Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19833


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV--NUMERO ISO
-----r~""-''" ^^^^ ------------------------------------------
4'AHA A CAPITAL E I.K.ARKM OMi: NAO E PAA PORTE
Por tre meses adiantadoa....., '......... 60000
Por sei* ditos den.........'...... 120000
Por uno anuo dein .............. 235000
. Cada namero avulso, do mesmo da. .... ... 0100
TECA-FEIRA 11 DE JUNHO DE 1889
mm y
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis meses ndiantados .... ....... 130500
Por nove ditos idem. ...*....*....... 200000
Por nm anno idem ..... ....... 260000
Cada numero avulso, de dias anteriores ... .._.... 0100
DIARIO DE PERNAMBUGO
Trcpriedade de Manoel 9^gueiroa de faria Fifycs
L
X
*
---
*
\\

X
-
Os Sis. Amede Prin-
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
epnblicaqoes na Fran-
ca e Inglaterra.
JT
TELEGRAMMAS
ssavijo mbculab so suan
RIO DE JANEIRO, 10 de Junho, as 6
horas e 10 minutos da tarde.
Falleceu hoje o Visconde de Delamare,
senador pela provincia de Matto-Grosso.
O Senado, em virtude do passamento
desse senador, suspendeu a sessito.
A Cmara dos Deputados approvou urna
raogao consignando na acta um voto de
pezar pelos fallecimentos dos senadores
Francisco Octaviano de Almeida Rosa e
\ isconde de Delamare, hem como dos pre-
sidentes Drs. Caio da Silva Prado e Henri-
que de Atahyde Lobo Moscoso, suspen-
dendo em seguida a sesso em attencSo ao
passamento d'aquelles senadores.
, Fot nomeado \. vice-presidente da pro-
vincia de Pernambuco, o BarSo de Caiar.
5337i;: : ahicza hayas
PARS, 9 de Junho.
O estado de lord Lytton, embaixador da
Gran-Bretanha, presenta urna melbora
sensivel.

PARS, 10 de Junho.
Urna basca foi effectuada pela autorida-
ie judiciara no domicilio de diversos bou-
ungistas.
Um grande numero de documentos com-
promettedores foi apprehendido.
| Acabam de ser presos o sub-intendente
Relchert e o capitulo Feuchot como impli-
cados no trama confia a seguranza do Es-
tado.
ROMA, 10 de Junho.
Inaugurou-se hoje aqui o monumento
erigido em honra do capuchinho Giordano
Gruo.
Duas mil sociedades ou corporacSes as-
.vstiram a festa com os respectivos estan-
d irles.
Cerca de cem bandas de msica presta-
ran! o seu concurso.
A ordom nao foi perturbada.
PARS, 10 de Junho.
Graves desordens acabam de produzir-
se em Angoulme por causa de urna ma-
nifestado boulangisla.
Mr. Paulo Deroul'-de, presidente da Liga
dos Patriotas de Franca, George Laguer-
re, deputado, Laisant, tambera deputado e
boulangistas militantes, foram presos.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
10 de Junho de 1889.
INSTRCCiO POPULAR
. AS GRANDES INVEHES
NTICAS K MODERNAS
AS
"Sdencies. industrias e artes
POR
JLVl% F^^HJBR
XVI
O p&ra-rat*
(Contmua^ao)
Obsrvese comtudo que Franklin nao fallava
do para raio senao como de nina experiencia que
mereca fazer-se : este roeio eslava subordinado
realidade da supposicao : que o raio era um
plienomcno elctrico,.norque elle ainda nao ha
via feilu experiencia alguroa propria para deter-
minar a existencia da el'ictrici.lade no ar.
Smentc se tinlia bem certificado da proprie
ilade notavel, de que gosa um conductor termi-
aadoem pjnla.de aniquilar o estado elctrico
d'um corpa situado a pouca distancia.
Asidai que acabarooi de expr, isto a ny-
potbese da natarm elctrica do raio, e a expe
riencia propona por l-raiiklin para annullar os
i'lfeitos d'uma nuvetn de tempestade porum con
ir melallico cretto verticamente no ar. fo-
nlidas por este, physico em um opus-
rulo intitulado Cartas sobre a electricidade, que
pe puhlicoiiem Londres-em 1754.
e livro, apresentando real sociedade das
rias de Londres, foi rouito mal recebido
pela douta assembla, que achou aummamente
absurdo o proiecto de desviar o raio com algu-
mas delgadas barras de metal.
Nao obstante a opiniao desfavoravel d'esta sa-
piente corporacao, as Cartas de franklin tiveram
muita voga em Inglaterra, e pouco depois em
toda a Europa. A Franca sobre tudo acolheu-
as cora enthusiasmo. 0 nosso grande naturalis-
ta ButTon encarregou um de seus amigos, chama
dos Dalibard, de traduzir a obra de Franklin, e
elle propino se den ao cuidado de rever a traduc-
Sao. De mais a mais, emprehendeu a execurao
a experiencia proposta pelo philosopho ame-
ricano.
Com o intuito de verificar a justeza das ideas
de Franklin e de por em execuc&o a experiencia
proposta pelo pbilosophu americano, BufTon
mandou collocar no alto da torre do seu caslelhr
de Montbard urna longa barra de ferro pontea-
guda e isolada na base com resina. Ni mesma
ccasio Dalibard col loca va um apparelho seme-
Ihante no jardirn da casa de campo, siiuada em
Marly, nos arredores de Paris. _
A 10 de Maio de-1752, rebentou urna trovoada
sobre Marly. Delibarda eslava entao em Paris,
mas tinha deixado para o substituir, se necessa-
rio fosse, um hornera intelligente, chamado Coif-
fier, a quem dera suas instruccoes. CoifBer apro-
ximou da barra urna pequea haste de ferro en-
cabada em urna garrafa de vidro. aflm de isolar
o metal, e resguardar o operador ; vio jorrar
duas faiscas,
(Contina!

PARTE OFFICIAL
Ministerio do Imperio
Foi nomeado conego inspector e fabri-
queiro Capella Imperial o padre Eduardo
Christo de Carvalho Rodrigues, que foi
exonerado a pedido do cargo de thesou-
reiro interino da sachristia c das alfaias da
mesma capella.
Foi nomeade o padre Antonio Jero-
nymo de Carvalho Rodrigues para o lugar
de capello cantor c regente do coro da
capella imperial.
Foi exonerado a pedido do cargo de
inspector e fabriqueiro da mesma capella
o conego Marianno Antonio Velasco Mo-
lina.
Foram nomeados: commendadores
da Ordem de Christo: os Drs. Antonio
Felizardo Copertino do Amaral, sub-direc-
tor da 2 a directoria da Secretaria do Im
perio, e Manoel de Mello Braga; offieiaes
da mesmo Ordem: Jos Alvcs Ribeiro de
Carvalho, Jos Firmo de Moura, major
Bonifacio Jos Vilella, coronel Joao Gui-
hcrme Gu i maraes, ten.ente Joao Augusto
da Nobrega. coronel Silviano Moreira Ca-
valcante, Joaquina Dias de Castro Moreira,
tcnente-csronel Antonio da Costa Araujo e
Francisco de Souza Mesquita; cavalheiro
da mesa ordem : Julio Miguel de Freitas,
Antonio Correia d'Avila, Joao Antonio de
Cerqueira Lima, Claudio Jos de Sant'An-
na e Joaquim Branco de Assumpglo Pires,
todos por servigos prestados ao Estado.
Por servigos prestados como professores
do Lyco de Artes e Officios foram no-
meados : offieiaes da Ordem da Rosa Joao
Rodrigues Cortes, JoSo Pereira da Silva,
Jos Manoel Pinto de Lima Jnior e Joao
Luiz da Costa ; cavalleiro da mesma Or-
dem : Fortunato Jos Francisco Lopes,
Antonio Wenceslao de Lima Coutinho,
Adolpho Antonio Correia, Estevao Rober-
to da Silva, Vicente del Bosco, Jorge Am-
bro3ett, Olympio Telles de Menezes, ba-
charel Bernardo Ribeiro de Freitas, Fran-
cisco Raymundo Correia, Guilherme Ale
xandre Borraan de Borges, Cicero Arari-
pe de Souza e Almeida, Jos Luiz Ribei-
ro, Raphael Frederico, Jos Fiuza Guima-
marites-Oi Dr. Candido de Paiva Coelho.
Foi nomeado oficial da mesma Ordem
Antonio Jooquim Coelho.
- Foi exonerado, a pedido, do cargo
de 1. vice-presidente da provincia Sergipe
o Dr. Joao Dantas Martina dos Res.
Fez-se merc do titulo de conselho ao
bacharel Antonio Augusto da Silva J-
nior, director da Ia directoria da secreta-
ria do imperio.
Ministerio da lustiea
Concedeu-se dispensa de lapso de tem-
po decorrido afina de que o coronal com-
mandante superior da guarda nacional das
de Palmares e Agua Preta, na provincia de
Pernambuco, Joaquim Verissimo do Reg
Barros, possa solicitar a respectiva paten-
te, prestar juramento e assurairo exercicio
do dito posto.
Ministerio da Agricultnra
Para o cargo vago de continuo da ins-
pectora geral das trras e colonisacao foi
nomeado Antonio de Souza Ribeiro.
Foi nomeado o bacharel Bernardino Au-
gusto de Lima para o lug-r de lente da
4a cadeira do 3.* anno do curso superior
da escola de Minas de Ouro Preto.
Por decreto de 25 de Maio ultimo foi
declarada sem effeito a aomeagao de Joao
Ignacio Pereira da Motta para o lugar de
thesoureiro da administracSo do correio da
provincia do Para, e nomeado para o re-
ferido lugar Carlos Muller.
Por portara de 31 de Maio prximo
findo, foi removido o capitao Pedro de
Sant'Ann*Jjopes do lugar de escriptura
jio da commissao de trras no municipio
du S. Matheus da provincia do Eupirito
Santo, para o de encarregado da hotipeda-
ria de mmigrantes da mesma provincia.
\>r portaras de 31 do mez ultuao Co-
ram nomeados para os lugares de 3.- offici-
al da administracSo dos correios da pro-
vincia de Minas-Geraes Antonio Ribeiro
de Toledo o Augusto .Cesar Bran Uo, e
para 2.- ofiicial Francisco JoB de' Olivei-
ra Jnior.
Ministerio da Guerra
Por decreto de 25 de Maio ultimo fo-
ram promovidos :
Arma de cavallaria A tenente, o al-
feres Viriato da Cruz, por estudos.
Arma de infantaria (19 batalho) A
major fiscal, o major graduado IJonorio
Horatio de Almeida, por antiguidade.
Por decretos de 31 do mesmo mez:
Foi promovido al.- cirurgiSo do corpo
de aaude do exercito o 2.- cirurgiSo do
mesmo corpo Dr. Ildefonso Theodoro Mar-
tina, por antiguidade.
Por decreto de 25 de Maio ultimo
foram concedidas as honras de tenente-
coronel ao tenente-coronel commandante
do" corpo policial da previncia do Rio de
Janeiro, Francisco Victor da Fonseca e
e Silva.
Foi nomeado para servir interinamente
o lugar de amanuense da secretaria da in-
tendencia da guerra Arnaldo Pereira da
Motta.
Foram nomeados de conformidade com
os arts, 154 e 188 dos regulamentos que
baixaram com os decretos ns. 5,52y e
9,251 de 17 de Janeiro de 1874 e 26 de
Julho de 1884, os alumnos Ovidio Abran-
tes e Custodio Gomes de Senna Braga J-
nior, este da escola militar da corte e
aquelle da provincia do Rio-Grande do
Sul.
Por portaras de 31 de Maio ultimo fo-
aam nomeados para a escola militar da
provincia do Rio-Grande do Sul; secre-
tario, o capitao do corpo de estado-maior
de artilharia Manoel Palmeiro da Fontou-
ra; eqgripturario, o tenente de infantaria
Henrique Sevenano da Silva; amanuense,
o 2.* cadete de infantaria Alberto Cae ta-
o Soares; quartel-mestre, o tenente de
infantaria Gustavo Adolpho; agente, o al-
feres de infantaria Ignacio Antonio de
j Menezes; porteiro, o tenente honorario do
jexercito Jo2o Luiz Muller; subalternos
das companhias de Alumnos, o 2s teen-
tes de artilharia Francisco Xavier de Alen-
castro Araujo e Raphael Clemente Telles
Pires, o alteres de infantaria Ladislao Tel-
les Ferreira e o alferes-alumno Theophilo
Agnello de Siqueira; ofiicial as ordens o
alfares de cavallaria Manoel Gomes Par-
reira Filho.
Governo da Provincia
RELATORIO com que o lixm. Sr. Dr. Innoeeneio Marques de
Araujo GOes. presidente da provincia de Pernam-
buco. passou a adral ni straeao ao i:\iu. Sr. Dr.
Ignacio Joaquina de Souz Leo, l Tice-presi-
dente. /
CConclusoJ
EXPORTACAO DE FARINHA DE MANDIOCA
Pelos fundamentos que acham-se consignados na portara, abaixo transcripta,
de 21 de Marjo ultimo, resolv determinar ao inspeetor da Alfandega que nao con
sentisse no embarque da farinha de mandioca despachada, e n3o dsse andamento a
novos despachos, sem ulterior deliberajlo.
Por essa occasiSo, expedi portara Cmara Municipal e officiei ao Dr. chefe
de policia, afim do providenciaren! por intermedio de seus agentes, para que a fari-
nha trazida do interior fosse levada ao Mercado Publico para a vendagem a retalho.
Essas providencias continuam a produzir seus effeitos.
Levei meu acto ao conhecimento do Governo Imperial.
t 3.a seccito.Palacio da Presidenr-ia de Pernambuco, cm 21 de Marco de
1889.
O Presidente da Provincia, ^tendo conhecimento de haver sido comprada
toda a farinha de mandioca existente nos depsitos d'esta capital, e de terem sido
despachadas para a provincia do Cear cerca de oito mil saccas ; c considerando que
semelhante especulado mercantil desfalca completamente o mercado d'e&se genero
de prmeira necessidade, que j se vende a retalho por preco qtiatro vezes superior
ao normal; *
Considerando que este melindroso catado de cousas aggravar-sc-ha considera-
velmcnte, se fr exportada a farinha despachada, e a que se acha em deposito para
este fim; ...
Considerando que a popuIacSo cm gerai e especialmente as classes menos
favorecidas da fortuna sSo prejudicadas, em proveto exclusivo dos que se dedicam a
esse ramo de negocio, demasiado lucrativo as circumstancias actuaes ;
Considerando que desde o principio do corrente mez teem sido exportadas
mais de dezeseis mil saccas de farinha, alterando-se assim as condicoes ordinarias da
offerta e da procura n'esa praca relativamente a este genero ;
Considerando finalmente, que as questSes relativas alimentacSo do povo
interessam ordem publica, incumbindo por isso administrado empregar as medi-
das ao seu alcance, para prevenir a escacez artificial dos gneros de primeira ne-
cessidade :
Resolve determinar ao inspector da Alfandega que nSo consinta no embarque
da farinha despachada e nSo d andamento a novos despachos, sem ulterior deli-
beracio.
Expeca-se portara Cmara Municipal e officle-se ao Dr. chefe de polica,,
afim de providendiarem, por intermedio de seus agentes, para que a farinha trazida
do interior seja levada ao Mercado Publico para a vendagem a retalho.
PRESIDIO DE FERNANDO DE NORONHA
Por portara do Ministerio dos Negocios da Juetica de 21 de Marco findo, oi
confirmada a nomeacSo, feita pelo meu antecessor em 2 de Janeiro ultimo, de Ilera-
clio Gitirana para o lugar de fiel de almoxarife desse estabelecimento.
Em 23 do referido mez de Marco, deferindo a peticHo dos negociantes Arge-
lino Lima & C, resolv, de aecrdo com o art. 34 do regulamento expedido pelo de-
creto n. 9,356, de 10 de Janeiro de 1885, designar o armazem dos supplicantes para
deposito dos gneros alimenticios destinados ao presidio, devendo all ter lugar os
exames de que trata o^citado regulameuto.
Por portara de 20 do corrente exonerei, a pedido, Emilia Gitirana d> lugar
de professora de primeiras lettras do presidio; e nomeei, para obsttail-S Mara
Adelaide de Castro Lucena.
REPARTICAO DAS OBRAS PUBLICAS
Nenhuma alterac&o deu-se no pessoal d'essa reparticSo.
A 12 do corrente;sanccionei a Resoluiao da Assembla Provincial revogando
o regulamento de 20 de Junho de 1887, na parte relativa aos vencimentos dos enge-
nheiros e restabelecendo a lei n. 1,790 no tocante a esse ponto.
Quanto execucSo de obras deu-se o seguinte movimento :
Em 1 do corrente foram recebidos provisoriamente as obras de reparos da
ponte de Duas Unas, cm Jaboatao e do pontilhao de Catende, na estrada da
Victoria. '
Era 3 foram igualmente recebidos os reparos da ponte da ra do Rio em
Goyanna.
Na mesma data teve lugar o recebimento provisorio da ponte da Varzea de
Uruah e do pontilhao da Varzea do Pao Amarello.
Em 4 resolveu-se definitivamente a obra de reconstruccSo do pontilhao de
Araripe de Baixo.
Em 10 mandei contractar com Henrique Florentino da Silva Santiago a re-
construcrKo do pontilhSo sobre o riacho Agua-Fria com o abate de 6 / _no orja-
mento de 1:3365850, visto que, por conta do orcamento primitivo (1:5165850) foram
executados cm Julho de anno passado reparos na importancia de 1805' 00-
Em 11 de Mar$o mandei pagara importancia dos reparos dos 3 pontilhSes da
estrada de Prazeres, dos quaes 2 foram recebidos dofiaitivamente em 21 de Fcverci-
i e 1 provisoriamente. .*
A 12 foram recebidos definitivamente os reparos do pontilhSo de Luiz do
Reg. .-
A 15 teve lugar o recebimento definitivo da ponte sobre o rio Pirapama no
engenbo Junqueira.
Na mesma data mandei pagar os reparo* da ponte de Duas Barras e do Ria-
cho de Catende na importancia de 1:3220698, j deiuzida a responsabilidade.
N'esse mesmo da mandei por era praja os reparos do boeiro do riacho Nass,
na estrada da Victoria, oreados em 6495000 e mandei contractar com Jos Silverio
de Albuquerque Maranhao os reparo preeisos na ponte do Tahiba em Pao d'Alho,
oreados em 8.95150, com o abate de 5 |0
A 18 mandei pagar a 3.a prestaco da obra do pontilhSo do riacho Coruja.
A 20 mandei contractar com Joao Lins Cavalcante de Albuquerque, pela
quantia de 13:5005000, a execuao dos reparos da ponte de Afogados oreados em
17:340^180.
A 28 approvei a multa imposta pelo engenheiro director ao contractante dos
reparos do pontil ao do Anjo.
Na mesma data mandei pagir a importancia dos reparos da ponte sobre o ro
Camevou, na importancia de 2:l.5l70 JA deduzda a responsabilidade.
Em 20 mandei que Be contrete com Jos Victorino de Paiva a execucSo dos
reparos do pontilhSo sobre o riacho da Lama, na villa de Agua-Preta, mediante o
abate por elle offerecido de 10 i0 no orcun-nto de 1:4^65150.
EDIFICIOS
Em 5 do corrente approvei o or^aiuento do re aros preciaos na parte do
edificio em que funeciona a Bibliotbeca -Prjvmcial no valor de 6755050 e mandei
executal-a por administradlo.
A 13 tevelugar o recebimento definitivo dos reparos do raio sul da Casa de
Detengao. )
REPARTigO DOS CORREIOS
Por portara de 18 do corrente conced ao praticante d'essa reparticlo Banor
Gadault Fonseca de Medeiros 60 dias de licenfa para tratar de sua saude, de con-
formidade com o capitulo 18 do Regulamento que baixou com o decreto n. 9,912 A
de 26 do Marco do anno passado.
ESTRADAS DE FERRO DE RIBEIRAO AO BONITO E DE AGUA-PRETA A
# JACUHYPE
A 23 de Maro exonerei o engenheiro Misael Domingues da Silva do cargo
de fiscal do governo junto a essas estradas de ferro e nomeei o engenheiro Luiz
Marques de Albuquerque MaranhSo para substituil-o.
REPARTigO DE TRRAS PUBLICAS E COLONISACO
Por portara do Ministerio da Agricultura, Commercio e Obras Publicas de 27
de Marco ultimo, foi nomeado escrpturario d'essa repartijao o cidadao Manoel Joa-
quim Ramos e Silva, com o vencimento marcado pela tabella de 18 de Dezembro
de 1888.
ESTRADAS
Em 26 de Marjo mandei pagar a 1.a prestaoao dos reparos do empedramento
da estrada da Victoria, na importancia de 3:2685745, e em 17 do corrente conced
3 mezes da prorogacSo de prazo ao contractante para concluso d'essa obra.
Na mesma data mandei pagar a importancia da obra de reparos do empedra-
mento da estrada de Jaboatao e movimento de trras no valor de 1:2145805.
EMPREZA DE ILLUMINACO A GAZ DO RECIFE
Em 18 de Maryo ultimo apresentou o arbitro desempatador, engenheiro Gre-
gorio Thaumaturgo de Azevedo, indicado pelo arbitro da empreza e acceito pelo di
Governo, o laudo que proferio na questao da avaliaco do material d'essa empreza.
dando-lhe o valor de 998:7775528, isto mais 50:4775010 do que o arbitro do
Governo e menos 768:6625299 do que o da empreza.
Mandei publicar e imprimir em avulsos esse trabalho, com o que despendeu-
se a quantia de 4155000.
Contra o resultado da avaliajao protestou o gerente da empreza.
ENGENHOS CENTRAES PROVINCTAES
Em 12 do corrente, de conformidade com a le! n. 1,972 de 22 de Mirco ul-
timo, mandei entregar a Gaspar de Menezes Drummond a quantia de 100:0005000,
em apolices de 7 /0, como auxilio para a construccao do engenbo central de Seri-
nhaem, por haver elle exhibido traslado da escriptura de compra e venda do mate-
rial desse engenho, prestando a devida fiaDca.
A 16, segundo informou o engenheiro fiscal do governo, tiveram comeco o?
trabalhos da fundago do edificio e mais dependencias do engenho central de Palma-
res, contractado com o bacharel Joao Zeferno Pires de Lyra.
De accordo com a informagao que em 12 do corrente prestou o mesmo fiscal,
defer em 22 o requerimento do contractante, dispensando-o do emprego de mais
urna moenda e dos filtros de pressao, como foi anteriormente exigido.
CASCO DO VAPOR BAHA
De conformidade com os avisos do Mimsterio da Marinha, de 26 de Margo do
anno passado e 19 de Janeiro deste anno, e tendo em vista o crdito de 10:0005000
concedido pelo Ministerio da Agricultura, em aviso de 11 desse mez, para seeffectuar
a de8truicao do casco do vapor Bakia, naufragado a 10 milhas ao mar do povoado
Ponta de Pedras, mandei, em 22 do corrente, contractar com Misael da Silva Guma-
rSes a execugao desse servigo, mediante as seguintes bases, ficando prejudicada a
proposta de Felippe Uolmes & C.:
O contractante obrga-se, mediante a quantia de 9:0005000, a destruir
completamente o casco do vapor Baha, naufragado a distancia de 30 milhas ao norte
do porto desta cidade e 10 milhas ao mar da barra de Goyann,.. empregando. MI
esse fim, mergulhadores e dynamite, por meio de apparelhosapropriados.
O contractante fretar todas as barcas indispensaveis para o servigo, que
concluir dentro de tres mezes.
< O pagamento ao contractante ser feito em duas prestagSes iguaes, urna 30
dias depois de comegados os trabalhos e ontra 30 dias depois de concluidos os mes-
mos, vista de parte circumstanciada, que de ver ser apresentada Presidencia,
com declaragao da profundidade verificada do lugar desobstruido, na preamar e na
baixa-mar, datas das sondagens e dos quartos de la em que tiverem sido feitas.
O contractante garantir a fiel execugo do contracto com o deposito dt
quantia de 1:0005000 na Thesouraria de Fazenda.
O governo nomear um fiscal que verifique a realidade da destruig^ do
casco do Baha, e, s depois do attestado delle, poder o contractante levantar a
caugao depositada .
PASSEIO PUBLICO 13 DE MAIO
Tendo sido concedido pelo Ministerio da Agricultura, Coinmerco e Obrae
Publicas, em aviso de 15 de Fevereiro ultimo, a quantia de 10:0005000, afim de ser
applicada s despezas com o auxilio de que precisam as obras provinciaes, autorisei
em 19 de Margo subsequente o inspector da Thesouraria de Fazenda a mandar en-
tregar a alludida quantia commiss2o encarregada da construegSo do passeio publico
3 de Maio, representada pelo commendador Joaquim Lopes Machado, Drs. Manoel
Gomes de Mattos, Jos Marques AcauS Ribeiro, Jos Francisco de Ges Cavalcante
e Miguel de Figueiroa Faria, e cidados Pedro Jos Pinto e Manoel Joao de
Amorim.
FACULDADE DE DIBEITO
Autorisado por telegramma do Exm. Sr. ministro do Imperio, mandei por
disposigao do engenheiro das obras militares, Gregorio Thaumaturgo de Azevedo, a
quantia de 6:0005000, afim de serem feitas as accommodagSes necessarias, no con-
vento do Carmo desta cidade, para onde tem de ser transferida provisoriamente a
Faculdade de Direito.
COMPANHIA RECIFE DRAINAGE
Em 19 de Margo mandei pagar a importancia dos seis apparelhos dessa com-
panhia e cinco mictorios collocados no quartel do corpo de policia.
PUBLICAQO DO EXPEDIENTE
Em 20 do corrente mandei contractar com o bacharel Miguel de Figueir6a
Fana a publicago do expediente ofiicial no Diario de Pernambuco, mediante as se-
guintes bases :
1.a O contractante Miguel de FigueirSa Faria obrigado a publicar no Diario
de Pernambuco, que se acha sob sua exclusiva administrago e gerencia, todos os
originaes que para esse fim Ihe forem remettidos pelas repartigSes provinciaes exis-
tentes e que forem creadas. O que for expediente das ditas repartig5es ser publi-
cado sob o titulo Expediente > eos annuncios, avisos e todos os outros orginae?
semelnantes sob o titulo Avisos offieiaes >.
2.a Obriga-se o dito contractante a publicar sob o titulo Communicado
ofiicial i qualquer artigo que em defeza da administrajao geral ou provincial, lhe
seja enviado pela Secretaria do Governo, de ordem do presidente da provincia. Nao
compromette, porm, o pensamento politico do Diario de Pernambuco, que poder
discutir os actos da administroslo em termos moderados e comedidos.
3.a As publicagSes serao sempre feitas em prazo nufea superior ao de 48
horas, depois de recebimento dos originaes.
4.a O segundo contractante fomecer diariamente 200 exemplares do Diario
de Pernambuco s repartigoes provinciaes, de accordo com a relagao que lhe for enviada
pela Secretaria do Governo. A remessa dos destinados para o interior e para fra
da provincia ser feita pelas respectivas repartigoes.
5.a O presidente da provincia poder impr multas de 105 a 1005000 por
qualquer infracgao, conforme sua gravdade.
6.a Pelo trabalho mencionado as clausulas antecedentes receber o segundo
contractante a quantia de 6U05000 raensalmente. *iS
7.a Obriga-se tambem o segundo contractante a imprimir todos os trabalhos
avulsos das actuaes rep&rticSes provinciaes, inclusive os que j tenham sido publica-
dos as columnas do Diaria de Peruambuco, tornecendo o numero de exemplares que
lhe for pedido, mas ficando prevenido que, tr.itando-se de trabalhos que se faz'em
annualmente para o servigo das repartigoes, o pedido nao poder ser de quantidade
excedente ao uecessario em"um exercicio. No priinciro que for feito fixar a repar-
tigao respectiva o numero total dos exemplares ou o presumido. O contractante. nao
ser obrigado a fornecer mais de 500 exemplares de cada relatorio ou broohura que
teniia ao menos cinco folhas tvpographicas ou quatro paginas em formato 4. e oito
01*8. ,- _, ,
8.a Si maior numero lhe for exigido, o contractante tera o direito de receljer
a quantia de 10500) por cada folba typographica do exemplar, si o excosso n>
paasar^le 500 exemplares, a de 155000 si attingir 1,000 e a de 175500 si for de
l,50. Assuapor um relatorio de 30 folhas typographica^ por exemplo, pagir-se-ha
uia.s 30050J0 pelo excesso de exemplares at 500 e mus 4505003 at 1,000. A.i
tabellas e mappas nao serlo contadas para o effeito desta clausula.
9.a O prazo para a entrega dos avulsos impresso* Ber calculado na raaSo de


H -

V
,
.-, Y; **.;,'>'*.


Diario de PernambucoTerca-feira 11 de Junho de J'-.**9
h
/ V
S
'
!
i

b

tres folhas typographicui por dia. As segundas provas serSo revistas pela reparticSo
ne houver enviado o original para-a tvpograpLia, e otaapo consumido na reviaSo)
olo entrar em conta. As prora* remettidas serlo acompanhadas por um livro, em
que o empregado incumbido da tevislo passar recibo, designando o dia e a hora da
entrega.
10.* O segundo eontractante fica sujeito multa de 20 a 200|>000 por cada
infra,ec3o do presente contracto, na parte relativa impressao e entrega dos avulsos.
11.a O segundo eontractante receber pelo trabalho da impressao de todos os
avulsos das repartirte pnwnen>es a jaman e 900||AQ0 mmk, ceario enaear-
dido que nao tanvdhaako pagan*nan; mwow an*aoranrios por qualfnw
'titulo que aliaga a alo sr pe previaeo na dauaeJa 8.*, nena pode invocar em eeu
favor casos foanaitos eevrc wior.
12.a O presea* ontraca duraa* por espado de quatro anoos, a eatUr da 1."
de Maio vindonre, e peder er aaciudo por accordo u com aviso preVio de seis
mezes de cada ama das partes.
SECRKTAKIA DA PRESIDENCIA
Nao houee Iterag* a aea penaad. "T
Recife, 24 de Abrfl.de 18>.
_^7n.itoce>tCG <=^/taae^ le e=Qr<
3T
'auto-
oe.
expediente oo Duii d maio db 188'J guarda nacional sob seu mimando, Manoel da
; ra x ao Rame.
vt03 j ao director interino do Arsenal de Guerra.
0 vice-piesidente da provincia, em execu-1 fiestituindo ais inclusas propostas, que ticam
approvadas, acceitas pelo eooselho de compras
des se Arsenal era sessJo de 9 do corrente. segn
do coaita do olDcio do respectivo presidente de
hontcm datado, para o fornecimento de artigos
destinados a difterentes coros do exeretio e
companbia de operarios railitaresv autoiso Vmc.
a mandar lavrar os competen'es termos de con-
tracto na forma do regulamento de 19 de Ouiu-
bro de 1872. Coiumunicou-se Tliesouraria de
Fazenda.
Ao inesmo. Autori-a Vmc. a maiaJar sa-
tisfazer o incluso pe Julo, que faz o commaodaii-
te da fortaleza do Brum para a pintura do mas-
tro da bandeira da referida fortaleza. -Commu-
nicou-se ao com mandante das armas.
Ao commaii daate do oorpo de polica. Ao
Or. che fe de polica mande Vine, apresentar duas
pracas alim de conduzirera at Jaboato a re v
nome Anna Mara da Conceigo.
Circular :
Aos juizes de direito das comarcas espe-
ciies e aos juizes municipaes.Coraniunico a
V. S., para os devidos etTeilos, que, por decreto
n. I0,17 de 30 de Marco uliimo, constante do
impresso aqu junto, serao applicadas do i" de
Junho prximo futuro em dianle as successes
dos subditos italianos fallecidos no Brazil as di?-
postros do decreto n. 833 de 8 de Noverabro de
1851, a que se refere o seu art. 21
Decreto n. I0,l7 de 30 Margo de 188'J
Applica as successes de subditos Ufianos fal-
lecidos no Brazil as disposiges do decreto n.
855 de 8 de N'ovembro de Mil; a 'roe se refe-
re o seu art. 24
llei por bem ordenar que as disposiges do
decreto n. 855 de 8 de Noverabro de 1851, a que
se n-fere o sea art. 2i, sejaai applicadas do 1
de Janhoem diante s successes dos subditos
italianos fallecidos uo BraziL. como esta ajusta-
do na forma do mesmo artigo.
Rodrigo Augusto da Silva, do meu conselho,
senador do imperio, inioistro e secretario de es-
tado dos negocios estrangeL-os, assim o tenlia
entendido e faca executar,
Palacio do mo de Janeiro, em 30 de Margo de
1889, 68 ua independencia e do imperio.
Gom a rubrica de S. M. o Imperador. -Rodri-
go A. da S'lra.
Portaras :
Con-edo a autorsago solicitada pela C-
mara Municipal do Recife para transpor da ver-
' bajuros e amortisaco de apolicespara a de
cusas judiciaes e civis a importancia de 1:000*
alim dcoecorrer durante ocorrenle exercicio s
deapeas constantes de MOR offlcios, a que res-
pondo, ns. 43 e 41, de i de Abril lindo e 8 do
corrente mez.
Os Srs. agentes da Companlua Brazileira
de Narcgaoo focan transportar corte, por con-
ta do Ministerio da Marraba, o voluntario pa-a o
batalbo naval, Id tomo Rodrigues da Silva. -
Comtiiunicou-so ao inspector do Arsenal Je Mt-
rinba
0 Sr. superintendente da estrada de Ferro
do Recife ao S. Francisco d passagem em car-
ro de primeira classe. com direito a bagagera,
por couta da provincia, da eclaeo de Cinco Pon-
tas de Una, ao teaente do corpo de polica
Manoel ? erreira da Si va, nomcado delegado de
policiu do termo de Buique, o qual vai acomp-
nhado por urna praga, que ter passagem em
carro de segunda classe.
Mutat malaadis ao encarregado da esta
gao de Palmares, dessa cidade de S. Joo.
EXPEUM.NTE 110 O. MCtKTARIO
ollicias :
Ao eonselheiro director geral da Sccrela-
ria de Estado dos Negocios da Justira. e or-
detn do Exra. Sr. vice-presi euie da provincia,
remello a V. Exc. o oflicio de 8 do crrente mez.
em que o juiz de dirt-ifo Antonio-Perreira de
Souza Pitaiiga dec'ara ler sido nessa data notili-
cado de sua remogo da comarca de Limoeird
aorta provincia para a ?. vara civel di capital
do Ceur.
Ao 1." secretario .la Atsenibla Legislativa
Provincial.'Ue ordem do Exm. Sr. vicc-presi-
debte da provincia remeti a V. S., para os fin?
convenientes, o orgaOieiito da receita e de.-peza
para o exercicio de 188'J a 1890, ilaCamaia Mu-
nicipal do Bonito.
iartvr de Olinda a forrn requisitadapujo l)r Ao mesmo.e urdem do E.xtn. Sr. \ice
cbefi'' de polica nos cilicios juntos por copias, de presidente da provincia, declaro V. S. que,
oiiI'm dutudos, sob ns. 474, 475 e 478. vista da disposico do art. 16 do acto addido-
__ Ao iiiesmo.*Sirvus V". S. de proviilen nal, iimi pode ser attendido o pedido dessa AM^
>-.iar para que sejain postas boje as 8 lioias da ; sembl, coMstante de seu officio n 48 de 2 do
uoilo disposigo do Dr. delegado do 1" distri-1 corrente, uo sentido de ser dciolvido ao arcll-
elo deSta capital K pracas de cavallarin, alim de j vo dessa secretaria o aulographo do decreto re-
evitar conflicto nu Circo Equeslre. -Commuiii- .lativo ao orgamento municipal, cuja pubQcacSd
ou-se ao Dr. uhefc oe polica. foi ullimaincnte suspensa.
__ \o cnsul dos Paizes Baxos.-- Accusando j Ao inspector do Tliesouro Provincial.O
receido o oflicio de bontem datado em que o Estn. ?r. vice-presidente da provincia inania
Sr. II. ffieliirver, cnsul dos l'aizes Baxos nesta comtntiiiicar a V. S., para os devidos fins, que
ne-ta dala profeno o seguinie despucho na peli-
gao de recurso de Francisco Furtado de Mendoti-
ga. sobre a qual nfonnou esse Thesouro em od-
elo de 3 do crrante, n. l.'J8 :
RefO provinienio ao recurso em vista das
informares do Ttiesouro Provincial.
.;o da lei n. 2395, de 10 de Setembrq de 1873,
fesolve nomear para o 72 batalhaode infantara
Ja guarda nacional da comarca do Liffloeiro os
segnites ofliciaes :
Estado muior
l>;aentc-ajudante Fernando Antonio Vieira.
1* companbia
CapitoAntonio Eremita Torres GallinJo.
Teen3Jos Simplicio Goncalves.
Alferes Antonio Pereira de Parias.
2* companbia
; CapitaoCosae Jos de Oliveira.
TeaeateJoaquim Simplicio Goncalves.
Alferes -Meooel Antonio Pereira.
3' companbia
CapitaoJob Swvarino da Silva.
TenenteManoel Joaquim de Mello.
Alferes-Antonio Francisco Monteiro da Pai
to.
4coiBpanhia
CapiloFelippeNery de Fanas Leite.
TenenteIgnacio de Magalbes Prado.
Alferes -Joo Firmino Cabral.
5* companbia
<"apitao Jos Gomes de Moura.
TenenteJos Firniiiio dos l'assos.
AlferesAntonio Pereira de Mello
6' compauliia
CapitaoJoaquim Mximo Gomes da Silva.
Comtnunicou-se ao co nmandanle superior.
0 vice-presidente da provincia, em execu-
,io da lei n. 1395, iie W de Setembro de 1873,
reeorve aoOMOf para o 73 bataibao de infantara
da guarda nacional da comarca do Liaoeiro, os
-eguiutcs ofliciaes:
Estado-maior
Tenente-ajudaute -Antonio Rodrigues da Cos-
a Reunedo.
1* companhia
CapitaoJos Lourengo da Silva.
TenenteLuiz Jos da Silva.
AlferesJos Patricio de Moura Cag Filho.
i' companiia
GapilaoJoao Baptista do Sacramento.
Teneme Jos Mauricio da Cuneta.
Alferes-Jos Francisco de Paula.
3* companbia
CapitaoJoaquim Francisco Pimentel.
TenenteJoaquim Ferrcira Quirno.
Alferes Herculano Antonio de Sana.
4' companlua
CapitaoFrancisco Jos Gaiao.
TenenteJerooymo de Oliv. ira Cavalcante.
Alferes ^Herculano de Oliveira Cavalcante.
3* companhia
CapitaoManoel Simplicio Gonyalves.
Tenente Pergentino de Ilollaoda Cavalcanl<;
AlferesJos'-Cyrillo de Albuquerque.
6" companhia
(ipftaoAntonio Luiz Bionis.
Tenente Joaquim Francisco Beerra Uunga.
AlferesJos'io Val-rio da Silva.
Cotnmunicou-e ao commandante superior.
o vice-presidente da provincia, em execu-
cao da lei a. 2:195, Je 10 de Setembro de 187:1,
resol>e nomear para a 15" secgo do servica da
reserva da guarda nacional da comarca do Li-
moeiro. os seguintes ofliciaes :
1* companhia
CuplloErnesto de Oliveira C lyalcanle.
Tenente -Joaqui' ornes de Brilo.
Alferes Manoel Joaquim da Malta Silveira
2' companhia
Capitao Jos Maria Ferreira Braga.
TenenteJos Pereira de Mello.
AlferesJoao Miguel de Mello.
3* companlua
Capitao-Gervasio Prisco de Andrade Lima.
Tenente Amando de Oliveira Cavalcante.
Alferes-CelerinoChristiano da Silva.
4-" companhia
Capitao -Joo Francisco Monteiro da l'aixo.
Te lente Joaquim Gomes de Moura.
Alferes-Jos Manoel de Castilho Cabral.
-Coiuuiunieou-se ao comiua.idaute superior.
Offieios :
Ao. lente-coronel coniniandante das ar-
mas interino. Sirva-sc V. S. de providenciar
jara-' que nos dias 12 e ii do corrente seja pos-
tada dwposigao dos dous delegadas desta ca-
iul e do subdelegad) do districto de S. Pedro
Repartirlo da Poli
2.* eccSo.N. 571Secretaria de Puf-
licia de Pernambuco, 10 de Junho de 1889.
Illm'. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
que foram recomidos Casa de Deteucao
os seguintes individuos : >
No dia 8 :
A minha ordem Lourengo de Araujo Caval-
cante, veda ee Asmas Mta* como promanado
no wajMta*%B*raaaaa4ort8eiadeAla-
goas.
A' erdea a sobotaagaae da stiMiW de
Santo AnaBrto largwaaa Liberato rToM e
Maria tMO-da Concciaaa,-paf-oirensaaa>ral
publica.
A' ordaa do o 1." dSatnOe Ida freBueaa de
S. Jos, toiz de tal, por distemos.
No ata :
A' onMm o 3ubdete*iaa o i.- diaricw^a
fregneia da Boa-Vista, Francisco Antonio fio
Nafcimenio, por disturbios. .
Houie.il, pelas 8 1 2 horas da noute, foi esma-
gado pelo Irem da via frrea de Olinda, um
nomem, que morreu instataneainente e que nao
foi conhecido.
0 saMalagado de districto de Belem, tomou
coDliecimento do facto, e fez transportar o ca-
dver para o Hospital Pedro II, onde leve lugar
a competente vistoria.ipelos mdicos da polica.
Procedeu-se respeito nos termos da lei.
Conununica o delegado de Tacarat que oc dia
20 do mez paseado, no lugar Folha Branca do
inesmo termo, os individuos de nomes, Luciano
Ferreira Lima, Antonio de tal, conhecido por
Antonio da Baixa e Antonio de Mulatinba es-
pan oaram o italiano Domingos Antonio Baln.
0 subdelegado respectivo tomaudo conheci-
mento do facto, fez proceder a competente vs-
toria pelos facultativos que consideravam graves
as offensa.
Abrio-se sobre o facto o competente nquel ilo,
que j leve c deslino legal.
Deus guarde a V. ExcIllm. e .rni.
Sr. Barao de Souza Leao, muito digno
vice-presidente da provincia.O chele de
polica, Aolpho de Siqueira Cavalcante.
*
--
DE
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 8 DE Jt.'NU"
1889
Alfredo Gibsou e Salazar & Cllaja vista o
Sr. Dr. | rocurador fiscal.
Jovioa Candida de Mello Guimares.A" sec-
go do contencioso para cumprir o despacho da
junta
Frcitas Tavares CAoSr. porteiro para to-
mar nota e devolver.
Antonio Carlos de -\r,uda Beltrao e Diogo Au-
gusto dos Res.Ao Sr. porteiro para entregar
ao iateressado.
..Joaquim i Haaro A C lufornn: o Sr. Ur. ad
miUtrador da Recobedoria Provincial.
G. Mermoiid Filho.Eutregue-se.
Vctor" Neesen e GercinoT. de Oliveira Firmo.
Infordc o Sr Dr. contador.
Antonio Jos de Azeve.lo.Ao Sr. Dr. contador
para os devidos fins.
D Guilbermina Maria da Conceigo Lins.--
Passe-se.
roviiicia participa me que temi de seguir ama
aba para a Euroiia. onde pretende demorar-se
cerca de seis mpzes, licar ilurante a sua ausen-
cia encarregado da gennci.1 do consulado o Sr.
augusto Araujo
Em raspean declaro ao Sr. cnsul que tico
iileirado dessa resoiugo da qual pa-so a dar
iciencia s estacos com plenles.
Renov ao Sr. cnsul os protestos de minha
aluna e considerac5o. Fizeram-se as uecesa-
rias commueicages.
Ao inspector da Thescuraria de Fazenda.
Mande V. S. pagar, sob a responsabilidade
desta presidencia, ao Dr. Adolpho de Siqueira
Cavalcaute, chefe de |>olicia desta provincia a
tjuaiitia de 1:50)50U0 que Ihe foi arbitrada como
ajada de obbIo, segundo consta de lelegramma
do Mlrhsteno da Justica de 9 do corrente r cum-
prindo que dita importancia Keja levada ao ere
dito que opporluo'ini ule tem de conceder o
Thesouro Nacioual.
Ao mesmo. Communieo a V. S. para os
Uus convenientes que o bachnel Antonio flcrwt-
ra deSouza Pitanga cmS do irreole mez dei-
xoa o exercicio do carta de juiz de direito da,
comarca de I.imoeiro por ter essa data sido no-
teado de sua reinoco para a 2' vara civel da
comarca da capital da provincia do Cear.
Ao mesmo. -Co.nmunio a V. S.. para os
lias convenible-, MH o j.iz de direit > Joo
Beraaido de Magalh.'.es em S do crrenle mez
Jeixou o exercicio du suas funges na comarca
da Victoria. .
Na niesmadata assumio o pjercicio do cargo
de jaiz de direito inter.no da referida comarca o
)Uz substituto bachaiel Vilaliuo Cordeir Lins.
Ao inesmo. -Communtcoa V. S.. para os
uus convenientes, que o bacharef Lupicinio Do-
iningues Lins em 4 do correte mez assumio o
co do cargo de fnix municipal do lermo
do Brejo, deixando o de promotor publico da
oomarca respectiva no dia 1.
Nessa data foi substituido no cargo de promo-
tor pelo cidado Francisco Jos de Souza, por
aomeago do juiz de direito
-* Ao mesmo.-Comraanico a V S., para os
bns convenientes, que o juiz. municipal e de or-
phos o) termo de Caruar, bacharel Luiz Za
chaiias de Lima, em I do corrente mez reassa-
mio o exercicio de seu car,.'o, deixando o de
juiz de tiii-cito interino da especliva comarca.
Ao mesmo.Conmunio a V. S.. paraos
lins convenientes que o juiz de direito Francisco
asumio o exercicio de suas uncgOe- na comar-
ca de Limoeiro, para a eual foi removido da de
Bom Jardim por decreto ue i7 de Abril udo.
Ao coiiMunndaate superior da guarda na-
cional da comarca de Olind S. de
iofennar-mc se prestou juraineaui o lente da
i* companhia ao 11* batalbio da reserva da
- Ao" director do Presidio ele Fernando de
Noro'iiri. De ordem do Exm, Sr. vice-presidea-
te da provincia recommendo V. S., para exe
cugo do aviso do Ministerio da Justiga, de io
de Abril lindo, junto em original, que org.mi-c
e remella, com a possivel brevidade, a esta se-
cretaria um mappa dos predios a cargo do mes-
mo Ministerio exisientes nesse presidio.
DESPACHOS DA PKI'SIDENCIA DO DIA 8 DE
JLXHO E 1889 .
Aotouio Borges da Silveira Lobo.Sim.
Antonio Maria da Silva.-Informe 0 Sr. liscal
i Companhia Recife Oraiuage
Antonio Jos da ."ilva. Remettido ao Sr. juiz
de dir.lo da comarca de Palmares alim de que
l sirca de informar o que lbe constar a res
peito.
Companhia dos Trilitos Urbanos do Recif
Caxansa. sene a planta.
Emiliano Ernesto u> Mello Taiiiborim. Sim.
Elysio Americo Cjmes de Mello. Eslaprovi
da a cadeira.
F-iustu Felicia di Cunta Rosa!. D se.
Gaspar de M.uezes Drutmnoml. Encami-
nhe se pagando o supplicante o porte no Cor-
reio.
Major Honorio Cleinenti.no Martina. Informe
o Sr. inspector da Tiiesouraria de Fazenda
Izidoro de Frailas Gao.boa. Informe o 'Sr.
inspector do rhesouro Provincial.
Joaquim Henrique de S Barreto.luforaie o
Sr. administrador dos Correios.
Tenente Jos Pedro Moreira.Remctljdo ao Sr.
commandante superior da guarxla nacional *
lomarca de Pao d'Allio para mandar passar a
guia de que trata o arlkro 43 do decreto n.
i.l Wde 12 de Marco de 1833.
Jucintho Jos da Gasta BrtfgaPasse portarte
provendo o snppliciinie.
Jos Pereira Bastes. -Paaae se nos termos da
informagio da Reparticao das Oleas Publicas.
Bacharel aaaoel GfMiies ?iegas. Sim.
Maria do Ros-rio Pinlieiro.-^ Sim, media.ite
-
Mauoel Jos de AloieidaSoares.Sim, a lie-
a Provincial.
I'orli'ia Jesuina Biptista di .Silva. -AttehOida.
Urbano Cavalcante de Souza AILaquerque"-
ovidn a cadeira.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 10 de Junho de 1889.
O porteiro,
F. Clutcon.
Reebedorla Provincial
DESPACHOS DO DIA 8 DE JUNHO DE 1889
Francisco Canato da Ba-Viagem, Thomaz Es-
piuca, Feliciano Placido Pontual, Francisca Ma-
ria da Conceicao Reg.-Informe a 1" sccfcao.
Sebastin Aires da Silva e oulros, Innocencio
Jos de Salles.Cumpra-se.
10
Auna Francisca de Souza, elpliina Maria
Leal. Deferido em vista das informares.
Manoel Joo Gomes de Miranda.Sim.
Joco Soares 4 CIndelerido quanto recla-
mando que se faz contra a collecla, em vista das
informages, de accordo cotnasquaesse deverao
fazer as dwidas notds em relagao ao nome do
contribunde.
Torres lrmos. Indefendo em visU das in-
formages.)
Manoel Cabral de Mello.A' 1 secgao para
proceder de accordo com as informages pres-
tadas. '
Carminda Lopes de Lemos.-Informe a.r
secgo.
Luiz de Franga. Informe a seCco.
REVISTA ESTRANfiElBi
cia, representando seu paiz nos Estados-Unidos,
na wopa e na Repblica Argentina, no congres-
so nacional, como deputado, no governo, desem-
penbando os cargos de ministro da fazenda e do
tenor, e na cadeira presidencial da repblica,
saccedeudo a D. Manoel Montt, servio com in-
teligencia superior, inteireza e abnegago sua
patna.
Hornera instruido e benevolente, quando se
vio revestido da autoridade de supremo magi--
treee. se nao animou atertamen-re o iHovw)e8to
IrhWI, tambem nao cafTW* nunca de ltie por
obice.
- Cwneguio, no principio do ano* *' FSRt,
Orna e*Wyaea entre os caiiSMPhidonn e os di-
versos efemntos liberaos, e -desia aweeira os
ettreotes governavam xvJNMMtk co*aescP**e
do tem representada |ieloaairiidB aeci'a);
mantl*a>-se este goanio singular *ao*)ni
da sua aaesidencia. So ewo oue se prodnz*
graets aatelages cordaaes dosfrberaw cuales
conservadores, unidos contra o partido essen-
cialmcnte patriota, mas representante de certo
modo do absolutismo, a evolugo preparada
pelos acoftlecimenlos de IWiii.
Naopiulo de Prez os partidos no Chile
fundavam-se principalmente sobre predilecges
tredicionaes, sem qne principios trtcorrciliavcis
os separassem; d'ah o sen proposito de nao se
alistar em nenhuma das fraeges parlamentares.
Partido Montt-Varisla, instituido para defen
der as prerogativas do poder civil, senhor como
eslava da admiuistraco, nao quiz aceitar a nova
situago que Ihe ca creada e fez opposigo sem
tregua.
Por outro lado, os liberaos intransigentes,
considerando Prez mnito tibio, organisaram uin
partido radical sob a direecSo de D. Minoel An-
tonio Malla, o uto]rista mais honesto que tem
existido.
Entre estes ataques, Prez inimigo de todo
o exclusivismo pessoal, admittia em principio
qnetodes participassem do governo.
O Chile deve-lhe, gragas a urna engerthosa
interpretai;ao ila constituig-o que recunbecia
urna religo de Estado, a iberuade dos cultos,
que principiou cnto a existir de facto seno de
direito.
Continuando a codilicaco nacional, deu
instruogo publica novo c vigoroso impulso, con-
fiando a Barros Arana a direegao dos esiudos
scientiflcos que elle Raer entrar i-om largo qui
nho nos esiudos s-cndanos. Alm di^so con
cluio a via-ferrea de Santiago a Valparaizo, con-
tiiiou a do Sul, principiou a imha de Concepcin
a Chilau e completou a rede tclcgraphica; era-
irchendeu a conquista do territorio Arancan e
evantou alguns fortins para conter os indios nos
dominios onde tinhair. sido concemrados
No uliimo periodo do seu governo, org.ni-
SOU urna oxposigo agrcola onde os lavradores,
vendo pela primeira vez Iriibalhai- as machinas
modernas, poderam apreciar-Ibes as vantagens,
resolvendo-se assim a appliaal as as suas pro
prie lude.
Amorte de to prestante'cidado causou
seiirimfnto geral no Chile.
Em Santiago fez-se-lhe funeral solemne,
pretando-lhe toda a ropa da guarnirn as hon-
ras militares.
rectamente ao absurdo; exprime entretanto a
nfessidade de dar urna physio.romia mais mo-
derna explicaco da parte philosophica do so-
bredito cdigo. Isto o jnduz a reconhecer ex-
plicitamente que o direito penal dentre os ou-
tros, aqdelle que est mais sujeito a mndaogas
nos seus conceitos fundamenlaes; e para con-
vencer dos grandes progressos que Ihe estao re-
servados, basta ler, elle o diz. L'uomo delinquen-
te de Lombroso.
Assim que na parte geral elle acceila de boa
vontade que edirerte unra instituigao social,
ujeita tambem ella & le da evolugo e qne faz
parte da soetefogia; do iw^nro modo qae elle
igualmente er na Reacia Jo metbodo inducti-
vo e sustenta que o delicio oro effeito regular
das proprieffaa>s irweparavcs da natureza hu-
man.
Tambem fio capitulo III Belara erplidNrmen
le fallando da estratifica^to do carcter como
foi concebida pWSergi. qae es detwquoWes nao
sao seno individuos nos quaes predomina urna
forma atvica do carcter, nao tolerada pelas so-
ciedades cvilisadas.
E' manifesta portanlo a tendencia que tiuha o
professor Vieira em 1884, seno a acceitar intei
ramete as theorias da escola positiva, a reco
nhPcer exacta e aceitare! ao menos urna parte
Assim o artigo por elle publicado recente-
mente no Diario de Pernambuco, sobre a nova
escola do direito penal, rnostra claramente
como esta tendencia attingio o tormo da sua
evolugo, decidindo se toda a nosso favor.
Noprdiie artigo, com ellcito, Vieira falla
com mutiissima sympalhia da obra de Lombro-
so, cajas ideas, elle o diz, esto plenamente con-
firmadas pelos mdicos psychologos de todo o
mundo.
E depois de ter constatado como os juristas
metaphysicos se estafam intilmente a combater
as novas doutrinas, se oceupa de modo especial
dos Nuco* Horisnntes de Eurico Ferri, expondo
'per sanen capita as idus mais importantes e
extractando alguns paragia'|ihos.
Ao professor Vieira pos que promet.' ser o
interprete profissional das nosras ideas, l to
longe, no imperii do Brazil, nos Ihe enviamos
as nossas saudages. E no entanio oppomes
ainda esta outra victoria boa f dnquelles que
van preganda a esterilida da- ideas da escola positiva.
Hioi.onni Minino,
E. F. Oeste de Minos
Da de Sapucahy
Da Jacutinga a Larras
Da Babia a Minas
,300:000*M0
lO,QpO:tJOO*000
6.6T)O:0OO00O
7,000:000*000
FI\A\(1AS E GOHERCIO
INTERIOR
Pacilen e Rio da Prata
O paquete inglez Trent chegadoante-honi foi portador das seguintes noticias, que extra-
ctamos das folhas da corte :
Buenos Ayi es, 1 de Junho
Nao foi provado o caso de beriberi a bordo do
navio de vela chegado do Brasil.
Buenos Ayres 1 de Junho
De Assuoipcao, Paraguay, chega a noticia de
mu combale einS. Pearo entre os insurgentes e
as tropas do governo.
Estas derrotaram completamente os rebeldes.
Valparaizo, de Junho
0 presidente Balmacoda abri honlem o con-
gresso chileno e leu a sua meiisagem.
I).,lira ler lirmado um iractado de extradi-
go com a Repblica Argentina ; diz que enta-
bolou negociagOes sobre a questo de limites e
para um tractado de eommercio com a inesraa
repblica : falla de algumas mudangas no con-
tracto Donugbmore com o governo do Per, o
que permillir ser elle aceito pelo Chile: diz
que o Chile concorrer ao congresso Washing-
ton sobre o direito martimo : annuncia un sal-
do de ipiatro milhes de pesos, no otramenlo e
Cambista a necessidade de inelhorar o exercilo
a mantilla.
Humus-Ayres, i de Junho
Assegurauj pessoas bem informadas da roda
olliciai que se acha completamente resolvida a
qoestao de litnilescom Brasil, oslando combi-
nad os termos de Iractado, que impor termo
definitivo a mutuamente satitlactorio aquella
anliga[pondencia, que taas vezes fez receiar pe-
la paz internacional.
i de Junho
Realisaram se com toda asolomuidade as exe-
quias il^o litterato Alberdi, fallecido em Paris ;
a concurrencia foi grande.
Dcscobrio se urna grande lalsilicago de notas
m Cordova.
No Polylheama foi executada com grande suc-
cesso a opera Ada.
MoUckUo. i de Junho
Martnez deixou o diario /.'i Buzn.
Chegou aqui o ministro Frias.
Foram abortas as proposlas para a construc-
co do porto.
B*e+6s \yres. :i de Junho
O (ligamento do ministerio da guerra e muri-
nha, actualmente em discus-) parate a cma-
ra, um ijouco superior ao anterior.
Es'\ decidida pelo governo a dissolugo da
eoniniisso de limites cutre a Repblica e o Bra-
sil
O coronel Ourmendia sera encarregado da de-
limlaco das fronleiras com a Boliva.
A empresa de salubridade foi aulorisada a au-
gmentar o seu capital, medida reclamada para
a execugo de varias obraS importantes nesta
cidade.
Valparaizo, 3 de Junho
Fallecen hontem o ex presidente da Repblica
Dr. Joaquim Prez. Foram-lbe feitos boje os
lneraes cusa da nago, em Santiago, tendo
assistulo o pr sident: Balma eda c prestndo-
me as honras toda a guarnigo da cidade. Os
jornaes appareceram tarjados de luto ; o senti-
raen.o e eral.
JtaflUM-ijrm, : Junho
- restos Aortaoa do Dr. Alberdi licaram de-
lados na catbcdrat. /
i de Junho
O cambio do ouro binc^rio 60,0 e o part-
cula! tfi) 1 i 0 0.
Apresenlou-se um projeclo de estrada de fer-
ro entre To.cuman e AsaampcSo.
Parti para o Rio de Janeiro, no San Hottardo,
o secretario da legacto, Olegario de Andrade.
Molnidi-u. 3 de Junho
DectaroB-ac u partamento de Serr Largo.
Sobre o fallecime to do ex-presidenle do
Chile diz o Jornal do Commercio o seguinte:
:egramina que publicamos na secgo res-
pectiva, noticia o fallecimcnto, em Valparaizo,
desto distiacto cidado chileno que, na diploma-
\(is;is do Mil
O paquete inglez Trent, chegado ante honlem,
foi portador de folbas da corte alcanzando a 4,
da Babia at (> o de Alagoas at 8 do correle.
Smente as' primeiras encontramos noticias
de intoresse, que sao as seguintes, alm das ofli-
ciaes e do Pacifico e Rio da Prata, insertas as
respectivas secce3:'
Sob os tirulos ministerio lemos as se
giiintes noticias no Jornal do Comnicrcio :
De 2:
At lioiltem noite nao coustava que lives.se
sido concedida a demisso ao gabinete de 10 de
Marco ; sabemos entretanto que o Sr. senador
Manoel Francisco Corrcia parti hontem tarde
para Petropolis, alim de conferenciar com S. M.
o Imperador.
Era Petropolis, cora elTelto, eonferenciou
S. Exe. coji Sua Magestade (turante algum lempo,
sem que sainamos por emquauto qual a resolu
eo assentada.
O Sr. senador Crrela, que ucsc boje de
manla d Petropolis, pela entrada do norle, pre
laude regressar aquella cidade. -
De :):
O Sr. senador Mauoel Francisco Correa, re-
redressiodb hontem pela manh de lMropolis,
oiiTlc, como ndioiiiios, conferenciara com S. M.
o Imperador, dirigio-se casa do Sr. Vsconde
de Vieira da Silva.
O Sr. Vieira da Silva parti p.ira Petropolis,
s 4 1/2 lioras da tarde.
Alli conferencion com S. M. o Imperador e
aceitn a incumbencia de o.ganisar gabinete.
e 4 :
.. O Sr. Visconde de Vieira da Silva regressou
de Petropolis hontem s 9 1,2 horas da manh.
Durante o dia S. Exc. conferenciou com alguns
dos seus amigos polticos : mas al a hora em
que escrevemos nao consta que se leiiha che-
gado a nenhum resultado definitivo.
_ Xo dia 1. fra entregue ao culto publico
igreja, de S. Joaquim, fechada ha mais de 30
annos. .. .
A's 10 horas comedn a ceremonia religiosa
pela ladainba cantada por monsenhor Rrito e di-
versos sacerdotes.
Seguio-se a bencao pelo inesmo monse.ihor
que, acompanhado dos sacerdotes presentes, lez
a volta interna do templo.
Finda a he-igo celebrou-so a missa, acom-
peahada de cnticos religiosos, subindo tri-
buna sagrada monsenhor Brito.
A' cenmonia religiosa assistiram o sr. mi-
nistro do imperio, professoros e alumnos do im-
perial collegio de Pedro II e numeroso concurso
de liis. ,
O vasto templo aborto ao culto pelos esorcos
de monsenhor Brilo. esl sendo reparado e vai
passar por importantes reformas.
O largo em frente estava embanderado.
O resuilado conhecido da eleiro sunalonal
do Minas Gomes dava como os tres mais votados
os candidatos republicanos.
Fallecen no dia 1. na casa de saude do
Dr. Eiras, onde achava-se era (ratamente, o ca-
pilo-tenente reformado Antonio Coelho Fragoso,
o qual, por muitos annos, exerceu o cargo do
raordomo do S. A. o Duque de Saxe.
Era cavalleiro da ordem de S. Bento de Aviz
e do I.' classe da ordem Ernestina, d^casa do
Saxe. .
Deixou testamento que foi aberlo no juizo Ha
provedoria e no qual inslitue tf slamenteiros os
Srs. Jos Vicente de Souza o capitao de mar e
guerra Jos Duarlo do Ponte Ribeiro.
Falleceu, a 3 o capilo graduado hialino
Ferreira Villaga.
Urna torca do 23." balalho de nlantana pros
tou-lhe as honras fnebres.
Falleceu. a 2 na fazenda das Tres Barias a
Baroneza de Guaraciaba, esposa do baro do
mesmo titulo, fazendeiro as provincias de Mi-
nas o Rio no Janeiro. A finada eslivra ha das,
na corte, onde fra bascar um lillnnho que
adoeceu e em seu rogresso para a lazt nda levou
o "ermen de febre a que snecumbio.
SIE\(!\S E LETTR4S
ProfoMHor Joo Vieira. Enttaio i-
direito penal obre o < xliuo eri-
minal do imperio do Krnsii. A Mo-
ra eneolu de direito erimlnnl no
Diario de PernamlMiro.
fDo .4rcfliVo de Psychiatria, sciencias pe-
naos e anthropologia criminal de Tu-
rim.)
O ensc.Io de direito penal que o autor peWica-
va em Pernambuco, lia cinco anno, nao e mais
do que. me parece, especialmente, na sua parte
positiva, urna exposigo muito exacta e precisa
das theorias sustentadas entre nos por Ganara,
fPMsina, Tolomei o outros; o pelo autor appli-
cadas ;i explicago do cdigo crininat brasi-
leiro.
O autor alias o declara ua prefagao, e nao si
rei en que o censure, em baver peguido as pe
gadas dos nossos juristas cinicas.
Entretanto este livro tem em si alguna cousa
de importante na primeira parle, onde se trata
dos principios geraes do direito de punir. O
autor em cerlos lugares, mostrando se reniten
te em aceitar alguns principios que levam di-
Teve pdblieidade na Allemaulia o relatorio
apreseniado pelo baro de Lucias acerca dos !ra-
balhns agrcolas d"aquel'e paiz durante os anuos
de 1881 a 1887,as-igiialmnlo-se n> naestn-i o pa-
pel d<: cuRura e exp oraco industrial da bete.r-
raba.
Sbese que foi iirecisamente n'esse ppriodi
que attingin ao seu negocio de intensidad.- a rri-
so qae alTetou inlastfia assbcarirj na Alle-
manlia, CBjo declimo so em IS*7 comecou. sendo
que durante o espugodel84-Sjmaufestada
aquella crise, que a referida industria empre
gou a bleiTabaem maior escala, pois que'antes
da baixa sbita dos pregos di assucar linliam
sido feitos todos os preparativos para a constru-
gao de aovas fabricas e para o desenvolv inn nio da
respectiva cultura.
Em 1884 -8. a industria assucareira a lema,
uo elfeclivo da qual a Prussia ligura por quatro
quintas partes, nao contava menos de i*i8 fabri-
casen actividade, mais 32 do que em 1883 -8i,
mais 70 do que era 187778. descerni, poivm,
em 1887 8s o numero das fabricas a 393. Por
outro lado, a quanti 'ade de beterrrabas coiisuin-
inidas augmentara n'uma proporco maior do
que o numero das fabricas, de srle que em
1877-78 elevava-se a 40.!l0C:680quutaes.ao passo
queein 1884 -85 allingia a cifra de 101.026:883
quinlaes e cofrespnndia ao au.ment da cultura,
que s na Prussia so produzira na razo de...
13o: 173 hectares r.u IS78. e ;i:iim hectares em
1883.
O progresso aecenluou-se, mais rpidamente
ainda, na Alleuianlia, onde as quantidades de as-
sucar oxtrahidas da beterraba se elevaran ir -
gressivamente de 3.80..091 quintaos om 1877 78
11.467:303 quintaes em 1884 8o. mantendo se
ainda cm'a.l30:000 quintaes em 188788. Alm
d'iSsO, emqoanto que em 187778 e 1871181 a
produeco do quintal ue assucar exiga oempre-
go de II quint. 36 a 10 quint. 7o de beterrabas,
essas quantidades baixaram a 8 quint. 11 era
188687, descendo mesmo, era cortos casos, a 7
|iiint. 61 no periodo de 1887-88.
A adopcao geral dos processos de dill'usio e o-
esforgos bem succedidos pela produego do urna
beterraba rica de assucar, tiveram urna parlo con-
siderare! n'este resultado, para o qual cimlribuio
tambem o iralameutu dos molagos as proprias
fabricas ou em estabelecimentos especiaos, cuja
prodaego. limitada a 25:000 quintaos de assucar
em 187778 euiregava ao consumo em 1886 -87
mais de 381:000 quintaes. Em consequencia da
crise as fabricas foram obrigadas a reduzir.
quanlo possivel. as seas despezas de produeco
c a diminuigo all'eclou, desde logo, o pregodo
compra da beterraba, que, por seu turno, se tor-
nou cada vez menos remunerador.
Se, apezar d'elas circumstancias desl'avora-
veis, a cultura da beterraba se nao restringi
n'uma maior proporco, se mesmo se desenvol-
veu do novo em 1886, foi porque o cultivador.
que baseou todo o seu negocio na produego da
beterraba o no era prego dos seos residuos, nao
se resolveu fcilmente a mudar de systema, na
incerteza em que se achava sobre os resultados
de urna nova experiencia a fazer, tanto qne nun-
ca pordou a esperanga, hojo realisada, djiu. aug-
mento no prego dos assnoares.
A baixa das estages nao exerceu, comtudo,
urna inlluencia sensivel sobre o consumo do as-
sucar na Allemanha, que se mauleve, pouco mais.
ou menos, no limite de 8 kilos por eabeca era
quanto que a exportago camluhoa n'uma pro-
porco anda mais rpida que a produego o ele-
vou-se progressivanieute de 712:000 quintaos de
assucar bruto e 223 de assucar refinado era
187778 a 3.338.000 quintaes e 1.079:000 quiu-
lae- em IS84 -83 e quintaes '(.897:000 e I.342KJOU
quinlaes em 1886-87.
Em consequencia do ajguieiilo simultaneo da
exportaeo e da riqueza oe beterraba, succedeu
que o rendimento ofioclivo exceda o rendimenlo
legal determinado pela lei de 1869 e que o drene
back da exportacSo exceda, n'uma notaVel pro-
porco, a totalidade dos direito pagos sobre a
materia prima, de tal modo qne os premios em-
bolsados pelo fabricante seguiam urna progres-
sao ascendente em detrimento do lisco, cujas re-
coilas dimrauirani. A lei de 1883 tere por lim re-
mediar esto estado de cousas, reduzindo a laxa
do dratclMtck por quintal de assucar, mas foi ape-
nas um palliativo momentneo, to pouco effica
que a lei de 1886. que elevou o direito sobre a
beterrab i a 10 /'/Win, baixou o drawburk a 73
pfeii'i. por quintal de assucar. A lei de 1887, mais
restricta do que os regimons anteriores, lixando,
a partir de 1 de Agosto de 1888 o direito sobre a
beterraba em 190 ris por quintal e o draubark
a 1:91') ris (8in. 50 pfenn). ostabeloceu um di
reito de consumo anterior de 12 marcos (270O
re si por quintal, envolvendo os assueares de
toda a especie do beterrabas, comprehendidosos
asaacares obtidos pelo tralamento de molagos o
xaropes. Esta ora legislago de applicago
muito recente para que os seus resoltados pos
sam ser apreciados.
32,30O:0OOaOO0
Estas ras frreas estaro acabadas dentro de
cinco annos, e traro provincia urna notarel
responsabilidade annual que junta s garantas
anteriores, sobe a 2,175 000, mas a revolugo
econmica dessa approxfmago de oeste ao lit-
lo.-al, reverter em favor de ins, e elevar
proporcionalraente a saa renda, como de 1870 a
1888, tornando-n talvez a mais florescente do
Imperio.
Parece que tendo o governo geral mo estes
instrumentos j creados de povoamenlo, poder
dar imaiigrac*o estrangeira nina applicagc
iminediata, vasta delinitm. em vastas propor
*e, detxando rficiatrv individual a execu-
Cllo e l!mfa'ndo-se a garantiros juros do capital
etlectivamente empregado.
S um grande acto de energa poder acudir
aos inconvenientes econmicos, sociaes e mone-
tarios que resultara de exclusiva applicago das
culturas de algumas provincias aos gneros de
exportago, tendo ellas abandonado quasi ge-
ralmente, em 1888, as plautaces de monu-
mento?.
Esta escassez de gneros alimenticios eompli-
cou-se desde a Babia at o Piauhy, com urna al-
terago almospherica, que deixou as populages
sem agua nem manlimentos. O espectculo que
aprsenla o serto da Babia Sergipe, Parahyba
do Norte, Cear, Piauhy e Marauho contiis-
tador e acta poderosamente para a alta succes-
sva dos gneros indisposveis vida. Algu-
mas provincias como Mmas, Paulo e Espirilo-
Santo, acostumadas a vender o excesso de seus
mantimenlos, apenas tiveram com que lser face
s proprias necessidade. No Rio Grande do Sul
e Santa Catliarina o prego da (a/inha de man-
dioca j triplicou e a procura muilo superior
aos recursos dos mercados; idntica alta na-
rece prxima para o feijo e railho, e certo que
os suidos loeacs Uestes gneros a exportar nao
sao correspondentes s necessidartes das popu-
lages acossadua pela secca e s das provincias
productoras de gneros de exportago interna-
cional, qne se descuidanim da planagu do cc-
reaes. K' una grave licito ao Estado e sos par-
ticulares, para remediar a qual cot tamos com o
bom nenso e iniciativa nacional, mas que exige
a maior prudencia e previso em toos os actos
que dizem respeito a emancipados e iffliuigrw-
tes. A mais fcil illago mostrar que nao pru-
dente accmnlar novas causas de desequilibi.o
na qu-sto das subsistencias.
Parece que % mais providente aconselliar as
elasses traialhadoras no sentido de proverem
con fficaciae antecedencia aosou proprio sus-
tento.
O novo Comptoir i'Etempte j est m ai livi-
dade e asseguia-se que os govi-rnos da Russia.
da Gicia e di Servia annui-am j a continuar
com osle as transacges que fazim om o au'i- *
oCuiiiptoir. o mesmo succeder com a clien-
tela commercial queja em parle! vollou.
O nico ponto negro no liorisonte finan.-ei i
i\ anda a quesillo do cobre, cuja solugo ded.a
; para dia se forna mais diflicil. 0 grande fttm-l
que provocou a crise do Comptoir ainda nfto di-
minua e apezar do prego baixo de 30 y 40 ii-
bras. as ninascontinuara a mandar o cobre pi-
ra os ulereados iuglezes.
O jornal Fieisiawge publicou a oslalislca dos
emprestmios contraliidos pe imperio allemio
desde a guena de 1871). A sua divida publica
eleva-se era 1871 a 770miihes de marcos: gra-
gas porm a indemnisago -de cinco mil millies
de francos, paga pela Franga, elle nao linha
m.lis i redores em 1874. Du 18/6 em (liante re-
CDiiiecar.un as dividas, cuja progresso. segun-
do i Sr. Richter, foi a seguinte :
31 de Marco de 1877 16.300.000 marcos
...... de 1878 72 203.600
de 1879 13 860 7HO
v lie I8(l 2I8.037.60U
de i881 67 786.300
- de 18-2 319 239.000
de 1883 348.93i 500
de 1884 37.'! 12o 200
de 1883 410.000.00ii
de 1886 440.000 000
de 1887 486 201 000
. do 1888 630.IKI0.0U0
'alcal aquelle jornal que no lira de Novem-
bro de 188 j se elevara a divida a 818 787.000
marcos, os quaes com os novo? crditos j vota-
dos, mas anda nao realisados, e o accrescimr.
das despezas para o auno liscal de 1889-90 ho
de perfazer no liui de 1889, a qua;>tia de.....
1.238 lili 0U0 marcos.
***
O governo portuguez vai apresentar ao parla-
mento urna proposta, epprorando o contracto da
cultura de beterraba para a fabricaco de assu-
car. A companhia respectiva garante o actual
rendimento adnaoeiro de todo o assucar impor-
tado; obriga se a restabeleeer nove fabricas de
distillago de assucar em todo o reino e adiama
de/, libras por poetare de terretio para a cultura
da mesma planta.
No prximo mez do Setembro ir a Portugal,
alim de esludar as condiges dos tcTronosde
todo o paiz para a cultura da beterraba o minis-
tro da agricultura allerao que se decidi a tazar
esta viajera atientas as informages que tem. re
cebido d'alli. J se fizeram varias experiencias
e prosegne-se a outras.
A provincia de Miiias, que apezar de sua pru-
dencia e timidez apparente, andou -empre na
frente de todos os grandes moviaientos nacionaes
j comnrchendeu a necessidade que lera o Im-
perto de explorar e cultivar as vastas regios
do oeste e de leste. Qaalro glandes vas frreas
invaoem essas regies, e a previdente provin-
cia nao duvdou garantir os juros dos seguintes
ca pitaes:
REVISTA DIARIA _
.lelos ila preideueu du provineia
Por acto- de I7jde Maio lindo foram concedidos
ao tabellio da comarca da Victoria. Rellarmino
dos Santos Bulcao,3 mezes de liceuga, conforme
requereu, para tratar de sua saude, devendo en-
trar no gozo delles no prazo de 15 das.
Poi nomeado o atieres Joo Paes de jLyra
Brundo para o lugar de 2" supplene do subde-
legado do dislncto de Santa -Cruz do termo do
brejo e exonerado, a pedido, Joajuim Francisco
de Souza Leao do de subdelagado do 4distric-
lo.'i Araribaj do termo do Cubo'
Foi uoraoaJo Alciuo Rabelio de Amorim para
o cargo de delegado Iliterario de Santa Maria
do comarca da Boa-Villa, em subslituicao de
Jos Cypriano de Amorim que, a pedido, foi ex-
onerado.
Foram concedidos a Francisco Deodato Linsa
professor da cadeira de eusino primario do po-
"voado de l'iug mirira, .3 mezes de iicenga com
ordenado, na forma requerida, para tratar de
sua saude oude lbe conrier.
Foram removidas as piolssora- Francisca
Mara da Annunciaco da o" cadeira da regue
na ,do Santissmo' Sacramento da Boa-Vista,
desla cidade, para a de Tracuulrjeiii, Luiza Cle-
meiiliiia Vieira de Mello, desta para a do seSo
feuiniio do Curato da S o Antonia dos Aojos
da Porciuucula desta para a 5* da l'regu'zia do
Santissmo Sacramento da Boa-Vista.
Obteve Maria Liberata da Silva Fores, profes-
sora da cadeira de eusino primario do sexo fe-
niiiiino eui Bello Jardim, 3 mezes de licenca
com ordenado para tratar de sua saude onde
Ihe convier.
Foi exonerado Francisco Gomes de Araujo do
cargo de ajudaute do Correio da povoacao de
Laga do Carro e nomeado o capitao Francisco
Antonio de Souza Reg para oxercer o referido
cargo.
% conde de linmare- Segundo tele-
raram i hontem recebido. falleceu na Corle o
senador pela pronncia de Mnito-Crosso. almiran-
te Visconde de Lamare.
Por decretos: de 28 de Junho de 1886 fra Bo-
rnea lo consclheiro de guerra; de 24 de Dezem-
bro de 1873 conselheiro de estado extraordina-
rio ; ordinario por outro de 3 dt Abril de 1879,
sendo escollado senador em II de Fevereiro de
1882. Foi reformado em 30 de Margo .de 1882
com 30 annos (le bons sorrigos.
Tinlia rauit-is gran-crozes e varias con decora-
enes nacionaes e estrangeiros. alm das meda-
llia d onro do combate da esquadra na passa-
gem de Tonelero e tomada da villa de Cruguaya-
na. No anno de 1888 fra concedido o titulo de
Vsconde. .
Era natura! do Rio de Janeiro o contara cecra
de 77 aunos de idade.
Occupou o tinado a pasta da marrana nos mi-
nisterios de 30 de Maio de 1862 o 6 de Junho de
rsas.
Presidio as provincias dt Multo Grosso o Para,
c nesta ultima, sendo commandante das urinas e
commandante em chefe das forgas nevaos, assis-
lio aber'ura solemne do rio Amazonas.
0 Visconde de Lamaro foi um leal e beueme-
rito servidor da patria e era dotado de u:u nobre
o justicoiro carcter.
Dr. Henriqate nottroKO Infelizmente
conBrtnou-se a dolorosa noticia de huver 'alU
do na provincia do Espirito Sanio, orle trio dig-
ii..nu ute exercia o elevado cargo do presidente
da raesma provincia, o nosso estimado e iledica-
do amigo r. Henrique de Attha\d;- LoW Mos-
cozo, contando apenas 36 ranos de idade.
O Dr. Henrique Moscozo, nascido nesta pro-
vincia om 1853 e .lho de ama imporiante fami-
lia, recebeu em 873 o grao de bachaiel pela
nossa Factildade e om 1879 o de doutor em di-
reito.
Depois de formado, procurou abragar acar-
I



*<
T
r


Diario de PernambucQ"tTec$**feira 11 de Junho de 1889
*

*
reir borocrgtica, n'eUa teve a primeira inve*-
tidurano carfo de i' oficial da seoretaria da
presidentfla des! provincia, onde revelando in-
telligencia robusta, dedicaco ao trabalno e zelo
pelo servigo publico, foi depois nieado chefe
da 4' secco da raesraa secretaria, lugar que Pon
muita prolicieucia occupava, quando o anuo pas-
sado o governo imperial, aproveitando as bellas
qualidades que o ornavam e a looga pratica que
tinha dos negocios administrativos, eucarregou-o
de administrar aquella proviocia.
No desanpendo d'egsa honrosa commisso,
fivameute devida as qualidadonque aceen-
_ luaraos. o Ilustrado finado corresponden es publico desta capilal
pectativa da nomeaco e soube manter os prece-
dentes que creara na carreira a que 6e dedicou,
anos a sua sahida dos bancos acadmicos. Com
eftito, sua adiniuistragSo foi benfica, econmi-
ca e promotora dos interesses reaes da provin-
cia, cuj gestao em boa hora Ihe foi collada, s
inspirando-se em sentiraentos elevados mesmo
sob a relaco poltica.
De sorte que quebrando a lucta que lavrava no
partido conservador da provincia, n'essa barmo-
nisacao soube collocar-se em altura que os ad-
versarios nao tiveramquearguir-Ihe, allirmando
assim a oarreogao de sua conducta sob o ponto
de vista constitucional e da poltica qnc repre
sentava, como delegado do patritico Gabinete
de iO de Margo.
Sua adninistraco foi Ilustradle fecunda :
seus actos o demonstram.
A imprensa opposicionista tambem Ihe no
negou a deuda justica, como ja ti vemos oceasiao
de publcalo n'esta mesma se -cao ; e a provin-
cia Inc deve gratidAo que jamis se extinguir
em presenca dos factos que Ihe nerpetiurao a
memoria.
X'esta emergencia sobrara por certo mesma
provincia o pezar de considerar que ella, por
cujo progresso tanto se desvelara *. Exc, se
tornou o seu tmulo. Deve, porm. attenuar Ihe
esse sentimento a convicio de que guarda um
corpo no qual palpitara um coraco grande e
nobre.
Em deraonstraco de aprego ao3 servicos do
Dr. Henrique Moscozo na presidencia do Espirito
Santo, tinha o governo imperial, dispensado-o
d'ella e nomeado ltimamente para a da provin-
cia do Para.
Em fecho d'oshu liabas, enviamos os nossos
pezames ao venerando amigo Dr. Pedro de At-
bamete Lobo Hoscojo, pai (lo finado, e aos col-
legas rs. Eugcni) Moscozo e Benjamn Ban-
deira, cuja dor comprehendemos ante urna perda
lo irreparavel.
Tribunal do Jury do nerlfeFinc-
cionou hontem este Tribunal no juicamente- do
reo Jos Flix pronunciado nu art. 269 do cdi-
go criminal como autor do roubo de que foi
victima Manoel Joaquim de Wairalhaes. morador
a ra do Apollo, Ireguezia de S. Frei Pedro
Goncalves do Recife, predio n. i onde se dera
o facto criminoso na noite de 23 de Junho de
1885.
As II horas da manh foi aberta a sessiio 8^b
a presidencia to Dr Joaquim Correia de Oliveira
Andrade, juiz de direito Jo 2 distrincto crimi-
nal.
Fuccionaram no conselho de sentenga os se-
.minies juizes de facto.
Alcides Fulgencio Baratado Almeida.
I)r. Celso Tertuliano Fernaides Quintella.
Francisco L.iuro da Silva Costa.
Antonio do Car.no Ferreira.
Francisco Pacheco Soares.
Benjamn Ernesto Pereira da Silva.
Genuino Jos da Rosa.
Joaquim Antonio de Ohveira Baduem.
Jos Oililon Anoes Jacomc Pires.
Francisco Honorio Buena de 5fen?ze?
Francisco de Miranda Leal Seve.
Jos Roberto Caleo Colho.
Deferido ao jury de sentenga o juramento de
signado na le e interrogado o reo. dissa que
era natural desta provincia, de 26 anuos tte ida-
de, solteiro. ex-escrcvo de J ;s Pe-eira dos San-
tos Alvarenga e analphabeto:
Que sabia o motivo porque era aecusado, nao
crahecia as lestemunhas que juraram no pro
eesso e nao attribuia a aecusacao a motivo par-
ticular ;
Finalmente que nao pracara o r rime de que
se trata no libello aecusatorio.
Concluido o Interrogatorio e feita pelo escri-
rao interino do Tribunal Jos Joaquim Das do
Reg Jnior a leitura do processo, foi dada a
nalavra ao Dr. Joo Joaquim de Freilas Fenri-
ques. i' promotor publico da comarca, o qual
desenvolveu a aecusago e pedio a eoodemaa-
o do acensado no grao mximo do art H do
cdigo criminal por ter concorrio na pratica
do criin a agravante do art. 16 % l" do dito c-
digo.
Produzio a defesa o juiz de fado Dr. J< Lo-
pes Pcssoa da Costa que foi nomeado ; 'fensor
do reo o qual declarou n" ter quem Jeteo-
ilesse.
Ilouve replica e (replica.
Terminados os debates. reeolhea-seo de
sentenga. a sala das conferencias onde
deu os quesitos que Ihe foram propostos pelo
Dr. juiz de direito, e em vista de suas dr'. idee
foi o reo condemnado a 1 anno de gales e multa
Bera montado e reconstruido como est o
Santo Antenio, podem as .familias, frequentaj-o
sem menor escrpulo, endo que no espectculo
de hoj,alera da mgica' n'um dos intervallos can-
r a aria da Dinorah o barvtono Commoleti, e o
actor Joo Rocha desempenhar a secna cmica
Agiienlem se no balando, que Ihe tem merecido
muitos applausos.
A rande Atenida O cstabelecjmento
de msicas do Sr. A. J. de Azevedo, roa-do
Bao da Victoria, acaba de publicar para piano
urna linda walsa. de Chueca e Valvcrde, extra-
hida da fi ande Avenida, que tanto agradou ao
Agradecemos Ihe a offerta que nos fez de um
*xemplar
Ro o Motilarlo-Do Para enviou-nos o
Sr. Henrique Guilherme Fowcke um folheto com
a sua traduego do Rene' de Chateiubriand.
Agradecemos.
(omptakU H*m Thrrea -Reuni-
ram-se no sabbado os accionistas dessa cotnpa-
nhia em numero de 15 representando 74 votos
e 2.349 aegoes.
Ficou resolvido fazer-se urna emisso de... .
100:0004000 em aeges p-eferenciaes. Foram
eleitos para a commissSo fiscal os Srs. Izidoro.
Bastos de Oliveira, Theodoro Christiansen e Jos
Nogueira deSouza.
Hunie-Pio da Voluntaran da Pa-
tria Esta sociedade reunir-se-ha hoje as6 ho-
ras da tarde em sua sede, para, em sessao de
assemblaa geral ser impossada a nova directora
que a tcm de dirigir no anno social de 1889 a
1890.
E*aganacuto Ante-hontem as 81|2 ho-
ras da noile e no lugar Bclem o trem da va-fr-
rea o Recife a Olinda esmagounm homem que
morreu instantneamente e cuja identidade nao
foi reconhecida.
O cadver foi transportado por ordem do sub-
delegado respectivo para o Hospital Pedro 2" onde
se fez a competente vistoria, procedendo-se a
respeito do facto nos termos da le.
t: do Urmo de Tacarat foi no dia 20 de Maio (Indo
esnancado o italiano Domingos Antonio Balbi
pelos individuos de nemes Luciano l'-rreira Lima,
Antonio de tal conhecido por Antonio da Baixa
e Antonio de Mulatinha.
Acerca do faci abrise o competente inque-
rito que ja teve o conveniente de-tino sendo de-
claradas graves pelos facultativos as o (Tensas re-
cebidas por Domingos Balbi.
"Soi issimo litro de orle* Os pro-
pietarios da Livraria Contempornea, ra !.
de Margo n. 2, Srs. Ramiro M. Costa & C, obse-
quiaram-nos hontem com a offert i de um novis-
simo livro de sortes, que acabam de ediclar e
imprimir na sua typographia, denominado O
Propheta.
Espirituoso, conveniente e til esse livro em
cujas paginas cncontrardo as fimilias para re-
creio das" festivas noites de Santo Antonio, S.
JoSo, S. Pedro e S Paulo e Santa Anna urna va-
riada coBcocao de sortes de cartas, de socieda-
de, penitencias para resgate de prendas, tabella
de grao de veracidade ou falsidade dos sonhos.
segundo a influencia que nestes exerce a idade
da La, adivinhaco intallivel da idade das pes-
abas e urna collecgo de novissimas receitas
para pudins, bolos, tortas, cremes e cangica.
lrande lotera da corle Por Aviso
de 20 de Maio ultimo fui substituido o plano da
loteria de 300:0 OOO a favor |do Montepo dos
servidores do EUad* por um outro que a divi-
de em tres extracgOes com parcelamento do pre-
mio grande em quolas de 100.0005000.
Cada paite dessa loteria assim alterada, com-
pOe-se de 40,000 bilhetes, divididos em inieiros,
meios e decimos, custando 104 cada bilhte.
Os possuidores dos bilbetes do plano substi-
tuido devem trocal os por outros do novo pites
das extraegao parciaes.
Btrada de ferro de crRipeFoi
aberta a concurrencia para construcgio dessa
viaferrea entreAra-aj e Simao Das com um
ramal para Capaila.
Vareinaeo anti-carbiinraloaaA'
presidencia d Minas-Geraes declarou o ministe-
rio da agricultura que, vista da informagao
,).
t.
de 5 do valor roubado, grao mnimo
269 do cdigo criminal.
O ju; y conlirmou a autora do delicti va
lrnumstancia attenuante do S Ido art. 18nao
ter havido no delinquente pleno coobecimento
do mal e. directa intengo de opraticar e "egou
a aggravan'.e da noile articulada no libel"
Term'nou o julgamento as 2 horas da tarde
Foi adiada a ses-.o para hoje -- 10 horas.
crviro militar -Est, designados, boj
para suiierior do dia o Sr. major Sena Mar-
tins. para ronda menor um subalterno di i-
vallnria.
A truarmclo da cidade dada hoj. pelos
corpos da guarnigo. e comtnanda agaardadal
Thesourari o Sr. alferes Pedro de Barro! Fai-
co.
Na enfermara militar
ment U pracas do Pxarcito.
Falleceram no dia 8 do corrrnle, na enfer-
mara militar, o cabo de esquadra Tbom Valle
de Mallos e o olJado Jos Francisco de Ohvei-
ra, ambos do 14.- batalhao de infantaria.
S. Exc, o Sr. tenente coronel comman-
dante das ai.na:, no n'querimento do Sr. alferes
Francisco Mathias Pereira da Costa, pedindo
para ser inspeccionado de sade deu o seguinte
despacho : Seja admittido 4 inspecgSo a 12
do corrente.
No requerimento do soldado addido ao li.
batalhao de infantaria, Jos de Albuquerque
Mello, pediddo transferencia para o 2." da mes-
ma arma lancou S. Ev o seguinle despacho :
Indeferido.
Aos cornos da guarnico foram pedidas as^
guias de soccorrimc'ito das pragus que se desti-
nam ao sul do imperio, por excederem do esta-
do elTciivo.
i.anirrna Musir-Dislribuio-se hortera
o n 259 deste peridico livre e humorstico
Hlppodrom do (ampo Crande
Abundantes e qnasi que ininterrompidas, at 2|
horas da tarde, foram as chaval de anie-hoii-.
tem, edeu isla loga" a que olio se pude.-,- v
lisar a corrida annunciada r Hippodro' '
Campo Grande.
A directoria resolveu traosftril-a paraquiu-
( ira, 13 do corrente, dia de Santo Antonio
Theatro de Manto Antonio-No es-
Iiectaculo de estra loove nota ve I concurrencia, sem embargo de
ter sido o da donoso.
O Ovo de ouro que rabio ; srntM, urna ope-
reta mgica, ebeia de peripecias engragadas e
ornada de msica muito born-- -endo que pri-
ma entre tudo o qua 1ro dos morios ricos : por
qoe sobre orna fina crilica. teti muita original!
dade e presenta novidade !
Do desempenho justiga dizer. que I). Ali-
verti, graciosa artista de operetas, cantn e
com graga. liando muita vida ao papel de Jftlr-
guridti, lendo cabido a Jo-io Rocha, que p um
excellenle actor, as honras da noite.
Cotnole'i r;inl -u ben : e Franca, artista no
vel. possuindo efectivamente boas qualidades
para < scenn vir a ser artista distincto. se a ella
.appliear-si' pelo estado.
C. Lisboa, i ebiano. D Guilhermina e Teixei
ra. beta como os coros por sua alinita > con
correram para n bom desempenho. a que raais
realcon < guarda r.upa, bonito e de gosto.
p.raa foi. p rm, que o machraismo nao cor-
.ondesse n erto da enscenagao.
Via-. -ertos deque hi>je ser isto ob-
, pela emprez;-. dos artistas E. Rodrigues e
O Balsemo. que tudo en vida rao para satisfa^
zer ao publico, que a seu turno Ihes tiSo nega
sua concurrencia como affirmagio de satis-
lago e reconhecimeotn dos e^forgo< <\n nwraa
empreza.
prestada pelo Dr. Joo Baptista de Lacerda, en-
carregado da direcgo do servigo da vaccinago
anli-carbuneulosa na mesma provincia, nao po-
dem ser attendidas as cmaras municipaes do
Serr e I.avras. as quaes solieitam, aquella a
materia vaccinal e esta um medico que tome a
si no municipio a vaccinago contra o carbn-
culo sym piornal ico. all coniiecido pela denomi
nago vulgar 'este da manqneira.
Nao coobeceuios a informagao do Dr. J. Bap-
tista de Lacerda, mas presumimos que apenas
se trata de prover oeccasteada por methodo
dilT-irnte do indicado pelas duas cmaras mu
bicipaes, as quaes, uo entanto. merecem lou
vor pelo inleresse que assim manifestam pela
aqoiicago do scientitico processo. Se igual in-
teresse manifestaren] os criadores das zonas fla-
gellask*. a industria pastoril tlt; Minas-Geraes
eximir se-ha de perdas que, estimadas em 20 |,
da piodu"go atinoal, representam capital avul
tado.
>oi-tb BraMilian Mugar Ao engenhei-
roliscat do Io districlo dos engenhos centraes
declarou o ministerio da agricultura nio poder
ser approvada a mulla de 3:000 i. pelo mesmo
sc.,1 imposta a .Vor// Brnsilian Safar, Fadorie
Compaa pelo : -co de empregar esta empreza
n.i .ibncago iIh assucar aculo sulfuroso Foi Ihe
utrosim recommendado que, visto achar-se re-
conhecida a vantagem de tal processo de fabri
cacao, derer pennittir companhia que conti-
nu a applicar o referido acido, nao obstante
divergir o mesmo processo do adoptado pelo
go\erno imperial.
A Abra Brasilia tugar concessionaria do
engenho central de S. I.ourcnco da Matta, na
provincia de Pernambuco.
Ferro-iia rio Corcovado-Medanlo t>
j competente termo, annnio o governo imperial a
ia. transferencia que ao cidado inglez Brady. or-
ganfsador de um syndicato. fez Joaquim Leite
Ribeiro de Almeida Jnnior da estrada de ferro
do orcovado, icaodo aquelle cessionario, ou a
empreza que organisar, sujeito as clausulas do
decreto n. 10,246. de 31 de Maio ultimo, e su-
brogado em todos os direitos e obrigac6es do
contracto celebrado em virtode do decreto n.
.372 de 7 de Janeiro de 1882..
Olrertoria dan obra* de conaerva
rao to I*orton de Pi-rnambumReci
fe. 9 de Junho de 1889.
Boletim meleorologico
lloras 1 barmetro a 0 Tensao do vapor "3 i
6 m 24-1 76006 21,07 94
9 23--9 761-49 2123 96
15 23'- 7 761-05 21,23 96
3 t. KC 6 758-82 22,43 90
6 2.V--2 7592.:i 21.26 88
Pelo agente Gusmo, as ii horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de urna vacca tourina com
crio.
Amanlii :
Pelo agente Burlamaqui, as 11. horas, ra
Formoza II, de movis, lougas e prata.
Pelo agente Martins, as 11 horas, fu do
Imperador n. 27, de movis, lougas e vidros
Mlsaan fimebi-M -^ierSo celebrados :
- Hoje :
' A's 7 12 horas, na matriz da Boa Vista, pela
alma de 0. Julia Augusta Ribeiro de Oliveira ;
s 8 horas, na ordem terceira de ~. Frrncisco,
pela alma de Joo Fernandes Baptista ; s 8 ho-
ras, no convento do Carino, pela alma de Frei
Jorge de San'.'Anna Locio.
Amanh : x
A's 7 1/2 e 9 1 2 horas. na"s mal rites do Cabo e
Camelleira e s 8 hoias, na matriz de Santo An-
tonio, pela alma de Antonio Jos da Molla.
Pa*aseiraw Cbegados do sul no vapor
nacional Trent:
Frei Gregorio e Frei Fideles, Salvador Cno-
vas Costa Florencio Jos Alves, Joaquim Gomes
Correia, Jos Joaquim de Souza e Paulo Antonio
Casa-Nova.
Sahidos para a Europa no mesmo v^por :
I. A. Tbom, sua senhora e 1 tilha, John H. Ste-
wat, Tyark Kiks, padre Manoel Moreira da Gama
e i irra, Camelo A. y Alvarez, sua senhora e 2
filhos, Ramos Martnez, Joseph Gibson, Alberto
Rollan e Jos Cojrcia.
Sahidos para o norte no vapor americano
Adcance: .
Max Harta, Julius Rothschild, Henry Huraphi-
rer, Vasco Staneovitch e 2 filhos, Mane Staneo-
vitch, Jorge Ivannovilch, Marie stranana e 7 fi-
lhos.
Sabidos para o^sul no vapor nacional Jac-
lii/pe:
Jos Anequim, Dr. Jos Marianno Carneiro Be-
zerra Cavalcante, Bernardino Silveira e sua se-
nhora, Antonia Rosa de Jess, Antonio Pereira
do Nascimento e Jos Candido de Miranda.
Caaa de ttetenraoMovimento aos pre-
sos da Casa de Detengfto do dia 8 de Junho de
1889.
Existan! 451 ; entrou 1 ; sahiram 2 ; exig-
iera 450.
A saber:
Nacionaes 404 ; mulheres 19 ; estrangelros 27.
-Total :O.
Arracoados406.
Bons 380.
Doentes 22.
Loucos 4.-Total 407.
Movimentoda enfermara
Teve baixa:
Jos Rodrigues de Souza Magalhes.
Teve alta :
Joo Feliciano dos Santos.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 82 pessoas. sendo 36 homens e 46
mulheres
Hopital Pedro II O movimento deste
estabelecimento de daridade, no di? 7 de Junho
foi o seguinte:
Entraram 15
Sahiram 12
Falleceram 3
Existem 610
Foram visitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs.:
Hoscoso s8, Cysnciro s 9 3[4, Barros Sobri-
nho s6 3|4, Malaquias s 9, Pontual s 9 i 2.
Estevo Cavalcante s 8 i|2, SimOes BarDosa s
10 horas.
O Dr. Berardo nao corapareceu.
O cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 3|4
horas.
O pharmaceutico entrou s 8 1|2 da manb e
uhio s 2 da tarde.
O ajudantedo pharmaceutico entrou s 7 i|2
da manh e sanio s 4 horas da tarde.
i.u-i-in do Cram-Para-A o' parte da
8* loteria, dessa provincia, cujo premio arande
6a:OO0J000. -era extrahidaa manhS 12 de Ju-
nho (quarta feira).
Cemlterlo Publico Obituario do pia 8
de Junho de 1889:
Genaro, Pernambuco, 8 annos, Boa-Vista ; ac-
cesso pernicioso.
Alfonso Joaquim Pessoa, Pernambuco, 17 an-
nos solteiro, Boa-Vista; lymphalite.
Francisca Sabina dos Santos, Pernambuco, 30
annos. casada, Afosados; hemorrhagia puer-
peral.
Jos; Lopes, Portugal, 39 annos, casado. Santo
Antonio.
Maria Francisca da Silva, Pernambuco, 40 an-
nos, casada, S. Jos ; ascile.
Tbom Valle de Mattos, Parahyba, 30 annos,
casado, Boa-Vista; hemorrhagia.
Jos Francisco de Oliveira, Pernambuco, 20
annos, solteiro, Boa-Vista ; accesso pernicioso.
Francisco Henrique da Silva, Santa Catharina,
37 annos. solteiro. Recife; erysipela."
Thoraaz da Costa Portella. frica, 80 annos,
solteiro, Graga: velhice.
Jos, Pernambuco, 3 mezes ; convulses.
Maria. frica, 80 annos, solteira, Boa-V;sta;
cacbexia.
Jos Luiz de Mello, Pernambuco, 22 annos,
solteira Boa-Vista ; anemia.
rhiladelpha. Pernambuco. 14 annos, solteira,
Boa-Vista; dyarrha.
Innocencia "Mara dos Prazeres. Pernambuco,
73 annos, casada, S. Jos ; cancro do figado.
Mananta, Pernambuco, 26 annos, Graga ; t-
tano traumtico.
Joo, Pernambuco, 1 anno, Graga ; enterite.
Maria, Pernambuco 3 das, Graga; espasmo-
Maria: Pernambuco, 6 mezes, Boa-Vista; en-
terite,
Maria, l'ernanbuco, Boa-Vista ; enlerite.
Thom Francisco, Pernambuco, 5 mezes, Boa-
Vista,; espasmo.
Senhori.iha Maria da Conceigo, Pernambuco.
30 annes. Roa-Vista : dyarrha.
Anna Joaquina Ferreira de Brillo. Pernambu-
co, 49 annos. solteira, S. Jos; congesto.
Francisco Theophaneo de Mello, Pernambuco,
48annos, Santo Antonio; tuberculoso.
Maria Magdalena Maciel da Silva, Rio Grande
do Norte. 14, annes, solteira, Boa-Vista: ente-
rite.
Um feto, Pernambuco, Boa-Vista ; asphyxia.
Francisco Ferreira do Espirito Sanio, Pernam-
buco, 28 annos. casado, Boa-Vista : nephrite.
Joaquim Jos da Rocha, Pernambuco. 38 an-
nos, solteiro. Recife: anazarca.
Maria, Pernambuco, 2mezes, Boa-Vista: aire
psia.
Antonia Maria da Conceigo, Pernambuco, 17
annos, solteira, Boa-Vista ; febre biliosa.
Rila4taria Galdina, Parahyba, 26 annos, casa-
do, Boa- Vista dyarrha.
Bernardina Antonia. Pernambuco, 40 annos,
solteira. Boa-Vista: leso do corago.
Joo Norberto de Lima, Pornammico. 60 an-
nos. \inva. hypoemia.
Jacob, ivniambuco. '9 annos, Boa-Vista: te
lao.
I J
Olinda n. 27 1. andar. Consaltas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poyo da Pa-
oella) das 6 s 9 horas d man ha e da
tarde.
Dr. Joaquim Loweiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no-Monteiro.
Dr Alvares Quimares, caegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora
cao, pulmdes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s &ffecc3es das crianeas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Teleplione
n. 381.
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 32, 1. andar, onde d consultas de
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhos.
Telephone n. 427.
Occullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clinica de Pars e Lon
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia i ra Iarg> d" R"ario o- 20
Advogados
O bacharel Witruvw Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 11, 1.- andar.
J. A. de MagalhSes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva <& C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chirai-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Aterrarla a vapor
Senaria a vapor e oficina de carapinn
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende maderas de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petenc iaPernambuco.
3
AVER&ADE CIMA BE TUNO'
. Eis o quo em data de 10 de Junho de 1888 eocreveu o reputado ermico
Sr. Dr. rias A. da Silveira, residente em Barra Mansa, provincia do Rio de Janei-
ro, em relacSo a um precioso preparado, que grande tao aceitayao encontrs hoje na
America do Sul.
* O Peitoeal de Cambaba', importante preparado do IHm. Sr. J. Alves
de S. Soares, de Polotas, possue propriedades balsmicas pronunciadas, e exerce in-
fluencia benfica em todas as affeceSes catharraes, principalmente as (Jo apparejho
respiratorio e genito-urinario. As affec^Ses eatharraes do laiynge, dos bronebios e da
bexiga, quando primitivas, cedem promptamentc ao uso reiterado do Peitobal de
(""ambara". ,
As secrefSes muco-purulentas, symptomaticas da tubercurose puhaotar,
modificam-se vantajosamente, tornando mais desembara5ado o campo da hematose
pulmonar.
E', portanto o Peitrbal de Cambaba", um heroico meio preventivo e
um auxiliar no tratamento da fysica pulmonar, to requente no Brasil.
Em nossa longa pratica temos tirado extraordinarios resultados da tintu-
ra do Cambar, no curativo das feridas recentes, obtendo qnasi sempre uniSo. por
primeira ntensao, pelo que deduzo que o Peitobal de ambaba" encerra principios
altamente anti-scepticos, virtudes therapeuticas procurada:), hoje, para combater-se
as molestias da cansa parasitaria, como -soein ser a maior parte das afibe^ocs bronpho-
pulmonares e genito-urinarias.
Massa fallida de Molla llvelra
A C.
Paga-se um terceiro e ultimo dividendo de 3
0/0, na ra do Bom Jess n. .*0. escriptorio de
Bernet C.
her Club de Pernambuco
ITBLIl'OES 4 PEDIDO
Resposta ao carteiro do Cr-
relo
O chamado que se fez de um carteiro, verifi
cado, chegou ao conhecimento ser um emprega
do da mesma reparticSo, nao oceupa o lugar de
carteiro e sim lugar superior.
Ao Sr. Aires Branco
V. S. nfio goslou da publicacao inserida no
Diario de 8 do corrente, e que, era nome do pu
blico, qualiflea de charada, assim decifrada:
Nao se querendo. quando se quizer se diz.
Knganou se, e nao ganhou o premio, por ter er-
rado a aecifrago, nao da charada e sim do lo-
gogripho. que por esta forma -e decifra :
Quando queira
Nao aceito;
E nao querendo
Nao insista.
Est satisfeito? Ah Nao me estranho o
cognomende -AlvesBranco) Falla-rae me-
moria o nome proprio, de que dever usar o ar-
ticulista, em voltando, se quer ter a honra de
urna res posta cabal.
Arraslando a responsabilidade de meus actos,
sempre me assigno
Cleomenes Lopes de Siqveira.
Pela directoria, foram additados ao regi-
ment interno do Derby Club de Pernam-
buco os seguintes artigos do cdigo de
corridas do Jockey Club da Corte :
Art. 31. A directoria, sempre que en-
tender conveniente, poder, organisar pa-
reos de kandicap, atn de equilibrar as
torcas dos animaes por meio de pesos pro-
porcionados.
Art. 32. Depois de recolhidas e aber-
tas as propostas para a inscripcao de
um pareo de handicap a directoria, em
reuniao reservada, organisar os pesos
para os animaes inscriptos, tendo em con-
siderado a forca. a idade, o sexo e o nu-
mero de victorias obtidas pelos contendo-
res, a distancia, do pareo e as provas de
resistencia, ou vclocidade de cada ani-
mal.
Art. 33. A directoria, poder, igual-
mente formar pareos de handleap de
limites organisando f annunciando no
projecto de inscripcao os limites de peso
estabelecido, conforme os animaes forem
nacionaes ou estrangeiros, ou conforme as
dades e sangue, etc.
S podero ser inscriptos nos pareos-
de handicap simples os animaes que te-
nham corrido pelo menos urna vez no
prado da Estancia.
Recife. 6 de Junho de 1889.
O gerente,
Henrique Schutel.
AS Ilustradas (I i ice (trias dos
prados desta eldade
Convencidos como estamos, do espirito justi-
ceido dos dirne cavalheiros que diriaerc os
rpraos desta cidade, animamo nos a pedirlhes
para adinittirem um pareo de pequiras, nos. fu-
turos projeclosde inscripcao.
Existindo nesta cidade muitos desles animaes.
que foram comprados exclusivamente para cor-
ridas, e com cujo sustento faz-se enormes des-
pezas parece de justiga o pedido que fica feito.
Muitos proprietarios.
til c agradave
O Peitoral de Cambar, alera da sua
utilidade na, cura das molestias bronoho-
pulmonares, possue prazer agradavol e
bem tolerado pelas creancas, em cujas en-
fermidades tambem se applica com gran-
de proveito.

i
IV. .??
A eunstiiiiiro t* o Mngne
Sem um tratamento' constitucional irapossi-1
vel conseguir-se a cura permanente de nenhuma i poslc5o
enfermidade eruptiva ou ulcerosa. *^ /
Dr. Firmo Xavier
nedlco e operador
D consultas das I i as 2 horas em seu con-
sultorio ra da Imperatriz n 30 Io andar e
tem sua residencia na cidade do Cabo, onde po-
de ser procurado das 6 da tarde as 9 da manh.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balthazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das enancas, dos orgJIos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabine,
rita do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
L'uiversal de 1SSO
Temperatura maxtraa28*,0
Dita" mnima IV.II. -
Evaporacao era i horasso sol: i"\0; ciu
ara: 1-.0. '
Chuva 41,-8.
Direcco do vento: S de meia at 3 horas e 40
minutos da manha ; SE at 3 horas e 45 minulos;
NE ate 6 horas e 22 minutos : SE at \<> horas :
variavel de ESE a ENE at 1 hora e i-> minutos
da tarde ; ENE at 4 horas e 30 minutos ; ESE
at 6 horas e 25 minutos ; E ate 11 horas e 20
minutos: ESE at meia noite.
Velucidade media ao vento : 2",02 por se
gurdo
Nebulosidade media : 0.9.
Boletim do porto

M.
M
M
M.
l>\
9 de Junho
10 le Jauho
Horas
1 24 d? tar'e
7 19 .
! -40 da manha
7 44 -
Altun
2-.20
9" .o
2-28
0-.59
lt-itOe.iti-c.ii Liuies .
Bcie :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra do Bom
Jetas n 4-' de um cabriolet, cavalK) e vaccas
tourirvas e setin). ada.
ki agente Itnlo. a.- I" 12 horas, ra Ve-
93, de un piaoo, movis e lougas.
lo agente Pinto ao meio dia. a.ra do Bora
.'sus n i*, de um carro de 4 rodas.
Hippodromo do Campo
Grande
Em consequenca da muita chuva que
cabio no domingo, 9 do corrente, e que
nao deu lugar a effetuar-se a 18a corrida
annunciada para esse dia, resolveu a di-
rectoria transferil-a para quinta-feir;i 13
do corrente.
INDICARES DTEIS
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio aberto ra Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em lian-
te m sua rssidencia ra Barao de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras e criabas. Telephone n. 326.
Dr. (astro Jess medico e operador.
Pratica a lavagera do ntero quando e co-
4B(t aconselhada. Consultas das 11 Ae
3 da tarde em sua risidencia rna do
Bom Jess (antiga da ''niz) n. 23, 1.a
andar. Telephone n. 389
Dr. Barre.tto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
ra do Barao da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Ur. Ribeiro de Britto d consulte3 de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1.' an-
dar a ra Duque de < axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clinica me-
dico cirurgica. Especialidades: molestias
pulmonares e partos. Ra doMarquez de
Ao publico
Constando que o Sr. Bernardino Go-
mes de Carvalho quer ngociar o enge-
nho Aracuagy, previno em tempo aos in-
teressados que as obras, machinas e uten-
silios do referido engenho estao hypothe-
cados a mim.
Recife, 23 de Maio de 1880.
Joo Carneiro Rodrigues Campetto.
\I4 ItOl fM.II
Joo Fernandes Baptista
NO 7o DIA DO SEU FALLEIMESTO
Hoje o stimo da do infausto passamento de
Joao Fernandes Baptisla, e j que nao Ihe pode-
mos fazer o elogio de que era merecedor, da sua
vida, a cujos labores commerciaes afinal tombou
o grande loctador, deixando a sua familia na
mais extrema pobreza,; sirvara estas linhas ao
menos para nao licar o honrado nome do indi-
toso amigo no olvido.
O sangue viciado deve se purificar e fazel-o
saudavel, do contrario a causa do mal permanece
oceulta no systema, e certo que no fim se apre-
senlar em cutra forma mais terrivel do que a
anterior.
S um remedio dos condecidos entre os ho-
mens, busca, esquadrinha e espulsa este mort-
fero principio e restabcle.ee a ronstituicSo phy-
sica sua primitiva forca e vigor.
Tal ou taes sao as virtudes da Salsaparilha
de Brstol.
Os remedios suppressivos sao exccssivamenle
perigosos em taes casos e o mercurio snbstitue
invariavelmente urna molestia por outra anda
mais terrivel que a primeira.
Porm este balsmico detersente e restaura-
tivo vegetal, arranca at os alicerces da enfer
midade, e converte n'um baluarte de aude e for-
ca o systema, depois de ha ver expulsado o vene-
noso invasor.
Este remedio, o mais admira vel e maravilhoso
de quantos se conhecem no mundo, deve sua
extraordinaria reputaeo a? suas virtudes vivi-
ficantes e purificadoras.
Acha-se a venda em todas as principaes boti-
cas e lojas de drogas.
AOS SURDOS
O Aurophone
penalmente adaptado
Nasceu em Portugal e muito cianea aiua
veto Joao Fernandes para o Krazil. Pernambuco
era para elle como se fra a sua idolatrada pa -
tria ; constituio familia e aqu rou para sem-
pre !
Seguio a espinhosa carreira commercial, e de-
pois de haver alcancado nella posigao honrosa,
revezes da sorte o fizeram cora que fosse cai-
xeiro anda, e ltimamente achava-se o finado
empiegado na casa commeK.al dos Srs. Manoel
MarqUes de Oliveira C, em que morreu com
62 annos.
Pertencia a diversas associaces, entre ellas a
do Monte i io Portuguez e taes foram os servicos
do disiincto cidado no Monte Po, que tornou-
se socio benemrito d'esta associacao. Se%que
possuisse mais fortuna, ja ento muito pobre,
pauprrimo mesmo, por iniciativa exclusiva da
sua vonlade e do seu bom coracSo sempre adap-
tado aos grandes e generosos sentimentos das
almas nobres, Joao remandes libertou os seus
ltimos escravos muito antej da gloriosa lei 13
de Maio .
Bemfeitor, amigo de prestar servicos, a mSos
largas, muitos receberam outr'ora beneficios
scus que ?0 o reconhecimento, agratidao pagam,
e a raaos largas incumbe a esses amigos princi-
palmente derramaren sobre a sua familia des-
valida o premio de ^uas virtudes e beneficios.
Que fique na U-rra por onde !nni?itou.o indi-
toso amigo cuja convivencia estrena nos relem-
brar sempre a sua boa amisade, os ligeiros
tragos do 3eu carcter cavalhraresco inolvida-
veis.
Paz sua alma.
Recife. 11 de Junho de 1889.
Jos Bernardino Rosas.
es-
as
molestias dos ouvidos E"
infallivel e de immediato
effeito na prodcelo do
som. Este valioso instru-
mento nunca falhou em al-
liviar aos que padecem de
twySOlfsiirdez. A qualidade mai^
importante do instrumento a facilidade
com que pode ser posto e tirado, e que
nao pode ser visto quando dentro do ou-
vido. Informacoes gratis pelo correio s
pessas que as desejarem.
Qneiram "dirigir-se pessoalmente, ou por
carta, a A. E. HawsOB, rua Sete de
Setembro, n. 64, Rio de Janeiro.
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clinica do
Dr. de Wecker, d consultas de
mei dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casan. 51 rua do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia rua Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela rua da
Saudade n. 25.
Aguas alcalinas minoraos de Non-
dariz em Pontevedra, na Hes-
panha
ESPECIALIDADES
para molestias de estomago, taes como : dispep
sia gastralgia, catharro chronico do estomago,
ulceras simples,
Molestias dos intestinos, taes como: enfarta-
nenio do figado, ictericia, clculos bitia.*es. diar
fha ehroniej., etc., etc.
Molestias das vas urinarias, taes como dias
teses-uricas, cathaTo vesical, diabetes sacarina,
albuminuria e gotta.
as anemia-;, ehlorosis, psoriasis, prunigos,
dores artrticas e mutras multas molestias.
As aguas alcalinas de Msndariz nascem de ro-
rbas granticas na temperatura de 180 centgra-
dos, sao claras, incolores de ebeiro parecido um
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, pro-
duzndo um ligeiro sabor picante na occasiao de
lomar-ge. Ellas sao clnssirtcadas no numero
das alcalinas e'bi-carbonatadas de soda.
EsJas aguas adiara se a venda no estabeleci-
mento do Sr. Antonio Affonso SimOes, sito rua
Visconde de Goyanna n. 1 (quatro cantos), em
Ba-Vista, e no escriptorio do Sr. Joo fiamos
na Praca da Independecia n .14.
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amde
Prince & C, o PavilhSo do Guatemala
onde elles acabam de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jornaes
das Americas do Centro, do Sul, das An-
tilhas c do Extremo-Oriente urna cons-
trnecao de madeira muito bonita.
Este pavilhao acha-se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito c de-
fronte da parte cental do ''alacio das Ar-
fes Liberaes. Est perto de todas as sec-
coes das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
hilo de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attracoocs da Exposifao.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitera no Pavilhao
de Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
C, devida ao obsequio do illustre com-
missario geral do Guatemala.
Advocacia crime
RIBEIBO DA SILVA, delende perapte o^
jurvde Palmares, Agua-Preta. Game*
Escada, Jaboatao. Nazareth. Victoria,
bauba e as comarcas visinhas
ferreos.
[ Pode ser procurado rua de Marco)
,n. 7 A Livraria Parisiense.
peranteof
amelleiraJ
oria. Tim- j
is as vias
EXPOSITIOX UNIVERSAL DE 1889
Segn nos escriben nuestros correspon-
sales, los Srs Amde Prince y C
el Pabelln de Guatemala, en donde han
organizado un gabinete de lectura de los
principales pritces de las Americas del
l 'entro, del Sud, de las Antillas y del Ex-
tremo-Oriente es una construccin de ma-
dera, de las mas lindas.
Est situado dicho pabelln a mano-
derecha de la Torre de Eiffel, del lado
derecho y en frente de la parte central
del Palacio de los Artes liberales. Se en-
cuentra a proximidad de todas las seccio-
nas de las Repblicas de las Americas y
del imperio del Brazil, quienes han cons-
truido palacios que rivalizan de riqueza, y
que sern una de las mayores atracciones-
de la Exposicin.
Encomendamos particularmente a nues-
tros compatriotas que visiten, en ol Pa-
belln de Guatemala, la instalacin que han
hecho nuestros corresponsales, Srs. AH-
de Prince y C gracias a la amabili-
dad del seor comisario general de Gua-
temala.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parleiro
t4-RuaLarsa do Rosario SI
(POR CfflA DO ANNEL DE OCRO)
Onde tem consultorio e real-
dnela : podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite..
Especialidades: partos, febres, moles
Htias de senborasdos nulmOe-
era geral, cura rpida e completa
rnri'i
}{
:\\
-i...... ,
= syphlis M
eta e ope- (,
ais soffri- '
de i-streitamenlos e mais
mntos da uretra.
Arode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephone n. 3'J-I




-'


lK



\
i


i
I
i*

./
>
i
..
M
d.
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approyado pela Inspectorio Geral de Hy-
fiene Publica do Rio de Janeiro em 20
e Julho de 1887.
Este depurativo de grande efficacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza do sangue ; ussim
como em todas as molestias das senBoras.
Tem curado radicalmente umitas pessoas
commettidas da terrivel molestia beriberi.
MODO DE USAR
Os adultos temarao quitro colberes das
sopa pela manha e quatro noitc. As criancas
de 1 a 5 annos tomarao urna colher pela manila
e outra a noite, e os de S a 11 annos toniarc
duas comeres pela manha e duas noite. De
verao tomar banhos fri ou momo pela nianlia e
noite. Resguardo regular.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Pranciseo Manoel da Silva'4 C.. ra do Mrquez de
Olinda n. 23. r
O autor deste preparado pone ser procurado
na ra do Harao da Victoria n. 37, onde ser en-
. centrado para dar toda e qualquer explicaco
que for precisa.
Cuidado com a* falsiflencOe*
Beriberi
,, N 68
Ill.n. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Faltara a um dever sagrado se do fundo do
meu coraco nao viesse agradecer Ihe o benefi-
cio que acab de prestar-me ministrando-me o
-eu poderoso elixir.
Tendo se declarado em minha mulber a terri-
vel molestia beriberi, fui aeonselhado pelo me-
dico de minha casa que mlnistrasse-lhe o seu
elixir, e com tamanha vantagrm o fiz, que duas
garrafas apenas foram bstanles para fazer dei-
apparecer completamente o mil de que foi mi-
nha mulber accomroettida.
Nestas condices seria eu um ingrato se nao
ihe agradecesse eternamente; podendo V. S.
fazer uso d'esta minha carta para proveito do
publico.
Sou com respeito de V. S. attento venerador,
criado e obrigado.
Recife, 2 de Maio de 1882. -Joaquim Fenelon
Delgado Borba.
N. 69
Hlm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo urna pessoa de minha amizade sido ata
cada da terrivel molestia beriberi, e tendo es-
gotado todos os recursos da medicina sem resul-
tado algum, e como eu ja me tivesse tratado com
0 seu eiixir puriicador do singue em urna mo-
lestia gravissiiua abandonada pela medicina,
aconselhei-o que sem perda de lempo usasse do
inesmo preparado, du qual eu raesuio fui buscar
a primeira garrafa para principiar o seu trata-
raento. com tanta lelicidadc que penas com tre
garrafas o restabelecea de t'io borrivel Boffri-
mento ; dou-llie, porlaito, os meus sinceros pa-
ntana pela sua fe:;z descoberta que to prove
tosa tem sido para a humunidade soffredora.
todera fazer o uso que quizer d'estas poucas
linbas que s contm a pura verdade.
Sou ue Vmc. altelo venerador c obrigado.
Recife, 6 de Maio de 1886. Urbano Jos Cor-
rea.
N. 70
lllm. Sr. Angelino Jos dos Sanios Andrade.
Amigo e Sr.tendo soffrido ha cerra de dous
annos niais ou menos, proveniente de molestias
recolhidas, urna terrivel feo re. dr de cabera e
tosse, que bstanle me ncominodavam. recorr
a diversos mdicos, que qnalificaram me como
affectado dos pulmes, depois de ler osado de
suas prcscripi;Oes, sem d'ellas onter o menor le-
nitivo aos meus sollmenlos, resolv a seguir
immediatamente para Flores (Pnje) depois de
trez mezes nao obtive melhora alguma de meus
soffrimenlos: a conselho de um amigo resolv-
me mandar buscar seis garrafas do seu elixir
puriicador do sangue. e flquei radicalmente cu
rado.jlo que dou muitas gracas a Deus e ao seu
prodigioso remedio.
D'estas poucas hnhas que s contm a ver
lade far V. S. o uso que Ihe aprouver
Engento S. Francisco, fregu, ia de Serinbaem,
17 de Dezembro de 1888- Joaquim Jos de Ato-
1 w,
Estavam selladas e reconliccidas as Orinas)
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Baro do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas da 10 as 4 horas da tarde.
jj Bacharc! Antonio Wilru-
| vio Pinto Bandera
< Pode ser procurado ra do Imperador
| i n. 71, 1- andar
Diario de Pernambuco---Terca-feira 11 de Junho de 1889
Frederico Chaves Jnior j
Homoepatha
39 RA BARO DA VICTORIA 39
Primeiro andar
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 as 10 da man ha.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TELBPHONE N. 226
EDITAES
Surt
ez
Urna pessoa curada de 23 annos de surdez e
zumbidos nos utivtdu* por um remedio simples
enviar gratuitamente a descripro-a quem o
desfijar. .Nu-.hoison Sgo del Estero 1260Buc
os-Ayns.
COMERCIO
Revista d o Mercado
RKCIK3, 10 DE .IJN.'IO DE 1889.
O mercado de cambio estove um peuco activo,
sendo as laxas elevadas > 26 3/4.
Os outros mercados esliveraao parados.
, Cnmbco
Os bancos abriram con; a laxa de sabbado.
isto 2' 3.8 d., elevando todos, um pouco an-
tes de mei da, a tabella para '', 4.
Um pouco de papel particuiar fui passado a
2 lijyw.
No Rio a taxa bancaria. em geral, foi 26 7/8
e papel particular cscasso a 27 d.
TABELL AS AFFXADA8
< y > S? C r-
t p v c
i 9-5 o 3 o 1 f 3 n
5 ir m B 1 . 30
. . 9 "i o 3
o" . 3
* # i a
c

SE. 5>

5a sec^io.Secretaria da Pre-
sidencia de l'crnambiieo em :i
de dunho de 1SS9.
Por esta secretaria se faz publico, de ordem do
E\m. Sr. vice-pn-sidenle da-pcovincia, em addi-
tamento ao edilal de 25 de Maio ultimo, que dn
theor seguinte a integra do art. 16 da lei o. 1860
de 11 de Agosto de 188o e a da lei n. 1972 de 22
de Margo d'este anuo.
Art. 16 Fica o presidente da provincia autori-
sado a conraclar com o commerciante da praca
do Recife, Jos da Silva Loyo Jnior, ou com
quem melhores vantagensolTerecer a fundaeiio e
exploragao n'esta provincia, de qu.tiros eneehhos
ceufaes com capacidade para safrejar cada um.
de 25 a 30 miihes de kilogrammas de cuuna,
sendo cada qual do custo de 600:0004, ou oilo
cora capacidade para safrejar rada um de 12 mi
llies e 500 mil a'lo milnes de kilogrronlas de
Ci.iiia, sendo n'estahypntheseo custo de......
300:0005, sob as seguintes condices :
1* A provincia concorrer com a quant a de
200:000 no primeiro caso e de <00 OOO no se-
gundo, em apolicesdojurode 7 /" para cada-um
d'esses engeuhos >endo os juros pagos ao porta-
dor pelo preponeiit" ou por quem tomar asi o
estabeleeiment dos referidos engeobos e reco-
lhidos ao Ybesouro no fim de cada semestre.
2J O pagamento ser feito pela provincia em
duas preslacOes. a primeira quando forera apre-
sentados o conhec.ment do embarque, factura
e apolice do seguro dos materiaes. cujos docu-
mentos sero endossados a ordem e tiearfio em
poder do Tiiesouro Provincial, em cauco da
qUc'ntia que receber o contiaclante, a segunda,
dep'.is que se acharem os mesmos materiaes no
local em que for establecida a fabrica.
3 A provincia lera hypotheea sobre todas as
fabricas, para garanlia de suas a|>olices, sen-
lando, porem, durante 10annos, o assucar n'elles
fabricado do imposto de exportacio e outros
quaesquer provinciaes ou motiicipaes que exis-
tam ou foiem creados posteriormente.
4" A provincia ter durante as obras um en-
genheiro liscal por ella nomeado. cojo ordenado
ser pago pelo pi oponente eu ;ur quem o sub-
stituir.
Y Aam rtisai^Loda aootices ser fei'a a ra-
zan de 10 atumultente, a contar do auno s
gointeao i m que tiverem comecado a Irabaliiar
i referidos engenhos, licando livre ao propo-
. ;ii u -i.-ito de fazer maior umortisaeo, se
jssim I!.'1 ''iiiviit.
Far-se-hi urna einissaode apulicescom aclau-
sula de serem resbaladas anuualmentee por sor-
teio.
ti* 0 contractante nao poder fazer cessio de
sen contracto senao a a^riculiores.
7* O proponente ou :;uem coniractar seri obri
gado a a|)re.sntar ao presidente da provincia u:>'"
planta dos apparelhos ou machinismos mais
aperfeicoados destinados aos engenhos, a qual <
ser approvada depois de ser examinada por
urna commissiio de engenheiros, nomeado pelo
mesino presdeme.
8.' O contratante dar animalmente no Tiie-
souro Provincial Banca dos juros que tiver de
pagar provincia pela einisslo pplicuda das
a|!ices aos engenhos contraes.
" -"'

Bolsa
OTAV'OES OFFIUIAES DA JUNTA DOS COK
RETORES
Recife. 10 ae Junito de. 183$
Letras hypothecaras com juros, va'.orde 100/,
a lOOaOO cada urna,
'.lambi sobre Londr.s. 90 d v. 26 5/8 d. por
liOOO.do baneo nabbado.
Cambio solire Rio (rande do Sul, 30 d v. enm
3;4 0/0 de descont.
Cambio sobre Porto, 3 d,v. 10 0 0 de premio,
oarticular.
Na Bolsa Venderam-se
100 letras hypothecaras, c .m juros.
O presidente,
Candido t. lWforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
.tlgodo
Sem venda <
A expoitaeo. IVita pela aifandega ueste Oici
ale o da 7. at'in-io a P'O.VOl kilos, sendo li.ao6
para o exterior e !>2.049 para o interior
As entradas reriUcada ate a iluta de liije, so-
bem a .oJfi saaras, seudo por Elareaeas. .... 1 4i2 Saccas
Vapores .-*nimaes .... Via-ferrea de Caara. \'a-terrea de S. Francisco. Via-ferrea de Limoeiro 76 72 6b 1 1/5
Somraa- :i -"16 Saneas
Assiscar

m s k h -
~7 -v s _-_*
v I

LLI
lil t* *- t Ctf
O O ^- i' ^
pk__ w w & "-
K
9
M!


I : i l_j
- T?t

Us precos pagos ao agncnHor, por 15 kilos, -e-
uudoa Associajao Co;nmeri.ii.! Agrcola, foram
oa seguintes:
Itrancos..... 3iW0 a W-irtO
Someno..... 308 a -'"-"tKi
Mascavado porgad j<*) a i JUX
bruto lirme) I '.JO a tfi>W
iVtame..... I00> a t#7(X)
.4 exoi'tagao, fets pela altandeg neste ton
at odia 7, subi a 7A.3W ::.'-r pi f o interior.
As entradas verictdas al a dala de boje, so-
l a 3.834 saceos,cudo
. 2 W8 Sacos
be
Barcagas
Vapores.....
Animaes....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Prawcico.
Via-ferrea do Limoeiro
SoDuna.
H .
. 47.1
I os .
77
3.&U
tguardeate
Cota-se a 80OIW, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cota-se a 170^000 por pipa de 480 litro.
Mel
.Coto-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Lei n. 1972.
Inoocencio Marques de Araojo Goes, hacha-
re! em scieneias jurdicas e sociaes pela Facul-
dade do Recife, depulado Assetnbla Geral
pela provincia da Bahia e presidente da de Per-
nambuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que
a Assembla Legislativa Provincial decretou e
eu sanecionei a resolugo seguinte : v
Artigo nico. O pagamento da primeira pre-
stacao de que trata o n. 2 do art. 16 da lei pro
viririal n. 1,860 de 1885, ser feito tambera
quando for-apiesentado ao Thesouro Provincial
o contracto de compra e venda dos materiaes,
devidamenle legalisado.
1." E9secontrario ser por escripiura pu-
blica, em que o vendedor dos materiaes garan
ta ao concessionario cura by,iiheea ronvenoio-
oal.de heos a entrena dos apparelhos oa poca
ajustada ou com Sanca piiv.-deuto primeira
prestago paga pela provincia.
a." Picar a provincia subrogada uas ga-
rautiasdo concessionario. que assignar peraiite
o Thesouro Provincial termo de respeusalclida-
de firmado tambera pelo vendedor cuno abona-
dor d aquclle.
| 3.* A amorlizago das apolices de que tra-
ta o n. 5 do art. <6da referida lei, ser Uta an-
nuaimente e por sorleio razao de'5 por cento,
e principia'- duas safras depois d'aqnella em
qae a fabrica central buuver principiado a tra-
ba! bar.
i 4." (ur os contratantes, quer as fabricas
renies ficaro iscntas de quaesquer imposios
prownciaes e municipaes. excvptnados uoica-
mente os de exportaijao, emquanto nao forem
eliminados do orgameuio provincial.
Sao revocadas as dspOsigdea eni con! rano.
Mundo, portauto, a todas as autoridades a
quem o conhecimento e esccocau da presente
n-solugo pertencer, que a eumprain e faeam
cumprir to inteiraraeut" como n'ella se con-
tera.
O secretario interino da presidencia da pro-
vincia a faga imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernambuco, 22
de Margo de 1889, 68. da independencia e du
imperio.
L. S. Innocenrio Marques de Aranjn Go^s.
Sellada e publicada a prsenle rcsobico
n'esta secretaria da presidencia de I'ernajibu-
co, aos 22 de Margo de 1889.
(Aasignado O secretario uterino, Manoel
Joo'utm Silveira.
O secretario interioo,
Manoel Joaquim Silcrira.
5." Mfcrtio Wecrt'taria
ca d Pernamauco,
IMS.
Por esta secretaria se faz publico, de ordem do
Exra. Sr. vice-presidente da provincia, que, ten
do Candido Dias, agricultor e propretario agr-
cola, residente noengenho Guerra, do municipio
de Ipnjuca, requerido que cora elle se contrete
a iuudago de una fabrica central de lypo me
or no dito engealw, Rea aberta a concurrencia
por esnago d imita das, contados da data do
presente edital. para o lim exposto, mediante a>
condiges estipuladas noait. 16 da lei n. 1,860
de II de Agosto de 1885 e lei n 1.972 de 22 de
Margo ultimo.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Soeira.
.".' m'CC&o.crrcai'ia Nd'il-
cia l Prr.iiimbuco. 55 dt Slziio
de 1 *!
P cimento dos iuteressados, que tendo o Exm. vr
vice presidente la provincia considerado sem
effeito, por portara de hoje. a concurrencia aber
ta pido edital de 20 le Abril ultimo, ao qual se
refere o de d i eorrente, para a fodaco ue II
engenbos centoei, de cooformidaue com a le
n. 1971 d.' 2 ile Rarcq deste anco visto que a
pulilicago do edital de 4do corren'.e, reduzindo
a O dias o prazo de 9'J, marcado DO de 20 de
Abril, nao aconipanboo o deste, djndo lugar a
eebniiar,;. flra abi'rla nova concurrencia, com
o prazo de 30 dias, contados da data do presen.
le. para aquella concurrencia, observadas as dis>
posigea do art. 16 Ja lei n. 860 lie 11 d<: Agos-
to de 885 c a lei n. 1972 de 22 de Margo deste
anuo.
O secretario interino
Manoel Joannon Silwira
da prt'Nidon
1 de Maio de
O Dr. Henrique 'ie !' irros Luis, juis mu-
nicipal e do commercio era exercicio, do
termo da Escuda, comarca do nesmo
i.
L'ernamhHCO, por S.
nonio, provim a
M. o Imperador o ar.
quem De us guarde, etc.
Fago saber aos qae o presente edital vjrcm e
a'elle noticia riverein que ir a praca por venda,
a reqoerinwnto do exoqoentc Reiro e Almeida,
co">.i o praso da lei, no da t" do mc de Julho
p O simo futuro, na torta d s audiencias d'esta
cidade. as 12 horas do 'Jia.ueagcidia dcQnmiua-
do llnricy, situado ueste termo, ron soks Ierra-;
e >iti> avaliadn pela qoaiiiia de 3:000J0JlK), per
tencenle ao esecotado ausente Joo de Azevedo
Pe reir, o qual engeuh i \n a praca para paga-
monto da quantia de ii:i: j0;0, juios accresci-
dos e cusus.
E quem no mencionado ruseutio aciifla referi-
do quizer laucar 000*01 reea tiesta cidailc i\o dia.
hora e lugar cima d.-i.... los.
E para que i llegue ao L*ii!)liei'*iiielHgi lodo
ai|ueiles qu>- interessar |H>s-i) nruidci passar o
iressar
txportaco
axctra. 8ok jimio kk IS8U
Para o txlerior
vapor aiuericic i'
CouroK
A cotagJo-dus salgados de :;'! ris na base
de 12 kilos e dos verdes 2 '5 ris.
I*aufa dn aifandega
SIUiANA 10 A IS DE JIMIO DB 'f69
Vuie y iiiario de .'/ de Juuli
%iriOH carga
Lugar porluguez Tenmrarifl, para o Porto.
.\avios a desearse
Barca noraegnense Saga, xarquee ino.
Barca nacional Maria Angelina, xarque.
llana nacional Mirianntnia, xarque.
Barca iioruegncnse Letnwxtvf, carvo.
Barca sueca Camelen, Vii'04geiero<.
ilarcii iii-'kva Bettreti, bacaluao.
B-igue porttigucz Boa Sore, varios gneros.
Logar nacional Tigre, xarque.
Lagar' porluguez i alo de Frtilas, varios gene-
ros.
Lugar ingle/. Ceiirudes L. Trundy, farinha de
trigo.
Lugar inglez .Ye//;/ bacallio.
'alacho nacional lltcal, xarque.
Palact.o liollaudez Margaretha, xarque.
Patacho dinainarquc Pkoz, xarque.
Pjtacho liollandez Engclta. jarqui,'.
Patucho sueco Amor, xarqoe.
Patacho nacional Argentina xarque.
Patacho portuguei vaVearto, vfnoo.
Palhabote ir.glez Josie, bacalho.
Palaibo nacional Cometo, farnha de mandioca-
Patacho inglez Ifafren, xarque.
rniporaco
Vapor inglez ^owAaiuf entrado dCiNew-
V'rk em 10 do ro.. cute e consignado a Jolfnslon
l'ater & C, manifestOu :
Alcatro 20 barris a J. N. Liilslonc.
Banha- 100 barris i ordem, 50 a Soares do
Araaral trmfio, 25 a Guimares Bocha & C, oft a |',"|| ,*ris io:n"l "iou
Ferreira Rodrigues 4 C, 20 a Soares & Itjernan- '_, .n kilos de doce
di -. Breu ciX) barricas a Minoel dos Santos'
Ara^o. 36 a J. N. Lidsloue, 200 a Seixas ic C
W a J F. da Costa. __ ,V,,.1 ,,,,,,.. ,. Aives &
perlenoe
presente edital. no qual rae assigno e ser affixa-
do no lugar do costume,do qual llcar nos autos
a competente copia com a respectiva certidat do
porteiro interino dos auditorios, na forma da lei,
e entregue outrofigual ao procurador do exequen-
t para ier publicado pela imprensa.
Dado e passado nesia cidade da Escada aos 3
dias do mez de Junho de 1889.
Eu, Antonio Carlos de Almeida, escrivao do
commercio, subscrevo e assigno.
Eslavam duas eslampilhas da taxa cada urna
de 200 ris, inutilisadas do modo seguinte :
Escada, 13 de Junho de 1889. I escrivao do
commercio, Antonio Carlos de Almeida.Henri-
que de Barros Lins.
E mais se nao cuntinha em dito e menciona lo
edital aqui copiado, que bem e fielmente liz ex-
Irahir do proprio original i presente copia pe-
dido da parte pop seu procurador, para ser pu
bhcado na imprensa, ao qual me reporto oests
cidade da Escida. aos 3 dias do mez de Junio
de 1889.
Eu, Antonio 'arlos de Almeida, escrivao do
commercio, subscrevo e assigno. Escada, 3 de
Junho de 1889.0 escrivao do|commercio, Ano
Ionio Carlos de Almeida.
5.a secco. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se taz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-preidente
da provincia e nos termos do 2 do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por mcio de laudo
arbitro desempatador, a qucstao.de ava-
de
liacio do material da erapreza de illumi-
fi h A Prpza> conforme o| l" acuna citado, j
l3oJ
gaz desta cidade,
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zes, contados da data do piesente edita!,
para contracto da dita illuminagao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
| 3. Ncnhuma proposta ser recebida
sem que o proponente cora ella aprsente
documento de ha ver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000)?
era dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitarlo do contracto,
no caso de ser preferida a sua propos'n.
4." O deposito, a que se refere o pa-
ra grapho antecedente, n?;0 ser retirado
pelo contractante senao rindo O contracto e
.servir de caugio para os pagamentos de
multa e riel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
i). O contracto 60 peder ser feito
com quem melhores vantagens ffereccr
na concurrencia.
| 6." A nao ser no caso do parttgrapho
antecedente, a actual empresa mo ter
preferencia a qualquer outro proponentc.
| 7." novo contractante sera obriga-
do in ieruuisae;Q., a que a provincia
sujeita por {orea da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
ndeinnisacao ter lugar ds accordo cora
essa menina clausula, e ficando o material
e obras da empreza bypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indeinni-
sacSo ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exceder a o< annos.
9. O proco da illuminacSo, quer publi-
ca, quer particular, nao poder exceder de
260 jis o met'-o cubico de gaz, fazendo-
ie una reduc.ao de mais de 30 |a, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, a reparticSes publicas.
ij 10. O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
cao do gaz.
i i 1." A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias ostranbas, que possara pre-
judicar a illuminacSo e a hygiene pobca.
^ 2. A intensidade media da luz ser
equivalente a dedez velas de espermacete'
das que queimam sete gramolas por hora,
corre p-md'.'ntcs a 120 graos raglozes.
13. As horas de iliuminagao publica
sern fixadas pelo presidente <-j. provincia
no principio do cada anuo, nao podendo
ser em numero menor de seis, nein maior
de dez, devendo nesto caso liaver urna
reduecSo no pre;o do gaz ci-rrespondente
ao acrosetmo de horas.
14." O contractante ser obrigado a
\p' "ovincia um representante cora
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questSea que
se Buscitarem, quer com o governo.
quer com os particulares, ficando Bujeitos
todos os .-i-i.s actos s leis c

Lugre inglez Ctutlia entrado de Terra .Nova
em igual data e consignado a Blackburu Ncc-
dliaiu A C, manifest!] :
Bacalho 3,' 00 barricas c 1872 2 dita or-
dem.
Itiate nacional l'.ou J n'hn en'rado de Maco
en igoal data e rnusignaio a Manoel Joaquim
Pessoa m.iiiil'e-tou :
Crneos da carnauba (10 saceos. Cera de car-
nauba 30 saceos. Couros salgados seceos 50
saceos
Pallia le carnauba 13% volumos.
Sal ISO alqueires. Sola 50 2 a ordem.
tos e jurisdiegao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos dopaiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16." O pagamento da iuminacfo pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sera attencuo oscillacao do cambio.
| 17." O contractante poder organisar
companh:a, a qual iicar subrogada em
todos os direitos e obrigacoes do con-
tracto.
| 18. Para as despezas cem a fiscali-
8acfio do servigo de illuminago o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000j5>000, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincia!.
19. O presidente da provincia esta-
beleter as multas e mais condices, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer cora relaeao a illumineSo pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de pagar actual em
quantia do 994:917#a23, de accordo con
a avaliac.ao feita pelo arbitro desempata
dor era 18 de Margo ultirao, visto deduzir-
se da de 993:777^528, total da avaliacSo,
a importancia da 3:8O5000 paga em-
presa em 18G0, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos cora lam-
peos, collocados lora do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaqun Silveira.
Empreza do Gaz
ATSO
A empreza de illuminacSo a gaz dcsta
cidade por seu gerente, tendo visto no
Diario de Pernambuco eto do edital era que a presidencia da pro-
vincia eliama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas uo raesmo enunciadas c servindo de
base para a indemuisac^o da empreza
actui'.l a quantia de 998:777j'28, pjr
quanto foram avalladas polo arbitro desera
patador as obras da mesma empreza.
quantia cssa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidaa futuras, de-
clarar que dita avaacao nao pode servir
de base para tal indemnisacao, por ter
sido llcgal c irregularm^nte feita, bem
como que contra eiia j protes ou, quer
pernote o Exm. .Sr. presidente da pro-
vincia, quer pci'ontc o juizo dos feitos da
fazenda, tendo '> intimado do mesmo
pri^csto o Dr curador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da provincia.
E corao quer que deva em tempo op
portuno fazer valer seus direitos contra
quc:n de dircito for, deliberou fazer a
presente, pubcacau ...i scicneia dos in-
teressados.
Keeife, 1 de .M.
Arsenal de Guerra
O conselho. econmico das companhias de
aprendizes a/tiflees e operarios militares precisa
conraclar os artigos abaixo declarados, aarante
\> segundo semestre do correnle anno, devendo
as propostas ser remettidas a esta secretaria ate
o dia 13 do eorrente. pelas 11 horas da manh,
de conformidade com ascondigrjes annunciadas.
a saber :
Carne verde, kilo. *
Roupa lavada, concertada e engonfmada, peca.
Roupa lSada, concertada e passada a ferro,
idem.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernam-
buco, 10 de Junho de l>-89
O secretario, _.J
Jos Francisco Ribciro Machado.
Matriz da Boa-vista
Veucravel irmandude do fifi. Sacra-
mento
MESA GERAL
>'o se tendo reunido numero lecral de senbo*
res i raaos para haver sess no domingo ulti-
mo, de novo cjnvido a todos os nossos carissi-
mos confrades a se reunirem na quarta-feira 12
do torrente pelas 6 horas da larde, afim de ser
eleita a novl mesa regedora que tem de dirigir
a irmandade no anno compromissal de 1889 a
1890.
Consistorio da irmandade, 10 de Junho de
1889. u escrivao,
L Cmara.
Companhia de Edifi-
cac,o
Assembla geral extraordinaria
Wpgscuria cimvocaro
.' cionistas para constituir-.-e a assembla geral
extraordinaria para hoje convocada, de novo e
por ordi ra da directora, convoco os senbores
accionistas reunirem >a no dia 23 do eorrente
mez, ao nc-o dia. no escriptono desta compa-
nhia, praca Pedro 2. n. 77, 1- andar, afim de
tralarem do mesmo aasumpto j annunciado.
Lernbo aos senbores accionistas que para
poder ler lugar a dita assembla necessario
que seja ella eonsliluida com dous tercos do ca-
pital, conforme estatu o /4- do art 15 da le
u. 310 de i de Novemhro de 1882.
Recd'e. 10 de Junho de lh89.
Ricardo Ueoezes
Gerente.
ivl atriz de -^. Ju s
SSi>Mn jiral
Por ordem do irmo juiz, convido pela segun-
da vez aos irmos da veneravel irmandade,
reunirem-se em nosso consistorio na quinta-fei-
ra l.i do correte, pelas 6 horas da tarde, para
clcger-se a nova mesa regadora pura o anno
ccmpr-omissal de 1889 I.
Consistorio da irmandade do SS. Sacramento,
10 de Junho de 1889.
O escrivao interino
Beliodoro C. F Kaindlo
-i
Gevrge WituUvr, Gerente.
DECL4H
ha
ProfengamiMilo da estrada k ier-
ro do Becife au S. Francisco
De ordem do lio: Sr. director engenbeiro em
ebefe, faco publico para conhecimento de todos
qaatllos nleressar possa, 'un no dia ;i do eor-
| rente mez ser resUibclccido. provisoriamente, o
-ervico do ira ego no Ini-lri eomprebendido en-
Recebedoria Provincia!
o administrado'- da Receb?doria Povinci.d.
na forma do rcgulamento de 28 de Maio de 1887.
faz publico para conhecimento dos interessados.
que dentro de :D dias uleis improrogaveis, con-
tados do 1 de Junho prximo, dar-se-ba pria
cipio por esta reparlico a cobraoca, livre de
multa, dos impOStos abaixo declarados, de qu-
nate a lei n. 1884 relativos ao 1- semestre do
exercicio eorrente de 1889.
Recebedoria l'rovincial de Pernambuco, 23 de
Maio de 1889.
Francisco Amyntbas de Carvaiho lloum
3 0 0 multiplicadas por 10 sobre estabeleci-
mentos a retlho.
20 00 sobre o valor locativo dos estabe'.cci-
inentos iudustriaes desta cidade.
to o 0 id ii I leu idem fra da cidade. '
200OOO por pessoa que empregar capitaes em
descont de letras.
1:0003 por casa de garanta de bilhetes de
loteras.
l o/O sobre escriptoros, cartorios e consul-
torios.
iA30 por tonelada de alrarenga ou c?na.
Decima urbana. /,
23 0,0 sobre a renda do? bena de raiz pertiu-
centes corporaces de nio morta.
80 rs. por litro de agurdente oa alcool.
Companhia de bombeiros.
erby Club de Per-
nambuco
lie as eslaees de S. Joflu i" (arauhoos do pro-
longament, sendo ouc emquanlo nSolicarem de|
todo concluidos ns rp?|icr ha- A din-clona nesolvvu additarao regiment a-
ver irens entre Canliolioho e Garanhons s It-nioj seguinlc ilsposica:
segundas e sextas-feiras, regulndose as horas ^ \ direclcn i |wdera si mpre que julgar con-
de pai las e chegadas de lodos os irens pelo veiiiciile aos int resses sociaes, regeitar a in-
regularaen
horario j pubcaao pela imprensa.
Secretaria do prolnngatnento da e.->lni la '
forro do Rf-cife ao S. Francisco c estrada de I
jo do Recife a Caruar, 8 de Junho de 1889
O secretario,
A G. de (u>imlo Lobo
uvega
."UO
rara :
Para :>ew York, Abe. Stein &.C. r-. pelles
de caba; P. Carneir & G. i.o.o pauta de
cabra.
Para o ulterior
Xo vapor ingVz Cometa, carregaram ;
Para Rio Grande do Sjil. Aiuoim Irnilios & C
o pipas com .':'Hi litros de atcuid : V. d i Silvei-
ra 20 pipas cum 9..0OO ditos de .1' o e ,0 ditas
com i.Koo ditos de gurdenle.
Para Pelotas. P. C.inieir." t C. 1,210 barricas
com 128.910 kilos de asquear bronco e i*0 ditas
cora 15,G10 ditos ac dllo mascavado.
Para Porto-Alcgrc, V. CarpetroA C, 82ii bar-
ricas com 68,2ii0 Uilos de assaear branco e 7ol
ditas com 59,230 dilos de dito mascavado; Amo-
rim Irmos & C. 600 barricas com 65 412 kilos
de assucar branco e 200 ditas com 22,610 ditis
de dilo mascavado.
5o vapor nacional Jaruhupe, carregaram :
Para Bahia, P. Pinte C. 50 barris com 4,soo
litros de rael : Amnrim limaos & C. 350 saceos
c ira 26.150 kilos de assncar branco ; Machado A
litros de mel c 1 caixa
Mi-;-. DE JLN1I0
Aifandega
lien.a geral
Do dia 1 a 8
dem de 10
Renda provin
Do da 1 a 8
ideiu Uc l'-i
203:119,-662
33.7594157
236:878:8111
22:P.'i32 39
9.03t2it
31-98M38U
Scmma total 268:863*199
Segunda secrSc da Aifandega, 10 de Junho Ue
1889.
, q thesonreiro Hercncio Domingues.
O che fe da scelo Cicero B. de ello.
____
Slccchcdoria Geral
Do dia I a 8 13:9004323
Mera de 10 3:590*188
----------------- 17.4905U
Recebedoria provincial
Po dia 1 a 8 22:727 801
IderadelO 2:349 626
25:077*430
Reetfe Uralnase
Do dia l n 8
dem de id
1:903*946
8915340
2:79528'3
vapor americano Adcance, carrega-
C. 145 bancas com
Kerosene 100 caixas a Ferreira Rodrigues *
companhia.
Machinas para dCcarocar atgodo 17 caixas
ordem. Machinismos i caixa a H. C. Ilalfr, 10
ordem, 1 a \V. Halliday & C. Muizena 20 ca
xas n los Joaquim Alves & C, 100 a Ferreira
Rodrigues V i .
N'-iphilie 50-caixas ordem.
Pertene ios de (bao 48 volumes
ordem.
Tecido i i-ais is a (oncalves Cunha & C. Tou-
ctnfioJOban m,9B a Ferreira Rodri
gues A C.
Sa!j:iei('i :', caixas ordem.
Vilr.'s ; .oujmes a liernardino Duarte Cam-
pos C.
kilos de doce ; Amorira Irmos & C. 2 barricas
com *78 kilos de carvo animal: J. S. da Costa
e Silva 12 caixas com 300 kilos de oleo de ri
cio.
Na bareaea Triumpltanle, carregaram :
Para Natal, uliveira & C. 6 barricas cora 406
kilos de assucar refinado.
Na barcaca AssumpcSo, carregou:
Para Aracaty, J. Paes de Olireira 20 mullios
de maniva.
Dinheiro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Jacuhvpe. > para:
Portosdosol 14.13OSO0O
>!<--<.iilu Slunicipal de S. Jos
O moviraeiio deste mercado nos dias 8 e.9
de Junho foi o seguinte:
Entraran):
81 bois pesando 11,791 kilos.
1,019 kilos de peixe a 20 reis
tu cargas com fariuna a 200 res
12 ditas com feii a 200 ris
8 dilas cora milho a 200 ris
18 ditas detractas diversas h 300ris
25 taboleiros a 200 ris
44 suinos a 200 r
' 59 matulos com leguaws a^OOfis
Foram oceupados:
3S columnas a 00O ris
2 escriptorio a 300 ri i
48 coraparlimentos de lariuiaa.'iO
ris 24*000
44 ditos de comidas a 500 ris 21*000
Sinpr/io ilc um animal, por prazo determinado,
i um i' i pareo, ou em todos os parcos sn
irridas que se rcalizarem nesse prazo.
l.-c,l-. 5 do Jmiho de 1889.
O gerente,
Henrique Sen vite,
wnjnMnwnn i" i^^^^Mpgn^^^^^i
Precos do dia:
i iarne verde de 240 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 800 reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
; ilia de 560 a 800 reis a cuia.
Midi de 800 a 900 reis idem.
!-"::"io de I i'Oi) a 2*001 dem.
tlatadouro p;iiico
N"stc estabelccimento foiam abatidas para o
oiusumo de hoje 91 rezes perteacentes a diver-
sos morchautes.
Vapores entrar
MEZ DE .R-NIIO
ViBe de PerHambuco 11
Ptffc de Maceta..... 14
Sfaranhao......... 14
lagoas........... 17
Bueno-Agres....... 17
Tamar............ 22
1.a Mata.......... 23
Espirito Suato..... 25
Para............. 27
Pul...........
Europa.......
Norte.........
Sul...........
Hamburgo-----
Europa.......
Sul...........
Norte.........
Sul...........
20*380
161000
2.4400
14600
4400
5*400
8*800
11*800
34*800
600
177 ditos de legomes e fazendasa 400
rea
32 ditos de suinos a 700 ris
16 ditos de fressuras a 600 reis
48 tullios a25
Reudimcnto dos das 1 7 do cor-
rente
0SO
22*400
9*600
68*000
419*580
1:470*030
Foi arrecaddo liquido at hoje 1:889*640
Hovluieulo do porto
Jacios atraaos no dia i
Santos e escala -8 dias, vapor inglez Trent, de
1.698 toneladas, commandante Makenzie, equi-
pagem 94. carga varios geoeros; a Amorim
Innos A C.
Mi.raiiho 4 dias, vapor inglez Buccaneer, de
740 toneladas, commandante D Horker, equi-
pagem 59, carga (los tclcgraphicos : a ordem.
Camossira20 dias, hiate nacional Victoria, de
66 toneladas, meslre Manoel Duarte da Silva,
equipagem o, carga varios gneros ; a Carlos
Antonio de Araujo
Sahido no nesmo dia
Southarapton e escalaVapor inglez Trent, com-
mandante Makenzie, carga vanos generas.
Navios entrados no dia 10
New York e escala28 dias, vapor inulcz Ma-
ranhense, de 960 toneladas, cimmandaute Th.
Pole, equipagem 29, carga varios gneros; a
Johosion Paiex.
Terra-Nova-27 das, lugar inglez Clntha, de 243
toneladas, capitSo O. G. Joyce, equipagem 10,
carga bacalho; a BlaCkburn, Needhann 4 C
Maco -10 dias, hiate nacional Deas te Cute, de
101 toneladas, mestre Vicente Ferreira da
Costa, equipagem 5, carga sal; a Bartholomeu
Lorenco.
Maco12 das, hiate nacional Bom Jess, de 85
toneladas, mestre Clemenlino Jos de Macedo,
equipagem o, carga varios gneros; a Manoel
Joaquim Pessoa. .,
Natos sahidos o nesmo dia
New-York e escala -Vapor americano Adcance,
commandante D.E. Griflith, carga varios ra-
neros.
Rio Foraioso e Tamandar Vapor nacional
Mandahu, commandante Alcides M. de Albu-
querque, eft lastro.
BahiaLugar inglez Clulka, capitio O. G. Joyce,
carga bacajho.
Bahia t escalaVapor nacional Jacukpae, coa-
mandante Joaquim Jos Esteves Jnior, carga
varios gneros.

:
.



MBBM
I
I-
/
^
. *
Diario de PernambucoTerga-feira II de Junlio de 1889
Frogramma da 13.a corrida
QUE SE REALIZABA ~~
Quinta-fcira,
luiz de partidaTenenfe JoSo Pi da Fonseca. _
fuizt's de chcgadaCommincndador Manoel da Silva 3Iaia, Dr. Francisco de Souza Res, Barao de Caiara e
v Dr. Thoruaz de Carvalho Soares Brandao.
luiz de distanciadoCapitSo Hermino de Figueiredo.
fuizcs de archibaneadaDr. Jos Alves Lima, Dr. Jos Antonio de Almeida Cunha, major Marcolino deS.
Travasso, Dr. Joao de Oliveira, I r. Laurino de Moraes Pinheiro, Jos Gomes Ferreira Maia, Dr. Joaquim
Francisco de Amida, capitao Epifanio de Franca Mello, Dr. Joaquim de Cerqueira Leite, Francisco da
Costa Foffo, Dr. Henrique Jacques Schutel e Hermes Dias Fernandes.
Jtifzes de ralaAdolpho Mendcs Torres, Henrique da Costa Carvalho, Jos de Pinho Borges Jnior e Jos
Nogueira da Siva.
Jkz de peaagemProfessor Francisco Carlos da Silva Fragoso.
!
2
:{
i
a
6
7
8
9
10
il
12
13
li
lo
16
Xomc
litados
PoUo
>i-.laralida-
Pi'MON
Cor da i'xiimrnla
PruprietarioM
1 PareoExra-800 metros.-Eguas da proviDcia.-Premios : 200*000 l, 56*000 iJ-e 205000 a 3-
El!a........
Seminmis 1.
Stella.......
invicta.......
Priinazia.....
Fintina.......
Coruja........
o annos.
5
4
3 -
o
o
4
Castanha.
i
Zaina ..
Rosea
Foveira...
I'aslanha.
Modada ..
Pemambuco.
55 kilos-
55
33
50
55 >
55
53
Azul e bronco............
Azul e ouro.............
Grenat..................
Azul e branco...........
Rosa e preto.............
Azul, branco e encarnado.
L. F.
J. C.
R. C.
F. C.
JA. A.
M. P. A.
Manoel J. de Miranda.
2 Parco-Kxporenrla850 metros.Animaes da provincia que nao lonliam panno premio nos prados do Rccifc em 1889.
Premios : 200000 ao Io, 505; 00 ao 2" e 20.5000 ao 3
Pesquirriin
Bonjour......
Cerbero......
R........
Bismnrek......
Kurunlez.....*
Tupy..........
Dengoso.....
Alanranle... -.
Biscouliulio....
Cariry.......
Vinho Branco..
Zambo........
Karat.........
Pleiade........
Tenebroso.....
anuos..
Alazo.....
Zaino......
Alazo.....
Rodado
Baio.........
Castauho-----
AJasao.......
Mellado......
Russo .. s.
Roseo pedrez
Cusumbo------
Rodado......
Cardo......
Alazio........
Pemambuco
53 kilos
55
55
,')5
53 .
55 .
55
53 .
55
55
55
55
53 .
55
55
55
Branco c azul ......
Encarnado e branco-
Violeta e ouro......
Branco e azul marinho
Rosa..........
Violeta e ouro
Grenat.........
Rosa..............
Azul...............
Azul e branco......
Encarnado e branco.

iGrenat eouro......
Coudelaria Imperial.
A.
A. N. T.
Jos Luiz de Souza Filho.
F. G.
A. J. P.
F. i'. Rezcnde.
A U.G.
F. M.
Jos M. Bezerra Cavalcante.
A. F Teixeira.
M. M.
F. R. R.
Coudelaria Democr.iU.
A. G. P.
T.M.
PareoTrunos l'raMo>-l.400 me'ros. -Animaes narionnes at meio sanpue que nao tenliam gaulio Mfllfl ou maior
distancia no liippodromo.Premios : 3505000 ao 1, 805000 ao 2" e 35000 ao 3
IICometa... .
2| Corcovado
3|Risette.....
Saturno...
Mimosa.....
Mamiarini..
Douro
8 Minerva-
.) annos.
4
5
5
3
5
0
Alazo.....
Casta nao....
Zaina..' -----
Castanbo ..
Aluza.......
Rosillio.....
Alazo......
S. Paulo...... -. 54 kilos. Azul e branco
Rio de Janeiro...
.iS. Paulo........
1 i *
Rio de Janeiro
JDouradillia-----IS. Paulo.-.
51
52
54
M
si
. 1411
Encarnado e ouro.
Grenal eouro.....
Azul e ouro ..
Azul e grenat
Violeta e ouro
Coudelaria Luzo-Brnzeira
Coudelaria l'nysand.
Coodelaria Braieira.
Coudelaria Internacional.
Coudelaria Cruzeiro.
1J. Basto.-.
F P.
Coudelaria Cruzeiro.
'i Pareoloipriniia pernacnliucana-1000 metros Animaes da provincia aue nao tenliam ganho cm maior distancia nos
prados do Recife.Premios : 23O3000 ao l",o0000 ao f e 25JU0O ao 3o
11 Msico.....
2 [Azamor.....
3|Potosi .....
4 Barnavc-----
5| Ei na
I
7
8
9
1?
Bona parle.....
Zambo........
Sneca .......
Ad vanee.......
Tupiniquira
TruviaUi.......
Cyclone......
3 annos.
5
a
4
o
5
4 -
6
5
4
6 -
4
Modado........Pemambuco
lado.......
Castanho
Rodado .......
{Caslaotao......
lius-u-pedrez..
Ca.slanio......
;Rodado .......
Rosso........
Rodado...... -
55
55
53
55
55
53
57
55
53
55
53
kilos
drnate ouro
Encarnado e ouro......
Ouro e branco.........
Encarnado ebonet azul.
Azul e ouro...........
Azul e branco..........
Encarnado e branco
Azul e grenat........
Rranco e preto.
Coudelaria Musical.
Jos Luiz de Souza Filho.
Boslotk.
Coudelaria Emulaco.
I. Oliveira.
R. G. L
F. R. R.
M. P.
M. P. S
Antonio Martins Pereira.
Salvador Silva.
8. R.
PareoHipodrinio do c ampo brande-1609 metrosAnimaes de qualquer paiz.que nao Umuan aaobo em maior
romo. Premios : 9005 ao 1, 1205 ao i- e 505 ao 3*
distancia no liippodromo.
Coupon
Hcxe......
Apollo.. .
- pha
Sal va! us..
Diana.../.
5 annos..
I
4
6
4
3
Alazo.
Zaina .
Alazo.
Franga -----
Rio da Prata.

S. Paulo...
Franca .....
fii kilos
.",!
61 -
32
61
56 -
Ouro e chumbo............
Ouro e branco............v
Escarate e preto..........
Ouro e chumbo...........
Azul, branco e encarnado...
Azul eouro................
Joo Elizio.
II. P. S.
EstevSo de Su.
Djalnia Moreira.
Coudelaria Cruzeiro.
Coudelaria Internacional.
6 PareoProvincia de Fernnmliuro1200 melros. Animaes de menos de meio-sangue.
ao'e 30000 ao 3-
Premios: 300*900 ao I", 70500"
liRecifc........
i I Av mor........
3 Cmela......
\ i Favorita......
SjAlpba ........
a sanos..
5
5
6
6
Castanbo

Alazo ..
Zaina
IiRio de Janeiro, i.
S Paulo.......
*
Rio de Janeiro.
54 kilos.
34
54 -
52 .
52
Aluza ........!S. Paulo........
7 pareoYclocidade1.200 metrosAnimaos da provincia.
Azul c branco.............
Encamado c branco.......
Ouro p chambo...........
S. P.
A. M.
ondulara Loso Brazileira.
Maia & Chrisostomo.
Joao Elizio.
Premios : 50 -un ao lc, 100*000ao 2 e 25*000 ao 3.
Templar......
Arumary.....
Good-mming
General... y. -
Caifaz........
o annos.
5
5
5
5
Rodado;.....
Alazo.....
Rodado -----
Rosiiho......
Castanho-----
Pernnmliuco
54 kilos.lAmarello e lente...
54
58
54
54
Violeta e ouro......
Azul c branco......
Rranco e ciiuirnado-
Rosa e preto ..
L F. F.
F. Siqueira A Bastos.
R. Cardoso.
J. B.
J. D______
(*) Montado por amador.
OBSERVARES
Pede-se aos Srs. proprietarios o obsequio de rerem seo* iiiiima.u m \i horas da manha no ensilhamento,
visto como impreterivelmente ser cumprido o horario. >
Os animaes inscriptos para os outros parcos devein nohar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
pafe o pareo em que tm de correr. .
Os jockeys que nao estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao podere- correr, -umprinrlo-les
apresentar as respectivas cadernetas na occasiao da pesagem.
Os fa-faits ser^o recebidos na forma do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
Geraes -
Entrada e archibaneada......
Entrada* ensilhamento.......
Entrada, archibaneada e eiisilhamenlo -
Cartes de familia at-5 pesaoaa
Differenca para pnilhaaiento.....
HORARIO
Cori-idns
\. pareo .
2*
3.'
4."
:. ?
<;.' ,
<
11 horas
11
12
1
2
3
4 >
1 SOCHI
25000
2lXNt
3*000
5*000
i SOtMI
I
e 58 iniiutos
e 40 .
e 30
e 20
o 10
Bccife 7 de Junho de 1889. #
O secretario, Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Obras do porto c graes
I*.te ordem do I igenheiro director da
oarlico das obras de conservaco dos portos
obraei ceraes de Pernaibuco de conformidade
om a autoi-isacSo de S. Exc. o Sr. 1 vice-pre-
nte da provincia de ; de Maio prximo hn-
e na forma .'o art. I do decreto n. 5,926 de
le Maio de 1: decreto n, 2,922. de
ame8H,ai lento do Ministerio
ida Agricultura, Commercio e Obras Publicas,
fazemos sciente a quem interessar possa que np
dia 12 de Junho do correte aDno ao meio uia re-
cebem-se propostas para o forneciraento durante
o,semestre de Julho a Dezembro de 1889 dos se-
guinUrs objeclos e materiaes necessarios as obras
do porto, obras geraes, obras da ponte Buarque
de Macedo.
Art. Os proponentes deverao apresentar as
suas propostas em cartas fechadas, competente-
mente selladas at a hora cima mencionada s;in-
do que depoisnao serao mais aceitas.
Art. 2 Os proponentes devero apresentar as
atioslras dos objel >s propostos.
Art. :i-' As preposta? deverao ser feitas segun-
do o sjatema de peso o medidas discriminando
a qualidade e quanlidode conforme a relacSo
abaixo especificada.
r
Art. 4 Os fornecedores se obrigarfto a fazer o
fornecimento a lempo e & hora em que Ibes fr
pedido, sob pena de pagarem 10 [, de multa so-
bre o valor do fornecimento, e 20 -j, se efecti-
vamente o nao Qzercra.
Art. 5 Os fornecedores serio obligados a en-
tiegarem os objectos pedidos nos lugares que
forem designados mediante recibo que ser pas-
sado pelo empregado competente na primeira
via do pedido, o qual acompanhar a conta que
dever ser tirada mensalmeote e entregue na re-
particao al o dia 15 do mez seguate ao do for-
uiciinento.
Art. t" O carvo para as dragas e vapores se-
r fornecido a bordo na qoantidade de dez a
vi me toneladas, em jt-mbarcagio dessa arquea-
co compelenlemeate verificada.
Helaro dos objecfos
Ap batido, kilo.
Dito dito, em verguiuha, dem. .
Dito bexbta, dem.
Dito fundido, idem.
Agulhas de cozer grande e pequeas, urna.
Agua rus, litro.
Alcalrao, idem.
Almotolias de folha de Ij2 5 litros, urna.
Amarello francez. kilo.
Alvaia'ie de lineo, idem.
AraaV de laio. idem.
rame de f.-rro, idem.
rame de cobre, idem.
Areia de lingir, ul-Iim cubico.
Arrebem, ko.
Azeite doce. Hiro.
Aceite de carrapato. idem.
Azeite de peixe, lilro.
Di lo de mauleiga, idem.
Azul ultramar, kilo.
Bacia de. louca. una.
Dila de barro, idem.
Balde ferrado, nm.
Dito de ferro galvanizado, idem.
Bundeira nacional de dous pannos, urna.
Barril pequeo, um.
Breu, kilo.
Brim, metro.
Broxa n. 8, urna.
Dita pequea, idem.
Borracha em lenco!, kilo.
Cabo de linho. idem.
Cabo de manilha. idem.
Cabo de Cairo, idem.
Cadcmaes broozeados, polegada.
Ditos de cylindro, idem.
Ditos ferrados, idem.
Cadinhos, numero.
Caibros de qualidade, metro.
Caldcira sortida para derreter breu, kilo.
i aldeiro para verniz e alcalrao, um.
Cal preta, metro cubico.
Dita branca, idem.
Canoa, urna.
Cantoneira de ferro sortida, kilo.
Canno de chumbo, idem.
Dito de barro de diversos dimetros, um.
Carvio New-Casthe, kilo.
Dito Cok. idem.
Dito Cardiff, idem.
Dito para ferreiro, idem.
Cirrinhodemio, um.
Cavilhas, urna.
Cera amarella kilo.
Cimento Ponland Von-Fels, idem.
Chave ingleza, urna.
Chumbo em barra, kilo.
Dito em lencol, idem.
Cobre para forro de canoa, idem.
Dito em vario, idem.
Dito velho, idem.
Colla da Babia, idem.
Cravo ourebites, idem.
Couro cr, um.
Corda para andaime, peca.
Correia de sola ingleza singello, metro.
Correia de dila, idem.
Corrente de ferro, kilo.
Cr, idem.
Escaler de 4 remos, um.
Escpula de ferro, idem.
Escova ingleza. idem.
Escova para tubo, urna.
Estanto tm verguiuha, kilo.
Kstpa de algodo, idem.
Dita de linho, idem.
Dila de emberiba, idem.
Fatecha. idem.
Feliro, idem.
Ferro inglez em barra, idem.
Dito em lencol ou chapa, idem.
Ferro em chapa, marca Lomoor, idem.
Ferro sueco em barra, idem.
Ferro sueco em va rao, idem.
Ferro bruto para fundir, idem.
Fio de algodio, idem.
Dito de li. idem.
Dito de vela, idem.
Forqueta de ferro, urna.
Gato de ferro siagelo e. dobrado, um.
Grnxa do Rio Grande, kilo.
Jangada, urna.
Jarra de madera ferrada, urna.
Lampeao, um.
Lati em leni.i'l. kilo. .
Lima chata, uolegada.
Lima triangular, idem.
Lima marca, idem.
I.iniiitao inglez. kilo.
Linha alratrrtnda. idem.
Liaba de b:p'a e sondagem, idem.
Lixa de vidr.o papel, folha.
Trena de ac urna.
Trena de tita metallica, urna.
Trena de ferro, urna.
Tubo de vidro para nivel d'agua, um.
Tubo de vidro para nivel de caldeira, idem
Urupema, urna.
Vassoura de piassava, dem.
Vassoura de Timb, idem.
Verde enromo, kilo.
Verde francez, idem.
Vermelhao. idem.
Verniz de alcro, idem.
Zarcio inglez, idem.
Zinco em folha. idem.
Objectos para expediente
Calque era panno, melro.
Calque em papel, idem.
Cumelas americana;, duzia.
Cannelas francezasde caana, idem.
Caivete cabo de marlim, um.
Cannetas, idem.
Envelloppes pequeos, caixa.
Envelloppes para oflicios. cenlo.
Escala de madeira. urna.
E.-quadro de faia, um.
Frasco com gomma arbica grande e peqneno,
um.
Lapes de borracha, duzia.
Lacre encarnado, libra.
Lapes de duas cores, duzia.
Lapes preto (Faber n. 2), idem.
Livros de papel almasso paulado de 50 a 00 lo-
Ihas em branco, um.
Livro em branco papel Carr de 50 a 200 folhas
idem.
Papel sem lira, pega.
Papel matla borra, folha.
Papel almasso pautado, resma.
Papel Carr, folha.
Papel lesa, dem.
Papel rosado pautado, resma.
Persovejos. caixa.
Peanas de aro. idem
Pennas finas para desenhos, idem.
Presllhas de diversos lmannos, idem.
Raspadeira cabo de osso, urna.
3egoa de faia. idem.
Tiola preta carmn, frasco.
Tima preta Stephes, botija.
Tinta nacional, idem.
Tinteiro de vidro, nm.
Repartico das obras de conservagio dos por-
los e obras geraes de Pemambuco, em 7 de Ju-
nho de 1889.
O Io esenpturario das obras do porto,
Manoel Duarle Pereira.
O eseripturario das obras publicas geraes.
Joaquim de Medetns Raposo.
Societ Fran^aise de
Secours Mutuels
M. M. les societaires et membres de la colo-
nie frangaise qui desireraient faire patie de
cette socite sontinvils a assister le Mardi 11
Juin i a reunin genrale qui aura eu i 7 heu-
res du soir au Palacete Ernesto Amorim, na do
Bario de S. Borja n. 53.
Pour la directioo '<> 1 secretaire.
E. Chali:
THEATRO
iTmi i\
Qulna fclra, 13 do corre ate
Esplendido espectculo
BENEFICIO DO ACTOR
AUGUSTO PERES
Subir scena o drama de grande espectacu
lo em 4 actos e 9 quadros, ornado de ir.G3ica,
marchas, mutages, traosformagoes, visualida-
des, fogos de bengala, denominado
V-DA E MILAGRES DES. 8EHE0 CTB
OU
0 THMIATEIGO DA CECILIA
PERSONAGENS
Frei Benedicto, Augusto Peres ; Antonio Coto
na, Manhonga; Marcos, irmo de Benedicto, Pa
checo; Barnab pescador, Lyra; Pedro pesca
dor, Joao Pacheco; Roberto," Baplista; Manoel
Baptista, Segismundo; um ceg, Julio; Satanaz,
Jayme; FrankJin, Baptista]; Giovani, Antonio um
oflicial. Fenelon, Io frade, Teixeira; 2o frade,
Alves; o magistrado do tribunal, Ferraz; um
sombra, Jorge: Gabriel, anjo boro, Honorina;
Joanna, mulher de Barnab. Amelia; Mara; fi-
dalgos, juizes. soldados, pagens, frades, povo,
testemunbas, espector, etc.
A Accao passa-se na Cecilia em 1559.
A's 8 el [2 horas em ponto
Ao theatro, ao theatro
THEATRO
mi:




Lixa de a
Loiia iu
Machado
Metal
Mialliar
Dito b
Moiles
Moites
em panno, idem.
qualidade, metro,
om
o, kilo,
dem.
dos, polegada.
. polegada.
Oleo de linhara. litro.
P d ac, una.
P de ferro patente, al vado inteiro, urna.
tulha de eoqueiro, cunto.
I'a|H'llin. mllia.
l'aral'uso de ierro, duzia.
Dito de metal. dem.
Pedra de grauito lastro de navio, tonelada.
Ps de cabra, um.
Piassava, kilo.
Piearta, urna.
P preto kilo.
Percas de ferro de diversas dunenses, idem.
Praoches de pinho resinoso de 0.075X0,225,
metro
Pranches de Pinho da Snecia de 0,075 X0,
idem.
Pregos caibraes, kilo.
Pregos de ferro batel grandes e pequeos, idem.
Pregos francezes de construceSo, kilo.
Pregos de zinco, idem.
Pregos ripaes, idem.
Pregos de cobre, grande e pequeos, idem.
Pregos com arroeflas gatvanisados, idem.
Prussiato de poassa, dem.
Quartiaba de wrro, urna.
Quiry. um.
Raspa de ferro, urna.
Rebollo de pedra, nm.
Remo de faia, metro.
Roxo trra, kilo.
Sacco vasio, um.
Sapatilha, urna.
Seccaote fezes de ouro, kilo.
Seceante de zinco, idem.
>'olla ingleza, idem.
Taboas de amarello de 0,0125 de grossura, n;e
tro linear.
Taboas dp pao carga de 0,025 de grossura. me-
tro linear.
Taboas de pinho rezinoso, metro linear
Taboas de cedro, metro linear.
Taza de cobre, kilo.
Tapete para escaler, metro.
Tecido de rame de lato, idem.
Tijolo formato inglez, um.
Dito prova de fogo, um.
Dito de alvenaria balido, milheiro. -
Dito de alvenaria grossa d'agua doce, idem.
Tenas de barro curvas nacionaej, idem.
Tenas di zinco onduladas, kilo.
Tescmra urna. '
Tinca I, kilo.
Tinta branca em nassa, idem. -
Tinta verde em massa, idem.
Trave de sicupira verdadeira, metro linear.
Travelde emberiba preta de 8 a 10 metros, nma.
Trave de emberiba preta de 12 a 14 metros,
urna.
Trave de emberiba preta de 10 a 12 metros,
urna.
Trado de colher, polegada.
Trado de rosca, idem.
Taboa de pinho da Snecia, metro linear.
Telha de ferro galvauisada, ama.
Propriedade e empreza dos artistas dramticos
EDUARDO RODRIGUES ED. HELENA BALSEMAO RODRIGUES
11 DE JUNHO DE 1889
HOJE! Terca-feira HOJE!
/ (lS^il /i\ li^rTl f>f "njo) '11 i1
A segunda representarao da opereta mgica era 2
actos e 7 quadros

Toma parte toda a companhia, sendo os papis prin '-
paos desempenhados pelos artistas D. IHarietta e
Alivert, Srs. Joao Rocha. Commolety e Ituiz d Franca.
Diabos, fadas, genios, etc., etc.
5
ttulos io ii adros
1."a fada encantada.
2.effeitos do ovo de ou .
3.-O INFERNO i linda apotheose,.
4.O DIABO DEMCRATA.
5.OS MORTOS VIVOS (quadro critico).
G.O CONDE DE BITOBINHAS-
7.O EDN DAS BOAS GRACAS.
N'um intervallo o bartono Sr. C'omiuoleiy cantar;' aria da opera
dinorah:
Terminar o espectculo com v
0.AGEN.TBM-8E NO BALANljO
Sccna cmica em que tem sido muito victoriido o actor
JO.O rocha
.
-)
i
---------f>i*=
O theatro que foi completamente rerormado offereee '..< tedas as commet-
dades ao publico.
Camarotes com 5 entradas......
Cadeiras de 1.a classe para senhoras e homens .
Ditas de 2.a........
Galeras.........
Geraes...... ,
35000
25500
25000
25000
15000
HOJE!
HOJE!
PERNAMBUCO
NSo se tendo realizado o pareoPROGRESSOr, directora resolvea ,-
mar concurrencia para o seniate :
PAREO SUPPLEMENTAli-1,20 metros. Animaes at meio sangue, que
tenham corrido no Derby o nao tenham ganho em maior distancia.
premios : 3505000 ao primeiro, 705000 ao segundo e 35f>000 ao ter-
. ceiro.
Observa^oes
Este-pareo nao se realizir sem que se inscrerain e corram pelo menos cinco
animaes.
A inscripcao para este pareo encerrar-se-ha hoje, 11 de Junho de 1389 i
horas da tarde.
O GERENTE,
Henrique Schutel.


Diario de P^ynambucoTerffi-ffira 11 de Jiinho de
1889
-
*




PROJIiCTO DE INSCRIPCAO
Para a 27.a corrida que dever ter lugar no
di 20 1.* PAREO Consolado 850 metros. Animaes da provincia que ainda n3o
tenham gaji. Premios : 200(5000 ao primeiro, OJOOO ao segundo e
20*000 ao tyjcpiro.
2. PAREO lap-prensa Pernarabiieana1.200 metros. Animaes da provin-
cia. Premio: 2,50*000 ao primeiro, 505000 ao segundo e 25*000 ao
terceiro.
3. PAREO Ferrocarril1.450metros. Animaes nacionaes at meio sangue
Premios: 300)5000 ao primeiro, 70*000 ao segundo e 35*000 ao terceiro.
4.* PAREO Destreza 1.500 metros. Animaes da provincia que nSo tenham
gan'o nesta ou maior distancia. Premios: 250*000 ao primeiro, 50*000
ao segundo i 25r$000 ao terceiro.
5. PAREO Prado Pernamlmean 1500 metros. Animaes de qual-
quer paiz. Premios: 500)5000 ao primeiro, 100*000 ao segundo e
50*000.ao toroeiro.
5.' PAREO 1." de flllho 1.300 metros. Animaes [pelludos do paiz Pre
mos : 300(5000 ao primeiro, 60*000 ao segundo e 305000 ao terceiro.
7. PAREO .armonia 1.000 metros. Animaes da provincia que nSo tenham
ganho este, anno n'esta ou maior distancia. Premios: 205000 ao pri-
meiro, 40*000 ao segundo e 20*000 ao terceiro.
Observares
S serSo aceitas para cada pareo quinze propostas. Cada enveloppe dever
i mter urna s proposta, e caso appareca mais de urna, s ser acceita a primeira
que for lida, sendo recusada a proposta que nao vier acompanhada da importancia
da inscripto
Nonhum pareo se realisar sem que se inscrevam animaes de trez proprieta-
rios dift'erentes.
A inscripcao ene errar-se-ha se\(a-felra. 14 do corrente na secretaria do
Prado Peruambucano, i ra do Imperador n. 83. 1. andar.
Recife, 8 de Junho de 1889.
Francisco de Souza Res,
GERENTE.
Thesouraria de Fazenda
Fornecimcnlo ma rn na o
O conselho para o fornecirnento de vveres aos
i rpos da guaroiyo da provincia e enfermara
militar e forragensa cavalrida do destacamento
do 10 regiment do cavallaria ligena, recebe
propostas no dia i4 de Junho prximo futuro, s
11 horas do do da, no quartel-generai do com-
bando das armas, onde fuocciooa o dito conse-
lho, para contrariar o alludjdo fornecirnento du-
rante o semestre do Jullw a Dezembro deste
afino.
Os gneros e artigos sao :
Arroz, kilogramma.
Assucar branco retinado de I1 qualidade, idem.
Azeite doce de Lisboa, litro.
Alfafa, kilogramma.
Assucar de 2 qualidade, dem.
Agurdenle, litro.
Aetria, kilogramma.
Ameixas passadas. idem.
Araruta, idem.
Bacalho, idem.
Batatas inglezas, idem.
tfiscoutos, idem,
Banha de porto americana, idem.
Caf em grao, idem.
('ame de porco, idem.
Carne de vacca com osso e sem o-so, idem.
Carne secca do Rio Grande do Sul, idem.
Cha verde da India, idem.
Chprelo da India, idem.
C^vadinlia, idtm.
Cravos, tent.
Chocolate, kilogramma.
Capim, idem
Cafe moido, idem.
Carvo vegetal, sacco.
Carvao cock. kilogramma.
'.anclas de madeiras, duzia.
Carne de carneiro. kilogramma.
Enterro por cavallo, um.
Farinha de Ia qualidade, litro.
Farinha de 2a dita. idem.
Feijo preto, idem.
Feijfio mulalinho. idem.
Fructas. raco (duas bananas ou urna laranja).
Fa relio ki ogramma.
Ferradura par.
Figos passados. kilogramma
Frangos, um.
Callinha. urna.
i.omma-aiabica. frasco.
Coiabada em lata, kilogramma.
Lenha, acha e toro.
Leite de vacca, litro.
I.avagem de roupa passada a ferro, pera, urna-
Lapis preto de Faber n. 1 duzia
?lacarrao, kilogramma.
Maizena, idem.
41 nteiga ingleza de l3 qualidade, idem.
Marmelada, idem.
Milho. dem.
Medicamentos para cavainada, numero.
vos, um.
'lo, kilogramma.
Iiosphors americanos, grosa.
f'assas. kilogramma.
Penas de aroPerrj, caixa.
Papel pautado liume.' resma.
Papel tnata-borrao, flha.
Queijo de Minas, nm.
Sal, utro.
Sanguesugas pela applicac.o de, urna.
Sabo commum, kilosrani'iiia
Toucinho de Minas, kilo
Tinta preta, garrafa.
Temperos e verduras, raro.
Tapioca, kilogramma.
Vinho tinto e branco, litro.
Vinho do Porto idem.
Vinagre tinto, idem.
Vinagre branco, idem.
Vassorasde piassava grandes, dusia.
Vellas de cora,kilogramma.
Condices
1* Todos os genero* sero de I* qualidade. ,'e
os fornecedores devero satisfazer os pedidos
dentro dos prasos marcados nos respectivos con-
tractos, entregando os mesinos gneros nos
quarteis ou fortalezas e enfermaras, e deposi-
tario nesta Thesouraria de Fazenda nma quantia
como caueao, que sera arbilrada pelo conselho
de fornecirnento.
2* As propostas deverlo conter a declaracSo
expressa de sujeitar-se o proponente a mult
de 5 % da importancia a que montaren! os vi
ores ou artigos cue forcm acceilos, so dcix.i-
rem de comparecer para assignar o respectivo
entrado, dentro do praso que for manado pelos
ornaes.
3" S poderito concorrer aos fornecimentos os
candidatos que si? habililarem na forma do art.
(8 do decreto n 7.0S5 de 6 deMaio de 1888.
4" Da falta de fiel curr.primento de qualquor
das obrigaecs conlrahidas, os fornecedores fi-
. i rao sujeos a pagar o valor do genero rejoi-
idoou nr rcceliido em tempo.
3' Os concurrentes sD abrigados aapresen-
.:." as amostras dos gneros ou artigo? que fo-
ceri julgados precisos pelo conselho.
6" As propostas serao apresentadas em du-
plcala as 11 horas do referido dia............
iue all sero abertas e apuradas em pre-
senci do3 propon^ntes, sendo que na mesma
occas :ei arao propostas para a venda
-tr ime dos aiiimaes da companliia de ca-
vallaria. ,
7* Finalmente. < s foi necederes que requere-
asao de eu contracto e forem atten-.
idos ticario sujeitos omita de JO % sobre o
total ao fo.-neciioiii stre anterior.
Thesouraria de Fazenoa de Perrambuco, 28 de
Maio de 1*89.
O inspector,
IManoel Antonio Carioso.
ARITI10S
(OHI'IMIH l'KH\AHHl(V\l
DE
Vavegaeo eos te ira por vapor
Para Fernando de Neroeka
O vapor S.Francisco
Commandante Pereir
Segu no dia 12 do Junho as 12
horas da manha. Recebe carga at o
dia II.
Passagons at s 10 horas do di da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernamhucana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do norte ate
o dia 14 de Junho e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
As encommondas sero recebidas no trapiche
larbosa at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens:, erfcommendas e .alo-
-es trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante Joao Mara Pessoa
fflv E' esperado dos portos do sul at o
aM ^.'a 7 de Junho o seguindo depois
| la demora indispeasavel para os
portos do norte at Manos.
As oneommendas so sero recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia d sahida.
Para carga, encommendas, passagens e vaio-
-es trala-aa com os
AGENTES
Pe re ira Carneiro & C.
b'-=Riuz do Commercio=8
1 andar

CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
!\'aregaco a vapor
.Jnha regnlar entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Baliia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Macei
Commandante Lenormand
E'esperado da Europa at o dia 14
di Junho. seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-?eao3Srs. importadores de carga pelos
pons dest linha, queiram apresentar dentro
le 6 dias a contar do da descarga das al varengas
lualijuerioclamacao coocantcnKa volumesque
riorventura tenham seguido para os portos do
    iencias necessarias
    Expirado o referido prazo a companhia nao se
    responsafiilisa por extravos.
    Para carga, passagens. encommendas e di-
    nheiro a frete : trata-se com o AGENTE.
    Angoste Labille
    9 RA DO COMMERCIO 9
    LEILOES
    Terca-leira, 11 do corrente, s 10 12 ho-
    jas em ponto, de ve ler lugar o leilo de una
    caixa com sotinetas avariadas existentes no ar-
    mi/.oni da ra da Senzala Vcllia n. 92.
    As 11 horas do mesmo dia leilo de 1 ca
    briol, t, dog casi. 1 cava'lo e 2 vaccas taurinas.
    Leilo
    Do um piano, movis, louca,s, etc.
    O agente Brillo, competentemente autorisado
    far leilo do seguintr
    Um piano. I cadeira, 1 mobilia de junco, 1 dita
    de amarello, 1 cama franceza, i toilot de Jacaran-
    da. 2 marqpezoes, 1 mesa elstica, 1 guarda co-
    mida. 2 aparadores. I lavatorio, 1 jardmeira com
    pedr.i. 12 cadeiras de junco, 1 banco de amarel-
    lo, cabides. quartinheiras, 1 espelbo 1 relogio
    pan mega. 1 tapete para sof, louca para jantar
    ealmoco, oandeijas, faca?, copos, clices, garra-
    fas, bacas, jarras, trens de cosinha e outros ob-
    fao correr do martello.
    t^r^a-feira, 11 do correte
    A's 1012 horas
    Ra Velha n. 93
    Leilo
    De
    irelleate vacca tonrl-
    aa com cria
    iloje. i^l do crrante
    A'S 11 HORAS
    No atmmtpmda nfflio Marfpue.d Olinda
    *. 48
    Em eontinuacao
    de cerca de 20 en i xas com batatas, 3 caixas com
    presuntos de fiambre perfeilos, 5 barricas com
    botijas de cerveja branca Bass, caixas com gar-
    rafas de dita alterna, latas com peixe, ditas com
    ameixas, ditas cem doce em calda, mobilias de
    junco e Jacaranda, pianos, mezas elsticas, ca-
    maa para menino, ditas francenzas, bercos, pa-
    pel para embrulho, dito pautado, diversas quali-
    dades de bebidas <- outras mercadorias.
    Por intervenjSo do agente
    Gusmo
    Leilo
    De um carro de quatro rodas, coberto, em bom
    esludo, para dous cavados, servndo de base a
    quantia de I253U0O.
    Hoje, II
    Ao meio da
    Agente Pinto
    Em frente ao artnazem da ra do Bom Jess
    n. 45. por occasio de outro leilo de cabnolet,
    cavallo e vaccas.
    Leil
    ao
    De um cabriolet (dog curt), um cavallo
    andador e duas vaccas tourinas
    Tcrca-feira 11 do corrente
    As 11 horas
    ente Pinto
    Em frente ao armazem da ra do Bom
    Jess n. 45
    Por occasio do leilo de movis, espelhos.
    quadros e adeiras avulsas.
    Ag<
    Leilo
    De setinetas avariadas contedo da caixa
    marca triangulo S no centro P em baixo f634 ao
    lado descarregada do vapor ioglex Im Plata edm
    avaria d'agua do mar.
    Terqa-feira 11 do corrente
    As 10 12 horas em ponto
    Agente Pinto
    No armazem da
    ra da
    n. 9S
    Senzala Velha
    Agente Bnrlamaqui
    Leilo definitivo
    QUARTA-FEIRA 12 DO CORRENTE
    A's 11 horas
    A' ra Formoaa n. 11, casa do Copsellteiro
    Buarque de Lima
    O agente cima, autorisado pelo Exm. couse-
    Ibeiro Buarque de Lima, que se retira para a
    corle, vender en leilo os bons movis, longas
    e prata existentes na referida casa, constando
    de urna bonita niooilia de mogno, 1 bom piano
    forte e quasi novo, bellos quadros, jarros, eta-,
    geres. guarda-louc guarda-vestidos, secretaria
    mesa elstica, aparadores, guarda comida, ca-
    deiras de balanco e de phantasia, mesa redonda
    com trabalho de esculptura, commodas, figuras
    de louca fina, vidros e loucas com frisos doura-
    dos (antigai, garios, paliteiros, colheres de pra
    ta de lei e muitos outros artigos de gosto mo-
    derno, que es(ar5o a vista nos Srs. lidiantes, na
    referida casa
    Leilo
    De bons movis, louca, vidros, urna bonita
    collecrfio de crotons, um rico santuario, urna
    bonita"mobilia torneada com consolos de podra,
    jarros lanternas, esearradeiras. quadros,'1 c.uia
    franceza. lavatorio, cabido de columna, ditos parede. I meia eotnmoda, 2 marqnezes, 1 guar
    da roupa. 1 estante om mesa o 1 rico san-
    tuario.
    Urna mesa elstica de amarello, 1 bonilo quar-
    da louca. aparadores rroprios para confeitaria,
    (imitando bambn). 2' cadeiras de junco, 1 ban-
    co para jardim, 1 app..-e!ho de louca com frizos
    para jantar, l dito para abneg, eopos, calic-,
    garrafas, comafiteirw, andieiroe de gaz e outros
    muilos movei."
    Quarta-feira, 12 do corrento, s 11 horas
    No Io andar do cobrado da ra do Imperador
    n. 27
    O agente Martins. auti risado por urna familia
    que se rotirou de.sta jrovincia, far leilo dos
    movis e mais objectos cima deferptos que
    sero vendidos
    Ao corre: do martello
    leilo
    Da ca terrea n. 90 sita rna de Santa Rita,
    com 2 portas de frente, i no oito, medindo 4
    metros e 45 centmetros de largura e 12 metros
    e 30 centmetros de c imprmenlo, sollo interno
    em salo, tendo o pavimento lerroo um salo,
    cosinha lora e t quarlo junto, quintal o cacim-
    ba servndo de base a offerta de 1:010*000.
    Quinta-feira. 13 de Junho
    A's 11 horas
    No armazem da luc do Bom Jess n. 49
    O agento Alfredo ... nares por alvar do
    lilm. e Exm. Sr. Dr. jnu substituto dos feitos
    da fazenda proviucial e a requerimento de Joo
    Romo Soares de Carvalho .evar a leilo a
    casa cima mencionada para pagamento de
    imposto mesma fazenda.
    Leilo
    De urna armaco onvidragada c envernisada, bal-
    cao, caodieiros gaz. carteira, secretaria e
    armaco ingleza.
    Bastidores, panno de bocea e pertences de um
    theatrinho, 1 escada.
    Seis classes, 1 bancada e 2 carteiras para col-
    legios.
    Mobilias de junco, amarello e pao carga, ca-
    deiras avulsas, espelhos, quadros, camas e mui-
    tos outros movis.
    tuinta-fi'ira f 3 do corrente
    Agente Pinto
    Ra do Bom Jess u. 45
    Em eontinuacao
    l'm grande e variado sorlimento de peles,
    frascos de bocea larga, boies proprios para bo-
    ticas.
    Erri difTerentes lotes.
    Lei la
    ao
    Do Restauran' rVrti :ruez a ra das fja-
    ranjeirafa o- 21 e 23.
    QuInta-fcra. i :J do corrente
    A's 10 1[2 horas
    Constando de guarda toacas gnndea, i gran
    des aparadores. 2 ditos menores, 2 mesas els-
    ticas. .1 dilas interias. 6 ditas pequeas com
    tampo de nedia. 2 ditas grandes com pedia,5 es-
    pelhos grande- qnadros, ;t l|2 duzias de cadei-
    ras de janeo, pona garrafas, chapas de metal
    para garrafas, cabidos, lavatorios, jarros, quar-
    linhas franceza?, gaHieteiros de metal, porta
    conserva, porta gel, palitoiros de metal, ditos
    de louca. centro de mesa, venesianas. relogio de
    iarede, una grande porciio de pratos, copos, ca-
    icos, garrafas, porta garrafas, casaes de chica-
    ras, escorredor do garrafas, pratiloiras, colheres
    do metal..e garfos.
    Um cofre provo de fogo. 2 fogos de ferro, 1
    machina para engarrafar. 1 mastro com flaneH i.
    2 letreiros dourados 1 carieira e 1 repartimento.
    O agente Martins far leilo por mandado o
    com a8*istenia do Exm. Sr. Dr. juiz especial
    elo commercio dos movis e utencilios cima
    doscriptos que san vendidos para pagamento de
    credores.
    Leilo
    De 1 armaco, balcao, cadeiras de junco, me-
    sas, apparelbos para eh e almoco, copos, cli-
    ces, garrafas, talherea, colheres, trem de cosi-
    nha e muitos outros objectos proprios para ho-
    tel. .
    O agente-itlodesto Baptista, autorisado por or
    dem do Sr. Jos Bernardo da Silva, vender os
    objectos cima declarados existentes no hotel
    da ra da Roda n. 18.
    Ao correr do martello
    Sexta-feira. 14 do corvante
    A's 11 horas
    Agente Pestaa
    Leilo
    Das dividas da massa tullida de Alberto
    Rodrigues Braneo, na importancia de
    67:1880335, sei-yindo de base a ofierta
    do.500f5
    ttabbado 15 de iiinho
    A'S 12 HORAS EM PONTO
    No armazem de agencia de leilSes sita
    travesea do Corpo Santo n. 27
    O agente Pestaa, autorisado por mandado e
    assistencia do Exm Sr.-0juiz do commercio,
    far leilo das dividas j;i referidas, no dia e hora
    cima mencionados.
    AVISOS DIVERSOS
    Aluga-se o 2 aadar do sobrado n. 5 ra
    do Padre Floriano, com bons commodos e todo
    eslucaao, c alnguel coramodo ; a tratar na tra-
    vessa da praia do Forte i. 6, sota.
    Aluga-se a casa enea u. 52 ra de S.
    Joo, com 2 salas, 4 qjarlos, gabinete, porto
    largo ao lado a grande quintal com duas cacim
    bas do boa agua e muito.- arvoredos de fructo,
    por 3a J mensaes ; o sol rado n. 17, ra das
    Tnndieiras, com soto : a tratar na loja do mes-
    mo sobrado. __ ____
    Precisase de urna ama para lavare en-
    gommar; na ra Direila n. 32, 2 andar.
    Precisase de um copeiro : na ra de Pay-
    sand n. 20 _____
    Precisa-so de urna boa ama de cosinha e
    de um criado, dando referencia de sua conduc
    ta ; na ra Mrquez do Herval n. 31, segindo
    andar.
    Cura-se fcilmente
    As inflammacao do larynge cura-e fa-
    cilpante com alguns frascos do Peitoral de
    Cambar.
    Os agentes,
    Francisco M. da Silva & C.
    Gosinheiro *
    Precisa-se deum cosnheiro ; a tratar ni af
    mazem do cats do Apollo n. 4".
    Gosinheira
    Paga-se muilo bem a quero oosnhar perfeita>
    mente ; a tratar no armazem ilclronte da At&B'
    aega.
    Ama .
    a. ra Mrquez do Herval n. 61, sobrado, pre-
    cisa-se.de urna ama qe saiba cosinliar.
    -lesapparecen
    ma menina de cor parda, de nomo Mara Isidia,
    com 11 a 12 anno:. de idado ; pedo-se a quem
    riella souber. lvala ao caes do Capibaribe nu-
    mero 36.
    Golletes de flaneUa hygienicos, de preferen-
    cia a outro qualquer, pel systema do profossor
    Dr. Iager. da Academia de Be.rlim.
    Evita as eonstI|>aee$
    Em casa de Odilon Duarte A Irmao. ra
    da Imperatriz n. 60
    Preco 4?>ikh)
    Licor depurativo vegetal iodado
    do medico Qulntella
    Este notabilissimo depurante que vero
    precedido de tSo grande fama infallivel na ,
    cura de todas as doencas syphiliticas, es
    erofulosas, rheumaticas e de pelle, como
    tumores, ulceras, dores rheumaticas, os-
    teocopa8 e nevralgicas, blenorragias agu
    Has e chronicas, cancros syphiliticos, in-
    rlaniaoes viceraes, dolhos, ouvidos, gar
    gantas, intestinos, etc., e em todas at
    molestias de pelle, s mples on diatliericas,
    assim como na alopecia ou queda do ca-
    bello, e as doencas determinadas por sa
    turacSo mercurial.
    Dao-se gratis folhetos onde se encon
    tram numerosas experiencias feitas en.
    este especifico nos hospitaes pblicos >
    muitos attestados de mdicos e documen
    tos particulares.
    Faz-ae descont em casa de
    FARIA S0BRINH0 & C.
    Itu.i Mrquez de Olinda n. ti
    PAPEL RIGOLLOT
    MOSTARA EM FOLHAS para SINAPISMOS
    INDISPENSAVEL AS FAMILIAS
    E AOS VIAJANTES
    Usada do mando inteiro.
    yp
    NADA DE
    VERDADEIRA
    croe nao leve a
    FIRMA
    atrfts
    com
    tinta
    UClfiliU
    O mala
    simples.
    o mais
    com modo
    e
    O mais
    efficaz
    dos
    Revulsivos.
    EXIGIR
    ata marca
    p*ra evitar
    Contra/accs*.
    A' venda ai Odas as Piarmsci'at
    DEPOSITO GERAL: AVEMUE VICTORIA, 2*
    PAEIS
    Na ruada Matriz da Boa-Visla n. 9, preci-
    sase de urna ama para varrer e arrumar casa, e
    que durnia em casa dos pairos.
    A' na.da Soledada n. 56, vndese as se-
    guintes obras :
    Illustraoo Erpanola y Americana dos annos
    de 71, 72.73. 74 e7o.
    >ovo Mundo dos annos do 71 76.
    Brasil Histrico at o 3 anno de sua publi-
    cago.
    Alias da Guerra do Paraguay.
    Furtaram na note de 31 do mez passado.
    do engenho Noruega, tres cavallos, sendo um
    foveiro, castrado, gordo, bom feito. frente abor-
    ta, tres ns calcados o bom de carro ; o segundo
    mellado, dinas e rauda prelas, castrado, com
    marca de cangalha, quando anda arrasta os ps ;
    0 terceiro 6 castanho claro,, com marca de can-
    galha, castrado, carregador, tropego no andar,
    devido as 'nchuadas que tem tido ; todos tcni
    as ancas a marcaNoruegaRoga se as aulo
    ridades competentes, ou qualquer pessoa. que
    sabendo ou tendo noticias dos referidos animaes
    avisem no Recife aos Srs. Pontual Rezcnde & C.
    ra do Commercio n, 46, ou ao Sr. Francisco
    1 Ribeiro Carvalho, na ra estreita do Rosario
    n. 8, ou mande aviso ao proprietario deste en-
    genho.
    A viuva A. M. L. F. ). pede ao Sr. M. T. A.
    S. venha fazer entrega do dinheiro que recebeu.
    A Sra. M. A. S. pede aos Srs. Luiz Ferreira
    da Cruz, Angelo Tavares e seu adtogado, que
    venham pagar a sua letra.
    - Pede-se a certo carteiro do correio, oujo
    nome se dir mais tardo, que venha acabar com
    aquel ie negocio que fez com urna pobre senho
    rr, lembre-se do nome que gosa sua familia.
    Para casa de um i omem viuvo com mnis
    duas pessoas, precisa-se de urna senjtora de
    idade ou viuva, para tomar conta da casa, fa-
    zendo o servico interno da mesma : na ra da
    Glorian 96.
    Engomma-se com perfeico qualquer qua-
    lidade de roupa-, tanto por mez como por pega :
    quem rmizer dirjase ra do Nogueira nu-
    mero r.
    Vonde-se toronos bom locahsaios no Ca-
    jueiro (Magdalena) ; a entenderse na rna de
    Paysand n 7, taverna.
    Vende-se
    um s! > nos AfOictos. ra Amelian. 21, com
    urna casa terrea de tijolo, o una ostra mais pe
    quena, com alguns-pes de frtioteiras e cacimba :
    a tralar na ra Capttlo Lima, relinaco em San-
    to Amaro. ^^
    Vende-se
    urna taverna 1 ra da Gamelleira, 2 dstriclo de
    S J '? (Cabanga). A" razio da venda seu do-
    no adiarse don'te : a tralar ra do Mrquez
    do Ilcrvai n. 165, antiga da Concordia_______
    Cosinheira
    ' recisa se de uma^que saiba cosinhar e nao
    sata ra, para cas*a de familia ; a tratar na
    ra do Cabue n. 14, 1 andar, do meio dia at
    2 horas.___________________________
    Ra larga do Rosario
    Traspassase a loja n. 28 daquella ra, onde
    estere a fabrica Globo ; tratase com J. T. Car
    reiro, ra da Madre de Deus n. 30.
    A '.' 1 i ......- irul ca.......- BMe-KtSSlnKM ,0 S
    tsbowta) '' novo e n ijivilh/ts', prepairilo j
    propurriom ;' nw bssfcs JeHrl e hjinn.ico,
    e mi.-i p\r.-!?*i.|f a^na tlr luuradur.
    Kata !':-':. Ha_i sftzu il rama univeraal. nf.ir-
    most-.-i aiHatlaa a chih. roui rafkescasta, nopera
    Vende o nns pfteeipaea perAimaTiaB 'lo inundo. I
    j Cuco l:.briu.-inl'--hiveiiloi: II. .VAI.'K. flm :;,T). i
    Uipo-M.ifH-stus htrn*moivo a.>ma''tr.i:j'.,-i.1".
    s___SB_y _____
    Ama
    Precisa-so de urna ama de meia idade de toda
    a (onlianca, com habilo e freito para lidar com
    criancas. que possa dar de si informaees dig-
    nas do f ; pagase muito bom para terse o di-
    reiro de exiuir muito ; na ra do Paysand n-
    i-A, Mamalona.
    CAPSULAS de GRIMAOLT & C11
    MATICO
    IfBNTSlU *ll JlI Hrtl i>
    ll|_M nuillU te SIUU
    ComHntfto en_ Utico
    aa o Baiaawa U Cipaalli
    Remedio lnralUrel para cur
    a O^noiilioat. SSS) SjD_DSfac&r
    o eaioniaaro. ds_ pto_r re-
    pnsnanria, buq ja_ aasmpas
    Ph* GIUH1DLT O-. (, l_
    Sapataria
    No largo da matriz de 'anlo Antonio n. 4, lem
    um ollicial estrangeiro que faz lodo e qualquer
    concert a.panto e a laxa, garante a solidez e
    preco muito barato. Compra calcados usados.
    Instrumentos de msica
    rra banda e orchestra, realejos, caixinhas com
    , 2 e 6 pecas, para enanca ; na livraria Con-
    tempornea.
    Luz elctrica aos metros .
    Para as {stas dos santos Antonip Joao e Pe
    dro ; na pliarmacia Americana.
    Grande successo
    Novo livro
    DE
    luteressaotes sortea
    fAUX O RECREIO DAS FESTIVAS 801TES
    DE
    m: mm, s. joo, s. rssno
    s SAm m
    Acaba de sah'.r a luz da publioidade este inte-
    ressanle livro de sortes. om cujas'paginas eocon-
    traro os leilores urna variada colleccao de sor-
    tes de cartas, de soneJade, penitencias para
    resgate de prendas, tabella de grao de veracida-
    do ou falsidade dos sontios, segundo a iofltieu-
    ciaque uestes exerce a idade da La, adivinha-
    co infallivel da idade das pessoas e urna collec
    gao de novissimas reneitas para pudins, bollos,
    tortas, cremes e cadgica
    Vende-se e:.", casa dos edictores :
    Ramiro M. Costa & C.
    Rna I de mareo antiga de
    Crespo o. 9
    MHNAMMGO
    Livraria (<>t>U'nijx>ranea
    Grande liquidac.ao de fogos
    e sortes
    Ba da Imperatrix n, 5S
    - Os propriotarios desle estabelocimento veom
    avisar s Exmas. familias que receberam um
    vanadissimo sorlimento de sortes, figos cliine-
    zes, e vendem por todo preco para acbar, e
    alem disso do o direito ao freguez que lhe com-
    prar 14000 de fogos.um bilhete', no qual lhe pode
    tocar por sorte urna prenda de maior valor a
    compra. Garante se n5o haver tribofe.
    Alimento Criangas
    Para remediar a fraqueza jas orianoas, desenvolver
    as suas forras e preserval-ns >as lonras da idade
    tenra, os princlpac-* Molleas do Pars, membros
    da Academia de Medicina do Pars, receito com
    ptimoi-xili) o verdideiro
    Ra ah ou t ali:s A rabas da Selan(rl er, te T arli
    Este agr.idavel allmcntn,comp8sto com su balancias
    vegetaesDUtritlvasefortaleceiloras divide-sena eco-
    nonila rnda.e, petas suas propriedades analpticas,
    mcllioraacomposlcaodoleitedasscGhorasqiieama-
    menlao. e acorda s Torcas lnguidas do estomago.
    5J. ra T:;ieiM,Pars. Depositas aas PUrsariat do laada eatalro.
    Fre forge de *an"lnss; S^clo
    (1 ANNIVERS.i.KIOl
    Adolpho Cavalcante. sua mulhor o fii"-, so-
    brinbos do Uado frei Jorge de Saiu'Amia l.icio.
    con\idam os prente; e amigos do mesm na-
    do para assistirem nnssa que por sua alna
    mandam rozar no convento do Carmo desla rda-
    de, s 8 horas do dia II do crrente, 1" anniver-
    sario do passamenio do seu sompio lentlirado
    lio ; e agradecem desdo ja aos que tivore;, i ca-
    ridade de comparecer a osso acto de verdideira
    piedade religiosa.
    ii Honrlquo ilc tUiayde Lobo
    Hosteoao
    0 Dr. Podro do Alhayde Lobo Moscoso, D. Eu-
    enia Leopoldina de Unto Alo-coso Eugenio do
    Athayde Lobo Moscoso, Mana Julia de Moscoso
    BandVira o Benjamn nslldsFerreira Bandei-
    ra, sob a pressao da mais acerba dr pelo falle-
    cimoiilo do seu lillio, irmo e ounhado Dr. Hen-
    riqu'c do Athayde Lobo Moscoso, convidan! a
    seos amigos para ouvirem .s mi'sas que pelo
    repouso cleruo de sua alnu tr.aiv.larao celebrar
    na matriz d: Bou-Vista, s s horr-sdamanh de
    dia 14 do corrente, stimo dia do seupassa-
    monlo.
    t- fl aS
    I
    *oo Fernando*! Bapllaila
    D. Anna Isabel Raposo Fernandes e sua n'Jha
    agradecem do nfimo d'alma a lodos aquelle?
    prenles e amigos que acompanbaram o cada-
    ver de seu nunca esquorido marido e-pai. Joao
    Fernandes Raptisla; e de novo os convidam
    para assistirem a missa que mandam rewir ter-
    ca-feira II, s 8 horas da manha, petiiiio dia de
    seu passamecto. na igreja da veneravcl ordem
    terceia de S. Fra cisco, eonlossando-so desde
    j agradecidos por esle acto de roligiao e cari-
    dade.
    DE
    Agrio, Jo e Cambar do \orle
    preparado por
    BARTHOLOMEU&C.
    M < ( ISSOIll S
    Est cabalmente provada a effieacia do
    agriSo para a cura das molestias attinentes
    aos orgaos da respiracSo e juntando a essa
    preciosa planta as nEo menos conhecidas Jo
    e Cambar do norte, cujos effeitos balsmi-
    cos tni sido observados por longo tempo,
    tornase o nosso xarope dAGRilo, JO e
    cambaba do noi d.ido para a cura das diversas molestias
    das vas respiratorias, desde a pharyugite
    ou mal da garganta at a tuberculose,
    abrangendo as diversas bronchites, cathar-
    ros e pleurisias.
    Os innmeros attestadas que temos de
    curas conseg 'idas por esse poderoso pre-
    parado no3 autorisain a recommendar o seu
    uso de preferencia a qualquer outro.
    Deposito geral
    PHARMACIA E DROGARA
    34RA LARGA DO ROSARIO04
    PCBMHRI (O
    t
    Anna Crrilia da Silva ni-
    manes
    Francisco Jos Vianna. Mara Joaqun Van
    na, Deifica do Nascimento Dantas (ausente), con-
    vidam a seus prenlos e pessoas da sua amizado
    para assislir as miaras do stimo di. ue sci!
    passamo.iio, na igroja do Espirilo Sanio, no dia
    13 do crreme, pelas 7 1/2 horas do dia, por cujo
    acto do religo se i-onfessam gratos.
    t
    Dr. Il<-iiriqu<- HotCOM .
    Agricio Lins. rossmdo de profundq pesar
    pelo prematuro pa -amento de sen inriiio.-o ami-
    go Dr. lieinique Moscoso, manda celebrar urna
    missa udo eterno repouso de sua alma na ma-
    triz do Cabo, s 7 1 2 da manh do dia 14 do
    corrente, stimo do son passamento, e para este
    aclo, convida os cus parentes e amigos e os do
    iliuMre Tinado.
    f
    Jafinihi. Jone Maia'.
    M. A. Maia Pinheiro, tendo recebido a infausta
    noiicia de haver (lecido na capital de Mara-
    nho o seu acetado amigo Jacintho Jos Maia,
    em 7 do corrente. convida a todos ossens ami\
    gos para ass.stirem uo dia 13, stimo de seu
    passamento, as missas que manda rezar na igre-
    ja da Soledade. as 6 horas da manh, polo que
    licar agradocido. _______
    IsnAria d> Morae* \avurro
    faina
    Agricio Lins sua mlher e filhos, Julio de
    Mello, sua ;:iuil.or o lhos, Luiz Bandoira, su
    rnulher e ftllios, Antonio Mauricio da Silva e aua
    mulber. Josquini Bernardo Falco e seu filho.
    agradecem do intimo d'alma s pessoas que
    acompanhanim a sua ultinwr morada 0 cadver
    de sua cara mai, aogra e a.v, Ignacia de Moraes
    Navarro Lins ; e de no.o as convidam. assim
    como aos seus parentes "ti amigos para assisti-
    rem as missas que mandam rezai na matriz do
    Cabo, s o horas o af 7 1/3 da manbu, e na ma-
    triz de Gamelleira s J?-i/s'do dia;i2 do corrente,
    stimo dia do so. passamenti, e antecipan
    seu. agradedmontos por este acio de cari-
    dade.
    lnlaniu Joao da Mota
    Jos Antonio da Motuj liurmares, leudo'
    cebido a iufausta noticia do falleciinenfo de
    prezado pai, manda rezar algumas missas
    dia 12 do corrente, s 8 horas la manliA. na ma-
    triz de .-anto Antonio, convida
    este acto religioso, aos seus prenles e amigos,
    aos quaes desde j ma;iifesta o seu eterno agra-
    decimento.

    !

    <*



    Diario de PernambucoTerga-feira 11 de Junho de 188fr
    IMPORTANTE
    REDUCCO DE PRECOS
    21-HlIA no CRESPII-21
    OUVBA CAMPOS & f!. ted> d. .* *.
    veniente um sortimento e artgos novos de altanovidade,resolveram
    fazer urna grande reducc,o nos presos dos artigos abaixo menciona-
    dos, para os quaes chamam a attncjio das suas Exmas. freguezas.
    Calatas do lome'di Soceom
    Cwnprt-se caoteU MAn*> qualquer juw briltiaotes e relo^au; pafa-.-
    bem na' Praga da Independencia n. M, lo]a di


    nhos para vestido padrees modernos a 160 rs. o covado.
    Crotones 'rancezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
    Merinos de coren, duas larguras, a 500 rs. o dito.
    Dito de cures lavrados, de 20000 10000 o dito.
    Lis de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
    Merin-'i de qaadros de 320 rs. o dito.
    Fostao branco de 400 e 500 rs. o dito.
    Mureolina branci. para casacos & 500 rs. o dito
    Zephit- de cor, 1 stas e quadros a 500 rs. o dito.
    Pitos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
    Ditos de listas ai rendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
    Etanriiws niTenddos, de c6res, de 800 a 500 rs. o dito.
    Flor de Italia eni quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
    Mursolinas de c:.*, de listas, a 400 rs. o dito.
    Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de liJOOO
    e 205000 por 90000 e 120000 cada" um.
    L.no. padroes etn quadros, a 440 rs. o covado.
    Nanzukes j)adrdes mimosas, de 280 rs. o dito.
    Percales midinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
    Merino preo fine, de 20000 a 10000 o covado.
    Setim Maco de todas edres, a 900 rs. o dito.
    Brim i:!/o pardo oara vestido, a 400 rs. o covado.
    Caitb<-iiia Victoria transparente, fina, a .'0000 a peca.
    30000 urna,
    de 40000, 5000,
    60000
    Mentas hospanholas, de seda preta
    Espartilho8, o que ha de melhor,
    70000 um.
    Fichs de cOr arrendados, de 10000 um.
    Capinh s hespanholas de cor a 20000 urna.
    Fichs de seda, milito lindos, a 30000 um.
    Sargeli m diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
    Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 4000 um.
    Luvas de seda, todos os tamanhos, de 20000 a 30000 o par.
    Lences de linho do Porto, a 40000 um.
    Ditos grandes para cama franceza, a 60000 um.
    Colchas de cor, de 20000 a 50000 urna.
    Fichs, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
    Lencos de linho coin barrinha a 20000 urna duzia.
    Camisas francezas, de 240000 e 360000 a duzia.
    Meias cras para hoinen, de 40000, 50000 e 60000 a duzia.
    Ditas brancas cras e de cures para senhoras.
    Dita brancas cras e de coros para crianeas.
    Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
    Cortes de casemira de cor, de 60000 a 80000 um.
    Cortes de fustao para collete, de 10000, ljOOe 20000 um.
    Camisas inglesas de franella, 13 pura, a 50000 urna.
    Alm de outros art.gos que deixamos de mencionar.
    Engenho Gmnorisinho
    Arrenda se o engentio cima, 'Ao no termo de
    Agua Preta; meentc e currante., multo perto da
    estacfto, coin es-'cHcnttv tprrens e boas mutas:
    atralar hu rnu-do I!-.nn I n- n V, eseriptorio.
    Rodadagua
    Compra-se urna roda d'agua em bom estado,
    de li a 30 palmoi; a tratar na roa Direita iu
    mero 106.
    Agostiivlio & Irmos
    Collar de Ouro
    -J Ha* M Cbf -.*
    Lomo fuesemos urna grande reforma em i
    nosso estahelecimenlo, tisemes tambem reduc
    cao nos precos de nosaus joias de ouro, prata <
    briih .mes. ivcltjrn a seas amigos e freguezes ;
    vireui comprar lindos objeetos com pooco di
    nheiro. ompri-se ouro, prata e brilhantes ei
    obras servidas e paga-sc bem. Consertdm se re
    logios, obras de ouro c prata ccmmbdamente
    Milho muido superior
    Era saceos de 60 kilos ; vende-se no armazem
    do caes do Apollo ns. 65 e 67
    21Boa do Oespo-21
    BEDU FUERES
    Constructores a Ham, Franca
    Representado por Emilio Bu-
    lln, engenhelro mechan" <,
    (PEENAMBDCO)
    Assenlamenlo completo para engenhos cen-
    traes c Uzinas pelos processos os mais aperfei
    coados.
    Moendas e'repressao mltipla.
    Corte-cannas vertical, systeina Bidu.
    Diffusio, crcular e reclilinlia, dito Bedu.
    Diffuso continua do bagaco dito Perret.
    Fornos para queimar o bagaco da diffuso.
    dito Bedu.
    Filtros raechanicos a liltrugao mltipla.
    Turbinas centrifugan (economa, limpeza e
    traballio rpido).
    Em geral todos os apparclhos os mais moder-
    nos e os mais apcfeijoados para o fabrico de
    assucar.
    N. B. OSr. Emilio Billion faiendo urna via
    gem de 3 mcees na Europa, durante asua au
    sencia dirigi as cartas c pedidos a casa Bedu
    Frres a Ham, que foraecer plantas, orcamen
    tos etc., c por qualquer negocio urgente infer
    mar-se ao Sr. Eugenc Chalinc; 24 na do Com
    mercio, Becife.
    PECTORAL de CEREJA
    Do Dr. Ayer.
    A.i enfermldudeti mftia dolorosap da rurgaata
    t don pulnnV., ^rdinariainentt' desenvolvem-se,
    i finir) por principio bases pequemu, cajos resulta-
    dos ufio -lo lifflcis de curar se promplaraeote se
    raiD com > remedio conveniente. Os Kesfri-
    adnx e ** Tf>**e d3o reciprocamente o rebultado
    de Lariiixt -, Aftthma, Bronchitla, AfrVe-
    caw> Puliiminr- e it Tlafoav.
    Todas ar. familias que tem criaiH;:t- devein ter o
    Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
    em casa para o usar em caso de necessidade.
    A i>Tii:i de um s da, pode em mullos coso*
    accarretar serian conswiuencias. Por tanto no
    se deve perder tempo precioso, experimentando
    remedios de eficacia duvidosa, emquanto ou*
    a enfermdade se apodera do systema e se arraiga
    profundamente, entilo qae se necessita tomar
    nesse Inntante, o remedio mais certo e activo em
    *H'U effelto, e t-ste remedio sera duvida alsuma
    o Pkitobal de Ckbeja do Dr. Ayeb.
    PBEPAEADO PELO
    DR. J. C. AYER & CA.,
    Lowell, Mass., Kst.-l nidos.
    PBPOblIO UP.RAL
    FKDCO BE SINOSE PRONZE'
    DE
    LU12 DA CRUZ MESQUITA .
    6fl -ra do Baro do Triunipho66
    Tem para vender o seguinte:
    t!;;c!liiin:< de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
    %|^tubi(fiies de cobre do antigo e novo systema cora esquenta yarapa.
    Vcrpenllnaft de cobre c de estanbo.
    -C'rti'apiteiis de cobre.
    raix:*., taixos c caldeiras de cobre.
    Bambas de todas as qualidades de repudios, aspirantes e continuas.
    ToMieliTiS de bronze e madeira de todos os tamanhos.
    Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
    Repartid eira.. passadeiras e cscumadeiras de cobre o de'ferro cstanhado.
    Cobre em lenco? e rmelas.
    8ohl inge/a e do Rio.
    CaaJnkos patente c de lapis.
    Mlaoa de*l libra at 110 arroba.
    E mnits outros objeetos
    ENCARREGAM-SE de qualquer concert e obras de encointnenda, (patata
    tndo presteza, perteicSo e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
    VEXDR'a praso ou dinheiro com descont.
    CurflCS pelos CIGARROS ESPIG
    OppressSat Tosfte Deflwocos At'erralgiao
    i KiMiau>Oa ytiuMl pscToMa nimroiENK do iuptmo r>< :.nAxiL
    .'.spira-se a fUnwa que penetra no pello, acalma o systenia nervoso,
    uclifta a cipoctorarSo c lavorlsa as func^des dos orgos respiratorios.
    Venda m atacarte> J. EePIC," Orrua Ol-Uezare, cm Paris. akw <"to asstgr'
    h*. Pimimbua : fTi.JC.- M. da SILVA i; C*. dm rta;c faca t'mnniail i/..-;:*..
    SALJ I>E
    TODOS.


    i OHatpttt <2 U.Miw-- t um r*Wfflb ^falHvel p.ira , as <.'rida a.-;s chaf^ a uicer.-. E fnnriso para a gota c e rheumatismu t T^ra todas as
    .'.adfi Psn C3 n:z!e-. de g&'^smta, bronchites r3sfr,!3r.?entoi e tossss.
    H.....: trda a' innlestias i!a pille 'ir> uem sciu^'l'.-'le e ictia i* rnembres
    "un'rahi.^os ;uiicf.:rai recias, oi.ra como por uHil i<
    < Tu"no:cs
    \
    l

    t ven*. -; > i^cl as t-har.ja_.as do universo.
    'z Ctfc .-I.it. ^* i-.;jiiOBOiT-fit *. c'nn1ir..r o< roiuos dt Caatdfi cxtXt 4F*, se lio
    -Vi rakilr-.'-Vc-JS.
    EKka*>
    %
    MEDA1.HA DE HONRA
    0 OLEO CHEYRIER
    doaiatect.ido pfio Atcatrfto.
    tnico *. t.itumet, c que multar
    augme-ta -> o'opr,eiSam Jo |
    A
    0 OLEO de FIG1D0
    DE UCAlO FERKUG1N0S0
    4 a ufi'cj prtparjiQ ua pe" Ua
    aimli"*trr o TetTO mort-
    ttvzir Prnio de Vntre, ret
    Iticoatarru-Jo.
    DIPLOMA DE HONRA]
    BRANCO I.OIR0
    EFERRUGINOSO
    Mmm:

    t.
    ict'ir*r>M rok todas ah
    Celebridades Medicas |
    MntMC* E BAEIROPA
    *0LESTIS DO PEITO,
    AFFECQflES ESCROFULOSAS I
    CHLOROSIS.
    Himi. DEBILIDDDE,
    TSICA PULMONAR,
    8R0NCHITES, RACHITISMO
    WKTfic-r.i *m HW ?'.??2' -**\ 21 na U Fua-Ir-'B^rlre, 21
    I.ICKNUIAUOS 1'RtA INSI-KCTOHlA. DK HYOIHNE UO Ijll-ERIO DO BRA/Jl-
    Vinho de Coca
    /
    MS GERAL
    Cachemiras lisas a 1 &2U0 o covado.
    Cachemira de listras a 1^200 o dito.
    Cachemira nicsclada a 800 rs. o dito.
    Esquiao de algodao a 3^200 a peca.
    Gazes arrendada a OO rs. o covado.
    I Las Amazonas a 44" rs. o dito.
    Merinos lisos a 440 rs o dito.
    ' Cortes de vestidos em cartScs.
    , Capcllas para noivas a 7500 urna.
    ; Saludas de ba le (tecidos em 13).
    Zcphvres de quadro a 200 e 240 rs.
    Colchas de fns3o a WOM nra.
    Setim Maco (todas as cores).
    Baptista de eivs a It0e20l) rs. o covado.
    Cortinados bordados a 6Ab' 0 o par.
    Rendas hespanholas a ."5^000 o metro.
    Cet-mcs r. Derby Club a 240rs. covado.
    Quarnicjlo de crochet a 7^000 urna.
    Cambraia bordada a 4|$000 a peca.
    Dita Victoria a 2800 a dita.
    Sargelini de cores a 200 e 220 rs o covado.
    Camisas de tlanella a 4j>)00 urna.
    EsguiJlo pardo para roupa a 360 rs.
    Bramante de algodao a l;>000 o metro.
    Atoalhado bordada a 1,5200 .? dito
    SO SE YENDO
    (JUNTO AO LOUVRE)
    Baleias pretasa 240 rs. a dnzia.
    rs. a
    Setim do Japo a 240 re. o covado.
    Colchas de dauadco a 8j}500 um
    Colchas de crochet a 7)5000 um.
    GuarnijSo de crochet com matizes.
    Colchas de cores a 16800 urna.
    Panno da Costa? a 1*000 e 1*200:
    Guardanapos de linho a 2*200 a duzia.
    Toalhas felpudas a 3(52 0 a dita.
    Cobertores de 13. a 1*800 um.
    Camisas inglezas a 3/600 a duzia.
    Algodao branco a 3*20) c 3*500.
    Madapofo americano a 6*800.
    Brim pardo a 280 e 300 rs. o covado.
    Fichs de retroz a 1 *000.
    Lenctes de bramante a ?*CK)0 um.
    ' Cobertas de ganga a 3*000 urna.
    Paletots de seda palha a 7lJ500 um.
    Lequcs de setim branco a t>*000.
    Popelina brane a 800 e 1*000.
    Etarainc bordado a 500 re. o covado.
    Lencos brancos a 1*200 e 1*800 a duzia.
    Paletots de alpaca prcta a 4*500.
    Lequcs transparente a 2*500 um.
    Paletots de brim pardo a 4*500.
    Fustao branco lavrado a '5<30'rs. o covado.
    u*Mk mm m
    A\
    Machinas a vapor.
    Moendas.
    Rodas d'agua.
    Taixas fundidas e batidas.
    Taixas batidas sem^crava^ao
    - Arados.
    i *
    EPILEPSIA
    Cachemiras Percales de cores Iixasa20<> re. > covado. Setincta branca lavrad n 500 rs.
    Espcrtilhos c'inraca a 5|jK30O um. .Kegatas decores a I*00\e 1*500.
    Crep preto (inglez) a 2*000 o covado. Paletots de alpaca de p-"res 4*000.
    Luvas de seda a 2*000 c 2*500. Bicos de cores a 2JO00 e 2*500.
    Seroulas de bramante a 15*000 a duzia. Paletots de gorgurina a 4*:">0O.
    Guardap para homem a 6*000. Guarda-p para senhora 1<*(XX).
    Batiste tinas a 2(50 rs. o covado.
    Bicos preto de seda.
    Toalhas para banho a 1*500.
    banho salgado, sobretudos, doble-capas, casemiras, brins b~Mc>s c !jr!^as.
    Konpa por medida
    20--Ra Primeiro de Mar^o20
    V\H\ DE rO\FIA\C, V
    AMARAL & C
    Bramante de linho a 1*80):* o metro.
    Velbutina de cores a 908 rs. o covado.
    Merino preto de tdos os preces.
    tnicos, entremeios. bordados, roupa para
    CONVLSOES
    MOLESTIAS
    NERVOSAS
    Cars qhd-1 s*mpre>
    Altvh sempr*'
    pam VtCaa* B*
    iOl^ AUTHERT0S1
    Laroyena
    URft, 7, Boultfwra Dala. ?, MK&
    SBARM1C ftV&St
    apecriarioa em Ptrneiubtics rxAJT* ttc. te SXX.TA *. c--
    % 1 T -i \. X* ^
    %1
    su as \
    VtlKffMSGBOSDSAUDE m DrFRANC
    >rOtA OBRAL DB ITGIBNE DO IHPKRIO DO BRA..
    i* A#Hentcs, Cttomachicom, Purgativo, lpupaflV'0
    ioiitrt. a Falta de appeOV. S ObBtrncoo. a Enxaqnff. as Ve*Jeoin,
    * as Contet*e, >^tc Dote oi-dtnan.: /, f tf grao*=
    a= talsflc cfto. Exigir o rotulo iunlo imprimirlo em trances
    0 Sello da nii^ du FabncaDtei
    ^***a**
    J>AKZX. rbarcaacla :
    B^MitM m ttaai u Tucia rtannoa.
    INJEGTION GADET
    Cura certa em 3 das sem outro medicamento
    PARS 7, Boulevard Itenain, 7 PARS
    Depsitos em todas as principacs Fbarmacias c Droaaria.
    tSN
    NEVBALGIAS
    Pilulas do Docteur Moussette
    As verdadeiras Pilulas Moussette aeaimao e corso as
    Neuralgia mais rebeldes, a Enxaqueca, a Gastralgia, a .^citica, as A/fecfSet
    rheumatismaes agudas e dolorosas que resistirlo a qualquer outro remedio.
    as Verdadeiras Pilulas Moussette devem ser tomadas na
    refeicoes. No primeiro dia tomar-se-ha tres pilulas; pela nianha, ao almocoe
    jantar. Si nao se tiver experimentado allivio tome-se quatro pihilas no segoni
    dia, duas pela manha, orna no almoco e ootra no jantar. E' preciso nSo tomar mi
    de quatro pilulas Moussette por dia.
    Exija-te at Verdadeiras Pillas Mooaaette de Glqt O', de Pamz
    que t cmprdo em todat ai drogariat pharmacias.
    '
    Aluga-se ou vende-se
    urna boa casa ruadoBispo
    Cardoso Ayres n. 12, com 2
    salas, 2 gabinetes, 6 quartos
    com janellas, todos assoalha-
    dos, sala de engomniado, co-
    zinha, cocheira, quarto de
    banho e accommodacoes
    para criado. Tem agua e
    gaz encanados : a tractar na
    casa immediata n. 14.
    DOENA8
    -DO-
    ESTOMAGO
    '- E DO-
    FI&ADO.
    IS fUfJBl BfilSTOl
    PUBEITE YEGETAES
    sao o melhor Purgante e o Remedit
    ruai1 cfficaz'contra -os ditos inale;
    RegtarizsBr-a Digesto
    PURIFICA'IVT A BILIS
    e curam radicalmente
    A DISPEPSIA.
    Aluga-se
    o '! andar do sobrado roa do Imperador n. 26,
    e a casa terrea ra do Lima n. 20 ; a tratar na
    lilhoprapliia ra Mrquez de linda n. 8.
    Aluga-se
    o sobradinho do becco do Quiabo n. 64, em Afo-
    lados, caado e pintado de novo, com quintal
    graudt, cacimba e diversos psde fructeiras ; a
    Cozinbeira
    Precisa-se de ama ama que cosinne Dem, para
    casa de pequea familia, que durma em casa
    dos patres ; na ra Conde da Boa-Vista n.'24-P,
    porto de ferro
    Malas deviagem
    para roupa de senhora e de homem, propria de
    camarote e caminlio de ferro, bolsas, cnapelei-
    ras, binculos, etc. etc.. artigos muito boD3 e
    baratos na livraria Contempornea.
    Se soTits porque queres
    USA E CONVENCEK-TE-HAS
    CURA RADICAL
    C
    SEM DIETA
    DAS
    Molestias de pelle
    SYPHILITIC.AS
    Darthros, sarna, ulceras antigs, iro-
    pingens, bobas, gomnias, cancros, rheuma-
    tismo e morpha.
    Com os prodigiosos
    XAROPE E UNGENTO
    DE
    Hydrocotile Calasans
    Apphcacao fcilUso sem perigoEt-
    fetos promptos, dieta razoavel.
    Contra Tactos Rao ha argumentos
    Estes remedios sao os mais comntodos
    do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
    correio, direc^es para uso d'estes medi-
    camentos admiraveis.
    Prefo do ungento 10200 o frasco.
    Prego do xarope 3J000 a garrafa.
    Preparados por Calazans & C. Phar-
    macia Imperial, Bahia.
    Deposito no Reelfe
    Francisco Manoel da Silva &
    c.

    tratae na roa de Marcilio Dias a. 106.
    Alugue! barato
    Ra de S. Amaro n. 14.
    Baixa verde n. 3.
    Becco da Bomba n. 8 loja.
    Baixa Verde ns. 1-C.
    Ra Visconde de [tapanca n. 43, armazem.
    Ra do Coronel Suassuna, quarto n. A.
    Largo de S. Jos n. 74.
    Largo do Mercado n. 17, loja.
    A tratar ra do Commercio n. 5, 1 andar,
    esenptorio de Silva GuimarSes 4 C.
    Ama
    Precisa-se de urna ama para cosinhar o com-
    prar ; na roa Nova n. 20, loja.
    Ra Mrquez de Olinda n. 23
    Boa morada
    Aluga-se a casa terrea da ra de S. Goni:#
    n. 26, esta limpa, tem muitos commodos bora
    quintal ; trata-se na roa Coronel SaassUBC i
    mero 15. |
    Engenho
    Arrendase o engenho Arariba de Pin;' .. .
    silo no termo do Cabo, moente e correte, afo-
    ndo a agua, com excellentes Ierras e cou. -
    i porgos para grande? safras ; a tratar na i
    i 1 de Marco n. 13.
    ti de vareo n. id.____
    Hotel Primavera
    Ama
    Precisase de urna ama para cugomroar e mais
    servicos de casa_de pequea faiilia ; na pjaca ,|~. juntares"
    18 Roa da Roda 18
    O proprieiario desse estabelecimento. Jos
    Bernardo da Silva, chama a attencSo do resp*i-
    tavel publico pura incumbil-o de encommenc;.s
    da Boa Vista n. 3.
    Ama
    Precisase de urna ama que seja boa cosinbei-
    ra; na roa Vida] de Negreiros n. 130.
    Ama
    Na ra de Sauta Bita n. 8'), se precisa de
    urna ama para cosinha.
    Ama
    Pre< isa-.se de una ama para lavar e engaiB;
    mar : na ra do Bangel n. I, padaria.
    Ama
    Precisa-se de urna ama para engommar e co-
    sinhar em casa de pouca familia : a tratar no
    Corredor do Bispo n. i.__________________^^
    Amas
    Na roa da Palma n. 40, precisa-se de fluas
    amas, urna para rrianca e nutra para cosinhar e
    comprar. __________
    Ama de leite |
    Precisa se de urna ama de leite ; a tratar na
    roa Baro da Victoria n. 54. na nova agencia de
    movis.
    Quadrori-
    cota bellissimas oleographias,
    adorno de sal e para presentes, tu
    se na livraria Contempornea, roa 1
    numero 2.
    objeetos para
    do en contra-
    de Marco
    Procssor
    Precisase de um professor que seja casado o
    que tenha boa norma de conducta, para um en-
    genho que dista urna o tneia legua da cstaco de
    Aripib : Dodendo entenderse com Antonio Ce
    sar, em Boa-Viagem.
    Forntce-se comedoras para casas partlet'a-
    res a precos commodbs :
    Fcijoada 40-
    Carno de qualquer forma TS0
    l'eixe '*00
    Frigideira 00
    Ver para crr
    Cosinheira
    l'iecisa-se para casa de pouca familia: M Ba-
    leo do Carino n. 18, i- andar.
    Criado ou cou pe i ro
    Precisase de um, para casa de familia ; vj roa
    da Soledade n 52.
    Engrenho Brilhante
    Arrenda-se esse engenho, sito no termo de
    Serinhem, com proporces para 1,200 pe? e
    movido a vapor ; a tratar na ra do Bom" Jesns
    i numero 23.
    Farello de carolo de algo-
    dao
    J conhecido como o melhor e mais nutritivo
    alimento para animaes ; vende se na roa do ka
    Jess D.38, I- andar. _
    Muita atten^o
    Na roa de S. Jos n. 56 tem para vender os
    afamados vmhos e licores de todos os fractos do
    paiz, fabricados pelo linado Je6o do Amaral Ra-
    poso, como sejam : vinlio de caj l. e 1* fus-
    Iidade, vinho do abacaxt, viulio de ianipapo,
    composto e simples, hesperedina brasieira, Ja-
    ranginha cordial, excencias de limo eewMke
    tres prensas para espremer os froctos, e tatio
    se vende por baratissimo prego para rnid-
    go. Assim como se vende om bom terreno na
    povoacao
    prego.
    de N. S. da Boa Viagem por qna'cr -r
    O mallior
    PURGANTE
    **&&du*Jdk*
    *Sg"&^ ^^^E^ACA^MAOE^^^r^jJ
    O melhor
    PURGANTE
    o
    0P0.DEB0GR
    'POODRE HOC
    logitimo -"'.lado
    com um rotule
    mpressb em
    QUATRO CORES
    PEHOLAS de PEPSINA PURA DY1LISIM
    de CHAPOTEATTT, Pharmaceutico.
    Fol o 8ftr Chapotiaut o primeiro ofaimico que conseguio preparar e fornecer ao
    mdico e aos doentes, em perolas redondas, urna pepsina pura, nao contendo, nem
    amido,neTD assucar deleite.nemgelatina.E' Cinco ve^p mais activaqaeapepsina que
    figura aa ultima edicao da Pharmacopea francesa e digere 100 vezes seo pezode carne.
    So* acefio da maior efficaoia; duas prclaa tomadas depois da couda bastao
    para favorecer e activar a digestfio, e fazem desapparecer no fim de um quarto de
    ora ai enxaqueoas, as dores do oabeoa, os booajoa a a aomaolaacia, qno
    alo a oonsequencia do urna ma digostao.
    Cada perola leva impresso em negro o nome CIApOTEAUT. m
    PPIB 9- Bar Trrtaaaa, r m tmhu sr frs94sr r "c-sssm. A
    i rTjmtdr







    i

    i-.
    S

    Cahio o ministerio
    Entao Sr. Francisco Raposo Falclo entrega ou
    nao os movis, nao paga por me nao quer
    GRANDE MMDABE
    SLSSMA s uv lijase
    cg?osi::o
    48RA BARAO DA VICTORIA48
    Vcaham ver para erer
    Apolice
    Joo Goston temi perdido urna apolice sobn.
    258 da primeira emissao provincial, pede a
    . aoem a achou > favor de entregal-a a ra Vidal
    N'egreiros n. 156, que ser gratificado.
    VENDAS
    Vndese superior massa de mandioca,
    secca e mol hada ; na ra Paulino Cmara n. 10,
    antiga Camba do Carino.
    Vende se ou troca-se urna taverna no pa-
    teo da feira de Jaboatfio; a t rajar na mesma.
    Liquidado por 30
    dias
    Aproveitem!
    Pedro Antunes C, desejosos de reduzir a
    grande quantidade de mercadorias que existe em
    seu estabelecimenlo, resolveram fazer grande re-
    duccfto nos precos, afim de facilitar um enfado-
    nho balando.
    Alero di rauitos oulros artigos, damos urna no-
    ticia ligeira de alguns que podem convir s ama-
    veis I ei toras
    GRANDE VARIEDADE em bicos de seda, li-
    nho, algodao e la.
    SALDOS DE FITAS de todas as cores e largu-
    ras. Guarniges de vidrilhos pretos e de cores,
    palmas, piogentes e gales andaluzos, alta n vi-
    dade. Aygretes para cabellos e chapeos. Pen-
    tes a Imperial Regente. Cortes de vestidos bor-
    dados de 9 a 20*. Vestidos ponto de malha
    [.ara criangas, prego de 6* a 101. Gorros a ma-
    rojo. Aventaes bordados para criangas. Rendas
    hespanholas. Lindos artigos para presentes
    Porta-cartes e flores em electro-plate. Rabados
    e entre-meos bordados. Finas perfumaras.
    Aguas e sabonetes fenicados. Commodos e ele-
    gantes espartilhos de 3&>00 a 10*. Romtos le-
    ques de seda, setineta e papel. Rraccletes e bro-
    ches, ouro romano. Talheres de electro-plate
    para criangas. Grande vanedade em calungas.
    'apellas, veos e ramos de flores de larangeira
    liana noivas Finas meiasde seda Escossiaeal-
    icdao para senhoras, bomens e criangas. Enxo-
    raes para baptisados, cbapos, sapatos e meias.
    NSo se esqucgam que fazemos todas as conces
    RA DUQUE DE CAXIAS- 63
    Nova Esperanca
    Pedro Junes ,V L
    A lien gao
    rende-se o estabelecirnento de molhados si:o
    .' roa do Hospicio n. Si, o motivo e seu proprie-
    ario achar-se dqnte e t?r de tratar tic soa
    .ade.
    Rojal Blead marca t lADtt
    Este excellente Whisky Escocez pre
    rivel ao cognac ou agurdenle de cana
    ara fortificar o corpo.
    Vende-se a retalho nos melfcorcs arma-
    ns de molhados.
    Pede Rojal Blend marca Viado
    -ujo.nomc e emblema sao registrados par
    todo Brazil.
    BROWNS & C., agentes.
    Atten^o
    '.' .ide-se o estabeJeeiawnta de molhados, sito
    i ra da Restaurado n. i>7, proprio pura princi-
    piante e o motivo da nodi se dir ao cuirprE-
    d>r.
    A Revolu^ao de 48
    A' ra Duque de Caitas n. 48
    Viemo por meio das poacas linhas,
    prov&r aos nossos freguezes, como vende-
    mos por menos 30l de que em outra
    qualquer casa.
    Cortes de linn e cretones, .todos os avia-
    mentos, em cart&o a 6*000,8*000, 9*000
    e105000.
    Ricos cortes de bordactof toara vestidos a
    145000.
    Organdis (fazenda de phantasia) a 400 rs.
    o covado.
    Folardina, tecidos modernos a 360 rs. o
    covado.
    Merinos setins, lisos e de quadros, 2 me-
    tros de largura a 2*000 o covado.
    Cretones franceses, claros de 500 rs.
    por 320 rs. o covado.
    Palitots de seda palha e cor de chumbo a
    8*000 e 105000 um.
    Seroullas francezas a 15000 urna.
    Luvas de seda, lisas e bordadas a 15000,
    15500 e 25000 o par.
    Cambraia suissa de 145000 por 75000 a
    peca.
    Collarinho8 e punhos celluiloid por 1$800
    Camisas francezas com peito de linho a>
    a 25000 urna.
    Lindos cortes de casemira ingleza para
    ca^a por .65000 um.
    Pechineha em camisas de meia por 15000
    e 15200 urna.
    Atoalhado para mesa muito largo por
    15200 e 15500 o metro.
    Bramante franjado de 2 larguras a 4CK) rs.
    o metro.
    Bramante liso e trancado de 4 larguras por
    lflOOO o metro.
    Toalhas de cores para mesa elstica por
    5*000 urna,
    Fechs de retroz, lisos e com palmas por
    15000 um.
    Capellas com veos para noivas por 85000
    le urna.
    Co has de crochet com palmas de cores
    para noivas por 15000 urna.
    Cortinados bordados, muito finos por 65
    o par.
    Xansuks muito finas de 320 rs. por 240
    rs. o covado.
    Para acabar, leques transparentes e de pa-
    pel a 500 rs e 25000 um.
    Saias bordadas (recebidas ltimamente de
    Pars; a 35000 urna.
    Algodaosinho muito largo a 45000 e
    55000 a peca.
    Cambraia preta para forro por 15200 a
    peca.
    Brins de linho, cores fixas e garantidas,
    a 500 rs. e 600 rs. o covado.
    i;obertas de ganga para cama de casal a
    25800 urna.
    Cobertores brancos de pura 13 de 55000
    por 25000, um.
    Setins de todas as cores de 800 rs. o co-
    vado.
    Leosle cures, imitacSo de seda de
    1*80 Colchas de todas as cores de 25000, 35000
    e 45000 urna.
    Setineta branca e de cores, lisas e lavra-
    das a 440 rs. o covado.
    Cortes de velludo para colete a 25000 o
    covado.
    Espartilhos finos *de 45000, 55000, e
    65000 um.
    Zefiros de quadros de 120,160, e 200 rs.
    o covado.
    Cambraia com salpicos com 10 jardas de
    45000 a pee a.
    Asslm como umitas outras fazenda que
    s com a presenca dos nossos freguezes
    podem ser verificadas
    Temos tambem officina de alfaiate e ga-
    rantimos a perfeicSo do trabalho.
    S na Revoluto de 48
    'Diario de PernamhucoTer^a-feira 11 de Jnho de 1889
    FOLPSTM
    SEM MAI
    POR
    paulo muiiun
    MJUEB
    A PALHA DA G0RA?A
    (Continuacao do n. 12 8)
    capitulo xn
    O castigo
    NSo, disse Pedro, nao o perdoo !...
    E isso, Eugenio Gages, nao porque voc
    trouxesse um luto eterno minha casa,
    onde nunca colheu senSo beneficios ; nao
    porque meu irmao fosse cobardemente as-
    -assinado por voc; nao porque minha ir-
    mS soffresse, porque voc roubasse-lhe a
    filha, porque fosse eu acensado e suspei-
    tado, porque voc escapasse de roubar-me
    a honra, o meu mais caro bem... mas
    porque nao existe no seu coracao o arre-
    pendi ment dos seus crimes. Qaer "ver
    sua filha, nada mais... E nao ha no seu
    coracao um bom sentimento, nem urna pa-
    lavra de arrependimento, de remorso por
    todo o mal feito !.. t ois bem, se Dcus
    collocou esse amor paternal tilo grande na
    sua alma gangrenada, por ahi que elle
    quer que voc seja punido, por ahi que
    o ser!...
    Estas ptavras, medidas, quasi calmas,
    mas atrs das quaes sentale urna decisao
    irrevogavel, causaram um medo atroz ao
    assassino.
    Elle ergueu as maos postas para o Sr.
    de Sauves.
    Piedade, patrao .'... murmurou elle
    dando quasi inconscientemente a Pedro o
    aiesmo nome que outr'ora. Piedade. em
    nome da minha pebre raulher, que o se-
    nhor estimava !. .
    Nao me falle nella... Nao profane
    assim a memoria da santa e infeliz crea-
    tara que voc matou!.... NIo, nao haver
    mais piedade para com sigo do que voc
    hbou para com os outras. Sua filha vai
    aorrer e voc nao tonar a vel-a!...'

    Descont de trinta por
    cento
    Vende-se a loja de longa ra da Imperatriz
    n. 13, fazendo-se ao comprador o descosto de
    trinta por cento; a pessoa que qnizer dirija-se
    a mesma.
    Ella partir* para a eternidade, sem que
    voc receba della o supremo beijo !...
    E eu, disse por seu turno o desco-
    nhecido, que nao havia ainda fallado : pen-
    sa que nao estou disposto a tentar restituir-
    me completamente a honra, Sr. de San-
    ves, pedindo justica da nossa trra mais
    urna punicSo alm dessa, para o assassino
    qac fez outr'ora com que o aecussas-
    sem ?...
    Eugenio Gages ergueu os olhos esga-
    zeados. .
    Ouviam-se-lhe os dentes entrechocar-se
    violentamente.
    Mas quem o senhor entao? per-
    guntou elle balbucante.
    O Sr. Marais, antigo chefe da segu-
    ranza, aquelle cuja missao durante dez an-
    nos foi prender os bandidos e fazer-lhes
    justica.
    Era effectivamente o Sr. Marais, que ti-
    nha vindo hora do almoco, como dissera
    a Suzana, afim de ver o rosto de Jonathan
    Pierce.
    Entrando durante a conversacao de
    Suzana c do assassino, encontrara Pedro
    de Sauves na sala contigua.
    O engenheiro, silenciosamente, tinha-lhe
    aportado a mao, e dissera-lhe esta nica
    palavra :
    Fique !
    O chefe obedecer.
    Mas Jonathan Pierce nao sabia que os
    crimes sSo prescriptos no fim de dez an
    nos.
    Julgou que ia ser preso, como o fora
    Pedro de Sauves, encerrado n'uma mas-
    morra, julgado, e provavelmente condem-
    nado.
    Morta sua filha, que lhe importava a vi-
    da !...
    A sua resolucao foi rpidamente toma-
    da.
    Achava-se ao alcance da sua mo urna
    panoplia; elle tirou della um longo faci
    japonez, e, antes que tivessem tempo de
    prvenir-lhe o movimento, e at de com-
    prehender o seu gesto, com a energia fe
    roz que era o fundo do seu carcter, en-
    terrou a lamina no peito.
    Cahio'redondamente no assoalho, sem
    oltar um grito, um gemido.
    Mas no chao abri os olhos ainda urna
    ultima vez:
    Estilo todos vingados, disse elle. Eu
    bou ... com effeito... um grande misera-
    vel 1... Perdao !...
    Uma golphada de sangue negro subi
    DEII1 lili
    Trlbefe para os eHpeeuladores
    Na ra do Rangel
    ns. 13 e 13 A
    G. SANTOS & C.
    Jos tii & C.
    13
    Completo soi'timetito dJ easeminu para temos
    quefaz-se por pregos harsiissimos.
    13 A
    Grande sortimento de miudezas recebidas di-
    rectamente de Pariz dos mais afamados fabri-
    cante?.
    13
    Camisas de linho a 2*000 e a 3*000, colchas
    de cores a 1*500. flchs a 900 re.
    13 A
    Leques de gnze, penas e setim, espartilhos e
    fiCas modernas, sortimento vsriadissimo, pregos
    mdicos.
    13
    Cortes de casemiras para caigas o mais mo
    derno que ha no mercado e de duraque, seda e
    fustao para colletes.
    13 A
    Bordados e entremeios Victoria ou transpa-
    rente de todas as larguras, pregos sem compe-
    tencia.
    13
    Cortes finos para vestidos em cartes a 6*000
    e 8*000. lis de quadros a 160 rs. o covado, chi-
    tas de 200 a 180 rs.
    13 A
    Bicos brancos e de cores, espelhos, jarros fi-
    nissimos, mais baratos que em ouira qualquer
    parte.
    13
    Gorgorinas para vestidos a 300 rs. o covado,
    recebidas directamente, sargelins a 180 rs. o
    covado, cambraia com salpicos de cores1 a 300
    rs. a vara.
    13 A
    Perfumaras : sabonetes, extractos finissimos,
    oleo Hermosa a 900 rs. o frasco. Gravatas bran
    cas para casamentos, regalas, plaston. man-
    tas, etc.
    13
    Grande sortimento de piastra5 rte f>00 a 1*000
    a Derby Club.
    13 A
    Luvas de seda de cores e pretab a 1*800 o
    par. ditas fio de Escossia a I *0001!
    13
    Importante officina de alfaiate sob a gerencia
    de nm perito mestre prompto a satisfazer o gqs-
    to o mais exigente, por pregos sem competencia.
    13 A
    Lengos finos de linho, ditos bordados e de
    labyrintho a 300 rs., enxovaes para baptisados,
    toucas de setim para criangas e meias de todas
    as*qualidades.
    13
    Quem quizer vestirse bem e por pouco di-
    nheiro venha a este estabelecimenlo que encon-
    trar alm de um completo sortimento, since-
    ridade, agrado e modicidade nos pregos.
    13 A
    Grande variedade de objectos de phantasia
    proprio para presentes.
    Afina!
    Quem desejar andar no rigor da moda venha
    sortir-se nestes dous eslabelecimentos que se
    confr ternisam afim de combaterem este bicho
    horrorosoPRECO CARO.
    .. s.% vrott de c.
    Ra do Raugel n. 13
    JOS BIE & C.
    Ra do Rangel n. 13 A.
    Para jornaes
    Pipe! formato Diario, 500 folhas 7<50t
    Dito dito Jornal, 400 folhas 5*000
    Dito dito Provincia. 400 folhas 4*500
    Vende-se na fabrica Caxias.
    Vmho particular
    No armazem da ra do Amorim b. 60. vende-
    se o que pode haver de melbor pelo mdico pre-
    go de 7*000 o garrafao de tres caadas, voltan-
    do o casco. v
    MAIS BARATO
    Na Loja das Listras zoes
    A* RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
    Vende-se fazendas finas mais barato e
    da-se descont a quem comprar de 20)5000
    para cima, troca-se as fazendas vendidas,
    se por qualquer motivo nao fr de muito
    agrado para quem for comprada e vende
    pelos seguintes precos:
    Cachemiras lisas e com listas de
    seda de lindas cores, a 10400.
    Merinos de duas larguras, a 440 e
    800 rs., qualidade superior.
    TecJ dos arrendados c3r de creme com
    matiz com duas larguras, a 600 rs.
    Fazendas de phantasia e lindas cores
    a 400 e 500 rs.
    Tecidos de linbo, lindos padr3es
    grados, a 200 e 240 rs.
    Zeflros lisos e de quadro, a 80 e
    100 rs.
    Setins de Maco branco, preto e de
    todas as core a 750 e 800 rs.
    Setins de quadrinhos, a 900 rs.
    Sedas lavr*das brancas e de cores cla-
    ras, a ltHOO.
    CSazes de seda com fios prateados a
    1,J000. ""
    Cortinados de crochet, em peca, a
    900 rs.
    Cambra!as bordadas brancas e de
    c6res, a 4&X* a peca.
    Cortes de vestido bordados, brancos,
    para noivas, a 160000, 180000 e 200000.
    Veos para chapeo preto, branco e de
    qualquer cor, a 10500.
    Crep inglez para enfeitos de vestid* s
    a 10200 e 20000.
    TECIDOS MAIS BARATOS
    Pereales e chitas claras, finas, a
    180, 200 e 240 rs.
    Cassas de cores finas e seguras, a
    120 e 240 rs.
    nnrim de listras azues muito lar-
    gos com 20 varas, a 60000, a peca.
    Sargellns finos, a 160, 180 e
    200 rs.
    Crinolina, qualquer cor, a 400 rs.,
    o metro.
    Guardanapos superiores a 10800 e
    20000, a duzia.
    Atoalhado lavrado, lindos dezenbos,
    a 10000.
    Bramante de 4 larguras a 640, 800
    e 10000, o metro
    Toalhas acolchoadas e felpudas com
    listas de cores, a 40000 e 60000, a duzia
    Bicos brancos francezes, a 6XX
    e 800 rs., a peca.
    Bicos finos, brancos, cremes e ma-
    tisados, a 20000, a peca.
    Baldas a 240 rs. a duzia, cobertas a
    400 rs.
    Luvas de seda, bordadas, brancas,
    pretas e de cores, a 20000.
    Leques de papel, a500 rs. e trans-i
    parentes, finos, a 20000.
    Leques de pennas o que ha de me-
    lhor, a 50000 e 60000.
    Sabonete grande de perfume agra-
    davel, a 500 rs.
    Extractos finos francezes e inglezes
    a 10OOO e 20UOO.
    Despertadores americanos, a 70.
    Hosquitelros americanos com ar
    macao a 100000 e 120000.
    Espartilhos americanos e inglezes,
    a 40000, 50000 e 60000.
    Capas de vidrilho e rendas, a 250000
    e 300000.
    Toalhas de lalM riuOio para bap-
    tisado a 300000, 400000 e 500000.
    E umitas fazendas qne se d por todo o
    prego na.
    Loja das Listras zoes
    AO
    Convite
    s
    55
    familias
    lhe aos labios, agitou-e uma ultima con-
    vulsao, e depois enteirigou-se-lhe o corpo.
    Esta va morto.
    A voz de Roberto chamava de cima, di-
    zendo :
    Papai, Suzana, subam depressa, de-
    pressa !...
    V, disse o Sr. Marais, sua irma
    nao deve ver este espectculo ; incumbo-
    me de tudo.
    A governante e Pedro afestaram-se r-
    pidamente.
    Um espectculo desolador aguardava-os
    no pnmeiro andar.
    Georgioa, com a cabeca erguida sobre
    os travesseiros, agonisava, sustida por Clo-
    tilde.
    Ao p do leito Adelia solucava.
    Effectivamente a moga que expirava nao
    devia-lhe por ventura a segunda vida pby-
    sica que d o aleifamento ?...
    A vida moral que d3o dezesete annos de
    adoracoes e de cuidados!...
    Naquelle minuto supremo, a excellente
    creatura nao via, nao senta outra cousa
    Onde est Roberto ? murmurou a
    agonisante.
    Foi chamar o pai, respondeu-lhe Clo-
    tilde meigamente, limpafdo os olhos e o
    rosto da moribunda... Olha, ahi vem elle
    justamente com o Sr. de Sauves e Su-
    zana.
    Um divino sorriso subi aos labios des-
    corados da pobre donzella.
    Approximem-se todos, disse ella,
    muito perto, visto que nao tm medo de
    mim... Assim, obrigada. Escutem-me,
    as forjas vao-me fugindo... Tu, querida
    mamai, tao boa, meu tio, Suzana, que me
    criaram com tanto amor, perdSemme nao
    tel-os amado o quanto moeciam !. Eu
    nio era como voces... Nao sei o que me
    impellia... revoltava-se sempreemmim !...
    Perdem-me, hoje est tudo acabado !...
    Adelia continuava a chorar ; Pedro e Su-
    zana, perturbados pela scena que acabava
    de passar-se em baixo, diante do seus
    olhos, nao encontravam uma palavra para
    responder.
    A moca pegou na mao de Clotilde:
    Voc tratou-me muito bem, disse
    ella, sem ter medo da minha espantosa mo-
    les! ; o seu devotamente foi admiravel...
    Obligada!... Devo-lhe alguma cousa como
    reclmpensa I...
    tu, Roberto, continnou ella ao cabo
    de 4guns instantes, queres perdoar-me
    Pede se attencao para os pregos abaixo
    mencionados:
    Cambraia com salpicos a 40000 a pega.
    Rendas hespanholas a 10 o covado.
    Madapolao americano a 60, 70 e 80000.
    Renda da China, novidade, a 240 rs.
    Amor da China a 200 rs. o covado.
    Zefiros a 160 e 200 rs., cousa chic.
    Espartilhos, grande sortimento.
    Guardanapos a 10600 a duzia.
    Capas para senhoras, novidade.
    Fustes brancos a 400 e 500 rs. o ce
    vado.
    Linn bordado a 800 rs. covado.
    Toalhado para mesa a 10 o metro.
    Esguiao pardo a 400 rs. covado.
    Babados e entremeios, grande sorb
    ment.
    Colchas muito bonitas a 20000.
    Enxovaes para baptisados, finos.
    Merinos pretos e de cSres a 500 rs o
    covado.
    Cortinados para cama a 60000,.
    Las a 240, 320 e 500 o covado.
    Luvas d>- seda a 20000.
    Crinolines a 400 rs c metro.
    Cambraia branca a 20800 a pega.
    Grinaldaa para noivas.
    Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
    vado.
    Cortes d' cachemira, ci usa chic
    Sargelins de todas as cores a 200 rs.
    covado.
    Collarinhos e punhos grande sortiment.
    Cretones para vestidos a 320 rs.
    covado-
    Toalhas felpudas, grande reduegao en
    pregos. ,
    Camisas inglezps com e sem collarinbo
    Mantilhas pretas.
    Brins para roupa de criangas.
    Setins de quadro, em cortes, gostos no-
    vos e pregos commodos.
    Batistas a 120 rs. o covado.
    Cretones para coberta a 500 rs. o co-
    vado.
    Tecidos arrendados para vestidos, cou-
    sa chic, a 400 rs. < covado.
    Tapetes grandes e pequeos.
    Bramantes 1 sos e trangados a ROO, 10
    e 10200 o meto.
    Alm do que fica mencionado, temos
    mais outras pechinchas que s vista se
    pode acreditar.
    Da-se amostras sem penhor.
    55 RA DUQUE DE CAXIAS &
    FERMiWSDEAZEVEDO&C
    B
    reu marca
    F
    Vende-se em barricas a 30 rs. a libra ; no ar
    mazem da ra do Amorim n. 60.
    Superior queijo do Serid a
    1$200 o kiJo
    S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferreir
    & C. Successores.
    tambem o ter te feito soffrer, o ter-te ator-
    mentado, impondo-me forga a ti ?. Ti-
    nha uma descnlpa : amava-te !...
    Deteve-se, extenuada.
    Vive, cura te, minha querida Ghor-
    gina, exclamou o filho de Pedro, generoso
    e bom como todos os seus e que com a
    terna piedade da mocidade esquecia tudo
    para ver uma cousa apenas os soffrimen-
    to8 ea morte da infeliz moga!... Cura-tefc
    minha querida Georgina, e nos todos aqti
    amar-te-hemos, faremos o impossivel para
    que tu sejas leliz.
    Seria uma grande desgraga cu curar-
    me, disse ella gravemente, melhor que
    eu morra, comquanto tenhas a alma bas-
    tante grande para desejar o meu restabe-
    lecimento... N2o, Deus sabe o que faz!...
    Quanto a ti, meu querido primo, meuama-
    do irmao, quero que conserves a ultima
    recordacao boa da tua amiguinha de in-
    fancia. D-me a tua mao...
    Elle estendeu-lh'a.
    Ests admirado, disse ella, vejo-o
    nos teus olhos. Mas os moribundos tm o
    ouvido apurado. Quando julgavam-me ador-
    mecida, ouvi-os iauitas vezes, tu e Suza-
    na... Amas Clotilde... sei disso... Quero
    que mamai t'a d como esposa!... Essa
    sim, perfeita !... E quando forera folizes,
    mais tarde, digam comsigo que eu nlto
    amaldigoei a sua felicidade, ao contra-
    rio !... Os dous foram tal hados por Deus
    para pertencerem-se !...
    Tornou a cahir extenuada.
    Todos choravam, ao passo que Pedro
    dizia comsigo :
    Neste minuto supremo, a alma de
    anjo de sua mai que voltou ao seu corpo e
    rjsgata o que ella nos fez soffrer.
    Mas onde est o meu grande amigo ?
    perguntou a joven moribunda com a voz
    j tropega.
    Nao tiveram pena de recusar sua ago-
    na a presenca do .miseravel que acabava
    de fazer justica a si proprio.
    Accommetteu-a o delirio.
    Pouco a pouco perdeu completamente
    a consciencia do que a rodeva, e appro-
    ximagao da noite extinguio-se-lhe a vida
    sem dores nem abalos, depois de haver
    erguido um olbar muito meigo, muito
    bom, para Adelia, e sorrir-Ihe por duas
    veaes.
    EPILOGO
    Na tarde do mesmo dia o Sr. Marais
    mandou proceder A remocao do corpo de
    A proveitem aoeeasio
    Verdadeiran pechiifrlia*
    Cortes de cretone corabinago a 4a00.
    niapin estampado bonitos desenos, covado
    a'SOO rs.
    Las de froco fina;, covado a 280.
    Ditos de quadros bonitos, covado a 240.
    Fustao de cores, lindo gsto, covado a Ifio.
    Zefiros largos de quadros, covado a 240.
    Ditos de quadros. covado a 120 e 160.
    Toalhas alcochoadas grandes, duzia a M500.
    Guardanapos de franja, duzia a 1.1600.
    Saias bordadas finas a 33500.
    Fichs finos lisos e bordados a l.
    Setins de quadros novidade, covado llf
    Camisas finas de algodao a loU>.
    Ditas finas de linho a 3i500.
    Tapetes grandes para sof a 13 >.
    Cambraia branca bordada, pega a '> i
    Madapolao americano muito largo a OIOu.
    Mimooa cambraia das mogas, peca a 35300.
    Algodao largo com 10 metros, pega a 25300.
    E outras muitas fazendas que se liquidam por
    menor preco para acabar
    A ra 'Duque de Caxias a. 49
    Loja do Triiimpho
    Bastos & Companhia
    A LOJA MAIS BAfrATEIBA
    PARIZ FAMERICA
    AZEVEDO, IRMaO & C.
    1 16Ra do B. da Victoria16
    200 Telephone200
    Tendo recebido directamente da Euiwpe
    grande sortimento de fazendas e modas
    que ha de mais novo e pregos sem coa-
    petencia. #
    A saber :
    Capas de surah, senda e merino.
    Renda preta, diversas qualidades.
    Etamines, pretos, de la e 13 seda.
    Damass de seda pura.
    Merinos pretas de 800, 1^000 e 1|J308.
    < rinoline preta e branca a 400.
    Sargelim, todas as cores, a 206 rs.
    Bramante de linho a 15500, com 18
    palmos.
    Toalhas para banho a 1,5000 e 1*500,
    ("hachemiras com 2 larguras a 800 r.
    Ditas de l e seda 2 larguras a 1*000.
    Madapolao trancado a 9*000 a poca.
    Dito globo a 7*000 a dita
    Dito camiseiro a 7*000.
    Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 6*008.
    Fichs de 13 e seda 1*000.
    Brins de linho coi es fixes a 600.
    Espartilhos couraca a 4*000 e 5*006
    Colchas de fustao a 2*000 e 3*000.
    Capellas para noiva com veo bordado s
    6*000.
    Toalhas de cures para rosto.
    Rendas, comprimento de saia a 1*5GQ-
    Renda de la, preta, para quaresma.
    1-ano verde para bilhar.
    Tapetes para sof a 13*000.
    A verdadeira esteira para forro de sak
    a 1*000.
    Camisas de flanella a 5*000.
    Cortinados de crochet para cama s
    10*000.
    Chitas de cores a 200 rs.
    Cretones com 2 larguras a 400.
    Baleias com forro a 390 a duzia.
    Ditas sem forro.
    Seda de cores a 800 e 1*000.
    Extracto Rita Sangal a 2*000.
    Velbutina de quadro a 800 e 1*900.
    Guarnicoes, pretas, de vidrilhos.
    Bicos de seda, brancos.
    Caixas com extractos para presentes.
    Rendas hespanhola a 4*000.
    Capachos de coco.
    Luvas de seda a 2*000 o par.
    Meias de seda para horaem.
    Dita de dita para senhora.
    Flanellas de cores para roupas.
    Panno da Costa para mesa.
    Vestuarios para baptisado,
    Colchas, de crochet com flores.
    Crep inglez para enfeite'
    Grande sortimento de chapeos de
    Setineta para coberta a 600 rs.
    Cortes de collecte de seda.
    Dito de fustao de cores.
    Dito de casemira de cores.
    TELEPHONE 200

    Materiaes
    Vende-se barato doze railheiros de telhas, ma-
    deiras e ti jlos de uma grande olana ; a tratar
    narua do Imperador n.sO, 3- andar.
    MotaOR
    K0MAlSm
    ^f1* *"il_RY ende-se em tai anrt*
    Eugenio Gages, para transportal-o ao Ho-
    tel Continental onde elle morava.
    QPedro de Sauves desejou que nao trans-
    pirasse cousa alguma do ultimo drama que
    havia tido por desenlace a morte do mise-
    ravel.
    O seu doloroso processo de outr'ora es-
    ta va esquecido !...
    Para que avivar todas aquellas chagas
    tSo cruciantes?...
    A vida de Pedro, tao pura, t2o recta,
    tao honrada, nao havia por ventura pro-
    duzido os seus fructos?...
    Por acaso persistira no espirito de uma
    nica pessoa a mais leve duvida sobre a
    sua absoluta honorabilidade ?...
    Acreditou-se no boato de que i sir Jona-
    than Pierce suicidara-se n'um accesso de
    desespero, causado pela morte imprevista
    da moca que elle adorava.
    Isso, alias, era em parte a verdade.
    A versao, perfeitamente acreditada pe-
    los criados da casa sustentada pelo Sr.
    Marais e pelas pessoas da familia de Sau-
    ves, nao encontrou em parte alguma con-
    testacao.
    Comquanto um testamento instituisse a
    menina Chaniers sua berdeira universal,
    e, pela morte de Georgina, que succedera
    de sir Jonathan, a fortuna deste ultimo
    devesse tocar a Adelia, nem a Sra. Cha-
    niers nem Pedro quizeram utilisar-se de
    um ceitil de tal fortuna, como se deve
    comprehender.
    Exigiram que sir James Pembroke a
    conservasse intacta.
    Este, que nunca havia sabido a minima
    cousa sobre a verdadeira personalidade de
    seu primo, acabou por aceitar.
    Dous mezes depois debtes acontecimen-
    tos, Roberto tornara-se o ieliz marido dej
    Clotilde.
    Adelia tinha vivo desejo de provar a
    8ubstituic2o que durante dezesete annos
    fizera-com que ella criasse e edcasse
    urna estranha em vez da sua verdadeira
    filha.
    A idea de que a 6ua Clotilde seria cons-
    purcada durante toda a sua vida por aquelle
    nome odioso, era-ihe dolorosamente repug-
    nante.
    Para chegar, porm, a uma rectificacao
    de estado civil, seriam necessarios tantos
    fazer tanto arruido, levantar tan-
    e provocar talvez tantas
    pasaos,
    tos escndalos
    dores,-que Pedro, com a sua reconhecda
    sensatez, acabou por fazer sua irmS re-
    nunciar a tal idea.

    /
    i 1

    xf



    * *K
    *

    Leite puro -
    Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitia lo-
    go depois das casas novas da direita, vende-se
    todos os das leite puro de vaccas touriDas et
    trra, garntese a qualidade do leite.
    Pao centeio
    Mrllo & Biset, arisan ao respeitavel publico,
    que todas as tercas e sextas-Jeiras, tem eae sa
    ooroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
    Papel de forro
    de sala, gabinete e corredor, esplendido sotfe-
    mento na livraria Contempornea.
    Vinhopuro de Santa-
    rem
    a Cegou a segunda rcmessa deste especia! ii-'
    nho para n armazem central de gneros alimett-
    cios i ron do i abug n. 11, o qual e (orne
    reeommondado por ser puro da nva.
    Joaquim ChristovSo & C.
    IV lo pilono11}
    i
    ..

    Uma moca perde a sua personalidade
    na de seu|marido, disse-lhe elle. Tomac-
    do-se esposa de nosso filho, ella fica seo-
    do nossa filha aos olhos da sociedade, com-
    o j pelo sangue; que importa um no-
    me ?... E depois, quem saber que o Eu-
    genio Gages, de quem ella passa por sei
    filha, o homem que tanto mal nos fez?...
    Ninguem sabe disso, e os que o suspeita-
    ram outr'ora como autor de um crime, e&-
    queceram-n'o j... Clotilde Gages ?... Que
    importa ?... E' a Sra. de Sauves que ella
    ser dora avante, isto a nossa alegra,
    a nossa felicidade, o nosso presente e o
    nosso porvir, a consolacao dos nossos .pe-
    zares, a paz dos nossos ltimos dias.
    E Pedro de Sauves tinha inteira razo
    Esperando o anjo que Clotilde de Sau-
    ves vai dar brevemente a seu marido^ Ade-
    lia e Pedro esqueceram tudo quanto na*
    dizia respeito hora presente.
    Nem os negocios que Roberto dirige ma-
    ravilhosamente com Benjamn Pembroke,
    como socio, nem a fortuna, que corre mais
    que nunca familia de Belleville, nem a
    solida amisade do3 amigos da America, que
    tinham ido assistir ao casamento dos don
    moos, nada existe para elles fra do o-
    nho que a antiga orpha erabelleza ~com a
    sua graca, com a sua ternura, com todas
    as adoraveis virtudes do seu coracao.
    Suzana de todos de casa, talvez a
    mais feliz.
    Ficou sendo ainda mais irma de AdeGa
    e de Pedro depois que a sua energia e a
    sua dedicacao attingiram o fim tao demo-
    radamente, tao infructferamente almejade
    at entao, a deScoberta e a punicao do as-
    sassino de Jorge Chaniers.
    Adelia exigi que ella dahi por diante a
    atuasse.
    Ella quem ser a madrinha do pri-
    me iro nlho de Koberto e de Clotilde.
    Pompn nao esquecido no meio ds
    alegria geral.
    E quando D. Rosa, a gentil enfermen
    do hospital da Lariboisire, vai visitar a
    ^ua antiga doente enconfra-o mais feliz da
    que um rei, saltando e latindo como am
    louco as sombra encantadoras do beflo
    parque de Belleville, onde dntro enpoa-
    co um pirralho que elle adorar certamen-
    te como adorou a mai, compartilhar i
    seus folguedos.
    FIM.
    Typ. do 7>wto.rua Uuaue de Caxias n. 4X.
    y\
    r
    i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7E0HDL1N_NI6AIB INGEST_TIME 2014-05-28T18:24:32Z PACKAGE AA00011611_19833
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES