Amalia
Ferreira e Maria Theodora da ^ssumpeiro Fer-
reira, Anna Ismenia Ferreira e Eugenia Goncal-
ves Ferreira, ffm?. flllias e oras no finado An-
tonio Mara Marques Ferreira, agradecem do
fundo d'alma s pessoas que se dignaram con-
correr ao enterraraento do mesnio finado, e ro-
gam-lbes de novo, bem como aos amigos e pa-
rentes do fallecido que queiram assistir as mis
sas que em tencao de sua alma mandam rezar
segunda feira 23 do corrente, na matriz da i oa
Vista, s 7 1/2 horas da manh.________
f
i. Clementina doa Santo
Becerra
Clementino dos Santos Lineo Sement, D. Ma-
ria Jos dos Santos^ Sementes c Augusto dos
santos Sement, paf, madrasta e irmo de D.
Clementina dos Santos Sement, fallecida a 13
do corrrente em Camossim de Bezerros, profun
damente sentidos por to cruel golpe, mandam
celebrar missas por alma da finada, s 8 horas
da manh de 20 do corre, te na matriz da Boa
Visia e na jgreja de N. S. da Pcuha ; e para as-
sistir a esses actos convidam aos seus parentes
e amigos, confessando se Ihes desde j agrade
cidos.
t
Bernardino de Houxa Uuarit;
Antonio de Souza Duarte Ferreira, Domingos
Gomes Correia e Arthur Gon^alves Macaes, ir-
mo e amigos de Bernardino de Souza Duarte,
fallecido na liba da Madeira, cenvidim aos p-
renles e aos dema3 amigos do pranteado, finado
para assistirem as missas que se tem de rezar
terga feira 24 do corrente, s 7 horas, na igreja
de S. Francisco, 40. dia de to infausto passa-
mento. Pura omesmo flm convidam as associa-
goes e irmandades s quaes pertencia o litado,
peloqueseconfessam a todos eternamente gra-
tos or este aclo de carutyde.________________
t
Baebarel Joaquim Cuenuen da
Mlva Mello
Feliciana Lins Wanderley e Mello, Joaquim
Gueoees da Silva e Mello, Illuminata Guenne,
Lina Wanderley. Sancha Guennes Wanderiey,
Epilfhanio Guennes, EsmeraldoGuennes, Rober-
to Guiones, l'aetana Guennes, Albertina Guen-
nes, Balbina Umhelina de Mello, Manoel do Nas-
cimento Santos agradecem do intimo d'alma a
todae as pessoas que acompanharam os restos
mortaes de seu sempre pranteado esposo, pai,
(lineeenteado, hachare] Jouqoim Goeunes da
Silva Mello sua ultima morada, e de novo as
convidan) assistirem a missa que pelo repouso
eterno de sua alma mandam celebrar no dia 20
do corrente, pelaB 8 horas da manh, no conven-
to de S. Francisco, confessando-se eternamente
gratos.____________. __________
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scientLflcas
e phvsiologricas para o floi de
beneficiar os cabellos, restaurar
a edr, impedir a queda, e promo-
ver sen vico e abundante cresci-
mento.
Esta apurada e excellente prepara^io,
sem duvida o melhor remedio ate hoje
conhecido para os differentes defeitos da
cabelladura, merece a intima attern o de
todas as pessoas qne t&m tido a iul'elici-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o seu emprego intelligente tem-se
conseguido resoltados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nio
sempre, a propria calvicie tem sido carada
permanentemente.
Sempre se con segu fazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para opentea-
ao das senioras, 6 o objecto mais til a
mais agradavel qne se pode empregar.
preparado-PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
I A' venda as lojas de armarinho e per*
nuaarios.
Darosrro otsuf ,
--------i. -is^a v < \ef
Precisa-sc de una ama para cozinhar ra de
Pedro Affonso n. 70.
Asm.
Frecisa-se de urna ama para cosinhr e com-
prar ; na ra Nova n. 20, loja.
Ana
Para coslnhar, precisase na ra Velha nume-
ro 137.______________________________
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar o com-
prar para pequea familia ; a tratar na ra Di-
reita n. 64, 2- andar
luga-se
a casa terrea da ra Coronel Suassuna (outr'ora
ra Augusta) n. 198, com soto interno, caiada
e piolada de novo; a tratar no largo do Corpo
Santo n. 4, i- andar._______________________
Aluga-se
urna casa junto a eslagflo de Agua-Fra, era Be-
beribe, tendo 2 salas 3 quartos, cosinlia, des-
pensa e um banheiro; no sitio tem diversas
fructeiras ; a tratar na ra dos Coelhos n 10.
Para oziiiliar
No 3. andar do predio n. 42 da' ra
Duque de Caxias, por cima do Diario d* ^
Pernambueo, precisa-se de urna ama qfia
saiba cozinhar bem.
Para engeiahos
Lopes 8 Araujo. vendem
a preeps sem competencia,
garantindo a boa qualidade,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carra pato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosiveJ.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
Ra do LivraiiK'iito n. 58
Telephone 316
JIAIS DE 10:000 CIRAS
Aluga-se
Por prego baixo o Io e 3o endare3 do sobrade
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosario n. 34
botica.
A luga-se
casas ra Luii Reg n. 47-A, Caminho Novo
n. 139-B ; a tratar na mesma ra, padaria Ber-
nardino Campos
Vinho Collares
genuino
m ancortas
Genero superior, remettido para consumo
particular, por prego seo competencia. Vende-
se no trapiche da Companhia, largo do Corpo
Santo n. 19-
Tcito
Vida de Agrcola
Estando a esgoiar-seaedico desta tradugao,
resolveu o edtetor vender o pequeo numero de
ejemplares que aiuJa restam. ao prego de li :
na encadernago Popular, paleo do Para izo n.
29. e na serrana franceza. ra do j.reapo n. 9.
Al ugue barato
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ruada Rodans. 58 e 60.
Ra Vlsconde de Itaparic-J n. 43, armazem
Largo do Mercado loja n. 11.
Becce do (impeli n. 1, Io. andar.
Visconde de Goyannu n. 167, com agua e gaz.
Loja do obrado-do boceo do Caiabouco u. 4.
A tratar rta do Comrnercio u. o, 1* aaaa
esenptorio de Silva Guimares A C.
Quem precisa ?
Aluza se urna casa em Beberibc : a tratar no
trapictie Vianna, Forte do Matio*.
O grande c importante estabelecimento dt
Pogas Mendos A C, sito rna estreita do Rosa
rio n. 9, cosii^uo a i a reja, acaba "de rec ebe
urna grande remessa do -icreditado e cfcpecial
Vinho Maduro
O nico que, sem a mnima confecgo, ib.-
portado neste mercado, e s<) se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro sendo
como feito umcamoale da uva madura, tem
as seguimos vsnlagens que as outras qualidader
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur
bago a3 digestes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vi^or, pois-nutre
aolhos vistos as pessoas debutadas, cd forca*
s que a#tiver arruinadas pelo uso de bebida.-
viciadas.
Recebemos tarabem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhoe, cujoe
propr3tarios capricham eni bem tnb. Ihar neste
artigo, atim de U-rem a -primaeia sobre tanto?
outros similares, cuja composigo duvidosa.
Em outros artigos como ementes de hortalica
e flores, linguas seceos do Rio Grande, objectos di
vime e termneos do l orto para homens e senho
ras, para isio (So pouco timos competidor.
wossa casa e.-.pocialisl, e as pesaoas que disto
se queiram cerlilicar poden compaiecer, ce-n
o que muito nos honraro. Aps urna inflni
dade de artigos de prioieira ordem. que ictom
se em exposigo, acresce a ameuidade do trate
com que timbramos tratar todos os que nof
honram com a sup presenga, junto a modicidadi-
de prego* sem rival.
Bna> estreita do Ruaarlo n. Juata
a itroja
PoQas Mendes&C.
Mudou-se
a sellara ingleza de Domingo! Jote
C. para o predio n. 5 mesma ra
Victoria
eir*
ao da
Tigipi
Constantino de fi Barreta
Convida se a este sonhor a comparecer roa
do Boa Jess n. 23, para prestar coutas dos
cobraaeas que fez no termo de Agua Pret, em
Marco prximo passado.
1I0BTS 'miw
DORES E DeDENTES ____
Ju avCaVaaJCltaavCaVajLj Jb OX-**.
PREPARADO LAICAMENTE
POB CALA8AN8 & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, incha93es, dores aciaticas, nevral-
gias, dormeucia, etc., emprgando-se em
fomentacSes sobre os lugares affectades.
Cura o ber-beri, as paralysias e as dores
de dentes. ,
Todos os frascos levam direc53es para
uso d'este medicamento admiravel.
Pre9o 1)5200. Descont de urna dt
em diante.
DEPOSITO NO RECTFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23
INSTANTNEA
(MARCA REGISTRADA)
Tinta de copiar sem prensa
52Ra do Amorim52
ESNATY RODRIGUES & G.a
Esta maravillosa unta de copiar a MAIS
TIL descebrta americana, impreeeivdtvel
a toda* un aeaaoas que eaerevcm e
qne, sem uso da chissica e tradicional prensa
de copiar, di-wjnm guardar copia n-
tida, inaltaravel de leui traballioa
manuMcriptoa.
A i*sta\tai\'fa o mais prompto auxi-
liar material para a Correspondencia Com-
mercial ou particular, porque simplificando o
trabalho, diuunue-lbe tempo: o escriturario nao
necessita sabir da sua carteira ou mesa para le-
varo manucripto prensa de copiar, reliral-o
da mesma, voltar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da INSTANT-
NEA para a sua escriplurago do Diario, Caisa,
Conlas Torrentes, Facturas, Contas de Vendas,
t'regos Correntes, etc., podem obter duplicata
aulhentica d'esses livros em papel de seda.
A INSTANTNEA depois de dar copia
conserva-se taltemi, preta flxa nao s no origi-
nal como na copia.
A INSTANTNEA no oxida absolutamen-
te as peonas, assim como nao demanda penaa
especial para com ella escrever se.
Com urna esponja, ou pincel embebido n agua, hu-
medece se igeiraiuenle o papel de seda propria
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor-
ro, colloca-se o uianuscripto em baixo do papel
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se a
mo rpidamente em todas as direcgOes, e a co-
pia admiravel; ntida, INSTANTNEA.
Tambem da copia, coirecta, sem moiharopopel
de seda
Precos de venda a dinheiro
Um frasco.................... U50O
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 res, meias ditas,
a 500 ris.
Repblica
Aluga.se barato a casa n. 9 ra do Hospital
Pedro 2., no lugar dos Coelhos, caiada e pinta-
da de novo, com muitos commodos e muito fres-
ca, vista magnifica e banlios salgados na porta ;
a tratar no mesmo lugar com Joaquim Moreira
Reis.
Atten^ao
Ernesto & Leipoldo fazeni publico que en
(ins do me: passado deixou de ser seu caixeiro
o Sr. Jos Rodrigues dos Santos, e por isso nao
pode elle mais praticar desde aquella data acta
algum em nome dalles.
Hotel do Mastro
Estabelecimento montado com todo asseio
commodos para os viajantes, como seja:' boa
dormida, bom tratamento, e cocheira para os
ani;naes qne o freguez levar, existente na Hussi-
nha junto es'.ago, para o qual chamamos a
atiene-' do publico.
CAIi
DE
JAGUARIBE
a 4$> a barrica
com o abate de 10 0\ em porches aais de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23_
Attencao
Aluga-se urna casa propria para estabeteci-
mentQ.com armago, em um dos melliores pon-
tos da freguezia deAfogados, a qual acabada
pasear por urna grande rectificago ; a tratar a
patee da Paz n. 96.



y


^^B
I
i
"V"
I *
V
hiri 4e Pemambuco-SeM ira 20 de Setembro de I88ST
da Junta a Hygieno
da Eio do Janeiro
Sola -LmMllLm*HOURO,
jReeoKe-pettsa de 10,SOO franco* ao arofJie

m,tj x,ijr
Aperiente Toxico Febrfugo, este producto de
um sabor agradavel superior aos vinhos de quinquina
contra as feijoes do Estomago, Febres antigs, etc.
Pr^Sfa-
da Junta si H'ygiene
do filo di Janeiro
Bmm MartalhaMOUFIO,
Os.
VINOSO
O mesmo Ferruginoso muito recommendado contra
a Decoloraco do Sangue, Chlopo-anemia, as Cohse-
quencias do Parto, etc. par*, ao a a. op0uoi hirMciih
E JUNTO AOLOUfRE!
20Ra 1. de Marco 20
Keda hespanhola, todas es cores a 2i>000.
Cachemiras lisas, duas larguras, a lfJOOO
o covado.
Cachemira de listras, 'dua* largaras, a
a 15000 o dito.
Fichs de 12 bordada a 1,4000 um.
Cambraia Victoria a 23800 a peca.
Cambraia coin- salpicos a 30800 a peca.
Caixas com leacos, para presentes, a
34000.
Lavas de seda a 2JQ0O e 24500.
Flanellas de odres para camisas a 280 rs.
o covado.
Colchas de cores a 20000 e 2(J00 urna.
Espartilho ouraca a 44000 o 54000 um.
Camisas brancas a 2)5000 urna.
Madapolao americano a 64000.
Toalhas para banho a 14500 urna.
Camisas de flanella a 34500, 44 e 54000.
Extrato Rita Sangal a 24000 um.
Dito Port-Veine a 14500 um.
Velbutina preta a 700 rs. o covado.
Alpaca branca a 400 rs. o dito.
Dita preta a 300, 500 e 700 r-. o dito.
Panno da Costa para m a.
Atoalhado bordado a 1*000 n metro.
Oazes arrendada a 400 e 440 rs. o covado.
Lences de bramante a 18 0 e 24000um.
Cobertores escura de la a 14700 um.
Toalhas para rosto a 3J5CO a duzia.
Cortes de seda para cllete a 54000 um.
Cortes de fustao para collete a 24500 um.
Baptista de core a 120 rs. o covado.
Merinos da cores a 440 rs., duas larguras.
Para banhos salgados
flfostume para senbora a 104000.
Ditos paia hopiens 84000.
Etamine lisa a 500 ra. o covado.
Sargelins, todas as cores a 200 rs. o
covado.
Lencos brancoa a 1#200 e 14800 a duzia.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 13(5000 um.
GuaraicSo de crochet a 74000 ama.
Merino preto a 800, 14000 14200, 14400
14800 o covado.
Leques transparentes a 24500 um.
Cortinado bordado a 6)5500 o par.
Fustao de cor para roupa, a 800 rs. o
covado.
Bieoa brancos e de cores a 14800 e 24500
Colchas de fustao a 44000 urna.
Cretones a Derby Clnb a 240 e 280 rs.
o covado.
Fustao braceo a 360 c 600 rs. o dito.
(Jrinalda para noiva a. 74000 urna.
Collarinhos c puuhos de celluloid.
Setins, todas as cores a 800 rs. oj:evado.
Lfa amazonas a 400 rs o covado.
Palitota de eeda paiha a 84000 um.
PalitoU de alpaca preta a 44500 um.
Palitots de toile p-rdo a 44500 um.
Palitots do alpaca, de cor a 44500.
Ceroulaa de bramante a 154000 a duzia.
Pecas de esguiao de algodSo a 34500.
GuardanapoB de linho a 24200 a duzia.
Chambres para homem a 54000 e]j64000 j
Meia* fo da Escocia a 14500 o par.}
Brim pardo a280, 320, 400 e 500 rs. o cov.
Cachemira de quadro a 280 rs. o dito.
Bramante de linho e de algodao.
ALUNPATSBSONSC.
44-.|!l!4B4R400OTllJMfHO~44
Machina a vapor,
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacafj
Arados.
OS MDICOS SUBSTITUEM G0H XITO
o OLEO de FIGADO de BACALH0 assim como o VINHO de QUINA
ELIXIR bCHAmP
COM EXTRACTO DE FIGADO DE BACALHAO COM QUINA b JMJA0
Este CttEME de CACAO um poderoso Depurativo
e incomparatfel Corroborante.
VENDA POR ATACADO : DTTCTH.A.1VM, 15, RU DE POITOU, PARS
Dopositarios em Periuimbmo : twlam- se da ilva a, c.
Costumes para meninos a 54000.
Boleas de palha para o mesmo fim.
ESPECIALIDADES
Guarda p para senhora 100000. I Guarda-p para horneas 64000.
Ricos cortes de casemira para calcas. | Lindos cortes de casemira paia costumes
Extratos, meias, entre-meios bordados, baleias, aspas, sabonetes/collarinhos,
punhos, regatas, principe de Galles, cretones para cobertas e outros rauitos artigo.
D-se amostras sem penhor e manda-se levar' quaesquer amostras em casa
A*b Exmas. familias.
CASA DE CONBTANCA
MEIO-SECLO DE XITO 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
ALCOOL
HORTELAO P1HENTA
RECOMMENDADO
pelos mais Mamados Mdicos
l'M'.A CCIt *.R AS
Indigeetes,
Ddres de Estomago,
do Coi9o, do Nnro,
da cabera, te.
INDISPENSAVEL
durante a eslaaio calmesa
EXCELLSNTE
TAM.1EM TAR. A
Toilette e os Dentes
Grande Preservativo nos teinpos de IDpidcmia
Fabrica em LYON, 9, cours d'Hcrbouville. .aNvevSxSvffaNSNfv Casa em PARS, 41, ra Bicher.
EXIGIR 0 NOME DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICAQES
BMWdtw em Pemamhuco : FUI" M. da SUVA i C'm ea Udas ai Fharaaciu 1 Drojiriu icrediiii.
ni;
AMARAL & C
.IPili.r'ra.nefa.tico. 5-9, x-xxa.
Grtiyofc
r
"se -ib, 2?a:r*2T
O QCUUrSOd aiH&Stms i.-.ra. pe- A OKKCIAMM "StOT contem alea,
parar apua .isur.'.cl ; tro t.- Aorueca paro. .*. AaM ato O QOB" Ofi OUYO".* 'n sido eKT>e- '! a'aarocaUi so aMaRMwa il:.e r-fui;3oa.
temaao n--> an^MW s:i;o 11a Haataes ;.sCA^3UVA& 5UT3T recjinmendSc-
1* l raafai f !' ipm naj oal ruiidadal dos ; sa mis eiiforiuidilc. sb-zuucs :
TOU3US c 3A HAKTA TOSCAS VmiES
CATftBJfffCS da BEXIQA
re?
UfSP?S!A
l TJSICAS, BU0*7.RSITAS, ASTHMA
LCF8SAVHT0S
*
O. tl0*GaT:T MBSMtaa na
poci;:i coa c.-tlorus e om WmpoB to opidomias
n bd.-iat a mais bfyaBaBa.
A CAPS- LAS GUYOT . e Cidi uua lava iiui>rssa em preto a firma -.
absolutcmante indiepeosmv*!
exigir a Firma
SSCRZPTA EM TRES CORES
Fabrica : Casa L. FRERE, 19, ra Jacob, PARIZ
e\cvier\acao mmu
39-bua mm m gaxias-39
2ste antigo estabeleeimento, boje completa mate reforMado-com machinas
maia aperfeigoadas e movidas a vapor, acha-se em condiySes de executor qualquer
arabalho em
FNDICiO IDE SINOS E.BR0NZB
BE
LUK D4 CRUZ MESQUTA
66ra do Baro do TriumphoP6
reixi para vender o seg^uinte:
flaohlnas de cobre para ftizer espirito de destillar e restillar.
Alnnabiquea de cobre do antigo e novo systema com esquenta gazapa.
SerpeBtJaaa de cobre e de estanho.
Carapueas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bomba* de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tornelras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Reparldelras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado
Cobre em 1 en col e rmelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadinbos patente e de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E umitas outros objeete
ENCARREOAM-9E de qualquer concert e obras de encommenda, garan
indo prstela, perfeicao e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
*'*"%BE a>preso oh dinheiro com descont.
ADM!N!3TRAgO :
>Aka, 8, BonlsTard Montmartre, PARIZ
PASTILHas DIGESTIVAS Tatoleadas om
Vh>hycoiitosSaeiex:raAt>os do gosto agradavil e a sua necao e certa con-
tra a Azta e as DiyttlOes iiffcett.
SAES DE VICHY PARA BANHOS. Um rolo pa un benbo, para a-, pessoas quc nao podem ir a Vlchjr.
Para evitar ai imUacdet exigir em tote os producas a
MARCA Z>A COJVXP. X>E VICHY
Em Pernatnbueo, ot PodnnM telina kU-o ea cmm i sut-Zen A koechlin,
35. rtt di Cfi; Ai UAMH.UB.
CHHHBBaa-aaflHKnaftSaaB
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartees de
iacacSes, mappas, pre9os correntes, accoes, bilhetes de loterias e rotulas de todas
as qualidades em preto, ouro ou cores.
Brochuras, cartonados, encadernacSes, livros em branco para o commercio e
tspirrtieteB, tendo para este fim urna excellerrte maelljna de pautar.
ABT$X8 m YISITAS
Variado swtimento em cartSe para visitas, participaro'eB e convites de caea-
Marto, bailes, menus^ felicita'eSes, etc., etc.
VDS3NriD(3e-SlaS
Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impressao, tintas, vernires a
uis artigos para fjpograaphia e ClhograpBla.
J.
Manoel J. de Miranda
TeJephone i94
VINHO
Maaaaa
para
reconst/to/r
regenerar
o orgmmmo
arruinado e debeJIar
Ar*ma,Chloross, Pobr
di Sangue, Fluxo Branco, Deb-"
liJade. Amenorrhea, Molestias do
Figado, etc. ~.....~--
PARS, Botevard de Strasbourg, 50
e em todos as pbmrrnaciom.
Tnico Feriugo Regenerador
D0UT0R
QUISTA 000A
Extracto da Carne
Hyaophotphito
J0HANN0
*

LOJA DO CABOCLO
Antigo estabetecimento de ferragens -
BE
FERREIRA G1MAKAES & G.
86Roa Duque e Caxias86
rait>e sortimtmtir efma%trt8, entelaria^,
t mmtos ontto$ axfps a saber:
Cobre emfolha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Cndieiros elctricos.
Fogoes econmicos.
JjEste estabeleeimento fundado em 1851, tem na sua
longa existencia a garanta mais segura dar os que pro-
curar em nonral-o com a sua confianza.
PRBflOS SEM COMPETENCIA
Descontos do costume
1
BRONZE
BE
CARDOZO tt IRMAO
Ra do Baro do Triumpho ns. 100, (02 e 104
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender o segu ole:
VAPORES de diversas fabricamtes para'fogo directpara o ou fogo de assea
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
KODA.S tV. earkffn o angulares.
KIVAyES de diferentes taiuaubos.
TAIXAS de f^rro l)ti.!.. o f-.nr]lo.
LOCOHOVB1S do 2, 2 1/2, 4 cavallca.
A HADOS americanos.
UMUAS de tedas as qualidades -com o respectivo ]cncanamcnto e finalmente
todas as fsrrapens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARRE&AM SE to qualquer concert e mandam buscar por encommen-
da, medrante ajaste previo ou una mo.lica commiss2o qualquer macbinismo.
MACHXAo de descai-oe^r algodao.
VARAN DAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fornecimcirto de apparelhps para usinas, garantindo a boa
qualidndc e bom tialialho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultad*
obtido com as duas USINAS moaiadas ltimamente a saber:
Santa Fikmla e Joao Alfredo
Vendcn a piaso ou a dinbeiro cau descont.
Xarope e Pasta de Berth
<1M
Pharmacoatico, Lenireado pelo* Hotpitaea de Pariz.
O Xarope e a Pasta Berth de Codeina vxtra, possuem umaeflcacia incontestavel
nos casos de Defluxos, Bronchites, Catarro, Asma, Molestias da Gar-
ganta, Insomnias, Tosse nervosa e exhaustante das Molestias do Paito e
para acalmar as Irritagoes de qualquer natureza. As pessoas que usam do
Xarope ou da Pasta Berth experimentao um somno calmo e reparador que
nunca seguido de pezo na cabeca, perda de appetite, nem de constiparlo.
{{as receitas especifique-se bern Xarope ou Pasta Berth e como garanta exja-
se a Assignatura Berth e o Sello Azul do Estado Francez.
PARIZ Casa CLIN Se O* e por intermedio de qualquer pharmacia.
de FQADO FRESCO de BACALHAO, NATURAL MEDICINAL
Prescripto desde 30 AMMOS. apa Frtoci. IngUterrt. Hespsnh, Porfigal,
RepabUc* Hljpuio-Amerlcants. pelos prtmclro medie** atad*, MI
mrtMBU a* *!**, Tmm, Orlan*** franalaaa, Timoin, T
aaaa. ate. 0 Olee Ha Bocalaaa
Alugam-se as seguintes
casas
Roa do Rangel n. 73, 2- andar, com boos
commodos. rauo fresco e perlo do mercado ;
ra do Fogo n. 50, com duas salas muito boas. 3
quartos e cosinha fura ; ra da Roda n. 46, loja,
propria p:ira pequea fSmilia : a tratar na ra
do Cabuga n. 16A Venturosa
"AZULEJOS
Para frentes de casas, cor-
redores, banheiros, cozinhas,
aQouzues, etc.
De vaJorde 100#000omi-
Iheiro a 54^000.
Kiia do Barn da Victoria n. 41
AVISO
O abaixo assignado, propnetario da fabrica a
vapor, de leos vegetaes, sita jua da Aurera n.
163, avisa aos seus amigos e freguezes, quefr-
gado pelo enorme acressirao de prego e escassez
da materia prima para o fabrico do oleo paia
lamparillas, tem rcsolvido de hora em dian"
al segundo aviso, retirar o descont que offej
ceu ao respeiiavel publico, pelos cartazes d
tribuidos no mez de Agosto do correte anno.
Recifo, 15 de Selembro de 1889.
Jos Gomes de Amorim.
Esmola
Profe^sora de piano
Urna senhora perfertamente habilitada e com
pratica de ensino offerece s Exmas. familia
as seus ser vicos como pianista : pode ser pro
curada ra do Queimado n. 74.
A viova Amelia Felicia Bezerra de Menezes,
moradora em Santo Amaro das Salinas, em urna
casinha proxirr.a ao hospital dos lasaros, recor-
re caridade publica, e pede s almas bem for-
madas que Ihe deem urna esmola pelo amor de
l'eus, alim de manter se e a cinco filhinhos que
Ihe licra do sen concordo.
A sua penuria extrema, das ha em que ie
tem o que comer. Soccorram-na pelo amor de
Deusl
O 1MCR&!1<0
Z-len as ->W;
d radicalmente
If
|aa*JW'awaaWlaaaVaajn*.i :--i -.. f.
i ; > Vo.W -ve r?%-9 d? a*a>i hi a ni*
.'.. r_ in.;."#.i; '.ci.'--.
ISpssKMo uta u prtpjB niranr:v re -
BBBaBBVaBBBaaBBBBBBBBBaBBBaaMat W~ W'
NOVIDADE
No Bazar de movis ra do Barao da
Victoria n. 49, acbam-se em exposicao
lindos objectosde phantasia faficados em
Vienna d'Austria os quaes sao barat s,
visto serem vendidos por canta de seu fi*-
brioante.
SILVA FERNANDES & C
Mofioa
Francisco Rapozo Falco empregado do Gor-
reio venha reftiluir os movis ou o aluguel
d*etes visto j fazer 9 annos.
Atten^o
0 arrendatario da casa n. 30 do beoco do Po-
cinho tem bemfeitorias autorisadas pelos con;e-
nhores delta.
1 '------------------------------------- *
Taierna
Vende-se urna peqnena (averna bern looalia-
da, com poucos funde*, propria para princi-
piante, ten nominlos para pequea familia
para informaces, ra da Concordia n. 165.
e0aa*xxkaootoMa&O
Contra
riiPITA?OK SffPPflCAtHl'M
TERTlfRACCES lia GiK
HTfiBIiTTEHCUS AS1EM.
toocM os Ir^tiuixliMi coushtereiiua como
preludios MOLKSTIA3 DO COHA^JO
0 mmu oamwntir. o trnanc 0*t
timaniass
Srinniss
SONSTl?COES,BRCNC:
Irrlta^ao do Paito e da Garganta
Contra eesas arMcfies, a pasta peitoral c o
XAROPE dC NAFE d DEL4NGRENIER. de PARS,
poscem ama wembros da Academia de Medicina de Franca, nao
cnnlendo opio aom Uto poivo saos de opio taes
co-nao Uorphine on Cmtetnu, nf9P% nrodurlos mt
DislrSo-se com opilr.io -uno o rcsmaaaa -as
utascas Go:irc!ido Qspozlos as rearmadas oj l'umjj intcird
f* ** *-->'-.-'. ^B ,-
F. J. da C. F.
Pide- pe :i este Sr. qv vt-nlia resliluir ; a nta
que receben para per ecrregpc
Caixeiro
frecia ?e de um caixeiro cora alguraa -i ilica
de (averna, u. idude ne 12 14 anuos; a tratar
na na de Sanio rn;:io n. 5, cntradn do I vece
do Caj. ____
Boa Viag-em
Aluga-se urna casa de conslruccao moderna e
U'in asaeinda, com bastantes loumiodu- e mo-
bilbada, sitio uiuradu e hem arborizado, con
porlao de ferro, e situada na nielhor localidad*
da mencionada povoaedo : a tratar no largo o
Corpo Santo n. 4, i- andar.
Gh preto superior
mp'lior que ha no mercado
21BOOO a libra
Cario? Sinden esta vendendo por este prafi
para liquidacao de facturas.
Tem tambem um grande
sortimento do enmisas, coll'a-
rifl-hos, grvalas, meias, ca-
misas e seroulag de la e-d
algodao, qtie vendem-se por
presos sem competencia.
48
RuadoBarAo t>ria

Ao clero


"* 8
O culto caibolii'o ci'm iiemnidade M'mDiuiis-
rtros s-.gradns, p.lj b'spo l'Ansfra. i vul. 5400#.
' om este luro Reara l ibifiados o.s ie\erendOS
e coras capelhe- i n euj snas
ias p< r inui pobres qu" sajam. a- priucipaes
: feslivi lades "e nii) com ii mplicida-
I df atiniheiite. VeuOein Ramiro M ''..wtacC-,
na livraria Conteiuporanea, ra 1 de Marco nu-
mero i.
mr


-

WM





Diario de PernambueoSexta-feira 20 VENDAS
Vende se no caes do Ramos n. 4, una ex-
peliente machina vapor de 30 cavallos, urnas
bombas hydraulicas de grande forca, um Perra _
dor, urna tesoura para corlar flandres, arcos,
tc., trilbos e carros Decauville, apropriados
oara transporte de canoa, bembas d'agua a mao
3 vapor.
Vende-se dous caes do Rio Grande do SI,o
nuito bons vigas para chcara ; para ver, no
;io da estrada de Joao de arros, dufronte do
utio da Cascata. e a tratar com o Sr. Pinho Bor
ges, armazem n. 39. a ra do Imperador. ,
jBBftBTi
tiomAis__
S*8* *LSRY
Ven3-iS em toda i oart
A Luja das Lisiras Azues
Est vendendo fazendas muito baratas
Com descont
a quem comprar de 200000 para cima.
E VENDE PELOS SEGCINTES PEEMOS !
MadapolSo lavado com um metro
ie largura a 60800 a pega,
Morlm das Lustra Azues com
20 varas, a 60000, a peca.
Chitas percales linas, cores seguras a
180 e 200 rs.
Cassas de urna s<5 cor a 100 e 120 rs.
.ora palminhas.
Lanzinhas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de linhos com 16 1/2 co-
rados, tecido phantasia, a 43000
Bordados finos com 3 metros a
300 rs.
Bieos braceos a 600 rs., a peca
som 9 metros.
Margelim diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 rs.
Crinolina de cores para vestidos a
360 rs. o metro.
Lavas de seda, lisas e bordadas a Ir?.
Leques transparentes lindas cores,
2|JOO0.
Grinaldas com vo3 para noiva "a
70000.
Se ti Bl de Maco branco, o de todas
as core a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 60000.
Plehis phantasia 800 rs.
Lencos de seda a 500 rs.
E multas fazendas que se vende por
lualquer preco.
Trocase a fazenda vendida se nao fr
le muito agrado para quem fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Surpma agradar*!
UM RETRATO.
Que se offerecc a um amigo no dia do
"flWl anniversario
De 2S000 al 100$000
Obtem-se um lindo retrato pela quantia
cima, com- linda moldura fina dourada
3m alto relev, e om conloes do 13 e
iea ; trabalho feito'ns Estados-Unidos
da America
POR FRB. PLATT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, 6 bastante mandar um pe-
queo retrato em cartao de visita, nao im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
ios olhos e do cabello, para chegar nm re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Esto
c postes
AGENCIA
ao publico
GERAL
na
Loja das Lislras zoes
BCA DCQCE DE CAXIAS X. 61
Para as Exmas familias verem o quanto
i&o lindos, e muito fcil fazer encommenda.
QUALQUER KNGOMMKNDA
Por maior que seja se aprompta em me
aos de 90 dias, e restitue-se a importan-
cia recebida, se nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO MAS
ri:ii\tnni(0
FOLHETIM
i I
POR
SEGUNDA PARTE
S0I7A 2S ra JI2
(ContrauacSo do n. 212)
IV
Elle disse bruscamente :
Tu foste amante de Thomaz Lhoir !
Quem t'o disse ?
Dampierre. Elle mostrou-me urna
carta que te escreveu Thomaz Lhoir e na
qual te marcou entrevista pira o mesmo
da que eu tambem escolhera.
Ah disse ella abaixando a cabeca,
elles acharara essa carta era poder de meu
marido...
A evidencia te conderana...
Conbeco a existencia dessa carta,
mas o juiz da instrucoSo devia ter-te dito
que eu n2o a recebi. De outra irma e
se a carta de Thomaz Lhoir me tivesse
chegado as mos, meu marido n3o tena
tido suspeitas e esso crime abominavel
alo tena sido commettido. ..
Desgracada, tu nem ao menos podes
negar!...
Nao o neg. Thomaz Lhoir escre-
veu-me. Nunca elle fo meu amante.
Entilo Para que mentir ? Tu* con-
tissZo podia, por acato, acevescentar
qualquer cousa mais ao meu dnsprezo ?
Ella nSo responda logo, porque a emo
largura a
a 60000 o
a 500 rs.
pequ
enos
Grande no vidade
4 Ra lauqae de Caxlas18
Tendo recebido um grande e variado
sortimento de fazefrfas resolveu vender
por menos fO /0 do que em outra qual
quer parte, como seja :
MadapolSo americano com 1 metro de lar-
gura a 60000 a peca.
AlgodSozinho muito largo a 40 a 50000 a
peca.
Chitas cretones, modernas, a 200, 240,
280 e 320-o covado,
Zephir de quadros, 4padr3es modernos, a
120, 150 e 200 rs. o corado.
Cretones modernos,- ultima moda, a 320 rs.
o covado.
Atoa) hado com flore* a 10000 o metro.
Brim pardo trancado para roup de ho-
rnera a 500 rs. metro.
Dito de cor e fustSo a 500 e 600 rs. o co-
vado.
Dito de linho para caiga de 40000 a vara
por 20500.
Casimira preta e de cor para c'bstumes a
1200 e 20000 o covado.
Cortes de fustao para collete a-500 rs.
um.
Ditos de vacudo bordado a seda a 20000
um. >
Camisas brancas para homem a 20000
urna.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
200 urna.
Colchas adamascadas de 20000, 30000,
40000 e 50000 urna.
Cobertas forradas para casal a 20500 e
20800 urna.
Lenco! de bramante com urna
10800 urna.
Cortinados bordados para cama
par.
Pannos de crochet para cadeiras
um.
Cobertores branecs de 13 com
defeito a 20000 um.
Cortes bordados pira vestidos, ultima mo-
da, a 80000, ,90000, 105 e. 120000 um.
Lindas I3s com listras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
vado.
Lindos fichas de retroz, prateado e dou-
rados a 10000, 10500 e 20000 um.
Luvas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 10000, 10500 e 20000 o par.
Casacos de Jersey para senhora, borda-
dos, o 60000 um.
Costumes de Jersey para enancas de 4 a
5 annos a 70000 um.
Cachenez para homem e senhora a 10oOO
n 20000 ara.
Bicos brancoe e de cores a 10800 e 20000
a peca.
Saias bordadas para senhora a 30000 urna.
Renda hespanhola cem um metro de lar-
gura a 20000 o covado.
Bordados e entre-meio3 a 500, 600, 700 e
800 rs. a peca.
Grinaldas com veo de 3eda a 80000 urna.
Coilarinhos e punhos de borracha, a 10800
o par.
Lencos de linho, especialdade, a 20000,
30000 e 40000 a dozia.
Ditos de seda com a exposicSo de Pars a
500 rs. um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 rs. um.
Lindas mantas e gravatas de todas as qua-
lidades de 500 a 20000.
Espartilhoa de couracas a 40000, 50000 e
60000 um.
Coilarinhos e punhes de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de salpicos a 40000 a pega
E muito outros artigos que s com a
vista, assim como roupa por medida cm
sua officina, para istotera peritos ofliciaes
S na Revoluto
A ra Duque de Caitas n. 1
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
PECIUMHAS!
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vender cofres de su
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parle. Ra Bario da Victoria n. 48
AUm U K DE UMBRALAS
Para 1890
Becobeu a I.i vrarla Contempornea
RA Io DE MARQO N. 2
53o a impedia de fallar; ella continuava
a olhar para o medico com os olhos ein
que se lia o temor de se ver odiada e
abandonada.
Por fim, ella disse :
E' preciso que eu te explique como
soube que esse homem me marcara urna
entrevista. Quando sahi, hora em que
me fiavias indicado, para esperar te perto
da estuta; encontrei Thomaa Lhoir que
acabava de introduzir-se no jardim saltan-
do por cima do muro e me impedia a pas
sagem. Quiz evital-o, mas elle me disse :
NSo recebeu a senhora minha car
ta ? Nao para ver-nie que est aqui a
semelhante hora ?
Ignoro o que quer dizer.
EntSo minha carta cahio em poder
de seu marido.
Ordenei-lhe que se affastasse. Esse
homem nenhum dire'to tinha sobre mim.
De mais, elle sabia que eu pertencia ao
senhor. Tinha sorprehendido, um dia, o
segredo que nos liga. Vi-o partir, e nao
querendo esperar o senhor, com medo que
meu marido o sorprehendesse perto de
mim, eu voltei. Mas nSo me vendo, o
senhor foi casa e eu nao tire terapo de
advertil-o do terrivel perigo- que o amea-
eava, que meu marido ia chegar de im-
proviso. O senhor sabe a scena medonha
que se seguio. Na noite segninte, quar-
do eu estava s com Suzana Bridelle, fui,
com risco de ser ap.mhada... at ao sa-
lao... onde jazia o cadver daquello que
o senhor matn... Oque eu quera era
a earta de Thomaz Lhoir. Previa que
ella ia tornar-se urna prova contra esse
pobre mo5o, culpado smente de me ha-
ver amado; mas o juiz da instruocao me
tnia precedido. Eu chegava muito tar-
de. A carta tinha desapparecido.
Porque esse homem escrevia se-
nhora ? A tentativa que ez a senhora
para destruir esse bilhete nSo foi antes
inspirada pelo receio que tinha de que eu
descobrisse um dia ,?ua vergonha do que
pela piedade para .com o lenheiro inno-
cente do assassinato ?
Esse homem amava-me, j lhe dis-
se ; podia eu impedir o seu amor ?
Nlo era a primeira vez que lhe e-1
59-Rua Duoue de aiias5
Cassinetas de corsa para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
MeiaB cnsemiras pretas e de cores idem
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quarinhos a 100, 160 e
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o dte.
Atoalhado bordado, qnasi 2 metros de lar-
gura, a 10000 e 10200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 80Q rs.
e 10000 o dito,
dem de puro linho a 10600 o dito.
RiquissimaB guarnigSes de crochets a 60 e
86000.
Toalhas para mos a 10200, 30500 e
40000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 20500 e
30000 a dita.
Camisas superiores idem a 240 e 300000
a dita.
Seroulas bordadas a 120000 e 180000 a
dito.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
e 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 40000.
Superiores algodoes da corte a 30000 e
30500.
Madapolo americano s 60000, com 24
jardas.
Flanella de cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
10200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 10400
10800 e 20000 o dito.
rara as Exmas. noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 80000 e
140000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 80000
e 60000.
Bonitos cortinados bordados a 50500,
70000 e 80000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lencos de seda e de linho para 20800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 10800.
l'obertas de ganga, forradas, com pannos,
a 20500 e 20800 urna.
Colchas de cores a 20000 e 30000.
Tapetes para portas a 30500 e 50000-
Pannos rara mesas, de cores modernas a,
10000 10200 e'10600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labvrintho de 300 a
350.
FustiJes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
precos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 40000 urna, e
urna inrinidade de artigos que serao lem-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHlES
Para os festrvaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria o commodidade em
prefos: belo, pSo-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentes baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Farello superior
21700 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;
Caes d'Assembla n. 24*garantindo-se 41 ki(0-
grammas cada sacco.
E' vender barato
7eijo a 1 100 a cuia
Farinha a 5 0 rs. idem
Milho novo a 320 rs. idem
Dito velho a 280 rs. idem
E o nico que pode vender mais barato, no
largo do mercado n. 12, Gomes Ferreira & C.
Succpssores.
AO 55
Pede-so ao respeitavel publico que at-
tenda aos precos abaixo mencionados :
Setim da China, fazenda de phantasia,
alta novidade, a 240 rs.
Amor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 rs.
Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 100
e 120000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
(Jretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
MadapolSo largo a 60000.
Flanella azul, muito lisa, a 10200 o co-
vado.
Fichs de phantasia a 10000.
Luvas de seda a 20000 e 30000 o par.
Guardanapos a 10600 a duzia.
Sargehns Ao qualquer c6r a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, [cousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
a peca.
Cortinados bordados a 60000.
Flanellas para camisa a 32<) rs. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Renda da China a "00 rs. o covado.
FustSes braceos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para ^baptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com collarinho, por
20000!
Grande sortimento do setins lavrados a
10000 o covado.
Crinolincs a 400 rs. o metro.,
Zefiros a 160 e 200 rs^jp covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 70000 a peca.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 40000 a peca.
Babados e entremeios a 600, 800 e 10000
a peca.
Lencos de soda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combinacSo com listas de seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Man til as pretas a 40500.
Atoalhado, lindros padroes a 10 o metro.
Espartilhoscom couraca a 40000, 50000 e
60000.
Colchas brancas e de cores a 20, 30000,
40000, 50000 o 60000.
Grande sortimento de fichs de cores para
todo prego.
Caasa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
vendo a b6a qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criancas,
-grande sortimento.
Comisas de meias a 10000.
Grande sortimento em merinos pretoa.
Cortes ido fustao para coleto, alta novida-
de, a 10000.
Camisas de flanella franceza a 30000 urna.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartao, cousa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
"Ditos de easemira de cor a 40000, 60000
e 8000 .
Alm do outras muitas fazendas que
impossivel mencionar.
D-sc amostras sem penhor a qualquer
patata.
5 Ra finque de Caulas .>.
Femandes Azevedo & C.
crevia. O tom de sua carta indica entre
os dous relacSes j muito antigs.
Juro-lhe que nao era meu amante
Como quer que o acredite ?
Entretanto a verdade.
Defenda-se entilo. Sem duvida a se-
nhora autorisou essa paixSo.
Pois bem, vou dizer-lhe tudo, por-
que horrvel que o senhor duvide de
mim. Esse mogo me amoa loaeamente.
Elle m'o disse. Eu aborreca me. Es-
tova Bolada. NSo conhecia ainda o se-
nhor. Esse amor, que ea preveni logo
nSo seria correspondido, era um diverti-
mento para mim. Fiz mal, confesso-o.
Era cruel nao proceder assim. Mas nao
lhe deixei esperanca alguma. Pedira-me
elle que nSo o repellisse ainda assim, de-
sejando smente amarme sem querer ou-
tra cousa mais do que viver perto de mim,
e todas as nossas re!acoes cessaram no dia
em que oomecei a sentir pelo senhor essa
paixao que nao pude occultar-lhe. Tal
a verdade, Francisco. NSo sou culpada.-
Interrogue o senhor mesmo a Thomaz
Lhoi". Dampierre nao lhe impedir que
o visite. Pode ser que o senhor tonha
necessidade de vel-o. O primeiro pretex-
to servir-lhe-ha. Interrogue-o,. esse mogo
repetir-ihe-ha o que acabo de dizer-lhe.
Se lhe ment nSo lhe fcil vingar-se de
mim? Bastar-lhe-hia para isso ser da
mesma opiniSo que o Dr. Magnabat, o
qual nao se convenceu anda que estou
louca. O senhor sabe bem que nSo o tra-
hirei e que amal-o-hei aempre, apezar
desse crime que commettemos de curapli-
cidade, em um accesso de loucura furiosa
e que prende agora sua vida minha.
Quera acreditar na senhora, Mag-
dalena ... E, entretanto, a senhora tao
hbil a fingir... representa eom tanta
energa e tao medonha naturalidade este
papel de louca que nos salva a ambos...
Ah teme o senhor que esteja roen-
tindo .. que cu represente a comedia do
amor aos seus olhos... que o engae co-
mo engao a todos, aos juizes e ao me-
dico. .. tem medo disso ?
Sim... algumas vezes a senhora as-
susta-me. ..
Ella calou-se, chorosa, com as faces em f
fogo : levantou-se, deu alguna pasaos no
Superior vinho de A.1-
cobaga
0 acreditado e antigo arniazem~d*o'Llma par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
viohc, escoltado propriamente pelo chefe desta
casa, tornndose recommendado por ser puro
e de boa qualidade Jo.- Fernandes Lima & G.
ruaBaro da Victoria numero 3, Telephone323
quaito, nervosamente, com as mSos cris-
padas nos longos cabellos negros e soltos.
Depois com tom fri, em que bavia um
nSo sei que de amargor, tratando o de
novo por tu :
NSo posso dar-te provas de meu
amor. Eu. eu nSo tenho desconfianza
do teu e acreditara que minha confianca
inspirasse a tua. Tu duvidas sempre, nSo
verdade ?
Francisco nao responden e affastou della
os olhos.
Ella continuou, cora a mesma vez re-
soluta :
Quero que me restituas teu amor e
tua confianca. Quero-o, ouves ? Ou en-
tilo, quando o Dr. Magnabat vier submet-
ter-me a um novo exame, cessarei do dis-
simular e confessarei tudo...
E, fazendo Francisco um gesto de te-
mor, continuou ainda, com desdm :
Oh! nao confessarei que te amava.
Seria sacrificar-te intilmente, sem sal-
var-me. Ao contrario, tomarei sobre mim
o assassinato de meu marido, e quando me
houvcrem condemnado, sers livre, intei-
ramente livre e nenhum temor envenenar
tua vida... Lembrar-te has talvez de mim
com alguma saudade, porque entSo ser
impossivel que duvides e ters recebido a
nica prova de amor que estova em mi-
abas turcas dar-te...
Elle impedio-a que acabasse. Estava
vencido.
. Deixou-se cahir a seus ps, cobrindo de
beijos as mSos que prendera.
Ella sabia que Francisco nSo resistiria
e que ella acabara por convncelo do seu
amor. Sorrio-lhe exprobrando-lhe doce-
mente o mal que elle lhe acabava de fa-
zer.
Entao, esqueceram-se por instantes da
medonha situacSc em que se achavam.
Houvc protestos de amor, como nos pri-
meaos tempos, quando comecaram a amar-
se.
Nessa paixSo, que resuma suas vidas
inteiras, havia o quer que fosae de in-
quieto, resultante do crime commettido
por elles e que se juntava as suas ternu-
ras. Amavam-iu com sorprezas e temo-
res, com inquietaedes e como que raivas
de nao poderera quebrar as cadeias do
A LOJA MAIS BARATEIRA
PARIZ NAMERIO/
AZEVEDO, IRMaO & .
16Ra do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Euroi.
grande sortimento do fazendas e moda?
que ha de mais novo e preeoB sem os.
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de la e 13 seda.
Damass de seda pura..
Merinos pretas de 800, 10000 e 102O-
Crinoline preta e branca ? 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 1
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 105X
Chachemiras com 2 larguras a 800 r.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10OO(
MadapolSo trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 13 o seda 10000.
Brins de linho ccies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50OOi
Colchas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de aaia a 105Ot
Renda de 13, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sal
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama i
100000.
Cliit.is de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias eom forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rito Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
Guarnieses, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de c6co.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de so
Setineto para coberta a 600 r.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustSo de cores.
Dito de easemira de cores.
TELEPHONE 200
Pao centeio
Mello & Biset, avisara ao respeitavel poblicc,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
bu re so pao ; ra larga do Rosario n. &0.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os propietarios du Armazem Central, ra
do Cabuga n. 11, avisam aos seos distinctos fre-
guezes eao respeitavel publico que receberam
nova remessa oeste especial vinho, o qual se
recommencla por ser puro da uva, c s se reta-
Iha cm cu armazem.
Joaquim ChriatovSo & C.
Telephone 447
Royal Blend marea VIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melfeores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
destino. Sua paixao era centuplicada pelos
perigos em cujo meio se passava, pela
vergonha do seu inicio, pelo crime do
seu fim.
Por vezea deixavam de conversar e
olhavam um para o outro silenciosos, com
os olhos brilhantes de febre, onde a luz do
olhar pareca sahir como um jacto de fogo.
Todas as suas angustias e todos os os seus
desesperos passavam nesse olhar. Sen-
tiam bem que podiara contar um com o
outro e cada um delles estava prompto a
sacrificar-se com alegra. Era a sua forja.
Mas a hora adan tava-se. Francisco nSo
podia ficar mais tempo sem que sua vi-
sita correase o risco de parecer extraor-
dinaria.
Antes de dcixar Magdalena, deu-lhe
conselhos. A fim de melhor engaar a
Magnabat e dar menos fundamenso s suas
observares, era bom que Francisco guias-
se a moca e a ajudasse a simular a lou-
cura.
Magdalena cscutava-o com a'mais pro-
funda attencSo.
Magnabat devia examinar nSo smente
a physionomia da Sra. Gossolin, mas es-
pecialmente a sua attitude geral e seus
gestos.
Urna recommendacSo que fez em pri-
meiro lugar moca, foi nao simular lou-
cura continua, mas deixar apparecer al-
guna momentos lucidos.
Alm disso, era importante que ella
n3o cemonstra8se prestar demasiada at-
tencSc s palavras e aos movimentos dos
mdicos encarregados de perscrutar seus
discursos e seus gestos.
Seus conselhos referiram-se tambem nos
hbitos que ella devia adoptar.
Elle po!-a em guarda contra a tenden-
cia que podesse ter a fazer movimentos
desordenados, quando o seu modo de ser'
geral estivease em dosaccordo com essies
movimentos.
Cada forma de alienacSo mental tem
attitudcs proprias e gestos que lhe sao pe-
culiares.
Na desordem, como na iramobilidadej
ha urna systematisacSo manifesta.
E' preciso contar com o ponto de par-
tida e com a causa intima dessas attitu-
des. No momento em que Magdalena ss
A FLORIDA
Gal5es, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo com
vidrilho.
Mantilhas de seda o de algodSo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com o sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Coilarinhos para homem a 30000 e 40006
a duzia,
Bordados de cambraia tapada a 400 500*
600e800rs.iapeca..
dem com 3 e 12 metros, de qualque
argura a *02OO.
Lencos de linho em caixinhas a 30000 i
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de eaze
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos da
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par,alguni
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 a
80000.
Lindos ehxovaes baptisados a 80 100
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30. 40
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha da
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca,
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Coilarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a dozia.
Extractos e leos de diversos fabricantes,
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido fl
Ditas de seda para creanca a i.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto modeme.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabeca c segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 t
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
10500 um.
Estojo eom faca, gario e colher, preprit
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 13 para homens e senhoras,
Liabas dourada* para fiuer orooaat
Lindas fitas para facha a 20, 30 e 40000
o metro.
Lindos leques d setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim a
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de 10, 2%
3 e 30500 urna.
Ra Duque de Caxias d. 103
Leite puro
Na estrada de Joo F^rnandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas novas da direita, vende-st
todos os das leite puro de vaccas taurinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Vende-se


1
<

20 par.
:0.
\t

i
!
!
"V.
^
um piano do armario em bom estado de conser-
vagao e de bom fabricante, por commodo prego;
na ofEcina de piano de Joo Simplicio, na ra da
Imperatriz n. z.
levantasse ou se sentasse, ou em que se
entregasse a movimentos diversos, podia
acontecer que um geste insohto, forcado,
nao escapasse observacSo perspicaz de
Magnabat.
O que se deVia temer tambem, dizia
Francisco Hormais, era a exageracSo em
que cahem quasi todos os simuladores a
que permitte descobrir a pouca coordena*
c3o dos symptomas.
Em geral e para maior seguranca, Mag-
dalena devia abster se de fallar. O uso
da palavra muito perigoso e podia fazer
suspeitar de seu verdadeiro estado, por
causa das numerosas perguntas que Mag-
nabat nSo deixar i a de dirigir-I ie.
A attitude maia segura aquella em
que nao se encontra nenbuma manifesta-
cSo da intelligencia, dos movimentos, da
sensibilidade e da loucura adoptada por
Magdalena e que ella devia continuar ago-
ra at ao fim, devia simular de temos a
tempos hallucinacoes que lhe permittissem
escapar, por um instante, a observacoes
fatigadoras.
Nesse caso, podia fingir que era torta-
rada por mil manciras, que se assustava
com phantasmas horriveis, que escutava,
que Mlava s, que responda a perguntas
imaginarias, que olhava para Magnabat
com persistencia, que segua com os olhos
animaes phantasticos, pessoas ausentes,
conforme fosse ella presa de urna halluci-
nacSo da sensibilidado, do oavido ou da
vista.
Magdalena escutava com attencao, n3o
perda urna s palavra desses singulares
conselhos de que era obrigada a aprovei-
tar-so se quera engaar at ao fim a ex-
perieucia do medico.
Ella ja puzera em prava urna energa
temivel.
Essa medonha simulaclo, a qual se
prenda, nSo fora trahida "nem em um ins-
tante sequer de fraqueza, de inadverten-
cia ou de desfallecimento.
E Magnabat continuava iadeciso.
(Continuar-se-ha)
Typ. do Dam ra Duque de 'astas n. U
I
<-*Ji'' rffaj


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW4348U1G_ZZCCQ3 INGEST_TIME 2014-05-28T16:28:58Z PACKAGE AA00011611_19915
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES