Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19911


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*mpc-

I
n
N

i
ANNO LXV NUMERO 209
PARA A CAPITAL, t: UtAHIiS O.'VDE >AO B PAA PORTE
Por tres mezea adiantados
Por seis ditos idera.....
Por mo &UUO idcm
Cada numero avubo, do mesmo da.
(5(500U
120000
230000
0100
\
D03HNG0 15 DE SETEMBRO DE 889
PARA l>i:\TRO E FORA DA PROVINCIA

Por seis meces adiantados..............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem................
Cada numero arulso, de dias anteriores..........
1305CC
200000
260000
0100
DIARIO DE
Trprkdade de Manoel Sftgueiroa de ^aria # 3%?os
m
.
Os Srs. Amede Prin-
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
epublicapoes na Fran-
ca e Inglaterra.
TELEGRAMMAS
3237150 PAttlWLtf SO DIASIO
BAHA, 14 de Sctembro, 12 horas e
35 minutos da tarde.
Foram elcitos deputados geraes, em 1.
cserntinio, por esta provincia:
12. districtoDr. Juvencio Alves de
Son^a (L).
14." districto -Dr. Elpidio Pereira de
Mesqnita (L).
NAJAL, 14 de Setembro. s 4 horas e
15 mi uto 3 da tarde.
Para o 2." districto oleitoral deata pro-
vincia seguem mais 20 pracas afim de
ajudarem ao Dr. Amaro a ganhar a elei-
y3o.
Aqu tocou hoje o paquete nacional
Pernambuco, que, procedente do norte, se-
guio para o sul.
RIO DE JANEIRO, 14 de Setembro,
s 5 horas da tardo.
Foi noraeado cnsul privativo do Brazil
era Marselha, Manoel da Silva Pontes.
segundo o Jornal do Conmerrio, tol
eleito deputado geral, em 1. escrutinio,
pelo 7." districto da Babia, o Dr. Joao
Ferreira do Araujo Piaho (0).
Segundo O Paiz, vio 2. escruti-
nio pelo 4." districto de Minas Genes, os
Drs. Jos Carlos Ferreira Piros (O) o An-
tonio Affonso Lamounier Godofredo (R).
thoiando us achara,
horando as ai h.
Quien las maltratara
A to oala f ?
Utna me rjpricara:
Ei. iufancon, non s.
Mal liouv'e jsc la torra
Que tion o malo Re !
Si ei armas usara
Ja a mi f non s
Si liomo mi levara
D'aquella ojala ie ? ^.
Bos, adeus, boa vades,
Ei infangon, non t.
Ei le ropricara :
A mi f non ir;
Ca ojos dessa cara
Caras los comprar.
A's lonjas trras
Entra bes me ir :
Las cumplidas vias
Per boa andar :
Lingua d'Ara va
Ei la ftltar :
Moros os fcisse,
Moros os matar.
Nu teoeral ligueredo
No flgnsral entr.
Moro que las guarda va
Cerca lo acn.
Troncn desgalgara
Troncn d.-sgalh ;
Las ninhas furtara
Las Biabas furl ;
La que a mi fallara
N'alina la cant.
(Contina)
Francisco Pinto de Oliveira, na occasio em que
pretenda trocar um cavallo que havia furtado no
logar Giqui, pertencente a elemntese tal.
A tal respeito procedeu-se nos termos da lei.
No da 4 do correle foi preso e rccolhido a
caoVia do termo de A fugados de lngazeira, o in-
dividuo de nome Henrique Barbosa de Oliveira,
conhecido por Mellado, pronunciado no art. 192
combinado com o ;U to Cdigo Criminal.
Na noile uh 7 do corrate e no lugar Bar-
ras, do termo da Gloria do Goit, suicidou-se,
com um tiro de pistola, o individuo de nome Joa-
quim Gomes de Brillo.
capito Francisco de Asis Fernandcs
Vianna, reassuraio hoje o exercielo da subdele-
gada da freguezia de Santo Antonio
Deus guarde a V. Exe Ilhn. o Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d esta provincia.
O chefe de polica, Geroncio Dios de Ar-
ruda Flcelo.
INSTRUCCiO POPULAR
NOS
TKMPOT GOLONIABS
toe
,* ^literatura Brazlleira lo fcceulo
XVI ao (uiiifi'ii lo XIX
ESBOZO HISTRICO
I
(Coatinaaflo)
A seu contemporneo EgasMoniz sao attribui-
das lambe;:) citas eudeixas :
Bien satisfecha licades.
Corno d'oiro :
Ali grades a quien Mnadee
ei moiro.
Graoai-me per uaelejano
n (' .-i.i1
A cbanttea-me fite engaos
I\ vos sigue.
Ei tengo o arcaboica
Scdi feicon,
Mas bos bejo e bos oieo
No eoracon.
B 8-me bosdescaindo
Nesta hora
Bos amor licade rindo
Mucho embora.
Bodes que moiro, que moiro,
Birbante :
E legaes moircr um triste
Por delante.
Bai-se o vulto de mei corpo,
Mu i non,
Que os cocos bos finca morlo
O coragon.
Em urna epoeha mais adiantada apparece Gues-
to Ansures, a quem se altribuc um poemeto, no
qua o poeta lisura como principal actor, fundado
em um frito de duvidoaa verdade histrica como
muitos dos que so narram ptrtencendo a essas
eras, em que o inverosmil e o maravilhoso se
confunda rom a n alidade e o verdadeiro, pcim
do qual nao podemos prescindir para o nesso
proposito urna vez que o poemeto existe.
Reza a renda^ue o rei Mauegato, usurpador
do throno das Au.-tu ias o Galliza, c que se dizia
filho natural de D. Affomo de Castella e de urna
moura, pira conseguir o auxilio dos rabes alm,
de arrancar .quella cora da cabeca de seu so
brinho, D. AfT.niM.de Castro, omprometleu-se
a pagar ao Kalifa de oordova um tributo de cem
donadlas.
Andando Gnesto Ansurcs pelos campos, encon
Irou urna i'-/" de momos, que se oceupava em
aprisionar a* jdveus mai.- bellas do lugar, para
rom ehas pagar aquello infame imposto. Ja ha-
Tia seis donzcllas postas a botn recato, quando o
cavalleiro poeta senlio-se tomado d tao profun-
da indignacao- que arrancando o tronco de una
tgueira iovtfftio contra os inouros to denodada-
mente, que os poz todos em debandada e em
vergoohosa fuga, livrando assim aquellas don
zellas e imp. dindo que outras fossem igualmen-
te aprisionadas.
Em lembranca de to portentoso e cavalbei-
^coacontecimentofoi que Guesto An?ures to-
mou o nome de Figueiredo que se perpetuou
em multas familias da mais alta nobreza. E'
esse o aasumpto do po. mel, que o seguinte ;
No igueral ligueredo
Ai no ligue ral enli:
Seis ninhas encontrara
Seis ninhas encontr.
Govcrno da provincia
DESPACHOS OA PKhSIDENCIA DO Di A 11 DE
SETEMBEJDE 1889
Capito Benjainin Consfant da Cunha
Salles. Informo o Sr. comiuandante su-
perior da guarda r.anonr.l da comarca do
Recife.
Benigna de Biito Mello. Informe o
Sr. inspector geral da InstruccSo Publica.
Candido Thiago da < osta Mello. Infor-
me o Sr. inspector do Thesouro Provin-
cial.
Josu de Andrade Benfica. Deferido
com officio de hoje ao commandante das
armas.
Tenentc Manoel Flix Camello.Re-
mettido ao Sr. eummandaite superior da
guarda nacional da comarca de Panellas
para mandar paaaar a guia de que trata o
artigo 45 do decreto n. 130 de 12 de
Mareo de 1853.
ciliaao Jos Ribeiro de Visconcellos.
Informe o Sr. inspector do Thesouro
Provincia).
Jovina de Miranda Ycsr.ai.--Ao Sr. Jifcr.
director da InetrucSo Publica para infor-
mar e propor o qte julgar conveniente.
Julio Soares do Azevedo. Informe o
Sr. Dr. director da Inatruccao Publica.
Joao Joaquira Alves do Nascimento.
Ao Sr. Dr. chefe de polica.
Maria da OoaceieZo Azevedo. Ao Sr.
Dr. inspector do Thesouro Provincial.
Manoel Firmino de \lbuquerque. Bem
que o supplicante se achc habilitado para
exercer o lugar de contador e partidor do
termo de Agua-Preta, outros podem en-
contrar-so em idnticas condicSes, e a
chando-se aberto o concurso s poder ser
tomado em cqpeideraco o pedido que faz
quando a esta presidencia forcm entre-
gues as peticoes regularmente informados.
Maria Januaria da Oonceico Guima-
raes. Informe o Sr. director da Instruc-
cSo Publica.
NapoleSo Marques Galvao.Aguarde
que haja vaga de cadeira de 2.a entran-
cia.
Deoliudo Gomes da Silva.Indefendo.
Gercina Maria de Barros Corroa.In-
forme o S-. Dr. director da InstruccSo
Publica.
Francisco Carlos de Andrade. Con
cedo.
Jos Candido de Lima. Sira, com
substituto.
Argemira auilhermina Feitosa Brecken-
feld. Concedo.
Manoel Rodopiano Baafcosa de Santa
Barbara.Eucaminhe-se.
Coronel Augusto Octaviano de Souza.
Ao Thesouro Provincial para deduzir
da importancia da tiansa que deve ser cu-
tregue ao supplicante, quanto correspon-
der aos prejuizos nao provados das fre-
guezias de Boa-Vista e Bom-Jardim.
Antonio da Cunha UiiimarSes.Como
requer.
Anna Jovita Pereira. Concedo.
JoSo Rurino dos Santos.Concedo.
Luiza Mana Alves de Paiva.Concedo.
Jos Joaquim de Sant'Anna. Concedo.
Teuente Jos Francisco Telh de Me
nczes.Deferido pelo que fr liquidado,
correspondente no tempo decorrido de 14
de Dezembro do anno prximo passado a
21 de Muio ultimo, correndo a despeza
los 2 e 81 do art. 2. da lei n. 2.009.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 14 de Setembro de 1889.
porteiro,
F. Chacn.
Thesouro Provincial
DESPACHOS i O DA 7 DE SETEMBKO DE
1889
Manoel Ferreira Bartholo, Antonio
Yalentim da Silva Barroca, Caetano
l tyriaeo da Costa Moreira, Corpo de Po-
lica, ustodio Jos do Reg Araujo,
Henrique Forster A < 5., Joao Ignacio de
Medeiros liego, Officio do Chele de Po-
lica, Augusto Ricardo Cavalcanti e Se-
veriano Jos da Silva. Ao Contencioso.
12
Maria da Conceicao Azevedo, Monhard
Huber & l ., Manoel Figueira de Mene-
zes, Maria i lara de Mello Figueira, Lu
cilia Estevea de Oliveira Cesar, Franco-
lino Augusto de Hollanda Chacn, Emilio
Marinho de Castro Res, Miguel Reinaux
Duarte, Collectorias de Panellas c Agua
Preta, Candido Thiago da Costa Mello,
Ccciliano Jos Ribeiro de Yaaconcellos,
Bernardino de Oliveira Coragem, Instruc-
cSo Publica, Procuradora dos Feitos da
Fazenda, Offioios do Chefe de Polica e
Presidencia. A' Contadora.
Rccebedoria Provincial
DESPACHOS DO DA 12 DE SETEMBRO DE
1889
JoSo Francisco Dolgado Lins, Manoel
Rodrigues Teixeira e coronel J. A. Ma-
galhSos Bastos.Certiti^ue-sc.
Anastacio da Silva Lorega e Joaquim
-A 1.a seca,ao
Antonio da Costa Ferreira.
para os devidos fina.
Manoel Pinto de Araujo.Informo a
-t "
secoao.
12 -
Francisco Xavier "da 'fuz tt5), Mar-
tini-no Xavier da Cruz (4), Affonso Jos
da Silva, Aithur KapoleSo do Rogo Bar-
ros, Ernesto Castello Branco, Manoel Go-
me da Silva, Jos Rayranndo J. Paz,
SimiSo Pereira da Costa, Manoel Sabino
do R. Muniz, Raymundo Moreira de Ma-
na, Caetano Joaquim de Castro, Bento
B. Salles de < 'arvalho. Certitque-se.
Esperanja Luiza da Luz, Antonia Ma-
na Joaquina da Conceicao e Manoel Ro-
drigues Gonoalves,Informe a 1.* seccSo.
EstevSo M'anoel da Silva e Paul Julicn.
A 1.a sececo para os devidos fins.
obtiJa pela Italia, deu nunciatura era Madrid
instrucQes para promover que o movimento em
favor da cau3a prosiga, aperar de ludo, promo
vido pelo clero, e pelos neis das diversas dioce-
ses/
ir por sso que novos olTereciraeoics de hos-
pitalidades foram ltimamente dirigidos ao santo
padre pelas populaces catholicas de Valencia,
de Victoria c de Granada, s qua s o cardeal
Ratanolla respondeu em uorae do pontillec, ox-
prnrliido a maior satisfaco d'esle.
T-"Jib.m, como que para responder por um
acto publico ao governo de Madrid, Lefio Xtll
recebeu ba dias, com demonstraces de benevo-
lentes e apreco especiaos urna deouiac&o leiga,
qu..'aie foi enviada pelo bispo de Barceloua, com
o fim de renovaa o offererimento- de hospitali
daii&
Advera ain^la o correspondente crer-se, no
Vaticano que, se o Papa sahisse de Roma, para
ir residir na Hespanha, o governo d'este paiz
nao opporia a isso obstculo algum, e deixaria
livre o curso ao enthasiasmo da populacao ca-
tliolica.
O correspondente do Daily Chronicle, era
Roma, diz aquelle jornal que a sabida do Papa
de Roma cousa quasi decidida, e que com esse
facto lera ligaco o haverem sido negadas aos of-
liciaes c guardas do Vaticano as licencas do cos-
tume.
Accrescenta que urna coramissfio de cardeaes,
incumbida de regular as di-po-ices relativa.;
partida, prop.'.z que o pontifico se dirija a Civita-
Vecchia em carruagem, e dalli parta para Hes-
panha pelo mar, iicandocm Roma investidos com
poderos extraordinarios os chefes das congre-
gacoes.
Inxlaterra
O discurso da rainna lido em 30 de Agosto na
sesso do addiamento das cmaras, diz que as
relnces da GrS Uretauha com as potencias es-
tntMfi.'iras sao das mais cordeaes ; desde o co
uiecoilesta se3sao legislativa nula succodeu que
dim na a firme esperanca na uianulenco da paz
eur lo ; a nica excepeo no curso tranquillo dos
a ..it.cimentos fofa tentativa dos maliodista*
para invadirem a fronteira meridional do Egvpto,
tentativa que foi victoriosamente repellida; |ior
suggestao da rioha Victoria, o rei dos belgas
coomo em convocar pura o outonno urna
conferencia das potencias europeas, a qual deve
r.-unir seem Bruxellas para examinar u sitmcio
actual do trauco dos cscravos, por ierra e por
mar. e deliberar sobre as medidas que convm
adoptar para se mitigarein os niales que a es-
clavatura anda inflige a urna parte da hamani-
dade: os creitos votados pelo parlamento para
seren augmentadas as despozas uavaes do im-
perio, permiltirSo que os subJitos britnicos
prosigam a sua industria einpreoendida con
maior s-guranca da paz.
O discurso pe depois em evidencia o aug-
mento do bem estar agrcola e commercial. q le
leni aconipanhado a suppresfio gradual .la des
orde.n na Irlanda.
A lainlia coiicluc, diziin-lo que se congratula
de ver por toda a parte indicios de ara incremen
lo .Togressivo' de prosperidudo, fructo da con-
tiani;u que renasce.
,ajroerno ingtezdistribu'O ao parlamento um
Io L< A:u!, contendo importaiiles documentos a
i do "Stadoo da a'!'!':e:.-lr,. ao da ilrs.i de
pe
la^t'ucco Publica
DESPACHOS DO DA D Dlt SETK.UBKO DE 1889
Paulina Marcelina de Miranda.Enca-
minhece-8e.
Josepha Prcpedigna Rabcllo Padilha.
l umpra se e registre se.
Delmiro Sergio de Farias.Sm, me-
diante recibo.
Jos de Mcndonca Maurity.Justifico.
EM ADDITAMENTO AO DESPACHO DO DlA 28
DE AGOSTO DE 1889
Liliosa Silvcria de Oliveira c Silva.
Como requer.
12
Leoncio de Luna Freir.Cumpra se
registre se e marco o prazo de 15 dias
para entrar no gozo di licenca.
Argemira Guilhermina Feitosa Bre-
ckeufeld.Cumpra-se o registre se.
Franklim Minervino Martins. umpra
se e regstrese a apostilla do 10 do cor-
rente.
Paulina Marcolina de Miranda. Enca-
minhe ee.
EXTERIOR
Keparfiico da Polica
2.* neccao.N. 1120 Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 14 de Setembro de
1889.Illm. e Exm. Sr. Participo a V.
Kxc. que loraro hontem recolhidos Casa
de Detciica.", os segumtes individuos:
A' ordem do suU legado do 1." districto da
Boa VWa, Jos d.-. t..l, alienado, at que possa
ler o conveniente declino ; Fr..n.:isco Candido de
Souza, conhecido por P.abas, por disturbios ;
Joao Felippe Alves e Mana -la Conceicao de Je
sus, por olfensas moral publica.
Commuuicoi. me o delegado do term de
Jaboatao, qu.' no .lia 10 correte e em trras do
engenho Stia, foi preso o individuo de nome
Votlclas da l! Eis 0 complemento das trazidas pelo paquete
9tgus:
Italia
A 30 da Agosto o re Humberto parti para
Monza.
Diz o Courrier de la ourse, jornal que se pu-
blica ein Berlim, constar lile que o governo iU
liauo entabolou negociacoes cora banqiiei'o al
l.-ines, para um euiiiresiiino de 40 ou 500 mi
llies de francos ; mas os an pieiros apreses! i
rain um i recusa formal, comquanto nos termos
mais delicados.
O IU.-SH10 jornal aconselha irnicamente o go
venio italiano, que se dirija aos bauqueiros d>'
Panz, aecreseenlando que pouco provavcl
que assubscripces do eiuprestiiiiosepiin cober-
tas era Franca, visto as ictuaes circumstancias
polticas. >
*un't H
Segundo refere um c.ir.espondente de Boina
para mu jornal fiancez, o governo italiano, ira
pressionado pelas raaml'cstacoes que leera h.ivi
do era Hespanha, cora o concurse ah de algum as
auioridades civis, para ohVecr ao apa hospit .-
lidade, quando se docaso .folie sabir de Roma,
obteve apos reiteradas diligencias do seu repre
dentante em Madrid, que o governo hespauliol of-
deuasseaos governadores '.asditferentes provin
cias que se oppozessem a qualqu.-r pa: ticipaco
dos fuucciouaros civis e das autor.da les inuni
cipaes em mensagem dirigidas ao pontirice.
Pelo contrario a Santa Seallirma o m-smo cor
respoudeule, leagindo contra aquella concesso,
Xhxfara.
frente o respectivo bispo f-\ra oxpor ao governo
as qu-ixas da populago vexada cora tributos,
at o poni de preferir o antigo realmen turco
aquelle a que hoje a sujeita civilisada c liberal
Inglaterra.
Os documentos cootidos no Litro Azul justifi-
can! plenamente aquellas queixas. Ve s por
ellos que depois que se estabelectu o rgimen
iuglez na il i Icm liavido alli urna serie de es-
cassas colneilas, que foram de desastrosos resul-
tados.
O proprio lisco recouheccu que desde 1872 os
rendiraentos dos. cultivadores de ccieaes lera
sollado una redueco de Z) '/
H i grande dilBculdaue na cobranca de irapos-
tos. para a qual se lornam indispensaveis os
mcios coercivos.
Dahi resultou que os camponezes esto a mer-
co dos usurarios, os quaes dentro de pouco tem-
po se tornarao lenhores das torras df'ixapdo 0
resto da populacao redusida miseria extrema,
se o governo iiiijlez nao usar de remedio eli :a:
contra lao calamitosa situaco.
- Sir Henrv BuWer, que substituio rccentemra-
te lord Voisel.v no governo da ihi, reeonbece
timbem o fundamento dasreclamacOes dos seus
a Iministrados, ullirmairlo que os nupostos eslo
em maoifesta desproporco cora os recursos do
povo.
Km presenca de tudoisto^omnrohende se per-
fritamente aaeos habitantes de Chypre nao agr
decam os benelicios moraes do rgimen inglez,
e sinlam saudades do dominio turco sob o qual,
ao menos, no linham que pagar tributos a duas
naces, como teem agora; a Inglaterra e Tur
quia
Nao possivel que o governo britnico deise
subsistir um estado de coisas que permute um
confronto entre o dominio turco e o ingles, des-
favnravel para este ultimo.
Se o nao zer, p rieren) ver dentro em pou-
co a que*lao do oriente complicada com um novo
facto e esse, de feica i mnilo particular, o curio-
sa, o de urna auliga provincia turca que pele
que a livrem do dominio de um i Baca i corista e
occidental, e a reslituam ao dos seus amigos se-
nboros iiiahouiolanos.
Muito se trabaran na Inglaterra lasendo propa
ganda no senliilo de seobrigar a Turqua afazer
Armenia coocessfies a que se obrgou pelo tra-
tado de Reilim.
O goverm. britnico, interpellado ja duas ve
es na cmara doscominuns a respeilo do as-
.-urnpio. respoivl.-u que nao astava resolvido a
mcom nodar na actual conjunetura a Turqua a
lu i.'SpritO. .
Esta resotafto, porfm, nodo acontecer que dei-
xe de sor irrev..g.vel se so apurar qu- venia
dona a uv.t n, qa 80 l'n'il -Vic foi tcilsmilli-
11 i kgrapliicaur irte pelu cu corr.-spond.-nte
de Tiflis.
' u de urna .-i en'-,!1 dirigida pela Porta a lo
o o- pacbs da Armenia, convidando os a nao
seren aVgagradavws aos tardos, e pelo contra-
rio, a pi-.u.'-jel os no .'xercicio de todos os seu:
dir-i'os e <'-e io:os os seu^ privilegios.
Segundo aquelle jornal, isto signilica que a
Po la l.'-eja conservar aos kurdos odirvito de
doiuiaare n c mw sauhores supremos, o o pnvi
Ir-..i .te ..pp: i uirem como Ibes approuver a po
poiaco .ti i-ii la Armona.
Vi. i ,-,.,-,. muito verosiin.'l que a Porta PSto
Ihesse. uara dar tae.- in.-irueces is suas aulori
ia ie- uba diad is, o momento em qu a alten
.-a publica da Europa esta tao voltad i para as
recia u-nfi -S dos cliristaiH que Vivem so.) o reg
mea nUutuauo. .. .,
ComlBdi, o correspon lente do Daily V10S, a3-
m'Vimi -o- ve 1.1 lena a noticia.
E' e.miuvida energa rom que l(funa dos
meaibr..- la .amara electiva inglesa tein nos ul
timos lempos mierpellado o gabinete Saliabarj
sob e,.s facto- da Armenia, lembr..ndo-lbc que a
Ingla'enM e nina da- n .e-s signatarias do trata-
do le Berlim. que no seu artigo ol mpfl Tur-
qua as faruius da Armenia.
Os m.nistros. affirmando o seu proposito de
uo mcominodar a esse respeitoa Porta, nao nos
parece que prestassem um bom servico ao go-
verno turco. Melhor fariam aconselhando Ihe
que se desobrigasse do deverque contrahio, sua-
visando o seu dominio sobre as populaces
christas que Ihe estao sujeitas, do que animan-
do-a n'uma resistencia, que pode vir a tornar
necessaria urna intervengo das potencias, e que
pode vir a ser causa de um novo desmembra-
ment na Turqua.
Parece surgir de novo o conflicto enlre os
Estados-Unidos e a Inglaterra a proposito das
pescas no mar de Behring.
Esta ultima potencia sustenta que os Eitados-
Unidos estn violando o direito das gentes, prc-
tendendo exercer soberana if um braco de mar
alem do limite de tres milhas da costa.
O governo americano, que ha lempo pareca
deleniSr a inesma Ihese presentemente susten-
tada pela Inglaterra, quando so tratava das pes-
cas as costas do Canad, agora mantera o ap-
plica com o mximo rigor urna doutrina inteira
mente contraria.
E tao enrgica a intiv.usigencia do governo
federal, que, se nao fosse a facilidade com que a
Gr-Brelanha engole as plalas mais amargas,
quando sao manipuladas na pharmacia dos Es-
tados-Unidos, seria para receiar-sc um enorme
contiieto entre os dous grandes estados. Com-
tudo, sao to irritantes as reclaniac.os dos ha-
bitantes do CaBada, cuios interesses sao grave-
mente prejudicados pelo procedimento da con-
federacao americana, que nao ser muito fcil o
ceder pura o simples mente no caso de que se
trata.
A prolongada grita dos trabalhadores das
dockas de Londres,que tantos Iraustornos o pre
juizos tem causado ao commercio, continuava
em bocego, a 30 de Agosto.
Vanos navios poderam ja sabir do porto, gra
cas aos trabalhadores adventicios contracta dos
pelas companhias; mas esses trabalhadores nao
podem sabir das dockas. porque os grecistas ar-
rastain nos a fazer cansa eommum com elles.
Varios Citabelecimcntos importantes de diver-
sas partes da Inglaterra viram-se o bridados a
suspender os trobalhus por falta de forneci-
menlos.
No dia 31 a jun'a dos nrcistas propoz novas
condicOes, que se approximam das que foram j
proposlas pelos directores das dockas. eriam
nesse dia examinadas por estes na sua re-
unio d'aquella tnanh.
O ilarquez de Londonlerry deu a sua demis-
so de vice-re da Irlanda e embarcou para a In
glalerra.
Nao houve manirestago.
Ilemnnha
A Caula da Memanha do Sortc oecupa-se da
expe.lico do Sr. Peters a proposito de una
reuniao do cooselho de ministros, na qual se tra
tou do assumpto. Diz ella que o governo nao
se preoecupa com as velleidades anglop'iobas de
alguns individuos muito proraptos a preai-s.-
era evideniia; e lera, alm d'isso, a cert zi di-
que a opiuio publica tilo liga nenhura interesse
ao Sr. Pelcrs era aos seus parti laros. Con
resoeo poltica colonial o jornal do clianceller
diz que a Alleminha lera bastante em que Be
oceupar na tarefa de tornar valiosos os vastos
territorios que possue na frica : que os aconte
eimentos occorruos na costa oriental provam a
neees-idade de que ella concentre as s-ias forjas
nos territorios j oceupados. e que o governo
nao est dispo.-i u concorrer nova; acquisi-
e, era caso de maior ^Mliculdadcs fara surgir,
como Deus ex machina} algum fado inesperado,
que opere a conciliacao, emo foi na ultima elei-
co a intervenefio do Papa, que deu ao governo a
influencia dos conservadores catholicos.-'
Um jornal allerao, a Gazeta de Hiniburgo,
que s vezes se ciicarrega de soltar bales deen-
saio, ao servico da poltica do chanceller, publi-
cou urna correspondencia de Berlim, na qual se
sustenta a necessidade de augmentar anda mais
asHorcas militares do Imperio, e se pOe em re-
coes lerrito'riae.'-.
\Yc os cm lernto 1 quo urna eu*a4-- artigo da Gaceta o ransumpo da opiniSo
ao de habitamos taqun.-, ilha, teifW'i ** 4% chan.eller sobre a expan-o c. !on:ul di Al'o-
manha, opinio, que-transpira de variOJ ratitot e
de operages por vezes avancadas por aquelle
horae 11 de estado. A questo linauceira do iin-
perio preoecupa vivamente o principe de li:--
marek, que alia.-: se vi1 obriga lo a agg'av I -a
repelidas vess rom as novas despexas de arma
ment. Nao pretende elle por isso que o im-
perio tenha de contrahir mais encargos para
satisfazer as despezas, exigidas por novos esta
belecimentos coloniaes.
Agora, poriu, lia mais urna circumslaua que
o leva a lirmar-se n'aquelle parecer.
E' que a expanso colonial ailemd estava pro-
vocando bastante o ciume da Inglaterra, e a
chauccller procura n'este ruovimento por todos
os meius ter as boas gracas d'esta potencia, que
deseja conservar na melhor harmonia de inten-
tos cutu a trplice allianca.
Tem-sc oceupado muito a inlprona euro
pea cora a projectada visita do erar ao impeno
da Alleinanha. O assumpto tem sido abundante-
mente explorado para eonsideraces polticas de
loda a ordem, com que se tem encliido mullas
columnas de jornada.
Hoje a qufistSo apresent-se perfeitamenie -ios
comidicaia. A propna imprensa officosa al-
enla ja desisti, do plano, cm que andar, de
attribuir queile facto grande importancia para
a
a approximacio da Rassta da poltica da triplicc
allianca, e j'confessa qu- ciie nSo lera influen-
cia algnon na guerra ou na paz da Europa.
Est pois a visita, que sera duvida se effec-
toar, reduzida a ura simples acto de cortesa,
acto que por isso mesmo no tem signifieaco
poltica, mas cuja falta que a teria, or isso
que indicara m disposico do imperador russo
contra o allcmSo. E" certo que o imperador lui
Inerme; logo depiia do sen advento ao throno,
visitou o czar, e nao se justicaria a falt.', que
este por ventura coinnietlesse, deixando de re-
tribuir a visita.
- Nos priraeiros (dates do prximo anno de
1890 deve haver na Allemanha eleicOes para o
reichstag. ou parlamento federal, .'.oiiu sa-
bido, a maioria de que o governo tem disposto
n'aquella assembla para Ihe vo.ar as providen-
cias militares, e outras importante, em que m
lera empenha.lo. tilha de urna coUigacao que-
so fez por oecaswo das ultimas eleicOes, em
188", entre os conservadores puros e os na.io-
naes I beraes.
No estado da actual constituicao dos partidos
d'aquelle imperio o principe de ltsmar.k lera
que recorrer anda aquella oliigaco, para con
seguir o triumphn eleitoral. Acontece, pur o,
que os tres partidos nao esto con'entes uns
com os outros, e qurix-m se de fr si.10 prej i.!i-
cados na allianca em que entraran).
Is.-o est fizeudo ussumptJ s polmicas dos
jorn es da cada grupo.
Os naci mes lib.-raes qneixam-se de que o
seus alliados conserva lores falta rain p ilavra
da la por oecasia 1 de una eleicAo suppleme
que recentemente lionte em Halberstsdt, e exi-
gem garantas mais solidas para o futuro.
Os eonwrvad >rea extr.....os dizem Be victimas
de mis p.ee.-..-. parlamentares, em qu os sea
princinyos e o- seus partidarios *o cot
i>in po -ecundaria. A Gazeta da Cruz
n'10 pod.- jo ( r qu'- soDVou nma pers -auici
da |.a'"e l,. -v nu.. lii" o seo director lo! Ivu
Miiio-os, e que o seu aniiO
I .r di corle, leve que suppirtar
o Inii^HEgr i.ie.eller i ..po/. ao seu f,.na-
li-mo .i.Di 1 l'-.r i-so e-creve aquello
j: mal
.'J, q 11 lo ."11 Ft-vereiro de 1887 nos pro
nunntno- o favor de urna alli me. Il
sobre .Pase d. .,i.i,>. re.-peto, tinliamos per-
f-ita consei.Miei.. le que o partido conservador
COffltftal nao luana d'isso grande provello. O
resultado das el.-ices deu nos completamente
razai.
Nao obstante lodos os murmurios o queixu
raes ere--.- lir m mente que a allianca nao sof-
freriquebra. esentart unida a disputar
a oleigao, para constituir a futura maioria do
reichstag.
0 chauceller ha d ter arte de ludo conciliar;
letj a facilidade com que o parlamento francez
vota tudos os crditos que o governo Ihe pede
para o accrecerit.unento dos recursos militares.
A Gazeta da Allemanha do Norte reproduzio
aquella correspondencia, e charaou para ella a
attenciio publica.
Com esta campanha coincide um boalo, que
tem tido curso ltimamente em Berlim. de que a
chanceller tenciona pedir novos crditos ao rei-
chstag, mal este se abra, para mais engrandecer
as forcas militares alternas.
Diz a Gazeta de Colonia que houve ltima-
mente negociagOes entre os diversos governos
allemaes a respeito da nova lei contra os socia-
listas, que deve ser submeltida brevemente ao
conseibo federal e reiclisiag.
Ja est officialmenle resolvido que a expo-
gicao militar, era que se pensou lia alguns mezes,
abrir no dia i de Junho de 1890 em Colonia,
cem este titulo: ExposicSo internacional darmas,
instrumentos, etc., que servir para illuslrar a
arte da guerra, referindo-sc d'alguma forma a
condicao das tropas ou do exercito.
N'essa exposigo ver-se-ha de tudo : alimen-
tos, uniformes, niujj%ges, vc-locipedes militares,
pombos-correios, HP
N'uma galera retrospectiva estarSo expostos
quadros de batalbas. retratos militares, medalhas,
e bandeiras tomadas aos inimigos.
As bandeiras tomadas aos francezes estaro
tambera em oxposigSo menos as de Sadowa, eas
que foram apprehen.lidas pelos austracos.
Ansi-ia-lldii^iia
O correspondente da Independance Belge era
Roma, d n'aquelle jornal cenia de um boato,
cuja perfidia veracidade nao garante, mas que
diz ter havldo de fonte autorisada. Esse boato,
que tem bastante importancia, o de ncgociages
entre as potencias da triplico allianca para se
rejolver a questo papal por um modas vivendi,
que alargue praticainenle o privilegio de extra-
lerritoklidade, de que actoaunente gosa o pon-
tifico no recinto do Vaticano, isto que ponba
termo ao simulacro de captiveirodcque se quei-
>:a Leao XIII.
A Austria, como sabido, tem que usar de
grandes contemplares para cora os calholicos
que nao vm com bons olhos a Italia, que consi-
derara expoliado! a dos direitos do Pontfice, e
que nenhura apoio esperara para este da protes-
tante All 'inanha. Mas tamben) ella, fra da al-
lianga dirigida pelo Imperio allemo. sendo que
se expona au:iia domiuago absoluta do pansla-
vismo na pennsula dos Balkans onde, sema
esperanca do obter compensages, e d'onde es-
pera lir elementos de engranjlecimento. Por
isso lem absoluta necessidade de conformarse
com ura estado de coisas, no qual 03 sentiinentos
religiosos da aristocracia austraca esto longe
de encontrar satisfaco completa.
Isso levou o governo austraco a collaborar com
0 illemSo o'um projeclo, que dsse em parte sa-
tisfgalo ao; calholicos. e em que o Papa ao in-
terviesso, para llcarem intactas as suas reivindi-
ca c Oes.
Esse r.Tojee'.Q cousiste cm que, alem do Vati-
cano o dos outros palacios concedidos ao Ponti-
ice pela lei das garantas, com os attribulos da
plena soberana, o governo italir.no ponba dis-
posico do Papa um navio de guerra que estacio-
,ie em Chita-Vecchia, e que arvore o pavillio
papal. Alm d'isso, o Papa ter o direito de re-
uisitan pira o seu servico pessoal um comboio
' egual-
eque
lie se
>'irrja. das regalas da extra lorritonalidade.
D'este modo o poitifice poder ir a Castel Gan-
dolfo ou Civita-Vecehia, e embarcar para o es-
trangeiro sera se privar das garantas soberanas
de que actualmente gosa no recinto do Vati-
cano.
Parece que est isto concertado entre a Aus-
tria c a Allemanha. mas que uo susccptivel de
realisacio immedala, porque nao se conta com a
adhesao do Sr. Crisp; e lano assim que este
hornera de Estado nao tem entrado as ncgocia-
ges havidas a tal respeito. Mas no dia em que
se resolva definitivamente a levar execocao o
proiecto, fcil ser, por urna modanca ministe-
1 al na alia, apparecer um gabinete que a adop-
te e cxecole. .
iiuanlo ao Vaticano nao ha anda parecer u elle
a respeiio, porque ainda nao foi c.onsullaJo: mas
algutnas das pessoas que tem entra lo as nego-
ciagf.es e que Ihe sao dedicadas, tem formulado
orna exigencia, que pode fazer mallograr a ten-
tativa. .
Pretenden) que o navio de guerra e o comboio
a que nos referimos, sejam protegidos nao s
pea bandeira pontifical mas tambem pelas das
potencias que tenliam concurrido para o accof-
do. assim como das que tenliam o direito de in-
tervir, como a Franga, na situago internacional
creada para o chefe da igreja,
A uitengfio desta exigencia a de collocar no
terreno internacional urna qaestao, que a Italia
considera como pertencente nicamente, ao do-
minio da poltica interna. ___. ,
Foram distribu ios e m J(^K^tanaestina-
mente milhares de exeiuularraMpm manifest
lioClub-Ca-ibaldi, em favor ilacausa irreden-
tista. ,
Foi dissolvida em Praga aassoiagao dos
estudaiUes Ltserceren. Suppe-se que o motivo
da dissoluyaj foi a atutude dos seus delegados
no caogresso dos ostu antes lia pouco reunido
em Paria. .
Constituiu-se em Traga una cominissao
com o lira .le ur^anisar urna exposigao geral,
que. d. ver realisar se n'aquella lidade od 1891.
eiro centenario da exposigo que al iiou-
ve e:n 1.791, e que foi a primuira da Europa.
1111**1
- Haviaei .niiiinn.mo alguns jomaos que
iriaui vi*iiar simidtaneamonle o imperador Cui-
1 n;i Alie n inlu o czar o a czarina e a rai-
"' .'.V-I'.i-- n e o ,:/. :r nao ir direclamen-
lfti.S Poler-burgo a Berlim, e que antes de
K- o o.... -ra luliermo. con luzr a cza-
a Cmp-Miliague. Aquello encontr que se
inver de !T cma.-se em Kiel, fica, pois,
1 ,:,)... K, foi de S. Petersburgo que par-
Bolivo desse 11 allogrado encontr de so-
beranos, a que tanto a prego se ligava 111 corte
le Berlim. .
Isso ndica haver a parte da Russiaompenho
em que se nilo-supponha commuoidade de inlen-
toi ede aegao po iu.-a daquella nagaocom a Al-
lemanha i! coma Inlater.a que a polilica ale-
nla lem pretend >o ipproximar qumto p ssivel
da triplico aJKanch.
A imprensa officosa de Berlim viu-se obriga-
da a abandonar um desidertum, a que ligava
a maior importancia, o com cujos resultados mui-
to se lisongeava e deixa entrever que o enlhu-
siasmo com que ha pouco fallara da imaginada
approximacio da Inglaterra t.nlia apenas por
intuito o produzir impressao na te o na cnan-
cellaria imperial d- 8. Petersbtirgo. .
Nao occulla ella o seu dospeiio,.e j desisto
do empenho de attribuir importancia ao encon-
x-



muii 1



w
I
tf

Diario de Pernambuco-Domingo 15 de Setembro de 1*89
e da soberana de Quiz-se provavelmente poupar'a dignidade da
i Allemanha, adiando eraquanto foi possivel a di-
vulgago de um accordo, que nfto deixa de ser
uin pouco humilhantt: para a sua diplomacia.
tro do imperador Guilherir.e
Inglaterra em Osboroe.
:a l'olha officiosa, por exemplos, diz clara-
mente que a Inglaterra resol veo sahir da attitu-
de paseiva que estova guardando na poliiica eu-
ropea desde algum lempo, e que par isso se nao
deve ter em conta de importante a visita do im-
perador a Osborne. E accrescenta o mesmo
jornal que a ida do imperador a Russia nao po-
derla de modo algrtn ter influencia na questao
da paz da Europa. _
K um remoque que vae uom eniuaen paca-* Preeapuem-se a negMimoes diplomticas en-
carte de S. Peteri-burgo. tre oa-Estadoe-Unidos e a Inglaterra, coui res-
A 26 de Agosto partiam. para. Copwagofti neHo queslo da pesca aa pbeea no mar de.
o czar e a czarina, o czarewitck, e osTeus oa-1 Behring.
tros Tilhos. Os navios aprisinalos pelos cruzadores ame-
Morreu em S. Pelerebnrgo o decaao dos | picaos por andarem laquella pesca-que os Es-
jornalistas russos, Andr Kwievskv. Nspera.! tados-Duidos ser do direito excfusivodos subdi-
\oticl:s da Amrica
Enfado*.I nido*
em 1810. Fez os seus-estados na Univeraidade
de Moscow, e entrou anda muito novo na car-
reira de jornalista.
Collaboroa em varios jornaes, deaois diriga
durante alguns annos a Gazeta de S. Petersburgo,
que deixou em 1863, para ir fundar um jornal
seu, 0 Galoss, que em breve se tornou um dos or-
gaos mais importantes da imprensa russa.
O Galoss foi em 1879 suspenso por cinco me-
zes, e, segundo a le que Tege a imprensa da-
3uelle oaz, nSo poda teapparecer, sem a con-
igo da censura previa.
Kraievsky nao qniz submatter se a ella, o por
isso nao tornou a publicar O jornal.
- E' grande a actividade militar da Russia
meridional. O exercito do Caucaso conta j uns
lOn.OOO boinens, e parece que vac receber mais
M),000.
Reiaa igual actividade nos arsenaes de mari
timos.
tes da confederadlo, sao do Canad.
O govera||esta oolouia insiste cem o minia
tena. iagl ring- urna feUwtra de couracados para proteger
pela Mfe oioavioa canadianos.
Pareeeque o governo de Londres se recusa a
isso e a qualquer procedimento violento, porque
os crusadores americanos empregamum proce3-
so suave para com os navios do Canad.
CAnieoiaua-ae ooin-o eoatiscar a puoca pea
cadas, e meter a bordo dos navios um official de
marinha, que os obriga a dirigirem-se para o
ponto do armamento.
Oa navios nao sao lomados.
O flm do governo dos Estados Unidos parece
nicamente o de intimidar os pescadores estran-
geiros, para nao fazerem concurrencia s com-
panhias americanas de pesca, que exploran o
mar de Behring.
A questao est, pois, no terreno diplomtico
e est tendo o carcter de urna discusso acade-
Bulgaria coia ralu .,.,. w-----------------
O governo blgaro declarou que, se os prefin mCil entre >s dous gabinetes, sobre a legitirai-
ravos militares da Servia coutrauassera, sfehJJ-dade ou a illegitiinidade do direito, que os Es-
obrigado a mobilisar o seu exercito.
O governo servio affirmou que os seus arma-
mentos nao oceultam nenhuma intengao hostil.
Servia
Foi mais urna vez adiada a viagem da rainha
Nathalia a Belgrado.
tados Unidos se arrogam ao exclusivo da pesca
no referido mar.
/>grada sobremaneira ao governo da confede-
rag&o americana que a questao esleja nese pe,
porque assim descontenta profundamente o Ca
1 nada, e sabido o empenhn que teera os Esta-
A razo offical que se d para o adiamento j d03 unidos em promover a desintelligencta eu
urna iodispoaico de saude da rainha; mas o |re a metropole e aquella colonia, com a espe
verdadeiro motivo delle parece que o nao ha-! raac de que mais tarde ou mais cedo esta se
ver a rainha anda accedido s condigoes que a separe iateiramente da Inglaterra, para se en.
regencia Ihe impe. para a sua residencia n -,_...< mnUoBrin imoRPiio
na ca
pitl da Servia.
Julga se que essas condigoes Ihe foram impos-
tas de a-cardo entre os regentes e o rei Mi lio.
Turqu*
Continua a haver noticias de|aggressues com-
raettidas na Armenia pelos kurdos contra os
christos.
Esses fuctos vao chamando a attenco publica
na Europa, o especialmente ua Inglaterra, onde
o jily News ten tomado a peito o assumpto.
O Sr. Gladstoue dirigi aquello jornal urna
carta, em que denuncia as atrocidades pratica-
das na Armenia pelos kurdos vista das autori-
dades turcas a tudo inriifferefeW. Cita mudos
factos, e pede ao governo iaglez que intervenlia
enrgicamente perante o sulto, para que re-
prima aquelles crimes.
A carta do illustre e venerando estadista pro-
duziu funda impressono mundo poltica
Segundo affirma o mesmo jornal, a Russia co-
meta a preoecupar-se seriamente cora as perse-
guices de que os christos esto sendo victimas
da parte dos musulmanos, e nao ser para sur-
prehender que o governo do czar se re Mil va a
mandar oceupar a Armenia por forcas russas.
Tal vez nao baja tal proposito por eraquanto da
parte da Russia, que se tem mostrado nos ulti
mos tempos mui'.o reservada em todos os assuinp
tos susceptiveis de levantarem mais umi vez a
uesto do orieotc; cora tudo, eerlo, que a
urquia est obrigada, pelo tratado de Berlun a
adoptar reformas aa Armenia. Lord Salisbury,
ioterpellado no parlamento, disse que nao eslava
disposto a exercer sobre a Turqua presso al-
guma a respeilo d'este assnmpto, para nao col-
locar em embarazos o sulto. Annunciaudo a pro-
bahilidade de urna intervencao russa, possivel
que o Daily News tivesse nicamente p.r lim
mostrar ao governo inglez as consequencias gra-
ves que podem resultar das suas complacencias
com o sullo, em assumplos de to subida im-
portancia.
E* possivel que os esforcos de urna parte da
mprensa e dos horneas polticos da Inglaterra,
e a atteago que para o caso tambera nao deixar
de dirigir a Austria interessada em evitar a in-
tervencao da Russia, venbam a abrigar a Tur-
corporar na grande confederaco americana
Deu-se a 27 um descarrilameato na via-fer-
rea entre Chicago c Kaisaa Gily-
Ficarara feridas 50 pessoas.
No porto da Costa, na California, bouve um
grande incendio, que destruio um vasto arma
zera, um navio americano, 3 navios ingiezes e
40 wagons carrejados de trigo.
Avaliam-se as perdas era 60.0)0 dollars.
Em consequencia das inundaces de Wa-
I kayami, pereceram afogadas 10,000 pessoas, e
esto 20,000 sera abrigo.
E' grande a miseria.
quia a desciupenhar-se do encargo que IIk
metteu o tratado de Berlina.
Um telegrarama de Alhenas para o Dail
Netos conlirma que os delegados cretenses rea.-
saram proseguir as negociacOes cora o novo go-
vernador Chakir-Pach; os musulmanos amea-
carain ir atacar os consulados e a cathedral de
Canea, nicos refugios dos christos.'
Dizem de Coustaotinopla que no da 20 de
Agosto se pdz a camioho para a ilha de Creta um
navio cajregado de tropa, de caones e de mu-
nigoesrLevS'Snn- tambern a mesma direcgo al-
guns reforgos mandados ir da Syria, e ainda ou-
tros -eriam enviados, ai se completar o numero
de 30 000 hoitens, que foi fixado telo governador
geral de Creta, como preciso para a oceupaco
da ilna.
A deoutaco cretense de Canea encarrega-
da de negociar cora o gogeruadorCbakir-faena,
deu a sua dsmissao. e entregoa a este um vio-
lento protesto.
Assegura se que Chakir-Pach pedio atorisa-
go para proceder c,o:n todo o rigor.
ChCriarama Creta mais tropas ottoraanas.
Chakir-l'ach publkou. urna proclama^o an-
nunciaudo a partida das tropas para o interior
da ilha.e ameacando submetter os recalcitrantes
ao julgamento do tribunal marcial.
NOTICIAS DA FRICA
KlSypia
O Sr. Palmer, director geral de conus, substi-
tuir o Sr. Vincent como conselheiro linancial do
Khediv.
feI
O gowrnador de Tanyer achavasea29 de
Agosto em Tetuao, aguardando o sullo, e escre-
veu dizendo que este se approximava j d'esta
povoayo, e que nos arredores se ouvia j o ruido
dos tambores e cornetas do exercito.
O Sr. antagalli, representante da Itilia. est
sendo objectoae affectuosas deraonstracOes por
arle das autoridades^ do povo raarroquino.
Aquelle diplmala aguardar a cheguda do sultio
em um precioso jardim.
Esca-seiam al os vveres : o povo e as auto-
ridades projectara pedir ao imperador permisso
para iraportarem cereaes pela coila, era virtude
da grande elevaco de preyes. .
Parece cerio que o sullo Hgney-Hassan che-
garia a Tetuo no dia 2 de Setembro.
Iban de milwloli
O rei Kalakana das i Ibas de Sandwich rceu-
sou-se a seconhecer como cnsul geral dos Esta-
dos Unidos um Sr. Severand, por considerar
como falla de cortezia do governo norte-ameri-
cano- a nomeaco d'aquelle individuo, que, ha
tempos, fra exonerado do posto de.-coronel de
Hawai em S. Francisco.
Manida
O tres governos, allemo inglez e ameri
cano leera guardado com arande reserva as con-
clusas da cone*encia diplomtica que se reuni
em Uerhiri para tratar da questao de Sama.
Apezar Je serem decoindos tres raezes sobre o
encerrainento dos fiaballios da conferencia, ne-
nhuii resultado oiSial d'elles era at. agora co-
ntiendo
Um telegramma vindo da Oceania deu-nos. po-
rm, agora a conhecer como na conferencia lora
resolvido um dos pontos da questao. Aquelle te-
legramma d noticia de que dabaloa. o ex re
que havi,i siJc deposto e desterrado pelo* alie-
mes, foi reconduzdo a Sama por uraa canho
neiro allema, fui recebido com enthusiasmo pelos
indgenas, e al bm acolhido por Mataafa, que.
como 6 sabido, ffu elevado ao throno em lugar
d'elle
V-sc, pois, que os Estados Unidos consegui-
ram taser prevalecer as suas pretences no to-
cante a este ponto, obtendo a rerategrago de Ma-
liatoa, isto a anterior siluaco no que respeita
aos direit03 dos indgenas a escolberem o seu
rei.
Deve ter havido ura bocadD de sacnicio para
0 amor proprio da Ailemanha do acceder re-
paraco da violencia qu os agentes do governo
imperial haviam praticddo no archipelago de
Sama.
Talvez que isso explique o facto de se ter
guardado segre lo sobre o resollado da conferen-
cia.
Fi\\>CVS E COHMfiltOO
Em sua revista commercial e tinanceira
de 31 de Agosto ultimo, diz o Jornal do
Commercio, de Lisboa, que foi de veras
interessante e digna de mxima pondera-
gao a notavel reacyao que se operou nos
mercados financeiros durante esta sema-
na, e que mais ostensivamente se mani-
festou no mercado de Londres, a ponto do
conselho do banco de Inglaterra se ver
forcado a elevar a 4 OjO a taxa de descon-
t para poder defender a aua reserva me-
tallica, em face das avultadissimas neces-
sidades de dinbeiro, nao so do Tboaouro,
mas do commercio em geral, que se acha-
ram aggravadas com a liquidacao do tiui
do mez.
Esta resolucao do conselho do banco,
que alias era esperada, porque a taxa do
mercado j desde a anterior semana esta-
va superior do banco, fez mnvimentar to-
das as operaydes cambiaes no sentido do
novo padrao de joros.
O distrete do antigo consolidado inglez
de 3 Q(0 tem tornado eoabaraeoaa a siiua-
cao do mercado menetario, porque para
pagamento aos portadores dos tientos que
nao quizeram aceitar a converaao, teem
sido sacadas letras do Tbesaura em conta
da divida fluctuante, e coma o largo uso
deata concessao tem laucad.i perturbayao
no mercado, o Sr. Goschen vae breve-
mente converter urna porcao da enorme
so mina da divida fluctuante em bonds do
Thesouro, pagaveis em dois ou tres annos.
A critica situacao em que se encontra o
mercado de Londres ainda intensiva-
mente aggravado com as consequencias da
general isacao das greves, as quaes teem
occasionado perdas importantes, e prodn-
sido contraccoes na ciroulacao das opera-
8ea mercantis.
Tado se encaminba para tazar perder a
posicao de primeira potencia ao mercado
de Londres, porque outros mercados j se
Ihe avantajam nao s nos recursos mone-
tarios, como tambera na vastido dos seus
negocios ; mas ainda assim o emporio de
Londres, pelas suas relac3e3 mercantis
prolongar por inuito tempo o seu presti-
gio e influencia.
O banco de Inglaterra continuou a sup-
prir as necessidades de ouro. nos diversos
mercados, porque o curso dos cambios fa-
voreca essas reinessas, e ainda nesta se
mana enviou 400:000 libras para o Rio de
Janeiro, para pagamento do eraprasti rao
para o Caminbo de Ferro Brazileiro, que
foi collocado na praca de Londres. As
tran8lac5o"es de ouro para New-York pro-
mettem prolongarse ainda por algumas
semanas, assim como para Bucnos-Ayres,
e coincidindo estas exportacoes de moeda
com a dirainuico das reservas as diver
sas instituifSes de crdito de Inglaterra,
fez com que a taxa do seu aesconto se
elevasse a 3 3[4 qjO e casos excepcionacs
a 3 liv} oO.
Com a elevacad da taxa de descont
em Londres os cambios tornam-se favora-
veis para as transferencias para easa pra-
ca e por isso de esperar que principal-
mente de Franca, se facain grandes expor-
tado js de ouro para Londres.
As liquidacoes meusaes encontraram nao
s difficuldade8 as pracaa inglezas, como
as fle outras nacionalidades, com excep-
apenas das de Franca em que a abun-
dancia de numerario supprio todas as ne-
cesidades e requisicOes.
Em Berliin as difliculdades foram ag
vadas com a baixa das vendas italianas
que se tinham feito largas especula-
jSes com o tira de'promover a alta em que
eatiio interessados os bauqueiros allemSes.
Em Hespanha a situacao n5o apresen-
tou prespectiva de raelboria, tornando-se
cada vez mais difficila pos c-'o do banco que
se v foryado a occorrer a todos os sup-
primentos para o Estado c a satisfazer os
intensivos encargos da sua circulacao fi-
duciaria, sem que o governo d indicios
de se dispor a proporcionar-lhe os meios
de se desembarazar da critica situacao que
atfronta e atrophia esta instituido de ere
dito.
A crise por que est atravessando a
Italia em consequencia da suspensao de
pagamentos dos bancos de Uescontos e
Sedas de Turn, banco de Roma, Tiberino
e Esqnilinio, prodni'.io violenta comraocao
que se repercuti na principaes institui-
93es de crdito italianas, que julgando nos
primeiros momentos poderem prestar o
sen concurso em favor dos banjos de Tu-
rim e de Roma, cuja existencia perielita-
va, entenderam por mais conveniente de-
fenderem-se a si do que acudir aos erros
alheios.
A cria> ainda. toda- local, que a liqui-
dacio d'aqaeB. estabeieoiniflntoB occasio-
da tem consequencias gravea, que corapl-
oam a sitoacio do pas,, que desde rauito
se encontr erar tace de ueiavposicao mone-
taria que nio corresponde enorme circu-
lacao duciaria.
Analysando os diversos faeioree ^ua pro-
maneram o desastre. n'eqjeeUea bencon, rW
cilmente se verifica que foi o abuso da
nstituicao bancaria que provocou a crise,
porque esses bancos em vez de impulsio-
narem o crdito, fazendo desenvolver ope-
ra(3es commerciaes, oceuparam-se espe-
cialmente, em empregar os seus capitaes
na construeyao do immoveis.
Com esta immobilisacao de capital cla-
ro que os bancos nSo. podiam satisfazer os
seus compromissos fluctuantes, d'ahi Ihe
resultou a crise que ba muito os compro-
mettia, e cujos cffeitos explosiram pela
desenvolugao notavel das leis econmi-
cas. y
Como consequencia d'esta crise suspen-
deram-se os trabalhos das edificas3es que
estavam construindo, do que resultara urna
nova crise para as lasses operaras q#e
se v.lo encontrar sera trabalho, e sem pro-
porySes para obter, porq*ue a situayao da
Italia deveras desanimaJor, nlo s"!ob
o ponto de vista poltico eomo financeiro.
A pra$a de LisbSa que, pelos seua limi-
tados recursos e restricto campo de ope-
rares nao entra no concurso das circum-
tancias que actuara sobre os outros merca-
dos financeiros; deixa-se influenciar, co-
mo nao poda deixar de ser, pelas domi-
nantes das pracas com que mais frequente-
mente tranaacciona.
A situacao do mercado nquestiona-
velmente, desafogada, e nenhum abalo in-
ternos o poder emocionar, por isso que
as largas especulares a descoberto quasi
que desappareceram da ordem de opera*
55es, as quaes se caracterisam pelos mais
regrados principios da prudencia.
O movimento commercial tem sido no-
tavelmento augmento e o valor das impor-
tacoes apresenta sensiveis reducsiles prin-
cipalmente nos artigos fabricados, o que
prova quanto a industria nacional tem pro-
gredido.
A colbeita de cereaes foi muito abun-
dante e a sua qualidade muito superior
dos annos anteriores, e d'este auspicio-
so tacto resultar nova seiva para alimen-
tar e desenvolver as operajoes mercantis.
Na data a que cima, nos referimos o
curso dos cambios regulou pela seguinte
pauta:
Cambios
Papel Dinbeiro
Londres, 90 v... 53 9/16 53 11/16
cheque. 53 7/32 53 1/4
Pars, 99 3/m... 533 531 1/2
cheque... 537 a 538 534 a 535
Italia, cheque... 537 533
Hollanda, hYin .. 43 1/8 43 3/8
, cheque.. 42 7/8 43
Madrid, 8 d. v.. 865 860
engrandec ment djaquella humanitaria
inatituiyao j tao acreditada entre nos.
Alm destas communicacoes, o orador
tinha qne fazer a de um facto importante
de sua clnica, a qual deixar para outra
occasiao.
O Sr. Dr. Coelho Leite communica
tambera ter sido noraeado para encarre-
gar-se-da scelo medica do Hospital Por-
tugus e, por sua vez, reitere o offereci-
mento feito pelo sen illustre antecessor
na tribuna.
Termina dizendo ter comparecido a
sessao anniversaria do Gabinete Portu-
gus de Le tura, representauao a asaa-
ciacSo.
O Sr. Dr. Barros Carneiro scientifio
ter cumprido a commissao para que fra
nomeado.
O Sr. Dr. Eduardo Silveira communi-
ca ter comparecido missa do 7. dia do
fallecimento do pai do Sr. Dr.. Gama
Lobo.
E nada mais havendo a tratar-se, o Sr.
Dr. Presidente suspende a sessao, mar-
cando para ordem do dia da sessao se-
guinte a prestacao de contas do Sr. thff-
soureiro, e apresentacao de um facto im-
portante da clnica do Sr. Dr. Malaquias.
VARIEDADES
Coufldeuce
En vain lu presserais mon cceur
Dans tes blanches niaras, 0 Mario I
N'y cherche pas une liqueur
Helas tarie.
Les pis furent foison
Sur cette terre aujourd'liui nue ;
Li gtaneuse cst la moisson
Trop tard venue I
Le charbon deviendrait de l'or
Avant qu'en mon ame renaisse
Une fleur, enaste el doux trsor
De la jeunesse.
Le bouquet aurait eu du prix,
Mais le vent da inalheur, ma bel le,
A dispers ce qu'il a pris
Sursa grande aile.
Cherche done un autre sjonr,
Que la loi naive colore,
Que le rossignol de l'amour
Y enante encor.
Que ta main y cueille des fleurs
Car mou ame o tu voudrais lire
Est muelle malgre mea picure
Et ton sourire.
Que me vcux tu ? C'est eomme une horrible mansarde
O des sorcires ont fait leur sabbat d'enfer,
Ren n'est rest debeut I Mon curar eut il t de fer
Se fut bris cent fois I... Regarde :
L'amour qui refltait le ciel, divin miroir
Git en clats,la foi dans lumbre cst disparuc
Et mes illusions, plus d'une dans la ru
Les jeta da balcn, un soir.
Ce que j'ai rapport du pays de folie,
'est un dgout profond comme l'eau d'un tang
O dans la vase. vit et rampe noir serpent
De l'me, la mlancolie !
fiai-ON G. /. ent.
REVISTA DIARIA
Aanoeiae&o nediro-RharmareulIfa
Persaoibiicsaa
acta da sessao de 5 de setembro
de 1889
Presidencia do Sr. Dr. Alcebides Velloso
Aos 5 de Setembro de 1>89, na sede
da AssociacSo Medieo-Pharmaeeutica Per-
nambucana, presentes os Srs. Drs. Vello-
so, Malaquias, Berros Carneiro, pharma-
ceuticos Sabino Hnho, Joao Facundo e
mais os Sr. Drs. Joaquim Loureiro, Bar-
ros Sobrinho, Coelho Leite e Eduardo
Silveira, foi aberta a sessSo.
Lida a acta da sessao antecedente, foi
approvada sem debate.
Nao houve expediente.
O Sr. Dr. presidente deu posse aos
membros da administracao.
Passou-se s cemmunicacScs.,
O Sr. Dr. Coelho Leite, congratulan-
do-se com a justa nouieacao do Sr. Dr.
Alcibiades Velloeo, digno presidente da
asBOCa9o, para o lugar de director do
servijo sanitario do Hospital Pedro II,
apresentou a seguinte mocSo :
t A Asaociacao Medieo-Pharmaeeutica
Pcrnambucana, satisfeita pela nomeaco
de seu illustre presidente para o cargo de
director do servo sanitario do Hospital
Pedro II, passa ordem do dia. Recife,
5 de Setembro de 1889.Dr. Coelho
Leite.
Era seguida, tendo o Sr. Dr. Alcibiades
Velloso convidado o Sr. Dr. Malaquias,
vice-presidente, para oceupar a cadeira
presidencial, foi posta em discussSo e a
votos a referida raocao, que foi unnime-
mente approvada.
Depois do que o Sr. Dr. Alcibiades
Velloso, com palavras de sincero reconhe-
cimento, agradeceu a manifestac,ao que aca-
bava de Ihe 6er feita por seus illustres
collegas e voltou a assumir a presidencia.
O Sr. pharraaceutico Pinho Pinho expoz
o estado financeiro da sociedade e apre-
sen ou o balancete do anao findo.
O Sr. Dr. M laquias coramunicou ter
comparecido ao desembarque do Sr. Dr.
Erraro Coutinho, no que nao pode infe-
lizmente ser acompanhado pelo outromera-
bro da commisso, o Sr. Dr. Barros So-
brinho, que se achava sob o peso de pro-
funda dr, causada pela morte de urna
pessoa de sua familia.
Aproveita a occasiao de estar com a
palavra, para comraunicar tambera que a
junta do Hospital f ortuguez, apezar das
recusas a principio feitas pelo orador, no-
meou-o para o cargo d cirurgiao da-
quelle cstabeleciraeuto, sem que elle ti-
vesse de modo algum concorrido para essa
norueayo.
Fazendo esta communicaefio tinha o
tim de otferecer aos colle^BB os seus pres-
timos no raesino estabeleciraento, cujas
portas tcariam abertas todos os doen-
tes que para l raandassem, onde pode-
riam ir continuar o tratamento que hou
vessem onectado c fra, ou contal-o dos
mdicos do Hospital.
Teria prazer si o seu offerecimento
fosse acoeito, e eatava certo de que por
esse modo se irapuisionaria ainda mais o
irla* oHiriaes Pr actos de ante (tontera-
da Presidencia da Provincia :
Foram nomeados :
Amaro Luiz de Franga, tenente da compa-
ohki da 1* secciio da reserva da guarda nacional
da comarca de Cabrob ;
Joau do Nascimento Barros, alferes da 2' cora-
panlna da mesas secc&o '
Antonio Gomes de S Roriz tenente da z* com-
panhia do 16 batalhao de infamara da mesma
comarca ;
Joao de Souza Costa para exercer os cilicios
de Io tabellio e annexos da comarca de Igua-
rass, durante o impedimento do serventuario
vitalicio ;
Anna Marques Pereira do Reg e Amalia Dur-
valina de Barros Marinho professoras publicas
effectivas da-cadeira mixta de S. Jos do Egypto
e de ensillo primario do sexo feninino de Agua
Preta, na ordem de sua collocaco ;
O engenheiro Jos Antonio Saraiva Jnior para
exercer o cargo de fiscal do Io distrcto de eoge-
hos centraes, durante o impedimento do enge-
nheiro Francisco do Reg Barros, que na mesma
dala obteve 60 das de licenga.
Foram concedidos :
Ao i* e^cripturario da Thesouraria de Fazen-
da Luiz Emygdio Piuheiro da Cmara, tres me-
zes de 1 cenla com ordenado na forma da lei,
para tratar se de beriberi, onde Ihe convier.
Ao amanuense da secretaria da inspeccSo do
Arsenal de Marinha, Cleodon Augusto de Albu-
querque Chaves, 3 mezes de licenga, cora veu-
cimenlos, na forma da lei para tratar de sua sau-
de onde Ihe convier.
Determinou-se :
Que o rio Ipanema fique constituindo limite
das delegadas de Cimbres e Pesqueira.
Dtvidindo-se :
A subdel gacia de Alagoiulias do termo de
Pesqueira em duas, servindo de limite a ambas
o rio Liberal, e tendo a nova a denomico de Sa
lobro.
13. dietrlcto eleiloralDa eleicao pro-
cedidda no dia 31 de Agosto ultimo, temos
d'essa circumscnpco o seguinte resultado do
collegio de
Villa Bella
Dr. Moreira Alve3 63
Dr. Antonio de Siqueira 40
Resultado dos collegios conhecidos :
Dr. Antonio de Siqueira (L) 358
Dr. Moreira Al ves (C) 215
gercipe e tlagoa* -Tivemos hontem fo-
Ihas de Sergipe at 7 e de Alagas at 13 do
correte
As de Sergipe, como em geral as de todas as
provincias vera pejadas de criticas s violencias
feitas pplas autoridades aos eleitores e sua in
tervetiCo mais ou menos directa no pleito de 31
de Agosto.
Leraos na Gazeta de Sracaj de 7 ;
A cidade da Estancia est se barbarisando.
E' infrene a anarchia que all reina.
Para prova da verdade destes concertos, da-
mos ao publico a'guns trechos de urna carta que
acaba de dirigir nos pessoa de criterio.
A semana passada foi arrombado o Trapiche
Primeiro por una malla de larapios, que conse
guio levar fardos de carne e outros objectos, nao
sendo maior a colheita por ter despertado um
empregado que all dorma.
Na mesma semana abriram n serrote uraa
das portas da casa commercial do Sr. Boa ventu-
ra Amado, donde carregaram cento e tantos rail
res.
0 Sr. capilao Roberto Esteves, ao atravessar
a praca do Rosario era procura {da do Rio Bran
co, foi aggredido noite por tres individuos que
fugiram por ter o mesmo capito Ihes disparado
tres tiros de revolver.
Repetem-se os roubos, e a polica tica mac
tiva. 0 povo est amedrontado.
Familias inteiras mendigam pelas mas.
0 que segu ainda da carta a que acaba-
mos de referirnos:
Na noite de 31 suieldoa se, ingeriodo gran-
de quanlidade de verde Parts, o capitao honora-
rio do exercito, Sr. Franceliuo Jos de Carvalho
c Andrade.
A deraissSo de guarda de mesa de rendas
feraes desta cidade, que Ihe fra da la, a man
alo do Sr. commendador Ernesto Esteves. re
duzio o to extrema peuuria, que vendse
cercado de fllhos, e sera recursos para alimen-
tal-os, concebeu o reprovado acto de que foi vic-
tima
O infeliz deixou por lettra sua urna carta ao
Revm. Sr. vigario Ayres, assim como recados
em tuna fteia folha de papel a dive-sas pessoas.
as Alagas reunio-se a H a junta apura-
dora do Io districto, chegando a verificar ter
sido esta a votaco :
Votos
Bacharel Jos Januano Pereira de Car-
valho 317
Bacharel Bernardo Antonio de Mendon-
ca Sobrinho 232
Dr. Luiz Joaquim da Costa Leite 226
Bacharel Joaquim Puntes de Miranda 171
Bacharel Joo.Gomes Ribeiro 7
Jos Antonio de Azevedo Mello 1
Bacharel Jos Januario Pereira de Car-
valho (cm separado) 2
dem Jos Januario Pereira de Carvalho 1
dem dem dem dem 1
HBach re Pontea-de Miranda 1
979
Fallecimento -Victima de urna tubercu-
loso falleeeu ante -hontem noite nesta cidade,
pira onde tinha vindo procura de conselhos
mdicos, o Dr. Joaquim Guenes da Silva Mello,
juiz de direito da comarca de Bezcrros nesta
provincia
FTIho da visinha provincia das Alagas, o Dr.
uenes que contava eerca de 49 annos de ida-
de. era formado em sciencias jurdicas e sociaes
pela Faculdade de Direito do Recife. onde rece-
beu o grao de bacharel em 1864, segurado logo
depois a carreira da magistratura.
Exerceu o cargos de promotor publico de
Porto '.alvo em Alagas, e de juiz municipal no
termo desse nomo, e o de juiz substitu'o da co-
marca do Recife, sendo em 1881 noraeado juiz
de direito da comarca da Imperatnz, no Cear,
de onde foi removido era 1882 para a do Brejo, e
em 1883 para a de Bezerros, em Pernambuco.
Era horaem muilo estudioso, possuidor de
grande cabedal de conhecimentos e bastante in
telligente. Deu disso inequvocas provas era
trabalhos para a unprensa desta e de outras pro-
vincias. Em tres annos que escreveu para o
Diario de Pernambuco o Retrospeclo Poltico tirou
se rom muita distinegao dessa ardua tarefa.
mostrando-se um valeote collaborador desta
rolha.
Como magistrado foi sempre zelloso no cura-
priraento de seus deveres, o distribuidor severo
da justica. Cuino homem privado era de tracto
ameno, afavel e delicado, e no seio da familia
carinhoso e amoravel.
0 seu corpo foi sepultado hontem tarde no
Cemilerio de Santo Amaro, sendo o fretro acom-
panhado i ultima morada por muitos amigos.
Esfolhando urna saudade no tmulo do nosso
digno collaborador que foi, apresentaraos nossas
condolencias sua familia.
Antonio Ctarinplm Ha (res das. 0 ex-
jockey do turf pernambucano Antonio Crhispira.
foi preso era consequencia de ura rapto que el
fecluou na pessoa de uraa moga d? familia, cujo
nome nao queremos declinar.
Recolhido Casa de Detenco, onde estove in-
communicavcl, d'alli sabio anie-hanicm para as-
sentar praca e jurar b.mdeira no exercito, e hon
tem. apezar dos seus protestos, (oi embarcado
forca para o presidio de Fernando de Noronha,,
onde vae destacar como retrata.
Chegando estes lacios ao conhecimento do pu-
blico, grande massa popular reunise henlein
hora do embarque de Chrispira, no Caes da Com-
panhia Pcrnambucana; e ao que parece com o
intuito de oppr-se violencia de que era alvo o
mesmo Chrispim.
Fosse esse, porm, eu nao fosse o raovel que
all reuni aquella gente, o certo que para all
foi tambera uraa forca da guarda cvica e outra
do corpo de cavallaria cora o lim de garantir o
embarque de Chrispim, que se effectuou entretan-
to sem novidade, indo o ex-jockey transformado
em praga de nha, em paz e salvamento at o
vapor, que logo depois sano barra-fra em pro-
cura de Fernando.
Concwrrso de bellezaJ alcancava at
anie-hoiitem 387 o numero de chapas recolhi-
das para esse concurso, que est fazendo a re-
daceo do Binculo.
Como j noticiamos o prazo da votaco fecha-
se no dia 23
Elelca de confraria -Hoje, s 9 lloras
da mania, devem reunir-se em assembla geral
os membros da Irmandade de Nossa Senhora do
Bom Parto para elegerem a sua nova mesa ad-
ministrativa paraoanno compromissal de 1889
1890.
Entrada de OlindaA estrada de roda-
gem que conduz desta cidade de Olinda
acha-se era tal estado de damniticacjio que iiua
si mmossiflilita o transito publico; pois o seu
leito j acha-se ao nivel da mar que o mesmo
leito margeia e que nao tardar em ser por ella
invadido, raundando-o.
EsteJ estado urge pois providencias, cum-
prindo portento que estas se nio demoren!.
Dr. Joaqini Miimco Era passeio a
esta capital, deve na segunda feira 16 do corran-
te aqu chegar esse nosso comprovinciano, a bor
do do MaranltSo, que pela manb tocar neste
porto.
Duem-nos que os seus apreciadores prepa^
rara-se para receberem-n'o na Lingueta, onde
dever S. Exc. desembarcar.
cvinia Kponiva-Acua se em distribui-
go o 7* iraraaro drssa publicacao especial que
continua a manter se digna de saa misso na
imprensa pelo criterio de seus escriptos.
Agradecemos a visita.
itr. Areonele Pereira da UvaPelo
eterno repouso desse nosso inditoso amigo, fal-
lecido em Villa-Bella, onde digaamente exercia
o cargo de juiz de direito, mandara os nossos
dignos amigos, Drs. Miguel Pernambuco, Morei-
ra Alves e Julio de Mello, rezar missas na matriz
ua Boa Vista, s 8 horas da raaaha de 17 do
corrate, 30 da de- to prematuro passamento.
Vaticano e o aurinal A d ploma
cia austro-hngara, segundo correspondente
da Independencia Belga de Roma, collabora para
ura accordo entre aquelles gabinetes com refe-
rencia Italia official em urna situaco mais
conforme com as vistas e escrpulos religiosos
da dyuastia dos Hapsburgos.
Em sua noticia diz aquelle correspondente do
jornal belga, que a Austria esbocou o modus ti-
tendi entre a Italia e o papado; e os termos
desse projecto tero principalmente por objecto
volver ao papa um simulacro de poder temporal
sem causar damno, pelo menos na apparencia,
integridade territorial do reino de Italia.
O problema era bastante espinhoso e eis a so-
luQo encontrada. Alem do Vaticano e os pala-
cios apostlicos deixaesao pontofice pela lei das
garantas cora os attributosda soberana, o go-
verno do rei Humberto colloca-ia sob as ordens
do napa um navio de guerra, que estacionaria ein
Civitta Vecchia com o pavilho pontifical.
O papa conservara sempre o direito de reque-
rer para seu uso pessoal urna carruagem de ca-
minho de ferro, que teria egualraente o pavilho
pontifical, e gosaria em toda a parte as vanta-
Kens de extra-territorialidade. Desta maneira o
chefe da igreja catholica poderia sahir do Val
cano e dirigirse para o estrangeiro sem perder
as garantas soberanas que gosa actualmente no
palacio do Vaticano. Nao tem por flm, bem en-
tendido, e independentemente destas clausulas,
destinadas a amplificar as prerogativas pontifi-
caes, alterar o principio unitario, sobre o qual
eri assenle a constituido italiana.
Junialiomo niato Falleeeu ba pouco
em S. Petersburgo. na idade de 84 annos, o Sr.
Andr Kraiew-ky, decano dos jornalistas russos,
e ura do- funilaoores da Associago dos Homens
de Lettras na Russia.
' epois de ter colla horado no Mensageiro de
Moscow e no Invalido Russo, fundou, em 1839,
una revista, os Annaes da Patria, que durante
ramios airaos oceupou o primeiro lugar entre as
puhlii agoes mensacs russas.
Kraitwsk desempenhou um papel importan-
te no jornalisino cuotidiano.
Oepois de ter diriaido durante vinte annos a
Gazeta de S. Petersburgo, fundou, em 1863, 0
jornal diario o Goloss^ que se tornou bem depres-
sa ura dos orgftos mais importantes da capital
do grande imperio moscowita.
Suicidio No lugar Barras, do termo da
Gloria de Goit. soteidou se com um tiro de pis-
tola Joaquim Gomes de Brito.
A polica local procedeua respeito nos termos
da lei.
Capturan Em Ingazeira, a 4 do corrate,
foi preso e recolhido respectiva cadea Henri-
iue Barbosa de Ouveira, pronunciado no artigo
192 co ubinado cora o artigo 34 do cdigo crimi-
nal.
- Em 10 do corrente, em torras do eugenho
Leva, do termo de Jaboalo, foi preso Francisco
^nito de Oliveira, na occasiSo em que pretenda
trocar ura cavallo, que furtara no lugar Giqui.
a hora inlvemai e o Meridiano de
leruNRiemHa muilo lempo que se falla
em todo o mundo da necessidade de reger-se
elle por urna hora universal.
Esta interessante questao parece prxima a
entrar agora n'uma nova phase, cora a proposta
apre. cntada ltimamente na academia de Bolo-
nia pelo padre Tondiui de Quarenghi, raissio-
nario barnalita, membro d'aquella academia, e
delegado da mesma corporacao no congresso de
sciencias geographicas que se acaba de celebrar
em Pariz.
O padre Tondini sustenta que nao ha meri-
diano medrar que o de Jerusalera para servir
corao regulador da hora universal.
O carcter eminentemente internacional de
Jerusalem de todos conbecido. Alli o ponto
de partida de todos os povos do Oriente e do
Occidente. Alm d*isso. Jerusalem encontra-se
siteaea no grande caminho iateroacional, que
dentro ein pouco unir a Europa, Asia e frica.
O seu meridiano o nico, entre todos os pro-
jectos de boje, que toca em todas cinco partes
do mundo. Corta, com effeito, pela sua seccSo
continental urna parle da Europa, frica e Asia,
e pela sua lnha antimeridiana urna porgan da
America e um archipelago da Oceania.
Estar rauito prximo do Equador, do que re-
sulla muilas vanttgens para os clculos astron-
micos.
Os francezes recebem com grande adheso o
pensaraento do padre Tondini, porque se se
construisse em Jerusalera um observatorio inter-
nacional, poderia construir-se outro correspon-
dente exactamente como elle, n'um alio de Tua-
mol. na lha de Tahane i, que pertence a Franja,
e est precisamente collocada no anti meridiano
de Jerusalera.
iervico militar-Esto hoje de superior
do dia o Sr. capito Pedro Velho e amanh o
major Alves e do rondas de visitas hoje e araa-
nh officaes de cavallaria.
0 2" batalhao de infantaria dar as guardas
da Detenco, Palacio, Alfandega, Bruin, e o ofli-
cial para a Thesouraria de Fazeuda que dada
pela companhia de eavallara, dando o 14 bata-
lhao de iufantaria as da Eirfermaria e Thesou-
ro Provincial.
Exislem na enfermara militar em trata-
ment 2S pracas dos corpo9 da gnarnigao.
Entra hoje de semana na enfermara mili-
tar o conego capello-tcnente Telesphoro de Pau-
la Augusto.
Foi inspeccionado de saude e julgado pre-
cisar de 30 das para seu tratamento o Sr. tenen-
te Aureliano Xavier do Valle.
Teve permisso para dar substituto o sol-
dado do 14 batalno de infantaria Jos Candido
de Lima.
Oirectorla da* obran de cenwrra-
cao don Porto de PernambucoReci-
fe 13 de Setembro de 1889.
Boletira meteorolgico
s

(
S
r
f
l'=o 1
Horas 2 E-2, C S fcarometro a 0 Tensad do vapor :3 r2
H"
ft m. 23-1 761*27 19 04 80
9 27-4 762-06 1907 70
12 27-9 761-20 2021 71
37t. 27-7 739"34 19.87 71
6 26" 8 789-63 19 53 73
Temperatura mxima28,50.
Dita minima-24.00.
fcvanoracao era 24 horasao sol: 7"\o; sotn-
rtra: 4-.6
Chuvanulla
Direccao do vento: E com interrupges de
ENE durante todo o dia.
Velocidade media do vento : 2-,68 por se-
Nebulosidade media: 0.28.
Boletira do porto

\
ca
H
B. M.
f M.
B. M-
Dias
13 de Seterab.
14 de Setemb.
Horas
0-32 da Urde
7-03
108 da manh
Altura
0-,45
2-20
0-.44


L,eiieliectuar-se bao os segrales :
Anianh :
Pelo agente Alfredo Guimares, s 11 horas,
ra do Bom Jess n. 49, da 6* parte de urna
casa ra Imperial,
Terga-feira:
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, travesea
do Coi-po Santo n. 27, de movis, 2 pianos, lou-
cas, etc.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, na Guarda-lo-
ria, de ura bote salva-vida.
Mleaae fnebreSero celebradas :
Terga-eira:
A's 8 horas, na igreja do Pogo, pela alma de
D Rita Romana dos Prazeres, s 8 horas na ma-
triz da Boa-Vista, pela alma do Dr. Joo Pedro
Maduro da Fonseca.
Paaas;elreeSabidos para Temando de
Noronha no vapor nacional Pirapatna :
2 cadete Joo da Costa Medeiros Sobrinho, 2
cadete Manoel Luiz "Carlos Tavares, sua mulher,
sua mai e 2-filhos, alferes Joaquim Quintino Vil-
larim, sua mulher, t irma e 1 criade, Anna Bor-
ges, Alice Pereira da Silva, Josepha Elelvina de
Souza e Silva, Landelina Maria de Oliveira e 2
lilhos menores, Luiza Maria Alves de Paiva e 1
lllha menor, soldado Antonio Soare? de Lima,
10 praga3, 1 mulher e 3 lilhos, 7 operarios, 7
seuteociados, 6 presos, Anna Jovita Pereira, An-
tonia Bosa da Conceigo e 3 filhos menores.
Sahidos para o sul no vapor inglez l-
mar :
Eduardo A. d'Oliveira, Howard Tuckniss, Sra.
Tuckniss, S. P. William, A. Talkenberg, Luia
Blankenagel, William Kilho e 3 criados, Sra.
Adansoo e H. Perraanu
Chegados do sul no vapor nacbaal Jac
hype:
Dr. Joo Ferreira Domingues Carneiro, Anas-
taeio da Conceigao e i praga de polica.
Operacoe clrurglcae- Foram pratica-
das no hospital Pedro H, no dia 14 do cor:ente,
as seguintes:
Pelo Dr. Malaquias:
Ligadura da artheria femoral, reclamada por
aneurisma da poplitha.
Pelo Dr. Pontual:
Urethrotomia interna pelo systema de Maison-
neuve.
cana de DetencoMovimento aos pre-
sos da Casa de Detenco do dia 13 de Setembro
de 1889.
Existiam 452 ; entraram 5; sahirara 8 eiifl-
tera 449.
A saber :
Nacionaes 391; mulbcres 27 ; estrangeiros 3i,
raulher 1 -ToUl 449.
Arragoados 409.
Bons 384.
Doentes 22
Loucos3.-Total 409.
Movimento aa enfermara
Teve bal xa : -,.
Jos Ignacio Pereira.
Tiveram alta :
Militao Pereira de Carvalho.
Jos Carneirolde Albuquerque.
Hospital Pedro II O movimento deste
estabeleciraento de caridade, no dia 12*de Siem-
bro foi o seguinte:
Entraram 13
Sahiram
FrJleceram 3
Existem 561
Foram visiudas as respectivas enfermarlas
pelos Drs.: _
M0800SO s 8 1|4, Cvsneiro s 11, Barros Sobri-
nho s 7 It4, Berardo s 111|4 Malaquias as
8 t|4, Pontual as 9, Simes Barbosas 10 horas.
O Dr. Estevao Cavalcanteno compareceu.
O cirurgiao dentista Numa Pompilio nao
compareceu.
O pharmaceutico entrn s 8 ii2da manh e
sahios4 da tarde.
0 ajudante do pharraaceutico entrou s 7 liZ
da manhS e sahio as 4 horas da tarde.
Lotera do UraM-Par-A 3' parte da
29* lotera, deasa provincia, cujo premio grande
120:0000'0, -era extrabida no dia 20 do Setem-
bro.
Ctt-ande lotera do Haranho A 6*
serie da i* lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:u00#080 serextrahidaamanha 16,
de Setembro.
-


r<


i


Diario de PernambucoDomingo 15 de Setembro de 1889
)
I
Cemin-rio publico-Obituario do dia 12
de Setembro de 1889 :
Anstides Francisco da Rocha, Pernambuco, 56
annos, rasado. Boa Vista anemia.
Jos Antonio do Nascimento, Pernambuco, 40
annos, solteiro, Boa-Vista; tuberculose.
Terencio Flix da Hora. Pernambuco, 25 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; anemia.
Manoel Ferreira, Pernambuco, 20 annos, sol-
teiro, Boa-Visia; febre perniciosa.
l'm feto. Graga.
Antonio, Pernambuco, 5 mezes, Santo Anto
nio; espasmo.
Joaquim, frica, 6o annos, solteiro, Graga;
congestao cirosa.
Corina, Pernambuco, 2 annos, Graga; ane-
mia.
Amaro, Pernambuco, 45 das, Recife; ttano
infantil.
Elvira, Pernambuco, 9 mezes, Graga; bron
chite.
Anna, Pernambuco, 6 das. Boa-Vista ; con-
vulses.
Mara, Pernambuco, 5 dias. S. Jos, ttano
infantil.
- 13 -
Dr. Antonio Victor de S Ba-reto, Pernambu-
co, 33 annos, casado, Boa-Vista ; entente chro-
ica.
Adalberto BellarminD da S Iva, Pernambuco.
50 annos, solteiro, S Jos ; beriberi.
Joaquim, Pernambuco, 27 dias, 8. Jos ; epi-
tasea.
Francisco, Pernambuco 15 mezes, Recife;
eclampsia.
L'm feto, IVrnarabuco, Boa-Vista.
Antonia Mara de Jess, Pernambuco, 30 an
nos, viuva, Boa Vista ; anemia.
Luiza de Brito Barros Pernao'buco, 61 anuos,
viuva, S. Jos ; congesUo cerebral.
Anna do Espirito Sauto, Parabyba, 40 anuos,
casado, Boa-Vista; ascite.
M moel Nogueira da Costa, Cear, 41 annos,
casado. Boa Vista ; ascite.
Joao Leopoldino da Silva, Alagoas, 23 annos,
solteiro, Boa-Vista ; beriberi galopante.
primor de estylo que critam dr losgi contra o
IMPKRiDOB. EMQL'ANTO NAO OCCUPAM ALUMA P0
siglo official. (Pag. 220.) Quipotest espere,
capiat )
**#
E para o nobre director transformar suas opi-
nies nastou apenas ouvir os ensaios de um
hymno que estavam preparados para o principe
de Orleans! -.
Tmpora rautintur et nos mutamur in lilis !...
Carlos.
SPORT
DE DOMINGO A DOMINGO
Muitas cousas me causam pasmo e adrairago
neste mundo.
Agora mesmo acabo de ler urna pomposa e ren-
dilbada noticia, chela de arabescos exquisitos
3ue nos Irouxeram a memoria os antigos edi
ci do disputado Jlirrocos, cora a qual se lece
a maior somma possivel de elogios aoilbjslrado
director da Instruegao Publica, a proposito da
reforma do ensino a elle commetlida.
Conheceinos de perto o talentoso mogo e con-
fessamos, mui go.-tosamente que elle, ao lado de
Martins Jnior (a raais elevada mentalidade da
actual gerago pernambu ana) Clovis Bevila-
qua e Alfredo de Freitas, representa saliente pa
pe no movimento srientiiico-litterario dos lti-
mos tempos.
Mas isso nos nao inhibe de bradattnos :sus-
penda Ilustre doutor a sua sede de reformas
radicaos e ajuardc mai3 opportunas occasiOes
de dar um soberano atieslado da sua orientago
em materia de ensino I
*
Como base do seu programma vem consignada
a abolieo da religio.
Onde f S. S. bu-car autorisago para refor
mar as nossas leis l'undamentaes ?
No genero s conhecemos u na tentativa irri
soria :o lieg. de 7 de Abril execuco teto presidente Adolpho de Barros, que
soffren, por isso, as mais justas censuras
Nao s unos fetichistas, cuja obsecaco jesuti-
ca nos taja aceitar todas as crendices e Btjper
BtieOea non que pretendan os exagerados aitor-
nar a reiigMo de Chns>>. pelo que os nossos jui-
zos sero imparciaes de despreocupados.
Alm disso nao fallamos dejare BMMWtaawto.M'O
, nao pregamos doulrinas para seren aceitase
consagradas em algura corpo de leis, mas jure
constituto, em ace das dispasiges que nos rc-
em- .. .
sem aceitarmos i principio uniao da igrej-i c
do Estado, visto como duas entidades perfei-
tamente autonmicas nao se podera subuietter
negamos ao director da Instruegao Publica, nesl i
provincia, o direito de abolir as escolas o en-
sinameoto religioso e o fazemos c scudado em
pravas irrecusaveis.
O art.o' ila constituig* estabelcce urna religio
oflicial a eotJtoftca a qual dever Ber obser
da sobre as dtepmagOea da 3* parte do mem i
artigo e excepedea posieriormeule creadas par
actos do g .ni.
Como pois extirpar da escola,-que o espe-
lbo da sociedade, o cadinlio d'onre sah modi-
ficado o futuro cidado,o ensino da religio
oflicial f
Nao sabemos como o Ilustrado moco can i
nesse erro imperdoavel, querendo reformar ex au
ctoritute proprta, a son aise um artigo eonstitucio
nal!...
*#
Almdesse argumento de illegalcdade, ha o
da inconveniencia eo dainulilidade dii medida
Quera, de animo desprevenido, deaeenti
quao frtil e iroveitosa a religio clinsta em
llegues Bteis formago da alma e do carcter
da creanga 1...
Cheia de exempios dignos de imilaco ella e
smente ella, pode erar no espirito das.innuc n
tes creancinhas,-dessas implumes aves que
mal gabera formar o vo,e ainda incapaces de
aprender o bem nos manuaes positivos ou em
cousa que os falla,o amor a familia e a patria,
o respeito e a submisso!..
Que 'omp^ndio de philosophia conseguio con
substanciar em poucos perioios a paranoia iuimi
taiel do filho frit goem que se desenlia bem vivo
o drama do arependimento e do perdao ?
Onde se encontra um excmplo de amor filial
lo excessivo como o de Jess, que, divino, sub
mettia se. sem restriegues, a vontade de eu
pai, por mais mortificantes que lbe fossera os
mariynos ?
Que assombroso exemplo de desprendimen-
tq aquelle que deu o candido Rabbno confnn-
diiuU) o seu amor angelical cora a adoragao da
solitaria ramponeza de Samara 1 ?...
Onde vae u Ilustrado doutor buscar um coli-
go de doutrnas mais vasto, mais erudito mais
lequente e ao mesmo tempo mais resumido e
mais accessivel ?...
Revolva S. S. os seas mestres germnicos, que
nao encontrara cm todos elles licces tao pro-
veitosas e u n manancial to frtil em maravilho-
sos exempios!
**
Ao passo que censuramos por haver feito eaaa
Utecal e desproveitosa reforma, muilos elogios
tecmos a S. S. por querer implantar no animo
do menino o am-.r as instiluigoes actuaes.
II i n-cessi iade i
Se j tivease havido um inspector de Instruc-
go que s I; juvossc lembrado de fazer cantar
na escola o
nossos peitos, nos bragos
sao murahas do Brasil.
S. S. nao loria at, bem poucos tempos pensa
do, desta forma do Imperador c da poltica im-
perialista.
Na {hilocritica. (1886) l se os segrales tre-
chos que atestara o cooceito que fazia o die
tor da lolracgo Publica daquelles a quera hoje
endeosa din a da :
... o nosso primetro representante que pre-
tende ser o monarcha mais sabio do seu tem-
So .. ignora ti.do que agita a alma do povo
razileir. (Pag. 41
... a inonarchia brasileira nao sobrevi-
ver libertagao do fllho d'Africa... (falhou-
lhe a prophecia). (Pag. 42.)
A escravido sumir-se-ha do sc4o brasi-
leira como j sumiu-se a anlhropophagia. Da
mesraa sorte a realesa digna successora da
theocraiia. (anda desejara igso o nobre ins
pector ? (PagM J )
_ E' o que poder-se-hia chamar seleapo
kragantina para caracterisar bern a politica de
quera juL i a felicidad* do^aiz, quando
realmente nao passa de .urna das nnneipaes cau-
sas dos no.-sos males- c'est tropfoit. (Pag. 2i6).
A politica brasileira nao pois, urna cousa
seria, que resista a *aia critica jmpartial, cri-
tica de quera nSo est ligado a ella por algum
lago de gratidSo ou de conveniencia. (Hoje S
S. poder sobscrevr esUs obrases ?) fPag. 20i.
... no rasil os polticos sao onlioanamcn
te uusiudiuduo8 .mplles (j teria S. S. se amoi-
lecido ?) ociosos, sem nenhuma frescura de ideas
(as de S. 3. nunca deixaram de lela..) ou
entao de uns retboiicos malcreados sem neanom
Realisa hoje o Derby Club Pernarabucano a sua
20-* corrida.
A inscripgo como fl se do projecto e da res
pecliva effectividade, 6 de convidar s apostas ;
e para que estes nao tiquem s simples inspira-
gOes do momento, ollerecemos os nossos palpes,
que alias no sao mal palpitados, em illustragao
da '-ompra da poile.
]'.' o acto raais solemne da vida turfica. todos
o comprehendem; e ter assiin um paracleto, nao
cousa para desprezar, luaxime a titulo gratuito,
como ao era vez dos dizedores da buena dicha.
Eil os, os palpites :
i. pareo I. S;ella, 2." Curuja.
Azar-Semiramis.
2. pareo i. Tupy, i. Delegado.
Azar K-qu:mo.
3. pareo -1 Monitor. 2.* Goud-Vorning.
Azar Florete.
4o pirco-1. Ruy Blas, 2. Cora, ex Risette.
Azar -Saturno.
5 pareo-1." Pombo Pruto, 2. Bonaparte.
AzarCndor.
6. pareoI." Africana, 2." Brazil.
Azar Cynira.
7. pareo1." Piramon, 2.* Phariseu, ex-
Or.inge.
AzarCupido, ex Traviata.
Acabara de chegar condeliria Atlianga,desta
cidade, 4 eguas, que veem correr nos nossos hip-
pod romos.
Por ora nao temos maiores informagOes a res-
peito.
- *
O Realisation Slakes, 2 600 metro?, o maior
premio reservado aos animaba de 3 anuos, que
se corre actualmente nos Estadas Unidos e.'e
vou se este auno a 71 :OK) a reprodueco da?
provas monstros da Inglaterra.
As entrada? e os forfais esto estabelecidos
sobre bases anlogas para todo o animal que se
apresenlar ao starter, a entrada anda por cerca
de;800*000.
Nao menos veidade que o ReaVmlion est
longe de exercer sobre o publico o imanto do
Suburban; s os vel ideiros xportsmen se uite-
: por elle, porque os p"sos nao olferecein
grandes probabilidades de azar, questo tssen-
cial para a raaioria.
Salvator, o rumerup de Proctor Knolt, no
Fuluriiy Stakes do ullirao oatomno, ganhou a
corrida aienas por cabega, gragas sobretudo
pericia do jockey Mac Langhlin, um dos me-
Ihores dos Estados Unidos.
Esta victoria do lilho dePiinceCharlic.n'uma
distancia sensivelineute mais longa que a uas
oulias grandes pn vas reservadas aos aniraaes
de tres annos, col loca o frente da sua geragio
?|ue todava bem modesta; o segundo lUL'ar
oi alcaneado por um producto de Rayn d'Or.
Tenny, que reebia dozc libras do potro Silva
tor, de M. Hajihin, e que lutou desesperadamente
at ao lim, com urna coragem admiravel.
Na fazenda Aurori. prximo s estafos de
Leopoldina e Catag'iazes :,cham se venda ca-
vallos e potros Ce 3/1 de sangue e de 1,3 san
gue. liliios de Mic Mac, e por consegrante des-
cendentes do celebre Gladiateur, Bigarreau e
Madeiiiuiselle de Chautilly.

No dia 7 de Agosto fez a sua estra na Ingla
trra o potro Vasislas, vencedor do Grand Prix
de Pariz.
Dispulou era Briglhlono Brigthton Cup, 1,600
metros, perdendo de The aran.
No mesmo dia disputou o Southdowen P!at,
1,200 metros perdendo de Whistle Jacket.

O Jockey Club de Buenos Ayres eutxegOU
admtni-lrago do HospUai Italiano d'aquella
ciJaiIe a quaptia le C:4525, producto liquido ile
uma corrida dada cm benelicio d'aquella in-ti-
tuicao de cariJa le.
#
Foi comprada cm i.hantilly, para Buenos-
Ayres, a egua Ilimali-ya.

. So piad" de Entre-Rios, no districto do Lu
miar de Nova Friburgo, realisarain se, sabbado 7
a domingo 8 do corrate, duas grandes corridas,
e.,; beneficio das victimas dos incendios de l:t
e 18 de Agosto prximo passado, occorridos
n*a [Uelle districto.
O Dr. Matheus Vaz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do BarSo da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tardo. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1." andar de 12 aa 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
racio-dia s 3 horas no 1.* andar da casa
ra do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
i r. Ribeiro de Bruto d consultas de
rneio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caziaa n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diantc ra Baro
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianca seuhoras e parto.
Telephone n. 326, da casa de residencia.
Dr. Alvares OuimarHes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cort.-
53o, pulmSes, ligado, estomago e intesti-
nos e tambera s affecces das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
E pelo que repeita s faBas de agua, anda a refenda certdSo, de outro com aa nu-
era Juliio de (881, jdepoisde concluidos aquel- ViImpi"! An i.-kalli *u ni.__ _
lesdouscanaes,e de entregues aoabastecimento. "ca5Ce9 do tiabalho da Bolsa nos jor-
de Pars os 120,000 metros cbicos, que elles. nae8;
davam entao, e mais 296,000 de aguas de rios, Nos adduziremos, entao, algumas ex-
a municipalidade Be vio obrigada a fecnar todas plicac3es, mas que provam os desaforos.]
as fontes raonumentaes, a cessar depois com a:uese So netaa pnxu,.
lavagera das vllelas, e por ultimo, nao s a re-1 quT\se honestas cousas,
duzir, se nao a suspender quasi inteiramente a j UfP0^ d amanha mandamos tirar urna
rga das ras, jardins e boulevards. I publica forma para publicar o documento.
Depois a municipalidade votou obra3 impor-
tantes, tanto para augmento da auautidade de
agua, como para sua melhor distribuigao ; e es
O Eclipse Stakes de
ges.
1892 reuni 196 inscrip-
GHR0N1CA JUDICIARIA
Junta Comuiercial da cidade do
Rpeffe
ACTA DA SESSO DE 12 DE SETEMBRO
DE 1889
PRKSIDEKCU DO 1LLM. SR. COMMBXDiBOB AXIOXIO
CO.MRS DE JIRAXDA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guimaraes
A's 10 horas da manha deelarou-se aberta a
sessao. estando presentes os Srs. deputados Olin-
to Bastos, coinmeiidador Loimjs Machado, Bel
tro Jnior e Herminio de Figuendo.
Lida, foi approvada a acta da precedente sessao
e fez-sc a le.itura do s.'.ui'ite '
EXPKD1E.NTB
OQicios :
De 6 de Setembro, da junta dos corretores
desta praga, remetiendo o boletim das cota-
ges officiac3 de 2 a 6 do correte. Para o ar
chivo.
Diartos Oflktaes de us. 233 a 237.Sejara ar-
chivados.
Distribuio se rubrica o livro :
Copiador de Antonio Duartu Carnelro Vianna.
iran
Petigoes :
De Souza Tavares 4 C, ped ralo baixa do re
gistro da nomeago de seu ex-caixrtro Eupbrasio
Wanlerl.y Lins. D se. a baixa pedida.
De Alfredo da Silva lionnares, tendo
prido o despacho proferido na sesso de 5
crrante aflm de ser registrado p conhecimento
de imposto que pjra dito lim S^esenlara Re-
gistre-se.
De Francisco Joaquim Ribeiro de Brito, apre-
seutando o conhecimento do imposto deseo offi-
ci de agente de leiles d'esta praga.Como re-
quer.
De Thomaz Jos de Gusrao, ide.n.Rcgis
tre-se.
De Modesto do Reg I'aplista, dem. dem.
Da Corapanhia North Brazilian Sugar Facto
nes, Limited, pedindo o registro de tres docu-
mentos. Sijara registrados os tres documentos
no livro avulso.
Jis da Silva Turibio, Ricardo Rodrigues
Santos e Venancio dos Santos Rosas, sub
metiendo a reg.stro o distraolo da firma Silva
Rodrigues 4 C, pelo qual v-se que se retirara
da socirdade o socio Venancio, pago e satisf.ito
de seu capital e lucros, pasaando a pertenceraos
socios permanentes o activo e passivo social. -
Archive-se na forma da rei.
Da Companhia de Edificaco, cumpriado o
despacho proferido em sese&o de 5 do correte,
para que sejam registra las as pegas que para
dito lira apresentara. Pago o sello respectivo
do registro, archive-se na forma da le.
Nada mais havendo a despachar, o Ulra. Sr.
commendador presidente encerrou a sesso s
11 horas da manh.
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Simplicio Mavignier. Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manhS e
tarde. Teleshone n. 392
(Dceulista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
pacs hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdaq meio-dia. Consultorio c resi-
dencia roa I.-arg do Rnaario o, 20-
Advogados
O bacharel Bonifacio de AragSo Farie,
Rocha contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46., 1. andar.
U bacharel Witruvio Pinto Bandeara,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1." andar.
Silvc'ra, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
J. A. de Magalhctes Basto. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado eobre negocios concernentes 1.*
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Tolephone n. 3G2.
Drogara
Furia Sobrinho & C, droguista por ata
cado, ra dp Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da SUoa& C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma
ceuticas, tintas, drogas, productos chira:
cas c medicamentos, homeopticos, ra dr
Mrquez do Olinda n. 23.
Tlna de escrever
A melhor a tinta Victoria, vende-se al
500 rs. meia garrnfi e a 800 rs. urna gar-
rafa inteira na Livraria Comtempor;.nea
de Ramiro M. Costa, ua de Marno n.
2, loja de erragens de Albino da Silva
& C, ra da cadeia n. 42; loja de erra-
gens de Brandao & C, ra Duque de Ca-
sias n. 46.
^II .I Mili lili II1IIBI -----------------
publicares a mm
As emprezas d'agua de Lisboa
Paris
C e l mais fadas ha
Nao me tem admirado, e ainda menos sorpru-
hendido o que de vez em quando apparece con-
tra a Companhia do Beberibe.
At possodijer que contava com maior nume-
ro deaggressOes por meio da imprensa.
Em urna sociedade qualquer preciso contar
com todos os elementos que a compoem : a vil-
lude, a espiculago, a malignida le, etc.
Sou muitissimo grato sociedade em gera>,
aos poderes pblicos, redacgSo dos jornae,
pelajustiga que leem feito Companhia do Be
beribe, e a animagao que constantemente teolio
recebido.
Para gue o publico nao suppouha que o Dr.
Viremont e quejando* privilegio da Ierra, pas^o
a transcrever trechos do Reiatorio da Compi-
nhia das Aguas de Lisbo j, de 1886 sobre quei-
lcs que pela imprensa l se tm levantado, e do
que sobre as questes disse o engenhelro eo
chefe do abastecimeulo d'agua de Paris.
E' preciso nao esquecer que Paris possue o
maior e mais importante serv>go de abasleri
ment d'agua reunido sob urna s direcgSo, ea'li
o foco da civilisagao.
Em Lisboa ha um novo e completo abasteei-
CUin"^|ento d'sgBB, com obras muito importantes.
IHDICACES UTEIS
ifedrcoM
Dr. Cmstro Jesu* medico e operador.
Pratica a lavagem do utoro quando e co-
mo aoonselhada. Consultas das 11
3 da tarde em sua lisidencia 4 ra do
Bom Jess (antiga da ( ruz) n. 23, 1.'
andar. Telephone n. 339
avia da Companhia ilo Beberibe ser mais fe
liz do que as oulras empresas, deixar de
a le comuium.
I. vai a amostra :
seguir
Arculc6t'N na imprenta
Este ultimo sinistro deu occasiao a que o
Corrato da Noe nos duigisse duas fortes verri-
nas, nos si us uum ros de 11 e 12 de Agosto.
No de l, cm que as queixas se aecenluam
mais, diz-se : Todos os dias aecntecem a esta
Comp"nhia colisas que nao S"ccedem a nenhuma
outra Urnas tezes sao os syphoes que rebentum
uns aps outros, no \crao quando menor a carga
d'iigitii ; outras vezes sao desarranjos nos elevado
res d s aguas ; outras entuptmentos de canos ou
uso de uns com dimetros inferiores : em /fm raro
i o mez, em que nao Unja um pretexto para se nrJo
dar agua ao publico.
Este naiagrapho raostra, s por sr, a refle-
xo e conhecimento de causa, com que os dous
artigos foram escriptos.
Admirase o escriptor delles de que nos
succeda a nos o que nao acontece a nenhuma
outra Companhia.
Mas se em Lisboa nao ha nenhuma outra
Companhia de Aguas ; se s esta tem canaes
com syphoes, e machinas elevatorias para .abas-
tecimento da cidade ; porque se admira o arti-
culista de que s a ella acontega romperem-se
de quando, em quando esses syphoes, on^obre-
vir a qualquer de suas maehinas um desarranjo
que torne necessaria a repuragao immediaia e a
consequente diroinuigo d'agua elevada I
E se a sua ntengao foi asseverar que estes
precalcos so nao do igualmente as ciuades es- j
trangeiras abastecidas de agua, tal inteng&o re-
vela apenas o sen nenhum conhecimento desta
materia.
> Na carta do Sr. Couche, que inserimos no
nosso relatorio de Abril deste anno, confeasava
o ilustre engenheiro em chufe dasa^uas de Pa-
ris, que no canal de Dhuys se lhe Unham rom-
pido de I85 a 1880 quarenta syphoes, e que igual
facto se dera no canal de Kaatw.
sas obras, cujo orgameoto excedeu a 1,000:000,
estao hoje concluidas, ou quasi concluidas.
E todava j no presente mez de Setembro
a municipalidade teve de retirar do coasumo
domestico a agua de fontes era varios bairros
de Paris, para a substituir pela agua do Senna
que, como todos sabera, pouco propria para o
consumo domestico.
Estes tartos que os jomahstas deviam es
tudar autes de escreverem contra a Companhia ;
mas o esludo d trahalho e leva tempo. e argir
sem razo gasta pouco tempo, e no d traba-
dlo.
O autor do artigo admirase tambem deque
os syphoes rebentern novwao, qnando menor
a carga de agua, e pOe mesmo esta observago
em difi'erente lypo, para fazer sobresahir bem
Imagina, pois, que por haver menos agua de
verSo que de invern vera cheios, os syphoes
que de invern virao provavelmente meios ou
quasi vasios no verao I
Ignora, port.into, que os syphoes nao do
agua, nao repuxara, emquanto a agua os no en-
che cabalmente, o com a presso necessaria para
os fazer repuxar ; e quem ignora factos lo ele-
mentares como este, nao est altura necessa-
ria para avallar o proccdimenlo de orna Compa-
nhia de aguas.
De resto, tambera falso que o pequeo des
arranjo n'utna das nossas machinas fosse motivo
para se nao dar agua ao publico.
Deu sea a^ua todos os dias, fechndose ape
as o reservatorio do Arco s 4 horas da (arde do
dia 11 de Agoosto. Se no3 tres das que durou o
concert, houve menos agua na zona media, essa
falta res^rcio-se em grande parte pela maior
abundancia dos dias sbsequentes. E de f .cto a
media diaria do consumo efiectivo do mez de
Agosto d'este anno excedeu ainda de igual
me do anno anterior.
Um consumidor de agua a vengado queixou
se tambem, no n. 27 de Julho ultimo do interesse
publico, de se lhe ter corlado a agua.
Principiou logo. :lizendo que a Companhia
das aguas de Lisboa era Senltora de buraco e
cutello, e tm> mais mal educada desta cidade ; e coneluio por
nos chamar brutos e deshumanos.
Ora, todos sabera que os nossos contractos
de avenga sao feitos por um anno sraente, e com
a clausula expressa de que terminara no lira
dVsse an io. se antes do anno terminar nao fo-
re:n substituidos por novo contracto.
Porqne os consumidores podem e3quecer-se,
do dia era que terminan os seus contractos,
lera a Companhia o cuidado de os avisar com
oito e mais dial de procedencia para que venham
renoval-os.
l'm certo consumidor que no artigo a que
nos referimos oceultou o sen nome, e a quem por
isso otcultamos aqui tambera, foi prevenido do
dia, era que a sua avenga Miniara e convidado a
vir Companhia lazer novo contracto.
Porque nao veio, um dos' directores, que o
conli'cia, e soube por acaso que se lhe ia cortar
a a'jiia, como se faz a todos os que nao teera
contracto, mandou o avisar segunda vez, e por-
que ainda assim nao veio, tnaudou-llie o con-
tracto j feito, para que elle o assignasse e de
volvesse.
Rile recebeu-o, mas n2o o assignou, nem de
volveu ; em consequencia do que passados dous
ou tres dias, se lhe fechou a agua. >
Veio ento fazer novo contracto ; mas foi
para o seu jornal chamar-nos brutos c deshuma
nos I
' edidos de resciao do contracto da Pompa-
nhia,
Tanto este como aquelle jornafjata pedem
ao gpvcruo que exproprie a Cuinpanhia, e lhe
tire a posse e adininistrago e usufruigao das
saas obras e aguas.
Outros o teetn pedido.lamhem : e vale a pena
dizer u ui alguma cousa a tal respeilo
Mitres grupos ii.teressados na resciso do
con!gH". da Companhia
O p.imeiro o d'aquelles proprietarios de
ore lios de Lisboa, que ainda nao perdoarara
Comr. :ihia tel-os ella obrigado a canalisar agua
para os ?eus predios, e que imaginara que, se a
adminislrago das aguas passar para o E-lado
ou para a municipalidade, nao sero raais obri
gados a fazer ou mauter, era seus predios, cnca-
namenlos d'agua.
O segundo o d'aquelles consumidores,
aqu.m a Companhia tem obrigado a pagar a
agua consumida, e que peniam que se asagws es-
em na posse da Cmara ou do Estado, no se
ro.obrigudos a pagar mais agua.
O lerceiro c o dos pretend ntes de empre-
gos, que contara obtel-os na adrainistrago das
aguas logo que esta passe a outras mos.
Nao eremos que e9tes tres grupos, alias nu-
merosos, tenhara grande influencia no animo do
overiio ; de facto, porm, haviam de suscitar-
le bastantes altrllos e difflculdades, se os seus
ruins nesejos fossern satisfeitos.
te fra d'estes tres ampos ha outro, que de
boa fe entende que a administrago e distribui-
gao das aguas devia estar no municipio.
Essa era tamben a opinio do Sr. J >;. de
Andrade Corvo, quando ge ro a pasta das obrus
publicas, em 1867 ; e coherente com essaopiniuo
fez i:i rales diligencias para que a Cmara de
Lisna se habihtassn a fazer o Canal, e a tomar a
seu cargo o aba*teeimento da cidade, e s quan-
do ?e convenceu de que essa empresa exced a as
poiibidades do municipio, que fechou comnosco
0 contracto de 27 de Abril de 1867, depois con-
firmado pela le de 2 de Julho d'csse anno
Feito esse coniracto e confirmado por le,
nenhum governo, nenhum parlamento tem mais
o poder de o quebrar e violar, desue que a Com-
panhia o cumprio, e est cumpnndo religiosa-
mente. '
Comprehende se muito bem. que os proprios,
que julgavam impossivel a obra monumental
ant.'s tieilas e tazer, e mesmodepois a nf.o amb-
conaviu emauanto ella pareca nSo dever dar
lucros. Ibequeiram hoje lancar a m3o desde que
a veem fiita, e com futuro curto e lucrativo.
Em outra parte diz mais o segrale :
De resto ou a administrago das aguas es-
leja entregue ao municipio ou a urna companhia.
na de haver sempre queixas, e numerosas, con
ira o Bervico ; em Pars, onde a municipalidade
quem governa e dirige pelos seus engenheiros
o servigo todo, nao tu mez em que os jornaes
nao aeliem motivo para as suas censuras ; por
va de reara, sao to injustas, como as de c;
mas fazem s>': e em quasi lodos 03 relatorios.
que temos vista, doengenheiroem chefe, se
Ihes-iesponde e victoriosamente, o que nao
obstaa que se reproduzanijdcpois, e mais fortes.
Mas na carta do Sr. Conche aos nossos en
gnfteiros, aqujanos referimos, Ibes diziaeste
sfiilior que o servigo das aguas era um curso de
philosophia, que demandava muita e muita pa-
ciencia.
SHa amito lempo estamos persuadidos disso;
ir isso s respoodemo9,squando nos parecer
conteniente, e sempre com a mxima paciencia
c sangue fno <>
EsU feito o registro, e s tenho a acrescentar
que nal de rauitos consolo : tenho a mesma
sorte le todos que dirigem idnticas empresas.
*", 13 de Setembro de 89.
CtcUiano Mamede.
Recife, 14 de Setembro de 1889.
Dr. Viremont.
Companhia de Beberibe
O pablico comprehende que nos, que
teuMWinndndo sempro gnro em noasas
accusgSea eompanhiay ,nSo iramos affir-
roar que se tem simulado renda: das ac
Companhia de Beberibe
Gerentetrapaza (#)
Dissemos, era artigo especial sobre o empres-
timo das 30:000 4, que o Sr. gerente contrahi-
ra-o sem autorisago.
l'rovamos isto ; mas hoje de vemos tornar a
cousa mais clara, se possivel.
Para isto basta confrontar dous trechos de re
latorios da con panhia, um de 1883, e outro de
1889.
Ellos :
No relatorio de 1F85 se IA : (a i de Dezembro
de 1882 resolvestes era assemhla geral extraor-
dinaria um empreslimo para com o producto
d'elle, occorre as despezas com as obras ; e a
15 do mesmo mez, concedesles direcgo a
competente autorisago para eff-ciuar a transac-
go).
C"m esta nulorisagao co&trahio-se o empres-
limo das 100:000 cuja ltima entrada se fez
em 20 de Agosto de 1885. '
E' esta autorisago caduca, de mandato esgo-
tado, que o Sr. gerente invoca para a realisago
do emprestirao das 50:000 I
avocaran :
(Sendo necessario proceder liquidagao das
cotilas das obras novas, saldar as contas d'esta
companhia com os Srs Knonles S. Foster, usou
se da autorisago que confenstes n s asscmbtas
gerae de 1 e 15 de Dezembro de 1882, e con-
iraio se um segundo emprestimo no valor de
30:000, as mesmas condiges do primeiro, va
riando somentp quanto aos prazos de amortisa
gao) Rei.de 1889
Eis aqui: cora urna s autorisago o Sr. ge-
rente contrahio dous emprestiraos, um, o i,
de 100 000 !
Se lhe perguntassein com que autorisago a
corapanhia contrahio o emprestirao de 1885...
(100:000 ) elle citara as datas de 1 e 15 de
Dezembro de 1882.
Se lhe perguutasscm com que autorisaco a
companhia contrahio o emprestimo de 1889 ...
(30:000 elle citar ainda as datas de 1 e 15 de
Dexeinbro de 1882 I
Sao dous trechos de relatorios escriptos por
elle :
E' para as3m dizer, o confteor de suas trapa-
gas I
las o peccador, o criminoso impenitente,
porque (declara que eslava convicto de ter sem-
pre seguido bom caminho, que hoje se tivesse
oe recomegar procedera da nvsma form>, e a
continuar no mesm .argo entende que deve se-
guir a mesma norma de conducta). Acta de A.
geral em 12 de Julho de 1889.
Dase mais cynisuio mais pouco caso do ser-
vum pecus accionista, e d'essa cousa chamada
veredictum da opinio publica ? I
E nao trepida o Sr. gerente, para as suas
lumdalheiras, invocar a autoridade dos honra
dos cavalheiros, Drs. juiz do commercio e Joa-
quim Correia de Araujo ? !
Tinham estes Srs. necessidade de indagar se
a autorisago do emprestimo fra cumprida ou
uo pela assemhla dos accionistas ?
Se tinham nao o lizeram ; porque confiavam
n'um homem indigno d'essa conlianga.
Se nao nliarn, o Sr. gerente praticou urna
grosseria, anpella.ido para a autoridade delles.
E diz o Sr. gerente que a promotoria publica
nao d.ir queixa contra os seus crimes (#*)
Oh I ch I oh !
C'est entendu. lot est permis.
E' proverbial a impunida le cora que neste
paiz, se viola a lei.
Se o Sr. gerente nao estivesse envolvido com
o manto d'aquella deusa, certo nao cutiana cai-
gas tao pardas.
Nao lhe tcmaro conlas ? I
De accord3.
O que mo, o que grave, que hajam im-
becis que o mprem aeges de urna tal compa-
nhia, dirigida por un tal gerente !
Vos todos, que queris fazer um bom empre-
go de capital, rinde comprar aeges da Beberibe.
Nao ha, n'esla Ierra, autoridades que obslem
a que o Sr. gerente tire, pela o* vez, dos dinbei-
ros de emprestimo nosso dividendo f
Ha I 'i; mas o Sr. gerente cospe-lhe em cima.
Go altead, Carlouche I (o)
Ahi esto mais 400 contos de emprestimo. (b).
Que specimen bonito de linangas ?!
Emprestiraos para dividendos !
Que dcsll-ar suave !
Como esthetico, fsio ? I
Foi o Sr. gerente que descobrio a plvora.
Coinpanhias que des mal, que nao teodes re-
ceitas para dividendos, vindes tomar licgOes
com o Beberibe.
Contrata eraprestimos, c transformai os n'u-
raa chuva de'ouro para molhar com ella as al-
gibeiras d" vossos accienistas !
Como ficarao contentes I ?
Como ser-vos-ho gratos ? !
Elles offertaro chalets aos gerentes (e)
Mas voltemos atraz.
Nao realmente, urna descoberta esthetica.
maravilhosa, essa de contrabir emprestimos pa
ra dar dividendos ? t
O calculo, oh f o calculo bem feito. Pois
do Sr. gerente.
A principio pagam-sc dividendos com empres-
tiraos e depois----depois.. ahi viro recei-
las pecas, queremos dizer, magnificas para subs
tituil-os. '
Ellas, certo qne, como a miragem fogem,
fogem, ao passo que os gerentes correm, cor-
re m.
Mas, a esperanga um oro.
Podem sabir d'elle esrpentes; mas podem
tambem desabrochar receitas de ouro.
12:00o fogos lem o Becife, 6:000, sim 6:000
sao 6:000 peonas t
6:0 O pennas, como uo.quer o contracto ...
34000, meusaes, mas a6*O0, como quer oSr.
gerente.
Trezentos e viole contos.
E' urna perspectiva que causa vertigens.
Go aheud, Cartouche!
Dr. Viremont.
() Em todos os nossos artigos temos sempre
nos dirigido ao r. gerente por ser o capitao de
bande-a; mas comprehende-se que os donos
do-navio, e, sobreludo os directores, cobrera a
carga dos contrabandos Ja companhia.
(#) Eis o que diz Pimenta Bueno {Apontamen-
tossobre o frecesso Criminal Brasileo)
Por um lado o miuisterio publico nao deve
incomiuodar leviaoamente, e menos opprimir
injustamente a um s cidadSo; seria isso uro
grave crirae ; c por outro deve ser um guarda
vigilante e enrgico da ordera publica, e re
presso dos delictos. por mais importantes que
sejara os delraquentes.
(a) Cartouche ria-3e tambem da justiga publi
ca. Elles tem um certo contacto.
ib) Nao consta a data d'este emprestimo.
Basta que o Sr. gerente a saiba.
(c) Ouvimos dizer que o Sr Mamede ia ser
mimoseado com um chalet pelos Srs. accinis
tas.
to dessa natureza em quest2o pblitfca,
pelo menos falta, de criterio.
Porm nao tudo.
O tal -informante da Provincia -conclue
aconselhando ainda a reaccao aos-habitan-
tes daquella local idade.
E esta Depois das fraudes e violen-
cias na eleigSo, as aineacas magistra-
tura !...
Estar assim tSo accphala a administra-
gao da provincia ?
Enganam-se, pretendendo dominar pele
terror no 10. districto. Se n2o bastar a
responsabilidade legal, e a acgSo criminal
ha de cahir sobre os delinquentes, a di-
reito da forga saber-se-ha oppor o direito
da represalia contra quem quer que seja.
Querem chegar a 6eme)hante extremo?
Pensem sobre o caso os promotores pbli-
cos e os chefes locaes.
Burke.
Comarca do Limoeiro
joes, cnuinniosameote, e nem que ellas
Sao mais que injustas as censuras que
ao diatincto juiz de direito do Limoeiro
tem feito a Provincia, certamente Iludida
-.pelo seu treshucado informante.
.] O e8crivao Manoel Bernardo nSo dnem
rendida por 165,&000
por I6t#00.
Nos publicaremos a eertidao queremste
em nosso poder,_ paasada e 03signada pelo
punho do tJr. FalcSo, eJaabem^elo.chefe
de seapio, o Sr. Gampejlo.
Vor-^n^ubijeo eom
trata: qaeta<
que n nos prpvar,.d|
rra.twtono Limoeiro ; como pois poderia
) fomm realmente! *er a alvo de urna vinganca poltica ?
O tacto a que referio-se a Provincia,
dense de modo muito diverso, e, em vea
de censuras, o.Dr. Castello Branco mere-
ce elogios. O que eate digno magistrado
quer evitar o abuso de cmta$ e mais al-
guma cousa, em que ato ferteia ertoa ea-
crivles.
iva, rancamente, tranaforniar urna quea -
Limoeiro
A Provincia de hoje sob a epigraphe
reacco delirante censura o procedimento
do digno juiz de direito de Limoeiro, Dr.
Francisco da Cunha Castello Branco, por
ter em servigo de .ordem publica nsado de
meios enrgicos, que lhe s5o facultados
por lei, para reprimir abusos praticadoa
por um escrivao que serve perante elle.
A Ilustre redaccao, nao conhecendo de
perto a pessoa do Dr. Castello Hranco, e
sem procurar descobrir a verdade, accei-
tou as mformagoes ministradas por quem
tenha, talvez, interesse de inverter e en-
cobrir os factos praticadoa ltimamente em
Limoeiro pelo escrivao Manoel Bernardo
Gomes Silverio.
I assamos a narrar o que se passou em
Limoeiro entre o Dr. Castello Rranco e o
escrivao seu subordinado Manoel Bernardo,
e o publico sensato que avalie entre as
duas narrativas onde, est a verdade para
poder formar o seu jnizo.
Eis o que Ee deu :
Estando o referido escrivao em casa do
Dr. Castello Branco, teve este necessida-
de de reprehndelo por ter remettidopara
um advogado desta capital uns autos de
execugao commercial, que estavam em an-
damento, sem participal-o e sem exigir da
parte um recibo.
A esta observago feita pelo juiz, res-
ponde u o escrivao de um modo inconveni-
ente, e precipitadamente retirou-se, nao
obstante ter o juiz exigido que voltasse,
para fallar-lhe relativamente a servico pu-
blico.
N3o voltando, mandou o juiz chmalo
pelo escrivSo do jury Ernesto Cavalcante,
que o encontreu em casado Dr. promotor
publico, e o avisou do recado dado pelo
juiz. A esta intimagao, a conselhos do pro-
motor publico, respondeu o escrivao Ma-
noel Bernando que nao ia em casa do juiz,
porque nao quera.
Sabendo disto, baixeu o juiz urna por-
tara ordenando ao escrivao que compare-
cesse sua preser.ga, sob pena de prisao.
Intimada a purtaria, respondeu ainda o
escrivao que nao sahia de casa, por j-ser
noite.
Em vista da desobediencia do escrivao,
qual deveria ser o procedimento do juiz?
Deixamos sem resposta esta interroga-
gao para que o publico sensato seja e
juiz.
J X.
Recife, 14 de Setembro de 1889.
A ttenqo!!!
No antigo e bem acreditado estabeleci-
uiento de relojoaria denominado Regula-
dor da Marinha, de Ant< nio Jos da Cos-
ta Araujo, se acha em expesigo urna nova
e variada remesea de relogios de algibeira,
de ouro, prata, nickel e ago do mais apu-
rado gosto e da ultima moda, tendo alguna
a torre de E'ffel fundida na tampa inferior
e outros desenhos; eseolhidos expresa-
mente pelo mesmo Sr. Araujo, que se acha
actualmente na Europa.
Estes relogios lm do seu bom reguk-
mento sao garantidos por um anno e se
vendem por pregos commodos e sera com-
petencia.
Convido a todos os nossos freguezes e
amigos a virem a este estabelecimento se
certificaren! da verdade que acabo de ex-
por.
Jos Ferreira de Castro.
A mesa regidora da confraria de Nossa Se-
nhora do Livramento, completamente satisfeita
do trabalho do encanumenio do gaz feito em sua
igreja pelo artista Vaucel Guilherme do Nasci-
mento vem pelo presente agradecer a este artis-
ta a pericia e bom desempenho de sen trabalho,
por tt-r correspondido completa-mente nossa
espectativa.
Consistorio da confraria de Nossa Senhora do
Livramento, 13 de Setembro de 1889.
Augusto Honorato de Miranda.
Juiz.
M. 9
Como remedio por excellencia para as almor-
reimas o Ungento de .-weleira Magioa, doDr.
C. C. Bnatol verdadeiramente maraviloso pela
seguridade e rapidez de sena eflfeitoa, e'nenhu-
ma outra medicina pode competir com elle na
allnio immedia'o e curativo radical de quema-
duras, carbnculos, mal da garganta, dores as
costas e lados mordiduras de insectos, dores de
ea uga nevralvia facial contusGes, inchagoes-
Icuriz, erysipelas, chagas chronicas, golpes e
toda a especie de dores externas e internas cujo
allivio instantneo produz.
Se Vms. padecem de enxaquecas, nevral-
gias, dores de cabega, clicas, asthma, op-
presso, rheumatismos, gotta sciatica e
dores geraes, tomem Vms. urna colherada
grande de SolucSod e Antypirina de Trouet-
te e tudo desapparecer como por encan-
to. (lS
9P$&~~
-*%m
O Dr. Ermirio Coulinbo. de
volia de -ua viagem Eu. opa, onde
se dedicru especialmente o eslu-
do das molestias do systema ner-
voso tem seu consultorio Praga
do Coipo Santo o 5, defronte do Te-
legrepbo Nacional.
Consullas d orna s tres horas da
tarde.



i






Diario de Pernambuco--Doming,o 15 de Setembro de I8S9
Xomcs dos Irmaos e devotos da
vlrgem Xossa senhora do Ro-
sarlo da f reguezla da Boa-Vis-
ta que tm de solemnizar n
auno comprondssal de l9o
a 18. __
Juizes por eleic&o'
03 Exms. Srs :
Dr. Joaquim da Cosa Ribeiro.
Dr. Jos Marques cana Ribeiro.
Dr. Francisco Jacinlho de Sarapaio.
Dr. Laurindo de Moraes Pinheiro.
Alferes Faustino dos Santos'.'osta.
Dr. Augusto Lopes de Assumpco Pessoa.
Desembargador Luiz de Albuquerque Martins
Pereira
Dr. Francisco Aniyotas de Carvalho Moura.
Coronel Joao Francisco da Cunta.
Juizas por eleic&o
As Exmas. Sras. DD.:
Florentina Maria do Espirito Santo
Amelia, esposa do Sr. Jos Hygino de Miranda.
Rosa Lima Penante.
Maria Amelia de Miranda Soares, esposa do Sr.
Amaro Emiliano da Costa Soares.
Maria Rodrigue?, esposa do Sr. Elias Emiliano
Rodrigo.
Francisca Augusta Ribeiro Cavalcante, esposa do
Sr. Jos Marianno de Barros Cavalcante.
Silidona Maria de Almeida, esposa do Sr. Clau-
dico Joao Francisco de Almeida.
Maria Florinda do Rosario.
Jesuina Alves de Oiiveira Cunha, esposa do Sr
coronel Joao francisco da Cunlia.
Juizes por devoco
Os Exms. Srs.:
Dr. Arminio Cariolano lavares dos Santos
Dr. Joo Juveneio Ferreira de Aguiar.
Major Theraistocles Orangc dos Reis Lima.
Justino Francisco M;irtins.
Joo Ferrrira dos Santos.
Joao Das dos Santos.
Bemardino de Senna Soteno.
Hobaldo Baptisla,
Major Jos Joaquim A'ves.
Alfredo Gomes Leal.
Juizas por devoco
AsExmas. Sras. DD.:
Luiza Mara da Conceico.
Guilhermina Barbosa de Sacramento, esposa do
Sr. Jos Martins do Sacramento.
Palraira Pires Mariz.
Ermina Custodia de Oiiveira.
Leandra Maria do Espirito Santo, esposa do Sr.
Laurino Lopes de AssumpQao Pessoa.
Joaquina Francissca Pereira.
Josefa Iduvilge de Lima.
Luiza Izabel Pereira de Brito esposa do Sr. Ma-
noel Antonio Pereira de Brito.
Pbilomena Cypriana dos Santos, esposa do Sr.
Manoel Francisco Elias dos Santos.
Esposa do Sr. Asostinho Jacome Pessoa.
Escrivaes por eleicao
Os Exms. Srs.:
Bibianno Alfonso do Monte.
Jo&o Luiz da Costa.
Joo Sabino de Lima Pinho.
Jos Vicente Gomes.
Ludgero Ferreira dos Santos.
Sabino Luiz dos Santos.
Olympio Marques da Silva.
COMMERCIO
Revista do Mercado
RkCIFS. 14 DE SETKMItliO DE 1889.
O nioviniento limitou sea transaccOes no mer-
cado de cambios.
Bolsa
0aTAv0K8 OFFICIAE8 DA JUNTA D08 COB
RETOBES
Rea fe, 14 de Setembro de /S89
plices provinciaes, juro3 de 7 0,0, valor de
l:0G0 ao par.
Letras hypothecanas eoni juros, valor de 100*,
ao par."
\a Bolsa Vcnderam-se
i apolices Drovinriaes de 1:000*.
I8B letra? bypottoecwB*.
o presidente,
Candido & G. Alcoforado.
O secretario.
Eduardo Dubeux
Cambio
Os bancos mantiveram no baldo a taxa de 27
1/2, otTerccendo saccar a -'7 5/8 para a 1* mala.
Era papel parlicular nao constou transaccSo
ilguma, sendo os bancos tomadores a 27 7,8.
Xo Rio nao liouvcalteraco. maniendo 03 ban-
cos as taxas de 27 o m e 7 3/4.
TABELLAS AFFIXADA8
f 1 f i o o r*D 00 -3 3 2. 7. o 3 m -o -3. O
9 P CD .-5 o . . OD
n o I 5" 7
. 9
' 1 i
?
3.
c
n "
M 8
te * co ^4 - s-
11. ** <
. -* J- ^ 1 J
s>
* e
3 : y ~ U3
Ci \. ^
i* 8
-- M -4
; - o ** 1*. -i 1* < Cq
X- Ifi I* ii t- ti w * a* 8 a I
1 2 Ti r. IX ex O a
i ?
* , co * |
=> i * <
- * so ^ M -;
m-
l*
Li. : 8 'O *7 i i S. 1
Algodao
Foi eoade o d el sorte a 5800 no mina I. fe-
chanclo o merca' lo 1; ouxo
A exporlacSo. l'eila pela alfandega neste mez
at o da 12,'altingio a l.t.S70 1,2 kilos, sendo
77.600 1,2 para o exterior e 135.670 para o inte-
rior.
As entradas verilk.idaa nfsle mez alf a data
ie hoje, sobcm a 1. VjO sacos, sendo por:
3arcacas.
Vapores .....
Animaos.....
v'ia-forrea de Garuar,
/ia-errea de S. Fr;
Via-fer-ea de Limoeiro
Sormr.a.
Asstucar
Os presos pag lor, por lo kilos, se-
cundo a 'al Agrcola, forari
osse,'
64 Saccas
37
237
84
29
605
1.456 Saccas
_-isegi
Hranco .
no?.
lo purgado
un
3*900 a 4*600
3*000 a 3*600
2*400 a 2*700
) 1*500 a 2*200
Retanw .... *700 a 1*100
A eoi fundega neste mei.
dia 12, ce W WU03 para o in
;rior.
As entradas lata
'Jar cica lCf0
Damazio Jos da Cruz.
Dr. Augusto Carlos Vaz de Oiiveira.
Escrivs por eleigao
s~Exms Sras. DO. :
Maria Jos da Conceicao.
Agostinha TolcHtina Alves da PurilicacSo, esposa
do Sr. Luiz Antonio Atves da Puriticagao.
Rosa Esmeralda dos Santos Mello.
Maria Luiza Silveira de Carvalho, esposa do Sr.
Ili'iiriouc de Carvailn.
Delfina Baria do Espirito Santo.
Igoez Marinho Vaz de Oiiveira.
Mara Carlota Tiaflaa Maciel.
Escrivaes por devoijfto
Os Exms. Srs.:
Capitao Jos Placido Lucas bioo.
Julio Cavalcante.
Jos de Souza Aguiar.
Capitao Pedro Velbo de SDarretto.
Jos IziJoro Martins.
Antonio Luiz Baptisla.
Hazilio Jos de Farias.
Escrivs por devoQo
As Exms. Sras. DD.:
Rosalina Peres.
Henedicta Bertlioleza Xavier 4a Cruz, esposa do
Sr. Apolinario Argemiro da Cruz.
Maria Sebastianna da Silva, esposa do Sr. Dioni-
sio Sebastiao da Silva.
Constanza Mara da Conceico.
Candida Franca, esposa do Sr. tenente Joo Ben
to Monteiro Franca.
Bonifacia Maria da Conceico.
Mordomas
As Exms. Sras. DD.:
Francelina Mara da Conceico.
Umbelraa Avilina da Trintfade.
Rayinunda Sobral.
Auna Rosa da Silva.
Antonia Rosa Paula dos Praze/es.
Germana Maria da Conceico.
Anna Francisca de Amorim Franco.
Honorina Clirstianna das Neves.
Maria Aolonia da Silva.
Emilia Ferreira Pinto.
Augusta Setalitre Ayres de Franca.
Mordomos
Hermenegildo Lima do Espirito Santo.
Jos Rodrigues da Silva.
Miguel Pereira de Souza
Jos Antonio dos Santos
Epphanio Manoel Martins.
Alfredo Ferreira Pinto.
Guilliermc Ferreira Pinto.
Huqucro Ladislao da Silva
Eustaquio Manoel Carme Nondes.
Manoel Marques de Jess,
Manoel Goncalves do Nascimenlo.
Luiz Danii Gomes da Silva.
Daraiao Luiz des Santos.
Andr Manoel de Sant'Anna.
Demetrio Gastro.
Manoel Martins Peres.
Ricardo Jos Gomes ua Luz.
Laurentino Martins de Souza
Libeno Auizio Pinto-
Caetano Carlos Lenios
Antonio da Cruz Ribeiro.
Manoel Francisco Saraiva.
Antonio Jos Teixeira Lima.
Marcelino Guedes Alcoforado.
Miguel Martins Pinto.
Vapores.....
Aniraaes....
Vid-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somma.
414
119
.930
713
3.325 Saceos
Mel
Colase a 60*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 365 ris, e os verdes a 210
ris.
Agurdente
Cota-se a 112*000. por pipa de 480 litros.
Alcool
Cola-se a 220*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfaadega
sbm.va na 16* 21 De sstembbo de 1859
Asucar retinado (kilo) .... 320
,'ssucar branco (kilo) .... 246
Assucar masca vado (kilo) .
Agurdente........ 195
Alcool (litro)....... i25
Arroz com casca (kil.o) ... 80
Algodao (kilo)...... 400
Bagas de mamonas (kilo) ... 80
Borracha (kilo)...... *W
Carocos de algodao.....
Courcw seceos espichados (kilo) 390
Couros seceos salgados (kilo) 330
Couros verdes (kilo)..... 190
Cacao (kilo)....... 400
Caf bom (kilo)...... 600
Cal restolho (kilo)..... 400
Carnauba (kilo)...... 260
larocos de algodao (kilo) ... 20
Carvao de pedra de Cardiff ,lon.) 16.^000
Farinha de mandioca (litro) 100
Folhas de iahorandy (kilo) ... 300
Senebra (litro)...... 200
Graxa......... 250
Mel (litro)........ 90
Milho(kilo ..:,.... 120
Pao Brasil (kilo)...... 35
Marios descarga
Barca norueguense Gtlead, ferragens.
Barca norueguense Solid, carvo.
Barca ingleza Ranarola, materiaes.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Carca alterna Elisabeth, raadeira.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Lugar inglez Adamontine, farinha de uiauuioca.
LOgar inglez Razona, bacalho.
Lugar inglez Dora, bacalho.
Patacho allemao Marievon Oldendorp, xarque.
Patacho nacional iegaleira, xarque.
Patacho allemao Frterick, xarque.
Patacho dinamarquez Jugor, xarque.
Patacho sueco A/m>na, xarque.
Patacho norueguense Efran, xarque.
Sumaca hespanhola Annita, xarque.
Kxportaco
Cira, 13 os setembro de 1889
Para o extenor
Nao houve exportago.
Para o interior
No vapor inglez Cometa, carregaram :
Para Rio de Janeiro, P. Carneiro & C. 20 mpas
com 9,600 litros de alcool e 78 ditas cora 3o,840
ditos de agurdente.
No vapor francez Ville de Santos, carrega-
ram :
Para Santos, Amorim Irmaos 4 C 5<)i saceos
com 30,240 kilos de assucar mascavado e 590
ditos com 35,400 ditos de dito branco.
No vapor nacional Pernrmbuco, carrega-
ram : _
Para Rio de Janeiro, Amorim Irmaos & C.
1,312 saceoa com 78,720 kilos de assucar branco.
Para Babia. Amorim Irmaos & C. 400 saceos
com 30,000 kilos de assucar mascavado.
No hiatc nacional B. /m, carregaram :
Para Cear. Maia A Rezende 100 saceos com
farinha de mandioca. m.
Illuheiro
RECEBIDO
Pelo vapor nacional Principe do Grao Para,
ohn H. Boxwell 20.000*000
Maia & Rezende 454*654
EXPEDIDO
Pelo vapor inglez Tagus. para :
Rio de Janeiro 6.000*000
Pelo vapor n;.cional -Pirapama, para :
Presidie de Fernando 1.167*354
Ilha das Rocas 80*000
Rendimientos pblicos
MIZ DI ETMBBO
Alfanaega
ddgeral:
a 2 a 13 233:246*313
a de 14 25:771*814
Tito Livio Soares.
Antonio Joaquim Ca?
Boaventura Gomes da Qosta-
Leoncio Jorge de M
Maximianodo Espirito Santo e Silva.
Manoel Js Mpchado
Jo8o Augusto d'Albuquerque Maranho.
t'edro Manoel da Trindade.
Heleodoro Mendes Marlins.
Manoel Francisco Eiiast dos Santos.
Silvino Marques dos Santos.
Justino Cabral dos Santos.
Antonio Carneiro d'Albuquerque.
Augusto Elias Ferreira
Bemardino Antonio da Cunha
Angelo Barbosa da Fonseca.
Faustino Manoel Marti is.
Pacifico Ferreira d' Ibuquerque.
Agostinho Vieira de Lima.
Lino Norberfo das Chagas.
Vigario AugU9to Franklin Moreira da Silva.
O secretario.
Joao Ftrmino Gomes cTOliveirn.
Aviso a nuestros lectores
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin de 1889, es-
tan ya avisados que podran leer los lti-
mos ejemplares, recebidos en Paris, de
nuestro peridico, en la oficina de nues-
tros corresponsales los Srs. Aiudc-c Prin-
ce y C, 36, ru Lafayctte, donde pueden
hacerce dirigir toda su correspondencia,
pedir informes, dar rdens de compra,
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatriotas
que ademas del servicio instalado en su
oficina. 36, ru Lafayctte, los Srs. Am-
de Prince y C. han orgonizado un otro
gabinete de lectura y de informes en la
Exposicin misma, en el Pabelln de la
Repblica de Guatemala, en donde el Sr.
comisai io general a puesto a la disposicin
de dichos Srs. una grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Paris, de hacer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tanto en su residencia, 36, ru Lafayettc,
como en su instalacin en el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que resulta-
r, ser por el hecho de las extensas rela-
ciones de nuestros corresponsales, el cen-
tro de reunin de los numerosos estrange-
ros presentes en Paris.
BroucbJte aguda ou chronlca
O Peitoral de Cambar o melhor re-
medio.
Renda provincial:
Do dia 2 a 13 39-002*338
dem de 14 2:5994306
?
Sorr.ma total
il:6014724
S0).C!fl85l
Segunda scelo da Alfandega, 14 de Setembro
de 1889.
thesonreiro Flerencio Doiningucs.
chele da scelo -Cicero B. de Mello
Rrcehcdorla (eral
Do dia 2 a 13 18 6424312
Mein de 14 :0S5477
8
11. 130*78
Rccebcdaria provincial
Do dia 2 a 13 I2:994*3M
dem de 14 8014
.i*!2*370

Recite Drainage
DJiode 2 a 13 27:375279
Idcm de 14 6294028
28:203*207
Mercado lliiniclpal ile M. lon
O movimento deste mercado no da 13 de Se-
tembro foi o seguintc:
Em raram :
41 bois pesando 3,701 kilos.
1172 kilos de peixe a 20 reis 234 44
42 cargas com farinha a 200 reis 8MtXJ
II ditas defruclas diversesa 300rte 3*300
9 taboleiros a 200 ris U80U
13 suino3 a 200 reis 246tC
28 malulos cora lcguines a 2(Kt ris -34601
i-"'ran oceupados :
27 columnas a 600 ris IS*MN
1 escriptorio a 300 ris 30
26 compartimentos de farinha a 500
ris 1340OC
21 ditos de comidas a 500 ris 10*5 76 ditos de legumes e fazendas a
400 ris 304400
17 ditos de suino3 a 700 ris 1149 v
8 ditos de fressuras a 600 ris 4*8J0
34 talhos a 2* 08*00u
200*^40
llendimento do da la 12do cor-
rente -2:497*600
Foi arreauiado liquido at boje 2:6978i0
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 al* risidem.
Suinos de 560 a 640 ris idem.
Farinha de 500 a 720 r3 a cuia
Millio de 360 a 400 ris idem.
ijao de 1*000 a 1*200 i.uu.
ilatadouro publico
Ne3te estabeleciraeto foram abalidas para o
consumo de hoje 89 rezes pertenecntes u diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE SETKMHKO
Norte......... Com'la........... lo
Norte......... Pernambuco...... 16
sul........... Bueno-Aym....... i{>
Europa....... Ydle de Santos..... 13
Sul........... La Plata.......... 1"
Sul........... Maranhao.......... *13
New-York----- Allianfa..........
Norte......... Savona........ 20
Europa....... Potos............ 22
Europa...... Mttlekowit*..... 22
Norte......... Para............. 21
Vapores a sabir
MEZ DIO SETEMBRO
Sul.......... Pernambuco....... lij as
Santos e esc Ville di Santos..... 16 as
Santos e esc. Buenos-Ayres...... Ifl
Sul.......... Cometa........... lti
Southampton. La Plata.......... 17
Norte........ Maranhao......... 18
Babia cese .. P. do Grao Para... l&
santos e esc.. Allianca.......... -20
Montevideo .. Potos............ m
Sul.......... Para............. 24 as
ELIXI
DEPURATIVO DO S\NGUE
Approvado pela Exma. Junta de Hygiene e preparado por
Chimieo e Plmrmaceilico
PELOTAS RIO-GRANDE BRASIL
Este elixir composto de vegetaes de reconheeido mrito, em
pregado com vantagens as molestias seguintes:
Escrophulas, rheumatismo, i;onorrhas, rachitisoio, impingens, ulceras, tumores|
sarnas, bobas, manchas da pelle, carbunculos, flores brancas, boboes, corrimentos dos
ou\ idos, fstulas, cancros venreos, inflarama^oes do tero, inrlammagoes de olhos, es-
pinhas, afecQoes syphiliticas.
A sua efflcacla attestada por illnstrcs mdicos que o reputam superior aos medicanien-
tos anlogos. Lelam com attenco os attestados mdicos que cm seguida publicamos e teroa
prova de que o nico depurativo Infalllvel do sangue o !<:li\ii* de Xogucira, Salsa, Carona c
Ciuayaco.
ATTESTADOS DO ILLSTHADO COIIM MEDICO DA PROVINCIA
O abaixo assignado, dontor cm medici- tonio A. AssumpcSo. Est reconheeido precioso Euxia DE NoGUEXEA, Salsa
pela faculdade do Hio de Janeiro, c^n- na formada lei pelo tabeiao Luiz Felippc Oaboba e Guaiaco com milito bom xito,
decorado pelo governo portuguez, medico de Almeida. e tenbo aconselhado aos meus clientes que
do hospital da Beneficencia Portuguez.i o uzem com toda a confian5a c esperanga,
desta cidade, etc. En abaixo assignado, doutor cm medicina pois a sua preparacao preenchc perfeita-
Attesto que as molestias de fundo sy-, pela laeuldade do Rio de Janeiro-, etc.. mente o nosso desidertum. Vou empre-
philitico, em suas diversas e variadas for-! etc. gar as pilulas ferruginosas de meu grande
mas, a applicaco do preparado denomi-1 Atiesto que empreguei o Elixir de No- collega, em todos os casos em que se fi-
dado Elixir de Nogueira. Salsa, Caroba e gueira, Salsa. C'aroba e Guaiaco, prepa- zer sentir a necessidade do emprego dos
Guaiaco, do Illm. Sr. Joao da Silva S:l- rado pelo distincto pliarinaceutico Joao da 'rrnginosos.
veira, tem sido dos. O referido vcidade sob a f de philitica, dando este medicamento resol- minho com toda a dedicajao, para um di?,
meu grao. tado o m.-.is favorave!. ebegar meta dos seus desejos e recebe;-
Pelotas, 30 de Abril de 183G. Dr. i Pelotas, 5 de Maio de 1380. Dr. Joa- o competente premio do seu insano e ca-
BarSodo3 Santos Abreu. Est reconhe-j quim^Rasgado. Est reconheeido na fjr- pinhoso traba!ho_.
oido na forma da lei pelo tabelliHo Luiz ; ma dalci uelo
Felippe de Almeida.
Eu abaixo-.'issignado, Dr. em medicina
pela faculdade do Rio de Janeiro, con-
decorado pelos governos de Alleraanba,
Portugal e Italia, medico do hospital de
Misericordia desta cidade, etc etc.
Attesto que tonho empregado umitas
veze3 o Elixir de Nogueira, Salsa, Caroba
ma da Ici pelo tabellijlo Lua Felippe de Rio Grande, 8 de Abril do 1886.Dr.
Almeida. Nicolao A. Fitombo.Est reconheeido
; na forma da lei pelo tabelliao Luiz Felip-
Eu abaixo assignado, doutor em medicina pe de Almeida.
pela faculdade da Babia, membro da
8ociedade franceza de oplitalmologia e Attesto que tenbo empregado na miulu;
da sociedade zoulogic.i de Franca, etc., j clnica o Elixir de Noglkiea, Salsa,
etc Caroba e Guaiaco, preparado pelo Sr.
Declaro que o Elixir de Nogueira, Sal-' pharmaceutico Joao da Silva Silveira, ob-
la, i aroba e Guaiaco, do pharmaceutico tendo semprc os mais brilhantes results-
c Guaiaco, preparado pelo Sr. Joao da Sil-j Joo da Silva Silveira, prestou-mc reaes dos, principalmente as molestias de ori-
va Silveira, como um poderoso agente em j servicos nos casos de syphilis terciaria e gem syphilitica.
casos de infeccao syphilitica ldiathese em todas as affeccoes de fundo escrophu-j O referido verdade e por me ser pedido
e8crophu!osa, parecendo-me superior aos : loso. passo o presente que affirmo in fide me-
analogos que nos vem do estrangeiro. Por| Porto-Alegre, 5 de Maio de 1SSC. dici.
me ser pedido passo este cuja verdade j Dr. Vctor de Brito Est reconheeido na j JagnerSo 27 de Abril de 1886. -Dr.
affirmo em f de meu grao. forma da lei pelo tabelliao Luiz Felippe EStcvao de' Sousa Lima.Est reconhe-
Pelotas, 6 do Maio de 1886. Baiao j de Almeida. j c0 na jrma A je pCi0 tabelliao Luis
de ItapitocayEst reconheeido na forma En abaixo assignado, douter em medicina Pelippe de Almeida.
Felippe de Al- pela faculdade do Rio de Janeiro, etc., j __
etc
Attesto que tenho empregado, sc.npre \ abax0 f agnado, doutor pela facu'dad
r nv o lio de Janeiro, Io cirurgiao do coi-
po de sade do exercito.
da lei pelo tabelliao Luiz
me i da.
Gervasio Alves Pereira, doutor cm mcdU
com magnifico resultado, c Elixir de
cia pela faculdade do Rio de Janeiro, Noglkira, Salsa, Caroba e Glaiaco, pre-
cavallciro da imperial ordem da Ro,a, parado do Ilustrado chimieo pharmaceuti- Attesta Tte P>-egado com excr-
ete, etc. Ico Jo2o da Silva Silveira, nos casos de cntes resultados o Elixir de Nogueira.
Attesto que tenho empregado contra a \ escrophulas e molestias de origen svphiliti-, pALfA <-aroba e GUAIACO preparado po-
cscrophula o Elixir de Nogueira, Salsa,' Ca, o que affirmo em f de medico. lo Pharmaceutico JoSo da S.lva S.lve.ra,
caroba e Guaiaco, preparado pelo phar-; Pelotas, P de Maio de 1886.-Dr. Ray- Pcl $** considera um excellente pre-
maceuticoo Sr. Jlo da Silva S:lv\-ira, mundo V. da Silva.-Est reconheeido,' Parado 8uPen0r aos que importamos
com bom resulta lo c por isso o reputo na firma da le pelo tabelliao Luiz Felip- cs iauSeir0-
um excellente remedio para combater as pe de Almeida.
molestias de lundo escrophu loso. O refe- i
ido verdade e por me ser pedido passo: Illm. Sr. Joao da Silva Silveira,
do
O referido verdade pelo que passa ..
presento que affirma in fide medici.
Jaguarao, 5 de Maio de 1886. -Dr.
) presento sob a f de meu grao. pharmaceutico e chimieo em Pelotas. D'go Fcraandes Alvares Fortuna. -Est
Tolotas, 2'J do Abril de 1886.Dr. E' com o mais subido prazer que venho! reconheeido na forma da lei pelo tabelliao
Gervasio Alves Pereira. Est reconheci- aecusar o recebimento do seu prezado fa-1 Luiz Felippe de Almeida.
do na forma da lei pelo tabelliao Luiz Fe- vor de 5 do corrente acampanhando um
lippe de Almeida. frasquinho com 50 pilulas formuladas pelo. Eu abaixo assignado doutor em medicina
consummado e distincto pratico, o Ilustra-' pela faculdade do Rio de Janeiro.
Eu abaixo assignado, doutor cm medici- do commendador Dr. Miguel Hodrigues j Attesto que tenho empregado em mi-
na pela faculdade do Rio de Janeiro, Barcellos, e preparadas cora toda perfei- nha clnica, e sem com excellente resulta-
medico do hospital de Misericordia des- cao e nitidez por V. S. Na verdade nao do, principalmente as affecjoes de ori-
ta cidade, etc. possodcixar declogal-opc'o relevante ser- gem syphilitica, o Elixir DE Nogueira,
Attesto que tenbo empregado o Elixir vico que. V. S. tem prestado e ba de pres-
tar sciencia medica. Entendo que o
meu nobre amigo digno de todas as
ateneoes c merece ser auxiliado por to-
dos os clnicos desta proviucia c fra
Salsa, Coroba e Gcaiaco, preparado do
Sr. pharmaceutico Joao da Silva Silveira.*
O que affirmo sob a f do meu grao.
Herval, 7 de Julho de 1886.Dr. Jos
Adolpho Rodrigues Ferreira.Est reco:
nhecido na forma da lei pelo tabelliao
Luiz Felippe de Almeida.
5k
2 h
4 h
5 h
11 h
5li
V h
4 Ii
II h
5 h
movimento do porto
Navios entrados no dia 14
Baha e escala7 das, vapor brazileiro Jacuhy-
pe, de 382 -toneladas, commandante Joaquim
Jos Eateves Jnior, equinagem 30, carga va-
rios gneros ; Compannia Pernanbucana.
Livorpool e escala21 das, vapor inglez Autor,
de 837 toneladas, commandante Rthcrt Owen,
eqmpagem 27, carga varios gneros; a S. L.
Jotras ton.
Sahidos 7iomesmu
LiverpoolVapor inglez Cearen
. G. Heath, carga'varios gen
Fernando de Norooha Vai
commandanto lio de
Carvalho, carga v.
de Nogueira, Salsa, Caroba c Guaiaco,
preparado do distincto pharmaceutico Joao
da Silva Silveira, nao so na clnica civil-
como na do hospital, com o mais espen,
dido resultado, o que affirmo ser verdade.! deila.
Pelotas, 5 de Maio de 188'}.Dr. An- Declaro lhe que tenho empregado o seu
Amigo e Sr. pharmaceutico Joao da Silva Silveira.Em contestoslo a sua pergunta, relativa aos resultados que,tenho
obtido coma applicacao do ELIXIR DE NOGUEIRA, SALSA, CAROBA c GUAYACO, tendo a satisfaeSo do communicai-
Ihe o seguinte: ... ~
Fazcm seguramente cinco annos que emprego na minha clnica o seu j tao reputado Elixir cm muitas affeccoes de
uatureza syphilitica e em algumas de fundo escrophuloso, tornando-se ma3 notorias as virtudes curativas deste preparado na6
primeiras d'aquellas affeccoes.
Com o seu uzo prolongado nunca observei as perturbacoes gstricas qne seni appareeer quando applicamos outros me-
dicamentos congeneres, tornando por isso segura e fcil a sua administracilo at as crcaneas.
Nao hesitarei era recommendal-o com confianca nos estados pathologicos supramencionados, sendo como a nobre misr
sao do medico contribuir para o allivio e bein estar da humanidade que soffre.
Autorizo o a que taca o uso que lhe convier d'esta minha declaraco e disponha do amigo obrigadoDr. Alvet
q BeuiSo.
NICOS BP0STAPJ0S BJ PERNAMBUCO
Francisco Manoel da Silva k
23Ra de Mrquez Olinda23
Pre90S s Duzia 30SOOO--------Vidro -3J&000
PILULAS OPERATIVAS DA MAI
SE1GBL
contra
ConstipacSo inaccito do ligado, etc.
Dessemelhante a muitas outras medici-
nas catharticas, estas pilulas nao fazem
com que um pessoa se sinta peior antes
de sentir melhor. Produzem o seu effeito
com brandura mas completamente, n5o
sendo acompanhado de accidentes desa-
gradaveis, taes como nauseas, apertos do
ventre, etc., etc.
As Pilulas Operativas da Mai Seigel
83o a medicina de familia a mais til que
se tem descoberto. Limpam as entranhas
de todas as substancias irritantes, deixan-
do-as em condijSo saudavel. Sao o me-
lhor remedio que existe contra a peste das
nossas vidasConstipacao e inaejao do
figado.
Estas pilulas impedem febres e toda a
sorte de doenjas, pelo simples facto de
expellirem toda a materia venenosa das
entranhas. Operam com vigor, mas sua-
vemente e sem causar dr alguma.
Se urna pessoa apanhar uin refriado c a
ameacar urna febre, e sentindo dores de
cabeca, costas e membros do corpo, urna
ou uas dses das Pilulas Operativas da
MSi Seigel expedirao o refriado, impe-
dindo a febre.
Lingua grossa acompanhada de um ges-
to salobro, c a causa de materia impura
no estomago. Urnas poucas doses das Pi-
t lulas Operativas da ltti Seigel limparSo o
'estomago, removendo o rao gosto, res-
j tauranofo o apetite o com elle trar boa
saoide.
Muitas vezes succede que doenca ou ali-
mento mcio apodrecido, causa nausea e
diarrha. Se so limpar as entranhas d'es-
ta impureza com urna dose das Pilulas
Operativas da Mai Seigel, estes effeitos
dcsagradaveis desapparecerao, reuultando
em boa sade.
As Pilulas Operativas da Mli "Seigc,
impedem os ms effeitos que produ-
zem o comer e beber era excesso. Urna
boa dose ao deitar da cama torna uiii
pessoa hbil c inclinada para o trabalho da
dia seguinte.
Como estas Pilulas sao cobertas de urna
carnada de assucar tomam-se com agrado.
O gosto dcsagradavel tito coramum maior
parte das pilulas d'esta forma evitado.
Estas pilulas recommendam-se especial-
mente s mulhercs, podendo cmpregar--e
para facilitar toda obra da natureza, e
para remover todas essas obstruccSes q
sao a causa de tantas doeueas a que (
ujeito o sexo no mundo inteiro.
Acham-se veuda em todas as boticas
e lojas de medicinas, em toda a parte do
mundo e em casa dos proprietarios A. J.
White, Limited, Londi-es.
Depositarios na provincia de Peni
i por atacado: Francisco M. da S
& C, na cidade de Pemambiu
(
ti
5-

i
,t
i
.
I
j
<


)
\
Diario de PernambucoDomingo 15 de Setembro de 1889
Vendedores retalho. na cidade de
Pernambuco, Bartholomcu & C, J. C.
Levy & C, A. M. Veras & O. e T. S.
Silva; em Palmares, A. '. do Aguinr e
em S. Joilo da Igreja Xova, J. A. da
Costa e Silva.
Toase convulsa! coqueluche!
Nao deis crian <;a senao o Peitoral de
Cambar.
Aviso aos nosso* leitores
Os nossos leitores que visitarem Pars
durante a Exposicao de 1889 ja sabem
que podero 1er os ltimos exeraplares do
nosso jornal chegados aquella cidade no es-
criptorio dos nossos correspondentes, Srs.
Amde Prince & O, 30. ra Lafayette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer inforraajo'GS,
dar ordens de compras, etc.
Alm d'isso, levamos ao conheciiiicnto
dos nossos patricios que afora o servico esta-
belecido no eseriptoiio da ra Lafayette,
n. 36, os meamos Srs. Arndo Prince A
C, acabam de oigauisar uina sala de loi-
tura e de mformacoes na Exposicao mes-
ma, no pavilhao da repblica de Guate-
mala cujo commissario geral dignou-se dr
por graciosamente urna vasta sala eom
varanda s ordens dos nossos correspon-
dentes.
Acon8clhamos mui vivamente aos nos-
sos amigos o leitores que se acharem em
Pars, que visitem a casa Amde I rince
& C. na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installaco que possuc na
Expsito no Pavilhao de Guatemala que
ha de ser, gracas s extensas relacoes dos
nossos correspondentes, o ponto da re-
uniSo dos numerosos cstrangelros residen-
es em Paris.
Tuberculose pulmonar
Cura garantida pelo Peitoral de Cam-
bar.
S"
EDITAES
3.* Seccio Secretaria da presidencia de Per
nambucoEm 3 de Setembro de 188D
Por esta secretaria se faz publico que fica
aberto o pra>o de 50 dias, a contar desta data,
para o receoimcnlo de propostas em caria fecha-
da dos concurrentes construeco de urna es-
trada de ferro de que trata a le provincial infra
n. 2.0-jd de 8 de Agosto prximo lindo.
O secretario
Filimisco L. Mnrinho deSviiza.
LE N. 2.05G
Manoel Alves de Araujo, do conselho de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado era
sciencias soriaes e jurdicas pela Faculdade de
S. Paulo commendador da Imperial Ordem da
Rosa e presidente da provincia de Pernambuco
Faco saber a todos os seus habitantes que a
As3embli-a Legislativa Provincial decrctou c eu
sanccionei a resolujo segurare :
Artigo i.'1 Fica concedido o engenheiro New
toa Cesar Hurlamaqui ou a quera melhores van-
tagens offerecor privilegio por 60 annos para a
construeco, uso c goso de urna estrada de ferro
Je bitola cstreita, que partindo da Sorra Dous
Irmos, na extrema desta provincia cora a do
Piauhv, v terminar na villa de Pclrolina, pon-
to marginal do Rio S. Francisco
I A zona privilegiada ter l leguas para
i'cada lado do eixo da linha, 6em que seja isso,
em lempo algum empecilho a que a qualquer
outra estrada de ferro, parallela ou iiiio a de que
:ogita a presente coneessao, possa a provincia
izer coneessao de zona privilegiada. No caso
le futuras concesses, se a zona privilegiada da
strada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer outra estrada de ferro conce-
lida mais tarde pela provincia, ser o espero
le trra que entre as duas estradas mediar divi-
lido ao meio, ticando urna metade delle como
ona privilegiada de cada urna das referidas es-
tradas.
8 i." Km igualdade de condices o concessio-
jario ter preferencia para construeco, uso e
.raso de futuros ramaes convergentes.
% .1. Ficam isentos de direitos e imposlos
provinciae9 e municipaes os edificios, as machi-
nas e materiaes necessarios para a construeco e
exploraran da linha principal c dos ratnaes que
orem construidos.
i." O concessionario sei obrigado a cons-
'ruir linha telegraphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
-gual 9encao de direitos imposlos.
3." Fica concedida a garanta de juros de
5 "/ sobre o capital que for empregado efl'ecti
ramente as obras, calculado o preco mximo
\o kilmetro, em 23.0003 e pelo praso da dura-
do do privilegio, Prado o qual reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
nar.hinismos, materiaes e linhas telegraphicas,
! bem asan cada um dos ramaes que tenhara
sido construidos, logo que tenhara sido oxplora-
los por igual lempo,
o.' A garanta de juros so se tornar cHcc-
ITC no caso de ser levada a effeito a coneessao
la estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piaunv a Serra Dous Iranios, qual se prende a
iresote coneessao, perdmdoo concessionario o
lireilo referida garanta se obtiver o governo
,'eral, subvencao kilomtrica, quanlia de juros
)U qualquer outro favor equivalente.
5 ".' A provincia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forra publica, autoridades e
vspeclivas cargas.
5 8." O concessionario poder transferir em-
presa ou companhia, que organisar o presente
privilegio com todos as seus favores e obriga-
' s 9. Dentro de 3 annos da data do contracto
levero ser apresentados os respectivos estudos
lefinitivos e os respectivos orcamentos de'.alha-
los e ler come.ro de execuco as obras, cadu-
cando a coneessao, se dendro desse praso nao
forera ditas obras comecadas, salvo caso de for-
ca maior, devidamente provado.
' Art. i." Ficam revogadas as disposices em
onlrario.
MaBdo, portanto, a todas as autoridade* a
quem o conhecimento e rxecuro da presente
resolurfio pertencer, que a enmpram e lacm
cumprtr to inteirarnente como nella se com-
!6m. ...
O secretario da presidenta da provincia a faca
mprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 de
\gosto de 1889, 68> da Independencia e Jo Im-
; j_ g_ M. Alves de Araujo.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria da presidencia de Pernambuco, aos 8
le Agosto de 1883.
O secretario
Francisco L. Marinlio de 8 HU
.eegao.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exra. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que tondo-se concluido por meio de laudo
de arbitro desempatador, a questao de ava-
acao do material da empreza de iliumi-
nac2o gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, cora o prazo de seis me-
ses, contados da data do piesenteedital,
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguirte clausula da citadu le:
3. Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de hver frito no Thesouro
Provincia deposito da quantia de 25:000)5
em dinheiro ou apohcea da divida publi-
ca, para garantir a aceitayo do contracto
no caso de sor preferida a sua proposta
| 4." O deposito, a que se refere o pa.
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senao findo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forera et tipuladas no mesmo.
| 5. O centracto s poder ser feito
com quom melhores vantagens ofFerecer
na concurre! cia.
| 6." A nio ser no ca."" do paragrapho
antecedente, a actual tuipresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente
| 7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacSo, a que a provincia
sujeita por forja da clausula dcima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisajao ter lugar de aecordo com
essa mesma clausula, e ficando o matcrila
e obras da empreza hypothecadcs pro-
vincia at que esteja reasada a iiidemni-
m$o ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
| 8. O prazo do contrac-o nao poder
exceder a 30 sanos.
9.' Opiveo da iihimmacdo, quor publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
200 res o nict'-o cubico do gaz, fazendo-
se urna ranecao de mais de 30 |, para
os estabeleciinentos do caridade e benefi-
cencia, e vparticoes publicas.
10." O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
So do gaz.
| 11. A luz ser clara, brilhante c senta
de substancias estranhas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
% 13." As horas de illuminacag publica
serao fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nein malor
de dez, devendo neste caso haver um
redueco no pre$o do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
| 14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questJJes que
se suscitaren!, quer cmi o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e reglamen-
tos c jurisdiccao dos tribunacs judicia-
rios ou administrativos do paiz.
| 15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos quo durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou cm alguma ca-
pital da Europa.
| 16. O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito cm moeda do
paiz, sem attencSo oscillacSo do cambio.
17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos c obrigagScs do contracta.
18." Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacao |o contrae-
tanto concorrer annualmentc com a quan-
tia de 3:0O0fJO00, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincial.
| 19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas c mais condi5es, no
intuito de garantir a boa execucSo do con-
tracto, quer com relacao a illuminco pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que" o novo
contractante ter de pagar actual cm
preza, conforme o 7o cima citado, a
quantia de 994:917)5528, de aecordo conr
a avaliagSo feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777^528, total da avaliagao,
a importancia de 3:860000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peSes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manod Joaquim Silveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminacao a gaz desta
cidade por scu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
gao do edita! em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminaclo mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas o servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777i28, por
quanto foram avalladas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliagao nao podo servir
de base para tal indemnisagao, por ter
sido illegal e irregularmente feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda. tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer Beus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicagSo para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
Gerente.
George Windtor,
DEGLARA.GOES
Transferencia de ca-
deira
De ordem do Sr. Dr. inspector geral. fago
sciente ao professor publico da cadeira de ensi-
no primario Je Bella Vista, em Granito, Antonio
Luiz Peixoto de Barros, que tendo sido esta
transferida, sem scu prejuizo, para o lugar de-
nominado f.8.rr,ncudo de BodocO, tambem em
Granito, por acto da presidencia da provincia de
6 do corren!?, Ibe Hca marcado o praso de 30
dias, a contar daquella data, para tomar posse
e assumir o respectivo exercicio.
Secretaria da Instrucgao Publica de Pernam-
buco, IS de Setembro de t889.
O secretario,
Pergetitno Saraiva de Araujo Galvo.
A' REALIS AR SE NO
Dia 15 de Setembro de 1889
lllms. Srs.
Ju'z do uahamcntoMajor Jos Clemontino llcnrique da Silva-
Juizes de p sagcmDr. Manoel Gongalvcs da Silva Pinto c Arthur ce Souza
Carvalho.
Juiz de partida Benjamn A. de Freitas Pessoa.
' Juiz do distanciadoRodrigo Carvalho da Cunha.
Juizes de chegadaJoSo Raposo de Souza, Joaquim de Oliveira Borges, Fran-
cisco Floro Leal.
Inspector geral de raiaMajor Ernesto Vieira de Araujo.
Inspectores de raiaPolicarpo Layne, Manoel Jos Fernandes Barros, Ciito
Valterino Pereira, Gedeao Forjas de Laccrda.
Juizes de archibancadaBarZa de Soledadc, commendador Antonio Marques de
Amonoi Dr. Joaquim de Cerqueira Leite, Antonio Marques de Amorira Jnior coro-
nel Sebastiao Alves da Silva, Jos Eleuterio de Azevedo, major Jos Bonifacio dos
Santos Mergulhao e commendador Francisco Ribciro Pinto Gnimaraes.
bornea
s
s
=
Pellos

Natura- e
lid.
4

Cor da vesti-
nicnlu
ProprioiarioM
1 Pareo Ei
lularo 1.000 metros-Eguaa da provincia. Premios : 130ae Io, 30*000
ao i" e 15SO0O ao 3*.
lllda........
aiCoruja....
: Slella.....
4|Fantina
5:Semiramis..
Bodada
Zaina ..
Castanha.
Pera..
5o Azul c encarnado___Bodolpho Pessoa.
53 Azul ene. e branco-. .Manoel J. de Miranda
55 ; Azul c branco..
55 Azul e rosa..........
55 Encarnado ...........
Bulino Cardeso.
M. P. deAlbuquerque.
Jo3 Cavalcante.
2. ParcoAalmacao-830 metros -Animaos da provinciaquenao tenham ganho no Deiby
nesta ou maior distancia nestes ltimos tres mezes. Premios : 2005 ao 1", 405 ao 2'
c 205 ao 3.
UTupv........
2! Soldado 2o ex-
Gcneral..
3 Pinta-silgo,
ex-Bolaxi-!
nliu.......
Esquimo.
Bonjour...
Marat.......
Siroco-----....
Delegado ..
Baio.
Bosilho.
'Peni..
Busso.......
Bodado .....
Zaino. .....
Bodado.
Cardo......
Cast. escuro.
M
B
ES
3.5
35
Encarnado e branco.. i Francisco G. Besende.
Joaquim I). C. Braga.
Branco c encarnado J- M. B. Gavalcaute.
Preto e branco ......(Augusto de Miranda
.\zul e onro. ..... 'Coud. Boa-Vista.
[Aaal e encarnado jCoudelaria Demcrata
; Encarnado e amarellolCoudelaria Fragoso
35 |....................Jos J. Maris.
4 Parco -Provincia de Pernambnco-900 metros.Animaes da provincia que nao
tenham ganho no Derby em distanda superior a milha. Premios : 200.S ao 1,
10* ao f c 205 ao 3.
Corsario.-. .1
Village......
Pi ramn.....!
Monitor......
Florete......i
Good m o r-
ning.......
Cndor......
Bodado
Mellado....
Castanho...
Busso.....
Castanho...
Bodado
Baio.
Pern..
55
57
33
55
57
35
Azul c ouro.........
Verde c ouro.......
Lyno...............
Encarnado e branco.
Azul c branco.
Azul e grenat..
Joaquim F. Silva.
Jos Joaquim Dias.
Jos J. Coelho Leite.
Coud. Pernambucana.
Francisco Freir.
Bufrao Lardoso.
Buio Cardoso.
i." Parco-Prado da Entancia 1300 metros Animaes nacionaes at meio sanguc.
Tremios : 300* ao i", 60,5 ao 2- e 30-S ao 3*.
1 Chiron-----
2 Kuy-lu- ..
3 Minerva.....
i1 Saturno.....
5Cora, ex-Bi-
sette......
61 Mimosa.....
jCastanho
Alazao......
Douradilho..
Castanho
Zaino.......
Alazao......
Bio dv Jan.
S. Pailo...
51
54
49
54
52
46
Ouro e azul.........Bodolpho Pessoa.
Bosa e preto......... Arthur Silva.
.................Coudelai ia Cruzeiro.
Azul e ouro........ Coud. Internacional.
Branco e oaro.......Coudelaria Temeraria.
.........J........Casimiro A. Fernandes
3.* PareoAnlmaeo[i* turma)130 metros Animaes da provincia que nao tenham
ganho no Derby n'esta mi mabr distancia uestes ullimos 3 mezes. Premios: 2005
ao Io, 405 ao 2*" e 205 ao 3.
Caubv ......
Dublin......
Pombo Preto
Soberano..
Cndor......
Table.......
7 Lord-Byron;'
ex Leo.
8iTyranno...
OiBonaparte.
Castanho..
CardSo. ..
Caxito....
Cardo ..
Baio......
Busso ....
Pern
BUsso pedrez
Alazao......'
Bcdado......'
55
35
33
35
33
35
55
55
57
iBranco, pretoc ene...
[Azul e encarnado...
liranco e preto......
Encarnado c branco.
Azul c grenat.......
Alfredo Marques.
Manoel J. de Miranda.
Coud. Victoria.
Coud. Jockey Club.
Bulino Cardoso.
J. A. Silva.
Azul e branco.......F. P. Cardoso Jnior.
Encarnado e azul j M G. da Silva Araujo.
Branco c encarnado..Rodolpho 6. Leal.
6. PareoCompcimacao1.400 metrosAnimaes de qualquer paiz que nao tenham
ganho cm mair distancia ro Derbv, nestes ltimos tres mezes. Premios : 4005000
ao Io, 805000 ao 2o c 4050W ao 3'.
Africana...
Brazil
Vanda .
Satvatus
5 Cynira..
Zaino.......
Alazao......
Zaino.......
Alazao......
Alazao claro.
R. ca Prata
Fraaca ...
R. la Prata
Fnnca ...
Ingalerra.
56
48
52
51
49
Preto e branco ...
Azul eouro.........
Verde e amarello. ..
Branco, preto eenc
Coudelaria Riachuelo..
Coud. Independencia.
Nautilos.
Coudelaria Cruzeiro.
Jos Luiz G. Pcnna...
7 o Pareo-Properidade 1.00 metrosAnimaes da provincia que nio tenham ganho
em maior distancia nos prados do Recite. Premios : 2005000
ao Io 405 ao 2o e 205000 ao 3.
Piramon
Cupido cx-
Traviata...
Ciclone -----
Phanzeu. ex-
range ..
Esquimo .
Castanho ...
Russo- .
Rodado.
Castanho ..
Rodado-. ..
Ptrn.
35
53
55
55
55
Lvrio.
Encarnado e amarello
A. ene ebonet preto.
Branco e preto.....e
J. J. Coelho Leite.
Salvador.
Coud. Fragoso.
T. Fernambucanu.
A. de Miranda.
Os animaes inscriptos paralo 1* pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 Ii2 horas da manha.
Os animaes inscriptos paral 08 outros parcos, deverao estar no ensihamento
pelo menos urna hora anti-.s da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
r'cde-se attencao dos Srs. jkoprietarios para os additamentos feitos ao regi
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os artigos 9, 10, 25 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente desta corrida enierrar-se-ha sabbado 14 de Setembro de 1839
s 3 horas da tarde. .,
A venda de paules encerrar-se-la 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
l.o pareo.
2. pareo
3. pareo.
4.a pareo.
5." pareo.
6.a pareo.
7. pareo.
Reeife, 12 de Sotembro de 1889.
O GERENTE, Henrique Schulel.
11 horas e m.
11 t e 50 >
12 > e 40
1 > e 30
2 e 20 >
3 e 10
4 > e
WSaB_i
HIPPODROMO
CAMPO BRANDE
lili Si Iff
a.
6.
3: CORRIDA
A realisar-se no dia 22 do corren te
i. PAREO EXTRA 700 metros. Eguas da provincia, premios : 15Cj4000
primeira, "0,-JOOO segunda c 15#000 terceira.
9." PAREO INCENTIVO 800 metros. Animaes da provincia que nao te-
nhara ganho nesta distancia no Hippodromo e cm distancia superior
a 1.000 metros^nos prados do Reeife. premios: 200^000 ao pri-
meiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
3. PAREOIMPRENSA900 metros. Animaes da provincia. PREMIOS:
2005000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
i. PAREO AGRICULTURA1.300 metros. Animaes da provincia que
nao tenham ganho em distancia superior a 1.609 metros nos prados
do Reeife. premios : 25050C0 ao primeiro, 505000 ao segundo e
255000 ao terceiro.
PAREO PROGRESSO-900 metros. Animaes da provincia que nao te-
nham ganho em distancia superior a 1.000 metros no Hippodromo.
PREMIOS: 200?00Q r.o primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao
terceiro.
PAREO TRILUOS URBANOS1.000 metros. Animaes menos de meio
sangue. premios: ."jOO^OOOao primeiro, 605000 ao segundo e 305000
ao terceiro.
Observagoes
Nenhum pareo se realisar sem que se nscrevam pelo menos cinco aninae*
de tres proprietarios.
O cdigo de corrida prescieve o modo da inscripcao.
A inscnp53o encerrar-se-ha segunda feira, 16 do corrate, s 6 heras da tarde
na secretaria do Hippodromo, ra do Imperador n. 55, 1. andar.
O secretarlo.
Eugenio de Barros
v Transferencia de Cadeira
V' "1-1.4.: D-orde_m do^Sr. Dr. manee -
tor geral, faco sciente ao prtttessor da
deira de latim e francez da cidade de
Pesqueira, Franklin Minervino tdartins,
que tendo sido esta transferida sem seu
prejuizo, para a da Victoria, por acto da
presidencia da provincia de 11 do corren-
to, lhe fica marcado o praso de 60 dias,
solemnisa o contar do 1." de Setembro para assumir o
34. anniversario da sua installacSo, com respectivo exercicio.
Secretaria da Instrucgo Publica de Per-
Hosital Portuguez do Be-)
neficencia em Pernambuco
34 anniversario
PROGRAMMA DA FESTA NO DIA 22 DO
C< RRENTE
A junta administrativa do Hospital
Portuguez de Beneficencia
tnda a pompa e brilhantismo do- annos
anteriores.
Das 9 horas da manha s 10 da noute,
estar franco concurrencia publica o
nosso estabelecimento do caridade.
A's 10 e meia horas era ponto ter co-
meco a celebracao da missa em louvor de
seu Padroeiro S. Joao de Deus.
Das 3 horas era diante, e cm elegantes
barraquinhas servidas por
nhoras e Cavalheiros da nossa sociedade
serSo distribuidos os objectos expostos as
mesmas, mediante a esportula regulamen-
tar para ajuda da manutencao desta til e
p a instituirlo.
A noute ser o edificio, jardiui e sitio
brilhantemente Iluminadora
ca e baldes venesianos etc.
Durante o dia e noute diversas bandas
de msica e entre ellas as de diversas
sociedades particulares executaro as me-
lhores pecas de seu repertorio, prestan-
do estas ultimas com sua presenca maior
brilhantismo nossa festa de caridade.
A junt administrativa convicta do amor
e aifeicSo que a populacho desta capital
dispensa a este Hospital espera que a
sua festa seja este anno urna das mais
brilhantes pela concurrencia a este certa-
men de caiidadc dando a esta festa tra-
dicional o peculiar encanto campezino.
Secretaria do Hospital Portuguez de
Beneficencia em Pernambuco, aos 13 de
Setembro de 1889.
Cesarlo Accurcio da Silva Papoula
Secretario.
Recebedoria Provincial
O administrador da Becebedoria Provincial
faz publico para conhecimento dos inleressados,
que por ordem do Illm. Sr. Dr. inspector do
Thesouro, tica prorogado por 15 dias utei3, con-
tados desta data, o praso concedido para o pa-
gamento, livre d multa, das annuiJades e mais
servcos da Becife Drainage Company. relativos
ao semestre do exercicio era vigor de 1889.
Becebedoria Provincial de Pernambuco. 9 de
Setembro de 1889.O administrador.
Luiz Cesario do Bego.
PrazO de CO dias
De ordem do Sr. Dr. iospector geral, fago
sciente s professoras Anna Marques Pereira do
Bego, Amalia Durvalina di' Barros Marinho e
Liberata Ambrosina dos Santos Beis. Horneadas
por portara da presidencia da provincia de 12
do crrente, para effecti va ment' regeretn,a pii-
in.'ia, a cadeira de Jos do Euypt ; i -r
punda, a de Agua Prela, c a ultima a de Po< ta
de Pedrrs ; que Ihes fica marcada o praso de
00 dias primeira e s outrts o do 30 dias, u
contar daquella data, atitn de assumiivm o
exercicio de suas cadeiras.
Secretaria da IustruecSo Publica ie Pern im-
buco, 14 de Setembro de 1889.
O secretario,
Pergeniitw Saraiva de Araujo alcao.
Glub Carlos Gomes
.tuenbla geral
Pelo presente sao cunvidauos os seuhores so-
cios a se reunirem em assembla geral ue dia
18 do corrente, s 7 hora* da nuite, para o dis
posto no 1- do art. 18 dos estatutos do club.
Secretaria do Club Carlos Gomes, 14 de Se-
tembro de 1889.O 1 secretario,
Andre Costa.
nambuco, 13 de Setembro de 1889.
O secretario,
Pergcntino Saraiva de Araujo Qalvao.
AdmlniNtractto dos Crrelo de Fer.
nambuco em 15 de Agonlo de 1SMA
ARREMATADO DOS TRANSPORTES DE
MALAS
O administrador, em observancia ao or-
denado em circular da directora geral dos
correios n. 86 de 8 de Maio do crreme
distinctas Se- anno, faz publico que fica marcado o pra-
so de 30 dias, a contar desta data, para
recebi ment de proposta dos particulares,
que durante o exercicio de 1890, quei-
ram fazer por contracto o serv90 de cor.-
duccao de malas para o interior da pro-
vincia, partindo desta repart9ao para :
Nossa Senhora do O' de Goyanna, pas-
T* ~t '."" sando por Iguarass e Goyanna de 3 em
gazjluzelctn- 3 diafJr ?
ftj^S. Bento, pas&ando por OhS Grande,
Gravat, Bezerros, Caruar, S. Caetano
da Raposa e Bello Jardm de 4 em 4
dias.
S. Jos da Coroa-Grande, passando por
Ipojuca, Serinhaem, Rio-Formoso, Taman-
dar, Una e Barreiros de 4 em 4 dias.
Jatob de Tacarat, passando por S.
Bento, Alagoinha, Pedia, Buique, Gamel-
leira e Tacarat de 4 cm 4 dias.
Alagoa de Baixo, passando por Pes-
queira e Cimbres de 4 em 4 dias.
Altinho, passando por Bonito, Bebedou-
ro de 4 em 4 dias.
Leopoldina, passando por S. Jos do
Egypto, Ingazeira, Afogados de Ingazei-
ra, Flores, Triumpho, Villa Bella e S. Jos
do Bello Monte de em 5 dias.
S. Vicente, passando por Vicencia e
Cruangy de 4 em 4 dias.
Jabot do Brejo, passando por Pedra
Tapada, Bom Jardim, Vertentes, Taqua-
retinga, Santa Cruz e Brejo de 4 em 4
dias.
Petrolina, passando por Santo Antonio
do t'ar, Floresta, Cabrob e Boa Vista
de 4 era 4 dias.
SertSozinho passando por Palmares,
Villa d'Agua Preta e Campos Frios de 4
em 4 dias.
Jurema, passando por Belm de Maria,
Lagoa dos Gatos e Panellas de 4 em 4
dias.
Itamb, passando por Iguarass Goyan
na de 4 em 4 dias.
Aguas Bellas, passando por Palmeira,
Correntes e Bom Conselho de 4 em 4 dias.
Ouricury, passando por Olho d'Agua
dos Bredos, Villa Bella, Salgueiro, Gra-
luto e Ex de 5 em 5 dias.
Gloria do Goyt, partindo de Pao d'A-
ho de 4 em 4 dias.
Riacho Doce, partindo de aruar de
4 em 4 dias.
As propostas devem ser apresentadas
at s 2 horas da tarde do ultimo da,
ein carta fechada por duplicatas, com dis-
crimina9ao dos pre908 de servif.o de cada
linha, sendo uina via sellada e ambas .
8i,nadus pelos proponentes e seus fiado-
res.
Na BerSo tomadas era considera9ao as
propostas em que lor fixado o prego de
mais de urna linha englobadamente.
Terao preferencia as propostas mais
vantajosas em pre$os e augmento de via-
gem.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
I
1
f





6


Diario de Pernambuco-^Domingo 15 de Setembro de 1889
Santa Casa de Misericordia!
doRecife !
ANlma. junta administrativa desta sania rosa
contrata coin quem mclbores vantagens ottere-
ccr o fornecimento de carne verde para o con-
sumo dos estabeleeiraentos a seu cargo, nc tri-
mestre de Outnbro Dezenibrodo corren te anuo,
mandando-a levar no proprio estabeieciraento
As propostas devero ser apresentaims em
caitas fechadas, devidamente selladas, na sala
de suas essoes, pelas 3 horas da tarde do dia
17 do corrente, declarando os proponentes su
ieitarem-se a mulla de 5*/0 sobre o valor total
do fornecimentD se no praso de tres dias nao
comparecern nesta secretaria para assignar os
respectivos contratos, dando fiador idneo; obri
gando-se a santa casa afazer o pagamento meo-
talmente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 13 de Setembro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Sansa.
Kerretarla da vtatnvel -ordem 3.
do Seraphico I*. S. lruu<-iso do
Reci re. 13 de ietrmbru de 1
De ordem do carissimo irraao iniuislro, con-
vido a todos os nossos carissimos iriuSos em
geral a comparecern em nossa igreja, para
assistirem na secunda-feira (16), pelas 7 horas
da noile, a's vesperas, e na terca feira 17 do cor-
rente mcz, pelas 10 horas da inaiih, a miss.i so
lemne em comnieraorago a impresso das cha-
gas do nosso Serapuico Padre S. francisco, na
qual pregar ao vaogelho o Revm. Sr. conego
Antonio Eustaquio, e s 7 horas da noite para o
Te Deum Laudamus, no qual pregar o Revm.
Sr. Fr. Augusto da Immaculada Conceigo Alves,
cujos actos sero precedidos e encerrados pela
banda marcial da polica, sendo aorchestra, que,
entre outras msicas, executar a missa de pro
pnedade da ord-iin, regida pelo maestro Soares
Rosas.
Estando em esposico, as pcssoas que se apre-
sentarem decentemente vestidas, alera das nos-
sas igrejas e dependencias, o nosso hospital e
consistorio das 7 s 9 horas da noile do dia 17,
rogo aos nossos carissimos irmos das respecli
vas coramisses o seu comparecimento para as
devidas fiscalisages.
Outrosim, convido a todos os senhores candi
datos approvados para ntoma de irmos, e
aos nossos carissimos irmos novicos j despa-
chados para professarem. a coiiiparecerem uns e
oulros no nfendo dia 17, pelas 10 horas da ma-
nila, aflm de realisarem suas entradas e prohs-
eflce. .,
Jos Ciementino H nriques da Silva.
Irmandade de N. S. do Born
Parto
De ordem do irmo juiz, convido a todos os
irmos desta irmandade, que estejam no goso
de seus direitos. a comparecerem en nosso con-
sistorio no domingo 15 do corrente, pelas 9 ho
ras da mar.h, para em assembla geral, prcce
derem eleigo para os novos tunccionarios que
leem dt regel-a no anno comproroissal de 1889
Consistorio da irmandade de BL H. do Bom
Parto, em 12 de Setembro de 1889.
O secretario,
.Tulio Constancio Ferreira da Silva.
10 barris de quinto, idem idera, com vinho
tinto commum. medrado liquido legal 882 litros-
Marca CA 2 pipas ideaiidem, a Gongalves Ro-
sa & Fernandos, contend vinho tinto commum,
raedindo liquido legal 92'.! lili
20 barra de quinto idem idem, com vinho
tinto commum, medindo liquido legal 1,764
litros.
Marca VI intercalado, 1 barril de dcimo idem
idera, a Joaqun) Felisberto da Cruz Braga, con
tendo vinho linio cammum, medrado legal 40
litros.
Marca SL, 37 barris de quinto idem idem,
vindos no vaoor inglez Salptor, entrado em 17
de Setembro Me 1888, a Manoel de Canuto Me-
deiros. com vinho tinto commum, medindo liqui-
do legal 5,018 litros.
Marca *R e contramarca estrella. 16 pipas
viudas de Lisboa no vapo- francez Ville de Ma
ranhao, entrado em 15 de DexembrO de 1888,
Fernandes da Costa & C contendo vinho tinto
commum, medindo liquido legal 7,370 litros.
20 barris de quinto idem idem, aos resenos,
com vinho tinto commum, medindo liquido le-
gal 1,800 litros.
Marca diamante, B no centro e r> era cima, 10
barris e 29 uieios ditos vindos do Havre no va
por francez Ville de Pernambuco, entrado em 21
de Novembro de 1888, a Joaquim Duarte Simes
& C contendo manleiga de vacca, pesando li-
quido legal 644 kilos.
Trapiche Largo da Assembla
Marca A 15 barris .le quinto, vindos de Lis-
boa no vapor inglez Scholar, entrado em 13 de
utubro de 1888, Ji.ao Fernandes de Almeila,
com vinho tinto commum, medindo liquido le-
gal 1,380 litros.
Marca D, 2 barris idem idem, ordem, com
azeite doce, raedindo liquido legal 440 litros.
Sem marca, 2,810 botijas vasias, viudas de
Hamlrargo no lugar norueguense Se'ma, entrado
em24deNovembro de 1888, completamente que
bradas, ordem.
3. secgao da Alfandega de Pcrnambuco, 13
de Setembro Domingos Joaquim da Fon seca.
Veneravel contraria de N. S.
do Livramento
De ordem da mesa regedora, convido a todos
os carissimos irmos a comparecerem em nossa
igreja no da 14. as 6 1,2 da tarde, devidami nte
paramentados, afim de, assistirem as vesperas,
e no dia 15, s 101/2 da manh, para assistirem
a festa solemne de nossa excelsa pidroeira a
Virgem Senhora do Livramento.
Secretaria da veneravel confraria de N. S. do
Livramento, 13 de Seleinoro de 1889.
O secretario,
Gaspar Antonio dos Reis.
Companhia de edifica cao
Assembla geral
3.a CONVOCA(,'A ~/*
A cominissao abaixo assignada convidar
aos Srs. Accionistas a reuniremsa-na'cs-
efiptoro Qf'cTnpalIi,' ao Xargo Podro
II, n. 77, 1. andar, no dia 20 do cor-
rente ao meio dia, atini do tomarem co-
abecimento e resolverem acerca dos as-
sumptos j annunciados.
Sendo esta a terceira convocacao e em
vista do 3. do art. 15 da Lei n. 3150
de i de Novembro de 1882, consti-
tuir-se-ha e resolver esta Assembla
com qualquer numero de accionistas que
comparecer, seja qual fr a somma do ca-
pital representado.
Escriptono da Campanhia de Edifica-
cao, em liquidacao, 10 de Setembro de
1889.
Joaquim de Oliceira Borges.
Jos Gomes Ferreira Main.
Bernardina da Cosa Campos Jtmio*
Thesouraria de Fazenda
NubNlilulCO dC HOtAN
De ordem do Illm Sr. inspector, fago publico
3ue, na formado edilal desta Thesouraria de 17
e Junho ultimo, no dia 30 do corrente mez
que termiua a prorogago do praso marcado para
a sobstituicSo sera descont das notas de 20it
da\* estampo.
Vencido esse praso, comegar o descont de
accordo rom o preceituado pilo art. 13 da lei
3313 de 16 de Outubro de 1886, isto : durante
os tres priraeiros mezes.2 < 0; at o 0. mez 4
0,0 ; at o 9. mez 6 I /O ; al o 12 mez 8 0.0;
duraute o 13." mez 10 0 0, e mais 3 0/0 measaes
d'ahi por dianle at que as notas percao de todo
o valor.
Thesouraria de Fazemla de Ternarabuco, 9
de Setembro de 1889.
O secretario da junta.
Dr. Antonio Jos de San?Anua
Junta Commercial
Esta secretaria faz publico que foi registrada
a escriptura ante nupcial e de dote celebrada
entre Manoel Joaquim Pereira e D. gueda Fer-
reira de Faria para se n-ceberem em matrimonio,
que ser regulado na parte civil pelos pactos se-
grales :
1. Nao haver communbfco de bens entre os
conjuges, conservando cada um delles a plena
propriedade dos bens que actualmente possuem.
2. Os bens decaum dos pacluanfes nao
ficam sujeitos as dividas que o outro lenha ou
baja de conrahir na constancia do matrimonio.
3." Os bens que cada um pos pactu.inies ad-
quirir durante a constancia do matrimonio bem
como os respectivos vencimenlos tambera nao se
communicaro, nem licam sujeitos a laes divi
das.
4' O pacluanle Manoel Joaquim Pereira faz de
sua laoenda a dotaco de vinte contos de ri<-
pactusiite D Agu da Ferreira de Farias, dotagao
que Picar sem effeito algum se cessar a constan
cia do matrimonio por separago dos pactuanles
da vida em commum, por divorcio ou sem elle.
5." Se a espora sobreviver ao esposo nao ha-
vendo prole, aquella receber os bens que trou-
xe, os que houver adquirido como proprios du-
rante a constancia do matrimonio e o menciona-
po dote
6." Se ao contrario for o esposo que sobreviver
nSo havendo prole ficar semefleito a dotago
cabendo aos herdeiros da esposa como heranga
somente as joias e o dinheiro com que entrou.
na importancia total de quatro conlos de reis e
os bens que houver adquirido como proprios.
7." O pactuanle tem a admisso de ledos os
bens sendo que os vencimenlos dos bens de um
nao ficam tambera sujeilaa s dividas do outro
pactuMiic.
8.* Por fallecimenlo de qualquer dos pactuan-
tes havendo prole cessam os elteitos das clausu-
las antecedentes.
9.' Xo caso da clausula 5.* o dote de 20.00i.
nao licar sujeito as dividas que ella coutrahir
durante a viuvez nem poder vender ou hypo
thecar as apohees ou bens* de raiz em que con-
sistir os quaes por raorte della.Daasaro a seus
herdeiros necessarios ou testamentarios.
Secretaria da Juma Commercial do Recife, 14
de Setembro de 1889.
O secretario
Julio Gwmaraes.
2.a pra^a
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co ques 11 horas do dia 17 do corrente mez,
aero arrematadas porta desta repartico as
mercadorias abaixo declaradas :
Trapiche fiara do Livramento
Marca F C. 10 pipas viadas de Lisboa no va-
por inglez Martner, entrado em 20 de .Vgosto de
4888, consignadas a Fernandes & Irmo, con-
tendo vinno tinto commum, medindo liquido
legal 4 606 litros.
Monte Pi Popular
Pernambucano
\sxcmhlia gernl
De ordem do respeitavel direc'or e de confor-
midade com o disposto no art. 29 | 1 e 4- dos
estatutos, convido a todos os assoeados a com-
parecerem no da 12" do frrente, pelas 11 horas
da manh, allm de'era a?serabla geral tratar-se
de levar a cffeit/a creaeo da bibliotheca e de
outros assumjXbs de interesse social.
Secretaria/la sociedade beneficenle Moute Pi
Popular P/nambucano. 12 de Setembro de 1889.
r o I1 secretario
>* Faustino Jos da Fonsec.
Pacific Steam Navi^ation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LDE
O paquete Potosi
Espera-se da Europa at o dia
22 de Setembro e seguir de-
pois da demora do costume para
Valparaso por
Babia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas. e di-
aheiro a freie : trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sods k C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
Companhia Bahiana de Na-
vegajao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
O vapor Sergipe
Cemmandante Rebollo
E' esperado dos portos cima
at o dia 21 do corrente, e de
pois da demora do costume re-
ressar para os mesmos
Par~carga, pas agens. encommendas e di-
nheiro a frete trata se com o AGENTE
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
Seguir para 03
portos cima
indicados no dia
16 do corrente s
4 horas da tarde.
Para~carga. passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
spector da Alfandega, com assistencia do em-
pregado da mesma repartico, para o lira no-
meado, e por conta e risco de quem perlencer,
nm bote grande salva-vidas, salvado da barca
ilaliana OUon, e existente na cuarda-moria da
Alfandega.
Em continuac,ao
vender o tnesmo agente : um outro bote peque-
no, 2 remos e 3 1/2 duzias de camisas.
Leilo
Agente Britto
De 1 mobilia de mogno a Luiz XV, 1 dita de
junco com encost de palha, 1 cama franceza, <
toilette de Jacaranda a Luiz XV, 1 dito de faia,
1 espelho, 1 comrao la, 1 sof, 2 consolos e 6 ca-
deiras^de amarello, I mesa elstica, 2 aparado-
res, cadeiras avulsas, 2 marquezOesi 1 sanclua-
rio de Jacaranda, 1 banquinha, 1 lavatorio, 1
cabide de columna, I quartinheira jarros, qua-
dres, candieiros para kerosene, bandeas finas,
1 relogio de parede, louca, de oorcelana para
almojo ejantar, jopos, clices, garrafas, tpeles,
1 mesa de louro. i estante, 1 jarra, trem de co
sinha e outros objectos.
Hiiara-IVira. 1 8 do corrente
Ra Nova n. 21 Io andar
As 10 1 [2 horas
nm immnmm
DO
Do !)Tkp~c^.2> XXj
Capital.....20,000:000OOtJ
dem realisado 15,000:0000000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParsBanque de Paris et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Com-
pany Limited.
AUemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Auvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da Praa The London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente dt
movimento com juros na razao de 2 /0 ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
eionados.
O gerente, II illiam M Webster.
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado de ? at o dia 19 de Setembro
loo qual depois da de-
mora necessaria segn
para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas
nhtiro a lrete : tratase com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar
e di-
CHARGERS REUNS
Conipaiibia
DE
MweeM
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro
MARTIMOS
Royail Mal Steam Packel
Companhy
O vapor La Plata
Commandante A. H. Dyke
E' esperado doul no da 19-Ip Se-
tembro, seguinto Jepois 2 dademora
'necessaria jiara
Lisboa, vigo, outhampton e
Antuerpia
Reduc< Ida Ida e tolla
/Lisboa 1* classe t 20 30
A'Southampton classi? 2i t 42
'amarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens trc'.ct. encommendas, trata-fe
xim os
AGENTES
A-morim Irmos & C.
N. ?.Ra do- Bom JessN. 3
CompanLia rasileira de
Navegado Vapor
PORTN )0 SUL
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do norte at
o dia 6 Je Setembro e depois da de
mora indis, lira parao-
portos do su I.
As encommendas sero receidas no trapichi
Barbosa at I hora di larde do dia da sahida.
Para carga, passagens. encommendas o valo-
res trata-se com 03 GUSTES
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
Commandante o eapitao de fmgata Pedro
Hyppolyt" Duarte
E' esperado dos portos do sai ate o
da 17 deSei'fitroeeeguindodcpoit
da demora iadispensavel para os
portos do n As encommendas so -rrao Fecebidas, na agen
cia at 1 horada-tarde i.u dia da sabida.
Para carga, encamine iaas,,>atagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Caraeiro & C.
6*=Rwt do mamseei9**0
l*dar
Navegacao
^inha qninzenal entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O vapor
Ville de Santos
Commandante Tauquery
E'esperado da Europa ate odia 1|
de Setembro, seguindo depo3 da in-
dispeusavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-.se aos Srs. importadores de carga pete
r&pores desta iinlia, queiram apresentar den'ro
le 6 dias a contar do da descarga das atareabas
mulqcer rec'amaco concernonte a volumes qo^,
porventura lenham seguido para os portos de
uI alim de se po dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
obeiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Aupste Lahilie
9 RA DO COMMERCIO -9
Agente Pestaa
Leilo
De 2 casas de podra e cal sitas em Sant'-
Anna de Dentro,"pertencentes aos pro-
prietarios, vigario Sim5es de Azevedo
Campos, seus irroSos e os dous orphSos,
Maria e Luiz
Quarta feira 18 do corrente
A's 11 horas
No armazem 1 iravessa do Corpo Santo n. 27
O agente Pestaa vender por ordem dos seus
proprietarios 2 casas em Sant'Anna de Dentro e
2 partes as mesillas, que tazem o todo, por man-
dado e assistencia do Exm.Sr. Dr. juiz de or-
phos, a quem melhor offerta lizer.
Leilo
Agente Britto
De predios
Urna .asa terrea, grande, ra Imperial n.
14.i
lina dita a ra do Pocinho n. 28.
Guia dita ra do Pocinho n. 30.
lima dita a ra de Nunes Machado, no Espi-
nheiro, n 16, rende 22O0O. .
Urna dita ra de Nunes Machad.), no Espi-
nhiro, n. 18; rende 255000.
Estes predios vendem-se livres e desemhara-
ca4os Os Srs. prctendeiitcz podem desde j
velos.
jhis um terreno com 50 palmos de frente c
509 de fundo na ra da Regcnerao, na Agua
Fra.
#uinta feira, 19 do corrente
.A's 11 horas em ponto
No pateo do Paraso n. 26
Os refinadores desta cidade avisam os seus
fregueses, que em vista do alto prego dos asqu-
eares em rnma, resolverura desde o dia 15 do
corrente em diante a vender pelos precos se-
guintes :
1." sorte, por 15 kilos, 5*800
2., idem dem, 4*800
3.', idem idem, 3840
A te la I lio
1. sorte, kilo, 400 rs.
t.' dita ;)tk) rs.
3.a dita 280 re.
Quem precisa ?
Aluga se urna casa em Beberibe : a tratar no
trapicue Vianna, Forte, do Mallos.
1
Leilo
da
fabrica Apollo, per-
fllida de D. .Varia
LEILOES
Leilo
Da 6a parte da casa terrea n. 12 ra
Imperial
A's 11 horas ,
Segunda-feira 16 do corrente
No armazem ra do Bom Jess n. 49
O agente Alfredo Guimures por mandado e
assistencia do Illm. Exm. Sr. Dr. juiz de direi-
to de orphaos e ausentes levar a leilo a sexta
parte da casa terna n. 12 sita ra Imperial
pertencenle ao espolio do finado Antonio Goncal-
ves da Cruz.
Leilo
De fazendas
CONSTANDO :
da caixa n. 717 com 97 cortes de casemira, cai-
xa n. 1 com 29 pecas de selinetas linas para for-
ro, caixa n. 2 com 42 peci? de setinelas para
forro, caixa n. 1,170 com 25 pecas de brim de
algodo para caiga, sendo que estas mercado-
rias vo a leilo pela 4." vez, parte da caixa
n. 708 com 16 pegas de merino preto de l 5
4 pegas de alparca lina de l e, seda que vito
a leilo pela 3 vez, parle da caixa n. 152
com 38 pecas de brim de lioho de cores,
parte da ca:xa n. 52 com 29 pegas de casemira
de l de cores caixa n. 1,736 cora 48 pegas de
merino lino preto de l, caixa n. 15 i com 39 pe-
gas de brim trancado de cores, caixa n. 681 com
40 pegas de brim trangado de cores, sendo que
estas ultimas vo a 2.- leilo.
Terca feira, 17 do corrente
s 11 horas
Xo armazem ra do Mrquez
de Oiinda o. &
O agente Gusmo autonsado por despacho do
Exm. Sr. Dr juiz de din Uo do commercio far
leilio das fazendas cima mencionadas, perteoceft-
tes raassa fallida de D. P. Wild & C, as quaes
sero vendidas em lotes a vmtade dos Srs. com-
pradores.
Agente Pestaa
Leilo
De bons movis, 2 [rtaoo*, loucjis, mobilia de
Jacaranda. 1 caixa com brinquedos para crian-
gas e muitos objeclos que sero vendidos sem
reserva de prego.
Terca-feira, 19 do corrente
A's 11 horas
A' Iravessa do flrro > Santo n. 27
AO CORRER DO MARTELLO
De mercadorias
tencentcs massa
Amelia da ( unha
Constando
de 47 resmas de papel labaco, 2 garrafOes com
acido sulfrico, 30 resmas de. papel de impres-
sOj 2 uitas de papel porcellana carto, I lote
de papel cor de canna para copia, 3 lotes de pa-
pel imra impresso, 1 rolo de dilo, 7 resmas de
papel bronco lino, 1 lote de dito dito, 13 resmas
de dito dito, 1 lote de papel branco carto, 1 lo-
te de papel preto lustroso, 3 resmas de papel
azul, i lote de papel ro.ca para copiar, 1 lote de
papel 'zul para impresso, 1 lote de papel roxo
carto, 31 resmas de papel tabaco, 31 resmas de
papel pura embrulho 1 mesa par charuteiro, 2
divisoi-s para mesa de charuteiro. 1 machina Mi-
nerva alleo* 146, 1 machina d lustrar papel,
1 dita u:oiio.rraiuina, 1 dita de esmeril para des-
batar Ierro, 2 trilhos de ferro, 1 moiuno de ferro
para seraintes, 1 lata de glyrerina, 2 nolias
grandes, 1 dita pequea,-1 machina de filtrar
fum 1 volante de ferro, 1 bomba excntrica, 3
mairaes para gnlhOes, 2 ditos para ditos, 1 tan-
que tiequeno de ferro, 1 moinho ventilador, 1
preota grande de ferro, 1 armacao de ventilador,
1 peleira crande a vapor, 1 pedra de esmeril, 1
prema e pertences 3 prensas estufas, 1 volante
de faro com cabo de madeira, I dito. 2, carre-
tas, 3 mancase, 1 agulho pequeo, 2 bancos de
pinhc, 1 caixa com lampa para deposito, 4 co
iutnins com carriteis de ferro, 1 p de machina
de esmeril, 1 peneira de rame com pollas de
madera, 3 canos de cobre de 1 c 1/2 polegadas,
4 cainos volteados, 9 sacco3 de estopa com la-
linhas, 48 lelhas de fe ro pequeas galvanisa-
das. ( ditas grandes, I cano de cobre grande, 3
trilhoi de ferro, 1 chamine nova de ferro, 4 ta-
cho d ferro fundido, 1 pidra pequea para re-
bolo, '3 pipas para deposito do oleo, 3 cubos
para ieposito de oleo, 1 lote de columnas de
ierro, I machina para fazer fumo em corda, 2
prensas hydraulicas, 1 machina para aplainar
laboas, 1 tacho de cobre para bater oleo, forra-
do de nadeira, 2 bancos, escada, 1 banco com
penein, 1 lacho grande de cobre e ferro a vapor.
1 mant'jour, 1 tanque de ferro grande e 14 la-
tas con glycerina.
Quiatn-feirn. 19 do corrale
A's 10 e Ij2 horas
O agnte Gusoio, aulorisado por mandado do
Exm. S- Dr. juiz de direito do commercio, far
leilo (as mercadorias e mais objectos cima
descriplos, existentes na fabrica Apollo cita
ma do lospicio n- peitenccnles massa fal-
lida acina mencionada, o qual ter lugar na mes-
ma fabnca em presenga do respectivo juiz.
- Precisa se de umeaixei-o corn prfeito co
jhecimento de retallio e que d o de sua con-
: a tratar na ra de Henifica n. 7, onde
timbera se precisa de um menino de 12 a 14 an-
nos" em iguaes condiges.________________
Vende se na praga do Caplm n. 149, fre
de Afogados urna taverna bem localisada
^^Hto bom negocio ; o dono so vende por-
gue precisa retirar se para fra, e quera jul
gar-sc com pretengo se dirija mesma.
- Aluga se o grande sobrado n. 12 ra de
oandes Vieira, na cidade de Oiinda, o qual
de um bote grande, salva-vida, salvado da barca se scna em perfeilo estado ; a tratar na ra da
Leilo
AVISOS DIVERSOS
Precisi-se da urna moga para andar com urna
crianga: i ra 1 ireita n. 40, 1." andar.
com
loja.
4lu|a-se
3 qmrtos
8 casa da ra das Plores n. )8,
; a tratar na ra Nova n. 39,
Aluga se o 1 e2- andares ra da Roda
B. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservagio ; a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65.
...-----
_r~ Atoga-se a relinago da ra dos Gnarara
pes a. 70, tem muito boa freguezia ; a tratar na
ra dojii :n 11. 82, 2- andar.
Tigipk)
Connfaniino de t Brrelo
Convida se a este seuior a cump.m'cer ra
do Bom Jess n. 23, para prestar contas das
cobrangas que fez no termo de Agua Preta, em
Margo prximo pasando.
Est para alug'ar
a casa asscbradaila da ra Joaquim Sabuco n.
22 (Capunga) muilo fresca, cen agua, gaz, bom
quintal, e todos os commodos paragratide fami
lia. Na mesma dir-se lia cum quem se trata.
Singa se urna casa propria para eotabele-
j e lera armago, em um dos rnelhores
pontos da freguezia ue Afogados, a qual casa
acata de soffier urna grand.- rectiticaco : a
Hilar no pateo da Paz n. 1)6.
Precisa se de urna
a* aa ru Nova n. 39, 2
Precisa se
omprar
boa cosinheira
andar.
a Ira-
de urna ama paia co.-inliar e
na ra Direita n. 64, 2- andar.
italiana OUon, incendiada no alto mar
Terea-feira. i 1 do corrente
A's II horas
Na guarda-moria da Alfandega
T. Bozzo, capito da barca italiana OUon, in-
cendiada no alto mar, na sua ultima viagem pan
Buenos-Ayres, far leilo, por interveogo agente Pinto, com autorisac e em presenga lo
Sr. cnsul da Italia, com licenca do Sr. Dr. b
Imperatriz u 61, loja.
rece se urna senhora deidade para casa
de hornera solteiro ou viuvo, e onde ella asslsle
I he daro raformaco de sua conducta ; na ra
^Kingcahoca de Bemca, i ra Real da
21, preeisa-se de um criado para o ser-
la mesma, de iaade de '6 para 18 annos.
Ao clero
O culto calholico cora solemnidade sem minis-
tros sagrados, pele hispo l'Angra, 1 vol. SiOOO.
i'om este livro ficam habilitados os reverendos
vigarios e curas capel lies a celebrarein em suas
igrejas, por mui pobres que sajara, as principaes
festividades se nao com pompa, cora simplicida-
de atlrahente. Vendem Ramiro M. Costa &C,
na livraria ConUmporanea, ra de Margo nu-
mero 2o
Auxilios lavoura
Pereia Carneiro & C. continuara, autorisados
pelo Banco do Brasil, couceder emprestnos
lavoura das provincias de AlagOuS. Parahyba
eRio Grande do Norte, mediante as condigOVs
de que os interes-ados sero informados 110 es-
criptorio ra do Commercij n. 6, das 11 horas
da raauli s 2 oa tarde.
Ao commercio
Anast|cio da SiUa Lorcha o Hara Rosa Pinto
Gcngalves pailicipam ao commercio e a quem
interessar possa, que nesta dala aissolveram
amigavelmeute a sociedade que tinham no esta
belecimenton. 4, ra Baranda Victoria, soba
razao social Viuva Gongalvcs & Lorega, (cando
o activo e passivo respectivo a cargo e sob res-
ponsabilidade nica do socio: Anastacio da Silva
Lorega, retirndose a socia D. Maria Rosa Pin-
to Gongalves paga e satisfeita de seu capital e
lucros at a prsenle data
Recife, 3 de Setembro de 1889.
aria Rosa Pinto Gongalves
Anastacio da Silva Lorega.
DE
J AGU ARIBE
a 4$> a barrica
com abate de. 100r em porgoes maiores
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
AVISO
0 Sr. Benjamn Juaseiro deixou de ser nosso
empregado de.-de o dia 7 do corrente.
Recife, 9 de Setembro de 1889.
Domingos los Ferreira.
O grande e importante estabelecimenlo t
Pogas Mendes 4 C, sito ra estreita do Ros'
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de ree efe*
urna grande reinessa do acreditado e e^pec!al
Vinho Maduro
0 nico que, sem a mnima confecgo, u-
porlado nesie mercado, e so se vende no referi-
do estabeieciraento. Este precioso nctar se
loma cada vez ma3 procurado aqu. Caere
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, senda-
como e, feito nicamente da uva madura, fe
as seguintes vaniagens que as outras qualidae
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertar-
bago as digestes do estomago, anda rnesme
o mais enfraquecido, dando-llie vigor, pois nutre
aolhos \istos as pessoas debilitadas, ed forjas
s que as liver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos lambem
Reqiicijao
em latas, de procedencia de engenhos, cajos*
propri'tartos raprichanveni bem trab; Ihar neste
artigo, aflm de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composico duvidosa.
Em outros ailigos como sementes de hortahe*
e flores, linguas scras do R10 Grande, objecoi di-
rime e tamuncos do orlo para horneas e senbo-
ras, para isto lo pouco temos competidor,
nossa casa eipeciasia, e as pessoas que diste
se queiram certificar poden comparecer, coie
o que muito nos honraro. Aps una infioi-
daile de artlgos de primeira ordem. que acbam-
se em exposigo, acresce a amenidade do trate
com que timbramos tratar todos os que ao
honrara com a sua presenga, junto a modicidad*
de pregos sem rival.
Ba ealreita do Ilonnrio ti. 9. janl*
s% Igreja
Poijas Mendes&C.
Cal de Lisboa
a
/*v
Vendem Lopes & Araujo>
Ra do Livramento
n. 38.
B
negocio
Vndese urna padaria com todos o seaa-
pertences, propria para principiante, eat
Oiinda : tratar na rua 27 de Janeiro b,
31.
Gneros italianos
Vermonth de Torino.
Fernet Branca (venladeiro).
Manleiga (em latas).
Azeim doce, 1." qualidade.
Mora della de Bolouha.
Anisette (licor).
Qjeijos, parmejano e reggiano, ele, etc.
Rua do Bom Jess n. 61
AVISO
O abaixo assignado, proprietario da fabrica a
vapor, de leos vegetis, sita rua da Aurora n.
163, avisa aos seus amigos e freguezes, que for
gado pelo enorme acnssiiiio de prego e escassez
da materia prima para o fabrico do oleo para
lampannas. tem resolvido de hora em diante,
at segundo aviso, retirar o descont que oflt re
ceu ao respeitavel publico, pelos cartazes dis-
tribuidos no mez de Agosto do commlc anno.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
Jos Gomes de Amorim.
Sabo rnsso
Especialidade para nevralgias, erisipelas
dartros, pannos, contusOes. impigens c rauitas
outras applicagOes, conforme o prospecto. Unicr.
deposito Pedro Antunes & C rua Duque de Ca-
xias n. 63. ___________^_
Libras sterlinas
Vende-se libras sterlinas ; na rua do Com-
mercio, armazem n. 5.
AOS Sr, rKOraiBTAXIlM de CAV HOl
UNGENTO STEVENS
O nico subslltuindo a cauterlsaco dos cavallo?
pelo fogo. Est maravilloso pre arailo o nico
emeiilo venladoiramente efficaz para curar todas
e iiuaesquer ittetjon tu Feria uTall. Ealarrsdifie 1
larjasu e Disloca^ej 1* tota 1 EiUrua. *0 aou de
ptimo e continuo xito em todaa aa cor-
ridas, liara >, e no principaes estabelecl-
mt-ntos de caTalloe em Inglaterra e Europa.
Sanca aelxa Dodoa al^uma. HT mlster experi
m. uta lo para flear couveucldo do seu valor.
Verulc-se em caixa com o,e competentes imdicacte
para o seu cmi>rrqO:rm_p VracuMBte prepando por
. R. STEVE.S. ir dicc-TUrlMll
llaSUVikC
ItMUUriM -.a Peravrioua) TltM"

i
Dr. Arconrio Pereira da Silva
Juiz de direito de Villa Relia
(30. din do seu passamentu)
O professor Joo Landelino Dornellas Cmara
manda celebrar urna missa no dia 17 do corren-
te. pelas"7 horas da manh. na matriz de Sanio
Antonio, pela alma de seu prezado amigo oDr.
Arconcio ierelrn da ilv- ; e. convida
a todos os seus raigos e prenles para faerem-
Ihe a caridade de assitil-a, e oranm pi-lo re-
pouso eterno de sua alma.
f
Maria
Francisca Soartsdc
Castro
Julio Soares da Silva, Manoel Soares da Silva,
Antonio Soares da Sdva. Anna Soares Vitello,
Adelaide Rosa de Castro Soares e Pedro de Oli-
veira Vitello mandara rezar a tniesa do stimo
dia por alma ue sua finada irm e cunhada, Ma-
ra Francisca Soares de Caslro, segunda-eira
16 do corrente s 8 horas da maulla, na igreja
da Soledade. ^______
f
Bila Roiuahd don rrtwrt
Francisca esar.dos Santos e Maria Cesar dos
Santos convidara s pessoas de sua amizade para
assistirem musa que mandara rezas no dia 17
do corrente, 2." anniversario do passamento de.
sua caonhoia mi; Ifosaanaato ra-
seres, s 8 horas da aali.na i^teja do Poco
da Panella, confeasando s summamente gralas-
Ao
commercio
Manoel Gongalves Beltro e Joo Fernandes
Ferreira, assoeados sob a firma de BellrSo Fer-
reira 4 C.. declarara a quem interesar possa,
que compraram em 2 do corrente mez, livre t
desembaragado de qualquer onus, ao Sr. Fran-
cisco Jos da Silva Lapa, o seu estabelecimentc
de molhados, sito rua do lilar n. 131, qor
lyrava sob a firma de Beltro. Herdeiros & C.
Quem se julgar -no direito de qualquer reclaaaa-
go, queira faxel-a no praso de tres dias.
Recife, 13 de Setembro de 1889/
Beltro. Ferreira & C-
sniola
A viova Amelia Felicia Bezerra de Menezeis
moradora era Santo Amaro das Salinas, em orna
caaba prxima io hospital dos 'asaros, recor-
re caridade publica, e pede s almas bem for-
madas qe Ihe deem urna csmola pelo amor de
1 eus, alim de matiter se e a cinco lilhinhoe que-
Ihe tic'.ra do seu consorcio.
A sua penuria extrema, dias ha em que nao
tem o que comer. Soccorram-na pelo amor de
Oeus I_________________'_____________
Hotel doMastro
Estabeieciraento montado com todo assek) a
commodos para os viajantes, como seja: b
dormida, bom tratamenlo, e cocheira para o
ani:naes que o freguez le\ar, existente na Russi-
nha junto es'ago, para o qual chamamos *
attenca-) do publico.
Alugam-se as seguintes
casas
Rua do Rangel n. 73, 2- andar, com boa*
commodos, muito fresco e perto do mercado;
rua do Fogo n. SO. com duas salas muito boas. 3
quartos e cosinha fra ; rua da Roda n. 46, loja,
propria para pequea familia : a tratar na np
do Cabug n. 16 -A Venturosa
Administragio : PARIZ. S, Bo'JkvtrdMontmartre.
GRANDE-GRILLE. Affi-ec lymph .ti as, na-l
j< -l:is r listiva.,0hslnic-o. a,l !'/,!.> dol>an>, I
ibstracf ii: s :h ene. ConcrC'.'.V' c l-i.lo.. Ai bib-.l
|H0PITAL. Airv rivsdas'iasdestirac,Im-nmino-j
.los ili> csloinago Digeslao Jlicil, In patnei, |
G.is:r.i!g::l9. i)_v j .'|) I CELE3TINS. AITc" i lio rins. il.i : i, Areias, I
Con. nr.v 1,-14 : ur.nis.Co.a, !> IlliuWia,
IHATER VS. AITiM^csJoirin
Concreced.is oieiu. &,(..ln Diabe'c:, Alimmioaiia.
E7JJA-SS 3 IffiE t FCNTE B3 CA^SU
! V tiiy,
CUUI
' :-::-AU'J LABILLE.]
AZULEJOS
Para frentes de casas, cor-
redores, banhei ros, cozinhasr
agougues, etc.
De valor de 100#000om-
lheiro a 54$000.
Hua do Bafan da Victoria a. 41
Cha preto superior
Ome'iiof que ha no recada
2SOOO a libra
Carlos Sinden esta vendendo por esle prec
para liquidago de facturas.
Tem tarnbem um grande
sorfimento de camisas, colla-
rinhos, gravatas, meis, ca-
misas e seroulas de la e de
aJgodao, que vendem-se por
precos sem competencia.
Rua do Baro da Vic-
toria
x;
\ >-



i
i.
i.
f
i
{


l

Diario de Pemambuet>--Domig,o 15 de Setembro de 1889
ENCADERMCAO MIRANDA
39-RUA BUQUE BE CAXIAS-39
Este utigo estabelecimcnto, 'hoje completamente reformado com machinas
jrus aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condiccea de executar qualquer
:1rabalho em
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaei, despachos, cartSes de
mdicacoes, raappas, precos correntes, accoes, bilhetes de- lotera e rotul >s de todas
jm. cualidades em preto, ouro ou cores.
wmmm
Brocharas, cartonados, encadernacoes, livros em branco para o commercio e
repartieses, tendo para este fm urna excelleute machina de pautar.
6AST0ES BE VISITAS
Variado sortimento em cartBes para visitas, participacSes e convites de casa-
jneato, bailes, raenus, felicitacoes, etc., etc.
Livros de recibos de aluguel de casa, papel de impressao, tintas, vernizes o
ais artigos para tvpograaphia e liihographia.
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
UANPATBnSONSC.
44-414 BARAO DO TR1HPH0~44
Vfachinas a vapor.
Moendas.
Rodas d agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas
Arados.
sem cravagac
w"
^..1.-....-. *- ,-,..,.- -...
Si nao ha Repugnancia
l'ABA TOWA O
O ce POTASSiO
l
3 des
COM AS
Fastilhas .. POf&SON con. Ohocoxata
E*ti i PCrtlllias, de saber agraucc, estilo rigorosamente ttoeack*.
Ces ?;.. ds Sil (una wiorts)
L'KPQgITO l--' 'Al. : pC.Sl.ON, PHAKMACirjT'OO
SU, A. petme '/e Ci'Ui-berttlv, XG, c/.i A.tNIKl}JEtt. tr.3 % 'aria,
"C"na.esi X-* tiarrr.aciEuj.

'^a
SAUDE PARA TODOS.
PILULAS HOLLOWAY
Ati Pilulas purlflcao o Sanue, corrlgem todas as desordems de Estomago a
dos Intestinos.
Fortaleccm a saude das constituyes delicadas, e sao d'um valor incrivel para todas as enfermidades
peculiares ao sexo ferainino era todas as edades. Para os meninos assim como tambem para as
pessoas de idade avancada a sua efiieacia e incontestaveL
Essas medicinas Io pr-pararias smente no Estabdccimento do Profesor Hollowav,
78, HEW OXFOSfl STREET (antes 68, Oxford Street), LOHDBE0,
E vendemse em todas as pliarmaclas do universo.
47 Os compradores sf convidr.dos respeitosamente a examinar ot rtulos de cada ca xa e Pote se nao t& 2 I
direcsao, 533, Oxford Street, alo tlsicagoes.
w^mm^Bmm
EmoioLom
20Ra 1. deMai-Qo20
Etamine lisa a 500 rs. o covado.
Senda faespanhola, todas as cores a 2(5000.
Cachemiras lisas, dtias larguras, a lfJOOO
o ovado.
Cachemira de listras, ;duas larguras, a
ti 1(5000 o dito.
Tieta de la bordada a 1,5000 nm.
CxabraJa Victoria a 2J800 a pega.
>Cambraia com salpicos a 30800 a peca.
Cacas com lencos, para presentes, a
3(f000.
Liru de seda a 2<3O00 e 25500.
iFlaneTlas de cores para camisas a 230 rs.
evado.
Coletas de cores a 2000 e 2500 urna.
Xarpartilho c uraca a 45000 e 5)5000 um.
Camisas brancas a 2(5000 nma.
Jfadapolo americano a 6000.
Toalhas para banho a l.XXJ urna.
Camisas de flanella a 3.5500, 4<5 e 5000.
Cxtrato Bita Sangal a 26000 um.
Dito Port-Veine a 1500 um.
Velbutina preta a 700 rs. o covado.'
Alpaca, branca a 400 rs. o dito.
IXta preta a 300, 500 e 700 rs. o dito.
Panno da Costa para m-za.
Ateabado bordado a 1)5000 o metro.
Gasea arrendada a 400 e 440 rs. o covado.
Iidices de bramante a 158' 0 e 2)5000 um.
Cobertores es euros d-, la a 15700 um.
Toalhas para rosto a 355' 0 a duzia.
Cartea de seda para collete a 55000 um.
Cartea de fustao para colleta a 25500 um.
Bapt'sta de cores a lQ.xa. o covado.
Marinos de cores a 440 rs., duas-larguras.
todas
as cores a
200
rs. o
Sargelins,
covado.
Lencos brancos a 15200 e 15800 a duzi&.
Ditos de seda com a Torre Eiffel.
Tapetes grandes a 135000 um.
Guarnicao de crochet a 75000 urna.
Merino preto a 800, 15000 15200, 15400
15800 o covado.
Lcques transparentes a 25500 um.
Cortinado bordado a 65500 o par.
Fustao de cor para roupa, a 800 rs. o
covado.
Bicos brancos e de cores a 15800 e 25500
Colchas de fustao a 45000 urna.
Cretones a Derby Club a 240 e 280 rs.
o covado.
FustSo branco a 360 e 000 Ts. o dito.
Grrinalda para noiva a 75000 urna.
Collarinhos e punios de celluloid.
Setins, todas as cores a 800 rs. o covado.
Las amazonas a 400 rs o covado.
Palitots de seda palha a 85000 um.
Palitots de alpaca preta a 45500 um.
Palitots de toile p9rdo a 45500 um.
Palitots de-alpaca de cor a 45500.
Ceroulas de bramante a 155000 a duzia.
Pegas de esguiao de algodo a 355(jO.
Guardanapos de linho a 25200 a duzia.
Chambres para homem a 55000 665000
Meias fio da Escocia a 15500 o par.
Brim pardo a28i\32Q,40<>e500 rs.o cov.
Cachemira de quadro a 280 rs. o dito.
Bramante de.; linho e de algodSo
Para banhos salg-ados
Costumes para meninos a 55000.
Boleas de palha para o mesmo nm.
Ceteme paralen hora a 105000.
DU* patA horneas 85000.
ESPECIALIDADES
aarap para senhora 105000. IGuarda-p para homens 65000.H
JLeaa^cortes de casemira para calcas. | Lindos cortes de casemira paia costumes
Extratos, meias, entre-meios bordados, baleias, aspas, sabonetes/collarinhos,
oa, regatas, principe de Galles, cretones para cobertas'e outros muitos artigos.
D-se amostras sem penhor e manda-se levar quaesquer amostras em casa
Exmas. familias.
CASA BE CONFIANZA
BE
AMARAL & C.
CAPSULAS
Wathey-^ayl
Preparadas pelo DOTJTOR CLIN Premio Montyon
------------
As Capsulas T'athey-Caylus com Envolucra deigadn te GLa'.e.i nao f.igao nunca
I estomago e sao recommendadas pelos PrnftnanrtiB daa Fuculdades u. Medecina e
| a Mdicos dos Hospftaaa de Paris., Londres e New-York, para a cura rpida dos : t
Gorrlmentcs amigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrhagia, a Cystita '
du Collo, o Catarrno e as Molestia a Bexigas e dos orgoi geniio urinaria.
24 Um jtfly/'oafSo detajjiada acompanha ztda Frasee-
[Exigi* 4 Verdaderas Capsulas Mathey-Caylus de CLIN f Cia, de PARS,
que te acho em cata dos Droguistas e Pharmaeeutieos- ^
INJECTION GADET
Cura certa em 3 das sem outro medicamento'
PAitEH 7, Boulerard JDenain, 7 BABMH
Depsitos em todas as pi>ncipaes Pharmacia e Drogaras
* inirfii-niiirfc-*-iiiire-i't
* '-JCBNCIADOS PKLA INSPECTORA GERAL DK HYGIENB tlO IMPERIO DO BRAZ_
Aperientas, Estcmcchlco*, Purgativos, Depurativo*
_ contra a l*alta do appetlte, a Obatrncco, a Eaiaou. ca, as VertlgeiuS
as ConfceatScs. ole. Dose ordinaria : 4, i 3 graos.
S Desconliai as falsilcagiVs h.xiglr o rotulo mnto Imprimido em francez
-? cada ur.c^"tmASi^ue. 0 Sclli da iiit dos Fatricantes..
J*m ASi:, Fnanaacli LSEOT. Btpo*.....laiuu [..'llcLiaei Kanato
FNDICAODB 8N0 8E.BR0NZ1
DE
LUIZ U CRUZ MESQUIT
66ra do Baro do Triumphoff 6
Teixi para vender o segmnte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systeraa com esquenta garapa
Serpenliaas de cobre e de estadio.
Carapneas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torne! ras de bronse e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Reparlideiras. passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado
Cobre em lengol e arruelas.
Kola ing!cza e do Rio.
(Maho" "-teute e de lapis.
Sinos de i :.braat 110 arrobas.
E muitos outros objectes
EKCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de encommenda, garai
indo presteza, perfeicio e presos m.idicos, para o que tem pessoal habilitado.
''\DE a praso ou dinheiro com descont.
Aluga-
se
Por preco baixo o 1* e 3o endares do sobrado
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
raodos; a tratar a ra Larga do Rosario n. 34.
botica.
A luga-
se
as casas Ot. 37 e39 da rna General Seara, anti
f:a do Jasmim, com bons commodos para fami-
ia ; a tratir na mesma ra n. 31, taverna.
Aluga-se
a loja do predio ra Mrquez do Herval, tra-
vessa do Pocinho n. 3't, propria para estabeleci-
mento comnaerctat por ser de esquina; a tratar
no largado Corpo.Santo n. 4,1- anda.
JAluga-se
o 2- andar da ra do Raogel n 60, com agua e
gaz, e a casa terrea ra Visconde de Goyanna
n. 63 ; a tratar na ra do Bom Jess n. 57.
Aluguel barato
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itanaricc n. 43, annazem.
Largo do Mercado loja n. 11.
Betco do Compeli a. 1, Io andar.
Viprone de Goyanna n. 167, com af,-ua c gaz.
Loja ilo sobrado do becco do Calabouco n. 4.
A tratar ra do Cnmraercio n. 5, 1- anda
escriptorio de Silva Guimares & C.
Precisa-se de urna ama para cozinhar ra de
Pedro Affonso n. 70.
Ama
Preci?a-se de urna ama para servico domesti-
co, prefere-se a une nao sais ra, a tratar na
ra do Baro da Victoria n. 54.
Ama
Precisa-se de urna ama que saioa cosinhar e
que durma era casa ; na ra duS. Jorge n. 127,
pagase bcm.
Ama
?Precisa fe de urna ama qnc cosohc bem
tratar no largo das Cinco Ponas n. 128.
NOVIDADE
No Bazar de movis ra do Baro da
Victoria n. 49, acham-se em exposicao
lindos objectos de phantasia fabricados em
Vienna d'Austria os quaes sao baratos,
visto serem vendidos por conta de seu fa-
bricante.
SILVA FERNANDES & C.
Tcito
Vida de Agrcola
Estando a esgotar-se a edicao desta traducao,
resol ra o edtetor vender o pequeoo numero de
exemplares que anda restam. ao prego de i :
naencadernacao Popular, pateo do Paraizo n.
29. e na serrara franceza. ra do Crespo n. 9.
Ama
Precisa-9c de urna ama perfeita engommadei
ra e tambem de urna boa cosinheira ; a tratar na
ra Marquen de Olinda n. 41, urmazem
A o commercio
declara que o Sr.
stadata deixou de
Recife, 12 de Setembro de
Dios
)go Augusto dos Res
Alfredo Guede9 Alcoforado, nestadata deixou de
ser seu empregado.
'889.
Cosinheiro
Preclsa-se de um cosinheiro ; a tratar na ra
de Paysand n. 19 (Passagem da Magdalena).
Vinho Collares
genuino
Sm ancortas
Genero superior, remettido para consumo
particular, por preco sem competencia. Vnde-
se no trapiche da Companhia, largo do Corpo
Santo n. 19j_____
Licor depurativo vegetal ioaddo
do medico Quintella
Este notabilissimo depurante que vem
precedido de to grande fama infallivel na
cura de todas as doencas syphiliticas, es-
crofulosas, rheumaticas e de pelle, como
tumores, ulceras, dores rheumaticas, ob-
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu-
das e chronicas, cancros syphiliticos, in-
flamacoes viceraes, d'olhos, ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., e em todas as
molestias de pe!le, s mples on diathericas,
assim como na alopecia ou queda do ca-
bello, e as doencas determinadas por sa-
turacao mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se encon-
trara numerosas experiencias feitas com
este especifico nos hospitaes pblicos e
muitos attestados de mdicos c documen
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FARIA SOBRINHO C. -
Ra Mrquez de Olinda n. 41
Repblica
Aloga.se br.rato a casa n.9 ra do Hospital
Pedro 2.", no lagartos Coelhos, caiada e pinta
da de novo, com muitos cumniolos emuito fres-
ca, vista magnifica e banhos salgados na porta ;
a tratar no mismo lugar com Joaquim Morei a
Reis.
PEIT0RAL de CERE JA
Do Dr. Ayer.
A> enfermidades mal dolorosas da rgaata
e dos pulraSes, ordinariamente desenvolveni-se,
tendo porprinrlplo bases pequeas, cajos resulta-
dos nao sao ditncis de curar se promptamente se
trato com o remedio conveniente. Os Resfri-
ados e as Toases dito reciprocamente o resultado
de Larinsrltla, Aathma, Jironchitls, Affec-
cao Pulmonar e a Tsica.
Todas as familias que tem criancas devem ter o
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
om casa para o usar em caw) de necesidade
A perda de um s da, pode em muitos casos
uccarrotar aerial consequcnclas. Por tauto uo
ee deve perder tempo precioso, experimentando
remedin de emeacia duvidosa, emquanto que
a enfermidade se apodera do systema ese arraiga
profundamente, entfio que se necessita tomar
nesse instante, o remedio rnain certo e activo em
seu effeito, e ele remedio sem duvlda alguma
oPkitobal de Ceueja do Dr. Ayer.
p&efarado pelo
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-Unldos.
DEPOSITO GERAL
cjo-fiCS-00 01f"3W4
E
ilidades
Mudou-se
ira infili'ja de Domin^o Jos Peneira &
C. para o [indio n. o a .aa Barao da.
Victoria
fipecia
DA LOJA DA EA DA IMPERATBiZ N. 80
Ricos e8pelhos dourados oves para salas
a 50;$. 00.
Bonitos candieiros americanos para salSo
a 40(5000.
Ditos menores a 15|$000.
Ricos cortinados de crochet, grandes, para
camas a 300000.
Cortinados de cores, phantasia, para ja-
nella, metro a 108OO.
Ricas bandejas esmaltadas de madreperola,
terno 18)5000.
Lindas cambraias arrendadas, finas, para
vestidos.
Candieiros de p, inexplosivos, de Berlim.
Especial oleo hjgh-lffe para o cabello,
frasco 1(5000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dous
pospontos a 12)5000.
Sapatos para casa, especiaes para doente
a500rs.
Flores artificiaes.
GralSes pretos com vidrilhos, precos sem
competencia.
Las de quadros, covado 160 rs.
Etamines de la, duas largaras, covado
1^500.
Grande sortimento de perfumaras, miu-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL &C
PARA O CABELLO.
Augmenta, Afcnncsea
E FAZ CBESCEP- O CABELLO
com assonibrosa rapidez.
Professora de ^iano
Urna senhora perfcitamenle habilitada e coro
pratica de ensino. offerece s Exmas. familias
os seus servicos como pianista : pode ser pro-
curada roa do Queimado n. 74.___________
Gaotellas do ooie de 8oCdrr<
Compra-se (aniellas do Monte de Soccorro o^
qnalqoer joia, brilhantes e relogios; paga-
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d>
relojoBiio__________________
ttengo
O abaixo assignado pede a toda c qualquer
pessoa nesta praca ou fra della que se julgar
seu credor, que no praso de cinco dias queiram
apresenlar seus ttulos ou contas acompanhadas
com os seus pedidos ou valles para serem con-
feridas e pagas, na Ir .ves.-a do Veras n. 5.
Recife, 13 de Saembro de 1889.
Jacintb j Botelbo de Amorim.
Elctricas escovas
Nao ettragara o esmalte dos dentes nem offen-
dem as gengivas, pelo seu especial formato; re-
commendam Pedro Antunes & C, ra Duque de
Caxiasn. 63.
UROPE^CARACES1
DE MURE
Ht !>, 4* cirwmntA annat < j
mi prttho i mtitin*. Jtmali -
oontni rtmedio mi* iflcM fl o
cirtoil contrt u irriUlttt do polt.
f axana, < it|eiuu.
Este Xarope, de sabor es- |
cellente. de nma poderosa
emeaela contra as Irritar6es
da Garganta e do Pelto,
FluxOee, Toet* rebelde,
\ Catarrho Agnd on Chr*-
mlem
W MU. PMt-Sait-Eiht (IriH)
A. OaiasK, Gaoro Saeouor
Dtpoiltos em Udii as prlnotiet
Pharmaolu.
tPtrmmbuco.FRAS-H.da SIUA*C*
Amas
Precisa se de urna ama para cosinhar e de ou-
tra para servico domestico, e urna pequea para
andar com meninos; na ra l- de Marco n. 2.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de \
pequea familia ; a tratar na praca de Conde
d'Eu n. 32, segundo andar.
CURA CERTA
d U>4a ts AlTeccooa paln, ja res
Todos aquel ies que sofero
[jeito, deven experimentar
FRAMQIBOO
,LV CK

INSTANTNEA
(SABCA REGISTRADA)
Tinta de copiar sem prensa
52Ra do Amorim52
BSNATY RODRIGUES & G.a
Esta maravilhosa tinta de copiar a MAIS
TIL descL berta americana, imprencindlvel
a todas as peamoaM que eicrevem e
tfue-, sem uso da classica e tradicional prensa
de copiar, deRcJam guardar copla n-
tida, iualtaravel de seus tralinIlion
manuMcriptoM.
A NSTAXTAXEA 6 o mais prompto auxi-
liar material para a Correspondencia Com-
mercial ou particular, porque simplificando o
trabalho, diminue-lhe tempo: o escripturario nao
necessita sahir da sua carteira ou mesa para le-
var o manu;cripto prensa de copiar, retiral-o
da mesma, voltar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da ixSTAmTA-
XEA para a sua escripturacao do Diario, Caixa,
Contas Correntes, Facturas, Contas de Vendas,
Precos Correntes, etc., podem obter duplicata
autnentica. d'esses livros em papel de seda.
A i>sn\n\K depois de dar copia
conserva se inalteral, preta fixa nao so no origi-
nal como na copia.
A ixstaxtaxea nao oxida absolutamen-
te as peonas, assim como nao demanda penna
especial para com ella escrever s.
Com urna esponja, ou pincel embebido n'agua, hu-
medece se igeirainente o papel de seda proprio
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor-
ro, colloca-se o uianuscripto em baixo do papel
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se a
mo rpidamente em todas as direeges. e a co-
pia admiravel; ntida, INSTANTNEA.
Tambem d copia, coirecta, sem molhar o popel
de seda
Presos de venda a dinheiro
Um frasco.................... 1500
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 ris, meias ditas,
a 500 ris.
Caixeiro
Precisase de um menino com pratica de ta-
verna ; a tratar na ra de Santa Thereza nu-
mera UO.
Traiamento radical em 6 dias
DAS
BLENOURHAGIAS AGUDAS
ou
CHRONICAS
(VULGO PURGAglO)
DO MOlll H OU DA IILXJIER
E da leucorrha ou flores brancas
Pilnlas ReslRO-llalsaoiicas
Injeccao An(-Bienorrha^ca
PREPARADOS POR CALASANS & C.
PRODUCTOS APPEOVADOS PELA
INSPECTORA GERA DE HYGIEKE
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bom xito
durante dez annos, assignala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre ot
medicamentos estudados e preconisados
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas sao -supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao im-
pedem nem difficultam as func^Ses deste
orgo.
A injec9ao anti-blenon-hagica nao ab-
solutamente irritante e por isso nao tem
inconveniente das, actualmente empregada
e 5o produz estreitameatos. ,
Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebido para nao offender aos nosso
clientes, muitos dos quaes s3o pessoas mui-
to conliecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular e excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo cheiro
das regras.
Preparados por Calasans & C, Phar-
macia Imperial, Baha.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda n. 23.
MEDALHA I>E OURO
DA ACADEMIA NACIONAL
VINHO
DO DOUTOIi
VIVlEN
com EXTRACTO de
Mais efflcaz anda do que 6 oteo escuro. De sabor
muito agradavel. Sem delxarpercebero menor mc gosto.
receitao por todos os' mdicos prja o
Rachitismo. Escrophulas. Anemia, Tistoa,
Catarrho Pulmonar. Constipages,Cbloros,
Molestias do Paito, etc.
Em todtu as PhaJ'maci'a
PARS, Boulevard de Strasbourg, 50
PAR miaiataate.
) ^^_
doseja cori
todos <
do.es pectlaig
i do l
i couio on sfflras de
mgal i aiOt.
scro
-

I
I


Diario de PeniambucoDominaro
MM

i

-1

VENDAS
Vende se uo caes do Ramos n. 4, urna es-
cllente machina vapor de 30 cavallos, urnas
bomba.-' hydraulicas de grande forca, um ferra-
te., trilhcs e carros Decauvitle, apropriadof
para transporte de canna, bombas dagua mao
e i vapor. ________________
Vende se dou Rio Grande do >l.u
muito bons vigas para chcara para ver, no
sitio da estrada de Juao fe Barros, defronfe du
sitio da Cscala, e a iiafair com o Sr. l'inho Bor
ees, armazem n. 39. i ra do Imperador.
atawM
S*1* OLBIIY
Vtrae-js em teda i mrt
A Loja das Listras Azues
Est vendendo fazendas muito laratas
Com descont
a quem comprar do 200000 para cima.
E VENDE PELOS SEGUINTES PRESOS :
MadapolSo lavado com um metro
de largura a 60800 a peca,
Morim das Lustras Azues com
20 varas, a 6)5000, a peca.
Chitas percales finas, cores seguras a
180 e 200 rs.
Cassas de urna e cor a 100 e 120 rs.
,'om palminhas.
Lanzinhas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de linhos com 16 1/2 co-
vados, tecido phanasia, a 45000
Bordados finos com 3 metros a
500 rs.
Blcos brancos a 00 rs., a peca
com 9 metros.
Sargelini diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 ra.
Crinolina de cores para vestidos a
360 rs. o metro.
.uvas de seda, lisas e bordadas a 1$.
"" Leoucs transparentes lindas cores, a
20000.
Grinaldas com veos para noiva a
70000.
Sed!ni de Maco branco, e de todaB
as cores a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 60000.
Fiehlis phantasia a 800 rs.
Lencos de seda a 500 rs.
E militas fazendas que se vende por
qualquer prego.
Troca-se a fazenda vendida se nao fr
de muito agrado para quem fr comprada.
RA DUQUE DE CAXJAS N. 61
Surpma agradav$I
UM RE RATO.
Que se offerece a um amigo no dia do
seu anniversario
De 2S&000 at 1008000
Obtem-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina doura
da
cordoes de 13 c
Estados-Unidos
em alto relevo, c com
seda ; trabalho feito nos
da America
POR FRB. FMTT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartio de visita, nao im-
porta quG seja antigo, basta dizer a cor
dos olbos e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Ksto esposaos ao publico na
AGENCIA GERAL
Loja das Listras Azues
RCA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Para as Exmas familias verem o quanto
a8o lindos, c muito fcil fazer encommenda.
ailALQUBR KNGOMMENDA
Por maior que seja se aprompta em me
uos de 90 dias, e restitne se a importan-
cia re.ebida, se nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral nesta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
PERV.tHBLCO
Camisas de cretone, cousa boa e barata.
GrauJenovidade
4S -Ra Duque de Casias4S
Tendo recebido um grande e variado
sortimento de fazendas resolveu vender
por menos 30 /0 do que em outra qual
quer parte, como seja :
MadapolSo americano com 1 metro de lar-
gura a 60000 a peca.
Algodaozinho muito largo a 40 a 50000 a
peca.
bitas crotones, modernas, a 200, 240,
280 e 320 o covado,
Zephir de quadros, padrSes modernos, a
120, 150 e 203 rs. o covado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 rs.
o covado.
Atoalhado com flores 10QOO o metro.
Brim pardo trancado para roupa de ho-
rnera a 500 rs. metro.
Dito de cor e fustao a 500 e 600 rs. o co-
vado.
Dito de linho para calca de 40000 a vara
por 20500.
Casimira preta e de cor para costumes a
10200 e 20000 o covado.
Cortes de fustao para colletc a 500 rs.
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
um.
Camisas brancas; para homem a 20000
urna.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
200 urna.
Colchas adamascadas de 20000, 30000,
40000 e 50000 urna.
Cobertas forradas para casal a 20500 e
20800 urna.
Lencol de bramante com urna largura a
10800 urna.
Cortinados bordados para cama a 60000 o
par.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 ra.
um.
Cobertores brancos de 15 com pequeos
defeito a 20000 um.
Cortes bordados para vestidos, ultima mo-
da, a 80OOO,'k90OOO, 100 c 120000 um.
Lindas las com l.stras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
vado.
Lindos fichs de retroz, prateadp e dou-
rados a 10000, 10500 e 20000 um.
Luvas de seda, tedas as cores, para senho-
ra a 10000, 10500 e 20000 o par. '
Casacos de Jersey para senhora, borda-
dos, o 60000 um.
Costumes de Jersey para criancas de, 4 a
5 annos a 70000 um.
Cchenez para homem e senhora a 10500
n 20000 um.
Bicos brancos e de cores a 10800 e 2,5000
a pega.
Saias bordadas para senhora a 30000 urna.
Renda hespanhola com um metro de lar-
gura a 20000 o covado.
Bordados e entre-meios a 500, 600, 700 e
800 rs. a pega.
Griualdas com veo de seda a 80000 urna.
Collarinhos e punhos de borracha, a 10800
o par. .
Lencos de linho, especialdade, a 20000,
30000 e 40000 a duzia.
Ditos de seda com a exposicSo de Paris a
500 rs. um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 rs. um.
Lindas mantas e gravatas de todas as qua-
lidades de 500 a 20000.
Espartilhos de couragas a 40000, 50000 e
60000 um.
Collarinhos e punhos de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de salpicos a 40000 a pesa.
E muito outros artigos que s com a
vista, assim como roupa por medida em
sua officina, para istotem peritos offciaes.
80 na Revoluto
A ma Duque de Caxias o. I
HENRIQUE DA SILVA MUREIRA
PECHMHIS!!!
FOLPSTIM
POR

H3L..S \i\H\
SEGUNDA PARTE
L Hit 22 USC JZS
(Continuagao don. 208)
Devo abandonar
ca, minha senhora, e
qualquer esperan-
j que nao ignora
59Ra Duque de Callas
Cassinetas de cores para roupas d meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de crea idem
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 e
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 o 240 rs. o dito.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 10000 o 10200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
e 10000 o dito.
dem de puro linho a 10600 o dito.
Riquissimas guaraigSes de crochets a 60 e
81000
Toalhas para maos a 10200, 30600 e
40000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 20500 e
30000 a dita.
Camisas superiores idem a 240 e 800000
Seroulas" bordadas a 120000 e 180000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
e 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 40000.
Superiores algodoes da corte a 30000 e
30500.
MadapolSo americano a 60000, com 24
jardas.
Flanella a cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
10200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 10400
10800/fe 20000 o dito.
Para as Exmas. noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 80000 e
140000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 80000
e 60000.
Bonitos cortinados bordados a 50500,
70000 e 80000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. o
dito.
Lengos de seda e de linho para 20800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 10800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 20500 e 20800 urna.
Colchas de cores a 20000 e 30000.
Tapetes para portas a 30500 e 50000-
Pannos ara mesas, de cores modernas a,
10000 10200 e 10600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labvrintho de 300 a
350.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemifas pretas e de cores de todos os
pregos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 40000 urna, e
urna infinidade de artigos que serao lem-
brados na preBenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHlES
Para os festhaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria e commodidado em
pregos: bolo, pao de-It, cangica, arroz de
eite, pirmides de doces d'ovos, vatap.
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recebem-sc as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Setembro tle JS89
55
A LOJA MAIS BAHATKMA
X
Pede-se ao respeitavel publico que at- p A T> T rj \: A M"? "R T P A
tenda aos pregos abaixo mencionados : li 11 A Jja XJ At X \J r
Setim da China, fazenda do phantasia,
alta novidade, a 240 rs.
Amor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 rs.
Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 100
e 120000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
MadapolSo largo a 60000.
Flanella azul, muito lisa, a 10200 o co-
vado.
Fichs de phantasia a 10000.
Luvas de seda a 20000 e 30000 o par.
Guardanapos a 10600 a duzia.
argelins de qualquer c6r a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, cousa chic e ba-
rata *
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
a peca.
Cortinados bordados a 60000.
Flanellas para camisa a 32 rs. o covado.
Setins, qualquer c6r, a 800 rs.
Renda da China a ^00 rs. o covado.
Fustdes bratcos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para baptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com collarinho, por
20000!
Grande sortimento de setins lavrados a
100''0 o covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, s*ortimento grande, a 500 e 800
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 70000 a peca.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 40000 a pega.
Babados e ntremelos a 600, 800 e 10000
a pega.
Lengos de soda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combinagao com listas de seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantil as pretas a 40500.
Cofres de ferro
Carlos Siaden tem para vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Barao da Victoria n. 48
utinhas intencoes, devo procurar a sua pre-
senga nos sa!3es em que nos encontrar-
mos 'i... Devo, ao contrario, evital-a, para
nao lhe ser desagradavsl, todas as veDa
em que houver occasiSo de vel a ? rb
Porque fugir de mim ?
Porque a minha presenga poderia
ser para a senhora, senSo insupportavel,
pelo menos incommoda.
Ella abanou com a cabega.
Nao, nada mude no seu proceder, ao
seu costurae...
E? S80 urna esperanga ?
Pelo menos nao urna recusa, disse
ella, procurando sorrir. ..
Dirigirara-s; para o salSo.
Suzana, muito triste c pensativa, fazia
tenca de pedir a gen irmSo a explicaguo
do que lhe dissera.
Apresentou se logo a occasiSo.
Depois da valsa, ella tomn o braco de
Francisco.
A moca nSo estava anda senhora de si.
O proprio Francisco pareca fugir della,
ALtfA^k DE LEMBRANCAS
Para 1890
Becebeu a l.lvinrla Contempornea
RA Io DE MARCO N. 2
evitar sua presenga e foi com certo cons-
trangimento, que elle nao pode oceultar,
que elle acolheu n moga.
Ella disse com dogura :
Estive com Dampierre.
Entao ?
= Disse-me que me amava.
Que respondeste ?
Que a ninguem amava e que lhe
permittia esperar. Era isso o que que-
ras ?
= Sim.
= Agora tenho o direito de conhecer o
motivo que dicto u tu as pal a v ras.
J t'o disse.
NSo, tu nao te explicaste bastaste.
Dcixaste-me perceber que se tratava da
tua vida e da nossa honra, de meu pai e
minha.
E' verdade.
Escuto-te, Francisco ; falla !
NSo, espera anda. NSo me ator-
mentes com perguntas. Aqu, no meio
de toda ess* gente que olha para nos, que
nos ouve, posso, por ventura, confessar-te
seraelhantes cousas ?
Deixa o Balao e vai para o teu gabi-
nete. Irei l encontrar te.
Nao podes ter um pouco de pacien
cia ?
Nilo quero.
"Mas1" se o segredo que possuo nao
ssc meu, se me nao fosse possivel fazer
que o soubesses tambem'?
Isto tudo entao horrivcl, que nao
ousas dizer-me ?...
Sim.
Pego-te, Suzana, nao insistas...
Entao vou contar tudo a nosso pae.
Nilo poso proceder como fiz, sem que elle
saiba. E' necessario que elle soja informa-
do do que respond a Dampierre.
Prevenir nos60 pae; mas obrigal-o
a interrogar-me... comprehendes, Suza-
na?
O que me recusas dizer, dir-lhes-has
a elle.
Jsso o matara...
Essa conversa tinha lugar em voz baxa.
Sitas palavras eram seccas e interrompi-
das. Umaemogao apertava-lhes o coragao,
e sem olhos, temfndo encontrar-se, olha-
Farello superior
21700 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;
Caes d'Assembla n. 24, garantindo-se 42 ki[0-
grammas cada sacco.
E' vender barato
Teijo a 4 100 a cuia
Farinha a 3 0 rs. idem
Milho novo a 320 rs. idem
Dito velho a 280 rs. idem
o nico que pode vender mais barato, no
largo do mercado n. 12, Gomes Ferreira & C.
Successores.
vara para outros pontos da sala. Eetavam
muito paludos, sobretudo Francisco.
Quanto U Suzana, urna sorte de irrita-
gao aninava seu olhar, de ordinario tao
doce e tao profundo.
Ella disse com voz breve :
Quero conhecer a verdade. Precisas
decidir-tc a dizer-m'a, seja ella dolorosa,
horrivel...
Pois bem, vem, segu-me.
Conseguiram sahir do salSo sem fazer
notar sua retirada.
Francisco subi ao seu gabinete : Suza-
na foi aps elle. Chegados ao gabinete,
elle escutou se i avia algum ruido, se nl-
guera os seguir e depois echou a porta
chave.
Quantas precaugSes exelamou a rao
ga, escondendo mal o seu temor por um
sonriso. #
Ellas nao sao demais.
Elle deixou-se cahir em urna cadeira
do bragos, poz a cabega entre as mSos,
depois :
Perda me o que vou drar-te, mi-
nha irma. porque vou amargurar tua vi-
da ; perdOa-rae tambem se yo* offen-
ier a castdade de teus ouvidoa' cora por-
menores que devias serapre ignorar, mas
que a fatalidade me obriga a rwpelar-te...
E de repente as lagrimas apparecerain
era seus olhos, e solugos convulsivos sa-
hiam-lhe do peito
Meu Dou8, o que ter acontecido ?
pergunt'.u Suzana.
Su ana levantou-se e tomou entre as
suaa urna das raSos de Francisco a qual
apertou com ternura.
Elle retirou a bruscamente.
Nao me toques.
Ella recuou, ssustada.
Elle enxugou as lagrimas e, com a voz
tao baixa, qua era apenas parceptivel,
disse :
Conheces os pormenores do processo
desse individuo chamado Thoraaz Lhoir,
preso sob a suspeita de ter assassinado
nosso amigo Gonssoln ?
Ouvi contar, senSo todos, pelos me-
nos alguna pormenores desse assassnato ;
mas que relagao pode ter esse triste ne
gocio'cm o qoe tens que dizer-me ?...
Atoalhado, lindros padrdes a 10 o metro.
Espartilhos com couraga a 40000, 50000 e
60000.
Colchas brancas' c de cores a 20, 30000,
40000, 50000 e 60000.
Grande sortimento de fichs de cores para
todo prego,
('assa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
vendo a b6a qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criangas,
grande sort.mento.
Comisas de meias a 10000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes fle fustao para colete, alta novida-
de, a 10000.
Camisas de flanella franceza a 30000 urna.
Brim de linho de cSr a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartio, cousa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
Ditos de casemira de cSr a 40000, 60000
e 80 0 .
Alm de outras muitas fazendas que
impossvel mencionar.
Dase amostras sem penhor a qualquer
pesada.
Ra Duque de Caxias &5
Fernandes Azevedo & C.
AZEVEDO, IRMaO & O.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephtme~20O
Tendo recebido directamente da Euroj.-
grande sortimento de fazendas e modas
que ha de mais novo e precos sem co
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e marin.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 1020;
("rinolinfi preta e branca s 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com K
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 105OC
Chachemiras com 2 larguras a 800 r
Ditas de l e seda 2 larguras a 10001
MadapolSo trangado a 90000 a pega.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 12 e seda 10000.
Brins de linho cotes fixes a 600.
Espartilhos couraga a 40000 e 50001
Colchas de fust2o a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de sata a 10501
Renda de 12, preta, para quaresma.
Pao verde para blhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sai
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama i
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnigSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40060.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustSo de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Superior vinlio de Al-
cobac,a
0 acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico c ao seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolbido propiamente pelo chefe desta
casa, actualmente em Portugal, tornndose re-
commendado por ser puro e de boa qaalidade.
Jo.- Fernaudes Lima & C. ra Barao da Victoria
numero 3, Telcphone323.
Ah!
Falla : prefiro a verdade, por mais
cruel que possa ser, a es^a incerteza em
que me deixas.
Thoraaz Lhoir innocente.
O que sabes a esee respeito ?
A justiga hesita muito e, apezar dos
indicios qua pesam sobre o antigo contra-
inestre de Gonssolin, o inquento ainda
nao pode estabelecer sua completa culpa-
bilidade.
E' verdade isso, mas...
Escuta. Existe um homem que se
procura, sobre o qual ha igualmente sus-
peitas graves e que parece ter representa-
do importante papel nesse assassinrto.
Um cumplice de Thomaz Lhoir?
Cumplice ou nSo, pouco importa.
Esse hornera poderia desmanchar o enre-
do, esclarecer o raysterio em cuja obscu-
ridade a justiga se debate...
=i Tu o conheces ?...
Sou eu.
Tu ? disse ella aterrorisada.
Depois, sorrio se incrdula.
Ora disse ella, porque queres ca-
goar contraigo, divertir-te a minha custa ?
Elle repetio com voz surda :
Esse homem sou eu!
Houve um instante de silencio.
Tima verraelhid2o febril substituir a
pallidez do rosto de Suzana.
Ella disse :
Estavas entSo em Bouchoux ?
Sim.
Na casa de Gonssolin ?
Sim.
Porque nSo procuras, pois, Dampier-
re, para dizer-lhe o que conheces? Pois
que esse Thomaz Lhoir innocente, por-
que nao trabaihaa para arrancal-o pri-
b2o.
N2o o posso.
Ella exelamou com violencia :
Porque ? Ebsa hesitag2o, Francisco,
como queres que a n2o tome por urna in-
famia.
Elle empallideceu ao ouvir a palavra
cruel.
__No o posso, porque salvar Thomaz
Lhoir entregar justiga o aasassino...
Que te imperta! ?
so
Pao centeio
Mello 4 Biset, avisam ao respeitavel poblict.
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
Doroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Centra!, ra
do Cabug n. 11, avisam aos seas distinctos fre-
guezes eao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recominenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iha em sea armazem.
Joaquim Christov2o & C.
Telephone 447
A FLIIMDA
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodao com sea
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao,
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 40000
a duzia.
Bordados de camb aia tapada a 400 500*
6O0e8O0r8. apega.
dem com 3 e 1|2 metros, de qual qua
argura a 10200.
Lengos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de gaze a
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par, algn
de corea.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha da
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a pega,
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car*
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos o chapelinas a
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20 i par.
Ditas de seda para creanga a 10000.
Dita para moga a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lengos de seda, gosto moderno.
Guampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitai cabega e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanga a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprio
para creanga.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 12 para homens e senhoras.
Linha dourada* par* fiaaer crochet.
Lindas fitas para tacha a 20, 30 e 40OO
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de lcques_de setim e
de papel de todas as cores."
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para tal&garga,
Finas carteu-as para algibeira de 10, 2/,
3 e 30500 ama.
Ra Duque de Caxias n. 103
Roya! Rleod marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retamo nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Hoy al Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema s2o registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Imprtame muito; o assassino, sou
eu.
Dir-se-hia que
assassino, CbicSo,
as
pernas dobra-
um sof, per-
Ella rio nervosamente,
enlouquecia.
A moga disse :
- Ah! foste tu o
foste tu o assassino ?.
E cahio inerte, com
das, os bragos seguros em
dendo os sentidos.
Francisco correu em seu soccorro,
Essa contssao a tinha como que fulmi-
nado
Ella cahira sem movimento, com as pal-
pebras seini-fechadas, os olhos tanto quan-
to se podia ver pelo pequeo intervallo
entre as palpebras, estavam vitrificados.
Pareca um cadver.
Nesse momento bateram porta.
Francisco, que se havia ajoelhado jun
to irin, levantou-se rpidamente e es-
cutou.
Bateram de novo.
Elle foi abrir.
Era seu pai.
O que fazes, disse elle entrado.
E vio a filha desfallecida.
Mea Deus, o que tem ella?
se passou ?
A conversa com Dampierre co:
vel ahia at este ponto?
Francisco fez um esforgo.
Suzana sentio-se incommodada ha
pouco, disse ello j fil a retirar-se da sala.
Na occasi&o em que entrava aqu, foi ata-
cada por sbita fraqueza e perdeu os sen-
tidos.
E' singular disse o velho, que tor-
nava-se desconfiado.
O desmao foi longS. Entura, a moga
tornou a si.
Quando reconheceu que estava no ga-
binete de seu irmSo, entre este e o gene-
ral Honris, nSo se recordou de prompto
do que succedero.
O que tenho? perguntou ella ; apal-
pando a testa, que escaldava; como foi
que fiquei doente ?
Olhou para seu pai e depois para Fran-
cisco alternadamente. Lombrava-se agora.
Sentes-te com forgas para voltar ao
salo, filhinha ?
o que
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Vende-se
Um cosmorama com 6 idros e alguns per-
tences, a tratar na roa Velna de Santa Rita n.
21.
Sim, meu pai... foi tima vertigem...
n2o vale nada.. estou melhor...
Comprehendera que seu irm2o tinha
explicado o desmao e achava de repente
energa no reccio que srfntia de deixar
adivnhar ao general o horrivel segredo
confiado por Francisco.
Entao, dando o brago a seu pai, des-
ceu.
Francisco seguia-os.
Ojiando chegaram entradaf*do salSo,
e que foi preciso misturar-se de novo com
os convidados, sob o brilho.das luzes, que
agora a cegavant, ella teve ama ultima he-
si taca o.
Sentia qne seu corag2o opprimido na
podia mais supportar o peso.
Decididamente, nao me sinto bem,
murmnrou.
Ella dava ainda o brago a seu pai.
Queres ir para o teu quarto ? disse
este.
Suzsna i a aceitar.
Um olhar de Francisco dte ve-a.
Ella disse :
Nao. Vou oxperiraentar a danga.
Isto pasear naturalmente.
E dirigndo-se a seu irmSo :
N2o Cbicao ?
Este apenas pode responder com un
gesto.
Urna contraegao apertava-lhe a garganta
e o impedia de fallar.
E, apezar da fulminante revelagSo que
a esmagava, Suzana oangou.
E nao era que devia agora dissimular ?
Seu irraao lhe dissera a vrdade. la ser
urna vida de angustias ; nao devia sal-
val-ojlo cadafalso, salvar seu pai da des-
honra ?...
Mas como ffra Francisco levado a esse
crimo infame ? Porque elle assajsinra a
Gonssolin ?
Eis o que ella perguntava e o que se
propunha perguntar a Francisco, desde
que podesse ficar livre e deixar este odio-
so sarao em que devia parecer alegrar e
em que era obrigado a sorrir. %
(Continuar-te-h)
/"l
I
i
2
-f
\i

I
Typ. do Diario raa Duque de Caxias n. U


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E58LUKOQV_0AS8IS INGEST_TIME 2014-05-28T19:08:22Z PACKAGE AA00011611_19911
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES