Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19906


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV-NUMERO 204
PARA A CAPITAL E LLWAREI ONDE NAO SE PAA PORTE
Por tres meses adiiintados......... ..... 60000
Por seis ditos idem '.............. 12)J000
Por um auno ideta ........... 230000
Cada Damero avaho, do mesmo di..... ... 6100
TE1CA-FEIM 10. DE SETEMBRO DE 1889
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados .........
Por nove ditos idem.........,.......
Porum annoidcm............. .
Cada numero avolso, de das anteriores..........
13d6CT.
200000
264000
100
DIARIO DE PERNAMBUGO
cPropriedade de Manoel S^igueiroa de d'aa St dnlhcs
_______.___________________________________________I____________________________________________
TELEGRAMAS
./
W


S3S7!;: PABII-UIAS SO 8UB10
RIO DE JANEIRO, 9 de Setcmbro, s
horas da tarde.
Foi nomeado juiz municipal do termo de
Monte Alegre, na provincia do Para, o ha-
chare! Climcno Sampaio.
Foi agraciado cora o titulo de Vis-
conde de Taunay, com grandeza, o sena-
dor Alfredo de Escragnolle Taunay.
No dia 7 do corrente foi assignado em
Buenos-Ayres um tratado entre o Braz e
a Repblica Argentina regulando o 2rb.
Irainento na questSo do territorio das Mis-
tes.
Foi publicado um decreto do Poder
Executivo estabelecendo o resgate gradual
do papel-moeda, de modo quo, sendo o
plano executado rigorosamente, ficar ex-
'incta aquella mneda em 1894.
Segundo noticia o Jorial do Com-
mercio foram eleitos deputados geraes, em
l." escrutinio :
Pelo ?>." districto do Para, o Dr. Manoel
de Moraes Bettencourt (L) ;
Pelo 4. districto do Para, o Barao de
Cuajar (L);
Pelo 2. districto do Maranho, o Dr.
Antonio Joaquim de S Ribeiro (L):
Pelo >." districto do Maranh&o, o Dr.
Custodio Aires dos Santos (L);
Pelo 4." districto do Maranho, Dr. Ma-
noel Bernardino da Costa Rodrigues (L);
Pelo 5. districto de S. Paulo, o Dr. Ro-
drigo Lobato Marcondes Machado.
Vao segundo escrutinio, segundo a
referida folha:
Pelo 3. districto da Parahjba, os Drs.
Jos Lopes Pessoa da Costa (L) e Dr.
Franklin Dantas Correa de Ges (L);
Pelo 18." districto de Minas Geraes, os
Drs. Joaquim Vieira de Andrade (L) e
Sabino Barroso (C) ;
Pelo 6" districto de Minas-Geraes, os
Drs. Jos de Rezende Teixeira Guima-
xuaraes (L) e Antonio Felicio dos Santos
(R);
Pelo 11 districto de Minas-Geraes, ob
Dr. Francisco Xavier Rodrigues Cam-
pello (L) e Christiano C. Ribeiro da Luz
Segundo a Tribuna Liberal, foi eleito
em 1 escrutinio :
Pelo 12 districto de Minas-Geraes, o
Dr. Francisco Silviano de Almeida Bran-
dao (L).
Segundo a Gazeta de Noticias, foram
eleitos em Io escrutinio:
Pelo 2* districto do Piauhy, o padre Dr.
Joaquim Sampaio Castello Branco (L);
1 Pelo 3o districto do Maranho, o conse-
heiro Augusto Olympio Gomes de Castro
Pelo 9o districto da Baha, o conselheiro
Jeronymo Sodr Pereira (h) ;
Pelo 10" districto da Baha, o Dr. Ar3-
tides Cesar Spinola Zama (L).
Segundo o Paiz, foi tambem eleito
em Ia escrutinio:
Pelo 12" districto da Babia, o Dr. Ju-
yencio Alves de Souza (L):
E vao 2o escrutinio pelo 13 districto
de Minas-Geraes, os Drs, Olympio Osear
de Vilhena Vallada) (C) e Joaquim Leo-
nel de Rezende (R).
.
5ES7i:: sa ahvcl. havas
LIVERPOOL, 4 de Setembro.
Os operarios carregadores do porto d'es-
ta cidade pozeram-se em grve.
ROMA, 5 de Setembro.
O Banco Tiberino reabri sea balcio
(guichets).
PARS, 5 de Setembro.
Corre o boato que o OzarowiL (principe
herdeiro da Russia) deve vir H Pars ne
mez de Outubro prximo.
LONDRES, 6 de Setembro.
Um immenso nueting de grvietat acaba
de ter logar em Hyde-Park.
Os operarios das Docas reaolveram a
continuacao da grve.
MADRID, 6 de Setembro.
Acabam de ser nomeados captSo gene-
ral da Nova-Castilha o general Rodrigues
Arias e da Andalusia D. Sabosmarin.
PARS, 6 de Setembro.
Chegou aqui boje, com o fim de visitar
a ExposicSo Universal, o Sr. E. Gladstone
LONDRES, 6 de Setembro.
Consta que o Menelik, Re de- Choa,
acaba de ser acclamado Rei da Abys-
sinia.
LONDRES, 7 de Setembro, noitc.
A grve diminue de iotensidade.
Um corto numero de operarios voltaram
ao seu trabalho.
PARS, 7 de Setembro, noite.
S. A. o Duque de Braganca deixou esta
capital para ir italia.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
9 de Setembro de 1889.
PARTE OFPICIAL
Ministerio d Agricultura
Em 29 de Agosto foi dirigido o seguinte avi-
so ao ministro do Brasil em Londres :
Commanico a V. Exc. para a suaintelligen-
cia e devidos effeitos, que o goveruo imperial
tendo em vista a interpretago data por imperial
resolucao de 24 do corrente mez, tomada sobre
consulta de 10 do mesmo mez, das secres do
imperio e justiga do consellio de Estado, clau-
sula de 25 accordo approvado pelo decreto n
5,523 de 7 de Fevcreiro de 1874 que. estabeleceu
prazo para, na fonnaco do juizo arbitral, cada
uma-dis partes responder ao aviso da outra, de-
cidi que a oorigaco imposta Companhia da
Estrada de Ferro de Santos a Jundiahy pela
clausula 33* do decreto n 1,597 de 26 de Abril
de 1846, no sentido de partilhar com o governo
a importancia de seus dividendos que exceder
de 8 o, suhsisle emquanto permanecer a garan-
ta de juros do Estado ; se, porm. a companhia
em virtude da clausula 2o* reounciar a essa ga-
ranta, cessar semelhante pariilliu desde a data
em que fizer a competente intiraag) ao gover-
no, sem que seja aimla devida a restituigo de
quantias pur este despendidas, visto j se adiar
completamente embolsado dos juros pagos.
Eni2 de Setembro foi dirigido este outroaos
engenbpiros directores dos diversos servigos da
repartigao da Agricultura :
c Illm. Sr.-O numero nao pequeo de obras
de vulto que devenas pericia de engenl-.eiros
brasjleiros, o concurso que de alguns tem sido
requisilado por emprsza industriaes para exe
cucao de trabalhos em paizes eslrangeiros, e
inequvocas manifeslaees da aptido desta nos-
sa operosa classe, a qual esta sem duvida re-
servado papel dos mais activos no desenvolvi-
mento material do Brasil, testemunham adianta-
mento c competencia da engenharia nacional
que sao para inspirar e inspirara ao governo o
interesse mais vivo a a satisfago mais profunda.
o eratanto, posto que representada por va-
liosas revistas da especialidade, nao tem a in-
telligente.classe generalisado, quanto conviera, a
publcidade conveniente a tornar conhecidos os
resultados dos seus estudos, das suas observa-
coes e da sua actividaie, de maneira que ligOes
uteis da experiencia vao sendo esterilisadas
quando poderiam constituir, a serem divulgadas
ela imprensa, manaacial fecundo de saber, so
-eludo na esplieradas aoplicaces praticas. K
assim que trabalhos de engenharia possuimos
dos quaes. apezar da Ma importancia, j consi-
derados em si raesmos, j pelas difliculdades
vencidas, ja pelas iinnovag6s introduzidas, nao
temos nenhuma noticia que delles d" idea exac-
ta, estudaodo-os pelos seus diversos aspectos, e
por este modo expondo-os critica judiciosa
dos espirita competeates.
Convencido de que semelhante publicidade,
to largamente pralicada em outros paizes, ao
mesmo tempo que far honra engenharia bra-
sileira, constituir estimulo aoseu zelo e fonte
preciosa de informagfjes desejo que os numero
sos engenheiros a servigo do ministerio a meu
cargo tenham este objecto na consideragSo de-
vida, dando noticia s sebreditas revistas das
obras dignas de mengo |que dirigrem ou coad-
juvarem, ou, se assim preferirem, remetindo-
me as mesmas noticias, memorias ou relatnos,
para quesejam convenientemente publicadas.
Sem re-lringir de nenhum modo a perfeila
liberdade de apreciago, tem como de eseolha
do plano que Ihe parecer mais conveniente, lem-
brarei que e n taes trabalhos dever merecer at-
tengo particular o esludo do material emprega
do, sobretuilo do material nacional, considera-
das as questes de preco, resistencia, durabili-
dade, etc.. etc.
Esta cooperaco, qae espero de V. S. e do3
seus auxiliares, e que alias nao subordinada
a condicOes de tempo, era con.Uitue obrigaco
necessaria dos cargos, ser tida pelojfoveroa
imperial como prova de zelo e de dedicacao pu-
la causa publica.
tana guarde a V. S. Loureneo Cava/cante
de Alluquerque. *
Governo da provincia
EXPED1E.VTE DO DIA 15 DE JULII) DE 1*589
Actos :
O rice-presidente da provincia, atienden
do ao que requereu o capito da companhia do
8' batalho do s-*rvigo activo da guarda nacional
do municipio do Keeif1. Silvcrio Joo Nepo.nu
ceno Bastos, ijue prov >u aehar-se impossibilila
do de continuar naqu lie servico, resolve trans-
feril o para a r.-erva. liiMido aggregado ao 1''
batailio. ommuniou seao coinmandante su
perior da eoonrea do llecife.
0 vice p: sidenti' da provincia em execu-
cio da le D. 2,395 le 10 de Siembro de 1873,
resolve. Doear o atieres Philomeno Gelulio Cr-
rela de Araujo nara o posto de capito da 5'.
companhia do o" halalho de infamara da guar-
da nacional da '-Oinarca do Recife, em subslitui-
co de Silveno Joao Nepo.uuceno Bastos, que
pastan oara a reserva. CjiiinuuiCuU se ao
cooiinaud,.ii!e superior da comarca do Ktiife.
O vice-pjvsident da provincia letermina
que os l.'iiur-'s da parochia do Altinho se reu
naui para icuis sietti raes no e lilkio ero (M
fiinciioia a respeciiva Cmara Moaicipal. ri
zeramse as nece sarias cuaunuaic&coes.
0 viee presiden! da provincia, tendo em
vista o olcio do juiz de paz da parochia d'1 l'al-
i.iares, de 30 de Jonin lindo, determina, de ac-
cordo com o art 8* n 2 do d'cieto n 9,790 de
17 de Outubro de 1887, que os eleiiores dos dis-
t-icios de paz de Cae ule e Pregnigas se reunam
para actos eleitoraes as cap respvcti
vos povoados.Fizer.nn-se as devidas comtnu-
nicacoes.
O vice-presi leole da proviBCia, allende ido
aoque reqoerea o bacbarel Antonio Ferreira de
Souza Citanga, juiz de direito removido da co-
marca de Limoeiro, nesta provincia, para a ca
pital da do Cear, e tendo em vista a informa-
cao da Thesouraria de Fazenda, de ii do corren
te, n. 248, resolve, de accordo com o decreto n.
2,884, do 1' dcFevereiro de 1862, abrir um cr-
dito na importancia de 1:3001000, verba
Ajuda de custodo Ministerio da Juslca, exer-
cicio corrente, afim de occorrer ao pagamento
que cabe ao mencionado jaiz de direito.Re
metteu-se por copia ao inspector da Thesouraria
de Fazenda.
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear Angelo Ernesto Ja Costa Agr para exer-
cer o cargo de ajudante do procurador dos feitos
da fazenda provincial no municipio de Leopol-
dina.Comraunicou-se o Dr. inspector do The
ou ro Provincial.
O vicepresidente da provincia resolve exo-
nerar Lourengo Geraldn de Carvalho, do cargo
de escrivo da collectoria provincial dos muni-
cipios de Granito e Ex. Communicou-se ao
Dr. inspector do Thesouro Provincial.
O vice-presidente da provincia resolve exo-
nerar o major Miguel Alexaadrino da Fonseca
Galvo, do cargo de ajudante do procurador dos
teitos da fazenda provincial no municipio deGa
melleira.Communicou-se ao Dr. inspector do
Tbesouro Provincial.
O vice-presidente da provincia resolve exo
nerar Laurindo Arcelino de Veras, do cirgo de
collector provincial do municipio de Correntt-s
e nornear, para substituil-o, Porfirio de Souza
Leo. Communicou-se ao Dr. inspector do The
souro Provincial.
O vice presidente da provincia resolve no
mear Francisco Carlos de Andrade para exercer
o cargo de escrivSo da,collectoria provincial do
municipio de Ba-Visla.Communicou-se ao Dr.
inspector do Thesouro Provincial.
O vicepresidente da provincia resolve exo-
nerar o tenente Jos Francisco de Almeida, do
cargo de escrivo da collectoria provincial do
municipio de Timbaba e nornear para substi-
tu I-o, Francisco Britoaldo Bezerra Cavalcantc.
Communicou-se ao Dr. inspector do Thesouro
Provincial.
(l vicepresidente da provincia resolve, de
accordo com a proposta contida no officio do
procurador dos feitos da fazenda provincial de 9
do corrente n. 1, nornear o solicitador Ricardo
Henrique da Silva para exercer o lugar de 2.
solicitador da mesma fazenda ; licando assim
exonerado Rotilio Tolcntino de Figueiredo Lima.
Fizerara se as devidas coramunicarOes.
O vice presidente da provincia resolve exo-,
nerar, :i pedido, Joaquim Antonio Correia de
Vasconcellos do cargo de delegado do districto
Iliterario de Bebedouro. Comraunicou-se ao Dr.
inspector geral da lnstrucco Publica.
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear Manoel Ferreira de Mello para exercer o
cargo de delegado do districto Iliterario de S. Be
nedicto, em subslituico do actval que fica exo
nerado.Communicou se ao Dr. inspector geral
da lnstrucco Publica.
O vice-presidente da provincia resolve crear
um districto luterano em Duarte Coelho na co-
marca de Olinda, passando a pertencer ao refe-
rido districto as cadeiras d'aquella localidade e
de Milagres. -
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear Marcolino Lopes Calo para o lugar de de-
legado do districto litterario de Duarte Cosidos.
Communicou se ao Dr. inspector geral da lns-
trucco Publica.
0 vice presidente da provincia re'olve de-
clarar que e districto litterario de Olinda
(Curato da S) comprehende as cadeiras de Bom
Successo (mascolino) Curato da S (ferainino)
Forno da Cal (mixta) ra do Commercio (mixta)
Agua Fria de Olinda (mixta) praia de S. Fran-
cisco (mixta) regidas pelos professores Manoel
Figueira de Menezes, Luiza Clementina Vieira
de Mello, Minervina Francisca Cardoso, Mara
Clara de Mello Figueira, Mara Julia Mooteiro
Lope3 e Guillermina Francisca de Araujo Lins
e o 2." districto as cadeiras do Curato da S
(mixtai S. Pedro Martyr (masculino e feminino)
Varadouro (mixta) e Milagres (mixta* regidas
pelo3 professores Jos Candido da Silva Pessoa,
Amelia Carolina da Silva Ramos, Custodio Jos
da Silva Pessoa, Josepba Prepedigni Rabello
Padilha e Henriqueta Amelia de Menezes Lyra.
O vice presidente da provincia resolve no-
mear Joaquim Eusebio Gomes da Silva para o
lugar de delegado districto litterario de Mil ti i
dinha, em subslituico do actual que tica exo
nerado.Communicou se ao Dr. inspector geral
da Instrucco Publica.
0 vice-presidente da provincia resolve no-
mear o Dacharel Jos Evangelista da Silva para
o lugar de delegado do districto Iliterario de
Aguas Bellas, em substituirn do actual que fica
exouerado.Communicou-se ao Dr. inspector
geral da Instrucgo Publica.
O vice-presidente da provincia resolve de-
signar a cadeira de ensino primario de Volta,
em Tacarat, para n'ella ter exercicio o pro
fessor Eduardo Monteiro de Moura ; licaudo sem
cffeito a portara de 10 do corrente mez na parte
em que o reiutegrou na cadeira da Una da As-
sumpeo.
O vice-presidente da provincia, atlendendo
ao que requereu Ignes Barbalbo l'cli.i Cava!
cante, professora da cadeira de ensino primario
de Iguarass e tendo em visla a informaco
n. 156, de 17 de Junho findo, do inspector geral
da Instrucgo Publica, resolve conceder peti
donara a gra ificacio de mrito de que trata o
art. 125 do regoIaioviHu de 18 de Janeiro de
1888, visto contar mais de lo annos de eflectivo
:cto r.o magisterio publico. Communi-
cou se ao iosDeclor geral da Instrucgo Publica.
O vicepresidente da provincia "esolve re
mover, por conveniencia do servigo publico, o
professor Jos Francisco Florencio de Souza da
cadena de ensino primario do Cedro para a da
ilha da Assumpgo,
O vice presidente da provincia resolve, por
conveniencia do servigo publico, remover o pro
fesor Jos Vidiciano de Mello da cadeira de en-
sino primario do Espirito Santo, em Tacarut,
para a do Cedro.
O vice presi lente da provincia resolve de-
signar a celera de ensino primario do Espirito
Santo em Tacaral, para nelle Itr exercicio p
professor Fr.inoisco eieira Lima, fie nido sem
effeito a portara de 10 do corrente na p irte em
que o reiutegrou na 'lo Brejinln de Pera.
O vice presili-nie da provincia resolve de-
uiiitir wiionio Jos Modesto do cargo de Adjun
lo do promotor publico da comarca de Ouricury,
no temi do mesmo iiome, c nornear, para sub
stiiuil o o capil i Apolliinio Pedro da Silva. -Fi
zeram-se as rom mimeages do eslylo.
O vice-p-e- i-nie da provme'ia resolv ex-
onerar o Iw luivl Cicero-Tercio Torres Tai
do cargo de promotor publico da comarca d
Agua.s-lellas e nomrar, para substituil- >, o l).i-
charel Jos Rvaugeli'U da Silva. Fizerain le M
comioiinicages do eslylo.
Olli os :
Ao Exm. Sr. conselheiro presidente do Tribu-
nal da Refaci. -Sirvas.? V. Exc. de informar
sobre o assumplo do incluso requeriineulo do
comentado, no qual acusado o secretario He-sa
Hrla(,o ile fdu iM ex.icgo no euuiprimelo de
seus deveres.
Ao Sr. tenente-coronel co-iiniandanle das
armas uterino. Tr.iiisiuitlo a V. S o inclusa
guia dos medcame-io- e mais artigos fornec
pelo Laboratorio Chiuiico Phunoaceuuco Militar
a poarma la d la provincia, execugo do awso
ne 3 de Hato Ollimo, segundo consta de olli-io
n. 51, de 6 do correte, do cnefe do dito labora
torio ; sendo que os poucos artigos que faltam
paito completo da mesma sero brevemente re-
uietudos.
Ao mesmo.Communico a V. S.,para seu
conheci ment e flns convenientes que tendo o te
nenie do corpo de estado maior de ,* classe
Joaquim Jorge de Mello Fi I lio pessoa de sua fa
mi|a docnte, permilti-lhe adiar a sua partida
psrt. o segundo vapor esperado dos portes do
4f Ao mesmo.Em cumpriraeito ao aviso do
Ministerio da Guerra de i do corrente providen-
cie V S no entido de ser remetlido para a
corle o espolio do major Jos Pinto de Araujo
Habe'lo.
Ao Sr. inspector da Thesouraria de Fazen-
da.Mande V. S. entregar ao director geral das
obras publicas, engenheiro Francisco A polgono
L al, a qu.mtia de650, por conta do crdito'de
3ue trata a ordem do Thesouro Nacional n. 64,
e 11 de Abril lindo.Communicou se ao Dr.
director da Repartigao das Ooras Publicas.
Ao mesmo.Atlendendo ao exposto pelo
proredor da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife no incluso officio, por copia, de 10 do cor
rente, n. 158, autoriso V. S. a providenciar no
sentido de ser submettidoo despacho livre de di-
reitps na Alfandega em favor dos artigos con
stantes do mencionado officio 'lavrando-se termo
d responsabilidade pelos ditos impo3tos, caso o
governo imperial nao conceda a isengo delles-
Communcou-se ao conselheiro provedor da
Santa Casa de Misericordia.
-- Ao Dr. inspector do Thesouro Provincial.
Remettendo a Vmc. a quantia de o prove-
niente de premio que obtiveram os cinco trgesi
mos n. 197, da 2.' serie da 27.* lotera da pro-
vincia "do Para, segundo declarou-me o presi-
dente daquella provincia, em officio de 3 do cor-
rente, n. 3046, restituo os demais bilhetes que
acota pan turara o officio desse Thesouro, de 2 de
Maio findo, n. 137, e acham-se devidaraente in
utilsados com a letra B, langada peio respectivo
thesoureiro.
Ao mesmo.Nos termos de sua informa-
go n 224 de 10 do corrente mande Vmc. pagar
a inclusa conta na importancia de 8 480 prove-
niente de passagens concedidas nos carros da
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco em
Maio lindo, ao engenheiro da Repartigao das
Obra Publicas, Francelino Americo de Alba-
quer||uc Mello. -Communicou-se ao superinten-
Ao tenente-coronel commandante do corpo
de polica.Providencie Vmc. para que o alferes
Demetrio Hermllo da Costa v commandar o
destacamento de Pesqueira, ficando assim sem
effeito a oruem que Ihe transmitti em 12 do cor-
rente mez, para que o referido oflktal seguisse
a commandar o destacamento de Serinhem.
Ao mesmo.Man le Vmc. destacar quatro
pragas em S. Benedicto e seisem Jurema.--Com-
municou se ao Dr. cnefe de polica.
Ao mesmo.Mande Vmc. destacar seis pra-
gas no districto de Carpina do termo de Nazareth.
Comraunicou-se ao r. chefe de polica.
resta.Reitero a ordem que Ihe transmittio esta
Presidencia em 2 de Marco ultimo, no sentido
de ser devolvido, com a iformigo exigida por
de.-!>"!;-> de 21 de Dezcmhro do nno passado, o
recorso ioterposto pelo lente coronel Fausto
Seraphim de Souza Ferraz sobre a reviso de
jurados a que se procedeu no termo de Floresta
em NoveraDro do referido nno.
Ao Sr. director da Colonia Isabel Mande
V. Re vina, ad nitr n'essa colonia, na qualidad
de alumno gratuito, o menor Mnervino Pereira
de Barros, que Ihe ser apresentado por urna
praca de polica. -Mandou-se dar passagens na
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco c no
Prolongaraento at a Colonia por conta da pro
vincia.
Ao administrador do Theatro Santa Isabel.
Declaro a Vmc. em resposta ao seu officio de
11 do corrente raez, que a contribuigo de que
trata o art. 8. 14 do regularaenlo d'esse thea
tro de 16 de Margo de 1883, tica fixada em 401
por espectculo, a qual dever Vmc. cobrar d'esla
data por diante. Communicou-se ao Dr. inspec
tor do Thesouro Provincial.
Portaras :
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco.Mande dar passagem
da estago das Cinco Ponas at de Palmares,
ao soldado Jos Thom que vai destacar era Ca-
nhotinho correndo essa d-speza por conta da pro
vincia c com direito a bagagem.
O Sr. encarregado da estago de Palmares,
mande dar passagem d'esla estago at a de Ca
nhotinho, por conta da provincia c com direito a
bagagem, ao soldado Jos Thom que vai all des-
tacar.
EXPEDIENTE DO DR. SECBETAR10
Officios:
Ao Dr. 1. secretario da Assembla Legisla-
tiva Provincial.-De. ordem do Exm. Sr. Dr. vice-
presidente da provincia, remello a V. S. para os
devidos fins, o incluso quadro da divida passiva
para o exercicio de 1890, conforme foi enviado
pelo inspector do Thesouro Provincial cora officio
de 13 do corrente, n. 236.
Ao Sr. Dr. inspector do Thesouro Provin-
cial De ordem do Exm. Sr vice-presidente da
provincia, remmelto a V. S., conforme solicita em
officio d'esta datan. 241, o requenmento de Jio
Rodrigues de Moura.
Ao Sr. coronel commandante do corpo de
polica. -O Exm Sr. vice-presidente da provincia
manda commuoicar a V. S., para os lins con ve
nientes, que a vista da proposta do Dr chee de
polica de hoje datada sob n. 828, noraeou para
o lugar de subdelegado do 1." districto de Pes-
queira, o alferes do corpo de polica de seu cora-
mando Demetrio Hermllo da Costa.
Ao mesmo.-S. Exc. o r. vicepresidente
da provincia, manda commnnicar a V. S., para
os lins convenientes, que, por proposta do Dr.
chefe de policia,nomeou hoje o capito Jos Theo
ionio Pereira de Ca'Yulno para o cargo de 2.
guppieote do delegado de polica de Jaboalo.
Ao Sr. Dr. administrador do Theatro Santa
Isabel. De ordem do Exm. Sr. vice presidente da
p.ovucia. communico a V. S para seu conheci
ment e lins convenientes, que na perteto do con
selho administrativo do Instituto BeoeH-ente dos
Oficiaos da Guarda Nacional, sobre que informou
V. S. em ofli-io de 6 lo corrente raez. proferto
boje o BOgaiotO despacho:-- Sim, pagando a
COOtrbico deque trata o art. 8. 14 do regu-
lameiuo de 16 de Margo de 1883.
Ao gerente da Companliia Pernambucana.
De ordem do Exm. Sr. vic'-presidente da pro-
iucja, aecuso o recebiinento do ollicio de UojV
dtalo, no qual V. S communica que o r.i-
por S. Francisco, seguir pira os portes d i
norte, al o Cear, do dia 20 do corre ite, as 3
lloras da tarde.
A ) enucnllefo Bacal di estrada de ferro do
II cife ao Limoeiro. Di ord-in do Exm. Sr. vice-
nr,--d-iile da provincia, C imuiillli-o a V. S qil-
tivereui hoje o conveniente destinos documen
Um que acomp raharamoseo officio de 10 do cor-
rele, ?ob n. 24, recebldo a 13.
EXPSDIKSTE DO DIA 16 DR IOLHO DK 1889
Acl'i- : ...
O dente da provincia atlendendo
ao que requereu o Dr Albn- G.ngalyes Metra
de Vasconcellos, lente da Faculdide de iretio
do Recifd, e proessor de giaiuitica nacional ao
moexo mesilla facnld..de, resolve c
der-lhe 2 meses de liceuga com ordenado, para
iraiar de sua sa le onde he convier
O vice pre-idente da proviocia atlendendo
ao que requereu o u.ajor Joo Silveira Carneiro
pa Cunha, pretendente a officios de justiga, re-
folue, de conformidade com o disposlo no art.
206 do regularaenlo n. 9.4 O defl28 de Abril de
1885, nornear os professores da Escola Normal
hachareis Jesuino Lopes de Miranda e Ayres de
Albuquerquc Gama, para examinarem o peticio-
navio em lingua portugueza e arithmetica al a
thoria das porpogoes, devendo o acto ser presi-
dido pelo director da referida escola, bacharel
Alvaro l'eha Cavalcante.Fizeram-se as com-
municagoes.
O vice-presidente da provincia resolve no
mear o Dr. Francisco Romano de Brillo Bastos c
tenente-coronel i'edro Secundino Barbosa da
Silva para os logares de delegados dos districtos
Iliterarios de Tamandare Victoria em substitui-
go aos acluaes que ficam exonerados.Remet-
teu-se os respectivos titules ao inspector da ins-
trucgo publica.
O vicepresidente da provincia atlendendo
ao que requereu Anna Adelaide de Almeida Vel-
lez, mulher do tenente honorario do exercito Jos
Francisco de Paula Veltez. adjunto do Arsenal de
Guerra, resolve prorogar por tres mezes com
vencimentos na forma da le a licenga de igual
tempo concedida ltimamente ao referido adjunto
para trataraento de sua sade, no Asylo de Alie
nados.
O vice-presidente da provincia atlendendo
ao que requereu o guarda da Casa de Detengo
Franco Marlins Nogueira dos Santos e tendo em
vista a informar o do Dr. chefe de polica, resol-
ve conceder Ihe tres mezes de licenga, com os
vencimentos a que tiver direito, para tratar de
sua sade, devendo o peticionario entrar no gso
da referida licenca no prazo de quinze dias.
O vice presidente da provincia resolve no-
rnear o capito Jos Juvino Marques para o cargo
de delegado dos districtos litterarios da Vanea
Redonda c Jatob, em substituico ao actual que
lica exonerado.Communicou-se ao inspector ge
ral da instrucgo publica.
O vicepresidente da provincia resolve con-
siderar sem effeito a portara de 11 de Maio ulti-
mo na parte relativa a nomeagao de Ignacio de
Magalhes Prado para o posto de tenente da 4.
companhia do 72.* batalho de infantera da guar-
da nacional da comarca de Limoeiro, e nomear
para dito posto Joaquim Manoel de Oliveira Souza.
Communicou-se ao commandante superior de
Limoeiro.
O vicepresidente da provincia resolve con-
siderar sem effeito a portara de U de Maio ulti-
mo na parte relativa a nomeago de Joaquim Fer-
reira Quirino para o po3to ne tenente da 3.' com-
panhia do 73." batalho de infamara da guarda
nacional da comarca de Limoeiro e nomear para
substituil-o a Fortunato Joaquim de Souza. Com-
municou se ao commandante superior de Li-
moeiro.
O vice-presidente da provincia resolve con-
siderar sem effeito a portara de 11 de Maio ul
timo na parte relativa a noraearo de Jos Maria
Ferreira Braga para o posto de eapi'o da 2.*
companhia da 15.* secgo de reserva da guarda
nacional da comarca de Limoeiro e nomear para
substituil o a Jos Ferreira Colho.Communi-
cou-se ao commandante superior de. Limoeiro.
O vice presidente da provincia em execu-
go da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873.
resolve nomear Manoel G'-rraano de Miranda Sa
tyro para o posto de tenente da 6.- companhia do
72. batalho de infantera da guarda nacional
da comarca de Limoeiro que se acha yago.
Comraunicou-se ao commandante superior de
Limoeiro.
O vice-presidente da provincia resolve con-
siderar sem effeito a portara de 11 de Maio ul-
timo na parte relativa a Bomeago de Antonio
Gomes de Moura para o posto de capito da 5*
companhia do 72 batalho de infamara da guar-
da nacional da comarca de Limoeiro, e nomear
para o mesmo posto ChristovSo de Paula Caval-
cante Wanderley. Communicou-se'ao comman-
dante superior de Limoeiro.
0 vice-presidente da provincia resolve con-
siderar sem effeito a portara de 31 de Maio ul-
timo na parte relativa as noraeages dos officiaes
da 17 seceo da reserva da guarda nacional da
comarca de Caruar abaixo declarados :
3* companhia
Capito Joo Francisco de Azevedo e Silva.
Teiiente Francisco Capitulioo dos Santos.
4 companhia
Capito Felippe Moraes Bezerra de Andrade.
Communicou-se ao commandante superior da
comarca de Caruar.
O vicepresidente da Drovincia emexecu-
go da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873
resolve nomear para a 17* secgo da reservada
guarda nacional da comarca de Caruar os se-
guintes officiaes :
3* companhia
Capito Jos Tliomaz de Souza.
Tenente Joaquim Antonio Bezerra dos Santos-
4" companhia
Capito Joao Guilhenne dePontes.Comrau-
nicou-se ao cominaiidante superior de Caruar.
O vicepresidente da provincia resolve con-
siderar sera effeito a nomeagao de Jenuino Al-
cides Ribeiro feta por portara de 5 de Feverei-
ro ultimo para o posto de tenente da 1* compa-
nhia do 16 batalho de infantaria da guarda
nacioaal da comarca de CabrobO.Communicou-
se ao commandante superior.
O vice presidente da provincia en execu-
go da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873
resolve nome ir para preenchimento das vagas
existentes ros corpos da guarda nacional da co-
marca de Cabrob abaixo declarados os seguin-
tes officiaes:
16' batalho de infantaria
1* companhia
Capito Manoel Jos Pereira Calda3.
Tenente Joo Alves de Carvalho Pires.
Alteres Joo Quirino de S.
f companhia
Capito Antonio Augusto de Souza S.
Alteres Octaviano Jos da Silva.
4* compaobia
Tenente Jos More ira da Silva.
Alferes Auionio Moreira da Silva.
5' companhia
Alferes Francisco Amancio de Figueiredo.
7* companhia
Capito Diii-iano di olvi e Souza Araquan.
i secgo da reserva
i- companhia
Capito Jos Balboa* de Luna.
4* e cnj. inhia
Alferes Alejandrino M*edo Souza.Cora-
muoicou-se ao cu n ni lauto superior de Ca
urob.
o vice- di provincia atlendendo
.10 que .-eqn i itft.m Luis Apollioarie da
S Iva Mo-- das rendas geraesda mu
ineioi d S.
n-dico
in-pector
de i ilo
licionario i.
. 11 o en vista o attestado
0 prestada pelo
, aria d- Fazenda em offl iio
3). resolve coacedef ao'pe-
- de liee-nea para tratar de
sua tU le.
O vice-or.-sidt-iit da provincia rewlve exo-
nerar o na u i 11- lar.lino de Senna Das do
Cargo de uj el. i i procurador dos futo* da
Ii prov.. i..i no municipio de Ojiada e oo-j '
.iiear p.o-a -ios- tan o o promotor publico oa-"*
dure! Jos de ddraes ti redes Alcoforado.Com-
oiuiico-se ao inspector do Thesouro Provin-
cial.
O vice-preaideate da provincia resolve no
mear Jo^ Paulino M ii'eiro para exercer o car-
go-de es tv.io da collectoria provincial do mu-
nicipio de Floresta. -Com nunicou-se ao inspec-
tor do Tuesouro Provincial.
Officios :
Ao Dr. chefe de polica.Em solugo dos
officios dessa chefatura de 25 de Abril el* de
Junho deste anno, sob ns. 412 e 551, declaro a
V. S. que approvo o contracto de locacao feito
com Francisco Deodato de Souza, acerca de urna
casa de sua propriedade para servir de cadeia e
quartel no termo de Ipojuca pelo aluguel de 30/
mensaes; mas sem a condiego do tempo, esti-
pulado pelo respectivo proprietario. Commu-
nicou-se ao inspector do Thesouro Provincial.
Ao mesmo.Declaro a V. S. em solugo do
seu officio n. 565 de 6 de Junho lindo e de con-
formidade com a informago do inspector do
Thesouro Provincial de 27 do mesmo mez, sob
n. 208, que autoriso o contracto da casa que no
3" districto do termo de Bom-Conselho serve de
quartel, pelo aluguel de 5 mensaes.Commu-
uicou-se ao inspector do Thesouro Provincial.
Ao commandante das armas. Tendo o
Exm. conselheiro Manoel Alves de Araujo de
prestar juramento araanhS 1 hora da tarde,
perante a Assembla Legislativa Provincial e
aisurair oeste palacio o cargo de presidente des-
ta provincia, sirva-se V. S. de expedir suas or-
dens para que um batalho se ache postado em
frente ao pago da mesma Assembla afim de fa-
zer a S. Exc. as continencias devidas por occa-
sio d'aquelle acto, providenciando ao mesmo
tempo no sentido de ser dada pela fortaleza do
Brum a salva do eslylo.
Ao mesmoCora a inclusa copia da infor-
mago do inspector da Thesouraria de Fazenda
de hontem datada sob n. 252, respondo ao offi-
cio de V. S. n. 1,144 de 21 de Maio ultimo a
qual acompanhou o pedido de duas bandeiras e
um mastro para a fortaleza do Buraco.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Para os fins convenientes communico a V. S., de
ordem do Exm. Sr. ministro e secretario de es-
tado dos negocios do imperio, constante do avi-
so n. 2957 de 4 do corrente mez, que, estando
o lente da Faculdade de Direito desta cidade, Dr.
Antonio Coelho Rodrigues, dispensado do exer-
cicio da respectiva cadeira por se achar na corte
era commisso do Ministerio dos Negocios da
justiga, deixar de ser pago pelo referido Minis-
terio do Imperio, era qaanto durar a commis-
so, o vencimento do mesmo lente.
Ao mesmo.Commuaico a V. S., para os
fins convenientes, que o juiz de direito da co-
marca de Bom Conselho, bacharel Abdias de
Oliveira, reassumio. era 6 do corrente o exerci-
cio de seu cargo, renunciando o resto da licen-
ga com que se achava.
Ao mesmo.Communico. a V. S., para os
fins convenientes, que o Dr. Antonio Jos da
Costa Ribeiro Jnior, assuraio hontem o exerci-
cio do cargo de secretario da polica, para o
qual foi nomeado por decreto de 28 de Junho
ultimo.
Ao mesmo. Para os fins convenientes,
communico a V. S., que o bacharel Antonio Cle-
mentino Freir assnmio no dia 12 do corrente
mez o exerc.cio do cargo de promotor publico
da comarca de Timbaba, para o qual foi no-
meado por esta presidencia em 6 do referido
mez.
Ao mesmo.-Communico a V. S., paca.oa_.
ins convenientes, que o bacharel Joaqtlml Vel- *
loso Freir deixou no dia 12 do corrente mez o
exercicio do cargo de promotor publico interino
da comarca de Timbaba.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os
lins convenientes, que o 3o juiz sub3titolo da
comarca desta capital, bacharel Braz Florentino
Henriques de Souza deixou no dia 12 do cor-
rente o exercicio de seu cargo por ter termina-
do o respectivo quatriennio.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os
fins convenientes, que o juiz de direito da co-
marca de Caruar, bacharel Jos da Cunha Tei-
xeira, no dia 10 do corrente mez reassumio o
exercicio de seu cargo, renunciando o resto da
licenca em cujo goso se achava.
Ao Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso.
Recomraendo a V. S. que se dirija Colonia
Isabel, alim de medicar alguns alumnos daquel-
le estabelecimento, conforme requisitou o res-
pectivo director.Mandou-se dar passagem de
ida e volta por conta da provincia at a Colonia
Isabel.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
do Recife.Mediante as condiges constantes ao1"
termo annexo por copia ao officio de V. S., n.
162de hontem datado, approvo o contracto ce-
lebrado com Salomao Pessoa de Albuquerque
Barros para exercer o lugar de enfermeiro do
Hospicio de Alienados.
Ao Thesouro Provincial. -Declaro a Vmc,
para que faga constar a Alfandega, que as mer-
caduras em transito nao devem pagar o imposto
de S "[, a que allude a informago desse The
souro, de boje datado, n 243.
Ao mesmo.Declaro a Vmc era resposta
ao seu officio n. 212, de 28 de Junho findo, que
approvo a arreraatago feita por Jos Elias de
Oliveira do fornecimento de aliraentago e dietas
aos presos pobres da Casa de Detengo, relativo
ao trimestre de Julho Setembro deste anno,
pela diaria de 420 res.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.
Transmiti a Vmc. para seu conhecimento e
execugo a inclusa copia do aviso circular do
Ministerio da Marinha, de 27 de Junho lindo, sob
n. 83 A. relativamente commisso parlamen-
tar de inquerito, de quaesquer esclarecimentos,
memoriaes, relatnos referentes aos negocios
que correni pela repartigao da marinha.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.Em
aviso n. 1.161 de 28 de Junho findo communi-
cou me o Exm. Sr. ministro da marinha que
executando a le relativamente ao pagamento dos
secretarios das capitanas dos portos, deve ser
observado o seguinte :
Os emolumentos que os secretarios dessas re-
parliges cobraro, serao arrecadadas como re-
ceita geral e de accordo com os livros de lalo
que Ihe sero opportunamente remettidas ;
A escripturago se far segundo o livro de re-
ceita e despeza, que tambem ser enviado ;
A arrecadugo ser feita de harmona com os
modelos que sero recebidos conjunctamente com
aquelles livros ;
At promulgar-se o orgamento da despeza
para o anno de 1890, os vencimentos marcados
para o secretario d;> capitana do porto desta
provincia sero deduzidos da importancia dos
emolumentos arrecadados, sendo o sold reco-
mido Thesouraria de Fazenda at o dia 3 de
cada mez ; .
Se por ventura esta importancia for inferior
a dos alludido3 vencimentos esta presidencia, na
forma do citado aviso solicitar o necessario cr-
dito a respectiva secretaria de estado ;
O que tudo fago constar a Vmc. para seu co-
nhecimento e devidos effeitos.Igual a Thesou-
raria de Fazeeda.
Ao director das obras geraes. Srvase
Vmc. de dar cumpriraento ao aespacho desta
presidencia, de 15 de Juoho lindo, proferido no
officio do inspector da Thesouraria de Fazenda,
de 11 do mesma mez, sob n. 206, annexo aos
papis referentes aos concertos precisos na es-
cela de aprendizes raarinheiros.
Declaro a Vmc. que mielen
hoje o requerimeiito de Manoel Thomaz de Al-
buquerque Maranho, a que se refere a sua in-
formaco, de 4 do corrente, sob n. 30, quanto
multa que Ihe foi imposta por essa repartigao,
por nao ter fornecido no praso do contracto as
madeiras a que se obngju por seu contracto.
Ao engenheiro director de obras publicas.
-Approvo < orgamento a que se refere os otn-


Diario de PernambucoTer$a-feira 10 de Setembro de l>$9



f
~:

r

I
-
I
i pra-
) Provincial.
le 9 I'
Ob
na
unokou a
Aoraesrao. -Mande Vine, hoje illurainir o
interior do jardn do campo das Princ
_ xo e fiscal da estrala de forro
do R i. Francisco.Autoriso o superin-
tendente dessa estrada de ferro ler ao
empregado Jos Theotonb lima, doa* ose.
liceuga pira tratar-se, atusada** me*'
dico que exhibi, obisrvanda a naapeia>a>dis
posto s do aun. "teaiutNH
ercio e obras paHicas, de 9 ckti Xoareflabr
de 1883 e 28 de Jaaeiro d; t87. Assim
respondido o offlcio ae V:uc, de 2 do correte,
sob n
Ao engenheiro ikeal do i" O-ricta^cor
gentos ren'raes.Sogandr aviso do rarntaterij)
da agricultura, commercio eobra aualicaa, de
*> do correute, forara por decreto na. W 59 e
10,260, de 28 de Junhe ultimo, declaradas ca-
ducas as concosses feitas ao coronel Joaq lim
Virissimo do Reg Barros e ao commendador
Fructuoso Dias Alves a Silva, os quaes se re
erem s inforrances de Vine, de 22 de Abri'
deste anuo. O que coumunico a Vaic. para sua
direegSo.
.os agentes da companhia brasileira de
naveg-'ca a vapor.De posse do oficio em que
Vmc. participara que o vapor Alagos co
dos portos do norte, hoje s 6 horas da manu,
declaro lhes que por conveniencia do servido pu-
blico, lleve o masara vapor seguir para os do sul
amanbi tarde e nao li je.Communicou-se
directora do commercio.
Portaras :
D--claro a Cmara Municipal da Pedra que
Acara approvadas as arreaUagoes d >s impostas
constantes Jo termo amiexo por copia, ao seu
oficio, a que respondo, de 8 d- Abrd ultimo.
Respondo ao ofhVio que a CaOM Muoici
pal de. Tiinbaba dirigio-me a 12 do corrente
mez, chamando a sua aiteugo para as disposi-
ges do artigo 157, do re.'iiiamwito annexo ao
decreto n. H.i'l.'t. de 13 de Agodo de 1881.
O Sea. agentes da coiiipaullia brasileira de
navegar. a vapor fagam transportar a Curte por
eona do ministerio da guerra I. Brgida Fe-
licia de liveira oncalve-, que acompaiiha sen
filiio o tenunte do 2 baulli.) de lufaularia Mi-
lito TUoinaz Goiigalves. que passa a servir o
25J balalbu da mesma arma.Comraumcou-se
ao comraamlaule as armas.
O; Se*, gestea da cornpanliia brasileira de
navegar j a vapor mande dar passagem de r
at ao Marnhao, por conta do ministerio da la-
zenua, \\o paquete que segu araanh, ao 2o es-
criplurario da Alfandega, Jos Bernardo Das da
Silva, rem mdo para 6 cargo de inspector da
The.-uiu ana de Fazenda da dita provincia, bein
assim as pasco.is de sua familia coustantes da
inclusa relago por copia ; sendo proa a pas
sagem relativa a criada. Communicou se ao
inspector da Thesouraria de Fazenda.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco providencie para que
tenha transporte de id* e vol'a, em carro de. !
classe en fe as eslages de Cinco Ponas a Pal-
mares, o eiigeoheiro da reparligo de obras pu
blicas Francelino Americo de Albuquerque'Mel-
lo, que tai examinar os reparos do pontilho da
Barra da Lama, na estrada de Agua Preta a Ja-
cunype, correado a despeza por co ita da pro-
vincia.
OSr. superintendente da estrada de ferro
do Recite ao S. Francisco d passagens por con-
ta da provincia, da estacao das Cinco Puntas
de Una, a um cabo e 2 p rayas do corpo de poli-
ca, qae vio destacar em Villa-Bella.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens, por con-
ta da provincia e cora direito bagagem, da es-
taco de Cinco Ponas de Una a um cabo de
esquadra e urna praga do corpo de polica, que
vo destacar era Alana de Galos.
HbUatis mutandis ao encarregado da estaeo
de Palmares at a de S. Benedicto
EXPEDIENTE DO M. SSi'.RETAIUO
OUicios :
Ao inspector di Thesouraria de Fazenda.
O Exai.. Sr. vice-presidente da provincia manda
remellar a V. S. ii ordens do Tiiesouro Nacio-
nal, sob ns. 104 a 114.
Ao administrador dos crrelos.De ordera.
de S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia re
mello a V. S. para os devidos tins, dez exem-
plares impressos do regulamento de 13 do fr-
rente, sobre extraeces de loteras ordinarias da
provioc:.i. .
Ao inspect ir do Tiiesouro Provincial.O
Exra. Sr. vice-presidente da provincia manda
commanicar a V. S.. para os devidos lins, que
nesta lata proferio o seguinte despacho no re-
curso dn Salazar 4 C. sobre o qual esse Tiie-
souro presura as informaces constantes de of
ci de li de Junho ultimo, n. 194 :
Neg provimento ao preseole recurso, em
vista das infonnacOes presta-las.
Ao thesoureiro das loteras da provincia.
De ordein do Exra. Sr. vice-presidente da pro-
vincia remello a V. S.v para os devidos lins, cin-
coenta ex-raplares impressos do regulamento de
13 do corrente sobre exiraccOes de loteras ordi-
narias da provincia. Remetteii-se ao Dr. cliefe
de polica. :t<) exeraplares, Thesouraria de Fa-
zenda 10, ao Tiiesouro Provincial 50, e Cmara
Muniwpl 90
Ao cimrn.indante do corpo de polica.O
Exm. Sr. vicepresidente da provincia manda
remetler a V. S.,para os tins convenieites, a in
clustfguia de soecorrimento de seis prafas di
corpo de eu commando, que foi enviada pelo
presiileuie da provincia das Alagoas cem o otli
ci n. :105 de liontem datado.
Aos agentes da Companhia rasilelra de
Navagaro a Vapor.De ordera do Exm. Sr.
vice-pr.-idenle da provincia acenso o recebi-
mento do cilicio em que Vv. Sd. participara que
o vapor Jfcu*aaJ5-ebegaa dos ponos do sul boje,
as 6 lloras da manb. e seguir para os do norte
araanh lis 5 da larde.
Aojuiz de direi'o da comarca de Ouricury.
O Exm. Sr. vice presidente da provincia, em
resposta ao oili:io de V. S. datado de 8 de Jniilio
lindo manda transmitiir-llie, por copia, o pare-
cer do di>e!;iiiarirador procunulor da cora, (a-
zendu e. snb-rania n.icional, de 11 do corrente
mez acerca da coasalta que, llie foi feita pelo
escrivio do crime do termo de Oaricury.
Ao promotor publico da comarca de Tira-
babaO Exm. Sr. vice presidente da provin
cia recommenda a V. S. que enve a esta secre-
taria a certidiio de seu exercicio.
Edital :
Por esta secretaria se faz publico.de ordem
do Exm. Sr. vire presidente da provincia, que,
tendo oetano da Cosa Moreira- requerido a con-
currencia publica para o estabelecimento de urna
fabrica de cimento preparado com materiaes lo
paiz, nos termos da iei n. 1987, de 6 de Miio
d'este acno, infra transcripta, Hea marcado o
prazo de trinla dias. contados de boje, para o re-
cebimento de propostas, em carta techada, refe-
rentes fuudaco da dita fabrica.
LE N. 1.987.
Ignacio Jjuqtiim de ,-ouza Leao, bacharel em
aciencias juridicas e sociaes, lidalgo cavaiheiro
da Caso Imperial, cavaiheiro da Ordem da Rosa
e vice presidente da provincia de Pernambuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que a
ojslativa Provincial decretou e eu
sanccionei a resoluca seguinte :
Art. Io Fica o presidente da provincia autori-
sado a conceder, por prazo improrogavel de 10
anaos, privilegio, a quem maiores vantagens Of-
ferec pura montar nesta provincia a primeira
fabrica de cimento preparado com materiaes do
paiz.
Ar'. 2" O cimento produzido pela fabrica de
,quo se trata nao gos enco de imposto al-
"gum, nem de quaesquer favores, directos ou in-
directos, que teohatn por flm prohibir a entrada
ou venda na provincia de producto rimilar, na-
cional ou eslrangeiro.
Art. 3- Si no lim de dous annos a contar da
data da presente lei, nao estiver a mesma fa-
brica funrxiooando regularmente, a actual con-
cesslo de privilegio ser ipso (acto considerada
caduca.
Art. 4o Ficam revogadas as dispo3iCes em
contrario.
Mando, portante, a todas as autoridade
quem o conhecimento e execuco da presente re-
solucao pertencer, que a cumpram e facara cum-
plir to inteiramente como neila secoalm.
'ario interino da Presidencia d'e3ta
faga imprimir, publicar e correr,
a Presidencia de Pernambuco, 6 de
W>, 88* da independencia e do im-
Ignacio Joaquim 4 Souza Leao.
'n'.e resotugao i
Pernambuco, aos &
U AUI UC
1889
;> secretario interino,
tSi'HOtl Joaquim SUveira.
Steparti^ao da Polica
2.a ncceo.N. IOS") Secretaria de Po-
a-fcr I\iiiiidlMi), Setaanbro de
ihBfc IUi. o Exm. Sr.t^articipo a V.
2XO. que ten.ni recolliidus A Casa de Des-
nqScr os searuiates inividuo :
Na da G:
A' minha ordem, Jo Fernandes Caarie d'AI-
boeira, reineitido pelo Dr. chafe de polica da
>lcorie-com) sentenciado e.n crime dt raoeda fai-
o- l, afira de aeapnr a pena no presidio de Fer-
e rwade- de Noronna ; c Antonio Pedro Ferreira
da Silva, viudo do termo da Victoria como sen-
tenciado.
A' ordem do Dr. delegado do i- districto da
cauital, Jos Caelano Pinto, por disturbios.
A' ordem do subdelegado do Io districto de S
Jos, *equiel Jos Leandro, por disturbios.
A' ordein do do 1" districto da Boa-Vista, Luiz
ira da Silva Jnior, por embriaguez e dis-
turbios ; Mauuel Rodrigues Bezerra, conhecuto
por Mauoul Roxiulio, Luiz de Franga de Sanl'An-
na, Bellarmino Marques Bacalho, Rita Archan-
ja de Partea e Antonio Carueiro de Albuqner-
qufl, por disturbto ; Quiteria Maria Magdalena,
Josepna Maria daConc igo, Joauna Rosa Maria
da Conceigao e Margarida Silvestre AlTonso, por
embriaguez a olTensas moral publica.
A' ordem do do 2' districto da Boa-Vista, lia-
ria do Xascimento ou Veneranda Maria da Cou-
io, por disturbios.
A' ordem do da Magdalena, Manoel da Luz e
Raymundo Pires, por disturbios.
A' ordem do do 1 d.stricto da Graga, Manoel
Rodrigues do Espirito-Santo, por disturbios.
No da 7 :
A' rainha ordem, Flix Vicente Calixto, como
desertor, at que possa ler o conveniente d
no ; Jos Pereira Barbosa eJosfi Lino de Aze-
vodo, remeltidos pelo Dr. juil de direito da co-
WCa da Victoria como criminosos.
A'ordem d> subdelegado do Recife, Joanna
Maria ita < ooceigao, por offeusas moral pu-
blica.
A' ordera do do 1" districto de S. Jos, Auto
nio Jos Gongalves, por ofensas moral pu-
blica.
A' ordem do do Io districto da Boa-Vista,
Benvcnuto Manoel da Hora, por disturbios.
No da 8 :
A'ordem do subdelegado do Recife, Mmoel
Bernardo de Souza, por embriaguez edisturbios.
A' ordem do uo Io districto de S. Jos, Joo
Gomes de Mello. Maria Magdalena Jorge e Mar-
colino Lopes de Soi'za por disturbios.
A' ordera do do 1" districto da Boa-Vista, Jos
Francisco de Lima, Varia de tal, Jos Francisco
das Chagas, Francisco Xavier Soares e Jos An-
tonio dos Santos, por disturbios ; ;emvinda Mi-
rla da Conceigao, Francisca Maria de Paula,
Joanna Maria da Conccicao e Leopoldina Tbeo-
touia das Mercas, por ofensas a moral publica.
A' ordem do da Magdalena, Manoel Pereira da
Silva, por disturbios.
Hoje, pela nuahl, foi encontrado morto na
casa em que resida, no districto do Peres, o
individuo de nome Theotomo Mirar, cujo ca-
dver foi conduzido para o Cemilerio Publico de
Santo Amaro, oBde deve comparecer o Dr. dele-
gado do 2" districto da capital, atira de proceder
a vistoria.
E.n data de 29 do mez ultimo assumio o cida-
do Salustiano Cavalcaute de Albuquerquo Ara-
ga o exercicio do cargo de delegado do termo
de Aguas Bellas.
Deas guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mu digno presidente d'esta provincia.
O chefe de policia, Garonco Dias de Ar-
ruda Falcuo.
n ten
Maio de t
perio.
L. S.
luslrui't-o Publica
DESPACHOS DO DA J Db SETEMBRO DE 1889
Maria Julia da ltesurrei$5o Cruz.En-
ea roinhe-se.
Antonio Jovino da Fonaeca. Enca-
minhe-se.
Manoel Antonio Lefte. Justifico.
Manoel Bezerra de Vasconcellos Caval-
cante Justifico.
Custodio Jos da Silva Pessa. Como
requer.
Feliciano da Cunha (.'avalcanti. Cum-
pra-so e registre-se.
Antonia Ulementina de Souza Ribeiro.
Encaminhe se.
Dr. Pergentino Saraiva de Araujo Gal
vilo. Corno requer.
Joao Firmino Riboiro. Cumpra-se e
registre-se.
_ O
J. Felicio da Cunlia.Justifico.
EXTERIOR
Volleia; do Pacifico e Rio da
Prata
O paquete Oraba, que hotitem passou |>ara a
Europa, foi portador das seguintes noticias :
Pacifico
Datas at 23 de .Agosto :
O general Salazar, ministro das relnces exte-
riores da Repblica do Equador, foi noraeado
ministro plenipotenciario no Per.
A cindidatura de Hosas ia ganhando terreno
no Per, ja Uavia sido proclamada em Lima
Callau, Traiillo. Iluancayo, Cerro de Pasco, Hua-
ro z e Avacueh.
O general Valverde aceitou a preleitura de
Callan. Morreu o guerreiro da mJependencia,
coronel Manoel Adriasola.
Xa cmara do Chile o deputado Walkcr Mar-
tnez propoz um foto de censura ao gabinete,
sendo tal proposta repellida por votos con-
tra 41.
R io dn Prala
Datas de Buenos Ayres at 27 de Montevideo
al 8 de Agosto :
Por teiegramma expedido de Pars respondeu
o Dr. Quintana ao governo argentino que, por
motivos tanto particulares, como de ordem pu
Mica, nao podia aceitar a pasta dos negocios ex-
teriores. Foi por isto convidado o deputado Dr.
Estanislao S. Zeballos, o qual aCeitou, pedindo,
porCm, para nao tomar conta do lugar seno 8
ou 10 dias depois, tempo de que precisava para
concluir o trabalbo sobre reformas do cdigo
do commercio de que cstava incumbido como
membro da commisso de cdigos.
A' vista disto e tambera para que o Dr. Qjr
no Costa podesse terminar uns trabadlos da
pasta, que vai deixar, foi attendido o pedido do
Dr. Zeballos, tirando assim reorganisado o ga-
binete : ministro da fazenda o do interior Dr.
Wenceslao Pacheco, do interior o das rclarOes
exteriores Dr. Quirno Costa, das relagOes e.\t'
ores o depatada Dr. Zeballos'. Durante o im-
pedimento deste, ficar a pasta das reaees ex-
teriores a cargo do Dr. Quirno Costa.
Cbnstava que o governo norte-americano ha-
via [romeado o Sr. John It. Pilkin ministro dos
Estados Unidos na Repblica Argentina.
Xa madrugada de 23, desabou .sobre Buenos-
Ayres um temporal medonuo, que causou mui-
tos prejuizos assim no ninr como em trra.
Diversos bairros fi.arain inundados, entrando
a agua por umitas rasas, principalmente das
ras Riv.idaviae Equa lor; e cahiram varias pa-
o muros.
Soffreram exlraordinaiiamenle os pomar
era tal a videncia do tuo, qus cahiram l
lyptus, plantados havia niais do 20 annos.
Garraram muitos navios, entre os quaes todos
ora argentinos, com excepgo apenas
do cruzeiro Patagonia.
Sossobraram mais de&) embarcagSes peque
as Icaram muito damnificadas as obras do
porto Madero e o ca alias: o toda a
costa entre Santo Isidro t Rivadavia cobrio-se de
objeclos- nue conatituiam a farga das embarca-
gOes naufragadas.
0 temporal causou tambem muitos estragos
em Montevideo.
Dava se como cerlo que o ministro oriental
em Pariz, o Sr. Diaz, ser substituido pelo Dr.
Forteza.
Os vaporas Smperor e La Piala, da empreza
Lussieh Irmo.s, salvaram li tripolantes da
barca ingleza tieurijtna, que se perdeu comnleta-
mente no Banco Ingles. Os infezizes nufragos
esliveram tres dias a meje das ondas, agarrados
a unas taboaat.
O vapor UrwjiuBt levoa para MootenMeo dez
ripolau!ej.-4a bana.aoruepense Xewcmttn, que
sossobrou eaa Medoaado.
O liscal do crtar iaicioo ara aawcesw) contra
a empivza de Aguas correaes, de Montevideo,
pelo delicio de alajes saaWe paWica.
Xa corte foram publicados estes tetegraaa-
maa:
tiuenoi .%<, dato.
Houve no Jar ira da Flonasi aaaa amuia par
blica de mogos, dnrante a qual tocou urna or-
chestra sob adireigao do maestro Ismael.
Pallaram diversos oradores, entre os quaes o
Sr. Deivalle, deputado Goyenna, Drs. Lo;* e
Goyo.
Depois houve passeiata cvica, a qual concor-
reraui cerca de ba mil pessoas.
Ni estatua do general Belgrano loram deposi-
tadas diversas coris.
Por essa oceasiao o general Mtira foi alvo de
significativa raanifestacao de aprego.
ministro da fazenda. Pacheco, autorisou af-
fixur se de manb, na bolsa, a c&tagio do oro.
Montevideo, 1 de Setembro.
A Cmara dos Dcputados adoptou o projecto de
|e apresenlado pelo governo sobre a expropria
gao.
Fallecou o ex-mini=tro Ildefonso Blanco. ,
Buenos-Ayres, 2 de Setembro.
fiseraoa parede os operarios de La Piala.
Por noticias recebidas de Gualeguaycli sabe
se que o rio sabio do leito e inundou parte da
cidade, causando grandes estragos.
Montevideo, 2 de Sfastemoro.
Chegaram os vapores Diamantino e Ldano
tr zeuo o general Uedoro, seu estado-maior e
o 1* batalliao de infantaria.
Fallereu o 1" lente Aa armada Luiz Carlo3
Freir de Souza. Foi sepuludo na Villa Formo
sa, prestando-Ilies as honras militares tropa ar-
gentina.
At bote aiada nao se aabem noticias do va-
por brazileiroW. Pedro.
Buenos-Ayres, 3 de Setemoro.
Fo: autorisada a cotagao das operag.'s do ou-
ro na Bolsa.
A Cmara dos Deputalos adiou a discusso
do projecto sobre a reforma dos ofllciaes do
exerc.'to. Fallaram contra os deputados Molina
e Mancilla c a favor o deputado Bosch.
Montevideo, 3 de Setembro.
A Alfandega rendeu 250 mil pesos no mez ul-
timo.
3 de Setembro.
Chegou o vapor brazileiro D. Ped-o, que ora
aqui esperado ; a sua demora foi devida ao ler
apauhado um forte temporal era viagem.
c officiaas de
pertencnte a
brea, destruiram-ms, suas casas
larinha, deixando somente urna
Marsolino de tal.
Alm disso esto se sustentando com o gado
dos fazeodeiros conservadores.
Todo est reduzido a miseria.
Prattcaram todos estes crimes sem a menor
resistencia, nao s porque umitas casas estavam
abandonadas, como porque i acredita vam outros
as promessas do Sr. alteres Julio Cesar, dele-
gado de policia, e vendo no elle o principal
autor de tuto isso, ... .rao fugiraoa
primearos aaaaltos.
B' poMivel que se acredite qae temos go
verrro ueste paiz ?
Pode-ae ton llar na ferga puatteaque coasis-
te em capangas c bandidos r
Quem iademnisa os grandes damno* causa'
dos?
.< Esta villa esti reduzida a urna praca dr'ai'-
paias, n'i'llaadaxistem poneos cidadaoe. Iinerae*,
a grande capangagem armada e roubando as la-
zendas visinhas, e a (orea do delegado Julio
Cesar.
Registrem-so os factos, mas nao se pegara
providencias a um governo que no tem nogo
do justo e do honesto.
S. A. o Sr. Conde d'Bu tem feito diversas
excurses pelo intorior da provincia, sendo bem
rebebido por toda parte.
INTERIOR
noticias do sul do imperio
Pelo paquete inglez Oraba, hontcm vindo do
sul, ti vemos as seguintes noticias :
M. Panto
Datis al 3 de Setembro :
Est subscripto o capital para a organjsago
da aova companhia de Lnz Elctrica que ral
substituir a E.Tpreza Pauiista de Eiectricidade.
- Em Ribeirao Prelo cabio ha dias fortissi-
ma cliuva de pedras, sendo destruidos muitos
cafezaes.
Xa mesma villa, no dia 25 do mez passado,
foi encontrado sem falia na ranchada de Anto-
nio Olynipio o derrubador de rogas Veccbio Per-
nochio, o qual apresentava dous ferimentos gra-
vissunos na cabega a no peno e diversas con-
tuses UO corpo.
A este respeito diz a Haz-la (iV Campias :
Quando o infeliz foi descot.erto nesse esta-
do, o oll'ensor on oirmisores j se tinbam evadi-
do.
A' meia noile do raesmo da em que foi per-
petrado o delicio, o administrador mandou
dous empregados darerfi parte do occorrida
ao delegado de policia, que respondeu que so*
iria a fazenda se Ihe mandassem condcelo e
que nao enriara pracas per estarem oceupadas!
Ficou o pobre Pcnochio sera o ultimo tra-
tamento medico c expirou ni madrugada de 28
do mez passado, sendo o corpo trausfortado
para esta sidade e dado sepultura no da 29.
Xo dia 1", s 2 lloras da larde e 7 da nou-
te houve eonflietj entre dous jornalistas do Dia
rio Mercantil e o outro redactor da Hazeta do
Povo. Ambas as vezes deu-se o conflicto no
caf de Lava, causando grande impresso no pu,
blico. Xeuhum dos contendores ticou lerido.
A kermesse de Campias ser era meiado
do corrente mez e haver trena especiaes entre
aquella cidade e diversos pontos da provincia.
Rio de Jaitoir)
Datas at 4 de Setembro :
Era 31 do mez findo foi assignado com o n.
10,327 o decreto regulando a ordem da colloca
gao dos ministros e a da substituigo do presi-
dente do supremo tribunal de justiga :
Art. 1" A antiguidade no cargo de desembar-
gador e nao a data do exercicio no supremo
tribunal de justiea que regula a ordem de
collocayo que nos termos do ar!. 47 da carta
de lei de 18 de Setembro de 1828, devera entre
si guardar os ministros respectivos na mesa do
despacho.
Art. 2" Essa mesma antiguidaJe prevalecer
para a substitusgo do presidente de que trata
o art. 2o da citada lei.
Art. 3." Revogara se as disposiges era con-
trario.
Por decreto de 2 de Setembro foi designa-
do o coiiseilieiro Candido Luiz Maria de Olivei-
ra, ministro c secretario de estado dos negocios
da justiga, para exercer a pasta da guerra, em-
quanto durar o impedimento do Vtsconde de
Muracaj, que se acna enfermo.
Al 3 de Setennuo corrente, e!evava-se a
2i9,O3:O00 o total subscripto do eiuprestimo
nacional.
O ministerio do imperio communicou ao
ministerio dos negocios da hienda, para os de-
vidos elfeilos, que foram approvados os crditos,
na importancia total de 1.091:412472, abertos
sol) a responsabilidade dos presidentes das se-
guintes provincias, lira de occorwreea s des-
pezas occasioaadas pela secca, sendo :........
Iz7:779320 do Amazouas, 23:1395547, do Para,
70.500* do Piauhv, 418:GCG335i do Cear, ....
1000005 do Rio Grande o Xorte, 300:9744075
na ParabyOTt, 3335180 de Pernambuco e 50:0005
ja Babia.
O mesino ministerio declaroo ao presidente de
S. Paulo, em solugo do ofRcio ir G2 de 5 do
corrente. que tica concedido o crdito de.......
1U0:00)5, que solicitou, sendo 67:312*296 para
wibrir ;o dficit verificado na na feitas
rom as victimas das e isram
ltimamente nessa proviaeia, e :2:6875704
atim de occorrer s que se tm de realisar com
e trata ment de indigmtes aecommettidos da
varila, que es m diversos pontos.
Aodetfoyaz, que foi ap pro vado 0 crdito de
9215428, que abri, sob sua respoasanidade,
para pagamento do alnguel da casa que est
aervindo de palacio da preside
adata
D :tas at 7 de Setembro :
-s noticias dessa provincia sao da pouco in-
teresse.
Lemo3 no Jornal de Noticias de 3 r
Anie-iiontem tarde, deu se um conflicto
noli:.. ainado 8.Caetano, ao l*(Htricto
da f Santo Antonio resultando sahir
Lauriulo Galdino de Sa rravemeate fe-
rido por Jos Victorino i :na.
O offensor foi pracas e
lo povo, e recolbido cadeia de correc-
go.
Uon'em, porem, ami i na pri
juencia do eef i ) que sof-
fi era por o
Segundo a Gnzeta da Buhia o resultado da
cleiguo no 7. districto este, qu; se prete
alterar com actas falsas :
Dr. Araujo finbo (C)
reir Cerqueira (L) 8H
A 13 de Agosto ^n Unji
citada folha : \_s^
Um grupo de malfeitores. pa e
de outros pontos, invadiram esta villa, e arrom-
baram. demoliram e incendiaram 170 casas.
Foram ilba em que tem suas rocas os po-
MASCAS E COMERCIO
Trata se da refisto das tarifas aduaneiras, e
por certo medida uecessarii. una vez que
seja pralicada em condiges de nao entorpecer
ao desenvolcimento das torcas vivas da uago,
en emtiargo de continuar a ser o principal ele
ment da produego do imposto.
Xo entretanto, s ser proeua a providencia
de que cogita o governo, quando, abandonados
os antlgos moldes, forem os trabalhos da nova
revisao confiados nao somente aos represen-
trales do lisco, mas tambem a rfelfoa la classe
eommercial, pelo menos, tao competentes
aquel les para resolver que-toes que nao depon-
dera nicamente da buroei lea official, antea a
sobretodo da actividade da ii lustrn e do com-
mercio.
X no col he, diz o Diario du Commercio, afir*
mar-se que a reviso das tarifas se prende aques-
ta) dos tratados commerciaes. Xio desconlie-
cendo quanto estes influem na distribuigo do
irapo>to aduaneiro, a verdade que, sem modi-
licages orgnicas importantes, a nossa paula
pode e deve ser auxiliar eficaz das nasceut -s
indo-trias brasileiras e do equilibrio da batanea
do commercio internacional ; pira nao basta,
apenas, medrar distribuir io do? direitos, mais
ciara denigo dos urtigos. que se prestara a
dubia apreciaco.
Xo mercado do caf, a una actividade pre .
cipttada que poderla abastecer os mercados es-
trangeiros fe coocalos em posigo de reagjr
contra os 'pregos lirines, ora em vigor, succedeu
urna apathia ndativa apenas interroraoida a li-
geiros nter rallos. Esta posigao a que nos con-
vm manter.
Esgotados ou diminuidos os stoki, de que tan
to se iam aproveitaudo os baixistas para alcan-
gar a depreciago dos precos ;do caf, forgosa
mente tero de recorrer aos nossos mercado? e
sujeilarse s condigOes que nos convier apre-
apresentar quando nao pequera por exageradas.
Porque assim o comprehendem os intere3sa
dos na bnixa do caf, foi que esles lizeram es-
palliar o boato de avultada collieita para 1890
a 1891 que, unida ao resto da safra de 1889 a
1890, compensara a deltciencia desta.
Felizmente taes boatos cabera por si mesujr>s
e apenas consegu-m desviar a verdade durante
algurts dias ou semanas. Reconhecido o erro,
este s a nos aprovetta e longe de nos prejudi-
car, accentua mais e melhor a nos^a favoravel
posigo.
Consta que um syndicalo estrangeiro est em
negucingOes para adquirir o activo da estrada de
ferro Macano & Campos.
Xovas sub-cripces foram no dia 31 de Agosto
realizadas uos bancos eiicarregados da operagao
do emprestimo de mil contos, elevando se a
20,138 contos a qnantia naquelle dia subscripta
Elevara se a cerca de 196,598:0000u0 as sora
mas j subscriptas para o emprestimo nacional
de4-/.
O capital subscripto para incorporago doBan
co Mercantil e Industrial do Paran excede j
em muito, do valor pedido, pelo que se proce-
der a ratcio das aeges tomadas aqui e no Pa-
ran.
O Banco de Crdito Real de Minas, represen-
tado pelo Sr. Visconde de Assis Martins, assig-
nou hontcm no Tiiesouro Xacioaal, um contracto
de dous mil contos destinados a auxilios la-
voura d'aquella provincia.
O Tiiesouro Nacional assignou com a Casa
ancaria Loreneuse, de S. Paulo, um co .tracto
de mil contos que serio applicados lavoura.
Chegou a Buenos-Ayres a exposvgo fluctuante
hespanhola, que se acha estabelecida a bordo do
vapor da mesma nago Conds de Villar.
INDUSTRIAS E ARTES
Alguma8 pessoas expedentes julgam que a
immigragSo subvencionada, se deve continuar,
carece de mais liscalisago c de novos mol-
des.
Na verillcago dos destinos indicados aos im-
migrantes deveriam ser excluidos os interessa-
dos na importaco, e 03 actos elTectuarem-sc era
trra, perante pessoas de reeonhecida isengo.
A expedigo das bagagens deveria acorapanhar
immediatamente a dos mmigrantes e arejeico
dos inhabilitados ou imliiejplinados ser imme-
diata, evitndose a reproduegao de abusos com
os me.-mos individuos.
Outras autoridades na materia inclinam-se a
limitar a acgo do Estado formago de ncleos
coloniacs, recepgo e'hospedagem dos mmi-
grantes e a garantir o juro de capitae3 a empre-
zas colnisadoraSj com flra determinado.
Parece que a ultima experiencia apresentou
tantos inconvenientes, abusos e perigos, que a
limitacaa das entradas nos ltimos mezes foi
antes urna vanlagem nacional do que urna dece-
pgo.
Entretanto, a causa do trabalbo immigrantis-
la parece victoriosa em todo o paiz.
Se em S Paulo o encalhe dos inmigrantes as
hospedaras causado por motivos pass igeiros,
como o estado sanitario de alguraas povoagOes,
os pedidos as provincias de Minas e Rio de Ja-
neiro cresc >m continuamente.
Circura-itancias inexplicaveis tm at agora
retardado a eutrada de immigrantes nessa pro-
vincia, apezar dos- esforgos dos encarrenados
desse servico. Era corapensagSo, os colonos
cearenses, que nao esto sojeilos s raesmas in-
fluencias, empregaram-se de preferencia na pro
vincia do Rio de Janeiro, e, se nao sao ptimos,
com a'gTtm tempo e pacienci-i, prestam serviros
uteis
E' para desejar que elles bubiluem tambem as
suas familias ao trajialho, pois esta a melhor
educago que lhes podem dar. Elles tm a seu
favor a sobriedade, a singeleza dos costuraes, a
aiansidao, a siinililude da lingua e das crengas,
e, com um pouco mais de" ambiguo, podero
transformar se em bous agmvgrados e planta-
dores.
. A provincia do Esoirito Santo, ramiticago ma-
ritina da populaco minen.i, est mostrando
que no ?eu ubrrimo solo fcil empregare col-
locar de 400 a 500 immigrantes por nez.
Xa provincia da Babia tratase de fundar hos-
Era t'ernambucoji se fez acquisigo de trras
para o mesino lim e no Maivmiio as associa-
i a exeeuco do on
to vigente, na parte que diz respeilo provincia
sobre a importarn de inmigrantes.
Xo Para acaba de ser assignado um contracto
para para a inlroducpao de 5.000 colonos.
- factos indicara antes aceitagao do traba-
lbo imraigrantisla do que repugnancia. Parece
que a nova organisago do servigo deve antes
tender a amplial-o s provincias do que a con-
central-o, sem utilidade positiva ou resultados
apreciaveis. Smente as provincias do sul no-
ta se urna certa desorganisago deste servigo,
qtie requertevero exame, pois ella nao se justili-
lica pela falta de meio para receber os mmi-
grantes, nem pela de ierras ou de trabalbo re-
munerativo.
Sem adiantar informages, parece-nos que de
urna deduegao seguida e lucida de factos pode
r resultar grande proveilo ao servigo nicioni-
e ao aproveitamento do.s dinheiros pblicos.
A questiio de immigrag&o eminentemente
pratica.trabaldosa, minnciofa; requerer a'imrae-
Hata liscalisago e a ponderagfio da todos os
velindrese intereues qne a podem alectar.
E' preciso descer ao individuo humilde e des-
anparado, e acotnpalia lo, com incessanie vi-
gilancia e desvelo do navio da transporte at o
gurio, sob pena da immigrago (orruir-se um
iuntil e arruinador aacrificio pecan i ci e;nosal.
#*
liiss C. \V. Itroee, de X>vaYork, at-ilra le
Rrer ao Howard CorWge donativo de 3,000 dol-
lars paraaequisigo de utn telescopio photogra
phico, cuja objecliva ter cerca de 24 poegadas
de abertura, sendo aproximadamente de 11 ps
a distancia focal.
A generosa doadora proraelteu, alera d'islo,
occorrer a todos os gastos da eollocaco do gran-
de apparellin, cujas lentes (o que ccnslilue no-
viilade na especie) tero a forma das Usadas
pelos pliotographos e denominadas leales de re-
trato.
A pequea distancia local, comparadi ao gran
de dimetro, permiltira segundo o Dr. Pirke,
rin-i. director d'aquelle observatorio, pliot
phar as estrellas de mais traca liimmosidade,
sendo muito apieciavel esta propriedade do in
Afmenlo na observago das nebulosas.
O novo telescopio noder tambem abranger
rea muio amor do que a que alcangam os in-
strumento? de forma usual.
Telescopio da nova forma, mas apenas da
abertura de oito poegadas, foi por qualro annos
empregado em Cambridge e est agora appli
cado no Per na pholograpbia de estrellas do
nosso hr-mispherio, havendo dado resultados
muito iisonjeiros.
Poib' augurar se que o telescopio Bruce lera
grande' liillueucia no progresso da astronoma
pelo valioso e ptimo material que ter de for-
necer-llie.
A
Os Eslados-lTmdos com a sua produegao an-
nual de 160,700,000 hectolitros, oceupam agora
o primeiro lugar no supprimeiito de trigo aos
mercados do mundo.
A Franga vem logo aps a grande repblica
americana cora a produeco annual de.......
IU7.300.0U0, emqumto as demais nages euro-
peas somonte produzco! 68,5 e W milhes de
hectolitros.
A pioduccfio de cereaea de toda a especie a
segrale era hectolitros:
' Estados Unidos 939,900,000
Russia 572 500 000
Allemanha 270,80 tfK
Austria 2Gt>,ti80.tHK)
Franrir 256 sm.oou
Hesnanlia 97,10'O(K)
Italia 76,900,000
einpretiuio de 100,00:00S e rurruprii eleilornl
(Naciiu, da corte)
Xo rgimen constitucional sob o qual presu-
mimos viver, a primeira rondigo da linneza.
successo e estabilidade de una operaco linan-
ceira importante, qual um emprestimo d cem
mil contos, nao pJe deixar de ser a sua perfei-
ta reguiaridade.
Bat nenlium assumpto da publica adminislra-
fo lauto como no que concerue as Tulangas do
Estado, mais importa apurar a slricta legalidade
dos actos do poder publico: assim o exigem
imperiosamente consideragOes de ordem supe-
rior, polticas, econmicas c jurdicas.
Pde-se dizer que o principal escopo do go-
verno representativo precisamente impedir as
surprezas da dictadura linanceira, que as so-
ciedades modernas a mais perigosa das dicta-
duras pela sua perniciosa iolluencia sobre a for
tuna publica e particular que ella attinge pelo
imposto e sobre a seguranga do Estado e seo
regular governo. Em uo?so paiz sobretudo.
onde torga reconhecer, nao predomina a seve-
ridade no dispendio dos di.'.heiros pblicos,
como em geral as demais operages (la gestad
frnanceira, onde nunca se tomara regularmente
as coutas a adrainstrago superior, curapre re-
pellircora mxima energa toda e qualquerten
tativa de dictadura linauceira que se ouse mani-
festar.
E' em nome deste supremo interesse social
que convm examinar o decreto n. 10,323 de 27
do corrente mez, que autorisou o emprestimo de
cem mil contos. Se uo ha lei que o autorse,
nao passa elle de un acto de pura dictadura fi-
nan; eir, contra o qual urge congregar todas as
resistencias do patriotismo nacional.
A exposico de motivos que precede o decre-
to allude vagamente as autorisages dadas ao
gobern em diversos artigos da le do orgamen-
to para fazer operages de crdito.
Os arts. invocados sao :
Os arts. 2.- ns. 14, 18 e 3o da le n. 3,396 de
24 de Novetnbro de 1888, que autorisam opera-
ges de ciedito:
Io (art. 2o n. 14) para pagar aos herdeiros de
Maria Maxwell Rudge a quantia de 206.0005000
por indemnisago da quarta parte do trapiche
Maxwell.
2* (art. 18) para augmentar o material fluc-
tuante da armada al a quantia de 1,100:0003,
pela qual foi aberta ao Ministerio da Marinha
um crdito especial.
3* (art. 3?) para satisfazer, na deficiencia da
receda, as despezas autorisadas era crditos es-
peciaes a diversos ministerios por varias resolu-
ge3 legislativas do corrente anno
O art. H da lei n. 3,397 daquella mesma data
que autorisou o governo a fazer operages de
crdito para occorrer as despezas al o ntaximo
de 19,939:0005000 por conta dos crditos espe-
ciaes especificados na tabella C annexa mes-
ma lei.
0 art. 14, que manda vigorar a autorisagito
para o re3gate das estradas de ferro do Becife e
da Baha a S. Francisco, j comedida anterior-
mente.
Qual das iuvocadas disposiges Bode autorisar
o emprestimo langado na praga ? Certamente
nenbutna deltas, j porque nao se realisara as
condigOes a que o legislador subordiuou a auto-
risagao, como sejara a deficiencia de receita, a
insulliciencia do recurso de 16,000000500o como
antecipago da receita no exercicio da lei, e a
especialidade dos crditos ou servigos, j por-
que a propria exposigo que raolivou o decreto
expedido excluea supposigo de ser o producto
do emprestimo applicddo aos lins para que a lei
do orgamento vigente autorisou operages de
crdito.
Com effeito, a exposigo d romo fund ment
positivo ao emprestimo a necessidade de occor-
rer aos soccorros s provincias do norte l igel-
ladas pela secca, e aos auxilios a nossa princi-
pal industria; e como fundamento de phantasia,
respeilo do qual se espraia, o desenvolvimenlo
da corrente da iramigrago. o sapeamento da
capital do Imperio e o resgate do papel moeda.
era licito ao governo contratar empres-
timo para occorrer s despezas previstas na le
do orgamento, seno nos 'termos restrictos em
que esta operraittio.
Pois bem f seno aproveitara os te xtos legaes
invocados, o erapreslimo langado nao p:.
urna audaciosa tentativa de, dictadura linanceira,
a que todos os bons cidados devera oppr aj
mais formal c enrgica resistencia. Este o"
dever de que nos deserapenhamos em nome dos
principios conservadores que representamos na
impreusa.
Se o empreslimo carece de legaliJad, os t-
tulos emitlidos por virtude delle nao podem dei-
xar de ca se lilulos falsos introduzidos
na circulagao dos valores.
1 u le, portante, o Ministerio e a iraprensa que o
apoia no audacioso conimetimenlo vangloriar-se
quanto lhes aprouver do successo fallacioso com
que a prar; acolliou o emprest;mo; o resultado
alias o I atteodeBdo-se a que. em
geral em urna concurrencia eujque possivel o
rateio dos ttulos pretendidos cada um pede o
triplo ou o quadruplo do que realmente de
no caso actual isso tanto mais fo.-goso quando
certo que a concurrencia se conservar aberta
at 10 de Setembro i' assim podero os pedidos
se ir avoluraando indetnidam.'nle, prevaleJendo
afinal os das maiores offertas que bem podem
seren numero limitado.
No fundo das con?ciencias restar sempre a
conviega do ciime commettido pelo governo c
facilitado por complicidades mteressadas.
Singular raethodo de deserapenhar o program-
la de sustentar a monarchia Atraigoar o mo-
nrcha aleo ponto de induzil-o ob e sub repti-
ciaraente a sanecionar um decreto pelo qual se
mtroduiem na circulagSo ttulos falsos.
REVISTA DIARIA
.Vt'i So governo dA provinciaPor
actos-de saxta-l'-ira ultima :
Foi n ornead a professora publica effectiva da
cadeiira 1 en-ino primario de ..lagoinlia Esther
Cresa Mima e trans rido da de Bella-Vista
para a~de Carrancudo de Bodo., ambas em Gra-
nito, c professor Antonio Luiz Peixoto de Barros,
sem prejuizo de seus vencimenlos.
Foi prvido o majar Joao Si veira Carneiro da
unha na serventa vitalicia dos oflicios de ofli-
cial do registro geral das bypolhecas e tnbellio
de notas da comarco do Recife e exonerado An-
tonio Fernandes Peixoto Rosal do cargo de es-
crivo da collectoria provincial do municipio de
Sanios.
ERotasda cidaJe Tudo induz a crer
que os fortes calores do vero j comegaram, e
que essa estago no corrente auno ser crude-
litauoa.
Nao pois. fra de proposito chamar a at-
tengo do poder publico para algumas medidas
de liygienne que se impem sempre, mas prin-
cipalmente Da estadio quente, em que todas as
causas de insalobridade sobem de ponto, e eri-
gen por isso me.s.no pronijdas e enrgicas me-
didas que as minorem se nao for possivel dcs-
truil as completamente.
Entre aquellas medidas sobresae a limpeza e
saueameuto dos esgotos da cidade, um dos maio-
res focos de infeceo que tem o Recife, e qniga
o que mais contribue para a formago da pessi-
ma constiiuigio medica que no vero ufflige a
populago.
Se desde agora, em que, estamos no inicio da
c.-tugo quente, quem passa pela visinhanga de
urna das boceas de esgoto sent um mo rlieiro
que as|ihixia, imagiae-se o que ser em pleno
rigor do vero, quando Urdes os residuos de-
positados uos canos de esgoto entraren] era fer-
mentago ptrida !
As boceas de taes esgotos vomita rao a peste
e a mortc, e uio iiaver desinfectante que sirva
para destruir os elementos mrbidos alli aecu-
mulados.
Cumpre, portante, que. sem perla de tempo,
sejam acaule!lados os inlcresses da hygiene pu-
blica limpanao-sc os esgotos da cidade. Para
isso o Sr. Dr. Inspector da bygine deve enten-
derse com o Sr. dire.'tor das Obras Publicas,
por cuja reparticao corre esse servigo, e tratar
seriamente do assumpto.
Para outros pontos que interessara a hygiene
ebamaumios oppurtunametite a altenco dos
cuape lentes,
C'iuivi, tie :ibrea -I.emos io Jornal de
Noticias da liubia:
Al" 30 de Agosto, o ministerio 7 de Junho,
segundo estatistica feita pelo Uituio de Noticias,
da corte, tirilla conced lo 17 ttulos de consclho,
9 viscondados. sendo 4 com grandeza, 53 baro-
nalos o 99 condeeorages, sendo 2 grs-eruzes,
3 dignalaiias, 57 couimendas, 14 ofiicialalos a
23 hbitos.
A essa lista deve-se accresccntar mais : um
titulo de conselho, 2 barouatos, 2 dignatarios,
3commendas, 11 oflicialalos e 3 hbitos, conce-
didos depois de feito aquelle apanalado.
DepututioN sjeraaeaA citata folha diz
que esto eleilos deputados geraes :
jtaaaToafli 2o districtoDr. Jos Lustosa da
Cunha Paranaguft (L).
Pora 3o districtoDr. Manoel de Moraes Bit-
lencourt (L).
Cear5 districto -Dr. Joaquim Fehcio de
Almeida Castro (\.) ; 6 districtoDr. Jos Ay-
res do Xascimcnio (Li; 7" districto-engenheiro
Francisco de S (I.).
Itnzde fliiaesAgradeceincs as que nos
roan efisreeidas por parte do Dr. Jos Qoiigal-
ves Pinto na acgo ordinaria eommercial em qne
o mesuro doutor accionado B os accionantes os
Srs. Hyppolito Velloso Pederneiras, Candido
Guffre e ontros.
Oiulleta isioHcsi- Foi exposta em S.
Paulo a medalha de ouro, que por parte da colo-
nia italiana daquella cidade offerecida em mimo
aquella joven violinista, cojo talento e maestra
tem feito a admirago dos apreciadores do sul,
onde se tem ella exhibido.
A medalha tem um vioiino gravado, e engas-
tados ao centro e na circumferencia vem-se um
brilhante, um rub e urna esmeralda, em repre-
sentago das cores da bandeira italiana.
Um jornal-de S. Paulo diz a respeilo o seguinte
em edicto de 30 do passado :
Vimos hontcm nina magnifica medalha que
a colonia ilaliaaa desta capital vai oilereCer
primorosa violinista, era a noite de boje.
N'utna das faces traz gravado um vioiino, no
centro um ludio brilhante, e na circumferencia,
em pontos diametraimenle oppostos, urna esme-
ralda c um rubi, representando astres gemmas
as cores da bandeira italiana. Xo reverso da
medalha lia a seguinte inscripgo :
A' Giulieta Diones.-Suoi amiratori-fiala
colonia italiana.29-8-89San Paolo-Bra-
zile. .
Representa a medalha um trabalho artstico
de subido mrito que muito honra a ounvesaria
dos Srs. Bernardino e Juvenal brate, onde foi
execulado.
Fullccinienio-Depois de 11 dias de sot-
frimentos, fallecen no domingo ultimo a 1 hora
da tarde o esliraavel mogo, alumno do 4 anno
da Faruldade de Direito, Jeronymo Emiliano de
Miranda Castro Jnior.
A seu desolado pai, Sr. major Jeronymo Emi-
liano de Miranda Castro, os nossos sentimentos.
OutroIloulem pelas 11 d'amanha iinou-se
o despachante de nessa Alfandega, e vereador
que foi da Cmara Municipal, Antonio da Silva
Maves, cujo corpo depositado na matriz da Boa-
Vista, dahi saldr boje pelas 8 Horas para o ce-
milerio publico, havendo para isso carros ra
do Imperador.
O finado era pessoa estimavel por suas quali-
dades, o militava no partido liberal.
A' sua familia as nossas condolencias.
Club Cario* eoineCom bastante con-
currencia elTectuou-se no sabbado noi'.e o con-
cert vocal e instrumental com que o Club Carlos
(io:ic3 solemnisou o 10." annivernariode sua
fundago.
O programm annunciado foi execulado com
(idelidade, sahindo-se regularmente todos quau-
tos no concert tomaram parte.
As honras da noite, porm, couberam ao Sr.
Commolelti, e s Exmas. Sras. Ds. Hedwig Ste,-
zle c Paula Doderlein. A' esta ultima, que, n^rra
piano menos proprio para concert um daquelles,
levejdc executar^a.difiicilliraaiBn//(i(fe de Chopin,
nao^se pode negar muito estdo e muita arte.
Os applausos foram calorosos
A bellissima festa, que to gratas recordages
deixou, principiando s 9 horas da noite, tina-
lisou meia noite.
Prolongiimento da entrada, de fer-
ro do Becife ao >*. Francisco e entra-
da de ferro do Recife a Caruar
Por portaria de hontem foi oomeado amanuense
da secretaria, o Sr. Manoel Severiano das Mercs.
CardiRiaE' um medicamento do Sr. Adol-
pho de Vasconcellos, estabelecido na corte ra
aa Quitanda n. 23 para cura radical das moles-
tias nervosas.
Ao frasquinbo em que se contm o remedio,
acompanha um prospecto com i indicarjes
para a dosagem e dieta do medicamento e con
attes'ados de rauitas pessoas que acharara allivio
com o uso da Cardigia.
As [molestias nervosas sao tantos e tao crus
nue, se realmente como jlgamos, o Sr. Vascon-
cellos descobrio para elles um remedio efficaz^
presta um servico relevante humanidade.
Corveta ehfienaO Intitulo Histrico do
Rio de Janeiro.resolveu celebrar urna sess&O so-
lemne em hoinenagem oflicialidade da corveta
chiiena que d ir aquelle porto breve-
!tuar-s i-ha no Pago da
le, cujas salas Sua Migeslade determinon
que licassem disposigo do Instituto, para quo
a festa aos chilenos tenha todo o bnlhantismo.
Codiso cifit-Na ultima sesso da eom-
.o encarregada d'esse trabalho, o Sr. con-
selli'iro Olegario expoz o plano que pretende
seguir uo desenvolvimento das materias concer-
nentes ao Direito da >'m con-
siderago as propostas de algumis m nlilicages.



1
_+.--


Diario de PernambucoTerga^feira 10 de Setembro de 1889
i^

V
.1,
1

I
que apresentaram os seus collegas ; plano que
ro approvodo cora alguraas aUeraces ein que
concordou o seu autor.
Esl im assentadas as bases gcraes do
projecto c dividido o trahalho para ser redigido
em forma de artigo* loda a materia indicada
como objeeto do cdigo, raaoifestou o Sr. mi
nisiro da justiga palisrago pelo accordo a que
chegaram os niembro3 da coramisso sobre o
systema do projecto, methodo do trabalho e dou-
trinas mais importautcs, como a da capacidade
civil scm distinecao de nacionalidade, a nao ser
a resultante do estado pessoal, a da ampliara j
dos direitos da esposa e oai, a do casamento
civil e a ia liberdadc de testar ; c raais urna re
signib'cou a conftawpa no ptariolismo e esforz
de cada um d'elles, certo de que poriam todo o
cmpenho em apresenlar o mais breve possivel
as seecO's da obra, de que estavam incumbidos.
A relcelo do projecto ficou assim distri
buida:
Ao Sr. Bario do Sobral, a do Titulo Preliminar
e da Parte Geral;
Ao Sr. consellieiro Olegario, a do Direito das
cousas;
Ao Sr. consellietro Silva Osla, a do Direito
das obrigages;
Ao Sr. conselheiro Coelho Rodrigues, a do Di-
reito de familia ;
Ao Sr. conselheiro Alfonso Peona, substituto
durante o seu irapedimente pelo Sr. ministro da
justiea, a do Direito das suecesses.
i*.0 districto -Esta conhecido o seguinte
resultado da eleicao para deputado gerat no 12."
districto :
Taquaretinga
Conselheiro Goncalves Ferreira
Dr. Prxedes Pitanga
Ingazeira
Dr. Prxedes Pitanza
S. Josido Kgypto
Dr. Prxedes Pitanga
Afogados de Ingazeira
Dr. Prxedes Pitanga
Tiiumpho
Dr. Prxedes l'itanga
Flores
Dr Prxedes Pitanga
Conselheiro Goncalves Ferreira
Alaga de Bairo
Dr. Prxedes Pitanga
Carnahyba
Dr. Prxedes Pitanga
Pesqueira, Alagoinha, Ponto e Cimbres
Dr. Prxedes Pitanga
Conselheiro Goncalves Ferreira
Resultado final:
Dr. Prxedes G. de Souza Pitanga (L)
Conselheiro Antonio Goncalves Ferreira (C)
104
35
26
28
28
71
20
9
30
17
151
7*
406
187
Sendo a niaioria absoluta de 297, est eleito
o 1".
Morfofrontera pela manh foi encontrado
morto na casa em que resida no districto do
Peres. Theotonio Morcr.
O cadver foi conduzido para o cemiterio pu-
blico de Santo Amaro, onde .corapareceu depois
o Sr. Dr. delegado do 2" districto da capital,
afim de proceder a vistura.
Mervico militar E! boje superior do dia
o Sr. major Alves; ronda menor um olficial de
cavallana.
2' batalhao guarnece Palacio, Alfandega.
Deten<,u e Thesoururia de Fazenda, com 1 olli-
cial; e 14" Brum, Eufermaria e Thesouro Pro-
vincial.
Existem em trataniento21 pracas. na enfer-
maba militar.
Ao 2o. 14, delegacia, cavallaria, Brum e
forte do Buraco, enviou-se as ordena do dia da
repartigo do ajudaule general os ns. 2271 ;
2274 de 25 de Julho e 6 de Acost lindo.
Fora n entregues ao 2" batalhao as guias
s leeorrimento ao soldado Jos de Andrade
Beraliea eao 14 a do soldado Targino Jos Pe-
reira.
Foi [lomeado almoxarife do Buraco o 2o
sirgento do 2o batalhao Manoel da Molla Cabral.
Tai ser substituido no destacamento de
uricury por um inferior o 2o cadete 2o sargen-
to Antonio Odorico Henriques.
Foi concedido ao soldado do 2 batalhao 60
dias para usar dos distinctivos de 2* cadele,
Emilio de Carvalho Montenegro o por 30 ao sol-
dado de cavallaria Pedro Domiogue3 Correia
Leonel.
Foi devolvida ao 2" batalhao a certidao de
assentamentos rubricada por S. Exc. do ex cor-
ncteiro Antonio Baptista de Oliveira.
Foi transferido para o 2i batalhao de iu-
fantaria o cabo de escuadra do 14" Jos Fran-
cisco de Souza Magalhies.
' Sfeeple Raso Club-No sabbado ultimo
t.Tectuou se a corrida desse Club no Prado Per-
nombucano, sendo bem concorrida e animada a
estrea.
Todos os 4 pareos realisarara-sc, sendo vence-
dores Tic Tac e Hungiste no 1", Hirondelle e
Ka ''do no 2 ; Colobr e Forgct me Not no 3; e
Hirondelle e Nubio no 4.
Foi urna feliz iniciacao dos trabalhqs do Club,
e devem os seos organisadores eonstitair-se em
um corpo propriaraente social, com orientacao
definida e que posea attiogir aum futuro de in-
leresse para a mesma corporacio, raais directo e
seguro, que esse que de momento resulte sin-
gularmente a este ou aquelle membro.
it< \isia iiiu-irn 561 dessa publicaco, palpitante de interesse e
chiste, como sempre. Procurcm vel a.
Agradecidos.
Club lirnmniiro ApolloAnte-hontem
realisou-se n'este theatrinbo, que funeciona no
Caes de Capibaribe, o espectculo mensal que
esta sociedade costuma dar aos seus associados.
Levando os artistas em represeotaco o drama
em tres actos denominado Os ambiciosos, e a
comedia Ollilo, tocador de realejo, deseropenha
ram satisfacloriamente os seus papis, de modo
a sereiu appiaudidos pelos espectadores.
A orchestra que foi bem dirigida, locou lindas
pecas de seu repertorio; e a concurrencia dos
espectadores foi a do costume.
Agradccemos-lhes o convite que nos dirigi.
Directora da* obra* de eontena
<-o do Porto de Pernin*bueoReci-
f; 7 de Setembro de 1889.
Boletim meteorolgico
matriz, pela alma de Francisco Camiilo de Assis ;
as 8 horas, na ma'nz de Santo Antonio, pela
alma de Adolpho A.ves Guimaraes; s 7 lt2 na
matriz do Corpo Santo, pela alma de Manoel Mi-
randa Sampaio.
Amanhi :
A's 7 l|t horas, .ia matriz de Afogados, pela
aluia de Antonio Teixeira ; s 8 horas, na ma-
triz da Boa-Vista, pda alma de Olympia de Je-
ss Goncalves; s 8 horas, na malriz de Santo
Antonio, pela almi iu Adolpho Alves Guima-
re.-'.
Paswageiro Sabidos para os portos do
Sul no vapor nacional S. Francisco :
D. lzabel de Oliveira e Silva, Albino Monteiro
do Val.D. Jacintha Vieira de Castro, D. Emilia
Vieira de Castro, Jos Antonio T. Bastos.
Passageiros chegados do Sul no vapor
ioglcz Oraba :
Fauk l/issenheim, Luiz Blankenogel, Joao
ArthurMartina Palacio, Heariquc de Freitas e
Pedro Castro Ribeiro.
Sabidos para a Europa no mesmo vapor :
Jos Joao da Veiga Seixas, A. Selman, S. L.
Jofcnstoo, F. B. Bloxaan e F. A. Tupper.
Chegados da Europa no vaporfrancez Yille
de Rosario :
M. Doletto e sua senhora,
Sabidos para o Sul no mesmo vapor :
Delboeuf, Tacomet, Francisco Alves de Oli-
veira, Maria L.- de Sanl'Anna, rsula Maria do
Monte, Manoelllernardino de Oliveira, Laurenco
Vicen'.e da Canceicao e Virginio Brederodes de
P. de Mello.
perare clrurglca-Foram pratica-
das no hospital Pedro II, no dia 9 do crtente,
as Beguintes:
Pelo Dr. Malaquias:
Talha vesico-vaginal, extraeco de um calculo
pozando 16o grammas.
Pelo Dr. Berardo:
3 tarsorrhaphias com reJalho ovalar e trans-
plantaeo dos bordos, indicadas por trychiasis,
Cana de Detencao.Movimento dos pre-
sos da Casa de Detencao do dia 8 de Setembro
de 1889.
Existiara 41o ; entraran) 14; sahiram 4; exin-
tem 467.
A saber :
Nacionaes 399 ; mulberes 38 ; estrangeiros 29.
mulher 1 -Total 467.
Arracoados 409.
Bons 379.
Doentes 27.
Loucos 3.Total 409.
Movimeoto da enfermara
Te ve bal xa :
Jos Antonio de Souza.
Tiveram alta :
Jos l'ereira da Silva.
Jos Ignacio Pereira.
Juvenclo Bispo Machado.
Joaquiui Barbosa de Moraes.
lose Mansinho do Niscimento.
Jos Nogueira da Silva.
Luiz de Franca Cristovo.
Maria Emilia da Silva Braga.
Manoel Francisco de Souza.
lierculano Pereira Dias.
Foram hontein visitados os presos deste esta
belecimento por 197 pessoas, sendo 93 borneas
e 102 mulberes.
Hospital Pedro II O movimcnio deste
estabelecimento de eandade, no dia 6 de Setem-
bro foi o seguinte :
18
18
O
578
as respectivas enfermarlas
matura, a nrcessidade em que se tera achado o
Estado, de comuater a Igreja, e o movimento da
revolu(o, que tem sido arrastada a destruir
tantas cousas, causaram um grande enfraqueci-
mento do principio de autordade.
A disciplina nestas condices vacilla cada
vez mais. O rcupeito aos velboa, posigto, e
mesmo aos Jacos e dependencia d'-1 sangue,
ura sentimelito sobre que repousa a convivencia
social muito mais que sobro as leis ; e se ella
fortalece, abre caminho a urna rusticidade pre-
sumpeosa, a um insoffrimenlo de freio e a um
orgullio, que boje pdetrazer desprazer, c ama-
nhi tornar se una ameaga. E assim a ordem
da sociedade tal que todas as portas Hcam.es-
cancaradus igualmente a todos ; um porteiro nio
coinprehende o porque nao oceupa o lugar do
ebere ; oeste que nao no entretanto, o porteiro,
er sinceramente ser victima de urna injustiga.
Deste modo pouco mais ou menos pensam e
sentem, o operario para com o caixeiro, o ser-
vente para com o director, o criado para com o
patrao, o estudante para com o mestre ; era
poucas palavras todas 03 dependentes, por mais
que a razo da sua dependencia seja lgica ou
natural.
Em toda esta gente ha urna especie de revo-
lugeem estabiltide, que nOo levantou at ago-
ra as barricadas,mas que a primeira condico
para preparal-as. Um diz que aquelles que
governam sao todos birbantes, que chupara o
sangos do pobre ; um outro que tem governado
bastante, e boje chegou tambem a sua vez ; um
terceiro annuacia em tora propheco, a bal-
burdia social, accrcscentando que tempo de
a-_
Hora; ~ Barmetro a 0 Tensao do vapor -3 a 9 a
6ra. 34-9 761*87 19.19 81
9 Z7-6 763"52 18 93 66
12 28"-0 763-96 19.71 70
37t. 27--7 26'-6 762-65 18.92 68
6 762-88 18.73 73
Temperatura mxima?8',oO.
Dita mnima -24,00.
Evanoragao em 24 horas-ao sol: 8'.8; som-
bra: 2-9.
Chuva 3,"o.
Direcco do vento : S de meia noitc I hora
e 40 minutos da manh ; SE variavel > ntr& SSE
e ESE at meia noite.
Velocidade media do vento : 3-,63 por se
gurdo.
Nebulosidade media: 0.54.
Boletim do porto
2 8
9
B. M.
P. M.
B. M.
P. M.
Dias
7 de Setembro


8 de Setembro
Horas
9-03 da manhi
3 -26 d> tarde
920
338 da manh
Utur;
0-30
2-,45
O-.40
2-;62
Ceifie -EtTectuar-se ho os seguales :
Hoie
i elo agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jess n. 43, de predios, dous cavados de corrida
e dous de sella.
Pelo agente Gusmo, as 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. o de fazenrtas diversas.
Pelo agenleMarlins, s 11 ho.-as. ra da Ro-
da n. 21. de movis. m
Amanh: _
Pelo agente Slepple, as 11 boras ra do
Imperador 0.-36, de predios, e s 11|2 na mes-
ma ra de urna casa terrea.
laan fnebreSero celebradas :
CJA'sS horas, na matriz da Boa-Vista, pela sima
de D. Olympia de Jess Goncalves ; s 8 horas,
na mesma matriz, pela alma do major Joaquim
-Raphael de Mello ; as 8 horas, aiuda ua mesma
Entraram
Sahiram
Friieceram
Existan
Foram visitad as
pelos Drs.:
Hoscoso s 8 1[4, Cy.-meiro s 9, Barros Son-
nbo s 7, Berardo as II 1|4, Malaquias s 8 3|4,
Pontual s 9 lt2, Estevfio Cavalcanle s 9, Si-
mpes Barbosa as 11 iioras.
O cirurgio dentista Suma Pompilio s 8 3|4
horas.
O pbarmaceutico entrou s 8 1|4 da manh e
sabio s 2 da Urde.
0 ajudante do pnarmaceutico entrou s 7 i|2
da manh e sabio as 2 1^2 horas da tarde.
Lotera do Grao Para Eis os premios
da 2.' serie da 31." lotera do Gro-Par, ex-
trahida em 9 de Setembro de 1889-:
131 X0:OOOAOOO
4231 30:000*000
70S6 10.000*000
"Kjiy 4:000*000.
8460 4:000*000
Esto premiados com 2:000*000 os seguintes
numero^. jg_ ^^ ^^ ^^ g|)iG
Esto premiados com 1:000*000 os seguintes
nmeros : .
83 1229 3830 5950 7157 8671
817 3703 5393 7119 8464 9766
APPROSJMACOES
490 2:000*000
45i 2:000*000
4230 1:200*000
4232 1:200*000
708:j 600*000
7087 600*000
Esto premiados com 600*000 os seguintes
nmeros:
422 423 424 423 426 427
428 429 430
Esto premiados com 4005000 os seguintes
nmeros: _
4232 4233 4234 4233 4236 4237
4238 4239 4240
Esto premiados cora 2 0*000 os seguintes
nmeros : .'
7081 7082 7083 7084 7085 7087
7083 7089 7090
Todos os nmeros terminados era 21 esto pre-
miados com 200*000, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 31 esto pre-
miados com 200*OJO, excepto o da sorte unme-
diata.
Todos os nmeros terminados em 1 estao
premiados com 100*000, excepto os terminados
em21.
Todos os nmeros terminados em 2 estao
premiados com lUfcOOO, excepto os terminados
em 31. .
A seguinte lotera corre no dia 16 de Setembro
com o piano de 230:000*000.
Lotera do ram-ParA 3 parte d
31" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
230:000*000, ser extrabida no dia 16 do Setem-
bro.
Grande lotera do Maranho -A6
serie da 1* lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:000*000 serextrahida no dia 13
de Setembro.
Cemiterio Publico-Obituario do dia 7
de Setembro:
JoSo Victor da Cruz, Pernambuco, 94 annos,
casado, frica : hepatite.
Luiza Francisca Fernandos, Parahyba, 40 an-
uos, viuva, S. Jos : tuberculosa
Jos Cordeiro, Portugal, 39 aunos, solleiro, Boa-
Vista; beriberi.
Joaquim Rodrigues de Albuqucrquc, Pernam-
buco, 33 annos, solteiro, OlioJa ; beriberi.
Pedro Joao dos Santos, Pernambuco, 29 an-
nos, cosado, S. Jos ; tuberculose.
Augusto, Pernambuco, 1 mez, Boa-\ista ; con-
vulsOi'S.
Flix Correia de Lima, Pernambuco, 48 annos,
casado, Boa-Vista ; hemorrliaga cerebral.
Maria Rosa de Menezes, Pernambuco 3t an-
nos, casada, cachexia.
Irineu, Pernambuco, 2 meses, S. Jos : atrep-
9a" 8 -
Virgilio, Pernambuco, 6 annos, Graga ; per-
sistencia do buraco.
Manoel, Pernambuco, 10 mezes, Recife:
eclampsia infantil.
Justino C. de Barros, Pernambuco, 42 annos,
solteiro. Boa-Vista ; carie do fmur.
Francisca Mana da ConCeigo, Pernambuco,
75 annos, solteira, Boa-Vista ; cachexia senil.
Wenceslao Nunes, Pernambuco, 60 annos,
solteiro, Boa-Vista; anasarca.
Maria, Pernambuco, horas, S. Jos ; fraqueza
congenio.
Aitaro de Aquino Fonseca, Pernambuco, \
annos, solteiro, Afogados^ tubrculos.
acabala, e que sempre assim nao pode con-
tinuar.
Toda esta vertigemexclarai o de Zerbi
esta deslocago, esta taita de ordem, dejerarchia
de disciplina sao occaslocs de grande fraqueza.
Voltcmos a nos, e olhando a concordia pas-
sada, a presente furia de mudanga, a desordem
moral c intellectual que infelizmente quer agi-
tarse, procuremos os remedios adaptados ; por-
que o perigo ora latente, se nao lor conjurado
em tempo,.nos precipitar ao abysmo.
Hoje o modo de conjurar os graves perigos que
nos querem levar de vencida, o ra is eflicaz re-
medio que pode conferir o bem estare a estabi-
lidade da ordem social, aquelle positivamente
a que nos propomos : a orgunisago da cultura
moral e intellectual da nago, baseada as ne
eessidades da moderna civillsago, e segundo o
conoeilo racional da mutua effieacia entre o tra
balbo do espirito c do corpo.
E' necessario priraeiramente que se ponha um
freioaessa furia insensata de sentimentalismo
poltico que, por deferencia corteza a urna
malentendida idea de progresso,quer collocar
escolas em todo lugar e multiplical as at ao
infinito. Mais que nunca, hoje sabe-se, por pro-
pria confissSo dos mais enthusiastas propugna-
dores da instruego elementar, que o numero
das escolas as cidades e nos campos tem exce-
dido as necessidades da populago, a qual po-
r o, apezjr da diffuso doensino edos milhes
dispendidos a tal titulo, se conserva ainda ago-
ra no estado de ignorancia em que estava, ha
vinte anuos, quan lo o ir escola era exclusivo
privilegio dos ricos.
Isto prova admiravelraentc que a escola popu
lar como boje est constituida na Italia, care-
cedora de ulidadc pratica, e nao corresponde
inteiramentc s necessidades d'aquelles para
os quaes foi creada, e que esto ainna bem dis-
tantes de frequental a com viva assiduidade.
E natural, porque em um paiz, onde os tres
quarlos dos habitantes sao conslrangidos a per-
manecer continuamente oceupados, para tirarem
do trabalho o lucro que estrictamente neces-
sario ao seu sustento jornaleiro, nao se pode
pensar na escola e na instruego.
A instruego escreve Scottino actual ca-
hos econmico, nos tem conduzido a um re-
soltado quasi negativo. Cada um prega : esco
Irs, escolas, escolas! est bem. Mus quando se
chega a alcancar instruego bastante a causar
aborrecimento prolsso ou ao mister d'onde
se sahio, a que cousa nos atemos ento ?
A' um horisonle immenso Ilimitado de de
sillusOes.
Na verdade estaraos n'uma poca em que nem
govemo nem communas. nem administrages
punlicasnem privadas podera fornecer tantos
expregados quanto a necissidade e a vertigem
de pedil-o*.
E todos tea'am fazer carreira, e todos emi-
gram immigrago na... livre Americada
condigo social em que nasceram, para colloca-
rem-se n"um estrado mais alio.
As universidades do reino vomitara todos os
annos alguns milliarsi de mdicos, de engen-
heiros, de professores e de advogados especial-
mente
Os institutos leclinicos multiplicara, com um
crescendo veruadeiramente Rassiniano, os cal-
culistas e os peritos.
As escolas normae3 cunham mestres com a
mesma fecundidade com que o faz urna das nos-
sas casas de moeda depois da aboligo do curso
fdtgado, e por ultimo as escolas magistraes, as
mestras nascem aos bandos como os bacalbos
no Labrador. .
E ainda se grita por toda parte : estuda! es-
tudai I
Mas como dar lugar a tanta gente?
Ser inevitavelmenle -antes do devido lempo
urna inundago e veremos como efectivamente
comegaraos a ver boje advogados e eogenheiros
escolherem o carainho dos empregos, fazendo
urna terrivel concorrcncia ao3 mesmos trotis.
Dahi urna verdadeira mudanga geral, urna im-
portuna exigencia, um apressar se, um precipi
lar se a quem primeiro agarre urna posigo, um
desconforto triste, profundo, em quem Bear com
as maos vazias.
Quer se queira, quer nao, ho de conceder-nos
que com a instruego nio devoraos entregar-nos
exclusivamente ao campo das abstraegoes, mas
cumpre-nos igualmente procurar por outras ve-
redas ebegar a um melhoramento econmico; e
este noventa e nove venes sobre cem, se resol-
ve, nem mais nem menos, n'uma verdadeira bo-
Iha de sabo-persuadindo a muitos danecessi-
dede tomar o caminho dos campos, dedicndo-
se agricultura e tambem ao commcrcio.
SPORT
Prado Pernambucaao
Com urna concurrencia pequea, realizou an-
te-hontem este prado a sua 3.' corrida.
Houve pouca animago no jogo das poules,
cujo movimento eievou-se apenas a 23:390*000.
Eis o resultado das corridas :

1. pareo -Inicio800 metros.Animaos da
proviucla que nao haviam ganho premio nos
pra !os do Recife-Premios 200*, 40* e 20*.
Depois de muitas saludas falsas, o digno starter
ar.-eou a bandeira, lomando Bon-iour a ponta,
que sustentou al ao vencedor, gannando a cor-
rida era 61".
Lord Byron foi bom 2." e Petit-Maitre 3.".
Nao correram Sans-souci e Sympathico.
Poule de Bon jour, montado por Pedro Alexan-
drino, em i., 29*800 ; em 2., 13*700.
Poule de Lord Byron em 2,", 213700.
Movimento geral, 3:340*000.

2." pareo Internacional1.400 metrosAni-
maes estrangeiros que nao haviam ganho em
m
UM POUCO DE TUDO
O conhecido economista Sabelli. fallando da
m organisago dotnsino publico cora elemen-
tos descurados e inadaptaveis, em um bnlhante
artigo publicado na Noca Antologa, se exprime
uestes termos:
Apesar de nada l*r acontecido at hoje na
Italia, innegavel que a liberdade em parte pre-
1889 era malor distanciaPremios: 230*, 50*
e 25*000.
Dado o signal, em boas condigoes, Josephus
toma a ponta, conservando se ne3sa posigo al
a distancia de 1 000 metros, quando Africana,
dirigida por Aiexandre, passa para a frente e
ganhn a corrida em 100".
O 2.' lugar foi conquistado por Stephanie e o
3." por Josephus.
Cynira bnlbou ni bogagem.
Poule de Africana em Io, 9*200; em 2.,
0700.
Poule de Stephanie em 2., 6J200.
Movimento geral, 4:645*000.
*
3. pareo Imprenta Pernambucana -1.300 me-
trosAniraaes da provincia que nao haviam ga
nho era maior distaaciaPremios : 250*, 50* e
25*000.
Templar, dirigido por Martins Ferreira. sahio
na vanguarda e da mesma forma chegou ao ven-
ce'or, gauhando a corrida em 121".
Florete foi bom 2. e Transclave 3..
Poule de Templar em 1.", 6*100; em 2.,
5*100.
Poule de Florete em 2.", 5*300.
Movimento geral, 2:520*00).

4. pareo Ferro Corr/1.400 metros-Ani-
maes nacionaes at meio sangue.Premios:
300*, 60* e 305000.
Ahnhados os animaes c depois das cotUradan-
cas do costume, foi dado o signal definitivo, pu-
lando Ruy Blas na ponta. Prximo ao vencedor.
os az'instas tiveram o prazer de ver egua Rio
sette, bem corrida de alcance por Pedrajde Souza,
adiantar-se e ganhar a corrida em 120".
Minerva, que segua deperto a Risette, conse-
guio collocar se em 2o lugar, obleodo Ruy-Blas
o 3.
Nao correram Mimosa e Mandarim.
Poule de Risette em Io, 66*000: em 2", 20*0u0.
foule de Minerva em 2". 53*000.
Movimento geral. 5.790*000.
o PareoPrado Pe.nambucano1.700 metros
Animaes de qualquer paiz Premios : 300*,
100* e 504000.
Ao grito do starter, dignou-se Apollo puxar a
corrida, conservndose nessa posigo at a dis-
tancia de 1.000 raettos, quando, por delicadeza
deixouVesper passar para afrente e ganhar a
corrida em 121"
Apollo foi 2- e Derby 3o.
Diana chegou na bogagem. Logo ter sea dia.
Poule de Vcsperem 1", 17*000: era V, 6*100.
Poule de Apollo em 2", 5*900.
Movimento geral, 2.5154000.

6o PareoVelocidade1.000 metros -Animaes
da provincia-Premios, 200*, 40* e 20*000.
Ganhou a corrida em 7o" Templar, montado
por Martins Ferreira. O valente animal sahio na
vanguarda e nessa pesigo se conservou at o
poste do vencedor
Aruinary foi 2" e Village 3.
Poule de Templar em i*, 9*400; em 2o, 5*000.
Poule de Arumarv em 2o, 5*103.
Movimento geral, 4.560*000.
*
0 7 pareo nao se realisou.
Nteeple Rose Club
Conforme eslava anuuociado realisou-se no
sabbado ultimo, ao Prado Pernambucano. a cor-
rida de iriauguragSo do Steeple Rose Club.
Houve boa concurrencia.
Eis o resultado:

1 Pareo Chegou em Io lugar Tictac ; em 2"
Heugiste. \.
Poule de Tic-tac em Io. 3*100; em 2o, 2*000.
Poule de Hengiste em 2o, 4*700.

2 PareoHironielle consegnio ser Io, caben-
do a Nubio o 2o lugar.
Poule de Hirondelle em Io, 2*700; em 2o-----
2*400.
Poule de Nubio em 2, 2*300.
* t
3 ParcoVencen Colibr, chegando Forget-
me-not em 2o.
Paule de Colibr em 1, 11*400; em 2, 2*o00.
Poule de Forget me-not em 2% 2*000.
#
4o PareoHirondelle chegou ainda em 1" lu-
gar, sendo Nubio o 2o.
Poule de Hirondelle em Io, 3*400 ; erar,...
2*000.
Pouc de Nubio em 2, 2*700.

Dizem que no terceiro pareo foi iniciado o rri
bofe o maldito tribofe que pouco a pouco vai ma-
tando o nosso turf.
E' natural que isso se d as corridas a p :
se cora os nacionaes fcil o tribofe, com os
tacionaes facilirao.
Urna dona de casa criada :
Oh.Joanna! Compraste to caro estes ovos
to pequeos I
Nao se admire, minlia senhora, para elles
serem frescos devem ser assim.. Nunea sao
maiores quando a gallinhaos acaba de por...
Um doente imaginario manda chamar um me-
dico, e como este Ihe declara que nao tem ne
nhum remedio a dar Ihe. exclama furioso :
Decididamente, nao ha ninguem mais tolo
que um medico.
Ha, ha, quem o manda chamar!
Uro sujeito estava tocando harpa porta do
Caf de Lon
Um polica approxima-se.
A sua licenga?...
Nao ten lio.
Enio, acompanhe me...
O sujeito amavel.
Pois r.o-.. O que que V. S. quer can-
tar?
E' preciso comluzir os homens pelos freios
que teera hoje e nao por aquelles que dante3ti-
n ha 111.Napoleo
a experiencia tem demonstrado que as ver-
dades polnicas nao tem a todo momento utili-
dade praticaTalleyrand.
Em pulilica como em religin os neophytos
tecm alguraas vezes ura fervor indiscreto. -De
Bonald.
A f dos horneas de Estado nao passa de
um calculo. Boisle*
Raramente em poltica a eseolha entre o
bem e o mal, mas sim e de ordinario entre o
mal maior e o mal menor.Machiaveltt.
O poltico im animal bpede que racioci-
na c serve a Deus de modo nao offender ao
diabo. Annimo.
Em poltica Deus deu a palavra para es-
conder os proprios pensamentos. Talleirand.
Todo o segredo da poltica consiste em
mentir opportunamente.Frederico II.
A poltica dos Estado3 nao deve andar se-
parada da boa moral Fociao.
Urna imprudencia era poltica sempre
causa de mais ou menos graves desconcertos e
desgragas ; pelo que icgra segura de pruden-
cia nao dar jamis nenhum passo precipitado.
Zobi.
INDICARES UTE1S
Medico*
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.*
andar. Telephone n. .389 j
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no I.' andar da casa
ra do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
dencia roa Sete de Setembro n. 54, en
trada pela ra da Saudade n. 25.
' r. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Casias n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio na na Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Barito
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianja senhoras e parto.
Telephone n. 326, da casa de residencia.
Dr. Alvares Guimaraes, chegado da
c6rt dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do coru-
c5o, pulmCes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s affec3es das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. '45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Matheus Vat, medico, tem o seu
e8criptorio a ra do Bario da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega;
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (P090 da Pa-
nclla) das 6 s 9 horas da inanha e
tarde. Teleshone n. 392
Oeeulista
Dr. Ferreira. com pratica nos pi'.ici
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon
dres, consultas todos os dias das 9
borasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia ra Larga do Resfrio d. I
Advogados
O bacharel Bonifacio de Aragdlo Faric
Rocha ,contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46., 1. andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
Silveira, advogado. Etcriptorio ra
do Imperador n. 69,-v
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Caxias n. 6Q, 1 andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobro negocios concernentes 1.*
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Kasidcimia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Furia Sobri.nho & C, droguista por ata
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Marquez^de Olinda u. 23.
Tmta de escreverA melhor a tinta
Victoria, vende-se a 500 rs. meia garrafa
e a 800 rs. urna garrafa inteira na Lina-
ria Contemparanea de Ramiro M. Costa,
ra 1. de Marco n. 2.; loja de ferragens
de Albino da Silva & C, ra da Cadeia
n. 42 ; loja de ferragens de Brandao & C,
ra Duque de Caxias n. 40._________^^

l
9." districto
Smenle hoje li o artigo do Sr. Dr. Ferreira
Jacobina, sobo titulo -A Epocha, publicado no
Jornal do Recife de 7 do corrate, por achar-me
fora da cidade.
Deixando passar sera commentarios o que diz
o meu illustre collega sobre a liberdade e o 1-
lltusiasmo, que caracterisarara sua eteico, mes-
ma porque o publico bem conhece o modo como
corren o pleito eleitoral era toda esta provincia
venho imprensa smente para que o meu si-
lencio nao possa ser traduzido como unnuencia
ao que proclama o meu competidor, bem como
para tornar bem patente que, se nao me tenho
queixado de violencias e presso oflicial, por-
que sempre entend que sena intil fazel-o.
Limitei-me a escrever aos meus co-religiona-
rios e amigos, aconselhando-llies que se resig-
nassem a. ludo,'qu ne a alguns que se abslivessem de votar para nao
serem destituidos de ses empregos, ou soffre-
rem qualquer decepeo.
Mesmo assim houve muita cabala e pressao of-
fficiaes, como consta de diversos jornaes e at
da Epocha, que nao pode ser argida de suspeita
com relaca rainh pessa.
Hoje intil a discusso da eleico do 9 dis-
tricto, mesmo porque os Tactos fallam por si, e
dispensara commentarios que nenhum resultado
nodem produzir.
Ufane-se o meu Ilustre collega com a sua vic-
toria, que eu pela minha parte estou salisfeilo
com os votos que obtive de amigos dedicados,
que se nao deixaram levar pelo enthusiasmo do
momento.
Em tempos melhores mediremos as nossas
Jorcas.
Recife, 9 de Setembro de 1889.
klcoforado Jnior.
Companbia de Beberibe
HvdrunK'iro e acedes |
As companhias, como os
individuos, gozam da estima
e consideracao publica na
mesma proporcao que cum-
prem com seus deveres.
fCeciliano liamede.)
Nao somos eogenheiros era verdadeiros era
pseudos.
Mas, como todos, podemos apreciar a perfei
gao ou imperfeico de ura apparelho, ou de qual
quer raachinismo, segundo elle prstese, bem
ou mal, ao seu flm.
Pergunta-se: sao os hydromelros uns bous
medidores d'agua consumida ?
Nao se podem, nao se tem feito cora elles al-
guraa cousa, de modo que coucessionario de
petinas d'agua, gastando 600 litros c mais dia-
rios, nao paguem seno 300 ?
QlwS respondemos sim : os hydrometros podem
contar somente 300 litros quando se tem ga6to
6U0, 900 e mais.
E' um facto : nos conhecemos quera consom
muita agua, para rega do jardim, para lavagem
de roupa, e outros misteres, e que nao paga
mais de 3W00 mensae.
Paga-se menos por urna razio, que : os hy-
drometros sao mudos quando o concessionano
da penna faz que a agua passe. de vagar, pela
torneira.
Alguera nosassegura que ha inda outro meio
de nullificar o contador, na hypothcsc de sahir
a agua, at, com forca.
Est no dominio de muita gente, a certeza da
imprestabilidade dos hydrometros, quando nao
ha da parte do concesionario a precisa niorali-
dade para nao Iludir a Companhia.
Vos mesmo dizeis : que no principio do
corrate anuo (Re. de 1889) a cifra do consumo
alcancava o enorme algarismo de 7 milhOes de
litros, tres mezes depois 6 milhes e hoje & mi-
lhes.
A razao do decrescimenlo no prsenle anno
proveio nicamente da cessajo dos ifesperdi-
cios
Entre 7 milhes e i milhes ha urna differenca
para menos de 3 milhes de litros diarios.
Vs, Sr. gerente, altribuis essa grande dimi-
nuo do consumo aos hydrometros ; porque
impedera os desperdicios.
Sois demasiadamente simplona.
Nao assim : grande parte da differenca pro-
ced,e de que o apparelho nao preenche o seu Bao
como exacto contador.
Deixa escapar agua que nao denuncia
Ser urna necessidade impres'cindivel da Com-
panhia substituir esses apparelhos.
Os hydrometros pois, nao previnem somente
os desperdicios d'agua; guardam segredo sobre
muita que nSo se paga. .
Elles sero ura causa perenne de diminuigao
das rendas da Companhia.
Sero um elemento decomponenle de sua re-
ceita, quando a fraude se geeralisar.
Ouca, Sr. gerente : os hydrometros esto con-
deranados em leltra redonda. (*)
Apezar, portanto, dos elogios que Ihe teceis de
apparelhos iuio delicados, de grande precselo,
nao somente se desarranjara, quando a agua ar-
rasta qualquer corpo estranho, como por dour
outros meios, j apontados.
O Sr. Osvrald Brown em seu Projecto de Melho-
ramento, diz :
Que ha muitos preconceitos contra os hydro-
metros ; suppem uas serem iuexactos e outros
acreditam na possibilidade de serem prejudica-
dos, fazendose os hydrometros registrar mais
(*) E' bem provavel que aiada mostremos isto
ao Sr. gerente.
agua do qoe a realneate consumida, mas tudo
isto devido a ioexperieocia, e aquellas pessoas
que conhecem o uso dos hydrometros sabera
que possivel tel-os funcciouando com exacti-
do).
A questao nao de inesperiencia, de expe-
riencia.
Est conhecido, entre nos, o grande defeitc
do apparelho, que lepctioios, dada a.hypoihe-
se d'agua correr de vagar, ou outra mais aper-
feicoada, o hydrorrfclro nao funeciona mais, co-
mo de seu dever.
Apparelho construido para dar mate a fraude,
impotente para comhalel-a.
Se o Sr. Osnald Browu nao fulla de oitiva,
como deve-se presumir, empapou o Sr. gerente,
certo que se diriga a um eugenheiro rbula,
scm conhecimenlo ueohura da materia.
_ Agora, tratemos das aeces da Companhia.
Temos em nosso poder urna certidao, extra-
bida do Consulado (*) que mostra a irregulari-
dade de proceder dos que promovem na Bolsa,
a venda das accoes da Companhia.
Por ella se v que em 21 de Junbo foram ven-
didas occultameuteaccttes a 1200 cada urna !
Por ella se v que em 28 de Junho, vesperas
dareunio da assembla geral dos accionistas,
deram-se como vendidas, a ioo cada urna, 93
aeces, que o nao foram !
Tudo isto revela o plano de Iludir os iocau-
tos, e parecer bem aos olhos do publico e dos
accionistas.
Por ella se ve que, de 28 de Jucho a 31 de
Julho o, numero das aeces vendidas nao mon-
ta como dao os jornaes a 180, sim a 73. k
Por ella se prova que todas as aeges coladas,
nos jornaes a 150 cada urna, foram vendidas a
15000 J !
Procurav-se, por cugmento de numero de ac-
ges vendidas, c por coia^o muior, conservar
a attengo publica em constante despertar a res-
pcito do supposlo estado lisongeiro da Compa-
nhia I
Mas o facto, a verdade, que ella diilribula
dividendos com diobeirob de emprestimo, e es-
gotados estes, suspendia-cs ,
Aqu largamos ancora.
E, 110 entretanto, quania cousa a dizer sobre
essas obras que podem lornar-se de um mo-
mento para outro o desastre completo da Com-
panhia .'
Deus a fade bem .
Dr. Viremont.
Nota :
O Sr. gerente diz cm seu artigo de 3 que um
empiestirao contrahido para augmentar os ha-
veres sociaes, c que deve ser amortisado em um
certo numero de anuos, findos os quaes o seu
valor lica reunido ou accumulado ao capital so-
cial, duplicando-o, nao urna operacode cus-
teio e nanutent^io.
O que dissemos, em artigo de 23 ue Agosto,
foi :
O pagamento dos Juros e araortisaco do
emprestimo sao despezas de maoutencao e cus-
teio.
O pobre gerente cao sabe o que diz aera o
que os oulros disseram.
Quizeramos eucontrar um outro hornera. E'
um anuo.
(*) Diz o Sr. gerente que com certeza nao
apparecer um tal documento ; porque a denun-
cia nao passa de urna miseravel inexactido.)
Sao quixotadas do pauvre dwble.
N'uma questo de diguidade nao teriam pro-
testado immediatamente os corredores (Quipo-
test cope re, capiat, se houvesse de nossa parte
urna miseravel inexactido) ? !
H'
O i>leiole31 de Agosto
III
Ora....
Reveste-se a gente da maior sorania
possivel de delicadezas, apura no cadicho
da cortezia as phrazes que tem de empre-
gar, modela o artigo afim de manter a
dscuss2o n'um terreno serio e nobilitante...
Procura usar da mxima lealdade e bus-
ca convencer sem injuriar a quem quer
que seja....
E quando espera do adversario urna
lingusgem digna, eil-o a atirar-se eng-
rcente, doidamente sem attender que na
lija o combatente n3o deve perder a
calina.
O QuotidianUsimo eseriptor das Quotidia-
nus do Jornal do Recife, que inqueitio-
nalmente um rapaz de mritos de que deu
provas no seu tirocinio acadmico, obseca-
do por um partidarismo a que quando
mais moco foi sempre averso como se po-
der ver nos aeu3 artigos, obliteradas as
faculdades por um fetichismo poltico im-
perdoavel, perdida completamente a razo,
veio ante hontein, cora ares de gavroche,
que de chap no alto da cabeca deseja
fazer proezas, asseverando urnas tantas
eousas desarrazodas e irrisorias.
Na parte referente ao que me diz res-
peito o Ilustre eseriptor, hoje infelizmen-
te arrastado por urna poltica atrophiado-
ra, de urna infelicidade pasmosa.
E' assim que affirina nao poder um de-
putado renunciar o seu mandato.
Ora...
Em que artigo de lei, em que pratica*
30 undou o coilega para declarar (isso
principio de defeza a urna questo que se
agita) que o deputado, quando entender
convemiente, nao pude appellar para as
urnas e renunciar o mandato que lhehaja
anteriormente confiado o eleitorado ?
Para que cita ocaso Mau?
Pois no sahe que apezar da negativa
da (.'amaranegativa puramente cortez e
que se observa em qualquer collectivida-
de mesmo quando o membro que pede sua
eminacSo apresenta fortes motivoso
deputado-demissionario tendo appellado pa-
ra as urnas que Ihe foram adversas jul-
gou-se, de facto, destituido do mandato e
n3o foi mais Cmara ?
Para que sophisraas?
Do nosso lado, isto a favor da nossa
opiniao est o proprio Sr. Dr. Jos Ma-
ria que declarou solemnemente renunciar
ao seu diploma se elle tivesse sido macu-
lado por qualquer forma.
Essa declarajao importa a affirmativa
de que provada como est a serie de Ile-
galidades praticadas no 6.- districto, o
Sr. Dr. Jos Maria tem desejos de submet-
ter a sua candidatura a urna nova consul-
ta, onde o eleitorado se pronuncie livre-
mente.
E nem outra cousa de esperar, visto
como a declaracSo foi solemnissima...
O publico aguarda o acto do Sr. Dr.
Jos Maria.
Themia
-^ggoeaee
Protesto
O abaixo assignado, procurador da Cmara
Municipal da cidade de Olinda, a bem dos inte-
resses da mesma Cmara, previne a quem nte-
ressar possa. que as casas n. 29 ma Velha de
Santa Rita, n. 5 ra do Padre Nobrega, 65 e 67
ra Imperial que se acham annunciada3 para
serem vendidas em leilio (ageote Slepple) sao
foreiras referida Cmara, bem como as olanas
sitas oos Coelhos, a priaieira perteucente a Vi-
cente Ferreira dos Santos Barros, e a segunda
com um sobradinho contiguo a Antonio Carneiro
da Cunha, as quaes vo praja pelo juizo dos
feilos da fazenda nacional, sSo fambem foreiras
i sobredita Cmara.
Olinda, 9 de Setembro de 1889.
O procurador,
Ucantikido T01.


Diario de PernambucoTer^a-feira 10 de Setejubro de 1889
O presidente das Alagas
Em relscao ao que disse o Jornal do Recife de
hontem na sec<;ao Noticia* Polticassobre o
grave conflicto entre o presidente das Alagas e
o Sr. Bernardo de Mendonca Sobrioho, fajemos
transcrever os seguintes artigos d'A Ordemn 'O
Sorte, jornaes perfeitamente insuspeitos.
Bolktim d'a bokm.MuceiO, 27 de Agosto de
1889.Grave attentado I.'Um facto nunca visto
nem ouvido e:n parte alguma d'este Imperio,
commettido pela primeira autoridade da provin-
cia o Sr. Dr. Manoel Vctor Fernandes de Barros,
boje ao meio da em ponto, danos a clara e pa-
tente manifestacSo de que a provincia das Ala-
gas a mais infeliz de todas as suas irmas ;
porque tem como presidente o mais ignorante e
desasizado de todcs os horaens t
O facto que boje se deu em palacio, urna no-
doa que ennegrece a cadeira onde se tem sentado
tantos homens, que honraram-n'a e que sraente
agora cobre-se de vergonhoso luto pela falta de
criterio do actual administrador, o escravo das
paixes vis, o incapaz de urna regeneracao, o
servas a mandatis de Jim gabinete, que quer ven-
cer no pleito eleitoral, com as maioivs indigni-
dades, aiuda mesmo que veja correr na praca pu-
blica o sangue derramado pelos seus agentes as
sessoes eleitoraes.
O Exm. Sr. Dr. Bernardo Antonio de Mendon-
ca Sobrinho, candidato conservador por estepri
meiro distrlcto, vendo que S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, contra todas as dispoaiges
de lei, esta mandando para as localidades torca
armada, aflm de por em eolisao o eleitorado,
para que vote no candidato do governo, o bacha-
rel Jos Januario Percira de Carvalho, foi a pala-
cio, reflectir que era contra todos os principios
esse emprego de forca. O estonteado presidente
possuindo-se de colera, dirigi improperios gros-
seiros ao Exm. Sr. Dr. Bernardo, que todos lhe
recoohecemos repellio-o na altura que aquelle in-
feliz mereca!
O presidente, vendo que nao podia conseguir
oictoria de sua polmica baixa, rasteira, pulveri-
sado pelas expresses justas donobre reclaman-
te que se dirigi a palacio, com o lim nico de
restabelecer o principio da moral e da ordem no
pleito eleitoral, em cuja lei, como em tudo, mas
que diz respeilo ao caso verlente e absoluto o
ceg instrumento do Sr. Loureoco de Albuquer-
Jue, grita para as ordenanzas tirem este suj- to
aqu'. nio se lembrando esse eiligala de que o
Exm. Sr. Dr. Bernardo, seis mezes depois de en-
cerradas as cmaras, goza aiuda de todas as im
inanidades legaes c que nao o pudor de um
residente desmoral isado como o Sr. Manoel
ictor, que pe maos violentas sobre um depu-
tado geral I
Accelerou-se toda a repartico, vista desse
horror, e os soldados ignorantes : porm meno3
do que o presidente, estacaran), desobedecendo
assim s ordens absurdas do mais absurdo de
todos os presidente da situagao liberal I
O apalhacado presidente esmagado pelas jus-
tas razes do Exm. Sr. Dr. Bernardo, tevede re-
cuar, sendo conduzido para o interior da casa
por sua Exma. e virtuosa irma, que reconheceu
a imprudencia do ostentado innao I O Exm.
Dr. Bernardo sahio eotao c communicou o es-
candaloso facto ao Exm. Sr. presidente do con-
selho de ministros.
O publico veja, e admire se possivel achar
qualiflcalivo para semelhante procedimento de
um presidente, que quer dar causa de gauho ao
candidato do peito do governo, com derrama-
ment de sangue do eleitorado, que vai as urnas,
para sem constrangimento eleger o seu repre
sentante. E' pnico !!!
S. Exc. desnioralisado como ficou, est impos-
sivel na administrarlo desta provincia.
Couflielo em Palacio
{Do Sor le, Macei)
Ante hontem a populado desta cdado foi sa-
bedora de um grave desacato commettido pela
primeira autoridade da provincia na pessoa do
Exm. Dr. Bernardo Antonio de Mendonca Sobri-
oho, canditalo conservador pelo i districto.
Scena desagradavcl ia-se dando nos corredo-
res de Palacio entre o delegado do gabinete 7
de Junho c o candidato do partido conservador,
se nao fosse a intervenco de um terceiro que
poude conler a sanb de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia.
Eis o facto :
E' sabido que o candidato oflicial, para garan-
tir asna candidatura, tem usado de todos os
meios de compressao. e ltimamente pedio ao
Dr. presidente mandasse espalbar torcas nos
quatro ngulos do Io disiricto para poder assim
conseguir victoria no prximo pleito eleitoral.
O Exm. Sr. Dr. Bernardo de Mendonca, vendo
*ue amachina de compressao nao tinlia limites,
ebegava a violentar a liberdade do voto, compel
lido pelo eleitorado conservador que clamava
contra a violencia que soffria em seus direitos
fora antehontem a Palacio pedir providencias a
COMMERCIO
Revista do Mercado
RKCIFZ. DE SETEMHRO DE 1889.
O movimcnlo na praija continuou a ser pe-
queo.
No mercado de cambios puco foi feito.
Bolsa
3jTAg5E8 OFFICIAE8 DA JUNTA DOS COB
RETOBES
Recife. 9 iu Setembro de 889
Nao houve colaco.
o presidente,
andido 0. G. Alcoforado.
O secretario.
Eduardo Dubeux
Cambio
Manteado no baleSo a labella de 27 1/4, offe-
receram os bancos saccar a 27 1/2, sem acharem
tomadores.
Houve falta de papel particular, exigindo os
oancos 27 5,8 27 3 i se apparecessem sacca-
dores.
Tendo sido annunciado o re?gate do papel
moeda gradualmenle, no espaco de tinco annos,
o cambio licou Drme a 27 12 bancario.
TAWI.I.l.AS AFFIXADA8
t
8
ti
-1 w
3
5'
la
n

_
11
l l
t P-
9

3
?
p
9
*
C! t/

>
y
:.: i-
so___-j
5 --
a
3
~ VS C* i" 1*
--> tJ CJ___
g
-I
a! I
s --

S. Exc. o Sr. presidente provincia no sentido de
por paradeiro a meio tao aviltnte, tao indecente
para uui governo q je se diz liberal !
O Sr Dr. Manoel Vctor Fernandes de Barros,
recebendo mal ao candidato conservador por pe-
dir garantas para 0 seu partido cujos militantes
estavam sendo victimas das garras do candidato
oflicial, mandou AARASTAL O por pracas de
linha nlo sendo executada a ordem pela atlitude
enrgica que assumira o Dr. Bernardo de Men-
donca que fez sentir S. Exc. o procedimento
ignobl, torpe, bm e de rameira com que diri-
gia-se a elle que ainda tem as honras de depu-
tado geral,
0 Sr. Dr. Manoel Vctor Fernandes de Barros,
ignorando o estylo da continencia que se deve a
ura representante do paiz, raivoso, qual cao hy-
drophobico, ainda leve o desaso, depois de re
prenendido, de mandar por seui lacaios que
liraxem qu<-ll- ujelio dsllil...
E multa ignorancia, sobretudo muita baixesa
de carcter.
Este facto causou indignafio geral.
E ao Dr. Fernandes de Barros, figura de na
pelo, boneco de gesso, manequin [de corrilho,
carranca de cemiterio que suppunham o espirito
culto, que est cooliada a adminislragao provin-
cial.
Nos cafs, bilbares, restaurante, s se falla des-
te grave altentado.
0 Dr. Manoel Vctor Fernandes de Barros est
colmado da iadignaco de ambos os partido mi-
litantes ; por isso peca a sua demissSo e v con
tinuar no seuofficio de caixeiro que e, do minis
tro da agricultura.
Basta por hoje.. -
A um incgnito da Gazeta da
Tarde de hoje
A minha dignidade repugna apanhar a
luva que esse industrioso atirou lama
ptrida das ruaa com o malvolo iutuito de
fazer-me curvar, e nessa curvatura em-
porcalhar-me.
Dira-me que cu nSo lhe proporciona
rei essa opportunidade para ridicularisar-
me com gargalhadas de escarneo.
A parte as suas maliciosas getierosida-
dee7 que por isto mesmo as -uSo agradeco,
proclamando me o que n5o sou, um orna-
mento e extremo advogado da repartico
onde sirvo, das ferro-vias de 8. Francisco
e Caruaru', e na qual nKo passo de um
obscuro secretario, que apenas procura
leal e dignamente bem desempenhar-se em
seu emprego, o mais que se contcm na
publicacioCorUracto Lesivo, a que me
retiro, nao me merece resposta, porque,
sobretudo, de sua leitura s se verifica a
maledicencia de m5os dadas com a alei-
vosia.
Sem cunho edictorial, e, portanto, sem
responsabilidade legitima, seria eu um
nescio se (lhe oppuzesse qualquer contes-
tacSo.
NSo o aria, nem mesmo quando fosse
verdica a sua referencia a contracto lesivo,
que nSo o houve o nao o ha, posso desae
j assegurar, e tenho direito para assim
pronunciarme.
Eis explicado o met silencio.
Re non verba.
Recife, 9 de Setembro de 1881.
A. O. de Gusnlo Lobo.
Wo perde vasa
O grande fidalgo desta torra nao perde
vasa!
Filho deputado, genro deputado, sogro
do filho deputado, elle mesmo dito por
Ooyaz e alm disso contrata fornecimento
de materaes para o edificio da Faculdadc.
Que materaes fornecer elle [. ,r
Ser2o verdadeiros, ou como as actas de
Itamarac ?
Quem tiver de receber os taes mate-
raes que tenha cuidado; o homem fr-
til cm... cousas verdadeiras.
Bem fez o Manel cm nomeiar urna com-
lui.isao de cinco para fisealisar as obras, e
mais o engenheiro : do-e olhos devem ver
muito.
Cuidado cuidado !
V. de Munchausen.

I
Algodo
O mercado conlinia fronxo.
A exportac;ao, feita pela alfaodega neste mez
it- o da 5, altingioa-70.904 kilos, sendo 18.974
para o exterior e 51.930 para o interior.
As entradas verificadas ncslc mez ale a data
de hoje, sobem a 308 saccas, sendo por:
Barcacas..... 170 Saccas
^ia-ferrea av Cartiar. 32
/ia-frrea de S. Francisco. 9
v"ia-fer-ea de Limoero 297
Soiuma. "08 Saccas
lssucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associacao Commercial Agrcola, foram
js seguintes:
8raneo..... 39O0 a U6O0
Jmenos..... 3*000 a 3i600
Mascavado purgado 2*100 a 1*700
bruto (firme) 1*500 a 2*200
Rtame..... *700 a 1*100
A exportacao, feita pela alfaodega neste mez
at o dia 5, constou dt 479.447 kilos para o in-
terior.
As entradas verificadas neste mez at a data
de hoje, sobem a .288 saceos, sendo por:
Barcacas .... 871 Saceos
Animaes.... 274
Via-ferrea de Caruar. 16 i
Via-ferrea de S. Francisco. 938
Via-ferrea do Limoeiro Itf6 *
Soinma. 2.28 Saceos
Mel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros
Couros salgados, 365 ris, e os verdes a 210
res.
Agurdente
Cota-se a 105*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega ,
sbxana > 9 i 14 di srrEMBRo de 1869
Assucar refinado (kilo) .... 320
Assucar branco (kilo) .... 246
Assucar mascavado (kilo) 153
Agurdente........ 195
AIcool (litro)....... izo
Arroz com casca (kil.o) ... 80
Algodo (kilo)...... 400
- de mamonas (kilo) ... 80
Borradla (kilo>...... B80
Crneos de algodio ....
Couros seceos espichados (kilo) 390
Couras seceos salgados (kilo) 330
i.ouros verdes (kilo)..... 190
Cacao (kilo....... 400
Caf bom (kilo)...... 600
Cal reBtolho (kilo)..... 400
Carnauba (kilo)...... 260
Carocos de algcdio (kilo) ... 20
aivo de pedra de Cardiff ,ton.) 16*000
Farinha de mandioca (litro) ... 100
Folhas de iaborandy (kilo) 300
Genebra (litro)...... **>
Graxa........ 250,
Mel (litro)........ 90
Milho (kilo........ 120
Pao Brasil (kilo;...... 33
A's almas cariciosas
Na ra das Carrocas n. i, vivem na maior pe-
nuria a vuva Senhoroa dos Santos Bastos e
sua lilha Coleta da Silva Bastos, duas infelizes
a quem tudo falta.
Pede-se s almas caridosas e bem formadas
que vao em auxilio de3sas pobres victimas do
infortunio
Dcus ihes pagar o bem que flzerem a tao in-
ditosas creaturas.

=^e
O Dr. Ermirio Coulintao. de
volta de sua viagem Europa, onde
se dcdicou especialmente, ao estu-
do das molestias do systeraa ner-
voso, tem seu consultorio a Praca
do Corno Santo n. 5, defronte do Te-
legra pno Nacional
Consultas de urna s tres horas da
%
*sm
Cft tarde.
Os negociantes e moradores da ra da
Santa Cruz, freguezia da Boa Vista, lou-
vam ao activo, zeloso e incansavcl actual
subdelegado da referida freguezta, pelas
acertadas providencias que tem tomado,
e d'entre ellas a que tomou na madruga-
da de 5 do corrente para com os vaga-
bundos que pernoitavam no mercado da
referida freguezia fazendo as ordinarias
precisSes, as portas dos estabelccimentos
e casas da mesma ra, sendo que de ma-
nhS ao abrirmos nossas portas encontrra-
mos dessas bonitas obras.
Outro sim pedimos outra providencia,
que urna autoridaile na altura do Illm.
Sr. Jos Joaquim Das do Reg Jnior
nSo deve despresar.
Como V. S. nao ignora as proximida-
dos e dos mercados sempre se junta
gen*e de todas as classes e com mais fre-
quencia os gatunos e desordeiros, c onosso
referido mercado nao tem ao menos um
ponto que vigi a ru;>. da Santa ( ruz, e a
frente do mercad); para assim evitar al-
guns casos mui vulgares era quo o ho-
mem prudente e pacifico vc-se na dura
necessidade de recorrer a meos extremos
ou ficar desfeiteado e projudicado.
Os mesmos negociautes e moradores es-
perara de V. S. mais esta providencia
que deve dar bom resultado; c assim
main urna vez firmar V. S. os seus cr-
ditos de autoridade ordeira, amante do
socego dos moradores de seu districto
policial.
v. i
I IIIium deftcoberla de ana sabio
Extracto Duplo de Aveleira Mgica (vviteh
Hazel) do Dr. C- C. Bristol. -O autor desle'novo
e maravilhoso remedio, o Dr. C. C. Bristol, cojo
nome ( couhecido cm ambos os hemispherios,
de um a outro extremo do planeta, como autor
das celebres Salsaparrilha e Pilulas de Bristol,
s (juaes tantos devem a saude e a vida, em lo
dos os climas do globo ; o sabio, chimico e na-
turalista, oceupado sempre em novas descober-
tas mcdico-boiaoii'as, depois de intelligeiftes e
repetidos ensaios, vcio a achar-sc possuidor de
urna nova e adiniravel combinago curativa, ba-
scada as maravillosa? virtudes da planta ame-
ricana conhecida hoje na sciencia sob a classili
cacao botnica de Hamamclis Virginica, planta
indgena da America Septentrional e primitiva-
mente empregada pelos indios no curativo de
toda molestia de carcter inflammatorio, tanto
interna como externa.
Cirurg^io Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 s -1 horas da tarde.
Sola (meio) uominal
Taboados de amarello (iluza) 100*000
Do dia 2 27:513*813
.\st1os descarga
Barca nomeguense Gtlead, ferrngen*.
Barca norueguensc Solid carvo.
Barca inglesa fla"kiro/a, materaes.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Barca uorueh-a San Luy, varios gneros.
tugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional mijo, xarque.
Lugar americano Bcllc Hoope-; farinha de trigo.
Lugar inglcz Adamantme, farinha de mandioca-
Lugar porluguez Joven Alberto, varios gneros.
Logar inglez Razona, baclho.
Patacho ullemao Marie-mn Oldendorp, xarque.
Patacho nacional Regaleira, xarque.
Patacho allemao Frederuic, xarque.
Patacho dinamarquez Jugor, xarque.
Importaeio
Vapor francez ViUedo Rosario, entrado do Ha-
vre e Lisboa era 7 do corrente e, consignado a
Augoste Labille, manifesiou:
Carga do Havre
Agua mineral II caixas a Francisco Manoel
da Silva & C.,.10 a Sulzer Kauffman 4 C. Ar-
tigos para pliarmacia 1 caixa a Duprat. Amos-
tras 3 volumes a diversos. Acido 2 caixas a
Alves Maia 4 C. Annuncios 1 caixa a Francisco
Manoel da Silva C. Acende fogo 1 caixa a G.
La porte.
Batatas 50 caixas a Paulino de Oliveira Maia,
50 a Medeiros Irinas 4 C, 100 ao consigna-
tario. Brinquedos 2 caixas ordem.
Chocolate 3 caixas ordem, 1 a Domingos
Ferreira da Silva 4 C. Cliampanha 30 glgas a
Sulzer KaulViiiaim 4 C. Calcados 1 caixo a
Eugenio Gon^alves CascQo. 1 a i czar Lopes 4
C, 1 a Thomaz de Carvalho gixes a Raphael Das 4 C., 1 a F. de Azevedo
4 C 1 a Alves Maia & C. i onservas 10 caixas
a Alves limaos 4 C. Cachimbos 1 caixo a Ma-
noel Joaquim HibeiiO 4 C, 1 a Nunes Fonseca 4
C. Capsulas 1 caixa a Francisco Manoel da
Silva 4 C.
Drogas 9 volumes a Francisco Manoel da Silva
4 C, 3 a Faria Sobrinho C.
Espelhos 1 Caixo a A. Oliveira & C. Esta-
tuas de gesso 1 caixa ordem.
tumo 1 caixo .i J B. dos Iteis & C. Fitas I
caixa a ftaphael Mas A C Ferragens 12 caixas
a Ramos Geppert C 2 a Prente Viauna *
C. Flores de laranjeira 1 caixa a Itouquayrol
Frres.
Grvalas 1 caixa a Prente Vianna di C. (iom-
ma de terebentina 1 caixa a Alves Maia 4 C.
Joias falsas e litas 1 caixa a Gomes de Mallos
Irmos.
Livros 1 caixo a F. P. Bolitreau, 1 a G. La-
port Leques e roupa branca I caixa a Manoel
da Cjnlia Lobo. Licores 1 caixas a Frann co
Manoel da Silva 4 C
Manteiga 13 barris e 15 racios ditos a Joaquim
Felippe 4 A guiar, 20 e 30 ao consignatario, 25
e 13 a Souza Basto, Amorim 4 C, 13 e 20 a Joa-
3uim Ferreira de Carvalho 4 C, 10 e 20 i or-
em, 45 e o a l'aiva Valente & C, 25 barris a
Carlos Sindem, 12 caixas ao consignatario, 13 a
J. F. Lima 4 C. 26 a Domingos Ferreira da Sil-
va 4 C, 8 a J. B. de Carvalho, 13 a Fernandes 4
Irrao, 43 orde.n, 16 a Joo Fernandes de Al-
meida, 16 a Guedes de Araujo 4 Filho, 15 a
Ferreira Rodrigues & C, 6 a Jorquim Felippe 4
/guiar.
Mercaduras diversas 1 volume a Eugenio
Goncalves Casco, 1 a Duprat, 1 ordem, 1 a G.
Cardoso 4 C, 3 a Francisco Lauria 4 C, 2 a
Gomes de Mallos Irmos, 1 a F. P. Bolitreau, 1 a
G. Irmos C, 1 a Manoel Joaquim Ribeiro 4
C, 1 a F. Petrocelli 4 Irmo, 1 a F. de Azevedo
Surdos
Urna pessoa que foi curada da surdez e zui-
do de ouvidos, de que padeca ha 23 annos,
usando de um remedio muito simples, enviar
gratis a sua descrpeo a quem a desejar. Diri-
ja-se ao Sr. isicholson, 1260, Santiago del Esie-
o, Buenos-Ayres.
til e agradavel
O Peitoral de Cambar, alm da sua
utilidade na cura das molestias broncho-
pulmonares, possue prazer agradavel e
bem tolerado pelas creancas, em cujas en
fermidades tambera se applica com gran-
de proveito.
(j Bacharel Antonio Wilru-
J vio Pinto Bandeira I
< Pode ser procurado ra do Imperador >
I \ n. 71, Io andar j
(Jm liabitante do Rio de Ja-
neiro
O que se vai lr, e que recommendamos
attenco do publico, traz a assignatura
de um dos associados da firma Manoel Joa-.
quiro Moreira & ('., cstabelecidos com urna
importante fundicSo, no Rio de Janeiro,
ra S. Pedro ns. 302 a 312.
lllm. Sr. Jos Alvares de Souza Soa-
res Pelotas. Communico-lhe, com a ma-
ior satisfajSo, que o seu xarope Peitoral
de Cambar remedio cfficaz contra a
coqueluche, pois tive occasio de empre-
gal-o em fmulos de minha casa, que se
achavara atacados daquella terrivel moles-
tia e da qual ficaram, cm poucos das, cu-
rados.
t 'e V. S. fazer o uso que lhe convier
desta minha communicacS, para gloria c
renome do seu Peitoral de Cambar.
Americo Salvatori.
AVISO A NUESTROS LECTORES
Los de nuestros lectores que vayan a
Pars mientras la exposicin, saben yaque
podran leer los ltimos nmeros de nues-
tro peridico recibidos sea en casa de los
Srs. Amdc Prince y C, sea en
el gabinete de lectura instalado por dichos
corresponsales, en el Pabelln de la Repbli-
ca de Guatemala, en donde el comisario
general de Guatemala ha puesto graciosa-
mente a la disposicin de dichos Srs.
liude Prloce y C, una sala con
terrado.
Para evitar toda confusin, los amigos
nuestros que se hagan dirigir la corres-
pondencia a la casa de los citados Srs.
Amdc Prineey C debern hacerlo
36 ru Lafayette, en donde estar espe-
cialmente organizado ese servico. (2)
iBBQCg'
Despedida m
Eugeue Chaline, nSopodendo, pelo esta-
do de sua saude e presteza de sua via-
gem, despedir-se de seus amigos e conhe-
cidos, o, faz por este meio pedindo des-
culpa.
A drogado
Miguel Jos de Alnieid. Pemambuco tem o 3eu
escriptorio de advocacia ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os das uteis, das
horas da 9 manh s 4 da tarde.
4 C, 1 a II. de Druzina 4 11. t a Manoel Collaco
4 C, 1 a M. Izabella. 2 a Joo Bezerra.
Materaes para cngenbo 2 volumes ao consig-
natario, 5 a Pereira Carneiro 4 C.
Metal prateado 1 caixa ordem
QMarmore 1 caixa a Francisco Manoel da Silva
*C
Objecios para chapeos de sol 2 caixos a Leite
Bastos C- C.
Papel 1 caixa a Manoel Collaco 4 C, 1 a M.
Izabella t C, 1 a M. C.. Barbosa, dito de im
presso 3 fardos a Jos N'jgueira de Souza, 2 a
Francisco Manoel da Silva C.
Pelles 1 caixa a Braga S.
Perfumaras 2 caixas a Francisco Lauria 4 C,
1 a M.Ixabclla, ditas c taxas para sap:itos 3 ca-
xas a Antonio uarte Carneiro Vianna.
Queijos 20 caixas a Goiicahes llosa 4 Fernan-
des, 10 a Souza Basto Amorim 4 C.
Roupi branca 6 volumes a Joo de A. Fonseca.
Relogios 1 caixa a J. Ferreira de Castro. Rolhas
2 saceos a Francisco Manoel da Silva 4 C.
Tecidos diversos 3 caixa; a Fredr.rico4 C. i
a Goncalves Cunha 4 C, 13 ordem. 2 a Rodri-
gues "Lima C. 1 a R. Maia C, 2 a Bernet
4C, 10 a Monhard lluberlh, I a Joaquim Santos
* C, 1 a Francisco de Azevedo C. Tintas ti
barricas a Francisco Manoel da Silva & C. 1 a
Alves Maia 4 C.
Vellas 7 caixas a Carvalho 4 C. Vidros 1 cai-
xa a Rouquayrol Fires, 3 a Francisco Manoel
da Silva 4 C. Vinho 20 caixas a Ramos iC.,1
a F. Manoel da Silva 4 C, 16 a branles 4 C.
Barca norueguensc Admiralcn,entrada de Hara-
burgo em 7 do corrente e consignada a L\v ra-
melo fe C.; manifesiou :
Carvo de pedra 170 toneladas aos consigna-
tarios
Lugar ingiez Dora, entrado de Tena Njvaem
9 do corrente e consignado a Johnton Pater
& C.; manifesiou :
Baclho 1270 barris e 1050 2 ditos ordem.
siporiaeo
RBClF, 6 DS SRTB.MI1UO DE 1889
Para o exterior
NSo lioovc expoilayo.
Para o interior
No vapor francez Ville do Rosario, carre-
garam :
Para Santos, M. Amorim lo pipas com 7,680
litros de agurdente, 610 saceos com 36,600 kilos
de assucar branco e i't ditos com 26,400 ditos
de dito mascavado.
Para S. Paulo. J. L. Ferreira 125 saceos com
7,500 kilos de assucar mascavado.
Para Rio de Janeiro, P. Carneiro 4 C. 20 pipas
com 9 600 litros de agurdente J. H. Boxwell
19 pipas com 7,880 litros de agurdente ; C. M
da Silva 718 saceos COSO tt 080 kilos de assucar
mascavado ; Hurle 4 C. l'J saceos OOm 11,400
kilos de assucar mascavado ; A. Labille 50
meios de sola.
No vapor nacional Maii'fOi, carregaram :
Para Ceara, M. Borgcs 4 C. 30 saceos com
2,250 kilos de assucar branco.
Para Manaos, M. Borges & C. CO barricas com
2,619 kilos de assucar branco ; H. Burle 4 C. 63
barricas com 4,258 kilos de assucar branco ; P.
Alves 4 C. ll barricas com 582 kilo3 de assucar
branco ; P. Pinto 4 C. 10 barris com 3,810 litros
de agurdente.
Para Para, P. Pinto 4 C 50 barris e 10 pipas
com 9,600 litros de agurdente ; J. B. F. da Cos-
ta i pipas com 1,930 litros de agurdente ; Amo-
rim Irtnos 4 C. 7 pipas com 3 360 litros de
agurdente.
Para Mauios, Amorim Irmos 4 C. 60 barris
coa: 5,760 litros de agurdente e 50 barricas com
2,700 kilos de assucar branco.
Elixir cabera de negro do Dr. Santa
Bonn, anal}alo em Pariz e ap
provado pela Inspectora Oeral
de Ilyiflene.
(Premiado na Exposico)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadero elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta tem em
seu favor os altestados paseados pelos mais dis-
tinctos mdicos, desta e demais provincias do
imperio, por pharmaceuticos, desembargadores,
advogados, cngeubei.-os, rommerciantes, empre-
ados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
etc.
Fioue, portanto, o publico sabendo que o el i
xr fabricado na ra da Cadea, pharmacia de
Herraes Souza Pereira, Successores, urna imita
cao do nosso.
Deposito do verdadeiro ra do Bom Jess n. 1.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
4GRa 3o Bario da Victoria46
(DEFBOJITE DA rUAUAClA pisho)
Onde tem coniiultorlo e resi-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do dia e da noitc.
Especialidades : partos, febres, moles-
lias de senhora3edos pulmes, syphilis
em geral, cura rpida o completa e ope-
races de estreitamentos e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
lora, a qualquer distancia.
Telephone n. 374
j i MEDICO HOMEPATA
IJDr. Baltliazar da Silveira
Espccialidadefebres, molestias
das crian cas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Prestase a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos phanaacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Aviso aos nossos leltores
Os nossos leitores que visilarem Pars
durante a Exposico j sabem que pode-
rSo 1er os ltimos nmeros recem-chega-
dos do nosso jornal que em casa dos Srs.
Amde Prince & O, 36, ra Lafaycte,
quer da sala de leitura pelos nossos cor-
respondentes estabelecida na exposicSo
no Pavilhao da Repblica de Guatemala
cujo commissario geral dignou-se de por
graciosamente urna sala com varanda
disposicSo dos mesmos senhores.
Para se evitar qualquer confusSo, os
nossos amigos que quizerem receber a
sua correspondencia em casa dos Sre.
Amd rince & ''., devem mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do servico especialmente organisado
para isso.

Leonor Porto
enlista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. do Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
11 Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
P
i

j Frederico Chaves Jnior j(
Homoepatha
') 39 RA BARAO DA VICTORIA 39M
i I I'f-EiK-iru andar / |
5* : frr^^rr^ fe
Ra I>arga do Rosarlo nu-
mero le
SEGUNDO ANDAR
t | Contina a executar os mais difficeis
< wigurinos recebidos de Londres, Pariz,
( ) Lisboa e Rio de Janeiro.
j j Prima em perfeico de costuras, era
'. era brevidade, modicidaoe em pregos e
( ) fino gsto.
ADVOGADO
O bacharel Salustiano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os misteres de sua proiissao.
ra Estrella do Rosario n. 10, 1."
andar.
AdTog"ado
O bacharel Arthur da Silva Rogo tem o seu
escriptorio de advocacia ra do Imperador l.
34, onde prtde ser procurado para os misteres
de sua proiissao.
EDITAES
^v5^V2f^^
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da-mauhl.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE K. 226
Para Para, P. Alves & C. iO barricas com 1,966
kilos de assucar branco ; J. Borges 150 barricas
com 12.900 kilos de assucar branco e 21 ditas
cora 1,089 ditos de dito relinado.
No hiate nacional Geriguily, carregaram :
Para Natal, P. Alves & C. 72 barricas com
i,320 kilos de assucar refinado.
Na barcaca Therezinha, carregou :
Para Parabyba, A. Flores 13 garrardes com
180 litro.? de genebra.
Na barcaca Cecilia, carregou :
Para Penedo. F. de Azevedo 53 couros espi-
chados com 371 kilos.
Olnhelro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Manos, para :
Maranho o.:i000x
Para U 000^000
Pelo vapor nacional S. Francisco, para :
Penedo o.OOOOCO
Reodimcntos publico*
MEZ DB 8RTKMBBO
Alfanaega
Renda geral:
DodiaaG 173.854*360
dem de 9 25:429*007
O Dr. Francisco Domingues Ribeiro Vian-
na, juiz de direito da provedona de em-
pellas e residuos, da comarca do Recie
e seu termo, em Pernambuco, por Suu
Magestade o Imperador o Sr. D. Pedro
II, a quem Deus guarde, etc., etc.
Fago saber que a requeriiuento de Theopou.-
po Magno de Oliveira Quiniela, testamenteirn
inventarame dos bens da tinada D Jesuma I -
niz e Silva, vai praca por venda, em tres pr;.-
cas deste juizo, a contar de II do corrente nie:.,
uina parte que possuia a inventariada no sitio e
casa de vivenda na estrada dos Afflictos, dema- -
cando ao sol com o sitio de Frederico Chave.-.,
ao norte com o dos herdeiros de JoodoRego
Barros Falco, ao nascente com a estrada dos
Afflictos, ao noente com o sitio de Joo Carok
com arvore de frucio, avallada toJa a proprick -
de em 4.0002000, sendo a parte da inventan;-. ...
do valor de 1:5045000.
E para que chegue ao coriheciraento de quem
interessar possa mandei passar este edital que
ser aflixado no lugar do costume c publicado
pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 0
de Setembro de 18".
Eu, Francisco de Squeira Cavalcaule, cscr-
vao, 8Ubscrev.
Francisco Domnguez Ribeiro Vianna.
74 compartimentos de farinha a 9QJ
ris 37JO
63 ditos de comidas a 500 ris 3-WSOO
270 ditos de legumes e fazendas a
400 ris 108*000
51 ditos de suinos a 700 ris 35*701'
24 ditos de fressuras a 600 ris 14*400
117 tainos a 2 234*001
Rendimento do da 1 a 5 do cor-
rente
6iOJGtit>
l:028*i.st>
Renda provincia!:
Do dia 2 a 6 18:278*43!
dem de 9 6:800i8ti.'
Soinma total
199:283 367
ib 0?.'*296
224:362*663
Segunda seecSo da Alfandega, 9 de Setembro
de 1889.
thesoureiro Flerencio Domines.
8 mee
chef
hefe da seecSo -Cicero B. de Mello.
Recebcdorla eral
Do dia 2 3 6 7:872*961
dem de 9 2:764*858
10.437*819
Reccbedoria provincia!
Do dia 2 a 6 :j:07i*469
dem de 9 2:465*996
Recife Drahiage
Ddio de 2 a 6 16:046*023
dem de 9 5:971*163..
5:538*465
22:017*191
SlMtatlouro tui>!ico
Neste cstabclecimcto foram abatidas para o
consumo Je iiojo 89 rezes pertenecates u diver-
sos inarcliantes.
UercaUo Municipal le S. <(uiie
O movimenlo deste mercado nos dios 6. e
8 de Setembro foi soguintc :
Kntraram :
258 bois pesando 13,776 kilos. '' <
1898 kilos de peixe a 20 ris 37*960
76 cargas com farinha a 200 ris 154200
11 ditas da milho a 200 ris 2*200
36ditasde'ructas diversas* 300ris 10*800
36 taboleiros a 20yis 7*200
52 suinos a 200 res 10*400
93 matulos com legumes a 200 ri3 18*000
Foram oceupados :
78 columnas a 600 r.s 46*800
3 escriptorio a 300 ris 900
Fo. arrecadado liquido at hoje 1.639*340
Precos do dia:
Carne verde de 320 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1* ris dem.
Suiuos de 560 a 640 ris dem.
Farinha de 560 a 720 ris a cuia.
Milho de 360 a 380 ris dem.
Feiiao de 1*000 a 1*200 dem.
Vapores a entrar
, MEZ DE SETEMBRO
Sul........... Ville de Pernambuco. 10
Norte......... Cearense......... 10
Sul........... P. do Grao Para... 13
Europa....... Tugas............ 13
Liverpool..... Actor............ 14
Norte......... Pernambuco....... 14
Sul........... Bueno Ayres....... 15
Sul........... La Plata.......... 15
Sul........... Maranltao.......... 17
New-York___ Advance.......... 19
Norte......... Savona........... 20
Europa..... Mitlehoicits..... 22
Vapores a sahir ,
MEZ DE SETEMBBO
Havre eesc. Ville de Pernambuco. H as 3 h.
Fernando .... Pirapama......... 12 as 12 h.
Rueos-Ayres. Tagus............. 13 as 2 b.
Sul.......... Pernambuco....... 14 as 3 h.
Southampton. La Plata.......... 15 a3 11 h.
Norte........ Maranltao......... 18 as 5 h.
Sol.......... Para............. 24 as oh.
Norte........ Esptto Santo..... 28 as 3 h.
Buenos Ayres. Trcnt............ 28 as 5 h.
Movlmento do porto
Navio entrado no dia 8
BarbadosLugar americano Relie Hooper, can-
uto L. P. Dilkey ; em lastro.
Navios entrados no dia 9
Valparaizoe escala-20 dias, vapor inglez Orn-
as, de 3,096 toneladas, commandante Gcorge
Massey, equipageiu 118, carga varios gneros :
a Wilson bous A C.
Valparaizoe escala-27 dias, vapor inglez G
o Trinidad, de 1,490 toneladas, couimandante
\V. H. Hood. equipasen 37, car.^a varios g-
neros ; a Wilson Sons i C. H
Terra Nova 33 dias, lugar inglez Dura, de ii
toneladas, capito Richard Mealey, equipa-
9, carga baclho; a Johnston Pater & C.
Montevideo 2S chas, patacho norueguense"
Ephraim, de 183 toneladas, capito i. Hun-
dsen, equipagem 7, carga xarque e sebo :.
Pereira Carneiro & C.
Sabidos no mesmo dia
Liverpool e escala Vapor inglez Oraba, com-
mandante George Massey; caiga varios gne-
ros, r^^^ialv*
Baha e escala-Vapor brazilciro S. Fr^^Hm
commandante Jos Joaquim Esteves Jnior
carga varios gneros.
Santos e escala Vapor francez Ville de Rosa
commandante A. Deliens ; carga varios g"
roa
Obsercacda
Nao houve entrada no dia 8.
i



Diario de Pernambuco---Terca-(eir 10 de Setembro de 1889


''
T

1
5.* scelo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se fas publico, de
ordem do Exm. Sr.' Dr. vicepresidente
da provincia e nos termos do jj 2o do art.
Io da le n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por meio de laudo
de arbitro desempatador, a questao do ava-
iacao do material da empreza de iliumi-
oac2o gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
ses, contados da data do pi esentc edital,
para contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguintcs clausulas da citada le:
3. Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Tesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000)5
em dinheiro ou apohces da divida publi-
ca, para garantir a aceitaeao do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
| 4." O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser 'retirado
pelo contractante senSo ttulo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no raesmo.
| 5. O contracto s poder ser feito
com quem mclhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6.' A nao ser no ea" do paragrapho
antecedente, a actual mpresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente
| 7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisacSo, a que a provincia
sujeita por torga da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indemnisacSo ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o materila
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacSo ou pelo menos depositada arespecti-
va importancia.
| 8. O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
| 9. Opreco da illuminacao, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna redcelo de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e reparticSes publicas.
10." O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a nedi-
yio do gaz.
11. A luz ser clara, brilbantc e senta
de substancias estranhas, que possam pre-
judicar a illuminacao c a hygiene publica.
| 12. A intensidade media da luz ser
squivalente a dedez velas de espermacete,
das que queimam sete gramolas por hora,
-orrespondentes a 120 graos inglezes.
| 13. As horas de illuminacao publica
=>erao fixadas pelo presidente da provincia
uo principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, ncm maior
de dez, devendo neste caso haver um
.educcao no prego do gaz correspondente
ao acreseimo de horas.
| 14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e i 11 imitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
3 suscitarem, quer cun o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os scus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribuaes judicia-
ios ou administrativos do paiz.
15." O contractante ser obrigado a
;ollocar c construir sua custa um ou
mais gazometros, so houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os mclho-
. amentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16.* O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencSo oscillacSo do cambio.
| 17. O contractante poder orgamsar
umpanhia, a qual ficar subrogada etn to-
los os direitos e obrigacoes do contracto.
18. Para as despezas com a fiscali-
agao do servigo de illuminacao |o contrac-
tante concorrer annualmcntc com a quan-
tia de 3:0005000, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincial.
| 19. O presidente da provincia esta-
blecer as multas e mais coudigdes, no
intuito de garantir a boa execugab do con-
tacto, quer com relagao a illumingSo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
ontractante ter de pagar actual em
prvMj conforme o j I" cima citado, a
piantia de 994:9170528, de accordo conr
a avaliagao feita pelo arbitro desempata-
lor em 18 de Margo ultimo, visto deduzir-
so da de 998:777*528, total da avaliagao,
. importancia de 3:860)5000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bragos com lam-
pees, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manod Joaquim Silveira.
5.' Scelo Secretaria da presidencia de Per-
nambucoEm 3 de Setembro de 1889
Por esta secretaric se fui publico que tica
aberlo o prasode 50 dias, acontar desta data,
para o reccuimenlo de propo9tas em caria fecha-
da dos concurrentes a construccao de urna es-
trada de ferro de que trata a le provincial infra
n. 2.056 de 8 de Agosto prximo lindo.
0 secretario
Francisco L. Marinho de Souza.
LEI N. 8.036
Manoel Alvcs de Araujo, do conseibo de Sua
Mageslade o Imperador, bacharel formado em
sciencias soriaes e juiidicas pela Faculdade de
S. Paulo, commendudor da Imperial Ordem da
Ko8a e presidente da provincia de Pernambuco
Fuco saber a todos os seus habitantes que a
Asiembla Legislativa Provincial decretou e eu
saneciond i resorac&O seguinle:
Artigo 1." Pie concedido o engenheiro New-
ton Cesar i urlamaqui ou a quem roelliores van-
tagens offerecer privilegio por 60 annos para a
construeco, uso e goso de una estrada de ferro
de bilola eslreila, que partindo da Serra Dous
Irmos, na extrema desta provincia com a do
Piauhy, va terminar na villa de Petrona pon-
i marginal do Rio S. Francisco
S t A tona privilegiada ter 10 leguas para
cada ladodoeixo da linha, em qoe srji Uso,
em lempo algum empecina a que a qualquer
outra estrada de ferro, parallela ou nao a de que
cogita a presenic concesso, bomb a provincia
fazer conccsailo de zona privilegiada. So cajo
de futuras ConecssO ?, se a^ona privilegiada da
estrada a que refere w a actual Rri for invadida
pda de qualquer outra estrada de ferro conce
dda inaii larde pela provincia. era o ospaco
de trra qun entm as duas estradas me.liar divi-
dido ao meio, fteando urna melado tWUi come
zona privilegiada Jo cada urna das referidas es-
tradas.
% 1.a Ba igualdade de condiees o conce3sio-
nario ter preferencia para construccao, uso e
goso de futuros ramaes convergentes.
S 3. Ficam isentos de direitos e impostos
provinciaes e municipacs oseoilicios, as machi-
nase materiaes necessarios para a construccao e
exploracao da linha principal e dos ramaes que
forem construidos.
i." O concessionario ser obrigado a cons-
truir linha telegraphica para uso publico c par-
ticular da referida estrada e ramaes,.gosando de
igual isencao de direitos impostos.
o. Fica concedida a garanta de juros de
6 / sobre o capital que for empregado effecti
vamente as obras, calculado o prego mximo
do kilmetro, em 25.000* e pelo praso da dura-
co do privilegio, Ando o qual reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
machinismos, materiaes e linbas telegraphicas,
e bem assim cada um dos ramaes que tenham
sido construidos, logo que tenham sido oxplora-
dos por igual lempo,
6. A garanta de juros s se tornar effec-
liva no caso de ser levada a effeito a concesso
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a Serra Dous Irmaos, qual se prende a
presonte concessio, perdtndu o concessionario o
direito referida garanta se obtiver o governo
geral, subvencao kilomtrica, quantia de juros
ou qualquer outro favor equivalente.
7." A provincia lera o direito de embarcar
gratuitamente a sua forra publica, autoridades e
respectivas cargas.
8." O concessionario poder transferir em-
presa ou companhia, que organisar o presente
privilegio com todos as seus favores e obriga-
coes-
9." Denlro de 5 annos da data do contracto
deverao ser apresentados os respectivos esludos
definitivos e os respectivos ornamentos delalha-
dos e ter comeco de execugo as obras, cadu-
cando a concesso, se dendro desse praso n5o
forem ditas obras comeradas, salvo caso de for-
ra maior, devidamente provado.
Art. Ficam revogadas as disposices em
contrario.
Mando, perianto, a todas as autoridades a
quem o conhecimento e exeeucio da presente
resoluro pertencer, que a cumpram e fagam
cumprir to ioteiraaenle como uella se com-
tm.
O secretario da presidencia da provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 de
Agosto de I88!t, 68* da Independencia e do Im-1
peno.
t. S. 3. Mw* de Araujo.
Sellada e publicada a prsenle resolucan nesta
secretaria da presidencia de Fernambuco, aos 8
de Agosto de 18f9.
O secretario
Fraucisco L. Marinho de Souza
AmlnUtrario do* Crrele* de Per.
Mtubiiro em 15 de Agonto de !**
ARBEMATA(,:.\0 DOS TBAN8POETES DE
MALAS
O administrador, em observancia ao or-
denado em circular da directora geral dos
correios n. 86 de 8 de Maio do corrente
anno, faz publico que fica marcado o pra-
so de 30 das, a contar desta data, para
recebiment de proposta dos particulares,
que durante o exercicio de 1890, quei-
ram fazer por contracto o servigo de en
duegao de malas para o interior dy pro-
vincia, partindo desta repartigao para :
Nossa Senhora do O' de Goyanna, pas
sando por Iguarass c Goyanna de 3 em
3 das.
S. Bcnto, pasbando por Oh Grande,
Gravat, Bezerros, Caruar, S. Caetano
da Raposa e Bello Jardim de 4 em 4
das.
S. Jos da Coroa- Grande, passando por
Ipojuca, Serinliftem, Rio-Formoso, Taman-
dar, Una e Barreiros do 4 em 4 diat.
Jatob de Tacaral, passando por 8.
Bento, Alagoinha, Pedro, Buique, Garael
leira e Tacarat de 4cin 4 dias.
Alagoa de Baixo, passando por Pes-
queira e Cimbres de 4 em 4 dias.
Altinbo, passando por Bonito, Bebcdou-
ro de 4 era 4 dias.
Leopoldina, passando por S. Jos do
Egvpto, Ingazeira, Afogados de Ingazei-
ra, Flores, Triumpho, Vdla Bella e S. Jos
do Bello Monte de 5 cm 5 dias.
8. Vicente, passando por Vicencia e
i>uangy de 4 em 4 dias.
Jabot do Brejo, passando por Pedra
Tapada, Bom Jardim, Vertentes, Taqua-
retinga, Santa Cruz c Brejo de 4 em 4
dias.
Petrona, passando por Santo Antonio
do Para, Floresta, Cabrob e Boa Vista
de 4 em 4 dias.
SertSozinho passando por Palmares,
Villa d'Agua Preta e Campos Fros de 4
em 4 dias.
Jurema, passando por Belm de Mara.
Lagoa dos Gatos e Panellas de 4 om 4
dias.
I tamb, passando por Iguarass Goyana
na de 4 em 4 dias.
Aguas Bellas, passando por Palmeira,
Correntes e Bom Conselho de 4 em 4 dias.
Ouricury, -passando por Olho d'Agua
dos Bredos, Villa Bella, Salgueiro, Gra-
uto e Ex de 5 em 5 dias.
Gloria do Goyt, partindo de Pao d'A-
lho de 4 em 4 dios.
Riacho-Dce, partindo de Caruar de
4 em 4 dias.
As propostas devem ser apresentadas
at s 2 horas da tarde do ultimo da,
em carta fechada por duplicatas, com dis-
criminado dos pregos de servigo de cada
linha, sendo urna via sellada e ambas as-
si^nadas pelos proponentes e seus fiado-
res. *
Nao atrio tomadas em considerago as
propostas em que for fixado o prego de
mais de urna linha englobadamente.
TerSo preferencia as propostas mais
vantajosas em pregos e augmento do via-
gem.
O administrador,
Affonto do Reg Barro.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminagao a gaz desta
idade por sea gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
So do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da iUuminagao mediante as clau-
sulas no meamo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
tetad a quantia de 91)8:777^528, por
juanto foram avaliadas pelo arbitro desem
wtador as obras da mesma empreza,
ruantia essa que dever ser paga pelo
jovo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliagao nSo pode servir
base para tal indemnisa;3o, por ter
^ido illegal e irregularm-mte feita, bem
orno que contra ella j protes ou, quer
;nte o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer permte o juizo dos feitos da
hsenda, tendo sido intimado do mesmo
jrotesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
la ropvincia.
E como quer que de va era tempo ojl-
apjparUino fazer valer seus direitos contra
:m de direito for, deliberou fazer a
Presente publicagao para scieneia dos in-
BReeife, 1 de Maiode 1889.
Gerente.
George Windtor,
O Dr. JoSo Manoel Wanderley Lins, juiz
municipal, primeiro supplente das exe-
cugSes commerciaes, em exercicio espe-
cial deste termo de Gamelleira da co-
marca da Escada e provincia do Pernam-
buco em virtudeda lei, etc.
Fago saber aos que o presente edital
virem, ou delle noticia tiverem, que findos
os vinte dias de praca ser levado em
hasta publica pelo porteiro deste juizo,
no dia 1.- do mez de Outubro prximo
vindouro, s 12 horas do dia, na sala das
audiencias desta villa, o arrendamento do
engenhoTaquara, deste termo, de proprie-
dade de Francisco de Paula Pinto e sua
mulher, pelo tempo de 18 annos, 9 me-
08 c 16 dias, segundo o calculo feito pelo
respectivo contador; para pagamento do
principal, juros c cuatas de exeengio que
contra os mesmoa, movem Pereira, Ferrei-
ra & C- negociantes na cidade do Recite,
servindo de base a quantia de 1:200^000
annual, por quanto se acha actualmente
arrendado dito engenho, conformo foi re-
querido pelos exe^uentes.
E quem sobre os mesmos arrendamen-
tos quizer langar comparega perante este
juizo no dia, hora e lugar cima designa-
do, e habilitado na forma da lei.
E para constar lavrou-se o presente que
ser anisado no lugar do costume pelo por-
teiro dos auditorios, e outro de igual tbeor
para ser publicado pela iroprensa, lavran-
doo porteiro a competente ceitido.
Dado c passado nesta villa de Gamel-
leira aos 6 das de Setembro de 1889.
Eu Herculano Theotonio de Mello Gui
maraes, escrivao, o escrevi.Joo Manoel
Wanderley xLxn.
_____DECLAMASES_____
Rccebedoria Provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial
faz publico para conhecimento dos interessados,
que por oruem do Illm. Sr. Dr. inspector do
Thesouro, fica prorogado por 15 dias uteis, con-
tados desta data, o praso concedido para o pa
gamento, livredc mulla, das annui.lades e mais
servicos da Hecife Drainage Company. relativos
ao I" semestre do exercicio em vigor de 1889.
Recebedona Provincial de Pernambuco. 9 de
Setembro de 1889.0 administrador.
Luiz Cesario do Reg.
Thesouraria de Fazenda
Wub*tituic&o de nota*
De ordem do Illm Sr. inspector, fago publico
3ue, na formado edital desta Thesouraria de 17
< Junho ultimo, no dia 30 do corrente mez
que termina a prorogago do praso marcado para
a subjtituigo sem oesconto das notas de 800*
da 5.a estampa.
Vencl-Io -se praso, comegar o descont de
^^or.'o com o preceituado pelo ar!. 13 da lei
3313 de 16 de Outubro de 1886, isto : durante
os tres primeiros niezesp '' 0; at o 6. mez 4
0 0 ; at o 9." mez 6 70 ; at o 12 mez 8 0 0 ;
duraute o 13. mez 10 00, e mais 5 0,0 mensaes
d'ahi por diantc at que as notas perco de todo
o valor.
Thesouraria de fazenda de Pernambuco, 9
de Seleuibro de 18. .
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna
Thesouraria de Fazenda
EMprestlmo de 100.000:0004
Em cumprimento da ordem contida em tele-
gramma do Exm. Sr. conselheiro ministro da
fazenda, de hontera, fica aberta nesta Thesoura-
ria de boje at 10 de Setembro prximo futuro
emque ser devidamente encerrada, a subserip-
gao para o emprestimo de 100,000:000*000, au-
torisado pelo decreto n. 10 322, tambem de hon-
lem, sob as seguintes condigOes :
Os ttulos serao de 500*000 e 1:0001000 do ca-
pital inscripto na baixa de araortisacao ou ao
rrtador, vootade do subscriptor ; os juros de
/0 serao pagos trimendalmente por meio de
coiipons; e a amortisacao de 1',, ao anno.
Os juros e a amortisacao serao pagaveis em
ouro ou em moeda corrente ao cambio de 27 di
nheiros sterlinos por 1*006 no Rio de Janeiro,
Bahia, Pernambuco, Para, Maranhao, S. Pedro
do Rio Grande do Sul, S. Paulo, Londres, Pariz,
Lisboa, Porto, Uerlim. Amsterdam c New York.
O prego mnimo da inscripcao ser de 90 %,
que poder ser elevado pelo subscriptor para ter
preferencia.
As entradas sero : no acto da assignatura
100*000 e a quantia que mais se offerecer; 1504
em 30 de Outubro deste anno; 200*000 em 15
fie Janeiro; 25o* em 15 de Fcvereirc ; e 200
em 5 de Abril; sendo facultado ao subscriptor
antecipar o pagamento de qualquer ou de todas
as eutradas abunando-se pelo tempo que faltar
o premio correspondente a 4 /' ao anno.
Outrosim, para maior esclarecimento dos in-
teressados vao abaixo transcriptos os artigos das
instrueges annexas ao decreto n. 7,381 de 19
de Julho de 1879, pelos quaes ser regulado o
processo para a subscripgao, endosso, sorteio e
pagamento :
Art. 7. No acto da primeira entrada darse ha
ao subscriptor um recibo, que, depois de ternii
nada a distribuigo do emprestimo, ser resgata-
do por um conhecimento em trma.
As outras entradas sero notadas nesse conhe-
cimento, que mais tarde ha de ser substituido
pelos ttulos e eoupons.
Art 8. Os subscriptores que nao iiz*rcm ef-
fecti va alguma entrada nos prazos determina-
dos. .. flearo sujeitos ao pagamento do juro de
10 "/o se a mora fr de menos de 30 dias, e per-
dero o direito entrada ou entradas j realiza-
das, se a mora fr de mais tempo.
Art. 9." O recibo e o conhecimento de que tra-
ta o art. 7 sero transferiveis por endosso e o
titulo por simples tradiego.
Art 11. O sorteio mencionado no art. 5* (que
vai tambem abaixo transcripto) do decreto 7,381,
se effetuar em presenca da junta da Caixa de
Amortisago tres mezes antes de ser devido o
resgate. Os nmeros sorteados sero publica-
dos, como ( de estylo, no Diario Ofhcial, e com-
municados immediatamente por tres vins s re-
partiges que as provincias c na Europa forem
encarregadas de attender ao servico do empres-
timo ; as quaes por sua vez farto os necessarios
annuncios na folba ou folhas de maior circula-
go.
Art. 12." Os juros das a poli ees porteadas ees
sarao desde o dia em que principiar a respecti-
va amortisacao.
Art. 13." No acto do pagamento da apolice
sorteada ou comprada, descontar se ha o equ'
valt nte de qualquer eoupn de juro anda nao
vencido que liaja s:do cortado.
Art. 13o Oito dias antes de se vencerem o<
juros deverao ser apresentados aos encarreg
do servigo do empttstimo os respectivos eoupons
por ordem de numera^ao e acompanhados de
urna declarago assignada pelo portador ou pos-
suidor de ttulos.
Em troca daro os ditos encarregados un bi-
lhete em que se determinar o numero de eoupons
recibidos c a quantia que elles repiesontarem e
que se pagar se os eoupons nao offerecereni da-
vidas.
Art. 5." (do decreto 7,381). A amortisago ser
semestral e far-se-ha ao par por sorteio se os t-
tulos estiverem com cotagio cima decem, e
por compra nn mercado se seacharera colados u
cem ou abaixo de cen. i
Thesouraria de Fazeuda do Pernambuco, i8
de Agesto de 1889.
-. 0 inspector,
Manoel Antonio Cardoso.
Prado Pernanliucaao
Foram multados pelo juiz de partida na
corrida realisada em 8 do corrente os
Jockeys:
Luiz Pereira 20)5000
Alexandre 20)JOO0
Alfredo Freitas 1 ,5000
Antonio Freitas 10,5000
Honorio da Piedade 10)5000
Re-.-ife, 9 de Setembro do 1889.
Inspectora Geral de Hygiene
Em vii lude do que dispoe o art. 66 do regula-
mento que ha xou com o decreto n. 9554 de 3
de Fevereiro de 1886, a Inspectora Geral de Hy-
giene faz publico pelo prazo de oito dias que o
cidado Domiciano Pastor Ferreira Lima, Ihe di
ritfio a seguinte pelgo com documentos que sa-
l sfazem as exigencias do art 65 do citado re-
gulamento
Domiciano Pa3lor Ferreira Lima, domici
Hado na villa de Cabrob, provincia de Pernam
buco, tendo as habilitage* necessarias para di-
rigir urna pharmacia, como prova com os docu-
meiil )s juntos, vem impetrar de V. Exc. a re-
spectiva Muenga para ter botica na mesma villa,
visto nao ter pharmaceutico formado e nem
licenciado, e ser de absoluta necessidade
existencia de urna pharmacia. Xestes termos
o 8uppljcanie confiado na i enevolencia c recta
juslica de Y. ExcPede deferimento.E. R. M.
Cabrob, 8 de Outubro de 1888.Domiciano
Pastor ferreira Urna. >obre urna estampilba
de 200 ris.
E declara que si nesse prazo nenhum pharma
ceutico formado llie communicar ou Inspecto-
ra de Hygiene da provincia de Pernambuco, a
resolurio de estabelecer pharmacia na citada lo-
calidade, conceder ao pratico a licenga reque-
rida.
Inspectora Geral de Hygiene, 26 de Abril de
1889.Pelo secretario, Df. Jos Antonio Pereira
da Silva.
(Diario Oficial de 17 de Agosto de 1889).
Obras Publicas
Ponte da Magdalena
De ordem do Illm. Sr. Dr. engenheiro
director geral de conformidade com a au-
torisagao de S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente da provincia, de 23 do corren-
%e, fago publico que no dia 11 de Setem
bro prximo vindouro, n'esta directora
recebe-se propostas, em cartas fechadas
competentemente selladas, para execugao
dos reparos de que necessita a ponte sob
o rio Capibaribe, na passagem da magda-
lena, oreados em 9:587,5200 ris.
O orgamento e mais condigoes do con
tracto acham-se n'esta secretaria onde po
dem ser examinados pelos pretendentes.
Para concorrer praca cima deverao
os licitantes depositar no thesouro provin-
cial a quantia de 479^360 ris equivalen-
te a 5 / do valor do orgamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas, em 24 de Agosto de 1889.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio (Jacaleante de Albuqucrque
Santa Casa de Misericordia
do Recife
PRADO PERNAMBUC4N0
A Illma. junta administrativa desta santa casa
contracta com quem melhores vantagens offere-
cer o fornecimento de carne verde para o con-
sumo dos estabelecimentos seu cargo, no tri-
mestre de Setembro Novembro do corrente
anno.
As pronostas deverao ser apresentadas em
cartas fechadas, devidamente selladas, na sala
d suas sesses, pelas 3 boras da tarde do dia
10 do corrente, declarando os proponentes su-
jeitarem-se a mulla de *> 0/0 sobre o valor total
do fornecimento se no praso de tres dias nao
comparecerem nesta secretaria para assigear os
respectivos contractos ; obrigando-sc a santa
casa a fazer o pagamento mensalmente.
Secretaria da Santa Casa da M sericordia do
Recife, 3 de Setembro de 1889.
0 escrivao,
8- Pedro Rodrigues de Souza.______
DO
Jo Jx. iA.-6 Xjl
apital.....20,000:0000000
dem realisado 15,000:000,5000
A caixa filial deste Banco funeciona i
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra osjseguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
PariaBanque de Pars et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Com-
pany Limited.
AUemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal c suas agen-
cias.
/?'o da Prata The London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praga do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento com juros na razio de 2 /0 ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, W illiam M Webster.
SANTA-CASA
CASAS PARA ALUCIAR
Ra do Vigario Tenorio n. 27, loja
dem idem idem, 3. andar
dem do Bom Jess n. 8,
Ra Visconde de Albuquerquc ca-
sa n. 61.
Ponte Velha n. 31.
Hecco do Abreu n. 2, V andar
Ra do Bom Jess n. 29, loja
dem idem i. 29, 1. andar
I icm idem 2o andar
Bispo Sardinha n. 3.. loja
Idem idem n. 11. 2. andar
Ra da Moeda n. 49 armazem
dem do Mrquez de Olinda, n. 4i, so-
brado
dem idem n. 33. idem idem
Idem de Tbom de Souza n. 14, 1*
andar
Idem Imperial n. 151, caza terrea
Hecco da Delengao imeiagua)
Amhole A'arzia )
S. Lourengo da Malta
Becco das Boias n. 14. 1 andar
2 180*003
216*000
246 SO 0
168000
100500(1
240J00O
240 1)00
20J000
168*000
240*000
200*000
2:131*000
1:200/000
200*000
360* 00
96OO0
72*000
60*000
180*000
Obras, publicas
Cadeia da rilade da Victoria
He ordem do Illm. Sr. engenheiro director
geral, em virtude da autorisago de S. txc. o
Sr. conselheiro p-csidente da provincia, de.
do Correte, faro publico que no dia li de Se-
tembro prximo" vindouro. nesta directora rece
bese propostas em cartas fechadas competen-
temente selladas, para execugao dos reparos de
que necessita o edificio da cadeia da cidade da
Victoria orgados em 95*800.
0 orgamento e mais condigOes do contracto
acnaui-M retarla, onde podem ser exa-
minados pelos pretendentes.
Para concorrer praga cima dever o licitan-
te depositar no The-ouro Provincial a quantia de
47*740 equivalente a 5 0/0 do valor do oiga
ment.
retara da directora geral das Obras Publi-
cas Provinciaes de Pernambuco, em 3 de Agosto
de 1889.
O engenheiro secretario
Luiz Antonio G. de Albuquerque
PROJECTO DE ENSCMPjO
Para o pareo
GRANDE PREV1I0
Na corrida que dever ter lugar no dia 29 de Setembro
de 1889
Animaos da provincia: l.SOO metros. PREMIOS: 8006000 ao pri-
meiro, 200#000 ao segundo, 10000JO ao terceiro e 60r)000 ao quarto.
Inscripcao 60S000
Nao se realisar este pareo sem que se inscrevam cinco animaes de proprie-
tarios differentes.
A inscripgao encerra-se-ha no dia 18 de Setembro, s '3 horas da tarde, na se-
cretaria do Prado.
Recife, 21 de Agosto de 1889.
Francisco de Souza Res,
EREXTE.
Prado Pernambucano
PROJECTO DE INSCRIPCAO
Para o pareo
GRANDE PREMIO PERNAMRCANO
Na corru a que se realisar no dia 1. de Janeiro de 1890
SEGUNDO AMIYERSARIO
DA
fflAUGURACAO DESTE PRADO
*.00 ni el ros Animaes de qualquer paiz. PREMIOS: :O00#0O0 ao
primeiro, 1:&00000 ao segundo, 8004000 ao terceiro,
e 400A000 ao quarto.
Inscripcao 400SOOO
Pagamentos em duas prestagoes, sendo a primeira no acto da inscripcao e a
segunda no dia 24 de Dezembro de 1889.
Xao sendo realisada a segunda piestacao lica considerado como tendo feito
forfait, para o animal inscripto,
Nao se realisar este pareo sem que se inscrevio cinco animaes de proprieta-
rios differentes.
A inscripgao encerrar-se-ha no dia 5 de Dezembro as 6 horas da tarde na Se-
cretaria do Prado.
Francisco de Souza Res,
EREXTE.
Recife, 21 de Agosto de 1889.
Companhia
Imperial
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadorias
Tamas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
II *. 1 .000:000*000 .
ton
BBOWm c.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
CONTRA FOCO
The Liverpool London & Globe
mSURAXTCE COMPANY
Ra do Commercio n. 3
HVDEMHIS AD ORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Estabelecldaem 1855
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTROS PAGOS
At 31 de DezeHbro de 18 H1
Martimos.. 1,110:000#00G
Terrestres. 316:000$000
44Ra do Commercio44
Companljia e 3ea,ur0S
costea f;::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posico (inanceira ("Dezembro de I885j
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados
Rcceila annual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De juros
COMPANHIA
DE
9
!M Bi i!
North British Mercanle
Insurance & C.
Es t ab el ecida em 1809
Capital subscripto 2.300:060
Fundo aecumulados para sinistros 1.842:54i
* 4.312:814
Apeale eaa Pcrimniliuio
N. J. LIDS TONE
lO Roa do t'oiuiuerelo O
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistas n. 73. No
Porto, ra dos Inglezes.
"SEGKOS.....................
MARTIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenix er-
nambncana
RA DO COMMERCIO N. 38
3.134,348
577,330
191,000
32,000
O AGENTE,
John H. BoxineU'
Companhia de Seguros
i&iiz&t &t pisiJla
AGENTE
Miaruel Jos Alves
o
N. tBoa do Ruin Jeu-SI. 7
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros 6 a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
fo de pagamento de premio em rada stimo
mno, o que equivale ao descont annual de cer-
>".a de 15 por cento em favor dos segorados
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance- Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R.DE DRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
Companhia Alagoana
de Fiacao eTecidos
Convidamos ao^ senhores subscriptores desta
companhia, para de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 10 de -etembro prximo
futuro, realisarem sua stima entrada na razo
de 10 0,0 do valor de suas accOes, no Banco In-
ternacional do Brasil.. Macei, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
Jos Tei:;eira Machado.
Jo Januario P. deCarvalho.
Propicio Pedroso Barreto.
O procurador dos feitos da fazenda
provincial, tendo recebido do thesouro 4
relacao abaixo transcripta dos devedores
do imposto da decima da freguezia do Afo-
gados do exercicio de 1886 a 1887 inclu-
zive o 3. semestre que deixaram de pagar
no tempo competente, declara aos mes-
mos devedores que lhe fica marcado o
praso de 30 dias, a contar da publicacSo
do presente edital, pa-a dentro delle paga-
rem a importancia de seus dbitos, com
guia da seccSo do contencioso, certos de
que findo aquelle praso ser feita a cobran-
5a executivamente.
Recife, 12 de Julho de 1889.
Joao Francisco Teixeira.
RelafSo dos devedores da dcima da fre-
guezia de Afogados do exercicio de
1886 1887 inclusive o *3. semestre
que deixaram de pagar no tempo com-
petente.
.1
Estrada Nova*n. 1. Joaquim Ho-
norio de Souza Rangel 64239
Dita n. 92. Januaria Martins da
da Cruz 90299
Dita n 94. O mesmo 135018
Dita n. 96. O mesmo 110159
Dita n. 98. O mesmo 90299
Largo do Remedio n. 5. Jesuino
de Albuquerque Mello 18059'
Dita n. 7. O mesmo 180599
Dita n. 15. O mcmio 299

I



^n
6
Diario de Peraambuco-Terca-feira 10 de Setembro de 1889

Dita n. 17. O memo
Dita n. 19. O mesmo
Cordeiro n. C> A. O memo
Giqui a JaboatSo n. 108. Joan
Baptista Feitosa
Giqui a JaboatSo n. 307. Joan-
na Baptista Olympia D.imas-
ceno
Dita n. 311. A mesma
Pojos n. 41. Joanna Evangelista
dos Prazeres
Giqui a JaboatSo n. 210. Joanna
Mara da Conceicao
Dita n. 212 .A mesma
Dita n. 214. A mesma
Dita n. 216. A mesma
Dita n. 254 A mesma lj2
Paz n. 4. Joanna da Paz Va-
rella
Castello n. 4. A raeswa
Bom Gosto n. 2. JoSo "Francisco
de Lima Amorim
Dita n. 34. O mesmo
Dita n. 34 A. O mesmo
Dita n. 11. JoSo Antonio Mar-
tins
Giqui a JaboatSo n. 128. Joao
Armmio Alves da Guarda
ConcecSo n. 1. Jos dos Santos_
gtMl
11515!
18159!)
145879
n.
Silva
Aurora n. 2 A. Joao Baptista da
Silva Duela
Gamelleira n. 36 A. O mesmo
' S. Miguel n. 68. Joao Barboza
Maciel
Pocos n. 15. Joao Bento Lages
Dita n. 17. O mesmo
Dita n. 19. mesmo
Estrada Nova n. 52. JoSo Bernar
do do Reg Valenca
Dita n. 52 A. O mesmo
Dita n. 52 B. O mesmo
Giqui a JaboatSo n. 275. JoSo
Carlos de Souza Santos
Dita n. 277. O mesmo
Estrada Nora n. 146. JoSo (>val-
canti Lamenha Lins
Rosario n. 6. JoSo Chxysostomo
Pereira Soares
S. Miguel n. 15 JoSo da Cruz Es
tanislo
2. Becco da Travessa do Remedio
n. 6. Joao Florndo Pereira
Dita o. 8. O mesmo
Giqui a JaboatSo n. 115 A. JoSo
Francisco
S. Miguel n. 114. Joao Francisco
de Carvalho Paes de Andrade
Dita n. 118. O mesmo
Giqui a JaboatSo n. 1396. Joao
Francisco do Reg
Dita n. 139 D. O mesmo
Dita n. 138. JoSo Gongalves Cha-
ves
Travessa do Leoncio n. 1. Joao
Holms
Estrada Nova n. 88. JoSo Joaquim
>. Alves de Albuquerque
Bom Gosto n. 19. JoSo Joaquim
da Silva Alves
Dita n. 21. O mesmo
Bongy n. 8 B. JoSo Jos de Arau-
11*159
50579
230249
110159
90299
9029!)
110159
140879
160739
70439
110159
18059!)
370199
110159
110158
230249
18059!)
140879
'370199
90299
70439
029!
200699
120419
180599
50579
50579
220318
140879
1G0739
90299
90599
30099!)
!'029
11015"
11065!)
110159
90899
100398
220318
140879
40879
11159
(Contina).
Santa Casa de Misericordia
do Recife


I f


A Illma. junta administrativa desta Santa Casa
contrata, com qoem melhores vantagens offere-
cer, o orneciraenio dos gneros abaixo mencio-
nados, para o consumlo dos estabelecimentos a
sen cayp, no trimestre de Outubro a Dezembro
to corrente anno.
As propostas dcverSo ser apresentadas em
carias lechadas, devidamente selladas, na sai a
de soas sessOes, pelas 3 horas da tarde do dia
10 do corrente, decl-irando os proponentes su-
jeitarem se multa de 5 % sobre o valor total do
fornecimento, se no praso de 3 das, depois de
aceitas as propostas, nao comparecerem secre-
taria para assignar os respectivos contratos.
Aietria. kilo.
Arroz, kilo.
A;iirdente, litro.
Azeile doce, litro.
Aramia, kilo.
Bacalho kilo.
Banha, kilo.
Batatas, kilo.
Cha verde, tilo.
Cha preto, kilo.
Caf em grao, kilo.
Carne secca, kilo.
Cebollas, cento.
Fannha de mandioca da proncia, litro.
Feijao, litro.
Fumo, kilo. _. .
Gaz, lata.
Gaz inexplosivo, lata.
Milho, kilo.
Manteiga franceza, kilo.
Potassa, kilo.
Pao e bolacha, kilo.
Dito dem para o collegio das orpbSs em Olinda
kilo.
Sabao, kilo.
Sal, litro.
Tapioca, kilo.
Toucinho, kilo. *
Vellos de carnauba, kilo.
Bita steairaas, kilo.
Yinho Bratico, litro.
Bilo tinto (Figueira), litro.
Bito do Porto, 'uro.
Vinagra, litro.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 1 de Setembro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
CHARGEURS REUNS
Pra
eeaa
[CoaifiiakU
DE
IVavegsclo a vapor
winha regnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos.
. O vapor
Ville de Pernambuco
Commandante Lenormand
Espera-se dos portos do sul at
o dia 10 de Setembro, setruindo
depois da indispensavel demora
para o Havre tocando em
Lisboa.
Entrar do porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excelleotes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
mao.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodaces.
Para carga, passagens, encommeiidas e di-
nheiro a frete: Irata-se com o
AGENTE
Aligaste Labille
9 RA DO COMMERCIO-9
Roya I Mail Steam Packet
Companhy
O paquete Tagris
Commandante P. Rowsell
Espera-se da Europa at o dia 13 de
Setembro, seguiudo depois da demo-
ra do costume para
Hacel, Baha, Rio de Janeiro
Mantos. Montevideo e Bucnos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommendas trta-
le aom os AliENTES.
La Plata
O vapor
Commandante A. H. Dyke
E' esperado do sul no dia 13 de Se-
tembro, seguindo depois da demora
neceasaria para
Lisboa, Vigo, Soathampton e
Antuerpia
Reduccuo de passagens
Ida da e mita
V Lisboa 1 classe t tu 30
A' Southampton i' classe t 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, Irata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Rna do Bom JessN. 3
Companhia Bahiana de Na-
vegacao a Vapor
Mace, vlla-Nova, Penedo, Araca-
j, Estonia e Babia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
al o dia 12 do corrente, e de
pois da demora do costume re-
eressara para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete Irata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vignr^o17
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
:".' esperado dos portos do Dorte at-
o dia 14 de Setembro e depois da de-
cora indispensavel seguir para os
portos do sur.
As cnrsmiuemtas serto receidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da saluda.
Para cuica, passagens, encomrafndase valo-
res trata-s co:n os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapdr Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esi>erado dos portos do so! at o
dia 17 de Setembro e seguindo depois
a demora indispensavel para o
portos do norte af Manos.
A? encommendas so serao receidas na agen-
cia al 1 hora da tarde do dia da ehida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro &. G.
6=xRua do Cvmmercio=6
! andar
LEILOES
Leilo
Da
ns. 4
MARTIMOS
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado de New-York
at o dia 19 de Setembro
o o qual depois da de-
mora necesaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeir e Mantos
Para carga, passagens, encommendas e di-
Iro a brete : trata-se como3
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Comnuciur8
1* andar
"COMPA tfHIA PEBKAIBl'CAIVA
DE
Navegaeo costeira por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Pira pama
Command? te Carvalho
Segu no dia 12 de Setembro s 12
Inoras da manha. Recebe Jarga at o
dia 11.
irens at s 10 horas do di da sahida.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
duas casas terreas da ra Real, na Torre,
e 49, edilicadas era chaos proprios, com
300 palmos de fundo, edilicacao nova e perto da
linlia dos bonds, 1 sobrado de 1 andar na ra
Yelha u. 8S, casa de esquina.
Terea-feira. I o do corrate
Agente Pinto
No armazem ra do Bom Jess n. 45
LeilSo
De fazendas
Co.istanJo :
Da catxa n. 1166 com 8 pecas de atoalhado de
linho adamascado e 28 kilos de toa I has e guar-
danapos de linho adamascado, caixas ns. 1702 e
1703 com 376 kilos de morim estampados em
cretonea de cores, caixas ns. 1161 c 1162 cora 54
duzias de camisas de algodo para horaens, cai-
xa n. 708 com 28 pecas de mirin de l, e 8 pe-
Sas de alpaca de 1S, caixas ns. 1074 e 1703 com
67 kilos de morim estampado em cretones de
cores.
Itrca-feira, 10 do corrente
A's 11 horas
O ag.n!eGusm5oautorisado pelolllm. e Exm.
Sr. Dr. juiz de direito do commercio far leilo
no armazem n. 5 da roa Mrquez de Olinda, das
mercadorias cima mencionadas, as quaes sao
perlencentes a massa fallida di* D. P. wild ft C.
e ser&o vendidas em lotes vontade dos com-
pradores.
Leilo
De fazendas
CONSTANDO :
Das caixas ns. 23, 24, 2o e 22 com batistas es-
tampadas, caixas ns. 17, 18, 19, 20 e 21 com chi-
tas estampadas de cores claras, 2 caixas com 100
picas de laus para vestidos, fardos com mada -
polftes. pecas de bramantes, cortes de casemiras,
pecas de ditas, sapatos de charlles, pecas de
bnm pardo, colarinhos de linho e algodo e mul-
tas outras fazendas e diversas miudeza que se-
rio vendidas em continuaco ao leilo de fazen-
das perlencentes massa fallida d D. P. Wild
& C.
Terea-feira. IO do correte
A's 11 horas
Por intervengo do agente Giismao
No armazem n. 5 da ra Mrquez de
Olinda
LeiJao
De dous cavallos de corridas, sendo Royal russo
de 4 annos, eContra Regra mellado de 5
anaos.
Terea-feira iO do correte
A's 11 horas em ponto
Agente Pinto
Em frente ao armazem da ra do
om Jcnhk ii. 45
jLeilo
De movis
Constando de:
Urna mobilia de amarello com cadeiras de ba-
lango e jardineira, 1 espelho oval, 4 pares de
etageres, 3 pares de jarros linos, pannos de cro-
chet, candieiros a gaz. 1 lustro de 2 bicos para
kerosene, escarradeiras, quadros, bolas, lanter-
nas, banquinhas de amarello, machina do cos-
tura, 1 bonita cama franceza de amarello, lava-
torios, cabides, cora moda de amarello, mesas de
jantar, trens de coeiuha, loucas e outros muitos
movis.
Terea-feira, lo de Setembro
A's 11 Turas
Na casa n. 21 da ra da Roda
O agente Martins far leilo dos movis cima
por conla de urna familia, que se relira para fra
da cidade.
Ao correr do martello
Leilo
De fazendas
CONSTANDO :
da caixa n. 1 com 29 pecas de selinetas linas
para forro, caixa a. 2 com 42 pegas de selinelas
linas para forro, caixa 3. 1,170 com 2o pegas de
brim de cores. 8carl5es c m l'O pegas de ntre-
melos e babudos Unos bordados, parte da caixa
n. 313, cujas mercadorias vao a 2-. leiio.
Terea-feira- IO do correte
A's 11 horas
0 agente Gusrao, autorisado por despacho do
Illm. Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio
far leilo das mercadorias cima mencionadas
perlencentes a massa fallida de D. P. Wild 4 C,
e vao a leilo no armazem n. o da ra do Mr-
quez de Olinda, por occasio do leilo de ou-
tras fazendas sahldas ltimamente da Alfon-
dega______.._________________
Agente Stepple
2/ leilo
de urna importante casa terrea sob n. 18 ra
Formoza, freguez>a da Ra-Vista, em solo forei-
ro, cora 2 janellas e porta, 6 quartos e grandes
2 salas, saletas para engommar, cesinha c quarto
fra, encanamentos d'agua e gaz. A casa acha
se em boa conservacSo.
Servindo de base o prego do 1.* leilo ? ? ?
De v.aoiftooo
Qoarta-feira. 1 do correte
A's 11 If horas em ponto
No armazem rna do Imperador n. 36
0 agente cima com o alvar de auterisago e
assislencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito dos
feitos da fozenda, levar a leilo a casa cima
mencionada, a requerimpnto do inventariarte
Custodio Domingues Codeceira, cujo bem per-
tencente ao espolio de D. Anua Cecilia da Silva
Guimares.
Os Srs. peetendeotes desde j podero ir exa-
minar a referida ca.-a. "J^
Agente Stepple
Leilo
De niuito boas casas e de bom emprego
de capital, e para quem tem precisao
da possuir umapropriedade
Qoarta-feira 11 do correte
A's 11 horas em ponte
No armazem ra do Imperador n. 30
O agente aciraa, bastantemente autorisado por
urna pessoa rccen'emenle ebegada da Europa le-
var a leilj as segninti's casas:
Um sobrado de dous andares e solo, ra
Vizconde de Albuquerque sob n. 123.
Urna casa terrea ra vellia de Santa Rita
n. 29.
Urna casa terrea rna Padre Floriano n. 8.
Urna casa terrea a ra Padre Nobrega n. 5.
Uraa casa terrea ra Imperial n. 65.
Urna casa terrea ra Imperial n. 267.
Os Srs. prelendeutes desde j podero ir exa-
minar as referidas casas.
Leilo
Agente Britto
De 1 mobilia de junco, 1 cama franceza, 1
guarda vestido, 1 toilette, 1 commoda 1 mesa
elstica, 2 aparadores. 1 guarda-louga, 1 sof,
2 cadeiras de balango, 6 cadeiras de amarello,
12 cadeiras de junco, 2 marquezes, 1 bergo, 1
lavatorio, 1 cabide quarlinheira, 1 cdeira de
piano, 1 estante, 2 malas, 1 banca, 1 raesa de
louro, 1 espelho, louga do oorcellana para al-
raogo e jantar, conos, clices, garrafas, compo
U'iras, bandejas. Lacias, 1 relogio de parede, 1
machina de costura, 1 jarra, candieiros para
kerosene, jarras finas, joias e outros objectos.
(ninfa fcira, 19 do correte
A's 10 e 1\2 horas
Pateo de S. Fedro 2o andar
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se a casa da ra das Flores n. 18,
cora 3 quartos ; a tratar na ra Nova n. 39,
loja.
Aluga se o 1- e2- andares A ra da Roda
n. 17, cora grandes commodos, em bom estado
de conservagao ; a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65.
O abaixo assignado declara ao publico e ao
commercio, que nesta data vendeu o scu estabe-
lecimento de molhado3 silo ao Becco Largo n. 1
B, ao Sr. Antonio Marques de Almeida, livre e
desembaracado de todo e qualquer ouus.
Recife, 9 de Setembro de 1889.
Manoel Joaquim de Souza.
Era urna das melhores localidades, praga
do Conde d'Eu. vndese una armago de ama
relio, toda envidragada, ou aluga-se a casa com
a dita armago, ou tambera admitte-se um socio
com capital ; a tratar na ra da Imperatriz nu-
mero oi.
Vende-se na praga do Capim n. 149, fre
guezia dcAfogados. urna (averna bem localisada
e faiendo bom negocio ; o dono s vende por-
que precisa retirar-se para fra, e quem jul-
gar-se com pretengo se dirija mesma.
Mudou-se
a sellara ingleza de Domingos Jos Ferreira A
C. para o predio n. 73 mesma ra Baro da
Victoria
0 Sr. Benjamn Juaseiro deixou de ser nosso
empregado desde o dia 7 do corrente.
Recire, 9 de Setembro de 1889.
_ Domingos Jos Ferreira.
.......A3500
Vende-se o frasco do Petoral de Cam-
bar, de Souza S jares, em casa dos agen-
tes e depositarios geraes Francisco Ma-
noel da Silva, ra Mrquez de Olinda
n. 23.
Os abaixo assignados, feridos ainda de raais
doloroso sentimento que Ihes causou a rcenle
noticia de haver fallecido em Portugal o seu
raui prezado pai e sogro, Antonio Teixeira, con-
vidam os seus prenles e mais pessoas de suas
umizades. para ouvirem as miasas que por sua
alma raandam rezar na matriz de Alogados. s
7 12 horas da manh de quarta-feira 11 do cor
rente, trigsimo do seu fallecimento; anleci
pando desde j sua eterna gratido a todos que
lhes derem essa prova de araizade.
Afogados, 7 de Setembro de 1889.
Justino Teixeira de Moura,
Jacob Teixeira de Moura.
Clotilde de Araujo Moura.
Amalia Maranho de Moura.
Precisa-se de urna ama para cozinhar ra de
Pedro Alfonso n. 70.
Ama
Precisa-se do urna ama para servico domesti-
co, pretere-se a que nao saia ra, a tratar na
ra do Baro da Victoria n. 5i.
Ama
Precisase de urna para rauito pequea
lia, no raa da Ccnceigo n. 8, 1 andar.
fami-
Aluga-se
acisa terrea do Caminho .Novo n. 139-B
tar na padaria n. 91
a Ira-
Ao commercio
0 abaixo assignado, polo presente declara que
nesta data comprou ao Sr. Manoel Joaquim da
Cruz o scu estabelecimento de molhados sito ao
becco largo n. 1 B, freguezia de S. Fr. Pedro
Gongalves, que gyrava soo a razo de Manoel
Joaquim da Cruz s C, livre e desembaragado de
qualquer onus.
Recife, 9 de Setembro de 1889.
\ntonio Marques de Almeida.
Hotel do Mastro
Estabelecimenlo-montado com todo asseio e
commodos para os viajantes, como seja : boa
dormida, bom tratamento, c cocheira para os
aniraaes que o freguez levar, existente na Russi-
nlia jun'o estago, para o qual chamamos a
attencao do publico.
Professora
Urna seohora competentemente habilitada se
offerece para ensinar por prego mdico francez,
msica e piano, em casas particulares nesta ci-
dade eem seus arrabaides : quem se quizer uti-
lisar de seus prestimos, pode dirigirse em car-
ta fechada a esta typographia com as iniciis
I*. '3
Previne-se
a quem arrematar a casa da rna Formosa n. 18
que vai praga a 11 do corrente, que o encana
ment do gaz e mais bemfeitorias pertence ao
inquilino.
Caixeiro
Precisa-se de um pequeo de 12 14 anuos de
idade, e que tenha alguma pratica de taverna, e
que d conhecimento de sua conducta ; a tratar
no hotel da ra de santo Amaro, esquina do bec-
co do Caj n. 40.
"l
Francisco Jos Leile seiis ilhos, mandam
celebrar raissas na igreja do Divino Espirito
Santo em sulTragio da alma de sua serapre lum-
brada esposa e mi Mara Benedicta MattosoLei-
te. no trigsimo diado seu fallecimento, quinta-
feira 12 do corrente s 8 horas da manh ; e
para esse acto de religio e caridade conyidam
aos seus amitros e pessoas da amisade da finada
pelo que llies tributara eterna graiido.
Criado
Precisa-se de um criado que saiba trabalhar
em jardim e sitio, e tomar conta do mesra, dan
do prova de su conducta ; a tratar na ra da
Guia n. 5, l andar.
Repblica
t
D. Isabel Buarque l.i*lo:i
Antonio Ribeiro da Silva Guimaraes c D. Joa-
quina Francisca Pontes agradeeem a todas as
pessoas que se dignaram acompauba ao cemi-
publico os restos mortaes de sua prezda espo-
sare tillia D. Isahel Buarque Lisboa e de novo os
convidara para assistir as raissas que por sua
alma mandam celebrar na igreja de Nossa Se-
nliora da Paz de Afogados, pelas 8 horas da ma-
nh, do dia 12 do corrente, 7* dia de seu pass-
mento, pelo que desde j se confessam eterna-
mente gratos._____ ________ .
t
Joto Vctor Fraacinco da Cruz
Antonio Francisco da Cruz, Antonio Gomes de
Ollveira e Isabel Francisco da Cruz Oliveira,
profundamente pezarosos pelo infausto passa-
mento de seu sempre pranteado irmo e cu-
ubado Joao Victor Francisco da Cruz, mandara
celebrar urna missa por sua alma, na matriz de
Santo Antonio, quinla-feira, 12 do corrente, s
7 horas.
Olympia de J %u G4jj)ealvs
1. anniversario
Manoel Antonio Gongalves c suas filhas convi-
damseus prenles c amigos assistirem as rais-
sas que por alma de sua prezada esposa e mi,
Olympia de Jess G .ngalves, mandam celebrar
na matrii da Boa Vista, s 8 horas da manh de
terga feira 10 do corrente. Por este acto de re-
ligiSo e caridade, antecipam seus agradecimen-
tos e eterno rcconhecimenlo.
f
Adoipiio Alves Coimarc
D. Francisca Moreira Res Guimaraes e sua3
filhas agradeeem a todas as pessoas que se dig-
naram acompanhar os restos mortaes de seu
sempie lembrado espeso e pai, Adolpho Alves
Guimaraes, sua ultima morada ; e de novo as
convidam assistirera as raissas que por sua
alma mandam rezar na matriz de Santo Antonio,
s 8 horas da manh do dia 10 do corrente, s-
timo dia do seu pasamento.
Aluga.se b;.rato a casa n. 9 ra do Hospital
Pedro 2., no lugar dos Coelhos, caiada e pinta
da de novo, cora muitos commodos e muito fres-
ca, vista magnifica e banhos salgados na porta ;
a tratar no mesmo lugar com Joaquim Moreira
Res.
T" '
igipio
Constantino de S\ Burrero
Convida-se a este senhor a comparecer ra
do Bom Jess n. 23, para prestar contas das
cobrangas que fez no termo de Agua Preta, em
Margo prximo passado.
Especialidades
DA LOJA DA RA DA IMPEEATEiZ N. 80
Ricos espelhos dourados oves para salas
a 5G&00.
Bonitos candieiros americanos para salRo
a4@,?000.
Ditos menores a 155O00.
Ricos cortinados de crochet, grandes, para
camas a 300000.
Cortinados de cores, phantasa, para ja-
nella, metro a 1^800.
Ricas bandejas esmaltadas de madreperola,
terno 184000.
Lindas cambraias arrendadas, finas, para
vestidos.
Candieiros de p, inexplosivos, de Berlim.
Especial oleo hJgh-fe para o cabello,
frasco 14000.
Lindo sortimento de jarros.
Maquinas para costura, portateis, dous
pospontos a 120000.
Sapatos para casa, especaes para doente
a 500 rs.
Florea artificiaes.
Qal3ea pretos com vidrilhos, prejos sem
competencia.
Las de quadros, covado 160 rs.
Etamines de la, duas larguras, covado
10500.
Grande sortimento de perfumaras, miu-
dezas e fazendas.
ANGELO RAPHAEL & C
f
Precisa se de urna
ar na ra Nova n. 39, 2-
boa cosinheira
andar.
a tra-
. Frecisa-sc de urna ama para varrer e arru-
mar cusa, e qne durma em casa do palro ; na
ra da Matriz da Boa-Vistd n. 9.
Leilo
De dous cavallos para sella, sendo um rudado e
outro castaolio com andares
Terea-felrsi, lOde Setembro
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
Em frente ao armazem da ra do Bom
Jess n. 45
Precisa se de um menino de 10 11 annos,
com alguma pratica de molhados ; na ra da
Gloria n. 140.
Precisa-se de um caixeiro com psrfeito co-
nhecimento de retallio e que d o de sua con
ducta ; a tratar na ra de Bemtica n. 7, onde
tarabem se precisa de um menino de 12 a 14 an-
nos, em iguaes condigdes.
Na ra de Sania Thereza n. 20, precisa-se
de urna ama de meia idade, que durma em casa
e saia iva para fazer compras.
Uraa senhora de idade e de boa conducta,
offerece-se para acompanhar alguma familia que
v para Europa, ou para tomar conta de easa de
algum viuvo sem ilhos ; a tratar na ra da Ira
peratriz n. 36, 1 andar.
Vende se urna armago envidragada, com
todos os utensilios, na ra larga do Rosario n.
17 ; a tratar na ra das Trincheiras n. 16.
Joo Alves Bezerra convida alguns parentes e
amigos para assistirera no convento do Carmo,
quarla feira li do corrente, as 7 1/2 horas da
manh, as raissas do stimo dia de sua prezada
mi, Antonia Alves Bezerra, que falleceu no
Cear no dia 5 do corrente. e desde j agra-
dece cordialraentc este acto religioso.
-"2JW
K
Manoel Miranda Sanipalo
Carlota Libania Borges Cabral, sogra, cunha-
das e cunhados convidara os paren! -s e amigos
para a missa do trigsimo dia do seu pasamen-
to, as 7 1,2 horas da manh, na matriz do Corpo
Santo. _____
Tenente SehaMtlilo Jone do Reg
Barreto
Trigsimo dia
Sua mulher, ilhos e lilhas, genros, oras, ne-
tos, cunhadas o sobriuhos, convidam aos seus
parentes e amigos c aos de seu prezado marido,
pai, sogro, av, cunhado e tio. para assistirera
as raissas que pelo repouso eterno de sua alma
mandara celebrar na quinta-feira 12 do corrente,
s 7 1/1 oras, na capella da Ponte do Ucha e
matriz de Quipap, s 6 no collegio da Estancia,
trigsimo dia de seu passamento ; pelo que 3e
considerara asss agradecidos por esse acto de
religio c caridade.
O grande e importante estabelecimento de
Pogas Mendes & C, sito ra estreila do Rosa-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de rec ebe
urna grande reraessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
0 nico que, sem a mnima confecgo, im-
portado neste mercado, e s se vende no referi
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejara : o vinho Maduro, sendo
como 6, feito nicamente da uva madura, tem
asseguinles vantagens que as outras qualidade?
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur
bago a3 digestes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lh vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, ed forgas
s que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas-
viciadas.
Recebemos tambera
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
propriitarios capricham em bem trabIhar neste
artigo, afim de terem a primazia sobre tantos
outros similares, cuja composigo duvidosa.
Era outros artigos como gementes de hortalici
e flores, linguas seceos do Rio Grande, objectos de
rime e tamancos do Porto para homens e senho-
ras, para isto lo pouco temos competidor.
nossa casa especialista, e as pessoas que disto
se queiram certificar podem comparecer, com
o que muito nos honraro. Aps urna infini-
dade de artigos de primeira ordem, que acham
se em expostgo, acresce a amenidade do trate
com que timbramos tratar lodos os que no?
honrara com a sua presenga, junto a modicidade
de pregos sem rival.
Baa entrelta do Rosario n. O, Jauto
a Igreja
Po^as Mendes & C.
GRANDE LIQUIDACO
Na Loja das Estrellas
5(i---Ru Duque de Cxias~&
Tclephooe o. lo
Este bem conhecido estabelecimento scab
de passar por urna grande reforma^
sende ligado interiormente coa a-
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos o sea
freguezes com mxima brevidade
possive!, resolveu razer grande II-
quidacSo ai iodos os saldos que
ficaram de balanco, por menos
50 [. do seu valor, cujos artigo
pass:imos a demonstrar :
Artigos de lei
Esguiao, peca, a 30500.
Madapolao com um metro de largura &
140 por 70000.
dem idem americano de 80 por 50000."
Algodo marca T, especial, muito Iarga^-
de 70 por 50000.
Bramantes, pegas, por 70000.
A.toalhados, lindos desenhos, duas larga-
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o asp-
iro.
Bramantes de linho com 11 palmos dr
largura a 10500 o dito.
Lencos brancos e com borras 'le cor a 1&-,
e 10200 a dozia.
Toalhas de fustao, qualidade snperie-r.a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores *
20000.
Lenges de bramantes a 20000.
Chales, escocezes a 10000.
E outros muitos artigos que dexaia es
ser mencionados e que se vendem con
igual abatimento
Tecldos de alia novidade
PAEA VESTIDOS DE SENHOEAS
Linhos pardos para .'vestidos a 300 e 320-
Sedas com quadros e listras de 10800 por
^ 800 rs.
Setins de seda,, todas as cores, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 per
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 i.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissinH
desenhos de 440 por 240 rs. 1.80C
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedad* e
padrSes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 ra.
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros deae
nhos muito lindos, de 500 por 160 r
Sedas Felippina3, de 500 por 200 n.
E muitcs outros tecidos para vete>,
em algodo, linho, la a sedas que se ?-
dem como o mesmo abatimento de 50 *f.
Confeceo
Vestidos feitos de Casemira ricainet?
bordados de 800 por i 50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos branSos bordados em cartao, altes wo~
vidade a 80 e 100.
Guarnieres de colariuhos e punhoa part-
senhora por 10 e 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 20)J pe?
90 e 100
Gollinhas e punhos para menino e 3
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para crianca*, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira t>
de brira.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptsado com collares) ekv
tricos por 50.
Luvas de seda meio brago <
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e
Sobretudos impermeaveis de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de c achemiras ortoaa
na ricamente enfeitadas de vidnlbos
255 e 300.
dem idem de renda, seda, damasco*
qualquer t*-
10500.
borradla it
gurgurao, tanto para phantasa coas
para commodidade a 380 3 400.
Velludos de seda e algodSo de muitaa t-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dito o linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E mnitos outros artigos de confeeeSee
como sejam mantilletss de blonds, sabidac
de bailes, leques transparentes e de pbaa-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 "L.
Para homens
Casimiras inglezas com duas largura, de
30500 por 10200.
Ditas cor de caf e azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de seda paracollete, de 120000 por
30000 e 30500.
Ditos de velludo e fustao a 10 e 10200.
Meias inglezas com fio de seda, de 12f-
por 60000 a duzia.
Paletots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofic-
a 10600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pa-
nnos, sem collarinhos e sem punhos s>
360000 a duzia.
Brns pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 6-
^ 80, 100 e 120 a 40, 60, 80 e 100000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, par
homens, de 700 e 800 por 300 e 400.
Ceroulas francezas, de 380 por 240000
a duzia.
Paletots de seda, completos de feitos sV
casemira, malas para viagem, e boleas e-
tapete e um completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francesas^
ingleza*, pretas e de cSres de padroes ia-
teiramente novos e que se vendem cora o
mesmo abatimento de 50 i0 de seu valor-
Retalhos
Aproveitem a grande quantidade e
pelos presos, ein sedas pretas e de core,,
gorgor5es, setins, 13s, merinos, zephyrss^..
linhos, chitas, madapoloes e algodaost-
nhos.
E umitas outras pechinchas que a so
encontram na
Loja das Estrellas
156, 58Wa- do Duque de Canas56, 58-
i -


v
Diario de PeruaubucoTerca-feira 10 de Setembro
e
888
ENGADERN4CA0 MIRANDA
39-RA DUQUE DE CAXAS-39
Este antigo estabeleciniento, hoje completamente reformado oom machinas
mul aperfeieoadas e movidas a vapor, achn-se em condic3e8 de executar qualquer
rabalho em
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, memoriaes, despachos, cartSes de
acacSes, mappas, precos correntes, aceces, bilhetes de loteras e rotulas do todas
jh cualidades cu preto, ouro ou cores.
Peitoral de Cambar
de S. SOARES sempre toi, e ser o principal remedio para as molestias do larynge,
bronchos e os pulmoes.
. A bronchite, asthma, molestia do peito, rouquidao, coqueluche e qualquer tosse
sao perfeitamente curadas com o verdadeiro remedio PEITORAL DE CAMBARA',
de S. Soares, approvado pela Exma. Junta Central de Hygiene Publica do Brasil,
premiado com duas medalhas de ouro, e rodeado de valiosos attestados mdicos e de
innmeros de pessoas curadas, tanto nesta provincia como em outras do imperio.
Precos : frascos 20500, lt2 duzia 13 Vende-se em casa dos unicosagentes e proprietarios geraes Francisco Manoe!
da Silva & C, ra Mrquez de Olinda n. 23.
Jrochuras, cartonados, encadei-nacSes, livros em branco para o commercio e
spepartiyoes, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
Variado sortimento em cartoes para visitas, participiales" e convites de casa-
jDCfttto. bailes, menas, felicitad-oes, etc., etc.
Livros-de recibos de aluguel de casa, papel de impressao, tintas, vernizes e
artigos para ypograph.ia e INhograpnla.
Manoe/ J. de Miranda
Telephone 194
W
^MM-N
mugni/lco LUSTRO 'sata ffrax
cou-arva-so durante urna sc-atuia,
eeja <-.ial tur o tampo.
BALmOnAL GLOSS Geir.:nr. hulrcsa tlostita [ara as Hollinas das Seniora:. I
PASTA UNCfUGSA, em mizas de folha de audraa, tal quaJj
entregue o lixercito Ingle*.
tmk Nun*M uanuf) compi l, o a o, Honer Lina, londhu k. o.
Agente gerae em PEF.NAMB'JCO :
uimaraes t Perman.

a o
Remecedor de %f%l.
o Imperador do Brazil e o Re dos Belgas.
A VERDADEIRA
AGUA de B0T0T
' o nico Dentifricio approvado fc
pela ACADEMIA de MEDICINA de PARS
0 melhor calmante contra as Dores de Dentes
Recommendario especialmente oom os POS da BOTOT com Saina.
para os cuidados da booca.
239. Rae St-Honore. Paria,< ea todas a* bou Drogara. Perfumarte CibtBenirlu.
s
(JUNTO AO LOUVRE)
Gaciemira de listras a 1($000 o covado.
fiases arrendadas a 400 rs. o dito.
SWsio branco lavrado a 360 rs. o dito.
Tile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Gerte* de vestidos em cartoes.
'Gas-chas de fustio a 4fS000 urna.
Tbabps para banho a 10500 urna.
Cbcfeesnras lisas a lt5000 o covado.
ftafteMnaa brancas a 300 e 10X) o dito.
Ca : -i.rii.-4s de qnadro a 280 rs. |h dito.
fllMlai ra roupo, de ljOOO a 700 rs. o
. !O.
Cbk-Las de cores a lf5800 urna.
Jfefi:-> preto e 800, 10000 1*5800, I 500
108OO
-Chitas percales a 200 rs. o covado.
?aRmtina preta a 700 rs. o diio.
Crep preto (inglez) a 20000 o dito.
.le Merinas de cor duas larguras a '440 rs.
Sendas hespanhelas a 20000 o dito.
Sctlm do Japao a 240 rs. o dito
CSwnbraia Victoria a 20800 a peca.
Ctoetoaes claros e escuros a |240 jrs. o
ovado.
Cambraia bordada a 40000 a peca.Q
Osara ie* o de crochet a 70000 urna.
Xteques transparentes a 20500 un.
Fichas de retroz a 10000 nm.
Gatvsas de flanella a 20500, 40000 e
50000 urna.
8eos de cores a 20000 e 20500 a peca.
fftil1"*" felpudas a 40Oi 0 a duzia.
Qrinala para noiva a 70000 ama.
Churdap para homein a 6;5000.
inglezas para horneas 50000 *a du-
ins de cores a 200 rs. o covado.
de alpaca preta a 40500 um.J
Casemia diagonal a 20000 o covado.
Mttt o da Escocia a 10500 o par.J
tLntteos' brancos a 10200 e 10800 a duzia.
*evioth preto a 30000 e 40000 o covado.
Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 10500 a 10000 o dito.
Baldas a 240 rs. a duzia.
Lences de bramante a 20000 um.
Cobertas de ganga a 30000 urna.
Tapetes grandes a 130000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 50000 um.
Madapolao americano a 60OOO a peca.
Coletes de flanella a 20500 nm.
Palitots de seda palha a 80000 um.
Lencos de iinho a 50000 e 60000 a duzia.
Palitots de brin pardo a. 40500.
Bolsas para viageos.
Casemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 20000 e 20500.
Guardanapos de linho a 20200 a duzia.
Guardap para senhora a 100000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da* Costa a 10000 e 10200 o co-
rvado.
Bramante de algodao a 10000 o metro.
Algodao branco a 40000 e 40500 a peca.
Cortes de fustio para collete a 20500 um.
Cortinado bordado a 70000 o par.
Zcphyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Ato&lhado bordado a 10200 o metro.
Peca de csguiSo de algodao a 30500.
Regatas a 10000 e 10500 e 20000 Juma.
Palha de seda a 10000 o covado.-
Camisas allennies a 366O0 a duzia.
Bramaote de linho a 10600 o metro, 4
larguras.
Cortes de seda para collete a 50000 um.
Chambres para homein a 60000 um.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Algodao trancado, 2 larguras, a 101CO.
Cortes de casemiras, a 50500, 70000, e
90000.
Brim branco, todos os nmeros.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 150000 a duzia.
Flanella de cor a 300 rs. o covado.
irande sortimento de fichs, casemlras,5!brim, algodao, camisas, collarinhos,
rsnhrts, meias, perfumaras, e bordados.% ; jg*;*';-^
20Ra Primeiro jde Marco20
AMAR AL fe C.
<
*b!
W%
DES
OleodeFigadodeBacalhau
do E>r JOTTOOTTIIE
lodo-Ferruginoso de Quina e Casca & Laranja amarga
Estf i rato i hl tDUEE, aaq provoca nauseas,
e e de citico agraaML Pela sua cemposicao, possue todas as
quididades que .he p.r.nictc combater :
a ANEMIA, a CHLOROS2, a i AFPBCCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do sen emprego acil, da sua aegao multplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro niedicamento similar.
DSPOSTXO QBEAL .
PARS, 209, ra Saint-Verts, 209, PARS
TCNDE1I-SE EM T0D4S AS IT.I.1CIPABS PHARMACUS DO UKttUKO
CONFIAR DAS F A U S I FI C A C O E S E IMITACOES
MEIO-SEGLO DE EXiTC 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra m



ago,
SAVE...

EXCFLLENTE
|A A .
Toi'
?rtHttiv nof* fotnpo* de. Epidemi
F.ibncs co UYOj.", 9, O
EXIGIR 0 W
11 & C&TIfQ;
Curados pelos CIGARROS ESPIC
OppretiGe Tosse >e,fluar,os AerytUgiuo
LICKNCIAUOS Tfcl-L INSPECTORA D" HYOIENK DO IMPFRIO DO BRASIL
Asplra-se a fumaca que penetra no pelto, acalma o systema nervoso,
laclliu a ejfpcctoracuo'e favorlsa es fimcc.'cs dos orfiios resplratortos.
r.oado. J, EEPIC.'CO, pa St-Lazore, m Paris. Exua-tc cita tuiti
*m PtrnintlHllO : IBANCa U. de SILVA tb,llai JfrillciaM Kuwait Ujugw-
f -------------------------:-------------w----------
Em casa de todos os Perfumistas e Cabelleireiros
da Franca e do Extrangeiro
T3 A TiTCf O 1
PREPARADO COM BISMUTHO
X
iajris, e,
OH. F"A."V, Perfumista
Ru.a de la. Paia:, F^-ieiS
M W
mtmm
4tll.4 4t40J
ll RP
Vachinas a vapor.
Mejencias.
Rodas Tagua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
OS MDICOS SBSTITUEM COM XITO
o OLEO de FIGADO de BACALH0 assim como o VINHOde QUINA
PELO
ELIXIR DUCHAMP
COM EXTRACTO DE FIGADO DE BACALHO COM QUINA E CACAO
Ente CHEME e CACAO tttn poder orno Depurativo
e ineomparavel Corroborante.
JENDA POR ATACADO : X>T7G:b:.A.A
Depositarios em Pemamiiuco i rSAS* i. da silva c.
Grageas De^azire
A^ssrovadata pela laapeotoria de Hygiene do Brazil
CASCARA SAGRADA
Verdadeiro Remedio
i a Prluo de Ventre habitual.
onra
33t:
lODUKETO'cFERRQECASeARA
O mairn activo doa Ferrugmomom
Nao produzindo a Pristi de Ventre.
DIGEST0ES
DIFFICEIS
Dyspepsia
Perda
DOENCAS (.ESTOMAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
\de Appetit\
TNICO DIGESTIVO com QUINA, OOOA a l*KI*SINA
| adoptado KM TODOS os HOSPITABS MedalhRH de Ouro 0 Diploma de Honra
\ PARS CBEZ- *4, ru l Bravero. teda as irmieii*
Vmitos
Diarrhia
chronlca
Taverna
Vende-se urna taverna nos melliores r.ontos do
bairro da Boa-Vista, em boa localidade e bem i
afreguezada; quera pretender deixc carta fecha- j
da nesta typographia cora as iniriaes F. J. G.
Elctricas escovas
SNo estragara o esmalte dos denles nem oflten-
dem as gengivas, polo seu especial formato; re-
commendam Pedro Antunes & (.., ra Duque de
Caxias n. 63.
DE
Saho russo
Especiahdadc para nevralrins, erisipelas,
dartio.-, pannos, contusOes. impigeus e muitas
outras apDlicaces, conforme o prospecto. L'nico
deposito Pedro Antunes & G ra Duque de Ca-
xias n. 63.
AZULEJOS
Para frontes de casas, cor-
redores, banheiros, cozinhas.
aqou snes, etc.
DevaJorde 100|000ora-
lheiro a 54.#000.
Ra do Bar. da Victoria n. II
C/osinheira
T
Precisa-se de urna cosinUeira para c
pequea familia ; a tratar na praca de Conde
d'Eun. 32, segundo andar.
Jo
commercio
JAGUARIBE
a 41 a barrica
: com abate de 10 0i em por5es maiores de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
Para engenhos
Lopes & Araujo, vendem
a presos sem competencia,
sarantindo a boa qualidade,
nados.
(';il de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oieo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Caixfeiro
Precisa-ee de um caixeiro ; na ra do Jardini
numero 11.
(Accoes entre amigos
"ffca tr*u*v lo cafallo aue
correr ro' mai de Si
bro, para
e da sorte g
Xesta datacoraprei ao Sr. Antonio Fernandea Pnlnusin i\>\ riNsi'i pm 'aivMt.
Gajo o seu eslabelecimento de molhados sito J
ra arquaz do Hcrval n. Ifi'i. Iif e desemba-
razado de todo e qualquer onus ; se alguem se
julear coradireito. .iciraapii'.-cntar sua- recla-
maces no praso de tres dias, a contar da data
liecife, 6 de Setembro de 1889.
Manocl Jos ias. .
de 10 e 25 kilos.
(]imento Portt?nd.
Graxa em bexisas.
Ra do Lhramento ti. 38
Telephone 316
Taverna
9 n. 11 (l'ombal) propria para
principiante por ter pouecs fundos, com arma-
o mdico; a m liernardino
a padaria do Ci.minho Novo.
PEITORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
A enfermidaik-s mu doloroso? du frnreantt
t ios iiulmoi-, ordinariamente deseuvulri-m.c
tendoi por principio baw peqeenas, cujo resulta-
dos nao mo dliBcis de curar se proniptaincntc se
tratao cora o, remedio conveniente. <).- Renfrl-
ados e asToe dio rer-iprncanu-nte o resultado
de l.:irini;it., Asthma, lironchiti, .InTec-
Cftw Pulmonar e a Tsica.
Todas a aulias queteni criuncas deven ter o
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
nsar em caso de nccidade.
so da, pode em muitus casos
conse miK) precioso, experimentando
cacu duvido.a, emqiutnto que
poden do systema e se arraiga
entao que se ueces.-ltu tomar
remedio niais certo .ictiro em
remedio -em duvi.la aleuma
0EKV ihj D|. Ayii:.
em ona pora o
A perda de um
occarretar Berlafl
ee deve perder te
remedios de em
enfermidode se
profundamente,
nesse instante, u
seu effelto, e este
O l*EITOUAL DK
l'RKPARAno PELO
DR. J. C. AYER & CA.}
Lowell, Mass., Est.-Unwlos.
DEPOSITO OKRAL

DE-
Murray S Lansnan.
0 M^ISEXQUESITO
Perfumes do Toucador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Superior a Agua de Ceto-
nia pela delicadeza de sen
aroma e a durabilidade de
seu perfume
KO LEHgO.
Al
uga-se
urna casa junio cslugo de A^ua-Fia. em Bc-
beribe. tendo 2 saas, 3 quartos, cosinlia, des-
pensa e um banneiro; no sitio tefl] diversas fruc-
teiras ; a tratar na ra dos Coelbo n. 10.
Aluga-se
duas boas casas con commodos para grande
familia, sendo una ra da nio ti 49 e outra
a ra a Aurora n. K'oi : a tratar ao 1- aedar
n. 56 a ra Mrquez de Oliuda..
Alug'a-se
ii,: preco baixo o 1" e 3o endares do sobrado
ra do Brum n. 81. com bastantes cora-
modos ; a tratar a ra Larga do Rosario n. 34.
botica.
Alo
sa-se
o sitio da Magdal na n. 8. com boa casa, agua
encanada, lado dorio e alguns arvoredos;a
tratar na ra Direita n. 45 sobrado, aonde tam-
bera se aluga a casa pequea n. 40 a ra da
Amizade.
Aluguel barato
Bccco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem
Loja do sobrado do bccco do Calabougo o. 4.
A tratar ra do Commercio n. 5, 1 anda
esenptorio de Silva Guimares & C.
Ama
^Precisase de urna ama para cosinhar e lavar,
para casa de pequea familia ; a tratar no Cor
redor do Bispo n. 2.
Ama
Precisase de urna ama
numero 2".
no pateo do Paraizo
Ama
Precisa se de urna a7ia para cosintiar e com-
prar; na rna Nova n. 20, loja.
Ama para cosinhar e fazer
um pequeo ensaboado
Precisa-se de urna, na praga
n. 26. sobrado amarello.
do Conde d'Eu
A o commercio
Os abaixo assignados, pelo presente declaram
que nesta data compraram ao Sr. Jos Goocalves
Dias o seu estabelecimento de molhados sito a
ra Mrquez do Hcrval n. 29, livre e desemba-
razado de todo e qualquer onus. Hecife, 4 de
Setembro de 1889.
Silva Campos & C.
Aviso aos senhores de en-
genho
Emilio Billion, engeuheiro mechanico, tendo.
voltado da aaa viagem Europa, offerece levan
tar ou transformar qualquer engenho para o
systema mais moderno e aoerfeicoado, para o
que pode ser procurado nesta cidade.
SSNS B

digestocs ot-i---.:-;
molestias de e8tomag0
pe;o.-. de appet. i e,
DE F0RC>8, eto.
E fOOM ft rHAROACIA&

Professora de piano
Urna senhora perfeitamente habilitada e com
pratica du ensino. offerece as Exmas. familias
os seusservicos como pianista : pode ser pro-
curada ra do Queimado n. 74._____________
Professora
Urna senhora competentemente habilitada se
prope a dar lices de piano e fraucez; a tratar
com o Sr. Paiva na ra Barao da Victoria, loja
de msicas do Sr. Azevedo._____________
CaHteiias do Monte le Soceom
Compra-se cau'. t>TO a-
qualquer ioia, brtlbantee e nlogkw: paga-S'
bem na Praca da Independencia n. 22, loja d<
relojoeiio
i
jEMPOBRECIMENTOOOS
1 CORES PALUDAS. COUVALESCNC
4 osado gos Hteflilaes e Faris
< GR1SDI DILO.'U di H(HH!4,I.MdieslSSIy4^WrB
j GOTTAS Coucc
VINHO ROBN
A Topi-Hulritivo HiCOnt-
Mulr.lt
i GRAGEAS ROBN
4
4
4
4
4
4
4
4
4.
ANEMIA, CHLOROS
E fc:,
ANGUF. U

r maltas
Barcelona
BrtMiiM[S7i
a or
m
mprto milito
Sem m
;.-; nO SO i
prstamoq::-:aue. ira-
tamanto le'
dores de estomago nem
3 fl Tenin-).
A cristalligrapbia
Peona de vidro
Inacabavel c verdadeiramente inoxydavel.
Esta penna molhada levemente na tinta e des-
usando docemente sobre o papel produz carac-
teres muito ntidos. A' venda na livraria Con-
tempornea, ra i. de Margo n. 2.
Q metiur onffiricio
wnp;c2cda Con a
Odcmtalhia .
.......H. VCmBUMCM Ci BtCCJ
:~ c irte -,pl'f-1,!f-*
'**
INSTANTNEA
(H.lIltM REGISTRADA)
Tinta de copiar sem prensa
52Ra do Amorim52
ESNATY ftOMUGUES & G.a
Esta maravilhosa tinta de copiar a MAIS
TIL dcsceberta americana, inprccindi vel
a toda* ao pc*woa que oterevem e
que. sem uso da classica e tradicional prensa
de copiar, deitejan guardar copia n-
tida, inallaravel de nono trabaltaos
manuwcriptoM.
A 1XST1.\taxea o mais prompto auxi-
liar material para a Correspondencia Com-
mercial ou particular, porque simplificando o
trabalho, diminuu-lbe terapo: oescripturario nao
necessita sahir da sua carteira ou mesa para le-
varo manu;cripto a prensa de copiar, reliral-o
da mesma, vollar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da nMMIIM-
sea para a sua escripluragao do Diario, Caixa,
Contas Correntes, Facturas, Contas de Vendas,
Precos Correntes, etc., podem obter duplicata
authentica, d'esses livros em papel de seda.
A ixstaxtaxea depois de dar copia
coniertase inalteral, preta. lixa no so no origi-
nal como na copia.
A IXSTAXTAXEA nao oxida absolutamen-
te as peonas, assim como nao demanda penna
especial para com ella escrever se-
MQ'U-Q DS eSMFa^M
Com urna esponja, ou ptactl embebido n'agua, hu-
medece se ligeiramente o papel de seda proprio
para copiar, e enxulto com qualquer mata-bor-
r5o, colloca-se o oanuscripto em baixo do pape,
de seda e mesmo sem fazer presso corre-se a
mo rpidamente em todas as direccOes, c a co-
pia admiravel: nitida, INSTANTNEA.
Tamliem d copia, correcta, sem molhar o popel
de seda
Presos de venda a dinheiro
Um frasco.................... i 5500
VICTORIA
Especial tinta, garrafas a 800 ris, meias ditas,
a 500 ris.

Se soffres porqne queres
DSA E CONVENCER-TE-HAS
CURA RA-DIC AL
SEM DIETA
DAS
.liles.ias de pelle
SYPHILITICAS
Darthros, sarnas., ulceras antigs, im-
pingens, bobas, gommas, cancros, rbeuma-
tismo e morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
Applica^ao fatilUso sem perigoEf-
fetos promptos,, dieta razoavel. .
Contra fados nao ha argumentos
Estes remedios sao os mais commodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direc95es para uso d'estes medi-
camentos admiraveis.
Preco do ungento 1-3200 o frasco.
Preco do xarope 3:5000 a garrafa.
Preparados por Calazans & G.
macia Imperial^ Babia.
Deposito do Recifc
Francisco Manoel da Silva & C.
Ra Mrquez de Olinda n. 23
Phar-
AOB Srs, MOPXtlTABTO'l deCAVil LIO
UNGENTO STEVEBS
O u: : ;iudo a cauteri-aro dos cavaos
peiolego, isi nnravllhso preparado o nico
> vonladuiraaiente efflcaz para curar i MlettMi ai ptriiu i MTallo, Euliraied.'.ati u
|rsiiu: c Dlou{i! di tea a ili>r*?a. 40 sumo am
opiiuio o coutlnao xito en todas as cor-,
rrtas, tiaras o nos prlnclpaes estabelectV
meneos le cavaos om Inglaterra e Europa-
aelsa nodoa aluma. ET mlstcr experl-
U lo para car conTencldo do seu valor.
Vndese e/n caixat oom o/ cmprenles indicacet
pora o eeu emprego. rm poriuqutx
6rca&t prr*r \o p>r I. R. STEVESS, m-dico-TCUfins.
t, Pttk Leo, Loodrc (IsgUlerral
K5S.UTiM cb Pcretmbuco fFAS" M. a S0.V k P*
Atten^o
Wnde se ama garrota
Hospicio n. 77.
iouriua ; na ra do



8
Diario de- PernambucoTer^a-feira
10 de Setembro de 1889
i
VENDAS

Gran le ovidade
PECHHCHiS!
Vende se no cae do Ramos n. 4, urna en-
cllente machina a vapor de 30 cavallos, u
&omb.bvdraulicas de grande fo-ca, um ierra-
ilor. urna" lesoura para cortar f.aadres, arcos,
etc., trilbos e carros Decauville, apropriados
para transport de canna, bombas d'agua mao
e vapor. ___________
Vende-sc dous caes do Rio Grande do Sl,u
muito bons vigas para chcara ; para ver, no
sitio da estrada de Jnao de Barros, defronte do
sitio da Cscala, e a tratar com o Sr. Piuho Bor
es, arniazem n. 39. a ra do Imperador.
4* -Roa Dai|ue de Casias48 5Ra Duque de Casias5
Tendo recebido um grande e variado | Cassinetas de cores para roupaa de meni-
tUUBtn
5*1* *LERr
vende-se em toda a oart*
A Loja das Lislras Aziies
Est vendendo fazendas muito baratas
Gom descont
a quem comprar de 200000 para cima.
E VENDE PELOS SEGLIXTES PRE9O8 :
Hadapolo lavado com um metro
de largura a 60800 a peca,
Moriut das Lustras Azues com
20 vara, a 60000, a peca.
Chitas percales finas, cores seguras a
180 e 200 rs.
Cassas de urna s cor a 100 e 120 rs.
com palminhas.
Lanzinhas de quadros a 160, 200 e
240 re.
Cortes de Hunos com 16 1/2 co-
vados, tecido phantasia, a 40000
Bordados finos com 3 metros a
500 ra.
Bleos brancos a 600 rs., a pega
com 9 metros.
Sargelini diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 re.
Crinolina de cores para vestidos a
360 re. o metro.
Luvas de seda, lisas e bordadas a
10500.
Leques transparentes lindas cores, a
'0000.
Grinaldas com veos para noiva a
70000.
8etlm de Maco branco, e de todas
as cores a 750 e 800 ra.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 60000.
Fichs phantasia 800 rs.
Leos de seda a 500 re.
E militas iazendas que se vende por
qualquer prego.
Troca-se a fazenda vendida se nao for
ac muito agrado para quem for comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Surprwa agradavd
UM RETRATO.
Que se offerece a um amigo no dia do
seu anniversario
De .SIMIO at I0OSOOO
Obcm-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, e com corddes de 12 e
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
da America
POR FRE). RLATT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartao de visita, nao im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos oihos e do cabello, para ohegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
RstSo expostos ao publico na
AGENCIA GERAL
das Lislras zoes
Hl'A DL'QCE DE CAXIAS N. 61
Para as Exmas familias vercm o quanto
s2o lindos, c muito fcil fazer encommenda.
QUALQUER ENCOMMENDA
Por maior que seja se prompta em me
nos de 90 dias, e restitue se a importan-
cia recebida, se nao ebegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir acus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
PERVinBI < O
Camisas de cretone, cousa boa e barata.
sortiment de Iazendas resolveu vender
por menos 30 /0 do que em outra qual
quer parte, romo seja :
MadapolSo americano com 1 metro de lar-
gura a 60000 a duzia.
AlgodSozinho muito largo a 40 a 50000 a
peca.
Chitas cretones, modernas, a 200, 240,
280 e 320 o novado,
Zephir de quadros, padrees modernos, a
120, 150 e 200 rs. o covado.
Cretones modernos, ultima moda, a 320 re.
o covado.
Atoalhado com Aires a 10000 o metro.
Brim pardo trancado para roupa de ho-
mem a 500 rs. metro.
Dito de c6r e fustao a 500 e 600 re. o co-
vado.
Dito de linho para calca de 40000 a vara
por 20500.
Casimira preta e de cor para costumes a
10200 e 20000 o covado.
Cortes de fustao para collete a 500 re.
um. y
Ditos de velludo bordado a seda a 20000
um.
Camisas brancas para homem a 20000
urna.
Toalhas brancas para crianca a 120 e
200 urna.
Colchas adamascadas de 20000, 30000,
40000 e 50003 urna.
Gobertas forradas para casal a 20500 e
20800 urna.
Lencol de bramante com urna largura a
10800 urna.
Cortinados bordados para cama a 60000 o
par.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 re.
um.
Cobertores brancos de 12 com pequeos
defeito a 20000 um.
Cortes bordados para vestidos, ultima mo-
da, a 80000, 90000, 100000 e 120000
um.
Lindas 12s com listras do seda a 400 rs. o
covado.
Ditas lisas e de quadros a 200 e 240 re.
vado.
Lindos fichs de retroz, prateado e dou-
rados a 10000, 10500 e 20000 um.
Luvas de seda, todas as cores, para senho-
ra a 10000, 10500 e 20000 o par.
Casacos de Jersey para senhora, borda-
dos, o 60000 um.
Costumes de Jersey para enancas de 4 a
5 annos a 70000 um.
Cachenez para homem e senhora a 10500
n 20000 um.
Bicos brancos e de cores a 10800 e 20000
a peca.
Saias bordadas para senhora a 30000 urna.
Renda heppanhola com um metro de lar
gura a 20000 o covado.
Bordados e entre-meios a 500,- 600, 700 e
800 rs. a peca.
Grinaldas com veo de seda a 80000 urna.
Collarinhos e punhos de borracha, a 10800
o par.
Lencos de linho, especialdade, a 20000,
30000 e 40000 a duzia.
Ditos de seda com a exposieao de Paris a
500 rs.,um.
Leques de papel com bonitas estampas a
500 re. um.
Lindas mantas e grvalas de todas as qua-
lidades de 500 a 20000.
Espartilhos de couragas a 40000, 5-J000 e
60000 um.
Collarinhos e punhos de senhora, para aca-
bar, a 500 re.
Cambraia de salpicos a 40000 a peca.
E muito outros artigos que s com a
vista, assim como roupa por medida em
sua officina, para istotem peritos officiaes.
S na Revollo
A ra Duque de Caxias a. 18
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
de cores idea
a 280 rs.'o
AO
rOLPSTIM
as i
POR
Jlji^S MARY
PRIMEIRA PARTE
LOUCHA 22 SMS. HSSttLH
(ContinuagSo don. 203)
XI
Naquela matta deserta, alvejada pela ne-
ve, tendo por testemunha as arvores des-
pidas, borda de urna profunda grota, te-
ve um aspecto grandioso a luta da prisSo
de Thomaz Lhoir, dirigida por Guid.
Sbito, Guid deu um grande grito.
Thomaz abracara seus rins com os bra-
$os nervosos, levantou-a no ar e esmaga-
va-lhe o peito : o guarda abri a bocea
para tomar ar; desfalleca, o lenhei.ro dej-
xou o escorregar e, como urna massa,
ell:
cabio, pondo sangue pelo nariz e pel
bocea.
Desmaiara.
Thomaz Lhoir deu algn* pabsos na di-
reccSo da grota.
Quando ia deixar-se eacirregar nella,
egurando-se ao arbustos que havia em to-
do o desenvolvimento da eucosta, parou :
O que. faco um erro, murmuran.
Se fujo, evidentemente diro todos : Fe i
Lhoir quem assassinou o Sr. Gonssohn.
Se fico, ao contrario, poder ei, tal vez, de-
monstrar mais innocencia.
Hesitou.
nos a 200 ra. o covado.
Meias casemiras pretas e
a 400 o 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos
dito.
Setinetas modernas idem a 200 e 280 re.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 e
20U ra. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o dte.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 10000 e 10200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 ra.
e 10000 o dito,
dem de puro linho a 10600 o dito.
Riquissimas guarnicSes de crochets a 60 e
8000.
Toalhas para mos a 10200, 30500
40000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 20500 e
30000 a dita.
Camisas superiores idem a 240 e 300000
a dita.
Seroulas bordadas a 120000 e 180000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
e 30000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 40000.
Superiores algod3es da corte a
30500.
MadapolSo americano a 60000,
jardas.
Flanella do cores para camisas
o covado.
dem americana, azul, para palitots
10200 o 'dito.
Casemiras de todas as qualidades a 10400
10800 e 20000 o dito.
Para as Exmas. nolvas
Lindissimas grinaldas e veo para 80000 e
140000.
Ricas colchas de crochets e fustio a 80080
c 60000.
Bonitos cortinados bordados a 50500,
70000 e 80000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
30000 e
com 24
a 280 ra.
Vende-se
urna casa era Motocolombo em Afolados, n. 2o,
tendo 5 salas, 5 quartos e bom sitio com arvo-
redos; a tratar na ra velha de Santa Rita nu-
mero 64.
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 rs. 6
dito.
Lencos de seda e de linho para 20800,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante a 10800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 20500 e 20800 urna.
Colchas de c6res a 20000 e 30000. -
Tapetes para portas a 30500 e 50000-
Pannos i ara mesas, de cores modernas a,
10000 10200 e 10600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 300 a
350.
FustSes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
precos, cheviots, merinos, damascos para
pianne, cobertores, redes a 40000 urna,
orna infinidade de artigos que serao lem-
brados na presenca dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHAES
Para os festivaes
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestria c commodidade em
presos: bolo, po-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Especial para calos e quei-
maduras
Preparado Riker : vendem P. dro Antunes &
C, 1*000 o frasco; na ra Duque de Caxias nu-
mero 6.1.
.55"
Pede-se ao respeitavel publico que at-
ienda aos presos abaixo mencionados :
Setim da China, fazenda de phantasia,
dita novidade, a 240 ra.
Amor da China, a 200 re.
Zefiros arrendados, o que ha de mais no-
vo, a 800 rs.
Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 100
120000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos do crochet, todos os tamanhos.
Viada polio largo a;60O0O.
Flarfella azul, muito lisa, a 10200 o co-
vado.
Fichs de phantasia a 10000.
Lavas de seda a 20000 e 30000 o par.
Goardanapos a 1$600 a duzia.
Sargelins de qualquer c6r a200 re. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, [cousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 20800
a pesa.
Cortinados bordados a 60000.
Flanellas para camisa a 32) re. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 rs.
Renda da China a 200 re. o covado.
Fustes braceos a 320, 400 e 500 re.
Vestuarios para k baptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas franceza, com collarinho, por
20000!
Grande sortimento de setins lavrados a
100 0 o covado.
Orinolines a 400 ra. o metro.
Zefiros a 160 e 200 ra. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
rs. o covado.
Cambraia suissa, a 70000 a pesa.
Cambraia com salpicos brancos e de cores
a 40000 a pesa.
Babados e entremeios a 600, 800 e 10000
a pe$a.
Lencos de seda, muito bonitos e baratos.
Cachemira combinasao com listas de seda
a 10400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantil as pretas a 40500.
Atoalhado, lindros padres a 10000 o me-
tro.
Espartilhos com couraca a 40000, 50009 e
60000.
Colchas brancas c de cores a 20, 30000,
40000, 50000 e 60000.
Grande sortimento de fichs de cores para
todo preco.
Cas-a baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., b se
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs. o
covado.
Meias para homens, senhoras e criansas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 10000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes (de fustao para colete, alta novida-
de, a 10000.
Camisas de flanella franceza a 30000 urna.
Brim de linho de c6r a 500 e 600 rs.
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 ra.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co
vado.
Cortes de cachemiras, em cartSo, cousa
chic.
Ditos de cretone muito bonitos a 80000.
Ditos de casemira de c6r a 40000, 60000
e 8000'.
Alm de outras muitas fazendas que
impossivel mencionar.
D-se amostras sem penbor a qualquer
pessa.
Ra Duque de Caxlas 55
Fernandes Azevedo & C.
Farello superior
21800 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;
Caes d'Assembla n. 24. garantindo-se 42 kio-
graramas cada sacco.
Cofres de ferro
Carlos Siaden tem para vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Baro da Victoria n. 48.
Comprehendia toda a gravidade da re-
solucao que ia tomar.
Agora ninguem poda impedir-lhe a fu-
ga.
Urna vez ne fundo da grota, estaria sal-
vo, em urna hora estaria na fronteira da
Suissa.
Emquanto que ficando, entregando-se
elle proprio s mSos da polica, o que ia
acontecer ? Era o desconhecido, o terri-
vel desconhecido em que se lanc.ava de ps
e m3os.
Depois, toda a sua altivez selvagem re-
voltou-se.
Nao, disse elle, fico. E' melhor.
Foi at ao p de Guid, que voltava a
si pouco a pouco, esperou a chegada dos
gendarmes.
Estes nSo tardaram.
Tinham-se perdido, mas haviam conse-
guido encontrar as pegadas do guarda e
do lenheiro.
Approximaram se de Lhoir, com os re-
volvere apontados; o moso sorrio com tris-
teza e sacudindo a cabesa :
Nio quero fugir, disse. Tomem :
tqui estioas minhas mitos; podem atal-as.
Nao me defenderei.
NestaocasiSo, levantava-se Guid, olhan-
do ao redor de si.
Vendo Thomaz, que os gendarmes amar-
ravam-o, teve um gesto de ameasa co-
mo se quizesse atirar-se de novo a elle.
Thomaz encolheu os hombros.
Tenho a observar-lhe, disse, que foi
por minha vontade que me prenderam.
Nada tenho a censurar-me, nada posso te-
mer. Levem-me a Bouchoux.
Guid resmungou :
Vai, vagabundo, tua conta grande.
Thomaz ouviu-o e nSo respondeu.
Seu pensimento voava a Magdalena,
que elle ia tornar a ver.
A casa cstava inmersa em somno pro-
fundo.
Todas as janollas conservavam-se fecha-
das.
Urna s tinha luz ; era a do quarto em
que estava a Sra. Gonssolin.
Guid parara no meio da alea do jar-
dim ; em que pensava elle ? Teria algu-
ma idea, algum fira ?
Libras sterlmas
Vende-se libras sterlinas
mercio, armazem n.6.
na ra do Com
Assim ficou muito tempo, perplexo, com
os ps na nev, olhando obstinadamente
para a janella Iluminada, atraz da qual
nao se notava o menor movimento.
De repente parecen-lhe que alguem pas
sava alm da transparencia das cortinas.
Era a sombra de urna mulher.
A sombra ficra immovel alguns instan-
tes, depois a cortina agitou-se.
Guid teve penas tempo de se occul-
tar atraz de um tronco de tilia.
Isso durou um miuto. A sombra des-
appareceu.
Quem era essa mulher ? A velha Suza-
na Brdelle, que tratava de Magdalena, ou
esta mesma ?
Magdalena seria possivel, no estado de
fraqueza em que a vira o guarda ? Mag-
dalena, que ha pouco estava ainda estn
dida, sem vida, sem respirasao, sem um
raio de intelligencia para o que se passa-
va em torno della ?
Guid atravessou a alea, arrestando-se.
Com precausoes infinitas, coseu-se com
o muro, na sombra formada pela casa, sob
a janella.
Escutou, mas nada ouvio.
Entretanto alguma cousa lhe dizia que
devia se estar passando nesse quarto urna
scena extraordinaria. Trepar at ja-
nella, nilo devia pensar nisso. A parede
era lisa e polida como o marmorc. Elle
foi ao telheiro em que os jardineiros guar-
davara as oseadas, toraou urna escada de
abrir, levantou-a junto a janella e subi.
Estendeu com cuidado a cabesa e por
um canto da cortina^ que estava levantada
no interior, elle olhou.
Magdalena se havia levantado.
No tundo do quarto, recostada em urna
poltrona, dorma a velha Suzana Bridelle.
Era Magdalena que o guarda vira. Es-
tava evidente. Ella sentra-se, portan-
do a cabesa entre as mitos, conservava-se
immovel. ^'
De repente levantou-se cora o olhar des-
vairado.
Estava medonhamente pallida e os olhos
brilhavam-lhe com os larapejos da febre.
Approximou-se de Snzana Bridelle, abai-
xou-so sobre ella para certificar, sem du-
vida, se dorma; tranquillisada, dingio-se
A LOJA MAIS BARATKHA
PARZ N'AMERICA
AZEVEDO, IRMaO & O.
1(5Ra do B. da Victoria16
200 TdepkvM200
Tendo recebido directamente da Europ
grande sortimento de fazendas e modas
que ha de mais novo e pregos sem con
potencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 13 e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 102CK
Crinoline preta e branca t 400.
Sargelim, todas as cSres, a 200 re.
Bramante de linho a 10500, com 1>
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 1050;
Chachemiras com 2 larguras a 800 ri
Ditas de l e seda 2 larguras a 10001
MadapolSo trancado a 90000 a pega.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 1S e seda 10000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos coi-raja a 40000 e 50001
Colchas de fustio a 20000 e 30000.
Capcllas para noiva com veo bordado
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 105O-
Renda de la, preta, para quaresma.
l'ano verde para buhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de saii
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama
100000.
Chitas de cores a 200 re.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnisBes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixaa com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40060.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de cnapos de so
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Superior vinho de Al-
cobac,a
O acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seos freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinbo, escolbido propriamente pelo chefe desta
casa, actualmente em Portugal, tornndose re-
commendado por ser puro e de boa qualidade-
Jos Fernandes Lima & C, ra Baro da Victoria
numero 3, Telephone323
para a porta. Guid, que s podia distin
guir urna parte do quarto, ouvio essa por-
ta abrir-se e fechar-se, apezar das precau
Sles que deviam ter sido tomadas.
Ouvio-se um ligeiro ranger, depois fez-
se completo silencio. A lamparina se agi-
tara pela acsao de urna correte de ar.
Ella sahio, murmurou o guarda, on-
de pode ir ? porque sahe assim V
Desceu, deixou a escada e entrou na
casa pela porta principal.
A pesa que oceupava agora Magdalena
nSo era o seu quarto de dormir, mas o de
hospedes, quasi sempre vssio, e para on-
de, durante a syncope, fora pressa tran-
sportada pelos criados.
ei: ando esse quarto, ella dirigi se
para um longo corredor que divida a casa
em duas partes iguaes.
Escutou. Nada.
Continuou entilo seu mysterioso pas-
seio.
Cnegando diante de urna porta, abrio-a
casualmente e entrou.
Era a de urna saleta que preceda o sa-
lao onde estava o cadver de Gonssolin.
Atravessou a saleta s apalpadellas, de-
pois parou, no momento de entrar no sa-
lo.
A escuridao era completa A la esta-
va velada por nuvens que se amontoavam
incessantes no co. Por que parara Mag-
dalena ? Por que esta visite, noite, a
esKO cadver? Sabia onde se achava? o
que fazia ? o que ia ver ? Esteva r,o uso
de toda a sua razao ? Ou acontecer o
que previra o Dr. Mgnabat ? Magdale-
na estava louca ?
Ella entrou.
Seus passos tinham esse movimento du-
ro, automtico que os sonhos attnbuem
aos phantasmas.
Nao parecia, com effeito, viver, mas
dir-se-hia que um poder mysterioso toma-
ra-! he mao e arrastva-a contra a sua
vontade na escuridao para o medonho es-
pectculo que a esperava no salao.
Urna ltifada varreu as nuvens, fra, e
a la reappareceu no co, chegado para
acariciar as janollas com seus raios e alon-
gndole pelo Boalho at o cadver.
Pao centeio
Mello & Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40. _____
Vinho puro de Santarem
Da quista do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, rna
do Cabuga n. 11, avisam aos seus distinctos fre-
guezes c ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinbo, o qual se
recotnraenda por ser puro da uva, e s se reta-
Itiii em seu armazem.
Joaquim Christovao & C.
Telephone 447
WllSIf
Boyal Bleod marca Y1AD0
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retalho nos melkores arma-
zens de molhados.
Pede Roy a I Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sSo registrados pare
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
A FLORIDA
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodao com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 40000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500'
600 e 800re.;apesa.
dem com 3 e 1[2 metros, de qualqu
argura a 10200.
Lensos de linho em caixinhas a 30000 s
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de gaze
30000 um. .
Grande sortimento de porta-retractos da
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama >
120000, 170000 e 190000 o par, algum
de cores.
Ditos para anellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 o
10000.
Ditos para sof a 20000.
P las ton s e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimento
a 40000.
Capel las com veo para noiva a 60000
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha do
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 re. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante!,
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 2X)0
par.
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lensos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeiter cabesa e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000
60000.
Grande sortimento de sabonetas de 200 a
10500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprio
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de la para homens e senhoras.
Linha douradas para tasar crochet
Lindas fitas para facha a 20, 30 e 40001
o metro.
Lindos leques de setim para easamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de 10, /,
3 e 30500 urna.
Ra Dnqoe de Caxias n. 103
Armac.o
Vende-se urna bonita armaco de amarello
tratar na ra do Hospicio n. 81.
Gonssolin jazia ainda no colchao, onde
Dampierrc e Foulhouse o haviam achado.
Magdalena parou de novo.
Tinha ella consciencia de seu acto e era
o m-do que a paralysava ?
Pela porta entre-aberta, acabava de pas-
ear prudentemente urna cabesa e esta olha-
va para a mosa.
Era Guid que espionava.
Eutao scena estranha passou-se.
Magdalena se approximara do cadver,
ajoelhara-se e ficou immovel, perdida em
urna contemplaba...
Provavelmente ganhava urna certa fra-
queza, porque cabio sobre si mesma e as
duas maos apoiarara se fortemente no soa-
lho, no uesmo lugar em que se dra a
sanguinolenta scena de que havia sido tes-
temunha.
Guid, amedrantado, ficra immovel.
Magdalena levantou-se como tomada de
sbita energa e, inclinndose de repente
sobre o cadader, imprimi movimentos
estranhos das maos.
Dir-se-hia ou que ella queria certificar-
se, por si mesma, que a vida nao anima-
va mais este homem e que o corpo que
tinha diante de si era effectivamente um
cadver .. ou que ella o revistava...
Guid estava atraz delta e nao podia
distinguir seu rosto. Se o podesse teria fi-
cado espantado, vendo quao alterados es-
tavam os traaos da mosa.
Horrivelmente pallida, com os olhos ca-
vados e vitreos, parecia ter, de chofre, en-
velhecido vinte annos.
Grossas gottas de suor fric escarrian!
ao longo do seu rosto lvido e difficilmen-
te seus labios permittiain a passaaem de
urna respirasao offeante que sibilava na
garganta.
Unido murmurou :
Mas ella est louca ; est louca '
Ella acabava de levantar-se eTlirigio-se
ao fundo do salao por urna porta que com-
raunicHva com o seu quarto de dormir.
O guarda nao ousoa seguil-a.
Nesse quarto ficou apenas instantes.
Quando voltou, andando sempre como
um phantasma, Guid oceultou-se, temen-
do ser visto.
Ella parou dianta delle sem percabel-o,
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita, vende-ss
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garntese a qualidade do leite.
Vende-se
Um cosmorama com 6 vidros e alguns per-
tences, a tratar na ra Velha de Santa Rita n.
21.
tomando o caminho que seguir na ves-
pera e voltando ao quarto em que estava
Suzana Bridelle.
Guid desceu ao jardim e foi retomar
na escada de abrir o seu posto de obser-
vacSo.
Magdalena nao tardn a entrar.
Elle vio-a atravessar o quarto e^dingir-
se ao fogSo.
Ella abaixou-se, houve como que um
raio avermelhado nos forros das paredes,
tal qual se tivesse produzido chamma s-
bita, extincta logo depois ; o guarda nao
podia certificar-se disso. Um canto de
um movel que estava perto da janella, on-
de se achava, impedia-o de distinguir isso.
Depois a moca approximou-se p ante
p de Suzana Bridelle, que nao acordara.
A velha nao se mexeu.
A Sra. Gonssolin deixou-se cahir entilo
na cama e parecen adormecer.
Mas seus olhos que, depois de haverem
estado algum tempo fechados, se abriram
todos de sbito, brhantes e sempre vi-
treos, diziam bem que o somno nao viera.
Guid desceu, collocou a escada no te-
lheiro e pensativo foi para o seu quarto.
XII
Ka manha do dia seguinte, Thomaz foi
conduzido presensa do juiz da ipstruc-
S&o, que lhe fez o primeiro interroga-
torio.
Depois teve luar a confrontacao com o
cadver.
O lenheiro ficra impassivel. As pega-
das medidas no lado dos pinheiros adap-
tavam-se bem aos seus ps.
Alm disso, sua japona tinha, na man-
ga direita, perto do hombro, o furo de
urna bala que tinha atravessado o panno
de lado a lado, sem offendero braso. Era .
do tiro de espingarda atirado pelo guarda,
na occasiao era que fora lansado por trra
na alea.
C Continuar-se-ha)
Typ. do Diario ra Duque de|Caxias n. 42
j
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3NHCPV2Q_K4DG7K INGEST_TIME 2014-05-28T16:33:43Z PACKAGE AA00011611_19906
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES