Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19902


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANUO LXV NUMERO 200

PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO E PACA PORTE
Por tres meses adan tados............... 60000
Por seis ditos idem................ 12*000
Por um anno idem .'............... 23(J000
Cada numero avulso, do mesmo da..... 100
DIARIO DE
Tropriedade de Manoel
3UIKTTA-FEXRA 5 E SETEMBRO DE 1889
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados.............. 13J5CC
Por nove ditos idem................ 20*000
Por um anno idem. .:...-?........... 26)5000
Cada numero avulso, de dias anteriores......^ 0100
RNAMBUGO
a de faria fitys
*e
Os Srs. Amede Prin-
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios
epnblicapoes na Fran-
pa e Inglaterra,
TELEGRAMMAS
sss::;: runcuw:: ::::
MARANHO,' 4 de Setembro, as
horas e 45 minutos da man ha.
9
5." districto de Alagas/o Dr. Theophi-
' Fernandes dos Santos (L);
7. districto do Bahia, o Dr. Joao Evan-
gelista Pedreira de Cerquera (L).
Segundo a Tribuna iliberal estSo
tambem eleitos:
8. districto da Bahia, o Dr. JoSo dos
Reis de Souza Dantas (L) ;
2. districto da Praliyba, o Dr. Ireneo
1. districto do Amazonas, couselheiro
Bar&o de Ldano (L) ;
7." districto de Minas Geraes, o Dr.
Henrique de MagilhSes Salles (L).
Vilo 2. escrutinio pelo-8. districto de
Minas Geraes, os Drs. Carlos Peixoto*' de
Mello (C) e Jos Theotonio Pacheco (L).

Foi eleito em 1. escrutinio pelo 5." dis-
tricto desta provincia, o Dr. Custodio Al-
ves dos Santos (L).
MARANHO, 4 de Setembro, s 4 ho-
ras e 30 minutos da tarde.
Foram eleitos em 1. escrutinio, por esta
provincia:
2. districto, Dr. Antonio Joaquim de
S Ribeiro (L);
3. districto, conselheiro Augusto Olym-
pio Gomes-de Castro (C).
Em MoncSo, Penalva e Vianna, collegios
eleitoraes do 3." districto, houve conflic.
tos.
() RIO DE JANEIRO, 4 de Setembro,
s 4 oras e 30 minutos da noite.
Acha-se enfermo o Visconde de Maraca -
j, ministro da guerra; pelo que deixou o
exercicio do cargo, que est sendo interi-
namente occupado pelo ministro da jnstica
conselheiro Candido d'Ohveira.
Segundo o Jornal do Commercio estilo
eleitos deputados geraes :
INSTRCCiO POPULAR
onde se le=Eetto pelo 2.a districto do Es-
pirito Santo, Dr: Olympio A. de Souza Pi
__anga.
Mn tSi-imnwftr jftff f iitj -
AS GRANDES I.WEJfES
NTICAS k modernas
AS
Scienas. industrias e arles
POR
XXVI
O drenamenlo
(Conclusilo)
ltimamente substituiram se estes dilTerenles
meios de construir canaes de esgoto, faoricando
por baixo prego tubo de barro, que so muito
superiores a todos os meios precedentes, tanto
pela duraco como pela economa.
Estes tubos socylindricos; seu compriraen-
to varia entre 30 e 40 centmetros ; o dimetro,
de tres a dous centmetros. As vantagens da
Forma circular para os tubos sao numerosas e
importantes. Esta forma permitte obter com
urna quantidadc determinada de materia, a maior
supemcie de escoamento : ella que menos re
sisteDcia oppe ao movimeoto da agua, de forma
que o dimetro des tubos pode ser reduzido ao
mnimo tambem a que mais resiste aos cho-
ques e pressoes exteriores, de forma que a espes-
spra das paredes do tubo pode descer a um cen-
tmetro para os menores. Portanto, os tubos
cylindricos sao ao mesmo tempo leves e facis
de transportar; oceupam pouco espago no fundo
dos fossos, obstruem se difflcilmeote e custam
mu pouco. Einlim. se forem de bo:n barro, e
assentes cem cautella, podem durar, por assiin
dizer eternamente.
Collocados simplesmente topo a topo no fundo
dos drenos, sao esses tubos reunidasper man-
i

I
< ,,. naos renos, sao esses iudos reunaos- por man-
'() No telegramma hontem publicado, reirs ou collares, onde se encaixam as saas
extremidades : o dimetro dos collares tal que
o tubo possa entrar fcilmente nelles, E' pelas
juotas nos tubos que se produz, como dissemos,
a fienetraco da agua que embebe o sub-solo.
S^seniamento destes tubos deve ser feito por
um homem caTMnlPso e pratico, porque desta
operago que depetote-6WP grande parte o xito
do drenamento. *"\,
- X
Bt
to'do Espirito-Santo, Dr. Leopoldo Augus
to D. de Mello Cunha (L).
PARTE OFFICIAL
T
I
i '
Governo da Provincia
FALLA com que o Eim. %r. liar o de Calar abri a sesso
extraordinaria da Asseaubla Legislativa Provincial em
8 de IiiIh. de 1880.
CORPO DE POLICA E GUARDA CVICA
Em 21 de Junho findo exonerei Francisco de Araujo Lima do posto de te-
nente-coronel commandande desse corpo.
Na mesma data reintegrei o tenente-coronel Miguel Reixaux Duarte no posto
de commandante do corpo, e no de major, que se achava vago, Themistocles de Oran-
ge dos Reis Lima.
Em 28 demitti os seguintes ofEciaes:
ESTADO-MAIOR '
Tenente-ajudante Theodomiro Thoinaz Cavalcante Pessa;
Ttente secretario Theolindo Augusto do Reg :
Tenente quartel mestre Severiano Vieira da Paz.
1.a compakhia
Capit3o Satyro Ferreina Leite ;
Tenente Manoel Ferreira da Silva;
Alferes Joao Pinto Cavalcante ;
Ildefonso Carne iro da Cunha Albuquerque.
2.a COMPANHIA
Capitao Jo3o Francisco Hemeterio Portella ;
Tenente Deocleciano Peixoto de Alencar ;
Alferes Porphirio Popes Gir3o ;
Paulino Antonio de Souza Ayres.
3.a COMPANHIA
Capitao Lucio de Siqueira Campos ;
Tenente Jos Felippe Gomes Jnior ;
Alferes Ignacio Vespasiano Augusto Ferreira;
, Jos Nicolao Ferreira Gomes.
4.a COMPANHIA
Capitao Antonio Jos Pestaa ;
Tenente Laurenio Goncalves de Azevedo ;
Alferes Francisco Xavier Camello Pessa ;
Tiburtino Jos de Oliveira.
5.a COMPANHIA
Capit3o Joaquim Flix Bezerra Cavalcan'-e ;
Tenente Pedro Alexandrino Correia de Mello ;
Alferes Olegario da Luz Cantarelli;
Joao Bento da Silva Valenca.
6.a COMPANHIA
Capitao Antonio de Barros Correia ;
Tenente Manoel Francisco Alves Teixeira ;
Alferes Manael Francisco Mendes Diniz ;
Severiano de Siqueira Barboza.
7.a COMPANHIA
Alferes Antonio Cadena Bandeira de Mello ; i
Chrispiniano Pimentel Angelim.
Na mesma data reintegrei nos respectivos postos os seguintes officiaes :
ESTADO-MAIOE
Tenente-ajudante Sezinando Carlos d'Arce ;
Tenente-quartel mestre Joviniano Jos de Albuquerque.
1.a COMPANHIA
Capitao Jos Theotonio Pefeira de Carvalho.
Alferes Josino Alexandre de Oliveira.
2.a COMPANHIA
Alferes Jos Rabello Padha.
Manoel Gabino da Silva.
3.a COMPANHIA "
Tenente Jo2o Pires Ferreira.
6.a COMPANHIA
Tenente Antonio Jos de Souza.
Alferes Joaquim Eduardo de Godoy e Vasconcellos.
Na referida data nomeei os seguintes officiaes:
B8TADO-MAIOR
Tenente-secretario Francelino Manoel de Santa Rosa.
f 1.a COMP.
Tenente Manoel Joaquim de Mondn
Alferes, Francisco dos Passos Baptista.
* 2.a COMP.i
Tenente Pedro Baptista Carneiro.
3.a COMPANHIA
Capitao Jos Joaquim Bezerra de Mello ,
Alferes Demeterio Hermillo da Costa; I
t Goncalo Accioly Lins. \
t, 4.a coupanbA
Capitl* Airtonio Carlos dos Santos MergflBhito;
Tenante Joaquim Mauricio Warderley ;
Alferes Aureliano Cassiano Bezerra de Mello;
Francisco de Oliveira Valenca.
5.' COMPANHIA
Capitao JoSo Manoel da Silva Carvalho;
Tenente Jos Ferreira Dutra;
Alteres Elias Baptista da Silva Costa ;
Walfrido Carneiro da Cunha Miranda.
6.a COMPANHIA
CapitSo Ildefonso Vieira da Cunha;
Alferes Carlos Lopes Nogueira Rosa.
7.* COMPANHIA
CapitSo Antonio Cesario da Silva Brazileiro Filho.
Alferes Galdino Jos de Melle;
Genuino de Oliveira Cavalcante.
Em 28 de Junho findo e 1.a do corrente reformei o capitao e o tenente da 7.a
compachia Francisco Pereira do Lago e Sebastiao Floro do Reg.
Em 26 de Junho findo, sob proposta do Dr. chefe de policia, exonerei JoSo
do Reg Lima do posto de commandante gtpal da guarda civica, e nomeei para sub-
stituil-o Joaquim Salvador Pessa de Sique Cavalcante.
A 28, exonerei sob proposta do Dr. chefe de policia, Antonio Luiz de Serra
Cavalcante, Josu Materno de Azevedo Santos, Antonio Pedro de Azevedo e Luiz
Jos Antunes, dos postos de alferes cominandantes da 1.a, 2.% 4.a e 5.a estacSes.
Na mesma data, e sob proposta do Dr. chefe de policia, nomeei Francisco
Laurentino Pereira de Carvalho, Manoel Gomes de Figueira Castro e Manoel do Nas-
cimento Borges Leal, para os postos de alferes commandantes da 2.a, 4.? e 5.a esta-
fSes, na ordem em que v3o collocados.
Na mesma data e sob proposta do Dr. chefe do policia reintegrei Joao Pi
da Silva Valenja e Francisco da Costa Feyraz, nos postos de alferes commandantes
da 1.a e 3.a estajSes, na ordem em que se acham collocados.
CASA DEjDETENglO
Em* 22 de Junho findo exonerei o Cnente coronel Agostinho Bezerra da Silva
Cavalcante do cargo de administrador desse estabelecimento, e na mesma data rein-
terei nesse lugar o major Leopoldo Borgea Galv3o Ucha.
Em 26 aposentei o escrivao desse estabelecimento, Vicente Ferreira Nobre
Pelinca, com a penso a que tiver direitdfc visto contar mais de dez annos, e provado
impossibilitado do continuar no servico piiblico.
DSTRUCgAO PUBLICA
Contina no exercicio do cargo de inspector geral da InstrucjSo Publica o
bacharel Joa Barbalho Uchoa Cavalcanti.
Exonerei os delegados dos districtos litterarbs de Carapots, Altinho, Bello-
Jardim, Floresta, Agua-Pret, 1." e 2. district de Sertaozinho, Gravata, Urus-
meirim, Bezerros, Goyanna, Nossa Sanljgra, dqA', da. Goyanna, S. Lamento de
Tejucupapo, Caruarri, 1* districto'de LimoeiroJ^ejo, S. t'aTanB'da'Ra'pOsa, Var-
zea, Itamb, Timbaba, S. Vicente, i. e 2. d^lfriclo de S. Jos d'esta cidade,
Tacarat, Afogados de Ingazeira e Nossa Senhora do O' de Ipojuca, Bom-Conselho,
Beberibe, Villa-Bella, Escada, Gamelleira, Cabocolo em Petrolina, Salgueiro, Santa
Maria da Boa-Vista, Magdalena, Bonito, Capoeiras e Lage Grande, S. Jos do Egyp-
to, Alagoa de Baixo, Vertentes, Jaboatao, Cabo e S. Frei Pedro Goncalves do Recife,
a pedido, e nomeei, para substituil-os, o major Joao Manoel da Silva Carvalho, te-
nente-coronel Braziliano de Barros Correia, capitao Gaudencio Rodrigues de Araujo,
tenente-coronel Fausto Seraphim de Souza Ferraz, conego Idlino Fernandes de
Souza, Antonio Sergio Marroquim, capitao Manoel de Souza LSo, vigario Joao
Giympio de Souza Lyra, Jos Lourenco de Albuquerque, Severino de Araujo Oli-
veira, Tvfiwutel Paulino da Cunha Gouveia, tenente-coronel Feliciano pavalcanti da
Cunha Reg, nente-coronel Antonio dos Santos Mcdeiros de Aguiar, capilao Juven-
cio Taciano JUariz,Detfharel Affonso de Albuquerque Mello Juuior, bacharel Eutro-
pio Pereira de Faria, \yor Severino Jos do Nogueira Mello, Manoel Felippe de
Araujo Lopes, tenente-coronel Adelino Cavalcanti da Cunha Reg, bacharel Jos
Bezerra Cavalcanti, capitSo SajSo Velho Pereira Borba, capitao Juvencio Aureliano
da Cunha Cezar, bacharel Francisfc.Phaelante da Cmara Lima, Antonio Gomes
Correia da Cruz, Joaquim Tavares (faMoura, capitSo Abdias Bibiano da Cunha
Salles, Lourenco de Carvalho Araujo Yp^ranga, Frederico Chaves Jnior, bacharel
Severiano do Reg Chaves Peixoto, cominttdador Jos Pereira de Aranjo, vigario
Antonio Graciano do Araujo Guarita, Jubilino^sPoelho de Macedo, tenente-coronel
Joaquim de S Araujo, Antonio Joaquim dos Soos Mangabeira, Antonio Gomes
Machado da Silva, commendador Francisco Benici\ da9 Ctiagas, tenente-coronel
Galdino Alves Barbosa, Felippe Pedro de SouzaJ Ag Jos Hyginio Barbosa Lins, Dr. Francisco da Cunha Be|tr3o, Chrispiniano Buarque
de Macedo e bem o bacharel Antonio Baptista de Mello Peixoto para delegado do
districto litterario de Garanhuns que se achava vago.
Por conveniencia do servifo publico remov o p:
Azevedo, para a cadeira de Agua-Preta, determinando qu
Gravat o professsr. Joao Jos Ribeiro.
as mesmas condicSes remov o professor da 1.a cadeira de Caruary Ma-
noel Bezerra de Vasconcellos Cavalcanti para a de Preguiyas e agesta para aquella o
professor Vicente da Silva Monteiro. ^ \
A' vista de representacao da inspectora geral da InstrucgVo Publica e do
parecer do respectivo conselho litterario, autorisei a recisao dos contrastos celebra
dos com Hippolito Pereira da Silva e Generosa Maria de Andrade para regerem as
cadeiras de ensino primario de Belmonte e Serra Branca, por se ter verificado dos
documentos que foram juntos, completa incapacjdade dos referidos contractanRes para
o magisterio. *.
Exonerei o bacharel Manoel Raymundo do Araujo Pinheiro do cargo deSama-
nnense da secretaria da Instruccio ublica e remov para este lugar o empregad(> da
mesma secretaria Manoel Artliur Marinho do Passo ; sendo reintegrado no cargo d
amanuense Manoel Torquato de Araujo Saldanha.
(Contina.)
Luiza trementina Vieira de Mello. In-
forme o Sr inspector geral da Instrucao
Publica.
Sebasti3o Antonio do Reg Barros.
N3o foi aposentado o tunecionario a que se
refere o supplicante pelo que nada ha que
deferir.
Francisca Euphrasia da Conceicao Ne-
ves. '-orno requer na. forma do artigo
151 n. 2 do regulamento vigente.
Horacio Barbato Accioly. cmo re"
quer.
Bacharel Jos Comelio Letao Rangel.
i'omo requep.
Francisco Jos Martins. Como requer.
Antonio da Silva Castro Gomes.Como
requer.
Secretaria da Presidencia de Pernara-
buco, 4 de Setembro de 1889.
O porteiro,
Francelino Chacn.
e Augusto Jos de Saat'Anna, por d8.
turbios.
A' ordom do subdelegado-da freguei
de Santo Antonio, Jos Theotonio da Sil-
va, alienado, at que possa ser transferi-
do para o Asylo da Tamarneira,
A' ordem do do '!.'- districto de S.
Segundo noticias que se recebem das pro-
vincias, a maioria dos jesutas decide-se pelo
novo partido que, de encontr a D. Carlos de
Bourbon, est or^unisando o seu antigo defen-
sor, o Sr. D. Ramn NoceJ. i. apezardas ordens
do Papa; e''outro tanto parece se dispOe a fazer
a maioria dos curas carlistas. A tolerancia do
governo para com os jesutas expulsos da Hes-
Jos, Joao Gomes de Mello, cor distiir- PaQna Pe' rei Carlos III, ha de produzir fataes
k08 r consequeHcia*..
.', j *.- ,- .-i. Segundojeferem os peridicos da Galliza,
A ordem do do districto de S. Jos, o segundo filho do czar da Russia e os officiaes
Bernardmo Jos de Luna e Maria Rodrf-1 m^n, fcrad"n*dos da esquadra da mesma nacao,
gues de Moraes, por disturbios.
A' ordem do do 1. districto da Boa-
Vista, Candido Jos de Sant'Anna, como
vagabundo; Antonio Gonjalves Pereira,
por offensas moral publica.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Manoel Alves de Araujo,
mui digno presidente d'esta provincia.
O chefe de policia, Geroncio Dios de Ar-
ruda Falcao.
essor Jesuino Firmo de
tivesse exercicio na de
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DlA 2 DE
SETEMBRO DE 1889
Antonio Augusto de Oliveira Quintal.
Informe o Sr. inspector da Thesouraria
de Fazenda.
Padre Antonio do Monte e Silva. En-
caminhe-se, devendo ser pago na repar-
ticad dos Correios o competente porte.
Deodato Pinto dos Santos. Informe o
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda.
. Francisco Amancio da Silva. Informe
o Sr. inspector geral da Instrucao Pu-
blica.
Brigadeiro, Francisco Joaquim Pereira
Lobo. Forne9a-se.
Major Justino Rodrigues da Silveira.
Forne5a-se.
dem.dem.
Horacio Carlos de Amorim. Deferido
com officio de hojo ao commandante das
armas.
Capitao Jos Bernardino Dias da Silva.
Remettido ao Sr. commandante supe-
rior da guarda nacional da comarca do
Recife para mandar passar a guia de que
trata o artigo 45 do decreto n. IJ.30 de
12 do Marjo de 1853.
Joaquim da Costa Pinto. Restitua-se
com a certidao da sentenca proferida con-
tra o supplicante.
Jos Antonio de Oliveira Mendonja.
Encaminhe se, pagando o porte o suppli-
cante.
HepartleSo da Polica
2.a seccSo.N. 1073 Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 4 de Setembro de
1889.Illm. e Exm. Sr.Participo a V.
Exc. que hontem foram recomidos Casa
de Detenelo, os seguintes individuos :
A' ordem do Dr. delegado do 1- dis-
tricto da captl, Florencio Jos de Sduza
Thesouro Proviacial
despachos do da 29 db agosto de 1889
Joaquim Mauricio Goncalves Rosa.
A' Contadoria.
Joao Rodrignes Teixeira e Mauoel Nu-
nes da Fonseca.A' Recebedoria.
Collectoria de Muribeca e Augusto
Octaviano de Sooza. Ao Contencioso.
Corpo de Policia, R. de Drusina & C.a,
Officio da Contadoria, Procuradura dos
Feitos de Limoeiro, Dr. Matheus Vaz de
Oliveira e Joaquim Pires da Slva.Ao
Contencioso.
Da 2 de Setembro
Abdias Bibiano da Cunha Salles, Col-
lectoria de Gloria de Goyt, Caetano Tel-
les, Candide Thiago da Costa Mello, Fran-
cisco de Mello Cavalcanti de Albuquerque,
Jo3o Carlos de Moura, Joaquim Flix
Bezerra Cavalcanti, Severiano Jos da Sil
va, Maria Amelia Soares Carvalho, Ma-
riana Augusta de Mello Rodrigues, Maria
Ignacia de Jess e Francisco Ignacio
Pinto.A Contadoria.
Alexandre dos Santos Selva, Carvalho
Lopes & C.a, Maria Cirne Fiaza Lima,
Matheus Austin & C.a, e Rosa Carlota de
Mello.A' Recebedoria.
Dr. Sabino Pinho.NJo ha que deferir.
Arcenio Augustrj~xle MagalhSes, Contas
do Porteiro., Collectorias de Panellas e
Serinhaem, Francisco de Paula do Reg
Barros, Francisco Pedro BouIitreau,London
Brasiliam Bank Limited, Anna Laurinda Va-
rejao Barbosa, Joao Manoel de Franca,
Manoel Duarte Machado, Maria Joaquina
da Annuncia$ao, Officio da Recebedoria,
Silvestre Antonio de Souza e Severiano
Jos da Silva.A' Contadoria.
Alfredo Vieia Cavalcante Po tual. -
A' Recebedoria.
Collectoria da Escada. Ao Conten-
cioso.
Joaquim Gonalves dos Santos e Ma-
noel do Nascimento da Silva Castro.
Certifique-se.
Recebedoria Provincial
DESPACHOSDO DIA 4 DE SETEMBRO DE 1889
Alfredo Vieira Cavalcanti Pontual, Ale-
xandre dos Santos Selva, Matheus Aus-
tin & C.*, Maria Cirne Fiuzn Lima, Car-
valho Lopes & C.a e Rosa Carlota de
Mello.Iuforme al.' secgao.
Abrantes & Irmao.rA' 1.a secc3o para
os devidos fins.
Jos Raphael Soares de Azevedo.
Certifique-se.
surta naquellas aguas, dispoe-se aJr ao castello
de Mor, com o fim de cumprmentar o embaixa-
dor do sea paiz, que all est passando o vero
em casa do Sr. ministro de estado.
0 Sr. Romero Robledo, que abandonou o
partido conservador, por julgar que o Sr. Cno-
vas tinha procedido mal em entregar o poder
aos fusionistas, por occasio do fallecimento de
el-rt-i D. Affonso anda agora em negociages
com o seu antigo chefe, para regressar a elle,
servindolhe de intermediario o Sr. Pidal.
E' este o tliema obrigado de todas as con ver-
sagoes.
Em primeiro lugar, frente do diario conser-
dor El Estandarte, que publicou um artigo en-
viado de Riarritz pelo seu director, o Sr. Conde
da Casa Sedao, e que, por estar all rsidindo
o Sr. Cnovas del Castillo, se julga autorisado
Eor este, sustentando a conveniencia e a possi-
ilidade do regresso do Sr. Romero Robledo ao
partido conservador, levantaran) se a Monarqua
e poca. Esta ultima, cuja auloridad dentro
do partido conservador iodiscutivel, e que
oeste assumpto parece reflectir a opinio de ho-
inens Uto importantes, como os Srs. Conde de
Toreno e Silvela, Gayn e Villaverde, oppe-se
enrgicamente a tal regresso.
Receia-seque por tal motivo rebente um gra-
ve scisma entre os conservadores.
O Sr. Romero Robledo assiste a esta polmica,
e permanece calado, maniendo um dos ps no
campo dos conjurados, e o outro para o dos con-
servadores ; o que est produzindo oestes cadu
vez maior indignago.
Os reformistas, ou para melhor dizer, os roble-
distas folgam de que o seu ebefe, para quem,
assim como para elles, nunca toram nada os
principios, volte ao seu antigo partido, julgando
que assim disfructaro mais cedo os gosos do
poder e dos empregos.
Julgara dlguns maliciosos que o Sr. Romero
Robledo auxiliou a conjura de accordo com o
Sr. Cnovas.
O dcpulado por Malaga e director do Impar-
cial, antigo e furibundo republicano, e hoje fer-.
voroso monarchista, o Sr. D. Andr Mellado,
aceitn o cargo de alcaide de Madrid, que Ibe
foi offerecido pelo governo, nao sem ter tido
previamente varias e importantes conferencias
sobre a suspenso de varios, e a nomeagao de
outros.
O alcaide dc'Rarcelona, o Si- Ros y Ean-
lor, que esiaia gravemente enfermo, e por cojo
restabeleciraento se fazjam votos eajjflda a Ca-
Ameaio^Vai. m d Silva Barroca restabeleciraento se fazmm votos enU^a a Ca-
*ZT A*iT L.,ult n'T' *"*, parece que tem expenmenUoT'melho-
Instraeco Publica
DESPACHOS DO DIA 2 08 SETEMBRO DE 1889
Rita Mara Gomes de Souza. Encaminhe-se
Antonio Joaquim Albuquerque Mello Xetto.
Sim, mediante recibo.
Manoel Antonio Ferreira Rraga. Encami-
uhe-se.
Jos Firmino Ribeiro.Encaminhe-se.
_ 4 _
Leonca de Luna Freir.Encaminhe-se.
EXTERIOR
s^V
Xoticias da Europa
Pelo paquete francez Orenoque, chegado da
Europa auie-hoiiL'iii. s 5 1 2 horas da tarde,
recebemos da>as que de Lisboa alcangam 24
de Agosto ndo, adianlando cinco dias s trazi-
das pelo inglez on.
Eis as noticias de que foi elle portador :
Hespanha
Escreve sobre este paiz o uo30 corresponden-
te d Lisboa :
Julgam alguns que a vinda do general Cialdi-
ni, muito estimado em Hespanha. e casado com
urna senhora hespanhola, para embaixador de
llalla em Madrid, tem por lim conseguir a en-
trada da Hespanha na trplice allianga. Vio
empenho. Os hespanhes teera grande sympa-
iliia pelaFranga, e nenhuma pela Allernanha e
pela Austria.
O governador encarregou o commandante
lia cauhoneira Diligente de proceder a uma in-
vestigago acerca do conflicto que houve nos
limites martimos de Hespanha e Franga, perto
de Gerona, entre uin barco hespaohol tripolado
por 4 homens, e varias lanchas francezas que
eslavam peacando as aguas hespanholas. Em
Gerona queixam-se de que*que!la canlioncira
mo esteja sempre no golpho de Lvuo, como de
va, para evitar factos semelhantes.
O capito-general das provincias vascon-
gadas est preparando as manobras do exercito
do norte. Estas operages devem effectuar-se
durante o mez le Setembro, nafronteira. Oseu
centro ser o forte de S. Marcos. Espera-se que
a raiuha regente ir presencial-as.
Diz-se que as primeiras eleiges que
houver para deputados. se apresentaro como
candidatos por accumuluyo os Srs. D. Ramn
Nocedal e rsi y Lara, chefes do novo partido
catholico, que defende, com repblica ou monar-
chia, o reinado social de Jess Corista .
ras, com grande ccnlentamcnto de todos os
barcelonenses.
Os nossos visinhos parecem ha tempo con
demnados pelo destino a fazer monopolio de
desventuras.
Agora a soberba Granada do poeta Zorrilla
a victima da recente catastrephe.
Veja-se o que ao Imparcial de Madrid telegra-
pham daquella infeliz cidade :
Hoje, 17 de Agosto, s II horas e um quarto
da manh, descarfegou sobre esla cidade um
terrivel cyclone, ou manga de vento, que durou
13 segundos, produzindo grandes estragos, es-
pecialmente na praga de Touros, e nos bosques
de Alhambra.
A praga de touros (ico" totalmente des-
truida. So resisti ao cyclone, e contina de pe a
armago dos palanques. e a construego de
pedra.
Todo o pavimento alto veio a trra com es-
trepito espantoso.
As columnas de ferro saltaram feita peda-
gos, e foKam parar a grande distancia.
em uma s licou inteira.
O mesmo succedeu com as varandilhas de
ferro, todos os lugares altos, armago e madeira-
mento do edilicio. Os prejuizos sobem a 15,000
duros.
O bosque de Alhambra offerece um especta.-
culo desolador. Os passeios acham-se total-
mente interceptados por enormes troncos d'ar-
vores.
O numero de lamos cabidos por trra passa
de 200. Precisamente os mais amigos e mais
altos foram arrancados radicalmente, arrastanao
comsiyo grandes torrees de trra, e deixando
abertas profundas cotas.
Na cerca dos Martyres, residencia que foi de
Zorrilla, tambera o cyclone fez grandes estragos
arrancando muitas arvores, deslruindo jardins,
e partindo estatuas.
0 furaco tinha torca to espantosa, que do-
brou o para-raios da igreja de Santa Maria, for-
mando delle um ngulo recto.
Na Alhambra e em varios parques os estra-
gos sao enormes, sendo o mais damnificado o
parque do Sr. Alvarez de Toledo.
Algumas ras licaram completamente tapa-
das -por escombros de predios derrocados.
A fabrica do gaz, os passeios, etc., tudo sof-
freu avarias e grandes.
O pnico indiscriptivel.
Fecbaram todos os estabelecimenlos.
_ O cvclone veio do sudoeste pelo Darro, das
morfcMinas de Huctor-Santillan.
JulgaNse que veio do Mediterrneo.
Granda quantidade de feijes que estavam
seccando n'umw eir, foram arremessados a uma
grande altura r^ds-cbr a 3\rT?f,8S._de dis-
tancia. ~x~> -
Nao houve felizmente desgragas pessoaes ;
terae-se, no emtnto, que as houvesse as po-
voages da costa.
O governador e mais autoridades percorre-
ram todos os pontos onde o sinistro fez estra-
gos, dictando as convenientes medidas e dispo-
sigOes. Numerosos grupos de trabalhadores esto
oceupados no restabelecimento das commumea-
ges nelis passeios. e pelo bosque de Alhambra.
O rcebispo de Valencia, cardeal Monescillo,
foi citado pan comparecer nojulgado municipal
do districto do Mar, a requeiimento do advogado
D. Aurelio Blasco, que pede a reparayao por in-
jurias que suppOe Ihe dirigir sua eminencia.
O motivo do processo provem da mensagem
dirigida pelo cardeal Monescillo para protestar
contra a apothese de Giordano Bruno, celebra-
do ltimamente em Roma.
Na mensagem alludia-se a D. Aurelio Blasco,
que assistio s feslas de Giordano Bruno, como
representante dos livres pensadores de Valcn.-ia.
O cardeal nao compareceu no tribunal e, como
senador, o Sr. Blasco requereuque seja pedida
cmara alia autonsagao para ser processado o
Sr. Monescillo. Assesura-se que um conhecido
senador apoiar o podido.
Frailen
Foram 13,0io os maires que tomaram parte no
grande banquete celebrado no dia 18 de Agosto
no palacio da Insdustria.
Os convivas comegaram a reunir se no Hote t
de Ville 1 hora da tarde. Quaado se tratou (
por o cortejo em movimeqto, o presidente do
conselho municipal de Paris escolneu os ma'.res
das duas mais pequeas communas, para ',rem
ao seu lado, na frente delle.
Os escoltados toram ; o da communa 'ressa-
'
"fl
(
"1
\~ aiaaia^Mai i t
III *hWI lp~


Diario de Pernambuco---Quinta-fei^a 5 de Setembro de ) *89
L/
dcourt. que tem y
Vaudherland, que'tem 48.
Entre os
convivas
iarase muit'03 maires da Argelia e alguna *da sifio da fes naetooal, rearrttou-se a ilwugnraco
fouesia, com os seus trajos nacionaes. da estatua de Aniieesens, decapitado em 1719
na i;
Vanes
Era Bruxellas, a 18 de Agosto, pu occa
Muitos dos das commuoas dan departamentos
p continente iatn tambe vestidos moda lo-
afcl. Tudo isso dava ao cortejo tima fecao espe-
almente pittoresca.
Eram 4 horas quando se p6z o cortejo a cami-
. abo para o palacio da Industria, levando na sua
I-ente urna torca de guardas municipae* a ca-
ballo, a qual se seguiam Iros aalotoes*a asBi e
depois a banda de rausicada nuaada n^nlilMk.
s mairos seguiara-se seajnndoMi ardo aln*-
beticados respectivos dfljpartaasawos.
Era grande a multiil^fela*08 do trarrstes
os representantes das* arara a miudo saudadomom vivas entttuslMM-
aos. Foram alvo de espacial e calorosa ova?
as das communas do tersttario de BeMard.
O'cortejo chegou ao pajawoa IaJMiu'-46
oras. A's 7 Horas chegou- Sr. CaaMj MMU-
pan Ira lo pelos oficiaes da sua casa militar.
No banquete o pnmeiro brinde foi levantado
jelo presidente do cousellio municipal de Pars,
Sr. Chantemps, que saudou os maires, poz em
relevo a sigoihcacao d'aquella festa, e brlndou
lambem ao presiaente da repblica, que dase
ser o homem que personrtlca, com urna aurort
ade sempre crescente, as esperanzas da rep-
blica e da patria.
Seguio se o Sr. Garnot, queexaltouagraodesa
da Franca, os resultados da esposijio, as sym-
aathias das diferentes nacOes, por aquelle cer-
tamen internacional, e o espectculo que a re-
pblica Iranceza est dando no seu engrandec
tiento progressivo, e na sua obra de riconsti-
tuieo e le paz. Brindou por lim repblica
una e indivisivel, e a liberdaJe e gran m da
Franca.
O banquete termioou as 9 horas da noite, di-
rigiudo se entao os maires para o Jardim das
Plantas, que havla sido vedado ao publico, e ond;
ima urchestra tocara hyinnes patriticos.
Estar noprogramtna da festa urna vistla ao
recinto da exposcao, onden'aqunlla notte hivia
un espectculo de fontes luminosas. Smente,
aorera, urna parle dos maires all foi, porque um
jjrande numera dellos demorou-se at bastante
tempo no Jardim das Plantas.
Foram consaraidos no banquete 3,OJO litros de
saldo ; 3,00011tros de cal ; 4,0091-ilogramma-
V peixe ; 3,30mlogramTias de (Metes de vac>
a ; 1,800 mlbos de rabanales :3,50dkilograra-
mas de p-f? ; 30,003 pues. Bberam-se- 30,009
Sirrafas de vioha e 3,000 garrafas de agua de
eltz e de Saint-Galioier.
Comeram-se t,900 acafates de fractas." Ov*J
eegos conquistarara a especial sympathia dos
convivas, sendo consumidos' -cin-'mnnero de
10,000. ^^
O servio do banquete foi reito por 1.006
maitres d'holel., 150 coirnhereiros, 100 ajudan
tes. 80 dispen3elr08 e 250 Criados. ^
Cada maitre d'hotel servia 15'pesrass ; e,
alera disso, barki 1 -maitre d'holel chefe, diri
findo o servigo de cada 40'dos oul*.
Os termos da sentenca condemnatora de
Boulanger. Dillon e Rochefort pelo senado-foram
approvados por 205 votos contra 1 4 absten
les.
Depois abrise a sesso publica;, -e o presi-
dente deu, em nova leilura, publicidade a sen
tenga, que condemna os tres aecusados depor-
faco n'um recinto fortifioado.
iN'enhum grito, nenlium incidente so-prodaz
qu-! inereca mencao, nn dentro do tribunal,
nem fra.
No mesmo da dj julgafflento.'reunlram se
es tres grupos da esquerdu do senado e resofve-
ra:n :
l. Pedirem ao governo, por intermedio das
respectivas mesa, que faga respeitar a sen tanga
do alto tribunal dtpoi9 quede'fuuc
eionar ;
2." Encarregarem, durante o inlervallo parla-
mentar, os membros -das suWmaaat|UU ct*
re.'ii em Pariz, de se prem em relacao com o
governo para Ihe-communicarem todas as infor-
magOes que houvarem colhido- scriire a simario
nos seus respectivos departamentos
3. Chamar a alteocJo dO'go*erno para a gra-
vidade da ausencia de alguna'dos euS'meinbw?
do actual momento ;
4.* neciaiuar dciwp n-r*Mim'o aos funcevonarios e olliiiaes inatsgraanienie
implicados na propagnotla boulangisla.
Com a data de-- t-de^A^OeU) apparereu pu
blicalo um novo manifest dos Srs. BrultMger,
Dillon e Rochefort, protestando contra a con-
demnagao que Ihcs infligi o senado francez,
constituido em alto tribunal de justiga.
E' abuudante, apesar das sua* pequeas pro-
porges, em termos altisonante*, a m injurias
contri os republicano* moderado?. Ap.iella para
o sulTragio universal nas prximas eleigftes, e
da mentira para a vurdade, da-dictadura da-l
lama para a repblica honesta:
A repblica hooe.->ta, diz um jor.v.l. commen
tando, a que- ser dirigida pe'os ligares, que
o general Boulanger tiiilia-aisoldados como seus
espies e agentes, e que eram gonle dapotor
especie.
Mo mesmo dia lG>houve en fab uma-reu-
niao boulangisla na s.lado ceniunarre> ein lre-
nelle. Foi presidida pelo Sr. Farcy e asststiram
a ella urnas 2,000 pessoas entre as quaes avulta
vain muito os simples cuitosos.
Fallou o Sr. Laguerre, que; depois deprocurar
refutar a aecusarao formulada pelo procurador
geral da repblica, peratite o tribunal, apresen-
tou a sua candidatura por unta das crcum**!'
pgOes de Pariz, dizendo que -abondonav.i o B(-
anligo circulo de Yanctu*, por entender quo
todos os homens que tcm tido a direcgo do
partido boulangisla, devem agora propor-se pola^j
capital.
Conta um jormil que o ministerio publico
ra intentar mMM contra os Srs. Balliere.
LftraOBeUe e Borel, por causa das cartas em que
bHDcaUram o procurador geral.
Segundo noticia* de Londres, parece qne
O general Bou'anger e o Sr: DerouUVte-nao-esio
deaccordo a retpeilo da escolha do<> candidatos
boulungistas.
O juigaj.enlo coodemnatonodo gpnr.il Biu
langer e dos seus dous cmplice* Mrtloh e Ro-
chefort o assumpto que mais est oceupando
os joruaes franceses.
Como era de ver, os republicanos.sao unni-
mes em applaudir o verediclUm -do senado, e
os conservadores e boulaugislas sao, tambem,
concordes em o acensar de parcialtdade
Os boulangistas, esses sao prdigos e n todo
0 genero de injurias contra os senadores, que
votaram a condefinagao, e eut geral contra
aquella .i-se uidfti,
A restante iraprens estrangeira c em parecer que a condemnago foi justa e que era
necessano desembaragar a *F;*anga d'aquella
complicacio, que aineagava a esUbilidade dos
governos e que era uinu causa perturbadora de
perniciosos etteito*. i
O boulangismo, cniendem mullos'que
golpe mortal. O prestigiotdo general esta ja
profundamente a^aj3a._i^f^-^d*HOn>(trou o
resultado das^,,.H.oL.s dos conseihos"graes ; a
^.frt^T'que o boulangismo anda parecia ter era a
que llie davam os partidos monarchicos alliatos
com elle, partidas que o aandonaram con pie ta
mente.
O julgame.ito, por fim, mostrando o verdadei
ro valor do ambicioso general, os m"ics a que
recorra para armar a popularidide, os amigos
ntimos e agentes, quetinha ao seu servigo, deu
em trra com o hroe, acreditam muitos.
A atlitude dos jornaes conservadores, condem-
nando o veredctum do alto tribunal, compre-
hende se perleitamente. porque os partidos que
repres.-ntav.ira na imprensa, coligando se com
o general, e querendo aproveilar, em seu bene-
ficio poltico, os resultados das nn-nobras dell-e,
foram arrastados u'unfe solidanedade, que faz
que sobre elles Umbem recaa a condemnago
que fulminou o procedimento de Boulanger e dos
seus dous cmplices.
Agora, derribado o dolo, como o foi pela sen-
Uinga do senado, os partidos monarchicos per-
de rara aquella bandera, acobertados cora a qual
se haviam aprsentado a lutar as ulmas cam-
nam'ias eleitoraes. D'ahi resulta que as proxi
mas eie.goes de deputados devem fazer-se n um
terreri o muito mais desembaragado e franco, em
que os candidatos terao que apresentar se com
a sua v. irdadeira cor poltica e um proganima
definido E' pn,ao aue 8e P<'era ver 1ua'
verdadeii" espirito patrio actual da Franca ; se
effectivam ente a uiaioria da populaglo 6 favora-
vel coost 'rvago da repblica, ou se, como pre-
tendem mui tos, a idea monarcbca tem cooquis
tado terreno a, ao Ponto de por em eri"
so a forma rt 'pubiieana.
Parece que a ExaBJgao ser encerrada a 31 ne
Oalubro.
CORRESPODWCliS
par defender a liberdade.
. Urna tnultidao enorme, miis de 300 associa-
g6es, e todos os grupos socialistas, desliiaram
dianle da estatua, reinando sempre a mais com
pleta o id era.
Italift
. Maimainales o *ananan**do> cenlnnaista-
da ttaMna, o wCawcnV Intituo- uaMier-
dgtru unMi-saMMi ectrera )sa-asposa, e distri-
taWpeqanaos Madot^et.OOMrn petos sylos
daiuainM deaapdHM,de PaiMa.-e de-B}irate,
palos pdktas de a raparla, e pala Asaaafafto
Vdterauaa4,):nbaor Pe .e su-*spaaa que
eontempl coi alganas leintorangas os seuaa
anigos4onmoMamljnna"o-lha>a.uB consiaerava
cano irmm ien^n*ao ania Nipati.'
OtnyisJiWiuHW io*4)aqn- de*Ao-
de.rweirfzar-se no (Tmtle'AostO ou no principio
de Setembro.
Assistem a elle, alera do principe real portii>
guez, o principe apoleo com seu lilho Luiz,
os cavalheiros da Orden da Annunciada. os pie
si denles das duas cmaras, as casas civis e rai-
*J litara dos principas aa-autaridadaa- da awn i
cia e da aidade, os commandantes do corpo do
exerclto e da diviso. etc.
A Riforma, orgo do Sr. Crisp, desmente
o boato, segundo o qual se projectaria proceder
a ensaios de mobilisago militar depois lo rei
regressar de Ponilles. e construir novas fortiflca-
ges n'agu.nas ilhas do Mediterrneo.
Manta-S
Nio obstante as declarages dos jornaes In-
spirados pelo Vaticano, contina a afumarse
que o estado de saude do papa ramio pouco
satisfatorio.
Diz se que os soffwmentos de L/!o XIII sao
devidosi sua muita ni^lica^o ao trabalho.
Apesar dos consethos mdicos-,' elle poue re*
pouso se permitle, e a sua saude roseate-se mui
lu d'lSSO.
Ni i ha -pongo immediato. mas a prostragao
em que as vezea cae o pootifice, e a grande dif
lii-uldade que tem em andar, indicara urna dimi-
nuirn successiva de- forran,- que inoira -cui-
dados.
No -dia 18 de Agosto, era que'se celebroua
festa de-S.-Joaquim, santo do norae de aptismo
do actual pontilice (Joaqaim Pecci). os jornaes
catholicos de Roma apparecerara ornados -de vi
nhetas, e pubhcaram artfgos laudatorios, a res-
pailo do papa.
Leo XIII raandou distribuir n'aquelle dia
12',00fi liras pelos pobres.
InforraaiH'de Vi'enna d'AusIria que-a pasto-
ral do eurdeal-nrcebispo iMglbreooluoe
hortandoos-fiois a que fagan orugao para o papa-
recobrar a liberdade c a ndeneudencia.
Diz um telegramraa de Philadelphia para o
ri'mrs que o papa instiluio ura tribunal cede.'
fiaslico para os Estados-Unidos.
O Otseroatore Hommt9\orx6o do Vaticine,
desatent una noticia publica la pela Gizela de
Colonia, e segundo a quol da parte do papa te
riam sida-enviadasinstrucgDes imprensa ca
tholica da'Baviera, para qiWcombaitesae a tri
plce illiauga, m<*ruocovs que, comtudoi nao ti
nham -sido obedecidas/
0 Otsercatore lamenta que, desde ha algum tera-n
po, se propalera era Berln, com breves litwr
vultos, no:icias seraelhantes, injuriosas para a
Santa-Sec destituidas>de>todo*o fundamento.
Com motivo da festividade de S. iouquira,'
o papa receben lioje os caracaes distribuindo-
Ih&s uraa'-eneyetica,
N'starecoiiiineBdaorafftos pota&'diIicuMades
-do tempo presente.
nastnan
Do Diario de *ernaabuco
P(7RT[JGAL Lisboa, 24 de agosto
A corte contina em Unir. Celebra-se, C^^B
urna prora evidente das mo!horas de ei-ret,
ha das S M. dado nm puqueno passeio pelos jar-
dins do pago, mas encostado a dous creados. Por
lerabraoga de sua augusta esposa, vai ser oIuk
Man ura mnMo alia nao qu*, diana, gra
nunailidade dinioa. para estallar aspadeeMien
tatsbo S^. D.-Luis* tomar-i;ontA4o seutratu
'''i** 60
Una f illia do- L\*biV* estrantenusnao se
''IS 'aiada chamada-para joato dowa**n*irmo
" ns dos p.ossas sumandades nadi lat| por-exam
|IMpn Or. Hanel Barreno da^oflnaousvaiada^
-nao fot-ouvidat'-Cada am totoa-o mdico ou me
(baos^ua masante apmzenatodan,aan** saajL
* "qne a aonliainados tonstes-aos qsntaliagsutwn >
po i.
No-est conjphlaraente abandonada, comoise^ o HliniMftdor da Tar<|aia, o!.-. Depois deu am
Victoria
Viltal-o
suppuolMii u ide* do-congresse aoti esclavista d
Lw."ema
Parece que ser novamente con,eca-lo para a
oiesma cidmle, pelo cardeal Lavtgerie, em poca
PBOxitna.
liitlali-rr.i
Diz ura jornal ioglez que a rainha
prorneit'U ao iraperador'da Allemsnha
tan Berhm, no estio do auno quoaicffi.
iVa cmara dos communs, o Sr. Lilione
ii-re, depulado radical ghdsloneano, peraintou
ao governo se lem tea Cuadumonto a
dada pela liacli Saeiontl de Berlim acarea de'
um aceerdo -utre a AUumuiha' c a Im acordo, que a folha berjnense allirma- ler-sB
estabf It'Cidj'por occasio da recente visita do'ini-
nerador Gaiinerrae rainlia Victona no palatio
de Os non*.
Sir James Fergusson, secretario poli-ico do
ministerio dos negocios pstrangetros. respondeu
que a aocodo governo'h-itaniiico, se por acaso
rebeniiira guerra, hade inspirarse nascircum
atuncia* partifnlares e em interesse do paiz, i
que, portauto; o governo tem o cuidado' de nc
subscrever nenlium comproraisso que llie possa
erahaiagar a liberdade de aego.
Para que se nao perca, porra, lodo o elTeilo
do- boatos, que a tal respeito corriam, c que nao
deixavara de ser agradaveis ao gabinete Salis
bury, o Moining-fost, folha ministerial, publicou
un artigo em quese insina que a Allemaoha
a Russia licarara t ma nago britahmca.
Aquelle jornal diz que a I igialerra, maniendo
a sua perfetU independencia, e sera se ligar por
nenhura accordo, que po.*.wTjrejudicar as suas
boas relages com a Franga e com a Russia, lem
cxiiBiudo melhoradoconsideravelmente a suampo-
signo de potencia europea.
Alfirraa que a forca real d'ella lioje recouhe-
cida era Berlim e ca Vienna, e habilita-se a fa-
zer ouvir a sua voz em todas tes europeas.
Diz mais que lord S li-hury soube obler para
o sen paiz essas vantagens, sera o envolver era
comproraisso., de intervengoes exteriores. Sus-
tenta, porem, que o vasto imperio britannico
lem necessidade de contar con a amisadee com
u tolerancia dos oulros oslados. Emquanlo a
sua poltica fr enrgica e bein definida, e esti-
eran bem delinidos os seus recursos, estar era
circuinstancias de exigir que por elle se pro-
fawa alta estima, e isso sera que ningoem ueva
motinlrar-se.
E' isso, diz o Morning Post, tudo quanto rc-
clana o governo da rainha, c ludo quanto espe-
rara as potencias da Europa central, as quaes
esto satisfeitas con a nnitrff nrnfniaaii da
Inglaterra, livre de qualquer compronisso em-
baa coso.
Em Londres, no dia 18 de Agosto, cerca de
."JO rraoceics dirigirau-se > casa do general
Boulanger para protestarem contra a deliberago
ito alto tribunal de justica. Faziam parte da ina-
nifestace alguraas senhoras. Hia d"Vf|s, pTe.
receu -lite^B. *;mi vites haviam sido assignados por M.
ao apparecer no>saUo, o general foi
receido com gritos de: Abaixo Perry! Viva
Boulanger*
Ura dos manifestantes leu o protesto; que foi
recelndo com vivas calorosos repblica. O
general fallou. Referi su axusaoio do des-
vio d; fundos, que-repellto indignado. O go
remo combaten o, ando-lhe por juizes os seus
inimigos pblicos. Declarou que nao hesita
ria, elle e os seus amigos, a partir para a Frau-
ga, se se houvesse constituido um tribunal regu-
lar ou um conselho de guerra. O general espe--|
ra que o triumpho alcangado pelos seus adver-
sarios, seja de pequea durago. A manifest-
go da colonia franceza ein Londres nao seno
o preludio de urna prximaflianifestago popu-
lar. Qaando chegar esse da, perguntar ao po-
ro francez: Queris votar com o governo
actual ou com a repblica honrada e estavel,
que realizar importantes reformas "democrti-
cas ? Os eleitores nao votaro nem pot mira,
era por ninguera; mas sim a favor ou contra o
actual estado de cousus.
Annuncia-se para o dia 27 um grande
nuetiag Jioulani-isla. de protesto contra o pro-
cesso do alto tribunal de justiga e contra o li-
bello accusalorio. Pelas provincias foram espa-
Ibados convites prol'usaraeote. M. Laguerre pro-
nunciar ura discurso, qije promette ser vio-
lento.
Esto em prev ura grande numero de tra
balhadorcs das docas de Londres, o que ten
difuculta carga do3 navios.
__Os crimes agrarios, que ltimamente ti-
nham diminuido consideruvelmente na Irlanda.
Uirnim agora a apparecer com mais frequencia,
o que se attribue a have- mais rigor as expul
s6es dos rendeiros, que nao pagaram rendas.
Os gbinetes de Lindres e Pars assigna-
ram ha poneos das un protocollo que compOe
as qae8toes pendenles entre a Franga e a logla-
ia costa occidental de frica.
raeio caminho cuidado para a cura. Ha quem'
segreJe que a molestia do soberano mais algu-
ma cousa do que a d>< sciatica, e que S. M. sof-
fre-rt'un ainolteciraento na espinha.
E' certo. poma, que recolhulo ao< spus apo,
sontos, all faz msica, l, conversa cora as
amntfe*mM'famitto,nrretendr assira, os-set^H
ou jnnto Turna janella ouvindo noite o variado
repertorio da banda regiraontal do 7o de infante-
ra, do o corpo da guarnigo de Lisboa que deu
o destacamento este vero para aquelle real sitio^i '^""oinadn''
Esla musicata das 9 s 11 da noite conslitue < rj,10U ^.
classlco Peixe -frito, de que to gulosos sao os
moradores da villa e o i adventicios, rcunindo-se
no espagoso pateo do palacio toda a gente, ora
passeando. ora sentando-se nos bancos e cadei-
ras que all seencontram, sendo franca a entrada
todas classes seja qual fr o seu trajar.
a os paltes haverem organlsado urna tabella)
i que os operarios se juigaram
preradandaa; tercia accordado em qne nao fos
san adawtidos era nenhuraa das oito fabricas
operario, que--nao estivessera munidos do um
nto--ia easa-d'onde proviohura ; e linaliflente,
em podwrenr .ser transferidos de urnas para
ouM-as fabricas, quando os patres assin o en-
tendessem
A grve teve principio na fabrica do Curva-
Ihinlio, e eurt;Wrlude e
nandades panja fabrica do Searrar d'Alra dos
operanai d'a^Blle outro estabeleeiioeato fabrl.
Os oneuinja ao saberemda ardos, absao-
oaranva traonao e dirigiram'se afaMaa do-te-
tord'Alaaiv^o d'ahi s oulras fanaas. aw
aomraissaa- do: operarios foi pedrttaaaga A au
awidade pan'reunir a classnaivgnnf; albn de
pa tragar-raaaa linha de conturtaianconjuns
ra actual*
Foi-llie eomada a licongav*
4 da tarde de 19 (segunda-feira) reuni-
rani-se era grande numero os grevistas n'um
salao do largo de Santo Ovidio ; mas, como nao
tivesso comparecido o presidelh; da Amctano
dos Artistas Cermicos do Po'lo e Gaya, licou a
sesso adiada para o dia seguinte raesma Uora.
Um do* operaraa,-aogna-panw; uaneusa-
frisado entre elles exhortou-os inodeacao, e
disse-lhes que ninguera era obri(jado a dflxar o
trabalho. Pedio, purera, a todos, que para bem
la sua classe se nuntivessem lirmes no resolu-
Foi um logro de mo de mostr Ai Xjvida-
tal contri a regeneragao e contra Fontes Pereira
de Mello.
A Guzeta de Portugal, de que director po-
ltico o 3r. A. de Serpa, retrucou era termos as-
peros. Sabidas as contas, o furibundo artigo
das Noviiade$ nao era nem mais nem menos do
que urna exhumago de ha 33 anuos. Tinha si-
tie escriplo pelo proprio Sr. Antonio de Serpa
noinanwtttde seram -ansas de virar casaca; raevo seucoll-ga d i 6a-
3<<*"i|ue anda eut*o- iiaa- era aasetdo eouroao
cordeiro da fabubxahnMso loriar, poi-qoe nao
cooheceu a prosa do-.menn'e reaoiagau bravo
naate.
No outro dia sumimdatsurrioml! por paute
dan.Voriades, e a+sttn e-vo ga*tandvno jor-
uafemo estes temaaamo
mpre completo socego.
Os operarios louceiros, que esto era grve,
reun rain a 21, resolvendo que urna coraraisso
entregarse no dia seguinte u:na represeotago
ao governador civil, pendo a sua iutervcngo
no conflicio pendente cora os patres.
Esto fazendo furor era Pariz as toiradas
Ha das o almirante Lebraoo, da esquadrilha p,,,,,^,. ein que nao ha toUro de raorle,
tem estado no feraeo* ^,ndo 0 exit0 .^ m|ljt0 su-erar
italiana de. iustriicgo que
ofllciaes ?uperiores do seu comraando forara con-
vidados a jantar em Cintra, no pago. El rei nao
foi mesa. Depois de terminado o jantar: que
o almirantee ollicialidade da armada italiana fo-
ram ao gabinete Je el rei apresentar-lhe as suas
Itetnenagens.
uias depois, o Sr. Mirqnez de Fronteira deu
um jantar em honra do almirante Lsbrano na sua
quinta di' Bemlica.
No dia 19, s 7 horas e 20 minutos da noite
parti no_ Sai Express em direcgo a Pariz S. A
Real o prncipe D. Carlos. Acompaoharam o prin-
cipe herdeiro os Srs. conde de S. Mamede e Sei-
sal.
Ao servigo particular dj S. A. foi apenas ura
criado.
Stgare de Santa Apjlonia estavam o presiden
le do conselho de ministros, ministros da fazen-
da, obras publicas e marinha, e muitos persona-
ajens ofliciacs, titulares, etc.
S. A Real demora-se poucos diamn Pariz, de-
ande seguir para a Italia atira de assietirao bap-
tisado de sen primo, o lilho do duquo de Aosta,
oex-rei de ilospantui-Aiaideu.
Chegou no dia 21 a ariz. onde era esperado
peto oosso ministro e varias pjjsoas nolaveis da
Colonia Portugueza e pelo enoarrega io do neg
nos da Italia.
S. A. Real tbi hospadnr se nj hotel "rislol
>. A. R. o duque de Braganga ao salnr do ho
tet Bristol, na manh de 22, acompanhado pelo
ajudunte de campo, conde de S'i-al e do'seere-
lario, conde de S. Hauede, foi ao Elyseo deixar
hilhete ao Sr. Carnot, presidente da repblica
franceza.
Dopois visitou o Sr. Tirard, presidente do con-
selho e o Sr. Spuller, ministro do negocios es-
traugeiros.
Ao regressar do hotel, S. A. Rei'l receben nu-
merosas vjsilas, entre ellas o principeBiiduino,
herdeiro do llirono da Blgica, o nuncio do Pap:
dienciu e conversou con muitos dos portugo-zes
de disnoeaB quo actualmente.' se achanrein-Pa-
riz. A 21 ira i Exposieio diigindo-se em pri
meiro lugar s insiallagOes portuguezas.
A familia real retira-sc para ascaes a o ou 6
deOurabro.
Foi agraciado com o titulo de Visconde de
Tondella o Sr. Fernando da Silva Novaes, pro
prieta rio.
Fallecen ha-dia* em Bwxellas, onde
muitos anuos nceupava o cargo-de nosso rainistrj
biVttiL ionio sramlo-reidosbelgasi-o con le.de IU
,i *is.
Tecein-lhe todos os maioi3 elogios como-lp'
plomis limito honesto-e mullo Ilustrado,
j. Fallou-se em que ira sulislrtuir- o linado pleni-
potenciario o Sr. conselheiro llenrique de Ma-
e.edo, que por muitos raezes foi minisiro da ma-
rinha e ultramar como actual gabinete: mas
ltimamente consta'queo Sr. consclheiro Miguel
Jl lillas, que 6 ha mu tos annos ministro em L n>
dres, requereraa sua-transferencia para Bruxei-
las-.
Tambera fulleceu (na lilla de S. Thora)
frica oeeidental.-o baru>d'Agua-(8, que se tor
nou ninito conhecido pelas demandas que leve
de sustentar cora o li'tnco Namtmal Ult amarino.
cuja sude 6 em Lisboa, resultando d'a.ii, ee a me-
moria me n"10 f Iha. lie ire;n as suas vushssinn
propriedades a ministradas por aquole esiaie'
lecimento bancario, nao ter havidocra S. Thom#
conflictos snes-enlre os servigaes d'Agua-lz e
os repre.-entantes do Banco, no acto di posse.
Parece queo fallecida baro dcixou tfm testa
ment, no qual faz revelages importantes sobre
alguna acto*da sua vida, que so prendera com
os fados da administraro d'aquella provincia
ultramarina, -
Entre as pessoas rnnis-conheeidas que ulti-
raam'-nie se Uaran, avulta o nonio do antigo
orwura dos ini
ui'a beaf 'ni
/ da
anuos o jovial o robusto vellio. que lo
caudilhos fervorosos-e tiimes da cam
n'este paiz.
Por ella soffreu c luctou muito, cliegandn a
dar as tres voltas roda da forca no ches do So
dr com a ulva dos nadecenles vesiida. Sal-
vou o da morte a entrada triumptiantif do duque
da Terceira em Lisboa no raeinor;;\*el dia 24 de
Julho de 1833.
Era graves crses polticas nosso tempo
Scola souhe Tallar em tdasf as espherts, em
nome do paiz, conlra os acrigos, que ameaca-
vam a liberdade, que loa o dolo da sua vida
un.'ii.i. /
Foi sepultado-no ceraUerio do Prazeres (occi-
dental) sendo o prescito composto de varios arai
gos seus. Causo/ dolorosa irapresso o sea
velh escreventi/Aguiar, erapregado ha U an
nos no cartorio Jo fallecido.
Era ulllietiVijf a sua consternago quando foi
iepr urna cr-a de saudades no tmulo no sen
un ligo pairar,}.
Acaba-''de ser nomeado urna comraisso
frara" elaborar um projecto delei para a completa
execugSo da lei dos vinhos.
Compe-se das seguidles pessrfts: Silvestre
Bernardo Lima, presidente, Francisco Simoea
Margioclri, Fernando Matioso dos Santos. An-
selmo ile Assis de Andrade, Antonio de Souza
Pinto de Magalhes, Este vito Antonio de Oliveira
Jnior, Antonio Mara Pereira Carrilho, Paulo de
Moraes Vasconcellos Correr de Barros, Ignacio
Emuuz do Casal Ribeiro e Jorge Jos de Mello,
secretario.
DemiUio ?; de provisor dos estados e sob
director da Real Casa de Pia de Lisboa o Revd.
Dr. Francisco Simoes de Alneida, que pro-
feJsor do Lyceu Central de Lisboa. Vai ser sup
priraido o lugar que licou vago por esia deinis
s5o, e para providenciar sobre o servigo das
aulas estabelecer-se ha um conselho Iliterario
soh presidencia do director.
O Sr. Simos Margiochi, ltimamente nomeado
provedor da Real Casa Pia de Lisboa, ao tomar
posse do lugar, declarou que prescinda de todo*
os honorarios, os quaes revertern em beneficio
d'aquelle slabeleciinento. Seu cunhado. o Sr.
Carlos Eugenio de Almeida, emquanlo lo< pro-
vedor d'aq'oella casa tambera nito quiz.t
ment algara, antes iniuba da -ua algibeira al ga-
nas sommas para
cenias.
Em portara do ministerio do*reino, publicada
aate-hontem no Diario di Gocerno, foi louvada a
generosidade do novo proveda
lioje (24) deve realizarle no Arsenal da
Marinha a benro e langameifto agua da nova
cunhoneira Dio, all construida, sendo ellectuada
esta cenraonia religioeo-s to hora* da manh
pelo Revd. Pires, prior de S. Julie.
Dizem d Porto que, na prxima sesso
plenara, a cmara deliberar acerca d
gao de um palacio municipal. Abrir-se-ba coa-
curso no paiz e no est
E' pacitica e diz-se que nao ter 1
rago a grve dos operario
loga do Porto e fluf.
s Parece que determiaou este in
sirpenortoquoobti
ve rain as carnriiuinas hespantiolas lautamachi-
cas. Alfredo Tinoco e D. Lniz do Reno, nossos
compatriotas Iwbilissimos n'aquelle genero de
sport, teera aecebido encomios retumbantes da
imprensa parisiense.
As revistas oroplenlo* dize.n queo gado da
raga tourina portugueza lem grande superno i
dade sobre a he-pan hola.
Estas primeiraT* corrid-ii*te' pasam dein-
saios para determinar um typo nico.
Os amadores do toureio de c rejubilara com
tamanhas honras.
Pela ultima reforma da instruego secun-
daria (lei de 9 de Agosto de 1883) o curso dos
lyccus o.negava no primeiro da til de No-
verabnv Vio se que o prazo do curso-era mui-
to curto, pois acab* o auno leefcvo a :il-di;-Maio,
eegora, um decreto, publicado ha-dias na folha
ollicial estabelece qne-os-lyerus coinecein os
seus aursos no prkneirodia aiil de-- Outubro, o
que dar nmwvtiUe e cinco Urdes a mais duran-
te o anuo lectivo, terminaudo os curso* a Ude
Malo. A segunda epochi de exames e era Ou-
tubro, sera prejuizo das aulas, pariendo os pro
fessores aecuraular os dous servigos. medianie
razoaveis giatiltcagoes, pelo servigo de Ma-
ne*.
Um navio de guerra, que julgo ser o
transporte frica levar no principio de Setem
bro para o Havre os 7o operario* -subsidanos
pela Cmara Municipal de Lisboa para em
inisso artstica fazerera durante o espaco de ura
mez os seas estados praticos e observages tech-
nicas ua expostgao.
Foi graode o numero de-recompensas obt-
das pelos nosses expositores, morra vite de azei-
tes e vinhos. O rol dos contemplados rauito
extenso.
A associarifo comraercia! do Porto apresentou
en Pars ii expositores uc-'vinhos, que obtiver
ruin i premios. -
A real assoingoaentral da agricultura por-
tugueza, a liga dos tvradores doDouroe o corpo
coinmerciitl de'negoeianies'de"viiihD5 da Mattei
ni apresentarara 412 expositores,'que obtiveram
:t V-i premio-.
A assoeiaro commercial do Porlo, a liga dos
lavradores do ouro u o corpo commercial da
Madeira tiraran ires premio-? de honra d Grand
Prix.
Brilhante, na verJadc o xito alcangado pelos
vinhos porta-tunos I tima graode riqueaa que
se poz era plena evidencia
, fio" ftifto renniram-Se lii/quatro das di-
versos comraerciantes de tri/M, e no Dea'ram
urna coraraisso aura de-defenderem os nteres-
ses, que, julgara ameagados com lei dos ce-
reaes, respectiva ao regulamento.
Consta que van reunirse tambera os padeiros
e iiioleiros do Porto e Wollongo.
Rjphael Bordado Pinheiro telographou lia
das de Paris ao administrador dos Pontos nos
iii -particpandolhe que o prximo numero
doseu jornal constar de lij paginas, impresso
era Pars, tratando em especial da exposigo
portugueza.
Electivaraente a nos?a secgo no grande cer
tamen tem merecido universal applauso dajr-
prensa parisiense e dos visitantes di*' todo o
mundo; A parte ornanuntnl e dueotativa que o
grande caricaturista portuguez^-dirigia. foi consi
aerada como grande norisTaHa e celebrada pelos
peridicos de Frang como digna de imitarse.
R.'Bordallo Pinheiro "seu irmo Feliciano fo-
ram convidadosju*f um banquete que o direc-
tor de ara dos.^jrineipaes jornaes de Paris deu
era sua honra e foi alvo de calorosos brndese
das mais'Hiias attencOes das primeiras nobilda-
des da^imprensade Paris, que se achavara pre
sentes.
-*ld dia 21 parti de Lisboa para Cabo Ver
tabellie-ila notas da comarca de, Lisboa /ifoi de, alim de tomar posse do governo geral
Baplisia Scola. Lislto* couheceii dur.M-tc jabitos daquella provnola o Sr conselhciro contra-al-
mirante Augusto Cardos de Carvalho, official
muito dislincto que ha poneos mezes regressou
ludia portugueza onde exerceu o cargo de
governador gerul.
Foi muito abundante este anno na ilha de
S. Miguel Agores) a colheita do cha. E' urna
cultura anda em ensato, mas que promette lar-
go futuro. A expoliar, dos ananazes e que j
se faz em grande escala para Inglaterra. Ao
menos, valha-nos isso. visto que a da laranja,
que ha annos constitua a principal riqueza
daquella ilha, escasseen muitissimo com o mal
que destruio os pomares.
Acaba de fallecer em Lisboa de queima-
duros com petrleo entornado accidentamente a
esposa ao general Francisco Pereira Sancbes de
Castro. Ciaco creangus. seus lilhos, foram sal-
vos do incendio com muita difficuldade.
Oembrenle escriptorCanillo Castetlo Bran-
co tem experimentado melhoras consideraveis e
brevemente mudara a sua residencia de Bemlica
para Lisboa.
Realison-se hontm no cemlterio oriental
o funeral do general de brigada reformado An
tonto Caries Sardinha. Prestou Ihe as honras
fnebres urna batera de urtIberia n. 1 e urna
brigada de infantaria.
Reuni cinco mil e tantas assigaaturas a
representago promovida em Lisboa pelo Sr.
Dyson Vaz afira de ser corarautada a sentenga
de morte proferida pelos tribunaes inglezes (de
Liverpool) contra Florenca Maybrick.
Ha poucos das foi decretado que se-ert-
gissera dous monumentos, um ao rn;.rcehal du-
que de Saldania, oulro ao primeiro duque de
l'alinella, corataoto que a despeza a fazer com
cada um delles nao exceda que se fez com o
monumento levantado no caes do Sodr ao du-
que da Terceira
A patria paga assin a sua divida a dous
dos seus homens pblicos mais botareis.
Opina-se agora que se forme um jury com
urna maior'.a de artistas e que se exigisse a cada
irrente o modelo, rcduzido ao terco, da fi-
gura principal, acabado e prompto a ser amplia-
do. -Urna outra condiego seria abrir concurso
exclusivamente entre artistas portuguezes, e s
appellar para a concurrencia internacional quan-
do as provas de um primeiro concurso fossera
de tal sorte inferiores que patenteassem clara-
iversas upplicacoos henjfi-fmeie a nossa nhabihdade, oque nao 6 de pre-
sumir que acontec
A este alvitre de ura correspondente responde
o Da, dizendo que o processo seguido pelo go-
verno, e anda ltimamente que o projecto para
o i'alas da justica, quasi o autorsam a atlirmar
que os ioteresses da arte portugueza sero at-
lendidos e respeitados..
Na imprensa poltica, pouco na de notavel.
As folhas progressistas combatem os seus ad-
versarios da Serpia com anigos aue ha bons 33
annos o Sr. Antonio de Serpa, actual chefe do
1W1ISTM4S E ARTES
O cottaga do Diario do Comm'.rcio tratando da
exposigio-do Atelier Moderno., escreveu o se-
gura'*':
A totttueigneur touHumnem-.
Qupr-C'iiieeando pela pintura, quer pela es-
as dMlegialan, en+culpjr. terraraos senpre d; comegar por este
aaapeoas se leiibasuiioinan-ios.' e se ;*tsw>cooiino[iia^!icjn*iw-ddo':'-Bjriiurdelli'.
ojwial fra pinrasc BH)erdr-o tenpo do
Canaaa poatijsela aseatptura, para que, desde
pailios, da cavaqaaawaia t'gmmiag*^>a doa4as paiWris haiias'nosSaariigi>. se,-sialu o sym-
pic na folgazes e quusi sempre esmaltados de
peripecias alegres.
Outras folhas discaten o modo de proteger
.-llicMlmen'.c a infancia, por todas maneiras e
era tu las as circurastaacias irailago do que
ltimamente foi decretado na Inglaterra.
Fibaaaisadfe1 pjr-niqal; e digo-sea verdale.
muita nacienwa me foi precisa p ira respigar
tantas noticias quando pouco ha que dizer e to-
da a gente corre a Paris ou foi para o campo.
FINABAS E COMERCIO
iguaes, a partir do venciraento do primei-
ro semestre.
A terceira; colamos da tabella
acimav
indica as semestrialialbdes correspondentes
esses emprestimos.
-
Diz um Jornal ao Sal, que os auxilios
lavoura sob a forra de emprestimo a
curto e a longo prazo, e tendo p>r garan-
ta n.1o s a jpropriodade rural e seus
fructosa machinas, como o crdito j>es:
soal dos agricultores e quaesquer econo-
mas qne estes hajam creado em apolices
ou outros ttulos baseados na garanta do
estado, ou propriedades urbanas, contitu-
eui ten* ^over-iiinental do maior alcance i
para a prosporidadeda lavoura e docom-
inercio.
Assimo reconheoeu o centro da la-
voura e comraercio na inensagem que diri-
gi ao- governo, e todo* o sentera.
E' asaim'-qao'par convoacSe de diver-
sas datas, tera o governo j contractado o
fornecimeuto de emprestimos lavoura
com:
O Banco Predial, ate 2,000:0305000 ;
O Banco de Crdito Real do Brazil,
at 10,000:0005000;
O Banco do Crdito Real S. de Paulo,
atr>.OOO;OOO0OOO;
O Banco Territorial >e Mercantil de Mi-
nas, at 3,000:OOQ5000;
O Banco Agricola do Brazil, at......
20,000:0005000;
O Banco da Bahia, pt 6,000:000*000 ;
A Sooiedade do Commercio da Bahia,
at 3,000:0005000; e vae formar ajuste
anloga cora o Banco do Brazil para em-
prestimoa at 10,000:0005000, inclusive
o conttacto Joiio Alfredo, que era para
emprestimos at 12,000:0005000, coricor-'
rendo o governo com (i,000:0005000.(
Como sabe-se, para todos saob era-
pnestirans contribuir-o thesouro nacional
cora a metaihe do dinhoiro que comaeon a
fornecer a cada banco por prestacoes de
OOOOl^WOO, desde 2 ue Julho ultimo,
seguindo-se as prestagSes sem datai certa
medida-que so-esgotareui- 03 fundo^ forne--
cidos polo'th'stntro nacional; e esses em-
prestimos1 poderSo atingir a iinpor^inte
grupo regenerador e n'aquelle tempo progres-
sista (histrico enray), escrevia contra a regene-
ragSo e mais desabridamente anda contra Fon-
tes Pareira d Mello, a quem depois se ligou,
sendo hoje o successor na chelia do partido a
que este -Ilustre estadista presidia-
1 qitautia de 65,0 0 contos dejis, dos
quaes 6,000:000^000 foram distribuidos
por1 conta- do contracto Jlo Alfredo cora o
Banco al* Brazil, rostanao, pois a distri-
buir .OjOOO" tontos que seguramente sa
tisfaro s mais urgentes necessfdades da
lavoura, auxiliando a effiaazraente na sua
transformaclo. .. -
Si o auxilio c efficaz pelajuvftrtancia,
nao o menos pela>ffiodcaade dos juros
que s 8er^p..dtvbrados razo de 6 [ ao
anno e,-prtr'emestre vemido.
-'"Deate modo podo o lavrador contrahir
um emprestimo, cujo mximum de....
120:0005000 para os emprestimos hypo-
thecarios e pelo prazo mximo de 15 an-
noej obrigando-se smente ao pagamento
dos juros seroeetraes vencidos, durante os
primeiro cinco annos, deixando a amor-
tisag3o para os dez ltimos. -
Nessa'hypothese ter o devedor os en
cargos durante os primeiros dez semestres
e por semestre vencido, de pagar ao banco
polas juros de 120:0000000,3,6000000;
e durante os seguintes vinte semestres e
por semestre vencido, de pagar pelos juros
a qaota de amortisacao a quantia de.....
8*0650884.
Fica salvo ao devedor o direito de res-
gatat- a divida antes do prazo do venci
ment: poder, portanto, augracntar a
qitota de amortisago quando tiver colhei-
ta abundante ou outros recursos ; outro-
sim, pode amortisar qualquar parte do seu
debito em qualquer poca durante os cin-
co annos era que nao obrigado a amor-
tisal-o.
Eis a tabella dos encargos que as.su-
mem os lavradores por emprestimos res-
gataveis em quinze annos, comegando o
reagate no fira do primeiro semestre do
sexto anno, a saber.
pathico rumor do applauso.
Bernardelli Rodolpho expe um busto em bron-
ze.
Urna eabega de homem, magnlea, enrgica,
modelada co.n carinho e cjjdado, priraorosa-
me de ; delicadezas, e subtilezas de arte no,ca-
be!lo e na barba; expresso de homem de talen-
to e de vontade, que sabe o que faz e capaz dV
Esaw o que queira ; sciutilla aquelle olhar reso-
luto e palpita aquella carne solida de lumen
forte.
Befo e perfeilo trabalho, sem nenhuma pie-
guice de minucias, em que se sent um artista
feito e consciencioso, caoaz de estampar n'un
rosto de bronze toda a alma, o carcter, o cora-
go e o temperamento de um homem.
Nada de formulas nem de formas acadmicas,
ueste notabilissimo artista, professor da acade-
mia e a quem se tem pretendido estragar por
raeio da corrupgo das comraendas.
Podemos l tolerar que se diga : o commen-
dalbr Rodolpho Bernardelli, esculptor. Ista
equivale a dizer-se : o grande artista Joo Joa-
quim Jos da Silva, mercieiro. !
E quen quizer verilicar como irapossivel fa-
zer d'- Bernardelli n n conmendador idneo, v
vero busto ao Atelier Moderno, e dir-nos-ba
depois se aquillo obra de comraendador, ou
de artista anaixonado de sua arte, zeloso do sen
hora nome cioso da sua gloria a cuja cor
nos ajumamos hoje urna folha de louro classico.
Alera do soberbo bronze de Bernardelli, a
mais oo Atelier dous bustos ero gesso de seu
discpulo Sen -venu'o Bjrna, um discpulo qua
est perto de ser um.i gloria para o mestre.
O melhor desasa bultos o de um preto afri-
cano, vendedor de jornaes da Europa.
0 discpulo nao ten aihda talvez a libeubie
e as ousadias do professor, mas v-seque vai na
pista destas qualidades.
A eabega do seu africano muito boa e ranita
correcta, e os caracteres etlraicos sao bem ob-
servados e distinctos.
Xo diremos o inesmi do outro busto, un
creoulinho pagem. que, embora maito ix:n e
modelado com delicadeza, nos parecen ura pou-
co indeciso, quanto expresso caracterstica
da raga mestiga.
Todava, do Sr. Berna nao ha que dizer senn
bem emuilo bem.
E' j um esculptor apreciavel, anda que Iha
Rite o iaexplicavel quid, que distingue os mes-
tres.
Va como o Sr. Berna tem talento, quee
principal, e est entregue s aptidOes incontes-
tuveis de Bernardelli, devemjs esperar nelle nra
artista notavel que honre, a sua arte, o seu mes-
tre e o seu paiz.
E' consideruvel esta responsabilidade ; para
poder arcar cora ella, poren, basta que ao talen-
to se ajuntc a vontade e o trab.lho, qualidades
que nao suppomos fallarein ao Sr. Berna, qua
.sem ellas, nunca teria feito os seus bonitos bus-
,tos.
*
Como noticia qu: interessa indus'ria agri-
cola j nos occupamos'fle.sta secgto-do Instituto
Agrcola Bihiano historiando a sua existencia e
m nifestago de vida.
Nao obstante, nao podemos forrar-nos a re-
produego do seguinte escoplo do Jornal d
Coamercio sobre o referido-Instituto :
Fundado em 1*59 por occasio de visita- sua
nage-tade o imperador a provincia da i^ahia a
outraa do norte, cu-lea este instituto, em S. Ben-
lo das Liges, urna escola agrcola, situada en
edicio vasto e solido, e b*m apparelhada quan-
to a instrumentos c uiencilios, dispondo de ter-
renos que, infelizmente, tm sido reconhecidos
de todo o ponto improprios, por muito pedrego-
sos, 4iaj,a c,ull.u*isi -ttptWfiamai^^r^s^e^.
'veran prestarse no ensino pratico da lavoura.
Ha na referida escola, alm de u;n curso
agronmico, theorico, e pratico, dividido em
quatro anuos, um curso elementar gratuito, des-
tinado a formar operarios agrcolas.
'.om o fim de desenvolvere mesrao curso, que
notem tilo a frequencia que fra para desejar.
acaba o presidente do Instituto, baro de S.
Francisco, de dirigir-se por raeio dfe carta cir-
cular a diversas autoridades da provincia fazen-
do-lhes sentir a conveniencia de remetteren
pan a sobredita es cola os meninos desampara-
dos, quealli achario, alm de agosalho; ensino
primario, religioso e agricola, sendo que no
caso de difficuldade de transporte acudir o Im-
perial Instituto despeza necessaria a este fim.
Muito relevante o servigo que por este modo
procura prestar o Imperial Instituto Bahiano.
Nao lia certamente prograrama mais generoso
nem mais digno da sympathia publica do que a
educacao dessa infancia abandonada que tanto
abunda as nossas povoages, i villas e cidades.
Todos os esforcos encaminhados para este lim
traduzem collaborago til para a obra da rao-
ralisago social.
Quando nos empenhatfos por introduzirnovos
factores do trabalho e do oroameiito, n seria
justificavel que descufassemos: da sorte dessa
numerosa classe dos meninos desprotegidos de
onde sahe contingente lodos os dias renovado
para a sociedades para o crime.
Temos por rauito digna de a prego e de louvor
a bella iniciativa do Imperial Instituto Bahiano.
V
/
PAGAMENTO
SEMESTRAL
1 o 2 -fLI
M POR l-ANCIA .2 as
t- n 2 S
O CU 03 t. ^
DO 2^ ng -H i
s s - S g
EMPRESTIMO e o jj "> oj 00 t o a -**J Juros e durante se
10:00-10000... 3000000 6720157
15:0005 '00... 45 10000 1:0080235
20:0000000... 6000000 1:3445314
25:0000000... 7505000 1:6800592
30:0000000... 9000000 2:0165471
40:0000000... 1:2000000 2:6880628
50:0000000... 1:5000000 3:3600785
60:0000000... 1:8000000 4:0320942
70:0000000... 2:1000000 4:7050099
80:0000000... 2:4000000 5:3775256
90:0000000... 2:7000000 6:0490413
100:0000000... 3:0000000 6:7210570
110:0000000... 3:3000000 7:3935727
12-OOO0O.K). . 3:6000000 8:0655884
Foi publicado o Annuario mineralgico dos Es-
tados-Unidos referente ao anno de 1888.
Era nmeros redondos a produego do ouro
elevon se a 33 inilhOes de dollars. e da prata a
43 milhes, e de mercurio 1.400,000, a de nic-
kel a 113,000, a do asphalto a 330,070. a de fer-
ro a 107 inilhOes, a do robre a 13i milhes.
O valor geral da produego mineira nos Esta-
dos Unidos no anno de 1888. incluindo o carvo
que nella ligara um primeiro lugar, elevou-se a
mais de 392 inilhOes de dollars.
PERSMBGC
as circumstancias actuaes da lavoura
parece-uos que os emprestimos hypothr-
carios por quinze annos e cuja amortisa-
gjo se far do sexto anno em diante sero
os preferidos.
Larradores haver no entanto que, dis-
pondo de recursos especiaes, prefiram con-
trabir emprestimos por dez annos com a
condigno de resgate por semestrialidades
Caixa EcoiioiDica e tale deSoc-
coppo de Pernambuco
Balanrele em SI de AffOMto de
1889
CAI-XA ECONMICA
Activo
Tlh-souraia de Fazenda l,ii4:3.6!>60
Monte de soccorro c de passagens 13I:0O37aO
Caixa
362SOOO
1,293:9125710
1,293:912*710
Passivo
Depsitos em contas correnles
MOJTE DE SOCC'OKRO
Activo
Emprestimo sobre penhores 162.3253716
Movis : 1265627
Apolices da divida publica provin-
cial IJWOOOO
Despezas geraos 12:851*915
Caixa 1:1145630
Passico
Capital
Caixa econmica c/ de passagens
Saldos de penhores vendidos em
leilo
dem dem prescrptos
Lacros c perdas
Juros
183:4184948
17:192*284
131:0035750
3:8235935
4275709
6:9085120
4:0615130
183:415948
L

-
r
S. E.&O.
Pernambuco, 2 de Setembro de"1889.
O gerente,
Felino D. Faretra Coelho.



Diario 4e.PeraambucO"*QiHE^BFa 5 de .Setembro<-e 3
REVISTA DIARIA
fot expedido
ante-henlem pela Presidencia da Provincia o su
guite ocio:
4. seecfio Palaci da Presidencia de Per-
nambuco, em 3 ile Setembro de 1889. O conse
Iheiro presidente da provincia, do conformidad*
cora o art. 14, I.* do acto addicional consti
tnicao polttica do imperio e lei provincial n. 1,966
de 12 de Marco ultimo, convoca a nova Assembla
Legislativa Provincial para e-dia 1." de Junho de
1890, procedendo-se eleicao do seas meaibros
a 12 de Bezcmbro do crrente anno. (Assig-
oado.M. Alces de Aran/o.
Artos do soverno da provincia -Por
actos de ante-nontem:
Foi nomeado Candido Carneiro de Albuquer
que d>' Licerda para exercer inlerinameuto o
Migar de escrevente da directora de conslruc
ges navaes do Arsenal de Marinlia d'esta pro-
vincia.
Foi convocada a nova Assembla Legislativa
Provincial para o dia t. de Jultio de 1890, pro-
cedendo-se eleicao de seus membros a 12 de
Dezenibro do correte aono, como assim se v.
Prorogou-se por 3 ro^zes, com meiade do or-
denado a liceuga ltimamente concedida a pro-
fessora Francisca Euphrasia da Conceigo Ne
ves, da cadeira de eusino primario de Santo
Amaro de Serinhem.
Foram concedidos ao juiz municipal do termo1
de Gloria de Goi'., bacharel Jos Cornelio Lei-
tuo Rangel 8 dias de licenca com os venciinen
tos a que tiver direito, para tratar ele sua eade,
devendo edtrar no gozo d'elles no prazo de 15
dias.
--fllalvaaiPor ter sido odia do 46" aniver-
sario do consorcio de SS. MM. Imperiaes. a for-
taleza do Brum salvou a 1 llura da tarde.
P dador, da Victoria :
B' inacreditavel, porai -certo quotera con-
tinuado a perseguirnos o Sr. Luiz Cavalcanle
subdelegado do Io districto deste termo.
No ltimo sabbado, depois da publicacae do
uosso ai ligo cin analyse nossa prisao, foinos
acompaados por urna orara ao passarinos pe-
la ra da Iraperalriz, que charaou-nos presen
ga desta autcridade, e aiii diaule de S. S. fomos
novamente corr Jos, repellado nos a Husma
phrase -que o soldado nos abrisse o coilete !
Agora com prebendemos que S. S. esta en
carregado de laucar o ridiculo em torno de si c
a desraoralisagu no partido que milita (milita!;
nos aconselhamos que pode repetir laes scenas
us vezes que quizer: e que ao passo que S. S.
vai se rulicularisando e iueorrendo as censuras
al dos amigos que o cercara, para nos a consi-
derarlo publica vai crescendo, porque cumpli-
mos o nosso dever.
Parece nos tambem que o nosso cohete
estranho attitude que temos tomado, portaoto,
estamos at resolvidos a pol o no seguro, nao
de yida, mas de algum. 'rasgo.
Nio essa a pnmeira violencia que soffre o
redacior do Li ador da auloriuade policial, que
a8sim abusa do poder; para notar que o faz
sem represse dos seus superiores.
JLucta e morie Honlein por obra de 1/2
liora da tarde encontraran)-se uo Largo do Mer-
cado Manoel Floriano da Silva, conhecido por
Manoel Marreca, morador na Estrada Nova, e
Heliodoro Francisco da Trindade, ex praca do
2 batallio de infamara, ambos partes da gre
dos vlenos; e all travaram urna discusso
que terminou por separarem-se, indo se coilocar
Manoel Murj-eca na calcada esquina da ra
de Pedro Alfonso, e ticaudo Heliodoro no men-
cionado Largo.
Alguns minutos depois Heliodoro, nao conten-
te iwiii o iii^ii'i Ij que liveraaquella discusso,
vem sobre Manoel Marreca e llie atira urna ca-
cetada, que llie e correspondida pelo aggredido
com ouira, Techndose enlo o lempo ; equan-
do ambos recouheceram que a sarutvada do c-
cete era im proficua c nao Ibes applacava o ca-
lor da lucta. iancaram mos das facas de que
estovara munidos, distribuiram se golpes, e ura
destes dirigido por Manoel Marreca alcancou a
Heliodoro na caixa toraxica iiileressando o pul-
ula o direito.
O olTensor ao ver que ferira 'o oflendido, ar-
ranca a faca e procura com a mesma aluda em
Sunho evadirse na direcao da ra do Visconde
e Inliauma, at onde o perseguio igualmente
de faca em punlio o offendido, que ah cabio e
donde foi em bracos por pessoas do poVo para
a Pharmacia Imperial da mesma ra n. 6. onde
minutos depois exhalcu o ultimo alent vital.
Emquanto davam-se estas ultimas oecurren
cias. o HNMM conlinuava era sua fgida, per-
seguido pelo clamor publico ; e neste sentido ao
proenrar entrar em um estabelecimeiito da al-
ludida ra, pode ser preso pelo cabo da guarda
cvica, chapa n. 13, que felizmente n essa occa-
sio passava por alli, nao sera alguma resisten-
cia da parte di assassino e sindo-lhe tomada a
laca, instrumento do crime.
subdelegado da freguezia corapareceu ao
lugar do delicio e depois de interrogado, fel o
recolner preso Detengao, e transportar o uior-
to para a matriz onde procedeu se ao respectivo
corpo de delicio.
HcrrMNoNo paquete francez Orcnoqne re
gressou ante-hontera da Europa o Sr. Francisco
Manoel da Silva, proprietario da Imperial Dro
garia. ra dp Mrquez de Ulioda o. 23.
Comprimenlaraol-o.
Teicsramma parlicnlar -Sabe se, por
telegramma particular, ter fallecido, no l'uu do
mez passado, o Dr. Jos Joaqtiim Sarment lava-
res Bellort, juiz municipal do termo de Jardim e
Milagres, na provincia do Cear.
O tinada era lilho do Dr. Jos Joaquim lava-
res Bellort, ja fallecido, e contava apenas 21 an-
uos de idade.
Thealro de Waato Aalonio Era be-
neficio da irmandade de .Divino Espirito Sanio
lia hoje especiaculo no theatro de Santo Anto-
nio, representando-se as comedias Os domines
car dr rosa e Nao tem titulo.
inoiiiuio trrii4*oioKiroHoje, ao meio
dia, funccioua em sessao ordinaria o Instituto
Archeologico e Geographico.
ni puniiiu de Ediacaeo-Amanh,
as II horas do dia, devera reiinir-se em assem-
bla geral os accionistas da Companhia de Edi
ticaco para tratar de iuteresses referentes sua
liquidaco.
Sociedade Iliteraria tonrnlios
Uiao Acha se convocada para hoje urna ses-
sao ordinaria dessa associago Iliteraria, s 10
horas da mauh.
i iiiiiii arliMiico republicana Reu-
ne-se hoje essa sociedade em sessao ordinaria,
as 7 horas da noite.
E' mm a polica -Dirigem-nos a seguin
te reclaiuagao :
Ha na ra de Paulino Cmara urna multier,
que habita em casa ao lado da numeraco par,
cujo procediraento urge pelas vistas da polica.
lie 10 horas da noite em diante horrivel a
gritara que ella faz, intermeiada das palavras
mais iminoraes, com offensa moral publica e
escndalo a vizinhauca de familias honestas.
Admira que se lolerem taes desmandos por
parle da autoridade policial da ra, qual nao
podem elles ser eslranhos. E como parece que
qne ella dorme aquellas horas, queira desper-
lal-a por meio de urna reolamaco em sua Re-
ristai *
E' o que fazemos com a insercio das palavras
supra do nosso communicante; e poder isto
desperlal a do doce sorano da ioercia?
Veremos.
||Am Hoje haver ,-esso, hora e lugar do costume.
breiroFoi distribuido o o. 13 desse pe-
ridico, cujo exemplar, que nos foi offerecido,
agradecemos.
el* de Outubro-Acba-se em distribfli-
co o n lo dessa publicayo quiozenal. orgo
da Associacao dos Funccionarios Provinciaes de
, Pernambuco.
Agradecidos pela visita.
Santa Caa de isericordia Eis o
pessoal soccorrido nos diversos estabelecimen
tos a airgo da Santa Casa de Misericordia no
juez de Agosto ultimo-:
Hospital Pedro II
Dito dos Lazaros
Dito de Santa gueda
Hospicio de Alienados
Asjio de Mendicnlade
Collegio das Orphas
Casa dos Expostos:
ber:
Em criacao fra do estabeleeimento (10
Em educacao ho eslabelccimento (114
CetloeiiUITectuar-se ho os segrales :
Hoje :
Pelo arente Stenple, 9 ti bora, ra Formosa
n. 4, de 1 piano, meveis. espoihos, etc.
Pelo agente Alfredo Guimaraes, s 11 horas,
no onnazcm do Sr. Jos Luiz, de saceos com ar-
roz.
Amanha:
Pelo agente Pinto, s II horas, -rua do Bora
Jess, n. 45. de wna.caixa eco bolees aortidos
para senhoras. movis c uinitos outros obje.tos.
Pelo agente Gusm5o. s 11 horas, ra do
Morquez de fMtoda n. 5, de fezeiida.
Sexta-feira :
Pelo agente Brito, a 10 12 horas, ruada
Iraperatriz n. 4, de movis, loucas, vidros etc.
! fnebreSero celebradas :
Hoje :
A's 8 horas, m matriz de Sanio Antonio, pela
alma de D. Maria Candida de Albuquerque Mel-
lo : s 7 horas na mutriz de S. Pedro em Olinda.
pela alma de Jos /eronymo de Carvalho ; s 7
horas na igreja da Penha pela alma de JoSo Fran-
cisco de Souza.
Ainanh;
A's 8 horas, na igreja da Penha, pela alma
do commeodador Antonio Jos Rodrigues de
Souza.
PiiHaaeiriin Chegados da Europa no va-
por francez Qrnoq*e :,
T. Louis, BHlion Emlle. Biito Lyra, Francisco
Manoel da Silva, Caconnet Ferdinaud, Arou
Catn, Azevedo Silva, Bonchan Auguste, Velasen
de Azevedo. G. Maria Charles, Stlvino Guima-
raes, Jos deOliveira Campos, JosFerreira ^in-
lo de Magilhaes, Antonio de Medeiros Carneiro.
Jos Ricardo da Gosta. Movellini Rafaelo Harto,
Movellini Mana Felicia. Stalici Domemio, Bruno
Parquili. Bignola Antonio, Movellini Bhwgio,
Calabria Nicols, Galloti, Felices, Gallotti Rosa,
Gallotti Rosa, G. Rosa, Royala Gennaro, >:habren
Alisces, Jos Bernrdez, Manoel Akraso, Jos
Campo, Evaristo Souza, Antonio Coelho -Ubano
Ferreira de Bessa. Leonie Seos, Delbaef Octave,
Jos Joaquim da Gama, Malcher e sua senhora.
Subidos pan o sul no mesmo vapor :
Joseph Rubin e Sabella MicheU.
Sabidos para a Europa no vapor aBemo Tt-
juta :
Antonio Francisco, Joseph Lichetknccht, A.
Smith e sua senhora Charl Lubow. "capito So-
rense, Fernando Leuzinger R. de Druzna a sua
senhora.
Uirectorla da* obra* de conaerra-
in don Porto de PernambucoReci-
f; 3 de Setembro de 189.
Holetiin meteorolocico
- -'I
Foram esses pensionistas que lizerara as hon-
ras da casa reeebeado e conduzindo immediato-
mente os visitantes ao salao e mostrando-lhea O
pseriptorio, o piano, a roupa de acadmico, um prados.
r___fj. __i .__i^.:. J. _......-.. r. mitma Sin :i
LVfio i
Horas o = o 151 2^ Barmetro a 0 Teosao do vapor -a f
f- ** 17.02 a
6 m. l-9 761*92 87
9 24' -7 762-90 18,73 .80
12 27-3 762-01 19,54 71
371. 26--6 760-46 19.20 74
6 26" 3 760-92 19 84 78
Temperatura mxima28,00.
Dita mnima 21.50.
Evaooracao em 24 horasao sol: -,4 ; a som-
ora: 2".4.
Chnva-Nulla.
Dueccao do vento i SSE de meia noile aos 50
minutos da manh ; S at 1 hora e 40 minutos ;
SSW at 2 horas e 15 minutos ; SW at 9 horas
e 15 minutos: SE, SSE e S alternados at aos
53 minutos da tarde ; SE at 2 horas e 3 minu
tos; ESE at 2 horas e 40 minutos: E at 4 horas
e 50 minutos : ESE ale 3 horas c 35 minutos ;
SE at 9 horas; ENE at meia noite.
Calmara durante 2 horas noite.
Velocdade inedia do vento: 1",41 por se
urdo.
Nebulosidade media: 0.51.
Boletim do porto
23 la fa Dias Horas 10-49 da manhS 4 44 da urde H27 607 da manh Altur..
P M 8. M. P. M. B. M. 3 de setembro 4 de Setembro 2-.02 0-90 2*05 U-.84
12
19
5
573
Beualao noctnl- Ha hoje a segrate :
Da Scciedade l.itteraria Goncalves Dias, s 4
horas da tarde.
(> a- weiencaoMovnnento dos pre-
sos da C^sa de Detengo do dia 4 de Setembro
ir 1889
Existiam 448 ; entraram 8; sahiram II; exm-
tera 443.
A saber :
Nacionaes 391 ; mulheres 23 estrangelros 28,
mulher 1 -Total 443.
Arracoados411.
Bons 379.
Doentes 28
Loucos 4.-Total 411.
Movuneuto da enfermara
Tiveram baixa :
Luiz de Franja Nazareth.
Roberto Alves de Souza.
Jos Mansinbo do Nascimenlo.
Te ve alto :
Antonio Jos de Santa Anna.
Foram hontern visitados os presos deste esta
belecimento por 182 pessoas, sendo 8 bomens
e 93 mulheres.
oapMal Pedro 11 O raovimento deslc
estabeleciraento de caridade, no dia 2 de Setem-
bro foi o *eguinie:
Entraram
Sahiram
Frileceram
Existem
Foram visitadas as respectivas enfermara*
ielos Drs.:
Moscoso s 81|4, Cysneiro s 9 1|4, Barros So-
brnnho s 7 l|4, Berardo s 12, Malaquias. s
II 1|2, Pontual s 9, B'.stevaoCavalcanle s 8 1|4,
SiraOes Barbosa s 9 l|2'iioras.
u cirurgio dentista .Suiua Pompilio s 8 i|4
horas.
O pharmaceutico entrn s 8 112 da manh e
uJiio s 4 da tarde.
O ajiidante do pharmaceutico entrn s 7 1|2
la manh e saino as 2 horas da tarde.
Cemiterio PublicooBiluario do dia 3
de Setembro de 1889 :
Joanna Maria da Conceico, frica, 70 annos,
solteira. Graga; Ivmphatile.
Norberto, Purna'mbuco, 5 dias, Recite ; ttano
traumtico.
Maria, Pernambuco, 8 dias, Boa-Vista ; ttano
dos recem nascidos.
Dellina Maria da Cooceicao, Pernambuco, 60
annos, solteira, Boa-Visto; cachexia syphilitica.
Luiz Cprrea Tavares. Pernambuco, 54 aunos,
sol'.eiro, Boa-Vista; entente.
Joo Mamede da Silva, Pernambuco, 25 annos,
casado. Boa-Vista; paralvsia geral
Elov Luiz Facundes. Pernambuco, 19 annos,
solteiro, Santo Antonio : tubrculos pulmonares.
Maria, Pernambuco, 14 annos, S. Jos; conges-
lo.
Damio Lopes Pereira Gumares. Rw Grande
do Norte, 48 annos, casado, Boa-Vista: leso
cardiaca.
Francisca Belmira Can pello Botelho, Graca ;
febre palustre.
Valeriana Maria da Conceico, Pernambuco,
50 annos, casada, S. Jos ; gastralgia.
David, Pernambuco, 9 anuos, S. Jos ; gastro
enterite.
UM POUCO DE TUDO
formdavel reiogiode prata, gravuras e outras
miudezas objectos que haviara pertencido a Ros-
sini. D'ahi passaram a urna barraca empavesa-
da de bandeiras italianas e francezas, c ornada
d'ura medalho de Rossini, em brjnze, cercado
d'uma cora de louro dourado.
M. M. Spaller ministro dos negocios eslrangel-
ros ; do Menebrea, crabaixador A-x Italia ; Pou-
belle, prefeitado Seine ; Peyron, director da As-
sistencia Publica Mine Alboni, a celebre inter-
prete das obras de Rossini e um grande nume-
ro de artistas assistiram esta inaugurarlo.
Depois de allocuc6es de M. Poubelle e de M.
Peyron,*coraecou um concert no qual as operas
do cysne de Pesaro faztam naturalmente as prin-
cipaes recreaces eonde se applaudio M. M. Duc,
Melchissidec, e Gresse da opera-comica, Soula-
croiz, Mlle Marcolini, etc conclundo se a fusta
com ama merecida servida na sala de jantar dos
pensionistas.

O matre de Tacoraa (novo estado de Washing-
ton) Sr. Whelwright, acaba de dirigir urna carta
das naaie cariosas e das mais enzragadas a seu
confrade, Sr. Hort, aire de Boston, afim de lhe
pelirtnulherps para oseus administrados.
Eis a carta :
O novo Estado de Washington, em geral e a
cidade de-Tacoma em particular, sao povoados
por mancebos na inaior parte sobrios, industrio-
sos eemprthendedores, que desejam casarse.
Poi m, como ha oeste paiz dez vezes mais lio
mens que mulheres, o woree o conselho munici
pal de Tacoma resolveram appellar para o povo
de Massacbusetts afim de qne lhe seja enviado o
inaior numero possivelde mulheres jovensedis-
postas a casarein com mancebos fortes e indus-
triosos, que farao de cerlo a sua felicidade.
i) que ainda se ignora a resposla do mar
de Boston.
E' de Fanderno esta poesa :
\ii< I tijas
A' M. C.
Oh nao fujas de mira tao receiosa. .
Que mal te fiz assim to duro e feio.
Que rae voltas a face de raivosa,
Upprimindo de dor meu pobre seio *
Esta face, qu'outr'ora vi bondosa,
El., que hoje s sinto, vejo e leio
Caprichos de menina melindrosa I
Que foi que te contaratn 1 Sem receio
Te juro que. a nao ser a vaporqca
Paixo que te dedico era doce enlcio,
Tudo o mais mentira astuciosa
De quem pensou fazer. por este meio,
Cruel quem nunca foi seno bondosa !
Nao fugirs de mira, assim o crea...
*
Em 19 do corrente mez inaugurou-se em Brn-
xellas. com um concurso enormissimo de povo,
a estatua de Francisco Anneessens, decapitado
em Bruxellas em 1719 por ordem do governador
dos Paizes B-iixos austracos por ter defendido
cora a inaior energa as liberdades communaes.
A estatua domarlyr da Itberdade edo povo
obra do estatuario ThomazPitpope. que o repre
senlou no momento em que dirigi aos juizes e
aos algores a sua famosa apostrophe.
0 burgomestre M II..Is descreveu era lennos
alevantados a vida de Anneessens.
A inaugurago da estatua foi urna festo nacio-
nal e deu lugar a urna manifestago patritica
em que lomaram parte tedas as classes.
Desfilaram (liante da estatua do hroe 300 so
ciedades c varias bandas de msica com as suas
bandeiras, acrlamando-o.
Todos os grupos socialistas desfilaram com os
seus estandartes vermelhos.
Houve completo socego.

Os Drs. Brourdel e Pouehet communicaram,
recentemente, academia de medicina de Pars.
urna noli sobre uJguns dos symptomas da intoxi-
cacMo arsenical aguda e chronica e os modos e a
.djp-acao da elimiii'i'j'iii fura do carpo Jwmana M
Ursenico e dns seus compostos.
Esta oota o resultado das pesquizas feitas
pelos dous sabios mdicos aps os envenna-
melos de Hyeres e do Havre ; e dellas resulto
que hoje delinitivamente do dominio da toxico-
logia humana que o arsnico, absorviio em pe-
queas doses e durante urna certa durago se
localisa nos tecidos esponjosos dos ossos, onde
persiste por muito tempo depois da sua absorp-
So e se elimina pelas cellulas epidrmicas.
At aqu os mdicos tinhara-se engaado umi-
tas vezes c attribuiam outra causas mrbidas
os envenenamentos lentos pelo arsnico, nao
acbando esta substancia espalhada em toda a
economa, como d-se nos casos de absorpco
era fortes doses.
A communicaco feita a academia de medici-
na tem o maior inteiesse para a medicina legal.
jj^^Hp da corte em flns do mez ultimo o jo- LcadacSo, para serem assaWado os,capangas, se-
^^Hanoel Virgilio,.trazendo duas eguas d 2
annos, que se destinara s corridas dos noasos
Sao as raesmas eguas productos. da provincia
de S. Paulo, segundo nos informara.
**
A8sentaram os propnetario3 da Coudelana
Progrum em deixar em repeaso eeparador ao
bravo Haguenote at a occasio de prejiarar se
para o Villa Isabel Gold Cup.
Foram ganhos : o premio grande do Cassmo
de Spa por Tantalv : o premio Internacional ho
Od Stale por Marvel do Mrquez de Hatington :
o premio Prmcess of Wals, as corridas de Kem-
pton Park, por John Morgan, do duque, de Por-
tland ; o premio Premier Pas de. Gmm por Nati-
va ; e o premio Grand Saint hoger, de Franca,
por Aerolitke.
Esto inscriptos no grande premio do Jockey
Club da corte, cuja corrida ter lugar, no domin-
io prximo, os animaos seguintes :
Esmeralda, Derby. Escopeta, Contralto, Vivaz,
My Bcnv, Cupido, Tenore e Breas.
*
A Grande Paule des Prtmts, corrida no dia 19
deMaio, foi iranha por Clooi e. por Stracchino e
Clotlw. de M. H Delamarre.
: O premio foi de 65.300 francos e os 2,100 me-
tros foram perr-orridoscm 143 segundos.
IHDICACES TEIS
Mdicos
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagera do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde'em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.a
andar. Telephone n. 389
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1." andar de 12 a 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.* andar da casa
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
isr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, l. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio na ra Nova n. 32, do meio dia s 2
horas e desta hora em diante ra Barao
de S. Borja, n. 22. Especialidades
molestias de enanca senhoras e parto.
Telephone n. 326j da casa de residencia.
Dr. Alvares Guimaraes, ebegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do con*-
cao, pulm5es, ligado, estomago e intesti-
nos e tambem s. affeccocs das enancas.
Reside praca do Conde d'Eu,. n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. '45, onde d cnsul
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 51, 1. andar, onde d consultas
meio-dia s 2 horas da tarde,
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clinica me-
dico cirurgica. Especialidades: molestias
.pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
gundoasnecessidadesqueapparecessem, urna vez
que nao buvia pracas que chti;*ssem para satisfa-
zer todos na pedidos dos candidatos governis-
tas!
D'ahi os oiquetes Das estradas, pora que oselei-
tores da opposlco nao podessem comparecer;
a prisao de alguns d'elles, como succedeu em
mais de um ponto do 10.* districto; os collegios
eleitoracs tomados de assalto c todas as violen-
cias a que j heniem nos refei-imos e-que fariam
corar de vergonha a qualquer nutro presidente
que, em um momento de desfallec ment, as ti-
vesse auctorisado ; mas que para o Sr. Alves de
Araujo, motivo de ufana porque recebe em troca
os dythirambos da imprensa governista I Se-
jam elles, porm, feitos por algum caloiro do
jornalisiiH) ou por jornalista provecto, a quera o
escndalo aproveitasse, nao tero a forca de obs-
curecer a verdade dos facfos. No dia 31 de
Agosto, n'esta provincia, nao houva eleicao ; o
que houve foi urna verda leira bachanal. foi o
tripudio indecente dos agentes do poder sobre a
honra e a dignidade da patria !
A todos os escndalos praticados pelo presiden
te da provincia, vera juntor-se juetomente o que
mais encomios mereoeudo articulista.das futas,
a rcmessa de cabalistas para diversas localida-
des e sera duvida .custa. dos cofres .pblicos, no
intuito de seuundarem os mrforgos do candioato
oflicial. Nenhuma das pessas que o Sr. Alves
de Araujo enviou para loffares onde se proceda
a eleicao, l foi manter a ordem, ncm poda ins-
pirar confianca ao candidato oppojicionista, que
va em qualquer d'ellas mais um elemente con-
trario, que seria necessario debellar.
Para nao fallar seno nos que tm carcter
oflicial, os garantidores da ordem, reraettidos para
o Limoeiro e para a Gloria do Goit, o secretario
do goveroo c o director da instrueco publica
forara siraplesmente para l fazer presso sobre
os empregados pblicos e encher o eleitorado de
promessas. em nome do governo, que diziam re-
presentar O secretario da presidencia foi o liscal
do candidato Lourenco de S, e era quera, era
Limoeiro, bocea da urna, distribua as chapas
d'este !
Nao ; nao foi o governo quem, no dia 31 de
Agosto, manteve a ordem ; fomos nos, os mem-
bros da opposigo que tomamos aos hombros
essa pesada trela, e bem pesada era de certo,
porque as provocacOes chuviara em toda parte e
feitas pelos agentes da auctondade e pelos ca-
pangas que os acompanhavam !
O Sr. Dr. Geroncio de Arroda, chefe de poli
ca, pode dar teslemunho do facto, pois foi, elle
proprio. clesrespeitado pela flor da gente que os
seus correligionarios mandaran! para a cidade
da Escada, onde S. S. se achava, nao sabemos si
no intuito de manter a ordem, si no de conquis-
tar alguns votos mais para o candidato oflicial;
mas a quem nao poda, em nenhum caso, ser
agradavel o espectculo tristissimo de estar, era
pleno dia, face de todos, a capangagem arma
da e ebria insultar e aineacar a. tudo e a to-
dos !
Lycurgo.
Becife, 4 de Setembro de 1889.
JoO Fraucisc*p*ta.
Francisco Barbosa de Siqueira.
Manoel Matbeus Pereira Gomes.
(Estova sellado e reconhecidas as tirmas na
formada lei pelotabellioElias FranoiscoBastos).
N'um exame:
O lente :
O' scuhor, veja se diz emtira algum cousa
cora geito
O examinando :
Eu desisto...
O lent :
Agora sim, disse bem.
das 9
o resi-
20-
Mais urna de Calino:
Oh Bomo Va buscar
que houver.
gelo do mais fro
584
47
10
214
237
199
324
Total
1.615
Sbese que Mme Rcssini, a viuva do grande
compositor italiano, le.-ou toda a sua fortuna
Asistencia ublica para fundar nma casa de asylo
com denomitiaco de Fmiac&o Rossini; destina-
da abrigo dos cantores italianos e francezes de
ambos os sexos que chegados urna certa idade,
nao tivessem adquirido com quem podessem pas-
sar urna velhice tranq lilla.
A vontade da testadora acaba de serexecutada
inaugurndose a Fundaco Rossini pela coostruc-
co da casa n. 5 ra Mirabeau era Auteuil, no
canto do magnilico parque de Sainte-Perioe.
Acabada em lins do ultimo anno, comegou a
casa Rossini a ser habitada desde Janeiro do
corrente anno de 1889, con'ando j 26 pensionis-
tas17 mulheres e 9 tomensartistas honrados
envelhecidos nos palcos, sem terem jamis con-
quistado gloria nem fortuna
Toda machina nova que se espalba no publi
coe cujoemprego persiste durante muito tem
po, corresponde uraa necestidade social.
E' o caso da machina de coSlura.
Nossa existencia febricitante, que exige de to-
do O munjo a realidad'.: ou a apparencia do la-
xo, tornava insufliciente o trabalho da antiga
costura, ainda a mais cuidada e agradavel, que
j nao corresponda presentemente s exigencias
de todo o mundo.
Um hornera de talento inventou a machina de
costura, que se accommoda todas as neeessi-
dades da costureira e executa os trabalhos com
urna preciso absoluta e extrema rapidez.
Seu suecesso foi immenso ; ollicinas se forma-
ram. as mulheres puderam oceupar-se utilmen-
te, fazendo os arranjos da casa c cuidando de
seus lilnos.
Amachina realisava um grande progresso;
desgracadamfcite, porm, o que ella por um lado
dava barato e como um bem massa dos com
pradores, constitua por outro lado para as tra-
bajadoras, que nao tardavam em reseutil o,
ao menos na maior parte, os terriveis effeitos do
movuneuto conliuuo que exigen) os pedaes.
Os mdicos estudarain as desordens que pro-
duz a aceto continua de Dater cora os ps sobre
os orgos femioinos, e a queslo est hoje lora
de toda a couleslaco. A auemia que pesa to
cruelmente sobre a mulher em Paris. occasio-
nada pelo trabalho na machina de costura ; por-
que para ganharem a vida, as costureiras sao
obrigadas a se porein aos pedaes depois de um
des;aii.-o de mais ou menos lempo.
Grande conteiitamento tivemos quando soube-
um- que um mecbanico inventou um apparelho
por meio do qual a machina de costura nao
aprsenla mais inconvenientes.
Lemos esta noticia em dous jrqaes francezes:
o Boletim de la Soctet franjase de hygienc e Jour-
nal de f>ygiene.
Estes joruaes do cunta da communicaco fei
ta Sociedade de hygiene por M. Dohis d'um
apparelho que elle chama o anti pedal hygieni
o e pode ser adaptado as machinas de costura
de todos os systemas, tendo resultado de um
exame medico, a que procedeu-se, segundo
aquelles jornaes, que as mulheres que amiga-
mente adoeciain por causa do pedal, se servem
boje do anti-pedal sem experimentaren a menor
fadiga, nem reseulirem-se de quaqu
dein orgnica.
alinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manh e
taVde. Teleshone n. 392
Oeculista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clinica de Pars e Lon
dres, consultas todos os dias
horasdao meio-dia. Consultorio
dencia ra Larga do Rosario o
Advogados
O bacharel Bonifacio de Aragao Far*
locha contina a advogar. Escriptorio
ua do Imperador n. 46., 1." andar.
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode sei procurado ra do Imperador
a. 71, l.- andar.
Silveira, advogado. Escriptorio ra
do Imperador n. 69.
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Casias n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem peder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.a
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Oliada n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi
tarios de todas as especialidades pharma
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
1 Iij-cmel!
-. Os jornaes liberaes do a grata noticia aos
povos da grey de que o Sr. Jos Maria, o vence-
dor do 6o districto, foi recebido, ao voltar de
.Santo AntSo, onde dirigir a batalha, com
maior enihusiasmos nao s pelo povo, ma3 tom-
ibera pelos lidalgos da trra, pelos mesmos a
![uem, nao ha muito tempo elle quizera ver en-
orcadosnos larapees das ras.
0 Sr. de Caiar," em companhia do Sr. Torrea
e de oulros consocios, l se foi at a Victoria dar
vivas e deitar etiquencia em brindes ; o Sr. Luiz
Felippe, menos atirado do que aquelle, ma*
apreciador do elevado carcter do Sr. Jos Ma-
na, limou-se a ir espralo estaco desta ci-
dade, sahindo com elle de bracos dado em pas-
seiata at o palacio da presidencia I
J maguem- se lentbra-dei bonaeeiras sedulas
falsasyelc.t etc. E' iccrivel !
Ltlhes.
Resposta necessaria
A Epoclta contina a malsinar o Exra. Sr. con-
selheiro Joo Alfredo, illustre chefedo partido
conservador, a quera attribue a derrota do par-
tido nesta provincia, no pleito eleitoral de 31 de
Agosto.
O governo fez a maior presso, lanjou mao
de todos os recursos decentes e indecentes, para
garantir a victoria dos seus candidatos, leve de
mais a mais em seu favor a abstenco dos ami-
gos da Epocha em alguns pontos e, em outros,
os votos, porque nelles o despeito supplantcn
inteiramente os sentimentos partidarios, e en-
tretanto contra o governo nem urna palavra se
articula, louva o procedimento dos conserva-
dores que votaram com os adversarios, e nao se
d I cssa de atirar doestos e insultos ao honrado es-
Reside tadista, contra quem alias nem urna palavra se
disse antes que elle deixasse o poder I
0 partido conservador de Pernambuco, diz a
Epocha, foi vencido porque nao se lhe tem dado
Uirecco conveniente ; mas ento, perguntaucos
ao contempoKMieo. como explicar a derrota que
elle tem sofWdo em toda parte, e al no Rio de
Janeiro, onde e chefe o Sr. Paulino de Souza. a
quem a dissidencia nao cessa de fazer comprl-
mentose zuinbaias *
Confesse a Epocha a verdade ; si effectivamen
te pertencem os seus redactores ao partido con-
servador, si nao esto concluidos com os libe-
raes, nao procurem illudir o publico ; deem o
motivo real do desastre que soffreraos as elei-
gOes-a com presso e a violencia por parte.do.
governo aqui, como em lodos os ngulos do Im-
perio.
Ignora por acaso a Epocha que para lod03 os
districtos se mandou torga e mais forca, para
nao consentir que votassem os eleilores conser-
vadores ?
Nao chegou ao seu conhecimento que para te-
da a parte foram enviados capangas, s ordens
dos candidatos liberaes e no intuito de ame-
drantar o eleitorado conservador e provocar des-
ordens, no caso de reagirem os nossos amigos ?
Nao presenciou por acaso, o facto altamente
mente immoral da presso sobre os empregados
pblicos que, sob pena de seren demitlidos fo-
ram obrigados a receber chapa na bocea da
urna!
Si de tudo isto sabe o contemporneo e nem
urna palavra tem para estigmatisar to feio pro-
cedimento por parle do governo e dos seus ami-
gos, raelhor, muilo melhor, assentar desde j
praca nos arraiaes contrarios do que estar ah,
com rtulos falsos, procurando prejudicar cau-
sa sacrosanta do grande partido conservador
Jogo franco.
Lycurgo.
Irmandade do Divino JEspirlto-
Wanto
UM APPELLO A TODOS OS NOSSOS IRMAOS
E AOS EIE1S KM GERAL
A irmandade do Divino Espirito Santo, peto
seu compromisso, urna das mais oheradas de
encargos, taes como : a obrigaco da missa aos
domingos e dias santificados ao meio dia, os en-
terras de irmos pobres,os quaes ltimamente
tem sido em grande numero, os soffragios pelos
irmos fallecidos, o.cumplimento de legados, os
ordenados de guarda e archivista (empregos in-
dis pensaveis), des pe zas de sachristia secreta-
ria, gastos de cera, asseio da igreja, etc., etc,
por isso, de algum tempo para c, acha-se em
condicoes pouco favoraveis, devido principal-
mente ao seu pequeo rendimento, que apenas
coiita dos alugueis de sete casinhas, que pouco
rendem, e dos juros (5 %) de seis egoes geraes
e dos dividendos (quando ba) de dez acales da
Companhia do Beberibe.
D'antes, muito concoma para o equilibrio da
despeza cora a receita o avultado numero de en-
tradas de irmos ; boje, porm, quando se chega
a conseguir alguma isto considerado como um
milagre !
Em visto, pois, "da justificada falta de recursos
era que a irmandade se foi achando, nao lhe foi
possivel pagar as epochas competentes os im-
postas provinciaes e annuidades (que absolver
quasi todo rendimento), sendo por esta circum-
stancia ltimamente penhorados todos os alu-
gueis das mesraas casinhas.
E', por con ieguinte, para sanar este primeiro
mal, que se faz um appello a todos os irmos da
mesma irmandade e aos liis devotos em geral,
para que coneorram ao espectculo que se vai
dar em seu beneficio, na quinta feira, o do cor-
rente, no theatro Santo Antonio, de cojos bilbe-
tes se est fazendo a distribuico era grande
porte, e o resto ser encontrado na bilbeteria do
theatro no dia do espectculo. .
Nenhum irmo on devoto dever recusar o seu
concurso para desempecer a irmandade do Di-
vino Espirito-Santo, do mbaraco em que est
col locada.
Recife, 2 de Setembro de 1889.
t'w irmo.
Ao i:\ni. Sr. ministro da justica
Constando ao juiz municipal de Bezerros que
alguem pretende promover a sua remojo
daquell comarca, em lempo previne que nao a
pedio nem pretende pedil-a.
Cidade de Bezerros. Io de Setembro de 1889.
/os-Francisco de Faria Salles.
COMMUNICADOS
mmmm.
SPORT
O Prado Minas Novas reabre as suas corridas
no dia 8 do corrente, tendo procedido a grandes
melboramentos no seu material.
Essa corrida ter 3 pareos, de 6 animaes pelo
meos.
Inscripco5*000 ; premio -3W000; pou
le-UOOO.
Protesto- em. tempo
O escrevente dos favo e favos appareceu no
Jornal do Recife, de hontem, tecendo os maiores
elogios ao Sr. Manoel Alves de Araujo pelas sa-
bias medidas que tomou para xjue o pleito eleito
ral de 31 de Agosto correase com a mxima li
berdade. salientando, d'entre essas medidas, a de
ha ver enviado para diversos pontos, onde se te-
ma que honvesse alteraco da ordem, pessas de
sua confianca e da confianca dos candidatos da op-
posico, para que nenhuma perturbago se dsse,
o que para o contemporneo, urna prava do
alto tino administrativo do conselheiro presi-
dente.
Nao nos sorprende a attilude assomida pela
imprensa governista ante da admiiiistraco da
provincia. Fazendo ludo quanto o Sr. Luiz Fe-
lippe e os seus amigos lhe ordenarara, prestan-
do-se a representar o triste papel de um presi-
dente-autoraato, eomo-ui qualquer illustre des-
conhecido, que preci*asse de augariar pcelecgio
para fazer carreira, -$r. .Alves de Araujo tem
ngcqssidade de receber' algu na oe-eopeosaco.
anda que seja de 'favos c fitas.
D'iiHi os elegios boiesque lhe atiram todos os
dias, erniora com sacruicio da verdade e-da jus-
tica.
J hontem o dtssamos, mas somos forgados a
repetil-o, desde qne se inaugurou no paiz o sys-
tema eleitoral.irecto, nem raesmo no tempo do
Sr. Dantas, sendo presidonto de- Kernamtmco o
Sr. Sancho e miitro da guerra o tuesminsiino
Sr. Candido de Oiiveira nem n'esse tempo houve
a presso que agora se deu, para que o governo
sahfsse-triumphaate das urnas.
Emqoanto que a lei pfohjhe expressamente a
presenca de forca "no iffcal em que se proeadem
a trahaihos eleitoraesf o, presidente da provincia,
semblo vida para garajttir a liberdade do. voto,
manda pera todas as localidades, anda as mais
pacificas, 0Ud.e numro d e, njue
I^^H^^^^Hft aa4MirjeMtoa da arre-
>. 40S
Oleo puro medicinal de Fiando de
Baci.IIiiiu de .anillan A Kcinp
Ainda mesmo quando a febre htica tenha
marcado tuas faces, nao digas j muito tarde
demais, porque sempre haver lempo de se
atalhar o mal.
Emquanto houver no systema vital umas
sombra de vigor recuperativo, snimai-a como
Oleo Puro Medicinal de Figado de Bacalho de
Lanman energa vital do systema.
>e existem ulceras nada tao balsmico como
elle ; se ha irritaco nada to suavisante, se ha
debilidad, nada to vigorisador, se ba extemia-
co, nada to restaurador. Porm misler ob-
ter-se o artigo verdadeiro.
Os leos ordinarios de fieados de bacalhos
sao sempre impuros, e s vezes nelles nao se
encontra urna s gola do artigo legitimo. Nao os
empregueis jamis
Reparai bem se o nome desta firma respeila-
vel. a qual por si.s urna garanta da pureza e
legitimidade do genero, acha-se no letreiro e
sobre a capa do Oleo de Figado de Bacalho que
porventura tumbas de comprar.
Em tal caso podis licar descansado de que a
preparago a melhcr, que o talento e sciencia
podem produzir.
Acha-se venda em todas as principaes bo-
ticas e lojas de drogas.
PIBLICACOES 4 PEDIDO
A eleicao do 10 districto
Opportunameote farei o histrico da eleicao
que acabo de pleitear. Aguardo os detalhes e do-
cumentos comprobatorios do estellionato poltico,
preparado pelo mea competidor no 10 districto
eleitoral desta provincia.
Por ora pubiicarei apenas, para que desde j
se avahe da coragem do Sr. Dr. Lourenco de S,
o protesto de 24 eleitores, que suffragaram meu
nome na secco do Jacarar ou Jatob. en, cuja
acta, por favor, tenho to smente 8 votos!!
, O protest foi feito no mesmo dia da eleicao e
as lirmas e3to reconhecidas por tabellio insus-
peito. Quem quizer poder examinal-o n'esta ty-
pographia.
Dn. Francisco de Assis Rosa e Silva.
Recife, i de Setembro de 1889.
Documento
Nos abaixo assigaados, eleilores do districto
de paz do povoado de Jacarar, declaramos que
volamos no Exm. Sr. conselheiro Dr. Francisco
de Assis Rosa e Silva, na eleigo hoje procedida
neste collegio para um deputado i Assembla
Geral Legislativa pelo 0 districto, e protesta
mos contra o procedimento criminoso da mesa
eleitoral, que ovildando a lei e o direito, contou
parte dos nossos votos para o Dr. Lourengo de
S e Albuquerque, fazeudo tavrar urna acia en-
de ilemeqte faUiticada.
Povoagao de Jatob. 31 de Agosto de 1889.
Francisco Lucio de Miranda.
Jos Clemente de Souza. '
Jos Augusto Gongalves.
Fraocsco Braz Santos.
Antonio Henriques Ramos.
Manoel Gongalves da Annunciago.
Francisco Olympio Rocba.
Manoel isarbsa de Siquelra.
Joo Clemente de Souza
Francisco l*edro barbosa.
Francisco Joo de Lima
Manoel Gongalves de Souza Filho.
Joao Paes de Lyra Brando.
Joaqun) Gongalves de Souza.
Manoel Gongalves ne Souza.
Antn de Parias Cavalcaate.
Manoel Lopes de Andrade.
Francisca Antonio Artfio.
Cleineste Gongalves d
isco-Lopes da Silva
Xntouiu Fernandes de Carvalho.
Aviso a nuestros lectores
Los de nuestros lectores que vayan a
Paris mientras la Exposicin de 1389, es-
tn ya avisados que podran leer los lti-
mos ejemplares, recebidos en Paris, de
nuestro peridico, en la oficina de nues-
tros corresponsales los Srs. Amde Prin-
ce y C, 36, ru Lafayette, donde pueden
haceree dirigir toda su correspondencia,
pedir informes, dar rdens de compra,
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatriotas
que ademas del servicio instalado en su
oficina 36, ru Lafayette1, los Srs. Am-
de Prince y C. han orgonizado un otro
gabinete de lectura y de informes en la
Exposicin misma, en el Pabelln de la
Repblica de Guatemala, en donde el Sr.
comisario general a puesto a la disposicin
de dichos Srs. una grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Paris, de hacer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tanto en su residencia, 36, ru Lafayette,
como en su instalacin en el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que resulta-
r, ser por el hecho de las extensas rela-
ciones de nuestros corresponsales, el cen-
tro de reunin de los numerosos estrange-
ros presentes en Paris.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Barao da Victoria46
(DEFRONTE DA PHARMACIA PINHO)
Onde tem comilior e rei-
teacia t podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades : partos, febres, moles-
lias de senhoras e dos pulmOes, syphilis
em geral, cura rpida e completa c ope-
rages de estreitamentos e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados pera
fra, a qualquer distancia.
TelepkoM* 314









Diario de Pernambuco-Qnina-feira 5 de Setembro de 1889

K
Aviso aos oossos leitores
Os nos80H leitores que visitarem Pana
durante a Exposicao de 1889 j sbete
que poderlo 1er os ultimes exemplares do
nosso jornal chegados aquella cidade no es-
criptorio dos nossos correspondentes, Srs.
Amde Prince & C, 36. ra Lafayette,
onde podem mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesquer informales,
dar ordens de compras, etc.
Alin d'isso, levamos ao conhecimento
dos nossos patricios que afora o servico esta-
belecido no escriptorio da ra Lafayette,
n. 36, os mesmos Srs. Amde Prince A
C., acabam de organisar urna sala de lei-
tura e de inforniacoes na Exposicao mes-
ma, no pavilhSo da repblica de Guate-
mala cujo commissaro geral dignou-se dr
por graciosamente urna vasta sala com
varanda as ordens dos nossos correspon-
dentes.
Aconselhamos mui vivamente aos nos-
sos amigos e leitores que se acharem em
Paris, que visitera a casa Amde Prince
& C. na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installacao que possue na
Exposicao no Pavilbao de Guatemala que
ha de ser, gracas as extensas relac3es dos
nossos correspondentes, o ponto da re-
uniao dos numerosos estrangelros residen-
es em Paris.
A Soluc,ao de Antipyrina de Troudte
cura com maravilhosa presteza a enxa-
queca, as dores de cabeca, as nevralgias..
os torticolis, as clicas, a asma, a op-
pressjlo, a emphysema, os rheumatismos,
a gotta e geralmente todas as dores. (10).
PHOSPHATINAFALIERES.AlimentotaCria.-'.*as
Elixir cabera de negro to lir. Sania
Komi, nnalynado em Parle e ap-
provado pela InNpccloria Geral
de Hygiene.
(Premiado na Exposicao)
Continuamos a prevenir o publico que o ver-
dadeiro elixir cabeca de negro o da formula
do Dr. Santa Rosa, que como garanta (em em
seu favor os attestados passados pelos mais dis-
tinctos medico*, desta e demais provincias do
imperio, por pharmnceuticos, esembargadores,
advocados, engenheiros, rommerciantes, erapre-
zados pblicos, lentes da Faculdade, artistas,
etc.
Fique, portanto, o publico sabendo que o eli
xir fabricado na ra da Codera, pbarmacia de
Hermes Souza Percira, Succcssores, urna imita
cao do nosso.
Deposito do verdadeiro ra do Bom Jess n.{l.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Ballazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devera ser di-
rigidos pharuacia do Dr. Sabino,
f ra do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
;;
Leonor Porto
Ra JLarga do Rosarlo nn-j
mero 6
SEGUNDO ANDAR
( j Contina a executar os mais difficeis j
< >figurinos recebidos de Londres, Pariz,<
( ) Lisboa e Rio de Janeiro. |
Prima em perfeico de costuras, em i
,em brevidade, modicidaue em precos e.
) fino gesto.
Remedio soberano
O Peitoral de Cambar, de S. Soares,
cura de nina forma admiravel qualquer
rouquido e perda de voz.
Os agentes
Francisco Manoelda Silva & C.
Ra da Mrquez de
COMERCIO
Revista do Mercado
BBCuTX. 4 DK SETE.UllliO DE 18S9.
0 movimento foi de peuca importancia, redu-
zindo-se a pequeas transacijes no mercado de
cambios.
Bol
sa
OrTAgOES OFKICIAES DA JCTTA DOS COB
KTOBCa
f'cit?. 4 tu Mimbro de /8S9
(Cambio sobre o Rio de Janeiro, 30 d/v. com 3/4
0 0 de descont.
Cambio sobre S. Paulo, :; J/v. cara 3,4 0/0
de descomo.
Dito soore dito, 00 d(v. com 1 1/2 0/0 de des-
cont.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 27 3/8 d. por
1*1)00. do banco, honiem o boje.
Dito sobre dito, 00 d/v. 27 9/16 d. por i000,
particular.
Cambio sobre llamburgo, vista 43i rs. o R. M.
do banco, lionteiii.
o presidente,
Candido 0. G. a Ico orado.
secretarle.
Eduardo iiubeux
.%0 Nao houve vendas.
A exportadlo, teita pela alfaodega oeste mez
at o da r, cunslou de 18.974 kilos para o ex-
terior.

As eaindan terilicidas em Agosto lindo, j co-
ihecidas, sobffl a 6.817 -. -.-.is,scado por:
Sanacas. .. 677 Saccas
l!V, ~-^>. jo
irn. ;_;>
Via-ferrea d-. .rr;:.H M
er-wi .;- L 3 ouj
soinma.
8.817 Saicas
Cambio
Os bancos manlivi-iam a lalielli tlr. 27 1/4. of
ferecendo sur achante pouco di
nheiro.
Em papel particular nao constou trasarces, f
exigindo os bu;eo= IT'J. 1.
No Rio, papel butu ario 27 1 i, nominal saccan-
uo. porm, todos os bancos a ii
Papel particular 2: > i
Lettras mu< e
Cuidai avossasaude!
Infelizmente i bem commum urna mo-
lestia terrivel, t onhecida pelos nomes de
Tsica, Consumpcao, doenca do peito,
ete.
Nao pretendemos affirmar que o Peito-
ral de Cambar., cure aquella molestia,
porque at hoje tem s4o impossivel cu-
ral-a quando chegada ao ultimo periodo ;
Sorem, podemos assegurar, que todos os
oentos que usurem do Peitoral de Cam-
bar, no primeiro e segundo periodos,
logo achar&o, cora, toda a certeza, grande
allivio e depois a sua cura completa, por
meio de um tratamente prolongado e per-
sistente.
O Peitoral d Cambar nao limita a sua
accao benfica as doencas do peito cura
tambem muitos defluxos, bronchites e tos-
ses que, as mais das vezes, quando des-
presadas, sao a causa das affeccSes pul-
monares.
Este remedio acha-se venda em casa
dos agentes francisco Manoel da Silva
& C, ra Mo-quez de Olinda n. 23,
que o vendem a 2)5500 o frasco.
t
AMOGADO ^
0 bacharel Salustiano Jos de
Oliveira pode ser procurado para
os misteres de sua profisso.
ra Estrella do Rosario n. 10, 1.
andar.
|| Frederico Chaves Jnior I
Homoepatha
(139 RA BARO DA VICTORIA 39 M
( ) Primeiro andar I i
jf Bacharel Antonio Wilrn-
vio Pinto Bandeira 'j
. < Pode ser procurado ra do Imperador }
| I n. 7T1* andar )
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creabas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, 1" andar.
Consultas de 8 s 10 da manbJL
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONK N. 226
SILYEIRA
ADVOGADO
!t-lll V DO IHPEBADOB-CO
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wccker, da consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 a ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e dias santiticados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barodo Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas dan 10 s 4 horas da tarde.
TAHELI-A8 AFFIXADA8

& 2
2. 3
5 ~." s
= c- a
S 1
t> (O
o
o


o
e.

X
t
9
t
a
' I
to s
^J a. tn
M iC- &>>
ce o <
i-: fcB o - t-<
i
c s? g

o I
ol
e> <
9. 3 {.
n i* it M> ^> CO CO '.
~ o o O (O CO ex oe fc -
S i* -J u j -i
> &
. -* ^ CO Ai s
eo SS <
ZA i* -- i
i
t- %
-- 2 ce CO H F
5 1* *J O ~ - j
AMMHW
Os precos pajros ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associacao Commercial Agrcola, foram
os seguintes:
Branco..... 3*600 a 4OO0
omenos..... 2*700 a 3000
Uascavado purgado 2#2(i0 a 2t>00
bato. (lirme) U600 a 2*000
letame..... 1*200 a U40
A exportago, felta pela alfandega neste mez
at o dia 2, constou de 2i3.3nO klos para o in-
terior.
As entradas verificidas em Agosto ultimo, J
conhecidas, sobem a 7.104 saceos, sendo por:
Barcacas..... -3J3 *accos
Vapores..... "
Animaea. 267
Via-ferrea de Caruar. 78
Via-ferrea de S. Francisco. 3.972
Via-ferrea do Limoeiro 254
Soinma.
7.104 Saceos
A dvogadb
Miguel Jos de Alme.di Pernambuco tem o s,ju
escriptorio de adtocacia ra do Imperador n
81, onde ser encontrado todos os dias uteis, das
horis da 9 manh ;s 4 da tarde.
Advocacia crime
RIBEIRO DA SILVA, defende perante o.
) f jury de Palmares, Agua-Preta, 6amelleira,|
/) Esc.ida, Jaboato, Nazareth, Victoria, Tim- \
'bauba e as comarcas visinhas as vias
frreas. )
Pode ser procurado a ra Io de Marco
n. 7 A. Livraria Parisiense.
Advocado
0 bacharel Arthur da Silva Reg tem o seu
escriptorio de advocacia ra do Imperador n.
34, onde pode ser procurado para os misteres
de sua prolisso.
EDITAES
Edificio da Faculdade de
Direito
De accordo com a commissilo nomcada pelo
Exui. Sr. conselheiro presidente da provincia
acha-se aberta, com o prazo de 8 dias a con.n
desta data, ccicurrencia pabliea para o retebi-
ment de propostas das pessoas que pwodi:
rem fornecer para as obras do novo edificio da
Faculdade de Direito os moteriaes abaixo desig-
nados, f
As propostas serflo fe'.tas em cartas fechadas e
entregues no da 2 de Setembro virnluuro. s i i
horas da manha, na repartico de Obras Milita-
res, em palacio, obrigande-se cana prcponeule
a fornecer todos os materiaes conjunctameiite ou
cada classe que preferir.
O contracto vigorar al 31 de Dezembro des
te anno.
O transporte dos matenaps ser por conta dos
fornecedores. licando obrigados a dcposi'al os
no largo do Hospicio e lugar indicado pelo en-
genheiro encarregado da construeyo.
O fornecimento comecar a ser feto len'.ro
de 8 dias a contar da accitaco das propostns.
sob pena de 20 por cento de multa, deduzi'ios
da liancade 500000 previamente depositada na
Thesouraria, como garanta.
Areia d'agua doce, metro cubico.
Pedra granito de lastro, arrumada, metro cu-
bico.
Pedra granito em blocs (grandes pedacos) metro
cubico.
Cimento Porllaod era barrica "'de 146 kogram-
mas, urna.
Cal preta, hectolitro.
Tijolos de alvenaria grossa d'agua doce de
0,-31X0-15X0,-0.1, milheiro.
Tclhas convexas de 0,-57X0,10 de corda, mi
Ibeiro.
Trave de madeira de le (pao ferro, sucupira pre-
ta, sapucaia, imberiba preta, pao d'arco, ba-
cury) de 0,-22 a 0,-25 de face at u cunipri
ment de 4" a de 0,-25 a 0,-30 sendo msnor
de 4-, o metro linear.
Enchamel de madeira de le, de 4" a G por
0,-17X0.17, metro linear.
Dito de 4- a C- | r 0.liX0,l4, nutro linear.
Mo travessa de i- a metro linear.
Caibro de madeira de C a 9-X0.O8 a 0,-11 de
dimetro, metro linear.
Dito de mangue de. 4'" a C-X0 a 8a 0,"1I, me
tro linear.
Hipas de2,-5X0.05 de largura, duzii.
TiDou de refago, rfiuia.
Corda para andaiine, peca.
Ferro forjado para arganeis, ponteias, parafu-
sos e porcas, kilogrumipa.
Pregos grandes, iilem.
Pregos caibraes francezes, idem.
Ditos ripacs, idem, ideiu.
Recife, 26 de Agosto de 1889. W
G. Thaumaliirgo le Atett
Faculdade de Direito
De ordem do Kxm. Sr. conselheiro di-
rector faco publico que lica marcado o
praso de seis niezes, contados da data
deste, para a inscripcio dos que preten-
derme concorrer ao lugar de lente substi-
tuto desta Faculdade. que se acha vago
por ter passado cathedr.itico o Dr. Al-
bino Goncalves Meira de Vusconcellos.
Pelo que todos os pretendentes ao re-
ferido lugar poderao apresent:ir-se desde
j nesta secretaria para assigoar seus no
mes no livro competente, o que Ihes
pennittido fazer por procurador, se esti-
verem a mais de 20 leguas desta cidade
ou tiverem justo impedimento.
Devem, outro-sim, apresentar docuinen
tos que mo8trem sua qualidade de cida-
dao brasileiro c que esto no goso de seus
direitos civis e polticos; isto certido
Mol
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couros salgados
res.
COUK'OS
335 ris, e os verdes a 210
%ffuar Cota-se a 105*000, por pipa de iS" litros.
Alcool
Cota-se \ 2003000 por pipa de U roa;
PatKla da alfaxtlc^n
Mllt H 2 7 D8 6MEUBB ue '
Vicie o Diario ile 2 de S:teii:bru
<3I
a lesearla
/
Barca norueguense Glleml, ferragens.
Barca noruegeose Solid carvo.
Barca bespanbota Progresso, carvo.
Barca inglesa Haxucola, materiaes.
Barcanoiueguense Spet, ferragens.
Barca noruega San Luy, varios gneros.
Lugar nacional Tigre, xarque.
Lugar nacional Loyo. xarque.
Lugar americano iklle. Hooptr, familia do trigo.
Lugar ioglcz Adamantiiie, l'arinlii de man
Lugar portuguez Joren A/6c7o, varios generes.
Logar tnglez Razona, bacalho.
Patacho allemo Marie von OldciuLorp, xarque.
Patacho nacional Hegnleva, xarque.
Patacho allemo Fredenck, xarque.
Patacho dinamarquez -luijor, xarque.
Importaco
Paquete francez Urencque, entrado dos poHos
da Europa em 4 do correte, e consigoad a Au-
gusto Labille. manif-stou :
Amostras 1 volume ordem.
Aonados 1 eaixaa Metfeiros limaos c C.
Azitsi caixaa ao coosignatario.
Ameixas 5 caixas a CarvalhO 4 C, 7 a Ll.uno-
i C, 10 a Domingos, Ferwlra da Silva & ('..
Calcados 2 caixes a Thomaz de Cai-valin
4C.
Conserva-; '', caixas a Ramos C.
Cognac 55 caixas a 'loiningos Perreira da Sil
va v C, 20 a Sulzer KaulTmann k C, 50 a Mu-
deiros Innos C, 10 a Pinto & C, i a Carva-
Iho 4 C 5 uo consignatario.
Clich 1 caixao ao Jornal da iecift, 1 dilo ao
Diaria de Pernambuco.
Doces 8 caixas a (uedei de Aran i
10 a Ramos & C. w
Licores 5 caixas a Sulzer Kauffinau C^ ii
a Ramos & C, 10 a Carvalho 4 C.
Machinas de costura e outios amigos I
irina Salvignal.
Mercadorias 1 voluuift irm Redi
Chouveroche, 1 a Amonio Don.
Manteiga 7 caixas a Mu
dem.
Mustarda 2 caixas a Ramos &
de baptismo, folha corrida no lugar de
seus domicilios e mais o diploma de Dr.
ou bacharel por urna da? Faculdades de
Direito do Imperio ou publica forma jus-
tificando a impossibilidade da apresenta-
cao do original, e na raesma occaso po-
derao entregar quaesquer documentos que
julgarem convenientes, ou como titulo de
habilitacSo ou como provaa de servicos
prestados ao Estado, a humanidade ou
sciencia, dos quaes se lhes passar reci
bo, tudo de conformdade, com os artigos
36 e 37 do decreto n. 1286 de 28 de
Abril de 1851, e Ule seguintes do de
n. 1568 de 21 de Fevereiro de 1855.
E para que ohegue ao conhecimento de
todos mandou o raesmo Exm. Sr. conse-
lheiro director affixar o presente, quesera
publicado as folhas desta cidade e as da
Corte.
Secretara da Faculdade de Direito do
Recife, 3 de Setembro de 1889. (Assgna-
do). O secretario. Bonifacio de Ara-
gao Parias Rocha.
5' secgao.Secretaria da presidencia de Per-
nambuco, em 23 de Agosio de 1889.Por esta
secretaria se faz publico para conhecimento de
qne:u interessar possa que a requerimento de
Manoel Antonio dos Santos Dias, lica aberta a
concurrencia com o praso de 90 dias contados
de.-ta data para o recebimenlo de propostas, em
caria lechada, referentes fundaco de um en-
fteOho central de typo maior, de que trata o ar-
tigo 18 da le n. ,60. de 11 de Agosto de 1885.
mediante as condicOes do artigo 16 da mesma
lei e i 0 secretario,
Francisco Leopoldo Marmita de Souza.
5.* seccSo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por. esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-preaidente
da provincia e no3 termos do 2a do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
uo, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, a'questao de ava-
acilo do material da empreza de iilumi-
M$jb gaz desta cidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zea, contados da data do presente cdital,
para contracto da dita illuminac.lo, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
| 3. Ncnhuma proposta ser recebda
sera que o proponente cora ella aprsente
documento de haver feto no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:005
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a acetaco do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
| 4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo contractante seno lindo o contracto e
servir de caucao para os pagamentos de
multa e fiel comprraento das clausulas,
que forera estipuladas no raesrao.
| 5. O contracto s poder ser fcito
e-ora quem melhores vantagens offereccr
na concurrencia.
| 6.' A nao ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponeute
7. O novo contractantc sera obrga-
do indemnisacio, a que a provincia
siijeita por forca da clausula dcima ter-
eeira do contracto cm vigor, deveudo dita
ndemnisaao ter lugar do accordo cora
essa mesraa clausula, e ficando o matcra
i obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indeiuni-
VttKo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
| 8." O prazo-do contracto n5o poder
exceder a 30 annos.
9.3 O proco da illuminacSo, quer publi-
ca, quer particular, nio poder exceder de
"260 rcis o metro cubico de gaz, fazendo-
*e urna reduccao de mais de 50 |0, para
is estabelecimentos de cardade e benefi-
cencia, e repartic3es publicas.
10." O svsteina mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a med-
cao do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e senta
de substancias estranbas, que possam pre-
udicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade inedia da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das que queimam sete grararaas por hora,
correspondentes a 1^*0 graos inglezes.
$i 13. As horas de illuminacao publica
sero fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, neia maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduccao no proco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14. O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as que3tSes que
se suscitarem, quer c^m o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jur8dic5So dos tribunaes judicia-
ros ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
l6. O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feto em moeda do
paiz, sem attencao oscillacao do cambio.
17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obriga5oes do contracto.
18. Para as despezas com a tiscali-
saco do servijo de lluminar-o jo contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000;)000, que sero recollndos ao
Thesouro Provincia!.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicoes, no
intuito de garantir a boa execuco do con-
tracto, quer cora relaco a illumincao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
preza, conforme o 7o cima citado, 3
quantia de 994:917)5528, de accordo con
a avaliaco feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777J528, total da avaliaco,
a importancia de 3:860-5000 paga era-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos cora lam-
peSes, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaqub* Silveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de uiniuacuo a gaz desta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
cao do ectal em que a presidencia da pro
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no raesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:77728, por
quanto foram aval iadas pelo arbitro desem
patador as obras da me3na empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacilo nrio pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido illegal e irrcgularmi:ie feita, bem
como que contra eila j protcs ou, quer
perante o Exin. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o jttizo dos feitos da
fazenda. tendo sido intimado do niesrao
protesto o Dr. procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da ropvincia.
E como quer que dsva em tempo op
portuno faser valer seus direitos contra
quera de direito for, delberou fazer a
presente publicacao para scieneia dos iu-
tere8sado3.
Reeife, IdeMaiode 1839.
Gerente.
George Winchor,
Mas-as alimenticias 8 caixas a Ramos < C.
Objectos para relojoeiros i caixa a C. oti-
chord.
PurcclLna 1 barrica a Arltinr & Desiderio.
Papel I caixa a Carlos de Arruda C
Dito de eiubfulbo 50 fardo a Paira Valente
& C.
Queijos 103 caixas ordem, 1 tina a Ramos
4 C.
Itoupa branca e outros artigos i caixa or-
le m.
Sur.linhas 4 caixas a Carvalho C 6 a Gue-
des de Araujo 4 Filho 3 a Ramos 4 C.
Vestidos 1 caixa a j. L dos Santos.
Vinagre 2 caixas ao consignatario.
Veriiiotilli 20 caixas a Carvalno & C.
Vilino 3 barra a J. Krause 4 C, 9 ordem, 2
a liernel 4 C. I a Machado 4 Pereira, 14 ao con-
signatario. I a W. II. Webster, 60 caixas a Do-
mingas f'erreira da Silva 4 C, 6 ao consigna-
tario.
------0
Ksxportaeo
RCCIFI, 3 OH SETEMBRO -DE 1889
Para o exterior
N vapor allemo Te juca, carregaram :
Para llamburf-'O, P. Salgado o.OOO*" gras de
ouro veliio e 7,000 ditos de prata vi'llia.
Para (remen, V. Neesen 172 couros salgados
com 2 0di kilos ; P. de Almeida 6 couros verdes
com 120 kilos.
l'^ra Lisboa, J. II. da Silva 1 caixa com 16
garrafas de cajurubeba.
No vapor mi-ricano Finance. sarrenraiD :
Para New York, Abe. Stein 4 C. 6,100 ipiles
de cabra ; Rossbacli Brothers 34,081 pelles de
cabra.
Pcr-i o interior
.So patacho allemo Mana, carregou:
P.ira Rio Gran le do Sul, A. Guimaries 322
barricas com 18,562 kilos de astucar branco.
N rtiDOr nacional Alagoas, carregaram :
Para o de Janeiro, Amorim Innos 4 C.
1.001 saceos com 60,060 kilos de assucar branco.
Para Baha, J. S. da Costa o Silva 23 barricas
com 2'-0 1/2 kiios de assu;ar branco.
Si vapor allemo Argentina, carregaram :
Para Santos, F. Casco4 I-'iilio 239 saceos com
17,925 Kilos de assucar branco e lil ditos com
10.395 diloj rie dito nascando; S. Guimaries
,V C i- -.^ccos com 2,520 kilos de assucar branco
e958ditos com57,480 ditos de dito mascavado ;
A a. liollaoda Costa 24 luzius de frascos com
tflixlr cabeca de negro.
f Pura l'.io de Janeiro, Costa Fernandos 2,000
coeos irada ; S. Guimaraes 4 C. 89 saceos com
.3V0 til )s de assucur branco ; P. Carneiro 4 C,
200 saccaa com 15,210 kilos de algodo.
O Dr. Jos Antonio Corroa da Silva, ca-
'alhero da Ordem de Clinsto, eomraen-
dador da Real Ordem Militar Portugueza
de Noaaa Senhora da Conceicio da Villa
V90sa, juiz de direito da comarca de
Olinda, por Sua Magestade Imperial,
que Deus guarde etc.
Faco saber aos que o prsenle cdital virem que
est narcailo o dia 14 do corrente, s9 horas da
manh, na casa dade. para ter lugar a reaaiao da junta de apu-
rago geral de votos de deputados geraes lti-
mamente feita.
Outrosim. pelo presente sao convidados para
fazer parte dy mesma jnnta os presidentes das
Renda orovinciai
DodiaaS 5J0736
dem de 4 3:773*693
9:3944129
Somnia total 90:950*160
Segunda scelo da AUuadega, 4 de Setembro
de 1S89.
u thesooreiroFlereocio Domingties.
chele dascccJo -Cicero li. de Mello.
Elecehcdori Geral
Do dia 2a 3 4.1655922
dem de i 2:219y93
6:383,4920
iteccbcdorla provincial
Do dia 2a 3 915*319
dem de 4 9184755
Ddto de 2
dem de
I&ceife Drainasc
4:023407
5:387*700
1:862;4
9:613I07
endiiHcntos publicas
MKZ DB SBTMBRO
Ren.la geral:
Uo dia 2 a 3
f.lem de 4
Alfanaega
48:635*366
32:920*363
? 81:555*731
Morcailo Uuuctpal de S. Joh
O movimento deste mercado no da 3 de
Setembro foi o seguinte :
Eutraram :
38 bois pesando 4,087 kilos.
344 kilos de peixe a 20 ris 6*880
184 cargas com rariaha a 200 ris 30*800
11 ditas de Crudas diversas i 300 ris 3 *3o0
11 taboleiros a 200 ris 2*200
14 sumos a 200 ris 2*800
3o raatutos cora legumes a 200 ris 6*000
Foram oceupados :
26 columnas a 600 ris 13*600
1 escriptorio a 800 ris 300
25 compartimentos de farmha a 500
ris 12*500
23 ditos de comidas a 300 ris 11*500
71 ditos de legumes e fazeudas a
400 ris 2800
17 ditos de suinos a 700 ris il*9Jt)
ditos de fressuras a 600 ris 4*890
W talhos a 2* 80*000
Rendimento do da 1 e 2 d;i cor-
rente
Foi arrecadado liquido at hoje
Precos do dia:
Carne verde de 280 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 1* res idem.
Suinos de 560 a 610 ris idem.
Farmha de 560 a 720 ris a cuia.
Milho de 320 a 360 ris idem.
Fejo de 1*000 a 1*200 idem.
222*980
396*900
619*880
mesas eleitoraes das parochias de S. Salvador,
Beberibe eMaranguape, d'esta comarca; de Ss.
Cosme e Dami&o e de Nossa Senbora da Concei-
So de Itamarac, da comarca de Iguarass ; do
dvino Espirito-Santo de Pao d'Albo, de Xossa
Senhora da Luz e d Nossa Senhora da Gloria
de Goit. comparceendo no referido dia, hora e
lugar cima indicados e remetter as au'.henticas
da referida eleico.
E para que a noticia chegue ao conhecimento
de todos mandei passar e affixar o presente em
todas as parochias cima mencionadas e publi-
car pela unprensa
Olinda, 1 de Setembro de 1889.
Eu, Joo Tlieodomiroda Costa Mouteiro, escri-
vo, o escrevi.
Jos Antonio Correia da Silca.
5.' Seccao Secretaria da presidencia de Per-
nambucoEm 3 de Setembro de i889
Por esta secretaria se faz publico que fica
abeno o praso rie 50 dias, a contar desta data,
para o reccoimento de pronostas em carta fecha-
da dos concurrentes cohstrucco de urna es-
trada de ferro de que trata a lei provincial infra
n. 2.03o de 8 de Agosto prximo lindo.
O secretario
Francisco L. Marmita de Souza.
LEI N. 2.036
Manoel Alves de Araujo, do conselho de Sua
Magestade o Imperador, bacharel formado em
sciencias sociaes e jurdicas pela Faculdade de
S. Paulo, commendador da Imperial Ordem da
Rosa e presidente da provincia de Pernambuco-
Faco saber a todos os seus habitantes que a
Asseinblta Legislatura Provincial decretou e eu
sanecionei a resoluco seguinle:
Anigo 1." Fica concedido -o engenheiro New-
ton Cesar Imriamaqui ou a quem melhores van-
tagens offerecer privilegio por 60 annos para a
construccao, uso c goso de urna estrada de ferro
de bitola estreila, que portindo da Serra Dous
Irmos, na extrema desta provincia com a do
Piauhy, va terminar na villa de Petrolina pon-
to marginal do Rio S. Francisco
| Io A zona privilegiada ter 10 leguas para
cada ladodocixo da linha. sem que seja isso,
cm tempo algum empeeilho a que a qualquer
outra estrada de ferro, p irallela ou nao a de que
cogita a presente concesso, possa a provincia
fazer concesso de zona privilegiada. No caso
de futuras coucc-^O'-s, se a zona privilegiada da
estrada a que refere se a actual lei for invadida
pela de qualquer outra estrada de ferro conce-
dida mais Urde pela proviucia, .ser o espaco
de trra que entre as dnas estradas mediar divi-
dido ao meio, licando urna metade delle como
zona privilegiada de cada urna das referidas es-
trada i.
?." Em ignaldade de condices o concesio-
nario 'era preferencia para constrnccao, uso e
goso de futuros ramees convergentes.
3." Ficam isentos de direitos c impostos
provincacs e mumeipaes oseailicios, as machi-
nase" materiaes necessarios para a construccao e
exploraco da linha principal e dos ramacs que
forem construidos.
i. O concessionario ser obrigado a cons-
truir linha telegraphica para uso publico e par-
ticular da referida estrada e ramaes, gosando de
igual isenco de direitos impostos.
S 5. Fica concedida a garanlia de juros de
6 % sotire o capital que for empregado efl'ecti-
vanente as obras, calculado o preco mximo
do kilmetro, em 25.000-5 e plo praso da duia-
rfio do privilegio, lindo o qual reverter para a
provincia a estrada com todas as suas obras,
machinarnos, materiaes e linhas telegraphicas,
e bem assioi irada um dos ramaes que tenham
sido construidos, logo que tenham sido oxplora-
dos por igual tempo,
6. A g.iranlia de juros s se tornar efec-
tiva no caso de ser levada a elTeito a concesso
da estrada de ferro de Amarante na provincia do
Piauny a ierra Dous IrmSos. a qual se prende a
presoute concesso, perdmloo concessionario o
direito referida garanta se obtiver o governo
geral, subvenco kilomtrica, quantia de juros
nu qualquer outro favor equivalente.
5 7." A provincia ter o direito de embarcar
gratuitamente a sua forja publica, autoridades e
,:--itctivascargas.
8. O concessionario poder transferir ern-
vvim ou comnanbia, que organisar o presente
privilegio com todos as seus favores e obrga-
jes.
9." Dentro de 5 an-ios da data do contrario
devero ser apresentados os respectivos estados
definitivos e os respectivos orcamentos detalha-
dos c ler com eco de execacO as obras, cadu-
cando a concesso, se dendro desse praso nao
Forem ditas obras comecadas. salvo caso de for-
ca maior. debidamente pro vado.
Art. Ficam revogalas as disposices etn
contra riu.
Mando, portanto. a tolas a.s autoridades a
quem o coiihecimento e execufo da prsenle
resoluco pertencer, que a cumpram e facam
cumpnr to iateiraTiente como nea se com-
tm.
O secretario da presidencia da provincia a foca
imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernanbuco. 8 ce
Agosto de 1889, 68- da Independencia e do Im-
perio.
L. S. M. Alces de Araujo.
Sobada e publicaba a presente resoiuco ne.-U
secretaria da presideucia de Pernambuco, aos 8
de Agosto de 1889.
0 secretario
Francisco L Marinlto de Souza.
i c i ............gHBBBSSPSSBBBB1
T3at.i-j:iro publico
Neste estabelecimeto foram abatidas pa'a o
coasumo de hoje 87 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapore* a catrar
MEZ DS SETEMBRO
Europa....... VU le Rosario..... o
Sul........... Finance .......... 5
>u.......... fkrtiu............ o
Knl........... Mandos...........
Sul........ Orubti............ 9
.->ul........... FB de Pernambuco. lo
Norte......... Cearen.se......... 10
Europa....... Tagus............ 13
Liverpool..... Actor.......... 14
Norte......... Pernambuco...... 1 i
Sul........... La Plata.......... 13
Sul........... Mcirmltao.......... 17
New-York___ Ad vanee.......... 19
Norte......... Sttrona.......... 20
Euro na...... Mitlekowiti..... 22
Norte......... Para............. 2i
Sul........... Espirito Santo..... 27
Europa....... Trent............. 28
Vapores a sabir
MEZ DE SETE.UBRO
Santos e esc.; Argentina......... 5 as 2 h.
Ceara e esc... Jagunribe......... 5as 5 b.
Bordeaux-----Nerthe............ 6 as 2 h.
Santos e esc Ville de Rosario 6 as 2 h.
Babiaeesc.. S. Francisco....... 7 as'oli.
Norte.......Mondo.......... 8 as oh.
Liverpool---- Orubt........... 9 as II h.
Havre eesc. Vtlle de Pernambuco. 11 as 3 h.
Buenos-Ayres. Tagus............. 13 as 2 h.
Sal.......... Pernambuco....... 14 as 5 h.
Southampton. La Plata.......... 13 as 11 h.
Norte........ Maranhao......... 18 as 5 h.
Sul.......... Para.............. 24 as 5 h.
Norte........ Espii tto Santo..... 28 as 3 h
Buenos Ayres. Trent............. 28 as 5 ii.
.UoTmeato Xavios entrados no dia 4
Gaspe (Canad) 49 dias. patacho ingtez Reaper,
de 137 tonela'a. capito Charles Godf.-ay,
equipagera 8, carga baealbau e madeira de pr-
obo; a Johnstoa Pater C.
Rio Grande do Norte5 das, hyate nacional Rom
Jess, da 85 toneladas, raestre Clementino Jcs
de Macedo, equipagem i, em lastro; a Manuel
Joaqaim Pessoa
Sahidos no mesmo dia
Hamburgo e escalaVapor allemo Tijuca. com-
mandante H. Langerlianny; carga varios ge-
nos gneros.
Rio de Janeiro e escalaVapor nacional Alagos,
commaodante Joo Mara Pessoa! carga va-
rios gneros.

I?
r 3



Diario de PemambucoQuinla-feira 5 de Setembro de 1889
.x
t
v
DECLARigOES
S. R. C.
Sociedade Recreativa Commerclal
Instlacao da sociedade e abertura da bi
bliotheca em 7 de Setembro de 1880
Scieotilico a todos os seahorc socios, convi-
dados e coramissGes, qu in-tfna prin-
cipiar as 9 horas da noite e em seguida o baile.
Ingresaos eui poder do Sr. thesoureiro. Ag-
gregados nao sao MhaiMiMis.
Secretaria da Sociedade Recreativa Coinmcr-
cial, 3 de Setembro de 1*9.
o I- secretario!
Adolidio Mendes Torres
Polica do porto
De ordem do Exm. Sr. Dr. chefe de polica
chamo aattencSo dos Srs. commandantese con-
siguatarios de vaporea e navios para o que des-
pem os arts. 7o e 8o do n-yulamento da polica
do porto desta cidadeabaixo transcriptos.
Art. 7. Nenhum navio (excepto o de guerra)
podersahir do porto mm ser visitado pela po-
lica, nao sendo licito depois do acto da visita
ir mais pessoa alguma bordo.
Art. 8a. Para que se veriliquc conveniente-
mente a visita de sahida, o mestre ou capito
do navio coin antecedencia de quitro horas pelo
menos avisar r.o oflicial externo a que hora deve
sabir, e a visita se fara quando o navio esliver
a largar.
Recife. 3 de Setembro de 1889.
|0 oflicial externo
Joaquim Carneiro Luis de A'buquerque.
Santa Gasa de Misericordia
do Recife
A Illma. junta administrativa desta Santa Tasa
contrata, com queni memores vantagens offere-
cer, o fornecimento dos gneros abaixo mencio-
nados, para o consummo dos estabeleciraentos a
seu cargo, no trimestre de Outubro a Dczcmbro
do corrente anno.
As propostas deverao ser apresentadas em
cartas fechadas, devidamente selladas, na sala
de suas sessOes, pelas 3 horas da tarde do dia
10 do corrente, declarando os proponentes su-
jeitarem se a multa de o 0 sobre o valor total do
fornecimento, se no preso de 3 dias, depois de
aceitas as propostas, nao comparecerem secre-
taria para assignar os respectivos contratos.
Aietna. kilo.
Arroz, kilo.
Agurdente, litro.
Azeite doce, litro.
Araruta, kilo.
Bacalho kilo.
Banha, kilo.
Batatas, kilo.
Cha verde, dio.
Cha preto, kilo.
Cal em gro, kilo.
Carne secca, kilo.
Cebollas, cento.
Fannha de mandioca da provincia, litro.
Feijo, litio.
Fumo, kilo.
Caz, lata.
Caz inexplosivo, lata.
Milho. kilo.
Manteiga franceza, kilo.
Potassa.kilo.
Pao e bolacha, kilo.
Diio dem para o collegio das orpus em Olinda
kilo.
Sabo, kilo.
Sal, itro.
Tapioca, kilo.
Toucinho, kilo.
Vella-i 1nmplltiri. kilo.
Dita steannas, kilo.
Viudo Braiico, litro.
Dito linto (Figueira), litro.
Hito do Porto, litro.
Vinagra, litro.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Hecife, i de Setembro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Theatio Santo Antonio
Tendo sido accomrcetlida de um ataque a
Exma. Sra D. Helena Balserao a qual lomar
parle na peca em benelicio da Imiandade do Di-
vino Espirito-Santo, (cu o mesmo espectculo
transferido para quando lor annunciado. _
Assuciacao dos Funcciona-
riuN Proilnciaeii de Pcrxmbnco
Eleicao para o conselho deliberativo
De ordem do Illm. r. presidente desta asso
ciaco. convido os Srs. associados a comparece-
rm na sede social no da 7 do corrente. pelas
10 horas da manh, alim de proceder-se a elei-
io do conselho deliberativo.
Recife, 2 de Setembro de 1889.
O 1" secretario,
A. dos Aojos.
Sociedade Carmelitas Des-
cale/)
s
IO de Julho
Rene se no dia o esta sociedade na ra Mr-
quez do Herval n. 145. s 7 horas da noite, para
a leitura dos estatutos.
3a Praca
No dia 5 de Setembro s 11 horas perante o
Dr. juiz municipal do termo de Ipojuca, vo e
praca por venda as partes do en^enho Merces
do mesmo termo, no valor de 47:0004000, os
quaes com aDate da le fleam reduzi los a.....
38.070*000, na execuco que move D Enedina
Marques Accioly da i'osta, viuva do Dr. Jos
Domingos da Cosa contra o terceuo adquerente
Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda, visto
nao ter buviio licitantes nis duas primeiras pra-
cas, deconformidade como accordlo do Tribu-
nal da relaco proferiilo nos respectivos autos,
e que raandou observar o art. 2 do decreio n.
3272 de 5 de Ouluhro de t885.
Obras Publicas
Ponte da Magdalena
De ordeio do llluo. Sr. Dr. eugenheiro
director geral de conformidade com ;i nu-
torisaeflo de S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente ia provincia, do 23 do corre-
le, 390 publico que no d.a 14 de Sctem
bro prximo vindouro, n'esta directora
recebe-se- propostas, em cartas recluidas
competentemente scadas, para cxcfcucuo
dos reparos de que necessiti a ponte sob
o rio Capibaribe, na passa^oin da magda-
lena, oreados em 9:.S7j5200 rea.
O orcaincntj e mais condifoes do cou
tracto acli.uu-tc n'esta secretaria onde po
dem ser examinados peloa pretendentes.
Para coueorrer ;i pra^-a cima devero
os licitantes depmitnr no tlie-ot'.ro provin-
cial a quantia. do 479(5300 ru equivalen-
te a 5 /0 do valor do orcaniento.
Secretaria da directora geral das Obras
Publicas, em 24 de Agosto de 1889.
O engenheiro secretario,
Luiz Antonio Cavalcante de AUiuquerque
losliluto Archeologico e Geogra-
pliico Pernamlxicano
Quinta fcira 3 do corrente, ahora do costu-
me, haver sesso ordinaria.
Secretoria do Instituto, 3 de Setembro de
1889.
Baptista Regueira.
1- secretario.
Companhia de Edifi-
cado
Aaaembla geral
Xo se tendo reunido numero sullicienle de
accionistas poder constituir se a assembla
-eral para boje annunciada, sQo pela segunda
vez convidados a comparecerem no dia 6 do cor
rente, s 11 horas da manh, no escriptorio da
companhia, alim de tomarem conhecimento dos
assumptos j annuuciados.
Escriptorio da Conipanliia de Edilicago em
I:nuidaco, 2 de Setembro de. 1889.
A coniinisso liquidadora,
Jos Gomes Ferreira Maia.
Joaquim de Oveira Borges.
Bernardino da Costa Campos Jnior.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A Illma. junta administrativa desta santa rasa
entrada com queni melhores vantagens oflere-
,er o fornecimento de carne verde para o con-
sumo dos estabelecimentos seu cargo, no tn-
ir.estrerde Setembro a Novcmbro do corrente
anno. ,
As propostas deveruo ser apresentadas Pm
caries fechadas, devidamente selladas, na sala
le suas sesses, pelas 3 horas da tarde do da
10 do corrente, declarando os proponentes su-
jeitarem-se a mulla de o 0,0 sobre o valor total
do fornecimento se no praso de tres das nao
comparecerem nesta secretaria para assigoar os
respectivos contractos ; obrigindo-se a santa
rasa a fazer o pagamento mensalmente.
Secretaria da Santa Casa da U ser.cordia do
Recife, 3 de Setembro de 1889.
O escrivo,
Pedro Rodrigws de Souza.___
Thesouraria de Fazenda
Emprestimo de 100.000:000^
Em cumprimento da ordem contida em tele-
gramma do Exm. Sr conselheiro ministro da
fazenda. de hontem. Sea aberta nesta Thesoura-
ria de boje al 10 de Setembro prximo futuro
emque ser devidamente encerrada, a subscrip-
to para o emprestimo de 100,000:0005000. au-
torisado pido decreto u. 10 322, tambem de hon-
tem, sob as secarales condigOes :
Os ttulos sero de 300*000 e 1:0005000 do ca-
pital inscripto na baixa de amortisaco ou ao
portador, vontade do subscriptor ; os juros de
4 ,' sera0 pagos trimenaahnente por meio de
coupons; e a amortisaco de 1 % ao anno.
Os juros e a amortisaco sero pagaveis em
ouro ou em moeda corrente ao cambio de 27 di
nheiros sterlinos por 15000 no Rio de Janeiro,
Babia, Pemambuco, Para, Maranhao, S. Pedro
do Rio Grande do Sul, S. Paulo, Londres, Panz,
Lisboa, Porto, Berlim, Amsterdam e New York.
O prego minimo da inscripeo ser de 90 "/>.
que poder ser elevado pelo subscriptor para ter
preferencia.
As entradas sero: no acto da assipnatura
1005000 e a quantia que mais se offereeer; 1305
em 30 de Oulubro deste anno: 2005000 em 13
de Janeiro; 2305 em 13 de Fevcreirc ; e 2005
em 5 de Abril; sendo fucultado ao subscriptor
antecipar o pa{?ameuto de qualquer ou de todas
as eutradas abonndose pelo lempo que faltar
o premio correspondente a 4 */ ao anno.
Outrosiin, para maior esclarec ment dos in-
teressados vio abaixo transcriptos os artigos das
instrueces annexas ao decreto n. 7,381 de 19
de Julho de i879, pelos quaes ser regulado o
processo para a subscripgo, endosso, sorteio e
pagamento :
Art. 7.e No acto da primeira entrada dar-se-ha
ao subscriptor um recibo, que, depois de termi-
nada a dislribuigao do emprestimo, s'ia resgata-
do por um conhecimento em lnua.
As outras entradas sero notadas nesse conhe-
cimento, que inxis larde ha de ser substituido
pelos mulos e coupons.
Art 8. Os subscriptores que nao !zrcm ef
fecliva alguma entrada nos prazos determina-
dos.-. licarao su jeitos ao pagamento do juro de
10 / se a mora fr de menos de 30 das, e per-
derlo o direilo enlrada ou entradas j realiza-
das, se a mora fr de mais lempo.
Art. 9. O recibo e o conhecimento de que tra-
ta o art. "" sero traosferiveis por endosso e o
titulo por simples tradiego.
Art II." O sorteio mencionado no art. 3* (que
vai tambem abaixo transcripto) do decreto 7,381,
se efectuar em presenga da junta da Caixa de
Amortisago tres mezes antes de ser devido o
resirate. Os nmeros sorteados sero publica-
dos, como de cstylo, no Diario Oflicial, e com-
municados immedlatamente por tres vas as re-
partiges que as provincias e na Europa forem
encarregadas de altender ao servigo do empres-
timo; as quaes por sua vez faro os necessarios
annuncios na folha ou folhas de roaior circula-
go.
Art. 12. Os Juros das apolices norteadas ces-
saro desde o dia em que principiar a respecti-
va amortisago.
Art. 13." No acto do pagamento da apolice
sorteada ou comprada, descontarse ha o equi-
valente de qualquer coapon de juro ainda nao
vencido que naja sido cortado.
Art. 13 Oito dias antes de se vencerem os
juros deverao ser apresenlados aos encarregados
do servigo do emprestimo os respectivos coupons
por ordem de numeracao e acompanhados de
urna declarago assigoada rfclo portador ou pos-
soidor de tilulor.
Em troca daro os ditos encarregados um b-
lhele em que se determinar o oumero de coupons
recebidos e a quantia que elles repieseniarem e
que se pagar se os coupons no olTerecerem du-
vidas.
Obras publicas
Cadc-i* da ctdade da Victoria
De ordem do Illm. Sr. engenheiro director
geral, em virtude da autorisagao de S. Exc. o
Sr. conselheiro presidente da provincia, tte. .
do corrente, fago publico que no dia 14 de Se-
tembro prximo vindouro, nesta directora rece-
be-se piopostas era cartas fechadas, competen-
temente selladas, para execugSo dos reparos de
que necessiia o cdiiicio da cadeia da cidade da
Victoria, orgados era 951*800.
O orgameuto e mais condigoe9 do contracto
acnam-se nesla secretaria, onde podera ser exa-
minados pelos pretendentes.
Para concorrer praga cima dever o licitan-
te depositar no Theouic Provincial a quanlia de
475740, equivalente a 3 0 0 do valor do oiga
ment.
Secretaria da directora eral uas Obras Pana.-
cas Proviociues de, l'crnambuco, em .3de Agosto
de 1889.
O engenheiro secretario
Luiz Antorrio C. de Albuquerque _
Club Carlos Gomes
10. a:niversario
T'r lu?ir no ilia 7 o gran le concert vo
instrumenUikcom quo este clab solemnisa o an-
niversario de sua iastalago.
Os senhore-" socios podem procurar seus in-
^ressoj na sede do club, noile.
" Secretaria bro de 1889.0 1 secretario,
________ Andr" Co:ia.
Primeira praca
Pela inspectora desta Alfandeya sp faz pu-
blico que s 11 horas do dia 9 de orrente nie,
Bcrfta arrematadas em praga porta desta reiar
tico, 70 ni''ias caixas com :."> ceios de cliaru-
t-.s. cometido de tres saceos viudos do vapor
nacional Srgipr, < anprehendidos peio \
Henrique Manoel \Wheirode Mello, no caes da
Companhia Pernambucana em a noite de 27 de
Julho do CQfrenle anno
3." scceoaa Alfandega de Pemambuco. 3 de
Setembro de 1889.-0 che fe,
__^ Domingos Joaquim da Fonseca
Art. 5. (do decreto 7,381). A amortisago ser
semestral e far-se ha ao par por sorteio se os t-
tulos esiiverem com cotago cima de cem, e
por compra nn mercado se seacharem colados a
cem ou abaiio de cem.
Thesouraria de Fazenda de Pemambuco, 28
de Agesto de 1889.
O inspector,
Manoel Antonio Cardoio.
Prado Pernambucano
PROJECTO DE INSCRIPCJO
Para o pareo
GRANDE PBEMIO PERN4MBIJCAN0
Na corrida que se realisara no dia 1. de Janeiro de 1890
SEGUNDO ANNIYERSARIO
.DA
INAGlTP,ACAO DESTE PEADO
500 metrosAninir.es de qualquer paiz. PREMIOS: 6:000$00 ao
primeiro, 1:500.^000 ao segundo, 8004000 ao terceiro,
a 4O0$C>00 ao quarto.
inscripeo AOOSOOO
Pagamentos cm duas prestaoes, sendo a primeira no acto da inscripgSo e a
segunda no dia 24 de Dezembro de 1889.
Nao sendo reasada a segunda prestasao fica considerado como tendo feito
forfait, para o animal inscripto.
Nao se realisara es'te parco sem que se inscrevao cinco animaes de proprieta-
rios diferentes.
A inscripeo encerrar-se-ha no dia 5 de Dezembro as 6 horas da tarde na Se-
cretaria do Prado.
Francisco de Souza Res,
GEREXTE.
Recife, 21 de Agosto de 18^9.
Quinta praca
Pela inspectora d"Sla Alfandega se faz publi-
oo que s 11 horas do dia 6 do correte mez.
aiR-matada em praga a porta desta repar-
a mercadoria abaiso declarada :
.rita seis grades, marca AD e contramarca
HSP, ns. 1 a 18 e 21 a 38, vindas de L'verpool
no vapor inglez Delambre entrado era Ib de
A"bril do*orrente anno, contendo botijas de
;arro ordinario, vidradas, pesando liquido riai
4,896 kilogrammas, abandonadas aos direttos
por H. J. Permano. .
3.* seccao da Alfondega de Pemambuco, i de
Setembro de 18890 chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Companhia Alagoana
de Fiacao eTecidos
Convidamosjao^ senhores subscriptores desta
companhia, par;, de aicordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, ale o dia 10 de Setembro prximo
futuro, realisarem sua stima enlrada na razo
de iO 0/0 do valor de suas aeces, no Banco In-
ternacional do Brasil. Macei, 10 de Agosto de
1889.Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. deCnrvallio.
Propicio i'edroso Barreto.
luspoctoria Geral de Hygieoe
Em virtude do que dispOe o art. 66 do regula-
mento que ba xou com o decreto n. 9354 de 3
de Peverefo) de 1886, a Inspectora Geral de Hy-
giene faz publico pelo ,irazo de oilo dias que o
cidado Domiciano Pastor Ferreira Luna, Ibe di
rigi a seguinte peiigo com documentos que sa-
tisfazem as exigencias do art 6o do citado re-
gulamento .
Domiciano Paslor Ferreira Lima, donuc
liado na villa de Cabrob, provintia de Pemam-
buco, tendo as labilitaces necessarias para di-
rigir urna pharmicia, como prova com os docu
raentos juntos, ran impetrar de V. Exc. a re-
speotiva licenja rara ter bolica na mesma villa,
vislo nao ler i harmaceulico formelo c nem
licencia'io, e se- do absoluta necessidade a
exisiencia de una pharmacia. Nestes termos
o supplicante corhado na enevolencia e recta
iu^iica de V. E^.Pede detrimento.E. R. M.
Cabre, 8 de Oulubro de 1888.Oomi
wra Lima. -obre uiua estampilha
Pas*$f 9mrt
B ceutieo frrtaado ilw coinmunirar ou Inspecto-
ra de Hfgiene d;i provincia de Pemambuco, a
resolugo de esta Delecer pbarmacia na citada lo-
calidade, conceder ao franco a licenca reque-
Inspectoria Geral de Hygiene, 26 de Abril de
1889.-Pelo secretario, r. Jos Antonio Pereira
da Silva.
(Diario Offkial de 17 de Agosto de 1889).
_Recebedoria Provincial
0 Administrador da Recebedoria Pro-
vincial em comprimento da ordem do Illm.
Sr. Dr. Inspector do Thesouro, constante
da portara sob n. 584 .de 26 do corrente,
faz publico para conhecimento dos inte-
ressados que, de accordo com a relajSo
abaixo, ser arrecadada n'esta reparticao,
no espaeo de trinta dias uteis contados do
Io de Agosto prximo, a contribuyo, livre
de multa, devida pelos servidos da Racife,
J)rainage i.onypany correspondente ao 1.
semestre do exercicio em vigor de 1889.
Recebedoria Provincial de Pemambuco,
27 de Julho de 1889.
O administrador,
Luiz Cezario do Reg.
Relagao a que se refere o edital siqn-a
Freguezia do Recife
Rilas: Mrquez de Olinda, Bom Je-
ss, Al ves (abral, Commercio, Bispo Sa-
dinha, Torres, Thom de Souza, D. liara
de Souza, Vigario Thenorio, Barreto de
Menczes, Mariz e Barros, Burgos, Amorim,
Moeda, Tuyuty, Companhia Pernambuca-
na, Domingos Jos Martins, Maseates,
Restauragao, D. Maria Cesar, Vlsconde de
Itaparica, Pharol, Areial, S. Jorge, Vital
de Oliveira, Guararapes c Baro do Tri-
umpho.
Pravas : Assembla, Chaco e Pedro I.
Travesas : Vigario, Madre de Deus,
Campello. Domingos Jos Martins, Carpo
Santo, Antigo Porto, Bom Jess, Apollo,
Areial, Para Fandicjlo, Occidente, Guara-
rapes, e Praca de redro Io. f
Largos: Alfandega, Corpo Santo, e
Assembla.
Hceos: Abreu, Noronha, L*rgo,
Pindoba, Tapado e Paschoal.
Caes: Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Rsias : Imperador, Primeiro de Marco,
Duque de Caxias, Cabug, BariLo da Vic-
toria, Trincheiras, Larangeiras, Larga do
Rozario, Estreita do Rozario. FranciBco
Jacintho, Joilo do Reg, II' a do Carralho,
Conselheiro Peretti, Netto de Mendonca,
Major Agostinho Bezerra, 28 de Set*nbro,
Santo Amaro, Pedro Ivo, Mathias d*Albu-
querque, Paz, Paulino Cmara, Fogo, Li-
vramento, Penha, Visconde de Inhama, Pe-
dro Alfonso, Nova da Praia, MarcilioDias,
Henrique Dias, Lomas Valentinas, Co
ronel Suassuna, Santa Thereza, 24 de
Maio, Felippe Camaro, Mrquez do Her-
val, Cadeia Nova, c Barao de Villa-Bella.
Caes: Vinte Dous de Novembro-
Campo: Das Princezfs.
Travessas : tueimado, Cruzes, M. do
Recife, ra jBella, Calaboujo, Matriz, Flo-
res, Carmo, Bomba, Livramento, Arsenal,
1.a e 2.a travessa da Praia, Carcereiro, S.
Podro, Viracito, Lobato, Becco do FalcSo,
Pocinho e Concordia.
Largos: Paraizo, Carmo, Penha, S.
Pedro e Practa.
racas : Pedro II e Independencia.
Beccos : da Ra Bella, Calabouo, Ma-
triz, 1.- 2.- e 3.- Beccos da Camboa, Fal-
e 2." Beccos da Cadeia Nova.
Freguezia de S. Jos
Ras : Marcilio Dias, Lomas Valenti-
nas, Coronel Suassuna, S. JoSo, Felippe
Camarao, Mrquez do Herval, 24 de Maio,
Dias Cardoso, Passo da Patria, Padre No-
-brega, Victoria, (.'adeia Nova, Vidal de
Negreiros, Frei Henrique, Dique, Assump-
co, lomingosTheotbnio, Padre Floriano,
Christovo v r.lombo, Jardim, Forto, An-
tonio Henrique, Nogueira, Santa Rita, Pa-
dre Muniz, Praja de Santa Rita, S. Jos
dos Pescadores, Pra.a do Forte, Ipyranga,
Imperial, o Luiz de Mendonca.
Travessas : Martirios, Ramos, Poci-
nho, Caldereiro, Gaz, Forte, rata, Seri-
gado, Copiares, Ra Nova de Santa Rita,
S. Jos, Praia do Norte, Poixoto, Matriz
de S. Jos,, e Lima.
BCCCOS : Palma, Caldereiro, Gaz, As-
sumpeao. 1."Becco*da Ra Nova de Sa-
ta Rita e Matriz de S. Jos.
Largos : Ferte e Mercado.
Freguezia da Boa Vista
Raas: Iinperatriz, Conceic2o, V. de
el ota*, Aurora. Capibaribe, Ponfc Velha,
Conde da Boa Vista, Riachuelo, Un So
Saudade, 7 de Setembro, V. de Cmara,
fibe, Carnario, Rosario, Gervasio ires,
Dr. Villas-Boas, Socego, Princ pe, Santa
Crnz, S. Goncalo, Coelhos, Hospital de
Pedro II, Co onel Lamenha, Alegtia, Leao
Coroado. Barao do S. Borja, Deembar-
gador Nenes Machado, V. de Gojpnna e
Attraccjto.
Travessas ; Gervasio Pires, Atalhc,
Coelhos, Barreiras. sVeras, Quiabo, Jo5o
Francisco, Mangueira, Campia, e Palacio
do Bispo.
Largos : Campia e Coelhos.
Beeeos : S. Goncalo e Coelhos.
Pracas : Conde d'Eu, e Santa Cruz.
cilo, I.'
Veneravel irmandade do Se-
nhor Bom Jess dos
Passns
Eleicao
De conformidade com o cap. :i. do corrpro-
misso que nos rege, convido pelo presente aos
nossos Irmaos comparecerem na sexta-feir 0
do oorrente, pelas 5 1/2 horas da tarde, alim de
em mesa geral elegerem os funcionarios para
o futuro anno compromissal. Recife, 3 de Se-
tembro de 1889.
0 escrivo,
M. M Campos Jnior.
AiiminfMtracfio aos Crrelos de Per.
iiambiK'ot-m 15 de Agosto de 1SS9
ARREMATA9AO DOS TRANSPORTES DE
MALAS
0 administrador, em observancia ao or-
denado em circular da directora geral dos
correios n. 86 de 8 de Maio do corrente
anno, faz publico que fica marcado o pra-
so de 30 dias, a contar desta data, para
recebimento de proposta dos particulares,
que durante o exercicio de 1890, quei-
ram fazer por contracto o servico de con-
duceSo de malas para o interior da pro-i
vincia, partindo desta repartiiio para :
Nossa Senhora do O' de Goyanna, pas
sando por Iguarass e Goyanna de 3 em
3 dias.
S. Bento, passando por Cha- Grande,
Gravat, Bezerros, Caruar, S. Caetano
da Raposa e Bello Jardim de 4 em 4
dias.
S. Jos da Cora-Grande, passando por
Ipojuca, SerinhSem, Rjo-Formoso, Taman-
dar, Una e Barreiros de 4 em 4 dias.
Jatob de Tacarat, passando por S.
Bento, Alagoinha, Pedra, Buique, Gamel-
lira e Tacarat de 4 cm 4 dias.
Alagoa de Baixo, passando por Pes-
queira e Cimbres de 4 em 4 dias.
Altinho, passando por Bonito, Bebedou-
ro de 4 era 4 dias.
Leopoldina, passando por S. Jos do
Egypto, Ingazeira, Afogados de Ingazei-
ra, Flores, Triumpho, Villa Bella e S. Jos
do Bello Monte de 5 cm 5 dias.
S. Vicente, passando por Vicencia e
O'uangy de 4 em 4 dias.
Jabot do Brejo, passando por Pedra
Tapada, Bom Jardim, Vertentes, Taqua-
retinga, Santa Cruz e Brejo de 4 em 4
dias.
Petrofina, passando por Santo Antonio
do Para, Floresta, Cabrob e Boa Vista
de 4 em 4 dias.
SertSozinho passando por
Villa d'Agua Preta e Campos
em 4 dias.
Jurema, passando por Belm de Maria,
Lagoa dos Gatos e Panellas de 4 em 4
das.
1 tamb, passando por Iguarass Goyana
na de 4 em 4 dias.
Aguas Bellas, passando por Palmeira,
Correntes e Bom Conselho de 4 em 4dias.
Ouriury, passando por Olho d'Agua
dos Bredos, Villa Bella, Salgueiro, Gra-
mto e Ex de 5 em 5 dias.
Gloria do Goyt, partindo de Pao d'A-
lho de 4 em 4 dias.
Riacho-Doce, partindo de Caruar de
4 em 4 dias. .
As propostas devem ser apresentadas
at s 2 horas da tarde do ultimo da,
em carta fechada por duplicatas, com dis-
criminacao dos precos de servico de cada
linha, sendo urna via sellada e ambas as-
si,^aadas pelos proponentes e fceus fiado-
res.
No serito tomadas em considerajao as
propostas em que tor fixado o prego de
mais de urna linha englobadamcnte.
Terao preferencia as propostas inais
vantajosas um precos e augmento de via-
gem.
O administrador,
Ajfonso do Reg Burros.
ompanhia<
Imperial
Palmares,
Frios de 4
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e tnercadorias
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
Rs. 1,000:000000
AGENTE
i:no\v\i l c.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Companv
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGESTES
R.DEDRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal sendo
em Lisboa ra dos Capellistas n. 73. No
Porto, ra dos Inglezes.
SEGUROS
MARTIMOS COMRA FOGO
Companhia PhenJx cr
nambucana
RA DO COMMERCIO N. 38
Cmpanijta te Seguros
ccs73 ?:::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posujo finanecira ('Dezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
Reeeita animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre viras 191,000
De juros 32,000
O AGESTE,
John H. Boxinell*
Companhia de Seguros
AGESTE
Miguel Jos Alves
>. 9Boa do Bom Joiut-X. 1
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros e a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
go de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de lo por cento em favor dos segurados
O procurador dos feitos da fazenda
provincial, tendo recebido do thesouro
relacto abaixo transcripta dos devedores
do imposto da decima da freguezia do Afo-
gados do exercicio de 1886 a 1887 incla-
zive o 3." semestre que deixaram de pagar
no tempo competente, declara aos mes-
mos devedores que lhe fica marcado o
praso de 30 dias, a contar da publicacSo
do presente edital, pa-a dentro delle paga-
rem a importancia de seus dbitos, coro
guia da seccao do contencioso, certos de
que findo aquelle praso ser feita a cobran-
5a executivamente.
Recife, 12 de Julho de 1889.
Jb3o Francisco Teixeira.
Relacao dos devedores da decima da fre-
guezia de Afogados do exercicio de
1886 1887 inclusive o 3. semestre
que deixaram de pagar no tempo com-
petente.
Quiabo n. 32. Bento Joaquim
"Gomes *. 11*159
Forte n. 4. Bernardino Cavalcan-
te da Silveira Lins 60239
Giqui a Jaboato n. 177. Ber-
nardo Jos da Costa 11#159
Giqui a Jaboato n. 179. O
mesmo 95299
Dita n. 189. O mesmo 90299
Dita n. 191. O mesmo 90299
Dita n. 193. O mesmo 90299
Dita n. 195 O mesmo 70439
Dita n. 197. O mesmo 90299
Dita n. 199. O mesmo 9029
Estrada Nova n. 56. Bernardo
Tavares Coutinho 220318
Dita n. 58. O mesmo 110159
Dita n. 62. O mesmo 140879
Dita n. 62 A. O mesmo 140879
Dita n 47. O mesmo 140879
C
Giqui a Jaboato n. 309. Candi-
da Maria da ConceicSo 90299
Direita n. 20. Calixta Francisca
de Queiroz, parte 140009
Estrada Nova jn. 52 C. (gandidov
de G. Jordo Oaldeira 30743
Dita n. 56 A. O mesmo 70462
Dita n. 90. O mesmo 110159
Dita n. 7 O mesmo 60239
Gigui a Jaboato n. 341 H. Can-
dido Martins de Araujo 50579
Dita n. 341 I. O mesmo 90299
Estrada Nova n. 44. Claudina Can-
dida de Rezende 90982
Direita n. 74. A. Cincinato Vel-
loso da Silveira 190717
Travessa do Luca n. 4. Compa-
nhia Ferro Carril de Pemam-
buco 1390498
Esirada Nova n. 3. A mesma 290659
Quiabo n. 7 A. Constancio Ma-
noel da Cunha 110159
Bom-Gosto n. 19. Cyrino Jos da
Sdva Pereira 110159
Dita n. 21. O mesmo 110159
Dita n. 23. O mesmo 110159
Dita n. 25. O mesmo 110159
Dita n. 31 A. Chrispim Tavares
de Oliveira 110159
(Contina)
DO
Capital.....20,000:0000000
dem realisado 15,000:0000000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os|seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
PariaBanque de Paris et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Com-
pany Limited.
AttemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da Praia The London & River Pa
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saquea sobre qualquer praca d
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente d
movimento com juros na razao de 2 /0 a
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, ]Mlliam M Webster.
COMPANHIA
CONTRA FOGO
The Liverpool k London k Globe
ETSURAITCE COMPANY
Ra do Commercio n. 3
Sft DEMNIS A ORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
EKiabelecidacm 1H53
CAPITAL 1,000:000^000
SIMSTROS PAGOS
At 31 de Eezcsnforode 1884
Martimos.. 1,110:000$00C
Terrestres. 316:000#000
44Roa do Commercio44
North British Mercantile
Insurance & C.
Estabelecidaeml809
Capital subscripto 2.o00:000
Fundo accumulado? para sinistros I.8i2:54i
4.342:544
, Agente em Pernaznbueo
N. J. LDS i ONE
f O Rna do Commerelo 10
SANTA CASA
CAMAS PARA AJLCGAR
Ra do Vigario Tenorio n. 27, loja 2O0A000
[dem idem dem, 3. andar 18050O
dem da Saudades n. .'i, 480000
dem do Rom Jess n. 8. 216$0i>0
Travessa de S. Pedro n. 2, 360()00
Becco do Abreu n: 2, 1" andar 100500(1
Ra do Bom Jesus n. 29, loja 240*000
dem idem 0. 29, 1. andar 24OUO0
dem idem 2 andar 240000
Bispo Sardinha n. 3, loja 168J>000
dem idem n. II. 2. andar 240*000
Ra da Moeda n. 49 armazem 2005000
Idem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado 2:131*000
dem idem n. 33. dem idem i:20000
dem de Thom de Souza n. 14, 1
andar 200*000
dem Imperial n. 151, caza terrea 369*IJ^
Becco da Detenco imeiagua.)
Amboie iVarzia ) 2**2
S. Loureoco da Matta 000
Becco das oas n. 14, Io andar 180*000
Ra de S. Bom Jesus das Crilas n. 8 16*000
COM A MI I* lEKVtMni'C.Wt
DE
Savegaco costeira por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Pirapama
Commanda te Carvalho
Segu no dia 10 de Setembro s 12
'horas da manh. Recebe carga at
*dia 9.
Passagens at s 10 horas do di da sahida.
ESCRIPTORIO
.o caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegado a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos porios do su at
dia 7 de Setembro e seguindo depoi*
da demora indispeasavel para o-
portos do norte at Manos.
As encommendas s sero recebidas na agen
ca at. I hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e vafe
res trata-se com 03 GSNTES.
PORTOS DO SUL
O vapor Pemambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do norte ;
o dia 14 de Setembro e depois da d<'
mora indispensavel seguir para i;
portos do sul.
As encommendas sero receidas no trapiot
Barbosa at i hora da larde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e vala-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=*=Rua do CommercQ=6
1" andar


6
Diario de PernambucoQuinta-eira 5 de Setembro de 1889


CHARGEURS ffl^mS
Companbin
DE
Navega?*" a ***** .
uinha regular entre o Havre, Lwboa,
Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Kosario
Commandante Portier
E' esperado da Europa at odia 5
de Setembro, seguindo depoi dain-
dispensavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores deste linha,queiran*apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga das aJvareugas
uualquer reclamas ao concornente a volumes que
porventura tenham geguido para os portos do
snlafmdese podei dar a tempo as provi-
pencias necessarias. *
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o AGRtTE.
O vapor
Ville de Pernambuco
Commandante Lenormand
Espera-se dos portos do sul at
o dia 10 de Setembro, seguindo
[depois da indispensavel demora
^para o Havre tocando em
LiMboa.
Entrar no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
mSo.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes accommodacoes.
Para carga, passagens, eneommernla di-
nheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Auguste Labile
9-RA DO COMMERCIO-9
' United States and" Brazil
M. S S. C.
O vapor Finance
E' esperado dos portos de
sul al o dia 5 e Setem-
bro o qual depois da de-
mora necessana seguir
para o'
Para, Barbados, V.
Miirtinlque e \ew-
Haranho,
Thom:i7.
York.
Para passagens carga, encommendas e
nheiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
di-
Royal Mail Steam Tacket
Companhy
O paquete Tag"us
Commandante P. Rowsell
Espera-se da Europa at o dia 13 de
'Setembro, seguindodepois da demo-
ra do costume para
acei, Baha, Rio de Janeiro
Santos, Montevideo e Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommendas frata-
se oom os AtiENTES.
O vapor La Plata
Commandante A. H. Dyke
E' esperado do sul no dia 15 de Se-
tembro, seguindo depois da demora
necessana para
Lisboa, Vigo, Soathampton e
Antuerpia
Reduccao d-e passagens
Ida lia e volta
A' Lisboa 1 classe l 20 -30
A' Southampton 1* classe i 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Para passagens fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
Companhia Bahiana de Na-
vegado a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
E' esperado dos portos cima
at o dia 12 do corrente, de
-poisda demora do costume re-
igressar para os mesmos
"Para carga, passagens,encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
COS PAWHIA l'i:itHHI('l>t
DE
Kavegaeo eosteira por vapor
POR'iOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaju" e Bahia
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu ao dia 7 de Setembro as
5 horas da tarde. Recebe car-
at o dia 6 .
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 2 boras da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pemambucana
n. 12
Pacific Sleam Navigatin
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O novo e magnifico
Paquete Oruba
De 5,800 toneladas
Espera-se do sul at o dia
9 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
Usboa, Bordean* e lMynioiith
Para carga, passageiros, encommendas e di-
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & (,. Limited
14RA DO COMMERCIO14
COHPIII1VA rERVtMBCCMVt
DE
NaTesaeo eosteira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco. Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Jag-uaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 5 de Setembm s 5
horas da tarde. Recebe carga at o
Encommendas, passagens e dinheiro frete
at s 3 boras da tarde do dia 5.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucanu
n.12
O vapor Allianca
E' esperado de New-York
at o dia 19 de Setembro
lo o qual depois da de-
mora necessana seguir
para a
Bahia, Rlode Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
aheiro a lrete trata-se eom os
AGENTES.
Henry Fofster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar
Companhie de Messageries
Mari times
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Camoin
E' esperado dos portos do
sul no dia 6 de Setembro
seguindo depois dademo
radocos'amc para feor-
deaux, tocando era
Bakare Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageh-cs de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo
Faz-se abatimento de 15 OjO em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens mteiras.
Por excepeo, os criados de familias que to-
maren! bilhetes de proa, gozam tambem deste
abatimente.
Os vales postaes s se do at o da 3 de Se-
tembro pagos de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Augiiste Labille
9 Ra do Commercio 9
Leilo
De urna importante casa terrea sob n. 18,4 ra
Formosa, freguezia da Boa Vista, em solo fo
reiro, com I anillas porta, 6 quartos e
grandes, 2 sallas, sllelas para engotnmar,
cosinha e quarto fra, encannamento d'agua e
gaz; a casa achase em boa cooservaeao.
Sabbado 7 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 39
0 agente Stepple com o alvar de autorisacao
e assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito dos
feitos da Fazenda, levar a leilao a casa cima
mencionada, a requerimeu'o do inventarame
Custodio Domingos Codiceira cujo bem per-
tencente ao espolio de D. Anna Cecilia da Silva
Gu i maraes.
O Srs. pretendentes desde ja poderao ir exa-
minar a referida casa.
Leilo
De dous cavados para sella, sendo um rudado e
outro castanho con andares
Terea-fcira. tO d Wetembro
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
Em frente ao armazem da ra do Bom
Jess n. 45
Leilo
=- '-
LEILOES
Das duas casas terreas da ra Real, na Torre,
ns. 47 e 49, edilicadas em chaos proprios, com
300 palmos de fundo, edlicacao nova e perto da
linha dos bonds, 1 sobrado de 1 andar na ra
Velha n. 82, casa de esquina.
Terea-fefra. lo do eorrente
Agente Pinto
No armazem ra do Bom Jetus n, 4o
Leilo
de 54 saceos com arroz (avariado)
Hojc, de Setembro
A's 11 horas
Ao armas^in' do Por intervengo do. agente
Alfredo Gu i maraes
Agen
Leilo
te Britto
De 1 mobilia de junco, 1 dita de Jacaranda.
I guarda vestido, 1 toilet, 1 cama francesa, 2
marquesOes, 1 berco, l sof, 2 consolos e 6 ca-
deiras de amarello, 2espelhos. 1 mesa elstica,
1 commoda,2 aparadores,! guarda-muga, cadei-
rasavulsas, i reloaio, i machina de costura, 1
cabide, t guartinheira, 1 banca. 1 estante, i la-
vatorio, jarros, quadros, louca para almeno e
janlar, facas, copos, clices, garrafas, compo-
teiras, bandejas, 1 mesa, candiel ros de keroze-
ne, tretn de .osinha e outros objectos.
Quinta-feira5 do corrente
Ra da Iraperatriz n. 4
Agente Stepple
Leilo
de uro piano, move s, quadros, espelbos
outros artigos
Qninta-felr*. 5 de Setembro
s 11 horas
Casa na ra Formoza n. 4
O agente cima, baslantemente autorisado le-
var a leilao urna incoilia de junco completa,
urna dita de Jacaranda completa, um piano, qua-
dros. espelhos, lanteraas, camas para casal, la-
vatorios com espelho c guarda-roupa, apparador
marquezio, cadeiras, urna machina de p e nova,
urna costureira. bra imprtante, eoutros movis
que estaro vista dos Srs. licitantes.
Leilo
De fazendas
CONSTANDO :
da caixa n. 717 com 6 kilos, de cortes de ca
simira de IS singella, caLx- n. 1 com 29 pefias
de panninho de algodo de cores para forro,
caixa n. i com 42 pecas do panninho de algodao
de cores para forro, caixa ft. 1,170 com pecas
de brim ce algodo de cores, caixa o. 313 com
94 kilos de pecas de catre meios e tiras borda-
das, caixa n. 1,990 com 29 pecas de casimira de
la singella.
Sexta-feira. tt do-eorrente
A's 11 horas em ponto
0 agente Gusmo far leilo por mandado do
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commer-
cio, das tazendas acuna mencionadas pertencen-
tes massa fallida de D P. Wiid Se C, em lotes
vontade dos compradores, cujo leilao ser ef-
fectuado no armazem n. 5 da ra do Mrquez
deOlinda.
Leilo
de 1 mobilia de amurallo, > commoda, 1 cartei-
ra, 1 cama de casal, 2 marque?6es, 1 marqueza,
jarros, etag jantar. candieiros e muitos objectos de casa de
moradia.
O agente Modesto Bapti-tu autorisado por urna
pessoaque mudou de residencia levar os objec-
tos cima a leilo, ao correr do martello.
*e\ As 11 horas
das Trincheiras n. 9
Ra
Leilo
De um fiteiro 1 jardmeira. mesas de amarello,
cadeiras avulsus. candieiros gaz, louca, vi-
dros, Irem de cosinha e mail accessoros do
hotel da ra do Apollo n. 61, ailar terreo.
Sexta-feira, U do corrente
Aoraeiodia
Agente Pinto
Na casa du ra Visconde de Itaparica n. 61
Leil
ao
De
nma caixa coto 80 grsas de botoes
para vestidos de nenhoras formando um
completo e.variad3 sortimento.
Mexta-feira. Ib de Betembro
As i 1-hora
Agente Pinto
Ra do Bom Jess n. 45
Por occasio do leilo de movis, cadeiras, es-
pe! nos, quadros, copos, cadenas avulsas, urna
mobilia de Jacaranda e outros movis.
Cricket
, Private Firms V Public
Companies
A Cricket match will be played at Saot'Anoa
between the above parties on 7th. prximo,
commencing at 10 a.m.
Tht Plice Band, conducted by Senr CanJido
Filho, will play Selections at inlervals during
the day Entrance free, r^freshments to be had
oa the lield.
BY ORDER
John H. hoxwell Sob.
Hon: secretary.
Arma^
Vendc-se urna bonita armago de amarello : a
tratar na ra do Hospicio n. 81.
Caixeiro
Precisa-se de um calxeiro com pratca de pa-
daria; a tratar na ra da Imperatriz n. 41.
AVISOS DIVERSOS
Precisase de um mocinha para andar com
meninos : na ra Direita n. 40, 1C andar |
luga-se a casa da ra das Flores n. 18,
com 3 quartos ; a tratar na ra Nova n. 39,
loja _____ __
Aluga ee o Ia e i- andares a ra da Roda
n. 17, com grandes commodos, em bom estado
de conservacao : a tratar na ra do Rangel nu-
mero 63.______________________^__
Precisase com urgencia de urna ama de
leite ; a tratar na ra Nova n. 21, loja. ou ra
Joaquim Nabuco n. 9.
Precisase de urna
ar na roa Nova n. 39, i-
boa cosinheira
andar.
a Ira-
j Na ra Velha n. 38, precisa-se de urna ama
de meia idade para comprar e cosinhar o diario
de urna cata de pouca familia.
Na ra de Santa Thereza n. 20, precisa-se
de urna ama de meia idade, que durma em casa
e saia roa par* fazer compras.
Urna snhora de,idade e de boa conduca,
offerece-se para acompnhar alguma familia que
va part Europa* ou pnm lomar conta de easa de
algum viuvo sem filnos-y a tratar na ra da Im
peratriz n. 36, 1- andar.-
ferro galvanisado
para cobertura;
usadas, em bom
barrotes,
P E IT O'
Aitmtnltrando (Hartamente um tnjrccAo ]
soDculaDCa culi o c:>iU'uilo de uuia seringa I
de Pravz (modulo Lo Brun) hela de
BUCALTPT1HA LE BROI!
a Timiea,
i
Catarfh o*
CLBA-SK
rnehHem
as
OH
ptel
A nIJ|HIe i.*o coDUMn inorptiUu
LE BRUN, Pharmaceut':o-Qilmlco!
VARIS. 60 a f>'l Faribourg MontmartT)
V. na Laayttr. PAKIS
Dipcce *b Pentsnlni o: fllT" I. M IttWi!
Ao commercio
5o sao mais empregados de nossa casa com
mercial os Srs. Anatholio do Reg<\ Monteiro e
Joaquim Maehado Lhna. Recife, 28 do Agosto
de 1889.
Fonseca Irmaos & C.
o: Candida Marhade df Carnclro
.dolpho Pereira Carneiro, seu cunbado, so
gra e filhos asradecem a todos que se dignaram
acompanhar ao cemiterio publico os restos de
sua prezada esposa, irmu, lilha e mi, 1). (-an-
dida Machado de Carneiro, e convidam as pes-
soas de sua axizade, para assistirem s inissas
que por alma della mandam celebrar na matriz
da Boa-Vista, sabbado 7 do -corrente, s 8 horas
da manh ; protestando sua gratido.________
Vende se u,- seguintes objectos
1 locomovel, forca d 6 cavallos.
1 bomba centrifuga (invencivel).
1 guindaste a vapor.
Coiumuas de fsrro fundido.
Trilhos e ferro.
Capotes de
teste.
Tenas de ferro galvanisado,
estado.
Madeiras de pinho de riga, cm vigas,
npu, etc., taboas.
E diversos artigoi que sobraram deconstruc-
cOes de edilicios.
Tudo se venie por precos razoaveis.
Informa-se no escriptorio do Dr. ^ederneiras,
Jaboato, ra do Imperador.
T ~ ~ PBEI K
de um caixeiro de 12 a i 't anno, que tenha -,m-;i '^
tica de molhados,' seja Piel e de fiador de sua
coaducta : na roa Imperial n. 110.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira para casa de
pequea familia ; a tratar na praca de Conde
d'Eu n. 32, segundo andar. ^^^^
Cosinheira
Precisa-se de um, que cosinhe bem c durma
em casa do patro ; a tratar na ra do Cahug
n. 14, andar, de mei dia at 2 horas.
1. Mara Candida ilt- lltntf-
qux ntHHo
Jos Antonio Piolo e sua familia, profundamen-
te penalisados pi lo passamentoda Exma. Sra. 1).
Mana Candida de Albaquerque Bello, prezada
esposa do Sr. coronel Jos Francisco de Albu-
querque Bello, e estremecida mi do seu bom
amigo Dr. Ayres de Albuquerque Bello, man-
dam rezar urna missa pelo reoouso eterno de
sua alma, na matriz de Santo Antonio, s 8 ho-
ras da moh do dia 5do corrente, agradecendo
desde ja a todos o amigos que se dignarem as-
sisrir a esse acto religioso.
PRADO
- novas
Depois de c< nvenientemente melhorado. reco
mecaro as corridas deste prado no dia 8 do
corrente mez.
As entradas para cada cavalleiro com direito
bancada 300 r?.
As poules sao de liOUO.
As inscripcOes de JOOO.
Haver tres pareos, cujas inscripces serto
deoOO, os premios de 301000, inscrevendo-se
pelo menos seis cavallos
O eren te,
Ignacio Cavalcante P. Brrelo. "
Delegados e subdelegados
Adtt-ae veuda na livraria Econmica ru*
do Imperador n. 73, o novo roteiro dos delega-
dos e subdelegados de polica, ou eolleccio dos
actos e atlnbuices de deveres destas autori-
dades.
Aluga-se
por barato alugel u 1- e 2- andares do caes d$
Apollo n. 73, com rauito bous commodos ; a tra^
lar na rui larga do Rosirio n. 34.
Aluga-se
por preco baixo o 1- e 3- audares do sobrado i
ra do '3rum n. 8i, com bastantes commodos ; a
tratar na ra larga do Rosario n .34
t
Sahna liara da niriia
Manoel Sevenno de Mello, Jos Luiz de Mello,
Victoriano Tobias de Mello, Ernestina Severina
de Mello, Auna Rita de Mello. Francisoa Maria
de Mello, Julia Galdina de Mello, Antonia Aquil
lina de Mello. Juliana Mara da Conceico es-
poso, lilhos e irm da finada Sabina Mara da
Conceigo, agradecem do fundo Q'akna s pes-
soas que se dignaram acompanhar ate a ul-
tima morada os seus restos mortaes, convidam
aos seus pareles e amigos e aquellas para assis-
firem missa do 7." dia que mandam rezar na
capella de Apipucos, na sexta-feira, 6 do cor-
rele, s 7 lloras da manh: confessando-se
summamente penhorados por esle acto de reli-
gio e caridade.
t
Antonio -Arfemire ile tMiiveiu
Juina urea de Azevedo Gouvea, seus lillios.
Dr. Manoel folycarpo Moreira de Azevedo e sua
familia. Manoftj Bruno de Gouveia esua familia,
Geroncio dos Santos Teiseira e sua femilia, Dr.
Oliveira Escorel e sua familia, agradeoem do
intimo d'alma a todos aquelles que se dignaram
acompanhar ultima morada o cadver do seu
prezado marido, pai, genro, irmo e cunbado,
Antonio Argemiro de Gouveia ; e de novo con-
vidam os prenles e amigos, atim de assislirera
s missas do stimo da que por alma do tinado
mandam celebrar na matriz de Santo Antonio,
sabbado 7 do correle pelas 8 horas da manh.
t
Vende-se ba-ato
cinco excellentes moradas de casas, todas na
freguezia de S. Jos; a tratar na ra estrella do
Rosario n. 14.

A padaria a vapor do Pombal avisa aos sefs
freguezes que esl vendendo a farinha de milho
para tender pao, pelos seguintes pregos na
porta ISiiOO. mandando levar as padarihs desta
cidade J 800, suburbio* 24000.
Comp
ra-se
urna casa terrea em per frito estado, com 4 quar-
tos ou 3 com solio, no bairro da Boa-Wti e em
boa ra, podendo a pessoa que pretender "Ten-
del-a. deixar os esclarecimeotos wigidos na
das Larangeiras, freguena de Santo Antonio
oflicina de ourives n. 3.
A cristaliigraphia
Penna de vldro
Inacabavel e verdadeiraraente inoxydavel.
Esta penna molhada levemente na tinta e des-
isando docemente sobre o papel produz carac-
teres muito ntidos. A' venda na livraria Con-
tempornea, iuu 1." de Marco n. 2.
Aos senhoresde-en-
genios
Offerece-se urna pessoa com Iiabilitaj0e3 para
o ensino primario, mediante mdico ajuste, ~*
sim como as primeiras nocOes de /ranee
tratar na ra da Aurora n. 3, tavenia, do
dia s 2 horas da tarde.
Joo Francisco de Kouza
2." anniversario
Leopoldina i arolina de Souza, seus Rlhos e
oras, toado de mandar celebrar no hospicio de
N. S. da i'eulia urna missa pelo descanso eterno
do seu prezadissimo e sempre lembrado esposo,
pai e sogro, Joo Francisco de Souza, s 7 horas
da manh do dia 5 do corrente mez, 2." anniver
sario do seu passamento, convidam os seus pa-
reles e amigas e os do tinado, assislirem a
este acto; Dlo que confessam-ge agradecidos.
tloquecont
t
n. Maria 4'undida de Albuquerque
Helio
Dr. Ferreira da Silva e o Dr. Joo Coimbra,
genros da Usada D. Maria Candida de Albuquer-
que Bello, COTvidam a seus prenles e amigos
para ouvirem missas, na quinta-feira, 5 do cor-
rente, s 8 horas da manh, m matriz de Santo
Antonio, stimo dia de seu passamento ; desde ja
se consideran! agradecidos.________________
Pela alma de seu prezadissimo pai Jos Jero-
nynio de Carvalho, manda celebrar Domiclo Je-
ronymo de Carvalho a missa do stimo dia do
seu passamento, que ter lugar na matriz de S.
Pedro Martyr em Olinda, as 7 horas do dia S do
corrente. Para e.sle acto de religio e caridede,
convida especialmente os parentes e amigos do
finado.__________________________
t
Manoel Hodrixuei* da Silva
1. anniversario
Decio Augusto Rodrigues da Silva, seus ir-
naos e ennhados, convidam aos seus amigos r
parentes e de seu fallecido pai, para assUtirem
a urna missa que mandam rezar s 8 horas da
manh do dia 7 de Setembro, na igreje do Es-
pirito Santo, pelo que se amfessam agrade
cidos. _________
GRANDE L1QUIDAG0
Na Loja das Estrellas
gfj-Rii. Duque de Cxis-S8
Tclephone n. *fO
Eete bem conbecido estabelocimento acaba
de paasar por urna grande reforma,
sendo ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de- serem despachados-lodo o eus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande'II
quidaa^So de todos os saldos que
ricaram de balanjo, por menoB
50 [. do seu valor, cajos artigos
passamos a demonstrar:
APtlgns de lei
Esguiao, peya, a 3)5500.
Madapoln com um metro de largura de
144 por 7^000.
dem idem americano de 8)J por 60000.
Algodo marca T, especial,, muito largo,
de 70 por 5,5000.
Bramantes, pecas, por 7(5000.
Atoalhados, liados desenhos, duas largu
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lenyos brancos e com barras de cor a 10,
e 10200 a duzia.
Toaihas de fustao, qnalidade superior,
30 e 40000 a duzia.
Oretones para coberta a 240 rs.
Colchas aco'.choadas, brancas e de cores n
20000.
Lences de bramantes a 20000.
Chales escoeesies a 10000.
E outros .muitos artigos que deixam dt
eer mencionados e que se vendem eom
igual abatimento'
Tecidos de alta novidade
PARA VESTIDOS DE 8ENHOEAS
Linhos pardos parafvestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 10800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos liaos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Crotones claros e escuroe com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1-800
PEgAS!
Merinos de quadros, grande variedad* de
padres, de 50 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
FustSes de er, de .quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 169 rs
Sedas Felippmas, de 500 por 200 rs.
E muitcs outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, la sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 it.
C/onfeceSo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por i 50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em cartao, alta no-
vidade a 80 e 100.
Guarnieres de colariuhos e punhos para
senhora por 10 e 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 por
90 e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhaa para enancas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30."
Enxovaes para baptisado com collares ele
trieos por 50.
Luvas de seda rucio b-aco e qualquer ta
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos impermeaveis- de borracha de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de c achemiras ottoma
na ricamente enfeitadas de vidrilhos a
250 e 300. .<
dem idem de renda,' seda, damasco e
gurgurao, tanto {jara jmantasia como
para commodidade a 380 a 400.
Velludos de seda e algodao de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dao e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confeccoes
como sejam mantilletss de blonds, sahidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 [0.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, de
30500 por 10200.
Ditas cor de caf e azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de seda para collete, de 120000 por
30000 e 80500.
Ditos de velludo e fustito a 10 e 10200.
Meias inglezas com fo de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paletots. de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
360000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
360e4O0rs.
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 60
80, 100 e 120 a 40, 60, 80 e 100000.
Sobretudos impeimeaveis de borracha, para
homens, de 700 e 800 por 300 e 405-
Ceroulas francezas, de 380 por 240000
a duzia..
Paletots de seda, completos de feitos
casemira. malas para viagem, e boleas e
tapete e um completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezas,
inglezas. pretas e. de cores de padrSes in-
teiramente novos e que se vendem com <
mesmo abatimento
Refalaos
Aproveitem a grande qnantidade e
pelos pre?08, <4n sedas pretas e de eres.
gorgories, setins, las, merinos, zephyros,
linhos, chitas, madapoloes e algodaosi-
nhos.
E muitas outras pechinchas que s se'
encontram na
Loja das Estrellas
56, 58Ra do Duque de Cuna56, 5?
Cntete de Monto de Soearr
Compra-s cautellas do Monte-de Soecon
qualquer joia, brillantes e relogios; pa$a-s*
bem na Praca da Independencia n. 23, loja
relojoeiro.
' < ------ I !
'Ama
Na rna de Santa Rila n. 83, se preeisa de um
ama para cosinha.
Caixeiro
Precisase de um caixeiro ; na ra Viscond*
de Goyanna n. 191. _
Caixeiro
Ainda precisa se de um caixeiro com pralic
de padaria : na ra da Florentina n. 1._______
Cylindro para padaria
Compra-se um cylindro americano ; a tratar
na ra da Aurora n. 83.
Para engenhos
Lopes & Araujo, vendem
a precos sem competencia,
garantindo a boa qualidade,
os artigos abaixo mencio-
nados.
Gal de Lisboa*
Dita de Ja gu aribe.
Oleo de mocoto.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Polassia da Russia em caixa
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
Ra do Livramento n. 38
Telephone 316
O IMCR0.3IG
DA
flennorrhagia
f radicalmente aniquilado pelo emnre?D ta
TiTTTir.i-tinr.1
DEPOSITO GEHAL:
riETS, noulevard Destn, 7, SASU
Vi a No.icid que sirve de emry fto a ojd3
ridro c'a Mnjcifuo CndGt.
Dipwltos :a 'js js priJdpj Pnarmac!-? t DrnS.
A's mes de familias
QUERIS VOSSOS FILHOS SEMPRE SADKM?
Administrae-lhe o xarope ou a
Minias Vermipurgalivas
DO DR. GALASAWS
ptimas prepara^Ses de mastraa
e rhuibarbo, para a expulsao completa, sen
dores nem ineommodo, dos yerme
intestinos ou loinbrigas
(das cranlas e dos adultos)'
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
< Estas excellentes prepara5oea nao ne-
cessitam de purgativos como aux iJiaie*
visto serem purgativas por si mesma. >
As pessoas que tm vermes sentei c-
licas, tem constantemente diarrhas, indi-
posiclio, sensa$ao de^orpos que se move
nos intestinos, endurecimento do ventre7 e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, qnjos-
do dormem, algumas e pessoas expel*
vermes com as fezes ou com as materia
dos vmitos. As criancas aprsenlas a
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nene Av
DR. CALASANS e sio cor de rosa.
1 caixa de pimas 1^200
1 vidro de varope 1#206
AS PRTNCIPAES DROGARAS E
PHAKMACIAS
de 50 [ de seu valor.
INSTANTNEA
IIHIKA HMmADA)
Tinta de copiar sem prensa
52Ruado Amorim52
ESNATY ROMIGES & G.a
Esta maravilhosa tinta de copiar a MAIS
TIL descoberla americana, lmpre*clnlia
aMteM a* |ic>.ois que neai
que. M'.m uso da classica e tradicional prensa
de copiar, denejam cnaniar rupia n-
tida, inaltaravet de aeuN Irabalaa
manuncriptoM.
A HKTAKTAKEA o mais prompto auxi-
liar material pura a Correspondencia om-
mercial ou parucuiar, porque simplificando
trabalho, dirnioue-lhe tempo : o escripturario nao
necessita sabir da sua carteira ou mesa para le-
var o maiiu triplo prensa de copiar, reliral-o
da mesma, voltar carteira, etc., etc.
Os Srs. negociantes, usando da IWOTAPHMr
:a para a sua escripturacao do Diario, Caixa,
Con tas Torrentes, Facturas, Contas de Vendas,
Hrecos Correntes, itc, podem obter duplicata
authentica, d'esses livros em papel de seda.
A Hu! MIBOafiri depois de dar copia
conserva se inallerul, preta. fixa nao s no origi-
nal como na copia.
A i\ot*\t\i:iniiooxida absolutamen-
te as prunas, assim cuir.o nao demanda pennt.
especial |-ara com ella escrever se.
Com urna esponja, uu pincel embebido n'agua, hu-
medece se Bgemnente o papel de seda prouri
para copiar, e enxullo com qualquer iuata-flor-
ro. colloca-se o uianucripto em baixo do papel
de ^eda e mesmo sem fazer presso corre-se a
mao rpidamente em todas as direrces. ea co-
pi lamiravel; ntida, ixsta^tanb*.
Tambem d copia, correcta, sem molhar o papel
de seda
Preqos de vida a dinlieiro
Um frasco.................. 1*300
VICTORIA
Espacial tinta, garrafas a80O reis, meias dita,
aSOOris. _____ ____
Profesora de piano
Urna senhora perfeitameute habilitada e com
pratica di-cnsiini offerece < Exma?. familias
os seus servicus como pianista: pode ser pro-
curada a ra do Queimado n. 74.

f*


ir
Diario- de- PernambueoQuintefeinr 5 de SfetenrtrtTr di* 1888*
GUERLAIN
PARS
#** PERFUMARA DE LUXO, Ra de la Paix, 15 ##*
ARTIGOS A MOM ESmiAJLMENTE EEC0MMENDAD05
arS5*J!2'ai25??1?1 ****<* Alambroada. AiaUcorada, par lenco. Sapooeti, Sabio de toUette de espermacot;
V?? '*v22??tfm?r?sial reme) para a Darba. Gruma de Moranao e Creme de Pepino para dar a frescura e o aveludajf
SxSirJrT^* "lllsada e nutdopara dar-lastro os cabellos e barba. Agua Athenlenae e Agua Luatral, paraoi
2r5?? da cabeca. Agua do Chyprs Ayua le Oediwu para o toucador. Alcool do Coohlearia e de Aorio para os cuidado
stPS^l'miaoa para o lenco : Hellotroplo branoo, Imperial Rus-o, Prima-rara da Hespanha, Pao-Rosa, Poruma i"
SPiT. SSSi ,'m.S*?10 "lial de Viotottaa, Imperial do Braail. P de Cyprla para dar alvura o OU.U*.
GoloaUa Iaoperlal RU88A. cara o loclW

PKOSPHATINA FALIERES
0 meLor Alimento
Para a.* CRtAKCAS
B AVENUB VXCTO".A,8,J*.
BtWs.uu era aulas u pnuijaes iiatoutiu..
39--RA DUQUE DE CAJiAS-39
Este antigo estabeleeimento, boje completamente reformado com machinas
ia aperfeicoadas e movidas a vapor, acha-se em condieoes do executar qualqucr
rabalho em
Cartas, raemoranditnsy recibo*,, i circulares, memoriaes, despachos, cartoes de
icaeoes, mappas, precos correntes, accSes, bilhetes de loteras e rotulas do todas
M ;aaldades em preto, ouro ou odres.
mmmm.
5rochuras, eartonados, encadernacBes, livros em bronco para o commercio e
partiooes, tendo para este fm urna excellente tu ach ti a de pautar.
Variado sortimcnto era cartSes para visitas, participacoes e convites de casa-
aaento. bailes, menus, felicitaees, etc., etc.
VaTersTO^-soe
Livros de recibos de alugircl de casa, papel de impressao, tintas, vernizet e
artigos para typographia e litkographla.
A500r" .|2gfo.
A 800 I gfa.
j4. melhor tinta de. escrever a
TINTA VICTORIA
Vende-se nos depsitos:
L1VBAEIA CONTEMPORNEA
DE
SUBSO SI. COSTA & C.
Pl LULAS.
TJM.
REMEDIO
INMLIYEl
cm todo o caso de
I-.
IIua V de Marco n. 2.
LOJA DE FERRAGEM
DB
AI.KI\0 SILVA fc C.
Ra da Cadeia n. 42
A 500rs li2gfa.=A 800r8 1 gfa.
Manoel'J: de Miranda
Telephone 194
Molestias Nervosas
Capsulas-da-Doutor Clin
Laurtado da f acuidad de U diema d Pars. Premio llontyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
|eas Molestias, as de Cerebro e contra as alTeccoes seguintes:
.;thma, Insomnia, Palpitacoe* do Coratao. Epilepsia, Hallucinacao.
| Tontearas. Hemiciania, Afeccoes das viao urinarias et para calmar toda
i especie de excitacao.
toa Urna explicado datalhada a:ompanhi cada Frasco.
Exigir o Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN Cu
^ s PARS, que te encontrar) em casa dos Droguistas et Pharmtuuamtiooa.
MSAMNilA
(JUNTO AO LOUVRE
Cache mira de stras- 1|$000 o covado.
raees arrendadas a 400 rs. o dito.
uatii branoo lavrado a 360 rs. o dito.
Toile pardo a 360 e 400 rs. o dito.
Cortes do vestidos era cartoes.
Colchas de fustao a 4 Toaihas para banho a 10500 urna.
Cachemiras lisas a lfJOO o covado.
Popelinas brancas a 300 e 1<$000 o dito.
Cachemiras-de quadro a 280 rs. o dito.
FWatfo para roupa, de lfJOOO a 700 rs. o
uto.
Cachemira de quadro- a 320 rs. o dito.
Popelina de seda de 1*500 a 1,5000 o dito.
Bale i as a 240 rs. a duzia.
Lences de bramante a i?000 um.
| C'obertas de ganga a 3|$000 -urna.
Tapetes grandes a 13V5OO0 um.
Brini pardo a 280 e 320 rs. o covado.
Espartilhos a 5(5000 um.
Madapolao americano a 65000 a peca.
Coletos de flanella a fooOOura.
Palitots de seda- palha a 8)5000 um.
Lencos de linho a 5)5000 e 65000 a duzia.
FNDICAO DE SINOS EBROME
DE
LlflZ DA CRUZ MESQUITjt *
66ra do Baro do Triumpho(?6
Tem para vender o seguinte :
nachlatas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alamhiffies de cobre do antigo e novo svsteraa com esquenta garapa.
Serpenlinaa de cobre e de estanho.
C'araptacas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiraa de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tornclra do bmnze e madeira de t^dos os tamanhos.
'iino de cubre, de chumbo e de ferro.
topar!Metras, panaenia e escumadeiras de cobre e de ferro estmihado
* l>re eiu leticol e ai rucias.
ola ingleza e do Rio.
< udinhos patente eade lapis.
KilOS de 1 libra at 110 arrobas. .
K mititos outros objectrs
KNCARREGAM-SE He qualque.r concert e ubrns de. encommenda. aran
indo presteza, pertcie.ao e precos m dicos, para o que tem pessoal habilitado.
*'"'! D12 a praeo ou dinheiro com. descont.
,&&&5?^&ax^z&zz&^^
rara otratmnuntot pnmptm aura iai
Molestias do estomago e dos
intoHtiiiofs moleatias do igado,
dispepsia, iiidigestOes, eolieas,
nausea* diarrhea, priso. da
ventre, falta de apimt ite, inoom-
modos depoiavtda comida, ouxa-
quecas e dores de cabeca chroni-
cas,. rhsnmaWmo uevr:ilias,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das sen horas, e. alera
Iotas, multas ootcas enfermidades que se
classifico debaixo de urna iiiflnidade de
nomos, todas porm, oriundas da mesma
causa,a saber;
Iesarranjos dos oreSos de di-
gestao e assimilacao,
donde provfim a impureza e,o nfraqueci-
mento do sangue, com a debilidade e con-
gestao de todos os orgos vitacs do sys-
temau.
Procuraa-se
AS PILLAS CATHARTICAS DE AYER,
FRKPABADaS J'Kl.o
DR J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-L'nidos.
^Daspoaiio Ghkm.
Agrimensura
C. C. Carlini contina a cncarregar-se de me-
dces de trra, levantamento de plantas topo-
graphioas, nivellamrntos, projeclo? de parques,
jardins, chals,etc. ; na ra.da Alalaia, na ci-
dade da Escada.
RHEUMATISMO.
impnrezaiio Sanue, Empgoes, Esc'.
filias, Ulcefas, SipMlis
e toda affeccao de natureza
eruptiva, ou venrea
SALSPASEiLflA
DE BRISTOL
Q Remedio de Familia por exceJlenciaf
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar, para
casa de familia; a tratar na ra do Hospicio nu-
mero U.
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar; na tra-
vessa do Pires (Geriquiti) n. 5.
Ama
Precisase de urna ama que lave e engomme
com perfeico, para casa de pequea familia ;
na ra do Alecrim n 26.
Ama
Precisa se de urna ama que entenda de costu-
ras e servjgo de sala, e que entenda tambem de
penteados ; na ra de Hiachuello n. 57, portao
de ferro.
Amas
Precisa-se de urna cosinheira e de nma cria-
diDha que tenha boa conducta, para andar com
urna crianca ; na ra Mrquez do Herval n. 61,
sobrado.
JAGUAMBE
a 4$> a barrica
com abate de 100[e em porcSes rcaiores de
10 barricas.
A RA DO BOM JESS N. 23
A luga-se
Por barato prego o i" e 2 andares do Caes do
Apollo n. 75, com muito bons commodos ;
tratar na botica ra Larga do Rosario n. 34.
Aluga-se
Por prego baixo o 1 e 3" endares do sobrado
ra do Brum n. 84, com bastantes com-
modos ; a tratar ra Larga do Rosario n. 34,
botica.
Alu
PILEPSIA
Colchas de cores a 1)5800 urna. | Palitots de brim pardo a 44500.
Merino preto e 800, 1(5000 1200, 15500 j Bolsas para viagens.
1)5800
Chitas percales a 200 rs. o covado.
Velbutina preta a 700 rs. o dito.
Crep pneto (inglez) a 25000 o dito.
Metas de quadro a 300 rs. o dito
Merinos de cor duas larguras a .440 rs.
Beodas liespanholas a 2)5000 o dito.
Setim do Japao a 240 rs. o dito
Canbraia Victoria a 2800 a peca.
Crotones claros e escuros a |240 |rs. o
ovado.
Cambraia bordada a 4(5000 a pega.Q
hiam;co de crochet a 7<5000 urna.
Loques transparentes a 2)5500 um.
Fich de retroz a 1)5000 una.
Camisas de flanclla a 2)5500, 4)5000 e
5)5000 urna.
Bieos de cores a 2:>000 e 25500 a peca.
foaths felpudas a 45000 a duzia.
Crrinalda para noiva a 75000 uma.j
^hurdap para homem a 6500C.
Meias nglezaspara liomens a 550002a du-
Sargolins de cores a 200 rs. o covado.
Palitots de alpaca preta a 45500 um.
Caoemia diagonal a 25000 o covado.
Meias fo da Escocia a 15500 o par.
Lencos brancos a 15200 e 15800 a duz.a.
Cbevioth preto a 35000 e 45000 o covado.
(Jasemira para costumes, corte.
Luvas de seda a 25000 e 25500.
uardanapos de lir.ho a 25200 a duzia.
Guardap para senhora a\. 105000.
Arcos cobertos a 120; ra. o metro.
Panno da Costo a 15J#0 e 15200 o co-
vado.
Bramante de algodao a 15000 o metro
AJgodao branco a 45000 e 45500 a peca.
Cortes de fustao para coHete a 25500 um.
Cortinado bordado a 75000 o par.
Zephyr de quadro a 200 e 240 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 15200 o metro.
Peca de esguiao de algodao a 35500.
Regatas a 15000 e 15500 e 25000 {urna.
Palha de seda a 15000 o covado.
Camisas allemaes a 36600 a duzia.
Bramante de linho a 15800 o metro, 4
larguras.
Cortes de seda para collete a 55000 um.
Chambres para homem a 65000 um.
Setins de cores a 800 rs. o covado.
Algodao trancado, 2 larguras, a 151(0.
Cortes de casemiras, a 55500, ,75000, e
1)5000.
Brim branco, todos os nmeros.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 155000 a duzia.
Flanella de cor a 300 rs. o covado.
Cura qn* J ampre,
Alhvi" sempre*
O grande e importante estabeleeimento de
Pocas Mendes & C, silo ruaestpeita do Rosa-
rio n. 9, coiigUD^a igreja, acaba de ree ebe
uraa^rdDoe remessa do acreditado- epecial
Vi nho Maduro
0 nico que, sem a minima coofeegio, im-
portado neste mercado, e so se vende no refer
do estabeleeimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque ? Vejam : o.vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tem
as seguintes vanlagens que as outras qualidades
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertur
bacao a~ digestes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe rifar, pois nutre
aolhos vistos as pessoas debilitadas, e d forcas j
as que as liver arruinadas pelo uso de bebidas f
viciadas.
Recebemos tambera
Requeijao
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
proprtanes capricham em bem trab; lliar neste
artigo, afim de terem a primazia sobre tanto
outros similares, cuja composico c duvidosa.
Em outro3 artigos como sementts de hortaliza
e florea. Ungais seccas do Rio Grande, objectos de
time e tamancos do Porto para bomens e senho-
ras, para isio to pouco temos competidor,
aossacasa especialista, e as pessoas que disto
se queiram cerliticar podem comparecer, cora
o que muo nos honraro. Aps urna infini-
dade de.artigos de prneira ordem. que acham
se em exposico, acresce a amenidade do trato
com que limdraaios tratar todos os que nos
honram com a na presenga, junto a inodicidade
de preg<^emjbBl.
Ra eatreiift. do Rosario n. 9. Junto
a igreja
P^as Mtades & C.
ga-se
a loja do predio ra Mrquez do Herval, tra-
vesa do Pocinho n. 33, propria para estabeleei-
mento commercial por ser de esquina ; a tratar
no largo do Corpo Santo n 4,1 andar.
Aluga-se
o sitio da Magdal na n. 8. com boa casa, agua
encanada, lado do rio e alguna arvoredos; a
tratar na ra Direita n. 45 sobrado, aonde tam-
bera se aluga a casa pequea n. 40 ra da
Amizadc.
lugam-e
As casas da ra do Lima ns. 18 e 30, em
S. Amaro; a tratar na lithographia ra Marque
de Olinda n. 8.
Alugn-el barato
Recco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Ra Visconde de Itapanca n. 43. armazem.
Loja do sobrado do becco do Calabouco n. 4.
A tratar ra do Commercio n. 5, 1 andar
esenptorio de Silva Guimares & C.
Gratifica-se
Dr. Constancio Pontual gratifica a quem apre-
sentar-lhe ou der noticia exacta de um jarro
japonez, de 85 centmetros de altura, cor branca
com flores e drages escarales, que foi roubado
de sua residencia no dia i de Setembro, das 7
para 8 horas da noite.
Banhos nos arrecifes
Completo sortimento de sapatos proprios pan
banhos. receberam Joaquim Pinneiro 4 C., na
do Livramento n. 14.
^^^--------------------- -
A o commercio
0 abaixo assignado, pelo presente declara ao
corpo commercial desta praca que nesta dala
comprou ao Sr. Manoel Jos Dias. o estabeleei-
mento de molhados. silo a estrada velha da
Magdalena n. 7, livre e desembaracado de todo
e qualquer onus Se alguem ?e julgar com di-
reito a protestar, queira fazel-o no praso de tre
dias. a contar de hoje. Recife, 2 de Setembro
de 1889.
Lino Fernandes de Aaevedo.
Grande sortimento de fichs, casemiras^brim, (algodao, camisas, collarinhos,
jpnnhos, meias, perfumaras, e bordados.
oo_ _R ra Primeiro He Marc20
AMARAL fc c.
II'.'' ,- r r- r*~ -^, r-, ,J "!"Mi
i: .
\ i
LUNPATBRSONSC.
44-HUi B4U40 TSIl.HHHI-44
Machina* a vapor.
Moendas.
Rodas- -dajMia.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
Arados
0 OLEO CH27RIER
daainlectado pelo Alcatrio.
tnico e batuwico. o jue muit
ug$m*f( f prooriaktt o ,
oteo.
I OLEO do FIGADO
OC IACALA0 FERHUOtMOSO
a nica prpartcio ou parttntte
admirttrtr o rrro ttm prv
dutir Priado Vaatre, n~rr
Incooamoito.
mmsito ^ni n m
l\,rmUlm'-\UtM2nn,2\
l^aa^?
ncoloiro ^
intimni
'0 ALCtt&*

DIPLOMA DE HONRA]
' %'> OrJm i*
BECKiTAU POB TODAS AJB
Celobria&es Madicas |
n \ fk \m;a y. dasuropa.
MOLESTIS DO PEITO,
' ftFFECQflES ESCROFULOSAS I
CHLOROSIS,
ANEMIA, DEBILIDADE,
TSICA PULMONAR,
BONCHITES. RACHITISMO
Vinho de Coca
UOENC1ADOS PBL*. INSPECTORA. DE HY01BMS 1)Q 1MPEKK) DO BRAZ1L.
~\<&&mmMamVM*mmVm*
GONSTTPAQFS e MOLESTIAS do PEITO
MHOPE
PARS, Phannacit BhtANT, 150, ra tro Rmli, PAfUS^
medloM de Tula rtcuomendao t* mal* de SO aonoa o
AtlTIMILOGlSTICO
BRIAMT
RUDT cotno o meillcannoU) pellor! *t mvvamii *
i maw eartm ntr o D^JMofc Uwp*.. CaOtanw. o
.Der-e i-xitfr a BnicBon m oe Bosn i
tiMcniiTir* Doto uaiTol oo toTOiior.
Bflrosrtoa-bm tqpim s ps>n^iphs phabuacia
WBMKX'
VEREMisfis mnm reuoo
Erapregam-se com ptimo eto h nals de SO naneo pela malor parto ios FaculUU-
to Francozes e Lsu-anpelros paras cura Ca A.XE21A, VMMMOSH (corea putilZx:) o a
V^rmnfi aUu menino.
A insercio nenovo Cadtx Franca jutroslm o fac;od haor a Tonta d'KyaiaMs 4o HraxU
TCrtflcado a efflcaci d'osins rumai, auiorla.mdo-llic3 a venda, escusa qualquer encomio
a ooofUim tmi mm iu,a mv uwatar Milla tatatt n ott liiiu km atfu.
i)EacoFiHM-sms xmita^es
ATA. ai YirtOtiru Pltitlu M aV Ulavul ate n nndim tuto m trttcot ( llt ffttcot
li too 100 Mili: mis nio paialudo.
PAJUS, I. BA PATBWTB BSBOPTtOS KM TODAS AS, PBaOT'AES PHAHUAUUlS
DBSGOIiEaTA E PREPAKACAO
DE
J. ALVARES DE SOUZA SO ARES
\ov> c poderoso niedic-aaveaii*) contra -. ikMleatias do appare-
r.p.iho respiratorio:
Tosse, coryza, laryngite, aphonia, coqueluche,
grippe, bronchite. asthma, pneumona, homoptvsia, phthi-
siea pulmonar, etc., etc.
Approvado pela Exina. Junta Central de Hygiene Publica, autorisado por de-
creto imperial de 30 de Junho de 1884, rodeado, de valiosos attestados medios e
muitos outros de pessoas curadas, elogiado unnimemente pela imprensa e premiado
com duas medalhas de ouro de primeira classe pela Academia Nacional de Pars e
jury da Exposico BrasileirarAUema de 1881-
Cora fabrica especial no estabeleeimento Agrico-Industrial do PAE(UE
PELOTENSE^ expressanicnte creado para esse effefto cm Pelotas.
Fabrica^ por mez 20.000 frascos
Vende-se em casa dos agentes Francisco Manoel da Silva C. ra do
Mrquez de Olinda n. 23, e em diversas phannacias e drogaras.

(escoberta Interessantissima
15
< PUVILEaiADA >
PERFUMES OfflZA SOLIDIFICADOS
.'.PRESEHTDOS DESAINO M FORMA DE LAPIS (12 W&tSIt CWrOS)
Basta esfregar levemente os* cbjeatos para perftim-ot
(a Cutia, Roupai I-si-ei pasa Cartas, eic.)

L. LECrRANS, F rto ds STLflsfe
ROA SAINT-SONORE, PARS
Vend-sa Drogaras

i^m
1 wmm i





&

I



8
Diario de PernambucoQuihta-feira 5 de Setembro de 1889
-s
i
1
A
-/
Ti
cobransasTfl
Margo proxf
ig.pio
Sai narreto
ajxtroparecer ra
star coritas das
Preta, em
-48
outra
VENDAS
, urna ex-
los, urnas
um ferra-
res, arcos,
apropriados
d'ama mao
- '
ce 11 ti n te n
bombas hydrauii
dor. urna tcsour
etc., trilhos e
para transporte
e vapor. ^ ______
A Laja las Lislras Azues
Esta vendendo fazendas muito baratas
( Gom descont
a quera, aomprar de 20300") para cima.
K VEN0E PELOS SEGCINTES PBEgOS :
lladapolo lavado cora um metro
de largura a 6(5800 a peca,
Horim das LUstras Azues com
20 varas, a 60000, a peca..
Chitas percales fina*, cores seguras a
180 o 200 rs.
Cassas de urna s cor a 100 e 120 rs.
com palrainhas.
LSBzinhas de quadros a 160, 200 e
240 rs.
Cortes de linhos com 16 1/2 co-
rados, tecido pbantasia, a 40000
Bordados finos com 3 metros a
500 ra.
Blcos forneos a 600 rs., a peca
com 9 metros.
Sargellm diagonal, todas as cores,
a 180 e 200 rs.
Crinolina de cores para vestidos a
360 rs. o metro.
I.uvas de seda, lisas e bordadas a
10500.
Leques transparentes lindas cores, a
20000. \
Grinaldas com veos para noiva a
70000.
Metlni de Maco branco, e de todas
as cores a 750 e 800 rs.
Cortinados bordados para cama ou
janella a 60000.
Fichs phantasia a 800 rs.
I.OIICOS de seda a 500 rs.
1'] multas fazendas que se vende por
qualquer preco.
Trocase a fazenda vendida se nao fr
de muito agrado para quera fr comprada.
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Alta no vidade
48 -Roa Du(fue, Por meaos 30 0l^'W^que em
qualquer parte
Merino erras', lisos e de quadros com 2
metros de largura a 20000 o covado.
Renda heppanhola muito larga a 20000 o
covado.
Espartilhos, verdadeiros couracas, a 40000
50000 e 60000 um.
Lindos cortes do fustlo para collete a
500 rs-, um.
Cobertores de 15 a 20000, um.
Palitots de seda amarella e chumbo a 80
100000 um.
Redes franca 40000, 50000 e 60000
PECHIMHAS!
59Ra Duque de Caxias-
5
Surpma agraavd
UM RETRATO.
Que so offerece a um amigo no da do
sen anniversario
De mm\ al ioosoo
Obtem-se um lindo retrato pela quantia
cima, com linda moldura fina dourada
em alto relevo, c com cordoes de lil e
seda ; trabalho feito nos Estados-Unidos
da America
POR FRB. PLATT
Qualquer familia que desejar um per-
feito retrato, bastante mandar um pe-
queo retrato em cartlo de visita, nlo im-
porta que seja antigo, basta dizer a cOr
dos olhos e do cabello, para chegar um re-
trato perfeito, e muito lindo para um pre-
sente, ou sala de visita.
Os retratos de Fred. Platt
Esto expostcs ao publico na
AGENCIA GERAL
Loja das Listras Aznes
RL'A DUQUE DE CAXIAS N. 61
Para as Exmas. familias verem o quanto
sao lindos, e muito fcil fazer encommenda.
aUALaiER ENCOMMENDA
Por maior que seja se prompta em me
nos de 90 dias, e restituese a importan-
cia rccebida, se nao cbegar um retrato de
muito agrado.
Para encommendas da cidade e de ou-
tras provincias devem dirigir seus pedidos
ao agente geral n'esta cidade.
JOS AUGUSTO DAS
i>i-:hv%.iiki'CO
Camisas de cretone, cousa boa e barata.
urna.
Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
o covado.
Enchovaes para baptisados a 80 e JO0OOO
Toalhas felpudas a 30000 a' duzia
Meias cruas para homem a 30000 a dita.
Nansuks finas e 120 e 240 ra. o co-
vado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o covado.
Cortes de linn e cretones com todos os
preparos, a 50000 a J20OOO.
Atoalhado muito largo 10200, e 10500 o
metro.
Pan?*'d crochet para cadeirasa 900,
600, 700e"6iOr8. usa.
Colchas de crochet, bordadas para noivos
a 50000, 60000, 70000 80000 e 90000
urna.
Cortinados bordados a 60000 o par.
Bramante liso e trancado de 4 larguras a
10000 o metro.
Bramante transado de 2 larguras a 400 rs.
o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
50000 urna.
Saias ricamente bordadas, a 30000 urna.
Luvas de seda, lisas e arrendadas a 10000,
10500 e 20000 o par.
Cretones claros e escuros e 200 e 240 rs.
o covado.
Zefiros de quadres a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Camisas finas de mia3 a 10000 um.
Leques de penna, ultima moda, a 40000
e 50000 um.
Capellas com veos para noivas a 80000
urna.
Fustlo de cores para palitot e calca a
500 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete % 20000 um.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
40000 a peca.
Bicos de cores e brancos a 10000 e 20000
a peca.
Collarinhos e punhos, borracha, a 10800.
Cobertas de ganga forradas com 2 pannos
a 20800 urna.
Lencos brancos a 10500 e 20000 a duzia.
Fichs de retroz, lisos e com palmas a
10000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 60000 a duzia.
Algodlosinho cora 20 jardas a 40 e 50000
a peca.
Assim como em sua officina de alfaiate
aprompta-s com perfeicSo e elegancia
por preces commodos, de brim ou case-
mira, costumes para meninos e homens.
A Revoluto
48Ra Duque de^Caxlas48
HENRIQUE DA SILVA MOREDAA
Caasinetas de cores para roupas de m
noB a*200 rs. o covado.
Meias casemiras pretas e de edres
a 400 e 500 rs. o dito.
Hollanda parda para vestidos a 280 rs. o
dito.
Setinetas modernas dem a 200 e 280 rs.
o dito.
Linhos de quadiinhoa a 100,
200 rs. o dito.
Percales- finas a 200 e 240 rs.- o dte.
Atoalhado bordado, qu&si 2 metros de
gura, a 10000^ 10200 o metro~
Bramantes, 4 larguras, superior a 800-
e 10000 o dito/
E' barato
Venham ao SS ver como se vende fa-
jeadas com 50 /0 mais barato que em ou-
|tra qualquer parte.
Cortes de cretone, combinaclo, ultima no-
V vidade, a 50000.
Cachemiras, combinaclo com listas de seda
a 10400 ocovado.
vestuarios de jersey, ultimo gosto, a 100
e120000
lor da China, cousa chic, a 200 rs. o
dem de puro linho a 10600 o dito.
Riquissimas guarnieres de crochets a 60
8000.
Toalhas para raaos a 10200, 30500 e
( 40000 a duzia.
Meias inglezas para homens a 20500 e
30000 a dita.
Camisas superiores idem a 240 e 30jJ000
a dita.
Seroulas bordadas a 120000 e 180000 a
dita.
Cambraia Victoria .e transparente a 20800
e 30000, com 10 jardas,
dem .bordadas chics a 4^000. n > '
Superiores algodoes da eocte a 30000
30500.
Madapolio americano a 60000, cora 24
jardas.
Flanella da cores para camisas a 280 rs.
o covado.
dem americana, azul, para palitot a
10200 o dito.
Casemiras de todas as qualidades a 10400
10800 e 20000 o dito.
Para as Exmas. noivas
Lindissimas grinaldas e veo para 80000 e
140000.
Ricas colchas de crochets e fustSo a 80000
e 60000.
Bonitos cortinados bordados a 50500,
70000 e 80000.
Linons branco bordados a 460 rs. o covado.
Setim branco, superior, a 800 e 10000 o
dito.
Popelinas de seda a 800 10000 o dito.
Setins Maco, todas as cores, a 800 r. o
dito. f
Lencos de seda e de linho para 20OO,
em lindas caixinhas.
Lences de bramante & 10800.
Cobertas de ganga, forradas, com pannos,
a 20500 e 20800 urna.
Colchas de cores a 20000 e 30000.
Tapetes para portas a 30500 e 50000-
Pannos cara mesas, de cores modernas a,
10000 10200 e 10600.
PARA BAPTISADOS
Ricas toalhas de labyrintho de 300 a
350.
Fustoes bordados brancos a 400 e 500 rs.
o covado.
Casemiras pretas e de cores de todo os
precos, cheviots, merinos, damascos para
pianno, cobertores, redes a 40000 urna, e
urna infinidade de artigos que serlo lem-
brados na presenca dos dignos leitore.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHES
covado.
Linons bordados cora quadros, novidade,
a 800 rs. o covado,
JSetins, qualquer cur, a 800 rs.
Sargelins de todas as cores, a 200 rs. o
covado.
Merinos de cores a 500, 600 e 800 rs. o
covado.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Vestuarios para baptisados, muito bonitos.
fGuardanapos a 10600.
Cortinados para cama a 50500.
Sedinhas lavradas, o que ba de mais gosto.
Cambraia com salpicos a 40000 a peca.
Cortes de casemira para vestido a 250000
Renda da China a 200 e 240 rs.
Tecidos arrendados, a 400 e 500 rs.
Zefiros, grande variedade, a 160, 200 e
240 rs. o covado.
Bicos de cores a 30000 a peca. /
e Madapolao muito largo a 60000.
Luvas de seda a 20000, 205000 e 30000.
Mantih as pretas a 40500.
Cambraia Victoria a 20800.
Atoalhado bordado, lindos gostos, a 10000
o metro.
Grande sortimentos em toalhas de rosto.
Espartilhos com couraca a 40000, 50000 e
60000.
Nunzucks a 240 rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cretones para coberta, muito bonitos a
500 rs. o covado.
Cambraia suissa, fina e muito bonita a
70000.
Babados e entremeios grande sortimento e
barato.
Fichs de linho a 10000.
Ditos de seda a 40000.
Ditos de S a 10000, 20000, 30000, 40000,
50000 e 6000.
Grande quantidade em tapetes pequeos e
grandes.
Cretones muito lindos a 400 rs. o covado.
Chitas brancas, escuras e claias a 240,
280 e 320 rs. o covado.
Grande sortimento em colchas brancas e
de cores.
Objectos para homem :
Cortes de casemiras, finas, a 40000, 60000
e 80000.
Ditas de casineta a 10500 e 20000.
Collarinhos de linho e algodao a 40000 e
60000 a duzia.
Meias para homem de todas as cores e
brancas.
Casemiras de cor a 20000, 30000 e 50000
o covado.
Ditas diagonal, lindos desenhos a 20, 30 e
e 40000.
Brim de linho de cor a 500 e 600 rs. o
cavado.
Libras sterlinas
Vende-se libras sterlinas ; na ra do Com-
mercio, armazem n. o.
Farello superior
2 800 o sacco
Vende-se no armazem de Arcelino Lima C,;
Caes d'Assembla n. 24, garantindo-se 42 ki|0-
grammas cada saco.
Vende-se
Superior vinho de A.I-
coba^a
O acreditado e antigo armazem do Urna par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinhe, escolbiclo propriamente pelo chefe desta
casa, actualmente em Portugal, tornndose re-
comroendado por ser nuro e de boa qualidade.
Jos Fernaiides Lima & C. ruaBaro da Victoria
numero 3, Telephone323.
Para os festivaes
56,
urna casa na ra Direita, em Afogados, n. 23,
tendo 5 salas, 5 quarlos e bom sitio com arvo-
redos a tratar na ra velha de Santa Rita nu-
mero 64.
FOLPSTII
POR
.HILES >I\K\
PRIMEIRA PARTE
Especial para calos e quei-
inaduras
Preparado Riker : vendem P< dro Antunes 4
C, 14000 o frasco ; na ra Duque de Casias nu-
mero 63.
(Continuaslo don. 198)
vm
Ella estava assentada junto da janellaje
se traba posto a trabalhar escutando o mo-
jo. Suas faces, de ordinario paludas, se
tinhana colorido de vermelho vivo e, sob
seus longos cilios, seu olhar hmido bri-
lhava, todas as vezes que, por um Inovi-
mento instinctivo, ella voltava a cabeca
para o marido.
O lenheiro estendeu a mSo a Gonsso-
lin, que a apartou fortemente.
At vista, rapaz. Se mudares de
opiniao, nSo te es'quecas que nao te guar-
do o menor rancor e que sempre minha
casa est aberta para receber-te.
No momento em* que Thomaz se appro-
ximou de Slagdalena, teve urna certa he-
sitacao. i
Entretanto, despedio-se sem se pertur-
bar.
A moca estendeu-lhe,a po e elle guar-
dou-a um instante entre as suas ; dirigio-ae
para a porta, parou e voHou-se urna ultima
vei: pallidez mortal cobria-lhe o rosto ; ti-
nha diante dos olhos um deslumbramento,
espesso nevoeiro encobria-lhe a vista.
Foi cambaliando que desee u a escada de

pedra e foi, cahe aqui, cahe acola, como um
ebrio, pelas alleas.
Quando Thomaz achou-se na matta s,
no meio das moitas, sobre -que haviam
passado as priraeiras lufadas do invern,
e das arvores que erguiam para o azul do
firmamento seus esgufbs esqueletos, sen-
tio-se tomado de grande tristeza e deixou-
se cahir sobre as folhas seccas, chorando
como urna cranla.
Ao entrar em casa achou sua raai muito
fraca.
Apezar da opposicao de Lhoir, a velha,
que havia algum tempo sentia augmentar-
se a molestia, quizera levantarse. Esbar-
rara em urna cadeira, batera, cahindo, na
quina de um armario e quebrara a ca-
beca.
Felizmente um lenheiro ouvira seus ge-
midos. Entrara e tinha collocado de no-
vo, a velha na cama, depois de tel-a cura-
do, como podia, e correr casa de Gons-
solin a prevenir Thomaz do accidente.
NSo achara o mofo, e, por amisade e com-
paixao, se installra a cabeceira da mu-
lherzinha, esperando a volta de Lhoir.
NSo havia medico em Bouchoux. Tho-
maz mandou logo a Saint-Claude chamar
o Dr. Magnabat; mas, quando este cne-
gou, na madrugada do da seguinte, era
muito tarde.
A' noite, febre intensa se declarara e a
velha morreu, sera haver tornado a si.
A profunda dr que o acontecimento
caufcou ao lenbeiio foi urna diversao aos
pensamentos que o levavam sem cessar
casa de Gontsolin.
Urna raanha" o madeireiro subi at
sua cabana.
Lhoir nao sal ira ainda.
Rapaz, d.sse o bom homem, tu ests
agora muito s, a vida vai-te parecer, tai-
vez, um fardo. Perqu nao pensas em
voltar s'tuaB antigs funejoes V Ellas te
esperara. NSo quiz dar-te substituto.
Thomaz abanou a cabeca.
Nao, Sr. Gonssolin, obrigado.
O velho insisti, mas foi em vSo.
Nao pode vencer a repugnancia do le
afaeito.
Exquisitc rapaz, murmurou affastan-
d-se. Ha em tufo isso um. myseno que
A' ra da soledade n. t>, preparam-se
com limpesa, mestria e commodidade em
precos: bolo, po-de-lt, cangica, arroz de
leite, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentes e baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, quer para fora d'ella.
A LOJA MAIS BARATIS
PARIZ IMBRICA
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ra do B. da Victoria16
200 Tdephone200
Tendo recebido directamente da Europ.
grande Sortimento de fazendas e modas <
que ha de maia novo e presos sem core
petencia.
A safcer :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de 12 e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 10000 e 10201
Cnolinerpreta e branca e 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 1<
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 10500
Chachemiras com 2 larguras a 800 r
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000
Madapolao trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichs de 13 e seda 10000.
Brins de linho cies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000
Colchas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado >
60000.
Toalhas de cSres para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 105%
Renda de la, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sai
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuarnicSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40060.
Capachos de-coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptJBado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de so.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fusto de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
sea
Cassinetas, grande sortimento, a 400
500 rs. o covado.
Brins Angola, muito chiques e baratos.
Molesquins bons e bonitos.
Camisas de madapolo a 20000! f
Ditas inglezas a 40500.
Ceroulas francezas a 10600.
Flanella azul a 10200 o covado.
Grande sortimento em lencos de algodao
e linho.
Alm de outros muitos objectos.
D-se amostras sem penhor a qualquer
pessoa.
.. Ra Duque de Caifas 55
Fernandes Azevedo & C.
Taverna
Vende-se a taverna sita estrada de Luiz do
Reg n. 47 D, propria para principiante por ter
poucos fundos ; a tratar no Caminho Novo nu-
mero 87.
HOmAIS,
Pr* OLERY
Vende-te em toda i nart
saber... Ex-
tristes e enfad-
me oceultam e que preciso
quisito rapaz I...
Os dias passaram-se
nhos para Thomaz.
Agora no procurava mais ver Magda-
lena, ao contrario, evitava, com urna sorte
de pavor nervoso, todas as occasioes em
que poda achar-se em sua presenca.
Temiase della ; temia-se de seus gran-
des olhos cheios de raios ; temia-se de sua
belleza.
No seu isolamento, elle era covarde.
Saa coragem extinguia-se, sua resoluc2o
enfraquecia.
Duas vezes elle escrevera a Francisco
Hormais, pedindo-lhe urna conferencia, na
qual contava tr com elle essa explica?2o
com que amea5ara a Magdalena, e duas
vezes a lembranca della fel-o rasgar as
cartas.
Punir Magdalena, matando-lhe o aman-
te,, havia sido sempre sua intencSo, mas
as retiexoes appareciam j.
Vingar-se, para que ? Tinha elle direi-
tos sobre ella ? Na verdade, de que tinha
elle de queixar-se ? Ella tivera piedade
delle, como dissra.
Durante mezes n2o havia elle tido a im-
mensa ventura de viyer junto della, em
sua intimidade, com esse segratf que am-
bos conheciam ? E depois, nao seria elle
quem mais soffreria cem o castigo que a
attingisse ? NSo era melhor esquecer ?
Esquecer Era possivel, quando se senta
anda perturbado s ao pensar nella ? Essa
paixSo escaldava-o. Entao_ o que fazer?
Matar-se... Elle eentia-so covarde diante
da morte... Obrigal-a a entregar-se a elle,
com a ameaca de tudo revelar a Gonsso-
lin, se ella resistisse... sera urna infa-
mia... Deixar o lugar, partir pora onde
o acaso o levasse... Mas n2o podia partir
sem tornar a ver Magdalena... urna vez...
urna ultima vez... sem diaer-lhe que tal
sacrificio fazia-o elle por ella... sem ou-
vir ao menos urna palavra benvola...
um rpido aperto de mao... um olhar a
que o passado de suas reflexoes trouxesse
urna lembranca e urna saudade...
Elle escreveu.
A carta continha apenas :
' c Vou deixar para sempre Boucho
Farello superior
2:800 rs.
cada sacca de genero superior e de peso de 42
kilogrammas, vende-se no trapiche da Compa-
nbia, largo do Corpo Santo n. 19.
A senhora nao me tornar a ver. Quer
conceder-rae urna entrevista, deixar-me
vel-a anda urna vez, dzer-lhe quanto a
amo ? A's onze horas a?noite, se o con-
sentir, esteja atrs da casa, no fim da ra
dos pinheiros, perto da cocheira. O mu-
ro, que separa o jardim do parque, nlo
muito alto neste lugar, escalal-o-hei fcil-
mente. Ahi esperal-a-hei, Magdalena, i
Poz o sobrescripto:
A' Sra. Gonssolin
Depois. para evitar suspeitas, nao que-
rendo nem por os pea em casa de Gonsso-
lin, nem confiar a carta a pessoa alguma,
foi a Saint-Claude e ahi poz a carta no
correio, voltando logo.
No dia seguinte de manha, entre a 6ua
correspondencia, o madeireiro achou a car-
ta e pl-a de lado para entregar a Mag-
dalena, que nao havia sahido ainda do
quarto.
Nunca se inquietara com as relajSes de
sua mulher. Tinha nella plena coofianca.
Habitando a mai de Magdalena Saint-
Claude, e tendo ella ahi muitas amigas,
as cartas que tinhara o carimbo da cidade,
despertariam menos do quaesquer outras
sua attencao.
Entretanto urna circunstancia particu-
lar notava aqui. Ao mesmo tempo que
lhe pareca nSo reconhecer a letra habi-
tual das cartas que Magdalena recebia de
Saint-Claude, havia no aspecto da sobre-
carta como que a lembranca vaga de al-
guma cousa que j vira, sem que lhe fos-
se possivel precisar bem o que era. Poz-
se a trabalhar. Mas instnctivamente seu
olhar se diriga, a miudo, para o rectan
guio de papel em que estava tragada urna
calligraphia cheia, com o signal particular
que nenhuma das letras estava ligada a
outra por modo algum.
E' estranho, murmurava elle, enco-
colhendo os hombros, impaciente.
Estando elle a compulsar notas, traba-
lho agora necessario depois da despedida
de Thomaz, havia entre ellas urna redigi-
da pelo ex-contra-mestre, que cahio-lhe de
repente entre m2os.
Teve um sobresalto.
Pao centeio
Melle 4 Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.______
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ra
do Cabug Q. li, avisam aos seos distinctos fre-
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recom'oenda por ser puro da uva, e s se reta-
1 lia. em dea armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
noval Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados. -m
Pede Hoy al Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sSo registrados par
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
A FLORIDA
Gal5es, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodao com
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodSo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 30000 e 40000
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 500'
600 e800rs.:a peca.
dem com 3 e 1[2 metros, de qualqua
argura a 10200. *
Lengos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de gaze a
30000 um. B
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno, de
20500 a 30000 o par.
Cortinados tpdos de crochet para cama a
120000, 170000 e 190000 o par,alguns
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimentc
a 40000.
Capellas com veo para noiva a 60000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 100 e
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40
50000.
Grinaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de fl6res a 40000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas a
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20000 o
par.
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moga a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindo lengos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos.
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segurar
chapeo.
Espartilhos para creanga a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50000 e
60000.
Grande sortimento de sabonetes de 200 a
10500 um.
Estojo com faca, garfo e colher, proprio
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 11 para homens e senhoras.
Liabas dourada* para facer crochet.
Lindas fitas para facha a 20, 30 e 40OOL
o metro.
Lindos leques de setim para casamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de 10, 2tt
3e 30500 urna.
Ra Duque de CaxiasD.lOo
Cofres de ferro
su-
Carlos Siaden tem para vender cofres de
perior qualidade. mais barato do que em outra
qualquer parte. Ra Barao da Victoria n. 48- <
Irra disse elle, tenho aqui o que
procurava.
Os dous caracteres de letras eram idn-
ticos.
Nenhuma duv:da lhe restava.
Gonssolin examinou-os, virando e revi-
rando em sua mo a carta dolenheiro.
Que diabo poder elle escrever a mi-
nha mulher ?
Levantra-se, pensativo, de sua escri-
vaninha e dava passos longos em seu ga-
binete.
Que devo fazer ? dizia.
E reflectia, nSo tendo animo de tomar
una resolugSo.
Voltou escrivaninha, sentou-se, tomou
de novo a carta, que tornou a virar em
todos os sentidos.
Levantava-se em sua alma urna sus-
peita.
Seguramente, dentro dessa
va-se a erplicaglo da partida
de Thomaz.
Mas essa partida que poda ter de com-
mum com Magdalena ?
Emfim tomou urna resokigao enrgica.
Abri a sobre-carta e leu...
Chegando a assignatura, julgou ter en-
tendido mal e releu... Seu grande rosto,
ordinariamente muito vermelho. estava
mortalmente paludo...
Balbuciou :
E' isso... sim,
carta acha-
precipitada
isso
ha muito
mesmo...
,'empo, sem
elles amam-se.
duvida...
Amarrotou a carta, com gesto horrivel
de colera e seus dedos, passando entre os
cabellos grisalhos, cortados curtos, paro-
ciam querer prender-se caixa craneana.
Pensamentos em tumulto revoluciona-
vam-se no cerebro.
Porque parta Thomaz Lhoir, desde que
amava Magdalena ?...
Esse pensamento teimoso voltava a mi-
do. Havia ainda um mysterio.
Hei de saber tudo, hurmurou com
voz surda, saberei tudo, ainda hoje mes-
mo.
Estando rota a sobre-carta, nao podia
entregar a carta a Magdalena ; esta nSo
seria, pois, prevenida- e assim nlo i ria
entrevista.
Leite puro
Na estrada de JoSo Fernandes Vieira, sitio lo-
go depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite puro de vaccas tourinas e da
trra, garante-se a qualidade do leite.
Bom
neg-ocio
Vende-se, arrenda-se ou hyp.otheca-se a me-
tade do engenho Fortaleza, sito no termo do
Bonito ; a tratar na ra Coronel Suassuna nu-
mero 232.
Mas, pensava
nao a ver, talvez
Gonssolin, se
se aventure a
Thomaz
chegar a
esta casa e a procurar fallar cora ella.
Gonssolin resolveu simular urna via-
gem.
Voltaria noite e vigiara o lenheiro.
Urna hora depois prevena a Magdalena
que ia partir.
A moca veio ter com com elle :
Onde vais, meu amigo ?
Muito paludo, o madeireiro responden :
Vou passar dous dias em casa dos
Aubortot, de Moussires. Sabes que ha
bastante tempe o pai delle me convidou e
me espera para organisar urna batida aos
lobos. Voltarei depois d'amanha.
Ella apresentou a testa como de costu-
me o velno deu-lhe um beijo glacial.
No momento em que ia sahindo, disse a
Magdalena que o acompanhra al aopor-
tlo do jardim :
Esqueci-me de dizer-te que recebi
esta manhl noticias de Saint-Claude.
Francisco Hormais escreveu-me. Na carta
ha comprimentos para ti. Acharas a car-
ta na minha escrivaDnha.
Affastou-se a p, nio querendo ficar
embaracado nem pelo cavallo nem pelo
carro.
A's ultimas palavras de Gonssolin, Mag-
dalena estremecer.
Lembrava se da recommendaglo que lhe
fizera Francisco, nos primeiros dias dos
seus amores.
Quando escrever a Gonssolin, dis-
sera elle, urna carta a. esperar no lugar
em que tivermos combinado.
Magdalena conservou-se em casa at
tarde, afim de verificar se seu marido nlo
mudara de resoluglo, depois correu
matta.
Levantou urna pedra coberta de 'cius-
go, ao p de um pinheiro, para a qu i se
dirigi sem hesitaclo.
Achava-se alli urna carta.
(Continuar-se-h)
Typ. do Diario ra Duque de usas n.
\-
*


&

fl
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP5XOW9DI_VVJ4M9 INGEST_TIME 2014-05-28T18:57:53Z PACKAGE AA00011611_19902
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES