Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19904


This item is only available as the following downloads:


Full Text
...-'
li^P^^BB^VH

j^llf 1|M
ANNO LXV NUMERO 202
I
t>
i
J
li>
t>

PARA A CAPITAL H LUARIS OM>K IVAO MB PACA PORTE
Por fres mezes adiantados.............. 6(5000
Por seis ditos idem................ 12)5000
Por om anno idem ..'.., ,....... 23)5000
Cada numero avulso, do mesmo da..... ... 100
DIARIO DE
SABBADOT DE SETEMBRO DE 1889
.__;__________
PARA DENTRO 12 PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados ...*.........
Por nove ditos idem. ,-.....,.....
Por um anno idem...... >.....**'
Cada numero avulso, de dias anteriores .........
1305CC
205000
260000
#100
Tropriedxtde de SManod 3ngueirmi de Jarte # fifyos
, *
Os Srs. Amede Prin-
ce & G, de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios
epublicapoes na Fran-
ca e Inglaterra.
y-.
TELEGRAMAS
as:.;: pasticulas so diasio
BAHA, 6 de Setcmbro, 2 horas e 35
minutos da tarde.
Foram cleitos em 1/ escrutinio, por esta
provincia:
9." districto, conselheiro Jeronymo So-
dr Pereira (L);
10. districto, Dr. Aristides Cesar Spi-
n>Ia Zama (L).
THEREZINA, 6 de Setembro, s 11
Loras e 25 minutos da raanha.
do. Dr. Joo Pinto de Castro, coronel Flansino
Pe'rreira de Camargos e coronel Deirmo Antonio
de Garvalho (por servigos prestados aos Lycos
de Artes e Officios t Litterario Portuguez) e A-
dr Gongalves de Oliveira ; officiaf da mesma
ordem o Dr. Joo da Costa Lima Castro, e eava-
Iheiro o 2. oflicial da directora geral dos cor-
reios Feliciano Jos IXeves Gonzaga.
Por srvjgos prestados Socjedade Amante da
InstriKco foram nomeados os seguintes Srs.:
comniendador Anu de Chrfsto, Jofio AM
Affonao ; ofliajai. da^. d llosa. ds ^oi.
Oliveira Moraes ; < cava I helfos, Antonio AugnS*
lo de- CaruUio, ft* Hibeiro de Meirelles, Jojta,
los daiMTLimae Mafroef Pereira Passos. J.
...fc-rj------
Foi eleito pelo 2. districto desta pro-
Ti'ncia, em 1. escrutinio, o padre Dr. Joa-
quin Sampaio Castello Branco (L).
JKtHOCClO P0PLAR_
a i:::::::::::::::::::,:
NOS
TKMPOS. COLOSIAES
POS
> _=
A i.iiu rniura Brazileir* do erulo
Vil o romrro do \l\
ESItOrO HISTRICO
1
overnava D. Affonso VI os antigos reinos de
Gastella e l.eo que unidos a outros, que naquel-
. pocha constiluiam a peniiiuJa Ibrica, for-
...:i hoje os reinos de Ile'spaTina e Portag.il.
filando por entre o fragor da guerra de recon-
ui-la, que durou cerca de oito seculos, susten-
taba maravilliosamente por aquelles povos heroi-
cos contra os rabes que no seculo VIH invadi-
rn! o continente europeu, appareceram dous
principes francezes valorosos e esforgados per-
tencentes casa dos Capelos, um que tinha por
orne Raymundo, e o ouiro D. Henrique de
orgonha. vidos de gloria e de renome alista-
tam-fsc, ambos as lileiras Konezas e castelha
as para combater debano do estandarte da
a>uz contra as poderosas legies do Crescente.
Foram tantos os seus actos de bravura e to
preclaros os seus feitos, que cl-rei D. Affonso
para recompensar to bons e leaes serviros llies
deu em casamento suas duas lillias : Dr. Urraca
1>. Thereza. A primeira, lilha legitima, casou
aoja D. Raymundo ; a segunda, lilha natural, es
posou l>. Henrique.
D. Affcnso Vi segundo os usos e costumes
daquella epocha, creou feudos e senborios para
seos geuros, dividindo para isso em duas zonas
. rica provincia de Gaiza : a septentrional que
ara a parte mais imporlante, coube em dote a D.
Irraca : e a meridional, que calende do rio Mi-
ho ao Mondego, perlenceu a D. Tlicreza, e foi
aflamada desde entilo-Portoeai ou Portogallo,
orno reci rdago ou, para dixer, como continua-
fo do nomc que tinhasob a donomicoo Gallo-
remana.
I'or morte del). Alfonso succedeu-lhe no tino-
o sua lilha II. Urraca, volv ndo por eonseguinte
corita de Castella o Lco o territorio, que aquel-
la princeza levara eiu dote ; ao passo que a par
le meridional continuando em poder de 1). fien-
fique comefava a gosar de eerta independencia,
anda que rendendo vassallagem cora de Cas-
k-Ila. que imperara n aquella pcrco da artiga
Iberia.
Fallecendo o conde I. Henrique, a princeza
r>. Thereza conlinuou administrando os Estados,
^ue consiituiamo seu dote, mas dentro em pou
aodividiram se o seus vassallos em dous para-
dos, um qu<- reconliecia a viuva de D. Henrique
orno legitima senhora daquelles dominios, e ou
Iro que proclamava seu lilho como nico dono e
hefe d'aquelle senhorio.
Rebentou a guerra civil com lodos os seus hor-
rores ; correu sangue de. irmos em varios recon
*"C?, e tal foi o poder que adquiri o partido do
joven D. Affonso Hennques, que a uiai leve de
agir para Castella e pedir soccorro aos anligos
vassallos de seu pai D. Affonso VI. emquanto o
ttho assumia absoluta di.ecco do seu pequeo
Kstado.
Soccorrida D. Tncrcza por Gallegos. Leonezes
e Castelhano?. ameagou suffocar o fogoso princi-
pe arrebatando-lhe o nascente reino; porm elle
para oppr tenaz resislencia a seus contrarios
alliaaos, reconhecendo a imperiosa necessida-
de em que se achava de dilatar os dominios
augraenlar o numero dos vassallos, invadi
s Estados dos Mouros seus visinhos, e fo-
ram tantos os prodigios, amanhas as heroicida-
des c to portentosos os ^eus feitos d'armas, que
ao cabo de pouco ti mpo vio realisado o seu in-
tento, gragea as trras e vassaM de que expro
priou os mussulmano;.
Urna vez conseiuido esle resultado, allegando
a sua ascendencw^fan'ceza, l). Affonso Hennques
bteve o auxilio de muitos compatriotas de seu
pai. e apro\citando se da^ guerras de successo
fue por morte de I). Urraca so d'>-(.ricadearam em
Leo e Castella, proclamou-se independente, fa-
aendo se reconhecer como tal pelo Papa, e obri-
ga:ido-se a pagar ao Vaticano um imposloannual
o troca desse reconhecimenlo.
(CoTinaJ
Rtalsteilo a Justina
Por decretos de 31 do mez findo foram remo-
vidos, a pedido :
0 juiz deireito AmaDcio Goncalves dos San-
tos, da comarca do Rio Negro, de 1 entrancia.
na provincia de Amazonas, para a de Arassua-
hy, de igual entrancia. na de Minas-Geraes, e o
juiz de direito Napoleao Silverio da Silva, da
eemarca de Arassuahy, de l entraocia. na pro-
vincia ne Minas Geraiis, para a do Rio Negro,
de igual entrancia, na do Amazonas.
Foi noaeado juiz de direito da comarca de
Graiahu, de i' entrancia, na provincia do Ma-
anho, o bacharel Silvio Pellico Pereira Fer-
raz.
Foram nomeados juizes municipaes e de
".'pliaos : do termo de S. .'oo da Boa-Vista, na
provinciajie S. Paulo, o bacharel Francisco Cor-
deiro da'Silva Guerra, e do de Jaguaro, na
do Rio Grande do Sul, o bacharel Carlos Ferrei-
ra Ramos.
Foi concedida a exonerado pedida pelo
bacbarel Joaquim Kxo Lima do lugar de juiz
municipal e de orphaos do termo de Monte-Ale-
gre, na provincia do Para.
Ministerio da Cuerra
Foram promovidos :
Arma de artilharia, ;3 batalhoA capito. o
teneute Percilio de Carvalho Fonssca, para al
batera. ,
Io batalho -A major fiscal, o capitao Marciano
Augusto Botelho de Masalhaes, por mcrecimento.
A Io tenenle da arma, o 2 tenente Alvaro Fiusa
de Castro A 2 tenente da arma, o alferes
alumno Jos Carlos Lamaignere Teixeira,
Arma de eavallaria. 9 regimentA capitSes :
os lenles Candido Jos de Medeiros. por anti-
guidade, para o 4* esquadrao : JoSo Nepomu-
ceno Pereira Lisboa, por estudos, para o 4 es-
quadrao.
10 regiment,A major fiscal, o capitao An-
tonio Virgilio de Carvalho, por merecimento. A
tenentes da arma : os alferes Frederico Augusto
Falcan da Frota, por anguidade ; Alvaro Guima-
raes dos Reis Molla, por estudos.
Arma de infamara-18* batalhoA' capitao,
o tenente Jos Theodoro Pereira de Mello, por
antiguidade, para a 1' companhia.
Corno de sande A phanaaceulico capito, o
pflarracentii'o teneWf*' Honorato Caetano de
Abreu. A pnarmacuotieo teneme, o pharrnaceu-
tico alferes Ignacio Pereira Borba.
CorpoecclesiasticoA capelln capito. o ca
pellao lente padre Telesphoro de Paulo Au-
gusto por antiguidade.
pe Jacob dos Anjos e Bellarmina Maria da Con-
ceico, por disturbios. -
A' ordem do do Io districto da Boa-Vista, Lu-
fieinio Lourenco CarBeito Torres, Bellarmina
rancisca do maral, Amalia Luiza de Oliveira
e Luiz Alves de Macedo, por embriaguez e dis-
turbiss; Ursulina Mana da Concejero, Maria
Alexandnna do Livramento, Joanna Maria da
Conceigao e Jovina Maria do Livramento, por
embriaguez ; Joo Alexandrino do N'ascimento,
Silvano Thomaz da Silva Jos Rodrigues de
Sreitas, Joo Ramos da Silva, Horacio Francisco
o Kascimento e Jos Francisco Chaves, por
disturbios.
-- Assumio. o exercieto da delegacia do ter-
mo de Cabrob o respectivo 1 supplente, Jos
Matheus de Lima.
Pelo subdelegado da freguezia de Santo
Antonio, foi remettidq ao Dr. juiz de direito do
2o districto criminal, o inquerito policial a que
procedeu contra Edmundo Fernandesjde Barros,
por haver ferido gravemente a Antonio de Sou-
za Mello.
No dia 1* do correte e em trras, do en-
genho Penedo de (lima, pertenecnte frpguezia
de S. Lourenco da Malla, Faustino de tal, depois
de ligeira altercaco. decepou, com ama den-
tada, o labio superior de Francisco Riwiro da
Silva.
Contra o delinqueate, que evadio-se. proce-
deu a autoridade policial nos termos da lei.
Communicou-me o delegado do termo do
Cabo, que no dia 1 do corrente foi encontrado
em trras do eajgenho Ilha o cadver de um in-
dividuo de nome Manoel Romao. cuja morte,
segundo a vistoria a que se procedeu, fra pro-
veniente de antigos padecimentos.
Pelo delegado do termo de Garanhuns foi
recolhido em 30 do corrente ultimo cadeia res-
pectiva, o sentenciado Jos Dunires da Silva,
que tambem est pronunciado no art. 257 do
Cod. Crira.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exin.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mu digno presidente desta provincia.
O chefe de polica, Geroncio Dias de Ar-
ruda Falcilo.
,
'--
pitftfj ffecio de Carvalho com piafas
que Ipaa ao destacamento desta cidade
e aqf|rellou r. Ui metros maip ou menos
da igrja de Vcrtentes, sendo o numero
de pracas superior vinte.
O Dr. Prxedes Pitanga c esteve de
ando ao terminar a eleicao,
ir.
o-1**guinte:
iro Grnfalves Ferreira 104 vo-
'raxedes Pitanta, 36 e 1 em se-
DE
PARTE OFFICIAL
Hinis(erio do Imperio
Foi agraciado com o titulo de Baro de Pedro
aHbn>o o Dr. i edro Affonso Fram-o.
Sua Magestade o* imperador assignou hontem
a carta, dando plenos poderes ao Sr. B;i rao de
Alencar, enviado adfraorainario e ministro ple-
aipotenciario do BraBl na Repblica Argentina,
para assignar a convenco de arbitramento.
Foram nomeados commendadoros da Ordem
da Rosa os segundes Srs.: Baro de S. Leonar
Goreroo da provincia
DESPACHOS A PRESIDENCIA DO DA 4
SETEUltKODE 1889
Abaixo assignadas, coslureiras do Arsenal de
Guerra.Xesta data me dirijo 10 Exm. ministro
da guerra no sentido do que requerem as peti-
cionarias.
Antonio Juvino da Fonseca.Informe o Sr. in-
spector do Thesouru Provincial.
Companhia Ferro-Carr 1 de PeraambucoDi-
ga o Sr. liscal dos bonds, e a elle remetleu-se a
inclusa planta.
Honorio da Costa MonteiroSim, de confor-
midade com o art 4* da lei n. 2,036, de de
Agosto de 1889.
Tenente coronel Jorge Diniz de Santiago.
Informe o Sr. inspecior da Thesouraria de Fa-
zenda.
Tenente Jos Carneiro Maciel da Silva.-For-
ni'i a-se.
Joo Jos Nones.Indeferido.
Reis Santos.-Sim, comas restricres do es-
lylo.
Sebastian Antonio de Albuquerque Mello.A'
vista da inform-iro do Tnesouro Provincial, in-
deferido.
Auna Elysa de Oliveira Barros.Informe o Sr.
Dr. inspector da instrueco publica e cite o no-
me da professora que subsiitue a supplicante,
d'onde foi transferida, e se ja est era exercicio
na nova cadeira.
Bacharel Bellarmino Guedes Correia Gondim.
Tendo sido declarado pelo Exm. Sr. ministro
da justica sera effeito o acto de reconuccao do
supplicante, no cargo de juiz substituto da co-
marca de Timbaba, a antes que concluisse o
quatriennio, bem procedeu a Thesouraria de Fa-
zenda, pelo que. nao pode ser deferido o pedi-
do que faz. t
Manoel Antonio Ferreira Braga.Po" acto de
6 de Maio de 1878 foi o supplicante jubilado, e
assim nao pode ler deferimcnlo rra peticaoem
que pede reintegraco no cargo que oceu-
pava.
Bacharel Jos Joaquim Alves de Albuquerque
Excede a quantia proposla lei do orgamento
que s o poder legislativo provincial pode am-
pliar.
Jos Firminc Ribeiro.Concedo, na forma da
lei.
Ceciliano Jos Ribeiro de Vasconcellos. Tem
o supplicante direito quantia de 3183000, e
seu pagamento depende da condicao estipulada
na lei n. 1,927, o que se far opportunamente
quanto a gratiflcaco de mrito, lem o suppli-
cante rccebido desde a data de sua concesso, e
nem fem direito a recebel a pelo periodo ante-
rior porlaria de 21 ae Julho de 1888, em vista
do que dispe o art. 141 do regulamento de 18
de Janeiro do mesmo anne.
Secretaria da Presidencia de Peraam-
buco, 6 de Setembro ce 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn-
Tnesouro Provincia!
DESPACHOS DO DIA 5 DE SETEMIIUO DE
1889
Procuradura de fazenda do Limoeiro, BasMio
Gomes Pereira Rodrigues, collecloria de Goyan-
na. Bartholomeu Marqaes da Silva, Antonio'Al-
ves Barbosa e Anna Romeiro de Albuquerque.
Ao contencioso.
Francisco Avila de Mendonga.A' Recebe-
doria.
Oflicio da Instrurco Publica, Jos Antonio de
Moraes, Francisco Baptisla do Reg, collectoria
de Boa-Vista, Obras Publicas, Alfandega, Presi
dencia, Presciliano Prisco Paes Brrelo, Santa
Casa, Vicente Ferreira de Araujo.A* conta-
doria;
Manoel Antonio de Oliveira,Certitique.;se.
^ ffJa*"
?*- aWawi
Recclvcdoria Prorlnelal
DESPACHOS DO DA 5 DE SETEMBBO DE 1889
Jeronymo Gomes de Mattos e Silva,
Pedro Soriano do Espirito-Santo, Ernesto
Castello* Branco e Antonio Marcelino Al-
ves d. Costa."-Certifiqese.
Laurentino Pires do Carvalho.A 1/
Secjao para os devidos fins.
DESPACHOS DO DIA G DE SETEMBKO DE 1889
Antero Lopes de Mendonga, Antonio Francisco
da Silva Guimares, Francisco Xavier da Cruz,
Aleixo Jos de Oliveira, Raymundo Maria Mo-
reira, Joao Claudio Marlins Pereira, Jacintho
Heliodoro da Silva e Candido Jovino da Costa
Doria. Certifiqese.
Dr. Feliciano Placido Poutual, Jovino de Car
valho Cavalcaote, Prealle 4 C. e Herbert J.'Per-
man.Cumpra se.
E. A. Burle 4 CDeferido, com relago ao
1.* semestre do exercicio corrente.
Joaquim Felinto Alves de Almeida.Indefe-
rido.
Francisca Margarida de Assis SilvaInforme
a l.' secja).
Joanna Maria da Conceigao. Indeferido, em
vista das informagOes.
Adolpho Jos Alves de Carvalho.Deferido'
eni vista das informages
Luiza Maria da Conceko.Deferido.
nlfcsrvotantes.
Termrnaram os trabalhos felizmente sem
o nl^t Incidente.
Apresentaram um protesto ftil e ba-
nal, que a mesa aceitando contra-protestou,
adherindo ao contra-protesto grande
mero, de conservadores.
0 A
o d16 do prximo vindouro.
havido alguns chuveiros e o ther-
por tubos cujas ajustagens emergem sdbre a via
altura das turbinas dos wagons.
Quer-se avangar ? *
Abre-se a primeira ajustagem ; a agua sae e
vein baler com forga na turbina, pondo-a em mo-
nS??m'!feeSr?pnSK.^ c?U3hboio.co,nReirs que as"circunstancias de 860~impbaha
forma corpo. O comboio caminha e por de- ;a0 ov.no C0!U0 providencia de salvago publi-
traz d'elle a ajustagem fecha se automticamente.
A velocidade adquirida impelle o comblo at a-
segunda ajustagem, que se abre sua paasagem
s fecha.deppis. e assim successivamedte.
O machinista pode, na aiacrii!iavJ|i- Ll'ir'r
e fechar as ..jfustpens que se aprfieTltar, mas
tambem moSjBpa'marcna c, por cdhscqueoeia,
diminuir ouTffecipitar sna vontade a velocida-
de, que est calculada em 200 kilmetros por hora,
isto, tres ou quatro vezes a rapidez dos exprs
sos francezes.
Para parar fechara se as ajustagens e a tornei-
ra que listribue a agua pelos palins ; essa para-
gem realisa-se no es paco de alguns metros, sem
freio de nenhuraa especie, sem abalo e nica-
mente pelo peso do comboio.
Esta invengan data j de 1834.
O seu autor, Luiz Domingos Girard, conhecido
sessJIo do jury fot* convocada para pelas suas invenges e adaptages hydraulicas,
4 "navia j procedido algumas experiencias, quan-
do sobreveib a guerra dejl870 : e durante o cerco
de Pariz, um
abusou sempre dos recurssos que ellas deran
ao governo para manter a ordem publica, a*
sen tido da eompresso do voto e de seus inta-
resses partidarios.
O partido que para combater as medidas linaa-
nu-
mon^tro oscillade 1 a 22 centgrados.
Aida continuSo os gneros as feiras
com alta de preco, e as safras de caf e
algodao pouco promettem pela falta de
chuvas no devido tempo.
Au revoir.
FI.\\.\t\S E COMERCIO
Teve o mais brilhante xito a subscnpgo
inaugurada no dia 28 de Agosto ultimo para o
emprestimo de cera mil contos, tendo se elevado
a soturna subscripta na praga da corte a cento e
cincoenta e dous mil contos, assim distribuidos,
tomados pelo Banco Internacional, Banco do Bra-
sil. Banco Rural e Banco Comraereiai.
Houve propostas de 91, 92 at 94.
Alm dos bancos que garantiram a operago,
a acreditada casa Fonseca Cunha toraou directa-
mente ao thesouro a quantia de oaze mil e du-
zentos contos ; e o Sr. Visconde de Figueiredo
reeebeu no mesrao dia da Europa um telegram-
ma pqdindo cerca de 10 millies sterlinos.
*
O Herald de Nova-York publicou a 20 do mez
passado um telegramma de Washington, dando
noticia do relatorio que ao governo dos Estados
Unidos apresentou o Sr. general 11. Clay Arms-
trong, sobre o commercio do Brazl com s Esta-
dos Unidos.
Esse telegramma o seguinte :
Em Velatorio ltimamente dirigido ao minis-
terio dos estrangeiros informa o Sr. Armstrong,
nosso cnsul geral no Rio de Janeiro, que o par-
lamento hrazileiro, na uliima sesso, autorisouo
gova/no_ a negociar um tratado de commercio
r^dftsia 11 os- U da que o inventor se diriga em
companhia de algumas pessoas em um vapor aos
postos uvancados, urna descarga de fuzilaria foi
disparada da margem or urna patrulha prus-
siana : Girard cahio morto.
Coutava apenas '18 annos.
Os seus planos e privilegios foram vendidos c
s ha annos que o engenieiro Barre conseguio
descobrir os que diziam respeito ao caminh de
ferro. Foi elle, pois, quera llie introduzio nota-
veis aperfeigoamentos e poz agora era pratica,
gragas a auxilios particulares pecuniarios que
reeebeu de varios amigos.
Nao sei se o custo d"este caminho de ferro li-
car mais caro do que o actual, mas era todo
caso, se chegar a utilizarse produzir urna ver-
dadeira revolugo no systema de viaco accele-
rada.
A parte que se acha installada na esplanada
dos invlidos tem 180 metros de extenso.
INTERIOR
sosas:
Reparilco da Polica
2.1 eccao.N. 10*1 Secretaria de Po-
lica de Peraambuco, (5 de Setembro de
1889.Illm. e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. que hontem foraw recolhidos Casa
de Detnyo, os seguintes individuos :
A' minha ordem, Florentina de tal, alienada,
at que possa ser transfe-ida para o Asylo da
Tamarineira.
A' ordem do subdelegado da freguezia de
Sanio Antonio, Baltana Maria da Gonce;gao, por
offensas moral publica.
A' ordem do do 1* districto de S. Jos, Arceli-
no Francisco da Silva e Josepba de tal, por em-
briaguez e disturoios.
A' ordem do do 2 districto de S. Jos, Felip-
Xoicias do sul do Imperio
O paquete francez Nerthe, chegado do
sul hontem tardinha, trouxe as seguintes
noticias :
s. Paulo
Datas at 31 de Agosto ;
De 1 at 3 foram visados n se-
cretaria de polica da capital 466 passa*
portes para o sxterior.
No dia 20, no Amparo, Jos da Rita
para defender se de Jos Ferreira de
Mattos, que o aggredira depois de una
pequea altercagao, deu-lhe na cabeca
com urna-acha de lenha t2o forte panada
que matou-o.
O criminoso foi preso.
Itio de Janeiro
Datas at 1 de Setembro :
Foram concedidos os seguintes cr-
ditos conta do extraordinario de qh
trata o decreto n. 10,181, de 9 de Feve-
reiro do corrente anno :
De 500:000^ & thesouraria da Para-
hyba; |
De 1,000:000^ do Cear ;
De 500:00050 0 do liio Grande do
Norte ;
De 200:0005 do Piauhy.
Hall i a
Nao rebejemos folhas dessa provincia.
AcTO^lmatite o Brazfl tom grande dsejo e
coasfteuir nos K-tados-Uuidos mercado perma-
nente e lucrativo para seu assucar. >
Diz o Sr. Armstrong :
Assim como os estadistas norte-americanos
comprehendem que a sanida natural para o ex-
cesso da produego dos Estados-Unidos se en-
contra na America Central e Meridional, na mes-
raa forma os estadistas brazileiros consideran)
os Estados-Unidos como mercado natural para o
caf e o assucar do Brazil.
Para conseguir este mercado esto dispostos
estou certo, a fazer valiosas concesses. Pelo
menos este o sentimeoto actual. Se deixarmos
passar, porm, ensejo to azado, posvel que
a modilicagao das circunstancias do paiz d lu-
gar influencia de causas diversas.
Segundo o mesmo telegramma, o relatorio do
Sr/ Armstrong trata tambem da industria fabril
do paiz, a qual, no sen entender, ainda se acha
em sua infancia, mas vai crescendo de dia para
dia.
Na ultima sesso do Instituto Polvterlinico o
Sr. Dr. Collatuio Marques de Souza Filho rea-
lizon a sua conferencia annunciada, tralando da
cultura do altjodo do Brazil, oceupando por urna
hnra a allengc do Instituto.
Descreveu minuciosamente todas as operages
desta importante cultura, desde a escolha da
localidade Tiara um algodoal at a colheita e o
seccamento do alpodo
Nesta interessanti' conferencia o orador esta-
beleceu como preceitos certas regras que devem
ser seguidas pelos agri -nitores aiira de obterem
o melhor xito de suas plantaces.
Comparou a cultura do algodo no Brazil com
a da Aigeria e a dos Estados-Unaos, mostrando
os cuidados, que nestes paizes lm merecido
to imporlante cultura.
Fez longa3 e minuciosas cOnsideragOeV sobre I
a pathologia do- algodoeiro, delcreveado todas
as molestias e parsitas, queatacam esta planta
cultivada.
Terminando, faz votos para ver melhbrada es-
ta importante cultura porque, se ella assim con-
tinuar, abandonada como est dos methodos
scientiHcos. tera forgosamentc de desapparecer
do Brazil em presencados famosos algodes da
Aigeria e doaEstados Unidos.
ca, e para minar a influencia conservadora, fe-
lizmente representada ento por urna pleiade da
10 llustres estadistas, ainda hoje gloria e, orgulha
._' na nago, inventou o famoso circulo de ferro,
aseeuilrii ao poder logo aps, manteve as lei
3ne comhatera, aggravoo-as com as medidac
iclaloriaes dos famosos decretos de 1864 sobra
tallencias c creou nao um s, nns,diversos cir-
cuios de ferro as provincias do imperio, sobra
que a celebre liga estendeu sua nefasta influen-
cia e cobrio de ruinas.
O partido que arvorou a bandeira de refoim
ou rrvolurao por amor de um programma, la
vasto em'sua coinprelienso como sem razo dt
ser em muitas de suas partes, subi ao poder,
constituio sua cmara unnime, sem embarga
da lei do lergo, que garanta a representago de
minora conservadora, gragas, j se sabe, ao
costomado systema de eompresso com que es-
candalisa o paiz sempre que maneja as rdeos
do governo, como estamos, presenciando.
Pois bem : nao reforraou cousa alguma, na
realisou urna so das promessas contids no vasto
programma, pois que a reforma eleitoral pelo
systema directo censuario foi antes obra do par-
tido conservador representado no Senado, j
pelo concurso de seus votos que preponderam
as deliberages, j pela fego da reforma qae
certamente nao era liberal. Se u reforma se nao
fez, menos a revolnro. gragas consummada
prudencia cora que o partido conservador era
opposigo se affrontar e vencer a sanha de seus
adversarios.
O partido que anda ha dous mezes subia ao
poder com um programma volado em congresso.
em que entre outras primavam as ideas de re-
forma do conselho de estado, de autonoma da
administrago municipal, da cllectividade do di-
reito de reunio, da abolico. da guarda nacional
e da verdade do oirameno, acaba de demonstrar
mais urna vez a seriedade de suas promessas 4
a lealdade de seu procediraento.
Com effeito: preparou a promettida reforma
do conselho de estado, encuendo esta corpora-
go de um abundante pessoal poltico, que ja-
mis contou !
Preparaa reforma da autonoma municipal
despojando a municipalidade da corte da rudi-
mentar attribuigo de distribuir pela massa de
seus credores a importancia do emprestimo au-
*
*
Carne de agousue
Aves
Peixe
Legumc3
A entrada do corrente anno de gneros alimen-
ticios nos mercados de Paris, comparada de
1888, da indirectamente idea do momentneo
augmento da populagao da grande cidade.
Tomando ao acaso um dta, o de U de Junho,
verilicou se terem entrada naquelles mercados
(kllogrammas):
11 Junho 88 11 Junho 89
109.0(<0 158.800
29.900 38 000
23.900 37.200
423.400 1.051.6oO
Estes dado? purecem indicar que a populagao
augmentou de cerca de raetade No eratanto,
aota-sc um Jacto singular ; ao passo que o con-
sumo de ovos e de maoteiga tem sido agota me-
nor do que no ultimo anno, o ventre de Paris
tem ingerido 50 % de carnes salgadas mais do
que em 1888.
Attribuem em grande parte o extraordinario
augmento destes ltimos productos as numero-
sas refeige ao ar livre nos taboleirds de relva
na Exposigo.
**#
Na corte cobra o Estado impostos de 38 163
peonas d'agua as casas d cidade.
#**
Sfw isenios na corle da conlribuigo do im-
posto predial 1.035 predios, cujo valor locativo
sobe a-3.374:1^0Ji'OO.
Dessej predios pertencem 291 ao Estado, 172
a Cora e 38 Santa Cas*.
HDl-STIIAS E ARTES
C0IUSP0.\DI\O4S
CIDADE DE TAQUARETINGA em 31
de Agosto de 1889
Ainda fatigado, de volta de Vertentes.
onde estive no pleito eleitoral, vou escre-
ver-lhe.
O mez hoje concluido, pode-so dizer
que foi aqui todo de eleigo, e a se espe-
rar pela realisacao do boatos ltimos "es-
palhados, tudo se teria acabado.
O partido conservador sempre aqui pu-
jante devia tambem soffrer seu terror, e
assim as vesperas 4 pleito chegou o ca-
. Attrahe actualmente a aUeuco na exposigo
universal o caminho de ro Girard, installado
na esplOada das invlidos e cujas experien-
cias corr1 o xito mais completo.
O caminho de ferro que se trata, no^ae
pan-ce em no^la com os que existei.. ; nao
comsigo a Torga que o anima, era dispOe de ro-
das ; caminha so jre patins. Estes patius, do com-
primento de 40 centmetros e da la*ura de 2o
approxinadamente,apoiam-se em rails chato?
de largura idetica. O interior vasio.
Imaginero-se espesas caixas de ferro, quadra-
rias e sem lampa, que se tivssenj vdltado sobre
os rafla. De urna outra extremidade do comboio,
todos 03 patins sao postos era commuaicago
por meio de tubos, com um reaervatorio collo-
cado no wagn da frente e que contera agua e ar
levemente comprimido.
Para o comboio carainhar, o raachiuista abre
urna torneira; a agua dos reserwfOrios, sob a
aoc&O do ar que pesa sobre, ella, atuue violenta
mente aos paiin*. que por si proprios, sob a pres
sao da agua, se erguem um pouco, e a carnada
liquida de alguns (milmetros que se inlcrpc
enlao entre o patiin c o rail, auxilia a f-icyao das
licies metallicas, e assim basta um
pequeo esforyu para.desde esse momento por o
comboio em moutnjmto.
Quanto I ira, cada um dos wagons
munido,por baixo', de urna turbina rectilinea.que
corre no sentido da sua extenso. sendo que por
baixo da Ierra, em toda a extenso da linlia, corre
um cano no qual machinas a vapor estabelecidas
de dez em Jez, vinttHi quarenla kilometri
tentam a agua una p ament fraca
(20 ou 25 kllogrammas bastara) Esta agua chega
Entre numerosas eslatisticas organisadas para
a Exposigo Universal de Pariz, urna foi exhi-
bida no Palacio das Artes Liberaes, relativa ao
jornalismo ou industria jornalistica em todo o
mundo.
E* a Allemanha que a este aspecto campeia
frente doraovimento intellectual, representada
por 5,500 folhas, entre as quaes 800 quotidia-
nas.
A' Allemanha segue-se a Inglaterra com 3,000
folhas, das quaes 809 diarias.
A Franca conta 2,819; a Italia 1,400: a Aus-
tro-Hungra 1200; a Hespanha 850: a Bui-sia
800 ; a Suissa 450, etc.
Possue emfim a Europa 20,000 folhas.
A Asia conta 3,000 e a frica 200.
Na America publicunse 12,500, nos Estados
Unidos, 700 no Canad, ele.
Na Oceania ha 700, na Austria, etc.
Calcula, emfim, o Gufenherg Journal que exis-
te no globo urna folha para cada grupo de
8,6fW individuos.
#

la o dissemos : Carlos Gomes chorou quando
sou:>e que seu3 patricios foram mais indifferen-
tes sua msica do que os Italianos e os Ar-
gentinos de Buenos Ayres !...
Talvez dessas lagrimas nascesse o heroico pen-
samento de sujeilar de novo a Fosca aojulga-
raenlo da pintea de Mlo. CommcUimento her-
cleo, no qual Carlos Gomes arriscava tudo glo-
ria e vida !
Venceu I
Victprja immensa, como jamis presenciou o
mundo mHsical!
Nao fallaremos de applausos, de chamadas
scena, ;de ovagoaa, de orchestras em p, etc.,
etc. Todo isso velho; de praxe quando se
trata de Carlos Gomes.
O que ha de novo nessa victoria, o que a col-
loca cima de tudo, a seguinte estaiistica da
estago lyrica do theatro Scala era 187273 :
torisado por lei, por ella contratado e approvado
pelo governo! 0 recente aviso, expedido pela
ministro do imperio, finar era nossas collecgOes
de actos ofliciaes como o triste padro do libe-
ralismo ministerial e da decadencia da institui-
co municipal nesta capital !
A effectividade do direito de reunio I Que a
diga como a entende o ministerio o recente edi-
tal do chele de polica da corle, confiscando a
direito de reunio qual se acha constituido e
garantido pur nossas leis, sempre uniformemen-
te applicadas sob o rgimen de todos os partidos
no imperio !
O anlien motte da aboligo da guarda nacio-
nal, por amor do qual se promeltera urna tom-
Iwdo, nao mais tomado ao serio : pelo contra-
rio, reorganisa-se cora apparato a guarda nacio-
nal como recurso para matar a revolugo e a
repblica !
A verdade do orramento !
Merece-lhe culto enlraohado um governo. ca-
jos dias se contara por actos de deregramentos
no dispendio dos dinheiros pblicos Em que
verbas do orgamento achou o governo recursos
para essa apparatosa embaixada aos Estados-
Unidos, que previamente se sabe nenhum resul-
tado proficuo poder produzir ? Para essa aa-
daciosa delapidago da foi tuna publica que so*
o titulo seductor deauxilios lavouracncha
as algibeiras de meia duzia de amigos, aliga a
cubica de outros, mas arruina as (nangas do im-
perio sem proveito real da lavoura, e, o qua
mais constitue na occasio emprico expe-
diente de suborno eleitoral Para essa desorde-
nada distribuigo de soccorros pblicos, com a
qual j nao s as provincias do norte, flagella-
das pela secca, real ou simulada, mas at na al-
tiva c sobria provincia de Minas-Geraes, pre-
tende o governo conquistar ignobil triumpha
as urnas no dia 31 de Agosto :
Sempre os mesraos eternos comediantes 1
O
e a corrti|K-;i
Sural
(Xacio, da corte)
ele-
1. Fosca, de Carlos Gomes
2. Africana, de Meyerbcer
3 Saprfo, de Pacini
4. Aida. de Verdi
5. Cinq Mars, de Gounod
6. Somnmbula, de Behini
7. Traviata, de Verdi
-.
Total das representaces
15 vezes
14
II
6 .
5 >
3
1 3 .
57
E' irppossivel maior triumpho Conseguir
n5o s se fazer coasprehender como popularsar
opera lo eximia como essa incomparavel Fos-
ca t
Era Mlo. no proprio tlieafro Scala, que, em
1873, mal a eomprehemlera no turbilliSo do
combate travado porjmelodistas c watmeristas !
Mas essa Fosca realmente um prodigio mu-
sical.
Siempre os Baesaios
(N'u-ao, da corte)
O partido liberal na presente situago. que
pouco mais de dous raezes conla de durago, vai
demonstrando a mesma perfeita sinceriaade de
conducta cjin que em todas as epochas edilicou
o pata.
O partido que em 1842 sublevou duas provin-
cias do imperio por amor da aboligo da lei de
3 de Dczembro de 1831, da lei da interpretagao
do acto addicional e da lei da creico do coi
Iho de oslado, subi ao poder d'aquella epocha
parte nao menos de quatro veze*. dispoz de
cmaras unnimes ou de fortes maiorias, mas
nao s nao reformou as ditas leis, seno usou e
E' singular a defesa que o ministerio produr
de sua conducta quanto aos meios corruptores
por elle empreados para o bom xito da cam-
panha do dia 31 do corrente mez.
Accusado pela opinio publica imparcial de
haver posto mo temeraria no cofre dos dinhei-
ros pblicos, que a situaco conservadora dei-
xou repleto com 10.000:000a de saldo no the-
souro e 3.800.000, em Londres, sem le que o
autorisasse, sera aquiescencia da cmara que o
indultasse, como praticou o seu antecessor, o
ministerio nos vem convidar para rndennos
gragas a Deus pela audacia cora que cummetteu
lao feio delicto I
Accusado de haver desviado os recursos do
Estado de sua applicago legal, nao para auxi-
liar a lavoura, mas como engodo corruptor des-
tinado a envenenar a fonlc da soberana nacio-
nal na prxima eleigao do dia 31, o ministerio
Lnos vem dizer que a tentativa nao ser urna
promessa v, feila antes da eleigao no intuito de
Maquear o voto, mas acto, isto suborno que
se ha de consumar, sendo pago o prego ainda
depois da eleigao ?
Accusado de haver enpregado a formula de
auxilios lavoura como imples engodo eleito-
ral, e nao para soccorrer esta industria era suas
necessidades reconhecidas. redundando o sacri-
licio do Estado era proveito exclusivo de bancos
uecessilados e de espceulaces as pracas com-
merciaes, o ministerio vem ancho de s Invocan-
do como defesa a cuniplicidade destes inteivs-
sados, e os applauos, alias naturaes e bem ex-
plicaveis, que elles teem entoado sua poltica
esbtojadora !
Accusado le nao haver acautelado convenien-
te os interesses do Estado e os pretendi-
dos beneficios lavoura nos contractos celbra-
los com os bancos favore xigindo dcsles
que aiternassem com capitaef proprios as pres-
tages com que o thcsourg se comprometa a
entrar, o ministerio nos responde que a honora-
bilidade de cstabelecimetitos de crdito desta
melronole nao permi'.tiria a estes realisar urna
operago commercial de lucro certo sem arris-
car capiUies prnprios !
Concebe se que o reo accusado de haver pra-
tiradoum delicio,aggravado pelo abuso da con-
lianca nclle posta, pela fraude e pelo ajuste
com mais pessoas para perpretal-o, procure de-
fender se negando o facto ou attenuandoa sua
lade Esta va porm reservado ao minis-
terio per-erter as ideas moraes al o ponto de
exibir, nao j por defesa. mas como glorificago
de sua conducta a audacia do delicio, a fraude
e aleivosia cora que o edramette. a cump.ic-
dade e o mteresse de seuJ co-ros !
1
.

-I---



1
2
Diario de PernambucoSabbado 7 de Setembro de 1SS9
PERNAlBTtCO
Loodou A Brazilian
mited
Capital do Banco
< < Pago
Fundo de reserva
BALAigO DA CAIXA FILIAL
BDCO EM 31 DE ASOSTO
Actico
Letras descontadas
Letras a receber
Emprestimos, contas correntes e
outras
Garantas por conta correntes o
diversos valores
Caixa em moeda corrente
Bank iA-
1,2-M):000'
'i25:000
360:000
EM PER XA
DE 1-
11)3:2135170
l,U:8777O
2,2ll:0865iGO
681:12!
-!:13498
5,193 4345190,
Depsitos :
Eji eouta corrente
fixo e por aviso
Garantas por contas correntes e
diversos valores
Diversas contas
Letras a pagar
Passivo
596:242*060
1,724:9475120 2.321:1895180
1.976:6205370
895:3223640
1025000
3,193:43'31M0
S. E. & O.
Pernambuco, 6 de Setembro de 1889.
W. H. iiiiton.
Gerente
Robl ti. King.
Contador atenu.
REVISTA DIARIA
Miniftterlo da *.ricalturn -A' presi-
dencia de Pernambuco fui expedido 0 segum e
aviso: i
Copia.Ministerio dos Negocios da Agricul-
tura Coinmet ci e Obras Publicas.Gabinete.
Rio de Janeiro, 23 de Agosto de 1889. lllm. e
Exm. Sr.-A. niaior parte ou a quasi lotalidade
das concesses t'eitas, em longo periodo de ali-
os, para deseobriineuto e larra de miuas nao
tem produzi lo seno sacrificio estril dos esfor
jos sofregados mais ou enana enrgicamente
pelos concessionanos, coniando-se em grande
numero os que, a pos as primeiras tentativas,de
todj teea interrumpido os trabalosexecutados,
incorrendo as ooaceesoes em cadue lade, como
nico fructo da diligencia e do tempe e das des
pez is consumidas.
Este estado de cousas perdura ha omito,
sendo notorio o abaiiraento da industria da rai-
neracao entre nos, ao passo (me a vanedade B
abundancia das riquezas do sub-slo, bera pi-
tentealas em diversas regies do impeno, pro
meltem e assegurara desenvolvimenlo e pujan-
ca a este ramo da actividade nacional, com gran
de resultado para a fortuna particular e para a
fortuna publica.
Nao cabena esphera da acgo administrati-
va remover de prompto as dillicul la les que es-
to estorvaudo o progresso da industria da mi-
nerago entre as quaes avultam a falta de vas
econmicas de coraraunicacaj, a carencia do
numeroso pessoal habilitado que este ramo in-
dustrial exige, e, como ennsequencia natural, o
relrabiinenlo dos capitaes que o malogro de
tantas coueessGes parece intimidar cada vez
mais.
Tanto quanto estirar, porera, na aleada do
governo imperial, nada sera poupado para, pelo
menos attenuar os oslaculos que lee:n coustr.tn-
gido a iniciativa individual e estimular nesta di-
receo o espirito de empieza.
Com este empenho, que convm tornar co-
nhecido, alhn de desportar aquella iniciativa
por parle de homens idneos para encaminliar a
bom xito eraprezas desta ordem. declaro a V.
Exc. que. revogado nesta parte o aviso circular
n. 87 de 20 de Outubro de 1887, nao so conce-
der o governo para as pananas relativas ao
descobriraento e caracterisagao das minas o pra-
so que as circunstancias' indicaren cerno ne-
cessario, mas dar autonsacj a cada copees
sionario para larra de tantas dalas rainraes
quautas forera precisas, vista das condges
locaes, distancias e outros requisitos, para as-
segurar a remunerago do capital pela perma-
nencia do trabalho e certeza dos seus resultados,
evitndose por este modo que, circomscriptaj a
pequea rea de urna s data mineral, oflere-
caui em uiuuos casos as concesses campo n-
suicienle actividade til.
Para este lira lera V. Exc. e;n altenco mui-
to particular, as informales que a tal respei-
to hourer de prestarme, a in Jicago do praso
e do numero de datas, segundo for acooselhado
pelas condices locaes, considerando a siluago
das jazidas, a distancia que as separa dos po-
roados mais prximos e os meios de commuiii-
caco existentes organisados ou nrojectados
0 que confio do zelo e discernimento. espe-
rando que V. Exc. prestar a este objeclo a
maior considerago.
Deus guarde a V. Exc. Laurear o Civnl-
cante de Atwquerque, Sr. presidente ua provin-
cia de Peniainbuco .
.4 ti o* onielaePor actos da presidencia
da provincia de ante-honteni :
Foi notneado Feliciano da Cunha Cavalcante
pera exercer o cargo de delegado litterario de
Goyanna, em substituico de Manoe' Paulino da
Cunta Brrelo, que nao aceilou o referido car jo.
Prorogou-se por 60 dias com venciiuentos na
forma da lei, a (cenca ltimamente Concedida
ao professor da cadeira de. ensino primario da
Estrada Nova de eeberibe, JoseFirmino Hibciro,
para tratar de sua saude onde llie convier.
I'iiik -cionarioa publicoAo Sr. Dr.
inspector do Thesouro Proviucial, foi dirigido
ante-liontera pela presidencia da provincia o se-
guinte oflicio:
3.* secgo. Paiacio da Presidencia de Per-
nambuco. em o de Setembro de 1889.Nos pa-
gamentos que tiver de fazer a titulo de venei-
mentos dos funecicnarios pblicos, cumpre que
atienda era primeiro lugar aos que se achara
mais atrazados, afim de equiparar a siluago do3
que teera direito a receber o que se lb.es deve.
Oulrosim, envi Vine, i esta presidencia a
lista dos luncciooarios a que me retiro com as
precisas indicaces de terapo e vencimentos a
que tiverem direito. nao permitlindo a menor
excepgo as instrueces que expedir a pagado-
ra: em cumprimenlo desta ordem, que vigorar
at que todos se achem em iguaes condiges.
Deus guarde a \'mcU. Alces de Araujo.Sr.
inspector do Thesouro Provincial.
.-finio do Profeisore Primario
Da Secretaria da Presidencia nos foram remet-
idos para publicar os seguintes ollicio e repre-
sentaco do Gremio dos Professores Primarios :
Gremio dos Professores Primarios, Recife, 2
de Setembro de 1889.
lllm. e Exm. Sr.O conselho do Gremio dos
Professores Primarios tendo em vista o cumpri-
mento do art. 30, 6. de seus estatutos de que
remette um exemplar a V. Exc, dirigi o anno
roximo passado urna representaco Assem-
16a Provincial no sentido de solicitar della di-
yersas 'nedida3 tendentes ao mellnraraento do
ensino primario e do magisterio que o dirige ;
medidas que nao foram tomadas em considera-
cao, em virtude de atarefaraento da mesma As-
sembla : agora, porra, que acaba ella de au-
torrisar V. Exc. a fazer a reforma da mstrucgo
nublica, aproveitando o.Grcmio a opportunidade,
Vem impetrar a allengo de V. Bxc. para o que
contera dita representaco. cuja copia acompa-
nha o presente e pede venia para apresentar al-
Suns additivos referente ao assumpto da alludi-
ida representaco.
O conselho do Gremio aproveita o ensejo
para manifestar pessoa de V. Exc. os protestos
do mais profundo respeito e alta consideracao.
Deus guarde a V Exc.-lllm. e Exm. Sr. cense-
Iheiro Manoel Alves de Araujo, mui digno pre-
sidente da provincia. Augusto Jos Mauricio
Wanderley, presidente.Jos Luiz res, l. secretario. -
Representaco do Gremio dos Professores
Primarios de Pernambuco:
(Copia) Augustos e dignissimos represen-
tantes da provincia.O conselho do Gremio dos
professores trimarios. cumprindo urna das at-
tribuicoes de seus estatutos, vera ante Vv.
reclamar algumas medidas tendentes ao inte-
resse do magisterio primario deita pronncia ;
uitercsse que nao outio seoo o daniesraa pro-
viucia. visto que rauto ter ella de lacrar con
stiucco elemental fornecida conveuiente-
meote aos seu3 jovens patricios.
E' das vantagens u regalas promettidas le-
gal mente aos mentores que rsaollam bom gosto
e dedicaeo acurada peo ensW| real aprovei-
taaiento deste. Ao contrario disto, desde que se
marera disposices ref ularaentares, que, a pre-
texto de eatnr ab'isos Viihau cercear garantas
consequentee a certa o;den d# deveres e obri
-ices, que era succes.-ivas reformas tendera a
nenia, nao possivel de esperar desses
mentares a mesma sattsfacao, o mesuiG entliu-
siasmo, qae nelles exista em virtude daquellas
itias, que julgavam seguras, das quaes fo
rara bruscamente privados; ticando-lhes em
compensaco do rauilo que tiseram para go-
zal aas odeseeeaoo de que trabalharara era vo,
o desanimo eilin.
O conselho do Gremio, lirmado as d
deraetjas expendidas, Yem solicitar a Vv. Excs.
o seguidle:
1* A suppresso dcsarts. 38, 39" e 40 do re-
gulamento rigente, visto verilicar-se doquadro
de que trataiu os ariigos citados, a extinncao de
caJeirasem inultos lugares onde sao ellas ne
cessarias, resultando ttcarem avulsos muitos
p:ofessores cujos servicos, nao obstante po le
rea ser aproveitados, oceupaodo elles o lugar
de adjunto em cadeiras muito frequentad..s.
nao sero, todavia t-o valiosos, como sendu
prestados naquellas cadeiras, das quaes teio
fqrcosaraenle de ser afaslados.
*V A suppreswo do I* do art. 53, e bem as-
sim os arts. 54, 53. 35 ve 57, os quaes exprimem
una prerenco odiosa contra o profesor. que,
segundo o iesiuo regulamento e as iostituicoes
que llie dixem respeito. deve ter provado nao s
capacidade intelleclual para bem inioistrar o
ensino, tcomo grao de moralidade sufli. ieule
para se conduzir con\enreniemeuU!o magiste-
rio. No caso de notar-se a falta ou escaces de
frequencic em urna escola, conforme est cogi-
tado nos referidos |e artigos, cumpre priaeira-
mi'iite averiguar d'onde nasce o mal e nunca
iilentar-se processo contra o professor, que, por
semelhaiHe arma pode ser victima de viugaucas
mesquinhas de carcter poltico ou de qualquer
oulra uatureza.
3.' A suppresso do art. 59. pois que os regu
lamentos anteriores sempre deram come mximo
da frequencia 12 alumnos, sem que a drainu/Viio
deste numero motivase prejuizo para o proles
sor. A frequencia de meaos de 12 alumnos apenas
collocava a cadeira n.i caso de ser suppnmida ou
mandada para lugares da mesma comarca ou [re-
gu'-zia mus accessiveis a concurrencia de alum-
nos. Entretanto, o ac.ual regulamento pretende
ao que parece, responsabilisar o professor por
esta falta, castigando-o cora o descont da o par-
le de seus veueiraeutos E' esta, cora effeiio,
entre as citadas, a raais odiosa das disposiedes
do regulamento vigente, visto que n> cogitan lo
o mjtivos quedo lugar a ausencia do* alum-
nos em urna escola, altnbue esse faci exclusi-
vamente a influencia do professor, quando, ao
contrario, cala bem no auiino de todos ajeenvie
cao de que nenhux delles coutribur proposilal-
raute para isto.
4* .4 substituico do art. 116 e seus por
outro mais equitativo e rasoavel. O artigo peo*
cionado marca um praso enorme pera vUalcie-
dade dos professores. ponda-os assim ao des-
abrigo de garanta alguma por oooasiao de se
querer tramar contra elles qualquer mal, urna
verdadeira arma poltica que poJe >.-r manejada
vontade dos chamados windes de amia era
cujas iras liver a infelicidade de incorrer o pro-
fessor. Relativamente a nomeago dos professo-
res sem concurso, de que trata tamb m o dmsbM
art acha o conselho do gremio que i.-ti s de:
vera ler lugar no caso de qu>- se ad ptttisse que
os titulados pela Escoia Normal sems-uu como
adjuntos ao eneetamento de sua carrei.a no en
sino. No caso contrario, o concurso urna ga-
ranta para os concurrentes e principalmente
para o raesmo ensrao
o\ Recoga>o da art. 123 do actual regula-
mento e substituico deile por todas as disposi
ces referentes ao caso e consignadas no capi-
tulo VIH arts. 144, 143, 146, 117 e li8do regula-
menlo de 7 de Abril de 1879, expedido era virtude
di le u. 1344 de 18 de Pevereiro do mesmo anno.
A actual gratilicaco de 2005000 foi creada pelo
regulamento de 6 de Fevereiro de 1885, como
urna recompensa do lempo de servico relativo a
15 annos, tendo, portauto. desapparecido a gra
(incaco, que al enlo era dada na razio da 5'
parte dos vencimentos ora sendo pelo regula-
mento vigente restabelecida esta e recusada
a luella, de juslica que a referida gratificarlo
continu a ser a mesma, que determinavam os
anteriores regulamentos, e nao a de 200x0)0 ;
pois que, a prevalecer esta, importa isto o mes
rao que ter a lei eu"eilo retroactivo evjdentemen
te contrario ao art. 197 u. 111 da cousliluico do
imperio.-
Alera dislo v se que lica nivelado o mrito
de inuitos professores com o dos que liara terete
jus a essa pequea quantia, apenas se deviara
sujeilar c urna prova de lempo, eraquanlo que
os ouiros passam por um processo miuucioso
perfeitanieute ideiitico ao que era exigido para
a oeteoeao da gralMkiacae ue mrito estabele-
cida petos antigos regulamentos.
6.* A dispensa de nova prova (art. I39> para
ser^omputada na jubilaco do professor a gra-
titicaco de mrito, urna vez que baja elle com-
pletado 25 anuos de exercicio em seu magiste-
rio ; (cando assim mugado o 3o do r\rt. 180
do raesrao regulamento. O regulamento de 7
de Abril de 187a era seus arts. 187, 188, 189,
190, 181 e 192 est de perfeito accordo coai os
uluitos do Conselho do Gremio.
7.' A revogaco dos effeitos do art. 263, vis-
to que elle contrario classilieaco das cadei-
ras por entrancias : e nao justo qae o profes-
sor removido por accesso de qualquer ordem,
deixe de receber os venciraenlos relativos ca-
thegoria da cadeira que passa a reger.
Expostos como se achara os pontos capitaes
que no couceito do Conselho do Gremio mere
cem ser altendidos, espera o raesrao Con-clho
que Vv. Excs. tero era mutta conta o iuteres-
se que- Ues pontos devera inspirar.
Consideran lo anda o conselho do Gremio
no muito que ha de detrimentoso aos professores
no regulamento em questo, nao pode ileixar de
contristar se com a falta de justica n'etle reve-
lada contra urna classe digna lueontestavelmen
te de meflior sorte.
Quando se quizesse argumentar com a fal-
ta de habilitaco de alguns professores ou i_
rao de inuitos que uestes ltimos lempos tm
sido nomeados indevidamente, anda assim nao
prevalecera alvitre das disposices coutidas
no actual regulamento; porque grande parte
dos professores da provincia que trabalhosa e
mui legalraente conseguiram suas nomeai Oes,
nenhuma culpa tm de que por eircumstaucias
estiandas aos inleresses da instrueco publica,
fossem taes individuos encarregados da 'honro-
sa misso do ensino, sera, todava, (cora raras
excepcOes) a noderera exercer critenosameule;
i! seria altamente injusto que se promulgassem
leis relativas sraente a insuficiencia destes,es-
quecendo o rauto que merecem os outros, os
quaes incontestavelmente constituem a maioria.
0 Gremio, Exms. Srs., lamenta esses des-
vos occasionados pela pouca importancia que
se ha ligado a um dos mais ioteressantes ramos
da admmistragao da provincia e que devena
constituir o raais seguro baluarte do seu en-
de
(Sellada com urna estampitka
galraente inutilisada )
Additivos
Io -O proviraento das cadeiras de instrueco
primaria annexas a estabelecimentos de iastruc-
co secundaria, ser feita por accesso, pela for-
ma estatuida na lei n. 1,734 de 5 de Junno de
1883
2o Os professores de aulas nocturnas so-
mente percebero sua gratillcacao quando lec-
conar 12 alumnos pelo menos, de frequencia
pjeasal.
3- O terapo de servico em aulas nDctunas
ser contado na razio da 4' parte, ne^ para
HP5HHBHHHHHH
mil res le- a produzir effeitos, creando direitos e obriga-
s, logo depois da morte do testador, sera em-
bargo de depender de alguma condigo-; e veri-
tlcando-se como se verificou no caso oceurrente
a hypothese prevista, de nao deixar fllhos a usu-
fructuaria, as recorrentes tendo de entrar na
posse do legado, adquirindo jus in re, o obtive-
ram, nao da mesma usufructuaria, mas do testa-
dor, ou por forca da disposigio e instituigo por
elle feita ; tanto mis quanto, para pagamento do
imposto d transmisso devido, mamia-se atten-
der ao grao- de parentesco entro o instituidor e o
ii lei-coinmtssario (regulamento ,de 31 de Margo
de 1874, arts. 5." e 6." e ordens n. 289 de 12 de
as iubilaces, como tambera para a obesogu da Outubro de 1870. 415 de 9 de Julho de t78eo!2
de 13 de Novcmbro de 1873).
Indigente --As ras d'esta ci lade vivera
pejadas de pobres a esmolar a caridade publica
desde o primeiro ao ultimo da do cada semana.
O cs|>ectaculo nao por certo edicauvo. e'se
pode abonar os sentment03 carido.sos da nossa
populago, que sustenta a csses infelizes caren-
tes da esm da que Ibes f iz. no depe por cerio
a favor dos poderes pblicos que descuram dos
seus deveres e contribuera pela sua inercia a
dar ao estrangeiro um espectculo em verdade
repulsivo e deponente mesrao de nossa civili-
sago.
i: esse abandono tanto mais censuravel
quanto nao ba motivo que o justilique !
Nao ha um Asylo de Mendicidade instiluido
n'esla cidade para o qual contribue toda a popu-
lago da provincia, no proposito de livrar-nos a
censura que cima frisamos ?
Como, pois, tolerarem-se s levas mendicantes
a que alludimos ?
Creraos que cento e tantos cotilos de ris que
animalmente se levantara por forja da lei n. 777
e subsequentes devem ter urna applicago mais
ajustada aos ins da creago do imposto, para as-
sim forrar-nos ao espectculo que mencionamos
e,a juizos menos exactos de nossa civilisago.
Ponte de Afosada* O estado de dain-
gratilicaco de memo e de antiguula le.
IB AgratilicacAu doantiguidale pissar por
morte do professor viera e llos menores do
ni sino.
Recife. 3 de Setembro de 18nf
Augusto Jos Mam-tcio Wa*i$tlty, presidente.
Jos Uuz.de FrtmtfaToirestl*secretano^
(BeiedcSeenibro Fazem hoje 67 anuos
que, nos campos do Ypiranga, foi proclamada
a independencia' do Rrasil, glorioso aconteci-
mentoque nos tornon um povo livre e aotouo
rao, dando-aos lugar dislincto no concert das
nages americanas.
Por esse motivo llavera salvas s 6 horas da
mauh, 1 hora e 6 da tarde; estarao fechadas
as reparticGJS publicas, e igaro o pavilho na-
cional os estabelecimentos pblicos, que sero
illurainados noite.
O Club Carlos Gomes, commemorando sua
fundag), dar um concert vocal e instrumen-
tal ; a Sociedade Recreativa Commerctal, por
idntico facto, dar um baile; e no teatro San
t.t Isabel llavera espectculo de ^B!''
teucia das primeiras autoridades! niyjncia.
A' noite tocaro tambem, no jardim
d.is Princezas.as bandas marciaes da
;<-.ii* iflaiie -Hoje, ao raeio da, _
de S. Jos de Rib.i-Mlr, lera lugar a ban
baudeira de Nossa Seniiora do Bouil'a
all se venera, sendo a mesma ba 1>
teada s horas da lardo.
Amanu, s 11 horas do dia, ter lugar a'.mis-
sa solemne era louvor da raesraa Santa Virjiam,
pregando ao Ev.ingelho o rouego Antonio Eus-
laquio Alves da Silva, liaveuio depois da missa
procissao.
A's 7 horas da noite ser entoado o Te-deum
Inultimus, pregando o Revd. frei Augusto da Ira-
maculada '.ouceigo Alves, sendo logo depois
reeolui.ia a baudeira.
>t-iiiailH i-crae* Pelo que est co-
niiecido por noticias telegraphicas al hontera
publicadas, esto eleitos deputados geraes :
Lib. Coas.
Pelo Amazonas
Pelo Pai
i'eio Maraulio
Pelo Piauliy
Pelo Ceart
Pelo Rio Grande do Norte
Pela Paralivlia
Por Periiuuibuco
Por Alagoas
Por Sergipe
Pela Babia
Pelo Espirito Santo
Pelo Rio de Janeiro
Por S. Paulo
Pelo Paran
Por Santa Catharina
Por Muas Geraes
Pelo Rio Grande do Sul
1
2
i
1
3
1
1
10
4
4
10
3
5
3
2
1
8
6
1
Esto dependentes de 2" escrutinio :
Rio Grande do Norte
Parahyba
Alagoas
Rio de Janeiro
S. Paulo
Muas Geraes
Ainda sao ignorados os resultados de :
Amazonas
Para
Maranliio
Piauliy
Cear
Parahyba
Pernambuco
Babia
S. Paulo .
Santa Catharina
Minas "Geraes
Matto Grosso
Goyaz
71
1
2
1
7
a
3
19
1
4
1
%
3
3
4
.a !
8
2
2
35
quairien-
Total geral 125 lugares da cmara
nal.
Pnqm-le Manilo0 paquete nacional
Manaos, liontem cuegado do sul e devendo sa-
bir boje a larde para o norte, apenas adiantou
datas do Espirito Santo e Alagoas, chegaudo as
ralbas daquella a 31 de Agosto e desta provincia
a 5 do corrente.
N'uinas e noutras,entretanto, nfn encontra-
mos cousa que raerega a atteugo dos nossos lei-
lores, pois todas as noticias sao de interesse
meramente local.
A EincoRecebemos da corte o n. 16,
de 31 de Agosto liado do jornal demolas a Es
taniu,
Esse numero do til jornal contera 73 gravu-
ras, dignas todas ellas da espeeid attengo das
amareis e intelligentet leitoras. CoiBiiiiteceden-
cia muito louvavel, esse numewwftresenta urna
nlinidade de oordados de toafc ''as especies
aeompanhados de .ninuciosas expijeages, com
os quaes se confecciona todos ofiehjectos des-
tinados ao presentes do nataf e anee bom.
Segundo a sua interessante Chronica da Moda
esse genero de traballios est muito era uso
entre as parisienses, quer as toilettes, que as
uiobilias, almofadas, tapetes, espaldeiras, ele.
Das boas toilettes destacamos as de ns. 29,
30, 31 e 3, beilissirao costume de tulle em pre-
gas, e o de n. 56. Completa o interessantejor
nal um lindo tiguriuo collorido e a indispensa-
vel folha de moldes.
O supplemeuto vera repleto de boa e scinl-
lante prosa e duus magnficos sonetos.
Entrada de algodo e auear
Por mar e trra vieram para o mercado do Recife
em Agosto:
Algodao
De
De
1889
1888
18-7
I (.
1885'
1889
1888
1887
1886
1883
Assucar
8.817 saccas.
11.360
11.275 .
8.285
4.803
7.353 saceos.
4 894
7 869
329 o
1 252
grandecimento.
Desej que os professores da provincia se
colloquera na altura de seus honrosos lias, e por
isso vem pedir para elles todas as garantas e
incentivos que Ibes desenvolvam o estimulo e
animein na conlianga de um futuro melhor, fu-
turo que deve ser o resultado dos esforcos em-
pregados no louvavel cumprimento de sua nobre
raisso.
Confia o conselho do Gremio que Vv. Excs.,
devotaJos como sao. aos mais sagrados dictames
de juslira e de patriotismo, nao recusaro atten-
der a todas as medidas cima indicadas.
Nestes termos c conselho do GremioE.
R M
Recife, 8 de Ourabro de 1888.
PresidenteAntonio Candido Ferreira.
Vux presidente llermendo Elizeu da Silva
Caneca.
I* secretario Aumslo Jos Mauricio Wander-
ley.
T secretario Cliristovo de Barros Gomes
OradorCyrillo Aigusto da Silva Sanli
TAoureiro-Fram:isco Carlos da Silva Fra-
goso. _
Cotuellieiros- Jos Luiz de Franga Torre?,
Mara Priscihana Vilella dos !
Amelia d
ri l.
Club i.amalleo ApolloAmaoh tra-
badla esse Club, dando o seu espectculo ordina-
rio do presente niez.
O mesrao Club nesse espectculo pc era scena a
comedia-drama em tres actos Os Ambiciosos e a
comedia em um acto OUUtfocador de realejo.
Agrauecemos o convite rjfc nos fez a Ilustre
directora.
\NM|iaraa do Fiiik eionkrio Pro-
YinriaV de Pernanibucn-Em secgo
extraordinaria funeciona li-je a assembla geral
d'essa Associago para eleger o novo consellio
deliberativo, que 4em de dirigir a mesma Asso-
ciago no anno social de 188990.
Os trabalhos tero de comecar impreterivelraen-
te s 10 horas, como declarado no convite ofi-
cial da respectiva secretaria, publicado na secgo
competente des'e Diario.
i".' bom conbecer-nePelo Ministerio da
Fazenda foi declarado Recebedoria do Munici-
pio Neutro ter sido presente a S. M. o Imperador
o recurso interposto por Mariano Antonio Dias e
outros da deciso do tribunal do Thesouro Nacio-
ni!, que confirmando o despacho dessa repart-
tigo, conccrnenle a urna uas verbas do testa-
mento com que falleceu nesta cidade Bernardo
J iaqui;n de Faria. e na qual institue si filha
usufructuaria de certo quinho, declarou 03 re-
currentes sujeitos a pagar, pelo regulamento que
vigorara por occasio da morte do testador, o
imposto de 10 sobre o legado que torou a urna
das recorrentes e s raulheres dos outros dous,
notas do referido testador, por ter fallecido sem
n leales a usufructuaria, conforme dispunha
a alludida verba testamentaria ; e que o mesmo
Augusto Senhnr, conrorajaodo-se com o parecer
da secgo de fazenda do conselho de Estado, por
sua minediata resolugo de 10 do corente mez,
houve por bem negar provimento ao
visto que toda a instituigo testamentaria comeca
nificago era que acba-sc essa pone, urge por
prompla providencia no sentido de serem-lhe
feitos os precisos reparos ; e emquanto esies se
nao executara, bom if.rii. que se providencie por
emquanto a respeito de buracos que existera em
seu leitu, ulim de eritarem-se algno* desastres,
como anda hontera tere lugar com o estafeta
Antonio Bernardo Lopes da Cunha.
Este passainio por alli hontera pela manila des-
apercebido, por sua infelicidade, lo* sobre um
dos buracos, nelle raetteu urna perna e esteve a
ponto de qoebral-a, tirando-a no entretanto bas-
tante niojstada.
Para a prevengo de taes accidentes que a
autondad competente deve desenvolver a sua
solicitude, principalmente quando a ponte por
assim dizer dentro d'esia cidade e a sua dainni-
Bcaco nao pode escapar liscalisago que se
deve exercer constante e aturada n'wsse ramo de
servigo publico.
Illinnnin de ub Por decreto n. 10,323 de 27 de Agosto ultimo
forara applicailas s succ-sses dos subditos hes-
panlioes fallecidos no Brazil as disposiges do
decreto n. 833 de 8 de Novcmbro de 1851, como
v-se do theor d'aquelle mencionado decreto :
Hei por bem ordenar que as disposiges do
decreto n. 833 de 8 de Novembro de 1831, a que
se refere o seu art. 24, sejam appticadas de 13
do prximo Novcmbro em dianle s successes
dos subditos hespanhoes fallecidos no Brazil.
como esta ajustado na forma do mesmo artigo.
Jos Francisco Diana, do meu conselho, mi
nistro e secretario de Estado dos negocios es-
trangeiros, assim o teuha entendido e faga exe-
ntar.
' Palacio do Rio de Janeiro em 27 de Agosto
de 1889. 68 da Independencia e do Imperio.
Coi a rubrica de S. M. o Imperador. Jos
Francisco Diana.
Club Itinerario niegue Jnior
Esta sofiedade, fundada entre os alumnos do In-
stituto 19 fie Abril, funecionou no 3 do corrente
em sesso ordinaria.
Procedeu-se a um jury histrico sobre o per-
sonagera-General Andrea, que teve como pro-
motor o Sr. Luiz Estevo e orno advogado o
Sr. Francisco Pires. Pallaram ainda-sobre o
personag^ra os Srs. Ismael Silva e Jos Mar
tins.
Passando a se proceder elcigo da directora
que lera de funccionar no trimestre vindouro,
foram eleilos:
Presidente-Jos Francisco Marlins Sobrinho.
Vice presidente Graciliano Martina Filho.
Io secretario-Alberto Fioclr Pinto.
2o secretario Theodoro Jos da Silva Braga-
Adjunto-Jos Jorge Lobo de Carvalho.
Orador-Luiz Estevo de Olivelra.
Vice oradorIsmael Marques da Silva.
Thesoureii-oVital M. da Silva Mello.
BibliotecarioFrancisco Pires Ferreira.
Encerrou-se a sesso s 7 12 horas da noite.
Venca AmericanaOs^Sts. Prealle &
C, successores. establecidos cora raja de mus-
cas e pianos, ra do Imperador, obsequiaram-
nos hontem com ura exeraplar de mais urna cora-
posigo musical do Sr. Dr. Misael Domingues,
cujos primorosos trabalhos continuara a ser me-
recidamente acceitos com entliusiasmo pelos pia
nistas.
A composigo de que damos noticia a linda
barcarola que, faz hoje um anno, foi ejecutada
pela primeira vez no Club Carlos Gomes, agr
dando muitissimo.
Inlitula-se Yeneza Americana.
Club Curnavalenco Feniano do Re-
cife Esse club convoca para amanha, s 10
horas do dia, urna sesso extraordinaria, para
tratar de negocios urgentes.
Wiceppie Hane ClubHoje, pelas 3 horas
da tarde, no Prado Pernambucano, realizase a
primeira corrida d'esse club, que assim inau
gura os seus trabalhos.
Praticagem do portoForam passadas
cartas de praticante das barras e portos d'esia
provincia aos Srs. Manoel Mendes da Cruz Go-
mes Jnior, Joaquim Ferreira Chaves e Antonio
Machado Soares em resultado do exame a que
foram submettidos na Capitana do Porto.
Eugenio Cbaline-Seguio para a Europa
o Sr. Eugenio Lhaline, a quem desejamos feliz
viagem.
Que dentada -No dia 1 do corrente em
trras do.engenho Penedo de Cima, de S. Lou-
rengo da Malta. Faustino de tal, depois de urna
ligeira altercago com Francisco Ribeiro da Sil-
va, deu-lbe tremenda dentada, cortando-lbe ola
Dio inferior I
0 delinquente evadise, estando a respectiva
autoridade policial a proceder nos termos da
lei.
CadverEm trras do engenho liba, foi
no dia 1 do correle encontrado o cadver de
ura individuo de nome Manoel Rorao.
Segundo a visto ra a que se procedeu, a morte
previera de antigos padecimentos d'esse indi-
viduo.
Etrada de Ferro do Becife a Ca-
ruarPor.portara da directora, datada de
hontem, foi exonerado do cargo de agente da
estago da Victoria, nessa ferro-via, o Sr. Maca-
rio de Luna Freir, sendo nomeado para esse
lugar o Sr. Estanislao de Souza Galvo.
Servico militar-Esto designados hoje
paras8uperior do dia o Sr. inajor Aires, e para
ra#a menor ura subalterno de carallaria.
- Na Enfermara Militar existera em trata-
fflento 19 pragas.
Foram entregues ao 14.* batalho de infan-
taria as.certides de assenlamentos dos soldados
Silvino Honorio Ferreira da Silva, e Targino Jos
Pereira, remettidas pela repartigo do ajudante-
general.
Foi devolvida ao 2. batalbao/de infantera
a certidao de assentamento da ex-praga Antonio
Fernandes de Vasconcellos, rubricada pelo com-
mandante das armas.
Pela presidencia da provincia foi commu-
nicado que o vapor Ptrapama, seguio a 12 do
corrente para o presidio de Fernando.
Foi concedida ao Sr. 2." cadete 2 sargento
do 14.* batalho Honorio Lins, 6 dias de dispensa
do serrico. .
Pela presidencia da provincia foi indefendo
o requerimento do cabo de esquadra do 14." ba-
talho de infantera Joo Jos Nunes.
ueilOeElicctuar-se ho os segrales :
Pelo agente Slepple, s 11 horas, ra do Impe-
rador n. 39, de um predio.
Segunda-feira :
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, na porta da
Alfandega, de barris com fuabas e urna vacca
tourina. .
Mia fnebre,Sero celebradas :
A's 8 horas, no Espirito Santo, pela alma de
Manoel Rodrigues da Silva ; s 8 horas, na ma-
triz de Santo Antonio, pela alma de Aolonio
Argemiro de Gouveia : s 8 horas, na matriz da
Boa Vista, pela alma de Candida Machado de
Carneiro ; s 7 horas, na igreja de S. Pedro em
Olinda, pela alma de D. Candida Machado de
Carneiro.
Segunda-feira :
A's 8 horas, as raatrizes da Boa-Vista e da
Escada. pela alma de D. Carolina de Caldas
Lins ; s 7 horas, na capella do engenho Giqui,
pela alma do coronel Marcionillo da Silveira
Lins; s 8 horas, na Ordem 3 de S. Francisco c
s 7 horas, na Confraria da Senhora do Rosario
pela alma de Jos Caetano de Carralho.
Paugeiro -dragados. do sul no vapor
nacional Manos:
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa,
Jos R. Pinto Ferreira. Francisco de Paula Silva
Reg e 1 lilho, Anua Borges Leal, Francisco Ru
liuo Catanho. 1 praca e 1 mulher, 5 ex-pragas
do exercito, 1 ex-praga da armada, sargento Je-
suino da Silva Gomes", 1 sentenciado e 2 pragas
de polica, Saturnino de Carvalho, Joaquim de
Almeida Oliveira, Joaquim Jos Ramos. Augus-
to Moraes e sua senhora Abraham Asbun e Car
los Asfaura, Leopoldo Telles de Menezes, Ama
ro M. de Arauio, Estevo F. da Rocha, Loureoco
Vicente da Conceigo, Vctor Angelo Calleno-
dio, Vicenzo Sapienza de Giuzepoe, Pedro da
Rocha Cavalcante, sua senhora e 1 criada. Mara
Vaugham, Dr. Jos de Barros Wanderley Men-
douca, Antonio Luiz Gongalves Costa. Virgilio
A. de Carvalho, conego Antonio Castilbo Brin-
do r. Francisco Pinto Pessoa. Jos Aogelo
Maxeio da Silva, Luiz Formigli, Mana Joaquina
da Conceigo, Agoslnho Jos dos Praures, Vic-
torino lavares Carneiro, Manoel Eustaquio de
Mendonga e Horacio Wanderley.
Cliegados do sul no vapor francez Nerthe :
Siinoneti Louiz, Allalinard Len e 1 criado,
Pedro Guerreiroe Odilon dos Santos.
Sahidos para a Europa no mesrao vapor :
Mine. Ducasble, Fredeiico Ramos, Antonio
Fernandes Teixeira, Francisco de Castro Ribei
ro, Manoel Joaquim Ribeiro Jnior, Eugene Cha-
line, Dr. Eduardo da Rocha Sainado e sua se-
nhora, Antoaio Jos da Cruz Seixas, Ernesto
Gaucliel, Eugene Seclereq e Manoel Pereira
Duarte.
iiiri-<'i rin do *orto de PernambucoReci-
f *.. 5 de Setembro de 1889.
Boieiim meteorolgico
I
Idea semelhante tiveram entre nos dilf-ifeotes
mogos, e dahi surgi o Steeple Rase Cha, que
hoje inaugura o servigo na raa do Prado Per-
nambucano. tarde.
Projecto da corrida: Io preo150 metros
andanios de 12 a 13 anuospremios104,
44, 2*X)0 ; 2o pareo -250 metros -anlanlhos de
15 a 20 annospremios -J3 3 85 e i')0>; 3o
pareo -andarilhos de 7 a 12 annos premios m
objecto de arte ao primeiro; 4' pareo 200 me-
tros-andarilhos de qualquer idade premios
155, o e 24000.
Inserpgio 40J0, salvo a do segundo pareo,
que de 44000.
As apostas fazj,n-se por ponfo de custo de
com quanto vendara se pira primeiro e seguud
como as corridis hippicas.
*
O conliecido sportsman Sr. Joaquim Paulo /He
Castro, comprou ha potico era Vincennes, Aor
5.650fruncs, a egua Ma Mi;de3 anus, nKH!
Frontn e Minorit. vencedora do Prix des PinsV^
2.100 metros, corrido no mez de Maio. A.
O duque de Westminister vendeu o cavallo
Orbit. a lord Mareos Beresford, por 3.000 guineos.
O lilho le Bind'Or foi comprado por conta de
ura conliecido sportsman ue Buenos-Ayres. e j
deve achar-se na cuudelaria de seu novo pro-
pietario.
*
As grandes corridas de velocpedos que no dia
/ se realizara ei Vigo concorre um grande nu-
mero de velocipedes portuguezes e especialmen-
te do Porto e de Vieooa.
Os programmas marcara quatro premios.
CHRONICA JDDICIARIA
o
lloras arometro a 0 Tenso do vapor a
H" X
6 ra. 24-5 7ol"l9 17 9G 77
9 28--1 763-43 18 7rt 67
12 28'-3 762-.V.I 19.90 6
37t. 28 2 7GO-57 17.50 ?!
6 27" -% "60*71 19 22
Temperatura mxima29,0.
Dita minima 23*,50.
Kvar.orago. era 24 horasao sol: S-,2 ; som-
>ra: 4" 6.
ChuvaNulla.
Direcgo do vento : SE, ESE e E alternados
durante'lodo o da.
Velocidade media do vento : 1",51 por se-
urdo.
Nebulosidade media: 0,32.
Boletim do porto

i '3
3 _ -. 2 Dias
* o es
i M.5 de Setembro
8. M.|
1*. M.i6 de Setembro
B. M
Horas
146 da tarde
723
133 da tnanh
8-01
Altura
2-.07
0-,73
2-.30
'J-,55
Cu* de IteiencaoMoviraemo aos pre-
sos da Casa de Detengo do dia 3 de Setembro
de (889
Existiam 444 ; entraram20; sahiram 8; exis-
tem 450.
A *vihpr *
Nacionaes 396 ; mullieres 31; estrangeiros 28.
mulher 1 -Total 436.
Arracoadosali.
Bons' 380.
Doentes 27. -
Loucos 4.Total 411.
Movimenio aa enfermarla
Teve baixa :
Joo Francisco de Barros.
Luiz de Franga Christovo.
Joo Moraes de Souza Nascimento.
Joaquim Jos da Rocha.
Herculano Pereira Dias.
Joo Carapello Bandeira.
Tiveram alta :
Joo Campello Bandeira.
Manoel Francisco de Lima.
Miguel M..rcellHO Torres.
Foram hontem visitados os presos deste esta-
belecimeoto por 174 pessoas, sendo 94 homens
e 80 mulheres.
Honpitu Pedro II O raovimento deste
estabeleciraento de caridade, no dia 4 de Setem-
bro foi o seguiolc:
Eotraram 12
Sahiram 4
Frileceram ^ 3
Existera 83
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
pelos Drs.:
Moscoso s 81|4, Cysneiro s 9 3|4, Barros So-
brinho s 6 3|4, Malaquias s 7, Poatual s 10 1|4,
Siraes Barbosa s 9 1|4 horas.
Nao compareceram os Drs.:
Berardo.
Estevo Cavalcante.
O cirurgio deotista Numa Pompilio s 8
horas.
O pharmaceutico entrou s 8 1]2 da manna e
sahios4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1]2
1a manh e sahio as 2 horas da tarde.
Lotera do firam-ParaA 2- parte da
31' lotera, dessa provincia, cajo premio grande
230:00040 K), ser extramda no dia 9 do Setem-
bro. _
Drande lotera do Maranbao A o
serie da 1 lotera, dessa provincia, cujo premio
grande 300:u004000 serextrahida no da 13
de Setembro. _,. ,.
cemiterio PublicoObituario do da o
de Setembro de 1889 : __
Maria, Pernambuco, 11 mezes, S. Jos; ny
poemia. .
Mara Guilhermina da Penha, 80 annos, sol-
teira, Boa-Vista; cachexia senil.
Justino Luiz Virginio de Souza, Pernambuco,
46 annos, solteiro, Graga ; obstruego iolesti-
Delflna Maria da Conceigo. Pernambuco, 68
annos, solteira S. Jos ; cachexia senil.
Luiz Jos Barbosa, Pernambuco. 80 annos, sol
teiro, Boa-Vista; cachexia senil.
Cosme Joaquim Monteiro, Pernambuco, 40 an-
nos, solteiro. Boa-Vista; anemia.
Heliodoro Francisco da Trindaac, Pernambu-
co, 33 annos, solteiro, Santo Antonio ; ferida pe-
netrante do peito. -_____..
Maria, Pernambuco. Graga; inviabilidaae.
Anna Philomena da Silva Peixoto, Pernambu-
co, 40 annos, casada, Boa-Vista; tubrculos pul-
monares. .,
Adolpho Alves Guimares, Pernambuco, 36
annos, casado, Boa-Vista; ryrrhose hypertro-
lica.
SPORT
O Derby Club, da corte, distribuio de premios
em 1887 a quantia de 169.000JWOO ; e em 1888 a
importancia de 210 000*000.
Organisou se no Rio de Janeiro um club de
corridas a p e mais exercicios phys-.cos no En-
genho Vellio sob a denominagSo de Club Olym-
pico Fluminense.
Reunidos em grande numero, os socios proce-
deram eleicao da directora, que ticou composla
dos seguales senhores:
Presidente, Domingos Camargo; vice-presi-
dente, A F. de Mello Salgado, 1/ el secreta-
rios R. V. da Costa e Francisco da Rocha ; the-
soufeiro, Joaquim Brandao; e procurador, J,Pe-
reira Leiie. T ,
Commissao fiscal: Dr. Joaquim Cunha, Julio
da Silvefte Lobo e Julio de Figueiredo.
Esta directora toraou posse no da segrate.
Tribu nal da Kelacao
SESSO ORDLNARIA EM 6 DE SETEMBRO
DE 1889
PKESIDICSCIA^ DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QCIXTIXO DE MIRANDA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho
"A's horas do costume, presentes os Srs. aes-
embargaderes em numero legal, foi aberta a
sesso depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguiutes
JULGAMEHT08
Rabeas corpus
Pacientes :
Isidro Ferreira da Costa e Eduardo Sertage de
Carvalho. Xegou-se a soltara, unnimemente.
Jos Antonio de Sant'Anaa. Mandou-se ouvir
o Dr. chele de polica.
Recursos eleiloracs
De Floresta. Recrreme tenente-coronel
Fausto Seralim de Souza Perras. Recorridos
Porfirio Gomes de S Alcxandre Gomes de S
e Manoel Antonio de Luna. Deu-se proviraeoto,
r.u:i se mandar desabitar os recorridos e de-
crutoo se a respcosabiUuade do juiz de direito
baeharel Alcebiades Cavalcante de Albuquerque
como ocurso uas penas dos arts. 2.* 3" da lei
eleitoral e 129 8' d i C (digo Criminal.
De Ouricury.Reconente Raymundo Antonio
de Lima. Recorrido Raymundo Tenorio de Alen-
car. Relator o Sr. desin!>argador Monteiro de
Andrade. Dea se proviraeoto, unnimemente.
De Souza.Recrreme Joao Elias de liveira-
Recorrido o juizo. Relator o Sr. deseinbarga-
ilur Silva Reg. Negou sse proviraento, unni-
memente.
Recursos crimes
De Bezerrcs. -Recurrente o jir.zo. Recorrido
loaquim Luiz de Araujo Filho. Relator o Sr.
desembargadur Toscano Barreto. Negou-se pro-
viraento uiianimeinente.
Da Victoria.Recurrente o juizo. Recorrido
Flix Garca dos Sanios. Relator o Sr. desem-
bargador ellino Cavalcante. Nsgou-se provi-
nieto. unnimemente.
Do Brejo. -Recrreme o juizo. Recorrido An-
tonio Pereira dn Silva. Relator o Sr. desem-
bargador Pires Ferreira. legoo-sc provimento
unaiiiniemente, votando o Sr. desembargador
relator pela responsabilulade do subdelegado.
Aggravos de petigo
Do Recife.Aggravante Her.ulano Mana de
Olireira. Aggrarado Vctor Neeseo. Relator o
Sr. desembargador Pires Gongalres. Adjuntos
os Srs. deserabargadores Alves Ribeiro e Silva
Reg i. N-'gou-se proviraento. contra o voto do
relator. *
Carla testemunhavcl
De Govanna.Aggravanle Joaquim Luiz de
Albuquerque. Aggrvados Seixas Irraos. Re-1
ator o Sr. desembargador Oliveira Andrade-'
Adjuntos os Srs. deserabargadores Pires Gonl-
calves e Pires Ferreira. Negou se proviraento^
unnimemente. '.
Prorogago de inventario
Inventarame Francisco Mendes da FonsecaJ.
Concedeu se o praso de 6 mezes. /
Appellages crimes i
D.! Olinda.Appellante o proraolor publicrk
appellado Albino Pereira Coutinlio. Relator ol
Sr. desembargador Silva Reg. Mandou-se a;
novo jury, unnimemente. '
De Cimbres. -Appellante o juizo. Appellado
Antonio Bernardo dos Santos. Relator o Sr.
desembargador Silva Reg. Mandou-se a novo
jurv, unnimemente.
Oe Camaragibe. -Appellante o juizo. Appel-
lado Joo Miguel Francisco do Nascimento.
Relator o Sr. desembargador -Uva llego. Man-
dou-si- a novo jury, unnimemente.
De Pianco. Appellante o juizo. Appellado
Alexandrino Jos des Santos. Relator o Sr. des-
embargador Dellino Catalcanie. Mandou-se a
novo jury, unnimemente.
Do Recife.Appellante Antonio Francisco de
Araujo. Appellada a juslica. Relator o Sr. des-
sembargador Silva Reg Reforraou-se a sen-
tenga, para se irapor a pena do art. 193 grao
medio.
Palraeira dos Indios.Appellante Manoel La-
dislao de Sena. ApDelMa a juslica. Relator o
Sr. desembargador Silva Reg. Conlirmou-se
a sentenga, unnimemente.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Delfino Cavalcante :
Appellago crime
Do Recife.Appellante o juizo, appellado Sal-
vador Goncalves Braga.
Do Sr. desembargador Dellino Cavalcante ao
Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellago enrae
De Gamclleira. Appellante Jos Firmo da
Costa, appellada a justiga.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Appellages crimes
De Garanhuns.-Appellante o juizo, appellado
Amonio Jos ae Araujo.
De Piranhs.Appellante o juizo, appellado
Manoel Alves da Silva Bir e outros.
De Alaga do Monteiro.Appellante Claudino
Antonio de Oliveira, appellada a justiga.
Do Cabo.-Appellante o juizo, appellado An-
tonio Googalo.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellago crime
De Bananeiras.Appellante o juizo, appeUa-
dos Vicente Herculano e outros.
O Sr. desembargador Pires Gongalves como
promotor da justiga deu parecer as
Appellages crimes
De N'azarelh.-Appellante o juizo, appellado
JosEzequiel da Silva.
Da Princesa.Appellan'e Antonio Alves dos
Santos, appellada a justiga.
Da Parahyba. -Appellaate o juizo, appellado
Manoel Ferreira Callado.
De Olinda.Appellante Genuino Jos dos San-
tos, appellada a justiga
De rea. -Appellante Joo Correa de Araujo,
appellada a justiga.
De Alaga do Monteiro. Appellante Antonio
Francisco Tavares, appellada a justiga.
Da Gloria de Goit. -Appellante Manoel Joa-
quim de Sant'Anna, appellada a jamen.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
desembargador Tacares de vasconceiios :
Appellages crimes
De Barreiros.-Appellante Manoel Lourengo
da Silva, appellada a justiga'.
Do Pilar?Appellante o juizo, appellado Fran-
cisco Alves de Areujo- A
Do Sr. desembargador Silva Bego ao Sr. des-
embargador Toscano Barreto :
Appellages enmes
De Carnaru.-Appellante o juizo, appellado
Luciano da Cruz Cordeiro. ,
I
(
r*
/
i
T
\
H>"
'%--..
4
i;


Diario de PernambucoSabbado 7 de Setembro de 1889
3


i
De SerinheraAppellante o juizo, appellado
Pedro Celestino.
De Gojrana. Appellante Jo5o Cavalcante de
Arruda Cmara, appeada ajustica.
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga:
Appellages crime3
DeS. Joo.Appellante o juizo, appeada Jo-
sepha Mana da Conceigao.
De Pianc.Appellante o juizo, appellado Vi-
cente Nogueira de Carvallio e outros.
Com ata as partes :
AppellaeOes civeis
De Palmares. Appellaate Armando Pedro
Luiz Iftusy, appellado Francisco Fcrreira Bor-
ges.
De Palmares. Appellante Jos Antonio de
Araujo Livramento, appellado Dr. Pedio Alfonso
Ferreira.
DISTRIBUIDO
Recursos crimes
Ao Sr. desembargaaor Mouteiro de Andrade:
Da ImperatrizHecorrente o juizo. recorrido
Antonio Jos de Cerqueira Prazeres.
De OlindaRecrreme o juizo, recorrido Mi-
guel da Cunlia Ferreira.
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Do Pianc Recrreme bacharel Flix Joaquim
Daltro Cavalcante, recorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Tasares de Vascon
cellos :
Da Imperatriz-Recorrente o juizo, recorrido
Joaquim Vtanna da Silva.
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Da ImperatrizHecorrente o juizo, recorrido
Francisco ones Crrela.
Ao Sr. desembargador Silva Reg :
De Campia Grande Recorrente o juizo, re-
corrido Joaquim Jos Barbosa.
Ao Sr. desembargador Toscaoo Brrelo :
Do IngaHecorrente o juizo, recorrido Jos
Tavares de Albuquerque Mendonga.
Ao Sr. desembarirador ellino Cavalcante :
De Bamaeirad Recorrente o juizo, recorrido
Francisco Jacintho de Oliveira.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do LimoeiroRecorrente o juizo, recorrido
Herculauo de Uliveira Cavalcante.
Aggravos de peticao
AoSr. desembargador Alvea Ribeiro :
DoBecifeAggruvanle Satviano Luiz de Si-
queira, aggravado Gaudencio Jos Raposo.
Ao Sr. desembargador Tavares de Vascon-
c ellos:
Do RecifeAggravante Antonio do Carmo Al-
meida, aggravado padre Manoel Moreira da Gama.
AggraTO de instrumento
AoWsr. desembargador Pires Ferreira :
jijlimbaijbaAggravante Antonio Cavalcante
daHw aggravado Antonio Emigdio Barbosa
Goml.
AppelIacSo commercial
Ao Sr. desembargador Uliveira Andrade:
Do RecifeAppellaate Francisco Pereira de
Lyra. appellado Manoel Lopes Ferreira.
Eucerrou-se a sesso as 2 horas da larde.
G0HHUNICAD0S
copia de urna carta particular por S. Exc. diri-
gida ao Sr. conselheiro Portella, na qual expri-
mir o sen deagosto e o seu desapontamento
pela derrota : um documento digno da leal-
dade e sinceridad'! daquelle distincto cava-
Ibeiro.
Sabemos que o Sr conselheiro Portella nao se
deixar enlevar pelo canto da sereia ; mas pru-
dente e reservado, como S. Ex., pode succeder
que, embora por poneos, sejam acreditadas taes
historias, que precham de correceo.
Proseguiremos a rectificar o final do artigo:
raais.....urna lieco.
XXX.
Pontos nos i 1
Maulemos o lirme proposito de nao alimentar
discusso com a Epochc, em quanto ella enlu-
var-se com o uniforme de nosso partido.
Esperamos que melhor inspirada recolha-se ao
silencio e venha comnosco tomar parte nos re-
vezes porque tomos passado.'e bera asaim reu-
nir tolas as forjas para mais fcilmente chegar
mos ao poder, cuja obtengo ser sera duvida
ura acto de patriotismo c de abnegaco.
Enterreirar a polmica e porventura azeda-a>
repugnando aos homens de bro e pundonor,
impossibilitaria mais tarde o congragamento e
harmona, tilo desejavel entre os adeptos da
mesma causa.
Eotretanto, nao nos dispensaremos de urna ou
outra vez, ad litar algomas notas margen nos
artigos do contemporneo, quaudo. descando das
r -ijes abstractas, referir fados que nao devam
passar historia or nao serera verd.ideiros, ou
na sua parte principal, ou e:n suas circumstan-
cias e minucias, militas vraes importantes e es
senciaes.
Sempre na faina de dividir-nos e no proposito
de explorar o amorproprio dos nossos mais pru-
dentes e rspeitaveis amigas em suas relages
para com o nosso chefe, o S-. conselheiro loio
Alfredo, a Epoeha, em sua ediego de hontera,
contina a sua intriga com o Sr. conselheiro Por-
tella.
AUudindo ao desastre porque passou este
nosso amigo miando ministro do imperio, na
eleigo de li de Setembro de 1887, descobre
que houve manejos secretos, positivos e nega-
tivos de que foi victima, torna saliente a impar-
cialitlade (o gripho d'ella) com que se houve
ifaquella eleigo o ento presidente da provincia
e record* os termos do telegramma por este pas-
sado ao Sr. conselheiro Portella, no qual mal dis-
(arcando a tna indi/ferenca, seno satisfacao dizia
' consta Nabuco eleito, tudo correu em paz.
Quaes foram os manejos secretos, positivos e
negativos de que foi victima o Sr. conselheiro
Portella Ser licito e leal langar no papel urna
proposigo de lal gravidade, em termos tao va-
gos ?
O que sabemos e foi testemnnhado por esta
capital que todos os nossos amigos esforca-
ram-se quanto puderam, para o triumpho d'a-
quelle nosso correligionario, soffrendo com elle
o desgosto e a decepgo da derrota.
Se houve manejos secretos, positivos e nega-
tivos, pnblique-os o contemporneo, para que o
estygma'do partido nao se demore em fulminar
o author ou aulhores da perfidia. N'ada de meias
palavras e de insinuares, que nao sao proprias
de cavalheiros.i
Nao ha tambem injustiga maior do que attri-
buir-se ao Exm. Sr. Dr. Pedro Vicente de Aze-
zedo a autora da derrota de 14 de Setembro de
1887.
Espiritojusto, carcter serio, amigo leal, aquel
le ex-presidente nao recusou medida alguma,
regular e decente, que houvesse sido solicitada
para facilitar a eleigo do Sr. conselheiro Portel-
la. E que o diga o nos^o respeitavel amigo,
Exm. Sr. Baro de Souza LeSo, que continua a
merecer todas as attencOes e consiuerarSo do
partido pela sua circumspecgSo, lealdadc, firme-
za de carcter.
Todos que erara admittidos intimidade do
Dr. Pedro Vicente, podem dar testemunho do
pezar que experiraentou com o resultado da elei.
gao, que elle bem desejra nao ter presidido, e
por isso se apressara en pedir demisso, logo
que o Sr. conselheiro Portella fra chamado aos
couselhos da cora.
Quanto aos termos do telegramma, j glosados
por um jornal da corte, segundo nos informa o
contemporneo, os scus reparos sao tambem
completamente destituidos de fundamento.
Entenda-se o contemporneo ainda nesta par-
te com o Exm. Sr. Barao de Souza I.eao 9 por
elle saoer que aquelle telegramma foi passado
sua vista e at com seu accordo.
Se nao foi recheiado de palavras de condolen-
cias, o que leva a m vontade a imaginar que o
Sr. Pedro Vicente ajal disfanou sua indi/ferenca,
sean satisfarn, que aquelle Ilustre ex-presi-
dente naturalmente parco em manifestagoes,
que alias nao comporta o estylo oflicial. Ainda
sobre este ponto recordante nos de ha ver lido a
INDICARES TEIS
Mediros
Dr. Castro Jesiis medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1."
andar. Telephone n. 389
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1." andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 hor:i3 no 1.' andar da casa
ra do Barilo da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en
trada pela ra da Saudade n. 25.
l>r. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Cerqueira Ijiite, tem o seu escripto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Barao
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de crianga senhoras e parto.
Telephone n. 326, da casa de residencia.
Dr. Alvares GuimarTes, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do con.-
gao, pnlmSes, ligado, estomago e intesti-
nos e tambem s affec$3es das enancas.
Reside praga do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. '45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Matkeus Voz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olh^s.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clinica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1." andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manh" e
tarde. Teleshone n. 392
Occullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clinica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
borasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia- ra Ln.rga do Roww n> 20,
Advogados
O hachare! Bajdfv.cio de Arag" Farie,
Roclia contina a advogar. Escriptorio
ra do Imperador n. 46., 1." andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.' andar.
Silve'ra, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
J. A. de MagalkZes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocaeia, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'oia ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & C'., droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de escrevtrA melhor a tinta
Victoria, vende-se a 500 rs. meia garrafa
e a 800 rs. urna garrafa inteira na Livra-
ria Contemparanea de Ramiro M. Costa,
ra 1." de Marco n. 2.; leja de ferragens
de Albino da Silva & C, ra da Cadeia
n. 42 ; loja de ferragens de Brandao & C,
ra Duque de Caxias n. 40.
PIBLIC.4C0ES \ PEDIDO
A' Epoeha
O doloroso ostracismo, que a actual situago
prepara ao partido conservador, armando-o. en-
tretanto, com a suprema coragem de vencidos
por amor urna idea, devia melhor orientar a
aquelies, que, se divorciando do partido, procu-
ram aggravar dia a dia a posigao precaria de
sua economa, no ingrato trabalho creago de
lulas internas !
Deviam ellas ser levantadas, qdando no poder
o partido, se a altivez de animo houvesse im-
pulsiouado aos lutadores, em momento tao op
portuno.
Agora, porem, quando o infortunio faz a todos
irmos, e exige o cominum esforgo na defeza
de nm principio, que, para muitos tem o cunho
do feitichismo, no licita urna dissidencia, ten
tando cavar larga brecha as hostes do partido,
em puio proveito do adversario, que se vai ali-
mentando, quando a correegao do proced ment
combatel o.
Mas, urna inverso de principios escapa do
seio do partido conservador e por aquelies que
buscando os velhos moldes desse partido, se di-
zem disciplinados,-e, longe de doutrinarera, tra-
balham pela cheba, que se consolidou pelo con
senso do partido e largo espago de lempo as
mos do honrado Sr. conselheiro Joao Allredo
E, na conquista do rastllalo do trabalho de
correligionarios em ostnteismo, se levanta a Epo
cha com a poltica de personalidade, discutindo
a pessoa do chefe do partido, quando devia dis-
cutir principios, embora acanhados pela suppos-
ta intelligencia de ser mcompativel cora a vida
do partido conservador a acgo evolutiva, que
se impoe sociedade, a por consequertcia aos
partidos, verdadeiros pienoraeuos sociolgicos
nos Estados.
Pensem de modo opposto outros; nos cabe
o dever de respeitar-lhes a conviegao.
Eutao separar-nos-hia ideas, que atnal seriara
apuradas pela franca discu^sao, conquistando o
successo do triumpho os que melhor se am-
parassem na boa intuigiio poltica, sem quebra,
porem, da harmona parlidaria.
Mas a Epoeha desee a poltica pessoal, e, acre
dilando no bom xito Ja jornada, eslata-se em
sonoros esenptos contra a direcgao^ q'ue, aos
npgocios polticos da provincia, tera Imprimido
o Ilustre conselheiro Joo Alfredo. -"
Que falle, poia, a E/iocha: mas, por Deas, nao
diga disciplinar o partido, quera o indisciplina
em ostraci'iau, levantando a cada momento uceu
sacOes ao chefe do partido, muito embora sejam
ellas vagas, ou inesmo distanciadas da verdade
dos tactos, que devera ser estudados na luz cal-
ma da razao. e sofe a mais rigorosa abstinencia
da paixio e do despeilo.
E. se esse fosse o meio presidir o pronun-
ciameuto da fipMto, nao ler se-hia, cora pesar,
a nota da raais grave injustiga, que, francamente,
se publicou, a proposito do pleito de 31 de Agosto
lindo!
0 Triumpho da situago liberal, as urnas, tera
sido, ltimamente, o thema obrigado a se eom-
bater a digna ebelia do illustre conselheiro Joao
Alfredo na gestao do partido conservador n'esta
provincia I
E, faci singular, quando em todo imperio se
observa a rearo poltica, o emprego de torsos
niPios de combate para a situago dominante ter
maioria na Cmara Temporaria : so n'esta pro-
vincia atnbue a Epoeha o successo liberal a m
gestao do honrado cliefe !
Porque nao alarga a Epoeha .suas vistas sobre
o resultado conhei ido do pleito, e nao d batalla
a outros chefe, considerando-os incapazes ?
Porventura nao foram derrotadas, apezar da
pnjanga do partido conservador, todas as cha-
pas, qee se organisaram as difieren tes provin-
cias do Imperio, onde outros sao os chefes como
o Sr. conselheiro Paulino no ilio de Jineiro, que
esperimentou logo reveses na chapa para a elei-
cao senatorial ?
Porque nao ataca a Epoeha a gestao d'aquelles
chefes, e somente se oceupa da pessoa do hon-
rado conselheiro Joao Alfredo?
Se o desastre do partido as uroas foi geral,
nao ha motivos para se o particularisar, n'esta
provincia, a direcgo poltica, e increpal-a;
quando muito ella lem feito para o coograca-
melo do partido, que, se algum damno tem
satfrido, dessa parte scltismatica na igreja con-
servadora, e do qual a Epoeha se faz echo.
Mas nao ser cora esse procedimento, que se
persuade correligionarios, e nein se batalha
pelo relemperamento de ura partido, que, apeiado
honlera do poder por torga das intrigas de ca-
marilba e ciumes dos homens do sul do esta-
dista do norte, depois do tinado Mrquez de
Olinda, carece de ensinamentos, harmona e va-
lor necessarios para as energas da lucia.
tyre n'este circulo ds aegao a Epoeha, que,
inconlestavelmente, prestar grande servigp
idea conservadora; e nao se enverede no tor-
tuoso carainho, que se cede iniraigos ou adver-
sarios, que, sem criterio, buscara argumentos na
vnla privada e nos dotes moraes do hornera, que
respira a feliz aura no meio em qq^vive, e cu-
rainha para maior engrandecimentoda posteri-
dade, que j Ihe pertence, para honra de sua
provincia, c gloria de sua patria.
A' um hornera, pois, como o descripto n'estas
poucas bobas, nao se levanta guerra pola ebelia
do partido, que elle hbilmente dirige, pese em-
bora a avidez da cobiga de outros, que deixara
escapar a inconveniencia do procediraento.
Ha, porra, n'isso calculo de agir seryigo da
vontade de astutos, procurando levar o descon
tentaraento no animo do illustre chefe do par-
tido, e a confu-o no meio de suas lileiras, para
a realisago to carcter autoritario do chele do
sul, e sb a hegemoni* dos que ainda nao po-
derara reparar cora bora olhos o prestigio do
conselheiro Joao Alfredo.
Mas os factores concurrentes nao auxiliarara
o calculo !
Esiude-se a situacTio da Epoeha; leia-se seus
artigo editoriaes ; pese-se os motivos determi-
nantes da inesperada queda ao partido conser-
vador ; e atindase ao resultado do pleito (le
3-1 de Agosto, sob os meios de compreso na
conquita do roto Une ; que se ha de concluir
a sem razo da Epoeha-a existencia de feroz
caprichoe a cruesa te aecusages, nesta pro-
provincia, contra o chefe do partido, e por
aquelies que devem ser aecusados, como cons-
piradores !
Empunhem, pois, estes suas trombetas. fa-
cam-nas estrugir bem alto ; mas nao esperan
ao sora dellas a queda das niuralhas, coma ca-
hirain as de Jericb
Nao : o partido conservador forle, unido, ve-
neraaao sua bamleira, lem cliel, na pe;
do illustre conselheiro Joo Alfredo, que, atea
presidencia do ministerio 10 de Margo, foi tambera
o chefe da gc.ite, que agora se rebella, e publi-
ca, a Epoeha, coiio o ultimo arranco era prol da
chefia do partido, tantas vezes disputada, e em
torno da qual ainda se levautara Sebastiamstas
Deve-se-lhesrespeito, pois que ha nos corre-
ligionarios da Epoeha o dominio do phenoraeno
psj liologico, que allecia o seBlimciito dos por-
tmraeaes, na esperangado amado rei!
Uns e outros sao crentes ; mas falletn aquelies
por si no uso legitimo do subjectivismo ; e nao
por outros, pelejando-se era nome do partido,
que venera o seu chefe, e anathematisa os arti-
licios, que conduz o atrevimento do despeito.
Hofpje Epoeha na fibra desle sentimento, va-
sanJo a critica pessoal na campanha do insulto.
que alinal aciiar-.-e-ha no solamente, como o
nico reduelo que Epoeha prepara o pequeo
grupo, que a movimenta.
E depois ?
Depois. indague a Epoeha pela desergo das
[iracas legioes, qae abandonaran! o acampamento,
deixando-lhe as armas da calumnia e do insulto,
como a raais solemne condemnago ao pronun-
ciamento da propria Epoeha contra o preclaro
chefe do partido, o conselheiro Joo Alfredo.
Assim o ser.
6 de Setembro de 1889.
Cincinato.
districfo
As tristes e revoltantes scenas que se produ-
ziram no pleito eleitoral de 31 de Agosto quasi
em todas as parochias desle importante e popu-
loso districto, e principalmente o baixo, infame
e criminoso espectculo, que testeraunharam
cheios de viva indgnaco os dignos eleitores
conservadores da invicta cidade da Escada de-
vem ler publicidade para maior honra e glo-
ria dos fastos polticos do partido liberal.
Con vera que lique bem descaminada para a
historia a responsablidade do partido, que
rorapeu criminosamente a lei do voto directo e
livre para voltar ao systema da violencia e do
terror, ao rgimen revoltante do sabr da forga
publica, alliado ao punhal do scelcrado, ao ca
cete do capanga assalariado.
E' ccrlo que n'este independente distrkto'
s por tao eloquentes meios se podia usurpar
a victoria, desde que a mais deseHfreada cabal-
la, a mais ignominiosa compressio, as mais inso
lentes ameagas, a corrupgo franca por todos os
geitos e modos, a diflraago at, tudo fra im-
potente e inefhVazsanle a ullivcz, dedicagao po-
ltica e unio do valente e respeitavel eleitorado
conservador.
O sabr aliado da soldadesca devia ser auxi
liado pelo ccete e pelo punhal da cabroeira ano-
nymae selvagem, agulada era seus instinctos
sanguinarios pela irapunidade e at pelos applau
sos do poder oflicial, e as duas cidades raais
populosas e adiantadas do districto a Escada.
e a Victoria, onde maior era o eleitorado con-
servador foram o scenano escolhido para ma-
nobra da brava gente.
Era necessario coucenlrar n'esses dous pontos
a capangada sinistra e ameacadora para abalar
os mais dilliceis. vencer pelo terror aos raais t-
midos e forcar o triste e inglorio triumpho.
Para a cidade da Escada foram chegando ein
grupos os bravos, conforme j liz publico por
teli'gramraaa anteriores; com o Ilustre Sr. Dr.
chefe de polica veio urna partida de ma3 38,
no raesrao combte ou trem, eanda para cumu-
lo do desraspeitoj autoridade, no dia 31, quando
j era publico, que S. Exce tinha vindo para ga-
ranta da ordem publica, mais de 50 capangs
ostentosamente armados e municiados desceram
na estago da Escada, e seguiram para o local
da eleigo.
Es'acionaram na pacifica cidade por tanto raais
de 100 capangas assim vindos para garantir
a eleigo do meu illustre competidor, epor tanto
todo o proetsso eleitoral correu era pleno rgi-
men do maior terror, propalndose os mais san-
guinarios planos, publicando-se e praticando-se
as mais cynicas ameacas e infames tropelas.
Foi urna jornada nefasta para a briosa popu-
lago escadense, que deve guardar indelevel a
dolorosa impresso das barbaras scenas, atten-
tatorias da altivez, independencia e adiantaraen-
to da rica e prolpera cidade.
airado magisirado.-que rio elevado cargo
ie de polica veio para garaotia da ordem
assistio s mais edificantes, impassivel ou con-
descendente, porque suba nao poder reprimil
os, fazendo a soladesea causa commum com a
capangada I
E mais ainda S. Exc foi publicameate desaca-
tado quando ura dos chefes da brava gente io-
timou-o estrondosaraente, cora pasmo de todos
os cidadaos presentes (i retirar do recinto 5
piaras de linba. (que acompanharara S. Exc
e erara sera duvida as nicas que nao corapactua-
rara com a capangada insolente sob pena de nao
continit'ir a eleieao I
Quera fazta tao criminosa intiraago era ura
intruso, um anarchlsta, que nada podia observar
sobre o processo eleitoral desde que no tinha
a qualidade de eleitor, conforme a lei. Mus era
o chefe prestigioso do elemento anonymo, que re-
petindo com yoz estridula o grito sedicioso de
ou retira a forca ou nao continua a eleieao foi
dcilmente obedecido por S. Exc. que transigi,
e fe n tirar as pragas, em quanto o valiente
braco retorquia dictatorialmenle agora sim,
ontiwar a eleieao !
Este fado tao grave, que por descommnnal
po le. parecer exagerado por raini, mas felizmen-
te o proprio Dr. chefe de polica o confirmar,
sem duvida, e jamis o pider esqueeer.
O honrado magistrado devia n'um momento
ter sentido profunda a huinilhago, e eu n&o sei
onde velou-se o principio da autoridade, e onde
licou o prestigio e a forga do poder publico.
Era impossivel garantir a ordem, porque a
desordem tornara-se o rgimen legal para as
circumstancias e indispensavel para o caso, des-
de que o elemento anonymo e anarebico eslava
ao lado do candidato governista, que devia ven-
cer ; raas a presenga do Ur. chefe de polica
transigindo pela forga das circuinstancias veio
dar anda mais importanc a e Oorageffi ao ele-
mento preponderante, que assim nao podia mais
encontrar limites aos seus desvarios, violencias
e criminosos manejos.
O pleito eleitoral correu pois no 1 districto da
E-cada sob a mais horrorosa aressao, e era pleno
reinado do terror, attiniindo o escndalo ao
iionto de impedir se pela violenciaa passagem
de eleitores, q e iam votar, como succedeu, en-
tre diversos outros, com ura cidado republica-
no, notoriamente condecido e muito respeita-
vel.
Na importante cidade da Victoria o elemento
anonymo foi mais disfargado e menos numeroso,
mas ainda assim avuitado e sempre alliado sol-
dadesca.
Jlavia effectivamente ordem e pnmeira voz
mais de 60 bravi na visinbanga da igreja ma-
triz sede do lu districto eleitoral, e dentro do
recinto alm dos dous hroesNicolao e Rozen
do, que flaqueavam raeu illustre competidor, es-
tacionavara raais 10 impvidos auxiliares da li-
berJade do voto, ostentosamente armados, e
pr \plos para tudo o serrico.
So 3" districto o digno delegado de polica.
liscal do candidato governista, discuta at a
identidade dos eleitores raais conhecidos para
olismar, eiubaragar e perturbar o pleito eleito
ral; levantara nugas as mais originaes e ridi
culas, fazendo ostentago criminosa do cano do
seu revolver embalado e do cabo do seu reluzen-
te punhal, eraquanto no 2o districto ura novo
Calabaragitava-se em desesperado furor para
dar arrhas de sua nova crenga, da sua nexcedi-
vel fideldade e dedicagao, quasi provocando
scenas tumultuarias.
Em Bezerros, como tambera no Grvala de-
rtm-se casos edificantes da prepotencia da poli-
ca, e nesses dous municipios -a ameaga do sa-
br da forga publica, e toda sorte de violencias
realisadas urnas, oulras emprazadas, foram re-
cursos largamente empregados.
S fattou a figura sinistra do capanga, taires
por nao ser fcil transportarsem carainho de
ferro tao boa gente.
Muito teria que escrever se rae propuzpsse
fazer a narrago completa do que foi o pleito do
da 31. Limito rae, porm, ao que lica exposto
para caracterisar perfeitamente o valer moral do
triumpho dos adversarios. Houve subtraego de
livros de actas em dous districtos da Escada,
contesluces de diplomas legtimos e.u um outro,
um sem v.ranero enifin de tricas as raais argu-
ciosas e de expedientes os mais baixos e incon
fessaveis, por toda parte.
* O valente e respeitavel eleitorado conservador
do 6' districto nao foi vencido em ura pleito no-
b.ve leal mente disputado.
I .;panha do terror que foi raigoeiva e in-
dignamente arrastado servio para bem aferir a
iudole, os'intuitos e o genio dos dous partidos
polticos.
Cumpro pois com a mais viva sinceridade o
agradara dever de confessar-mc iminensamenie
recenhecido todos os correligionarios e amigos
que suffragando meu humilde nomeuio dia 31 de
Agosto lindo, honrarain-me com o "maior teste-
munho de conlianga e a mais alia prova de apre-
go, veacendo animosamente todas as resistencias
e n5o se deixaudo intimidar pelas violencias e
desvarios da forga publica, pelo ccete e punhal
da capangada assalariada e sanguinaria.
Engenlio Limoeirinho, 3 de Setembro de
1889-
B. de Suassuna.
O pleito de 31 de Agosto
11
Aosolutamente no queremos em a nossa cam-
panha contra os abusos commettidos na ultima
eleigo que se pense que proscrevemos de ura
modo radical teda b especie de agitagao legal.
N'ura paz de liberdade, como o nosso, impos
sivel recusar a qualquer aggremiago poltica o
direito de lazer cera que as suas opiniOes sejam
acceitas pelo publico, desde que no exercicio
d'esse direito no excedam os limites impostes
pela le e pela raoralidade.
Os liberaes, porm, antes de tudo deviam per-
guntar ao seu bom senso se convinha, dada a for-
niago de um partido vigoroso que promette ven-
cer os mais fortes reductos da monarchia. per-
turbar o espirito ordeiro da nacionalidade bra
zileira, revolvendo completamente a consciencia
calma do eleitorado e supplantando a verdadeira
expressQo da maioria do paiz pela forga, pelo
terror.
#*
O Sr. Dr. Jos Mara, certo da vergonha qoe
cobre as victorias obtidas custa de meios indig-
nos, declarou publicamente, antes e depois do
pleito, que se fosse provado que para a sua elei-
go tinua sido erapregado algum meio menos
decente resignara a cadeira de depulado, cora
que, acrescentamos nos, Ihe brindou o governo
do Sr. de Ouro Preto.
0 Norte articulou ura facto, cuja contestago o
Sr. Dr. Jos Mara esperava do Sr. Dr. Jos Bran-
daopessoa em quera muito confiava visto ser
seu amigo particular.
Pois bem, esse crilerioso e honrado cavalheiro,
era carta dirigida ao Dr. Martins Jnior, confirma
ludo quanto ha vamos n3 affirmado e tudo quan
to dissera O Norte relativamente s violencias, ao
terror, compresso e aos attentados commetti-
dos no 6." districto em beneficie do Sr. Dr. Jos
Mara.
Eis a carta, publicada n'O Norte de hontem :
Escada, 1. de Setembro de 1889.Martins
Jnior :Vou dar-te urna noticia ligeira do que
se passou na eleigo, j que nao me possivel
relatar-te todos os incidentes com minuciosi-
dade.
A capangagem, em numero superior a 100,
de cceles, facas e pistolas, imperou n'esta ci-
dade durante dous das : o pnico foi geral, re-
sultante d'ahi a falta de grande nuaero de elei-
tores.
A presenga do chefe de polica em nada rao-
dificou a attitude d'elles.
O Bico-docee Ricardo dirigiram-se ao chefe
em al h vozes, censurando-o por estar dentro do
recinto, intimando-o para que se retiras3e, e ebe-
garam a qualilical-o df iutruso.
Rio Grande do Norte
." districto
Muito bem !
O resultado da eleigo que acaba de
proceder-se para deputado geral, no 2.*
districto dessa provincia, veio demonstrar,
cabalmente, que a intervencSo indebita do
Dr. Amaro Bezerra ficou reduzida s suas
justas proporgSes.
E nem era de esperar outro Drocedi-
mento dos dignos rio-grandenses o norte!
O Dr. Almeida Castro apresentando-se
candidato, escudado, somente, na certeza
de que seu nome seria acceito pela maio
ria do eleitorado independente, n2o ficou
Iludido na sua espectativa e pode, agora
confirmar o juizo Hjue formou, sempre, do
mesmo eleitorado, juizo que, geralmente,
encontra o mais decidido apoio.
Quem nao desconheciaa historiados ne-
gocios polticos da provincia, na qual re-
presenta papel importante pela maneira
arbitraria e prepotente por que em todos
os tempos tem procurado figurar frente
delles, em prejuizo da autonoma provin-
cial e do carcter dos que devemj por seu
patriotismo concorrer para mantel-a, nao
se sorprehendena ainda pela brilhante
victoria que acaba de obter o honrado Dr.
Almeida Castro.
Victoria esperada-victoria certa !
Mas porque semelhante resultado era
previsto ?
Porque o digno candidato que, mesmo
fora da chapa do seu partido e lutando
contra as perseguic3es e attentados de que
lansou mao o !r. Amaro Bezerra, cuja
poltica compressora, nefasta provincia
tem sido, justamente, censurada e repro-
vada, alean90U grande maioria sobre os
seus competidores, representa o esforgo
individual, o trabalho consciencioso do ci-
dado que tleseja a prosperidade do seu
paiz e especialmente aa provincia que
consagrou toda a sua dedicagao.
O segundo escrutinio vai-se dar em es-
peclalissimas cirenmstancias.
De posse do poder, tendo em sua mSo
os recursos em que frtil a argucia dos
polticos mal orientados, o Sr. Amaro He
zerra ir certamente empregar todos os
meios atim de ser eleito (!..) representante
do 2.- districto da invicta provincia do
Rio Grande do Norte.
O Dr. Almeida Castro, carcter imma-
culado e puro, entra em combate robus-
tecido apenas pela firmeza de suas since-
ras conviegoes e pela adhesao franca e so-
lemne que Ihe foi feita pelo eleitorado in-
dependente do 2.* districto.
O partido conservador, cujo candidato
devido a causas estranhas, nao entra em
segundo escrutinio, por um jogo poltico
digno dos espiritos bem intencionados, deve
cerrar votcao no Dr. Almeida Castro
que rejiresenta, que personifica a revolta
poltica corruptora, abragada pelo Dr.
Amaro Bezerra que j vai notando o va-
cuo em que a honestidade publica ha de
collocal-o.
Elegendo o Dr. Almeida Castro, os
eleitores independentes tero subscripto o
protesto lavrado contra os erros c atten-
tados, as injustigas e as Ilegalidades de que
tem langado mao o Dr. Amaro Bezerra.
E a bem dos interesses da altiva pro-
vincia do Rio Grande do Norte todos os
conservadores e os liberaes que se nao
deixam guiar por falsos politices devem
suffragar o nome do Dr. Almeida Castro.
Setembro de 1889.
Sirius.
Aviso nnndasc
As senhoras elegantes que-vieitarem a
Exposigao de Paria n2o encontrarao a
Casa Leoty ^tre os Expositores Ao
chegarem tero portanto de ir casa de
Mme. Leoty, 8, praca da Madeleine, para
encoramendarem um d'aquelles maravi-
lhosos espartilhos, coahecidos no Universo
inteiro, e indispensaveis para o aceio dos
vestidos.
O mais importante foi a intimago que me
lizeram tres capangas, na ponte da Atalaia,
para nao votar, era attitude araeagadora e impe-
dindo-me a passagem, o que meobngon a vol-
tar.
O amigo e correligionario:Jos Brandao.
O que resta, pois, em vista d'isso, ao eleito (',...)
da 6.' circumscrlpgo eleitoral de Pernambuco ?
Renunciar, como prometteu a cadeira de depu-
tado e obrigar os seus procuradores a respeitar
mais os dlreitos individuaes.
Renuncie, portanto, Sr. Dr. Jos Mara o man-
dato para-cuja obtengSo os seus amigos empre-
garam meios que Ihe desagradaran! certamente.
Eia Varaos t...
TilKMIS.
Ao Sr. pralfo-mr
Consta que n'estes prximos dias vao
ser subraettidos exame para praticantes
da barra tres mogos que ha pouco form
reprovado e nada mais aprenderum depois
d'aquella prova.
Chamamos a attengo do Sr. pratico-
mr para que nao 3e deixe vencer pelos
pedidos e empenhos, em assumpto to
melindroso.
Lembre-se V. S. que j ha na classe
muito3 incapazes, pois o servico pesa so-
bre dous ou tres praticos que se prestam
ao trabalho, embora muitas vezes nao Ibes
toque na escala e apezar disso no fim do
mez nao recebem na porporgo do seu
trabalho; sendo contemplados na distri-
buigo do apurado aquelies mesmos inca-
pazes.
Atienda que altos interesses do com-
mercio e da navegagilo esto em causa ;
alm de preciosas vidas que ficaro
merc dos barbeiros novos .
S. S. que conhece bem o servigo e at
j tem urna reputagao pelas suas habili-
tag3es e pericia, nao deve querer que
fagam parte da classe, homens completa-
mente ignorantes do officio.
A audacia chega ponto de ser pre-
tendente at um pintor !
Ainda tempo de emendar a mto.
Espera-o
Um commerciante.
Programma da renta da Excelaa
Se no'a do Bom Parto en ti. Jone
de tilia-Mar.
No dia 7 ao meio dia ter lugar a ben-
gao do estandarte subindo nesta occasiao
ao ar urna salva real de vinte e um tiros,
acompanhada de muitas girndolas de fo-
guetes com harmonia das melhores pegas
do repertorio da banda marcial do 14 ba-
talho de inantaria ; annunciar: aos fiis
que com fervorosa dovocao dvemos ren-
der cultos a Rainha dos l-os, Mai do Ver-
bo Encarnado e protectora da humanidade.
As 6 horas da tarde ser hasteada a
bandeira da Excelsa Padroeira, acompa-
nhada de avuitado numero de virgens,
destaendo-se entre as mesuras algumas
figuras ricamente adornadas, em seguida
ser cantada um ladainha de vespera.
As 4 horas da madrugada do dia 8 ser
resada urna missa em tengo de todos os
devotos que contribuirn! com seus obulos
em favor da pompa e brilhantisnio do acto
de que digna a Virgem do Bom Parto.
As 5 horas da manha urna outra salva
ainda acompanhada da meloda da banda
de msica, de novo despertar aos fiis
annunciando o raiar da aurora do dia es-
perangado.
A 11 horas do dia ter lugar a missa
solemne, orando no evangelho o nosso
digno jiiiz protetor conego Antonio Eusta-
quio Alves da Silva sendo executada pela
primeira vez o gloria do maestro portu-
guez F. E. da (.osta, sendo cantados os
solos pelos Srs. professores Manoel Vc-
tor, Manoel Novaos, c (temmolete, sendo
encarregado da orchestra o irmao pro fes-
sor Silvino Jos de Mello, ao terminar a
festa sahir umarasouraque percorrei as
ras do costume.
As 7 horas da noite ter lugar o Te De-
um denominado Espirito-Santo de compo- *
si gao de Libanio Colas, orando tribuna
sagrada o nosso juiz protector fre Augus-
to da Immaculada Conceigo Alves termi-
nando o acto cm a bengo do Santissimo
Sacramento.
Em seguida ser recolhida a bandeira
da l'adroeira com o mesmo apparato e
decencia do dia anterior.
A decoragao do templo foi confiada ao
nosso irmao defenidor Bartholomeu Vale-
riano da Silva.
Consistorio da Irmandade de Nossa Se-
nhora do Bom Parto em de Setembro
de 1889.
O secretario,
Julio Constancio Ferreira da Suva.
Rf. -IOS
Oleo puro medicinal de Ffgado de
Cacallio de Lanman A kemp
Ouvir se essa tosse secca. cortada e metallica
que symptoatica de uns pulraOes enfermos,
nos inclinamos a erer que nao ha remedio. Pode
ser diminuida, mitigada e finalmente extirpada
corapletaoiente mediante o uso do Oleo Puro
Medicinal de Figado de Bacalho, de Lanman &
Kemp.
Especificamos a preparago de Lanman &
Kemp, porque um artigo puro e legitimo, ela-
borado cora os ligados frescos do melhor peix,
e a cujo grao de escelleoeia, nao pode chegar
nenhum outro oleo de figado de bacalho no
mercado.
Por estranha que se nos figure esta assergSo,
as sete oitavas partes dos taes suppostos leos de
ligados de bacalhos, sao adulterados, e alguns
delles nao contera urna s pinga que seja do
fluido cujo nome usurpam.
A iode que existe no verdadeiro remedio nao
de nenhuma daquellas Talsilicages e imitagOes
desprenveis, e por essa mesma razo sao intei-
ramente inuteis.
Eraquanto que neste outro se acha o grande
antidoto para a tsica, bronchites e todas as en-
fermidades dos pulraes e do figado, e isto n'um
estado o mais puro e na forma a raais agradavel
em que a seiencra pode apresental o ao enfermo.
Nao tem cheiro desagradavel e conservase per-
feito em todos os climas.
Aha-se venda em todas as principaes bo-
ticas e tojas de drogas.
Os negociantes e moradores da ra da
Santa Cruz, treguezia da Boa-Vista, Iou-
vam ao activo, zeloso e incansavel' actual
subdelegado da referida freguezia, pelas
acertadas providencias que tem tomado,
e dentre ellas a que tomou na madruga-
da de 5 do corrente para com os vaga-
bundos que pernoitavam no mercado da
referida freguezia fazendo as ordinarias
precisOes, as portas dos estabelecimen-
tos e casas da mesma ra, sendo que de
ananh ao abrirmos nossas portas encon-
travamos dessas bonitas obras.
Outro sim pedimos outra providencia
que urna autoridade na altura do lllm.
Sr. Jos Joaquim Dias do Reg Jnior
nao deve despresar.
Como V. S. nao ignora as proximida-
des e nos mercados sempre se jui'tam
gente de todas as classes e com mais
frequencia os gatunos e desordeiros, o o
nosso refe. ido mercado nao tem ao menos
um ponto que vigi a ra da Santa Cruz,
e a frente do mercado; para assim evitnr
alguns casos mui bem vulgares em que o
homem prudente e pacifico v-se na dura
necessidade de recorrer a meios extremos
ou ficar desfeiteado e prejudicado.
Os mesmos negociantes e moradores
esperam de V. S. mais esta providencia
que deve dar bom resultado; e assim
mais urna vez firmar V. S.* os seus cr-
ditos de autoridade ordeira, amante do
socego dos moradores de seu districto po-
licial.
Cataplasma a mais efficaz, propria e
commoda para empregar a Cataplasma
Hamilton. (1)
til e agradavel
O Peitoral de Cambar, alm da sua
utilidade na cura das molestias broncho-
pulmonares, possue prazer agradavel e
'bem tolerado pelas creangas, em cujas en-
fermidades tambem se applica com gran-
de proveito.
EXPOSITION UNIVERSAL DE 1889
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Srs Aiudc Prince y C.
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales pridices de las Americas del
Centro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
dera, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano
derecha de la Torre de Eiffel, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nes de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueaa, y
que sern una de las mayores atracciones
de la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en el Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Srs. Am-
de Prince y C gracias a la amabi-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
(I Bacharel Antonio Witru- H
vio Piolo Bandeira
i < Pode ser procurado roa do Imperador
U n. 71, Io andar

F-
m
,


Diario de Pernambuco!
de Setembro de 1889
j
\
\
Uxtr cleca de eiro do Dr. Santa
!(, aaalysado en PpIi e ap
provado pela Iapeciorla eral
de Hjfiene.
(Premiado na Exposico)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca de negro o da formula
tfBr, Santa Rosa, que como garanta tem cm
favor os attestados passados pelos mais dis-
gs mdicos, desta e demais provincias do
io, por pharmaceuticos, deserabargadores,
Rogados, engenbeir09, commerciantes, einpre-
Sos pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
m.
Fique, portanto, o publico sabendo que o eli-
fabricado na ra da Cadea, pharmaTia de
rmes Souza Pereira, Successores, umaimita-
i do nosso.
osito do verdadeiro ra do Bom Jess n.J I.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Barao da Victoria46
(DEFRONTE DA PHARMACIA PINHO)
Onde tem consultorio e resi-
dencia t podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualqucr hora
do dia e da noite.
Especialidades : partos, febres, moles-
tias de senboras e dos pulmOes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
racoes de estreitamentos e mais solri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephone n. 394
)
MEDICO HOMEPATA
j
Dr. Balliazar da Silveira
Especial i dudefebres, molestia*
) das enancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
} ra do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
K*posico Universal de 1889
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sas correspondentes, os Srs. Amde
Prince & C, o Pavilhao de Guatemala
ule elles acabaiu de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes joraaes
das AmericaB do Centro, do Sul, das An-
tlhas e do Extremo-Oriente urna cons-
truccao de madeira muito bonita.
Este pavilhao acha-se situado direita
da Torre EiflFel, pelo lado direito e de-
tronte da parte cental do Palacio das Ar-
ta Liberaes. Est perto de todas as sec-
ones das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
ato de constituir, por sem duvida, urna
tti maiores attraccSes da ExposicSo.
Aos nossos patricios recommendamos
Aacarecidamente que visitcm no Pavilhao
de Guatemala a installacfio dos nossos
arrespondentes, Srs. Amde Prince &
G., devida ao obsequio do Ilustre com-
missario geral do Guatemala.
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, medico,
culisia, ex-chefe de clinica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
1 andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dios santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLDSON, for-
.uado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 18, Io i
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
an-
COMMERCIO
Revista do Mercado
RECIFZ. 15 DB SETEMBRO DE 1889.
O movimento liiuitou se a transaeces no mer-
cado de cambios.
Bolsa
JTAgE8 OFFICIAE8 DA JUNTA DOS COB
BETOBES
Recife. 6 de Setembro de J889
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 27 12 d. por
lOOO, do banco.
Descont de letras, 9 0.0 ao auno.
o presidente,
''.andido C. G. Alcoforado.
O secretario.
Ednardo ubeux
Assucar
Os procos papos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associayo Commercial Agrcola, foram
os.8eguintes:
Branco..... 3*600 a 4*000
Somenos..... 2*700 a 3*000
Mascavado purgado 2*200 a 2*600
bruto. (lirme) 1*600 a 2*000
letame..... U200 a 1*400
A expor'.aco, feita pela alfandega neste mez
at o dia i, constou de 4J9.04H kilos para o in
tenor.
As entradas veriticdas em Agosto findo, attin-
^irara a 7 353 saceos, sendo por:
llarcacas ....
Vapores.....
Ammaes....
Via-ferrea de Caruar.
Via-frrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Advogado
I.BI Saceos
257
78
4.221
254 c
Soturna.
Em igual mez de 188$
Mertos em 1889 .
7.333 Saceos
6.039
1.294
Miguel Jos di: Almeida Pernambuco tem o sen
escriptori de advocada ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todos os dia3 utets, das
hons da 9 mant s 4 da tarde.
Frederico Chaves Jnior j
Homoepatha
39 f- RA BARO DA VICTORIA 39 M
Prlmeir andar I I
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, 1" andar. -
Consultas do 8 s 10 da manhS.
Chamados (por escripto) A qualquer hora.
TELEPHOHE N. 226
SILYEIRA
ADVOGADO
|-Hi do ini'KH a non i
ADVOGADO >
O bacharel Salustiano Jos de
Olivcira pode ser procurado para
os misteres de sua protisso.
ra Estreita do Rosario n. 10,1.
andar.
ir
i).
Leonor Porto
Roa Larga do Rosarlo nu-
mero SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais diflieeis
figurinos recebidos de Londres, Pariz,
() Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de costuras, era
em brevidade, modicidade em precos e
fino gesto.
3
iS

Advocado
O bacharel Arthur da Silva Reg tem o seu
escriptori de advocada ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurado para os misteres
de sua protisso.
ED1TES
Juizo dos Feitos da Fazenda
Nacional
Escrlva Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos feitos da
fazenda desta provincia Lindolpho Hisbello
Correia de Araujo, oo dia 13 do correute mez
pelas 11 horas da raanha, de audiencia sero ven-
dido em praca publica os bens seguales :
Urna casa de lijlo e cal com porta e janella
na frente, com salas, quartos, cozinha externa,
quintal, edicada em terreno que nao se sabe ser
foreiro ou proprio, no lugar denominado Iputin-
ga estrada de Casanga, pelo prego de 300*000,
pertenecnte a Leoncio Pereira de Souza.
A olaria sita no lugar dos Colhos freguezia
da Boa-Vista, edificada sobre pilares de lijlo e
cal, coberta de telha, fe-rno de cozinhar mate-
riaes por 1:500*, pertencente a Vicente Ferreira
dos Santos Barros.
Urna casa terrea n. 2, sita na estrada de Sant*-
Anna freguezia do Poyo da Panella. cora as cora-
modidades precisas e tendo mais seis casiohas
em seguida, gallinheiro e sitio bastante arhori-
sadi, avaliado por 12:000*, pertencente a Luiz
de Olivcira Lima Jnior.
Urna casa terrea com rancho ao lado, sit no
lugar denominado Iputinga, fregrezia da Var-
zea, tudo coberto de telha e com commodidades,
tendo duas casinhas externas e edificada de ti-
jolo e cal. pelo proco de 90*000, pertencente a
Antonio Francisco dos Prazes.
Um sobrado de dous andares n. 74, sito ra
de S. Jorge freguezia do Recifc, leudo accom-
modagOes necessarias, cozinha fra e pequeo
quintal, por 9:720*000, pertencente a Francisco
de Mello Cavalcante de Albuquerquc.
Urna olaria e ura sobradinho conliguo a mes-
ma, sendo esta sobre esleios de madeira e co-
berta de telha, sila no lugar dos Coelhos, fre
guezia da Boa Vista, com forno bera montado,
avaliada por 990/. pertencente a Antonio* Car-
neiro da Cunha, cujos bens foram penhorados
para pagamento da fazenda nacional c contas.
Recife, 9 de Setembro de 1889.
0 solicitador,
l.iiiz Machado Botelho.
No Rio houve negocio a 27 1/2 bancario.
TABELLAS AFFIXADA8
2 E
5 I
o 3
o n.
2 1
3 2.
8
m
2.
EL

C.
fB
c
9
"3
O
I
3
X 7
1R3
O
i
H O-
3
.

^
9
s
* V
o.
te
I i
-x.
5
16
O
k tf w eo
o o w a*
i* ^ o oa cj
Cambio
Os bancos raantlveram no balero a taxa de 27
1/4 d., offerecendo, porm, saccar a 27 3/8 se
.ipparecesse diuheiro.
Conslo negocio em papel bancario a 27 1/2.
Papel particular foi passado em pequea es-
cala a 27 5,*.


5
o
. .- CJ
to w at tx
^i o OS i*
t> I
Algodao
Mercado frouxo, sem transacees.
A exportagio, feita pela alfandega neste mez
at o da 4. attingio a 70.904 kilos, sendo 18.974
para o exterior e .31.930 para o interior.
As entradas verificadas em Agasto lindo, subi-
ram a 6.817 saccasi, sendo por:
Barcagas......
Vapores .....
\ Ammae3
i Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S.Francisco.
, Via-ferrea de Limaeiro
Somma.
677 Saccas
2.9J8
2.326
10a
162
2.609
8.817 Saccas
5.* BeccaoNSecretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia e nos termos do 2o do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por meio do laudo
de arbitro desempatador, a questo de ava-
iacSo do material da empreza de illumi-
oa^Io gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
tes, QontadoS da data do presente edital,
para contracto da dita illuminasao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3. Nenhuma proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:0000
em dinheiro ou apohees da divida publi-
ca, para garantir a aceitac^ do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4.. O deposito, a que se refere' o pa-
ragrapho antecedente, n5o ser retirado
pelo contractante senao lindo o contracto e
servir de cauclo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
% 5." O contracto s poder ser feito
com quem melhores f vantagens offereccr
na concurrencia.
6." A nSo ser no caw> do paragrapho
antecedente, a actual aipresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente
| 7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisaglo, a que a provincia
ujci'ta por forca da clausula dcima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
ndeninisaco ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e ficando o materila
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
% 8." O prazo do contracto nao poder
exceder a 30 annos.
9. Oprcco da illuminagto, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo-
e urna reduccao de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas. .
10." O systema mtrico, si fr rn.iis
conveniente, ser adoptado para a niedi-
cao do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranhaa, que possam prc-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13. As horas de illuminago publica
ser2o fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dez, devendo neste caso haver um
reducgSo no preco do gaz correspondente
ao acrescimode horas.
14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
se suscitarem, quer cmi o governo,
quercom os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiegao dos tribunaes jijoicia-
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houvcr necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| 16." O pagamento da illuminacSo pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz,- sem attencao oscillaco do cambio.
| 17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigagoes do contrete.
18. Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacll [o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000^000, que sero recolhidos ao
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia csta-
belecer as multas e mais condicoes, no
intuito de garantir a boa execugao do con-
tracto, quer com relago a illumingo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-ae publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
Km igual mez de 1888. 8.0M
Mais em 1889 .. 814
Hel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Coaros
Couros salgados, 355 res, e os verdes a 210
ris.
Agurdente
Cota-se a 105*000, por pipa de 481' litros.
Aleool
Cota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
Paula da a I f and esa
SEMANA i>k 2 A 7 de SnEMBR" DB 1889
Vide o Diario de 2 de SeUmbro
.1'avlos deseara
Barca no^ueguense Gllead, ferrage.ns.
Barca norueguense Solid, carvo.
Barca ingleza Ravacola, materlaes.
Barca norueguense Spes, ferragens.
Barca noruega San Luy, varios gneros.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional Loyo, xarque.
Lugar americano tielle Ilooper, fannha de trigo.
Lugar inglez Adamantina, farinha de mandioca
Lugar portuguez Joven Alberto, varios gneros.
Logar inglez Razona, bacalhao.
Patacho alleraao Marie ron Oldendorp, xarque.
Patacho nacional fegaleira, xarque.
Patacho allemo Fredertck, xarque.
Patacho dinamarquez Jugor, xarque.
sxporiaefio
aacira, 5 DB SEIESIUR0 DE 1889
Para o exterior
:>o vapor francez .\'<;/-/<\ carregaram :
Para Pars, E. Goetcheli,300 passaros seceos ;
Cousseiro Irin&os 1,428 graos de ouro velho e
12,300 ditos de prata velha.
No vapor americano Finan/y. cirregaram :
Para New-York, P. Carneiro & C. 4,300 pelles
de cabra; B. Needbam 4 C. 22 barricas com 1,440
kilos de borracha de mangabeira.
Para o interior
No vapor francez Vdle do Rosario, carre-
garam :
' Para Rio de Janeiro, S. GuimarSes & C. 30
pipas com 14,400 litros de agurdenle ; A. M.
da Silva 20 pipas com 9,600 litros de aguar-
dante ; P. arneiro & C. 43 pipas com 20,6ii)
litros ile agurdente.
No vapor americano Fmance, carregaram :
Para Maranho, S. Guimaraes & C. 1 pipa
cota 480 litros de aleool.
preza, conforme o g 7o cima citado, a
quantia de 994:9170528, de accordo con:
a avaliagao feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Margo ultimo, visto deduzir-
se da de 998:7770528, total da avaliacao,
a importancia de 3:860i$000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bragos com lam-
peSes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
Empreza do Gaz
empreza
AVISO
de illuminago a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
go do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas nomesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisagSo da empreza
actual a quantia de 998:7770528, por
quanto foram avalladas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliagao nao pode servir
de base para tal indemnisagao, por ter
sido legal e rregularmtnte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos feitos da
fazenda. tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Faz"enda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que deva em teinpo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicagKo para scieneia dos in-
teressadoa.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
Gerente.
George Windsor,
5." Secgo Secretaria da presidencia de Per
nambuco Em 3 de Setembro de i88
> l'ur estosecretaria se faz publico que fica
iberio o^fco de 30 das, a contar desiu data,
pan o reccoiinenlo de propostiis em carta fecha-
da dos concurrentes a cohstrucgo de una es-
trada de Ierro deque trata a lei provincialiufra
n. 2.03o de 8 de Agosto prximo lindo.
O secretario
Francisco L. Marialto de Souza.
LEI N. 2.0.36
Manoel Alves de Araujo, do eonselho de Sua
Mages'lade o Imperador, bacharel (orinado em
sciencias soi iaes e jurdicas pela Faculdade de
S. Paulo, commendador da Imperial Ordem da
Rosa e presidente da provincia ile Peraaiobaeo
Fago saber a todos os seus habitamos que a
Assetnbla Legislativa Provincial decreou e eu
cianectonei a resolugao seguinle :
Ar;igo I.* Fica concedido o eugenlieiro New-
ton Cesar hurlamaqui ou quem meliiores van-
tagens oflerecer privilegio or 60 anno< para a
construecao, ano e goso de urna estrada de ferro
de bitola estreita, que partimlo da Serra Dous
Irinos, na extrema desta provincia com a do
Piauhy, va terminar na villa de Pelroliua pon-
to marginal do Bio S. Francisco
8 1 A zuna privilegiada ter 10 leguas para
cada ladodoeixo da liulia, sem que seja isyo,
em tenipo algum empecillio a que a qualquer
outra estrada de ferro, pirallela ou nao a deque
cogita a presente coneesso, possa a provincia
fazer concessSo de zona privilegiada. No caso
de futuras concesses, se a zuna privilegiada da
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de ualquer outra estrada de ferro conce-
dida mais t*ide pela provincia, ser o espagj
de trra que entre as duas estradas mediar divi-
dido ao meio, ficando urna metade delle como
zona privilegiada de cada urna das referidas es-
tradas.
j ?. Em igualdade de condicoes o concessio-
nario ter preferencia para .Ouslruegao. uso e
goso de futuros ramaes convergentes.
% 3." Ficam isentos de direitos e inipostos
proviociaes e municipaes os edificios, as BsaChi-
nas e materiaes necessai ios para a roDStrocg&O e
explorago da linha principal e dos ramaes que
forem construidos.
4." O concessionario ser obrigado a cons-
truir linha telearaptiira para uso publico c par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isenco de direitos impostos.
% 3. Fica concedida a garantia do juros de
6 % solire o capital que for em pregado efi'ecti
vanenle as obras, calculado o prego mximo
do kilmetro, era 23.000$ e pelo praso da dura-
go do privilegio, findo o qual reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
machinismos, materiaes e liabas telegraphicas,
e bem assim cada um dos ramaes que tenham
sido construidos, logo que tenham sido oxplora-
dos por igual lempo,
S 6. A garantia de juros so se tornar effec-
tiva no caso de ser levada a effeito a concesso
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a .^erra Dous Iruuos, a qual se prende a
presonte concessio, perdtndoo concessionario o
direito referida garantia se otiliver o governo
No vapor nacional Muimos, carregaram :
Para Manios, S. fleis & C. 13 barricas cora
1,185 kilos de assucar branco, 2 pipas e 6barns
com 1.576 litros de agurdente ; H. Oliveira ">
barricas com 2tM kilos de assucar refinado ; J.
A- de S 83 barricas oaai .'{,112 kilos de assucar
branco ; C. M. da Silva 409 barricas com 32,540
kilos de assucar branco.
Para l'ar, II do Carino Fernandes 100 barri-
cas com 8,232 kilos de assucar branco ; J. L da
Silva Oliveira 40 barricas com 2,100 ditos de
dito refinado.
No vapor nacional S. F ancisco. carregou :
Para Penedo, A. A. Gomes 1 barril com 90
litros de aleool.
ino vapor nacional Jaguai ibe, carregaram :
Para Mossor, Amorim Irinos 4 C. I caixa
com 20 kilos de doce e 2 barricas com 180 kilos
de assucar branco.
No hiatc nacional Deas le Salce, carrega-
!'ara: ,
Para Aracaty, M. Viegas & L. 20 caixas com
2; 0 litros de genebra.
Para Camossim, E. C. Beltro & Irmo o bar-
ricas com 450 kilos de assucar refinado.
No hiate nacional Gerigutty, carregaram :
Para Natal, E. C. Beltro 4 lrmo 20 saceos
com 1.200 kilos de assucar refinado.
Na barcaga Paraguass, carregaram :
Para Parahyba, P. Alves 4 C. 10 barricas com
600 kilos de assucar refinado.
Na barcaga J. Palmen a, carregou :
Para Maco, A. Lemos 4 barricas com 300
kilos de assucar refinado.
Dinheiro
KECEBIDO
Pelo vapor nacional Manos,* do sul para :
Marns Fiuza 4 C. 6.000*)0U
Bernardino Lopes Alheiro 2.000.5000
Rendlmcntos panucos
MfcZ DK SETl-MBBO
Alfanaega
135.80G224
38:048*136
tienda eral
Do dia 2 a 3
dem de 6
Renda nrovincia!;
Do dia 2 a 5
dem de 6
13 5905858
4:697*573
173:8543300
18:288*431
Somma total 192:142*791
Segunda secgio da Alfandega, 6 de Setembro
de 1889.
8thesoureiroFlerencip Domingues.
cliefo da seceso -Cicero B. de Mello.
geral, subvengo kilomtrica, quantia de juros
ou qualquer outro favor equivalente.
J 7." A provincia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forga publica, autoridades e
respectivas cargas.
8. 0 concessionario poder transferir em-
presa ou companhia, que organisar o presente
privilegio cora todos as seus favores e obriga-
ges.
9. Dentro de 5 annos da data do contracto
deverao ser apresentados os respectivos estudos
definitivos e os respectivos orgamenlos detalha-
dos e ter comego de execugo as obras, cadu-
cando a concesso, se dendro desse praso nSo
forem ditas obras comegadas, salvo caso de for-
ga maior, devidamente provado.
Art. 2. Ficam revogadas as disposiges era
contrario.
Mando, portanto,. a tolas as autoridades a
quem o conbecimenlo e execugio da prsenle
resolugao pertencer, que a cumpram e fagam
cumprir to inteira-iente como nella se com-
iera.
O secretario da presidencia da provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 de
Agosto de 1889, 08- da Independencia e do Im-
perio.
L. S. M. Alces de Aranjo.
Sellada e publicada a presente resolugao uesta
secrelaria da presidencia de t'ernambdco, aos 8
de Agosto de 1889.
O secretario
Francisco L Marinito de S->uza
O Dr. Francisco Domingues Ribeiro Vian-
na, juiz de direito da provedona de ca-
pellas e residuos, da comarca do Recife
c seu termo, em Pernambuco, por Sua
Mugestade o Imperador o Sr. D. Pedro
II, a quem Deus guarde, etc., etc.
Fago saber que a reqiierimento de Theopom-
po Magno de Oliveira Quintell', teslainenteiro
inventarame dos bens da tinada D Jesuina Di-
niz e Silva, vai praca por venda, cm tres pra-
gas deste juizo, a contar de 11 do corrente niez,
una parle qui possuia a inventariada no sitio e
casa de vivenda na estrada dos Afilelos, demar
cando ao sul com o sitio de Frederico Chaves,
ao norte com o dos herdeiros de JoodoKego
Barros Falco, ao mcente om a estrada dos
Afilictos, ao poente com o sitio de Joo Caro:!,
com arvore de fructo, avallada lo la a proprieda-
de em 4:000000, sendo a parte da inventariada
do valor de 1:304*000.
E para que chegue ao o:tiecimento de quem
interessar possa mandei passar este edital que
ser aflixado no lugar do costuine e publicado
pela imprensa.
Dado c passado nesta ci lado do Recife, aos 6
de Setembro de 18-9.
Eu. Francisco de Siqueira Cavalcante, escri-
vao, subscrevi.
Francisco Domingues Ribeiro Yiauwi.
DECLARACu-ES
Thesouraria de Fazenda
De ordem do lilm. Sr. inspector, convido os
aoaixo mencionados a vircni assignar na scocao
do eootenciot-o desta thesouraria o contracto
para o fornecinienlo de 111 iteriaes para a cons-
Irucgo do novo edificio destinado a Faculdade
de Direito ; o que deverao fazer qur.nto antes.
Visconde de Goararapos.
Cypnano Jb da Silva.
Vrente Ferreira de Albuquerquc Nascimenlo.
Manoel da Silva Faiia.
Miranda 4 Souza.
Madoel do Nascimenlo Cesar Barlamaqui.
Antonio Fernandes Ribeiro.
Joaquim Francisco de Medeiros.
Recife, 5 de Setembro de 8S9.
O secretario da junta.
Dr. Antonio Jos deSaot'Anna-
S. R. V.
SodctlRde Recreativa Conmcrtial
InstalagA'i da sociedade. e abertura da b:
bliotbeca em 7 de Setembro de 1889
Scientifico a todos os senhore; socios, convi-
dados e commissOes, que n sesso nugoa prin-
cipiar ns 9 horas da noile e em seguida o halle.
Iajrressoj em poder do Sr. ihesoureiro. Ag-
gregados nio sao admissiveis.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
cial, 3 de Setembro de 1889.
O 1 secretario
Aolnho Mendes Torres _
Tlie SorT Brazi'ian Su^ar P^clo-
rles Limited
Tem a venda
Um apparelho para ura engenho central da
ranacidade de moer ISO toneladas de cannas em
24 horas, cujo apparelho est em S. Jos de Mi-
pib, e algumas partes pertencendo ao mesmo
acham se em Natal, ambos os lugares eslo si-
tuados na provincia do Rio Grande do Norte que
se vender no estado em que se acharem e cora
todas as faltas, deleitos, etc.
Assim como outros machinismos.
A' tratar no escriptuiio da companhia cima
mencionada.
l.,ni*D to C'or|io Man o 11. 17
1* andar
Tem mais a venda :
O terreno para a fabrica central em S. Jos de
Mipib (Rio Grande do Norte/
Dito dito era Pao d'Alho.
Dito em Camaragioe (Pernambuco).
Rcccbedoria eral
Do dia 2 a 5 7.534*005
dem de t 338*256
7:872*961
Recebcdoria provincial
Do dia 2 a 5
dem de 6
2:3444242
728*227
3:072*469
Reeife Dralnage
Ddio de 2 a 5
dem de 6
14:187*951
1:838*071
10:046*028
Mercado Municipal de S. Jone
O movimento deste mercado no da 3 de
Setembro foi o segrate :
Entrarara :
:(8 bois pesando 5,053 kilos.
538 kilos de peixe a 20 ris 11*160
23 cargas com farinha a 200 reis 4Sfi03
2 ditas de milho a 200 ris 400
14 ditas de fructas diversas a 300ris 4*21)0
13 tatoleiros a 200 ris 2*600
17 6Unos a 200 ris 3*400
29 matulos com legumes a 200 ris 3*800
Foram oceupados :
2G columnas a 600 ris 13*600
1 escriptori a 300 ris 300
2a compartimentos de farinha a 500
ris 12*500
22 ditos de comidas a 500 ris 11*000
Si ditos de legumes e fazendas a
400 ris 35*200
17 ditos de suinos a 700 ris 11*9^0
8 ditos de fressuras a 600 ris 4*800
40 talbosa2 80*00.)
Rendimento do da 1 a 4 do cor-
rete
203*460
825*220
1:028*680
Foi arrecadado liquido at hoie
Pregos do dia:
Carne verde do 280 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1* ris idem.
Suinos de 560 a 610 ris idem.
i-arinna de 360 a 720 ris a cuia.
Milho de 340 a 360 ris idem.
Fsiiao de 1*000 a 1*200 idem.
Ma.ulouro publico
Neste estaoelecimeto foram abatidas para o
consumo de hoje 89 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
The tortb Brazilian Silgar Faeto-
nes Limited
TEM PARA VENDER
i machina porttil, forga nominal 12 cavallo?,
dos fabricantes Clayton 4 Shutlbwortb, Lin-
coln.
4 ditas n. 10 guinchos dentados, fabricante
Tongyes (duplo).
2 ditas n. 4 guinchos simples.
2 ditas para fabricar ttjolo com raoendas de
25 pollegadas de diaraentro por 2 ps e 6 polle-
gadas.de comprimento, bocea 10 pollegadas por
5 pollegadas, rapacidade para fabricar 20,000
por dia.
20.500 solipas (dormenles) de ac para bitola
de linlia de 2 ps.
1 1/2 kilmetros trilhos leves, usados, 9 libras
de peso em cada jarda.
2 1/4 kilmetros trilhos nevos de ago, peso 3#
libras cada jarda.
Porcs e pural'asos para trilhos novos.
6 desvos.
Fixas para trilhos.
Grampos do dogspikes.
Todos esses objectos eslo no terreno da cotu-
Sianliia, no erigenho central de. S. Lourengo da
latta, na linha da estrada de ferro do Limoeiro.
estago de Tima, e sero vendidos no estado-
em que se acharem, com todos os defeitos e fal-
tas que liouverein. ^^^^^^
? Imperial sociedade
DOS
Artistas Mchameos e Libe-
raes de Pernambuco
De ordtm do Sr. director, convido a todos os
so.:ios desta sociedade, de eccordo com os esta-
tutos, a comparecer/u no da 9 do corrente
tomareni parte na reoniSo era asscnbla geral,
que ter lugar no indicado dia, s 6 horas da
tarde, i-om o nume-o que comparecer.
Secretaria da Imperial Sociedade dos Artistas
Mchameos eLiberaes, 6 de Setembro de 1889.
O secretario,
Luiz Prazeics.
Festa de N. S. do Cenculo
naigrejado Divino Espi-
rito Santo
Em cotumemoraro do 34. anniversario da
reconciliaeo da nossa igreja, celebrase dorain-
i.'o, 8 do corrente, uma modesta festa a S. S-
do Cenculo, confiando de missa cantada s 10
horas d > da, cora serrallo pelo pregador da ca-
pella imperial Revio Fr. Augusto d Immacula-
da CooCficao Alves. que obsequiosamente ae
presta a fazer o panegyricu da festividade, e de
ladainha cantada s 7 turas da noiie.
Convido a lodos os nos-os carisshcos irinos
a viren] assistir os raesnios actos.
onsistorio da irmandade do Divino Espirito
lanto, 6 de Setembro de 1M>9.
Miguel dos Santos Costa Jnior,
Escrvo.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A Illma. junla administrativa desta Sunla Casa
contrata, com quem melhores vantagens oflere-
cer, o fornecioieoto dos gneros abaixo mencio-
nados, para o consummo dos estabelecimentos a
seu cargo, no trimestre de Oulubro a Dezembro
do corrente anuo.
As propostas deverao ser apresentadas ear
carias fechadas, devidamente selladas, na sala
de suas sesses, pelas ;i horas da tarde do dia
10 do corrente, declarando os proponentes eu-
jeitarein se mulla de 3* sobre o valor total do
fdrnecimento, se no praso de 3 dias, depois de
aceitas as propostas, nao comparecerem secre-
laria |iara assignar os respectivos contratos.
Aietna. kilo.
Arroz, kilo.
Agurdente, litro.
Azeite doce, litro.
Araruta, kilo.
Bacalhao kilo.
Kanha, kilo.
Batatas, kilo.
Cha verde, cilo.
Cha preto, kilo.
Caf em grao, kilo.
Carne secca, kilo.
Cebollas, cento.
Farinha de mandioca da provincia, litro.
Peijo, litro.
Fumo, kilo.
Gaz, lata.
Gaz itiesplosivo, lata.
Milho. kilo
Manleiga franceza, kilo.
Potaasa, kilo.
Pao e bolacha, kilo.
Dito dem para o collegio das orplias em Oluiifa
kilo.
Sabo, kilo.
Sal. litro.
Tapioca, kilo.
Toucinho. kilo.
V'ellas de carnauba, kilo.
Dita stearinas, kilo.
Vinho Branco, litro.
Dito tinto (Figueira),_ltro.
Bilo do Porto, litro. t
Vinagra, litro.
Secretaria da Santa Ca'sa de Misericordia j
Recife, 4 de Setembro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
%'apores a entrar
MEZ
Pul...........
Sul........
sul...........
N'orte.........
Sul...........
Europa.......
Liverpool .....
Norte.........
Sul...........
Sul...........
Sul...........
New-York
Norte.........
Eurooa......
Norte.........
Sul...........
Europa.......
DE SETEMURO
Mandos........... 7
Orvbn............ 9
Ville de Pernambuco. 10
Cearense.......... 10
P. do Grao Para... 12
T't'jiu............ 13
helor............. 14
Pernambuco ....... 14
Bueno-Agres....... l
La Plata.........'- 15
Maranho.......... 17
Ailcawe.......... 19
Savona........... 20
Mitlehvicils..... 22
Para............. 24
Espirito Santo..... 27
Trent............. 28
Vapores a sabir
HEZ DE SETEUBRO
Santos e esc Ville de Rosario .... 7 as
Bahiaeesc.- S. Francisco....... 7 as
Norte.......M-inus.......... 7 as
Liverpool Orate........... 9 as
Havre e esc.. Vdle He Pernambuco. 11 as
Buenos-Ayres. Tagus............. 13 as
Sul..........Pernambuco....... 14 as
Southampton. La Plata.......... 15 as
Norte........ Maranho......... 18 as
Sul.......... Para............. 2i as
Norte........Espinto Santo..... 28 as
Buenos Ayres. Trent............. 28 as
2 n.
5 h.
o h.
b.
b.
b.
h.
b.
80.
5 b.
5 h.
5 h.
Movimento do Porto __
Navios entrados no dia 6
Rio de Janeiro e escala7 dias, vapor a:.-
cional Mandos, de 19!) toneladas, com-
mandante Guilherrue Waddington, equ-
pagem 60, carga varios gneros ; a re*
reir Carneiro & C.
Buenos-Ayres e escala9 1[2 dias, vapor
francez Nert he, do 2132 toneladas, core-
mandante Camoim, equipagem 123,
carga varios gneros; a Augusto L?.-
bille.
Navios sahidos no mesmo da
Bordeauz e escalaVapor trancez Nertlu,
commandanto Camoim, carga varios g-
neros.
Rio Grande do Norte Hiate nacional
Giriqxdty, mestre Joaquim H. da Sil-
veira, carga varios gneros.



s
liario de PernambucoSabbado 7 de Setembro de 1889
QUE SE REALIZAR
Domingo 8
\!1H'
Pello
>'n tu ra- e
iid.
3
Cdr da vesti-
menta
l'rup riela rio*
1 Pareoinicio800 metros.Animaos da provincia que nao tenham ganho premio nos pra-
dos do Recife. Premios : 200* ao i.-, 40 ao i. e 20* ao 3.
jLord-- Byron
3 Sympatico ..
Bnjour.....
3
Caslanhola..
Trigueiro
Paladino___
Conforme ...
Rio da Prata
II........
Nao se espan-
te .......
Salva ViJa,
ex- Biscou-
linho.....
..Ecla.......
f Santelmo ex-
Rliadaman-
to........
rijCampineiro..
Petit-maitre
Sansjouci ...
7

l
I
11
19
Russo pedrez Pernamb-
Castanho .
Zaino.....
Baio.......
Zaino claro .
Castanho------
Russo pedrez
Rodado
Pedrez .
Baio.....
Pedrez...
Mellado..
Castanlio.
Rodado..
Baio.....
56
56
56
56
56
51
56
5i
56
M
H
56
56
56
56
Encarnado e preto..
Branco e azul marinho
Encarnado e branco.
Azul e branco......

Encarnado e branco
Encarnado e azul
Azul e encarnado.-
Branco e encarnado
Azul, encar. e preto
Azul e branco......
Ouro e branco.
F. P. C (Coud. ;Rust.)
I? 17 C
Coud. Bella-Vista (C.
A. Barbosa).
Joseph E.
Josu & C.
J. B. Vieira Cosa.
Jos Valente.
F. L.
J. A.
Jos M. B. Cavalcant e
G.
A. Marques.
C.
Lemos Duarte.
A. L. I. O. S. M.
Obras publicas
cadeia da rldade da Victoria
De ordem do Ulm. Sr. engenbeiro director
peral, em virtude da autorisacSo de S. Exc. o
Sr. conselneiro presidente da provincia, de.
do corrente, fajo publico que no da 14 de Se-
tembro prximo vindouro, nesta directora rece-
be-se propostas em cartas fechadas competen-
temente selladas, para execuco dos reparos de
que necessita o edificio da cadeia da cidade da
Victoria, orgados em 954*800.
O orgamento e mais condigOes do contracto
icnauj-se nesta secretaria, onde podem ser exa-
minados pelos pretendentes.
Para concorrer a praga cima devera o licitan-
te depositar no The.-ouro Provincial a quantia He
47*740, equivalente a 5 0/0 do valor do orga
ment.
Secretaria dadirec'oria pi-ral uas Obras Publi-
cas Provinciaes de Pernambuco, em -3de Agosto
de 1889.
O engenheiro secretario
Luiz Antouio C. de Albuquerque
l." Pareo-Internacional-1,400 metros-Animaes estrangeiros que nao tenham ganho em
1889 era maior distaociaa. Premios : 400* ao 1, 80* ao 2* e 40* ao 3o
Cynira.....
Africana.....
Joscohus
Stephauie ..-
Alaza------
Zaina-----
Castanho.
Inglaterra.
R. da Prata
Franga ...
Inglaterra
M
56
:>\
50
Branco. preto e ene...
Branco e preto.......
Grenat..............
Branco eouro.......
A. M.
i udelaria Riachuello.
Guimares O. & C.
Coudelaria Temeraria.
Pareolnaprcnua Pirnnmbiirana 1,500 metros. Animaes da provincia que nao
tenham ganbo em maior distancia. Premios : 250* ao Io, 50* ao 2* e 23* ao 3.
Florete .....
Transclave ..
Amaury___
Templar
Castanho Pernamb.. 54
Rodado ..... 54
Alazo...... 52
Rodado ..... 56
Encarnado e brinco.
Rosa e azul........
Branco...........
F. Freir.
Jos N. da Silva.
P. B.
J. F. F.
i" Pareo-Ferro Carril1400 metros Animaes nacionaes at meio sangur
300* ao I. 60* ao 2 e 30* ao 3
Premios
tpMandarim..
i uv-Blas ..
J|ouro.....
i
-'
II
->
7
6
5
S
.'
i
::
Risette.....I 5
Saturno..
Recife ..
Minerva. .
*1 Mimosa.. .
Chiron..
:.:I
Rusillio-
Alazo..
Castanho...
*
Douradilha.
Alaz......
Castanho...
S. Paulo.. 54
60
R. de Jane. 54
S.Paulo... 56
54
f. de Jane. 54
S- Paulo.. 50
48
Rio de Jan. 52
52
Azul, branco e ene.
Rosa e preto......
Azul e ouro.......
Azule our.......
Verde e amarello..
Encarnado e azul..
Azul e ouro.......
Ouro e azul.......
Ouro e branco.....
Coudelaria Cruzeiro.
Arinr Silva.
F. P.
Coud. Luzo Brasileira.
Coid. Internacional.
S. P.
Cordelara Cruzeiro.
>
A- r.
Caid. Temeraria.
5. Pareo.Prado Pernambucano 1,700 metros. Animses de qaalquer paiz.
Premios : 500* ao 1," 100* ao 2.* e 50* ao 3.*
Vesper .....
Apollo......
erby
t Diana
Alazo.
Inglaterra.
R. da Prata
Inglaterra.
Franga ...
52
SO
U
Ouro e branco.
Branco e ouro -
Azul e ouro
(".(rielara Emulagao.
Dr. Joao de S.
Coudel ra Temeraria.
Coud. Internacional.
': parcoTelocidade1000 metros -Animaes da provincia.Premios : 200* ao !, 40* ao 2o
e 20* ao 3
l.Arumary ....
i Sorpreza___
:t Guarany 2"..
i Templar___
"> ViUage.....
Alazo...
Castanno
Rodado
Mellado.
Pernamb.
58
Si
58
M
Violeta e ouro
Azul eencarnado.
Azul e branco-----
Branco .........
F. Siqueira A Bastos.
Coudelaria Cruzeiro.
J. M.
J. F. F.
H. W.
. pareoConsolar850 metros.Animaes da provincia que nao tenham sido inscriptos
e que nao tenham ganho premios. Premios : 200* ao 1., 40* ao 2. c 20* ao 3.*
1 Piraraon .
Hercules-----
Singapore ex
Catle
Gabelan___
Trigueiro ...
Berim.....
Humilde ....
Iguarass.
5 Castanho Pernamb.
i
5
'i
4
10
4
Rodado .....
Russo......
Zaino claro..
Zaino......
Russo pedrez
Alazo......
56 Lvrio
56
56
56
56
54
56
54
......A. W.
Verde e amarello...
Azul e branco.......
Encarnado e branco.
Encarnado e branco.
Jos Cactano Pinto.
J. S. C. J.
Coud Jockey Club.
Josu & C.
J. C.
M. N. F.
M. P. F.
(#) Montado por amador.
OBSERVARES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo devem ackar-se no ensilliamento
b 9 Ij2 Loras da manh.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no cnsilhamento
ama hora antes da determinada para o pareo em que tiverem de correr.
Os forfaits serao recebidos at sabbado, 7 do corrente, ao meio dia.
O animal inscripto em mais de um pareo, que deixar de correr no primeiro,
ale correr no secundo.
Qualquer reclamacao sobre corridas dever ser apresentada por escripto
d-hrectoria.
Os jockeys <|ue at sabbado 7 do corrente ao meio-
rfia nao se apresentarem a matricula nesta Secretaria;
ao poderao correr no dia 8.
HORARIO
Encerramento da venda de poules
1.
2.
3.
4.
.
6."
7.
pa
eo.llh.50
12.40
1.20
2.10
2.55
3.40
4.30
PREQOS
Corridas
12k.
12.50
1.30
2.20
3.5
3.50
4.00
\jcras
Entrada e archibancada.......
Entrada, archibancada e ensilhamento .
Cartoes de familia at 5 pessoas.....
Ensilhamento........
Differenca para archibancada ...
Recife, 5 de Setembro de 1889.
O GERENTE,
Francisco de Souza ReLs.
1*000
25000
30000
5*000
20000
1*000
iDspoctoria Cera! de Hygitne
Em virluile do que dispe o Bit. 66 do regula-
rae rito que uJhXOU com o decreto n. 9554 de ."i
de Feveieiro de 1886, a Inspectora G ral de Hy-
giene faz publico pelo prazo de oilo diu que o
cidadao Doiuiciano Pastor Ferreira Luna, llie di-
rigi a seguate petiro corn documentos que sa-
tisfuzcm as exigencias do art 65 do citado rc-
gulameoto
Dominuno Pastor Ferreira Ljma, doraici
liado na villa de Cabrob, provincia de Pernam-
buco, tendo as habilitagoes mvessarias para di-
rigir urna phurmacia, como pro va cmn os docu-
mentos juntos, veni impetrar de V. Exc a re-
spectiva licenga para ter botica na mesma villa,
visto nao ter pharmaceulico formuifo e ncm
licenciado, c ser de absoluta necessidade a
existencia de proa pliarmacia. Nestes termos
o supplicaote confiado na iienevolencia e recta
juslica de V- ExcPede deferimento.E. R. M.
Cabrob, 8 de Outubro de 1888.Dnmiciano
Pastor Ferreira Lima. Sobre urna estampilha
de 200 ris.
E declara que si nesse prazo nenbum pharma-
ceutico formado Ihe coraraunicar ou Inspccto-
ria de Hygiene da provincia de Pernambuco, a
resoluco de estabelecer pharmacia na citada lo-
calidade, conceder ao pratico a licenga reque-
rida.
Inspectora Gcral de Hygiene, 26 de Abril de
1889.Pelo secretario, r. Jos Antonio Pereira
da Silva.
(Diario Oficial de 17 de Agosto de 1889). ___
Thesonraria de Fazenda
Emprestlmo de 100.000:000*
Em cumplimento da ordem contida em tele-
gramma do Exm. Sr conselneiro ministro da
Fazenda, de bontera. Rea aberta nesta Thesoura-
ria de boje at 10 de Setembro prximo futuro,
em que ser devidamente encerrada, a subscrip-
go para o eraprestimo de 100,000:000*000, au-
torisado pelo decreto n. 10 322, tambera de hon-
lem, sob as segrales condiges :
Os ttulos sero de 500*o00 e 1:0005000 do ca-
pital inscripto na baixa de amortisago ou ao
portador, vontade do subscriptor ; os juros de
4 ,'o sero pagos trimeniialraente por meio de
coupons; e a amortisago de 1 % ao anno.
Os juros e a amortisago sero pagaveis era
ouro ou em moeda corrente ao cambio de 27 di
nheiros sterlinos por 1*000 no Rio de Janeiro,
Babia, Pernambuco, Para, Maranho, S. Pedro
do Rio Grande do Sul. S. Paulo, Londres, Pariz,
Lisboa, Porto, Berlim. Amsterdara e New York.
O prego mir.wno da inscripgfto ser de 90 %,
que poder ser elevado pelo subscriptor para ter
preferencia.
As entradas sero : no acto da assignatura
lOOiOOO c a quantia que mais se oflerecer; 150*
em 30 de Outubro deste anno; 200*000 em 15
de Janeiro; 250* em 15 de Fevereirc ; e 200*
em 5 de Abril; sendo facultado ao subscriptor
antecipar o pagamento de qualquer ou de todas
as eutradas abonando-se pelo lempo que faltar
o premio correspondente a 4 / ao anno.
Outrosim, para maior esclarecimento dos in-
teressados vo abaixo transcriptos os artigos das
instrueges annexns ao decreto n. 7,381 de 19
de Julho de 1879, pelos quaes ser regulado o
processo para a subscripgo, endosso, sorteo e
pagamento:
Art. 7. No acto da primeira entrada dar-se-ha
ao subscriptor um recibo, que, depois de termi-
nada a distribuigo do emprestirao, ser resgata-
do por um conheciraento em lrma.
As outras entradas sero notadas nesse conhe-
ciraento, que mais tarde ha de ser substituido
pelos ttulos e coupons.
Art 8." Os subscriptores que nao Hzjrcm ef-
fectiva alguma entrada nos prazos determina-
dos. .. ticaro su jeitos ao pagamento do juro de
10 % se a mora fr de menos de 30 dias, e per-
dero o direito entrada ou entradas j realiza-
das, se a mora fr de mais tempo.
Art. 9." O recibo e o conheciraento de que tra-
ta o art. 7 sero transferiveis por endosso e o
titulo por simples tradiego.
Art 11." O sorteio mencionado no art. 5* (que
vai tambera abaixo transcripto) do decreto 7,381,
se eltectuar era presenga da junta da Caixa de
Amortisago tres mezes antes de ser devido o
resgate. Os nmeros sorteados sero publica-
dos, como de estylo, no Diario Oficial, e cora-
municados immediatamente por tres vas s re-
partiges que as provincias e na Europa forera
encarregadas de attender ao servigo do erapres-
timo ; as quaes por sua vez faro os necessarios
annuncios na fulha ou folhas de maior circula-
go.
^Art. 12." Os juros das apolices norteadas ces-
saro desde o dia em que principiar a respecti-
va amortisago.
Art. 13.* No acto do pagamento da apnlice
sorteada ou comprada, descontarse ha o equi-
valente de qualquer coiipon de juro anda tio
vencido que naja sido cortado.
Art. 15 Oito dias antes de se vencerem os
juros devero ser apresentados ao3 encarregados
do servigo do eraprestimo os respectivos coupons
por ordem de numcragSo e acompanbados de
urna declarago assignada pelo portador ou pos-
suidor de ttulos.
Era troca daro os ditos encarregados um bi-
lhete em que se determinar o numero de coupons
recebidos e a quantia que elles repiesentarem e
que se pagar se os coupons nao offerecerem du-
vidas.
Art. 5. (do decreto 7,381). A amortisago ser
semestral e far-se ha ao par por sorteio se os t-
tulos estiverera com cotago cima de cem, e
por compra nn mercado se seacharem colados a
cera ou abaixo de cem.
..>>........................ *
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 28
de Agesto de 1889.
O inspector,
Manod Antonio Cardoso.
Polica do porto
De ordem do Exm. Sr. Dr. chefe de polica
chamo a attengo dos Srs. commandantes e con-
signatarios de"vaprese navios para o que dcs-
pOem os arts. 7o e 8o do regulamento da polica
do porto tiesta cidade abaixo trans.ripios.
Art. 7". N'enhura navio (excepto o de guerra)
poder sabir do porto sera ser-visitado pela po-
lica, nao sendo licito depois do acto da visita
ir mais pessoa alguma bordo.
Art. 8o. Para que se verifique conveniente-
mente a visita de sabida, o Diestro ou capito
do navio com antecedencia de quatro horas polo
meno avisar ao oflicial externo a que hora (leve
sabir, e a visita se. far quando o navio estiver
a largar.
Recife. 3 de Setembro de 1889.
JO ollici;il externo
Joaquim Carneiro Lins de Xbuquergue.
Companhia Alagoana
de Fiacjio eTecidos
Convidamosfaoo senhores subscriptores desta
companhia, para de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, at o dia 10 de ^etemhro prximo
futuro, realisarem sua stima entrada na razo
de 10 0/0 do valor de suas aeges, no Banco In-
ternacional do Brasil. Macei, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. deCarvalbo.
Propicio Pedroso Barreto.
THEATRO
Sabbado, 9 de Setembro
ESPLENDIDO SGGESSO
ALTA NOYJDADE
Arrojado commettiment
I KNEFICIODO ACTOR
Espectculo em grande gala
Para lelemnluar o anuiveraario
DA
HDEPEHDENCIA 00 BUZIL
. Cora a presenga dos Exms. Srs. presidente da
provincia, cominandante das armas, comman-
dantes do 2* e 14* de infamara e do corpo de
polica, e de todas as mais autoridades- civis e
multares.
iMii m&
Em bonicnagciii pela victoria obtida pelo par-
tido liberal no pleiU eleiloral travado no DIA
31 DO MEZ F1ND!).
Espectculo otl'erecido e dedicado ao3 Exms.
Srs: consclheiro Manoel Al ves d>3 Araujo. mu
to digno presidente da provincia, senador Luiz
Felippe de Souza Leau, Drs. Jos Mananno Car-
neiro da Cunta, Ulysses Mchalo Pereira Vian-
na e Arlbur Orlando da Silva, Coronis Manoel
Martins Fiuza e Corbiaiano de Aquino Fonseca,
Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro e Baro de
Itapissuma.
Para mais abrilhantar esta festa o grupo do
corpo scenico do CLUB DRAMTICO FAMILIAR
por sua livre c espontanea vontade tomar par-
te na represenlagfto do grandioso drama.
PIIOftR.tn.Hl
Logo que S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia oceupar a sua tribuna, a banda marcial do
corpo de polica executaro hymno da Indepen-
dencia do Brazil; lindo ellle subir o panno
para ser representado pela primeira vez, nesta
poca, o grandioso e magnifico drama, original
francez do laureado dramaturgo D'ENNERY, di-
vidido em 1 prologo c 6 quadros :
DO
lili III IlfflU
D; naiiiiarao dos actos
PROLOGO-A traigo.
Io QUADRODe ladro a baro.
2 O Castello de Pardie.
3# A filha do morto.
4- A violago do tmulo.
5* Qual nelles o mais esperto ?
6o O caminho do cadafalso.
GARDA-ROUPA NOVO B A CARCTER
Bonds para Magdalena, Fernandes Vieira c
Afogado9, e trens al Apipucos, Olinda e Bebe-
ribe, tocando era todo3 os pontos.
Pela imraensa aceitago que lera encontrado o
beneficiado por parle do publico desta capital,
dos bilhetes de sua grande festa, confessa-se
desde j summamente grato.
A'i 8 horas em ponto
Faro as honras ao espectculo as bandas
marciaes do 14 a 2o. que tocaro durante os in-
tervallos.
A banda marcial de polica tocar durante os
intcrvallos as suas melhores pegas, tocando em
um dellcs a balulba de Havay.
llavera bond extraordinario da passagem da
Magdalena para a Torre.
O resto dos bilhetes, em mo do beneficiado
ra de S Francisco n. 70, sobrado, e no dia do
espectculo no escriptoro do theatro.
CONCERT VOCAL ENSTrMNTiL
DO
II Mil ll
l o. annfvcrsario em 9 de Se-
tembro de 1SS9
nOlO DA IN'DEPENDESCIi PELA OR-
CHESTRA E A BANDA DO CLUB
1.' parte
i."Carlos Gome-' Guarany symphonia
pela orchestra.
2.*Paulo Tosti< Romance cantado pela
Mdll.' Hedwig Stezle.
3. Cacallini Fausto do para flauta e
clarineto pelos Srs. Joo Alves e Rodol-
pbo de Alcntara.
4.myerieer La dinorah aria paraba-
rytono pelo Sr. Comaletti.
5.Chopin Ballaue para piano pela
Hdil.' Paula Doderlein.
6 F. Shubert Au raeer romance can-
tado por Mdll.' Hedwig Stezle
7.A. Hermn Les dragos de villars ,
phantasia para violtno pelo Sr. Brillo
Nones.
S.Meyerbeer> Marche aux flambeaux ,
pela crchestra.
3.' parto
1.LauroRossi Cellini Pariz ^sympho-
nia pela orchestra.
2.'Gastaldon Msica prohibita meloda
para soprano por Mdll.' Hedwig Stezle.
S.'Terschak Phantasia para flauta pela
Sr. Gervasio de Castro.
4." -Planquette Les cloches de carncville
valsa para canto pelo distincto barytono
Sr. Comoletti Guglielmo.
5.Burrhard Le califa de Bagdad trio
para flauta, violino e piano pelos Srs.
Gervasio de Castro, M. Cleto e Claudio
Filho.
6.Marches! Balala para soprano por
Mdll.* Hedwig .-tczle.
"C. Gomes Guarany phantasia pela
banda do Club.
A orchestra c banda sero dirigidas pelo hbil
professor Joo Alves Silva e os acompanharaen-
tos sero feitos or Mdll. Paula Dodelein e raaes
tro Ciarlini Ciro.
PRINCIPIAR S 8 HORAS
Bonds para Magdalena e Fernandes Vieira
SANTA CASA.
CASIAS PARA ILICAR
Ra do Vigario Tenorio n. 27, Iaju 200000
dem dem dem, 3." andar ^ 180OO
dem do Rom Jess n. 8, 2I6000
Ra Visconde de Albuquerque ca-
sa n. 61. 246}0"0
Ponte Velha n. 31. 1685000
ftecco do Abreu n. 2, 1 andar 100*00(1
Ra do Born Jesns n. 29, loja 240*000
dem dem a. 29, 1." andar 24(00
dem dem 2 andar 2404000
Bispo Sardinha n. 3, loja 168000
dem dem n. 11. 2. andar 240*000
Ra da Moda n. 49 armazem 20OJO0O
dem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado 2:131000
dem idem n. 33. dem dem 1:200000
dem de Thom de Souza n. 14, 1
andar 200000
dem Imperial n. 151, caza terrea 360? 00
Becco da Dutenco meiagua) 96OO0
Ambol iVarza") 724000
S. Lourenco da Malla 60*000
Becco das Boias n. 14, i" andar 180*000
Para a 20.a corrida
A realizar-se em 15 deSetembrode 1889
t- HklMANIMA^O8SO metros. Animaes da provincia que So
tenham ganho no Derby n'esta ou maior distancia nestes ltimos 3 bm-
zes. Premios : 200^000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 a*
terceiro.
tMAQ PRADO DA ESTANCIA 1.300 metros. Animaes nacio-
naes at meio sangue. Premios : 3000000 ao primeiro, 600000 ao se-
gundo e 300000 ao terceiro.
*" W?^ PROSPERIDDE l.OOO metros. Animaes da provincia q*
nilo tenham ganho em maior distancia nos prados do Recife. Premios r
20-10000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
* HtlM-INTERNACIONAL l.SOO metros. Animaes de qualq&r
paiz. Premios : 5000000 ao primeiro, [1000000 ao segundo e 5O0OO
ao terceiro.
5." 'SV*^ PKOVINCIA DE PERNAMBUCO-OOO metros. Animaes da
provincia que nao tenham ganho no Derby em distancia superior a
milha. Premios: 2OC0OOO ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000
ao ^terceiro.
S'ik'&^S -COMPENSACAO1.400 metros. Animaesde; qualquer paiz:
que n2o tenham ganho em maior distancia no Derby n'estes ltimos 3
mezes. Premios : 4000000 ao primeiro, 800000 ao segundo e 40000*
ao terceiro.
? 11.%%ft EMULACO l.OOO metros. Eguas da provincia. Premios:
1500000 primeira, 300000 segunda e 150000 terceira.
Observacoes
S serao acceitas para cada pareo as 16 primeiras propostas.
S se realizarao os pareos em que se inscreverem, pelo menos, cinco animaes
de tres propietarios differentes.
Nao poderao inscrever-se no mesmo pareo mais de dous animaes do maaaiB
proprietario, ou tratados na mesma Coudelaria.
Cada enveloppe dever conter urna s proposta e ser recusada aquella que
nio vier acompanhada da importancia da inscripsao.
A' directora reserva-se o direito de alterar a collocacao dos pareos na orgaai
sacio do programma.
A inscripcio encerrar-se-ha segunda-feira, !) do corrente, s 6 horas da taxe,
na secretaria do Derby Cleb, na ra do Imperador n. 22, 1. andar.
Recife, 6 de Setembro de 1889.
O GERENTE,
Henriaue Schuel.
i que
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A Illma. junta administrativa desta santa casa
contracta com quera melhores Tantagens olTere-
cer o fornecimento de carne verde para o con-
sumo dos estabelecimentos seu cargo, no tri-
mestre de Setembro a Norembro do corrente
anno.
As propostas devero ser apresentadas era
cartas fechadas, devidamente selladas, na sala
de suas sess6es, pelas 3 horas da tarde do dia
10 do corrente, declarando os proponentes sn-
jeitarem-se a multa de 5 0/0 sobre o yalor total
do fornecimento se no praso de tres dias nao
comparecerem nesta secretaria para assignar os
respectivos contractos ; obrigando-se a santa
casa a fazer o pagamento mensalmente.
Secretaria da Santa Casa da M sericordia do
Recife, 3 de Setembro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza._______
Obras Publicas
Ponte da Magdalena
De ordem do Illra. Sr. Dr. engenheiro
director geral de conformidade com a au-
torisaco de S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente da provincia, de 23 do corren-
je, faco publico que no dia 14 de Setem
bro prximo vindouro, n'esta directora
recebe-se propostas, em cartas fechadas
competentemente selladas, para execucjio
dos reparos de que necessita a ponte sob
o rio Capibaribe, na passagem da magda-
lena, or$ados em 9:5870200 ris.
O orgamento e mais condiges do con-
tracto acham-se n'esta secretaria onde po
dem ser examinados pelos pretendentes.
Para concorrer praga cima devero
os licitantes depositar no thesouro provin-
cial a quantia de 4790360 ris equivalen-
te a 5 /0 do valor do orgamento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas, em 24 de Agosto de 1889.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio Cavalcante de Albuquerque
Club Litterario Ayres Cama
Fnla do -I.* anu veroario
Peio presente convido a lodos os socios desle
club, bem como ao publico em geral, para as-
sistirem a nossa festa anniversaria, constante de
urna sesso Iliteraria, pelas 11 horas da manh.
e urna conferencia s 6 1/2 da tarde de hoje. em
um dos saldes da Escola Normal
Secretaria do C. L- Ayres Gama, 7 de Setem-
bro de 1889.O i secretario,
Romualdo Navarro.
Companhia
Imperial
DE
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadoriat
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Rs. 1 ,000:000^000
AGENTE
BROWXS A C.
N. 5RUADOCOMMERCTON. 5
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool k London k Glole
H\TSURA1TCE CDMPANT
Ra do Commercio n. 3
Correio Geral
Halas a expedir-ne hoje
Pelo vapor brasileiro Manos, esta administra-
o espede malas para os portos do norte, rece-
endo impressos e objectos a registrar at 1
hora da larde, e cartas ordinarias at 2 horas
ou 2 1/2 com porte duplo.
Administrago dos corrcios de Pernambuco,
7 de Setembro de 1889.
O administrador,
Aflbnso do Reg Barros.
London & Brasilian Bank
T4mited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
INDEMNIS AD ORA
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
Ewtabelecldaem 185
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTROS PAGOS
At 3i defllczeiuhrode 1SS4
Martimos.. 1,110:000$00G
Terrestres. 316:000$000
44Ra do Commercio44
Companljia t $be%axo$
COmA FG&G
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posifao financeira (Dezembro de 1885^
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados
Receita animal :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De juros
3.134,348
577,330
191,000
32,000
O AGENTE,
John H. BoxinelF
SEGKOS
MARTIMOS COSTRA FOGO
Companhia Phenlx er
, nambncana
RA DO COMMERCIO N. 38
Companhia de Seguros
AGENTE ,
Miguel Jos Alves
>". ?Una do Bom Jenuft-IV. 1
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
co de pagamento de premio em cada setime
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por ceuto era favor dos "segurados
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. DE DtfJSrNA & C
13Ra Mrquez de Olinda13

* I

#



PernambucoSabbado 7 de Setembro de 1889
3.a pra^a
Pela inspectora desta Alfandega se i
co que as 11 horas do dia 9 do corrente mez,
serao arrematadas porta desta repartigo, 75
caixas, marca HF e contra marca t-'ernambuc.
ns. 1 "o, vindas de New-York no vapor allemo
Catania, entrado ein Agosto do corrente anno,
abandonadas aos direitos por Henry Forster &
C, contendo obras impressas (foihinbas para
1890) e car taz es aimunctos de nma cor, pesando
liquido legal 5,967 kilogrammas.
Eni continuacao serao vendidas em V* praca
Urna caixa, marca GA n. 110, viuda de Ham-
burgo no vapor inglez Litsabon, entrado em
29 de Maio do correte anno, abandonada aos
direitos por Fouseca Irtnos A C, contendo i7
kilogrammas de obras de papel impressas de
nma cor.
l'ma caixa, marca HC n. 1498, idem, idem no
vapor allemao Valparaso, dem em 11 de a
to idem, abandonada aos direitos por Caetano
Marques, i-onlendo 129 kilogrammas, peso liqui-
do real de papel car ao de urna cor e 18 kilo-
grammas de enveloppes.
3 seccao da Alfandega de Pernambuco, 5 de
Setembro de 1889.
O chefe,
Domingos Joaqmm da Fonseca.
Associa^ao dos Funcciona-
rion Proi inriaes de Pern> mbuco
Eleicao para o conselho deliberativo
De ordem do Illm. Sr. presidente desta asso-
ciacao. convido os Srs. associados a comparece-
rem na sede social no dia 7 do correte, pelas
10 horas da manila, atim de proceder-se a elei-
cao do conselho deliberativo.
Recife, 2 de Setembro de 1889.
O 1- secretario,
A dos Anjos.
MARTIMOS
CHARGEURS REUNS
"Compnnliia Francesa
DE
IVavega?o a vapor
uinha regular entro o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor
Ville de Pernambuco
Commandante Lenormand
Espera-se dos portos do sul at
,o dia 10 de Setembro. seguindo
^depois da indispensavel demora
-para o Havre tocando em
Iilaboa.
Entrar no poro
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excedentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
mo.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodagOes.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a irete : trata-se com o
AGENTE
Aligaste Labille
9-RA DO COMMERCIO-9
Royal Mail Steam Packet
Companhy
O paquete Tagns
Cpmmandante P. Rowsell
Espera-se da Europa at o dia 13 de
'Setembro, seguindodepois da demo-
ra do costum para
Macelo, Bahia. Rio de Janeiro
Santos. .Montevideo e Buenos-
Ayres.
Para passagens, fratese encommendas trata-
ge oom os AGENTES.
O vapor La Plata
Commandante A. H. Dyke
E' esperado do sul no dia 13 de Se-
tembro, seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, viiro. Soathnmpton e
Antuerpia
Reduccao de passagens .
Ida Ida e volta
A* Lisboa 1 classe i 20 t 30
A' Southampton 1 classe t 28 i 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
cornos
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
Companhia Bahiana de Na-
vega^ao Vapor
3, Villa-Nova, Penedo, j
Macei,
Araca-
j, Estancia e Babia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia 12 do corrente, e de
.poisda demora do costume re-
seressara para os mesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
Pacific Steam Navigation
Company
STRATTSOFMAGELLAN LINE
O novo e magnifico
Paquete Oruba
De 5,800 toneladas
Espera-se do sul at o dia
9 do cerrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
Usboa. Bordean* e Plymouth
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frte: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & C. Limited
14RA DO CQMMERCIO14
Companhia Brasileira de
^ Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do norte at
o da 14 de Setembro e depois da de-
plora indispensavel seguir para o
'portos do sul.
As encommendas serao recebidas no trapiche
Barbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
coPANnu pi;ii\ibha>
DE
Xavegaelo eostelra por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Pirapama
Commands 'te Carvalho
*'Sl sU'horas da manha. Recebe carga at o
IB^dia 11.
igens at s-10 hsras do di da sahida.
ESCRITORIO
Ao caes da Compaihia Pernambuco na
n. 12
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Allianca
E" esperado de New-York
at o dia 19 de Setembro
to o qual depois da de-
mora necessaria seguir
I ara a
Baha, Rio de aneir0 e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a lrete : trata-se com o3
AGENTES
, Henry Forster & G.
8Rita do Commeor8
1* andar
COf rJHIA~PEXAMni'CASA
DE
.%'avegaco costclra por vapor
PORIOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju e Bahia
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 9 de Setembro s
5 horas da larde. Recebe car-
at O dia 8.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
. 12
Leilao
De fazendas
Constando :
Da ratxa n. 1166 com 8 pecas de atoalhado de
linho adamascado e 28 kilos de toalhas e guar-
danapos de linho adamascado, caixas ns. 1702 e
1703 com 376 kilos de morim estampados era
cretones de cores, caixas ns. 1161 e 1162 com 54
duzias de camisas deulgodao para liomens, cai-
xa n. 708 com 28 pecas de mirin de l, e 8 pe-
gas de alpaca de la, caixas ns. 1074 e 1705 com
367 kilos de morim estampado em crotones de
cores.
Itrca-feira, 10 do corrente
A's 11 horas
0 agente Gusmao autorisado pelo Illm. e Exm.
Sr. Dr. juiz de direito do cominercio fara leilo
no armazem n. 5 da ra Mrquez de Olinda, das
mercadorias cima mencionadas, as quaes sao
pertencentes massa fallida de D. P. Wild 4 C.
e sero vendidas em lotes vontade dos com-
pradores. ^^
Leilo
De movis
Constando de:
Urna mobilia de amarello com cadeiras de ba-
taneo e jardineira. 1 espelho oval, 4 pares de
etageres, 3 pares de jarros linos, pannos de cro-
chet, candieiros a gaz, 1 lustro de 2 bicos para
kerosene, escarradeiras, quadros, bolas, lanter-
nas, banquinbas de amarello, machina de cos-
tura, 1 bonita cama franceza de amarello, lava-
torios, cabides, commoda de amarello, mesas de
jantar, trens de cosinha, loucas e outros muitos
movis.
Terca feir. O de Setembro
A's 11 horas
Na casa n. 21 da ra da Roda
O agente Martins far leilo dos movis cima
por conta de urna familia que se retira para fra
da cidade.
Ao correr do martello
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
Tl/iy E' esperado dos portos do sul at o
s^ da 17 de Setembro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte al Manos.
As encommendas s sero recebidas na agen
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res- trata-se. com os
AGENTES
Pereira Cafneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
1 andar
LEILOES
Le;lo
De urna importante casa terrea sob n. 18, na
Formosa, freguezia da Boa Vista, em solo fo
reiro, com 2 janellas e porta, 6 quartos e
grandes, 2 salla.-, galletas para engommar,
cosiuha e quarto lora, encannamrnto d'agua e
gaz: a casa adiase em boa conservado.
Kabbado 3 lo corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 39
O agente Stepple com o alvar de autorisacao
e assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito dos
feitos da Fazenda, levar a leilo a casa cima
mencionada, a requerimen'o do inventarame
Custodio Domingos Codiceira cujo bem per-
tencente ao espolio de D. Anna Cecilia da Silva
Guimarcs.
O Srs. prelendentes desde j podero ir exa-
minar a referida casa.
Leilo
De 10 barris com tainhas de Alagas
Scgunda-felra 9 do corrente
A's 11 horas
O agente GusmSo, autorisado, far leilo de-
fronte da porta da Alfandega.
Leilo
De 1 vacra de raga mgleza, com cria
ftcgnnda-felra, 9 de Setembro
A's 11 horas
O agente Gusmo, autorisado, far leilo da
excellente vacca, com cria, defronte da porta
da Alfandega, por occasio do leilo de tainhas
de Alasas.
Leilao
De dous cava los de corridas, sendo Royal russo
de 4 annos. e-Contra-Regra mellado de 5
a^nos.
Terca-feir O do corrente
A's 11 horas em ponto
Agente Pinto
Km frente ao nrmnzem la roa do
Bom le'tiiN n. 45
Leilo
De dous cavados pata, sella, sendo um rudado e
outro castarrho com andares
Terca-feira. lode Setembro
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
Em frente ao armazem da ra do Bom
Jess n. 45
Leilo
Das dnas casas terreas; da ra Real, na Torre,
ns. 47 e 49, eililicadas em chaos proprios, com
300 palmos de fundo, edilicaco nova e perto da
linhi dos bonds, 1 sobrado de 1 andar na ra
Veltia n. 81 casa de esquina.
Terca-feira. to do corrente
Agente Pinto
No armazem ra do Bom Jess n. 45
Leilo
De fazendas
'/iNSTANDO :
Das caixas ns. 23, 24. 23 e 2J com batistas es-
tancadas, caixas ns. i7, 18, i" 20 e 21 com chi-
tas estampadas de cores claras, 2 caixas com 100
peca i de lans para vestidos, fardos com mada -
polo, pegas de bramantes, cortes de casemiras.
pecas de ditas, sapatos de charlles, pecas de
bnm pardo, colarinhos d linho e algodo e mui-
tas outras fazendas e diversas miudeza que se-
rao vendidas em continuaco ao leilo de fazen-
das pertencentes massa fallida de D. V. WiM
& C.
Terca-feira, O do corrente
A's 11 horas
Por intervenqao do agente Ghismao
No armazem ri. 5 da ra Mrquez de
Olmda
AVISOS DIVERSOS
Aloga-se a casa da ra das Flores n. 18,
com 3 quartos ; a tratar na ra Nova n. 39,
loja.
Aluga se o 1- e2- andares ra da Roda
n. 17, com grandes comraodos, em bom estado
de conservagao ; a tratar na ra do Rangel nu-
mero 65.
Precisase com urgencia de urna ama de
leite ; a tratar na ruu Nova n. 21, loja. ou ra
Joaquim Nabuco n. 9. '
Precisase de nma boa csinheira ; a tra-
ar na ra Nova n. 39, 2- andar.
Na ra de Santa Thereza n. 20, precisase
de urna ama de meia idade, que durma em casa
e saia ra para fazer compras.
Urna senhora de idade e de boa conducta,
offerece-se para acompanhar alguma familia que
v para Europa, ou para tomar conta de casa de
algum viuvo sem filhos : a tratar na ra da Im
peratri%n. 36, 1- andar.
Vende se os seguintes objectos :
1 locomovel, forra de 6 cavados.
1 bomba centrifuga (invencivel).
1 guindaste a vapor.
Columuas de ferro fundido.
Trilitos 'c ferro.
Capotes de ferro galvanisado para cobertura?
deste.
Telbas de ferro galvanisado, usadas, em bom
estado.
Madeiras de pinho de riga, em vigas, barrotes,
ripas, etc., taboas.
E diversos artigos que sobraram de construc-
ces de edificios.
Tudo se ven le por precos razoaveis.
Informa-se no escripterio do Dr. federneiras,
Jaboato. ra do Imperador.
Vende-se dous caes do Rio Grande do Sul,
muito bons vigas para chcara; para ver, no
sitio da estrada de Joo de Barros, defronte do
sitio da Cascata. e a tratar com o Sr. Pinho Bor
ges, armazem n. 39. ra do Imperador.
PRECISASE
de um caixeiro de 12 a 14 annos, que tenha pra-
tica de molhados. seja fiel e d liador de sua
conducta ; na ra Imperial n. 110.
Protesto
Eu abaixo assignado, declaro que scu devedor
de urna letra ao Sr. Manocl Quinlino de Albu-
querque, da qual garante D. Rita de Oiiveira
Paes Barreto ; porem previno a todos em genri.
para que nao fagam transaeco alguma, visto
que j tenho dado dinheiro por conta da mesma
letra. Recife, 5 de Setembro de 1889.
Tito Livio de Albuquerque Lima.
Elctricas escovas
Nao estragam o esmalte dos denles nem offen-
dem as gengivas, pelo seu especial formato; re-
coinineiidm Pedro Antunes & C, ra Duque de
Caxias n. 63.
Sabo russo
Especialidade para nevralgias, erisipelas,
dartros, pannos, contusOes. impigens e multas
outras apolicages, conforme o prospecto. nico
deposito Pedro Antunes fcC ra Duque de Ca-
xias n. 63.
Aq
a
No caes de CapibariDe n. 16, precisa se de
urna csinheira. __________ ,. ,
AZULEJOS
Para frentes de casas, cor-
redores, banheiros, cozinhas,
a^ougues, etc.
Devalorde 100$000omi-
lheiro a 54$000.
Ra doBaro da Victoria n. 41
Csinheira
Precisa-se de urna csinheira para casa de
pequea familia ; a tratar na praca de Conde
d'Eu n 32, segundo andar.
PRADO
Minas oras
Depois de ce nvenientemente melhorado, reco
mecaro as corridas deste prado no dia 8 do
corrente mez.
As entradas para cada cavalleiro com direito
bancada 500 rs.
As poules sao de 11000.
As inscripgoes de 2000.
Haver tres pareos, cujas in^eripcoes sero
de 540'0, os premios de 304000, inscrevendo-se
pelo menos seis^avallos
O gerente,
Ignacio Cavalcante P. Barreto.
Ama para cosinhar e fazer
um pequeo ensaboado
Precisa-se de urna, na praca do Conde d'Eu
n. 26, sobrado amarello.
Ao
commercio
Nesta data comprei ao Sr. Antonio Fernandes
Gajo o seu eslabelecimento de molhados sito
tua Mrquez do Herval n. 165, livre e desemba-
racado de todo e qualquer onus ; se alguem se
julgar com direito, queira apresentar suas recla-
maces no praso de tres das, a contar da data
deste. Recife, 6 de Setembro de 1889.
Manoel Jos Das.
Farello superior
2:800 rs.
cada sacca de genero superior e de peso de 42
kilogrammas, vende-se no trapiche da Compa-
nhia, largo do Corpo Santo n. 19.
Tav
erna
Vende-se urna taverna nos mclhores pontos do
bairro da Boa-Vista, em boa localidade e bem
afreguezada ; quem pretender deixe carta fecha-
da nesta typographia com as iniriaes F. i. G.
LINIMENTO
Vara ri CAVAilop
SCPPKISSAO
Ido FOSO
e aa
QUELA
' do PELLO.
DB FaURX*
substitu.
o FOGO
ea
lOd M UM
APLICA fi>S
d euro, faise com c mo em 8 tfnutos, '
um dor e sem cortar, ne.,i raspar o pello.
\ Pharm'* GNEATJ, m,Ra Si-Honei.PARIS |
E KM TODA S P^ARMACiA'i
Banhos nos arrecifes
Completo sortimento de sapatos proprios para
banhos, receberam Jjaquim Pinheiro & C, ra
do Livramcnto n. 14.
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar, par=i
casa de familia ; a tratar na ra do Hospicio nu-
mero 41.
Ama
Precisa-se de nma ama para cosinhar; na tra-
vessa do Pires (Geriquiti) n. 5._________________
Ama
Na rna de Santa Rila n. 83, se precisa de urna
ama para cosinha.
Amas
Precisa-se de urna csinheira e de urna cria-
dioha que tenba boa conducta, para andar com
urna crianga ; na ra Mrquez do Herval n. 61.
sobrado.
jAiga-se
por barato aluguel o 1- e 2- andares do caes de
Apollo n. "o, com muito bons comraodos ; a tra-
tar na ra larga do Rosario n. 34.
Aluga-se
por prego baixo o e 3- audares do sobrado
ra do '3rum n. 8i, com bastantes comraodos ; a
tratar na ra larga do Rosario n 34
Aluga-se
Por barato prego o Io e 2 andares do Caes dt
Apollo n. 75, com muito bons commodos ;
tratar na botica ra Larga do Rosario n. 34.
Caaieas do Monte de Soecorr
Corapra-se cautellas do Monte de Soecorro
qualquer jola, brilhantes e relogios; paga-
bem na Praga da Independencia n. 22, loja d*
iro.
Caixeiro
Precisase de um caixeiro ; na ra Vseonde
de Goyanna n. 191. ___
Delegados e subdelegados
AcUa-se a venda na livraria Econmica roa
do Imperador n, 73, o novo roteiro des delega
dos e subdelegados de polica, ou collecgo ao
actos e aftriboigoea de deveres destas autori-
dades.
Attengo
Vende-se urna garrota lourina ; na rna do
Hospicio n. 77. _________ ___________ _
Ama
^Precisa-se de urna ama para cosinhar e Iavarr
para casa de pequea familia ; a tratar no Cor-
redor do Bispo n. 2.
Aluga-se
D. Carolina de Caldas Lins. Dr. Luiz de Cal-
das Lins esua mulher. Levino da Silveira Lins
e sua mnlher, Zenobio Marques Lins, conselhei-
ro Antonio Coelho Rodrigues e sua mulher (au-
sentes), :Dr. Leonardo de Alhuquerque Caval-
cante e sua mulher, Dr. 'oao Auguso do Reg
Barros e sua mulher, viuva. filhos, genros e no-
ras do coronel Marcionillo da Silveira Lins, fal-
lecido em Paris rio dia 2 do correute, convidam
os seus parentes e amigos a assistirem as mis-
sas que por alma do mesmo tinado devem spr
celebradas as matrizes da Boa-Vista e da cida-
de da Escada, segunda feira 9 do corrente, s 8
horas da manila, stimo dia do seu fallecimento,
anticipando profunda gratidao._____________
D. Candida linchado de Carnriro
4dolpho Pereira Carneiro, seu cunhado, so-
gra e tilhos agradecem a todos que se dignaram
acompanhar ao cemiterio publico os restos de
sua prezada esposa, irm, lilha e rai, D. Can-
dida Machado de Carneiro, e convidam as pes-
sqas de sua arrizade para assistirem s missas
3ue por alma della mandam celebrar na matriz
a Boa-Vista, sabbado 7 do corrente, s 8 horas
da manh ; protestando sua gralido.
t
Jom Caetano de Carvalho
A confraria de N. S. do Rosario de Sanio An-
tonio, em agradecimento ao seu bemfeitor Jos
Caetano de Carvalho, fallecido em Portugal,
manda celebrar missas no dia 9 do corrente
s 7 horas da manhil, trigsimo dia de seu pas-
samento; e para este acto de religio c respeito
i sua memoria, convida os seus parentes e ami-
gos, antecipando desde ja o seu cordial e sin-
cero reconhecimento.
Consistorio da confraria de N. S. do Rosario,
o de Setembro de 1889.
, O secretario,
Leopoldino Ildefonso deSanl'Anna.
f
Antonio Argemiro de (onvcia
Julita urea de Azevedo Gouveia, seus lillios.
Dr. Manoel i'olycarpo Moreira de Azevedo e sua
familia, Manoel Bruno de Gouveia e sua familia,
Geroncio dos Santos Teixeira e sua familia, Dr.
liveira Escorel e sua familia, agradecem do
intimo d'alr&a a todos aquellos que se dignaram
acompanhar ultima morada o cadver do seu
prezado marido, pai, genro, irmo e cunhado,
Antonio Argemiro de Gouveia ; e de novo con-
vidam os parentes e amigos, aim de assistirem
s missas do stimo da que por alma do tinado
mandam celebrar na matriz de Santo Antonio,
sabbado 7 do corrente pelas 8 horas da manh.
t
fos Caetano de Carvalho
O testamenteiro do fallecido Jos i aetano de
Ca-valho, convida aos amigos e parentes do ti-
nado, bem como aos seus, assistirem a missa
que pelo eterno descanso daquelle, manda cele-
brar na igreja da veneravel ordem 3.* de S.
Francisco, no dia 9 do corrente, s 8 horas da
manh, trigsimo dia do fallecimento. A todos
os, flut;se.c!igparem comparectr, dando por esse
moflo lestemunno de candade e religio. affirma
o eeu reconhecimento. ___________
i
Suffragios
Julio P. Barreto e sua familia mandam cele-
brar missas sabbado 7 do cerrente, s 7 horas
da manh, na igreja de S. Pedro em Olinda, por
D. Candida Machado de Carneiro, e pedem aos
seus amigos o obsequio de acompanhal-os na.?
oragQes, para que Deus conceda o repouso eter-
no a alma de to virtuosa senhora.
t
Coronel Izrcionillo da Wilveire
Lino
Baro de Utioea, sua mulner e lilhos, sumraa-
mente penalisados pelo prematuro fallecimento
de seu irmo e lio o coronel Marcionillo da Sil-
veira Lins, mandam celebrar urna missa na ca-
pella do engenho Giqui, no dia 9 do corrente,
s 7 horas da manha, stimo do seu passamen
to, e convidam a todos os seus parentes e ami-
gos para assistirem a este acto de religio e ca-
ndade ; e de3de j protestam sua gratidao.
t
Olrmpia de lnim Cioncalven
I. anniversario
Manoel Antonio Gongalvese suas lilhas convi-
dam seus parentes e amigos ;issistirem as mis-
sas que por alma de sua prezada esposa e mi,
Olyrapia de Jess G ngalves, mandam celebrar
na mairi. da Boa Vista, s 8 horas da manh de
terga feira 10 do corrente. Por este acto de re-
ligio e candade, aritedpam seus agradecimen-
tos e eterno reconhei'imenio. ________
t
Manoel Rodrijcaes da Silva
1. anniversario
Dec Augusto Rodrigues da Silva, seus ir-
mos e ennhados, contidam aos seus amigos e
parentes e de seu fallecido pai, para assistirem
a urna missa que mandam rezar s 8 horas da
manh do dia 7 de Setembro, na igreje do Es-
pirito Santo, pelo que se confessain agrade-
cidos.
Por prego baixo o Io e 3o endares do sobrade
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosario n. 34.
botica. _______
Aluga-se
a loja do predio ra Mrquez do Herval, tra
vesia do Pocinho n. 33, propria para estabeleci
ment commercial por ser de esquina ; a tratar
no largo do Corpo Santo n 4,1 andar.
Al
u o sitio da MagilaLna n. 8. com boa casa, agua
encanada, lado do rio e alguns arvoredos; a
tratar na ra Direita n. 45. sobrado, aonde tam-
bem se aluga a casa pequea n. 40 ra da
Amizade.
Aluguel barato
Beato'da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itaparica n. 43. armazem.
Loja do sobrado do becco do Calabougo n. 4.
A tratar ra do Commercio n. 5, i anciai
esenptorio de Silva Guimares 4 C.
Cylindro para padaria
Compra-se um cylindro americano ; a tratar
na roa da Aurora n. 85.
O grande e importante estabelecimento de
Pogas Mendes & C, sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, coMiguo a igreja, acaba de rec ebe
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
O nico que, sem a mnima confecgo, im
portado neste mercado, e s se vende no refer
do eslabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejam : o vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as set-'uintes vantagens que as outras qualidade?
de vinho nao tem ; fcil i ta sem a menor pertur
bago as digestes do estomago, anda mesmo
o mais enfrquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, da forra
as que as tiver arruinadas pela im de bebida-
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
proprbtarios capricham em bem trabulhar neste
artigo, afim de terem a primazia sobre tantof
outros similares, cuja composigo dnvidosa.
Em outros artigos como sementsi de hortaiiea
e flores, linguas seceos do Rn Grmde, objsctos dt
rime e tomancos do Porto para hornen a e aenho-
ras, para isto to pouco temos competidor.
nossa casa especialista, e.as pessoas que disto
se queiram certiticar podem comparecer, coro
o que muito nos honraro. Aps urna iofini
dade de artigos de priraeira ordem, que acham
se em exposigo, acresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que nos
honram com a sua presenga, junto a modicidade
de pregos sem rival.
Ra esttreita do Roarlo n. 9. Junto
a igreja
Poas Mendes & C.
Contra
FUPITA&ES SFPOCICfiES
PERTURBARES da CIECULAglO
I5TEBMITTEKCIAS iSTBMi
t todos os ir" jiiiiiiixios considerados como
preludios das
CL.K3TIA8 DO OORACAO
0% Mmfcas oonttl^rr, o tmprtiiB acm
Granules Aatiioniaes
pR;,p^CT:LLAtr;D:
RelAtoriu faroraceL tui Ai-uiemAt* tie Medicina
de f-ariA.
riu.--" a aHll*TCKA
DB3II0 CTl: W- STCO. 7. B BS-BttB. P1KI
Ib Ftrmirbuco : FRAN" M. da STLVA C".
Cricket
Priva te Firms V Public
Companies
etA Crick match will be played ,at Sant'Anna
be tween trie above parties bn 7th. prximo,
commencing at 10 a.m.
The Plice Band, conducted by Senr Candido
Filho, will play Selections at intervals during
the day. Entra'nce free, refreshments to be had
on the tield.
BY ORDER
John H. Hoxwell Sob.
Hon: secretary..
EXP0SIT10N
Kiilli i'Q
UHII"*1878
CroiiteCheTaUei
US PUJS HJUIS.BLOIWtX.tES
A6UA DIVIMA
E.GOUDRAY
Di TI SUA f>l MUDf
Prvtonissdi para s Umeadoi, o*n gmm
couunttaNM B*a msit.
* preservando da paste a Maaa uwitn.
ARTI6CS RcCOUMENDADOS
PERFUMARA DE LACTENA
iOEk-di tdia Caleirllidea IMba
GOfaS CONCENTRABAS pan' tese.
OLEOCOME para a belle* ao jbtn.
EiTU ARTIGOS ACHAM-S^. A FABRICA
pars 13. ro d'EDQfliea. 13 nm
ta UtisM m Ptrfuuriat, amadas
S*t9n+ 4 America.
iiii..........mw
A
ma
Precisa-se de urna ama ; no pateo do Paraiz-
nnmero 2i>.
Bicc-doce
0 Norte de hoje noticia que esse individuo fez
parle da capangugom e canaln ostensivamente-
contrao Dr. Martins Jnior, na cidade da Escada.
Depressa esqueceu se Bico-doce, que o Dr-
Martins Jnior ae(enieu-ogralnil-mnil,'a pedido-
do Sr. Dias Batroso peranle o jury, por crimede-
tentativa de morte. e cooseguio a sua absolvilo!
JaoSr. Dias Barroso esse malfeitor deuo'
pago, agora ao Dr. Martins Jnior. Duas vezes-
ingrato. Recife. 0 de Setembro de 1889.
A. Pavo.
A padaria a vapor do Pumbal avisa ans seus
freguezes que e.-t vendendo a farinha de railho
para tender pao, pei> s seguintes pregos : na
porta 13C00. mandando letarr.aa padarias desta
cidade i HO, suburbios 2000. '
A cristalligraphia
Penna de vilro
Inacabavel e verdadeiramente inoxydavel.
Esta penna molhada levemente na Unta e des-
usando docemente sobre o papel prodnz carac-
teres muito ntidos. A' venda na livraria Con-
tempornea, ra 1. de Marro n. i. ___
Aos senhor^s de en-
^enlios
Offerece-se urna pessoa com babilitagOcs para
0 ensino primario, mediante mdico ajuste,' as-
sim corno as primeiras noges de francez :' a-
tratar na rna da .Aurora n. 39; taverna, do meio
(lia s i horas da larde.
A's maes de familias
QCEREIS VOSSOS FILHOS SEMPBE SADIOS 7
flministrae-lhes o xarope ou as
Plalas Yermipiirgativas
DO DR. CALASAffS
ptimas preparacoes de mastruz
e rhuibarbn, para aexpulsao completa, sen
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(das cranlas e dos adultos)
SEIS ASNOS DE SUCCESSO
Estas excellentes preparacoes nao ne~
cessitam d purgativos como auxiliare
visto seren purgativas por si mesmas. >
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posicao, sensa$2o de corpos que se moveas
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, qnan-
do dormem, algumas e pessoas expelleor
vermes com as fezes ou com as materias-
dos vmitos. As crianjas apresentam a
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome do
DK. OALASAXS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 1#20G
I vidro de varope 1<520G
KAS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
INSTANTNEA
(1R(1 nKGI.*Ti:\A(
Tinta (le copiar sem prensa
52Ra do Amorim52"
BSMTY RODRIGUES & G.a
Esla raaravilhosa tinta de copiar a MAIS
TIL desceberta americana, imprc*cindivi
a lodati aw peMsoa* que encrevem e
que. sem uso da classica e tradicional prensa
de copiar, dexrjam guardar copia ni-
lida. inallaravel de neut tralialno
Illil l> lis;i iilos.
A IXSTASTAXEA o mais prompto auxi-
liar material para a Correnuondcncia Com-
mercial ou particular, porque simplificando o
trabalho, diminue-lhe tempo: o escripturario nao
necessita sahir da sua carleira ou mesa para le-
var o manucripto prensa de copiar, reliral-o
da mesma, voltar carleira, etc., ele.
Os Srs. negociantes, usando da 1XSTAXTA-
XE.4 para a sua escripturago do Diario. Caisa,
Contas Correntes, Facturas. Contas de Vendas,
Precos Correntes, etc., podem obter duplicata
authenlica. d'esses livros em papel de seda.
A i.sstasta^ea depois' de dar copia
conserva se inalteral, preta fixa nao s no origi-
nal como na copia.
A IXMTAXTAXEA no oxida absolutamen-
te as peonas, assim como nao demanda penna
especial para com ella cscrever se-
Com urna esponja, ou pincel embebido n'agua, hu-
medece se ligeiramente o papel de seda proprio
para copiar, e enxullo com qualquer mata-bor-
rao, colloca-seo manuscripto em Daixo do papel
de seda e mesmo sem fazer pressao corre-se a
mao rpidamente em todas as direcces. e a co-
pia admiravel; ntida, 1XTA>TA.\KA.
Tambem d copia, correcta, sem molhar o popel
de seda
Precos de venda a dinheiro
Um frasco.".................. 1*300
VICTORIA
Especial tinta, carrafas a 800 ris, meias dita,
a 300 ris.
ANEMIA, CHLOROSE
4
4
< EMPOBRECIMIENTO DOSANGUEJ
1 GOMES PALUDAS, CQUUALESCENCA
i Osado dos Hospliass de Faris
< BiKSZ Dli'lO.iA t> U9!IBA,Lc:dMili(
*
mlk% CoDCsaraas
Moler y, I inei
JVINKO EOBI
A Tcnt-Nuntif Recan-
4 GRAGEAS ROBN
ts
mpno mutto
prvtomu
i
*
*dfhu [
Piri$,H.re |
Barcelona
Srunllu (g-M)
SemsiKoraWumd*
erro. essonci&JmcriU
aslmllaTBl,occioui
ns peMu que mi M
prestam a qualquer tra- ;
tamento ferruginoso os I
ri'snluJo^ 09 oais rpidos e I
constantes, sen acoca occa-
sionar dores de estomago Bem
ooustipacao (pristo de reolrc).
Itstdb {Rtl: Ph* R0BD1, n lurftt (Cktr)
rEm ferntmtuco : Tru" H. da SILVA C"|




1

Diario de PernambucoSabbado 7 de Setembro de 18881
...... ".
ni
ENGADEHNACAO MIRANDA
39HRUA DUQUE DE CAXIAS--39
Este antigo estabelecimento, hoje completamente reformado com machinas
ais aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condic^es de executar qualquer
rabalho era
Cartas, memoranduns, recibos, circulares, nemoriaes, despachos, cartoes de
dicacoes, mappas, presos corrente, aecoes, bilhetes de loteras e rotulas do todas
mm cualidades em preto, ouro ou cores. *
irochuras, cartonados, encadernacoes, livros em branco para o commercio e
zeparticoes, tendo para este fim urna excellente machina de pautar.
Variado sortimento em cartoes para visitas, participac3es e convites de caaa-
ento. bailes, menus, felicitacoes, etc., etc.
Livros de recibos de aluguel de casa, papel de imprcssao, tintas, vernizes e
jaais artigos para typographia e lithographia.
Manoel J. de Miranda
Telephone 194
A. LA REINE DES FEE'JRS
limaMes Hotos
L T. PlVEem PAIS
Mascotte
PERFUME PORTE-BONHEOR
FUNDICAOiDE SINO S B.BRONZB
LUIZ DA CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tero para vender o seguinte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systeraa com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapucas de cobre.
Tai vas, taixos e caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torne!ras de bronze e madeira de todos <>s tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartldeiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado
Cobre em lencol e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadinhos patente e'de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de encommenda, garau
indo presteza, perfeicao e presos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
''1DE a praso ou dinheiro com descont.
*U.
Extracto de Corylopsis do Japoj
PERFUMES EXQUISITOS :
Bonquet Zamora Anona da Bengaio
Cydonia de Chine
Stcphania d Australia
Heltotrope bl-nc (Sardonia
Bouqaet do r.'iimi.ieY7hi8s Rose o Kezanl.lt- Poly-.Ior oriental |
Brise de Nice Bouquet e Reine des Prs, etc.
ESSENCIAS CONCENTRADAS C^T) OUAUDADE EXTRA
.cpositos aas principies Perfumaras, PUarmaci*s e oaijeii-ieiros a *
(ISA 1E CIN
(JUNTO AO LOUVRE
Cachemira de listras a lOOO o covado.
^Jazes arrendadas a 400 rs. o dito.
Jftiato branco lavrado a 360 rs. o dito.
Toile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Cortes de vestidos em cartoes.
Coenas de tustao a 4>000 urna.
Tosidas para banho a 1 500-urna.
Cachemira litas a ljjOOO o covado.
Popelinas brancas a 300 e 1000 o dito.
Cachemiras de quadro a 280 rs. Jo dito.
Fustao para roupa, de 1UOO a 700 rs. o
dito.
Colchas de cores a 1800 urna.
Merino prcto e 800, 1,5000 10200, 1500
1*800
Chitas percales a 200 rs. o covado.
Velbutina preta a 700 rs. o diu>.
Crep preto (nglez) a 2$000 o dito.
Metins de quadro a 300 rs. o dito
Merinos de cor duas larguras a 440 rs.
Sendas liispanholas a OOO o dito.
Setim do JapSo a 240 rs. o dito
Cambraia Victoria a 2*800 a peca.
Ctouiiiu claros e escuros a j240 |rs o
aovado.
Cambraia bordada a 45000 a peca.Q
Guarnido de crochet a 7(5000 urna.
Leques transparentes a 25500 um.
Fichs de retroz a 1*000 um.
Camisas de llanella a 2*500, 4*000 e
5*000 urna.
Sieos de cores a 2*000 e 2*500 a pega.
Toalhas felpudas a 4*0 0 a duzia. Grinalda para noiva a 7;)000 urna.]
Guardap para homem a 6*000,
Meias inglezaspara homens a 5*000^a du-
na.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Paiitota de alpaca preta a 4*500 um.
Caaemia diagonal a 2*000 o covado.
Meias fio da Escocia a 1*500 o par.
Lencos brancos a 1*200 e 1*800 a duzi*.
Chevioth preto a 3*000 e 4*000 o covado.
Cachemira de quadro a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 1*500 a 1*000 o dito.
Baleias a 240 rs. a duzia.
Lences de bramante a 2*000 um.
Cobertas de ganga a 3*000 urna.
Tapetes grandes a 13*000 um.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 5*000 um.
Madapolso americano a 6*000 a peca.
Coletea de flanell* a 2*500 um.
Palitots de seda palha a 8*000 um.
Lencos de linho a 5*000 e 6*000 a duzia.
Palitots de brim pardo a 4*500.
Bolsas para viagens.
Casemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 2*000 e 2*500.
Ouardanapos de linho a 2*200 a duzia.
Guardap para senhora a 10*000.
Arcos cobertos a 120 rs. o metro.
Panno da, Costa a 1*000 e 1*200 o co-
vado.
Bramante de algodao a 1*000 o metro.
Algodao branco a 4*000 e 4*500 a pega.
Cortes de fustSo para collete a 2*500 um.
Cortinado bordado a 7*000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoahado bordado a 1*200 o metro.
Pega de esguio de algodao a 3*500.
Regatas a 1*000 e 1*500 e 2*000 Juma.
Palha de seda a 1*000 o covado.
Camisas allemaea a 36600 a duzia.
Bramante de linho a 1*800 o metro, 4
larguras.
Cortes de seda para collete a 5*000 um.
Chambres para homem a 6*000 um.
Setins d cores a 800 rs. o covado.
Algodao trancado, 2 larguras, a 1#K0.
Cortes de casemiras, a 5*500, : 7*000, e
9*000.
Brim branco, todos os nmeros.
Cretonea francezes a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 15*000 a duzia.
Flanella de cor a 300 rs. o covado.
MEIO-SECULO DE XITO 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
ALCOOL Q RICQLS
HORTELOrpilHIENTA
INDISPENSAVEL
durante a eslaco calmosa
EXCELLENTE
1AMIMM I'AKA A
RECOMMENDADO
pelos ma:s Afamados Mdicos
PAl'.A COMA AS
Indigestos,
Dores de Estomago, .
Toilette e os Dentes
Grande Preservativo nos tentpos de Epidemia
Fabrica em LYON, 9, cours d'Herbouville. ^vS^**''^*^ Cas em PARS, 41, ra Kicher.
EXIGIR 0 NCfrlE DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICAQES
BtpgifU; im fernamlmeo 1 FRAH" M. t SILVA & C" e em todas ai marinadas e Drogaras acreditadas.
Para a cura efficam e prompla das
Molestias provenientes de im-
pureza do Sanirue.
I? urna loucura andar a fazer expe-
riencias com mistaras inferiores com-
postas de drogas ordinarias en de plantas
indgenas cuja eficacia nao confirmada
pela sciencia, emqnanto que a molestia
cada vez val ganhando terreno.
Lancera rao, sem demora, de um re-
medio garantido enja efflcacla seja facto
assignalado e inquestionavel!
O Extracto Composto Concentrado
de Saisaparriijia dh Ayer 6 conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
telligentcs dos paizes adiantados, j
durante 40 annos,
__ Centenas de militares de doentes
tm colhido beneficios do seu emprego e
sao ontras tantas testemnnhas da sua
efflcacia positiva e incomparaveL
pseparado pelo
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., I'-t.-Unidos.
Agrimensura
C. C. Carlini contina a encarregac-se de me-
dicCes de trra. Icvantamento de plantas topo-
grapliicas, nivellamentos, projecios de parques,
jardins, chal, etc. ; na ra da Atalaia, Da ci-
dade da Escada.
IUNPATSBSONSC.
44--BII4 BARAO BO TRIIPH0-.44
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agoa.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
*mm***mm*mm
Orande sortimento de fichs, casemiras^brim, algodao, camisas, coarinhos,
WoJaoG;. meias, perfitmarins, e lxirdados. C^ \
20Ra Primeirode Margo20
AMABAL & C.
O MOVO THERMQMETRO
MEDICO de UON BL.OCH
O MAIS S13N8IVEL DE TODOS OS SYSTEMAS C0NHECID03
Todos 00 **ieua lnst rom* *ito e Ecvun
a n>' 1* asslgnjtura :
PARS. 2, rn de VEntrept. 2, PARS J
no riMMM) topa a rnisciPAKS cakas.I
CAPSULAS THEVEN0T
Molestias Condenciaes
I CopahUta Copahiba 8 Cubabas.
Copa/liba t Essenca de Sndalo.
Essencia de Sndalo e citrino paro.
| Oleo Resina dh Cubabas.
Oleo Resma de Cubebus e Essencia
Sndalo.
lodureto de ptaselo.
SEMCHERO NEM SABOR
de
Depositario* asa PBOUHBOCO
i. da axxvA. ou.
UU DO GAB1GL0
Antigo estabelecimeiito de ferragens
DE
EERREIRA -GUIMBAES & 0.
86Roa Duque de Caxias80
ranfce srttmento tftxxa%ms, cntelmas,
t muitos ontxos artigan a saber:
Cobre emfolha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Cndieiros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
longa existencia a garanta mais segura dar os que pro-
curar em honral-o com a sua confianca.
WOS SEM COMPETENCIA
Descontos do costume
JAGUARIBE
a 41 a barrica
com abate de 10 0( em porcoes maiores de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
DOENCAS
-DO-
ESTOMAGO
E DO
FIGADO.
PILLAS DE BRISTOk
PMMEFTE YEGETAES
sao o melhor Purgante e o Remed*
ma.'. efficaz contra os ditos mal'.
SegnlaFizam a Digestao
PUR1FICAM A BILIS
e curam radicalmente
A DISPEPSIA.
Professora de piano
Urna senhora perfeitarnente habilitada e com
pratica de ensino. offerece as Kxmas. familias
oj seus servigos como pianista : pode ser pro-
curada ra do Queimado n. 74.
MEDALHA IDE OURO
DA ACADEMIA NACIONAL
DO DOCTOR
VIViEN
cos EXTRACTO de
FIGADO de BACALHAO
Hali efficaz anda do que o oleo escuro. Oe tabor
multo agradavel. Sem delxarpercebero menor mc gosto.
receitado por todos os mdicos pr.ra o
Rachitismo, Esorophulas, Anemia, Tsica,
Catarrho F*ulmonar, Con sti pa? es.Chlo rose,
Molestias do Peito. et Em todas as Pharznacias
PARS, Boulevard de Strasbourg, 50
Professora
Urna senhora competentemente habilitada se
propOe a dar lices de piano e francez; a tratar
com o Sr. Paiva na ra Baro da Victoria, ioja
de msicas do Sr. Azevedo.
Criado
Precisa-se de um criado
Caxias n. 70, i andar.
na ra Duque de
R
OLEO de FIGADO de BACALHAO
RACHITISMO
L=^BERTH
Cuco apvro Os relatorios apresentados a Academia de medidnn pilo profes-
ares Tronsseau, Bnssy, Eonchardat, etp, demostrara a superiordade
do leo de flgado de baealfao de Berthe.
Este oleo natural Mo submitido a irttamento chimico algum.
Dem m exigir a auigi^Jura
W, Toa 8o*i, Paria.
b
(VRNDA A RBT4LHO K MAIOP P IRTK DAS PHARM4CIAS.}
-vtw
GOTTA, E.HEUMATISMO, DORES
Solgo do Doutor Clin
Laureado da Faculdade de Medicina de Pam. Premio Uontyon.
i
A Verdadeira Solugao CLIN ao Salicylato de Soca emprega-se para curar:
As Affecgoes Rheumatismaes agudas e chronicas, o Rhenmatismo gottoso.
as Dores articulares e tAusculares, e todas as vezes que necessario calmar os
soffrimentos occasionados por estas molestias.
A Verdadeira Solugao CLIN o melhor remedio contra o Rhenmatismo.
a Gotta e as Dores.
iisj Uft explicagio detalhada acompanha cada frasco.
Exigir a Verdadeira SolucSo de CLIN & Cie, de PARS, que se encentra em]
casa dos Droguistas e Pharmaceuticoe.______>IM gg
BRONZE
VINHO
Receitado
para
reconstituir
e regenerar
o organismo
arruinad* e debellar
Anemia, CMorosis, Pobreza
de Sangue, Fluxo Branco, Debi-
lidad, Amenorrhea, Molestias do
Figado, ete. -------------------
PASES, Boulevard de Strasbourg, 50
e em todas as pharmacias.
Tnico Febrfugo Regenerador
DOUTOR
QUINA COCA
Extracto de Cama
e
Hypophosphito
J0HANIH0
'+
DE
CARDOZO 8r IRMAO
Ra do Baro do Tromptio ns. 100, i 02 e
Deposito ra do Apollo ds. 2 e 2 B
Ten para vender o seguinte:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directpara o ou fogo de assen-
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVACES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo^Jencanamento e finalmente
todas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e mandam buscar por encommen-
da, mediante ajuste previo ou urna mdica commissSo qualquer macbinismo.
CONTRACTAM fornecimento do apparelbos para usinas, garantindo a b6
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultado
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa FilonilJa e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
OS MDICOS SDBSTITUEM COM XITO
o OLEO de FIGADO de BACALHAO assim como o VINHO de QUINA
PELO
ELIXIR DUCHABVIP
COM EXTRACTO DE FIGADO DE BACALHAO COM QUINA E CACAO
l.stv CREXE de CACAO um poderoso Depurativo
e iiicontpararet Corroborante.
JENDA POR ATACADO : DXTCBC^LIVCP, 15, RU DE POITOU, PARi,
Depositarlos em Ptrnambuco : PKAK K. da 811,va t C-


GRAGEAS
FORTN
ENJECCAO
I hjaltea a rrattr
memitscatt aff.
eOoamltba, Ct/babm
emtamala a Farra. Sisma** \
taatrt, Jaratamtfilaa. Ir
Aa OMAOCA1 rORTtM, forSo as primeirss que obtivana a approTtOcaa 1ull<|
ais surtrim (1890) que *>ptaraa>M nos Hosptees. Corara moleaUaa UHOtM.j
maia rebeldes oam fatigar rtoasagoa mala dalloadoa.
A INMOQO rORTIN enpra reeofDSM^BUs soso oeaqla
tammr*amcs*amemiTt*var~U.mma&focr>.awm\
*m


8
diario de PernambucoSabbado 7 de Setembro de 1889

l
I
.
- ;


Tigipi
Conataailno de S* Barret
Convidase a este sentior a comparecer ra
a Bom Jess n. 33, para prestar contns das
Aranras que fez no termo de Agua I'reta, em
Mito prximo passado.
YENDAS
Vende se no caes do Ramos n. 4, urna ex-
sMcnte machina a vapor de 30 cavados, urnas
ibas hydraulicas de grande forga, um ferra-
4r, urna tesoura para cortar (landres., arcos,
ttc, trilhos e carros Decauville, apropriados
ara transporte de canna, bombas d'agua mao
a vapor. ___
A Loja das Ostras zoes
Est vendendo fazendas muito baratas
Com descont
a quem comprar de 205000 para cima.
E VENDE PELOS SEGINTES PRECOS:
Hadapoto lavado com um metro
de largura a 6*800 a pega,.
Morim das Lustras Azues com
JO varas, a 6*000, a pe9a.
Chitas percales finas, coces seguras a
UO e 200 rs.
C'assas de urna s cor a 100 e 120 rs.
a 'iu palminhas.
I.anzinhas de quadros a '0, 200 e
240 re.
Cortes de linhos com 16 1/2 co-
vados, tecido phantasia, a 4*000
Bordados finos com 3 metros a
*00 rs.
Blcos brancos a 600 re., a peca
itm 9 metros.
(argelina diagonal, todas as c5res,
a 180 e 200 re.
Crinolina de cores para vestidos a
360 re. o metro.
Lnvas de seda, lisas e bordadas a
1*600.
Leques transparentes lindas cores, a
2*000.
Grinaldas com veos para noiva a
7*000.
Setim de Maco brauco, e de todas
as efires a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados .para cama ou
janella a 6*000.
Fichs phantasia 800 rs.
Leos de seda a 500 re.
E multas fazendas que se vende por
qaalqaer prego.
Troca-se a fazenda vendida se nao fr
de muito agrado para quem fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Snrpma agradml
M RETRATO.
Cue se offerece a um amigo no da do
seu anniversario
De 2:sn<)0 at I00$000
Obtcm-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, e com cordoes de 13 e
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
a America
POR FRE). PLATT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartao de visita, nao im-
porta que seja antigo, basta dizer a cor
dos- olhos e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Esto expostos ao publleo na
: AGENCIA GERAL
Loja das Lislras zoes
BCA DCQUE DE CAXIAS K. 61
Para as Exmas. familias verem o quanto
slo lindos, c muito fcil fazer encommenda.
QlAmUER ENCOMMENDA
Por maior que seja se aprompta em me
bos de 90 dias, e restitue se a importan-
cia recebida, se nao chegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente, geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO BIAS
PERXAHBICO
Camisas de cretone, cousa boa e barata.
Alta no vidade
49 -Ra Du |ne de Caxias49
Por menos 30 01 do que em outra
qualquer parte
Merinos setins, lisos e de quadros com 2
metros de largara a 2*000 o covado.
Renda hespanhola muito larga a 2*000 o
covado.
Espartilhos, verdadeiros combas, a 4*000
5*000 e 6*000 um.
Lindos cortes de fustao para collete a
500 rs-, um.
Cobertores de 1S a 2*000, um.
Palitots de seda marella e chumbo a 8*
10*000 um.
Redes francezas a 4*000, 5*000 e 6*000
urna.
Organdis (fazenda de pbantasia) a 400 re.
o covado.
Enchcvaes para baptisados a 8* e 10*000
Toalhas felpudas a 3*000 a duzia
Meias cruas para homem a 3*000 a dita.
Nansuks finas de 120 e 240 re. o co-
vado.
MerinB lisos e de quadros 200, 240 e
280 re. o covado.
Cortes de linn e cretones com todos os
prepares, a 5*000 a 12*000.
Atoalhado muito largo 1*200, e 1*500 o
metro.
Pannos de crochet para cadeirasa 500,
600, 700 e 800 re. um.
Colchas de crochet, bordadas para noivos
a 5*000, 6*000, 7*000 8*000 e 9*000
urna.
Cortinados bordados a 6*000 o par.
Bramante liso e trancado de 4 largura? a
1*000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 re.
o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
5*000 urna.
Saias ricamente bordadas, a 3*000 urna.
Luvas de seda, lisas e arrendadas a 1*000,
1*500 e 2*000 o par.
Cretones claros e escuros e 200 e 240 re.
o covado.
Zefiros de quadros a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Camisas finas de meias a 1*000 um.
Leques de penna, ultima moda, a 4*000
e 5*000 um.
Capellas com veos para noivas a 8*000
urna.
Fustao de cores para palitot e caiga a
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete a 2*000 um.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
4*000 a peca.
Bicos de cores e brancos a 1*000 e 2*000
a peca.
Collarinhos e punhos, borracha, a 1*800.
Cobertas de ganga forradas com 2 pannos
a 2*800 urna.
Lengos brancos a 1*500 e 2*000 a duzia.
Fichs de retroz, lisos e com palmas a
1*000 um.
Madapolo americano com
gura a 6*000 a duzia.
Algodosinho com 20 jardas a 4* e 5*000
a peca.
Assim como em sua ofneina de alfaiate
aprompta-se com perfeigo e elegancia
por pregos commodos, de brim ou case-
mira, costumes para meninos e homens.
A IlevolucuO
48Roa Dnqne dc"f axias- 4S
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
FOLPSTIM
m i wimm
POR
TOUES MHLY
PRIMEIRA PARTE
(Continuacao don. 200)
IX
Queiram desculpar, mil perdoes,
disse elle, tirando o bonet e descancando
a espingarda de dous canos, em um canto
do salo. Acabo de saber tudo pelos le-
aheiros da aldeia e tenho urna informago
a dar-lhes. Os senhores farao o que qui-
zerem. Julgaro se ella boa ou m.
Ks o escutamos.
Esta noite, eu estava de ronda e
atravessava a matta da Houte-Butte, qaan-
da ouvi o rumor de urna corrida as mou-
tas. Pensei primeiro que era um cabrito,
que eu espantara; mas. a vinte passos de
im, um homem preeipitou-se no atalho ;
sminibu algum tempo por elle e metteu-
ae de novo em plena matta. Nao o tor-
aei a ver.
Em que direcgo fugia.
Para Moussires.
Reconheceu o ?
Nao. .Smente, para dar-lhes algum
signa!, pareceu-me que elle tinha a altura
de Thomaz Lhoir, o lenheiro. 0 que eu
Mies digo os senhores sabem...
Onde mora Thomaz Lhoir ?
Precisamente em Haute'-Butte.
1 metro de lar-
PECHIMAS!
9-Rua Duque de Caxias5
Cassinetas de cores para roupas de meni-
nos a 200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de cores idem
a 400 e 500 re. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 re. o
dito.
Sctinetas modernas idem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quadrinhos a 100, 160 e
200 re. o dito.
Percales finas a 200 e 240 rs. o dte.
Atoalhado bordado, quasi 2 metros de lar-
gura, a 1*800 e 1*200 o metro.
Bramantes, 4 larguras, superior a 800 rs.
e 1*000 o dito.
dem de puro linho a 1*600 o dito.
Riquissimas guarnigSes de crochets a 6* e
8000.
Toalhas para mSos a 1*200, 3*500 e
4*000 a duzia.
Meias inglezas para homen3 a 2*500 e
3*000 a dita.
Camisas superiores idem a 24* e 30*000
Seroulas bordadas a 12*000 e 18*000 a
dita.
Cambraia Victoria e transparente a 2*800
e 3*000, com 10 jardas,
dem bordadas chics a 4*000.
Superiores algodoes da corte a 3*000 e
3*500.
Madapolo americano a 6*000, com 24
jardas.
Flanella de cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitots a
1*200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 1*400
1*800* e 2*000 o dito.
Para as Gimas, noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 8*000 e
14*000.
Ricas colchas de crochets e fustao a 8*000
e 6*000.
Bonitos cortinados bordados a 5*500,
7**00 e 8*000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 1*000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 1*000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 re. o
dito.
Lengos de seda e de linho para 2*800,
em lindas caixinhas.
Lenges de bramante a 1*800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 2*500 e 2*800 urna.
Colchas de cores a 2*000 e 3*000.
Tapetes para portas a 3*500 e 5*000-
Pannos (ara mesas, de cores modernas a,
1**00 1*200 e 1*600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 30* a
35*.
FustSes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todos os
presos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 4*000 urna, e
urna infinidade de artigos que serlo lem-
brados na presenga dos dignos leitores.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHiES
AO
Libras sterlinas
Vende-se libras sterlinas
mercio, armazem n-5.
na ra do Com-
Farello superior
2 800 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima* C,;
Caes djAssembla n. 24, garantindo se 41 kijo-
g rara mas cada sacco. .
Vende-se
urna casa em llotocolomb em Afogados, n. 25,
tendo 5 salas, 5 quai tos e bom sitio com arvo-
redos; a tratar na ra velha de Santa Rita nu-
mero 64. ______
Especial para calos e quei-
maduras
Superior viiiho de A.1-
cobaqa
O acreditado e antigo armazem do Lima par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
Tinho, escolbido propriamente pelo ebefe de3ta
casa, actualmente em Portugal, tornndose re-
commendado por ser puro e de boa qualidade.
Jos Fernandes Lima C. ra Barao da Victoria
numero 3, Telephone323.
Para os festivaes
55
Pede-se ao respeitavel publico que at-
tenda aos procos abaixo mencionados :
Setim da China, fazonda de pbantasia,
alta novidade, a 240 rs.
Amor da China, a 2(X) re.
Zefiros arrendados, o que lia de mais no-
vo, a 800 rs. .
Vestuarios jersey, ultimo gosto, a 10*
e 12*000
Renda oriental a 500 rs. o covado.
Cretones para coberta, 500 rs. o covado.
Pannos de crochet, todos os tamanhos.
MadapolSo largo a 6*000.
Flanella azul, muito lisa, a 1*200 o co-
vado.
Fichs de phantasia a 1*000.
Luvas de seda a 2*000 e 3*000 o par.
Gruardanapos a 1*600 a duzia.
Sargelins de qualquer cor a200 rs. o co-
vado.
Grinaldas para noivas, cousa chic e ba-
rata
Nunzucks, grande sortimento.
Cambraia Victoria e transparente a 2*800
a peca.
Cortinados bordados a 6*000.
Flanellas para camisa a 32<) re. o covado.
Setins, qualquer cor, a 800 re.
tienda da China a 200 rs. o covado.
Fustoes braicos a 320, 400 e 500 re.
Vestuarios para baptisados, o que ha de
mais novo.
Camisas francezas, com collarinho, por
2*000!
Grande sortimento de setins lavrados a
1*000 o covado.
Crinolines a 400 re. o metro.
Zefiros a 160 e 200 rs. o covado.
Merinos, sortimento grande, a 500 e 800
re. o covado.
Cambraia suissa, a 7*000 a pega.
Cambraia com salpicos brancos c de cores
a 4*000 a peca.
Babados c entremeios a 600, 800 e 1*000
a pe9a.
Lencos de seda, muito bonitos c baratos.
Cachemira combina5o com listas de seda
a 1*400 o covado.
Bramante de quatro larguras a 800 rs.
a vara.
Mantibas pretas a 4*500.
Atoalhado, lindros padroes a 1*000 o me-
tro.
Espartilhos com couraca a 4*000, 5*000 e
6*000.
Colchas brancas e de cores a 2*, 3*000,
4*000, 5*000 e 6*000.^
Grande sortimento de fichs de cores para
todo prejo.
Cassa baptista a 120 rs. o covado.
Chitas brancas e escuras a 240 rs., s se
vendo a boa qualidade.
Cretones muito bonitas a 320 e 400 rs
covado.
Meias para homens, senhoras e criancas,
grande sortimento.
Comisas de meias a 1*000.
Grande sortimento em merinos pretos.
Cortes [de fustao para colete, alta novida-
de, a 1*000.
Camisas de flanella franceza a 3*060 urna.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
covado.
Tapetes para cama, sof e porta; barato !
Velbutinas, qualquer cor, a 800 rs.
Cassinetas, muito bonitas, a 400 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras, em cartao, cousa
chic.
Oitos de cretone muito bonitos a 8*000.
Ditos de casemira de cor a 4*000, 6*000
e 8*00C.
Alm de outras muitas fazendas que
impossivel mencionar.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessoa.
& Ra Duque de Caxias 55
Fernandes Azevedo & C.
A LOJA MAIS BARATKIRA ^ FLORIDA
Preparado Riker
C, 1*000 o frasco ;
mero 63.
: vendem Pedro Antunes &
na ra Duque de Caxias nu-
A' ra da soledade n. 56, preparam-se,
com limpesa, mestra e commodidde em
pre08: bolo, pi_-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentos e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
Dampierre reflectio e consultou em voz
baixa a Foulhouse.
A que hora foi isso ? perguntou este.
Mais ou menos s onze horas.
Dampierre voltou-se para Guid.
Concorda essa hora com a da occa-
siSo em que voc acredita ter reconhecido
o lenheiro ?
Perfeitamente, Sr. juiz.
Sim, foi a hora do crirae, disse
Gervasio.
Os dous magistrados pediram entSo a
Guid alguinas informacoes acerca de Tho-
maz Lhoir.
O guarda deuas : ob leitores estao lem-
brados do odio antigo que elle tinha con-
tra o moco.
Assim, disse tudo quanto sabia dos an-
tecedentes do lenheiro. Haviam corrido
intrigas no lugar, quando o contra-mestre
deizou Gonssolin. Contava-se que o ma-
deireiro tinha despedido o empregado e nSo
faltava quem mventasse historias, acerca
dos motivos da despedida. Nada era im-
possivel, dizia o guarda. Talvez esse as-
sassinato fosse urna vinganca. Na aldeia
nada se affiancav3, me^ericava-se smente.
At aqui os depoimentos feitos se resu-
Imiam, sem provas, verdade e mesmo
sem indicio importante, em urna aecusa-
So disfamada contra Thomaz Lhoir. Es-
ses depoimentos, sem duvida, devia rece-
bel-os a justia e aproveitar delles, mas,
de modo prudente.
Estavam bem certo de haver visto Tho-
maz ? O lenheiro tinha andado nos arre-
dores na hora em que foi commtttido o
crime ? Tinha deixado no jardim, debaixo
das janellas na matta, nao importa onde,
indicios de Btia passagem ? E depois, nSo
parecia resultar doj depoimentos de Ger-
vasia e de Guid que dous homens tinham
estado no jardim? Se o move! do crime
fosse o roubo, talvez fossem dous culpa-
dos ?
popidi, vo Dei, diz um proverbio.
Nada ha mais falso do que os proverbios.
Algumas vezes acontece, a mido mesmo,
que o clamor publico se engae, princi-
palmente quando se trata de um desses
dramas mysterioso cuja causa nunca se
pode explicar.
taan
NOmAIS.
^ *5l_ERY Vene-i ero toda a urU
Podertse-hiam citar muitos exemplos
em que foi, por esse motivo contra a sua
vontade, induzida a erros lamentaveiB a
justica.
Os magistrados no o ignoravam. To-
mavam cuidado.
Repugnava lhoa assumir responsabili-
dade de urna prisao, smente motivada por
indicios.
Deviam, pois, continuar o inquerito.
Subiram ao salo, onde haviam deitado
sobre um colchSo o cadver desfigurado
de Gonssolin.
O Dr. Magnabat certificara a morte,
mas nao quizera alterar nada na desordem
das roupas, sabendo bem que urna obser-
va9ao, ftil em apparencia, pode trazer as
descobertas mais graves. < Urna poltrona
e varias cadeiras tinham cabido no chao.
Evidentemente devia ter havido luta, urna
luta suprema, desesperads. Perto de um
criado-mudo um lago de sangue. O guarda
disse
Foi alli que vi meu amo estendido.
E a Sra. Gonssolin ?
Aqui... os p8 voltados para o ca-
nap, a cabeca deitada sobre o marmore
que est diante do fogSo...
Gervasia trema e fazia o signal da cruz,
murmurando preces.
Ramaget estava immovel.
Do criado-mudo at ao fogSo havia um
rasto de sangue, parecendo dirigir-se ao
lugar em que Magdalena cahira.
Elle foi ferido e cahio perto do cria-
do-mudo, disse o juiz, formulando suas ob-
servacoes ao ouvido do procurador da Re-
publica. Depois levantou-se, mas nao pO-
de conservar-se de p. Veja que est las-
cado o soalho. Estou certo de que o mes-
mo signal deve estar reproduzido em um
dos sapatos da victima.
Foulhouse inclinou-se sobre os pB de
Gonssolin e examinou as tachas dos sapa-
tos, s quaes estavam adherentes peque-
as lascas de madeiras.
Fez a Dampierre um signal afirmativo.
Note, Sr. Foulhouse, continuou o
juiz, como as calcas estSo sujaa de san-
gue at aos joelhs.
Os joelhos esto cobertos de sangue
PARIZ N'AMERICA
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephme200
Tendo recebido directamente da Europ,
grande sortimento de fazendas e modas 1
que ha de mais novo e preoa sem cojr
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de la e 13 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 1*000 e 1*20C
Crinoline preta e branca t 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 re.
Bramante de linho a 1*500, com K
palmos.
Toalhas para banho a 1*000 e 10600
Chachemiras com 2 larguras a 800 r
Ditas de l e seda 2 larguras a 1*001
MadapolSo trancado a 9*000 a peca.
Dito globo a 7*000 a dita
Dito camiseiro a 7*000.
Dito B6a-Vista, verdardeiro, a 6*000.
Fichs de 12 e seda 1*000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraca a 4*000 e 5*00
Colchas de fustao a 2*000 e 3*000.
Capellas para noiva com veo bordado 1
6*000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 1*501
Renda de 12, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 13*000.
A verdadeira esteira para forro de -ai
a 1*000.
Camisas de flanella a 5*000.
Cortinados de crochet para cama
10*000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cSres a 800 e 1*000. '
Extracto Rita Sangal a 2*000.
Velbutina de quadro a 800 e 1*900.
Guarnic3es, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 4*060.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 2*000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cres para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para snfeite"
Grande sortimento de chapos de so.
Setineta para coberta a 600 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
861
Gal3es, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodao com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algqdSo.
Con tas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 3*000 e 4*0G
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 50tJ
600 e 800ra.;apeca.
metros, de qualqa*
caixinhas a 3*000
Taverna
Vende-se a taberna sita estrada de Luiz do
Reg n. 47-D, propria para principiante por ter
poucos fundos ; a tratar no Cannnho Novo nu-
mero 87.
Armago
Vende-se urna bonita armacao de amarello
tratar na ra do Hospicio n. 81.
e as manchas continuam sobre toda a fa-
zenda at aos ps.
Gonssolin, j sem forcas, escorrogou
e produjo essa ialha no soalho. Elle ca-
hio de joelhos, com as maos no sangue,
tentou arrastar-se at Sra. Gonssolin,
sem duvida para dar-Ihe um supremo
ad&us, no momento em que a morte o in-
vada. Os dedos estao effectivamente im-
pressos, de distincia em distancia, no ver-
niz do soalzo Depois fez um ultimo es-
forco apoiando-se sobre esta poltrona, que
cahio no chao e cujo assento est sujo de
sangue. Emfim, cahio com a cabeca con-
tra o criado-mudo e no se mexeu mais.
Houve um momento horroroso... Os es-
forgos deste infeliz para approximar-se,
em sua agona, da mulher que amava lou-
camente, e da qual este crime ia sepa-
ral-o, sao episodios dramticamente rho-
rive3...
O facto passou-se, certamente, como
o senhor o diz, disse Foulhouse, que, ape-
zar do seu stoicismo e do habito parecia
tao impresBionado como o seu joven col-
lega.
E voltando-se para o Dr. Magnabat,
que esperava, silencioso, perto da janella,
que o magistrado lhe dirigase as pergun-
tas do costume :
Ciro doutor, quaes foram at agora
as suas observagSes ?
Magnabat approximou-se do cadver,
ajoelhou-ae para ficar mais vontade, ar-
regagou as mangas da sobrecasaca e da
camisa e sondou a ferida.
- Gonssolie foi ferido por um tiro de
revolver, quasi queima-roupa, disse elle.
Prova-o estar a ferida queimada em seus
bordos, n'uma largura de dous centme-
tros. O orificio estreito : o que faz sup-
por que a arma de que se servio o assassi-
no devia ser um revolver de pequeo ca-
libre ou urna pistola de salo...
Um revolver, disse Foulhouse.
E com o dedo, mostrava no criado-mu-
do, no meio de livns e brochuraa, um es-
tojo de armas do Jacaranda, ricamente or-
namentado.
O estojo estava aberto. O revolves des-
apparecera.
O doutor se inclinara sobre o cadver.
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.______
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os nroprietarios do Armazem Central, ra
uo Cabuga n. 11, avisam aos seus distincts fre-
guezes eao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual se
reconvnenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iha em c\i armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephon 447
WfllSET
Boyal Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escoce- pre-
ferivel ao cognac ou agaardente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
dem com 3 e 1(2
argura a 1*200.
Lengos de linho em
dita.
Meias para homem, duzia a 4*000.
dem para senhora, duzia a 4*000.
Lindos leques transparentes de gas*
3*000 um.
Grande aortimento de porta-retractos
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 4*. 6*
8*000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, i?
2*500 a 3*000 o par.
Cortinados todos de crochet para cama *
12*000, 17*000 e 19*000 o par, algum
de cores.
Ditos para fanellas a 7*000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800
1*000.
Ditos para sof a 2*000.
PJastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimeate
a 4*000.
Capellas com veo para noiva a 6*000
8*000.
Lindos enxovaes baptisados a 8* 10*
12*000.
Toucas de setim para baptisado a 3*, 4*
5*000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha i
melhor.
Renda hespanhola de diversas c6res.
Bicos brancos e de cores a 2*000 a peca>
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 4*000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante*,
Linha de machina, claque, a 40 re. o car
ritel.
Pastas a 1*000 e 2*000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 2*000,
Arquetes para chapeos e chapelinaa
1*500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a ?*0Q0
par.
Ditas de seda para creanga a 1*000.
Dita para moga a 1*500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilettaj
sanctuario e consollos.
Lmdos lengos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabello*
Ditos ditos para enfeitar cabega e segunv
chapeo.
Espartilhos para creanga a 4* e 4*500.
Ditos para senhora a 4*, 4*500, 5*000
6*000.
Grande sortimento de jabonetes de 200 a
1*500 um.
Estojo com faca, gario e colher, propri<9
para creanga.
Bengallas com flauta a 1*500.
Meias de la para homens e senhoras.
Licdias dourada pare, finar crochet.
Lindas fitas para facha a 2*, 3* e 40Ct
o metro.
Lindos leques de setim para easamento.
Grande sortimento de leques de setna
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 2*000.
Lindos desenhos para talagar ga,
Finas carteiras para algibeira de 1J, SI)
3 e 3*500 urna.
Ra Duque de Caxias n. 103
Cofres de ferro
Carlos Siaden tem para vender cofres de su-
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Rarao da Victoria n. 48- v
E8 a bala, disse elle, trazendo en-
tre as laminas de urna pinga, um pedago
de chumbo achatado.
E fazendo signal a Guid e a Rama-
get :
Tirem a roupa da victima, disse elle
framente, ha talvez outras feridas.
Os dous guardas obedecern-,
O doutor entregou-se a minucioso exa-
me e sacudi a cabega :
Gonssolin receben apenas um feri-
mento.
De repente fez um movimento.
As m3os tm echymoses, arranhoes
produzdos por unhas e que descem dos
punhos at s phalanges... E' impossi-
vel que as maos, que tSo cruelmente feri-
ram os pulsos da victima, nao tenham
tambem soffrido. E' um indicio precioso.
Acabado o primeiro exame do medico,
os guardas tornaram a cobrir o cadver.
Magnabat chamou parte Dampierre e
Foulhouse e em voz baixa :
Gonssolin nao morreu immediata-
mente, disse elle, sobreviveu anda un
quarto de hora, mais ou menos. A tal.
respeito, ouvi ha pouco o Sr. Dampierre
explicar, com grande penetragSo, os es-
forgos tentados pela victima agonisante
para approximar-se de sua mulher. Esses
esfargos, o Sr. Dampierre os attribuio
satisfagao suprema que Gonssolin tinha
buscado, fazendo urna ultima despedida
aquella que estava desfallecida junto delle.
Comprehend bem.
Perfeitamente.
r Permittam-me urna nica observa-
eSo.
Escutamol-o com interesse, meu ca-
ro doutor, disse Foulheuse, a sua expe-
riencia e a sua alta capacidade sao para
nos de grande auxilio.
Magnabat levou os para junto do cada-
ver, depois de haver, com a mao, feito
signal a Gervasia, Guid e Ramaget que
sahissem.
Notem que expressao de odio fe-
roz est, se pode dizer, agarrada a esses
olhos ferni-fechados...
O olhar medonho...
Acreditam que seja o de um homem,
Leite puro
Na estrada de Jo5o Fernandes Vieira, sitio la-
go depois das casas novas da direita, vende-as
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
Ierra, garante-se a qualidade do leite._______
Vende-se barato
cinco excellentes moradas de casas, todas ia
freguezia de S. Jos; a tratar na ra estrella d
Rosario n. 14.
cujo ultimo pensamento foi um sentimento
de amor e de saudade ?
Os magistrados ficaram pensativos e na
dafresponderam.
Alguns instantes depois, acompanhado
pelo doutor, subiram a oseada que con-
duzia ao primeiro andarj e dirigiram-se
para o quarto em que se achava a Sr,
Gervasia.
Bateram na porta.
Urna mulher, que velava, veio abrir,
vendo os sous tres homens :
Chut disse ella, nao fagam bar*-
lho.
A Sra. Gonssolin estava estendida, im-
movel, no leito, com os olhos fecha doa,
com a febre as faces.
Magnabat se approximara.
Estranha syneope, murmurou.
Pedio algvmas informagoes velha So-
zana Bridelle, que velava por Magdalena,
bateu com a cabega com ar descontente,
Dampierre interrogou-o:
Est em perigo a sua vida ?
O abalo foi rude. Todos os cuidado*
que lhe poderia dar agora seriam inuteis.
Talvez a Sra. Gonssolin nao volte mais
si... talvez... mas ser de modo tSo do-
loroso como a morte.
O que entao ?
Talve: ella perca a razo..
Louca! Oh pobre senhora...
Sim, pens como os sennores, iss*
seria medonbo: melhor fora que ella mor-
resse.
Suzana Bridelle refrescava, de lemp
a tempos, a testa e as fontes de Magdale-
na com agua gelada.
O doutor* le vantou um canto da cober-
procurou o brago da doente e puxou-*-
com cuidado para tomar o pulso. A m*
estava fechada... as unhas dos tres dedo
menores estavam meio oceultas na palma
da mao. Esta estava frouxa...
(Continu ar -se-h)
s
71
~Typ. do Diario ra Duque de Caxias n. 42


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EERTQKPXJ_U372L5 INGEST_TIME 2014-05-28T17:57:21Z PACKAGE AA00011611_19904
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES