Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19907


This item is only available as the following downloads:


Full Text

-,,, l.-ll
ANNO LXV NUMERO
,')


T

V
PARA A CtPiTAL E LUdAREl O.YDE NAO E PASA PORTE
Por tres mezes adiantadoa............... 60000
Por seis ditos idem ................. 12(5000
Por um anno idem .... ........... 23|JO00
Cada numero avulso, do mesmo dia..... ... 0100
QBTA-TEIRA 11 DE SETEMBRO DE 1889
PARA DENTRO E FORA RA PROVINCIA
Por seis meses adiantados..............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem. ............. 260000
Cada numero avulso, de dias anteriores ......... 0100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Tropnedaxk de Manoel ftguetrva de diaria # 3%tycs
---iX- II -- ^m^mmmS^fmmm^mmmmmmSmmmmm^^^^msSm^^'^^ ^J i)J siMs*sssasaMSjpsaaMsaajpsaaaas^sHsa^^
de far # 3%fyt)5
TELEGRAMMAS
SSBVigS PABTICULAB SO SZtfZS
no
escru-
RIO DE JANEIRO, 10 de Setembro, as
3 horas e 40 minutos da tarde.
Aos Srs. major MaranhXo, Dr. Carlos
Hargreaves e Gaiantioo Jucos foi concedi-
do privilegio para construirem urna cstra-
tfae ferro do Natal ao Cear-Mirim,
Ro Grande do Norte.
Segundo o Jornal do Commercio
Foi eleito deputado geral em 1.'
tinio, pelo i 9.o districto de Minas Geraes,
o conselheiro Francisco de Paula May
rink (L).
8egundo a Gazela de Noticias:
Foi eleito em 1. escrutinio pelo 2. dis-
*reto do Para, o Dr. Felippe Josa de Li-
ma (L);
dem pelo 5. districto do Para, o
Theotonio Raymundo de Brito (L);
dem pelo 6. districto do Par, o
Geraldo de Souza Paes de Andrade
Chegou hoje S. A. o 3r. Conde d'Eu,
que foi muito bem recebido.
Seguio para o norte no paquete ame-
ricano, o Dr. Joaquim Aurelio Nabuco de
Araujo.
I eixar de receber, do mono indicado na tabella
appensa ao decreto n. 10,236 B, de 27 de Abril
do corrente anno.
< Antes, porera, de verificarse a substtuicao
do secretario, se proceder a bala neo no cofre
da reparticao, lavrando-se do resutado um ter-
mo que ser asaignado pelo 'responsavel even-
tual. O que a V. S. coramuni.-o para seu conhe-
cimento e devidos effcitos.
Dr.
Dr.
(L).
SESVIJC SA A&ENS1A SAVAS
LIVERPOOL, 8 de Setembro.
A grvc dos operarios carregadores do
porto desta cidade est completamente
terminada.
Os patroes accederam s reclamacSes
faites pelos operarios.
LONDRES, 8 de Setembro.
O general Boulanger escreveu urna carta
ao presidente do conselho de ministros da
Repblica, na qual pede para ser julgado
de novo pela Relaco (Cour d'Appel) ou
conselho de guerra.
PARS, 8 de Setembro.
O governo interdisse as condidaturas do
general Boulanger, Henri Rochefort e Con-
de Dillon, para as eleicSes legislativas.
A municipalidade de Pars recebeu hoje
urna delegado democrtica italiana e urna
delegarlo dos italianos residentes em Bue-
nos-Ayres.
Alguns discursos foram pronunciados.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
JO de Setembro de J889.
INSTRCCO POPULAR
a ::::::::::: ssazileiba
NOS
TUPOS COLOMAES
POE
miim yi%%
A I.iCH r.nlira Bruzileira do seculo
XVI ao comero do XIX
E8BOCO HI8TOKICO
(CoatinuacEo)
A invasio visigoda, que derminou a expulso
dos barbaros; trouxe novos elementos constitu-
tivos quelles idiomas, os quaes medida que
se succediam as invasO s, iam-se mesclando com
carthaginez, o pbenicio, o grego, o cltico e o
teutnico. Porultimocbegaram os rabes, novos
lementos conquistadores que trouxeram nova
vilisagao pennsula e concederain aos filhos
o paiz liberdades, direitos e franquas de que ate
enlao nao haviam gosado. eslabeleceram a liner
ade religiosa, apezar do pnmciro Concillo dos
ispos calmbeos terse reunido em Cordova, sob
a proleccao do Kalifa, exerceram por sua vez
ama grande influencia na formacao dos idiomas.
influencia naiural e uieviiavel, porque eran
s nicos que n'aquella poca possuiam urna lil
tontn.
(Contina) \
PARTE OFFICIAL
Ministerio da Marlnha
Aos cy pitaes dos portos foi expedido o seguin-
te aviso:
Nio cogitando a lei n. 338 de li de Agosto
te 184o, que <:reou as capitanas dos portos,
eni o regulamento de 19 de Maio de 1846, que
a executou, dos empreados que devem substi-
tuir os respectivos secretarios, riem raesmo o
I i, art., 5 da le n 3 397 de 24 de Novembro
Je 1888 que mandod arncadar, como renda ge-
ral do Esiado, os emolumentos qu estes func-
ionarios cobravam, lixou-lhes vencimentos. re-
solv nomear desde j. provisoriamente, auxilia
res do servico a cargo dos secretarios das cap
tenias, que nao acham se annexas aos arsenaes
das provincias.
. Os vencimentos de taes auxiliares sero ar-
bitrados no acto da nomeacao, conforme a im-
portancia dos servicos oa capitana. 0 auxiliar
que dest'arte substituir accidentalmente o secre
trio perceber Umbem a graticacao que este
Governo da provnola
EXI EDIESTE DO DIA 17 DE JULHO DE 1889
Actos:
O vicepresidente da provincia, de coator
midade com a proposta do Dr. chefe de polica,
em oi :io n. 481, de hontem datado, resol ve,
por couveniencia do servico policial, supprimir
o districto da subdelegada do Rio Doce, da co-
marca de Olinda, licando o respectivo territorio
pertencendo a freguezia da S.Communicou-
se ao Dr. chefe de polica.
O vice presidente da provincia, atteudendo
ao que requereu o capitao da 6* companbia do
9 batalhao de infamara da guarda nacional da
comarca do Recife, Henrique Prxedes de Bar-
ros, que provou acbar-se impossibilitado de
continuar no servico activo, resolve transferilo
para a reserva, ticando aggregado ao 2 bata-
lhao.Commuoicou-se ao icommandante supe-
rior da guarda nacional da comarca do Recife.
O vice-presidente da provincia, em exe-
cucao da lei n. 2,395, de 10 de Setembro de 1873,
resolve nomear Maurino Francisco Xisto para o
posto de capitao da 6* companhia do 9" batalhao
de infantana da gnarda nacional da comarca do
Recife, em snbstituico de Henrique Prxedes
de Barros, que passou para a reserva.Commu-
nicou-se ao com mandan te superior da guarda
nacional da comarca do Recife.
O vice presidente da provincia resolve no-
mear Francisco Gregorio de Souza para exercer
o cargo de escrivo da collectoria provincial dos
municipios de Granito e Ex.Communicou se
ao inspector do Tbesouro Provincial.
O vice presidente da provincia, attendendo
ao que requereu Hanoel Francisco Botelbo, ta-
bllalo do publico, judicial c notas do termo de
Taearal, resolve concederlhe 3 mezes de li-
cenca para tratar de sua sade, devendo o peti-
cionario en'rar no goso da referida Uceara no
prazo de 40 dias.
OlDcios:
Aos presidentes de provincia, cheles de
repartices, Cmaras Municipaes e mais funecio-
narios pblicos.Para os flnsconvenientes com;
muuico a V. Exc. que prestei juramento e lome
posse hoje do cargo de presidente desta provin-
cia, para o qual foi nomeado por carta imperial
de 17 deJunodo corrente anno.
Ao coronel commandante das armas.Fico
inteirado pelo officio de hontem, n. 1,520, de
haver V. S. assuuiido o exercicio do cargo de
commandante das armas interino desta provin-
cia, para o qual foi nomeado por portara do
Ministerio da Guerra, de 8 do correte. Com-
municou se ao inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Communico a V. S., para os fins convenientes,
3ue o bacnarel Joaquim Mauricio Wanderley, em
do corienle mez, deir.otr; por ter sido exone-
rado, o cargo de promotor publico da Marea-
de Cimbres. Na mesma data communico o exer-
cicio do cargo de promotor publico interino, por
nomeaao do juiz de direito da referida comarca,
o hachare! Herculano de Oliveira Torres Gal-
linio.
dem, idem, que o bacharel Jos de Moraes
Guedes Alcoforado assumio hontem o exercicio
do cargo de promotor publico da comarca de
Olinda.
dem que o juiz municipal e de orphaos do
termo de Bom Conselho, bacnarel Migael dos
Anjos Barros, em 6 do corrate reassnmio o
exercicio de seu cargo, deixando o de juiz de
direito interino da comarca respectiva.
dem, que em 13 do corrente o bacharel
Antonio da Rocha Hollaada Cavalcaote assumio
o exercicio do cargo ae promotor publico da co-
marca da Victoria.
Ao mesmo.Communico a Y. S., para os
flns convenientesque o desembargador Domingos
Antonio Al ves Ribeiro reassnmio no dia 11 do
corrente mez o exercicio de seu cargo na Relaco
do Recife, renunciando assim o resto da licenca
de 40 dias concedido por esta Presidencia em 5
de Junho.
Ao mesmo.Communico a V. S. para os
fins convenientes, que o bacharel Eutropio Pe
reir de Farias em 9 do corrate mez assumio o
exercicio do cargo de promotor publico da co
mirca do Brejo.
Ao director do Arsenal de Guerra.Fico
inteirado pelo officio de lijiilem, sob n. 600, de
haver reassumido na mesma data o exercicio do
cargo de director d'esse Arsenal por ter deixado
0 de commandante das armas interino que exer-
cia desde 18 de Marco do correte anno.Com-
municou-se ao inspector da Thesouraria de Fa
zenda.
Portaras:
os Srs. agentes da Companhia Brazileira de
Navegaco a Vapor facam traosportar corte,
por couta do Ministerio da Guerra, o soldado do
1 batalhao de artilharia de posico, Antonio
Joaquim Ferreira que d'alli veio em diligencia.
Coturaunicou-se ao commandante das armas.
O Sr gerente da Companhia Pernamhucana
de Navegaco Costeira a Vapor mande dar pas
sagem de r at a provincia do Rio Grande do
Norte, por conta do Ministerio da Fazenda, e na
primeira opportunidade, ao 1. escripturario da
Thesouraria de Fazenda desta provincia, "Ger-
mano Autonio Machado, removido para o lugar
de inspector d'aquella provincia, e bem issim
as pessoas de familia constantes da relaco
junta, por copia; sendo de proa a passagem do
criadoCommunicou se ao inspector da The
souraria i.e Fazenda.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande providenciar para que tenham passagem
ci r, do porto de Natal ao desta capital, Cicero
de Vasconcelos e sua mulher por conta das gra-
tuitas a que o governo tem dinito.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passagem de r al Natal, na segunda
\ iayem deste mez, a Cicero de Vasconcellos, por
conta das gratuitas a que o governo tem direito.
O Sr superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. F ancisco de passa^ns por conta
tiesta provincia e com direito a bagagem, da es-
'aco das Cinco l'ontas a de U.u ao alferes do
corpo de polica Aureliano Carneiro Bezerra de
Mello e urna praca que vo destacar em Quipap,
leado tamoem direito a transporte da bagagem
a mulher da mesma praga.
Muiti* mutanit ao encarregado da estaeo
le Palmares no 'roleligamento-
O Sr. superintendente da estrada de Ierro
do Recife ao S Francisco, d passagens, por
coala da provincia e com direito a bagagem. at
Jua ao alteres do co"DO de policia Demetrio Her
millo da Curta e duas pracas que vao destacar
em annotliiho.
Mutalis malandit ao encarregado du estacao
de Palmares do prulongameuto.
O Sr superidtendenie da estrada de ferro
do Recife ao S. F.-ancisco di passagens, por
, da p-ovmcia e com direito a bagagem, da
estacao de Cinco l'ontas a da Escada a 1 sar-
gento e 7 pracas do corpo de polica que desta-
cam para Serinheui.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Oflicios:
Ao 1. secretario da Asserabla Provincial.
De ordem do Exm. Sr. conselheiro presidente d
provincia devolvo a V. S. um exemplar de cadi
urna das resolucOes enviadas com o sen oflic
o. 53 de 11 do corrente mez, as quaes fora
sanecionadas so* AB. 2020 e 2021. c
- Ao Dr. chefe de polica.S. Ixc. o Se
vice presidente da provincia manda Iransmitti
a V S.- para os fins convenientes, e em solucfr,
de seu ofici de 10 do correte, sob n. 781, cpia^
do de boje datado n. 39, do commandante de
corpo de polica. \
Ao Dr.juiz de direito do 2. districto cri"
minal. -S. Exc. o Sr. vice-presideute da prjj
vincia manda declarar a V. S., em solucio de
seu officio, de hontem datado, que Sebastio
O presidente da provincia de cooforraida-
de com WScio n. 859, de hon em datado, resolve porwin-
.venieucia do servico policial, desmembrar do
Astricto de Preguicas do termo de Agua-Preta,
o engenho Cuyab, que licar annexado ao anti-
$o districto de Gravat.Communicou-se ao Dr.
[chele de polica.
0 presidente da provincia resolve de con-
formidade com a proposla do Dr. chefe de poli-
ca em officio de 11 do corrente mez, sob n. 800
considerar sem efleito a nomeacao de Eduardo
Gomes de Lima para o cargo de 1 supplente
do delegado do termo de Correntes.Communi-
'Cu-se ao Dr. chefe de polica.
- O presidente da provincia attendendo ao
(Be requereu Francisco de Hollaada Cavalcaote
le Albuquerque, contractante dos reparos do
Floro do Reg, foi reformado no posto de tebentedempedrainenio da estrada da Victoria e tendo
do corpo de polica por portara do 1."do cor;2em vista a informaco do.director geral das
rente mez. Obras Publicas, em officio n. 90 de 15 do cor-
Ao promotor publico da comarca de Oliadaltente, resolve prorogar por 2 mezes o praso para
S. Exc. o Sr. vicepresidente da profjncia re a couclusSo dos alludidos reparos, a contar da
commeoda a V. S. que remeta a certidaode sed data em que terminou o que lhe foi marcado
exercicio. -pelo respectivo contracto.
- Mulata mutandis aos das comarca da Vi torta do Brejo. tes para os devidos effeitos.
LXl-EDlF.STE DO DIA 18 DE JULHO DE 1900.' OtCO :
Actos : Ao coronel commandante das armas interi-
0 presidente da provincia, attendendo aof noDeferindo o requerimento de Custodia Ma-
que requereu o juiz de direito Francisco Altinifl ria da Conceico, sobre que versa a informaco
Correia de Araujo, a quenri foi designada a co-jj d'esse commando de hontem. sob n. 1533. auto
marca deCanguaretama, no Rio Grande dWiprtel ri=o V. S. a conceder baixa de servico do exer-
e tendo em vista o tele;ramma expedido pela cito ao liiho da peticionaria, o soldado do 14
Ministerio da Justica, em 16 do corrente, resolvon batalhao de infantaria Joo Jos Rebello, urna
de accordo com o decreto n. 28i, de 1 deFeve vez que o substituto apresentado esteja as con-
reiro de 1862, abrir um crdito da-importaocia dicoes da lei.
de 600i verbaajudas de custo do meto
ministerio, exercicio vigente, afim de ter logar
o pagameuto da ajuda de custo, que na dita im-
portancia foi arbitrada ao referido juiz de direito.
Remetleu-se copia ao inspector da Thesoura-
ftia de Fazenda.
O presidente da provincia resolve exonr
a pedido. Antonio Jos de Souza do posto
"~l --,, IM
de m-i boj
a. -. xai
*
nente da 6.a companhia do corpo de polica
O presidente da provincia resolve aom
Victor Perera de Carvalho para o posto de
nente da 6.* companhia do corpo de polica^
Communicou-se ao respectivo commandante.
O presidente da provincia resolve oomear
Joaquim dos Santos Teixeira da Motta Carvalho
para servir o cargo de 2. amanuense da Repar-
ticao de Obras Publicas Provinciaes visto nao tf
aceitado esse lugar Enedino Ramos Ferreira, no
meado por portara de 12 do corrate.Fizeram-
se as oecessurias commuouaces.
Oflicios :
Ao marechal de campo Floriano Peixoto, aju
dante genen'.Restituindo o requerimento que
acompanhouo officio de V. Exc. de 1 do corren-
te, sob n. 4875, em que Guilherme Cesar de Al
meida Lima pede a transferencia do seu lilho
Severiano Ramos Goncalves Lima, prac-a da com-
panhia de operarios militares do Arsenal de
Guerra desta provincia para o 2." batalhao de
infantaria transmuto a V. Exc. a inclusa copia
da inf irmaco de hoje datada, sob n. 618, que a
semelbaute respeito prestou o director do refe-
rido Arsenal.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
Communico a V. S.. para os fins convenientes,
que obacbarel Luiz Alfonso de Oliveira Jardiin
ao dia 2 do corrente assumio o exercicio do
cargo de promotor publo*4teriao dacoroa^T: oiterio da Justica.
de GaranTiuns, para o qual ro nomeado na meS-
- Ao mesmo. Sirva-se V. S. de providen-
ciar para que o alferes do 14 batalhao de infan-
taria Antonio Joaquim Coelho dos Santos siga
quanto antes para Caruar com a forca que o
deve acompanhar.
Ao Dr. Joo Augusto de Albuquerque Ma-
i raaho.Accusando o recebimeoto do officio de
_e datado, oo qual V. S. communica ter dei-
xado o exercicio do cargo de chefe de polica
interino desta provincia, cabe-me agradecer-lhe
a maueira porque se houvc no desempeoho de
suas funegoes e o auxilio que prestou minha
administraco.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Para os fins convenientes, communico a V. S.
que o juiz municipal e de orphos do termo de
caruar, bacharel Luiz Zacaras de Lima, reas-
sumio no dia 10 do corrente o exercicio de seu
cargo.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os
fins convenientes, que o bacharel Ricardo Perei
ra de Farias assumio o exercicio do cargo de
promotor publico da comarca de Caruar no dia
13 do corrente.
Ao mesmo.Transmiti a V. S. o officio,
por copia, datado de 18 do corrente, do 2 pro-
motor publico da comarca desta capital, bacha-
rel Maaoel Caetano de Albuquerque Mello, acer-
ca do seu exercicio.
Ao mesmo.Em additamento ao officio
desla presidencia, de 11 deste mez, autoriso V.
S. a mandar, nos termos do mesmo officio, abo
nar a ajuda de custo oa importancia de nove
ceios mil ris ao juiz de di relio Benjamn Aris-
tides Ferreira BaaJeira, nomeado chefe de poli-
ca do Maranho, conforme o telegramma junto
j^or copia, de 16 dp co'rente, expedido pelo Mi-
ma data pelo respectivo juiz de direito.
Ao mesmo.Communico a V. S. que o en-
genbeiro Caetano Alberto de Castro Nascimento,
nomeado 1." engenbeiro do prolongamento da
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco da
estrada de ferro do Recife a Caruar, por porta-
ra do ministerio da agricultura, commercio e
obras publicas de 4 do correle, assumio a 16 o
exercicio do dito cargo passando a exercer as
funccoe8 de director engenheiro era ohefe, por
ter seguido para a corte o engenheiro Luiz da
Rocha Dias
Portaras:
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passagem gratuita de r, at Macei,
a Brazihano Cavalcaote de Albuquerque Jnior,
no vapor que segu para o sul a 2 i do corrente,
providenciando sobre a volta do mesmo quando
solicitar.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco mande dar passagem
de ida e volta para Gamelleira, por conta da pro-
vincia, em carro de l.1 slasse, ao alferes-alumno
Autuliano Brrelo Lins e um irmo, que vo a
servijo publico.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens por conta
da provincia e com direito a bagagem. da esta-
cao de Cinco Pontas de Una, ao c .bo de es-
3uadra do corpo de polica Antonio Francisco
as Chagas e quatro pracas que destacara para
o districto de S. Benedicto.
Mutatit mutandis ao encarregado da esta-
cao de Palmares.
KXPEDIENTB DO DR. 8EC.1ETAB10
Oflicios :
A' Assembla Provincial.De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, devolvo a V. S un
exemplar da resoluco enviada cora o seu officio
o. 72 de 8 do corrate, a qual foi sanccionada
sob n. 2022.
Outrosim declaro a V. S. que foram pnblica-
dos sob os ns. 2012 a 2018 os decretos enviados
como o referido officio c sob n. 2019 o orcaraen-
to municipal para o exercicio de 1889 a 1890.
o inspector geral da instruejo publica.
O Exm. -Sr. presidente da provincia manda
comraunicar a V. S. que a 6 do corrate conce-
den a gratilicaco de bous servigos a professor
Jos Marcelino da Costa de que trata o seu offi-
cio a que respondo n. 157 de 17 de Junho fumo.
Ao engenheiro Caetano Alberto de Castro
Vasciraento. -De ordem do Exm Sr. conseUiei
ro presidente da provincia aecuso oirecebnnen
to do oflicio de 16 do corrate sob a. 1 >, ao
qual V. S. participa ter nessa data assumido o
exercicio do cargo de l- engenheiro do prolon
garaenlo da estrada de ferro do Recife ao Sao
Francisco para o qual foi nomeado por portara
do Ministerio da Agricultura. Commercio e Obras
Publuas de 4, passando a servir o cargo de di-
rector engenheiro em chefe, por ter seguido para
o Rio de Janeiro Luiz da Rocha Das
EXPEDIENTE DO DIA 19 DE JULHO DE 1889
Actos :
O presidente da provincia resolve prorogar
por 60 dias a contar de hoje .o praso marcado
nos ediiaes de 2o de. Maio e 22 d^ Jumio ltimos
tan a aprtsentaco de proposlas referentes a
lundaco dos onze einjenhos ceutr.ies de que
trata a lei n. 1971 de 22 de Margo d*M amip,
observadas as disposiees do art. 16 da le n.
1860 de 11 de Agosto de i883 e n. 1972 do men-
cionado da 22 de M.rco.
O pre-iJe.ite du provincia resolve de
formidade cora a pro,osid do Dr. cnefe de poli
ca em officio n. 853, de hontem datado, crear
por conveniencia do servigo policial, (flus un
dislnclo de subdelegada cmn a denoininagao de
I'euediniio, no turulo de Iguara.-s, cojos limi
es sero pelo lado do N as comarcal de Ni/, i
reth e Goyunu e pelo do S. ns do engenlio Ta
quaracom o engenho Penedinho, e d'ah era urna
recta at encontrar o territorio da comarca de
Nazareth, perten -endo mesma aubdelegacia os
engentios Uruah, l'euediiino, Mnndo Novo, Pm-
dahyra, Masagao, Gutinbinlia, Urej > Maimileu-
go, Cha-Grande e Itapicur. Communicou se ao
Dr. chefe de polica.
Ab aspector do Thesouro Provincial.Em
resposta ao officio de Vme., de 17 do correte,
n. 45, sobre falta de verba na lei n. 2009 do Ia
deste mez para pagamento do pret da guarda
cvica, relativo a ultima quiozena, tenho a de-
clarar-lhe que aguardo prxima resoluco da
Assembla Provincial.
Ao commandaute do corpo de polica.
Mande Vine, substiluir no destacamento de Ga-
ranhuus o soldado Jos Mariano de Araujo, que
se recolher ao corpo.
Ao subdelegado do 1 districto do termo da
Gloria de Goyt, Fraocisco Alves Tenorio.
Transmiti a vine., por copia, o officio de 14 do
corrente mez, alim de responder sobre as accu
sagoes que lhe sao feilas pelo juiz municipal do
termo da Gloria de Goit.
Ao director do presidio de Fernando de
Noronha.Recommendo a Vmc. que, na orimei-
ra opportunidade, preste informaco detalhada
do estado sanitario desse presidio.
Portara:
O Sr. gerente da Companhia Brazileira de
Navegago a Vapor mande dar passagens de r
at a provincia do Ro Grande do Norte, por
conta do Ministerio da Fazenda, ao 2 escriptu-
rario, Miguel Fernandes de Barros, e ao prati-
cante da Alfandega do Rio de Janeiro, Henrique
Jos do Rosario, que vo a referida provincia
servico do governo; tendo iguaes passagens a
mulher e um filho de quatro aonos do mencio-
nado 2o escripturario. couforrae determina o Mi
nisterio da Fazenda em aviso de 8 deste mez.
EXPEDIENTE DO DR. 8ECBETABIO
Oflicios:
Ao Dr. chefe de polica. S. Exc. o Sr.
conselheiro presi lente da provincia manda com-
municar a V. S., para os (ins convenientes, que
deu o cooveniente destino a petigo do ama-
nuense da repartigao a seu cargo, Agostinho
Jos de Oliveira, o qual devera pagar na repar-
tigo dos correios o porte do officio hoje dirigi-
do ao Exm.Sr. conselheiro ministro e secretario
de estado dos negocios da justic, i.
Ao 2 promotor publico da comarca do Re-
cife.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, re-
commenda a V. S. que enve a secretaria a cer-
lidao de seu exercicio.
Ao promotor publico da comarca de Carua-
r.S. Exc. o Sr. presidente da provincia re
commendaa V. S. que remeta a cerndao do seu
exercicio.
Ao juiz de paz presidente da junta de alis-
tan ento militar da parochia de Nossa Senhora
da Coiiceigio de S.Jos do Rio Formoso.-De
ordem do Exm Sr. conselheiro presidente da
provincia transmiti a V. S., em resposta ao seu
officio de 16 do corrente o incluso exemplar do
decreto n. 10.226 de 5 de Abril ultimo que alte-
ra as disposigOes do decreto n. 5881 de 7 de
Fevereiro de 1875 relativas ao processo d BlH
lamento de cidados para o servigo do exercito
0 armada.
Edital:
Por esta secretaria se faz publico que, p r
portara do Etui. Sr. coo.-elheiro presidente da
provincia, foi proragado por sessenta das, a
contar de Imje, o prazo marcado nos edita.s de
25 de Maio e t de Junho nltimos, para apre-en
tagao de propostas referentes fundac > do-
mu eogfttbos ceutraes de que ira'a a le u
1 971 de ti de Mugo deste anno. ob-erv.d..s as
di.sposige< do art. *6 da lei n. 1860 den de
Agosto de 18*5 c n. 1972 do mencionado da 22
de lana. O secretario, Francisco Leopold > Ma
rinho de Soasa.
IAPKDISNTK DO DIA 20 DE JULHO DE 1889
Olcios:
Ao desembargado!- procurador da con
soberana e fajeada nacional. Slm-se V. Exc.
de prestar me mfoniMcao sobre o assumpio do
officio aaoi junio, de 10 do correnle mez do con
sul dos ksia.o- Doldo.
Ao bruzad -ira Conrado Jacob de Niemeyer,
quartel raestie-giieral. Transmiti a V. ixc
o incluso mappa do gaz consumido nos mezes
de Abril a Juuh > do corrente anno, nos esiatie-
lecimeiilos militares de-la provincia.
Ao coronel comman iante das armas inte
rio.Deferindo o requerimento do soldado cora
foros de cadete do 2o batalhao de iofaotariaGe-
roocio Claudio Villarim, autoriso V. S., de ac-
cordo com a sua ioformagio n. 1,530 de 17 do
corrente, a conceder-lhe baixa do servico do
exercito, urna vez que o substituto apresentado
esteja as condices da lei.
Ao mesmo. Deferindo o requerimento do
anspegada do 2 batalhao de infantaria, Jos
Francisco da Silva, sobre que versa a informa-
go de V. S. de hontem datada, sob n. 1,593.
autoriso-o a conceder baixa do servigo do exer-
cito referida praga, ama vez que o substituto
apresentado esteja as condigOes da lei
Ao iospector da Thesouraria de Fazenda.
- Commuoico a V. S. para os lins convenien-
tes que o jniz de direito bacharel Jos Gomes
Coimbra, removido da comarca de Obidos oo
Para, para a de Goyaooa, eatrou, no dia 5 do
corrente, no gozo do prazo de 7 mezes que lhe
foi marcado para tomar posse da referida co
marca, renunciando o resto da liceuga com que
estava para tratar le sua saude.
Ao mesmo Commuuico a V. S para os
flus convenientes, que o cidado Joaquim Anto-
nio de Araujo em 13 do corrente assumio o exer-
cicio do cargo de promotor publico interino da
comarca de Garanhnns, para o qual foi nomea
do pelo respectivo juiz de direito.
-o raesmo.Communico a V. S. para os
fins convenientes que o promotor publico da
comarca de Itarab, bacharel Julio PiresJFerreira
em 16 do corrente, entrou no gozo de 15 dias de
licenca, com ordenado, que lhe foi concedida
no dia 15 do referido mez, pelo Tribunal da
Relaco, para tratar de sua saude.
Ao mesmo. Communico a V. S. para os
lins convenientes que em 10 do corrente o ba-
charel Domingos de Abreu Vasconcellos deixou
o exercicio do cargo de promotor publico da co
marca de Floresta, do qual foi exonerado em 2
de Junho lindo.
Ao mesmo. Communico a V. S. para os
fins convenieutes que o bacharel Luiz Alfonso
de Oliveira Jardim deixou por motivo de moles-
tia, no dia 13 ao corrente mez, o exercicio do
cargo de promotor publico interino da comarca
de Garanhuns, sendo substituido na mesma data
pelo cidado Joaquim An'onio de Araujo, nomea-
do pelo respectivo juiz de direito.
Ao mesmo.-Com ainformago junta por
copia do inspector das obras militares do 5 dis-
tricto, datado de 15 do corrente, sob n. 342,
transmiti a V. S. as ootas do gaz consumido,
durante o mez de Junho Ando, com a illumina
co nos quarteis das compaohia3 de apreodizes
artfices e operarios militares do Arsenal de
Guerra.ComraiiBcou-se ao director do Arse-
nal de Guerra.
Portara :
O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana faga transportar a provincia do Rio Gran-
de do Norte, por conta do Ministerio da Justiga
o 2o cadete do 2 batalhao de infantera Miguel
Joaquim Machado que vai all depor em um pro
cesso civil. Communicou se ao commandante
das armas.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officio :
Ao Dr. juiz de direito do 3 districlo cri-
minal da comarca do Recife S. Exc. o Sr
conselheiro presidente da provincia manda cora-
muuicar a \. S., para os fias coaveaieates, que
oo seu officio dessa data proferio o despacho se-
grale :
Ao commaodante do Corpo de Polica para
sallsrazer a requisirao. .
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO Da O DE
8ETEMBBODE 1889
Alheii-o Fernandes & Cr1 Informe o
Sr. Inspector da l'hesouraria de Fazenda.
Capitao Antonio Vicente Perei ra de
Andrade.Informe o Commandante Su-
perior de Goyanna
Bacharel Hygino
Encaminhe-se.
Maria Amalia Forjaz de Lacerda.
Informe o Sr. Inspector Greral da Instruc-
5S0 Publica.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 10 de Setembro de 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn.
da Silva Gusm3o.
Reparflfo da Polica
2.1 eccao.N. 1092 Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 10 de Setembro de
1889. Illm. e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. que foram hontem recolhidos Casa
de Detencao, os seguintes individuos :
A' ordem do Dr. delegado do 2.- dis-
tricto da capital, Antonio Manoel da Sil-
va, por offensas moral publica.
A' ordem do subdelegado do Recife,
Samuel Muniz, Claudino Francisco dos
Santos, Joanna Luiza das Dores e Anto
nia Maria da ConceigSo, por offensas
moral publica.
A' ordem do de Santo Antonio, Floria-
no Francisco dos Santos e Frederick Lin-
desbon, por disturbios ; Marianino Olacn,
Joackin Linderb m, Hares Nelsno, Neis
tiasen, Joao Leite Amazonas e Jos Au-
tonio de Albuquerque, por embriaguez.
A' ordem do do 2.- districto de S Jos,
Bellarmino da Silva Pcstaua, por distur-
bios; Maria Francisca do Espirito-Santo,
Manoel Simeao da Costa, Jo2o Francisco
do Nascimento e Nereu Jos de Sant'Anna,
por embriaguez e disturbios.
A' ordem do da Magdalena, Luiz de
Franca, por disturbios.
A' ordeiu do da Boa-Viagem, Antonio
Jos da Silva, por crime de rapto.
A'ordem do do !. districto da Boa-Vis
ta, FrancidC Claiidino de Assis por offen-
-as .u ir 1 publica.
A' orden do do I.' districto da Graa,
Podro Miximano dos Santos, ispoti-
tdjyi d> D.-. j .iz de direito do 2.- districto
cnm'nal, cmn pr-nuociado no art. 201
do cdigo criminal.
C mnuiinicou-ine o delgalo do tr-
ra ) de Pao d'Aiho, que no dia 28 do mez
ultimo, ao p.issar o trem da va-ferrea de
L,inneiro pelo engenho Vidracao, aconte-
cen atropellar ao individuo de nome Fran-
cisco Monleiro, contundindo o gravemente.
A tai respuito abri se o respectivo in-
quentc, que j foi remettido aojuizo com-
petente e do qual se evidencia a criraina-
lidade do macbinista Damiao de tal.
No dia 19 do mez lindo, foi preso
em flagrante, no termo de Salgueiro, o
individno de nome Miguel Ferreira da
Silva, por haver assassmado, golpes de
facao, a Alvim Lopes Xavier.
Contra o delinquente procedeu-se nos
termos da lei.
Assumiram o exercicio das delega-
das de Bezerros, Bonito e Floresta, o t-
ente Manoel Joaquim de Mendonca e os
cidados Manoel Rodrigues da Silva Nery
e Pedro Gomes Leal.
Conforme disse hontem na Parte Dia-
ria, hontem mesmo, s 4 horas da tarde,
dirigio-se o Dr. delegado do 2.- districto
da capital ao Cemiterio publico de Santo
Amaro, acompanhado dos Drs. Belchior da
Gama Lobo e Jos Flix da Cunha Mene-
zes, afim de proceder autopsia no ca-
dver de Theotonio Moror.
O rigoroso exame feito pelos dous fa-
cultativos, deu em resultado verificar-se
que a morte de Moror fra determinada
por urna congestao cerebral.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente desta provincia.
O chefe de polica, Geroncio Dias de Ar-
ruda Falco.
aSKBft
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 9 DE SETEMBRO DE 1889
Generosa Izidora P. de Souza, e o Co-
neg Manoel Joao Gomes.Informe a 1.*
Secgao.
Manoel de Freitas Bezerra. Certifi-
que-se.
Souza Paz & C.*A* l.' Secjao para
os devidos fins.
10
Joao Nepomuceno Coelho da Silva,
Joanna de Jess eves Quaresma Duarte,
Francisco Ferreira da Silva, Josephina
Bemvinda da Cunha Souto-Maior, Amorira
Irmao & C.a e Joaquina Martios Vital.
Certifiqese.
Silva Jampos & C.a, Carvalho & Filho
e Freitas Tavares & C.a A 1 .a Secgao
para os devidos fias.
Jos Caetano Marques de Oliveira,
Informe a 1.a Seccao.
Miranda & C.1- A 1.a Seccao para os
devidos fins.
EXTERIOR
Pacifico eRio daPrata
Entrou hontem o vapor francez Ville de
Pernambuco, que eos trouxe folhas de
Santiago e Valparaizo at 18, de Buenos-
Ayres 29 e Montevideo 30 do passado.
as primeiras enco tramos telegraramaa
do Per e da Bolivia com a data de 16.
3 deputados e senadores bolivianos,
que
ram-se
fazem opposiclo
no dia 7, em
ao governo, reuni-
casa do jornalista
Vicente Ascuruz, e, depois de discutiris
largamente a nullidade das eleicoes, o
conflicto com o Paraguay, o augmento do
dficit no orjamento e outros assumptos,
resolveram pedir imprensa que discu-
tisse com todo o patriotismo estas ques-
t5es de summa importancia para a rep-
blica.
Foi approvada a proposta do Sr. Ma-
noel Granifa para o assentamento de urna
linha telegraphica entre La Paz e Oruro.
Urna commissao de eugenheiros estava
estudando a rde de viaso frrea e de
telegraphos, que convm estabelecer, e
levautando a planta topographica de toda
a repblica.
O relatorio do ministro da justica do
Per foi muito bem recebido pela c-
mara.
A bordo do vapor Santa Rosa part
no dia 16 para Arica o commandante
Francisco Vidal Gormaz, encarregado de
escolher os lugares, em que hao de ser
assentados os setenta e tantos phares
com que vai ser Iluminada a costa do
Chile. Em Arica devia reunir-se ao pes-
soal da commissao o tenente Roberto
Maldonado, do cruzador Esmeralda.
Houve grande incendio nos depsitos
de parafiaa da alfandega de Valparaso,
sendo consumido pelas chammas. Com
as explos3es que houve varios bombeiros
ficaram feridos.
Na sessao de 28, da cmara dos depu-
tados da Repblica Argentina, o governo
pedio autorisaco para comprar nesta corto
um palacete para a legacao argentina.
O Sr. Castro apresentou um projecto,
que foi approvado, para se fazerem as
despezas precisas com a condcelo, para
a patria, dos restos mortaes do guerreiro
da independencia, general Antonio d
Heja, fallecido em Valparaso.
governo autorisou os Srs. Portoli
Irmaos e Oarbonnier A C. a transferiris
sociedade anonyma Caes do Porto Nor-
te de Bui-nos-Ayreso contractoconcessa
para construirem um caes exterior, que
terminar na foz do arroio Maldonado, de
modo a cenquistar sc sobro o rio urna
rea de 5,154,000 metros quadrados.
Um syndicato de capitalistas mandos
construir em Franya grande quantidade
de chalets, de estylo suisso e de se des-
armaren!, para serem assentados nos ar-
redores da cidade e alugados aos opera-
rios por precos mdicos.
Pareca inevitavel um" duello entre
general boliviano Flores e o Dr. Guer-
nes, ex-govornador da provincia do Salto.
Tinha baixado muito o rio Paran.
A cmara dos deputados da Repblica
Oriental rejeitou o projecto de exposicao
universal apresentado pelo Sr. Levey.

>


I
t

v
[


I


m

I
Diario de Pernambueo-Quarta-tra 11 de Setembro de 1*89
"JO presidente da
finda a exposicao de Pariz, seja levado
para Montevideo o pavilh.to urnguayo,
anu de ser levantado no grande parque
projectado pela munieipalidade.
INTERIOR
\otl

haaa*m
tas de

Pelo vapor Parammrii'n
tas noticias, alrancaarto
rente:
Lentos na Provincia du Pmri de 39 daJafo-to.:
0 Sr. .Marcos ataakct. eaapraajado mu Coav
panliia Pastoril, eslava auksboiaaai a -ionas
da tarde engraxand as bate* jtt> afta
mercearia Santos, arma tliimnalBi'
Quando, atlm de procurar cobw'lrocado,
buscava mular para outro bolso utn pequeo
revolver que tinha era um dos do colete, a arma
cahio-!he da mo, bateu no las,'edo, disparou, in-
do o projeclil eravar-se na perna direita de Sil-
vestre Jos de Azevedo e Canlia, portugus, de 14
ana** de iiUde caixeire aa eaaa>aaaaaM*aiaaa
J. M. Sjares v C, o qual passava na occasian.
Comparecen do ambos chelia de polica, o
subaelegudo do 1" districto fui scientiiicado do
que occorrera e fe proceder a carpo de delicio
do qual verificou-se ser leve o feriniento, neo
sendo possivel, comtudo, extrahir a baila.
A presidencia da provincia abri os^eguin-
tes eruditos :
De 1.166*602 a verba Soccorros pblicos, para
occorrer a pagamentos de despesas com a enfer-
mara Jos Bonifacio e medicamentos foruecidDS a
doaotes de molestias epidmicas.
De 20.8714583 mesma verba, para pasa-
mentos de fornecimentos e outras dospezas com
imraigrantes cearenses.
Le:nos na mesma folha de 31 de Agosto :
A procidencia da provincia, por acto de hon-
tem, resolwa qoo. acontar deamanbii, fiquein
exclnsi^auantc sob a direegao o liscalisago do
engenhetro director da estrada de ferr de Bra-
ganca os trabalhos do prolongamento da mesma
estrada ate ao Apeb.
O alludido director aao perceber por isto ou-
tras anUgeui alm -dos vencimenlos que ja
percebe.
Foi mandado reduzir a 30 o numero de tra-
bajadores empregados naquelle servico, sendo
despedidos os que exeedessem quelle numero..
Eiara estes os resoltados conbeoidos da
eleigao de 31 de Agosto.
4 ttnclo
CooaeUieiro T. F. de Almeida (L) 1S4. votos c 3
separados
Dr. Jos Ferrcira Canto (G. siq) 351 votos e 3
separados.
Dr. Justo Leite Chennont (R) 68 votos e 1 sepa-
rado.
Baro de Igarap-Miry (G sam) 27 votos e 1 se-
parado-
Conaeibeiro S. W. Jaac-Dnwell 1
Justo Cbermont 1.
Lista em branco 1.
2* dtrMo
Dr. F. J. de Lima (L) 382
Padre Jaacio G. Ribairo(C.siq) 2t
Dr. Jos A. dos Reis (C. sam.) 262
Teaenle coronel Aureliano Coelno (R) 17
Barao de Guaja r t
Martins 1
Suppe-se que esta e>cito o Dr. Fcllippe
Jos de Lima, que espera ni;.iona de votos em
todas as paroclas cujo resultado nao anda
conhecid.
geraMe 18 de Agesto
S38. Actuatmenie o fundo de reserra, con-
tarte o balaago faoaado en 39 de Janbo, de..
2.373:4734516.
A conta de lucros suspensos demontrava e
30 de Junho de 1888 urna importancia de
1.000:0004 : foi elevada a 1.098:747*795.
< ariili
biaraBmiaaaferio
ca te iniaa*}
no awopr'
mausam aola
da, a Saaiai-j'
cstaanos coalas
a v toda
*; bonica nai
lia esta
nado contracto.
A companhia das Minas de Carvao de S. Je-
ronymo (Rio Grande do Sul) estabelecer us
lo ataba
llura para
naes sano peq
BHHB CMBUCA
ia aueaiasancioiL, toa
lasaugaajo, e
goanriar a en
ni aeceio de p
uaafciz 4amaaa-
i paesaad a pofesaor ame^e Justiniano dos
que regia a ultima, a ter exercicio na pri- |
'eir.
noticias do Sul0 vapor francez VUle de
ftantianarn. chegado liontem, foi portador da
falaas da corte de 5 do correle, das quaee ex-
irahnos as segrales noticias :
Pacifico e Rio.da PrataHa os seguintes tele
gramolas:
Valparaizo, 4 de Setembro :
Encerrau-.se a aoogresso dukao; aao Ilativo
k Um daaiiaaBHadi;;iBBU Hacamaaa dos ajMaano afta coaaacuracsaeaa-
Unordinaaia.
iiuenoaiawai, axc Soafcw;
seo ta> atagea gaaacil Iva pura paaai-
da Hepubliea noaaao de ficaracealiaia a
preaideitcia.
JiaJi|awacaoa>aiiaei:JBfctor,aB
de cea>
ocaliav paitados
trras que possue, e naquellas que adquirir* culjr 178 '/
raargem da sua via-ferrea e do prolongamento
projectado. cinco ncleos coloniaes. Em cada
MOattaeMa 1,900 tatnilias, -das anoes 20 *|0 na-
oioaaes, em ttttes de t) a 26 Jieoiarcs, que ven-
der;; a prego nao excedente de 25* por hectare,
dando ao occupunle titulo prosison que, ni-
dada a divida por mttie de pretrtaooes anouaes,
sera subitituitK) por titulo delinitivo.
fmm C9E8CI0
Na exposico de motivos do eaiprcftimo na-
cional, que o governo emprehendeu e realisou,
assigoala-se como um d'elles o tornar cfTectivos
es auxilias laroura j e.icetados.
Se nao erram informaces, na j pedidos, uro
diversos toncos auxiliados pelo Estado, que ex-
eedem de 30000 contos, e por lavradores, que,
na maior parte offerecem solidas garantas, pois
o valor da trra em Jullio de 1889 deve ter du-
ilicado em JnHro de 1890, logo que os capitaes
orem espalliados.
Parece que, se o soverno deseja que os adian-
tamentos lavoura levanlem de jacio a produego
nacioujl, pode fuaer, logo que o emfu-etUuw in-
terno esteja concluido, todas as prestacOes a que
se comprometteu. obligando os baucos a empre-
gal-a; dentro de rea mezes.
Para o proseguiraento das operacoes de 1890 e
1891. cegando o uso do Credit Ftmcier, o governo
autoriaaria os baonos a emittir leltnas hypoihe-
carias uo exterior, pela totalidade das opraces
feitas e, assim, successivament.
Em pouco anuos, assim se salvara a lavoura
nacional.
Mas, importa, oa exocaco d'essas vistas, que
ellas uio tenli-iin um objectivo geographico sendo
o norte cou?idiado as mesmas condi^es da
sol.
Importa que as novaces dos contractos feitas
com i anco do Brazil nao se restrinjam a pro-
vincia to sul sanenle e por igualdad* de razo
se estedam tambera as do norte, cuia industria
agrcola nao menos carecedora de fomento, que
no entretanto se proporciona do sul is maos
largas.
A zona assucareira do norte nao merece menos
do que pode merecer a zoab cafeeira do sul. Si
esta all constilue urna riqueza, aquella aqu nao
pesa menos rta batanea do interesse eominom; e
ambas constitaeraa factor importante da fortuna
privada e publica, ao sendo justo, nem de boa
poltica que se desajude o que mais carece em
proveito do que acha-se eu raelhores condicoes
relativas.
Nao A, de corto, qac no Tacto a quealiudanos,
ae insinu um pensamento de preferencia repro-
bada, ner.i que elle seja a uianifeslaco do senti-
mento de ma rontade para cora esta parte -Joim
perio, e uomeadamente esta provincia. Mas, pe-
rante o fac;o, que autorisa urna tal crenca, ein-
bora na real brea aeafezai Uie a impresso,
agndo por nua que esta ceda a evidencia da
rea'.idade.
E' foryu que ante um acto do governo, expresso
e prompto, se no posea inquirir raais :
Porque lend o Banco do Vazi con trada Jo
empresiar lavoura de lgumas provincias do
aul, a de Pernanibuco, e outn's visiunas, foram
nova 'os os contractos referentes aquellas com
vantageos especiaos, e sea huma- providencia ap-
pareceu com r*Hai,o esta.-, nem ainda a de
iguaiar-lhes as condicoes com applicacao a ellas
.as vantagims ?
* *
A coaavaaliia de iagao .- teclos Confianca In-
dustrial, fecbou o seu balango geial em 30 de Ju
nhj ultimo, com o sa'do da conta de lucros e
perdas na importancia de 40.7149SK>.
Foram disiribaidoa dous dividendos le 36:000*
cada um : >i levada a fundo de reserva n) ^se-
mestre de ls-8 a qiantia de i:7J213, no Io de
1881' :7*j00. Foram pagos os juros de
i.890 ttulos (te -preferencia in todo o anno....
No 1-' de 1889 pagou-e o primeiro dividendo
da 2.* amiwao no valor 9:2705. As despezas
geraes do annu-suLiraui a 40:7645420.
Foi f-'it.i em N ivembro de 1888 a 2.* emissao
de 3.000 accOi's para augmento de capital, no
valo: KK)S. D'ess- foram feitas quatro
futradas cu i'i
Banco Commercial do Rio de Janeiro, segun-
do c relatorio apresentado a assembla geral no
eorren'e ann aprerenta um grande movimento
em suis operacoes.do qual resulfon no auno so-
eial o lucra liquido de 1.289:4454795.
" lucro foi applic;ido assim :
Dividendo do 1 semestre de lOi por accao,
sobre 59.000 accOes, 5()0:000 ;
dividendo de 633 ris. por recao. sobre 30.000
da ultima emissao, cota 10 "/ realisados.......
31:6504;
dividendo do 2" semestre de 104 por aeco,
obre 50000 aec->s, 500:000* ;
dividendo de 1*883 por accao, sobre 50000
acees da ultima emissao, com 20 /0 real sados.
M:o50:
fundo de reserva do Io semestre 31:899*. do
35:4994, total 67:3984;'
lucros suspensos : do r s"rnestre 12:735*722,
do 2 86 01O23, total 98:7474795.
fundo de reserva era em 30 de Juaho de
d<' I.)56:075ii516 ; foi augmentado nos dous
e:i(estre3 tu auno social lindo em :J0 de Junho
. 67:atit e mais 350:0004 de 104 por
accao das Jo.OO da uliima emissao, conforme a
eres cero a que resultar de. adiantamento cJKe-
liciameuto dos lotes como casas provisorias, der-
rubtidas, ''nca, vallas, ote.
Do tai rilorio de cada ncleo ser reservado O1
espayo necesario para a sale, na qual iris-
trir a uiapreza, uiin decapolla aara o culto.
casas para i adininistrocao, pnaruucia e escola
para os dous sexos.
Os inmigrantes sero uitrotluiidos pela cma-
panlua, a qual podei otilisar-se do transporte
gratuita, concedido pelo governo, fasondo-os vir
por intermedio dos contraetnotes deite service.
Da tro de seis mezes devena-a empresa adiar
se babiuaada pana receber familias do primeiro
iiDdeo. O governo ceder eaipreza ate 1'OdOft
bucUres de trras devolutas ao preco de 14*33
por hectare.
Conceder o -gceme empieza o auxilio
de 200* por familia esfabeiecida e de 2:000*,
no mximo, por ttilemetro de estrada construi-
da, entre a sede e a mais prxima esi.ico da va
frrea, nao podenda este auxilio, porem, versar
sobre extensa maior de li kilmetros em cada
um das cinco noceos
A emprct* msolori os colonos duraate o
prlmeiros sois azes oti at a prmoir oo-
ihea.
Foram acautelados no contracto as inlrresses
da lisi:alisacao mediante systemu de multas e a]
comrninao da asaa de oiducidade em casos
previstos.
No ser pieei-o insistir m ceosideracoes.
que maiilas veses temes expendido, para lser
sentir tuda a importnela du artos desta natti-
reza.
Desdo que a carrente emigratoria para a Bra-
sil pode levar-se na rada de um anno ao alga-
rismo de 131,000 individes, so por imperiosa
foi ca de circum-tancias estnauhas acc;"io dos
poderes pblicos seria jnshlicavel o abaixumen-
t deste uivel aue preciso con.*ide-ar, nao
como o MttxuaMfli daqueUs comente, mas como
ponto de partida para meda moto maior.
Para i liegar a este resultado a muUipbcacao
de centros coloniaes aecessdade urajate, es-
senciale inspirada da mus esclarecida previ-
sao.
***
Fundada em 1458, lema sociedadh Philautro-
pica dos Arslas un caoiial de fte^WO* em ano
lices. Pagou no anuo Ando, de beneficencia ao*
associados, 5:530300; a viuvas I273i200:a
socios invlidos, 1:5984500; em passageos, 2724
e em enterras 928*000.
Na altana sessdo, a 23 de Agosto, foram ap-
provados 20 socios contibnlnles e ellerecero m
d socedae os Srs. Dias Ferradeira, lodos os
oojecies de expedieote durante um amo ; Per
nandia fiulio, o pagamento do consumo do gaz;
Silveira Menezes, os sellos para expediente, e
Anthistencs de Macedo, a dspota da mudanca
para outra casa.
Nu cidade do Rio Grande corre sebacripeo
popular para ceostruccao de mouamento com-
memorativo da le de 13 de Maio que declirou
extinda a esaravido no Brasil.
O monumentp ser de bronze e marmoree da
altura de 17 metros, formado por urna estatua
da Liberdade, repousando sotwe pedestal do
marmore.
A execuco ser aoniiada de hbil eseulptor
italiano.
**
Um dos aspectos mais notaveis do movimento
cooperativo na Allemanha manifesta-se na es
plendida organisacSo roridica, admirtistrativa e
teclniica que ora aquel le paiz est gradualmente
assumindo.
E' um ptimo exemplo do modo porque po-
den coordenar-se entre si os principios da mais
larga cxcentricidadc, com todas as vaatagens da
umdade de diraeco e aeco.
Os habitantes de-urna mesma aldeia reunem-
seeui sociedade raodestissima. com alguns mi-
lbares de francos de fundo, alguns livros de
commere o sem outra sede social que nao seja
a sala que alugam em algura albergue para as
suas reunios.
As diversas sociedades lcaos por sua vez con-
stituem grupos oo associacOes provinciaes, aue
coatain mi-liares e socios. dispOem de grandes
capitaes em gyro e team urna direccao tychnica
e administrativa competente. E as sociedades e
oe grupos provinciaes se reunem em ultimo grao
as associaces geraes que assumcm carcter
nacional.
Merece especial meocao a reuniSo das socie-
dades agrarias do Grao Ducado d'afcllOB, cuja
sede central em armsladt.
A direegao central espLlha modelos de esta-
tutos pelas saciedades cooperativas, queijarias
sociaes, aaiaaa de crdito, etc., prwvidenc em
vasta escala sobre a acqiusiQao dos meiiwres
a tubos cbiinicas. aiinieaios arnciaes paca o
gatlo i semeutes agrarias, in'.diante concurren-
cia entre os princtpaes productores da Allema-
nha ; e cada producto adquirido sob garanta
da analyse cbimica das esticaes agrarias gover-
naiivas e so pwgo em razio da sua bondade cx-
tnuseca.
Assim os previdentes agricohores allemes
-ubtrehem-se as fraudes e as adalteraces I
Por tal modo a cooperaciio vem ser a amiga e
a protectora dos fracos e dos humildes.
as cidades, tila acolhe sob suas bandeiras o
operario que com trabalho e economa aspira a
ser artista i .dependente : e pequea industria,
que lacla e s dafaode contra a grande ; a pro-
modestia da pequea familia, que no ar-
laazem social adquire gneros s5os por justo
preco e de peso exacto.'
Nos campos, a cooperaco rene nos gre
mutuos os pequeos propr alarios, que sem ella
nos aenos maos se debateriam s extorses da
usura, que, privados de seguranca, ficariam ar-
ruinados pela perda de um principal creador :
que -s aenam ianiotentes contra as fraudes in
gentes do commercio dos adobos chimicos o Ja-
ntes; que muitas veas veriam os seos es-
s proveitos dizimados pela infinita cadeia
dos intermediarios, por cujas maos tena-
pasear os productos do solo antes de chegareni
aos consumidores.
Os sectarios d'essa joven f econmica c so
cial sao milhares e railhares de homens que tra-
balham, que se instruem, que se ajudam reci-
procamente.
Cada nm d'elles so por si sena impotente : a
associ;,co Ihcs abre crdito, e permitte Ibes
compnir e vender directamente nos grandes mer-
cados: pe ao seu alcance a obra do chimicos
notaveis, e de agrnomos e professores autorisa-
dos; e Ihes facilita o emprego de instrumento
e machinas aperfeicoadas d llies, em snmma
dignidade social e ele vacan moral.
O poder execulivo autorisou a construeco de
um lazareto na ilha Verde.
A laxa do ouro Sjoncario t7 Montevideo, 4 de Setembro :
Uouvo engao. Nao e.ntrou o Yapar D. Cedro,
de qual ainda nao ha noticia.
d general Jeedoro visilou o general De Len,
ministro da guerra.
Club Urazileiro vui offerecer na banquete
quelle a*neTal e ao seu estado maior.
Rio de Janeiro -Foi no da 4 subscripta a
tinento misionarloDamos ao conhecimento publico oquadro abaixo das misses
e. capuchinhos no interior daa provinsiau/de Peruombuco, Alags e Cear, sob e prefei
digno Frei Caetaoo de Messina, cujo zelo folgamos de reconhecer,;abra
o e3paco do anno de 1888 a Agosto ultimo.
rangendo e3se tra-
ficar Alagoas
Pernambuco
01 WM,
0-^O9SJ!llC^l. OC0 0D*105 C "*" ft^ tfc *
?OB
""" 5'
93S
C t;
n '" n
a oii
o*
n nnar-os
0 C3 C3 O t3 S^
0 =

r* ---..
T

m^m-rn
s g lar
5
1
(A

A divida proveniente do valor do ierra ac-- quantin de 1 000:0084800, elevondo-se b total a
Dr. A. de Siqueira
Ut. Moreira Alves
Dr. A. de Siqueira
Dr. Moreira Alves
Dr. Martins Jnior
Pnifessore publico* Por actos
Prcsi encia da Provincia de ante-hoitera :
Poi nomeada professora publica ellectiva da
cadeira de ensioo mixto de Pedra Branca, Olivia
Loyola e removido, a pedido, o professor Manoel
Candida Fernandes Pires da cadeira de ensino
primario de Rio Pormoso para a de Barra de
Serinhaem, sem prejuizc de seus vencimentos,
2B03Q< 1004000.
Para o monumento projectado na corte em
honra de Eusebio de Queiroa forum recolhidos
os seguintes donativos casa bancaria de Mirn-
bmid, Puceord Puerari & C, de Pariz 4434*547.
A ponte lluciuante era Man submergio-se
a i
Os paswigeiros do trem exprease sobiram guin-
dados, diz um lelegramma de Petropolis.
13." didtrlcto eteiiorstlDa cleico pro-
cedida no dia 31 de Agosto n'esse dislricla temos
a seguiute noticia:
Floresta
98
33
Cabrob
57
49
3
Resumo dos collegios de Floresta e Cabrob :
Dr. A. de Siqueira (L) 155
Dr. Moreira Alves (G) 82
Dr. Martinj Jnior (R) 3
11 v 0 i tu I PrlCKuei Sie Beneflreii.
ieaa Gemmunicam-nos:
Hcxta-feira prxima, ter logar, s 6 1/2 da
Urde, com O levantaiimnio da baudeira, a pri-
aeiru novena em honra de S. Joo de Deus, pa-
droeiro desse hospital.
Os versos da novena, postos em mush pelo
maestro Euclides Fon seca, serfio cantados pelas
Sxmas. Sras. tubas do lllms. Srs. commendador
Luiz Guimares, coronel Gorbiniano da Fonseca,
Joao de Aqoino Fonseca. Joe Pereira flego
Benlo de Freitas Guimares, Dr. Anleoio Venan-
cio, Dr. Balbino de Moraee Piobeiro, Feliciano
Nazarelb, tabellio Abucidu e pelas esposas dos
Jllms. Srs. Antonio Jos Lopes Teixeira e Dr.
Aaguato Coeiho Lene, que graciosamente se dig-
nara concorrer para maior realce da novena.
A orohestr ser i regida por escollados pro
fessores.
Nubwiituico I-- nota*-Termina no
dia 30 deoorrciUe mez a praao -parasubstiluicfio
das notas do Xiiesswro, ae 300* da 5* estampa,
aera descont. Vencido o prazo ooracoar o
troco de laes olas a ser feito com descont :
de 2 "/ aes tros primeiros meses: do 4 % as o
6 mez ; de 8 % at o 9o; de 10 % al o 13", e
d'ah por dianto mais 5/. ale a exiiaccao do va-
lor das votas.
Bnrlta.ro a*it*iartt -No termo da Sal-
gueiro foi brbaramente assasinado a golpe de
faco. no dia 19 do passado, Alvim Lopes Xa-
vier por Miguel Perreira du Silva, que foi preso
em flagrarte
Auiopuia-Ante honioin es Srs. Drs. Canha
Meneaos e Gama Lobo proceder.un no < emiterio
Publii autopsia no cadver de Tbeotonio Mo-
ror ; c d'elli reconheccram que a raorte tinha
sido occasionada por urna congesto cerebral.
tropela ara-*No da 28 do mez ul-
timo, em ierras do engaito Ytdrano, foi atro
pellado pelo trom do Limoeiro o individuo de
nome Francisco Monteiro, que ticaa gravemente
contundido.
Do inquerito aberto pela autoridade, veril-
cou-se que o inacUiaieia tinha criminatidade n'a-
quelle smistro.
A itamK cte H*nneHecebemos a agra-
decemos o 7.* fascculo desse.romance, do aca-
aemico Manoel da Motta Moateiro Lopes.
Inatltuto ArrlteoloRleoAaianha, s
lloras do costme rene se essa associucao em
sesso ordinaria.
Fabrica Vendoaste Aos apreciadores
das verdadeiras Regaitm de la Retn nao ser
perdida urna visila a essa fabrica, pois nella as
enconlraro frescamente chegadas da Baha.
Hoeaealaale liMterairln 1 de Malo
Funccioaou essa sociedade no domingo ullimo
sol a presidencia do Sr. Salvador Ribeiro.
Em novo julgamento o personagem histrico
Catigula foi condemnado, sendo aecusador o Sr.
Jos Manguinhos.
Foi marcada para ordera do dia da seguinle
sesso a qaestaj philosopriica : tt* iberdade mu
acrM humanas levantando-se aps a sessoo.
wioeple Base Club Xa seccao sportiva
darnos o projeclo de inscripeo desse Club para
a corrida de sabbauo prximo; e iioje, 2 horas
da tarde, encerra a caesma inscripgo.
< lu Carnavalesco Fentanoa do
Recife No domingo ultimo reunio-se esse
club em sesso extraordinaria, tomando asento
o socio Fellppe Napoleo dos Santos.
E depois detratar-se da organisacSo do regi-
ment interno, suspendeu-se a sesso, sendo
marcada nova reunio para o dia 29 do cr-
reme. '
Lanicrna Mgica -Distribuic-se 0 n. 268,
que recebemos'e auradeeemos.
Rert-bcduriu Gerol -Esta reparticao tem
a venda estampiltaa de 4*000.
Principio de Incendio A's 2 boras e
35 minutos da tarde de aniehontem, na rna Im-
perial, no 2o andar do predio n. 43 e onde resi-
de o Sr. Manoel Machado, deu-se um com eco de
incendio devido urna brasa que, calando no
soalboe uelle penetrando (Icou entre este e o
forro.
Chamada a companhia de bombeiro?, irame-
diaiamerite all comparecen, nao sendo porm
mais preciso os seus servicos.
Em todo caso, mais umu vez teve esta corpo
rayao occasiflo de mostrar a presteza com que
acode aos chamados que Ihe sao feitas.
Apezar de ser grande a distancia a percorrer,
chegou a ompanhia com a mxima brevidade
ao local do incendio.
As igrejas nao deram signal.
Kot'lcdsde Becrcaliv Conaaaer-
cial- H-alisou-se sabbado7 de Setembro a ins-
lallago solemne dessa so;iedade ea inaugura
c5o ila bibliatheca, com escomida assistencia de
dados e de commlsses de varias associa-
ces que se acerata representar no acto.
Aberta a sesso magna, o Sr. Santos da F-
gueira deu conhecimento s pessoas presentes
das difliculdades com que a sociedade tem luta-
do para collocar-se na altura era que se acha,
coneluindo por agradecer ao mesmo lempo a to-
dos os consocios convidados oauxilio que tem
lo sociedade.
- Em seguida locou a banda musical os Hymnos
le ro. rortuguez e Commercial, sendo este
hestra da casa
o Sr. Liurcaco Thcinaz da Sil
Depois do orador ter usado da pslavra faz^n lo
um r fundago da
dade at a dala da installacao, peguiram se
no mesmo uso difiranles oradores de
c6es que se representavam na festivldade, bem
como o Sr. Antonio Goncaj>es de Barros que
agradeceu directora o ler-lhe conferido o di-
plon; 1 honorario, voltando ainda tri-
buna, cano orgio da sociedade, o professor Ar-
thunio Vieira para agradecer a todas as coinmis-
sOes e pessoas prsenle a respectiva assisten-
cia.
Encerrada a sesso, seguio-se o baile que pro-
longou-seato s 6 horas do buffet foi profuso e variado
. A directora incansavel em obsequiar ao3 seus
convidados e commissOes. digna por isso de
louvores, e correspondeu por certo s vistas da
sociedade.
i
p-
VIV
re.-
o._,
re CO
re
3
O
o. a.
re re
ftsf
JSA-
9 -
x z>
'^a*ifiPi?-i.
j, r ^ r-. H r*
r
03 "P O D N
a '
-
S

e
a
>
a
9
-
das de missoes
h. M. i 1*. ^ X *S :" C

^r." vi_.i*:t--i;ii_"rf-i:c
jg &
S
5;
Al/'DITORIOS
(Approximativo)
!5ol
5 fe ciwt-awc o st(*oo-j
UAl'TlADOS
8!
CRISMAS
fot
I oSS2 II
-n -. >

SSf
ifSilH
cosrissoBs a comih;-
NHOES
e-
B
35 oe
utec
;*-Ot**;i**M)Wc.i.wC!
>- '. w! ^-. m. ^- z- ^ ji ~ zs. 14. 14. --
CASAMKXTOS DB
CUBLNADOS
COM
T3
30 re
i 3.5
rec =
c
8.3
IFS
o
re -o
g|
C !
=
a.
i-
re .. a
ss
2-2 5
0 &S
g 3.
%
8
2.
reo.QrepreX'cQ.-iprftsfre
a -1 a % c ^2 bS^c-p
83.
nX. S
"> S =
a a."
S
a i.
o
o I
a 5 -'Q^.r =;..
t) -_= s s ts m ~-z
CS3Z
JTre
re w.
Wm 3
8"
1
6 ff
5 rer
0: 't;
e =T3
8 3-
_ s
D -
-
i
<
2
5
i
B
co'
la-
ce o
CD
" re
si
a
"2 o
ore
M
is
p

oc
t
|s
fu r>
U
re a
ifi =
5.=-


I
Airniiiipca 4c PcraaatbBc Damos em seguida o mappa demonstrnlivo do rendimento
da Alfandcga de Pernambuco, no mez de Agosto de 1889 comparado com o de igual mez do
anno de 1888.
DEN0M1NACAO DAS BKNDAS
/porfflfo
Direitos de consumo .
Augmente de 30%-
dem de la /.. -
Expediente dea*/. .
Arnazenagem
Capntaaia......
haposto do ftia), aG"/. .
, Despacito martimo
Imposto de pbaroes.
Ditos de dcas .
Exportaoo
Direitos de 9 "/
Ditos do 7 Ditos de 3 >/
Interior
Sello por verbas.
Uito adhesivo .
Trans.nisso de 5
1889
1*88
59t:59
8:I8396>
6:77(Mi7i
17:I38*0.10|
J:06i*9O
-484000
4:130*090
l:03oM0
6:393*173
l64
lJ:4fli080
Ertraorilinai itt
Multas......
Fundo de emancipaco. .
Depsitos
Depsitos de diversas origons
Goatribuicao de candado. .
Sommas ....
iaooo
*
muso
MMMaU
31:67873
1:60 930
2:349*900
087:321*274
mt MI 5397
*
6:1065378
13:7665173
2:8305035
*
3:4605000
1:4195900
3:3635396
5
9:3245926
45000
i
3600
7335219
41:7124536
368*213
2:4245782
894:0995797
ia*t BRB.NQAS
Para mais
i
995600
s: 183 296
6695396
3:3715833
5
485000
660/000
5
1:020*777
25646
2:936* 151
8*000
*
1875330
632*323
*
1:033*707
*
18:8825304
Parameos
214:3924309
5
*
*
7635115
*
3945260
5
5
5
t
5
10:0345261
745882
1 Approvando as referidas deoisOes, assim o
communico a V. Exc. em resposta ao citado of-
ticio.
Llvroa novo*A Livraria Franceza,
ra do Imperador, obsequiou nos hontem com a
offerta de um exeaiplar do acreditado e interes-
sante Novo Almanack -Luzo-Urazileiro para a
anno de 1890, 40" anno. .
Offerta identici nos fez a Livraria Quintas
bem como de um esamplar de um livro denomi-
nado Wnclws Selectos de Chateaubriand, traduccao
de D.ranca de Carvalho.
Agradecidos
^aaaa tiiceiMtaa~-Hon!em deu entrada
em nesso porto, faaa'eando no Lamaro o lugar
inacz Miffir Chtef, cuja copitao o Sr. David
Eaaat veaa'eixarB ter os oaufrag 3 da \nv-
i'astabana <>tion,*w seaeerwBra no lia 7 do
oaaaanle am alto aaar, nasal. W OG. 30'08.
Sr. Xaamzo ewaao, oaaatta m-b.r < Otton
Ttere-que. irado sntrldo no (fia "92 de J ..lio pro-
Sc
int para
arvo de
u navio
j esforco
esm-
ximo passado, de Grande Mounl
Buenos-Ayres com carregamento
pedra, apDareceu fogo nos porOes de
no dia 2 Je Setembro corrale, e loso
para apgalo foi intil.
^rae^olga ter do o resultado de tita
busto expoatanea,
Que tendo fahasaenlc avistado potas 3 1|2 ho-
ras da tarde do dia 7 o lugar Kaffir Chief. foi
loamente attendido em sua supplica c recolhido
a bordo pelo Sr. capitn David Evam. junta-
mente com os seas 11 marinheiros.
Que nada pode salvar, resultando ficar mul-
to molestado de urna perna e quasi nao poder
andar.
directora das obras de ronmena-
(> dos Porto* de PernambucoReci-
fe. 8 de Setembro d* 1889.
'c Kt'.:n meteorolgico
5< i
Horas 5 =5 m Barmetro a 0 Tensao do vapor a S
6 m. 24"-9 762-60 16 92 72
9 27"-6 763-49 17 65 63
12 28' 4 762-79 17.82 61
37t. 27 3 761-21 16,74 61
6 26 1 761-43 17.04 67
Temperatura mxima28',73.
Dita mnima-24".23.
Evaporarao em 24 horasao sol: 8-.9; som-
ora : 4".0.
Ghuvanolla.
Dirergao do .vento: SE variavel entre ESE e
SSE durante todo o dia.
Veiocidade media ai vento : *,79 por se-
urdo.
iMebulosidade media: 0,34.
Bolfilim do porto
iS
i
Das
M.
H.
M.
M
8 de Selembro
9 de Setembro
Horas
9-42 da manh
4 06 da tarde
1010. .
4-11 da manh
Altura
0-23
2,6I
0-.38
2-, 76
225:661502;
RECAPITULAGAO
1 1 ..-r- r? 1 -i- ..... ^e^i^ BXOM1XACM das Rnxaas Imponlaeo....... Despacho martimo..... Exportaco....... Extraordinaria...... Depsitos........ S3:8795!V'S 5:145J640 l:#ai*899 203*130 33:0835847 3:931*830 678:324*274 828:665*183 4:8795900 13:0885322 7*600 42:4635783 2:9935003 894:099*797 . 263*740 3:9685377 1955330 9585825 3:388*692 202:783*277 9:3815938 *
Total...... 212:167*213
2* seceo da Alfamlega de Pernambuco, 6 de Setembro de 1889.Ochefe de seccao, Cicero B. de
afea.O escripturario, Oion Coellio da Silva.
Servio militar Entra hoje de ronda
maior o Sr. capitao Silva, e de ronda menor 1
official de cavallaria.
O 2 batalhao dar as guardas da Alfandc-
ga, Detenco e Tbesouraria de Fazenda com o
respee'tvo oillc.ial e o 14 as da enfermara, Tlie-
sonra Provincial e Brum, o destacamealo de ca
vallara a de Palacio.
Commaoda hoje a guarda da Tbesouraria
o Sr. aiferes Manoel Bellorophonte de Lima.
Foi devolvido ao 11 batalbfio de infaotaria
n titulo de engajamento imbricado por S. Exc.
pertcneente ao anspegada Bellarmino Goncalves
llamos.
PeriHUtn de documento* ofHclaei*
Ao Sr. ministro de cstrangeiros dirigi o Sr.
Pety Thoze, encarregado dev negocios da Bl-
gica neste Imperio, a nota ahaxo transcripta,
relativa adhesio da Repblica Argentina
convenco de 15 de Marco de 1886, concernente
troca internacional de documentos ollieiaes e
de pulilicuces scientificas e litterarias.
Legaco da Blgica no Brazil.Rio de Janeiro,
1 de 1889.
Sr. Ministro.O encarregado de negocios da
Repblica Argentina, em Bruxellas, fez saber a
S. Exc. o Sr. ministro dos negocios est-angeiros
ordem'e era virtude de poderes especiaes, que o
seu governo, usando da faculdade reservada
pelo art. 10 da convengao de permuta A de 15
de Margo de 1886 aos Estados que a n5o as-
signaram, declara adherir a este acto diploma-
tico.
Ao fazer essa communicac&o, o Sr. Aureliano
Garcia accrescentou que a Repblica Argentina
habilitadas sansfazer plenamente todas as
obricacOes que decorrem da dita coavens&o, e
que foi instituida era Buenos-Ayre9, de confor-
raidade com as estipulages do art. 1, urna re-
particao encarregada do servico das trocas.
V. Kxc. nao ignora que, nos termos das raes
tractantes as accesses que venham a darse.
llecebi. portauto, ordem, por despacho de S.
Exc. o Sr. ministro dos negocios eslrangeiros,
datado de 10 de Agosto ultimo, para participar
ofcialmenlc ao governo de S. M. o Imperador
do Brazil a adheso da Repblica Argentina
convenc&o A de 13 de Marco de 18S6, concer-
nente as trocas internacionaes de documentos
ofliciaes e publicagOes scientificas e littera-
rias
Aproveito, solicito, a occas!5o que se me offe
rece, pela communicago que tenho a honra de
fazer a V. Exc. para rogar-lhe que acceite as se-
gurangas da minha alia cousiderac&o.0 encar-
regado de negocios da Blgica no Brazil, Pe!y de
Thoze.S. Exc. o Sr. coiiselheiro J. Francisco
Diana, ministro dos negocios eslrangeiros, etc.
etc.Rio de Janeiro.
t liman e nbNtUutco de tabel
UeO Sr. ministro da justiga dirigi ao Sr.
presidente da provincia de S. Paulo, nonlera o
seiuinte aviso:
Dos papis juntos ao oflicio d'essa presiden-
cia n. 209, de 17 de Maio ultimo, consta ter o
juiz de direito da comarca da Franca declarado
em solugao s duvidas suscitadas pelo contador
d'aquelle juizo e pelo juiz municipal e de or-
phaos do termo de Santa Rita do Paraizo:
1 Que, conforme dispe o art. 82 do regi-
ment de custas, lm os advogados pelas dili-
gencias a que forera fra da legua da cidade ou
villa, ou no mar, o dobro dos emolumentos Usa-
dos aos juizes de direito pelos arts. 24 e 25 do
mesmo regiment, nao se observando a propor-
cionalidade do art. 71.
2 Que, havendo no termo um s tabellio,
deve este ser substituido por pessoa idnea que
o juiz municipal designar na forma do art. 239
do decreto n. 9,420 de 28 de Abril de 1883, e
que pdp ser um dos eacrives do mesmo termo :
nao sendo necessaria a nomeago interina, tem'
poraria ou provisoria, porque esta s se d no
roas disposigoes convencionaes, Blgica que J caso de vaga, e nao quando ha um impedimento
incumbe a miss&o de notificar s potencias con- por certo e determinado lempo.
(icmEtlec'.uar-se bao os segrales :
Hoje:
Pelo agente Stepple, s II horas, ra do
Imperador n. 36 de predios, e s 11|2 na mes-
ma ra de urna casa terrea.
Amanha:
Pelo agente Britlo, s Wl|2 boras, no pateo
de S. Pedro, de movis.
Felo agente Modesto Baptista, s 11 horas, V
rua do Baro da Victoria n. 59, de moveis,piaho,
louga, etc.
wttmi* fnebresScro celebradas :
Hoje :
A's 7 l)i horas, na roatrir. de Afogados, pela
alma de Antonio Teixeira; s 8 horas, na ma-
triz da Boa-Vista, pela alma de Olympia de Je-
ss (encalves; s 8 horas, na matriz de Santo
Antonio, pela alma d Adolpno Alvos Guima-
res.
Amanha :
A's 8 horas, na igreja do Espirito Santo, pela
alma de D. Mara Benedicta Mattoso Leire; s 8
horas na igreja da Paz, pela alma de D. Isabel
enarque Lisboa ; s 7 horas, na matriz de San-
to Antonio, pola alma de Joao Vctor Francisco
da Cruz ; s 11|2 horas, na matriz de Quipap,
Kpla alma do tenente Sebastin Jos do Rege
arros ; s 7 horas, no convento de S. Francis-
co, oel alma de Joao Vctor Francisco da Grai.
Casa de DetencAoMovimento dos pre-
sos da C/sa de Detengo do dia 10 de Setembro
(1. 4889
Kxistiam 467 ; entraram22; sabiram 23; exis-
ten] 466.
A saber:
Nacionaes 4"5; mulberes 30; estcangeiros 30,
mulber 1 -Total 466.
Arragoados 409.
Bons 388.
oentcs 18
Laucos 3.Total 409.
Movimento aa enfermara
Tivcram baixa :
Joo Theodoro da Silva.
Francisco Beltro Gomes Silverio.
Jos Domingues dos Santos.
Tiveram alta :
Maria Amelia Pereira dos Santos.
Joo Prancisco de Barros.
Honpinl l'rdroli O movimento deste
estabelaairaento decartaade, no dia 8 de Setem-
bro foi o segninte :
Entraram 11
Suah-am 2
Fr.lleceram 3
Existem 582
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Dra.:
Moscoso s 81[4, Barros Sbrinho s 7, Mala-
quias s9 Loras.j
Nao compareceaamos Drs.:
Berardo.
Gysneiro.
Pontual.
Estevo Cavaban!.
Simes Barbosa.
O cirurgio denalalNuiiia Pompilio nao com-
pareceu.
O pharraaceutico entrou s 8 l|2da manba e
sabio s 2 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 7 1|2
da manh e sabio as 2 1|2 horas da tarde.
LoHria do taam-rara-A 3* parte da
31 lotera, dessa provincia, cojo premio grande
250:000f OoO, ser extrahida no dia 16 d Setem-
bro.
rande Interlat do Marunito A 6*
arte da 1 lotera, dessa provincia, cujo premio
t-rande 300:00*000 ser extrahida no dia 13
de Selembro.
Crmiirrio PublicoObituario do dia 9
de Setembro de 1889 :
Joaquina Baptista de Souza, Pernambuco, 63
annos, viuva, Graga; hepatite chronica.
Maria da Conceigo. Pernambuco, 30 annos,
viuva, Boa-Vista ; fetore perniciosa.
Jeronymo Emiliano de Miranda Ca 'tro Jnior,
Pernambuco, 21 annos, solteiro, Boa-Vista ; pneu-
mona.
Flix d/s Mercs Muniz, Pernambuco. 60 an-
nos, casado, S. Jos ; rheraatismo sciatico.
Joaquim Feliciano Ribeiro, Pernaaatmco, 12
annos, solteiro, Santo Antonio ; ttano trauma-
tico.
Deocleciano Baymtmdo Pacheco, Pernambuco.
13 annos, solteiro, Boa-Vista ; congestao cere-
bral.
Emilia Dutra Coelho, Rio de Janeiro, 28 an-
nos, solteira, Boa-Vista : tubrculos pulmo-
nares.
Antonio da Silva Neves, Pernambuco 46 an-
nos, viuvo, Boa-Vista; cyrrhose do flgado a
rins.
UM POUCO DE TUDO
Fallemos dos venenos do ara nica cousa, #
ar, que hoje no3 dado grat sobre a trrapor
que as grandes eidades se paga nao s o pi,
mas tambem a agua e a luz.
O ar de tal surte viciado que nos faz pensar
no ar puro e immaculado do errante Eupili da
que se alegravam a alma o pulrao ae Pa-
zini.



Diario de Penwimbuoo-
\
11
-
.ndem'noarmil vapores bos-
le faxer delhar a regetac&o ao re-
dor das fabricas; mas nao 6 tudo. Vendem-se
hoje pjr toda parte tijolos de car vio que quer-
mam cem-extraordinarm factlidade. Feitos ora
fragmentos de cat grandes armazens, este carvao custa pouco e
queima beni. Desgracadameme.amassado com
urna substancia rica de oxigeneo, desuada a
manter a combusto; e se adoptou murtas
para este jso o nitrato de chambo. O carvao
desenvolve juntamente pelo ando de carbono e
oxido de carbono os vapores perniciosos de
chumbo
Era 188t m doHlor's H e e Duguet lizeram a
este respeito urna importante communicacao
80ciedade dos medios dos hospitaes de Pars.
Um traneiro que quia adoptar no soio em que
merava un posee des3e carvao, que se emprega
para aquecer os carros pblicos em apropriados
apparelhos, raorreu irnmediatanente.
ltimamente oi muiio discutida na Academia
de Paris a questo das estufas movis ; as quaes,
si sao com certeza urna oplima e econmica iu-
vencao ; 6 porcn necessario que aquelles que
d'elas se servein saibam que a combusto do
carvao proJjz acido carbnico quando abunda o
ar, e oxido de carbono quando a circuladlo do
ar no interior da estufa insufliciente.
O acido ca'bonico urna substancia simples
mente asphyxiante : o oxido de carbono polo
contrario um veneno terrivcl.
As estufas movis, pela ignorancia de quem
dellas se serve, lera causado muitos accidentes,
envenenando o ar das casas; e 6 para desejar-se
que todos conhegarn o melhor meto de usar d'el-
ias, meio que consiste propriameole no assegu-
rar-se que baja serapre urna eflicaz aspiraco, de
tal sorte que os productos da combusto, asphy-
xiantes ou deletere s, sejam expellidos pela cha-
min. Vale caso a morte desceria da cbamin.
como os contos que se narrara aos meninos.
Outros venenos se acham no ar e sao exhala-
dos pela respiracao do hornera. Nao se pense
en microbios pulmo humano, segundo re
cenes tr.iba.hos, 6 urna verdadeira raloeira pan
estes infestos seres microscpicos; o ar que
d'elle sahe mais puro de microbios do q-ic o
que n elle entra.
Estes resultados so muiio extranhos para nao
se aceitaren) com reserva de verilicaco. Brown-
Sequard e d'Arsonwil deraousiraram o annopas-
sado, que o ar aspirado conten urna substancia
venenosa especial, e estas experiencias nos po-
dem dar a explicai-ao de muitos fados.
Sem pensar aos'casos de morlalidade terrivcl
que se verificara as grandes aggloraeracOes de
pessoas, casos que sao apostados em todos os
livros de nhysiologi.' e de hyyicno, bastar leu
brar os restos pbulos d'aquellcs que sahem das
reuntes, ilos bailes e dos theatros. Bastar lem-
brar a anciedade que nos opprime quando nos
achamos PC meio de urna grande multido de
gente, n'ura local estrello. Nao tanto a falta
do ar croante a existencia de venenos n'aquelle
ar pesado, que nos opprime.
Esta exbalago humana de venenos nao nos
deve admira1*. Selmi liaba demonstrado que na
materia em putrefacrAo se produzem venenos, al-
caloides, plomainos' de ac5o terrivcl. Coube
Ganthier o mrito de ter verificado, tambera nos
seres animaes viventes, a produeco de ubstan
cias venenosas, que charaou leucomainos. Coi o
certas plantas elaborara a stryebnina, a morphi
na. a nicotina e a daturina, os animaes e o ho-
rnera produzem nos seu tecidos substancias toxi-
cas, e nao adrairaco que as possam exbalar. O
hornera, como a rasca-va e a solonacea. tem os
seus venenos.
Argumento precioso para u;n pota moderno
nlt ra reritas i
E' venale que somante em condices excep-
ciouaes o hornera pode com estes txicos envene-
nar o seu prximo : mas o certo que para este
o hornera tem algumas vezes mais poderosos ve-
nenos, concentrados era um sorriso de despreso,
dusos na sorda e insistente calumnia, conden-
samos na perseguico biliosa, atroz e sem per-
do
A metaphora lalla d'um veneno de odio, de
urna febre de trabalbo t de gloria, de um litro
do desconforto e ampio da vinganca. Talvez
estas metuphoras correspondam verdnde mais
do que o julgassera aquelles que a3 acharara.
Quem pode negar hoje que nio I a realmente lea
comainos que ;nvenenaru o pobre cerebro huma-
no, e o fazem raciocinar mal f
Beclard verificou a acgo benfica da urina ;
oulros antes delle, tinbam demonstrado venfica
a saliva ; Moseo nos ciisinou que o soro do
sangue das enguias, inoculado, 6 terrivel bene
no, nao ioferior ao da coora a que tanto se asse-
melha este peixe que o velho poeta liona sera
malicia feito dizer a enguia.
3Ie colubrem fortasse putas; picis sum obesas.
Ha em todos os seres que viven urna lenta pro-
dueco de txicos. Vermeuil disse elegante
mente, a proposito, que o organismo humane,
segundo a sciencia moderna, era como urna la-
ranjeira quinte de microbios, um laboratorio
chimico de substancias uieis e urna fabrica de
venenos. Tudo isto se produz, debaixo do raio
do sol. que Ilumina cora reflcxos deouro as ca
becas louras dos meninos, color t no velludo do
pecego as faces dos meninos saos e converte as
suas radiaces nestas chunicas converses : do
sol vem o perfume flor e o virus strychnea.
gestado que muito e demoradamente admirou a
vossa man vil tos* descoberta.
O rri deseando dar-vos um testemunbo par-
ticular de felicitjces pelas grandes descoberlas
scientifteas u-)i*ersalmento conhecidas a que o
o vosso uorae fi:a eternamente assoeiido, deci-
di, molu propr'm, conferir-vos o grao de grande
official da rdei daCora de Italia.
Tenho o maio: prazer em enviar-vos da parte
de Sua Magestade as insiguias desta grande
honra. Sou com a mais subida consideracao
Pelo ministro -atazzi.
Edison agradeceu muito ao cavalbeiro Capello
e convidou o a idmocar na torre Eiffel.
Ao dessert Capello bebeu saude de madarae
ldison e de seu Ilustre marido. Edison agr
decendo-lhe len.brou, n'um toast eloquente, que
foi o Figaiv, donde extrahimos esta noticia, que
primeiro Ihe enviou as boas vindas quelle slo
trancez, onde 133 bem se di.
O Anglo-Lizitmo, jornal que se publica em
Bombauu, escreve o seguinte :
Do recensea ment da India de 1881 se co-
nliece que existe nesta trra alm de 86 milhes
de pessoas do sexo ferainmo sem occopag.o
determinada ou eraprego.
Ha, porm, outras do mesmo sexo, era nu-
mero consideravel, que se oceupam era diversos
raisteres, corao : 19 milhOes na agricultura, 2
milhes na 'nduUria dos alimentos vegetaes, 3
milhes no algoJao e lioho, 9i mil sSo sacerdo
tizas e vestaes d! templos e 75 mil sao medicas
e droguistas.
Na marinha nao ha um s membro do sexo
feminino, mas a estatistica a presenta sob o ca-
pitulo-Exercito-12 mil mulheres que perlen-
cem a presidencia de Madrasta.
Seria bello ver esse exercito de amazonas
em lula cora os russos >
+feira 11 de Setembro de 1889
M
K
O Chiquinho da a sua primeira ligo de geo-
graphia. .
O que 6 que est aqui... pergunta o pro
fessor pondo o dedo sobre um ponto do raappa.
Ab t responde o Chico, ahi est uma unha
suja.
edil sote
Coi raog indifferenti
Feconda a un lempo il lossico ai seipenti
Lo stams a le cile
Com alguns corajosos ompanheiros cxplorou
recentemente Th. Bevan as costas do golpbo ce
Papua, na Australia, que a parte mais insalu
bre da ilha, cortada por numerosos rios, e ainda
habitada por tribus, que levara a barbaria at
antnropophagia. Em razo da pequea profuri-
didade dos cursos d'agua, servio-se Bevan de
embarcaco de vapor de diminuto calado, sendo
obrigado com os seus companheiros a trabalbar
muitas vezes um dia inteiro para, no meio de
selvagens hostis, extrahir a lenha necessaria
para alimentar acaldeira durante 8 a 10 horas.
A 3 de Dezembro de 1887 utravessava a pe
quena embarcago a sinuosidades de um tribu-
tario da tiahia da Decepqao quando foram sor-
prehendidos os viajantes pelo espectculo ines-
perado de extensa hnba de liabitac-s constru
das sobre estacas beira do rio. Depois de ha
verem percorrido duas inilhas sem allingir a
extreraidadc desta cidade aqoatica, notarara o*
viajantes que ramios milhares de hornens arma-
dos se precipitavam para a embarcaso cora gri-
tos ameagadores. Felizmente, a notle permiltio
que os assaltados podessem escapar sanha dos
selvagens sem grande esforco de defeza.
Um sujeiio nasceu em Buenos Ayres de pais
franceses, e quando homem foi para Pariz. tr-
ra paterna, e viveu algum tempo como criado de
botequim.
Nao salisfeito com as gorgelas, atirou para
longe o avental de criado trajou a cavalbeiro,
usurpou um titulo de conde e tleclarou-se da-
dlo brazileiro, embora s falle um hespanhol
afrancezado : chama-se Eugenio Ganderube, e
agora chrismou se em Conde de Gonzlez da
Silva.
Gracas ao condado e ao habito, que, por mais
que se diga, faz o monge. Eugenio Ganderabe
frequentou certas raparigas alegres, que, pela
manh, ao despertarera, viram que o conde ba-
via desapparecido com as economas delta?.
Certo dia foi descoberto, preso e condemnado
a dous annos de priso.
Ao- darera a noticia, os raais graves jornaes
parizienses dizera que foi condemnado um con
de do Brazil.
E assim que se escreve a historia.
O rei de Italia enviou a Pars um delwado
que portavlor das insignias de grande offici.l
da Ordern da Cora, que aquelle monareba aca-
ba de conferir ao grande Edison.
Ca pello, o delegado, tambetn portador le
urna carta conobnla nos seguintes termos :
Ministerio da casa rea.^-Secretariado particu-
lar de Sua Mageatade o Rei de Italia.Ao Ilus-
tre cavalneiro Thomaz Alva Edison.
A ajajeentacao do phonographo inventado por
V. S.^Ra pelo engeneiie CapelTo, proddzlo a
mais viva impressao sobre o epfito e S la
O Steeple Rase Club realisa no Prado Pernam-
bucano a sua 2* corrida no dia 14 do correle.
O seu prograrama de inscripcao, que fecha se
hoje s 3 horas da larde, o seguinte :
SteepU Rase Club
Projecto de iascripgao paraa 2'corrida no dia
14 de Setcmbro de 1889
1." pareoImprenta Pernambucana 230 me-
tros uidariltios de 13 a 20 annos. Premios :
ao 1." lSOOO ; ao 2 oOOO ; ao 3." 3000.
Iuseripi;ao- 30 o.
2." pareoHippodromo Campo Grande. 130
metros.-Andanios de 12 a 15 anno3.Pre-
mios : ao 1 10*000 : ao 2o 45000 ; ao 3.2OOO
Inscripco 2 000.
3. pareo. Vencedores na inauguracao. 75
metros. Andarilhos de 7 a 12 annos.Premio
ao 1 um objeclo de arte. Inscripto 2000.
4." pareo7 de Setembro Andarilhos de 15 a
18 annos. -Premios : ao Io lOiOOO; ao 2 43 ;
ao 3 2f000. Iocripco 2.5000.
5." pareo -Dr. Souza Res. 300 metros An-
darilltos de qualquer idade, Premios : ao Io
20.5000 ; ao 28000 ; ao 3o 4*000.-Inscripcio
45000.
Este ultimo pareo nao ter lugar sem 5 anda-
rilhos inscriptos pelo menos.
Derby Club de Peraambnco
Realisou se ante-hontem a inscripco para a
20a corrida que realisar-se-ha no dia 13 do cor-
rente dando o seguinte resultado :
1." parco.Emi'lacao1.000 -metros. Eguas
da provincia. Premios : 1505 1*, 305 2* e
154 3-.
Ida, Curuja, Stella, Fantina e Semiramis.
2." paree -Prado da Estancia 1,300 metros.
Animaes nacionaes at meio sangu?. Premies :
3005 ao 1. 60 ao 2' e 305 ao 3o.
Chiron, Ruy-Blas, Minerva, Saturno, Cora, ex-
Risetle e Mimosa
3. pareoAnimacSo830 metros. Animaes
da provincia que nao tenham ganho no Derby
nesta ou mator distancia nestes ltimos 3 mezes.
Premios : 2005 ao i 405 ao 2 e 205 ao 3.
Tupv, Soldado, ex Genera!, Pinta silgo, ex-
Bolaxi'r.ha, Esquimo, lionjour, Marai, sirtco..
Delegado, Caobv, Dublin, Pombo Preto, Sobe-
rano, londor, table, Lord-Byron, ex-Lo, Ty-
raono, Bonapartc.
4. pareoCompensacao 1,400 metros. Ani-
maes de qualquer paz que nao tenham ganho
em maior distancia no Derby nestes ltimos 3
mesa*. Premios : 4U0J ao 1", 805 ao 2 c 405
ao 3.*
Africana, Brazil, Vanda, Salvalus eCynira.
o. pareo Provincia de Pemambuco.- 900me-
tros-Animaes da provincia que nao tenham ga-
nho no Derby em distancia superior a milha.
Premios : 20J5 ao Io 403 ao 2" e 205 ao 3.",
Corsario, Village, Piramon, Monitor, Florete,
Good-morning e Cndor
6." pareo-/nrnarioa/-l,800 metros.Ani-
maes de qualquer paz. Premios: 5005 ao Io,
1005 ao 2 e 505 ao 3."
Vesper, Apollo, Feuillage, ex Josephus, Gla-
diator, ex-Deroy.
7 pzreoProsperidade 1,000 metros Ani-
maes da provincia que nao lenham ganho em
maior distancia nos prados do Recife. Premios:
2005 ao 1", 405 ao 2' e 205 ao 3o
Piraraon, Cupido, ex-Traviata, Ciclone, Pnari-
scu, Esquimo.
*
Foram chrismados os animaes Risette era
Cora; Josephus em Feuillage; Derby em Gla-
diator ; e Travala em Cupido.
Que tenham seao melhor, boa sorte com a
mudanca nominal.
Na actual ostago, isto -6, de 1 de AbJil
de Junho, o? animaes abatxo desigual
taram os premios seguintes :
Troia 6:171
My Buy 6:160
Dayltreaek 4:9401
llugnenotte 4
Cleopatra 4:i0WDS0
Vivaz 3^9005900
Toreador 3:8105W0
Feniatit 3:6O0Ol
Tenor 3.1405408
*
Fallecen era Paris o velho entramar jM.
Milton com 72 annos de idade.
Servio durante 25 anuos era casa de lotd Fal-
mouth como entraintvr, e entre outros aranaes
que estiveram ao seu cuidado contam-se kicca-
neer, Robira Wood, Bech Sharpc, Wbalelon e
Sydmonton.
"Era pai do conbecido veterinario parisiense
G. Milton. \
Varios proprietarioj de ca vatios, em Pyis,
abriram urna subscripcio a favor do jockey
Sliepherd, que est actualmente impossibifta
do de correr por soffrer de constantes ornea
nervosas.
CHBONICA JDICIARIA
Por sensiveis e uteis reformas acaba
sar o prado Villa Isabel -fazendo
de pas-
a nova
directora construir una elegante casa para o
Service de apostas, que ofTerece quafo faces,
cercada de um alpenire sobre columnas.
O recinto da passaguem ficou collocado no
centro do cnsilhamento, que foi alargado e urna
nova secgo de cocheiras foi levantada fronteira
antia.
Os boteqtiins offerecem maior commodidade
e melhor aspecto.
Um recinto especial foi consagrado impren-
sa, nao detxando de ser objecto de ..ttengao a
casa de enfermara, onde foram admittidos o
confortavel e o in dispensa ve I.
o deixareraos de louvar a solicilude da ad-
mitiistiacao da scciedade, que desempenhou o
seo maniato, lirmando a sua credicao de modo
lo positivo.
*
Chegaram do Paran e esto as cocheiras
dos Srs. Th. Sedertron Guimares os gara-
nhOes Gold Mstere Lincoln, constando que vo
para Buenos-Ayrts.
Gold Master est perfeito e em condiges de
fazer carreiras; se encontrar comprador na cor
te, nao ira ao Rio da Pi ata.

O sportman, da corte, Sr. Jos Carlos de Fi
gueiredo espera receber brevemente dous ca-
vallos trotadores.
O Sr. Jos Guimares tambera encommendou
e espera receber muito breve cinco cavallos tro-
tadore3.
O Sr. Osear K'angeon deve receber breve-
mente dous cavallos trotadores, tendrj o Sr. Joa-
Jnim da Costa Babo mandado vir dos Estados-
nidos outro de puro sangue.
*
Urna commissc dos Har do governo francez
comprou os garaches Stltne por 14,000 -frs.,
Sirop e Balzon per 9,000 fr., e Pandjta por
8,000 frs.
Lord Willoogb Jg de Brok vai fundar um hars
em Compton Veney, te eociedatle com M. G<
sel.
Tribunal da Relaco
SE3SO ORDINARIA EM 10 DE SETEMBRO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EX..U. SB. CXSKLHEIHU
QINTINO DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume. presentes os Srs. acs-
embargadores em numero legal, foi berta a
sesso depois de lida e approvada- a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
JOL AMENTOS
Habeas corpus
Paciente :
Napoleo ("arneiro de Hollando. Negou-saa
soltura, unnimemente.
Recursos eleiloraes
Do Recife Recrreme Jos Amancio Gui pa-
rtee, recorrido ojuizo. Relator o Sr. desembar
gadorAlves Ribeiro.Deu-se provimento contra
os votos dos Srs. desembargadores Monteiro de
Andrade, Pires Goncalves, Pires Fcrreira e Del-
fino Cavbante.
Do Bonito Recorrente o juizo, recorrida-
Cmara Municipal. Relator o Sr. desinbarga-
dor Tavaresde Vasconcellos.Deu-se provimen-
to em parte, contra o voto do Sr. desembargador
Silva llego.
Recursos crimes
De Recife Recorrente o juizo do commercio,
recorrido Salvador Gongalves Braga. Relator o
Sr. desembargador Silva Reg. Deu-se provi-
mento. unnimemente.
De BananeirasRecorrente o juizo, recorrido
Francisco Jacinlho de Oliveira. Relator o Sr.
desembargador Dcllino t.'avalcaute. Negou-se
provimento, unnimemente.
De Limoeiro Recorrente o juizo, recorrido
Jos Ignacio. Ri-lator o Sr. desembargador Pi-
res Ferreira. Negou-se provimento, unnime
mente.
De Pianc Recorrente o bacharel Flix Joa-
quim Daltro Cavalcante. recorrido o juizo. Re-
lator o Sr. desembargador Alves Ribeiro. Deu-
se provimento, unnimemente.
De Campia Grande Recorrente o juizo, re-
corrido Joaquim Jos Barbosa. Relator o Sr.
desembargador Silva Reg. Negou-se provi-
mento, unnimemente.
Aggravos de petigo
Do Recife Aggravante Salviano Luiz de Si-
queira, aggravado Gaudencio Jos Raposo. Re-
lator o Sr. desembaruador Alves Ribeiro. Ad-
juntos os Srs. desembargadores Pires Ferreira e
Oliveira Andrade.Negou-se provimento, unni-
memente.
Do RecifeAggravante Antonio do Carrao Al-
meida, aggravado padre Manocl Moreira da Ga-
ma. Relator o Sr. desembargador Tavares de
Vasconcellos Adjuntos os Srs. desembargado-
res Pires Goncalves e Dellino Cavalcante. Ne-
gou-se provimento, unnimemente.
Aggravo de instrumento
De Timbauba Aggravante Antonio avalcan-
te da Silva, aggravado Antonio Eaiygdio Barbo-
sa Gomes. Relator o Sr. desembargador Pires
KuMin. \iljiliitn-j os Srd. dosctnliui'^fn!
Silva Reg e Tavares de Vasconcellos.Negou-
se provimento. unnimemente.
Prorogaces de inventario
Inventarame D. Mara Florentina de Albu-
querque Montenegro. Concedeu-se o praso pe
dido.
dem Adolplio Pereira Carneiro.dem.
dem D. Anna Rosa Cavalcante.dem,
dem Joo da Silva Farias. Em diligencia.
PA8SAGENS
Do Sr. desembargador Dellino Cavalcante ao
Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellago commercial
Do Recife Appellaate Thomaz Jos de Gus-
rao, appellados Ernesto A Leopoldo.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Appellaco enrae
De OlindaAppellante Genuino Jjs dos San-
tos, appellada a jusilla.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellago crime
De GaranhunsAppellante o juizo, appellado
Antonio Jos de Ar.tujo.
O Sr. desembargador Pires Gongalves como
promotor da justica deu parecer as 3eguintes:
Appellaces crimes
De Quebrangulo -Appellante o juizo, appella-
<'o Juvencio das Chagas Leite.
De Bom ConselhoAppellante o juizo, appel-
lado Laurentino Pereira Sobral.
De In^azeira Appellante o juizo, appellados
Pedro God de Vasconcellos c outros.
Do Sr. desembargador Alvos Ribeiro ao Sr.
desembargador Tacares de Vasconcellos :
Appellagao rival
Do Recife Appellante o administrador do
mosteiro de S. Bento, appellada a Fazenda Pro-
vincial.
Do Si. desembargador Tavares de Vasconcel-
los ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Appellaco crime
Do Pilar Appellante o juizo, appellado Fran-
cisco Alves de Araujo.
AppellagSo civel
De PalmaresAppellan'e Miguel Alfonso Fer-
reira, appel'ado Jos Abilio de Barros.
Do Sr. desembargador Oliveira Adrade ao
Sr. deseuibaigador Silva Reg :
Appellaco crime
Do Recife Appellante Coriolano Herculaoo
Paes Brrelo, pellada a justiga.
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justija:
Appellac&o crime
De Iqgazeira -- Appellante o juizo, appellado
Joaquim Baptista de Lima.
Appellaco civel
Do Recife -Appellantes CramerFrey, appella-
da a Fazenda Provn cial.
Em diligencia no juizo a qu :
Appeilaco crime
Da Princeza Appellante Antonio Alves dos
Santos, appeada a justica.
Encerrou se a sessao s 2 horas da tarde.
Dr. Joaquim Loweiro medico e partei-
, consultorio ra do Cabug u. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
uieio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en
tradapela ruada Saudade n. 25.
Or. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Casias n. 46, 1.* an-
do ser procurado para chamados na stnt
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
ephone n. 303.
Dr. Cerqueira Leite, tom o seu escrpto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Bario
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de cranc.a senheras e parto.
Telephone n. 326, da casa de residencia.
Dr Alvares QaimarS.ee, chegado da
corte, dadica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
93o, pulmoes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s feccoes das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesue
(antiga da Cruz), n. '45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Simplicio Maviguier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades: molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (P050 da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manha e
tarde. Teleshone n. 392
Occulista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica do Paris e Lon-
dres, consultas todos os das das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia i na Larga do Rosario n- 20-
Advogados
O bacharel Bonifacio de Aragao Furia
Rocha contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46., 1. andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
Silveira, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
J. A., de Magalhaes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1." andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocacia, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1/
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'oia ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de escreverA melhor a tinta
Vict-.ria, vende-se a 500 rs. meia garrafa
e a 800 rs. urna garrafa inteira na Livra-
ria Conteinparanea de Ramiro M. Costa,
ra 1. de Marco n. 2.; loja de ferragens
de Albino da Silva & C., ra da Cadeia
n. 42 ; loja de ferragens de Brandao & C,
ra Duque de Caxias n. 40.
Ao publico
m
V
m
i
IPICAyOES DTEIS
Sledlcos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagom do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 b>
3 da tarde em sua risid enca ra do
Bora Jess (antiga da Crt) n. 28> L*
andar. Telephone n. 389
O Dr. Matheus Voz, medico, te o en
escriptorio a ra do Bario da Vietorih
n. 51, 1." arraf, onde d consulta* d
meio'da 2 horfe da tarjo. Refcide 1
ra de Gervasio Pires n. 27. Enearrega-
se do tratamento da* aaotesti Telephone n. 427.
Victima de um acto violento do ministerio ac-
tual que me demittio do cargo de juiz substitu-
to da comarca de Timbauba, nesta provincia, no
qual havia sido reconduzido, achando-me em
exercicio do novo quatriennio, abaixo publico a
minuta do recurso queinterpuz para o conselho
de Estado, desse acto altentatorio, nSo tanto do
meu direito, como pincipalraente da Constitui-
C/io e das leis, que os dominadores da situaco
actual calcara aos ps com o desembaraco que
lhes dictara os sentimentos de partidarismo 111
frene contra lodos aquelles que nao Ihes podem
servir de instrumentos de urna poltica desabu-
sada e divorciada das normas ordinarias da jus-
tica e da mais vulgar moralidade.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
Bellarm'no Guedes Corma Gondim.
Minuta de recamo
Senhor -O bacharel Bellarmino Guedes Cor
rea Gondim, na forma do artigo 46 do regula
ment n. I2i de 5 de Fevereiro de 1842, recorre
para Vossa Mgestade Imperial, do acto do Exm.
Sr. ministro da justica que destituio o supplican-
te do cargo de juiz substituto da comarca ae
Timbauba nesta provincia, fra dos casos da lei
e as condicoes em que o mesmo supphcante
pasea a expor a Vossa Magestade Imperial abra
de que em sua alta sabedoria e justica o reinte-
gre no cargo de que acaba de ser illegal e mes
mo violentamente prvauo, nao estando alias su
jeito a ser demittido ad nutum, a arbitrio do mi
nisterio da justica.
Eis, Senhor t os factos expostos singelaraente
e comprovados com documentos offieiaes :
O snpplicante exercia o dito cargo quando por
decreto imperial de 25 de Maio do correte anno
foi nelle reconduzido.
Expedido o titulo e apresentado presidencia
desta provincia, em 13 de Junho seguinte, nelle
foi langado o respectivo cumpra-se e registrado
na respectiva secretaria, depois de pagos os emo
luraentos e sello devido3, tendo tambem nelle
lanzado o visto o Dr. juiz de direito da co
marca em 25 do predito mez.
Haveudo o supplicante terminado o seu qua
triennio a iterior em 24 daquelle Itimo mez, no
dia 25 entrou em exercicio do novo quatriennio
do dito cargo em que fra reconduzido, tendo se
procedido ao assentamento e incluso com folha
na Tbesouraria de Fazenda era 13 de Julho ul-
timo.
Todos esses actos esto provados pela copia
junta do titulo com suas notas. (Doc. n. 1.)*
A presidencia da provincia por oflicio de 25
do referido mez de Junho coramunicou The
souraria a posse e exercicio do novo quatriennio
do supplicanie e em rirtude desta coramunica-
Co, o mesmo supplicante all recebeu no mez de
julho seguate 03 seus vencimentos, inclusive
seis das correspondentes ao exercicio do novo
quatriennio.
Estes outros factos sao comprovados pelas
duas certuloes, aqoi tambem juntas, constando
a communicacao igualmente do expediente pu
bli' '3 ao Diario de rernamtnco, n. 179, de 10
de Agosto Ando. (Docs. ns. 2 e'3).
Mnuosdias depois da posse e exercicio do
supplicante, em 13 de Julho, foi que o novo vice-
p estdente da provincia expeda ao Dr. juiz de
direito da comarca o seguinte telegrama*;
Faca intimar bacharel Bellarmino Onedes
Crrela Gondim para que passe desde j exerei-
cio cargo juiz substituto a seu subatttato legal,
visto ser nulta conforme decidi Sr. ministro da
justfca telegramma de hontem, sua pesse poste-
rior M de Junho qne declaren seta etfctto a re-
comroeco.
O Dr. juiz de direito da comarca eserupolisou
cumprtr esse telegramma pelas razes que ex-
por ao novo presidente da provincia, que succe
deu ao vice presidente, por officia de 17 tfodito
mer-de Julho, no qual declarou que na ten-
do recebdo at eutao communicacao alguma do
goreit, s havia lido pela piHtfaira tez'no Dia-
rio de Pernamh*f4tr17 do mez de Junho que a
recondocefio do snpplicante fra considerada de
nenhum effeito par despacho' de 18 (e nao de 15,
comodizia o telegramina) daquelle mesmo mez.
3" Se pedrrem demissSo e o governo Ih'a con-
ceder.
4o Se forera privados do lusrar por acntenca .
A vista de to expresaos disposiges 6 fra de
qualquer duvida, que o supplicante nao poda
ser privado do seu cargo, 00 qual fra recondu-
zido por raais quatro annos na frraa da lei e era
cuja posse e exercicio j se acbava, nao s an-
tes de ser coohecklo o acto do governo qne cas-
sou a sua icconducco, corno tambera antes de
ser feita a nomeacao do bacharel Antonio Joa-
quim de Albuquerque Mello, posteriormente cas-
sada tambem pelo governo que nameou recen-
temente para o dito-lugare hachare! Antonio
Cardoso Ayres.
Os fundamentos desse acto do governo irapo-
rial,.maa expostos pela presidencia desla provin-
cia, no citado oflicio de 12 de Abtelo ao 1)'\ juiz
de direito da comarca, sao de todo (Kioto insub-
sistentes e offensivos de preceitos constitucio
naes evidentes com violaco dos quaes fui con
sumada a deslituico do snpplicante.
Assim em prirnoiro lugar nao podendo nem a
propria le retroagir com oflensa de direilos ad-
quiridos, porque ella obriga para o futuro e
depois que 6 conbeci a, os actos do governo nao
podem gosar de privilegios contrarios que a
Constituyo eo direito positivo do paiz nao at-
tribuera s leis, expresso da vontade nacioaal,
concrelisada pelo Esta Jo.
. Isto est do accordo coma Constituigo art.
179 1 e 3 e com a deciso o. 400 de 31 de Ou
tubro de 1873.
Se o acto questonado, nao transmitalo op-
portunamente por telegramma, chegou tarde ao
conhecinieuto do supplicante, a reconduccao
havia produsido iodos os seus effeitos pela pos-
se e exercicio anterior ao conhecimento de tal
acto e elle, do mesmo modo que nenhuma lei
tem a forca jurdica ou antesjleaal de rescindir
actos legtimamente consumados, feriado direi-
los regularmente adquiridos.
Tambem por oflicio de o de Agosto findo o
Dr. juiz de direito, em resposta ao oflicio da
presidencia do dia Io, cobrindo copia de novo
telegramma de 3 de Julho, do Ministerio da Jos
tifa, reproduzia sobre o assumpto asob-erva-
ces que havia prevenido por seus j citados
oflicios de 17 24 e 29 do anterior mez de Julho,
tornando saliente a circunstancia de parecer-llie
que o governo imperial ainda nao havia dado
soluco alguiua sobre o incidente com o conhe-
cimento previo das informaces prestadas por
elle juiz de' direito e por cuja remessa elle havia
insistido.
o m'smo oflicio o Dr juiz de direito recla-
rnava providencias preiidencia contra o po
cediraento das autoridades pohciaes que emba-
racavam a marcha dos processos tirados pele
supplicante, recusando-se a lindar apresentar
e escollar os seus presos que deviam assistir
formaco da culpa,
Efectivamente, ao passo que o Io supplente
de delegado reconheca a legilimidade do exer-
cicio de minhas funeges como juiz substituto, o
delegado elfectivo assumio o exercicio para nao
salisfazer requisifio alguma legal (documen-
tos ns. 4 e 5).
Taraoem a presidencia nenhuma providencia
toraou apesar de solicitada pelo juiz de direito e
pelo menos tornou-se indilferente, nao parecen-
do esti anno s ordeus expedidas pelo chele de
polica para embaracar a juiisdi-co do sup-
plicante e talvez suscitar conflictos e collises
seinpre prejudiciaes administraco da jus
tifia-
Incidentemente releva notar que o presidente
da Cmara Municipal recusou atte3taro elfectivo
exercicio do supplicante, durante o mez de Ju-
lho, declarando por despacho que a presidencia
era 26 do mesmo mez Ibe havia remettido copia
degrauma de 11 expedido pelo Ministerio
da Justica (documento n. 6.)
De modo que privando o supplicante dos seus
vencimentos e oppondo-lhe forca da polica
local, a adminislraco, sera soluco delinitiva do
caso pretenda reduzir o supplicante a abando
nar illegalmente o cargo que exercia legtima-
mente e do qual alias foi demittido, como se se
tratasse de um lugar de confianca poltica ou
mesmo pessoal.
As illases irrecusaveis que o supplicante tira
dos factos sao corroboradas pelos termos do ul-
timo oflicio da presidencia, de. 12 de Agosto lin-
do, em resposta ao j CtftKo de o do mesmo mez
que Ihe dirigir o Dr. juiz de direito da co-
marca. ..
Effeetivamenle nesse documento a presiden
ca reconhece que a minba jurisiHccao estava
sera a forca de coerco precisa que na
hypolhese (o poder judiciario) encontra se des-
pido com os auxiliares com que a adrainistragSo
Ueve anxiliar e proteger a sua aeco etc.
Mas em virtude desse oflicio que me foi re-
mettido por copia pelo Dr. juiz de direito da co
marca dcixei o exercicio em 29 de Agosto lindo
(documento n. 7).
E por isso as observares nelle emitidas em
contrario s do Dr. juiz de direito sero pelo
supplicante adianto apreciadas urna vez que
acaba de completar a exposco dos factos, objec-
to di ste recurso.
Della resulta prtmi facie que o acto do Minis-
terio da Justtca em virtude do qual foi destitui-
do do seu cargo o suppiican'.e mam Testamente
contrario s leis em vigor porque importa sua
deraisso do mesmo cargo.
Assim a lei n. 2,033 de 20 de Setembro de
1871 declara terminantemente no art. Io em re-
laco aos juizes substitutos :
I Io.... e serviro por quatro annos as mes-
mas condicOes e vanlagens dos juizes munici-
paes.
Sobre estes dispOe a lei n. 261 de 3 de De-
zembro de 1841 :
Art 14. Estes juizes serviro pelo tempo de
quatro annos, lindos 03 quaes, podero ser re
conduzidos, ou nomeados para outros lugares
por outro tanto tempo, comanlo que tenham bem
servido.
Igualmente o reg. n. 120 de 31 de Janeiro de
184 assim estabelece :
Os juizes municipaes servirSo pelo tempo
de quatro annos findos os quaes sero promovi-
dos aos lugares de juizes de direito, quando ba-
ja vagas, reconduzidos ou passados para me-
Ihores lugares, -*etiverem bem servido.
Durante o quatriennio sonunte deixaro 03 lu-
gares nos seguintes casos :
Io Se forjm nomeados juizes de direito
V Se forem removidos para outro lugar a re-
queriaienlo seu. .
Em 24 do mez de Julho o Or. juiz de direito
da comarca participou em oflicio presidencia
que declarara ao bacharel Antonio Joaquim de
Albuquerque Mello nomeado juiz substituto da
comarca por dec. de 28 de Junho que o nao con
siderava em exercicio, conforme Ihe participa-
ra, nao s porque o supplicante desde o diaJo
anterior ao novo decreto, estiva em exercicio
do novo quatriennio, corao porque nao tinha
aquelle bacharel 03 dous annos de pratica para
a nomeacao exigidos pelo Io do art. da le
n. 2033 de 20 de Setembro de 1871.
A presidencia da provincia era 26 do dito mez
de Julho ainda ofciou ao mesmo Dr. juiz de di-
reito transmiltindo-lhe copia do aviso do Minis-
terio da Justiga de ti do referido mez.
Tratando se de assumpto idntico ao supra-
mencionado telegramma, o Dr. juiz de direito
por oflicio de 29 ponderou que se reportava aos
seus officios de 17 e 24 posteriores ao aviso, sa-
liealando as circumstaucia* notaveis no caso de
serem posteriores posse e exercicio do sup
plicante, nao s o conhecimento do acto do mi-
nisterio, cassando a sua reconduccao, como a
nomeacao do novo juiz, de cuja falta de dous
atmos de pratica o Dr. juiz de direito exhibi a
prova, anuexando ao seu ofrica a certificada de
formatura do nomeado.
O supplicante nSo contesta que pertcnca ao
poder executivo, a ncmiwre&o de juizes substi-
tutos, mas feita esta e etnpos=au\> o nomeado,
ao mesmo poder nao licito mais distituii o, ou
removel-o, vista das disposicS.-s cima cita-
das. .
Se o poder exeetrtiro pretende urna indepen-
dencia que se ihe nao pode negar, o pod*r judi-
cial merece igual tratameuto e por isso e altenta-
torio da sua Independencia consttucooat que o
Inlz substituto nomcrado pelo imperador nos
termos da rei CS (re DezenAro, art. e m-
vesrfto legatmentedo cargo pela tnulo, posse-e
exercicio, seja delle destituido em-virwwe de
deCisio doMinisterto 'da justica, trae* ronda
ment em lei on rejfWamento tfertana estar-nw-
la a pese xefcic*, precerterrdo iuraemo e
era pfwricio algama dawrtnwm fonOBlitlwie.
De meen naado'qnc o povter judlcial'ifto'pe-
de immiscuir-se^pos aclosdenwneacSo dea*
gislrado pelo poder executrw, eete^iaVpode
fazel o arespeitoda validade ou tnvalidade de
aeto rJc poder judicial qe podem Influir nos
julgados, inquinal os de nullidade pela inter-
veuflo de um jma incompetente, verdadeiro in-
truso, corao o nomeado para subslUuif o sup-
plicanie no cargo em que se achava j em exer-
cicio.
A outra observaeo do citado oflicio da pre-
sidencia nao mais prosodente porque preten-
de attfibuir aes aclos do governo urna forca que
as leis nao tm, isto que se nao so obligato-
rios e produzem- effeitos antes de conbecvdos,
devem sel o e produzilos de-modo retroactivo,
feriado direilos, anterior e legtimamente ad-
Juiridoe, como no caso de que se tracu, q*ian-
0 a propria lei nao poderia ter semeluante.vir-
lude.
Em urna patarra : o SHpplicatite reconduzido
e em exercicio de um cargo, do qual legahneu-
te nao pedia ser destituido, foi simplesmente
demittido delle, sob o pretexto injustiflcael de
que a sua posse e exercicio eram nullos, desde
que um acto do governo corihecido posterior-
mente aos actos suppostameate anuulludos cas-
sou a reconduccao do supplicante que j bavia
produzido legalmente como tffeitoa a posse e
exercicio do magi.-tiado nomeado por quatro
annes e que s nos casos legaee pode perder o
lugar.
Se o governo imperial pode cassar nomeaces
em quanlo estas esto re integra, na esphera dos
actos do poder executivo (Const. art. 102 3);
nao pode absolutamente fuzel-o, sem altentar
independencia do poder judicial e seguranca
dos Eeus memores, qnando este pela nres-
tidura que Ibes d a posse e o exercicio. ficam
sendo considerados como fazendo parte deste
poder; e na hypolhese ? podendo perder o lu-
gar nos casos taxativamente mencionados na
leis invocadas.
O magistrado, tanquam talis, s est sujeito
jurisdieco dos seus pares e por excepeo que
o poder moderador, syntliese de todos os outros,
e nao a executivo, nade suspndelos: Coast.
arts 101, g 7o; e 134
A attribuieao que se tm arrogado os presi-
dentes de provinca para suspender os juizes mu-
nicipaes 6 urna funego de legalidade duvidosa
diante do arl. 11 g 7- do acto addicional, porque
a lei n. 38 ue 3 de Outubro de 1834, embora pos-
terior regulamentar, e o seu art o 8, refe-
rindo-se lei de carcter transitivo de ti de Ju-
nho de 1831, art. 17. inexequivel. porque os
presidentes nao resolvem mais em conseibo,
qutjuo existe, como exigi a ultima disnosHjo.
Investido pois o magistrado da judicatura pe-
la posse e exercicio, a sua destituigo um ma-
nifest atentado ao poder judicial, porque o
executivo s pode ter sobre elle a forga decoer-
Co a que alludio a presidencia desta provincia,
mas em todo caso injusta e vilenla.
A' visla pois desla -exposco da njustiga e
illegalidade cora que acaba de ser ferido o su-
plicante com violaco da Coostituico e das leis
citadas, o supplicaHte confia que V. M. Imperial,
sei vindo-se de ordenar que se Ihe prestem as
informaces necessarias sobre o caso, ouvido o
conselho de Estado, se digne de fazer respeiter
pelo governo os direilos do supplicante, man-
dando reconhecel-o como juiz substituto da co-
marca de Timliaba, cassando-se a nomeac&o
posterior do juiz inlrufo, conforme o aconse-
lham o respeilo Constituico. o cumpriraesto
da* leis, a independencia do poder judicial e os
legtimos interesses da admiuistraco da jusli-
Ca. cousas estas todas dignas da maior venera-
c3o em um paiz culto em que o arbitrio e a vio-
lencia apoiados na forma material nao conslitm-
rara nurma de governo. Assim.
P. a V. M. Imperial
Deferimenlo
e: r m.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
Bellarmino Guedes Correa Gondn.
Pao d'Alho
Hcntem, s 9 1/2 horas da noite, adiando me
em meu estabelecimento eommercial de molha-
dos, ra 28 de Setembro n. 34, nesta cidade,
onde resido com minha fanlia, e achando-se
taniem presentes minha senhora emeus lilhos,
di us dos quaes sao meus socios, chegaram duas
pracas de polica acompanhadas de um individuo
paisana, que. segundo dizem sargento e se-
cretario do delegado de polica deste termo, te-
nenle Joo Pires Ferreira, intimaram-me de or-
dera do mesmo delegado a fechar as portas do
estabelecimento, urna vez que j passava de 9
horas; e allegando eu que nao trepidava em fe-
char as portas, porque j estar para isso feaer,
visto como estava fazendo a caixa, ped-Ihes
que dissessem ao tenenteque viesse elle mesmo
intimar-me a fchalas, porque eu particular-
mente nao acreditava que lal ordem fosse expe-
dida por elle, mas, retirando se a patrnlha, pou-
co depois appaieceu o referido lente, acom-
panhado da mesma palrulha, e em altas voaes e
gritos, intimou-me a fechar as portas, allegando
j passar de 9 horas, e que sendo isto ordem
sua, havia de ser fielmente cumprida e obser-
vada.
Ponderei-lbe cora bous modos que nao haven-
do no meu estabelecimento reuniSo Ilcita e oc-
cupando a minha familia a mesma casa era este
o nico motivo porque eu nao a fechava logo
s 9 horas, alm de que nao o conhecia como
fiscal da Cmara Municipal para impor-me tal
ordem !
Ah tal observaco nao acahava de ser leita,
quando o lente delegado alterando demasia-
damente a voz e usando das maneiras brutaes,
que Ihe sao peculiares, chamou a attengao do
publico desta cidade, comparecendo nessa oc-
casiio em meu estabelecimento grande numero
de pessoas, entre os quaes o cidado Jos Zele-
rino dos Santos Reg, eleitore negociante; pro-
fe ssor Vicente Ferreira Pessoa Villa Nova, elei-
lor: Antonio Tertuliano deSant'Anna Res, elei-
tor e negociante; Severino GaudencioFurtado de
Mendonca, caixeiro matriculado ; Manocl Rodri-
gues dos Santos, artista; Jos Francisco da Rosa
Jnior, e Joaquim Franci.-co do Prado, artista,
moradores uetta cidade, os quaes foram teste-
rnunhas presenciaes do acto arbitrario e illegal,
praticado pelo referido delegado tenente Pires,
que fulo de raiva, nao cessou de ameacar-me;
promeltendo afina!, que em outra occasio me
obrigaria a fechar as portas I
Nunca offendi directa nem indirectamente ao
Sr. Pires e s me parece que essa iodisposico
d'elle para commigo data desde odia 31 de
Agosto prximo findo, quando. em plena fcira,
urna praca sob seu conimaodo esbordoou a um
rapaz de nome Pedro Velloso, e eu saliendo do
facto, em raz&o de haver o ofl'endido compare-
cido em minha presenca, pedindo me para, na
qualidade'de 3* juiz de paz em exercicio, visto-
rial o, mandei o apresentar ao Dr. juiz munici-
pal, e d'alii pordianle comegou o tenentea man-
dar todas as noites, e de vez em quando urna
patrulha rendar s portas do meu estabeleci-
mento, como se n'elle houvesse algum crimi-
noso I ..... ,
Nao pretenda dar publicidade aos outros Jac-
tes, se houtem nao soffresse os desacatos que
acabo de mencionar.
Estn atiieagado de soflrer qualquer offensa
por parte da polica do Sr. tenente Pires, que
prometteu obrigar me em outra occasio a fe-
char a Dorias do meu estabelecimento, pelo
que desde j venho do alto da mprensa re3-
uonabilisal o por qualquer que seja a offensa
que eu possa soffier em minba casa ou fra
d'ella : pedindo ao Exm. Sr. conselheiro presi-
dente da provincia e ao Sr. Dr. chefe de polica
as providencias que o caso exige, urna vez que
de autos illegaes e arbtranos s pode resultar
um conflicto pelo qual eo nao tumo a 9umma
responsabilidade, visto como nessas occasies,
os amigos nao coasentem na desmoralisac*o
d'um amigo.
Voltere, se fr necessario.
Pao d'Alho, 8 de Setembro de 1889.
F-rm-no Venancio de Ara*o.
A's almas cariciosas
Na Toa das Carrocas n. 4, vivem na maior pe-
nuria a riuva Senhorina dos Santos Bastos e
sua filha Coleta da Silva Bastos, duas inelises
a quem tudo falta. ____
Pede-se s almas candosas e bem 10
que ve era auxilio dessas pobres rittHMs at
infortunio
Dcus Ins-pagar o bem que fizerem a tao
ditosas creaturas.





Diario de PernambucoQuarla-feira 11 de Setembro de 1889
O commendador Antonio da
Silva Girio ao publico
A Qtela da Tarde de hoje trouxe urna
carta em que narra-se com as odres mais
negras um facto que deu-se na Capunga e
de que foi autor um hespanbol que Be diz
ser meu sogro e mea socio.
A noticia inteiramente falsa no que
diz respeito a mim. Meu sogro falleceu
ha seis annos e nSo era hespanhol.
Nfio tenbo socio, e a minha casa com-
mercial gyra sob a minha responsabilidade
exclusiva.
NSo sei, portanto, como foi possivel en-
volver-ae meu nome n'um tacto em que
figura como protogonista um cavalheiro
que b diz ser meu sogro e meu socio.
Eu faco a justica de crer que a Ilustre
redaccao da Oazeta da Tarde nlo teve in-
tencSo de molestar-me. Venho mpren-
sa tilo smente protestar contra aquella
noticia e defenderme ante o publico que
digno de respeito e cdnsideracSo.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
iVanted
Compra-se por qualquer prego o cardapio em
verso, que foi distribuido no Convescole de Dous
Irmaos no dia 8 do correte.
Qaem quizer ab3Coutar urna boa quantia an
nancie para ser procurado.
A nm iiK-osulto da azeta da
Tarde de hoje
A minha dignidade repugna apanhar a
lava que esse industrioso atirou lama
Sufrida das ruaB com o malvolo intuito de
izer-me curvar, e nessa curvatura em-
porcalhar-me.
Descance que eu nao Ihe proporciona
rei essa opportunidade para ridicularisar-
me com gargalhadas de escarneo.
A parte as suas maliciosas gmtrosida-
des, que por isto mesmo as nao agradeco,
proclamando me o que nlo sou, um orna-
mento e estrenuo advogado da repartilo
onde sirvo, das ferro-vias de t. Francisco
e Caruaru', e na qual nao passo de um
obscuro secretario, que apenas procura
leal e dignamente bem desempenhar-se em
seu emprego, o mais que se contm na
publicacSo Contracto Lesivo, a que me
retiro, nSo me merece resposta, porque,
sobre tudo, de sua leitura s se verifica a
maledicencia de mSos dadas com a alei-
vosia.
Sem cunho cdictorial, e, portanto, sem
responsabilidade legitima, seria eu um
nescio se lhe oppuzessc qualquer con tes-
tacSo.
NSo o aria, nem mosmo quando fosse
verdica a sua referencia a Contracto Lesivo,
que nao ohouve e nao o ha, posso desde
j assegurer, c tenbo direito para assim
pronunciarme.
Eis explicado o meu silencio.
Res non verba.
Recite, 9 de Setembro de 1889.
A. 6. de Giumo Lobo.
(*) Reproduz-se esta publicacao por ter
sabido hontcm com varios erros typogra-
ptico?.
Companhia do Beberibe
Corrigenda
Na parte em que se le : aceces cotadas
aoa jornaes a l")O/J0O0, cada urna, foram
vendidas a 150<$0t0.
Leia-se : accSes votadas nos jornaes a
t5f>000, cada urna, foram vendidas a
1500000.
Na parte em que se le: na hypothese
de sal ir a agua; at, com torca.
Leia-se na hypothase do sahir a agua,
at^ com forja.
E urna questo do pontuacao.
COMMERCIO
Revista do Mercado
RECIFZ, 10 DE SETMHkO DE 1889.
O movimenlo limitou-se a pequeas transac-
*tes no mercado de cambios.
Bol
sa
3 3TAQUES OFFICIAK8 DA JUNTA D08 COB
RETOBES
Recua. 10 le Setembro de 1889
Nao houve eotagao.
O presidente,
'"andido C. G. Alcoforado.
O secretario.
KdnaitiO Dubcux
Cambio
Os bancos adoptaran) hoje a laxa de 27 1/2 .
sobre Londres offerecendo alguns 27 9/16 para
cuantas redondas.
Em papel particular nao houve negocio, offe-
ecend os saccadores 27 11/16 e exigindo os
liancos 2/ 3/4.
No Rio, a Dltima eotacio era 27 1/2 bancario.
Algodao
Sem vend.is; oflcrtaa para o de Ia sorte do
-erto, 6J800.
A exportadlo, feita pela alfandega neste mez
Ht o da 6, attingio a 70.904 kilos, sendo 18.974
para o exterior e 51.930 para o interior.
As entradas verificadas neste mez at a data
ie hoje, sobem a 830 saccas, sendo por:
jarcacas. .... 170 Saccas
Vapores..... "'. '
^niraaes..... 237
ia-ferrea ete Caruaru. 58
v'ia-ferrea de. S. Fran :tsco. 17
^'ia-ferrea de Liisoeiro 357
mi-
sas Saccas
Assucar
Os precos pagos ao agricultor, por 13 kilos, se-
xuado a Assoc imcrcial Agrcola, foram
es:
Oranco..... 3*900 a 4*600
-tmenos..... 3000 a 3*600
) 2400 a 2*700
bruto. (lirme) 1*500 a 2*200
rtetame..... *700 a 1*100
A
i exporlaco, feita pela alfandega neste mez
o da 6, constou de jj.j kilos para o in-
As entradas verilic idas neste mzate adata
je, sobem a 3.239 saceos,sendo por:
Barcocas .... 874 Baccos
Vapore?..... ...
324
frrea de Garuar. 62
v'ia-ferrea de S. Francisco. 1.661
frrea do Limoeiro 318
Somma.
3.239 Saceos
A mulher
A ALBERTO BORGES PEBEIRA
O que sera do hornero se nSo fosse a
mulher ? Para mim nada ha mais tocante
e mais bello do que a fronte melga de urna
mulher virtuosa. Eu a considero como um
symbolo de glorias e um sacrario de vir-
tudes, candura, nobreza, coragem e leal-
dade. A sua voz serapre argentina,
doce e maviosa.
Nos transportes generosos de seu senti-
mento sublime, ella est sempre apta e
risonha para perdoar-nos qualquer falta
que tenhamos commettido.
Nao sei qual a razao de chamarem-n'a
traca? E' traca, sim, porque em seu es-
pirito concentrase a ternura e amisade,
e o homem forte pelo seu talento, pela
sua vastidao de conhecimentos, e porque
fiara elle se offerece um quadro negro e
ugubreo crime. Se ella chora despre
sos, sorri esperancas. Ella como os pas-
sarinh.08 que adejam em torno das mais
candidas c lindas flores para d'ahi extra-
hirem o que ellas tem de mais puro, ine-
briante e idealo perfume.
A mulher se no fosse o homem seria
sempre um anjo e o homem se nao fosse a
mulber sempre um demonio.
Quem nao aprecia, quem nao sent seu
coralito pulsar de alegra, a entrar em um
jardim e vel-o matizado de flores das co-
res as mais variegadas e daa formas as mais
deslumbrantes e encantadoras, embalsa-
mar a athmosphera com seus aromas sub-
tis e penetrantes f Assim, pois, amo de-
lirante, frentica e entusisticamente a
mulher, visto ser ella a obra prima da na-
tureza e a fl5r que se nos desabrocha no
jardim da existencia.
Eis o que a mulher, a consoladora de
nossas affiiccoes e a nica causa dos esfor-
cos do homem.
A. F. Mor eir.
Recite30-81889.
SILYEIRA
ADVOGADO '
"M-ltA DO IMPERADOR-- I
^^^^^^t^^ fe
Mgica verdadeiramenle 6 nos seus effeitos a
portentosa planta americana conhecida na scicn-
cia sob o nome de Hamamelis Virginica e no
vulgo pelo de Aveleira Mgica, planta da qual
extraliio e combinou Uto aJmiravel como scien
tficamente o eminente sabio Dr. C. C. Bristol, o
Extracto Duplo e o Ungento de Aveleira Magi
ca. Estes maravillosos remedios alliviam e
curam immediatamente toda a especie de feri
das, queimaduras, tumores, chagas chronicas,
carbnculos, golpes, contasoes. dor de denles e
decaseca, nevralgias e toda a doencaou dor ex-
terna.
E' tambera o Extracto um remedio admiravel
em casos de rheumolismo, hemorrhagia do na-
riz, inflammnrao da garganta catnarro, morde-
duras de insectos, etc.
Nunca falha no curativo radical das almorrei-
mas, ulceracoes internas, vmitos de saague,
molestias dos rins e lieraorrhagia pulmonar. O
Extracto Duplo de Aveleira Mgica ao mesmo
tempo um remedio interno e externo que pode
ser asado em pannos ou friegues, ou tomado in-
teriormente em doses de meia colherinba duas
ou tres vezes ao dia.
As mesmas propredades e virtudes possue o
Ungento da_Aveleira Mgica do Dr. C. C. Bris-
tol, para uso externo smente.
O Sr. Dr. Serafim Araujo
Dr. Serafim Jos Rodrigues de Araujo,
formado em medicina pela Faculdade da
Baha, cavalleiro da ordem da Rosa, etc.
Attesto que o Peitoral de 'ambara, pre-
parado pelo Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, um excellente medicamento, em-
pregado cora muito bons resultados, as
molestias broncho-pulmonaree. E por ser
verdade, passei o presente, que assigno em
t do meu grao.
Dr. Serafim Jos Rodrigues de Araujo.
Pelotas.)
210
el
Gota-s a 70*000 por pipa de 480 litros
l'onros
Couros salgados, 365 ris, e os verdes i
ris.
Agurdente
Cota-sc a 103*000, por pipa de 480 litros.
Aleool
Cota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega
HAN* ni: 9 A 1 DE SETEMBRO DR 1859
Vide o Otario de 9 de Setembro
\avfos ft descarga
Barca no'uegucnse ttlead, ferragens.
Barca norueguense Solid carvaJ.
Barca inglea Ratavola, raaleriac3.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Barca noruega San Luy, varios gneros.
Lugar nacional Tigre, xarquo.
Lugar nacional layo, xarque.
Lugar americano Belle Hooper, farinlia de trigo.
Lugar inglcz kdamantine, larinha de mandioca.
Lugar portuguez Joven Alberto, varios gneros.
Logar inglez Razona, bacalho.
Patacho aeinao Marte ron Oldendorp, xarque.
Patacho nacional fegaletra, xarque.
Patacho allemao Fredertck, xarque.
Pataclio dinamarquez Jugor, xarque.
Iinport.io o
Patacho norueguense Epharine, entrado de
Montevideo em 10 do correnta e consignado a
Pereira Carneiro 4 G., manifestou :
Sebo 30 pipas.
Xarque 2,916 fardos ordem.
Sumaca hespanhola Anitu, entrada de Pelotas
em igual data e consignada a Ainorim Irmos &
C., manifestou:
Xarque 225,00J kilos ordem.
Patacho sueco Almina, entrado do Rio Grande
do Sol em igual data e consignado a Maia & Re-
zende, manifestou :
Xarque 190,000 kilos ordem.
sxportaco
ccikb 9 ob sETKMiiao db 1889
Para o exterior
No vapor francez VUle de Pernatnbuco, car-
regaram :
Para Havre, C. P. de Lemos 1,000 saceos com
40,000 kilos de carocos de algodao, 3,000 couros
verdes com 63,000 kilos e 10,000 kilos de pao
brasil.
Para Lisboa, S. B. Araorim s? C. 500 fardos
com 39,748 1/2 kilos de algodao.
PoT'i o interior
No hiate nacional Deus te Salce, carrega-
rara:
Para Aracaiy, A. Florea 12 caixas cem 200
litros de genebra ; P. Alves & G. 12 barricas
com 723 kilos de asucar branco ; E. C Beltrao
& Irmao 29 barricas com 1,420 kilos de assucar
maseavado.
Para Camossira, E. C. Beltrao 4 IrmSo 3 bar-
ricas cora 285 kilos de assucar branco.
Na barcaca Tkrezinha, carregaram
Para Parahyba, Machado 4 G. 30 saceos com
2,100 kilos de railho ; A. Lemos 90 caixas com
340 litros de genebra.
Protesto
O abaixo assignado, procurador da Gamara
Municipal da cidade de Olinda, a bem dos inle-
resses da raesma Cmara, previne a quem inte-
ressar possa, que as casas n. 29 a ra Velha de
Santa Rita, n 5 & ra do Padre Nobrega, 65 i
ra Imp erial que se achara nnnnciadas para* culpa,
serem vendidas em leilo (agente Stepple) sao
foreiras referida Camira, bem como as olarias
sitas nos Coelhos, a primeira pertencente a Vi-
cente Ferreira dos Santos Barros, e a segunda
com um sobradinho contiguo a Antonio Carneiro
da Ounha, as quaes vo a praga pelo juizo dos
feitos da fazenda nacional, sao tambera foreiras
sobredita Cmara.
Olinda, 9 do Setembro de 1889.
O procurador,
Manoel Akantilado Torre.
m*
i-
^m
O Dr. Ermlrlo Couiinii. de
volta de sua vtagem Europa, onde
se dedicou especialmente ao estu-
do das molestias do systema ner-
voso, tem seu consultorio Praia
do Coipo Santo n. 5, defronle do Te-
legrapno Nacional.
Consultas de urna s tres horas da
tarde.
%
Despedida
Sugene Chaline, nSopodendo, pelo esta-
do de sua saud e presteza de sua via-
gem, despedir-se de seus amigos e conhe-
cicoa, o} faz por este meio pedindo des-
m&
i
Oa negociantes
e moradores da ra da
Santa Cruz, freguezia da BOa-Vista, Joui
vam ao activo, zeloso o incansavcl actua^
subdelegado da referida freguezia, pelas
acertadas providencias que tem tomado,,
e d'entre ellas a que tomou na madruga-
da de 5 do corrate para com os vaga-,
bundos que pernoitavam no mercado da'
referida freguezia fazendo as ordinarias"
precisos, as portas dos estabcleciinentos
e casas da mesma ra, sendo que de ma-
nila ao abrirmos nossas portas cncontrava-
raos dessas bonitas obras.
Outro sim pedimos outra providencia,
que urna autoridade na altura do Illni.
Sr. Jos Joaquim Dias do Reg Jnior
nao deve despresar.
Como V. S. nSo ignora as proximida-
dos e dos mercados sempre se junta
gen*e de todas as classes c com mais fre-
quencia os gatunos e desordeiros, e onosso
referido mercado nao tem ao meno.3 urn
ponto que vigi a ra da Santa ruz, e a
frente do mercado; para assim evitar ab,
guns casos mui vulgares em que o ho-
mem prudente e pacifico vG-se na dura
necessidade de recorrer a meios extremos
ou ficar desfeiteado e prejudicado.
Os mesmos negociantes e moradores es-
perara de V. S. mais esta providencia
que deve dar bom resultado; e assim
mais urna vez firmar V. S. os seus cr-
ditos de autoridade ordeira, amante do
socego do3 moradores de seu districto
policial.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tora aberto o Beu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
PHOSPHATINAFALIERES.AumentotoCriancas
ssaexs
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiab-
dade de molestias de senhoras e creancaa.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manhS.
Chamados (por cscripto) qualquer bora.
TEMCPHONK N. 226

No vapor francez V*lle do Rjsario, carre-
garam :
Para Santos, P. Carneiro 4 C. 8*i saceos com
:i,160 kilos de assucar maseavado; A. V. de
Barros 800 saceos nom 48,0*) kilos de assucar
maseavado.
Para Rio de Janeiro, Costa 4 Fernandos 5,00 >
cocos, fructa ; A. de Oliveira Maia 10,000 cocos,
fructa : M. Am irm 5 pipas com 2,400 litros de
agurdente, J. Borges 4(50 saceos com 27,600
kilos de assucar branco.
Rend atentos publico*
HEZ DB SUTKUBBO
Alfanaega
Renda geral:
Do dia 2 a 9 199.283377
dem de 10 28:287SJ4
--------------- 227:3705*81
Renda Drovincia!:
0o dia 2 a 9 25 079*296
dem de 10 2:9i7224
28:026*320
Somma total 235:597201
Segunda seccSo da AlanJega, 10 de Setembro
de 1889.
thesoureiro-'lerencio Domingtiea.
0 clicfe da MCglo Cicero U. de Mello.
ilecebedoria Cieral
Do da 2 a 9 10:637*81!)
dem de 10 1:7414183
12.378*974
Recebedorla provincial
Do dia 2 a 9 3:538*465
dem de 10 3:662*113
Eiposico lu versal de 188
Segundo a carta que nos escrevem nos-
6s correspondentes, os Srs. Amde
PVince & C, o Pavilhao de Guatemala
cade elles acabara de organiaar urna sala
cas Americas do Centro, do Sul, das An-
lilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
:rucc3o de madeira muito bonita.
Este pavilhao acha-se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da parte cental do Palacio das Ar-
fes Liberaes. Est perto de todas as sec-
c6es das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquiesimos palacios
nao de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attracc3es da Exposieao.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitem no Pavilhao
de Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
C, devidq ao obsequio do illustre com-
inisaario geral do Guatemala.
As criancas criadas ao peito ou pela ma-
madeira que digerein com difticuldade e
padecem de clicas, curam-se com rapidez
administiando-lhe8 con? o seu leite urna
colherada pequea de Xarope de Trouette-
Perret com papaina. E' uin precioso m-
dicamente que devem empregar todas as
mais cuidadosas da sade de seus fi-
lhos. (9)
Bacharel Antonio Witru-
vio Pialo Bandeira
Pode ser procurado 4 ra do Imperador
o. 71, Io andar
Oculista
Dr. Ban-cto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
EXPOSITION UNIVERSAL DE 1889
- Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Srs Amde Prince y C.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales peridices de las Americas del
(.'entro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
dera, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffel, del lado
derecha y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
cb de las Repblicas do las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalzau de riqueza, y
3ue sern una de las mayores atracciones
e la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Nrs. Am-
de Prince y C. gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
m^mmmmmmmmmmmmatmmmmmmmmmmmmma**
Precos do dia:
Carne verde de 160 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a II risidem.
Suinos de 560 a 610 ris idera.
Farinhh de 560 a 720 rla a cuia.
Millio de 360 a 380 ris idem.
Kv;So do 14000 a 11200 idem
Hatadouro publico
Neste esta&clecimcto foram abatidas pa>o o
consumo de boje 89 rezea pertencentes a diver-
sos marchantes.
%';iporcs a entrar
MEZ DE SETEMI5KO
Sul........... P. do Grao Para..,
Europa....... Tugus............
Liverpool..... Actor............
Norte......... Pernambuco.....
Sul........... Bueno-Ayres......
Sul........... La Plata ........
Europa....... Pule Sul........... Maranliao..........
New-York----- Adcance..........
Norte......... Sacona.....
Europa...... Mitlekoiris.....
Norte......... Para.............
Sul........... Espirito Sa.tto.....
Europa....... Trenl.............
12
13
14
14
IJ
15
18
17
19
20
2
2i
27

11:200*380
-Heelfe Urainagc
Diiode2a9 2 .017*191
dem de 10 1:042*240
23:03'.i I II
- Herrad. Uunicipal de S. Jos
O raoviraento deste mercado no dia 9 de ce-
tembro foi o seguinte :
Km rara m .*
46 1 2 bois pesando 6,772 kilos.
346 kilos de peixea 20 ris 6920
3 cargas com farinha a 200 ris OO
10 ditas defructas diversas & 300rls 3000
9 taboleiros a 200 ris 1*800
13 suinos a 200 ria HCm
23 matulos com legumes a 200 ris 41600
Foram oceupados :
26 columnas a 600 ris 15J600
1 escriptorio a 300 r.-is 300
28 compartimentos de farinha a 500
reis 124500
24 ditos de comidas a 500 ris I2i000
71 ditos de legumes c fazendas a
4Q0 ris 284000
17 ditos de suinos a 700 ris 114930
8 ditos de fressura3 a 600 44800
47 tainos a 24 944000
Rendimento do da 1 a 8 do cor-
rente
Foi arrecadado liquido at boje
1994020
1.6394340
1:8384:160
Vapores a sahir
MEZ DE SETEMBRO
Havre o esc. VMe de Pernambuco. 11 as 3
Fernando___ Pirapama........ 12 as 12
Buenos-Ayres. Tayus............. 13 as 2
Sul.......... Pernambuco....... 14 as 5
Southamplon. La Plata.......... 15 as 11
Santos e esc Ville: Sontas..... 16 as 2
Norte........ Maranhao.......* 18 as 5
Sul.......... Para............. 24 as 5
Movimenlo do porto
Navios entrados no dia 10
Kio Grande do Sul25 dias. patacho ueco Al-
mina, de 168 tonelada, capilo J. Thore, eqoi-
paged 7, carga xarque > Maia & Rezende.
S. Nicols (Buenos-Ayres) 26 dias, lugar inglez
Kafir Chief, de .336 toneladas capitio David
Ev.uis, equipagera 9, c;n lastro; ordem.
Pelotas14 das, patacho h.-spanhol Anita, de
143 toneladas, capitao J. Rallla equipagem
8, carga xarque : a Araorim Irraos & C
Santos e escala 7 dias, vapor franCAl Yi'le de
Pernambuco, de 1.695 toneladas, commandan-
te Lenorinand, eqnipagem 39, carga varios g-
neros ; a Augusta Labiile.
I.;i l'nion (repblica de S. Salvador) 11S dias,
barca alterna Ehzabeth, de 824 toneladas, ca-
pitao George Green.equipagem 16, carga ma-
deira ; a H. Lundgren G.
.Wv York e escala28 dias, vapor ingici Cea-
rense, de 889 toneladas, cotnmandante i. G.
Heath, eqnipagem 29, carga varios gneros ;
a Johnstan Pater A C.
Svhidos no mesmo dia
SarbadosBarca norueguense San Luis, capito
B. Gundsen, em laatro.
Barbado- Paii.cho norueguense Favorit, capitao
B. S. Hansen, em lastro.
Una do SalLugar portuguez Joven Alberto, ca-
pitao Abtonio Gopcalves Molledo.
LiverpoolVapor inglez Gulf of Trindad, cora-
mandante W. 11. Hood, carga vanos gneros.
CaniopsiraHiate braseiro 'Ice, mes-
tre Antonio J. do Nascimento, carga varios g-
neros.
A dvog-ado
Miguel Jos de Almeid Pernambuco tem o seu
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os dias uteis, das
horts da 9 manh s 4 da tarde.
f!
i
Leonor Porto
Ra Larga do Rosario mi-
ii
l!
mero ti
SEGUNDO ANDAR i
i Contina a executar os mais difficeis 1 1
{ Jligurinos recebidos de Londres, Pariz,< >
(j Lisboa e Rio de Janeiro. ')
i Prima em perfeicao de costuras, em'
Jera brevidade, modicidade em piecos e
) lino gesto.
A
Blixir cabera de negro do Dr. Sania
itooi). analynado em Pariz c ap-
provado pela Innpecloria ticral
de Uygiene.
(Premiado na Exposifo)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadero elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que corno garanlia tem em
seu favor os atteslados passados pelos mais dis-
tinctos mdicos, desta e demais provincias do
imperio, por pharmaceuticos, deserabargadores,
advogados, engenheiros, commerciantes, empre-
ados pblicos, lentes da Faculdade, artisias,
etc.
Fique, portanto, o publico sabendo que o eli-
xir fabricado na ra da Cadea, pharmacia de
Herraes Souza Pereira, Successores, uina imita
gao do nosso.
Deposito do verdadeiro ra do Bom Jess n. I.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
| 46Ra do Barao da Victoria46
(DEFRONTE DA-PHARMACIA PISHO)
Onde tem conutultorlo e resi-
dencia t podendo ser encontrado e
( recebendo chamados qualq-ier hora
\ do dia e da noitc.
' Especialidades: partos, febres, moles-
( lias de senhoras e dos pulmOes, syphilis
j em geral, cura rpida e completa e ope-
J racCes de etreitamentos e mais soffri-
j mentos da uretra.
) Acode de prompto a chamados para
' fura, a qualquer distancia.
| Telephone n. 374
tie considera hoje unnimemente o Eli-
xir de Trouette- l'erret, coin pepsina, como
o mais poderoso digestivo conhecido. Um
corpo pequeo em cada rcfeicSo basta para
curar todas as doen^asdo estomago d >e
intestinos. (6
MEDICO HOMEPATA
m Dr. Bal;iiazar da Silveira
Especial idadefebres, molestias
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-s a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos phanaacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Maravilhosos effeitos!
Tendea tosse ou soffreis do peito?...
NSo percais tempo : toraai o Peitoral
de Cambar, que o nico remedio cffieaz
para as molestias do larynge, bronchios e
pulmoes.
Com o uso deste poderoso medicamento
debellam-se as tosses as mais impertinentes
e rebeldes e tambem desappareeem as op-
pressSes, dores do peito e alteragocs da
voz ;ce8sam as espectoracSes songinolcntas
e os escarros de sangue; em pouco tem-
pe, desenvolve-sc o appetite, as forcas
perdidas reapparecem, e em urna palavra,
os enfermos sentem urna mudanca muito
notavel, por assim dizer, rcanimam-se c
escapam de morte certa urna!
O governo imperial, depois da approva-
cXo do Peitoral de Cambar pela Exraa.
junta central dehygiene publica auctorisou
o seu consumo em todo o Brazil por de-
creto imperial de 30 de Junho de 1884.
A academia nacional de Pariz e o jury
da exposic3o brazileira-allcma, de 1881,
cenferiram ao auctor de tilo grande e pre-
ciosa descoberta as sus medalhas de Ia
CLASSE (de ouro).
Examinai que a marca da fabrica e a
firma do auctor J. Alvares de S. Soa-
res se achem nos rtulos que circulara a
rolha c gargalo de cada frasco, como ga-
ranta contra as muitas falsificac3es e imi-
tacSes que por toda parte apparecem.
Este precioso medicamento vende-se em
casados agentes Francisco Manoel da Sil-
va & C, ra Mrquez de Ofinda n. 23
D. Carlota de 4raujo Lobo y
PARTEIBA DA 8ALA DE MATERKIDADE \
no ^
HOSPITAIj PEDRO II w
tPode ser procurada para o exer-S^
cicio de sua profissSo sua resi- I
dencia 1
59 -RA DA GLORIA59 cj*
ADVOGADO
0 bacharel Salustiano Jos de
/ Oliveira pode ser procurado para \
3 os mistere3 de sua prolisso. \
f& ra Estreita do Rosario n. 10,1. aj
V3 andar. 67
A-dro^ado
O bacharel Arthur da Silva Reg tem o seu
escriptorio de advocada ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurado para os misteres
de sua proftss5o.
EDITAES
O Dr. Francisco Domingues Ribeiro Vian-
na, juiz de direito da provedoria de ca-
pease residuos, da comarca do Recife
e seu termo, em Pernambuco, por Sua
Magestade o Imperador o Sr. D. Pedro
II, a quem Deus guarde, etc., etc.
Fago saber que a requerimento de Theopoui-
po Magno de Oliveira Quiniela, lestamenteiro
inventarianle dos bens da tinada D JesumaDi-
niz e Silva, vai praca por venda, em tres pra-
gas deste juizo, a contar de 11 do corrente mez,
urna parle que possuia a inventariada no sitio e
casa de vivenda na estrada do* Alllictos, demar-
cando ao sul com o sitio de Frederico Chaves,
ao norte com o dos nerdeiros de Joaodo Reg
Barros Falcao, ao nascente com a estrada dos
Afilelos, ao noente com o sitio de Joo Carol!.
com arvore de fiucto, avahada tola a proprieda-
de em 4.0005000, sendo a parte da inventariada
do valor de 1:504*000.
E para que chegue ao conheciraento de quem
interessar possa raandei passar esle edital que-
sera aflixadu no lugar do costume e publicado
pela imprensa.
Dado e pasado ne3ta cidade do Recife, aos fi
de Setembro de 18*9.
Eu, Francisco de Siqueira Cavalcante, escr.-
vQo, subscrevi.
Francisco IJomingues Ribeiro Vianna.
5.' SeccSo Secretaria da presidencia de Per-
nambucoEm 3 de Setembro de 188;)
Por esta secretaria se faz publico que tica
aberto o praso de 50 dias, a contar desta datu,
para o recenimeuto de propostas em carta fecha-
da dos concurrentes i construegao de urna es-
trada de ferro de que traa a lei provincial infra
n. .0515 de 8 de Agosto prximo lindo.
O secretario
Francisco L. Marinho dr Sovi
LEI N. 2.036
Manoel Alves de Ai-.iuj", do consetho de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado em
sciencias sociaes e jurdicas pela Faculdade de
S. Paulo commendador da Imperial Ordem da
Kosa e presidente da provincia de Pernambuco-
Fago saber a todos os seus habitantes que a
As3emblui Legislativa Provincial decretou e en
nccionei a rcsolucao seguinte :
Anigo 1." Fica concedido o engenheiro New
ton Cesar uiiamaqui ou a quera (Delirares va: -
tjgens oflerecer privilegio por 60 annos para >.
construciSo, uso e goso de urna estrada de ferr:>
de hitla estreita, que partinilo da Serra Dou-
Iruios, na extrema desta provincia com a do
l'iauhy, v terminar na villa de Petrlitia, pon-
to marginal do Rio S. Francisco
1" A zona privilegiada ter 10 leguas para
cada lado do eixo da linha, sem que seja aso,
em lempo algum empecilho a que a qualque:
outra estrada de ferro, pirallela ou nao a de qua
cogita a presente coneessio, possa a provincia
fazer concessao de zona privilegiada. So caso
ile futuras coucessOes, se a zona privilegiada di
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer outra estrada de ferro conc-
dda mais tarde pela provincia, ser o espago
de tena que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao meio. ticando urna metade delle com?
zona privilegiada de cada urna das referidas en-
tradas.
% i." Em igualdade de condicoes o coneessio
nario lera preferencia para construccao, uso :
goso de futuros ramaes convergentes.
3. Ficara isentos de direitos e imposto*
provinciaes e raunicipaes os edificios, as machi-
nase materiaes necessaiios para a ronstruceao -
cxploracao da linha principal e dos ramaes que
forem construidos.
4." O concessionario aera obrigado a cons-
truir linha telegraphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando <*e
igual isenrao de direitos impostos.
K 5* Fies concedida a garanta de juros de
6 7, sobre o capital que for empregado effecO-
vainentc as obras, calculado o prego mximo
do kilmetro, era 25.0005 e pelo praso da dur--
go do privilegio, lindo o qual reverter para
provincia a estrada com todas as suas obra*,
machinismos, materiaes c linhas telegrapliic,.
e bem assim cada um dos ramaes que tenham
sido construidos, logo que tenham sido osplon.-
dos por igual lempo,
g 6." A garanta de juros s se tornar effec-
tiva no caso de 3er levada a elfeito a concess^
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a -erra Dous Irmaos, qual se prende a
presontc concessao, perdtndoo concessionario a
direito referida garanta se obtiver o governo
geral, subvenco kilomtrica, quantia de jun
mi qualquer oulro favor equivalente.
7." A provincia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forra publica, autoridades e
respectivas cargas.
8." O concessionario poder transferir en.-
presa ou companhia, que organisar o present
privilegio com todos as seus favores e ob*Jg&-
jes.
s 9.* Dentro de 5 annos da data do contracto
deverao ser apresentados os respectivos esludo"
definitivos e os respectivos orgomenlos detalla-
dos e ter coraeeo de execugo as obras, cadu-
cando a concessao, se dendro desse praso nSo
forera ditas obras conieeadas, salvo caso de fu: -
ca maior, devidamente provado.
Art. 2." Ficara revogadas as disposices era
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a
quem o conheciraento e execucao da present.-
rcsolucao pertencer, que a curapram e facam
cumprr to inteiranente como nclla se com-
iera .
O secretario da presidencia da provincia a fa>. t
iinpriniir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 de
Agosto de 1889, 68 da Independencia e do Im-
perio
L. S. M. Alves de Araujo.
Sellada e publicada a presente resolugo ncst.i
secretaria da presidencia de l'crnarabuco, aos **
de Agosto de 1889.
O secretario
Francisco L. Marinho de Sou:':
O Dr. Jlo Manoel Wanderley Lins, juiz
municipal, priiueiro supplente das exe-
cucSes commerciaes, em exercicio espe -
cial deste termo de Gamelleira da o -
marca da Escada e provincia de Pernam-
buco em virtudc da lei, etc.
Faco saber aos que o presente edita
virem, ou delle noticia tiverem, que lindos
os vinte dias de praca ser levado em
hasta publica pelo porteiro deste juizo,
no dia *. do mez de Outubro prximo
vindouro, s 12 horas do dia, na sala das
audiencias desta villa, o arrendamento do
engenho Taquara, deste termo, de propriu-
dade de Francisco de Paula Tinto e sua
mulher, pelo tempo de 18 annos, 9 ine-
zes e 16 dias, segundo o calculo feito pelo
respectivo contador; para pagamento do
principal,, juros e custas de execucao que
contra os mesrnoj, movem Pereira, Ferrei-
ra & C. negociantes na cidade do Recite,
servindo de base a quantia de 1:200^000
annual, por quanto se acha actualmente
arrendado dto engenho, conforme foi r
querido pelos exequentes.
E quem sobre os mesmos arrendameu-
tos quizer tancar comparea perante este
juizo no dia, hora e lugar cima designa-
do, e habilitado na forma da lei.
E para constar lavrou-se o presente que
ser affixado no lugar do costume pelo por-
teiro dos auditorios, e outro da igual theot.
para ser publicado pela imprensa, lavran-
doo porteiro a competente ceitidao.
Dado e passado nesta villa de Gamel-
leira aos 6 dias de Setembro de 1889.
Eu Herculano Theotonio da Silva Gui-
maraes, escrivao, o escrevi.Joa"oMdanoel
WanderleylLins.
f
i



Diario de PernambucoQuarta-feira 11 de Stembro de 1889
7 '
)
\
)
\
Empreza do Gaz
AVI O
A empreza de illuminayao a gaz desta
cidade por sea gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
do do edita! em que a presidencia da pro
vincia chama concurrentes para o novo
ontracto da illuminacjlo mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:7770528, por
quanto foramavaliada8 pelo arbitro desem
catador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar q le dita avaliacao nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido illegal e irregnlarmente feita, bem
orno que contra ella j proles ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos fetos da
fazenda. tendo sido intimad do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em tempo op
portono fazer valer seus direitos contra
qnem de direito for, deliberou fazer a
presente publicajao para scieneia dos in-
eressados.
Reeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
Oeorge Windsor,
5.* seccSo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vicepresidente
da provincia e nos termos do 2 do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
jue, tendo-se concluido por meio de laudo
le arbitro desempatado^a questao de ava-
iacXo do material da empreza de iliumi-
oacSo gaz desta cidade, tica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do presente cdital,
para contracto da dita Iluminadlo, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
| 3. Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0005
em dinheiro ou apohces da divida publi-
ca, para garantir a aceitacSo do contracto,
do caso de ser preferida a sua proposta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante senao lindo o contracto e
servir de cauco para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
com quem raelhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6." A nao ser no ca" do paragrapho
antecedente, a actual mpresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacao ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o materila
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacao ou pela menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
8 9. Opreco da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna redcelo de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas.
1(k O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
3.0 do gaz.
11." A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranbas, que possam pre-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13." As horas de illuminacao publica
serlo fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem malor
de dez, devendo neste caso haver nm
redueco no prego do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
se suscitarem, quer cmi o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiecao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares qne o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| 16. O pagamento da illuminacSo pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencao oscillacSo do cambio.
| 17.* O contractante poder organisar
ompanhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigacoes do contrete.
18." Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacao |o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:0000000, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
blecer as multas e mais condicSes, no
intuito de garantir a boa execuclo do con-
tracto, quer com relacao a illumincSo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, s
quantia de 994:9170528, de accordo coir
a avaliacao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Margo ultimo, visto deduzir-
e da de 998:7770528, total da avaliacao,
a importancia de 3:8600000 paga era-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
peoes, col locados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
DECLARARES
Thesouraria de Fazenda
ubattiluico de nota*
Deordem doHra Sr. inspector, fajo publico
3ue, na formado edital desta Thesouraria de 17
e Junho ultimo, no dia 30 do corrente mei
que termina a prorogacao do praso marcado para
a Ubatitaicito se n descont das notas de 200i
da 5.a estampa.
Vencido esse praso, comecara o descont de
accordo rom o pteceituado pelo art. 13 da lei
3313 de 16 de Ouubro de 1886, isto : durante
os tres prirneiro mezesJS '',0; at o 6.9 tnei 4
0 0 ; at o 9.a inez 6 '70 ; at o 12 mez 8 0,0 ;
durnute o 13. intz 10 0/0, e mais 5 0/0 mensaes
d'alii por diantc at que as notas percSo de todo
o valor.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 9
de Stembro de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant 'Auna
PRADO PERMMBUCAM)
1 .a praca
Pela inspectora deta alfamlega su f.z publico
que s ti horas do dia 14 do mrz eonvnte seio
a-rematados porta desta repartlclu 1 bote
usado e 2 remos tambeai usadjs ; ba ntin 3
i/i ouzias de eamitas de riscailo de nlgodao,
tdo apprehen tarde de 3t de Jullio do corrente auuo, pelo vi
ca Lourenc'o -'ose dos Santos.
3.* seccSo da Alfindega de Pernambuco, 9
ilc Suiembro de im*. 0 Cheto,
Domingos Joaijuim da Fonscca.
Prazo de 60 dias
N. 110. Faco sciente aos profesores
Aprigio Hr.iz de Oliveira Lima e Saturnina Do-
vina da Lux, nomcados por portara da presi-
dencia da provincia de 11 do corrente, aquolle
para reger a cadeira de Altinho, c esta para a
de Praia dos Garneiros, que de ordem do Dr.
inspector geral Ihes fica marcado o praso de 60
das, a contar daquella data, para dentro delles,
assumirem o xercicio de suas cadeiras.
Secretaria da In-truccao Publica de Pernam
buco, 9 de Stembro de 1889.
0 secretario,
Pergentino S. de Aruujo Galcao.
lospocloria Geral de Hygiene
Em virtude do que dspe o art. 66 do regola-
mento que ba xou com o decreto n. 9554 de 3
de Fevereiro de 1886, a Inspectora Geral de Hy-
giene faz publico pelo prazo de oito dias que o
cidadao Domiciano Pastor Ferreira Lima, Ihe di
rigi a seguinle peticao com documentos que sa-
tisfazem as exigencias do art 63 do citado re-
glamento
Domiciano Pastor Ferreira Lima, domici
liado na villa de Cabrob, provincia de Pernam-
buco, tendo as habilitaces necessarias para di-
rigir urna pharmacia, como prova com os docu-
mentos juntos, vem impetrar de V. Exr. a re-
spectiva licenca para ter botica na mesma villa,
visto nao ter pharmaceutico formado c nem
licenciado, e ser de absoluta necessidade a
existencia de urna pharmacia. Neste? termos
o supplicaote confiado na l cnevolencia e recta
justica de V. ExcPede deferimento.E. R. M.
Cabrob, 8 de Outubro de 1888.Domiciano
Pastor Ferreira Lima. Sobre urna cstampilha
de 200 ris.
E declara que si nesse prazo nenhum pharma-
ceutico formado Ihe communicar ou Inspecto-
ra de Hygiene da provincia de Pernambuco, a
resolarao de establecer pharmacia na citada lo-
calidade, conceder ao pratico a licenca reque-
rida.
Inspectora Geral de Hygiene. 26 de Abril de
1889.Pelo secretario, Dr. Jos Antonio Prreira
da Silca.
{Diario Oficialas 17 de Agosto de 1889).
El
Obras Publicas
i'ouic da Magdalena
De ordem do Illm. Sr. Dr. engenheiro
director geral de conformidade com a au-
torisacao de S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente da provincia, de 23 do corren-
%e, fayo publico que no dia 14 de Setem
bro prximo vindouro, n'esta directora
recebe-tu propostaa, cm cartan fechadas
competentemente selladas, para exectico
dos reparos de que necessita a ponte sob
o rio Capibaribe, na passagem da magda-
lena, orjados em 9:587)5200 ris.
O orcamento e mais condicSes do con
tracto acham-se n'esta secretaria onde po
dem ser examinados pelos pretendentes.
Para concorrer praca cima deverao
os licitantes depositar no thesouro provin-
cial a quantia de 479(J360 ris equivalen-
te a 5 /0 do valor do orcamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas, em 24 de Agosto de 1889.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio (Javalcante de Albttquerqne
Monte Pi Portuguez
(Socios em atraso)
A directora desta benemrita associagao sci-
entifica aos sensores socios contribuintes e re-
missos, que nao se pozerem quites as suas
meusalidades at o lim do corrente mez, ter de
applicar aos ocursos a pena do art. 16 n. 2 dos
estatutos.
Secretaria do Monte Po Portuguez em Pernam-
buco, 3 de Stembro de 1889.
Manoel F. Velloso
2 secretario.
Companhia de edificacao
issemfolea geral
3.' CONVOCADO
A commisso abaixo assignada convida
jos Srs. Accionistas a reunirem-se no es-
criptorio da companhia, ao Largo Pedro
II, n. 77, 1. andar, no dia 20 do cor-
rente ao meio dia, afira de tomarem co-
nheeimento e resolverem acerca dos as-
sumptos j annunciados.
Sendo esta a terceira convocagao e em
vista do | 3. do art. 15 da Lei n. 3150
de 4 de Novembro de 1882, const-
tuir-sc-ha e resolver esta As3embla
com qualquer numero de accionistas que
comparecer, seja qual for a somma do ca-
pital representado.
Escriptorio da Campanhia de Edifica-
gao, em liquida^So, 10 de Stembro de
1889.
Joaquim de Oliveira Borge
Jos Oomee Ferreira Maia.
Bernardina da Costa Campos Juuior
SANTA CASA
CASAS PARA ALUCAR
Ra do Vigario Tenorio n. 27, loja 2001000
Idi-ra dem idem, 3. andar 180*105
dem do Bom Jess n. 8, 216O<>0
Ra Visconde de Albumierque ca-
sa n. 61. 246*0 "0
Ponte Velha n. 31. 168*000
Becco do Abreu o. 2, 1" andar 100*00 Ra do Bom Jess n. 29, loja 240*000
dem idem 29, 1." andar 240UW
I.iem idem 2* andar 240*000
Bispo Sardinha.n 3, loja 168*00*1
dem dem n. 11. 2 andar 240*000
Ra da Mocda n. i9 armazem 200*000
Idem do Mrquez de Olmda, n. 44, so-
brado 2:131*000
dem idem n. 33, idem idem 1:200X000
dem de Thom de Souza n. 14, Io
andar 200*000
dem Imperial n. 151, caza terrea 360f 00
Becco da Detencio imeiagua) 96*000
Ambol .Varzia ) 72*00 S. Lourenco da Malta 60*0001
Becco das Boias n. 14,1 andar 180*000
PRO-ECTO DB DSCRIPCA0
Para o parco
GRANDE PREMIO
mm, mMMm
Na corrida que dever ter lugar no dia 29 de Stembro
de 1889
Animaes da provincia: l,SOO metros. PREMIOS: 800-?000 ao pn-
mero, 200'JOOO ao segundo, 1000000 ao terceiro e GOfiOOO ao quarto.
Inscripto 60S000
Nao se realisar este pareo sem que se inscrevam cinco animaes de proprie-
tarios diflFerentes.
A inscripefto eHcerra-so-ha no dia 18 de Stembro, s '3 horas da tarde, na se-
cretaria do Prado.
Reeife, 21 de Agosto de 1 *89.
Francisco de Souza Res,
________________________________________ i CEBEXTE.___________________
Prado Pernambucano
quii
Dita n.
PROJECTO OE INSCRIPCAO
5
Para o pareo
GRANDE PREMIO PERNAMBUCANO
Na corrida que se realisar no dia 1. de Janeiro de 1890
SEGUNDO ANMYERSARIO
DA
DAUGRAClO BB8TE PRADO
tftOO metrosAnimaes de qualquer paiz. PREMIOS: 0:OOOOOO ao
primeiro, 1:500A04M ao segundo, SOO^OOO ao terceiro,
e I004i400 ao quarto.
Inscripcao 400SOOO
Pagamentos em duas prestaoues, sendo a primeira no acto da inscripcao o a
segunda no dia 24 de Dczembro de 1889.
Nao sendo realisada a segunda prestacSo tica considerado como tendo feito
forfait, para o animal inscripto,
Nao se realisar este pareo sem que se nscrevao cinco animaes de proprieta-
rios diflerentes.
A inscripcSo encerrar-se-ha no dia de Dezembro as 6 horas da tarde na Se-
cretaria do Prado.
Francisco de Souza Res,
GEREXTE.
Reeife, 21 de Agosto do 1889.
Dita n. 157. O mesmo
ConceicSo n. 15 Joaquim Alves
Dias
Dita n. 11. Joaquim Bento Fer-
nandes
Travessa ao Remedio n. 16. Joa-
quim Candido Ferreira
Dita n. 18. 0 mesmo
Dita n. 20. O mesmo
Ditan. 22. O mesmo
Dita n. 24. O mesmo
Pra^a do Remedio n. 26. Joa-
Candido Ferreira
28. O mesmo
S. Miguel n. 144. Joaquim Do-
mingues Pocas
Dita n. 146. O mesmo
Dita n. 127. O mesmo
Giqui JaboatSo d. 42. Joaquim
Domingues Tarares
S. Miguel n. 7. Dr. Joaquim
Elviro de Moraes Carvalho
Dita n. 9. O mesmo
Dita n. 11. O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O
0
13.
15.
17.
19.
21.
mesmo
mesmo
Companhia | Imperial
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadorias
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizo*.
CAPITAL
Rs. ltt,000:000000
AG1NTK
BBOWNI A C.
N. 5RUADOCOMMERCION. 5
COMPANHIA
DE
nm wm
Ntorth B ri r i L Mercantlle
Insurance & C.
Es t ab elecida em 1809
:
SEGUROS
CONTRA FQGO
The Liverpool k London k Globe
INSURANCE COIiPANY |
iiLwm, mim & c.
Ra do Cora mere o n. 3
INDEM1YISADORA
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
EnlMbt-letitla em ISKS
CAPITAL l,0OO:000|000
SINISTROS PAGOS
Capital subscripto
Fundo accumulados para

sinistros i
2.500:000
1.842:544
i 4.342:514
Asente em l'eriiamburo
N. i. LIDS TONE
O Rna do Coinmereio O
London & Brasilian Bank
Limited
Ba do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
SEGMS...........
martimos contra fogo
Companhia Phcnlx er
uaiubucana
RA DO CMMERCI N. 38
Dit n.
Dita n.
Dita n.
Dita n.
Dita n.
Castello n. 1. Padre Joaquim de
Farias
Estrada Nova n. 74 A. Joaquim
Ferreira Esteves
Motocolomb n. 8. Jodquim Fran-
cisco das < bagas e Silva
Quiabo n. 56. O mesmo
Estrada Real da Torre n. 36. O
mesmo
Giqui a Jaboato n. 246. Joa-
quim Gomes Saraiva
Dita n. 248. O mesmo
Dita n. 250. O mesmo
Dita n. 341 B. O mesmo
Bem tica n. 54. Joaquim Jos Al-
ves de Albuquerque
Giqui a Jaboato n. 226. Joa-
quim Jos Ferreira da Rocha
Dita n. 108 A. Joapuim Jos
Lobato
Estrada Real da Torre n. 3. Joa-
quim Rangel
Giqui a JaboatSo n. 188 A. Joa-
quim da Silva Lopes
Estrada Real da Torre n. 16. Joa-
quim Eloy de Arantes Franco,
parte
Estrada Nova n. 78. Joaquim
Lacerda, parte,
Bongy n. 2 C. Jovino Francisco
da Silva
Imbiribeira n. 24. Jos de Albu-
querque Mello Loyolla
Ditan. 26. O mesmo
Estrada Real da Torre n. 8 A.
Jos de Almeida Salgado
Giqui a Jaboato n. 119 A. Jos
Antonio de Mello
Ditan. 119 B. O mesmo
Dita n. 119 C. O mesmo
Concecao n. 19. Jos Benevides
de Souza
Giqui a Jaboato n. 120. Jos
! da Conce$ao Oliveira e Figuei-
I redo
/Dita n. 192. Job da Costa Maia
Dita n. 194. O mesmo
. Travessa do Luca n. 18. Jos
Elesbao Borges Ucha
Bongy n. 2 A. Jos Emiliano
Moreira
Hita n. 2 B. O mesmo
Dita n. 2 c. o uwBiiiu
Dita n. 2 D. O mesmo
Direita n 96. Jos Ferreira Cam-
pos
Motocolomb n 63. O mesmo
Paz n. 24. O mesmo
Dita n. 38. O mesmo
Bom Goeto n. 36. O mesmo
S. Miguel n. 28. O mesmo
Dita n. 34. O mesmo
Dita u. 36. O mesmo
Dita n. 36 A. O mesmo
Dita n. 36 B. O mesmo
Dita n. 64. O mesmo
Travessa de S. Miguel n. 6 A.
O mesmo
110159
18.^599
11<>159
110159
110159
610999
130018
110159
70439
110159
90270
180599
110159
160739
70439
70439
70439
70439
75439
70439
70439
70439
60209
220318
140679
140879
370199
70439
70439
70439
90299
460499
920998
90929
40366
110159
res
190127
10812
110159
570199
180599
300999
130018
90299
110159
110159
At 31 de Dezembro deis 84 Companhia AlaffOana
Martimos.. 1,110:000#00G -A. rp .i
de l^ia^ao e leemos
Terrestres. 316:000$000
44Ra do Commercio44
Cmpanljia te &egaxo8
CONTBA F0&0
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posi$ao 6nanccra fDezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados
He celia animal :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De juros
3.134,348
577,330
191,000
32,000
O AGESTE,
John H. Boxinett*
Companhia de Seguros
a
AGENTE
Miguel Jos Alves
IV. tRoa do Rom JeniiM ~lf. 1
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurador
g3o de pagamento de premio em cada stimo
inno, o que equivale ao descont annuul de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R. DEDRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
Convidamos aoo senhores subscriptores desta
companhia, para de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 10 de stembro prximo
futuro, realisarem sua stima entrada na razio
de 10 0/0 do valor de suas acedes, do Banco In-
ternacional do Brasil. Mace, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho.
Propicio Pedroso Brrelo.
O procurador dos feitos da fazenda
provincial, tendo recebdo do thesouro
relacao abaixo transcripta dos devedores
do imposto da decima da freguezia do Afo-
gados d cxercicio de 1886 a 1887 inclu-
zive o 3. semestre que deixaram de pagar
no tempo competente, declara aos mes-
mo3 devedores que Ihe fica marcado o
praso de 30 dias, a contar da publicoslo
do presente edital, para dentro delle paga-
ren a importancia de seus dbitos, com
guia da scecXo do contencioso, certos de
que findo aquelle praso ser feita a cobran-
ca ejecutivamente.
Reeife, 12 de Julho de 1889.
Joao Francisco Teixeira.
RelacSo dos devedores da decima da fre
guezia de Afogados do exercicio de
i 1887 inclusivo o 3." semestre
que deixaram de pagar no tempo com
ptente.
Estrada Nova n. 9. Joao Jos de
Souza 27^567
Giqui Jaboato n. 235. Joao Lins
Vianna 7A439
Ditan. 11" A. Joo Rodrigues da
8 Iva 180599
Dita n. 117 B. O mesmo 90299
Dita n. 117 C O mesmo 90299
Dita n. 117 D. O mesmo 90299
Dita n. 153. Joaquim de Almeida
tiros 90299
Dita n. 155. O mesmo 9#299
Dita n. 6 B. O mesmo
Giqui a JaboatSo n. 265 Jos
Soares Ferreira
Estrada Real da Torre n. 18.
Jos Teixeira Bacellar
Bongy n. 12. Joao do Reg Bar-
ros
Estrada Nova n. 78. Jrtsepha
Florentina, parte,
Dita n. 57. Josepha Lacerda,
parte.
Dita n. 59. A mesma, parte,
Quiabo n. 54. Josepha Maria da
Conceico
Estrada Nova n. 78. Julia Ma
ranhio, parte.
Dita n. 57. A mesma, parte,
Dita n. 59. A mesma, parte,
ConceicSo n. 13. Jos Pinto da
Costa
Bomtica n. 8. Jos Francisco S
LeitSo, 12, 460499
140902
90299
90299
130018
70439
70439
TfJhtOO
70439
460499
220318
90299
110159
140879
140879
140879
300999
550799
740398
180599
140879
370199
90299
300999
180599
10812
30719
70010
110159
10812
30719
370986
120478
(Continua).
Recebedoria Provincial
O administrador da Recebedoria Provincial
faz publico para conheciraento dos interessados,
que por ordem do Illm. Sr. Dr. inspector do
Thesouro, fica prorogado por 15 dias uteis, con-
tados desta data, o praso concedido para o pa-
gamento, livrede multa, das annuiJades e mais
servicos da Becife Drainage Company. relativos
ao 1- semestre do exercicio em vigor de 1889.
Becebedona Provincial de Pernambuco, 9 de
Stembro de 1889.0 administrador.
Luiz Cesario do Bego.
Obras publicas
tailela da cidade da Victoria
De oidem do Illm. Sr. engenheiro director
geral, em virtude da autorisaco de S. Exc. o
Sr. conselheiro presidente da provincia, de.
do corrente, faco publico que no dia 14 de S-
tembro prximo vindouro, nesta directora rece-
be-se propostas em cartas fechadas- competen-
temente selladas, para execuco dos reparos de
que necessita o edificio da cadeia da cidade da
Victoria oreados era 954*800.
0 orgameoto e mais condices do contracto
acnau-ot nesta secretaria, onde podem ser exa-
minados pelos pretendentes.
Para concorrer praca cima dever o licitan-
te depositar no Thesouro Provincial a quantia de
47*740 equivalente a 5 0/0 do valor do orea
ment.
Secretaria da directora ceral aas Obras Publi-
cas Provinciaes de Pernambuco, em /3 de Agosto
de 1889. .
0 engenheiro secretario
LuiJ Antonio C. de Albuquerque
, u, 1 m
Pede-se aos Senho-
consummidores
que queiram fazer
qualquer commnica-
c,o ou reclaina^o, se-
ja esta feita no escrip-
torio desta empreza
ra do Imperador n.
29, onde tambem sere-
ceber qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os Se-
nhores HermilloFran-
cisco Rodrigues Frei-
r e Manoel Antonio
da Silva Oliveira, e
quando for preciso o
Sr. Alfred Best Tug-
man em substituido
ao Sr. Antonio Martins
Carvalho que se acha
temporariamente na
Europa.
Todos os recibos
desta empreza deverao
ser passado em tales
carimbados e firmados
pelo gerente, s em o que
nao tero valor algum.
Georg*e Windsor,
Gerente
m MSSS&
DO
Jo I&A. *A, Z Xjl
Capital ..'... 20,000:0000000
dem realisado 15,000:0000000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os|seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParsBanque de Pars et des Pava Bas.
pany Limited.
AHt manliaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da Prata The London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento com juros na razao de 2 "/,
anno e por letras a
cionados.
O gerente, mUiam M
ao
prazo a juros conven-
Webster.
MARTIMOS
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor AUianca
E' esperado de New-York
at o dia 19 de Stembro
too qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Babia. Ro de Janelr e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a Irete r trata-secornos
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Ctmmecior8
1 andar
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O paquete Tagus
Commandante P. Rowsell
Espera-se da Europa at o dia 13 de
,Setembro, seguiudo depois da demo-
ra do costume para
Hacei, Baha, Rio de Janeiro
Santos, Montevideo e Bucnos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommendas frata-
se oora os AliEXTES.
O vapor La Plata
Commandante A. H. Dyke
E' esperado dosul no da 15 de S-
tembro, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, Vlgo, sonthampton e
Antuerpia
Reuccao de passagens
Ida fia e volta
.'Lisboa 1 classe 20 30
V Sonthampton 1' classe t 2S i 4
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim lrmos & C,
N. 3Ra do Bom JessN. 3

\1
V
A
i


6
Diario de Pernaiiibuco-Quarta-feira 11 de Setembro de 889



i <
r

Companhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Vila-Nova, Pened, Arasa-
i, Estancia e Baha
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia l do corrente, e de
rpois da demora do costunie re-
ressar paro os mesiaos"
par "plis.-agens, encommendas e dinhw-
ro a frete trata-se eoni o
AGENTE
Pedro Osorio de Gerqueira
17Ra da Vig**iol7
CHARGEUMS REUNS
Companbtil Francesa
DE
fhvcgn^f' a* impar
uinha quincenal entre o Havre, Lisboa-,
Pernattbuoo, Babia,. Rto d' Janeiro e
Santos.
O vapor
Ville de Santos
Commandante Tauqucry
E" esperado sa Europa ate odia lo
JLe Selembro. seguindo depois dain-
3pcnswel demora para a
Sexta-felra, 13 do correte
A's 11 horas
No sobrado da ra do Barao da Victoria
n. 57f por cima da loga de movis dos
Srs. Sampaio Coelho <& C.
Pelo agente Martins
No Diario de amar lia sahir o annuncio deta-
lladamente.
Leilo
De fazendas
Babia, Ro de Janeiro e Santos
CONSTANDO:
da caixa n. 717 rom 297 cortes de casemira de
ta para caigas, caixa n. 1 com 29 pecas de seti-
netas finas para forro, caixa n. 2 com 42 pega?
de setinelas para forro, caixa n. 1,170 com 25
pecas de brim de cores, estas fazendas vo pela
terceira vez a leilu, caixa n. 1,703 com 48 pegas
de levantine ou cretoncs finos, caixas ns. 1,71)1 e
1,70o com 9 I p'ca* di: levantine ou cretonc fino,
caixas ns 1, til e 1,162 com 54 duzias de cami-
sas de algodo paca homens, parte da caita
n. 1,702 cum 38 pegas de levantine ou cretone
fino, caixa n. 708 com 28 prgas de merino preto
de l e 8 pegas de alpaca fina de l e seda para
paletot.
Stxta feira, 13 do coi-rente
s 11 horas
\o armazcm ra do Mrquez
de Olinda n. ."
O agente Gusmao autonsado por despacho do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio e com
assistencia do mesmo, farlcilao das fazendas ci-
ma mencionadas, pertencentes raassa fallida de
D. P. Wild 4 C, aos quaes serio vendidas em
lotes a vontade dos Srs. compradores.
Tlnto!
0 melhoT, mais bers acoodteionnilo e mais ba-
rato cognac at hdje condecido ; remessa espe-
cial de seu proprietario francez. Agradatel ao
paladar do mais exigente consumidor, proprio
para tomar com le te. Encontra-se ns casas
dos seguintes Srs :
Paulino d'Oliveira Maia, ra do Imperador
n. 28.
Vasconcelos Sobrinho 4 C, ra da Aurora
n. 81
Casa de refeicoes, ra Larga do Rosario n. 22.
Lope8jdagalhacs & C, ra da Penha n. 8.
Roga-se aos Sre. importadore de carga peles
vapores desta liaha,.queiramapreseirtar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer recaae concernonte-a volumes que
porrerrtnra tenham se;niMn P*"3 8 portos do
sni atn de se podei dar a tempo as pro vi-
pencias necessnrias.
Expirado o referido prazo a companhiu no se
responsabtisa por extravos.
Para carga, passagens, enwramenda e di-
nheiro a frete : tm.ta-se com o
AGENTE
Auguste UMte
9 RA DO COMMERCIO 9
coacriKQit prunajutuoana
DE
XaYegaeio-costeara por Vapor
Para Fernando de Noronlia
P5
O
vapor
Commanda
irapama
te Carvalho
Leilo
De hims
Constando da caixa n. 52 cora 32 pegas de ca-
semira de la singella ; caixa n. 153 com 39 pe-
cas de brim de linlio entrancado de cores ; cai-
xa n. 152 cora 38 pegas de ditos dito entrangado
de cores;, 6 pegas de brim branco de linho en-
trangado ; caixa n. 681 com 40 pegas de brim de
afsoriao -le rres entnncado.
Sex A'b 11 horas
O agente Gusmao, autorizado por mandado do
Illm. Exm. Sr Dr jaiz de direito do commercio,
far leilo das mcrcadorias cima mencionadas,
perteaceutes mas-a fallida de D. P. Wild &
C, em lotes, a vontade dos compradores, no ar-
raazera n. 5 da ra Mtrquez de Olinda.
AVISOS DIVERSOS
Segu no dia 12 de Setembro s 12
'horas da raanha. Recebe carga at o
dial!.
Passagens at s 10 horas do di da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao caes d Companhia Fernambucana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Eernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
mm-- -l E' esperado dos portos do norte at
^5J%s. o dia 14 de Setembro e depois da de-
AaHMbiriora indispensarel seguir para o
^^^^portos do sul
As encommendas sero receidas no trapiche
Barboa at 1 liora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagejis, enoomuicudus-e valo-
rss trata-se com os'.GENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
Commandante o espito de fragata Pedro
lyppolyto Uuarte
E' esperado dos portos do su at o
,dia 17 de Setembro e seguindo depois
jda demora iadispensiwel para os
portos do norte ate Manos.
As encommendas soberao recebidas; na agen-
cia at 1 horada taixWclodia do sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res Irata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
a casa da ra das Plores n. 18,
; a tratar na ra Nova n. 39,
Aluga-so
com 3 quartos
loja ____________________________
Aluga se o 1' e2- andares ra da Roda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservagao ; a tratar na ra do Rangel nu-
mera 65.
Precisa se de urna
ar na ru;i Nova n. 39, 2-
boa cosinheira
andar.
a tra
i recisa-se de urna ama para vurrer e arru-
mar casa, e que durma em casa do patro ; na
ra da Matriz da Roa-Vista o. 9.
= Precisa se de um menino de 10 II annos,
com alguma pratica de molliados ; na ra da
Gloria n. 140.___________________________
Precisa-se de um caixeiro com perfeito co-
nhecimento de relaliio e que d o de sua con
duela ; a tratar na ra de Benilica n. 7, onde
tambem se precisa de um meuioo de 12 a 14 an-
nos, em iguaes coodiges._______________
Na ra ;le Santa Thereza n. 20, precisase
de urna ama de rafia idade, que durma em casa
e saia rja para fazer compras.
Urna senhora de idade e de boa conducta,
olTerece-se para acompanbar alguma familia; que
v pura Europa, ou para tomar conta de casa de
algum viuvo seru filbos ; a tratar na ra da Im
peratriz n. 36, 1- amlar.
Vende se urna armugo evi.lragada, com
Utensilios, na paa^rm lo U<~-~-
lar na ra dasTrincheiras n. 16.
WWrS
LEILOES
Agente Stepple
fceito
De muito boas casas e de bom emprego
de capital, e para quem tem precisao
de possuir urna prepriedade
<|uarta-fcira 11 do corrente
A's 11 horas em ponte
No armazem ra do Imperador n. 39
O agente cima, bastantemente antorisado por
urna peesoa recen'emente ebegada da Europa le-
var a leilSj as seguales casas:
Um sobrado de dous andares e sotao, ra
Visconde de Albuquerque sob n. 123.
Urna casa terrea ra veHia de Sania Rita
n. 29.
Urna casa terrea ra Padre Ftoriano n. 8.
Urna casa terrea ra Padre Nttoreea n. 5.
Urna casa terrea ra Imperial n. 65.
Urna casa terrea ra Imperial n. 267.
Os Srs. pretendentes desde j podero ir exa-
minar as referidas casas.
O ibaixo assirna'lo declara ao publico e ao
commercio. que nesla data veodeu osinteslabe-
lecimento de molhados sito ao Becco Largo n. 1
B, ao Sr. Antonio Harqujs de Almeida, livre e
desembaragado de todo e qualquer onu3.
Recie, 9 de Setembro de!M89.
Manoel Joaquim de Souza.
Em uina das melhores localidades, praga
do Condi' d'Eu. vndese urna armago de ama
relio, toda envidragada, ou aluga-se a casa com
a dita armagao, ou tambem admitte-se nm socio
com capital ; a tratar na ra da Imperatriz nu-
mero 84.
Vende se na praga do Capim n. 149, fre
guezia de Afolados urna taverna bem localisada
e fazendo bom negocio o dono si) vende por-
que precisa retirarse para fra, e quem jul-
gar-se com prettngo se dirija mesraa.
Ao
commercio
^
Leilo
Agente Britto
De 1 raobilia de junco, 1 cama franceza, 1
guarda vestido, 1 toilette, 1 commoda 1 mesa
elstica, 2 aparadores 1 "unnla louga, 1 sof,
2 cadeiras de baiango, 6 cadeiru de amarello,
12 cadeiras de junco. 2 mtftuezoes, 1 berco, 1
lavatorio, 1 cabide*e imarliriheira, 1 cdeira de
[ano, i estante, 2 malas, 1 banca, 1 mesa de
ouro, 1 eapelho, loug-i de ourcellana para al-
mogo e jantar. copos, clices, parrafas, compo
teiras, bandejas bacas, 1 reloiiio de-porede, 1
machina de costura, 1 jarra, carMieiros para
kerosene, jarras linas, joias e oalros ol^ee os.
|niu4a feiro) 18 do corrente
A's 10 e 1[2 horas
Piteo de S. edro 2o andar
Importante leilo
de movis, piaao, lou^a, cristaes,
vidros, etc.
ttnlnta-feir; ? A's 11 horas
Na ra do Barao da Victoria- n. 59
Be diversas facturas de ruobilias de junco, de
gostos modernos, 1 piano, guatd*-Ioucar secreta-
rias, loiletes. lavatorios, camas, marquezss, com-
modas, cadeiras avnlsas, cabidos, mesas, porta-
msicas, porta-flores, espelhos, candieiros, jar-
ros, quadros, iongas e vid roa, cristaes, cortes dej
calcas de cachemira e outres muitos artigos de
gosto.
O agente Modesto Baptista astorisaJo lar
leilo do que cima se declara sem" reserva de
pregos.
Pelo presente fago pnblico, que pertence a
Salgado &C, lire e desembaragado de qual-
quer ons. o estabelecimeoto de molhados ra
Duque de Caxias n. 20, que gyrava sob a miaba
lirma.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
Joaquim Pavao & C.
Pedido de precisao
Offerece se ur.a pessoa habilitada que sabe
ler e escrever, para qualquer lugar, das 9 horas
do dia em diante d 5 horas da larde, e d fia-
dor de sua conducta, se for preciso, e adund-
se desempregada deseja oceupar qualquer lugar
por pequeo que seja ; de escriptorio para zelar.
de algum consulado estraugeiro, d algum filio
nestes arrabaldes ou de caixeiro de cobranga :
quem proci-ar dirija-se a esta lypographia, no
escriptorio. a fallar com o Sr. Barros.
Cosinheiro
Precisa-se de um cosinheiro ; a tratar na ra
de Paysand n. 19 (Passagem da Magdalena).
Ama
Precisase de nma ama para cosiuhar; na ra
da Aurora n. 133.
Aluga-se
as casas ns. 37 e39 da ra General Sera. anti
ga do Jasmim, com bons commodos para fami-
lia ; a tratar nu mesma ra n. 31, taverna.
Est para alugar
a casa 3sobradada da ra Joaquim Nabaco n.
22 (Capunga) muito fresca, com agua, gaz, bom
quintal, c todos os commodos para grande fami
lia. Na mesma dir-se ba eem quem se trata.
Pataces
Compra-se pataedes ; na ra Duque de Caxias
n. 59, loja.
>m negocio
Veade-se, arrendase ou bypolbeca-se a me-
tade do engenhe Fortaleta, sito no termo do
Bonito : a tratar na ra Coronel Suasuua nu
mero 332.
Leilo
de movis de mogno e Jacaranda, 1 linda sera-
ina, 1 piano e 1 catalk boin antiJof e proprio
para corridas.
No Bazar de movis roa do Bar da
Victoria n. 49, eebat-e em expoeic&o
lindos objeetos de phantasia fabricados em
Vienna d'Auatria os quaes sao baratos,
visto serem vendidos por canta- da seu fa-
brica ote.
SILVA PgNaVlDES & C.
CAPSULAS de GRIMAULT & f
TICO
Inmiiii f\t JuU (MU U
ll|W pliu U Irull
ComHmtio U f-mUm ,*
eom c Btlttms U CfMU
Remedio idOIUtbI par enrs
a Oi rasa. HO micar
o estomago, nem pramoarn
puimancla, efletto <&* l.
aaiMADLT o, t, m
ALUHICI DE LEHBRANfAS
Para 1890
Recebea^a Lli rnria Conlemporanca
RA Io DE MARgO N. 2
Para engenhos
Lopes & Araujo, vendem
a presos sera competencia,
garantindo a boa qualidad^,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Gal de Lisboa*
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixas
de 10 e 25 kilos.
Cimento Portt?^ nd.
Graxa enrbexTga"s.
Ra do LvraRK'nlo n. 38
Tlephone 316
Gosinl\eira
cesiobeirn
t io urna coiheirn para c<" de
familia ; a traiar na praca de Conde
Daaaiaa,
pequea
d'Eu n. 32,. segundo andar.
Precisa se de nm caixeiro
numero 1!.
Caixeiro
na ra do Jardinj
Ac^oes entre amigos
Fica tran.-erida a rifa do cafallo que devgi
e.orercon>-a segunda lotera do mez de Setent-
n), para correr com a terceira d< mesmo mei
e da sorte grande de 23 0003, do Grao Par^_ ,
Peitoral de Cambar
O Peitoral de Cambar est reconheci-
do como urna desooberta de magna impor-
tancia para a humanidade soflredora.
Sao numerosisiiimas as curas operadas
por esse maravilhosorc preparado.
Qualquer
Accesso asthmatico, por mais grave que
seja, cede promptamente ao uso do Peito-
ral de Cambar.
A7KINS9N
cPERFUMARA IRGtEZA
E*c-1 toda es otitras peto bou
perfuma pcqiiaao.
LOCAO da QillHa de ATEISSOS
I ea rival par fortalecer e cin'oettaar
.>? o tbal <'.
Garantid InoiTenslra.
IMMM nn^aul pm
.tilli-l na KMaiqt!aitfl,-
mantn-sz cm Cjja de toe oc !<6o-
J. 4*. ATKMMM
24, Cid Eond Ltreet, LjDTttl
!! lllrt
Kkra n.n. Lj:* ,!c Ouro"
eom watirt-v na uadidftda.
O Sr. Benjamn Juaseiro deixou de ser nosso
empreado desde o dia 7 do corrente.
Recife, 9 de Setembro de 1889.
Domingos Jos Ferreira.
AlimentOcGriancas
Para remediar a fraqucza das crianzas, desenvolver
as shis forras e preservul-os las ttoeneas da idade
tenra, os princlpaes Mdicos do Parts, membros
da Academia de Medicina-do Pars,receltio com
ptimo cjilo o vorddelro
Raaiut i -, a rabas Este agradavelalimento.comnflstoeomsnb'i tela
vo -otaos nutrtlvasafLH'Ukcciuias dlvWe-sc na eco-
noma luda.e, pelas suas propriclades analpticas,
siellioraacomposiciodoleitedassoiiliorasqucam-
menlao. e acorda s forcas lnguidas do estomago.
51, mi Tirluie, Paru. Depetitos n Plinuriu J" lutf eitalra.
Londror;
ui Zaitoa .-le.iiitissimos de87
i.m hoto c i irado \
proporeionaiido uin baafca dellelc o h/slenlco, (
' iiU amia d toucador.
Efta i ir fama universal, afor-,
miii e oatlso a cut, f, romo refreacante, aupora f
toSo-quinto ir acias, drogaras,'
B bes princ-ipaos p i/D. V
nico fabricaiitc-l'iTBrtOT: H. tlACK. 0]m s/1
Dtpoi.i j irmaai.
Os abaixo assignados, feridos ainda de mais
doloroso senlimento que Ibes causou a recente
noticia de haver fallecido em Portugal o sen
mui prezado pai c sogro, Antonio Teixeira, con-
vidam os seus prenles e mais pessoas de suas
amixades para ouvirem as missas que por sua
alia mandam rezar na matriz de Atogados, s
1 2 BCras daoianrianle quarta-feira II do cor
rente, trigsimo do seu fallecimento; anteci
pando desde j sua eterna gratido a todos que
Ibes derem essa prova de amizade.
Afosados, 7 de Setembro de 1889.
Justino Teixeira de. Moura,
Jacob Teixeira de Moura.
Clotilde de Araujo Moura.
Amalia Maranho de Mmra.
A o ooiimiercio
Pelo presente fa-zemos publico qnegyraac-
tualmente' lecimento de molhados ra Duque de Caxias
n. 20, que compramos a Joaquim Pavo & C,
livre e desembaracado de qualquer onus.
Recife, 10 de Setembro de 1889.
Pedro Antonio Joaquim Salgado.
Ao commercio
Os abaixo assignedos, pelo prsenle declaram
que nesla data compraram ao Sr. Jos Goncalves
Dias o seu estabelecimenio de molhados sito
ra Mrquez do Herval n. 29, livre e desemba-
racado de todo e qualquer onus. Itecife, 4 de
Setembro de 1889.
Silva Campos & C.
Ao commercio
g0 abaixo assignado, pelo presente declara que
nesla data comprou ao Sr. Manoel Joaquim da
("ro o seu cstubeeciniento de molhados sito ao
becco largo n. 1 B, freguezia de S. Fr. Pedro
Goncalves. que gyrava sod a razao de Manoel
Joaquim da Cruz & C, livre e desembaragado de
qualquer onus.
Recife, 9 de Setembro de11889.
Antonio Marques de Almeida.
Hotel do Mastro
Estabeleciniento montado com todo asseio c
commodos para os viajantes, como seja: boa
dormida, bom tratamento, e coebeira para os
ani:naes que o frejuez levar, existente na Russi-
nha junto estaco, para o qual chamamos a
attenc* do publico.
Professora
Uma-eenhora competenlemtnte habilitada se
olTerece para ensinar por preco mdico francs,
msica e piano, em casis particulares nesla ci
dade e em seus arrabaldes : quem se qni/.er uti
Usar de seu prestimos, p'le dirigirse em car-
ta fechada a esta tvnograpbia tora as iniciaes
L. B
Francisco Jos Leite e seus filhos, mandam
celebrar missas na igreja do Divino Espirito
Santo emsuffragio da alma de sua sempre lem-
brada esposa c mi Maria Benedicta Mattoso Lei-
te no trigsimo dia do sen fallecimento, qtrinta-
foira 12 do corrente s 8 horas da manfla ; e
para esse aelo de rellgio e caridade convidara
aos seus amiffos a pessoas da amisadeda (inada
pelo que liles tributam eterna ralidao.
que
Joo Viclor Francisco da Cruz
Joaquim Pavao de VasconceUos, Maria Jerony-
ma de Brito VasconceUos, Antonio Francisco aa
Cruz, Joaquim Francisco da Cruz. Francisca AI
berlina da Cruz Figueira e Augusto Alberto Fi-
gueira, profnndamente pesarosos pelo infausto
passamento de seu sempre lembrado irmSo e
cunhado, Joo Vctor Francisco da Cruz, man-
dara celebrar nma missa por sua alma na igreja
de S. Francisco, pelas 7 horas da manh de
quinta feira 12 do corrente, stimo dia de seu
passamento, e convidara os seus parantes e ami-
gos para assistin-m a este neto de religio.
aejL
foaqulm Baptinla le Souza
O bacharel Jos Mauricio Borges 'unior (au-
sente), Jeronymo Baptisla de Moraes, Joaquina
Baptista Ferreira, Jeronyroa Baptista de Moraes
Soares e Jos Mauricio Borges, agradecen! do
intimo d'alma aos amigos que se dignaram
acompanhar os restos mortaes de sua muito
prezada madriuha, irm, lia e comadre. Joaqui
na Baptista de Souza. at a sua ultima morada;
e ao mesino tempo convidamos para assislirem
as missas do stimo dia do seu fallecimento, que
ter lugar s 7 1/2 floras-da man he de sabbado
14 do crrante, na igreja de N. S. do Rosario da
freguem de Santo Antonio, pelo que desde j
se eonfessam eternamente rutes.
t
D. Isabel Riiarqnn l-i*Hoa
Antonio Ribeiro da Silva CuimarSes e D. Joa-
quina Francisca Poulcs agradeeera a todas as
pessoas qua se diguatara ucompauhai ao cerai-
publico os restos mortaes de sua prezada espo-
sare rilha D. Isabel Buarque Lisboa e dt- novo os
corvidam para assistir as missas quaporsua
alma mandam celebrar na iiirejn de ?fossa Se-
nhora da Paz de Afogndos, pelas 8 horas da ma-
nfla, do dia 12 do corrente, 7o dia ta seu passa-
mento, pelo que desde j se confessain eterna-
mente gratos.
Previne-se
GRANDE LlQIDACiO
Na Loja das Estrellas
56-Ru buque de Cxis58
Telephonc n. lo
Eete bem conhecido estabelecimentoacabe
de passar por urna grande reforma,
aende ligado interiormente com
caaa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos oe sen
fregnezes com mxima brevidade
possivel, resolreu fazer grande II-
tmMhf o todos os saldos qu
fiearam el-.; balanco, por meco
50 i, do seu valor, cujoa artigo
pasB-imos a demonstrar:
Aiigos de le
Esguio, peca, a 3)5500.
MadapolSo com um metro de largura d
14(5 por 7*000.
dem idem americano de 8$ por 5)5000.
Algodo marca T, especial, muito largo,
de 7,5 por 5*000.
Bramantes, pecas, por 7*000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas laig*
ras, a 1* e 1*200 o metro.
Guardanapos de 4* por 2*000 a duzi.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 1*500 o dito.
Lengos brancos e cem barra3 de cor a lf,
e 1*200 a dtizia.
Toalhas de fustao, qualidade superior,
3* e 4*000 a duzia.
Crotones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores
2*000.
I>en9es de bramantes a 2*000.
Chales escocezes a 1*000.
a quem ..arrematar a casa da rna Formosa n. 18
que vai praca a II do corrente, que o encana
ment Jo gar e mais Oeinfeitorias pertence ao
inquilino.
Caixeiro
Precisa-se de um pequeo de 12 14 annos de
idade, e que tenha alguma pratica-de taverna, e
que d conhecimento de sua conducta ; a tratar
no hotel da ra de.-anto Amaro, esquina do bec
co do Cuj n. 40.
Criado
Precisa-se de um criado que saiba trabalhar
em jardim e sitio, e tornar conta do mestn, dan
do prova de su? conducta ; a tratar na ra da
Guia n. >, 1 andar.
Repblica
Aluga.se barato a casa n.9 ra do Hospital
Pedro 2., no lugar dos Coc boa, caiada e pinta
da de novo, cea muito; cominodos emutto fres-
ca, vista magnifica e banlios salgadosma porta ;
a tratar no mamo lugar cora Joaquim Morena
Reis.
t
Flix fio* erres Huniz
.'Demetrio Adolpho Muniz,-Andr Alfonso de
Carvalho, Augusto os Muniz, Jos S. Muniz e
Joaquim laulino Niceas Muniz transido de acer-
ba dor pelo passamento de seu presado lio Flix
das Mercs Muniz. agradeeera cordialmente a to-
das as pessoas que se dignaram acompanhar
seus restos- mortaes a sua ultima morada, o de
novo rogara s mesmus pessoas, prenles e ami-
gos do linadoo caridoso ossequio de assistirein
a missa do 7 dia de seu pass meato, na igreja
Ordem Terceira do Carmo s 7 horas do da 14
dn corrente mez.
Tigipi
CoiaMtantlno le Sft Barreto
Convida-se a este senlior a comparecer ra
do Bom Jess n. 23, para prestar conlas das
cobranzas que fez no termo de Agua Preta, em
Marco prximo passado.
AZULEJOS
Para frentes de casas, cor-
redores;, banheiros, cozinhas,
acougues, etc.
De valor de 100#000o rai-
lheiro-a 54^000.
Ra do BarSo da Victoria n. 41
Especialidades
DA LOJA DA RA DA IMPERATRiZ N. 80
Ricos espelhos dourados ovdes para salas
a 50*00.
Bonitos candieiros americanos para salao
a 4#*000.
Ditop menores a 15*000.
Ricos cortinados de crochet, grandes, para
camas a 30*000.
Cortinados de edres, phantasia, para ja-
nella, metro a l)Jk800.
Ricas bandejas esmaltadas de mr.dreperola,
temo 18*000.
Lindas cambraias arrendadas, finas, para
vestidos.
CandieiroB de p, inexplosivos, de Berlim.
Especial oleo high-JJfc para o cabello,
frasco 1*000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dous
pospon tos a 12*000.
Sapatos para easa_, especiaes para doente
a500rs.
Flores artificiaes.
Galoes pretos com vidrilhos, precos sem
competencia.
Las de quadros, covado 160 rs.
Etamines de 1S, duas larguras, covado
1*500.
Grande sortimento de perfumaras, miu-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL & C
E outros muitos artigos
que
deixam de
i
Joo Vctor Fraufiwn dn Crn
Antonio Framisco da Cruz. Antonio Gomes de
Oliveira e Isabel Francisco da Cruz Oliveira,
profundamente pezarosos pelo infausto passa-
mento de seu sempre pranteado irmo c cn-
uhado Joio Victor Francisco da Cruz, mandan
celebrar urna missa por sua alma, pq matriz de
Santo Antonio, quiuta-feira, 12 do com
7 horas. ^__^_^_
Mudou-se
a sellarii ingleza de Domingos Jos Ferreira A
C.Jpara o predio n. 5 mesma ra ttar&o-da
Victoria
->se as seguintes
casas
Rea do Rangel n. 73, 2- andar, com boas
commodos, muito fresco e perto do mercado;
ra do Fogo n. 80, com duas salas muito boas, 3
quartos e iBtwffdrit; ra da Roda n. 46, lojt,
pwpria para pequea familia : a tratar na ra
do-Ctkfcug n. 10 -A Veaturosi.
t
Joo Alves Rezerra convida alguns parantes e
amigos para assistiiem no convento do Carmo,
querta feira (1 do correntej s 7 l horas da
manh, as missas do stima dia de .-a prezada
niftr, Antonia Alves Bzc*ra,. quefultecro no
Cear no dia do corrente, e desde j dece cordialmente este acto religioso.
Tructe
ct* Meco
aMMHMV
Triirehimo dia
Sua mulher, filhos e lilhas, genros, oras, ne-
tos, cuneados e sooiinkes. convidam aos seus
parantes e amigos e aos de seu prezado marido,
pai, sogro, avo, cunhado e tio. pura assigtiretn
as missas que pelo repouso eterno de sua alma
mandara celebran naquita*ira; 12 do corrente,
s 7 1/2 oras, na capella da l'nte de Uclia e
matrhr trigsimo dia de se passamento ; pelo que se4
considerara asss agradecidos por esse acto de'
j"iq e caridaile.
O grande, e importante estabelccimento di-
Po^as Mendes A C, sito ra estreita do Rosa
rio n. 9, codiguo a igreja, iieaba de rec ebe
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
O nico que, sem a mnima confeceo, iu
portado neste mercado, e s se vende no refer
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejara : o vinho Maduro sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vantagens que as outras qualidade?
de vinho no tem ; facilita sem a menor pertur
bacfio as digestoes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutrt
aolhos vistos as pessoas debilitadas, e d forca.-
.- que as ti ver arruinadas pelo uso de bebidas
vi.iadas.
Rteebemos tambem
Requeijo
em latas, de procedencia- de engenho, cujo
propri.tunos capricham em bem tr.;b. Ihar nest*
artigo, afim de terem a primozia sobre tantns
outros similares, cuja coniposico duvidosa.
Em outros artigos con semmlft d hortaiiea
e flores, linguas seceos do Rio Gwnif; objeetos de
vmue tnmancos do 'orto para homens v. seono-
ras, para isio to pouco temos competidor,
nossacasa especialista, eas pessoas^bo-disto
ae qiwiram certiliear podenr compaecer, coro
o que muito nos hoitnrfao. Aps un inftni
dade de-artlgos de primeira ordem, que achara
se i-mexposicao, acresce a -anwnidade-do trate
com que timbramos tratar todos os que-no-
honran com a sua presenca, junto a modieidade
de pneeos sem rival.
Bns estrella do Rosario u. Jsinto
a Igreja
.Pogas Meuds^e.
ser mencionados e que .se vendem com
igual abatimento
retidos de alta uovidade
PARA VESTIDOS DE SNHORAS
Linhos pardos para 'vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 1*800 pos
' 800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
1*200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 poy
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 r.
Nonsuks, desenhos novos de 240 po
120 rs.
Cretones claros e esenros com lindissimo
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padrees, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 ra.-
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros des
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 r*.
E muitcs outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, 13 q sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 "j,^
Confeceo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 80* por 5* e 30*.
Ditos para armar de 6*, 8* c 10*;
Ditos brancos bordados em cartao, alia no
vidade a 8* e 10*.
Guarnoes de colariuhos- e pnnhos par
senhora por 1* e 1*200.
Capotas (preparadas na corte) de 20* por
y* e 10*
GoHrnhas e prmhos- para mcnfnrr de 3 s
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para criancas, por
5*, 6*, 8* c 10*, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 2* c 3*.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 5*.
Luvas de seda meio b-aoo e qualquer to-
manho a 1*500 o par.
dem idem de Escocia a 1* e 1*500.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
70* e 80*, por 30* e 40*.
Capas e pellerinas de c achemiras oitom
na ricamente enfeitadas de vidrilhos s
25* e 30*.
dem idem de renda, seda, damaseo e
gurgurSo, tanto para phantasia come
para commodidade a 38* 3 40*.
Velludos de seda e algodo de muitaa co-
res.
Gazcs de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dao e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs. .
E muitos outros artigos de confecyBes
como sejam mantilletss de blonds, sabidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 'j,.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, de
3*500 por 1*200.
Ditas cor de caf e azul, de 2*500 por
800 rs.
Cortes de seda paracollete, de 12*000 por
3*000 e 3*500.
Ditos de velludo e fustao a 1* e 1*200.
Meras ingleza-com fio de seda^ de 12#
ppr 6*000 a duzia.
Paletots, de 7* por 4*000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 1*600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 5*000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pn-
nhos, eem collarinhos e sem punbc*
36*000 a duzia.
Brina pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito bwnco de linho n. 6 a 1*200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 6
8*, 10* e 12* a 4*, 6*, 8* e 10*000.
Sobretodos inapermeaveisd borracha, para
homens, de 70* e 80* por 30* e 400.
Ceroidea franoezas, de 38* por 24*000
a duzia.
Paletots de seda, completos de feito*>
casemira,. malas para- viagem, e bolease
t*pete e um completo e vanadissimo sor-
timento de-cheviots, casimiras francesas,
inglezas, prcta e de cores de padrees in-
teirameste novos e que se vendem cosa e
mesmo abatimento de 50 i0 de seu valer.
< albos
Aproveitem a grande qaaetidade e
pelos'preces, esseda pretas e de core,
gesgeroes, setins, lasy merinos,- zephyros,
linhos, chitas, madspoldes e algodlst
nhos.
E rauitas outras pechinchas que s se
eheontram na
Loja das Estrellas
56, 58^-Rua do Duque de Caxias66, 5
I

1

.-'--.


}
V
ir
x
)
V
V
ario de ParnanibucoQuarta-fetra i I d* Sntoaibro tfe 5"88
^7
39--MJA BUQUE BE CAXIAS-39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
aperfeicoadas e movidas a vapor, ach se em condicSes de executar qualquer
tadullio em
TMlilllPffi IUTHM
Cartas, inemoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartSes de
aieaeoes, mappas, precos correntes,. .acyoes, bilhetes de lolawa e roiulAs de todas
cm cualidades em preto, ouro ou odres.
meoir>t
rochwas, cartonados, encadernacoes, livres ro.-braneo para o commercio e
a-ce. rticScs, tendo para este fim urna excellente machina Je pantar.
v m m ,. .: carios para visitas, partioipcoJ|e coavila^idc casa-
ohoitactaB, etc., etc.
Livrus (!< n cibos de alugnel de casa, papel de impresa*, tintas, rumiaes e
a artigos para trHigrat*iila e W Manoel J. de Miranda
Tefephone 194
PEROLAS de PEPSINA PURA DYALISADA
de CHAPOTEAUT, Pharmaceutico.
Fol-o SAr Chapoteaut o primeiro chimico que conseguio preparar e forneoer o
mdico e aos doentes, em parolas redondas, urna pepsina pura, nao contendo, nem
amido,nom assucardeleite,nem gtlatina.E' Cinco vezes mais activa que a pepsina que
figura na ultima edicao da Pharonacopea Sua accao da maior ifleacia; duaa pardas tomadas-depois da comida basti ,
para favorecer e activar a digestio, e azem desap,parecer no fim de um quarto de
hora as enxacrneoas, as dores de oabe^a, os Booejoe e e somnolencia, qee
sao a oonsequenoia de una m digestio.
Cada perola tova impreseo en negro o nome CHAPOTEAUT.
PAPIB S R-ae Tivianne, r sv tsitt ir Crtttrfw r *\tyx!ti.
" m
Antigo estabelecimento de ferragens
DE
EEfflEIRA GMMES & C.
Hli-Rua Duque de Caxias~86
rattte sroxtimentc Hirvameos,.tutelara*,
Cobre em fblha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta pressao
Machinas e vapores
para aleodo.
Cndieros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
loriga existencia a garanta mais segura dar os que pro-|
curar em honral-o com a sua confianca.
FRENOS SEM COMPETENCIA
Descontos do costume
PlLULAS
55
Para o tratamento e prtmpta cura Sai
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias dispepsia, indigestes, clicas,
nauseas, diarrhea, priso do
ventare, falta de appetite, ineoin-
modos -depois da csuida, enxa-
quecas e dores de cabeca chroni-
cas, rheumatismo e nevralgias,
molestias-da petle, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alera
destas, multas outras enfermidadesque se
classiflco debaixo de urna inflnidade de
noraes, todos porm, oriundas da mesntu
causa, a sabor;
Desarranjos dos orgSos de di-
geslo e assimilaiao,
donde provm a impureza e o eniraqueei-
mento do sangue, com a debilldade e con-
gesto de todos os orgaos vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILUUS CATHAnTIMS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
Dsu>osrru Gk
SNFALLIVEL o RADICAL
no curativo de todas as ofieccoes bronchUes :
Mal de Garganta, Toase e Tsica
PEITORAL
O rn.slb.or
PIRG&HTE r
o
' ""^viDO m* C>B1A DK EDICIHA OE J^
O melior
PURGARTE
So
Nao ha Purgante
algum que tenha
saborraais agradavel
O PO DE SO
(POUDRE ROCE
Linto' sr-lLdo'
coi un rpulo
unfpertom ^ ,MB18 W Casa L. FUERE
O.UATRO CORES ^t**asm&^ tu Jacob,pidz
FABRICA
20Roa 1. de Marqo20
Etamine lisa a 500 re. -ocovado.-
Sargelins, todas as cores a 200
c ovado.
BmmU hespanhola, todas as cores a 2#000.
CacJsmiras lieas, dnas larguras, a lfjOOO
o covado.
Cachemira de listras, duas largaras, a
a 16000 o dito.
Fielis de 1.a :bnrdadaa 1000 um.
Oamijiaia'Victoria a 2i$800 a peca.
CJamKraia com salpicos a 3^800 a pe$a.
Gaix eam lenos, para presentes, a
3*000.
Imth* de seda a 25000 e 2*500.
anellas de cores para camisas a 280 rs.
o et'vado.
Colchas de cores a 25000 e 2*500 urna.
Espartilho o mraca a 4*000 e 5*000 um.
Coibbas brancas a. 23000 uro.
Madapolao americano a 6*000.
Toa!has para banho a 1*500 urna.
Camisas de flanella a 3*500, 4* o 5*000.
.Extrato Ri'a Sangal a 2*000 um.
Dito Port-Verae a 1*500 um.
Velbutina preta a TOO rs. o covado.
Alpaca branca a 400 rs. o dito.
TV* ,...tn o v.(l r\fi(\ 0 7Yl re
rs. o
Len908 brancos a' t*260 e 19900 a duzi&.
Ditos de seda com a Torre Eflfel.
Tapetes granaos a 13*000 am.
Guarnic5o de crochet a 7*000 urna.
4Ierin preto '00, 1*000 1*200, 1*400
1*800 o covado.
Lcqrws transparentes a 2*500 nm.
Cortinado bordado a 6*500 FastSo de or fiara Toupa, covado.
Bicos branoos e-de coros a 1*800 e OO
Colchas de firetSo a'*5000 trtna.
"Cretones a Derby Clab a 240 e 280 rs.
o covado.
Fustao branco a 360 e 600 rs. o dito,
rrinalda para noiva a 7*000 ama.
Collarinhos e punhos de celluloid.
Setins, todas as-coras -a 800frs. o covado.
Uta amazonas a '400 rs o covido.
Palitots de seda-patha a f000 uta.
Palitots de alpaca preta-a 4*500 um.
Palitots de toile prdo a 45500 um.
Palitots de alpaca de cor a 4*500.
Ceroulas de bramante a 15*000 a duzia.
Pe$as de esguiao de algodSo a 3*500.
Quardanapos de linbo a 2*200 a duzia.
Chambres para homem a 5*000 e 6*000
leas fio da Escocia a 1*500 o par.)
Bombardo a 280, 320, 400 e 500 rs. o cov.
CaobetBra de ^uadro a 280 rs. o dito.
Bramante de linlio e do oigedRo.
MEDLBA DE RONT
9IPVOMA DE HONRA]
^BRANCO.LOIRO
FERRUGINOSO
0 OLEO CHETRKR
i daslolecudo c Alcatro,
tnico 9 bilumico, o aue muito
t/gmtntt ai prcf'tea*** rfa* J
0 OLEO de FJGADO
BE-VKUtO fCTfWeiHOSO
4 unlc prepMrMcio oue permute
admim$trar o Ferro / pro-
ttuiir Priso de Vean-e, nm
Incommodo. ^ C^r P^^
mnjito"^T. tan ^^fSSSSBSl^v^
2i.m m tMtmimttin *' Tfc!2Z?- "v'1 Vinho de Coca
LICENCIADOS PKLATfSWCTOBIA DE BYdlRNB DOTMPERIO DO BRAZIL.
ft^
RICKITArx >0E TODAS AS
Celobrldade KiHm I
1>A FI(\Ni;\ t DAELBOPA
Mi
MOLESTIAS 00 PEITO,
flFF.5ES ESCROFULOSAS j
CHLOROSIS,
ANEMIA, DEBiLIDAOE,
TSICA PULKIONAR,
BONCHITES. KACHITISMO I
DiU preta a 300, 500 e 700 rs. o dito.
Panno da Cesta pana meza.
Atoalbado bordado a 1*000 o metro.
Cazes arrendadaa 400 e 440 rs. o covado.
Lences de bramante a 1*8< 0 e 2*000 um.
Cobertwes escaros de la a 15700 um.
Toalhas para rosto a 3*510 a duzia.
Cortes de seda para collete a 5*000 um.
Cortes -de fasto para cellete a 2*500 um.
Bapt'sta de cores a 120 rs. o covado.
Heraos de cores a 440 rs., duas larguras.
Para banhos salg-ados
Cestones para eenhora a 10*000. I Costnaaes para meninns a *0U0.
Ditos para bomens 8*000. | Boleas de palba para o mesmo fim.
ESPECIALIDADES
Cuarda p para senliora 10*000. I Gaarda-p para horneas 6*000.
Bicos cortes de casemira para calcas. |Lindos cortes de casemira paia costumes
fixtratos, meias, entre-meios bordados, boletas, aspas, sabonees,'collarinho&,
punhos, regatas, principe de Galles, cretones para cobertas e outros miiitos aftigos.
D-se amostras sem penhor e manda-se levar qnaesqner amostras em casa
a* Exmas. familias.
CASA DE CONFIANZA
BE
1MARAL & C
12
NEVRALGIAS
Pilulas do Docteur Moussette
As VERDADEIEAS PlLULAS MOSSETTE acalmo e curao as
Neuralgias mais rebeldes, a Enxaqueca, a Gastralgia, a Sciatica, as Affecges
rkeumatismaes agudas e dolorosas que resistiriio a qualquer outro remedio.
As VERDADEIRAS PlLULAS MOSSETTE devem ser tomadas as
refeic5es. No primeiro dia tomar-se-ha tres pilulas; pela manbS, ao almoco e ao
jm.tar. Si nao se tiver experimentado Allivio tonje-se quatro pilulas no segundo
dia, duas pela manh5, urna no almoco e outra no jantar. E' preciso nao tomar mais
de quatro pilulas Moussette por dia.
Exija-te as Verdadeiraa Ululas Moussette de Clin & O, de Pabiz
que se compro em todas as drogaras e pharmaas.
iOUrij^.ienl-'i d Hollow:y t ura rfmeiiio rtslHre! paraatm&les depemas e do peito ; tambera paa
jfuaelido* ttjiuchaA<>H!ccnu. li firtmaa urna n g>j.c oTheamatiaxo e ira toda: as esterna*.
odes de pcilc*fto se renhsC5iinrl rt
pfi as..- :/ -; fe a^(p^/ WaWots"B-: gJMKBksas MAa ti m.-il-KtJp.sd.Tj^lIe- lio ren WisWnulU e udra fB membnss,
nnetfailii'KW jjniumg recias. obip'COir..'Torc:isanto. I
wfra*-mwl:r.nn5 -M wi ---:-.< -'nnr^ie no Esiabctci.-r.r.:o c'-- T'iv.mcr Rollowav. ,'
i 13. K2W4ftWM6t 7" :nn*,!f>?$,txi>ndSrrm+>, 10ifK3S,
i L vende -;tm teda* ai j har.iack* co bdwi ~>. j
TeSP"03 cc'iprtdOfts Cz C*ni<(a(rB regpeiroaaiiWBt-i & ea-tin^ur Wi*oMm ce cad- taba e Pc*, se AoteOn a i
ain-c5ao,*533, Oxer^Smet, siufrJdiiciaes.
BRONZE
1HMA0
104
de
assea
ftya do Bardo do TriHoipho lis. 400, 102 t
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Ven parn veatier o e#iale:
VAl'OliEri de diverses iabrioantes para fugo directpara o ou 4ego
amento.
MOEIsDAS de todos os tamannos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
GRrVAyES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2,2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar al^odSo.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as ferrayens precisas para a agricultirra desta provincia.
EXCARREGAM SE de qualquer concert e maridam buscar por encommeii-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machinismo.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos cara usinas, garantin3o a boa
qualidade e bom trabalho dos niesmos, o que podera provar com o bom resultado
ebtido cora as duas USINAS montadas ultimaanente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendcrn a praso ou a dinheiro com descont.
:
*.



Si -HVSSa
Laroyeime
seposntrvn ato miwmt\*-s
VTUAa X* 1-RB-C'
"WS, 1, Bwhevd Bisatt, I, Ko
i
Curados pos CIGAFiJrtOS SSPZG
&*pre8a L1CKNC1ADQS TF.LA IMSrECroEIA DE t
AStra-se i funiata que panctra no pelta. acalma u systema nervoso,
fluifta a expectorado e l.ivcrisa as funci;6e. Venda >m atp.caoo, J. ECPtC.'LO, rus Ct-Lazcro, em Parla. Lxija-tt ceta asagn""
'm Ptratmtmco : FE&VCco EL da SILVA t C". iwlBu.)ui iu.-aii u.*eM*~
INJECTION CADET
Cura certa em 3 das sem outro medicamento
PABIS 7, Boulevard Dettain, 7 >ABI8
Depsitos em todas as principaes Pharmacias e DrooarlaSv
***m
VEROADEIRd^eRROS q UDEtDf FRANG
****'
\* UCKSCIADOS
i
. ntra a ral
f escoo.
cada
PKI.A nSPECTOHIA OKKAL OS HYGIFSE LiO MI'EHIO DO BRA^l.
pi Minan. Est<.machimos. Puraativo, Depurativo*
i;-rti*e, ''UrBc!, a Eni.; : l, as-Vartlanwa!
3 graos
\t em faiioc:.
^b c Fabricantes.
1 ;-3:r!iirr,wlM.
Aluga-se
acisa terrea do Gaminio Novo n. 139-3 ; a tra-
tar na pdariaii.'Sl
A luga-se
urna casa junto estacao de A^nia^Fria. em Be-
beribe, tendo 2 sa as, 3,quartos, cosinhu, des-
pensa e un bantieiro; no sitio tem diversas fruc-
teras ; a tratar na ra dos Coellios n, 10.
De ANAC AMUIT A
- Remedio Vegetal da Natnreta para o al-
Vio e cuta d* todas as molestias
Do Peito o de~ ""'iluioes.
A cristalligraphia
*e #! r<
Inacabavel c verdadeiramenle inoxydavel.
Esta penna molbada levemente na tinta e des-
usando docemente sobre o papel produz carac-
teres inuito ntidos. A' venda na livraria Con-
tempornea, ra 1." de Marco n. 2.
Aluga-se
dua- 'loas casas com commodos para grande
fam>:i-'. jcndo urna ruada nifio n 49 e outra
iu.. ...i Aurora n. 153 : a tratar no 1- ai.dar
n. 56 ra Mrquez de Olinda..
Aluja-
se
Por preco baixo o Io e 3o ondares do sobrado
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos} a tratara ra Larga do Rosario n. 34,
botica.
Alu^ue i barato
Becco da Bomba n. 8 lola.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Roa Visoonde de Itaparica n. 43, armaaem
Loja do sobrado do becco do Calabouco n. 4.
A tratar ra do Commercio n. 5, 1 anda
eacnptorio de Silva Gtrimares & C.
Precisase de urna ama para coainhar ra de
Pedro Affonso n. 70.
Ama
'Precise de urna ama para servico domesti-
co, prelere-se a que nao saia rua,-a tratar na
ra do Baro da Victoria n. 54.
Ama
Precisase de urna para muilo pequea fami-
lia, no roa da Ccnceico n. 8, Io andar.
* ""' --------------<-
Precisa-se de urna ama para cosinhar e lavar,
para casa de pequea familia ; a tratar no Cor-
edordo'Bfspo'n. 2.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar e com-
"prar; na rna Novan. 20, loja.
INSTANTNEA
(MARCA REGISTRADA)
Tinta de copiar sem prensa
52Ra do Amorim52
ESNATY RGM1GUBS & Ca
Esta maravilhosa tinta de copiar a MAIS
TIL desccberla americana, impr>iehtlivel
a toda aa pennoaai que eicrevem fe
que, sem uso da classica e tradicional prensa
de copiar, deftejam guardar copia Ba-
tida, innltaravel de eu* trabamos
nuil si ser i po.
A IXTA.'X'TA^iEA o mais prompto auxi-
liar material para a Corre*pondcncia Com-
mercial ou particular, porque simplificando o
trabalho, diminuc-lhe tempo: o escripturario nao
necessita sahir da sua carteira ou mesa para le-
var o manu:cripto a prensa de copiar, retiral-o
da mesma, voltar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da EVSTAXTA-
MBA para a sua escripiuraco do Diario, Caixa,
Contas Correntes, Facturas, Contas de Vendas,
Precos Correntes, etc., podem obter duplcala
autnentica, d'esses livros em papel de seda.
A i.tsta:vtajea depois de dar copia
conserva se inalteral, preta. lixa nio s no origi-
nal como na copia.
A MSTAUTAXEA nao oxida absolutamen-
te as pennas, assim como nao demanda penna
especial para com ella escrever se.
Com urna esponja, ou pincel embebido n'agna, hu-
medece se ligeiramente o papel de seda proprio
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor-
rao, colloca-se o manuscripto cm baixo do papei
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se a
uio rpidamente em todas as direccOes, e a co-
pia 6 admiravel; ntida, i\ota%ta\i;
Tambem'd copia, coi-recta, semmolaropapel
de seda
Preqoe de venda a dinheiro
Um frasco.................... M500
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 reis, meias ditas,
a 300 ris.
Se soflres pente <\wns
U9A E CONVENC^-TE-HAS
cura radical
e
SEM DIETA
DAS
nolestias de pelle
SYFf LITIGAS
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im-

. ------------ .'.z--------------------------- iiaiuiius, sarnas, ulceras amigas, nn-
Ama para COSlBnar e fazer | pingens, bobas, gommas, cancros, rbeuma-
um pequeo ensaboado
Precisa-se de orna, na praga do Conde d'Eu
n. 26, sobrado amarello.
tismo e morpha.
Com "s iM-odigosos
XAKOPE E UNGENTO
DE
Professora de piano! Hydrocotile Calasans
Urna senhora perfeitamente habilitada e com | Applioa9o fcilUso sem perigoEf-
pratica de ensino. offerece as Exmas. familias eitos promptos, dieta razoavel.
Cfidra fartas nao ha argiantas
Curada a ra do Queimado n. 74.
Professora
Una senhora competentemente habilitada se
prope a dar lices de piano e francez; a tratar
com o Sr. Paiva na ra BarSo da Victoria, loja
de msicas do Sr. Azevedo.
Caceilas do INonle de Soccoro
Coropra-se camellas do Monte de Soccorro ri<
qualquer joia, brilhantes e relogius: paga-=
bem na iraca da Independencia n. 22, Ioa d'
relojortro
Elctricas esc ovas
Nao estragam o esmalte dos dentes nem offen-
demas gengivas, pelo seo especial formato; re-
coairaendam Pedro Antunes& C, ra Duque de
Casias n. 63.
Sabo russo
Especialidade para nevralgias, erisipelas,
dartros, pannos, contusoes, impigens c muitas
outras applicacoes, conforme o prospecto. nico
deposito Pedro Antunes & C ra Duque de Ca-
xias n. 63.
Aviso aos senhores de en-
genho
Emilio Silln, ngeuhciro mechanico, tendo
voltado da sua viagem a Europu, offerece levan
tar ou transformar qualquer engenho para o
systema mais moderno e aoerfeicoado, para o
que pode ser procurado nesta cidade.
Estes remedios s3o os mais commodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direc$5es para uso d'estes medi-
camentos admiraveis.
Preco do ungento 1200 o frasco.
Prejo do xarope 3#000 a garrafa.
Preparados por Calazans & C. Pbar-
macia Imperial, Baha.
Deposito no Reeife
Francisco Manoel da Silva & C.
i?a Mrquez de Olinda n. 23
Taverna
Aluga-se a casa n. 11 (Pombal) propria para
principiante por ter poucos fundos, com arma-
gio prego mdico; a tratar cora Bernardino
ampos, na padaria do Cuminbo Novo.
DE
JAGUARIBE
a 4$ a barrica
com abate de 10 0j* em porcSes maior es
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
8M4
Machinas a vapor.
Moendas,
Rodas dagas.
Taixas fundidae a batidas.
Taixas batid: m crava^ao
Aratlos.

'


'i
%
\

Diario de PernmbucoQuarta-feir Jl de Setembro de 1889
'i____________
YEMAS
Grande novidade
KCIMCUS!
Vende se no'caes do Hamos n. 4. urna ex-
cellente machina i vapor ae 30 carallos, urnas
bombas hydraulicas de grande forc, um ferra-
dor, urna tesoura para cortar fiandres, arcos,
etc., trilhos e carros Decauville, apropriados
para transporte de canoa, bombas d'agua mi
e & vapor. ____________
Vede-se dous caes do Rio Grande do Sl,u
muito bons vigas para cuacara ; pan ver, no
sitio da estrada de Joao de Barros, defronte do
sitio da Cascata. e a tratar com o Sr. Pinho Bor
ges, armazem n. 39. a ra do Imperador.
*** <5LERY
I* -Ra Duque le Callas48, *Ra Duque le CaiJaaSO
Vande-te m toda i pirta
A Luja das Lisiras Azues
Est vendendo fazendas muito baratas.
Com descont
a quem comprar de 20000 para c
E VNDEMELOS SEGUIXTES rBEQ6
MadaytISo lavado con um met
de largura a 60800 a peca,
norim das Lustras .Mmi com
20 varas, a 6(5000, a .peca.
Chitas percales finas, cores seguras a
180 e 200 rs.
Cassas de urna s cor a 100 e 120 rs.
nm palminhas.
Lanziahas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de llanos com 16 1/2.co-
vados, tecido phantasia, a 40000
Bordados finos com 3 metros
500 rs.
Ricos brancos a 600 rs., a pera
com 9 metros.
Sargellm diagonal, todas as afires,
a 1'80 e 200 rs.
Crinolina de cores para vestid*} a
360 rs. o metro.
Luvas de seda, lisas c bordadas a
10500.
Lequcs transparentes lindas cores, a
20000.
Grinaldas com veos para Solfa
7,5000.
Setim de Maco branco, e de todas
as cores a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 60000.
Fichas phantasia a 800 rs.
E-eneos de seda a 500 rs.
K multas azendas que se vende por
qualquer preco.
Troca-se a fazenda vendida se nao fr
de muito agrado para quera fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Tendo recebido" um grande e variado
tortwento de fa zondas resolveu vender
|)r a nos 30 /0 do que em outra qual
quer j como seja :
Madapoflo americano com 1 metro de lar-
gura a 60000 a duzia.
\lgodaoziah muro largo a 40 a 50000 a
peca.
hitas cretoaes, modernas, a 200, 240,
280 e 320" o covado,
Zephir de u,uadroti, padr3es modernos, a
120, 150 e 200 rs. o covado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 rs.
o covado. -a
res a 10000 o metro,
jado para roupa de ho-
o.
500 eSOOrs.
Atoalhado com
iinyjrd^o ti
o co-
#000
a vara
costumes a
a 500 rs.
a
Sorpma agradavl
UM RETRATO.
Que se offerece a um amigo no da do
seu anniversano
De 25$000 al llMisiMMi
Obtcm se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, q com
seda ; trabalho feito nos
cerdees de 12 e
Estados-Unidos
da America
POR FRE. PLATT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartSo de visita, ajto im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos olhos e do cabello, para chegar ttWre-
trato perfeito, e muito lindo paca um fr-
nente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Esto expostos ao publico na
AGENCIA GERAL
Loja das Listras zoes
BOA DCQCE DE CAXIAS N. 61
Para as Exmas familias verem o quanto
no lindos, c muito fcil fazer encommenda.
OIALQUER ENCOMIENDA
Por raaior que seja se aprompta em me
qos de 90 dias, e restitue se a importan-
cia reeebida, so n2o chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente goral n esta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
PE R WM HITO
Camisas de cretone, cousa boa e barata.
o..! 500'
nito de cor
| vado.
Dito de n
por 2450&
Casimira preta
10200 e 20000 o
Cortes de fustSo para
um.
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
um.
Camisas brancas para homem a 20000
urna.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
200 urna. .. Colchas adamascada de 20000, 30000,
40000 e 50OOOuma.
Cobertas forradas para casal a 20500 e
20800 urna.
Lencol de bramante com urna largura a
10800 urna.
Cortinados bordados para cama a 60000 o
par. ^^
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs.
um.
Cobertores brancos de la com pequeos
defecto a 20000 um.
Corte bordados para vestidos, ultima mo-
' da, a 80000, 90000, 1O0QQO e 120000
um.
Lindas las com listras co seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 rs.
vado.
Lindos fichs de retroa, prateado e dou-
rados a 10000,^0500 e 20000 um.
Luvas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 10000, 10500 e 20000 o par.
Casacos de Jersey para senhora, barda-
dos, o 60000 um.
Costumes de Jersey para criancas de 4 a
5 annos a 70000 um.
Cachenez para homem e senhora a 105OC
n 20000 um.
Bicos brancos e de efiresa 10800 e 20000
a pea.
Saias bordadas para senhora a 30000 urna.
Renda hespanhola com um metro de lar-
gura a 20000 o covado.
Bordados e entre-meios a 500, 600, 700 e
800 rs. a peca.
Grinaldas com veo de seda a 80000 urna.
Collarinhos e punhos de borracha, a 10800
o. par.
Leos de linho, espccialdade, a 20000,
30000 e 40000 a duzia.
Ditos de seda com a exposicSo de Pars a
500 rs. um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 ra. um.
Lindas mantas e gravataa de todas as qua-
-fraades de 500 a 20000. lJT'
Espartilhos "de couracas a 40000, 50000 e
.60000 um.
CoRnrinhos c punhos de senhora, para aca-
bar, a 500 rs.
Cambraia de salpicos a 40000 a peca.
E muito outros artigos que s com a
vista, assim como roupa por medida em
sua officina, para istotem peritos ofiiciaes.
S na Revoluto
i ra Duque de Caifas n. 18
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Cassinetas de c6res para t*upas de jeni-
noa a 200 rs. o covado.
Me as ca8cmiras pretas e de cores dem
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a
. dito.
Setmetas modernas idem a 200 .
o dito.
Linhos de quadrinhos a 10cS
200 rs. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o ai
Atoalhado bordado, quasi 2 met
gura, a 10000 e 10200 o metro
Bramantes, 4 larguras, superior a
e 10000 o dito,
dem de puro linho 10600 o dito
Riquissimas guarnieres de crochets 60 e
8(5000.
Toalhas para maos a 10200, 30500
40000 a doria.
Meias inglezas para homens a 20500 e
30000 a dita.
Camisas superiores idem a 240 e 300000
a dita.
Seroulas bordadas a 120000 e 180000.a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
e 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 40000.
Superiores algodSes da corte a 30000 e
30500.
Madapolao americano a 60000, efe 24
jardas.
Flanella de cores para camisas j80 rs.
o covado. ^.
dem americana, azul, para palitot a
10200 o dito.
Casemiraa de todas as qualidades a 10400
10800 e 20000 o dito.
Para as Exmas. nolvas
Lindissimas grinaldas e veo para 80000 e
140000.
Ricas colchas de crochets e fustSo a 80000
e 60000.
Bonitos cortinados bordados a 50500,
70000 e 80000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
AO 55
Pede-se ao respeitavel publico que at-
ienda aos precos abaixo mencionados :
Setim da China, fazenda de phantasia,
alta novidade, a 240 rs.
Amor da China, a 200 rs.
Zefiros arrendados, o
que
ha de mais no-
rOLFIH
is m i mm
POR
J\]luF.S IAKY
PRIMEIRA PARTE
LQ7CEA SE Ul. &0NSS0LU
(Contnuacao don. 204)
xn
A todos esses indicios Thomaz L' or
contentava se com sacudir a cabera, nada
respondendo ou dando respostas evasivas.
Nada se lhe pode arrancar no primeiro
interrogatorio e elle foi conduzdo casa
de Detenc2o de Saint-Claude, esperando <
proseguiment do inquerito.
Nada se disse, nesse dia, da carta acha
da no cadver. *
Na manhS desse nfesmo dia, o primeiro
cuidado do Dr. Magnabat foi ir ver Mag
dalena e consultar Suzana Bridolle, acer
ca do modo porque sua ama passra s
QOU
Suzana nao disse que dormir.
Alm de que ella estava convencida de
que, durante o seu somno, Magdalena
ala voltra a si.
Nao besitou, pois, em affirmar que a
tetbargia da moca nao havia cessado.
Magnabat approximou-se do Jeito e, lar-
go tompo, examinou a Sra. Gonssolin.
A perdnracao deesa syncope nao o ad-
mtva. Tinha j visto muitos. casos des-
ses.
Ew porque esperou ainda, prevendo
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 ra. o
dito. .
Lencos de seda e de linho para 20800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 10800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 20500 e 20800 urna.
Colchaff-de cores a 20000 e 30000.
Tapetes para portas a 30500 e 50000-
Pannos otfk mesas, do cores moderno* a,
10000 10200 e 10600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 300 a
350. y
Fustr.es bordados brancos a 400 e 500 n.
o covado.
Casemiras fcretas e de cores do todos m
presos, cheviots- merinos, damascos pa
pianne-, cobertores, redes a 40OPO urna, e
urna infinidade de artigos que serao lea-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHABS
Para os feslivaes
A' ra da soledade n. 56, preparamm^
om lmpsa, mestria e commOdidad *qp v<
precos :-^>olo, pSo-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatapa,
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recebem-sc as encommundas quer par a
cidade, quer para fora d'ella.
C'
Especial para calos <
maduras
Preparado Riker : vendem P. dro Antones &
C, 1*000 o frasco; na ra Duque de Caxias nu-
mero 6.1.
Atten^o
Vende se um garrota
Hospicio n. 77.
tourina ; na ra do
Cofres de ferro
rarlos Siden tem para vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Barao da Victoria n. 48
que esse estado nao poda durar por mui-
to tempo e que a Sra. Gonssolin ia voltar
a si.
Mandou um proprio a Saint-Claude com'
chamados para dous mdicos, o Dr. Fran-
cisco Hormais e o Dr. Thurod. Nestes
negocios delicados esquecia as rivalidades
de collega para collega. Elle s tinha em
vista as exigencias da justica, e, apezar de
toda a sua aciencia e experiencia pessoaes,
que muitos sabios, mesmo de Pariz, nao
duvidavatn reconhecer, nao quera deixar
vo, a 800 rs.
Vestuarios jersey, ultimo costo, a 100
e 120000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
Madapolao largo a 60000.
Flanella azul, muito lisd, a 10200 o co-
. vado.
Fichs de phantasia a 10000.
Luvas de seda a 20000 e 30000 o par.
Quardanapos a 10600 a duzia.
Sargelins de qualquer c8r a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, [cousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
a peca.
Cortinados bordados a 60000.
Flanellas para camisa a 32<> rs. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
hienda da China a 200 rs. o covado.
Fustdes braLcos a 320, 400 e 500 rs.
Vestuarios para Lbaptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com collarinho, por
20000!
Grande sortimento de setins lavrados a
100-JO o covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 70000 a peca.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 40000 a peca.
Babados e entremeios a 600, 800 e 10000
a peca.
Lencos de seda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combinacjlo com listas de seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantil- as pretas a 40500.
Atoalhado, lindros padrSes a 10000 o me-
tro.
Esprtilhoscom couraca a 40900, 50000 e
60000.
Colchas brancas o de cores a 20, 30000,
' 40000, 50000 e 60000.
Grande sortimento de fichs de c6res para
todo preco.
Cassa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras c criancas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 10000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes Ide fustao para colete, alta novidaV \
d, a 10000.
Camisas de flanella franceza a 30000 urna.
Brim de linho de c6r a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
ortes de cachemm, em srtao, couaa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
Ditos de casemira de cor a 40000, 60000
e 8000' .
Alm de outras muitas fazendas que
impossivel mencionar.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessoa.
4 Roa Duque de C'axlas 35
Fernandes Azevedo & G.
sem con
A LOJA MAIS BARATEIRA
PARIZ N'AMERIC/
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telephone200
Tendo recebido directamente da Europ
grande sortimento de fazendas e modas
que ha de mais novo e pregos
potencia.
A saber :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de la e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 10201
Crinoline preta e branca s 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com H
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 105OC
Chachemiras com 2 larguras a 800 rt
Ditas de l e seda 2 larguras a 10001
Madapolao trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito cam8eiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de la e seda 10000.
Brins de linho cies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000
Colchas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado >
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 1050c
Renda de 12, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sais
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama
100000.
Chitas de cSres a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleiaa com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 o 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnieSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapos de so
Setineta para coberta a 600 ra.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
A FLORIDA
Farello superior
21700 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima* C,;
Caes d'Assembla n. 24, garantindo-se 4* H|o-
grammas cada sacco.
Libras sterlmas
Vende-se libras sterlinas ; na ra do Com
mercio, armazem n.5.
Con
Superior vinho de Al-
coba c,a
O acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolbido propriamente pelo chefe desta
casa, actualmente em Portugal, tornando-se re-
commendado por ser puro e de boa qualidade.
Jos Fernaudes Lima & C. ra Barao da Victoria
numero 3, Telephone323.
T
gas quando.a Sra. Gonssolin voltasse* vi-
da, nao podia hesitar e essa ammosidade
irreflectida que elle senta pelo moco.n2o
era de natureza a fazer-lhe esquecer seus
deveres, privando a justica de um concur-
so precioso.
Quando Francisco Hormais recebu a
carta de Magnabat empallideceu e ama
sorte'de medo espalhou-se em seu rosto.
Esta convoaac2o admirava-o. Temia um
laco. Mas a hesitacao durou muco'.
O-que tinha elle a temer ? Recuaando-
cousa alguma ao acaso, e n2o lhe repug-< ae, ao contrario, attrahia a attengao e da-
nava recorrer as luzes dos outros para che- va lugar aos commentarios.
gar a urna definicao exacta do estado da Partir de carro com o Dr. Tharod.
Sra. Gonssolin, no caso em que, termina- Seu hombro luxado, que obrigava-o a
do esse estado comatoso, a moya n2o re- ter o braco ao peito, impedia-o de montar
cuperasse logo a raz2o. a cavallo.
Porque era isso o que elle temia. q j)r Magnabt, depois de ter apartado
Os Drs. Thurod e Francisco Hormais R m3o a Thurod e ter saudado framente
chegaram tarde e foram logo ter com Francisco Hormais, explicou-lhes, em*pou-
Magnabat. gog palavras, por que pedia-lhes viessem
Entre Francisco e o velho medie texis- ^ com ei)e c em que 8ua preaenca seria
tia urna dessas rivalidades provincianas uj
que, dissimuladas, nem por isso ajo me- g conclaz0.08 at junto da Sra.
nos violentas. Posto que Magnabat ti- Qon8f0i;n
vesse conquistado, havia muito, sua repu- ,,.',.
tacao, posto que muitas memorias feitas Como ia adianto para mostra- wcami-
por elle tivessem tido a approvacao da nho, n2o vio a hornvel pallidez do rosto
Academia de Pariz, elle fosse considera- do Francisco nem q tremor nervoso, do na Paculdade em p de igualdade com ag'ta- |
os priraeiros professores dos hospitaes, en- QuaDd Magnabat abri a porta, -Suza
tretanto sua experiencia incontestavel n2o Bridelle adiantou-se para elle prorapta-
podra impedir a inveja de penetrar cm mente.
seu coracao. Ah senhor, disse ella, ia prevenil-o
Era o nico ponto que ligava s fra- que a senhora voltou a i neste mstan-
queaas humanas este sabio verdadeira- te. Ella qfjz levagtar-se e n2o pude m-
mente notavel e cuja vida se passava em pedil-o.
um trab.lUosem treguas. Cora effeito, Magdalena estava/a p.
Vira cm Francisco um rival, e, apezar Vagava no quarto sem pronunciar urna
de (odas as amabilidades do m >jo, tomara palavra, ora parando diunte da jaella e
por elle Ver2o instinctiva. Sabiara-n'o pondo se a brincar cora o canto das corti-
em Saiut-Claude. Os dous medico* nSo as, ora olhando fixamente para Suzana
ae saudavam ; evitavani-se encontrar nos i Bndelle com os olhos parados, de que se
meamos saldes ; fcil era itso para Mgna-1 ausentara a raz2o.
bit que, todo iateiro, entregue a seus | Parecen n2o ouvir o ruido da porta que
doentes e a trabulho, nao g.istava talvez se abria, mas vio entrar os tres homens,
das distraccoea, pouco snliia a passeo. | porque olhava para um espelho, que lhe
Como Tliuroi, Francisco Hormais e reflectia o rosto pallido, e vio as SeicSes
Magnabat eram os umeos mdicos d j medonhamente contrahidas de
Saint-Claude, este ultimo, convencido da' Magnabat approxiraou-se da
utilidade de ser soccorrido por seus colle-'solin, tomou-lhe um braco e,
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os propietarios do Armazem Central, ra
do Cabuga n. H, avisam aos seus distini^ae fre-
Igoezfs eae-reiBeiavel pebeo qvA&UPeta,a
nova remessa aeste esoecial vinho. o qnT se
recommenda por ser puro 4a uva.
Iba em aejarmazem.
Joaquim Christovao & C.
Telephone 447
ra, forcou-a a assentar-se em urna cadeira
de brajos.
Ella olhou para o doutor com um ar ad-
mirado, os olhos parados n2o se abaixa-
ram e, terminado esse primeiro e estra-
nho exame, dingiram-se para Thurod e
depois para Francisco Hormais...
Este, em pe, atraz de Magnabat, sus-
tentou o olhar, mas um abalo de terror o
sacudi da cabeca aos ps.
Nem um msculo do rosto de Magdale-
na se moveu.
Ella abandonava a m2o a Magnabat,
que tomava-lhe o pulso.
Quando o doutor deixeu cahir o braco
e voltou-se para seus collegas, ella deixou
pender a cabeca as costas da cadeira.
agitado-a para a direita e para a esquer
da em um movimento rhythmico e seus la-
bios balbuciaram algumas palavras.
Magnabat voltou-se.
O- outros inclinaram-se...
Erara phrases sem nexo, em que nSo
puderam perceber urna idea...
De repente ella se poz a cantaroiar,
com urna voz suave e lenta, tendo seus
grandes olhos nebros obstinadamente fixos
em Hormais:
Vioi cai.pitet mavuton,
Viui que ize lu caressa,
Que n'i berdzi menon
Per que seye ta metressa I...
Ella continuou, baralhando os versos
da canc2o, nao comprehendendo o que di-
zia :
Mu per ma quin na delaou..
Tota ii'eiiiallia decan.
Que gli (kv.i ma gueilleta...
ana,
sempre
..^2
^^
Depois calou-se, garganteando
com os labios fechados, agitando
a cabera.
Levautou-se, passou diante dos mdicos
e se p' E' um accesso de loucura, disse
.Thurod accesso que o Dr. 'agdabat temia.
Este e Francisco Hormais calaram-se.
Neste momento Magdalena passava dian-
te de seu amante, dobrando e desdobran-
do, enrolado em torno de mSo, um longo
Pao centeio
4JBlkA Biset, avisara ao respeitavel pubiico,
que/tooM as tercas e sextas-feiras, tem este ss-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40._______
e s se reta-
weiSKf
Boyal Bleod marca VIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retamo nos melhores arma*
zens de molhados.
Pede Royal Bleod marca Vlado,
cujo nome e emblema s2o registrados pars
todo Brazil.
BROWNS & C, agenteB.
GaiSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodao com sen
vidrilho.
Mantil lias de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 3(5000 e 4)5000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500'
600 e 800rs..apeca.
dem com 3 e 1|2 metros, de qual que
argura a 10200.
Lencos de linho em caixinhas 3)5000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 4)5000.
dem para senhora, duzia a 4)5000.
Lindos leques transparentes de gaze
3^000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 4(5, 66
8,5000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, dt
2)5500 a 3)5000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama a
12)5000, 17)5000 e 190000 o par, algun
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Pla8tons e regatas de gosto.
Esperaos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 t
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100
120000.
Toucas de aetim para baptisado a 30, 40 t
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a dozia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car*
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinaa
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 2-"'X)0
par.
Ditas de seda para creanca a 1000o.
Dita para moga a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos-
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprit
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 12 para homens e senhoras.
Liobas dourada para fear crochet.
LRtas fitas parafaeiur a 20, 30 e 40OOt
o metro.
LW6\>8 leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagaica,
Finas carteiras para algiboira de 10, 3#f
3 e 30500 urna.
Ra Duque de Caxias n. 103
Arma^o
Vende-se urna bonita armaco de amarello
tratar na ra do Hospicio n. 81.
pedaco de renda por acabar, que tomara
de cima de urna mesa de trabalho.
Parou, dando as costas a Thurod e a
Magnabat, quo n2o podiam ver seu rosto
e olhando de frente para Francisco.
NSo era um olhar de louca; seus olhos
brilhavam com profunda expressao, era que
havia horrivel medo. E, cousa estranha,
seu brilho tinha prodigiosa intenside como
se todas as faculdades da alma, todas as
forcaa e todas as resolug^es de urna von
tade invencivel se tivessem concentrado
nelles.
Esse olhar singular envolveu o joven
medico como um raio ; depois os olhos
tornaram-se vagos e Magdalena passou...
Franciscs Hormais foi obrigado a sen-
tar-se ; a einoc2o suffocava o.
Urna vermelhidao febril cobrira as ma
c2s de seu rosto e as proximidades dos
olhos, que bruscamente apresentaram-se
fatigados e cavados as rbitas. Nessa oc
casiAo Magdalena approximara-se delle.
Elle foi obrigado a sorrir.
Estou um pouco fatigado, disse elle.
A viagem e este hombro deslocado...
O senhor cahio do cavallo ? Dis-
serara.
Sim ; a noite passada, voltando de
Mussires.
De novo Magnabat veio ter com Magda-
lena.
Dirigio-lhe algumas palavras, procuran-
do evocar recorde8es, lembmndo. factos,
precisando-os, fallou-lhe de seu marido,
das distraccSes de que ella gostava, tra-
tando mesmo de descrever-lho as terriveis
scenas a quo ella assistira e que, sem du-
vida haviain causado o desarranjo do seu
cerebro. Mas foi era vSo.
Ella responda por algumas interjeicoes,
sorrindo vagamente, com um sorriso im-
bcil ou cilav.i-se, olhando para Magnabat,
oceupando os dedos com a renda.
Magnabat fez sgnal a Suzana Bri-
delle.
V avisar ao Sr. Dampierre da che-
gada desses senhores, disae-lhe, mostran-
do seus collegas e pega ao Sr. juiz de n-
struegao, que se digne vir.
Suzanua sabio.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita, vende-sa
todos os das leite puro de vaccas taurinas e da
trra, garante-ae a qualidade do leite* __
Vende-se
Um cosmorama com 6 vidros e alguns per-
tences, a tratar na ra Velha de Santa Rita n.
ti.
Alguns instantes depois, Dampierre ap-
parecia.
Em duas palavras Magnabat pl-o ao
corrente dos factos, em voz baixa.
E' preciso conduzil-a para ao p do
marido. Talvez a vista do cadver lhe
produza urna irapressao bastante profun-
da sobre ella para chamal-a razao.
Foram para o sal2o.
Francisco Hormais tomara o braco de
Magdalena e a conduzia delicadamente.
Di ante do cadver de Gonssolin ella
guardou a mesma attitude.
Seu rosto tinha urna indifferenga com-
pleta.
Os esforgos de Magnabat para avivar
nella um raio de intelligencia foram in-
fructferos, i
Reconduziram-n'a para o quarto.
Espalhara-se na casa o boato de que
Magdalena estava louca.
Alguns criados conversavam no pateo,
em voz baixa, quando Guido passou.
Chamaram-n'o e contaramlhe o que ha-
via.
Elle disse lacnicamente :
J o sabia.
Depois foi pedir ao Dr. Magnabat urna
conferencia de alguns instantes.
Contou ao velho medico as estranhas
scenas a que havia assistido, na noite da
vespera : o procedraento exquisito da Sra.
Gonssolin no quarto ; seu passeio pela ca-
sa, sua visita ao cadver, sua entrada em
seu quarto, erafim, sua volta e o que elle
julgou ter adivinhado : esses papis hul-
eados ao fogo e queimados.
Procedendo assim, contando a Magna-
bat todas essas observao*es que o acaa
tizera-o sorprender, o guarda n2o tivera
idea alguma premeditada.
s Era instinctivaraente que adveftia ae
doutor, porque essas observayoes podiam
8er-lhe uteis, pl-o no camiaho do facto
que .he escapava, guiar a sua opini2o.
Karecia-lhe tudo isso bem singular*
(muito desengracado, como elle dizia,
mas d'ahi a deduzir urna opini2o, havia
distancia enorme para o guarda.
(C'ontinuar-se-hd)
Typ. Jo
Dtario ra Duque dejCaxias n. 41
P
j>-
X
1

4"

/
V V.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EY27OOY34_A66DBL INGEST_TIME 2014-05-28T19:00:38Z PACKAGE AA00011611_19907
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES