Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19914


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV NUMERO 212
k
iv
i
>
i. i
-
v
^




I H
\
w
t
PARA A CAPITAL li LUSARE8 OMIl NAO SE PACA POgTB
Por tres meses adiantados.
Por seis dito idem.....
Por um afino idem .
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6,1000
120000
235000
A100
QUINTA-FBIBA 19 D8 SETEMBRO DE 1889
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados......,..... 13*50")
Por nove ditos idem- ............... 20*000
Porumannoidem.................. 26*000
Cada numero avulso, de das anteriores.......... 5100
DIARIO SE PERNAMBUGO
^Tropriedade de Manoel dHyueirca de S^aria # Snfycs
TELEGRAMHAS
ssav:;: pabticulas so nun
RIO DE JANEIRO, 18 de Setembro, s
3 horas e 40 minutos da tarde.
A junta aparadora do 8." districto do Rio
de Janeiro expedio diploma ao conselheiro
Alfredo Rodrigues Fernandes Chaves (C).
Segundo a Gazeta de Noticias foi
eleito deputado geral pelo 3. districto do
Piauhy, o conselheiro Barao de Loreto (L).
Tem continuado o inquerito acerca
dos cheques falsos do Banco do Brazil.
Por ora nada est averiguado.
O Banco attestou os bons servicos e a
probidade do seu pagador.
sebvico da a&ehcia savas
LONDRES, 17 de Setembro.
A grve dos operarios das docas d esta
cidade est completamente terminada.
PARS, 17 de Setembro.
A campanha eleitoral para as eleicdes
legislativas do dia 22 do corrente, em
Franca, est cprrendo muito calma.
ROMA, 17 de Setembro.
Corre o boato de que o governo decidi
dissolver a Ca aara dos Deputados, mar-
cando as novas eleicSes para o mez de Ou-
tnbro prximo.
LISBOA, 17 de Setembro, noite.
S. A. o Duque de Braganca chegou aqui,
hoje.
As eleicoes para o renovamento da C-
mara dos Deputados de Portugal foram fi-
zadas para o dia 20 de Outubro prximo.
BERUM, 18 de Setembro.
A abertura da sessao ordinaria do par-
lamento allemSo ter logar no dia 22 de
Outubro prximo.
ATHENAS, 18 de Setembro.
A ceremonia do casamento de S. A. real
o Duque de Sparta, principe herdeiro da
corda da Grecia, com a princeza Sophia,
irma do Imperador da Allemanha, ter
logar a 27 de Outubro prximo.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
18 de Setembro de 1889.
INSTRDCglO POPULAR
uliado; mas, o amores Ilcitos que a miaba en
t;etinha cora um (dalgo easlelbano. o coode de
Andeiro accrescentavam por tal modo a impo-
pularidadc, que setornou iinpossivel a realisaco
de 8emelhante alvitre.
Urna revolucao, como geralraente acontece em
casos anogos, decidi a qnesto. 0 povo araeaga
va invadir o alcacar de seus reis, e a ratona ate-
morisada diante da attitude de seas vasallos,
consentid em recebercra seu palacio D. Joao, o
qual dizia querer testemunhar-lhc e jurar Ihe
fidelidade mas urna vez no palacio, em presen
ca da raintia, atacou e matou o Conde de Andeiro.
0 povo cobno o de applausos e aclamou o rei.
(Contina)
O
**
A LITTSSATBA BSAZIlSiaA
H08
TKMPOS GOLONIAES
POR
A Lltseralur.i B rasilelra do eculo
XVI ao romi'fi do XIX
ESBOZO HISTRICO
I
(Continuoslo)
El-rei D. Pedro I cognominado Cr, o infante
D. Saoches e mais que todos D. Duarle, conde
de Barcellos cultivaram a poesa com grande pro-
veito e adiantamento, pois apezar do rudimenta-
rio da linguagem, da falta do adjectivos que so
mais tarde vieram locupletar o idioma, a incor
recelo da syntaxe, o defeito da rima mais toante
que rythmira e a ignorancia da metnficacao, es-
sas produeces acentuaram de urna maneira
muito apreciavel o desenvolvimiento e perfeigo
da lingua, que tanto bnllio o esplendor nao tar-
dara em alcancar.
Sem embargo, apezar dos esforcos de D. Diniz,
at o seclo XIV nao conseguio a lingua portu-
gueza attiogir o seu maior grao de perfeigo, e
at o apparecimento de D. Joao I nao se usava da
lingua nacional seno Has relagOes de ratiraida-
de, as trovas e cantare*, e n> s primeirq- tenta
mens da prosa vulgar, sendo o latiin o privilegia-
do para os actos pblicos e documentos officiaes.
Com a morte de D. Fernando, que teve lugar
em 1383. comecou a snbmenrir-se a monarchia
portugneza e Portugal a ?cr presa de grande
anarchia at o ponto de perigar a sua indepen-
dencia.
Casara aquelle rei cora D. Leonor Tellcs, da
qual teve urna s lidia, que esposou por sua vez
com D. Joao I de Castella. Moilo D. Fernando
tomoua viuva as redeas do governo, como regen-
te em nome de soa lilha e nica herdeira do
throno ; purera a nacao dividi se era dous grau-
des partidos como no lempo de D. Affonso Hen
riqnes declarndose ura delles em favor de D.
Leonor o ouiro csatra ella. Singular coinciden-
cia : a morte de um principe e a insurreico da
geus vassallos contra a viuva tintura dado vida
nacin* lidade portugueza ; a monede D. Fernan-
do e a sublevago desse mesmo povo contra a
que fura esposa do seu rei ameagavam destruil -a.
Tinha I). Fernando tres irmans oasiardos dos
uaes dous erara tubos da desditosalgnczde Cas-
tro, e por motivos polticos viviara ambos longe
da patria : o terceiro. D. Joao. lilbo de urna certa
Thereca Lourengo, cognominado o llestre de
Aviz, era muito querido do povo. e por conse-
crante indigitado para succeder a D Pernando.
Os mediadores de amboafis partidos trataram
de resolver o conflicto cajrodo a princeza viuva
D. Leonor Telles com o principe D. Joto, seu cu-
Governo da provincia
EXPEDIENTE DO M* 2 DE 4G03T0 DE 1889
0 presidente da provincia resolve consi
derar du nenhura effeito a permuta concedida
por portara de 29 de Jullio ultimo' s professo-
ras Digna de Santa Rosa, da cadeira ao seso
femimno de Afogados, e Mara Paulina Alves
dos Santo?, do mesmo sexo no Campo Grande
Communicou-sc ao inspector geral da Instruc-
rao > ubca.
O presidente da provincia attendendo ao
que solicitou o lente coronel Antonio Floren-
cio Pereira do Lago, em officio n. 635 de i do
corrente, c tendo em vista a informacao do ins-
pector da Thesouraria de Fazenda de hoje da
tada, n. 279, resolve, de accordo com o decreto
n. 2884 do 1 de Fevereiro de 1862 e o telegram
ma do Ministerio da Guerra do 31 de Julho lindo,
abrir um crdito da importancia de 1:000*000,
Aju las de Custo do mesmo Ministerio exerci
co de 1889, alim de occorrer ao pagamento da
ajuda de custo de ida do mencionado lenle
coronel que foi nomeado commandaote das ar-
mas da provincia.Remelteuse copia ao ins-
pector da Thesouraria de Fazendo e fez se a
necessoria communicago.
O conselheiro pres dente da provincia, at-
tendendo ao que requereu Levis de Souza e Sil-
va, 2o pralico da barra e portos desla cidade
e tendo em vita a informacao n. 3, de 31 de Ju
llio lindo ds inspector do Arsenl de Marinlia, re-
solve de conforruidade com o art. 15 do regu-
lameuto de 28 de Fevereiro de 1851, conceder-
Ihe tres mezes de Hcenca com vencimenlos na
forma da le, para tratar de seus negocies parti-
culares.
Officios :
\o coraraandanle das armas.A vista da
informacao de V. S. n- 1632 de hoje datada, au-
toriso a conceder baixa do servico do exercito
ao soldado do 14 uatallic de infantaria Jos de
Albuquerquc Mello, urna vez que o substituto
apresentauc esteja as condicOes da lei.
Ao mesmo.Sirva s2 V. S. de providenciar
para que o capitao Leoncio Luiz Pinto Ribeiro
v destacar com dezesseis pracas em Ouricurj,
devendo essa forca substituir a que all se acha
logo que chegue ao seu destino.
Ao Dr. cnefe de polica Reitciro as requi-
coes feitas em oOicios de 4 de Maio, 7 de Ju
nho e 6 de Julho desto nno, cara uue V. &.
proviaencie no semino uc prestar o carcereiro
da cadela da villa de Flores informacOes acerca
do coraportamento do sentenciado Jos Theoto
nio de Campos, que alii se acha cumprindo a
pena de 14 annos de priso simples, imposta por
decisao do jury do termo de Villa Bella.
Ao inspector da Thesouria de Fazend.En
vio a V. S. a inclusa copia de aviso sob n. 11
de 13 de Julho ultimo expedido pelo Ministerio
dos Negocios da Agricultura Comraercio e Obras
Publicas, com relaco commisso de que se
acha incumbido o director das obras do porto e
geraes engenheiro Alfredo Lisboa e o modo por
que devem ser regulados os seus vencimentos
ao mesmo De accordo com asuainfor
raaco n. 276 de 31 Jultio lindo, mande V- S.
supprir o almoxarifado do presidio de Fernando
de Noronha com a quantia de 3:6241100 cons-
tante da inclusa demoostraco, para occorer s
despegas com a guarni<;o daquelle presidio no
mez de Setembro proxicio vindouro. Commu-
nicou se ao director do presidio
Ao mesmo. Communico a V. S. para os fins
convenientes, que o juiz de direito da comarca
de Garanhuns, bacharel Nllo Rodrigues de Mi-
randa, reassuraio no dii 27 do mez lindo o ex-
ercicio de seu o cargo, renunciando o resto da
licC'-'Ca en cujo goso se acliava
Ao mesmo -i^mmunico a V. S. para os Qns
^on\enientes que o bacharel Bernardino Mar
nho, ressumio no dia 27 do mez lindo o exerci-
co do cargo de juiz municipal do termo de Ga
Anranhuns.
Ao mesmo.Transmiti a V. S. para os
fins convenientes, copia do officio de 30 de Ju-
lho lindo, do juiz municipal e de orphos do
termo de Bora Conselho, o bacharel Miguel dos
jos Barros acerca ao seu exercicio.
Ao mesmo. Para os devidos fins declaro a
V. S que o alferes alumno Antonio Brrelo Lins
foi posto mioba disDosico pelo Ministerio da
Guerra e lea addido ao 13 batalho de infanta-
ria. ,. .
Ao commandante dos corpos de polica
Transmitame Vmc. um quadro demonstrativo
dos destacamentos cora cada urna das circum
scripcVs da provincia
Ao director geral dis Obras Publicas.Au
toriso Vine, a mandar com urgencia dois enge-
nheiros da provincia, levantar a confeccionar os
orcamentos para a construccao de dous acudes
um na villa do Altlnho e outro nos campos de
Gaviao na comarca de Lunoeiro.
Ao Dr. juiz de dirtito da comarca do Cabo.
-Reitciro a requisig'io feita par esta presiden
cia em officio de 21 Junlio ultimo, para que Vmc.
transmita me a certido do pwcesso Jdo ru
Laurentrao Vitalino tfe Mello que interpoz re
curso de graca da peni de 4 annos e 6 mezes
de priso cora trabalho imposta por decisao do
jury do termo do Cabo.
A certido deve ser acompanhada de informa
gao do juiz da conderrnaco ou daquelle que o
uver substituido no caro, conforma preceitua o
aviso circular do Minis erio dos Negocios da
Jusiica de 28 de Junio de 1865. sob n 287.
combinado com o de n 63 de 22 .le Outubro de
1880 n ,
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Pal-
matn loteirado do assumpto do ofticio que
Vmc dingio-rae era 30 de Julho ti ido, recora
uendo-lhe que providencie no sentido de ser o
ru Joaqun ot dos Santos, que actualmente
se acha na Casa Je Detencao requisitade para
responder a julgaraen'o na primeira sesso do
jury que for convocado no termo de Agua Preta.
Ao Dr. juiz le direito da comarca do Brejo.
Transmiitindo a Vmc. a peticiio di; Antonio Joa
quira de Oliveira, dirigda ao Poder Modelador,
e a certido do seu proee-'so que ser-:ne hp de
volvidas, rccoinmenil-lh'' que preste a ulorraa-
cao exigiia pelo aviso circular do Ministerio dos
Neiroeioa da Juanea n. 287 de 28 d,; Ju.iho de
1865, combinado cora o de 22 de Outubro de 188b,
n 6t, vi. to ter aquelle seiiteoeado interposto re-
curso de graca da pena de 9 anuos e i mezes de
nri 1882, por decisao do Tribunal do Jury do termo
Os Srs. agentes da Companliia de Navega
ca.), facara transportar corte, por conla do Mi
uisien.i da Guerra, o teneute do 2. batalho de
infantaria Milito Tbomaz Gongaives que, por
portara do referido ministerio de 2 de Julho An-
do, foi mandado servir no 25. batalho da mes-
ma arma estacionado na provincia de Santa Ca-
tarina.
Ao referido official acorapanham, sua mulher
D. Auna Moreira Goncalves, seus (litios Jos de
12 annos de idade, Adelina de 8 annos, Alvaro
de 4 annos e um criado de nome Francisco.
Mandou-se a Thesouraria de Fatenda ajustar con-
t s e communicou se ao commandante das ar-
mas.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.
Mande transportar com passagens de r para o
Cear. no vapor que segu a 3 do corrente, para
os portos do norte, o menor Antonio do Reg
Coelbo por adiantamento das passagens gratuitas
a que o governo tem direito.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passagem gratuita de proa para Fer-
nando de Noronha, a Josepba Etelvina de Souza
e Silva, mulher do sentenciado Joo Lopes da
I Silva, no vapor que segu a 8 para aquelle pre-
sidio.Communicou se ao director do presidio.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro mande transportar por
conta da provincia, da estaco do Brum d'a-
quella cidade, duas pracas do Corpo de Polica e
o preso Jos Ignacio que para all regressam.
O Sr. gerente da estrada de ferro do Re-
cife a S. Francisco passagens por conta da pro-
vincia e com direito a bagagem, da estaco de
Una de Cinco Pontas a diversos presos e res
pectiva escolta, que a requisicOes do Dr. cliefe
de polica sao transferidos da cadeia de Gara
nhns para a Casa de Detengo.
O Sr. encarregado da estaco de Palmares
d passagens por conta da provincia e com di
reito a bagagem, de Garanbuns at essa cidade,
a diversos presos e respectiva escolta, que a re-
quisico do Dr chele de polica tem de ser re-
col liidos Casa d Detengo.
EXPEDIENTE DO DR. SECBETABIO
Officios:
Ao Dr. chefe de polica. S. Exc. o Sr. con-
selheiro presidente da provincia, manda eomrau-
nicar a V. S. que expedio telegrammas aos che
fes da.- estages de Garanhuns c Una, sendo ao
d'esta ultima duas vezes para o transporte dos
Srosos e escolta de quem tratava seu officio de
0 de Julho fiudo, e que n'esta data contirmou
essa ordem rcmettetendo-lhes as respectivas por-
taras-
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
O Exm. Sr. conselheiro presidente da provincia
manda remetter a V. S. as inclusas ordena do
Tiiesouro Nacional, de 24 e 25 de Julho lindo, ns.
129, 130 e 132.
Ao presidente c vereadores da Cmara Mu
nicipal do Recife.De ordem do Exm. Sr. con-
selheiro presidente da provincia, remeti a Vv.
Ss. para seu conlie mento copia da lei n.20.'Ji
de 31 de Julho Ondo.
Ao inpector do Thesouro Provincial.S.
Exc. o Sr. conselheiro presidente da provincia
manda communicar a V. S. para seu cooheci-
mento e devidos effeitos, que no reqnerimento
dos negociantes Rodrigo Carvalho& C, queal-
iude o seu officio de 31 de Julho lindo, sob n. 265,
proferto boje o despacho segrate.:
Pedem os supplicantes a annullago de um
contracto perfeito e acabado allegando o nao
cumprimento de preceito legal. Mas nos proprios
vembro de 1873, en contra se a competencia le-
5al, para o contracto de fornecimenlo para ofar-
amento, independente de arremataco. Quando
raeu antecessor ordenou o contracto existente
subordinou a administraco a obrigacOes corres-
pondentes s que obrigam a parte que com ella
comractara. e a rescisao. sem motivo ou culpa
de sua parte, importara em justa indemnisago
c onus para o Thesouro Provincial. E neui a
primeira vez que laes contractos se fazem, domi
oando o regulamento vigente, pois em officio de
7 de Julho de 1877, e por acto da presidencia
fra ordenado o contracto que eato vigorou an
nullar cm taes condicoes, o contracto de 15 do
passado mez. seria entregar violentamente a urna
das paites congraciantes, o que s pela vonlade
de ambos se poderia realisar, desde que. em boa
fe, o cootraelante com a administraco nao justi
tica nein provoca o acto que reclamara os suppli-
canles em sua petico que nao poda ser efe
rula.
Ao director geral de obras publicas. S.
Exc. o Sr. conselheiro presidente da provincia,
fica inteirado, pelo officio de hontem, sob n. 101,
de haver V S. recebido provisoriamente a obra
de reparos do pontilho sobre o riacho Barra da
Lama, na villa de Agua Preta, de que contrac-
tan'.e o major Jos Victorino de Paiva e expedido
o competente certificado para pagamento na im-
portaucia de 1:283*235.
Ao Dr. juiz de municipal e de orphos do
termo de Bora Conselho.De ordem do Exm. Sr.
conselheiro presidente da provincia, devolvo a
V. S. as cartas rogatorias que acompanharam o
seu officio de 28 de Agosto do anno passado ex
peidos s justigas de aples e Lagonegro para
declarago dos beose valores existentes o'aquel-
las cidades, oertencentes ao espolio do subdito
italiano Domingos Rossi. 'ora este officio remet-
i a V. S. todos os documentos em originaes de
uc trata o aviso do Ministerio dos Negocios da
ustigo qe 26 de Jul io lindo, junto por copia.
Director do presidio de Fernando de Noro-
nha. -De ordem do Exm. Sr. conselheiro presi-
dente da provincia, remello para ser informado
por V. S. o requeriraento no qual o sentenciado
militar Joo Cedro da Assumpgo. pede paga
ment de vencimentos que allega nao haver re-
cebido em lempo.
EXPEDIENTE DO DA 3 PT3- AGOSTO DE 1889
Actos :
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade cora a proposta do Dr. chefe de poli-
ca, em officio n. 925, de hontem datado, e por
conveniencia do servigo publico, crear mais urna
delegacia de polica na comarca de Cabrob
sob a denoraiuago de Belm, a qual corapreheti-
der todo o territorio da freguezia deste nome,
que foi desmembrado do termo de Cabrob e
parte do de Floresta, e ticar dividida em dous
districtos de subdelegada, pela forma seguinte :
Da fazenda Pedia seguir rumo direito ao
norte s (aseadas Smiio. Moror e Volta, se-
gurado destas rumo recto a extremar com a de
nominado Serra ralbada todo o territorio que li
car pelo lado no pocote, at os limites da fre-
guezia de Cabrob, formara o Io districto, que
ter a tfenuminagao di-Belm, emprehendendo
o 2o. que denommar-se ha de Jatinan, o lerrito
no que licar pelo la lo no nasceute at os liiui
es da freguezia dr Floresta. Coramunicou-se
ao Dr. 'Hele de polica.
O piesidenle da provincia, de conformida
de com a proposta do Dr. enefe de polica, em
officio n. 913, de 31 le Julho lindo, resolve sup-
inirair o dtslncUi de subdelegada de Pndoba,
do termo de Ti.nbaba, Desudo o respectivo ter-
ritorio peitencendo ao di-iiricto de Muangy, do
iiie.-mo crino.Cjiiiiiunicou-se ao Dr. cliete de
polica.
O presidente da provincia, de conformida
de com a proposta do coamiaadanle do corpo de
folicia e de accordo coui o parecer do Thesouro
rovincial,emoffi..ios ns. 18 e 258, de 9 e 26 de
Julho lindo, resolve resiaoeieeer a tabella n. 1
do regutaraenio de 8 de Novcraoro de 1873, od-
io l se, entivuolo. o 28 do ari. 2" da le
n 1.876, 46 do art. 2 da le o I.-10, 55 (lo
art. 2 da lei n. l.sfiu. 50 lo arl. 1" d. lei n.
1.884 earl. 5a do ruguliniento citano.Baaiet-
leu-se copia ao co ouiaiidante do corpo de psli-
cia eao Tbesouru Provincial.

- O presidente da provincia, tendo em vista
o aposto pelo inspector do Thesouro Provincial,
era officio n. 277, de hoje datado, resolve, de
accordo cora o disposto uo Io do art. Io da lei
q. J.031 de 29 de Julho ftndo, abrir um crdito
da importancia de 64:699*5.10, para occorrer ao
pagamento dos vencimentos e mais despezas a
fuer se com a guarda cvica e com o abono de
ajada de custo e gratiticago de commando dos
officiaes do corpo de polica que deslacarem
para fra da capital.Remetteu se copia ao ins-
pector do Thesouro Provincial.
-" O presidente da provincia resolve remover
a professora Clemeutina Elisa Monleiro, da ca-
deira de Camutanga para a de ensino mixto de
Barra de Jangada, por conveniencia do servico
publico -Comraunicou-se ao inspector geral da
Jo^fncco Publica.
^ ..residente da provincia resolve exone-
rar o'bacharel Jos de S Cavalcante de Altiu
Siut, do cargo de ajudaute do procurador dos
ellos da fazenda provincial no municipio de Ta-
catat, e noniear para substituil o o promotor
ptico bacharel Perminio de Araujo Lima.
Q presidente da provincia res^Jve exonerar
Antonio Manoel de Araorra, do cargo de aju-
danledo procurador dos feitos da fazenda pro
vincial no municipio de Petrolina, e nomearpara
substituil o o promotor publico Manoel Francis-
co de Souza Jnior.
O presidente da provincia resolve exone-
rar Romo Pereira Filgueiras Sampaio, do cargo
de ajudante do procurador dos foitosda fazenda
provincial no municipio de Salgueiro, e nomear
{ara substituil-o o promotor publico Manoel da
roe de S Roriz.
O presidente da provincia resolve nomear
o promotor publico, Cypriano Gomes de S Qui-
rio, para exercer o cargo de ajudanle do pro-
curador dos feitos da fazenda provincial no mu-
nicipio de Cabrob, (cando assim exonerado o
que actualmente exerce dito cargo.
- O presidente da provincia resolve nomear
o promotor publico, Joaquim Jos Ribeiro, para
exercer o cargo de ajudaute do procurador dos
feitos da fazenda provincial no municipio de Ou-
ricury, licando assim exonerado o que actual-
mente exerce dito cargo.
O presidente da provincia resolve nomear
o promotor publico, Antonio Joaquim dos San-
tos Mangabeira, para exercer o cargo de aju
danle do procurador dos feitos da fazenda pro
vincial no municipio de Boa Vista.-Comrauni-
cou-se ao Th souro Trovincial.
Officios :
Ao ministro e enviado extraordinario em
Londres. Teoho a honr., de enviar a V. Exc. o
balacete da receita e despeza da estrada de
Ierro do Recife ao S. Francisco, acqmpanhado do
deviso dcsenvolvimenlo e da cpi da acta da
sessao em que os commissanos do governo li-
quidaram as cenia: relativas ao mez de Julho ul-
timo, e bein assim iguaes documentos concer-
neatw ao 1" semestre do corrente anno.
Reitero a V. Exc. as segurangas de minha ele-
vada ibUma e distincta considerago. Commu-
ncou'sc commisso liquidadora das contas.
Ao desembargador procurador da corda,
soberania e fazenda nacional.Srvase V. Exc.
de iuterraar sobre o assumpto do officio aqu
iuiik;, c'ainiz de direito da comarca .de Cim
,H;e1lO de Julho lindo.
rjinsfFCtnr na iiresuuranam, ra^nOu.
Providencie V. S. para que tenha despacho
fcil pela Alfandega a familia de mandioca vin-
da de outras provincias com destino alheio ao
consuno nesta, e que haja de ser baldeada ou
depositada sob .esta cfausula nos armazens da
raesma Alfandega.
Ao mesmo.Remello a V. S. para os fins
convenientes copia do aviso Jo Ministerio da
Justica, de 23 de Julho lindo, acompanhado do
processo e mais papis a que elle se refere,
com relacao liquidago da divida de que ere-
dora a empreza da illuminago publica.
Ao mesmo.Transmiti a V. S., para os
fins convenientes, copia do officio de 28 de Julho
lindo, relativo ao exercicio do promotor publico
da comarca de Itamb.
Ao mesmo. -Tendo V. S. em vista o meu
officio de 1 do corrente com relago nova di
recgo das obras do ncleo Suassuna e hospe-
dara da Jaqueira, hoje a cargo do engenheiro
Gregorio Thaumaturgo de Azevedo, srvase de
ordenar a entrega a este engenheiro da quanlia
total de 5:220*529 constantes dos inclusos docu-
mentos, requisitaJa era officio do dia lc pelo
ex-inspector de ierras e colonisaco Dr. Jos
Ozorio de Cerqueira para occorrer s despezas
do trabalho uo mencionado ncleo e ospedaria
de 16 a 31 de Julho ultimo. -Communicou-se ao
engenheiro encarregado das obras.
Ao mesmo.Para poder esta presidencia
resolver sobre a conveniencia de serem indem-
nisados alguns dos possuidores de casas no pro-
prio nacional engenho Suassuna, de que trata o
incluso officio emongiual, que ser devolvido,
do ex inspector de trras e colonisago, datado
de 31 de Julho ultimo, convni que V. ?*. infor-
me com urgencia que ttulos sao ellas possui-
das por outrera n'aquella propriedade; si houve
alguraa excepgao na escriptura de venda de tal
natureza e a quem ella aproveita.
Ao engeuheiro Gregorio Thaumaturgo de
Azevedo.Em solugo ao officio, por (copia in-
cluso, do ex-inspector de trras e colonisaco
de 31 do mez pretrito ao qual.veio annexo cu
piado de V. S. de igual data, em vista do offi-
cio que Ihe dirig no dia Io do correte sobre
ter Ihe incumbido o Exm. Sr. ministro da agri-
cultura da concluso das obras do ncleo colo-
nial e hospedara, autoriso a marcar o prazo de
30 dias para serem desoecupadas as casas exis
lentes naqueile proprio nacional pelos respecti-
vos moradores, seiido esta presidencia previa
menie avisada de nao ter sido observado o pre
ceito indicado alim de providenciar como no
caso couber ; podendo, comtudo, taes morado-
res colher os cercaes que shi teem, tanto mais
aceleradamente quanlo fr necessaria a desoc
cupagao dos terrenos por motivos de obras ou
outro qualquer que o determine, alus Jprohibin
do se novos preparos de plantago que elk-s se
proponham fazer.
Ao juiz de direito do 4o districto criminal
Para resolver sobre o assumpt.i dos officios de
31 de Julho e 2 do correte mez lecoinnieo.do a
V.'-. que remella com urgencia una n I nao los
quarteires da parochia do SS Sa-ranieuto da
kou-Vista, declarando o numero de ei< itor. s da
cada um dos referidos qu..rieirc-.
Ao inspector do Tiiesouro Provincial.B*
claro a Vmc. para os devido- idJeilos que 0
afficul de gabinete desta presidencia, barharel
Manoel Caelano de siqueira Cavalcante leso di
reno respectiva gratilicaco desde 29 de lulh i
iiilo, data da le n. 2,031 que re-taorou o allu
dido cargo. .,.
Ao inspector geral da testnicca i Publica
Declaro a Vmc. que a cadena de nsuio mix-
to da l'raia dos arnttrOa tteve ser promla por
meto d,; e mtraclo que sera i Ibciaado tara Stf
tarniaa jri iada Luz.
Ao engenheiro fiscal doengeuhocentr.it de
Pal mares. -Informe Ttt&wml o estado em_ que
se acha a fabrica central sob sua llscalisagao e
quaes as vantage.us que estt ha aulendJ da
provincia.
Portaras : _. ,
O -r. gerente da Compaobta Pernambu-
cana faca transportar provincia do Rio Grande
do Norte, por conta do Ministerio da Maana,
um lamo de oleo, mediado 55 decmetros cbi-
cos, para o COUSUino do pila rol all existente.
t) Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faga transportar provincia do Rio Grande do
Norte, por conta do Ministerio da Marinha, qua
tro boias medrado 4 metros cbicos, mandadas
construir por aviso do referido Ministerio n.
1,171 de 28 de Agosto do anuo passado, para o
balisamento dos portos do Natal, Macau e Mos
sor. -Communicou se ao inspector do Arsenal
de Marinha.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faga transportar para o presidio de Fernando de
Noronha, por conta de Reis & Santos, os gene-
ros alimeuticios e arligos de que trata a relago
aqui junta, assignada pelo secrewrio desta presi-
dencia.
- O Sr. superintendente da estada de ferro
do Recife a S. Francisco, d passagens por con
ta da provincia e com direito a bagagem, da
estagfio de Cinco Ponas de Un i. e seis pragas
do corpo de polica que destacara para o termo
de Aguas Bellas.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco, d passagens por con
ta da provincia e com direito a bagagem, da es
tago de Cinco Pontas a de Una, ao promotor
publico nomeado para (a comarca de Boa-Vista.
Antonio Joaqnim dos Santos Mangabeira
Mutalis mutandis. ao encarregado da esta-
co de Palmares e d'ah a Garanhuns.
EXPEDIENTE DO DD. SECBETABIO
Officios :
Ao inspector do Thesouro Provincial.De
ordem do Exm. Sr. conselheiro presidente da
provincia pego a V. S. cora toda urgencia copia
dos contractos celebrados em virtude das leis n.
1455 de 9 de Junho d 1879 e n. 1684 de 21 de
Junho de Junho de 1882 para construego de es-
tradas de ferro ncsla provincia e em 1 lugar o
da compra da de Ribeiro a Bonito.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. conselheiro pre-
sidente da provincia manda communicar a,V
S. para os fins convenientes, que em 1 do cor-
rente o bacharel Sergio Dmz de Moura Mallos,
assumio o exercicio do cargo de ajudanle do
procurador dos feitos da fazenda provincial no
municipio da Escada. para o qual foi nomeado
por portara de 28 de Junho findo.
A ompanhia Brasileira.S. Exc o Sr.
conselheiro presidente da provincia ticou intei-
rado, pelo officio de V. S. de hontem datado de
haver chegado s 6 horas da manho,dos portos
do norte o vapor Maranho que seguiu s 6 ho-
ras da tarde do mesmo dia para os do sul
i ommunicou se directora do commercio.
Aojuiz de paz mais votado de Nossa Se-
nhora do O' do Urano. De ordem do Exm
Sr. conselheiro presidente da provincia trans
milto a V. S. um liv^o destinado s actas da
junta de alistaraento militar, conforme solicita
em seu officio de 29 de Julho findo.
DESPACHO DA PRESIDENCIA DO Da 16 DE
SETEMBRO DE 1889
Arlhur Allico de Souza Magalhes. -Informe o
Sr. inspector geral da Iastrucgo Publica.
Bononio Rosa de Lima LealInforme o Sr.
inspector geral da instruccao publica.
Companhia do Beberibe. Informe o Sr. ins-
pector do Thesouro Provincial.
OmjiJulut d*. L*Ullu v Orc- Cim
Eugenio jta Jugues -tflte.Informe o Sr. ins-
pi'UUI LiLittt tf ntli'uagie pynlie-i
Felippe Hennque Giro.Informe o Sr.inspe
ctor geral da nstrucgo publica.
Jeronymo Gomes da Foneca. Informe o Sr.
director do Arsenal de Guerra.
Jos Ferreira da Silva.Informe o Sr. enge-
nheiro Gregorio Thaumaturgo de Azevedo.
Joaquim Marcello de Oliveira. Informe o Sr.
engenheiro Gregorio Thaumaturgo de Azavedo.
M.-noel Figueira de Mcnezes.-Informe o Sr.
inspector do Thesouro Provincial.
Mara Eugenia do Carmo Informe o Sr. di-
rector da Colonia Isabel.
Manoel Zosino Selnappe Monteiro.Prove que
reside no Brasil ha mais de dous annos.
Miguel Ferreira Vellozo. esentranhe o sup-
plicanle os documentos em que se basea a sua
preteogo e requeira ao Exm. Sr. Ministro do Ira
perio por intermedio desta presidencia. Tendo
o supplicante feito quaesquer servicos classe
mais uecessitada de Caruar de igualdade ser
attendirto, mas nao pelos cofres provinciaes per-
tencendo verbaSoccorros pblicosos traba
Ihos realisados para tal lira. Nem devem pezar
taes despezas sobre o cofre provincial, visto ne-
nhuinaautorisago ter sido dada por esta presi
dencia, nenhura c ntracto foi feito, e n'estas cir-
curastancias ser pelo Exm. Sr. Ministro do Im
perio deliberado o que favoreceiao supplicante.
Maria Adelaide de Carvalho Oliveira.Entre-
gue se, mediante recibo.
Manoel Cava cante de Mello Filho.-Informe o
o Sr. engenheiro Gregorio Thaumaturgo de Aze-
vedo.
Manoel Cavalcante de Mello.Informe o Sr.
engenheiro Gregorio Thaumaturgo de Rzevedo
Rosa de Vetulio Figueiredo Inlorme o Sr.
inspector geral da nstrucgo publica.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 18 de Setembro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
GoTerno do Bispado
AOS EVDS. PAROCHOS E FIBIS DESTA DIO-
CESE
O Santo Padre Leo XIII dirigi aos bispos
calhollcos de todo o mundo urna eneyelica sobre
o patrocinio da SS. Virgera e de S. Jos, cuja
devogo elle muito recomraenda as dificulda-
des presentes.
A eneyelica daiada de 15 de Agosto e co
mega Quamqvm planes.
O S. Padre termina exhortando vivamente os
lieisa fazerera cora a maior ivligio, piertadec as
siduidade osexercicios do santo mez do Rosario,
no prximo vindouro Outubro, ordenando que
recilago quotidiaaa do Rosario durante esse
mez bc mcrescente urna especial orago a S.
Jos. E-sa oraco, cuja formula vera junta
eueychca, enriquecida com indulgencias de 7
annos e 7 quareflieita*.
O puniiltee quer que assim se observe lodosos
anuos, para v mp e. Alem disto recommenda
com instancia a elebrago do raez de Margo em
Honra do Sanio l'i'narcha, e nos lugares onde
esse- exercicio* nao DOderem ter lugar, que ao
menos se foca preceder fesla ura triduo. Nos
lugares oud. a fesla uo de preceito, o Sobe
nno Pontili e ileseja entretanto que-sc celebre
cora solemnidad!'
A orago a S. Jos que o S. Padre ordena ac
cre-centar se recitag.io io rosario durante o
mez de Outubro, e que se p le fazer semprc,
como se segu :
,0' glorioso S. Jos, nos recorremos a vos em
0048a tributarlo, e, denola de ter implorado o
soccorro de Vosea Santissima E-posa, sollirita-
mos tambora cora confianca o vosso patrocinio.
Pelo ftVctO que vj- uni Virgera Iniraacula
da. Mu de Deus, pelo amor paternal de que cer-
raste* o menino Jess vo. supplicanios nos au
xilieis a entrar cm pi--e djfJH
i hristo conqui.-ii j^Mlssis
laes filil o- O
sas ne'-es.-i !!
Protegei, .;< n i-si no Guardada diviua fa-
milia a raga eleita de Jess Christo ; preservai-
nos, Pac amantissimo, de toda a mancha de
erro e de corrupgo ; sdenos propicio e assis-
ti-nos do alto do co, nosso poderosissitno li-
bertador, no combate que sustentamos com o
poder das trevas ; e assim como outr'ora arrau-
castes do perigo da morte o Menino Jess, de-
fendei hoje das (raiges do inimigo e de toda a
adrersidade a anta Egreja de Deus. Coneedei-
nos vossa perpetua proiecgo, afim de que, sus-
tentados pelo vosso exemplo e pelo vosso soc-
corro, possamos viver sautamente, piedosamen-
te raorrer e obter a beraaventuranga eterna do
co.
Assim seja.
Finalmente cm todas as igrejs e oratorios
onde na primeira sexta-feira de cada mez, se
celebra pela manfla, com a approvaco do ordi-
nario, algum especial exercicio de piedade em
honra do Divino Corago, o S. Padre concedeu
que aos ditos exercicios se possa accrescentar a
i-eleb-ago da missa votiva do Sagrado Corago
de Jess ; com condigo de que n'aqueile dia
nao cala alguma festa do Senhor, ou um Dplex
de primeira classe. ou urna Feria, Vigilia, Oita-
va privilegiadas ; e quanlo ao mais devem ob-
servar-se as rubricas.
Palacio da soledade 18 de Setembro de 1889.
Padre Dr. Jeronymo Thom da Silva,
Goveroador do Bispado.
Repartidlo da Polica
2.* scelo.N. 1139 Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 18 de Setembro da
1889.Elm. e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. que ioram hontem recolhidos Casa
de DetencSo, os seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado do Recife,
Francisco Antonio da Trindade, por em-
briaguez e disturbios.
A' ordem do de Santo Antonio, Mara
Elysia de Araujo, por embriaguez.
A' ordem do do 1- districto da Boa-
Vista, Marcolino Jos de Sant'Anna, Ma-
nuel Jos Quirino dos Santos e Jos
Antonio Ramos, por disturbios.
A' ordem do do V districto de S. Jos,
Antonio Lourenco Nunes, por disturbios.
A' ordem do do 2- districto de S. Jos,
Marcellma Maria da Luz, Maria Lina da
Conceico, Cypriano Jos dos Santos e
Chiystiano Baptista dos Santos, por dis-
turbios.
A' ordem do do 1* districto da Graca,
Manoel Gongalves Lima, por crime de
furto.
A' ordem do do Poco da Panella, Mar-
colino Goncalves de Souza, alienado, at
que possa ser transferido para o asylo da
Tamarineira.
_ A' n>Ji rlr do Arraial, Jos Emilio,
por disturbios.
Na noute de 10 de crtente, falle-
ced repentinamente, em casa de Mara
Francisca dos Santos, ra de D. Maria
)esar, o jornalero Firmino Jos dos
Santos.
A convite do subdelegado da freguezia
do Recife, foi o cadver vistoriado pelo
Dr. Gama Lobo, que declarou ter sido
a morte proveniente de congestfo ce-
rebral. -
- Assumio o exercicio da delegacia
do districto de Belm, no termo de Ca-
brob, o respectivo 1 supplente Domingos
Goncalves Torres.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d'esta provincia.
O chefe de polica, Geroncio Das de Ar-
ruda FalcSo.
Reeebedorla Provincial
DESPACHOS DO DIA 18 DE SETEMBRO DE
1889
Laurentino Odorico de Freitas, Hcnrique da
Silva Teixeira. Hermino Leoncio Gongalves dos
Santos, Joo Clemente Pereira de Castro Climio
Francisco Querino de Oliveira, Antonio Duarte
Torres Gallindo, Melchiades de S. Santa Rosa,
Jos Eraro. Fausto L. de Faria, Jos Francisco de
Almeida, Alfredo Claudino das Chagas, Fran-
cisco Antonio da Silva Jnior e Francisco Xavier
da Cruz Certifique se.
Josephina Bemvinda da Cunha Souto Maior,
Antonio Francisco Duarte Figueira, Manoel Jos
de Oliveira e Raymunda Joaquina Maria da Con-
ceigao.Informe a 1.* secgo.
Thomaz Espiura.A' 1" secgo para cumpriro
despacho da Illma. junta do Thesouro Provin-
cial.
Eugenio Cardoso dos Sant03 e Jos Soares Fi-
gueira de Souza.Certilque-se.
Jos Vieira 4 CInforme a 1." secgo.
Inslrucco Publica
DESPACHOS DO DIA 17 DE SETEMBRO DE
1889
Liberato Ambrosio dos Santos Reis.-i:umpra-
se e registre-se.
Maria do Amparo de Mello Rangel Encami-
nhe se. .. .
Guilhermina Fra iciscade raujo Lima Lum-
pra-se e regstrese a apostilla de 18 do corrente.
Maria Esmeraldina Emilia de Barros.Com-
pra se e registre se a apostilla de 17 do corrente.
Joo Jos Ribeiro de Moraes. Informe o dele-
gado luterano, ,
Antonio Nobre e Almeida Castro. -Informe o
delegado litterario
MM(A8 E UOatEftiiiO
Foi convocada urna reuniao extraordi-
naria dos accionistas da Companhia da
Estrada de F.-rro das Alagos, no intuito
de antorisar a directora a elevar o fundo
social a t 250,O0J emittindo debentures
a juro de 5 [.
Deve 0 novo capital servir para a
construego do ramal at Assemb $*, com
65 112 kilmetros de extensSo, do qual a
companhia obteve concess&o" do governo
imperial com garanta (le juros de 6 '[,
sobro a quantia de 1,968:000*000.
~~

#
Ao passo que a provincia de S. Paulo
continua a presentar ura invejavel re-

WTHUI I


Diario a


i


m

I

ultado da renda de s>ia a'.finleg.i, devido 418.597 5942, se ido 109.70^580 de algo-
as cre*centea neceaaidades de itnportacao1
e maior safra de caf qie se tom alli
effectuado, as provincias da Babia e
Pernambuco o desmantolamento da la-
voura de assucar est affcctando cruel
mente as rendas aduaneiras ; e esso mal
so poder ser obviado pelo fornecirae ato
de novos capitaea aos agrie ai tai as c pea
tratado quo se espera celflfcrar ana os
Estados Unidos.
A extraordinaria reacia de importaci*
da alfandega do Rio e Janeiro parece
ter sido substitua* pw'movtBent maja
normal, mas que tende ora ludo a csta-
belecer derinitivaante au erolu^lo pre-
gressiva.
Difierentes apreciares sobre os saldos
das safras e novas colheitas de caf de
nossa zona toan actuado sobre as tiansac-
coes de nos30 mercado, mas hoje parece
estar formado uin j1
resultir melhora d
estar for.nado uo juizo definitivo, de que
resultir m<
agricultores
ie precos para nossos
Todava, em quanto os poderos publi-
co* aao puderem facilitar ao lado de nu-
merario para custeio das plantacles, mais
avahados capitaes para exploracSos quo
se dediquem vasta plantacao de goneros
alimenticios no interior, grande parte dos
lucros da lavoura serao absorvidos pelo
custo dos mantimentos, que dependem nao
smente das outras provincias, como do.
estrangeiro.
A tendencia para augmentar os sup-
primentos desta origem.

Das 20:003 accSes do emprestimo para
o caininh > de ferro do Congo, offerecidas
ao pnWico, s 16:000 prximamente fo-
raui subscriptas, apeza.- do aspecto tenta-
dor do negocio.
Os tmidos hesitaram, tiveram receio
de dentar o seu dinheiro em frica ;
acharara a couaa boa de mais para ser
segura.
Em Londres a subscripeao foi quasi
nulla.
E' a Allemanha que offerece maior
contingente.
Oa mercados deste paiz estilo agora
fcilmente aWtos a todas as especula-
cBes. Em Berlim parece que ha f no
futuro eontinente africano desde que o
principe de Bismark comecou a fazer po-
ltica colonisadora, instigado pela opinio
publica, segundo elle diz.
Em todo caso o caminho de ferro ser
construido.
O quinto das accoes, que ficou por
tomar, ser provavelment dividido entre
os promotores do emprestimo, que j ti-
nhm tomado 10:000 accSes antes de
aberta a subscripeao publica.
O rei da Blgica, que est empenhado
em' abrir aqulla parte da frica, que lhe
foi distribuida na conferencia de Berlim
as conquistas da civilisacao europea, dar
impulso empreza.
Os trabalhos nao tardarlo a principiar,
e a locomotiva passar silvando atra
vez d'aquellas regides do continente ne-
gro, do baixo Zaire ao Stanley-Pool,
para glorificar a energa dos que at hoje
teem trabalhado em prol das racas que as
habitam.
As, ilhas Hawaii formim um archipelago
dao em rama (18 121546
de manufacturas, 2.609$800 de combusti-
vel, 15.1060457 de materias para engora-
magera, 5.0535491 de materias oleosas;
100.993$ 185 de material e sobresalentes.
i Dizem telegraphimente de Madrid :
c As ex^acieaeias ajave acaba de fazer o
s'tfcjsaruwi Piral na baha de Cdiz, foraoi
cj*npletaento satisfactorias.
O submarino verificou grande numero
de evolucBes com bastante rapidez; a ex-
periencia de lanzar torpedos foi bem suc-
cedida ; e disparo u cora t >da a vel icidade
o torpedo, dando tiros perfeitos.
Apezar do mar ter estado um tanto pi-
cado, o Peral teve Bempre urna marcha de
7 milhas por hora e meia.
< Era iin mensa a multidao que assistio
s experiencias, r.pczar de se ter querido
Sue ellas se veri Icaasem no maior sagre
04 a Baha da Cliz esta va coalhada de
embarcacoes de todos os tamanhos.
Os espectadort s acclamaram por vezes
Peral, com grande enthusiasmo.
Quando o submarino passou em frente
esquadra italiana, a tripulaco desta, que
estava as enxarcias, deu vivas Hespa-
nha.
REVISTA DIARIA
Acta oOlelae f or a? tos da presidencia
Ja provincia de auto hontem :
Foi nomea lo o teaeute coronel Laudelino Ma-
noel de Azevedo para exereer o cargo de collee-
lor p'ovincial do muaicipio de Taquaretinga,
licando exouerado Joo Climaco Correia de
Araujo, que exereia o mesmo cargo.
13." UIlric*oSao mais condecidos os se-
gmntes resultados d 1 eleico procedida era 31 de
Agosto, 110 13" disuado, para um deputado geral:
Fevclina
(I. distado)
r. Moreira Alves
Dr. A. de Shjaeira
(2'
Dr. Motvira Alves
Dr. A. de Siqueira
Dr. More ira Alves
Dr. A. de Siqueira
districlo)
Granito
27
20
24
21
II
ti
Resultado coobecido, faltando Ouricury, Ex,
Hoa-Visia. Floresta e Beluionte :
Dr. Antonio de Siqueira (L) 425
r. Moreira Alves (0) 290
O tato Antonio Cfcri|tiaa 0 Jornal do
Rea fe de konluin publicou o segrate :
Consta-nos que S. Exc. o Sr. conselheiro
Alves de Araujo, presidenle desta provincia,
em ollido dirigido ao Sr. general commaudante
das armas, em data de ante lio,tem, determinou
que fosse eliminado das lileras do exercito o
individuo Clirispiui Anlonio de Oliveira que vo-
luntariamente se alisiara, em vista dos facto
ltimamente praticados por esse individuo.
Posta de parle a aflinnaliva de que Aulonio
Ghrispim de Oliveira se alistara voluntariameiUe,
aflinnaliva contra a qual protestara os facise a
populugao inteira, registramos goslosos o consta
do Jornal do ecife, e applaudimos boaiuente a
delioeracao do Sr. uonsellieiro Manoel Alves de
Araujo, porque da importa n'uma justa repara-
cao aot,'ruvo felo aliberdade individual e s
demas regalas consluucionaes na pessoa do al-
ludido cidadao.
lleetlnIgnorando mnitaf pessoas do povo
o que aciuia tica relatado, acudiram pressu:osu
ao convite que de vespera Ihs fra feilo pelo Sr.
Ran^el Solirinho para se reuiirem em rneeUny
no largo da raaTriz ife ftaulo Antonio; e de farto
all esteve grande inassa reunida, achando-se
igualinenl" presentes o Sr. Dr. delegado do 1
districto e um troco de pragas da guarda cvica.
Preiendendo fallar ao povo o Sr. Ricardo Gui
maraes, fui nesse intenti obstado por aquella
lutondude, que cliegou prndelo, relaxando
de cerca de 15 ilhas na Polynesia tepten- poreni a prisao, em visia de reclamarlo proce
-.l'mal- S'u7i\x fcriTSaho Tsu- i Tire reunido seguio entSo at a typogrnDia
ilhas sao Hawati, Jlawi e Ualiu. A .-,1- ^ ^^^ on^c^tmmiou por aiguns momento.
>**' ** remo presenta ama are.t e (al|| uirjgi0.se pea ruil Q imperador para o
de 19,7 <6 kilmetros quadrados ; a popu
lacao de perto de 60,000 habitantes-
sendo a raca dominante a raalaia.
As despezas annuaes, pelo ultime or-
namento que conhecemos, se elevaram a
244,840 libras; a divida era.de 73,140 li-
bras.
O commercio, ha alguns annos das
sados, conforme os dados estatisticos que
temoe. apressntava o seguinte movimen-
to : exportajSo 438,280 libras ; importa-
Sao 277,894 libras.
INDUSTRIAS E ARTES
Em iiizo da deficiencia da colheita de
beterraba e dos phenomenos metcorologi
cosque aniquilarara extensa plantacao na
i. j n u 11 T de orara do exercito.
lha de Cuba, a nossa colheita sera este ^.^ceniou o mesrao Sr. Dr. Drummoud que,
palacio da presidencia, quando urna das janel-
las jo edilicio do Gainneie Porluguez de Leitura
assomou o Sr. Dr. (aspar Drunsmojd, e peio
que o uvissera.
O illustre deputado provincial expoz ao povo,
em cloquele phrae, os fados que licain cima
relatados, bsseverando ter visto o ofcio em que
a presidencia da provinda maudara dar baixa do
exercito Antoaio Ghnspira, e conclua pedindo
ao povo que se dispersarse em paz, visto como
eslava liada a que=iao, e attendidas a3 suas re-,
daiiiayoes.
A coiumuuicaco feila pelo Sr. Dr. Gaspar
Druuiraoud toi vivamente applaudida, sendo o
Minswn Dr. Gaspar Drummoiid alvo de urna
graue manifesiacao. que eessou porta de
sua residencia, onde foi eonduzil o o povo, que
all se dispersou eai paz e salwfeilo.
Depois de enripias as linhas cima, refe-
ri-nos o Sr. Dr. Gaspar Drumajond, que leudo
eslado com S. Exc. o Sr. conselheiro presidente
da provinda. ouvira de S. Exc. a coulirmacao
de ter sido Anlooio Ghrispim mandado eliminar
anno excepcionalmentc favorecida.
As ultimas noticias recebidas de que
nasce, com fundamento, esta previsao,
teem feto elevarse gradualmente os pre-
50S nos mercados consumidores e os nos-
nos nssn^ares j comecaram a resentir se
dessas ventajosas e singulares circumstan-
cias de modo provoitoso.
No mercado de Nova York a existencia
de assncar do Brazil em 1 de ilaio era de
13,250 saceos contra 56,399 em igual pe-
riodo de 1888 e a existencia total de to-
das as procedencias era naqnelle da de
16,7,24 toneladas contra 120,917 em igual
data do anno passado.
Acomparaco destes algarismos d exac-
ta medida da posicao geral do mercado de
assucar, que se tuautem a cotacoes bitas o
manifestauente firmes.
A produccao total da fabrica da compa-
nhia Brazil Industrial, durante o anno fin-
do, fi de 7.441:390 metros no valor de
l,359:825(j800, que comparada com a do
ann> anterior menor de 626:996 metros,
no valor de 127:243^950.
Com a conservacao da fabrica e dos nu-
merosos machiuismos foi dispendio a ver-
ba de 53.3935713.
Foi comprada urna machina para dar
gomm-H s fazendas e outrapara dobral-as,
dando um total dedespezasdo 7.988f$070
O pessoal da fabrica foi de 885 pessoas, Dr Cl!C1|iiino UiimcJe Alves Kl.rreira
sendo 301 h.mens, 2h'o mulheres,21o me-
espaitiada essa noticia, organisara se urna com
mis.--iio composta dos Srs. Vianuto Francisco da
Silva Ral, Doaraeof Manoel Martins, Dr. Ame
rico Vespucio Velloso Juuior e Dr. Jos Goe-
llio Leite para levantar urna subscripeao po-
pular com o lim de ser fretado um vapor para
ir ao presidio de Fernando de ioronha buscar o
referido Amonio hrispim. levando para isso as
competentes ordens do Exm. Sr. general com-
mundaiiie das armas.
Esse vapor foi electivamente frdado. E' o
rebocador Amadeu, que seguir ao seu destino,
lugo que esteja completo por subscripeao o valor
do respectivo frele.
Assnn licarao solvidas as reclamaces Icvan'a-
das a proposito do infeliz caso Ctiispini.
E S. Exc o Sr. conselheiro Alves de Araujo
ter bera merecido pela solucao nica que deu e
poda dar questo.
Cabo ubmarioo do sul Segundnos
foi coininutiicado pelo diguo gerente da Wes
tero and Brasilian Telegraph Com pan y, adiase
reslabeleeido o cabo submarino uo sul, que por
alguns das estivera iuterromoido entre a Baha
e o H10 de Janeiro.
Faiifi-imento Noticias de Bezerros di-
zem ler tallecido, uo da 13 do crreme, D. Ce-
ineulina dos Santos Bezerra, joven lidia do Sr
Gleiueuliuo dos Sanios Liaeo Sement, a qual
para all fra em procura deailivio aos seus sof
frimeulos.
Era urna iuteresante senhora, prendada e
querida de seus pan, aasquaes d.-mos pezames.
toinpunhia do Beberibo -Em MMMB-
bla geral reuinraiu se houtetn os aeeioionislas-
detsa companniu eiu numero de lo/, represi-n-
taulu 8,"iO ac^oes e 1,298 votos, alim de proce-
derein a eleigo da nova directora, cujo resul-
tado foi o seguinte:
nios e 135 men as.
'.upaiiliia contratu em 31 de Ou
tubro ultimo com o Banco Internacional
do Brazil a emisso de um emprestimo
hypothecario, em 1.150:0tJjO(SI de debentu-
res, de 20 Jo cada um, ao juro de 7 #| e
a amortizac?.o dominimode 1 j ao anno,
cora acouraulacao, ao preco de 92 t\ e a
commissao do .') 0i sendo os juros pagos
semesimlraeiite, em 30 de Abril c 31 de
Outubro de cada auno. O emprestimo pro-
duzio a somiaa liquida de '.197:802(5700.
A deinons .racSo da conta de lucros e
perdas revela um saldo liquido de......
33:15i>142, tendo sirio distribuido um di-
videndo de >J00; pagos 15:0U0
pel'> do resgite de 75 .brigaioei ; e leva
dos ao fundo do reserva 3M|g0.
O stock, ao lindar o anno, era de......
Votos
12t8
1167
u;w
10*2
78
Graeiliano Octavio Ja ruz Marlins
Barao de Gasa Forte
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina
Aurelio dos Saoios Goiinbra
Os minedialos em votos foran os seguintes
senlioies, que obliterara.
Joaquim Olinto Bastos Ul
Dr. Braz Florentino Henrique de Souza 230
Artliur de Souza Curvalao 19
Segu-'m-se outros senbores com voarao m-
fenor.
Kleit'Mo do I." diMlrirto -Hontem de-
vea ler te proeedido a apuracao de votes para
deputado por esse listricto.
Club Iliterario Ayrea Ciam II ijc
as Horas e uo luur do iraywiP, reunirse bao
os nieuibros dest. associacilo em sosal 1 ordi
nana.
Panameato .Na i I ha da Madem para
onde fra era cousequcncia de solIrimeaUn pul-
raonaii'S, falleceu-rlo da 12 de Agosto ultime o
negociante desta praei Hernardino de Souza
Dorte. que oniav apenas M de i 1
O finado era poriU8uez, e era sua residencia
entre nos serapre gosou de bom norae.
En suff na auno seu irmo o Sr. An-
lonio de Sju 1 Duarla Ferreira inania na '.
f-ira pros r-ir diveri 13 no con-
vento de S. Francisco.
iHnui'lur Medieo-Hharnaitceatlco
Peruatubiicnna-II1 hoje sessao dessa so-
ir d^ coitume.
I ala Artiiliro-republicana.U:U-
ne se hoje nolte pelas 7 horas essa assocU-
cao, aflm de eaipossir a nova directora.
Club L.itlr*.ro Ayei Sana -Esse
Club, que fu acciona na Escola N innil, e co3i-
pOe-se de aluame*da mesmi Escola, faz uo dia
13 do correte a sua W* coBfereucii, omj* ob-
jecto prende se .1 qij.stoReform 1 da inuruc-
cao pi imaria.
0 assuuipto por certo de evidente imaorta
eia, e desawmos que o cenfereodata o explane
com a proficte icia que convem e acceiilui'-l^e
bases adaptadas ao bosso meio, frisando sisal
os inconveniente* f|ie ten tr.isidoas sncertssivns
reformas por que entre nos tem passado esse
servico de a ino a anno e sempre cora resultados
negativos pela estrueiura que lhe tem sido dada
0 que se ha ei'o at hoje nao passa de um
bon;to edilicio si'm accoramodac's.
Para as transplunlacoes, no eutretauto, nao se
pode prescindir da simlariedade geolgica; o
que se nao trm obsrvalo, ao pisso que isso
coodicao essencial para um trabalho til e esta-
vel no terreno do-ensiiio publico.
Ao conferencista nao escapar, estamos certo3,
este pio da questo em sua relaco pralica no
deseuvolvintenio da materia.
Agradecemos a fineza do convite que no3 foi
dirigido para asistencia da sesso.
Falle cimento Ante-honlem Tmou-sc
urna lesao artica o despailiaute da Alfandega
desta capital Jos da Silva Neves.
O Tinado, que era solteiro e contava oi anno3
airaos de idade, gozava de estima gerul por suas
quuli lades pessoaes e trato flavel.
Jos da Silva Neves nertencii ao partido libe-
ral, ao qual, desinteressado nunca poupou os
oeus servicos. #
O sahiineuto do seu cadver para o ee/,:' wo
publico leve lugar no mesrao da tarde, -,n
crescido acompanhamento de prenles e amigos ;
e a inhumacSo elle tuou-seem catacumba da ir-
mandade do Espirito Santo, a que elle perten
cera.
cae.- do norte -Esso caes, no ponto do
Brura, amoaca-um desahmenlo, que cumpre
prevenir por parte da autoridade competente,
cuja attenco chamamos.
A' essa informaco que nos do, accrescen-
lam, que a respeito j urna gerencia de compa
nina oflkiou reparticao do Melhoramento do
Porto, qual pertencem taes trabalhos.
Gomo quer que seja, construccao que nao
pouco pesou sobre os cofres pblicos, importa
que se nao demoremos reparos necessarios, con-
vindo aomesiio lempo que se examinem os de
mais caes c rampas desla ciiade, que urgem
igualmente por concertos mais ou menos, sa-
lientando-se nessa carencia o da prac do Com
raercio, cujos alicorees a'.-ham-se bastante arrui-
nados.
Director!* da* obra* de conmerra-
eio do* Portn de PernambacoReci
f-\ 17 de Setembro de 1889.
Roletira meteorolgico
Npitai Pedro ( o movimento deste. Em lugar de correr liberda le, o povo se lan-
o deca:idade, no dia 16 de Seteno- caria Ioao no abysrao da servido, porque raui-
bro faW-. ligo reno dominacao absoluta,
"iran 19 marchia um despota uesmo parece
Sabn 17 u.n -Mirabeavt Sobre oassassinato de
Pili 2 B-rth
-'em 578 3e ha cousa evidente em que toda a histo-
Fora adas as respectivas enfermarlas ria das geracOes humana, que a Jicenca con-
pelos Drs.: du.z inexoravelmento a restrieco e perda da
Moscoso s 8 lii, CysnaiM at 40 l|, Barros
s S 1|2, Malaqnias ;i= 9, l'ontual s
liberdude. L. Palmi.
- Nao ha nada peior do que um poder tjran
8 3i*. gstevo CavalCUte s 8 i|4, Simes Dar- no que ordena em nome do povo.le Tocqn
ba s 9 iioras.
O Dr. Heraldo nao compareceu.
v,He.
A anarchio, arruinando
o Estado arrnina
-Q -a
floras 2=- Barmetro a 0* Tenso do vapor es a a 9
r~* ~*
t m. 5.o'-3 762-62 19 3o 80-
9 8-| 763*82 18.93 66
12 28- 762-93 1!'.(I9 6i
371. 29'-i 761*70 18 94 63
6 27" -1 761-97 !>-',-' 70
Temperatui"a mxima29*,50.
Dita minima S5-.00.
Evanoraco em 24 horasao sol: 8r.6 ; son.-
,ra: 4-4
Cnuva milla
O cirurfio dentista NmuarWbpilioao com-: com mais certeza atada os particulares. Ella
parecen. | nao aproveita a ningoera, era mesrao quelles
0 piurmaceulico eniro s 8 1,4 da atan.'ia t que a provocara ; e os sophistas, levados ao po-
sahio s 3 1|2 da tarde. der pelo favor epUe.nero do povo. que elles en-
0 a-udaoie do phannaBentico entrn a 7 1(4 ganara lisonjeando o, sao as primearas victimas
i.i in.iatiS e ssiltio as 3 1|3 twra3 da tarde. dos se is proprios snceessos. -Birtelemy S- ll<
L.oterta do Mram-ParaA 5' parte da taire. Da verdadeira democracia.
29- loteria, dessa provincia, cuio premio grande : r- Quera que aproveita das revdages ? Os
liO.OuOO'O, ser extrabida no da25 doSetera- intrigante^ que. sabera fazer servir aos seas Bus
Dro. |ambiclosps as mussas e o augue que teem der-
A 3" parte, da dd 250:000*000, ser extra ramado.
hida no d.a 20 docorrentp. As rcvoluges co;nc;am com bellas pahvras e
ruude loteria do Maranba -A 7" terminam cora o sangue. Maximiliano impera-
serie da 1 loteria. dessa provincia, cujo premio dor do Mxico.
rande 300:o00000 serextrahida no da 30'
de Setembro
Ccmitcrio PublicoObtuario do da 17
de Setembro de 1889 :
Adolpho Luiz Vi,rana, P.^rnarabu.'O, 1'9 annos,
logados tubereulose.
Jos di Silva Neve3, Rio Grande do
rafa inteira na. Livraria Comteinporanea
do Ramiro M.^peta, ra l. de Marco n.
2, loja de ierragens de Albino da Silva
& C, ra da cadeia n.. 42; loja de ferra-
gens de Braudao & C, ra Duque de Ca-
sias n. 46.
PlBLs4eOESIliDI)
SPORT
A potranca que nasceu na coud> laa do Sr.
bul, 5i i Garlos Palos e que liiha de Mascctte e Taillefer,
annos. soltejro, Uo.i-Vtsla; leso artica. j foi iuscripU no stud book do iocker Club cora o
Joaquim urbano Alves. Pernambuco. 23 annos,! nome de Iris,
solteiro, S.Jos; tuberculoso. #
Vicente Ferreira da Gonceico, Pernambuco, I A prosperidade da criaco dos trotadores no-,
60 anuos, casado, S. Jos; les:io cardiaca. | Estados-Unidos corre parelhas com a dos puros
Mara, Pe-nambuco, 8 mezes Santo Antonio ; I sanme,
tubrculos pulmonares. j Uin garanho trotador foi vendido ha tempos
iBOet, Pernambuco, 9 raezes Boa Vista ; sy- j por 5 ,001 dollars; um outro garanho, que nun-
ca correu, mas cujo pedigre era esplendido, foi
philis hereditaria.
Un feto. Pernambuco. Boa Vista.
Marcelino da Silva, Pernambuco, 63 annos,
solteiro. Boa -Vista; aieoiia.
Candido Jos Rodrigues, Ccar, 56 annos, sol-
teiro, Boa Vista; broncho pneuraouia.
Joaquina Mara do Espirito Sanio, Pernambu-
co, 75 anuos, viuva. Bou-Vista; ery-dpella.
Ghristovo, frica, 70 annos, solteiro, Boa-
Vista; cacliexia sean.
Joanna Miria la Goaceico, 40 anuos, Boa-
Vista ; hepatile.
M POUCO DE TDO
Na Cftrft apresentou-so ha dias ao Sr. conse-
lheiro Saldauha Marinhoc ao Dr. Aristides Lobo
a,Sra. D. Isabel de Souza Mallos pedindo que
vendido por 70 contos ; um outro que tinha feito
boas lisuras nos prados, foi vendido por 83 con-
tos.
Um potro de dois annos foi vendido ltimamen-
te era leiiao por 46 contos, e um yearling, irmo
do precdeme, foi vendido por 15 contos.
A Europa est j importando trotadores e ga-
ranhes trotadores dos Estados-Unidos.

O objecto d'arle que o Dr. Carlos Pellegrini
offereceu ao Jockey Club de Buenos-Ayres, vae
ser conferido ao vencedor de um pareo in que se
S podero montar sodos d'aqnella sociedade.
*
Foram retirados temporariamente do entraine-
tnent, aflm de serem tratados dos cascos, os ani-
maes Syrius e Velo .-i pe Je.
Grande para a Corte.
Esta senhora, leudo obtido na Academia de
Medicina da Corte o diploma de cirurgio den-
lista, com este diploma requeieu e obteve na ci-
dade do Rio Grande o diploma de eleitor. 0 ti-
tulo de 1885. e foi -oncedido, em grao de re-
curso, pelojuiz de direilo da comarca.
Nesse lempo a diplomada contava 23 annos e
era solteira. Hoje casada e niudou-sc para a
lrte, onde reside ha um anuo.
E' escusado drz-'r que essa senhora, espirito
audaz e alevantado, republicana.
E' fado nico era nosso paiz o seu diploma de
eleitora, e um exemplo notavet a seguir.

De volt do Rio-Grande lo Sul, cliegou a S.
Paulo o Sr. cnsrenheiro Turres Nevos, que acaba
de ser envidado para o cargo de superinten-
dente da Compunliia Paulista.
Ao retirar se do Rio-Grande recebeu o Dr.
Torres Neves disliuctas provas de apreco e esti-
ma por parte da commissao qaeorganisou e di-
rigio, incumbida da revisto dos~esludos e das
obras de construrcSo da projectada estrada de
ro de Ua: a U'Uguayana.
Alera de sutnptuoso t> raquete cora que foi ob-
quiado pelos seus antigos rorapanioeiros de
,,..aballio, foi mimoseado o illuslre engenheiro
ireccSo do vento: SE cora interrupcoes de>pe|0 pessoal do esenptorio cora um rico baro-
ESE durante todo o da. 'metro Aneroid-- e therraometro annexo, colloca
Velocidade media ao vea'.o : 2",02 [or se am em artstica obra de tama sobre madeira,
ur.do. formando una s peca, e acondicionados emtne-
Nebulosidade media: 0,35. | ganiissima caixacom incrustaces de po-setim,
Jacaranda, rable, tuya e outraf madeiras pre-
0 yacht de lord Dunraven. o Walkvrie, chegou
queha transferir seu domicilio poltico do Rio a Soulliampton depois de ter ganlta "quinze cor-
Roletim do uortt)
8i
i'. M
B M.
P M-
S M
Dias
16 de Scterab.
17 de Setemb.
Horas
8-25 da manila
2 40-da tarde
9-00
i02 da manh
Alton
'88
Ixiafn rffnrTnrir nr bao os secuintos :
Hoje :
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, IrayesM
do Corpo Santo n. 27, de predios.
Pelo agente Brito, s 11 horas, no pateo do
Paraizo n. 26. de diversos predios.
Pelo agenle Gusmo, s 10 1/2 horas, ra do
Hospicio, de mercaduras da fabrica Apollo.
Pelo agente Martins. s 11 horas ra do Ba-
rao da Victoria n. 14, de movis, piano, sera
pliina e vid ros.
l-elo agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jess n. 43, de movis, piano, espelhos e 60 latas
com biscoitos.
Amanh:
Pelo agente Britto, s 1012 horas, no pateo do
Terco n. 19, de urna armaco envidracada e miu-
dezas de diversas qualidades.
mioh CuneareSero celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, na igreja do Carino, por alma de
l). Joaquina da Silva'; s 7 horas, na igreja de
Santo Amaro das Salinas, pela alma de Adal-
berto Belbirmino da Silva; s 8 horas, na mairiz
da Boa Vista, pela alma do engenheiro Antonio
Vctor de S Brrelo; s 7 horas, na reja do
Carino, pela alma de D. Joaquina da Silva
Amatiii :
A's 8 boras. no conveuto de S. Francisco, pela
alma do buena re Joaquim Guennes da Silva Mello;
s 8 horas, na matriz da Boa-Vista : pela alma
de D. Clementina dos Santos Bezerra.
PasNaaeiroM Saludos para o norte no va-
por naiionul Maranhao :
Manoel Joaquim Fernandes, Will Vogel, Joa-
quim D. Fiuza Lima, Henry Reedor, D. Albertina
Gomes Rebello, J. Charnock. Luiz Cmara, Adol-
pho Eugenio Soares, Luiz Borsete, Alfonso Sa-
raiva. Citarles Fruger, Guilhermino Medeiros Fi-
II10, Joaquim Rodrmo dos Res, Elisiario F. F. da
Silva Tavora, Francisco Rodrigues de Freilas,
Anlonio Maia, Anlonio Caelano Rebe!lovJoo Pe-
reira dos Santos Farofa e Fre Alberto de Santa
Jusa.
Sabidos para o sul no vapor al'.emo int
n s Atjres :
Antonio Xavier, Eugenio Figueiredo. Domeni
ro Sorrenlino sua senhora e 1 lilho.
Operncac* cirurgicaa Foram pntca
das no hos)ital Pedro U, no da 17 do crente,
as seguintes:
Pelo Dr. Mulaquias:
raputaco do ante-braco direilo a doas reta-
dlos.
Pelo Dr. Pontual :
Talha hypo^'astica.
felo Dr. Fernandes Barros :
huiiosis.
tana de neirncoMovimento aos pre-
-os da Cbsa de Detencao do da 17 de Setembro
889.
Existiam 446 ; ei-.traramli; sahiram 6; exis-
tem 454.
A saber ;
Nacionaes 397 ; mulheres 25 ; etrangeiro9 31.
mulher i Total 4oi
.rracoadw 397.
Bons 374
Doentes 19
Loucos i. Total 397.
Uovunenlo aa onfi rmaria
Tiveram baxa:
Joaquim Domingos de Lima.
Manoel Lim t de Oliveira
rVaadseo de Lima.
Antonio Alves.
Jo^ Be.ulica dos Santos.
Tiveram alta :
Mantel Lette de Oliveira.
Manoel Uellino dos Sontos.
Joao Vicente Ferreira. *
Foram hontem visitados os presos deste esta-
beleciraento por 1.0 pessoas,sendo 63 homens
e 93 raulgeres.
ciosas, e chapa de prata contendo dedicatoria
- Vp.iraorosamenle aravada. f'_
Bibliottieca sera catalogo como vasta necro-
pole de liaros, pela maior parte inuteis, c a ex-
periencia lera mostrado aos estudiosos que mes-
mo os catlogos em voga. limitndose a classi-
flear os livros segundo o ramo de conheciraenlos
de que tratara, cunderanam esterilidade valio-
sas riquezas, ao menos para grande numero de
invest. adores.
O sabio Nizet, da bibliottieca de Bruxellas,
adoptou methodo diverso que denominou ideol-
gico.
0 seu grande catalogo, constituido empresa
de profutido saber e inquebran'avel paciencia,
formado por vocubulos, dispostos era ordera al-
pliabetica, indicando cadd um todas as obras que
se oceupara da materia. Per exemplo as palavras
BmxeUas, Festas Publicas, Jansenismo, Inquisifao,
etc., precedem o suraraario bibliographico de
lodos os livros que o leitor poder consultar na
rica bibliotheca acerca de ura d'aquelles pontos.
Nizet comecou em 1876 este ingente trabalho
que ainda nao est concluido, posto que j
abranja para mais de 300,000 indicacoes.
0 illuslre sabio nao limita a sua aspiraco a
levar a seu termo a gigantesca cotnpil icio. Elle
deseja que, organisaodo cada paiz um catalogo
universal que representasse o inventario com-
mum da riqueza intellectual da humanidade.
De dez era dez annos fascculos complementa-
res virto augmentar o acervo com os novos the-
souros accuraulados no decennlo pelo espirito
humano.
ridas na Irlanda.
Prado PeraamJnicaao
Teve lugar hontem a inscripeo para o pareo
Grande Premio- Ira prensa Pernarabunana na
corrida que tem de realizar se no dia 29 do jr-
rente, e tkou a>sim organisado :
Mouro, Aruraary, Guirany II, Beberibe, Moni-
tor, Te nplar, Florete, [goarass, Nao se Espante
e Capibanbe.
E' do Sr. T. a seguinte poesa :
So I11 poda*
a" hgbcilia
Se s.oubesses, flor, quanto desgosto
Fulraina-me de mogo o coraco,
Que povo.i de rugas o racu rosto,
Que mata me no crneo a inspiraco.
Desde a manh s horas do sol posto,
A' noite, na mais dei'sa cscurido.
Como o misero paria sem encost,
Sem crencas, sem amor, sem proteceo,
S tu podas transformar-me a vida,
Dar a minh'alnia o feliz repeuso
Que j sentir n'uma quadra ida;
Basta somonte o teu olhar bondoso.
Que mudara me a existencia, a lida,
N'ura paroizo perennal de gozo.
Jk *
Em sagaida publicamos dilferentes pensamen-
los sobre a Anarchia :
a anarchia a morte da liberdade.Guer-
roniere.
Ubi non est gubernator, populus corruet:
salus autem, ubi multa consilia.Salamao.
A multidao quando dispOe do poder torna-
se o mais cruel dos lyranuos Pages.
Tudo desconcert, contralempo, quando
em muitos subdivide-se o commaodo.Pananti.
03 abalos da sociedade lodo indifferente
Tica descontente; todo descontente torna se um
iniraigo; todo ura iniraigo um conspirador.
Guisot.
..... A anarchia d'ogni eccesso
D'ogi calamita germe diablico,
El inferno perdn, l'inferno stesco,
Sccoado il iii ortro dosso e l pi catlolicc
Parer dcgli antichissimi nostri avoli,
Altro non che um anarchi di diavo.
Cui, animali parli.
.. .. De liberdade o deseufreado excesso de-
genera em liecnca, em anarchia. O mesmo.
Homines pestilentes dissipant civitatem :
sapientes vero avertunt furo-em.Salomao.
A confuso das pessoas sempre foi princi-
pio do mal da cidade, como o c do corpo a co-
mida indigesta Dante.
- A sociedade seria logodisaolvida se a mul-
tidao, acostumando-so ao sangue e desordem,
se pozosse superior aos magistrados e affronlas-
se autoridade das leis.
Mdicos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo 6 aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da 'vuz) n. 23, 1.a
andar. Telephone n. 38'-1
0 Dr. Maihcus Voz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 51, 1." andar, onde d consulta d
meio-dia s 2 horas da tar.it. Reside
ra de Gervasio gires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
/Ir Ammalta Sanwaio d consultas de
meio-dia s 3 hora3 no 1.* andar da casa
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en
trada pela ra da Saudade n. 25.
1 r. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde,* no podon-
dar a ra Duque de 'asas n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaquim Loiueiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Oabug u, 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripfco-,
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Barao
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianca senhoras e parto.
Telephone n. 32o*. da casa de residencia.
Dr Alvares GuimarcLes, chegado da
c6rte, dedica-se medicina em geral, e
com especial idade s molestias do coru-
cao, pulmSes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s affeccSes das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Crua), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia a 3 horas Telephone
n. 381.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manh e
tarde. Teleshone n. 392
Occullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
pada hospitaes e clnica de Paria e Lon
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia i ra L)'g do Ri-mari o- 20-
Atlvosailos
O bacharel Bonifacio .de Arago Farie,
Rocha contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46., 1. andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
Silveira, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
J. A. de MagalhcLes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- II. Milet oontina com seu es
criptorio de advocaeia, a ra do Impera
dor n. 46, onde tambem poder ser pro
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
I> rogarla
Faria Sobrinho & ('., droguista por ata
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, depost
tarios de todas as especialidades pharma
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi
cas e medicamentos homeopticos, ra di
Mrquez de Olinda n. 23.
Titila de escrever
A melhor a tinta Victoria, vende-se'a
500 rs. .meia garrafa e a 800 rs. urna gar-
\ elcicAo oambucu, wo a (IminiMtraeu do
*r. coiisellieiro Manoel .41 ve.* de
Araujo
fc>s posse de '.odas ai informaeO.;.; v. 11.. noa-
tosi comprobatorios, veuho desmpeuiia- me do
corapromisso, que contrab. de fa*,er o his; rico
das violencias c frau les pralica las io elcicSo do
10 districto desla provincia.
Deixare margein compresso exercida so-
bre o funccionalismo publico, com sciencia, ac-
quiescencia e in!ervenc.5o direda da administra-
go da provincia. O proprio secretario da pre-
sidencia, Dr. Marinho de Souza, deixou cora an-
tecedencia o seu lugar pira ir cabalar na comar-
ci do Limoeiro, onde havia exercido o car-
go de juiz municipal, e alli foi o fiscal do raen
competidor e quera distriboio as chapas boc-
ea da urna.
Passarei tambera por alto Jsobre a corrupcSo
GBeial, que se desenvolveu ostentosamente com
os eoipregos pblicos, embora lenha sido por
dentis escandalosa a cabala feta, principalmen-
te com os lugares nos estradas de ferro e no cor-
no de polica.
Fossem esses os uoicos recursos empregados
para a conquista do 10 districto, e eu n viria
imprensa. Minha quistan mais alta : de
fraudes e violencias, que coustituera criines, gra-
ves altentados que compre punir, porque affe-
ctara a inoralidade do governo e o prestigio do
parlameato, onde nao devein ter ingresso frau-
dulentos e falsificadores.
Antes do pleito, a principio pessoalmente, e
depois pela imprensa, deiiuncici adminislraco-
que se projeciavam fraudes e violencias na elei-
co do 10" districto.
Jlinias reclamaces nao foram altendiclas, fal-
tan lo o Sr. Alves de Araujo promessas forraaes
de providencias, fetas a mira e a amigos meus ;
e as violencias e as fraudes consuminaram-se,
nao obstante lercn sido previamente denunda-
das !
Eu todo o 10* districto a cabala governisla
fez so cora amcacas e violencias, ostentando-se
a inlimidacrio. Ou vota ou rauda-sc, era a lin-
guagera usada para cora orna certa parte do elei-
torado.
. Ao diegar a Caruar, no dia 20 de Agosto, fui
testemunh.t oceular do eraprego do terror, como
arma eleiloral. A's 5 horas da tarde desse mes-
mo da, presenciei o alferes de linha Santos Coe-
luo, do 14 batalhao, aproveitando a presenga
do numeroso eleitorado, que tinha vindo ao raeu
encontr, mandar o destacamento fazer exerci-
do de fotjo. na roa mais publica da cidade e em di
reccao casi oiule eu me achaca com os meus ami-
gos III
Esta oceurrencia foi inmediatamente levada
ao co.ihecimeiito da adniini3traco, assira como
diversas arbitrariedades praticadas pelo delega-
do alferes Santos Coelho. Entretanto o Sr. Al-
ves de Araujo nao se animou a substituil-o por
outro de sua conliauca, apezar de iiaver promet-
tido e chegado a declarar que 9 tinha feito I
Ocu turnar aliento qua a presenta da forca
de linha por si sO u;u motivo de iniimiaaco
no iuterior desta provincia, e qui uo 10 distric-
to, depois do systema directo, ainda nao havia
sido empregada era parte alguma desse districto-
Imagine-se, pois, qual o seu efleito para a li-
berdade de voto, accresientando-se pr senca da
forca, os exercicios re fogo, os preparas de car-
tuchame, as ameagas, a dedarayo feta pelo of-
lidal de linha de que a sua misso nica era
Cteger o meu corapelidar, e por ultimo a cidade,
litteralmete chea de forca armada de paisanos
promiscuamente cora os soldados de linha at no
quartel I
Em Carapots as violencias e as ainecas foram
taes que a feira quasi desappareceu. lato veri-
fique! por mira proprio, pois all esve em dia
de feira.
Em verdade o que houve aa la>. districto nao
foi urna eleico, mas sim uraa verdadeira bac-
chanal.
Desde a anle-vespera era todas as secces elei-
toraes do 10" districto, os inspectores de quar-
teiro receberatn ordera para noliicarem paisa-
nos alira de coinparecerem armados, no dia e no
local designado para a eleicao, servico policial.
Tambera veriliquei pessoalmente raais este es-
cndalo na comarca do Limoeiro, onde assisli
eleico, e tenho inforraacoes lidedignas e docu-
mentos de que o mesmo fez se em todo o dis-
tricto (Doc. ns. 1 e 2).
Bssas noticaees tiveram um duplo Tira : 1
fazer com que muitos eleitores que me erara fa -
voraveis nao coraparecessem, e obter que outros
com receio, volassera no meu competidor. 2o
ter pessoal sulHcieute de gente armada para pi-
quetearem as estradas, e mpedirem a passagem
e al prenderem eleitores conservadores.
De facto,postaram-se piquetes em todas as co-
marcas d 10 districto, e diversos eleitores fo-
ram presos; alguns at de modo brbaro.
No Alunlio, por exemplo, esteve preso com
urna pea de ferro durante trinta horas, no lugar
denominado Laga da Palma, o eleitor Claudino
Jos Machado, homem velho e doente !! (Doc.
n. 3;.
No Brujo esii verain presos no meio do m ato os
eleitores Alexaudre Jos do Nasciraento e Jos do
Kego arros, residentes era Mandacaia, e os elei-
tores Bento Moreira de Albuquurque e Jos Ma-
na de Albuquerque. (Doc. o*. 4 e o).
Porin nao tudo. Nao baslaudo a compres-
ao e a pnso de eleitores, po.rque muitos, pre-
venidos dos piffdctes conseguirara evilal-os, to-
mando veredas, empregou-se tambem a fraude
para a supposta victoria do meu competidor.
Aules da eleico redarei- contra a suppresso
de duas secces eleitoraes do 10 districlo, feitas
ultima hora, em sesso extraordinaria da aa-
sembla provincial, e toruei saliente que se an-
nexava a seeco do Sania i.ruz, de quasi uuani-
inidade conservadora, de Jatohi, onde j,na
eleico de 4 de Marco hara sido falsificada a
acta daudo-se os voios, que all obtive, ao mea
competidor.
0 Sr. conselheiro Alvos de Araujo sanedono 5
nao obstante, ey>a- suppressoes. Pois bem, coa-
forme eu denunci a previamente, a votaco M&
ser vado ra de Sania Cruzfoi-me tirada pelaJ^^H
de. Jatob, novamete Palsifleada na eleico de
de Agoslo. (Doc. n. 6).
i

l
I


t
Diario de PemambucoQuinta-fera 19 de Setembro de 1889
3
tao *da Ri
paisjaos armados i
do- ni--.ros e eleit > i
mero de 21, i
entrada na
serva lores era nu-
da m
lio Sr. Dr.
ase i va iu
Qfmi.1 I.
O
i
v
A
>
\
Lourengo de S, ni qual, olem Jo mais, figurara
como leu eleitores eliminados, nos
termos do a iereto de 7 de Ou:u-
bro de 1882, alistad) com docu-
mentos fi
unnime Uolacao. Bu
tret. :neu competidor in
clue no? seus
Tambem n'essa scete, na eleico de 4 Je
Margo, ja se Imia recorrido fraude, retiran-
do se o presdanle ti i mesacom os livros para
nao se lavrar ai acias, porque eu oblive raaioria.
Noto se que J 4 toba e s. Caetano eram entao
as duas uuic is secees em que o partido lineral
linha os presi^^^^Hpesas. Pois bem, em
ambas erapregariaTa|R|de 4 de Marco e re-
peliram na eleico de 3R Agosto !
Quanto islo edificante !
Ka Pedra tapada, 2. districto de Limociro,
presentes os meus amigos conselheiro Gongal
ves Ferreira e Dr. Moreir Alves, que para alii
foram a raeu pedido, porque cu tinha denuncia
de que a Meteao havia de <<-r inutilisaJa, vista
da maioria conservadora, anda assim a forca
publica e pai anos armados impediraoi a reu-
niao do coltegio eleitoral na igreja. Para este
lim, ate detiveram no Limociro tres pracas de
linha, do 14. Datalhao, que viahurn conduzindo
um preso para o Recife !
Mande S. Exc. o Sr. presidente da provincia
chamar cssas pragas. a palacio, urna d'ellas o
cabo Pedro Jos Marques ; inlerrogue-as sos e
estou cerlo de que hio de revelar Ihe a verdade.
islo que na comarca do Limoeiro foram collo-
: cados pii|ue!''s e que na Pedra Tapada a forca
publica esteve postada na igreja.
Alinal at a falsificacao de carta foi erapregada
na eleico do 10. districto. Em meu norae
mandarara ao meu prestimoso amigo, tenente
coronel Rufino, chefe conservador de Carapots,
urna carta com a minlia asaignaturu imitada, em
que eu dizia-lhe que, tendo percorrido o districto
c reconhecido que nao podia ser eleito, aconse'
lhava o a que se abstivesse do pleito, porque
corria o risco de ser assasitiado (Djc n. 8).
Ahi tica, tragos ligeiro3 e sem a menor exa-
geraco, lielmente descripta a eleico do 10.
districlo de Peroambuco, no dia 31 de Agosto
de 1889 sendo o meu competidoro Sr. Dr. Lou-
reaco Augusto de Sa e Albuquerque, e presi-
dente da provinciao Sr. conselheiro Manoel Al-
ves de Araujo.
Os que me lerem julguem e qualiQquem a um
e outro. Eu nao quero fazel-o.
Apenas laslimo que essa importante conquista,
que se chama eleicSo directa e fez a justa gloria
do eminente brazileiro, o conselheiro Saraiva,
lenha sido sacrificada ambicOes pessoaes, e por
um governo do proprio partido liberal 1
Recite, 18 de Setembro de 1889.
Dr. Francisco de Assis losa e Silva.
Documento n. 1
r Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito da comarca.
O cidado Manoel Rodrigues Porto precisa para
lim eleitoral que V. Exc. Ihe mande dar por cer-
tido o tiieor do buido dirigido por V. Exc.
presidencia da provincia, em 30 de Agosto (indo,
sobre os negocios eleiloraes em S. Caetano da
Raposa.
Assim pede deferimento. E. R. M.
Caruar, 2 de Setembro de 1889.
Manoel Rodrigues Porto.
De se publica forma, querendo o supplicante
Caruar, 3 de Setembro de 1889 -rC. Teixeira.
. Publica foiMii. Jau.i de direito da comarc-i
de Caruar., 30 de Agosto de 18&J. ni ni e Exm.
Sr.Enchem-me de apprelu-nses as oecurren
cias que se estao dando no districlo eleitoral de
S. Caclano da Raposa desta comarca onde exis
te grande aggloraeracaode individuos estranhos
ao procesa eleitoral, convidados pelo subdele
gado de polica sobre o fu'il pretexta de insufli-
ciencia de forca policial rara rnanler a urdein
amanh. Pelas inclusas coris ver V. Exc. as
providencias que em tempo procurare! tomar a
semelhante respeilo e bem assim a conlirniagf'.o
do que cima referi.
Agora chegara-me noticias de que a mesa elei-
toral nao se reunir hoje e tambem nao se reuni-1
ramanh con o proposito defazer urna eleico
clandestina, dando Ulives iaso lugar a serios con-
llictos e perturbagoes da ordem publica. -
Nesta cidade eslo poetados piquetes nas en-
tradas e chegam de momento a momento paisanos
estranhos armados de claviobtes que sao recolhi-
dos ao quartel promiscuamente com a forca de
linha
Acreditquej no serrossivel providenciar-
se a respeilo, e, s por desempenho de dever
levo estes tactos.ao .conlyciinerilo de V. Exc.
como primeira antorMade da provincia para to-
raal-os na consideraco que Ihe merecerera.
Deus guarde a V. Ex\-Illra. e Exm. Sr. con-
selheiro Manoel Aives de Araujo, mui digno pre-
aidente da provincia.-O juiz de direito, Jos da
Cuaba Teixeira.
Nula mai.- se continha era dita minuta do o
co que reproduzi por copia legal e authentica e
ao qual me reporto, tendo mesmo fielmente ix-
trahido a presente pubca forma que depois
confer e*co"certei com o original e por aclial a
conforme a sabsc.-evo c assigno em publico e
raso de que uso, a entregando ao portador junta-
mente com iquelle dito original, dou f. Ca-
ruar, 3 de eti-mbro de 1889. Em lestemunho
da veH.i.ieO tabellio publico, Antn o Rodri
gues Braaiiuo Caroalhaes.
Documento n. 2
Juizo e direito do Limoeiro. 30 de Agosto de
1889.-Tendo chegadeai meu conhecimento que
diversos n apot de pess as armadas por ordem
das aui loliciacs preteodem impedir
amanh o couipareeimento dos eleitores ao pro-
resso eleitoral njfc'districto de paz desle ter-
mo, ordenn aos ofltfee* de justiga que sem per-
da de lempo | rcerram o referido districlo, e,
em nome da lei, iniraem ais ditos grupos que
se disp'-rsem, scienlilirando Ibes que a execugao
do aue preteadem um crime em face do Cod.
Crim. e da legisl-ico em visor. Cuinpra-Oe.
Caslello Brau
Certifico queem cumprimeilo da portara su-
pra, Intimei ao inspector J is Ponciano morador
em Duas Podras r este disse que nao linha re-
cebido ordem de p.-isoa alguma. Fui ao lugar
Candad- e T intimei ao inspector Jos
de tal conhecifto po>- Ji^e Tinte mirador em Pa-
cira, este acompanbadO por mais de d xe ho-
mens armados, Btiraei ao- in-pector Joaquim
Francisco da Fouseca, morador em Bengalas.
este acompanhado p*rmuiia uenti- armada, iodo"
elles rae disseram qiieam para Pedra Tapada
ordem do suidrlegado do I." di-tricto hristo-
viio de Paula CiVulcaute ^nderlej,atim deas-
sistira eleigo. |
Certifico mus que fui a Pedra Tapada che-
guei 9 I 2 h >ras do dia, e-t indo as portas da
igreja fechadas, meia hora depois o mesmo su!)
delegada acompaiihado de n a doze pracas de
poli as quaes tml>em pragaa de liaba
inclusive sargento e cali, abri a porta princi
pal ttcando duas fecha.las postando as pragas
em duas formas, hcamio o sargento e o cabo na
porta. Di ,-ia occisio o juiz de paz presidente da
mesa acotnpanhado com diversos f'eitores pro-
testou centra o procedimeato no dito subdi
do. ilir os conservadores votarem
ibdelegado do 1 dis
l protestou lomar l s-
Cerli-o mais que antes disto o subdelegado
^^Blido a por a que eu apresentei,
assim como vi o e ia ra que
gao em oulra
I :. -lava as portas no chio.
(ito, finalmente que ouvi dfzer pelos ci-
s neme
fornn deudos na ostra
eu ao meio
greja e a
ara constar passo o presente
gao e dou f. Ctdade do Limoeiro, 31
i de 1889.0 oficial de justiga, Manoel
de Souza Barbosa.
Docj ment n. 3
i de pergunlas fei'.o a (llaadino Jos Machado.
Aos 4 das do mez de Setembro do anno do
N i->:iraento de Reato Senhor Jess Consto de
mil e oitocentos e oilenla e nove, na casa da
amara Municipal desta villa, presente o tenen-
te-coroncl Joo Ferreira de Moraes, comigo es-
crivo de seu cargo abaixo nomeado. presente o
alferes Julio Bezcrra da Silva e laadiuo Jos
Machado, pelo juiz foram feitas as seguinles per-
gun;
Perguniado qual o seu nome, idade, estado,
profisso e residencia?
Respondeu chamar se Claudino.Jos Machado,
com 66 annos de idade, viuvo, agricultor, mora-
dor nesta villa
PerguiHado se c lectivamente fra preso no
dia 30 do mez passa lo, a que horas, se reconhe-
ceu os seus detectores c a que horas foi posto
em libcrdadef
Respondeu que na manh do dia 30 do mez
passado, indo ao lugar chamado Serrle, dis-
tante urna legua desta villa, comprar urnas ca-
bras, ao cheiar ao ugar Lagda da Palma, do
mesmo Serrle, lugar ermo e deshabitado, sabio
ao encontr delle re.-.pondeute dous homens des-
conhecidos que o arruta e bem assim a um
seo lilho menor de nome Manoel, sendo nesta
occasiao elle respondente collocado era urna
peia de ferro, pretendendo os inesraos homens
amarrar com urna corda ao menor Manoel, o
que nao lizeram por instancias delle responden-
te que se compromilleu de nao retirar-se o re-
ferido menor ; e que foi posto era liberdaJc no
da 31, depois de 4 horas da larde.
Percunlado se pode altnbuir a causa de sua
priso ?
Respondeu que por mais que indagasse de
seus detenlores, estes se recusaram a declara
rera Ihe : enlielanlo elle respondente com bons
fundamentos attribue a violencia que soffreu,
porque resistir at o dia 29 do mesmo mez aos
pedidos e prome sas do vitrario Manoel Zacaras
de Souza Lvra, que Ihe pussou a dizer que
quem nao vlasse no Dr. Lourcngo de S, nao
contasse com elle vigario para administrar Ihe o
pasto espiritual ; lanbem attribue as ameagas
que Ihe fez o tonente-coronel Brasiliano de Bar
ros Correia, que clu-gou a ponto de dizer-ihe
que se nao volasse com o governo procurasse
outra residencia, do contrario elle respondente
se arrependena.
Perguntado se tem ouvido dizer quem foram
os seus deienlores ?
Respondeu que como j disse 03 nao reconhe-
ceu, porm, que segn lo a opinio publica des-
ta villa, os seus detentares foram Cosme Floris-
mundo de Lima e Jos Isidro ; que reconheceu,
porin, a pea em que foi collocado em posigo
fflietiva mais de 30 horas, er pertencente a
Joo Manoel de Oliver. e Manoel Joo de Oli
veira, seus inimigos pessoaes.
E por nada mais diz'T e era Ihe ser pergun-
tado, deu-se por lindo o presente auto de per-
gunlas. que depois de Ihe ser lido e adiar con-
forme ro assignado e rubricado pelo juiz, pelo
respndeme e por quem o requereu, e pelas tes-
temunhas Dr. Estevio Cuneta) Cavalcante de
lbuquerque Lacerda e Joo Beato Ferreira da
Costa, do que tudo dou f.
Eu, Pedro Alves da Costa Coulo, escrivo o
escrevi.
Joo Ferrara de Moraes.
Claudino Jos Mochado.
Julio Bezerra da Silta.
Esledo Carneiro C de Albuquerque Lacerda.
Joo Beato Ferreira da Costa.
Documento n. 4
IKm. Sr. Dr. juiz de direito da comarca do Bre-
jo.Beiito Morena de Albuquerque e Jos Maria
de Albuquerque, eleitor s da parochia de S. Jos
do Brejb da Madre de Deas, e residentes no lu
gar denominado Santa Rosa, lento em vugein
para a eidadedo B'ejo, em cujocollegio eleitoral
pretendiam su*gar o norae do Exm. conselhei-
ro Francisco de Assis Rosa e Silva, sido presos
por um grup1 de paisanos commandados pete
HMfHMjtor lo qmw+Biro Mmuel JOSe 003 530.103,
(orinecido por Manoel Verde^el) por ordem do
delegado coramandaute do destacara mo Antonio
Carlos dos Santos MergBlhftJ, vern protestar con
tra a violencia de que foram victimas, e pedir e
V. S. que se digne inundar lomar por termo e
pelo escrivo competente o respe divo proleio.
Nestes termos federa a V. S. deferimento.
Cirtade do Brejo, aos 31 di as do mez de Agosto
de 1889, s 5 horas da tarde.
Jos Mura de Albuquerque.
Beato Morda de Albuquerque.
A., tome se por termo o protesto na forma re
querida. Brejo, em 31 de Agosto de 1889.S
Marques. *
Documen'o n. o
llliu. Sc,Hr. juiz municipal do termo do Brejo
da Malr? de Deus. -Alexandre Jos do Nasci-
mehto e Jos ilo Reg Barro3, residentes no po
Toado de Mandagaia, e eleitores desta parochia
le S. Jos da Madre de Deus, tendo no dia 31 de
Agorto prximo passado sido presos por um
grupo de 2a paisanos, postados na estrada que
conduz do referido povoado de Mandagan esta
iidade, e ah detidos al as cinco horas da tarde
do referido dia, tudo islo feito por ordem lio de-
legado de polica e coramandante do deslaeamen
lo Antonio Carlos dos Sanios Mergulho. cora o
lim de evitar que os supplicantes suffragassem
na eleigo procedida n'aquelle da, o norae do
Exm. Sr. conselheiro Francisco de Assis Rosac
Silva, vera protestar contra a violencia de que
foram victimas, e declarar que voiariam no con-
selheiro Rosa e Silva, se por ventura a prepoten-
cia da polica nao os Uve3se inhibido de exercer
tio importante direito, e requeren) a V. S. que
se diune mandar tomar por termo, e pelo escri-
vao competente o protesto dos supplcantes.
Nestes' termos pedem a V. S. deferimenlo. E.
R.M.
Brejo, 7 de Setembro de 1889.
Alexandre Jos do Nascimenlo.
Jos do Reg Barros.
A., torae-sc o protesto por termo. Brejo, 7 de
Setembro de 1889 Doningos Lins.
Documento n. 6
Nos abaixo assigoados, fl'itores do dis'.riclo
de paz do povoado de Ja -arar, declaramos que
votamos no Exm. Sr. conselheiro Dr. Francisco
de Assis Rosa e Silva, na elnigo boje procedi-
da oeste coltecio para um deputado aAssembla
Geral Legislativa pelo 10 di-triclo, e protesta
raos contra o procediraento criminoso da mesa
eleitoral, que olvidando a le e o direito, coutou
parte dos nossos votos para o Dr. Lounmgo de
S e Albuquerque, fazendo lavrar orna acia evi
dealemenle falsificada.
Povoagao de Jatob. 31 de Agosto de 1889,
Francisco Lucio de Miranda.
'.Idiieiitede Souza.
Jos Augusto Gongalves.
Francisco Braz San I
Amonio lienriques Ramos.
Manoel G.ngalves da Aonunciago.
Franeisco Olyraprio Bocha.
Manoel Barbosa de Siqeira.. .
Joao Clemente de Souza.
Francisco Pedro Barb
Francisco Joao de Lima.
Manoel Gongalves de Souza Filno.
Joo .'azde Lyra Brandan,
Joaquim Gongalves de Souza.
Manoel Gonralws de Souza.
Amonio de Fanas Cavalcante.
MaOoel Lopes de Andrade.
Francisco Antonio Arauo.
Clemente Gongalves de Souza.
Prancisco Lopes da Silva.
Amonio Pernandes de Carvalho.
Juao Praocsco Baptlsta,
Francisco Barbosa^: Siqueira.
Manoel Maiheus Percira Gome-,
(Esiava Sellado e reconhecidas as firmas na
forma da lei pelo tabellio Elias Francisco Bas-
tos.)
DOCUMENTO N. 7
Illlm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito da comar
ca.O cidado Manoel Rodrigues Porto, precisa
para fim eleitoral, que V. Exc. Ihe mande dar
por certido o theor da petigo e protesto, lavra
> lindo.
Asr do.
de 1889.
*fon 'es Porto.
tabellio p.iradar publica foptna ao Sup-
plicante, querendo i
Cilade de Caruar, 2 de Setembro de 1889.
C. Teixeira.
Publica forma de um lancamento de protesto
dos eleitores da parochia de S. Caetano da Ra-
posa. IHm. Sr. Dr. juiz de direilo da comarca de
Caruar.O major Joo Ferreira de Mello Lyra.
Manoel Francisco dos Santos e Manoel Gomes dos
Santos, eleitores da parochia de S. Caetano da
Raposa, protestando, com seus correligionarios,
conlra as tropellias e violencias pratieadas pelo
juiz de paz presidente da mesa eleitoral, major
Luciano Jos de Nogueira Mello, e subdelegado
Jos Prancisco de Pontes Azevedo. succedeu que,
por occasiao de irein acompanhados de tres tes-
temunhas apresentarem seu proleste, apezar de
serem 11 horas da manh, j nao encontraram a
mesa parochial funecionando, e nem to pouco
o escrivo de paz, por se ter oecultado ; e assim
resuena a V. S. que se digne ordenar que o ta-
bellio dessa cidade lance o referido protesto
junio em seu livro de olas. Nos expostos ter
mos pedem a V. S. deferimpnto e receber mer-
c. S. Caetano da Raposa, 31 de Agosto de 1889.
Joo Ferreira de Mello i.yra Manoel Francisco
dos Sanios e Manoel Gomes dos Santos. Protes-
to.Os abaixo assignados, eleitores desla paro-
chia de S. Caetano da Raposa, veo), na forma da
lei, protestar contra o procedimento irregular do
primeiro juiz de paz presidente da mesa eleito-
ral, major Luciano Jos de Nogueira Mello: pri-
meiro |por ter na qualidade de primeiro juiz de
paz convocado para rae.sarios aos abaixo assigna-
dos. tenente coronel Jos Clemente dos Sanios e
Manoel Francisco dos Santos, como primeiro e
segundo substitutos do quarto juiz de paz, para
a formago da mesa eleitoral, que devia ter logar
hontem pelas 9 horas da manh, como de le, e
que comparecendo no consistorio da igreja ma-
triz, logar designado para o lira indicado, os men-
cionados tcnenle-coroner Jos Clemente dos San-
tos e Manoel Francisco dos Santos, nao encon-
traram o referido juiz de paz e depois da hora
mrcala dirigiram-se a sua casa o qual procu-
rou occullar-se de modo a nao ser visto, e k
depois pelas 3 horas da tarde, compareceu
dito juiz de paz, dizendo que quera formar a
mesa hoje s 8 horas da manh, que effectiva
mente formou, fazendo parte d'ella os abaixo as-
signados, j referidos, dando-se logo a nomeacSo
do fiscal; entretanto suspendendo os trabamos
para serem comegados s 9 horas da manh,
quando voltaram os dois membros j menciona-
dos e abaixo assignados, en-outraram a mesa
debandada.
Segundo, por ter o subdelegado de poliria Jos
Francisco de Ponlea Azevedo. cercado a igreja
malriz co n grande numero de capangas armados
inclusive a orga publica, aqui esti-c onada, pri-
vando inti'iramente, que livesse ingresso oa
igreja malriz os abaixo assignados para exerce1
rera o direito de volar.
Terceiro por teros abaixo assignados feito re-
clamago no sentido de ser retirada a forga, e se-
rem iteiramente desaltendidos. E assim espe-
rara os abaixo assignados, que seja aceito o pr-
senle protesto p. la mesa eleitoral, que se faga
mengo delle na respectiva acta e que seja ap
pens s actas que ln de ser remedidas a junta
upuradora.
S. aetano da Raposa, 31 de Agosto de 1889.
Jos Clemente dos Santos, mesarte; Manoel Fran-
cisco dos Santos, mesarte; Justino Jos de No
gueira Mello, Manoel Goraes dos Santos, Alexan-
dre V'ieira de Mello, Jos Gom-s dos Sanios, Ocia-
viano de Araujo e Albuquerque, Francisco Ca-
pitulino dos Santos, Manoel Fernn tes Pinbeiro
Jos Goraes dos Santos, Francisco Romo Torres,
Manoel Silverio de Azevedo, Joo Teixeira de
Mello Lyra, Manoel Bezerra da Silva Salom,
Manoel Florencio da Cesta, Jos Alexandre Be
zerra Cavalcante, Manoel Apolonio dos Santos.
Francisco da Assis Xavier de Lima, Florencio
Alves Moceira Jordo c Jos Franklin de Andrade.
Reconheciraento das lirmas. Reconhego se
rera verdadeiras todas as firmas supra e relro.
pjr ter dellas inleiro conhecimeato. Caruar,
31 de Agosto de 1889. Em lestemunho de wr
dade. O tabellio publico, Antonio Rodrigues
Braiiltno Carvalkaes.
Despacho do juiz de direito Inutilisado o
sello pelo primeiro dos signatarios da presente.
lncese. Caruar. 31 d,A^0^jlcoi8W rf
venena. Canrari. 31 de ATo>to de 1889.Jooo
Francisco de Mello Lyra. A petigo inicial estava
sellada com urna estarapilliu de 200 ris inutilisada
na forma da lei; e o protesto tambem eslava sel-
lado cm duasentampilhas de 20.rfiis cada uiua.
inut/lisadas na forma da lei.
Nada mais se continha na dita' petigo e pro
tesio, o qual li-a, langa lo era merf livro de notas,
entregando somente o protesto ao apresentante
Major Joao Ferreira de Mello Lyra. Caruar, 31
de Agosto de 1889. Em testemuohode verdade.
-O tabellio publico, Antonio Hodrig es Brazili
no Carvalhae's
Nada mais ee continha em dita petigo e pro-
testo, langado em meu livro de notas, o que liel-
mente copiei do proprio livro original, ao qual
me reporto, era meu poder c carlorio, do que dou
f. Caruar 3 de Seten bro de 1889. Era les
temunhode verdade.O tabellio publico, Anto
nio Rodrigues Brazdino Cairalhaes.
Documento n. 8
(Carta falsa)
Reseivado Meu charo amigo Sr. tenente-co-
roael Rufino. -Acabo de saber que ha ahi plano
da energumena autondade, de prndelo, e at
assassioal cointanto que possa ostentar maio
ria na votnc&o.
Aeho que, portante, conveniente que o raeu
amigo se abstanha de votar.
Pelas ultimas excursoes que at honlem liz.
creio que nao podere de forma alguma ganhar
a eleigo.
Nesias condigbes de nada nos valera sacrifi
cos de qualquar ordem, muito menos sacrili
cms de sangue.
Tenho certeza de que sao capazes de as3as-
sinal o at, c por isso Ihe aconselho a que nao
v eleigo.
Cont com a estima e considerago do
Amigo attencioso venerador criado,
Francisco d'Assis Rosa e Silva.
Tmpora mutantur!..
Na Provincia de hoje l se o seguinte loplco,
em um artigo que tem por epigraphe : 0 caso
Chrispim:
Os redactores da Provincia nao se julgaram
com o dever de tomar a si a causa de Chrispim,
porque trata-se de urna simples questo parti
colar e elles esto aco'stuniados a tomara defeza
dos direitos dos lhos do novo e nao servir aot
m/eresses prtjudicados dos jogadores dos nrvdos.
O cidado Antonio Chrispim de Oliveira foi
recruta lo, quando ha ordem expre?3a do minis-
tro da guerra para ce.ssar o recrutamento ; foi
victima, portante, da mais horrivel de todas as
violencias; jurou bandeira obrlgado pelos refles
dos soldados, nue o guardavam; erabarcou no
mais deploravel estado, a deitar sangue pela
bocea; e esse facto para urna folha liberal,
habituada a defender os direitos dos fthos do poto,
orna cousa particular, que s pode interesar
aos jogadores dos prados, porque a victima um
jockey t
Si amanh quidquer outro individuo, que
exerga proliss4o igual de Chrispim, for assas-
sinado, devera todos cruzar os bragos, o poder
publico licar quieto, deixar o assassino era plena
paz, porque a vida le um jockey s interessa a
jogadores dos prados I...
Tmpora mutantur!...
Xos lempos passados, os redactores da Provin-
cia se diziam os defensores de todas as victi-
mas; Jira d'elles vimos nos, a percorrer as rua3
da cidade, depois de pedir providencias s auto-
ridades competentes que as nao regatearam,
mostrando um infeliz preto, que lora castigado
por seu senhor, sem indagar qual a causa que
dera lugar ao castigo, que somos, alias, os pri-
meiros a condemnar; hoje as primeiras autori-
dades da provincia raandam recrutar um cidado,
espancal-o, embrcalo immediatamente para um
degredo, e esse defensor dos direitos do povo e os
seus companheiros, nem urna palavra dizera por
que se trata de um jockey, urna cousa nulla que
nao lera direitos e que s pode merecers alien
gees de quem joga nos prados t
Pra um jockey as garantas legaes devera ser
lera mora; todas as violencias que soffrem
esWo de ante-mo justificadas !
a polica si, ao passar pela ra, vir um d'csses
iqdividuos a ser raallractado, roubado, deve fe-
char os olhos e ir adianto, se por accaso nao vai
ella tambera jogar aos prados!
E' um defensor do povo quem o diz I
Tmpora mutantur!
Argus.
9B|*B
Com effeitj.!
Quem leu hoje a local do Jornal do Recife re-
lativamente ao soldado Chrispim Antonio de Oli-
veira, devia licar pasmo e boquiaberlo I !
Consta, diz o Jornal, que S, Exc. o Sr. pre
sidente mandara anteliontem eliminar do exerci-
to Chrispim Aolonio de Oliveira, alistado vo
luntarian,ente etc. etc.
O Jornal pensa que escreve siuente para ger
lido por I.pocos f
Pensa que ha nesta trra quem nao saiba que
o presidente nao pode mandar oltminar pragas
do exercito ?
Se o presidente ja tinha ordenado a elimina-
cao d" hrispim, porque nao declarou isso non-
lera commisso popular que foi entenderse
com S. Exc?
Porque, ao contrario, disse que chaiuarja a
-i esse negocio e resolvera como fesse de jus-
tiga?
Tartufos!
Vivera eternamente a engasopar o povo e que-
rem ter foros de serios.
Com effttto.'.'.'..

Telegramma
China, 18 de Setembro de 1889.
Jorral sabio fra serio e deitou ledra.
Antes nao lizesse. Pois declarou que presi-
deate ofhciara ba 3 das ao commaodante das ar-
mas quando commisso que procurou o hon-
tem, elle disse que anda ia pensar... Isso l
"serio ?.. .
Sully.
Telegramma
Japo, 18 de Setembro, s 9 h. da m.
Nao consinta meettnas. Povo reunido disperso.
Oppresso completa, caoalha que nao morrer de
abre, morra de fome.
Chrispim.
Dr. Amonio Viclor de HA nrrelo
A nossa vida, inconstante, mutavel, cheia de
lagrimas, de desgustos, gyra sobre um eixo to
f'aco que, raudas vezes, basta ura sopro para
extinguil-a.
Quando della acreditamos estar na posse mais
segura, a fatalidade nl a rouba, zombando das
dores da familia, de entes queridos, de amigos
estremecidos; e,... oh cruel! atira-no? aos
abysmos desconhecidos do nada.
lilhioho querido arrancado dos bragos da
carinhosa rai; o amigo dos das de infancia
rou.iado da convivencia do outro eui afTectos; o
pai, o esposo amado, tudo em lim, desapparece
ante o sopro glido da morte para ter por mora-
da eterna o fro raarmore de um tmulo I Cruel
realidade, inexoravel lei doexterninio. que nada
respeita !
Amanaos com delirio nossa familia e nao p-
dennos mais amal-a ; procedermos durante toda
nos.-a vida cora honradez, cora dignidade, prati-
car a virtude e cedo sennos disso privado, miti-
gar as dores alheia e tal nao pdennos mais fa-
zer. e era recompensa, em paga de ludo iaso,
recbennos a triste capella de finado doloro-
so constristador.
Ah o eugenheiro Antonio Vctor de S Bar-
rete uraou sna familia e nao poude mais anial a ;
procedeu durantt- sua vida cora honra, com alti-
vez e nao poude mais assim proceder; soccor-
reu os infelizes e vio-se impedido de continuar
a soccorrel-os!
Morreu desappareceu na eternidarte, occul-
tou-se no scio de Deas, foi se para habitaco
divina. Sua esposa perdeu um marido cariimo-
-o, seus lilhos ura pai extremoso, seus amigos
um amigo prestante, a patria um lilho qu-rido !
|)r(,,l,-...lo oo luito Ja . ^ma terrnel luulcna, que SUU1UUO i c lujos os
recursos da selencia ministrados pelos mais ha-
bis facultativos desta capil?l, falleceu Antonio
Jficlor de S Brrelo, s 4 horas da tarde do dia
12 do crrente mez.
Pela altivez de seu carcter, pela nobreza de
seus senMmentos, mesmo em presenga da decli-
nago dos nietos de fortuna, para elle seuipre
cruel, pela sua intelligenda robusta, sua morte
tai chrala por todos que o conheceram.
Aulonio Victor era filho do Ilustre coronel
Antonio Pedro de S Barrete, urna das nossas
reliqoias nactenaes, e de D. Cesara Ribeteo de
S Barrete, filha de urna importante familia do
Rio Grande do Sul.
Nasceu aos 12 de Abril de 1832, no engenho
Jardim, da comarca de Jaboato, propriedade
entao de seus pais.
Cheio de aspiragOea elevadas e vastas, sonbaa-
do com ura porvr Jorioso, bera mogo ainda,
raalriculouse Antonio Vctor, aos 18 anuos, na
A'ademia de Engenharia-Militar, na corte.
Atravessou os mares, pensando nos louros da
victoria que elle havia de conquistar pelo seu
talento e irresistivel forga de vontade.
Applicado, estudioso, gosando de geral estima
entres os eus collegas, tindou em breve seu li-
rocinio acadmico, obleado, por mereciraeoto, aj
patente de capdo.
Na corle gosou seiupre da sympathia de seus
inestres e companheiros de estado, relacionan
do-se com os primeiros vultos polticos d'aquel-
ls tempes.
Formado j, foram coroadas sua ptima con-
ducta e brilhante lisura na Academia, nomean-
do o o governo raeinbro da co omisso de enge-
nheiros que deviam regular as divisoes territo-
riaes das provincias uo Amazonas e Para, com-
misso espinhosa esta que elle desempenhou
cora proticiencia, zelo e dedicaco, arriscando
sua vida mesrao enire os indios bravios, to fre-
quentes n'aquellas paragens.
Annos depois, voltando iua provincia natal,
nobremente altivo, cheio de dignidade. solicitou
sua exonerago e tecolheu-se a vida agrcola.
Aos 29 de Noverabro de 1867 casou-se cora
D Fiansisca Cavalcante Wanderley Brrelo, fi
Iha do patriota Pedro Cavbante Wanderley, de
quera l< ve cioco lillios, sendo tres senhoras e
dous rapazes ; o ra..is velho dos quaes cursa a
academia ue direilo desta cidade.
A ida outros carK03 de sua pro'is.-o desera-
peahOU: Antonio Vietor, na Parahyba e nedu
provincia.
Desgostoso. soffrendo repelidos golpes da for
luna, velho j, foi quando subido ao poder o par-
tido conservador, nomeado li-eal da Recite Drai-
nage Corapany, ; ar^o que desempenhou cora
apiidao e honradez at sua morte.
Sua morte foi a morte de um justo.
Desengaado j de que lodos os recurao3 da
medicina eram nsufficientes para prolongar-lhe
a existencia, procurou o auxilio da nossa santa
religio com toda a humildade. Seotindo, rao-
nieulos antes dt exhalar o ultimo suspiro, o ul-
timo sopro de vida, que amorte approximava
se, pedio para ver sua desolada familia. Cercado
seu leito pela esposa, filhos, prenles e amigos,
ella. .Iresiauado, conformado com a vontade de
Deus. desapparece para serapre,
Morreu! Sutnio-se na eternidade, mas sua
lerabranga, viva era todo9 os corages, nao des-
appareceu entrada do tmulo.
Deixeraos morte os seus despojos e flque-
raos i posse do que ella nunca, era tempo al-
i, roubar-nos haa memoria de A. Victor de
Su Barrete
Recite, 19 de Setembro de 1889
Ao pora
Convidase o povo per-
nambucano a comparecer
hoje as 4 horas da tarde
ra do Imperador em frente
ao Gabinete PorEuguez afim
de encorporado levar urna
caeta de ouro ao Dr. Mar-
tins Jnior, um ramilhete
ao Dr. Gaspar Druramond e
outro ao redactor chefe do
Diario de Pernambuco
pela digna attitude que to-
maram sobre o escandaloso
caso-Chrispim.
Pede-se o comparecimen-
to de todos os bous pernam-
bucanos.
Orrlorarai) ila commisMo cAnli-
luitlM pelo yin no da 18 do cor-
rente, no lar.- de Haldanba Mari
nho
Nos, abaixo assigoados. constituidos pelo no-
vo oo dia 18 do corrento, no largo de Saldaba
Marinho, declaramos ao publico desla capital.
que entenden lo nos cora o Exm Sr. Manoel Al-
ves de Araujo a respeilo da questo Chrispim,
ti vemos em resposta o seguinte :
Hontem respond ao povo que Ihe furia justiga,
e rectifico hoje a minha aflirmaliva; podera re-
tirar-sc para as suas casas que eu de novo Ibes
garanto a minha justiga.
Os membros ila commisso,
Ricardo Guimares.
Manoel do Sacramento
10. districto
0 abaixo assignado eleitor do districto
de Carapots, da comarca de Cwuar,
tendo militado at hoje nas fileteas do par
tido liberal, declara pelo presente nao
pertencer mais a semelharrtc partido, por
ter ficado indignado com as violencias, e
ameagas commettidas pelo chefe liberal
d'aquelle districto, na eleicto procedida no
dia 31 do mez de Agosto fiado, alliando-
se d'esta data em diante s fileteas do par-
tido conservador.
Caruar, 14 de Setembro de 1889.
Joao Valentn Correia de S.
A
Sobre o tmulo
DE
l:l::i-: s. sa silva
Desfolham urna saudade
o /.* aia as eu ranecuueucr ~"
Us typographos do
Diario de Pernambuco
#)<>#<>#<>#<>#<>
Ao publico
Respondo a um artigo hontem publica-
do- n'O Norte contra nm, assignado por
Jlo Alves de Lima. Fago-o porm a bera
de raimha dignidade e em satisfagSo ao
publico, que me conhece e sabe que nSo
sou hornern de violencias.
Um excravisado meu, embriagado, foi
no domingo tarde casa de um indivi-
duo que mora na rm do S. Jorge, e na
qual, que d outra fWite para a rua dos
Guararapes, oude ha um cortijo, em procura
de urna habitante de taes estabelecimentos, e
l fez disturbios. Por este motivo veio dito
individuo ante-hontein insultarme e que-
rer responsabilisar-rac por dito acto de
meu ex-escravo, em cuja vida nenhuma
gerencia e administraco tenho ; tendo at
a audacia de em plena Lingota, pretender
desacatar-me. Sem darera me tempo area-
gir por raim mesmo, alguns amigos meus
que cercavam-me, prenderm-o e o desar-
maram, levando-0 immeJiatamento pre
senga do subdelegada da freguezia do Re-
cife, que o mandou deter por algumas ho
ras, bem como ao referido liberto.
Foi este o facto e nao quero que de leve
paire sobre mim suspeita de violeocia e de
espirito desptico. E' urna informacao que
dou ao publico pois que o tal Alves de
Lima de mim descouhecido, bem como
o individuo que pioc irou atacarme; e
nem um nem outro merecem resposta mi
nha.
Recife, 19 de Setembro de 1889.
Herculano J. R. Pinheiro.
Aviso a nuestros lectores
Los de. nuestros lectores que vayan a
Paris mieotras la Expoticion, saben ya que
podran leer les ltimos nmeros de nues-
tro peridico recibidos sea en casa de los
rs. Amde Prfnee y C, sea en
el gabinete de lectura instalado por dichos
corresponsales, en el abtllon de la Rep-
blica de Guatemala, en donde el comisario
general de Guatemala ha puesto graciosa-
mente a la disposicin de dichos Sr. Am-
de Prince y ('-, una sala con terrado.
Para evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
poudencia a la casa de las citados Srs.
Amde y C. deberSo hacerlo 35, rae La-
fayette, en donde estar especialmente r-
ganteado ese servicio.
t
PEEAMES
Ao amigo Samuel Botelho e sea fa-
milia, pelo fallecimento de sua
prezada irm. D. Anna A.
de Lima lotelbo
Gaspar dos Reis.
K. 9
Extracto de urna carta do Sr. Dom Pedro R.
Vargas, datada era Granada, Nicaragua, em 21
de i ezembro de 1886 :
Coramunico a V. S. que o Exlracto Duplo
de Aveleira Mgica iWilch Hazel) do Dr. C. C.
Bristol tem me dado eminentes resultados na co
queluche e outras molestias creio croe se tor-
nar muito procurada por sua efficacia.
A pequea quantidade que me enviaran
acabou-se-me depressa, dando-me ura soccesso
brilbante. o qual tanho feito inserir era algn
jornaes do mea paiz, pais a peste da coqueluche
reina na actuahdade.
Contra-protesto
Os abaixo assignados vem declarar a
quem interessar, que o Dr. Jos Eugenio
da Silva Ramos nSo tem direito algum
posse do engenho Taquara que vai pra-
5a, por execucio que movem contra Fran-
cisco de Paula Pinto, no foro de Garael-
leira.
O protesto no Jornal de hoje nao tem
valor algum e feito de accordo com o exe-
cutado, para embaracar a praca, pois esta
resolve quaesquer contractos, simulada-
mente feitos pejlo msmo executado.
Recife, 18 de Setembro de 1889.
Per eir Ferreira & C.
ADVOGADO
\ O bacharel Salusliano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os mistares de sua prossSo.
rua Estreila do Rosario n. 10,1."
andar.
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hi-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de" Julho de 1887.
Este depurativo de grande efficacia nas mo-
lestias syphiliticas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das sennoras.
Tem curado radicalmente mtas pessoas ac
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os aaultos tomarao quitro colheres das de
sopa pela manhS e quatro noite. As enancas
de 1 a 5 annos omarao urna cplhcr pela manba
e outra noite, e os de 5 a 11 annos tomarto
duas colheres pela manh e duas noite. De-
vern tomar banhos fri ou marno pela manha e
noite. Uesguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C.. rua do Mrquez de
Olinda n. 23.
' jO autor deste preparado poae ser procurado
na rua do ;aro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado pura dar toda e qualquer explicaco
que for precisa.
Cuidado com a* falftillcac6e*
Beriberi
x. 83
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Recife, 26 de Julho de 1885.
Nao devo deixar passar desapercebido um facto
3ue deu-se tommigo relativamente a um ameaco
e beriberi que soffri em dia do mez de Mam
ultimo; porquanto deixar de referir on darpu-
blicidade a este caso extraordinario, privar a
bumanidade de ter sciencia da efbeacia do seu
prodigioso preparado denominado Angelino *,
cujo (ffito nao se fez esperar muito, durante o
iumpn i o '"""e.' mp oassarei a demonstrar.
Prmcipicl a sofficr d urna dormencia e pes
nas penras, mas aapvuuww ^m. a uwu r ...,
que andava muito a servigo da casa onde sou
caixeiro, e por tambem subir muitas vezes as
escadas da dila casa.
Convencido flnulmente, de que esse meu mal
nao era somente enfado, porquanto era vez de
desapparecer elle, visto como ja devia estar acos-
tumado com o exercicio, pelo contrario augmen-
tava, de modo que uve serios reeeios, tanto mais
quando vi que estava com ao pernas inchadas, e
com a mesma dormencia sentindo ainda urna
grande indisposicao em iodo o corpo e grande
fastio. de modo que deixei de ir ao escriptorio
por alguns dias.
Conversando a meu pai acerca d'esse raeu es-
tado de sade, elle coraprou urna garrafa do seu
preparado, que principiei a tornar, e quando ata-
bava a ultima doze no lim de oito dias mais eu
meos, nada mais sulfila, pois lodos o* mem iu -
commodos desappareceram, de modo que acho-me
hoje forte e robusto como, se nada tivera.
Queira, pois, o Sr. Angrlino, receber os meus
parabcus por ter lido a feliz lembranga de for-
necer a bum; nidade soffredora. o seu efflcaz re-
medio, pois estou convencido firmemente de que
o meu incommodo nao foi outro senao o-Beri-
beri-e este bera pronunciado do qual grasas a
Deus e ao seu preparado, estou bom felizmente.
Querendo, pode fazer d'esta o aso que Ihecon-
vier.
Sou com estima e considerago de V. S. amigo
attencioso criado e obrigadissimo. -Joao da Silva
Revea.
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo de cumpnr com um dever que para com
Vme. contrate, venho pof mete d'esta agradecer-
Ule ainda que os meus agradecimentos possan
olTendcr a sua modestia, podendo ao menos mi-
norar os males da bumanidade soffredora.
Declaro Vmc. e aos meus seme'hantes que
soffrendo de molestia syphilitica acompanhada
de inchacao das pernas e p^s a ponto de nao me
po.ler calgar, um amigo meu tendo me aconse-
Ihado que tomasse o Elixir composto por
Vmc o que le boa vontade aceilei e fui buscar
um frasco e tendo uielborado bastan!" fui ao se-
cundo e liquei perfeitamenH* curado.
Recife, 28 de Janeiro de 1887.
De Vmc. criado e obrigado.Fraocisco Jos
Pereira.
TV. S&
Recife, 30 de Dezembro de 1882.Sr. Ang
Jos dos Santos Andrade.
Amigo e Sr.: '
E' do meu dever fazer a sr-guinte declarago,
afim de que aquel'es que soffrem, encontrem no
maravilhoso preparado de V. S. allivio aos seus
males.
A sypbilis manifestada em empingens linha to-
mado conta do corpo de urna pessoa de minha
fama. sendo rebelde a todos os remedios, fe-
lizmente com o oso de seu Elixir Depurativo,
aeha-se quasi completamente hfla.'Sirva-se V._S.
fazer o uso que quizer d'esta minha declaraso.
De V. S. > Mil tu e menor criado.Bernardo Au-
gusto Soares Leite,
Eslavara selladas e reconhecidas as firmas pelo
tabelliiio.
A_'s almas cariciosas
Na rua das Carracas n. 4, vivem na nnior pe-
nuria a viuva Si'iihorina dos Saotos tantos c
sui filha Coleta da Silva Bastos, duas infelizes
a quem tudo falla.
Pede-se s almas caridosas. e bera formadas
que vao em auxilio dessas pobres victimas do
intertunio
Deus ihes pagar o bem (pie fizerem a-tao n-
dit03as rrealur
U SILYEIRA
TS ADVOGADO
VBtA DeiMPEBABMl I



zU


Diario ({e PernambncoQuinta-feira 19 de Setembro de 1889
1
I
i.
I
Attenco!!!
No antigo e bem acreditado estabeleci-
ment de relojoaria denominado Regula-
dor da Marinha, de Antonio Jos da Cos-
ta Aranjo, se acha em expsito urna nova
e variada remessa de relogios de algibeira,
de ouro, prata, nickel e ago do mais apu-
rado gosto e da ultima moda, tendo alguns
a torre do Eiffel fundida na tampa inferior
e outros desenhos; escolhidos expressa-
mente pelo mesmo Sr. Araujo, que se acha
actualmente na Europa.
Estes relogios alm do seu bom regula
mento sSo garantidos por um anno e se
vendem por precos commodos e sem com-
petencia.
Convido a todos os nossos fregueses e
amigos a virem a este estabelecimento se
certificarem da verdade que acabo de ex-
por.
Ra Larga do Rozario n. 9.
Jos Ferreir de Castro.
Auxilios a lavoura
Pereira Carneiro A C. continan), aotorisadoa
pelo Banco do Brasil, conceder eroprestimos
lavoura das provincias de Alagoas, Parahyba
e Rio Grande do Norte, mediante as condices
de que os ioteressados serao informados no es-
criptorio ra do Coramercio n. 6, das II horas
da manha as 2 oa tarde.
I
Advogado
Baoharel Joo Ferreira Do-
mingues Carneiro
Ra Estreila do Rosario n. 10,1 andar
Encarrega-se de quae3quer causas
n'esta cidade e as comarcas prximas,
especialmente as de o d'Alho e Tim-
baba, para ende viaja frequentemente.
Exposie&o lu versal de INS8
Segundo a carta que .nos escrevem nos-
ios correspondentes, os Srs. Amde
Prince & C, o PavilhSo de Guatemala
onde elles acabam de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jornaes
das Americas do Centro, do Sul, daa An-
tilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
truccSo de madeira muito bonita.
Este pavilhao acha se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do Palacio das Ar-
ies Liberaes. Est perto de todas as sec-
cSes das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
hao de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attraccdes da Exposicab.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitem no Pavilhao
de Guatemala a installacSo dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
C, devida ao obsequio do illustre com-
missario geral do Guatemala.
As crianzas criadas ao peito ou pela ma-
madeira que digerem com diiculdade e
padecem de clicas, curam-se com rapidez
administrando-lhes com o seu leite urna
colherada pequea de Xarope de Trouette-
Perret com papaina. E' um precioso m-
dicamente que devem empregar todas as
mlis cuidadosas da saude de seus fi-
Hiub. __________ w
Aviso niund.ino
As enhoras elegantes que visitarem a
Exposicao de Pariz nao encontrarlo a
Casa Leoty entre os Expositores Ao
chegarem terSo portanto de ir casa de
Mme. Leoty, 8, praca da Madeleine, para
encommendarem um d'aquelles maravi-
lhosos espartilhos, conhecidos no Universo
inteiro, e indispensaveis para o aceio dos
vestidos.
A Cataplasma a mais efficaz, propria e
commoda para empregar a Cataplasma
Hamilton. (1)
COMMERCIO
Revista do Mercado
RlCIFX, 18 DK SETEMBRO DE 1889.
O movimiento continuou a ser pequeo.
O mercado de cambios estere mais activo.
Cambio
Os bencos mantiveram anda no balcao a laxa
de t7 1/2 d., saccando. porm, a 27 5/8 reserva-
damente, a cuja laxa appareceram poucos toma-
dores.
Houve algum negocio em papel particular a
7 13/16.
As ultimas noticias do Rio do o Banco Inter-
nacional saccando sobre a filial de Londres a 27
11/16 e os deraais bancos a 27 5/8.
Houve falta de papel particular.
Bolsa
OdTAOOES 0FFICIAE8 DA JUNTA DOS COB
RETORE8
Rectfe, 18 de Setembro de 1889
SSo houve cotaco. .
O presidente,
bandido O. G. Alcoforado.
O secretario.
Eduardo Oubeux
Algodo
Cota-se o de 1* sorte do sertao a 6*500 por 15
kilos.
A exportaco, feita pela alfandega neste mez
at o da 17, attingio a 154.184 12 kilos, sendo
213.2701,2 para o exterior e 140.914 para o inte-
rior.
As entradas verificadas oeste mez at a data
le hoje, sobem a 2.292 saccas, sendo por:
Barcacas.
Vapores.....
Animaes.....
Via-i'errea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea deLiraoeiro
Sorama.
464 Saccas
37
708
87
29
967
2.292 Saccas
EXf OSITION UNIVERSAL DE 1889
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Sr Amde Prlace y C.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado ur. gabinete de lectura de los
principales pridices de las Americas del
Centro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
deraje las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de In Torre de Eiffel, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueza, y
3ue sern una de las mayores atracciones
e la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en ol Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestro* corresponsales, Wrs. AM-
de Priace y C gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
5^
O Dr. Ermlrio toulinho, de
volta de sua viagem Europa, onde
se dedicou especialmente ao eslu-
do das molestias do systema ner-
voso, tem seu consultorio a Praca
do Corpo Santo n. 5, defronte do Te-
legrapno Nacional
Consultas de urna s tros horas da
tarde.

*am
Tiiherciilose pulmonar
Cura garantida pelo Peitoral de Cam-
bar.
Frederiee Chaves Jnior (
Homoepatha
39 BA BABO DA VICTORIA 39 M
l'rlmclro andar { i
Bronchite aguda oh chronica
O Peitoral de Cambar o melhor re-
medio.
> <
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio da s 3 horasjjd* tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
audado n. 25.
Bacharel Antonio Witni-
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, Io andar
AxLyogado
bacharel Arthur da Silva Reg tnm o seu
escriptorio de advocada i ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurado para os mistares
de sua prodssao.
*- M
Leonor Porto
-p
i
I!
I
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TELEPHONE N. 226
MEDICO HOMEPATA
Dr. Baltbazar da Silveira
Especial idadefebres, molestia
f das enancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.

A drogado
o*a
Miguel Jos de Almeid i Pernambuco tem o seu
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os dias atis, das
horas da 9 mano, s 4 da tarde.
O Elixir de Trouette-Perret com pepsi-
na o mais poderoso digestivo conhecido.
Um copinho depois de cada releicSo basta
para curar as doencas de estomago e d-
gestoes difficeis : um licor delicioso que
se pode tomar jantando.
As entradas verilir. idas neste de boje, sobem a 5.595 saceos, Barcacas Vapores ." w Animaes.... Via-ferrea de Caruar. Via-ferrea de S. Francisco. Via-ferrea do Limoeiro mez at a data sendo por: 1.149 Saceos ... 574 151 2.930 791
Somma. 5.395 Saceos
el Cota-ee a 60*000 por pipa de 480 litros.
Coaros
Couros salgados, 350 ris, e os verdes a 210
res.
Agnardeate
Cota-se a 112*000, por pipa de 480 litros.
Aleool
Cota-se a 2204000 por pipa de 480 litros.
TABELLAS AFFIXADA8
3
1 Q. O
t 3
n.
a
-i a
-5
"3

(A *0
2" I
m
a.
9
S
-

I i
es


a
i
Assaear
Os preyos pagos ao agneultor, por 15 kilos, se-
minutes:
Branco ..... 34900 a 44600
Somenos..... 3000 a 36O0
ilascavado purgado 2*400 a 2*700
bruto. (:irme)U5uO a 2*200
t.ctame .... *700 a 1*100
A exportaco, feita
t o dia 14, conslou dt
rior.
neste mez
8 para o in-
Itua Larga do Rosarlo nu-
mero *
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mats difficeis
flgurioos recebidos de Londres, Pariz,
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de costuras, em
Jem brevidade, modicidaue em precos e
) fino gosto.
()L
Vias urinarias, molestias das se-
nhoras, operacSes elctricas
:a. CABLOS SSTTS27COHT
MEDICO E OPERADOR
com pratica de pabis e londbbs
Estreitamento da urelhra curados ra-
dicalmente pela elcctrolyse, sem dr ;
hydroccles sem injeccao (cura radical);
feridas e ulceras chronicas, com garan-
ta de cura rpida ; pedras da be&iga,
fistulas e hemorrhoidas ; syphilis, go-
ncrrhas, pelo methodo das mslillacdes ;
molestias da garganta c do peito pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e operacoes das 12 s 3 horas da
tarde.
RA DO MRQUEZ DE OLINDA N.
2o ANDAR
CiratiM ao* pobre*.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Barao da Victoria46
(DEFBONTE DA PHARJ1ACIA PINHO)
Onde tem eonnultorlo e re*l-
HCIICia t iniilt-inJii nr.l i-iM-iiiiiiaan
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pulmes, syphilis
em geral, cura rpida c completa c ope-
racCes de estreltamentos e mais solfri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
\
Telephone n. 314
errs
Toase convulsa! coqueluche!
NSo deis crianza senSo o Peitoral de
Cambar.
Pau a da alfaudcga
SBMANA D 1 i A 21 DE 3BTEMBRO DB 1889
Vide o Diario de lo de Setembro
Navios descarga
Barca norueguense Solid carvo.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Lugar inglez Rozma. bacalho.
Patacho allemao Fredtrick. xarque.
Patacho sueco Xtinmi. xarme.
Patacho norueguense Efra n, xarque.
Sumaca hespanhola Anni-j, xarque.
Iniftortaco
Vapor allemao Buenos Agres, entrado de Ham-
burgo e Lisboa em 18 do corrente, c consigna-
do a Borstelman e C, manifestou :
Carga de Hamburgo
Alcatro 47 barris a Beltro Costa.
Arroz 25 saceos ordem.
Acido 1 caixa a Antonio Francisco da Cosa.
Ajo 40 volumes a T. Just.
Amostras 12 volumes a diver;os.
Agua mineral 31 caixas a Francisco Manocl da
Silva v C, 5 aR. ae Drusina C.
Brinquedos 3 caixas a Mua Sobnnho & C.
Balangas 10 caixas a Albino Silva P., 2 a
Miranda & Souza.
Cevada 20 barricas a A. A. de Lemos.
Cerveja 25 caixas a Machado & C, 115 or-
dem, 10 a Paulino de Oliveira Maia, 1:3 a R. de
Drusina & G., 20 a Gucdcsde Araujo & Filho.
Caixas vasias 8 grades ordem.
Chapeos 3 caixes a Adolpho & Fer/ao, 3 a
Raphael Dias 4C.,I a Augusto Fernando*, 1 a
Christiani & C, 1 a Joaquim Agostinho -v (',, 1 a
Antonio Dias & G. Ditos de sol 1 caixo a Leite
Basto C.
Calcados 3 caixes a Manoel de Barros Cava!-
canto, 2 a Tliomaz de Carvalho 4 C, 1 a. A.
dos Reis 4 C, I a Maia Rodrigues & C, 2 or-
dem.
ConfeicOes 2 caixas ordem.
Capsulas de estanto 3 caixas a Soares do Ama-
ra! limaos.
Doces 1 caixa ordem.
Drogas 23 caixas a Francisco Manoel da Silva
4 C.,1 a R.de Drusina & C.
Encerado 1 caixa a Adolpho & FerrSo
Espirito 1 caixa ordem.
Estopa 15 fardos ordem.
Feltro 1 caixa a Frederico & C., 1 a Rodrigues
Lima St C.
Flores artificiaos 3 caixas a Raphael Dias & C
Fio 3 caixas ordem, 1 a W. Halliday & C, 3
a Albino Silva C.
Ferragens i caixa a Antonio Pinto da Silva <
C, 6 a Ferreira Guimares & C. 4 a Manoel Col-
laco & C 7 a A Oliveira 4 C, 3 j Conrad Wa-
chsmann, 3 a Nello Campos & C, 2 a VV. Halli-
day 4 C, 19 ordem, 3 a Miranda & Souza, i
a Francisco Lauria A C, la Prente Vianna i
Cita Gomes de Mallos Irmaos, 1 a Oliveira
Basto C. '
Folhas de Flandres 2 caixas ordem.
Linda 3 caixas a Nelto Campos A C.
Licores 1 caixa ordem.
Louca 20 barricas a Ferreira Rodrigues & C.J
ordem, 3 caixas a Oliveira Basto & C.
Lona 2 fardos a W. Halliday 4 C.
Mercadorias diversas 1 caixa a Al ves Maia &
C, 5 a C. AVachsmann, 1 a J. Krause A C, 2 a
Antonio Pinto da Silva A C, 2 a Nunes Fonseca
4 C. 1 a E. Goncalves Casco, 1 a Maia 4 Silva
A C, 1 a Domingos J A. Guimares, 1 a Joa-
quim Luiz Teixeira, 3 ordem, 2 a Gomes de Hat*
tos IrmSos.
Elixir cabera de negro do Or. Mana
tosa, anu; ailo em Paris e ap-
provndo pela Inspectora (.eral
de Uygiene.
(Premiado na Exposicao)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-""
dadeiro elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que corno garanlia tem em
seu favor os atteslados passados pelos mais dis-
Hni'tos mdicos, desla e domis provincias do
imperio, por pharmaceuticos, desembargadores,
advocados, engenhei^os, commerciantes, empre-
ados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
etc.
Finue, portanto, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadc.a. pharmacia de
Hermea Souza l'ercira, Saccessores, urna imita
cao do nosso.
Deposito do verdadeiro ra do Bom Jess n. i.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 1$, 1* an
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
ED1TAES
5.a seccao.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia o nos termos do 2 do art.
1 da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
ue, rendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a questo de ava-
iacao do material da empreza de iliumi-
oacao gaz de3ta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de Beis me-
zes, contados da data do presenteedital,
para contracto da dita illurninago, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3. Menhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0005
em dinheiro ou apohees da divida pubN
ca, para garantir a aceitacSo do contracto
ao caso de ser preferida a sua proposta
| 4. O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nSo ser retirado
pelo contractanto senSo lindo o contracto e
servir de cauclo para os pagamentos de
multa e riel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto e poder ser feito
com quem melliores vantagens offerecer
na concurrencia.
g|| 6. A nSo ser no ca* do paragrapho
antecedente, a actual apresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo contractante sera obriga
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por torca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ticando o mtenla
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que estoja realisada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 anuos.
| 9. Opreco da illuminacSo, quer publi-
ea, quer particular, n2o poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna redcelo de mais de 30 [0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartic5es publicas.
conveniente, ser adoptado para a medi-
Ho do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminacSo e a hygiene publica.
5 12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermaecte,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglczes.
13. As horas de illummacao publica
serSo fixadas pelo presidente, da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor
de
'i
seis, nem maior
de dez, devendo neste caso haver urna
Manteiga i caixa ordem. Msicas 1 < aixa
a Ramiro M. da Costa A C. Machinas de costu-
ra 11 caixas ordem, 4 a Albino Silva & C.
Meias 1 caixa a A. Luiz Guimares.
Objectos para chapeos de sol 24 caixas a Lei-
te Baslo a C. Porcelana 1 caixa ordem, Pa-
ralrna 12 caixas a C. Fernandos. Pregos 1 bar
rica a Ferreira GuimaraesA C. Pinccis 1 caixa a
Francisco Mnnoel da Silva A C. Pistolas 1 cai-
xa a Antonio Pinio da Silva A C. Perfumaras
2 caixas a Francisco Manoel da Silva A C. Ta-
pe! II fardos a Costa Lima A C 12 ordem, 1
1 caixa a W. Halliday A C. Dilo de impressao
17 fardos ao Jornal do Recife.
Rotin 5 fardo3 a Antonio Pinto da Silva A C, 1
a ordem.
Tapetes 1 fardo ordem. Tecidos divprsos
1 caixa a Frederico \ C, 15 a Bernet 4 C. 10
ordem, 2 a Joaquim Agoslinho A C 2 a A.
Vieira A C, 7 a Rodrigo de Carvalho A C, 4 a
Joaquim Agoslioho A C., 3 a Monhard Huber A
C, 9 a Francisco d Azevedo A C, 1 a Rodri-
gues AC, 1 a Joai|Uira Luiz Teixeira, 1 a Alves
de Brilto A C, 4 a Albino Amorim A C, i a
Guerra e Remandes, 3 a Loureiro Maia A C., 1
a Goncalves Cunha A C, 3 a Rodrigues Lima
C. 1 a Francisco Lauria A C. Tintas 1 caixa a
Francisco Manoel da Silva A '.
Vellas 2 caixas a Conrad Vaciismann. Vidros
1 barrica a J. A. Veiga A C, 7 a B. Duarle
Campos C, 1 a Manoel Joaquim Pereira A C,
1 caixa a Deodalo Torres & C, 2 a A. Domingos
de Lima A C, 1 ordem.
Carga de Lisboa
Azeite 20 caixas a Domingues Ferreira da
Silva 4 C.
Ceblas 50 caixas a Guimares Valentc.
Conservas 20 caixas a Domingos Ferreira da
Silva A C.
Fructas 20 caixes aos mesmos.
Uval 20 caixas aos mesmos.
Vinlio 20 Darris aos mesmos, 50 caixas a Sou-
za Baslo Amorim v C.
Vapor austraco Malhekouets entrado de Ti es-
te c escala em 17 e consigna !o a, manifestou :
Familia de trigo 1,100 barricas ,i ordem, 1,300
a Lopes Irmfios A C, 1.297 a H. Forsler A C,
400 a Lopes Guiraa-es, 6,000 a Machado Lopes
A C, .SO a Gomes de Mattos Irmaos.
Papel 25 caixas a diver.-os.
Cira 17 ou setkmuro db 1889
Para o estertor
Nao lime exporacao.
ilpaj com
reduccSo no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
| 14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
se suscitarem, quer cun o governo,
juer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccSo dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
| 15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometro8, ee houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| 16. O pagamento da illuminacao pu-"
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencSo oscillacao do cambio.
| 17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigacoes do contracto.
18. Para as despezas com a fiscali-
sacao do servico de illuminac?u) o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:0OOi5OO0, que serio recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19." O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condiedes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer coin relacao a illumincao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7 cima citado, a
quantia de 994:917(5528, de accordo con
a avaliacjto feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777#528, total da avaliacao:
a importancia de 3:860^000 paga em
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
DeSes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaquim SUveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminacSo a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambu.ro de hoje a publica-
cSo do edital em que a presidencia da pro I
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacSo mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:77705*28, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vera pelo prcscDte
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacSo nSo pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido llegal e irregularm^nte feita, bem
como que contra ella j pro tes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva cm tempo op
portuno fazer valer seus enreitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicac&o pas sccnca dos in
tere88ados.
Reeife, 1 do Maiode 1889.
Gerente.
George Windsor,
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz da
direito do civel desta cidade do Recife
e seu termo, por Sua Magestade o Irn-
porador a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente adital
virem ou d'elle noticia tiverem, que findo3
os dias da lei se ha de arrematar depois
de audiencia deate juizo com o-abatimsn
to de dez por cento na forma da lei o se-
guinte :
Urna casa de pedra e cal sita na traves-
sa de Matocolomb, freguezia de Afogadoe
desta cidade, com dezenove metros e se-
tenta centmetros de largura e seis metros
o setenta centmetros de comprimento,
tendo na frente seis janellas e duas portas,
sendo que as portas dao entrada para a
sala de visita e de jantar e as janellas f-
cam nos quatro quartos que sSo collocados
entre urna sala e outra e um outro quarto
contiguo sala de jantar, no fundo do qual
a cosinha interna, achando-se tudo em
mo estado, no terreno comprehendido em
setecentos palmos de frente, o qual tem
cerca nativa e um portSo de madeira, exis-
tem duas cacimbas e junto a urna d'ellas
m tanque e outro tanque na parte piste-
or da casa; oitenta ps de coqueiros,
diversos ps de cajueiros e mangueiras,
sapotiseiros e outras arvorea, tudo bastan-
te maltratado, e no terreno de marinha
que mede vinte e oito bracas e quatro pal-
mos de frente, est situado um v.vero
que se acha arrombado e em pessimo es-
tado ; avahado tudo por um cont de ris,
vindo a ser o abatimento da quantia de
cem mil ris, penhorado para pagamento
da execuySo promovida peto cnsul de Por-
tugal como administrador do espolio de
Manoel de Carvalho Moura contra a viuva
e herdeiros do finado major Manoel Fer-
reira Escobar, e vSo de novo praca por
nao terera apparecido licitantes quo co-
brissem o pjreco da avaliacSo.
E para cjrie chegue ao conhecimento de
todos mander.passar o presente que ser
publicado pela imurensa e affixado no lu-
gar do costume.
Dado e passado ne^ cidade do Recife
aos 12 de Setembro'de 1889.Pedro Ter-
tuliano da Cunha, escrivSo subscrevi.
Joaquim da ( osla Riboiro.
S.' Secjiio Secretaria da presidencia de Per-
nainbuco*-E:n 3 de S^UjibTo4_e_ 1883
Por esta secretaria se faz publico que fica
aberto o pra.-o de 50 dias, a coular desta data,
para-o reccuitnenio de propostas em carta fecha-
da dos concurrentes construeco de urna es-
irada de ferro de que trata a lei provincial infra
n. 2.05o de 8 de Agosto prximo lindo.
0 secretario
Francisco L. Marinlto de Souza.
LEI N. 2.056
Manocl Alves de Araujo, do conselho de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado em
sciencias sociaes e jurdicas pela Faculdade de
S. Paulo coinmcndador da Imperial Ordem du
Rosa e presidente da provincia de Pernambuco
Faco saber a todos os seus habitantes que AssembK-.i Legislativa Provincial decrciou e eii
suncciouei a resoluo seguiote :
Artigo l. Fica concedido o engenheiro New-
ton Cesar i urlamaqui ou a quem melhores van-
tagens offerecer privilegio por tk) annos para :
construeco, uso e goso de urna estrada de ferro
de bitola cstreita, que partindo da Serra Dous
lrinos, na extrema desta provincia com a do
Piauhy, va terminar na villa de Petrolina, pon-
to marginal do Rio S. Francisco
1 A zona privilegiada ter 10 leguas para
r.ida lado do eixo da linha, sem que seja sso,
em lempo algum empecilho a que a qualquer
outra estrada'de ferro, parallela ouno a deqqe
cogita a presente concessao, possa a provincia
azer conccsso de zona privilegiada. No caso
ile futuras concessOes, se a zona privilegiada de
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer outra estrada de Ierro conce
ilida mais tarde pela provincia, ser o espac
de trra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao meio. ficando urna raetade delle como
zona privilegiada de cada urna das referidas es-
tradas.
i." Em igualdade de condices o concessio-
nario lera preferencia para construcco, uso e
goso de futuros ramaes convergentes.
5 o." Pican isenios de direitos e imposto
provinciaes e municipaes os edificios, as machi-
nas e materiaes necessarios para a construeco e
exploracao da linha principal c dos ramaes que
forem construidos.
4. O concessionario ser obrigado a coas
truir linha telegraphica para uso publico c par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isenco de direitos imposto*.
3." Fica concedida a garanta de juros de
6 7, solre o capital que for empregado effecti-
vamenle as obras, calculado o preco mximo
do kilmetro, em zo.OOOi e pelo praso da dun-
co do privilegio, lindo o qual reverter para a
provincia a estrada cora todas as suas obras,
machinisraos, materiaes e liubas telegrapuicas,
e bem assim cada um dos ramaes que tenham
960 litros de agurdente; M. F. Martins 20
barricas com 1.620 kilos de assucar branco ; f.
Pinto v C. 1 pipa e 60 barris com 6,240 litros
de agurdente.
Para Para. H. Fernandos 150 barricas com
10,300 kilos de assucar branco ; F. Carneiro A
C. 340 barricas com 23,620' kilos de assucar
brauco ; M. F. Martins 414 barricas com 23,683
kilo3 de assucar branco.
Na barcaja Espadarte, carregaram :
Para Parahyba, V. Costa A U 23 garrafoes
cora 300 litros de geuebra.
Uiakelro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Maranh5o, para :
Rio Grande do Norte 2.500*000
Parahyba 1.000*000
Maranho 4.000000
Para 236.5005000
Pelo vapor
Para. para : "
Aracaj
nacional Principe do Grao
080060
30 matulos com legumes a 200 ris
Foram oceupados:
27 columnas a 600 ris
1 escriptorio a 300 ris
26 compartimentos defarmnaaSOO
ris
24 ditos de comidas a 300 ris
84 ditos de legumes e fazendas a
400 ris
17 ditos de cuinos a 700 ris
8 ditos de fressuras a 600 ris
41 tainos a H
6i00<
ltfiOit
30(.
Rend meato do da la 16 do cor-
rente
hoe
39M0
11*900
45800
82*000
239*400
3:323*420
3:o82*80
Hendlraentos publico
V.TZ DB SETEMBBO
Al'anaega
Renda geral
Do dia 2 a 17
dem de 18
418:498*638
33:848*941
Renda provincial.
Do dia 2 a 17 30:369*140
dem de 18
4:166*6i(5
452:347*379
34 535*786
Somma total 506:883*365
Segunda cccJo da Alfandega, 18 de.Setembro
de 1889.
8thesoureiro-Plerencio Domingues.
chefe da seccao -Cicero B. de Mello.
Reeebedorln eral
Do dia 2 a 17 21.649*188
dem de 18 673*746
22:322*934
Itecebcd&rla provincial
Do dia 2 a 17 13:490*966
dem de 18 595*659
Recife Draiuagc
Ddiode2a 17 30:131*120
dem de 18 1:135*548
16:083*625
.m :
,v C. U) saceos coaa
600 kilos de teijo e400 saceos cora 24,000 kilos
de assucar mascavado ; A. V. de Barros 951
saceos com 57,060 kilos de assucar mascavado.
Para Rio de Janeiro, A. V. de Barros 164
saceos cora 9,840 Kilos de assucar mascavado ;
.'.L. Kerreira 520 saceos om 31200 kilos de
assucar mascavado ; Amonio Irraos A C. 10
pipas com ^,800 litros de agurdenle.
No vapor nacional Maranho, carregaram :
ParaManios, P. Alves A C. to barricas com
1,022 kilos de assucar branco elObarrts com
31:286*668
Herrado Municipal de S. Jone
O raoviraento deste mercado no da 17 de Se-
tembro foi o seguinl
Entraram :
- 40 1/2 bois pesando 3,630 kilos.
395 kilos de peixe a 20 ris 11*900
144 cargas com farinha a 200 ris 28*800
17 ditas de milho a 200 ris 3*400
39 ditas de feijo a 200 ris 7*800
9 ditos de fructas diversas a 300 ris 2*700
11 taboleiros a 200 ris 2*200
14 auinos a 200 ria 2*81)0
Foi arrecadado liquido at
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1 ris idem.
Suinos de 560 a 720 ris idera.
Farinha de 300 a 720 ris a cuia
Millio de 360 a 400 ris dem.
FeJo de 1*000 a l 200 idero.
Matadonro publleo
Neste estabeleci meto foram abatidas para o
consumo de hoje 89 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE SETEMBRO
Sul........... La Plata.
New-York ....
Norte.........
Sul...........
Europa.......
Europa......
..... 19
Allianca.......... 19
Sacona........... 20
Sergipe.......... 21
Potos............ 22
Mitlekowits..... 22
Vapores a sabir
HEZ DE SETEMBRO
Soutiiarnpton. La Plata.......... 19 as 11 .
Santos e esc.. Allianca.......... 20 as 4 q.
Montevideo .. Potos............ 22 as 11 h.
Sul.......... Para.............25 as 5 b.
Santos e esc Vle de S. Xicolo.. 26 as 4 h.
Morte........ Espinto Santo..... Htl 5 h
Movimeuto do porto
Navios shidos no dia 18
Rio de Janeiro e escala42 dins, canaoneira
guerra brazileira Cabedello de. 00 toneladas,
commandante capitao-tenente Jos Pereira Gui-
mares, equipagem 96; carga ruunicSo de
gera.
Santa Catharina20 dias. lugar allcmo /*/, de
263 toneladas, capito J. Lunsteelt equipagem
8. carga farinha de mandioca ; a Faria Cui
v C.
Trieste28 dias, vapor austriacto Hall,
1.249 toneladas, commandante A. Rund
equipagem-27, carga varios gneros : a Johns-
lon Pater A C.
Sabidos no mesmo dia
Alto marVapor inglez Norseman, commandau-
le W. Lacy; carga lio teephonico.
MacauPatacho brzileiro Regaleira, capito
tonio de Olive a; em la!
Santos c escalaVapor aliemao tiuen
:maudanle K.
ros..
}


!
r
?
v. :-
\
13*000 -jp'
12*0C0 f
33*606 /
11*900/


t
*


Diario de PernambucoQuinta-feira 19 de Setembro de 1889


i
1
r

1
a
V

\
sido construidos, logo que tcnlnm sido oxplora-
dos por igual lempo,
o. A garanta de juros so se tornar elec-
tiva no caso de ser levada a elTeilo a conceasao
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a -erra Dous Irmos, a qual se prende a
presonte concessio, perd>nduo concessionario o
direilo referida garanta seolitiver o Roveroo
geral, subvenga?) kilomtrica, quanlia de juros
ou qualquer oulro favor equivalente.
7." A provincia tera o direito de. embarcar
gratuitamente a sua forra publica, autoridades e
respectivas cargas.
8. O concessionario poder transferir em
presa ou companlua, que organisar o presente
privilegio com todos as seus favores e obriga-
5es.
9." Dentro de 5 annos da dala do contracto
deverao ser apreseiitados os respectivos e.-tuJos
definitivos e os respectivos orc> mentos detalha-
d08 e ler comeco de exi-eucao as obras, cadu-
cando a concessao, se dendro desse praso nao
forem ditas obras coinccadas, salvo caso de tor-
ca niaior, devidamente provado.
Art. J. Ficam revogadas aa disposices em
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a
queni o conhecimenlo e execuriio da presente
resoluco pertencer, que a cumpram e fagam
cumprir to inteiramente como oella se coin-
tm.
O secretario da presidencia da provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco, 8 de
Agosto de I89, 68' da Independencia e do Im-
perio.
L. S. .V. Alves de Araujo.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria da presidencia de l'ernambuco, aos 8
de Agoslo de 88D.
O secretario
Francisco L Marinlio de Snuza
&.' lecco- Secretaria da prewiden
eia le Pernambuco. 19 de Setem-
bro de 188
De ordena do Exra Sr. consclbeiro presidente
da provincia, por esta secretaria se convida as
pessoas que apreseutaram propostaa para a fun-
darlo de onze engenhos eentraes nesta provin-
cia", a que se referem o edital de 19 de Julho
ultimo e a le n. 1971 de ti de Margo deste au-
no, a comparecerem no palacio da presidencia a
20 do correle (sexla-feira) ao meio dia, atim
de asaistir a abertura das mesmaa propostas.
O secretario,
Francisco Leopoldo Mrinho de Souza.
Instituto Archeologico e geo
graphico Pernambucano
Qninta fera, 19 do corrente, as 11 horas da
mania, llavera segado ordinaria.
Secretaria do Instituto. 17 de Setembro de
1889.
Bapti/ta Regueira,
i.' secretario.
Companhia do Bebe-
ribe
Convida se aos accionistas desta companhia a
reunirem se em issembla geral extraordinaria,
no dia 18 do corrale mez, ao meio dia, no 1-
andar da casa n. 71 ra do Imperador, para
eleger a directora que lera de administrar os
negocios sociaes em o novo biennio.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira,
Director gerente.
Jos Eustaquio F. Jacobina,
Director secretario
DECLARARES
Thesouro Provincial
De ordem do III m. Sr. Dr inspector, faro pu-
blico que no dia 19 do corrente ir praca, pe-
rante a junta da Fazenda Provincial, o forneci
ment de alimentario e dietas aos prest s po
bres da casa de Detenco, dorante o trimestre
prximo luturo de utubro a Dezmnbro, servin-
do de base a diaria de 420 rs.
Secretaria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, 16 de Seiembro de 1889. O oflicial,
Lindolpho Campello.
*fs**i&
Estrada de ferro de Pernam-
buco do Recife ao S. Fran-
cisco
frupukiu para o fornecimenlo de
3,000 tonelada de earvo de pe-
dra.
Esta companhia recebe propostaj para
o fornecimento de 3.600 toneladas de ear-
vo de pedra por tempo de uip anno, me-
diante as seguintes condiyoes :
1.a O carvSo dever ser de alguma das
especies conhecidas por Cory Aberdare
Merthyr, Penrikiber, Nixons Navigation,
Ocean Merthyr ou Insoles Merthyr Smoke-
lese .Stoara Coal. > primeira qualidade e
t double screened i provada com certifi-
cado da mina, o qual para cada carga de
navio dever ser apresentado ao superin-
tendente da companhia.
2.a A despeza de descarregar o carvao
do navio e todas a --. outras da Alfandega,
etc., serao por conta do contractante at a
entrega no caes da companhia, onde o
carvao ser tirado das alvarenga3 pela
companhia e pe ado no trapiche em (Unco
Pontas, facilitando-se ao contractante to-
dos os meios de, por si ou pesssoa de sua
confianca, inspeccionar e conferir o peso, o
qual ser acceito como definitivo por am-
bas as partes, nao sendo depois attendida
pela companhia reclamacao alguma.
3.a 300 toneladas de carvao pelo menos,
serao mentalmente entregues em Cinco
Pontas ; mas se por conveniencia propria
quizer o contractante entregar maior quan-
tidade, a companhia sujeita-se a recebel-a,
comtanto que nao soja apre3entada para
pagamento urna conta mensal de mais de
300 toneladas durante o tempo do contra-
cto.
4.a O contractante dever obrigar *e
no pagamento de urna multa de 1:000;?
por todo e qualquer mez m que deixar
de fornecer a quantrdade estipulada de
300 toneladas, assim como se fr reconhe-
cido que o carregamento ou parte d'elle
nao de alguma das qualidades mencio-
nadas na primeira destas condicoes.
5.a As propostas para este contracto
deverao estipular o preco da tonelada de
carvao em dinheiro sterlino, o qual para
realisar-se o pagamento de cada conta
mensal ser reduzdo a 1(5000 ao cambio
da cotacSo das transaccBes do Banco ao
tempo da partida do ultimo paquete da
Real Mala, que passar para a Inglaterra
no mesmo mez da conta.
f..1 O contracto entrar em vigor no 1.
de Novembro prximo vindouro e o pri-
meiro sapprimento dever ser feito para o
referido mez.
7.a Ser lavrado um termo de contracto
baseado as condicoes cima estipuladas,
o oual ser assignado por ambas as par-
tes.
8.a As propostas deverao ser lacradas e
remettklas ao superintendente da compa-
nhia, no Cabo antes do dia 30 de Setem-
bro prximo futuro no qual terao de- ser
ella abortas no escriptorio do mesmo,
A companhia declara que de modo al-
guna tica por este motivo obrigada a acei-
tar a proposta mais barata ou qualquer
das que lhes forem apresentadas.
Escriptorio da superintendencia Cabo,
14 de Agosto de 1889.
Wells Hood,
Superintendente.
Monte Pi Porluguez
i Socios em atraso)
A directora desta benemrita issocb.ro ci-
en'ifica aos tCHhores socios contribuintes e re-
m, que nao se pozerem quites as suas
mensal idades at o fim do corrente mez, ter de
applicar aos incureos a pena do art. l n. 2 dos
s'.atulos. _
retara do Monte Po Portuguoz em Pernam
buco. 3 de Setembro de 1889.
Manoel F. Velloso
2 secretario.
1.a Praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 21 do corrente mez,
sero arrematadas a porta desta repartico, as
mercadoriaa abaixo declaradas :
Marca J PQna'..-o faidos n. 14, vindos de
Liverpool no vapor inglez Scholar., entrado em
Julho do corrente anno e dous ditos da mestna
marra 09. 12 dem, no vapor inglez-Exploier,
entrado em 17 de Agosto ultimo, todos conten-
do sarcos de ciniimac/), servidos, abandonidos
aos diroitos por Johnston Pater & C.
Marca triangulo S no centro e R e D aos lados
Quatro barricas ns. 1/4, vindas de Londres no
patacho norueguense Lliadura, entrado em 13
de Julho do corrente anno, contendo desenfec-
tanle, pesando liquido 568 kilogrammas, aban-
donadas aos direitos pela Recife Drainage Com-
pany Limited. ,
3- Seccao da Alfandega de Pernambuco. 18 de
etembro de 1889.
0 chefe,
Domingos Joaquim da Fotueca.
3.a praca
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que as 11 horas do dia 20 do corrente mez.
serao arrematadas nos trapiches Baro de Livra-
bl
abaixo declaradas :
SANTA ISABEL
Sabbado, 21 de Setembro de IS89
PEST ARTISTIC4 DO ACTOR
OFFERK JIDA E DEDICADA
Ao Exm. Sr. Presidente desta provincia e sua Exma.
familia
Depois da chegada de S. Exe., a orchestra regida pelo distincto professor
Antonio Hartlus executar urna brilhante ouvertura e em seguida subir a
scena a brilhante comedia em 3 actos de costumes bra3ileires e original do Illm. Sr.
Dr. FRANCA JNIOR
povo
menlo e Largo da Assembla, as mercadorias
Trapiche Barao do Livramenlo
Marca F > C 10 pipaa vindas de Lisboa no va-
por inglez Manner, entrado em 20 de Agosto dt
1888, consignadas a Fernandes 4 Inno, con-
tendo vinno tinto commum, medindo liquido
legal 4 606 litros.
10 barris de quinto, idem dem, com vinho
tinto commum. medindo liquido legal 882 litros.
Marca CA. 2 pipas idem dem, a Goncalves Ro-
sa & Fernandes, contendo vinho tinto commum,
medindo liquido legal 922 litros.
20 barris de quinto idem idem, com vinho
tinto commum, medindo liquido legal 1,764
litros. .
Marca MI intercalado, 1 barril de dcimo dem
idem, a Joaquim Felisberto da Cruz Braga, con
lendo vinho tinto esmmum, medindo legal 40
litros.
Marca SL, 57 barris de quinto idem idem,
vindos no vaDor inglez Sculptor, entrado em 17
de Setembro "de 1888, a Manoel de Canuto Me-
deiros, com vinho tinto commum, medindo liqui-
do legal 5,0*8 litros.
Marca *R e contramarca estrella, 16 pipas
vindas de Lisboa no vapor francez Ydlc de Ma
ranhao, entrado em 15 de Dezembro de 1888,
Fernandes da Costa & C contendo vinho tinto
commum, medindo liquido legal 7,370 litros.
20 barris de quinto dem idem, aos roesmos,
com vinho tinto commum, medindo liquido le-
gal 1,800 litros.
Trapiche Largo da Assembla
Marca A 15 barris Je quinto, vindos de Lis-
boa no vapor inglez Scholar, entrado era 13 de
Outubrod 1888, Joo Fernandes de Almeila,
com vinho tinto commum, medindo liquido le-
gal !,35J litros.
Marca DD, 2 barris idjm idem, ordem, com
azeite doce, medindo liquido lega! 440 litros.
Sem marca. 2,810 botijas vasias, vindas de
Haraburgo no lugar norueguense Selma, entrado
em 24 de Noverabro de 1888, completamente que
bradas, a ordem.
3. seccao da Alfandega de Pernambuco, 17
de Setembro de 1889.O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
hERSONAGENS
Major Limoeiro. enfluencia liberal
Tenente-coronel Xico Bento, do Pa Grande.
Henrique, bacharel em direito .
Domingos, cscravo do Limoeiro.
Gregorio, professor publico da freguezia do
Bairo-Vermelho ...
Custodio Rodrigo, juiz de paz da mesma fre-
guezia ......
Flavio Marinho, inspector d quarteirSo .
Paschoal Bazilicata, italiano .
Rasteira-certa, capanga .'
Arranca-queixo c *.
D. Perpetua, mulher de Xico Bento.
Rzinha, sua filha .....
Eecravas e escravos da fazenda do Riacho Grande, votantes, capangas
etc., etc.
A accao passa-se no interior do Rio de Janeiro.
A comedia ornada de msica, jogo, etc., etc.
Dar comeco ao espectculo a zarzuella em 1 acto
Baixo de Capella
Pelos Srs. Rocha, Franca e D. Aliverti.
A excellente banda de msica de policia abrilhantar os intervallos.
Haver trem para Beberibe.
COMECARA, O ESPECTCULO A'S 8 Ij4.
O resto dos bilhetes venda no Theatro.
Rocha- a
O BENEFICIADO.
A. Peres.
Fran$a.
S. Ferreira.
Bibiano.
Julio.
Chagas.
Cruz.
Azevedo.
D. Angelina.
D. Mina.
Grande, votantes,
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R. DE DRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
London & Brasilian Bank
Limited
Roa do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre a3 cai-
tas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistas n. 73. N
Porto, ra dos Inglezes.
SEGUROS........................
MARTIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenii er
nambncana
RA DO COMMERCIO N. 38
Prado Pernambucano
Transferencia de ca-
deira
De ordem do Sr Dr. inspector geral. faco
scicnte ao professor publico da cadeira de enci-
no primario de Bell i Vista, em Granito, Antonio
Luiz Peixolo de Barros, que tendo sido esta
transferida, sem seu prcjuizo, para o lugar de-
nominado Carr.ncudo de Bodoc. tambem cm
Granito, por acto da presidencia da provincia de
6 do corrente, Ihe lica marcado o praso de 30
dias, a contar daquelia data, para tomar posse
e assumir o respectivo exercicio.
Secretaria da InstrucgSo Publica de Pernam-
buco, 12 de Setembro de 1889.
O secretario,
Pergentino Saraiva de Araujo Galvao.
Hospital Portuguez de Be-
neficencia em Pernambuco
34 n iiulversarlo
PR0G2AMMA DA FE8TA NO DIA 22 DO
C< KRENTE
A junta administrativa do Hospital
Portuguez de Beneficencia solemnisa o
34. anniversario da sua installa^ao, com
toda a pompa e brilhantismo dos annos
anteriores.
Das 9 horas da manha s 10 da nonte,
estar franco concurrencia publica o
nosso estabelecimento de caridade.
A's 10 e meia horas em ponto ter co-
meco a celebracao da missa em louvor de
seu Padroeiro S. Joao de Deus.
Das 3 horas era diante, e em elegantes
barraquinhas servidas por distinctas Se-
nhoras e ''avalheirotf da nossa sociedade
serao distribuidos os objectos expostos as
mesmas, mediante a esportula regulamen-
tar para ajuda da manutencao desta til e
p a instituido.
A noute ser o edificio, jardim e sitio
brilhantemente Iluminado a gaz, luz elctri-
ca o bal8es venesianos etc.
Durante o dia e noute diversas bandas
de msica e entre ellas as de diversas
sociedades particulares executarao as me-
lhores pecas de sen repertorio, prestan-
do estas ultimas com sua presenca maior
brilhantismo nossa festa de caridade.
A junt administrativa convicta do amor
e affeico que a pipulacao desta capital
dispensa a este Hospital espera que n
sua festa seja este anno urna das mais
brilhantes pela concurrencia a este certa-
men de caridade dando a esta festa tra-
dicional o peculiar encanto campezino.
Secretaria do Hospital Portuguez de
Beneficencia cm Pernambuco, aos 13 de
Setembro de 1889.
Cesara Acv.urcio. da Silva Papoula
Secretario.
Companhia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios a mercadorias
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejvizos.
CAPITAL
Rs. 10,000:0004000
AGENTE
BOWNi A C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
Companljia fce Seguros
comA ::::
NORTHERN
de Londres e Aberdacn
Posigao Gnanccira (Dezembro da 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
Reeelta annnal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. BoxineW,
PROJECTO DE INSCRIPCAO
Para o pareo
GR4NDE PREMIO PERNAMBUCANO
Na corrida que se realisar no dia 1. de Janeiro de 1890
SEGUNDO ANNIYERSARIO
INAUGURABA DBSTB PRADO
IM metros Animaes de qualquer paiz. PREMIOS: tt:000000 ao
primeiro, 1:500 e IOOOUO ao quarto.
Inscripco 400S000
Pagamentos em duas prestacoes, sendo a primeira no acto da inscripco e a
segunda no dia 24 de Dezembro de 1889.
NSo sendo realisada a segunda prestacSo fica considerado como tendo feito
forfait, para o animal inscripto.
Nao se realisar este pareo sem que ae nscrevao cinco animaes de proprieta-
rios differentes.
A inscripco encerrar-se-ha no dia 5 de Dezembro as 6 horas da tarde na Se-
cretaria do Prado.
Francisco de Souza JRetSy
GERENTE.
Recife, 21 de Agosto de 1889.
Companhia de edificado
Assembla geral
3.a convocaqXo
A commissao abaixo assignada convida
aos Srs. Accionistas a reunirem se no es-
criptorio da companhia, ao Largo Pedro
II, n. 77, 1. andar, no dia 20 do cor-
rente ao meio dia, atim de tomarem co-
nhecimenlo e resolverem acerca dos as-
sumptos j annunciados.
Sendo esta a terceira convcaselo e em
vista do | 3. do art. 15 da Lei n. 3150
de 4 de Novembro de 1882, consti-
tuir-se-ba e resolver esta Assembla
com qualquer numero de accionistas que
comparecer, seja qual fr a somma do ca-
pital representado.
Escriptorio da Campanhia de Edifica-
cao, em liquidaco, 10 de Setembro de
1889.
Joaquim de Oliveira Borges.
Jos Qomes Ferreira Maia.
Bernardina da Costa Campos \Junior
SANTA CASA
CASAS PARA AII <;Alt
Ra do Vigario Tenorio n. 27, loja 200*000
dem idem idem, 3. andar 180T0
dem do Rom Jess n. 8, 216*000
Ra Visconde de Albuquerque ca-
sa n. 61. 246*0 O
Ponte Velha n. 31. 168*000
liecco do Abreu n. 2, 1 andar 100*0011
Itua do Rom Jess n. 29, loja 240*000
dem idem a. 25, 1. andar 24O000,
I em idem 2 andar 240(XK) >
Rispo Sardinha nr 3, loja 168*000 ]
dem idem o. 11. 2 andar 240.000
Ra da Moeda n. 49 armazem 200*000
Idem do Mrquez dt; Olinda, 11. 44, so-
brado 2:131*000
Idem idem 33, idem idem 1:200000
Idem de Thcm de Souza n. 14, Io
andar 200*000
dem Imperial n. 131, caza lenca 360? 00
Beeco da Delenio (iiiciagua) 96000
AmboliilVarzia) 72*00"
i Lourenco da Malta 60*000
tOecco das Roias n. 14.1 andar 180*000
Thesouraria de Fazenda
iiibMiliiicao de notan
De ordem do Illm Sr. inspector, fago publico
que, na forma do edital desta Thesouraria de 17
ie Junho ultimo, no dia 30 do corrente mez
que termina a prorogacao do praso marcado para
a substituicSo sem descont das notas de 200*
da 5.* estampa.
Vencido esse praso, comecara o descont de
accordo com o preceituado pelo art. 13 da lei
3313 de 16 de Outubro de 1886, isto 6 : durante
os tres primeiros mezes 2 "0; at o 6. mez 4
0.0 ; at o 9. mez 6 /O ; al o 12 mez 8 0/0;
durnute o 13. mez 10 0/0, e mais 8 0/0 mensaes
d'ahi por diante at que as notas perclo de todo
o valor.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 9
de Setembro de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sanl'Anna
COMPANHIA
DE
North British Mercantil e
Insurance & C.
Estabelecida em 1809
IIWDEMFf IS AD ORA
Companhia de Sepros
martimos e terrestres
Entabeleelda eni IMi
CAPITAL l,00O:000#000
SINISTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de 1 84
Martimos.. 1,110:000#00G
Terrestres. 316:000$000
44Ra do Commercio44
Companhia Brasileira de
Navegado Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Para
Com mandan te Antonio Ferreira da Silva
E' esperiuu ,.o portos do norte ate
o dia 24 de Setembro e depois da de
mora indispensavel seguir para os
portos do su I.
As encommendas serao recebidas no trapich
Barbosa ate 1 bora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os GENTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante < arlos Antonio Gomes
&' esperado dos portos do sol at o
dia 27 de Setembro e seguindo depon-
a demora indispensavel para o^
portos do norte at Manos.
As encommendas so serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo
res trata-se cora os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
Royal
MARTIMOS
CHARGEURS REUNS
Companiifa Franceu
DE
IVavega^&o a vapor
uinha quinzenal entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio do Janeiro e
Santos.
O vapor
VilledeSan Nicols
Commandante Voisin
E' esperado da Europa at o dia 25
de Setembro, seguindo depois da in-
Idispensavel demora para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Rogarse aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das aivarengas
qualquer reclamacao concernente a volumes que
porveutura tenham seguido para os portos do
sul atira de se podet dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabiliza por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oheiro a frote: trata-se com o
AGENTE
Mail Stam Packet
Company
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
Espera-se da Europa at o dia 27 de
Setembro, seguindo depois da demo
ra do costume para
RahJn. Ro de Janeiro tloocvf
do e Biienos-Ayre*
Para passagens, fretese encommendas trata
se som os AGENTES.
O vapor Don
E' esperado do sul no dia 29 de Se-
tembro, seguindo depois dademorw
___necessaria para
Lisboa, Vigo, Santbampton e Antuerpia
Reduccao de passagens
Ida IdaevoUo
A' Lisboa 1> elasse 20 30
A' Soulhampton 1* elasse t 28 42
Camarotes reservados para os passageiros d<
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-3<"
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JeanaN. 3
'co;PA.\UU PEBTVAHBUCANA
DE
Vavesaoo eosteira por vapor
P0R10S DO SUL
Maeei, Penedo, Araeajii* e Baha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segu no dia 24 de Setembro s
8 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 23.
Encommendas, passagens e dinheiros frete.
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes^ da Companhia Pernambueano
n. 12
co
UAN I I
IX.il
HCi>
Agusle Labille
9RA DO COMMERCIO9
8!
Capital subscripto
Fundo accumulados
para
2.300:000
sinistros *-1.842:341
4.342:344
' Agente em Pernambuco
N. J. LIDsrONE
O Ra do Commercio l o
00NTRA FOGO
The Liverpool k London & Globe
HTSURAI\TC2 COMPANY
SLACssva mmu & C.
lina do Commercio n. 3
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado de New-York
at o dia 19 de Setembro
too qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
ilaha. Ro de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a Irete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
ls andar
Aviso
De ordem do no?so irmfio juiz, convido a to-
dos os negaos canssimos irmos para compare-
cerem no da 2: do corrente mez, s 10 horas da
manh, afim de IraUr-se de assumpto de gran
de iuteresse para a uoss irmandade, o qual nao
udmitte demora.
Consistorio da veneravl irmandade do SS. Sa-
cramento de Afogados, 9 de Setembro de 1889.
O escrivao,
Tbomaz Domingues Tavarcs.
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Arves
N. 1 Ra do Bom lenas W. 1
SEGUROS MARTIMOS V. TERRESTRES
Nestes ullirao3 seguros a nica companhia
nesla praca que ncede aos Srs. segurados serap-
eio de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 18 por cento em favor dos segurados
Companhia Bahiana de Na-
vegacao a Vapor
Maeei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O vapor Sergipe
Cemmandante Rebello
E' esperado dos portos cima
al o dia 21 do corrente, e de
pois da demora do coslume re-
,cressar para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinntJi-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17_______
Pacific Sieam Navii^ation
Company
STRAITSOF.MAGELLAN LINE
O paquete Potos
Espera-se da Europa at o dia
2 de Setembro e seguir de-
pois da demora do costume para
Valparaso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros,' encommendas e di-
uheiro a freie : trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons k C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
El
DE
IVavegafio eosteira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Jaguaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 26 de Setembro s 5
horas da tarde. Recebe carga at o
dia 25.
Encommendas, passagens e dinheiro frete.
at s 3 horas da tarde do dia 26.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucanu
n.12
COMPANHIA
ICA>A
un
DE
NavegaeSo eosteira por vapor
PORTOS DO SUL
RioFormosoe Tamandar
O vapor Pirapama
Commandante Carvalho
Segu no dia 26 do corren-
te s 5 horas da manh Re
cebe carga at o dia ..
Passagens at s 3 horas da tarde da vespera
da sahida.
ESCRIPTORIO
io Caes da Companhia Pernambucano
n. 12
LE1L0ES
Quinta-feira, deve ter lugar o de movis,
instrumentos, papel e biscoutos no armazem da
ra do Bom Jess n. 45.
Leilo
fabrica Apollo, per
fallida de D. Mari
De mercaderas da
tencentes massa
Amelia da Cunha
Constando N
de 47 resmas de papel (abaco, 2 garrames com
acido sulfrico. 30 resmas de papel de impres-
so, 2 aitas -de papel porcellana cario, 1 lote
de papel cor de canoa para copia, 3 lotes de pa-
pel para iuipresso, 1 rolo de dito, 7 resinas de
papel br.ini-o Uno, 1 lote de dito dito, 13 resmas
de diiodito, 1 lote de papel braneo carto, 1 lo-
te de papel prelo lustroso, 3 resmas d^ papel
azul, 1 lote di- papel ro.-a para opiur, 1 lote dr-
papel azul para nnpressao, 1 lote de papel roxo
carlo 31 resmas de papel tabaco, 31 resmas de
papel para embrulho 1 me*a para charul'ro, 2
divisoes para mesa de cliaruteiro 1 machina Mi-
nerva alema u. 146, 1 machina d luslrai papel.
1 dita iconogramma, 1 dila de esmeril para des-
batar ferro, 2 Irilhos de ferro. 1 moinho de ferro
para gementes, 1 lata de glycerioa. 2 poliafi
grandes, l dita pequen, 1 mathia de liltrar
fn 1 veanle di- ferro. 1 bomba excntrica, 3
maocai's para yrilhes, 2 ditos para ditos, 1 tan-
que peque' o de ferro, I moinho ventilador, 1
frensa grande de ferro, 1 armneo rie ventilador,
peneira vrande u vapor, 1 pedra de esmeril, 1
prensa e perlences 3 prensas estufas, 1 volante
de ferio com rabo de madeira, i dito, 2 carre-
las, 3 mancaes, 1 agulha.o pequeo, 2 bancos de
ninho, 1 caixa com lampa para deposito, 4 co-
lumnas com carriteiide ferro, 1 p de machina
de esmeril, 1 pei;eira de rame com pobas de
madeira, 3 canos de cobre de 1 e 1/2 polegada3,
4 cannos volteados, 9 saceos de estopa com la-
linhas, 48 telhas de ferro pequeas galvanisa-
das, 6 ditas yrandes, i cano de cobre grande
trunos de ferro, 1 chamin nova de ferro, 1 ta-
cho de ferro fundido, 1 pedra pequea para re-



.



I

I
6
bolo, 13 untas.Dura deposito de oleo, 3 cubos
para > de
da,
prensas hvdraulicas, 1 macbioa para api atoar
taboas, 1 lachi < para bater oleo, forra-
do de madeira, 2 bancos, escada, i banco com
rmeira, 1 lacho grande de cobre e ferro a vapor,
mantejour, 1 tanque de ferro grande e 14 la-
tas com glyeerina.
lulntu-reiru. 19 do correte
A's 10 e 1t2 horas
O agente Gusmo, autorisado por mandado do
Exm. Sr Dr^juiz de direito do commercio, far
leilao das niercadorias e mais objectos cima
descriptos, existentes na Tibrica Apollo cita a
ruado Hospicio u.. petlenccnles massa fal-
lida acuna mencionada, o qoal ter lugar na mes-
ma fabrica em presenga do respectivo juiz.
Leil
ao
no Espi
no Espi-
De predios
Urna casa terrea, grauie, 4 ra imperial n.
14.
Urna dita ra do Pocir.no o- S8.
Urna dita a ra do Pocinbo n. 30.
Urna dita ra de Nunes Machado,
nheiro, n. 16, mide. 22*000.
l'raa dila ra re Nunes Machado,
nheiro, n. 18; rende 25*000.
Estes predios veiidem-se livres e desembara-
jados Os Srs. preteodentez podem desde ja
vel-os.
Mais uin terreno com 50 palmos de frente e
500 de Tundo na ra da Kegeneragio, na Agua
Fria.
tilinta feii-a 19 do corrate
A's 11 horas em ponto
No pateo do Paraso n. 26 _
Diario de
Aluga-se o sobrado a n;;. do Coronel Su-
asfm todo ou em separado, tem boas
u9t e esgoto pelo novo
eyhtema, a tratar ra do Imperador n. 55.
as 3 horas da tarde, e dopois a qualquer oo'ra
no Paysand n. 12 sob-ado junto a capella,
Precisa-sc de
vasio Pires n. 23.
un criado ; ua ra de Ger-
Vende-se na praca do Capim n. 149, fre
guezia de Afogados, una tavenia bem localisada
e fazeodo boui negocio ; o dono s vende por-
que precisa retirar-so para fra, e quem jul-
gar-se com pretengao le dirija mesma.
Na engenhoca t Bemlica, 6 ra Real da
Torre n. 21 precisa se de um criado para o ser-
vico da mesma, de iace de 16 para 18 annos.
Carvalho Lisboa
Pede-se ao grande ictor Lisboa que no seu
benetlcio que realisar no sabbado, peca ao seu
distincto collega o intelligente actor Lyra, para
que leve a sceha comci o Sr. Domingos fra do
serio A um e a ou'.ro ictor, licar obrigadissi-
ma a
Classe caixeiral.
Leil
ao
De orna mobilia de junco, 13 radeiras de dito
3 espelhos sHdo um oval, 1 mesa elstica de 5
taboas, 1 aparador grande 2 ditos com pedrsg, i
sof, 5 quadros, 1 toilette de Jacaranda com pe-
dra, 1 lavatorio de dito com dito, 1 guarda ver-
tidos. 1 guarda louca, 1 cama para casal, 1 cabi-
de, 1 apparelho de electro pate, algumas joias,
2 lustres de erystal, 6 gaeras.
<|iii ata-i eir. 19 do corrate
A's 1 < horas
Ra do Raro da Victoria n 59, armazera
O agente Stepple por mandado e issistencta
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito e orphos a re-
Suerimento da inventarianle dos bens de seu
nado marido Joo Jos da Silva levar a leilao
os objectos cima os quaes foram transportados
do Caminho Novo,
Leil
a o
De movis de Jacaranda, 1 piano, i importante
serafina, jarro?, louca e vid ros.
Constando de una bonita mobilia de Jacaranda
(a balo) com radeii-ys de balanco e conslos
com pedra, quasi nova/1 piano forte, 1 rica se-
rafina propria paca Capella. 2 peres de jarros fi
nos, lanternas. quadros, 1 cama franceza. 1 bo-
nito guarda vestidos de amarello, lavatorio, ca
bids, maquezo, 1 carteira e tapetes
Urna mesa elstica, aparadores sof de ama-
relio, cadeiras de Junco, louga de jarftar, dita de
almoco, copos, cauces, garrafas, compoteras,
consolos de amarello, bancas para jogo, candiei
ros e outros mudos movis.
Itiiluta-feira. 19 do corrate
AS 11 HORAS
No 1. andar do sobrado n. 14 a ra Baro da
Victoria antiga ra Nova
O agente Martins. far leilao por ordem e con-
ta de urna familia que le retirou d'esta cidade,
os movis existentes em dito sobrado que 3ero
rendidos
Ao correr do marlello
Sitio na Torre
Aluga-se um sitio com casa para familia, caia-
da e pintada, com bastantes arvoredos, e prego
razoavel, na rna da Torre n. 6 : a tratar no Re-
cife, caes do Apollo n. 43, oscriptono. _____
Casa emJaboato
Alga-se urna casa com commodo3 para
familia, caiada e pintada, por prego razoavel, na
ra Duque de Caxias n. 15, era Jaboato ; a tra-
tar no Recife, caes do Apollo n. 45, escrip-
torio.
Cosinheiro
Precisa-se de um cosinheiro ; a tratar na ra
de Paysand n. 19 (Pagem da Magdalena).
A o commercio
Cljristovao PaulinoVieira da Cnnha declara a
quem intereasar possa. que vendeu o seu esta-
belecimento de raolhados sito travessa do
Pombal n. 16, vre e d'ietnbaraptdo de qual-
quer debito : quem se julgar credor aprsenle
snas contas no praso de tres das, a contar de
boje. Recife. 18 de Setembro de 1889.
Christovao Paulino Vieiro da Cunha.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de
pequea familia ; a tralar na praca de Conde
d'Eu n 32, segundo andar. _____________
Previne-se a quora quer que arremate as casas
ns. 28 e 30 do becco do Kociaho, e 14 da ra
Imperial, foreiras marinha, que esto sujeitas
a um litigio judiciario em grao de revista, pen-
dente de julgamento.
Os consenhores.
Leil
ao
1 piano, jarros,
novos, papel,
rouparia, 6
1
De urna mobilia de Jacaranda,
espelhos, quadros, instrumentos
cadeiras avulsas. 1 theatrinho,
classes e mu i tos nutros movis.
QUINTA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO
A's 11 horas
Ag-ente I*into
Ra do.Bom Jess n. 45
Leilao
De 00 latas com biscoitos
lililta->ir. 19 do corro
Agente Pinto
Ra do Bom Jess n. 45
ite
Agen
te Britto
Leilao
De 1 armaglo envidragada, 4 liteiros, 1 dito
r.ra balcao, 4 quadros, 1 realejo com 6 pegas,
requinta, 1 candieiro moderno para kerosene
1 lampeo para porta, 1 prado, Jeques, eaparti-
lhos. bicos, fitas, hotes, linlias e mais sorti
ment de miudezas, perfumaras, charutos, ci-
garros, ponteiras, cachimbos, 1 relogio, I balan-
ja, 1 escada, e muitos outros objectos que se
venden) ao correr do marlello, existentes na
loja sita no pateo do Terco n. 19.
Seita-felra do correte
As 10 Ii2 horas
Leil
ao
Agente Britto
De 1 mobilia de Jacaranda, 1 espelbo oval, 4
quadros, 1 cama franceza, 1 toilette, 1 commoda,
marquezes, 1 lavatorio 1 guarda louca, 1
sof e 12 cadeiras de amarello, i mesa elstica, 1
marqueza, 1 relogio de parede, 7 jarros linos, 5
tageres, 4 lanlernas, 8 tapetes para sof e porta,
1 candieiro de suspenso para kerosene, 2 can-
dieiros para kerosene, louca para almogo e jau-
tar, clices, copos, fructeiras, garrafas, compo-
teicas, i galheteiro, 1 cabide, escarradeiraa, 15
ps de crotons, 6 ps de roseara, bandeijas finas,
Sacias. 1 jarra, regadores, mesa para cosinha e
outros objectos, perteocenles a urna familia que
retirou-se para fra da provincia.
Sabbado 1 do corrate
A's 10 e 1\2 horas
Ra do Jasmim n. 25
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se a casa da ra das Flores n. 18,
com 3 quartos; a tratar na ra Nova n. 3'J,
loja.___________________________
uga se o 1 e2- andares a ra da Roda
li. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conserragto ; a tratar na ra do Rangel nu-
mero 63.
Moga se o erando sobrado n. 12 ra de
Fernandes Vieira, na cidade de Olinda, o qual
se acha em perfeito estado ; a tratar na ra da
Imperatriz u. 61, loja.
Alaga Be para passar a fesla urna boa casa
com commodos para familia grande, margem
do rio Capibaribe, no Ambol, freguezia da Val-
sea, tem a frente pintada de vermelho. defronle
da (averna, est limpa ; a tratar em Olinda, sitio
defronte f'a igreja de N. S. do Guadalupe, ou nos
domingos na mesma casa.
Aluga-se a casa da ra Imperial n. 117
com commodos para familia, e prego razoavel ;
a tratar no Recife, caes do Apollo o. 43, escrip-
torio.___________________
Aluga-se o 2- nadar do sobrado n. 37, sito
rua Duque de Caxias, com commodos sufli-
cientes para urna grande familia; a tratar na
ra de Santa Thereza n. 48, est caiado e pintado
de novo. ______________
Precisa se de utn caixeiro com perfeitoco-
nhecimento de retallio e que de o de sua con-
ducta ; a tratar na roa de Bemlica n. 7, onde
tambis se precisa de um menino de 12 a 14 an-
uos, em iguaes condiges.
Urgencia
Precisase de perfeitas costureiras para ves-
tidos : na ra da Uoiao n. 34.
Especialidades
DA LOJA DA BA DA IMPEBATBIZ N. 80
Ricos espelhos dounidos ovea para salas
a oOiJOOO.
Bonitos candeiros americanos para sal2,o
a4@,9000.
Ditos menores a 155000.
Ricos cortinados de crochet, grandes, para
camas a 300000.
Cortinados de cores, phantasia, para ja-
nella, metro a if>80.
Ricas bandejas esmaltadas de madreperola,
terno 180000.
Lindas cambraias arrendadas, finas, para
vestidos.
Candeiros de pS, inexplosivos, de Berlim.
Especial oleo Mga-Jlife para o cabello,
frasco 10000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dous
pospontos a 120000.
Sapatos para casa, esoeciaes para doente
a 500 rs.
Flores artifciaes.
(ialoes pretos com vidrilhos, pregos sem
competencia.
LSs de quadros, covado 160 rs.
Etamiaes dq 12, duus larguras, covado
10500.
Grande sortimento dij perfumarias, miu-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL A C
Tavarna
Vende-w ou aluciase com arma^o a casa
Pombal n. H, propria para principiante por ter
po;ico fondos, aluguel mdico ; Irata-se com
Bernardino i ampos, no Caminho Novo._______
Atten^ao
Ernesto & Le jpoldo fasem publico que em
fins do mes passado deixou de ser seu caixeiro
o Sr. Jos6 Rodrigues dos Santas, e por isso nSo
pode elle mais praticar dssde aqirella data acto
alguraem nome delles. _______
Attencjio
Aluga-se orna casa propria para estabeleci
ment, com armago, em um dos melhores pon-
tos da freguezia de Afogados, a qual acaba de
passar por urna grande rectificaco ; a tratar no
pateo da Paz n. 96._____________________
Aos inteiressados
Estando annunciada para o dia 19 a venda
em lilfio, asente Brito, de duas casas lerreas
no Espinheiro, ns. 16 e 18, venho declarar aos
nleressados, que ditas casas estao em litigio,
por quanto inlerpoz o competente recurso de
revista, que ter provhnento, como 6 de justiga.
E, caso seja negada a revista, tenbo recurso
na lei para reivindicar o que me pertence, esteja
em poder de quem estive-.
Recife, 17 de Setembro de 1889.
Francisco Cecilio F. da Silva Guimaraes.
Tigipi
(onxlanlino de S Brrelo
Convida se a este senhar a comparecer a roa
do Bom Jess n. 23, pa-a prestar contas das
cobrangas que fez no termo de Agua Preta, em
Margo prximo passado._______________________
Est para alug-ar
a casa assobradada da ra Joaquim Nabuco n.
ii (Capunga) muito fresca, com agua, gaz. bom
quintal, e todos os commodos para grande fami
lia. Na mesma dir-se bu com quem se trata.
Libras sterlinas
Vende-se libras sterlinas ; na ra do Com
mercio, armazera n.5.
CA,
DE
JAGUARIBE
a4|>a barrica
com o abate de_10o|" em porg5es mais de
10 barricas.
A RA DO BOM JES.US N. 23
Gneros italianos
Vermoulh de Torino.
Fernet Branca (verdadeiro).
Manteiga (em latas*.
Ateite doce. 1 qualidade.
Mortadella de Bolonha.
Anisette (licor).
Qaeijos, parmejano e rjggiano, etc., etc.
Ra do Bom lesus n. 61
Ao cor un tercio
Gomes Filtra & C. d'clrrara que coraprarsm a
Christovo Paulino Vieira da Cunha o seu esta-
belecimento sito trViHa d^j Pombal n. 16,
livre e desembaragado le quilquer> debito .
quem se julgar credor, aprseme suas contas
no praso de tres dias, a contar de boje.
., Recife, 18 de Setembro de 1889.
Gomes Fillio & C.
Engenkteiro Amonio Vctor de
H\ Brrelo
D. Francisca Natalicia Cavalcante Brrelo e
seus filhos, agradecidos de coragao s pessoas
que acompannaram ultima morada o seu pre-
zadissimo esposo e pai, Antonio Victor de S
Brrelo, convidam aos scus prenles e amigos
para assistirem as missas que pelo repouso ter
no de sua alma raandam celebrar na matriz da
Boa-Vista, quinta-feira 19 do corrate, s 8 ho-
ras da mann. _____________
_.;*.-

R MATSMO
Irapnrezu 19, Eropces, Escrfr
ate-s, Ififts, Sipiii
e oa i
eruptiva o a vonorea
':. .\
SALSAPARRLflA
DE BEISTGL
0 Remedio de Familia por exceJlenda!
Ao clero
O culto catholico com solemnidade sem minis-
tros sagrados, pelo bispo d'Angra, 1 vol. 50OO.
Com este livro ficam habilitados os reverendos
vigarios e curas capellaes a celebrarem em suas
igrejas, por mui pobres que sajam, as principaes
festividades se nao com pompa, cora simplicida-
de attrahente. Vendem Ramiro M. Costa &C,
na livraria Contempornea, ra de Margo nu-
mero 2o __________________________
Quem precisa ?
" Aluga se urna casa em Beberibe : a tratar no
trapicne Vianna, Forte do Mattos.
P
Ao commercio
. abaixo assiguado declara a quem inters-
r possa. que nao 6 responsavel pela firma de
Souza Miranda C. Recife, 16 de Setembro de
1889.,
Lourengo Fernandes Braga.
D. Joaquina dn Silva
Antonio Jos Ramos, Joaquim Jos Ramos,
Bernardino Jos liamos e Olympia 11. Cavalcante
Ramos e filhos, possuidog de profunda dor pela
infausta noticia de haver fallec o em Portugal
sua sempre chorada mi, sogra e av, D. Joa-
quina da Silva, contidam a todos os seus pa-
rentcs e amigos para assistirem as missas que
pelo eterno descanso da mesma senhora man
dam rezar na igreja de N. do Carino, quinta-
feira 19 do correte, as 7 horas da manba, por
cujo acto de carMade e religio Ibes lcaro
eternamente gratos.___________________________
Adalberto eilnimiuo da Mllva
JoSo Fraucisco deOli>eira, Josephina Jovita
Belmira de Oliveira e Julia de Oliveira Barbosa,
cunhado e irmSes do fallecido Adalberto Bellar-
mino da Silva, agradecem do intimo d'alma a
todas as pessoas que o conduziram sua ultima
morada, e de novo convidara aos amigos e col-
legas do fallecido, assistirem a missa que
mandam celebrar no da 19 do contrate, stimo
do seu passamento, s 7 horas da manli, na
igreja de Santo Amaro das Salinas, pelo que
desde j se confessam eternamente agrade
cidos. ___
Cbpreto superior
0 meior que lia no mercado
2$000 a libra
Carlos Sinden esta vendendo por este prego
para liquidago de facturas.
Tem tarnbem um grande
sortimento de camisas, colla-
rinhos, gravatas, meias, ca-
misas e seroulas de la e de
algodao, que vendem-se por
precos sem competencia.
US
Ra do Baro toria
f
D. i'aiiomeiin Carolina de l'i-
fuelrcdo Carvalko
Manoel Lopes de souza arv alho, seu filho e
mi, Joo Paulo de Carvalho, Dr. Jerooymo Ma-
terno Pereira de Carvalho e sua mulher, Ocla
viano Augusto de Figueiredoe sua mulber, An-
tonio Cesario Moreira Das e sua mulher. Carlos
Joo de Souza Correa e sua mullier, roesto t-
de Figueiredo, l>. Mara Cufollna efe Figeiredo,
D. Maria Senhorinha da Silva, Jos Victor da
Silva naeniel e seus lhos agradecem a todos
quantos se dignaram de cooduzir ultima mo
rada o cadver de sua prezada esposa, mi, ora,
irm, cunhada e sobrinha, D. Philomena Caroli-
na de Figueiredo Carvalho ; e de doto os con-
vidara e aoS demais prenles e amigos para as-
sistirem as missas que por sua alma sero reza-
das na matriz da Boa-Vista, s 8 horas da raa-
nh do dia 21 do correte, stimo do seu pessa-
menlo. ____________
t
Antonio Maria Marques i-Vr
reir
Manoel GoogaWes Marques Ferreira, Zeferina
Candida Ferreira, Antonio Maria M. Ferreira.
Jos Marques Ferreira. Deraingos Marques Fer
rura, Mariauno Marques Ferreira JulU Amalia
Ferreira e Mana Thtodora da Assurapgo Fer-
reira, Atina Ismeni Ferreira e Eugenia Gongal
ves Ferreira, lilhos, til lias e oras do finado An-
tonio Maria Marques Ferreira, agradecem do
fundo d'alma s pessoas que se dignaram con-
correr ao enterraraento do mesmo finado, e ro
gam-llies de novo, bem como aos amigos e pa
rentes do fallecido que queiram assistir as mis
sas que em tengo de sua alma mand*m rezar
segunda fi-ira 23 do corrale, na matriz da I oa
Vista, s 7 1/2 horas da man lia. ____
t
D. Clementina loo Santo
Becerra
Cleraentrao dos Santos Lluo Sement, D. Ma-
na Jos do3 Santos Seraentes e Augusto dos
Santos Sement, pai, madrasta e irmo de D.
Clementina dos Santos Sement, fallecida a 13
do corrrente em Ci-mossim de Bezerros, profun
damente sentidos por to cruel golpe, mandam
celebrar missas por alma da tinada, s 8 horas
da maulla de 20 do coete na matriz a Boa
Vista e na igreja de ff- S. da Pcuha ; e para as-
sistir a esses actos convidara aos seus prenles
e amigos, confessaudo se lhes desde j agrade
cidns.
t
Bernardino de Nouia lluarl.
. Antonio dr Soasa Duaile Ferreira, DomiDgos
Gomes C irreia e Arthur Gongal ves Mages, ir-
mo e amigos .de Bernardino de Souza Duarle,
fallecido na Ilha da Madeira, couvidnin aos p-
renles e aos demais amigo do pranteado tinado
para assistirnni as missas que se tin de rezar
terca frira 24 do correte, s 7 horas, na igreja
de S. Francisco 40. dia de to infausto passa-
mento. Para o mesmo lim convidam as a.-socia-
ces e inuandades s quaes pertencia O finado,
lelo que se confes^ara a todos .eternamente gra-
lo- or e*te acto de raridade.
T
m
Baebarel Joaquim Ciuenue da
atea M-ii
Feliciana Lins Wai.derley e Mello, Joaquim-
Gueunes da Silva e Mello, Illuminata Guenne.-
Lms YV'ttoderley. Sancha Gm-nnes Wiiiderley,
t|iii>hanio Guennes, EsnieraldoGuennes, Rober-
to Gui nrii'S, aetana Guennes, Albertina Guen-
nes, Balbina Umhelina de Mello, Mxnot-1 do Nas-
cimento Santos agradecem do intimo d'alma a
todas as pessoas que acompanharam os restos
mortaes de seu sempre pranteado esposo, pai.
Hlho e entrad. Duchare! Jaqnim Guennes da
Silva Mello sua ultima morada e de novo as
convidara assistirera a raissa que pelo repouso
eterno de sua alma mandam celebrar no dia 20
iio con ente, pelas 8 horas da maulla, no conven-
to de S. Francisco, confessando-se eternamente
gratos. ___________
L_
PEITO
Administrando diariamente urna injeco&o I
sobcutana com o conteudo de urna seringa
de Prawiz (modelo Le Brun) che/a de
EUCALYPTiNA LE BRUN
ou tomando cada dia 6 capsulas de
EUCJ.LYPTINA LE BRU J
curase a Tsica,as IfroucJiites \
e os Cathuyi'9n pulmonares
i ZSacalyptlna Lo Brun cao ctnttm morphina.
IjH B3UN, Phiirmaicutico-r.himico
PAHJS. 50, Faubourg-Yontmarlr. PAI
Em Ffimintufa .-1" iis sr_\
NOVIDADE
No Bazar de movis roa do Barao da
Victoria n. 49, acham-se em exposi$ao
lindos objectos de phantasia fabricados em
Vienna d'Austria os quaes sao baratas,
visto seren vendidos por conta de seu fa-
bricante.
SILVA FERNANDES & (.'.
Mofina
Francisco Rapozo Falcao empregado do Cor-
reio venha restituir os movis ou o aluguel
d'estes visto j fazer 9 annos.
F. J. da G. F.
Pede-so a este Sr. que venlra restituir a conta
que recebe-u para ser entregue.
Aos interessados
As casas ns. 16 e 18 do Espinheiro me foram
adjudicadas pelo juizo do commercio escrivSo
Franklim e eslou na posse dellas legalraente. A
revista interposta por Francisco Cecilio F da
Silva Guimaraes em causa de 2:700OOO nao tera
cabimento por caber na algada e tendo sido in-
terpc3ta rescisoria no cabe mais aegao alguraa.
ssa a verdade que pode ser verificada por
quem quizer.
Recite. 18 de Setembro de 1889.
Mara Joaquina das Dores.
AttenQo
G arrendatario da casa n. 30 do becco do Po-
cinho tem bemfeilorias aulorisadas pelos come-
nhores della.
n
RfwrEB.
L ERO Y
Popular; m I .-'.'fJ, na -tlBRICi,
noSSAZIt,
I onde sSo ta i Junta ta Hygiene \
'.-'.i.'i'x.an ^
ItXodlcc^lo lSepiratva o Re-1
I coiatitniuto dando loda a fcil
I pare i oar. Lo, c
I -c eurar cu. p> u
upedo
a.n
* GT,'
vom : :o:eBtJr.9
CUrai at. /
Pili^teioy
Sstracta coneent-do do* Beoi>
dias liquido* podn .los.
para as pe; repu-
gnancia par.i ns los.
SSo iiif.'l. .l.-ihnta,
Catarrlto, Oiita, llheunwiimito.
Tumores, llirras, Venia lo
ajipctite.Fehies, CongestBes,Mo-
lestias tl Vei'mpftiitltfes, Meoiit'<*'!, etc.
'NftO-SEOEVE
qualf]u L>vrr o eii'"ref^o da
Ph"* 0TTBI, genro do sir. Le Boy
Ra do Se.iu',51, 1'AttlS
?fgfffff^
Dspoarro m todas *s piiaiimiciah
Para a cura tffica* t prompta do
Molestias provenientes de im-
pureza do Sangrue.
- E' urna loucura andar a fazer expe-
riencias com mistaras inferiores com-
postas de drogas ordinarias ou de plantas
indgenos cuja eficacia nao fi confirmada
pela scicncia, omquanto que a molestia
coda vez val ganhaoilo terreno.
Lancera mo, sem demora, de nm re-
medio garantido cuja efflcacla seja facto
assignalado e inquestionayel!
O Extracto Composto Coxcentrado
de Salsaparmlha de Ayer conhecldo
e recommendado pelos mdicos mais in-
telligentes dos paizes adiantados, ja
durante 40 annos,
Centenas do milhares de doentes
tm colbido beneficios do seu emprego c
sao outras tantos t elficacla positiva e incomporaveL
preparado pelo
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Kst.-Unidos.
IUPOS1TO '^:'fI>J,
Preci.-a-se de urna ama para eozinbars ra de
Pedro Alfonso n. 71*.
Ama
I rec.isa-fe de urna ama <]"* cosinhe bem ; a
tratar no largo das i meo l'oulas n. 128.
All ?!
Frecisa-se de urna ana para cosinhar e com-
prar ; na ra Nova n. 20. lojp. .______

iltcl
Precisase de una ama para comprar e cosi-
nhar, preferindo-se que durma em casa : na ra
neva de Santa Rita n 73.
Ama
Para cosinhar, precisa-se na ra Velha nume-
ro 137.
Al
uga-se
urna casa junto a eslago de A^na-Fria, em Be-
beribe, tendo 2 salas 3 quartos, cosinlia, des-
pensa e um banheiro; no sitio tem diversas
fructeiras ; a tratar na ra dos Coelhos n 10.
Aluga-se
Por prego baixo o 1" e 3 endares do sobrad<
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosario n. 34
botica.
Aluga-se
casas rua Luiz Reg n. 47-A, Caminho Novo
n. 139-B ; a tratar na mesma ra, padaria Ber-
nardino Campos. ________
Aluga-se
a loja do predio ra Mrquez de Herval, tra
vessa do Pocinbo n. 33. propria para estabeleci
ment commercial por ser dn esquina ; a tratai
no largo do Corpo Santo n. 4, i- andar.
'Aluga-se
o 2- andar da ra do Rangel n 60, com agua t
gaz, e a casa terrea ra Visconde de Goyima
n. 65 ; a tratar na ra do Bom Jess n. 57_._
Alugue barato
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Uananes n. 43, armazera
Largo do Mercado luja n. 11.
Becco do Campello n. 1, 1 andar.
Visconde de Goyanua n. 167. cora agua c gaz
Loja do sobrado do becco do Calabougo n. 4
A tralar ra do Coraraercio m. 1- auu
esenptorio de Silva Guimaraes 4 C. __ _
Taverna
Vt ndc-se urna pequea tavernp bem localiza-
da, cora poucos fundos, propria para prinii
piante, tera coraiuo ios para pequea familia
para infurniacOes, ra da Concordia n. 163.
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro com alguraa pratica
de taverna. de idacle ue 12 14 anuos ; a tratar
na ra de Santo .-.raaro n. o, entrada do becco
do Caj._____________________________________
Boa Viag-em
Aluga-se urna casa de coustruego moderna e
bem asseiada, com bastantes commodos e mo-
buhada, sitio murado e nem arborisado. com
porto de ferro, e situada na raelhor localidale
da mencionada povoago ; a tratar no largo do
Corpo Santo n. 4, andar.
Duque de Caxias, por cima do Diario de
Pernambuco, precisa-se de urna ama qe
saiba cozinhar bem. _________^______
I3ara engenhos
Lopes & Araujo, vendem
a precos sem competenciay
garantindo a boa qualidade,
os artigos abaixo menck>~
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosive.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas.
Ra do Lmamento n. 58
Teiephone 316
Tralamcnto radical em 6 da
DAS
BLENOKRHAGIAS AGUDA
CHRONIGAS
(VULGO, PUKGACO)
DO IIOHE3 OU DA IIILHEB
E da leucorrha ou jires branca
Pilulas Resino-Balsmica
E
lojecco ni-Bienorrbagca
PREPARADOS jPOR CALASANS & C,
PEODUCTI 8 APPKOVADOS PELA
INSPECTORA GERAL DE HYGD31TE
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom exite
durante dez annos, assignala a estes don
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens proscriptas, o primeiro lugar entre o
medicamentos estudados e preconisado
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas sao supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao iia-
pedem nem difficultam as funcg5es destr
orgao.
A injeegao anti-blenonhagica nHo ab-
solutamente irritante e por isso nao tem o
inconveniente das actualmente empregadae
e nSo produz estreitamentos.
Nlio publicamos o grande numero d
cartas, attestados e agradeciinentos que te-
mos recebido para nao oFender aos nosso
clientes, mui tos dos quaes sito pessoas nrai-
to conhecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellerte preservativo contra ja
molestias secretas.
Modifica e faz dcsappareccr o mo cheiro
das regras.
Preparados por Calasans & C, Phar-
macia Imperial, Baha.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C.; ra
Mrquez de Olinda n. 23.
ttencio
O grande e imporlante estbelecimento di
Pogas Mendes & C, sito ra estreita do Rosa
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de rec ebf
urna grande remessa do enditado e e.-pecial
Vinho Maduro
0 nico que, sera a niinima confecgo, e iu.
portado neste mercado, e sO se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar s
torna cada vez mais procurado aqu. Queren,
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro sendi
como, feito nicamente da uva madura, tea
as seguintes vanlagens que as outras qualidade.-
de vinho nao tem ; facilita sem a menor-pertir
bagio a3 digestOes do estomago, anda mesim
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nuli*
aolhos vistos as pessoas debilitadas, ed forcaf
s que as tiver arruinadas pelo uso da bebida:-
viciadas.
Recebemos tambera
Requcij
ao
em latas, de procedencia de engenhos. cujo.-
propriitarios caprkbaui ira bem trabslliar nesli-
artigo, afira de terem a priraazia sobre lanto>
oolros similares, cuja roinposico duvidosa.
Em outros artigos como tenientes de hortaliga
c flores, linguas seccas do Rio Grande, objectos de
time e tumancos do rorto para lemeos e senho-
ras, para sio lo pouco temos competidor,
nossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que muito nos honraro. Aps urna inliiii
dade de artigos de primeira ordem, que achara
se em exposigfio, acresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que no,-
honram com a su presenga, junto a modicidadf
de pregos sem rival.
Ba estrella do Rosarlo b. 0, Junte
a igreja
Po^as Mendes & C.
Mudou-se
a sellara inglesa de Domingos Jos Ferreira A
C. para o pred n. 5- & mesma ra Baro da
Victoria
INSTANTNEA
MAH/A REG1STHADA)
Tiuta de copiar sem prensa
52Ra do Amorim52
KSMTY RODKIGUES & G.a
Esta mara\ilbosa tinta de copiar a MAIS
TIL desceberta americana, imprenrindivel
a (odas as pestoas que enrrevem e
que. sera uso da classica e tradicional prensa
le copiar, denejam guardar copia ui-
lida. inallaravel de seus trabalBO
maiiumcripto*).
A ii%TA.>"TASEA o mais prompto auxi-
liar material para a Correspondencia Com-
mercial ou particular, porque simplificando o
trabulho dimiuue-lhe lempo: oescripturarionae
necesita sabir da sua carteira ou mesa para le-
var o manu-cripto prensa de copiar, retralo
da mesma, voltar carleita. etc., etc.
Os Srs. negociantes usando da l.\STAXTA
XGA para a sua esi-ripiurugo do Diario, Caixa,
Cenias rorreles, Facturas. Contas de Vendas,
i'regos Correntes, etc., podem obter duplieata
authenlica d'esses livros em papel de seda.
A IXSTAXTAXEA depois de dar copia
conserva se matteral, preta fixa nao s no origi-
nal como na copia.
A i ^Mt\Tt\i; A ii:";o oxida absolutamen-
te as pi una-, assim cuii nao demanda penna
especial para cora ella escrever se.
M-OiO W)W EMPMAE
Com urna esponjo, vu pmcel embebido n'agfia, ba
medece se ligeiraueritc o papel de seda propria-
para copiar, e enxu 10 com qualauer muta-oor-
ro, collocH-se o raanuscripto em baixo do papel
de eda e mesmo sem fazer presso corre-sc a
mo rpidamente em todas as dire.rgOes, ea c-
pia admiravel; nitida. INSTANTNEA.
Tamtiem d copia, correcta, sem molharopapel
de seda
Precos de venda a dinheiro
Um frasco.................... .1*500
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 ris, meias ditas,
a 500 ris.

i

O MICROBBO
DA
lilennart'hagia
d radicalmente aniquilado pp-lo'empre
NJECOAO CADE?
DEPOSITO OER&L:
PAJJT8, Hoalevard 9eaaln, 7, F&Uli,
Vi a NoJcii quo servs da emm.'Ao s oada
ridro da Mnjrce&a Ooctet.
MtMIti : '-idas a priccifaej rkimadu I
^t
?-.
^


III
\
1
1
1

;rio de PernambucoQuinta-feira 19 de Setercbro de 188*
GUERLAIN
PARS
##* PERFUMARA DE LUXO, Ra ie la Paix, 15 **#
ABTIGOS A MODA ESPECIALMENTE RECOMMENDADOS
_ Agna d Colonia Imparta! branca. Alambraada, Almlacarada, para lenco. Sapoceti, Sabio de toilette de nnpnnTUfaU.*
Grama aaponaca [AmbrosUU reme) para a barba. Creme de Korangoa e Crerae de Popinoa para dar a frescura e o aveJudad*
a cutis. SUlbolda crlstalllsada e fluida para dar lustro aos cabellos e barba. Agua Atheniense e Agua Lustral, para qa
cuidados da cabeca. Agua de Chypre e Agua de Cadrato para o toucador. Alcool de Coohlaaria e de Agno para os cuidado*
da bocea. Parfumaa para o lenco i Hallotroplo braooo, Imperial Ruaao, Primavera da Hespanba, Pao-Roaa, Parame da Franca,
hora* Capricno, Balsamo aesenclal do Violatt*, Imperial do Brail). P da Cypris para dar alvura a culi. Aaaa\ dfl
Colonia Imparta! RUSSA. para o toilette.
PKOSPH ATINA FALIERES
0 melhor Alimento
Para as CRIANCAS
rARI8, O. A.-VTEISTU'H VIOTOiWA, O. X"-A-Xa
Deputos m todas as prwipaes tUamacUi
a mm
Os proprietarios
Vinho Collares
genuino
Em ancortas
i r- ,,,. a tratar no mesrao lugar com Joaaui
Genero superior, remettido para consumo I Reis
i particular, por preco aero competencia. Vende-'
ie no trapiche
[Santo n. 19'
da Companlna, largo do Corpo
iHE DE PARS
deste novo stabelecimento pr^vinem s
Evmas. familias e ao respeitavel publico, que aeabam de receber
um grande e variado sortimento de novidades do melhor gostoj Tcito
parisiense, que sero, em vista do estado favoravel do cambio, ven-j Vida de Agrcola \w
di das por presos excepcionaes.
Todos os dias das 8 horas da manh s 8 da noite.
Repblica
j Espolio de Manoel de Souza
Tavares
Enlo Sr. Diogo, presta ou n3o coutas? O'co-
! brinbo ja de ve ter bons juro3. Irra 1 So manda-
do de prisao. Que depositario remisso Cara
dnra.
_____ Augusto Res.
Caixeiro
Aluga.se barato a casa n. 9 ra do Hospital
i Pedro 2., no lugar dos Coelhos, caiada e pinta
l da de novo, com rauitos commodos e muito fres-.
ca, vista magnifica e banhos salgados na Dorta ; I fcAmda se precisa de um caixeiro com pratica
oaquim Moreia de padaria ; na ra da Florentina n. 1.
Caulellas do Monte de Umm
Compra-se cautellas do Monte de dcwo a-
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-s-
' bem na Praga da independencia n. 22, loja o
Precisa- se de um criado
n. 33, hotel.
Criado
no largo da Penha
Estando a esgotar-se aedigao desta traducao,
resolveu o edictor vender o pequeo numero de
exemplares que ainda restara, ao preco de 1 :
na encadernacao Popular, pateo do Paraizo n.
29. e na serraria francesa, ra do fresno n. 9.
Pharmacia
Pre ;:
pralic:
de Inli-
e '' i ; '.; lid lignina
pnarmacia ; a tratar n;/ r: i ''i-- < <: p
a n. M, antiga Rangel.
Hotel do Mastro
K*i^iji'!i': iuivi;i'< iiioiiludo cun todo asseio 3
I CfBBKHloa para n vininf<>a. com = il : boa
ida, liiiiii ii-.lii!ieui!', r.-i-i-,..:,: para os
iiiiinaes que o freguez levar, Aslenle na Russi-
r.Uajunto P8ta$o, para o qualchii/,irnos a
alli-not) do publico.
20Ra 1. de Marco 20
Senda hespanhola, todas ae cores n 25 Cachemiras lisas, duas larguras, a 1000
o oovado.
Cachemira de listras, duas larguras, a
a 1.5000 o dito.
Fichs de 12 bordada a 15000 um.
Gambraia Victoria a 25800 a peca.
Cambraia com ^lpicos a 380l> a pega.
Caixas com longos, para presentes, a
3i5O0O.
Lavas de seda a 2,5000 e 25500.
F!anellas de cores para camisas a 280 rs.
o covado.
Colchas de cores a 25000 e 25500 urna.
Eepartilho c .uraya a 4-5000 e 55000 um.
Camisas brancas a 2500U urna.
HadapolXo americano a 65000.
Toa'has para banho a 15500 urna.
Camisas de flanella a 36500, 45 e 55000.
Extrato Rita Sangal a 25000 um.
Dito Port-Veine a 16500 um.
Velbutina preta a 700 rs. o covado.
Alpaca branca a 400 rs. o dito.
DiU preta a 300, 500 e TOO rs. o dito.
Panno da Costa para meza.
Atoalhado bordado a 15000 o metro.
Gazes arrendada a 400 e 440 rs. o covado.
Lemees de bramante a 168( 0 e 25000 una.
Cobertores escuros d> la a 15700 um.
Toalhas para rosto a 365 0 a duzia.
Cartea de seda para collete a 55000 um.
Cortes de fustao para collete a 26500 um.
Baptista de cores a 120 rs. o covado.
Merinos de cores a 440 rs., duas larguras.
rs. o
Para banbos saldados
Etamine lisa a 5t0 rs. o covado.
Sargelins, todas as cores a 200
covado.
Lencos brancos a 16200 e 16800 a duzia.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes & 135000 um.
GuarnigSo de crochet a 75000 urna.
Merm preto a 800, 16000 15200, 16400
15800 o covado.
Loques transparentes a 25500 um.
Cortinado bordado a 65500 o par.
Fustao de cor para roupa, a 800 rs. o
covado.
15ais brancos e de cores a 16800 e 25500
Colchas de fut3o a 46000 urna.
Cretones a Derby Club a 240 e 280 rs.
o covado.
Fustao branco a 3(i0 e 600 rs. o dito.
Grinalda para noiva a 76000 urna.
Collarinhos e punhos de celluloid.
Setins, todas as cores a 800 rs. o^covado.
L3s amazonas a 400 rs o covado.
Palitots de seda palha a 85' '00 um.
Palitots de alpaca preta a 46500 um.
Palitots de toile p-rdo a 45500 um.
Palitots de alpaca de cOr a 45500.
Ceroulas de bramante a 155000 a duzia.
Pegas de cegirao e algodSo a 365' 0.
(juardanapos de lii.ho a 26200 a duzia.
Chambres para homem a 56000 c'j65000
Meias rio da Escocia a 16500 o par.J
Brim pardo a 280, 320,400 e 500 rs. o cov.
Cachemira de quadro a 280 rs. o dito.
Bramante de linho e de algodao.
FDNDISAO GERAL
uuRFmnsoNcc.
44-414 BARIO DO TRI131110-44
Ha chinas a vapor.
Moendas.
Rocas
19
BRONZE
DE
HIIZII a- IKMAO
Ra do Baro do Trumpho ns. 100, 102 e 104

a agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batid asj'sem crava^So
Arados.
Cottume parajsenhora a 106000. I Costumes para meninns a 550*0.
Ditos paia liODiens 86000. Bolgas de pa ha pai-a o mesmo tim.
ESPECIALIDADES
Guarda p pan: senhora 105000. I Guarda-p para horneas 66000.
Sacos e-rtea da casemira para caigas. | Lindos cortes de caseniira paia coatumes
Extratos, meias, entre-meios bordados, baleias, aspas, sabonetes,'collarinhos,
ios, regatas, principe de Galles, cretones para cobertas e outros muitos artigos.
D-se amostras sem penhor e manda-se levar quaesquer amostras em casa
Exmas. familias.
gescoberta gnteressantissima
(PHIVILEGIADAl
ORIZA
/.PRESENTADOS DEBA1I0 DA FORKA DE LAPIS (12 fififlfeQS CSeiTU;
Bcista esfregar levemente os objectos para perfuma!-os
(a Cuti3, Roupa, Papel para Cartas, etc.)
----------SOtS.----------
L. LECrRAND, Fomecedor da C6?te de Eussia
207, RA SAINT-HONOR, PARS
Vndese em todas as principaes Perfumara:, Pharmacias a Drogaras do mundo.
MA^DA-RE I*. PAIllfl O CATAI-OOO Irl-'J^TRADO FiANC'
aaaai
CASA DE OOKFIANCA
DE
AMARAL & C

l
y i
fa&h&k&3ftiid rlLyLA
Empreijac-oo com opUuto ei'.to o mals de so oa pela Balar liarte rtoi FaCTiltaU-
os Francozes e hsiran;elro paraa cuitdAAM^'ilA, VOf&Otm (artm puUi-=) e a
Sfi^mntvd* <*<* W'xinnx.
A inse r.io no noro Coi!x FriHeei :u!ros!m o t--.*-" dn h^ver a antn d-Hysfeaa 4a> Sravsll
TorlOcao aetlieacla a'esUs yilaiaa. Wlii|lllai>ri a vemJa, eacnsa qualnjt aocorr.lo
O ciemlnu *tcs talilr ui nbi t latatur mili sircjo u nit flii.t um atril. jfff^k.
jJJtt300.rJS'IE3VI-Sl D4S HVHTA MTA. ai UrttOtiiu PUutu Da li' i.timi w racsa-u unaa um Irutm a t* ^aaw>u5|kJ
dt nO i 00 Nltlu, mu inmoi por mlud. ^H \gff
rajiis, i. boa paTBswB oavoarros bm tod* a>s raracrfABa prarmaous ^^ M
e\i;\iii;i!Mi;\o miranda
39-RA DUQUE BE GAXLt-39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
aiais aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condieSes de executar qualquer
irabaih* em
IY
FNMCOIDE SINOS E5BE0NZE
DE
LUIZ M CRIZ MESQUITA
66ra do Baro do Trumphor?6
Tem para vender o segrate:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e rastillar.
Aliimbiqucs de cobre do antigo e noFO systeraa com esquenta ga-apa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapneas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torneiras de bronze e madeira de todos ns tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartideiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhade.
Cobre em lencol e rmelas.
Sola ingleza e do Rio. ,
Cadinhos patente e de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de eneommenda, garar
indo presteza, perfeicao e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
ww*MDE a praso ou dinheiro com descont.
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender o segointe:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo direetpara o ou fogo de asse-
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVACOES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo^encanamento e finalmente
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM SE de qualquer concert e mandara buscar por eneommen-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commissSo qualquer machinismo.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo a boa
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultado
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
MEDLBA DE HONRA
0 0110 CHEVRIEB
i desinfectado pelo Alcatrfo,
tnico batumtco, 9 que muito
tugmtnU as proprltdatfci to \
o/eo.
0 OLEO de FIGDO '
DE UCAUO FERRfilNOSO
i nica creparacio qv* oarmtttt
administrar o Ferro $am pro-
o*/j" PriaJio de Ventra, aam
Incommodo.
BRANCO.LOIRO
IE FERRUGINOSO]
" 40 ALCATr\^ ''
DIPLOMA DE HONRA
RKCCITAOU POE TODAS AS
Celebridades Hcdicaa
DA FRANCA E DA EUROPA
BU
MOLESTIAS DO PEITO,
AFFECCfcS ESCROFULOSAS
CHLOROSIS,
ANEMIA, DEB1LIDADE,
TSICA PULMOHAfl,
BONCHITES, RACHITISMO
ji.rM<.ri<-io.tmarut.il m + %$o*Zu* Vinho de Coca
1JCKSCIADOS PBLA INSPBGTORIA DB HTGIKNB DO IMPERIO DO BRAZ1L.
LOJA DO GABOSLO
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor
.aunado da Fatuidad* d Mtdicina de Pars. Prtmi Uonlyon
A& Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto da Gamphora empregkose
as Molestias, as de Cerebro e contra as alTeccfles seguimos:
Aothma, Insomnia, Palpitagoes do Coracao, Epilepsia, Hallucinacao,
Tonteiras, Hemicrania, Aeccoes das van urinarias et para calmar toda
I especie de excitai;ao.
un Urna axplic3co doulhada aoompanhm csrfi Fntoo.
Exigir de PARS, que se encontr&o em casa dos Droguistas et Pharmaeeuticot.
Carta3, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartSes de
iieacSes, mappas, precos correntcs, acsSes, bilhetes de loteras e rctul >s de todas
qualidades em preto, ouro ou cores.
mtm
Biochuras, cartonados, encadernacSes, livros em branco para o commercio e
repartieres, tanda qara este lim urna escellente machina de pautar.
SA&TfcES BE VISITAS
Variado sortimento eij cartSes para visitas, participagSes e convites de casa-
mento, bailes, menus, felicitay3es, etc., etc.
VDsrsfoooe-SAis
Lfvros de recibos de aluguel de casa, papel de impres3o, tintas, vernies e
artigos para tjpograaphia e lilhographia.
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
CONSTIPAgES e MOLESTIAS do PEITO
XAROPE HTIPHL0Ee,ST,co BRIANTI
.^ms, Pharmacia BRIANT, 150, ra de Rivoli, PARS.
niedicas de Pars recommcndao lia mais de 60 annos o
XAROPE BRIANT como O niedicaiicnto pello al degouo mam agradmei
ApEaa mu carta contra o* Detloxoa. Conalpa iea. Oatarroe. ele. .
Ene Xaropa iimacn ftrmaaa.
I com a asstgualura bem lis:-
ITRPOSITOS EM TODiS

ixifdr a Bxocaura em nove liguas/ <
V3
PHWPIPAS PHVPMACTAS
Antig-o estabelecimento de ferragens
DE
FEKSEHA GMAMES & C.
80Riia Duque de Caxias86
rait^e soxtxmto refierragens, cutelaria*,
c mittto onlxos artigo^ a saber:
Cobre en f&iftft.
Ferro sortido.
Cimento Portlaat
e outros marcas.
oznbas de ierro o brozuie
Canos de ferro e chiinibo para
encanameatos de alta pressao
Machinas e vapores
para algodao.
Cndieiros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
tonga existencia a garantia mais segura dar os que pro"
curar em honral-o com a sua confianca.
mWOS SEM COMPETENCIA
Desconjos do costil me
Alugam-se as seguintes
casas
Ra do Rangel n. 73, 2- andar, com bon
commodos, muilo fresfo e perto do mercado ;
ra do Fogo n. 30. com duas salas muilo boas, 3
quartos e cosinba fura ; ra da Roda n 46, loja,
propria para pequea familia : a tratar na ra
do Cabug n. 16 A Venturosa '
AZULEJOS
Para frentes de casas, cor-
redores, banheiros, cozinhas,
acougues, etc.
De valor de 100#000omi-
lheiro a 54$000.
Ra do Barn da Victoria n. 41
Profesora de piano
aa senhora perfeitamenle habilitada
ik- r-osino ofl
rvigos como pio-
rna do Queimado n. 7i.
AVISOb;
, OabaixoasignHdo, propnetano da TaDrifa a
vapor, de leos vegi-taes. sita ra da Aurera n.
163. avisa aos seus amigos e freguezes, que for-
cado pelo enorme acressirao de prego e escassej
da materia prima para o fabrico do oleo para
lampannas. tem resulvido de hora em diante,
at secundo aviso, retirar o descont que ofiere-
ceu ao respeitavel publico, pelos caruzes dis-
tribuidos no me/ de gosto do convnte anno.
Refe, 16 de Letrmbro de 1889.
Jos Gomes de Amorim.
Esmola
Aviova Amelia Felicia Ui'zerra dellenezes,
moradora era Santo Amaro das Se linas, em urna
rasinha proxin a ao h< spital dos lasaros, recor-
re caridade punllca. e pede s almas b>ra for-
madas q"e Ihe deein urna esnu-la pelo amor de
. arim de maiiter se e a cinco lbinnos que
Ihe liora do seu cQ>orcio.
A sua penuria extrema, dias ha em que
tem o que comer. Soccorram-na pelo ame
Deus I




......
Diario de PernambucoQuinta-feira 19 de Setembro de 1889


;


VENDAS
Veade se no caes do Ramos n. 4, Dina ex-
cellente machina i vapor de 30 cavailos, urnas
bombas hvdraulica3 de grande forca, um ferra-.
dor, urna" tesoura para cortar flandres, arcos.
etc., trunos c carros Decauville, apropriados
para transporte de canoa, bombas d'agua mao
e a vapor.
Vcnde-se doUS caes do Rio Grande do Sl.u
omito bons vigas para chcara ; para ver, no
sitio da estrada de Joao de Barros, defronte do
sitio da Cscala, e a tratar com o Sr. Pinho Bor
ges, armazem n. 39. ra do imperador.
0MJS_
VeM'-se em t dj a mrt
A Loja das Lisiras 4zues
Est vendando fazendas muito baratas
Com descont
a quem comprar de 200000 para cima.
E VENDE PELOS SEGUINTES PRESOS:
Xadapolio lavado com um metro
de largura a 65800 a peca,
orlm das Lustras Ames com
20 varas, a 65000, a peca.
Chitas percales finas, cores seguras a
180 e 200 rs.
Cassas do urna s cor a 100 o 120 rs.
com palminhas.
Lanzinhas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de lluhos com 16 1/2 co-
rados, tecido phau.asia, a 4)5000
Bordados finos com 3 metros
500 rs.
Bicos braaeos a 600 rs., a peca
com 9 metros.
ft argel! ni diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 rs.
Crinolina de cures para vestidos a
360 rs. o metro. *
L.nvas de seda, lisas e bordadas q 10.
Leques transparentes lindas cores, a
20000.
Cirinaldas com veos para noiva a
7*000.
Me (i ni de Maco branco, e de todas
as corea a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 64000.
MehlS phantasia a 800 rs.
Lencos de seda a 500 rs.
K multas fazendas que se vende por
qualquer preco.,#
Troca-se a fazenda vendida se nSo for
de muito agrado para quem fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Surpma agradara
UM RETRATO.
Que bc ofFerece a um amigo.no dia do
sen anniversario
De 25SOOO at 100$000
Obtem-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, e com cordocs de la" e
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
da America
POR FBED. PMTT
Qualquer familia que deaejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartSo de visita, n2o im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Estio expostos ao publico na
AGENCIA GERAL
Loja das Lislras Azu.es
BCA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Para as Exmas familias verem o quanto
sSo lindos, c muito fcil fazer encommenda.
aUALQUKR ENCOMMENDA
Por maior que seja se aprompta em me
nos de 90 dias, e restitue se a importan-
cia rebebida, so nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendaa da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
pi:k\aibko
Grande novidade
48 -Ra Du Tendo recebido um grande e variado
sortimento de fazendas resolveu vender
por menos 30 /0 do que em outra qual
quer parte, COMO seja :
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a p*ca.
AlgodSozinho muito largo a 45 a 55000 a
peca.
Chitas cretones, modernas, a 200, 240,
280 e 320 o covado,
Zephir de quadros, padr3es modernos, a
120, 150 e 200 rs. o covado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 rs.
o ovado.
Atoalhado com flores a 15000 o metro.
Brim pardo trancado para roupa de ho-
mem a 500 rs. metro.
Dito de c6r e fustao a 500 e 600 rs. o co-
vado.
Dito de linbo para calca de 45000 a vara
por 25500
Casimira preta e de c6r para costantes a
16200 e 25000 o covado.
Cortes de fustao para collete a 500 rs.
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 25000
um.
Camisas brancas para homem a 25000
urna.
Toalhas brancas para criansa a 120 e
200 urna.
Lolchas adamascadas de 25000, 35000,
45000 e 50OOD urna.
Cobertas forradas para casal a 25500 e
25800 orna.
Lencol de bramante com urna largura a
15800 urna.
Cortinados bordados para cama a 65000 o
par.
Pannos de crochet para cadeiras a 600 rs.
um.
Cobertores brancos de 12 com pequeos
defeito a 25000 um.
Cortea bordados para vestidos, ultima mo-
da, a 85000, ,95000, 105 e 125000 um.
Lindas ts com listras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
vado.
Lindos fichas de retroz, prateado e dou-
rados a 15000, 15500 e 25000 um.
Luyas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 15000,15500 e 25000 o par.
Caaacos de Jersey para senhora, borda-
dos, o 65000 um.
Costumes de Jersey para enancas de 4 a
5 annos a 75000 um.
Cachenez para homem e 6enhora a 15500
n 25000 um.
Bicos brancos e de cores a 15800 e 25000
a pega.
Saias bordadas para senhora a 35000 urna.
Renda hespanhola com um metro de lar-
gura a 25000 o covado..
Bordados c entre-meios a 500, 600, 700 e
800 rs. a pega.
0rinaldas com veo de seda a 85000 urna.
Collarinhos e punhos de borracha, a 15800
o_par.
Lencos de linho, especialdade, a 25000,
35000 e 45000 a duzia.
Ditos de seda com a exposicSo de Pars a
500 rs. um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 rs. um.
Lindas mantas e gravatas de todas as qua-
lidades de 500 a 25000.
Espartilhos de cornacas a 45000, 55000 e
65000 um.
Collarinhos e punhos de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de salpicos a 45000 a peca.
E muito outros artigos que s com a
vista, assim como roupa por medida em
sua officina, para istotem peritos officiaes.
S na Revoluto
A ra Duque de Caifas n. i*
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
PECHWCH4S!
59Rua Duoue de axlaa&
Cassinetas de coras para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de efires idem
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 e
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o dte.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 15000 e 15200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
e 15000 o dito.
dem de puro linho a 15600 o dito.
Riquissimas guarnicSes de crochets a 65 e
8000.
Toalhas para mos a 15200, 35500 e
45000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 25500 e
35000 a dita.
Camisas superiores idem a 245 e 305000
a dita.
Semillas bordadas a 125000 e 185000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
e 35000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 45000.
Superiores algodSes da corte a 35000 e
35500.
Madapolao americano a 65000, com 24
jardas.
Flanella de cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
152UO o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 15400
15800 e 25000 o dito.
Para as Exmas. nolvas
Lindissimas grinaldas e veo para 85000 e
145000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 85000
e 65000.
Bonitos cortinados bordados a 55500,
75500 e 85000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 15000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 15000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lencos de seda e de linho para 25800,
em lindas caixinhas.
Lenco es de bramante a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 25500 e 25800 urna.
Colchas de cores a 25000 e.35000.
Tapetes para portas a 35500 e 50000-
Pannos ara mesas, de cores modernas a,
15500 15200 e 15600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 305 a
355.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
precos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 45000 urna, e
urna infinidade de artigos que serao lem-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PKREIM & MAGALHAES
Para os feslivaes
A' ra da soledade n. 56, preparara se,
com lirapesa, mestria e commodidadb em
pregos: bolo, pao-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recf bem-sc as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
AO
55
Pede-se ao respeitavcl publico que at-
tenda aos precos abaixo mencionados :
Setim da China, fazenda de phantasia,
alta novidade, a 240 rs.
\mor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 rs.
Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 105
e125000
Renda oriental a 500 rs. c covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos-de crochet, todos os tamanhos.
VfadapolSo largo a 65000.
Flanella azul, muito lisa, a 15200 o co-
vado.
Fichas de phantasia a 15000.
Luvas de seda a 25000 e 35000 o par.
Gruardanapos a 15600 a duzia.
Sargelins de qualquer cor a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, tcousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 25800
a peca.
Cortinados bordados a 65000.
Flanellas para camisa a 32> rs. o covado.
Setins, qualquer cSr, a 800 rs.
Senda da China a zOO rs. o covado.
Fustoes braceos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para baptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com collarinho, por
25000!
Grande sortimento de setins lavrados a
150 0 o covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e SOO
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 75000 a pesa.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 45000 a peca.
FOLPETII
POR
TCUES NI VYYY
SEGUNDA PARTE
l mu ss uu;:::
(Continuaco do n. 211)
III
Elle deixara seu cavallo na montanha,
como supponho. Nao tive a tal respeito
nenhuma informacao. Quanto a Thomaz,
estou persuadido'que elle conhece o as-
sassino, mas cougerva-se em um mutismo
absoluto. D'elle nSo me foi possivel ob-
ter cousa alguma. Que razoes o obri-
gam a guardar silencio ? Procuro, sem
contar achai -as.
Sim, vejo-o e o senhor tem razio de
dizel-o para esclarecer a justica, nao lhe
resta talvez esperanca a nao ser a cura
da Sra. Gonssolin.
Desde a noite em que Guid vio a
Sra. Gonssolin levantar se e dar pela casa
esse mystarioso passeio, que conduzio-a
ao cadver de seu marido, fea alguma no-
va observacao ?
Nenhuma.
Os dous homens separaram-se.
Francisco tinha pressa de acbar-se s.
Abafa va.
Essa conversacio o tinha fatigado hor-
rivelmente.
Sahio da cidade, passeiou muito tempo
Cofres de ferro
Carlos Siaden tem para vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Rna Baraojia Victoria n. 48
"LIAN \L M LKIBfflp
Para 1890
Hrrebru a I.ivrtri Contempornea
RA V DE MARCO N. 2
Farello superior
2 700 o saeco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;
Caes d'Assembla n. 24, garantindo-se 42 ti|o-
grammas cada sacco.
Babados e entremeios a 600, 800 e 15000
a pega.
Lencos de seda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combnacao com listas de seda
a 15400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantil as pretas a 45500.
Atoalhado, lindros padroes a 15 o metro.
Espartilhos cora couraca a 45000, 55000 e
65000.
Colchas brancas e de cores a 25, 35000,
45000, 55000 e 65000.
Grande sortimento de fichas de cores para
todo preco. '
Cassa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
vendo a boa qualidade..
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e enancas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 15000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes -de fustao para coleto, alta novida-
de, a 15000.
Camisas de flanella franceza a 35000 urna.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em carto, cousa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 85000.
Ditos de casemira de c5r a 45000, 65000
e 8500 .
Alm de outras muitas fazendas que
impossivel mencionar.
Dase amostras sem penhor a qualquer
pessa.
i. Un a Wiique de Caxlas 3.
Fernandes Azevedo & C.
no campo e, s muito tarde voltou a Saint-
Claude.
O que elle soubera causava-lhe dor
inexprimivel no coracSo.
N2o podia acreditar que Magdalena ti-
vesse commettido urna falta contra elle.
Isso parecia-lhe urna monstruosidade.
Elle sacrificara sua honra, seu repouso,
sua vida, mas, em compensacao, tinha o
direito de exigir um amor immenso, cons-
tante, eterno.
E sabia, agora, que essa mulher tinha
partilhado o seu amor; sabia que ella ha-
via sido a amante de nm lenheiro, de um
vagabundo, de urna sorte de criado de seu
marido!
Que vergonha!
Mas, entFlo, nada podia impedil-o mais
de ir ter com Dampierre e entregar-sc-
lhe I
Por acaso, essa creatura, valia a pena
que se dedieassem por ella e nSo era pre-
terivel punil-a e vingar-se assim della ?
Ondas de raiva e de odro subiram-lhe
ao cerebro.
Essa idea de vinganca sorria-lhe.
Elle deixava-se arrastar por ella, sabo-
reandWhe as acres delicias.
Passou a noite inteira sem que o somno
o visitasse.
Smente de manha dormio urna hora, o
Upie o acalmou.
Descend'i, a primeira pessoa que en-
contrn foi seu pai que sorria estendendo-
Ihe a mSo.
Tranquillo entre seus dous filhos, o ge-
neral nao -podia desconfiar do horrivel
drama em que a felicidade de sua velhice
estava ameagada de despedagar-se.
Urna rpida reflexilo passou no espirito
de Francisco. "
Se me entrego, o que ser de meo
pai ? o que ser de Suzana ?
Tal tinha sido a sua perturbado desde
a veepera que esse pensamento n;lo viera
aindai Pareeia-lhe que viva s no.mun
do.
IV
|
A' tarde, eabendo que o Dr. Magnabat
estava ausente e tinha sido chamado para
urna aldeia viinha* foi ao hospital em que
estava Magdalena.
A LOJA MAIS BAKATKIKA
PAEIZ I&MERIC/
AZEVEDO, IRMaOA
16Ra* do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Europ
grande sortimento de fazendas e modas
que ha de mais novo e precos sem coi
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e 13. seda.
Damass de seda pura.
-Merinos pretas de 800, 15000 e 1520.
Crinoline preta e branca e 400.
Sargelim, todas as edres, a 200 rs.
Bramante de linho a 15500, com J-
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 1050
('hachemiras com 2 larguras a 800 r
Ditas de l e seda 2 larguras a 1500
MadapolSo trancado a 95000 a peca.
Dito globo a 75000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichas de la e seda 15000.
Brins de linho cies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 550U
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
"Capellas para noiva com veo bordado
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 1550
Renda de 1S, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de san
a 15000.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitos de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarni3es, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45060.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de so
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustSo de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
E' verfder barato
Teijo a U100 a cuia
Farinha a 5 0 rs. idem
Mitho novo a 320 rs. idem
Dito velho a 280 rs. idem
o nico que pode vender mais barato, no
largo do mercado n. 12, Gomes Ferreira & C.
Successores.
A Sra. Gonssolin estava sob a pressSo
de urna vigilancia constante, ordenada por
Magnabat e Francisco Hormais. Nem um
s de seus gestos, de seus olhares esca-
pava aos que estavam encarregados de al-
hviar assim por suas observares pessoaes,
a tarefa dos mdicos.
Posto que essa vigilancia fosse exercida
por homens que tinham o habito de viver
com os alienados e de tratar delles, n&o
tinha ainda dado lugar, at esse dia, a
nenhuma observacao seria.
Magdalena guardava um absoluto silen-
cio e se abstinha de qualquer manifesta-
c2o sensivel. Magnabat a tinha estudado
j profundamente.
Uaviam pesado os symptomas,|tinha to-
mado informacoes de uas tuneces phy-
siologicas, seguir psjso a passo as diver-
sas manifestares patolgicas.
Mas a moja mantinha-se alerta contra
as sorprezas.
Seus movimentos e sua attitude eram
as mesmas desde a sua entrada no hos
pital.
Urna das causas, que se apresentavam
a favor da realidade da alienacf mental e
derrotavam Magnabat, era a ausencia
quasi completa do somno em Magdalena.
A nao admittir se nella urna forca de
vontade extraordinaria, era muito difficil
que urna insomnia t3o prolongada se po-
desse conciliar com a simulacao.
Os primeiros estados do Dr. Magnabat
tinham sido dirigidos physionomia, kaos
gestos, s attitudes, s pdavras, aos es-,
criptos, sensibilidade, s funcySes org-
nicas, memoria.
Magdaleua t nha enfraquecido muito
desde que entrara para o hospital.- Seu
rosto paludo fazm notar os grandes olhos
que tinham sido brilhantes e hmidos, ago-
ra embuciados, sem energa c sera exprs-
alo. Tinha emmagrecido muito. Muitas
vezes recusava comer. Era preciso instar
com ella para forcal-a a fazel-o ; mas, no
maior numero de'masos 'seas guardas ape
as obtinham urna alimentasao insufiicien-
te, que mais contribua para aggravar a
sua debilidade. Tinha frequentes syaco-
pes depois de haver comido. Em geral o
pulso se mostrava pequeo, desprezivel,
lento. A respira5aoera difficil, deraora-
Superior vinho de Al-
coba^a
0 acreditado e antigo armazem do Ltma par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolbido propriamente pelo chefe desta
casa, tornando-se recommendado por ser puro
e de boa qualidade. Jos Fernandes Lima C.
ruaBarao da Victoria numero 3, Telephone323.
da. A cabeca escaldava emquanto que as
raaos e os ps estavam frios e com diffi-
culdade se tornavam tepidos.
Nos primeiros dias de sua estada no
hospital, Magdalena se recusava obstina-
damente a tomar qualquer alimento e
Magnabat ordenara que nao instassem
com ella, que deixassem natureza o tem-
po necessario para reagir. O velho me-
dico teve que revogar suas instruc53es,
porque a moca ter-se-hia deixado morrer
de fome.
Magnabat sabia que para os simulado-
res a recusa de comer apenas Ilusoria,
que, o mais secretamente possivel, elles
tratara de procurar alimentos ; esperara
que a Sra. Gonssolin, vencida, pedisse mi
sericordia.
Assim, a continuado da recusa era urna
derrota para elle.
O estado caracterisado pelos dous m-
dicos em Magdalena era a loucura melan-
clica, cortada por illuso'es e hallucna-
o3es, concep55es de delirio. Muitas ve-
zes era tio profundo, durava tanto tempo
o torpor, que pareca quasi urna lethar-
gia. Em outras occasiSes a imaginaso
creava milchimras; o delirio se apossa-
va da moca ; a impellia a extravagncias,
a actos perigo8os, a tentativas de suicidio.
Nesses casos ella responda com exclama-
c5e8 montonas aos esforcos dos guardas
para tranquillisal-a. Depois, sbitamente,
passado o momento da violencia, ella ca-
hia na apathia e abatimento.
O quarto em que fra encerrada Mag-
dalena dava para o jardim, que estava
nesse dia coberto d nev ; os ruidos da
cidade n2o eram percebidos e o silencio
profundo do hospital s era perturbado
pelos assobios agudos do vento que so-
prava das montanhas.
Francisco Hormais tocn a campainha, o
porteiro abri, fez ao moo um simples
curaprimento do conhecido e tornou a te-
char o portlo.
Ella dirigi se ao fundo do Urdim, fez
vr ao locutorio os enfermeiroWre Magda-
lena, nedio-lhes algumas informacSes e,
como%le esejava affustal-os, mandou-so
a Samt-Claud sob o primftro pretexto que
lhe lembrou.
Depois subi ao primeiro andar, atra-
r
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel poblici,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Vinho puro de Santarem
Da qnlnta do Barral
Os propriHarios do Armazem Central, rna
do Cabug n. li, avisam aos s*ens distinctos fre-
guezes e ao resneitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iha em seu armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
Roya!
WI1SEY
Bleod marca V1AD0
Esto excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema alo registrados par
todo Brazil.
BROWNS A C, agentes.
A FLOKIA
Gales, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo com sea
vidrilho.
Mantil has de seda e de algodSo.
Con tas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 3<>000 e 4|JO00
a duzia.
Bordados de camb-aia tapada a 400 500'
6O0e80Ors. apeca
dem com 3 e 1|2 metros, de qual que
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas a 35000 s
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 44000.
Lindos leques transparentes de gaze
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos d
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama s
120000, 170000 e 190000 o par, algn*
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 c
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 c
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 s
120000.
Toncas de setim para baptisado a 30, 40
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de edres.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos cellnloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car*
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedlas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas s
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a ?"> par.
Ditas de eeda para creanca a 10U i).
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilett|
sanctuario c consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enraitar cabeca c segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhera a 40, 40500, 50000
60000.
Grande sortimento do sabonetes de 200
10500 um.
Estojo com faca, garfo e cclher, proprie
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 15 para homens e senhoras.
Liabas douradas para fasar croeht*.
Lindas fitas para facha a 20, 30 e 40OQC>
o metro.
Liados leque3 de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim s
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas cartoiras para algibeira de 10, 80,
3 e 30500 ama.
Roa Duque de daxias n. 103
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas r.ova3 da direita, vende-ss
todos os das leite puro de vaccas tonrinas e ds
trra, garante-se a qualidade do leite.
vessou urna enfermara, em que alguns
doentes, deitados, levantaram a cabega
para vel-o passar e mandou abrir por urna
irmil de caridade a porta do quarto de
sua amaote. A irml offastou-se.
Era a primeira vez que elle ia achar-se
s com Magdalena desde o assassinato de
Gonssolin. Havia-a visto muitas vezes,
mas sempre em presenca de Magnabat e
para cumprir a missSo que a justica lhe
confiara.
Essas entrevistas tinham sido crueis,
mas nao podia furtar-se a ellas sem des-
pertar suspeitas ; havia aceito esse man-
dato, sem talvez pensar em tudo o que
teriara de medonho os deveres que elle
lhe acarretaria ; mas era muito tarde para
declinar delle.
Francisco entrn paludo e com o cora-
dlo pequeo, a mSo que fechou a porta e
deu volta chave trema e estava coberta
de suor.
Havia dous quartos contiguos. Magda-
lena nao se acnava, no primeiro. Elle
deu alguns passos, empurrou urna segun-|
da porta e parou, nao ousando ir mais
aaiante.
Magdalena estava all.
Vestida de urna toilette preta muito
afogada, da qual emerja seu pescoco fino
e longo, ella tinha urna physionomia quasi
sinistra, tao medonha era a sua pallidez.
Sentada na beira da cama, seus bracos
pendiam ao longo do corpo. Ao ruido que
fez Francisco entrando, ella nSo levantou
a cabeca, seus olhos, profundamente en-
covados na rbita, esta^a/n.fixos no tocto.
A bocea entreaberta, os labios seceos e
como que azulados. Os traeos ph/siono-
micos alterados exprimiam um abatimen-
to imraenso ; a pelle da face, que fora
avelludada e tao suave tinha perdido sua
elasticidade. Agora ella estova secca e
anda e a paluda brancura dos dias felizes
desapparecera substituida por urna cor
amarellada.
Francisco chamou-a com voz muito bai-
xa, alterada pela emocao:
Magdalena !.. Magdalena !
A Sra. Gonssolin levantou machinalmen-
te a cabesa, mas avistando Francisco Hor-
mais, sua physionomia nilo raudou. '
Ella o olhava com o olhar temo e sem
Vende-se
um piano de armario em bom estado de conser-
vado e de bom fabrieanU?, por commodo preco;
na ofiicina de piano de Joo Simplicio, na ra da
Imperatriz n. ti.
expressao que peculiar aos doentes af-
fectados da loucura melanclica.
Francisco fechara a porta do segundo
quarto, de forma que achavam-se isolados
e nada tinham que temer.
Elle adiantou se para a louca, tomou-
lhe a mao e, sempre muito baixo, com um
excesso de precaucao com medo:
Estamos sos. Podes repousar, ces-
sar de fingir at que eu parto. Affastoi
os guardas que a vigiam e meu collega
Magnabat est apente de Saint-Claude.
Ella desprendeu a mSo que Francisco
apertava, foi at janella, lancou rpido
olhar para o jard Francisco, em um movimento de angustia
inexprimivel:
E' horrivel, dase ella, horrivel o
que eu faco e parece-me que tico realmen-
te louca !
E ella dcixou-se cahir na cama, com a
cabeca entre as mos, chorando.
Francisco conseriava-se calado
se ouviam os solucos de Magdalena.
Depois, de repente, por um impulso de
paixao furiosa, lancou seus bracos em tor-
no do pescoco de Francisco. E, como elle
nao corresponda a, eraa caricia, olhava
para elle, assustadai
Em que pensaf ?*disse ella.
' Pens que mf engaaste indigna-
mente, que zoiubaste do meu amor, da
minha felicidade e da mi nha vida e que
tu smma crealura d:sprezivel...
-Meu Dns, meu Deus, o que dsse ?
O que -ta ? %Flla, Francisdo, nSo me oc-
cultes aquillo 3e que me aecusas. Como
podes duvidar que eu te ame?... Esta
tortura, ti qunl me submetti, nao vs que
mais horrivel do que a morte ? Nao
smente por medo da justica que repre-
sento o papel de louca, para conservar-
te a mim, caves ?
torios a 'que* nao poda fugir
que as suspeitas-te attmjam.
. Elle olhava para ella com a irona nos
olhos e_um cruel brriso passava-lhe pelo
labios. i
Responde-nie, eutao. \
(Continuw-t-na)
para evitar interroga-
e impedir
Typ. do Duirio ra Duque de Caxias n. 42




1
x

%


*s
/

s


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETVJ43TZX_3YQ20O INGEST_TIME 2014-05-28T15:13:26Z PACKAGE AA00011611_19914
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES