Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19878


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-.... _--..


-r >..
ANNO LXVI
DOMOGO 6 DE MA800 DE 1892
NUMERO 53
r
I i


DIARIO
PERNAMBCO
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA & FILHOS
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantados. 63000
Por tres ditos vencidos..... 7$000
Por um anno a lianlado .... 241.000
dem idem vencido...... 28^.000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PBLICAgES NA FRAN-
CA E INGLATERRA
Os frs Amede, Prince & C, resi lentes em Pars34 ru de
Pi ovence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido .
',
13500
15&50
27&000
311000
TELEGRAMAS
ni
:;: mmism i: zisai:
81 DE JANEIRO, 5 do Margo,
av > i 20 anatos da tarde.
s 5
Poram primovid;! :
A marecbal o general de divisan Joa-
quim da -i-m* Lobo d'Ega ;
i in.irech.1 gradando o general de di-
vi 3o Jo? d'Altnei fa Barratto;
A general de diviaSo o general de bri-
gii.i Coarado Jacob Niemeyer ;
A general de divisl graduado o gene-
ral de brigada Jo.quim M-ndea Ourique
Jaa pies;
A general de brigada o coronel Rober-
to Ferreira ;
A g;n"ral de brigada graduado o coro-
nei Andrade de Vaaconcellos ;
N> quadro extranumerario foi igual-
mente promovido a geueral de brigada o
coronal Pegn J.nior.
Hjuve outra promog5cs em patentes
inferiores.
Einoarcou para ahi o Dr. Jos Marian-
D Carneiro da 'Ju..ha.
parte ornciAL
Ministerio da r*c*nda
Fci nomeado 2.* es:rip'.urario da Alfandega
do E-pinto-Sant j o praticante da TOesoraria do
mesmo Etado, Arlhur Barata Ribeiro.
Paran exonerados : .o proco-ador fiscal da
Th Murara de Fazenda do Estado do Piaoby
ba'-birel Jos Easebio de Carvalho, e 2. escri-
pturario di Toesouraria do da Babia Jos lot-
quim le Souza Babiana.
Fci nomeado o coofereate da Alfandega
desta capital, capito Antonio de Araujo Lima
Maeeno, para inspector em commisso da Alfan-
dega de Sanios.
Foi declarado sem effeito o decreto de 5 do
corrente mez que nomeou o conferente da Al-
andega desta capital, Joo Francisco de Paula e
Silva, pira o lagar de inspector em commisso
da Alfandega de Santos.
Foi aposentado, visto ter sido submettido
a inspecgo de saude o inspector da Alfandega
de Mace' no Estado das Alagoas, Dr. Roberto
Colceires de Me:io.
llinislerlo da tuerr
T.-ocaram de corpos mire si os lenentes Getu-
lio Simss dos Res, do 16* de infamara, e Jos
Custodio da Silvera do 11 da mesma arma,
conforme pedirn.
Foram transferidos: do !! regiment de ca-
vallarta para o 8., o tenente Freierico Angosto
de Albuquerque e Mello, e deste para o ., o
tenente Alvaro Pelreira Franco, e para o 10
batalbao de iafaataria, o alferes do 22" Jos Joa-
qun: Cardoso.
Foram reformado' os coronis Capitulino
Cuaba e Antonio da Uncha Bezerra Cavalcante.
Foram transferidos 03 capites de infanta-
r.a Eduardo Augusto da Silva da 3.* companbia
ta i' batalbao Dar a 3." do 20 e deste para
aqnelle o capi'.o Joaqoim Gureino Villarim.
Coverao
do lisiado de
uambaco
Per
EXPEDIENTE DO DA 25 DE JANEIRO DK 1892
Actos :
uta governativa do Estado resolve exone-
.-.-.: a pedida, ; tidadao Jos Pedro da Silva Vieira
sirgo de lelegido de yolicia de Alagoa dos
> '-.Commomcou se aoDr. questor policial.
A junta governativa do Estado resolve no-
mear o bacbaiel Oliuto Yic.orpara txercer ocar
e inspector geral da Iisirucgo Publica.
municou-se ao inspector do Taescoro do Es-
tado.
A junta governativa do Eiiado tendo em
fista u officio n. 37 de 21,do corrente, do inspec-
tor gura da Iostrucgo Publica resolve exoaerar
a pedido Manoel Joaquim Silveira Sobrinbo de
ci-- Je delegado jj 8*distrlco litterario da Boa
Vista, -Cominuoicose ao inspector geral da las-
tra :gao Publica.
A junta governativa do Estado resolve no-
hc." o cidado Miguel Arehacjo Barroo para
exercer ocargo de escrivoda collectoriado Es-
tado no municipio de Bar reros, ficando exone-
rado o que actualmente occopa dito cargo.Com-
muoicou-se ao inspector doThe3onro do Estado.
A juaj-fflfernativa do Estado alteodendo
ao que requereu Marianna Justina Gouveia da
Molla, proteger da cadeira de Qaipap, teado
em vista a informaga n. 6 de8 do corrente mez
do inspector geral da Iostrucgo Publica e o pa-
recer da junta medica, resolve conceder a peti-
cionaria a contar de 16 do corrente, tres mezes
de i renca com ordesado na forma da le para
tratar de soa saude opde Ibe convier.
A junta governativa do Estado resolve no
mear o tenente Francisco de Barros 81 iva Castro
e Jos Mara de Souza Delgado paraos cargos de
a-moros da Intendencia Municipal de Pao
d'Albo em substituigio dos Drs. Pedro Velbo do
Reg Mello e Joo Baptista Correia de Oliveira
que ficam exonerados o primeiro a pedido e o
segundo por ter sido nomeado juiz de direito do
mesmo municipio.Fizeram se as necesarias
"communicaces.
Officios :
Ao inspector do Thesouro do Estado.U ac-
cordo com a vossa iaformacao contida em officio
de 21 do corrente, a. oi autorlsamos a mandar-
des pagar ao teneote quartel mestre da guarda
local ilanoel Gaetano Vieira da Paz aconta junta
na importancia de 67/880 proveniente do forne-
cimento de 20i apitos distribuidos as pragas da
mesma guarda.
Ao mesmo.Informai, com urgencia sobre
o assumpto de que trata o telegramma junto do
vice governador do Estado do Para acerca de
impostos interestaduaes.
Ao provedor da Santa Casa.A junta gover
nativa do Estado declara vos que mediante as
coadicjOes constantes do termo acnexo por copia
ao V3880 offi-io n- 731 de 22 do corrente, ficaap-
8rovado o contracto celebrado com o Revd. Jos
arlos Marinbo para exercer as funccOe* de ca-
pello do hospital dos Lazaros.
Ao regedor do Gymnasio Pernambucano.-
A junta governativa do Estado devolvido o re-
querimento annexo ao vosso officio de 20 do cor-
rente mes, aatartaa os a mandardes admtir
nesee e3tabelecimento no cara "ter de alumno
interno grataito, o menor Osear Pereira de S
qur.nrlo bouvf r vaga.
Ao io'peotor de y^ieneom a copii in-
clusa do ofli'Mo de 23 do errrente mez do inspe-
ctor de saude do porto respondemos no qus nos
direiste a 18 pedindo inlormages sobre as con-
digO:s do Lazareto do Pina e sobre o mlico en
carregalo deste estabelecimento.
Ao inspector da Saude do Portoinformai
com urgencia em qumm importara as despezas
provaveis a fazer-si com o servico do Lazareto
do Pina, am de solioitar-se do ministerio'com
plente a abertura do necessario crdito.
Ao vlgariode Bom Jardim,A junta gover
nativa do Estado recommeoda vos a fiel obser-
vancia da ordem constante do officio que vos toi
dirigido a 29 de Outubro do anno passado, no
sentido de ser entregue a Intendencia o cemite
rio dessa cida-e.
A commisso fiscal da Companbia de B >m
beirosA junta governat.va do Estado vos re-
mette o offic.o que Ibe dirigi o commandanteda
Coupauhiade Bombeiros, acompanhaodo urna
qupixa da praca n. 26 dada contra o '.enente cod-
juvante da mesma companbia documentos refe.
rentes afim de que providenciis ou prt pjnhais
o que for conveniente.
Portaras:
Informe a InUndencia Municipal o Recite
se eff-ctuou a arrematajao dos talbos do Merca-
do de S. Jos e no caso affirmativo, se em condi
jOes vanlajosas.
Remettemos a Intendencia Municipal de
Olinda, conforme solicita em oflicio de 29 Je Ou
mbro ultimo, a ioformago em orignal, prestada
em 22 do correte pelo director geral de obras
publicas, acerca da propriedade Joo Grande,
,-ua no municipio do Cabo.
A junta governativa do Estado recommeoda
a Intendencia Municipal de Gamelleira que infor
me sobre o assumpto da inclusa representacao,
que ser devolvida ao reverendo Antonio Gra
ciano de Araujo Guarita.
Respondemos o offi-io de 4 do corrente mez
da I-itendencia Municipal de Bom-Jardim deca
rando Ibe que coetici em vigor o acto de 29 de
Outubro do anoo passado, pelo qoal passou i
adminisiracio da mesma intendencia o cemiterio
o'essa ciade, visto achar Be o mencionado acto
de accorddeom a lei.
EXPEDIENTE DO DR SECRETARIO
Officio?:
Ao Dr. questor policial.De ordem da jun-
ta governativa do Estado transmitto-vos as se
guadas vas dos ttulos, das autoridades pociaes
nomeadas para Carapatos, de accordo com a pro
posia feita no vosso officio de 4 do corrente, sob
q. 12, afim de que, depois de convenientemente
preparados, os remettaes ao delegado do termo
de Caruar. conforme solicitou em telegramma
de 23 do mesmo mez.
Ao inspector do Thesouro do Estado.A
jun a governativa do Estado manda declarar-vos
que ao requerimento de Lucas Frei-e Mariz Ma-
racajs, sobre o qoal versa a vossa informacao n.
52 de 19 do crtente, laogou n'esta data o se-
guiote despacbo :Indeferdo a vista do dispos
to no n. 1 art. 11 da Coastitaigao Federal, e da
clau?ula 3" ocoatracto celebrado com o peticio-
uario.
Aos Srs. Manoel de S Carneiro Epami-
non Jas de Azevedo Souza e Antonio de Souza
Lto. De ordem da junta governativa do Estado
communico-vis, que a 7 do corrente mez, fostee
exonerados dos cargos de membros da lotenden
cia Munxipai de Correles.
Aos Srs. agentes do Llojd Brazileiro.A
junta governativa do Estado Sea inteirada pelo
vosso officio, de baver ebegado bontem s 11 ho-
ras da manb dos portos do sul o vaper Espi-
rito Santo que seguir bf je as 6 da tarde para
os do corte.Communicoo-se directora do
commercio.
A' Companbia Pernambucana de navegaco
costeira por vapor.A junta governativa do Es
lado lica in'eirada pelo vosso officio de 23 do
corrente, da sabida do vapor Jacubype para os
port03 de Tamandar e Rio Formoso, hoje as 5
boras da tarde.
Ao commandante da Companhia de Bom-
beirosDe ordem da junta governativa do Es
tado deciarc-vos que seguado o accordo feito en-
tre o governa e a companbia de trilbos urbanos
do Reufc a Caxang, nao se obrigou ella conce-
der passagens Companbia de Bcmbeiros.
Portarlas:
O Sr. gerente da Compaahia Pernambucana
mande dar passagem de pra at o Cearft na 2'
viagem do corrente mez a Beluario da Silva, por
cunta das gratuitas a que o governo tem direito,
observado o disposto na clausula 23 do decreto
n. 10208 de 16 de Marco de 1889.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. F.anciaco, d psssagem de 2*
ciasse, por conta do Estado, da eetacao de Cinco
Poatas a de Uia, conforme requisita o D.-. ques
tor policial em cffl :\o o. 152 de boje datado, a
orna pr.cn que veio de Palmares conduzedo um
preso.
O S-. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco ci passagem de vinda
e volta. por conta do Estado, em car-o de 2a das
se, da esteco de Una a de Cinco Ponas, ccBfor-
me requisita o Dr. questor policial em officio n.
148 de hoje datado, a duas pravas e de vinda e-
mer.ie a um preso que ellas conduzem para esta
capital.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco, d passagens por con
ta do Estado, em carro de 2* classe, da estagao
de Cinco Pootas a de Gamelleira s pragas da
guarda local do municipio do mesmo nome, Jos
dos Passos Baptista e Francisco RoJrigue3 da Sil-
va, que vieram a esta capital coeduziodo um de-
sertor da referida guarda.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco, d passagem, por con-
ta do Estado, em carro de 2* classe, da estago
de Cinco Puntas a de Una, praca da guarda lo-
cal do municipio de Salgueiro de nome Fran
cisco Herminio dos Santo3.
Mutatis mutandis Je Palmares a Garanbuos.
pefiei gratoitament Informe o inspector do
Tbesouro do Es'.ado.
DESPACHOS DO DA 3 DB MABC.
DE 1892
Al-.xindre Hynolito Vercoza, requerendo o
emprego de guar-Ja da Casa de Detenco.11
forme o D:. questor policial.
Antonio Vicente Ferreira Chaves, pedinds para
contractar lote de ierra*.Informe o delega !o
da Inspectora G2r.1l de Trras e Colooisagao.
Francisco GueTes de Mesquifa, sentenciado,
pe liado perdi do resto da pena que Ibe falta
cumprir.Iaforme o Dr juiz de direito do 2o
dislricto criminal 40 Recife.
Tenente Guilberme Duque Bezerra, requeren-
do o lugar de commissario da guarda local de
TjquaretiDga.Informe o delegado de polica de
Taquaretinga.
Bacharel Joo Capistrano de Souza Ribeiro,
promotor publicn de Buique, pedindo tres mezes
de 1c?tjc3.Sioo, com ordenado.
Joo Goncalves Torres e outros, pedindo para
lavrar o centrado para assenlamento 4e urna
linba de carris de ferro no municipio de Ofinda
Informe a Repartico de Obras Publicas.
Jos Antonio de Siqueira, procurador doDr.
Segismundo Antonio G.ncaltes, req ierenJo a
eliminaco d'um apparelbo da Companbia Re:i
fe Dr<.yaage no predio n. 47, ra 15 de o
vembro.Informe o eageneiro fiscal de Com
panbia.
Joo Francisco de L>mos, sentenciado, pedin-
do urna certido.Informe o Dr. juiz de direito
do municipio de Jaboato.
Leopoldina Feliciana do Nas:imento, profes
sora publica do Porto da M.deira, pedindotrans
ferencia de sua cadeira para o povoado de Bebe-
nbe.Cumpra o disposto no 3 do art 185 do
doRegolamento do 18 de Janeiro de 1888
Manoel Jco de Siqueira, sentenciado, recla-
mando contra urna iojustica que soffre. lafor
me o Dr. procurador geral do Estado.
Bacba'el Sebastio Ildefonso do Reg Barros,
juiz do direito de l'uique, requerendo tres mezes
de licenca para tratar de sua saude.Informe o
inspector do Tbesouro, teado em virta 03 docu-
mentos juntos.
O.mesmo, pedindo que se encaminbe a pe-
co'que dirige ao Ministro da Justica.Encami-
abe-se, devendo o peticionario pagar o porte na
Repartico dos Corre'03.
Vicente Ferreira de Lima, sentenciado, pedin
do para gozar das regalas do art. 50 do covo
Cdigo Penal Informe o Dr. questor policial.
4
Adolpbo Jos de Araujo, porteiro da Escola
Normal, pedinJo juslilicaco das faltas.Infor-
mo o ioepector do Tbesouro no Estado.
Antonio Flix Peliz Pereira, nomeado collec-
tor das rendas do Estado np municipio de Pal-
mares, pedindo para prestar nanea provisoria,
at que rossa fazel-o definitivamente.Informe
0 inspector do Tbesouro do Estado.
Companbia Pernambucana, pedindo pagamen-
to da conta n. 2.610 na importancia de 72000
de passagens concedidas por conta do Estado
Informe o inspector do Thesouro do listado.
A mesma, pedindo pagamento da quantia de
40500. -Informe o inspector do Thesouro do
Estado.
Fielden Brothers, pedindo pagamento da
quantia de 21:299/300 do gaz coasumido na l
iuuiicci-'o publica duiaate o mez de Fevereiro.
Informe o inspector do Tbesouro do Estado.
Guesio Libanio de Albuqoerque Monteiro,
pedindo para ser nomeado profeseor publico.
1 forme o inspector geral da Instru :c^o publ
ca-
Ionocencio Antunes de Farias Torres, pedin-
do entrega de um titulo,S:m, mediante reci-
bo.
Isabel Cl-.-mentina da Silva Macbado, pedindo
para ser n:meada professora publica.Informe
o Sr. insiecior geral da instrucco publica.
Jos NLacio da Silva e Tranquilino dos San
tos Castello Branco, pedindo pagamento do que
se julfea com direilo-Informe c inspector ao
Thesouro do Estado.
Jos Grego'io do AlmeiJa, pedindo passagens
at o Para para e sua raulher.O governo
deetado cao dispe de passagens gratuitas oes
vaporea do Lloyd Brazileiro.
Joo Rodrigues de Moura, con trac t ante do lar-
necimento dejforragem e medicamentos com-
panbia de cava laris, pedindo pagamento da
quantia.de 3174150. Deferido, com ofli.no des-
la data ao inspector do Thesouro do Estado.
Mara Isabel dos Santos, pedindo dispensa da
coatribuico de que trata a parte 2* do artigo
13 do regulameoto da Colonia Isabel.Iaforme
o direclor da Colnnia Santa IsaSel
Rosa de Lima Fonseca, pedindo para retirar
um rilbo da Colonia Santa IsabelInforme o S:.
director Ja Colonia Isatel.
Sieretaria do Estado de Pernambuco,
em 5 de Marjo de 1892.
O porteiro,
Htmrterio M. da Silva.
Dia 3
Qaaaroaa Hamos Fernandes de Carva-
lho Como requar.
Dia 4
Birtholomaa Qemimina do Anchita e
SilvaComo requer.
Marianna America Rodrigues Vianna
Justifico.
DIARIO DE PERHAMBDCO
Retrospecto poltico do anno
dese
m
POLTICA PABTICLAB
REPBLICA ARGENTINA
(ContinuaQao)
O vulco comecava a despedir lavas e era ine-
vitavel urna commcco geral.
A esse movimento iascrreccional seguio se ou-
tro em Catamarca.
Na madrugada de 23 de Junho os revoluci-
nanos em neme da Unio Cvica apoderaram se
do quartel do corpo policial e de palacio do go
verno, cujas guardas offereceram f.-aquissima re
sistencia, sendo em segotda deposto o governa-
dor civil e estabelecida urna Junta revoluciona-
ria.
O governado-, porm, tendo ee oceultado na
cidade. telegrapbou ao Presidente da Repblica
solicitando a sua intervengo nos tempos da lei
constitucional.
Para agir legalmente n'essa emergencia diffi-
cil e cnea de iadeciravc-is consequencias, o Po-
der Executivo soliciten do Congresso a adopeo
de urna le dando-lbe faculdade para realisar a
intervenco pedida.
Aps caloroso debate foi approvada a lei im-
petrada.
Em vista d'isso, de posse de tal faculdade, o
governo nomeou um eanissario que seguio im-
mediatamea'.e para Catamarca afim de snbmet
ter 03 revolu:ionaaios e reintregar rs autorida-
des constituidas, em cumprimento da Consti-
tuicSo.
O inventor, como Cejar, foi, vioe venceo. Tjdo
voltou aos scus eixos, e os conspiradores, pre
3cs por algom tempo, foram restituidos ao gozo
da mais completa berJade.
Mas o germen fra laucado em terreno, frtil,
e a co rente impetuosa e avolumada segua o sen
curso.
do dia 2
Em additamento aos despr.chos
de Margo
Companbia Ferro Carril de Pernambuco, pe-
dindo para organisar libretos numerados de 10
bilbetes de 100 ris cada um, afim de facilitar
os trocos no3 carros, urna vez que nao Ihe foi
concedida a permisso para emittlr bilbetes de
passagemInforme o inspector do Tbesouro do
Estado.
Gaodlno Ernesto de Medeiros, propietario do
sobrado o. 12 na ra do Livramento e o. 13 na
do Fo.o, pedindo a snpresso do apparelbo da
casa 0. 13 na referida raIaforme o iaspector
do Theseuro do Estado.
Isabel Valeriana de Arroda Lustosa pedindo
a admlsso de 2 filos na colonia Santa Isaoe'
Informe o director da colonia Santa Isabel.
Joo Cavalcante de Araujo, pedindo o lote de
trras n. 7 na coloaia Baro de LucenaApre-
sente-se o peticioaaro ao delegado da inspec-
tora geral das trras e colooisagao para ser at-
tendido na distrioaigao de outro lote de trras
se para isso coocorrerem na pesso do pelicio
nario os requesitos necessarios.
Manoel Clemeotino Correia de Mello, contrac
tante da illuminacao da cidade de Jaboato, pe-
dindo para julgar se sem effeito a clausula es-
Qaestura policial
SecgSo 2." N. 54 Secretaria da
Questura Policial do Estado de Pernam-
buco, 5 de Margo de 1892.
Cidad2os. Participo vos que foram re-
colbidos hoDtem Casa de DetencSo os se-
guidles individuos :
A'minhaordem HerculaaolMendes de Olivei-
ra, Virginio Mendes de Oliveira e Jovino Pache-
co da SUva, os dous primeiros vindos de Nasa
reth como sentenciadoos e o ultimo remettido
pelo delegado de Nazaretb, como criminoso de
mor te na comarca da Escada.
A' ordem do Dr. delegado do 2o districto da
capital, Jos Guilberme de Sant'Anna, por em
brlagez e disturbios.
A' ordem do subdelegado da freguezia do Re-
cife, Leodegario Clemente de Barros, como va-
gabundo e desordeiro.
A' ordem do subdelegado da freguezia de
Santo Antonio, Ananias da Cosa, como gatuno ;
Antonio Ferreira, como vagabundo; Henrique
da Silva Ferreira, Vicente Ferreira da Penha,
Luiz Coelbo Galdino e Mara Isabel dos Praze-
res, por embriaguez.
A' ordem do subdelegado do districto de Pe
res, Augusto Rodrigues de Freitas, como desor-
deiro.
A' ordem do mbdelegado do distric'o da
Graga, Rotilio Correia da Silva, por embriaguez
e disturbios.
Em data de 3 Jo corrente o tenente Fran-
cisco Ignacio de Lemos Cabral assumio o exer
cicio do cargo de subdelegado do 2* districto do
municipio de Pao d'Albo-
A' Junta Governativa do Gatado de Per-
nambuco.
O questor, Joaquin Tavaret de Mello
Barretto.
Inspectora, geral da Inatrncrao Pu
bllra do Estado de Pernanbmro
despachos do da 3 de hab^o
de 1892
Mara da CooceicSo CarvalhoJustifico
de accordo com o dispoato no artigo 158
uiuuu yara juagar ce dcuj iuciiii a uuouia co- ------- -----1--------
tipulada em sea contracto, cooceleodo lam-'do reglamento em vigor.
Emqcanto o governo cuidava de pacificar a
provincia de Cata-Larca subleva se em Santiago
del Estero um pique/e de forcasprovinciaes.
Estas obedececdo a um plano geral depuie-
ram e prenderam as autoridades locaes.
Em face das ameaecs qo. os sublevados faziam,
para evitar grandes males, o govercader leve de
apiesenlar a sua renuncia e a legislatura, coacta
acceiteu a.
Fora essa a cnJico imposta para poderem
ser postos em liberdade o Governador, o Vice,
os seadores e deputados presos.
O convenio sem clausula resolutoria foi levado
a effeito, e o Vice governador assumio o poder.
O Presidente da Repblica mandn chamar o
Gavernador martyr e o Vice-governador em ex-
ercicio, ra-a averiguar a verJade.
O Governador declarou nao ter garantas para
tomar qualquer resolugo ; o Vice-governador
dase que tnba assumido o poder para evitar
scena3 lamentaveis, e pedio o auxilio do P/tsi
dente para mnter a ordem na cidade.
O Presideate mandn 50 nomen-', com effeito,
e a presenca destes bastou para que se mudasse
a face poltica da situaco e se desfizesse o tra-
balbo da Penelope dos poderes provinciaes.
Eses dous incidentes se:v ram de tbema
calorosas discussOes na Cmara dos Deputados.
N'esse prelio parlamentar se distingulram par-
ticularmente es juaristas. ealoando elegas ao
rgimen decabido.
Um orador dizia que sopravam por toda a Re-
publica ventos de anarebia, pois cao se passava
urna semana, sem occomr um cenfli:to, um mo-
tilo, um asedico, que pareca que j ,no exis.
tiam os vinculos de unio e que z predomina-
vem sctimentos refractarios ordem e paz.
Os comit$, da Unio Cvica (parte [histrica)
e do partido nacional continuavam porm, a tra-
baibar na concluso do accordo eleitoral pro
posto.
As duas commisses celebraram com effeito
um convenio ad referen lom, segundo o qual
a convenci do partido nacional proclamara a
candidatura do general Mitre, para presidenta
da Repblica, como urna solugo nacional, que
salvasse os principios commun3 a todo3 os par-
tidos; e a candidatura do D\ Uribur para vi
ce presidente da Repblica. A Uaio Cvica,
que j tinba o mesmo candidato presidencial,
proclamara a candidatura do Dr. Uribur para
vice presidente.
Este convenio seria submettido ajiprovago
dos tcomits respectivos simultneamente, e-
approvado pelo comit do partido nacional, o
da UnISo Cvica se pronunciara a respeito. Ap-
provado pelos dous comits, a convenci do
partido nacional faria a prociamaco solemne
dos dous candidatos.
Levado esse convenio ao conbecimento dos
respectivos comits, o do partido nacional deu
Ibe a sua app rovtcSo, nao succedendo, porm
o mesmo com o antigo ;omi. da Unio Civi
s, em cujo seio j se bavla produtido a scisao
que se vinha revelando.
Quando o comit da Unio Cvica se reuni
para lomar em coneideraco aquelle convenio,
observou-se que f se acbavam presentes os op
posicionistas do accordo poltico, exceptundo-
se um ou outro membro que se quiz conservar
em neutralidade ou em eepectativa, entre uns e
outros.
Se8sa8sro resolveu-s approvar a conducta
observada pela commisiao civica, sem se pro-
nunciar sobre o accordo e submettenJo-o con-
venjo eleitiral do Rosario que se reunira a 25
^e Julho em Buenos-Ayres
Emquanto se adop'ava essa resolugn no :o-
mli da Uniao, reuniam-3e em ;outro local os
membros que se tinham segregado daquelle cor-
po, com o proposito de levar a cabo o accordo
patritico, cuja 'rroula eleitoral havlam celebra-
do ad referendum as commissOes especiaes da
Unio e do partido nacional. Ne;sa reunio se
resolva proceder a reorganisaco da Unio, inte-
grando se o comit nacional |sob as bases dos
partidarios do accordo; approvar o convenio ce-
lebrado pelas commissOes e convocar a conven-
eSo nacional do Rosario para 14 de Jalao.
O presidente da convenco eleitoral do Rosario,
Dr. To-rent, reivindicou para si o direito de fa-
zer essa convocaco, de cenformidade cem o que
fra cstabelecido as prlmeiras sessOes daquel-
f cerpa poltico, toda a vez que fosse necessa
rio tomar conbecimento da renuncia de qual-
quer dos candidatos proclamados e designar o
cidado que o devesse sub3tituir. Era e3te o
caso. O Dr. Irigoyen, candidato da Unio vi
ce presidencia da Repblica, acabava de de-
volver definitivamente a prociamaco do seu
nome, declarando qoe nao podia nem devia ser
obstculo para as olucoes patriticas, que de
va desejar com animo tranquillo.
A sua renuncia devia, pois, ser submettida
convenci Por esse motivo, o Dr. Torrent re-
gOlveu convocar os convencionalistas para urna
assembia que se devia celebrar em Buenos Ay
res a 20 de Julbo. O comit do accordo, que
o Dr. Bonifacio L-.stra presidia, acatou essa re
s-lujao ; nao assim o comit radieal, presid
do pelo Dr. Alem.
O comit da Uaio "Civica, sustentculo do ac-
cordo dos partidos polticos, dirigi, entretanto,
a seus correligionarios e ao povo um mauifesto
para explicar a atlitude que baviam assumido os
seus membros e o fundamento das resolucGss
qoe se julgavam chamados a adoptar. De,iois
de descrever a sitoaco difficil e complicada que
ieria diaate de si a Uoio Civica quando se diri-
ga Iota com sua bandeira desfraldada, depois
de demonstrar que a eleico se degenerara em
verdadeira satalb e terminara talvez por um de
sastre, fax surgir a frmula felfa do accordo,
que ninguem havia previsto em meio da con-
tenda preparada ; a frmula que supprimia a
luta sem sacrificar nenbum principio ; a formo
la que responda aspiracaj unnime do paiz e
que consagrava no fundo e na forma substancial
o voto da convenci do Rosario.
O partido que a Unio tinba sua frente como
urna barreira insuperavel, para chegar pacifica-
mente s urnas, accrescentava, longe de arrojar
aellas a sua espada de combate, levantou a
"anJeira de paz e veio declarar que acceltava
como patritica, como propria, e como nica
possivel, a mesiaa candidatura presidencial pro-
clamada pela convengo da Unio Civica do Ro
sario I
O manifest da Unio Civica Nacional assigna
lava as causas da sciso que re tinba manifesta-
do ao partido. N) se'o deste se baviam consti-
tuido grupos com bandeira opposta, duas forcas
contrarias e antagnicas. Cb gado o momento
decisivo de definir posico. estes grupos de
viam separar-se ; o partido que recoebece como
chefe o general Mitre para seguir as correntes
do accordo prlitico; o partido qoe o Dr. Alem
dirige para procurar em seu3 prcp-03 elemen
tos un:a nova formula e urna candidatura pro-
pria.
Esse partido que tomou a denomioago de
Unio Civica Radical pobli:ou egualmen'e o seu
manifest, no qual se tracava urna resenba dos
acontecimentos que deram origem organisa-
C5o da Unio e se aecusivam de tendencias pes-
soaes o general Mitre e seus amigos e de have
rem estes rompido os compromissos contrabidos
no principio das negociaces com o partido con
trario. Rejeitava-se ao memo tempo o accordo
como um desdouro e como ineficaz, efli mande
se que elle importada apenas na prolon^aco do
rgimen quo desde o principio a Unio Civica se
propuzera combater e derrocar.
No da 12 de Jnlho a mocidade das escolas
superiores celebrou em Buenos-Ayres urna gran
de manifestacio em honra do general Mitre, e
?ella expoz este, de novo, a theoria 'o ac-
cordo.
E' conveniente advertir que a sciso da Uoio
Ciaica deu margem a que se separassem dos
seus centros directores algumas das suas perso-
nalidades mais importantes.
Urna deilas. o Dr. Aristobolo del Valle, levou
mais longe essa separagio. Eleito senador pela
capital, em nome da Dallo Civica, quando esta
se manlinba unida e sob urna s dire:gio, jul
gou-sc mpralmente obrigado a renunciar tam
bem esse elevado cargo ao modificar-se tambem
a sitoacio de seu partido. Essa renuncia que
represen lava urna somma de exagerados escru
pulos foi logo aceita, perdendo o S?nado no D.-.
Aristobolo del Valle urna das suas melbores il-
lustraces e um orador sempre preparado para
elucidar as altas questes polticas e econmicas
que agitavam a repblica platina.
INTERIOR
SUL DO BJUZIL
Pelo paquete fraccez Congo, recebemos as
seguintes noticias :
Estado de Minas fceraea
0 Jornal do Commercio do Rio, publicou o
segu nte telegramma:
Ouro-Preto, 24 de Fevereiro.
A pacificaco da Vicosa foi conseguida pela
turca do Estado commandada pelo lente Apo-
lonio peto presidente da Cmara Faria Res,
acompanhado pelo batalbao de populares.
Consegoio-se a victoria antes da ebegada dos
emissarios civis.
Esto desarmados os populares, e reempossa-
das as autoridades nos seus cargos; todo o mu-
nicipio est reduzida vida normal.
O Estado de Minas continua em plena paz
Estado do Blo Grande do Snl
Dalas at 19 do corrente.
O Sr. tenente Chach Pereira, commandante da
guarda civica, publicou no Jornal, da capital,
o seguate officio, em que exp&e ao governador
do Estado as oceurrencias de 4 do corrente e a
atlitude qoe,diante deltasmanteveaquella torga.
Qu.rie! do commando da guarda civica em
Porto-Alegre, 11 de Feereiro de 1892.
Ao ilustre cidado general governador polti-
co do Estado. A 4 do corrente, fui avisado
correr como certo que, na tarde desse dia seria
deposto a cidado general governador do Esta-
do, para cojo non os populares intensos ao go-
verno, conta vana com os batalhoes da guaro:-
gao, com alguns outros de fra e anda mais,
com parte da forga sob o meu commando.
ImmediaUmenie urdou-i iicassem de promp-
tido no qcartel cfficlaes e pragas e qae fosse
r-colhida a cavalbada afim de fazer montar um
dos esquadrjs.
A's 3 1/2 hora i da tarde mais ou menos, fui
solicitado pelo telepbone, por um amigo meo,
de alta patente do exercito, exhortando-me a
evitar derramamento de sangue, declaraudo-me
na mesma occasio que minha vida corra peri
go
Comprebendendo immediatameute que os
boatos accentuados que (.orriam desde pela ma-
t h e que o aviso que me fra feito. iam ser
traduzidos em fados, respond Ibe:Que, cum-
priria o meu dever qualquer que fosse a sorte.
Incontinenti mandei formar a forga e distri
buir cartuxame embalado-
Emquanto ieto se fazia ex:edi um official ao
commando da Escola M.litar, atim de saber se
esta eslava disposta a operar de occordo com-
migo no sentido de manter as autoridades e as
leis.
Receb.ndo resposta favoravel .para all mar-
ebei eom a forga composta de 150 infantes, um
esquadro de cavallaria de 40 pracas, 70 cival-
los e 14.000 cartuxos.
No qaartel anda ficaram de promptido dous
olliciaes e 70 pracas
Precedidas as formalidades militares acampei
no interior do edificio.
All encontrei o cidado Dr. chefe de polica
de qoem recebi terminantes orden; no sentido
de assegurar a ordem publica e sustentar as au-
toridades constituidas.
L-go depois de ancitecer ebegara a Escola
n ticia de qoe qua'ro cidaJios tinbam sido ar-
bitrariamente presos pelo commando do 13 ba
talbo ao passarem pelo respectivo quartel e re-
colbios a est'ebar.a.
No oa seguate um desses cidados violenta-
dos declarou na dita Escola que nao foram fu-
zilados, por ordem do coronel ThamazF!ore3 de-
vido intervenco do tenente Valdez e de ou-
tros officiaes.
A' vista de to graves su cees os o commando
Ja Escola Militar, por urna commisso coaapo3ta
de tres offinaes solicitou respeitosamente a pre
senc do Exm. Sr. geoeral cjmmandante do
districto no edificio da mesma Escola*
Dignando se S. Ex:, comparecer, prometteu
ao commando da mesma. ao Dr. chefe de poli-
ca e aos demais cfciaes presentes, que envida-
ra esforgos afim de que os batab3i se mant-
vessem neutros emquanto a polica cumprisse
com o seu datar.
Retirou-seS. Exc.
Qual, porm, nao foi a minha sorpreza e a dos
cama radas que tinbam acabado de ouvir S-
Exc, quando soubeoios que, meia duzla de
metros do quartelgeneral um grupo de sedicio
sos impunemente violaram a casa onde funecio-
na a repartigo das '.erras publicas I
Alm desta grave oceurrencia que nao encon-
trou o menor obstculo da parte do aliudido
Seaeral, outro facto de notavel gravidade, veri-
cava se : o teaente Julio Arcbimedes Bacellar,
albo e ajudante de ordens do dito general, acam-
aaobado do tenente Joaquim Telles Ferreira offi-
ciol licenciado da guarda civica, esquecido de
todos os deve-es de honra e patriotismo : foram
pessoalmente aluciar o sob-official Loiz Alvaro
Xavier, que cem 9 pragas fazia a guarda de pa-
la : j. atiru de que fizesse a entrega deste aos
sediciosos que, em grupos por all -e acbavam
aguardando opportunidade para provocar mo-
nas.
hepellidos>com denodo e honra pelo sub-offi-
cial, retiraram se e nao mais voltaram, sem du-
vida que relbados pela tremenda ligio que rece
be-tm de um modesto subalterno.
D.sle ento dissiparam se completamente as
aossas duvidas em face da gravidade dos acon-
tec aento?.
ImmeJiatamentefiz sabir dous piquetes de
lancero da guarda civicn um dos quaes, infe-
lizmente, por poucos minutos deixou de con-
correr para a defeza do telegrapbo na occasio
em que este fra asfaltado.
Outros piquetes succederam se aos dous pri-
meiros para mantera ordem em toda sua pleni-
tuiie.
Caso, parm, esta fora fosse atacada por ele-
mentos de ordem superior, retirar se bia Es
cola.
V rificada esta previso, na madrugada do dia
seguate ; as forcas combinadas com a Escola,
que subiam a mais de mil bo nens das tres ar-
mas, tomariam resolutamente a offensiva contra
os elementos armados que fossem apresentados
pelos sediciosos, e neste sentido foram tomadas
todas as providencias durante a noite.
Felizmente, os sediciosos ou porque Ibes fal
tassem os elementos com os quaes contavam, ou
porque, em sua maioria, devido a sua desfavo-
ravel condigo social, s podiam faxer arruaca^
protegidos pelas fevas, nem voltaram ao tele
grapho, nem attentaram coatra as patruibas que
se recoiheram sem covldade.
D ssoberto e fracassado em seu inicio o cri-
minoso plano, restabeleceu see a jusga publi
ca, no da segeiote, pela manb, entrn em ac-
Co pelas pesquisas judiciaes contra os inicalo-
tes do crine de sedicio.
Nemeei tambem urna commisso de officiaes
para procederem nesta euarda rigoroso inqueri-
to, qo? nos ser remettido, afim de verificar se
tieila ba alguem implicado nesses acontecimen-
tos, bem como sobre vio e e tantas bombas ex-
plosivas encontradas as proximidades deste
quartel.
Te ribo assim expendido com a mxima leal-
dade tudo qaaoto occorreu com a forga sob meu
commando, pediodo-vos licenga para retiral-a
para o respectivo qoartel.
Saude e frsternidade.
| Antonio Carlos Chach Pereira, major commaa-

v-
.
~
I


i
MUTILADO


-_ :------ .,. ^ .
*" *.----
^ ----.. ,


Diario de Pernarabuco Domingo 6 de Margo de 1892
lom-Ttmra

danle Conforme.Miftel
te secretarlo interino.
Do Diario do Rio Grande exiiasima
tes noticias de PaaavAlegte:
Foram chamados pobcia, Pra deaor, odsr.
Joo Maia, noticatela Clemente Jos Pinta* Gutello B.-aooo, atbatela
to do juiz seccioaal.
Foi preso e recoiio a >escoU. militar o
desembargado: Saiastiaao Ortaado de Araajo
Costa.
. Consta ter sido expedida ordwo de prise
contra os Brs. Castello Branco e Carlos Tom-
pson Flcres.
A Federacao diz da priso do desembargador
Orlando o eeguinte:
Foi bontem, tarde, ,-ecolbklo escola mili
lar o nosso illuslre amigo conaeiheiro Salustiooo
Orlando.
Pelas 5 horas apreteateu-se era sua casa om
official de polica, acompaahado por ora clliJal
de justija. E j se retiravam, visto se terem in
Jormaio de criado* da casa qne nella nao se
achava S. Ex\, quando, appareceoio pessoa da
familia, que naquelle momento chegra, inter-
rogou-os sobre o que queriam. Sendo-tha res
pondido que desejavam fallar cora o nosso ami
o peesoalmente, les foi communicado que
quella hora mesmo podiam encontral o, bum
como espontneamente Ibes foi d&Urado o lugar
em que sa aobatra S. Exc.
Em seguida, os referidos senbore3 dirigiram-
. ama chcara onde passava o dia o cooe-
iheiro Orlando em companhia de alguna amigos,
ende lnefoi-a presentado o mandado de priso a
que S. Exc. cedeu immediatamenie.
At escola, acompaobaram a S. Exc. vanos
amigos que comsigo se acbavam na dita occa-
siao.
E-te o facto, que nem precisa de commen
taos. O publico que aprecie a violencia sea
aome que acaba de eunodoar anda mais a toga
lies acuiaes magistrados ta lei.
Em um domingo, como se a paz publica cor-
rease perigo ci m urna demora qualquer, espe-
ctaculos-amenre, procura se um amigo servidor
da ju3iie> para vioUnta! o em sua liberdade 1
Aordem de priso illegal, porque trata so
de um membro do Tribunal da RelacSo. N5o
poda er preso, a oto ser em llagraile delicto
ou ento por orrtem do Tribunal Superior. Isso
nio pode desconhecel o o chele de polica, por
sais ignorante que seja.
A ordem de priso anda absurda, porque
Iraz a nota de preventiva, por supeo.to indicia
meato em crime de tentativa de morte I Ora
quem temar ao serlo o ardil da autoridade ?
Tentativa de morteonde as provas ? Crimino-
soquem o acensa?
Oque todo o mundo \, que alm do gran-
de odio votado ao distiocto ciaado, a arbitra-
riedade que acaba de soff.er tem por alvo pri
aordidl afastal-o da conferencia do Tribunal da
llelacao de amaoba, onde a sua opiaiao petara
ialobitavelmente e onde vai ser decidida a ques
:o do kabeas-corpus pedido por dous compa-
atieiros nossos. Dentis, por este meio se pro
cara exercer ama especie de preaso sobre o di-
gno Tribunal.
No dia t6 effecioou-ae urna conferencia do
tribunal da Relacionara ser decidida a peticau
de habtat-crpus presentada pelo deaembarga-
der Orlando de Aranjo Costa.
Os membros o Tribunal Ors. Bernardo Das
de Castro, deaemfcargador Martios Coala e r.
Vergne de Abreu opinaram pela coocesso, con-
lideraudo illegal a priso.
O Dr. Manoel Duarte Ferreira Ferro discordou,
en'.eodeudo qoeo ebefe de polica tinha compe
iencia para effectoar a priso do desembargador
Orlando.
Concedida a ordem, seria lavrado o accor-
ao-
Em virtude da coocesso de habeos Corpus,
U posto em liberdade o desembargador Or-
lando.
Dizem se que vo ser pos'.os em disponibi
lidade os desembargadores e que as causas te-
rao julgadas pera Rel?co do Desterro.
Foram publicados oe seguales telegram-
m:
D. Pedrito. 11, s 8 horas eUm-di noite.
As forcas-ardicioaas aqu reunidas as ponas
do Upamaraty, Upacary e Taquaremb foram ba
iidaa e disaelvidas.
Foram presos os seguintes chefes dos revelto-
ios: teneate-coFonel Joo Aatooio Mariins (Cus-
seca), capitao Sebastio Prest s, Joo Baro e
Antonio d'Avila.
Prlncipiou o inquerito.
Oa chefes governistas que commandaram as
torcas atecacles, foram os seguintes:
Waldemiro Rolim, lente-coronel Manoel
Frac cisco Machado e Pedro Machado Leal.
Federaes unidos e fortes susteotam governo.
Cangoss. 12, as 12 horas e 28 minutos-
Foram derrotados diverses grupos sediciosos
m Quevedos.
Foi aprisionado Gregorio Vieira, ebefe dos
conspiradores. >
Em S. Gabriel foram tambera batidos os aedi
ciosos.
Estado do Paran
No dia 25 perante a assembla constituin'e,
Drestaratn a proraeisa legal o goveroador Dr.
Xavier da Silva, i* vice goveroador Dr. Vicente
Machado, e 2- viae-governador Joaquim Moo-
teiro.
O goveroador assumio a administraco. Um
grande regocijo geral.
Ettado do Blo de Janeiro
Eectuou se no dia 25 a primea sesto prepa-
ratoria do congresso fluminense, cando eleitos
?ara a mesa provisoria os Srt. Tbomaz Porciuu-
eula, presidente ; Marcelino Coelho e Fonseca
Portella, secretarios.
Para a commisso eocarregada de dar parecer
jobre a validado dos diplomas, foram eleitoa os
Srs. Bento Carneiro, Geraldo Marlias c Menezes
Fres, e para dar o mesmo parecer a respeito
dos diplomas destes deputados os Srs. S Carva
lho, Osear Vrady e Maaricio Alvares.
Capital Federal
Datas at 28 de Fevereiro.
O Diario OfQcial publico j os seguinte*
documentos sobre o c3o Hermas Fjnseca :
Ijterroga'.orio fcito ao tenen:ecoronel do es
lado maior de artilharia llermes Rodrigues da
Fonseca sebre os (actos constantes das pecas do
p/esente processo, de cujas provas Ihe resulta
tulpabilidade.
Foihe perguntado pelo tcnente-coronel Pe-
dro Nuncs Baptisla Tamarindo, que exerce as
'neces de interrogante, seu aome, nataralida-
de, idade, estado e proflsso.
fiespondeu chamar-se llermes Rodrigues da
Fonseca, ser natural do Rio Grande do Sul, com
36 anaos de idade, casado, i-nenie coronel do
estado-maior de artilharia.
Foi-lhe perguntado o qua tinua a dizer acerca
dos factos coataute3 dos documentos juntjs,
que tado Ihs foi Hdo e do3 quaes llie resulla a
culpa de baver, no dia 19 de Fevereiro, Ipnblica-
do no Paiz e Gaze'-a de Noticias e assig
aado con o capito Clodoaldo da Foaseca um
nm artigo seb a epigraphe A' Naoaltamen-
te oSensivo disciplina militar, por importar
severa e publica censura aos cc'03 do ministro
da minnha, superior hlerarcliico do signatario
do artigo cima referido.
Responden que, quando foi imprensa appro-
rando procedimento dos cfciaes da armada e
o excrcito no Estado do Amazonas, foi conven
cido de que esse3 olii:iaes pugnaram pela Cona-
Utoicao da Repblica, conforme se deprthende
e te!egramma3 pelos ofrkides da armada di-
rigidos. Nao poda censurar urna o^dem do
do Sr. ministro da mariaba por n} conhecel-a
8 auo asjiai que, no eeu artigo, refere-se ao
consc-lo e nao a ordem.
FoMne fmalmenle, p^rganUdo so liaba que
apresentar per oscripto consideracoes em sua
defeza e tcstemunhas para corroboral-a3.
Respondeu que nao tinba defeza a apresentar.
E porque nada mais dissesse, nem lhe fos3e
perguntado, deo-se por Ando esle interrogato-
na,~que, sendo-lhe lido, ratificou-o por achal-o
conforme, c ass gnou com o tenc-nte coronel in-
terrogante. E eu, o tcnente-coronel Silvestre
Rodrigues da Silva Travas30s, o escrevi como
vogal mais moderno.Teneate-eoronel H.rmei
R. a Fonseca.Pedro Tamarindo, teaento coro
nel, interrogador geral.
iaterrogalorio feitc ao capito de estajo maior
ruinara, Clodoaldo da Fotseca, sobre os
actoB ccnslanlea daa pecas do presente proas-
to, de cojas provas lhe resulta culpabilidade.
Foilhe perguntado pelo tenente-coronel Pe-
dro Nuces Baptisla Tamaiiado, interrogante, seu
nome, caturalidade, idade, estado e prclisio.
Responden chamarse Clodoaldo da Fonsccj,
natural do Rto de Janeiro, com 31 annes de ida-
de, casado, capito do eslado mcior deartilnario.
FLparganudo o qoa tiaaa a duer acerca dos
ii __jtiMn -din -*---------'-- j...... qa
nuifol lidoe dostjaaes inereailia a caate
aveaaa dia 19 derftanrairo pablicalo no
O Paiz fiateia da Naba e aisignalo
com o leatectrj.i-I Ha-mea R:lri^u da
Foateca, asifaaaab aaigraate>A'-Ni^laal-
mainta ofeaswo d.saiatiaa miliUr, pot in
portar swora e {jablicsjaaasara uos actos do mi
ntetro dmarioaa, aupenor otwarcQico daeig-
atMrio do argoiaciaai rejrido.
Riiponlea que n&oiarrtorro maeria-diasipli
nar, ou qU3 nao commettea crira; algam, ap-
piauJinlo o procedimento de seus camaradaa
de armas nos Estados do Cear e Anazoaas. oa
publicado inserta no Paiz, Gazeta de Noti-
cias e folhas diarias da tarda, porquauto igno-
ravaque do 3r. m* ai tro da .mannba parlisse
ordem ou ordeas para a Hollina do Amazonas,
para cumprirem diaposicdos contrarias ao art.
14 da Constituida} ia lt:puali-:a, e que nj tea-
do conh?cim8nto deHas, parque nao foram pu
blicadas at a dala do sju artigo, nao commet
teu por uso censara publica ou par.icalar ao
superior hierarchico, e oe llnalmenta s6 existe
cnms quando ha iuteaco de pratical-o.
Foi-lhe tinalmtnte perguntado se tinha que
apresentar por escripto conalitiracOes em sua
dofeza e tesiamonhas para carroboral as.
R:spoudeo que nao.
E porque nada mais dissese, nem l'aa fjs3c
perguntado, deo-se por Hado esle interrogatorio,
que senlo-lue lido, ratidcou o, por achal o coa-
forme, e assignoa com o teuente coronel inter-
rogante. E eu, o tenente coronel Silvestre Ito-
Jrigues da Silva Travasso3, vogal mais moder-
no, o eterevi.Pedro Tamarindo, tenente-coro-
ne interrogante.Ciadoaldo da Fonseca, capito
do estado-maior do 2- de artilbaria.
Lemos oo Jornal do Coma.ro a? ae-
guintees noticias:
O Sr. general Francisco Antonio de Moura
apreseatou-se no dia 26 no palacio do goveroo
ao Sr. vice presidente da repblica com quena
conversan por algum lempo.
Entre mnitos ullinaes do exercilo que nesse
mesmo dia esiiveram com o Sr. vice presidente
da repblica, no amos os 8ra. general Francisco
Lina e Silva, coronis de infamara Joaa Mcie4
da Costa e Arthur Osear de Andrade Guimaret
e teoeoteoroael tambem de infanta a Toonaz
Thompson Flores.
Oavimo3 dizer que o Sr. Annibal Filco foi
convdalo pira urna impiriante commU-aa di-
plomtica nos Eliados-Cados da Amtrioa do
Norte.
Contaram-nos que o governo coap^rar para
a fesla ofllcial de ti de Abril em commemora
o oaariyr da liberdade Joaquim da Silva Vavier
Tiradeales.
Projecta-se alm de um grande coacerto a
que assistiro os Srs. presidente da repblica,
ministros, corpo diplomtico, etc., a formatura
de todas as forjas dj exercito, armada, guarda
nacional e polica.
t Sabemos que o governo vai a lii-rr a coa
venco iateroacional da Cruz Vermelha para a
proteccSo de feridos em t-mpo de guerra, sos
corros s victimas de epidemias, etc., dujeitaodo
depois esta delibera^o aa congresso para a de-
vida appra vacuo. _______________________
A Iracema receben omelhor orlimento
de gravatas.
miim tGOK-f N NCEIHDS
Hoedas de troco
No dizer do Jornal do Brazil:
O commercio, as industrias e os particulares
eslo reclamando do governo medid, s que fac
l:tera as p/quenas operares e pagamentos, que
eslo sendo embarecadoi pela escassez de moa-
das de trece.
Ha um clamor geral nesta cidade, o qoal se
estendeao interior e aos Estados.
Nao ha quem de3Couheca um certo desenvol-
vimento que tiveram as industrias em nosso
paiz, e para o pequeo commevcio, qee fornece
os gneros as classes operaras, para os indus-
triaes que tm de faz^r pagamento de ferias, a
moda mmda exerce orna alta fonego. Escs
seando ella, totas essas relaj 's se perturbam.
Nao censuramos o geverno por desidia.
Causas actam sobre a circulago do ntsso
numerario que tm produzido a escassez das
moedas de troco.
O thesouro nao pode emitlir moedas de prata,
anda que as possua na Casa da Moeda.
Pela excessiva baixado cambios essas nocedas.
Iojo que entiasgem em &yro, serianaexportadas
como mercadpria, e a cucn!ao (icaria imme-
diatamente desprovida.
Essa emisso sem favorecer o publico, preju-
dicaria o totouro, servindo apenas de objecto a
especulajes.
O governo nao [de, Jpois, laucar mo das
moedas de prata.
Pelo contracto de rngate do papel moeda
leodo o governo se pr.vaJo do direito de emiitir
notas, emissao que augmentara a massa do pa-
pel resgatavel e determinara urna infraccao
clusula contractual, acontece que a emisso de
notas de peqneno valor ( pdle ter lugar pelo
tronco oa substliuico de outras notas do gover-
no de maior valor.
Depreciado, porm, o papel bancario, o p-"-pel-
moeda do Estado quasi que desappareeeu dacir-
culago, e est guardado como ooro, de modo
qne nao alllua s estates liscaes alim de poder
realizar-se a substituito delle por notas de pe-
queo valor.
E' sabido que ba um banco emissor que, por
coocesso excepcional e pouco explicavel, polo
por em ci.-culac.ao notas de troco, o Banco de
Crdito Popular, mas este emittio em grosso,
prefarindo as notas de grande s de pequeo
valor.
Se o eoverno est, pois, embarazado por con-
tracto on pelo retrahfaienlo do papel moeda do
Estado, de modo a nao poier substituil-o, ur-
gente, eutretan.o, tomar urna providencia que
facilite as pequeas operares da vida quoti-
diana.
Nao seremos nscertamente qne aconselbamos
o augmento definitivo do nunerario fiduciario.
O goveroo nao role fazer noe pelo contrae
to, anda em vigor, de resgate da papal-moeda,
como por nao ter lei que a isso o au'orise.
Pode, porm, emmitlir notas de peqneno va-
lor contra as notas do Banca da Repblica, o
banco coutractaote do resgate, sendo a subsli-
tnic&o dessas notas pelas do Estado operada
logo que forem ellas recolhidas s cstaces adoa-
neires, ou quaesquer outra3 de arrecadajo.
Contra essa providencia nao se levantar a lei,
e contra ella nenhuma jus:a reclamac.Qo poder
ser feta.
QEESTES SOCIAES
Xttva clcl^o prcsideaelal
(Do Jornal do Qotnmm'cio)
Un dos legados mais onerosos que nos deixon
o golpe violento de 3 de Naveubro e a coose
quente renuncia que o general Deodoro foi com-
pellido a faze: do ceu cargo vinte dias depois,
sem duvida o e. tado de incertesa em qne nos te-
mos acuado, e continuamos a estar, sobre a suc-
cesso presidencial.
E' ura assumpto este bastante escabroso e pa-
ra cuja solujo-o paiz precia invocar toda a
prudencia, desprevenco de animo e patriotismo
de seos Albo?.
Seasv'lha3 leis apreseotom &empre ncva3
difculJades, no periodo Lrmativo do noaso no
vo rgimen teremos de crroslar constantemente
probl?ma3 como este de que vamos tralar e cuja
solacao demanda mnito cuidado e paciencia.
O modo da snccesso da presidencia pelo vi-
cepresidente regulado diversamente as ooo*
stuicOes americanas. A dos oslados Unidos
(art. II, sccjo 1* n. 6) determina qne se o pre-
sidenta deuiitiir se ou fallecer, ou tornar se in
capacitado, a poder ser devolvido ao vicr-pre-
sidente al que ou desapparega a incapaci ade
ino ultimo caso) ou seja elt-i o o novo presiden
te. Quanjo em Julho de 1881 Gurlieid f i astas-
sicado e morrea em SetemLro eeguinte, fucce-
deu lhe A'thnr que governou qa*8 todo o pe-
riodo presidencial. O praiidea* William H.
Harrisoo, a\d do cciual presidente, tambera go-
verncu c de Marco a Selembro de 1841, o 8 u
vice presidente Jobo Tyler ceenpando a cadeira
dorante quasi todo o periodo p.esiJeacial de 4
annos.
A cons'ituico do Mxico de 1857, depois de
declarar o presidente nao reelegivel para o pe-
rodo imrnediato ao teu, estatu no art. 79 que
no caso de falta, temporaria ou absoluta, o po-
der ptnnr at a el./cJo de um noto presidente
ao preaiderrte iaterint qae ttajandoa reforma de
1882 e o presldeale do senado ; e no art 8a or-
dena qae, uette caso, proceda-sa ioao a urna
nova eleico, o eleito exercendo suas faascOcs
at o alUido da de NoveTib'o do ;u*rto anno
que seratr se ao da ana eleisfto; lato o novo'
presideate no-?m paaprir o resto do pariodo
do seaaatecessor: ata comc-ga e acaba um pe-
riodo tea, .propno.
J a conatHaijao dafi'paalica Argwrtiaade
1860 determiaou a este respeito disposicOes di
ve-sas dessas do Mxico. No caso de falta, per
enfermidade, anseucia, morte oa demisso, do
presidente, investido das funrcOes o vi:e pro-
si late, e este funecionario servir durante o
resto do perodo presidencial de seis anuos (arts.
76 e 77).
A nossa constito fio reguiou esta ma'eria da
passe e sncceaso presidencial, na casa da taita
do incumoente, deste modo :O preaideate ex-
arce o cargo por quatro annos. No caso de im-
pedimento, substituido pelo vice presidente ;
na caso do sua falta (por demissSo ou morte) suc
cede-lhe o vicepresidente, que tica seaJo pre-
sidente.
Se no caso de vaga, par qualquer cau*a, da
presidencia ou vice-presidencia, uo bcuvereui
anda decorrido dois amaos do periodo presiden-
cial proceder-8e-ba nova leicao .Art. 42.
O presidente 6 eleito por suliragio directo da
nico e par maioria absolala de votos (arl. 47).
O procesao da eleifo ser regalado por lei or-
dinaria (id. g 3) que j foi promulgada, sob a.
35, a 26 da Janeiro uli>mo.
O presideate na pode ser eleito para o pe-
riodo presidencial immediata ao seo. O vice-
presidente que exercer a presidencia no nliimo
amo do periodo presideaclal nao poder ser
eleito presi late do periodo segait'ts.-CArii. 41
1, 43 cU 1).
A eleico ao presidente e vice presidente ter
lagar ordinariamente no dia 1* de Marco do ni
timo anuo do periodo presidencial, o qual perio-
do acaba a 15 de Novembro. O congresso far a
aporago dos votot m primeira sesso do mes-
mo anno. (Art. 47 1).
A passe do presidente deve ter lugr a 15 de
Novembro do anno da eleico, que. como se vio.
deve realizar-se em Margo ; e apurada na pri
meira sessao legislativa do anno. Mas como a
Cons'.iiuici i; ser promulgada em Fevereiro ou
Mar^o de 1891 foi preciso qne ella providencias-
se especialmente pa~a a primera eleico e para
a tixaco do primeira perodo presidencial. O
legisl idor, em vez de odenar orna eleico popa-
l.r immediata e a sua apuraco pelo Congresso
antes de 15 de Novembro de 1891, conforman
do-se assim com as prescrlpc6es gerte3 qua es
tabeleceu, prefera, a nosco ver mnito sabiamen-
te, erdenar que o Congresso fizesse a eleico do
priraeiro presidente logo ap; a promulgaco da
Cons'.itnicao por elle me^mo; e prerceven tam-
bera que o presdeme e o vice-pre-idente assim
eleitos, oceupariam o piimeiro pa iodo presiden-
cial e dispessou, s oeu eleico, as incompati-
bilidades que a Coosuico estabelecera no g 4
do art. 47.
E cemo o periodo presidencial comecava oeste
caso em Fevereiro ou Mirco, era precisa qne o
pacto fundamental marcease o periodo constitu-
cional da primeira presidencia que nem i.-odia
acabar em Fevereiro ou Marco de 1895 (par
qaanto j tieba determinado que os periodos ac-
bariam a 15 de Noveaauro) nem a 15 de Novem-
bro de 1895, pois i3to seria dar primara pre-
sidencia o periodo excepcional de 4 1/2 annos.
O legislador, pois, fez o primeiro perodo de
3 l/tanoo3, tecdo em vista nao exceder o perio-
do regular de 4 annos, e tambem, provavelmen
te, co.-rid.'.ando que nio s a saude do general
Deoiero, geralmenle indi^itado para o lagar
cao tinha a desejavel robustez, mas que, do ou-
:ro lado, ja elle gavectava desde Novembio de
1889.
(V. Disposicea 'ramilorias. Art. t, I i e
3 e Const. Art. 13 4).
Sao estas as tiisposi^Ls da nos.a Constitui^o
que se referem ao casa de que nos cecopamos.
Como se ac.ba de ver parece claro que, nao
haveado decorrido anda dons annos do primei-
ro periodo presidencial e estando vaga a presi-
dencia effectiva. neetssario dar cumprimento
ao art. 42 e preceler se nova eleico.
Nem se pode euatenisr que o rgimen da pri-
meira presidencia eapecial, e que as disposi
C6es que citamos nao se ap-licam sua soeces
sao no caso de vaga. Como se moolrou, at da-
posicG-3 eapeciaes referem-se 1* ao preeochi
ment dos dous encargos logo aps a promolga-
Co da Coostiiuico, por nao convir continuar
um goveroo dictatorial depois dessa promulga-
Co ; e 2, lixaco do primeiro toeriv-da presi-
dencial completo, que nao poda concluir se na
poca precisada pela propria Conatituico. Se
o legislador fe: estas excepc>s ta assigaaladas
e nao dispoz nada em rtlaco maaueoco da
presidencia pelo vicepresidente durante o pri
me.ro periodo, que qniz qae o preenebimeato
desta vaga se flze3se do modo ordinario que dei-
xon preacrpto.
Tornos, pois, como nossa opinio, que agora
necesaria a eleico para o resto do primeiro pe-
riodo presidencial.
Aqui, porm corxec&m as Jifficuldade3. Como
vio-se do art. 47 e st u | 3. a eleico deva ser
felta por maioria ab.-oluta dos votos direc'cs da
naco e por ara processo regulado por le ordi-
naria. Como j diSM-mcs, esta lei ou antes, o
que se nos aprsenla como tal lei. j foi promul-
gada a 26 de Janeiro allimo. D.z sea Mi. 37
p2ragrapbo un'o:
No Caso de vaga da presidencia ou vice-1 re
sidencia, nao baveudo decornio dous annos do
periodo presidencial, dever efecta> se 3 elei
o para preenchimento da vagadentro de tres
mezes depoit de abarla. Nada, porm, provi-
dencia, como devera, em relaco data ou pe
rodo em que se effectaar, nesse caso, a apura-
Cao ca eieico pelo Congresso, e quando se de-
ver dar posse ao novo presideate. Assim, se a
eleico substitutiva desse funecionario for era
Julbo ou Agosto, teamos de esperar at Maio do
auno sabseqaente, quando se reunira o Con-
gresso.
Mais anda : a prefeita cxeeuej&n da lei depen-
de da organisaco das municipalidades e de
ontres muitcs pasaos de que nos nao temos
curado, gracas soasa natural indolencia, e
frivola e insana agitaco de polilicagem local
que 003 tem absorvldo.
Para muitos, ialvez, pareca ato motivo muito
juslilicavel para dvtiair se stne die a eleico. a
ii0?80\4r, porm, semelhante proceJimo.to nao
pode ser sustentado cm face das inesmas leis vi-
gentes, inclusive a Conatituico, e sot-retod ten
do-se em mira a elevadas coaaldengoea de pa
triotica e boa poltica que devem pezar minio
maia do que quaesquer orais:es de Icgislaco,
quaesquer circumslancias fortuitas era que se
acbe a nossa patria, nesta periodo de reorgani-
tacto.
Se o regnlamentoeleitoral, defina .'o eprescre-
vendo o modo praca de se fazerem i-leicfles fe-
d. res dSo est a!nda prompto. i- > taita ex
elusiva do poder executivo, isto do propno
fanecionano que se tra a de sab.t.tuir. Dasie
ponto nao nos oceuparemos, tunto m^is quanto,
sabido que o vice-p-elente nao tem absolu-
tamente impedido que se conclu tal regula-
menlo.
Mas, diro, a propria lei omisn. Em pri-
meiro lagar marcoa em seu arl. 37 o periodo de
3 me^es, depois de aberta a vaga presidencia'.
para nelle se fazer a eleicSo sem que estoja cod-
atituilo o eleora io. Isto, a no3so ver, sena
razo para seiemorar a execocSoda li i af'
que o Congrei30 e o Pode Exe.u.ivo cumpram
cora rus respectivos deveres, mas nao justifica-
ra a protelaco iadenida da pes.-e r rosldeocial
pelo vice presidente.
E 3gora pergantamos: b3o seria poaivel a
eleico presidencial com o eleitorado actual T
De certo que sim : o eleitorado Um existido e
existe 8empre, independenlmmt. da (x cuca"
da novata de 26 de Janeiro allimo. Se o Ooo
gresso uo romprlo com o art. 31 22 da Con
stituico. regulando as cooicis e o processo
da eleicJto pan oa careo fe teraes, nfo se
ue que, i o ~ toda vagas I faia j
cumprimento dease dever potj* mion oer a
marcha do governo republicano: eu 'ata de
riovo reglame uto, regulam os existentes, por
peiores qae o- julgamos se-.
cumprimento stric'o da ConstuicSo e da
le extgina que: se Uzease a eleico do pr-osidente
at o da 17 de Abril, em que fhdam 3 mezea
depois da promoIg?co da lei qu-j fixoa i
praso dentro do qnal se faria a eleico, na casa
de que nos oceupamos. O propno primeiro
artigo da lei diz :
c Sa eleitares oacldados brazileirosmaiores
de 21 annos,-ji qualicadoj e alistados coa-
forme lei anteriorou que aa alistarem na forma
deflta lei.
Hm e v que ser iosastoatevel a taeoria qae
nao pote baver eleico, ja pata presidente j
para membros do Congresso ouou'.ro cargo fede
rol, antes de estarem formados os municipios
ojae praaidem as qaalilicaofrsa, e organizados 03
stadeaa
Pota tt'is felaraes to iaportnte qae os
E-t'i -isen qae o vt. 2' In diipost-
,6jo traasitoru. di Cunatitoico^etepmitKio;ae
o qne nao bouver decretado a sua Coistitaicao
at o ura ao 1832 ser sub nettidopa- teto io
ioa Estado areform9 pelo procesao aella detarramado
Ora, 8a o mesmo Coasres30 qae tem de dtr
organisaca constitucin al aos Estados qua nao
a tiverora antes do lia deste aaao, cosaa qae
potereraos admittir qne o Cragreaso passa our-
l,r !3 >'lvc5'3 faJe-as pora pr-sidenta e sena
proprios raerabroi pela sua desidia em nao re-
gular de novo o direito a o modo da autLagio ?
Em todo o casa, admitiindo qae a execuco
da lei elettarai olToreca d;fli ul aJe3, e recoai-i-
c:-ndo, coma nos rcconh:ueraos, qae ella oraissa
era pontos importantes, tae->corao o daapuraco
doj votos do presiJeate, bo ura remedio qne se
aprsenla ao goveroo e a qae deve recorrer sem
perda do temoo,e a coovoca'jD de umi de
urna sesao extraordinaria do Congresso para
poca tio prxima qaanto fc compaiival com as
difticuldadea da reaaiSo s oealadoaaniUrodesta
capital. Se fo3aa possivel, esta reanio deveria
etf.-ctuar-se em lempa de se decidir algoraa
cousa para se effectuar a eleico at 26 da Abril.
Seria isto om proeedirnT.to strtct-ssimi juris.
Mas a naco comprehenie as diticuldaaei do
caso e uo far qoesla de mais oo menos alguna
dias quando vir que de parte dos comaetentea
poderes se faz toda a diligencia de ae curnprir a
lei, e observar o espirito do legislador constitu-
cional. Faca se a couvocacio para o principio
de Abril de modo que, sem perda de lempa, e
antes da abertura da sesso ordinaria, poaaa o
Poder Executivo convocar o eleitorado da Naco
a pronunciar se,caso este em qae ser poasi-
vel a seguate ses-o legislativa nao fechar se
aem ter primeiro declarado o resoltado da elei-
Ce.
fferecendo estas consideracoes ao juiso de
nossos leitores desejamos que fique bem claro
qne nao expnmem ellas faltas da falta da con
fiaoca que folgamos de ter, e que este paiz deve
ter, na administraco dos negocios pele illuslre
funecionario, qua foi chamado a o: rapar a pre-
sidencia, e que se tem desempenbado dessa
maia diili; I das tarefas com grande sagacidada
e probidade.
Nao se trata de um individuo, quem quer qne
seja. Occupomo-nos da espina-osa r,i.'3to coo-
alitocional, cuja solujo temoa certeza que o Sr.
marecbal Floriano Peixolo ser o primeiro a
procurar.
Nao se trata de um texto da Constttoico qne
nao seja claro, que aprsente lacunas, alterna-
tivas ou obscuridades.
Trata-.--- m da propria legitimidade do po-
der presidencial, se nao se den m providencias
opportnnaa que colloqoem aquella elevada ma
gistratura oa na posica de iacootestavel,
mas de inconleatada. O poder deve serescro
polcsameoielegitimo, legis intimas. isto e,
deve participar intimamente da saneco legal,
deve terom com a le. J basta o concubinato
em que, oeste paiz, a lei tem vivido com elle ba
mais de dous annos. Urna eleico geral, sobre
tudo se lhe preaidirem inapiractes patriticas,
ral consolidara Repblica e emprestar ao governo
a forca e o prestigio de que tanto carece para
cosea felicidade interna, e cosso prestigio no
extericr.
Xa Iracema % onde o publico podera
prover-sa do qae ha de melhor em artiges de
niindezao.
Peqaeno escndala
E' dato pelo collega do Tempo :
Um otlicial da directora geral dos correioa
commuriiCQu ha dias ao Sr. Dr. Goldschimidt,3-
dble^ado, qne ama-moca de nome Adelaide, mo-
radora em botaiogo, hasta par mais de orna vez
recetado oaquella repartigao cartas registradas
com diobelro, que nao lhe erara dirigidas, mat
sim a urna outra de nome Joanca, residente roa
Evaristo da Veiga.
Tratando-sa de um crime previsto no cdigo
peoal, o Sr. Dr. Goldscboi-it comprio o sea de
ver maadando intimar a pessoa a pessoa aecu-
sada a comparecer no seucartorio.
D. Adtlaide, moca graciosa e de orna belleza
captivante, apresentou se aoctoridade, qne re
cebeu a com todas as eentileras devidas a urna
joven que nao feia. e coafessou qae cffoctiva-
mente havia incorrldo oa falla de que a accosa-
vam, oaodo, porm, e-xplicacOes que parecerm
saiisfazer o Sr. Dr. Goldschmidt, e mostrando-te
por tira duposta a res.ituir verdadeira destina
laria das cartas toda a somma por ella iodevida-
meote reeebid?.
Nao obstante, o Sr. delegado nao ]olgoo con-
veniente restituir joven Adelaide a liberdade
sem que se liquidasse a questo ; e conservera a
deuda par c-sp,cu gacia, onde os soffrmeatos do carcere foram sem
duvida relativos, pola a linda prialoneira gosava
da boa palestra e das reverentes atteticCea de tu-
do qoaalo ba de mais disllncto na secretaria de
polica.
No Om desees dois das, a graciosa prifioneira
resumios cobres verdadeira dona, a Sra.
Jo.nna.e por sua viz foi restituida liberdade,
agradeceodo com sorrisoe entontecedores s
amabilidades de que havia sido alvo por parte
do cavalbciroso Sr. Dr. Goldschmidt.
Nao acbam os leitores que a lei soffreo um
peqoeno arr: nao cora a soltura da graciosa
Adelaide t
M:-s ora adeus 1 N > ha lei nem coosa alguma
que fique ofTaacada diante de um olhar de meca
bonita.
O bello fcxo I O bello sexo I
Slgaal de Interrosraci*
O mesmo coilega em sua edicao ae 26 d esta
noticia borripiilaate:
Homero pela manh os empregidos do ce-
miterio de F.-aacisco Xavier, no Caja, eacon-
trarara no iaterior daqaella necropale um sacco
contendo urna 03sada humma.
O a'ministrador do cemiterio comraunicou
irame.lalaraeate a noticia do singular a hado
polica, que o raaadou reservar alli afira de aer
ex .mia.do pelo Dr.* Nemesio Quadroj, medico
legista.
Urna osaada! Teremoa my-tenos T
E na da seguiu'e comparece Arlequim
com orna da toas Cubrilas *, que mus en-
reda a emorolbada.
Myaterio novo e profondo,puro eoigma n e
c.: achoo se una trouxa de ossosentre aa
covas do Caj.
Urna trouxa 1 Caao s io; que chama aatten-
Ca dos po o.Atioal, truuxa por trouxa,an-
tes foase... tronxa de ovoi.
Nao o era, por nossos raides.a trooxa da
que ora trato.Seria atesada do NevesTda
RevolU? do RaaloT
A medicina legistaa i.*ldagao6ei ia subir
Q i' m sube se esses laea ossosaerSo de nm
dos irinta e sete T
A: 1 Quem abe se cssa origemque ha quem
tanto a adiar vacilleao -er. ncra mais n3m
ratraiis,que o tul... du cbapojde Chile ?...
indoga-.i. ijuira a polica,ave:ti^ue a me
I c ia;se t ouxa da humana o igera,ou se
d: o ig-ra d vina.
E mulla gente, hoje "aricioaaapplaadir con
ardor,se provar m qoe 03 taes usaosao de
Cadver... credor.
Arreda ...
E' o Paiz que comparece:
Sab E' a legil idade, isto a idade ie^al qoe o
governo j atingi para ser madado.
Eotao com que, apesar de todos os esforcoa
do ministio da m.iroba, at agora nao appare-
ceu n.m um dos 37, sel nT
ila de apparecer; vers qoe ha de appare-
cer... uta.
Ficam faltaado, portante 36.
Qual I Fica completo isso mesmo. Faca
a conla: 3 e 7=10, aoves fora 1.
O Figirol Ora, um jornal fluminense chaman-
do-ae ii Fgaro.
Q-j! tem iaao de extraordinario?
\cho improprio do meio social. Em vez
de o Fgaro devia cbamar-se o iVuaet.
ontem da bandelra aeapanliola
Oa h'.3toriadores contam do seguran moda a
honrosa origam qae deu bandelra hespaunola
as cores i6xa e araarella:
Pelo anua de 873,scalo IX, epooha de Vifredo,
primeiro conde soberano de Barcelona, a cidade
canda! era feudataria de Carlos o C*lvo, rei de
Franca e de Aqoitania. Sai banieira, era, pas,
a de beu aeabor.
Vifredo, gaerrelro aaimoao, senta-pe forte-
mente contrariada por aer tributarlo de Franca.
Sai constante amb-.i.&o era sicudir o jugo qoe
o avaaaalava, porm nabre e leal at ao fanats
eco, jamis quiz rehallar se con'ra seu impera
dor.
Esperava azada ojcassa, equaado j desea
perava da a encontrar, deparon seiba urna.
Em luta constante cara es or mandos, Carlos
o Cilvo, paaaava a vida nos acompamentos. Seua
feadaUrioa o auxiliavam, como paaiam; ea
elle3 deven o xito de aais victorias.
U i los, lutando com os mraigos, a batalha
8eriaaiente seem^enhaa.
O rei coatemplava de sua lenda a chu'a de
flexaa, as nuvens de p qai levanta vara os pelo
toes quando so cruz a vam, e o furaco que for-
mava a mesla de espadas, laagia, mit;a3, dar-
da3 adagaa e catapullas.
03 norman lo3 avaocavam cada vez mai3,e o
re j se caasiderava seu priaioaeiro quanio ora
novo carnpeo com grande esforco cabio sobre o
acampamento, ferinlo os normandas e pondo-os
em di horadada.
De prorap'.o caha ferda o caudlho veocelor.
Transladado para a lenda real, o rei levaatou a
viaeira de aeu capacete e reconhacea Vifredo,
que espontneamente havia corrido em seu au-
xilio. Readiio de gralido. disse-lhe:
Se morrerea, Vifredo, Barcelona ser sem-
pra o primeiro de meua estados: se vveres.
I.t.-o ten povo do meo jugo e te nomeio seu rei e
soberano.
Se eu viver, respondeu Vifredo, marcars
aa armas que meua pjvos devam osar em seus
escudos.
Ento o rei molboa aa moa no eangue que
promanava da ferda de Vifredo, e passaado aa
logo pelo escudo de ouro, que brlhava em sua
canraca, gravoa nelle quit.-o liuhas rosas.
Com teu.3angue salvaste rainha coroa, clis-
se-lbe; honro com tea sangae 03 teas escudos.
m escuto de ouro, com quatro barras de
aangue e una corda de conde, foi desde acuelle
dia o diatinctivo dos condea de Barcelona,
e mais tarde dos reia de Arago, quando, em
62, Fernindo II de A'ago e V. de Caatella se
uni em matrimonio cara Isabel, a Catholica.
as condicOes estipuladas para se verificar a
uao dos dous reinos, combinon ae que aa bar
raa de Arago fossera deade ento adoptadaa pi-
ra a bandelra beapanhola.
Boatos Palaoa
Volta o Tempo:
Aa consiituicoes se saccedem e se assemeltnm
as commemoracees ao menos.
Hornera bouve as mesmaa salvas, aa meamas
illuminaces, com oa meamos bicos de gaz e a
mesma inaifferenca, a que asai3tiamo3 com as
cammemoracOes da outorga da defanta.
Houve ama diff-.renca a seguada salva foi ao
meio-dia e nao ama hora como ee fazia com a
outra.
m bisDO do thesouro em visita pastoral por
nma oarocbia bancar a popular, ouviu as cora-
petentea con93;6e3. Aim'.aistrr.a o sacramento
da conflrmaco ?
Jserecoheo sede do bispado, mas o se-
gredo da confisso impenetravel.
O bispo do thesouro, que ouvia certo popular
em confaaao, parece que lhe deu grande peni
tencia. Que peccados mortaes na ter o coa
fessade !
Daates dizia se: Antea qoebrar qoe torcer.
Agora oo foro commercial, tratando-se de 1-
qaidacoea forcadas ou de aberturas de fallencia,
diz se: Antea torcer que ^ueferar.
A revoloco ama lettra saccada sobre o aca-
so e endosaada pelo sujello de bas promessas.
A lettra tem descont na praca uu oa roa,
com as commissoes e corretageos do eatyloa
Sabemos que o actoal vice presidente foi de-
pos.o.
Agora procuremos saber quando ser deposto
o socceasor. Um presidente por mez e o Bra-
zil eocurla-ae a poder igualar Gantemala oa Ni-
caragua.
reagatadaa
. io ofllclaea A joota goveraativa do
Estado, em vista da expreasa diapotirao do art.
49 da lei n. 15 de 14 de Novembro de 1891, ex-
onerou oa delegados Iliterarios seguintes :
Bacharei Feacrio de Oliveira e3oaza. de Bom
Jardim.
Bacharei Bernardino de Senna Dia3, do 1 di
stricto de Olinda.
Bacharei Antonio da Silva Guiraares, de
IguarasE.
Bacharei Alfredo de Alboquerque Gama, de
Limoeiro.
Bacharei Francisco Tavarea Nette, de Niza-
retb.
Bacharei Augusto da Gama Lamenha Lias, de
Barreiros.
Bacharei Perminio de Araojo Lima, de Boa
Vi3ta.
Bacharei Gadofredo Moscozo de Veiga Pessoa,
da Eacada.
AccordoO Banco da Repblica aceitou o
qu: lhe foi proposto pelo conde de Leopoldina,
ae orle qae foram levantados os embargos e
resgatatas todas as suas letras.
Cbela no TejoPor forca de extraordina-
ria cheia, em que as aguas attingiram a 150 cen-
tmetros cima da altnra normal, tranabordou o
T- jo e inundan diveraia localidades ribeirinbas.
Al 24 do passado nao tinba cessado a cheia.
As agnas continuara a sabir, e isto faz receiar
iauadacoes de terrveis caaseq'iencias, teado-se
no enaato tomado providencias para evitar
maiores prejaizos.
Expioo-Era Portugal, na pedreira da
Ajada, deu-se uraa horrivet exp'oso, causando
ti martea.
Ha muitos frido?, alguna dos qaaea em esta-
do deaeaperador.
Scrmo de qaareanaaNa isrrej da
Santa Cruz iaiciaram-se na aexta-feita os ser-
moa quaresmae3 pelo Revm. Frei Augusto da
Iramacalada Conceico Alvea.
A eaae acto asastio a contraria do Senbor
Ba a Jess da Viasacra, achando-se o templo
repleto de fiis, que foram ouvir a palavra sa-
grada.
O TamoyoRegistramos o recebiraento do
a. 23, que reapparece, e ter d'agara em diante
poblicji.50 semanal.
Iareja do Llvramenio-AraaniS s 7
horas da naite ter lugar nessa igreja o seu pri-
miro termko de quaresma.
Eiiampihat-J foi antorisada a Casa da
Moeda ao o necer estampiibas para cebranca do
sello neate Eatado.
Quando chegario ellas ror c, onde a sua au
sencia can8a tantos traustornos T
Emm quem j oa tolerou por dous mezes,
nao muito qce a paciencia se extenda mais al-
guraa rouaa. ,
Noveaat no Caxanga-Hoje a noite
dos empreados no commercio.
Diversas bandas de msicas ae fara ouvir,
soltando se tarde varios aerstatos, e quei
roando-ae a noite aps a terminaco da n.vena
ura bello fogo de artificio.
Patrimonio Alfredo GamaA com-
misso de senboras que promoveram a collada
para formaeo desse patrimonio, acaba de por
8ra sua generosa incumbencia.
Com o .reducto daalludidacollecta fez acqui-
ig&O do predio n. 292 a ra do Cor nel Suiasu
na, e aelle acba se constituido o patriraoaio, cora
accordo previo e coraplet acquiescencia da
vinva.
A escriptura de compra foi lavrada a notas
do Dr. Moreira Alvea, qua teve a gentileza de
nao aceitar a paga que lhe era devida pelo
acto.
LelrAa hypo,becario-A directora do
B-ico Emiaaor de Pemambuco marcou o sorteio
daa letras hypolbecariat para o da 20 da Junho
proxwn.
O torteio ser publico e pela machina Fichet.
A 1" letra sorteada ter direito a um premio
de 2:000*000.
A 2* a om premio de 1:000*000
A 2" K ao? pff^i0 d9 o'JOOOO cada ama.
A 5' 6 7' 8' 9* e 10 a ura premio de 200*00t
cada uraa.
Aa demais letras sorteadla sero
ao par.
Era\ova D.striboio-sehontem o n.4deslii
peridico, orgio do partido catnolico.
o Tamo y o Timbera hoatem fez a ana 23
appa icao este peridico liuajorisca.
Sooku de Ouro -Recebemos um exem-
plar desea linda folha da lavra de D. Zalmira de
Abren e Silva, a qoal acaba de ser reprodozida
em eegoodi eiica, o qae vem em pro do sea
mrito artstico.
Agradecemos a gentileza da offerta Exm.
autora.
A bi-se a vei-iaraa 'yDograpbia Indotrial, a
ra 15 d'.< Novcmbra n. 75, pelo preco de 500 ria.
Eamagamento Antehoatem o trem qae
aegaia para Oliada aa 6 1/2 horaa da tarde, pou-
co ante? da parad na estaco do Campo Verde
earaagou o p de um paaaageiro que atreveu-se
a saltar com o me raa em movimeato.
O aome do referida paaaageiro r.o aoa san-
berem in'o mar, garantinlo-se-roa porem, que
foi elle victima de imprudencia propria.
Hircilanea Elementar Recebemoe
ara exeraplir deesa loteresaante obriaha para ai
ecola3, ea;rip'.o por-Un Profesur.
Comprebeode dita oaricha rudimentos de Tho-
neticaPhyaicaCosm'jgraphia e Geologa.
Agradecemos a offerta.
Tenente Autullano No dia 10 do cor-
rvu.e segae para a Capital Federal afim de ras-
trienlar-ae na Escola Superior de Gaerra, o te-
nente Au.oliaaa Lina, que se acha servindo aa
batera de artilharia.
Clnb Bcpubllcanoda TorreHoje a
10 horas da maub reune-ee esse Claemseaaf
ordinaria.
Hoapital Portagaea-A junta admiaia-
trativa desta instituigao rene se amaab a 6
horas da larde em sesso ordinario.
Entra de semana o Sr. mordomo Antonio Pin-
to de Magalbes.
Calamento clllNa 4. diatricto foraae
aaxadu no dia 4 do corrente editaea de piocla-
mas de casamento dos seguintes conlranentes:
Sagun los
De Nicolao Tolentina Mor, com Rita Francisca
dos Santos, moradores na fregoezia da Boa-Vis-
ta.
Da Jos da Silva Pacheco, cora Mara Petro-
nilla de Meilo, moradores na fregoezia da Boa-
Vista.
ciub don Patriota-Em sesso de as-
sembla geral reane-se boje.s 4 horas da tarde,
para eleger a sua aova directora, fanccloaaade
com o numero de associadoa comparecentes.
Cancano a oOlcloa de JuntlcaCom
o praza de 30 dias, a coalar de 4 do "correte,
acha-ee aberto concurso para provimeoto dos of-
ricios de eacrivo dos fetos da Fazeoda d'ette
Estado e de eacrivo dos feitos mooicipaes do
Recife.
Capitana de Porto* \o Paiz constou
que n'esle mez o Ministerio da Mariana dara
execuco ao dispo3to na re8pectivo orcamento
com referencia encorporaejo da3 Capitaniai
dos Portoa, onde uo houver Arsenal de Marinha,
naa eseoas de aprendizes mariabeiros, cojos
comraandantes exercero aa funecoea de capito
do porto.
Atrogitda JniorNa Folba do Sal,
que ee popiea em Bag, li}-ae a respeito a mor-
te de Astr'og.iJo Pereira da Costa.Jnior a se-
guate noticia :
pedemos informar ao nosso collega do
Qainze de Novembro qae oo exacto o coaita
que em sea ultimo numero deu sobre a morte do
nosso valente correi gionario alferes Astrogil do
Pereira da Costa Jnntor.
Assim relatou nos o fado aa dos comparsas
d'essa tragedia.
Esse cdado nao tinba forca alguma cem -
sigo, nem bouve feridoa. Astrogitdo.sabendo qae
o procuravam com tins siniairoa, sabio i para
o campo, alim de fagir aoa aeua gratuitos perse-
guidores, o que nao conseguio, porque, aa pas-
sar junto de nma touceira de matto earedon-3e-
ihe o talim e ah foi alcancadoe morto brbara-
mente por aeua.lnimigoa, armados a patriotas.
Esta a veriade, pese a qnem peae.
Banco Kminior da Babia-Foi conce-
dida a esse Bateo a conversan do lastro de oore
em apoces, desistindo o mesmo do redo da
emisso.
Tribunal do Jury do Recife HoQ-
tem nao bouve julgamento n'este tribunal.
A's 11 horas da maob, Feta a chamada, com-
parecern! apenae 20 jurados.
Foram multados em 54 oa sejointes jurados
notificados quo sem motivo justificado deixarm
de comparecer:
Antonio Macario de Assis.
Carlos Augusto Carneiro Maateiro.
Demetrio Carneiro Rodrigues Campello.
Joo Pereira Bastos.
Dr. Arthur Orlando da Silva.
Augusto da Silva Ramos.
Affonso Fioza de Oliveira.
Albino Antonio Tavares.
Arthur Silva.
Minervino Avelina Fiuza Lima.
Bernardino da Silva Ramos.
Frederico Luiz Vieira.
Adolpbo Cuaba.
Antonio Martiniano Ve:as.
Capito Loiz Pereira de Fariaa.
Antonio Soares de Andrade Brederodes
Cyro Pedrosa.
Major Belisario Pernarabuco.
A sessao ficoo adiada para amauhS, devendo
ser jolgados os reos Benedicto Jos dos Saatos e
Antonio Cosme dos Santos.
. Vicente-Ea data de i do corrente ea-
crevem-noa dessa localidade :
Grandes c-o os preparativos para a testa de
S. Vicente, qae se realisar no dia 5 de Abril
viudouro.
0 nosso vigario ao tem poopado esf. .'.os para
qoe a feata a tinja a espectativa de todos. Pro-
cedeo a eleico a testa, jnomeou procuradores e
encarregades. Matos divertiraentoa :: pri pa-
rara como sejara : te aradas, cavalhadss na qnal
tomam parte madores de Nazarethe raouini.
A testa, segundo ouvimos diser, eoosia de tri-
duo missa solemne, sermo e Te-Deum. Consta-
noa qae ser eacarragado do sermo da festa o
illostre orador sagrado Dr. Manoel Goncalvet
Soares de Amorim, ao Te-Deum o vigario desta
freguezia padre Goodim.
Brevemente voltaremos sobre a feata.
Muito nos tem sympalbisado o Revdm. vigario
Goodim parece-nos qne s agora foi precnchido
o lagar do serapre chorado vigario Andr. Elle
que dotado de urna amenidade admira'el, tem
tomado amor por esta trra, tanto que acaba de
chamar sob sua responsabilidade, um mestre de
msica alim de reorganiaar a velha mu3ica vi-
centina. Nio ambicioso e nem tambera exigen-
te e nao far aqu fortuna de con tos...
Temos gracas ao commissario tenente Se-r-
g.o Maocos, um destacamento de 8 pracaa.
A crdem publica conserva-se sem alteraco.
Deo-ae a reinlregaco do Sr. Jos Rodrigues
de Souza Campos no lugar de delegado Iliterario
deste distncto.
Acha-se exercendo o lugar de tabellio de no-
tas, oficial do regs ro civil e e3crivo de polica
o cidado Joaquim Alvea de Arauja Pereira, era
eubatituico do que txercia que foi deposto (a
pedido).
1 nlAo Typor nblca Pernambnea-
nalluje, a 10 i/2 horaa da manh, reunem-se
os artistas graphicos componentes desta aaaocia-
Co em sua sede, ra de Marcillo Dias n. 88, no
in'uito de approvarem, deliaitivaraente, em 3.*
discusso a reforma da sua lei orgnica e loma-
rem senas providencias tendeles ao seu pro-
gresso.
l Araanb:
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jess n. 43, de ama casa raa do Padre Flo-
riano
Terca feia:
Pelo agente Pinto, a 10 horas, roa Formse
n. 7, de piano, movis, lustros, vidroa, etc., etc.
Pelo agente Martina, s 11 horas, ra do
Imperador n. 39, da caaa n. 7 da raa da Ponte
Velba.
Bflaaaa fnebresSero celebra: s
Amanha :
A's 8 horas, na matriz de Santo Antonio, pela
alma do profesor Joo Ja3 Barroso s 7 horas
na igreja do T-rco, pela alma de Jaquim Duarte
de Fi ueiredo.
PaiaagelroaChegados do sul no vapor
francs Congo :
Dr. Antonio Joaquim de Albuquerque Paee,
Dr. Ceciliaoo Mamede Alvea Ferreira, D. M.


i



t
1
i

MUTILADO
anaannnBjBJBJBH


5"
Duarte Piolo, William Tnompson, Beoto Jos da
Silva Guimaraes Filbo, Beojamim Pedrosa, Jos
Gomes Ferreira, Manoei da Rocha el. Ferreira
da Coala.
Sabidos para a Europa no mesan vapor:
Dr. Adolpbo Accioli Waoderley, Henrique Fer-
nandes Lima, Manoei Diaa Saldantia e sua se-
nbora, Jco Bastos de Almelda, Amaro Leao
Maia, Jos branles Gouveia, Eduardo Martios
de Barros, Jos Antonio de Carvalho, Joao Ja-
cntho Pacheco, Francisco de Britlo Lyra e
Mana de Brilto Lyra.Riul Vallee, sua sennora e
i Albo. Joaquim do Paula Lopes e Jos Herminio
Ferreira.
Inspectora do *. diMtrtclo inarl
llana nnrifr. 4 de Marco de 1892.
Bolelim meteorolgico
Ho-as Tern. centi- Barmetro Tensao do
Humi
dade
7i
74
74
77
grado {a O') vapor
9 ra. 28, 75:t-,6i 21,0.
12 28 7 751-07 21,39
3 t. 28.'9 78-.63 21,75
6 28<>3 753-02 21,69
Temperatura mnima 25.7o.
Temperatua m=xima 30'.00.
Evaporlo em 24 horas ao so! 6m,7, som-
bra 41,i
Chava 2-8.
Direcgao do veato E interrupg6e3 de ESE e
ENE de meia noiie at (t>,iQm da manb ENE
com interrupcOcs de E e NE at3k 40-; NNW
at 4k 14-; NSE at 4\4S N at 6- 42-; WSW
at 8" 48; NE com iuterrupges de E e NE at
1V5'6 da tarde; E com interrupgoea de ESE at
10*,06-; ENE com inttrrupgOes de E at meia
noitp.
Velecidade media do vento 4*,8.por segundo.
Nebulosidade media 0 59.
Baletioi do porto
Horas Altura
Fra-mar ou
baixa mar
P. M.
B. M.
P. M.
B. M.
4 de
4 de
4 de
5 de
Das
Maree
832 da m.
2-25 da t.
8-57 da t.
3-10 da m.
1-97
0-63
2-08
0-79
.a ti Deien*oMovlmealo dos p.'f
ios da Casa de Dctengao do Recite, Eeladooe
Pernambuco, em 4 de Margo de 1892.
Existiam 339. entraram 15, sahiram 5. eils-
ten: 348.
A saber :
Nacionaes 320, mulheres 9, estrangeiros 19.
Total 348.
Arracoados 391.
Bcns 276
Doentes 12
Loucos 3.
Loucas 0.
Total 391.
Movimento da enfermarla
Teve alta :
Aotoiio Jos Nones.
Honpltal Pedro IIO mevimeento des-
te estabelecimento 1e caridade, do da 4 de Mar-
go, foi o seguinle :
Existiam 583
Entraram
Sahiram
Falleceram
Existem
-----896
9
4
583
596
Foram visitadas as enfermeria3 pelos seguin
tes Drs.:
Moscoso entrou s 8 1,4 horas da maoba e ?a
hio s 9 1,4.
Barros Sobrinbo entrou s 7 1/4 da manha e
sabio s 9.
Pjntual entrou s 10 da manha e 3ahio e
11 1/2.
Berardo entou s 8 1/4 da manhS e sabio as
10 horas.
Silva Ferreira entrou s 91/4 da manh e sa-
nio s 111/2 horas.
Fernaodts Barros eutreu s 8 da norte e
sahio : 9 1/2.
Arnobio Marques entrou s 9 1/2 da manha
e sabio as 11 1/2.
Andrade Lima entrn s 9 1 2 ia m3nh e sa-
bio alll!.
Phurma :euiico entrn s 9 1/2 da manha e sa-
ta o s 2 horas da tarde.
Ajudante do pharmaceuco entrn s 8 3/4
horas iia manh e sabir- s 41/2 horas da tarde.
Lotera do UaranlioA 19" serie da
6a lotera desie Estado, cujo premio grande
de 300:000000, ser exlrahida no da 9 de
Margo (qnarta eira).
Lotera do Estado do Grito Para
A 4.* sene da 51' lotera, dr-sie Estado coj3
premio grande de 240:000*000, era extrahida
no dia 12 de Margo (sabbado).
Cemlterlo puinlcoObituario do da 4
do corrate: ,,
Senhorinhade Soma Botelho, Pernambuco, 7i
annos, solteira, S. Jos, dia'rua.
Antonio Almeida Aguia'. Peroarobu'o, 27 an-
no', viuvo, Bja Vis a, tubercul03 pulmonares.
Jj- Candido de Soma, Ro Gr-m-le do Norte,
30 annos, -ilteiro. Boa Vis .a, tuberoulose.
Jeorge W. F.ab, America do Norte, 57 anaos,
casado, Boa-Vista, hepatite.
m bomem, Pernambuco, 70 annos, Boa-Vista,
congisto cerebral.
Uin feto do sexo feminino, Pernambuco, Boa-
Vista.
formagOcs que prntaram ao Sr. Dr. Gaspar de
Drammond, cuja boa f, garanto, foi completa-
mente illudida. Estu certo, illustre amigo, que
03 meus companbeiros viriam imprensa com
suas asignaturas em auxilio mesmo dos polti-
cos interesses aos amigos da repblica e do so-
ceg do nosso Pernambuco, se elles erradamon-
te autorisassem a quem quer que seja a fazer
to extranbas declaragOes constantes dos arligos
aos quaes reQro-mt>. Elles, como eu, compre
hendemes perfeitameate a epocba que atraves
samos, a repblica precisa de amigos leaes, de-
dicados e desinteresados, e assim julgo com
franqueza a todos de minha classe aqui.
Aproveitando me da occasio, pego vos o ob
sequo de solicitardes do Estado da Pernam
fcu:o a publicagao dosnomes desees meus com-
panbeiros.
A demora compromete seriamente a minha
classe a principalmente a esta gurnigo. A il
lustre e patritico, junta governativa sen lo reco-
obeoida e respailada pelo governo da capital fe-
dera! e nao ttndo ella at boje desagradado a
meus dignos compaoheiros, que alias sao dis
(intuidos, nao comprehendo a pos.-ibilidade de
ser acreditada a informago prestada ao mes
mo Sr. Dr. Gaspar Drummood.
Com a publicagao do que acbardes convenien-
te desta carta agradecer o vosso admirador e
criado.
Cspito Joaquim Villartm.
Recife, 5 de Margo de 1892.
Diario de Pernambuco Domingo 6 de Max^o de 1892
3
- -- -;.-si
Sempre elles!
COMMHICADOS
Poslces definidas
Do men illustre amigo e di3tinctissimo co-reli-
gionano capito Augusto Qairino Villarim re-
cebi hontem a carta abaixo e que trata de um
incidente :uja eolugo urge e torna se preeita.
A otilisago indebita do nome de urna classe
respeitavel, que'tem sido, n'este como em outros
Estados da Uniao, a maior garanta da ordem e
da tranquilidade publicas, exige do Sr. Dr. Gis
par de Drummond urna resposta na altura em
que se acba collocada a questo.
O facto mai3 serio do que se imagina, nao
porqu-3 se d crdito ao allegado, mas porque,
envolve urca injuria ? urna classe digna de todo
o acataaento porque se tem mantido n'uma atii-
tude correcta e sympatbica.
Dando publicidade caria infra saiisfago os
esejos do meu amigo capito Vlarim e offerego
um ensejo para o Estado de Pernambuco pro-
7ar que a patritica Junta Governativa nao conta
cou a adb^so da maioria de todas as classes
so"iaes- m r.
J. Thiigo (fa Fons'ca.
Iiluslre Ciado Dr. Tbiago da Fonseca.Ofli
cial d'esta gurnigo, felixmenle consciente e
correcto como sei ser no cumprimento de deve-
res de quiiqner Datare, nSo posso por isso ca
lar-me diante do que tenbo lido acerca de coai-
paaheircs meus, infelizmente, envolvidos em pu
blicags f it.s nos ultimes nmeros do Estado
de Pernambuco sob a assignatura do nos:o pa-
tricio o Sr. Dr. Gaspar de Drummond. A affei-
go qus sempre inspirou-me este digno cava-
Ib ;iro obrigou-me a pedir por carta o obsequio
de fazer publicar os noraes dos diversos distin-
ctos oflidaes da guarniglo que se t n mostrado
bos'.is ao patritico e savaldor governo de nosa
patria.
Apezar dos meus desejos de conaecer os no-
mes dos companbeiro3 de3gostosos e desconten-
tes, nao fui anda, com pezar, satisfeito em
meu justo pedido ; no entretanto, com o maior
iotere8se solicitei o, duendo que o fasia em hon-
ra a minha classe que nao pode e nao deve ser
explorada como instrumento de opposigao ao
actual governo. Vjque tendesscienciadoqaan
to foram sympathisados por quasi todos os offl-
ciaes daqui os gloriosos acontecimentos de 23
de Novembro da capital federal, e de 18 de De-
zembro do ana ultimo findo, muito bem pode-
res avahar do merecimento e crditos das io-
A Irotincia e o Estado, aa faina ingloria de
injuriar es dignos membror da patritica junta
governativa, nao trepidam em emprestar-Ibes to-
dos os epitbetos imagioaveis.
Entretanto da comparago que se pode estabe
lecer entre es actos da junta eo pro.--disiento
d'essa gente, fcil fazer resallar a verdode, isto
, fcil torna se prevar que mentirosos, falsoe,
calumniadores sao aquelles que no eentem pe
sar-Ibes a penna ao escreverem arcerves e mais
acervervos de injurias e embus'es. De facto abi
est o telegramma enviado aos jornaes da capi
tal Federal, telegramma monstruoso e cujo sa-
nete i. mentira alvar e torpe.
E assim que querem conquistar a sympatbia
do povo!
Ridiculos 1
Cuidam anda que o publico sensato di cr-
dito ao quedizem.
Eoganam-se ; o publico so pode dar crdito,
pode acatar o governo patritico que despre-
sa as vilesas e faz poltica larga, generosa e til
ao Estado ; poltica fecunda e nobre cerno a da
junta, que por demais generosa tem sido, pois
que conserva as repartieres publicas apinhadas
de oppoeicionUtas, d'aquelles mesmos que sao os
amotinadores da ordem, os conspiradores con!ra
a prosperidade d'este terrao a que o governo ac-
tualmente muito presa-
Podemos affirmar que se, i iver tendo os papis,
o governo fosse d'e3sa gente, nao teria ficado
pedra sobre pedra, a derrubada senamedonha,
terrivel.
Entretanto o actual governo que, ao cont ario
do i proveitoea, despresa esses individuos e cuida
somente nos interesses da patria.
Como, pois, acensar este governo, cerno accu
sar a patritica jcn'.a ?
Que actes tem ella praticado que mer.gam as
penas de urna accussgSo ?
Nenhum ; e e inveja feroz e ador pungente
que invade a gente da opposigo, pela perda sen-
sivel que soffreu, vendo fugirem-lbe os cttres
pblicos, pode se attribur as injurias eos does-
tos infamantes atirados ao ac'.ul governo.
Mas fallera, gritem, el mem, esbravejem, e
certo, nada conseguirSo, porque cima de tudo
est a consciencia do povo que nao crmaisnas
innecencios de drummonds e de outros desinters
sados, patrio'as e dimocratas (!!)
Sim, o po\o nao d mais crdito a quem, no
poder cuida de sugar o erario...
O povo quer um governo que se imponba
sympa.bia pela sua moralidade, pela sua norma
de proceder pautada na lei e atticente a melno
rar o estado social, a satisfazer os interesses de
todos
E eis por que o actual governo vai fazendo ra
zes no corago c.'aquelles que amam esta patria
que digna, por certo, de todos os beneficios.
E e8 abi porque o actuil governo senie-3e cal-
mo, sem temer os botes da opposigo feroz e
desbragada.
Firmado na lei, trabalhando pelo bem publico.^
pugnando ptlos interesses geraes, o actual go'
verno caminha sem visar outro proveito a nao
ser un nome immaculado e as bengSos de Per
cambuco agradecido.
L.
PERNAMBUCO
A sisscmhla geral dos accionis-
tas do Banco di Bolsa cu 7
de Marco de 180%.
Sn. Accionistas.
O primeiro perio lo social, segundo o art. 54
los nossos estatuios terainou a 31 de D z. m
oro dfl 1891, e como pre3creve o art. 39 n. 4
pasamos a cumprir o dever de relatar vos o oc-
corrid) durante ot mezes decerrdos da installa-
fo social at aq ;ella data.
Como sabis foi a 12 de Marco qoe teve lugar
a assecnbla geral constitutiva de nossa associa-
g&o, assembla que approvanlo os estatutos e
actos dos incorporadoss. ao mesmo lempo nos
invisti do mandato com que fomo3 honrados.
E' nos grato ueste momento assegurar-vos
que daranie o curto praso a que se refere este
relatono, o Banco da Bolsa cooseeuiu lisoBgeiros
resultados, quer moral, quer materialmente fal-
lando.
E' forgoso reconbecer que, pela suoposigao er-
rnea a respeito da maneira pela qual procura
ria conseguir seas Gas, este nosso Banco foi re
cebiJo como prevengo por alguna, com descon-
flanga por outros e com retranimento pormuitos.
D'ab resultou que teve de luctar e luctar muito
para nao desapparecer rpidamente como sac-
cedeu a alguna deste genero que tioham sido
creados ao momo lempo em estros estados.
Era eren ja geral qoe o Banco da Bolsa recem-
coastituido, desenvolvera ou procurara aqui o
jogo ele ttulos, promo vena altas e baixa, etc.,
e trrcneameo.e se julgava que poderla elle
conseguir resultado ou preenober seus flns, se-
guindo o mesmo plano de especulagoes de Bolsa
que deram em resultado na Capital .Federal as
serias difficuldades em que se acba Uto impor-
tante Praga.
Fez se preciso destruir a prevengo fazendo
nascer a conanga para nao haver retrahimentos
que muito embaragariam a marcha das iransac-
gOes a que este Banco se destina e tanto quanto
coube em nossas forgas; n3 da directora nro
curamos mostrar que tonga de ser urna insiuui-
gao nefasta e prejudicial ao deseavolviiiento da
riqueza publica e particular, um agente pertur-
bador da ordem econmica, o Banco da Bolsa
instrumento de progresso social sempro prompto
a envidar seus esforgos no que forde reconbo
cida vantagem e utiliJa le publica.
Felizmente abi esio os nossos actos durante
todo o prim-Jro periodo para attes'arem que se
engaoaram aquelles que desfavoravelmente jil
garam o Banco, e ao mesmo lempo para prova-
reoo que sem imprimir as operagOos orientaco
a nosso \: anti-patriotica, sem proaover des-
regradas especulagoes, e, sem que procurassem
nicamente inferir lucros, foi nos possivel pre-
eneber 03 flns sociaes e off-irecor a vossa apre-
clago balango das transaeges com o nao pe-
queo lucro de 260.301^190 feito o confronto
com o caoilal que recebemos, o qual foi de
240 OOOOOO.
Tornos a convcgSo de que i) forsm baldados
ooesos esforgos e que sobre o Banco da Solfa
scha-Ee Armado no espirito publuo aquella con-
Baaga que to precisa aos estabeiecimentos de
crdito mxime aos da natureza do nosso.
Com o proceder que tragamos e seguimos nos
parece 1er perfeilamento interpretado o peosa-
ment dos sennores accionistas.
Ccn6titu:di no dia 12 de Mirgo e cumpridas
as disposigOes legaes que precedem a installa
gao definitiva das sociedades anonymas escolbe-
mos como local o mais appropriado para aBolsi
Livre o espigo que no pavimento terreo da Aa
sociacSo Comr.ercial Bcnecente fieavajuntoa
Bolsa Oflicial e o allugamos a benemrita aseo-
ciago.
Entre outras-razes, que eco vem ao caso aqui
especificar, urna prucipalmele servio ce causa
determinante do nosso proceder naescolbade
tal local efoi a prohibigo que o governo enten-
du dever faier, por meio de decreto, de apre
goameno de litulosem outro qualqaer luearqae
nao na sala em que funeciona a Bolsa Oflicial.
Nenhum inconveniente resultara di observan-
cia do disposto era tal decreto e as mpemas ra
z0'8 justificativas da adopgao da medida para
alli votada, deviam determinar sua app abili-
dade aqui, apezar do decreto referir-se -.6 e ex-
clusivamente a Capital Federal.
No dia 23 de Margo na occasio em qne eram
inicieladas as operag6:s da Blsa Livre apre-
sando o director gerente, os ttulos que trabo.
a vender e a comprar, achandose presente as
pnmeiras autoridades deste Estado e grande nu-
mero de commercii.nt.-s e pessoas gradas, ines -
paradamente parti do presidente e secretario
da junta dos correctores vehemente protesto con-
t-a a abertura da Bolsa Livre alli, junto da Ofli-
cial I
nicamente a bem da veriade convm qoe
aqui fique consignado que nenhuma observago
nos tinba sido feita anteriormente pela junta dos
correctores e que esta nao reclamara a Associa-
gao Commercisl Beneneient-; contra a conces
sao do local apezar de diariamente seus mem
bres assistirem aos preparas que mandramos
faier taes como collocagSo de grandes pedras
com os respectivos dizeres, estrados, mesas, etc.
Verdaderamente eorpreso3 com semelbante
proceder da junta dos corretores, a nos3D ver
ioexplicavel, resolvemos procurar outro ponto
para estabelecer a Bolsa Livre, evitando assim
difflcoldades futuras e ao mesmo tempo restabe-
lecendo a tranquillidade no snimo dos prot s
tantes, reconhecendo todava illegal o acto que
praticaram.
Devido ao que acabamos de expar, foram in-
terrumpidas aa operages da Bolsa L'vre at que
o di? 31 de Margo foi possivel reabnl-a no pa-
vimento terreo n. 2 da ra do Vigario, onde
actualmente a sede do Banco.
Perdidos es das de J3 a 31 de Margo, pode-
mos dizer que s n'esta ultima data comegaram
as operages sociaes
Qases foram estas op?ragOes e o que proluzi-
ram desde ento at 31 de Dszembro v se bem
claramente do balango que a este acompanba e
que fazemos a vossa disposigo na sede do so-
cial durante 30 .lias corro manda a lei.
Sempre tendo em >ista o ioteresse do publico
em geral, e asomma de utilidades que adviro
doa emprebendimentos qoe tenbam por fim prin
cipal o bem publico, logo depois de iostailado o
Banco acceitamos a i leia da incorporago de
dua3 grandes companhias de vantagpns ocon-
leaUvels visto terem que explorar industrias
destinadas a alimeotagSo publicao pao, e a
carne, o leite e o queijo etc.
Esbogados aos projectos para estas empresas,
foram formulados os respectivos estatutos que
na forma da lei sutmet'emos a approvago do
governo federal, e obtida esta, Iratamos logo de
levar a effei'o a Companhis Rectense de Paniii-
cagSo tendo po_ lim o negocio de farinha de tri-
go e o fabrico do po e dos demais pieparados
dessa farinha.
E' desueceesario demonstrar 33 vantagens
di.-ia cempanhia: fazendo vir a larloba por
conta propria e introduziodo no fabrico des p*e-
parados de trigo es melboramentos e machras-
raos aperfeigoades em uso actualmente noutras
cidades, poder vender os productos de suas fa
bricas por pregos inferiores ao3 acluaes com
grande vantagem para os consumidores.
Os resultados da Companhla Rectense de Pa-
nicago, cujo capital 2.000:0004000, nao se
faro esperar attentj ao xelo dos seus directores
e especialmente do director gerente o activo e
intelligente negociante Luiz de Paula Lopes.
Quanto a outra Companbia que denominamos
Pecuaria Fabril seus estatutos esto ap-
provados, mas adiada sua incorporajo em ra-
zo da grande secca qce se nota no interior
deste e dos prximos Estados. Poder ser le
vado a effriito este empreen dimito logo que
naja modificago ni situago actual do centro.
Deotre todas as companhias que possamos in
corporar nenbuma ser to importante, e de
maior utilidade, que a Pecuaria Fabril *
Promovendo e desenvol vendo a 'creago do
gado vaceum, cavaar, ovelhum, suino muar,
corando deaperfegoar e cruzar as ragas, explo-
rando todas as industrias que resnltam da pas-
tonal taes cono o fabrico do qneijo, da mantei
ga, da banba, o curtimento do couro e a venda
do ocuro dos bodesos chamados courtnhos!5o
procurados no nosso mercado, ella tem ante si
Tontee intxgotaveis que asecgurr.m o melbor
po ssi' el o resultado de suas operogOes.
Com a creigSo da Pecuaria Fabril surgv
rm entre nos novas jndcs.nas e outras, prati-
cadas rotineiramente, tomaram incremento e
pro3periram:
Segundo os estatutos o capital de 500:000
para o inicio de sua existencia, mas poder ser
ti. vado at 3 000:000i 00 qutrado for preciso a
consecugo de seus lii-.
Por delegagSo de terceires o Banco incorporou
a eoctedade ancnyma Ann com ocapit.l
de 50.O000O0 e festinada a proporcionar diver-
timeulos pblicos, promover o cultivo da msica
e do can'.o por meio de cencertos classlcos e po
polares e de representagOes lyricas ; dar repre
SfttagOes drama'icas conconendo para desen-
volviatento do tbeatro nacional.
Pelo decreto do 17 de Agosto de 1891 do go
verno do Estado, e Dlo contracto que no The-
souro foi lavrado, a Sociedade Ann explo-
rar o Tn-alro Santa Isabel dorante 10 annos,
sendo obrigada a cumprir as clausula3 do mes-
mo contracto.
Nao bavenlo no3 estatutos disposigSes que
prohibissem incorporar companhias para funccio-
nar em ouiroi E-tados, quando procurados pelo
Sr. Jos Varan ia3 de Carvalho para tratarmos
da obtengo do capital para urna que se e-ncar-
regasse de restlllar alcool e fabricar pipas, bar-
r?, etc., no Estado da Parabybe. acceitamos o
encargo de incorporar a Companbia Reatilla
gao e Taaoaria Mecbani a da Parabyba, com o
capital Ce 200:0(0*(i0.
Esta companbia acha-se installada e funecio
cando na capital da Parabyba e tem como dlre
clores os Srs. Joaquim Garca de Castro, Augusto
Gomes e Silva, Antonio Pinto Guedes de Paiva e
Jos Varandas de Carvalho.
A mudanga operada no sys tema de transporte
dos productos deste estado para o estrangeiro e
para os demais estados, a subsiitoig&o das em-
barcagOes vela pelos vapores que nao tee.n nos
portos a demora que aquelles tioham, e o aug-
mento que se tem notado na produego dos g-
neros exportaveis, e na entrada dos importados
faria com que se lornasse necessaria a organi
sago de urna companbia para a explorago do
servigo da embarque e desembarque dos gneros
e em condigOes de poder com prssteza carregar
e descarregar os vapores.
O coDgrrgimento de diversos exploradores de
taes servigos, servindo de base constituicao da
icompanhia, 003 parecen o melner meio de levar
a effeito saa incorrorago.
Aceita a idea entrou o banco em accordo com
quasi todcs os denominadosalvarengu^iros e
foi firmado um contracto em quo estes se obri
garam a cJer compaohu os bens p. la somma
em qu3 fosseTi avallados ea nao coitinuar no
mesmo genero de negocio.
Eita companhia funeciona hoje sob a denomi-
nago de-Companbia de Servigos M-iri'imo3 de
Pernambuco, com o capital Je 3 000:000 JOOO
tendo realisado ao.npote 50 / e possuiodo bens
no valor de 2.235:850^000.
E' evidente que tonas ts companbia? in::orpo
radas sao de incontestaveis vantagens e de uti
lidate publica; o mesmo. porm, succele com
oulras que teem de ser incorporadas.
Af ra a Pecuaria Fabril aque ji nos referimos,
0 banco est preparado para outras, como por
exemplo : a companhia para o fabrico de movis
qoe se: a cooflaa a gerencia do conbecido e
acredita iisimu artista Gailberme Spiler, e que
urna vez luontadai suas fabricas ispensarSo a
importagao da movis estr-rageiroj qjalquer que
1 i i a quaiidade ; e tambem a cumpanhia que
explorara o servigo de illuminagio publicae par-
ticular nesta cidade, urna vez hvrado contracto
com o banco nos termos do edital de concurren-
cia, su como 6 di; es aerar for aceita sua proposta
recoohecida como a mclfcor.
Tem bavido grande e ioexplicavel demora no
julganien'o del nitlvo da concurrencia para a il-
luminago pub ica, cujas proposlas foram aber
tas em 33 de Agosto de 1891, us certos de que
a alta direegao dos negocios publico deste Esta-
lo eaber cumprir ocompromioo tomado no
Edital de 16 de Fevereiro de 1891, abriado a
concurrencia e tambem do direito que adquiri-
los em razu das rltu.-ulas do mesmo Eiital,
aguardamos a deciso final que nao de.e ser
co traria ao Baaco da Bolsa e enlSo com capi-
(aes nacionaes organisaremoa urna empreza que
se encarregue de to importante servigo, fazen-
do-o a conteni eeral e de modo a sereno aban
donados o gas kerosene e as lampadas belgas
que ltimamente tem serv o no3 estabeleci
melos commerciaes e casa particulares.
Contando como certo que com o Baaco da Bol
sa ser feo o contia.'to de llumloago, convi
datro3 os Srs Accionistas a realisarem duas en-
tradas de 10 % do capital subec-ipto em 15 de
JmeiroelS de Fevereirolicando realzados
40 % ou 600:000*01.0;
Durante o d^o a que nos referimos oeste re
lalorio foi o Banco eucarregado da emisso de
obrigac;033 preferenciaes pela Companhia Per
namnocana de Navegago alVapor, pela Cornp
cha de Santa Thereza de Olinda, p*ln Compa
nbia de F.ago e Tccidcs ce Pernat; '.r-i-
cola e Mercaniii do Pernambuco e pelo Banco
Emissor pe Pernambuco por conta de lerceir i
venda de crescido numero de letras bypotii -j 1
rias.
Tambem foi encarregado da venda de macar,
D&i tendo aiola este servigo o desenvolvimen'o
que poder ter.
Aitendendo ao resollido ob ido dastran3i3-
gs, rtsolvemo3 : destriuir o primeiro ev!-
den-o ua razao.de 12 /o ao anno, ou 28:996*310
levar a fundo de reserva nos terraos do ai t. 47
dos Estatutos 23.108*290 e licar na conta de lu-
cros suspenso com 140:444*930.
Durante este periodo loratn transferidas i470
acg5e3.
Pelo balango e o mais que anoexamos podem
os Srs. Accionistas Buppnr os lucros deste rea
torio.
Obrigando a lei que durante 30 das antes da
reunio da assemblea geral tiquera na sede so
cial o balango, lista dos accionistas, etc., a dis
posigo dos accion-ta< e te ido terminado a 3
deDezembro-o pnmetro periodo social, bem
comprehendem os Srs. Accionistas que impossi
vel nos foi e ser cumprir o disposto no art. 15
dos Estatutos, e por isfo to pdle ter logar a
presente assemblea geral no mez de Janeiro.
Fizemos o possivel para continuar a merecer
a v js:a contiang-i.
Recife, 4 de Feseretro de 1892.
03 directares,
(9

ro O
B
o-
o.
a
o o a
ojo
3S0.

Sg
a 3. -3
ut aj -*
o
00 cj
5
3-
o" S"
*^ o a
* a. 3
~. to
Ti
o.
a
B
9
s
9
i &!
'8'
o w w ce o*, ce
o soit >r
Ip- T< 00 011: 00
t, &. e~ t,. v fi
c; --o -o ~ O C
OOOOO O
5?
I
o. H
0 a,
I
c T 2
ca ir.
* en
O o
5 5" fl
s 2
5. "S ft
" o.
I
8!
\i

II
B
OC US
^j 01
O -" -1
oc
C! tC OC
C Cl i^
i
o
H
2

09
H
2
5
>
o
k
G
O
w
o
H
O
>
os
s
CC
o
O
M
-.
P5
te
o
X
o:
B
e
M

O
T
Jos Adolpho Rodrigues Lima.
Antonio Luiz dos Santos.
P.dro Jos Pido.
Parecer do conselho fiscal
Srs. accionistas.O conselho fiscal do Banco
da Qo3a, comprindo o seu mandato, tem a sa-
tufjgSo de declarar vos que havendo examinado
attentmente as contas a qoe refere-se o balango
fecnado em 31 de Dezembro lindo, encontrn as
de accordo com a escripturago que ett em da
e em devida ordem.
I icorporou o Banco nos nove mezes de sua
existencia as seguintes companhias :
Restillago e Taooaria Mecbanica daParahyba.
Recifeose de l'aniflcigao.
Sociedade aoonyma Arion.
Servigo3 Martimos de Pernambuco.
Pela demonstrago da conta de lucros e per-
das, veris, Srs- accionistas, que os lucros lqui-
dos montaram a 231:082*860, dos quaes a dire-
ctora prudentemente, distribue o dividendo na
razao de 12 / ao anno.amortisando as despezas
de installago em 25 ', constituindo o fundo de
reserva proscripto pelos estatutos, de 10'/,, e fi-
nalmente passando para lucros suspensos a im-
prtante somma de 140:444*950.
Coosequentemente o conseibo fiscal vos p*c-
pOe:
Que approeis as contas apresentadas pela
adminiitrago do flanco, qual cabe um voto da
louvor, especialmente ao director-gerente, que
tem sabido corresponder justa conbanga que
mereceu dos Srs. accionistas.
Pernambuco, 4 de Fevereiro de 1892.
A. M. de Amorim.
Torquato 1. S. Quimar&e:
Albino Jos da Silva.
re
d

So
S"
o-
00
- 5' ^ ~ = es o
S;w a = H
st=3-
. n ca as O*0 .
b X
. 3 a ^. .
a. 0.=
3 cd cd
. P^.
Oso
... n-
.
*
a
e
CJt !C *<- 1! O
"iiost
SH!
i*O!Ci:0C
iiiiii

i*
f
I
li-
li
i3
2 3 3
III
OS ^O T
os a
r--3 n
n a V-3
0 o S
ao 1 m
II"'
su
5
i
i!
-i

k m
I
W B
a o
Acta da sessSo ordinaria das-
scmbla geral da Fabrica de
Flaca e Tecldos de Pemam-
bueo.
Presidencia do Illra. Sr. Manoei Joao
d'Amorim
A l hora da tarde do dia 2 de Margo dp 1892;
presentes no escriptorio da Companbia roa do
Bom Jess n. 42, 1." andar, o film. Sr. Manoei
Juo a'Amorim e como procur?dores dos Illms.
Srs. D. Anna Marques d'Amcrim, Antonio B>n-
riques Rodrigues. D Amelia Leite Ferreira. Ba
rao de Casa Forte, Elisa Walck'er Emilio Evan
gelista, Hmrique Ventura do3 Santos Reis. her-
deiro de Jos Livramento Manoei Joo Gomes
d'Amorim, Marianna Vtntura dos Santos Reis,
Macoel Ventura des Santos Reis, Manoei Jos da
Silva Guimare3 e como procurador de sua mu-
iher e filh03 menores. Thomaz Comber e como
procurador de sua mulher e Olios menores, Izi-
doro Bastos d'Oliveira, Jos Jo d'Amorlm;
Ilenrique Saraiva, Df. Joaquim Ayes d'Almei-
da Freitas, Torquato Jo; da Silva Guimaraes
e como proenrador de suas iroaes D. Laura da
Silva Guimaraes e Isabel da S.lva Guimares,
John Alfred Tuom e Jos Jaaqnim Moreira, re
presentando tres mil tresea'as e sessenta e cin-
co aeges ou tresentos e trinta e seis conto3 e
quiohentos mil r.s, declarou o Ilm. Sr. presi-
dente achar se constituida a assembfa geral
com numero superior ao exigido por le para
approvago das contas do anno lindo e eleigo
dos fuoccicnarios da Companbia.
Na falta do 1." secretario oceupou o logar o
3eu substituto legal Torquato Jos da Silva Gui-
maraes e foi nomeado para 2." secretario com
approvago d'assembla geral o Illm. Sr John
Alfred Thom.
Sendo llda a acta da ultima assemblea geral
de 2 de Fevereiro do anno findo e posta em
discussio foi approvada aem contestago.
Passanlo ee a proceder a leitura do Relatorio
da dirs:storia, referente ao anno de 1891, pedio
a palavra o Sr. Jos Joaquim Moreira para re
querer dispensa de leitura, visto ter sido publi-
cada e estar os Srs. ac iomstas de posse de um
exemplar, o que foi approvado sem prejuizo do
parecer fiscal, que do theor seguinte :
A comm8sSo 0cal abaixo assignada, em vir-
tude df- que dis roe o 20 lo art. 44 dos Esta
tutos desta Companhia, examinando a sua es
criplurego achou a em Loa ordem, com asseio e
clareza.
Os fcalangos ap-esentado3 : activo e passivo e
lucro3 ou perdas. encontrou-os exacloB.
O lucro que teve a Companhia no a mo findo,
(31 de Dezembro de 1891) foi de 207:300*132,
sendo cm panno vendido de 197:306*820 e em
entras verbrs de 9:953*312.
Depois de deduzidas todas as de3pesas cons-
tantes da conta de lucros 00 perdas, flcou um
saldo de 90:173*582. que passeu para o crdito
da conta de lucros suspensos, que junio ao sal-
do do anno anterior (1890) prefaz a quantia de
114:598*719.
Com esta quantia flcou a Companhia com ele
mentos para nSo langarfjmos dos lucros que por
ventura auBra do corrente anno de 189, cir
cumstancia esta, garan'.idora dos capitaes em-
pregados.
Passando a commieso a examinar na Torre
as novas obras da companhia encontrou o edifi-
cio da nova fabrica em estado de receber a co
berta, estando ji assentada a terga parte das bl
cas do teihado e columnas.
As casas para opera ios j se acham oito co
berta s. seis em andamento para receber a ber-
ta e quatorze com os alicerc es promptos.
A fabrica da Torre acha se completa de ma
chinismos e irabalhando regularmente, sendo
para notar se o asseio regulariaado e disciplina
em seu pseos!.
O estado florescente ria companhia sorpre-
hendente pelo zelo e dedicago da actual dire-
ctora, composta dos Srs. Manoei Jos da S. Gui
maraes, Jos Joo de Amorim e Thomaz Com-
ber.
Portanto propomos:
l.o Que approvela as contas apresentadas.
2. Que deis um voto de louver a directo-
ra.
Recife, 9 de Fevereiro de 1892.
Henrique Saraiva.
Thomaz Comber Griffith.
Jos Joaquim Moreira.
Posto em discusao e nao havendo impugna-
go, o Illm. Sr. prndente poz a votes o parecer
da comroisso, relatorio, contas do anno findo e
actas da airectoria, que foram appr, vados, nao
tomando parte na votago os directores e mem
bros da commwso fiscal
O I !m. S-. presidente convidou aos Srs. ac-
cionistas a fazerem a lista dos fonecionartos da
comp mbia de conformidade com o do artigo
dos estatutos, as quaes recclhida3 em urna urna
e apu-ad.s. servindo de escrutadores os Illms.
Srs. Henrique Saraiva e John A Thom, deram
o segu.nle resultado:
Mcsa.de assemblea geral
votos
o
i
s


8
6
I
ce
^secretario, Dr. JosE. Ferreira Jacobina-
2' secretario, Torquato Jos da SiJva Gtwa
raes.
Directores
Manoei Jos da S;lva Guimaraes.
Jos Joo de Amorim.
Taomsz Comber.
Commisso fiscal
Henrique Saraiva.
Dr. Jos M da Rasa e Silva.
Tomaz Comber Griffith.
Nada mais havendo a tratar-se e sendo doac
horas da tarde, o Illm. Sr. presidente dea par
fiada a reunio.
E para constar, eu, Torquato Jos d3 Silva
Guimaraes, mandei lavrar a prsenle, em que
me assigno com o Illm. Sr. presidente.
Manoei ioo de Amorim.
Torquato Jos da Silva Gxtmaraet.


aBBMBBMBB


Banco de Pernam-
buco
Capital do Banco Rs. 8:000:0005000
dem realisado 1:600:000^000
Fundo de reserva t 300:0005000
Bataneo
|EM 29 DE FEVEREIRO DE 1892
Activo
Accionistas 6.400.000 OOG
Letras descontadas 779.813*SW
Coutus correntescaucionadas etc. 3.92.878 Caugo da directora 20.000*i)0
Diversas agencias 5-629.492*430
Valores depositados 2 676.660*780
Diversas contas 1.063.159*446
Letras a receber 1.255.286*780
Caixa :
Em moeda corrente 2 545.026*910
Rs. 24.304.417*339
Passiso
Capital 8.000.000Of
Fundo de reserva. 30P.(?00*000
Lucros suspensos.. 135.286*480
-------------433.286*48
Depsitos:
Contas correntes de
movimento..... 5.137.322*890
Ditas correntes com
aviso........... 9rj3.3l3*550
Letras a premio... 4.439.115*520
--------------10.529.751*958
Diversas garantas (depsitos vo-
luntarios) 2.-9.960*788
Diversas agencias 1.334.727*660
Diversas contas 1.300.739*750
Dividendos na. 7.251*200
Rs. 24:304.417*83
S. E. 4 O.
Pernambuco, 5 de Margo, de 1892.
XV. M. Vl'cJbMlcr.
gerente.
Ed.F. da Silva,
contador.
CHROHICA fDlCIARIA
lunta Commerclal do i'stadjdt
Pernambuco
ACTA DA SESSAO DE 25 DE FEVEREIRO DE
1892
PRESIDENCIA DO SR. DBPBTADO JOAQCIM OLINTH
BASTOS
Secretario, Dr. Soares de Avellar
A's 10 horas da manh, foi aberta a ses3o es-
tando presentes os Srs. deputados : commeoda-
der Lopes Machado, Figueire lo e Paula Lopes,
faiUndo com participago, o Sr. depotado Bel
tro,
Lida, foi approvada a acta da sesso anter.or
e procedeu-se a leitura do seguinie
EXPEDIENTE
O nielo;:
Da Junta Commercial de Belm, de 6 do cor-
rete, remetiendo a relago dos coaomerciantes
matriculados no decurso do segundo semestre do
auno prximo bndo.Accuse se a recepgo*
chi ?e-se.
Da Junta dos Correlorea u'esta praga, de 21
do corrente, enviando o bolelim da semana de
15 20 Para o archivo.
Foram mandados rubrica oa seguintes h-
vros :
Dianos : oe Enees Barbosa, Coaper & C,eda
Companbia Cbaptllaria do Recife.
Copiadores de Ennes Barbosa, Cocper-de C, e
da mesma Companbia.
O Sr. Presidenta deu sciencia Junta de qoe,
em data de 23 do fluenle e em vista da urgencia
allegada, deferio a pe'.igo em que Eduardo Bu-
beux solicitava a entrega do documento que jun-
tara ao reqnermento de sua nanga, para exercer
o cargo de corretor d'esta praga, atm de poder
seu fiador receber do Tbesouro do E-.tado, os ju-
ros vencidos de suas apolices.Inteirada.
DESPACHOS
Petiges:
D Antonio Francisco Areias, pedmda-o .re-
gistro de saa firma individual.Registre-Be.
De Guedes de Araujo & FUhos, na qoalidade
de procuradores de Rubertson Braa dt C, resi-
dente na cidade do Porto, pedindo registro 'le
marca de fogo, conforme o modelo constante aos
exemplares qa jontam.lodeferido, em vista
do parecer.
De Enne3 Barbosa, Cooper gistro de sua fl'm commercial.Seja rea
trada.
De Antonio Joaquim Casco, Jos Lopes de
Oliveira e Antonio Carneiro Ferreira Torres, este
por seu procurador Manoei Umbelino Ferreira
da Silva, pedindo o arebivamento do seu dis-
tracto social.Archive se.
De Pinto t-Ribeiro, pedindo de navo o arotu-
vamento do sen distracto social, visto aadr;de>
verem de sello.Como requerem.
Nada mais havendo a tratar o Sr. Presidente
encerrou a sesso s 11 1/2 horas do dia.
Presidente, o Visa. Sr. Manoei Joo de
Amorim
Presidente, o Ii'.m- Sr. Izidoro Bas-
tos de Oliveira
! fecretario, o Llm. Sr. Dr- Jos E.
Ferreira Jjcobina
2* secretario, o Illm. Sr. Torquato
Jos la Silva Guimaraes
O Illm. Sr. Joo C. Ayres
Directores, os Illms. Srs.:
Mano> I Jos da Silva Guimaraes
Jos JSo de Amorim
Thomaz Comber
Antonio Fernandes Ribeiro
Tnomaz Comber Griffith
Joo Alfredo Thom
Commisso fiscal
Os Ilms. Srs.:
Henrique Saraiva.
Dr. Jos M. da Rosa o S Isa
Thomaz Comber G'ifib
Izidoro Bastos de Oliveira
W. M. Webster
Antonio C. Valente
Jos Joaquim Moreira
Jobo Alfred Toom
OBIm. Sr. preieate detlarou acharem-se
eleitos por maioria da votos: n-, M
Presidente d'assembla geral, Manoei Joao fle
Amorim.
293
20
313
311
2
293
293
293
20
20
20
293
173
263
38
30
30
20
It
ECHQS U SEUS,
Revista de col labor aco
POR
Nemo & Ignotus
Smmaeio :O Carnaval de 92 A dopo-
sijSo do presidente do Ama
aonas.Sorpresa que nos
cansou pelo modo porque
foi feita.Mais um Minis-
tro fra. Caiporismo da
pasta do Interior.O Ba-
calbau em acc,ao.Ooaaas
da Humanidade.
Na ausencia do groaseiro e periculoao
entrado, dos tumultuarios e fataes brin-
qnedos d'sgoa e do p placido e serene
correo o Carnaval deite anne.
A rapaaiada foliona pagon mais ama
vez e satisfactoriamente o seu tributo ao
deus da pandega e da gaihofa, ao toni-
truante e funambulesco deas Momo-
Se, porm, o triduo carnavalesco d
92 entre nos, nSo apresentoa-ae-noB oom
aquella execus^o faustoaa de bons doua
lastros paseados, na criee financaira que
atravesaamoe est toda a origem, toda a
culpa de um tal acontecimento.
A troupe folgasS qui mu n5o poada
ser expansiva em anas alegras em face
da caresta de todo os artigoa necesaa-
rioe a ama b6a oxtribioSo traaneaea.
Apeear, porm, de tudo isto a taatte-
rada foi numeroaa o os Clubs primara
por seus ptimas enaaioa e finaa onticla.
Povo muito povo enchia aa mas d ci-
dade, algumaa laa, quat. achavam-ae fea-
tivamente adornaAt, Bobranabindo m da
Rosario Larga 0 Bom Jess.
4
i


Diario de Pern; nibuco Domingo 6 de Marco de 181*2



Os referidos Clubs abrir im os' seas sa
ISes aos tradicionaea bailes matches, onde
o riso, as flores, o champagne, t> polidsi e
o agrado nao foram poupados para a bar-
moniosa nota da festa.
Os bailes pblicos correram regular-
mente.
Sobretudo o Carnaval deate anno cele-
brisou-se pela traaqailiidadj e boa or-
dem.
E antes assim.
Na quarta-feira sorprehendeo-nos o te-
legramma da deposi$ao do Sr. Thauma
turgo; scrpreza tanto mais rasoavel quan-
to esperavamos que o ex-presidente do
Amazonas smente deixasse a administra-
cSo desse Estado depois de ter queimado
o ultimo cartucho, depiis da cidade em
ruinas, depois emfim de urna rubra tra-
gedia como elle proprio promettia.
Entanto urna simples intimacSo do
commandante da Hotilha, recdeo se aquello
militar, com o que ainda nSo satsimo deo
as de villa Diogo.
Bem que dizem que falar fo'ego e
obrar que substancia.
O Sr. Tbaumaturgo promettia mundos
e fuios e, em substancia, nada fez.
Faz nos lembrar este facto aquella tabu-
la de La Foutaina do Parto da Monta-
una.
Tal e qual :
t Chega o dia e com eatrondo
A trra toda tremeo
Esperandj-ae u-n gigante
Um camondongo nasceo *
A depoaicSo do presidente do Amazonas
foi um verdadeiro parto da moatanba.
Mas que o Sr. Gregorio de melhor
modo nao podia revelar-se thaumaturgo do
que proceaendo do modo porque o fez.
Em todo caso fez muito bem em pou
par o sangue dos amazonensea e melhor
teria feito %se nao se tivesse demorado
tanto em decidirse pela paz.

J comecam novamente a apoquentar-
nos os telegrammas de retirada de mi-
nistros.
O Sr. Lobo pareca que nao se deo bem
com a athmosphera que se respira por
aque.las regiSss d j interiyr e l deixou o
seu cantinho que at agora inda nSo en-
controu occupante.
Mas qual a razSo de achar se encaipo-
rada aquella pasta que cortamente hade
ter sido fabricada com a mesma materia
prima e mSo d'obra das outras ?
S2o segredos da natnra
Que os decifrem os homens da...
ESCBIPTCB!.

Estamos em pleno dominio do baca'.hau
(do bacalhau, peixe).
E dizemcs do bacalhau porque na pre-
sente quadra elle o comestivel obrigad
tedas as mesas desde a do nobre a do
nfimo plebe), emquanto que os domis
habitantes das aguas nSo podem ser sabo-
reados por todos os restes que desejam
tacrifleal o em holocausto ao martyre do
Golgotha.
Entramos, pois, na epochj da abstinen
cia e das contricyS:s.
E, ainda a troupe dos ze peireiras doi-
dejava alegremente pelas ras, bolicosa e
sorridente, j os campanarios dos nossos
innumros templos estavam para ahi a
lembrar nos, badalando C'nzas a triste
e dura verdade de quep somos e em
p havemos nos tornar.
Depois da alegra e do riso sempre a
tristeza e o pranto.
Ao Carnaval saccedem os quarenta dias
do piedoso culto tributado pelos fiis
divina tragedia do Calvario.
Aos bailes e as demais featancas cama
valestas, seguem-se os sermoes, as jacu-
latorias e mais act .s religiosos.
A tribu dos folgazSos despe a mascara
da folia e afivelia ao rosto sempre attrei-
to a todas as scanas da vida, a da pieda-
de que nSo sent a da contricjSo que af
fecta.
Cousas da Humanidade.
SPORT
Deirby Club de Pcraambaco
Hoj'3 o Prado da Estancia d a aua cor-
rida a anunciada.
Deve ser urna bolla reuniSo pela at
traccSo do progr.m aa, que effedivamente
convida a concurrencia.
E esta nSo fallir... sobre tudo por
ser urna partida de matar saudades...
pela sinalepha de domingo, o gordo.
COMMERCIO
Bolsa Commercial de Pcrnam
buco
OTAv'KS officiaes da junta dos cob-
EETORE8
Praqa do Recife, 5 de Marcp de 1892.
Acses do Banco de Pernambueo do valor rea-
usado de 000 ao prf co ci 65*000.
Na Bolsa ven eram se :
(50 iccOes do banco de Pernamauco.
O presidente,
Eduardo Dubeux.
O secretario,
Angosto Pinto de Lemos.
Cambio
PRA(,'A DO RECIFE
Bancos otlereceram sacar a 11 5/8 em achar
tomadores.
Em papel particular houve negocio pequeo a
11 7/8.
PKAA DO RIO DE JANEIRO
A coudelaria Primeiro do Junbo resol-
veu vender o cavallo Vingador, que por
seu8 foitos em nosso turf ato lhe pode
ser negada a quatidade de bom parelheiro
entre os demais deste Estado.
Rodado, de tamarho regular, com 6
annos, Vingador nao tem achaque nem
deleito algum, apresentando urna bonita
estampa.
E' esta a aua historia sportiva.
Estrcou no Hippcdromo em (i de Julho
de 1890 na distancia de 800 metros, nao
obtendo classificacSo; em 20 venceo f-
cilmente no Prado da Estancia a 12 com-
petidores percorrendo 800 metn em
61" ; um 27 confirmou no Hippodromo
em igual tiro aua victoria antecedente,
gaah indo em 60" ; em 7 de Dezembro
percorreo no Prado da Estancia oa 1000
m :troa em 75 1(2" ganhando empatado
com Conforme.
Em 4 de Janeiro de 1891 featejou com
a sua apparigSo na raa do Prado Peraam
bueano a brilhsnte victoria que obteve na
distancia de 1000 metros, percorrendo a
no e-plendido tempo de 72 1|2" e ven-
cendo nease pareo a 12 parelheiros.
Em 12 de Abril obteve o 1." lugar no
Hippodromo do Campo Grande percorren-
do os 1000 metres em 73" ; em 19 con-
firmou anda essa victoria, batendo co
Prado Pernambucan do modo o mais
brilhante a mesma turma que batera no
Hippodromo chogando ao vencedor com-
letamente folgado e at abancado em
5" ; em 24 de Maio venceu novamente
no Hippodromo, fazendo magnifica corrida
e percorrendo os 1000 metros em 74" ;
em 14 no Hippodromo, carregando 59 ki
los de peso, moatrou a sua forja batendo
em 74" na distancia de 1000 metros a
Vivaz, Bonaparte, Gerfaut e outros aoi
mses ; em 20 de Setembro, no Prado da
Estancia, obteve ainda ebegar ao vence-
dor em 1." lugar percorrendo os 100 me-
tros em 73;' ; e em segunda carreira so
mesmo tiro nease mesmo dia, batendo ca-
v&llos da forja de Berlim.
Depois d'easas corridas foi por poucos
dias retirado do trabalho sem tiros de
10C0 metros para pr-ae em condicSes de
competir co grande premio que se annnn
ciava (aaudicap) na distancia de 1609 me
tros.
Effestivamente em 18 de Outubro teve
lugar a corrida, achando-se inscripto entre
outros com Pyrilampo, Vivaz, Mouro e
My Boy ; causando gera! sorpresa e gran-
de enthusiasmo aos seus apologistas a es-
plendida victoria que conseguio em 122".
Todos tinham \ingai:r como animal
para tiros infeiioresa 1000 metros, mas
elle n'esse pareo da milha mostrou-se ani-
mal superior, de urna constituidlo de ferro
e capaz de grandes esforjos.
Para um animal descochecido bastara
esta vutoria para collocal o entrn os pri-
meiros animaes fi'.hos d'es'.e Estado, i as
Vingadcr j tinha firmada a sua reputa-
(So, e essa victoria apenas foi mais urna
corSa de louros que reuni as j adquiri-
das.
Tem assim a etncado 11 victorias oito
segundos lugares e chegado se a vezes eaa
3., tendo vinte corridas sem classificacSo,
e bavendo chegado em 4.' lngar em
um grande premio na distancia de 2000
metros. Alm disso, tomoa parte em dous
pareos de csteeple cbaise
Levantou em premios a qaantia de rs.
2:7 K 0000.
PUBLICARES A PEDIDO
Em geral as seaboras repagnam todo o qoe
tem o nome de remedio, aobreludo os purgati
vos Entretanto elles eao indispensaveis para
combater as euxaquecas, as nevralgias, as dores
de esiomago e outros incommodos de que ellas
eoffrem. Felizmente a sciencia poaaue actual-
mente um lanxunte, qoe, por seu aspecto e por
aeu sahor, nada tem de repa.30.ante e geral-
mente bem acceito pelas senhoras mais delica-
das, "a Fruta Julien.
Aos bancos kypothe-
carios do Rec fe
Previno aos bancos que o cidadSo Ma-
ooel de HollanJa Cavalcante a'Albuquer
que, domiciliado nesta povoacSo, nSo pode
hypo'.hecar a casa que aqui poaaue, visto
que olla situada em terrenos pertencen-
tcs a mais de urna pessoa, sendo eu um
dos eeus condominos : pelo que, protesto
contra qualquer transajSo effectuada tendo
por obj-jcto a mesma propriedade que
est indecisa, sem o meu cousentimento
legal, nos termos do dec. da 19 de Ja-
neiro de 1890, art. 4. } 8.
E quando os bancos exigirem uertidSo
de de emboljo dos bens cfferecidos hy-
pot'i c.t, nSo dispensera a do escrivZo
das execugBes quando o hypothecante, ao
envez das certid3es dos eBcriv&os do civel
e commercio, que trabalham por distr:-
buijSo, apreseotarem smente a do dis-
tribuidor, urna vez que, a execucSo e as
po sea judiciaes as comarcas do interior,
onde sempre ha escrivSo privativo das
exeo'Jc3js, se proceBsam sem qie o dis-
tribuidor con ie$a dellas, pois nSo soffrem
deatribncBo esses feitos.
Alago. do ^arr, 3 de Margo de 1892.
Manoel Gregorio.
Cabo
0 Dr.Jjaqaim Felippe xoa a
ne;ta ciade e d consultas
Duarie.
Prtsia-se chamados a quilqaer
sua residenot
na pbarmacia
aora.
Consultorio Medico
O Or. Manoel Argollo com pratica noa
hospitaes de Paria e Berlim, tem seu con
sultorio na ra do BarSo da Victoria n. 1.
Especialidades. Molestias dos appare
lhos respiratorios, circultorio e digestivo
Consultas das 12 a 3 da tarde.
Chamados escriptorio.
Telephone n. 658.
tabella das entradas de assccab e al
godXo
_______Me* de Margo_____
Entradas
Jarcagaa ....
''acores.....
\nimaca ....
Satrada de Ferro Central
liesi de S. Francisco
dem do Limoeiro. .
Somma.....
Dias
1 a 5
a
a
I
a
a
Assn-
car
Saceos
5vl3
2t28
2143
808
~H002
Algo-
do
Sacca
104
588
1070
156
582
Consultorio Hedico oculista
O Dr. Berardo communici aos sues
dientes, que mudou o seu consultorio do
predio n. 26 da ra do Bom Jess para o
de n. 9 da mesma ra onde continua a dar
consultas de 1 hora as 3 da tarde.
ResidenciaMagdalena.
Telephone n. 366.
Vo
A
ce
nunca mais se
restabelece
se
Quando aquella onda me bater eu
re: levado psr ella e morrei afogadot.
Assim g.'itou um marinheiro agarrado
a um caso ds navio tem naufragado ao
ver um tremendo rolo de mar qua o amea-
cava. Todavia elle vvju ainda para
poder contar da historia salvo em trra.
t Antes de decorrer urna semana eu j
nSo existirei !
Assim disse urna mulher ao tempo de
83 achar possuida de um grande receio
A depeito disao ella tambem viveu e
vive aindapara explicar a sua posicSo.
Eis aqui a sua historia, contada em
Euas proprias palavras e completamente a
seu modo. Diz ella :
noo
Excoriado
aan i dx mrq> d >s 2
f ara o exterior
11 J i banca rio.
totaces de gneros
A88CCAB
Pora o ag~icultor
B.-anco por 15 kilos. 64200 a 61900
Smenos dem idem. 41400 a 4*5(0
Mascavado idem idem 31400 a 31500
3rnto secco ao sol idem dem 21700 a 31100
Rtame idem idem .... 21000 a 21400
Isinas idem idem..... : 200 a 61800
Mercado muito animado.
AlgdSe
Nao nouve negocio.
Borracha
^ota-te nominal a 2*000 por 15 kilos.
Carnauba
Cota-se a 12*000 por 15 kilos.
Caroeos de mamona
Jota se a 1*900 por 15 kilos.
Coaros
Seceos salgado? na base de 15 kilos a630 ris.
/erdes nominal 355 ris.
flel
?or pipa de 480 litroj 80*000 na (alta no mer-
cado .
Alcool
Por pipa de 480 litros de 240*000.
Agurdente
Por pipa de 480 litros 150*000.
Careos de algodao
CoU-K a 000 res por 15 kilos.
Congo, pira Paris, carra-
com rcoedas de
No vapor francez
retram :
M. J. de Andrade, 1 caisote
prata no valor de 1:000*.
Para Bordeaux, carregou :
V. Grandio,400ramma8 de ouro e 700 ditas
de prata.
No vapor Irancez Orenoque para Buenos
Ayres, carregaram:
M. Cordero* C, 350 barricas com 31,350
kilos de assucar oranco.
Para Montevideo, carregaram :
J. Baltar & C 1 caixinha com 1,130 patarOes
nacionaes.
Para o interior
No v.-.por francez V. de Buenos-Ayres, para
Rio de Janei o. carregaram :
C. Perea 4 C, 500 sacos com 30,000 kilos de
assucar maccavado.
D. F. Porto Baltar, 80 p?pa3 com 37,200 litro3
de agurdente.
Compannia de Estiva, 800 saceos com 48,000
kilos de assucar branco
C. Ferreira&C, 40 pipas com 18,400 litros
de agua-dente.
H. Bu le 4 C, 1,000 saceos com 60,000 kilos
de as3Ufr branco.
No vapor nacional Jaboatao, para Saltos,
carregaram :
Arr.oritn Irmaos 4C, 10 pipas e 50 barns com
9,200 litros :eagurdente.
Gompanbia de Drogas, 60 caixas com prepa-
rados de jurubebano valor de 13C* e 3 ditas com
proparados medicinaes.
E. C. Bettrao & Irmao, 130 barricas com 8,700
kilos de assucar refinado e 500 saceos com. ...
30.000 ditoa de dito mascavado.
No fapor francez Orencque, para Rio de Ja-
nei ro carregou:
T. da Coeta Mello, 1 caixa com doce no valor
de 10*. .
No vapor na:onal Armtnda, para Santos,
carregaram :
S. Guimaraes & C., 3,300 saceos com 198.000
ki's deasucar branco e 4,200 ditos com 252,000
ditos de dito mascavado.
No vapor nacional Alagos, para o Para,
carregou ;
M. J. Alves, ICO barricas com 8,471 kilos de
assucar branco.
No Date nacional Nt/inrw, para Jamos-
si m. carregou :
Companbia de Estiva, 24 caixas com 112 litros
de geoebra.
No ltate nacional Victoria, para Maco,
carregou :
J. de Souza, 55 caixas com 1,265 kilos de
sabao.
No biale nacional Correio ie Mico, para
Maco, carregou :
Companbia de Estiva, 200 saceos com farinba
de mandioca.
Para Parahyba, carregeu :
J. de Souza, lOO calx'.s com 2,303 kilos de
sabao.
No cter Rogerio, para o Natal, carrega-
ram :
A. D. Simes A C, 1 barril com 90 litros de
vinagre, 1 caixa com 8 ditos de.capil c 1 dita
com 8 ditos de licor de roma.
F. S.brinbo 4 C., 2 barricas com 180 kilos de
asssnear branco.
Para Macabyba, carregon :
M. G. Prea, 20 barricas com 1,200 kilos i!e
assucar refinado e 10 sacc,s com 6 0 ditos de
dito branco.
Em um dia em Setembro de 1887 acha
va-me eu no topo de urna etcada de onze
degraus, em termos de a desear. Da re-
pente fui tomada de um* sensagao verti-
ginosa. Tudo me psrecia andar roda
de mim, chegando eu a Cdhir. Bolei at
o fundo da essada doede me lev&ntaram
em eatado irsersivel o com um brago
quebrado. O medico me recommen-
dou descacco e socego. Dentro de
poneos dias achei-me melhor, mas sent
ainda o choque dado ao meu tystema
nervoso. Entilo me appareceram muitoB
iymptomas mos. Seutia um desoontorto
ger^l (m mim toja, que eu mal posso
descrever.
Eu nSo podia comer porque o meu appe-
tite havia desapparecido.
Tinba um mo gosto :2a bocea, dores nos
lados, as costas e no peito ; a m nba lic-
gua esUva eneros .a 'a, e o estomago se
resoatia de fraqueza o cansas j.
Secti-me desanimada e melancholica e
ero dominada por unoiedade e receios que
eu cao podia attribrir a nenhuma causa
particular. O medico que me asaistio
por alguna meze3 disse, quo era debilida-
de nervosa trazida pelo choque.
tPeiorei em vez de melhirar, e reo-
Ibi-me ao hospital de Londiea em Whi
teohapel Road que frequen'.ei por alguns
meze9 como doente extern' ; tr.avia fui
peiorande. Disscram-me elles que eu
eatava eoffrendo do choque havtdo, d
congestSo do ligado e de debilidade. Fui
entSo mandada para o R coiimento de
Oonvalescentes em Brig hon onde me
trataram por espaso de quinse dias, oede
pouco ou nenhum beoecio adquir. Den-
tro de pouco tempo eu comacei a deses
perar, e mea marid3 e outros amigos qua
vinham visitar-me penaavam q e eu es-
tava condemnada.
Assim fui indo de aez ?m mez espe-
rando a cada passo que cada semana que
vinha seria a ultima de avaha existencia.
Por mais de urna vez eu dizia solemne
mente a mim mesmo antes do fm da se-
mana que vem eu serei mofta. Passei 1
i:ao tomar interesse algum mais as cou
sas deste munro ; mas gracas a Deus eu
tenho um bom marido e urna boa familia.
Meu marido me ajudsva a levantar dn
cama todos os dias, e me sent va em urna
cadeira de bregos, fazendo tedo possivel
por me conservar alegre e convencer de
que eu melhoraria. Mas desde que da fac
to eu me reatabeleci diz-me elle que nun-
ca acreditou verdaderamente as pala-
vras que entilo me dirigir.
Minba irmS igualmente vicha frequen
temante ver me e empenhou se quantu
posaivel em melhorar os meus soffrim;n
toa ; mas sendo lhe impossivel resistir ao
que os seus proprios o'hcs lhe mostravam
ella frequentemente dizia, Oh Carolina
tu nunca convalecers.
Mas quem que se importa com o
saber trabalhos e pesares d.s outrjs, quan-
do cada um, e todos nos temos tanto a
sorer com os nossoB proprios,
Peso-Ibes a sua atten$2o para algumas
palavras mais, apenab.
Assim fui andando, como aquelle que
se acha borda de sua sepultura berta,
at Fevereiro de 1 --'JO, quando me doix .
ram en casa um p:queao livro dando no-
ticia das curas notaveis produzcas ps'o
Xirope Curativo da MJi digel.
A narrativa do polica de H>'yheade
muito me impressionon.
Eu disae ao meu maridoa doenga de
que aquelle polica soffre a mesma que
eu tenho. O remedio que curou a elle
deve curar a mim.
Fui sem demora bot'ci dos Srs. Lscy
& C, em Whitechapil Road, buscar urna
garrafa do remedio. Fez me elle bem.
Podia eu comsr ; mas o que melbor
que a limentai;aa era digerida.
Antes disto sempre que eu engaita aro
pedago de alimento solido pareca torna-
se elle em flatulen:ia, ssntindo eu aci-
do e gasea cansando me taes dores que
me pareca ter doenga de coracSo. Per
aevarei com o remedio e depoia de ter
tomada seia garrafas delle nunca me sent
tilo bem na micha vida.
Posso agora comer com t3o bom appetite
como qualquer pesaoa e nunca me sinto
cansada depois de haver tomado as mi-
chas refeigSes.
tDe facto eu posso agora saborear com-
pletamente de um bom jantar, e deixo a
juem quer que soja o imaginar que pra-
zer u2o esse depois de haver ostado
mal por tanto tempo.
fMeu marido e parentes, b;m eomo os
meus visinbos sSo todos de minha opinio
que o Xarope de M5e Seigel me salvou
a vida.
fAsBigno) Mrs. Carolina Sage, casada
com Mr. Henri Sage, Fabricante de ces-
tos e papelaria, n. 2'0, Wht.chapel,
Road, Loadres, E.
Ha s um ponto d. ddclarasSo do Mra.
Sage que cr.rece do explicts^o. A queda
pela escoda abaixo que parece ter sido a
origem da sua doenya, foi do f.oto o re-
sultado da <;oenca que bavia algum tempo
lhe minava o systema nervosoisto in-
digestSo e dyjppsia de q'i3 as tonturas
que ose'.sionarr.m a queda eram apenas
ura dos aymptomas.
Dr. Francisco Sil ve ira
Attesto que o Peitoral de Cambar,
preparado pelo Sr. J. AlvareB de Soasa
Soares, um poderoao expectorante.
Tenho o empregcvdo com assaz prov^ito
na micha clnica cas molestias broccho-
pulmonares.
Dr. Franeiscj Augusto da Siveira.
O referido verdade.
Rec'fe, 17 de Mar$o delS91.
11.1 ja summo cuidado cora as
affec^es dos bronebios. Seus
progreasos s'o rpidos e assustadores.
Ata!hem se pois os primeiros ty.-ape
mas mediante doses regalares do Peitoral
de Anasabuita, o qual para logo fai
parar es progressos da molestia ou in
flammaslo local ; imp2r \i\3 a muco-
aidade se aglomere nos tubos bronchiaes,
fortificar os orgScs da voz, e finalmente
reatabelecer a sade e o ^igor de todo o
systema respiratorio.
Embora mesmo no caso, que a molestia
se ache j a'gum tanto avauyada, propor
cionai contiierr-vel allivio, e em muitos
casos effectuar urna prompta cura. Por
tanto as vctimas da toase, constipases,
catarrhos, febrea inflimmator'as dos pul-
mSes, ou de qualquer urna outra eniermi-
dade dos orgSos da reapiras^o, n5o de-
vem nem por iseo desesperar por um s
momento, de sua final cara ; urna vez que
techam mSo este admiravel e maravi
lho30 medicamento, verdadeiro restaura-
dor da vida e stle, qualquer pessoa que
o use, deve ter perieita f e connansa,
mesmo nos indicios os mais pronunciados
da molestia.
Como garanta contra as alsificasSea,
observe-Be bem que os comes de Lanman
& Kemp venham estampados em lettras
transparentes co papel do ivrinbo que
serve de envoltorio o cada garrafa. Acba-
e a venda em todas aa boticas e drogaras.
449
1 Premio de
1 Dito <
1 c
1 < c
4 c 100*
6 < ( 508
12 < t 240
42 c c 103
799 c w
Tatamba (kilo) .
Tahuas de amareilo
(duna) .
em p-anchoe
40
100J
cndlBBentos pablleo*
MIZ DX MABg} DI 1892
Ufauttga
fonda geral
Oo dia 1 a &
dem de 5
121:617/333
30:345*200
Renda do Estade
Oo dia 1 a &
dem de 5
132:1631788
O juiz de di.-eito Jlo Bapt'.sta Gitra
na Costa eccarrega Be de contrahir em-
prestimos com o Banco Emissor de Per-
nambnco, sob hypotheca e penhor de sa-
fra, para os agricultores e commerciantes
residentes neste Estado e os da Parahyba,
Rio Grande do Norte e Cear, mediante
mdica retribui'sao ; assim como encarre
ga-se de liquidas5es amigaveis, em qual-
quer das comarcas dos referidos Estados.
Pie ser procurado em sea escriptorio
ru do Mrquez de Olinda, antiga da
Cadeia, n. 1, 1.* andar, das 11 horas :
4 da tarde, e a carra qualquer hora, em
sua residencia, raa Bario de S. Borja
n. 50.
40.838*773
10:429/332
SI: 1681117
da sifandec?
A 12 DE MABgO DS lc: 2
60
620
90
390
404
i 93
126
{7666
270
634
394
320
1/87
40
133
400
USGO
i 000
;*3C0
U6M
640
633
280
10
30/000
61
540
633
200
1/466
131
60
Paata
S.V74 OS 7
AJcool (litro .....
Ajgodao em renn (kilo) .
4rroz com casia t o) .
isaucar retinado (Hilo J ,
issucar Oranco (kilo) .
issncar mascavado QfO) .
3agas de mamonas (kilo)
Dorracna de leite man gal), (kilo)
Cachaca ........
Gouros seceos espichados (kilo) .
Gouro3 seceos salgados (Kilo) .
iJouros verdes (kilo) ....
Conrinbos (um)......
carosos de algodSo (lo) .
Garrapateira (kilo) ....
Jaco Otilo)
Cafe bom (kilo; .
.iaf re3tol!io (kilo)
Gaf moido (kilo) .
Carnauba (kilo
Cera em velas (feo
Dita em bruto ou preparada (kilu)
Ganna (lro)......
Gal (litro).......
Carvo de Cardiil (ton.) .
Pannba de mandioca (lito) r .
'ieneT>ra (litro;.....
iraxa (sebo) ......
aborandj (eai folba) kilo .
Leite e maagaoeira (kilo) ,
Hel (litroj.......
iilho(kilo......
Pbospnato ae cal da liba ha.a (tone
lada).........U/000
Pelle de cabra (ceruo).....187/000
Pelle de carneiro (cento) .... 143/900
Sement de carnauba (arroba) 33
soia (meio).......3/830
Sement de carrapateira (kilo) 126
Sebo.......... 660
soruais a
203:431,1915
i
Segtmda sec^c daAiandejta d.e Peniaarjic ,
3 de Marco de 1832
O tcesooretro,
Florencio Dominguej,
O cefe da seto,
Feliciano Placido Pontual.
Hccebcdorla do is&o de
Po?aanibueo
Do us 1 a 4 6.376/6C0
m de 5 127/40
6:504440
aereado Hnoielpal de 9. #os
O meratnto deste mercado no dia 4 d>
Margo foi o seguinc : Entraram :
38 bois pesando 4 950 kilos.
660 kUos de peixe a 20 ris il200
19 compartimentos com mariscos a
100 rs. 1900
4 ditos de camarCes 3 3)0 rs. 1/200
59 cargas com faria'na a 200 rs. 11/90J
6 ditas de (rucias diversas a 300 rs. 1/800
2 cargas com gall'nbasa 300 rs. 1/00
2 casaus com gallinbas a 300 rs. /600
32 columnas 600 rs. S9J2O0
38 logares a 2O rs. 7600
6 suino3 a 200 rs. (caneca; 1/2 0
67 compartimentos com farinba a 400 26/800
34 ditos de comidas a 700 rs. 23/8(0
48 dito? com faiendas etc. 600 rs. 28/8 0
\cham-se a venda oa bilhetes da lotera
do Rio Grande do Sal, cuja lotera muito
se recommenda aos Srs jogadores pela
forma porque f8ra organiBado, por ser a
nica que distnbue em premios 70 r0 de
seu capital cujo plano abaizo publicamos :
Jogam 8.000 a 4900 divididos em
quintos :
lf :000$0C0
1.-00W0C0
3003000
200,5000
4000000
2005000
2885000
. 420,50"O
l.
terminasao do 1. premio 3:9951000
799 t 50 2 a
terminasao do 2. premio 3:995OC0
2 ApproximasSas de 1000
para o 1. premio 2000000
2 Apprcxian,oe3 de 510
p:ira o 2." premio 020000
A'*VENTUROSA BA DO OABU A' :6
------ .sn&iagacn- -----------
A/s victimas das ebres
O elixir auttfcbrll Cftrdoao. apr '0-
ado ern 2 de Marco oeste ceno pela insp- ]
ia geral ta junta '.te hygieaedo Rio de Janeiro,
f-m hoje anresentar-se 4 burcanidade spff:; ;
a domOBoc ...eiro,como tabo de calvacao que
lis naufrago lhe enviada por mo orcai-
t tente.
O elixir antl-reiferil Cerdoso, aprea-
10 ea? mui'.i3simc3 caaos de febres, tem como
jor miiagre, levantado do leito da olor a comple-
.os inoriundo:.
Este remedio, composto smente de vegetaes
^tetramente inofensivo, ainda mesmo ca mr;j
nimo.-a e tenra crianca.
As senboras, no estado de pandas, oa no pe-
iodo de incommiios naluraea, podem usar era
eeeio signas.
E-'.e elixir j bem cenaeeido de alguna Srs.
o fieos de todo o paiz, o mais seguro e prom-
eto remedio contra as ebres, e com especiallda-
le costra a febre amartlla, erysipeia e bex;ga3
ie tjMlqoei quatidade.
Soda de asar
A's crhmcu at um anno 8 gottas de 2 eml
aeras em urna coiber das de sopa ceia d'asua
,rit.
De um anno a tres 12 gottas; de :res a dez 20
Os Srs. cliD.cos podem augmentar ou diminuir
ti 60 gotas por dose.
Recite :
Compannia de Drogas e Productos Cnimicos.
Santo Antonio:
Nacional Pbarmacia, ra Larga do Rosario
;. 35.
Pbarmacia Oriental, ra Estreia do Rosario
i. 3.
Pbarmacia Alfredo Ferreira, ra do Bario da
Victoria n. 14.
Pbarmacia Martias, ra Duque d Gaxias u.
i8.
Vendas em grosso e a retalho.
DEPOSITO GERAL
Roa Estreita do Rosario n. 17
PEBMBB1CO
N. 149
ATTEST0
Estando com um Blbo de menor de 7 ancos de
idaie soffrendo das febres, por intermedio de
um emigo, app!icou-me o remedio do Sr. Manoel
Cardoso, en indo ma; o meu amigo participei o
soff.-imeato de meu rilbo durante ba 20 da?, o
Sr. Manoel Carioso, gratamente presloa-se com
seu remedio e es; o meu rilbo bom.
Recife, 28 de Jaibo d <690.
Rui da Virago n. I.Francisco Lourecco da
Silva,
R. 150
1 ira. Sr. Manoel Cardoso Jnior.E'com gran-
de satisfaco que attesto o v^lor e a efneacia do
seu especifico contra a lebre; porquasto tendo
apparecido meu Bino Osvaldo com febre de ca-
r^tte: palustre duplo, e nao sendo possivel ceder
da sua inteasdade. resolv instancias de nm
amigo a appiicar o sea especifico, e coa) grande
prazar mea v. desapparece- em 24 boras a febre
restabelecendo se em seguida o meu estimadis
.-".rao doeate.
Pode fazer uso da presente como lne coavier,
por ser a e! expresso da verdade.
Recife, 15 de Outubro de 1889.
Seu atiento venerador criado.Jos Fernanies
de Albuquerque Lima.
Estavam selladas e reconhecidas as firmas.
46 ditos cem verduras a 300 rs.
8 ditos de sutreiros a i i
9 ditos de a 7f0 rs.
6 -utos de f?PS8ara3 a 600 rs.
taino? I ;vo00
37 ditos a U
Ptendimentos de i e 3
i3800
80O0
6300
3600
I
74*000
T42700
72460
967320
DO ra 1 a 4 8:824it46
m di 3 1:5;537
11:379/518
Movlmeuto do porto
Xavios entrados no dia 5
Bu.nos Ayres e escala 11 dias, vapor
francez (Congo de 2842 toneladas,
coicmandanto A. Bouequet, equipagem
120, carga varios gneros a H. Burle
& .
Havkt sahides no mesmo dia
Bordeaos e escalavapor francez t Joogo
commandante A. Bousquet, carga va-
rios gneros.
Rio Grande do Norte vapor inglez (Ac-
tor, commandante A. P. Lauson,
carga varios g-eros.
Alto Marvapor ieglez (Noraemanu,
commandante W. Lacy, carga fios te-
legraphicos.
Paracrusador de guerra nacional (Par-
nabiba commandante capitSo tenente
Lua de Aev:do Cadaval, carga mu-
ni'soes.
Presos do dia :
Carne verde de 36 J a 640 ris O kilo.
Sainos de 04') a 800 rcia ideirl
Carneiro de 640 a 803 ris idor t
Fariniit p 36.) a 480 ris a ciitt
MUbo de 300 a 320 ris
Feiiao de U200 a (600 idem.
* ..poros a '-airas
Mea deHarc.0
Eaioga....... Orenoque.........
Europa....... Potos............
Norte........ Vigilancia......... 7
^prte........ MarmkSo......... 9
Sul.......... Alagos...... 10
Norte....... Ediclor........... 13
Sul.......... La Plata.......... 15
Europa...... Uruguay......... 16
Europa ... Colombia ..,....... 21
Europa....... Tagus............ 13
Sul.......... La Plata.......... 14
Europa....... y Vspores a ssiiit?
Mes de Morco
.. iaboatao ..........
.. Orenoque.........
. Potos............
.. Vigilancia.........
.. Ha xmhao..... 9 as
.. Edictor........... 10 as
Norte....... Alagos........... 11 as
Sul......... Tagus........... 13 as
Europa...... LaPlata........... 14 es
Europa...... LaPlata.......... 13 as
Sul......... Uruguay.......... 17 as
Sul......... C/yd............. *4 as
Europa...... Humes............ 27 as
Mathematicas E1 e-
mentares e Eserip-
tura$o Mercantil.
Venancio Labatut dedicase a preparar
qualquer pessoa em escriptura^o mer-
cantil com 30 a 35 !:;oes, conforme cen*
tracto, contina a lecionar as materias
cima ra Duque de axias n. 72,
1. andar.
ADVOGADO
O juiz de direito Francisco Xa-
I vier Paes Barreto advoga as co
? marcas de Igaarass, Goyanna*
(Itaml, S Lourenjo da Mttaei
iNuaretb.
Residencia :
IgaaMS
-
gui ...
5ui..
Bif...
sm...
Sul
6 as
6 as
8 as
9 as
Um testenninho va-
lioso
Firma o documento infra um cavalheiro
residente no Barreado (Estado de Hiaaa
Geraas).
( Illms. Srs. Silva, Gomes <& C. Ro
de Janeiro.Felicito-me por ver annaa-
ciado em caai de Vv. Ss c "araedio de-
nominado Peitoral de Cambari. Soffren-
do eu, de urna bronchite ..thmatica, do-
rante oito mezes, e tem que 03 medi .03 a
conseguissem debellar, pois j a julgavam
chronica, resolvi comprar em casa de Vv.
Ss. o referido remedio e principiei a to-
mal-o observando cuidadosamente a dieta
e hygiene recommen ladas e prescriptas
nos impressoa cae o acompanham, e no
fim de pouco tempo depois de ter tomado
18 fraacos, achei-me completamente cura-
do desta terrivel enfermidad.
Gratissimo aos introductores deste ma-
ravhoso preparado, peso a Vv. Ss., que
dm publicidade e esta minha declaracllo,
para della terem conhecimento todos
aquellos que solfrerem da sesma molestia.
Jo3o Antonio da Silva.
(A firma est reconhecida).
Deposito geral na Compai-hia de Pro-
ductos Chimicos rna M. de Oliudan. 23.


ff




i


f
fr
7
)
Diario de Pernambueo Domingo 6 de Marco de 1892
I Ir- Barros Carneiro
brica a vapor
e a fa-
Espe-
ran$a.
"5 Dr. Manoel Clementino de Barros Car
Miro, formado em adeudas medicas e
frurgicas p-la faculi&do do Rio de Ja-
jei'o, medico adjuncto da clnica do
ioapiial de Santa gueda etc.
Av.esto que tenho ieito uso dos cigar-
jcs. denominadosMicha Es peraneae
iam assim do fumoHiginico Nacional
da fabrica do Sr. Antonio Francisco da
nu, reconhecesdo p- la analysa chimica
k qm proced, que o referido fumo e
paros r.2o eacerram principio algum no
a aa fuaccSea gstricas, sendo perfeita-
sexte taleraveia aos dyspeptic03.
la fide medici.
BraUe, 12 de Fevereiro de 1892.
Dr. Bsrros Carnero.
Escriptorio eommer-
e Dr. J0S0 Augusto do Reg Barros, que
deixaram maie recentemente de facer parte
da mesma Intendencia a reanirem-se no
da 11 do corrente ? 10 horas da manhS
no pago municipal, a tim de fazar-se a
apurayo geral dos votos oLit.dos n'eate
municipio na eleicSo, a que se prooedeu
no dia 21 de Fevereiro ultimo para o oon-
aulho municipal, prefeito e sub prefeito.
O que para onatar mandou lavrar o
presente edital.
Secretaria da Intendencia Municipal do
Rscife, 5de Marco de 1892.
Dr. Manod Pinto Dmaso.
Presidente.
Jos Ferreira da Rocha,
Secretario.
DO
CAMPO GRANDE
83
faz
da
cial
Oa abaixo aaaiguados tcm esfabelecido
tetta pr:ea urn escriptorij com a deno
aairacjlo cima, at Duque de Caxias
a. 72, 1." anda.', oom o tim de encarre-
gar-se de qualquer trabalho o a escripta-
t*'JL> de casas commerdaes por partidas
afeadas, simpK s ou mixtas, podecdo as
cacii'ptas serem fiiitae BO edcriptorio cu
K> wtprio esUb?lecimeoto.
ftopSem-ise a fzer liquidasoea t.-a da
ae, aceitam consgnaseos, encarro-
a^ 3 de promover a venda de productos
aatiunaes, aceitando correspondencias dos
MTiftprrn de engenhos, f&zendo adianta-
.aKOio. Eccarregam ge tanibem, median-
* jrocaracSo, de receber honorarios dos
K fECciotarios publiccs, assim como
*!igce;S de cafa, mediante moiica com-
Oatrabalhos de escript e 03 contractos
erlo ieito: em sala especiaea, para este
a, sendo que ca primeira s terao in
cresas os empregados e na segunda os
soaratantjs, guardndose todo o sigillo,
apasto is transac^Ses effectoadfcS.
Venancio Labutut & C.
[ Advogaqo
Dr Eduardo Correia da SilVi 1
eacriptorio ra
15 de Novembro c. 77
Forte pneumona
Sr. Neitorio Antunea Pereira, resi
aoeze em S. Salvador da Bahia, assim
ruata. a cora de urna forte peceumonia de
*pe atacado :
i Illm. Sr. J. A. de Souza Soares
Jfcatas.rJumpro umdever scientificando
V. S. de que ha tempes, echando me
it&esd de urna forte pneumona, recorr
firersos preparados que me receitaram
assedicoa desta cidade, sem obter aa me-
feru almejads.
? micha espontanea celiberacSo, re-
iM experimentar o seu Peitoral de Cam-
aai, com o qual alcancei o restabeleci-
scao de minha aauie, pelo que don a
V. 3. sinceros parabens, fazendo votes
ano a humanidad? soffredora en con
1 a seu preparado o allivio que elle me
arssx*.Nestorio Antunes Perrira.t
A arma est reconhecida).
> Peitoral de Cambar vende-as a
JS50O o frasco e 24000 a dusia as
sra^zpaes pharmacias e drogaras.
1T anico agente e depesitario neste
Ir*o a Companhia de Drogas e Pro
satos Chimicos, ra Mrquez de
n. 23.
Edital n.
PRAZO DE 8 DAS
Da ordem do Sr. Dr. inspector se
fas publico que s 11 horas da manhS
12 do correte, serlo vendidos a porta
a'esta reparticSo os seguintes volumea.
Armazem n. 4
J J A Cinco caixas ns. 127, 128,832,
834 e 836, contendo todaa 144 kiloa, li-
quido legal, de cb da India, abandona-
das aos direitos por Jos Joaquim Alves
e comp.
Araazem n. 7
FFP Done atados n. 1 e 4, contendo
oito chapas de marmore, quebradas, viu-
das de Hamburgo, e abandonadas aos di-
reitos pelos negociantes Azevedo e comp.
2.a seccSo da Alfandega de Pernambn
co, 4 de Marco de 1892.
O chefe.
Feliciano Pontual.
DECLARAeOES
Club C. Panellas de
Miranda
Coovido todos os socica para comparecerem no
domingo 6 'Jo carrate, as 10 horas do da, em
oessa s Je roa do Alecrim o. 51, para em no
mero legal, proceer-se a elelcao para a nova
directora como marcaru os arts. 28 e 30 Jo nosso
elatoto.
Recife, & le Marco de 1892.
O s=cretano interino.
_______ Eduardo B. Sette.
Banco da Bulsa
Assembla geral
Sao convidados os eenbores accionistas a reu-
nirem se em assembla geral ordinaria, em vez
do dia 6 do dia 7 do corrente ao meio dia, no
e.-criptoria deste banco, afim de tomarem conhe-
cimento do rehtorio, parecer fiscal e conlas do
primeiro periodo e elegerem o conseibo fiscal.
Recife, 5 de Fevereiro de 1892.
Os directores,
Jos A. Rodriga s Lima.
Antonio L dos Santos.
P. J. Pinto.
Santa Casa de Nise-
ricordia do Recife
A junta administrativa desta Santa Casa
em sua sea&Sode 8 do corrente receber
propostas para o fornecimento doi generes
abaixo declarados, para o onaamo dos
eatabelecimentea seu cargo n'esta cida-
de e Collegio dos OrphSoa em Olinda, du-
rante o trimestre de Abril Junho do
correute anno, declaranio es proponentes
aujeitarem ee aa condij^es j estable-
cidas.
PKOJEOTO DE IN8CFPC0
Da 16.a corrida a realizar-se domingo 13 de
Marijo de 1892
t. PAREO13 DE MABQO800 metros. Animaos de Pernambueo que n3o
tenhatn ganbo nos prados do Recife at 29 de Fevereiro de 1892.
premios ; 200)5000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 20(5000 ao
terceiro.
I.1 PAREO PRADO PERNAMBUCANO 900 metros. Animaos de
Pernambueo, que nSo ten.ham ganbo no Prado Pernambucano em 1891.
iKKsaoa : 00)5000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 200000 ao
terceiro.
t. PAHEO DERBY OLB 90 i mrtroj. Animaes de Pernambueo que
n imbjco que tao tenham gacho em distancia superior 1,000 metros
em 1891, salva a corrida de 22 de Maride 1891. premios : 2000000
ao primeiro 40t5OO0 ao segundo e 20(5000 ao terceiro.
4. PAREOIMPRENSA PERNABDCANA 1.450 metros. Handcap
Animaes pungas, de Pernambueo, podendo entrar animaes pelludoa.
premios: 400(5000 ao primeiro, 120|5000 ao segundo e 400000 ao
terceiro.
PAREOTRILHOS URBANOS 900 metros. Animaes de Pernambufco
que nSo tenham ganho nestea ltimos 12 mees. PREMIOS : 2000000
ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
PAREOORDSfif800 metros. Cavallos de Pernambueo que ni o tenham
ganho em maior distancia, podendo entrar eguas do estado, premios:
200000 ao primeiro, 400000 ao ae-gundo e 200000 ao terceiro.
PAREO FRATERNIDAD 1.050 metros. Animaes de Pernambueo.
premios : 25O0OOOao primeiro, 500000 ao aegundo e 250000 ao ter
ceiro.
PAREO COMPENSAQAO 900 metros. Cavallos de Pernambuoo que
nSo tenham ganho nestes seis mezes podendo entrar eguas do estado.
premios : 2OO0ao primeiro, 40S030 ao segundo e 200000 ao terciro.
Observacoes
De accordo cm o ait. 5. do cdigo de corrida*, nao poder2o ter inscriptos
nos pareos Prado Pernambucano o animal Gllete, Derby Club o animal Pyrilampo,
Impreasa Pernambucana, os animaes Gallileu e Veloa, Fraternidade e CompensacSo
o anunal Piramon, Compensacao Maranguape, e no Ordem Colector, RosaBrasca e*Ida.
Nenhum pareo se realisar, sem que ss inscrevam palo menos inco animaos
de 3 proprietarioa differentes.
O peso do pareo Handcaj ter o mnimo 48 kilos e o mximo 60 kiloa.
A nscripcSo encerrar-se-ha ter$a-f-ira, 8 de corrente a 6 horas da tarde
na secretaria do Hippodromo a ra 15 de Novembro n. 55, Io andar.
Secretaria do Hippodromo do Campo Grande, 2 de Marco de 1892.
O SECRETARIO,
*.
e.
8.
Augusto r. da Silva
Paco publico que as aulas de;te Instituto comtcarSa amaoba 3 do corrente mez, na antiga
Escola Modelo, sede actual do Instituto Arcbpologico e Geoirraphico Pernambucano, contmuand
aberta a mt tricla para as diversas aulas na sede to mesmo Instituto. ,,,_ na
Outrosim que os professores fizerf m eBtre si a distribuicao das materias e designaram os
e horas do segum'.e modo:
Primeira eccfto (PRIMEIRA SERIE)
Dr. Freitas Gulmares
clientes que
ra Duque
?*rti.'ipa a seus amigos e
oa o seu consultorio da
JaxiaB n. 55 para a mesma ra n. 61,
dar, onde contina a dar consultas
t II a 1 hora da tarde, e reside no Ca-
veso n. 4.
Tefcphone n. 292.
EDITAES
j:. Marco Tullio dos Rea Lima, jaia
" se direito dos Feitos da Fazenda deste
stodo de Pernambueo etc.
?m taber aos que o presente edital virem, e
Botl'.ia nv r^m, que de crJern d' junta go-
iMaioeem he? do a t. 99 e 109
.>rsfllmeoto (-xpsdido ptlo. decreto u. 9421
je Ab.il Je 18 o fi^a marcado o praso dt'
: atar de bjje, p'ira o concurso do of-
:a co eic iva ios Feitos da Fazenda deste
idae dosFelto Maddpacs do Recife, visto
ese o respectivo servectuario major Luiz Au-
tt Codio Cintra, tora pela junla medict jul-
t Libabil-.tdo por incapacidad pbjsica de
-jo-- no p-ercicio i ;a tnoccOea da seu ca--
^3prei'eode->te i va ceaaSo ie dito cfliao de-
ra sprS'irar se evidameate nabilitados a>r
mo 'efenio praso, e na forma do decreto ci
*>- e [aaque cb^gue ao conheciviento de
aBM.< rnaadcu passar o presente que sjr cflixa-
Xaoo legar docestome e publicado pila ojpren
Odale do Recife, 4 de Mtr^o de l92. Eu hi.
Rente de T.rres Bander?, escrivac sub-creU
Mirco Tullio des R Aletria, kilo.
ArroB, dem.
Aguardante, litro.
Araruta, kilo.
Bacalho, idem.
Banha, idem.
Batatas, idem.
Cha verde, idem.
dem preto, idem.
Caf em grao, idem.
Carne de xarque, idem.
Carne verde, idem.
Cebla, idem.
Farinha da trra, litro.
Feijo, idem.
Farello (eacca de 80 kilos), aacca.
Gas commum, lata.
Dita inexplosivo, idem.
Milho, kilo.
Macarrao, idem.
Manteiga ingleza, idem.
dem francesa.
Potasas, idem.
Phosphoros seguranca, majo.
P2o e bolacha, kilo.
Rap, idem.
Sabio, idem.
Sal commum, litro
Tapioca, kilo.
Toucinho, idem.
Velss stearinas grandes, idem.
Ditas de carnauba.
Vinho brnco, litro.
Dito da Figueira, idem
Dit do Porto, garrafa.
Vinagre portugus, litro.
Dito nacional, idem.
As prcp atas serSo em cartas fechadas,
| e devidamente selladf.8 com o sello r'o Es-
tado.
Secretaria da Santa Casa de Misericor-
dia de Recife, 3 de Marco de 1892
O eacm&o.
P. R. de Souza.
Materias
. L ngua portugueza .
Liaguaifranceza. .
Antbmetica elementar.
Cagraphia
Professores
Das da semana
Tercas e sextas
Regueira Costa ....
Ayres Gama......'Tete s e sex'as .
Cicero Peregrino. Quartas e saDbados
Tiburcio Valeriano dos Santos. |......
Horas
i* a ulai
5 1/1
61/2
5 1,1
Lingua inglesa
Elementos de geometra
Geograpbla;geral.
SEGUNDA SERIE
Faustino Porto.....(Segundase quintas
Cicero Peregrino.....IQcartas. .
Ayres Gama......| Tercas .
TER3EIRA SERIE
Lingua allema .
Elementos de algebra
Historia geral
Cicero Peregrino.
Regueira Costa
Tercas e sextas
Saboados .
Sextas .
Segunda *ecco (PRIMEIRA SERIE)
NocOes geraes.....
Noticias sobre.as industrias .
Correspondencia comaaercial
em portugus.....
dem em fraocez.....
dem em inglez.....
dem em allemao
Gecgrapbiacommercial.
Ariihmetica commercia!
Historia do commercio
Jaao Santos .
Faustino Porto
Segundas
Quartas.
Estatua .
Economia polit.ca
Regueira Costa ....
Ayres Gama
Faustino Porto ....
Castro Medeiros.
Ayres Gima.....
SEGUNDA SERIE
Cicero Peregrino.....
Barros Guimaraes, substiluide
por Portell3[Junior .
Joao Santos......
Portella Jnior.....
Tercas .
Sextas .
Qaartas.
Terjas .
Sextas .
Qaartasesabbados
S'gnadas
Q-ainta8.
Segundas e quintas
TERCEIRA SEPIE
E3eripturac5o mercantil
lostituicOes de crditos.
Legislacao commercial.
Uos coaimerciaes .
Joo Santos .
Portella Jnior -
Barros Guimare?,
substituido!
|Segundas e quintas
[Quintas. .
por Portella Jnior
J:ao Santos .
Segundas e quintas
Segundfs
6
61/
5 1/1
7 1/2
61/2
61/2
61/2
81/2
61/2
6 1/2
6
71/2
5 1/2
51/2
5
7
7
7
5
51/2
7
Recife, 2 de Marco de 4892. -O ^ ;rer o B-^Usla Regutira.
O cidadio Dr. Manoel Pinto Dmaso,
jrideuc da Intendencia Municipal do
S:fe di roacrmidade com o disposto no
iga 12 :.o decreto de 9 d J.neiro de
189ee.r', i. do decreto de 18 de F.i
erero ~) mesmo snno, ambos da Jun3
Sivernativa do Estado, envida as mem-
lav d'eata Intend-ncii, coronel Franc
aitino de Britto, cidadSo Joao Walfrcdo
e Mediros, Jos Xavier Carneara de
Sanea Caiapella, Antonio Machado G
4a SUva, capitao Fr*ncisco Qargel
*m*, Dr. ugUto da Cos?:' G-.mea,
naaaendador Albino Jos a Silva c
Or. JoSo Carlos Bslihazar da Silveira e
4uabem os cidadSos Dr. Sophronio Euti
(Wnjunn da Pas Portella, commendador
Jn Adolph". Rodrigues Lima, Dr. Si I vi-
taro Clodoaldo de Sousa, Dr. Manoel da
ftaade Piretti, Dr. Francisco do Reg
ama de La:erda, Dr. Jo2o de Oveira
Cumpanhia
Resillado e T^noarla M chanica
Parabjbiiu
r,hamala d c-pi'al
Deordti ;> convidados rs ae-
nho: tea neste Estado a rea-
Iiuccd 6 borrad, de 10 0/0 ou 205 por aeao
at o dia 13 do crente, co largo do Gorpo San-
to n. 2.
Recife, 3 de Mirga dr 1892.
Manoel Lopes da S.______-
Companhia
Ferro 1. arril Je Per zam-
buco
Em vinude da escare de cobre, nicktl e se
dulas menores de 2*00J. pfco aos SOHotfs pae-
sageiros o obsequio de nSo entrarem para os
earroa sem que previemente tenham a ju'ta lm
poitaocia da.passagem, visto que nSo foi anda
esta companbia autorisada a emittir bllbetes de
100 e 200 rs., cerno requeren.
Recife. 19 de Fevertiro de 1892.
Felippe de Araujo Sarapaio,
Gerente.
Capital Res 1.500:000J000
DERBY CLUB
DE
PERNAMBUCO
.
;. -.
A'REkLISAR-SE NO
Dia 6 de Marco de 1892
Principiar s II horas damanh em ponto
Nomea
-r
5
Pellos
.Matura I
lid.
Cor da tem-
menta
Proprietarioa
1. PareoCONSOLACAO800 metros.Animaes de Pernambueo que nao tenham ganco nos
prados do Recife podendo entrar pequiras at lm.28. Preaios : 200*000
ao l. 40*000 ao 2.* e 20*000 ao 3.*.
Bocacio-----
Aiabama...
Limeira
Velocipede.
TalicieV
Palafrn.'..
NtwYotk...
America
Rio Grande.
Patinho....
Penedo-----
Bculaoger. -
Pontable.:.
"fV)rdilho
Caatanho.....
Russo......
Castanho.....
Baio.. -.....
Preto.......
Alazo........

Rodado......
RU3S0.......
Zaino.......
Alaz&o.......
Castanho
51
c 51
51
51
51
51
c 51
c M
c 51
< 51
c 51
c 55
51
Listrado.............
Azul eouro..........
Ene, bonet. preto
Amarello e roxo.....
Encarnado e pralo....
Rosa e preto........
Eocarnado e branco.
Corpobran. mang.pr.
Corp. ene. emangsbr
Encarnado e preto...
Roxo e cimento.....
Antonio de Mello.
J. de Oliveira.
Josa F. Cavalcante.
J. N. da Silva.
Joaquim C de A Imeida
L. Amorim.
M. P. M. F.
Coud. Rosarinba.
A. F. de Souza Lima.
Coud. Arraial.
Varejao da Silva.
2.o PareoPRADO PERNAMBUCANO1.000 metrosAnimaes de Pernambueo que nSo te-
nham ganho em maior distancia nos prados do Recife e eguas de Pernambueo.
Premios : 200* ao Io, 40* ao 2a e 20* ao 3.a
Berlim.....
Despota....
Galet......
Prometheu.
Zaino...
Rodado.
57
B 57
9 55
a 51
Azul e encarnado....Correia 4 .Rezende,
Amarello e roxo......Costa & Fernandes.
Listrado e maogs. ene. M. R.
Preto, brancoe ene...jCoud. Nerundio.
3. PareoPRADO DA ESTANCIA 1350 metros.Animaes nacionaes at meio. Premios :
300* ao Ia, 60* ao 2 e 30* ao 3.a
A lila....
Siroco...
Torpedo.
Cora___
Gallileo-.
Tordilho.
Castanho.
Alazao.
S.Paulo..
R. de Jan.
5. Paulo..
56
56
56
56
56
Encarnado e branco..
Azule ouro........
Azul, branc. e ene ...
Preto e encarnado..
Ouro e preto........
O. Cavalcante.
Coud. Internacional.
Coud. Cruzeiro.
Coud. Temeraria.
Coud. Fraternidade.
4. PareoANIMACO1.050 metros Animaes de Pernambueo.
50* ao i- e 25* ao 3.a
Premios : 250* ao 1.a,
Talispber. ..
Sans-souci..
Mai auguape.
Pyrilampo...
Rodado ----
Baio........
Alazao......
Tordilho...
Pernamb.
55
57
55
57
Listrado............ICoudelsria Recife.
Ouro e branco.......D. Anna L. Mattos.
Preto, ene. e ouro.... Dr. B. B. da F. Filno-
Grenat e azul........'J. E. Ferreira-
5 pareo SUPFLEMENTAR1.000 metrosAnimaes de Pemaurouco que nao tenham ganbo
em maior distancia no Pr.do e Derby. Premios : 200*000 ao Ia, 40*000 ao V
e 20*000 ao 3.a
Tudo-......
Venturoso...
Gerfaut......
Gala........
Despota.....
Baio.......
Castanho...
Ziiao......
Alazao.....
Rodado......
Pernam... 51
51
m 57
54
M 57
Ene., verdee amarello
Roxo e amarello.....
Aaul e encarnado....
Azul e ouro em listras
Roxo e amarello-..
Dr. Li'iz Drumond.
Detino Costa.
Coud. Aurora.
Dr. Luiz Drummond.
Costa & Fernandes
6.a PareoCONCLUSO 800 metrosAnimaes de Pernambueo que nao tenham ganbo
no Prado e Hippodromo e que nao tenbam tido classincacao de 1 e 2 lugar
no Derby, nestes 6 mezes. Premios : 200*000 Ia, 40*000 ao 2.a e 20*000
ao 3.a
Alabama..
Vermoutb.
Tallcier...
Matin ....
America..
Clyde....
Curisco...
Castanho ..
Tordilho ..
Baio.......
Russo.....
'Alazao.....
Rodalo......
Alazao.....
51
55
B 51
* 51
51
55
* 51
Listrado.............
Azul e encarnado
Amarello e rxo.....
Verde...............
Rosa e preto......
Verde e amarello.....
Encarnado e preto...
7 a Pareo-HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE900 metrosAniaiaes de Pernambueo que
no tenbam ganbo nestes 4 mezea nos prados do Recife. Premios: 200* ao i,
40* ao 2 e 20* ao 3.
Fronten e x
Telegr a m
ma.......
Lucifer.....
AllyStoper.
Turco 2....
55
__ Pernam... 55
__ w 51
Alazao...... a 55
Azul e encarnado.....ICjrreia & Rezende.
Rosa e preto........ICoud. Ida e Volta.
Corp. br., mangs. prts.lCond. Roeariobo.
Granate azul........|J. F. de Mcura.
OBSERVACOES
Oa Sr8. proprietarioa, empregadoa e criados nlo terato entrada no prado da
Estancia sam o respectivo iegresao.
O expediente para esta corrida encerrar-se-ha sabbado 5 do corrente, a
3 horea da tarde, ca Secretaria do Derby.
Oa ferfaits serSo recebidoa at sabbado 5 do corrente s 3 horas da farde.
O secretario,
or. Guimaraes.
Companhia Refinadora Mer-
cantil Atsucareira
Dd accordo com o que preeeitua o art. 5- dos i
estatutos desta companbia, sao convidado3 os |
snbores accionistas a rsalLarem a 2* entrada,
do capital razao de 10 0/0 cu 10*000 por ac |
cao. at o dia 10 de Marco prximo vindouro.j
das 10 hora3 da manha 4s 3 a tarde, no Caes de|
Capibaribe n. 54.
Recife, 9 de Fevereiro de 1892.
J.s Joaquim da Costa Uaia,
Presidente.

I,
Dividido em 15,000 accoea de 100:000 cala
MJA DO VGARO N- 2 ^
(Esquina do largo do Corpo Santo)
Edificio da Junta Commercial
Efora te Belsa
DE 1 A 2 DA TARDE
Compra e vendo titules com ectagao.
Liquida oporacSea por ooata de terceiro :o-
Facalta Cpitae:, par-; comp-a e vonda a dinheiro cu
Estrada de Ferro do
Recife a Caxang
SOCIEDADE
Aviso
Durante as novenas da feata do Casan-
ga a principiar de heje 3, at 12 do corren-
te, a companhia expedir um trem espe-
ra IK~ T^rv Q.i^r.ccr'ci-1 partindo do Recife s 5 35 da tarde
Monte FlO 15om bUCCeSSO e vol^ndo dQ 0axang8 g horas, sendo
De oidem do nosso irtcao director convido to- j exprasso da Quatro Cantos
dos os Sr3. associados a reunirem se em assem- r na _0n3
bla geral ordinaria, as 10 1,2 horas da manb5-axaDg, quema ida quema voiia.
do dia 6 do corrente, domineo, a ra Duque de Bilhetea de assignaturaa nSo terlo valor
CaxiaB n. 37, aflm de traur-se de negocios de ne8te tren.
nleresse da mesma socitdade.
01.a secretario,
Joo da Silva Saraira.
n pcuo de qasesquer
titaloH cotadoa na Bolas.
IntegrsEi conrindo copitaes de Bancos e oompanh.a3 econbecida
P.z transferencia do operajoss realisadaa na Bolsa a prazo.
Auxilia liquidacao de report e Decredere.
Reatiaa opei^oea bancafiae relativas a au M.
Encarreg-se de iucorperaScs do Empretaa,
Levanta-se tprcstimoaX
Compra e vende metae3.
Encarrega-se da compra e venda de ataacar, algodSo, etc. ttc.
20 de Mar?o de 1891. .
O director gerente,
P. J. Pinto.
atildade.
Santa Casa" da Misericordia do
Recife
A inota adminil-ctiva na sala de suas ses-5-.>s
no ia 15 do correte, p-1 b 3 horas da larte,
receoeri rrnpos'3^ p^rt o =rrrnlamento quin- m.v---------
auenr o^ade I!ha do Ngunra, cem | do bMang.% relagao nominal
cafa de vlvecda, g'aad'B coqueiral e fruaeiraa.l irn
vivelrcs etc., a q em melhor piej) ffferecere
qoiier sujeitar-se aa stglctes cjnoisOes : p'en
tar annualmente ISO ps de coqueiros, traial-03
e cor.?erval-'. s, reparar e conservar a casa ito
vivenda, caial a e p'intal a, desobstruir, reparar e
conservar oa viveitos all existentes, nao estahe-
leeer nem consentir nos terrenos da liba logra-
douros cu pastagens, nao colher cocos
em escala de negocio.
Escriptorio da Companhia, 3 de Margo
da 1892.
H Fletcher
Geronte.
Derby Club de Pernambueo
V* coaformidade com o f rt. 16 do decreto de
!7 d Janeiro de 1890 a-bam-se nesta secreta-
ria a dspcs!ito dos sechores accionistaa c
lo b'.lanco, relaeo nominal t'e les e luta
ransferehcia de aej^s, tudo relativa o :
I d;-1591.
Secretaria do Dby Club,
1892.O secretario
G. Goiffarbes.
I- de M:rco
B*nco de Pernambueo
DIVIDEiNDO
. -;a0 convidados os sennores accionistas a vi
^opoasS^o ser em carta, g^! r|n ,.ber no escriptorio este banco, do^dia
devidamente selladas com o sello do E
com fiador que garanta a eiecuao do contrato.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia de
Recife, 3 de Ma>co de 1892.
O escrivSP.
Pedro Rodrigues de Soma.
ca ra*5o de 8 0,0 ao anoo. corresponden!* ao 2-
Senuetre liado em 31 de Deiembro de 189!.
Ae-i'e, 23 de Janeiro de 1892.
Jos Adolpho Rcdngues Lima,
Director secretario.





V
I
I
J. de Oliveira. fe
A.M A.
J. N. da Silva.
J. C. de 0. Cavalcante
L. Amorim. '
F. D. C C.
Coud. Arriial.
-:
i

/



6
Diario de Pernarabuco Domingo 6 de Margo de 1892






Faculdade de Direito
(Obras do novo edificio)
Em vista do aviso n. 633 do ministe-
rio da Instrucvao Publica, Corraioa e Te-
Iegraphos de '9 de Novembro do auno
Sroximo findo, a directora d'eata Facul-
ado fax publico que s acha era concur-
renoia a execucSo da* obras do dovo edi-
ficio da Focaldade, com o praso de 60
dias a contar da data d'este.
Os Srs. prctendentes d verao apresen
tar na Secretaria desta Faculdade at ai
12 horas do dia 27 de Marco do correte
anno as suas pr. p.ist-is devidamente sel-
ladas e recc>nhecidas.
As prcpostas serao f itas por unidade
de servico, e este dever ser executado de
accordo com as plantas e orcaniento fei
tos ; podendo os Srs. pretendentes exa-
minar ditas plantas e Jixamento no es
oriptorio de administrado das novas obras,
sito no largo do Hospicio.
Os pagamentos serao fetoa menaalmen
te pelas medientes provisorias pr. cedidas
pelo engenheiro da obra.
O arrematante ficar obrigado a indem
oisar o governo do pre9o das machinas,
materia* e utensilios existentes, pera o
que antes da assiguatura do coa'racto se
proceder ao inventario e balaceo respec-
tivo, sendo o proco de taes objectos fixa-
do pela administradlo, de accordo com o
arrematante.
Os proponentes drverao apresentar anas
propostas acompanhados de conhecimento
que prove terem depositado na Thesoura-
ria de Faaenda a quantia de 1:0000000,
a qua! perderlo em favor da faienda na-
cional si sendo acceitas suas propostas nao
assignareci o respectivo contracto e nao
prestarem flanea que fica arbitrada na
quantia de 20:000^000.
Secretaria da Faculdade de Direito do
Recife, 27 de Janeiro de 1392.
O director.
Dr. Jos Izidoro Martins Jnior.
Companhia de Segu-
ros Amphitrite
Sao coovidados 03 senbores accionistas a reu-
nircm se em assembla geral ordinaria, ao meio
dia do dia 10 do correte, ra do Commercio
n. 34, i- andar, para tomarem conhecimento do
relatorio e coalas da dirsogo, para entao se pro
ceder a distribuicSo do dividendo.
. Recife, 5 de Marco de 1892.
Os directores.
Antonio Marques de Amorim.
Luiz Jos da Silva GuimarSes.
______________Joaquim Olilo Bastos.______
Festa da Boa-V'agem
Estrada de Ferro do Recife a S.
FfRCiSOO
A's 10 e meia horas
noite depois do fogo
vista haver um trem
Boa Viagerr ao Recife-
Ceoipanbia Jgricola e Mercan[;i
de Pernambnco
Convida-se os pessuidores de accSes
preferenciaes desta Companhia virem
receber no escriptorio da meema, ra do
Apollo n. 28, 1. andar, do dia 1 de Mar-
go em diante, de meio dia s 3 horas da
tarde os juros de 6 )0 ao an:o ou de
60OCO por cada aceito ou coupon corres-
pondente ao pr meiro semestre.
Recif, 26 de Fevereiro de 1892.
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Para carga,
oheiro a frete
passagens, encommendas e dl-
trata se con os
AGEKTJEg
Henry Forster & C.
8tua do CommrdoS
1 andar
NO
Llyi
ecfSo de aaregaeSo
DA
SMPREZA DE OBRAS PUBLICAS
BRAZIL
PORTOS DO SL
O paquete Maranho
Guilherme de Castro
' esperado do
sal at o dia
de Marco, se-
_trrdo depois da
demora necessa-
ria para
Parahyba, Natal, Cear, AmarracSo, Ma-
ranho, Para, Obidos e Manos
As encommenda> serao recebidas at 1 hora
lo tarde do dia da sabida, no trapiche Barbosa
o largo do Corpo Santo n. 11.
Para carga, passagens e valores : trata se com
os AGENTES.
PORTOS ~DO SUL
O vapor Alagoas
Commandante Joao
da
de
da
Companhia
DE
Fiafo e Tccidos de Pernarabnco
Sao convidados os senhores accionistas a re-
ceberem o dividendo de 5|000 por aeco. relati-
vo ao segundo i emestre do anuo Ando, no es-
criptorio da compannia a roa do Bom Jess n.
43, i-andar, das 10 horas damanb as 2 da
tarde.
Recife, 5 de Marc) de 1892.
Jos J jo de Amorim,
Secretario.
Indemnisadora
Sao convidados os senhores accionistas desta
companhia a reunirem-se em assembla geral
ordinaria so dia 9 do corrente, ao meio dia, no
escriptor'o da mesma companhia, ab'm de julga-
rem as contas do anno lindo em 31 de Dezembro
prximo passado.
Recife, S de Margo de 1892.
Os directores,
Joaquim Alves da Fonseca.
Jos Ferreira Marques-
Corbioiano de Aquino Fonseca
Mara Pessoa
E' esperado dos
portos do snl at
o dia 1 o de Mar-
o e seguindo
depois da demo-
ra do costme para
Parahyba, Natal, Ce ara, AmarracSo, Ha-
ranho, Para, Obidos e Manos
As encommendas serao recebidas at 1 hora
od tarde do dia da sabida, no trapiche Barbosa
p largo do Corpo Santo n. 11.
Aos Srs. carregadores pedimos a sua atienes j
jara a clausula 10* dos conhecimentos, que :
No caso de baver alguma reclamacao eontra i
sompanhia, por a varia ou perda, de ve ser feiU
oor escrvito ao agente respectivo do porto da
i&carga, dentro de tres das depois de iman-
tada.
Nao procedendo esta formalidade a compannia
3ca isenta de toda a responsabilidade.
Para passagens, frotes e encommendas tra
,a-s com o
AGENTES
Pereira Garneiro& C.
6*Ra do Commercio-->6*
1* andar
CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
KavegacSo vapor
Linha quincenal entre o Havre, Lisboa,
Pernsmbuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor Colombia
Commandante Viel
E' esperado da
Europa at o dia
Itde Marco e
eguira depois da
uecessarla demo-
ra para
Salda, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Sr-a. importadores de carga pelos
vapores desla linba, querarn apresentar dentro
de 6 das, a contar do da descarga das alvareu-
gaa qualquer reclamacao conceroeote a volumes
que porventura tenham segnido para os portos
io snl, afim de se poderem dar a tempo as pro-
videncias necessanas.
Expirado o referido prazo a companhia nSo
je responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas passageiros,
para os quaes tem excedentes accommodaces
a tratar com o
AGENTE
Auguste Labille
9RA DO COMMERCIO9
Segunda-feira 7 do corrente
A's 11 h iras em ponto
Agente Pinto
No armasen a ra do Bom Jess n. 45
Agente Britto
Leilo
De bons movis, buyas, vidros e 50 for-
mas para calcado
Ra do Imperador n. 49, 2- andar
Terca-feiaa, 8 do corrente
A's 11 horas
MARTIMOS
l'trnunbufM de
Companhia
vegae&o
Esta cempanhia man tem a? segointes linhai
-egulares de navegando:
*rte, tocando nos portos da Par hjba, Natal
Mcaoo, Mossor, Aracaty e Fortaleza, partinde
leste porto um paquete a 11 e 26 de cada mex.
Sul, com escala pelos portos de Macei, Pene
lo, Aracaj, Estancia e Baha, sabindo desti
orto a 14 e 29 de cada mes.
Fernando de Norenka, partida no moa O d<
cex.
Rio Formoso e Tamandar, sabida a 28.
Rio de Janeiro, (directamenie) parte o paqueU
'a 25 a 30 do mez.
Rio Grande do Sul, (viagem directa) sabe di
iS a 20 do mex.
Tjdos os paquetes sao novos, tem excellentes
tccommodaoes para passageiros e para carga
d os precos sao muo redolidos.
Os passageiros encontram, apar do bom tra
xmento, todo o conforto desejavel a bordo
im paquete.
Os paquetes que fazem as viagens ao Rio di
Janeiro, alm de terem tudo o que se enrontri
ios paquetes modernos, accresce que fsx a via
gem em quatre dias e o preco de passaeenj
3a 1." classe 80*000.
0 paquete empregado na viagem para o Re
Grande uo Su1 e somente para carga, e tem c
caiado adequado a entrar no porto daquello Es
;ado em qualquer occasiio.
Recebe se engajamento de carga por quant)
iade lixa para todas as riagens.
Outrosim, a companhia expedir paquetes ex
itordinarios desde que baja carga para o enga
ment completo de nm paquete.
n orio. da Comnanbia Pernambucan
Da i.
The United States and Bra-
zilM. S. S. C.
O yapor Vigilancia
E' esperado dos portes do
norte at o dia f de Mar
C9, seguindo depois da
indispeosavel demora para
Mail Stei UM
O vapor Tagus
E' esperado da Europa at o dia
13 de Margo e seguindo de-
pois da indispensavel demora
para a
Baha, Rio de Janeiro, Montevideo e Bue
noa-Ayres
Para carga, encommendas, passagens e di-
abeiro a frete, trata-se com os AGENTES.
O yapor La Plata
E' esperado dos portos do sol
at o dia 1S da Marco de 1892
seguindo depois da necessana
demora para
La Palmas, Lisboa, Vigo e Soathamptcn
Raduc$3o de peusagtm
Ida lia t voiu
k' Lisboa 1 classe 3 20 4 80
4' Southampton 1 classe 28 4 U
Camarotes reservados pan os passageiros de
Parnambuco.
Para passagesa, frates, encommondas, trata-pe
MI oa
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N.3Boa da Bon JaroaN. 3
Pacific sii Mili fi-
jan,
STRAITSOFMAGELLAN LDE
O paquete Potosi
t' esperado da Europa at o
dia de Marco seguindo
__Idepois da demora necessaria
para V.ilparaizo com escala por
Baha. Rio de Jameiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di
iheiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilso, Sods C, Limited
10RA DO COMMERCIO10
Grande e yariado
Leilo
Da 1 rico piano forte. xr.cllentes movis, Ha-
dos lastres a gaz carbnico c ks'Ocene, crystaes,
porcelanas, objec'.os de electro piale, brome,
praia, bucuits, tpete oleados para forro de
salas e quartos. bancos de jardim, plantas Boas,
um variado sortimento de trem para cozinba e
muit03 ou'.ros objectos de apurado gosto para
casa de familia.
Ter^a-fera, 8 do corrente
Na casa da ra Fortrosa n. 7
Augusto Neesen, tendo de fazer urna viagem
Europa com sua familia, faz leilo, por interven-
(ao do agente Pinto, dos movis e mais objectos
da caaa em que residi roa Farinosa n. 7.
Sah de visita
Um piano forte, 1 mobilia de janeo, mesas de
centro 1 espe'ho grande, 1 relogio de pedra, 2
cundioirosde mesa. 4 quairos, 1 rico lustre, ta-
petes aveludados, forro da sala, tapetes de cO o,
oleados, ramos de flores, enfeites e jarros de
mesa
Primeiro gabinete
Um divn, 2 cadeiras poltronas, 2 mesas for-
radas, 2 quadros oleo, sanefas e cortinados,
vasos para florea e 1 oleado, forro de gabinete e
4 cadeiras de janeo.
Segando gabinete
Urna linia secretaria com armario. 1 estante
envidracada, 1 mesa para escrever, 1 di a para
jgo, 1 caixa com jogo de xadrez, 1 dita com
te tos, 1 cadeira de braco, 6 cadeiras de janeo,
1 candieiro de suspeaso, 9 quadros, Belas e
cortinados e oleado forro de gabinete.
Quarto da frente
Um guarda reapa, 1 guarda vestido, 1 lavato-
rio e pertences, 1 eepelho, 1 cabide de columna,
1 porta toaltia, 2 mezas redondas, 6 pannos para
cadeiras, 5 pares de cortinados, guarnieres para
lavatorio.
Sala de jaotar
Urna mesa elstica grande, 1 guarda louca, 1
aparador, 8 prateleiras, 12 cadeiras de guarnido,
4 candieiros de parede, 2 quadros, 5 pratos de
parede, 1 licoreiro, apparelbos de porcelana para
cha e jan>ar, copos, clices, garrafas, compotei-
ras e um'grande servico de finos crystaes, sane-
fase cortinados, lindos objectos de electro pate,
talheres. colneres, bandejas, abajours e cbami
ns sobrcselentes, toalhas e goardanapss.
Sala de copa e cosinba.
Urna mesa elstica, l guarda louca, 1 guarda
pratos. 1 aparador, 1 filtro patente. 1 guarda co-
mida, 1 amolador de facas, 2 almofariz, 2 balan-
Cas," um variado sortimento de trem de ccMnha e
formas para bolos, escovas, vassoaras, cbalei-
ras, balaios, bacas e peneiras.
OS.ecios avulsos
Urna empanada e armando, 1 mesa e cadeiras
para jardim, 1 maobina para regar, 1 mangaeiro,
1 carro de mo e trem de jardim, escadas de
abrir, barris e garrafas vazias e outros objectos.
Pavimento superior ,.
Um guarda vestido com espelbo, 1 toilette, 2
lavatorios iguaes com pedras, 2 camas de ferro
iguaes com colxes e travesseiros, cortinados, 2
mesas de cama, 1 excellente s especial cadeira
privada, 1 caixa botica, 3 lances e cortinados,
tapetes, 2 camas de ferro parasolteiros e muitos
outros objectos de casa de familia.
0 referido leilo principiar s 10 horas em
ponto, por ser o numero dos lotes superior a
trezenlos.
Ao commercio
Jos Joaquim de GusmSo e Silva declara que
venden ao Sr. Ernesto de Gnsmao o sen estabe-
lecimento de molbados, livre e deeembaracado
de qualquer obs ; porm quem se jolgar credor
apresente-se oo prazo de tres dias. a cootar
desta data.
Recife, 3 de M:rco de 1892.
Cosinheira
Precisa-se de urna roa Duque de Caxias n.
57, 2- andar.
Moedas de prata ou ouro
Compra se moedas de prata ou ouro de qnal
quer qualidade, pagando se maior preco do que
em outra parte ; na ra do Commercio, arma'
ten n. 4.
Cachorro perdido
Desapparecen da casa n. 58 em Fernandes
Vielra, nm cachorrinbo de pello corto, branco,
tendo no meio das cestas ama cancha escura em
forma de coracao, as orelbas da meema cor e ca
bidas, e acode pelo nome de Mignoo. Pede-se a
buem o encontrar, o favor de o levar a mesma
casa.
Patacoes
Compra-se de todas as naces ; na ra do Ca
bag n. 9, loja de Augusto do Reg.
Fataces
Brasileiros
Marcados 2J0O0 no centro, compra se po
maior preco do qne em ontra qualquer parte: nt
armaztm ra de Commercio n. 4.
Criado
i
da
Profetior Jou don Barroso
illvc Juvcnl*
0 Greaio dos Profeseores PiimaMos, profun-
damente sentido pelo falleciaseato de sen pres'i
mo;o conocio ex prei-iiiente, professor JcSo
Jos Barro:o da Silva Jovenis, manda celebrar
urna misa pelo eterno repou^o de sua alma, ua
igreja matriz de Santo Anioi>:o desta cidade, s
8 horas da mnh de segunda feira 7 do cor;en-
te, trigsimo dia de seu passacaenlo
Para aesistir sise carianco acto o Gremio con
vida a Exma. famitia, os pareles, amigos e col
legas do fallecido.
Secretaria do Gremio dos Profe eoies Primarios
do Estado de Pernambuco, 3 de Marco de 1892.
O 1" secretario,
__________ J ri'-^n S>ns6es.
Jote Ilcnrlque de Aievtdo
un'
Primeiro anolversario
Jcfferaon Mrrabeau de Azevedo Scares e sua
mulher mandam rezar urna missa s 8 horas ca
manba do da 9 so corrente, na matriz da Boa
ViBta. por alma de seu sempre chorado filbo,
Jos Hsnrique de Azevedo Sobres. Os parentes
e amigos que se tignar va de assislir a esse acto
de piedad? chns'.Q. darlo motivo de profundo
reconhpcimento.
t
Joaquim Duartei de Flgaelredo
Felismina da Silva Figoeiredo e sai tilba con-
vidam aos seus parentes e aos amigos de seu
finado esposo e pai, p.-ra ouvir ama missa que
por alma do mesmo mandam rezar n dia 7 de
Marco, pelas 7 horas da manh, na igreja de N.
S. do Terco, 2- anniversario de sua morte, e
desde j an'fcip?ra seis ip'sdTinipntos.
Coronel Joao Cario* de Mcndon-
oa VatcoaceiloN
Stimo dia dj sea passamento
Sobre este vene avel tmulo, derrama urna
lagrima de profunda saudade e incera amizade.
G. M. S.G.
Ama de leite
Precisa se de urna que tenha bons cos-
umes e que nSo tenba filhos : a tratar na
ra de Pedro Afibnso n. 28, (outr'ora ra
da Praia) armazem de xarque.
Ama criado
Precisa-se de urna que
cosinhe com perfei^ao e
um criado para sitio que
d fiador de sua conduela ;
a tratar na ra do Apollo n.
14, 2. andar.
Ama
Leilo
Oa grande casa terrea n. 7 da ra da
Ponte Velha com 2 portas e 2 j .nellas
de frente, espolio do coronel Luiz Cesa-
rlo do Reg.
Terga feira, 8 do corrente
A's 11 horas
No armazem n. 39 da ra do Imperador
O agente Msrtins far leilo por mandado do
Illm. Sr. Dr. joizde direitodo civel arequerimen-
to do inventronte dos bens deixado pelo finado
coronel Luiz Ozario do Reg, da casa terrea ci-
ma, tendo 2 salas, 4 quartos. saleta, cosinba,
quarto para criadas, corredor indepeodente, to-
da caiada e pintada de novo.
Os pretendentes podem intender-se com o
agente para ver a referida casa.
AVISOS DIVERSOS
Fiambres, fritadas de carnario, empadas,
vatap, bolo ingles pao-del, bandeija com bo-
linhos, toucisbo de co, bolo de rolo, bens boc-
eados, pastis se nata, podios de diversas qua-
lidades, cremes, doces d'ovos e de fruclas, pao-
de 16 torrado (kilos), assim como rilh para os
tres dias do carnaval ; na Soledade, ra do de
eembargador Nones Maefcado n. 56.
No eacriptorio da redaccSo ca Patria, sito
ra de S. Jorge .antiga Pilar) n. 6,1- andar, pre
cisa-se de nm criaco, pagando-se bem, caso
agrade.
Pecbincha
Vndese nove vaccas da trra, muioboas
leiteiras, estao dando leite : quem pretender,
dirija-se estacao do Cordeiro : a tratar com
Angelo de Freitas Bezerra.
Professora estrangeira
Precisa se contratar, por dous ou tres annos,
para casa de familia nesta cidade afim de cooti
nuar a educaco de daas meninas, sendo a man
velha de 10 annos, urna professora cstrangeira
que esteja habilitada a ensinar francs e inglez,
ou francez e allemio, msica, piano, arilhmeti-
ca noces de geographia e historia universal e
algonstrabalhos de agalha etc. As meninas de
que se trata comtcaram sua educaco por urna
professora allema, e esto bem principiadas.
Indicacfies a roa 15 de Novembro, (antiga do
Imperado;) n. 28.
Vendem-se os dous sobrados ns. 1 e 3
roa do Caes, que segu da casa da Detencao ao
Gasmetro onde estao situadas, tem commodos
para grande familia, quintal grande com sapo
tiseiros, lugir destinado a ter grande valor logo
que se realise o projecto de nma ponte da Boa
Vista ra de S. Joao, mato proprio para qual-
quer estabelecimento fabril,- ou outro qualquer.
dos que cao podem ter conservados no centro
da cidade; vndese ambos, ou cada om de
per si : a tratar na ra das Trincheiras n. 17,
loja.
Qnem tiver encontrado no dom'neo tarde
oo bond de Fernandes Vielra, am broxe de nix
com pequeos brilhantes no centro, em forma
de croz, poder cntregal o loja de Vasconcelos
a ra 1 de Marjo, e ser generosamente grati
ricado.
Precisa-se de om boleeiro ; a tratar oa ra
da Imperatriz n. 8. ___________
Precisa-se de ama boa ama de cosa Da e
outra de sala : a tratar na ra do Crespo n. 10
loja.
Precisa-se de ama ama para cosinba : a
tratar na ra Bella n. 37. 2- andar.
Urna senhora habilitada ao ensino prirxa-
rlo e secundario, msica, pi;no. francs e ita-
liano, todos os trabalb03 de agulba, tures etc.
etc., se prope a exercer o ensino em engenhos
ou outra qualquer parte : qu-m precisar dirja-
se ra 1- de Marco u. 1, loja de fazendas, qne
dar informales.
Precisa-se de um criado que entenda de
cOpa em Olinaa, roa de Matbias Ferreira n 10
paga-se bem
Doce de Caj
Vendese excellen-
te doce de caj se eco,
feito a capricho. Na
ladeirada Ribeira so
brado n. 28, na cidade
de Olinda.
Cosinheira
Para ama familia estrangeira, exige se boas
referencias : para mais informacOes, na ra do
Commercio n. 7, 1- andar, 3..
Moedas brasileiras
Compra-se de 500 rs.. 14000, 2000 no centre
da moeda ; na ra do Cabog n. 9, loja de Ac-
guato do Reg. ___________
Copeiro
Precisa-se de um bom cope.ro com boas refe-
rencias ; para mais infomacOes, na ra do Com-
mercio n. 7, 1- andar, sala da frente.
Precisa se de duas amas, nma para cosinba e
caira para sala : a tratar na ra Barao da Victo-
ria n. 54, na amiga agencia de movis.
Ama
Preciaa-ae de urna, no Patio de S. Pe
dro n. 1. 1. andar.
Ama
Precisa se de urna ama para tratar de duas
cianea?, que seja crioula e de mea idade ; a
tratar na ra doLivramento n. 1, sobrado.
Ama
Precisase de urna ama para coziohar em casa
de pouca familia, ra da Soledade o. 54
Loja Araazt
Estrella
das
Acaba de receber um completo sorti-
mento de tecidos pretos de eorgnr3o,
sedas mascotte ftecido novidade), damss-
c cbamalotes, etumines, las lisas e la-
vrkdas e cecbezr.irfcs que vende se desde o
prego de 800 reis a 2$30O.
Atsim como mantbat le pooholas,
manielhetes, capas e visitas, cortes pretoa
ricamente bordados a vidrilhcs e seda,
que se vende por preyes sem cempe-
i< Doia.
LUJA E ARM/ZEM DAS ESTRELLAS
SS-ltua Dqie de Caxias-58
Telephone n. 210
Gaixeiro
P ecisa s? deum caixelro psra molbados, com
praiica ; na ra da Uni? n. 4.
Attencao
Urna pessaa que reside ra da Alegra n. 6,
deseja saber onde est residindo a f. miiia do
Dr. Msrco Tuio do eis Lima.
89
Urna familia de fra da cidade e qae pretenle
passar aos dous o a tre3 mezes do Re'eife, deseja
singar ami san que tenba commodos e tambera
rlguns movis e utensilios' de casa. A quem
convieralugar annuncie por este diar;o Oa v
entender-se com o Sr. Ignacio des Santos, loja
de joias ra estreita do Rosario n. 20. Adver-
tindo tambera que prefere se casa que tenha
agua encanada, e paga si aluguel adiantado.
Para Ai acaj
O patacho tfoodn;o seguir brevemente, re-
cebe carga a frete commodo ; a tratar com M
Msia & C, ra do Commercio n. 7.
Elisais laiti lis M
Naveliy
prettj present for a
English Girb.
Far sale by
IELOJGARIA DAYD
n, 14
50000 each
A
little
Ama
Precisa-se de urna ama para eosinhar ; na roa
do Livramento n 21 l.- andar.
Ama
Precisa se de orna para casa de duas pessoas
que compre, cosinhe e faca mais alguos servicos
de casa de familia, a tratar na roa da Matriz da
Boa Vista n. 3.
Ama
Precisa se de urna ama que seja boa cosinhei-
ra ; na ra Barao de S. Borja a. 33.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba
na ra de Hirtas n. 17. mercearia.
Ra do Cabug
*. rice
PABA ENGENHOS
GoiMes & Valenle
Participam aos sens fregueaee, e bem
asdm aos Srs. agricultores, que conti-
nuara a ter grande deposito dos artigos
abaixo mencionados, gsrantindo tudo de
1.* qualidade e sem competencia em pro-
cos, visto como recebem os metmos arti-
gos directamente e terem constantemente
avultados depsitos.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Cimento Portland He-
moor.
Oleo de mocoto.
Dito ni^eral ( para ma-
chinas).
Dito de linba^a.
ricino,
pixe.
coco,
latas.
de
de
cosinbar
Ama
Precisase de urna ama
120, 2- andar.
na ra de S. Jorge n
Ama de cosinha
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem, para
casa de familia ; a tratar na roa do Cabug n.
14. de meio dia at 2 horas.
Ama
Precisa se de urna ama de meia idade para
eosinhar, rara casa de pouca .amilia na ra do
Alecrim n. 22.
Ama
Precisa se de una ama para lavar, engommar
e fazer ma:s algara servico de casa de pequea
familia ; na ra Imperial a. 19, i- andar, viveiro
do Muniz.
Ama
Lotera do Rio Grande de Sil
Ser extrahida inipreterivelmente sab-
bado 5 do corrente a 38.a lotera.
Bilhetes venda A Venturosa ra do
Cabug n. 16.
lEILOES
Terva feira 8 deve ter lugar, pelo agente
Pinto, o le:o de bons movis, fiaos crystaes,
porcelanas, espelbos, quidros, tapetes e mais
objectos da casa em qae residi o Sr. Augusto
Neesen, roa Formosa n. 7.
Leilo
Da casa terrea da roa do Padre Floriano
n. 11 edificada em chloa proprios,
qne rende 2160 por auno.
Vende-se um engenho
com capacidade par tres
mil paes de assucar perto
de estrada de ferio com
muito boas mattas, grandes
varzeas e movido a vapor.
Para informacoes na ra
Duque de Caxias n. 52.
Criado
EPrecisa se de am criado qae se preste a todo
servico domestico, e qae exhiba garantas de sua
conducta : na roa da Roda, actualmente Conse-1 Amaro, das 8 as 10 horas
Ibeiro Peretti n. 89, sobrado de um s andar. 1 tarde em diaota.
Electricidade para illumina-
9S0 e tracc,ao
W. J. Ayres
Encarrega-se de fornecer apparelbos e instru-
mentos elctricos de qualquer especie e dos me
Ibores fabricantes. Contrata a instaliacao de
plantas elctricas, fornece orcamentos para as
mesmas, InformacOes em oasa de Ramos Sal-
gado & C, praca da Independencia.
ntiga fabrica Caju-
rubeba
Vende-se urna machina americana de aplainar
e outras de triturar, espremer fruclas, etc., umi
excellente caldeira de cobre estabado para co-
ser no vacuo, grandes depsitos de foiba para
alcool oa qualquer mister, ama boa srmacao in-
gleza, grande qaantidade de rolbas inglesas,
lquidos e aaitos outros objectos, tudo muito
em conta; na roa Luis do Reg n. 14, Santo
da manha e das 4 di
No largo do Pilar n. 21, tatema do Sr. J0S0
Marlin3 da Silva, precisa-se de urna ama para
casa de nm mee viuv sem filhos. somente para
elle ; pasa se bom ordenado.
Ama de leite
Precisa se de nma ama de leite ; a tratar na
ra 89 (antiga Imperial) n. 161.
Cosnheiro
Precisa se de um bom cosioheiro ; na ra de
Paysand n. 19^_________________________
Ao commercio
Os abaixo assigeaios participam ao commer-
cio e a quem interessar possa, que desde 31 de
Bezembro prximo passado dissolveram a eocie-
dPde que nesta praca gyrava sob a firma Amaral
Primo & C. Successores, retirando-e o socio
Ayres de Sonsa Baotista pago e satisfeito do seu
capiUl e lucros, ficndo o socio Antonio da Silva
Castro de posse do activo e responsavel pelo
passiro da mesma.
Recife, 4 de Marco de 1892.
Ayres de Souza Baptista.
____ Antonio da Silva Castro.
Jai
inipabo e caj
Compra-se em grandes e pequeas porcoes :
na ra do Principe n. 28, taverna.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira ; a tratar na ra
do Commercio 0. 31.
Dito
Dito
Dito de
Pixe em
Azeite de carrapato.
Graxa em bexigas.
Caxeta de linho.
Potassa da Russia (eia cai-
xas. barricas e latas).
Gaz inexplosivel Da
maote.
Trisulphito de cal (novo
preparado para clarificar
o assucar)
Formicida Capanema (o re-
medio mais efficaz para
a completa extinecao da
formiga sava)
6 Corpo Santo- 6
Costa Campos & C.
Pedro Antunes & C.
Keceberam os seguintes artigos para oa
quaes chama a particular a'.Un^ao daa
Exmss. leiteras.
Completo sortimento de rendas de seda,
linho e algcdo de todas as cores e lar*
garas.
Lindas almofadas bordadss, (alto re-
l,o).
Bonita variedade de sapatc-3 bordado*
em tapesseria o que ha de mais lindo.
Runtes bordados para cachepots.
Orando sortimento de objectos
presentes.
Para crianzas
Bonitos costomea de casemira o que
de mpjs gosto.
Vestidos bordados para criancas.
Um completo sortimento de bonecas e
calungaa para divertir qualquer crian9a.
Para hornens
para
ha
Lindas gravataa do mais aparado gosto.
Interessantes alfinetes para gravataa.
Completo sortimento de botSea e guar*
niySes de pedras finas (imitacSo de bri-
lhante).
Pinos palitota de seda e alpaca.
Elegantes camisas de fuatSo borda as
lilas, linho, pregaiadas lisas e bordada*.
Non Esperanca
Ra Duque de Caxias n. 6$
>



,
ik

Diario de Pernambuco Domingo 6 de Marco de 1892
RHUIBARBO
MENTEL
Os doutores Tbocmbac ePiDoox. no seu Tratado de Therapeutica reanraem asaim as propriodadeedo jffktn
c Em quanto que os outros purgantes diminnem, em geral, o appeiitc 0 causam Inromniodos usas penosos, o Stblllbaarp* P
IBARBO:
pelo contrario,
c coadjuT as funccOes do estomago e estimula a economa em logar de dtpriinil-a. Bllu indicado as Gyipepsiai que succedem aos txctuos
de mesa, de prazeree, de series, nal que acommettem os individua chlorotito; me ser horas 1 nosas nalposioal hipocondriacas. Bate
c medicamento aconsc-lbado na diarrhea o non, no tmenlo da disenteria epidmica. .0 Rhuibarbo tem (ido mpregado oom fells
txlto, por tantas notabilidades medicas, que nao podemos deixar de ter conanca em suaa afflrmacAes. a
L-so no Formulario Magistral, do profossour Bouchardat :
O Stbalbarbo c um eioi //>: tonl-purgativo, que uto di colici, nto cinta o eettmsto nem 01 intestino!; ibn tutu o appetite 1 esti-
mula toda a economa. E o mtlhorpurgante p.-ra ai creaneas.
Para evitar o amargor, o Sur Itarm. tere a boa ideia de apresental-o debaixo da forma de erannlos do tamanbo
de paos de milho painco, facis de se oiigulir. A medida que serve de rolha do vidro de Rhuibarbo granulado
de Mente! pode conter 2 prammas do granulos que euuivalem a 50 centigramma de rhuibarbo. liasta enchuta e
engulir os granulos ajudado por alguns goles d'agua. A uso de urna medida duaa a tres veies por da, em jejum o
no comeco das refeicOes. Kecomeca-so tantos das consecutivos quanto l'rem nacessarios.
E"at>rioaL?t\o : Cexsa. L. FRERE-A. CHAMPIGNY A C'\ Suoc", 19, ni Jaoob, na. PARI2
X VXREJO : EM OCAS! TODAS XS PHXRMXCIXS DKSTA CIDADS _
S1IE0DBII
NOVO THEUMQMETRQ
MEDSCO cLe LON BLOCH
O UACS
:>-: oe em m
aziNsnrBX. ne toos os sys temas
\ lo tirme atoa l**ui
1 lqentura :
^j>
PARS, J, roa tfi VE:\trep6t. 2, PARS
ko E*ruNa-.r CONHECISOS
1
SINAPISMO RIGOLLOT
Eciriamentos Doren Congosto
OMAfOl KM ToOAb* A FH1RMACIAI
EX;/A*SK a A3SIGNATORA. COr ENCARNADA,
de
&

Kola-Bh-Natton
PICA
JSil:
CAMINA, THBOBBOsiINA, TANNINO, H UATER1A BNCA1HAOA DA KIA.4
TOmCOa EiSESCULmEHTE KEBISEMOOKM
Ir St Vinho 3Kola-B&li.IVattoii
Extractos fluidos, Paslhas, Pillas, Esseneia da lola tarrada
Vtiettm productos experimentados oom o malor xito nos bospltaea do Pars, desde tt pelos .
Dontorea DrjjARDlrt-BBAUMBTZ, Hchard, Dukian. Hallez, Movhkt, etc., na Anemia, oniorosi *, 1
TaleacaBclaaitaHrajiisiu'iciil, rabre ('Tllrrlm, UtirsUlUatM, ns'ttiu Slarrbeaa pirtUaiei,
Stysentoria, Dlabctas, Albinlnmrle, >npaafrlst. taaaaao de trabalno lriit latilltitul.
AJIMACIA d,-. BANQUE se FBANCE. IS, raaCoquIHIAia, Par. Eao rsnmatmi fllAB-M dslILVAtO

+*++++++++++++* PBEVINAM-SE COM AS IMITAQOES ^tWvVvVvVvV
SABONETE ORIZA-iTELUDADO IfciL
O Melhor
e o mais Suave dos Sabes
'BRPUMARIA-ORIZA
de I.. LBGEA2TD
" Inventor do Producto VERDADEIRO e acereditado ORIZA-OIL.
lnco de la Madeleine,
ACHA-SE EM TODAS AS CASAS DB CONFIANCA
<****4SrVi>>>a>a>Jaaa^^
fc
A
A TOS6E E
PEITOHAL
DE
A3JACAHUITA
t

P PARADO POR
ItANMAN E KCMP
XKW VOTtK
0 BALSAMO IMAiS EFFICAZ
MQ0U1 CURAS AOKWAVEIS E TE
rOVO E'. MJITOS CA50S DE
PrtTN:3!C* ir.CTPtefTE.
y
>
w
t
O
S
1
a
>

T
g
w
o

INFALLIVEL ^
Nova loja de fazezidas
EBta importante estabelecimeuto que acaba de pasear por urna grande reforma
acha-ae habilitado a forreoer methores mercadoriae por menor prego do que outro
qualquer, pois os teo# notos proprietarios et3o dispeatos a aeguirem o bom systema
dos grandes estabelecimeetos de Parte, que : VENDER MUITO E GANHAR POU-
CO, o tendo a eertcMt de qae esaim o podem cxeeu'ar, nlo s por ser este o svstema
que tSo adoptar como porque tendo fcado co B o estabeleeimento as melhores condi-
8es querem que os seu* estimaveis fregueses aufirem daa vaatageas qae pereeberam
tottVDitt aprovitarl
N2o sendo ignorado por ninguem o elendo preeo de qualquer mercadoria ohe-
gada reeentemente em r-onsequencia dos pesados imposto?, participamos ao publico
Jne conticuam.08 A LIQUIDAR com grande redceles de preeos, um grande deposito
o fasendes recebidas ainda nos ltimos meses do pretrito anno, avisamos portante s
oKcelletitissiinas familias e aos nossos estimave:s fregueses que se diguem de prefe-
rencia honrar-nos com a sua preseneA afim de supprirem se de lindissimas ssendas
por quantia exceasifamecte mdica.
lio elegaats
oom
XAROPE
LEBRUN
ba.lsa.zao
sulfuroso de
Balsamo de Tolu, Aloatro, Acnito e Monosulfuro de Soda puro para
a cura infallivel da Phthitica, Bronckite crnica, Catharro. Laryngile. Aphonia e
Doencas da peile. Para o modo de empreso consultar o prospecto.
PAIUS, JMfMMCM CEHTRAL. SO, tiabourg Montmurtre, t ea todas as pbarBicia ^ttrangeirai.
Depositarlos em pxanambuco : fPtAMc m. da silva & c
'--
EXCBllentSStmaS SintWraS, Queris
conservar a alvnra da cutis, o avelu
dado da pello, evitar as racha aaaim
como as Picadas dos Mosquitos ?
EMPHECAI COI TIIA $60111(1
o Crome Espumoso
OLYCYA
DB
S. BATNAITD
prf\irniata.-Cn.jrna4.oo
~ Eate Crttne superior aos Cold-
Cream, 4 G'yocrma liquida e muito
> preferivel todos oa aabonetes por ana
f{ spunj leitosA ase sestuo apelle toda
fU sua neribilidaae.
lliustrsslmos Stnhons, queris
evitar as affeeoOea qae podem atacar a
|C pelle ? Aceitai rnente para oa cuidado*
do rosto, poro o Barb*. Creme
espumoso OLYt'xA., ineompa-
ravel pela ana unctuosidade, de
E. RAYNAUD, perrumisU-chvnieo.
O Creme GLYCVA conserva-s
.- ''o todas aa temperaturas, nunca fina
ranfotoe nlo perde mu perune fino e
agradavel.
MvMitiim] m PARS, 16,rMd l'ckl|iiir
Em "ERHAUSUCO:rreufM.de Silva e V
a nss principas* casas.
1SCWBIS NHDY
Xa, *4:UT, f.im.-.alieli.MRw.lia.P S"-H0BII, PARS
PastiUif.s aiaHiemaWcamente dosadas com os
Alcau 'es os nials usados para a proparacS-o
iaatc-.:..inca ilaa aoiaooea tijiicMliimili na
Com o. :ncus eslojos encerrando urna Seringa
Prava:, um Vtdro de agva disttllada e urna
cplleci,,. ao 1/itcoies comasdoees e com ox
alcaloi.!- t os ma3 usados na medicina humana
e na ve.jiinarla. Os .
MHb:lia barat*
Compra se urna mobilia que ecjo barata, e os-
tros ooje:!cs a?. caa ; a tratar no largo do Pilar"
n. 2!. (averna.
Gosinheira
Precisa s? deurra ^ae cosinhe bem e f^a
muir- iljum te.-vico, que dorma ca caea dos
i patiOes, para rasa d pequea tamilia ; oa rus
! de Fernandes Vieira o. 19.
e ALVEITARSS
tce ::..mediatamente na sua dlsnosicao urna
.i trecca de qualquer Alcaloide, dfspen- '
saao- aaslm da obrigai.o de emprear solucdes
prepararlas de aLltiiio, e, portanto, multas
vezea diC'pota8 e at nocivas.
ittutafOs: liaustlrai dos mal Mtava MMmw
t Btiiui itadtmlii te Keticua.
Vasta sor sf.eido: H. MASS!"A1N, 11, ros Pavea, Mttt
^i*mPernemtjoc:*+m6ne&lrnt$mmmeWmLtt
XAROPE e VIIHO de DUSART
Ao Lacto-Phosphato de Gal
Approvados pela Junta de Sygine
do kio-de-Janeiro
Esta9 duas preparacoes encer-
rao os principios constituintes
dos ossos e dos msculos, o BO
prescriptas pelos mdicos aoe me-
ninos lymphaticos e delicados,
afim de sustental-os durante seu
crescimento, desenvolver e des-
pertar o appetite, quando se a-
chao fatigados ou estafados pelos
estudosesuahabitacao no ar im-
puro das escolas.
Ellas restituemaosossoso ele-
mento phosphatad, cuja dimi-
nuicao provoca a fraqueza e o
desvio das pernas, e sao muito
elficazes na tuberculoso para aju-
dar a cicatrisacao das cavernas
pulmonares.
Os convalescentes, os velhos,
as pessoas anmicas e enfraque-
cidastambem encontraonellas os
elementos reparadores e neces-
sarios sade.
PARS, 8, r. Vivienne e em todas as pharmaoits
Luiz VernetlevaD
ta emprestimos de
qualquer quantia sob
cau^o de ouro, prata
e pedras preciosas e
tambem compra can*
tellas do Monte de
Soccrro, cau^es do
Banco Popular, joias
e brilhantes.
Pode ser procurado
aa sua relojoaria ma
do Baro da Victoria
n. 53, das 8 horas da
rnanh, s 8 da nottte.
ESPECFICOS
Oa cortes do vestides que acabamos de receber, em cambraia, 12, e seda
ricos bordados.
Grande e variado sortimento em ftzendas de phttctaaia.
Ma3apol8es francezts Bupenores.
Ditos especiaes americanos.
Caobemiras de todas as qualidades e brina de iinho finos.
Cortes para calca de 65, 8, 10>, 120 e 16*000 rs.
Novidade em voiles de seda e 12 de 10600 por 10200 rs.
Setinetas, sortimento complete, phantasia bracea rendada.
Chapeas de sol e sombnnhas para sechoras a criancas.
E' impossivel descrevermos minuciosamente a grande variedade de artigos
que vamos vender a preeos sem limite.
OffiCNA DE MAME
Variedade em casemiras para execucSo de toda e qualquer encommenda de
roapa por medida.
Continuamos a vender as celebres
Machinas de costura
Singer, Imperial, Progresso, Medalha, etc.
Presos sem competidor.
25 Ra do Livramento 25
Bento Kibeiro & 0
Pura a cura rfflcan t prompta da
Molestias provenientes de im-
"i> pureza do San^ue.
E' urna loucura andar a faze expe-
rtcnems eoa. iistnras inferiores com-
postas de ciiv ordinarias on de plantas
indgenas cuja cillcacia nao confirmada
pela selencia, eir.quanto que a molestia
cada vez vai franbando terreno.
Laacem rao, sem demora, de m re-
medio garantido cuja efflcacia seja facto
assignatado e inquestionavel 1
O Extracto Composto Concentrado
b Salsaparriiha dk Ayer conhecido
e recpmmendado pelos mdicos mais in-
tclligcntes dos paizes adiantados, j
durante 40 annos,
Centenas de milhares de doentes
tera colhido beneficios do sen emprego e
eo outras tantas testemunhas da sua
efflcacia positiva e icomparaveL
pbepakado pelo
DR. J. C. AYER & CA.,
IiOwell, Mass., Est.-Cnidos.
Dwesixo OSSAX.
DO CELEBRE
Or. humphreys de Nova York.
i:EtSSft
S. V.O
t. llii
5. I>
11 c h Choro e Insomnla
arrhi-a.de Crianza<
MA:::
Em nao mola de St annaa, simB
7 baratna. A vrala aaa- Droa*rlas e 1
nacas prlnelpaese mais garantidas do Mu
r.'o. CUBA
Wat Cr
t S|irrlgc*lc; i bliot
t. t'olrrln^, CmtrwrsSono, Vomitoa............
7. Tme, OonstliwcSo. RouquldAo, Hrmchlto .
- Nerrate1-
U> dw Vei
Escasaa ou Den.o-
B. Ior dn J)rnt laecat, Varslgeia.....
Krtsao dw Ventre.....
rada
12. I.rn"orvhOTHFIorMBrancas, Kt-gra p:"fa.-a
U < roop, oisBTotiea^lJIolda*aatelfcplrax
H. Ilerpen, Erui;5es,Er}-sliwla....
15. Rheanintlaino, DArea rbeumat
16. m-Tien, Malelta, Fcbre IstenpUUIaa. ....._
17. Uemorrholdm, Alni.irrvlnaa, inunaacnl
externas, slmpMa ou sangrentas............
i-. Opli thn Imin, olhos traeos ou Inflan___
lO.H.Htmrrv, UKUtloou chronleo. Oefluxo........
"Obe, Toase**>a>.Tr,odle..............
- > dlfllrultusQ.................
ppnrsivilo dos QHon_Surdez............
" aa, In.liatoea
ileorr
aXMJospmcladic
UX. Auna, tWel
21 --iippninvii
Iv>rpeiltt
' i d< "
In.liatSea c Cceras.............
vri-Hi, on iib.tilra.............
, Acumnlaeoea fluidas...........
tr, Causen. Vmitos.-............
aa. F.njoo de Mkt, _
37. Moles!iiH ourinanas, Clculos ou Paarm
Tmpilrncn','Denrdae nerrosianl41..
t'liu^iiiiihn. na Bocea, ou Aphta..........
). lucou>iucuc!a de Oarinn, Ourluax- u
Cama........................................
81. Mrnatrviacao 'loloroaa, Prurito...........
si. Maleatia da Csracao, Palpita.-'*-;, ote .
SS. Epylipi"a, Mal caduco, Uottacoral, Baile de
8A JM|tsilh,isW.'MmaJjirB'n'ai O Manual do Dr. Humphreyi, 144 paginas sobre
aa Kuteruiid:.deae o niodo de corul-at, scdA graUa,
] ede se ao 5cu boticario oa
HITUPHRBVS' MEUICISE CO.,
IOS Faltan Btreea, KCW i oill.
Deposito geral nft Companhti
io Drogas e Productos chimicos.
Gerente Francisco Masnoel da
Silva.
i
? MICRBIC
DA
91lennorrk4tgia
' 1 rafli'.imentb .fiiquilado peio emprego te
nfJECOiOOADEf
?08rro aauAL:
Romtovturd X>eoain, 7, PAJU >j
Ic/J cus serve .'a emoruho a si'Ji iB
vidro *j Msejeexe* faelet,
'.a taias m anjulciM rktfuacijs l( btu. U
;^Br^rsisCa YmTJmmsm^**m*Sii
XAROPE
DE
Rbao-Iodado
d J. Buci
do.
O Iodo, combinado
com os suecos das plan-
tas aniiicorbuticas, pres-
ta is Crian os doentet
os mais relevantes ser-
vicos, para combater Glandul*t do pascoco,
Hicv.Usmo, Pallidtz, Enqorgitamentot ascrofu-
icio*, lAortttias ta palle, Crost&s lcteas, etc.
E' preferivel .ios leos de gado de bacalhao;
alm de ser um fluidificante, tambem depura-
tivo enrgico.
PARS, i s\ s, AU8 DKUUQT
o ferro BRAVA1S
' representa exactamente o ferro contldo
na economa. Experimentado pelos
prtnclpaes mdicos do mundo, passa
hEraediatamente no sangue, nio occa-
giona prisao de ventre, nao cansa o I
estomago, nao ennegrece os dentes.
Tomam-sa virria gaita* em cada asad*.
Exijan a vsrdadeira Marca.
Vndese em todos asPHarmaeiea.
Par Matar: 43, r. St X.aiare,Parla.
Me I W7o a DE %>i |f
af
Bal
FATJ
._OS {FRANCA)
tfttftfftf?*??fftttftff
a<
PAHA
ENGENHOS
Lopes e Araujo partici-
pam aos seus freguezes e il-
lustrissimos senhores de eo-
genho, que tem deposito
constante dos artigos abaixc
mencionados garantndo a
boa qualidade.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Dita de Cutunguba.
Potassa da Russia (ea
barriquinhas, caixas, lataf
grandes e pequeas ).
Oleo de mocot,
Azcite de carrapato.
Dito de coco.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
Kerosene inexplosivo.
Graxa em bexigas,
Gaxeta de linho.
Presos sem competen
100:000*000
Loteras de Santa Gatharina
Extraccao todas as tercas-feiras
90:000*000
LOTERA DA BAHA
Extraccao todas as quintas feiras
200:000$000
3a. Grande Lotera da Baha
NdYft e importantisnoio plano
Extraccao inadiave], sabbado 12 de
Mar Bilhetes venda e pagamento de premios
rua Larga do Rosario n. 9, I. andar, escrip-
torio de
Bernardmo Lopes AJheiro,
THEO. JST.
Casa de commisses e repre-
sentages
EXPOSIQAO
DE DI COMPuETO SOBTIHENTO DB
c^kxjiJLOGeas s
Futittiai tratas
LOJA M LISTRS AZBS
Ra Duque de Caxlas o. 1
DE
JOS AUGUSTO DAS
Sedas, chamalots, gases.
Setins, surah e fola'r.
G3rgnr3o de seda preto.
Organdys de lindas cores.
Caxemiras lisas de todas as cores.
Tecidos arrendados.
Linn liso e de ramagens.
Percales, finas cores segaras*
Chitas e crotones.
Morim lavrado em pecas e meiaa peca.
MadapolSo com um metro de largura.
AlgodScsinho marca T.
Atoal&ado infestado de linho e alee*
do. *
Guardauapos grandes e pequeos.
Colchas de damasco e fustSo.
Cobertas forradas.
Cortinados bordados e crochet.
Crochets para cadeiras e sof.
Cortina des para portas.
Mosquiteiro com arn.acSo.
Enohovaes para baptisadoa.
Vestidos para meninos.
Cortea de vestidos bordados.
Vestidos de ere toces com enfeite
Fil para mcsqmteiroB.
Toalhae felpudas e alcochoadas.
Lences felpudos paro baoho.
Cobertores de 15 o algodSo.
Pannos para pianos.
Baetas para ronpas de banhos.
Chambres de cretone e felpudos.
Brins pardos para vestidos.
Bramante de linho e algodSo.
Gregu lia de linho.
Bretanha de linho.
Flanellas lisas e de cores.
Cassa lisa fina.
Cambraia suissa larga.
Cambraia victoria de todos os nmeros.
Crinolina branca e de cores.
Oleados para mesas.
Pannos de Damasc para metas.
Algodao asul e risc&do,
Dito da Bahia.
FustSo b- anco e felpado.
Creps ingleses e de seda.
Merinos pretos e arrendados.
Velados pretos e de cor Veludilho de todas es cores.
Coors aiabrvnp salpicas branc
Capas s etae de eacbemiras i; e
Tapetepara sofs, portas e camas.
Alcatifapara forro de sala.
Boleas de tapete.
Srgelin de todas as cores.
C semiras e pannos finos.
Alpaca finas para ralitot.
Redes da Baha de cores e brancas.
Todos estes artigos se vende por todo *
preco e se d descont a quem comprajr
em maior quantidade
NA
Loja das Lisfras Azues
lina Duque de Caxias i. 61
rigpsaxFicos
DO CELEBRE
;-\ Hi?i3hr8ys lie Nova York.
J'" > mata ',- SO anr.cja, hlsnfitcf, fgoroT, e/lt-
- a CroaaHas o Pimr-
-iiwspacac aufc gorauaJas do iliir*>.
ix vekm
'. ftitr,Ora SaauaaeC-ja .. .'
. ilirc c Clica canaadaa iior Lombrlens
. ''ca, choro tlnsomnladas *-r',i..j .
. plnrrhra dPtYuicns el
* fj||eriuc., octoa-Meibo, Vmitos............
?.n*"?' coaflpai;ao. llooquidilo. BroB'jtilti-..
cai-a o d Cara, c yemilgla.......
sa.-aala, Sllg3o, PrtAn da Vfutte'..'.'.'.
Ssmnuao da Bezi'a. Escqssa ou-Jcmo-
rada.................".......,...............
'?. l.pi'rrhi-a. nortsBraocaa, Eegra profisr
"i3Rouca. Dlfliculdadede H>*plra.
Bar >or dt Calleen
flmurpmln, n.
:ii>i>r< seio da
rada............
jencerrhea, F-...
Craa. i.^^sRouca.Pl.culda
. Ili'i-pt.4, a-apodes,E.yslrjela.
ihp.uiiia'lHnio, D."rrsrheumatlcas..........
.e*ocs, '-:.U'iia. ."c-hr.-Intermllc^nte.
_li n.oiiho; lis. 4lmorrcimas. Internasot
5 f"ja'naa.slnipiOBou sangrnts............
.?. >r*Dtbatima, Olhos fracosou lnflamro^dca,
.-! ka;nri "'-' i A Cjfljxo .......
j. c Bfni'ii.-hc, ."lea..............
-'.. AHma. KcsplraciodUli-idiwa................
oppurilrilo -icrplulua, lm-ti::<:e8 ct'lcpms........
idHde ar/af, ou phrsica.............
ca. .Jaa.........-
de Mar.
ourinurius, clculos cu 1'cJw
zi. OebiTidade ge ra, ra
ijaroatata, Aoamnlai
iajoo de Mar.
laleatiaa oui-inariu!
uaBexlea... ..............
Impotencia, Dehllfdade ber
7.. ---------.^ *"' ^^-.*j. '\im......i pa i, laai
( lasuiuiinsun Bocea, ou Aphta ....
Iueouitnencla de OuHa,Oorlnan
- Criu*....................................
. *tri>!-iruacftodoloroaa,_Prurito
;iloli-'.1ii do i'omoAo. l'alplw
- i.pj lrpiu, Mcl caduob, ciettaeoral, Balied
dt
ca.
Rva *U Lirramanti
n. 38
de innmeras fabricas de to Jos os paizes da Europa c
das duas Americas, de iod.t especie de mercaduras, d*
machinas e materia prima.
Deposito do afamado tCREOLIM o melhor des-
nfectante conhecido.
Deposito da bem conhecida tODONTINA de
Dr. H. Rirdet.
82Ra 4o Bom JFSS88
". Diphtberim^ Mal maligno de Garganta......
ao. Coag-MIdef. Chroicas, DArdeCabecH....
O Manual do Dr. Hnrophrevs, 141 pagbua s >hre
as2nfermldaicseoiundode(^,ral4s,heda)n-atia.
pexie-se ao seu b-Mcsrlo ou
III SiriIBBTS* MEDIC'.ME CO..
109 Fallou .-trret XEW j.
NICOS AGENTES
Para > cadas era grosso eaa Pasa-
naMliite*
laria Sobriiio & C.
DROGARU
A' htu Margue d Olmda n. 1
t
/

*

.
A ttenijo
Pede-se ao prrfessor Jo5o Ferreira V Hela de
Araujo o favor mandar pagar 160*000 que lomo
para pjgai-o titulo de toa senora ausodo em
Abril de 1891 fu :erac:ada coa ama cadeira aa
treguezia de S. Jce desta cidade.
Viuva Axevedo & U

IIIBIVH
A


8

Diario de Pemambuco Domingo 6 de Marco de 1892
AOS FUMANTES
Desejaes nao ter azia quaDdo fumaes?
Usae por algum tempo os apreciaveis cigarros denominados MINHA ESPERANZA, quer picados, quer desfiados. Usa tambe m o aroaaS*
suboroso fumo desfiado intitulado Hygiemco Naeional e os cigarros do mesmo fumo.
Dfcpcis di so dir-vos-hei se foi ou nao til o conselho.
Cumpre notar que os Bvgienicos sao fraquinhos e os ESPERANZAS sao fortes.
A fabrica MINHA ESPRA.\gA situada na ra Laiga do Rosario n. 21 A.
________ Um apreciador.

YENDAS
Chapeos e capotas
Ultimas novidades de Paria receben o
Lonvre
Capas, jersevs e visitas
Goatos iateiramente cotos acaba de re-
ce ber o
rtesde]a,linho,seda
e algodo
Ricamente enfedos, tem recebidj l-
timamente o
LOUVRE
Se, as brancas, pretas e ele,
cores
Noves padr'ea e para grande escolha
foraru despachadas nestes ltimos diaa
para o
LQUVRE
Crnalas. Ieqaes e chapeos
de sol |
De pbantaBias scabam de chegar para o
LOUYRE
Costumes para creaccas
De todas as idades encontra-se grande
ortimento no
Louvre______
Qbjectos de gosto para
presentes
Ha ueste artigo grande escolha no (
LOUVRE
TECBOSDE PHAN- '
TASA
S'cdo impoasivel de se deccrever a
grande variedade de tecidos de diversas
qualidades proprios para a estacao acta!,
roga-se ao publico em geral e principal-
mente s Exmas. familias a fineza de vi-
sitaren] o
LOUVRE
Ra 1. de Marco n. 20 A
Francisco Garge! k Irimio
TELEPHONE N. 158
n exmas. tmm
Pede-se para honrar com suas visitas
ID MADIS DES DIMES
38--Kua do Baro da Victoria--38
59 TELEPHONE 59
SABAO CURATIVO BE REUTER
Tumores, cravo, pelle verrrel;a, asp.ra e oleosa impidido ou carado
por o mai8 grande de todos os aformosedores da pelle, o Sabio Cnratirode
Reuter. Produza a pelle formesa, branca e clara e raos brandas; abso!ula
mente puro, delicadanent medicinado, extremamente in'cmparavel como
sabSo para a p^Ile bem como do toucador, do banh edoquartodascimcs?.
CAlTELA- NSo genuino sem cada envoltorio ter a marca re
gistrads de Barclay St Co, New York.________
v;E osera &s>
TOILIH
XAROPE DE REUTER IV. 2
s
Como remedio da Estacas Grimosa, Puricador dosngoe, diurtico,
e aperiente, nenhum ou'-ro appellidado depurativo ou salsspurnlba se appro
xima sequer aoXarope de Reuler n. 2. Combina quatro gran.'es proprieda-
des em um e remedio, operando a um tempo sobre os orgacs digeaiivcs, o
saogue, os rins e os intestinos.
Absolutamente neutralisa e expulsa pelos canaes in!e?'.inae3. rlns e
poros da pelle, os germens nocivo?, que fluciuam nc sangue, ca urina e na
iranspiraco. ,
O MBB3EX.
PURIFIGSUCB
PAHA
RICOS cortes de ves-
tidos de seda, de 1S e
cambraias brancas e bor
dadas.
LEVANES,~voiT
les parisienses e cretones
lindos desechos.
COLCHAS de seda e
de renda, alta novidade.
LEQUES de gase,
madeporola e tartaruga.
CHAPEOS e capotas
para senhoras.
GRANDE variedade
de objectos para presen-
tes.
TOALHAS e guarda-
apos de Iinho, branecs
e de cores.
SEDAS brancas, pre-
tas e de cores para gran-
de escolha.
TECIDOS brancos e
de cores, arrendados para
vestidos.
CORTINADOS mo-
dernos para camas e ja
nellas.
VENTAROLAS d e
gase e pennas, ultima
moda.
CAPAS e pelerinas de
seda e renda pretas.
CAMISAS de linho,
punhes e collarinhos para
hornees e meninos.
RICAS grinaldas par.
casamento
VESTIDOS do seda,
1S e brancos
para meninas.
bordadas
CAMISAS, saias e
calcas bordadas para se
chiras.
ENXOVAES comple-
tos para baptisados.
MEIAS de seda e fo
deescossia,para senhoras,
hornees e criancas.
RICAS alniofadas
velludo bordadas.
de
PERFUMARAS Jos
mais afamados fabricantes
de Londres e Paria.
MESaS, etageres e
cacbapotes, ultima no vi
dade.
COSTUMESdejersey,
casemira e brins para me-
ninos.
GASES do seda, bran
eos e de cores para ves
tidos.
ESPART1LH0S ele-
gantes de seda e brim
com pelucia.
GUARDA-POS d e
seda e alpaca para se-
nhoras.
GALLOES dourados,
prateados de seda e de
la" para enfeites.
MANEQUIN3 france-
zes.
MATINEES brancos
e de cores, bordadas, com
rendas e fitas.
LAS modernas
sede para vestidos.
com
VELLUDOS pretos e
de cores.
JABOTS e fichas de
seda.
BICOS de seda de co-
rea modernas.
PEQUERAS PILUI.48 BE REUTER
Figad entorpecido cara-te positivamente com estas pilulas. Ellas
sao um remedio purga'ivo livie de pf Meo pira o bomrr msis frac-, '5 b n
como baslan'e;.clivo para o bc-mcm maii Mlf, e nao constipa i epcis; pf la
accao geral agr;da a tc\>? que ss vrn>. Bajar olila estandarte da pro
fiasao medica acs Eiaos Unidas. Sdo as minori s e nais facis a crner.
Qcaren'a tm cada frasco.
PAM
FIG
iRICOFERO de BARRT
Urna preparaefio elegante extremamente perfumada,
remove todas as Impurezas do crneo, preservativo con-
tra calvicie e cabello etnzento; faz o cabello creecer ee-
PARAO
CABELLO
meioriauuniF.tjueinuuiursB, leriuw. ujrceuanu-. i ^ 'fc*^
CAUTELA.-Ni genuino ftra cada frasco! E8XUELEC1D0 UiHJU
ter a marca registrada de Barclay & Co., Naw York.
1
depositarios destes PRODUCTOS.A compsnhia de Drogas e Pra-
dactos chimicos.
Ra Mrquez de Olinda n. 23.

LINDOS albuns para
retratos.
GRA7ATAS para ho MANTILHAS
mees o que ha de mais hidas de theatro.
chic. I
Royal
WHISIY
Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escoce pro
erivel ao cognac ou agurdente de cana
para ortifcar o corpe.
Vende se a re taino nos melhoreS arn>
sens demolhados.
Pede Roya! Blend marca Viadtt
onjo emblema sao registrados pan
tor1
BROWNS & C, agentas.
Fabrica da loras
DE
Roa Baro da Victoria n. 63
Loja de quadros
Madame Gerard avisa aos seus ame-
rossimos fregueses, que receben de Pars,
um grande e variado sortimento de pelli-
cas de chevrehiix, de primeira qualidade,
seda castor etc., etc.
Libras sterlina3
Vende-se na toja de joias de Augusto Rege
a C, ra do Cabug n. 9.
AOS
PAEi LIQIDAB
Charlte verdadeiro, qua-
lidade superior,
Castores de todas as co-
res com lidos desenhos.
Tapetes com lindissimo:
padroes.
Marroquim branco e de
todas as cores.
Sola especial.
Formas francezas moder
nas e mais artefactos par*
sapateiros.
Tudo isto se vende por
diminuto preco por ha/ei
grande depsito na loja de
calcados ra do L'vra-
mentb n. 10
Costa Campos C.
FOLHETIH
Cal virgem de Cotunguba
A primeira por sua preciosa compesicao cbi
mica para o fabrico do assucar, riquissima de
saes de potassa e soda, adaptavel perfeilamente
i exploracao da industria de sabonetes, etc. etc.
Superior de Lisboa, vende se cada barrica com
60 kilos a 8000.
Agente nesta capital Manoel Jos de Araujo,
ra larga do Rosario n. 24 A.
JULIO MARY
OS DOIS INNOCENTES
TERCTIRA PARTE
(Continuirao do n. 5 1)
X
A BEIRA DO (RIME
E sena reflectir mais, atira-se pela porta
aberta.
Ao ruido que fas, Barouille precipitada-
mente apaga a vela. As trevas compactas
eavolvem-noi.
Mara Tnereza entrara.
Tropera n'um corpo inerte : o cadver
de Violaines, e de repente a sua m2o de-
para com a blusa de Barouille que re-
cnava e procurava fugir, nSo sabendo
quem era esse novo adversario.
Miseravel Assassino dis ella.
NSo cogita de couaa alguma. NSo re-
flecte que esse homem sea fi'ho, que
todo esse drama vei atiral-a em situares
terriveis.
Agarrase a elle.
Barouille percebe que nma mnlber e
parece-lhe ouvir no pateo alguna pas-
08. A ber dade d esperta va e acudiam.
Se nao toma ama resolucSo enrgica, est
perdido.
Csbe-lhe nai maos ama faca de mesa
Jne enoontra sobre um movel, apodera-se
ella e vibra a ao acaso.
Lila solfa um grito porque v-se ferida.
E cahe. Urna dor intensa cima do
aeio, perto do hombro, fal-g perder os
sentidos.
O bandido safa se; eiUo na escurid&o,
ao acaso: mas nao se engaara, acuda
gente : toda a herdade despertara ; ega-
cha-se junto s paredes, mas approximam
se ; rodeia-no sem vel-c ; dahi a instantes
ser visto, preso e tudo estar acabado.
E' preciso tomar um partido audacioso.
Naoa pode accusal-o; Maria Thereza
nao devia ter visto seu rosto ; deisra o
dinheiro sobre a mesa.
Nenhum indicie !
A porta do carral esta va alli, diante
delle ; Charlot est dormindo ; nSo ouvio
nada ou fingi nada ter ouvido,
Havia dous me ios para Barouille.
Ou elle safava-se para os campos com a
certeza de ter preso e de ser immediata-
mente acensado do assassinato.
Ou antrava no carral, deitava-se e tai-
vez nSo o fossem procurar; Charlot nao
o trahiria e pela manha, ou antes mesmo,
dahi s pedaco, podia deizar a herdade e
desapparecer.
Era este ultimo meio que devia adop-
tar.
NSo hesita, entra no carral e fecha a
porta.
Era tempo.
Da casa do velho Viulaines que
partiram os gritos, diaia um criado. Tenho
certesa, ainda estava deitado.
Pare:e que a porta est aberta.
Corramos 1
E precipiam se para a casa. A porta
est cffectivamente aberta, mas a casa
est aii escaras. O primeiro que ah entra
tropee num corpo ; ainda assim adianta-
se e tiopeca outra ves. O criado era um
antigo soldado, que estivera no Tookin.
NSo tem medo e n&o perde tambem o
sangue trio.
BROWNS & C
Mudaram seu esenptorio para a ra do
Commercio n. 7 1 andar e continuam adis-
posi^o de seus amigos e freruezes, para
fazer executar as melhores condi^es suas
encommendas de qualquer artigo agrcola
ou industrial da Europa e Estados-Unidos
da America do Norte.
Dispondo das maiores facilidades para
encommenda de apparelhos para Usinas de
fabricar assucar, fabrica de fac;o e teci-
dos e outros ; acceitam contractos nao s
para o fornecimento dos machinismos como
para a respectiva installacao.
Tem completa collec,o de catlogos,
specimens e planos e portanto sempre ha-
bilitados a fornecer ornamentos e pros-
pectos.
i

NOVO ESTAB GLECIMENT
Recebeu um lindo sortimento de
CAPOTAS
de rendas di cores e pretas para senhoras.
cxSaAjpoeas
de renda e de palhn para senhoras e meninas.

'le palha e de seda para enancas.
GMPEOS DE
para homens e repases, dos fabricantes FRANCEZES, INJLEZE'S E ALLESAS&-
CHAPEOS
de seda para homens.
GRAVATAS DE SEDA
FORMAS
de palha para chapeos de senhoras e meninas,
pretos e de cSres.
Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Flore^
Plumas, Aigrette* eCrampos
wara chapeos e outros artigoa da fantasa.
' Ra do Baro da Victoria n. 42
M. LICIO MARQUES
Telephone n. 560
'

Vende-se
ma casa de taipa, feitio de chalet, sito tra-
vessa do Dr Feitosa, 2- dittrido das Gragas,
cojo terreno tem 100 palmos de frente, terreno
proprio, com cacimba de pedra e cal, boa agua
o chalet tem de frente tres janelas ou postigos :
a tratar na estrada do Limoeiro, em Santo Ama-
ro das Salinas, ".averna n. 6-B: para informacOes
na laverna da estrada do Feitosa, quem vem de
Santo Amaro, que Ibe indicar qual o cbalet.
Fabrica de gelo
igoas e limonadas gasosas d*
tedas as qaalidades
Soda water, ginger, ale, limao, laranja, con
cao. abacaxis, granadina, grosellas, franbolssa
baunilba, hortel-pimenta. etc., etc.
12-ACAES DO CAPIBARIBE-tJ-A.
Biabo! diz elle, teriam passado por
aqui os Bandeirantes Negros ?
Queima um phosphoro e acende a vela
que ficra sobre a mesa ; apparece entSo
o lgubre espectculo. .
Violaines e Maria Thereza nSo se mo-
vem mais.
Debrucam-se sobre Violaines. 0 an-
ciSo est com a physionomia, contrahida,
azulada; est com a hngaa infiammada e
fra da bocea. Levanfam-no e torna a
cahir. Demais, j estava fri.
O es-soldado murmura :
O velho est prompto, mas a senho-
ra?
Felizmente nSo est merta. Faz um
movimento. Apenas perder os sentidos ;
abre os olhos e olha em redor de si.
E como lembra-89 diz immediatamente :
Oade est elle ? Onde est ?
Referia-se a Barouille e seas olhos as
sustados procuram-o no lugar do crime.
Os criados cuidam que ella quer ree-
rir-se a Violaioes.
Apontam-no com o dedo.
Morrea 1 dizem todos.
Ella levanta se lentamente. Est ca-
lada, agora. O que era feito de Barouil
le? Onde estava sea filho? Seu filho !!
Pode safar-se ? sem duvida, pois nSo fal-
lam delle...
A senbora est ferida, talvez grave-
mente ?
Respondeu com voz fraca :
NSo, nSo nada...
Ferida por Barouille, por seo filho!
Lgubre tragedia do inexoravel acaso!!
E sent tanto horror por esse crime que
enfraquece e cae segunda vea murmuran
do :
Eu morro 1 Vou morrer 1
A gente rodeia-a pressarosamente e
di-lbe cuidados. VSo chamar Jlo Vio-
laines que afna! adormrcra num somno
o, depois de ter scismado na sua
ruina, na miseria do dia seguinte.
E nenhum ruido o despertara desse
somno lethargico.
O ex-soldado explica lhe tudo o que
houve:
Sea pai foi assassinado... A senho-
ra est ferida !
Soltou ama exclamacSo surda e empalli-
decen horrivelmente.
Assassinado ?... e por quem ? Pren-
deram o {ssassino ?
O homem nSo responden. Mas JoSe
Violaines estremecen.
Diante dos seus olhos parece rasgar-se
um veo.
O assassino do velho Violaines
Maria Thereza 1!
Eis o qne grita-lhe no sea intimo nma
voz poderosa. Reconstitue o drama com
facilidade. Maria Thereza nSo qaiz dei-
tar-se, atormentada por todas as vises da
prxima agona ; quis fazer junto do ve
Iho urna tentativa suprema: foi acolhida
com insultos, si n, tinha certeza disso :
e entSo num acoesso de raiva Maria The-
reza qaiz ferir... oa anda...
Outra idea surge no sea espirito:
Quiseram roabar?... pergantoa
elle.
Sim. Oaro, prata, o notas esto
espalhadas sobre a mesa do velho ; toda a
reserva do velho.
E no espirito de JoSo Violaines o qne
era duvida torna-se certeza : Maria The-
reza quiz roabar para impedir a venda do
dia seguinte e conservar a herdade para o
marido...
Enxuga a fronte coberta de aores
fros.
E com o passo incerto, vaci liante, desee
a escada depois de vestir se e atravessan
do o pateo, entra na casa do pai.
A mulher ainda est sem sentidos.
JoSo Violaines julga comprehender o
Constitui^o
DO
Sstao 9 Pwttm-
buco
Vende-se a 400 re*
cada exemplar, no
escriptorio do Dia-
rio.
Livros de recibos para
alugueis de casas; vende-se
ao escriptorio des te Diario
Oliyeira Campos ifrCL
Roa do Crespo n. H
Merinos pretos tinos de U200, !*&& e&m
Etamines prelos tnos de 9C0 rs. o covafc
CaxemiraB prrtas lindas e finas a 2fto se.*,
vedo.
Setmeta lisa de todas as cores.
Bramante de linbo e algodao.
Percale3 brancos de 240 rs. o covads.
Tolards de cores.
Cretones pretos finos.
r
\tteneo
i
Vende-se na ra do Besa Jess n. SS
1 piano novo Cari Sheel.
1 mobilia de Jacaranda nova.
1 lavatorio com pedra,
foi
pedir di
, seguio-se ama alterca-
que houve : Mara Theresa
nheiro ao velho
9S0 e ella fra ferida ,- para se ver livre.,
entSo estrangular. o anciat pois muito
forte, mas o velho gritara e como perdis
muito sangue nSo teve tempo de fugir e
carregar com o dinheiro espalhado alli,
naquella mesa.
Perder os sentidos e nesse estado ti-
nham-na encontrado.
Sim, sim, pensa o homem, foi desse j
modo que se passarsm os factos est claro.''
Que desgrana!
A ruina e agora a vergonha, tudo o aca-
brunha.
Deixa-se cahir sobre ama cdeira e co-
mega a chorar.
Um criado adianta se.
PatrSo, dase elle, soube hoje que o
procurador da repblica est cacando no
castello de Louvire... Esse castello
dista apenas dois kilmetros daqui...
Disse a Valentim, o carreiro, que mon-
tasse a cavallo e o procurador em breve
estar aqai...
JoSo meneioa a cabe5a e disse :
Fzeste bem.
E olhava para Mara Thereza attonito.
Morrea ?
NSo. O ferimento mesmo nSo
grande cousa, falloa o ex soldado. Olhe,
est tornando a si...
E' preciso nSo de i x al -a aqu.
Vamos leval a para a herdade...
Sim.
E apontando com a mSo tremola. o ca-
dver rgido de Violaines:
E elle ?
Oh esse 1 disse o criado sacudindo
es hombros, nSo precisa de couta alguma.
Tambem, acrescentoa aparte, nSo deixa
saudades.
Ajadado por um cantarada, carregou
Maria Theresa.
Jlo Violaines ficou s junto do pai.
Passou Be um quarto de hora
silencio pesado da noute.
Depois ouvio-se de repente o rotar i.
urna carroagem que entrava, s artst
largo de cavallo, no pateo.
Valentim galopava na retaguaria.
A carroagem parou. Um hornea sue-
ceu della e guiado por Valentim sjpfc-
se casinha de velho Violaines.
Deteve-2e na soleira vendo o iciiauaa.
em pranto.
JoSo ergaeu-se quando o avisten
0 procarador da repblica era na te-
me m de cerca de quarenta e cines ansas,
alto, elegante, physionomia distir-au t
at, apesar da barba pouco espesas
feminina.
Fra ha pouco torneado paral
de Charleville, ao qual pertencia a
dade da Pierre de Mabre.
Ninguem, pois, o conhecia aire* car.
trra.
Visitou o lugar do crime, cers&sjs>.
se de que Violaines estava bem sises**.
depressa convenceu-se qne a norte Snc
preduzida por estrangulado.
Mandn chamar um medico '
NSo. Estava tSo perturbado-^
Entretanto, creio que sua sessbbse
foi ferida ? O homem que foi cbassaMBK
contou-me tudo.
E' exacto ; mas ferida lu 1 mi isssjq
tenho esperan ca.
Como sabe?
Violaines nSo responden. O tsssjpsast'
do escreveu um bilhete na sua eaitB%s
lspis, eentregou-o a Valentm.3
Corra ald;-ia. Tome o mes
e traga nm medico.
Qual? Ha dois..?
O Dr. Moreaux.;
Typ. do Diario, ra Duque de Cufco *.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERWB9OPJS_7VCPY0 INGEST_TIME 2014-05-28T18:03:42Z PACKAGE AA00011611_19878
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES