Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19861


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO Lili IBJfiBO 181
PARA A CANTAL M IXtiAIMS OMDlf NAO JB PACA PORTE
........ 64000
......... 12,5(000
........... 240000
........... 0100
Por tres mezes adiantadoa
Por seis ditos idem.....
Por um anno dem.....
Jada numero avulso, do menso da
-Hu n
PARA DESTRO E FORA DA PROTOCIA
Por seis meses adiantados.....
Por nove ditos idem.......
Por nw anuo dem...... ,
Cada numero avulso, de das anteriores.
130500
200000
270008
0100
DIARIO DE
RNAMBUCO
Praprieirai* ir* Jttatwel fxgactxoa bt -feria i ffyos
i
y
\*
f\

a
Os Srs. .4mede Prince A C,
e Pars, silo os nossos agento*
exclusivos d5 anoumioi e pu-
Mle icdes da Franca e Ingla-
terra.
Os Srs. Wasburne Hermanas,
le \ew-Vork. Broad Hay n.
990, sio os nossos agentes ex-
elusivo, de annu cius nos Es-
lado*.-1 nidos,
TELEGRAMMAS
sesvijo "ASTicuLnS i: diabio
RIO DE JANEIRO, 16 de Agosto, s 3
horas e 55 minutos da tarde. (Recebido
s 5 horas e 55 minutos, pela linha terres-
Ira).
Wo abbado. a Cmara dos Depn-
tados approvoo cm *.* dl-icunmio oh
rcamentoi dos ministerios da Jus-
tica e Estrangelros.
Foram nomeadoi Jalies manlcl-
paes e de orphaos :
Do termo d Maragogy. as Ala-
toas. o bactaarel Antonio Tolentlno
da Cosa i
Do termo de Camarag-ibe, na mes-
ana provincia, o Bactaarel Manuel Eu-
genio da Silva Carvalho t
Do termo de Agua Branca, na aaes-
ma provincia, o bacbarel Jos Hila-
rlo da Costa Cesar, sendo exonera-
do o actual.
Foram nomeados pelo Ministe-
rio da Fazenda:
Director geral da contablltdade do
Thesouro Nacional, Joo Jos do
osarlo i
*.* cscrlp turarlo do mesmo tbesou-
ro. Jos de Barros e Accloly Vaseon-
ellos:
Contador da Thesonrarla de Fases-
da de Pernambuco. Manuel Antonio
ardoso;
1.* escrlpturarlo da mesm tbesou'
raria. Jos Mara da Silva Portllho i
S. escrlptr-rarlo da dita tbesoura-
rla. Antonio .los de Sant'Anna i
Conferente da Alfandega de Per-
ambaro. Tbomax lannj.
Foi approvada a nosseaeo do
Sr. Fabio Bino para eommandante
do crusador MEDUZA.
-37153 SA ACUCIA HA7AS
(Especial para o Diario)
ROMA, 13 de Agosto.
Desmente se a notlrla da visita que
devia ser frita pele ministro dos ne-
gocios cstrangeiros do gabinete Ita-
liano ao principe de Bismarrk.
BRUXELLAS, 14 de Agosto.
Editaos anisados as grandes ci-
dades e as carvoeiras da Blgica
ronvidam todos os socialistas A se
reunlrem em Broxellas 15 de Ag os
-o aflm de fasercm urna manifest
e.Sto em pro do suBraglo universal.
O governo belga reuni numerosas
tropas em Bruxellas e as suas vlsl-
nbancas.
As tropas estarao preparadas.
NEW-YORK, 14 de Agosto.
Bebentou urna revolueao em S. Do-
mingos, ende foi declarado o estado
de sitio.
Deu-se um importante combate em
Santiago entre os insurgidos e as
tropas da antoridade. bateado estas
aouelles completamente.
S. PETERSBURGO, 15 de Agosto.
Sr. de Glers. ebaneeller do Impe-
rio da Bussla. deve brevemente vi-
sitar o principe de Blsmarelt.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
16 de Agosto de 1886.
o organismo vive, tanto os exteriores como os exis-
tentes do proprio organifsmoe de os tornar o mais
favoraveis possivel ao desenvolvimento pbyaico in-
telectual e moral da homem.
-Tem-se dado a essas differentes infidencias o
nome de modificadora, e todas ellas podem ser
cansas de doencas, ou contribuir para conservar a
sande, segando o modo porque actaarem.
Os modificadores sao de naturezas diversas; mas
podem agrnpar-se as qnatro seguales ordens :
1* modificadores physicos, comprehendende o ca-
lor, a luz, a electricidade, o soro, o peso; 2 modi-
ficadores ckimicot, como o ar, o solo, a agua, os
alimentos, etc.; 8 modificadores biolgico ou n-
dividuaes, que residem no proprio organismo e sao
principalmente o sexo, a idade, a hereditsriedaie,
a constituico e o temperamento ; 4* modificadores
sociolgicos, como por exemplo, a profisso a fami-
lia, a nacionalidade, etc.
Para bem se eatudar a bygiene, e bem se com-
prehender a razao e o fundamento das suas leis e
preceitos, indspensavel o conhecimento da vhy-
siologia, scienciaque seoecupa do estudo dasfunc-
coes do organismo. S assim se tem a nocSoexacta
do modo porque os differentes modificadores actuam
no concert vital e na conservaco da sade.
Nao nosso intento n'este livrinho profundar
doutrinas bygicnicas nem desenvolver theorias.
Nao o permitte o espaco de que dispomos, nem o
consente a ndole d'esta publicacao, destinada s
criancaa e aos que nao tivaram urna edueacao sci-
entifica. Por isso s trataremos de fornecer as no-
ces que forem indispensaveis, para serem compre-
hendidas as causas de doenca que enumerramos e as
regras e preceitos que dermos para a conservacao
da sade, evitando toda a explicaco dependente
de conbecimentos scientificos que devemos suppor
extranhos aos leitores.
Pelos mesmos motivos, e porqtte nao podemos
tratar da bygiene em toda a sua extensao, nem
mesmo resumidamente, nao seguiremos na expoai-
cao dos assumptos nenhuma das classificacoes sc-
entificas que tem sido adoptadas pelos diversos
higienistas. Resumiremos o nosso estudo no in-
dspensavel a todo o individuo, e distribu! -o- hemos
por nove captulos, cujos assumptos serio :Io
Ar amospherico ; m: Calor ; 3o. Lu ; 4. Agua,
humidade ; 5. Alimentacao ; 6o. Vestuario ; 7o.
Habitaces ; 8o. Exerctcios, profissoes : 9\ ) ho-
mem na sociedade.
CAPITULO I
AB ATMOSPHEBICO
Besplracao. Ar puro erenovado
O ar atmospherieo, do qual os animaes e as plantas
tiram um dos elementos mais essenciaes vida,
um fluido elstico, transparente, pesado,que envol-
ve o globo terrestre, constitundo urna carnada,
cuja espessura alguns suppoem ser de 60 a 10 ki-
lmetros. E' formado pela mistura de doas gases ;
o oxygenio na proporcao de 21 (em peso) por oento
e o azote na de 79. Tambem n'elle existe acido
carbnico producto das combustes que se effectuam
na superficie da Terra; mas em muito pequea
proporcao.
0 ar que penetra nos pulmoes pela respiracao
abandona ao sanguo urna parte do seu oxygenio,
que se combina com o carbonio existente no mesmo
sangae. Este, em cada movimento respiratorio,
lauca para a atmosphera urna certa quantidade de
acido carbnico, resaltante d'aquella combinaco,
que urna verdadeira combusto. Esta entrada
do oxygenio no sangue tem por effeito converter o
sangue venoso (o das veas) em sangae arterial
(o das arterias) -, ou o sangue negro, improprio
para a vida, em sangue vermelho e nutritivo.
A absorpcao de oxygenio to indspensavel,
que urna atmosphera sem aquel le gas prom pa-
mente mortal para todos os animaes que o respi-
rarem. Todo o animalcollocado dentro da camp-
nula da machina pneumtica (na qual o ar se ra-
refaz a ponto de quaai completamente desappare-
cer) nao tarda em suecumbir; e a sua morte ser
tanto mais prompta, quanto mais activa fdr no es-
tado normal a sua respiracao. 0 azote existe na
atmosphera para moderar a energa do oxygenio,
que as poderia ser respirado puro, sem tambem
produzir a morte.
(Continua).
JARTE OFFICIAL
Usverno da Prvida
DESPACHOS DA PRESIDENCIA D DA 14 DE
AGOSTO DE 1886
Alfredo Eugenio Crespo.Romettido ao
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda
para attender ao pedido nos termos da sua
informacao de 13 do corrento, n. 591.
O mesmo.Prejudicado.
Contraria de Nossa Senhora da Soledade
da Boa-Vista e Ao Singer Manufacturing
Company de New-York.Informe o Sr.
inspector do Thesouro Provincial.
Jos Francisco de Almeida.Informe o
Sr. juiz de direito da comarca de Itamb.
Manoel Lopes Viera.Passe portara e
a respectiva carta de naturalisacSo.
Mara Adelaide de Carvalho Oliveira.
Nao est vaga a cadeira que requer.
Paulino Ignacio Paes.Informe o Sr.
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, em 16 de Agosto de 1886.
O ajudante do porteiro,
Antonio F. da Silvra Carvalho.
IISTRUCClO POPULAR
xrsrGrXEaNne
(Extrahido)
DA BIBLIOTHECA DO POVO E DAS ESCOLAS
INTRODOCglO
iCotUtmtaco)
Modernamente ella assenta o fundamento das
suas doutrinas e preceitos no conhecimento positi-
vo dos agentes naturaea e das suas leis, na phy-
siologia experimental, na rigorosa bservaco me-
dica e em todos es dados seguros que as outras
sciencias lhe tornecem. Nem o simples empiris-
mo da antiguidade, nem se baseia em doutrinas
bypotheticas, nem reflecte p'eocupacoes polticas
t sociaes de legisladores.
Assim encarada e circnmscripta, a bygiene trata
de conhecer as diversas influencias que sobre a
vida e a sade humanas exercem os meios em que
Repartlco da Polica
Secjlo 2.' N. 787. -Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 16 de Agosto de 1886.
Dlm. e Exro. Sr.Participo a V. Exc.
que foram recolhidos Casa de Detenc&o
os seguintes individuos :
Da 14:
A' minha ordem, Jos Felippede Almeida, alie-
nado, aflm de ter destino para o Asylo da Tama-
rineira.
A' ordem do subdelegado da Magdalena, Anto-
nio Ignacio da Silva, Manoel Ignacio da Silva _e
Ludgero Francisco de touza, por crime de fer-
mentos.
A' ordem do subdelegado ds 1* dstricto da Graca,
Jos Pereira da Silva, por disturbios e uso de ar
mas defezas.
Da 15: t
A' minha ordem, Lucio da Cruz Cordeiro, vindo
do termo de Palmares como alienado, para ser re
colhido no Asylo da Tamarineira.
A' ordem do do 2 districto de 8. Jos, Joo
Oarcia do Amaral, Joo Jos de Sant'Anna e An-
tonia Maria do Espirito-Santo, por disturbioo.
A' ordem do do 2 districto da Boa-Vista, Joa-
qum Bento da Paixao Medeiros, por crme de of-
fensas physicas.
Ante-hontem, s 9 horas da manh e no lu-
gar denominado Cabanga, pertencente ao 2* dis-
tricto de S. Jos, o pescador de nome Lourenco
Oarcia travando-se de razo s com Joo Antonio
do Nascimento, tambem pescador, puiou em se-
guida de ama faca e praticou tres terimentos no
mesmo Joo Antonio.
O subdelegado manduu recolher o otiendido no
Hospital Pedro II, onde est sendo tratado conve-
nientemente ; e contra o offensor, que evadio-se.
proceden nos termos do nqnerto policial.
No da 13 do corrente, s 7 horas da noite.
estavam lutando os individuos de nomes Manoel
Ignacio da Silva e Joo Francisca de Sant'Annn,
uando appareceram Antonio Ignacio da Silva e
ludgero Francisco de Souza, os quaes armados
de faca e ccete, tomaram a defesa do primeiro,
spancando e ferindo a Sant'Anna, que foi reco-
mido no Hospital Pedro II para ser tratado.
Este tacto deu-se no lugar Estrada Nova, per-
tencente ao districto da Magdalena, cujo subdele-
gado abri inquerito contra os delinquentes, que
foram presos em flagrante.
Hontem, s 4 horas da manh, estando o
guarda cvico n 96, Sebastio de Meneses Nobre-
ga, na estaco do Entroncamento, em companbia
de outros que all estavam de patrulha, succedeu
cahir-lhe das mos urna pistola e disparar, em-
pregando-se parte da carga na perna esjuarda,
pelo que foi conducido para a enfermara do nos-
Dtal Pedro II, onde esta em tratamento.
Communicou-me o delegado de CaruarQ, que
s 2 horas da noite do da 13 do corrente posera
termo existencia, disparando um revolver sobre
o peito esquardo, na occasio em que toda a fami-
lia repousavs, o bacharel Malaquias do Lago Fer-
reir Costa, juis municipal d'aquelle termo.
Accrescenta o delegado que o bacharel Lagos
soffria, desde algum tempo, nao s physica como
moralmente.
Sobre o travesseiro em que elle costumava dor-
mir, foram encontrados, alm do revolver, urna
faca de ponta e urna navalha, o que faz crer ter
havido premeditaco no acto.
Pelo subdelegado do 1.a districto de Beben-
be, foram remettidas a esta repartico, com oflicio
desta data, 6 facas de ponta, 2 compassos e 2 ca-
ivetes de mola, que toram tomados a diversos
desordeiros.
No da 9 do corrente fez o delegado do ter-
mo de Taquaretinha a visita da cadeia respectiva,
sendo encontrados novo detentos.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leao
muito digno vicepresidente da provincia,
O ebefe de polica, Antonio Domingos
Pinto.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DA 16 PE AGOSTO DE 1886
Maria Tbeodora da Assumpco Ferreira, Joo
Fernandes Marques, Joo da Costa Pereira, Jos
Ferreira Campos, Joo Gregorio Pereira Gomes,
Emilio Jos de Mello, Paulina Wanderley Navar-
ro Lins, Antonio Marques de Souza Gomes, Anto-
nio Rodrigues Tavares, Ignacio Nery da Fonseca,
Manoel Alves Pereira Lima, Thomaz de Aquno
Camello, Rosa Mendes da Costa Figueira, Mau-
ricio Jos Lopes da Silva e Joaquim Alves de
Castro.Remettido ao Sr. thesoureiro para ef-
tectuar-se o pagamento, depois de verificar-se a
sufficienca da verba.
Jos Francisco Paes Barreto, Francisco Leite
Nogueira Paz, Joo Manoel Roma, Antonio Ro-
drigues da Silv Jacobina, Joo Baptista de Vas-
concellos, Francisco de Sonsa Cirno, Jos Seve-
riano Pereira, Themistocles de Orange dos Reis
Lima, Pedro de Barros Cavalcanti, Antonio Jos
de touza, Segismundo Carlos d'Arce, Manoel Ro-
drigues Lisboa, Tiburtino Jos^'de Oliveira, Tho-
mas de Aquno Alencastro, Joo Baptista da Sil-
va, Paulino Antonio de Soasa Ayres, Nerisio Be-
cerra Cavalcante, Justino Jos d Silva, Jos la-
bello Padilha, Miguel Renaux Duarte Filho, Joa-
quim Eduardo Godoy de Vaaconcelloa, Jos Car-
los Vital, Antonio Gomes Pinheiro, Laiz da Motta
e Silva, Genuino Francisco Canta, Joo Lopes
Frazo, Ponciano Camello de Siqueira Cavalcanti,
Manoel Gabina da Silva, Sebastio Raymundo
Caminha, Cbrispiniano Pimentel Angelim, Seve-
riano de Siqueira Barbosa, JacDtho Soares Bote-
lho, Rodolpho Crespo, Elias Baptista da Costa,
Pedro Amerco Bandeira, Ildefonso Ignacio do
Amaral, Joo Pamphihno Cavalcanti. Pague-ge.
Pret da guarda vica.Examine-se.
Alberto Agrpino Seixas ;Informe o Sr. Dr.
administrador do Consulado.
Padre Sesostres Abdon Freir de Carvalho.
Registre-se e fscam-se as notas.
Oflicio do Dr. juiz de direito de Nazaretb, con-
fiara da Soledade, Jesuino Candido Saavedra
Jordo, Baro de Araripe e Antonio Jos Rodri-
gues de Souza.Informe o Sr. contador.
Jos Rodrigues Peixoto Certifique-se.
Pret do guarda cvica.Pague-se.
Pacifico Paulino Malachas. Junte-se copia
das iniormacces.
KhviSTA DIARIA
averno do Rispado Diz a Aurora de
15 do corrente que, de 6 a 12, foram passadas :
{JProviso de vigario por tempo de um anno, pa-
ra a freguezia de Santo Antonio do Recife, a fa-
vor do Rvd. Manoel Moreira da Gama.
dem, de coadjutor, para a referida freguezia de
Santo Antonio, psr tempo de um anno, a favor do
Rvd.- Thomaz Coelho Estima.
dem, de uso de ordens por tres mezes, a favoi
do Rvd. Francisco Xavier Gervasi, residente na
freguezia da Boa-Vista.
dem, idem e de confessor a favor do Rvd. Her-
culano Xavier da Rocha, residente em S. Joo do
Cariri, na Parahyba.
Suicidio* No dia 13 do corrente, s 2 ho
ras da madrugada, suicidou-se, disparando sobre
o peito esquerdo, um tiro de revolver, o Dr. Ma-
laquias do Lago Ferreira Costa,' juis municipal
do termo de Caruar desta provincia.
Encontrou-se sobre e travesseiro, em que aquelle
inditoso moco costumava dormir, alm do revolver
de que to desastradamente se servio, ama faca e
urna navalha, e esta circumstancia fas suppor que
hoavesse premeditaco.
Pessoas bem informadas sobre a vida daquelle
moco declaram que desda algum tempo a esta
parte, achava-se elle soffrendo nao s physica-
mente como moralmente.
O triste acootecimento realisou-se quando toda
a familia se achava adormecida.
Nos que conheciamos e sabamos apreciar suas
distiuccas qualidades, nao s no carcter particu
lar, como no de magistrrdo, lamentamos pro-
fundamente o facto e apresentamos sua deso-
lada familia nossas condolescencias.
Rio Formoso. O resultado da eleico
municipal deste municipio foi o seguinte :
Teen te-coronel Joaquim Francisco Dinis (C).
Dr. Manoel Xavier Paes Barreto (C).
Antonio Lopes da Fonseca Lima (C).
Francisco de Gouva e Souza (C).
Antonio Jos Corrsia Jnior (0).
Dr. Antonio AmazonaB de Almeida (L).
Antonio Jos de Souza Carvalho (L).
Antonio Jos Pimentel (L).
Jos de Deus Monteiro (L).
AssoclacoContmerelal Beneflcen-
leAmacha, ao meio dia, devem reunir-se os
inembros da Assoeaco Commercial Beneficente,
no respectivo palacete, afim de ouvirem a leitura
do relatorio da administraco a findar, e elegerem
a nova directora para o anno social de 1886 a 87.
EspancatnentoA ama hora da madruga-
da de sabbado, na travessa da Fundico, distric-
to de Santo Amaro das Salinas, Joaquim Bento
da Paixo ferio e espancou Maria Amelia Dan
tas Julia, com quem vivia amasiado, e ua propna
sa desta.
O criminoso foi preso em flagrante dilieto pelo
respect vo subdelegado, o Sr. Soasa eS, queaceu-
dj aos gritos de soccorro que a victima solttva.
Os fenmentossao leves.
FerlmenlosA's 9 horas da manh de sab-
bado ultimo e na Cabanga, do 2* districto da sub-
delegada de S. Jos, os pescadores Lourenco Oar-
cia e JoSo Antonio do N".aciment, travaram-se de
raides, sendo este ferido por aqualls om 3 faca-
das.
100 criminoso evadio-se e o ferido foi recolhido ao
Hospital Pedro II.
AccidenteA's 4 horas da manh de ante-
hontem, estando o guarda cvico n. 9t>, Sebastio
de Meneses Nobrega, na estacAo do Entroncamen-
to, cahiolhedas mos nma pistola disparando-se-
1 he parte da carga na perna esquerda.
Foi recolhido ao Hospital Pedro II.
Irmandade de Nossa Senhora da
lius Effectuou esta irmandade, erecta no con-
vento do Carmo, no domingo ultimo, a eleico
ara os cargos creados pelo sea novo eompromisso,
dando o seguate resultado :
" Vice-juizAugusto Jos Baptista.
Viee-juisaD. Maria do Carmo Mendes Ribei-
ro da Cruz.
Definidores Joo Baptista Goncalves e Joo
B. Goncalves.
Mjserlos. do Recife Deste bello roman-
ce do Dr. Carnciro Vlela acaba de ser distribuido
o fascculo n. 13.
? Moda III na IradaRecebemos hontem
o n. 182 do escolente jornal das familias, sob o
titulo cima, e que esta no seu otavo anno de
existencia.
O mesmo de que damos noticia tras, alm de
muitas eravona intercaladas no testo, urna estam-
pa colorida esotra de bordados e moldes.
Sera assisn ?Recebemos hontem o seguin-
te bilhete postal:
< Srs. redactores.Desde Maio ultimo que as
pobres cogtureiras do Arsenal de Guerra esto sem
receber a paga de seu trabalho.
lato incrivel, Srs. redactores, mas verdade.
Va devem avahar o transtorno e as difficuldades
com que teem lutado essas infelizes, que outro re-
curso nao teem seno o seu trabalho, para mante-
rem se honradamente.
Rogamos, pois, a Vs. que pelo sen conceituado
Diario pecsm providencias a quem de direito com-
petir, afim de snavisar-lbes a critica situaco em
que se acham. *>
Ah fica a reelamaco; seforxacts,certosddque
ser quanto antes attendida.
Pao d'AIBo Escrevem-nos em 14 do cor-
rente :
No dia 30 de Julho findo, s 8 horas da ma-
nh, na igreja matriz do Divino Espirito Santo
d'esta cidade. toram celebradas duas missas pelos
Jtevds. pro-parocho, conego Augusto Adolpho
Soares de K.usewetter e conego Antonio Domin-
gues de Vasconcelloa Arago, por alm* do capi-
tao Jacintho Pereira da Silva Barros,] venerando
pai do Exm. Sr. bispo diocesano, assistindodiver-
sas pessoas convidadas pelos mesmos Revds. ; e,
em concluslo, houve am memento.
No dia 28, ainda nao poude tunecionar o Tri-
bunal do Jury, por falta de numero, porem no da
29 funecionou, sendo apreseatados seto procesaos,
que foram jnlgados, advogando as causas o tenen-
te Jos Francisco Paes Barreto, acadmico Joo
Ferreira Domingues Carneiro e Caetano Bessone
de Assis Campos. A' dous julgamentos presidio
o Dr. Jos Corre lio Le to Rangel, juiz municipal
da Gloria do Goit, por incompatibilidade do pre-
sidente do Tribunal ; e a sesso foi encerrada no
dia 9 do andante mes.
No dia S, tova lugar n'esta parocta e na de
Nossa Senhora da Lus, a eleico em 2o escrutinio
de tres vereadores Cmara Municipal d'esta o*
dade, en o r' (tje : Francisco de Barros Silva
Castro, (C), mais votado, Manoel Ferreira Lima,
(C), e bacharel Marcolino Ferreira Lima. fL).
o dia 9, estove n'esta cidade o Dr. Jos Ma-
riano.
No da 10, ehegou a esta cidade o jais do di-
reito, Dr. Antonio Jos de Ainorim com a sua
Exma. familia e reassumio logo o exercicio do seu
importante cargo.
No dia 12, procedeu-se a eleico para um di-
putado geral, n'esta parochia, triumphando a
chapa conservadora. Nao era de esperar o con-
trario, pois ebt concludentemente provado que o
eleitorado do 3 districto mais urna vos se mostrou
altivo e imponente ante as urnas, fazendo effecti-
vos os seus desejos : aceite portento essa redac-
fo os nossos emboras pi la eleico do 1 Ilustrado
Dr. Felippe Figueira Faria, a quem saudamos
excorde. *
Festa de Nossa Senhora da Penba
Approximando-se os feliaes das em que os
missionanos capuchinhos desta capital ho de ce-
lebrar a feetividade da sua inclyta padroeira, a
Virgem Senhora da Penha, devero por estes dias
se apresentar humildes porta dos fiis para im-
ploraren) o obulo da caridade.
E lies encontraro, estamos certos, nos bondo-
sos coracoes a que se dirigirem, os mesmos sen-
timentos de generosidade e religio, j outras ve-
zes experimentados.
Agenciando clles por si as esmolas, os referidos
religiosos, vem com isso declarar que nenhuma
nutra peesoa acha-se encarregada da mesma com-
misso.
Casa de Delenco Informam-nos que es-
to concluidos a limpeza e reparos urgentes man-
daa js fazer ueste estabelecimento por S. Exc o Sr.
vice-presidente da provincia, depois de occular-
mente informar-se de sua necessidade.
Para tal concertos abri S. Exc. um crdito de
200, que foi effectivamente despendido com os
materiaes precisos, ficando a mo de obra a cargo
dos detentos.
Em vista d'estas accertadas medidas e de outras
que teem sido tomadas, o estado sanitaria da casa
de detenco melhor que nos aonoa anteriores.
Parabens, pois, quelles que teem concorrido
para o beneficio de que esto gozando ot infelizes
detentos.
lulzo de pas da frefuesia da Boa
VistaAs audiencias d'este juizo tero lugar s
horas do costume no predio n. 37 travessa da So-
ledade para a estrada de Joo de Barros, visto
para all ter transferido sua residencia o juiz de
paz d'esta freguezia.
O EstudoDistribuio-se hontem o n. 6 deste
quinsenario, orgo do Club Litterario Diegues
Jnior.
Proclamas de casamento -Foram li-
dos no da 15 do corrente, na matriz de Santo An-
tonio, os seguintes :
Joo Antonio de Souza com Amelia Baptista dos
Bastos.
Jos Augusto de Barros oon Laurea tina dos
Santos Pereira.
Lelloes. Effectuar-se-ho:
Hoje :
Pelo agente Alfredo Guimar&es, s 11 horas,
raa do Bom Jess n. 45, de faseudas bordados e
outros objectos.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jess n. 26, de objectos diversos pertencentes a es-
criptorio.
Pelo agente Pestaa, s 11 borss, ra do Vi-
garlo p- 12, de predio.
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas, ns
ra estreita do Rosario n. 24, de movis, chapeos
e outros objectos.
Amanh:
Peo agente Pinto, s 11 horas, i raa do Bom
Jess a. 14, de fasendas, miudezas e chapeos lim-
pos e avariados.
Pelo oyente Martina, s 11 horas, na ra da
Imperatriz, de movis.
Pelo agente Gvsm&o, s 11 sosas, na roa do
Marques de Oliada n. 19, de movis e vidros.
Quinta- feir :
Pelo agente Pinto, s 10 horas, na ra de S.
Jorge, junto do Arsenal de Msrinha, de movis,
lencas, vidros, etc.
Mlsssaa fnebres. Sero celebradas :
Hoje :
A's 8 horas, na igreja do Terco, pela alma de
D. Maria Ignacia Ferreira; s 7 horas, no con-
vento do Carmo, pela de D. Rachel da tilva Dan-
tas ; s 7 horas, no convento do Carmo, por alma
de Cantidio Cesaro das Neves; s 8 horas, na
igreja de S. Pantaleo, no Monteiro, por alma de
D. Anna Juventina de Barros Wanderley.
Qninta-feira :
A's 7 bor.s, na igreja da Santa Cruz, por alma
de Simplicio da Barros Alves da Fonseca.
Hospital PortugusO movimento das
enfermaras deste hospital durante a semana finda
foi o seguate :
Existiam em tratamento...... 13
Entraram................... 4
Sahiram curades.:___
Ficam em tratamento.
17
5
... 12
17
Entrou de semana o Sr. mordomo Manoel Nunes
Fonseca.
Operacdes ctrurglcasForam pratica-
das no hospital Pedro II, no dia 16 do corrente,
as seguintes :
Pelo Dr. Pontual:
Posthotomia pelo processo de Ricord, indicada
por phimosis.
Extirpaco de um kisto na parte anterior da
coxa.
Casa de DelencoMovimento dos pre-
sos no dia 15 de Agosto :
Existiam presos 282, entraram 4, sabir am
existem 283.
A saber:
Nacionaes 261, mulher 1, estrangeiros 7, es-
cravos sentenciados e processados 7, ditos de cor-
receo 7.Total 283.
Arracoados 256, sendo : bons 248, doentes 8
Total 256.
Nao houve alteraco na enfermara.
Lotera da provinciaA lotera n. 65,
em beneficio da Santa Casa de Misericordia do
Recife sor extrahida quando for annunciada.
No consistorio da igreja de Nossa Senhora da
Conceico dos Militares, se acharo expostas as
urnas e as espberas, arrumadas em ordem num-
rica apreci <, lo do publico.
Lotera do BloA Ia parte da lotera
n. 199, do nevo plano, do premio de 100:000^000,
ser extrahida no dia .. de Agosto.
Os bi lhe tea acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco.
Tambem acham-se venda na praca da Inde-
pendencia ns. 37 e 39.
Lotera da corteA Ia parte da 365 lo-
tera da corte, cujo premio grande de 100:000/,
ser extrahida no da .. de Agosto.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Margo n. 23.
Tambem acham-se venda na pracs da Inde-
pendencia ns. 37 e 39.
Lotera Extraordlarla do Yplran-
a O 4. e ultimo sorteo das 4. e 5.* series
desta importante lotera, cujo maor premio de
150:000*000, ser extrahida brevemente.
Acham-se expostos venda os restos dos bi-
fes na Casa da Fortuna ra Primeiro de Marco
n. 23.
Lotera de Mselo de SOOiOOOSOOO
A 3 partes da 13a lotera, cujo premio
grande de 200:000*, pelo novo plano, ser ex-
trahida impreterivelmente no dia 17 de Agosto s
11 horas da manh.
Bilhetes venda na Casa Feliz da praca da la -
dependencia ns. 37 e 39.
Tambem acham-se venda na Roda da For-
tuna ra Larga do Rosario n. 36.
Precos resumidos.
Hatadouro PublicoForam abatidas no
Matadouro da Cabanga 91 rezes para o consume
do dia 17 de Agosto.
Sendo: 76 rezes pertencentesa Oliveira Castro,
& C, e 15 a diversos.
Mercado Municipal de S. JosO
movimento deste Mercado nos dias 15 e 16 do cor-
rente, foi o segunte:
Entraram ;
82 bois pesando 11,601 kilos.
460 kilos de peixe a 20 ris 9*200
111 cargas de farnha a 200 ris 22*200
38 ditas defructas diversas a 300 rs. 11*400
11 taboleiros a 200 ris 2*200
34 Suinos a 200 ris 6*800
Foram oceupados :
50 columnas a 600 ris 30*000
52 compartimentos do frinha a
500 ris. 26*000
44 ditos de comida a 500 ris 12*000
150 ditos de legumes a 400 ris 60*000
32 ditos de suinoa 700 ris 22*400
26 ditos de tressuras 600 ris 15*600
20 ditos de ditos a 2* 40*000
6 dito al* 6*000
A Oliveira Castro & C.:
4 talhos a 500 ris 2 000
108 talhos de carne verde a 1J 105*000
Deve ter sido arrecadada nestes dias
a quantia de
Rendimento do dia 1 a 14
383*800
2:951*280
3:335*080
Foi rrecadado liquido at hoje
Precos do dia :
Carne verde a 240 e 400 res o kios.
S nuo a 560 e 600 ris idem.
Carneiro de 640 e 800 ris idem.
ranuh. de"320 a 240 ris a cuia.
Milho de 280 a 320 ris idem.
Feijo de 640 a 1*280..
Cemlterlo publico.Obtuario do dia 14:
Camillo, Pernambuco, 80 annos, Recife; seni-
lidade.
Lourenco Cavalcanti, frica, 90 annos, viuvo,
Boa-Vista; entente.
Manoel Severino, Pernambuco, 55 annos, casa-
do, Boa-Vista; pnenmonia.
Lucas Evangelista de Franca, Pernambuco, 50
annos, viuvo, Boa vista; ascite.
Robera Maria de Freitas, Amazonas, 25 annos,
solteira, Boa-Vista; tubereules pulmonares.
Luiz de Domingos, Pernambuco, 52 annos, sol-
teiro, Boa-Vista; Gastro enterite.
Caetano, Pernambuco, 10 das, Boa-Vista; con-
vulsOes.
Apolnario, Pernambuco, 10 annos, S, Jos ;
tubercule pulmonares.
Agenor, Pernsmbueo, 4 mezes, Boa-Vista; en-
terite.
15
Maria da Conceico Marques da Silva, Pernam
buco, 64 annos, viuv, S. Jos; carcenoma.
Manoel Joaquim Texeira de Souza, Pernam-
buco, 21 annos, soltero, Roa-Vista; tubrculos
pulmonares.
Joaquim Alves Monte, Pernambuco, 27 annos,
soltero, Boa-Vista; bronchite.
Manoel Francisco de Senna, Pernambuco, 32
annos, soltero, bronchite.
Um feto, Pernambuco, Boa-Vista; Nasceu morto.
Mariat Pernambuco, Santo Antonio; asphixia ao
naseer.
Anna Maria do Sacramento, Pernambuco, 50
annos S. Jos; v-lhice.
IHDICAQOES OTIS
Mdicos
Consultorio medico-clrurxlco do Dr.
Pedro de Attahyde Lobo boscoso A
roa da loria n. S.
O doutor Moscozo d consultas todos os
dias uteia, das 7 a 10 horas da manha'
Este consultorio offerece a oommodida
de de poder cada do ente ser ouvido e exa
minado, sem ser presenciado por entro
Oe meio dia s 3 horas da tarde aera o
Dr. Moscozo encontrado no torreo pra-
ca do Commercio, onde funecona a ibs
pecc&o de sade do porto. Para qualquer
d'estes dous pontos poderao ser dirigidos
oa chamados por carta as indicadas horas.
O Dr. Arthur Imbassahy, medico occa-
lista, recentemente chegado, esta cidade,
d consultas tod >s os das, das 8 s 10
horas da manha, sendo gratis aos pobres,
no 1. andar do predio n. 8, largo da
Santa Cruz.
Dr. Gama Lobo, medico operador e par
teiro, reside ra do Hospicio n. 20, onde
pode ser procurado qualquer hora do'dia
ou da noite. Consultas: de 1 s 3 horas
da tard. Especialidade : molestias e ope-
racues dos orgSos genito-urinarios do ho-
mem e da mulher.
Dr. Barreto Snmpaio mudou seu consul-
torio do 2." andar da casa n. 45, a ra do
Bario da Victoria, para o 1. andar, da
casa n. 51, mesma ra, como consta do
seu annuncio inserto na seccSo compe-
tente. Residencia a ra Sete de Setom
bro n. 34.
Advocado
O bacharel Benjamim Bandeira, ra do
Impejador n. 73, 1. andar.
Tabelllao
O Bacharel Amaro Fonseca de Albuquer-
que, tabellio do notas interino nesta capi-
tal, communica ao respeitavel publico que
abri seu escriptorio no pavimento terreo
do predio n. 4, sito a ra do Coronel Fran-
cisco Jacintho, outr'ora de S. Francisco,
onde, com solicitada e mxima lealdade,
est prompto para desempenhar as func-
c3es de seu cargo. Reside na freguezia
da Boa-Vista, ra do Coronel Lamenha n.
30 (outr'ora dos Prazeres) para onde, lora
das horas do expediente de seu escriptorio,
deverb derigir-se os chamados, para fac-
tura e approvacSo de testamentos.
Consultorio allopatlco doslmetrlco
Dr. Miguel Themudo d consultas das
12 s 3 da tarde em sea consultorio ra
do Baro da Victoria n. 7, 1. andar.
Chamados por escripto a qualquer hora.
Especialidades partos, febres, syphilis,
molestias do pulmo e do coraco.
Dr. Lope Pessoa Medico.Residen
cia a ra de D. Pedro I n. 9, onde pode
ser procurado at s 9 horas da manh.
Consultorio ra do Bom-Jess n. 37 1.*
andar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Gratis aos pobres.
Broaarla
Francisco Manoel da Silva <& C depo-
sitarios de todas as especialidades pharimi
ceuticas, tintas, drogas, productos chimicu
e medicamentos homoeopaticos, ra do Mr-
quez de O linda n 23.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e officina de carapins
de Francisco dos antos Macedo, caes de
Capibaribe n. 28. N'este grande estaba e
cimento, o primeiro da provincia n'este ge-
nero, compra-se e vende-se madeiras de
todas as qualidades, serra-se madeiras de
conta alheia, assim como se preparara obras
de carapira por machina e por precos sem
comnotaacia.
nOHINICADOS
Ao eleitorado do l: districto
Venho confessar publicamente a profunda gra'
tido que devo ao Ilustre eleitorado do 3. distric-
to desta provincia, pela explendida victoria com
que coroou os meus esforgos no pleito eleitoral de
12 do corrente.
Faltam-me expressoes para manifestar toda a
extensao desse aentimento que se me aninha no
coraco e constitue o maior jubilo de minha alma;
affirmo, porm, f de cavalheiro, que, emquanto
me durarem os alentos vitaes, guardal-o-hei como
o avarento guarda os mais opulentos thesouros.
Pretenda ir, logo depois do pleito, agradecer de
viva voz ao digno eleitorado, Os suffragios com qu*
fui honrado; tendo, porm, necessidade de seguir
para a corte em breves dias afim de tomar assen-
to no Parlamento, peco desculpa por adiar para
mais tarde o cumprimento desse grato dver, pro-
testando que, logo que regressar provincia, o
tarei cumpridamente.
Na corte ou aqu terei mmenso prazer em cum-
prir as ordens que se dignarem transmittir-me os
briosos amigos que me honraram com os seus suf-
fragios.
Recife, 16 de Agosto de 1886.
Felippe de Figueira Fariq^.
PIBLICACOES 4 PEDIDO
O capitn Urbano Barata e ssas
calumniadores
Nao re tem paseado am s da, desde a chegada
do Sr. brigadeiro Moraes Reg ao Natal, em que
se nao daem tactos, cada qual mais estupendo !
A indignaco tem-se apoderado j de todos os
espirites imparcaes e justiceiros, que geralmente
reclamara as mais serias providencias.
J nao somonte urna vinganca pesseal que se
pretende tonyir do alteres Moreira e do capito Ur-
bano Barata ; tambem a desmoralisaco e o ri-
diculo que se quer lancar sobre ama provincia In-
teira com a maior ostentaco de desrespeito
e antoridade.
Sornod informados de que, tendo a Thesouraria
de Fazenda convidado, por mais de urna vez, ao
capito Maciel para perante ella prestar as contas
de seu s'cance, conforme mandn o aviso do Mi-
nisterio da Guerra, de 7 de Abril prximo paseado,
recasara-se o mesmo capito Maciel a fasel-o, nao
s por si, como por intermedio do Sr. brigadeiro
Moraes Bogo, qne a este respeito dirigi um ofli-
cio em termos descomedidos aquella repartico,
qual fora-lhe, na forma da le, devolvido.
8endo, por tanto, impossivel conseguir pelos



--.-;;: BaaBj
*N
Diario de Pernambuco---Terfa-feira 17 de Agosto de 1886
ojos brandes o ajaste de contaa com o Sr.Ta-1
A aquella anparticao, no* termos d.deoreo n.
W de 5 de Deterabro de 1849, e orieus n. 33 de
I de Abril de 1850 e o. 111 de 21 de Abril de
P358, depreoon ada prisio administrativa, cojo
acta foi pelo Exm. flr. ministro da fasenia rov
mlHiatamente'nppraaado per telegramma.
O Exm, Sr. ; presidente d'aquella provincia, ao
partir, no dia 26 do caes paseado, para as cidades
o Maco e Mossor, exigencias do servico pu-
bMjp. deixou ao Baaaaasante da oaaBanhiassle
arnico as ne<3aaaatia erdens para
. Maciel re<:olhiaoantoiaesn dogfean
f
"NSo'ba poder qne o "faca ebegar oroVm.
No vocabuari*des improperios, procurara 09 es-
criptores da Provincia, as plavras mais mal coa
sontos e baixas para jogal-as aos seos naturaes
adversarios.
Nao admira essa norma de conducta.
Em 1880 e 1881 os liberaes, divididos em leoea
e oacborros, mutuamente empregaram essas moa-,
mas armas.
Para oombater-se os abusos dos adversarios nao
fcitam paisanas outiojsuaj, mas, deeantos e as-
is saa-
J4, as quaes, sendo sao Ata ttegaate asiBsndaaao
aesmo Sr. Maciel.faMm soaatidas nonaos^r ata,
con pelo 8r. hrigalairollIsBBes R.-go,* d^asta
ocasio ainda resaatsru me outro 1* aria-
sobrara de Faserata4l&oaesswaaaTeviao^aM:m.a3
detarava cynica uCroiilinrn que tnqatma
fcstivcsc no Rmtkrone do &orteeo Sr. ta
*d e*ti9e*c em m* lussariita, **> *" uma *>
mOlortdade que pdate prndelo !
HJo scr.'i so a maior das aftrontas, a maior das
m9obordinte3 ?! .
O Sr. Moraes Moraes Reg nao tem attribui-
soea para fazer desrespeitar as ordens do presi-
dente, e pelo contrario at obrigado a eoncorrer
pasa qao scjam ellas to fielmente cumpridas como
cosfvm ao aervieo publico.
Ainda nao todo.
Doas ou tres dia depois do soccorndo, o Sr.
Moraes Jtegoeommn nica-va secretara militar,
aos quarteis de guarnieo e de polica que n'aquella
data assumia o conrmando das armas, visto este
a?hr-se anephalo eom a viagem quefez o presidente
'aq relia provincia.
Ksta a8 e de cabo e equadra, aomo tam-
ben) de general!
.V Thosauraria de Pasead disse.o Sr. briga-
dero em peca official que era n'quella provincia
o inmediato do Exm. Sr. ministro da guerra (!> e
*s .quarteis ale guarnieo e de polica prohiba
fiasem aceites os deialhts dados polo ajudaute oi-rlms da presidencia.
Oh inf-'lit provincia !
Apostamos a nossa cabeca como o Sr. Moraes
R/ifBwn4se*foutria aifaser aqnUein.a tarca parto
deltnmanhos desacatos, porque, quando faltass- a
energa precisa da parte das autoridades, nos e
at o Sr. H. F, patriotas como somos, -teriamos a
nr>ees8*ra cpragem para reagir eonra seraelhante
proosdimento, -entinando a regra do bom viver !
Sabemos que o capitao Maeiel ja estove em-ca
misa de forca : nao pois muito natural que a sua
loucura te tenha transmettido ao brigadeiro Mo-
raes B'go, seu conrpanheiro fiel e puritano ? !
Consta-nos que o capito Varella, que o com-
mandante da polica, respondendo ao offieiodo
Sr. VI, Reg, dissera-lbo : que nao o rtconh'da
competente para dar detalhe tua compankia, por-
f.ianto esta s reconheeia como tuperiores ao Exm.
pr&Uente e Dr. ehefe de polica.
Bem respondido !
Ser possivel que S. Exc. o Sr. presidenta da
provincia dtixe impune ese recaa de desordenas
e insubordinados ?
Se o affirmassemos,estavamos certos de queeom-
metteriamos nm attentado -contra o carcter e a
digjiidadede un bomem de bem, como 6 o Dr.
lloreira Alvos.
Deixar di- punir o crhne ser connivente eom o
criminoso f cbar os elhos le, Mffrontrar a so-
eie4ade.
Mas no Dr. Moreira Alves conhec-'m s muita
tircumspeccao e muito criterio para proceder de
accordo com a rasao e com a juatica.
Agora, porm, nao s cbaraamoe a attencSo do
pubiio em qeral, como a do Exm. Sr. ministro da
guerra, para o tacto tao ridiculo, quanto perverso;
que vamos relatar.
Como conspqnencia do nao ter o Sr. brigadeiro
M. Bego consentido que o detalbe fosse dado pelo
ajudaute d* ordens da presidencia, arro^ando-se
acintasamente essa attnbuisao, observemos o se-
gu nte :
Sendo designada a forca de linba para f&zer a
patralha, sao destacadas qaatro pnifus d'ssta, que
ieatrajoB diafarcados foraro raandidas pastar Do
das .as aoites em alguns poutos deaertoe, verda-
deiros miitagaes, como oxistem em algamas ras
do Watal, com o fim de atacarem ao alrereB Mo-
reiraie snu sofrro cnpitSo Urbano.
Ito nao somente um attentado contra vida
de tres pais de famil8, como contra a de tidos
quantos tiverem a infelicidade de. passarpor aquel-
los -lugares, porquanto nio estao isentoa de ser
vioirmis da simples mtlvadez de quatro indivi-
duos oe nada tem a perder.
Essa ronda a que o vulgo denominou de encare
tados existe desde o dia era que o Sr. brigadeiro
Nbounmo, a bonaitHaB, o jaasalKinstBBy! .P1^1*?-
,cao^9araMB o uto 4a lingwgata e dod 441a-
passaiw e*l. amtoa psteo^4J[o lib^il.
O hmatn 4tu4wui. ottartor isapatwal qno M
li4o o edwtWial-4- Prowmoia o^io dm
tormublioo de*> t*w* rtwlted com um
iapBlinwMl oM4d wtvvtnttaraj) publn
Tfl:ol, que.tib.s*ua,.)
da mentira; .^.matn.'ma-mmi matox^mmmmme
a vicepresidente. Dspiis i muito insulto ao ad-
ministrador da provincia, dn esse edictonal o se
eir nacional e da provincia, sob a rota capa de
Catriotas amigos do povo, vivam diariaaonto
ijarianda os noss98 correligionarios, que aitio
collocado aciraa dos botes da maledicencia e das
calunmists.
O flflo Wberal, a Provincia, nao discute s
questea de outriaa, nao levanta bem alto a ban-
deira liboml, ao oontsario, aggride aos adversa-
rios, usando do urna linguagem iapropria a urna
folha critriosa.
Esae-ftadito, essa loto estril, deve ser
bwidttBMli,ipOTqu-34serdrta os proprios
O D> ftt) apr-iswr m d progKtoima -do partido liber
sMest.i pmmnmiijpiogramma qae necessitova de
,4e' i.tniBWo>tt itafiraasa, afim de ser eouke-
com oan'Jfa vt ;4lMHin iJ*t nlteve.)midas; tua rmt door-
fBjlc i;btcal.<'::'tnebraT, rvdO de auxiliar m>
nm Irft'r *i'*-:- ; om^wi de amiwtoj
'tttttos-JmaT^mm.^ma-mfliimmm- n i Ha1-
bara, v r-, sufragio universal, senado tempo-
rario, aho'ic&o immtdiata da tscravido e outras
ideas alaptadiis pela damocracic; dtorato 41
galD0 Diario de Pernambuco, a^ folha officM, Bo^-MMieale, m saas ojumM, persoaalidades,
tem publicado, era as nomeaces e demissSes at
de autoridades policiaes. ... I
THsmfoMWs oVw Mtos-prvOaniaefTMtwni0ti
das que nos veem do interior .
falso, mil vetes falso. Todos os actos admt-
nirtrativoa siodados paWieidade parte offi-
ciul .do Diario, no expediente dogoverm. ao bi
qaemoBigwre; tonto assim qae, oo-mesmodia,
a Provincia, o Jornal do tflecyfe e outrot peridicos
dao conhecimento ao publico das nomeacSeB e de-
miasees. .
Ainda; osa Urreito da admmistiagtlo nao onr
as portHfins os.motivos nNs^emiw*' doe BaipK-
^adot pubMWS. Bm toda aa pocas, especialmente
na situaco liberal, os presidentes de provincia,
n2o foram coagidos a particularisaros motivos
d estas demissoes, como se pretende boje.
B' conveniente, necesario que, a relaccao da
Prowneiia, mude de rumo; abrace o conselho dado
am 1877, por um netavel jornalisto nomnense era
questao idntica esta. ...
Oucam :< A voaeria, o dosto e a injuria nSo
c-rastituirara jamis bases 'ejitiuns da r ;zao e do
dlreito, nem bussola segura qoe possa servir de
pharol. Seja a poltica o objectivo ou outro qoal-
quer, levantada urna queseo, o que compre a boa
f, a lealdade on ao verdadairo pattriotsmo antes
de tudo, collcocal-a em seus justos termos, apre-
ciar-lhes os fundamentos c examinar sem odio, sem
prevenc'H), os incidentes que acompanham e que
podem e6clarecel-a. Nao ha necessidade de exage-
racao das hyperboles e dos onfaimas, e menos ain-
da da insinuaco, do sarcasmo e do insulto. Tace
recursos, longe de aprovtarem causa que se es-
posa, a desnatura, autorisando o concuito de que
lhe faltama verdade e juttifa.
15 de Agosto de 1886.
Casnm.
3. listrlcto
Est eleito o destinctissimo Dr. Felippe de 'Fi-
guei;a Icaria depotado gerai pelo 3o rlistr'wto
d'esta heroica provincia.
Congratulo-me com os tbcus collegas do eleito-
rado, pela explendida victoria que nos urnas aca-
ba de conquistar o Exm. Dr. Frgneir*T brioso h-
Iho de Pernambuco, que tornado para 03 grandes
eoramettitnentos tornar-se-ha na caara tempora-
ria umade-uossas glorias e da provincia que lhe
den o berco e vai como bom filho repreaental-a.
Ainda bem que mereceu os nossos siftr*gios tao
sympathico cavalhelro, que primando por bim A-
Uw. bom esposo, bom cidadto, -mottroa-se no 8o
districto um amigo prestimosissimo, como candi-
dato algnm aqui se tem portado, eervindo de axem
po, pelo que espeamos qae o Exm. Dr. Figuei-
ra continuar a ser nosso candidato predilecto,
porque homemuas condicoes de S. Exc. .ha pon-
eos, epoucos candidatos posaoeaa di^iaetios em
grao tao elevado.
A norma le S. Exc. om proceder e-tratar, en-
auntra poneos imrtadwis.
Quem escr.'ve estas liabas tem motivos tao-fer-
tee de gratido para cora S. Exc, que nao pode
prescindir de vir abracal-o pe seu irianjpho, 4e-
vido a seos altos urereoinieotos.
Poucos, bem poueos conservadores ha u'este
districto. que nao devam a*. Exc. um favor, urna
finesa, urna attencio. A gratido, esse abalo de
amisade falla tio alto, qae nos exprjmindo assim
offeademos a modestia de S. Exc; ms, dee-
eulpenos o Exm. Dr. Figueira, que cumprimoa o
V-ver d migos, e-hooratsel'0 como oa das pe
rolas por exeeHencia de uossa sociedad':.
Lonvorea ae criterio do nosso cb^fe o Exm. con-
o os individuos que a camponm prwentam-se
com onormes chapeos de palba, farda pelo avesso,
sabr atraver da torda collocado ao eos da calca.
P'ocisamos abrir aqui um parentheses. Attri -
buindo-se baver o ministro da guerra passado al-
gn" foguete por telegramma ao muito honrado bri-
gadeiro, verdade que trez ou quatro das d-
pois de suas bravas facanhas, o tal brigadeiro
deixou o cargo de commandante das armas, de que
s tinba investido, commumeando ao judante de
ordens -da presidencia para que oontinuasse a dar
o detilbe.
Algms que alo querem acreditar na historia do
tetogrammx, por sua conta e risco vo suppondo
quo o pobre velho foi levado pratica de seme-
Ihantes abusos por inspiracao do deus Bachus e
que pissando o periodo da fermentaedo, aeordou a
consoiencia ao agnlho do r.-morso u&acendo
di-'sse choque inesperadoo anependimento !
Maliciosa gente !
Continuemos agora a historia dos encardados.
comeeou a dar o detalhe companhia de goarnicao geiheiro JoSo Alfredo Correia de Olivuira, por
~ apresentar-nos to importante quio'Mtimwvel oau-
didato, qne esperamos do Exm. coosolb
Nao obstante ter o iftrvico i^a ronda passado
para a companhia de polica, todas as noites, a ti-
tulo de rondar os suburbio* do quartel da guarnilo,
sahe a primitiva patrtriha do 6r. brigader, a qu*l
foi ca noite de 6 encontrada pelas pracas de poli-
ca s 11 hiras no caminho da ribeira, sendo r-
conhecido nlcsta ocensiao o cadete Pegado, verds-
deiro encardado.
qu-> significa e-ie plano perigosissimo e tene-
broso, do qual faz prte 0 tenent Grercino, que
amenc^u uuia das pracus, dizeudoque ha va tf-
rar-lhe o couro a paedo, caso isso se descobrisse ?
Os natalenses estejam precavidos contra taes
facinoras !
E o Exm. Sr. ministro da guerra queira poovv-
denciar no sentido d.' serem punidos, na forma da
le, --inters e cumplicet d'esta embescada.
A verdade do que aqiji deixamos e8tnpai:po
de-ee evidenciar na chefatura de polica d'aquella
piovinciH, onde existe a parte que denuncia esse
monstruos" plano.
Por qualquer violencia ou atteotado praticado
na.pessoa do nosso. amigo alferes Moreira, de seu
irmo ou de seu sogto, tornamos Tesponsavel per-
ante o irove.rno, nao s aos Srt. brigadeico Jos
Angelo de Maraes Reg, capito Maciel, teneote
Joaqnim Rodrigues Pereira, como timbem ao Sr.
tenente Gerein > Martins de Olivcira'Croz f
Leaos o artigo do Sr. M. F., estompado no
Diario de 4posto que. seja differente na forma,
conserva anda o mesmo fundonada discute,
nada adianta.
Muito cheio de amor proprio, o articaliata qaer
saber de tudo, quer ser legista, quer ser nm sa&-
chao ; mas coitado nao sabe nem ser adeoga-
d Quando pnsa ter sahido das chammas, m-4-
le^se a si e seu patrecinado- em formidaveis laba-
redas.
Citar como favoravel sua causa o aviso ao
Ministerio da Guerra, n. 14, de 11 de Fevere
de 1850, ser atrozmente cynico J)e outra vea
analyaaremos este avilo. Mas bom que o arti-
culista fique saNjndo, desde ja, qne emqaanto elle
nao nosprovar que o capito Joo Severiano Ma-
ciel da Costa nao o autor da falaitstafia dos
documentos que fizeram obiecto da declarag&o ao
capito bano Thesooraria de FaMnda, e que
asando o capito Maciel deste astificip torpe, bai-
xo fraudulento e criminoso, nao roubou a quantia
de'2660U0 (! nos nao aceitaremos a sua dis-
cusao, porque ento est revelada a ai* t com
que se apresenta em publico, eom o fim dt illodir
aos qne estando lora do tbeatro dos aeontoeimsa-
taa-no podom farmar nn oprniiO pnrpwa.
O ncais perder eu temBo e pregar patrmkas.
Pela rwssa parte, embora nio estojamos la-
gar m qoe se passaram as seenaa deata burlesca
comedaaaarchico-satartomos a noeaa opi-
nio assentada, nto 6, porque conheeemos per-
fetamente todos'os seus perwmageas, oosso por-
que sernos de tudo convenientemente informados.
O articuliata, portonto, seja serio e falle a ve
dade.
At logo.
JUcife, 14 de agosto-d* 1888. ___
Epamimonda.
O slsilfo dos fMlce
O vrgao da opposicio nio dbeatat qmdo n2o
insnltarsopbima; quando nio Dpbism, inatta.
Nao ha meio de attrahil-o ao terreno da djtcus
8ao franca e sensata.
conservadlo do mesmo candidato em todas as le-
gislaturas.
Esp.ra assim
Um conservador veterano.
Pao d'Alho, 13, du Agosto de 1886.
Ao reprter 19 dedos
E' impafavel o reprter dos Leopaldiniaooa,
que no Binculo de subbado ultimo vem arran-
cando.
C>mo traiuzio elle as nossas phrasejcresta t
crie mais um de'.o .'?
Nao o provoemos e nem queramos quo S. S.
penha-.medt'r intelligeaoia, pois bastante conht-
cida a sua eevadisimo cipacidade ; podra
ni i ?.. .
Um sertanejo das bienhae da ParaUjba, que,
em dous meses as bancas do Rio Grande do Nor-
te. { daz, somente. dz preparat.>rios, s pode Te-
velar muit inlelUgencia e esta nao mu commuoi.
Perianto, ineu marui e acadmico da Estrada
Nova, pode gloriar fie de seus mrito* e talento.
Este 0... 19 dedos, o typo baixo e gordo, o
tonco da Estrada Nova, coahecido pelo ponto fi
nal do Binculo, querer e-rguet-se e fallar de qacm
eflie e nropris irmo iiadj podom ? !
E' ter muito cynico este O... 19.ded-ia,
Voltarei, se me chamaren
Joro-e.
Mrito e,gratido
O abaixo aesignado vem cordialmeate grade-
oer ao prestimoso e perito medico o Illm. Sr. Dr.
Joaquim Jos da Cmara os bous aervicos -mdicos
grutuitamente prestados no laborioso parto de sua
ama, da qual i euecumbiudo se o-seu patrio, qm-
aesta occasio achava-e no engenho, nao louibra-
s-j dv convidar ao distiouto e iuU lli^eate medico,
ao engenho Cuyambca, onde acbava-se, para
sal val-a, visto qu" e seu estado de grande dcefal
ltcimento nao permittia dar tois a luz, eatodo
ste to adiantado qae deuava ver j os prima-
res ensaios da jnorte. Porm a promplido do ca
ridoso Dr. Cmara foi tal em tao pungente tran-
se, que livrou-a ionnediatomante da morte, tiran-
do a crianca, j morta horas antes, com a maior
presteza, delicadeza e pericia de sua arto.
O Illm. Sr. Dr. Cmara queira desculpar se es-
tas linhas forem offender a sua modestia, pois nao
lendo outrns meios para dar prova de sua alto
gratido aerve-se do presente paia dar um tosto-
munbo publico.
Francisco Irineu de Bouvtia,
Administrador da engenho Magestotp.
Poltica de exterminio
O insulto e ridieulo manoseados por urna im-
prensa pouco generosa, nao marean a cepntaco
Je quem quer que seja.
Em linguagem desbragada, empreada pelas
messalinas e arrieiros, haalguem que, de um modo
inslito, abasando da aprensa, aggride de m-
boscada ao" Dr. Ignacio Joaquim de Sooza Leo.
inui digno i ce-presieote da provincia.
A razio desse raqualificavel proaeder,< de f-
cil intuico. Esse alguem, interessado pela vida
d > biloaira, nao gostou da recusa ou veto pre-
sidencial. D'abi provem asas injustas e insol-
tuosas censurase aceusaces-calumaiosaa 'ao dis-
tincto e honrado administrador : d'ahi a mentira,
o sarcasmo, a injuria, contra tudo e contra todos.
A imprensa conservadora, os sea* adeptos, Um
tido at boje a seu favor a moderaco da lingua-
gem, esqueceado e desprecando as kij utias e os
desbrtgameotos dos adversarios; mas a pacien-
cia eagwta-se, e a viadietase o orgo liberal nao
mudar da romo,podea tembem er exapregada,
jogando-^ffeassje nestaastttnaa, caatra aqueiles
qae rendem frCAto calnmoi e a mentira.
Linguagem seria, porm enrgica, autorisada
pela varactoado- tetas, Oto sida o srica aos- lonca grossa
sa divisa, na desta da aataal adadnistrafa*.
Em qualquer terreno,jsoi'.a egide do cavaloai
rismo que dutingae os bomens de tanso e digni-
dade, aceitamos sempreo repto o maie melindroso,
nao oonsentindo jamis que,.penaas molbadas em
fl, qne os traficantes politreos e segadores da
dirigindo iusaltos e mais insultos ; rebaixanio as-
sim a mis So do jornal de opposicio.
1Wn rifa nxafpemrawi. 'InvowaBiia o"t9tnion1io'
do liberal-sineoro, ou d quera'tivfir lido a 'Pro-
vincia para- p*va da notta aaspfco.
O edictorial de hontem, por exemple, dentalo
molde da fuma oppoaieionita.
A linguagem virulenta, baixa, insdltoota fOra
empregada para c-'asurar-se o afito administrati-
voda demissd do director da Bibliotheca Pro-
vincial.
Parece BaartTel qae homens de'oenso, awcos in
telligentes, so smanhl estar o tambera A trente
dos publico* negocios, escrevotsom srmelhantes
palavras, asladoras do grao do u*Ms da a-
piensa politoa.
0 edktorial de hontem. no s inaaltooso e
contrudietcrio; mesmo um pouco initfravA,
revelanda sea producto de um sonptor ceg pelo
odio partidario.
A douaraa |ue eilefaoje acc-ita, nSe -ser exe-
cutada iimssht, quando a situaco fsr liberal
Paraproaar as perseguicSos, as di'mtssont ro-
justas, orne sbftVeram os nossos corruligionarios
nesta provincia, nodomialo liberal, (1878a3188),
pedimos venia ao Dr. Jos Mara, para eitrahir
do seu discurso, fls. 116 dos annaes da assem-
bla provincmlde 18^4, o seguinae :
< titssao de T de Mareo de 1881 :
O Sr. Jos'ManaCor o anno de 1868,
quando o partido progressista cahio e subrndo ao
poier o partido conservador, conta-se qao as ar-
bitrariedades ento commettidas, focam grandes,
foram innmeras.
Mas, Sr. presidente, ca posso dar o moa ee-
temunbo de que esses factos commettidos logo em
seguida sos ascenao pelo .partido couseroador,
aso se podem (v**l 1 ) comparar com as atreci-
dades, oom as violencia*, com os epantamentos,
eom ot-**tmmmatos, com os espectculos selvagens
uitima lMt* misto*. (a,poiados, mnito bem).
i Sr. Innoxio de 'BricoE de que sao sato-
res as proprias autoridades.
f O Sr. Jos MaraAlli era um partido que
suba, necesariamente cheio de resentimeotos, qne
muttia o alfange a torto e a direito, damitt.indo
seus adversarios para aqtnhoar seas- <*nigos,
aqueiles que firmes e resignados haviam amargado
o pao negro de ostracismo ; aqui (hic. !!) "um
partido que est no poder j na tres aunos, tempo
sufiiciente para pautar seus actos fein modemeio
e criterio ; no entretanto, durante todo este tempo
se tem elle oceupado quaei que exclusivamente em
sevar o seu odio, praticando vingancas, nao s
contra aslversarion como contra eeus eorre-
ligionarios !
Nesta situaco nseranda, (liberal) em que
s se procura aquinh >ar os parentta, nao ha ga-
rantia para a vida, nem para a propriedade.
Nao podamos dar melbor resposta ao orgo li-
beral.
' um dos principaes valtos da grey qne assim
se manifestoo
ReciteAgosto 66.
Comtm.
i
O Sr. fos Marianoo
Abaso o Impbbadob I
Viva o Iheiudob l
III
Nao cousa de brincar, como ah esto se rin-
do com este negocio ie que estou tratando, tanto
todos os 'Conservadores e republicanos, cuso
alguus liberas e lazanoni e horneas serips adep-
tos do bornea, todos estes qae sao de pouca fe ;
por isto esto o ou.ros furiosos-commigo, por
peasarem e diacrem uns e outros fingirom que peu-
sam que estou metiendo a ridiculo o homem, como
eu disse no passado artigo, deixaudo para logo
veruios como sao injustos estos furores, e leves
eetas apriciaces de seus inimigos que se riera do
futuro imperador.
Como sao injustos estes furores contra mim !
Em .que posso metter eu a ridiculo o hornera
que goza de urna popularidade coao .anda nn
gera a teve na trra da Santa Cruz ?
Que fuco eu mais do que repetir as suas pro-
pras palavras, apontaUas, mostrar as consequen-
ctas inmediatas das premissas, ou coafrontar as
proposites que nao t-ntends ? Se isto trouxesse
ridiculo ao hornera, nao seria eu o autor ou caasa
d'elle ; mas quem pronunciou taes palavras e pro
posicoes.
Fui eu quem diss'",iue para er um bom govsr-
no a monarchia no Brasil era preciso que mudas-
semoea familia de Braganc ?
Fui eu quem disse quequando tiverm03de
fater esta substituiolloque cada dia mai* se nos
impoedaremos estar preparados com a louca de
casa e nao precisa importar do estrangeiro re
para nos govemar ?
Que Jatnilia pois ser esta,louca de casa
com que devemos estar preparados para fazer eati
snbstitaiflu qae cada da maiB se nos impoe ?
Nao ha Osar a ao Sr, Nabieo, que ni quer a
mudanca, como ojo .a quer o Sr. Silveira Martina,
os homeus mais populares depois do nosso ho-
ra- m i
Logo,, quem o mais proerie d-
mem o mais popular, que, embora amanto da
amante abandonada, quer a monarchia democr-
tica, para habilitar o povo a governar-se ? Quem.
seuo aquella que levanta o grito abaiso a fa-
milia BntgMDoa Orleauscima a louea de cas
applaudido por multides immeDsas que vingam
a iajustica, que, como a outros, lhe fiseram ?
J nao elle o chefe de urna familia ?
E dir.ei.aae, se o easo do baque da Bragantina
Orleans iosse dado, pois nao podeisdizer queeeja
osusa imaoaaivel,a familia de que o homem
qbefe nao poderia ser acclamaa ? E se o fjssf,
nio aceitara eile a espinhosa cora ? J nao o
eoroou no Club Popular o deputodo tallecido Bri-
to, com ama coroa de pao. ..
Nao ha quem lenha a ousodia de uegal-o.
E dizei-me ainda :
O easo ao possivel ? Sao inoredulos ot que
nao conbecem a historia e se riem. ?
Pois saibam que para o homem nio s possi-
vel, pois elle, que trabalha para a substituicio da
familia por outra, louea de casa, nao para ce-
der o paaso a ninguem.
Cao peis, por mveja se eu sou oprimeiro a
proclamar o nmem ?
Haver maior contraseuco ?
Pois eu, pobriseimo etnpregado de tazenda,
gurjo que cri na odiosidade que ento se pro-
naueiava contra o homem, as promessaa que me
faziam sem eu pedir, posso ter inveja de qoem
est to distante, e caniaha a pasaos largos para
toalto?
Inveja tem o emolo, o par, quando v que o
otro vai iae aaasoado a perna e nao se sabe con-
formar ; mas quando o bicho ebega alto, aeabou-se
a inveja dos qae se aohavam com elle em baxo,
e -14 acarara i todos o adorara, parque todos delle
esperam.
laveja 1 iavej* tem voces de mim ; ponqu vim
adianto proclamar o homem, o faturo para ata*
hy pothes.
Vot qae tem invaja e taeaea querem me
intrigar com elle.
Pois perderam o seu latim, que elle bem V que
a tollo serio ; mordam-se de ra va, qoe eu hi
de samlo, prociamal-o- at o da.
Viva o fu'.uro re ou imperador Jos Mariano !
Tira o dolo dos laaaroai e dos bomens serios^!
liberaes seos !
Viva a futura aova dyaastia, a -familia quo se
trepara da lauca da-casa, -qsje 6 pode ser da
por um amigo, porque nao st declarara Tpela re-
pnbliaa !
E' porque maie amante da repblica do qao
esse amigo ; e porque como disse ao seu llustre
companheiro Jos do Patrocinio, deveis queror
a repblica e nio republicanos ; o orador, liberal
orno concorre mais para a propagaco das
ideas democrticas, afim de habilitar o povo a
atsumir a direceo de si mesmo, do que os ide-
logos que s pregam a repblica, como idea
abstracto, quando se devam lambrar de qne
prosMO-aeg dt tudo dettmir m mstitm&sana
Itronimt -e immoraet qao aerveaa de aanto de
aoaio dupotmo eoiuaMustbaoi 4e qae a toros
do Yfdwaga investio a bastardiada cata de ?aooa.
. Ooaatior nio tem aa iMuaaaa do sen llustre
amigoJ*aaquun Nabuco, aaeaiaaa' acredito padoT
a monsnania no Brasil asr oaaal de aaxn 'boa
goveam.
Asaasjaie a monarchia aa Vtoaiil podtaaj ubi1
mediador plstico qus se estabeleca entre ai lutas
desencontradas dos partidos, era preciso que mu-
dassemos-a familia de Bragunca, que boje -ainda
mais perfgosa do que hontem, por ertar entre-
lacada cora a avarenta familia dos Orlees. (Ap-
plausos repetidos). ,
""rn, qoanBo tivrrmos de^fmbr essa substitu
ci que cada dia mais en* impoe, de remos estar
Sreparados para no* servir com a louca Ae tasa c
So-precisa-importar do estrangeiro rei pranos,
govemar. (Muito bem).
> Milita o orador no partido liberal, porque o
mais adiantado dos partidos constitucionaes e o
mai apto para levar a naci ao govemo que o
idtai dt lo os pouos -iwrm. fi eom essu ideas
aeirsa o orador nio poder -ser acensado de trahir,
a causa da democracia, njm mesmo se algum dia
ebegaase a ser ministro, cousa que alias nunca
amblcionou, pois nunca sera ministro do rei, mas
da naci. (Muito bem).
Affmto de Albuquerque.
S.* districto
MARASOTJAPE
Copia fiel do protesto npresentado, no dia 12 do
orrenie, no collio eleitoral de Marangnape :
Osabaixo assignadoe, eleitores desto paroihiade
N'. S. dos Prazeres do Marangoape protestamos con-
tira a votacio dada ao Dr.'Felippe de Figueira Pa-
ria pelo segu nte fundamento. E' publico e notorio
qae o Dr. Figueirda cin-senhor e prente da cm-
preza do Diario de Pernambuco, e que percebe lucro
pecuniario da faz-inda provincial pelo contracto feito
p*la presidencia, com a mesura empresa para o
publicacio dos aetos officiaes. A qualidade de
empresario, e preposto 'remunerado pelos cofres
provincaes incompatibilisa o mesmo Dr. Figueira,
a vista da clara dispoaicio do art- 87 da decreto
n. 8,213 de 13 de Agoste de 1881 que regala a
execnco da lei n. 3,029 de 9 de Janeiro do mes-
mo sano.
E para que o presente protesta produta os seas
ieitos requeremoB a sua insercao tas actas da
asuruco doe votos.
Consistorio da igirja de Nossa Senhora do O'
da freguezia de Marangnape, 12 de Agosto de
1886.
Joaquim de S Cavalcante de Albuqu-rque Filho.
J -.aquim Cavalcanto da Fonseoa Galv^.
Pedro Quedes da Croa.
Manoel Lina de Moraes.
Arthur de S Cavalcante de Albuquerque.
Antonio Francisco Ambrosio.
Jos Soarea de Brito.
Joaquim de S Carmlcante de'Albuqnerque.
Jio Francisco de Albuquerque Barros.
Laurindo de Sena T.ite.
Antonio Luiz de Almeida.
Luir Arves de 'Rrito.
Joio Lins de Moraes.
Antonio Pedro Lins de Moraes.
|5 1* e 2, 13 2 da lei, e fiesr f atente a verda-
de do que vai dito.
Contara-ae para a mai ra os rotos em separad*,
porque siles nao sao nullos, podem ou nio ser an-
nnllados, as paaso que, seads inaparavem as elei-
soes oom mesas illegaea, urna vea pronunciada a
nnllidade, obvio que as parochias assim fulmina-
das sao equiparadas aquella em que nao houve
eleico, sliminando-se assim para todos os effeitos
os votos dos seus eleitores. A Cmara acaba de
firmar esta dontrna na eleioo do 2o diitrioto do
Piauhy e 4* da Parahyba.
Em conclualo somas-de pareacr :
1* Que seja Jsclsrada nnlta a eleico que teve
lugar na parodia de'Sant'Anoa do Srejo ;
2 Que seja tora bem declarada nulla a elaico
de Santa Mara da Victoria do Rio-Corrente ;
3* Que seja, necoaanaido depqtad o Dr. Aristi-
des de ouza Spinola,-que am primetro escrutinio
teve maiorin devatos das paroabias, caja eleieo
approvada .
As conclusoes deate parecer foram adoptadas
pela maioria liberal da cmara, votando por ellas
todos os amigos dos Srs. Doria e Dantas, colabo-
radores, como ministros que foram com o Sr. Sa-
ra va na elaborayo da lei de 9 de Janeiro.
aaaoasslava'aator'qne ateto faiuuui i selnro-
cava para firmar a intelligenoia do j 2* do art.
18, o voto da'camara, recoahecendo o Sr. Basson,
e davam-se todas as circumstaacias observadas-)
na eleijo do 2 districto do Piauhy, at mesmo o
facto de serem ambos os caudidatoj auugos par-
ticulares e protegidos por ex-ministros collegas do
Sr. Saraiva
E tudo isto se passava sem que sabiasem da sua
neutralidade o autor da lei de 9 de Janeiro, e o
eu leader, o Sr. Martinho Campos, presidente do
conselho de ministros.
D'elles se poderia dizer como o.poeta :
Et de quelque cote que vint sduiBer le vent,-
II y tournait son aile, et t'eadormait conten -
Examinaremos amanh a eleico do 1* districto
de t-oyaz, e veremos depois como se applieou e
ampliou .a doutrina do Sr. Candido ao caso de
Sanf'Anna do Livramtnto, idntico era tudo ao 2*
de Pernambuco.
Sciakja.
(Gaceta dt Noticia* de 23 de Julbo de 1886.)
Pernambuco, 19 de Julho de 1886.
Illm. Sr. C. Sinden. Communico lhe que meu
irmo Argerairo. achando-se doente de ama bron-
ehite, que j tinba desobedecido a muitos reme-
dios ; tomou os preparados da Maetina Manufac-
turing de Londres, com os quaes restobeleceu-se,
a ponto de ficar gordo, corado e forte, como era
outr'ora.
Pode com franqueza, dar publicidade a esta ear-
ta. Sou de V. S., criado obrigado Joao de Atcve-
do Soares.
(Estova sellada e reconhecida a firma).
Rooife, 4 de Agosto de 1886.
Illm. Sr. Chinden.Participo a V. S. qne es-
laudo com urna tenaz constipaco e debilidade,
tendo usado de varios medicameutos, sem resulta-
do ilgum, tive a ventura de usar do preparado de
Oleo de Figado de Bacalho com leite, eom tama-
aba felicidade, que logo as primeiras colheres que.
tomoi senti urna melhora indisivel, sendo que hoje
j me sinto completamente restabelecido, tendo
fdito uso apenas de deas frascos.
Assim, pois, reconbecido pelo beneficio causado
em mim, venho testemunhar e meu sincero reco-
nhecimento, e faco votos para qae V. S. contine
a trabalhar em prl da humanidade seffredora.
Pode V. S. fazer uso desta que lhe couvier.
Subscrevo-me cora toda estima e consideraco
de V. S., atteoto criado e obrigado Manoel Joa-
quim Machado Jnior.
(Estova sellada c reconhecida a firma).
Lioe na Iribune Medical:
*A-pdr dos procseos do purncacio m-4a
aperfeiooados, o oleo de figado de bacalho ficoa
um medicamento prohibido a maitos doentes, cuja
este mago nao pode mais sapportar as substancb
grasas. Era portonto aecessario procurar um me*
de mudar radicalmente a sua forma conservando
todos os seos principios activos to preciosos : es-
te resultado fsi obtido pela composifo doVma
de Extracto de Figado de Bacalho de Chevrier^-
preparado segundo urna formula approvada peta
academia de Medeciua.
Recomraendamosaos nossos letsrcs este excel-
lente- pro Jucto que contm vez, todos os elemen-
tos elaeaees do oleo >'e dgado de bacalho e pOe-
sue as propriedades tberapeuticas dos prepaaadsa
aleooaieos.
a valTeriai
#44
Em todas as regies e entre as pessoas de todas
as occupaooes e profissoes, prevalecem as enferm-
dades pulmonares. Portanto, o grande e admiravsl
remedio contra ellas e quo produz a la completa
aniquilacu o peitoral de Anacahuita, o qual as
deye perseguir e em sea devido tmpo as perse-
guir indefectivelmsnte at nos mais remotos ooa-
tus do mondo.
O soldado-nos acampamentos, o mineiro as mi-
llas de ouro, o colono as fronteiras, o lavrudsa,-*
viajante por mar e por turra, e -espesamente (o-
das ao pessoas sujekas padecerem de tosse, eon-
stipacoes, restriamentos e catarrbos, bronchiteaj
asthma e outras affeccoes nao menos afflictivas da
garganta e dos orgabs da respiraco e que to fcf-
cilmante se desenvolvem e propagara nos laganai
hmidos, inclemencia da atmosphera; aeharia
com a nrais grata satiafaco, no peitoral de Anaca-
huita, um remedio irresistivel absoluto, para
completo subj ligamento de t perigosas eufetmi-
dades. Compre-se em tempo. pois bom estar-sa
prevenido.
Cono oabahtia contra as falsifieages, obsrve-
se -bem qne os nomos de Lanman & Temp venhaa
estampados em lettr.a transparentes no panel da
livrinbo que serve do envoltorio cada garrafa.
Acha-ire venda era todas as boticas a lojas d
perfumaras.
Agentes em Pernambuco, Uenry Forster & C,
ra do Commercio n. 9.
O carcter perfeitamentc in-Fdnsivo do Trico-
fe ro de Barry. provado por analyse e expe-
riencia, a causa de ser elle o favorito universal
para criancas e reputado nico na sua espec.-- pa-
ra manter as cabecinhas limpaa Se caspa, linha,
cscoriacoes, borbulhas e outros males cutneas
que todas as criancas de tenra idade sao mais oa
menos sujeitas. Note-^e \ae nao isto elogio iute-
i essado, mas sira o testemunbo de senhoras c ca-
valhairos de cuja veracidade uinguem ee atrevera
a duvidar.
3i PARABENS
e r na
Parabens ao tou digno admi-
nistrador
qne te satrou das-indos
aapbyxiadoras da maioria dos
-tees representantes
Aiada bem.
ac
.^&N
Caara dos Dentados
ProaegQindo no desempenho da tarefa que nos
impuzemos de examinare patantear a maneira por
que ioi entendida, interpretada e applicada pela
isaicria liberal da pnmeira cmara produeto da
eleico directa, a lei de-9 de Janeiro, trataremos
hoje da venficaco das eleicoes do 13 districto da
Baha, do reconhecimento do Sr. Aristid-is Spi-
nola.
Na eleico d'esse districto deu-se caso ideatkio
ao qus oecorrera na do 2* districto do Piauhy, de
que nos oceupmos -no artigo antecedente.
A maioria da junta apurado deixiu de apurar
e souimar os votos de dota collegios, onde fra
completamente batido o Sr. Spinola, e, fazendo o
calculo de maioria absoluta sobre os votos restaa-
tts dos demais collegios, expedio-lhe o diploma de
imputado, nao obstante ser a sua votaoo inferior
obtida por um dos seus competidoref.
Compareceram as eleicoes do 13 districto da
Bahia 685 eleitores, recahindo esses votos nos se-
guintes candidatos :
Aristides Spinola
Antoa'o'A'hayde
Arthur Rios
Anrerico Barreto
Votos
250
243
191
1
685
Caloalada a maioria absoluta sobre este- numero
seria ella de 343 votos ; e, nao a toado conseguido
nenhum dos candidatos, na forma do disputo no
2 do art. 18 da lei de 9 da Janeiro, deveriam ser
submettidos ao 2 escrutinio os dous mais votados.
Aasim, porm, alo enteadeu s maioria liberal da
Camava, que, approvando o voto em separado for-
aul-ido pela minora da segundo cammisso, que
ento j appellava para o aresto firmado peio re-1 $u extonso^
oonhecimento do Sr. Basson, declares e proclaman | Como disse,
Reeite, 6 de Agosto de 186.
djfanr de lbquefqut sito.
P. S. Permitta-so que ainda traatersva o toe*
ho do ditoarao do-asas o rutare, para qem taiae -
Confrontar sempre. Eil-o :
- dorador foi iatorpsllado, no mtttin?-atterior,
o Sr. Spinola, com 242 votos apenas, depatada
pela Baha.
Para chegar a este resultado,, como se houve a
minora -da segOnda commiaso, tendo sur frente
q leader do ministerio Martinho Campos, o Sr.
Candido de- liveira? RepOtou nullaa e propoz
fpssem doctoradas pela Cmara, proposta acolhida
pela maioria liberal, as eleicoes de Sanf'Anna do
Brejo, a que coreorreram H)4 eleitores, e de San-
ta Mara, onde votaram 109, isto declama nullos
213 votos ; tontos fluantos bastavam para forjar
urna conta de ebegar e poder ser reconbecido, com
pouco mais de nm terco de votos de eleitores que
Qompareceram, o Sr. Spinola, amigo e protegido do
pai do gabinate Martinho, o Sr. senador Dantas
E porque foram reputadas e declaradas nullas
as eleicoes dos referidos collegios ?
Porque iiellea nao ham logrado o Sr. Spinola
mais de 9 votos, ao passo que os seus competido
tes haviam obtido :
Votos
Antonio Athayie lt3
Arthur Rios 41
Em 218 votos elle reanina simpleaorente 9.
D'ahi o etforoo d 8r. Oaodldo de Qlvaira ota
tgeitar as cousas Oomo se fea eom o Sr. Basson,
annullar 213 votos-e considerar validos os restan.-
is dos demais coMegios 472, afim de calcular so-
re elles a maiorra-absolata e recoobecere pro-
clamar deputodo o Hr. Spinola eom 341, apesar de
averem votado 685 a maioria absoluta ser 343
fotos.
-Se-oSr. PenWo 4-prasira vista vaeillava, como
oUfessoB, diaute da letra exoreasa do J 2 do art.
8 d* lei, o mesmo alo aesAtecen aos Sre. Candido
i e Oliveira, leader do ministerio, Carneiro da
tocha o Prisco Paraso, oreaturaa do pai do minia
torio e amigos de Sr. Saraiva.
EU o pareoer desses senbore;
< >E' ct-rto qae os vetos em separado, os voto
fe todos a eleitores. qae concorrerem eleico se
compatam-'para o Clcalo da maioria absoluta ;
jera, na phraseologia du lef de'9 de Janeiro, dif-
erentes cousas sao votos annuilados e eleicoes nul-
laa por aa orgatfisaae da- mesa.
Aquella* stf eMissamente osapotadob porque
a la tate j-datamina, ao paaso que estas fas elei-
-et, perante mesas nullas) ido tambera exprepsa-
i 'MalMas, nao guraa na ettostica eA-
psra eJAto neaham. reaaUa^e me feitas
meante*. Cembinera^e os arto. Vb%l%W-
Fiscalisa^Iio da freguezia do Re
elfe
Suocedeu, ba Hlgans annos, um facto semellianto
ao que a Protnncto menciona em sen nnmero de
hontem, sob o titnlo : Prndente infractor.
O Sr. Visconde de Taba tinga cidado distme-
tissimo pela iutegridade de seu carcter e outiaa
quMdades excellentCB, e a quem sou grato pela
benevolencia que tem para comigofoi ao e--crip-
torio de seus correspondentes Leal & Irnro, que
no principio da ra do Marqnez de Olinda, na
parte em que ella conserva bastante largura. O
Carro, em que elle ia, entrou pela mesma ra, ao
tabir da ponte, e ficou parado porta. Um guar-
da municipal,, que estova all perto, exigi que o
Sr. Viaoonde fizesse voltar o carro, isto eollo-
eai-o em outra direceo; mas, ou porque o mes-
too -guarda nao sonbesee explicarte, ou porque se
Comprtame mal, nao foi atteudido.
Tive noticia do -jue se passava, e fui immedia-
tamente ao escriptorio dos Srs, Leal & Irmo, junto
ao qual i se tinbam agglomerado pess'as do povo.
Pedi delicadamente ao Sr. Visconde que mandasse
voltar o carro, e ainda mais, que elle mesmo che-
gasse varauda e asse d'ahi a ordem, em satis-
taco ao publico. Attendeu me com a melbor voi>
tede ; e os individuos que estavam na ra, mostra-
ran)-se satisfeitos de um modo bem ezpressivo;
muitos bateram palmas.
Este meu procedimento teve approva^o e at
louvor dos Srs. camaristas que delle souberam.
No da 13 do correte, o Exm. Sr. vice-presiden
te da provincia foi aojnesmo escriptorio dos nego-
ciantes Leal & Irmo, onde estavam expostos os
objectos, que am ser enviados para a Exposico
Sul-Americana, em Berlin. O carro, ao descer a
ponte, entrtu pela ra do Mrquez de Olinda e fi
cou paralo porta, na mesina direceo. Eu nao
astava naqualht ra, mas um guarda municipal
que se achava perto, e est muito acostumado a
servir sob as miuhas ordens, foi ao escriptorio dos
Srs. Leal & Irmo, e exigi qoe se fizesse voltar
o carro, de modo a ficar na direceo, em qae era
permittido transitar. Foi attendido.
Em nenhum destea dois casos houve proposito
de commetter urna infraeco.
Preio que ainda nenhum fiscal nesta cidade
ripea maior numero de multas do que eu, no
toc-Eino eepaco de tempo; certo entretanto que
nunca multei alguem sem que houvesse commet-
tido urna transgresso formal.
A este *espeito, e era tudo mais, nao faco dia
tinecoes odiosas. -Se um bolien-o qualquer, inad-
vortidamente, ou por Ignorancia das presori-
pgies actuaos (o edital de 5 de Janeiro de 1882
rdenava que os parros entr^-sseiO no l)a;rro do
Recife pela ra do Marquea de Olinda,) nao s
sntra por aquella ra como a pereorre em toda a
limito-me a fazer urna advertencia,
o edital de 5 de Janeiro de 1882
determinan que a entrada ae fizesse pela ra do
Marques de Qlinla. Posteriormemeete a compa-
nhia Ferro-Carril resolveu facer por alli a sabida
4os carros) vista do que, multoi em um dia 19
bends ou carros deesa companhia. Amuitaporem,
ao foi paga, allegando a companhia ter tido auto-
itaco da presidencia para aquella mudanca de
tenerafio. Acorescia a eircumstancia de que ha-
yendo signis indicativos da direceo que devem
tomar os carro*, que atravessam certas ras, o
ligual posto na ra do Mrquez de Olinda era em
sentido opposto ao edital. Tome?, em conssqnen
fia, a deliberaco de publicar nm aviso, era meu
tome, poindo que os vehculos viudos do bur-
ro de S. Antonio na entrassem pela ra do Mr-
quez de Olinda, para se evitarem encontros com
pend
Devo ponderar que da parte da Provincia ba am
engao, quando diz que as posturas exceptuaran)
da proaibico os carros dos mdicos e perteiras.
(4o ha posturas neste sentido. Bera.se v qoe a
presuapcV) deque todos conhecem a le, nao pode
Ser applicada com rigor em relaco a certas postu-
ras municipaes, ainda menos em relaco a certos
editaes, e muito menos em relafo ao meus
avisos
Beerfe, lt de Agoea de i886. O fiscalJo*?
*?edr dos Santos Nev*.
Avise
O Dr. K. Omitan Bondel Medico pela
Faculdade de Medicina de Paria.
Cojideeorado com a meialha dos hopitees.
8ocio correspondente : das Academias de Medi-
cina do Hlode Janeiro e de Barcelona ; da So^
piedade de Medicina pratica de Paria e da Socie-
dade Franceza de Hygiene, ex-director do Museu
AnatomoPatolgico dt Fscaldade de Medicina
fio-Rio de Janeiro, tem a honra de prevenir o pu-
blico que durante a sua estada em Pernambuco
fica a disposiefio dos doeates qae desejarm hon-
ra!-o com a safa conflanca.
Chamados e consultas de 1 s 3 horas da tarde
at novo aviso: na hospedara de D. Antonio
(Camiho Nov).
Especialidades: molestias das
ras, corelo, estomago, dgado,
nervosas e yphilitieas.
Beerfe, e Agosto de 188.
vla>
etc.,
respirato
metostias
8NIT0
Pergunta-se ao Sr. Joaquim Tavarcs Piuheiro,
morador o engenheiro Carral de Bois, da cemnr-
a de Bonito com que direito tem em seu poder
pessoas livres a titulo de escravos ?
E' c rto que esaas pessoas foram escravos de
eeu irmo Jos Tavares Pinheiro (isto meamo sem
ttulos legaes); mas tendo este fallido, s a massa
tinba direito aos meamos escravos, no entanto esta
entregou-os ao abandono e por consegrante -sto
lvres de facto e direito.
Ter o Sr. Pinheiro titulos legaes qae provem
o dominio dos meamos escravos ? isto o que
compete autoridade competente averiguar c aa-
sim espera
Um abolicionista.
Preven^io
Previne-sa a quera interessar possa, que a rea
comprabendida da i^reja da Penha at o largo
das Cinco Pontos, entre as raas das Calcadas a
Vidal de Negreiros, terreno foreiro, pertenceoto
ao aotigo vinculo Salvador Curado Vidal, cuja
Bucceesora trata de habilitar-se para haver os
respectives forose qaem assim dos terrenos entre a
igreja do Espirito Santo S. Francisco e Rosario
como melhor explickr-se ha na ra da Penha n,
B3, loja.
Dr.
ni: uno
Tem 3 seu escriptorio a ra do Mrquez de
Olinda n. 53 das 12 s 2 horas da tarde, e desta
hora em diante em sua residencia ra da San-
ta Cruz n. 10. Especialidades, molestias de se-
ntaras e <-riancas.
Fados e nao palavras
Aos que se desejam tratar tem comprometter a
saude com preparados mineralgicos.
Nesta typographia e na ra Direito n. 43, 1.
andar vende-se tinturas homeopathicas para ino-
fensiva cura das seguintes molestias : asthmaticr,
ainda mesmo bronchitico; erysipela, enxaquecas;
internitentes (sem o emprego do fatal quinino) ;
toase convulsa, falta de menstruaco ; cmaras de
tangue : estericos ou inetnte ; dores de dentes ou
nevralgias, metrorragia; vermfugos, denticbe
eonvulsoes das crianzas ; tudo manipulado de her-
vas do paiz.
Assim como tratam-se escrofulosos em qualquer
grao e goinmatosos.
Conultorio medico-eirargice
O Dr. Estevo Cavalcante de Albuquerque con-
tinua a dar consultan medico-cirargicas, na roa
do Bom Jess n. 20, Io andar, de meio dia s 4
horas da tarde. Paras demais consulta e visi-
tas em sua residencia provisoria, ra da Aurora
n. 53, 1 andar.
b. uu'in-: a : di consaltorie 95 e residencia
126.
Especiaidades Partos, molestias de creacas,
Nd'nltt tseos annexos.
Dr. Barreto Sampaio, medico ocu-
litta, ex-chefe de clnica do Dr. de
Weeker, mudou seu consultorio, do 2.
andar da casa n. 45 ra do Baro da
Victoria, para o 1. andar da casa o.
51 da mesma ra. Consultas de meio
dia s 3 horas da tarde. Residencia
ra Sote de Se'embro n. 3 A.
Oculista
Dr. Ferreira ^a Silva,
sultas das 9 ao meio dia.
con-
Resi-
dencia e consultorio, n. 20 ra
Larga do Rosario.
Dr. Carneiro Leo
MEDICO
Tem o seu consultorio e residencia ra
Livramento a. 31. Io andar. Consultas de 11 ho-
ras da mauhS s 2 da tarde. Chamados por es-
eripto a qualquer hora. Especialidade :febres,
partos e molestias de criancas.
Licor depurativo vegetal iodi^
DO
Medico Quintella
Esto notabilissimo depurante qoe vem precedi-
do de to grande fama infallival na cura de todas
as doeneas syphilitioas, asorefatosas. rheumaticas
e de pelle, come tumores, ulceras, dores rheumati-
cas, osteocoDas e nevralgicas, blennorrhagias acu-
das e chronicas, cancros syphiliticos, innamaa-
cea viaceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, injtes*
tinos, etc., em todas as molestias de pelle, simples
ou diathericos, assim como oa alopecia oa queda
ido cabello, e as doeneas determinadas por sata-
racao mercurial. Do-se gratis folbetos onde se
encentrara numerosas experiencias feitas som esto
especifico nos bospi toes publicas e mnitos attosto-
dofi de mdicos e documentos articulares. Faa-se
descont para rvendar.
Deposito em casa de Feria 8oaiaka & C.
Roa do Marques de Olinda n. 4!.
-*
al i'la*rtiaaVl?-iM'i'i.
BBBaaaV


Diaria de PecnambucoTerca- feira 17 k Agosto dt? 886
Dr. GDBlbo Leite

Medico, parteiro e operador
Residencia i ma da Imperatru n. 49, 2r andar.
Consultorio ama Duque de Casias n. 59.
D consulta das 11 horas da manta! as 2 da
tarde.
Attende parata, chamado telhone n. 44 a
qual quer hora. .
I
Escela particular
{
Mara dos Anjos Dorneliaa Cmara,
profeaeora particular, contina a Iec-
cionar, na casa de sua residencia ra
Duque da Caxias n. 70, 2* andar, as
materias qae. cjnstitiiom a instruccaa
primaria, e os frabalhoa de arnlha e
bordados. O exercicio d'este por spaco
de mais tres anuos um garante de
suas habilitacoes, e espera merecer dos
pais de familia a subida honra de lhe
confiaren! suas filhas.
A' tratar na casa cima.
!
SR^^
'*~v^W
CLEVCA
de parto.
molestia* de e-a
c sLe-aalaacaa
Di. Joan Paulo, medica aggregado do hospital
Pedro II* d'eota cidude, eom pratica e estados es-
pesiaes as priacipae maternidades e hospttaes
de mulheres e de criancas de Pars e de Vienna
d'Austria, faa todas as operacoes obstetrieaa e ci-
rurgicas concerneutes as suaa especialidades.
Consultas das 12 as 3 horas da tarde, na ra
larga do Rosario n. 26, primeiro andar.
Residencia. Roa da Imperatriz n. 73.
MEDICO
Dr. Fernandes Barros
Medico
Consultorio ra do Bom Jess n. 30.
Consultas de meio dia i 3 horas.
Residencia ra da Aurora n. 127.
Telephone n. 450
Casa de comais ses
DE
&. UPOBTl Si C.
4 i. lina do Imperador, 1* andar
Mandam vir dos mercados estrangeiros qualquer
genero de mercadorias em condices muito suaves,
alm de que S&4 representantes de diversas casas
productoras para as quaes recebem encommendas
*em commlasao nennuma. rindo as
mercadorias, Jconhecimentos,. factura e corres-
pondencia directamente das fabricas para os Srs.
tientes, gosando estes das maiores vantagenB,
deocontoa e prazos; entre essas fabrica* noteo-se:
A Mociedade vincola de ordeaua.
associaco de grandes propnetarios de vinbedos
para evitar a fraude e expor a venda vinhos
puros.
l.oiiii Prerc* de C. de Hordeaux. fabrica
de conservas alimenticias e do afamado chocolate
Louit.
Georgea Segnln & Ci de Cognac; gran-
de Casa que se oceupa especialmente de co
gnac-
Peliasler A Aragn, de Grasse; fabrica
de leos volareis, essencias, extractos, cheiros, para
drogaras, pharmacias e perfumistas, successores de
E. Alziari.
fourmalnlreaaii de Desvres, fabrica de
uulejos para rasas.
Berln Tsaaier, dt C, deParis; fabrica de
vidros, frascos e vasilhame para pbarmacias e dro-
garas; especialidadf de frascos esmerilhados; re-
coxnmendamos os uovos precos muito resumidos.
O. HulineC. de Pars, fornecimentos para
photographia, como sejam: cartes brancos e im-
isreesos, drogas e aparelhos etc etc.
Belvnlelte. de Boulogne s-Mer; fabrica de
formas para calcados.
A, Li-romle & C. de Paris: fabrica de
iusirumcntod de msica.
ojocledade do* fabricante de por-
celana, de Vierzon.
E. Par* di C. fabrica de placas de_ ferro
esmaltado para nomes de ras, numeraco de
esaas, indicacoes de escriptorios, etc etc, foruece-
jres da cidade de Paris e outras.
C. Tefaea C. fabrica de ladrilhos u>o-
Baicos.
A companhta de Fivea-Lillei mate-
rial para engenhos, machinas fizas e lccomoveis
material rodante para estrada de ferro, pontea
outras construccoea de ferro.
A Socledade Cooperativa Univer-
sal, de que fazt-m parte hoje mais de cincoenta
das principaes fabricas fraucezes de que opportu-
namente annunciaremos os nomes.
Pillas pargathas e depurativas
de Campanha
Estas pilulas, cuja preparacao puramente ve
getal, teem sidj por mais de 20 annos aproreitadas
com os melhores resultados as seguintes moles-
tias : affecces da pelle e do figado, syphilis, bou
bees, escrfulas, chagas inveteradas, erysipelas e
gonorrhas.
Modo de uaal-as
Como purgativas: tome-se de 3 a 6 por.dia, be-
bendo-se apos cada dse um pouco dagua adoca-
da, cha ou caldo.
Como reguladoras : torae-se um puna a jantar.
Estas pilulaa, de invenejo dos pbarmaceuticos
Almeida Andrade & Filaos, teem veridictum dos
Srs. medicoa para sua melhor garanta, tornando-
Be mais recommendaveis, por serem um seguro
purgativo e de pouea dieta, pelo que podem ser
usadas em viagem.
ACHAM-SE A' VENDA
Wn drogara de Parla Mobrinno dr C.
41 -BA DO MRQUEZ DE OLINDA 41
C, lleckinanii
Usinas de cobra, iatao =e. bronze ee-d
Gatteer Ufer n. 9. Berlira S. O.
Espeealidade:
Construcf o de machi-
nas e apparelliOvS
para frnicas de aasucar, de8tla5e8-e re-
finasoea- con toda* os aperteeoaoiontos
moderops.
INSTALLAgAO DE:
Engenhos de assuear completos
EstabelecioMBto filial na Havana sob a
mesma.firma da-G. Hecktnaqsv
C. e-San Igaacio n. 17.
nicos represenlantcs
Haupt {ebru'der
EIO DE JANEIRO
Pai'a informagteadiiijamBeai
Pohtuian &C
mi mim i e
Ao publico
Os abaixo assijoaaos, tendo registrado e depo-
sitado as suas marcas industraos-a rtulos das
cas praparacoes na junta commesetai do Rio de,
Janeiro de confe rmdade com as prescrp^oes das
lea do isBfeno da Brasil, declaram e participain
aos inteMSsados, que como nicos proprietarioe,
tem dir^o exclusivo de usar aa marcas indas
triaes e- rtulos relacionados com manufactura
fabricarn e venda das stguinies preparajoas?
Agua d^Plorida de Murray e Laman.
Touico Oriental.
Peitoral de Anacabjuta.
Pastilhas Vrrmjfogaa de Kemn,
Oleo de figadVde bealhio de Ijaqman & Kemr
Emulsao da oleo de figado de bacaloao com hy
pophospbites, de Lanmar & Kmp.
Salsaparrilha; de Bristol.
Extraen} duplo de aveleira mgica de Briatolj e
ungento d aveleira mgica de Bristol,
e que, portanto, perseguir* a todos os falsificad-
res on imitadores das dita marcas induatriaes'e
rotuloB,.procurando que sejsm castigados com teda
A severidade di,le.
Tambem aeantelaaos o publko contra todos
acuelles que intentam substituir as nossas piepa
racoes acidia mencionadas ora artigos falsicados
Se levam rotulo* oo; nfircas mdusfriaer^ue mi-
li as noss
Lanma & Kemp.
O abaixo assiguado, que at agora assignava-se
Dr. Silva Britto,previne a sens collegas e ao
publico, que, para evitar coafusdes, que j teem
havido, por exercer nesta cidade, onde bastante
conhecido com o ultimo termo d'aquelle apellido,
um outro collega mais antigo, previne diz, que
d'ora em diante assignar-se-haDr. Joao Paulo.
Rcife,lde Agosto de 1886.
Dr. Joao Paulo da SUa BritU>.
N. 2. A Emulsao de Scott nao um
remedio novo, pois ha longos annos que
est se asando na Europa, noa Estados
Unidos e muitos outros paizes e tem sem-
pre dado os melhores resultados na tsica,
as molestias do peito e da garganta e as
bronchites chronicas.
EDITAES
Edital n. 744
De ordem do inspector geral, face saber ao pro-
fessor Manocl Jos da Cmara, da cadeira da
Varzea Redonda, que lhe fica marcado o praso de
15 das para responder sobre o abandono da sua
cadeira, visto ter drizado de reassumil-a depois
de finda a licenca obtida, e haver decorrido mais
de > is mezes fra do exercicio della.
Secretaria da instruccao publica de Pernambu-
co, 6 de Agosto de 1886. O secretario,
Pergentino S. de Araujo Qalvao.
Edital n. 14
Em cumprimeuto ao disposto no art 657 da
coosolidac&o das leis das alfaadegaa, se faz-pu-
blico que, da apprehenso de 12 kilogrammas e
700 grammas de coral, e 750 grammas de fitas de
seda, fjita ao passageiro Achules Giorne, no dia
20 de Julho ultimo, pelas 11 horas di manha, a
bordo do vapor francez Ville de Victoria, proce-
dente do Havre por Lisboa, foi julgada proce-
dente pela inspectora desta alfandega, condem-
nado o infractor multa de metade do valor dos
mesmos objeetos ; pelo que fiea o mesmo infractor
intimido para, ne praso de 30 das, vir satistazer
a dita multa.
3 scelo da Alfandega de Pernambuco, 14 de
Agosto de 1886.O chefe,
Cicero B. de Mello.
O Dr. Hermogenes Scrates Tavares de
Vasconcellos juiz de direito da comarca
de Olinda por S. M. I. que Deus guarde
etc.
Faz saber aos que o presente edital virem, que
no dia 28 do corrente as 9 hoi s da manha se reu-
nir no paco da Cmara Municipal desta cidade,
a junta aparadora da elalcao de um deputado a
Assemblea Geral Legislativa que deve dar o 3.*
districto para preenchimrnto da vaga existente
pelo fallecimento do Dr. Antonio Francisco Cor-
rea de Aranjo.
Outro sim, coavida aos senhores juizes de paz
presidentes das mfsas eleitoraes das parochias de
S. Salvador da S, Bibcribe e Maranguape dcata
comarca, Santos Cosmo e Daoiiao e de Nossa Se-
nhora da Conceicjo de Itamarac da comarca de
Iguarass, do Divino sp rito Santo de Nossa Se-
nhora da Luz e de Nossa S.-nhora da Gloria do
Goit da comarca de Pao d'Alho a comparecerem
no dia, hora e lugar cima indicado afim de faze-
rem parte da mesma junta apnradora.
Olinda, 14 de Agosto de 1886.
Eu Joao Theodcmiro da Costa Monteiro, escri-
vo do jury, o escrivi.
Hermogenes Scrates Tavares de Vasconcelloa.
Edital n. 2
O administrador do Consulado Provin-
cial, faz publico a quem interessar possa,
que em cumprimento da portara n. 35 ex-
pedida em 24 do corrente pelo Illm. Sr.
Dr. inspector do Thesouro, ser effeetnada
por esta repartilo, no espado de 30 dias
uteis, contados da data pr sent e livre de
multa, a cobranca, conforme a relacSa in-
fra, das annuidades e mais servicos da
Recife Drainage Company relativamente ao
2. semestre do exercicio de 1885-1886.
Consulado Provincial de Pernambuco,
27 de Julho de 1886.
Francisco Amyntas de Carvalho Moura.
KELACAO A QUE SE REFERE O EDITAL SDPRA
Frequezia do Recife
Ras:
Mrquez de Olinda, Bam-Jesus, Airares
Cabral, Commercio, Bispo Sardinha, Tor-
res, Thom de Souza, D. Maria.de Souza,
Vigaria Tenorio, Barrete de Menazes, Ma-
riz e Barros* Burgos, Amonto, Moeda
Tuyuty, Companhia Pernawbocana, Madre
de Deus, Domingos Jos Martins, Masca-
tes, Reetauracio, D. Maria Cesar, Viscon-
de de Itaparica, Pfaarol, Areal, S. Jorga,
Vital de Oliveira, Gruararapes e Barao do
Triumpbo.
Pr.icas e travessas:
Assemblea, Chaco, Pedro I, Vigario,
Madre da Deus, Campello, Domingos Jo
Martins, para o Corpo Santo, Antiga Porto,
Bom Jess, Areal, pwra a.Fundis&o, Occi-
dente, Guararapes e Praga de Pedro I.
Beccos;
Abreu, Noronha, Largo, PTndoba, Ta-
pado e Paschoal.
Largos:
Alfandega, Corpo Santo e Assemblea.
Caes:
Companhia, Brui o Apojlo.
Freguezia ele Santo Antonio<
Ras :
Imperador, Primeiro de Marco, Duque de
Caxias, Cabug, Barao da Victoria, Trinr
cheiras, Laranjeiras, Larga do Rosario,
Kstrcita do Rosario, S. Francisco, JoSo do
Reg, liba-da Carvalho, Roda, Patos,, Ca-
laboso Velbo, Santo Amaro, Mathias de
Albuquerque, Paz, Paulino Cmara, Pogo,
Livramento, Pefaha, Visconde de Inba
ma, Pedro Affso, Nova da Praia, Mr-
cUio Dias, ViracSo, Lomas.Valentinas, Co-
ronel Suassuna, Santa Theresa, 24 de
Maio, Palma, Mrquez do Herval e Ca-
deia Nova.
Caes:
22 da NoTembro.
Praya:
Pedro n.
Travessas :
Queimado, Cruzes, Mrquez do Recife,
Ra Bella, Quarteis, Calabouco, Expoetos,
Matriz, Flores, Carmo, Bomba, Livramen-
to> Arsenal, 1. e 2." travaasas da Praia,
Crcereiro, S. Pedro,. Viracho, Loi*tef
Becco do Falcan, Pocinbo e Concordia.
Beccos:
Travesaa da Ra Bella, Calabouco, Ma
triz, 1., 2. e 3." beeeos da Cabda, Fal
cao el.* e2. da Cadeia Novar.
Campo :
Prinana.
Largos :
I fltoMffbCfcniOs.PInh* S. PadraeEr
ceta.
Freguezia de S: Jos
Ras:
Marcilio Dia, Lomas Valentinas, Co-
ronel Suassuna, S. Joao, Palma, Mrquez
do Herval, 24 de Maio, Dias Crdozo,
Ps8o da Patria, Padre Nobrega, Victoria,
Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei
Henrique, Dique, Assumpcao, Domingos
Tbeotonio, Padre Floriaoo, Ghriatovao Ca-
lombo, Jardim, Forte, Antonio Henrique,
Nogueira, Santa Cecilia, Santa Rita, Nova
de Santa Rita, S. Jos, Praia de Santa
Rita, Pescadores, Ypiranga, Imperial,
Praia do Forte e Luiz de Mendonca.
Travesaaa:
MaityrioB, Ramos, Pocinho, Caldereir o
Qz, Fort, Prata, Serip'ido, Copiares
Ra Azul, Santa Rita, Pranv do Forte, S
Jos, Peixoto, Matriz de S. Jos Lima
Beccos :
Palma-, CaldeTeiroi Gaz, A3strtnp?ilo, l.8
becco da ra de Santa Rita c Matriz d S.
Jos.
Largos:
Forte e Mercado.
Freguezia da Bou Vista
Ras:
Imperatriz, Conceieao, Visconde do Pe-
lotas, Tambi, Cpibaribe, Ponte Velha,
Conde da B6a-Vista, Riachuelo-, Uuiao,
Saudade, Seta de Setembro,. Hospicio, Ca-
marao, Rosario, Gervasio Pires, Atalho,
Socego, Principe, Santa Cruz, S. Gmalo,
Coelhos, Hospital Pedro 2., Gtwral Sea-
r<, Coronel Lamenha, Alegra, Lcao 6o-
roado, Bar2o de S. Borja, S.ilodade, Vis-
conde de Goyanna e Attracs^o,
Traveseas:
Gervasio Pires, Atalbo, Coelhos, Barrei-
ras, Veras, Quubo, Joao Francisco, Man-
gueira, Campia e Palacio do Bispo.
Pracas :
Conde d"Eu e SanU Cruz.
Largo:
Campia.
Becco :
Coelho. _______^^_________
0 Dr. Joaquim da Costa Rxbeiro, juiz d
direito do civel desta cidade do Recife da
provincia de Pernambuco, por Sua Ma-
gestade o Imperador, a quem Deus
guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem em
como por este meu juiao se ha de arrematar a quem
mais der findos os dias da le:
Tres prelos de typographi soudo um prelo
grande de n. 4,000, avaliado por 30.
Um outro prelo menor de b. 4,039 em mo esta-
do avahado por 150.
Um outro prelo n. 233, tambem em mo estado,
avaliado por 100.
Sendo os dous primeiros americanos, e todos el-
les com as competentes ramas, penhorados a firma
Mulbert & C, por execucio de Joaquim Manoel
Ferreira de Souza.
Toda a peasoa que em dito prelos qoiier laucar,
o poder fazer nos dias da praca.
E para que chegua ao conhecimente d? todos,
mande* passar o presente que ser publicado e a*-
fixado no lugar publico do castume.
Dado e paseado ^'esta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 26 dias do mez de Jutho de 1886.
En, Pedro Tertuliano da Cimba, escriva.>, es
erevi.
Joaquim da Costa Ribciro.
Juizo dos fcitos dafa-
zenda nacional
Eacriv&O Koito Barro*
O Dr. Alvaro Barbalho Ucha Csvalcante J-
nior, juiz substituto dos feitos da fazenda desta
provineia de Pernambuco, etc.
Faco saber a todos que o presente virem e delle
tiverem noticia, que no dia 20 do corrente mez,
pelas 11 horas da manbi, depois da audiencia e
perante este juizo, se vender em prac publica os
bans seguintes :
O dominio til do terreno de marinha n. 48
sito ra dos Coelhos, freguezit da Boa-Vista,
com 120 metros de frente e os fundos at a mar-
gem do ro Cpibaribe, pertencente aos herdeiros
de Antonio Carneiro Machado Ros, pela quantia
de 603*000.
A casa terrea sem numeraco, sita confronte a
estacao do Porto da Madeira, em Beberibe, fr.e-
gueaia de S. Pedro Martyr de Olinda, contendo a
mesma 3 portas na frente e 1 no oito, do lado do
poente um salo, com terreno em aberto, proprio,
e proprio para panta^oes, estando em bom esta
do, pertencente a Jos Vicentfl Gondim e hoje a
st us herdeiros, avahada por 2:000.
A casa terrea de tijolo e cal n. 1, sita no lugar
dos Coelhos, freguezia da Boa-Vista, e urna olaria
em seguida mesma casa, tudo coberto dn telha,
contendo um forno de cosinhar materiaes, achan-
do-se todo o predio em mo estado, pertencente
aos herdeiros de Jos de Amonm Lima, avaliado
tudo por 800J5 ; sendo que todos os bens cima
mencionados vSo praca por execucao da faaenda
nacional. Recife, 10 ieAgosto de 1886.
A. Barbalho Uch5a Cavaleante Jnior.
DECLRCOES
(orlos em atraa)
Nesta data.se expedio ordem ao Sr. tbesoureiro
para, na scasao ordinaria do primeiro domingo de
Setembro, apreseutar a lista dos socios- incunoa
no 3. do art. 70 dos estatutos (atrasados em um
trimestre), afim de na mesma ficarem suspensos.
Para a distxibuieao de cartes de ingresao para
o concert em 7 de Setemoro, se cumprir o 1.*
do art. 58 dos estatutos que diz :
< Nao tero cartes oe socios que uSo estverem
quites com a caixa do Club. >
Secretaria do Club Carlos Gomes, em 16 de
Agosto de 1886..
P: Ctanova,
%P secretario.
Estrada dte ferro de Ri-
beiro Bonito
Nos termos do nico do art. 4 e arts. 5 e 9
2 ios estatutos, convida eata directora aos se-
nhores accionistas para recolherem. ao London &
Braeilian Bank, a segunda, prestac de 10 0[0
do valor nominal de cada accao, a comecar desta
data 60 dias. *
Recite, 20 de Julho de 1886.
O gerente,
Hyppolito V. Pfederaeiras.
t
Cantldi* Cetario das Xe*es
Sao convidados todoB os Sra. Soeiaa do
Congresso Dramtico Beaeficente para,
congregados, assistirem missa do stimo
dia depois do fallecimento daquelle fiaado
coneocio, que esta sociedad manda> cele-
brar pelo seu repouso eterno, na igreja.do
Espirito Santo, pela* 7 1\2 horas da mi-
aba do dia terca*feire U do .corrente.
Convidase igualmente a deaalada viuva,
pan-entea* e amigas 4o finado par* ette aoto
de rel'giSo-e candada.
O secretario-,
ntonim Po*.
Fainldouii ile Dffotto
De ordem do Exm. Bn coneolbero director in-
terino, se faz publico aos estudantes e mais pes-
soas que frequentwn asta facuidada, qu na por-
tara priioipalen*Dntrra.u* oayeydWencar-
regado de receber o guarda-sol, a bengala on
oatra qualquer arma que trouxerem imr'flT. bem
como o chapea daquaHes -que, par n4b poderem
tel-os na cabeca dentro do edificio daffaaaldade,
quzerem ahi Heixar, reeebendo da roftrMo em
pregad os respectivos namerasapsinaasnalisnicao
desees objeetos na sahida, e isto *m observancia
aerarts. 235 e 236 do regulamentb complementar
dos estatutos* cujao disptsiooes- vao abatxo trans-
cript-es :
Art. 23A. Dentro do aditicio a facaldade
mi permittldo ter o chapeo na-cabeea. Nao
igualmente permittido fumar, nem rscar ou escre-
vr as pandes.
Art. 236.Ninguem poder entrar no edificio
da flsonuiade com-armas de qualquer natureza, e
sement serao toleradas as bengalas, preeedendo
permisso do director,- par. motivo de evma-
dade. '
Secretaria da Facaldade de Direito do Recife,
16 de Agysto-d*! 188ti.O secretario,
Jos Hoaoro B. de-JU-mezos.
Companhia de edica-
fo
Commnnica-se aos sanhores accionistas, que
por delibemoao.da-directora foi reeolvida o reco-
lhmento da qtiarta prestaco, na razao de 10 0/0
do valor nominal da respectivas acepea, o qual
dever realisar-se at 5 de Setembro prximo fu-
turo, no cscrptorio da companhia, ra da
concordia. Recif 9 de Agosta de 1866.
Gustavo Antunes,
Director secretario.
Associacao Commer-
cial Beneficente
Nao teado comparecido numero safltciea te de
associados para seconstitnirem em assemblea ge-
ral, para o quo j foram convidados, da. novo se
convida os mesmes senhores, de eonformidade com
os estatutos, a comparecerem no edificio da as-
sociacao 1 hora da [tarde do fdia 18 do cor-
rente, para ouvirem a leitura do relatorio da ac-
tual adminifltracio, e ser eleita a nova directora.
Recife, 11 da Agosto de 1886.
O secretario,
William Halliday.
Centro Republieano de
Pernambuco
A Commiesdo Executiva faz sciente aos cidadaos
republicanos lesta cidade que, em virtude da re-
solucao tomada pelo Centro, em reuniao de 8 do
corrente, contina a ser o Dr. Joo Carlos Baltha-
zar da Silveira o caudidato do Centro na eleico
municipal, que se ha de proceder a 23' deste
mea.
Recife, 14 do Agosto de 1886.
O secretario,
M. Codito dos Res.
Manta Casa da Misericordia do
Recife
Per esta secret-.ria sao cbaiaadw os parenfes
ou pretectorps das menores constantes da relacSo
infra, que vaser.aicolui phas.
Relacao das orphite ab.ixo inscripta, que nesta
data vao ser admittida-j no e.illegio das orpbas
1 Ricarda, fiih de Antonia. Starcclna de
Oliveira.
2 Joaquina, filha d..- Joauna Marta da Con-
ceieao
3 Mara, protfgul'i du JfHqabn D.-minguis
Ferreira.
4 Adelina, filha de Frasilia da Conceieao
Texeira.
5 Elisa, idem dem dem.
6 Maria, filha de Eugenia Maria de Oliveira
Lagos.
7 Leopoldina, idem dem idem.
8 Guilbermina, sobrinh* de Francelina Bri
gida Soares.
9 Maa, filha de Sophia Carolina de Moraes
Cos*.
10 Ca ol i Da, filha de Noemesia Florida de Li
ma Costa.
11 Mara, filha de Paulina Maria dos Pra-
zeres.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 5 de Agosto de 1886.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza-
Companhia de EdiflcacOes
O escriptorio desta
companhia acha-se in
stallado na praija da
Concordia n. 9, conser-
vando-se aberto das 7
horas da manha as 5 da
tarde, em todos os dias
uteis.
Incumbe se decons-
truccoes e reconstruc-
c,es.
Recebe se informa-
Qpes acerca de terre-
nos na cidade e subur-
bios, e a respeito dos
quaes queiram os res-
pectivos donos fazer
negocio.
No mesmo escripto-
rio se encontraro as
amostras dos produc-
tos da olaria mechani-
ca do Taqnarj, pro-
priedade da me-sma
compahia.
Juizo de paz da Boa-Vista
Aremtiarao
Depois da aadwncia do di 17 do crrante rao
em haeta-publica par aerea aroBmatada quatro
cabras, urna perca e um bacurinho, romottidos
este jiiso pelo respectivo fisoai, por andarem va-
gando naa ras desta cidade. Fregueaia da Roi-
Vist, Vi do Agosto da-l&tt
6 esorivab,
Alfredo Francisco de Sonsa-
Consulado Provincia 1
Tendo sido designado pelo IHm. Sr. Dr. admi
nistrador, para proceder a collecta da decima e
maia jmpostos, as fregnes.as do Poco e Arga-
dos, darei principio a este trabalho no dia 16 do
corrente mez pola freg za do Poco e pelas ras
Ponte de Ucha, Arraial, Brejo, Pedre Allan,
Costa. 8. Joao, Harmona ; portento previno aos
contribuintes, que nesta occasiao apresentem re-
cibos ou contrat.s, para saroa attendidos no caso
de nao serem elles lesivos.
1" seccao do Consulado.Proriaejoi,. 14 de Agos-
to de 1886.O lancador,
Antoaio Soriano do Reg Barros
Prolngamelo da estrada de
ferro de Pernamibuco e estra-
da de ferro de Recife Ca-
ntar
De ordem do Illm. Sr. director foco publico que
at o dia 17 do corrente, ao mor dia, no Escrip-
torio Central ra de Antonio Carneiro n. 137,
recebem-se propostas em carta fechada para o
fornecimento dos seguintes objeetos, necessarios
ao almoxarifado desta repartoslo.
Armacoes de serra metlica, 6.
Atios de couro para cozer coneias, 33.
rame de ierro de 1/8, kilos 30.
Ac de bexigas, kilos 50,
Dito de Milao kilos 50.
rame meia canna para contra pinos, 1/16, ki-
los 5.
Dito, idem, idem, idem, 1/8, kilos 5.
Dito, idem, idem, idem, 3/16, kilos 5.
Algodao em rama, kilos 3.
Area da Parahyba, barricas 10.
Amarello francez, kilos 10.
Azul ultramar, kilos 21.
Alvaiade de zinco, kilos 253.
Borracha em cano, kilos 20.
Barro para forno, barricas 30.
Corda de linho, pecas 10.
Chamins ns. 1 e 2, 80.
Ciscadores 25.
Cadernetas de locacao 100.
Ditas de resumo 100.
Ditas de seoces transversaes 100.
Candteiros com abat-jc ur 2.
Chaves inglezas 36.
Camurca, pelles 4.
Cimento, barrica 1.
Campanhas 2.
Cr, kilos 15.
CarvSo CardifE, toneladas 100.
Dito Cock, toneladas 2.
Chapas da latao 14.
Canos de chumbo, kilos 230.
Chumbo em barra, kilos 20.
Costedinhos de amarello. 12.
Cal preta, alqueires 75.
Cal de Lisboa, barricas 2.
Correia ingleza, metros 15.
Curvas de ferro fundido 4.
Dementes 5,000.
Dsticos diversos para as estaces 10,000.
Kstojo e desenho 1.
Esmeril em-p, kilos 5.
Esmeril de granito, kilos 5.
Estopa de cr, kilos 250.
Folhas para serra, 6.
Fio solado de algodao, metros, 100.
Fio coberto de seda verde, metros, 60.
Fio coberto gutte-percha, metros, 50.
Fio de ferro, metros, 500.
Frichaduras de lateo, 24.
Ditas de ferro (para porta) 25.
Fio de vellas, kilos, 6.
Ferros para soldar, 6.
Fardetas, 12.
Ferro fundido, kilos, 100.
Grelhas grandes para machinas, 200.
Ditas pequeas, idem 80.
Gengbre, kilos 2.
Gnld Site (veroix) litos, 30.
Lvms em raneo dt 100 folhas, 20.
Ditos dito de 50 ditas, 15.
Ditos dito de 200 ditas, 10.
Ditos dito de 120 ditas, 4.
Ditos dito de 60 ditas, 2.
Lin, pecas 3-
L' nha, achas 4,000.
Martellos p ra serralheiro, 10.
Malbos 2.
Maocaes de fero fundido com bronze, 8.
Oleo de mocot, litros, 80.
Dito para machina, litros, 200.
Dito para candieiro, litros, 20.
Ocre, kHos, 40.
Ocre anuda, kiios, 20.
Pavios para lanteraas e phares, 48.
Preto marfim, kilos, 10.
Pos pretos, kilos, 30.
Paos de secupira, 2b.
Pinceis para traeos,.36.
Pollas de ferro, 5.
Pennas Gillot, caixa, 1.
Plaina, 1.
Placas, 36.
Parafuzos com cabeca chata ou quadrada, 250
Ditos de latee, grozas, 25.
Ditos de ferro escoriados, grozas, 70.
Pa quadradas, 90.
Ditas de pont 12.
Pos de bronzear, kilo, 1.
Quiris, 70.
Redomas para o galvanmetro, 12.
Serra circular, 1.
Dita sem fim, 1.
Soda, kilos, 10.
Sobresalentos de mata-borro, 24.
Secante (fezes), kilos. 40.
Sida forte, kilos 12
Secante banco, kilos 7.
Serroto, 1.
Sndalo, kilos 6.
Tinteiros 12.
Torce-fios, 2. _
Taldes para entrega de mercadorias, 20.
Dtos-T 26, 50.
Ditos T 27, 50.
Ditos T 24, 100.
Ditos ordens de servico, 50.
Tympanos, 3.
Tijolloe tranceres, 100.
Trical,kitoa>7.
Tanas de cobre, macos 10.
Ditos de dito, kilos 5.
Taboaa de amarello, 44.
Ti jo l los, de alvenaria, OOO.
Ditos repactarios, 1000>
Terra de Siene, kilos 16.
Tenas de vidro, 6.
Tornos para baaeadas,4.
Turneiras de metal, 3i
Vergalhoes -de 3/8 /elas stoarinas,- libras 6.
Vergalhoes de cobro, 10.
Vermelbao da China, kilo 1.
Vernia branco, kilos 10.
Vidros para ni veis, 100.
Ditos de ores, 169.
Dito* para lanternak 12.
Ventilador, 1-
Vdssouras americanas, 2.
Zarcao, kilos 110
Zineo, kilo 10.
Os objeetos sero de primeira qualidade c en-
tregues convenientemente accondiccionados, no
Almoxorifado, na Estacio das Cinco Pontos ou as
Officinss da Estrada de ferro de Caroaru, confor-
me as exigencias do servico.
Os Srsk pr oponentes uodeverao mencionar em
suas propostas senao os objeetos constantes do
presente edital; devendo acompanhal-as das res-
pectivas amostras; condicaoessencial para serem
aoceitas. .
N'este escriptorio sarao prestadas as ntorma-
95es necessarias.i As proposta* serao abertas e
lidas no lugar da e hora cima indicados, na pr-
seme* dos Srs. proponentes, que deverio sellal-as e
aseignal-as, indicando snas residencias.
O foraecimeato pooJer sor ajustado com um so
proponente; ou parcialmente, conforme as Vanta-
gens que ofierecer.
Secretariado Proloagamento da Estrada der er-
ro de Pernambuco e Estrada de Ferro do Recife
a Caruata. 13 de Agosto do 4886.
O secretario,
Manse .totwicio Arsenal de Guerra
0 conselho de compras : recebe propostas no dfa
19 do oorrante at aa 11 horas da mank, para a
compre dos nrtigss segainteai:
57 mannites para oito pracas.
48 saceos do orna para, monaitses.
12 marmitas para cenduzo- nusebo i guarda.
1 balne rsiaa*, sjwoma decimal, eom. pasos
at 100 kilos.
2 caldeiras de ferro batido, para 50 pracas.
1 relofio americano.
1 temo de medidas para solido, at 20 litro.
1 dito do dita para liquido, at 2 Ji roa.
4 cadeiras de braco, de Jacaranda.
4 oleados espesaos para mesa cok 5,m00 de
compri nenio.
27 einturoes para msicos.
43 ditos para pracas, com lerragens.
426 cartucheiras para cinturoea.
426 palas, para ditos.
426 patroaas para ditos.
457 bornaes de brim imperial para vveres.
400 cantis de folha.
34 canudos de dita para inferiorea.
34 cordoes de la verde para ditos.
400 correias para marmita de 1 praca.
400 marmitas de 1 praca
15,"iO0 de bafta azul para blusas.
103,mOO de dita encarnada para ditas.
4 mantas cinzentas.
6 bandeiraa de filete encarnado pira exercicio.
1 dita de forma e cores de bandeira nacional.
1,683 bonets do servico interna.
23 bonete de panno para a companhia de ope-
rarics militares.
27 ditos da servico interno para a mesma com-
panhia.
5 ditos de panno para saigentos ajudante e
quartel-mostre.
4 baadas-de te ; ara inferiores.
1,600 gravatas de sola de lustro.
5,200 lencos de chita.
5,300 pares de meias do algodao.
12 coroas pequeas e douradas.
5,660 pareo de sapatos do courc.de bezerro
93 kilos da algodao em rama.
603,m50 de flaaella branca de algodSo para
forro de capotes.
24,081 m.dr brim pardo trancado
2 OOOm de dito branco liso.
23,500m de algodosinho.
188,m de algodao msela.
l,000m de aniagem.
5,255m de hollanda desforro.
31,m68 de panno azul fino paxa fardas de sar-
gentos ajudante e quirtel-meatre.
18,m00 de alpaca preta.
21,m30 de sargelim de cor.
103,m50 do casemia encarnada enfestada.
14,m00 de flanella de la alvadia para forro de
capotes de inferiores.
7,m00 de panno azul para capotes de inferiores.
7,m98 de ganga encarnada.
146 botos grandes de metal amarello e fines.
72 ditos pequeos de dito dito.
l.n.92 de galio dourado de um fio.
Previne-se que nao sero tomadas em conside-
racao as propostas- que nao forem feitas na forma
do art. 64 do regulamento de 19 de Outubro de
1872, em duplicata, cora referencia a um e ar-
tigo, mencionando o nomo, do proponente, a indi-
cacao da casa commercial, o preco de cada arti
go. o numero o marca das aro ostras, declarado
expresa do sujeitar-se multa de.6 0/*, no c&o
de recusar assignar o contrato, bem como as do
que tr tam os arts. 87 e 88 do regulamonto ci-
tado.
Secretara do arsenal de guerra de Pernamkaae
em 7 de Agjato de 1886.0 secretario,
Jos Franciseo Rfceiro Machada.
Preparados
DA
lALtJia lalMGIHHr I
LONDRES
Oleo de litno le bacalbito e lelto
pepltontaado
Esta preparacao tao saborosa que urna criaa-
ca promptamente a toma.
O leite digerido tem a propriedade de quasi in-
teramente disfarca o oleo e as pessoas de diges-
teo mais dbil podem tomar sem reeeio de gran-
de efficacia para atleeces pulmonares, tsica, tos
ees, debilidades, etc.
Peptonolde deCarsie
Um alimento nit'og-oe-so composto de conssi-
tnintes solides de leite bem cerno gluten do trigo
(livre de gomma).
Recommendado as convalescencaa de qualquer
doenca, febres, gastrite, dysenteria e toda e qual-
quer debilidade, seja qual for a sua origem, espe-
cialmente usando seem combinacao com o ole oda
figado com leite.
Maltlna
Um extracto caneentrado de trigo, avea e ceva-
da fermentados.
Valor diastesco 30 veces o seu proprio peso !
O mais rico agente restaurador at hoje conhe-
cido, altamente apreciavel nos casoa de debilidade.
Alimento Sonlnwel de cnrniri para
erlaaeaa
A analvse deste alimento demonstra qae os seus
oonstituintes nutrictivos sao quasi idnticos com o
leite materno, por isto o alimento mais aperfei-
ooado para criauca.
Fornecem amostras gratis aos Srs. mdicos.
Dopasito roa do Barao da Victoria n. 48
Banco auxiliador mer-
cantil
Achare.desde j aberta, a oubscripcSo para a
fundacio deste banco : listes em poder do eu
iniciador Francisoo Augusto Pacheco, armado
Vigario n. i, primeiro andar.
EMPREZA D!) G4Z
Pede-se aos Senho
res consummideres que
queiram fazer qualquer
comunicaco ou recla-
maoo, seja esta feita no
escriptorio desta empre-
sa ra do Imperador n
29, onde tambem se re-
ceber? qualquer costa
que queiram pagar.
Os nicos cobradores
externos sao os Senhores
Hermillo Francisco Ro-
drigues Freir e Manoel
Antonio da Silva Oli
vera, e quando for pre-
ciso o Sr. Antonio Mar-
tins Carvalho.
Todos os recibos dessa
ampreza devero ser pau-
sados em taloes carimbar
dos einpados pelo abai-
xo. assig do sem o que
nao terao valor algm
George Wifldsor.;



V
4
Diario de PernambncoTer$a-feira 17 de Agosto de 186
IRMAMDADE
DO
10,922 10,942
11,273 11,388
11,611 11,617
11.632 11,633
11,646 11,649
11,666 11,677
11,714 11,715
11,746 11,747
11,759 11,961
11,784 11,790
11,798 11,803
11,825 11,832
11,867 11,871
11,883 11,884
11,910 11,927
11,945 11,946
11,956 11,957
11,971 11,974
11,984 11,985
11,991 11,992
11,998 11,999
12,008 .12,009
12,022 12,024
12,036 12,039
12,069 12,077
12,082 12,083
12,091 12,093
12,101 12,102
12,106 12,107
12,118 12,121
12,129 12,132
12,152 12,155
12,165 12,168
12,187 12,188
12,201 12,202
12,212 12,216
12,230 12,231
12,243 12,244
12,256 12,257
12,296 12,299
Divino Espirito Santo
De ordem do conBelho fiscal, convido a todos os
nonos irmos a comparecerem em nosso consisto-
rio quarta feira 18 do correte, pelas 6 horas da
tarde, para em mesa geral, eleger irmaoa para
completar a mesa regedora.
Consistorio da irmaudade do Divino Espirito
Santo, 14 de Agosto de 1886.
%. Saitos Porto,
x jais e secretario.
Monte de Soccorro de
Pernambuco
Os possuidores das cautellas de penhS
res dos nmeros abaixo, sito convidados, a
resctalas at o dia 26 do corrento roez.
11,062 11,128 11,209
11,413 11,512 11,610
11,618 11,620 11,629
11,634 11,637 11,645
11,654 11,655 11,659
11,687 11,752 11,705
11,729 11,734 11,736
11,748 11,754 11,756
11,763 11,764 11,769
11,795 11,796 11,797
11,805 11,815 11,823
11,842 11,852 11,866
11,873 11,874 11,879
11,885 11,901 11,909
11,931 11,938 11,941
11,650 11,951 11,954
11,961 11,963 11,970
11,975 11,976 11,981
11,987 11,988 11,990
11,994 11,995 11,997
12,000 12,001 12,004
12,010 12,017 12,018
12,025 12,027 12,028
12,041 12,055 12,067
12,078 12,076 12,081
12,084 12,089 12,090
12,094 12,098 12,099
12,103 12,104 12,405
12,108 12,109 12,110
12,123 12,127 12,128
12,133 12,140 12,147
12,157 12,158 12,163
12,172 12,178 12,186
12,190 12,191 12,198
12,203 12,207 12,208
12,217 12,220 12,229
12,235 12,238 12,239
12,249 12,250 12,255
12,273 12,288 12,289
12,300
Recife, 5 de Agosto de 1886.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coelho
Cha preto
As qualidades me-
lhores emais escolhi-
das neste genero, con-
tina a vendar Carlos
Sin den, n. 48 ra do
Barao da Victoria.
Recebeu de impor-
taco directa c vende
mais barato do que em
outra qualqucr parte.
Tambero vendemos
em cacas pequeas,
proprias para botis e
casas de familia.____
sLondon and Brasllian Ha
Limited
Ra do Commerch n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
xas do mesmo anco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n. 75 N
Porto, ra dos Inglezea.
SC0RO
CONTRA FOGO
The Liverpool A lirm i to
INSURANCE C01HP4N\
&C.
Coopii He Si
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 7-RA DO BOM JESS-N.
Seguros narlllmos e terrestres
Ne=tes ltimos a nica companhia nesta praca
que concede aos Srs. seguradrs isempcaode paga
ment de premio em cada stimo anno, o que
equivale ao d^conto de cerca da 15 por cento em
favor~dos segurados.___________________
ROYALMAILSTEAI PACkET
C01PANY
O paquete Tamar
(OMPANHIA
[mperial
commercio
Bolsa coanoerclal de Pernam
buco
RECIFE, 16 DE AGOSTO T)E 18b.
As tres horas da tai de
(otace* ulfinae
Nao houve.
O presidente,
Pedro Jos Pinto.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
RSNDWENTOS PBLICOS
Mes de Agosto de 1886
ALFANDEGA
Reda ohul
De 2 a 14
dem d 16
Resida pbovihcial
De 2 a 14
dem de 16
343:281*454
25:353*914
45:281*865
2:945*814
Total
CojtsutADO PBOvisciAi. Du 2 a 14
dem de 16
Rcm dbatmaobCe 2 a 14
dem de 16
368:563*368
48:227*679
416:791*047
10:463*839
*
10:463839
22:177*344
819*407
22;996*751
DESPACHOS DE IMPORTAQO
Lugre noruegaense India, entrado do
Rio-Grande do Sul no dia 14 do correte
e consignado a Maia & Rezende.
Mrnifestuu :
Bagres seceos 4,972.
Farinba de mandioca 450 saceos.
Graxa 229 pipas e meia a Pereira Car-
neiro & C, 134 a Fonseca Ir raaos & C.
Mostarda 2 saceos.
Peixe 40 quartolas aos consignatarios.
Sebo 210 barricas a Baltar IrmSos A C,
339 a Pereira Carneiro A C, 225 a Fon-
seca IrmSos & C.
Vinbo 2 bardolezas a Pereira Carneiro
4 C, 50 barris aos consignatarios.
N.
DE
SEGUROS contra FOGO
EST: 1803
Edificios e mercadorias
Taxae baixas
Promplo pagamento de prejuizot
CAPITAL
Rs. 16,000:000*000
Agentes
BROWNS&C.
Ra do Commercio N. 5
Gompanhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Estabelclda em i"**
CAPITAL 1,000:000,
SINISTROS PAGOS
4t SI de dezembro de 1884
Martimos..... UI0:000$000
Terrestres,.. 316:000&000
4~Hua do Commerelo-
SEGUROS
UABITDIOS CONTRA FOGO
Companhla Phenl* Per-
nambacana
Ruado Commercio n. 8
E' esperado da Europa no da
24 ou 25 do cerrente, seguia-
de depoia da demora necessa
ra para
Baha, Rio de Janeiro, Monte-
video e Buenos-Ayres
Este vapor traz simplesmente
passageiros e malas e immedia-
tamentc segar depois do desem-
barqne dos mesmos.
Vapor La Plata
esperado
do snl no dia 29 de
can-ente seguinlo
depois da demora
necessaria para
Para o Cear e Maranho
Segu com brevidade para os portes cima a
barca portugueza Marta Carolina, paea o resto da
carga que lhe falta, trata-se com os consignata-
rios Jas da Silva Loyo Se Filbo.
LE1LES
Sexta-feira, 20, o da arma (o, bal cao, can-
dieiroe, vasilbames, drogas, balancas e mais per-
tences da botica da ra do Bom Jess n. 26, em
lotes vontade dos compradores.
Quarto-f-ira (18) o de
fazendas limpas e avariadas.
chapas, miudezas e
Qunta-fei*a (19) o de ricos movis, espe-
lhos, quadiose objectos de electro-pate, na casa
em que morou o eDgcnheiro Domingos A. Ferreira
Bastos, ra de S. Jorge, perto do Arsenal de Ma-
riana.
colberes, 1 lindo estojo 1 tiateiro de madrepe-
rola, 2 garranchas, 1 porta-cartio e muilos ou-
tros artigos de goato.
Quista feira. i do corrate
No sobrado a esquerda da entrada da ra
de S. Jorge, depois do Arseual de Ma-
naba n. 174.
O tenente Domingos Augusto Ferreira Bostos,
retirando-se desta provincia com sua familia, faz
leilao, por intervencao do agente Pinto, dos movis
e mais objeclcs existentes na casa om que residi 4
ra de ti. Jorge, primevo, sobrado a esquerda do
Arsenal de Mancha.
O leilao principiar s 10 horas em ponto por
serena muitos os lotes.
(EM CONTINUAgO)
Vender t mesmo agente um cavallo rudado
novo e bom andador.
Lisboa e Soolbampton
Para passagens, fretes, etc., tracta-se oom
CONSIGNATARIOS
A damson Ho wie & C.
Companhla Franceza de Navega
cao a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Babia, Rio dWaneiro e
Santos
COMPARHIA DE SBGBOS
(OXTHA FOGO
Nortb British & Mercantile
CAPITAL
C.OOO.OOO de libras sterllna*
A GEN ES
Adomsoii Howie & C.
c'ompaxiiia m: SEGUROS
NORTHERN
de liOndres e iberdeen
Poslcaflnancelra (nesemnr **)

3.000,000
3.134,348
Capital oubsciipto
Fundos accumulados
Recelta annoal i
Dj premios contra fogo
De premios sobre vidas
De juros
O AGENTE,
/ John. H. Boxwe
RA COUMEBOOCIO VOT



577,330
191,000
132,000
"B*
MARTIMOS
Lisboa e Porto
E' esperado nestes das o patacho nacional
Osear e segu com brevidade para os portos ci-
ma, por ter quasi toda a carga engajada ; para o
resto que falta, trata-se na ra do Marques de
Oinda n. 4.
DESPACHOS HE BXPURTACAO
Ex 14 de Agosto de 1886
Para o exterior
francez
No vapor
garam :
Para o Havre, H. Burle C. 2,500 couros ver-
des com 52,500 kilos ; A. Labille 2,900 eoures
verdes com 42,000 kilos.
Para o Interior
No vapor nacional Mandos, carregaram :
Para o Para, Amorim Irmos & G. 150 barricas
com 9,549 kilos de assucar branco ; S. O. Brito
6C0 barricas com 44.647 kilos de assucar branco;
V. T. Coimbra 455 barricas com 36,011 kilos de
assucar branco ; P. Alves & C. 50 barricas com
2,000 kilos do assucar branco.
Para Manaes, Amorim IrmSos & C. 50 barricas
com 3,186 kilo de assucar brsneo e 40 barris com
3,840 litros de agurdente ; F. liodrigues & C. 20
barris com 1,920 litros de agurdente e 20 barri-
cas com 950 kilos de assucar branca ; P. Pinto &
C. 50 barris com 4,800 litros de agurdente ; P.
Alves i C. 30 barricas com 1,803 kilos de assu-
car branco ; Maia & Rezende 30 saceos com
2,250 kilos de assucar branco ; F. A. de Azevedo
178 barricas com 12,125 kilos de assucar branco.
Na barcaca Tres Irritaos, carregaram :
Para 0 Natal, F. Rocha & G. 2 barricas com 110
kilos de assucar branco ; P. Alves & C. 7 barri-
cas com 420 kilos de assucar refinado.
Para Villa da Penha, Fernandes & Irmao 1
barrica com 100 kilos de assucar refinado e 1 bar-
rica com 110 kilos de assucar branco.
MOVTMENTO DO PORTO
Navio entrado no dia 15
Rio Grande do Sal 24 das, lugar nacio-
nal Zequinha, di 220 toneladas, capillo
Serafim da Silva, equipagem 9, carga
xarque ; a Loyo & Fihos.
Navio sahido no dia 16
Babia por escalaVapor nacional Ouahy,
commandante Joaquim M. dos Santos.
Observag&o
Nao bouve sahida no dia 15 nem entra-
da no dia 16.
Mandos
Ville de Victoria
Vle de Maoei
Giqui
Petropolis
Stefuma
Pirapama
Sculptor
Baha
Jacuhype
Orenoque
Espirito Santo
Thermna
La Plata
Espera-se des Dortos do
sul at o dia 18 do corrente
seguindo depois da indis-
pensavel demora para o Ha-
vre
Conduzem medico a bordo, sao de marcha rapid-
e offerecem excellentes commodos e ptimo passaa
dio. s .,
As pasagens poderao ser tomadas de antemo.
Recebe carga encommendas e paesageiros para
os quaes tem excellentes accommodacoes.
Os vapores desta companhia entram no porto
ancorando em frente ao caes da praca do Commer-
cio o sendo muito incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadouro das paquetes transatln-
ticos, no Lamarao e demais devendo todos aportar
ao Havre, que o porto mais visinho de Pars,
fra de duvida que ha grande vantagem para quem
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, alm de serem os precos
das passagens mais mdicos, as despezas do embar-
que aqui e as de transporte do Havre a Paria, sao
inuito menores do que as que demandam as viagens
nos paquetes das outras hnhas.
Steamer Tillo fle Macelo
' esperado da Europa
m dia 18 de Agosto, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ba-
bia. Blo de Janeiro
e Mantos.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p 'loa
vapores desta linha,queiram apreaentar dentro de 6
das a contar do da descarga das alvareng.
quer reclamacao concernente a volumea quj po-
ventura tenham seguido para os portos do sul,afin>
de se poderem dar a tempo as providencias necee
Barias.
Expirado o referido prase a compankia nSo se
responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas e passageir** par,
es quaes tem excellentes accomodacoea,.
Augusto F. de Oiiveira 11
ACENTEi
42RA DO OOMMERHIO 42
DanipscliiflTalirls-leselIsflial
O vap i r Petropolis
Espera-se de HAMBURGO,
via LISBOA, eom escala pe-
los Afores, at o dia 20 do
corrente, seguindo depois da
drmora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
je com os
CONSIGNATARIOS
Borstelmann & C.
RUADO VIGaRIO N. S
/ andar
Os vapores desta companhia, os quaes tem p-
timas aaommodacoes pira passageiros, regres-
sam dos portos do sul com destino Lisboa e
Oh de Victoria, cae- Hsmburgo partndo da Baha nos das 8, 16, 23 e
' 30 de cada mea e tocarSo neste porto, caao -Be of-
fereca numera sufficieate de passageiros._
Os Srs. passageiros, que se quizerem inscrever
sao rogados a fazel-o pelo men*s 4 dias antea das
partidas da Bah-___________________________
COMPANHIA PEBKAHBIICANA
DE
.aTegaco tostelra por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maeu, Mouor, Ara-
caty, Cear, Acarahu e Camossn
0 vapor S. Francisco
Commandante Pereira
3 ESPERADOS
do sul hoje
do sul amanhS
do Havre aman hay
de Fernando a 19
de Hamburgo a 20
de Trieste a 20
do norte a 20
de Liverpool a 20
do norte a 23
do sol a 23
do sul a 25
do sul a 20
de New-York a 28
do ral a 29
Segu no dia 21 de
Agosta, as 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 80.
Encommendas passagens e dnheroe afrete at
s 3 horas da tai de do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pemambuvna
n. 12_________________
Oni'AMIlL MiN E8MAV.B
RES XIRITIMES
LINHA MENSAL
0 paquete Orenoque
Commandante Mortentard
E' esperado do porto do
sul no da 25 do corrente,
seguindo, depoia da demora
do costume, para Bordeaux,
tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se sos senhores passageiros de todas
as classes que ha lugares reservados para eata
agencia, que podem tomar em qualquer tempe
Faz-se abatimento de 15 % em favor das fa-
milias composta de 4 pf ssoas ao menos e que pa-
garem 4 passagens inteiras.
Por excepeo os criados de familias que toma-
rem bilhetes de proa, gosam tambem d'este abati-
mento.
Os vales postaes s<5 se dio at dia 28 pagos
de contado. .
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: tracta-se com o
AGENTE
angoste Labille
9-RA DO COMMEBCTO-9
Leilao
Hoje,
17 do corrente
A's 11 horas
De movis, chapeos, vidros, jarros, perfumaras,
miudezRB e outros artigos.
Ao correr do martello
Na ra Estreita do Rosario n 24.
Agente Modesto Baptista
Leilao
De fazendas, bordados e outros artigos
Hoje, 17 de Agosto
A'* 11 horas
POR INTERVENCaO do agente
Alfredo Goinnres.
Em seu armazem ra do Bom Jess n. 4G.
Leilao
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se casas a 84000 no becco dos Cce-
Ihos, junto de 8. Goncallo : a tratar na ra da
Emperatriz n. 56.
Aluga-se cuatro casas na ra Imperial ns.
102, 104, 132 e 136, caiadas e pintadas, com com-
modos para familia, e precos razoavel : a tratar no
Recife, cues do Apollo n. 45, ou na mesma ra
u. 130, at as 9 huras ou das 4 em diante.
Aluga-ee o 2 andar do sobrado ra do
Fogo n. 18 : a trufar na roa Direira n. 31, ar-
mazem. ___________^^^^
Vende-se a fabrica de cerveja ra da
Sensalla n. 12 : a tratar na praca do Conde d'Eu
numero 11, Boa-Vista. ___________^^
Precisa-se de urna mulher de meia idade e
de boa conducta, para ajuditr em trabalhos de
vendagem e outros de casa de pouca familia ; na
ra da Matriz da Boa Vista n. 3.______________
Aluga-se o 2- andar do sobrado n. 12, ra
das Larangeiras : a tratar na loja do sobrado n.
17, ra das Tnncheiras, dis 11 s 2 1/2 da
tarde.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama da leite : na ra do
ala rquez do Herval n. 33, 1 andar, defronte da
escola modello.
Boa-Viagem
Aluga-se urna grande e excellente casa n'este
aprazivel arrabalde com muito bons commodos e
p rto do banho.
A tractor na ra Larga do Rosario n. 34, bo-
tica
De urna armaco envernisada cim gaveta--, 2
balcdes, 2 carteiras, 3 frascos grandes, 2 ditos de
bocea larga, 1 candieiro com 3 bicos, 1 relogio,
e vasilbames para botica.
Urna caixa de ferro, (burra) 1 armarinho, 1
balanca decimal, 1 dita e pesos, 1 machina para
pirar, 3 balces para trabalho de drogara, 2 ta-
chas de cobre, 2 prencas e 5 barris.
Urna armaco ingleza com vasilhames, potes e
trascoscom tintura- e drogas, barricas com al
vaiade caparrosa e azul, 1 armario grande com
fraacos, e potes com drogas, 1 prenca para copiar
carta e outros artigos que serao vendidos em mui
tos e diferentes lotes existentes no armazem do
sobrado da ra do Bom Jess n. 26. (outr'ora bo-
tica do Recife).
Sexta-feira 20 de Agosto
A's 11 hora 3
Na referida botica da ra do Bom Jess n. 26,
em lotes vontade dos compradores.
Agente Pestaa
Leilao
De um bom sobrado de dous andares, com duas
frentes, sendo urna para a ra de Domingos Jos
Martina, e a outra para a traveasa da mesma ra,
no corrf-r dos fundos do establecimento dos Srs.
Braga Gomes & C; cujo sobrado rende 600*000
annuars, acha-se livre e desembaracado, e ser
vendido pelo maior preco que der.
Terca feira, 19 do crtente
A'S 11 HORaS
No armazem ra do Vigario n. 12 ; para mais
nformacoes com o ageute Pestaa.
LEILAO
de fasendas, mtudezas e chapeos
linipon avariados
QUARTA FEIRA 18 DE AQOS10
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
No Io andar do sobrado da roa do Bom-Jesus
0.43.
CREPUSCULARES
Bonald) acham-sc venda
ras da cidade.
(poesas de Olympio
i.ai principaes livra-
Aos 4:0008000
16-Lua do Cabug-16
Acham-se venda os venturosos bilhe-
tes gar: ntidos da lotera n. 65a em beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que se extrahir quanuo for annunciado.
Precos
Inte-ro 40000
Meio 2^000
Quarto 10000
Sendo qnantldade superior
a tii>:OUO
Inteiro 30500
Meio 10750
Quarto 0750
Joaquim Pires da Suva-
Fumo desliado do Ro-Novo
l
De movis antigos e modernos, ferragens,
quadros, estampas e espelbos
Ao correr do martello
Constando de duas grandes estantes >ie aoaarel-
lo, armarios, aparadores de mogno, 2 commodas,
guarda-roupa, 1 jardineira de pao setim, 1 guar-
da-louea, 1 mesa oval, cadeiras geoovezas, ditas
douradas, marquezocs, marquezas, 2 camas anti
gas entalbadas, 2 espelbos, 2 pedras marmrea
para aparadores, 1 dita redond.t para mesa, i ca-
bida de ferro, 1 porclo de ferramenta, diversas
banquinhas, cadeiras de balanco americanas, es-
cadas, louca, vidros, frascos, formas para bollos,
trem de cosinha, cachorros de pedra para varandas,
urna porco de estampas finas e urna infinidade de
objectos miudos.
Quarta-feira, 18 do corrente
A's lt horas
Na loja do sobr-do n. 8 ra da Itn-
peratriz
O agento Martina far leilao de movis e objeo
os antigos existentes em dita loja.
A correr do matello ____
Leilao
De 30 caixas com vidros, 1 mobilia de Jacaranda,
antiga, 2 espelhos dourados, 6 quadios, 3 lan-
ternas e casticaes, 2 jarres, 2 cadeiras de junco
de bal anco, 1 lavatorio de ferro com pedra, 1
mesa elstica de 3 taboas e 1 guarda-louca pe-
queo.
Quarta feira, 18 de corrente
A'b 11 horas
No armazem da roa do Marque de Olnda n. 19
O agente Gusmo levar leilao por mandado
do Exm. Sr. Dr. juiz de direlto do commercio, e
com assistencia do mesmo e requerimnto do ad-
ministrador da massa fallida de Francisco Teixei-
ra Barbosa, os objectos cima mencionados, per
tencentes referida massa._______________
~ GRANDE E VARIADO
Leilao
De bons e solidos movis, ricos quadros,
espelhos, lindos objectos de electro-plato
e christoffle, candieiros gaz, jarros para
flores e muitos outros objectos de apu-
rado gosto.
A saber:
Um rico quadro sobre um cavallete negro, dou-
rado, representando Othelo e Desdemona (quadro
Beekcr) 1 corbelle de porcelana em urna base de
electrr pate e 1 piano forte de Henry Hery.
Um lindo divn, 2 ricos dunquerques, 4 cadeiras
de bracos,^ mochos estufados torrados de damas-
co e setim, 12 cadeiras de guarnica com palhi-
nha no encost, 11 canelas, 2 espreguicadeiras, l
espelbo oval e 3 lindos candieiros para kerosene,
com abatjours.
Urna mobilia de Jacaranda Lua XV, com 1
sof, 1 jardineira, 2 consolos com pedra, 4 cadei-
ras de bracos e 18 de guarnicao, 1 espelho oval
dourado, grande, 8 quadros com finas gravursj, 2
candieiros de crystal para gaz carbnico, 1 dito
de metal, 1 relogio dourado, 6 cadeiras italianas,
2 ricos jarros, 2 escarradeiras grandes e altas, 2
ditas de metal.
Urna linda cama com molas e colchoes, 1 rico
guarda-roupa com espelho, 2 mesas do cama, 1
toillet e lavatorio com podra e espelhos. 2 lindos
ettagers com espelhos, 2 caixas para costuras, 4
jarros para flores.
Um guarda-vestido de Erable, 2 camas de ferro,
com lastro de rame, 2 bids, 2 tapetes, 1 cama-
jnarquezao e 1 guarda-vestidos.
Urna mesa elstica, 1 guarda-louca, 2 aparado-
res, 1 sof, 2 eonsolos, 2 cadeiras de bracas e 6
ditas de guarnicao, 6 quadros, 2 jarros para flores
e 1 fogo de torro novo.
Objectos de electro plato:
Dous ricos porta-cartoes, 1 porta-gelo, 1 porta-
quejo, 1 portt-joias, 1 galheteiro, garfas, facas e
Precisa-se comprar nma armaco para ta-
verna, com pequeoas dimensoes : a tratar no lar-
ge da Santa Cruz n. 16. _____
Precisa se de urna perfeita cosinheira, para '
casa de familia : a tratar na ra do Baro da
Victoria n. 39, loja._______________________
Alu^a-ae a casa dj p teo de S. Pedro novo
em Olinda, com commodos para grande familia,
temg*z, est toda limpa, em bella posico : a pea-
soa que a quzer alugar appareca logo para tratar,
na ra do Mar tasa do Herval n. 23,loja. n* mesma
cmx vende-se rauto bonitos crotos pira jardim e
outras Aires delicadas.
Precisa-se di urna ama para cosiuhar : a
tratar no sitio do Sr. Valenca, eatoeZo da Ja
queira.
Compra-se nma balanca grande que sirva
para pesar ssucar ou algodo : a tratar ua ra
Dircita n. 21.
C ."ede-se ao Sr. Francisco Machado Teixeira
"'avalcante, senhor do engenho Riacho, o favor de
"pparecer im Alogados, pateo da Paz n. 23, a
"egocio que o mesmo senhor nao ignora.
Mador Decauville
Todo de aro
Caminbo de ferro porttil de collocaco instan-
tnea.
O Decauville obteve todos os primeiros premios
sem excepeo nos concursos fmncezes e estran-
geiros. _
Catlogosnformacoes : dirigirse ao Sr. Eu
gene Chxliue, 22, ra do CommercioRecife.
Representante pura a provincia de Pernambuco.
RcgdadoiTda Mari-
nha
Este importante estabelecimento de re-
lojoaria, fundado em 1869, est funecio-
nando agora ra Larga do Rosario n. 9.
O seu proprietario encarregado da Ra-
gulamentaySo dos relogios: Arsenal de Ma
rinha, Estrada de Ferro de Limoeiro, Com-
panhia Ferro Carril de Pernambuco, As-
sociacSo f.ommerciai Beneficente, Estra-
da de Ferro do Recife a Caxang, Estra-
da de Ferro do Recife a Olinda e Beberibo
e Estrada da Ferro de Caruaru' ; cercado
de inteligentes e habis auxiliares, fazcen-
certoa por mais diffioeis que sjam, nSo
s em relogios de algibeira, mas de pendu
la, torre de igreja, caixas de msica, ap-
parelhos elctricos e telegraphicos.
O mesmo acaba de receber variado sor
ti ment de relogios americanos que ven-
de de 7d a 20$ de parede e de mesa, des-
pertadores de nikel.
Aos seus collegas vende fornecimeto em
grosso e a retalho : e aceita encommendas
para seu correspondente em Pars.
Acha-se bem montado neste estabeleci-
mento um observatorio pelo qual regula to-
dos os relogios martimos e terestres.
Recebe asssignaturas para dar a hora cer-
ta desta cidade pelo telephone n. 458.
Preco commodo
Em frente de seu estabelecimento se
acha collocado um relogio, cujos mostrado-
res poderSo ser vistos pelos passageiros da
Ferro Carril, tendo sempre a hora media
desta cidade determinada pelas s uas ob-
servares astronmicas.
Antonio Jos da Costa Araujo.
G. Laporle & C.
Com caaa de fommlH6c roa do
Imperador n. 46. 1 andar
VENDES!
Elixir dentlfrlolo
assa denlifricia
dos reverendos padres benedictinos de Soulac, o
melhor dentifricio que tem vinde para o merca-
do (s s duzas).
tnii moualique Query para matar as
morissocaa, maiuins, etc. (s duzias).
viniio de Champagne da afamada mar-
ca Moet & Chandon em garrafas e meias (s cai-
xas).
\ inri o de Cbampagne,marcaMarquis de
La Tour Byron (35 45 a caixa) (s caixas).
Cognac, marca Hildebert (s caixas).
Vinagre aromtico, para a mesa, especiali-
dade para familias, garantido puro de vinho bran-
co (s garrafas).
Salsa-parrllharreca do Para.,
Eau de mllaae des Carmes, a preco
de factura para liquidar 100 duzas vindas por
engao (s duzias).
Rob Lecbau. grande depurativo vegetal.
(Somente aos senhores droguistas e pharmaceu-
ticos).
Papel almaaao duplo, liso, proprio para
impresso de obras, etc., etc.
Papel para carcas, grande e variado
sortimento, a precos nunca vistos neste mercado
(em porco) todos os formatos, e os competentes
Enveloppes tambem a preco sem compe-
tencia.
Cartee* de visita de todos os formatos
brancos e de phantasia, carines para o commer-
cio, em Cristel, framlim etc.
Tinta Blue-BlacK, verdadeira de Ste-
phenson, recebida por remessas peridicas do pro-
prio fabricante : precos inexcediveis de barateza.
Artigos de eserlptorlo taes como livros
em branco, copiadores, tintas, caetas, lapis, tin-
teiros e todos os mais sempre vendidos a precos
muito baratos para negocio.
Aomma arablea de Adriano Maurin fras-
cos grandes e pequeos, em caixas de dusia.
Tinta de marear a roupa, do mesmo fa-
bricante.
A' ra do Imperador n. 46
DE
Frotas Silva & $
O melhor e o mais poro que tem
viudo a esto praca
NICOS IMPORTADORES
Costa Lina & C. Ra do Amorim n. 37.
Almeida Machado C. Ra da Madre de
De8 n. 36.
Jos Antonio dos Santos -Ra do Mrquez
de Olinda n. 5 e ra Primeiro de Marco
n. 3.
r
ss
PASTILHAS
De ANGELIM&MENTRUZ
5
oe
ce

es
T5J
sa
as
5-J

S9
4?
O.
fe
O Remedio mais efficaz e
Seguro que se tem descoberto ate
hoje para expet/r as Lon brlgas.
ROQRIAYOL HIERES
Este remedio precioso tem gozado da accelta.
cSo publica durante cincoenta e sete annos. com*
esaodo-se a sua manufactura e venda em 1837.
Sua popularidade e venda nunca ionio to exten-
sas como ao presente; e isto, por si mesmo,
offerece a melhor prova da sua emeacia maravil-
hosa.
Nio hesitamos a dizer que nao tem dewado
em caso algura de extirpar os vermes, quer em
creancas quer em adultos, que se acharo af&ic-
tos destes mimigos da vida humana.
Nao deixamos de recebar constantemente
attstac6es de mdicos em favor da sua efficacia
admiravel. A causa do successo obtido por este
remedio, tem apparecido varias falsificases, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser
yeiriftgo fle B. A, FAHNESTGCK.
.-*..*



Diario de PernambncoTcrca^feira 17 de Agosto de 1886

N.
A GRACIOSA
Nova loja de mindesas
7RA DO CRESPON. 7
DUARTE & C.
Os propnetenos deste estabeleeimento, tendo o preparado com esmoro o ele-
gancia, convidam as Exmas. familias para visital-o, afiancando que encontrarn sem-
pre um variado sortimento de objectos do moda e phantasia, por precos summamento
mdicos, comoa'guns que era seguida designara.
Garriteis de liaba para machioa a 80 rs.
Ditos de retroz de 100 jardas a 200 rs.
Ramos do flores fiaas a 13000 e 13500.
Babados e entremeios, de 500 a 30000, a p*ca.
Baleias para vestido a 300 a duzia.
Ditas coberUs a 700 rs. a duzia.
La para bordar a 20800 o maco.
Espartilhos para seohoras de 30000 a 80000.
Ditos para meninas a 40500.
Extractos finos para lenco de 10000 a 40000 o fraco.
Luvas de seda de cores 20000 o par.
Ditas rendadas a 30500 o par.
Ditas de pellica a 20500 o par.
Mayos de grampos a 20 rs.
Caixas com colxotes a 60 rs.
P para dentes a 200 e 500 rs. a caixa.
Vasos com opiatas a 10000.
Escovas para dentes de 200 a 500 rs.
A lunetas a 80 rs. a carta.
Fita de linho a 40 rs. a pega.
Punbos e collarinhos bordados para senhora a 20000.
Invisiveis para o cabello a 200.
Lencos com barra a 20000 a duzia.
Agulhas a 20 rs. o pap. 1.
Ditas fundo dourado a 80 rs. o papel.
Cabos de agalhas para crochel a 200.
E muitos outros srtigos aes como fitas de diversas qualidades, leques de papel,
de setinota e de setiin, plisss de tambraia e de seda, albuns baratos e de finas qua-
lidadcp, sapatos para menioas, senhoras, e homens, tudo por precos admiraveis.
2
OO
FAZENDAS BARATAS
Na bem conhecida loja daroa Primeiro de
Marfo n. 20
JUNTO DO LOUVRE
Grande sortimento de madapotes de 40500, 50, 50500, 60, 60501
70500 e 80000
AlgodSes brancos, superiores qualidades, de 40, 40500, 50, 50500, 60
60500.
Saperiores cretones de 320 a 500 o covadu.
Batistes, lindro padrSes, a 200 e 320 rs. o covado.
Fust*es brancos de novos desenhos a 440 e 500 rs. o covado.
Cobertas de ganga, forradas, de dous pannos a 30 500.
Ditas de ganga en 'one, bonitos padrSes, a 30000.
Lencoes de bramante, de linho. de 20 a 40000 a um.
Ditos de algodao de 1,800 a 20500.
Toalhas felpudas, de tamanho regular a 50000 a duzia.
Ditas grandes para bandos a 20000 urna.
Lencos de algodao de 10800 a 20200 a duzia.
D:*os de algodao, com barra, a 20400 a duzia.
:}. i pardo, claro, a 300, 400 e 700 rs. o covado.
Dio imacado, lo^a, a 10, 10lOO e 10200 o meto.
G;rtc9 vestido de cretone de 200 por 80000.
(jj.-i-u apos de linho de 30500 a 60 a duzia.
Granae vanedade de anquinhas de 20 a 50000.
Heias cruas para hornera a 50, 60, e 70000 a duzia.
Chambres muito bem preparados, para homem, de 50 a 100000.
Casemira diagonal, preta e azul escuro, a 20500 o covado.
Algodao-trancado de duas larguras a 10300 a vara.
Bramante de algodao, de qnatro larguras, de 10500, 10800 e 2000 a var
Dito de linho idem idem de 20, 20500 30 e 40000 a vara.
Leques de papel, de lindos dsenhoB, de 500, 800 o 10000.
Merino preto e azul a 104O rs. o novado.
Setinetas lisas de todas as cores a 440 rs. o covado.
Guarda p de brim de liuho pardo a 40, 50 e 6|000.
Oxford p~ra camisas, lindos padrSes, a 280 300 e 340 rs, o covado.
Velbutinas de todas as cores a 10000 o covado.
Molesquin de cores, bonitos padroes, a 600 rs. o covado.
Chales do algodao a 10200, 10400, 10600 e 25000.
Costumes para oanhos de mar a 80 e 100000.
Cortinados bordados para cama e janellas a 80 100, 12, 14 e 160000 o pai
Grande sortimento de roupa feita para trabalhadores de campo.
Encarregamo-nos tambera de mandar fazer qualquer roupa para hemens
meninos, para o que temos um hbil ofEcial e um grande sortimento de pannos, brina.
casemiras, etc.
Quem precisar de alguna artigo bom e barato, devera visitar de prefereno*.
pste antigo e acreditado estebelecimento.
M Primeiro li Marco n. 20
G

OS
2
Chapeos e liiapelinas
36 A40PBCADA INDEPENDEN-36 A 40
B. S. CARVALHO & C.
Proprietarios deste bem conhecido estebelecimento paatecipam
as Exmas. familias e ao publico em geral, que mensalmente recebem
das principaes casas em Paris e Manchester o que de melhor e de
apurado gosto ha em chap.-linas e chapeos para senhoras e meninas
e das primeiras fabricas de H&mburgo o que ha de melhor em cha-
peos para homens e criancas, e muito* outros artigos concernentes
chapelaria.
Flores artificiaes para ornamento de salas.
c
5*3
es
ce
G*2
5*5
WS
J owir wr
JOSEPH KRAUSE fr
Aeabam de augmentar o sen j bem conhecido
nportante estabelecimento rna i
de marfo n. 6 com mais
am salo no 1 andar Inxnosamente 'popar-
rado e prvido de nma expesi-
(k te tiras de prata k Porto edectn-plate
dos mais afamados fabricantes do
mundo inteiro.
nonvida, pois, as Exmas. familias, seus nume-
rosos amigos e freguezes a visilarem
o sen estabelecimento, aim de
apreciarem a grandeza e bom gosto com que
nao obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincia.
ACM ABITO DAS 1 A'S 8 DA NOITE
VJMITK
CC
i,
OTERIA
ALAOOAS
CORRE NO DA17 DE AGOSTO
INTRANSFERIVEL! INTRunuFlWEL!.
O portador qaepossuirum
vigsimo desta importante lo
teria est habilitado a tirar........
10:006$i000.
Os bilbetes acham-sea' ven-
da na Gasa Feliz, praca d: In-
dependencia ns. 37 e 39.
Corre no dia 17 de Agosto
86, sem lalt
COLLEGIO FRANC E
PARA MENINAS
17Ra doBaro de Henifica17
HA LM Di PASSAGEM DA MAGDALENA
As senhoras Mme. Francis e Mlle. Francia, mai e filha, diplomada pela Fa-
culdade de Paris, recentemente ebegadas de Franca onde ezerceram por muitos an-
noB o professorado, acabara de estabelecer um collegio para meninas, seguindo o pro.
gramaa adoptado em Franja ; o qual proporcionar s alumnas que Ibes forem confia-
das ama educacao completa e esmerada.
Os senhores pais de familia sao convidados a visitaren! este novo estabeleci-
mento situado em tSo saudavel bairro e dispondo de todas as condieoes do confortavel
e de bygieno.
Mlle. Izabel Francis possue um talento elevado para o ensino de piano.
Ella precisa de urna ajudante para as classes.
Grande e bem montada oflicina DE
PEDROZA & t
N. 41Ra do Baro da VictoriaN. 41
Neste bem conhecido estabelecimento, se encontrar um lindo variado sor
timento de pannos, casemiras, brins, camisas, punhos, collarinhos, meias, gravataa
tudo impotado das melhores fabricas de Paris, Londres e Allcmanha; e para beo-
servirem aos scus amigos e freguezes, os proprietarios deste grande estabelecimentc
jm na direceo dos trabalhos da officina habis artistas, e que no curto espaco de 24
horas, preparara um terde roupa de qualquer fazenda.
Ra do Baro da Victoria*n. 41
(PRESOS SEM3COMPETENCIA)

Ozea P.
Ozea Sachet
Ozea Essencia.
Ozea Agua de toilette.
Ozea Vinagre de toilette.
Ozea Agua para os dentes.
Ozea Pasta para os dentes.
Estas exquisitas preparaces sao muito apre-
ciadas na mais distincta sociedade pela deli-
cadeza do seu perfume.
Wy R I EC ER'S
TRANSPARENT CRYSTALSOAP
(Sabo transparente cristalino)
reconhecido como o mais perfeito do todos os sabaos de toilette pelas suaa
propiedades hygienicasr pelo seu aroma e pela sua larga duracao.
,. Depsito nal princlpatl Perfmmarlas, Farmacias, dea.
H

r



&
*
-
1 t
.- -
**


jg ^
PK*
P-
^fc
J ^E'
.2 O '
S-
t N
p
5h =
A tm
OJ es
*G ^
u
ce es
be ss
<*3 theumat ismo .Cajiero^aobae. bnngeng >
e todas as mpleetua qu tente eua ortfenf
na impureza do aru*e drvwfca srphiks


'ABOaATOmo^CNTjAt ot^
ce
o
Oh
V
a

r^^^-
BOOOCTOSlKOKtl
*&:*&'
Ra do Vteoomte de k> B**n Rl DE JAOTIRO-^rf
0
ft
A
O
co
>

0
-
p
2-
n
r C
erq
SS p
P 2.
-9 P
S 2-
ft (t
N
^
5 p
^ a
0
*
= 3
es
P 0
3 K
*2 P
CO 0
O
<^

O.
P
VI

1 1
<
P
PP
O
ios nofites dos olo s
Cura certa em 48 horas das inflaroafSe*
recentes dos olhos, pelo colyrio prepara-
do por Jos Pedro Rodrigues da Silva.
Emprega e este poderoso colyrio sempre con
grandes vaDtagens, lias segaintes molestias :
OphtalmiaB agudas, purulentas e chronicas, con-
unctivites, etc., etc.
Deposito eral, na drogara de Faria Sobrinho
l C ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Para nformacoee, sedirijam livraria Indus-
trial ra do Baro da Victoria n. 7, ou resi-
dencia do sutor. a ra da Saudade n. 4.
CASAFELIZ
Ls 4:1100 5000
BILHETEN iBKTIUUK
t*ra^a da Independen
cia ns. 37 e 39
O abaixo assigna'io vendeu entre es seus
felizes bilhetes garantidos da 64a lotera
a sorte de 10O|$ em 4 quartos n. 2476,
alm de outras muitas de 32)$, 16$ e 8$.
Convida os possuidores a virem receber
sem descont algum.
Achara-se a venda os felizes bilhetes
garantidos da 65a parte da lotera a beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que se extrahir quando tor annunciado
Presos
Bilhete inteiro 45000
Meio 2)9(000
Quarto l,JG0e
m por^So de 1005000 para
cima
Bilhete inteiro 33500
Meio 15750
Quarto 875
Autonio Augusto dnt Sanf-* Porto
fiTsnriTi'a
4os4:000$000
Ra do Bario da victoria d.40
e casas do costante
Acham-se venda os felizes bilhetet
garantidos da 253.a parte das loteras
beaeficio da Santa Casa de Misericordia do
Recife, (65.a), que se extrahir quando for
annunciada.
Inteiro 43000
Meio 23000
Quarto 13000
Ea porco de 100*000
cinta par
Inteiro 33500
Meio 13750
Quarto 3875
Joo Joaqun da Costa Leit.
FAR1NHA LCTEA
DE
NESTL
*i MARCA REGISTRADA
15 OS DE SCCESSO
21 recompensas, das quaes 8 diplcmas de honra
e 8 madalbas de ouro.
Certificados numerosos das pfimeira3 autorida-
des medicas.
Alimento completo para crlanci-
nhan de pello
Suppre a insufliciencia do leto materno, facilita
a desamamentaclo e a digeso fcil.
Emprga-se tambem vantajosameate para adul-
tos co mo alimeto para estmagos debilitados.
DNICO DEPOSITO ESPECIAL DA FABRICA
PARA TODO O IMPERIO
31 C- BA DE 8. PEDRO 31C
Rio de Janeiro
Elixir carminativo e ton ice do
pharmacenlico Ye as
Remedio que cura dyspepms, gastralgias e to-
das as perturbacoes ligadas desarranjos de es-
tomago e intestinos. Aconselhado por varios cli
nicos dos mais conceptuados desta cidade, acha-se
venda exclusivmente na pbarmacia americana
de A. It- eras & C, ra Duque de Casias nu
bouboos m enram f
Sem dieta esera modfl-
caf oes de costumes
Laboratorio central, ra do Viconde do
Rio-Branco n. 14
Esquina da ra do Regente .72io de
Janeiro
Especficos preparados pelo phar
maceotico Eugenia Marques
de Holianda
Approvados pelas juntas de hygiene da Corte,
Repblicas do Prata e academia de industria de
Pariz.
Elixir de itnbiribina
Restabelece os dyspepticos, facilita as diges-
toes e promove as ejeccoes difficies.
Vinho de ananaz ferruginoso e quinado
Para os chloro-anemtcos, debella a hjpoemi*
intertropical, rtconstitue os hydropicos e benbfl-
ricos.
Xarope de flor de arueira e mutamba
Muito recommtndado na bronebite, na bemop-
tyse e as tosses agudas ou chronicas.
Oleo de testudus ferruginoso e cascas de
laranjas amargas
E' o primeiro reparador da fraqueza do orga-
nismo, na fysica.
Pilulas ante-peridicas, preparadas com a
pererina, quina e jaborandy
Cura radicalmente as febres intermitientes, re-
nitentes e perniciosas,
Vinho de jurubeba simples e tambem fer-
ruginoso, preparados em vinho de caj
Efficazes as inflammacoes do ligado e baoo
agudas ou chronicas.
Vinho tnico de capilaria e quina
Applicado as ccnvalescenvas da parturientes
urtico antefebril.
Deposito : Francisco Manoel da Silva ce C.
Francisco lanoei da Silva & G.
23RA MRQUEZ DE OLINDA- 23



1



o
Icario djB Pproamtoup^-Terca-feira 17 de Agosto de 1886
Tonino
QrievizaU

0-
o

Cabello
Ayer
(.vyor'sHair Visor;
VTOli.TAflEECORKC'.fUB
pumfvosBUian
PAPA O CAMILO,
TORNANDO-C
KACIO.H.EXIVEL E LUSTROSO. !
Broma n>>Drzfr.i. i 'v t;J i
Aluga-se
n. 140 ra Imperial, proprio para es-
ento fabril : a tratar na ra do Commer-
com J. I. de Medeiros Reg__________
lugarse barato
A roa Lomas Valentinas n. 4
O armaren) da ra do Coronel Suassuna 1^1
Una da Baixa Verde n. 5.
Casa terrea da travessa de S. Jos n. 23.
Trate-se na ra do Commercio n. 5, Io andar
rio de Silva Guimaraes &, C.
NICO
J*l\
?
*
Preoaraco de Productos Vegetstes
extincqTas caspas
e cintras Molestias Capillares.
^lARTINS & BASTOS
Pernanibitco
Tricofero de Barry
Aluga-se
e 5P andar do sobrado ra do Coronel
jjp"-' n. 144, com muitos commodos para fa-
je preco razosvel : a tratar na ra Sete de
%bo n 15, ou ra Direita n. 112, primeiro
11
Ama
ft-seisa-so le urna ama para lavar, en-
wr e fazer niais alguns servidos de
e fan a, coatanto que durma ere
,na ra Ha Matriz da Boa-VsU n. 9,
quem pre isa.
4ma
-se de um,i para cosiuhar e fasrr o ser-
__uo da cas* de pequea familia : a tre-
ma (fe \I -r n. S7. ________
Ama
Precisa-se J<' urna ama para cosinhar e com-
na ra Vidal de Ne greiros n. 134-______
mi
Jardim das plantas
MONDEGO N. 80
Pretendendo-se acabar com s plantas que es-
to Od vasos n'estejirdim .. seos sapotisei-
rosjuaito grandes, e dando 2f000, la
rsmifss, mnito grandes, pwri. -ertar, 6OOO
. duiia, e sapotiseiros mais pequeos por
bar:! i
Aliento
Compra-se ou aluga-se urna boa casa perto da
eidade, desejande-se nos seguintes pontos : So-
leaste, Caminbo Novo, CapuBga, Passagem da
Ma alea, tendo bom sitio, agua e gas : quem
tTec dirija se rua do Imperador n. 49, 1' andar,
a. Sfliiftr com o solicitador Antonio Neves.
Roubo
Do cagenlio Cahet, do termo da Escada, foram
raahados no dia 3 do corrente mez, da estribara
Vlajradoi Manoel Ffij de Mello, tres cava los
poavaates, gordos, de cores e signaes seguintes :
as caBtanbo tapado, inteiro, de segunda muda,
anda baixo obrigado, no p esquerdo tem urna
listra branca entre o casco e o cabello, e no di-
reita um caroeinho, como que produzido por eepi-
ako : dous russos, sendo om grande, ardigo, den-
tes quebrados, de 12 annos, inteiro, anda baiio,
francamente, e o outro quarto, sem andares, de
8 annoe. muito bem feto, castrado, tem no sovaco
es^aerdo um signal de ferida que teve ha annos,
e tades tres teem este ferroMFna p direita.
aspo gratifica qnem der noticia certa de ditos
rapa.
NOTICIA.
Chegou a verdadeira farinha d'agoa para o ar-
do Vasconcellos ra da Aurora n. 81.
"Diarios de Pernambuco,,
Compram-se nesta typograpbia os uumeroe de
3t 4e Fevereiro a 29 de Hovembro de 1883 e 7
Ostfero de 1884.________________________________
^ASPASSA-SE a hypotrjeca da casa do largo
do Paraso n. 15 ; a tratar na ra do Apollo
.1^84, l<>aadar.
AttenQo
Precisa-sa de urca serthora de boa conducta,
ajme airva de professora ou someute de companhia
a ni moca em engenho : a ti atar na ra do Im-
perador n. 79, 1- andar.
Cosinheira
Precisa-se de orna cosinheira : a tratar na ra
n. 11.
0 Plebeu
rl
j em I prologo e 5 acto*
glnal de Klbelro da Silva
Agencia nica para assignaturas de cada fas
sala de 16 pagina em 8* franeez, por 2C0 rs., na
LIVRAKIA PARISIENSE
7-A Ra Primeiro de Marco 7 A
Sitio
Aluga-se um sitio na travessa de Joio de Bar-
ras u.,6, com boa casa de morada e grande qnan-
tidadeHae. frVtcteiras, cacimba muito boa e perto
da vi^Jfepreajl de Pijada : trata-se na ra da Im-
peratrn 14, camisera.
Precisa-se
le de>s eandieros de vidio, du dous ou tres bi-
eos, e tres arsndellas : quem tiver e quuer ven-
dar, dirija-sc ra Duque de Caxias n. 58.
Caixeko

Precisa-se de um menino de 15 a 16 anuos : aa
ma do Livramento n. 17.
Garante-sa que fas nas-
cer ecrescer o cabejfo anda
aos mais calvos, cura a
tinha e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co da cabeca. Positiva-
mente impede o cabello
de cahir ou de embranque-
cr, e infalMvelmente o
torna espesso, macio, lus-
troso e abundante.
Agua Florida de Barry
Preparada segunda a formula
* original usada pelo inventor em
1399! E' o nico perfume no mu-
do que tem a approvncio official d
! mu Gbvemo. Tem duns vezes
lois fragrancia que qualquer outra
oduraoaobrodotempo. E'muito
uinis xica, suave e deliciosa. E*
'muito mais fina e delicada. K'
mais permanente e agradavel no
len(;o. E' duas vetas mais refres-
cante no banbo e no quarto do
oente. E' especifico contra a
frouiidao e debilidade. Cura as
dores de cabeca, os cansacos e os
desmaioa.
Xarope fle Vida ie Renter Ko. 2.
Oa proprietarioa do muito conhecido estabelecimento denominado
MUSEII DE JOIAS
sit grande sortimento de joias das mais modernas e dos mais apurados gostos, como tan.
bern relogios de todas as qualidades. Avisam tnrabem que continuara a receber pp.
todos os vapores vindoe da Europa, objectos novos e vendem por muito menos qui> n
outra qualquer part^..
M1GL WOLPF <& C.
N. 4RA DO CABUG-N. 4
Jompra-se ouro e prata velha.
IDB CSiL-O. imltMB DB USAI^-O.
9ora posiTa e radical de todas as formas da
aacrofaJas, BrphiliJ, Feridaa Escrofulosas,
AfraccSea, Cutneas a aa do Conro Cabel-
lndo eom perdido Cabello, e do todas as do-
anas do Sangu^itf'igao, e Rins. Oarante-aa
que purifiea, ealiqneoa e vltalisa o Sangos
a rstenla a reawva o systema inteiro. ^*
Sabao Curativo de Reuter
XAROPEo REINVILLIER
Co,
Laureado pela Academia de Medicina
1 ^.Sv-- -_ Cta/o7ro da Ltgito da Hoara **&
o&
O Phoepbato da cal a substancia mineral mais abundante do organismo e toda vas que sua
qaantldade normal dlmlnue resulta urna arfeccao orcranlca grave.
Mais de claco mil curas, a mor parte justificada pelos Prufessores e Mdicos das Faculaades
foro obtldas ulOmamcnte e Ozarao com que o Xarope do V Reinvilller fosse classlllcado
OOmo o especifico mais seguro contra a Tsica pulmonar, Sroneblte ctaronlcm, Aaemla,
Bactaltlsaao, DebUldsae-do Orsaalsmo. 0 Xarope do V MteiuvUlier administrado
diariamente as crlaucas raclltta a denticao e o cresciuiento: as maes e amas de lelte toras o
' muliior; lmpede a carie a roeda dos dentes tao trequentas depols da prennes.
Papadla i Vaaonaasaa TSmWQirB, 8, Fias* ds ka Kagslelas, AJtIX.
Em Pemamtmeo: WHAJf M. 8ML VA 4b C, aaa >>ae/aaa Pharmaclu ProfaWai.
Para o Banho, Toilette, Crian-
Sas e para a cura das moles-
as da pelle de todas as speciea
a im todos os periodos.
Deposito em Pernambuco casa de
Francisco Manoel da Silva & C
Corso de francez
Ra da Matriz da Boa Vlnta n. 34
O abaixo asignado participa ao respeitavel pu-
blico que abiio em casa de sua resilencia um
enrso de francez, onde esmeradamente se dedica
ao adiantament > de seus alumnos. Espera, pois,
merecer a confianca e a proteecao do distincto
pavo pernambucano, e de todos aquelles que quei-
ram aproveitar um ensino rpido e esperanzoso.
Mensadad' s 3000 pagos adiantados no
acto da matricula.
Horario das 5 horas da tarde s 7 da noite.
Ra da Matriz da Boa-Vista n. 34.
Julio Soares de Azevedo
C'urm rpida e eerta pelo
ARSENIATOdeOURO DYNAMISADO
do Doutor AXIDISOIV
da CbloroM, Anemia, todw ae ]f oleetlas de Systema narro, mesno ai
mala rubeldaa, Melastlas ohronlcas dos Pulmoea, me, Me.
Ai malana tUsatraSai maaUaas ta alMataVi podar aoiMvo deaM madicaaaato
o prtmeire e o man energa Sos retonstilMtntm.
O FRASCO i FRANCOS ln< 3TKAXI0.
rada frasco que nio trauxtr a larca d* Fabrica registraia
dere eer rigorosameate recusado.
AJtI8, Pharmacia (UI>, ra imlieellBI,
Deposito em Pernambuco : FRANco M.
CEES

Viir nbrtomt
M*
EXE
JV-JB-JL
da SI UVA & O.
EEEEEK
ff%
SABONETEoeALCATRAO
vara A Toium-a, os bamhos b cuidados dar as cbancas
Bata lilOIITI, mermadero antimeptioo, 6 o mais erfleas para a cura da) todas as
MOLESTIAS DA PELLE
SAPO CARBONIS DETERGENS
'.avai vosxu enanca* com o SAfO CAHBOXIS lUlTMZRUESa afim de prottget-oi contra
o 8ARAIHPO, x VARILA ai FEBRE ESCARLATINA
Estes mABOWBTEa sao recommcnda MOLESTIAS EPIDMICAS e CONTAGIOSAS e te adaptdo a qualquer clima. f
MARCA DE FABRICA IOS KNVOLUEROS B NOS PaBS
3Deuoslto fferal: -W. "V. WRIGHT WSC T, South-waurlc. LONDRES 4
Etx Ferrxa.Tn.laTj.db : TPra.ix*' T&. da BTLVA fr C*. E
s latfiftiaigiaaart^jtflfTrsiiitiaana inrair^aaaaai-iaiiafiaiai>
&
f VINHO E GRAGEAS hS VIVIEN
! nvmn nmn hatttdt nt> rir.inn nr dac it uin
Cosinheira
Precisa-s'' de urna boa cosinheira, qm seja as-
seiada c durma na casa em que se alugar, paga-
se bem : a tratar na ra do Paysand n. 19 (Mag-
dalena )
Attenpo ao avizo
Salvador GuimarSes (em erntrnuacao), partci-
cipa qne faz effectiva ^ua declaragao no commu-
nicado em 3 do corrente, por isso aos interessados,
qae o julgarem digno de sua attencao, previne
que o prazo que Ihe ha fizado, termina em 3 do
vindouro.
Que hajam de o deseulpar, se por negligencia
du falta de cuidado, luuver de encommodal-os
mu seriamente.
Verdattetro vinlio Bu-
ccllas
branco, em barra, lo ultime vapor ; vende-se na
ua do Vigario n. 31 1' andar.
Aliiianael. da provincia
1886
l ni voliime com 4 paginas
2^000
A'venda na casa editora. Livraria Parisiense
n. 7 A, roa Primeiro de Marco n. 7 A, Industrial
Econmica de G. Laport & 0. e Cardoso Ayres.
Ao publico
O engenheir*XqT)ngo'( Augvato.F. rreir* Bas-
tos, ret randoee ,dtemDb fiilga. ada dever
pessoa alguma. esn Wtor.8e. alguem se julgar
sen credor, aprsente seos, tiiUtos rfla e S. >or
ge n. 174, pRra 8api(mi nfemnisseo.
Eecife, 15 de &gwto*4888.
1
WORSONsP
RsnfiiJMMvBl e agradavel
ll C01CBAIT1 A m
INDIGESTAD
Sob a forma de
rAscos, roa
I OX.0BUI.O8.
VEMDE-Se no MUHOO IN TEMO.
PRBPAn*D05l DF
Pepsina JHorsoH
Muito recc,:vmendadas
ptios prinacies Medicot.
MORSON SON
NaAaatia lov, iuist 11-Saun
i-o w, pon ^MMMMaMaMl
'"I..... .....I
naFtmtmbuco rruc"al.ilSrLVA*a
I
EXTRACTO NATURAL DE FIGADO DE BACALHAO
Pnmiado com medalhaa de Ouro a Psate
PELA ACAE-SMIA NACIONAL
Ordenados nos. hospitaes da Franca. Amrica, Inglaterra, Hnaarta,
A'lministrar sob forma mu fcil e agradavel todos os elementos enrativss da
evitando assira o cheiro e sabor nauaeosos d'este ; alem d'iaso esta preciosa preparas!
tem urna auperiordade incontestavel sobre o oleo porque pode ssr usada durante as
grandes calores em quanto o uso daquelle e impossival, tal o eminente servico prastsds
pe!o Doutor VIVIEN; a experiencia tem confirmado o bom xito .'este producto.
Exigir a firma do inventor H. VIVIEN em duas cores ao reda* do crgalo da
garris, com o Sello de uniao dos Fabricantes /o, botdevari Strasbourg, em PARS.
5151515151515151515151515
Em casa de todos os Perfumistas e Cabella!redros
da Franca e do Eztrangelro
Por
PABI8, f Eua
gs di glito PRHPARADO COM B1SMUTHO
, "FA.^ff9 Perfutaista,
de la. IFaias:, F^JEeiS
y
XAROPE deBUYN
PAjta
iTtiat Ylctarla %g
r.BiJsimiiC- -^..'_-.
MEDICAMENTO de um gusto agradavel adoptada com a-rande xito ha ^r'^ST;
dezo auno* pelos mefhores Mdicos de Parlz, cura os W,acot, ew.Toue, ~^jf <***
d, Gtromua. Catorro Uriaaur. rriletm *> ***>. das Vt nrmam la Ha. arif"
OPPRESSAO
UTiMflM'LBJ
JaSBlra-ee a faaiaca (jue pendra uo pcito ai_
NEVP.ALG1A3
Palos CCiRBOJ ESWC
o svmptom. nervoso, facilita
itorlos.
SU-I-aana-e. eav*-
fealsl..VJ.l^ 4b VS
h
ALLANPATEKSOK
t. 4*-Bti i do Brum-N. 44
JUNTO A lif iAf AO DOS BX|-
Tem para vender, por pre^ mdicos, as segniitB fetragi
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
CrivtyjJefc de diversostamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angolarea, idem, idea.
Varandas de f^rro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos
Portas d fornalha.
Bancos .de. ferro com serra circular.
Grradeamento para jardim.
Vapores de forca de 3, 4, 5, 6 e 8 oaYallqs
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarcegam-Be de concertos, e aesontamento de machiuipmo e exec&iam
trabalho com perfeicSo o presteza.
qual-
'PERFUHARU DO UUKOO EUUHTf^
DELETTREZ
64, B6, Ba Rlcher, B4, BO
[.CREAgO PARIZ JHOVA
SUAVIDADE
co,ncentraeao
SBEME OSMHEDIA
SABNETB, BITSACTO
AOVA DO TOUCADOk
POS DE ARROZ
COSME TICO, B HIZ.HAN TINA
OLEO, POMMADA, VINAGRE
^k Pertumaria OSMHEDJA assegura aos
f IRHTBI Y IBIS
favnttii farsa fl um Iraal
i oui ftrwnita.- FHAN- M. da SILVA A C"-
Pmleu-se
no dia 15 do carrete urna ponteira pretu eom um
annel ie ouro no centro e boqueira do mbar,
propria para cigarro : quem acbou e quizar en-
tregal s na ra da Soledade n. 32, ser gratifi-
cado.
i --------------------------------
Compra-se
diarios e jornaes : na ra do Visconde de Inbas-
uxa n. 75, antiga do Range". _____ _____
DAY& MARTIN
Fornecadorm da Sua Majaatad Ra/tSa da Inglaterra,
do Ettrclto a ii Marlnha brlUnlcl.
GRAIXA BRILHANTE LIQUIDA
GRAIXA pastaUNCTUOSA
OLEO para ASSZZOS
E Udo o qui ecesurM sin i mina'ancio do
ut todas is frati.
DEPOSITO GKKAL EM LONDRES:
7, High Bolbom, 97
at hnab : rBUC- M. M UTA a *.
itnr*^^.f,#^r^vv^v,sriy* Ee Figado de Bacalati Pancretico
X>S DEFBE8NH
TODOS OS QUE PADECEN MOLESTIAS DO PEITO
Derem lr o aeguinta
Este olso tem o aspecto de um creme brsneo
que se pode diluir no leite, cha, chocolate ou
caf. Possue todas as virtudes e propriedaaea
de tao precioso remedio, a tambem toma-se sem
repugnancia alguma pelos doentes mais deli-
cados ; graeas a elficaz addicio da Panare-
atina, chega no estomago, direrido da tudo,
e nunca provoca nauseas nem diarrhea.
Depois de um seranumero de experiencias
praficadas nos hospitaes da Corte, este medica-
meuto obteve a approTaco dos mdicos da Fa-
culdade de Pars. Hoje em dia, todos os mdi-
cos raceitam o Oleo do Figado Pancre-
tico de Defrasne, como nico remedio
para curar radicalmento:
TUPBATlSJtO, MACMMZMBMM
tsica pmomab
e mais afleccoes que impedem os effeitos da
nutr cao e assimaco.
CM TODAS AS PH1
DOENCASdoESF:
DIGB8TOB8 DIP1>t*W*
Dyspepsias, Gastralgias,
Porta te Apputitv, Tontitos,
Debaad das Cratapas
CURA SEQURA E RAPl rS|
ELIXIR G-
TONICO-D!GSSVIv4
com Quina, Coca iVapadna
Adoptado era todos os Hospitaes
MEDALHAS AS EXPOSICES
PARS, r. LaBrayre, 34, e em todas as Pharnuciu.

eBCBU
A DEL
CO-lV* TOC
1 MOLESTStaTOS IHiSIiS
S''BC!AZ.llia
Catarro chrortco fa Jttszigtt,
Itritawa do canal de untra,
Molestias de orostata,
incontinencia da Urina,
Arela na urina, etc.
SWANfl, Pharmaceutico-Chimico,
?;, it, sua cssncuon, H, PARS
..i-.vi.^-^.* *~*"
Canliclio Cesarlo das Keves
O teen te Evaristo deSmza manda celebrar
< missus no dia 17 do corrente, s 8 bor m da ma-
i nb, na matriz da Boa-Vista, stimo dia de sea
| tal .cimento ; envida familia e seus amigos
I para assistirem a este acl > de caridade_______
nruao Alvaro Barbosa da Silva
Johquim Alvaro Barbosa da Silva, Julio Ame-
; rico Barbosa da Silva, Gregorio Antonio Barbosa
da Silva, Anna Celestina Barbosa da Silva, Erme-
linda Olindiua Barbosa da Silva, Juventina En-
frosina Barbosa da Silva, Emilia Augusta Bar-
bosa da Silva, Hisbi-lo Barbosa da Silva, Anna
Barbosa da Silva, Elisa Barbosa da Silva Netto e
Pedro Barbosa da Silva Netto, agradeccm a to-
das as peseoas que fizeram o carideso obsequio de
acompauharem os restos mortaes de seu idolatrado
Sai, cimbado e concunhado Bruno. Alvaro Barbosa
a Silva ao cemiterio publico e de novo lnes ro-
gara o comparecimento a rrissa do 7. dia na
igreja matriz de S. Jos no dia 17, s 8 horas da
man ha.
*
Barooea de Mercs
Joaquim Manorl da Costa e ana familia, Geno-
veva Francisca do Reg Barros, Tbom Joaquim
do Re^o Barros e sua familia, mandam resar mis-
sas palo eterno repouso de sua madrasta, tia o
irma, terfa-feira 17 do corrente, s 8 horas, na
matriz da Boa Vista, e na capella do eugenho
Mere, stimo da do seu passamento.
u pa
fe

D. Alexstadrisia do l.inaa e Al*
bnqoerqae
0 bacharel Jos Iguncio de Albuquerque e sua
mulher, tenente Antonio Ignico de Albuquerque
Xavier e sa mnlher, Domingos Jos Antunes
Guimaraes (aumentes) e saa mulher, Francisco
Gibson e sua mulher, filbos e genros da finada
D. Alexandrina de Lima e \lbuquerque, agrade
cem do intimo d'alma a todas as pessoas que se
dignaran acompanhar i sua ultima morada os
restos mortaes de sua sempre kmbrada mai e
sogra ; e de novo as crovidam assistr as missas
que pelo eterno reaouso de Eiia alma, mandam ce-
lebrar na igreja do Divino Espirito Santo no dia
17 do corrente, s 8 horas da manha, stimo dia
de seu passamento. Por este acto de caridade e
rehgiao se confessam desde j eternamente reco-
nhecidos. _________.
PIMO DE RIGi
de 3X9, 4X9 e 3X12 ; venae-se na serrara a va-
par de Climaco da Silva, caes Vinte Dous de So-
vembro P. 6.
20S000
Aluga-se a casa n. E roa de Riachuello, aati-
ga do Destino (Boa-Vista), a chave acha-se no
mesmo corr* n. F ; a de n. 4 travessa do Faus-
tas (antiga do Trindade) em S. Jos, com 2 salas,
2 quartos, cosinha, quintal, cicimba, 1 sotio e
est limpa, por 16 ; a chave se acha junto n. 8
e trata-ie na ra da Juian. 62, Recifc.
4 quem interessar
O abaixo assignado fas publico que actual-
mente o nico procurador nesta pr unca da
Duarte Antonio de Miranda, residente em Portu-
gal. E' portento com o abaixo assignado que de-
ven entenderse qualquer interessado, visto a
mesmu procuracao fazer cessar todos os poderes
precedentes. Recife, 2 de Maio de 1886.
Joaquim Antonio da Costa Ferreisa.
Cavallos ronbados
Roubaram ao amanhecer do dia 13 do corrente.
da estrisajt do engenhu Macacos, de pr priedade
de Diogo Soares Carneiro de Albnquerque, qaatrV'
cavallos com os signaes seguintes : um rudade
apatecado, fasendo a ultima muda, muito bem.
estradeiro, tesdo dous ps brancos at as canellas,
frente abarte mais para as ventas, inteiro ; om
mellado aWsiro, castrado, bem pintado, com os
cascos brancos e toda a frente aberta at o paa
coco ; um caxito, castrado, com dous ps brauoos
e urna listra na testa, soffre de catbarro ebronico ;
e um outro castanhe, sangue de boi, inteiro, com
uns cabellos brancos na testa. Gratifica-se a
quem noticiar aonde esto ditos cavallos e appre-
bendel-os.
Slmmieto de Barros Alves da
Fotsseca
A mesa regedora da irmandade da Senbora
Sant'Anna Aa igreja da Santa Cruz, grate su-
moria de san benemrito irmao e ex-theooureias,
Francisco de Barros Alves da Fonseca, manda
celebrar urna missa pelo descanso eterno de saa
alma, no dia 19 do corrente, s 7 horas da ma-
nhS, na referida igreja, 2" anniversario de sea
passamento, e convida a todos os nosos carissi-
aaos irmos, parentes e amigos do Ilustre finado,
gasa aactotirera a este acto de raligiSo e cardaida,
sMa qaa antecipa seu eterno reconhjcimento.
fiSaaiaiiii em 16 de Agosto de 1886.
t) secretario interino,
Aatonio Rapaael Alves da Coste.
a Juvenilia de Barros
IrTandrrley
Jacinta Htliodeio Alves Cavulcaute.
Franklina de Medeiros Cavalcante, Bento Manoel
de Barros Wanderley, Maria Wanderley Jorge,
Anna Joaquiaa de Barros Wanderley e Joaquina
Ijourencu de Barros Wanderley, mandam resar
urna missa no dia 17 do corrente, oelus 8 horas
da manhS, na igreja de 8. Pantaleao no M >n'eiro,
por alma de sua entfada, fiiha, irma e sobrinha,
Anna Joventina de Barros Wanderley, fallecida
no dia 11 deste miz, ecouvidam aos seus paren-
tes e amigos para assistirem a referida missa.
B^a^HBal BbHHbssIb^bIW a^aaBBHBHaWHBB
D. ajasaa JowcnStna do Barros
^Tauderley
0 bacharel Jos Alves Cavalcante manda resar
urna mis:h no convento d S. Francisco, por alma
de sua sobrinha, Anna Jovcntiua de Barros Wan-
derley, pelas 8 hars da nanba do dia 17 do cor-
rente, stimo do seu passainento ; para o que con-
vida aos seas parentes e amigos._____________^^
40S
1:0009000
3ILSEIES mmim
llua Primeiro de Marco n. 23
O abaixo assignado, tendo vendido nos
seas afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 406 com a sorte de 4:0008000,
1 quarto n- 2939 com a sorte de 100#000,
alm de outras sortea de 32)$, 165 e 8^, da
latera (64.*), quo se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costurae sem descont
a (gura.
Acham-se venda os afortunados bi-
hetes garantidos da 253.a parte das lote-
ras a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia dQ Recife (65.a) que se exirabir
quando or annunciada.
Presos
Inteiro 4000
Meio 20000
Quarto 10000
m qaaatldade raaior de 100#
Inteiro 30500
Meio 1*750
Quarto 0875
Afmnod Martins Finta.
AMA
Precisa-se de urna ama de bons coBta-
mes e de conducta afiangavel para andar
oora urna crianca de 2 annos: a tratar na
ra do Barao de S. Borja, antiga do Sebo,
n. 15.
Precisa se de urna ama que engomme com per-
feicSo ou cosinha : na ra do Marques do HervaJ
numero 10.
L
1 ffHJDO


I
i
\

i
Mario de Pertamb6o--;Terea-4eira 17 de Agosto de IS86
4o povo p- rnaakwan
Contina aberta a escola partoaj d* instrac
o p-.irraria para o sexo mascaliaa, t roa da Ma-
ttis d:t Doa-VietK a. 3<, dirigida f*> professor
garticnlar Julio Soare de Aievta.
" Educa e instrue a infancia, paW^terna' tos
ncipacB collegios da eSrte 1fcferio, onde
tu- p.-.ralgnm tompo ^paswi* ajo gystema
a a d< licadesa, a paciencia, a taaafio, talen-
to com que os seus discpulo tgm o caminho
a iritelgencia, da bonra e da a^asdade, ,C0D1
aantos conselhos e sis bodes, *"*) venhaa
a aer o futuro sustentculo da paM*> 4 religiao
d 1. i, e un- verdadeiro cldadfla tamkiro.
Ef pera, perianto, que o respeitavM publico sai
VEHDAS
Pocbincha real
es
e m CoHariuhos a
ha apreciar de perto o seu ve!
Hrrio, onde rpidamente as er
aatam de caraco aos livros,-a*
artes. Kua da ilatrir da Boa-Vista
Julio Soa.ee aa l
usina pn
abracara e
a as bellas-
1.34.
evedo.
nFVcffzta do ecifc
Aluga-ae por preco muito commmA a urna pe-
aaeoa faili mfetade da casa da ra dos Guara-
afjeg u. 29, < na mCsma se prtasa am l
fK' ej fiel, para faier eompr. *
Van r>r -se roupa e
62 Ba Ddque de Calas numero
rndonoa. PrfBiO Camisas ingleaas com
3*500.
Collarinhcs finos, diversos modellos, a 480* a
dutia.
Ceroulas de lmbo a'2 e 2*500.
M~ias especiaes para bomem a 30500, 9f 00t e
000 a duiia.
Panhos para homem a 80" rs. o par.
Velludilhoa de cores, larrados, a 1* o covado.
Fustes brancos, lindos dsenhcB, a 500 rs. o
covado.
Setins de todas as cores, cambraia bordadaj ea-
partilhos, tapetes, cortinados e outros artigos de
anda, por procos baratissimes
Cimento po tland
Vende-se de diversas marcas, no annacsm de
Soares de Amara! Irmios, na da Madre de
Deus n.22.
GRANDE
Mofe Cabal
Liquidara os seguintes artigos mas barato que em
outra parte, visto serena alguas comprados eo>
claros a 240 e 280 rs., o co-
Pintura tomiea
PHARMACIA
flrisesdSeaa Per#4r a C ae
cessores
ileoebeu grande sortimento 4M% excellente
kidfct d* todas as cores e em lata* jto 1 a 5 libras,
pie Coiitinuam a vender por MHtio preco :
qaalq'irr peseoa (criado cu mearan) pinta oom
trffico. Com esta tinta podem aa com pouco
rapendie conservar suas Casae saasan limpas.
liua do Mrquez de OtJBwta a. ti______
fomea n#ta
Trilhos paraeagenhos
WAGONS PARA CANNA
Locomotivas
Hachlolmo completa para en
genho de todos os f amanhos
Systema aperfeigoado
Especificares e presos no escriptorio dos
agentes
Browns & C.
x. 5-Rua do CoBuaereio
W. B- Alm do cima B c C tota Mithalogoa de
mu" i e implementos neceasarios agrieaJtura, como
^anbPm machinas para dscaroaar algodo, mei
nh03 para cat, trigo, arroz e milho;: asrea de fer-
ro galvanisado excellente e mdico em preco, pes-
aos nenhuma pode trepal-a, nem animal que-
bral-a. t
Aluga-sc
a casa n 1 ra Lembranca do Gomes, em Santo
Amaro, tem agua : a tratar na raa da Imperarriz
a. 32, 1 andar. _____________^_^__
Aviso
Precisa-se de urna professora que saiba tocar
Wem piano e mais traba lhos de senhora, para en-
genbo : a tratar com o Barao de Naaareth, ra
do Imperador n. 79, andar.
Serrara a vapor
Caes do capSbnrlbe n. *
N'esta eerraria encontraro os snhores fregue-
aea, um grande sortimento de piaao da resina de
cinco a dez metros de comprimeato e de 0,08 a
0,24 de esquadros Garntase pre?o mais como-
do do que em outra qualqucr parte.
Francisco dar Santos Macedo.
Molestia da caima
Proces80 de purificado especial.
Methodo econmico e satiefatono e de fcil ap-
plAe'i em qualquer engento.
' J^o ter&o os eenbores de engeriho' ais prejni-
xoa inermes com a molestia.
Informales e espe-ificacoes com
BniB&G.
N. 5 Raa do (ommercio
RECIFE
M.&
Esco'a nocturna
Acha-se aberta a matricula desta escola ra
de Guarurapes n. 29, regida pelo profeasor par-
ticular Joo Valentim Perreira Bastos Jnior. O
mesmo professor, a podido de alguns pais de fa-
milia, contiila a leccionar em casas particulares
a ambos os sexos, pelo que desde j protesta se
esmerar no adan amento de seus alum: os, aquel-
es que bondosamente lhe forem confiados. As
mensalidides eero fitas na inscripto dama-
aRctHa.
DE
SCOTT
1>E OLEO PURO DE
Figado de bacalho
soda
COM
de
cal
Bjpopiiosphilos
4pp> ovada pela Junta de Hy
giene e autorisada pelo
governo
E' o melhor remedio at hije deocoaarto para a
Ira bronenltea, ocroihnli. ra-
hil:~. anemia, i eblliilaas saiferal.
deOnzoa. (oaae ekranlea e alTeoce*
tfo pello e da arsanla.
E' muito superior ao oleo simples de figado de
bacalho, parque, alm de ter cheiro e Babor agra-
eaveis, possue toda as virtudes medicinares _e nu-
tritivas do oles, alm das propriedades tnicas
reconstituintes dos hypophosphitos. A' venda na*
drogarias e boticas.
Deposito em Pernambuco ^^^____
Recebemos ueste ultimo
wpor I
Sementes flotas lie tortaliees
AMlH fODJO
OBRAS DEVIME
Cono sejan :
Cestas para compras de diversos tamaahosi
Bandejas part rottpa ongommada
Balaios .pt.ra roupa aoja
lialaios para feoaa e garfee
Bercfl
Obndegae
Costureros
Cadeirap
Voadores para taaninos aprecierem a an-
dar.
O especial violto Figueira puro setti a
menor i compotgao.
Vinbo do Porto engarrafado, o que pode
vir ao mercado de mais especial.
Tamancos do Porto para sennora.
POi'AS MEXDES & C.
Rna Esfrci M ItWi 9
A Kevluco
raa Duque de Caxms, rsolveu a vender
os seguintes artigos vm 25 OjO de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Sedas la viadas de 2*000 por 1*000 o Covado.
Cachemiras de cares 900, 1*000 e 1*200 o co-
rado.
Ditas pretas a 1*200, 1*400, 1*600, 1*800 e
2*000 o covado.
Ditas bordadae da seda a 1*500 o corado.
Gorgorinas de Kstrinbas a 360 rs. o Corado.
Gaze com bolinhas de velludo a 800 rs. o co-
vado. ,,
Las com bolinhas a 640 rs. o colado.
Velludilho liso e lavrado a 1*000 e 1*200 o co-
rado.
Palha de seda a 800 rs. o covado.
Fustao branca a 400, 440, 500, 560, 600 e 800
rs. o covadu.
Grosdenaples prctos a 1*800, 2*000 e 5*500'o
covado.
Nttnsoc de c5r a 300 rs. o covado.
Cretone8 finoB a 360, 400 e 440 rs. o covado.
Cambraia transparente d 5*000 por 2*500 a
pe?a.
Linn branco com sa'pfeos a 500 rs. o covado.
Casacos de laia a S)*< FechB de retroz a 1*000 nm.
dem de ia a 1*000, 2*000, 3*000, 4*000, 5*000
e 6*000 um.
dem de pelussia bordados a'7*000 um.
Chapeos de sol de sores para senhorws a 7500
um.
Setinetas modernas a 360, 400 440 rs. o co-
rado.
Lmhos escosseres a 240 rs. o corado.
Zepbiros listrados a 200 rs. o corado.
Brim de linho de er a 1*000 a rara.
Fustao de cor a 500 rs. o cerado.
Tapetes para janella, piano, sof e cama a 4*,
6*000, 7*000, 8*000 e 24*000 um.
Setinetas lisas a 400 rs. o covado.
Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
Flanella branca a 400 e 1*000 o covado.
Cortes de caaemira finos a 3*000 um.
Collarinhos do cores e brancos a Lucinda a
1*000 ttm.
Casemira de cor e preta a 1*800 rs. o covado.
Brim prateado fino a 60C rs. o covado.
Dito liso a 360, 400 e 500 rs. o corado.
Esguio amarelto e pardo n 500 rs. o covado.
Alfodao com duas larguras a 800 rs. o me-
tro.
Camisas de meia a 800, 1*000 e 1*500 urna.
Ditas de linho lisas e bordadas a 30*000 a' du-
iia.
Times bordados para meninos de 4 a 5 anno a
5*000 um.
Madapoloes finos a 5*000, 6*000, 6*500, 7*000
e 8*000 a peca.
Espartirhos de c-maca a 4*000, 5*000, 6*000
e 7*000 um.
Lencos fines a 1*200 e 2*000 a duzia.
Toulhas telpodas a 4*000, 6*000 e 12*000 a
duzia.
Redes hambdrgezsB de 20*000 por 10*000 urna1.
Setins maco de cofes 800, 1*200, 1*400,1*600
e 2*000 o corado.
Alpacas brancas a 400 e 500 rs. o covado.
Setinetas brancas lisas e lavradas a 500 e 560
rs. o cova'do.
Cortinados bord>dos a 7*000, 9*000 e 16*000 o
Colchas bordadas a 5*000, 6*"000, e 8*Oi
urna.
Capellas e veos a 10*000 e 14*000 urna.
Henripe da Silva Moreira
Expsito central roa largad
Rosario n." 8
Daaiio Lima & C, caamam a attencao das
Ezmas. familias para os precos segnintea :
Carreteis de 200 jardas 80 rs.
Peas de bordados de 200 a 600 rs.
Ditas de um palmo a 2*500 e 8*O0t.
Fita n. 80 para faxa a 2*500.
Leqres refiratas e D. Joannfta a 1*000.
Frascos e extractos de Lnbin, grandes, a 2*000.
Loque 4 D. Lucinda Colho a 6*000.
Toalha felpudas a 500 600, e 1*000.
Duzia de meiaa para homem a-BJOOO.
Ditas para senboras a 3*000.
l^ivas de seda a 2*000.
Mcias de fio de seda para menina a 1*000.
Colnnhos de linho a 500'rs.
Ditos de algodo a 320 e 400 rs.
Macos de grampoB a 20 rs.
Pecas de cordo para yestido a JO rs.
avisiveifl grandes a 320 rs.
rampos invisfreis a 60 rs.
Um leqne de setim (novidade) a 65500.
Ricas bolcinhas dimdreperola,de 1*500 6*.
La para bordar 2*800.
Urna capell e veo de 15*000, por 12*000.
Urri espelh de moldura por 5*500.
Urna pulseira de fita pr 1*200.
Pliss a 400 e 600 rs.
Urna bonoca grande de cera por 2*500 e 3*000.
NA EXPOSICAO CENTRAL
08BHa Largado bsftrio-38
Florida
Loja de niiudczas
Raa do iMiquo de C'axl.ts n. 103
Os proprietarios debte grande estabelecimento
de miudezas, modas e para accommodar os interes-
seB da poca, tem resolvido yenderem por meuos
vinte por cento que em outra qualquer parte.
Tfentes elctricos a 6<0 rs.
Luras de pellica a 2*500 o par.
. Linba de carritel branca e de cores a 80 rs.
GrampoB a 20 rs. o masso.
Invisiveis a 320 rs.
Vestuario de rusti bordado para crianca a
3*000.
Pentes do' regaco para crianca a 100 rs. um.
Baleias a 360 rs. a duzia.
. Haspas para anquinhas a 120 rs. o metro.
Bicos com tres dedos d largura a 1*500 e 1*800
a peca.
Linba de cores para crochet a 250 u. o no-
vello.
Papel amizade a 40 rs. o caderno.
Pita eriineza a 320 rs. o masso.
Lencos de linho a 1*500 & duzia.
Lindos bicos de cores com 10 Jardas a 4* e 5*
a pea.
Urna caixa com tres sabonctes desenhando urna
rosa por 500 rs.
Meias de la de cores Dar senhora a 1*500 o
par.
Fazendas (trancas
Qejos do seriao
Em moxilas
O que ba de mais especial.
Presuntos de Lamego seccose e no calda
Mantega ingleza em latas a
11000 a libra
POfAS HENDES &C.
Raa Estreit do BosaMen. 9
4proveiteni!
Vendc-sc todo barato
Largo de N. Pedro n. 4
S'este eEtabelecimento eccontra se sempre um
completo sortimento de gaiolas e pacsaros nacio-
naes e estrangeiro?, o melhor que ha neste ge-
nero, fructas maduras, blaios proprios para ni-
nhos oe Canarios do imperio, cestinhas para cos-
tura, vassouras do ara a 800 rs. cada urna, que
cu8ta era outra qualquer parte a 1* e 1*200, con-
serva de pimenta americana em bonitos frasqui-
nhos a 120 rs. cada um, para acabar, massa de
mandioca muito bem preparada, para bloe.
320
Liquidarlo de fazendas
Com 50 % de abatlmeato
Na Loja das Estrellas
A' ra Duque de Casias n. 58
Glase de linho em todas as cores a 100 riso
covado.
Puiqu com lindissimos desenhos a 320 ris.
Casimira de quidriohos, imitacao de seda a
320 ris.
Merino^ com 2 larguras em todas as cores
800 ris.
Damacs de algodo a 240 ris.
Flalles de quadrinhos a 120 e 140 ris.
Lenon para vestidos a 320 ris.
'Percalnas, lindos desenhos a 240 ris.
Chitas escuras, padroes novos a 2(0 ris.
Cretennes bonitos, desenhos (novidade) a
ris.
Mansik isa dfe todas *s totes a 160 ris.
Granaldinrs de cores a 200 ris.
Renda Andaluza a 320 res.
Fustao para coberta' a 400 ris.
Meias nglezas, sern costura, para bomem a
4*000 a dUzia.
Tolhas felpudas a 4J000 a duzia.
Gaardansrpos de in^o a |*5Q0 a duzi.
Guardanapos grandes 8.4*000 aduna.
Lenos de esjfuiao a 2^000 e 2*500 a duzia.
Lentes a- 9*000 eidk um.
Colzas a 1*500, 2*009 e 3*000 cada urna. ,
Penteadores para senhora a 2*000 e 4*000
ceda um.
Camisas rnglzs a 36'*00 a duzia.
Atoalhado, lindos deserlbos a 1 *300 o dtro.
Algodo dus largura a 700. .
.Cfceriot ingiez (novidade) a 3*000 o corado.
Lencos com barra a 36^) ris a duzia.
Plcbs a 600, JO, 1*000 e 1*200.
EsparMIbOs a 4*0C0.
8 mniUsoutroa artigos que deixam de aer meo-
ejonados, e que te vendem com o mesmo abatW-
ment- _____u-ai______^
Vettdfe-sfe
--------da.
SO' AO NMEao
-lo ra da Imperatrlz = 4
Loja dos barateiros
Alheiro t& G, ra da Imperatrlz n. 40, ven-
der um bonito sortimento de todas estas fasendas
abaixo mencionadas, sem competencia de preooa,
A SABER:
AlgodoP'ejss de lgodozinho com 20
jardas, pelo" 1>arato preco de 3*800,
4g, 4*, 4* j 0, b8, 5*500 e 6JE
MadapoloPecas de madapolao oom 24
jardas a 4*500, 5*, 6* at 12*00B
Camisas de meia com liatras, pelo barato
prece de 800
Ditas brancis e croas, de 1* at 1*800
Creguella franceza, fasenda muito encor-
pada, propria para lencoes, toalhas e
ceroulas, vara 400 rs. e 500
Ceroulas da mesma, muito bem fetas,
a 1*200 e 1*500
Colletiuhos da mesma 800
Bramante francez de algodo, muito on-
corpada, com 10 palmos de largura,
mutro 1*2
Dito de linho ingiez, de 4 larguras, me-
tro a 2*500 e 280l
Atoihado adamascado para toalhas de
mesa, com'9 palmos de largura, metro lf800
Crotones c chitas, claras e escuras, pa-
drees delicados, d- 240 rs. at 400
Baptista, o que ha de mais delicado no
mercado, r. .200-
Todas estas fazendas baratissnas, na cachetuda
leja de Alheiro & C, esquim. do becco
doa Ferreiros
Algodo entestado pa-
ra Icnfoes
A OOo ro. e l*kMM o metro
Vende-se na loja dos barateiros da Boa-Vista
;odao para lencoes de um s panno, com 9 pal-
s de larguras 900 rs., e dito eom 10 palmos a
00 o metro, assim coma dito trancado para
malhas de mesa, com 9 palmos de largura a 1*200
i ctro. Isto na leja de Alheiro & C, esquina
do ecc dos Ferreiros.
MERINOS PRETOS
'A 1*200,1*400,1*600, 1800 e 2* o corado
A hefro A C., A ra da Imperatriz n. 40, ven
dein muito bons merinos pretos pelo preco aciroi
dito. E' peckincha : na loja da esquina do bec-
co d< s Ferreiros.
spartfillios
Na loja da rna da Imperatrlz n. 40 vende-se
milito bons espartilhos para senhora*, pelo preco
d 5*000, assim como um sortimento de roupas 1
de casimiras, brins, etc., isto na loja da esquina'
de beceo dos Ferreiros.
CASEMIRAS INGLEZAS
A 2*800 e 3* o covado
Alheiro & C, 6 ra da Imperatriz n. 40, ren
dem nm elegante sortimento de casemiras ingle-
sas, de duas larguras, com p^ padres mais deli-
cados para costume, e vendem pelo barato precc
de 2*800 e 3J o covado ; assim como se encarre-
gm de mandar facer Oostumes de casemira a
30, sendo de paletot sacco, e 85)* de traque,
grande pechwicha ; na loja dos barateiros da Boa
Vista.
BRIM PARDO LONA
A 320 rs. o corado
Os barateiros da Boa- Vista vendem urna grande
porcao de brim ardo lona, por estar, cora princi-
pio de toque de mofo, ,pelo barato preco de 32f
rs. o covado, grande pechiucha ; na loja da es
qu'na do becco dos Ferreiros.
bordado* ai lOO ra. a pee
A ra da Imperatriz a. 40, venderse pecas (le
bordado, dous metros cada pfca, pelo barato nre-
o de 100 rs., ou em cartao eom 50 pe^as, eorti-
das, por rJf, aproveitem a pechincba ; na loja da
esquina do beeoa doa Ferreiros.
leila a saber:
Lindos retoes
vado.
Failes de novos gostos a 4C0 500 rs. o dito.
Linous com palmas de l a 800 rs. o dito.
dem com aalpicos a 560 e 700 rs. o dito !
Popelinas com litras de teda a 280 e 380 rs., o
dito para acabar.
Esguio pardo para riwtidos a 500 560 rs. o
dito.
Sctinatas, nsvidades, a 320 e 360 rs., cores
Srmes.
Damascos de l, largura de 2 metros, proprio
para pannos depian* a,l*800 o corado ; de cores
propnas para mesas a 1*500 e 1*600 o dito.
, Merinos pretos para Inte, 2 largaras a 900, 1*,
1*200 e'1/500 o dito.
dem de todas as cores al* e 1J200 o dito.
Casemiras de 2 largaras, padrSes inteiraraente
nsros a 1*200, 1*600 e 1*800 o dito.
Setim maco, de todas as cores, desde 800 rs. a
2* o dito.
Atoalhado trancado e bordado a 1*400 e'l*500
a metro.
Bramantes de 4 larguras, superiores a 900 rs. e
1*400 o dito.
dem de puro linh a12* o dito.
dem de urna largura a 500 rs. o dito.
Guarnice8 de crochets para/'sfa e cadeiras a
8*.
Riquissimas colxas de dito a 12* e 14*.
Lindas grinaldas e veos para Exmas. noivas a
14*.
Cortinados bordados a 6*500 e 10* o par.
dem em pecas com 12 jarda?, noroe desenhos a
9*.
Toalhas felpudas de cores, para rosto, a 7*500
a duzia.
' Meias Ingleses, cmas a 3*600, 4* e W a dita.
dem arrendadas para senbor* a 8* a dita.
Serontas bordadas de bramante a 12* e 16* a
dita.
Camisas superiores francesas a 38* e 42* a
dita.
Cobertas de ganga, forradas a 2*500 e 8*.
Len^es de bramantes, grandes a 2*.
Chales de casemira, idem, a 2*, 3* e 5*.
Cortes de casemira inglesa a 3*, 4* e'5*.
Cheviot superior, de 2 larguras, a 3* e 3*500 o
covado.
Tcndna em grosso, damos descont
da prara
'59=Rua Duque de Caxias=59
CarneirodaCflnha&C.
Camisas nacionaes
A 500. 3OOOe S*500
22= Loja ra da Imperatriz = 32
Vende-se neste novo estabelecimento nm gran-
de sortimento de camisas brancas, tanto de aber-
turas e p'jnbos de linho como de algodo, pelos
baratea precos de 2*500, 3* e 4*, sendo razenda
muito melhor do que as que veem do estrangeiro e
muito mais bem feitas, por serem cortadas por
um bom artista, especialmente camiseiro, tambem
se manda fazer por encommendas, a vontade des
fregueses : na nova loja da ra da Imperatriz n.
3i, de Ferreira da Silva.
Ao32
Nova loja de fazendas
&2 Ra da Imperatrlz = 3*
DE
FERREIRA DA SILVA
Neste novo estabelecimento encontrar o'res-
pjitavel publico cm variado sortimento de fazen-
das de todas as qoalidades, que se vendem per
precos baratissimos, assim como um bom sorti-
mento de roupas para homens, e tambem se man-
da fazer por encommendas, p r ter um bom. mee-
tre alfaiate e completo sortimento de pannos finos,
casemiras e brins, etc.
OAQUM BERNARDO
sent
mim
conterrAa
niinif
TER
na-se aoai
fabricada
postos A ;tV> a
por JaafK% Ser-
nardo 4m;yWa
, C, -
mercial
da d'<
raa
Rosario T^
apreeentada registrp no da 28 do mea de Maio prximo pissado s dua
Urde, e registrada n'esta data em cumprimento do daspacho de hoje da M'
Junta Commercial em pubstltaiglo do registro n. 80, que tem nota de b
nao foi dada no 2.- exoroplar porqne o commerciante matriculado Joaquim
do Raia declarou tel-a perdido.
E, para cumprir o predito despacho s o precerto da lei, fia nota de
respectivo registro n. 80 devidamente sellado com mil ris, e o registro da
pra do qual extrahi esta nota. Pagou um mil ris de um parecer fiscal,
da Junta Commercial da cidade do Recita, 4 de Jnho d 1886. O secre
Chiimaraes.
Joaquim Bernardo dos Rei A C. proprietarios do estabelecimento
Pernanbaeano ra Larga do Rosario n. 30, arisam ao respeitarel pj
geral, e aos amigos e fregueaes em particular, para melhor esclareciraento,
blema cima registrado da forma seguinte: urna aguia entre quatro triangu1
os dous lateraes em alto relero, tendo urna fita presa no bico com a i
Emblema Registrado, e sob os ps da are a denominasSoMET
Todo o trabaiho lytbographieo cora tinta carminada, e em papel cha
conforme o rotulo emblemtico, que serve de insersSo a este aviso.
Os abaixo asaignados, para mais evidencias declaram, que em
decreta n. 2,682 de 23 de Outubrs da 1875, que pune rigorosamente o i
ou limitador, resolreram patentear publicamente o respectivo registro p,
dundas futuras.
Recife, 9 de Agosto de 1886.
Joaquim Bernardo dos Res 8f C.
3SBa da ImperatrlB-3*
Loja de Pereira da Hilva
Neste estabelecimento vende-se as roupas abai
ro mencionadas, que sao ba- li.iH.'u.aa.
Palitots pretos de ."'rc^. aiagonaes e
acolchoados, senao tazendas muito en-
corpadas,. e, forrados ^ 7^001
Ditos de casemira preta, de cerdao muito,
bem feitos e forrados 10(XK
Ditos de dita, fasenda muito melhor 1200(
Ditos de flanella azul sendo ingleza ver-
dadeira, e forrados 1200I
Caifas...de .gorgoro. pretq, acolchoado,
sendo fazenda muito encorpada 550(
Ditos d casemira de cores, sendo muito
bem feitas 65Gi
Ditas de flanella ingleza verdadeira, e
muito bem feitas.. 8/001
Ditas de brim de Angola, de muleskim e -
de brim pardo a 2$, 2/500 e SjOOt
Ceroulas de greguellas para homens,
sendo muito bem feitas al/200 o 1460*
Colletinhoo de greguella muito bem feitos 1/Oi
Asaim como nm bom sortimento de lencos *
linho e de algodo, meias cruas e collarinhos, etc
Isto na loja da ?ua da Imperatriz n. 3i
O portador de dous vigsimos tfcte
importante lotera do custo de 2|200 'lfe
habilitado a tirar
2o:oi2$ooo
Preigo em por^o
Vigsimo.
Vigsimo.
A' RETLHO
14000
AIOO
A RODA DA FORTUNA
36Ra Larga do Rosario36
Aos i.ooo:ooo$ooo
200:000*000
100:
WHSKt
ria freguesa de Santo Aatbno u' arrguWa'd,1 taatb parsTe rtfto cWpfa -pra
ca : para informacao, na ra do Raogel n. 75. .A
ROYAX BIEND .inarea V1AJ9
Este excellente Whisky Esceasc ji preterivi
ao cognac ou aguarden^ da canna, para fortifica
o corpo.
Vende-se a retalho nos h. iberes armazeni
I'eaVROYAL JLENP marca VIDO c^jo,^
me emblema sao Registrados para todo b
KOWKS ., agente
raat
Cabriolet
Vende-se tri *a 'perfete t'stad e'porprec6
eommodo; tratar na ra Duque de Casias n. 47
Riscados largos
SOO ra. o covado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vendem s
riscadinhos proprios para roupas de meninos
vestidos, pelo barato prc^o de 200 rs. o covado
tendo quasi largura de chita franceza, e ssp
como chitas braacas miudinhas, a 200 rs. o
do,e ditas es curas a 240 rs., pechincka
loj* ao Pereira da Silva.
FuatSew, NPtincta* e lalnhaa KO
ra. o covado
Na loja da rus da Imperatriz n. 32, vende-
um grande sortimento de fustes brancos a 50t
rs. o covado, lzinhas lavradas de furta-corea.
fckenda bonita para vestidos a 500 rs. o covado
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas ai
cores, a 500 rs. > covado, pechincha : na loj/
do Pereira da Silva.
Merlna protn a 1*9 *
Vende-se merinos pretos de duas.lsrguras part
vertidos e roupas par meninos a 1*200 e l60>
o covado, e superior setim prct para enfertas
1500, aesim como chitas pretas, tanto lisas com<
de lavoures brancos, de 240 at 320 rs. ; pa nov
leja-de .Pereira da Silva rna da Imperatriz nu-
mero 32.
algodaoalnho francs para lence
a OOOra., I* e 1*200
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, Vende--
superiores algodozinhos franeezes com 8, 9 e 1'
palmos de largura, proprios para lencoes de un
ao panno pelo barato preco de 900 rs, e l00p j
metro, e dito trancado pa' a toalhas a 1^280, a
sim como superior bramante de quatro largura
para lencoes, a 1*500 o metro, barato ; na loj
da Pereira da Silva.
Roupa para meninos
A 4*. 4*500 e O*
Na nova loja da ra da Imperatriz u. 32, s>
vende um vanado sortimento de vestoarfbs aro
prios para meninos, sendo da palitosinbo e calo
uha curta, feitos de brim pardwj a 4J0G0, ditoi
demoleequim a 4/500 e dito de gorgoro pretc
emitando casemira, a 6/, sao muito barates ; n>
loja do Pereira da Silva.
"asas venda
Vende-se ou troca-sepor plices da divida pu-
blica geral nesta cidade um sobrado que rende
annualmtnte tGg, sito ra da Ponte Velha n.
82, entrada pelo becco de.Joao Francisco, en*
cidade de linda uta sobrado ra de,S. Bento
n. 18, e duas casas terreas, ra*' ra do. Ampa-
ro n. 14 e a outra ra do Bispo Coutinhe n. 11 :
a tratar na ra da Aurora n. 31.
DE 3 SOBTEIOS
Em fav( r dos ingenuos da Colonia Orplu no lgica Isabel
DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO
Extraccao: no i 15 Ge Dezemro ib 1886.
0 thesoureiro, Francisco Gon^alves Torre
_
e moenda
, Vende-sc um bean Vapor e moenda com pduco
uso ; a yr no engenho Timb E38, muito perto
da estacao do meimo uome ; a tratar na roa de
Imperador n. 48, 1 andar.
-i-------------------r*. I ~
de Pnelo : vende s eft pbr jSo e a
ra da Roda n. 11.
ta'lbb :
0
na
CASA DE MODAS
Fazendas finas
0 nais m\ sortimento em artonara senoras, acata de iv
J. BASTOS & C.
2 A--Rna do Cabug-21
Sedas de cores em cortes de 20 metros com as rendas de seda para tvKMes.
Sedas com bordado de alta novidade. H,tn^,
Gorgof3o de seda, qualidade especial, cores del, rose, marinhe, loOtalfTla^e,
lilaz, tabore, brenze, lontre e grenat.
Gorgoreo branco para noiva.
Fille branca para dita.
Damass ottomane branco.
Grioaldas de cera, o que ha de melhor.
Veos e fiil, em peja, para noiva.
Lpque de madreperola com rendas.
Meias brancas de seda.
Colchas de damasco de seda.
Ditas de Guipour e crochet.
Cortinados de crochet.
Cachemires com bordados-Ancora lindissima combinacSo para vetid
inteiramente novidade.
I
ESCOLHDO A CAPRICHO
Robes mi confeccionesvestido raeio preparados, em seda, II, tecidoa t ifvos
e algodo, de I5f000 a 65^900.
Collretes para Benhora-doctoresse, em fustSo e crotones; grande moda.
Visitescapas enfeitadas ricamente a passmehterie e rendas.
Co
m
LUVAS DE SEDA
e sem dedos, ultima moda.

ee borato
Bolsas de corfro da RuBsia de diversos tamanbos.
Perfumaras finissms, grande sortimento.
Leques de seda e setim, modernos.
iWddB de algodo para vestidos ligeiro e econmicos
B' dlfiil fi4ctrar ielnor sortimento do que acaba de ch'egsr e que r<
i Padrees novissimos.
2 i-RUi DO
. (TelrTiNne n.
-2B
359)
rwM


mtmmm
\


8
Diario de Pernambuco--Tcrga-feira 17 de Agosto de 1886
ASSEMBLEA ERAL
I

ARl DO DE RUTADOS
aCSSO EM 28 DE JLHO DE 1886
PRESIDENCIA DO SR. A^DRADE FIQEIRA
Ao meio-dia cemegou a chamada e ter-
minando ao meio dia e dez minutos, abra-
se' a sessSo.
' lida e approvada a acta da sessSo aa
tcsjbdente.
O Sr. 1." secretario d conta do expe
ORDEM DO DIA
FOR^'A DE TEBBA
Continua a 3.a dsoussSo do projecto fi-
jkdo as forcas do trra para o exeieicio
* 1887-1888.
Sr. Candido de Ollvelra de
tara terse demorado em pedir a palabra
wjt estar persuadido de que o nobre mi-
Mtro da guerra, poupando-lhe esto traba-
Oto viria p?dir a rejeigSo in limine, das
alendas da commissSo de mariaha e guer-
ra; So assim procedesse, mostrar se-hia
SL Exc. coherente com os seus principios
can a propria direcgao que deu s vota-
gies da cmara a respeito dos negocios da
MI.
ntretanto nota a encoberancia do nobre
liistro, que, abrindo mSo dessa reorga-
aalo, tao a-il de obterda sua maioria,
jaer autorisagSo para a fundagSo da sua
Modelara para organisagSo das escolas nu-
blares do Rio Grande do Sul e da corte.
Tendo o nobre ministro declarado que
So se devia precipitar o exame em as-
s*jpto tSo ponderoso como o da elabora-
do de um cdigo penal militar, por essa
r8o pensou o orador que o nobre minis-
tro viria aconselhar a commissao de mari-
Aa e guerra a adiar o exame das med-
alas por ella propostas, reservando-as para
projecto de reorganisagSo da torga, que
8 Exc. prometteu apresentar na prxima
setfsSo, e do qual projecto sao essas me-
dias parciaes o complemento.
Relativamente emenda da commissao
c marinha e guerra, mandando fazer a
romogSo al.0 cirurgiSo do cxercito meta-
k por merecimento e metade por antigui-
tade, entende que inconveniente, nSo s
porMie as condicSes que regulam as pro
MOgoes dos 2." tenentes do exercito nSo
podem servir de norma para regular os re-
pisitos exigidos para a promogao aos mem-
ros do corpo de sade do exercito, mas
tambem porque deixar ao arbitrio do m-
mstro o aquilatar o merecimento do candi-
dato abrir a porta ao favoritismo e o
abuso.
Jolga, portante, que semelhante innov-
rselo nSo deve ser admittida porque, alm
te ferir disposicBes executadas ha trinta
annos e contra as quaes o corpo de sade
em ninguem anda reclamou, vem tam-
bem dificultar a acquisgSo de bom pessoal,
ma vez que o accesso dependa da vonta-
de do ministro. Desde que desapparega a
igaldade dos 2.08 tenentes promogSo,
tambem desapparecerSo os estimulos para
arcarreira militar.
Espera, porra, que o nobre ministro nao
consentir n'esta alteragSo das normas para
a promogSo sem proceder antes a um ac-
enrado estudo, porque esta alteragSo, alm
de outros inconveniente, traz prejuizo ao
thesouro pela affluencia de promogoes por
laerocimento, deixada de parte a antigui-
tade.
Pronunciase igualmente contra a emen-
da relativa promogSo dos capellSes do
exercito ao posto de coronel.
Mostra a desnecessidade da graduagSo
de postos militares para os sacerdotes in-
evmbidos do servigo ecclesastieo nc exer-
cito; e de opiniao que o nobre ministro,
era vez de aceitar a emenda da commis-
sio devia aconselhal-a supprimir a promo-
580, dos capellSes do exercito aos postos
de major, tenente coronel e coronel. Dahi
resultara nao pequea economa para os
cofres pblicos.
NSo v razSo alguma de ordem publica
pe justifique semelliantes alteraroes na
juestSo de proroog3es, questSo que consi-
dera muito seria, porque as boas normas
pe regulam o accesso as classes militares
FOLHETIM
RIGOLO
POR
tCONTINUHQO HE ANGELA)
( Continua,;o do n. 18 5)
XXUI
E quiz correr para a porta.
Espere, acudi logo o magistrado.
Bstou disposto a consentir em deixal-a ver
sen ir nao, mas seria aqui na minha pre-
senga e exijo calma absoluta e prohibo-lhe
qnalquer demonstragSo ruidosa, senSo in-
terrompo logo a entrevista. .. Parece que
em aqui represento a justiga.
Fica descansado, juizinho do meu co-
rado. Terei juizo, como urna santinha ;
n3t> farei barulho, nem to comprometterei.
O Sr. de Gevrey levantou e foi ella mes-
0 abrir a porta estufada, que separava
oa dous qaartos, impedindo que se ouvisse
B>tm o que se dizia no outro.
Entre, Rigault, disse ella dirigindo-
ae ao preso.
E como o guarda de Pariz S9 dispu-
zeflVtr a segnil-o, accrescentou :
Guarda, fique l fra.
Osear entrou logo no gabinete e fez urna
'raa<;So de sorpreza vendo a irmS.
Depois langou-se nos bragos que lhe es-
terad i a Sophia e correspondeu, com effnso
aotf beijos qu illa lhe prodigalisava.
Depois daquelle instante dado sympa-
tbia fraternal, Sophia recuou um passo,
agarrou Osear p9la mSo, conduzo-o porto
ta janella em plena luz, e olhando-lhe fi
xatfienie para o lado dos olhos, disae-lhe :
Trata-ae de outra cousa I Vou-te in-
tertbgar ; quero que me respondas.
Rigault interrompeu a irma, pondo-lhe a
mlb sobre o hombro e replicn :
Vamos l a saber, minha irm2, a:re-
ii0h por acaso em todas as historias que
se ttm dito a meu respeito T Pensas que
Oaki Rigault um assassino ?
N*o, q3o o creio, mas preciso ju-
est o germen da acquisiclo de bons oflS-
ciaes.
Concluindo, lamenta que o actual go-
verno abanioaasse o seu programma de
economas, que annunciou, fazendo-as ape-
nas ficticias, como no orcamento da guer-
ra, porque, recatando ellas as etapas e
pracas de pret, pode o governo a seu salvo
abrigo crditos supplementares para occor-
rer ao pagamento das verbas excedidas.
O Sr. Carlos Castrloto sent pra-
zer 8empr > que lhe toca responder ao il-
lustre leader, da minora; porque, se S.
Excv pala forc da sua argumentoso,
colloca em difii:uldade a resposta, tal
o seu talento e a clareza de sua enunciacao
que d rmtvo para ser fcil a rplica ; por
isso vai justificar as emendas da commis-
sao, fundadas na razo e na justiga.
Responde primeira accusacSo do nobre
deputado, que nella est implcita a res-
posta; porque, se S. Exc. o primeiro a
roconbecer que a reorganisacSo do exerci-
to traria augmento de desp^za, e nJo pe-
queo ; se o nobre deputado reconhece
que, estando o nobre ministro ha pouco
tempo na pasta da guerra, nSo podia ter
feto estudo conveniente para essa reorga-
nisajSo, est justificado pelo nobre depu-
tado o motivo porque o nobre ministro n&o
aceitou a proposta do seu antecessor.
Quanto s emendas da commissao que
o Sr. Candido de Oliveira estranhou seren
apresentadas, visto que nao se tratava da
reorganiiacSo do exercito, o orador respon-
de que pelo facto de nSo se poder fazer
essa reorganisacSo completa, nao se segu
que nao se facara modificacSes que a ex-
periencia reclama como urgentes.
Tratando da promogSo dos l*s cirurgi83s
do exercito, disse o nobre deputado que a
emenda da commissao autorisava o arbitrio;
o orador le a le, mostrando que no cprpo
de saude ospostis at 1* crurgio regu-
lam-se pela antiguidade, porque presme-
se que todos devera ter as raesraas habilita-
gSes; mas, desde que um se tornar mais
distincto por seus servicos, nao deve dei-
xar de ser promovido; as observajSes do
nobre deputado teriam cabimento se se re-
vogasse a le, para as promoc5es serem s
por merecimento ; mas, desde que se at-
ienda antiguidade, nao tem razSo o re-
paro.
Nao acha tambem razio em comparar o
corpo eccle8astico com o de saude do ex-
ercito ; neste faz se a promocio nos postos
de capito, metade por merecimento e me-
tade por antiguidade, o que nao se d no
corpo ecclesiastico, e as raz3es que leva-
ram o legislador a modificar este corpo sao
as mesraas para hoje se modificar o corpo
de saude.
Mostra que esta ideas nSo nova, j os
Srs. conselheiras Doria e CarloB Affonso,
em seus relatnos, reclamaram esta me-
dida.
Quanto a ser difficil apurar o mereci-
mento no corpo de saude, faz ver que o
medico que vai prestar soccorros ao solda-
do no meio do combate, expondo s 1 mor-
te, presta raaior servico do que o que fica
na barraca ou no hospital de sangue; de-
ntis, se o nobre deputado reconhece que
nos postes superiores se pode distinguir
melbor o merecimento, o mesmo se d no
corpo de saude, principalmente na condico
do valor pessal.
Justifica a necessidade do posto de ca-
pello mor ser da livre eseolha do governo,
porque o interregno dos postos de tres
annos, havendo apenas um major no corpo
ecclesiastico, o governo ve-se impossibi-
tado de ter aquello cargo proanchi do, co-
mo agora acontece-
Nao acha razao quando o nobre deputa-
do opina que o corpo ecclesiastico no es-
teja sujeito disciplina militar, por isso
que est sujeito ao bispo; todo o emprega-
do ligado no exercito, deve saber a quera
lhe cumpre obedecer/ assim que o cor-
po de saude, o de fazenda e os proprios
enfermeros, tm as suas respectivas gra-
duacft.'s ; se o offi ;ial ecclesiastico sus-
penso ex infrmala conscientia, substitu,
do por outro, como qualquer dos outros pa-
dem commetter crimes e serem submetti-
dos ao juizo criminal, sen lo substituidos
ao juizo criminal, sendo substituidos no
servico militar.
Responde quanto falta de provimentos
no corpo ecclesiastico que ella devida
falta de sacerdotes a ponto de se acha-
rem parochiando freguezias do iiterior pa-
dres estrangeiros.
Mostra que pela lei que regula o eorpo
de saude sao trinta os pbarmaceutieos e
todos com a graduacSo de alfares, mas po-
dem passar a tenentes e a capitaes logo
que tenham dez annos de servQo ; assim
pode acontecer que todos complete u dez
annos e tenhan direito ao mesmo tempo
de serom promovidos, entSo haver grande
differenca nos sidos, por isso, attendendo
a esta razSo a commissao estabeleceu que,
em vez de 30 alferes que existem hajam
4 capitSes, 6 tenentes e 20 alferes assim
parece haver augmento de despeza, mas
ha verdadeira reduccSo, porque s serSo
promovidos os alferes as vagas dos outros
postos.
Julga ter respondido a todas as objec-
c3es do Sr. Candido de Oliveira, sentindo
nSo ter tempo de dar mais desenvolvimen-
to sua resposta.
Passa a justificar outra emenda que nao
foi impugnada ; isto a reduccSo dos pre-
mios aos voluntarios e aos engajados: o
premio em vigor erado 500$ para estes e
de 400$ para aquelles; estabelecendo-se o
premio de 300(5 para cada um, faz-se a
economa de 100$ em cada voluntario, e
de 2OO5 em cada engajado; sendo o exer-
cito composto de 13,500 pragas, e havendo
em geral 2,000 voluntarios e 1,500 enga-
jados, ha urna deducgSo de 500:000)5; a
commissao hesitou em diminuir o premio
aos engajados, porque estes merecera muito
mais que os voluntarios, por isso que j
conhecem o servico e j deram provas da
sua moralidade, mas as circumstancias
financeiras dopaiz obrigam a todas as eco-
nomas, tanto mais quando o effectivo de
exercito excede muito ao estado completo.
Domonstra que a modificacSo de ser o
pagamento dos premios aos voluntarios di-
vididos em prestacSes mensaes idea do
relatorio do nobre deputado o Sr. Candido
de Oliveira, quando ministro da guerra, e
que a commissao aceitou, para evitar os
inconvenientes que descreve e que se da-
v.m com a divisSo dos premios em tres
partes: ao assentar praga, ao completar
metade do tempo do servigo e ao obter a
baixa.
De aecrdo com a idea da commissao
de fazenda o orador vai apresentar emen-
da ao 3- do art 3-, accrescentando sera
augmento de despeza.
Desejava entrar no exame da autorisa-
gSo dada ao governo para reformar as es-
colas militares do exercito e ahi mostrara
ao Sr. Candido de Oliveira, que perguntou
para que servara os estados-maiores de ar-
tilhara, de Ia classe e do corpo do enge-
nheiros, que elles servem para o mesmo
que serveriam os estados-maiores de c aval
laria e infantaria que S. Exc. propz em
seu relatorio.
Termina fazenio a comparagSo com o
dispendido pelo ministario da gnerra nos
exercicios anteriores e a proposta em dis*
cussSo e mostrando que esta economisa
411:9530484.
Ninguem mais pedindo a palavra, en-
cerrada a discussSo.
Postas a votos as emendas da commis-
sao, sao successivamente approvadas.
O projecto assim emendado, adoptado
em 3* discussSo e remettido commissSo
de redacgSo.
OB9AMEMTO DA AGRICULTURA
Contina a 2a discussSa o projecto fi-
lando a despeza do mimisterio da agricul-
tura para o exercicio de 1886 1887.
Sao lidas e remettidas commissao de
orgamento as seguintes
Emendas
Fica autorisado o governo para reno-
var com a mesma companhia ou qualquer
outra que offerega maiores vantagens o
contracto para a navegagSo a vapor as la -
gas Norte o Manguaba, na proviucia das
Alagas. B. Mendonca Sobrinho. Ribeiro
de Menezes.
c Fica o governo autorisado para proro-
rar-me que aquelles que t aecusam te ca-
lumniara.
Esta nSo est m, juro te.
E pelo que ?
Pela memoria de nosso pai e de nos-
sa raSi, que eram gente honrada Gba-
me vontade para os olhos, vers que te
digo verdade.
Eu beni o sabia ; bem sabia que era
impossi vel I... exclamou Sophia; depois
accrescentou : ouve, Sr. juiz formador da
culpa, elle nSo fez mal nenhum, est inno-
cente como urna crianga por nascer e o se-
nhor vai polo inmediatamente em liber-
dade.
O Sr. de Gevrey procurava, nSo sem
diffiouldade, que forma dara a sua recusa,
para nSo provocar a perigosa irritagao de
Sophia.
Comprehender-se ha fcilmente a sua
sorpreza, quando elle vio o proprio Osear
vir em seu auxilio.
Por-me em liberdade 1 repetio o pre-
so. Isso que me nSo serve I
Como nSo, disse a moga estupe-
facta.
NSo, senhor.
Mas, por que ?
Tenho olho americano, querida ma-
na, sem que o parega, e adivinho que tu e
o meu juiz nSo de hoje que se conhe-
cem .. isso l comtigo... podes fazer o
que quizeres... E queras tu que o Sr.
magistrado, pela amizade que te tem, me
tomasse sob a sua protecgo e me dsse a
liberdade. .. Isso que nentss, mana !. ..
Recuso absolutamente de ver a um favor a
minha liberdade... Eu nSo morro porpaa-
aar alguns das sombra, sustentado
custa do governo.
NSo consentirei em sahr, emquanto
nSo estiverem convencidos da minha inno-
cencia. .. quando tverem as provas disso.
Terei entSo o diroito de dizer a essa
gente que me filou, a sua justiga urna
justiga enfdr na... zarolha e coxa... Nao
se deve deit-ir a m8o ao acaso sobre um
homem, s por falsas apparencias... nSo
se deve expr ao depreso publico, um po-
bre diabo, que nSo fez mal nenhum e qu?,
apezar de absolvido, ficar infamado pela
accusacSo, pela prisSo e pela prevengSo !
Andem de maneira que isto nSq acontega
mais ou entSo mudem o nome da sua justi-
ga e chamem a injustica.
Quero ter esse direito, minha irmS,'
gar por 10 annos o contraqto com a Socie-
d_de Colonisadora de Hamburgo de 1849
e para trasferir os direitos que pertencem
aquella so-edade a outra que for organi-
sada sobro bases mais largas, podendo ser
ampliadas as condigSes da introducgSo au-
nual ae immigrantes at 3,000, -Etcragnol-
t launny. >
5 Ao 26 do art. 1..
Auguente-se a verba com a quantade
20:000)5, para as despezas com a reorgani
sagSo do servigo de cathechese nos valles
dos ros Araguaya e Alto Tocantins bem
como do collegio Iza bel da provincia de
Goyaz, de conforaiidade com o regulamento
provincial de 18 do Janeiro do corrente
anno, approvado por aviso do ministerio da
agricultura. Xavier da Silva. Marcon-
des Figueira.- O. Cruz.
E' o goveruo autorisado a contratar,
com a empreza que melhores condig3es of-
ferecer, a navegagSo a vapor dos ros das
Velhas e de S. Francisco desde a cidade
do Sabara at Jatob, mediante a subven-
gao mensal, nunca excedente a 30 l0 do
capital da empreza, concedendo mais insen-
gS- de direitos de iraportagSo para o mate-
rial e rducgSo defrete as estradas do Es-
tado. S. Mascarenhas. Henrique Sal-
le.
Ao additivo n. accrescente-Be:
Devendo ser canalisada a agua do
agude de Bello Prado ou ant ;s taanacial
que mais convenha. Alcofo'-ado Jnior.
Fica o governo autorisado a renovar o
contrato com a Companhia Pernambucana
de NavegagSo Costeira a Vapor por mais
cinco annos com as mesmas vantagens que
ora goza, obrigando-se a referida compa-
nhia a fazer tres viagens por mez aes por-
tes do Ro Formoso, Tamandar e Barra
de Uaa. Alcoforado Jnior.Aragagy. -
Alfredo Correa.Henrique Marques.Ju-
vencio de Aguiar. Bento Ramos.Ber-
nardo Mondonga Sobrinho. -Luiz Antonio
Moreira de Mondonga.Costa Aguiar.-
Pedro BeltrSo. -Rosa e Silva.Xavier
da Silva. Soriano de Souza. Seve Na-
varro.Jaguaribe Filho. Gong*lves Fer-
reiri.Passos Miranda.Clarindo Cha-
ves.Manoel Poretlla.
< Fica o governo autorisado a mandar
construir a estrada de ferro do Madeira ao
Mamor pelo systema que julgar mais con-
veniente, servindo de base os estudos e or
gumentos orgadisados pela commissSo di
rgida pelo engenhero Julio Pinkas.
Leitila da Cunha.=Passos Miranda.
Costa Aguiar. Dr CantSo. G. Cruz.
Clarindo Chaves. Xavier da Silva.
< A importancia arrecadada pela admi-
nistragSo da estrada de ferro D. Pedro II,
relativa a maltas impostas a empregados
por^nSo cumplimento de deveres, nSo ser
escripturada na renda da estrada, mas fi
cara constituindo um fundo de beneficen-
cia puramente com os donativos para tal
fim destinados por particulares e com urna
reserva deduzida dos vencimentos de to-
dos os empregados.
Ete fundo de beneficencia ser
applicado a soccorrer os empregados da
mesma estrada nos casos de molestia ou
invalidez.
c 2." Os empregados poderSo formar,
alm deste, por meio de contribuigSes vo-
luntarias e sob a fiscalisagSo da directora
da estrada um outro fundo de beneficen-
cia especial, destinado a constituir pensSes
para as familias dos contribuintes propor-
cionalmente s respectivas entradas.
- t 3. E o governo autorisado a regula-
mentar com essas bases a organisagSo e
distribuigSo dos dous fundos de beneficen-
cia, assim do geral como do especial, fi-
cando o regula.nento dependente da as
aembla geral. Bulhoes Carvalho. >
c Sub-emenda emenda da commissSo
do orgamento demonstragSo 5 do 22 :
Depois das palavraspara o melhora-
mento da embocadura do canal d> Man-
gue 200:000)5, accrescente-se : -Para as
construcgSes de urna ponte de ferro, que
substitua a da ra de S. ChristovSo sobre
o ro MaracanS, e ama moralha margem
direita do mesmo rio, entre a referida pon-
te e a da estrada de D Pedro II 100:000,5.
Sala das sessSes 28 de Julho de 1886.
Buihdes Carvalho.
emendes ? O que eu quero nSo protec-
gSo, sSo juizes.
EntSo insistes em ficar preso ?
Insisto em sabir de cabega erguida.
Mas...
NSo insistas, mana, isso intil.. .
Sou cabegudo como um burro.
OSr. de Gevrey tratou de nter vir.
O seu irmSo tem mil vezes razSo e a
sua resolugao pro va em favor delle... Fa-
rei tudo quanto dependa de mim, fiquem
certo, farei tudo para apressar o momento
em que urna ordem declarando que nSo ha
razSo para proceder judicialmente, seja ex-
pedida em seu favor... Vou chamar im-
mediatamente s testemunhas que elle de-
signa.
Poderei ao menos ver minha von-
tade este pobre Osca ? perguntou Sophia
quasi chorando.
Pode.
Todos os das ?
Todos os das... Vou assgnar urna
permissSo para com nunicar-sa com elle;
poder entilo, todas as vezes que queira,
passar urna hora com elle no parlatorio e
adogar, com a sua presenga, os aborreci-
mentos da prisSo.
Pois sim, isso !... Esperava mais ;
mas a gente deve saber contentar-se com
o que tem.
Com pouco, ficou livre de difficuldades o
Sr. de Gevrey.
A tempostade tinha passado, sera lhe
ebegar.
Apressou-se em assignar a permissSo, que
tinha offerecido e entregou-a a Sophia, que
a recebeu, porguntando depois ao irmSo.
Tena dinbeiro ?
Nem um sold... confiscaram-me o
que tinha, quando entrei para a prisSo.
Queres algum ?
Venha l... Sempre me poder ser-
vir para beber.
Sophia metteu-lhe vinte francos na mSo.
Agora, Sr. juiz formad or da culpa,
vou-me embora e deixo-o com os sous ne-
gocios.
Vai, mana, apoiou Osoar. Estou sa-
tisfago por te ter tornado a ver e promet-
to-te que nSo me hei de rallar, mais do
que o razoavel, emquanto espero a ebega-
da das testemunhas, que me tornarlo bran-
co como o arminho ... Fica descansada,
nSo ha de levar muito tempo que ohegara
o dia, em qne me pagues um almogo.
IrmSo e irma beijaram-se, depois o ma-
gistrado mandou entrar Osear para o quar-
to, em que o esperava, o guarda de Pa-
riz.
O seu irmSo mais razoavel do que
a senhora, disse elle entSo moga-
Bem v que elle innocente.
Assim o desejaria crer e comego a es-
peral-o.
Ainda bem... Vai esta noite ?
NSo cont commigo... Estou nesta
occasiSo acabrunhado com o trabalbo.
EntSo, vontade, meu velho.
E' indiapensavel acabar as minhas
relagas com esta rapariga, peosou o Sr.
de Gevrey. Tornase cada vez mais com-
pro mettedora e acabar por me fazer dar
na vista de todos.
Nesta occasiSo entrou o escrivSo, que j
tinha cumprido a sua commissSo.
O chefe de seguranga seguiu-o de perto.
Angela Bernier est ahi, disse elle
ao magistrado.
Que entre.
A filha natural do ex-armador, a herma-
nara da ra das Damas foi introduzida.
Em poucas horas, pareca ter envelheci-
do, como se houvessem passado muitos an-
nos.
Tinha as faces cavadas e o rosto de urna
pallidez mortal.
Um circulo azulado cercava-lhe as pal-
pebras, vermelhas pela insomnia e queima
das pelas lagrimas.
O fogo da febre ardia-lhe nos olhos.
A este fogo, juntava-se o da colera, na
occasiSo em que penetrou no gabinete do
magistrado.
O que fez de minha filha ? perguntou
ella com voz tremida. Quer naturalmente
interrogarme ainda?... Pois bem, nSo
responderei urna palavra, antes de me di-
zer o que fizeram de minha filha.
A sua filha foi confiada pessoa que
aserris, disse o Sr. de Gevrey.
A Catharina ?
- A Catharina, se assim que ella se
chama. Na sua ausencia, o estabelecimen-
to tinha de ser fechado.
E a minha filha achou-se sem auxi-
lio ? proseguio Angela arrebatada. NSo s
sou victima de um erro judiciario espan-
toso, mas a minha filha, quasi assassinada
pdo assassino de meu pai, expulsa de
urna casa que lhe pertence... A' falta de
justiga, nem sequer tiveram piedade 1
/fHo art, 7* accrescente-se:
Prolngame n to da
via-ferrea de Baturit para o
Crato 400:0000000
c Estados de nivelannnto
e da melbor direcgSo do ca-
nal e derivagSo das aguas do
rio S. Francisco para o Ja-
guaribe, oaso nSo haja em-
preza particular a que se con-
ceda privilegio de explora-
gSo 60:0000000
Pago da Cmara dos deputados, 26
de Julho de 1886.-T. Alencar Araripe.
-Domingos Jaguaribe Filho. -J*a*e dr
Canind. Torres Portugal. Jos Pom-
peu. -Rodrigues Jnior.Alvaro Cami-
nba. L. Ratisbona.
Vai a imprimir a redacgSo do projecto
fixando as forgas de trra para o exercicio
de 1887-1888.
O Sr. Affonso Celso Jnior
diz que o projecto de orgamento que se
discute acba-se assignado por um seu il-
lustre amigo, ox-ministro da situagSo de-
cahida, capacidade provada, auxiliar pres-
tante da maioria, como o referido projecto
o demonstra, mas por todos os ttulos, vin-
culado a sorte da opposigSo.
Peza ao orador nSo sentir-se perfeita-
mente indentificado em materia poltica
com esse nobre deputado,* posto que am-
bos sa proclaraem soldados da mesma ban-
deira, sectarios da mesma f. E' que
dentro da ampia esphera de urna escola
coramum, sao infinitas as gradagSea em to-
da a immensa escala que vai do zenith ao
nadir. As ideas do orador residem em
ponto senSo oppoato ao monos distante do
Iluminado pelas de S. Exc. permanecen-
do todas, entretanto, no interior da mesma
rbita. Se a natureza do debate o com-
portasse, dara mais completa xplicagSo
do seu pensamento. A illustragSo da c-
mara comprehender sem esforgo o que o
orador deseja significar. Em administra-
gao igualmente nSo adopta todos os me-
thodos preconisados pelo Ilustre deputado
de Alagoas a que se tem referido.
Antes que a maioria procura explorar
este desaccordo entre os representantes da
opposigSo, ser o orador o primeiro a as-
sgnal-o, sem, de resto, ligar-lhe grande
valia, pois da ndole do partido liberal
em toda a parte mostrarse iserapto dessa
cohesSo cega e absoluta que encontra seu
symbolo exacto nos sedigos carneiros de
Panurgio, cohesSo cuja difihuldado mais
avulta na actual poca de transicgSo, quan-
do aa tendencias so:iaes va:illam sem ra-
mo certo e cada vez mais urgente se ira
p5e a necessidad > de se aggr desaggravarera de novo os presentes agra-
paoaentos polticos, conforme as novas afi-
nidades creadas pela evolugSo dos prin-
cipios.
A grande numero de opimo" ;s do honra-
do relator subordina, entretanto, o orador
as suas, em determinados assumptos, pois
reconhece-lhe inexcendivel competencia,
Ilustrado criterio e oa mais patriticos
designios, assim, em materia ornamentaria.
Ninguem na cmara possue couhecimentoB
mais idneos, nem mais esclarecida com-
prehensSo da necessidade vital do nosso
actnal momento financeiro ; reducgSe de
gastos pblicos, sem perturbagao dos fac-
tores existentes e*sem sacrificio dos ele-
mentos embryonarios que sem aaaibo n*o
podem vingar, embora ao depois de d-
corrido um lapso de tempo, a vezes nSo
peqaeno, que podem comegar a compen-
sar os adiantamentos feitos. Nestas condi-
gSes, nSo vem 00 rador criticar o orgamen-
to em questSo, aquelie em que mais lar-
gamente cumpre exercer-se a acgSo do go-
verno, que deve gastar nelle, com circuras-
pecgSo e propriedade, as sobras que hou-
ver apurado nos demais. Agricultura,
commercio, obras publicas, eis o triangu-
lo que concentra em sua rea todas as mais
momontosas necessidades nacionaes. Nem
pode haver economas, senSo para appli-
cal-a aqu. O orador est convencido de
que o honrado deputado de Alagoas elabo-
rou o melhor trabalbo que poderia elabo-
rar. NSo se deixando jamis mover da
jactanciosa velleidade de exhibir pomposa-
mente e ineficazmente o sea modo de pen-
sar sobre todos os assumptos, mas limitan-
do-se no desempenho do seu dever s ad-
duzir clara e concisamente a sua opinilo
quando se lhe afiigura que com isso pode
ganhar alguma cousa a controversia, nSo
tomara o orador a palavra se alguns t-
picos, ao relatorio do nobre ministro da
agricultura nSo exigissem severo reparo de
quom quer medite sobre o futuro da pas.
O prmoiro desees tpicos o concernen-
te ao elemento servil, materia sobre a qual
diz o relatorio ser grato ao Sr. ministro
annunciar que a lei votada pela assembla
geral a 28 de Setembro do anno passado
para a gradual extincgSo do estado da es-
cravidSo, tem encontrado em todo o Impe-
rio em sua execugSo o mesmo zelo e o
mesmo respeito com que foi atacada m do
28 de Setembro de 1871. Com es8e intui-
to, declra o relatorio que foi expedido o
regulamento de 14 da Novembro para o
fim de organiaar nova matrcula de osera-
tos e arrolamento de sexagenarios. Ora,
todos os pasaos do governo neste assumpto
tem sido um desengao para o espirito abo-
licionista e urna mystificagSo para as espe-
rangas dos pobres captivos. Esse regula-
mento de 14 do Novembro, que podia pec-
feitamente, embora interpretando o pensa-
mento eacravista da lei, conter mais ga-
rantas para os escravos, prefero dal-os aos
senhores, em detrimento daquelles. Nada
consigna, por exemplo, relativamente aos
escravos nSo matriculados, porm captivos
de facto, victimas da propria ignorancia
quanto violencia a que estSo sujeitos.
Apenas se lhe permitte, para entrarem no
gozo da liberdade que lhe portence, tira-
rem eertidSo negativa, por si ou por inter-
medio dos seus interessados. Como, porm,
tornar effectiva e real semelhante proce-
dencia no interior, onde mais pesa a acg".o
dos senhores de escravos, onde se exarca
coacgSo inalmogavel contra todos os pro-
tectorados dos captivos, onde se esmaga a
ferro e fogo toda a tendencia reaccionaria
contra os interesses Ilegtimos dos potenta-
dos? Como tornar exequivel o exercicio
desse direito se o deixarem discripgSo
da ignorancia ou do receio dos prejudioa-
dos indefesos? E' urna perfeita burla. Ne-
nhuma medida foi especificada para o fim
de reconhecer a identidade dos escravisa-
dos, para esclarecel-os em relagSo dos seus
precarios direitos para salvaguardal-os
contra a especalagSo essa m f dos seas
exploradores. Nenhuma comminagSo para
os qno trangredirem a disposigSo que veda
a enerada de escravos em regiao diversa da
que Ibes foi determinada.
Licunas sensiveis escaparan), talvez in-
voluntariamente, mas, o que para notar,
sempre em prejuizo dos captivos.
Urna dellas foi asaignalada por pessoa
insuspeta, o Sr. Affonso Penna e refere-se
s declaragSes que deviam conter as rela-
g3es de matricula. O modelo B. que servio
de norma aos livros em que devera ser Jan-
gadas as matriculas de todo o Imperio e ao
qual tem de cingir-se os empregados incum-
bidos da respectiva escripturagSo, omittio
a casa propria para deelaragSo da naciona-
lidade dos escravos, o que de obvia gra-
vidade, j por menoscabar o preceito da
lei, que exigi aquella circurastancia, j
porque deat'arte ficam privados os escravos
de um dos meios mais efficazes de promo-
ver a sua liberdade, qual o de invoca-
rem 1*1 de 7 de Novembro de 1831, em
favor de cuja inteira permanencia feliz-
mente vai aendo uniforme a jurisprudencia
do paiz. Com esta omissSo podem ser lesa
dos os proprios senborss, pois a lei deter-
mina a nullidade, das matriculas feitas em
contravengSo do artigo primeiro. Oade,
porra, se manifestou toda luz a m von-
tade do governo contra os escravos foi no
segundo regulamento do con ente anno.
NSo quer o orador reproduzir a irrefra-
gavel argumentagSo produzida no senado,
para demonstrar que nesae regulamento o
governo abusou revoltantemente, j protra-
hindo illegalmente o prazo da escravidSo,
j constituindo a capital do imperio um feu-
do dos estabelecimentos agrcolas da pro-
vincia do Rio de Janeiro.
(Continua)
Sua filha nSc ficou s ; visto que es-
t perto dessa mulher, em quem a senho-
ra tinha confianga... Dando ordem para
fechar o estabelecimento, obedeca lei.
Se a lei ordena isso, a lei iniqua.
Pedi para ver o Sr. de Rodyl... Porque
nSo veio elle Ignora a minha prisSo ou
por sua ordem que eu estou presa?
O Sr, Fernando de Rodyl nada mais
tem que oceupr-se com a senhora.
A mims, compete mndala por em
liberdade, se me provar a sua innocencia ;
oa mandal-a para o tribunal do jury.
EntSo faga isto e faga-o depressa !--
Talvez que os jurados sejam menos cegos
do que o aenhor.
Continua a negar ser cmplice do as-
sassino ?
Nego-o com tadas as forgaB da minha
ndigo agao.
Odiava seu pai ?
Pergunto-lhe : como fra possivel
amal-o ?
Fallando delle, a sua irmS Cecilia
Bernier a senhora formulou a seu respeito
recriminagoes ameagadoras.
Disse eu, a bastarda, a Cecilia Ber-
nier, o que pensava a respeito de seu pai e
della mesmo.
O que pensava della !! repetio o Sr.
de Gevrey. EntSo nao tinha alguma cou-
sa a censurar moga, q le pretenda nSo
coohecer antes desta primeira entrevista ?
Isso commigo.
EntSo recusa responder minbaper
gunta ?
Recuso. Alera disso, de que serve-
ra responder T Encontraram escondido em
minha casa o agenda de Cecilia Bernier...
fizeram, deste achado, urna prova esmaga-
dora contra mim.. Defender-me ? Como T
Imputar a outrera o crime que me impu-
tara ? Acreditar-me-ham ? Escutar-me-
hiam, apenas ? NSo fui eu sempre sacrifi-
cada, em toda a minha vida, como filha,
como mulher o como mSi ? O agenda per-
dido em minha casa, por minha irmS, con-
tinha urna carta e dinheiro. O dinhero
roubei-o... a carta forneaeu rae meios de
satisfazer a um tempo, a cupidez e a sie
de vnganga, contra o homem que me ti
nha abandonado, sem recursos e sem pro-
tecgSo! Tudo isto claro, nao verda-
de?... A minha filha, a nica creatura
que me ama nesse mundo, ficou quasi mor-
ta s mSos do assassino de Jayoie Ber-
nier ... Que importa ? Fui eu que paguei
ao assassino de meu pai e de minha filha.
Ah 1 parece que fico louca Mais valia
morrer j I
E a bella hervanaria, oceultando o rosto
as mSos, desatou a solugar.
Em presenga da criae de desespero de
Angela, o Sr. de Geurey sentio-se commo-
vido, ainda que por pouco tempo.
E se essa mulher fallasse verdade ?
Se as apparencias, com as quaes a aecu-
sagSo a esmagava, fossem apparencias fal-
sas.
Mas em breve, o scepticismo absoluto,
que faz parte integrante da couraga de to-
do o bom juiz formador da culpa, teve a
melhor.
Nunca duvidei do .seu grande talento
de actris, disse elle com intoagSo irnica ;
mas, para o caso, intil... NSo ser ca-
paz de convencer-me.
Convncelo, repetio a bella Angela.
Sei perfeitamente que impossivel e nem
mea rao o tent.
A senhora prorunciou, ha alguns mo-
mentos, palavras que podiam aecusar Ce-
cilia Bernier, sua irma.
NSo torga as minhas palavras para
conclair cousa em que nSo pensei. NSo
acenso ninguem. De que servia. As mi-
nhas accusagSas seriara tito inefiieazes, co-
mo a minha defeza.
Ton pl-a em presenga do sea cm-
plice.
AM qoo emfim I exclamou a bella
Angela.EntSo apresse-se. Estou es
pera.
O Sh. te Gevrey deu urna ordsm ao es-
orivSo.
Este levantou se, foi abrir a porta que
dava acewso ao quarto viznho e fez um
signal ao guarda de Pariz, que empurrou
Osear Rigault para o gabinete.
O magistrado observou com attengSo a
cara do mscate e a da bella hervana-
ria.
Nem em um, nem em outro, descobrio o
que apsrava encontrar.
Angela olhava com curiosidade para o
irmBo le Sophia ; mas nSo se pertur-
bava.
Osear Rigault nem pestanejou.
[Continuar seha)
Typ. do Diario ra Duque de Carias a. 42,
1



kVHKI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ0WWANYE_Q4EFPN INGEST_TIME 2014-05-28T16:10:38Z PACKAGE AA00011611_19861
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES