Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19859


This item is only available as the following downloads:


Full Text
<
I
'
I

PARA A CAPITAL K JLUCARK OSDE SAO E PACA PORTE
Por tres mezas arantadoa ... ........ loerv^n
Por seis ditos idem...... ......... 2
Por umanno ideai................. hf
Cada nmero avulso, do mesmo dia............ 01W
DIARIO DE
SBBAOO U BE AGOSTO DE 1886
^
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis meces adiantadoa.
Por nove ditos idem.
Por um auno dem.
Cada numero avulso, de dias anteriores.
13*500
20,1000
27000?
01O
RNAMBCO
PrprteiraU* te Jflantiel Jigutira be Jara 4 -ftlljos
KOs Srs. Amede Prlnce C,
de Pars, silo os nossos agentes
exclusivos de anniimioi e pu-
bc ic5es da Franca e Ingla-
terra.
--------------------
Os Srs. Wasburne Hermanos.
de NeW'lork. Brad Waj n.
0. sao os nossos agentes ex-
clusivos de annu .cios nos Es-
tados-Unidos ,
TELEGRAMMAS
ss&vzco :abt:::la" s: ciabio
RIO DE JANEIRO, 13 de Agosto, 1
hora e 45 minutos da tarde. (Recebido
as 4 horas e 10 minutos, pelo cabo subma-
rino).
Xeniiumn das casas do Parlamen-
to fUnccionon boje.
Em *. escrutinio foram eleltos
para a Cmara Municipal da corte 9
conservadores. llberaes e 1 repu-
blicano.
?ARTE OFFICIAL
Cioverno da provincia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 12 DE
AGOSTO DE 1886.
Antonio Adalberto Gomes Penna.Nao tem lu-
gar.
Antonio da Costa Silva Maduro.Concedo, sem
vencimentos.
Argeoira Guilhermina Fetesa Breckenfeld.
Sim. sem vencimentos.
Antonio Ponciano Martios de Miranda.Inde-
terida.
Atilio Francisco Simonette, Manoel M. do Nasci-
mento e Vicente Mara Rodrigues.Remettido ao
Sr. inspector da Tbesoararia de Fazenda, para
providenciar no sentido de ser entregue pelo almo-
sarife do presidio do Femando de Noronha o pe-
culio, a que allude o supplicaate, nos termos das
suas informacoes ns. 568, 559, 570. de 4 e 5 do
corrente.
Bacharel Antonio Sergio Lapes Lima.Justi-
fico as faltas. Depois de notado, remetta-se este
requerimento Thesouraria de Fazenda para os
fina convenientes.
Bianor de Oliveira.D-se.
Dr. Francisca de Assis Rosa e Silva.Remet-
tido ao Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda
para attender ao pedido nos termos de sua infor-
mado de 9 do corrente n. 579.
Francisco do Paula Cavalcanta Leal.Dirija-se
4 Tbesoararia de Fazenda.
Joo Vasco Cabral.Solicite-se do govemo im-
perial.
Jlo Didimo de Paria Lobo.Deferido com of-
ficio ao Sr. brigadeiro comraandante das armas.
Bacharel Joaquim Monteiro Seixas Borges.
Encaminhe-se.
Manoel da Motta Bastos.Passe portara refor-
mando a decisao de que trata o peticionario no
sentido de ficar apenas obrigado ao pagamento dos
impostas devidos posteriormente 4 expedicao das
instrnecoes de 27 de Julho de 1883.
Manoel Carlos Vital.Ramettido 4 junta medi-
ca provincial, a quem o supplicante se apresen-
tara para ser inspeccionado.
Manoel do Naseimento.Aguarde a decisao do
Ministerio da Guerra sobre o crdito solicitado pela
Thesouraria de Fazenda para a verba fardamento,
por onde eorre o pagamento reclamado.
Bacharel Sergio de Barros Wanderley.Enca-
minhe-se. .
Valerio Francisco RegisNada ha que deferir
4 vista da informaclo da Thesouraria de Fazenda
de 10 do corrente, n. 581, da qual consta ha ver
sido expedida a gsja de que trata o suppli-
cante.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
eo, em 13 de Agosto de 1886.
O ajadante do porteiro,
Antonio F. da Sveira Carvalho.
Entretanto, cabe-me accrescentar que
desde 6 horas da tarde at s 5 1|2 horas
da manht estiveram as immediac3es da
loja nao so diversos pontos da guarda ci-
viea, como tambero o offieial de justija
de nome Antonio Carneiro de Albuquer-
3ue, que all estava de ordem do Dr. juiz
o commercio para garantir a pharmacia
de J. C. Levy, que estava fechada por
mandado do mesmo juiz, e de coja firma
faz tarabem parte Thomaz HoLnes, dono
da mala subtrahida.
Hontem, por volta de 10 horas da noite,
foi preso em flagrante pelo subdelegado de
Afogados, o individuo de nome Antonio
Flix de Araujo, por haver ferido a Jos
Mara Pires Justo e Francisco Luiz dos
Santos.
Contra o delinquonte procedeu-se nos
termos do inquerito policial.
Deus guarde a V. Exc Illro. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leao.
muito digno vice- presidente da provincia,
-O chefe de polla, Antonio Domingos
Pinto.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 13 DE AGOSTO DE 1886
Anstides Honorio Bezerra de Menezes,
contas do thesoureiro e oficios do enge-
nheiro chefe da Repartigao das Obras Pu-
blicas e Christina Pereira Quedes Alcofo-
rado.Informe o Sr. Contado.
Mara Ferreira dos Reis Carvalho.De-
ferido.
Joao Baptista Cavbante de Albuquer-
que. Ao Sr. pagador paraos devidos
fins.
Officio do Dr. procurador dos feitos.
Informe o contencioso.
JoSo Fernandos de Mosquita.Haja
vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Francisco Ferreira Biliar.Informe o
Sr. Dr. administrador do Consulado.
Folhas e prets do corpo de de polica. -
Pague se.
Mara Ferreira dos Res Carvalho.Ao
Sr. contador para cumprir-se o despacho
da-junta.
Bernet & C. e Augusta M)reira da Sil-
va.Entregue-se pela porta.
Francisco Antonio de Meira Lima.
Segundo as informales deve aguardar o
supplicante a liquidacSo definitiva de suas
contas.
Consulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 13 DE AGOSTO DE 1886
Izabel Grorsjean, Mara Emilia da Silva
Manta, Manoel Jos Marques, Antonio
Mara da Paz e Thom Rodrigues da Cu-
nha. Informe a 1' scelo.
Paaxedes Ferreira Cavbante. -A' 1*
seccao p*ra os devidos fins.
Henry Forster d C.Informe a 2* sec-
cao.
Pereira Carneiro & C- Informe a % *_,
seccSo.
FrancolnaChristana Ludovica Bastos.
Certifique-se.
Jos Francisco de Carvalho.Deferido
de accordo com as mformacSos.
Commendador Francieco Ferreira Bal-
tar.Informe a 1* scelo.
DIARIO DE PERNAHBCO
Rodrigues e Campos Porto, dignos director e se-
cretario do estabelecimento, pelos relevantes ser-
vicos que lhe ho prestado. .
Com o raais vivo inters se percorremos todas
as salas do Museu e em todas observarnos o mais
escrupuloso cuidado da parte dos mesmos cava-
Iheiros, quer na escolha, natureza e distribuiclo
dos objectos expostos, quer no arranjo externo das
salas. Tudo ndica grande trabalho, perseve-
rancia e verdadeira illustraco do director e seu
secretario.
A exposicao est assim organisada : Na pri-
meira sala, a bibliotheca ; na segunda, denomi-
nada Freir AHetno colleccao de herbano e
fructos ; na terceira, denominada Baptista Cae-
tano, objectos de ethnographia e archeologia;
na quorta, denominada O. Isabel e onde foi inau-
gurado o retrato a sala de honra, ahi encontram-
se livros, desenhos de palmeiras pelas paredes,
quadros com retratos dos presidentes que tem di-
rigido os destinos desta provincia, do Conde d'Eu,
sua esposa e de bispos ; ha um outro quadro com
moedas de cobre de 1691 4 1822 e urna colleccao
Mutraquitans ; na quinta sala, gabinete de dese-
nlio, vanos trabalhos de Arthuro Lucciani e diffe-
rentes litographias ; na sexta, denominada
Frei Velloso encontra-se o laboratorio chimico
com todo o material para o preparo de plantas,
instrumentos e apparelhos diversos, como sejam
bataneas de precisan, alambiques, etc. ; na sti-
ma, denominada Frei Custodio Serro a sala
de trabalho de laboratorio, guarnecida com vasi-
Iharaes e preparados ; na oitava, denominada
Joao Daniel encontra-se documentos, mappas
da provincia de 1852 4 1886 ; na nona est o ga-
binete photographico ; na decima, denominada
Pedro II acham-se livros diversos e plantas de
herbano ; na decima primeira, livros ; existindo
as duas ultimas orchideas cobrindo todas as pa-
redes.
Eis aqui resumidamente a importancia desta
festa, que pelo regulamento do Muzeu Botnico
dever ser realisada annualmente a 29 de Julho
Topas as pessoas que visitaram o estabeleci-
mento no dia da expesicao que acaba de se reali-
sar, tiveram occasio de apreciar o incremento de
t&o til instituico sob a direcelo do Sr- Dr. Bar-
bosa Rodrigues e seu secretario o Sr. Dr. Campos
Porto.
Durante a festa que foi, como cima disse-
mos, bastante concorrida, subiram ao ares muitos
foguetes e as bandas de msica dos educandos
artfices e do 3 batalbo executaram as meihores
pecas do seu repertorio. >
O Commercio do Amazonas descreve assim
em 30 do mez fiado a festa dos maranbenses :
Realisaram-se, com o maior esplendor, os fes-
tejos promovidos pelos maranhenses, residentes
n'esta cidade, em regosijo pelo dia 28 de Julho.
o programma annunciado foi rigorosamente
cumprido, e o resultado obtido com o bazar em
beneficio da Santa Casa de Misericordia excedeu
a espectativa dos generosos iniciadores d'esta
ideia de caridade.
Os dous leudes que tiveram lugar nos das 27
e 29 produziram somma superior a dous contos de
ris e sendo que a maior parte dos objectos offere-
cidos anda nao foi vendida, devendo sel-o no de
amanh que, como os antecedentes dar o mais
importante e magnifico resultado a deaejar-se de-
vido aos sentimentos generosos da populaco ama-
zonense, sempre prompta em soccorrer os que
soffrem e os necessitaaos que a ella recorrer.
No dia 28, 4 tarde, no salo da Assembla
Proviacial, teve lugar a sessao magna da Socie-
dade 28 de Julho para posse da nova directora.
Presidio a sessao S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia que nsou da palavra em primeito lugar,
seguindo-se-lhe outros oradores.
N'essa mesma noite e no mesmo edificio teve
lugar o festival em beneficio da Santa Casa.
A lite da sociedade amazonense dea-se all
rendez-vous pora o fim altamente humanitario a
ue visava a festa.
Os saloes Iluminados regorgitavam das mais
Repartico da Polica
Scelo 2.* N. 783.-Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 13 de Agosto de 1886.
Dlm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram recolhidos Casa de Detencao
os seguintes individuos :
A' ordem do Dr. delegado do Io dis-
trcto da capital, Jos Leandro de Miran-
da Filho, por disturbios.
A' ordem do subdelegado do Io distric-
to de S. Jos, Theogenes Jo3 Ferreira
Gomes e Luiz de Franja Oliveira, por dis-
turbios.
A' ordem do do Io districto da Boa-
Vista, Jos Gomes da Silva, disposicSo
do Dr. delegado do 2* districto da capi-
Hontem, s 6 horas da manha, foi Ia
estacao da guarde cvica um empregado
da loja de roiudezas sita ra do Btrao
da Victoria n. 23, pertencente a firma Ri-
beiro & Almeida, e disse ao comraandante
de dita estacSo achar-se no becco do Fal-
cao urna mala arrombada, de propriedade
do sabdito inglez Thomaz Holmes, socio da
firma Levy & C, que a havia dado a seu
patrao para guardar.
Imediatamente dirigi se o offieial ao
alludido becco e ahi encontrando a mala,
mandou condutil a para a estacJo, dando
disao sciencia ao subdelegado da freguezia.
Das averiguac5e8 feitas pela autoridade
da vistora a que precederam pessoas
competentes, verificou-se nSo ter havido
arrombamento na porta, embora estivesse
aberta, que d entrada para urna saleta
no fundo da loja, onde estava a mala, sen-
do entretanto encontrado violentado um
cadeado que prenda urna chapa que -co-
bria a fechadara de urna porta no interior
da saleta que se commumea com a loja.
Quera quer que seja que aili penetrou,
parece ter sido levado a apoderar-se un'
camente da mala, visto nada mais terem
subtrahido, nao obstante estarem na saleta
diversas mercadorias e roup&g dos caixei-
ro>.
RECIFE, 14 DE AGOSTO DE 1886.
Noticias do norte
O paquete nacional Baha, chegado hontem dos
portos do norte foi portador das seguintes noti-
cias :
Solivia
N'uma corresp)ndencia particular do Rio Ma-
deira pub'icada no Diario do GrS. Para lemos o
seguate :
Do rio Beai chegou o Sr. Benedicto Monteiro
com gado para D. Izas Huntado, morador as
proximidades da cachoeira Theotonio.
" As noticias que trouxe foi de que a grande
cheia no Beni occasiooou urna martandade, no
gado, avaliada em cincoenta mil cabecas.
DeverSo chegar brevemente os Srs. Antonio
Rodrigues de Araujo com doze mil kilos de bor-
racha boliviana, que j4 estava na aduana, e D.
Carmello L'anos de Trinidad, tendo este anda de
entrar aquelle rio para receber sua car a, cujo
valor nao nos souberam informar.
Das canoas que iam subindo consta a perda
de nma pequea com a bagagem do Sr. Maciel. *
Amazona
Datas at 1 de Agosto :
Sobre a expoaico do Museu Botnico, diz o
Paiz da ultima data :
<< Realisou-se effoctivamente no dia 29 do cor-
rente, s 11 horas da manha, conforme foi annun-
ciado por todos os jornaes da capital, a inaugora-
cao do retrato da princesa imperial, bem como a
exposicao do nosso Museu Botnico.
O acto esteve lolemnc, muito concorrido c na
altura de to til estabelecimento.
o No recinto estavam presentes o Exm. Sr.
Dr. Ernesto Chaves, presidente da provincia, as
autoridades, inuitas familias e grande numero de
cavalbeiros representantes d tedas as classes da
nossa sociedade.
A' hora indicada, o Sr. Dr. Barbosa Rodri-
gues usando da palavra, proferio o discurso offi-
eial, mostrando as vantageoB scientifieas, a utili-
dade pratica d'aquelle estabelecimento, bem assim
o estado em que se acha presentemente. O dis-
curso do digno director pmduzio em todo o audi-
torio a mas vivae sympathica mpress&s, pois em
todos os rostes lia-se o grande i iteresse que cada
um tomava per essa instituico.
A inauguraco do retrato da princesa impe-
rial foi feita c6m toda a solemnidade do estylo :
. Exc.. o Sr.CDr. presidente da provincia descer-
rou as cortinas, favrando o Sr. Dr. Campos Porto,
secretario do Musen, o auto da inaugurac4o que
foi em aegaida assignad> por S. Exc. o Sr. Dr.
presidente da provincia e por todos os cavalheiros
pVesentcs.
, A exposicao do nosso Musen Botnico, pode-
-mos assegurar, um acontecimento eloquente e
importaotissimo para a provincia do Amazonas
porque ella vem pateatear ao mundo inteiro e es-
pecialmente ao Brasil, nossa querida patria, que
os habitantes desta parte integrante do sen im-
menso territorio procuram caminhar na senda do
progresso e da civiliascio, em bus;a da luz e das
grandes conquistas da inteligencia sobre a ma-
teria.
Pela visita que li.cmos o prazer de facer ao
estabelecimento em exposicao, sobram-nos razdes
para; comprimentar aos iUtutrttf Drs. Barboza
gents damas do nosso highlife: o mais bello ra
malhete de flores a perfumarem o ambiente j im-
pregnado do aroma subtil e suave da caridade.
< O programla escolhdissimo foi execntado
com a maior maestra e sentimento musicaes, pelas
distinctas amadoras, as Exmas. Sras. DD. Lina
Autony, Amelia Amorim, Amelia S4, e Isabel
Coeur d'Ange de Campos, e os amadores Srs. Dr.
Raymundo Felgueiras, Ernesto Dias, Joaquim
Teixeira e Abilio Freir.
* Todos os trechos de msica foram executados
sob a direccao do distincto amador o Sr. Dr. Fel-
gueiras que, camo sempre, soube imprmir-lhes o
seu fino sjoato musical.
< Findo o concert, damas e cavalheiros pre-
sentes tomaram parte em algumas dansas, termi-
nando a festa d'aquella noite por essa forma toda
gentil da parte dos eeus promotores que congre-
garam em sociedade de amigos a todas as pesseas
que tinham corrido pressurosas a dar o seu obulo
em favor dos necessitados.
O aspecto do largo de 28 de SetembrD onde
foi construido elegante pavilhao para o bazar era
de effeito magnifico, todo iluminado por grande
qnantidade lanternas venezianas, distribuidas com
muito goste. O fogo de artificio qneimado ante
hontem, no fim do 2* leilao fez honra ao hbil
pyratechnico que o fabricou e o grande e magni-
fico quadro transparente representando a Cari-
dade, devido ao pincel do insigne artista italiano
Arturo Lucian, contribuio grandemente para o
brilhante effeito produzido.
O dignos cavalheiros maranhenses que, fes-
tejando urna data gloriosa na historia da sua pro-
vincia, souberam to brilhantemente alliar ao seu
justo regosijo a idea da Caridade, nao cumpriram
smente um dever de patriotas, conquistaram ga-
lhardamente o titule de benemritos da hnmani-
dade.
As lagrimas dos infelizes que elles enchugaram
crystailiaar-se-hao em diamantes de subido valer
a engastarem-se na corSa que deva merecidamente
xornar-lhes as frontesdiadema feito da grati-
do e do reconheimento dos pobres soccorridos.
Pelo Dr. juiz de diieit) da capital foi pro-
nunciauo Taciano Maurillo Torres no art. 271 do
cdigo criminal, por crime de assassinato na pes-
soa do infeliz capitn Garca.
O r j havia sido intimado d'essa pronuncia.
O Paiz de 27 d a noticia do seguinte talle-
cimento :
Victima de beriberi fallecen na madrugada
de h intem, a bordo do vapor Camet, horas depois
de haver chegado esta capital, o capito Do-
mingos Alves Pereira de Queiroz, deputado As-
sembla Provincial e chefe do partido conservador
na villa de Maoicor rio Madeira.
< Homem luctador e habitjado ao trabalho,
conquisten por sua actividade e intelligenca a po-
sicu que oceupou na nossa sociedade.
Cidado prestimoso, boin amigo, poltico leal
e extremoso pai de familia, deixa entre todos um
vacuo que difficilmente poder ser prehenchido.
< O seu enterramento teve lugar hontem s 4
horas da tarde concorrendo a ello crescido numero
de cidados de todas as classes e credos poli
ticos.
A' sua familia e ao partido conservador, nos-
sos verdadeiros sentimentos.
Para
Datas at 5 de Agoste :
Regressara no dia 3 de sua visita pastoral 4
provincia do Amazonas e interior da nosss, o n-
clito prelado D Antonio de Macedo Costa, depois
de nma ausencia de mais de 2 meces.
S. Exc. Rvdma. foi recebido com teda as hen-
ras do estylo, salvando o forte da Barra e o Cas-
t-ll&
O cab'.do e grande numero de amigos foram re-
cebel-o a bordo, acompanhando-o at o palacio
episcopal.
Durante o deseabarque esteve postada na guar '
da-moria urna guarda de honra do 15 de infan-
tera.
No domingo, 1" do corrente, pelos inglezes e
americanos residentes n'esta capital, foi inaugu-
rado um culto divino segundo o rito da Igreja An-
glicana. O culto ser celebrado no idioma inglez,
s 10 horas da maohS, em todos os domingos, no
salo ra dos Martyres n. 43.
Na villa de Juruty, os Srs. Luiz Jos Rodri-
gues de Souza e Julio Bentes de Souza, concede-
rn) liberdade, sem onns algum, a seu escravo
Agostinho, de 29 annos de idade ; manifestando
assim a satisfacAo que tiveram pela nomeaco do
Ilustrado p&riamentar o eonselheiro Mac-Dowell,
para o cargo de ministro da marinha.
No dia 31 do jlhsado s 3 horas da tarde
mais ou menos, om '/ente Capitana do Porto, da
capital, Joo Gregorio desfechou um tiro de espin-
garda sobre sen filho Manoel Antonio, ferindo-o
gravemente.
O offenioi* foi preso immediatamente pelo Si.
Dr. chefe de polica.
Tinham fallecido na capital Leopoldino Ro-
drigues da Costa Barbosa, Lourenco Garca da
Silveira Frade, amanuense da secretaria do go-
verno, Manoel Jos Pereira Jnnior, chefe da im-
portante casa coinmercial de nossa praca, M. J.
Pereira Jnior & C.
No dia 2 tarde fallecen o tenente Francisco
Rodrigues Soares do AmarJ, 1* delegado de poli-
ca da capital.
O finado era filiado ao partido conservador, que
perdeu nm bom amigo ; foi deputado provincial,
sendo ltimamente eleito em 1* escrutinio vereador
da cmara municipal de Belem, no prximo quatri-
ennio.
Os empregadoe da secretaria de polica resol-
vern) tomar luto por 3 das, por este infausto
acontecimento.
As repartieres fiscaes renderam no mez ul-
timo :
Alfandega 667:161*782
Recebedoria 157:175*677
Marannao
Datas at 8 de Agosto :
Por portara de 30 do passado foi exonerado
Antonio Pedro Ribeiro de Moraes do lugar de
porteiro da Alfandega.
Por aoto da mesma data fei exonerado Anto-
nio Onofre de S Ribeiro do logar de conferente
do Thesouro Publico Provincial, e nomeado p ira
substituil-o o cidado Nuno Alvares de Pinho.
Por acto de 2 do corrente foi exonerado Au -
relio de Andrade e Silva, do lugar de fiel encarre-
gado do deposito deartigos bellicos, sendo nomea-
do para substituil-o. Sabino Raymundo Saraiva.
Foram aposentadas duas professoras publi-
cas.
Para o cargo de promotor publico da comar-
ca do Baixo Mearim, foi nomeado o Sr. Joaquim
Jos Rabello, 5* annista de direito.
Plantar
Datas at 24 de Julho :
Fra nomeado procurador fiscal interino do
Thesouro Provincial o major Jeremas de Mello.
__ Tinham fallecido em Jaics Antonio Perei
ra da Silva, e na villa de Caapo-maior Antonio
Moreira da Cunha.
Ceara
Datas at 8 de Agosto :
D a Gazeta do Norte de 5 esta noticia :
Hoje, cerca de 1 hora da tarde, o Sr. major
Manoel Bezena, n'um encontr com o bacharel
Francisco Barbosa de Paula Pess6a, espancon a
este na ra Formosa, urna das mais publicas da
capital.
Consta-nos qne o paciente recebera varios fe-
rimentes no rosto, ficando contundido n'nm olho
em consequencia dos estilhacos de vidros dos ocu-
los que usava.
Attribue-se esta diafeita a motivos pessoaes.
Rio -Grande do Norte e Parabrisa
As folhas qne recebemos nada teferem de im-
portante.
INTERIOR
u
Diarlo
Correspondencia do
de Pernambuco
Ro Grasde do Nobtb Natal 10 de Agosto de
1886.
Depois de nossa ultima, em 27 do passado,
deram-se ainda alguna factos com relaco s
questoes militares de que tratamos, e dos quacs
vamos boje dar noticia.
Negando-se o capito Manoel da Costa
prestar contas perante thesouraria de fazenda,
do alcance em que se acha para com ella teve
a mesma thesouraria, no exerciclo de suas attri-
buicoes e fundada em leis e ordena do thesouro,
de requisitar a priso do celebre capito ao
Sr. Dr. chefe de polica, que por sna vez dirigi a
requiaco ao Exm. Sr. presidente da provincia
para qne podesse ter lugar a priso pelos meios
legaes.
8. Exc, estando de partida para Mossor, se-
gundo noticiamos, antes de sabir ordenou por
officio ao capito Claudno Cruz, commandante da
companhia ''e guarnico, em data de 26, qne
recolhesse o mencionado Maciel fortaleza. Inde
ira !
O Sr. general, sendo disso informado, prepa-
ren se com todos os seus altos poderes para burlar
esta ordem legal, emanada da autoridade com-
petente, e entb sab<-ndo que S. Exc. havia em-
barcado a 27 pea manh com destino cidade de
Mossor, orHeoou ao capito Claudno que nao
cnmprsse a ordem, at que tivesse decisao do
govemo imperial, a quem ia submetter o caso.
E deste modo o Sr. general autorsa a desobe-
diencia Parece que este Sr. brigadeiro soffre de
mana pelos conflictos !
Nao fica am somente nisso os abu jos praticados
pelo Sr. Moraes Reg.
Neste mesmo da determina ao capito com-
mandante da guarnico que nao receba o detalhe
do servico militar que partsse da sala das ordens
da presidencia, e publica urna ordem do da,
dando sciencia guarnico que n'aquella data
as sum a o commando das armas !
Realmente esta e de cabo de escuadra !...
Consta-nos que ficra furioso porque o capito
esmmandante do corpo de polica, a quem man
dra apresen! ir a tal ordem do da, lhe responder
que nao poda reconli> cer sua autoridade, e que
s recebia ordens da secretaria militar da pre-
sidencia.
O Sr. general, dzem-nos, que se preparon para
manda-- recolher 4 fortaleza o capito de polica,
por esta reaposta, entendendo que sendo o corpo
de polica subvencionado pelo Estado, devia estar
as nesmas condices dos corpos de linha! !
Parece que este Sr. brigadeiro aecommettido
de accessos, e somente por este modo se pode ex-
plicar o espectculo que den publicamente, man
dando guardar por pracas, durante toda a noite
d'aquelle dia e seguintes, a casa em qne mora,
juntamente com o capito Maciel.
Fomos informados por pessoas insuspeitas que
teve.at a forca de promptido no quartel!!!
Pareco pois que qual novo D. Qaixote de la
Manchapretenda dar batalha aos.. moinhos !
E' sabido que nesta, como em ontras provincias,
o cargo de commando d'armas annexo ao de pre
sidente, de sorte que nao sabemos como o Sr. ge-
neral nao assumio tambera a administraco I ..
Cremos que o Exm. presidente chegando a Mos-
sor e lendc informado pelo teleg apho do que se
passava, deve ter se dirigido ao govemo imperial,
qne nao pode deixar de tomar a respeito serias
providencias, sendo, segando nos parece, nma das
principies, a retirada immediata do Sr. brigadeiro,
e dispensa da commiaso qne desempenha, para a
qual pelos seus actos se pode julgar que nao o
mais apto.
Nao sabemos se o Sr. general ter tomado
algum telegramma torniquete, on se, nos seus mo-
mentos do lucidez e de reflexao, ter i comprehen-
dido o papel que estava representando. O que
sabemos que tendo estado alguna das no com-
mando daa armas, ltimamente deixou o exereieio
ordenando a guarnico que continuasse a receber
o detalhe da sala das ordens, como d'antes !
O procedimento do Sr. general orginalissimo !
Segundo elle entende, o capito Maciel s pe-
rante elle deve prestar contas, de dinheiros rece-
bidos da thesouraria sob cautelas, entendendo que
aquella repartico lhe deve remetter todos os
documentos, quando se sabe que semelhantes cau-
tellas b podem sabir da repartce sendo legal-
mente resgatadas.
A thesouraria nao s nao deve abdicar de sua
autonoma, como tem suas razoes para suspeitar
de fraude, porque o Sr. capito Maciel annnncia
aos quatro ventos que tem em seu peder as referidas
cautelas, ou ao menos algumas deltas, ao passo
que a repartico as conserva no seu cofre.
Estes factos sao actualmente a preoecupaco de
todos nesta cidade.
A propria folha da opposico nao apoia o proce-
dimento tumultuario o absurdo do Sr. general,
como se v do ultimo numero da Liberdade que se
publica nesta eidade, sendo apenas para lamentar
3ue, na apreciadlo que faz, nao se tenba despren-
ido da paixo partidaria para aecusar o Exm.
Sr. Dr. Moreira Alvos, por ter seguido para Mos-
sor !
Todos sabem que S. Exc. nao foi a meropasseio;
e demais, seria urna gratuidade prever todos estes
factos de que tem sido principal autor o Sr. gene-
ral, quepor sua elevada patente e dadedeva
inspirar nma certa garanta de ordem e tranqui-
ldade.
Veremos em qne ficam todas estas questoes para
as quaes esto voltadas todas as vistas.
O Sr. brigadeiro no seu zelo de defeza ao seu
iliustre ampMtriSo, consta-nos que dirigi um of-
ficio thesouraria, em termos taes, que esta re-
partico o nnico recurso do resposta que encsntrou
foi devolvel-o !!!
Para se ter o direito de ser respeitado, pre-
ciso com effeito saber respeitar a dignidade dos
outros.
Entre multas originalidades do Sr. Moraes Reg,
nao podemos furtar-nos ao prazer de fazer menco
do seguinte : Affirmam-nos que, n'um dos offieios
thesouraria, escreveu o seguinte tpico :
Fquem certos de nma vez por todas qne o
Sr. capito Maciel Costa nao ser preso, nesta
provincia, para satisfaco de vinganca de tercei-
ro. E mais adianto que elle na provincia
o immediato do Exm. ministro da guerra.*
Estas e ontras coasas do Sr. brigadeiro se sa-
lientaram tanto, e tanto preocenpam, que tomn se
pilheria da rapaziada o dito olhe o general I
Informam-nos que ltimamente o Sr. Moraes
Reg procura negar que tenha assumdo o com-
mando das armas, e nos affirmam at que tenha
elle substituido a primeir. ordem do dia por outra,
nao 83 lembraodo talvez que aquella tinba sido
devidamente archivada e anthenticada.
E' chegada a epocha da safra da provincia,
que em geral das meihores, tanto de algudo
como de assucar. Pena qne os precos se annun-
ciem to desanimadas e nao possam assim com -
pensar os sacrificios que faz o agricultor que entre
nos Inta com as maiores difficuldades, pela ausen-
cia dos recursos de qne ontras provincias mais fe-
lizes podem dispor, como o estabelecimento de
bancos agrcolas, etc., etc.
Urna das causas que muito actnam entre nos
para qne os gneros des-a provincia, e notada-
meute o assucarnao tenham melhor cotacao, o
sen fabrico, sendo que os seabares de ongenho
com os recursos de que dispoem s podem fabricar
o assucar broto.
A maior parte tem pedido melhorar muito o tra-
balho com o absentamento de vapores para moer a
lanna ; mas quanto ao fabrico do assucar se re-
centen) muite da antiga rotina.
Segundo peasamos, o nnico meio de melhorar,
sera o estabelecimento de engenhos centraos, es-
pecialmente no valle doCear-mirm, ornis ubr-
rimo que se rahece. Quem quer que visite aquel-
le valle, se deslumhra com o espectculo de sua
admiravel vegetaco.
Existe am contrato de engenbo central para
aquelle lugar, mas nao se tem podido levar avante
porque depende da constrneco da estrada de ferro
para all.
Traton-se da constrneco de um ramal qne che-
gou at a ser contratado com a companhia de Na-
tal Nova Cruz; mas esta exgia do governo ga-
ranta de capital superior ao que realmente preci-
sava, nao se conformando principalmente com a
clausula imposta pelo governo de ficar o rend
ment para cobriros dficits constantes da estrada,
e d'ahi a causa principal de nao se ter realisado
este importante mclhoramento.
A nosso ver seria muito mais vantajosa urna es-
trada directamente a partir d'aqui para o Cear-
mirim.
Quem conheee os dados estatisticos da prodc-
elo d'aquelle valle, nao recea affirmar que seria
ama estrada que nao pesara sobre o estado, cuja
garanta seria apenas nominal. E' tal a nossa
corvieco, pelo estudo e dados que rahecemos,
iue asseguramos que esta estrada i estara con
atrada se na provincia houvesse quem dispuzesse
de cap taes para a realisaco de urna tal empresa.
PARAHYBA, em 12 de Agosto de 1886
Terminaran), como lhe dissemos na nossa carta
anterior, no dia 9 do corrente, as homenagens de
sincera veneraco e profundo respeito tributadas
s snblimes virtudes e santidade da excelsa vrgem
das Neves, Padroeira desta capital.
Nao ha hyberbole em dizer-lhe que assistimos
a um acontecimento cnlminante nestes tempoa de
apatbico indifferentismo.
As ultimas nouten de novenas estiveram ex-
plenddas, sobresahindo a pertencente 4s senhoras
e 4 classe dos caixeiros, cujes encarregados nada
deixaram a desojar, nen mais era possivel exi-
gir-se.
A festa realisou-se com o brilhantsmo e solem-
nid&de do costme, orando ao Evangelho o Rvd
parocho da freguezia do Itamb, nessa provincia,
Dr. Mauoel Goncalves Soares do Amorim.
O seu panegyrico, encarecendo ee zallando as
sublimidades da Santissima Vrgem, esteve pathe-
tico, e foi ouvido com religiosa attenco pelo nu
meroso auditorio que affiuio ao templo.
A' tarde teve logar a procisso que foi grande-
mente conconida, acompanhando-a tambera o pre-
sidente da provincia com o seu cortejo offieial._
Poz termo a to sjmpathica e popular festivi-
dsde, depois de recolh da a procisso, um Te Deum
audamus, em aeco de grecas Excelsa Vrgem
das Neves, findo o qual queimon se um ariado e
llndssimo fgo de artificio, reprodcelo fiel do que
foi exhibido em quasi todas as noutas de nove-
nas.
Nenhuma perturbaco tivemos a lamentar feliz-
mente, na ordem publica; tudo correu sem o mni-
mo incidente, nao obstante a grande massa popu
lar que se agglomerava no jarditn m frente
igreja.
Seguem no Cear, portador da presente, com
destino exposicao Sul-Amereana de Berlim, por
va de Hamburgo, remettidos pelo digno gerente
do igenbo central nesta provincia, ene heirj
Manoel Buarque de Macedo, 27 caixs, contendo
cbjectos de prodcelo parahybana.
Entre os ebjectos alludidos, destaca-se urna ri-
Snissima colleccao com 65 amostras de madeiras
e constraeco e marcenara, notaveis pela belleza
p resistencia; urna colleccao completa dos princi-
paes leos manufacturados na provincia, com indi-
cacao minuciosa de sua utilidade; todas as vare.
dades de feijo, arroz e milho, aqui cultivadas;
amostras de cat e de todas as qualidades de pi-
menta; nma bella colleccao de fibras textis; pellca
de animaes; alguns preparados medicinaes; vinhos,
vinagres, licores, farinha e gommas; nma collee-
clo de mineraes ; amostras de todos as qnali dades
de algodo e de assucar, fabricado na provincia,
etc.
Tudo isto devenios a extraordinaria actvidade
que desenvolveu o Dr. Baarque Macedo, a quem
acertadamente encarregou o presidente da provin-
cia de to importante servico. que ser aquilata-
do e devidamente apreciado pelos promotores da
referida exposicao.
Teve logar no da 9 do corrente, nesta ca-
pital, o 2 ascrntinio da eleico para cinco verea-
dores.
O pleito correu calmo, e do resultado conhecido
esto eleitos quatro conservadores e um liberal,
vindo a ficar a nova Cmara constituida de oito
conservadores e tres liberaos.
O Jornal da Parakyba: folha offieial, est
publicando um trabalho importante, fructo de pa-
cientes investigacoes do engenheiro de minas,
Francisco Soares da Silva Retumba.
Referimos-nos a exposicao que apraeentou ao
presidente da provincia, daudo conta dos recursos
naturaes que possuimos e dos tunis e cavernas
que tem descoberto.
E' um trabalho curioso, para o qual chamamos
a attenco dos competentes.
A Assembla Legislativa Provincial prose-
gue em seus trabalhos e brevemente, segundo nos
conste, entrar em discusso a proposta de orea-
mente para o exereieio de 1887.
Os jornaes da Corte, vindos pelo ultimo va-
par do sul, notician) a nomeaco do actual secre-
tario do govemo do Rio de Janeiro, Dr. Alvaro
Rodov ilho Marcondes dos Reis para presidente
desta provincia.
Nao sabemos qual o grao de veracidade dessa
nova, o corto, porm, que continua na adminis-
traco o Dr. Souza Bandeira, que nao consta ha-
ver sido destituido. 0 que for soar.
Foi considerada de nenhum effeito a nomea-
co do bacharel Alfredo Augusto Alves Pequeo
para promotor publico da comarca de Alaga do
Monteiro, sendo subetituido pelo bacharel Manoel
Cavalcante de Arruda Cmara.
tttviSTA DIARIA
Exposicao ul americana em Ber-
lina Ante hontem, em presenca d 8. Exc. o
Dr. vce-presidente da provincia, e-de grande nu-
mero de pessoas gradas, realisou-se a exhibilo
de grande e variada copia de prodceos naturaes,
indnstriaes e artsticos, que tem de figurar, pr-
ximamente, na Exposicao sul-americana em Ber-
lim.
O acto teve lugar no escrptorio commercial dos
Srs. Leal & Irmo, ra do Marques de Olinda
n. 56, e, pela vanedade, importancia e ntildade
dos productos, muito interesse deapertou, tornan-
do-se digna de menco honrosa pelo seu zelo a il-
iustre commisso incumbida de agenciar aquelles
productos.
A commisso dirigi o seguinte officio ao
consol do Brasil em Hamburgo :
Recife, 13 de Agosto de 1886.Dlm. e Exm.
St,Fomos commssionadoa pela presidencia da
provincia, em officio de 17 do m^z prximo pa*-
sado, para promover a remessa de productos e ma-
terias primas, juefiguren) naExposicoSul-Ame-
ricana ; que a Sociedade Central de Geographia e
Commercio de Berlim pretenda inaugurar.
a Dando cumprimento a essa incumbencia de
moda como permittio a tatreiteza do tetnpo, re-
medemos pelo vapor inglez Trent 36 voluntes, nu-
merados de 1 a 36, cujo conhecimento vai in-
cluso.
Era manfjsta a conveniencia de ser traduci-
do em lingua allem o catalogo aos objectos que
vio ser enviados desta provincia ; e como ease ca -
talogo s pode ser feito ultima hora, isto de-
pois de reunidos os ditos objectos, nao ha tempo
snflciente para que elle seja remettido amanh ;
sel-o ha, porm no vapor seguinte, que d'aqui Dar-
tir no da 25.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm. Sr Vis-
uonde de Paraguasa. Digno cnsul do Brasil
am Hamburgo.Visconde da Silva Loyo.Joo
Fernandes Lopes.Joseph Krause.A- G. Mi-
randa Leal.Aadr M. Pinhero. Jos Fuza
de Oliveira.Baro de Serinhem. v
A mesma commisso recebeu do Para 6 vo-
lumes e de Sergipa 1, os qaaes remettidos por
intermedio da presidencia da provincia, foram
enviadas ao referido cnsul.
IsrreJ* de Nossa Sentaora da Gloria
Amanh haver nesta igreja a festa do costu-
me, com missa solemne s 10 horas do dia, pre-
gando ao Evangelho o Rvdm. conego Dr. Francis-
co do Reg Maia.
A's 6 horas da tarde ter lugar o Te-Deum Lau-
damus, ocenpando a tribuna sagrada o Rvdm. pa-
dre commendador Manoel Moreira da Gama.
Hoje, tarde, termmam as novenas.
RennlaoA qne fia annunciada no Diario
de hontem, para a casa do Sr. Campos Barbosa,
estrada de Joo de Barros, dever ter lugar em
casa do Sr. Dr. Machado, na estrada do Maduro,
s 6 horas da tardo de hoje.
Colleglo Onze de AgostoCelebrou-se
no dia 11 do corrente, como fra anauaeiado, o
sexto anniversario deste estabeleciraente de edu-
caclo.
N'um vasto salo bem adornado e sobre om pal-
co armado no fundo do mesmo, acbava-se a mesa
da presidencia em frente ao retrato.de Sna Mages-
tade o Imperador, a tribuna direito e duas alas
de cadeiras aos lados para serem oceupadas pelos
alumnos premiados, 4 medida qae_lb.es fossem sen-
do conferidos os respectivos premios.
Tendo o director, Dr. Pedrosa, aberto a sessao
e feito o seu discurso inaugural, convidon aoSr.
Dr. Antonio Domingos Pinto, digno chefe de po-
lica, que de boa vontade prestou-se a fazer a en-
trega dos premios aos alumnos que mais se distin-
guirn)
Receberam premios : de 1. classe, o alumno
Trajano Chacn, primeiro que alcanoou esta glo-
ria desde a fundaclo'do collegm; de 2 classe, os
alumnos Joo Clementino Carneiro da Cunha e
Augusto Tavares de Lyra; de 3." classe, os alum-
nos Joaquim Mont-iro Guedes Gondim, Fausto
Santos Porto, Jos Paulino da Silva Guimaraes,
Man.el Vieira Barrete de Alencar, Osear de Gus-
mo Martina Ribeiro, Benvenuto Prxedes de Oli-
veira Filho, Francisco Xavier das Chagas lem-
poral, Luiz Odilon de Oliveira, Miguel Antonio
Ribeiro Dantas, Jos Bonifacio Pesaos de Mello e
Jos Henriqne Osar de Albuquerque Jnior.
Acabada a distribuico de premios foi dada a
palavra em prim-iro lugar ao Dr. Jos Augusto de
Oliveira, que fallmi a proposito dos mesmos, e em
seguida ao vice-presidente o ao orador da Socie-
dade Once de Agosto, aos qnaes seguiram-se mu
22 oradores inscriptos, na maior parte alumnos do
mesmo collegio.
Encerrou-se a sessao 1 1/2 hora da tarde, e
houvn noite um espectculo pelos distincto* so-
cios daDisfrcelo Dramtica Familiarque sa-
hiram-se perfeitamente, tomando parte alguns
alumnos e representaudo-se o drama Modelo Ytvo
e a comedia Una Scena nos Sertdes de Mmas.
Foi distribuido este anno pela terceira vez o jor-
nal Onze de Agosto. '_
Escola normal de sentaoraa_a car-
coda Propagadora da *
Publica da noa Visa remettem-nos o
seguinte:
i*

[_IRM0


I
i;
I
Realisou-se ante-hontem, como esteva an-
unciado, a distribuicao dos diplomas a alorara
Mitras Julia Maria Enlogia do Carao, Mana das
Merc* Garcia Chavea, Laura Adelina Saraiva
alvo, Maria Oliudine da Mello, Nympha Mu-
niz Tavares, Mara Eulalia Fernandos e Mara
Ignacia de Jesns. ru i
Achando-se presentes o eonselheiro Pinto J-
nior, presidente do conselho superior e outros
nembros desse conselb, o Dr. Perea.do Carmo,
director da escola e presidente do cooaelao diree-
tor da parochia da Boa-Vista juntamentMam an-
tros do mesmo conseJoo, o eorpo deeen te-* esca-
la normal oficial, aaajados Iliterarios, paafesso-
res de diversos etaa*ecnreatos publico*t*parti-
eulares. grande numero de masillas, , da mesma escola e o Sr .Dr. Joo Barbalho Uchda
Cavalcante, digno tospectorda irutrucciopublica
ate assumio presidencia do acto, na forma do
regulamento da esteta, commumcou nao poder
comparecer por justos motivos o Erm. Sr. vice-
presidente dn provincia, e que se por um lado las-
tfmava a audacia daquella primeira autondade
da provincia, pelo realce que podena dar a im-
portante fcsta, por outro lado tinha a satisfacao,
eomo consocio e sincero propugnador da utilusima
e bonrritT aseociacd, de distribuir o diplomas
conferidos por aquella escola s pnmeiras alumuas
qae acabavam de terminar o seu curso, depots
ene a mesma osela passuu a fdnccionar em 1879
aquella psiochia. Mostrou a importancia dos
diplomas conferidos por aquella escola, qae, sem
carcter oficia!, tem trasido grandes vanta-
gens a instruccao publica deeta provincia, louvan-
do os estreos empregados pelas alumnas que os
conseguiram, felicitando as p^r isso e cumprimen-
tando a corporaco docente da mesma escola.
Em seguida distribuicao dos diplomas, dea
a pelavra, n>e tennis do reglamento, ao orador
do corpo docente da escola, o Sr. Dr. Virginio
Marques Carneiro Leao, que depois de mostrar o
astado ainda pouco lisongeiroda instruecao publi-
ca e o necessidade que ella tem de fortes e esfor-
cados lutadores que auxitiem o seu levautameuto,
concluio convidando s diplomadas ao trobalho
em favor d'uma cousa to til quanto agradavel,
nao duvidando um b momento de que esse seu
convite seja bem acolhido em vista da constancia
e esforcos por ellas empregados para merecerero
os diplomas, cuj distribuicao se solemnisav* na-
quea occasio, cumprimentanio e felicitando-as
por rao faustoso motivo.
Obtendo a palavra fallou por si e em nome
da suas collegas a alumna mestra Mana das Mer-
cj Garca Chaves, externando os seas sentimen-
tos- deTeconhecimento peros diplomas recebidos e
pero ensino e servicos prestados pelo carpo do-
cente da escola, pelo seu digno director, pelos
fundadores e sustentadores da Sociedade Propa-
gadora de Instruccao Publica, e pelo digniasimo
Sr. Dr. inspector geral da Instruccao, a quem
agradecia as expressoes de animacao e corageni
cjm que se dignara honral-a e a as sua3 col-
lcgHS.
.DepoisfnllaramaindaasalumnisMariaOlindina
de Mello, Laura Adelina Saraiva Galvao e Julia
Mina Eulogia do Carmo no mesmo sentido, ma-
nifestando a ana satisfacao e os beneficios rece
bidos de seus pais, mestres e protectores na cul-
tura de seu espirito, revelando todos assim como
a primeira alumna, nos seus disevrsos, nobilita-
coes que justificavam os diplomas que lhe foram
conferidos.
A's 6 horas da tarde, o Sr. Dr. JoJo Barbalho
depois de agradecer o compareeimento das fami-
lias e das pessoa que o abrilhantavam aquella
festa litteraria, deu por encerrada a sesso.
Foi, como se v desta'lescripcao.um acto serio
e solemne, que muito agradou a todos quantos a
elle assistiram.
As festas da iuttruccio e daseieaeia im-
poem se e fazem-se reepeiteT por i meamos.
> Porm vimos ainda, e fomes informados, que
a?propTas*himnas diplomadas'em sea justssimo
regMsijo, alm de terem ornado a mesada presiden-
cia com damascos, jarros com mnitos ramal hetes de
floresnaturaes distribuidas depois porellas aosseus
referidos bemfeitores,deterem enfeitado a tribuna
toda salado melhor modo possivel, obtiyerain a
acreditada msica do corpo do noticia, que tocou
ohymno nacional no priacipio e nofm da sesso,
assim como nos intervallos dos discursos tocou
diversas pecas que muito agradaram.
Para lhes ser agradaveis e nada faltasso
festa, um dos empregidos da mesma escola as sor-
prehenderam fazendo subir aos ares muitos fo;rue-
Ks as occasies de mais enthusiaamo notando-se
ainda que no fim ou logo depois do encerramento
da sesso, ,as muitas luzea dos cand-labros que
existiam na sala com as dos globos que estavam
pendentes da parte externa da varanda do edi-
ficio, ihumioando tudo e a todos, faziam um eflei-
?o agradab.lissimo. ouviudo-se ao mesmo tempo, no
meio do perfame ou fragancia das fl ires e da har-
monia da msica as repetidas palavras q'ie resumiam
os sentimentos geras Vivam as alumnas diplo-
mada !!
E assim termincu-se a acuella mteressantis-
sima festa litteraria na melhor ordem, deixando a
todos enthasiasmados e satisfeitos.
Fertmenie grave>Relativamente no-
ticia, que, sob o titulo cima, publicamos hon-
tem, e extrahiramos do oficio do Sr. Dr. chefe de
polica do mesmo da, enmmunicou-nos o Sr. Wal-
fredo Barreto de Mello Reg, irmo do offend.do o
8\2uinte:
Recite, 13 de Agosto de 1886.
Sr. redhctores do Diario de Pernambuco
E' inexacta a uformaco dada por V. S. na
Revista do seu conceituado Diano=ob a rubrica
Ferimento grave. O *cto passou-se da seguin
te forma:
f Est.iDdo Francisco Augusto Paes Barreti,
Ciciliano Augusto de GruiinSj Lobo e meu irmao
Argn tratando negocio com os Srs. Joaquim de
Carvalho & C. na taberna sito ra de Detenca,
quando entraram pela porta do oitSo 3 individuos de
nomes Mnoel Vicinte de Oliveira'por alcunnaBa-
doca, Theogenes Jos Perreira e Luiz de Franca
Oliveira, dizendose inspectores de quarteirio, fa-
zendo arrolaisento dos moradores da meama sua,l.0
districto da freguezii de S Jos, e pedirara o nome
dos dou.is do.esiabelecimeuto e seus empregados.
o Como era natural, o Sr. Joaquim de Carvalho
perguntou-lhes o fim d'aquella exigencia e obteve
em respoBta que era o arrolamento das pessoas
aptas para o servico do exercito, ao que uao sa
negoua dar lhes o Sr. Carvalho o nome, idade
etc., observando aos meamos individuos que elle
ra porlugiKfz e que nada tinha que ver com isto.
E' quaodo o meu irmo toma a iniciativa do
Sr. Carvalho obs -rvando aos taes ngidoa inspec-
tores que o Sr. Carvalho era portugnez, n que nada
tinha com o servico do exercito; mas em resposta
teve palavras injuriosas que obrigaram meu irmao
a repelil-as, resultando d'isto receb-r do sicario
Badoca urna punhalada, achando-se gravementa
enf rmo.
Nos somo3 bastante conhecidos n'esta provin-
cia e nunca constou que foseemos tidos como desor-
deiros.
Os tres individuos nao pedirara o nome do
meu irmao e nem de seus collegas, visto elles
nao reaidirem em taberna.
B-latando a V. o facto como se passon s
tenho a esperar de V. rectifijacio de sua noticia
So.de V. atiento fvenerador criado obrigado.
Walfrido Barreto de Mello Reg.
Juventode E' este o titulo de una qua-
dri ha de composicao do distincto Sr. professor
Manoel Bandeira Filho, offerecida sociedade Re
creativa Juventude, cuja segunda ediccao acha-ae
venda na casa do Sr. Victor Prealle.
Agradecemos o mimo de um exemplar que nos
fez o seu aator.
Servico de incendio* O departa-
mento de soerorros contra incendios da cidade de
Paria eet serviio por um regiment de infantaria
queoiiiiistro da guerra poe disposico e ex-
pensas da cidade, cujo corpo tem o nome de Si-
padores bombeiros de Paris.
O servico e administraco interior tem suaa re
ra traoadas por um regulamento de 25 de Abril
1868, e o corpo cata constituido pela lei de qua-
dios militares, augmentado com 12 sargentos e 180
sapadoraspor decreto de 20 de Julho de 1878.
Todas as suas funecoea estad subordnalos aos
regulamantos de infantaria do ministerio .da guer-
ra.
O regiment ae compoe de 2 batalh5es de 6 com-
panhias cada um.
Sen estado maior igual ao d'um regiment de
infantaria; com um eapito de engenheiros e nm
outro inatructor de gyinnaatica, em lagar de um
militar.
O -qwdro de officiaes de ama companbia nao tem
variado como na'itar; porm,,posto que a maior
parte dos posto eetejam commandadoa por simples
cabos, as maltiplas obrigaces impostas aosalfcres
teem eaigido o augmento de 7 por enmpanhia.
O regiment de S^padores bombeiros se.rccruta
entre o* corpos de infantaria do asercito, entre,
bomens qae tenham servido e sem mancha, 8 ou 9
meses, e qae tenham instruccao militar, ampliando-
permanecom uuu o-- .._-:
Muito conveniente seria poder conserval os mais
tempo; porm os sacrficiss pecuniarios que aata
voluntaria retencao occasionana, parece qae se
sappoe a isto.
O regiment est desta forma composto:
Estad* maior
Officiaes
Um coronel.
Um teneuln eanal.
Dona comtnandaates, chata de batalhao
Um majar.
Om medico nnjor de primeira claesa.
Um capit%MemMBgeiro.
Com pouea-jffllMuca o mesmo se ptica
dentis cidade da Europa; entretanto.que
na-cerro tndos avessas.
Apenas haAjbwnbas qse mal pedeaWs'unccioBsr
por estarem muito eetragadas e amn.aamins man-
gas engasgadas, pnehadas na oeeasr8ede preetsao
per um tropel de moleques ; e isto constitue o nos-
so servico de incendios .
Por isso vemos tambem os incendio, por mais
insignificantes que sejam dominarem.
Oe prlmcipes de Orleans As visitas
o Reino-Un ido para rasgar
mados com elle.
Ha all enea situacao com a qual ningaem mos-
tr preoocupar-se e que merece comtudo o mais
alto grao de attencao publica.
A lata e a rivalidade nao sao actualmente entre
a Bussia e a Austria; sao entre a Bussia e a In-
glaterra. B, o theatro desta lata nao somente a
fronteira do imperio das Indias, tem por objecto,
.na Europa, a neutralidade do Mar Negro. A In-
laterresmprehendeu bem qae, seniora do Mar
legro, a;|*asa*va seri ipto facto de Constanti-
epla e iiiieihin. cedo ou tarde, urna potencia
kmcditerraaea. IB' para a conservajao do seu do
mano Daea^peaVdavEuropa que a Inglaterra de-
esas das iaaataBeaees velleidadee doSr. Gladstone
.1880 .ama en* antga poltica de manuten-
> iropeeeerotnaiia.).
ais aJaajhitera estatem Iota .agora e aonre
uawirtr.aaiiirita|avpelitiea e aceta! que lhe nao
d Ittjrar n cuidar rrm mteresee' geraes do sen
toZZZZ. P-ris uo- M-JU... ~~^^_TTr?t^
imperio,
A Inglaterra como estes grandes reptis que,
qaaado mudain de i elle, deitam-se sobre a trra
sem defeza. Depois de trr passado do rgimen
aristocrtico a governo das eiasses medias, pro
Londres tam sido cada vez mais numerosas
O conde recebe pouca gente, nao sahe com
a condessa senao para alguns passeios nos ar-
redores, iue sao encantadores, e passa urna
grande parte do sen tempo ne seu gabinete de tra-
A ins'a'lacao do principe em Tunbridge Wells
provisoria. E' urna estaco apenas. Attribue-
se ao cande de Paris a intcncao de comprar o do-
minio de Twick3uham, h. je trinaformado em elub,
rleans Club. Fallase em outras residencias
reaes postas disposicSo do principe pela rainha
Victoria. Mas parece que nad ha de positivo
neste ponto. '
Excepto o principe de Joinville, esto em In-
glaterra quaai todos os chefes da casa Orleans. 0
conde de Pars em Tunbridge-Wells com o seu
filho mais velbo e seu sobrinho.
O duque de Nemouis em Bushey-Pak, habita-
co muito simples no meio de um parque enorme
e emprestado pela rainha Victoria ao principa. O
duque de Nemoura desfructa desta casa desde a
fuerra da Crimea ; em Bushey Hoase que elle
ca sempre que se demora em Inglaterra.
Bushey H>use nSo um palacio ; mas urna
villa mnito bonita, as proximidades de Ham-
pton Court, cujos jardina sao verdadeiraa mara-
vilhas.
O duque de Aumale, que chagou de Ostende,
passa alguns das janto de seu sobrinho, em Tun-
bridge-Wells, e iri em seguida para as suas pro-
priedades, c para o prximo invern ettabelece-se
em Londres mesmo, ou nos arredores.
Os acontecimentos aecuraularam-se com tanta
precipitaco, que nenhum projecto foi feito ainda
pelos Ilustres exilados.
As attencoes e a pympathia com que foram re-
cebidos, nao b pela corte inglesa, como tambem
pela populaco ingleza, deve-os ter consolado um
pouco.
Durante o pouco tempo que duque de Aumale
passou om Bruxellas foi object de unnimes ma-
nireatacoes de sympathia. Todos os grandes a-
mes da capital sa fiseram inscrever no hotel de
Flandres, e de todos os pontos do paiz vieram,
quaai sem interrupo, bilhees e telegrammas.
O lugar de secretario do principe nao se est
tornando nada ; urna sinecura, pelo que se v.
A redueco da tinta civil asa R-
ala O czar resolveu reduzir de dous tercos
as dotacoes annuaes dos membroa da familia im-
perial. ^^
A imperatriz, que at agora recebia 600,000
rubios por anno, nao ter d'aqui para o futuro se-
nao 200,000.
No caso de ficar viuva, ser-lhe-ha entregue a
mesma quantia a titulo de pensao ; esta somma
ser, porm, reduaida metade, se a czarina re-
solver habitar no estrangeiro.
O grao-duque herdeiro, cuja dotaco annual era
de 300,000 rublos, nao recebar mais do que.....
100,000.
Sua esposa ter a dotacao de 50,000 rublos, e,
no caso de enviuvar, de 100,000, com redueco
de metade, se for habitar no estrangeiro.
Oa gr-duques t^ro urna pensao de 33,000 ru-
blos, em lugar de lOt ,000, que o estado lhes paga-
va at aqni.
As filhas e as netas do imperador receberao ]um
dote de 1,000;000 de rublos e as bisnetas de......
100,00' rublos.
O rublo, segundo o cambio actual, equivale ap--
proxiraadamentc. a 450 ris da nossa moeda.
que elle est reservado faserjulgar o mundo.se
urna democracia pode ter urna po'itica estrangeira
ou mesmo se poda resistir aotrabalho de desmem-
bramento interior de que a araeacam os principios
levados ao extremo.
0n jadea* O ultimo livro de Mr. Drum-
mond, A Franca judia, d intereise da actualida-
de a tudo quanto se refere a esta raca.
Acaoa de publicar-se o Annuario dos archivos
israelitas para o anno 5,617 (de 30 de Setembro
de 1886 a i8 de Setembro de 1837) com dados e
eatstisticaa curiosas sobre os hebreus, sou culto,
sua influencia na sociedade, etc., etc.
Seu autor, M. Prague, se queixa d-is parsegui-
c5es de que eo objecto em Alrcmanha, tazendo
constar oom satisfacao que na Inglaterra, pela
primeira vez, um israelita, a' Nathaniel de
liothschild, foi elvalo catnegoria do lord e
admittido a eeio aa cmara alta. Em compen-
saco, na Austria-Hungria, o ministro Tizza, nao
tondo podido obter do parlaaiento a representac;lo
oficial do Jedaismo na cmara dos magnaUa,
pede conseguir que formem parte della por favor
especial do imperador, dous israelitas, M. Hirehier
e M. Schuab.
A cmara actual franceza tem quatro membros
judeus.
O Anwario lumbra que o primeiro represen-
tante juder. que teve assento na cmara franceza,
foi eleito em 1830
Desde entao tem havido sempre hebreus no
parlamento da nacao franceza. O actual senado
tem dous representantes judeus, Mr. Millaud e
Mr. Naquet.
Mr. Pragne se felicita de que os hebreus vo
conquistando pouco a pouco altos posto3 nos do-
minios da litteratura, da sciencia e da arte. O
Iustituto de Franca, que ha vinte anooa nao cou-
tava no seu seio ma9 que dous ou tres israelitas,
tem na actualidade dez.
O Annuario enumera os ttulos nobiliarios con-
cedidos a personagena desta raca, em varios pai-
zes- da-Europa.
Sobre o numero de judeus que povoam o mun-
do, as estatiaticas nao estao darsccorda : o An-
nuario publica urna que tem pela mais exacta pu-
blicada at boje, na qual eleva a pooulaciio israe-
lita existente em todo o mundo a 6,300,000.
Iei loca.Keetuar-se-hio:
Boje :
Pelo agente Pinto, aa 10 e 1/2 horas, na praca
do Conde d'Eu n. 5, de movis.
Pelo agente Gusmo, jas 11 horas, na ra do
Mrquez de Olioda n 19, de miuiiezas, fazendas e
movis.
Pelo agente Bruto, s 10 e 1/2 horas, na ra do
Bangel n. 48, de faseadas e miudezss.
Terca-feira:
Peio agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jess a. 26, de objecto diversos pertancentes a as-
en ptorio.
Quarta-feira i
Pelo agente finio, s 1L becas, ra do Bom
Jess n. 14, de fasendas, miudezaa e chapeos lim-
pos e averiados.
Mlsaasa funenrea.erao celebradas :
Hoja :
A's 7 horas na igre^a do Espirito Santo, pela al-
ma de D. Anna Martins da Cruz Pimentei; s 8
horas, na igrejado S. Goncato'por alma de D.
Francolina de Miranda HeariqneaLopes ; s 6 ho-
ras no convento do Qaraio, por alma- de Floraros
Antonio Jos de Maura ; s. 8 horas, na matria de
Bilhetee venda na Casa Folia da praca da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Tambem acham-se a venda aa Beda da Por-
tan 4 roa Larga do Rosario n. 36.
Proco resumidos.
Lotera Kxtraordiarla doVplran
-0 4." e ultimo sorteio das 4. e 5. series
desta importante lotera, cujo maior premio de
150:000^000, ser extrahida brevemente.
Acham-se expostoa venda o reato doe hi-
te na Cesa da Fortuna ra Primeiro de Mareo
n. 23. ^
Nalaatemro puni I no Foram abatidas no
Mati'.duaso da Cabanga 85 resee para o consume
do da laVsk Agosto.
Sendo.: .88 rezea pertem
i C, e aoVe diversos.
Uerani Hunlcl
ujviineafaideite Mercado,
rente, foi o seguate :
Entraram ;
301/i bois pesanJ) 4,953
1.06 ) kilo de p;ixe a 20 ris
88 cargas de farinha a 20J ris
35 dita de frueta diversas a 300
12 tabofeiros a'200 ris
15 Sumos a200ri
Foram oceupados :
24 columnas a 6iX) ris
i compartimentos de firinha a
500 ris.
24 .uto de comida a 500 ris
701/2 dito de legumee a 400 ris
16 ditos de anio a 700 ris
13 ditos de treasnraa 600 ria
1G ditos de ditos a 2
2 dito a 1
A Oliveira Castro & C.:
2 talho a 500 ris
51 talho de carne verde a 1J
kilo.
Batan*, praca forteA transformacSo ) Santo Antonio, por almadeD..Luisa C. Correia da
te. k em Dorto de guerra Fonaeoa.
de Bai,um em praca forte em porto da guerra
hoie um facto realisado. E' dm duplamente gravo
acontecimento: o tratado de Berlim est rasgado
e a Ruasia d um novo passo para a posee com-
pleta do mar Negro, e por consequeucia para a
conquista de Constantinopla.
Que esteja inutilisado o tratado de Berlim, o
que nao pode duvidar quem se der ao trabalho de
ler os protocolos das sesses do congresso.
Se o art. fi6 tomou a forma de urna simple de-
cUracaa, as intencoes do czar com relacao ao
porto de Batum, o alcance desta declaraco foi fi-
xad > pela discussio que se lhes conseguio.
Lord Beaconsfield diese que aceitava esta pro
poeicao e o r. de Bismatk limitou-se a reco-
nhecer o accordo estabelecido entre a Bussia e a
Inglaterra sobre Batum como um resaltado de
grande importancia. Lord Saliabury finalmente,
tendo tornado dependente a manutencao do r-
gimen dos estreites, da coadicoes em que a Rus-
aia toma va posso de Bitum, o plenipotenciario
ruaso
porto devia ter dissipado as ultimas duvidas
sobre o uso que a Rusia teacionava fazer dese
porto.
Houve, portanto, compromisso moral, se nao
formal, compromisso verbal, se que nao foi ea-
cripto ; e, repetimos, o acto diplomtico de 1S78-
j um pouco forido pela raanio d* Romelia a
Bulgaria, acab'i de receber um novo golpe. Pa-
rece qae a Russia qmz vingar-se de um rasgao
teito no tratado em seu detrimento, fazendo um
segundo em seu favor.
Emquanto aineaya, que a creacao de Batum
em porto de guerra constitue para o imperio otto-
mano, nma viata de olhos sobre a carta basta para
mostrar o que ella A Russia complete hoja o
seu dominio sobre o mar Negro, e adqui'e nina
base do o>eracd.;s as suas empresa contra a
Am-'ric* e a Asia Menor, continua este trabalho
de approximaco, pelo qual procira tomar de
fnico pela retaguarda, e fazer cahir na sua posse
esta Byzancio, contra a qual os ataques directos
teem constantemente falhado.
A deca -acao que a Russia acaba de fazer com
retaca a Batum portanto um grande aconteci-
mento- Como se comprehende, portanto, que este
acontecimento tanha feito tao pequea impressao
naopniao publicaestrangeira, qua nao tenha mes-
mo sido objecto de nm protesto das potencias f
A causa o estado da poltica europea, que tem
justamente forneeido a Russia ensejo para o gol-
pe que ella premeditava. A Russia sabia que
neste momento nenhuma potencia eatava em con-
iicoes de repellir o ataque que ella fasia ao pacto
de 1878, e por isso que ella escolheu eite mo-
mento para a tui declaraco.
Os imperios da Al'.emanha e da Austria deram-
lbe implcitamente carta branca, quando fizeram
com ella o aceordo do Krensior que a tez entrar
na allianca austro-allem.
Adiando de commum accordo qualqaer empresa
directa contra o sulto, comprometterim-se a
manter o statu quo na pennsula brlkamica, cir-
eumscrevendo a accao de Vienna e de S. Petera-
burgo, no limite das posicoes j tomadas, a triple
allianca collocava fra da convences tudo oque
nao f-isso expressam^ute incluido. A Russia, que
apezar do seu mo 7umor contra o principa Ale
xandre, teve de abster-se de toda a nter vene a-
nos ac-intcoimentos da Bulgaria, julgou-se auto-
riaada a fazer o que melhor lhe parecesse no mar-
Negro, e o acontecimento moatra-nos com eAfeito
que se nao pensa nem em Vienna, nem em Berlim
em eatorvar a sua aeco por este lado. Comtanto
qae respeite a poaico e os intereaseg da Austria
entre o Savo e o Mediterrneo e que nao apressa
muito a hora de urna liquidaco geral, a Russia
podar conseguir mais tarde todo o qae quizer.
E' certa qae se ella hesitar em entrar em lata
com a Austria, a Russia arrisca-se a ter um con-
flicto com a Inglaterra, potencia que, em seguida
ao tratado de Berlim, fes ama. allianca defensiva
com a Turqua a tendo neste momento mesmo o
direito de. se considerar como envolvida na qnes-
lo por causa de Batum. Mu neate ponto, aa
contrario, que brilha a habilidade da poltica
ros a.
Da mesma forma qae vimos ha dsas annoi,
eproveitar-se da fraqueza do gabinete do Sr.
Gkadatone e dos sen embaracoi na Egypto, para
violar a tronteira do Af^haniatan, aesim a vemos
hoje aproveitar-se da eme poltica qae a travesea
Fonaeoa.
Segunda-teira :
A'a 8 horas, na igreja do Terco, pela alma de
D. Maria Ignacia Ferreira; a.7 horas, no con
vento do Carmo, pela de D. Bachel da silva Dau-
tae.
Terca-feira :
A's 8 horas, na matria da Boa-Vista, pela alma
da Baroaesa de alerces ; a 8 hora, na.igreja do
Espirito Santo, pela da D. Alexandrina de Lima e
Albuquerque ; s 8 1/2 horas, na matriz de S.
Jos, pela de Bruno Alvaro Barbosa da Silva.
PawaasretroChegados dos portos do norte
no vapor nacional Ciar :
Sergio L. Meira do Vasconcelos, Jlo Maria
Leriue, D. Julia F. Lerine e 4 filhos, Camillo Joa
quintda -Bocha, Antonio Marques de Carvalho,
Onstavo Haasen, Augusto M. P. Barros, D. Frm
cehua Mesquita, Luiz de Queiros Alboquerque e
2 filhoB, Leoncio C. de Castro Leao, Antonio R.
Passoa, Francelina, Virgilio e Virgolina, (criados)
lembrou que a declaraco de traoquia de j09 Qonealves, eapito Antonio F de Souza, sua
senhora, 1 filho e 1 criado, Raphael F. Eetevao e
sua senhora, Augusto i", da Cunh, Jos G. Mia-
ho. Jou A. dos Santos, Jos Nogueira da (Josta,
W. Qaim, Thomaz Pater, W. Indooll, W- Creste,
Adolpho Kolb, Jorge dos Santos Lima, Francisco
Antonio Rodrigues, Joaquim Flix Tinoco, eapito
O. i;uBdersen, Manoel Joaquim Barbos, Manoel
Saldanha, Augusto G. de Almeida, D. Emilia T.
da Costa, Antonio C. de Vasnoncellos, Alb rto
Taylof, Maximiano Quirino, Antonio C. de An-
drade, Joaquim Maia, Julio Van Shieston, sua se-
nhora e 2 filaos, Lydio dos Santos, Zaeharias Pe-
reira, Antonio P. Carneiro, Constantino P. da Cu-
nh, .Vanool Rodrigues Limae W. J. Johsson.
Opcrareea irargicaForam pratica
das no hospital Pedro II, no da 13 do corrente,
as aeguintes :
Pelo'Dr. Pontual :
Pleurotomia no sexto espaco intercostal esquerdo
indicada por pyothorax. Drainage da cavidade da
pleura com o appaielho de Dujardin Baunetz.
Urethrotomia interna pelo processo de Maisou
neuve, indieada por estreitamento fibroso da ure-
thra.
Casa de DetencaoMovimento dos pre-
sos no dia 12 de Agoste :
Exiatiam presos 297, entraram 4, sahiram 14,
enstem 287.
A saber:
Nacionaes 263, mulheres 3, estrangeiros 7, es-
cravos sentenciados e processados 11, ditos de cor-
reccao 7.Total 287.
Arracoados 249, sendo : bons 241, doentes 8
Total 249.
Nao houve alteraco na enfermara.
Lotera da provinciaA lotera n. 65,
em beneficio da Santa Casa de Misericordia do
Recite sar extrahida quando for anonnciada.
No consistorio da igreja de Ncssa Senhora da
Conceicao dos Militares, se acharo expostas as
urnas e as emolieras, arromadas em ordem num-
rica a jrecir i. 3o do publico.
Lotera de Sania CatnarinaTele-
gramma recibido pela Casa da Fortuna, sabe-se
que foram ettea os nmeros premiados desta lote-
ra, extrahida no dia 11 do corrente :
127.032 100:000*000
10.699 24:1,00*000
20.351 12:000*000
121.855 8:0000*000
25.961 5:000*000
148.679 2:000*000
Lotera do RioA 1* parte da lotera
n. 199, do novo plano, do premio de 100:000*000'
ser extrahida no dia .. de Agosto.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna mar Primeiro de Marco.
Tambem acham-se venda na praca da Inde-
pendencia ns. 37 e 39.
Lotera da cftrteA 1 parte da 3651o-
terit da corte, cajo premio grande de 100:000*,
ser extrahida no dia .. de Agosto.
Os bilhetee acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23.
Tambem acham-se venda na praca da Inde-
pendencia ns. 37 e 39.
botera de Mcele) de *0OiO0O0OO
A 3* partes da 13 lotera, cojo premio
grande de 200:000*, pelo novo alano, ser ex
trabada impreterivelmeate no dia 17 de Agosto s
11 horas da manhS.
itesa-Qliveira Castro,
I. Jaae-0
dia 13 do eor-
21 *200
17*600
10*500
2*400
3*000
14*400
14*000
12*000
28*200
11*200
7*800
20*000
*000
1*000
54*000
Deve ter sido arrecadada nestes
a quantia de
Rendimento do dia 1 a 12
dis
219*300
2:517*960
2:837*260
Foi rreeadado liquido at hoje
Piecos do dia :
Cama verde a 240 e 400 ris o kios.
Sn.ioi a 560 e 50(1 ria ideuo.
Carneiro de 640 a 730 ris dem.
Paran de 320 a 240 r8 a cuia.
Milho de 280 a 320 ris idem.
Feijo de 640 a 1*280.
" Censlterlo publioo.Obituario do dia 12
de Agosto :
Baronesa das Mercs, 78 anuos, viuva, Boa-Vis
ta ; aaystolica cardiaca.
Rosa Hardy, Pernambuco, 65 anno?, viuva, B a
Vista; oclusao intestinal.
An'onio Landro Nunes, Pernambuco, 30 annos,
casado, Boa-Vista ; clcalo v< rsi-al.
Joo Primo de Jess, Pernambuco, 20 annos,
casado, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Maiia Jesuina de Barros, Pernambuco, 35 an-
nos, solteira, Boa Vista ; parto.
CHRNICA JBICIARIA
Do Sr. desembargador Pires Goncalves
desembargador Alves Bibeiro :
Appellacde crimes
Do RecifeAppellante o promotor publico, ap-
pellado Juvenal Francisco de Almeida.
Do PneloAppellante o juii de direto, ap-
pellado Joo Manoel dos Santos.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
eonselheiro Queiroz Barros :
Appellacad crime
Do Buique Appellante o juizo, appellado Joo
de Mattos da Silva.
Appellacoes civeis
Do RecifeAppellante o juizo dos feito da fa-
zeuda, appellado Luiz Augusto Coelho Cintra.
Do Becite Appellante Henri-ue Olympio Ta-
vares de Oliveira^ appellado Dr. Deodoro Uipiano
Coelho Catanho.
Appellaeao commertial
Do RecifeAppellante Artbnr Bastos & C,
appellada a Companhia Indemnisadora
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. eonselheiro procarador da co-
rda e promotor da justica :
Appellacoes crimes
Do Eecife^Appellante o promotor publico, ap-
pellado Antonio Francisco de Paiva.
Do Penado Appellante Manoel Antonio da
Conceicao, appellada a justica.
De VerteutesAppellaute Manoel Vicente Mou-
teiro, appellada a justica.
Com vista s partes :
Appellaeao civel
Do ReciteAppellante Manoel Cardeso Jnior,
appellados Francisco Moreira Frsgozo e Luiz Ma-
noel Rodrigues Valenca.
distribdicSes
Recursos crimes
Ao Sr. desembargador Buarqae Lima :
Do Recife Recrrante Dr. Joo Clodoaldo
Monteiro Lopes, recorrido Joo Pacheco de Me-
deiros.
Ao Sr. desembaigador Tosca no Barreto :
Do RecifeEecorrente Miguel dos Aojos Al-
ves dos Prazeres Filho, recorrido o juizo.
Aggravo de petico
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do RecifeAggravante Manoel Silvestre Fer-
reira Bastos, aggravado o juizo de orphios.
Appellaeao crime
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
D JaboatoAppellantes Manoel Jos da Cos-
te eHerculano Perera Dias, appellada a justica.
Encerroa-sca sesso as 2 horas e 15 minutos
da tarde.
Tribunal da Helar o
SESSAO OBDINARIA EM 13 DE AGOSTO
DE 1886
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QUISTISO DE MIRANDA
&eeretario interino Dr. Alberto Coelho
As horas do cosame, presentes os Srs. desem-
bargadores em nume -o legal, foi abarte a sesso,
depois de lidae approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e passados os fetos derasa-se os
eguintus
JLGAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes.
Sebastian Jos de Sousa e Luiz Augusto Tor-
res. Mandou-se ouvir o Dr. chefe de polica.
Flix Jo da Souza.Negous: a soltura, un-
nimemente.
Recurso eleitoral
De Petrolna Recorrcate o juizo, recorrido
Lu'z Ferreira Gomes. Relator o Sr. desembar-
gador Monteiro de Andrade.Deu-sc provimento
ao recarso, unnimemente, para se julgar nuda a
avaliaoio.
Recursos crimes
De Cimbres Recorreate o juizo, recorrido
Emygdio Bezerra Paes. Relator o Sr. desem-
b rgado. Monteiro de Andrade. Adjuntos os Srs.
eonselheiro Queiroz Barros a desembargador Pi-
res Ferreira.-Negou-se provimento ao recurso,
unnimemente.
Do ReciteRecorreate Demetrio Carneiro Ro-
drigues Campello, recorridoa Vlaooel dos Santos
Barros e outro. Relator o Sr. desembargador Pi-
res GonQalves. Adjuntos os Srs. desembarga-
dorea Oliveira Maciel e conselheioro Queiroz Bar-
ros.Deu-se provimento ao recurso, contra o vo-
to do Sr. desembargador relator.
Aggravo de instrumento
De Pao d'AlhoAggravante Andr de Albu-
querque Mello, aggravado Jos de Oliveira Cas-
tro. Relator o Sr. desembargador Buarque Li-
ma. Adjuntos os Srs. desembargadores Pires
Ferreira a Monteiro de Andrade.Negou-se pro-
vimento ao aggravo, unnimemente.
Da Escada Aggravante Manoel Olympio de
Barros Coste, aggravado o juizo. Relator o Sr.
desembargador Pires Ferraira. Adjuntos os Srs.
desembargadores Oliveira Maciel e Pires GoucaP
vea.Nao se tomou conhecimento por nao ser ca-
so de aggravo, unnimemente.
Prorogac&o de inventario
Inventariante D. Maria Ledroneta de Melle Pe-
reira.CouverteH-se em diligencia.
Queixa
De Ignacio Leopoldo Netto contra o Dr. Gon-
calo Paes de Azevedo Faro. Relator o Sr. des-
embargador Buarque Lima. Adjuntos os Srs.
desembargadores Oliveira Maciel e Alves Ribeiro.
Julgou-se improcedente a denuncia, unnime-
mente.
Appellacoes crimes
Do RecifeAppellante o juizo, appellsdo Ama-
ro Vieira. Relator o Sr. desembargador Toscano
Barreto.Crnfirmou-se a sentenca,unnimemente.
Do Penedo- Appellante o juizo, appellado Joo
Baptista dos Santos. Relator o Sr. desembarga -
dor Toscano Barreto.Mandou-se a novo jury
eontra os votos^dos Srs. desembargadores Alves
Ribeiro a Pires Goncalves.
PA88AGEN8
Do Sr. eonselheiro raujo Jorge ao Sr. conse-
coaselheiro Queiroz Barros ;
Appellaeao commercial
Do RecifeAppellante Antonio Pinto Osorio,
appellados Bartniomeu & O, successores.
O Sr. eonselheiro Araujo Jorge, como procura-
dor da eora e promotor da justica, deu parecer
nos seguintes fetos :
Appellaeao commercial
Do Recife Appellantes e appellados D. Digna
Candida da Cunha e Joaqun, de Almeida e Silva.
Appellacoes crimes
De NazarethAppellante Bellarmino Perera
de Lyra, appellado Manoel Pereira de Queiroz.
De QuebranguloAppellantes Francelina, Del-
fina e outros, appellada a justica.
De PanellasAppellante Antonio de Siqueira
Cavaleante, appellada a justica.
De TaquareDgaAppellante o juizo, appella-
do Jos Francisco dos Santos.
De Nazareth Appellante o juizo, appellado
Manoel Francisco da Silva.
Do Sr. eonselheiro Queiroz Barros ao Sr. des-
embargador Buarque Lima :
Appellaeao crime
Da VictoriaAppellante o juizo, appellado Jo-
s Luiz de Franca.
Do^Sr. desembargador Buarque Lima ao Sr.
desembargador Toscano Barreto :
Appellacoes crimes
De 8. BeatoAppellante o juizo, appellado
Laurindo Jos de Franca.
De Olinda Appellante o juizo, appellado Fran-
cisco das Chagas de Jess.
Appellacad civel
Da EscaJa Appellante a tazenda geral, ap-
pellado o Baro de Pirangy, senhor da eecrava
Maria.
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Oliveira Maciel :
Appellaeao crime
Do Rio FormoaoAppellante Manoel de Oli-
veira Lins, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andnde :
Appellacoes crime
Do BaianeAppellante PantaleSo Rodrigues
.delSiqueira, appellada a jastica.
De Gamelleira Appellante Joio Francisco
Tavares, appellada a justica.
IHDICACftES HTEIS
Medico
Consultorio medico-clrurglco do Dr.
Pedro de Attaiiyde Lobo Hoscoso 6
roa da Gloria n. SO.
O doutor Moscozo d consultas todos os
dias uteis, das 7 s 10 horas da marina'
Este consultorio offerece a commodida
de de poder cada doente ser ouvido e exa
minado, sern ser presenciado por outro
De meio dia s 3 horas da tarde ser o
Dr. Moscozo encontrado no torreSo pra-
ca do Coramercio, onde funeciona a ina
peccSo de sadc o porto. Para qualqaer
d'estes dous pontos podero ser dirigidos
os chamados por carta as indicadas horas.
O Dr. Arihur Imbassahy, medico oceu-
lista, recenternente chegado, esta cidade,
d consultas todis os dias, das 8 s 10
horas da manh3, sendo gratis aos pobres.
do 1. andar do predio n. 8, largo da
Santa Cruz.
Dr. Gama Lobo, medico operador e par-
teiro, reside ra do Hospicio n. 20, onde
pddo ser procurado qualquer hora do dia
ou da noite. Consultas: de 1 s 3 horas
da tarde. E*pecialidade : molestias e ope-
raySes dos orglos genito-urinarios do ho-
rnera e da raulher.
Dr. Barreto Sampaio mudou seu consul-
torio do 2. andar da casa n. 45, a ra da
Baro da Victoria, para o 1. andar, da
casa n. 51, mesma ra, como consta da
seu annuncio inserto na sec(o compe-
tente. Residencia a ra Sete de Setem-
bro n. 34.
Advocado
O bacharel Benjamim Bandeira, ra do
Impeaador n. 73, 1. andar.
Tabellio
O Bacharel Amaro Fonseca de Albuquer-
que, tabelliSo do notas interino nesta capi-
tal, comraunica ao respeitavel publico que
abri seu escriptorio no pavimento terreo
do predio n. 4, sito a ra do Coronel Fran-
cisco Jacintho, outr'ora de S. Francisco,
onde, com solicitude e mxima lealdade,
ost prompto para desempenhar as func-
c3es de seu cargo. Reside na freguezia
da Boa-Vista, ra do Coronel Laruenha n.
30 (outr'ora dos Prazeres) para onde, fra
das horas do expediente de seu escriptorio,
'deverao derigic-se os chamados, para fac-
tura e approvayao de testamentos.
Consultorio allopatico doalmetrico
Dr. Miguel ttemudo d consultas das
12 s 3 da tarde em seu consultorio ra
do Baro da Victoria n. 7, 1. andar.
Chamados por escripto a qualquer hora.
Especialidades partos, febres, syphilis,
molestias do pulmo e do coraco.
Dr. Lopes Pessoa Medico.Residen
cia a ra de D. Pedro I n. 9, onde pode
ser procurado at s 9 horas da manha.
Consultorio ra do Bom-Jess n. 37 1.
andar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Gratis aos pobres.
rogarla
Francisco Manoel da Silva & C. depo-
sitarios de todas as especialidades phanno
ceuticas, tintas, drogas, productos chimici
e medicamentos homosopaticos, ra do Mr-
quez de Olinda n 23.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e officina de carapino
de Francisco dos antos Macedo, caes de
Capibaribe n. 28. N'este grande estaba e
cimento, o primeiro da provincia n'este ge-
nero, compra-se 6 vende-se madeiras de
todas as quahdades, serra-se madeiras de
conta alheia, assim como se preparara obras
de carapira por machina e por precos sem
COmnatan/jia,
trado Sr. Dr. Antonio Carreiro da Silva
e a elles ensinarei a reconhecerem nelle
o medico generoso, o cavalheiro caritativo
que, esquacendo todos os intaresses, souba
com dedicacSo tornar menos amargos o
parcos e derradiros dias de seu desditos
e chorado pai.
Recife, i4 da Agosto de 1886,
Antonio Alexandrino do Carmo.
Aviso s mais de familia
A mu antiga e merecida reputaco dos
Collares Royer contra as convuls5es e para
facilitar dentico das enancas tem sido
desde m'iito tempo objecto de inveja por
parte do industriaes sem escrpulo e sem
titulo 8cientifioo os quaes nada acharara
de melhor do quo contrafazerem e imita-
re m grosseiramente nosso producto.
Muito preoecupado com a saude das
criancas que pode assim ser comprometi-
da e demais aeloso na boa nomeada dos
nossos collares, previnimos s mais de fa-
milia que ellas devem exigir que Cada
Collar Royer esteja contido dentro de urna
caixinha longoquadrada abrindo-se como
gaveta, em tres lados da qual se acham
postos rtulos impressos em francez, por-
tugus e hespmhol, e decorados com urna
Virgem e a nossa marca de fabrica, no
quarto lado com duas mcdalhas e minha
asignatura. Cada caixinha fechada com
urna medalha de latd, em ambos os lados
na qual se le a ssguinte ioscripcao. =Col-
lier Royer, 225, ru St-Martin, Paris.
Sociedade Yinte e Quatro de
Agosto
Esta sociedade, em sesso ordinaria de
hontem, resolveu levantar a ses3ao em
signar de pezar pJo fallecimento do pre-
sado consocio Cantidio Cozario das Neves ;
tomando lueto por seis dias todos os seus
membros.
A aore da anude
Mt
Com a mesma certeza com qae o veneno do upas
da Batavia mata, o balsmico sueco de ama arvo-
re do Mxico, chamada Anacahuite cura. O rauite
atamado Peitoral de Auacahuita, componte e ela-
boradamente preparado por este maravilhoso espe-
cifico vegetal.
Nenhuma tosse, catarrho ou cnfrrmidade dos
bronchios, podem reiistir d sua suave e benfica
influencia. Fortalece de tal modo os orgaos da res-
piracao, que em poacas horas Jcsapptrece a io-
rlammHCao, qae impedia sua acc.ao enlutar. O alli-
vio infallivel e immediato.
A irritacao e inflammacao dos palmos, qae j
priucip:avain a apresentir ama certa tenduacia
ulceracao se abate e modifica para desde logo ; e
sua operacoo maravilhosa os cura u lhes reitituc o
seu vigor elasticidade primitivos.
Na sua delicada e elabora ia compjsicao nao en-
tra acido prosaico, anti monio, uem nenhum dos
agentes deleterios iuc de ordinario se encontram
neeses xaropes e peitoraes fritos do fructas, e que
quasi seupre produzem ti) fu taes e funestas con-
seqaeacias.
Como garanta contra as falsificacoes, obsrve-
se bem que os nomes de Lanman & Kemp venham
estampados em lettras transparentes no papel do
livrinho que serve de envoltorio cada garrafa.
Acha-se venda em todas as bjticas e lojas de
perfumaras.
Ageates em Pernambuco, Henry Forster & C,
ra do Commercio n. 9.
O Tricofero de Barry arraiga o cabello
que tem tendencia para cahir, rcoova lhe o cresci-
mento mesmo quando o cabello j tenha desappa-
recilo, conserva lhe a cor a despete da idade, de
enfermidades ou pesares, e por spero que seja tor-
na-o fl :xivel e macio comu seda; limpa-o, elimi-
nando a tinha e a caspa, lortalcce-o estimulando
delicadamente as r.iizes e promoveado a livr- eva-
pjra^ao atcavs dos proa do couro cabelludo, exer-
ce peculiar influencia vivificadora sbro todos os
vasos e ervos do pericraaco.
PUBLICAGOES 4 PEDIDO
da
O Sr. Dr. Antonio Carreiro
Silva
Por mim e pela familia de meu infeliz
irmo, sob a dolorosa impressao do seu
fallecimento, pobres e sem outros meios
de agradecer os eapeciaes servicos mdicos
que em to pungente transe foram a meu
irmo prestados pelo intelligente e laborio-
so medico o Sr. Dr. Antonio Carreiro da Sil
va, venho, por este meio, do mais intimo]
d'alma, reconhecer o que lhe devemos.
A molestia adiantada e incuravel, a nos-
sa pobresa conhecida, nada disso privou o
illustre medico de, durante longo espaco
de dous mezes, visitar diariamento o en-
fermo, minornndo-Ihe as dores phisicas por
acertados medicamentos e as moraes por
consolacSes de um coraco verdaderamen-
te christo.
Os innocentes e tenros filhinhos de meu
chorado irmo Franeiseo Xavier do Car-
mo beijara, reverentes, as mSos do illus-
Dr. Ho Mi
Medico, parleiro e operador
Residencia ra da Imperatriz n. 48, 2." andar.
Consultorio ra Duque de Caxias o. 59.
D consultas das 11 horas da manh s 2 da
tarde.
Attende para 9s chamados teiephone n. 449 a
qual quer hora.
Aviso
O Dr. E. Oaglan Bonnet Medico pela
Faculdade de Medicina de Paris.
Condecorado com a inelalha dos hospitaes.
Socio correspondente : das Academias de Medi-
cina do Rio de Janeiro e de Barcelona ; da So-
ciedade de Medicina pratica de Paris e da Socie-
dade Franceza de Hygiene, ex-director do Museu
AnatomoPatolgico d Fucaldade de Medicina
do Rio de Janeiro, tem a honra de prevenir o pu-
blico qae durante a sua estada em Pernambuco
tic i a disposico dos doentes que desejarem hon-
ral-o com a sua confianca.
Chamados e consultas de 1 s 3 horas da tarde
at novo aviso: na hospedaria de D. Antonio
(Caminho Novo).
Especialidades : molestias das
rias, coraeao, estomago, ligado,
nervosas e svDhiliticas.
Recife, 6 de" Agosto de 1886.
vas
etc.,
respirato-
mclestias
Convida-se os elei-
t o r e s conservadores
do 2 districto da Gra-
a, para uma reunio
no dia 14 do corrente
s 6 horas da tarde,
em casa do Sr. Cam-
pos Barbosa, a Estra-
da d^ Joo de Barros,
Ao publico
Os abaixo assignados, tendo registrado e depo-
sitado as saas marcas industriaes e rotlos das
suas preparacoes na junta eommereiai do Rio de,
Janeiro de conf< rnvdade com as prescripces das
leis do impeno do Brasil, declaram e participara
aos interessados, que como nicos proprietarios,
tem direto exclusivo de asar as maress indus-
triaes e rotlos relacionados com manufactura
fabricacao e venda das s.-guimes preparacoes ;
Agua de Florida de Murray e Laman.
Tnico Oriental.
Peitoral de Anacahuite.
Pastilhaa Vermfugas de Kemp.
Oleo de figado de bacalho de Lanman & Kemp
Emulso de oleo de figado de bacalho com hy
pophosphites, de Lanman & Kemp.
Salsaparnlha de Bristol.
Extracto duplo de aveleira mgica de Bristol, e
ungento de aveleira mgica de Bristol,
e que, portanto, perseguirad a todos os falsificado-
res oa imitadores das ditas marcas industriaes e
rtulos, proenrando que sejam castigados com toda
a severidade da lei.
Tambem acaatelamo o publico contra todos
aquellas que intenten substituir as nossas prepa
racoes cima mencionadas com artigo falsificados
que levan rotulo ou marcas iu#aitriaeB tam aa nossas.
Lanman & Kemp.
\
\ WTHAW [


Diario de PernambacoSabb&do 14 de Agosto de 1866
DLCOTOeiMlJ
BHtO
Tem o sen escriptorio a roa do Mrquez del
Olinda n. 63 das 13 s 2 horas da tarde, e desta
hora em diante em sus residencia 4 roa da San-
ta Cruz n. 10. Especialidades, molestias de se-
nhoras e criancas.
C, Heckinann
Usinas de cobre, iatSo e bronze ee d
Golitzer Ufer n. 9. Berlim S. O.
Eseeatrd.ide:
Construcfo de machi-
nas e apparelhos
ara fabricas de assucar, destillacSes e re-
nagoes com todos os apertegoamentos
modernos.
INSTALLAgAO DE:
Engenhos de assucar completos
Estabelecirnento filial na Havana sob *
mesnia firma de C. Heckaiann
C. e San Ignacio o. 17.
lricos representantes
Haupt Gebru'der
EIO DE JANEIRO
Pai'a informagoes duijamse ai
Pohlmaii &C
te So Gonri 1.10
Factos e nao palavras
Aos que se desejam tratar sem compromeUer a
saude com preparados mineralgicos.
Nesta typographia e na roa Direita n. 43, 1.
andar vende-se tinturas homeopathicas para ino-
fensiva cura das seguintes molestias : aathmatico,
anda mesmo bronahitico; erysipela, enxaquecas;
internitentes (sem o emprego do fatal quinino) ;
toase convulsa, falta de menstrua$o ; cmaras de
sangue : esterics ou tnetrite; dores de dentes_ ou
nevralgias, metrorragia ; vermfugos, dentico e
oonvulsoes das criancaa ; tudo manipulado de her-
vas do paiz.
Assim como tratara-se escrofulosos em qaalquer
grao e gommatoaos.
Conultorio medico-eirnrgice
O Dr. Estevn Ca val cante de Albuquerque con-
tinua a dar consultas medico-cirurgicas, na roa
do Bom Jess n. 20, lo andar, de meio da as 4
horas da tarde. Paras? domis eonsulta e visi-
tas em sua residencia provisoria, ra da Aurora
o. 53, 1 andar.
s. e>i>i :n : i> consaltorie 95 e residencia
126.
Especiaidades Partos, molestias de creacas,
Nd'nltt taseus annexos.
BONITO
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico en-
luta, ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, muiou gen consultorio, do 2.
andar da casa n. 45 ra do Baro da
Victoria, para o 1." andar da casa n.
51 da meama roa. Consultas de meio
dia s 3 horas da tarde. Besidencia
ra Sote de Setembro n. 3 A.
i
Oculista
i
Dr. Ferreira da Silva, con-
sultas das 9 ao meio dia. Resi-
dencia e consultorio, n. 20 ra
Larga do Rosario.
Dr. Carneiro Leo
MEDICO
Tem o seu consultorio e residencia roa
Livramento n. 31. 1 andar. Consultas de 11 ho-
ras da manha s 2 da tarde. Chamados por es-
eripto a qualquer hora. Especialidade :febres,
partos e molestias de criancas.
Licor depurativo vegetal iodro
DO
Medio Quinte.la
Este notabilissimo depurante que vem precedi-
do de to grande fama infallivel na cura de todas
as doeneaa syphi'iticas, escrofulosas, rheumaticas
e de pelle, come tumores, ulceras, dores rheumati-
cas, ostcocopas e nevralgicas, blennorrhagias agu-
das e chronicas, cancros svphiliticos, inflamma-
coes visceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, intes-
tinos, etc., em todas as molestias de pelle, simples
ou diathericos, assim como na alopecia ou queda
do cabello, e as doeucas determinadas por satu-
raban mercurial. Dio-se gratis folhetos onde se
encentram numerosas experiencias feitas com este
especifico nos hospitaea pblicos e muitos attesta-
dos de mdicos e documentos particulares. Faz-se
descont para revender.
Deposito em casa de Paria Sobrinhe & C.
Ba do Mrquez de Olinda n. 41.
}
Escola particular
Mara dos Arijos Dornellas Cmara,
profe880ra particular, contina a lec-
cionar, na casa de ana residencia roa
Duque de Casias n. 70, 2' andar, as
materias que constituem a iustrucco
primaria, e os trabamos de agulha e
bordados. O exercicio d'este por espaco
de mais tres anuos um garante de
Boas habilitacea, e espera merecer dos
pas de familia a subida honra de lhe
confiarem suas filhas.
A' tratar na casa cima.
38
{
{
Pergnnta-se ao 8r. Joaquim Tavares Pinheiro,
.morador no engenhairo Onrsal de Bois, da comar-
ca de Bonito, com que diwito tem em sen poder
peasoas livres a titulo de escravos ?
E' c.tto que casas- pessoas toram escravos de
sen irmao Jos Tavares Pinheiro (ato mesmo sem
ttulos Icgaes); mas tendo este fallido, s a massa
tinha direito aos meamos escravos, no entanto esta
entregou-os ao abandono e por conseguintc eato
Kvres de facto e direito.
Ter o 8r. Pinheiro ttnlos legaes que provem
o dominio dos meamos escravos ? isto o que
compete a autoridade competente averiguar e as-
sim espera
Um abolicionista.
Prevengo
Previne-se a quem interessar possa, que a rea
compreheudida da .igreja da Penha at o largo
das Cinco Pontas, entre as raas das Calcadas e
Vidal de Negreiroa, terreno foreiro, pertencente
ao antigo vinculo 8alvador Curado Vidal, cuja
succesaora trata de habilitar-ae para haver oa
reapectivea foros e quem asaim dos terrenos entre a
igreja do Espirito Santo S. Francisco e Rosario
como melhor explicar-se ha na roa da Penha n.
23, loja.
N. 12. Attesto ter empregado com van-
ajo80s resultados em doentes de tubercu-
loso pulmonar, em minha casa de saude, a
Emulsao de Scott oleo de fgado de baea-
lho com hypophosphitos de cal e soda.
O referido e vejdade e o juro in fide me-
dici.
Rio do Janeiro, 15 de outubro de 1884.
Dr. J. Tavano.
EDITAES
Dr. Fernandes Barros
Medie*
Consultorio roa do Bom Jess n. 30.
Consultas de meio dia i 3 horas.
Residencia rna da Anrora n. 127.
Tslephone n. 450
CLNICA.
de partos, moit'*lia de enhoras
c de crlanca
Dr. Joo Paulo, medico aggregao do hoapital
Pedro II, i'esta cidade, com pratioa e estados ea-
raes as principaea maternidades e hospitaes
mulherea e de criancas de Pars e de Vienna
d'Austria, faz todas as operaces obsttricas e c-
rargcaa coocernentea aa auaa especialidadea.
Consultas das 12 aa 3 horas da tarde, na roa
larga do Rosario n. 26, primeiro andar.
Residencia. Ra a Imperatriz n. 73.
MEDICO
O abaixo assignado, que at agora asaignava-se
Dr. Silva Britto,previne a seus colleras e ao
publico, que, para evitar coufusoes, que j toe
havdo, por exercer neata cidade, onde batste
conhecido com o ultimo termo d'aquelle apellido,
um outro collega mais antigo, previne ue,,aue
d'ora em diante asaignar-se-hnDr. Joo Paulo.
Recite, 1 de Agosto de 1886.
Dr. Joo Paulo da Silva Bruto,
4. Seceo.Secretarla da Presdem-
ela de Pernambuco. 9 de Afmto
de issb
De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, fago publico, para conhecimento da inte-
reeaada, que o Exm. Sr. Ministro e Secretario d Estado dos Negocios do Imperio, declarou em
aviso n. 3259, de 31 de Julho findo, que nao pode
ser tomado em conaideraeo o pedido de Mara da
Conceicao Castro Bahianna, no sentido do se lhe
couceder um auxilio pecuniario, afim de poder
educar seos filhos, visto que o governo nao tem
faculdade para realisar ccncesses desta natureza.
Servindo de secret.no,
Emiliano Ernesto de Mello 'lamborim.
Edital n. 2
O administrador do Consulado Provin-
cial, faz publico a quem interessar possa,
que em cumprimento da portara n. 35 ex-
pedida em 24 do corrente pelo 111 tn. Sr.
Dr. inspector do Tbesouro, ser effectuada
por esta repartigUo, no espago de 30 dias
uteis, contados da data presente e livre de
multa, a cobranga, conforme a relaga in-
fra, das annuidades e mais servig03 da
Racife Drahage Corapany relativamente ao
2. semestre do exercicio de 1885-1886.
Consulado Provincial de Pernambuco,
27 de Julho de 1886.
Francisco Amyntas de Carvalho Moura.
BEI.A9AO A QUE SE BEFERE O EDITAL SPBA
Frequezia do Recife
Ras :
Mrquez de Olinda, Bam-Jesus, Alvares
Cabral, Commercio, Bispo Sardinha, Tor-
res, Thom de Souza, D. Mara de Souza,
Vigario Tenorio, Barreto de Menezes, Ma-
riz e Barros, Burgos, Amorim, Moeda
Tuyuty, Companhia Pernambucana, Madre
de Deus, Domingos Jos Martins, Masca-
tes, Restaurado, D. Mara Cesar, Viscon-
de de Itaparica, Pharol, Areal, S. Jorge,
Vital de Oliveira, Guararapes e Barao do
Triumpho.
Pracas e travessas :
Assembla, Chaco, Pedro I, Vigario,
Madre de Deus, Campello, Domingos Jos
Martins, para o Corpo Santo, Antigo Porto,
Bom Jess, Areal, para a FundicSo, Occi-
dente, Guararapes e Praga de Pedro I.
Beccos;
Abren, Noronha, Largo, Pindoba, Ta-
pado e Paschoal.
Largos:
Alfandega, Corpo Santo e Assembla.
Cnes:
Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Ras :
Imperador, Primeiro de Marco, Duque de
Caxias, Cabug, Bar3o da Victoria, Trin-
cheiras, Laranjeiras, Larga do Rosario,
Estroita do Rosario, S. Francisco, J0S0 do
Reg, Ilha de Carvalho, Roda, Patos, Ca-
labozo Velho, Santo Amaro, Mathias de
Albuquerque, Paa, Paulino Cmara, Fogo,
Livramento, Penha, Visconde de Inha-
ma, Pedro Afiouso, Nova da Praia, Mar-
cilio Dias, Viracto, Lomas Valentinas, Co-
ronel Suassnna, Santa Tbereza, 24 de
Maio, Palma, Mrquez do Herval e Ca-
deia Nova.
Caes :
22 de Novembro.
Praga:
Pedro DI.
Travessas :
Queimado, Cruzes, Mrquez do Recife,
Ra Bella, Quarteis, Calabougo, Expostos,-
Matriz, Flores, Carmo, Bomba, Livramen-
to, Arsenal, 1.* e 2.* travassas da Praia,
Carcereiro, S. Pedro, Viragao, Lobato,
Becco do FalcSo, Pocinho e Concordia.
Beccos:
Travessa da Ra Bella, Calabougo, Ma-
triz, 1., 2." e 3. beccos da Camba, Fal
cSo e 1.* e 2. da Cadeia Nova.
Campo:
Princesa.
Largos :
Paraizo, Carmo, Penba, S. Pedro e Pra
ceta.
Freguezia de S. Jos
Roas:
Mardlio Dias, Lomas Valentinas, Co-
ronel Suassnna, S. Joao, Palma, Mrquez
do Herval, 24 de Maio, Dias Cardozo,
Passo da Patria, Padre Nobrega, Victoria,
Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei
Henrique, Dique, AssumpgXo, Domingos
Tbeotonio, Padre Flqriano, ChristovSo Co
lorabo, Jardiro, Forte, Antonio Henrique,
Nogueira, Santa Ce-ilia, Santa Rita, Nova
de Santa Bita, S. Jos, Praia de Santa
Rita, Pescadores, Ypiranga, Imperial,
Praia do Forte e Loiz de Mondonga.
Travessas :
Mattyrios, "Ramos, Pocinho, Caldereir o
Gz, Fort), Prata, Serigado, Copiares
Ra Azul, Santa Rita, Praia do Forte, S
Jos, Peixoto, Matriz de S. Jos e Lima
Beccos :
Palma, Caldereiro, Gaz, Assumpgjlo, 1.
becco da ra de Santa Rita e Matriz de S.
Jos.
Largos:
Forte e Mmtvdo.
Freguezia da Boa-Vista
Ras:
Imperatriz, CoDeeigao, Visconde de Pe*
Iotas, Tambi, Capibaribe, Ponte Velha,
Conde da B6a-Vista, Riachuelo, Unito,
Saudade, Sete de Setmbro, Hospicio, Ca-
marita, Rosario, Gervasio Picea, Atalho,
Socego, Principe, Santa Cruz, S. Gongaio,
Coelhos, Hoapital Pedro 2.", General Saa-
r >, Coronel Lamenha, Alegra, LeSo Co-
roado, BarSo de S. Borja, Soledade, Vis-
conde de Goyanna e Attracgao,
Travessas:
Gervasio Pires, Atalho, Coelhos, Barrei-
ras, Veras, Quiabo, Joo Francisco, Man-
gueira, Campia e Palacio do Bispo.
Pragas:
Conde d*Eu e Santa Cruz.
Largo:
Campia.
Becco:
Colho.
Edital n. 4
O Illm. Sr. Dr. inspector deste Thcso'iro, em
vista do resultado do trabalho da oinmissao en
carregada, uos termos do art. 6 da lei n. 1,860, de
liquidar oa dbitos provenientes de calfaircnto e
passeio deet i eidade, manda convidar aos senhores
proprietarios dos predios constantes da relacao in/-
fra, para dentro do praxo de 30 das virem cat.i
reparticao recolher a importancia do calcatnento,
qne de accordo com as leis em vigor foi executado
pelo respactivo empreteiro, sendo que esgotado
aquelle praxo aeraj extrahidas as coutas para so
effeotuar a cobranca judicialmente oam a multa do
dobro. na forma do art. 6 do Reg. do 1854.
Secretaria do Thesouro Provmcial di! Pernam-
buco, 13 de Agosto de 1886.
O secretario,
Affonso de Alhuqueique Mello.
Aico da Conceseo
Nmeros
2 Irmandado da Conceicao da Ponte 30*000
4 A mesma 30*000
6. A mesma 30*000
Caes d'Alfandega
3. Herdeiros do Dr. Joo Rarmundo
da Costa Menexes 540*000
Largo d'Alfandega
2. Ir mandada de Sant'Anna da Ma-
dre de Deus 150*000
4. A mesma 150*000
Rna da Moeda
1. Emilia d'As8umpeao Tavares da
Cunha, herdeiros de Jos da Ca-
noa e Joao da Cunha 45*000
3. Os mcamoa 45*000
5. Antonio Franciaco Ferreira e Ma-
ra da Conceicao 180*600
9. Dr. Ludugero Goncalvea da Silva
e filhos de Hermenegildo Goncal-
ves da Silva 90*00 i
13. Clementinada Silva 117*003
15. Luiz Goncalves da Silva 120*000
19. Barao de Campo-Alegre 144*000
23. Antonio Jos Pereira 104*400
2j. Antoaio Martins Duarte 87*900
27. Franciaco Quedes de Araujo 64*200
29. Manoel Antonio dos Santos Fon-
tes 111*000
11. Herdeiros de Qaetano da CoataMo-
reira 150*000
17. Antonio Baptiata de Araujo 108*000
Amorim
2. Manoel Ignacio de Oiiveira 450*000
14. Manoel Jos de Aguiar 66*600
16. Manoel Joaquim do Sacramento
Cunha 75*000
18. Joaquim de Sonsa Silva Cunha 93*0'O
20. Henrique Bernardos de Oliveira 102*000
22. Margarida Rodrigues da Silva 5*800
24. Luis Jos da Costa Amorim 45*000
28. Antonio Maria da Silva e Rosa
Mara do Rgo 36*010
30. Manoel Fernanda Velloso 18*00->
36. Joao Antunes Gumaraes 7.'5 O)
38. Manoel Jos de Aguiar 480600
42. Joaquim Pereira Arantes 30*000
66. Manoel da Suva Santos 165*0: i0
13. Francisco Tavares Lima 99*000
17. Jos JaeomeTasso 141*600
19. Herdeiros do Antonio Jos Ramos
e Joao Joa da Cunha Lages 126*000
21. Bernardino da Silva Lopes 175*200
25. Mosteiro de 8. Bento 144*: >0U
27. Manoel da Costa Guedes 116*400
3). Herdeiros de Joa Fernandes e Ge-
nuino Jos Tavares e outros 138*000
29. Manoel Fernandes da Costa 116*400
Vigario Tenorio
24. Mosteiro de S. Bento 150*000
33. Joao Jos da Cuuha Lages 150*000
Maiiz e Barros
12. Joo Jos Ferreira de Carvalho 36*000
16. Joaquim Pereira Arantes 120*000
Cammercio
42. Herdeiros de Augusto F. de Olivei-
ra 180*000
Bom Jesua
26. Jos Antonio Mjreira Dias 162*000
44. Irmandade de S. Benedicto 120*00 )
15. Joaquim Mara Pereira Vianna 97*500
Torrea
6. Mosteiro de S. Bento 159*000
1G. Capaila dos Praxeres dos Guarara-
pes 103*:0J
Rastauracao
30. Francisco Jos Rodrigues Braga 45*000
40. Marcelino Jos Goncalves da Fon-
te 180*0 0
1. Henriqueta Ferreira Lopes ;54*000
3. A mesma 141*000
29. Jos da Rocha Prannos e T. V.
Baptiata 79*200
Bispo Sardinha
12. Manoel Pereira de Araujo Vianna 175*200
Barreto Menezes
4. Herdeiros, netos de Joa Joaquim
D. Fernandes 116*400
Visconde de Itaparica
26. Sociedade Theatral 300*000
44. Barao do Livramento 45*000
21. Joao da Cunha Magalhaea 36*000
27. Joao Franciaco de Suusa 36*000
29. Franciaco Joa Regallo Braga 36*000
Companhia Pernambucana
8. Clementina Theodora da Silva 135*000
10. Ameama 135*000
10 A. Joo Alvea da Silva Gnimaraes 180*000
12. Clementina Theodora da Silva 180*000
Domingos Jos Martins
14. Isabel Raymunda dos Santos Pi-
nheiro 61*800
40. Joaquim Antonio Pina 45*i00
56. Irmandade de Nossa Senhora de
Rosario do Recife 45*000
60. Francisca e suas filhas, Oliva e Se-
bastiana 86*000
80. Mosteiro de S. Bento 117*60 >
84- Irmandade do Rosario do Recife 60*000
92. Marcelino J. Goncalves da Fonte 75*000
138 Viuva Lacerre 345*000
16. Miguel Joaquim da Costa 45*000
D. Maria Cesar
27. Irmandade de Senbor Bsm Jess
dos Pasaos 21*600
10. Miguel Josquim da Costa 45*0^,0
20. Bernardo A. Ferreira e Antonio
Ribeiro Ferreira 36*0 0
21. Franciaco Joa Regallo Braga 60*000
37. Antonio Joaquim ascao 80*000
39. Luis Amsral Doubourcq 90*000
29. Januario d'Oliveira Mello 25*000
Maacatea
2. Anglica Bernarda de Miranda 21*600
4. Manoel Martina de Carvalho 21*600
6. Anglica Bernarda de Miranda *0'0
8. Antonio Joaquim Casuo 48*900
10. Irmandade de Nossa Senhora do
.Amparo 39*800
12. Antonio Joaquim Cascao 18*000
1. Irmandade das Almas, do Recife 16*500
3. Baro de Una 18*000
5. O mesmo 18*000
7. O mesmo 18*0o0
9. Antonio Diogo da Silva 18*000
11. O mesmo 18*000
13. Omeamo 18*000
15. Omeamo 18*000
Travessa da Madre de Deus
16. Joao Martins de Barros 215*000
5. Joaquim Peieira Arantes 15t)*000
7. Jos Marcelino da Rosa 126*900
Travesa do Apollo
1. Santa Cruz dos Canoeiros -38*900
3. A,mesma 13/600
Travessa do Campello
2. Antonio de Aasnmpcao Cabral e
outros 7^*600
4. Antonio-Jos Rodrigue* de Soasa 120*000
1. Joaquim Goncalves Ferreira
3. Joaquim Jos de Carvath'j Mar*.
Ihies V
Travessa do Corno Santo
18. Dr. Pedro Bezerra Araujo Beltro
Travessa do Bom Jess
Constancio Radrgues Mendes
Travessa de Domingos Jos Martina
Francisco de Miranda L?al Seve
Galdino dos Santos Vanes de Oii-
veira
Travesea do Abren
Aodr de Aquino Ferreira e ou-
tros
1. Joaquim Fernandes Ljdo (2/8)
Becco Largo
2. Henrique Gibson e Alfredo Gibson
6. Luiz Amaral Dabourcz
108*000
8.
8.
4.
4.
Caes da Companhia Pernambueana
32. Companhia Pernambucana
4. Luis Jos da Costa Amorim
20. Companhia Pernambucana
22. A mesma
24. A mesma
Praca da Assembla
1 A. Visronde do Livramento
1 B. Omeamo
Beeco de Tocolombo
8. Herdeiros de Manoel Goncalves
Chaves
6. Frauci seo Jas Regato Braga
4. Vicente Ferreira Ncpomuceno
2. Bernardino da Silva Costa Cam-
pos
1. Irmandade de S. Bendieto
3. Antonio Joaquim Marques
5. Joa Franciaco de S Leito
Ra dos Tanoeros
1. Mosteirc de S. Bento
3. O mesmo
Ra do Barao do Triumpho
4. Manuel Jos Dantas
8. Visconde J Livramento
1". 0 medmo
j4 < O mesmo
42. O mesmo
44. Alian Paterson & C.
46. Jos Antonio Gumaraes
56 O mesrno
58. O mesmo
64. Manoel Duarte Rodrigues
66. O mesmn
68. Maneel de Souza Mendonca Vianna
74. Antonio Ignacio do Reg Me-
deiros
86. Baro de Morenos
88 O mesmo
90. O mesmo
IB. E. A. Burle
23. Claudino Jos de Mello
25. O mesmo
27. Lugero Texeira Lopes
29. O mesmo
31. Visconde do Livramento
65. Raphael Fernandes Abrantes
57. O mesmo
59. Manoel Duarte Rodrigues
61. Manoel da Si I va Fernandes Vianna
63. Manoel da Suva Mendcnca Vianna
73. Joo dos Santos Coelho
83. Francisco Joa Moreira de Souza
5. Joo Jos Rodrigues LofHer
7|A. Manoel Martina de Carvalho
7 B. O mesmo
Tendo sido designado por portara do
25*O0OJl ^m" *r' ^r" Administrador desta wgarti-
gao, para proceder, na freguezia do Reci-
fe, m collecta dos diversos impoatos provin-
ciaes relativos ao ezercioie de 1886 a 1887,
aaaim o declaro aos respectivos contribu ri-
tes quo, na forma do Regulamento de 4
de Julho de 1879, devoran instruir as re
clamagoes verbaes que fzerem em vista de
documentos comprobatorios.
Dtrei principio ao trabalho de que me
acbo incumbido pelas ras do Maquea de
Olinda, Bom Jess, Alvaro Cabral, Tho-
m de Souza, Commercio,1 e Caes e Largo
da Alfandaga.
1* Secgo do Consulado Provincial, 13
de Agosto de 1886.
O langador,
Joaquim Tranquilino Lemos Duarte.
18*000
21*000
75*500
117*000
60*000
60*000
45*000
103*600
150*000
120*000
360*000
360*000
360*000
300*000
30OJOOO
18*000
36*000
18*000
21*000
21*000
18*000
18*000
2T*000
36*000
75*000
90*000
95*000
1:800*000
360*000
2*5*000
90*000
60*000
75*000
45J000
60*000
75*000
120*000
260*400
949*900
235*950
45*000
28800
28*800
14*400
14*400
375*000
36*008
18*000
40*950
21*600
21*600
108*000
60*000
36*000
(Contina.)
36600
Edital ii. 744
De ordem do inspector garal, faco saber ao pro -
fesaor Manoel Joa da Cmara, da cadeira da
Varzea Redonda, que Ib-; fica marcado o prasj de
15 dias para responder sobre o abandono da sua
cadeira, visto ter deixado de reassumil-a depois
de finda a licenca obtida, e haver decorrido mais
de seis mezes fra do txircicio della.
Secretaria da instrnev io publica de Pernambu-
eo, 6 de Agosto de 1G86. O seeretario,
Pergentino S. de Arauje Glvo.
DECLARACOES
Juizo dos feitos dafa-
zenda nacional
Eserlvao Bogo Barros
O Dr. Alvaro Barbilho Ucha Cava lean te J-
nior, juiz substituto dos feitos da fazenda desta
provineia de Pernambuco, etc.
Faco saber a todos que o presente virem e delle
tiverem noticia, que no dia 20 do corrente mez,
pelas 11 horas da manh, depois da audiencia e
perante este juizo, se vender em praj publica os
bens seguintes : *
O dominio til do terreno de marinha n. 48,
aito ra dos Coelhos, freguezit da Boa-Vista,
com 120 metros de frente e os fundos at a mar-
gem do rio Capibaribe, pertencente aos herdeiros
de Antonio Carneiro Machado Ros, pela quantia
de 603*000.
A casa terrea sem numeraco, sita confronte a
estaco do Porto da Madeira, em Beberibe, fre-
guezia de S. Pedro Marryr de Olinda, contendo a
mesma 3 portas na frente e 1 no otao, do lado do
poente um salo, com terreno em aberto, proprio,
e proprio para plantaces, estando em bom esta
do, pertencente a Jos Vicente Gondim e boje a
stua herdeiros, avaliada por 2:000*.
A casa terrea de tijo'o e cal n. 1, sita no lugar
ios Coelhos, freguezia da Boa-Vista, e urna otaria
em seguida mesma caaa, tudo. coberto dn telha,
contendo nm forno de cos.nhar materiaes, achan-
do-se todo o predio em mo estado, pertencente
aos herdeiros de Jos de Amorim Lima, avaliado
tudo por 800* ; sendo que todos os bens cima
mencionados vo praca por execnco da fazenda
nacional. Recife, 10 ie Agosto de 1886.
A. Barbalho Ucha Cavalcante Jnior.
Juizo de paz da Boa-Vista
Arremataco
Depois da audiencia do dia 17 do corrente iro
em Laata publica para serem arrematados quatro
cabras, urna perca e um bacurinho, remettidos
este juizo pelo respectivo fiscal, po: andarem va-
gando as ras desta cidade. Freguezia daBor-
Vist*, 12 de Agosto de 1886.
O escrivSo,
Alfredo Franciaco de Souza
t
Cantldio Cesarlo das Meves
Sao convidados todos os Sra. Socios do
Congresso Dramtico Beneficente para,
congregado*, assistirem missa do stimo
dia depois do fallecimento daquelle finado
consocio, que esta sociedade manda cele-
brar pelo seu repouso oterno, na igreja do
Espirito Santo, pelai 7 1|2 horas da ma-
nba do dia terca-feira, 17 do corrente.
Comrida-se igualmente a desolada viuva,
parentes e amigos do finado para este acto
de religiao e candada.
O secretorio,
Antonio Paes.
Consulado Provincial
O abaixo assignado, langador desta re-
partigo, avisa a quem interessar possa,
que vai proceder aos langamentos da de-
cima urbana e mais impustos provinciaes,
relativos ao exercicio de 1886 a 1887, na
fregueia de S. Jos.
utro sim, pede aos respoctivos aquili-
nos para terem de prompto os seus reci-
bos afim de em vista delles effectuar a
collecta ; no csbo em contrario arbitrar
na forma da lei : e tambera qnando lhe
parecer doloso ou lesivo o documento apre
sentado.
Dar : o mego ao seu trabalho no dia 16
do corrente, percorrendo nesaa semana as
seguintes ras : Marcilio Dias, S. Jlo,
Coronel Suaaeuea e Val d*> Negreiros.
1* Secgfto do Consulado .Provincial, 13
de Agosto de 1886.
Felinto do Reg Barro Pesoa.
SOCIEDADE
BiMe Lns-Brastleira
Assembla geral
Eleice
Nao tendo-se reunido numero legal de socioa
para ter lugar a seaso de assembla geral, con-
vocada para 12 do corrente, sao de novo convida-
dos os senhores socios para aaaatirem a aesso,
que ter lugar eom o numero que comparecer,
segunda-fura 16 do corrente, .'s 6 horas da tarde,
na sede social, ra nova de Santa Rita n. 5,
primeiro andar.
Secretaria da aaaembla geral da sociedade Be-
neficente Luso-Brasileira, 14 de Agosto de 1886.
O 2- secretario,
Ramiro Costa.
i*rolonganiento da estrada de
ferro de Pe roa tabuco e estra-
. da de ferro do Recife Ca-
ma r
De ordem do Illm. Sr. director faco publico que
at o dia 17 do corrente, ao meio dia, no Escrip-
torio Central ra de Antonio Carneiro n. 137,
recebem-ee pmpostas em carta fechada para o
fornecimento dos seguintes objectos, necessarios
ao almoxarifado desta reparticao.
Armacoea de aerra metlica, 6.
Atios de conro para cozer corieiaa, 33.
rame de ierro de 1/8, kilos 30.
Ac de bexigas, kilos 50.
Dito de Milo, kilos 50
rame meia canna para contra pinos, 1/16, ki-
los 5.
Dito, idem, dem, idem, 1/8, kilos 5.
Dito, idem, idem, idem, 3/16, kilos 5.
Algodo em rama, kilos 3.
Areia da Parahyba, barricas 10.
Amarello francez, kilos 10.
Azul ultrrmar, kilos 21.
Alvaiade de zinco, kilos 253.
Borracha em cano, kilos 20.
Barro para forno, barricas 30.
Corda de linho, pecas 10.
Chamins ns. 1 e 2, 80.
Ciscadores 25.
Cadernetas de locaco 100.
Ditas de resumo 100.
Ditas de aeccoes transversaes 100.
Candieiros com abat-jour 2.
Chaves inglezas 36.
Camurea, pelles 4.
Cimento, barrica 1.
Campainhas 2.
Cr, kilos 15.
Carvo Cardiff, toneladas 300.
Dito Coek, toneladas 2.
Chapas da lato 14.
Canoa de chumbo, kilos 230.
Chumbo em barra, kilos 20.
Coatadinhoa de amirellc 12.
Cal preta, alqneirea 75.
Cal de Lisbu*, barricas 2.
Correia ingleza, metros 1S.
Curvas de ferro fundido 4.
Do'mentes 5,000.
Dsticos diversos para aa estacSes 10,000.
Estojo de desenho 1.
Esmeril em p, kilos 5.
Esmeril de granito, kilos 5.
Estopa de cr, kilos 250.
Folhas para serra, 6.
Fio solado de algodo, metros, 100.
Fio coberto de seda verde, metros, 60.
Fio coberto gutta-percha, metros, 50.
Fio de ferro, metroa, 500.
Feichaduraa de lato, 24.
Ditas de ferro (para porta) 25.
Fio de vellaa, kilos, 6.
Ferros para soldar, 6.
Fardetas, 12.
Ferro fundido, kilos, 100.
Grelhas grandes para machinas, 200.
Ditas pequeas, idem 80.
(jengibre, kilos 2-
Gold Size (veraiz) litos, 30.
Livros em branco de 100 folhas, 20.
Ditos dito de 50 ditas, 15.
Ditos dito de 200 ditas, 10.
Ditos dto de 120 dits, 4.
Ditos dito de 60 ditas, 2.
Lin, pecas 3-
L nha, acbas 4,000.
Martelloa para serralheiro. 10.
Malhoa 2.
Mancaes de fero fundido com bronze, 8.
Oleo de mocot, litros, 80.
Dito para machina, litros, 200.
Dito para candieiro, litros, 20.
Ocre, kilos, 40.
Ocre arruda, kilos, 20.
Pavios para lanternas e phares, 48.
Preto marfim, kilos, 10.
Pos pretos, kilos, 30.
Paos de aecupira, 35.
Pinccis para tracoa, K.
Pollas de ferro, 5.
Pennaa Gillot, caixa, 1.
Plaina, 1.
Placas, 36.
Parafuzo com cabeca chata ou quadrada, 260.
Ditos de lato, grozaa, 25.
Ditoa de ferro escoriados; groas, 70.
Ps quadradas, 90.
Ditas de pont i, 12..
Pos de btoozear, kilo, 1.
Quiris, 70.
Hedonas para o galvanmetro, 12.
Serra circular, 1.
Dita sem fim, 1.
Soda, kilos, 10.
Sobresalentes de mata-borro, 24.
Secante (fezes), kilos. 40.
Sida forte, kilos 12
Secante banco, kilos 7.
Serroto, 1.
Sndalo, kilos 6.
Tinteiros 12.
Torce-fios, 2.
Taloes para entrega de mercadorias, 20.
Ditos-T 26, 50.
Ditos T 27, 50.
Ditoa T 24, 100.
Ditos ordena de servico, 50.
Tympanos, 3.
Tijollos fraaceres, 100.
Trincal, kilos 7.
Taixas de cobre, macos 10.
Ditoa de dito, kilos 5.
Tiboas de amarello, 44.
Tijol.os de al venara, 5000.
Ditos Tcpaotarioa, 1000.
Terra de Siine, kilos 15.
Tenas de vidro, 6.
Tornos para bancadas, 4.
Tornearas de snetai, 3.
Vergalh^s de 3/8 (ferro ingles), 25
v'elaa etearinas, libras 6.
Vergslboes de cobre, 10.
Vermelho da China, kilo 1.
Verniz branco, kilos 10.
Vidros para niveis, 10d.
Ditoa e corea, 169.
Ditos para lanterna, 12.
Ventilador, 1.
Vassouras americanas, 2.
Zarco, kilos U0.
Zinco, kilos 10.
I Oa sbjeatos sero e primeirqnalidade e en-
tregues eonvenienteBieBte aocondieeioriados, no
Almoxorifado, na Estaoio das Cinco Pontas ou na*
Oficinas da Estrada de farro de Caruar, confor-
me as exiajBneJBs do servico.
Os Srs. proponentes nao deverao mencionar em
suas prjpostas aeno os objectos constantes do
presente edital; devendo acompanbnl'-ais da1 res-
pectivas amostras; condjco essenoial par narem
acceitas.
N'este escriptorio serlo prtads'fl'lnfcia-
e&es necessarias. Aa proposta sero abertaa e
lidas no lugar dia e hora cima indieadse, na pre-
senca dos Srs. proponentes, que devero sellal-as e
assignal-as, indicando Bas residencias.
O fbraacimeato peder ser ajustado eom um s
proponente; ou parcialmente, conforme as vanta-
gena que ofierecer.
Secretariado Prolongamento da Estrada de Fer-
ro de Pernambuco e Eatrada de Ferro do Recife ,
a Caruar, 13 de Agosto de 1886.
O Beeretario,
Uanoel Juvenoio Sabova.
VENERAVEL IRMANDADE
na
O. da Luz no convento de
Carmo
MESA GERAL
i'riowira convooacio
De ordem da mesa administrativa, convido a
todos os nossoa carissimos irmos a comparecerem
em noaso consistorio no domingo 15 do corrente,
pelas 3 1/2 horas da tarde, afim de em mesa geral
eleger o vice-juix, de conformidade com o novo
comprcmisBO.
Consistorio, 13 de Agosto da 1886.
Jos Ramos Silveira Jnior,
Secretario.
Matriz de Santo Antonio
Veneravel irmandade do Santissimo Sacra-
mento
De conformidade com as dispoaices do eom-
promisso convido aos irmos d'esta veneravel ir-
mandade, a comparecerem no respectivo consisto-
rio, s 11 horas da manh do dia 15 do corrente,
para o fim de proceder- se eleieo doa irmos que
preencham as vagas existentes na mesa regedora
do anno compromissal de 1886 a 1887.
Consistorio, 12 de Agosto de 1886.
O escrivo,
Henrique Almeida.
Secretaria da veneravel ordem ter
eelra lo aeraahico padre *". Fran-
cisco, do iteeife. II descosto de
De ordem do carissimo irmao m.nistio, convido
a todos os nossos irmos em geral a eompasece-
rem no da de demingo 15 do corrente, pelas 8
horas aa manh, na igreja de nossa veneravel
ordem, afim de assistirmos a missa cantada N.
S. da Ajuda, padroeira dos novicos.
Igualmente convido a todos os candidatos ap-
provados entrarem de irmos. e : os nossoB ir-
mos novicos despachados, para professarem, a
comparecerem uns e outros para realisaiea suas
entradas e profissoe8,s roesinaa horas do dito dia.
Joaquim Jos da Costa Valente,
Secretario.
Sociedade Becreativa Juvenlude
A presidencia desta sociedade, agradecendo a
todos os convidados a maneira lhana o delicada
com que receberam aa cooimissoes que distribui-
ram os convites para a soire do 22 anniversario,
a realiaar-ae em 14 do corrente, tem a di atine t a
honra de participar-Ibes qe a dita soire prin-
cipiar s 9 horas da noite.
Os ingressos para os Srs. assoeiados continuam-
se a fornecer em caaa do Sr. Thesoureiro, at ao
dia da partida.
Os socios diatinctos que desejarem tomar parte,
sao convidacos assignarem a respectiva lista.
Form tmente se previne que nao se admittem
aggregadoa.
Recite, 9 de Agosto de 1886.
O 1 aecretario,
Joo Alfarra
Santa Casa da Misericordia do
Recife
Por eata aecret ria ao charoadoa oa pareutes
ou protectorea daa menore8 conatantea da relacao
afra, que vo ser recolhidas ao ollegio daa or-
phs.
Relacao das orphas abaixo inscriptas, que nesta
data vo ser admittidas no collegio das orphas
1 Ricarda, filha de Antonia Marcelina de
Oliveira.
2 Joaquina, filha de Joanna Mara da Con-
ceicao.
3 Maria, protegida de Joaquim Dominguts
Ferreira.
4 Adelina, filha de Brasilia da Conceicao
Teixeira.
5 Elisa, idem idem idem.
6 Maria, filha de Eugenia Maria de Oliveira
Lagos.
7 Leopoldina, idem idem idem.
8 Guilhermina, sobrinhi de Francelina Bri -
gida Soares.
9 Maria, filha de Sophia Carolina de Moraes
Costa.
10 Caiolina, filha de Noemesia Florida de Ll
ma Costa.
11 Maria, filha de Paulina Maria dos Pra-
zeres.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 5 de Agosto de 1886.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Companhia de E'ficac-Oes
O escriptorio desta
companhia acha-se in-
stallado na praca da
Concordia n. 9, conser-
vndole aberto das 7
horas da manh s 5 da
tarde, em todos os dias
uteis.
Incumbe se de cons-
truccoes e reconstruc-
Qes.
Recebe-se informa-
c,es acerca de terre-
nos na cidade e subur-
bios, e a respeito dos
quaes queiram os res-
pectivos donos fazer
negocio.
No mesmo escripto-
rio se encontrar as
amostras dos produc-
tos da olaria mechani-
ca do Taqnary, pro-
priedade da e s m m a
companhia.

s*<


Diario, de PernambucoSabbado 14 de Agosto de 1SS6
Club Imperatriz
n i a F.Tm Sr. presidente comvido a
t !. soc^'a se rehiren, em assembl.
S asUbo"^ manha de domingo 15 de
I^obIo, nasde do Club, ra da Lr-peratm n.
tfl'andar, afim de se tractar de interesae so-
C'Recife, 12 de Agosto de 1886.
O secretario,
Antonio Maciel de Siqueira. _
Santa Casa de Misericordia do
Recife
No dia 15 do corrente, na igreja de N. b. do
Paraizo, pelas 10 horas da manha, terde solem^
ni.ar-se afestividsde da Excelsa P^ioe.rn da
irmandade da Misericordia, que a junto admin,s_
trativa deata santo casa manda celebrar, como de
costum-, t ndo- se incumbido de d.scorrer sobre
o evareeltao do dia o Exm. Revm. Sr. v.garioda
faeRueia da Boa-Vista, padre Augusto Franklm
Moreira da Silva. Convido, pois para asaistir a
esse acto a todos os senhores mordemos e irmaos.
O estabelecimento dos expostos nesse da pode-
ra ser visitado desde que se concluir o acto reli-
gioso at as 2 horas da tarde.
Secretaria da Santo Casa de Misericordia do
Recife, 12 de Agosto de 1886.
O secretario.
Pedro Rodrigues de Souxa.__
MotcT de Soccorro de
Pernambuco
Os posauidores das cautellas de penh-
rea dos nmeros abaixo, sao convidados, a
resctalas at o dia 26 do corrente roez.
10,922 10,942 11,062 11,128 11,209
11 273 11,388 11,413 11,512 11,610
11 611 11 617 11,618 11,620 11,629
11 632 11,633 11,634 11,637 11,645
Ll 646 11,649 11,654 11,655 11,659
ll',666 11,677 11,637 11,752 11,705
11 714 11 715 11,729 11,734 11,736
11 746 11 747 11,748 11,754 11,756
11759 11,961 11,763 11,764 11,769
11 867 11,871 11,873 11,874 11,879
11 883 11,884 11,885 11,904 11,909
11910 11,927 11,931 11,938 11,941
11 945 11,946 11,650 11,951 11,954
11 956 11,957 11,961 11,963 11,970
11 971 11,974 11,975 11,976 11,981
11 984 11,985 11,087 11,988 11,990
11 991 11,992 11,994 11,995 11,997
11998 11,999 12,000 12,001 12,004
12,008 12,009 12,010 12,017 12,018
12022 12,024 12,025 12,027 12,028
12 036 12,039 12,041 12,055 12,067
12 069 12,077 12,078 12,076 12,081
12,082 12,083 12,084 12,089 12,090
12,091 12,093 12,094 12,098 12,099
12101 12,102 12,103 12,104 12,<05
12,106 12,107 12,108 12,109 12,110
12 118 12,121 12,123 12,127 12,128
12,129 12,132 12,133 12,140 12,147
12,152 12,155 12,157 12,158 12,163
12,165 12,168 12,172 12,178 12,186
12,187 12,188 12,190 12,191 12,198
12,201 12,202 12,^03 12,207 12,208
12,212 12,216 12,217 12,220 12,229
12,230 12,231 12,235 12,238 12,239
12,243 12,244 12,249 12,250 12,255
12,256 12,257 12,273 12,288 12,289
12,296 12,299 12,300
Recife, 5 de Agosto de 1886.
O gerente,
Felino D. Ferreira Celho
Preparados
DA
MALTE MilFACTRIHG C.
LONDRES
Oleo de Agailo de bacalbo e leite
pepltonlado
Esto preparacio too saborosa que urna crian-
za promptamente a toma.
O leite digerido tem a propriedade de quasi in-
teiramente disfarcar o oleo e as pessoas de diges-
tao mais dbil podem tomar sem receio de gran-
de eficacia para aeccoes pulmonares, tsica, tos
ees, debilidades, etc.
Peptonoide de Carne
Um alimento nit'Ogeaoso composto de consti-
ruintes solidas de leite bem cerno gluten do trigo
(livre de gomma).
Recommendado as convalescencas de qualqner
doenca, febres, gastrite, dysenteria e toda e qual-
quer debilidade, aeja qual for a sua origem, espe-
cialmente usando se em combinacao com o ole ode
gado com leite.
Malllna
Um extracto concentrado de trigo, avea e ceva-
da fermentados.
Valor diastasico 30 veces o seu proprio peso !
O mais rico agente restaurador at boje eonhe-
cido, altamente apreciavel nos casos de debilidade.
Alimento Souluvel de carnlck para
crlancas
A analyse deste alimento demonstra que os seos
..constituates nutrictivos sao quasi idnticos com o
leite materno, por isto o alimento mais aperfei-
coado para crianca.
Fornecem amostras gratis aos Srs. mdicos.
Dopasito ra d Barao da Victoria n. 48
MMERCIO
Bolsa commerclal de Pernam-
buco
RECIFE, 13 DE AGOSTO T)E 188o.
As tres horas da tarde
Cotacie* officiau
Cambio sobre Londres, 90 dpr. 211/8 d. por 1JOOO,
do banco.
Cambio sobre Lisboa, visto, 157 0/0 de premio
do banco.
O presidente,
Pedro Jos Pinto.
O secretorio,
. Candido C. G. Alcoforado.
REND1MENT0S PBLICOS
, Mea de Agosto de 1886
KH>A OK&
De 2 a V
dem as 13
ALFANCEGA
. 290:0684183
13:423*888
kaoma. raoviacuo.
De 2 a 12
dem de 13
Total
33:510406
1:801*731
Sbcbb*dobia De 2 a 12
icw du 13
303:492*371
35:312*137
338:8044508
8:9684645
1:0374039
Coascu-ano Pbovuiciai.D* 2 a 12
dem de 13
3*cim deavuob Je 2 a 12
dem de 13
10:0054664
8:5154833
1:533*805
10:0494638
19:9184820
1:5104436
21:4294256
Estrada de ferro de Ri-
beiro Bonito
Nos termos do nico do art. 4 e arta. 5 e 9 g
2 ios estatutos, convida esto directora aos se-
nhores accionistas para recolherem ho London &
Brasiliaa Bank, a segunda prestacio de 10 0|0
do valor nominal de cada accao, a comecar desta
dato a 60 dias.
Recite, 20 de Julho de 1886.
O gerente,
Hyppolito V. PederBeiraa.
EMPREZA D Gil
Pede-se aos Senho
res coDsummidores que
queiramfazer qualquer
comunicaeo ou recla-
mach, seja esta feita no
escriptorio desta empre-
za ra do Imperador n
29, onde tambem se re-
cebera qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobradores
externos sao os Senhores
Hermlo Francisco Ro-
drigues Freir e Manoel
Antonio da Silva Oli-
veira, e quando for pre-
ciso o Sr. Antonio Mar-
lins Car.valho.
Todos os recibos dessa
empreza devero ser pas-
sados ejn tales carimba-
dos e firmados pelo abai-
xo assig? do sern o que
nao tero valor algum.
George Widsor,
Arsenal de Guerra
0 cooselho de compras recebe propostas no dia
19 do corrente at as 11 horas da uiauh, para a
compm dos artig#s seguintes :
57 marmtes para oito pracas.
48 saceos de brim para marmitoes.
12 marmitas para ccnduzir rancbo s guardas.
1 balanca romana, systema decimal, com pesos
at luO kilos.
2 caldeiras de ferro batido, para 50 pracas.
1 relogio americano.
1 temo de medidas para solide, at 20 litros.
1 dito de ditos para lquidos, at 2 li ros.
4 cadeiras de braco, de Jacaranda.
4 oleados espesaos para mesa com 5,m00 de
comprimento.
27 cinturL-s para msicos.
43 ditos para pracas, com terrageni.
426 cartucheiras para cintures.
426 palas para ditos.
426 patrouas para ditos.
457 bornaes de brim imperial para vveres.
400 cantis de folba.
34 canuaos de dito para inferiores.
34 cordoes de la verde para ditos.
4' 0 corroas para marmita de 1 praca.
400 marmitas de 1 praca.
15,m00 de bato azul para blusas.
103,m00 de dita encarnada para ditas.
4 mantas cinzentas.
6 bandeiras de filete encarnado pira ezercicio.
1 dita de forma e cores Ade bandeira nacional.
1,683 bonets do ser vico interno.
23 bonets de panno para a companhia de ope-
rarios militares.
27 ditos do ser vico interno para a mesma com-
panhia.
5 ditos de panno para sai gen toa ajudante e
quartel-mostre.
4 bandas de la para inferieres.
1,600 grava tas de sola de lustre.
5,200 lencos de chita.
5,300 pares de meias de algodo.
12 coroaa pequeas e douradas.
5,660 pares de sapatos de courc de bezerro.
93 kilos de algodo em rama.
603,10.50 de flanella branca de algodo para
forro de capotes.
24,m081 de brim pardo trancado.
2 n.0J0 de dito branco liso.
23,m500 de algodozinho.
188,m de algodo msela.
l.mOOO de aniagem.
5,m255 de hollanda de forro.
31,m68 de panno azul fino para fardas de sar-
gentos ajudante e quartel-mestre.
DESPACHOS DE IMPORTAgAO
Vapor inglez MerchaiU, entrado de Liverpool e
Lisboa, no dia 12 do corrente, e consignado a
Sanders Brothers & C, manifestou :
Carga de Liverpool:
Amostras 2 volumes ordem.
Alpiste 40 saceos ordem.
Armacoes para sellina 2 caixas a W. Hallidav
4C.
Ac 20 caixas a Antonio Rodrigues de Souza
&C.
Arcos ferro 150 feizes aos mesmos.
Barrilha 40 tambores ordem.
Baldes de ferro L5 volumes a Sumuel P. Yohns-
tcn& C.
Barras de ferro 350 e 100 feixes a Antonio Ro-
drigues de Seuza t C, 365 e 130 a Ferreira Gui-
mares ft C, 264 e 203 a W. Halliday & C.
Biscoutos 4 caixes a Jos Joaquim Alves c C.
Canella 10 caixas a Fernandes & Irmo.
Chocolate 1 caixa a Jos Joaquim Alves c C.
Calcado 1 caixo ordem, 3 a Thomaz de Car
valho & C, 6 a Albino Cruz de C.
Conservas 1 raiza a J. Joaquim Alves & Q.
Cha 35 grades a ordem.
Chapeos 3 caixoes a Maia Irmo & C, 1 a
Adolpho & Ferro, 1 a Auguato Fe naudca-
Cobre 4 feixes a Manoel dos Santos Villaca.
Cofre de ferro 1 caixa a W. Halliday & C., 1
ordem.
Cerveja 24 caixas a H. Landgren & C.
Chumbe 1 barril a Ferreira Guimares & C, 16
a Antonio dos Santos Oliveira.
Drogas 2 volumes a Roquayrol Freres, 3 a Bar-
tholomeu & C.
Estopa 20 jardas a Rodrigues Lima & C, 10 a
Julio & Irmo.
Elstico 1 caixa a H. Nueseh & C, 1 a Otto
Bohera Successor.
E.teira 1 volume a Manoel da Cunha Lobo, 10
a Francisco Gurgel da Amaral & C.
Encerado 1 caixa a Thomaz de Car valho & C.
Estanho 10 velumes a A. D. Carneiro vianna.
Fogareiros 50 a Samuel P. Johnston & C, 99
ordem, 100 a Antonio dos Santos Oliveira. 120
a Ferreira Guimares & G.
Folhas de ferro 95 aos mesmos.
Ferragens 2 volumes a Oliveira Bastos & C,
9 a Ferreira Guimares 4 C, 1 a Netto Campos
& C, 14 a Samuel P. Johnston & C, 12 a Al-
bino Silva & C, 6 a Prente Vianna & C, 26 a
Miranda Souza, 3 a A. D. Carneiro Vianna, 4 a
Antonio dos Santos Oliveira, 4 a Alian Paterson
& C, 15 a W. Halliday & C, 4 a Gomes de Mat-
' 18,m00 de alpaca preto.
21,m30 de aargelim de cor.
10S,m50 de casemira encarnada enfestada.
14,m00 de fian el la de l alvadia para forro de
capotes de inferiores.
7,m00 de panno azul para capotes de inferiores.
7,m98 de ganga encarnada.
146 botoes grandes de metal amarello e finss.
72 ditos pequeos de dito dito.
I,m92 de galo dourado de um fio.
Previne-se que nao sero tomadas em conside-
raco as proposcaa que nao forem feitas na forma
do art 64 do regulamento de 19 de Outubro de
1872, em duplcate, com referencia a um s ar-
tigo, mencionando o nome do proponente, a indi-
cacao da casa commercial, o preco de cada arti
go, o numero e marca das amostras, declaraco
expressa de sujeitor-se multo de 5 0/0, no caso
de recusar assignar o contrato, bem como as de
que trutam os arta. 87 e 88 do regulamento ci-
tado.
Secretaria do arsenal de guerra de Pernambuco
em 7 de Agosto de 1886.0 secretorio,
Jos Francisco Ribeiro Machado.
Cha preto
As qualidades mc-
lhores emais escolla-
das neste genero, con-
tina a vend-r Carlos
Sinden, n. 48 rna do
Barao da Victoria.
Recebeu de iinpor-
taco directa e vende
mais barato do que em
outra qualquer parte.
Tambem vendemos
em caixas pequeas,
propriaspara botis e
casas de familia.
CONTRA FOCO
Norlb British & llercantile
CAPITAL
C.'OOO.OOO de libras sterunas
A 6 EN ES
Adomson Howie & C.
(OMPANHIA
[mperial
kDE
SEGCJROS contra FOCO
EST: 1803
Edificios e mercadoriai
Taxas baixas
Promplo pagamento de prejuitoa
CAPITAL
Rs. 16,000:000/000
Agentes
BROWS&C.
fi N. Ra do Commereio N. 5
COMPANHIA I>: SEGUROS
NORTHERN
de LOmircK e berdeea
Posie&a floanceira (Oesembro 1885)
Capital oubsetipto 8.000.000
Fundos accumulados 3.134,348
Beceita nnnunl s
Da premios contra fugo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 132,000
O AGENTE,
John H. Bornee
BA COMMERDOCIO ll.HI B
London and Brasiliaa 3a
Uniiled
Ra do Commereio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
zas do mesmo anco em Portugal, sendo
em Lisboa, roa dos Capellistaa n. 75 N-
Porto, ra dos Inglezes.
Cownlii) p Segaros Fiiiaile,
de Lisoa
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 7-RUA DO BOM JESS-N.
Seguros martimos e terrestre*
Nestes ltimos a nica companhia nesta praga
que concede aos Srs. segurades isemrjcaode paga
ment de premio em cada stimo anno, o que
equivale ao descont de cerca de 15 por cento em
favor dos segurados.
9m
tos Irmaos, 3 a Reis & Santos, 2 a Albino Crus
& C, 3 & ordem.
Folhas de Flsndres 13 cunhetes a Samuel P.
Johnston & C.
Formas para assucar 40 gigos a Cardoao & Ir-
mSo.
Genebra 30 caixas a Rosa & Qaeiros.
Graxa 5 caixas a Otto Bobera Successor, 2 a A.
D. Carneiro Vianna, 6 a Eugenio <& Vieira.
Louca 31 gigos e 1 barrica a Jos de Macedo,
13 e 1 dita a ordem.
Lona 1 fardo a Antonio dos Santos Oliveira.
Linha 14 caixoes a Netto Campea &C, l or-
dem, 5 a Oliveira Basto & C, i a Manoel Joa-
quim Ribeiro & C.
Machinismo 1 caixa a Alian Paterson & C. Di-
tas e ferragens 50 volumes e pecaa sos hevdeiros
do Bowmann.
Materiaes para telegrapho 3 volumes a Great
Western of Brasil. Ditos para estrada de ferro
179 volumes e pecas mesma.
Meias 1 caixa a Oliveira Basto & C
Movis 4 volumes a A. D. Carneiro Vianna.
Mercaduras diversas 1 volme a Prente Vian-
na s C, 3 4 Companhia e Fiacao e Tecidos, 6
Companhia de Beberioe, 1 a A. D. Carneiro Vian-
na, 6 a R. de Drusina & C, 1 a Eugenio & Viei-
ra, 1 ordem, 1 a Netto Campos 4 C, 1 a Fran-
cisco G. de Amaral & C.
Madeira de pinho 559 pedacos a Baltar Oliveira
&C.
Objectos para gas 10 volumes empresa.
Oleo de linhaca 75 barra a Francisco Manoel
da Silva & C.
Pimenta da India 10 sacos a Fernandes & Ir-
mo, 10 a Domingos Cruz & C, 10 i ordem.
Pregos 6 barricas a Miranda de Souxa, 4 caixas
ordem.
Papel 3 caixas ordem.
Perfumara 1 caixa a A. D. Carneiro Vianna.
Panella de ferro 40 a Ferreira Guimares & C.
Phosphoros 30 caixoes a Soares de Amaral Ir-
maos.
Saceos de estopa 8 fardos a Luix Jos da Silva
Guimares.
Tapetes 1 fardo a Manoel da Cunha Lobo.
Tecidos diversos 235 volnmes a ordem, 1 a J.
Basto, 2 a Petrocelli & Irmo, 51 a Goncmlves, Ir-
mo & C 8 a Narciso Maia A C, 29 a Machado
06 Pereira, 84 a Luis Antonio Seqasira, 3 a Ro-
drigues Lima & C, 24 a Loureiro Maia & C, 5 a
D. P. Wild & C, 2 a Cont Santos & a, 5 a Agos-
tinho Santos & C, 8 a Alves de Brito A C, 5 a
A. Vieira It C, 2 a Francisco de Aaevedo & C,
Gompanhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Estabelclda em 1^55
CAPITAL 1,000:0000
SDISTROS PAGOS
At 3i de dezembro de 18S4
Martimos..... 1,..0:000$000
Terrestres,. 316:000$000
4-* Rna do Commereio
SEGUROS"
MARTIMOS contra fogo
Companhia Phenlx. Pcr-
nambucana
Ruado Commereio n. 8
FOGO
The Liverpool lunnHIo
NSIUUNGE C0MP4NY
H
MARTIMOS
REUNS CUARGEIRS
Companhia Franceza de Navega
cao a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro t
Santos
Espera-se dos rjortos do
sul at o dia 18 do correntr
seguindo depois da indis
pensavel demora para o Ha-
vre.
Conduzem medico a bordo, sao de marcha rapid-
e offerecem excellentes commodos e ptimo passaa
dio.
As pasfagens poderao ser tomadas de antomc.
Recebe carga encommendas e pa?sageiros para
es quaes tem excellentes accommodacoes.
Os vapores desta companhia entram no. porto
ancorando em frente ao caes da praca do Commer-
eio n sendo muito incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadouro das paquetes transatln-
ticos, no Lmanlo e demais devendo todos aportar
ao Havre, que o porto mais visinho de Paris,
fra de duvida que ha grande vantagem para quem
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, alm de serem os precos
das passagens mais mdicos, as despezas do embar-
que aqui e as de transporte do Havre a Paris, slo
muito menores do que as que demandam as viagene
nos paquetes das outras linhas.
Steaier Ville Je Mace t
E' esperado da Europa
n > dia 18 de Agosto, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ba
bia. nio e Mantn.
Koga-ae aos Srs. importadores de carga p-"lo9
vapores desta linha,aueiram apresentar dentro de 6
dias acontar do da descarga dfs alvareng. ,jt>.-
quer reclamacSo concernente a volumes, quo po-
ri-ntura tenham seguido para os portos do sul.ariu
de se poderem dar a tempo aa providencias necea
Barias.
Espirado o referido prase a companhia nio se
responsabilisa por extravos.
Kccebe carga, encommendas e passagoire* par>.
ls quaes tem excellentes accomodacoes.
Augusto F. de Oliveira & C
AGENTES
42-RA DO COMMEROIO-42
Compai^Ma llraileira de Mave-
Rco a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Commandante 1- tenente Guilkerme Wad-
dington
E' esperado dos portos do sul
ateo dia 16 de Agosto, e
seguir depois da demora in-
dispensavel, para os portos
do norte at Manos.
Para carga, passagens, encommendas valores
racta-se na agencia
11Ruado Commereio11
Lisboa e Porto
E' esperado nestes das o patacho nacional
Osear e segu com brevidade para os portos ci-
ma, por ter quasi toda a carga engajada ; para o
resto que falta, trata-se na ra do Marques de
Oinda n. 4.
40 a Olinto, Jardim & C, 11 a Silveira & C, 4 a
Bernet de C., 13 a Albino Amorim & C, 21 a H:
Burle & C, 33 a Guerra & Fernandes.
Taxas de ferro 36 a Cardoso & Irmo.
Tinta i barrica a A. D. Carneiro Vianna, 2 a
W. Halliday & C.
Tintas 4 caixas a Francisco Manoel da Silva &
Companhia.
Vidros 1 caixa a Samuel P. Johnston & C.
Zinco 2 barricas aos mesmos, 3 caixas a Miran-
da & Soasa.
Carga de Lisboa
Albo 32 canastras a F. R. Pinto Gui-
marSes & C.
Agua mineral 2 caizas a Bartholomeu
& C.
Azeite de Oliveira 50 caixas a Souza
Basto Amorim A C, 10 barra a Baltar
IrmSo & O, 10 ordem.
Alpiste 6 meias barricas ordem.
Batatas 200 meias caizas a Silva Gui-
mares C, 100 a Paiva Valente & C,
40 a Siqueira Ferrsz d O
Cevada 1 sacco a Pocas Mondes & C.
Conservas 60 caizas a Domingos Alves
Matheus.
Ceblas 100 caizas a Paiva Valente
& C, 80 a Cunha IrmSos, 50 a Siqueira
Ferraz, "0 a Rosa & Queiroz.
Calcado 1 caiz a Gomes de Mattos
Irmaos.
Cal 50 barricas a Manoel Cruz, 30 a
Miranda & Souza.
Cominos 6 saceos a Baltar Irmo & C.
Cera 9 barricas a F. J. dos Passos Gui-
mares.
Drogas 1 caiza a F. Manoel da Silva
dC.,1 Bartholomeu & O '
Ervadoce 5 saceos a Ferreira Rodrigues
dC.
Ferragens 1 caiza a Ferreira Guimares
d C.
FeijSo 2 saceos a Pocas Mondes d C.
Figuras de louca 1 caiza a J. L. Ma-
chado.
flaiiTE-SilaieSscB
DampfschilTfahrls-GeselIschaft
O vap 11 r Petropolis
Esperase de HAMBURGO,
via LISBOA, com escala pe-
los Acores, at o dia 20 do
corrente, seguindo depois da
demora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
e com os
CONSIGNATARIOS
Borsteliiiann & C.
RUADO VTGARION. S
1' andar
Os vapores desta companhia, os quaes tem op-
timna ac iommoda^oes pira passageiros, regres-
sam dos portos do sul com destino Lisboa e
Hamburgo partindo da Babia nos dias 8, 16, 23 e
30 de cada mez e tocaro neste porto, caso se cf-
fcreca numen suficiente d passageiros.
Os Srs. passageiros, que: se quizerem inserever
sao rogados afazel-o pelo men^a 4 dias antes das
partidas da Baha.
(OHPWHlb BES HES9AUE
HIEN MARITERES
LINHA MENSAL
0 paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado dos portos do
sul no dia 25 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costume, para Bordeaux,
tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos senhores passageiros de tudas
as classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 % em favor das fa-
milias composta de 4 pessoas ao menos e que pa
garem 4 pasaagens intriras.
Por excepcao os criados de familias que toma-
ren) bilhetes de proa, gosam tambem d'este abati-
mento.
Os vales postaes s se de at e dia 23 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e dinheir i
a frete: tracta se oom o
AGENTE
iugaste Lab lie
9 RA DO COMMERCIO-9
ROVALMAILSTEAH PACKET
COMPANY
0 paquete Trent
esperado
do sul no dia 14 de
csrrente seguin lo
depois da demora
necessaria para
9. Vicente, Lisboa, Vigo e ou
thampton
Para passagens, retes, etc., tracta-se com ca
CONSIGNATARIOS
Adanison Howie & C.
OUIMMIIt PEBMAMBVCANA
DE
^avegaco Costelra por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macu, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarahu e Camossim
0 vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 21 de
Agosto, s 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 20.
Encommendas passagens e dinheiros a frete at
s 3 horas da taide do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pemamiueata
n. 12
Companhia Bahlana de navega
cao a Vapor
Macei, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Babia
O vapor Guahy
Commandante Martina
Segu impreterivel-
mente para os portos
cima no dia 16 do cor -
rente, ai 4 horas da
tarde. Recebe carga
'nicamente at o 1/2
dia do dia 16.
Para-carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na agencia
7iua do Vigario7
Domingos Alves Hatheos
Aviso martimo
Chr. Hoy, capitaa da barca norueguense Roma,
Chegada a este porto de arribada toreada, ntcessi-
ta contratar de concertos do dito navio e recebe pa-
ra este fm propostas em cartas fechadas at as 11
horas do dia 14 deste mes, dirigidas ao mesmo
espitao e entregues no consulado da Suecia e No-
ruega nesta cidade, aonde serSo dadas todas as
inf jr. acoea que necessitarem, podendo os preten-
de' tes a bordo mesmo verificar as obras necesta
ras. Recite, 11 de Agosto de 1886.
Para o Cear e Maranhao
Segu com brevidade para es portos cima a
barca portugueza Alaria Carolina, paea o resto da
carga que The falta, trata-se com os consignata-
rios Jji da Silva Loyo & Filho.
LEILOES
Sabbado, 14, deve ter lugar o leilo de mo-
vis, espHhos, lo -ca e vidrns, no 2" andar do so-
brado da Praca do Conde d'Eu n. 5.
Leilo
De movis, louca, vidros e espelhos
A saber :
Um piano, urna mooiha de junco com 1 sof, 2
consolos com pi-dras, 1 meza oval, 2 cadeiras de
bracos e 12 de guarnicao, 2 cadeiras de bataneo,
12 cadeiras avuUas, 2 espelhos dourados grandes,
2 diti's menores para consolas, 1 mesa para j go,
1 tapete de sof, 2 candieiros a gaz e 2 escarra-
deiras.
Um guarda-vestido, 1 commoda de Jacaranda e
tuya, 2 camas, 1 guarda-roupa, 1 marquezao e 1
relogio de parede.
Urna mesa elstica, 1 guarda-louca, 2 appara-
dores, 1 guarda-cernida, 1 sof, 20 cadeiras de
junco, 4 ditas espregicadeiras, 1 quartinheira, 2
app&relhos de poreelana para cha, e jntar, 4 gar-
rafas, 2 compoteiras de crystal, 2 pyramedes para
duca seceos, talheres, colheres e outros objectos
de casa de familia.
Sabbado, ll do corrente
So 2o andar do sobrado da Praga do Conde
d'Eu n 5
O leilo principiar s 10 1/2 h)ras.
A entrega em acto continuo.
I"m ontiuuaruo
vender o mesmo agente 1 mobilii de Jacaranda,
1 cjinmoda-carteira e armario, jarro para flores
e outros movis.
Leilo
Em continuacao
De miudezas, fazendas, mobilias, camas francesas,
1 piano forte de Blondel,
e amitos outros auvuis avulsos para casa
de familia
Sabbado 14 do corrente
A's 11 horas
No armasen da rii> do Mrquez de Olinda n. 19
POR INTERVENg^O DO AGENTE
Gusmo
LEILO
ll'ioe definitivo
De -asentas mlndesas chapeos
de chile da loja da ra do
lian ge I, n. 4*,
Agente Brillo
Vender mais, 1 secretaria, 1 lavatorio com
pedra 1 guarda-vestido, 1 guarda louca, 1 rico
aparador, 1 carteira, 1 estante, 12 cadeiras de
junco, 2 ditas de balanca, 1 cofre, t caminha para
menino, 1 marquezao, 1 mala, 2 aparadores, 1
mesa redonda de Jacaranda com pedra, meia
mobilia de amarello, quidros, espelhos, bandejas,
jarros, candieiros e outros objectos que se vendem
todos ao correr do martello por ter de ser entregue
a casa.
Sabbado 14 de Agoitio de isf.
AS 10 1/2 HORAS
Leilo
Livros 1 caixa a G. Laport & C.
Papel 1 caixa a Francisco Manoel da
Silva & C, 1 a Baatholomeu & C.
Rolhas 1 sacco a Pocas Mendes & C.
Sementes 1 caixa Martins Capitao & C.
Vinbos 26 pipas e 5 barris a Souza Bas-
to Amorim & C, 13 e 10 a Joaquim Fer-
reira de Carvalho & C, {3 e 10 a Fer-
nandes da Costa & C-, 5 e 41 a Antonio
Mara da Silva,. 10 barris a Mondes Lima
d C, 25 a Antonio de Oliveira Maia &
C, 50 a Silva GuimarSes & C, 5 a Po-
cas Mendes &C, La F. Gurgel de Ama-
ral.
Vapor nacional Cear, entrado dos por-
tos do Norte, no dio 13 do corrente e con-
signado ao Visconde de Itaqui do Norte,
manifestou:
Barris vazios 118 a Amorim Irm2os
&C.
Farinha d'agua 5 encapados a Cost Li-
ma & C.
Gomma de mandioca 20 encapados a J.
J. da Fonseca.
Pomada 15 caixas a Guimares & Va-
lente.
Tapioca 10 paneiros a Costa Lima 4 C.
Lugar inglez Mennie entrado de Terra
Nova, no dia 12 do corrente e consignado
Saundere Brothers & C, manifestou :
Bacalbo 2,665 barricas e 401 meias di-
tas as consignatarios.
DESPACHOS DE EXPORTaCO
Em 12 de Agosto de 188S
Para o exterior
Nao houve despacho.
Para o Interior
No patacho nacional Pelotas, carregwam :
De urna armacao envernisada com gaveta?, 2
balces, 2 carteiras, 8 fraseos grandes, 2 ditos de
bocea larga, 1 candieiro com 3 bicos, 1 relogio,
e vasilhames para botica.
Urna caiza de ferro, (burra) 1 armarinho, 1
balanca decimal, 1 dita e pesos, 1 machina para
pizar, 3 balpoes para trabalho de drogara, 2 ta-
chas de cobre, 2 prencas e 5 barns.
Urna armacao inglesa com vasilhames, potes e
frascos com unturas e drogas, barricas com al-
vaiade caparrosa e azul, 1 armario grande com
fraacos, e potes com drogas, 1 prenca para copiar
carta eoutros artigos que sero vendidos em ami-
tos e differentes lotes existentes no armazem do
sobrado da ra do Bom Jess n. 26. (outr'ora bo-
tica do Recife).
Terca-feira 17 de Agosto
A's 11 hora 3
Na referida botica da ra do Bom Jess n. 26,
em lotes vontade dos compradores.
~ LEILO
de fasendas. miudeas e chapeos
Umpoa e avarlados
QUARTAFEIRA 18 DE AGOS10
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
No 1 andar do sobrado da ra do Bom-Jesos
n. 43.
Para Pelotas, B. Oliveira & C. 4,000 cocos,
fructa.
No vapor nacional Cear, carregaram :
Para o Rio de Janeiro, H. Burle 4 C. 200
saccas com 15,473 kilos de algodSo ; Bartholomeu
& C. Successores 11 volumes com 33 duzias de
vinho de jurubeba.
Para Bahia, F. dos Santos Miranda o canas
com 180 kilos de doce.
Na barcac /. Assencia, carregou :
Para P. de Alagoas, D. Neves 1 caixa com 70
kilos de doce.
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 13
Manos por escala11 dias, vapor nacio-
nal Cear, de 1,999 toneladas, com-
mandante Guilherme Pacheco, equipa-
gem 60, carga varios gneros; ao Vis-
conde de Itaqui do Norte.
Rio de Janeiro13 dias, barca alloma J.
F. Pust, capitUo F. Nieyahr, equipagem
12, em lastro ; a Brostelman & C.
Mossor27 dias, hyate nacional Apody,
de 45 toneladas, mostr Luiz F. de Me-
deiros, equipagem 5, carga varios g-
neros; ordem.
Navio sahido no mesmo dia
Rio de Janeiro por escalaVapor nacional
Cear, commandante Guilherme Pacheco,
carga varios gneros.
VAPORES ESPERADOS
Trent
Ipojuca
Manos
Ville de Victoria
VUdeMaoei
Giqui
Petropolis
Stefuma
Pirapama
Sculptor
Baha
Jacukype
Orenoaue
Espirito Santo
Tkeredna
La Plata
do sul
do norte
do sol
do sul
do Havre
de Fernando
de Hamburgo
de Trieste
do norte
de Liverpool
do norte
do sul
do sul
do sul
de New-York
do sul
hoje
hoje
a 16
a 18
a 18
a 19
a 20
a 20
a 20
a 20
a 23
a 23
a 25
a 26
a28
29
?


i'
*
Diario de PernambucoSabbado 14 de Agosto de 1886

AVISOS DIVERSOS
__ Aluga-se casas a 8*000 no becco dos Coe-
Ihos, junto de S. Goncatlo : a tratar na ra da
Imperatrii n. 56.
Na noite do dia 6 do correte furtaram do
engenh Arariba de Baizo tres cavallos com es
signaes sesuintes : o l- poldro, russa, inteiro,
fazeudo a ultima muda, com pisada de bailo obri-
gada e ardigo ; o 2- alasao, com frente aberta,
Inovo, com as pontas dos dentes quebradas e ar-
digo ; o 3- ac, inteiro, andador da baixo at
meio, novo, e um pouca magro. Peco as auto-
ridades policiaes que auxilien a apprehencao dos
cavallos e a prisao dos ladies.
Barao de Arariba.
Aluga-se ouatro casas na ra Imperial ns.
102, 104, 132 e 136, caiadas e pintadas, com com-
modos para familia, e preces razoavel: a tratar no
Recife, caes do Apollo n. 45, cu na mesma ra
D. 130, at as 9 horas ou das 4 em diante.
Evadi se u > dia 10 o tuteilado Ilisbcllo, de
idade do 13 para 14 annns, cor clara, rosto com-
prido, falla grosea, olhos um pouco amortecidos,
ps grandes, e entente um pouco de costuras ;
roga-se as pessoas que delles souberem, ou s au-
toridades, de darem noticias ra do Vieconde de
Goyanna n. 181, o que muito se agradecer.
__ Alutra-se o 2o andar do sobrado ra do
Pogo n. 18 : a tratar na ra Direita n. 31, ar-
mazem.
A ilii Viftn
Em quartos e meias garrafas, vendem Faria
Sobrinho & C, roa do Marque* de Olinaa n. 41
DEPOSITARIOS

as
PASTILHAS
De ANGELIM & MENTRUZ
es
as
S
ea
H
Veode-se um kioeque bem afreguezado, em
boa local idade, o motivo se dir ao comprador : a
tratar no pateo do Paraizo n. 18.
Vende-se a fabrica de cervej* ra da
Sensalla n. 12 : a tratar na praca do Conde d'Eu
numero 11, Boa-Vista.
Precisa-se de urna rauiher de meia dude e
de boa conducta, para ajudur em trabalhos de
vendagem e outros de casa de pouca familia ; na
ra da Matriz da BoaVis'a n. 3.
Aluga-se o 2- andar do sobrado n. 12, ra
das Larangeira3 : a tratar na loja do sobrado n.
17, a ra das Trinchciras, dis 11 s 2 1/2 da
tarde. ______________________
CREPUSCULARES (poesas de Olvmpio
Bonald) acham-se venda nai principies livra-
rias da cidade.
Precisa-se comprar urna armacao para ta-
verna, com pequeaas dimensoes : a tratar no lar-
ge da Santa Cruz n. 16.
I Precisa se de urna erfeita cosinheira, para
casa de familia : a tratar na ra do Bario da
Victoria n. 311, loja.
O Remedio mal efficaz e
Seguro que se lem descoberto Ble
hoja fiara atpe'lir as Ion brgas.
ROQKIAYOL HIERES
cmniDii
Aos4:000$000
EB3 6
ii.
Una do Itaro da Victoria n. 40
e casas do costme
Acham-se venda os felizes bilhetes
garantidos da 253.a parte das loteras
aeneficio da S.nta Casa de Misericordia do
Recife, (65.*), qu9 se extrahir quando for
annunciada.
Inteiro
Meio
Quarto
porcao
E:
Inteiro
Meio
Quarto
40000
2,5000
15000
de f00*000
cima
35500
15750
5875
par
Bruno Alvaro Barbosa da Silva
Joquin Alvaro Barbosa da Silva, Julio Ame-
rico Barbosa da Silva, Gregorio Antonio Barbosa ,
linda Olindioa Barbosa da Silva, Juventina En-
frosina Barbosa da Silva, Emilia Augusta Bar-
basa da Silva, Hisbcllo Barbosa da Silva, Anna
Barbosa da Silva, Elisa Barbosa da Silva Netto e
Pedro Barbosa da Silva Netto, agradecer a to-
das as pessoas que fizeram o carideso obsequio de
acompanh'irera os restos mortaes de scu idolatrado
pai, cunbado e concnnhsdo Bruno Alvaro Barbosa
da Silva ao cemiterio publico e de novo Ihes ro-
gara o comparecimento a rrissa do 7. dia na
igreja matriz de S. Jos no dia 17, s 8 horas da
manh. _______________
Jo3o Joaquim da Costa Leite.
Aos 4:0003000
I:
E
..
I. Alcxanilrinu de Lima e l
lliiiiuirque
O bacbarel Jos Ignacio de Albuquerque e sua
mulher, tenente Antonio Ignicio de Albuquerque
Xaviei e sua mulher, Domingos Jos Autuues
Gcimaracs (ausentes) e sua mulher, Francisco
Gibsou e sua mulher, filhos e genros da finada
D. Alexandrina de Lima e Albuquerque, agrade-
cer do iulimo d'alma todas as pessoas que se
dignaram acompanhar sua ultima morada os
restos mortaes de sua sempre lrmbrada mai e
sogra ; e de novo as convidam assistir as missas
que pelo eterno repouso de eua alma mandara ce-
lebrar na igreja do Divino Espirito Santo no dia
17 do corrente, s 8 horas da manha, stimo dia
de seu passamento. Por este acto de caridade e
religiao se confessam desde j eternamente reco-
ohecidos. __________________
16-Lua do Cabug-16
Acham-se venda os venturosos buhe
tes gar; ntidos da lotera n. 65a em beneficie
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que so extrahir quando for aonunciado.
Prccos
Inteiro 45000
Meio 25000
Quarto 15000
Sendo quantldade superior
a 10 0:000
Inteiro 35500
Meio 15750
Quarto 5750
Joaquim Pires da Silva-
OS 4:000*000
5ILHZIES &A8AHIII10S
Roa Primeiro de Marfo n. 25
n. Luisa C. Crrela da Fonseca
Um amigo do Sr. Antonio Jos Alves da Fon-
seca, tendo de mandar resar urna missa na matriz .
de Santo Antonio no dia 14 do corrente, s 8 | Sotena. (>4. ), que se
horas da manha, trigsimo da d) fallecimento da
cara esposa do mesmo seuhor, convida ao mesmo,
seus dignos filhos, parentes e amigos assistirem
a esse acto de religiao e caridade, pelo qoe se con-
fessa eternamente agradecido.___________________
D. Mara lunaria l'erreira
Vanoel Antonio Gomes Perreira, Casemiro Lu-
cio Jorge, Luiz Beltro Jorge, Joaquim Sebastio
Jorge (ausente) e sobrinhos, agradecem s pes-
soaa que acompanharam os restos mortaes de sua
fia, D. Maria Ignacia Ferreira, e convidam aos
parentes e amigo para assistirem a missa do s-
timo dia, na igreja do Terco e Belem, A
do dia 16 do corrente.
s 8 horas
icbel da Silva Danta
Joaquina A. da Silva Dantas, Maria A. da Sil*
va Dantas, Anna da Silva Dantas, Maria Laura
da 6i!va Dantas, Joao Goncatves da -locha, Joa-
quim Goncslves da Bocha e Lydia Goncalves da
Rocha agradecem cordialmente todas as pessoas
o ue se dignaram acompanhar ao cemiterio publie
u restos mortaes de sua muito presada e nunca
esquecida sobrinha, irma e prima, Bache' da Sil-
va Dantas ; e de novo convidam os parentes e
amigos para assistirem .. missa que mandam ce-
lebrar no convento do Carmo, segunda feira Iti
do corrente, s 7 horas da manca, stimo dia de
sen passamento ; pelo que desde j se confessam
ternamente agradecidos._________
D. Francolina de Miranda Den
rlques Lopes Bel*
Jos Ferreira Lepes Reis e seus filhos mandam
resar urna missa na igreja de S. Goncalo, pelas 8
horas da manha do dia 14 do corrate, por alma
de sua presada mulher, D. Francolina de Miranda
Henriques Lopes Reis, e para assistirem a esse
acto de piedade e religiao, convidam a seus pa-
rentes e amigos, antecipando a todos o sea mais
cordeal agradecimento._______ _________
,li uio Flororos Antonio lose
de Moura
A mesa administrativa da confraria dos SS.
Chrispim e Chrispiniano, no convento do Carmo,
manda celebrar urna missa no dia 14 do corrente,
s 7 horas da manha, stimo da do seu passa-
mento ; convida familia e seus amigos paia as-
sistirem.
O abaixo assignado, tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 406 com a sorto de 4:0009000,
1 quarto n- 2939 com a sorte de 1005000,
alm de outraa sortea de 325, 165 e 85, da
acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem recebe;
na conformidade do costurae sem desconti
algura.
Acham-se venda os afortunados bi-
hetes garantidos da 253.a parte das lote-
ras a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife (65.a) que se excrahir
quando for annunciada.
Precos
Inteiro 45000
Meio 25000
Quarto 15000
Km quantldade maior de loo*
Inteiro 355OO
Meio 15750
Quarto 5875
Manoel Martina Finza.
aTI
Aos 4:0001000
BILUETEN CAB4XTIDON
t*ra cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entre os seus
felizes bilhetes garantidos da 64a lotera
a sorte de 1005 em 4 quartos n. 2476,
alm de outras muitas de 325,165 e 85.
Convida os possuidores a virem recebe:
sem descont algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes
garantidos da 65a parte da lotera a beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que so extrahir quando for annunciado.
Precos
Bilbote inteiro 45000
Meio 25000
Quarto 15000
nt porco de 1005000 par9
cima
Bilbeto inteiro 35500
Meio 15750
Quarto 5875
Autonio Augusto dos 8anf~* Porto
Verdadeiro vinho En-
cellas
branco, em barris, do ultimo vapor ; vndese na
roa do Vigario n, 81 1 andar.
c m wr rw
JOSEPH RRADSE 8:
Aeabam de augmentar o sen j bem eonhecid<>
mportanle eslabelccimcnto rna Io
de marfo n. 6 com mais
nm salao no i andar Inxnosamente pepar-
rado e prvido de uuia exposi-
$!# kras de praU do Porte eeltrflato
dos mais afamados fabricles do
mundo inteiro.
nonvida, pois, as Exmas. familias, sens nume-
rosos amigos e freguezes a visitarem
o seu estabelecimenlo, afim de
apreciarem a grandeza e bom goslo com que
nao obstante a grande
despeza, o adornaran], em honra
desta provincia.
iCHA-SE BERTO DAS, A'S 8 DA NOITE
COWlTi!

&2
OS
QfQ
*
Q(S
D
02
Chapees e chapelinas
36 A40PRAQA DA INDEPBNDEA-36 A 40
B. S. CARVALHO & C.
Proprietarios deste bem conhecido estabelecimento paitecipam
as Exmas. familias e ao publico em geral, que mensalmente recebem
das principaes casas em Pars e Manchester o que de melhor e de
apurado gosto ha"m chapalinas e chapeos para senhoras e meninas
e das prmeiras fabricas de Hamburgo o que ha de melhor em cha-
peos para homens e mangas, e muito* outros artigos concernentes
chapelara.
Flores artificiaes para ornamento de salas.
a"
o

o


COLLEGIO FRANCEZ
PARA MENINAS
17Ra doBaro de Henifica 17
NA LINEA DA FASSAGEH DA MAGDALENA
As senhoras Mme. Francis e Mlle. Francis, mai e filha, diplomada pela Fa-
culdade de Pars, recentemente chegadas de Franca onde exerceram por muitos an-
nos o professorado, aeabam de estabelecer um collegio para meninas, seguindo pro-
gramma adoptado em Franca ; o qual proporcionar s alumnas que Ihes forem confia-
das urna educaco completa e esmerada.
Os senhores pais de familia sao convidados a visitarem este novo estabeleci-
mento situado em tSo saudavel bairro e dispondo de todas as condicoes do confortavel
e de hygiene.
Mlle. Izabel Francis possue um talento elevado para o ensino de piano.
Ella precisa de urna ajudante para as classes.

g
3>
ltf,
I

:
Si
o
LOTERI
XJUAkcO
LAGOAS
CORRE NO DIA 17 DE AGOSTO
INTfiANSMim! INTRiiiJ^iyEL!
O portador que possuir um
vigsimo desta importante lo
teria est habilitado a tirar___
10:0061)000.
Os bilhetes acham-se a' ven-
da na Casa Feliz, praca d In-
dependencia ns. 37 e 39.
Corre no dia 17 de Agosto
1886, sem falta.
Grande e bem mentada ofliciaa de alfaiale
DE
PEDROZA & C.
N. 41Ra do Baro da VictoriaN. 41
Neste bem conhecido estabelecimento, se encontrar um lindo variado sor-
timento de pannos, casemiras, brins, camisas, punhos, collarinhos, meias, gravataa,
tudo importado das melhores fabricas de Pars, Londres e Allemanha; e para bexr
servirem aos sous amigos e freguezes, os proprietarios deste grande estabelecimento
jm na direccSo dos trabalhos da officina habis artistas, e que no curto espaco de 24
horas, preparam um terde roupa de qualquer fazenda.
Ra do Baro da Victoria n. 41
(PRESOS SEM COMPETENCIA)
Recebemos neste ultimo
vapor
Sementes novas de hortalices
Asslm como
OBRAS DE VIME
Como sejam:
Cestaa para compras de diversos tamanhos
Bandejas para roupa engommada
Balaios pra roupa suja
Balaios para facas e garfos
Bercos
Condecas
Costureiros
Cadeiras
Voadores para meninos aprenderem a an-
dar.
O especial vinho Figueira puro sem a"/
menor composicSo.
Vinho do Porto engarrafado, o que pode
vir ao mercado de mais especial.
Tamancos do Porto para senhora.
POPAS MENDES & C.
Ra Estrella do Rosario n. 9
Caixeiro
Precisa-se de um menino de 15 a 16 annos
ra do Livrameato n. 17.
na
Attenfo ao avizo
Salvador (uimares (em continuac&o), partici-
cipa que faz effeutiva >ua declaraco no commu-
nicado em 3 do corrente, por isso aos interesaadog,
qoe o julgarem digno de sua attencao, previne
que o prazo que lhe ha fizado, termina em 3 do
vindouro.
Que hajam de o desculpar, se por negligencia
ou falta de cuidado, heuver de encommodal-os'
mui seriamente.
Eite remedio precioso tem gozado da accefta
(So publica durante cincoenta c sete annos. coro-
ecande-se a sua manufactura e venda em 1827.
Sua popularidade e venda nunca forao lo exten-
sas como ao presente; e isto, por si mesma
offerece a melhor prova da sua eficacia maravil-
hosa.
Nao hesitamos a dizer que nao tem deicad
em caso algum de extirpar os vermes, quer em
creancas quer em adukqs, que se acharao affli>
tos destes kiimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber consrantemeQU
attestacoes de mdicos em favor da sua eficacia
admiravel. A causa do successo obtido por este
remedio, tem apparecido varias falsificaces, da
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser
7erifte;o fle B. A, FAHNESTOCK.
o
S
0
j- r-

g
83 S
boa
83
EUGfJlIO MM9QSDHaLLMMJ
**>
?/uaie'jao'
vaRheumatismo.Cancros,Boba6.Irnpl^en8 r
etodaea molestias qutenhso eua ori^em
. aa impureza do sarige devida a syphe.
'"-----
wmw nmunrt
' .><

'Jl
O
V
CTOS^I
55
=
J
9
s
os
p
< ^
o
P
1 >-s
P
p

o
Pechincha real
62 Boa Duque de Cazias numero 62
Mendonco, Primo di C.
Camisas inglesas com e stm collarinhos a
3*500.
Collarinhos finos, diversos modellos, a 4*800 a
duzia.
Ceroulas de Iinho a 2f e 2*500.
Meias especiaes para homem a 3*500, 5J0OO e
6*000 a duzia.
Punhos para homem a 800 rs. o par.
Velludilhos de cores, lavrados, a 1* o covado.
Fustes brancos, lindos desechos, a 500 rs. o
covado.
Setins de todas as cores, cambraia bardada, es-
partilhos, tapetes, cortinados, e outros artigos de
moda, por precos baratissimos. 1
Ama de leite i
Prccisa-se de urna ama de leite : na ra do
Mrquez de Herval n. 33, 1 andar, defronte da
escola modello.
Bo|
S2 o
I. gff 1

>
H
n
x:
e>
O
o
m
o
m

0
Mi
m |> 3
Clnica



BOMTOniO^ENTRAl Dt f BOOUCTOSTIIIOICl
PA FtOflABRASIlItrm
Ra do Viseonde do Rio B p&ae
:-----RIOUE JANEIRO
P
P
O
CD
L
P

\m\M\u
DEROCQUE
OEROCQUE
15, Rn? de Poitoa, 15
PA RIS
ue
Xitturul
Ferruginoso e Creosotac
lu oriotiAis PliamiUa
de moleatias de oltaoa. ouvidos, gar-
ganta e tomnan uanaes
Dr. Mattos Brrelo, medico oculista, ex-chefe
de clnica do Dr. Moura Brasil e da polyclinica
geral do Rio de Janeiro. Consultas das 12 s 3
horas da tarde, na ra do Imperador n. 65, pri-
meiro andar. Residencia, hospedara de O. Au-
tonio .______________^__^____________
Fnmo desfiado do Ro-Novo
____________ist
DE
Frutas Silva &
O melhor e o mala paro que tem
indo a esta praca
NICOS IMPORTADORES
Costa Lin>a & C. Ra do Amorim n. 37.
Almeida Machado C- Ra da Madre de ^ 0 r^ Barros e sua ?amilia, mandal resar mis-
Deas n. 36. i Pl<> eterno repouso de sua madrasta, tia c
Jos Antonio dos Santos-Roa do Mrquez! "na, terca-feira,17 do corrente, s SI
matriz da Boa-Vista, e na capella do eogesfae

^
T
Baronesa de Hercs
Joaquim Manoel da Costa e sua fmula, Geno-
veva Francisca do Reg Barros, Thom Joaquim
do Ounda n. 5 e ra Primeiro de Marco ^
n. 3.
_ da
ees, stimo dia do sen passamento.



Diario de PcruanibucoSabbado 14 de Agosto de 1886
(r
O LENCO O TOUCAPOi
E O BANHO
r*BS
(Ayers Cherry Pectoral)
PAU ACTD& DE CWCTVACtB.
r0sse.asthma.br0\chite.
Coqueluche ouTosse Comvuisiva
Tsica Pulmonar.
'-.,i, sao Dr.JC.AY!IaaAiii.M..[fa
Aluga-se
o predio n. 140 na Imperial, propr para eg-
'oabelecimento fabril : a tratar na ra do Commer-
eiaj^^, com J. I. de Medeiros Reg-_________^
Aluga-se barato
A ra Lomas Valentinas n. 4
O armazem da ra do Coronel Suassuna n. 141
Roa da Baixa Verde n. 5.
Casa terrea da travesea de S. Jos n. 23.
TraU-se na ra do Commercio n. 5, 1 andar
esortfrtoro de Silva Guimarae & C.
Aloga-se
i casi terrea ra de S. Franciseo n. 21 : a
tactar no armazem do gaz ra do Imperador
o 31.
Aluga
se
wi ama que sabe tratar de enancas e d infer-
aacao de sua conducta : quem precisar procure
na entrada da praca do Visconde Loyo u. 1-
Aluga-se
ol- e 2- andar do sobrado ra do Coronel
Suassuna n. 144, com maitos commodos para fa-
milia e preco razosvel : a tratar na ra Sete de
Setembro n. 15, ou ra Direita n. 112, primeiro
andar.__________________________________________
Jpga-se na Boa-vista
A asa terrea n. 108 da ra da Gloria, com 2
qBjr|Pi, quintal, sosinha : a tratar em Fra de
nRu. na do Pilar n. 56, taveraa.
Ama
Precisa-so de urna ama para lavar, en-
gominar e fazer mais alguns servijos de
caaa de familia, comtanto que durma em
casa; na ra da Matriz da Boa-Vsta n. 9,
se dir quem precisa. ___________^^^
Ama
Precisa-se de urna para cosinhar e fazer o ser-
vico interno de casa de pequea familia : a tra-
tar na ra do Mrquez de Olinda n. 27.
Ama
Ka ra do Coronel I-amenha, outr'ora dos Pra-
zeres n. 40, precisa-se de urna ama para cosinhar
e taxer compras.
Precisa-se de urna ama para engonunar : na
raa Imperial n. 42.______________________________
Ama
Precisa se de urna ama de meia idade : na ra
da Aurora n. 137.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar : na tra
vessa dos Pires n. 9, Geriquity.
Ana
Precisa-se de urna ama para engommar e fa-
zer mais servicos de casa de familia : na ra de
Riachmello n. 57, porta de ferro.___________^_
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro : na na da Praia n. 22.
Ama de leite
Na ra de Hortas n. 18, ha urna mulher com
bom leite, para criar em casa de familia.
Ama para cosinhar
No largo do Corpo Santo n. 19, segundo and
precisa-se de urna boa cosinheira. que d fia
de sua conducta.
Jardim das plantas
MONDEGO N. 80
Pretendendo-se acabar com a plantas que es-
tilo em vasos n'este jardim '\i seos sapotisei-
ros muito grandes, e dando 2JO00, la-
ranjeiras, muito grandes, pt.ru .^rtar, 6000
a duzia, e sapotiseiros mais pequeos por barato
preco.
PreoaraQo de Productos Vegetaes
PARA
EXTINGO DAS CASPAS
e outras Molestias Capillares.
JVIARTINSTBASTOS
Pernambuco
Tricofero de Barry
Garntese que faz nas-
cer ecresear o cabello anda
aos mais cairos, cura a
tinha e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co 4a cabeca. Positiva-
mente impede o cabello
de cahir ou de embranquo-
cer, e infallivelmente o
torna espesso, macio, lus-
troso e abundante.

-V/AIU.V.
Agua Florida de Barry
Preparada segunda a formula
original usada pelo inventor em
182'.). E' o nico perfume no mun-
do que tem a approvacio official de
um Governo. Tem dnas vezes
mais fragrancia que quelquer outra
e dura o dobro do tempo. E' muito
mais rica, suave e deliciosa. E'
muito mais fina e delicada. E'
mais permanente e agradavel no
I lenco. E' duas vezas mais refres-
I eanto no banho e no quarto do
doente. E' especifico contra a
frouxidao e debilidade. '"Cura as
I dores de cabeca, os cansados e os
S desmaios.
Xarope fle Vifla Je Brater No. 2.
ANTES DK SiL -O. DXPOIS DE OTi__- Cura positiva e radical de todas as formas de
escrfulas, Syphilis, Feridas Escrofulosas,
AffeccSes, Cutneas e as do Couro Cabel-
ludo com perdado Cabello, e de todas as do-
eneas do SangnejiiFigado, e Rins. Gnrante-se
jue purifica, enriquece e vitalisa o Sangue
e restaura e renova o systema iuteiro. _,
Sabao Curativo de Reuter
Para o Banho, Toilette, Crian.
8as e para a cura das moles-
as da pelle de todas as especia*
e em todos os periodos.
Deposito em Pernambuco casa de
Francisco Manoel da Silva & C-
Entre amigos
Com a ultima lotera i$o mez de
Jalho
Deixa de ter lugar por ter sido transferida a
lotera n. 65, que era a ultima deste n>ez, como se
v do annuncio do Diario de 28 do andante, ficar
para quando for annuociada.
Cavallo e botoes.
.Vllenfo
Compra-so ou aluga-se urna boa casa perto da
cidatfe, deaejande-se nos seguintes pontos: 8o-
ledade, Caminho Novo, Capuaga, Passagcm da
MagaaleDa, tendo bom sitio, agua e gaz : quem
tiver dirija se ra do Intpcrader n. 49. 1- andar,
a tratar com o solicitador Antonio Neves.
Criad
Precisa-se de um criado : na roa da Madre de
Beus n. 5, armazem, que saiba 1er e d fiador de
sua conducta.
Tamancos
de Penedo : vende se em por$o e a retalho : na
roa da Soda n. 11.
Corso de francez
Raa da Matriz da Boa VI t a n. 34
O abaixo asignado participa ko rcspeitavel pu-
blico que abri em casa de sua residencia um
curso de frsnccz, onde esBeradnmente se dedica
ao adiantamenti de seas alumnos. Espera, pois,
merecer a confianza e a proteccao do distincto
pV8 pernambucano, e de tudos aquelles que quei-
ram aproveitar um fnsino rpido e esperanzoso.
Mentalidades 3000 pagos adiantados no
acto da'matricula.
Horario da 5 horas da tarde i 7 da noite.
Ra da Matriz da Boa Vista n. 34.
Julio Soarcs de Azevedo
EXPOSITION
Mdaille d'Or
UMIV 1878
CroixCheTlir
es us mures neeotpenses
PERFUMARA especial
LACTEINA
E. COUDRAY
Prwonisada pelu Celebridades Medicas de Paria
PAR* TODAS AS NECESSIDADES DO TOUCADOR
PRODUCTOS ESPECIAES
ri8 de ARROZ de LACTEIKA para bi anquear a pe.he.
SiBiO de LACTEINA par toncador.
C1EIE e P le SABAO de LACTEII1 para a barba.
MIADA de LACTEIIA para a belleza dos cabellos.
ADA de liCTEM para o toncador.
LEO de LACTEIIA para embellezar os cabellos.
ESSEICiA de LACTEIIA para lenros.
P e AGUA DEITIFRICIOS do LACTEINA.
CREsTE LACTEIIA chimada selun da pelle.
LACTEHiBA para branquear a pele.
ESTES MTISOS AC AM-SE NA niMM
PARS 13, rae d'Enghen. 13 PARS
Deposito en Xtirt aa Perfimarias. Pharmaeias
CabeiTereiros da America.
i
.Mlenco
Aluga-se porprec eommodo o2- andar do pre
dio n. 24 da ra da Imperafriz : a tratar na ra
do Coronel S;i..ssuna m. 204.
Cosinheira
Precisa-se de urna boa cosinheira, qu^ seja as-
seiada e durma na casa em que se alugar, paga-
se bem : a tratar na roa do PysBnd n 19 (Mag-
dalena )
Banco auxiliador mer-
cantil
Acha- se desde ja a berta a subocripcao para a
fundacao deste banco : listas em poder do seu
iniciador Prancisco Angosto Pacheco, raa do
Vigario n. I, pnsneiro andar.
PEROLAS DO D" CLERTAN S
Approvndn pela Academia de Medicina de Pars.
AS PEROLAS DE TEREBEHITIMA acalmam em alguns minutos as enxaquecas, as MAIS
VIOLENTAS DORES DE CABECA e DOENCAS DO FIGADO. Si a dose de trez ou quatro perolas
n&o produzir effecto dentro de alguns instantes intil sera s^O -t
continuar. Cadra vidro contem trinta perolas. Para ter o pro- \Jt*X&**-,
ducto bem preparado e efticaz, convem exigir a assignatura do: c.
AS PEROLAS D'ETHER sao o remedio, por txcellencia, das peSSSS
nerVOSSS sujeilas as suffbcafesj caimbras d'estomago e aos desmaios. as quaes V-^
devem ter sempre mo este precioso medicamento. ELxigir a assignatura : jj
AS PEROLAS DE QUININA conteem cada uma dez centigrammas (dois graos) de sulfato de quinina puro.
Por isso eficacia dellas certa aos casos de febres alem do que nao camsam repu-
gnancia, nem fastio e engolem-sc facrlmenw. As perolas de quinina coaserram-sa C^*1"-^**^
indefinitamente sem estragarem -se. E indispensavel exigir a signatura : "" t>v3P
J_^s^ Ss vende a varjo na mor parte das Pharmacia*. ^
^Vv Fabricacao e atacado, Casa L. FEEEE 19, me Jacob, em Par. //^~
0 Pleben
Drama em I prologo e K arluM ori-
ginal de Kiuelro da Silva
Agencia nica para aa signaturas de cada fas-
ciculo de 16 paginas em 8 francez, por 200 rs., na
LIVRARIA PARISIENSE
7-A Ra Primeiro de Marco 7 A
Aluga-se on aitio na travessa de JoSo de Bar-
ros n. 6, com boa casa de morada e grande quan-
tidade de fructeiras, cacimba muito boa e perto
da via-ferrea de Olinda : trata-se na ra da In-
peratriz n. 14, camisaria.
a*
Precisa-se
de dous candieiros de vidio, de dous ou trea bi-
cos, e tres arandellas : quem tiver e quizer ven-
der, dirija-sc ra Duque de Caxias n. 58.
CRIE 8 V TW aW~ ^ iflslT A 1 1 1
Os proprietarios do muito conhecido estabelecimento denominado
MUSE DE MAS
sito a ra do Cabug n. 4, communic&m ao respeitavel PUBLICO que receberam un
grande sortimento de joias das mais modernas e dos mais apurados gostos, como tan
bem relogios de odas as qualidades. Avisara tambera que continuam a receber po>
todos os vapores vindoa da Europa, objectOB novos e vendem por muito menos que en
outra qualquer parte.
MIGUL WOLFP & C.
N. 4 RA DO CABUGN. 4
Jompra-se ouro e prata velha.
Em Olinda
Vesde se dous sitios nos Mjkgres, conteudo 60
s de eoqueiros fructferos, cinco moradas de
Pasas, todas offerecem vantng.'m psr* btrnhos sal
.ados, por estnrem muit rto do mar : quem
-reteuder, dirija-se ho
^ue ah achara com quem
uro. t i. A vista faz f.
Vende
3
a taverna sita estrada de iqui a Jaboatao
esquina do cha, junto a um rancho n. 149, com
poueos fundos.
^.PIVERem PA^
TTxxioo Inventot
-S-
DO
SABAO SUCCO^ALFACE
0 melhor dos S&bes de ivucaor
*
^'co os ^
JtSvltar a.a Imitaces
O*
^ositos as priadpaes PeriUDiariaa. PkRrw^cias Cabehereiroa da AaK?*i.
PHOSPHATINA
Falires
PARA A
UJMElTAglO RACIONAL
DAS
Metes, enancas, Amas,
Conoaescentes.
Este alimento, de un sabor agradavel, precioso
sobretudo :
Para as Mes, durante a gravidez;
Para as Crianzas, na occasio de desmamal-as_
Para os Velhos e Convalescent.es.
A PHOSPHATINA constituo o verdsdeiro alimento
"das (Mancas alimentadas no seio ou na mamadeira. Nenhmna
Fcula, Conserva ou Pos ditos de alimentaco para a infancia,
pode competir-lhe.
E a administrando fcil do Phosphato de Calcium, que fortifica as
Criancas durante o seu crestmenlo.
FASZZ, 6, Avenue Victoria, 6, PARS
DKiUrlas a Pernambuco : FHAK" M. da SILVA k C-
PERFUMARA
LAFERRIRE
PARIZ
Segredo da Juventude
PARIZ
Segredo la Jnventude
AGUA LAFERRIRE 1 OLEO LAFERRIE
Para o Tuucador. Hff *^M i'ara o Cabellos.
POS LAFERRIRE V KN^ ESSENCIAS DIVERSAS
Para o fosto. ^^^ ^p*' Para o Le/t^o.
PRODUCTOS HYGIENICOS para conservar a Belleza do Rosto e do Corpo.
neoo9lariosem/Vr7uim./<-":FRAN"M da SILVA Ce na prineipae< Perfnmaria e Cshellereiros
CASA DE MODAS
Fazendas finas
j. bastos & c.
2 A-Rua do Cabug--2 B
Sedas de cores em cortes de 20 metros com as rendas de seda para enfeites
Sedas com bordado de alta novidade.
Gorgorlo de seda, qualidadd especial, cores ciel, rose, marinhe, lontre, beije.
lilaz, tabore, brenze, lontre e grenat.
Gorgoreo branco para noiva.
Faille branca para dita.
Damass ottomane branco.
^ Grinalda8 de cera, o que ba de melhor.
Veos e fiil, em pega, para noiva.
Leque de madreperola com rendas.
Meias brancas de seda.
Colchas de damasco de seda.
Ditas de Guipour e crochet.
Cortinados de crochet.
Cachemires com bordados Ancoralindissima combinacSo para vestido e
inteiramente novidade.
ESCOLHIDO A CAPRICHO
Robes mi confeccionesvestido raeio preparados, em seda, la, tecidos novos
e algodto, de 15^000 a 650OOO.
Colleretes para senhoradoctoresse, em fustSo e crotones ; grande moda.
Visitescapas enfeitadas ricamente a passementerie e rendas.
LUVAS DE SEDA
Com e sem dedos, ultima moda.
Bolsas de couro 4a Hara ck drrsraos tamanhos.
Perfuaifian sjsisIbm*, grande sortimento.
LeqMB do seda e setim, modernos.
Tecidos de algodao para vestidos ligeiro e econmicos
E' difficil encontrar melhor sortimento do que acaba de chegar e que vende
se barato. Padr5es novissimos.
2 A-KUA DO GABGA-2 B
(Telephene n. 359) *
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Liurtado da Faculdade de Medicina de Pars. Pnmio Montyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as affeccoes seguintes:
Asthma; Insomnia, Palpita93es do Corago, Epilepsia, Hallucna$ao,
Tonteiras, Hemaoiania, Afecgoes das vas urinarias et para calmar toda
especie de excitacao.
um Qma exvlictoio detallada acompanht oadt Frasco.
Exigir as-Verdaeraa Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & Gu
L da PARS, que se entontro em cota dos Droguistas et Pharmaceuticos.
t
Mili
u 0U1I
:? >i
OES
OleodeFigaddeBacalhau
do 13r 30XTCOXT3C
lodo-Ferruginoso de Quina e Casca d* Laranja amarga
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
e de cheiro agradavel. Pela sua composico, possue todas as
qualidades que lhe pertnittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECCOES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
,. a DIATfESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
\ Em vista- do seu emprego fcil, da sua aegao multplice e
sqgura, da economa para os doentcs, os mdicos receium-n'o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
DEPOSITO O-ER-Ai. :
PARS, 209, ra Saint-Denis, 209, PARS
NDEahOBCM TOD8 AS PR1NCIPAES PHARMACIAS DO UH1VEBS0
CONFIAR DAS FALSIFICAgOES E IMITACES
A GRACIOSA
Nova loja de miwlcsas
N. 7RA DO CRESPON. 7
DUARTE & C.
Os proprietarios deste estabelecimento, tendoo preparado com esmero e 'ele-
gancia, convidara as Exroaa. familias para visital-o, afianzando que encontrarlo sem-
pre um variado sortimento de objectos de moda e phantasia, por precos suromamenfe
mdicos, como alguns que em seguida designam.
Carriteis de linha para machina a 80 rs.
Ditos de retroz de 100 jardas a 200 rs.
Ramos de flores finas a 1,5000 e 15500.
Babados e ntremelos, de 500 a 3$000, a p^ja.
Baleias para vestido a 300 a duzia.
Ditas cobertas a 700 rs. a duzia.
La para bordar a 25800 o maco.
Espartilhos para senhoras de 35000 a 85000.
Ditos para meninas a 45500.
Extractos finos para lenco de 15000 a 4|000 o fraco.
Luvas de seda de cores 25000 o par.
Ditas rendadas a 35500 o par.
Ditas de pellica a 25500 o par.
Mayos de grampos a 20 rs.
Caixas com colxetes a 60 rs.
P para dentes a 200 e 500 rs. a caixa.
Vasos com opiatas a 15000.
Escovas para dentes de 200 a 500 rs.
Alfinetes a 80 rs. a carta.
Fita de linho a 40 rs. a pea.
Punhos e collarinhos bordados para senhora a 25000.
Invisiveis para o cabello a 200.
Lengos com barra a 25000 a duzia.
Aguthas a 20 rs. o papel.
Ditas fundo dourado a 80 rs. o papel.
Cabos de agulhas para crochet a 200.
E muitos outros artigos taes como fitas de diversas qualidades, Jeques de papal,
de setineta e de setim, plisss de carabraia e de seda, albuns baratjs e de finas qua-
lidades, sapatos para meninas, senhoras, e homens, tudo por prejos admiraveis.
r
BRONCHITES, TOSSES, Catarros Pulmonares,
DEFLUXOS, Molestias do Peito, TSICA, Asmas
CORA RA.PIDA. B CKRTA. PKLA8
Gottas Livoniennes
TBOUBTTE-PBRRET
Com CRBOSOTB de FAIA, AI.CATRO de NOBBQA e BALSAMO de TOL
Este prearado, infallivel para curar radicalmente todas as Molestias das Vtns
respiratoria, recommendado pelas Notabilidades medicas como o nico efticaz.
o nico medicamento que alem de /10 fatigar o estomago, o fortica, reconstitue e desperta
,0 appetite : dutt&ttas pela muci e tarde baetam para tnumphar dos casos mais rebeldes.
DBVE-SB EZIOOI t SELLO DE OARAWTIA DO OOVEMO FRANGES
Deposito priicipal: TR0fi3TTE-PERRET, 264. booler'Voltire. PARS
0w.Lem^rnmuc..-raAIT-M.flaBnVA^ _______
rmr
FUNDICAO GERAL
ALLANPATERSON&C
H. 44-Eu 1 do Brum--N. 44
JUNTO A EF f A(5A0 DOS BONDS
Tem para vender, por pra mdicos, as seguintes ferragena:
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacoes de diversos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos
Portasd fornalba.
Bancos de ferro com serra circular.
Grradeamento para iardim. _
Vapores de forca de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Moendas de 10 a 40 poegdas de panadura
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-8e de concertos, e assentamento de machinismo e exec*m qaal-
trabaiho com perfeicSo e presteza.
I




Diario de PenrambcoSabbado 14 de Agosto de t86
Ao povo p* rnamlmcano
Contina aberta a escola partteular de instmc
to primaria para o sexo masculino, ra da Ma-
tris da Boa-Vista n. 31, dirigida pelo professor
particular Jalio Soares de Azevsdo.
Educa e instrue a infancia, pele Tatema de
principaes collegioB da corte do imperio, onde
ateve por algum tempo passeio, cujo aystema
e a delicadesa, a paciencia, a vocscao, fasen-
do com que os seus diBcipulos tigam o caminho
da intelligencia, da honra e da dignidade, com
santos conselhos e sas licSes, afim de que venha
a ser o futuro sustentculo da patria, da religio
ds lei, e um verdadeiro oidado hrasileiro.
Espera, portante, que o respeitavel publico sai-
ba apreciar de perto o seu verdadeir* ensina pri
mario, onde rpidamente as crianoas abracam e
amam de coracao aos livros, as lettras e as bellas -
artes. Ra da Matriz da Boa-Vista n. 34.
Julio Soa.es de Asevedo.
Roubo
Do engenho Cabete, do termo da Escada, foram
roubados no dis 3 do corrate mes, da estribara
do lavrador Manoel Feij de Mello, tres cavalles
possantes, gordos, de cores e signaes seguintes :
um castanho tapado, inteiro, de segunda muda,
anda baixo obrigado, no p esqaerdo tem urna
listra branoa entre o casco e o cabello, e no di-
reito um carocinho, como que produzido por espi-
nho : dous rasaos, sendo om grande, ardigo, den-
tes quebrados, de 12 annoa, inteiro, anda baixo,
francamente, e o outro quartu, sem andares, de
8 anuos, muito bem feto, castrado, tem no sovaco
esquerdo um signal de ferida que tere ha annoa,
e todos tres teem este ferroMPna p direita.
O dono gratifica quem der noticia certa de ditos
eavallos.
Cimento po lland
Veade-se de diversas marcas, no armasem de
Soares de Amaral Irmios, ra da Madre de
Deus n. 22.
GRANDE
Prcguczia do Reeife
Aluga-se por preco muito commodo urna pe-
quena familia metade da casa da ra dos Guara-
rapes n. 29, e na mesma se precisa de m menino
qne seja fiel, para faser compras, d-se roupa e
bom ordenado. ________
Telegramma (resposta paga)
Bicoa orientaes, grande variedade em cores .
larguras, receberam o Pedro Antones & C, e ven-
dem barato ; esperamos resposta ao 43 ra Du-
que de Caxias, Nova Esperanea; novo sortimen-
to em leques de papel a 700 e 800 rs, preferencia
exclusiva ; ditos de seda, bonitas cores e lindas
paisagens a 3/, barrato punhss e collurinhos
bordados para senhora a 1800 a 2500 ; ditos
com pintas de cores a 1^200 ; boaiUs e delicados
lacinhos de cores, ultima moda em gravatas, a
10OO. Rejposta paga ; vale a pena verem o que
6 : na loja de Pedro Antunes & C. n. 63, ra
Duque de Caxias. ______________________
Oe'jos do serlo
Em moxilas
O que ha de mais especial.
Presuntos de Lamego seccose e m calda
Mantega ingleza em latas a
15000 a libra
POfAS MENDES & C.
Rna Estrellado Rosario n. 9
Pintura lomottiea
PHARMACIA
Hersnea de Soasa Pereira dr C. Sac-
cenaore*
Receben grande sortimento desta excellente
tinta de todas as cores e em latas de 1 a 5 libras,
que continuara a vender por commodo preco :
qualquer pessoa (criado cu menino) pinta com
perfeico. Com esta tinta podem todos com pouco
dispendie conservar suas casas sempre limpas.
Ra do Marques de Olinda n. 27
VENDAS
A Revoluco
ios
Tomeni nota
Trillios para eagcRhos
WAGON8 PARA CAXNA
Locomotivas
HachEnism completo para en
gentos de tdos os tamaitos
Systema aperfeicoado
Especificares e presos no escriptorio das
agentes
Browns & C.
V. &-Rna do Commereio
N. B Alm do cima B & C, tem cathalogos de
mo'l simplementosuecessarios agricultura, como
.ambem machinas para descarocar algodSo, mei
nhos para cat, trigo, arroz e milho; cerca de fer-
ro galvanisado excelntc e mdico em preco, pes-
soa nenhuma pode trepal-a, nem animal que-
bral-a.
Aluga-se
a casa n 1 ra Li mbrancu do Gomes, em Santo
Amaro, tem agua : a tratar na rna da Imperatriz
u. 32, 1 andar. ________________
Aviso
Precisa-se de urna professora que saiba locar
bem piano e mais trabslhos de senhora, para en-
genho : a tratar com o Baro de Nazareth, rna
do Imperador n. 79, 1 andar.
Serrara a vapor
Caes do Caplbnrlbe n. 18
N'esta 6erraria encontraro os sf nhores fregue-
ses, nm grande sortimento de picho de resina de
cinco a des metros de compnmento e de 0,08 a
0,24 de esquadros Garante-se preco mais cmo-
do do que em outra qualquer parte.
Francisco dor Santos Macedo.
Molestia da canna
Processo de pnrifica$o especial.
Methodo econmico e satisfatono e de fcil ap-
plicacao em qualquer engenho.
Nao terSo os senhores de engenho mais pr- jui-
zos enormes com a molestia.
IoformacSes e espe ficscoes com
Browns & C.
K. 5 ~ Rna
do Commereio
RECIFE
\.h
Venda de hotel e hos-
pedara
O proprietario da Estrella do Norte ra Tho-
m de Sonsa n. 8, tendo de retirarse para Europa
Eor incommodos da sade de familia, vende o seu
otel, o qual Be torna recommendavel pelos bons
eommodi'S, como por estar bem loealisado e em
boa freguezia : a tratar no mesmo.
SM.SA0
DE
SCOTT
DE OLEO PURO DE
Fiffado de bacalho
COM
flypophospltitos de cal e soda
Approvada pela Junta de Hy-
glene e autorizada pelo
governo
E' o melbor remedio at hoje descoberto para a
ra Duque de Caxias, resolveu a vender
os- seguintes artigos com 25 0|0 de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Sedas lavradas de 2*000 por l 000 o covado.
Cachemiras de cores a 900, 1$000el200 o co-
vado.
Ditas pretas a 1*200, 1*100, 1*600, 1*800 e
2*000 o covado.
Ditas bordadae de seda a 1*500 o corado.
Gorgorinas de listrinhas a 360 rs. o covado.
Gaze com bolinhas de velludo a 800 rs. o co-
vado.
Las com bolinhas a 640 rs. o covado.
Velludilho liso e lavrado a 1*000 e 1*200 o co-
vado.
Palha de seda a 800 rs. o covado.
Fustao branco a 400, 440, 500, 560, 600 e 800
rs. o covadu.
Giosdcnaples pretos a 1*800, 2*000 e 2*500 o
covado.
Nxnsoc de cor a 300 rs. o covado.
Cretones finos a 360, 400 e 440 rs. o covado.
Cambraia transparente de 5*000 por 2*500 a
peca.
Linn branco com salpicos a 500 rs. o covado.
Casacos de laia a 1*(00 um.
Fechs de retroz a 1*000 um.
dem de la a 1*000, 2*000,3*000, 4*000, 5*000
e 6*000 um.
dem de pelussia bordados a 7*000 um.
Chapeos de sol de cores para senhora* a 7500
um.
Setinetas modernas a 360, 400 e 440 rs. o co-
vado.
Lmhos eseosseres a 240 rs. o covado.
Zephiros listrados a 200 rs. o covado.
Brim de linho de cor a 1*000 a vara.
Fustao de cor a 500 re. o cavado.
Tapetes para janella, piano, sof e cama a 4*
6*000, 7*000, 8*000 e 24*000 um.
Setinetas lisas a 400 rs. o covado.
Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
Flaoella branca a 400 e 1*000 -o covado.
Cortes.de casimira finos a 3*000 um.
Colkirinhos de cores e brancos a Lucinda a
1*000 am.
Casemira de cor e preta a 1*800 rs. o covado.
Brim prateado fino a 60C rs. o covado.
Dito liso a 360, 400 e 500 rs. o covado.
Esguiao amarello e pardo a 500 rs. o covado.
Algodao com duas larguras a 800 rs. o me-
tro.
Camisas de meia a 800, 1*000 e 1*500 urna.
Ditas de linho lisas e bordadas a 30*000 a du-
zia.
Times bordados para meninos de 4 a 5 annoa a
fi*000 nm.
Madapoloes finos a 5*000, 6*000, 6*500, 7*000
e 8*000 a peca.
Espartilhos de cnuraca a 4*000, 5*000, 6*000
e 7*000 um.
Lencos finos a 1 *200 e 2*000 a duzia.
Toalhas felpudas a 4*000, 6*000 e 12*000 a
duzia.
Redes hamhurguezss de 20*000 por 10*000 urna.
Setins maco de cores 800, 1*200, 1*400,1*600
e 2*000 o covado.
Alpacas brancas a 400 e 500 rs. o covado.
Setinetas brancas lisas e lavradas a 500 e 560
rs. o covado.
Cortinados bordados a 7*000, 9*000 e 16*000 o
Exposifao central rna larga do
Rosario n..'8
Damiao Lima & C, ctaamam a attenco das
Exmas. familias para os precos seguintes :
Carreteis de 200 jardas a 80 rs.
Pecas de bordados de 200 a 600 rs.
Ditas de um palmo a 2*500 e 3*000.
Fita n. 80 para faxa a 2*500.
Leques regatas e D. Joannita a 1*000.
Frascos e extractos de Lubin, grandes, a 2*000.
Leques D. Lucinda Colho a 6*000.
Toalhas felpudas a 500 600, e 1*000.
Duzia de meias para hornero a 3J000.
Ditas para senhora a a 8*000.
Luvas de seda a 2*000.
Meias de fio de seda para menina a 1*000.
Colannhos de linho a 500 rs.
Ditos de algodao a 320 e 400 rs.
Macos de grampos a 20 rs.
Pecas de cordo para vestido a 20 rs.
nvisiveis grandes a 320 rs.
rampos nvisiveis a 60 rs.
Um leqne de setim (novidade) a 65500.
Ricas bolcinhas de madreperola de 1*500 6*.
L5 para bordar 2*800.
Urna capella e veo de 15*000, por 12*000.
Um espelho de mol lora por 5*500.
Una pulseira de fita per 1*200.
Pliss a 400 e 600 rs.
Urna boneca grande de cera por 2*500 e 3*000.
NA EXPOSigO CENTRAL
58Boa Larga do Rvsario-58
Florida
Loja de miudezas
Rna do Duque de Caxias n. ios
Os propietarios deste grande estabelecimento
de miudezas, modas e para accommodar os interes-
ses da poca, tem resolvido venderem po' raeuos
vinte por cento que em outra qualquer parte.
Ptntes elctricos 6i 0 rs.
Luvas de pellica a 2*500 o par.
Linha de carritel branca e de cores a 80 rs.
Grampos a 20 rs. o masso.
Iovisiveis a 320 rs.
Vestuario de fustio bordado para enanca a
3*000.
Pentes de regaco para enanca a 100 rs. um.
Baleias a 36o rs. a duzia.
Haspas para anquinhas a 120 rs. o metro.
Bicos com tres dedos de largura a 1*500 e 1*800
Caraeiro Ha Wa se.
ueem
os em
rs., o co-
Liquidam os seguintes artigos mais barato q
ontra parte, visto aerem alguna comprad.
leil a.saber:
Lindos crotones claros a 240 e 280
vado.
Failes de novos gostos a 400 e 500 rs. o dito.
Lioons com palmas de li 800 rs. o dito.
dem com salpicos a 660 e 700 rs. o dito 1
Popelinas com litras de i eda a 280 e 320 rs., o
dito para acabar.
Eeguio pardo para vejtidos a 500 e 560 re. o
dito.
Setinetas, navidades, a 320 e 360 ra, ores
firmes.
Damascos de 13, largura de 2 metros, proprio
para pannos de piano a 1*803 o covado : de cores
proprias para mesas a 1*500 e 1*600 o dito.
Merinos pretos para laU, 2 larguras a 900, 1*,
1*200 e 1*500 o dito. *'
dem de todas as cores a 1* e 1 *200 o dito.
Casemiras de 2 larguras, padroes inteiraraente
nevos a 1*200, 1*600 e 1*800 o dito.
Setim maco, de todas as cores, desde 800 rs. a
2* o dito.
Atoalhado trancado e bordado a 1*400 e 1*500
o metro.
Bramantes de 4 larguras, superiores a 900 rs. e
1*400 o dito.
dem de puro linho a 2* o dito.
dem de urna largura a 500 rs. o dito.
Guarnicoes de.rochete paTa sof e cadeiras a
8*.
Riquissimas colxas de dito a 12* e 14*.
Lindas grinaldas e veos para Exmas. noivas a
14*.
Cortinados bordados a 6*500 e 10* o par.
dem em pecas com 12 jarda*, novos desenhos a
9*.
Toalhas felpudas de cores, para rosto, a 7*500
a duzia.
Meias inglesas, cruas a 3*500, 4* e 6* a dita.
dem arrendadas para senhora a 8* a dita.
Seroulas bordadas de bramante a 12* e 16* a
dita.
Camisas superiores francesas a 38* e 42* a
dita.
Cobertas de ganga, forradas a 2*500 e 3*.
Lencoes de bramantes, grandes a 2*.
Chales de casemira, dem, a 2*, 3* e 5*.
Cortes de casemira inglesa a 3*. 4* e 5*.
Cheviot superior, de 2 larguras, a 3* e 3*500 o
covado.
Venda* em grosio, damow denconio
da praca
59=Bua Dlique de Caxias=59
Carneiro da Cunha & G.
N.19..,*i*e-
sent maasa -por
m i m robritag,
contendo tSa>
m i n a 5 2 o ME-
TEOROS, rjut
na-se aoa ciysWo-i
fabricados X-
postos i Tiada
por Joaquna Ber-
nardo dos Beis
& C, firaia saw-
mercial dostMsk-
da n'esta piafa
ra Larga d
Rosario n. 30, fb
api-asentada registro no dia 28 do mez de Maio prximo passado a duas hos 4a
tarde, e registrada n esta data em cumprimento do despacho de hoje da Mere
Junta Commermal em substituicao do registro n. 80, que tem nota de baixa,
nao foi dada no 2.- exetnplar porque o commerciante matriculado Joaqt
do Keis declarou tel-a perdido.
E, para cumprir o predito despacho e o preceito da lei, fiz nota de batta-s*
respectivo registro n. 80 devidamente sellado com mil ris, e o registro da marta sa-
pra do qaalXtrahi este nota. Pagou um mil ris de um parecer fiscal. Sec**a
da Junta Oommermal da cidade do Recite, 4 de Junho de 1886. -O secretario JWa
Guimar&es.
a qaal
Berdiai*
Joaqmrn Bernardo dos Reis d C. proprietarios do estabelecimento
Pernambncano ra Larga do Rosario n. 30, avisam ao respeitavel puba ata
geral, e aos amigos e fregueses em particular, para melhor esclarecmento, que em-
blema cima registrado da forma seguinte: urna agnia entre quatro tringulos sando
os dous lateraes em alte relevo, tendo urna fita preaa no bioo com a insc
jbmRlema Registrado, e sob os ps da ave a denominacao-METEC
Iodo o trabalho lythographieo com tinta carminada, e em papel chamois
conforme o rotulo emblemtico, que serve de inseralo a este aviso.
Os abaixo assignados, para mais evidencias declarara, que em viatafe do
decrete n. 2,682 de 23 3crijsate
io^-
a peca.
Lir"
nha de cores para crochet a 250 rs. o no-
vello.
Papel amizade a 40 rs. o caderno.
Fita cbineza a 320 rs. o masso.
Lencos de linho a 1*500 a duzia.
Lindos bicos de cores com 10 Jardas a 4* e 5*
a peca.
Urna caixa com tres sabonctes desenliando urna
rosa por 600 rs.
Meias de la de cores para senhora a 1*500 o
par.
Fazendas brancas
Camisas nacionaes
A. SOO. SftOOO e 8*500
32^= Loja ra da Imperatriz = 82
Vende-se neste novo estabelecimento nm gran-
de sortimento de camisas brancas, tanto de aber-
turas e pjnbos de linho como de algodao, pelos
baratos precos de 2*500, 3* e 4*, sendo tazenda
muito melhor do que as que veem do estrangeiro-e
muito mais bem feitas, por serem cortada por
um bom artista, especialmente camiseiro, tambem
se manda fazer por encommendas, a vontade dos
fregueses : na nova loja da ra da Imperatris n.
3-*, de Ferreira da Silva.
Ao 32
Nova laja de fazendas
a 8 Rna da Imperatriz = 3;
DE
FERREIRA DA SILVA
Neste novo estabelecimento encontrar o res-
poitavel publico cm variado sortimento de fazen-
das de tod.is as qualidades, que se vendem por
precos baratissimos, assim como um bom sort
menta de roupas para homens, e tambem se man
da fazer por encommendas, p r ter nm bom mes-
tre alfaiate e completo sortimento de pannos finos,
casemiras e brins, etc.
ou imitador, resolveram
duvidas futura.
Reoife, 9 de Agosto de 1886.
que pune rigorosamente o contr
patentear publicamente o respectivo registro para
ac
Joaquim Bernardo dos Reis fy C.
O portador de dous vigsimos dg#a
importante lotera do custo de 2J200 e#t
habilitado a tirar
2o:oi2$ooo
Preo em poro
Vigsimo
Vigsimo
A' RETLHO
14000
141O0
par.
Colchas
urna.
bordadas a 5*000, 6*000, e 8*000
Capella e veos a 10*000 e 14*000 urna.
Hcnriqoe da Silva Horeira
Aproveitem!
Vende-sc todo barato
Largo de S. Pedro n ti
Neste estabelecimento encontrase sempre nm
completo sortimento de gaiolas e paisaros nacio-
naes e estrangeiros, o melhor que ha neste ge-
nero, frnctas maduras, balaios propros para ni-
nhos oe canarios do imperio, cestinbas para cos-
tura, vassouras do i ara a 800 ra. cada urna, que
costa em outra qualquer parte a 1* e 1*200, con-
serva de pimenta americana em bonitos frasqui-
nhos a 120 rs. cada nm, para acabar, massa de
mandioca muito bem preparada, para bolos.
(lasi de gra^a
Vende-se urna armacSo
da Imperatris n. 1.
SO' AO NUMESO
4o rna da Imperatriz = 4o
Loja dos baraleiros
Alheiro & C, a ra da Imperatriz n. 40, ven-
dem um bonito sortimento. de todas estis fazendas
abaixo mencionadas, sem competencia de precos,
A SABER :
AlgodaoPecas de lgodaozinho com 20
jardas, pelo" barato preco de 3*800,
45, 4*500, Ai.<.'.,, i>J, 6*500 e 6$60i
MadapolSo Pecas de madapolSo eom 24
jardas a 4*500, 5*, 6* at 12*006
Camisas de meia com listras, pelo barato
preee de 800
Ditas brancis e cruas, de 1* at 1*800
Creguella francesa, fazenda muito encor-
pada, propria para lencoes, toalhas e
croulas, vara 400 rs. e 500
Ceroulas da mesma, muito bem feitas,
a 1*200 e 1*600
Colletinhos da mesma 800
Bramante francs de algodao, muito en-
cornada, com 10 palmos de largura,
metro 1*2
Dito de linho ingles, de 4 larguras, me-
tro a 2*500 e 280t
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, com 9 palmos de largura, metro 1J80C)
Cretones e chitas, claras e escuras, pa-
droes delicados, d 240 rs. at 400
Baptista, o que ha de mais delicado no
mercado, rs. 200
Todas estas fazendas barp.tissimas, na conhecida
loja de Alheiro 8c C esquina do becco
dos Ferreiros
a-
P
-s
de amarello I na rna
tinten bronchites. ecroplwlasu ra-
rhitiw. anemia, cebllldadc em geral,
deOuiok, loase ebrocaiea e alTeoce
do peleo e la garganta.
E' muito superior ao oleo simples de figado de
bacalho, porque, alm de ter cheiro e sabor agra-
daveis, possue todas as virtudes mediciaaes e nu-
tritivas do oleo, alm das propriedades tnica
reconstituintes dos hypophosphitos. A' venda na*
drogaras e boticas.
Deposito em Pernambueo
Esco'a nocturna
Achs se aberta a matricula desta escola ra
de Guararapes n. 29, regida pelo professor par-
ticular Joo Valentim Ferreira Bastos Jnior. O
mesmo proft-ssor. a podido de alguna pais de fa-
milia, continaa a leccionar em casas particulares
a ambos os sexas, pelo que desde j protesta se
esmerar no adan amento de seus alum os, aquel-
lea que bondosamente Ibe forem confiados. As
mensalidides serio f tas na infcripcio da ma-
tricsJa-_________________"^
Aos acadmicos
A commisso executiva dos festejos do dia 11
de Agosto, participa que reeolvendo cornnw morar
o anniversaro da creacio dos cursos jaridicos,
eom urna sessio magna, litteraria nos saldes do
Ctdb Carlos Gomes, espera que abrilhantem com
suas jweseaoas e de suas Exmas. familias a res-
pectiva sessio, que ter lugar as 7 horas da
noite. A eenunisio.
Liquidado de fazendas
Com 5 % de abatimeuto
Na Loja das Estrellas
A' ra Duque de Casias n. 58
Glase de linho em todas as cores a 100 ris o
covado.
Puiqu com lindissimoa desenhos a 320 ris.
Casemira de quidriohos, imitacao de seda a
320 ris.
Merinos com 2 larguras em todas as cores a
800 ris.
Damacs de algodSo a 240 ris.
Flaile8 de quadrinhos a 120 e 140 ris.
Lenon para vestidos a 320 res.
Percalinas, lindos desenhos a 240 ris.
Chitas escuras, padroes novos a 200 ris.
Cretennes bonitos, desenhos (novidade) a 320
ris.
Manneck lisa de todas as cores a 160 ris.
Granaldines de cores a 200 ris.
Renda Andalusa a 320 ris.
Fusto para coberta a 400 ris.
Meias inglesas, sem costura, para hometn a
4*000 a dusia.
Toalhas felpudas a 4J0OO a duzia.
Guardanapos de linbo a 2*500 a dusia.
Guardanapos grandes a 4*000 a dusia.
Le&ons de esguiao s 2*000 e 2*600 a dusia.
Lencoes a 2*000 cada nm.
Colxas a 1*500, 2*000 e 3*000 cada urna.
Perneadores para senhora a 2*000 e 4*000
cadatrm.
Camisas inglesas a 36*000 a dusia.
Atoalhado, lindos desenhos a 1*200 o metro.
Algodao duas larguras a 700.
Cheviot ingles (novidade) a 3*000 o covado.
Lencos com barra a 360 ris a dusia.
Fichas a 500, 800, 1*000 e 1*200.
Espartilhos a 4*000.
E mostos ontroa artigos que dsixam.de ser men-
cionados, e que se vendem com o mesmo abatf-
mento.
Algodao enestado pa-
ra lencoes
A OOo ra. e lAooo o metro
Vende-se na loja dos barateiros da Boa-Vista
i;odo para lencoes de um s panno, com 9 pal-
s de larpiraa 900 rs., e dito com 10 palmos a
00 o metro, assim coma dito trancado para
malhas de mesa, com 9 palmos de largura a 1*200
ii otro. Isto na leja de Alheiro & C, esquina
do eceo dos Ferreiros.
MERINOS PRETOS
A 1*200,1*400, 1*600, 1*800 e 2* o covado
A heiro di C, rna da Imperatris n. t40, ven
dem muito bons merinos pretos pelo preco acim
dito. E' pecbincha : na loja da esquina do bec-
co d( b Ferreiros.
Espartilhos
Na loja da ra da Imperatris n. 40 vende-se
muito bons espartilhos para senhora*, pelo preco
de 5*000, assim como um sortimento de roupas
de casimiras, brins, etc., isto na loja da esquina
de becco dos Ferreiros.
CASEMIRAS INGLEZAS
A 2*800 e 3* o covado
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven
dem nm elegante sortimento de casemiras ingle-
sas, de duas larguras, com o- padroes mais deli-
cados para costume, e vendem pelo barato preco
de 2*800 e 3$ o covado ; assim como se encarre-
de mandar fazer costumes de casemira a
t, sendo de paletot sacco, e 35* de fraque,
grande pecbincha .* na loja dos barateiros da Boa
Vista.
BRIM PARDO LONA
A 320 rs. o covado
Os barateiros da Boa-Vista vendem urna grande
porcao de brim pardo lona, por estar com princi-
pio de toque de mofo, pelo barato preco de 320
rs. o covado, grande pecbincha ; na loja da es-
quina do becco dos Ferreiros.
Bardado* a lOO ra. a peca
A ra da Imperatriz n. 40, vende-se pecas de
bordado, dous metros cada peca, pelo batato pre-
co de 100 rs., ou em carto eom 50 pecas, sorti-
das, por 5J, aproveitem a pechincha ; na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
7*001
10*OOf
12*O0t
12*CXX
5*501
6*5
8*0XX
3*001
l*60t
i*oor
Ba da Imperatris
hoja de Pereira da Silva
Neste estabelecimento vende-se as roupas abai
xo mencionadas, que sao ba--: ii>m.as.
Palitots pretos de ^"re.. aiagonaes e
acolchoados, senuo tazenaas muito en-
corpadas, e forrados
Ditos de casemira preta, de cordo muito,
bem feitos e forrados
Pitos de dita, fazenda muito melhor
Ditos de flanella asul sendo ingleza ver-
dadera, e forrados
Calcas de gorgorito preto, acolchoado,
sendo fazenda muito encorpada
Ditos de easemita de cores, sendo muito
bem feitas
Ditas de flanella inglesa verdadeira, e
muito bem feitas
Ditas de brim de Angola, de muleskim e
' de brim pardo a 2*, 2*500 e
Ceroulas de greguellas para homens,
sendo muito bem feitas a 1*200 e
Colletinhoa de gregnella muito bem feitos
Assim como um bom sortimento de leos d
linho e de algodao, meias cruas e collarinhes, etc
lato na loja aa ra da Imperatriz n. &
Riscados largos
a SOO r. o covado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vendem st
riscadinhos proprios para roupas de meninos t
vestidos, pelo barato preco de 200 rs. o covade
tendo quasi largura de chita franceza, e ssif
como chitas brancas miudinhas, a 200 rs. o
do,e ditas es curas a 240 rs., pechincha
loja do Pereira da Silva.
Fuaioea. etinetaa e luslnbaa a SO
rm, o covado
Na loja da ra da Imperatris n. 32, vende-a
nm grande sortimento de fhstdes brancos a 50i
rs. o covado, litzinhas lavradas de furta-cores
fezenda bonita para vestidos a 500 rs. o covade.
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas ai
cores, a 500 rs. > covado. pecbincha : na loj>
do Pereira da Silva.
Merino* pretos a llt
Vende-se merinos pretos de duas largurt pan
vestidos e roupas para meninos a 1*200 e l*60
o covado, e suoenor setim preto para enfeites t
1*500, a.'sim como chitas pretas, tanto lisas com
de lavoures brancos, de 240 at 320 rs.; na nov
loja de fereira da Silva ra da Imperatris ns-
mero 32.
Algodaoalnbo francs para lencde
a OOO ra., l* e ltOO
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-a
superiores algodaoziahos francezes com 8, 9 e 1(
palmos de largura, proprios para lencoes de un
a panno pelo barato preco de 900 rs. e 1*000 i
metro, e dito trancado pa a toalhas a 1*280, as
gim como superior bramante de quatro largurai
para lencoes, a 1*500 o metro, barato ; na lo.it
ds Pereira da Silva.
Roupa para meninos
A 4#, llOW e O*
Na nova loja da ra da Imperatriz u. 32, a
vende um variado sortimento de vestuarios pra
prios para meninos, sendo de palitosinbo e calci
nha curta, feitos de brim pardo, a 4*000, dito
de moleequim a 4*500 e ditos de gorgorito preto
emitando casemira, a 6*, sao muito baratos ; n>
loja do Pereira da Silva.
A WU DA FORTUNA
36Ra Larga do Rosario36
Aos looo:ooosooo
200:0001000
100:000SO0i
lu 11 n
DE 3 SORTEIOS
Em favor dos ingenuos da Colonia Orphanologica Isabel
DA PROVEVCIA DE PER1VAMBUCO
Extraego: no 15 Ge tanto cm
0 thesoureiro, Francisco Goncalves Torre
FUNDAS BARATAS
Pa beni eonhecida loja darna Prmeiro de
Marco n. 20
JUIVTO DO LOLVRE
de 40500, 5, 50500, 60, 0fMG
de U, 40500, 50, 5500, 6,5.
Vende Candido Thiago da Costa Mello em seu
de;osito ra Imperial n. 322, olaria. TeJejhone
numero 221.
WHISKY
ROY AL BLEND marca V1ADO
Este excellente Whisky Escessss preferivr
ao cognac ou aguarden.* de canna, para fortifica
o corpo.
Vende-se a retalbo nos k> Ihsres armasens
stolhados.
Pede ROYAL BLEND marea VIADO enjo m-
me e emblema sSo registrados para todo o Brasi
BROWNS t C, agentes
Cabriolet
Vende-se a armacao com balcao, potes, vasilha-
me.e mais perteacas da Botica do Recite, sita
roa do Bom Jess n. 26, por precos muito com-
modo*. Para infermaces, dirijam-se botica
francesa de Rouquayrol Freres, ra do Bom Je-
ss n.
VAPOR
Vende-se am em psrfeito estado e por preco
rommodo; & tratar na ma Duque de Caxias n. 47
e mocada
vapor
bo Tim
Vende-se nm bom vapor e moenda com penco
aso ; a ver no engenho Timb ass, muito perto
da estaco do mesmo uome ; a tratar na rna ds |
Imperador n. 48, 1 andar.
Grande sortimento de madapol3js
70500 e 80000
Algod3es brancos, superiores qualidades,
60500.
Saperiores cretones de 320 a 500 o covadu.
Batistes, lindro padroes, a 200 c 320 rs. o covado.
Fust8es brancos de novos desenhos a 440 e 500 rs. o covado.
Cobertas de ganga, forradas, de dous pannos a .30 500.
Ditas de ganga err v,one,bonitos padroes, a 30000.
Lencoes de bramante, de linho. de 20 a 40000 a um.
Ditos de algodSo de 1,800 a 20500.
Toalhas felpudas, de tamanho regular a 50000 a duzia.
Ditas grandes para banhos a 20000 urna.
Lencos de algodao de 10800 a 20200 a duzia.
D:+os ''e algodao, com barra, a 20400 a duzia.
B.i pardo, claro, a 300, 400 e 700 rs. d covado.
Dito Iraacado, loua, a 10, 10x00 e 10200 o meto.
Uuprtet ia vestido de cretone de 200 por 80000.
U .rdanapos de linho de 30500 a 60 a duzia.
Grande variedade de anquinhas de 20 a 50000.
Meias cruas para homem a 50, 60, e 70000 a duzia.
Chambres muito bem preparados, para homem, de 50 a 100000.
Casemira diagonal, preta e azul escuro, a 20500 o covado.
AlgodSo-trancad c de duas larguras a 10300 a vara.
Bramante d algod2o, de qnatro larguras, de 10500, 10800 e 20000 a var
Dito de linho dem idem de 20, 20500 30 e 40000 a vara.
Leques de papel, de lindos d-senhos, de 500, 800 o 10000.
Merino preto e aznl a 104O rs. o covado.
Setinetas lisas de todas as cores a 440 rs. o covado.
Guarda p de brim de linho pardo a 40, 50 e 6$000.
Oxford p~ra camisas, lindos padrSes, a 280 300 e 340 rs, o covado.
Velbutinas de todas as cores a 10000 o covado.
Molesquin de cores, bonitos padroes, a 600 rs. o covado.
Chales de algodao a 10200, 10400, 10600 e 22000.
Costumes para banhos de mar a 80 e 100000.
Cortinados bordados para cama e janellas a 80 100, 12, 14 e 160000 o pac.
Grande sortimento de roupa feita para trabalhadores de campo.
Encarregamo-nos tambem de mandar fazer qualquer roupa para harneas
meninos, para o que temos.um hbil oficial e um grande sortimento de pasaos, orina,
casemiras, etc.
Quem precisar de algum artigo bom e barato, dever visitar de prefereacs
cote aotgo e acreditado estabelecimento.
Ma Prtoim He Marco i. 20
s
m
^LsPW



Diario de PernambucoSabbado 14 de agosto de 1886

&
I
ASSEMBLEA GE IIAL
CAMARi DOS DISPUTADOS
SESSAO EM 27 DE JULHO DE 1886
PliESIDKSCU DO SR. ANDHADE FIGEIRA
(Continuado)
O Sr. E.nrenc de Alfonquer-
ae julgava esciwada a declaragao do no
fera ministro, porque a cmara saba que
as emendas sSo do governo e que nSo po-
liam 8er apresentadas senao cora o assan-
timento do nobre ministro do imperio ; sabe
igualmente quo qualquer membr* di rai-
aisterio nao deputado poda tomar parta
nos debates da cmara roas o pasamento
da emenda do Sr. Cndido de Olivera
smente para que o nobre ministro do im-
perio possa trazer discussao as luzes da
sua experiencia em um assumpto que cor-
re pela sua pasta.
Cr que o nobre ministro do imperio es-
peja oceupado no senado com a discussao
do seu orgamento ; mas nao acha regular
que a cmara vote uTia le raorganisando
as cmaras municipaes sem ouvir ao nobre
ministro, que recommendou a reforma em
seu relatorio o provavelmenta tem estudos
feitos sobre ella.
Vota, portanto, a favor da emenda do
Sr. Candido do Oliveira.
O Sr. Alves de Araiijo acha con-
veniente que o nobre ministro do imperio
sssista discussao do projecto, e por isso
Tota pela emenda do Sr. Candido de Oli-
veira.
O r. Matta Machado julga que
ao cscusada a emenda, como affirmou o
konrado ministro da fazenda, e por esta
raelo vota a favor della.
O Sr. Rodrigo Silva (pela ordem) re-
qaer e a cmara approva o encorramento
da discussao.
Posto a votos, approvado o requen-
mento de aliamento e rejeitada a emenda.
Fica portanto adiada a discussao do
projecto.
OK^AMEXTO DA AGRICULTURA
Continua a 2." discussao do projecto,
fizando a despeza do ministerio da agri-
cultura para o exercicio de 1886 1887.
Ven: mesa, sao lidas e remettidas a
commisslo de orgamento as seguintes emen-
das : .
Ao 24. Na verba de telegraphos,
augmente-se a verba de 100:000,$ para
dous ramaes telegraphicos, um que paitra-
do da cidade de Theresina passe pelas vil-
las da Unio, Barros Peracuruca cidade
de Parnabyba, terminando na villa da A-
marracSo perto do Piauhy, e outro que par
tindo da cidade de Itapicuru'mirim passe
pelas villas de Vargem Grande, Chapada,
Burity, cidade do Brejo, S. Bernardo e
Barreir'mhos, no Marauhao. Codho Ro-
drigues. Joao Henrique.
Ao 22 :
E.b vez de 250:0005 cons3rvacao do
porto e ponte Buarque de Macedo, diga-
se 383:460;) como se pede na proposta.
Portella Alcojorado Jnior. Rosa e Sil-
va.
Augmente-se a verba do 28 com a
quantia de 4:200$, ficando elevada 2.a
classe a repartigao do correio do Cear.
Torres Portugal.
Auditivos
Navegacao a Vapor da linha do norte do desse corpo, acred tando que sera augraen-
1 Imperio, smentTpara incluir o porto da to de despeza podar
AmarracSo no numero dos portos da esca-
la, fazendo-se o servigo de embarque e
desembarque em lancha a vapor, como na
Parahyba. O governo augmentar a sub-
vencao em proporcSo ao augmento e ser-
vigo e tempo de demora no referido porto
para o qua poder abrir o preciso crdito.
Coelho de Rezende. X. Suva.
* E' o governo autorisado a conceder
os
tele-
Fica o governo autorisado, na inno-
vagao do contrato com a companhia a va-
por do Rio Parnahyba, a contratar urna
viagem redonda por raez do porto da The-
resina villa de Santa Philomena, aug-
mentando para isso a subveng3o em pro-
porcao razoavel. No contrato o governo
impor a clausula de que tal viagem seja
feita em barco a vapor, dos denominado
fundo de prato com rodas popa, com j
accommodagoes para passageiros e forga
para rebocar dous ou mais barcos. O go-
verno poder sentar dos direitos de im-
portaclo o material preciso para a cons-
truecSo de um vapor e duas barcas. Coe-
lho de Rezende. Xavier da Silva.
Fica o governo autorisado a renovar
o contrato com a Companhia Brasileira de
rOLHETIM
MGOLO
POR
zkini ra otkii
tCONTINUAQO DE ANGELA)
(Continuas3.o do n. i84 )
XXII
Minha irma legitima de pai e ma...
bruidora de profissao e rapariga bonita co-
no o diabo... A grande Sopbia, Sephia
Rigault.
O Sr. do Gevrey estremecen:
Osear continuou:
Parece, segundo me disse o Lombri-
ga (esse pobre diabo que levou urnas faca-
das as costas), parece que ella sabio de
Belleville ha mais de dous annos e que nes-
ta oecasio faz a ventura de um sujeito
muito chic. .. de um homem ornado com
urna bolsa muito recheiada... Quando en-
trei no Estufado, onde um daquelles pati-
es me provocou, tinha passado o dia com
o Lombriga, a bater o bairro, afim de a
eacontrar.
O senhor disse que sua irma bru-
idora ? disse o Sr. da Gevrey.
Sino, meu juiz, antes de andar va-
diando... porque nao supponho que o tal
sujeito a deixe trabalhar... Passava nesse
tempo por urna yperaria de primeira ordem,
quando ella o quera.. Em tres dias ga
ahava o dinheiro de toda a semana ; mas
isso nao lhTacontecia muitas vezes-----
Mandriona no fundo, como seu irmllo....
Vadia por temperamento... em todo o ca-
so, estimada por todos... Pode fallar della
em BeBeville. Era conhecida, gragas a
Deus, apenar de lhe darem mais de trinta
appellidos : a grande Sophia... a bella So-
pnia... a Sophia desasada...
A physioBomia do Sr. de Gevrey torna-
va-se o uta Tez mais sombra.
Basta de fallar em sua irma. .. disse
elle a Osear Rigault.
acabado
garanta de juros de 6 0\0 obre o capital
necessario para a estrada de ferro que par-
tindo da estacas do Ribeirao na via-ferrea
de S. Francisco, em Pernambuco, vai ter
villa do Bonito. Alcoj"orado Jnior.
< E' o governo autorisado a reaovar por
5 annos mais o contrato da associac&o Ser-
gipense, para o servigo de rebocagem as
barras de Sergipa, reduzida a subvengao
a 18:000,?. Coelho de Campos. Luiz
Freir. Olioeira Ribeiro. Padre Olym-
pio Campos.
< Fica o governo autorisado a rever
regulamentos do correio geral e dos
graphos do Estado, pjdando raduzir :
1. As taxas dos telegrammas rece
bidos e exped Jos pelas folhas diarias, ex-
clusivamente destinados publicidade.
< 2." As taxas de transporte de jornaes
dentro do Imperio. Rodrigo Silva.
c Na demonstragao n. 6 conserve se a
verba de 2:00|J para a conservago das
rampas da capital do Piauhy augmentan-
do se a de 30:000$ para a realisagn do
arrampamento de todo o porto da referida
capital. Na hypothese do orgamento do im-
perio comegar a regular com o anno civil
indo o do anno financeiro corrente at De-
zembro de 18fc>7, aqgroente-ae de 120:000$
para 150 a verba para melhoramento do
rio Parnahyba. Coelho de Rezende.
c Fica o governo autorisado a despen-
der at a quantia de 50:000$ com a cana-
lisagao do agude do Bello Prado para Ca-
nhotinho, inclusive a acquisigao do mesmo
agude. -Alcoj'orado Jnior.
O Sr. Chrlstlano LUZ analysando
o discurso honte.n proferido pelo Sr. Co-
sario Alvim, acompanha S. Exi. as con-
sideragSes expedidas a respeito da neces-
sidade que ha de proteger a lavoura, e a
respeito das causas a que attribue a dimi-
nuigao da nossa produegao ; julga. porm,
que foi injusto o nobre deputado quando
attribuio imprevidencia dos governos o
nosso mo-estar, porquanto desde 1870
para c tm os diversos governo3 coopera-
do quanto Ihes ha sido possirel para acti-
var a producgSo, da qual necessariamente
dimana o augmento da renda.
Para este fim foram decretadas estra-
das centraes, linha3 frreas, medidas ten-
dentes a attrahir immigragao, convocado
um progresso para estudar os meios d<>
proteger a lavoura por meio de bragos, e
pelo desenvolvimento de escolas agrcolas
no norte e no sul do imperio.
Foram, por consequencia, estudados os
meios de desenvolvimento de que carece a
lavoura: esses meios, porm, que nao
tem sido realizados, como era de esperar.
Em materia de garantas a engenhos cen-
traes e estradas de ferro notoria a infe-
licidade das administragoes.
A maior parto das garantas concedidas
tem sido ama fonte perenne de prejuizos
para o thesouro.
Julga que o nobra deputado foi injusto
censurando o governo pelo impulso dado
exploragao do ferro da Ypanema, c por
outros servigos de que alias di ve resultar
o progresso do paiz ; e referndo-se ex-
tensa rea devoluta que se encontra ao
sul da provincia de Minas, em urna regio
ubrrima, lembra ao nobre ministro da
agricultura a necessidade e conveniencia
de caminhar para alli a immigragao eu-
ropea.
Para isto er nao tar o governo neces-
reforma qua melhore a sorte dessa classe
desprestigiada.
Cumpro tambem a S. Exc. evitar que
nenhuma das nomeagis que tiver de fa-
zer recaia sobra um engenheiro que nSo
tenha sua carta registrada na secretaria
da agricultura, porque s assitn se pede
vorifi;ar se o candidato tem ou nao as ha
bilitag3es requisitada8 por lei.
Seria aiada um bom servigo que o no-
bre ministro prestara si deixasse de atten-
der s cartas dalas em paizes estrangai-
ros a individuos que nao t.n as habilita-
gSas consignadas nessas cartas. Abre
aqui excepgao a engeuheiros qu i t :nham
dado provas de habilitado, como, por ex-
emplo, o Sr- Revy, que revelou profuu-
dos conhecimantos em bydraulica n* cotn-
misslo que foi lhe dada.
Espera que o nobre ministro, tomando
ridade de fazer grandes favores, porque as
estradas de ferro estilo muito desenvolvi-
das. Aquillo de que mais se precisa de
trabalhadores
Pede ao nobre ministro que lanca suas
vistas para a classe do3 enganheiros cirs ;
que tome em consideragao a organisacao
em consideragao as observag3es que acaba
de fazer, nao descurar de proteger a
classe dos eogenheiros civis, assim como
a classe da lavoura, carDahando a immi-
gragao para o sul de Minas.
O Sr. fos Pompen sent que
no orgamento da agricultura, tao grande-
ment dotado para os servigos a que tem
de occorrer, nao se fizessem, senao gran-
crtes, ao meaos grandes reducgSas a que
elle se presta.
Se o actual do governo realizasse econo-
mas reaes e em larga escala, economas
que no trouxessem a desorgansagao de
servigos indispensaveis, haveria margem
para alimentar a vida da nagSo, exangua
em alguna pontos do imperio por falta
do impulso o da animagao dos poderes
puplicos.
J' assim que no norte existe urna vasta
regiao quasi inexplorada, as provincias do
Para e Amazonas, quo encerram riquezas
naturaes como nenhuma outra. Mas falta-
Ihes o brago do homem para desentranhar
da trra essas riquezas, e lamentavel
que at hoje nada se tenha eito no intui-
to de attrahir a immigragao para aquellas
remotas e desertas paragens, cujo futuro
depende apenas de seu pavoamento.
Ssria tambem de grande proveto para
o nosso paiz a decretacao de medidas para
cathechese e civilisagao do3 indios, e para
tornai' navegaveis os grandes ros que do
Amazonas se commuuicam com a Bolivia.
Poi esta estrada teriam fcil sahida os ge
eros de exportagao daquella repblica.
Chama a attengao do nobre ministro
para a provincia do Cear, carecenda de
melhoramentos qua a fertilizan. Urna das
maioras necessidades que ella sent actual-
mente do prolongamento das suas estra-
das de ferro do littoral.
Diz-se que nao possivel proseguir nes-
te intento porque as estradas do Ce&r nao
dSo renda sufficiente para o seu custeio.
as o orador nSo admitta semelhante ra-
zto'para sustar se um melhoramente que
um germen de progresso. Urna estrada
de ferro como a de Sobral, por exemplo,
que serve a urna zona fertilissima, nlo de-
ve ser considerada objecto mercantil, e
sien de interosse geral. E' afinal urna des-
peza reproductiva.
Fez algumas considerag33S obre as
obras de que foi eacarregado o engenheiro
Rvy, no Cear, entendendo que nao ha
absoluta necessidade de recorrer a enga
nheiros estrangeiros para a execuglo da
obras daquella natureza, urna vez que os
temos nacionaes habilitados ; e oscurece a
vantagem resultante do projecto ha dias
apvcaentado na cmara, a respeito da ca-
nstisagao do rio Jaguaribe.
Chama a attengao do nobre ministro da
agricultura para o servigo da immigragao,
sentindo que esse servigo, iniciado por S.
Exc, e do qual esperava grandes resulta-
dos, nao correspondesse sua espectativa.
Pensa que a immigragao europea afflue
mais consderavelmente para o Rio da
Prata, porque l os favores feitos aos im-
migrantes sao maiores do qne os que nos
aqui lhes concedemos.
E' pena que o nobre ministro acho exa-
gerados sses favores. Em todo o caso
cumpre ao governo adoptar medidas que
colloqusm o servigo da immigragao na po-
sigao de obter os melhores resultados para
este poiz.
Q Sr. Alcoforado Janlor -A
cmara relevar a ousadia que commetto
tomando a palavra em tilo importante de-
bate.
Nao venho, Sr. presidente, envere dar
raa pelo terreno escabroso da poltica, que,
".onsistinlo quasi sempre em recriminagSes
pessoaes o retaliagaes, s produz um re-
sultado a esterilidade do parlamento.
(Apoiados.)
Nao desejo absolutamente concorrer para
83o, antes fago os mais sinceros e arden-
tes votos para que nao se tar mine o perio-
do legislativo em que nos aunamos sem a
decretagSo de medidas uteis e proveitosas
para o paiz.
Nutro esta lisongeira esperanga, Sr. pre-
sidente ; primeiro, porjue vejo sentados
nessa cadeira homens da estatura do nosso
presidente effactivo e de V. Exc. (a cadei-
ra da presidencia acha-se oceupada pelo
3r. Gomes de Castro, Io vice-presidente),
que neste momento o substitua, os quaes
tm sabido imprimir aos trabalhos da C-
mara a mais ronveniento direegao (apoia-
dos), cortando abusos e acelerando quanto
possivel a mar :ha dos mesrao3 trabalhos.
Effactvaroonter Sr. presidente, desde
qua sou deputado, nao tenho idea de se
terem adiantado tanto 03 no como presantementa- (Apoiados.)
Chegados ao 3 mez de sessao, temqs
discutido as lis da forga de terrra e mar,
do anno passado e deste anno, diversos
crditos do Ministerio da Agricultura e
Marinha, quasi todos os orgamentos, fal-
tando apaas o da agricultura e da fa-
zenda.
Em segundo lujjar, porque acredito que
o ministerio nao se descuidar das reformas
promettidas e de realisar o seu plano de
economa, que, as condigo es em que nos
acharaos, constitue urna medida de salva-
gao publica.
Dessas Sr. reformas, presidente, urna das
que se me affigura urgente o indispensa-
vel, a de8criminf>gao das descrimnsfc'es
das rendas provinciaes. (Apoiados.)
O Sr. Presidente : O nobre deputado
est d8CUtindo o orgamento da agricultura.
O Sr. Alcoforado Janior : -V. Exc.
tenha paciencia, apaas urna razio da
ordem.
O Sr. Presidente : Si depeudesse s
de consultar o meu desejo, V. Exc. nao
teria embargos, mas chamo sua attengao
ern cumpriraento do regiment.
O Sr. Alcoforado Jnior : -Eu pego a
V. Exc. que tenha alguma condescenden-
cia com quem nao tem pratica da tribnna.
V. Exc. sabe quo eu fujo constantemen-
te de oceupar a tribuna, porque sou o pri-
meiro a reconher que nao tenho aptido
para ella. (Nao apoiados.)
Se tomei parte n'esta dscussSo, porque
tenho deveres rigorosos a cumprir.
O Sr. Presidente : V. Exc, supp3e,
que me est contrariando? Cumpro ape-
nas o regiment.
O Sr. Alcoforado Jnior:V. Exc.
est dando ao regiment urna interpreta-
gao rigorosa, visto como, na 2a discussao e
no art. Io do cada proposta, admissivel
discussao mais ampia.
O Sr. Presidente:Mas relativa ao as-
sumpto.
O Sr. Alcoforado Jnior: Julgo que
nao infrinjo o regiment ; dou apenas urna
razao de ordem para entrar em assumptos
apropriados ao orgamento, como V. Exc.
vai ver.
Dizia eu, Sr. presidente, que urna das
reformas urgentes e indispensaveis a que
diz respeito discriminagao das rendas pro-
vinciaes.
' Todos nos sabemos o estado de miseria
em que se acham a3 provincias do Norte, e
a de Pernambuco a que tem mais soffrido.
(Apoiados.)
O orgamento da provincia Je Pernambu-
co apresenta annualmente um dficit de
mais de 50 /,.
Nao creio, Sr. presidente, que a discri-
minagao das rendas seja por si s o reme-
dio para esse mal; mas fra de duvida
que ser um passo dado na carreira do
progresso, passo que ser da maior vanta-
gem, desde qua seja completado por outras
medidas indispensaveis. (Apoiados. Muito
bem!)
O Sr. GongalvesFerreira d um aparte.
O Sr. Alcoforado Jnior:- E' comoaca-
bei de dizer: nao produzir por si s o
effeito desejalo, mas de muita vantagem;
neste ponto, creio estar de accordo com o
meu nobro amig> companhairo de deputa-
gao.
Espero, pois, que o ministerio, langando
suas vistas para o estado de minha provin-
cia, nao se descuidar de tao importante
reforma, pela qual se clama ha tanto tem-
po.
Nao venho tambem oceupar-me com as
importantissimas questSes qua se prendera
ao Ministerio da Agricultura, como, por
exemplo, a colonizagao, a imraigragao, das
quaes depende a salvagao da n^ssa lavoura
moribunda, a navegagao e outros melhora-
mentos raateriaes de grande importancia ;
nao s porque faltam-me as necessarias ha-
bilitagSes, como porque nao desejo roubar
muito tempo Cmara : o meu fim mais
modesto e limitado.
Venho apenas conversar com o nobre
Ministro da Agricultura sobre cousas de
minha trra; mas antes de o fazer, nao
posso deixar de tomar em consideragao
algumas das proposigSes emittdas pelo no-
bre deputado pelo 5." districto do Cear,
que me precedeu na tribuna. Pens que,
assim procedendo, nao infringirei o regi-
ment, tendo ao moarao tempo para com o
meu nobre amigo as deferencias que me-
rece.
S. Exc encetou o seu importante dis-
curso, queixando-se de nao serem observa-
das no orgamento em discussao as doutri-
nas pregadas pelo nobre presidente da C-
mara, em relagao a economas; notou que
as falladas economas, ou nao sao realiza-
das ou erara taes, que nao merecem mengao.
S. Exc foi assim muito injusto. O
Ministerio da Agricultura, como se sabe,
aquella que liga-se com os interesses mais
vitites e importantes do paiz (apoiados); a
cargo desse ministerio acham-se diversos
melhoramentos notaveis, que occasionam
grandes despezaa, e cuja suppressao seria
um mal para o paiz.
O servigo publico os reclama imperiosa-
mente, e scom maduro e reflectido exa-
mo sobra o modo condigoes com que
ello executa do se poderlo fazer alteragSes
e cortes.
E', pois, obra do tempo e da expeiien-
cia supprimir arbitrariamente, de chotre,
Ainda bem nao tinha acabado de pro-
nuatiar esta parase, quaudo ouvio bater naJ ate_
porta devagarinho. Os nonos leitores
Um dos empregados de servigo aos ga-
binetes dos juizeE formadores da culpa, ap-
pareceu.
O que ha ? perguntou o magistrado.
E' urna moga que insiste em fallar
com o Sr. juiz formador da culpa, com o
fim de obter informag5es a respeito de um
preso, cujo nome lhe faz crer que existe
eolre elle e ella lagos de parentesco muito
prximos.
O magistrado, um tanto paludo e visivel-
mente inquieto, perguntou :
Essa pessoa disse-lhe o nome ?
Perguntei lhe paia o dizer ao Sr.
juiz formador da culpa, mas recusoa dizer
como se chamava e, como eu insistase, ella
necrescentou estas palavras: O Sr. de
Gevrey conhece-me perfeitamente... bas-
tar para que me receba dizar-lhe que ve-
nho da ra Dauphine. t
O juiz formador da culpa, que cada vez
se fazia mais paludo, replicou :
NSo posso recebar.
Esta senhora insisti por tal maneira,
que creio que nao se ir sem ser recebida.
Osear Rigault interveio:
Urna moga que reclama informagSis
sobre um preso, que ella julga ser seu pr-
ximo parenta... disse elle. Tenho c na
idea, meu juiz, quo pode muito bem ser
minha irma. Pego-lhe que a receba.
O Sr. de Gevrey sabia perfeitamente que
a amante era raulher para nlo tazar caso
das convenioncias (que, de mais, ella nSo
conhecia) e para fazer um escndalo, se
elle recusaase satisfazal- a.
Nunca o tinha vindo procurar ao seu ga-
binete ; por que motivo ousava ella dar um
passo tao prodigiosamente incorrecto ?
Aborvido pelos afazeres que conhece-
mos, tinna a singularmente esquacido havia
muitos dias.
Tomara ella por pretexto pedr-lhe al-
guma explicagao a este respeit >, ou o seu
fim seria na verdado informar-39?
Aquella juiz sonso nunca se tinha oceu-
pads com o nome de familia da amante,
chama va-a simplesmento Sophia ; mas pa
recia-lhe recordarse que o arrendamento
feito por elle, do aposento da ra Dauphi-
ne, tinha o nome da Rigault.
Estava, alm disso, certo que Sophia ti
nha exercido n'outro tempo para os lados
de Belleville, o offi ;io de bruidora.
Em resumo havia muitas probabilidades
para que ella fosse a propria irma do mas-
verbas destinadas a esse servigo, smente
para constar que se fazem economas, seria
um erro deploravel.
' de esperar que o nobre ministro, cora
o zelo que o caracteriza, possa, com o an
dar dostenipos, conciliar o int.^resse publico
com as exigencias do Thesouro.
A prova deste asserto est na propria
censura do nobre deputado, que nSo podo
indicar as verbas que devam ou possam
ser supprimidas.
E' tacil fazer a critica (apoiados), mas
na execugao quesurgem as difficuldades.
Depois dessas apreciagoes, vagas e abs-
tractas, que alias nao sito muito do gosto
do meu nobre amigo, que antes de tudo,
um espirito pratico habituado, pela sua
profissao, ao estudo dos nossos melhora-
mentos materiaes, passou S. Exc. a oscu-
par-se da necessidade do agudas em sua
provincia, e do modo porque estao sendo
executados os que foram autorisados por
lei.
Filho do norte, conhecendo aquellas re-
giSes como as da minha provincia, saben-
do o que sao os effeitos terriveis da se cea,
nao serei eu, Sr. presidente, quem conteste
o nobre deputado, quando desta tribuna
reclama a construegao de agudes como urna
compreheaderao sem
difficuldade que pareca impassivel ao juiz
receber naquella occasiSo e, diante de tes-
temunhas, urna visita tao compromettedo-
ra ; mas o chefe de seguranga, aproxi-
mando se delle, disse-lhe baixinbo :
Nao teuho a pretengao de lhe dar
conselhos... entretanto, creio que faria
bem em nao deixar de receber essa pes-
soa. .. Tal vez que ella diga alguma cousa
de til a respeito do processo... afaste por
momentos o preso... eu tambem vou reti-
rar-me.
Pois sira ; mas pego-lhe que volte lo-
go para assistir ao interrogatorio de Ange
la Bernier.
Bfetard s suas ordens.
O chefe da seguranga inclinou-se e sa-
hio.
O Sr. de Gevrey deu ordam ao guarda
de Pariz para que conduzisse Osear Ri-
gault para urna sala contigua ao seu gabi-
nete.
Quando a porta dessa sala se fechou
atrs do mscate, maadou o escrivao ao
procurador da repubb'ca, encarregando-o
de urna commissaao, que devia retel-o por
muito tempo ausente, e depois disse ao ser-
vento do e8criptorio :
Mande entrar essa senhora.
Sophia esperava-o no corredoi.
Um veo de rendas pretas muito espesso
cobria-lhe o rosto, como se fora urna mas-
cara, e tao bem, qua foi impossivel ao che-
fe da seguranga e ao escrivao, que olha-
ram par* ella quando passaram, ver as suas
feig3es.
O servente do escriptorio approximou se
da moga.
Sr. juiz formador da culpa, rece-
be-a, disse elle.
Quando ?
J... Queira entrar.
E abri a porta do gabinete, no qual a
moga entrou coin grande ruge-ruge de ves-
tido de seda.
Sophia veio se collocar era frente da se-
cretaria, por detrs da qual estava senta-
do o Sr. de Gavrey e exclamou levantan-
do o veo :
- Sebo meu querido, como faz espe-
rar os pobres desgragadoa quo o procu-
r*m u
Com um gesto, o magistrado impoz-lhe
siiencis e disse com severidade :
O passo que d, minha querida me-
nina, pouco conveniente... E' a primei-
ra vez que se apresenta aqui... espero que
ser a ultima.
Por isso nSo respondo eu, replicou So-
phia. Isso depende do senhor.
' Como 1
- Se se ncommodasse em honrar-me
mais vezes com a sua visita, nao teria o
aborrecimento de o vir procurar ao palacio,
nestas escadarias, onde a gente se perde, e
ntstes grandes corredores, que cheiram
muito mal I... Fique descansado, meu ve-
lho... hei de aborrecel- rnenos possi-
vel... Logo que obtenha as informagSas
que procuro, svfo-me.
NSo poda esperar t
Era impossivel ; o que tenho que lhe
dizer urgente.
Que historia essa de preso e da qual
se servio para me forgar a porta ?
Sophia ^encolheu os hombros, escarran-
chou-se em urna cadeira e replicou :
Ora vejamos, juiz do meu coragao,
de que serve estares a fazer de magistra-
do dianta de mim Estamos sos... nin-
guem nos incoramoda ; ninguem nos impe-
le qua demo ura gyro de. valsa I E', por-
tante, intil estar representando de magis-
trado dianta da tua S-s... fazer voz de
papo, esbugalhar os olhos, como bolas de
vispora e tratarme por senhora... Sabes
perf itaraente qua tratas por tu tua S-
s... Mas nao disto que se trata... Res-
ponde-me depressa. Ouviste dizer se se
trata de um processo criminal, em que est
corapromettido um eerto.Osear Rigault?
__ E' verdade... o crime do caminho
de ferro de Lyon... Sou eu que estou en-
carregado desse processo.
Sei-o perfeitamente ; mas nSo isso
que en te pergunto.
EntSo o que ?
__E' verdade que o tal Osear Rigault
est preso ?
_ Est.
Como assassino ?
Sim.
Podes me dizer se esse R gault pa-
riziense ?
Nasceu era Belleville.
Em que anno ?
Em 1857.
Sophia empallideceu.
_ Em Belleville... e em 1857... bal-
buciou ella. Entao nao me enganava I !
Esse infeliz que aecusam da. assassinato,
meu irmSo.
Seu irmSo! exclamou o Sr. de Ge-
conveniencia publica, como urna necessi-
dade indoclinavel; S. Exc. tem razao;
mas nSo a tem na parte em que censura o
ministerio da Agricultura, por amor ou a
proposito dessea agudes.
A questao dos agudas do Cear tem sido
muito debatida,
Desde que me entendo, vejo discutil-a,
e at ao presente nSo se chegou a um ac-
cordo. Uns entendem que devem ser fei-
tos grandes agudes centraes, com propor-
c5es quo possam abastecer aquellos vas-
tos sertoes; outros entemdem que mais con*
vm pequeos agudes em cada localidade.
O Sr. Alencar Araripe : E' malhor fa-
zer grandes e pequeos.
O Sr. Alcoforado Jnior : Ora, o no-
bre ministro da agricultura o primeiro a
reconhecer to imperiosa necessidade, e
nao dexar da providenciar sobre ella,
conciliando as opinioes extremadas.
O Sr. Rodrigues Jnior: Esta ques-
tao tem sido estudada convenientemente.
O Sr. Alcoforado Jnior: Sei qne ella
tem sido estudada desde o comego deste
seculo, e recordo-me de haver lido, ha mui-
to, um luminoso trabalho do senador Pom-
peu, de saudosa memoria, sobre H cons-
truegao de agudes na provincia do Cear;
mas o nobre ministro precisa estudal-o por
si, e o que est fazendo, para resolver
o que julgar mais conveniente, visto que
ella que ter a responsablidade da me-
dida qua for adoptada, dependente em todo
caso da deliberagao desta comara.
O Sr" Rodrigues Jnior : Mas S. Exc.
confia muito na proficiencia do Sr. Rvy ;
ha pouco proclamou-a.
O Sr- Alcoforado Jnior : A respeito
do Sr. Rvy, eu tenho ouvido que elle
homem notavel polo seu talento e illustra-
gao ; cao posso por mim formar juizo se-
guro. Ao passo quo uns o censurara, ou-
tros o defendem, mesmo algans mombros
ia deputagao Cearense, como ouvi quan-
do o nobre deputado se referia a elle.
Mas nao quero oceupar-me desta ques-
tao, que, por ser pessoal, em todo caso
inconveniente.
Com relagao aos agudes, limitar-me-ei a
dizer que, estando esta questao pendente
da apreciagao e dacisao da cmara dos
Srs. deputados e do exame do nobre mi-
nistro, o nobre deputado deve aguardar a
solugao que, estou certo, ha do ser a mais
conveniente aos interesses de sua provin-
cia.
Dos agudes passou S. Exc. para as es-
tradas de ferro, e neste ponto foi ainda
mais injusto, queixando-ae, por exemplo.
de qua o orgamento consgnava verba para
o prolongamento da estrada de ferro de
Pernambuco e, entretanto, esquecia-se do
prolongamento da estrada de ferro de Ba-
turit.
Por mais importante qua seja o prolon-
gamento da estrada de ferro de Baturit,
nao est no mesmo caso qua o da de Per-
nambuco, cujos trabalhos acham se quasi
concluidos.
O Sr. Jos Pompeu : Nao fiz compa-
ragao neste ponto do vista.
O Sr. Alcoforado Jnior: Bem. E ha
de convir que, nestas condigoes, a suppres-
sao da verba seria injustifieavel e impor-
tara urna calamidade, quer para o Esta-
do, quer para a minha provincia.
O Sr. Americo deSouza:- Em relagao
ao da Baha, o mesmo se dara.
O Sr. Alcoforado Jnior : O da Ba-
ha est no mesmo caso.
O Sr. Jos Pompeu d um aparte.
O ',Sr. presidente : Attengao Quem
est com a palavra o Sr. Alcoforado J-
nior.
O Sr. Alcoforado Jnior:Ainda as-
sim ha alguns cortes contra os quaes nao
posso deixar de reclamar. Urge concluir o
prolongamento da estrada do ferro d9 Per-
nambuco para que possamos logo gozar
das vantagens que sito do esperar.
O Sr. Lourengo de Albuquerque: Nao
ha cortes ; calculou-se com exactidSo o que
se pede despender no exercicio.
(Continua)
vrey.
Sim, meu irmao,
que parti para a
frica e de quem nao tive noticias ha mais
de dous annos I Accusam-n'o...
- Todos as provas sao contra elle.
Pois bem, todas essas provas men-
tem !
A bella Sophia continuou :
3 Parece que conhego a fundo meu ir-
mao. E' um patusco que gosta da pande-
ga ; mas que incapaz de fazer mal, seja
l a quem for 1 Elle, assassino Ora. adeus I
Por que que so nao diz tambem que eu
cortei o pescogo a um sujeito qualquer? !..
Respondo por meu irmao, como se fora
por mim. Sou eu quem o affianga e tu vais
assignur inmediatamente a sua ordem de
soltura... Vamos !... Salta papel e pen-
na e qnero leuar isto tudo prompto Pobre
irrao, como elle ha de ficar contenta e que
abrago que eu lhe vou dar.
Est brincando, minha querida !
Eu nao brinco, nem tenho vontade
de brincar... Parece-me que de ves ter
confianga em mim e nao deves conservar a
menor sombra de duvida ; visto quo eu
sou-fiadora de mea irmao... Posto que sol-
t, n3o sahir de Pariz e ficar continua-
mente tua disposigao. .. Est combina-
do ?
E' impossivel.
Impossivel !.... E entao porque ?
Solta-se muita gente rica sem fianga e p-
de-ae perfeitamente fazer o mesmo aos po-
bres 1. Alm disso tu s rico... Til for-
necers o dinheiro para a fiaaga do meu ir-
mao, so elle a precisar... Isso o me-
nos.
__Basta I minha querida menina, mes-
mo de mais, disse o Sr. de Gevrey com
seceura. Tudo isso ura desproposito I
Nada desculpa a absurda inconveniencia
do passo que a senhora d, nem mesma
as nossas relag3es intimas, cuja recordagao
nao deve existir neste gabinete, onde o ma-
gistrado Bubstitue o homem.
Hena 1... que palavroes I isso sao
palavr3e8 de theatro, exclamou Sophia.
Mas, olha que n5o sou eu que receba essa
moeda, por dinheiro verdadeiro, meu juiz !
Ou a soltura de meu irmao, ou eu fago
chinfrim I
O Sr. de Gevrey estava extremamente
irritado.
__ Nao continu as suas insolencias,
disse elle, com voz sibilante, sen2o toco a
campainha e dou ordem para quo a po-
nham na ra.
Por na ra a mira ? Ora deixa-te de
historias, meu velho. Tu presas muito a
tua reputagao de homem moral e magis-
trado austero, para que ta arrisques a se-
melhante asneira Pensas que se nao ha-
viam de rir em Pariz, se soubessem que o
Sr. de Gevrey o amante da grande So-
phia, a irma1 desse Osear Rigault, que elle
procura mandar para a guilhotina I Pois
hem, hlo de sabel-o, eu me encarrego dis-
so... a primeiro cousa qua vou fazer ir
dizel o em todas as cervejarias do Quartier
Latn.
Baixo 1... desgragada.
Pois sim, fallarei mais baixo e mes-
mo nao fallarei; mas com a cendigao que
me has de fazer as minhas vontades !...
Priraeira, quero ver meu irmao... quero
interrogal-o; mas nao como o faz o juiz
formador da culpa, com a idea fixa de achar
um culpado em ura innocente... hei de
dizer-lhe: a vamos l, s franco commigo,
que'sou tua irma____Accasam-te de ter
commettido um assassinato; que qaer di-
zer isto... Conhego meu irmao... Se es-
tiver culpado (o que me admirara) elle di-
r : sim, e entao tanto peior para elle, l
se avenha. Se pelo o contrario dsser neto,
acreditarai na sua palavra ; pol-o-has em
liberdade com fianga, emquanto prosegues
uo teu inquerito. .. Parece-me justissimo
o que te estou pedindo l... Previno-to que
nao sahirei d'aqui, antes de ter urna res-
posta cathegoric-. Portanto n3o tenhas es-
peranga de te escapar pela tangente... co-
mo dizia um estuiante da Polytechnica e
trata de ceder, senao fago um bans de to-
dos os diabos.
O Sr. da Govrey fez um gesto de colera
impotente.
Sophia ameagava-o. Ora, Sophia era rau-
lher, para vio recuar diante de nenhum
escndalo, pela simples raz2o que nada ti-
nha qua perder.
Era, portanto, necessario contemporisar,
at o momento em que ella sahsse do pa-
lacio. .
O juiz formador da culpa vena depois o
que se poderia fazer.
__A menina abusa do imperio que tem
sobre mira! disse elle. Seu irmao est
ah-
E deaignava o quarto vizinho, para on-
de vimos o guarda de Pariz conduzir Ri-
gault.
Alli... exclamou Sophia. 'SUe est
alli! meu pobre Osear !
{Continuar se-ha)
Typ. do Diarb ra Duqne de CaxiaB n. 42,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ5US72PP_RG6A4I INGEST_TIME 2014-05-28T17:50:44Z PACKAGE AA00011611_19859
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES