Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19825


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
ANI-
' LJiJ
... N
U ilX Jb JA
10 12
A <
t "^a^BII
m o\di: mJL i: paca
i nezes amantados.
rvieB ditos idem
Por um anno dem.....
Cada numero avulso, do mesmo dia.
MfJOOO
01OU
DIARIO
H

Jl/,
n II
jjl* JLOOt/

PARA DIMKO i; FORA DA PROTIXCIA
I'or seis mese adiantadoa ....
Por nove ditos idem...... .
Por um anno idem... ...
Cada numero avulso, de dias anteriores
13*500
2O4O00
260000
5100
PERNAMBUGO
Tropriedad* de Mmwel ^gueirca de 3n/ia $ Stycs
-*
OS SrSt AlGCiG iTlD"Uamente acd*111^0 pelos habitantes daqui,
de volta de sda viagem Allemanlia.
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annnncios
e publicares na Fran-
ca a Inglaterra.
TELEGRAMMAS
mw ?st::uls so biasio
BEL?'M,*29 de Maio, as 7 horas e 20
minutos.
# -
Hontem as 5 horas embarcou o Exm Dr.
Pernambuco bordo do Mandos com ex-
traordinario acompanhamento de familias,
cavalheiros distinctos, membros do partido
conservador, autoridades civis, -uditares de
mar c trra, desenabargadores, commissao
da pra9a do commercio. cnsules e agentes
consulares, que para l:varem-n'o & bordo
tomaram 8 vapores das companhias Maraj
e Tocantins, Para e Amazenas.
W Estes ficaram repletos, e delles saudaram
por vezes a S. Exc, em redor do Manos.
Nunca se deu manifestagiio tamanha e
t3o espontanea, como esta.
Aeompanham a S. Exc. o Dr. Julio de
Mello, a qjpn tanibem.'tizerara-se manifcs-
t|yoes de'-e^eco, e o Dr. Pernambuco
'L.
RIO Dg/ANEIE, :o Je Maio, 1
hora e 23 minutos.
Est convocado para amanhS ikConsellio
de Estado pleno, jomo se previa. Pro va-
velmfnto haver amanlia a recomposagao
iajiaMPterkl,* apresentando-se o ministerio s
cantaras no sabbad ou segunda-feira.
NATAL, ul de Maio, s 3 horas e 50 mi-
nutos- da tarde.

loje, doze deputados provinciaes, reu.
nidos em sessKo preparatoria, contra a dis-
posigao expressa no Regiment, depuraram
o deputado Ucha, legalmente eleito com
urna maioria de 109 votos, reconhecendo o
candidato liberal Correia, no intuito de fa-
zerem maioria.
Este procedimiento illegal causou geral
ndignacao.
Os deputados conservadores conhecendo
o plano dos liberaes nao compareceram
sessao.Jj
Agencia" Ilavas, filial em Pernambuco,
31 de Maio de 1889.
INSTRDCCO POPDLAR
AS GRANDES I\VE\C0ES
4NTIGAS K MODERNAS
AS
Sciencias. industrias e artes
Z.Q73Z
POR
PSGVXBat
XV
sasTi;: sa a&ehcia um
LONDRES, 31 de Maio.
Lord Shetland acaba de ser nomeado
Vice-Rei da Irlanda.
MILAO, 31 de Maio.
S. M. o Rei Humberto tem sido caloro-
A eleclrlridade
(Continuaglo)
Te ido tomado um tubo de vidro cheio d'agaa
e tapado com rolhas de cortica, Micajplson e Car-
lisie fizeram passar atravez de cada Urna das ro-
lhas um fio de cobre. Depois de collocarem o
tubo verticalmente, o rame de cobre inferior foi
posto em communicago com o disco de prata
que formava a base (polo) de urna pilha de co-
lumna, e o rame superior com o disco de zinco
do cimo.
Ento aproximaran) apouca dislancia urna da
outra as duas extremidades dos arames. De
repentediz Nicholson -urna longa serie de bo-
litas extremamente hnas subi da ponta do ra-
me de cobre inferior, emquanto que a pona do
rame de cobre opposlo se fa/.ia baga depois cor
de laranja, e em seguida preta.
A agua baria sido decomposta em seus dous
elementos : o gaz hydrogeneo, que se tinha des-
envolvido em bolhas no fio negativo, e o oxyge-
neo.que se havia precipitado para o fio superior
preso ao polo positivo, e o havia oxidado. Ni-
cholson substituiologo aos (os de cobre outros
de platina ou ouro : como estes mataes nao fos-
sem oxydaveis. pode recolher-se o gaz oxygeneo
em estado detiberdade.
Demonstra se boje a comnosigSo da "agua por
meio dpapparelho do Nicholson levemente modi
ficado. Toma se urna especie de copo com agua
o qual lana no fundo um disco de cera atravessa-
do por flous fios de platina. A extremidade
desfes lies introdux-se em duas estreitas campa-
nas de vj4ro gradinas e cheias dagua ; sao col-
locados Spois cm relacao com os polos de urna
pilha. Agua deeompOe-se, o recolhem-se, em
nina das rampa aa dous volunac? de gaz hydro-
gennn. emquanto que -rnente um volume de
gaz oxygeneo se rene na outra campana.
As experiencias dr Nicholson foram reprodu-
/.idas por toda a part;, em Inglaterra, em Fran-
ca e na Allemaaha. Sa mesma epocha. William
Cruikshaok demonstrara que a crrante voltaica
que decooipfcc a agi>a4 uiidc decooofte^t
os |ii\f>rTt.y oxydow motePicos nos saes tic" que
estes rompostos fazem parte, de sorte que algu
mas vi/.e o metal se deposita em forma de pe
quena- ciyslacs sobre o polo negativo.
Applicada chimica, a pilha enriquecen esta
sciencia de factos oras, e aperfeigoou de urna
maneira inesperada os seus processos de espe
rimenlago. O Ilustre chimico inglez Htimphry
Dary ft z um todo desses diversos factos da ac-
gSo chimica da pilha, e por seus trabamos e ge-
nio deu-lhes a unidade de que careciam.
Davy demonslrou que todos os corpos comoos
tos se podezn separar em seus elementos sbb a
influencia da pilha. Descobrio a verdadeira na-
tureza das trras, isto da cal. da barvta, da
magnesia e dos lcalis, i?to da potass'a e da
soda Separou estes diversos corpos em dous
elementos ; cm melal e oxygeneo. Por meio de
um apparelho muito poderoso, composto de seis-
centos elementos voltaicos, pago por um sobscri
pgo nacional, Dary reconheceu que. se se ter-
minaren) os dous Dos conductores da pilha por
duas pontas de carvao, e se aproximaren) ambos
estes carves a pequea distancia um do outro,
v-se saltar entre elles urna faisca de brilho des-
lumbrante. *
Retirando pouco a^iouco os carrees um do
outro, o jacio de luz formara um arco luminoso
de tres a quatro pollegadas de tomprido e com
um esplendor eompararel ao da luz do sol. Este
phenomeno luminoso puramente physico;o
oxygeneo do ar nao toma parle nelle, porque
sate tao boa a experiencia no vacuo como no
ar. Estes notaveis effeitos sao os resultados do
calor produzido pela corrente da pilha. Em
nossos dias este arco luminoso foi applicado il
luminagao, como havemos de ver no capitulo es-
pecial da Iluminadlo.
(Contina)
PARTE OFFICIAL
o imposto de 2 [0 sobre o valor Ioca-
Governo da Provincia
RELiTOKIO com que o Eim. %r. Dr. Innocencio Marques de
i mujo Cies. presidente da provincia de Pernam-
Imk-o. passou a adminlstra^o ao lixni. *r. lr.
Ignacio tloaqulm de Wouza JLeo, i vlee-presi-
denie.
(Continuadlo)
Art. 2." % 26." Augmenta para 3 [0 o imposto de 2
tivo do predio urbano ou parte d'elle, em que estiver estabelecido o negociante que
pedir licenoa para abrir ou eontinuar aberta qualquer casa de negocio.
| 26." n. o. Eleva a 10 [0 o imposto de 6 [0 que pelo mesmo motivo
pagavam as agencias mi companhias raaritimas, commerciaes ou induetriaes, agencias
de vapores e as cisas de vender bilhetes de loterias.
1 2i!." n. 4. Converte em imposto fixo de 400(>000, a taxa de 6 [0 que
incida pela mesma razao sobre os bancos, ou casas bancarias, escriptorios ou agen-
cias de operac3es de crdito.
| 26." n. 6. Fixa em 30 "[ sobre o valor locativ o imposto sobre os
estabelecimentos queja existiam ao tempo da prohib93o das posturas municipaes e
que se tem conservado com o mesmo negocio depois da prohibicSo. Estavam esses
estabeleeimentos sujeitos ao dobro das Acas.
i % 26." n. 9. Augmenta para 300000 em vez de 20)J000, as taxas sobre
theatrinhos, exposteoes de vistas, tivoly ou qualquer divertimento publico com entra-
da paga.
, 26. n. 17. Eleva a 200000 e 105000 o imposio de 100000 e 50000
obre ranchos na cidade do Recife e nos emais lugares do municipio.
26." n. 18. Eve\a a 4000000 o imposto de 2000000 sobre as garapei-
ras existentes no Chora-Menino.
| 26. u. 23. Eleva a 160000 o imposto de 50000 sobre olarias as Ire-
gueziaa da cidade do Recife e a 50000 o de 40000 sobre os meamos estabelecimentos
nos i.nttos lugares do municipio.
26. n. 25. Eleva a 200000 o imposto de 100000 sobre casas de baulaos
pblicos, na cidade do Recife.
27." Elevase a 300000 o imposto de 200000 sobre mascates nacionaes,
no municipio do Recife o a 2000000 o de 1000000 sobre mascates estrangeiros.
| SO." Elevou a 1000000 o imposto de 500000 sobre mascates nacionaes
que vender"* objljctoa do ouro, prata e pedraa preciosas, no municipio do Recife.
36. Eleva a 150OCX e impo
do ar, na cidade do Recife.
| 43. Eleva a 300 re. por me
cada pavimento as freguezia da cidade
municipio o imposto de 180 e 50 rs. por
| 4li.a Elev* a. 40000 o imp
ou mudar varanda, porte; janella no
do Recife.
f 48.' Eleva a 80 rs. por m
fiara construir muros as freguezia da
agares do municipio.
e 57.a Eleva ao duplo o impo
cadas as freguezias da cidade do Reeiil
alinhamento das executadas de accordo
| 61." Augmenta para 500 00
j H''OOO. por Jicenca para soltar fogo
totiadradi. da wea oceupada a raz^o de
Recil'e e a 106 rs. nos outros lugares do
tn<;a para edificar n reedificar,
rae 30000 por licencu para rasgar, tapar
'riov do predio, as freguezias da cidade
corrente o imposto de 50 rs. por Jicenja
do Recife e a 30 rs. o de 20 norf outros
100000' sobre as casas das ras j cal-
que nao tiverem passeios feitos no mesmo
M posturas municipaes.
payosto do 200000 por cada casa de mo-
Ihados no municipio do Recife que conseivar rotulas em qualquer de suas portas.
Do exposto v-se que a rede As |aipostoB colheu todas as classes e todas
as profiss5es; e o que mais se deve sentir date de tal derrama de contribu93es
que fosse aggravada a sqjte da populasaoliobre, j crand'!-se novB impostes sobre o
gado e sobre os acougu^s, que vem encarecir a carne verde, at tem pouco tempo
favorecida com acougues^raturtos, quanfc Ira fornotida por urna companhia pode-
rosa ; j taxandose em 50000 cada quajQ du habitaclo nos oorti'908 da cidade, e em
30(XX) aos dos arredores, quando nofc"
dias soft a presso da necessidade c q
< Assim, ao aluguel exigido p
gemidos e supplicas dos desgranados id
de 50000, que o dono do predio saber
que s o pobre se ntilisq de taes mora-
da miseria.
proprietario, quasi sempre insensivel aos
os, ha de accrescer o imposto municipal
brar do morador para indemnisar-se do
que houver trazido para Qal&tfres da Cantara.
Entretanto logo aplt o imposto sobre os coi-ticos, habitando dos pobres,
l-8e outro imposte sobre um divertimeito dos rics, e apenas foram taxados em
250000 os estabeleeimentfB de corridas & cavallos e de briga de gallos.
Assignalo smerree o contraste npm observajes nem commentarios.
Por todas as razCcs expostas determino que nSo seja publicada, para o fim
de nao ser dado a execufSo, referido trnamento municipal, de conformidade com o
4. do art. 24 do Acto Adaicional, art 7. da lei de 12 de Agosto de 1840 o Aviso
n. 455 de 14 d Dezembro de 1857 ; d e do mesmo orcamento ao Goverao Imptrial para resolver como entender acertado.
Innocencio Marques de Araujo Ges. f*
4.a secc2o.-Palacio da presid ocia de Pernambuco, em 12 de Abril de
1889.
O presidente da provincia a quera foi presente a Resolucao de 5 do cor-
rente raez, que a Assenibla Legislativa Provincial adoptou por dous teros, nos ter-
mos do art. 15. do Acto Addicional, m ulaudo restaurar a cadeira de Tabocas e
nella reintegrar o professor que a exeree ;
mci.
de um funecionario publico equivale a
ttribuiyao ser exercida pelo executivo
confirmada pelo Con sel ho de Estado
im decretada pela Assembla Provincial
inquina de inconstitucionalidade a citada
de nao sancoSo finnadas pelo meu an-
do Acto Addicional c Aviso n. 105 de 12
da referida Resolutivo, a ffal ser sub-
te do Governo Imperial.
Marques de Araujo Ges.
d Ptum^ra^huco--. Km 12 de Abrilde
Considerando q*e a reintcgrai
urna verdade ra nomeajao, s podendo e:
provincial, consultn de 8 de Maio de 18
pleno no 1. de Jucho do mesmo anno ;
Considerando que a usurpacao
importa violceo da Constituido e porta
ResolucSo, como j foi declarado- as
tecessor;
Resolve, nos termos do art. 16.
de Maio de 1840, suspender a publi
mettida com o presente Acto ao conheci
hato-
O Presidente da Provincia, ai quem foi presente a Resolucao de 15 do cor-
rente inez, adoptada pela Assembla Provincial por dous tercos, nos termos do art.
15." do Acto Addicional, mandando integrar em suas cadeiras os profeesores pri-
marios demittidos por acto da Presidencia de 27 de Maio de 1887;
Considerando que sendo a rentegragao urna verdadeira nomea9ao, compete
nicamente ao poder executivo provincial, consulta de 8 de Maio de 1843, confirmada
pelo Conselho de Estado pleno no dia l.0 de Junho do mesmo anno ;
Considerando que a usurpacl^ votada pela Assembla importa viola93o da
Con8titu9ao do Estado e portento inquina de inconstitucionalidade a citada ResolucSlo,
como j foi declarada as raz3ea de nS sanc9ao, firmadas por meu antecessor;
Resolve, nos termos do art. 10, do Acto Addicional e Aviso n. 105 de 12
de Maio de 1840, suspender a publicado da referida Resolu92o, a qual ser submet-
tida, com o presente acto, ao conhecimVnto do Governo Imperial.
Innocencia Marques de Araujo Ges.
eeices
Expedi as ordens precisas para preenchimento de duas vagas 4ft vereadores,
sendo urna da Cmara Municipal de Ti umpho, e outra da de Serinhaem, que deixou
de ter lugar no dia 29 de Margo lindo segundo me participou o 1. juiz de paz em
officio de 13 do mesmo mez.
A's cmaras municipaes de Giranhuns, Correntcs, Bom-Conselho, Aguas
Bellas, Buique e Pedra determinei pro^denciasse no sentido de proceder-se a 22 do
corrente eleigao para preenchimentoi da vaga deixada na respectiva Cmara pelo
depnt. do geral pelo 11." districto, o bacharel Bento Ceciliano dos Santos Ramos, que
fallecen a 23 de Fevereiro ultimo.
.Tcndo em vista a informagao piistada pelo Dr. juiz de direito da comarca de
Garanhuns sobre o requerimento do eleitbres do districto de paz de Palmeira, desig-
uei por acto de 10 do corrente, a.capc'la existente no respectivo povoado para reu-
niao dos eleiteres.
CMARA MN :CIPAL DO RECIFE
pela Cmara para prorogar por tres annos o
eixinho, effectuado com Joao Francisco da
Lapa, e bem assim a levar- praga as o iras com a construcglto do muro para alarga-
mente da ra que passa pelo oitao oeste da matriz do P090 da Panella.
Approvi a planta do povoado di Casa-Forte, enviada pela mesma Cmara,
a quem declarei qne, em observancia de despacho langado em petigSo que me dirigi
Manoel Martina Campos, serao fielmenti respeitados os direito adquiridos por este e
por quaesquer outros que j tiverem e< megado a edificar de accordo com a planta
approvada em 1882, em virtude de li enga da Cmara e da cordeagao dada pelo
engenheiro da municipalidade.
JUIZ D DUIEITO
Por decreto de 30 de Margo find foi removido o juiz de direito Miguel Ber-
nardo Vieira de Amorim da comarca de ^aruar de 2." entrancia para a de Alcn-
tara de 3.a entrancia na provincia do M ranhao.
Este magistrado declarou aoccita p. comarca que lhe foi designada, e deixou,
por isso, o exeroicio de seu cargo no dia do corrente mez.
JIZES MUNICIF SE SUBSTITUTOS
exe'cicio do lugar de juiz b'.bstituto da
Cordeiro Lins, para o qual foi nomeado
Concedi a autorisaeSo solicitada
contracto dte arrendamento do sitio do
Em 26 de Margo findo assumio l>
comarca da Victoria, o bacharel Victalii a
por decreto de 9 do mesmo mez.
Por decretos de 10 e 30 d'esse 3 ez e de 6 do corrente, foram nomeados os
hachareis Manoel Jos Rodrigues Pinhei >, Lourengo Caetano de Albuquerque e Lu
picino Domingues Lins para os lugares < a juizes municipaes e de orphaos dos termos
de Triumpho, Ouricury e Brejo, na ord n em qae se acham collocados, nao cons-
tando anula que tenham assumido o exer icio de seus cargos.
SUPPLENTES DE JUIZES IUNICIPAES E SUBSTITUTOS
Em 18 de Margo findo exonerei, a pedido, Vicente Ferreira de Araujo do
cargo de 2." supplente do juiz municipal 9 de orphaos do termo de Aguas-Bellas.
Em 19, de conformidade com o J creto n. 10,129 de 22 de Dezembro ultimo,
nomeei para os lugares de 1. 2. e 3. 1 applentes do juiz substituto da comarca de
Timbaba, na ordem em que se acham o Mocados, o capitSo Manoel Cabral de Mello
Cavalcante e os cidados Manoel Gome Cavalcante a Serafina Anselmo Pereira de
Lucena.
Na mesma data e de conformidade com o art, 6, L" do regulamento n. 4,824,
de 22 de Novembro de 1871, exonerei, x ter mudado do residencia para a pro-
vincia do Para, Targino Augusto de Paul Freir do Jugar de S. supplente do juiz
municipal e de orpblos do termo de Itanf, passando para o referido lugar) de ac-
cardo com a lei, o actual 3." supplente 1 ianoel Gereroao de Araujo Lima e preen-
chendo a vaga de 3. supplente nomeai o 'cidadao Joaquim Francisco Jayme
Galvao.
Para os lugares de 3."* supplcnte dos juizes Municipaes e de orphaos dos
termos de Petrolina e Villa-Bella, nomee em 27, os cidadaos Antonio de Azevedo
Araponga e Andrelino de Souza Martin
(Contina.)
BXPDlENTM DO DI\ 6 D8 MAIO DE 889 ,
Actos:
O vire presidente da provincia em execu-
gao da lei n. 2.395 de 10 de Setembro de 1873
resolve nomear Candido Jos Gongalves Fontes
para o posto de :apitao da 2 companMa de 46
batalhao de infamara da guarda nacional da co-
marca do Rio Formoso, em sbstituigao do -api-
to Manoel de Barros Accioly Lin3 que obteve
guia de passagem para a comarcado Cabo.-
Communicou-se ao commandante superior.
- o vicepresidente da provincia attendendo
ao que requereu Torquato Laurentino Ferreira
de Mello, professor da freguezia de S. Frei Pedro
Gongal.es do Recife, a tendo em vista o parecer
da jonta medica provincial, resolve de accordo
com a informacao do conselho litterario annexo
ao officio n. ll' de 17 de Abril findo do inspec-
tor geral da instruccaa publica, jubilar o peti-
cionario com a pensao correspondente aos ven-
ciment08 de que trata o art 180 3o do regula-
mento de 18 de Janeiro de 1888, visto contar
mais de 27 annos de effectho exercicio no ma-
gisterio publico e estar impossibitado de conti-
nuar a exercel-oCommunicou-se ao inspector
geral da instruccao publica.
0 vice-presidente da provincia resolve re-
mover a professora Francisca Seraphica de Assis
Carvalho, da cadeira da estrada nova de Beberi-
be para a 2 do sexo mascolino da freguezia de
S. Frei Pedro (Joncalves do Recife.
O vice presidente da provincia resolve re-
mover a professora Antonia Peregrina Caval-
cante de Albuquerque, da cadeira de Calende
para a de ensino mixta da estrada nova de Be-
beribe. '
0 vice-presidenli- da provincia resolve re-
mover a professora Hara Francisca de Barros,
da cadeira de S. Jos do Ejryplo para a de ensi
no mixto de Cuyambuca. omraunicou-se ao
inspector geral da instrncco publica.
Officios :
Au presidente da provincia dis Alagas
Remeti a V. Exc. a inclusa guia do auspecada
do 10 batalhao de infantara Laurentino Alves
de Souza, a quem se refere essa presidencia em
officio de 3 de Abril lindo, n. 403, de que trata
o de 8 de meu antecessor.
Ao presidente da provincia do Para. Soli-
cito de V. Exc. a expedigao de ordens alim de
que sejam pagos ao Thesouro desta provincia
os premios que por ventura tenham sabido aos
quinze inclusos trigsimos da 2J serie da 27* lo
teria dessa provincia, de que trata a relaeo, jun-
ta por copia, e que foram apprchendidos pelo
delegado do 1 districto desta capital cm maos
de Porfirio de Albuquerque Maealhes c de l'm-
belino Eduarda Porciuncula, na forma do regu-
lamento de 4 de Julao de 1887. Communicou-
se ao inspector do Thesouro Provincial.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda
Remello a V. S. copia do aviso do Ministerio
da Justica de 11 de Abril findo, e os documentos
a que elle se refere, e dizem respeito a passa-
gens concedidas pela companhia Pernambucana
de Navegacao Costeira a presos de justica e res-
pectivos escoltas, de urnas para outras provin-
cias, no exercicio de 1888, atim de que seja cum-
prida a determinagao nella expressa.
Ao administrador dos correios.Sirva-se
V. S. de fazer chegar ao seu destino pelos meios
a sen alonsc. os inclusos officips dirigidos aos
juizes de paz, presidentes uas juntas de aliste'
ment militar das parochias de Sorubim, Santo
Antonio de Jacarara, Nossa Senhora do Rosario
de Muribeca e Senhr Boin Jess dos Afflictos
de Fazenda Grande.
Ao juiz de direito da comarca de Timba-
ba.Para ter o conveniente destino o recurso
de graca interposto pelo reo Manoel Joaquim de
Sant'Anna, das penas que lhe foram impostas
por decisao do jury do termo de Itamb em 25
de Setembro de 1879 e 16 de Fevereiro de 1880,
reitero a requisigao feita em officio de lo de
Abril de 1888 no sentido de Vmc. providenciar
para que, com a possivel brevidade, seja'n apre
sentadas na secretaria desta presidencia as ccr-
tides dos respectivos processos.
Ao engenheiro director das obras da ferro-
via de Caruar. Providencie Vmc. afim de q-ie
tenham transportes nessa estrada de Ferro por
conta do Ministerio da Agricultura, Commercio
e Obras Publicas os auxiliares e emp regados da
inspectora especial de trras e colonisago sem-
pre que seja requisitado pelo respectivo inspec-
tor para o servigo publico.Communicou-se ao
inspector especial de trras e colonisagao.
Portaras:
Os Srs. agentes da Companhia Brasileira de
Xavegagao fagara transportar provincia do
Cear por conta do ministerio da guerra o 2 ca-
dete do 2o batalhao de infantara, Jos Armando
da Cunba, que vai matricular-se na Escola Mili-
tar alli existente. Communicou-se ao comman-
dante das armas.
O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana de Navegago faga transportar para o pre-
sidio de Fernando de Noronh, por conta de Al-
bino Fernandes 4 C, os vveres e diversos arti-
gos de que trata a relago aqu junta, assignada
pelo secretario interino do governo desta pro-
vincia.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
de Navegago srvanse de mandar transportar
na primeira opportunidade at a Baha, cem
passagem gratuita, de r.H Joo de Araujo Be-
zerra Cavalcante.
EXPEDIENTE DO Da. SECRETARIO
Olnos :
^ o Sr. Dr. Jos Mara de Albuquerque e Mello,
1" secretario da Assembla Legislativa Provin-
cial.De ordem do Exm. Sr. vice presidente da
provincia remeti a V. S., afim de ser presente
deliberagao dessa assembla, o officio do ins-
pector do Thesouro Provincial de 24 de Abril
lindo, n. 125, acompanhado de outros papis,
attinentes ao pagauaenio da quantia de 55000
pedido pelo representante da Companhia Great
Westeru of Brasil Railwiy Limited pelas pasea-
gens concedidas durante o mez de Fevereiro ul-
timo a duas pragas do corpo de polica e a um
preso.
Ao mesmo.De ordem do Exaa. Sr. vice-
presidente da provincia remeti aa. S., alim de
ser submeltido deliberagao desla assembla
o officio do inspector do Thesouad Provincial de
24 de Abril findo. 11. 127, acompanhado de ou-
ros papis, referentes ao pagamento da quan-
ia de 163000 solicitada pelo superintendente da
testrada de ferro do Recife ao S. Francisco, pelas
pa>sagens concedidas nos carros da mesma es-
trada, durante o mez de Fevereiro ultimo, a
duas pragas do corpo de polica e um crimi-
noso.Communicou-se ao superintendente da
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco.
Aos agentes da Companhia Brasileira de
Navegacao a Vapor. S. Exc. o Sr. vice-presi-
dente da provineia ficou nteirado pelo officio
de Vs. Srs., de seguir hoje s 6 horas da tarde
paraos portos do sul o vapor .-llagos, entrad.
s 6 horas da matiha dos do norte.-Commu-
nicou-se a directora da Agricultura.
Ao director do presidio de Fernando de
Noronha. 0 Exm. Sr. vice presidente manda
declarar a V. S. que ao pbarinaceclico desse
presidio, Vicente Guedes de Araujo Pereira
concedeu-se urna passagem gratuita para, vir a
esta capital.
EXPEDIENTE DO 1>IA 7 DJt MAIO OS 18C9
Actos :
0 vice-presidente. da provincia, a quem foi
presidente urna reslugao datada, de 27jde Abril
ultimo que a Assembla Legislativa Provincial
adoptou, nos termos do art. 15 da lei de 12 de
Agosto de 1834, por no se conformar com as
razes pelas quaes a presidencia deixou de sane
conal-a em 27 de Margo do corrente anno.
Considerando que as raodificacoe3 felias
art.l de dita resolugo cm nuda alteram os re-
pectivos pontos capitaes. sen > ape.ui.- arupfi-
dos, nesta parte, os favores que eran; concedi-
dos a fabricas centraes, s que de futnro vs-
nham a ser fundadas, dentro do prazo d" dous
annos at o numero total de 15, urnas e outra-
com direito ao auxilio de um empresSino de
50.000000 em apolices imperativo e exclusivo da ju-h; nfr'.'-sjari:
apreciagao que em assumplo de tal natma-.i
cabe adminislrago da provincia, nao f-pi
regalar-lhe a maior ou menor extenso con:"
para conliecer da idoneidade dos piv! -udeates
de modo a serem devidamente garantidos 0-
interesses da provincia arriscados ou conipni-
mettidos em taes auxilios:
Considerando que o 2" de dita ivsoiugio
emendado no sentido de serem extensivos u-
favores do art. Io a fabricas hypothccadas a es
tabeiecimenlos fiancarios ou a capitalistas, sina-
plesmecte ampliou a nrimeira disposigo que
referiese a hypotliecas feitas ao Banco de Cr-
dito Real, e nao obviou os inconvenientes resul
tantcs de emprestimos feitos a fabricas gravada.-
com hypothecas anteriores;
onsiderando anda que taes inconvenientes
subsistema despeito niesuio da restriegode i
poder ser prestado .0 auxilio quando o mutua-
rio houver obtido o emprestimo sobre um tergo
do valor dos materiaes e nietade do immove!
agncula, pouca ou nenhuma importancia tendo
no tocante a garanta dos interesses da provin-
cia, a faculdade concedida a presidencia da pro
vincia de. se julgar conveniente, mandar proce-
der a novas avaliaces, e urna vez verificada a
fraude ou simulagao na hypotbeca, ou na pri-
meira avaliago, deixar de effectuar o impresli-
mopor isso que taes avaliages. anda quando
regularmente feita, nao consluem base segu-
ra sobre a qual deva ausentar a eoncessao do
auxilio uniforme de 50:00030011 de que trata di-
ta resolugo;
Considerando finalmente que subsistem cm
sua totalidadeos motivosjprincipaes que determi-
naraiu a nao sanego de dita resolucao, agora
emendada apenas em pontos secundarios, sem
attencao as consideragGes suggeridas as ra-
zes de 27 de Margo do corrente anno;
Resolve : nos termos do art. 24 n. 3 da cila"
lei de 12 de Agosto de 1834 e art. 7" da lei n.
de 12 de Maio de 1840, suspender a publicago da
mencionada resolugo que ser submettidacom o
presente acto ao'conhecunento do Governo Im-
perial.
O vice nresidente da provincia em execu-
go da lei n. 2395 de 10 Setembro de 1873 re-
solve nomear Antonio Paes da Silva Rosa, para
oposto de capito da 4* companhia do 57* bata-
lhao de infantara da guarda nacional di co":
marca de Garanhus, em substituigo de Mauoe!
Pereira dos Santos Rocha que fallecen Com-
mumcou-se ao commandante superior.
0 vice presidente da provincia de accordo
com o art. 12 do decreto n.9554, de 3 Je Feve-
reiro de 1886 resolve nomear delegados de hy
giene das cidades de Timbauba, Pao d'Alho.
Nazareth e Goyanna os Drs. Nereu Macario de
Moraes Gnerri, Antonio Cavalcante Pina e Fia
?io'Pi'cderodej- 4>eg8on rfe MoW-r'>fderii em
5ue estao collocados em substituicao dos Drs
ianoel de Moraes Vasconcellos, Nereu Macario
de Moraes Guerra e Berllarmino Correia de O-
veira que nao aceitaran) as nomeages anterio-
res.
O vice presidente da provincia, de accor-
do com o art. 12 do decreto n. 9554, de 3 de
Fevereiro de 1886 resolve nomear para o lugar
de delegado de hygiene na cidade de Pesqueira
o Dr. Manoel Xavier de Moraes Vasconcellos.
Fizeram-se as necessarias communicages.
0 vico presidente da provincia vista da
roposla do Dr. chefe de polica em officio n.
45 de 3 do corrente mea, tesolve nomear para
o cargo de Io supplente do subdelegado do Ria-
cho do Ma'.to do termo de Agua Preta, ao cida-
dao Francisco Izidoro Tito de Lima, em substi-
go de Joo de Barros Lins, que mudou-se do
districto.
O vice presidente da provincia, em vista da
Sreposta do Dr. chefe de polica em officio de
do corrente mez, sob n. 453, resolve nomear
para o lugar de subdelegado do districto de Pre-
guigas do termo de Palmares, o cidado Fran-
cisco Rufino Ferreira, em substituigo de Jos
Pereira Bastos, que solicitou sua exonerago.
O vice presidente da provincia de confor-
midade com a proposta do Dr. chefe de polica,
em officio n. 454 de 4 docorreut* mez, resolve
nomear para o lugar vago de subdelegado do
districto de capoeiras do termo de Bonito, ao
alferes do corpo de polica Olegario da Luz Can-
tarelli. .
0 vice presidente da provincia de confor-
midade com a proposta do Dr. chefe de polica
n. 457 de hontem datada, resolve exonerar o l-
ente do corpo de polica Manoel Ferreira da
Silva do cargo de subdelegado de Nossa Senho-
ra do O' de Goyanna.
O vice presidente da provincia de accordd'
com a proposta do Dr. chefe de polica em of-
ficio 11. 457 de hontem datado, resolve nomear
o tenenle do corpa* de pelicia Mancel Ferreira-
da Silva para o lugar vago de delegado do ter-
mo de Buique.
Officios :
Ao 2" vice-presidente da provincia de Ala-
gas. Accuso o recebiraento do officio circu-
lar de V. Exc. de 8do corrente, no qual me
communica ter, na quadade de 2" vice-presi-
dente, assumido a administrago dessa provin-
cia em substituigo do Exm. Sr. Dr. Aristides
Augusto Milton.
Ao procurador da cora Sirva-se V. Exc.
de emitlir seu parecer sobre os inclusos artigos
additivos ao eorapromisso da Irmandade do Di-
vino Espirito Sanio do Recife.
Ao conselheiiM presidente do Tribunal da
Relago do RecifeEm cumpriineoto do aviso
do Ministerio dos Negocios da Instiga de 11 de
Margo ultimo, junto por copia, sirva ge V. Exc.
de providenciar para que me seja apresentada
umacertdo do processo do reo Jos Pereira der
Nuscimento. que interpoz recurso de graga da
pena de 7 annos e priso simples, imposia por
deciso do jury do termo de Flores, e confirma-
da por accordaodessc'Tribuoal, datada de 14de
Julho de 1885.
Ao tenente-coronel commandante das Sa-
mas interino. Sirva-se V. S de designar dois
cirurgies do corpo de saude do exercito para
cjm o da armada aqui existente, inspeccionarem
na escola de aprendue* marinheiros no dia 9 do
corrente o aprendiz Manoel Pedro.
Ao Dr. Dario Cavalcante do Reg Albu-
querque Sclente de ter V. S. deixado boje o
exercicio do carg de chefe de polica desta pro-
vincia, conforme comraunieou-me emollicio des-
ta data, cabe-rae louval-o pelo modo porque se
houve no desempenho de suas funeges e agra-
decer-llie o auxilio prestado micha adminis-
trago.
Ao Dr. juiz de direito do 4o districto crimi-
nal da comarca do Recite. Providencie V. S.
para que me seja apresentada a certido do pro-
cesso do reo Francisco Cardoso Leal, que iBjer-
poz recurso de graga da pena, que lhe foi im-
posta por sentenga desse juizo, datada de 16 de
Margo de 1887.
A sentenga deve ser acompanhada de infor-
macao de V S. de conformidade com ,os avisos
do Ministerio dos Negocios da Justiga ns. 287 e

.<
'
.

w
. -''

<*
I


w^m
Pernambuco -Sabbado t de Jnnho de 1 89
i .. _________________

le 7d*r lenhe de tWfrtttt^^itiiliru de
1886
Ao director interino do Arsenal tle Guerra.
Transmuto iL-Sac- em resposta ao seu offi-
cio n. 475 de ljttfftbnl Ando, o incluso pro-
cesso 'lo conseHlFoe investigacao mandado pro
ceder para recoihecsmnto da criminalidade de
que foram recolhidos Casa de DetengSo
o seguinte* individuos :
No dia 99:
A'ordeni do Dr. delegado do i ditrieto da
capital, Raphael los da Silva, presoein flagran
te por crime de feriraentos.
A" ordem do subdelegado da freguezia de San-
Arto de que aecusado o soldado da rapaniia Aolonio Mareot Clemente de Macedo, por
de operarios militares desse Arsenal/Emiliano
Xavier de Siqueira.
Ao i ommin marinheiros. Dactefo.a Va iww.se
cimento e devide* fiMia]BeedBBtaBBacx|BB|o a
necessarias ondean n*entiBde eaiiaie'eMaKim
mandante da*aanas terrina* desiejamdoiHaiouS'
cirurgics di) (uno danoude do esere tapara
cmoda armaateaqai*a;istente inspeccionare,.!,
na escola sob ten-comaaaado, no dnv9 daecor*
rente o aprendariuara Saanoefci*edrjp em
cumprimento da avisad Mtostertfc* Mawinha.
de 26 de Abril wimau tev.-iMMMO.ttrao d aa-
dida inspeccio ser-wnettHW' Marciana deetei
Presidencia com destino a de estado d'aquellc
ministerio. .,.,.'. ...
Ao '>r. juiz de direito do comarca de nim-
b A' vista da inclusa copia do aviso do Mi-
nisterio dos Negocios da Justica de 5 de Abril
tindo, providencie Vujc-,.paja ijoe mejs^apie-
santada urna certidao do processo do reo Matnias
Antonio de Olveira, qae ir.terpox recarso de
mica aa pena de 14 anoas de prisa simples,
imposta em 1 de Maio.de IM79. por tecisio do
jury de Itmb. A certidao deve ser acorapa-
nhada de informeco dojuiz da condemnaco,
conforme preceiiua o aviso circular do citado
Ministerio, n 287, de 38 de Junha de 1863, ou
daquelle que o tiver substado no cargo, em
lace o disposio no aviso n. 63 de 22 de Ootu-
bro 4886. ________
Ao engeuheiro director geral de Obrasru
blica^-No intuito de promover o saoeamento
desta eapfl e prevenir o apparecimento de mo-
lestias epidmicas resolv, aceitando o alvitre
suegeri lo por Vmc. em um de seus ltimos re-
latnos, e de accordo com o que representou o
inspec'or de hvgiene ein oficio de 26 de leve-
relro do orrete anno, mandar desobstruir e
lavar as galeras de agoto d'aguas pluviaes
Para iniciar esse servieo, reco-. mendo-ll* que
providencie desde ja para que as embocaduras
das mearoas sejam colloradas comportas, que,
repres-iido as anuas do rio, que |>or ellas pener
tram por occasiao da orea-mar, facilite o servieo
da limpez*das referidas galeras. Rematteu-se
copia Cmara Municipal, aos inspectores de
flyrience Thesouro Provincial.
Ao mesmo.Declaro Vmc, para os Ira?
convenientes, que defer hoje o requenmento de
Antonio Pereira da Rocha, a quem se refere a
sua inforraaco de 4 do corrente, sob n. oi, re-
levando a multa que ao mesmo foi imposta por
essa repurtisao, Dor nao baver conchudo no pra-
zo do contracto a obra de reparos do pnniilnao
do Anjo sobre o rio Sibir. Communicou-se a
inspector do Thesouro Provincia
Portaras :
Os Srs. agentes da Companlna Brazileira
de Navegacao facam transportar provincia do
Para, por conta do ministeno da guerra, o T
lente Eugenio Bittencourt que segu para all
afim de reunir se ao i" batalho de artimaa, a
que pertence.- Olhciou-se ao inspector da The-
seuraria de Fazenda para mandar ajnslar contas
ao referido tenente e communicou-se ao com-
mandante das armas.
dem provincia do Ceara, o alumno da
Escola Militar d'aquella provincia Armando de
OliveiraCommunicou-se ao cotnmanda.Ue das
dem, provincia da Parabyba, por conta
do ministerio da marinha. o aprendiz mannhei-
ro da escola d'aquella provincia Mximo Gomes
Ferreira que se achava desertado. Communi-
cou-se ao couimandante da Escola de Aprendizes
Marinheiros. _, _
IJem, idera, provincia do Rio Grande do
Norte, tres bias destinadas capitana do por-
to d'aquella provincia.' omrounicou-se ao in-
spector do Arsenal de Marinha.
O Sr. gerente da Companlna Reenambucana
de Navegacao mande dar passageos de pra at
a Babia, no vapor que segu para o sul a 11 do
corrente,!*. Eduardo Barbusa da Fons^a, sua
mulher e dous filhos, por conta das graluiias a
que o ;roueruo tem direito.
() Sr. superintendente da estrada de Ierro
do Recife aoS. Francisco mande dar transporte,
por coma da provincia, em carro de classe,
entre as estacOes de Cinco Ponas com escala
por Gamelleiraaoengenheiro da Repartieao das
Obras 'ubiicas, Fraucelino Aiaeru de AU'U-
querque Melle, que vai examiuar a obra de bar-
raeein do canal de Tibury e a ponte de Pau
Sangue. providenciando sobre a volla do mes
mo.Coraanuuicou-se ao director geral de obras
publicas.
KXPBBIE.NTE DO DB. SF.CJIETABl
Oflicios :
Ao tenente-coronel commaudante das ar-
mas interino. U Exra. Sr. vice-presidente da
proviocia manda acensar o recepuuenlo do oni-
de V. Exc, de boje datado, ob n. MM3, de cujo
assumiito lica inleirado.
Ao Dr. cliefe de polica. -O Exm. sr. vice-
presidente da provincia manda communicar a
V S.. para os fins convenientes, que do seu of-
corrente mez. n. 455, profeno lioje
embriaguez e offensas moral publie;..
A' ordem do do 1" districio da freguezia de
loseta**mttiu* l)s''iaMMa, per eoafena-
L t4BtDS.
A' ordem do 9 districto, Jos Limeira da
Silva. Antonio Manoel s dos Sastos, por ilisjibios.
No da 30 :
' A' oidem do Dr. delegado do dislricto daca-
'pitaI, Amaro Fracisco tlordeiro, por uso 4v armas
defeza.
A' ordma dj-sulidelega k> da freguezia do Re
cffe, anauao Manoel
de arma defesa; Mara Krancisca. por offensas
amoral publica; e Jos Pereira da Silva, por
crime de furto.
A' erdem do da freguezia de Santo Antonio,
Felippa Maria da Conceic&o, por offensas mo
ral publica.
A' ordeardo da "Mairdaiena, Lurz Cantoso de
Fraaca, axinecado,par Seta Legnas, por-orirae de
ihorte.
Nottcioo-iiK o delegado do tormo de Goyanrw
que i na tarde do d 10^7 do cor rente, foi preso
um .individuoqne, armado de laca de pi uta pro-
vocava alesordeiis. Diversos comnanheiros des-
te tontaram lmalo do poder da forou^uWiea,^
sendo por esta obstados travou-ee Nieta, da qoal
sahiraui [cridas levemente duaa pracas de uoli-
cia e duas de linha.
O subdelegado touwu. couueciraenlo do faci,
fea proceder competente visloria e mais dili-
gencias da lei
O delegado do termo de Naiaretb, coieanuni-
cou-iue qae cerca de urna Jiwra da noite de i!'
deste nee, no lurarEstiada Novu( daquelle ter
mo, foi raicoeirauenU"feTdo com um liro Ma-
noel das Dores do Espirito Sanie por um indi-
viduo dosconhecido, que a pretexto de negooio
procurou-o em sua casa aqu>*lla hura.
O subdelegado do districto tomou conbeci-
menlo do fado e proceden a respeito nos ter
moa da lei.
Deua guarde & V. Exc.Illa, c Exm.
r. Dr. Ignacio Joaquira de Sonza Leo^
muito digno vice-presidente da provin-
cia. O che/e de polica, Adolpho de
Siqneira Camlcante.
D'esla sorte, a causa que os liberaes entende-
r m de pleitear, era urna causa vencida ; a sua
maioria relativa linha por escopo destruir e ni*
construir ; o seu papel na scena poltica redo
zia-seaode caudatario do manto de um paffAo;
setonaatico*
A reuuncia aspiracSo do poder, por este modo
nao podia^ser mais deprimente.
Os liberae?, em vez de resignarein-se ao papel
de ttfftmcitiBiMi d" i tfitarf"'-. *n aailn """
quiau datoDantao aerl a iaallvU^asaiiiw redev
se pan ocaaaua iuiaaigu coatunna e bagageitaa
e iaaapoaajarapBla *iatoriamic oaaro cneae de
outna partida
Dad este. .passo de aaoslaeia, o pariidailibeK
ral eatrou n'um periodo fteetto s iaatattaiefles I
Elle fot para u Uibuaa^do Saaad-dar coaibate
ao gafeMMe d>ifd-ft,coiaaralissea lollardiberal,
propor aK>cua.de coaaanaaauesajM peaaaaen-
tes, qaajKlo iBaaiado* aatapDataa attaantge-
d*rrB,'"?,*'*S?_u.*B'' "tes da-vida, onrle o-sot coWWTnortino, atravz de
urna cortina esgarcada como a neblina, e onde
as paixes s penetram como a velhlce, acurva-
dus pura o seu pioprio atiuiquilanento.!.
Depois d'este estrago constitucional operada
dentro dos muro do edificio venerando houve
licio de 4 do
o despacho seguinle:
Ao Sr. com mandante das armas .
Ao inspector da Thesouraria de Fazeuda.
O Exm. Sr. vice-presidenie da provincia man-
da ieiueli.tr a V. S. quairo ordens faodo ires do
riiesoui-o Nacional us. It a 7't e urna do Minis-
terio .la (uurra de 2i de Abril ultimo.
tac agentes da Companlna BraiUeira de
Jtavegacao a Vapcr O Exm.Sr. vice-presidente
da provincia IC0U inteirado, pelo oflicio de boje,
de haver enlrado dos portos do sul. a^ t 1 i da
manh o vapor nacional Jfaao. aae seguir
para os do norte al Mauos. s :i horas da tar-
de. -Communicoo se a directora da agncul
tura.
Ao gerente da Companh'a Pernaui-ucana.
O Exm. Sr. vre-presiden'e da provincia lcou
inteirado pelo ollico de honl-m, de ser expe-
dido a II. s ; lloras da tarV, para o portos
do sul at a Baha o vapor S. Fnmctw.
Edital :
Por esla Secre'ar i -" fai publico que acham-
se nesta reparticao, alim de sereui entregues aos
interessados. depois de pagos os devidos direi-
tos, as patente 00 coronel commaudante supe-
rior da suarda nacional da comarca de lioyauna
Seraphim Vi-luo anadio Pesaoa, tenenle-ioronel
commadanlc comar-a d C.aniar Joo Fi-rreira M Mora-
tenente-coronel comasodante do S>
da comarca do
da Paixo e Silva, todos Horneados i>or ilecreto
de 6 de Abril.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 31 DK MAK) DE
1889
Francisco Avila de Mendon(,a.Certifique-se.
Epaminondas de Abreu.Hequetra presi-
dencia da provincia nos termos do arl. 144 do
regulamento d'esto Thesouro.
Capitao Joaquim Flix Becerra CaralcantCr
Volte ao Sr. Dr. contador.
James Fauslone.Como requer.
Officio do Dr. juiz substituto de Olinda.Ao
Sr. Dr. contador para sua sciencia.
Antonio Lopes da Silva Campos. Infot; a
seceo do contencioso.
D. Francisca Mana da Conccicao Reg.In-
forme o Sr. Dr. administrador da Recxmedoria
Provincial.
Antonio Fernandes GajoAo Sr. Dr. contador
para os devidos Im-
peliera no Placido PontesInforme o Sr. Dr.
administrador da R-'cebedona Provincial.
Bacharci Maiiwl GJaaua Vie^'a-. -lul'orme o
Sr. Dr. coiriador.
Officio do director das Obras l'uulicai oda'.ito
l^mpanbia do Deberibe.lden.
Jofto Francisco Correia de Olveira.dem.
Officio do coiumaudant<* do corpo de polica
relativo ao alteres Olegario da Luz Cantarelli.
dem.
Do mesmo relativo aos commandos de compa-
nhias. -dem.
Joaquim Pires la Silva.Informe a secyo do
contencioso.
II,vIsla p!itl*
(Do Constitucional)
Na semana ultima, tres factos capitaes caracle-
risaram o movimenlo poliico : a aiiimde revolu-
cionaria de urna colligaco hybrida do Senado
contra o gabinete ; a verilicacao da maioria go-
vernista da Cmara dos Imputados : as testas de
13 de Majo.
O primeiro facto creou a mais anormal das si-
tuai'cs que aiuda se ten visto na casa vitalicia
do parlamento, e nunca scro irruais os proles-
tos levantados contra um movimenlo que a am-
bi(,o do poder inspirou, que a inimizude pessoal
nao soubc dissimular. que a edade senil o pa
trotismo nao tiuhaui o direito de pralnar cm
contraven(,o formal a Constituico Poltica do
Imperio.
O grupo liberal do Sead > linha annunciado
aos seus amigos das proviicias a ascenco do
seu partido, e para tacar u na partilba a contento
de todo-, coavocou um cougresso para esta corte,
que se reuni no dia i.'d corrente no qual tm
assento as summidades iliri'Ctoras da poltica e
dos ouios vinsjlivos do campanario.
i inha alin disso aflinnado de um modo cathe-
gorico o seu deaajo de assumir ao poder, decla-
rainlo peio sea orgia, a Tribuna Liwral, que es-
team preparados para sso. a pesar de haver con
fessado ni' mensayem de abertura do alludido
congresso, que a desunio. a indiKipliaa, a abun-
dancia de cheles rivaes. a ialtade obediencia dos
soldados, a impraticubiiidade dos seus velhos
piograiiinias. eram lacios constantes e caracte
nsticos de toda sua existencia, e aos quaes ge
devia attribuir o maogro Jas suas eaperaucas,
(uanlo mcuinbidos da direcyo dos uegocius.
A Tribuna Lilieral fez mais : unnunciou o pro-
gramma 'o seu prcsidenie >le couselho. resumin-
do o estas theses. licutido as outras reformas
para su'Cessiio- ministerios.
Desenvol'.miento das fraequezas provinciaes,
casamento civilge mmigraco.
Tanto rachitismo e tanta retumbancia I
Aberto o Senado era de esperar que a opposi
cao fosse para brecha com o
para hrectia com o seu programla, c
ii,.-,^ qm- por elle se batesse destemidaincnte usando
Y J! d'aquella formula com que o povo aragooei inti-
Brejo,_ capitao Ruhno Demetno ^ ^ ^ ^ q cu'Jnpri|'I1;|to du juraim.llt(,
p reata do :j
Sino. nao!
DESPACHOS !>A PRKHIDKNC'ia DU I>1A 9 DK
MAIO DE 1889
Alfredo Gib-ou sajnae portante.
Hacharel Adolpho Nunes I.ins. im. pagando
o porte na repartir*) 'los Correios.
Clemeutina Elisa Mfnlciro. Indeferido.
Fausta ^elicia da unlia Ro.-aL Informe o Sr.
inspector geral da InsTU'-po Pblica.
Ignacio racima de Aibuquerque Maranho. -
Aprsente se a junta mdica provincial para ser
inspeccionado de saude.
\ Alferes Jos Joa'tuim Alves. -Deferido com of-
flcio desta guarda nacional da comarca de Iguaras.-ii.
Bacharel Loureuyo ''afllanr de Aibuquerque
Encamiihe-se devendo papar o porte na repar-
jicdos Correios.
Mana I.ydia d Sacramento.Aguarde con-
curso.
Maria Magdalena de Mello e Souza ludefe
rido. ,
Romolgrejas Regueira. Encami.ihe-se, de
vendo ser pago na reparticao dos Correios o
compelente porte.
Rita Neves. Indeferido.
rsula Candida Pessoa de Mello. Indefe-
rido. ,
Vctor Prxedes de Mello.Indeferido, i vista
da infortnacao.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 31 de Maio de 1889.
O porteiro,
F. Chacen.
Kepartlfio da Policial
2.' secjao.N. 541Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 31 de Maio de 1889.
JJlm. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
lla\ia no Senado uui puqu ',io grupo, solfreado
pela uutoridade e |ne-tigio do Baro de Cotegipe,
que arda em desejos de vinganca contra o ya
bnele por causa da reformable i'i de Maio. e que
mais de una vez tentn fazer |-ortidas e e-iaia
muras na tribuna e as volacCes da Cmara por
tal moiivo. O vellio estadista, a cuja memoria a
fiioara raodeaj honlem merecida homenagera de
saudade e respeito; con leve sempre essa patru
Iha irreecnciuavcl com a exlinegaa do cleaienlo
servil, a quaf|d<'ixuu se licar no campo onde ca-
bio o monslro do eseransmo, eomo licarain nos
Salbos das solitarias casuarinas do amigo mata
onro de S. Clirislovo, aquell..s aves sistras
que se alimentam de visceras apodrecidas.
Mal o Baro de Coiegipc coiu-'cou a viver para
a poslerio:de. i patrulha comeyu a revolver os
despojos d;l escravido, para reatar urna lula que
pareca adormecida para sempre.
os liberaes tinham a ami-icfio do poder; ti-
nham um orgo na imprenta: finham reunido um
congresso, especie de estados gente* que precedem
a omrrnro; tinham um programan de governo
e um organisador de gibinct apparelhado ao
primeiro chamado; linlia'n aMcfl disso carrega-
00, com a manria que a: oa o gabinete de 10 de
Maryo. o ando- ab 4iaoniste~; foram portadores
do pergaminho saralo da lei de 13 de Maio, no
transito do Senado para os defri rado,
onde caten cojiocada a eadeira da Angoste Re
gente; tinham -i! i soli laros, eaaflm, eatn essa
obra monumental, qae bu de comparecer anle a
Matom como o do -ubiime acto i
laliv. ; e enlreaiito, abreui ni s de toda essa b.i
i de progiammas e da mni t rios, desem-
Earaca -se da i que linbam nos seus compro-
mis-os.como de um pesa incommoilo qdBacwn
Ca, e <> andor ; can e^ara i''o dos
cidos de 13 de Maio. dos indi-iniii-lu.- rechassa
dos logo aps aquella data inmortal, dos inimigos
que pem abaixo da patria o odio pessoal aos
membros do actual ministeno I
Soma, que tarabem por isso nao quz ser vis-
conde.
De enuto par diaote ninguem teye o direito de
engaar se sobre a sorte do gabinete 10 de Mar
o; a le urea fe delinir as posicoes, e os in-
iresses feridos repetiam, embora surdina, a
velha pbrase de desespero quem nao por
mim, e- contra raim.
Nao eslranlia naci euyreenagem mojta
nos machinistnos parlamentares para tritaraj
coi re oa dentes o fileno do Sr. Joo Al
Em um dia dcaawesOd* insidios conra
paaKo actual, os nmeiros..taciturno* d*ons-
piraatil imaginaram aaver tormigaaaaaaaaten-
temeaae o terreno na cmara ti-uiporan-i. para
uhrcauir os que lies cnaaaaawm os criadada
Prinoaan.
Appareccu, ento, ati aiaeaMadc ofmcanuda
sua calma angelical, ean utoa-das titaanaaBaare-
iierandc Baro de Cete&ipc, que a soutac*-
deaaaaaas pe l indo-tea couseln.).- e sabadarin.
disse com a prudencia de poltico sem odios e
amante da integridade e utiio do partido con-
servador, nunca ter collobdrado em sua longu
vida para exterminio de innas comaians.
Da sabedoria dessa sentenga, a votacao nomi-
nal lavrou, no grave momento, o auto que os re-
unsumixiH.uaiasgat^vasado u.^tetetiaiaitei aaaaaaaaatetaaa)a> de lodos os principios, que entendeu acorocoar linha, obedecendo ao direetor da opimo conser-
ajrevotocao dos velbos jacobinos, sustentaad
que o Senado brazileiro urna construccao ame-
ricana, teinada pelado Senado dos Estados-Uni-
dos!
Semelhante disparate contra a lico dos auto-
res e a sciencia rudimeotar da constituico da
qnelle grande povo, nao pode passar sem> pro-
testa !
Nos Eslados-oidos o Senado collabora como
presidente da repblica na formacio do gabineta
pela sancciio dada s nomeacoes, e em iiriinilas
outras atlrrtiuices pokticas e administrativas da
competencia do chefe do Estado.
D'aqui vein que all ajmpreusae as pialaiwe*
oppostconislas contra o ministerio, nao .'xistem,
ou xistemeomo om facto de ecamlurra impor-
tancia, poique all um miaisierio vive einquanta
dura urna presidencia, sem que o Senado possa
decretar a sua destituico.
A imprensa nos Estados-Unidos pode escrever
atrocidad-, como as qne se escrevem entre nos,
coib acerleica pn';vu ds que uo produzir O*
le lio que. o ///**.* produs em Londres com uuu
s palavra, ou como entre nos os orgos serios,
que mesmo fra do campo poltico, mas erape-
uhados |Ho bera publico, escreveram um coa
tuitmutvHett, comi aquelteqoe escreveu hateui' servido perdern) e os conservadores que acoly
poso Jornal do Commercio na questo abolido*
substanciando n'uma.forma neutra e esmagadora
ludo guamo o paiz desejava em relaco gran-
de reforma, tuno quanto temos escripto n'este
orgo em defeza dos saos principios.
Era natural que as demasas da colligacio d*
Senado, que as virulencias da imprensa atndada
ao couceerecavem (tecarro primitivo, cau.-as" n
urna certa exacerbaco no espirito publico, im
paciente por ver eslubelecida a ordem moral das
nistiiuices funecionando a cmara dos deputa
dos.
Com effeito, na sesso de 11 do correte o go
verno linha em torno de si torcas suflicienies
para fazer desabar a pnrede da opposieilo. e es-
la, aceitando o combale, recouheceu se vencida
e destrocada.
O ministerio passara pela prava nica, capaz,
de por o Senado no seu lugar, fora da fronieira
poltica dos dous partidos.
Desta circumstauca resuitou-lhe maior pres-
tigio anda no sentimento "publico, at que che
gou, alinal, paraellle urna pro va decisiva, o 1.*
atiuiversario da lei 13 de Maio.
A naeo inteira tiuba de congregarse em tor-
no da grande data, para dizer si a liberdade
dos captivos foi um mal que a empobreceu e a
desorganisou, ou si foi um bem que a poz no
camiuno acelerado do trtbalho na lucia lecuu-L
da das (acuidades creadoras do homem com us
forjas creadoras da uatureza, na marcha trium
pbal das conquistas do progreeso e da civilisa-
gaO.
O ministerio, canegado lia um auno nos bra-
cos do povo, liuhi lambem que cotejar as accla-
magoes da hora do triumpho com os julgamen-
iosmas calmos do beneficio realisado, e para
sempre arrugado coustruclura moral da nossa
grande patria
ano tu >artos os jutzos nos povos, como o
destino dos governos! Mas a liberdade tem
tal poder que at reforma as franquezas huma-
nas!
vadora, tantas vezes triumphante sob a inspira-
cao do saudoso estadista.
O aterdoamento da victoria dispersou os com-
batentes, sem armas vigorosas para medir tarcas
com divergentesda mesma escola poltica No
parlamento a campan ha reduzio-se a escaramu
5as e tiroleios de r*enKn inhabeis as mano-
bras de ataque ou de defeza, sem queao menos
ella se deixasse estimular pela mo/iateflada do
Sr. Lafayette contra o Sr. presidente do conse-
Iho.
- A demora na passagem das leis, de meios foi
um obslrncionismo ou proietecosedica, incapaz
de impressionar, por muito usada e at abu-
ada.r
Batidas do parlamento, as opposices insufla-
rain a vaidade dos desempregados i uraes e dos
vaias do littoral; deixaiwlo que na fluctuacao
moraviilaiiea da lavoura, espauUda pelo Banco
do Brasil e enfurecida pela.redempgao dos cap-
tivos, o anonymo de dous republicanos consti-
tuisse Dense* proprios e firfras verdadpiras na
cmara e na lula-do subsidio.
Apwzai- desse jogo, laucado na esporanca-de
ganho, o resultado foi negativo.
A repblica aio vencen; os lineraes a seu
taram a curimaiiia da conspiraco contra a or-
nista, ou como s CeetSM polticas da Gazeta de, om de cousas vigeutes, nao ganliaram.
Noticias do dia 13.
Em taes artigos reflectiam-se as aspiracOrs ar-
dentes e o juteamento im*>arcial do paiz, con Jno ter vetos para clegrr o presdeme do Senado.
O resultado das opposges de baje foi :
A derrota da dissi.lencia conservadora, por
se nao bouvisse o socco.t. de lu liberaes, s
rdens do Sr. Vkconde A derrota do partido liberal, que se annul-
oa, rotando de cabralo em um dos cacees mais
iceetrtuados do partido conservador.
Isso uo Sena d.
.Na Cmara, que o canino couslitucicni'l das
mas, o resultado do governo foi o seguinle
Eleiefto completa de tod >s os cargos de
conlianca;
ProTocacao allaaeira a todos os dbales
possiveis sobre os actos do ghiuete ;
- Acceitago franca para a commisso de
xatne de actos administrativo" do Ministerio.
Por isso- que o.- trabalbos parlamentares
inaugurados no dia 3 nao tm olTerecido o in-
leresse <\ae era de esperar.
O proprio escndalo de honti-m, promovido
pela leviandade du um respeilavel anciSo, ligno,
pela sua idade. de todas as tolerancias, nao leve
repercussao.-
iviizmeiiic para nos, ainda salvou se, no nau-
fragio das cjovenieucias da pollica republicana,
o decoro parla :.eular e a delicadeza da boa edo-
caco.
0 loinister.o lera sem duvida soffrido urna
emoco estranha de inliino e consolador desva-
neciuiento! .
Dir se-hia, que do-dia 13 de Maio de 1888, s
passou o lempo; que a gratido e as festas mais
jubilosas que se lem celebrado no Brasil, nao
arrefeceram na alma popular : eram as mesuias,
intensas, universaes, deraotesjcomo ha um an-
no !
Si fosse possivel pesar e cotejar a mussa de
lionieni com a de boje, teriamos visto que esta-
vam lodos nos seus postos, bavendo at urna
pessoa de mais, que ento fra lamentavelmente
de menos :o Imperador!
1 elebrou-se, pois, ha dous dias esta fesla,
que, alem dt^cioual, tambem internacional,
como a qualilMara umjuizo soberano.
Cumpre leixar bem gravada esla nota :
Todos os recursos da insidia, do despeito, da
intriga, dos rancores mal extinctos, dos interes-
ses contrariados e sdenlos de viganca, foram
chamados forma pela Tribuna Lilieral e pelo
limi io le Moticms: para operarem contra a paz
universal dos espritus, contra os representantes
do poder publico, centra a ordem geral da socie-
dade.
Esla ultima folln, nao podendo dissimular a
grandeza da victoria de 13 de Maio, fez acto de
IR'nitenea publica, mas, para marear o brilhe
da fcsia ou levantar urna rebelliao nosquarnns,
recordou prfidamente a scena pica do Cuba-
to, e figurou ah o exercilo em revolla com o
llirono,por (el-o incumbido da odiosa carmn
de escrotos!
Do throno nao desceu a oppresso: elle en-
controu-se no caminho cora a liberdade, e lize-
ram o pacto de G de Junho, que depois conver-
teu-se na magna carta de 13 dc,M..io.
O exercito nao preslou envido ao crocodilo
postado no caminho da sua marcha triumphal:
e a ordem do dia do ajudante general, convi
dando os seos enmaradas para as grandes so-
lemnidades do dia la. um documento de bro,
de valor cvico e de solidariedade de honra do
nosso soldado com a monarchia e as demais
n-tiluicOes juradas.
Toda a Cnnilia imperial misturou-se jubilosa
com a nai;.io, e partilhou das hosanas e das fes-
las, mais alegres, jnais eiitlmsiasticas mais or-
deiras e pacificas, que se tem visto na Capitel
do Imperio.
O Innerador leve a suprema ventura de ver
representado, com todas as coreado iris de paz,
de alegra e de confraternidade geral. o grande
drama de que sua Augus.a Filha fdra,',por as-
sim aizer, a proiogonisla. *Havia em todo o tor-
r.eio o I yin pico de ante-liontem, celebrado em
honra libentede, urna expressao de contenta-
ment sadio e confortativo, que. dava ao vene-
rando soberano o rejuvenescimenlo de sua for
taleza c de sua alma patritica.
No dia 13 a monarchia conviveu tanto com o
povo, que poude, das alturas em que paira, ante
ver as festas do seu setenario.
Poltica da semana
(Do Da)
Os trabalbos parlamentares inaugurados no
dia 3 de Maio n2o tm ouVrecido o interesse qne
era de esperar das promessas feitas com grande
estrepito pelas opposices acampadas no terreno
indemnisocrata, ao sei vico da lavoura hypolhe-
cada emais ainda despertada.
Os horis'.ntes pintados'4 brocha escura de
odios c p rixdes pessoase, nein por isso entene-
:n mais lo que tO'dia 13 de Maio do an-
no pa-s do. qnando o senado, tangido pelo pul-
bo da up:ni> do p..iz Luteiro, moveu-se para vo-
tar de p a lei de mor'c do elemento servil.
J entSo as linhasdirisoiias das fronleiras po-
liticas v-lava ii dadas pelas cambiantes
dos partidos coustilucionaes da cmara vitalicia
e vase no extremo liberal 9 Sr. Nunes Gencal
ves, que por isso mesmo foi visconde mais tar-
de, e no extremo conservador, o Sr. Paulino de
Correspondencia, do Diario de
Pernaiabuco
EBff, 15 de Maio de 1889
As oiiuvaS que appareceram no dia 19- de
Marco foram abundantes apenas nas^ostaneirtrs
da serra, onde fertilisou d'agua algn lugares,
trazeiido grandes melhoras para u creacao, por
que. o paslo te ve o seu crcseneuto natural, jul-
gando-se os criadores salvos por esta parle:
io aconteceudo irm assiia, para os agricul-
ores, os quace poderiio quasi m intua, suas
faiuaces, aproveitando-as alguus.pela quaria
Tivemos 9 dias de estaco chuvosa, e appnre
cento de novo o vero, Irouxe-nos urna peste de.
lrgalas de todas as qualidades, e em to alta
escjla. que deulro em poucos dias, foi devorada
todJ a luYonra da mandioca, comeado toda a
folia e .oendo a propria cusca da madeira. isto
da mandioca de 9afra, e quanto as novas, foram
de^ iradas de tal forma, que ficaram as trras
de iwuuadas.
I este, pois, o eslado em que contina esla
coi arca, achando se os vveres na mesma es-
ea H, e por presos t levadissimos, indo snbindo
gr dualiueate cada dia .
. fariuba sempre raodilicou o preyo. compran
de c no mercado, a cuia (10 litros) por UUOO.
ist< porque vames aproveilando de alguma fr
ma a beneGci e humanitaria medida, que tomou
S. xc. o Sr. presidente desta provincia, em
ma dar privar a exportaco da farinha para
pn
poi
os
incia diversa, cujo acto tem sidoapplaudido
lodos os habitantes deste comarca, excepto
ventureiros especuladores com a desgraca
all a, vem fruslados os seus clculos exagera-
dos de uzinas e crueldades.
E pena, porin, que as autoridades de Ex e
Gra ito. nao possatn cumprir como de vem e de-
sej u a ordem de S. Exc, em vista da falta de
fon 1 de que dispOe aquellas autoridades ; pois
o q B poder fazer um delegado com cinco pra-
vas em um termo, cruzado de estradas, e estas
liei lenladas pelos especuladores, como sao os
de x e Granito ? Nada quasi.
, ( insta qne o alferes Alfonso commatidante
do estacamento e delegado de Ouricury, srcuio
con a forca para a Serra Branca de seu termo,
aiii de' privar a exportaco de farinha para a
pro testa de.Piauhy e Ceara, qu all se achava
em lite alta escala, que nao auparecia no mer-
cad > da villa una s carga, tornando se a popu-
lai o d'aquella villa em urna privfico tal. bem
dil cil de suportar; entretanto, espera-se que
dei ippareca aquelle estado de cousas, em vir
tud do zelo e atividade de que dotado aquelle
di( 10 officwl. no cumprimento de-seas deveres.
1 dieceu em dias do mez passado, no termo
de luricury, o cidudao Joo Lopes da Silva, pro
pri tario abastado e de prestigio para o partido
coi lervador d'aquella localidade, a cuja fracc;o
fai 1 parte como eleilor.
I illeceu lambem no mesmo termo, o raajor
Ai'tmio Pereira Rotegues, que era eleitore;per-
len h a fraccao liberal. .
registro civil, vai passando por aqu des
10 cebido, sem que baja providencias, apenas o
jui de paz fez nomear o seu escrivo privativo.
pa que este seja o incumbido, em cujo acto, s
se ivulga um pensameuto poltico.
I sarampo que desde Agosto do anno passado
in1 de este comarca, ainda contina cm alguus
lu| ires, de quando em vez dizimaudo, acoalan-
do ie mais a elle a catepra c alguns casos de
Tel 'es.
m virtude da lei qne garante um cont de
re aos agricultores qne justificaren! 6 mil ps
df af de sua lavra, consta, que alguns, que j
le este numero, vo preparar dopumentos, afim
de eceberem a gratificaQao offerecida na mesma
le e se assim fr, a lavoura deste genero toma
ri rrande impulso ; j existem neste termo de
80 100 mil ps, isto dividido em tantos donos,
qu poucos sero o> que por hora justificara,
en clanto todos esto animados, e se as esta-
co ; chuvozas assim permitirem, augmentarao
su s plantas, e no correr- de alguns annos iro
vi a ratificago promettida.
inda continuamos aterrados, teniendo furtos
e lubos, pois os raaos nao se esqoecem de
atacar, e en viste do quadro horroroso em
qu nos achiraos e sem garanlias, ni o ser iltlli
cil por em pratica os seus uios inslinclos e
pe versiilades.
..BENTO, 19 de Maio de 1889
issiparatu-sa as esperanzas do invern ueste
e 1 js termos circuinvisinhos.
s lavouras eslo quasi totalmenl* perdidas,
ei desanimo apoderou-se da popular a qual,
co 1 o tino peculiar do sertanejo, acoslumado s
it ndes seccas. e mesmo a tembranci da grande
elorrorosa calamiilade de 790, espera calami-
da e anda maior do que a de 1877.
I o povo lera razao de temer a criscj que nos
aj larda neste e no seguinte anno, porque, se
em 77 falharam as colheitas no serto, as mat
tes estrvam wuito bem providas de mantimen-
tos, e as provincias do sul importaran! muitos
legumes para esla e para as provincias do norte;
agora, porin, nao somet te as mallas estad dis-
irovidas, tanto assim que esto importando os
egumes do serlao, como as provincias do sul
luctam com calamidade se nao igua, ao menos
peior, visto como se acham bracos com o ter-
rivel flagello da febre amarella 1 !
Depois iteaguaaeiro da dia 3 do corrento mez,
ura sel mata que abrazador lem -nos visi:ad<> dia-
riamente ;aa pataaeti'iis desapparecem crestadas
pelo sol, e om pearfaio sigaal se lem mostrado
todas as manhaaHiuia neblina to tenue que
nao d |ra apagar a poeira O calor 6 Uto as-
phixiantev.^ee o ikermonelro, soaabra, tem
marcado Slrcentiacados i
Ja vo appai'Maaado ialjsns.,aaos de tebres
malignas era^WppM^ gafad-Bus crianzas.
FeuzmenaaaBBBiem turn* vicanaa^-devidoi ^
certamente a salubridadc e a puresa do ar que
se respira neste serlao.
No dia 15 do cor-ente, pelas 9 horas da ma-
nh, o soldado do corpo de polica, aqu desta-
cado, Jos Ferreira da Cruz, desfeichcu um liro
na praca de polica, arabem aqu destacada,
Antonio Raymuodo da Silva, a qual nao raorreu
por milugre da Divina Providencia.
0 facto deu-s'e porte da cadeia e do quartel,
indo as balas ebagosde clnhibo empregar-se
na porta do Dr. Joaquim Homem de Siqueira Ca-
valcante, o qual por um triz nao morreu ; por
quanto, logo que ntonio Raymundo leve certeza
de que Jos Ferreira tenlava assassinal-o, pete
soccorro ao Dr Homeiu de Siqueira, que mora
em urna casa contigua ao quartel, e chegaa ja-
nprla quando Jos Ferreira disparou a carabina,
empregaudo-ne as balas e cltumho no portal,
tendo auteti uiniwssado a guia da farda c o col-
lariuho da camisa de Antonio RayraudJo eassa-
do o pes-.oco do mesmo.
Quairo pracasdo destacamento que gunrncciam
a cadeia nao se moveram para prender ,< los da
Cruz, ao qaal o Dr. Siqueira dera voz de priso
e mandara que prendessem o assassino E este
enc.iininhoii se, passo lemo, para sua casa;
carregou de novo a arma e fugia vindo entre-
gar-se, com padrinho, no dia seguinte. e se acha
recolhido na sala livre!!!!
O delegado de polica procedeu inquerito e
corpo de telirto, estando provado que o movel do
crime foi ter Antonio Raymundo posto de ladro
a Jos Ferreira, injuriando o atrozmente na fren-
te da cadeia, quando este fazia guarda.
Houve premeditaco por que as armas do cor-
rde polica tm carga certa, e a carabina de
i' da Cruz, alin das balas, eslava car regada
com diversos bagos de chumbo.
A popular devocao 1I0 mez de Maria vai sendo
mnito festejada no municipio.
Alin de se rosar na matriz e em maltas casas
parliculare* d'esta villa, nao ha fazenda e sitio
deste termo, onde, no mez presente nao. se en
loen tiymuoa a Virgen Siiiitissima.
0 mez laariaaao a<|i a festa mais popular
qne temos, lindando se sempre com mis.-a can-
tada e laduinha no ultimo dia.
Foi preso no dia II do corrente, c.sc acha re
colliido a cadeia o preto velho Isidro, 0 qual em
com.aiihia de Cyriaco, foram a casa de Elias
Colbo tetra e tiraram contra a vontade desle,
ires ingenuos, dos quaes o mesmo Cintra tutor.
Isidro e Cvriaco achaiu-se condemnados a tres
atetes de priso. mximo, do art 210 do Cdigo
Penal, requenmento do tutor, o qual deu quei-
xa contra os mesmos.
-*s escolas publicas do municipio continan)
mas dos anoveis indispensaveis para os exerci-
cios escolares. Neste sentido carece-se de pro-
videncia.
A desgraca vai sendo desapiedada para os pe-
bres do alio serto, o qual, sem duvida licar
despuvoado na .corrente anno.
A emigraco espantosa, e esta villa j conta
numero extraordinario de famintos, os quaes im-
plorara a caridade publica.
E' lempo de o governo sanar tanta miseria
ordenando obras publicas, as quaes o retirante
em vez de una esmola. receba ,1 retribuicao do
trabaluo adequado as suas torcas,
"lia obras decretadas par' esto municipio: um
acode em CanhotinlM. outro na povoagao do La-
giro e outro 110 nacho da Chata, e nenhuma oc
casio mais asada se aprsenla para, com muito
pouco dinheiro, se construir essos tres ugudes.
cuja ulilidade sobremodo imperiosa.
Houve hoto a sexta corrida no Hippodronio da
Bella-Vista. A concurrencia foi extraordinaria,
assim rtelo o movimenlo das apostas venda de
puatca, poirciiao se, senrexageracao, antnnar : -
que ainda nSo houve corrida Ifio animada como
a de boje.
Os gneros de primeiro necessidade eslo se
vendendo por procos fabulosos, vendendo se a
farinha a liOOO, milho a l200 e o feijo a
SftOO a cuia, e o mercado no tem sido abaste-
cido convenientemente.
At outra vez.
o ang-
Si se lixer eQ'ectivo
ment da receite
e se empregar toda a somma
das autorisacoes
o dficit se rednzir a
162.633:391*6
179.339:403*974
16.907:013*947
E' porem. certo que algumas verbas e alguns
crditos especiaes deixam sempre sobras: a im-
portancia dessa* sobras e a da saldo em dinhei-
ro do exercicio anterior podem bastar para o
equilibrio. >
Calcula-se na provincia de Santa Fe colonias,
na Republca Argentina, segundo El Commercio
del Plata, a colheita de trigo 1 m 477. 7i8 tonela-
das deJOOkilograramas : a do frahoem 58.887;
e a do anillo em 84.299.
Iguateieiite calculada ca 3,633,961 pesos a
aaanlidade de gado vaccuui. crioulo, mestigo
TTtio,etc.. que possue a provincia; o cavallar, bur-
ros e muas era 10,889 cabecas, que se avaliam
cm 1.631,450 pesos e o langeiro em 2 977,383,
o conreo em 13,130 c o suino em 57,530, fazendo
0 valor de todos os gados una somma de...
32.281,004 pesos.
Em geral as industrias sao avahadas em
111.537,002 pesos, que distribuidos por 220.332
kilmetros que. lem a provincia, corresponde a
cada 11111 562 pesos.
Os Estados Unidos iniporlam animalmente de
9 a lo inilhes de cabecas de gado vaceura.
A iniporlaco de carneiros e porcos, limitada
ltimamente, ainda assim no anno passado che-
gou a 280,000 cabecas da primeira especie e a
193.800 da segunda.
Tem augmentado consideravelnienteo numero
de bancos na Repblica Argentina.
Em 18871 slateleceram-se doze bancos novos
cora um capite1 de 52 MKMXIO pesos, e nesse
iiiesino anuo os bancos j existentes augmenta-
1 i:.i o -1 u capital rom 25.009,009; de inaneira
que durante o anno o augmento do capital effec-
tivo dos bancos da Repblica Argentina foi de
-77.500.000.
Antes de 1887 exisliam quatorze bancos na Re-
publica argentina cora ura capital de"75.337,(100
pesos 3 e segundo allirmara jornacs argeutinos o
numero-de bancos novos e de capital ja existen-
tes no corrente anno elevar-seho aos algaris-
mos mencionados qoe se referem ao anno de
1887.
REVISTA DIARIA
Continuando o extracto do relatorio do Minis-
terio Fazenda sobre o estado do Thesouro Naci
nal, offerecemos hoje a leitura publica a parte
que se prende ao exercicio linanceiro de 1888.
Este vai anda longe de seu encerr, s baven-
do por ora esclarecimentos sobre a receita de
um trimestre, que importou cm 37.491:204439o.
E coraparjdo este resultado com o de igual pe-
riodo do anno financeiro anterior em liquidaco,
que foi de 33.076:696*616, tem-se a differenca
para mais de 4.414:5075779.
Ora, a continuar este desenvolvimento com-
mercial e industrial, a renda deveexceder muito
daquelle anno e a oreada na lei n. 3396 de 24
de Novembro ultimo.
Efectivamente, se multiplicarmos a sobredite
importancia pelo numero dos trimestres do exei -
cicio e juntarmos ao producto nao s o imposto
predial (3,500:000*000), que nao entra na arre-
cadaco do primeiro trimestre, mas anda a ren-
da relativa ao prazo addicional, que. calculada
pelo que se apurou em igual tempo do exercicio
1886-1887, subir a 9.167:574*947 (explicayo
da lab. n. 3), encontraremos a somma de
162 632:3915627. mais 14.929:572*514 do quea
somma cima compotada para o exercicio de
1888. c- mais 15.432:3915627 do que a estimada
na supradite lei.
. Para ter noticia exacta da despeza, e verilicar^
as previses sobre o progresso da receila, o The-
souro, vista dos batneos que. em virlude do
decreto de 5 de Janeiro prximo Irado, as repar-
tieses de arrecadacSo e pagamento sao obrigadas
a remelter Ihe mensalraenle, ra preparando urna
demonstraco, que ha de ser presente s Ilus-
tradas coramisses de orcamen to em occasiao op-
portuna.
Com os elementos, ora existentes, s se pode
fazer o seguinte esboco das operaces deste
exercicio :
A despeza compe-se :
Da fixada no art. Io da lei n.
3397 de 24 de Novembro ul-
timo
Da autorisada no art. 7o, 6o.
n. 4, da mesma leisub-
vencao ao Jardira Zoo-
lgico
no art. 11 da raesraa lei
servicos designados na ta-
bella ':
no art. 2o, n. 13, da lei n.
3396alimentes de S. A. o
Principe D Pedro Augusto
no art. 2'1 n. 14 da raesraa
lei acquisi^o de um&
parte do trapiche Maxwell
no art. 18da dita lei -aug-
mento do material da ma-
rinha
no Decreto o. 10.178 del
de Fevereiro ultimodes-
peza com a commtssSo ex-
ploradora das Misses
no Decreto n. 10 181 de 9
d Fevereiro nltimoser-
vico da saude publica'
179.539:405574
MSo foram incluidas, a despeza da indemnisa-
c5o a varias cmaras municisaes da provincia de
Minas Geraes e a de outros servigos, por nao ser
cotilleada a sua importancia.
Si se suspender toda a somma
autorisada, o que nao de
presumir 179 539:4055374
e si se arrecadar apenas o
que foi oreado na fei 147.200:000*000-
haver um dficit
Actow da prelUnt*iai Por acios de 10 do correle :
Foi noraeado Francisco Cadena Bandeira de
Mello pard, O posto de capitao da a companhia
do 39" balalho de infantera da guarda iico-
nurid.i comarca de Limoeiro, em subslituico de
Jo.- Cesar de Mello Falco que foi reformado
no mesmo posto.
Foi norneado o bacliarel Saturnino de Sania
Cruz Olveira para o lugar de promotor publico
da comarca de Ingazeira, em substitnicao do
bachaivl Manuel Joaquim Machado Jnior, que
foi Horneado juiz municipal do termo de Flores.
Foram nomeados :
Antonio da Silva Mello, exonerado do cargo
de i" supplenie do subdelegado do 3o districto
do termo de Grvate, para o qual foi Horneado
Jos Luiz de Arante, para o de subdelegado do
Io districto do mesmo termo ; Jos Paulina, Pe-
reira da Costa para o de subdelegado do 2* dis-
tricto do mesmo termo, em substituco de Jos
Alves de Aibuquerque, que, a pedido., foi exone-
rado ; Joaquim Luiz de Araujo Filho, para o de
3o supplenie do subdelegado do 3o districto do
mesura termo, em ubstituiyao de Jos Henri-
que Bezerra, que falleceu ; Manoel Francisco de
Gouveia Ferraz para a de subdelegado do Io dis-
tricto do termo de Ouricury; Marcos Satyro de
Alencar para o de I" suppcnte do mesmo ,-ub-
delegado em aubsliiuico de Joo Lopes Vieira,
que foi exonerado : Joo Goucalves Bezerra, para
o de 2 supplenie do ujesiuopubdetegado; e Sa-
bino Lonas Vieira para o de 3" supplante do
mesmo subdelegado, em suli;!iiuico de .Anto-
nio Nogueira da iha. que foi exonerado desle
cargo e noraeado 3" supplenie do delegado do
mesmo icrmo, em substi'uijo de Joaquim ft-
nheiro da Silva, que foi exonerado.
Tribunal do Jury lo Rerift- Ftnc-
cionou hontera esle.tributial edu) a presenca de
37 lotees de facto.
A's II horas da manh presentes o Dr. Joa-
quim Correia de Olveira Andrade. presidente do
tribunal, foi aberta a sesso e subniettido a jul-
garaento o reo Antonio Gomes de Souza, pronun-
ciado no art. 192 do cdigo criminal, por des-
pacho do Dr. juiz de direito do 1" districto, como
um dos autores do assassinato do sentenciado
Miguel Barbosa de Barros, que leve lugar no
presidio de Fernando, em 19 de Agosto de 1885.
Funccionaram no conselho de sentenca os se-
guiutes juizes de laclo, aos quaes fui deferido o
juramento legal :"
Jos Jeronymo Rabel lo.
Joo Sabino Pereira Giraldes.
Benjamn Ernesto Pereira da Silva.
Francisco Honorio Bezeira de Menezes.
Manoel Joaquim de Miranda Souza.
Vlexandre Amerieo de '.aldas Padilna.
Antonio Eliseu Antones Ferreira.
Joaquim Antonio de Olveira Baduem.
Francisco Lauro da Silva osta.
Genuino Jos da Rosa.
Jos Odilon Annes Jacome Pires.
Dr. Celso Tertuliano Fernandes'ljuinlella.
Interrogado o reo disse que era natural da Pa-
rahyba. de 35 annos de idade, casado, morador
no presidio de Fernando de Noronha onde cum-
pria sentenca, carpina e que sabia Icr o escre-
ver ;
Que sabia o motivo porque era aausado, co-
uhecia as testeraunhas que depozemm no pro-
cesso lendo a allegar que a de noiue Antonia
Maria da Conceico nao jurou a wrdade, e que
nao attrbuia a aecusaco a motivo parlicular ;
Que achando-se no presidio em boa posico
por ser sargento de una companhia de senten-
ciados, e ainda mais, fallando Ihe pouco tempo
para concluir sua sentenca, nao linha motivo
para comraotter o crime de que era acensado, o
qual de facto no platicara, a que Paia parte do
grupo dirigMo por ssis Tavares, aterrado de
ameacas e por imposgo do mesmo Assis.
Concluido o interrogatorio e feilo pela escri-
vo do tribunal, capitao Miranda Franco a leiiu-
ra do processo, foi dada a palacra co Dr. "pro-
motor publico Joo Joaquim de Freilas Heori-
ques, qie pedio a condemnacao do aecusado no
mximo do art 192 do cdigo criminal por se
ter dado o crime com superioridade em forcas e
armas, de inaneira que a victima uao poda de-
fenderse |eaai probilidade de repellir a offensa,
e ter precedido ajuste entre o aecusado c outros
para a pratica >do mesmo crime.
Produziu a defesa o cidado Joaquim Francis-
co de Mello Santos.
Nao houve replica.
De accordo com as decises do jury que ne-
gou por unanimidade de votos a auloria do
crime. foi o reo absolvido e condemnada a mu-
niripaiilade nas custas. appelluido desta deci-
so o presidente do jury para o Superior Tribu-
nal da Rciaco.
Terminou o julgamento s 2 horas da tarde.
k sesso foi adiada para hoje s 10 horas.
Companbia do sieberibe o Sr. Dr.
Ceciliano Mamede, digno gerente dessa compa-
nhia dirigi nos a seguinte communteagao :
Srs. redactores do Diarto de Pernambuco.
Honlem houve escacez d'agua nesta cidade, isto
o fornecimento no foi nas condicOes normaes
dajelta pressSo.
No dia anterior deu-se um pequeo abati-
mentn na estrada pobhca da porta d'agua, entre
Monteiro e Apipucos, do que resullou ceder urna
das linhas de encanaraento.
Em qualquer outro local nao teria impor-
tancia o facto, mas alli em ura aterro, em es-
trada estrella e -nde passa ura caminho -e ferro,
todo o cuidado era pouco, sendo demorado o
reparo de qualquer desastre occorrido.
Nao obstante, o abatimento nao tomou pro-
porces. embaracou o transito do caminho de
feFro. i
O primeirb cuidado nosso foi de restabele-
cer a estrada publica, cousolidal-a, trabalhodifn-
cil por ser a noite, perto de raeia noite, em i
pera de dia santificado.
Para evitar maior raal foram fechados s en-
canamenlos, porm' s 6 horas da manh foi
reaberto o que nada Dlia soffrido, para nao
haver falta d'agua na cidade; concluidos os tra-
1374 bateos de consolidaco da eslrada, reabrio-se o
153.148:442297
0:0005000
19 939:0295813
4:699348
206:639*916
1.100:0005000
130:0005000
5 000:0003000
\

'



\
*


tdr*
T
infJMn^fla.....nn ji




Ki
I
n
oalcv*ncanamento e ficou tuda restabelecido
Habituada romo est fkando a populado ao
arte jorro' d'agua, naturalmente seniio bbntemj
"WeBeits da d4fler.anca,:peio que venho explicar
a cansa, o que tanto mais nec*ssaroquano.
toi*o serve-,para boatos ou propaganda-da mate-
TOMBoia
Herir, W "de Maio de 1889. Ceciliam M-
male
KftlleetMento Ante-hontem fallecen, vi-
ctima de urna affeego cardiaca, o honrado ne-
gociante desta praga, Jos Joaquim Alves.
Era o finado natural de Portugal e contava
cerca de 60 annos de idade. Resida desde mui -
tomlo nesta provincia, que amava tanto quan
ter* sua patria, a nesta cidade constituio lamina,
que chora a perda de um exeellenle refe.
' O seu cadver foi hontem pela manila sepul-
tado no Ccraiterio Publico de Santo Araaro.
A' Exma. familia do linado apresen tamos as
uoasas condolencias.
, BendlnaeatfouBllcoft As seguintes
estacoes acrecadaram em Maio :
AifanJega:
Diario de Bemambueo^hSi
h-adoo-}; doi Jtmho de >H$89
eCaxtqp-Mtrioste del Bstttr pitmiado*- coco 60*0*) Junho Agosto proimo esta*ncarregados da nmeros
ovi-
De~.889 715:2394909
. 1888 861:6533863
. 1887 766:187*277
. 1886 670:648*448
1885 673:7521773
Hecebedora Geral:
Dc-1889 42:626*899
- 1888 38:697*343
. 1887 40:385*973
1886 40:831**18
i 1883 39:560*141
Recebedoria Provincial:
De 1889 93:351*737
1888 141:600*647
1887 159:068*095
1886 154:087**82
1885 177:403 697
mitmIIt* MagdalenenaeRealisou-
se na quarta-feira ultima o sarao de inaugura-
cao desta sociedade, com a presenca de grande
nmeros de socios e convidados.
As dansa; se prolongaram at o romper d'alva
havendo seranre muita animagao e retirndose
todos saisfeitissimos pela agradavel noite que
passaram e penhorados pela maneira cavalhei-
rosa e ameno trato que Ihes dispensarain os dig-
nos associados.
Que a Recreativa continu a proporcionar di-
verses si'melhantes. eis o que desejamos.
Kania Crm Foram celebradas nessa i gro-
ja os exercicios do mez Mariano sob o ministerio
do Revin. Frei Pedro.
Durante os mesmos exercicios houve toda re-
gularidade e verdadeira devogo de parte dos
devotos
Providencie -Tendo havido um desaba-
men jj do telheiro que havia dentro doterreno con-
tiguo a predio n. 96 ra do Mrquez de Her-
val, seus destrogos desaprumaram o muro de ali
nhamento da ra o qual assim ameaca novo des-
abamento sobre est com perigo dos transen-
tes. A quem corapelir cabe providenciar e com
a urgencia precisa.
Providencia*O felido que se desprende
da sargeta da ra do Baro da Victoria,
esquina da Caraba do Carmo e da que rica
entrada dessa segunda ra, reclama serias pro-
videncias por parte de quem competir, no sen-
tido de serem quanto antes removidas to pre-
diciaes exhalages.
Consta que alguns moradores da circumvisi-
nhanca tm sido ltimamente accomojcttidos de
febres e do como causa dellas as ptridas ex-
halaces que daqella* sargetas se levantara.
Ksperamos pois, que sejam dadas as p.->
dencias necessarias.
eunio nrtUlica em OlindaAnte-
bontem teve lugar essa reuniSo, em urna das
s;ilas da bibliotheca do Instituto Litterario daquel-
la cidade.
Estiveram presentes 70 artistas.
Aberta a sessao, fra pelo respectivo presi-
dente expostos os motivos da reuniao e em se-
guida usaram da palavra diversos artistas:
abundando em consideracoes tendentes ao bem
da elasse. aps as quaes foi levantada a sesso
pelo adiantamento da hora, sendo marcada
nova reuniao para amanha, s 1" horas do dia.
no. mesmo lugar.
Belofo.AppreliendidoPela subdele-
gada do Io districto de S. Jos foi apprehendido
um relogio de prata com cadeia de plaqu. 0
prejudicadq, poder ir all havel-o.
Corjbanilna acadmicaNa sala ge-
ral da Faculdade havur hoje, 1 hora.da tarde,
sesso preparatoria dessa sociedad, para dis-
cusao dos. estatuios e eleicao ddinitiva da di-
rectora.
Circo ChilenoA elasse dos caixeiros
desta cidade faz hoje uaia maniestugSo de sym-
pathia artista Luiza Palacios, a Estrellado
Norte, que fulgura nesse circo, eteraanoite
mais un triumpho.
Essa njaniestacSo se a..unca aniante, como
urna festa de enthusiastica admirago aquella.
que della ponto convergente de todos os ratos
desse sentimento.
Ha predispostas dierentes externagues dessa
admiraco em brindes de que llie ser feita en-
trega pela commisso executiva da mesma elas-
se aquel la noite.
Esses rindes estarao durante o da de noje
em expaicao na joalheria dos Srs. Jcseph Krau-
se & C, apreeiago publica.
Braxilcii-o* na Europa-Escreve ao
Jornal do Cununrrcio, da corte o seu correspon-
dente de Roma:
0 Bario de Saboia. que veio ilalia em com-
misse do governo imperial, tem encontrado o
mais lisongefro agasalbo aqui. As-istindo elle
aula do eminente professor Bacelli. <>lo este os trabalhos publicados pelo nosso patricio.
que foi alvo de verdadeira evagao por parte dos
estudantcs alli presentes. Por proposta do mes-
mo profess.r, o Baro de Saboia, foi eleito so
rio correspondente da Real Academia de Medi
cia de Roma.
Acha-se em Genova, oade tem visitado as
prises, o Dr. Pires Faltaba, que tambera veio
era commisso dogoverno.
Servlco militar-Esto designados hoje
r.ara superior do dia o Sr. major Alves, e para
para ronda menor um subalterno de cavallaria.
A guarnigo da cidade dada boje pelo 2"
dtalhao de ial'antaria.
Na enfermaria militar existemem tratamen-
to 37 pracas .da guarnicao.
__Regressou hontem da cidade de Giyanna
a escolta do 14 ba'alho de infantaria, condu-
zindo pnsos os desertores Guilherme Francisco
Alves, d.) 21 debatalo infantaria, e Jos Ferrei-
ra dos Santos, do.i4" da mesma arma os quaes
foram capturados naquella cidade
Prolongnmento da entrada de fer-
ro de *. FranciscoNo dia 28do passado
no kiloni"iro 72, nouvejurn abalroamento entre
o trem de lastro, qu tinha partido da gstaco
de'Quipi' jpani'S.' Benedicto, e um troly em
Sufeao apontadol Eneas Jacome, resultando
esfle accidente ficar o troly completamente es-
tragado, nada, entretanto, havendo sorTndo ore-
leriao apoulado'r e nem os dous trolystas .
Tendo-se dadoesse abalroamento em um corte
de curva e declive nenhuma culpabilidadc por
elle coubeao respectivomcliiDista, nem lambera
aos rereios apontadr e conductores do trolly,
a nenhum dps quaes Toi possivel evital-o.
ValciUdeNNa cidade Je Goyanua, em a
tartle de il do me bontera findo foi preso um
individuo que, armado de facea de ponta, provo-
cava desordens.
Diveros companheiros de I le teutaramtomal-o
do poder Ja w{a publica mas semdo |K)r ella
oM>loi. travam .lutj.renbida da qual sahi-
ram feridos levemente duas pravas de polica
e duas de liaba
Tiro Em Nizareth, porvolla de '1 hora d:'
madruga la, no lotar Estrada Ni-a, foi traieoei
rameute ferido com um tiro. Manuel das Dores
do Espirito Santo, por um dosjconhecido. que, a
pretexto de negocio procurou o em sua caa
aquella hora. j
A polica, como llie cumpria; tomou conheci-
niento do facto.
MittrlK da oa-Vil -Amauha encer
rar -a ignj.1 (j< exercicios do mez de
Main, havendo as 7 horas di mnnh mi3sa so-
[en,; tarde, depoi? de urna pe-
i nterior da igreja. o acto da
.-ando se a fesla com Te Deum
Senhora.
ati .impmnctt Esta socieda-
no lugar e hora do
costal .rdinaria
interna Marica------Acha-se em distn-
buico o n. 25deste peridico livre e humors-
tico que se publica BeSta capital.
quena
e anl
BM
administracao da polica particular da ra Duque
de Caxias o Sm. negocantes MartooGoacalves
Peoira, BoflMagos4o*'dCalro e 9tlva e Ao-
leriloJBe Moreira.
Vapor-do O vapr fi-aacez Hmicteitr,
conforme *viso telegraphico, deixtw lMM 4 horas da tarde, ojporto da Baha.
Deve ebegar aqu amanha.
i A Horeaiaha-E o titulo qae treu 0 Sr
Claudio da Cunda a urna polla qtre,co(!>pei:Pura
piano.
Foi editada pela acreditada casa Preale 4 C. e
ocioso dizer que est ntidamente impressa.
Agradecemos o mimo que nos fez de um
exemplar.
Club litlterarto Martin Jnior-
Reunio-se no dia 29 de Maio udo, em sessao
ordinaria, esta sociedade. Ficou adiado ojory
do personagem Scyla. Em seguida tratou-s
da eleigo da directora que tem de dirigir o
club de Junho aSetembro, dando o seguintc re-
sultado :
Presidentes-Alfredo Lima, reeleito.
Io vice-ditoElias dos Santos.
2o vice-dito Virgilio Caneca.
1- secretarioGabriel Lima, reeleito.
2' ditoJoo Ferreira Monteiro.
Adjunto dos secretariosErnesto Santos.
Orador -Manoel de Paixao Vieira, reeleito.
Yjce-dito-Luiz Gomes M. de Mello, reeleito
Thesoureiro -Jos Souza Filho, reeleito.
RibliolhecarioAntonio Pereira Arantes.
Commisso de syndicancia -Ernesto Santos,
relator, Edgard Tavares e Souza Filho, mem-
bros.
Commisso de redaeco e thesesPaixao Viei
ra relator, Luiz Gomes e Caneca, membros.
eominisso de contas | Francisco Lima, rela-
tor, Gregorio Bello e Gabriel Lima, membros.
Em seguida levantou-se a sesso, sendo mar-
cado o dia 6 de Junho para a posee da directora.
mini'iilnrlaornill(o criminal -
O Sr. Dr. Joo Vieira de Araujo, illustrado lente
da Faculdade de Direito, obsequiou-nos com os
fascculos 4 e 5 do commentario philosophico-
juridico que est publicando ao nosso cdigo
criminal, conclaindo no pnmeiro dos referidos
fascculos o commentario aos arts 3o, 16 8 8o
e 18 1 do cdigo c ao art. 19 da lei n. 2,033 e
no segundo trata dos arts. 4,5 6 e 16 17 do
mencionado cdigo.
Agradecemos a offerta.
O Rebate-O Sr. Fortunato Pinheiro, pro-
prietano do Rebate, pedio-nos hontem que de-
clamsemos que nao foi distribuida essa gazeta
desta semana por estar fra da cidade o distri-
buidor, mis que os assignantes nenhuma falta
soffrero
nircrtorla dan obra* de conoerva-
e;i > don Porto* de PernambncoReci-
fe. 30 de Maio de 1889.
Boletim meteorolgico
6891
6897
Horas Sil Barmetro a
i) o so 0*
H
6 ra. 24-0 760-00
9 18a -2 761-42
12 27 4 760-56
3 t. 27" 6 759-72
6 26-8 760-23
Tenso
do vapor
1

20 27
21.26,
23,031
21,83
21,47
91
84
78
n
Temperatura mxima28",25
Dita mnima 23,50.
Evaporaco em 24 horasao sol: 3-,3 ; som
:>ra: 1-3.
Chuva i-,0.
Direceao do vento : SE de meia noite at 9
horas e 33 minutos da manh ; S at 10 horas
e 40 minutos; SSE ate II horas e 3i minutos ;
SW at aos 28 minutos da tarde ; SSE at 1
horae 50 minutos; SE at 11 horas e 10 minu-
tos ; SSE at meia noite.
Cabiiaria durante 4 horas pela manh
Velocidade inedia ao vento: 1-.21 por se-
gurdo.
Neblosidade media: 0,84.
Boletim do porto
15 5. M C. M. S M. P. M- 30 de Maio 31 de Maio 0-.58 2-42 0-,68 2-43
UciloemE.Tec'.uar-se ho osseguiutes :
- Hoje :
Pelo agente Stepple. s 11 horas, ruado
Imperador n. 3'.'. do casas terreas.
- Segunda feira :
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, ra For-
mosan. 2>, de novis, louca, espelhos, etc.
Pelo airate Britto, s 101/2 horas, ra For-
mosa n. 31, de movis, loucas, etc.
Pelo agente Pestaa, ao meio da, travessa
do Corpo Santo n. 27, de dividas.
Miaa* fnebre* -Sero celebradas:
- Segunda-feira:
As 7 1/2 horas, na igreja do Espirito Santo,
pela almu de D. *nna Carolina dos Santos Por-
to; s 8 horas, no :orpo Santo, pela alma do
commendador Ivo Antonio de Andrajle Luna.
Pa**n*elroChegado no vapor allemo
Campias:
Antonio da <"osta e Silva.
- Sabido para o sul no raesmo vapor :
Edward Ringel.
- Sahidos para 0 sul no vapor allemao Lis
sabon :
Angoste Schendnenn Stanislan Stycgymhi e
Antonio Soares de Andrade.
Cana de DetencaoMovimento aos pre-
sos da Caaa de Detencao do dia 30 de Maio de
1889.
Existiam 438; entraram 10; sahiram 2 ; exis-
tem 466
A saber:
Nacionaes 421; mulheres 20 ; e -Toul 466.
rrasoados403.
Bohs 382.
Doentes 20.
Louco 0.Total 403.
Movimento da enfermara
Teve baixa:
Fidelis Jos da Costa.
Teve alta :
Francisco Soares de Queiroz.
Hoopitti Pudro ti O movimento deste
estabelecimento de daridade, no di? 26 de Maio
foi o seguinte:
Entraram 21
Sahiram 16
Falleceram 4
Existem 646
Foram visitadas as respectivas enfermara
pelos Drs.:
Moscoso s 81|4, Cysneiro as 10, Barros iobn-
nho s 7 l|4, Berardos^l, Malaquiass 9, Pon
tual s 9 !t4. Estevo Ca,valcante 9 1|4 horas.
0 Dr. SimOes Barbosa nao compareceu.
O cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 l|2
horas.
0 pbarmaceutico euirou l[2da manoa e
O ajudantedo pharmaceuticoentrou as 7 1|4
la manb e sabio s 4 horas da tarde.
Lotera do Grao Para Eis os premios
da 3 parte da 28.' lotera do Grao-Par, ex-
trahida em 29 de Maio de 1889 :
1939 60:000*000
6893 &:000*000
3957 3:000*000
2438 1:200*000
595 lJOOiOOO
APPROXHIACOBS
1938 600*000
1940 600*000
6892 300*000
6894 300*000
3956 180*000
3958 180*000
Eeto premiados com 600*000 os seguintes
"UinCr: 2556 4056 4930 7340
Bato premiados com 300*000 os seguirte.-
nUtDerO:i45 ti 3356 4784 6444
Esto premiados 'com 120*000 us segundes
nmeros:
1931 1932 1933 1934 1933 1936
1937. 1938 1940
89* 6894- 6896 6896
6898 6890 0900
Esto prermados -coar'30*000 oswMgui!
aumeros: / I
3951 3952 3083 3934 955/8950 >
3058 3959' 3960
Todoeos BumecosrterratBados em 39 estao pr-
miados -com 40*000, excepto o da sorte gran
Todos os Dameros terminados em 93 esto pe-
miados com-60*0 O, exeepto o da sorte inme-
diata
Todos os nmeros terminados em 7 estao pe
miados com 30*000.
Todos oe- iirmirua tdruihrados em 9 est|o
premiados com 30*000, excepto os terminadas
em39.
Todos os nmeros terminados em 3 esto
premiados com 30*000, excepto os terminadis
em 93.
A seguinte latera corre no dia 3 de Judio
com o plano de 60:000*000.
' botera do raat-Para -A 4 parte fa
28* Materia, dess* provincia, cujopremio-'granda
60:000*000, -era eXtrabida no dia 3 de \
nho.
Lotera Esta ultima lotera presenteou i
esta provincia como primeiro de seas premios'
(js possaidores, devem recbelo e regosijal
rem-se pela acertada escolha.
dem da ParabybaDssa lotera qu
foi extrahida a 90 do mez (Indo, foram sorteaos
os segundes nmeros: 1550 4:000*,' 1642 500*
o 1044200*. J
Cemlterlo PublicoObituario do dia 28
de Maio de 1889 :
Leonardo Lourengo, Pernambuco, 60 annos,
casado, S Jos; ttano.
Luiza Mara da Costa Pinheiro, Pernambuco,
51 annos, casada, Graca; escrophulose.
Jorge, Pernambuco, 8 mezes, S, Jos ; epilep-
sia infantil
Joaquim; Pernambuco, 4 anuos, S. Jos ; fe
bre typhica.
Jos* Pinto de Souza, Pernambuco, 23 anuos,
solteiro. Boa-Vista; broneho pneumona.
Manoel Jos da Silva, Pernambuco, 20 annos.
solteiro. Boa-Vista; entero colite.
Jos Vicente. Bio Grande do Norte, 20 annos,
solteiro. Boa-Vista; anemia.
Suzana Amorim, l'aratiyha, 16annos, soltcira,
Boa-Vista : tubrculos pulmonares.
Um feto, Pernambuco ; Graga.
VirgolinaMaria de Jess, Pernambuco, 15 an-
nos, S Jos; gastro eolerite.
-S9-
Agostinho Pereira da Silva, Bio Grande do
Norte, 40 annos, solteiro, Boa-Vista ; tubrculos
pulmonares.
Josepha Maria da Conceifo, Pernambuco, 44
annos, solteira, Boa-Vista; tubrculos pulmo-
nares.
Um.feto, Pernambuco, Boa Vista.
Um feto, Pernambuco, Graca.
Anna Maria dos Prazeres, Hernarabuco, 20 an-
nos, solteira, Boa-Vista; anemia palustre.
Joo Chrysostomo da Trindade, Pernambuco,
44 annos, vuvo, Boa-Vista ; ferida no abdomen.
Maria Laurinda Cavalcante de Albuquerque,
Pernambuco, 30 anaos, casada, Graca; entente.
Francisca Josepha da Conceico, Pernambuco,
20 annos. solteira, Boa-Vista; febre perniciosa.
Firmina Maria da Conceico, Pernambuco, 60
annos, solteira, S. Jos; entente.
Antonio Joaquim Ribeiro Bastos, Pernambuco,
23 annos, solteiro. Boa-Vista ; fenmeoto por ar-
ma de fogo.
Monica da Conceico Leal, frica, 78 annos,
solteira, Boa-Vista ; hemorrhagia cerebral.
Marcelina Maria da Conceico, Pernambuco,
32 annos, viuva, Boa-Vista; bronchite.
Antonio Caxias dos Santos, Pernambuco, 56
annos, solteiro, S. Jos; nephrite chronica.
Joanna Baptista Pessoa, Pernambuco. 25 an-
nos, solteira., Santo Antonio ; tubrculos pulmo
nares.
Manoel, Pernambuco, Boa-Vista; inviabili-
dade.
- 30 -
Maria, Pernambuco, 8 mezea, Afogados; den
tifo.
Clemente do Espirito Santo, Pernambuco, 49
annos. viuvo, Recife; insufticieacia mitral.
Amelia Adelia Tavares da Silva, Pernambuco,
20 annos, solteira. S. Jos; tubrculos pulmo-
nares.
Jeronyma Thomazia Bezerra de Mello, Per-
nambuco. 29 annos, viuva, S. Jos: tubrculos
pulmonares. ,
Sil vino, frica, 65 annos, solteiro, Boa-Vista ;
anemia.
Francisco Cambara. Italia, 23 annos, solteiro.
Boa-Vista ; febre amarella.
Maria Rosa da onceico. Parabyba, 23 annos,
solteira. Boa-Vista ; febre palustre.
Jeronymo Gomes Silveira, Pernambuco, Gra-
ca ; meengite.
Vicente Alexandre, Parahyba 30 annos, Gra-
ca ; encephalite.
Ignacio do Bego Medeiros, Pernambuco, 98
annos. casado. Afogados; senilidade
kakfosv todos
VlMus do fiai
3
co de trestaap,.todos os. conhecimaBtos neces
sanos xowMiae do feaobarelato.
E sais: affirma que os. seus discpulos fica-
ro conheceado tres ou.quatro linguas vivas e
nunca esqueceeoqe bouverem'aprendidn.
* Como se va, parece que o methodo- mnemote-
ebaroo do gario Chavaalj-estdestBado a fa
zcr urna revolars Meducacv das crian cas.
Passando um dia pea manh um-carcunda
perto de um individuo que tinha s6>m olho,
este W^dtsse em tom de mofa :
To oeda-e j ti carregado I
- Bem. mMra, responden o oorcanda, que
cedo na sua-casa, peis I he vejo so com urna
janella aberta.
Florenca acjfba de ser tneatro d'unia scena
trgica que iifpresskraou dolorosaraente toda a
.cidade.
M. Carlos Sfdini, idade dbannos, (unpre:
gado na direc^o geral dos caurinhos de ierro:
rivia-se separado de sua javon espasa. A
25; de Abril, pelas 3 1|2 heras da Urde,
Sodini sahio a passeio com urna tilliinlia, uei
de de um anuo, que eslava com elle.
Chegado diante dura kiosque tironium revol-
ver que trazia na algibeira, e depois de ,ter
abracado por rauito tempo a lilhinha, applicou
Ih'o sobre a fronte e disparou.
A crianca cahio morta com o tiro Depois de
tel-a olhado anda urna vez, o desgrasado dis-
parou ainda dous tiros de revolver ao ouvido,
cabio fum i nado.
Ao estrondo das detonaces, guardas e pes-
soas que passavam naquelle momento correram
ao lugar, fazendo-se immediatamentaa transpor-
tar o cadver) da crianca sala mortuaria de
Santa Maria Nova, e quanto a Sodini, que respi-
rava ainda. transportou-se ao hosqital.
O inquerilo que acaba de ser aborto sobre
este mysterioso assumpto, ha desvendado algu-
ma lgubre tragedia que ueste momento apal-
xona a toda Floneoca, demonstrando que Carlos
Sodini nao o pai da menina que elle matn.
A mulber com quem elle tinha relces, ca
sada com um empregado do correio de Pisa; e
foi a 26 soraente que este soube a intriga de
sua muUier e ajmorte da sua lilhinha Bianca.
Faz pina ver o infortunado. A dor de ter per-
dido sua flba, que elle adorava, e a descoberta
da trahicio da mulher o tornam quasi doudo.
M. Carlts Sodini pertence a ama boa familia.
Vai melrorefoi transportado enfermaria da
priso do.- Murales. Ao seu processo tem-se dado
toda pressa, devendo comparecer ao tribunal de
julgamento sob a prevengo de homicidio com
premedit^o.

SPORT
Um philosopho da Gr Bretanha, que indubi-
tavelraeote deve ter mui pouco em que preoecu-
par se, acaba de publicar urna curiosa cstatisti-
ca, relativa ao clcalo das probabilidades em
que a mulher pode casar-se:
De 15 20 annos
e .20 25
De 25 3o
De 30 33
De 36 40
De 40 45
D; 43 50
De 50 55
Nesta ultima escala
da,
14 por 100
52 por UN)
18 por 100
15 por 100
3/34 por 100
11,2 por 100
3/8 por 100
1/4 por 100
idades, as senboritas
que tiveren a desgraca de estar nella cempre-
hendidas, podem abandonar toda esperanca.
Em regra geral passam cathegoria de ..
virgens.
0 t(>phone pode ter a vantagem de fuz< r des-
apparecer os despachos telegrapbicos, por meio
de urna operaj;o rauito simples, que pode dar no
entretanto excellentes resultados na guerra, sor-
prendendo segredos do inimigo sem que elle
possa disso aperceber-se.
Para um tal effeito basta collocar-se paralle-
lamohte ao lio telegraphico, e em alguina ex-
tensp, outro fio em comraunicaco com um ap-
pareho telephonico, ao qual ebegam todas os
signaos commijnicados pelo primeiro: po:(Plira
cada elctrica por induccao recebe o k
os signaes.
Mas para evitar esta intercepeo, pode v
lecer-se um duplo lio telegraphico ; ponjue'ue-
le caso o teephone s recebe ama mitu'
fusa de signaes de modo a tornarse '.(a-
o uso dos mesmos.
Acaba o Rvd Chava'uty, capello do hospital i
de ILourdrcs, era Franca, de inventar um aovo
metnodo-de miiemotechnia, a que deu o nome
de Arte de aprender e recordarse.
Esse engenhoso methodo assenta as seguin-
tes bases, communicadas pelo respetivo autor
redaeco do Petil Journal, de Pariz :
Dase a crianca um algansmo qualquer qn-
lembre urna data conhecida. Urna vez de posse
deste ponto de partida a enanca inicia unta se
rie admiravel de fados, sem esquecer as datas
em que se deram, e isto com urna preciso es-
pantosa. Faz maU : recita Shaskpeare, Home-
ro. Virgilio; faz conhecer a constituico politi-
ea. a lonfiguraco geographica ou ge^ogica de
um paiz; geometra, astronoraia,, mecnanica.
chimica ou algebra, e, o que urna difficuldade
para os pioprios saldos, os nomes dos gneros
3ue compem as differentes familias da tribu
as cucurbitceas. Tudo isto dito pelo nuni
mo de urna maneira methodica, sem esrbrco, H
cando indeleveimente gravado na memoria da
crianga.
E' clara a simplicidade da base sobre que re-
pousa o methodo do vigario Cbavauty, como f-
cilmente se pode ver da analoga segrate : ligu-
re-se urna cidade em que ha grande numero de
pracas ; a e-tas pravas vera ter innmeras ras,
a estas ras urna multidio de beccos. Da mes-
ma forma que a crianga una vez habituada a
estas pracas, a estas ras, a estes beccos, vai
ter a elles com seguranca por meia da lei natu
ral da associac; das ideas, assim ella achara
no momento preciso as noces por ella classii
cadas e, por assim dizer, rubricadas.
O vigario Chavauty garante dar intelligen-
cia inculta e mediocre de urna crianca, no espa-
Prado Pernambucano
Realizcu-se antehontem a 26* corrida
A concarreacia foi regular e nao obstante o
programna ter sido bom, o jogo estere pouco
animado.
0 movimento geral das pona attingii a.....
36:470*000.
O divwtimento nomo em boa ordem.
Eis o resultado das corridas :
*
1. pareo -Harmona 900 metros ^nimaes
da provincia que ainda nao haviam ganho em
1889 nesta ou maior distanciaPremios : 250*.
50* e 23*.
Depoit das sabidas falsas do costume. W dado
o 8ignal de partida em boas condicoes, tomando
Porabo freto a ponta.
No distanciado Village, montado porOIympio,
collocou se na vanguarda e ganhou a corrida
em 69".
Pombo Preto foi bom 2o e Tupy, o ex-Tupy,
chegou em 3o lugar.
Poule de Village em 1\ 14*900; eni5,...
9*900.
Poule de Pombo Preto era 2, 11*900.
Movimento geral, 5:860*000.
#
2." pareo Internacional1.400 aetrosAni-
maes de qualquer paiz que ainda nao haviam
ganho em 1889 nos prados do RecifePremios :
400*. 80* e 40*.
Coube a Stephanie puxar a corrida, sendo a
ponta oceupada pouco depois por Coupon. Cerca
de 400 metros depois -tephanie retoma a punta,
sustentando a desta vez at a distancia de 1.200
metros, quando Asmodeu por sua vez se col loca
na vanguarda
No distanciado. Apollo, montado por Manoel
Virgilio, bale a Asmodeu e ganha a corrida em
100".
Asmodeu foi 2 e Coupon 3*.
Poule de Apollo em 1, 9*500; em 2, 8*900.
Poule de Asmodeu era 2". 24S600.
Movimento geral, 5:405*000.

3. pumo Dutrtm 1.609 metros Animaes
da provincia que nao haviam ganho em 1889
nesta distanciaPremios: 300*, 60* e 30*.
Templar sahio na vanguarda e nessa posigo
se conserva at a distancia de 400 metros. Ani,
Monitor emparelha a Templar e assim correm,
brigando. cerca de 200 metros, quando este ul
timo desgarra, deixando a ponta desembarazada
a Moait >r, que chega folgado ao vencedor em
131".
Mouro foi 2".
Poule de Monitor, montado por Nicolao, 9*200.
Movimento geral 5.415*.

4* pareoFerro Carril1.600 metrosAni-
maes nacionaes at meio sanguePremios :
400*. 80* e40i
Ao signal de partida, que foi dado em pessi-
mas condicoes, pux a corrida Saturno, que se
conserva ra vanguarda, com grande esforco, at
a distancia de 1.200 metros, quando devorado
por Minerva, dirigida por asimiro. que conse-
gue ganhar a corrida em 103*'.
Saturno foi i- e Minerva 3.
Poule de Minerva em Io, 23* : em 2*, 17*400.
Poule de Saturno em 2-, 34*300.
Movimento geral, 4.8755.
3C \>reoSupplemeuluri.lMO metrosAni-
maes de qualquer paiz que ainda nao haviam ga-
cho nesta distancia Premios : 600*, 120* e
60*.
Diana, tendo sahido na punta, com|grande van-
tageui aos competidores, conseguio ganhar a cor-
rida em '14".
O jockey de Diana, ou por inspirarn propria,
ou em observancia a ordens recebidas, empre-
goa todos os esforcos para distanciar os outros
animaes. o que conseguio, mas sem gloria al-
guma, nao s pela sabida favoravel que teve,
como tamem por ter sido a egua basnte cas-
tigada em toda a viagem.
Alm disso, parece-nos que a Diana, distan-
ciando propositalmente os companheiros para
tirar-ibes o direito de perceberem os 2o e 3 pre-
mios, cuinraetteu um acto de ingratido para
com elles, porque se nao fos.sm Mastn, Aspa
gia e Ernaoi nao tena ella pareo, como tem
acontecido com Vesper, da qual a propria Diana
tem fgido.
Poule de Diana em Io, 7*500; era 2", 3*800.
Poule de Aspasia em 2. 6*300.
Movimento geral, 6.620--.
6' pareo1 de Ju'-ho (Haudicap ^1.400 me-
tros -Animaes pelludos do paizPremios : 300*,
60* e 30*
Favorita toma a ponta na sabida, cedendo-a
50 metros depois a Reuife* que nao obstante se
acaar iavalido fez figura at a distancia de 800
tros, quando Favorita retoma a ponra.
Na entrada da recta de cheeada Ayinor pre
tende collocar-se na vanguarda, briga coro Favo-
rita, resultando d'abi apparecer Cmela, dirigido
por Honorio, que bate a ambos, ganhando a cor-
rida em 115'*.
Favorita aaixunstou o %. lugar a Aymor o 3.-
/ oule de Cometa em 1., 9*700; em 2., 6*600.
Poule de Favorita em 2.", 6*800.
Movimento geral. 4:760*000.
*
7 pareo Imprenta Rernambucana 1.200
metros Animaes da provincia nao inscriptos
para esta orrida Premios 250*. 50* e25*.
J era noite quando su/easou corrida deste
pa-eo. Os eombatentes partirn) em desfilada,
desappareceram das vistas do publico e quando
se apreseetarani na recia de obegada, via-se que
General, tendo se aproveilado da escurido, se
colloci a na vanguarda, cheganda garboso ao
rmcotor em 93 ".
Rold o foi 2." e Florete 3."
Poule de General era 1.", 91*100: em2.",...
13*900.
Poule de RoldO em 2, 13*100.
Movimento geral, 3:535*000.
CBMHffiA JDICIARIA
"T
Tribunal da ttelafao
SE.iSJO^ORDINARIA EM> Bf. DE..MAIO .
DE 1889
RE8nTEN<;iA DO EXM. SB. CONSBLHEIRO
QUINTIXO DE MIRANDA
Secretario^ Dr. Virgilio oelko
A'sliorasd costume presentes oSrs. des-
embargadores era numero'legal foi aberta a
sesso depois de lida e approvadu a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
J O L IIAMEVT O S
ilabcas corpas .
I Paciente y
! Manoel-Francisco de Souza. ;Aiandn-se sol-
tar, ununimeinente.
ReCBPsos eleiloraes
De Nazarelh Beeorrenle, Francisco Villar
Brrelo Coutinho, recorrido Roberto da Silva
Lima. Relator o Sr. desembarga lor elfino
Cavalcante. Era diligencia.
De AreiaRecurrente Manoel Pereira de Mel-
lo, recorrido Dr. ElyseaAdolipho'da Costa Ma-
chado. Relator o Sr. dejembargador Monteiro
de Andrade. Negou-se provimento, unnime-
mente.
Do Catle do Rocha Hecorreote Va.devino
Lobo Ferreira Maia, recorrido {Miguel Alves de
Lima. Relator o Sr. deserabargador Alves Ri-
beiro.Deu-se-provimento. unnimemente, pa-
ra se mandar excluir.
Reoursos crimes
De Paulo Aflbuso Rec rrente o juizo. recor-
rido Joo Thomaz de-Souza. Relator o Sr. des
eabargador Olrveira Andrade. Deu'se prori-
inento, unnimemente.
Do Recife -Recurrente ji juizo do cainmereio,
recorrido Joo Auuslo Ignacio Moreira. Rela-
tor o Sr. deserabargador Oliveira Andrade. -
Deu-se provimento ao recurso',' em parte, contra
o voto em parte, do Sr desembargad Monteiro
de Andrade.
AppellacOes crimes
De Bom Consefho Appetlarrte o juizo, ap
pellado Manoel Lqiz de Sant'Aaaa: Relator o
Sr. desombargador Dellino Cavalcaote. Man-
dou-se a novo jurj-, uaanrmemenle.
Do Recife -Appellante o promotor publico,
appellados Antonio Marcelino de Souza e outro.
Relator o Sr. deserabargador Moateiro de An-
drade. Maadou-se a.novo jury,.uoaniraeraente.
De Alaga do Monteiro -AppeUante Joao Au-
gusto de Moraes. appellada a justir;a. Relator o
Sr. deaambargador Dellino i avalcante. Con-
lirmou-se a sentenc/a..unnimemente, com urna
alteraffio quanto a multa.
De OlindaAppellante o promotor pi.blico,
appellato Manoel da Costa Bandeira. Relator o
Sr.'deserabargador Alves Ribeiro.-ManJou se
a novo jury, unnimemente.
De OlindaAnadiante Manoel Izidro do Nas-
cimento, appellada ajustiga. Relator o Sr des-
embargador alves Ribeiro; Confirmou-se a
sen'enga, unnimemente.
De Alaga do MonteiroAppellante o juizo.
appellado Lino Jos da Silva. Relator o Sr.
desembargador Dellino Cavalcante. Confir-
mou-se a sentenca, unnimemente.
Da Victoria Appellantes Joaquim Ferreira
Barbosa e o fjuizo, appellados a iustica e Jos
Pereira de Barros. Relator o Sr. desembargador
Monteiro de Andrade Conlirmou se a senten-
ga de Jos Ferrei-a Barbosa e mandou-se a no-
vo jury Jos Pereira de Barros.
Appellaco coramercial
De MaceiAppellante Antonio asado Lima
Jatob appellactos Borstelman 4 C Relator o Sr.
desembargador Alves Ribeiro. Revisores os
Srs. desembargadores Tavares de Vasconcellos
c Oliveira Andrade.. Julgou-se procedente,
unnimemente.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Deltiao '"avalcante ao
Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellaco crime
Do LimoeiroAppeliantes o promotor publico
Manoel Francisco Borges e outros, appellada a
justica.
Appellago coramercial
Da Escada Appellante Jos Fernandes da
Silva Potte, appellado Luiz Francisco Monteiro.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Embargos infringentes
Do RecifeEmbargante a companhia de se-
guros Indemnisadora, embargados Moreira &
inte.
Do Sr. (deserabaretador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
Appellaco crime
De raimaresAppellan'e os francisco da
Silva, appellada a justica.
Do Sr. desembargador Tavares de Vasconcel-
los ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Appellaco crime
De Jaboalo Appellantes Manoel Francisco
Ferreira Gomes e outro. appellada a justiga.
DILIGENCIA
Cora vista ao Sr. desembargador promotor da
justica :
AppellacOes crimes
De Bom Jardim -Appellante o promotor pu-
blico appellados Cosme Pereira Bastos e outro.
De Pao de Assucar Appellante Olympio Ne-
ry Cidrao. appellada a justiga.
Da Escada -Appellantes o juizo e o promotor
publico, appellado Jos ua Rocha Guedes.
Do Iaga-Amellante o juizo, appeltado An-
tonio da Costa Agr.
Encerrou-se a sesso s 2 horas da tarde.
JURISPRUDENCIA
Hiinosraphiii jurdica rpratica dan
execuedea de tentenra por Ber-
nardo'Velxeira de Morae i.eiie
Velbo (Bio de Janeiro. 1993).
II
Art. 9
Tendo a sentenca urna parte liquida e outra
illiquida, executa-se % parte liquida, fazendo-se
a liquidago da ontra parte, quando convevha ao
exequente.
A Ord. Liv. 3 Tit. 86 i 19 e o Reg.
n. 737, ari. 503, nao cogitam de serae-
Ihante hypothese. Desde que ua senten-
ga ha alguina cousa a liquidar, nao se
pode proseguir a eseeugo sam proce-
der-se a liquidaco. Sobre stirimpossi-
vel, tendo o pedido a mesma causa, ha-
ver parte liquida v parte illiquida. deve
' considerar-se que O citado ariigoabriria
espago a conclusoes 'imeir-imete ab-
surdas.
Iniciada a exeeugo do liquido, o exe-
cuudo pode defenderse, por va de
embargos, de modo a aniquilar o "rito
ou a sentenga, ou a tornar illiquido o
presumido liquido;; e, ne3tas condigoes
como regular os effeitos da decisio,
adraittindo os embargos em relago a
parte illiquida, cuja exeeugo nao est
ainda iniciada ?
Sabemos que Pereira e Souza e Ra-
malbo, fundando-se na Ord. Liv. 49 Tit.
78 | 4o seguem a doutrina da monogra-
phia; mas a Ord nao pode trseme-
Ihante interpeetago.
Decreta o legislador puilippino:
Outrosi nao hirer lugar quando a di-
vida de que se faz cnpensacdu he inser-
ta e divida principalmente demandada
he liquida, certa e clara, por con-
fissao da parte ou por outra alguna
P'ova a ella dada.. salvo se o que al-
legar a compensoio, se obrigar proval-a
at nove dios peremptoriamente.
Ora, applicada a disposigao citada as
execugOes quer apenas o legislador que
allegando o executado embargos de
coinjjensgo fundado em crdito illi-
quido ou (jue.no se possa liquidar no
alludido praso, taes embargos sejam
rejeitados; seguindo-se, or iso, a
exeeugo integral do pedido. \ que
vem appli ar se o dispositivo da Ord.
cit. ao caso verlente, quan lo a illiqui-
dez vem da sentenga. que apreciou e jul-
gou o pedido ?
O Dr. Leite Velbo que no dizer do Dr.
Pereira Monteiro, lena-, de ortica em
S Paulo, acabou com aa subliiezas dos
praxistas, repete em aiuitaa partes de
sua obra as mesma- subliiezas ..
Art. 15
Si porra acondemnadO;tiv*...nmdado de do-
raicio.depois de comecada^a acgo cwexoqaen-
te de-rrapresenrara"earta de* seBtwrca ao juiz
debarxc*dajurisdie5Soavdaquat'"eetrjai aquelle
para a razerexecutaruiipeedo Ibe i-eeu- cura-
(ira-se.
, Embora.o reo mude de,.domicilio, o
juiz competerrie*'para'jrternios da exe-
i cuao 6ostaausrr'priricipal' eu da si-
tuacodeflibens.-por meio^ da-precato-
ria executoria duqualle,.af9to, -qu'rse
considere a qnesto pawite a Ord,
3uer perante o Reg. de 13 de' Janeiro
e 1886.
A Ord.Liv. 3 Tit.dt i^Tfnestobelece
expressamente que o.faeto .de mudar o
reo de domicilio nao o isenta da com-
petencia do juiz perante quem primei-
' >ro;-foi citado. ^A-Ord. firma-um princi-
pio de que o- legisladoraidirersas ap-
pcagOes, como ao Lir. '2t.Tit 63 4o.
A Ord. Liv. 3 Tit. 86. citada pelos
que admittem a opinite do autor, deve
ser interpretada de accordo,aam o Tit.
11. O yu/p'id'fdivquo al' i '.se trata, o
da causaiprincipal.
O Reg. de 23 de Janeiro, art. 5 IV
manda applicar as execuges civis as
disposigsdo-Reg.'n. 739- obre jaize
partes competentes para a exeeugo
das sente.ncas.
Ora, no art. 490 est determinado que
o juiz competente para a exereugio o
d. cuasa principal oh da '.-ituaco dos
ben9;iprecedendo oaela preaatoria exe-
culoriaiidaquelle juizo, .wterminando o
legislador no art i'-o. que se dove en-
tender por juiz da causa principal. Pe-
reira e Souza, ediego antiga, formulou
a verdadeira doutriaa. posto que em
nota lizesse urna restrieco -infundada.
Paula Baptista. porm. formulon-asem
nenhuma restnrgao." Dada a hypothe-
se suscitada pela monographia o julga-
raenio dos embargos; eppostos no pro-
cesso de exeeugo, devurin competir ao
juiz do novo domicilio do reo c nao ao
da causa principal .perquanto aquelle
procede independentemente, sem pre-
caloria deste ; e isto 'absurdo.
Desde que cora a letra-.expressa da
lei podemos formular um principio
claro e extreme de quaesquer duvidas,
para que aceitar opinies infundadas,
e smente proprias obscurecer ma-
teria ?
. Art. 16
* a seatenga candemnar na entrega de algu-
ma cousa em especie, a carta deve ser apresen-
lada ao juiz sob cuja jurisdiego estiverem os
bens, que tem de ser entregues.
Tem aqui intera applicago o que
ese-revemos sobre o art.- aaticdente
Proferida a sentenga e sendo suscepti
vel de exeeugo, .ao juiz da causa
principal que deve ser apresentada a
carta e elle quem depreca a entrega
dos berw.ao exequente dor juiz do lu-
gar em que estiverem os mesmos bens,
guardadas as solemnidades daprocesso
execulorio.
Art. 17
Si o executado se tiver obaipade por contracto
a pagar era certo e determinado lugar, pode a
exeeugo correr logo desde o principio nesse lu-
gar, se o exequente preferir.
E' moppurtuno tratar-se em um tra-
balho sobre exeeugo de qttestOes atti-
nentes a competencia-de foro e quere-
ferem-se a acgo, como deprehende se
da propria legislago, citada contrapro-
ducentemente, na rnonographia.
O Dr. Leite Velho teria procedido
acertadamente, condensando a materia
dos arts. 14, 15, 16, 1?, t8 19, 20, 21,
23, 24, no seguinte : que, comprehehde
at as causas arbitraes :
E' competente para a execuco :
a) o juiz da causa principal bu aquel-
le que o suceder, anda quando o reo
tenha mudado o seu domicilio, no cur-
so da aegao;
b) o juiz da situago dos bens, prece-
dendo carta precatoria do juiz da caro-
sa principal (Ord. liv. 3, tit. 11 7, reg.
n. 737 art. 490 | e 2).
Ainda tratando-se da acgo, entende-
mos que convencionado um foro para
o cumplimento judicial da obrigago, o
reo nao pode ser demandado em outro,
ainda sendo o de seu domicilio.
O contracto deve obrigar a ambas as
partes, e desde que o autor restringi
o seu direito, nao pode demandar oreo
em outro fro.Jque nao o convencionado.
A este respeito diz o Dr. Alves de S
(comm. ao cod. do proc. civil port. vol.
2o pag. 11). Anda a estipulago do
raizo pode, apoza/ de ser feita em titu-
lo aulhentieo, eu authenticado, deixar
de produzir effeitos nos dous seguintes
casos: 1. quaodo pela nata reza da cau-
sa o juizo estipulado nao tiver compe-
tencia para conheeer della2o quando
o auctor nao usar da faculdade que, a
convengo Ihe d e for propor a acgo
no domicilio doj;o. E' necessano, toda-
va, que n'este caso o reo nao qveira fazer
valer a conrenco. oppondo a excepgo
de incompetencia... en tende-se que es-
se fado importa a renuncia tacita-da
estipulago. o mutuo dssenso com res-
peito ao uesaforamento
N'o nevemos confundir a simples re-
nuncia do foro domiciliario com o es-
tipulago de um foro para nelle objecti-
var-se a obrigaco: sao cousasdistinctas.
Art. 22
As sentengas de .separago dos conjuges pro-
feridas no juizo ecclesiastico sao executadas no
juizo cominura do domicilio do conjuge para os
actos consequentes a sentenga.
As sentengas oe que trata o artigo sao
executadas no proprio juizo ecclesiasti-
co, onde as partes e o promotor anda '
podem apresen lar' embargos de nulli-
dade e infringentes do juigado.
O que se processa no juizo commum
a partilha dos bens do casal, consequen-
cia da dissoluca dajsoeiedarte conjugal.
A ord. liv. 2* tit. 9o % Io e o dec. de 3
de Novembro de 1827 nao antorisam a
doutrina do autor.
Art. 26
0 juiz deprecado que se negar a por o cum-
prase na precatoria commette o crime de dene-
gago de justiga ; se porm o negar, por des-
pacho, haver de tai' despacho o recurso de ag
gravo de petico ou instrumento. Rpg. de 5
de Margo art. 15 n. 3, Teix. de Frenas not. a
Per. e Souz. 682 n. 3.
A recusa ou demora no despacho da
precatoria pode dar lugar a qualquer
dos delictos previstos nos arts. 129, 6*,
130, 133, 139, i43, 154, 159 e 166 do
cod. crira., conforme os motivos que do-
minaran! no procedimcnlo do juiz.
A decisao denegativa do curaprimen
to da carta precatoria nao caso espe-
cial de aggravo, com prehendido no art.
15 n. 3 no reg. de 15 de Margo, como
ensina o autor, pois o citado" numero
trata de hypoibese diversa. Pode, po-
rm, dar-seo alludido recurso, compre
hendendo-ono art. cit n. 1 e no art. 669
15 do reg. n. 737. hoje applicavel s
exacuebes civis.
Recife, 1 de Junho de 1889
Dr. Ferrer.


INDICARES DTEIS
Mdicos
Dr. Cerqtteira Leite, tem o seucbcripto
rieabertoaruaDuque.de Caxias n. 74, da.';
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian
te em sua residencia ra Baro de S.
Borja n. 22. Especialidades wioestia*
desenh^ras e criaacas. Telephone a. 3!
Dr. 'astro Jefosicico e operador-
Pratica a lavagem do tero quando c
mo aconselhada. Consultas das 11 a
3 da tarcTe em sua risidencia Jl ra d.
Bom Jess (antiga- da < *ruz) n. 23, 1.
andar. Telephone n. 380

_


^9

^ -


t
Diario de PernambucoSamado 1 de Junho de 1889
Dr. Barretto Sampaio d consultas de obstante, soffredo urna opposicao que o menos
meio-dia s 3 horas no 1.* andar da casa
roa do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete do Setembro n. 54, en-
erada pela roa da Saudade n. 25.
Dr. Ribeiro de Britto d consultasjde
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an-
dar a ra Duque de Caria n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ua do Hospicio a. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Joaqun Lotmsir .nudico e partei-
ro, consultorio na do CalmgA a. 14,
1. andar de 12 s 2 da Urde; residencia
no Monteiro.
Dr, Alvares Gui>naraa, uhegado da
corte, dedica-so medicina eso geral, e
com especialidade s molestias do cora-
cSo, pulmoes, figad<>, estomago a intesti-
nos e tambem s tFeococs das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Simplicio Mavignier. Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades: molestias
Sulmonares e partos. Ra do Mrquez de
linda n. 27 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da.mauha e da
tarde.
Occulista
Dr. Ferrara, com pratica no3 princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
. dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia ra Larga Advog.idos
O bachard Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, l. andar.
O Dr. H. M.et mudou o seu escripto
torio de advocada, para a ra do Impera
dor n. 46, 1* andar, sala da frente.
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Carias n. 66, 1. andar..
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Si/va & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Serrarla a vapor
Serraria a vapor e officina de car apia
de Francisco dos Santos Maccdo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, seira madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dora
petenciaPernambuco.
COMUNICADOS
I tea
A cris;*
A prov.ivrl, senoin evitavel,disoluco da C-
mara dos Deputados Considerada pela opposi-
go como om acto inconstitucional, c, oeste sen-
tido o Jornal do Recife de hontem, ciu o seu
editorial, sol) a epigraphe .4 erfltf adduzio
uns argumentos que. nao podeni passar sem cou-
estaijo.
Abstraliiiidj do caso de salvaco publica
requisito constitucional pun a dissoluco da
Cmara, ella urna das soluces do conflicto
entre a Cmara e o ministerio.
Como, pois, ter lugar a dissoluco de urna
Caara, na qual o gabinete diz que conla maio-
ria ?
Examinemos.
No a primeira \cz. que o g nonio contando
maioria na Cmara dos Dopotedw, julga-se em
taes diBculdad.-s que, provocando a crise, su-
jeita-sf- necessaria e imm fiala soluco que
e ou a dissoluco !, Cmara ou a retirada do
gabinete
O gabinete 31 de Agosto, presidido pelo con-
selbe*ro Furlado. centava maioria : mas, nao
que dizia era que elle mereca um gato podre
na cara, retirou-se depois da eleico da mesa da
Cmara, nao cogitando da dissoluco, que alis
obteria, si nao estivesse o paiz empenhado no
comeco da desastrosa guerra com o Paraguay.
Tinba maioria ; venceu a eleicSo da mesa ;
mas retirou-se
Como, pois, repetiremos, parodiando a per-
gunta do Jornal do Rectfe, ter lugar a retira
da de um gabinete quando conta maioria?
A respost" conhecida proprlo Jornal nao
a ignora.
O gabinete 7 de Marco, tendo sua fronte o
Visconde do Rio Branco. obleve toda a conlianca
da cora ; e. nao obstante contar maioria na C-
mara, n'conhecendo que era ella insuflicienle,
pedio e foi-lhe dada a dissoluco.
Tinha maioria. .. mas dissoiveu a Cmara.
Como, pois, ter lugar a dissoluco de urna C-
mara, na qual o gabinete diz que conta maio-
ria f
K" que ba maioria e maioria-----
Dous exemplos ah licam apontados, um de
cada partido, que justificam, plenamente, o pro-
cedimenio do honrado Sr. presidente do con-
selho.
Nao 6 o do conflicto entre a Cmara c o mi-
nisterio o caso nico que determina a dissoluco,
abstrahindo do de salvaco publica ; o ministe-
rio, pode contar, como conta, o 10 de Marco com
maioria na Cmara ; mas esta pede ser por tal
modo embarazada em seus movimentos que, o
meio de limitar e conter verdadeirameute a as-
sembla, est, segundo Benjamim Constant, na
direito de dissolvel-a concedido ao chefe heridi-
tario da nago. .
Seguiudo esse principio, puramente coastitu-
tucional, foi que Rio Branco conseguio dominar
o furor de seus adversarios.
Nio querendo, porm, o Jornal do Recife, por
intoresse proprio, reconbecer que, actualmente,
o gabinete 10 de Marco acha-sc as condicDcs
suppostas por aquelle notavel publicista, e j ex-
perimentadas por outros estadistas, reputa urna
affronta ao senado e a acquiescencia do impe-
rante aos actos de immoralidade administrativa
de que o Sr. Joao Alfredo aecusado.
Affronta ao senado!
O que representa essa corporaco ?
Um ramo do poder legislativo; e, como tal,
com attribuices limitadas.
Conseguintemente, em caso nenhum ha offeo-
sa cmara vitalicia com a dissoluco da cma-
ra temporaria.
Urna nao pode existir sem a outra.
Sujeilar o direito magestatico do monarcha,
em rclaco dissoluco da cmara dos deputa-
dos previa censura do senado certamente,
doutrina que deve ser pregada pelo partido libe-
ral, comminando logo a pena de affronta, si o
contrario fr admittido.
Mas, como isto extraordinario ?
A admiradlo que nos causa a opinio Jornal,
desaoparece, felizmente, ante a certeza de que,
s por interesse proprio e le occasio ella
posta em evidencia e com aqnelles visos de do-
gmaiimo que tanto o recommendam.
Acquiescencia do imperante aos actos de im-
moralidade administrativa do Sr. Joaao Alfredo *
au merece apreciaco! lo vil esse argu-
mento que lira abaixo da nossa atteuco___
Finalmente, observa ainda o Jornal que a
dissoluco da cmara seria urna especie de or-
denancas da Carlos X a Polynac, -seria urna af-
fronta ao paiz.
Para comparar o acto do imperador, dissol-
vendo a cmara actual com as ordenanzas de
Carlos X, refere-se a de 1830?
Neste *'aso ha erro de historia.
Carlos X dissoiveu a cmara dos deputados,
inmediatamente depois de sua eeico; procedeu
inconstitucionalmente, e por isso foi sua orde-
nanea omito criticada.
Onde est, pois, a pandade ?
O Jornal na faina de fazer cabedal de couhe-
ciinentos arriscase em ser apanhado tm fla-
grante, quando, como agora, pretendeu, provar
que a dissoluco da cmara um acto inconsti-
tucional, urna especie de ordenanca de.......
Carlos X ....
PtBLICtCOES A PEDID
Bello Jardim
Vou responder ao artigo que contra miin pu-
blicou o meu compadre Antonio Claudino Pires
Matury no Diarto de Pernambuco,*de 11 do
rente, e datado da illia de Itamarac, onde mora,
em 8 deste inesmo mez.
P#a principio da narrativa elevo dizer que fui
vigario na mesma illia onde eonbeci i; dito meu
compadre, e ah, a seu convite, fui fiadriuho
baptismo de um gisi lilho de tiota Jofio, e co-
nliecendo que o ine compadre n'Wjwlcria Jar-
Ihe urna educaco c nvenienlc em raz&n de nao
dispor de recursos, pedi-llie o menino pira
cieal-o ao que'de bjni grado acceden.
Retirndome da illia per moiivude molestia,
e tendo sido depois orneado \lgario de Bello
Jardim, para aqui vim: tendo me acompauhado
o dito meu compadre.
Depois de aqui estar-nws disse Ihe que trou-
xesse o menino de outra vez que por aqui
viesse, o que prpmetteu.
Em dias de Jullio do anno passado, trouxe
elle o sen filbo, de 3 anqos de idade. e m'o en-
tregou muito satisfeito.
Tomei ento conta da crianga e estar tratan-
do-o conforme as miabas fracas torcas quando
ios que o repeliera e Ihe agradecer sua la-
entacao.
0 senhor com eataqnesto'le seu lilho quiz
zr molim. celebrisar-se, desmoralisar-ine, le-
vantar Deus e o mundQ contra mim. porm s
fe) urna cotsa, bularme sal na molira.
Finalmente o Sr. compadre/ Antonio Claudiao
Pres Maturyapanhando-se na Ilha de Itamarac,
(fiante desta localidade 60 leguas, entendeu
qi de la a fiesca sombra dos seus coqueiros
pu eria inverter os factos a seu talante, na per-
su io de nne n&o se saberia a verdade.
ual A verdade com) a luz do so! res-
pl idecenle de brilho e de belleza.
elro Jardim, 20 de Maio u> 1889.
Vrgario Joao Antonio Rodrigues. \
-*r?.t;-*:/:- *
agora fui sorprebendido pela viuda do meu com
padre e sua familia. .
Depois de alguns dias retiraram se brusca-
mente p ira urna casa vtsinha sem duriila para
realisarem o programina que linli i.:; em mente.
Os meus ompaites neai en mihha casa e
nem na casa*alheia, me petliram o seu lilho.
E eai um dia que deierminarunr vollar para
os seus lares, sem me dan m partapaco al-
guma. roubaram a criauen.
Hesta emergencia na duvida Sobre os autores
do rapto e nao qnerendo crer que fossera ellcs
os meus compadres, cxpoi todo o.occorrido ao
digno subdelegado da localidade Sr. Honorio
Honorina Confian) Miceno o qual proc?dendo
com a maior prudencia uessa occasio, poude
conseguir entregar-me outra vez o meui io, re-
levamlo notar que elle nao tinha perfeito conhe
cimento dos meus compadres e que porlanto
nao sabia screm elles os seus verdadeiros p.iis.
Em seguida o meu compadre veio pira esta
povoaco e hospedou-se em urna casa *nde foi
considerado como entalho, e para se verrm livre
delle e da sua amivel familia o botaran para o
Brejo -om urna carta para o Sr. Dr. juz de di
reito da comarca, e l nao sci que histoias mais
accrescentou que o Sr. Dr. jui/. de dirfiito tam
bem para ver se livre d'elle responteu que
achava conveniente entregarse 4 creanj.
Assim o liz imincdiatamenie, ficandi desta
sorte salva a minba rosponsabilidsde t justifi-
cada a sabida do meu alilhado da minia casa,
porque noderiam dar fm ao menino e vrem de-
pois reclamal o.
Xeste mundo ludo se re e o Sr. compadre pelo
seu procedimento nesla questo tornou-se muito
suspeito.
E nara prova aprsenlo o seguintc caUlogo de
mentiras.
O Sr. compadre Matury nao entregoumeo
menino em lo t nra idade"para passar uts lem-
pos commi^o, e sira m'o deu para creal-o com o
conscntimehto de toda sua familia.
Nao maitratei o Sr. compadre em minlia casa
com expressOes injuriosas como escrcvi-u.
Xo soffrcu cousa alguma nem de mim o* nem
di polica.
Nao Ihe ilissc palavras injuriosas c nem toquei
no seu corno.
Nao acompanhei a diligencia.
O subdelegado nao me fez advertencia al-
guma.
Nao mandei locar o faco nem em si e nem
em sua inulber.
Nao foram tambem presos, o subdelegado ten-
do-os encontrado pedio para que voltassem e se
apresenlassem como os raptores da crcaora.
Finalmente iliz o ?r. compadre Miiury que
como pobre r- t ,u me alguns servidos dos
quaes estol! 1, uecij-, verdade, foi ifuniulia
enfermidade nj Ilha de Itamarac, porm estes
servicos foran: prestados cusa do meu di.ihei
ro, porque sem .-v movel o senhor nao me fa-
ria cousa alguna r la limita gente sabe disto.
O Sr. compadre fallou, portunlo, completa
urdade.
Menos coragem mris criterio.
31 de Maio de 1889.
COMERCIO
Revista do Mercado
Rkcife, 31 DE -MAIO DE 1889.
No mercado de cambios pouco foi feito.
, O mercado de algodao melhorou de posieao,
iiavendo ulguma procura.
Cambio
O mercado estivo paralysado, devido a falta
de uolicias iU corte com referencia a crise mi-
nisterial.
"Os bancos, ntretanto, offerveeram saccar a
ti.; i e algara papel particular foi passaoo a
6 15. lo
As cotaces no Rio continuaran) a ser 26 7,8
janearlo.
Ainda ha falta de papel particular no mer-
cado.
TABELLAS AFFI&&DA8
TUns.
mente
LamenU) que leona descido tanta ao ponto dt
uiilisai se da iuiprensa para mentir ao publico
com Unto dc.-carainonto.
A Goeitnkde toleraste, acredita ludo quanto
se diz. dcixa se impressionar com facilidade, u
|>or consqueocia i. is a obra nao as.smi ?
Cuidado, nem sempre os lirios (lurescem.
Iralava-se da sorte do seu filiio a quem eu
desejaaa dar urna posieo social, o senhor nao
quiz, kr coosequenda, o desacatado fui eu.
Pala vas inju i.isas acaba o senhor de prefe
rir era seu artigo repleto de embustes e falsiu
des. '
Ei-' a pequenez e a .eshuuianidadc que acabu
de revelar Dos menores setos da minha rid.i
como senlenciu.-amente quiz insDuar n senhor
a quem muitas xn-s matei a f-nne.
Porm como isto e eonsa que lodes os >i>. s
succede, nao ad;oira qne succeda mai> esla,
porque 6 lifo autigo e lodo mando ihe, qu
o dia do beneficio 6a tnpera da iii-a'i J8
A minha deshumanidaue < tal qm- k-Viju > -e
nhor que tao generoso i lentar-uie para jiadi
nho de seu lilho.
E quanto ao povo do Bello Jaritini i.un nao
penen jr ludo porque ha aqu muitos carai teres
\e u^'ar no dia 13 lio c,trente :! calhedral
datdaje da Fortaleza a benco da nova bao-
deia destinada ao 11" balallio de iufauUria es
lacifnadn naquella capital.
povo rerense rendendo merecido preito de
hoaenagem, pelo grandioso acontecimento, qne
ass-gnalou para o B.azil luminosa e memoravel
dab de regenerac3o social, fez celebrar uosse
dic solemne 'fe Deum na mesma calhedral, a
qiil concorreu enorme massa popular, desta-
carldo-se dentro olla as sumraidades administra-
tivas e polticas, clero, officialidade da trras e
mir e representantes de todas as clames.
A's H horas da mauha penetran o interior do
tijnolo o Exra. Sr. Dr. Caio Prado, acompanha-
dji da ofcialiilade do IIo batalho, corpo admi-
nj-r:tctivo e docente da escola militar, sendo-lhe
r i las as continencias devidas por urna guarda
di li.mra.
Serviram de paranynphos bandeira, a convi-
t lo digno commandante do 11 balalho, o
Ss.n. presidente nvnel director da escola miliUir.
O Exm. e Henn. hispo da diocese lancou as
Sruiyuos da igreja sobre a bamleira eonliando a
io Exm. Si-, oresidente, que della fez entrega ao
Sr. commandante do U* Oa'alhao
Terminada a ceremonia, a forga que se achava
no recinto do templo de^lilou, estendeu em linha
no flaneo es>|iier.lo da ealhe Iral e prestou as
continencias ao paviiho que o symbolo da
nacioualidaue brazilcira. depois de 1er o digno,
commandante, lente coronel Luiz Ferraz, diri-
gido aos seus cantaradas palavras ungidas d..-
patriotismo qne Ibes lizeram acordar n'alma os
oobrea sentime.itos, que sao sempre a inspira-
cao e o estimulo para us soldados qaanilo vem
desfraldado o pendi nacional a fluctuar alta-
nciro, com o Anjo que sereno os con luz no
campo da honra, conquista da victoria.
i or to justo motivo fez S. Kxe. o r. pre-i-
denle da provincia baixar a seguintc ordem do
dia que o commandante do batalho fez publicar
em additamento regimcntal tambem baixada
por aquelle motivo:
C anmando do 11 batalho do infanlaria. qsar-
tel do Cear, 13 de Maio de 1889..
Ordem do dia n. 35.
O tenente-corom I coiniinndante faz publico
ao batalho sob o seu commando que boje, com
devida solemnidade, foi celebrada na catbedral a
bencfic da nova bandeira Ueste batalho pelo
Exm. e Revm. Sr D. Joaquim Jos Vieira, hispo
desta diocese, sendo paranyrnphos o Exm. Sr.
Dr. Antonio Caio da Silva nado, presidente
desta provincia e o Jllm. Sr. lenenle-coronel Joo
Nepomuceno de Medeiros Mallet, commandante
da escola militar.
Fazendo esta nublicaco o commandante con-
graiula se com o batalho c conlia que a nova
bandeira ser heneada p.-lo inesmo, como as de-
mais o tm sido.
Em addilamento faz o'mesmo commando pu-
blicar, para os devidos'lhis, a seguintc ordem
do dia :
Secretaria militar da presidencia do Cear, 13
de Maio de 1889.
Ordem do dia n. 464.
0 presidente da provincia faz pulseo para co-
nhecinienlo da guarnico que, no intuito de
cominera ifar a solenmidadc da benco da !>an-
deira do llu balalho de inPintaria, de que teve
a honra de ser paranyinpho e grande satisfayo
de confiar s cao do lenentc-coronel Luiz An-
tonio Ferraz, commandante ilo mesmo balalho,
ollicial cuja leaidade, bravura e dedicaco
patria lera sido durante longos annos provados
por jamis desm-ndo proceder bem assim
em alleficoao primeiro anniver.-a:io da Grande
Lei de 13 de Maio. resolve mandar por em lber-
dae as pracas do alludido batalho que Se
diarera presas coftvecionalinenle. (Assig-'ado)
Ani. na aio da Silva Prado.
.1 Cmara Municipal em con-
enrrenela
Est marcada para hoje a concurrencia da
limpeza publica das freguezias do municipio.
E' um acto arbitrario e que nao se coaduna
com o-espirilo de iraparcialidade e justica que
deve caracterisar urna corporagao de tanta ais-
tinego.
A que vera concurrencia publica quasi no fira
do exercicio, na au.-encia de lei orcanieularia
municipal, quando o servico da limpeza est
sendo feito, todava mais bem feito do que lia ie
sel-o pelos felizes proponentes da nova e origi-
nalissima concurrencia ?
Dar-se-ha o caso de estar a Cmara Municipal
em concurrencia ? ..
CoDta-se qjie a nova concurrencia vai dar
Cmara contractaules pela metade do pnr i i >ii
pulado nos actuaos con trastos... Caros eoa-
Hactantes !
A respeito d'esles que se pode Jizer: de
graca sao cacos.
Mas, o que lser si, tambera dizera, que cada
nm dos contra Urales novos tem homern dentro-
Assim qualquer quanlia chega.
Nao serio.
A Cmara deve collocar-se na sua digna al-
tura onde nao ser attingida pela iudguaco
pnblica.
A Cmara deve lembrar se de que o servigo
da limpeza < st i'endo realizado inelhor do que
o fez por administraco e por menos.
E' tenipo de craeu.lar a ino si nao quer que a
presidencia corrija o iojsto erro.
Venaremos.
O tribofe d'JS canoras.
r
.
Ao IHm. Sr. Dr. Jos Francisco
de Gaes Cavalcanle, juiz de di-
reito de liom Jardim, e sua
Exma. familia cnmprimpla e cor-
dialraente felicila, repcelo de ju-
jnbilo.
Jos Honorato Chave'.
Villa do BonitoMaio de 1889.
jox-k-x-:- ooeoot :,.:>;:--::. .- .:. XGOKXcen-; -
Errata
Sobre a publ cacao do Diario de Pernambuco
de 30 iIh crrente, sob o titula tagoa Sea, eu
lugar de se ler o meu companheiro e amigo 0
Sr. Luiz Ignacio Pessoa de MelloLia-sc -o
meu compadre e amigo o Sr. capitn Luiz Igna-
cio iv-.soa de Medo.
Alaga Secca. 31 de Mai > de 1889.
Jos S"termo 'eitira da Suca.
Protesto
Declaro que o engenho Aracnagy da comarca
do Cabo me est e3ectiramcnt! nypothecado,
como declarei pelo Diario de 9 do correte, e
que cu tiinpo ecmjuizo larei effclivo o meu
direito, protestando desde ja por qualquer pre-
juizo que me po&sa adyir em vista da declara-
co fela pelo Sr Bernardino Gora;s de Carva-
Iho.
Recife, 29 de Maio de I8S9.
Joo Carnero Rodrigues Campello.
Bolsa
S y > -z ____ -___ y E
~ M ^ i. - p SJ
* ~ o ^r p r- J. 3
a 2 o o f 09 w a
-~. B' 03 a s 3 ^
yr - n O o ]
^ 2
o
* 3 * m

OTAgOiCS O KICIAE8 DA JKTA DOS COK
RETORE8
Recife, 31 de Maio de 1889
Obriiicoes preferenciaes do Hippodromo do
. Campo Grande, juros de 8 0.0, valor de 200<
a I90 cada urna.
Cambio sobre Londres, 90 d v. 26 3 4 d. ;ior
tOUO, do banco.
Na Bolsa Venderam-se
64 obrgacOes preferenciaes do Hipp dromo do
Campo Grande.
O presidente,
Candido '. i. Alcoforado.
O secretario,
Ednardo Dult-ux
Algodao
F"oi colado o de I* sorte do erlo a 7000 por
lo kilos, fechando o merraffo lirme.
A
A cxpoitaco feita pela alfandega nesle mez
at o dmp8, attiogio a 1.460.493 kilos, sendo
904.SOi fiara o exlerior e 361989 para oinie-
rwr
As entradas verilicadas al a data de hoje, so-
bem a 13.274 saccas, sendo por:
9arcucas. ... 2 715 Saccas
Vapores .... Mu
niraaes..... 4.760
Via-ferrea de Caruar. 1.050
Via-ferrea de S. Francisco. 1 116 t
Via-ferrea deLimoeiro 3 113
Sorama.
13 274 Saccas
Assiuar
U? precos pagos ao agricultor, por! j kilos, se-
undo i Associaco Coramercia! Agrcola, foram
os segii'utes:
Brancos..... 3s53O0 a 400
Someno..... 2^200 a 2J3O0
Masca vado purgado 10800 a 2*000
, bruto. i/OO a 1*800
Rtame..... 1*500 a 1*600
A exportarla, feita pela alfandega neste mez
at o dia 28, subi a 3.224.319 kilos, sendo.....
1.438.782.para o exterior e2.085 537 para o inte-
rior. %
As entradas verificadas at a dala de hoje, so-
era a 34 ^9 saceos, sendo por:
Barcacas .... Vapores-..... Animaes.... Vie-ferrea de Caruar. Via-ferrea le S. Francis Via-ferrea do Limoeiro I.">.340 Saceos "8 2.563 15 222 876 .
Sornr:. 34.689 8
Agurdenle
s0*000, por pipa de 480 litros.
Alcool
Cola-se a I700U> por pipa de Via lili, .
?ad
Cota se a 7<)000por pipa de 180 litros.
Couros
A colacao dos salgados regula :;t i.'is do
verdes 205 res. ------
Pauta da alfandega
MMU 27 DE MAIO 1 Dg jr.Ml'i
na ^S9
Vide o Uiario de 26 de Maio
Xa van carga
Lugar porluguez Temefwio, para o Porta
Xarios a descarg
Barca uurueguense Saga, xarque e feno.
liarca nacional Marta AagHmq. xarque
Barca ingleza Wmiior Caxlle. farinhade trigo.
Barca nacional Miriannutia, xarque.
Barca ooruefcuense llcnrch Btoen, carvo.
Barca noruegueuse Dux, carvo.
Barca noruegueuse Leringstone, carvo.
Barca sueca Camesen, varos gneros.
Eseuna alloma Bernard Jo'iana, varios generar.
Lugar nacional Tigre, xa>qoe.
Lugar porluguez B nto de Freilas, varios gne-
ros.
Patacho nacional Rival, xarque.
Pataeim botlandex Hargarelha, xarque.
Patacho 'uumarqnca Tltor, xarque.
Patacho tiollandez Engetta. xarque.
Patacho luilandez Aflenc, xarque.
Patacho sueco Amor, xarque.
Patacho americano Harrkt G., graxr.
Importacio
Patacho ainamarquez Thor, entrado de Buc
nos-Ayres em 29 do passado e consignado a
Amorira Irraos C, raanifestou :
Xarque 198,418 kilos ordem.
Hiate-uacional D. Julia, entrado de Maco na
mesma data e consignado a B. Lourenco mani-
festou:
Algodo era ramal?! saccas ordem,
Sal 38-400 litros ordem.
Vapor ailemao Cmfp>ut. mitrado de llainhur-
go e Lisboa em igual dala c coosmado i Bors-
telmann 4 C, man i fe-u :
Carga de ti bar
Azul ultramar I eaixa a c. Ma tins i C.
Arroz 25 saceos ordem.
Amostras 8 voluraes a dirersos.
Balancas 1 caixa a Antonio linio da Silva & C.
Chapeos de sol 1 caixa a Leite Basto C
Cons ras 1 caixa a Ramos Geppert & C
Cevada 10 barricas a ordem.'
Cerveja Icm.
Chapeos 1 caixo a Adolpho Ferrlo, 1 a
Domingos Coelfao Stares, 5 ordem.
Drogas i voiumes a A. M. Veras a C, 8 a F.
Manoc.' da Silva C.
Ferrugens 2 votumes a J. de Azevedo & C, 9
ordem 1 a W. Hlliday & C, 1 aG. Ma;-tio3
Elixir Cabera de Ne^ro
Com esta epigraphe e a indicago capciosa,
queslo resolvida, |iublicarara_Hermes de Souza
Percira & C. Succe. sores, ama cerdo da In-
sp.ri-loria de Kygiene d'esia provincia, no sen-
do de tereni atrancado cencapara inanipn
lai Mrnh-r u nreparado denumiuano Elixir Ca-
lmea de .Negro de que so priprietario>.
i>ia lieenea nrova oamente qne os Srs.
lennos deSoosa l'ereira & C, Successores. pe-
diraiii e oblivciara approvaco para um elixir
que eslo preparando, i orno leriam obtido para
imi wobo de jambaba ou cousa semelbaote.
Nao prova absolutamente que se ja de sua pro-
priedade a formula do Di. Santa Rosa a que se
refere a liecnca concedida ao pliarmaceulic
Pedro de Souza Menezes.
Um habitante do Rio de Ja-
neiro
0 que se vai ler, e quft recomincndumos
attenyao do publico, traz a assignatnra
de um dos associados da lirma Manuel Joa-
quim Moreira & !'., estabelecidos com r.ma
importante fundicao, no Rio de Janeiro,
ra S. Pedro ns. 30 a 312.
Mira. Sr. Jos Alvares de Souza Soa-
res Pelotas. Communico-lhe, com a ma-
ior satisfacio-, que o seu xarope eitoral
de Cambar remedio efficaz contra a
coqueluche, pois tive occasio de empre-
gal-o oni fmulos de minha casa, que se
achavam atacados daquella tcrrivel moles-
tia e da qual ficarain, em poucos dias, cu-
rados.
1 'e V. S. fazer o uso que lha convier
desta minha coramunicacao, para gloria e
renomc do seu Pe toral de Cambar.
Amrica Salvatori.
X.804
Enfermldades caucadas, por,expo-
ic&o
SOs mineiros que trabalham em toda a classe
e minas, acharo na Salsaparnlba de Bristol
urna salvaguarda segura contra iodos os desman-
chos inherentes urna vida de privaces e con-
tinuadas exposicOes taes como rheumatismo,
dyspepsi i, febres intermitientes e biliosas, affec-
co do ligado, abeessos, ulceras, inflammages
glandulares, empeces,, neuralgia, molestias ve-
nreas, etc.
Em lodo- ti> <;..,< ainda mcsmfl que se te-
nlian aggravado p.n- demazelogarante-se a
m,,i- compl la cura.
Todo aqi.eHe rjue a loma d" vez em quando
coiini ,:--\.iiivi-, r.ii'.lwi- seu systcma contra
as i n'ermi iad'. \igo:i?a e augmenta as torgas
viiaes al 'al poni, que preciso velopara
cre I-e.
Bin m ii. :> emmeiiti- di ciaron que ella se ap-
proxma a esse fabuloso elixir da vida, mais do
qne i enlmm ontro remedio conhecido.
cha -se venda em todas as principaes boti-
cas e lojas de drogas.
A o publico
Constando que o Sr. Bernardino Gomes de
Caivafho quer negociar o ongenho Aracnagy,
previno em ten:po a s interessados que as obras,
macbiuas e utensilios de referido engenho esto
hypolhecados a mira. Recife, 23 de Maio de
1880.
Joo Carneiro Rodrigues Campello.
Declarado
Tendo sido publicado no Diario de Pernambu-
co de 25 do correte umAviso ao publico
assignado pelo Sr. Joo Carneiro Rodrigues
Campello. no qual declara que as obras, machi-
nas e utensilios do.engenho Arussuagy. hoje de mi-
nha propriedade, lite eslo hypothecados, o que
previne por Ihe constar querer e u negociar o dito
engenho, venho por minha vez declarar que nao
. nem pode ser exacta una tal assergo, mes-
mu porque esse engenho me foi adjudicado
era execuco por mim promovida contra Ma-
noe! Ignacio de Albuquerque Maranho 6 pos
teriormente seus berdeiros, e em dita execuco,
que alias eoriru com a maior publicidade e ob-
servancia de todos os teraios legaes, nada se al-
Icgou.nem pessoa alguma apresenton-se, recia
mando preferencia obre tae machinas e uleii
slio?.
Se pois apparece boje urna supposta hypotlie-
ca, someiite com o lim de intimidar os inex-
Pt rieiites e fazer por esse meio recuar algnem,
que por ventura qaeira fazer negocio com dito/
eneiilio
Se es>e senhor julgi-'a-se com o direito, que
Ii je se arroga, porque razan nao se apreseniou
na occasio competenle para fazel-o valer?
A verdade que uenlium onus pode gravar
dito engenho, e se algum supposlo contracto de
byitolh ca apparecer nada podo valer, visto
como, nos termos legaes s ponera ler sido fei-
to em fraude da execuco, e por isso nulb.
Recite, 28 de Maio de 1889.
[Bernardino Gomes de Ca, cullto.
C
A o publico
Antonio Fernandes & C, participara aos seus
amigos e fregueses que mudaram o seu estabe-
lecimento'do fazendas para a mesma ra n. 29.
& C. 2 a C. Wachasmann. 2 a M.iia e Silva & C,
1 a V. .Ncesen. 34 a Leite Hasta 4 C. 4 a Ru-
ges Fonseca & C, 4 a Antonio Pinto da Silva 4
!., 1 a Retto Campos .Ca F. Manoel da
Silva C.
K iros arliliciaes 1 caixa a Raphael Dias & C.
H iii'ismii? 4 caixas ordem. (
ii ...lionas diversas Ntexs ordem, 4 a
: m lile a Xmie-i Foris ca & C 1 a G. Martins & C, 2 a
.\'. tiampofl 4 C. I a Gulmares Can!oso & C, 1
a Maia e Silva C.
Ha binas defeostnra G caixas a Antonio Do-
mingOJ Lima C.
I'ancl 14 J"ard(>- n F. Mainel du Silva & C, 6
ordi'in. i caixa a Mua e Silva 4 C
Papelo I fanteS a Manoel Joaquim de Miran-
da.
Tinta de impres.-o 32 barricas ordem.
Teeidos diversos 1 volume a R de '.arvalho
4 C 10 ordem, 3 a F. de Azevedo & C, i a
A. de Britto 4 C. 3 a Machaao J. Lulhaui, 12 a Bcinet S C C a Rodrigues Li-
ma & C.
Tintas i caixa n Ferreira Geimarius 4 .
Vidros 12 voiumes aos mesmo-'. Ii & ordem.
Carga de Lisboa
Azeitc 5 caixas ii ordem, 10 a Silva Cnima-
mares 4 C.
Alfazeraa 5 saceos ao mesaras-.
Ceblas 23 caixas a Souza Baste .- merim 4 C.
Conservas 5 caixas a Silva Guimaraesj& ''.
l'eneiras 4 fardos a Brandan C- C.
isxportaco
nucir. 29 qa ji*io de 1889
Para o exterior
No vapor inglez Belender, carregaram :
ara Liverpool, J. H. Bo.wvell 1,000 Tardos com
171,950 kilos de algodo e 20 saceos com 13,150
kilos de assucar masca vado : F. Cselo 4 Filho
129 saceos cem9,00 kilos de assucar masca-
vado ; B. Needham & C :9i sarcos com 14,530
kilos de assucar Baascarado.
Paro o intertm
No vapor alleoio Ltssabtm, carregaram :
Para Rio de Janeiro, P. Tlente 4 C. 200 sac-
cas com 18,030 kilos de algodao II. Burle 4 C
C. 50' saccas com -40,253 kilos de algodo ; A.
. llolUnda Costa 20 caixas com 40 duzias de
elixir cabeca de negro.
Na barcaca Esperanca, carregou :
Para i idade do Passo, J. F. da Silva 5,000 li-
tros de sal.
Na barcaga Rosalina, cawegaram :
Para Cear, M. Borges 4 C. 5 saceos com'373
kilos de assucar masca vado.
Na barcaga Victoria, carregaram :
Para Mossor, M. Borges 4 C. 1 barrica com
G i kilos, de assucar rrefinado e 7 saceos com 32o
ditos de dito mascavado : Netto Campos & C
2 barricas com 120 kilos de assucar mascavado.
aguas alcalinas niineraes de Mon-
dariz em Ponlevedra, na Bes-
paaha
ESPECIALIDADES
ara molestias de estomago, taes como: dispep-
-ia gastralgia, catharro ehrenico do estomago,
ulceras simples,
Molestias dos intestinos, taes como: enfarta-
T.entodo rigado, ictericia, clculos bilia.-es,diai-
i-ha chronica, etc., etc.
Molestias das vias urinarias, taes como: dias-
leses ricas, calharro vesical, diabetes sacarina,
albuminuria e golta.
as anemias, chlorosis, psoriasis, nrunigos,
dores artrticas e niutras maltas molestias.
As aguas alcalinas de Mondaria uascem de ro-
ibas granticas na temperatura de 180 centgra-
dos, sao claras, incoloros de cheiro parecido um
pouco aos de ovos cosidos, sabor alcalino, pro-
iluzndo um ligeiro sabor picante na oacasio di;
tomar-se. Ella>s sao classiricadas no numero
das alcalinas e hi-carbonatadas de soda
Estas agua* achara-se venda no estabeleci
ment do Sr. Antonio Attonso SimOes, sito ra
Visconde de Goyanna u. 1 (quatro cantos), era
Ba-Vista, e no escriptoro do Sr. Joo Ramos
na Praga da Iudependecia n. 14.
-------------------------
Estreitamento da urellua
.4 IHui. Sr. Dr. Carlos Belieu-
eonrt
0 abaixo assignado \em pelo presente agra-
decer ao distincto especialista Dr. Bettencou.-t a
importante operago que Ihe praticou n'um es-
treitaiiicnto da urelhra que o acabrunhava ha
mais de dous anuos Vendo as immensas curas
l'eilas por este Ilustro doutor re-olvi-me a pro-
cural o no seu consultorio, oude fui ha dias ope-
rad -i opio eleclros'e.aps cajo tratamento acno-
rae perfeilaiiifiile curado
lleeire, Maio de J889.
Joaquim Antoiii da Fonseca Galvao.
K

1


Itenda nronocial
Do dia la 29 58:741 299

dem'de 31
1:90 i i 453
Somma total
70-647o
783:903GG1
Segunda seccuo da Alfandega, 31 2 Maio de
1889.
8thesourciro Flerencio Doraingucs.
chefe da seccSo Cicero B. de Bella.
Rcecledori:t Gcral
Do dia 1 a 29 41:294237
Iderade3l 1 332 662
42.036*899
Recebcdora provincial
Ou dia la 29 22:352982
dem de 31 333003
Halad o uro publica
Neste esiabelecimcnto foiam abatidas para o
consumo de hoje 89 rezes pertencentes a direr-
sos mordanles.
Vapores a entrar
MEZ DE JUNHO
Eorop"...... Potos............
Sul...........^ Equatfur.........
Norte.........' Fin'-nce...........
Nerthe............
Mondas ...........
Advance...........
Yule de Rosario ....
Pernambuco.......
Tagus..............
Trent .............
VUle de Pernambuco
22:705983
Do dia I a 29
Idera de 31
llecif Drainage
(i.61G31l
633889
6:6824'.
Rendimcntos pblicos
aa ds maio
dem de .!!
iW0.603*131
24:656*778
715:259*909
Mercado Municipal de .i. Jo*<-
O movimonto dcste mercado nos dias 29 e 30
de Maio foi o seguinte :
Entraram :
79 bois pesando 10,503 luios.
734 kilos de peixe a 20 rs *
94 cargas com farinha a 200 ris
7 ditas com railho a 200 rete
4 ditas com feijlo a 200 ris
13 ditas de fructas diversas a 300
ris
23 taboleirus a 200 ris
41 suinos a 200 ri?
48 raatutos cora legnmes a 200 ris
Poram oceupados:
01 columuas a 600 ris
2 escriptoro a 300 rrts
30 eomparlimeiilos de farinha a 30o
ris
4.4 ditos de comidas a 300 ris
174 ditus de leguraese laendasa400
15*080
18*800
1*400
800
33900
3*000
8*200
9*600
36*600
600
25*000
22*000
Europa.......
Norte.........
Sul........
Europa.......
Sul...........
Eurora.......
ul...........
ul...........
Norte......... Maranho
Sul........... Alagos...........
Europa....... Tomar............
Sul........... La Plata..........
Norte......... Espirito Santo.....
oul........... Para.............
2
^
3
4
5

6
7
8
P
10
14
17
22
23
25
27
..
res
34 ditos de suinos a 700 ris
16 ditos de fressuras a 600 ris
89 tullios a 2*
Rendimento dos das 1 28do cor-
rente
69*600
23*8'h>
9*600
178*000
437*980
3:437*360
Foi arrecadado liquido al hoje
Precos do dia:
Carne verde de 160 a 480 res o kilo.
Carneiro de 720 a 1* reis ideni.
Suinos de 480 a 600 reis idem.
Farinha de 500 a 720 reis a cuia.
Milho de 800 a 990 reis idem.
FeSlo de 1*600 i 2*003 idem.
5:865*34U
Vapores a sahir
MEZ DE JCJHO
Montevideo .. Man............. 2 as 4 h.
Bordeaux-----Eaualenr ......... 2 as 4 h.
Santos e esc Finante ......... 3 as 4 h.
Montevideo .. Nerthe............ 5 as 3 h.
Sul.......... Mandos............ 3 as 3 h-
Cear e esc... Jaguaribe ........ 3 as 5 h.
Norte........ Advance.......... 6 as 5 h.
Norte........ Pernambuco....... 8 as 5 h.
Buenos Ayres. Tagus............. 8 as 2 h.
Antuerpia ... Trent............. 9 as 3 h.
Baniaeesc. Jacuhupe.......... 10 as 5 h.
Fernando S. Francisco....... 10 as 12 Ii,
Tloviuienlo do porto
MAIO DE 1889
JVaeto i'ntrado no dia 30
Hamburgo e escala 18 dias, vapor aileraaV
Campia.-;, de 1634 toneladas, commandante
A. Barrelet, eqnipagi-ra 39, carga varios gne-
ros; a Borslelmanu & C.
Sahido no mesma dia
Santos e escala-Vapor alfemo Lssabon, com-
mandante P. C. Ilolm, carga varios gneros.
Navios entrados no dia 31
Rio de Janeiro e Macei16 dias, vapor ingl v.
Jesmond, de 988 toneladas, commandante G.
B. -Holl, equipagem 23, carga carocos de al-
godao. '
Montevideo24 dias, barca norueguense Regia,
de 510-toneladas, capito T. Dun3, equipagem
11, em lastro ; a H. Lundgren d^C.
Hamburgo53 dias, barca norueguense Voluna,
de 244 toneladas, capito A. Thorsen, equipa-
n 8, carga varios gensros; a Medeifo:
" i;.'
Obtorvacao
Nao houve sabidas
r


I
I
I
Diario de PernambucoS&bbado i de Junho de 1889
EBIT1ET
O
eaente-coron aleante de
Bouz.i L4180, jnz municipal e do com-
mercio, primeiro suppiente em exerci
ci pleno do termo de Ipojuea, em vir-
tude ua le. etc.
Faco saber aos que o presente edital de
praca com o prnso de dea dias vireui, que
o porteini interino dos" auditorios deste
juizo ha de tra/.er a publico prego de
venda e arremata?; a qutfui qiaia dor e
maior lance ufferecjr, en o dia seis de Ju-
nho prximo vhIiIw, porta 'la casa das
audiencias desie uiw>, depois de finda
esta, a parte do engenho S. Joto deste
termo, d'agua, moonte e correte, com to-
das as suas ebrus, rnattas e lo avahada por dez cornos quindenio* e trinta
e seis mil reis, sobre o valor total de qua-
renta e cinco contos de reis dado ao mes-
mo engenho, penhorada a Luiz Goncalves
da Silva & Pinto, por* execncilo que lhes
movem Lewis Eheiman e outros. O refe-
rido eugenho que :e acha em bom estado
de conservacao e tein boa casa de vi ven-
da, limita-so ao su' con. o engenho Jussa-
rasinho e o engenlio Queber, ao norte com
o engenho Piedade, ao poeate com o en-
genho Gaipi e ao nasce:te com o enge-
nho Bemtica.
E para que cheguo ao conhecimento de
todos, se passou o presente que ser ffi-
xado no lugar do estylo. Dado e passado
nesta villa de Ipojuea aos 2i de Maio de
1889. Eu Jos Juvino Ferreira, escrivao
o escrevi. Domingos Lavalcante deSouza
Leao.
U, para
enefi-
5. *rc(ao.-Secretaria da preNlden
ola de PernamburOi "5 de Malo
de 1
Por esta secretaria >e faz publico para conhe
cimento dos interessaoos. que leudo o Exm. Sr
vire presidente da provincia considerado sem
effeito. por portada de ioje, a concurrencia aber
ta pelo edital de 20 de Abril ultimo, ao qual se
refere o de 3 do corren te, para a fundagio ae II
engenios contraes, de conformidaoe com a le
n. 1971 de 22 tl Mareo deste anno, visto que a
publicaco do edital hv 4do corrente, reduzindo
a 30 dias o prazo de 90, marcado no de 20 de
Abril, nao acompanbou o deste, dando lugar a
reclaraac6-'s. fica iberia nova concurrencia, com
o prazo de 30 dias, contados da data do presen-
te, para aquella concurrencia, observadas as dis-
posicoesdo art. 16 da lei n. !860 le 11 de Agos
to de 1885 e a lei n. U'72 de 22 de Margo deste
anno.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
S." icrrao Secretaria da presiden-
ra de Pernamliuco, -S de Halo de
1889.
Por esta secretaria se faz publico, de ordem do
Exm. Sr. vice-presidtnie da provincia, que, ten
do Candido Dias, agricultor e proprietano aer-
cola, rtsidente no engerho Guerra, do municipio
de Ipojuea, requerido que com elle se contrete
a fundaco de urna fabrica central de typo me
or no dito engenho, lira aberta a concurrencia
por espaco de trinta das, contados da data do
presente edital, para o lim exposto, mediante as
condicOes estipuladas 10 art. l da lei n. 1,860
de 11 de Agosto de 1885 e lei n 1,972 de 22 de
Margo ultimo.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim Silctira.
*.a seceao.Secretarla da Pre-
sdemela de l*eruaiubuco. em
Sde Halo I I 89.
De ordem do Exm. Sr. Dr. vicc-presidente da
provincia faco publico para os devidos effeito.-,
o edital, em seguida transcripta pondo em con-
curso os oficios cial e notad e annexo- di comarca de Nazaretb,
visto ter pedido -uuessor o respectivo serven-
tuario vitalicio FianUim .Uves de SouzaPaiva.
O secretario interino,
Munuft Joaquim Silceira.
O 1 r. Carlos Augusto Vaz dr Oliveira, juiz de
de direito da comarca de Xazareth, por Sua
Magestade o Imperador a quem Deus guarde.
Faz saber aos que o presente edital virem c
d'eile noticia tiverera e i quem interessar possa
que em vista da determinaran do Exm. Sr. pre-
sidente d'esta provincia de accordo com a dis-
posicao do anigo 1" do decreto n. 3322 de 14 de
Julhode 1887, tica uiarcid o prazo de 30 dias a
contar de boje para o concurso dos oflicios de
primeiro tabelliao do publico judicial e olas
d'esta comarca escrivao do civel e crime e por
distribuicao. execucoes civeis do jury e eiecn-
cOe> criminaes, creados pelo decreto de 30 de
Janeiro de 1834, combinado com as leis prono-
acs ns. o26 de 3 de Ju ibo de 1862. o89 de 1 de
tajo de 1864 c 8o5 de a de Junbo de 1868, para
o lim de dar successor ao servenluario vitalicio
capitao Kraukim Alvos de Souza c Pai\a, que por
S. Exc. o Sr. presidente da provincia Ibi consi-
derado inhabilitado de continuar era exercirio.
Que aos pretendentes a successo dos referidos
oflicios cumpre presentar seus requerimentos
dentro do prazo cima indicado, conforme liispe
o artigo 1" do decreto citado, combinado com o
artigo 7 do decreto n. 0344 de 16 de Dezembro de
1884, tendo o mesmo serventuario direito a ter
ca parte da quantia que estao colados os rend-
fuentes aunuaes dos ulludidos oflicios
Faz anda sabe que os requerimentos dos pre
tendentes devem ser instruidos com exa.rfe de
suficiencia e mais documentos exigidos peio de-
creto n. 9420 de 8 de Abril de 1885 c mus le-
.-isiaces em vigor.
E para que eliegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente que ser aflixado na
porta da casa da Cmara Municipal d'esta cidade
e d'eile se exrahir copia para ser remettida ao
Exm. Sr. presidente da provincia para o lim in
dicado no artigo 157 do citado decreto com cer-
tidao do dia cm que fui aflixado pelo porteiro
dos auditorios.
Dado e passado n'esta cidade de Nazaretli, aos
6 de Maio de 1889.
Eu Joo Bezerra Vieira de Mello, esenvo in-
terino do jury escrevi.Carlos Augusto Vaz de
Oliveira.
E mais se nao contralla em dito edital.
Certifico que pelo porteiro dos auditorios me
foi entregue a certidao do theor seguinte : Que
hoie 11 horas do dia aflixei na porta da casa
da Camnra Municipal d'esta cidade um edital
bamando concurrente a successao dos otncios
de 1" tabt-nifi" Jo publico judicial e notas, esen
vo do ci\. i e crime por distribuigao, execucoes
civeis. d (jury et-xeeieee crimiaaes d'esta co-
"ilaio de IWi O porteirj dos auditorios Manoel
t-ranci-.> dailootia. ,
Bst conforme. -Cidade de Nazaretb, 6 de
Maio de Ihh'.i. -Eu Joo Bezerra Vieira de Mello
; w So Interino do jury escre\ i. .............______
TV* ee^Oi Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em :?9 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-preaidente
da provincia e nos tormos do ? 2 do art.
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por meio de laudo
de arbitro desempata lor. aqueatS
liacSo do material da
a&^lo gaz desta
a concurrencia, com o prazo de seis mc-
zes, contados da kta do y escote edital,
para oontracto da d.ta illuuinacao, me-
diante as segu ntes clausulas da citada le:
: 3. Jenhuma f roposta ser reeebida
, que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quant de 2o:000tf
dinheiro o apol ees da divida publi-
ca para garantir a LceitacSo do contracto,
no caso de ser prefeda a ua proposta.
j4." O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao ser retirado
pelo centractnte senao rindo o contracto e
servir de cauyao para os pagamentos de
multa e fiel compri ment das clausulas,
que forem estipulada no fhesmo.
| 5. O contracto s poder ser feito
com quem methores vantageus offerecer
na concurrencia.
6. A nao ser no caso do pragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter
preferencia a qualquer outro proponente.
7. O novo cntractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forja da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
indeinnisacao ter. lugar de accordo com
essa mesina clausula, e ficando o material
e obras da empreza hypolhecados pro-
vincia at que esteja reaHsada a indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto nao poder
exeeder a 30 aunos.
| 9. Opreco daittnminncSo,quorpnb-
ca, quer psrti'-ular, nao poder exceder de
260 r s o nu:;-1 cobieo de g, fusendo-
re ii:ii^i re.! ::._-',o de ma de .'.l '
s utdjabvlcc muiitoa e caridnae e
oeix a e es pabe*.
| 10. U sjoiteaa mtrico, si f.ir dbbi
c !'... Miento, eti adoptado paran med-
cao do gaz.
11." A luz ser clara, brilhante e isenta
de substaDciws estranbas, que possam pre-
judicar a illuniinacao e a hygiene publica.
| 12. A inteosidade inedia da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete'
das que queimam sete grammas por hora,
correspondente a 120 graos inglezes.
| 13. As horas de illuminacao publica
serao fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, era maior
de dez, devendo neste caso haver urna
reduccao no preco do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e illimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questoes que
se suscitarem, quer com o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos dopaiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
| .16. O pagamento da illuminaco pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencao oscillacao do cambio.
| 17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em
todos os direitos e obrigacoes do con-
tracto.
18." Para as despezas cem a fiscali-
8aco do servico de illuminaco o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000)5000, que serao recolhidos ao
Thesouro Provincial.
| 19." O presidente da provincia esta-
belecer as multas c mais condijSes, no
intuito de garantir a boa execucao do con-
tracto, quer com relacao a illumincao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o novo
contractante ter de .pagar actual em
preza, conforme o | ? cima citado,
quantia de 994:917(5528, de accordo con
a avaliacao feita pelo arbitro desempata
dor em 18 de Marco ultimo, visto deduzir-
se da de 998:777^5528, total da avaliacao,
a importancia de 3:800)5000 paga em-
presa em 18HO, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 brajos com lam-
pones, collocados fora do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel 3oaqui:n Silveira.
a

A REALIZAR SE SO
Dia 2 de Junh> de i 889
A
A's 11 horas em ponto
c
s
I
4
Pello*
Snlura-
lid.
Cor <5j venti-
nientB
I re p rielarlo
PareoConolao 800 metrosAbimaes da provincia que anda nao tenham ganho
no Derby. Premios: 2o0 ao 1", 50* ao V e 2S ao i;
Pierrot ......
Guerreiro...
Barra.......
Rio do Peixe.
Breas......
Jasmin......
Cognac .....
Stuart.......
Pitt.......
Cyclone.....
Sans-souci...
Ja -parte.....
Lucifer------
Mignon .....
Fartulho
Baio ....
Alazao caxito
Alazn.....
Mellado....
Alazao. .
Rodado -----
Russo......
Zaino.*J-----
Rodado...
Baio.......
Alazao.. ..
Rodado....
Zaino. ....
Pera..... 53
55
55
55
a 55
53
55
u 55
B 55
53
* 55
* 55
* 55
50
a 55
Grenat
Encarnado c preto
Rosa e \.raneo.. ..
Preto ecc. e ouro...
Azul .............
Encarnado c ouro. .
Azul e ouro......'.
Azul e 1. raneo
Ouro e braneo......
Grenat h rauco...
Grenat e ouro.......
Azul e ouro.......
Azul e branco.......
Coud. Progresso. .
F. L.
F. P. C. I.
Coudelaria Des graca
S. A.
Bostock.
J. C.
S. T.
S. B
A. L. J. 0. L. M.
Jos Luiz deS. Filho.
A.U.
P. S.
Coud. N. Descobcrla.
3 Pareo 5 de Malo 900 metros
tenham ganho no Derby nesta distancia.
Animaos de menos de meio sangue que nao
Premios : 30M ao Io, 60* ao 2, e 30 ao 3<-. '
Moucorvo
lluin le...
Vulcano..
Cometa.
Recife
Alfa..
Rodado
Alazao.
Castanho.
| Alazao...
S. Paulo... 53
a 45
a 55
a 55
Rio de Jan. 55
S. Paulo . 54
Violeta e ouro.......
Azul e ouro.........
Branco e ene. lislrado.
Ouro e branco......
Coudelaria Cruseiro.
Coud. Internacional.
Coud. Luso Brasileira.
F. F. *
Djalma M. da Silva.
3o PareoProvincia de Pernambuco liin'J metros Animaes da provincia.
250* ao 1, 150* ao 2 c 25* ao 3'.
Premios :
Potos......
Arumary
Caifaz. ".. ..
Bugari... .
Good m o r-
ning.....
Brilhante ..
Castanho.
Alazao...
Castanho
Rodado...
. Pera......
Russo.
54
58
54
54
54
54
Violeta c ouro.
Azul branco e ene.
Azul e grenat......
Grenat ............
Azul e branco listrado
4o Pareo-Prado da Etttancla 1200 metrosAnimaes nacionaes
nao tenham ganho em Maio de 1889 nesta distancia. Premios
e35*ao3.
J. Bastos.
F. Siqueira & Bastos.
J.J.
L. Pereira & C.
R. C.
L. A.
at meio sangue que
;350* aol%70ao2
Corcovado
Mandarim
Douro.....
Minerva.. .
Saturno...
Maestro ..
Mimosa
Favorita...
Olga.....
Castanho.. .
Rosilho
Alazao.
Douradilha
Castanho.
Tordilho -
Alaza.....
Zaina. ...
Castanha. .
Rio de Jan. 51
S. Paulo. 54
Rio de!Jan. 54
S. Paulo.- 49
a 54
a 54
a 46
9 49
9 49
Coudelaria Paysand.
J. Bastos.
S. P-
Coudelaria Cruseiro.
Coud. Internacional.
. i Coud. Pernambucana
Azul e grenat.......'Coud. Paraamerin.
Azul e branco listrado Maia 4 Chrysostomo.
Branco e ouro.......M. N. P.
Encarnado e ouro.
Violeta e ouro ..
Azul branco cene.
Azul e ouro........
"i l'aieolaaarenna Pernambucana
tenham ganho no Derby. nesta distancia.
2o e 30*000 ao 3".
1.700 metros -Animaes da provincia que nao
Premios : 300O0 ao 1 60000 ao
Mouro......
Templar.....
Amaury .
virid.......
Monitor.....
Alazao .....
Rodado ------
Alazao.....
Castanho .
Russo......
Pera.
54
54
51
54
54
Encarnado c branco.
Arnarello e verde.....
Azule rosa..........
Azul c branco......
E. preto ebonct azul..
A. Taques.
J. F. F.
M. M.
Coudelaria Ypiranga-
C. I. M.
6. PareoProgrewBo-1.609 metros -Animaes at meio
ao Io, 80* ao 2o e 40* ao 3o.
sangue Premios: 400*000
Olga.......
Hexe ......
Apollo... .
Douro......
Bisette. ....
Corcovado...
Vanda ......
Alpha.....
Castanho
Zaina-----
Alazao..-
a
Zaina
Castanho
Zaina
Alaza
S. Paulo....
R. da Prata

Rio de Jan.
R. da Prata
S. Paulo .
49
55
57
54
52
51
58
49
Branco e ouro
Ouro e branco.....
Grenat c ouro
Bacaraado e ouro
Branco e encarnado..
M. N. P.
Hilario Pereira.
Eslcvao de S.
S. P.
Coud. Brazileira.
Coudelaria Paysand
a- F.
Djalma Moreira.
Empresa do Gaz
Aviso
A empieza de illuminaclo a gaz desta
cidade por scu gerente, tendo visto no
Diavio de Ptmuuiuco de hoje a publica-
cao do edital em que a presidencia da pro-
vincia chuna concurrentes para o novo
contracto da illuminaco mediante a clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
base para a indemnisacao da empreza
actual a quantia de 998:777)5326, por
quanto foram avahadas pelo arbitro desem
patador as obras da mesina empreza,
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliacao nao pode servir
de base para ta! indemnisacao, por ter
sido illegal e irregnlarm^nte feita, bem
como que contra ella J protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o juizo dos. feitos da
fazenda, tendo : :'^ intimado do inesmo
protesto o Dr ,_.,carador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante \
da provincia.
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacao para scicneia dos .in-
teressados. y,
Reeife, i de Maio de 1889.
George Windsor, Gerente.
DECLABAQDES ~
T Pareo-Proaperidade900 metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho no
1889. Premios : 250*000 ao 1-, o0*000 ao 2- e
Derby em maior distancia em
25*000 ao 3
Village......
Potos......
Mignon. ...
Pombo prelo.
Sneca
General......
Trlha......
Roldao.....
Melado >..
Castanho .
Zaino .....
Caxito.....
R. pedrez.
Rosilho ....
Castanho. .
Bajo.......
Pera. ... 55
a 55
a 50

. 00

a 00

a ao
a 55

1 * >.
Bucarnado e ouro ..
Azule ouro.. ......
Brauco, ene. e azul-.
Encarnado c brauco -
Branco e preto -. .
57 Grenat
H. W.
Bostock.
P. S.
Coud. Victoria.
M.
J. B.
A. R.
Coud. Progresso.
8 o Pareo-CoBolaco 2" turma 800 metros Animaes da provincia que nao tenham
ganho no Derby. Premios: 250 ao |-,50*aoJ- e25*ao3-.
Bismarck. -
Acarahy.....
Siroco .....
Vioho branco
Tupa.......
Zambo. -
Almirante ..
Bon-jour
Bostock.....
Boa-Vista.
Cerbero------
Licorne......
Marat......
Rodado. ...
Russo... '. .
Cardo.....
Pedrez.....
a
Castanho
Alazao.
Zaino......
Castanho.
Bnio......
Alazao.....
Castanho. .
Rodado-----
Pera
53
55
so
55
55
53
55
55
53
55
50
55
55
Branco e azul marinho
Encarnado e ouro
Azul e branco ....
Branco e encarnado.
Eucarnado e branco.
Ainl e branco.......
Grenat. -...........
Encarnado ebranco..
.................
Ouro e preto......
Violeta e ouro -----
Encarnado e branco.
F. G.
J. F.
S. B
M. M.
J. M.
F. R. R.
J, F. X.
A.
D. P.
F. C. F.
A. N. f.
M. A. S.
Coud. Demcrata
LARG3 D3 ARSENAL DE GUERRA
EMPRESA E DIREC^O DE
HONORIO P/\LAOO^
Domingo, 2 de Junho, Domingo
fe'- : E !/2 HBR SQA
Beneficio das OBRAS do Passeio Publico
13 DE MAIO
A COMMISMAO encaifegada das obras do Passeio Publico 13 de
Maio tendo alcancado do digno direcror do CIRCO CHILENO um espectculo em
Jseuei'LO das obras do referid PASSEIO, veriTpedir ao respeitavel publico a sua
coadjuvayao para uin bom resaltado dense bcncQcio, atendendoa que a construc-
cSo de semdhante obra alai de ser um melhoramento para a provincia, traz grandes
beneficios para o publico. E' de esperar que a concurrencia seja extraordinaria.
Alni dos trabalhos da Cempanhia, estarao em coretos preparados para tal
fim, duas bandas de rus cas militares para abrilhantar a festa.
.AJO GXX\GO!
A's 8 1 [2 horas da noite.
HIPPODROMO
X30

3.
18/ CORRIDA
realisar-se no domingo 9 de Junho de 1889
PAREO EXTRA 800 metros. Eguas da provincia, premios : 200^000
primeira, 50|JOOO, segunda e 20000 terceira.
PAREO EXPERIENCIA850 metros. Animaes da provincia que nao
tenham ganho premios nos prados do Recife em 1889. pbemios :
200(5000 ao primeiro, 500000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
PAREO TRILITOS URBANOS 1.400 metros. Animaes nacionaes at
meio sangue que nao tenham ganbo em maior distancia no Hippo-
dromo em 1889. premios : 3500000 ao primeiro, 800000 ao segundo
e 350000 ao terceiro.
4. PAREO IMPRENSA PERNAMBUCANA 1.000 metros. "Animaes da
provincia, que nilo tenham ganho em maior distancia nos prados do
Recife. premios : 2500000 ao primeiro, 600000 ao segundo e 250000
ao terceiro.
5. PAREO HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.609 metros. Animaes
de qualquer paiz que nao tenham ganho -iu maior distancia no Hip-
podromo. premios: 5000000 ao primeiro. 1200000 ao segundo
e 500000 ao terceiro.
O.0 PAREO PROVINCIA DE PERNAMBUCO 1.200 metros. Animaes de
menos de meio sangue. premios : 3000" 100 ao primeiro, 600000 ao
segunde e 300000 ao terceiro.
>. PAREO VELOCIDADE 1.200 metros. Animaes da provincia premios-.
2500000 ao primeiro, 1000000 a segando 250000 ao terceiro.
Observacoes
Nao se realisar nenhum pareo sem que se nserevam cinco animaes de
tres proprietar08 differentes.
S serSo acceitas para eada pareo as 16 primaras v-n.postas abertas.
A inscripeao encerrar-se-ha no dia 3 de Junho s B !. ras da tarde.
O seeri'ario,
Ferreira Jacobina.
Mecretaria da InHrncrfio Publica.
*S de Maio de issn
Prazo de 30 dias
N. 84.De ordem do Sr. Dr. inspector gcral.
fago saber s professoras publicas, removidas
por acto de 25 do corrente, Floriracna Joaquina
de Mello Montenegro para a cadeira de S. Jos
desta cidade, Josepha Perpedigna Rabello Padi-
llia, para a da Magdalena, Mara Clara de Mello i
Figueira, para a do Varadouro, e Hermehuda
Collecta de Bouza Ribciro, para a de Beberibe. |
que lhes (ica marcado o prazo de 30 dias, a con-
tar da data da remoco, para assumircm o excr-
cicio de shas novas cadeiras.
0 secretario,
Pmjeutino Saraiva de Araujo Galvao.
j> de ava-
empreza de illumi-
etaadftt tica aberta
Derby Club de Pernambuco
Pela directora faco sciente aos Srs. possuido-
res de convites especiaes e cartees de proprie-
tarios que os ENTRADAS (ERAES annexas a
estes cartees devero ser entregues nos portes
te ingresso do Prado da Estancia
Recife, 31 de Maio de 1889.
0 gerente,
IHenrique Schvtel. .
Os animaes inscriptos para a 1" pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 1[2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, deverao estar no ensilnamento
urna hora antes da determinada para o pareo cmque tiver de correr. _
Pcde-se attencao dos Srs. proprietarios para o additamento feto^ao regi-
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os.artigos 9, 10, 25 e 95 do
mesmo regiment interno. ,oUQ
O expediente desta corrida cnerrar-se-ha fcabbado, 1 de Junho ae sw
s 3 horas da tarde.
A venda de jtydm encerrar-sc-ha 20 minutos antes de cada corrida.
/
HORARIO
Celestial confraria da San-
tissima Trindade
A*semhlt'ii eral
De ordem do charissimo imao provedor,
convido a lodos os nos;o c'uatissimos ir-
mos a reunirem>e era nosso consistorio, s
10 horas da manha, do proxn domingo. 2 de
Junho, para de accordo com o artigo 39 do nos-
so compromisso, proceder ae a eJehjae da nova
mesa regedora que deve reger esta contraria no
anno compromiss.il de IS1> a S'.'O
Secretaria da Celestial roufraria da Santissi-
ma Trindade, 29 de Maio de 1889.
isecretario,
J. A. i o zende
S. R. M.
V, M-.lud. nerrealiva Morlclade
De ordem do IUm. Sr presidente e delibera-
co da assembla geral do da 6 do prximo
.passado, licou assentado a ser augmentado mais
600 rs na? mensalida enhores socios.
Sec,,., reaiva Mocidade,
i-de Junho W9 i 1 secretario
Poncisno Pereira Lutf.
l.o pareo.
2. pareo
3. pareo.
4. pareo.
5.' pareo.
6. pared.
7. pareo.
8. pareo.
11 horas c m.
11 t e 50
12 > e 40 >
1 e 30 >
2 > e 20
3 e 10 >
4 t e >
4 > e 50
Recife, 29 de Maio de 1889.
O GERENTE,
ihnrique Schutet.
Compkia Santa Tliereza
Abastecedora d'au<-i egaz a
cidade de Oliuda
.Sao eondvidados os Srs. a< i. .islas a se ren-
nirem em assembla gerul ordinaria no dia 8 do
mez seguinle, afira de julgare.m sobre s cun-
tas do anno lido, ouvirem a leitura do relato-
rio, c resolveren) sobre a proposta da directora
no sentido de ser levantado um emprestimo
para a construeco de obras novas. A reunio
se effectuar ao meio dia ao escriptorio da Com-
panbia de Trilitos urbanos, na ra la Aurora
Reqife, 24 de Maio de 1889.
Jos Ferreiri Hallar
Presidente da assembla gera
Recebedoria Provincia]
O administrado1- da Recebedoria Provincial,
na forma do regulx.ento de 28 de Maio de 1887,
faz publico para conhecimento dos interessados,
que dentro de 30 dias uteis improrogaveis con-
tados do 1 de Junho prximo, dar-se-bd prin-
cipio por esta repartico a cobranca, livre de
multa, dos impostos abaixo declarados, de que
trate a lei n. 1884 relativos ao l- semestre do
exercicio corrente de 1889
Recebedoria Provincial de Pernambuco. 33 de
Maio de 1889.
Francisco Amvnthas de Carvalho Mours-
3 00 multiplicadas "por 10 sobre estab^eci-
menlos a retlho.
20 0/0 sobre o valor locativo dos estabeJeci-
mentos iodostriaes desta cidade.
10 0 0 idem dem idem fra da cidade.
200-5000 por (' -sea que empregai capitae em
descont de le ..-
1:000 por .. '.c garanta de bilbetes de.
loteras.
12 0/0 sobre ts'ci: otoos, carlorios e coisul-
torios.
ifffl por tonelada de alvarenga ou canoa.
Decima urbana.
23 0,0 sobre a renda dos bens de raiz perteu-
centes corporaces de mao morta.
80 rs. por litro de agurdente ou alcool.
Companbia de bombclros.
s.
THE VIRO
Glb Carlos Gomes
AULAS
Este club abrir no dia 4 de iu:ili< prximo
urna aula deHarmonaque se- como as os-
tras gratuitas aos senhores socios i [mitudo-se
iorm, estranhos, mediante convencao pwtieo-
ar com o professor, o coohecido maestro Sr.
Ciarlini Ciro.
Com o augmento desta aula, Bca i horario das
mesmas regulado pela segmnte
TABELLA
Rudimentos de musita. Terpae r -"xtas-feiras,
das 7 s 8 horas.
Instrumentos de sopro.Qna:vs -abbados,
das 7 s 8 horas.
Instrumentos de cardas.Seguu las e quinlas-
feiras, das 7 s 8 horas.
Harmona. -Tercas e sabbados, das 8 s 9
horas. \
Piano Quintas feiras, das 8 s 1 horas.
Orchestra.Quartas-feiras, das 8 s 9 horas.
Banda.-Segundas e sextas-f' 8 s 9
horas.
Secretaria do Club Cario- Go* 28 de Maio
de 1889O 1- secretario,
Anar'
M
Sabbadol-de Junho de 1889
Beneficio da actriz
Rosa 3laaJt l)e|)o3 que a .rchestra regida pelo Sr. Cac-
dido .Ftlbo. honvtr execulado urna das suas me-
lli.ires oberturas, subir scena [pela primeira
vez nesta poca o drama martimo de grande
espectculo dividiojem 5 actos, a que tem por
titulo
CAPITAO MALDITO
DenominacSo dos actos
Io Acto-*"1 encontr.
2 O ice-indio.
3 Troca dos papis.
4 Roubo dos documentos.
5o A morte do capitao maldito.
O o'quinto ac > passado bordo do hngae
Cunseo em alto
*
Toraam partf oeste sspcctacnlo em obsequio
a beneficiada os amadores A. Moraes T!
baldo Slldanha, Lino Cavalcante, Joo Goncal- '
ves, Baptista, Pinto, Vicente c os artistas Tuo-
maz Espiuca, Lyra, Peres, Manhonga, a benefi-
ciada, Honorina e Felismina Cmara.
papel do idiota est confiado ao Sr. Thomaii
Espiuca que generosamente se offereceu bene-
ficiada para lomar parte no espectculo, a!m de
livral-a de difliculdades.
No? intarvallos tocarao as bandas marciaes do
corpo de polica e do 2o batalho de infantaria,
cujos commandantes attenderam ao pedido da
beneficiada- Rosa Manhonca.
Haver bondg para Magdalena, Fernanda
eir e Alegados.
Ai 8 1/2 horas:
\


:




r
';

i. BSI


Diario. de Beamambuco+
r
'

I
I
-4

*
souraiia
c laami a. presidio de
KflMlM
__________-
_ a vm*u
na cn*,9b*oi
r fW IfBttS
6 a dia'luinrtor (OK
fcereontraetado, com .
nelhores vantagens 3fflarec Seeros e artigos para", piesidi cte Fernando
e Noronha,-durante o semestre de Julho a De
sembr ueste anno.
Essas propostas devem ur dcvklamente sel-
ladas e fectndas; e ospro xtnentes requerero
previamente a ceta -TaeeimrKtia provatmo que
sao negociantes mariculados e seacham qui-
tes relativamente ac imposto- de industrias e
proflssoes do ultimo semestre, e declarando que!
se obrigam a entregar os referidos gneros e
artigos no aeolonailo pretidio. J?
OntrosmV'oa serio aceitas" *s propostas qR
converem artigos nromer.ftonac-_s neste eai-
tal; nem tambem aquellas tcujos" presos estive
retn sujeilos a abatimento o de/conlos, por iseo
mos pregos dev-maetiiivariaveis.
" laetorw-artigo-sae
iinho, kilo.
*Wem.
ifettnado 1* orte; idem. .
Atona. dem.
Anrota, kilo.
Alcool de 36 a 46 graos, litro.
rame, kilo.
Agua raz litro.
Abjoa tuneado aanl e aMsctt, metro.
Ac quadrade ou mil io, kilo.
Azeite doce, iitro.
Algodosiobo, metro.
Algodao trancado de listras. idem.
Agulhas para coaturas, papel.
Arcos de ferro sortidos, fexe.
Arme de latao, kilo.
Arithmetica de Castro Nanea, urna.
Botoes de osso Mm dou* faros, caixa.
Barbante, kilo.
Boi vivo, um.
Bacalhu, kilo.
Bao ha de porco, idem.
ardo de algodao, metro.
ssm, kilo.
n ftfio, dem.
e tidro, um.
lalde brim. idem.
e tigodao, idem.
e tifie, idem.
io de jrdra para ferreiro, kilo.
Cartas de A B C, urna.
Collecgo de traslados, idem.
Gordas de croa, pega.
Cobertores de la encarnades, um.
Ditos de d'taescuros, idem.
Cabos de Manilba, kilo
Cabo para enxada, um.
Chapeo- de baeta, um.
Cabos de Cairo, kilo.
Colla da Baha, idem.
Cobre em folha, idem.
Caivete lino, um.
Cera branca cm vellus, kilo.
Ditas envbrandvOes, idem
Caetas de TJo, duzia.
(aaBines patent, um
Cabo de linbo de todas as dimenses,"kilo.
Doutrina Corista, urna.
Doce tfe goiaba, kilo.
Basaseis, um.
Envelopes in folio, um
Ditos para officio, idem.
Ensaas de 3 I|2 e 4 hliras, urna.
Etterras de palna, id.-m.
BitauHo --eiir verga, kilo.
Esteiras de palha para cangalha, urna.
Foijo. sacca.
Pafrinha de mandioca, litro
Mi dft'trigtt SS9F, barrica,
ftit'de- tapioca, kilo.
Flele de cores, metro.
Fumo em latas, kilo.
PoIHa dtfVlandres, urna.
Fts de1 ferr, duzia.
FerroiBKlcz sueco sartido, kilo.
Fios de vela, idem.
Grammatica portugueza de C. Nunes, urna.
Dita Ue Abito, idem.
Grjrherria, idem.
Geograpbia, idem.
Gamma ac, kilo.
Gomma arbica em p, idem.
Dita em carolo, idem.
Giz, idem.
Hostias, urna.
Historia*) Brasil,'idem.
Incens, idem.
Kerosene, lata.
Lences de algodao, um.
Lacres, pao
Lixa esmeril, folha.
Limas sortidas. duzia.
Ditas de desbastar, urna.
Lina-toes sortidos, idem.
Lapis de- borracha, duzia.
Ditos VJe F-abw pretos, idem
Ditos de cara pin idem, duzia.
Lmoa branca n. 20. carritel.
Canjees de linho, um.
Ufatttoen e limas gortidas, cuxa.
Lapis de cores, duzia.
Cairo 4-.' de leitura, nm.
Idem de leitura, idem.
Idem 3C d leitura, idem.
Manteiga ingleza, kilo.
Man ei gafrabceaav dem.
Marmelada, idem.
Manuseripts, idem.
Mangaes de ferro para carroca, um.
Macarrao, kilo.
MadapoIOo, pega.
Mlho, sacco.
Oleo de Imhaca, litro.
MMOHtas de folha, urna.
Ocre amarello. kilo.
P_a>elabna_sopautado fiume, resma.
Dito carto mata-borro, folha.
Pa|na pin nrrrrrr urna,
Paos de jangada para balsa, dem
Ditos gaossae, idem.
Parios para candieiros patent a gaz, idem.
Patita Pregos de ferro-sortidos, kilo.
Pennas deas Perry, caixa.
Pregos franceses, kilo.
Piche, barril.
Thesouraria de Fazenda
ra>-a_iaaatnw *%nm_.ic*o
O consalh par olMlecrtentode vveres ios
reorpos MaaolfaVJte pNtaoaeenferm:.ria
untar e^tjUKtW sMa.l>MMl_hd_ destacamento
do 10 frmiaVf*eaviteitVJ*geira, recibe
posta#lrcftPf taMuirlWpraairuo futuro, s
44 tara do dodano qiwrift general do com-
Mrta^aik'arma, onde Funcctona o dito conse-
lho. pan conlraeiar oallodido fornecirnento du-
na semestre de Julho a Dezembro deste
auno.
Os genero e artigos sao :
Arroz, kilogramma.
Assucar branco refinado de Ia. qualidade, idem.
lAzeite doce de Lisboa, litro.
Arfate, kilogramma.
Assucar de 9a qualidade, idem.
Agurdenle, litro.
Aletra, kiloKramraa.
Amainas passadas, idem.
r-AraYota, idem.
Baoatao, idem.
Batatas iaglezas, idem.
Biscoatoa, idem,
Buata-de poreo americana, dem.
Caf em giio.^dem.
Carne de pore, idem.
] Carne de vacca com osso* tcmwsso, jdem.
Carne necea do Rio-Grande do Sul, idem.
< Cha preto da ludia, idem.
Cevadinta, idem.
Cravos, ccnlo.
Choeolate. kilogramma.
Caaim, idem.
Cat moido, idem. /
Carvao vegetal, sacco.
iJorvao coc'k. kilogramma.
Caetas de madeiras. duzia.
Cama de carneiro. kilogramma.
Enterro por cavallo, um.
Farirma de 1* (inalidade, litro.
urinda de S* dita, dem.
Feijao preto, idem.
fejao mulatinho, idem.
Fructas.
rae5o (duas bananas ou urna Iaranja).
Fa relio ki ogramma.
Ferradura par.
Figos passados, kilogramma.
Frangos, um.
Gallinha, urna.
Gommaitrabicdt frasco.
Goiabadava lainj kilogramma.
Lenha, aclis) e toro.
Leite de vacca, litro.
Lavageor-de roupa passada a ferro, pega, urna.
Lapis preto de Faber n. 1 duzia.
Macan-So, kilogramma.
Maizena, idem.
M -meiga ingleza de 1* qualidade, idem.
Marmelada, idem.
Milho, dem.
Medicamentos para cavalbada, numero.
Ovos. um.
Pao, kilogramma.
Mtosphoros americanes, grosa.
Passas, kilogramma.
Penas de ac Perry, caixa.
Papel pautado Gume, resma.
Papel mata-borro, folha.
Queijo de Minas, um.
Sal. litro.
Sanguesugifs pela apoicacfio de, urna.
Sabao commom, kilogramma.
Touciaho de Mioas, kilo.
Tinta prola, garrafa.
Temperos e verduras, raco.
Tapioca, kilogramma.
Vinho tinto e branco', litro.
Vinho do Porto idem.
Vinagre tinto, idem.
Vinagre branco, idem.
Vassorasde piussava grandes, dusia.
VeMas de cera", kilogramma.
Condicoes
! Todos os gnero seraoj de 1* qualidade, e
os fornecedores deverio satisfazer os pedidos
dentro dos praso* marcados nos respectivos con-
tractos, entregando os mesmos gneros nos
quarteis ou fortalezas e enfermaras, (-deposi-
tario nesta Thesoumria de Fazenda urna quantia
como caugo. que ser arbitrada pelo conselho
de fornecirnento.
* As propostas deverto conter a declaragSo
expressa de sujetar-se o proponente a mtilt
de 5o. da importancia a que montarem os vi-
veres ou rtigos-que foreo accaitos,- se 4eixak
rem de comiorecer paraassignar o respectivo
cootraoto. dentro do praso que for marcado polos
lomaes.
3* S poderao concorrer aos fornecimentoi os
candidatos que se habilitaren! na forma do art.
18 do decreto n. 7.086 deti de Main de 1880.
4* Da falta de fiel cumprimento do qualquer
das obrigacoes conlrahidas, os fornecedores li-
caro sujeitos a pagar o valor do genero rejei-
tado ou nao receido em lempo
3* Os concurrentes sao obngados aapresen-
tar as amostras dos gneros ou artigos que fo-
rem julgados precisos pelo conselho.
6* As, propostas seria apresc-ntadas em dw^-
plicata s 11 horas do rwerido da..........
em que all aerao abertas e apuradas em pre-
senca (tos pitpouentes, tendo ique :na nesma
orcasiSo se arceitaro propostas para a venda
de estrume dos animaes da r-ompanuia de ca-
vyllari.
> Finalmente. s fomecedres queroquere-
rew a rescisao do seu contracta e forem atlen-
didos licaruo'sujerkwa multa do 10 / sobre o
total do oriieeiiiierrto do-semestre-anterior.
Tlwwrafia de Fawnda de Peraambtco, 28 de
MaidelK89.
O inspector,
Manoel Antonio Cardoso.
-------- ------ ... i i i i i
Inspectora de trras e colo-
nisaeao dePernambuco
Londoa & Brasilian Bank
feimited
i2io <*r?oi>iwHrrcib n. 32
Sacca por taia os*apores sobr* as o>
xas do mesmo banco em Portugal, aendi
em Lisboa, ra dos Capellistant*?5v
Porto, ra dos Inglezes.
o 4i i de Junho d& )i!889
lt de laaeJro. Blo Grande do
Compaalriai lmperial
Seguros *oiitr*,li|ik)^:o
EST: 1803
Edificio** mocador a
Taxatrbaixas
Prompto pagamento de prejuizoi.
CAPITAL
Hl tan
BHOWN8 A C.
N. 5RA DO COMMERCION. 5
IIYDEMNIS ADORA
Cmpanhia de Segaros
martimos e terrestres
CAPITAL 1,000:000^000
'"""SraiSTBOS PAGOS
At SI de Dezembro de 1884
Mrititnos.. I,llO:OOO|000
Terrestres. 316:000^000
44Ra do Oomniercio44
Companhia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Alves
IV. 9Ra do Bom Jrnn* ^i. t
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segwados serop-
cSo de pagamento de'premio' em cida",Betimo'
auno, o que equivale ao descont annual de-eurj"
ca de 15 por cento em favor dos gegBrados \
Companljia be &e%\\xos
^TfflBHTI.
:i0RTH
de Londres e Aberdaen
Posi*> liimnccira ("Dczembro-tte i885j
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumufados Srf-34,348'
Reeefta annual :
De premios contra fogo 677,330
-Dei{tfe0s sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGEHTE,
John H. Boxinell.
CONTRA FOGO
The Liverpool A London A Glohe
1 TSURAKCE CCM-PAICT
i Rn* do Gommercio n. 3
MATHT1M0S
(OMP4MIH
DE
coattelra
i M
Nulf rdoMm e Pm-to-Alegre
O 4%pDJingle*Oometa
* & esperado ido*' portos cima
at o da 7 lo corrente, e re-
gressar para os mesmos, de-
pois da demora d > costme.
nHfdat e pas ;ageiros, tra-
tarse com
- Pereira'Cameiro &C.
IMBW"lMiERCIO6
"&& andar
CHARQfiURS REUNS
mm Companhia Francesa
DE
oTegacSo a vapor
Juba regttkr entre o Havre, Lisboa,
Peraambuco-, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos.
O: VAPOR
VHle d Kosario
Commandante Portier
E'esperado da Europa at o dia 6
de Junho, jseguindo depois da io-
,dispensaver demora para a
Pacific Ste?m Navigation
Compiany
STmTSOFMGELlAtf LDE
O paquete Potos
Espera-se da Europa at o dia
2 do Junho e seguir depois
da demora do costume para val-
araiso por
Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
iheiro a fret: trata-e com os
AGENTES

-la.
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offereoe excellentes commodos e ptimo pas-
sadio.
As passagens poderao ser tomadas de ante-
mao.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para es quaes tem excellentes accemmodaces.'
Ropa-se aos Srs. importadores de carga peles
vapores destA linba, queram apresentar dentro
de 6 das a contar do da descarga das alvarengas
'fualquerfeclamafae concernente a Volumes que
porventura tenham Seguido para os portos do
sul afim de se podei dar a lempo as presi-
dencias neces sanas.
Expirado o referido prao a companhia nao"'te
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagenr' encomntendas 'W-
nheiro a frete : trata-setom 6 AGENTE. L,
O"vapor
Ville dePernambuco
Commandante Sebire
Esperarse-do portos ojo^suIjio
dia 10 do corrente. aeguindo
depois da indispensavei'demora
para o Havre tocando em
Muboa.
\avegaco cosieira por vapor
Para Fernando de Koronha
O1 vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 10 de Junho s l
b9ras da manha. Recebe carga at o
Passagens te s 10-horas do di da sabida.
ESCRIPTORIO
Ao Ca da. Companhia Parnamhucana
n. 12
Sabo amarello, kilo.
Systema mtrico, um.
Sola, meio.
Sal de cozinha, litro.
Tinta azul da'Prussia, kilo.
Tinta preta, litro.
Toalhas de tlgodo, urna.
Tabeadas i'lem.
TrtKs de zlcfco. dem.
Viros prra vidraca, um.
Verde e/orno, kilo.
VinagrH>e Lisboa, litro.
Vinho Wiinoo, i Vinho io Porto, idem.
S'anwiurffM do-piassava, urna.
\m ter.rinas. kilo.
SHti*e:. vdem.
Zltvrrin idem.
TfnSCi-aflo' de* Fazenda ile Pernambuco. 20
do Vr.io Je 1889.
0 secretario da junta,
Dr, Anonii) Jos de Santa Anna.
Companhia de Edificacao
Assembla gend extraordinaria
Ue ovde:n d;> n.lectora e em vista da resolu-
to tonuda em assembla geral extraordinaria,
.oje efectuada, nagual foi resolvida aconve-
inewia da liquidaco da comp nhia, convoco os
antrores aceionisias i reunirem se em assem-
Lroral extraordinaria, no dia 10 de Junho
viodouTO, ao tipo dia, no escriptorio da compa-
rihin l'edr" 2." n. 77, 1- andar afim de
tratareiu (fe recorto com o n. o do art. 5- da lei
le 4 de Ifoveoro de 1882, dos meios
Indicaren] o que deve ser adop-
- aniboces accionislas que era face
4^d6 art. io da lfl citada.
- ftojnfcparerimenlo de numero
qoflHreseQte dous tercos'do ca-
89.
Ricardo Meoezes
Gerente.
De ordera do Ilkn. Sr.-Dr.'inspector t terpjs
e colonisacao, fago publico para conheciment
dos interessados, que nlo -tendo sido aeceita a
nica proposta que se apresentou para conduc-
cao de imraigwntes, que i dia 8 de Junho
prximo at o meio da, recebem'se aesta inspe-
ctora ^ro|K>stas em cartas lechadas para a re-
ferida comlaccSo, mediante a doel'.irarOes se-
guintes:
*.
O preco pelo qual^o contraclante'S* obriga a
receber o minigranres a cordados vapores poe
ficarem no lamarao ou-ntrarem no !porto, e a
condnzil-os at a Irospedaria da Jaque ira.
!
No preco da condueco deser ser incluida a
bagagem de-; cada immicrante. cuja descarga
correr por conia do conlractante.
3.
O servicrt para es menores de 8 anaos ser
feito-gratuitamente.
Recife, 8 de Maio de 1889.
O escripturario.
Manoel Joaxp m Ramos e Silta.
Instituto tontfenlf* dos Offieiaes
da Miarda \aeional
De ordera do Illm Sr: presiente, convido aos
senlktres socio* :i compar- cereai em Bossa serte
nos das tercas feiraa. as 7 horas da noile, alim
de recehertm seu* diploma?, dentro do praro
de 60 dis, a,coniar determina o ai(. 13 S 6" dus mm estatutos ;
Ibaodo sem direitoalum aquello, que dentro do
mencionadtf pra/.o, nao 0 procurar.
Secretaria do Instituto. 28 de Maio de 1889.
O 1 secretario,
Gaspar Antonio dos Res.
SEGURO CONTRA FOGO
Rojal Insurance Compan
de Liverpool
CAPITAL t.OA:(NM
AGENTES
R. DE DRUSINA&C,
ViRna Mrquez-de Olinda13
Comparihia Brasileira de
1 ^^ayega^ao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guherme
WadWton
E' esperwto tlfe pm>tos do-norte at
o da o de Junho e-' depois da de-
mora iadwpensavei- seguir para os
feries.do sul.
As encommendas serao rtcebidas no trapiche
Jarbosa) 10.1*01 da lardr do dk da sabida.
Para carga, passagens encoiumendas e-valo-
res trata-se com os a ti ENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E'esperado-dos portes do sul M'of
da 7 deJunho eegnindo depois
da demora indispensayci para os
portos do norte ale Manos.
As encommendas so serto recebidas naugea-
eia a'M'hOrada tarde do dia da satda
Para carga, encoinmenda*v-ttaa*agens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneirtr & C.
6*=Ra ro d.9Btmtii>cio-=
1 andar
Cl
GROS
MARTIMOS comba fogo
CanpaaUa Mnds Per-
aalnriBa
RA DO COMMERCIO X.
38
IJrrited States and trazil
-M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado-dos- porKi- W
norte al o da 3 de Junho
a qual depois da de-
mora aecVsaarin seguir
para a
Baha, Itio de Janeiro e Santos
Para caiga, paasagens, encommendas e di-
aheiroa frete : trata-sedeo os
AGENTES
O vapor Advanee
E e*>rado dos porto ao
sul al odia 6 de Junho
o qual depois da demo-
ra necessana ieg u ra
para o
aranho. Para. Barbados, v
Thomaz e .\ew-Vork
Para passagens carga, encommendas e di-
nheiro a frete, trata-se : com os GENTES.
Henry Forster & C.
8Ra o Qommrcio&
1 andar
Entrar no porto
Conduz. medico a' tordo, de marcha rpida
e offerece exCellentew-eommodos -e ptimo pas-
sadio.
As passagens poderao ser tomadas de ante-
mao.
OHereeendo-se mais aos riajantes para Pars
bilhetes de caminho de ferro do Havre a Paris.
Recube eargir^eBtomrnendas't^pirSSageiros
para*-as quaes tem excellentes accommodaces.
Para rarga, passagens, encommendas e di-
oheiro a'frete : tratwse com o
AGENTE
Augusto Labille
9 RA DO COMMERCIO 9
coHPViitt ri:u\tHitii\i
DE
%'ftvesarocoMteira por Vapor
PORTOS DO SUL
Mam. Poned. Ararajn" Bahia
0" vapor Jaciahjpe
('wnnmndante Esteres
Segu no dia do 10 Junho s
5 horas da tarde. Recebe car-
i at o dia 8.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da-tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cata da Companhia Pvrnambucana
n. 12
Companhie de Messa / Maritornes
LINHA MENSAL
O paquete Equateur
Commandante i Morcau
E' esperado Jos portos do
sul no dia 2 . seguindo depois da demo-
ra deaux, tocando em
Kakarc Juiboa
Lembra-se aoa Srs passageires de todas as
classes*que lia lugares .reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 0|U em favor das fa
milias compostas rfe ,4 pessoaa ao menos e qup
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepcao, os criados de familia* que to-
marem bilhetes de proa, gczam tambera deste
abatimento.
Os vales posl4ie*ii6e do al o dia. 34 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
oheiro a frete; tra'*-J3onio-OENTE.
O paqueteiNerhe
Commandante Jeaegabel
E'esperado da Europa no
dia i deJunbo e segui-
r depois da demora ae-
cessaria para
JaneirU, Buenos-Agres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs.<- ptLSStigeiros de todas as
dasses que ha. lugares lesa-vados para es'a
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Previne-se aos Srs. Teeebedores de-mereado-
rias que s se attender a recluiuaoOes por fal-
la, nos velones.: que oreni reconbecidas na
occ6iMkte9aarair4tt>9ui como devero den-
tro de 4b horas a contar do da da descirga das
ilvaraigagy faaereonjusIquiBP jreclamayo con-
oernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul. afim de poder-se
dar a tempo as procidencias neeessarias.
Bahia,
Wilson, Sons k C, Limited
14RUA DO COMMERCIO14
Roya! Mail'Stem* Packet
Compaahy
O paquete Tag*us
Commandante P. Rhwsell
Espera-se da Europa at o dia 7 de
Junho, seguindo depois da demo-
ra do costume para
Baha, Rio de Janeiro Honlevl
do e Bnenos-Ayres
Para passagens, fretes e encommenda s trata-
se com os AliENTES.
O paquete TYent
Commandante W. Chopmam
E' esperado do sul no dia 9 de
Jtniho,- Seguindo depois da demora-
necessana para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
... A ntuerpia
Reducc&o rfapassagens .
Ida Uaovolta
r't,ibo* l-classe 20 30
l#'Mimarapton 1'olass*--'' 23 /i&
' 'iBanarotes reservados para os-paesageiros de
Pernambuco.
l Emquanto vigorar a quareDtena imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro
ceteB-dO Brasil, os vapores dsta Companhia nSo
acettaro passageiros nem cargad pnra Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, trata-se
com os
Amorimlrmos & C
N. 3 LEILOES
Leilo
De moris, louca, espelhos, etc.
O agente Brillo, autorisado pdr urna familia
3ue retirou se para tora da provincia far leilo
o seguinie : 1 mobilia de Jacaranda a Luiz XV,
i espelho oval, t secretaria, i commoda, 1 ca-
ma francesa, J marquezSo i bidet, 1 santuario,
1 cadeira para piano, 1 mesa e estante, 10 eta
gers, l'mesa elstica, 1 cadeira para menino, 1
sof, 7 cadeiras de junco, 2 cortelos de amarel-
lo, 2 aparadores, esteira para sala, 1 marqueza,
1 cabide p qnarinheira de columna, louca para
almoco e juntar, vidros, jarros, qoadros, tape-
te*,- -mesde ceeinha, facas, colheres, bandeijas
e outros objectos, ao correr do martello.
' RoaFonnoaa n. 31, Io andar
A's 101\2 horas
Segunda-feira, 3 de Jnnho
Leilo
De dua* vaeeas tonrlnas
Sabbado 1 de Julho
A's 11 horas
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
Por occasiie do leilo de moris e
predios
Leilo
De
e em bont
importantes casas terreas
bairros
Sabbado, 1 de Junho
A's ,11 horas
No armazem ra do Imperador n. 39
i 0 geniu Slepple competentemente autorisado
levar a leilo as aeguinies casas lerreas em
boas freguezias :
Urna casa terrea n. 62, ra direita,. freguezia
de Santo Antonio.
Urna dita dita n. 26, ra da Boda, freguezia
de Sanio. Antonio.
Um dita dita n. 42, ra de Santa Thereza. fre-
guezia de Santo Antonio.
i'madiladita u. 77, ra da Gloria, freguezia
da Boa Vista.
Urna dita dita n 13, ra de Joo Francisco,
Coa-Vista.
Os Srs. pretendenles desde j poderao ir exa-
minar as referidas casas.
iuga-se a a n. W rua"Joq'fmNa-
baoo (oatr'ora VeBturu)naGapungB, a quari con-
t-isie no andar terreo e sota,' com^um pequen
sitio ; est nova, beta tratada e lem btistaates
commodos para familia : qflem pretender diri-
ja se ra t." de Margo n. 13, loja.
- Alu}?a-se a casa n. 17 a ra targa < -
sario prepria para negocio ; a--tratar na mesan
ra m. 9, Regulador da Marinha. ____
Ahiga se o terceiro andar do sobrado roa
do Imperador n. 26 ; a tratar na lithographia i
rna Mrquez de Olinda n. 8. .
Aluga-se o sobrado ra liarao de S. Bor-
ja n. 26, com bastantes comm idos para numero-
sa familia, e oda praca Conde d'Eu n.'29, ideo;
a tratar ca ra de Santo Amaro n. 8.
de urna cosinheira ; na
i-recisa-se de um menino convalKuma pa-
tica de molhados ; na ra da Ponte Velha >
tuero 77. _____ ______
Precisa se de um caixeiro de 12 14 anaaa
de idade, com pratica de taverna ; aa ra da*
Pernambacanas n. 38, Capunga.
Precisase
l'nio n. 11.
Na ra da Saudade n. 27, precisase dte
umo cosinheira e de um criado.
A fabrica Vendme pr, cisa de offieiaes e
cigarretro. para desliados.
Um mojo de 16 annos de idade, que i
fiador de sua conducta, offerece-M para caixeka
de algum armazem de molhados. para o qual tea
alguma pratica ; a tratar na nraca do Corpfe
Sanio n. 2 ou roa Bella n. 6. _
Muita atten^o
Na ra de S. Jos n. 36 lem para vender ste
afamados vinhos e hcoi es de todo9 os fructosd
paiz, fabricados pelo finado Joo do Amara! Ra-
poso, comosejam : vinho de caj i. e 2." qaa-
lidade, vinho do abacixt, viuho de anipia
composto e simples. hespeTedirra brasifcira, tt-
nfngrahn cordial, escencias de limao e cidra,%
tres prensas para espremer os fructos.- e wfe
Be vende por baralissimo preco parii liqui*-
5&o.
A o commercio e ao
publico
Julio Soares de Azevedo temi de partir s
dia 5de Julho prximo, para acorte do imperio,
alim de l fixar sua residencia, avisa aos seas
credores que se aptcse.ntem,' em seu collegio 4
roaViaconde de Goyanna n. 34, no dia 18 _c
corrente, s 11 boras da manh, alim de liquidar
todos os seu8 dbitos, oue por ventura, deve
nesta cidade ou bra dalla.
^ni
\ o commercio
l'm rapaz habilitado no commercio e rom bai-
lante pratica de molhados, offerece se como c-
voiro.ioVmdogaranlia de sua conducta ; lambe-t
faz qualquer negocio, entrando como < apitat de
i:OO0j : quem precisar deiie carta nesta rcac-
co cora as iniciaes M. J. A. K.
Mel
Leilo
Bahia, Rio de
EI*-PH<|u-Umi nao .Iluminados
lux elctrica.
Para carga, pasaageoa. enconnead-as e di-
nheiro o frete : trata-se com o
AGENTE
Aligaste Labille
'' Ra do Commercio 9
ConPHIi^A PERHAOICAHA
DE
\"aveir:ieao eostelra por vapor
FURTOS DO NORTE
Parchaba, A'iaZ, Macdo, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Jagnaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 5 de Junho s 3
horas da tarde. Recebe carga at o
da I.
imraenda?. passagens e dinheiro a frete,
at s 3 horas (a.tarde do diu >ia ijartida.
i:s< .'RIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernmnbucanu
n. 12
Do sobrado da ra Velha u. 82, casa de es-
quina, da,.asa terrea da ra do Conde_da Boa-
Vista u. 70, cdilicada eui,chaos proprios e que
nendo.SOOOOO.
Sabbado 1 de. Junho
Agente Pinto
.No armazem da ra do Bom Jess n. 4o
A's 11 hor-is
Agente Pestaa
Leilo
da massa. fallida de Alberto
es, Branco, na., importancia de
Das dividas
-Rodrig
G2:l__Si335,. MMftda de base a fFerta
de-500A
abbado. 13. de luuho
AS 12 LUIRS EM PONTO
No armazem di: agencia do eiloe_ sita
.. travess-a do Corpo Santo n. 27
0 agente Pestaa, autorisado por manlado e
com assislencia do Exni. Sr. Dr. juiz do com-
mercio, far leilodas dividas j referidas, no
dia e bora cima mencionados.
1 Vende-se no engenho Concordia, -poslo aa es
taco de-Ribeirao ou as Cinco Pontas, confor-
me o ajuste._______________________________
\ tten Vende-se-o estabelecimento demoliados sia
ra do Hospicio n. 59, o motivo seu propie-
tario achar-se doente c ter de tratar de se
sade.
Ama
Preeisa-se de urna ama para eosinhar un
Mrquez de Olinda n. 56, 2 -indar.
-4 prove tem a occasio
tcrdailcira pi-cliiurliav
Curtes de cretoae- combina.au a .. 500.
Lioni estampado bonitos desermos> cow*
a 500 rs.
Las de froco linos, covado a 280.
Ditos de rn.iitnnnin.tnr esvado a 240.
Fuslo do cores-,iindogoslo, covado a 16*.
Zeliros largos de quadros, covado a 240.
Ditos de quadros. covado a 120 e 160.
Toalhas alcocboadas grandes, duzia a 4oG&-
Guardanapos de franja, duzia. a 1600.
Saias bordadas linas a 3^500.
Fich finos lisos e bordados-a i J.
Setius de quadros novidade, covado a 11
Camisas linas de algorlo a l-i.Vn.
Bitas linas de hnhu a3500.
Tapetes grandes para sof a 13.
Cambraia branca bordada, pega a i*.
Madapolo americano muita larga a W506.
Mimosa cambraia dus mogas, pega a 5i.50#.
Algodao largo com 10 metros... pega a -StfSOft.
. E oulras muita fazendas que se liquieLara p
menor prego para acabar
A 'ra- bufue de CaiJas n. JJUT
Lja do Trimnpho
Bastos & Companhia
Liquidado por 3G
das
Aproveitein!
Leilo
De bons movis de Jacaranda, de junco e
de amarello/ louca, vidros, 1 importante
; espingarda e 1 importante collecco de
crotos.
CONSTANDO;
De 1 mobilia de Jacaranda, cora 12 cadeiras
de guarnico, 2 .lilas de bragos 2 dilasde-ba-
lango 2consolos com pedra, 1 sof, 2 pares de
jiirros. lanterna. bonii e_ 1 bom can
dieiro belga para centro desala, escarradeiras, 1
bonita cama maceta. 1 nem commoda, I mar-
quezao, 1 toile! com jarro e hacia, 1 grande ea-
bide coberto, 1 cadeira retrote, 1 mesa com
tanta e I manga de vidro.
Jttoa mobilia de j-_ nieira. .lebaian-
go e c-onselos Cora pedra, l guxrda louca. 1 moza
elstica de amarillo, 2 aparadores de columna,
sofv cadeiras. uvulsas, Ibanheiro oval, 4 qua-
dros, 1 apparelho com frisis para jantar, 1 dito
parajilmogo, copos,, clices yai rafas, campe-
teiras, lalheres e ouiros muitos movis.
Urna bouiu collecco de crotons.
7eria-feiru 4 do corrente
A's 11 lloras do dia
No 2 adardo sobrado n. 53 da nu Pedro
Affonso (antiga da Praia)
'! iitins ara leilo poronlem de-uina
fnmil icia dos
les em dito ;sc
do os quaes sl uito twm conservados
Ao correr do martello
Pedro Arttunes grande quantidadede merc;ulorias que, existe a
seu estalteleeLmenlo. resol\erara faaer grande n>
duego nos pregos. afim de facilitar um eafa*
nbo.balango.
Ali'-m di' nuiilos uulros artigo,damos urna ac-
ucia ligeira de alguns que podem cpnsir. saas-
veioleiloras
GRASUK VA1EDADE em tucos de seda,C-
nho,.lgodSo e l.
SALDOS DE FITAS de, todas a&.cdres c larga-
ras. Guarnigoes de vidrilhqs pretos ede oawfc
palmas, pingentes c gales amljuzos, alta ao
dade. y_retes para cabellos,^,cflapos. Fn>
tes a Imperial Regente. Coriesde vestidos lwt>
dados de 9 a 20S. W-sii.ios ponto de malta
para crangas, prego de 64 a i0. Gorros a ax
rujo. Aventaos brd-dos para criaugas. Renda-
hespanhelas. Lindos artigos para presentes.
Porta-cartes e llores em i ledro-plate. Babadoi
e- ntremeos bordados. Finas..jerfiajacns-
-\guas e sabonetes feoicados. Commodos eeJt-
gaiite.- espat'liihos de 3-500 a 10t. Bonitos fcr
qus de seda, setinta e papel. Braceletes e air
cues, ouro. romano. Talbtr^s de. electro-ptt*.
I^ua uriancs. Grande vanedade. em .calungav
Capt-lks, v4os e ramos du flores de laraageirv
para noivas Finas meiusjde seda. Escossiaeaf-
gpdo parasenhoias, homeiis e criangas. Eo_S>
vaes para baplisados, chapeos, sapatos e meS.
Bl^ iM-squegam que fazemps todas ascoaoBE-
ses.
63 RA DUQUE DE CA^US-SS
Nova Esperanza
IN'dro Auluues k C.
As almas caridosas
Maria Candida Wandeiley Autrao, visvaJ
wuprfgad.o publico Candido Antrao daMatta Al-
L buqupiqi.'e, moradora na travessa da Piedade a
5, em Santo Amaro, tendo em sua cojnpaaUt
tres o-plis e vivendo na mais extrema pobreta,
veu correr as almas ca-i tosas, que compade-
cendo do seu afflictiui estado em.que.se actas
specorrara ; pelo que ser reconhecida.
Coatineiuiuaor Ivo Auiuaio de Mm-
ii-ii.dii -Liuaiat
^..AfXouso Fcrreira Baltar convida a todos
seus amigos e do commendadbr Ivp An.ton #e
An Irade Luna, fallecido em Gpyanua em24#a
oorreate, a assistirem as missas qu manda nv
zar.jwr sua aliu lo 1 de Juuho,4s%
i Corpo. Sanlo^p
cuja. C0t|
eternamente gratO.
k '"



-I'-


'

/
I


W
Diario de ^niambucoSabbada i ilfe Jnn%rAvrlftg.

rtJ1D(!A0'E SINOSE BRjOJZB.
di:
LIZDA CHZMKSQLli V
66-*rrua do Baro do Triumpho-- 66
Tem para vender o seguinte:
Machinas} de Cbre.p*ni fazer espirito de destillar & rastillar.
Alainbiqnes de sebee do antigo e novo systema cok esquenta garapa.
Serpentina de cobre e de estanto.
Carapueas do.celwe.
Tainas, iaixos e caldecas de cobre.
Bambas, de toda* a quah'dades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torneiras de bronze e. madeira de todos os tamanhos.
Canos de. cobre, de|chumbo ,e de ferro.
RepartJlleJras,-vasaadeirae e ascumadeiras de obre e de-ferro-estenhado.
Cobre em lencol e rmelas.
ola ingie; e do Rio,
Cadiobos patenten de lapi.
.InaA-le 1 libra at 110 .arrobas.
mmtos outriis objecios
ENCARREGAM-SE .de qualquer concert e obras de ncjoniuaenda, garan
diado presteza, perfeico e precos-mdicos, para o que tem peseoal habilitado.
VI''\I>E praso ou djnheirq com descont.
u um
A MALIDADE!
i-i
HP

rtnr
Casa nconhecida a
mus Ligua l'uta,
titulo pela gua/.tJate
9 oarateza real de
todas as sjas mer-
cadoriaa.
Casa Aristide Boucicaut
PARIZ
Toda, a mercatpu.J
que cuta de agrada;.
ouqut riartftos*,a,
farar.,oada. re-
cada ou atambolsa **\
sem uiKcoldaOe.
Armazem de Novidades. reunindo em todos os seus Artigas
o Sortimento mai compLeto, niais rico e mais elegante.
Sedas, LRs. FmitsjVSfu CliitH-. Teeidoi -lo linho o ftlpnrifto, Rcpotttci
i .-. f/oaU|afc v -i\:,:i\:ia'-,^, Vestidos pa,;i tiiihoras t menina, Saia.
Jerasys, Pellos, Rotiiyi : .i pura huim-is, meninos, Chapeos, Muda.
CU-*di>, Roupu liruiica fVita para xunkuM o mininas, Enxovaes para
baptizados i' ranauculvv, (' ii:!-a- pura humen* e meninos, Morius.
Tapetes. Artiga de cama, CuWtoies, Artigo- de op, Artigo di-
Paria, Fitas. Rendas, lauros, [.uvas, Meta*, Gravara*, Guardackuu. .
Leqrae, Periiunaria, etc.^i'tc.
1/ tjtlema) de rtmdtr Indi, rom uequeno lucro c ittmrmmemle de confianza,
alaiunlf iw> Armimev r>icpU> tincera e leal-.
:)fli--aiii. Ilu, r I,-.. ,,.,, aiic-fano iun, i d' 1T1 .ijivlo : ftm preceHeulf.
. Eii*iamg> pratiiitaai. -w,. "l> jm Catanas, pinfppcyM. aJIum, ..ti-, K.\pdicou>. pra:i>..li- l'rete, de encmnit.-n partir fin vMr.iiii-i.
Os .n-mwies o. BON MAJiCIii, especialmente conatruido*
para, un comniercio de qovidades em grande escala, sXo osmaio
: res. ios mais bem ag uciados e os mais bem organisados; eJles
contem tuda qur.at.experiencia pode produair de til, com-
nwio e coniorta.M-1. e, sfio, por isso. urna das curiosidades de
Paiti.
INTERMH8SS ZU TODAS AS L.NGUAS
Aciitmse disftoncio,.SL cst^angeiros que desejam visitar ot Armuens do
BOlfV MARCH r.umt dependencias.
< BOMi Mjt/M HE i. i le IlorcJ a cara ficquentaila jx-lui Psrtagoaea Brmzileir..
Cr^lenteB eni '.'.i ;- pu vLiJ.uiili pelo ^mtlncatc rarofiro. ri'e p-fon -i-ne d<' merecer e*sa pu''--
tftHB, twi ,_ci.gii*].-.- i,i.:n..- -.i,.. .-;>... cilio- ni.. necntti 4o coiwideimTew, lhe r r
.pin ai. ni. ni.vi ;irnjrrc- n e iiCVnr. r. ui.us que uunca, este auno il.
Sxposicp ..... i- todo i- atlRii-tlTi! ni. i]umi5 fie acostuo>u.i FrfgueV. qui
..n^.firrii'BON MA'.< HE.nmiaea nica no mundo.
A cy il.i BO^J MAiiLIIE .. ,.. n^i-n, i ...i r. ~. ni..ii;, iiea em Franca, oem, ut
Batrain-iru. I I r.nu.-zv* que desconttini dos aurcadores que se suTem do mu titu!.,
... .'.. .. .,.: .
O BON MARC'E n.tfitr.i u jT|>OJWM> Unjreoal de 1HS9 : 1* claeie 18 : ^uve, Bepostii-
ro*vt Jir-iii'l-.. *ii,-ii.:n. ;' ? elae 33 : Boiipn branca" '
SVcI--il 3p i Toil&ts ptim senliuras
Siposii.te de lu?obo*ilA Social.
A upedicii iniv .- Co'.ouh- PortnBTKzaa, nao podendo ser pagas ao receber a mereadori.
f"f10*.* **'* Ir ^ii'zia <|iie n- eiivio com a encosuoaenda, Importa, diga artigo eacoiw
fcJmkia utlo i^ii i-ucitotanirntor frote. Toda aexpedicfto de um valor deW francos ser fcir.,
Kratk de (rete, .-i.ilU poder -.r ,.\pi Sania ".i^- portal, a frunquia ser uinta,- veae< repetida quantos serfto os Tj]orci da 10 tefaoai
dat; eimnaniwaila. va^ieanax porta nao podeni eiceder o peto de S kilo, o comprimento de Cv
rinioirn.- e o vOum. de 80 deciiuti-qe,cubooi). Pra,a* jnacoadoriaa nao fodandy ser exped-
an.cajxa poataes. todas as cncaxomfndw desde S francos santo aviadas fnjtia de rete
at o parto de embarque. ^Jvo u- movaix,, artigas de cama e certos artlgos pesados oa oooapaai!<
lugar i(oe ..lo cxrptuailoii de toda franqiafa.
so sg $mm
(JUNTO^.AO LOFRE)
Cachemira lisas a 1*5200 o COKadp,
Cachemira de lis tras a 10200 u.dto.
Cachemir^ mesclada a 300 rs. Qidito.
Esquilo de algodSq a 30200 a peca.
Gazes arrendada a 500. rs. o cavado.
Las Aniaz-inas a 44 rs. o dito.
Merinos lisos a 440 rs o dito.
Cortes d*> .vestidos em, caxtSes.
Capel las para no vas a 7)5500 uma,
Sabidas de ba le (tecidos em 1S).
Zephyr.es de quadro a, 2Q0 Colchas de.{ustao.a.2000.m.m,
Setim Macp (todas aa.cores).
Baptista. de cores. A 1(50 e 20 r*- o covado.
Cortinados bordados a 605' 0 o par.
Rendas UcspanhoIas,a 30000 o metro.
Cretonfis a Pe.rbyJt"lila 240iea,o covado.
Guarni$2o,.de crochet a, 70000 Mina.
Cambraia bordada a 40000 a peca.
Dita Victoria a 20$OO a dt.
Sargelim de, pOres a 200 &<220 raaojcovado.
Camisas de anella a,,4j$500.;um.
Esguiao pardo para, xoupa, a, 360 r.
Bramante de,algod3p a.J0OG o. metro.
Atoalhado bordada a 10200 o dito
Cachemiras de quadro a 280 rs. o covado.
Percales de cores fixas a 200 rs. o covado.
Espartillios eduraoa a 50000. um.
Crep preto (inglez) a 20000 o covado.
Luvas de seda a 20000 e 20500. -
Seroulas de bramante a 150000 a duzia.
Guardap para,hmem,A 60OQQ.
Batiste finas a 260 rs. o covado. .
Bicos preto de seda.
Toalha8 para banho a 10500.
Grande variedade em Extractos,
banho salgado, sobretudos, duble-capas, casemiras, brins brincos e boleas.
Honpa por medida
20Ra Prime i ro de Margo
C\H\ l>I AMAR AL & C
Baleias pretas a 240 rs. a duzia.
Setim do-Japao a 240 j-s. o covado. .
Colchas de damasco a 805OOi>nm
Colchas de crochet a 70000 ,p. .
i GuarnicSo de crecbet .com m&tizes-
| Colchas de cores a 10800 uma.
i Panno da Costa a 10000 e 10200:
Guardanapos de liaba a 20200 a duzia.
Toalhas felpudas a 302(;O^ dita.
Cobertores de M a 108OO?tjm. ,
<,arai8as inglezas a 30600 a duzia,
AlgodJlo branco a 30200 30500.
Madapoln americano a 605(0.
Brim pardo.a 280 e 300 rs. o covado,,
Fichs de retroz a 10000.
J Lence de bramante a 20000 um.
Cobertas de ganga a 30000 uma.
Paletots de seda palh* a 70500 ujp.
Leques de setim branco a 60000.
[Popelina branc a 800 e 10000.
Etamine bordado a 500 re. o covado.
Lencos brancos a 10200 c 10800 a dupia.
Paletots de alpaca preta a 40500.
Leques transparente a 20500 nm.
Paletots de brim pardo a 40500.
Fustao branco lavrado a 360 rs.-o.covado.
Sefineta branca lavjada a 500 rs.
Regatas de cores a 10000 e 105OQ
Paletots de alpaca de corea- 40000.
Bicos de cores a 20OOQ e 20500.
Paletots de gorgurina a 40500.
Guarda-p para senhora 100000.'
Bramante, de.ljnho,a 10800. metro.
Velbutina de cores a 800 rs. o covado.
Merino preto de todos os precosv.
tnicos, entremeios, bordados, roupa para
Para a cura ejfiea e prompta dai
Molestias provenientes de im-
C pureza do Sangue.
E' ama loaesra andar a fazer expe-
riencias com misturas inferiores com-
postas do drogas ordinarias oa d plantas
tnuigenap puja efficacia. nao, confirmada
pela scieucia, ennjuanto que a molestia
cada vez vai ganhando ;trreso.
Lancem mao, sem demora, (le um re-
medio garantido cuja efficacia seja facto
nssignalado e inquestionavel!
O Kxtraoxo Couposto Cosckwudo
b SalsasARRitHA e A,>-kr conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
telligentes dos paizes adiantados, j
durante 40 annos,
Centenas de mil Liaren U- doentes
tem colnido beneficios do sen emprego e
sio outras tantas testcmunlias da sua
efucacia positiva e incomparavul.
FKEPARADO PELO
DR. J. a.AYER & CA-,
T.ov*ell, Mass., Kst.-nidos.
iisi'unjrit aaaa
VIA.
RHEUM'ATISBW3Rtv,
Impureza^ Songne, Erapcoes, Esc-
fulas, Ulceras, Sipt&r--
e toda, aoeco de natoxeza
eruptiva ou venrea
SUAPRELflA
DE ERISTOL .
0 Remedio de Famia: por excedencia f
Discuros
o muito eloqucnd orador couego Al vea-Hen-
iles, recebeu a livrana Contempornea
Agostinho S-Rm^os
Collar de Ouro
-* m a caku* ~ -a
Como flzessemos uma grande reforma em o
nosso estabelecimento, fizemos tambem reduc-
co nos precos de nossas joias de pflro,. prata e
brilhantes. Pedem a seus amigps'e freguezes a
virem comprar lindos objectos com pouco di-
nheiro. < ompra-se ouro, prata e brilhantes em
obras servidas e pagarse bem. Consertara S* re-
logios, obras de ouro e prata cominodamente
AIu
S*a-se
-20
-
branca nn-uinas, Roupa feita para, bomena e maaiaos; 4a di
*i
MEDAhBA DE BONRA
0 OLEO CHETBIE1
detlnlecudo C!.; AlcatrJo,
tnico aa/atmico, a aue me/to
mlminta ai oraotitdtiu Jo ,
che.
0 OLEO de FIGADO
0E llCUia FERBUGiaOSO
I t nica P'ftraclo lut permita
aamirhutr farro, eam ara-
duztr nalq da Vaatre,
iBcotnanada.
DlPOSin rswl ea Pilis
M.MJI llaJUinaillHill y, -
LICENCIADOS fJB-A U|SP
' BRANCO.LOIRO^
'e FERRUGINOSO^
DIPLOMA VE xTOiVJlAl
aaoiiTDo roa Tonia ai
Celebridades Medica
D\ FIHNi,\ E DA Kt'SOPi
caatloo da 1'
' briiaitHtm*-
OrJam d. I*
b/
MOLESTIAS DO PEITO,
' IFFECOES ESCROf ULOSIS
CHLOBOSIS,
ANEMIA, DEBIfcJDsDlv.'
TSICA PULMONAR,
BRONCHITES, RACHITISMO
Vinho de Coca
JA DE HTOIENE DO IMPERIO DO BRAZU-
59-Ra Duque de Caxias59
admimmm
Cortes de cretones em cartSo com figurino e enfeitos, a 80000.
dem de oachimiras bordadas a 250000, sao de 400000.
Setim preto, a 10000, 10200 e 10800 o covado, verdadeiro Macao.
Groedenaples pretos, verdadeiro Len, a 20200-o dito.
Merinos pretos, duas largaras, a 500, 800, 10000 e 10500.
lantilhas pretas, a 10200, 30000 e 50000.
Casacos de cachimira pretos, a 300000.
Fil bordado, a 800 rs. o covado, para voa-e enfeitos.
Velludilhos de todas as cores, a 800 re: o dito.
Zetiroa do cores, a 80, 100 e 160 rs. -o dito.
Lnons de cores, a 200 re. o dito.
Tecidos diversos em cores, a 240 e 300- ra.'o dito.
?ustoes brancos bordados, a 360, 400 e 460 re. o dito.
Lindas setinetas, a 200 rs. o dito, aproveitem.
Cretones magnficos, um metro de largura, a 280 re. e dito.
Chitas, boin sortimento em cores firmes, a 200 re. o di te.
(andas austracas para^vestidos a|500 re. o dito.
Cambraias bordadas, a 40500, com 10 jardas.
dem Victoria, a 20500 30000, com 10 dita.
MadapolSo imperior, a 60000, con) 24 ditas
AlgodSe nacionaea, a 30000 e 30500 -com 20 ditas.
Sicas goarnifoe de' crochet, a 70000 e 80OOC
Toalhas de labyrintho para baptisado a 250000 e 30000",
dem grandes para rosto a 40000 a duzia.
Ceroulaa de bramante, a 120000 s dita.
Meias inglezas superiores a 33-00 e 50000.
Camisas inglezas e francezas a 300000 e 36000".
Cortinado bordados a 60000 e 80000 o par.
Lences de bramante a 10800.
Cobertas da ganga, dow pannos 20800.
Sedes superiores, a 100000, sao de 150009.
Pannos para mesa a 10100 e 10400 o-covado.!i
Atoalhados bordados, a 10200 o metro.
Bramantes de algodo, a 700, 900 e 10000 o dito.
dem de puro linho, a 10<5OO dito.
Casimiras em cr-e, a 20OOC. 30000 e 50000.
Sargelins diagen 1, a 200 e 22u ib. o covado.
As vendas em .grosso tem o descotilo

PBEJEA *
?o
kEA
SAUDE PARA
pMVes^m.
TODOS.

i. >
Al Pllulas puripcao o Sanue, corrigem todas as Icsordems de Estomago $
dos lntiiino8.
Fortalccem a saude das corutitu joe* delicadas, e sao d'ura valor incrivel para todas as eufe.midaaes
psmlnrs ao sexo fcoiiiino em todas as edades. Para 's meninos assim como tambem para M
pescos de idade avancada a sua cfcacia e incontestaveL
i medicinas slo pr oai^das s&mence no Estabelecimento do ProaasNr Nollowa*^
78, MEW 0XF0E STBEET (antea 53, Oxford Streat), LOSDaKS, ,.
E venilemae em codas aa phannacias do universo.
rOs coorpradarca ata coovidulos re-pciiosamante a examinar oa intuios de cada caixa e Poce se nao tec& :
direcoao, 533. Oxford Sareet, sao talsicaooea.
INJECTION CADET
Cura certa em 3 das sem entro medicamento
PARS 7, JtouJevord Denuit, 7 PARS
iDeoositos em todas as principaes Pharmacia e Oroaarias
: 4-- m jw im mimw-M
t:'
Machinas a vapor.^
Mocadas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacSo
Arados.
VERCDEiROS GRAOS ZS11H m DTuArtC.-;
LICENCIADOS PELA tN'O'ECTORIA GEBAL DE HTOIENE DO IMPERIO DO BRAC.
Aparientoa, CstosnacriioaMS Pur^ativoa, Deparativoa
l, .uii'r.i a Falta, de.appetlte, a Obatrncc&o, a Enxnqu ca, as Varttcems,
as ConcM&ea, .-le Dote ordiiuuv1 I, S d 3 graos.
'2 Desconaa. a< biflQcacOa- isigir d rotulo lunto imprimido em ftance"
^ caa ^SStetSSS^SSL 0 Sellla Onii? dos FabricantM.
atm rtXB.ii.. hartunvia i.SBflT. Oeauiios tu uas u [ltiajurkatjaau
assen-
. BRONZE
DE
CARI IHMAll
Roa do Bardo do Triumpho os. 100, 402 e 104
Deposito-ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender o seguate:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directo ou para fogo de
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua,
RODAS de espora e angulares.
< RIVACES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOOOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar algodSo.
VARANDAS de ferro fundido e parido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as forragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREO \M SE de qualquer concert e mandam buscar por encommen-
da, mediante ajuste previo ou uma mdica commisso qualquer machn amo.
CONTRACTA M forneeimento de apparelhos para usinas, ^arantindo a ba
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podera provar com o bom resultad'
obtido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo.
Vendem a praso ou a dinheiro oom descont.
CAPSULAS
,US
*&P s\m. s 'mi
Preparadas plo DOUTOR CLIN Premio IiTontyon
I As Capsn!... '"; 'Jb y-Crajtlna oo*l Ennol-tcro UtiyaiU) nc oestomapo e .' > reeominendada- i Fuculdude tk Medecina e '
os Med,.- iiu Par.-. Loutr s e Xev.--Vi.i-K. puia a uura rpida dos :
Corxinientos anliycs ou receptes, a Gonorrhea, o 31 ..... i 'ystite
' da Collo, o Catarrfao e as Molestia cia Resigas e dos orgos yenitu vinuri**.
lita "ms *tpiieto dUsJtada a-.r-mptnh cada Frasoo-
1 Eaigw tu Verdaderas Capsula Mathey-Caylu de CLIN & Gla, de PaSK,
\^ que te ocko em eata ns Droguistas e Pharmaceutieot ^j
o 2- andartdarua da Ruda n.. 17, coin grandes
commodos e em bom estuoo de conservado,
sendo a ala du frenle forrada a papel ; a tratar
na ra do R:in>el n. 65.
Alug9-se
o sobradinho no becco do Quiabo n. 6i (Afoga-
dos), caiado e pintado de novo, com quintal
grande, cacimba e diversos ps de fructeiras : a
tratar na ra de Marcilio Dias. n. 106.
Aluga-se
casa sita a ra da Aurora o. 121, com bastan-
tes commodos para familia, com agua, gaz, jar-
dim e ura grande quintal ; a tratar na praga Pe-
dro 2 n. 73, 1- andar.
Aluga-se
as casinhas do becco Tapado, de ns. 8, 10, li e
16 ; a tratar na ra do Vigario n. 31, pnmeiro
andar.
Aluga-se
o armazem e uma sala ra Mrquez de Olinda
n. 52 ; o 2- anaar ra do Imperador n. 39 ; o
3 andar ra do Rom Jess n. i2, e a loja no
pateo do Terco n. 20 : a tratar com Luiz de
Moraes Gome* Ferreira.
Alugue- barato
Ra de S. Amaro n. 14.
Baixa verde n. 3.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Baixa Verde ns. 1-C.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra do Coronel Suassuna, quarto n. A.
Ra dos Guararapes n. 94.
Largo do Mercado n. 17, Vpja.
A tratar ra do Commercio n. o. 1 andar,
escriptorio de Silva Guimaraes A C.
Precisa se de urna ama .para, cosinhur eque
durma na casa do emprento : na ra da Concei-
cao n. 4, 1 andar. ____________ ________
Ama
Precisase de uma ama para engommar e mais
servicos de casa de pequea familia; na praca
da Boa-Vista o. 32.
Ama
Na ra da Matriz da Boa-Vista n. 26. Diimeiro
andar, precisa se de uma ama que cosinbe bem,
para casa de pequea familia.
Quadros
objectos
tuao.enconlra-
para
mira-
de Marco
:om bellissimas oleographias,
adorno de sala e para presentes,
se na livraria Contempornea, ra
numero 2.
Assucar refinado
Os n linadores desta cidade avisam aos fre-
guezes que em vista do alto proco dos assucares
em rama., resolveram a vender do I" de Junho
em diantc pplos seguintes precos :
l. 50i
2.-
3."
443(10
30300
"aparta Maca (eni)
cG'-tol-s tlegai.tisi-
C03 t 8 taboi:hps),
Turi ii.-v _e uiaxa-
iliisa prepara propasvionai^o un);
lir.nho dclirioso .
ir.uii-n; i. e ama
MC#rln tjoa e
lourai' ir. ,
Esl i l':i-.i Jlack
gi)aB .' i i-'
I 1. ,. '(. f
^ a *:'i:3. e.
. l. ir.-aajle.
:.;,i-ri. 10 ".aat
.\ r..ivi- iMJl*.
...V- m tuina
"*i'<
- i ii 'i V,: U. fc-
uaaeiS. (Iro-i
|B>
u
m* ,',.rt'''
CoKauiuirar
Cosinheira
Precisase de uma cosinheira para ca3a d
pouca familia e que durma em casa ; a tratar na
ra Duque de Caxias n. 48. loja.
AFLORIDA"
GalSes, palmas e rosas de vidrilho.
Bicos de seda e de algodo com sem
vidrilho. .
Mantilhas de seda e de algodo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
CoUarinho8 para homem a 30000 e 40000
a duzia.
Bordados de camb aia tapada a 400 500'
600 e800rs.fa peca.
dem com 3 e I[2 metros, de qualque
argura a 10200.
Lenyos de linho em caixinhas a 30000 a
dita.
Meias para homem, duzia a 40000.
dem para senhora, duzia a 40000.
Lindos leques transparentes de eaze a
30000 um.
Grande sortimento de porta-retractos de
pellucia.
Finas pulseiraa americanas,.,. j40, 60 e
80000 o par.
Ditas de phantasia, goato .moderno, de
20500 a 30000 pa*.
Cortinados todos de crocbetr.nars)* cama a
120000, 170000 a 190OOOo.par,algnn
de cores.
Ditos para janellas a 70000. *
Pannos de crochet para cadeiras a 8K) e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Plastons e regatas de gosto.
Espelbos com tres palmos, de comprimento
a 40000.
Capellas. com veo para noiva a 60000 e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 10a e
120000.
Toucas de setim para baptisado a 30, 40 e
50000.
Gnnaldas e ramos de seda, o qne ha de
melhor.
Renda hespanhola de diversas corea,.
Bicos brancos e de cores a 20000 a peca.
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 40000 um.
Coarmhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 230 re. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes.
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car-
ritel.
Pastas a 10000 e 20000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 20000.
Arquetes para chapeos e chapelinas a
10500.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 20000 c
par.
Ditas de seda para ere anca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette,
sanctuario e consollos.
Lindos lengos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
I > toa ditos para enfeita" cabeea e, segura'
chapeo.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40. 40500. 50000 e
60000.
C rande sortimento de sabonetes de 200 a
10500 um.
Kstojo com faca, gario e colher, proprio
para creanca.
Bengallas com flauta a 10500.
Meias de 1S para homens e senioras.
Precisa-ce de uma ama que rosinne nern, par .
casa de pen.,,,.,,:, fiuiii;, sj>* tiiuim >n ca>i, jjnM^.aourada par tasar aocsat.
dos paliW.^ iU lialA.inJ-1'.' Hrua.i.i-ai il. i't-r
por
pal
tao
de Ierro
Farelo de carolo de
algodo
J conhecido como o melhor e mais nutritivo
alimento para aniraaes ; vndese na ra do
Bom Jess n. 38, 1 andar.
XAROPEa.CARCOES
DE MURE
Na at/a de oincoenta annoa que-1
eu ortico a medicina, e Jamis en-
contrei remedio msis elcaz que o
canoH oontra IrritacStt do peito.
D" CaRLSTtiK. da iMtpellier.
Este Xarope, de sabor ex-
cellenie, de uma poderosa
efficacia contra as rritoeSf
da Garganta e do Pe.lto,
Fliucoe*. Tame rebelde,
1 Cntarrho Agua** oa air-
nleca.
n* aHU, Pait-Saiit-Eirit (Frua)
A. Oazacne, Geora a Soccessor
Depsitos em todas prlnoitm
Pharmaclaa.
tfemambuco: l RAN" M- d SILVA 4 U'.
Limias fitas para facha a 20; 30 e 40OCX:
o metro.
Lindos leques de setim para easamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 20000.
Lindos desenhos para talagarca,
Fina* carteiras para algibeira de 10, 30,
3 e 30500 nina.
Ba Duque de Caxias d. I0>
Camelias do Mosto de Saeeorn
Compra-at camellas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-s
bem na Praga da Independencia n. 2$, loja o-
Hoio*iro ___________
Htel -Prim avra
18 Ra da Roda i 8
0 proprietario desse estabelecimento, Jos
Bernardo da Silva, chama a attencao do respei-
tavel publico para incumbil-o de encommendas
de jautares.
Form-ce-se comedoiias para casas particuh*-
res a precos commodos :
Feijoaria 2W
Canv de qualquer forma 3JO
4M
jFrigideira ^
______ Ver para crr
Boa mor. da
Alpga-se o 2- andar ra da Concordia n.
29, est completamente limpo, apar de asa
bonita yvsla e-morada fresca; tratase na roa
Coronel Suusstioa n, 15.

<

[

r

]


to
ic-Ji
I

v.
osineira
se df nma, "qu ci^inbe bem e rilo
saia ra ; a tratar na nuLto
anear, di meio da at hfks
bug n. 14, i-
Cura-se fcilmente
As inflammagao do larynge cura-se f-
cilmente cora alguna frascos do Peiloral de
Cambar*
Os agentes.
Francisco &. da Silva & C,
1QF 10:000 Ciras

I
i
I
iiin i?, .. ..
hqbts se .BtnuTzsxc
DORES EDeDENTES
ir*6a,Jt.iA>.Xj jo oXiA
PREPARADO mnCAMENTE
Pte CALASANS & C.XA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
tismos, inchafSes, dores aciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., emprega? do-se em
tomentajJes sobre os lugares affectados
Cura o beri-beri, as paraysas e as dores
de den tes.
Todos 08 frascos levara direccSes para
uso d'este medicamento admiravel.
Preco 1$200. Descont de urna duzia
em diante.
DEPOSITO NO RECITE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n.23
CERTA
'eeQea pclm. jares
.Dr.FOETIEilMl

Todos aquelles qu; solremj
|ciopito, devem experimentar)
s. Cipsu'.*s do Dr. rouRNiBB.I
Depositarlos eo Ptmamuuao
riUNCisco a. Bons resultados
Para provar os bons resultados do Pe-
toral de Cambar, basta apresentar os nu-
merosos attestados de cura9 firmados por
pessoas dignas de toda fia.
PARS U.TBaL2QoUof.0Snr.MALLET
deseja comprar sellos de
todos os paizes do mun-
do, especialmente os raros
e de emlasoea aniigas,
bem como os sellos de
Portugal de 500 c 15000.
Rofra-se o favor de indicar 06
preooe e quantidade na occa-
eiflo de remetter as amo-tras em
embrulho eetamphado,u jtifej
\ VISO
Os recebedores da carga da barca sue
ca Cometen, procedente de Antuerpia, sao
pelo presente chamados ao cscriptorio de
Hermn Lundgfeht & C, rua do Com-
merejo lia. 4 e 6, afim de tratarcm sobre
a^dscarga dos volumes de dita carga, cu-
^6s conheeimentos vecm ordem e deve-
rlo exhibir.
Recife, 28 de Maio de 1889.
Grande emigragao!!
De lindas Lcrbc!.*as de~todas as cores para
enfeitar um interessante perneado, receberam
Pedro Antones i\, n 63, ra Duque de Ca-
sias. Igualmente bonitas setas para segurar
chapeos.
folp
>
SEM MAI
POR
?alc j'Aor::
X PALHA DA G0URAGA
(C o n t i n u a c a o do n. 121)
CAPITULO X
% i snaI p re t o
Installou-se n um carro de segunda clas-
se, onde j se achavam passageiros, e re-
costada n'um canto, poz-se a reflectir.
Eugenio Gages poderia estar no seu ca-
minho aquella hora adiantada ?...
E seria elle que tinha tentado desemba-
raear-se del la, a nica pessoa que o havia
presentido e adivinhado ?
Era possivel, sobretudo se Gregorio ti-
vesse dito onde ella tinha ido ; mas cousa
alguma entretanto o provava, porque Ha
n2o tinha visto o seu aggressor com o ros-
to completamente descoberto.
No da seguinte pedira esclarecmentos
ao cocherro, e tratara de ver se Jonathan
achava-se ferido, porque estava certa de
ter acertado a bala dirigida ao individuo
que a aggredira ; tinha ouvido perfeita-
mente o seu gemido de hornera ferido.
(izando chegou a Belleville, tomando
para isso um carro, na praca da Bastilha,
Adelia nao se tinha anda deitado e eupc-
rava-a.
Como voltas tarde disse-lbe ella
angustiada e inquieta.
Preveni-a, e ficoa combinado entre
s que a senhoia nSo se incommodaria
com as minhas taludan e as ir inhas demo-
ras fra de casa
Durmte cit disa smente! ...
Talvez me s'ejan preceos mais. re-
torquio Suzana evasivamente.
NSo podes faaer-me confidencia al-
guma ?
BEDU FRERES
Constructores a Han, Franca
Representado por Emilio Bu-
lln, enfenhetro aaechanfrx
(perhmbcco)
Asentamento completo para engenhos cen-
traes e Dzinas pelos processos os mais aperfei-
coados.
Moendas e repressao mltipla.
Corte-cannas vertical, vstema Bedu.
Diffuo, circulare reclinaba, dito"Bedu.
DifTu Fornos para queimar o bagaco da diffusSo,
dito Bedu.
Filtro? merhanicos a tiltracao mltipla.
Turbinas centrifugas (economa, limpeza e
tiabolhb rpido).
Em geni todos os apparclhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoados para o fabrico de
asnetr.
N. 13. O Sr. Emilio Billion fazendo urna via-
gem de 3 mezes na Europa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas c pedidos a casa Bedu
Frres a Ham, que fornecer plantas, ornamen-
tos etc., e porqualquer negocio urgente infor-
mar se ao Sr. Eugeue Chaline ; 24 ra do Com-
mercio, Recife. '
aiawnri
OJIM/S,__
P*** *5LERY YliuJM Mi todi aiirt.
de Pernaiabueo--Sablnido f de Juiftliojilft 1H89
i ni i i i jj ~ -^m
Papel de forro
de sala, gabinete e corredor, esplendido
Tiento na livraria Contempornea.
3orti-
Araruta ingleza
Acabp de chegar para o armazem da Estrella,
no largo do Paraizo n. 14.
Malas deviagem
para roupa de senhora e de homem, propria de
amarte e caniinho de ferro, bolsas, cnapelei-
ras, binculos, etc. etc. artigos muito bons e
baratos na livraria Contempornea.
Engommadeira
Precisa-se de urna ama boa engommadeira ;
n;< ra da Unio n. 29-A.
VENDAS
Vndese a taverna sita a ra da Irapera-
triz n. 65, com armacao de amarello toda envi-
drarada, e berh afreguezada, o motivo da venda
. o dono estar doente e precisa retirar-se; a tra-
tar na ra do Rosario da Boa-Vista n. 51.
Vcnde-se terrenos beni localisados no Ca-
iueiro (Magdalena) : a entender se na ra de
njsand n. 7, taverna.
Canoa
Wnde-se una canoa de pescara ; na ra Du-
que de Caxias n. 75. loja.
Boapechincha
Vndese 20 duzias de cadeiras de junco, no-
vas e toda m.ideira de pinho, pertencente ao
circo chileno : a tratar na ra do Imperador n.
27. primeiro andar.
Attengo
Vende se o estabelecimento de molbados sito
ra da Restauracao n. 57, propria para prin-
cipiante, e o motivo da venda se dir ao com-
prador.
Vinho puro de Santa-
rem
Da qninla de Bnrral
Chegou a segunda remessa deste especial vi-
nho para o armazem central de gneros alimen-
ticios ra do i abug n. II. o qual se torna
recommendado por er puro da uva.
Joaquim ChristovSo & C
Telrphone; i?
Bom emprego de ca-
pit
al
Vende se e alu^ra se a casa t-rea quasi nova,
da ra Sete de Setembro (antiga Calabouco) n.
6 ; para tratar na ra do Cabug n. 2.
Vinho particular
No armazem da ra do Amnrim n. 60. vnde-
se o que pfcde haver de mellic pelo mdico pre-
go de 7JO0O o garrafao de tr^s "aadas, voltan-
do o casco.
Nao, agora nenhuma.
Adelia n.V insisti.
Como deixaste Cloti'.dc ? perguntou
Ihe ella.
Muito calma e muito razoavel, com-
quanto triste.
- Nao posso conforma- me com a idea
de que aquella pequea soffre !...
Isso ha d^arranjar-se. Diga-me urna
cousa : a que horas sir Jonathan sahio de
casa esta noite ?
Logo depois do jantar. Nao esperou
nem pelo caf, por ter, segundo disse, um
negocio urgente de que tratar n'um dos
clubs do boulevard.
Antes das nove horas, entSo?
- Antes das oito mesmo. Por que per-
guntas isso ?
Est combinado que nao tem o di-
reito de interrogar-me.
Ests pallida, toda trmula !... NIo
te sentes doente ?...
Nao, ura pouco de iadiga smente.
Vou deitar-me. Amanhu estarei restabe-
lecida Boa noite, rainha senhora.
E estendeu sua raaozinhr. fina; Adelia,
porm attrahio-r. aos brafos :
NSo quero que te exponhas por mi-
nha causa, disse-lhe ella muito baixo. As-
seguro-te que prefiro renunciar tranquil-
lidade e felicidade a pensar que va; acon-
tecer-te alguma cousa.
Suzana tentn tomar a observacao a
rir; esquivou-se.
Que quer a senhora que me aconte-
9a ? perguntou ella. Que ideas exquisi-
taaJ...
Nao sei. Toda esta noite estiva co-
mo douda, pensando em ti. Supplico-te,
toma cautella.
A senhora toma tudo pelo lado tr-
gico .' Durma em paz, nenhum perigo me
ameaca.
Suzana abracou sua amiga cora calma
extraordinariamente fingida e dirigio-se
para o seu quarto, muito tranquilla' na ap-
perencia, no intimo, porem, impreBsionada
intensamente por aquella amisade tSo pro-
funda e to verdadeira, que, sem indica-
980 alguma, tinha a presciencia de que lhe
dizia reapeito.
No dia seguinte cedo, apromptou-se, dis-
posta a ir a Montmartre i procura <3a tal
Amanda Laminis, que poda revelar-lhe
cousas tSo interessantej e curiosas.
Antes, porm, tinha o desejo de pergun-
tar a Gregorio se sir Jonathan soubera
que ella tinha ido a Varenne.
Dirigi se para esse fim ao pateo, Onde
elle devia estar lavando o coup, sabendo
ella que a tal hora era esga a oceupayao
do veifao cocheiro
NIo se engaara.
MAIS BARATO
Pa Loja das Listras Azaesr
A" RA DUQUE DE CAXIAS N? 61
Vende-se fazendas finas mais barato e
dase descont a quem comprar de 20iJOO0
'para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nSb~f6r de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes precos:
Cachemiras lisas e com listas de
seda de lmdas coros, a 15400.
Merinos de duas larguras, a 440 e
800 rs., qualidade superior.
Tecidos annndados cor de creme com
matiz com duasnirguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e lindas cores
a 400 e 500 rs.
Teeidos de linho, lindos padroes
grados, a 200 e 240 rs.
Zeflros lisos e de quadro, a 80 o
100 rs.
Setins de Maco branco, preto* q de
todas as cSret a 750 e 800 rs.
ftetlns de quadrinhos, a 900 rs.
Kedas lavr-das brancas e de cores cla-
ras, a liJ400.
Ci'Azes de seda com fios prateados a
1^000.
Cortinados de crochet, em peca, a
900 rs.
Cambra!as bordadas brancas e de
cores, a 4fiix a peca.
Cortes de vestido bordados, brancos,'
para noivas, a 160000, 18(J000 20*000.
VOS para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 1(5500.
Crep inglez para en'feitos de vestid' s
a 1,5200 e 2*000.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales e chitas claras, finas, a
180, 200 e 240 rs.
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 rs.
Morlm de lIsWps azues muito lar-
gos com 20 varas, a otSOOO, a peca.
finos, a
qualquer cor, a 400 rs.,
ttargcllns
160, 180 e
200 rs.
Crinolina
o metro.
CSnardanapos superiores a J 2*000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 1*000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800
e 1*000, o metro
Toalhas acolchoadas e felpudas com
listas de cores, a 4*000 e 6*000, a dtuua
Bieos brancos francezes, a 60;
e 800 rs., a pe9a.
Bieos finos, brancos, cremes e ma-
tisados, a 2*000, a peca.
Baldas a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
Luvas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 2*000.
Leqnes de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 2*000.
Leqnes de, pennas o que ha de me-
lhor, a 5*000 e 6*000.
Jabonete grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
. Extractos tinos francezes e inglezes
a 1*000 e 2*u00.
Despertadores americanos, a 7*.
Mosqilitclros americanos com ar
macao a 10*000 e 12*000.
Rspartilhos americanos e inglezes,
a 4->000, 5iJ0(X) c 6*000.
Capas de vidrilho e rendas, a 25*000
e .'50*000.
Toalhas de labj rintho para bap-
tado a 3'*00O, 40*000 e 50*000.
E muta8 fazendas qne se d por todo o
pre90 na.
Loja das Listras Azues

AO. 55
Convite s familias
. Pede se atteneao para os precos abaixo
mencionados :
Cambraia com sarpicos a 4*000 a pe9a.
Rendas hespanholas a 1* o covado.
Madapolac americano & 6*, 7* e 8*000.
Renda da China, novdade, a 240 rs.
Amor da China a 200 rs. o covado.
Zefiros a 160 e 200 rs., cousa chic.
EspartilhoB, grande sortimento.
Guardanapos a 1*600 a duzia.
Capas para senhoras, novidade.
Fust3e8 brancos a 400 e 500 rs. o c
vado.
Linn bordado a 800 rs. > covado.
Toalhado para mesa a 1* o metro.
Esguiao pardo a 400 rs. i covado.
Babados e ntremelos, grande sort
ment.
Colchas muito bonitas a 2*000.
Enxovaes para baptisados, finos.
Merinos pretos e de cores a 500 rs o
covado.
Cortinados para cama a 6*000. *
Las a 240, 320 e 500 o covado.
Luvas de seda a 2*000.
Crinolines a 400 rs o metro.
Cambraia branca a 2*800 a pe9a.
Grinaldas para noivas.
Setns de todas as cores a 800 rs. o ci
vado.
Cortes dt cachemira, cr usa chic.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. t
covado.
Collarinhos e punhos grande sortiment >.
Cretones para vestidos a 320 rs. <
covado.
Toalhas felpudas, grande reduc9ao tn
pre90s.
Camisas inglezas com e sem collarinhc
Mantilhas pretas. -
Brins para roupa de criancas.
- Setns de quadr, em cortes, gostos no-
vos e pre9os commodos.
Batistas a 120 rs. o covado.
Cretones para coberta a 500 rs. o co*1
vado. ,.
Tecidos arrendados para vestidos, cou-
sa chic, a 400 rs. i covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Bramantes I.sos e trancados a ROO, 1*
e 1*200 o met-o.
Alm do que fica mencionado, temos
mais outras pechinchas que so vista se
pode acreditar.
Dase amostras sem penhor.
55RA DUQUE DE CAXIAS
FERV\M>ESDEAZEVKDO(
Hua
AdminittraeSo : PRIZ, 8, Boulerird Hontmirtrt.
GRANDE GRILLE.-Air.x. lymnhnti.a, Doen-
ra*ilaii,isiliaestitas,Obstrucci'SI Bndoi dotado,
Olistrorjo-s vis-oris, Concrefes r.J-ulosis da bilf.
HOPITAL. Ae-rtos das riaj di.-cslira. Inromrao-
clos ilo estomapo D (.'M'.io ditOr.il. lo.i| Gaslralgla, D pepsia.
CI.ESTINS. ktlfifin do rins. d t hexia, Areias,
Concri'{6t-s .la i.nrtnas.Gou, Diabcl,, All :niinuria.
HAUTERIVE. Affi'cresdotrins.da beiiga. Areiai,
r^neretoeidasourinai.GoU Oiabars, Albammaria.
EM-SE 0 K0M? Ha FUSTE na CAPSULA
A H volnQao de 48
A' ra Duque de Caxias n. 48
NAOCREIOQUE HAJA COMPE-
TENCIA DE PRECOS
Neste mnito acreditado estabelecimen-
to de fazendas finas e modas, corap j
teem provad aos &ous freguezes, que ven-
dem por menos i$(*) "[0 do que em outra
qualquer casaj^pontinuam a ofterecer as
mesmas vantagens.
Mer;n/de quadros c lisos a 200. 2-10 e
280 rs. o cevndo. ,
Seda alsacianr. (fentasial p<,dioes escolbi-
dos.a 280 rs. o covado.
Zefiros de quadros modernos n 120, 140,
200 e 240 rs. o.covado.
Cachemiras lisas e de quadro (combina-
c3Lo) a 320 rs.
Organdis (fazenda de fantasa) a 400 rs, o
covado.
Nanzuks muito finos de 120 a 240 rs. o
covado. >
AlgodSosinho muito largo e bom, a 4*000
e 5* a pessa.
Fichs de la de todas as cores de 1*,
1*500 e 2* um.
Cretones claros e escuros a 160, 200 e
240 rs. o covada. .
Leque3 transparentes a 2*, e de papel a
500 rs., para acabar. .
Lindos cortes em cartees cora aviamentos
a 6*, 8* e 10* um.
Camisas de meia (pechincha) a 1* 1*200
urna.
Toalhas de cores para mesa elstica 5*
urna.
Camisas francezas dg linho puro de 4*
por 5*, urna.
Brim branco n. 6 a 1*600 a vara.
Madapolao americano com um metro de
largura a 6* a pessa.
Brins de linhos de cores finas e garantidos
a 600 rs. o covado.
Bramante trancado duas larguras a 400
rs. o metro.
Atoalhado de linho a 1*500 o metro.
Cortes de fustao para colete a 1* e 1*500
um.
Toijetts para baptisados, muito finos a 10*
12* um.
Espartilhos de cornea a 4* 5* um.
Cachemiras de 12 pura, claras e escuras a
2* o covado.
Setins de todas os cores a 800 rs. o co-
vado.
Cortes de cachemiras finos a 4*, 5*, 6*,
7* e 8* um.
Len908" de cores, mita9ao de seda, a
1*800 a duzia. t
Esguio de algodSo, duas larguras, a
3*200 a pessa.
Colchas de crochet com palmas de cores,
para noivos a 10* urna.
Capellas com veos a 8* urna.
S na Revoluto de 48
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Burrinho
Vende-se um bonito burrinho ; a tratar na
ra Direita n. 22.
Empunhando ama grande esponja, Gre-
gorio esfregava o vehculo suspenso sobre
dous cavalletes.
Em que posso servir-lhe, minha se
nhora ? perguntou elle approximando-se
de Suzana, que tinha tcado proposita! raen
te no corredor, afim de n2o ser vista por
ninguem.
A que horas chegaste hontem noi-
te, meu velho Gregorio? perguntou ella
com bondade.
Oh muito cedo. Sult2o estava de
bom humor e tez rpidamente o trajecto
da volta. Estou certo de que ainda nao
eram seis e meia quando entramos.
Vio o americano ?
Sim, senhora. Elle desembarcava
do landau com a menina Georgina e o Sr.
Pedro quando eu chegava. O patrio ti-
nha seguido adiante, e entao a menina che-
gou-se a uiim e disse-me :
Oh! volcas ssinho Onde ficou en-
tao a mami ? Respond que nao tinha si-
do a patra, mas a senhora que eu havia
conduzido. A menina n3o insisti, mas o
americano deixou-se ficar atrs e pergun-
tou-me onde a senhora estava.
E voc respondeu?
O que me recommendou, minha se
nhora. Que tinha tomado passagem para
Varenne-Saint-Hilaire. Elle entrou entilo
em casa sem dizer mais cousa alguma.
Obrigada, Gregorio. O acaso talvez
faca com que elle hoje lhe pergunte se
nos fallamos nisso. Pe90 lhe que minta,
men velho, dizendo-lhe que nao esteve
commigo. Estima os patrSes, nao vei-
dade ?
De certo que sim, e a si tambem,
D. Suzana, porque a senhora a moca
mais recta e mais honesta do mundo.
Po8 bem, estao neste momento gran-
des interesses em jogo. Faca o qne eu
lhe disser, que assim nos ajudar.
Podein contar commigo, tanto a se-
nhora como os patries.
Km Pwfflam'QJto, a. Aguas ta.* Fonto< de Vichj,
a-'ima nom,'Tl.. achio-ve e.a rasan de
8ULZER*KOECHLTN,?:..rudCluz;- Aug LABILLE.
Fabrica de fiac.o e te-
cidos de Natal
Julio A Irmo, praca do '"orpo Santo n. 7,
teem venda os acreditados altrodes dessa fa-
brica, trancados e lisos.
Breu marca F
Veude-se em barricas a 30 rs. a libra ; no ar-
mazem da ra do Amorim n. 60.
Roya! Blend marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corno.
Vende-se a retalno nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Viado
cujo nome e emblema sao registrados pars
todo Brazil. ,
* BROWNS & O, agentis,
Vende-s
um estabelecimento de molhados ra do Ran-
gel n. 53, e garante-se a chave ao comprador: a
tratar no pateo do mercado, taino do commercio
n. 2, com o dono.
Cofres de ferro
Carlos Sinden tem para vender cofres de su-
perior qualidade, mais barato me em outra
qualquer parte : na ra Baro da Victoria nume-
ro 48.
haviam produzido os seus fructos; de mo- do no seu corpo algum signal que as per-
desta parteira, vivendo difficilmente da po-
bre clientella do bairro, chegara a con-
quistar urna reputacao, cujos ecos reper-
cutiam longe.
Pode entao, primeiro alugar, comprar
mais tarde, urna grande e bella casa, com
umjardim, onde recebia pensionistas, e
muitas pensionistas at.
Fo porta dessa grande casa, rodeada
de elegante gjadil e sombreada por gran-
des arvores, que as informacfJes colindas
por Suzana a condnziram.
Introluzirain-n a n'um pequeo salao e
d'alii ti/seram {Morar a joven governante
para um gabinete de consulta, onde se
achava al Sra. Laminis.
Tudo apresentava um asseio, um con-
forto e um aspecto admiraveis.
Nlo havia grande luxo, mas em toda a
casa sentia-se a ordem e o bem estar.
Via-se que se estava n'uma atmosphera
honesta.
Amanda, com o seu vestido de seda
preta, or seas bellos cabellos grisalhos e
a calma do seu olhar leal, accentuava essa
boa impress2o.
Recorda-se. minha senhora, de urna
de suas amigas de infancia, que morreu
muito desgracadamente nos seus bracos,
Paulina Gages ? perguntou Suzana sen-
tando-so, com os seus bellos olhos igual-
mente bem abertos, aquelles olhos que tan-
ta sympathia e conhanca inspiravam.
O rosto da parteira cobrio-se de urna
nuvem de tristeza.
Ah meu Deus! recordo-me, sim...
exclamou ella. Pobre Paulina \... Nao
esquccel-a-hei nunca. Urna creatina tSo
boa o to honesta!...
Sabe sem duvida que o marido, que
tinha ido para a America, l morreu, e
que urna filhinha, aquella que a-senhora
ajudou a vir ao mundo, foi levada para a
Normandia ?
Por urna ^isinha chamada Lureau,
Ella afastou-se, sabendo perfeitamente bem boa mulher.. Sim, sei disso.
queo velho fmulo seria fiel sua pro-
messa.
O instincto dizia a Suzana que fosse
primeiro casa da parteira, de preferen-
cia do medico, tendo as mulherB mais
do que os homens a memoria de certos
pequeos detalhes.
Tinha a sua fbula arranjada, eaperava
lograr bom xito, sem despertar as sus-
peitas da Sra. Laminis.
Em pleno ponto populoso, ra Ra-
mey, ao lado da ra Olignancourt, a Sra.
Laminis havia fundado um grande esta-
belecimento, que prosperava.
A honestidade de toda a sua vida, a sua
intelligencia, a sua inteireza de aracter
Eu sou criada de quarto de confian-
5a da Sra. Chaniers. ,
A irm2 do Sr. de Sauves, protector
de Eugenio, Gages ?..
Justamente. A Sra. ^haniers, que
muito boa, deseja fazer bem pobre or-
pha; julgamos que ella sahio do asylo eiu
que toi criada. Entretanto urna pessoa do
convento disse-nos que a pequea morreu
ha muito tempo, e que a que hoje usa do
nome de Clotilde Gages nao a verdadei-
ra. Como a minha ama nao' quer cuidar
dessa rapariga senSo em lembraaca de Pau-
lina Gages, de quem era amiga, vim per-
guntar-lhe se a senhora, que reoebeu-a
nos bra9os|quando nasceu, nao teria nota-
mitta reconhecel-a ?
Amanda Laminis tinha excellente me-
moria.
Recordou-se instantneamente das per-
guntas que lhe havia feito o Sr. Marais,
quando chefe da seguranca, por occasilo
do processo do Sr. de Sauves.
Nessa poca o Sr. Marais julgava que
poderiam ter feito urna troca entre Clotil-
de Gages e Georgina Chaniers.
Nada o provava, mas o chefe da segu-
ranca ti vera tal idea e lh'a havia relatado,
recommendando-lhe a mais absoluta dis
cr9ao.
Muito honesta, Amanda Laminis havia
guardado segredo sobre tudo isso, mas
pensara muitas e muitas vezes em todas
essas co'.isas.
Eis, porm, que dezesete annos depois
a familia haniers ia pedir-lhe as mesmas
informa95es.
Com que fim ?...
Para fazer simplesmente bem a urna
pobre orpha, e nao desviar os seus bene-
ficios para urna menina estranha?
NSo acreditava absolutamente no pre-
texto ; mas o rosto de Suzana inspirava-
lhe grande sympathia, e nao podia acudir-
lhe ao espirito a idea de calar-se ou de
conceber ms suspeitas.
Escute, disse ella, j outr-ora fize-
ram-me iguaes perguntas. Indagaram de
mim se eu acreditava que a pequea Clo-
tilde Gages era effectivamente a que eu
ajudara a vir ao mundo. Respond entSo
que sim, e em toda a consciencia. Mas
depois reflecti muito em tudo isso. E um
dia, que eu ajudava o nascmento de urna
menina, muito tempo depois, trazendo um
bello signal pardo no hombro, subitamen-
to, n'um relmpago fortuito de minha me-
mor a, lembrei-me de urna cousa esqueci-
da at entao.
O que foi ? perguntou Suzana, que
sentia-se morrer.
Que a til ha de Paulina tinha tambem
um signal pardo no bra90 esquerdo.
Ah-! e est bem certa disso ?
Sim, porque julguer havel-a machu-
cado quando recebia-a, pois o parto da po-
bre mulher foi horrivelmente laborioso.
Ao lavar, porm, a pequea, verifiquei
que er.i um signal de nascen9a, magnifico,
maior que urna moeda de dez sidos.
Por que nao disse isso por occasiSo
do processo ?
Com a emo9ao produzida pela morte
da minha amiga, a partida do pai c a,da
crianga, tinha-o esquecido completamente.
Foi ao ver a outra menina marcada no
hombro com o mesmo signal, que a minha
memoria avivou-se sbitamente. O pro-
A LOJA MAIS BAMTKIM
itEfilCA
PARf
AZEVEDO, IRMO & -..
16*Ra do B. da Victoria16
200Tdfyhme2O0
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modas o.
que ha de mais novo fe'prejos sem com-
petencia. .^y-f.
.4 saberT
Capas de surah,, senda e merino
Renda.preta, diversas cualidades.
Etamines, pretos, de'la e 12 seda.
Damass de seda pura.
Merins*preta8 de 800, 1*000 e 1*200.>
Crinoline preta e branoava 400.
Sargelim, todas as cSres, a 200 rs.
Bramante de linho a 1*500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 1*000 e 1*500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 1*000.
Madapolao trancado a 9*000 a peca.
Dito globo a 7*000 a dita
Dito camiseiro a 7*000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 6*000.
Fichs de 12 e seda 1*000.
Brins de linho cies fixes a 60.
Espartilhos couraca a 4*000 e 5j$0O0.
Colchas de fustao a 2*000 e 3^000.
Capellas para noiva com veo bordado a
6*000.
Toalhas de corea para rosto.
Rendas, edmprimento de saia a 1*500.
Renda de 12, preta, para quaresma.
pano verde para bilhar.
Tapetes para sof a 13*000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 1*000.
Camisas de flanella a 5*000.
Cortinados de crochet para cama a
10*000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 1*000.
Extracto Rita Sangal a 2*000.
Velbutina de quadro a 800 e 1*900.
Gurales, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 4*000. 4
Capachos de cSco.
Luvas de seda a 2*000 o par. '
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Posta para mesa. J.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com Adres.
Crep inglez para enfeite*
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de c6res.
Dito de casemira de efires.
TELEPHONE 200
W-

Leite puro
Dito dito Jornal, 400 folhas
Dito dito Provincia, 400 folhas
Vende-se na fabrica Caxias.
Superior queijo do Serid a
1$500 o kilo ;
S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferreira
4 C. Successores.
cesso estava ent2o terminado desde longos
annos, e eu nao julguei til tratar mais de
taes cousas.
E nunca mais fallou a pessoa alguma
sobre isso.
Nao, nunca ; a senhora a primeira
com quem fallo a tal respeito.
Querer prestar-me um outro ser-
V90 ?
Pois n2o.
^ Se outra pessoa, um americano, por
exemplo, vier por estes dias pedir lhe as
mesmas informa9oes, quer ter a bondade
de recusal-as ?
Tendo nforrido Eugenio Gages, n2o
vejo ninguem secao a familia I 'haniers com
o direito de saber destas cousas. Promet-
to-lhe, portanto, calar-me, para com todos,
excepto todava para com o Sr. de Sau-
ves e a Sra. Chaniers.
Mais urna vez, obrigada. A senho-
ra honesta e boa. E se o tal america-
no lhe perguntar se eu estive com a senho-
ra. ..
Responderei negativamente, nao te-
nha rec-eio.
Ah! que lembranca feliz a que tive
de vir a sua casa Encontrei urna senhora
de cora9ao '. .. ^deus, ou at vista, por-
que, se attingir o fim que miro, voltarei
aqu para agradecer senhora, que me
auxilia to eflicazmente.
E terei muito prazer com isso,. por-
que pela sua physionomi vejo, minha se-
nhora, que nao pode desejar senSo o que
bom e leal. x
CAPITULO XI
O ilcdo de Deas
Foi com o cora9o confrangido e o cere-
bro cheio de mil pensamentos, mais con-
fusos uns que outros, que Suzana voltou
para Belleville.
Assim, Georgina, a .menina creada por
ella com tanto amor, tantos desvelos, tan-
ta socitude, n2o era a fillia de Adelia,
mas a de'Eugenio Gages. o assassino de
Jorge !...
E esse assassino n2o era outro 'senao sir
Jonathan Pierce, que conseguir com a sna
diablica intelligencia mudar de pele phy-
sicamente, como tinha mudado do nome e
de individualidade, moralmente !...
Mas como provar isso ?
Em qug la9o, esse homem. hbil como
ninguem, cahiria ?


Na estrada de Joao.Fernaudes Vieira, sitio te- t
jo depois das casas novas da direita, vende-se
todos os das leite Duro de vaccas tonrinas e da
trra, garante-se qualidade do leite.
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-tiras, tem este sa
boroso pao; roa larga do Rosario n. 40.______
Para jornaes
Papel formato Diario, 500 folhas
700
5JO0O
4*500


n
i
(Continuarle
h%)
Typ. do Mario na Dt
ixias n. U.
-v-
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPEIUOTV5_2ALVOC INGEST_TIME 2014-05-28T16:53:25Z PACKAGE AA00011611_19825
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES