Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19719

Full Text

SABBADO 20 B FEVEREIRO DE 1892
NUMERO 41

V
l
...,

DIARIO
PERNAMBUGO
PROPRIEDADE DE MANOEL FGEIROA DE FARIA i FLHOS
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantados.
Por tres ditos vencidos.
Por um anno a liantado .
Idera idem vencido.
6000
7&000
24$000
28&000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PUBLICARES NA FRAN-
gA E INGLATERRA
Os Srs Amede, Prince & C, resilentes em Pars34 ru de
Provence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
, 13500
, 151500
, 27&000
. 311000
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido. .
FARTE QFF1C1AL____
Ministerio da Fazenda
Aos inspector 4a3 thesouranas foi expedida
a seguinte circula:
De .iaro aos S"s. inspectores da3 tbeaourarias
de fazenda que tica derogado o aviso de 8 de Ou
tubro do aneo prximo passado, aa parle em que
autor;sou-os a abrir crditos, sob sua responsa-
bildaie, nos casos de recoabecida urgencia ;
porquaoto, pelo art. 5.* do decreto n. 781 de 23
de Setembro de 189). passaram para os inspecto-
res de taes the3aurarias comente as attribaiges
que se reerem ao Ministerio da Fazenda.Fran
c.sco de Paula Rodrigues Alve?.
Foi nomeado para o cargo de inspector da
Alfandega de Corumb, o 1. e3Cripturario da
mesma, Antonio Silverio Paes de Barros.
Ministerio da Guerra
Foi comeado para exercer interinamente o lu
gar de subsecretario da Escola Superior de Guer-
ra o capitao do estado maior de 2.* classe Felippe
Jos Correa de Avellar.
Fjram promovidos: na arma de cavallaria :
a capitao, o tenente do 2 regiment, Marcolino
Autonio dos Santos, para o 4." esqaadro do 10.,
por es'.udos; a teneates, os alteres Odilio Ran
dolpbo de Mello, por estados ; Frederico Augus-
to de Aibuquerque, por antiguidade ; do quadru
extranumerario : a tenente, o alferes Abilio Au-
gasto de Noronha e Silva, por estados ; e na ar-
ma de infantera : a teaentes, os alferes Pedro
Loar:val e Francisco de Albuquerqae Pajoba,
por antiguidade, e Luiz Accacio Sugrand, por
estados.
Foram transferidos para o 9.* regiment de
cava ana, i. esquadrao, o capit&o do 10 da
mesma arma Beroardmo Miggessi e para o 7.*
de infamara o alferes do 35. da mesa a arma,
Francisco Fl.rindo da Silva Rimos, addido ao
primeiro.
Foi nomeado ajudante de ordens do com
man*;c geral de ariilbaria o alferes do 9 regi-
ment da cavallaria Joao Baptista de Souza Car
valhc.
Foi redando a 360 o numero de alumnos
pragas de pret que no corrente anno podem ma-
tricular se na Escola Militar d'esta capital, a 150
na d.1 Rio Grande do Sul e 80 na do Cear !
Mandn se continuar a servir na Escola
Pratica d'esta capital o capitao do estadomaior
de artharia Innocencio de Barros e Vasconcellos,
podecdo matricular se na Escola Superior de
Guerra.
Foi transferido para o lugar de ajudante do
32. batalho de infantaria o capitao da 4.a com-
panbia do mesmo batalbao, Joo Barbosa Espin
dola e para esta companbia, o capitao ajudante
Joo Martina Al ves Ferreira.
Revertec, por decreto de 12 do corrente,
para a l. classe do exercito, o capito Bonifacio
da Silva Telies, que ir commandar o 1. esqua-
drao do iO." regiment de cavallaria.
Foi nomeado commandante da Escola Mili-
tar do Cear o tenente coronel graduado do esta-
do maicr de L classe, Jos de S.'queira Mine
zes.
Foi exonerado, a seu pedido, de director do
Arsenal de Guerra de Matto Grosso.o tenenieco-
rcnel de estado maior de artharia Artbor de
Moraea Pereira.
Ministerio da MarJnha
Fot assigcaio bontem o decreto fazendo alte
MgOes no plano de uniforme dos ofciaes da ar-
mada.
Foi promovido a 1. o 2. tenente Alberto
Carlos da Cunta, por antiguidade.
Foram "meados para servir: na canbo-
neira Liberdade, o cirurgio de 4. classe Dr.
Cesar Ferreira Pinto ; na corveta 'Amazonas, o
contra-meatre Pedro Rodrigues Pereira ; no cru-
zador Guanabara, o aspirante de i.* classe,
Ral Varella Qaadros, e no patacho Paquequer,
o enfermeiro ulivio F. de Andrade.
Maadcu se desembarcar la canboneira
Carioca, o cirurgio de 4.' c'asae Dr. Alfonso
da Rocha.
Coverno do Estado de Per
namfonco
1 Sec<;5o.Palacio do Governo do
Estado e Pernambuoo em 18 de Feve
reiro da 1892.
A Junta Governativa do Estado, atten-
dende a que da toda a conveniencia pare
os municipios que os membros dos res-
pee*, vos conselhos e os prefeitos e sub
p.-: tos, cuja eleijao deve ter lugar no
dia 21 do crrante mea tomem quanto
antes posse de seas cargos :
Decreta :
Art. 1. A aparadlo geral dos votes
para membros dos conselhos mnnicipaes,
prefeitos e sub-prefeitos se far dentro de
20 dias contados do dia da eleico, can-
do eomeate nesta parte derogado o art.
12 do Decreto de 19 de Janeiro do cor-
rente anno.
Art. 2. Fica marcado o dia 25 de
Marco viadouro para posse dos membros
dos coaserhos manicipaes e dos respectivos
prefeitos e sub-prefeitos que na mesma
occasiSo, prestarSo o juramonto ou pro-
messa exigidas pelo art. 124 da Consti-
tuido do Estado.
O secretario do governo faca publicar
o presente Decreto ezpedindo as ordens
e communica(3e3 necessarias.
iotquim Vendes Ourique lacques.
i. V- Metra de Vasconcellos.
Ambrcw Machado da Cunha Cavalcante.
despachos do dia 17 db fevebeibo
de 1892
Abaixo assignados estabelecidos com casas de
vendagem de bhetes de loteras, pedindo a re-
vegaco do impoeto de nm cont de res langa-
do as referidas casas.Informe o inspector do
Thesuro do Estado.
Companbia Pernambucana pedindo pagamen-
to da qnanita de 674503de passagens concedidas
por conta do EstadoInforme o inspector do
Tbesouro do Estado.
Empreza de itluminago a Gai, pedindo in-
demnisaao da quantia de 93:5481730 de accor
do com a clausula 10* de sea con racto que es
tpula o vtor da illaminacao em ouro 22 quila-
tes de 4*000 a oitava.Iaforme o inspector do
Tbesouro do Estado.
Fielden Bro'hers, pedinlo abertura de um ere
dito do supplementar para o pagamento da con
ta na importancia de 9:049*860. -Iaforme o
inspector do Taesouro do Estado.
Os mesmos pedindo pagamento da quantia de
21:4781530 do gaz consumido na illcminagao
publica durante o mez de Janeiro. luforme o
inspector do Tbesouro do Estado.
Os mesmos. pedinlo pagamento da quantia
de 21:726*940 importancia do gaz eccsumido
na illuminacio publica no mez de Dezembro.
Informe o inspector do Tbesouro do Estado.
Giovane Sansone scientifleando a este gover-
no que contractara nma companbia lyrica para
trabalbar no theatro Santa Isabel ; afim de salva-
guardar seus direilos.Informe o inspector do
tbeatro Santa Isabel.
Ignacio Gongalvea de Barros Cavalcante ex
sentenciado, pedindo um passe para Giranhuos.
Informe o Dr. juiz de direlto do 2 districto cri-
minal do Recite.
Joo Reis de Lemos Barros, sentenciado pedin-
do para gosar das regaliaB do art. 50 do novo
cdigo penal.Informe o Dr. juiz de direito do
2 districto criminal do Recife.
Jos Coelbo de Ollveira, ex servente da Secre-
taria de Polica", pedindo pagamento des venci-
mentos a que se julga com direito.-Informe o
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Vicente Ferreira de Lima, sentenciado pedin-
do para gosar regalas do art. 50 do novo cdi-
go penal.Informe o Dr. juiz direito de 2o dis-
tricto criminal do Recife.
Secretaria do Estado de Pernambuco,
em 18 de Fevereiro de 1892.
O porteiro,
Hemeterio M. da Silva.
Questura Policial
Secc3o 2.* N. 42 Secreta-ria da
Questnra Policial do Estado de Pernam-
buco, 19 de Fevereiro de 1892.
CidadSos. Participo-vos que foram
bontem recolhidos Casa de DetencSo os
seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado da freguezia do Re-
cife, Manoel Ramos do Nascimento, por rrme de
ferimentos; e Honorato Jos Rufino, conbecido
por Z-.mbeta, por disturbios.
A' ordem do subdelegado do districto do Pe-
res, Senborinba Mara da Conceigo, por offen-
sas moral publica.
Communica o delegado do municipio do
Cabo, por telegramma desta data, que a parda
Josepba, contra quem recabiam suspeitas de ter
eido autora da morie de urna enanca rccerxnas-
cida, facto a que me refer na parte liara de
bontem, fora apreseutada aquella autoridade e
sendo vistoriada veriticou-se acnar-se ella em
estado de gravidez, desapparecenlo, oo-tacto
as suspeitas de ser a mi da referida rocemnas-
cida e coasequentemente occasionadom da sua
morte.
Procede se a oulras diligencias para esclare-
cimiento do facto
o Dr. promotor publico de S. Lourengo da
Malta, proceden anteaontem, em companhia do
delegado respectivo, a visita da cadeia existente
naquelle municipio.
A casa que serve de prisao alm de se acbar
em pessimas condiges byeienicas, nao offerece
segurarla alguma, o que d lugar a serem cen
stanlemente transferidos presos d'alli para a
Casa de Betenc.5o desta cidade.
Os presos teem sido alimentados regular-
mente.
A' Junta Governativa do Estado de Per-
oambuco.
Oquestor, Zoaqui,n Tavares de Mello
Barretto.
Tbesonro do Estado de Pernam-
Unco
DESPACHOS DO DIA 18 DE FEVEBEIBO
DE 1892
Manoel Sebastiao de Araujo Pea rosa,
Jos de Araojo Veiga & O., J0S.0 Lou-
renfo de Ges Vasconcellos, Manoel Viei-
ra de Queird.Informe o Sr. contador.
Joaquina Francisco Diniz Jnior.Ao
Sr. contador para ob devidos ns.
Vicente Fereira da C. Miranda ba-
charel Miguel dos Anjos Barros, Joaquim
Lopes Machado, Mara Paulina Alves dos
Santos e Francisco B. Cesar de Meneaes.
Haja vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Joaquina Msna da ConceicSo.Ao Sr.
porteiro para entregar icteressaila.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Retrospecto poltico do anno
de 1891
111
poltica particular
INGLATERRA
(Continuaco)
O Imperador Guilberme no intuito de estabele-
cer na Inglaterra urna corrente de syicpatbia a
seu favor foi visiar este piz recebendo as mais
lisongeiras palavras de saudac.ao por parte da
imprensa, e ruidosas manifesta^Oes populares.
Este acolbimeno caloroso mostram n'o essas
folbas claramente, nao s feto ao neto da
raiBba Victoria e ao lbo de urna princeza in-
g!eza; mas ao soberano que inspirou e assi-
gnou o accordo anglo-allemao em frica, ao
Imperador que acaba de renovar a trplice al.
liaoga.
Os jornaes! de todas as feicOes polticas e 03
mais ebegados ao governo mostram-3e bastante
satisfeitos com o accordo dos dous paires, fun-
dado sobre a conservacio da paz e o equilibrio
no Mediterrneo; isto sobre interesies com
merciaes e polticos de capital importancia para
a Inglaterra.
Verdade que todos e3ses orgaos eio unni-
mes em dizer qoo niogaem pensa n'tma qua-
drupla alllanfa que arrast.ria a Inglaterra para
questes que Ihe saa completamente inl.fferen-
tes.
Dir o futuro se assim com tffeito.
O Times, fallando das relajes da.familia real
da Ioglaterra e da familia imperial d;. Allema-
nba, diz que neobuma duvila ple existir acer-
ca da sinceridade de sentimentos invoc; dos pelas
multidOes inglezas, pela prova visive. de que
os elementos da grande alliaaca que tnisquilsa
a Europa ba tres quartos de scalo, nao ccs?a-
ram de existir.
Os inglezes nao vm com satisfacao os ele
mentos desla alliacga fortalecidos pelos lagos
que uctm a casa imperial allema casa real
in leza.
Esta consoliiaclo dos Estados teutnicos nao
envolve ameaja alguma para qualquer poten
ca ; mas ella un a nova garanta para a ma-
nutenco da paz do mundo. Nada mais e nada
DWDOf.
Os soberanos allemaes ebegaram a Londres a
8 de Julho ao entardecei. Foram recebidos
pelos Duques de Edimburgo e de Connangbt
Hospedaram-se em Benkingan Palace. A
multidao do povo acclamou-os em todo o per-
curso. A' noite os soberanos allemaes assisti-
ram representacao em Convent Garden, sendo
igualmente muito acclamados.
O banquete no palacio terminou meia nolte.
O principe de Galles, em nome da ranba Vi-
ctoria, ergueu um brinde aos soberanos alie"
maes.
O Imperador Guilberme agredeceu, levantan-
do um brinde rainba Victoria. Os convivas,
ouviram de p estes dous brindes.
Os soberanos allemaes visitaram o m< use leo
do principe Arberto em Frogmore.
Em Londres, o Imperador Guilberme recebeu
varias deputecoes, nomeadamente a da colonia
allema.
No dia 9 03 soberanos allemaes assistiram
garden partj do principe de Galles; nojardim
de Marlborouglouse.
A visita dos soberanos allemaes a Qoildball
effectuou ae com grande solemnidade.
As tropas formavam alas deb-adas de3de Bu-
ckingbam Palace at Quildhall. Havia immensa
multidSo de gente em todo o percurso, estando
as mas adornadas com grina'.das e bandeiras, e
as lojas fechadas.
O prncipe e a princeza de Galles rceberam
igualmente grandes accIamagOes.
No dia 10 de Julho o imperador Guilberme,
respondendo alterado do lord mayor, por oc-
casiao da sua visita, agradecen o acoihimento
que Ibe fez a cidade de Londres ; elogiou mute
a rainba Victoria ; declarcu que mantera a ami-
zade histrica de Inglaterra com a Allemanba,
as quaes tenias vezes teem o.archado juitas
para a defesa da l.berdade e justica ; e aceres
cen'.cu :
t O meu titn primeiro que ludo, a manu-
tengo da paz, porque s a paz pode dar a con-
flanea necessaria rsra o serio deienvolvimento
da sciencia, da arte e do commerdo ; somente
durante a paz podemos consagrar, sinceros es-
forjes aos problemas, cuja solufiSo considero
como o dever mais importante de nosso terapo.
Sempre me darei f or feliz em unirme 43 outras
potencias para lograr este flm.
Os jornaes ministeriaes Standard e
Daily Telegraph > tizeram um a:olbimeato
sympathico ao discurso do imperador Gnilherme
a quem represeutam como um principe magna
nimo, amigo e alliado de todas as potencias pa-
cificas .
N'o dia 11 de Julho os soberano3 da Alie-
manta lancharam, 1 hora da tarde, no pala-
cio da embaixada allema. O imperador Gui-
lberme passou s 3 horas visita em Villedoen a
20.000 solados de liaba e 14.000 voluntarios.
= Dspcis da revista militar 03 soberanos alie
maes visitarara Wimbledon, e dalli foram para
o palacio de cryatal, onde o imperador Guilber-
me passou revista aos bombeiros. Os sobe-
ranos allemSes jantaram no palacio de cryatal,
onde s noite bou ve concert, grandes jogos
de aguas, brilhaotes iuminacO.* e foeo de ar-
tificio.
Na cmara des communs o Sr. Pbilipps,
deputado gladstoneaco, pergantou se o governo
far expressar Franja a satisfacao que os in-
glezes teriam em receber a visita do presidente
Carnot.
Sr. Smiih, primeiro lord da tnesouraria,
responde que nao uso fazer semelhautes con-
vites ; mas que o presidente Carnot, e cutro
qualquer chele de urna nago amiga, receberao
sf mpre em Inglaterra cordeal acolbimento.
Sir James Fergusson. respondendo aa ses-
so de 7 de Junho a urna pergunta do Sr. La
bouebre, dsse que as communlca^Oes que fo-
ram trocadas de cer'.o lempo a esta parte entre
os governos inglez e francez acerca de ques'.Oes
relativas manutenjo do stalu quo no Me-
diterrneo, mas que nao convm tornar publicas
semelnantes communicacOes. Apenas como re-
ferencia que nos parece opportuna, devemos di-
zer que. quando se assignou o ultimo convenio
luso-britannico, alguns jornaes inglezes, que
podem ser considerados como inspirados as re-
giOes ofciaes, disseram que era muito bom que
termicasse o conflicto entre Portugal e a Ingla-
terra, porque esta careca da amizade e boa von-
tade da nago porlugueza, sobretodo porque esta
possuia o Cabo de S. Vicente, que denuncia 7a
u raminbo de Gibraltar. e o camlono do Medi-
terrneo .
Para compensar o eCTeitct produzido pela cor-
dial recepcao feta ao imperador Guilberme e
comprebendendo quao desastrosas foram essas
exageradas maoifestacOes, foi a esquadra fran-
ceza recebida brilban temen te nos portes ingle
zes.
Eis a descnpgao da revista que a raioba
Victoria da Inglaterra passou esquadra france
za ancorada em Portsmoutb :
A's tres horas e trinta miautos da tarde de SI
de Ag:sto, a ralnha embarcou no Albert no
qnal avanjeu, at approximar-se do Albert Vic
tor Passando para este barco, nao sem difficul-
dades pela estada do mar, seguir n'eile at a es-
quadra franceza, e detlisou entre as linhas que
formavam os barcos desta esqualra, passando
em frente do Marengo.
En'.o o almirante Gems desceu a escoda do
persa!), passando ao navio inglez, em que ia a
rainba.
03 marinbeiros francezes, collocado3 as ver-
gas do3 seu3 navio?, agitavam 03 gorros, saudan-
do a soberana ingleza.
A msica do tMarengo entoava o bymno na-
cional inglez Good save the queen.
O almirante Gervais saudou a rainba, pronun-
ciando um bello discurso
Disse que 03 incommodos soffridos pela ma-
-estade para ir saudar a Franca no Marengo
com um tempo terrivel e um mar braviasimo,
eram novas causas de gratido por parte do3
francezes, e por si mesmo, como representante
da marinbi da repblica.
A rainba respondeu que tinba grande aatisfa-
So de ver na capital da Inglaterra os marinbei-
ros francezes; e que anhela va, como melhor pre-
cisa dos seus pequeos incommodos, que elles
ficassem satisfeitos com a recepelo que Ihes fa-
zia a Ioglaterra.
O almirante Gsrvais voltoa ao Marango; e>
ento afastou-se o navio que ,'coaduzia a ral-
nha.
Qaando este estara j a certa distancia, 03 na-
vios francezes salvaram com 21 tiros, soltando
repetidos hurrbs 03 mariaheiros collacado3 as
verga3.
O tempo continuava pessimo ; tendo-se retira-
do mais de metade da gante que se acbava pre-
sente quando a rainba embarcou. Esta regres-
sou immediatamente ao palacio-
Em gera! os inglezes e3timaram que a vi
sita da esqualra thease por fim destruir, na opi-
Qio da Europa, oefleito causado pelo entusias-
mo da recepgo do Imperador Guilherme.
O coronel Fortunato Flores, fllho do ex
dictador Flores, foi preso por ter publicado orna
carta relativamente poltica seguida pelo Dr.
J Herrera y Obe3, presidente da Repblica
Oriental.
Receia-ee urna revolucao ej teem sido ap-
preheniidai muitas arma3 encentradas em di-
versos lugares ; e urna insurreico que abi j
rebeatou, foi abafada, refugiando se os compli-
cados as povoa[0es fronteiras do Brazil.
Na estancia do general Muoz appareceu
um grupo de bandoleir:3.
O hotel balneario de Los Toro3 fai destrui-
do por um incendio.
EXTERIOR
RIO DA PRATA
Republirn Argentina
Tem bavido algumas renuncias de membros
da junta do partido cvico-nacional como o coro
nel Dantas Viejobueno, Luiz Bergo, Solero Vas-
quez e ontros.
G accordo Mitre-Roca coatioua a trabalbar.
Foi comeada urna junta provisoria do partido
saezzpenista, que compoVse dos Srs. Lucio V.
Lopes, Nicols Calvo, Mximo Paz, Indalecio
Gmez, Vicente Casares, garte e Rufino Vrela.
Estes sustentam a candidatura, que gover-
nista, de Saenz Pena, o formoso poltico, na
pbrase dos articulistas de alguu3 jornaes. Pa-
rece que nao das candidaturas mais apoiadis
na opiniSo, recelando se por esa candiatura
urna sciso no partido da Uniao Cvica Nacional;
pois muitos cbefesrepellem a me3xa candidatura
e sao pelos de Mitre e Unbu.
Alm destas candidaturas ssbsm os leitores
que cen.'orreu o Dr. A em, que tomou to in-
fluente parte ua revolujo contra o governo Cel-
man e filbo do poltico do mesmo nome que
tanto apciou o dictador Rosas e Urbur que ti
gurcu na tragedia de Ralmaceda na legago ar-
gentina em Santiago.
Em Mendoza, depoia da intervengo do Sr.
Francisco Un buril aceita-se apoltica do accordo
e c comit j fez manifest neste sentido.
Em Cordova o dique S. Roque no dia 30 es-
tova com 15 metros de agua.
Nesaa localidade foram presos Balcarce e Ca-
brera que se aggrediram e o policiamento est
sendo feto pela La cadena.
Em S. Luiz reunise o comit da Unlao Cvica
Xacioaal para escolna de candidato, que o Sr.
Mauricio Daract. Reappareceu o peridico El
Coxicio.
Em Saota-F suicidou-se o commissario Pe
legrmi e reamo se a assembla do ClubCommer-
cial.
No R03aro corre que o Sr. Caffcrata apoia a
poltica Mitre Roca e que o BaBeo Provincial
pretende pagar a sua divida ao Banco Nocional
com trras de um valor desproporciona!.
Foi nomeado procurador da nago o Sr.
Kier.
Foi nomeado ministro plenipotenciario da
Repblica Argentina na Bolivia o Sr. Dr. Fi-
gueiroa.
O partido radical espera que o congresso
annolle as eleices a que se proceden no domlo
go ultimo. 7, por causa de cumerosas abstengo js
bavidas por occasiio de se effectuarem as mes-
mas eleices; e assim promove urnarande ma-
nifestago a realisar-se no domingo 14, ten io por
fim protestar centra as eleigOes que se effectua-
ram no dia 7 do corrente, que julga terem sido
feitas illegalmente.
O governo decidi que no prximo mez se
realisariam grandes manobras militares, as
quaes tomariam parte tolos 03 corpos do exer-
cito argentino.
A caixa de conversado denuncia novas emis-
tes clandestinas as provincias.
Em Catamarca, no districto de Tiaogasta,
rebentou umarevolta, havendo por e-sa occasiSo
algumas mortes, 'endo se desordena em outros
pontos por motivos da campanba eleitoral.
O senador Delpno est reunindo elementos
para derribar o governo.
O baro Hirsch comprou trras para o estabe-
lecmento de immigrantes jadeus, na importan-
cia de dois milhOea.
Commemorando o anniveraario da Republi
ca em Hespanba, houve hoje banquete no fccaf
do Belvedere.
Naufragou no cabo San Diogo a galera in-
gleza Crowo^ procedente da Italia.
Sabe se que alguoa bandos da revoltosos
rio-graadenses passaram a fronteira do Uruguay
e in*rnaram se no departamento de Taqua-
rembO.
Taxa do ouro 373, e colago da libra 18,84
pesos no da 12 do corrente.
Repblica do Irugnar
Eocerrou se no da 9 a sesso legistativa ex-
traordinaria.
O Sr. Abella, teneate coronel, foi nomeado
ebefe poltico de Montevideo.
E' oplniSo geral qoe o senado eleger para
presidente de sua mesa o Sr. Dr. Gomensoro.
Por estes dias sero julgados. pelo tribunal
militar varios soldadas acensados de tentativa
de rebelhao.
O coronel Muro foi nomeado, por decreto
presidencial commandante em chefe da mar'-
nba, tendo-ibe sido aceita depois a demissao
que pedio desee cargo.
INTERIOR
SUL DO BRAZIL
Capital Federal
Datas at 13 do corrente.
Por decreto de t foi nomeado ministro 'as
relagoes exteriores o tenente-coronel Innocencio
Sorzedelio Correa.
Por decreto de igual data approvou o governo
as alteragOes dos esta'.utos do Banco da Repu
blica, aceitas em assembla geral de accionistas
do mesmo Banco.
Segundo o Jornal do Zommercio, o general Ew-
bjck. foi convidado para prestar servicos patrio-
ticos no Estado de Matto Grosso.
Embarcou para Nova York, no Finanee, o Sr.
Edwin H. Conger, enviado ext-aordinario e mi
niatro plenipotenciario Jos Estadoa-Uaid03 da
America nesta capital; o qual pre'.ende regres
sar ao 3-u posto em Jonbo prximo.
Sob o titulo deConflictos em Santospubli-
cou no dia 13 o Jornal do Commercio :
T.;eg:paaram bontem de Sanios o segu nte :
Honlem os empregados da estrada de ferro
a?3assinaram um carroceironacional, o qne deu
lugar a grande desordeno, que a polica repri
mo, prendendo os indig.taaos assassinos-
A' noite, um grupo de duzentos hespanhe3 e
portuguezes, arxalos, quiz tirar 03 preao3 da
cadeia.
A polica desarme: os e debanoa-os.
Essa borda nesta manh autisou a estrada
ingleza at a ponte do Casqjei-o e destruio 03
telegrapbos do Estado e da estrada.
Seguio forga para conter 03 vandalo3.
A populago est impressionada pela repetigo
de taes facloa, sempre impune3,
Esta cidade acha-ae insufficientemente polica-
da e cheia de elementos anarchicos.
Csmprehende-se bem como devia e3tar di so-
bresalto a populacho de Santos, j to illcta
pela epidemia que all grassa.
E' de esperar q ie o governo envie Wios 03
eaforgos para manter o respeito lei, to me
noscaDado pelos element03 heterogneos da po
pulago actual de Santos.
A estrada de ferro dessa cidade de Jundaay
urna prop.-iedade particular que nc deve res
ponder por quaesquer queixas injustas que b-ja
coatra a polica local, que deve ser auxiliada
pelo governo para punir estes vaudalos com todo
o rigor das leis :
O Fa3, do mesmo dia, accresceata:
A bordo do vapor Madeira seguio na madru-
gada de hoje para Santos um contingente de
100 pragas do Io bataibo de infantaria. sob o
commando do capitao Pyr.-bo.
Esta forga dever all estacionar, afim de re
primir os disturbios que so deram eatre traba-
Iba >ore do commercio e pragas de polica.
Diz a Gazeta de Noticias:
Consta nos que o Sr. Dr. Xivier da Silveira,
por motivo de molestia, deixa a chetia de poli-
ca.
O seu successor, segundo se d::, 3er um con-
celtuado advogado, qae, como delegado de po
lcia, ja deu provas i sua alta capacilade para
aquelle cargo.
No dia 12 foi recebido pelo presidente da re-
publica em audiencia especial o S". Jens Mar-
tin Bolstard enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario da Suecia e Noruega, .unto ao
governo brazileiro. .
O Sr. ministro foi conduzido a pakcio em
carro especial do Estado, em companbia do Sr.
1* tenente da armada Francisco de Matl03, aju
dante de ordens do Sr. marecbal.
Recebido no salo da boara pel03 S-s. vice
presidente da repblica, ministros e ajudantes
de ordens, o Sr. Bolstard pronunciou o seguinte
discurso em francez:
Sr. presidente. Aa relagoes entre o Bra-
zil e os Reinos Uoidos fo-am semp-e boa3 (
cordiaes e urna tradiego feliz e=tabelecea qu*;
os dous governoa reciprocamente se anxiltariam
afim de se confirmar a amisade exialeate entre
elles.
O Brazil goza eos Estados scandinavo3 da re-
putago de pjiz, em que os governoa trabalnam
pelo progresso moral e material da patria : au
xiliando 33 obras soientificas, artsticas e de
oslrucgo publica, e desenvolvendo os recursos
materiaes lo solo e criam para os seus produc-
103 boas permuta?, favorecendo o commercio e
a navegago que ubi a.ham rcsuKados remans-
radores.
03 Reinos Unidos, apreciando altamente o fa-
cto de seus subditos serem bem recebidos no
Brazil, consideravam um dever conseguir para
03 interesaes brazileiros todo o apao e todas 33
liberdades ca Suecia e na Noruega, o que firo
sempre.
Com urna atteogo toda especial, o governo
acompanhou lodos os deseavolvimentos extra-
ordinarios que se operaram no Brazil uestes o-
timos tempos.
Notou que as riquezas do paiz foram cala vez
mais utilisadas, que vastos terrenos foram culti-
vados, colonias fondadas e constantemente au-
gmentada a immigragao.
Nao ha mais embaragos para que esses indivi-
duos procorem encontrar no Brazil um novo do-
micilio, por isso que ae lhes indicam regioea,
cujos climas Ibes convem, onde elles gozam d3s
protecg5es das leis, recebem remuneraglo de
seus trabalbos e onde se tomara, mediante con-
digOss estabelecidaa, p-oprietari03 dos terrenos
que mes baviam promettido.
Obaervou que o commercio brazile o omou
graodea proporgOes, que a exportagao auzooen
ta cada dia e a importagao representa semmas
considera vea, dando tambem lugar a urna nave
gaco muito activa.
Verificou que sua propria armada tomou par-
le importante neese mcvtmento, contribuindo
deste modo para a prosperidade nacional.
Comprehendeu que V. Exc. est animado do
deaejo de augmentar esse progresso e de asse-
gurar ao commercio e navegago toda a l.ber-
dade e tolas as facilidades permittidas ; e acre-
dita firmemente que V. Ex", conseguir afastar
todos os obstculos e pongos que Ibes possam
embaragar o desenvo.vimento.
Afim de realizar o stu deseio.deestreitar an-
da mais as boas relacOes entr o Brz cia e Noruega, Sea Magestade o Re meu augus-
to soberano, houve por .bem oomear-me e acre
ditar-me ao Rio de Janeiro plenipotenciario eoo
mi8sio especial.
O governo do meu palz est certo que a ami
sade e as boas relagOes que felizmente tem ex a
tido entre o Brazil e a Suecisa Noruega, lerao
por este motivo nova conflrmago.
Espera que os actos pe ideoiea e enrgicos do
governo de V. Etc., amparando o progresso e
os ioteresses nacioaaes, encorajarso o nosso
commercio e navegago para o Brazil e que coa
tribuirao para oelhorar a sorte dos navios sue
eos e no-ueguenses que ltimamente tm lutado
com d.fli :u dades imprevistas em alguns portes
brazil -iros, especialmente em Santo?.
Exprimindo assim os sentimentos de amisade
e aa esperarjga3 do governo da Suecia e da No
ruega, tenho a honra de depr as mos de V
Exc. a carta real que me acredita na qualidade
de ministro plenipotenciario em Misao especial
junto R publica dos Estados Unidos do Brazi!.
assegurando o meu vivo desejo de esforgar me
por conseguir urna approximago anda mais in-
tima entre aa nossas patri-.s. Lzendo votos sin-
ceros pela prosperidade do Brazil e pela felici-
dade pessoal de V- Exc. '
O Sr. marecbal Floriano Peixoto respondeu o
seguinte:
Sr. ministroRecebo com satisfago a carta
pela qual o vosso augusto soberano, querendo
confirmar novameate a amisade e a boa intelli
gencia que tem existido eatre a Suecia e Norue-
ga o Brazil vos acredita no carcter de sea
ministro plenipotenciario em misso especial
nesta Repblica.
Sou grato a Sua Magestade por este testemo-
nho de seu aprego e por fazer me inteira justica
persuadi do se de que, animado dos mesmos
sentimentos para com a Suecia e Noruega, es-
berei contribuir para que os recprocos ioteres-
ses dos dous paizes tenham, como Ibes convem,
firme e fcil desenvolvimento.
No desempenho da vossa misso, Sr. minis-
tro, reconhecereis a miaba boa voniale e 03 ea-
forgos que en e o meu goverao envidamos para se
attingir esse fim.
Agradecendo es vetos que fazeis pela prospe-
ridade do Brazil, vos retribuo com reconheci-
mento os que me dirigs pessoalmenle.
Lemos no 'Jornal do Commercio :
Foram-nos mostralos telegrammas de cida-
daos de diversas localidades do Sul de Minas
adhera Jo & idea da creago de um novo Estado.
Ac'ivaodo a propaganda da idea est a commis-
so orgaoisada na Campanba, presidida pelo Dr.
Martiniano B.-ando, do qual vimos tambem te-
legrammas, que para aqu foram expedidos, dos
quaes se eobrou taxa conforme os recibos e que
nao ebegaram ao seu destino.
Dizem 003, houve conferenica a respeito com
o Sr. vise-presidente da Repblica, mas espera
mos o resultado.
Ouvimo3 dizer que a pasta da guerra nao
est de sal moura, como pensa muita gente; e>
que brevemente, talvez, seja nomeado para ella
certo general de brigada. Em todo o caBO pre-
ciso primeiramente ouvir certo general do Rio
Grande do Su!.
Um despacho de Montevideo para c New-
Yoik Herald diz que o Uruguay propoz ao Bra-
zil um tratado de commercio.
Estado da Babia
Datas at 16.
Foi muito concorrido o embarque do coro-
nel Manoel Eufrasio dos Santos Dias, que se-
gundo o Diario da Baha presten all brilbaa-
les servigo3, o qual acaoa de ser transferido
do 16 bataibo para a guarnigo do extremo
norte brazil en oo Amazonas.
L se na mesma folaa de 13 do corrale.
c Conselaeiro Liberato de Maltes. Finon-se
ante-bontem este vulto notavel da nossa magis-
tratura. Sempre fiel a snas creogss polticas,
tomou parte ni revolugo de 1837, em que ocen-
pou potigo proeminente, e continuoo a .-e: uic-
dos fortes sustentculos do partido liberal, qee
ia procurar nelle sempre o auxilio e o coBselbo
que seo patriotismo, su& abnegago, sua llusira
gao nunca Ihe negaram-
Exerceu altos cargo? pblicos, foi presidente
le provincia, chefe de oolicia, juiz de direito,
desembargado.- e presidente da Rela;So e sea
procedimento nunca mereceu queixas : modesto
e amantissimo no trato da familia e no culto na
amisade, austero e inquebrantavel ec,'.mella da
lei e da justiga.
Era um magistrado modelo polo estado acu-
rado de direito, servido por urna ioteleencia
vasta e pela maia cortez e delicada amabilidade
que dispensa va a pessoas de toda3 as condig;3.
sociaes.
Por isso seu fallecimento foi recebido com pro-
funda do: pela populacho iateira desta cidade,
que vio sumir-se delta um homem exemplar,
urna das iudivilualilades mais puras e honestas
que temos conhecido, um magistrado que pode
se-vir de typos a essa nobre classe.
Paneciuentoa graves alteraram-lhe ba alguas
aonos a saude. que pareca at eato vigorosa, e
proiuziram-lh; a mc::e lamentada por 'cdaeta
ciJade.
O cadver foi dado sepultura bontem as 4
horas da tarde no cemeterio do Campo-Santo
entre as lagrimas de sua numerosa e desolada
familia e de seus amigos e o pe;ar sincero de
quan'.oa Uveras occaato de apreciar o elevado
quilate daquella alma de eleig&o.
A sua illustre familia, rergada hcj? ao p^so de
tamanha dd-, apresentamos a expre sao de nos-
sos sentimentos. especialmente a nossoa dignos
amigos Ilustres tilhos do finado, Dr. Manoel
Joaquim Liberato de Mattos, Francisco Liberdc
de Mattos, e a se estimavel genro Ciri03 Jos
de Ma-.tos.
Por noticiaa colhiias de jornaes d'abi sabemos
ter S. Exc. suicidaiose estraazulando ", cao
poiendo entretanto, adiantarem a causa, que o
levou a um tal desespero, por sobre elle guardar
sigui os mesmos j tr.iaes.
Suicidou se a jovem filha do carrector Ma-
noel Pinto Novaes. D- Julia Amelia Novaes, de
i anuos de :dde. Tendo se encerrado em sea
quarto de dormir, hngou fcg) ao enxergo do
leito e deixouse carbonisar.
A familia s deu pelo facto, quando ja as laba-
redas iacendiavam o telhado da casa.
TRANSCRIPCES
Formas de governo
(Do Diario Official)
XII
Ao espirito irreductivelmente progreJ8ia do
nosso secuto nao ha ob3trucg5o que se opponba
vantajosamente e diurnamente ; nao bi re
preza que tenha a caudal dominadora do livre
pensamento em toda a sua energa.
A3 nacionalidades europeas, porventura aquel-
las mesuas cojo carcter conservador a monar-
chla cultiva e romfna, sentlram e tambem e de
na muito arrastadas pelo dominio das ideas li-
bertadoras, e v5o ceden io passo e terreno a essa
intromissao benfica e fecunda, iue se denomtaa
a emancipajo espiritual.
A essa le social que rege 03 pnenamenos
vitaes daa grandes ociedades polticas, trasldas
evalugo redemp'.ora se nao pode fariar a In-
glaterra ao propno asaumpto religioso.
O espirito moderno km feto all, ueste ulti-
mes empo8, coaqciiias dignaa de appiauso e
fecndalo re^cgOes profundimente Balotares.
A lacla ha sido, no entaoto, daturna e porfiaia.
A aspirago democrtica, acompanhado a arg
dos I beraes inglezes, tem levado ataque pertinaz
i cididelU do p ivilegio religioso.
Si o que tem elle oDiido para o seu ideal re-
presenta a conitruegio do edificio social, sob
p ano da liberdade religiosa, nao basta no enl-
lanto para alfirmar-8e que o momeotoso proble-
ma leoba ebegado j a urna soluefio daal.
E qaando so eocaminha para elle ; quando,
devido a mltiplas causas, poasamos asegorar
a brecha largamente aberta no privilegio reli-
gioso, creador ue certa nobreza ecclesstica,

;
r
i
i





Diario de PeuoambucoSabbado !20.j

nioguem polea dizer que para tamo coacorrea riodojque esboc,auos. a aicledade logleza man-
monarchia da aftatrraina atada*).aa eve complalu sffail*iBinUi.daa^apiricoaiJibe-
o et plniM dos
eccIedUGOs,
o profuamea
esceptm do
(naide
riato-
Fssemo3s.eeel
rico daqueap>te
revolvessemaeo* seaaaodigos a
os repositoaaai abaatontes do
social e politice;, etMaaacniUrar
nbida a 3aoatariac>Sf>rap*3i'.o
culto pelas asnas sananims.
Traslaiemtayterao a termo, o jque d rao
demo publicisti sMindo. de-Uo im?ortnua3-
sutnpla!
... para desposar Anna de Boleyu, Henriqae
VIH oppoodo sea igreja romana, fezamudurecer
no s-u cerebro a idea de fuodar nena igreja, se
parala de Roma, da qoal fosse elle o chele.
Coastituio-a cora seo parlamento por succes-
9ivas leis.
O monarcha mlez realisoo ama especie de
comaromisso tentre a reforma protestante e a
doutnna catholica ; creou ama convenga) de
autondade era materia religiosa; a principio
com o auxilio de .Thamaz Cramwell, aaligo se-
cretario lo candeal Wolsej, depois com os boas
oficios do cardeal Cranmer.
Dotado devoolade e energa poaco com-
moas, aao se deixou superar, em sua emprea,
por obstculo algom.
i A excommunbao do papa o encontrn indi-
ferente, e, qaando seas conselbeiro3 se recasa-
ram a acompanhal-o, ella envin os ao cadafalso,
como a Tbomaz More e o bispo Pisber.
Pelos actos relativos as cacOes, applicactoes
e submissos do clero, Henrique VIII reformen
a jori3licao e disciplina ecclesiascas.
fien 1334 declaroa illegaes as nomeacOes epis-
copaes, Teitas pelo ebefe da igreja romina Q
xon regras para a escolba dos bispos e arcebis-
pos, instituindo nm simulacro de e!eic.oes, em-
qnanto a escola ticava, de fac'.o, inteira vonti
de do soberano.
N'esse mesmo anno, nm acto do parlamento
conferio ao rei o titulo de ebefe supremo da
igreja.
Emfim, em 1539, todos us ben3 movis e im-
moveis dos conTento3 se tornaram propriedade
exclusiva da cora.
Nos goveroos dos menores de Henrique VIII
a uuiao da igreja e do estado se fjrtiricou por
no vos lagos.
Eduardo VI faz redigir por urna commisso de
dootores em divindade um litro de preces, tor
nado obriga'.orio para todos os ei3. Cbegada ao
throno Mara, a sanguinaria, e3posa de Felippe
II, prohibi seu uso; 886 herticos foram coa
demnados fogueira no espato de quatro annos,
e n'esse numero est incluido o arcebispo Cran-
mer, que, depois de ler oceupado o solo de pri-
maz de Inglaterra durante 53 anaos, foi queima
do vivo em Oxford.
Isabel resiauron a or lem dos factos ante-
riores ao reino de Mara. Em 1339 o acto de un-
formidade restabeleceu o iivro das preces com-
muos,
Em 1571 foi fixado noto dogma da igreja por
.39 arligos de f; todos osecclesiasticos que se
recnsaram a sabscrevel os foram privados dos
geus officios. ad. __^ -^g>
' 'J'No reinado d Garios II', em 1662, outro acto
it umf mtdade fecbou a sene de leis que estaoe-
leceram a igreja aoglicana e Ibe deram a con-ti
inicio geral aue ella boje possue.
Esta igreja de ceno a obra da legislatura.
D'ella raeMM sua doutnna, iitburgia e disc:-
plina. O estado crea bispados e oomea prela-
dos s sedes vacantes ; funda oovas parochias.
fhcalisa a constru-cao de igrejas prescreve o
modo da aomeaco dos pastores, bem como os
seus deveres; distriua soa vontade as reo
< das eccleaiasiicaa ; impede a formago dos tri
buuaes encarregados de conhecer as queixas
dirigidas contra es membros do clero e de in
iliuir as penas para as offeasas commettidas.
E', pois. com razo. que, nos actos do parla
ment, a igreja anglicaaa designada sob o
nome deIgreja- t-a abelecida por lei.
Defensores da igual la Je religiosa na logia
Ierra aa*iani bem inspralos quando usistem o
toe as origen* da igreja anglicaoa. Si ella foi
fetta pelo parlamento, u parlamento pode desfa
zel a.
Occorrera aos privilegiados appellacOes para
ordem superior, espiritual e diviaa. Rebalem os
lioeraes essas appellacfcs, afbrmando que os
privilegiados se cao lembraram d'ellas quando
se sabxetteram egide da lei.
Demais, si reeonheceram competencia na le-
gitlagao para conferir-Ibes privilegios abusivos,
nao devem negar essa coipeenjia quando a le
gielatura juigae opportuno e a'.il annullar esses
meames privilegios.
O poder temporal da igreja romaoa, o qu3i,
como corrente na historia, nasceu da acjo so
berana de Pepino, o breve, foi colbido ategral-
mente oela igreja aoglicana, que n'esse ponto se
fez rtflexo fiel de Rama. I^jr-ja como aquella pri-
vilegiada, d'ella nerdou a intolerancia. Al 1688
persegoio o dessidentes da .ua doutnna cum
encamifiido vigor e s o acto de tolerancia, pu
blicado por esse lempo, libertou das penas le-
gaes aos tidadaos que n^o assistissem ao servico
do culto officia).
Vera dahi o primeiro passo impotente da
igreja pnvilegiida; e, achaulo-se inca;iaxde ata
car, collocou se na defensiva. Nao que essa
deft-asiva represente o zelo, anda que intole
rete, dos privilegios e da doutnna da igreja
Dgllcaoa. Ella "bstroe ou serevolta contra todo
o espirito progressisla, por ventura manifestado
por aspirares populrres. CollO-ou se como ob
stacu o formidavel contra (odas as formulas de
pregressoede todo o e3pi-ito de reforma. Le
vanton na poltica o esundarte do absolu isau ;
tu'enloa na peaalidade a doutnna de serem
punidas tocias as oflensas cum a pena capital.
Contra Jos Laocaaler oganisando a utruc{to
das cretagas pobres, ella desfraldou o estn lar-
le da ignorancia, c, vencida depois, praenrou
monop:lsar a tducajo do povo no claro ia:ni-
to de apostar-u da consciencia nacional, e tal-
tal mais lard-i ao domn;o a'osolaio por ella as
pirado Foi favoravel ao trafico dos cedros e
mais tarle escravido. E' r.ioda ella qu^ in
;en'.:u aion'.er a probib!o pela qual ningoeai
pa:u .-! fuaccionano publico cu muaicipa,
na qn uieita'se a potra prova da i
munhao ;'o ru oficial. Se rao bastase tji
essa accumul %io ie pravas cantra o espl no
democrtico, ja nao diz':mcs; mas contra redi-
mentar tnanifeata^fieg ca igvildade religiosa,
moa largamente appellar aindapara ou
tro? I ntoi tr pepos que ao espiri'o liaeral oppoz
e opro- a inst:tu:c;io ecclesiustica na qui-1 a
BBCarcbia ingleza acliou o mais forte io p.ra
fecbar a comente de coatriegao das graid i .-
piras&ts que, rpezar do espirito coaservaJor,
se bao desdobrato cus tiasses nao privilegiadas
da poderosa nsgo occidental.
Para mais urna vez proveaos quanto asserla
mos com r lago a intolerancia religiosa, estfia-
dida a quasi todos os fac'.os sociaes e polticos
na Inglaterra, bista lembrar o combate susten-
tado coctra a admissao d:s catbihcos e dos ju
oeus no 'o .1 j psriemento. Se repressnti este
ultimo fa< io a ioto'erancia religiosa um ri-
to c proprio saitilo esp.ritual, n. e-qa-carnes
que na commu'-acio do dizimo, as leis sobre o<
cereats, ao prc;o c!o trigo, a igreja anglicana
abri ca&paaka e baleu-se contra homens da
autora de Robert Peel a Richard Cobden. O
inll de reforma em 1831 euconlrau anda a in
flnuun ecclesiastica de p e alliada ao espirito
do partido tor}. Foi .. )>- isa' qne o bdl cabio
peanle a cmara do* lords pela colligafSo dos
bispos e dos conservadores.
Burgcs podres, Od Surum com um s
eleitor, Gatloo, com ciico, Buckingham
comtreze -Warehum com vinte, conseguiram,
oor forja de.ssa collig-go, obegar representa
c5 .C'la'Ofn1ar emquanto c dad:s industriaes
ue onmoira o^d^m, Cvmo Manchester, Leeds e
Bermigbam nao con.eguiram se hxer repre-
entar. Por esse Umpo o arc-bispo de Canter-
hu-v dec'arava que a abolifiao de semelbanto
estado de cou-aa era ao mesmo tempo malfica
e mTicosa, c Melca Worih aflirma cas paginas
de sua Historia de Inglaterra ., que aqaelle
prelado exprima os eentimentoa do episcopado.
RM no-sos dias, ha menos de urna dcada,
anda Be coahecia aiosti'uitao daclsse dos ,-rds
"ii'essijoaatiro secularmente desechado da
arta da aacao ingieza, relativamente Uber-
dade religiosa coroprimita, aanullada pelo po-
der de um culto offiial, de urna religiao le es-
tado, funlada por um soberano, construida pelo
seu parUmuuto e vivendo por centenares de an-
aos. iiiM
Si lncontrastavel verdade, que a livre con-
sciencia o tbermometro de precisao pelo qua I
te mel a t'mpera'ura do corpe social na soa
mais fecunda foocgao democrtica, forcoso e
concluir por opposisao que, durante o longo pe
bsaMtoi
araata lestssaonrissfaista-rprisiisitiJaswcae
osJsMeotjakiaa sssropatct repaaamia* na
^ tatiicOasv te rajstaM pe
;osaaki viai eaagoa isagas-saianio,
aoaata rMI Uniai iiaioa.
pati{30 do
Em sua obra Francezes e Ingltzes, pro-
cara Philip Grilbert Hamerton estabelecer
aa analogas e dissemelhangas cij carcter
e temperamento dos dous povos.
Ioglea de coradlo e de espirito, viven
bastante em Franca, para impreasiooar aa
da diffarenga de ooatumea, e babituar-se
um poueo selles.
E uos traeos :
E' opio'ao muito acreditada na In
gUterra que a religio odiosa e estupi-
damenfe perseguida na Francia, mas foge-
se de protestar contra o tratamecto que o
governo italiano applica as ordena monas-
ticas.
E' a velha historia do argooiro e da
trave.
Na Franoa, a egreja foi despojada pelo
poder secular, que lhe paga como indem-
nisagao dois milhSes de libraa esterlinas
por anno, e se encarrega da reparagao
dos edificios diocesanos.
Na Inglaterra, a egreja catholica foi
despojada pelo poder secular, que nao
repara cousa nenhuma, o nao lhe paga um
cntimo.
Outros sobre a d fferenga da parte ex-
terior entre o francs e o ingles :
Os gentlemen franceses, as suas
relaces com os inferiores, empregam
militas vezes termos de urna polidea ex
ceisiva para evitar urna grando famila-
riedade, e sSo perfeitamente comprehen-
didos.
Com os costimes inglezes, a excessiva
polidez parecera pauco natural, e o in-
glez parapeita-se detrs d'uma fra re
serva.
As maneiras dos individuos represen-
tis sempre um ideal qualquer : na la-
glaterra a dignidade ; na Franca e a
gentileza qne prevalece
t m editorial, disae o Paiz:
Dizem-nos tambem que o Dr. Amaro
Cavalcanti abrir franca e tenaz opposi-
(ao a uu projecto destinado, segundo se
diz, a depor os bancos emissores existen-
tes, para serem encampadas pelo governo,
as ac'.uaes emissoes e dar azo creado
de um novo banco nacional, que ser di-
rigido pilos conhecidos membros do sin-
dicato bour$ter, encarregado de derrocar
em seu proveito as instituidles bancarias
existentes.
Delpeoh, deputado, esbofeteosj o depa-
Wr,a^ap?rjorB*4B>ta,tsboleeou rdepa-
tsA. Mmtna.
AAaUia*4^miaavebekeaaUla mata stt a
vasajMikaasMU-a a SMissa? Fraeoa, ^em ouja
faeetpiaam aaaeejp -epraaatt1% urna
astnaa iadelevel.
Nena Ib'* IabwSo eUtuane eutre.Oaste-
linreDaJpech;-avliaada polcia cor-
reccional da Wamps por Boudeau ; e a
querella de Latir contra Constans.

Sobre esse incidente ama dupla con-
sigoagao do Correh da. Buropa :
0 ministro Constans tem sido muito
felicitado e cumprimentado, tanto no mi-
nisterio como em casa, attribuindo lhe o
Gatdo't estas palavras :
Podem dizer de mim o
rem nos jornaes, maB n3o
nunca que me insultaax cara
tribuna rarlameatar, parante
estrangeiro.
Sinto nSo ter podido canter me, certo,
mas nao me arrependo do que fiz
- Depois de encerrada a sessSo, o
esbofeteado telegraphoa a Richefort, pe
dindo-lhe oenselho sobre se devia desafiar
Constans para um daello, r>\i oham*l-o a'/s
tribunaes.
A resposta de Rochefort foi a seguate:
f Ningnem se bate com as IadrSo, um
violad ir de creaugas e um trapaeeiro.
NSo se chama aos tribunaes um homem
desses, porque nos tribuaes nSo ha justiga,
e oa magistrados sao lacaios do overno
1 orno tudo isto edifieante !
E ainda mais partindo das classes diri-
gentes e dos homens de lavas da pelusa.
que quire-
consentirei
a cara, na
o paiz e o
INDUSTRIAS E ARTES
Tinturarla
Os bancos emissores, e especialmente
o banco da Repblica, estSo de tal ma-
neira entrelazados com a fortuna publica
e .particular, de tal forma j fasem parte
do organismo da familia e da patria bra-
..ileiras, que o governo, o parlamento,
administragao publica, preoisam antes a-
puial-os, fortalecel-os, se for preciso, mas
nunca desacredital-os, nonca contribuir
para o mais pequeo motivo de duvida a
seu respeito.
Enc-nipr o governo emiseoes de 365
mil costos, quando se trabalha para faser
desapparecer o papel-moeda no valor de
167 mil !

Em suas notas avulsas estampoa o Dia-
rio do Commercio :
* Consta que ao presidente do Estado
do Amazonas foi dirigido o segumte tele-
gramma :
t Gesta tua non laudantur.t
Nao resta a menor duvida que breve
monte taremos nesta cap tal o Sr. Dr.
Tbaumaturgo de Azevedo.
E para sao j lhe foi mandada a con-
dcelo.
Ainda outra concordante em genero,
numero e caso ;
t Ua piniSo assentada no alto sobre
.ifgocios de revolta em Fortaleza.
A lei tanto pune aos pequeos como aos
grandesfoi sentencia que cabio de labios
autorisados, por occasio de urna confe-
rencia.
O principio inaUcavel.
E j teve appcac^o, icrescentamos
nos.

Est* urna reminiscencia das do Buiz-
t Esta transferencia das festa* do car:
naval est muito engranda.
Inventen c Sr. intendente Franja Leite
qua a a.ude publica se compromettia se-
riamente com a reasa^So de taes fol-
gaed s na quadra epidmica, como sem-
pre a do ver2o no Rio de Janeiro, e a
Como que pole assevararse que vai passar
por urna verdadera revolugao essa industria,
que, como todos saben, deixa maito a desejar;
pois um tecido qualquer, tingido pelos procs-
eos conhecidos e usuaes, tica sempre sendo nma
cousa para remedo, como vulgarmente se diz.
Por mais esfor^os e cogitacOes qae teobam
empregado nos centos civilisados e adiantados
dos do velbo mundo os que se iote.-essam no
pregresso da industria tintureira, ainda nao
ioule esta conseguir cnegar a um p de ap;r-
eiQoame.ito, que autorizaese a dizer se que es
tava dada a respeito a ultima palavra. Esta
gloria, porm, vai caber a um nosso compatriota,
um d'estes infatigaveis trabahadores que sabem
empregar iutelligenteaneate a sua acivi uu e
que teve a felicidade de ver cora do dos mais
brilhanles re.-ultad03 os seu esforcos : essa o
Sr. Jos Giuario da Araujo que exhiba ha pau
co no Rio de Janeiro diversas amostras de teei
dos de l e seda limpos e Ungidos por um pro
ceeso seu, fru to de acurado estudn a qne se de-
dica ha multo e qne causa verdadeiro eatbu-
siasmo pela perfei^o que apresentaram.
Ordinariamente qualquer panno tiagido recebe
a tinta em lodo fio, Gando da mesma <6r tanto
de um como de outro lado, o que d lugar a se
conbecer i primeira vista tratarse de um piano
velbo: e isto justamente nao a;ont>c ao tecido
submettido ao processo do Sr. Jos Edmunio.
II-e be o colorido muito rn.is .1- u u iat.i >io
qu>! do "autro, de modo qua em nada tica diffa-
a reile do pauno sabido da loja, seoJo que sobre
esta grande vanUgem, tem a da perfeic2o das
cores e da conservaba a dos matizes.
O Sr. Jos Edmunio pretnde moatar urna
casa para exDlorar sua industria
disse
amen .' ao
na folhi
ie Jucho
Intendencia toda inteira
Sr. Franja Leite.
Vai dahi, resclve faz> r errata
nha e pasa&r para 26, 27 e 23
os dias gord)s.
Faltava a saosa) do minis;ro, e j o
chafe de polica estava sendo cffioiads
p.Ia intendencia para nao dar licenga a
grupos ou clubs que pralcndess m sabir
nos dias do carnaval n. 1.
Depois de muito esperar, de muito ra-
lar, de obrigar a imprensa a reclamar e
protestar, o miuistro apprcvou a sabia e
bygieaica resolucSo com que a ..ntenden-
ca se propoz a salvar a saude e a vida
dos muoicipes, mais cmpreme ttidas pela
folia de tres dias do que pela immudice
publica de todo o anno.
De.-os de approvada pelo ministro a
transferencia, nova transferencia a laia
de errata em obra que nao tem por onde
se lhe pegue ; em vez de 26, 27 e 28 de
Jur.h >, laia se 19, 20 21 do ma;mo moz.
Naturalmente ioso foi lambra'cta do Sr.
Tasso Fragoso, para nao parecar que a
intendencia augmentava as testas de S.
JoSo e S. Pedro com cancana e cham
pagne.
Mas, destocando o carnaval, i ocou-o
agora entra 3. Joao (a 24) e Santo Auto
nio (a 13).
E' poesivel que essa circumslancia io
dusa ainda a intendencia a fas :c segunda
rectificasSe, ^^ a causa acabar parecen-
do se com a errata de Sua Magostado a
rainha, que sabio Sua Magestade a baiuha
a rectificando appareceu Sua Ma^eataie a
tainha.
*
Um autem genu.it de bofetadas, na
Franca, no palacio Boarboo:
Constans, ministro do interior, sbofia-
teou o deputado Laur ;
D wicy acaba de inventar um curioso ventila-
dor elctrico, que fornsce ar qnente oa fro, se-
gn lo s quer.
Desejando se fro, o apparelno posEoe um mo-
tor elctrico que faz girar um ventilador qoe
expelle o ar.
Qjando so quer ar queote, faz-so pausar urna
correle elctrica por urna rle de Qos Ous de
que sao muaidas as palas, at que Squem incan-
descentes.
A corrente que acciona o motor serve tam-
bem para tornar incandescente a re le de Sos,
dividindo se 4 sua passagem pe..3 conductores,
entre o dynamo e o veotilador, por meio de obs
tcalos col oca dos no circuito.
Um commutador basta para fazer passar o ap-
pareiha de calor ao fro.
O eystema pJc ter muitis dispo-igOes, forae-
cendo sempre 3 palas urna corrente de ar fro,
que passa atravez de um disco constktoidO por
um lio enrolado em espiral, que se aquece, fo-
seado se por elle passar urna corrente elec'.nca.

O em prego da luz elctrica' com o fim de at
trabir na pesca 03 peixes aos aoze3, tem dado
um excedente resultado as experiencias feitas
at hoje sendo jl ordinariamente usado.
Na California oraaiza-se ama flotlba especial
de pesca, onde se utilisar este processo.

Parece ter-se descoberto un suceedaneo da
borracha, qu; nao se tam at hojo aproveitido.
E' nm facto, de que decorrem muitas vanta
gens para a grustrta.
Este descobriaiento, diz a Niture, tanto mais
importante quanto certo que de da para da
se multiplican) os usos da borracha, aa mesmo
tempo qae esta substancia je torna cada vez mais
rara, em conseqoencia do dasapparecimento das
florestas do arvoredo da borracha.
O succedanea mineral di borracha obtem se
com os residuos da par.licaco do alcatrao pelo
acido sulpbarico.
Aprcseata-se sob a forma de urna materia ne
gra, semelbaute ao aspbalto e possoinde a elas-
tiidade da borracha.
Parece que j se zeram ni Inglaterra diver-
sas experiencias com xito, desde novo pro-
ducto.

REVISTA DIARIA
Aa cickee* de amanh-Devem effec-
taar-se amanh em todo o Estado aa efeicas
oara Senauores e Deputados Es.adaes e para
Prefeilo, Sub-prefeito e Conselheiros atuaici-
paes.
)a accordo com o Regulamento eleitoral de 9
de Janeiro, decretado pela Junte Governativa,
Dea garant la por um terco a represeataio das
minoras.
A' iiislallacta das mesas ekitoraes, eleitas
pelas Intendencias. |sr logar no proprio da da
e ig.'to s 9 horas da manha e nao na vespera
como anteriormente se proceda.
As chapas apuradas deverao ser rameitidas
ao mesmo da oa no da seguinte Intendencia
d> respectivo municipio.
O voto poda ser secreto ou descoberto. No
primeiro cas) caso o i leilor depositar suas ce-
doi-H na una. No segando o elitar votar por
meiode Ilotas abeitas. 8is), por elle proprio assignadas, apres-.atan
do-as em duplcala ao presidente da mesa.
Os (-leitorcs deven) procurar i j vi-ai ;do
municipio, atim de sabarem a secgo em que
leem le votar.
Sob pena de su>p ngo dos direitos polili-
eos BOr 2 a 4 amos, os'-.idados designados para
mesarlos nao podem feixarde comparecer, salvo
\ asa j i lia :jja peraote a respectiva masa.
Incendio ena alto marPor lelegram-
ma recebida honlem, pelos Srs. Pereira Garn i
io < C, desta praga, .genies da Compaohla i\a
NovegaccSo Jarioc no Rio de Janeiro, sabe se
que na altura de Caravrllas, n Batoja, ocan-
diou-se o va.ior iNHonal Nbula* daqu"lla
Companbia, que corregido com algodo, 'asa-
car, aguardante e outros artigo., daqai saludo
no oa 14 do corrente mez, para os portos do
Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pelotas e
Porta Alegre.
Sabe se igualmente qae salvou se toda a tri-
polaco; aguardando-nos Para novjaa noticias,
depois de obtermos os pormenores qoe nio fo-
ram atesie momento traasmildos a respectiva
agencia.
Sas"*' loEssa paquete nacional,
do Llnyd Brazileira^qoie/bootem denou o porto
datar, aqu espetado no dia il.'domingo,
aajainJo para osrjsiaros do-aul, aatarde do mes-
mudia.
M IlluatrAttalaAaMkaeAtv c*ecebe-
mos.03 ns. XLV11 e KL^lUes^e acre litado or
gao t'a aprensa madrea oque vai am o seu
SSXV anno de glasto* asssencii vt oswcvisita
no#* sempre muiocagradavel pelo aprunrado
doawu estylo grapMeo e Herano.
mu entre iyttiajnpjuas< rapreseataado-diJe
re*** assnmptos. ires liados qaadro coloridos
dignos de preciosas moldaras.
lacabype Este paquete da Gompanhia
Pernambuoaoa seguir boje s 4 horas da tarde
para os portos do sal at a Babia.
Club curio Gome*-O importante Club
coja denommaco litula esta local abre os seu3
brilhanles saldes oa noite de i8 do corrente e
de t de Mirco prximo daos pomposos saraos,
cem os quaes caleora o carnaval.
Saraos dao3inte8 e carcter, no poiem del
xar deagradersummameoieaosqueelles forem
presentes, qoe ao retirarem-se tra-ao as melho-
res imprebsOes, tanto com referencia ao diverti-
mento, como no que toca a gentileza e amabili
dale dos cavalbeiro3 que dirigem a distincia
sociedade.
Cabo teiegraphioo- De Li-boa duem
em ti do corrente para o Jornal do Commeroio
do Rio, que urna companbia ingleza tinba assig
nado contracto para a collocagao de um cabo
telegraphico entre Lisboa e a liba dos Acores,
devendo o respectivo servido cemegar a fuoceio-
nar dentro de um anno.
Mala ana inaladoDe Ntevr York dizem
que orna commisso canadense acaba de nego-
ciar com os Estados Uaidos nm tratado de re-
ciprocidade.
Club itepubilrano da TorreEm
se?sao ordinaria reahsa la no d'a i fuoccionou
esse Club, sendo na mesma sessao, sob pro-
pos!as dos Srs. Ribeiro da Silva e Mario Chaves
aceiio8 socios effe;tivo3 os Srs. Arlhuoio Vieira,
Eurico Wi'ruvio e Uanoel Araujo.
Poi marcada nova sessao para o dia 23 do cor-
rente.
Municipio de Olla JaSegundo nos in-
forman), sao candidatos do partido republicano
para o cargo de prefeito o Sr. Manoel Alves Bar
bosa; e para a de snb prefeito o Sr. Joo Bap
lista da Silva Maoguiaho.
Procer* i Uoca -No Jia Iz, a bordo do
vapor Rosario ebegaram di Europa ao lio
o Dr. F. Trujano e o alumno da medicina Jos
Roxo, que fo-am, com outros collegas commis-
3ionados pelo governo, para estudar o processo
curativo da tubrculos-* e da iaveocao do D\
Koch.
ocledade kunriiiei DasReuni-
se aote-boatem em sessao ordinaria essa socie-
dade.
1 Ne?sa ses3o teve lugar a recepeo do socio
efTectivo Alolph) Ribeiro, nos termos do3 esta-
tutos; e discutiram-se as tbesesO direito de
propneiadeoraaio 03Srs. Ananias de Almei-
da, Alfredo Campos e Fernaado Cavalcante; em
a in3irucgoliscursando o Sr. Henrique de
Barros.
A segainte sessao '.era luar na quinta feira
prxima, que foi desigaada.
Cumn annexo Fui este O resaltado dos
exame.3 de tjeographia bavidos no dia 17 nesse
curso:
Manoel Gonci'ves Nones Machado, Aivaro Ot
toni do Amaral, Alvaro Augusto de Carvalho
Aranba e Jos Mara da Silva Oliveira, levanta
ram-se da prova e3cripta.
No da i9, em algebra, foi este o resultado :
Hermillo Niniano de Mello Ribeiro, approvado
coui distineco; a Alvaro Ottoai do Amaral e
Jos Maria da Silva Oliveira, approvados sim
pleameote.
Na segunda faira prxima come;am 8 ho-
ras do da os ex-: ees de geometra.
PalleeiaaealoFin.ou-se ante-aoalem pela
tarde o general Francisco da Costa R-go Momei-
ro, n se cooterraueo e um dos pernambncauos
que por ;eus servicos illcstraram a ierra em que
nascera, e a patria brasileira a que servio tem-
pre com o fervor do verdadeiro soldado e do pa
triota dedicaao.
Depo'itado o corpa na Cooceiao dos Mil ta
res, dahi teve logar o sabimeuto para o cemite-
rio de Santo Amaro houtem tarde, acompa
aliado de grande numero de amigos e rmos
d'armas, readeado lhe assim os unimos obse
qei s da amisade, e da considerado qne Ibes
mereca.
Foram-!he feitas as aonras miiitares a que ti
nba d,relio.
Nosas condolencias soa familia.
Uoui de Detenkra-O club mu.-ial
deaga denominago tomar parte nos divert-
melos carnavalescos.
Neste proposito sabir em p.s-eio. percorren-
do diversas ras desta cidade; e no primeiro
da do carnaval da'i um sa~o en su sede, qae
promelte ser brilhanie. pois a commisso que do
mesmo -aro est incumbida, nao tem poupado
esfor^os, para reaiisar esse desidertum.
Igualmente o aliudido club far amanh um
passeio em bond at a Magdalena, partindo da
eslaco do Brucn s o horas 53 minutos da tor-
de. Regressar s 7 horas da noite, e desjendo
na praca de Mo-iel Pinheiro, dahi seguir tocan-
do a recolber em soa sede.
Bota de OnroCabera este aano a gra-
ciosa rainha de Portugal.
Sua Sacdale Leo XIII resolveu enviar, por
occasio das testas daPaschoa, a Rosa de Ouro
a rainha Fidelissima.
Paatorll OlindenMe-Esse club carnava-
lesco rene se amaoba. para proceder a eleigo
da sua directora.
A reuijao te- i lugar em sua sede, roa do
Bomlim em Olila, pelas 3 boras da tarde.
vervico militarHoja superior do dia
o Sr. marjor Meirelles, el laz a roada de visiU
am subalterno do li* batalho.
O 3* bataiho de iafantaria dar a guarnici
da cidade, excepto as guardas do Tnesouro e
Detencito, qoe sero cadas pela brigada policial.
Faz da ao qaartel general o Sr. cadete Ca-
ntil.
Uniforme n. 7.
Estado do Bio Grande do \orle-
No dia 14 comejaram as sesses preparatorias
do congresso desse estado, ncando assim orga-
nisada a mesa:
Presidente
do dos Srs. desembargador Vicente Neiva e Dr.
Ioojosa.
S. Exc. tendo rindo ha poueo da capital feie -
ral, aqui se daoiarou. deveado prximamente
seguir san o Matado darParabvba, onde reside
e aaciaaemanteespsrado palos sena numero-
sos anigeApasteaes e de commaabo poltica,
para os qeaes no tor:o natal o centro de can-
seibo e dircgo.
Agradacemoi ao illustre cavalbeiro a gentileza
que para cemnosoo teve em sua grata visita.
Beato* doecifeEsse Ciub carnavales-
co resol veo sabir em poaseio nos-1* e 3* dias do
carnaval, percorrendo varias roas desta cidade,
manteado assim os seus precedentes de oto
anuos.
Conferencia poltica Aotebontem
noite effectuou-se no Tneatro da Capunga urna
conferencia poltica, a qua compareceu cresciao
numero de eleitores da freguezia da Graga.
Occupou em primeiro lugar a tribuna o cida-
do Luiz Gonzaga Bacellar qae dissertou sobre
o pleito eleitoral do dia 21 do corrente, conci-
tando o eleitoraio a comparecer s urnas, sendo
muito applaudido.
A pedido geral U30U em seguida c Dr.. Thisgo
da Fonseca sobre a conveniencia da uoio ao
eleitorado republicano, que dena, em seu enten-
der, suffragar a caana apreseatada pelo directo-
I"rio do partido.
Ambos os oradores foram muito applaudidos.
>ov aaseiio At agora considerados
em complexo tres eram 03 flagellos: guerra,
paste e fome.
Sem duvida pela evoluco um outro sobreven),
temeroso, de etfeitos desastrosos : e a nomen-
clatura accrescida e se enriquece.
- Peior que a guerra, porqoe nao meno3 que
esta ; p-ior que a peste, porque a tolos affacta ;
peior emfim que a fome, por que esta propria-
mente, a falta qae ha desde muito de troco mia-
do j leva ao desespero.
A exploso deste pode nao ser muito pacifica ;
pode traduzir urna forma inconveniente.
Ao governo, encarregado de acautelar 03 in-
teresaos geraes, compete providenciar a respei-
to, satisfazendo assim os instantes reclamos di
todas as classes, e da imprensa.
Ainda hontem nm illustre cidado no3 veio
coramoaicar qae em Garanhuns as transaccioes
commerciaes esto quasi paralysadas, princi-
palmente nos sabbados.
Chamando para es3i terrivel caiamidade a
aeco dos poderes competentes esperam que se-
ro dadas promptas provideacias, aiin de, se
nao debellar, ao manos minorar os effeito3 da
crise que nos assoberba.
Beunlo poltica Hoje s 4 horas da
tarde, o Or.Thiago da Fonseca realisa no Largo
da Paz, freguezia de Alegados, urna reunio po
litica arim de cemoastrar ao eleitorado dessa lo-
caltdade a conveciencia de comparecer unido ao
pleito do da 21 do corrente.
ciub Cario* Comes A banda musical
deste Clab ir a passeio amiahS a tarda at o
arrabalde de Fernandas Vieira.
A referida banda tomar o bond ca estaco
da roa do Brum ; e em seu regresso, sal'ar na
Praga Maciel Pinheiro, donde seguir a p at a
sede social.
casamento elvilHontem no juizo dos
4* e 5o districlos foram affixados edita a de p-o-
clamas de casamento dos aeguintes contrabea
tes :
Segando
Ali'-edo Vaz de Oliveira, morador na fregue-
zia de Santo Antonio, con D. Francisca Cirne,
moradora na freguezia do Boa Vista.
Primeiro3
Manoel Marques de Souza, com D. Mara da
Conceico, moradore3 na freguezia do Poco da
Panella.
Jorge T..SSO Jnior, com D. Carsima Augusta
Coelbo, moradora na freguezia da Graga.
Beviaia do ObservatorioRegistramos
agradecidos a recepfo do n. 12 dessa publica-
cao meosal do Observatorio do Rio de Janeiro.
E' este o summario das materias comidas no
mencoa3o numero:
Qiaudo comega e acaba o dia.Estrellas fu-
gaces, blidos e aerolitos.Revi3ta bibliogra
pbica.Revista climatolgica do mes de No
vembro de 1891.Jornal meteorolgico do mez
de Nov.mbro de 1891.Resumo das observages
meteorolgicas feitas no Observatorio do Rio de
Janeiro no mez de Novembro de 1891.Revista
climatolgica do mez de Dezembro de 1891.
Resumo das observages feitas no Observatorio
do Rio de Janeiro no mez de Dezembro de 1891.
Jornal meteorolgico do mez de Dezembro de
1891.
Inspectora de *. dUtrlcto man
tinto Recife, 18 de Fevereiro de 1891.
Boletim meteorolgico
Horas Term. centi- Barmetro Tensao do
Pernamboco, Santo Antonio
e-
Maooel,
pasmo.
vu!resa,,'i,eraiInbUC0 ttQ0- *-i! coa-
Alexaadrino Barros Coelbo Cear
Boa-Tista; lesio cardiaca. '
ta ^tubrculos pulmonares.
DelflnaOJUria da Conceicio, frica, so anaas
Recife; accesso permeioso. *
Un feto do sexo emiaino, Pernamboco Re-
cife. '
Amalia Carolina Pereira, Pernambuco, m as-
nos, S.Jos; tubrculos pulmonares.
""
10 annoi,
8 annos. Boa-Tia-
C0MMUN1CAD0S
A eHlfo do dia ti
Trava-se no prximo domingo (21) um pleito
bonrosissimo em que mais urna vez c pove pe
nambucano afbrmar a soa vontade, agora tor*
na4a real, porque n3, que nos batamos pela
verdade eleitoral, queremos nm pleito livre e
moralisado.
A campaaba abstencionista iniciada pela op-
pasico, consciente de sua derrota, n&o encon-
trar echo 00 espirito publico, que se ach coa-
victo da supremaca de nossas Ideaes.
O eleitor, comparecendo s urnas, nao s ex-
ercita am direito inilludive! como compre ua
dever sacra'.issimo que nao pode ser desprezade.
A abstengo portanto, um crime de leso pa-
triotismo e aquelle que, levado por suggesteg
impatriticas, de deixar flear quedo ante a emi-
nencia do pleito que se vae ferir, um reo e
cmo tal merece a mais severa punigo-
Alm de ludo pela primeira vez aps a pre-
cian) gao da repblica vamos ter ama eleicao
inteiramente livre e veriadeira, em a qual ser
respeitada a vontade popular, qualquer que seja
osen veredictum.
Nenbnma razao. portando, justificar a absten-
go e toso aqaelle que :sentir no corago urna
scentelhade patriotismo deve concorrer s urnas,
arim de afirmar o seu dse jo e manifestar a sua
vontade.

O directorio do Partido Republicano, consul-
tando os mais legtimos inleresses pblicos e
tendo em conta as indicages dos diversos ami-
gos da capitel e do interior do e3lado, pubcou
as seguintes chapas, que devem ser sufTragadas
pelo eleitorado como penbor de seguranga indi-
vidual, da moralidade administrativa eda bones-
lidade poltica.
Eis as chapas
1
f -i


grado
6 m. 27,3
9 28,"i
12 . 29,0
3 t. 28/2
6 * 281
dade
71
67
69
70
70
Dr. Jerooymo Raposo da Samara.
Vice-presidente
Dr. Hermogenes Tinoco.
1/ secretario
Augusto Albuquerque Maranho.
2." secretario
Dr. Manoel Moreira Dias.
O estado continuava a gosar completa traa
qulidade.
Tinha cabido algumas chuvas no sertao.
Boa da mperutris -Foi designada urna
commisso para ornamentara ra da Imperatnz
nos tres dias do carnaval.
Essa commisso, compasta dos cidadios Gui
lherme Spiller, Jouquim Teixeira Peixoto, Fran-
cisco Moreira Das, Francisco Maya, Justioiano
Psreira da Silva e Albino A. da Motta Barrete,
merece o apoio de todos 03 habitantes da refe-
rida ra, que, como nos annos anteriores, deve
coorir-sede vistosas galas.
Clnb Carnavalesco a Jocleys Eis o
itinerario dessa club pira o 3. da do carnaval:
ra do Coronei Suassuna, iravessa do Peixoto,
Mrquez do nerval, Baro da Victoria, Trincbe-
ras, Estreita do Rosario, Larga, Primeiro de
Ma-g), Qu'.nzo de Novembro. ponte Buarque de
MecedO, caes do Apollo, ra Marqu z de 01 Bou Jess, largo do Arsenal da Mt loba, ras de
S Jorge Occidente,Birlo do Tr'umpho, Apollo,
ooata Sele de Setembro, caes 22 de Novembro,
pateo do GoUegio, becco da Congregago ra
Duque de Caxias, paleo do L.vi a i:enio, neceo e
ateo de S. Pedro, ras da Virago. Marcilio
Das, Vidal de Negreiros, Imperial, Viveiro do
Muniz a recolner-se.
EqnatearEste paquete da Compagoiedes
Messageries Maritimee, que deste porto sabio a
(a O1) vapor
735-.05 19,22
756-,65 19,40
756-.03 20,24
754-,79 19,71
75S-.53 19,71
Temperatura mnima 26,50.
Temperatura mxima 30,00.
Evaporago em 24 bora3 ao sol 9",5, som-
bra 3,i.
Chuva nuil).
Direcgo do valo E e ESE alternados de meia
noite at6.00 da manh. ESE com interrupgea
de SEe at meia noite.
Velocidade media do vento 6-,07 por segundo
Nebulosidade media 0,43.
Boletim do porto
Fra mar ou Das Horat Altura
baixamar
B. M. 18 de Fevereiro 1-20 da t. 0-63
B. M. 18 de 8-04 da t. 1-92
B. M. 19 de 148 da m. 0-63
dlssas fnebresSero celebradas
Hoje :
A's 8 horas, no convento do Garmo, pela alma
de DooatillaTelies Baadeira de Barros; s 8 bo-
ras na igreja da Madre de Deus, pela alma de
Abilio Alves Fernandes Aguas.
casa de uetenedoMovlmenio (los pre-
sos da Casa de Detencoo Recife, Estado da
-ernambuco, em 18 de Fevereiro' de 1892.
Existan) 374, entraran) 3, sahiram 0, exis-
te 377.
A saber :
Ncionaes 332, manieres 25, estrangeires 20
-Total 377.
Arragoados 318.
Bocs 300.
Doentes 10.
Loncos 6.
Loaca 2.
Total 318.
Movimento da enfermara
Tiveram alta :
Javencio Duarte de Deus.
Aotooto Baptista de Lyra.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
ment por 120 pessoas, sendo homens 58, e mu
Iberes 62.
Hospital Pedro II0 movimeon deste
estabeiecimento de candada, do dia 18 de F-
vereiro, foi o seguinte :
Existiam "l
Eniraram 16
-----627
14
2
581
-----597
pelos seguin
Sabiram
Falleceram
Existem
Para cenadores
Dr. Albino G;na!ves Meira de Vascoacellos.
Dr. Iznacio Alceaiades Velloso.
Jo> Luz Gongalves Fcrreira(Baro de Aranba).
Domingos Francisco de Souza Leo (Visconde
de Tabatioga).
Tenentecoronei Julio Angosto da SerraMartins.
Dr. Francisco de Reg Barros de Laceria.
Dr. Manoel Gomes ce Mattos.
Dr. Manoel da Trindade Peretti.
Dr. Ermirio Cesar Coulicho.
Desembargador Adelino Antonio de Luna Freir,
Para deputados
Dr. Jo. Izidoro Martins Jnior.
Dr. Joo de Oliveira.
M jor Luiz Augusto Jceibo Cintra.
Tenente Eugenio Bittencourt.
Dr. Pedro Francisco Corrtia de .veira.
Dr. Jos da CunQa Rabello.
Tenente Aululiano Brrelo Lins.
Dr. Eduardo Rodrigues Tavares de Mello.
Tenente coronel Francisco Vidal A'anba Monte-
negro.
Capilo Juvencio Tuciaoo Manz
Tenente Joo Francisco Jorge.
Salvador Felicio dos Santos.
Dr. Joo Coimbra.
Antonio Marliciano Veras.
Tenente-coronel Antonio Gomes Corrtia da Cruz.
Dr. Esmeraldino Olympio de Torres Bandera.
Cipilo Manoel Jos da Cmara.
Dr. Luiz de Caldas Lins.
Joaquim Lopes Machado.
Manoel Eugenio da Rocha Samice.
Para prefeito
Dr. Joo Ribeiro deBrito.


^
Dr.
Para sub-prefeito
Maaoel ClemeGtino de Barros Carneiro.
Para o Conselho Municipal
Joo Walfredo de Medeiros.
Ulysses Frederico de Alnceida Albuquerque.
Tenente coronel Jos Fiuza de Oliveira.
Dr. Agostinho da Silva Leal.
Joo Jos de Amorim.
Dr. Jo: Austregesilo Rodrignes Litar.
Joo Facundo de Castro Menez-e\
Dr. Virginio Marques Carneiro L>'c
Seb.siio Manoel do Reg Barros.
Manoel Joaquim da Coda Ramoi.
Cada eleitcr votar em cinco ceduias :
Urna para Senadoros, com 10 nouies ;
Urna para Deputados, com 20 nomes ;
Urna para Prefeito, eom 1 nome ;
Urna para Sub Prefeito, com 1 nome ; e
Urna para o Conceibo Municipal com 10 no-
mes.
CHROHICA H0IC1AR1A
Superior Tribunal de rustica
SESSAO ORDINARIA EM 19 DE FEVE-
REIRO DE 1892
2 do crranle, cbagou a Bordeaux a 16. coofo.me
com nuicacSo leiegraphica recebida pela respe-
ctiva agencia neste estado.
eetlauAotebontem tarde, no largo de
Sildanlia M-irinbo, o acadmico Jos Braziliano
realisou um meetiog, pronunciando um longo
discurso sobre o peno do da II do correte.
Or. doaqulna Pernamboco Ube^ou
effectivatnente hontem da capital federal, a bor-
do do > Fioance >, o Sr. Dr Joaquim Peraam
buco, rprese itaute deste Balado ua Cmara dos
esputados federaes.
VisitaHontem fimos obsequiados com a
visita do Exm. Sr. Venancio Neiva, acompanha-
Foram visitadas as enfermeras
tes Drs.:
Moscoso entronas 9 horas da manha e sa-
bio s 9 3/4. ,
Barros Sobrinho enlrou as 7 1/2 da manb e
sabio s 8 1/2.
Pontual enlrou s 91/4 da manbi e sabio e
9 3/4.
Berard) entronas 11 da manha e sahio s
11 3/4 horas.
Silva Ferreira entrou s 10 1/2 da manha e sa
hioslU/4.
Aroobio Marques entrn s 9 1/2 da manbS
e sabio s 11 14.
Andrade Lima eulrou s 9 1/2 da manha e sa-
bio s 11 1/4.
Pbarmaceutico entrou s 9 1/2 da manb e sa
bio s 3 horas da tarde.
Lotera do Estado do rio-Par*
A 3." serie da 51* lotera, deste Estado cuja
premio grande de 120:000*000, ser extrahida
no dia 20 de Fevereiro (sabbado).
Lotera do Uaranhae-A (7* serie da
6* lotera desle Estado, cujo premio grande
de 300:000*000, sera extraada no da 24 de
Fevereiro (quarta feira).
Crmlterio Pnalleo Obituario do dia 18
de Fevereiro:
Joo Fernandes Fiscber. Pernambuco, 44 an-
uos, casado,.S. Jos; arterio seleuse.
PRESIDENCIA DO SB. DB. PIRBS FEBBEIBA
Secrejprio, o cidado Dr. Virgilio Coelho
A's boras do costume, presentes os Srs. juizes
em numero legal, foi abarla a sessao, depois de
lida e approvada a acta da antecedente.
Em seguida acbando-se presente oSr. Dr.
Sigismundo Antonio Gongalves entrou em exer-
cicio do cargo dejaiz desle tribunal.
Distribuidos e passados os feitos deram-se os
seguintes
J DL QA ME S TOS
Habeas-corpus
Pacientes:
Jos Martins Vieira.Mandou-se soltar, unni-
memente.
Jos Rodrigues de Lima, Paulino Antonio de
Barros, Manoel Jos da Silva e outros.Negou-
se a soltura, nanimenmente.
Manoel Raymundo da Silva.Prejudi^do.
Recursos crimes
De Agua PretaRecorrente o juizo, recorrido
Joo Francisco do Nascimento. Relator o Dr.
Francisco Luiz.Nagou se provimenlo, uaani-
memeater
Do RecifeRecorrente Honorio Manoel daPai-
xSo e outros, recorrido o juizo. Relator o Dr.
Francisco Luiz. Negou-se provimeoto, unni-
memente.
-A
(
I
l

nSBBMVMflrtaMd^S^PSfl


r?

Diario de Pernambuoo Sabitoto2ff de Ffcvweiro de 1898
BzerrosRecorrente o joiio, reejrricos
Joao Kerreira Campos eootroa. Relior o Dr.
Coala Hibeiro -Negou-se provimenlo, unnime-
mate.
Di CaobotioboRecorrente o juizo recorrido
Francisco Pereira daSilv. Relator o D.\ Ribeiro
Viaona. -Negou-se provimeato, unnimemente.
De S.-MigaelRecorrente o jaizo, recorrido
Ignacio Ramos dos Saa'.cs. Relator o D .Galvao.
Negou-se provimeuto, unnimemente.
Da RecifeRecorrente o juizo, recorrido Jos
Francisco de Mello. Relator o Gr. Galvio.H
goa se provimenlo. unaniraemeate.
Aggravo de peticio
Bj Re:ifeAggravantes Guerra Remandes,
aggravado Joaqaim Izidrj da Silva.R-lalor o Dr.
Francisco Luit. Adjunto os Drs. Ribeiro Viao-
na e 0*1 rao. Deu ss provimenlo contra o voto
do relator.
Da ;.ecifeAggravante Justina Marta do Bs-
ririlo Santo, aggravado 'o juizo. Relator o Dr.
Cosu Ribeiro. Adjuntos os Dr>. Galvao e Pran
asco Luiz. Negou-ee provimeato, unnime-
mente.
B S LourencoAggravsote Temoleao Doar
te de Albuquerque Miracho, aggravado Ber-
nardia) 'le Miranda Albaquerque. Relator o Dr.
Ribeiro Viaona. Adjuntos os Drs. Costa Ribeiro
e Galvao.Negou-se provimeato, unnimemente.
a) ReciteAggravante A'itonio da Costa Mel-
lo, aggravados Aoraut-slt* C. Relator o Dr. Coa
da Ribeiro. Adjuntas os D.s. Ribeiro Viaona
aiocisco Luiz.Deu-se provinento a aggravo,
almnente.
PASSAGHWS
Dj Dr. Francisca Luis a i Dr. Coila Ribeiro :
Appellacoes crimes
j GiboAppellanie Jobn Lamber', appellada
a instiga.
bonito Appellante Alipio Dom ogos da
Silva, appellada a justica.
lo Ir. Costa Ribeiro ao Dr. Ribeiro Viaoos :
Appollaco crime
a S. MiguelApp-liante ojula do direlto,
appellado JoSo de Sa Moateiro.
Do Ribeiro Viaana ao Dr. Galvao:
Appellajoea crimes
Da Recite Appellaoie Vctor Pereira Leile,
app-.-lla la a justija
Do S. Lourenco-Appellanta o promotor pu
lico, appellados Manoel Francisco de Sonsa e
ouiro.
D' AnadiaAppellante o juizo, appellado Al-
frelo Rogerio Ma ques da Silva.
Do RecifeAppellante Francisca Lopes Ma
chado, appellada a joatifa.
DILIGENCIAS
Com vista ao Dr. procurador geral la Es
lado
Appeaees crimes
L) TaqoaretiugdAppellante o promotor pa
bliuo, appelladj Jlo Climaco Correia ae Araajo.
Di R-jife -Appellante o promotor publico,
appellado Honorio Januario Rod.'igues.
De FloresAppellante o juiso, appellado Au
tamo J-aqa:m Moreno.
Do RecifeAppellante Ganaro Geizi, appella-
-i a jusilla.
Eocerrou-se a sesso as 2 1(2 horas da tarde.
SPORT
Hippodromo do ampo Grnale
Auanbft realisa eese prado a sua 15 ro.-ria.
Para ella tfferecemos os nossos palpites-
Ellos:
! p*r 2* pareo=G.lanAllyGerfaut.
3* pareoVivasBerlimFlautista
%* parto FaceiraMoemaCorga 3*.
.> pareoCauby -IdaMarsguape.
6* pareoCampoaezNictheroyTniabe.

Marasqain, o bello alazao (libo de Welllagto
na e Madeira, pertencente a coudelana Mane
Brizard e nascido em Franca em 1888, acaba de
ser posto a venda para garanbao-
Ten Jo feto no anno paseado alguinas carrei-
ras, desde cometo revrloa-se um animal forte,
resistente e deum futuro promettedor.
Tendo competido com entro* em pequeas car
reiras, fcilmente os venca aem encontrar resi*
teacia da parte delles.
S um nico animal poda faser-he frente, e
is'o uiatmo nos tiros corto): Beod'Or.
Dos 1.700 metros por dame Mawsq-iin era
respeit.ido ; e, pos'o que em distancias supe-
riores nao tivesse medido as suas torcas eenao
com aniiraes mediocres, a excepcao de Fantocbe
qa-, entretanto, fiou por su vez dista iciaJo no
Turf-Club, a su fama era enorme.
Approximou se o momento em que deveria
tirar se a prova real do seu valor- O grande
premio Rio le Janeiro eslava a porta, e grande
numero de sportsman voltaram as Mas vistas
para o magnifico animal.
O graode Marasquin, porem, nao se achava esa
boas condicfc*.
Un pouco aneciado de um dos teodOas, a ten-
do sabido mal, o sea ject y paxou-o maito
eedo. Esgo'.oa em pouco as torcas do valenta
poldro, e, quando mais tarde pedio Iba o ultimo
recurso, elle anda aea de si.
DesemDaracou se do lote, e a vaneo* ao lado
de Carnero, ceginJo ainda a lutar com a hero-
na Tneresopolis, que desassombradaraeule corra
aa vanguarda.
Abi e. a preciso desenvolver mais velocidade,
era necessarw astigal o, para que nao cedesse
na lula, e o seu jotkcy assim o fez ; mas Maras-
quin eslava sentido, o teodo enfraquecido Jila
tou-se e ceden...

A' excepgao do valeote re peitavel come-
lbeiro Manel Z -oreas, a con i-lana Progreaso
vendeu todos os seos animaes ao Turf Bina.
Entre esses figura o glorioso tilbo de Beau
mi ipt.o vencedor do3 100.000 fraocca de 1889,
do D-.'roy Club, o intrpido Ho^ueaote.
0 resto da lista completado por Piimevre,
Satrael, Tuni. Nolbus, Febedea, Rubric e At-
Mla.

PotiKcoa-se ao dia 6 o primeiro numero do
S. Pablo Sportivo, que nao mais do que a
coB'.mBareaoda Platea Sportiva, > qae desappe
raceu.v
O Sportsman Club pretenle brevementa
d by-Club.

De Boenos-Ayres chegaram a Porto-Alegra os
sucintes ammaes reproductores, perteocentes
a S-. Charles Millidi, importador da cavallos da
paga no Estado, onde vendeu c-s anglo-arabes
a.-qulsat, Actire e Klain Dasdat.
Os alludidos pur sang > f-ram recolbidos
chcara do S. Joio Bapliita Lisboa, no Parlbe
non.
D-noTinam-se elles :
Chi:o Pedro, zaino, de 4,anno de idade,
Di ;iu>. colorado de 3, Asirte, dessa
asma iiaie Njopimo,- tamben de 3 ao-
aos, P rana, zain; de S .anos e Agafao-
tur, Io de 5 ancos.
CERIBYS
para senhoras, meaiaos e meninas, novo* mo-
delos.
Receaea a
LOJA DO COELHO
________Ra da Isnperatriz n. 56
MAHJDAM SB IAILB
Echar pa de r ada de Rruxe.-laa.
Mootilbas rieBaanUolaa
Ficbs de cada.
Receben a
LOJA do-COELHO
Ra da Impeaatrii n. 66
CAPAS MODELO*
Em seda, renda e cachemira, recebtu um prl
moros* sortimento a
LOJA DO COELHO
86 Ra da Imperatriz
PASSHatKNTKRIES
GuarnicOes para vestidos.
Gaites de sda.
Cales de vidrilhoa.
G.IOesdeli.
Recebea a
L9JA DO COELHO
56, ra da Imperatria
LHQ1IBS VE* JARO LA*
Em gaze, titas e plumas.
feMcebeu a
LOJA D3 COELHO
56 Hua da Imperatriz
BSPARTILHOS uE MADAMB VEUT1C
dabruados a pelucia e selim, os mais coa rao
doa at hoja conhecidos.
Recebea a
LOJA DO COELHO
__________96 Roa da Imperatriz__________
Btales
Grande sortimenlo da balaio para anfeit* de
salas, para floras, papel, costara e roupa, asta*
tes para msica, porta jornaes, mesas decbario,
e ssagnidess bolsas para viagem.
BAZAR DA BOA-VISTA
Objectos de Blscults
Lndoa medalboes em tino Bi'cuit para orna-
mento de salsa e lindsimos objectoc proprios
para presente.
BAZ AR DA BOA-VISTA
Obras de eleetravpliit
Apparelbos para cha, licoreiros, sah'as, tintai-
roa e porta car loes.
BAZAR DA BOA-VIST A_______
cha especial
Recebem taecsalxeute o cha especial marca
Buii Dog.
BAZAR DA BOA-VHTA
Ra da Imperatria n. 88
Alfredo Lopes & C.
1HDICAQ0ES DTEIS
Mediros
Dr. S Pertira, roa da Imperatria n. 9,
i consulta* medico-cirurgica* todos os dias
daa 8 ao meio dia, menos n domingo* e
dia* santificados.
ContuUorio medico- cirwgieoDr. Sim-
plicio Mavignier, de volt* da Capital Fe
deral tem seu consultorio, ru* d* Cadeia
n. 27 1.a andar.
Especialidade Molestias pulmonares,
tebrea e da pelle.
CoaaulU ie 12 a* 3 da tarce. Cha-
mados por escripto.
Telephonon. 392.
Dr. Taoart de Mello, medico pelo Fa>
ot' ldade do Rio da Janeiro, d consulta
daa 12 a 3 hora* das tarda, no largo de
Corpo Sanb* n. 15, 1.* andar: recebe
chamado a qualqner hora na sna residen
cia em S. Joa do Manguicho n 4. Tele-
phone n. 575. Especialidad**: molestia
de pelle e siphilis.
O Dr. Lab Moecoeo di cornialta ea
su* casa roa da Gloria n. 3S>, daa 1C
hora* da manhl 1 da tarde. Achando
se (ora do servico publico olerece-so par
acudir a qualquer chamado com prompti-
tSo para fora da cidado. Especialidades,
operaces, partos e molestia* de senhoras
e de meninos.
Dr. Joaquim Loweiri medico e piirte:
:>, consultorio ra do Oabng n. 14
l." andar de \' a 2 da tarde; residencia
ao Montoiro.
Oeeullia
Dr. Femira, com pratica ios prino -
oaea uoapitaea e c'iuic de Pari. e Lo>.
dreB| di consultas tedes os dias das ;
hora* ao meio-dia. Consultor!') a xti-
denoi* ra Larga do Rosario n. 20.
Dr. Brrelo Sampaio, occuliita, d cci
mitas de 1 a 4 horaa no 1. andar d.
oaaa ra Barao da Victoria n. 51. Resi
ienoia a ra Seta de Setembro n. 34,
sntrada pela rua da Saudade n. 25.
Dr. Pereira da Silva recenteru*nte che-
Sado de Paris, com pratica as clnicas
de Weoker e Landoit, d consulta* de 1
s 4 horas da tarde roa do imperador
n. 63, 1. andar.
Telephene n. 588.
REZ1DEN0IA JACHANOA
Bregarlas
Far a Sobrinho & C, droguistas por ata
oado, rua do Marques de Oiinda n. 41.
Francitco Manoel da Suva t C, depos:
;arios de todas as especialidad*?? pharm*-
caaticas, tintas^ iroaa, producto chimi'
co se medicamentos horaeepatioos, ra Marques de l;r..u. n 23.
virtude militar do dis.incto commandsnta, qus
soube collocar o seu dtver n'oma altara inacces-
sivel corrumpcao, que to alio braceja oestes
ltimos lempos, tocando e destratado a discipli-
na, a austeridade e a palavra de honra do solda-
do brasileiro.
O coropel Eufrasio, educado na e vendade moral, enterdeu que o seu posto ers
junto a le^alidaie e defendeu a com o prestigie
de sua farda impoluta e rom a heroica coadjuva
(3o de seas bravos camarada?. de arma, em co-
jos nimos encontrn o mais decidido e sincero
ecthusiasmo pela causa commum.
Assistimos a urna evolucao bem triste a do
prografoma da desordeno, na phrase do emi
nenie jornalista Ruy Barbosa, Ameajam nos o
cabos demaggico e a anarebia militar, leo
dendo a matar ledos os impulsos de independen-
cia regional, diligenciando espeda^ar todos os
moldes em que se vacou a forma federativa para
deixar em campo, eem con'.rr p?so de especie al-
guma a antoridade central senbora absoluta de
urna vintena de estados.
Poia bem : tiveasemos t m todas as partes da
na(io hostes de soldados da tempera do valoro
so militar, com a necao to nilida, como elle a
tem, dos deveres do exercito, com a energa ta
domavel de seu carcter, com a haldade e a ti
deiidade, de que dea sobeja prova, para com as
iostitul{oes adopiadaa, com a fua intuido tao
feliz dos destinos da repblica e dos servidos
qne requer a estabilidsde a coosolidacao deste
rgimen no Brazil, e prximo estara o triom-
pbo eflni'o da idea republicana, e tem obs-
tculos estenda-s-se a estrada quo ha de leval a
ao explendido succasso esperado pelos que mi-
li lam f.
Que prestigio e que respeitabilidsde possoe,
aob olbos dessa valente bomem de guerra, a ma
talarte da le, o principio da antoridade i A sua
iaUMigencia do dever miluar a mais fcil e
clara possivel.
Ella fol um guarda ioilludivel e insubordina-
veldo noiso estatnto fundamental. Contribuio,
com os seus bener:tos compaobeiros. para a ma-
nuieocio da ordeno, faaendo recaar a anarebia
pela sua fi-me attitade em defeaa da ordena le
gal, da tranqulidade dos lares babisdos, da
contiaoga das classes laboriosas.
Foi correcto o seuprocedimento? Impossivel
fora negar, porqaanto o commandante do 16*
batalbao conservoa se dentro da bem entendida
disciplina militar, velando sem destallecimento,
com seus dtstimi 'os companbeiros, pela inviola
bilidade da lei, contra as solucOes anarchicas e
funestas que por entro lado se procarava traxer
a crias poii a, que assumira j as proporges
de urna crise social.
E de que andou com inteira correccio temos a
mais insuspeita conUtmacao oeste lelegramma
que Ibe foi eoderegaJo pelo vicepresidente da
Repblica : Rio, 13.Coronel 8an(03 Dias.
Plenamente satisfeilo solnco criee pe lilica des?e
Estado, louvo procedimeuto dos camaradas que
para iseo concorreram. Plorlano.
Bis porque nos repugna lomar a inesperada
iransfert :i:ia do brioso coronel como nma pnni-
gao, como cm degredo. Punicao porque ? Nao
se castiga o patriotismo, a deicagao ao dever, a
observancia da lei.
E moito menos qnando se tem em docunten'o
publico, como o cima transcripto, louvado
essas virtudes sem reserva.
0 Sr. corme! Santos Dias nao fezjs a expa
gao aleuma, salvo se ja um crime amar dev-
ras a Repblica, que s pode estar segura sobre
os alicerces da lei que i consagroa. f>. S ao
contrario, cooqaision benemerencia, pondo a
sua espada ao servico de ama caasa nobre, coc-
correndo pira comer a onda emumescida pela
procelia de paixoes anti patriticas desencadea-
da sobre os Estados, am dia fatal para a nosaa
patria.
O valle do Amazonas nSo ha de recebel o com
as agruras do exilio. As aguas do magestoso
no nao bao de rtflectr o semblante de am con
demnado. mas serviro de espelbo sereno a face
de am soldado tranquillo como a sua conscieo
ia. Elle ir nao purgar as culpas de um sol
dado rebelde disciplina oo traidor a patria ;
ira mostrar aos seus irmaoa do extremo norte a
figura do militar brioso qus nao sabe Usoafsar
a anarebia, repudiando os deveres da ana
poaicao.
Estime quemqnizT, como nma infliccio.a
sua separacao da sociedade babiana, ordenada
por superiores hierarchicos. Nos veremos em
sua transiere icia urna aimplei exigencia do ser-
vico militar, porque nao podemos crer qae a in
coherencia e a hypocrisia tenham penetrado o
carcter dss que governaa, ao ponto de punir-
se a quem merecen louvores e fez ja ao ap
plauso quasi anan-me de 8ea*; concidadaos.
S federal, nao ha poder que consiga perturbar a
sereuidade de consciencia a quem to escrupu-
losamente cumprio o seu dever, como nao baver
paixOes que incompatibiltsem a Babia com o
senilmente de profunta gralidoqae ella consa
gra a um defensor impertrrito de sua consti
lu'goe de sua autonoiiia.
(Do Diario da BahiaJ.
Ao $l$itorao
t.ratldo !
PARA PKEFEITO
Dr. Mnoel Pinto Dmaso.
Os pernambucanoe.
Ora vede l !...
Hentem at commigo os deleterios qut-
seram faaer effeito com suas costomadas
inverdtdes na Provincia ; coitados, desa
Jaram pescar as aguas Ulanndaa levando
ludo de rojo ; essas porem'p&ra elles fe-
lizmente se turvaram de modo que fica-
ram a ser pecadores em aguas tur vas
aio ait.
19 de Fevereiro dt. 1892.
J. S. P. de Siqtmra Cavalcante.
Rtimiio politics
E' convidado o i depen-
dente eleitor do 'republica-
no da freguezia de Afoga-
dos para reun'.-se hoje as
4 horas da tarde no iarg
da Paz -fm de tiatar-se
de assumptos relativos ao
pleito do dia 2\ do cr-
rente.
O Dr. Thiago daFonse-
ca expliear a importanc a
do pleito que s? vai travar
i o dever- que compete a
cada ci Jadao de suffragar
a chapa apresentada pelo
lirec torio do geaeroso par-
tido republicano.
Recife, 20 de Fevereiro
e 1892.
Jaboatao
Conatando-me que na renniao convoca-
da pelo partido republicano de Jaboatao
foi o mea humilde nome incluido na cha-
pa que ae fes para membros do Conselho
Municipal venh > declarar que nio poaao
nem devo accertar a honr com que ma
distinguiram, agradecendo moito sincera-
mente aquelles qae m'a dispensaren).
Jaboatao, 19 de Fevereiro de 1892.
Jos Caetano de Barros.
Oiinda
Declaro aos meus amigos polticos que desisto
da candidatura de pub prefeito.
Jos Pigueia de Pana.
Forte pneumona
O Sr. Net torio Antones Pereira, resi
dente em S. Salvador da Bahia, assim
relata a cuva de nma forte peneumooia de
que foi atacado :
c Illm. Sr. J. A. de Souza Soarea.
Pelotas. i/umpro um dever acientiiieando
a V. S. de que ha tempoa, echando me
atacado de urna forte pneumona, recorr
a diversos preparados que me recetaram
o* medico* desta cidade, aem obter as nae-
Ihoras slmejadss.
Por micha espontanea deliberacao/ re-
solv experimentar o seu Peitoral de Cam-
bar, com e qual alcancei o restabeleci-
ment de minha sanie, pelo que don a
V. S. sinceros parabena, faaendo vot-s
para quo a humanidade soflVedora encon-
tr no seu preparado* o allivio que elle me
trouxe.Nestorio Antunes Pereira.
(A firma est reconbecida).
O Peitoral de Cambar rende-ss a
3^500 o fraseo e 240CO a dusia naa
principaea pbarmaciaa e drogara*.
E' uaio gente e dep Estado a Companhia de Drogaa e Pro
ductos Chimicos, ra Marques de
Oiinda n. 23.
Partido.-republicano '
0 iirec'orio Jo partida republicano consaUa*) '
do es momentoses luteresees do Estado ole iambuco os pbase poltica que atrataiarDos, '
depoi- de ter ouvtdo as legitimas influencias-de- *
me.mo Estalo resolveB'spreentar candidafbs48'
eleigCes de senadores e depotados ao Congcasso
l'bste Estado a que se temvJe proceder do diaSL do
prximo vindouro mex de Fevereiro os cidadaaa a
abaixo mencionados.
Todos esses ciitadc* sareooameodam ae-brio-
so eleitorado pernambucano pelo sea amor
causa publica, e es'.ao na altura de prestarthe os
mais asaiaoalados servicos
E-perj, pois.o mesmo directorio que os nomes1
de tao disttnctos cidadaos seraa bemacolbidas >:
pelo brioso eleitorado d'este Es lado, qae t ara
ainda urna vez orna prova-de sea palrtcimo.
correado as u-uas para firmar a generosa poati-
ca iniciada! ift de> De sembr i ultimo pela sobe-
ania popular.

MEMORIAL
NINLM DEV COMPRAR
Artigo* de cbapelaria ou loras, pronas, veos,
gazes, rendas, etc., sem fazer ama visita a Cha-
pela!. Raphael, oLde se encontrs fasspre todo
q*anio, nesses artigos, ta de sselbor mais
moderno. ,
2Roa do Barao da Victoria2
Raphael Dias & G. _____
CORTES DE VEST DOS
Em cacbemlre
Voile de \'.
Batiste.
Levantine
Recebea ata chic sortimente a
LOJA DO COELIO
56 Rua da Imperstris

SEDAS I SUDAS 1
Acabas de n-tirar da afaodegann esplendi-
do sortimento em sedas f reas e de ores, ver-
darJeira novidade
Domingos Coelho Soarea
LOJA DO COELHO
56 Rua da Imperatriz
RUOHESA PRCEZA DE GALLIsS
Sao liodw os qae recebea a
LOJA DO COELHO
56Rua da Imperatriz 56
PIBLll \(J0ES A PCIHO
Eleiyo de Prefeilo
Dizendo-3aem um artigo do Provincia de boje
que ea me opponbo 4 e.eicSo do Sr. Dr. Joo Ri-
oeiro de Brillo parat cargo de Prefeilc do Recife,
teobo a declarar aos meas amigos que isso in-
tairamsnte inexacto, a pedir-ibes que sustenlem
com o maior osforcj a candidatara do mesmo
Dr. Brillo, s quem en irei dar o aoeu velona
ama.
Recife, 19 de Feve-eiro de I89.
Sigismundo Antonio Gocjalves.
Pleito eleit )ral
Apresentem s conaidera^So do eleito-
rado do municipio do Recife o nome do
Illm. Sr. Joaquina Alvea da Fonseca' a
um lugar no Oenseltn Municipal, na elei-
cSo de 21 desta mez.
Esta cidado reoommenda se ao sufra
gio dos Sra. eleitores pelos servico* prea
tad; s ao municipio, sisados de carcter e
reconheci la probidade, e por isso foi que
na elei^ao di 30de Setembro ultimo, endo
candidhto extra ch-.pa obteve o grande
triumpho de ser c mais votado entre os
quaes assim se apresentaram, nao obs-
t nte aa engolidadaa de votos
Nestaa condi^es sentimos que o seu
lome nao tenha sido lembrado pelos direc-
tores da actual poltica- tanto mais q-ianto
sabido que se esmerava elles em pro-
corar pessoas que bem servia: em ao muni-
cipio.
Assim pedimos aos Srs. eleiteres que
votem no Sr. Fonseca como j o fiaeram
da ves paseada.
< arMBt-1 aael Efral e
muntms Blas
Segne hoje para o limito noria d;i Repblica,
para o Amazonas, o Sr. coronel Manoel Eufrasio
dos Sanios Dias, cotaina;: Jante do :.6 oataltio
d* infantaria ba pouco fansferido para a ^aar
nigaodaquflle Estado.
A transferencia desae distincto nililar paja
tao loogiqua parsgem, quando ?csb<> de prestar
Babia brilhaotes tervicos, qae ella guardar
na ana bis'.o ia no seu corac&o por tolo o tem
so em qae ju*tli e a gratid&o Ibe forem sen
timentos familiares, affigurou senos a principio
um castigo infl-gido a njeza do carcter solda-
desco, de que o bravo coronel moatrara-se a en-
carnajao ljpira e exemplar.
Os acoaiecimentos de que foi s:enario esta
trra, dispotada pula anarebia e pela desordem
ao p edom'oio da le, ao governo constitucional
ac rgimen da paz e do direito, saquelles agros
dias de Novembro, naquelle perioco de terror
em que eraax crime respeitar a lei 9 zelara au-
tonoma do Estado,vieram por em evidencia a
A* naticipio
O eleitorado da fregueaia do Reoife,
pelos seus membros qae compareceram a
runiSo convooada para 17 do corrente r*-
solveram uuaniraemente confeccionar a
seguinte chapa para Conselheiros Muni
cipaes na eleicao a que se Tai proceder
no dia 21.
Pede, portante aos Srs. eleitores do
municipio todo o apoio e valinaento em
favor da mesma chapa.
Conselheiros Municipae*
Joaquim Alves da Fonseca.
Tito Livio Soares.
Jos da Silva Loy o Jnior.
Joa Antonio Moreira Dias.
Dr. Augusto da Costa Gomes
Dr. JoSo Carlos Balthasar da Silveira.
Francisco Faustino de Britto.
JoSo Xnvier Canwiro de Barros Cj n-
pello.
Dr Adolpho Alves SimS s Barbosa.
Alexandra Americ > Caldas Padinha.
Municipio de Oiinda
A posaos- deseendentaa de Bernardo
Vieira de Mello! A postos homens em
cu jo eoracSo o patriotismo aiad* tem ra
ses I Eis o* nonata que deveis suffragar
no prximo plsito eleit ral para o vosso
Ccoselho da Intendencia
Dr. Francisco Gomes de Andrade Lima.
Tneo-oro Herminio doa Santos Costa.
Lua do Pauta Lopes.
Evaristo Flores da Rocha Wanderley.
Jos Manoel Correia de Barro*.
Joaquim de S Ja va le a ote da Albuquer
que.
O partido.
Oiinda
Conselho Municipal
Apresentamos ao eleitorado de Oiinda
os nomes dos presentes cidadaas, propria-
mente no caso de salvar o municipio doa
cheques que aoffreu na ultima Intenden-
cia da* eatericridades e das panaceas:
Jos Figueira de Faria*.
Joao Carlos do Reg Valonea.
Miguel Francisco de Souaa Reg.
Adolpho Thiago de^Furiaa.
Amaro de Barros Corred.
Mathiaa Ferreira Liaza..-
Oiinda, 19 de Fevereiro da 1892.
Quatroeentos e vinte e oito votos.
Confraria de Nossa Senhora
do Rosario em Oiinda
Esta confraria tendo procedido el -cap dos
fonecionarios para o anno presente de 1892,
como foi publcalo, ficen a?sirn consumida :
laisi
Antonio Pereira da Silva.
Esctva.0
Hermino Eiyseu Gomes d03 Prazeres.
Procuradores
Vicente Ferreira Nones e Joto Montelro de Si-
queirs.
Definidores
Manoel Rodrigues de J eos.
Slarcolino Elj.-eu Gomas.
Domicio Rodrigues da Silva.
Joao DomiBgos do Nascimento.
Lioorio Maoost do Sacramen o.
Leandro Gomes de Macedo.
Joao Flix da Paizao.
Alexaodre de Paula lidio.
Florencio Jos da Coocaicao.
Joao Candido de Espirito San'.o.
Miguel Sal.iM da Rocha.
Joao Roberto da Assumpco.
Thtsjureiro
Tobias Antonio do Kspirito Santo.
O cara,
Conego Jos Taz Gwterrts
Carnaval
Ficou aseim organisada a commisso dos fes
tejos carnavalescos ea rua da Imperatriz :
Guilberme Spiller.
Joaquim Teixeira Peixolo.
Praaetseo Moreira Das.
Francisco Maya.
Justiaiano Pereira da Silva
Jos Henrique Pereira da Silva.
Albino A. da Molla Brrelo.
A ineloao do neme do llostre Dr. JoSo Ri
beiro de Bruto para prefeito da soladencia mu-
nicipal do Recife, apresentado pe* commisso
do partido republicano, digno de ser sufragado,
pois o Dr. Britto um mogo ioteliigcnte e pro-
bo, com grandes servicos ao partido a par de
urna ibanasa invejaval, portante, devenios dar-
Ihe oofsss votos, nao ti pelas taas crencas po-
lticas como pelo sea mar*ct*f*o*o-
A. Bilutor.
A o distincto eleitora-
do do Recife
Para faierem parte d ConseJho Muni
cipal lembramos oa nomes do* indepedentes
cidadlos, Pharmaoeutico Theodomiro dos
Santos Selva e o guarda livros JoSo Af-
ronso Borges e Silva.
Dwepsos amigos.
A o eleitorado do mu-
nicipio
A' consideradlo e ao auffragio dos-Srs.
eleitores do municipio do Reciie vem o
Directorio do Partido Repblica- o apre
sentar a chapa da seus candidatos, na
eleicXo a que ae tem de proceder no di
21 do correte par* compoeicjlo dos Con
seibos municiprtoi e dos respectivos pre-
feito* e aub-prefeitos.
Nao desattendendo as necessidades po
litiess de momento, maa attendendo prin-
cipalmente as necessidades geraes de nma
boa geatSo dea negocies muuicipaes, o
Directorio eaforjou ae por compor ama
lista de candidatos qae podesse merecer
do publico o mais abaoluto e incondicional
apoio.
Conv cto de t r assim procedido e da
ser este procedimento o mais correcto qae
podara ter, pede o Directorio aoa seus
correligionarios e ao eleitorado do muni-
cipio em geral que suffragtiem sem dis-
crepancia a chapa que segu, composta de
cidadaoa eonheeidoa como conscieuciosos
propugnadorea do bena publico.
Recife, 13 de Fevereiro de 1892.
Dr. Joa Isidoro Martin* Jnior.
Armio O. Tavares do* Santos.
Dr. Jlo Ribsiro d* Brito.
Antonio da C. Ferreira Baltar.
Eis a chapa dos candidatos :
Prefeit.
Dr. Joio Ribeiro de Brito.
Sub prefeito
Dr. Manoel Chmenttao de Barro* Car
neiro.
Membros do Conselho Municipal
Jlo Walfredo de Medeiros.
Ulysses Frederico de Almeida Albuquer-
que.
Tenente coro el Jos Fiuza de Oliveira.
Dr. Agoatioho da Silva Leal.
Joao Joa de Amorim.
Dr. Jos Austreg'silo Rodrigues Lima.
Jo3o Facundo de Castro Meneses.
Dr. Virginio Marques Carneiro Leao.
Sebastia. Manoel do Reg 8. Manoel Jo. quim da Costa Ramos.
Ao eleitorado da ca-
pital
O Directorio do Partido Republicano de
Pernambuco, apresentando para prefeito
deste municipio o Ilustrado clnico desta
capital Dr. Joao Ribeiro de Brito nao po-
da melhor interpretar os sentimentos re-
publicanos da populaclo desta cidade.
M-. co probo, illuatrado e intelligente,
rene todos os predicados preoisos para o
bom desempenho da elevada missao de
que vai aer revestido, possuindo alem de
todo a inqaebrantabi'idaie de carcter,
oousa rara nos tempoa qne correm.
Lembre-se o publico desta capital dos
calamitosos tempoa que nao vao longe ;
lance as vistas para aquella quadro negro
que se deaenhava em 89 c ha de deseo-
brir o vulto sympathico 'do distincto cae
didato, envolto em nuvens de patriotismo
ao lado daquelle outro vulto legendario,
cujo nome passara posteridade, como o
symbolo da coragem e do amor da Patria,
hospedando o em sua casao Dr. Silva
Jardim.
O neme do Dr. Joao Ribeiro de Brito
devo ser urna reliquia para tedo republi-
cano.
Filho desta heroica trra, cheio de vida
e de carcter, oa seus pr. cedentea poli
ticos, os a*us conhecimentos profissionae,
a sua dedicacSo e divida e, sao a geran-
tia inabalavel de qne o r-elo, a abnegacSo
e o desinteresse serRo a preoccupa^So
nica deste prestimoso cidadSo no desem-
penho de suas fuaccSes.
Soffigando u leittrado desta c?pitalo
nome do Dr. JoSo Ribeiro de Brito para
profeito, tem cumplido alem da satrsfacSo
de urna divida de gratidSo, o mais sagrado
dos deveres, concorrendo para o alevanta
mentp moral e materia! do muni.'ipio do
Recife.
Multes eleitores.
Circular
Apresento me como candidato a* proxi
maa eleieSes que se tem.de pr.eeier para
deputados deste Estado, e pee > aos cida
dSoa eleitores que me bonrem comea seus
vetos-
Nenhum interesse me leva a apresen-
tar me senSo o amor entrauhado que con-
sagro ao meu paiz e aos meus concidadSos;
no que nSo cedo a pama a nirgucmi e
para arredar qualqner duvida declaro que
renuncio qualquer honorario.
Oiinda, 17 de Fevereiro de t892\.
JoSo francisco dt Albuqutraui Barros.
SENADOBB8
Dr. Albino Goo jal ves Mei.-a de Vasconcellos
2 Dr. Ignacio Alcebiades Velloso.
Joo Luiz Ganjalves Ferreira (Barao 'e Ara-
riba).
A Domingos Francisco de Souza Ledo (Viscon-
de Tabaimgay.
5 Teoaote-coronel Joliao Angosto .da Serra
Martina.
6 Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
Dr. Manoel Gomes de Maltas.
8 jr. Manoel da Triudada PeretU.
9 Dr. Ermirio Cesar Continuo.
10 Desembargador Adehno AQlonlo de Lana
Freir.
DEPLTAD03
< Dr. Jos Isidora MaftisS'Jonior, ,
Dr. Joo de Oliveira.
,3 Majo: Luiz Augusto Coelho Cialra.
6 Tenente Eugenio de Biltenconrt.
5 Dr. Pedro Francisco Correia de Ohcira.-
0 Dr. Jos da Caoba Rabell*.
7 Tenente Aatuliano Barreta Lina.
8 Dr. Eduardo Rodrigo* Tavares de Meiio.
9 Tenente-corotrel Francisco Vidal Araora Ma-
te Negro..
10 Capitlo Jovenclo Taciano Maris.
11 Tenente Joao Francisco Jorge.
1S Salvador Felicio dos Santos.
13 Dr. Joio Coimbra.
14 Antonio Mariiciano Veras.
15 Tenente-coronel Antonio Gomes Correia da
Croz.
16 Dr. Esmeraldino Olympio de Torres Ban-
deira.
17 Capitao Manoel Jos da Cmara.
18 Dr. Luiz de Caldas Lias.
19 Joaqoim Lopes Machado.
30 Manoei Eugenio da Rocha Samico.
A o eleitorado do mu-
nicipio do Recife
Tendo o directorio da
partido repblica o escer
lhido o meu nome para o
cargo de Prefeito vinicir
palidale do Re'cife, pee;^
aos meus amibos, correligio-
narios em geral ao eleitora*
do da capital que me. hon-
rarem com os seus votos
para o mesmo c rgo de
Prefeito, ficando certo de
que procurarei couprir com
os meus deveres, trabalhan-
do para que o bem publi-
o seja urna realidade nea
te municipic.
Dr. Joo Ribeiro de Britto.
------------------- S> i
Um testemunho va-
lioso
Firma o documento infra um cavalheiro
residente no Barreado (Estado de Minas) <
Geraes).
i Illma, Srs. Silva, Gomes & C. Ro
de Janeiro.Felicito-me por ver annun-
ciado em casa de Vv. Ss o remedio, de-
nominado Peitoral de Cambar. Soffren "
do en, de urna bronchite asthmatica, du-
rante oito mezes, e sem que os mdicos a
conseguissem debellar, pois a a julgaTaan i l
chronica, resolv comprar em casa de Vv.
Ss. o referido remedio o principie a ta-
mal-o observando cuidadosamente a dieta
e bygiene recommendadas e proscripta
nos impressos que o acompanham, e no
iim.de pouco tempo depois de ter tomado
18 frascos, achei-me compUtantnto cura*
do desta tcrrivel er.fermidad.
Gratissiaro os introductores deste ma^
ravilhoso preparado, peco a Vv. Ss., que
dm publicidade e esta minha .declaradlo,
para della terem conheoimento todo <
aquelles que soffrerem da mesma molestia.
Jo3o Antonio da Silva.
(A. firma est reconhecida).
Deposito geral na Compathia de Pro-
ductos Chimicos rua... n. 23.
I
0 Dr- Barros Caroeiro e a fa-
brica a \apor Sitla Espe-
O Dr. M*noel Clementino de Barros Car-
neiro, formado em sciencias medicas e
cirbrgicaa pela facuHadetdo Rio de Ja-
neiro, medico adjunotosxda -clinioa do
hoapi'al de Santa gueda etc.
Atiesto que tenho feito nao dos cigar-
rca denominadosMiuha Esperanca
bem assim do fumo HygieBca Nacional
da fabrica do Sr. Antooe/Franciseo da
Croa,, reconhecendo p. la analysa chimioa
a qua proced, qi** o referido ramo e
cigarros nao encerrara principio algum no-
civo as funccSes gstricas, sendo peifeita-
ment toleraveis aoa dyspepticoa.
In fide medici.
Reoife, 12 de Fevereiro de 1892.
Dr. Barros Carneiro.

.



1s





I
m


H
i








Diario de Pernambuco Sabbado 20 de Fevereiro de 1892
h. Francisco Sil ve ira
Attesto que o Peitoral de Cambar,
preparado pelo Sr. J. Alvares de Soasa
Soares, un poderoso expectorante.
Tenho o empregado oom assaz proveito
na minha clnica ca molestias broncho-
pulmonares.
Dr. Francisco Augusto da Silveira.
O referido verdade.
Becife, 17 de Marco del891.
eeeg^-
C*rre*poudfnrla.Maitas veies 'em-se
003 pergootado: Qaal a mellior preparacSo de
quina f Achamas a respasta n'um jo-aal medi-
co amigo e maito estimado : A melbor prepa-
raco de quina a que rene todos os principios
activos dessa H3ca,ajiminando aomesmo tempo
todos o productos inertes ou irritantes nefia
comidos. Esta preparadlo fui realisadi pelo
Vinho de Qulnium de Alfredo Labarra jue, mem-
ro da Academia de Medicha de Pars .
(France Medcale).
Mathematicas E1 e-
mentares e Escrip-
turac,o Mercantil.
Venancio Labatut dedica-sa a preparar
qualquer pessoa em escriptura;ao mer-
cantil com 30 a 5 lic8es, conforme con
tracto, contina a lecionar as materias
cima ra Dnqae de Oazias n. 72,
l.8 andar.
Aos eleitores do muaicipio
do Recite
Constando-me que a'guns amigas pretendem
votar em mea bumilde nome para o carga de
prefeito, declara-Ibes que nunca fui nem son
candidato a ta elevado cargo, mas se quizerem
dispensario signatario destas linbas mais urna
prora de amisade, peco-Ibes todo o apoio ao
candidato ap.-esentado pelo directorio do partido
republicano, o meu mu to particular amigo e
diE'.incto collega o Dr. Jaao Ribeiro de Bri'.o.
R-cife, 71 de Fevereiro de 1892.
Dr. Barros Carneiro.
das de sopa cheia d'agua
A's victimas das febres
elixir antifebril Cardoao.appro-
ado em Si de Margo deste anno pela inspecto
ra geral da junta de bygieac do Rio de Janeiro,
Tem boje apresentar-se bumanidade poffredo-
ra co mondo inteiro. como tabea de salvacSo qut
ao infeliz naufrago he enviada por mao omni-
potente.
O elixir antl-febr il Cardoio applica-
do em mnitissimos casos de febres, tem como
per milagre, levantado do leito da dor a comple-
tos moribundos.
Este remedio, composto smente de vegetaee
Bteiramente inoffensivo, anda mesmo na maif
mimosa e tenra crianza.
As sennoras, no estado de paridas, ou no pe-
riodo de ineotnmodog naiaraes, podem U3ar sea
receio algum.
Este elixir j bem conbecido de algans Srs.
mdicos de todo o paiz, o mais seguro e prom-
pi remedio contra as febres, e com especiallda-
de contra a febre amarelia, erysipella e bexigas
de qoalquer qualidade.
Modo de usar
A's criaacas at um anno 8 gottas de 2 em I
horas em ama coiber
(ria.
De um anno a tres 12 gottas ; de tres a dez 20
gottas; de dex annos em diante 30 gottas
Os Srs. clnicos podem augmentar ou diminu?
at 60 gottas por dose.
Recite :
Companuia de Drogas e Productos Chirrieos.
Santo Antonio:
Nacional Pbarmacia, ra Larga do Rosario
a. 35.
Pbarmacia Oriental, ra Esreita do Hoaaric
1.3-
Pbarmacia Alfredo Ferreira, raa do BarSo di
Victoria n. 14.
Pbarmacia Marts, ra Duque d Ca:iias u.
m.
Vendas em grosso e a retalno.
DEPOSITO GERAL
Roa Estrella do Rosario 1.17
PEBXAHIl'CO
N. 149
ATTESTO
Estando com um filbo de menor de 7 annos de
idade soffrendo das febres, por intermedio de
um smigo, applicou-me o remedio do Sr. Manoel
Cardoso, eu indo mais o meu amigo partielpei o
seJrimento de meu tilbo durante ba 20 das, o
Sr. Manoel Cardoso, gratamente prestou- e com
seu remedio e esi o meu fllbo bom.
Recife, 38 de Julho de 1890.
Ra da Virajao n. 1.Francisco Lourenca dd
Silva.
N.~150
Illm. Sr. Manoel Cardoso Jonior.-^E'com gran-
de satisfajo que attesto o valor e a em: :ia do
seu especifico contra a febre ; porquaato tendo
apparecido meu ibo Osvaldo com febre de ca-
rcter palustre duplo, e nao sendo possivel ceder
da sua inteasidade. resalvi a instancias de um
amigo a arplicar o sea especifico, e com grande
prazer meu v. desapparecer em 24 boras a febre
restabelecendo-se em seguida o meu estioiadis
simo doente.
Pode fazer uso da presente como Ibe couvier,
por ser a Bel expressao da verdade.
Recife, 15 de utubro de 1889.
Seu atteoto venerador criado.Jos Fernandes
de Albuquerque Lima.
Estavcm selladas e reconbecidas as firmas.
po eleitoral que se digne de honrar com
seas votos aos dois cidadftos cima lem-
brados, sendo que, o primeiro delles
acha-ae tambem incluido na chapa do
partido republicano, e o segundo conse-
guio obter maior numero devotos por occa
silo da eBColha, a que proceden esta cor-
poracSo, para candidatos na eleicao que
teve lagar em Setembro prximo passado.
Esta directora jalga desnecessario faxer
a apreciacao, quer do carcter, qaer dos
conhecimentos e sympathia deites dois ci-
dadao3 porquanto esto no dominio publi-
co as verdateiras qualidades de bons pa-
triotas e emprehendedores de nossas artes
e induitrias, dando s classes obreiras um
logar honroso na communhao social, coope-
rando com suas doutrinas para o eogran-
decimento do nosso paiz.
Esta directora hypotheca ao distincto
corpo eleitoral os seas protestos de estima
e reconhecimento.
Recife, 14 de Fevereiro de 1892.
O directorio.
Ao commercio
Francisco Ferreira da Costa participa ao corpo
commercia! que nesta data tem justo e centra-
ctado o seu estabelecinento, sito ra de Fre
Caneca n. 2, com o Sr. Manoel Agapito de S
livre e desembarazado de quaiquer caus.
Recife, 172 -92.
Francisco Ferreira da Costa.
4.0 commercio
O abaixo assignado previne ao commercio
e aos de ve dores do estabelecimento n. 46
da roa Domingos Ju. Martina, que em
27 prximo passado dissolvea amignvel-
mente a sociedade, que gyr&va em dito
estabelecimento sob s firma Antonio Joa
quim i'ascao & C.a usando o activo e
passivo a cargo do abaixo assignado e
que qualquer venda ou pagamento feito a
terceiro nao obriga ao mesmo abaixo as-
signado, que o nico habilitado para
comprar e receber dividas e passar os
respectivos recibos.
Recite, 18 de Fevereiro de 1892.
Antonio Joaquim Cascao.
A o commercio
Manoel Agapito de Sa participa ao corpo com-
merciat que nesta dala '.em justo e con:ra;tado
o estabelecimento, sito ra Fre Caneca n. 3,
pertencente a Francisco Ferreira da Costa livre
e desembarcado de qualquer .onus e quem se
julgar prejuuicado aprsente se munido de seus
documentes no prazo de tre3 dias, a contar des-
ta data. I
Rcife, 17-2-92.
Macoel Agapito de S.
COMMERCIO
BnN3 Commerclal de Pernam-
buco
.OTAfitas officiaes da junta dos cob
BKCTORES
Praca do Recife, 19 de Fevereiro da 1892.
* Gambio seb-e Londres 90 d v. 12 d. por 1/
do banco.
0 presidente,
Eduardo Dubeux.
O secretario,
Augusto Pinto de Lemos.
Cambio
pbac;a do recife
Os bancos abriram a 11 7,8, fazendo algumas
trafisacees, depois do meio da, taza de 13.
Em papel particular censteu transaccOes pe-
quenas a 12 3/16.
PRACA DO RIO DE JANEIRO
12 Bancario, ao fecbar do da o mercado mos-
lrava-se cm pouco frouxo
naneo da Bolsa
BECD?E, 19 DE FEVEREIRO DE 1892.
Transacces effectuadas:
9 Lettras hyppotbecarias
do banco de Credilo Real
d Pernambuco do valor
de. 1004000 juros de 5 %
ao anno 1C4JO0O
Ao eleitorado
A directora da Liga Operara Ptrnatn-
bucana, corporaclo de propaganda dos di-
reitos e autonoma das classe3 obreiras,
recommenda s mesmas classes que vo-
tem cerradamente nos cidados : Manoel
Eugenio da Rocha Samico, para denotado
ao congresso deste estado e Arthur de
Mello, para membro do conselho munici-
pal desta capital.
O mesmo directorio pede a todo o cor-
Bel
Por pipa de 480 litros 80*000 na falta no mer-
cado
Alcool
Por pipa de 430 litros de 215C0O.
Foram
JtS.
esportadas at iO do cerrente 132 pi-
Offereceram
41 Lettras byppctnecarias
do ban:o de Crdito
Real
Vender Comprar
101*000
Haje 20 do corrente, na hora da bolsa serao
vendidos algucs ttulos preferenciaes da Com-
panbia de Servios Martimos de Pernambuco do
valor de 200*000 juros de 7 */ ao nno, corren-
do desde Io de Janeiro, pagos trimestralmente
nos dias 1 de Abril, 1 de Jalbo. 1 de Outubro
e 3 de Janeiro de cada anno, recebendo opoasui-
dor 3*00 de cada vez em troca do coupoa.
Tendc esta Compaobia o capital subscripto de
3 000:0)0*000 realisado apenas 50 0,o ou......
1.500:000*000 precisa emitu> cerca de 4000 obri
f;a6es preferenciaes pouco mais ou menos como
oi autorisada pela assemblea geral de seus ac
cionistas em 21 de Dezembro ultimo.
Outro sim, servir de base a cfferta existente
de 205* por titulo, os quaes serao entregues logo
que o banco as receba.
tolaces de gneros
AS8DCAB
Para o ag-icultor
raneo por 15 kilos. 5*000 a 5*500
Cmenos dem dem. 3*800 a 3*9i0
Maaeavado idem dem 3*100 a 3*200
Bruto secco ao sol idem dem 2*600 a 2*900
letame idem idem .... 2*300 a 2*400
Usinas idem idem..... 4*800 a 5*403
Mercado muilo animado.
A exportaco at 14 do correte consta de..
26558 saceos e 7108 barricas deassucar branco
petando2.825.314 silos e35957 saceos e 100 bar-
cas deassuur mascavadu pesando 2 228.600 ki-
los.
Algodo
Cota-se nominal a 10*300.
At Jo correte foram xportadas 4399 saces
e al^odao pesando 347.925 les.
Borracha
vota-se nominal a 34*000 por 15 kilos.
Caroeos de mamona
Cota-se a 1*900 por 15 kilos.
Coaros
Saceos salgados na base de 15 kilos a 660 res.
verdes nominal 355 ris.
at 9 do corrale foram
m e 1000 l/a de sola.
Agurdente
Per pipa de 480 Otros 138*000.
At 14 do corrente foram exportadas 862 pi-
jas.
Caroeos de algodSo
Cota-se a 600 ris por 15 kilos.
Foram exportados
kilos.
at 10 io corrente 496.320
cabella das entradas de assccar s al-
god2o
Mez de Fevereiro
Ao publico
Lydia Alves da Purificaba} Bezerra professe-
ra publica, participa ao publico que d'ora eu-
diante se chamar LyJia Amelia Alves Rodri-
gues.
AdFOgaqo
i DrEdaardo Crrela da Silva
escriptorio raa
15 de Novembro n. 77
Consultorio Medico
O Dr. Manoel Argollo com pratica nos
hospitaes de Paria e Berlim, tem seu con-
sultorio na raa do BarSo da Victoria n. 1.
Especialidades. Molestias dos appare
Ihos respiratorios, circulatorio e digestivo
Consultas das 12 a 3 da Urde.
Chamados por escripto.
Telephone n. 586.
Armas 3 oaixaa a A. D. Carneiro Vian-
tonsnltorlo Bedlco Oculista
O Dr. Berardo communict aos saos
clientes, que mudou o sea consultorio do
predio n. 26 da raa do Bom Jess para o
da n. 9 da mesma roa onde continua a dar
consultas de 1 hora as 3 da tarde. >
ResidenciaMagdalena.
Telephone n. 366.
Escriptorio coramer-
cial
Os abaixo assiguados tem estabelecido
nesta praja um escriptorio com a deno-
minaco cima, a raa Duque de Casias
n. 72, 1. andar, com o fim de encarre-
gar-se de qualquer trabalho ou escripta-
ragao de casas commerciaes por partidas
dobradas, simples ou mixtas, podendo as
escripias aerem feitas no escriptorio ou
no proprio estabelecimento.
PropSemsse a fazer liquidares lora da
cidade, aceitam consignajSas, eacarre-
gam se de promover a venda de productos
cacionaes, aceitando correspondencias dos
senhoreu de engenhos, fazendo adianta-
mentos. Encarregam se tambem, median-
te procuracSo, de receber honorarios dos
Srs. funecioranos pblicos, assim como
alugue:s de casa, mediante moiiea com-
missSo.
Os trabalhos de escripta e os contractos
serao eito3 em salab especiaes, para este
fim, sendo que na primeira so terSo in
gresso os empregados e na segunda os
contratantes, guardando-se todo o sigillo,
quanto s transac^Ses efFectnai&s.
Venancio Labatut & C.
Advogado
Aquilino PortoEncarrega se de
qualquer trabalho de sua profissSo as co-
marcas : Escada, Ipojuca, Cabo, Palma-
res, Oamelleira e Victoria.
Reside na cidade da Escada.
Entradas
Jareases .....
/apores......
taimaos.....
Sstrada de Ferro Central
dem de S. Francisco
dem do Limoeiro. .
somma
Assu-
car
D38 Saceos
1 a 18 62579
1 a 18
1 a 17 7129
1 a 16 8955
1 a 17 73883
1 a 17 10877
153423
Algo-
do
Saccas
2000
2045
1085
366
912
5739
12l7
Ittiportiico
Vapor nacional Jaauhype, entrado
dos portos do norte, em 18 a consignado
a Companhia Pernambucana.
AlgodSo 125 saceos a diversos 220 a
Pereira Carneiro e comp., 100 a Geppert
e comp., 1000 a ordena.
Borracha 17 fardos a diversos, 14 a
Prente Vianna e esmp.
Couros 17 a Abe Stein e comp., 252 a
diversos, 114 a Companhia de Estira, 69
a Souza Nogueira e comp.
Courinhos 12 tardos a diversos.
Cera 30 sacos a Souza N,gaeira e
comp., 212 a diversos, 11 a Prente Van
na e comp., 8 a Coimbra Guinnraes &
Sobrinho, 50 a Rossback Brothers e comp.
50 a Prente Vianna e comp.
Caroeos de carnauba, 6 saceos a Soaza
Nogueira e comp.
Cadeiras 8 ao Dr. Ferreira de S.
Chapeas 13 fardos a Manoel de Souza
Franco e comp.
Estivas 40 rolos aos mesmos, 10 a
Pinto Alves e comp., 48 a Costa Lima e
comp.
Mercaduras 4 volumes ao Dr. Ferreira
de S.
LB 10 saceos a diversos.
Livros 8 caixaa ao Di. Ferreira de S.
Pelles 25 fardos a Rossback Brothers e
comp 5 a orem, 15 a Abe Stein e
comp.^6 a Keea Sulter, 53 a Levy e
Delmiro, 1'*Medeiros IrmSos e comp.
Sola 5 rolos a Rossback Brothers
comp.
Vassoara
Franco.
ua.
Batatas 3C0caixas ao consignatario, 100
a ordem.
Chapeos 1 caixa a Francisco Grgol &
Irmos.
Champagne 20 a Saber Kaaffman e
comp., 20 a ordem, 8 a J. F. Lima e
comp 8 a Quedes de Araujo Filhos,
0 a Carvalho e comp.
Drogas l caixa a Jompanhia de Dro-
gas.
Ferragens 3 volumes a Albino Silva e
comp., 1 a ordem, 2 a Gomes de Mattos
Irmos.
Grampos 1 caixa a N. Fonseca e comp.
Manteiga 40 barricas a Companhia de
Estiva, 20 e 30 meios ditos ao consigna-
tario, 30 e 40 a JoSo F. de Almeida, 15
e 25 a ordem, 15 e 20 a D jmingos Fer
reir da Silva e comp., 25 caixaa a Com
panhia de Estiva.
Mercadorias 2 volme a E. Gong alves
CascSo, 1 a J. Pinheiro e comp 1 a G.
de Mattos Irmos, 1 a G. Irmos, 1 a L.
A. Salazar Jnior, 1 a ordem, 5 a Pedro
Antunes e comp.
Movis e louja 4 caixaa a Aoorim Ir-
raaos e comp.
Materiaes para engenho 2 volumes a E.
Dol.
Porcelana 2 barricas a B. F. de Azeve-
do.
Q eijos 1 tina a ordem, 11 caixas a
Companb'a de Estiva, lia Jos Joaquim
Alves e comp.
Tecidos 1 caixa a .vvim & Chance, 1
a ordem, 1 a M. Caminha e comp., 1 a
L. Man e comp., 1 a A. Vieira e comp.,
2 a Bernet e comp 1 a Francisco Gur-
gel & Irmos, 1 a F. V. de Cantalice.
Vidros 3 barricas a Mauoel J. Pereira
1 caixa a Albino Suva e comp 1 a Com-
panhia de Drogas 5 volumes a A. R. da
C. Ol ve ira,
Vinho 1- barril a C. Pluyn e comp.
Carga de Lisboa
Rolhas 14 saceos a oidem.
Sardinbas 10J barricas a Companhia
de Estiva.
Vinagre 1 barril a Julio de Azevedo.
Vinho 20 pipas a Lopea Alheiro e
comp., 20 e 70 a Companhia de Estiva,
4 a M. Dias a Silva GaimarSes e comp.,
1 a Julio de Azevedo, 1 a Amorim Ir-
mos e comp 4 a Antonio J. Salsa, 5 a
ordem, 1 a J. de Souza Rodrigues, 30
caixas a Paulino de Oiiveira Maia, 100 a
Companhia de Estiva.
Vimes 300 liegas a Jos Rodrigues Ma-
cieira.
A classe dos Mercieiros ao
dign eleitorado do mu-
nicipio do Recife.
-; Tendo o directorio do partido republi-
cano incluindo na lista dos candidatos
que apresenta para compor o conselho
municipal, na eleicao a que se vai prose
der no dia 21 do corrente o nome de nos
bo distincto collega o Sr. Manoel Joa-
quim da Costa Ramos.
A classe espera que o digno eleitorado
do municipio que j as ultimas eleicSes
se dignou suffragar o nome daquelle nosso
collega anda mais urna vez despensarSo
os seus valiosos auxilios, squelle nosso
representante, incluindo seu nome em
suaB chapas.
Desde j antec'pamos os uossob agra-
decimentos, cortos de que o digno elei-
torado nao se negar a eatisfazer o nosso
justo pedido.
Recife, 15 de Fevereiro de 1892.
A classe dos iercieircs.
Elixir depura-
tivo vegetal
Formula de Angelino Jos
dos Santos ndrade
Approvado pela Inspectora Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande emca:ia as mo-
lestias sypbiticas e impureza do sangue assim
como em todas as molestias das eenhoras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas ac-
commettidas da terrivel molestia beriberi.
Rheumatismo sypbiiitico ou gotozo, d: scia-
tica, erupcCes de pile, cancros, e cancros ve-
nreos, flores brancas, bysterismo, frouxidao de
ervos, rites e ou'.ras inflammacfies dos olnos,
molestias d ligado, escroohulas, escorbuto,
seflrimentes do estomago, ulcera?, goromas, fs-
tulas, empingeas, darbros, pannos e manchas
da peHe, bobas e bobes, sarnas, catarrbo e
quaesquer molestias da bexiga, entre outras,
albuminuria, ourinas doces e sanguinolentas,
anemia, paralysia, erisipelas, e ioflammacOes
das pernas e ps, hemorrboidas, astbma, hydro-
celles, tumores, nevralgias, e elepbantiazes ou
morpba, as irregularidades da menstrnacSo
Prova-se com aquelle numero de attestsdcs j
publicados e es que existem em nosso poder a
eicaci? des'.e elixir as molestias indicadas.
Naciona Pharmacia
35. Raa Lsrga do Rosarlo, 35
A' ra BarSo da Victoria n. 37 se dar toda e
qualmr explicaco que for preciso acerca desta
preparado.
Cuidado com as falslflcafdes
.Viodo de usar
Os adultos tomaro quatro colberes das de
sopa pela'maoh e quatro aoite.
As criaeja de 1 a 4 anno3 tomarao orna co-
iber pela macha e cutra noite, e as de 5 a 11
nnos tomara: duas eolheres pela manb& e deas
a noite.
Deverao lomar banbos fras ou momos pela
manha e noite.
Resguardo regular.
um remedio efficaz e seguro tal qaal seia
o Peitoral de Anacahaita.
Nao deixeis passar ama hora sem que
fajis urna prompta applicagSo deste ina-
preciavel e prodigioso remedio.
Os males e s&ffrimentos, para logo serao
alliviados, e por fim acabar em restabe-
lecer completamente vossa sade e com
ella vossa alegra e prazer.
Sua historia e urna serie continuada de
prodigiosas curas e os triumphos sem fim.
Encontral o-heis venda em todas as
prinsipaes boticaB da cidade o do campo.
Como garanta contra as falsificas5es,
obsrvese bem que* os nomes de Lanman
& Kemp venbam estampados em lettras
transparentes no papel do livrinho que
serve de envoltorio o cada garrafa. Acha-
se a venda em todas as boticas e drogaras.
448
Regulad r da Marioia
Concerta se relogio3 de algibeira, pn-
dulas de torre de igreja chronometros de
marinha, caixas de msica, apparelhos
elctricos, ocilos, binculos, oculos de al-
cance, joias e todo qualquer, objecto ten-
dentes a arte mecbanica.
9Ra Larga di Rosario9
Por acaso experimentes
segoiotes syDiplomas?
os
iul couros seceos salgados com
para liba
V. Neesen,
5,412 kilo?.
Na escuna portagueza Feittceira,
de S. Miguel, carregou :
A. Monnard, 5 Caricas com 417 kilos de assu
car braceo e 5 ditas com 467 ditos de di:o mas-
cavado.
Para o interior
Tendea toase violenta ? Sents dores
nos pulmSes ? Expectoris phlegma ou
mucoeidadea ? Vos eacommodam e de-
bilitis oe sucres nocturnos ? Tendes
garganta inflammada ? Estas ronco ?
Sents oppress'o no peito ?
Se por ac so, ou dado o caso que
edoecais de todas ou de qualquer ama das
enfermidades mencionadas, achar-vos heis
na urgentissima necesBdade de empregar
Ei&iortac&o
::.2
1 caixa a Manoel de Souza
exportados 3083 coo-
Vapor francez Corrientes, entrado do
Havre a Lisboa em 18 e consignado a A.
Labille.
Carga do Havre
Agua de Vichv 1 caira a oriem. .
Amostras 2 volumes a orden.
UCm. 18 Di rKVMKIRO DI
Para o exterior
No vapor inglez Scholar, para Liverpool,
carregaram :
J. Paeretenberg & C, 73 saceos com 5,040
k los de caroeos de algodo.
BlackbruQ Needhan A C, 120 kilos de borra-
cha de mangabeira, i barrica com resina de ca-
jueiro no valor de 20, i fardo con cascos de
an:ico no valor de 1004.
Julw & Irmao, 690 saceos com 46,750 kilos de
assncar mascavado.
No vapor americano F,nance, para New-
Yoik, carregaram :
Abe Stein & C, 7,791 pelles de cabra.
Medeiros Irmao & C, 6,069 pelles de cabra.
ra barca portoguexa N. Silencio, para o
1 Porto, carregou
No vapor Eacional Beberibe, para Santos,
carregaram :
P. Alves & C, 300 saceos com 18,000 kilos de
assucar branco e 3C0 d:cs com 18,000 ditos de
dito mascavado.
E. C. Beltrao & Irmao, 50 sa.-.-is com 4,800
litros de agurdente.
F. Lemos & C, 200 litas com 3,400 litros de
oleo vegetal.
* No vapor americano Finance, para o Para,
carregaram :
J. Bailar 4 C. 200 barricas com 12,800 kilos
de assucar branco e 4C0 saceos com 2t,000 kilos
de milbo.
. Lins Caldas, 2 tipas com 960 litros de
alcool.
Amorim Irmos 4 C, 35 pipas cm 16,450 li-
tros de agurdeme e 40 ditas com 18,600 ditos
de alcool.
C. M. da Silva, 140 sac:os com 10,500 kilos de
asssucar branco e 20 barricas com 2,100 ditos
de dito mascavado.
No vapjr francs Corrientes, para Rio de
Janeiro, carregaram :
S. Guimares 4 C, 60 pipas com 27.603 lilros
de agurdente.
P. de Oiiveira Maia, 20 pipas com 9,600 litros
de alcool.
N. Gban 4 C, 7C0 saccas com 61,695 kilos de
algodo.
P. Carneiro 4 C, 600 saceos com 36,000 kilos
de assucar branco e 200 ditos com 12,000 ditos
de dito mascavado.
- No vapor nacional Espirito Santo, para Rio
de Janeiro, carregou :
R. de Sansa, 230 saceos com 15,000 kilos de
assucar mascavado e 100 ditos com 6,000 ditos
de dito branco.
No vapor nacional Santelmo, para Rio de
Janeiro, carregaram :
P. Carneiro C. 294 sac;a3 coto 22,012 kilos
de algodo.
N: vapor allemo Argentina, para Rio de
Janeiro, carregaram :
J. M. da Costa Carvalho, 50." saceos com 30.000
kilos de milbo.
L. A. da Costa. 15,000 coco3, fructa.
No vapor nacional Olinda, para o Para,
carregou :
M. F. Mariins, 100 barricas com 7,393 kilos de
assucar branco.
N; vapor nacional Satlite, para Saatos,
carregaram :
C. L Gjmes 4 Fonseca, 321 saceos com 19,20
kilos de assucar branco e 15 ditis com 900 ditos
de dito mascavado.
No vapor nacional Aguamare, para Santos,
carregou :
C. A. Burle, 400 saceos coa 24 000 kilos de
assucar branco e 600 ditos com 36,000 ditos de
dito mascavado.
" Na lugar saeco Dochan, para Pelotas, car
regou :
J. Borges. 700 barricas com 72,600 kilos de
assucar branco.
No patacho nacional Marinho 6-, para Pe-
lo'as. carregaram :
J. M. Lourenco, 2,000 cocos, frneta.
A. Taborda, 800 sascos com 60,080 kilos de
assucar branco e 200 ditos com 15,000 ditos de
dito mascavado.
M. Mala & C, 600 saceos com 43.00* ditos de
dito branco.
Para lio Grande do Sal, carregou .
F. J. Goncalvcs do Cabo, 2.000 cocos com,
c sea.
No biate nacional Beus te Salve, para Mes-
sor, carregaram :
GoimarSes A Valente, 1,000 sacos com tari
nba de mandioca.
No biate naciqnal Coneio d Natal, para
Muri, carregou : '
A. Cavalcante, 8 saceos com 480 kilos de as
sucar branco e 30 caixas com 66J kilos de sabSo.
No biate nacional Bom Jess, para Macaby-
ba, carregou :
J. deSouxa, 100 caixas com 3,300 kilos de
sabao.
Para o Natal, carregou :
J. de Socza, SO caixas com velas e 90 ditas
com 2,070 kilos de sabo.
Na barC3ca J. Assencia, para Macelo, car-
regou :
M. Vi?gas, 10 caixas com 70 litros de geoebra
e 1 barril com 80 ditos de vinagre.
Na barcaca iiarthi, para Parabyba, carre-
garam :
A. D Simis A C, 20 barris com 1,350 litros
de vinagre.
Piola da Alfaadcga
tarar* di 15 a 20 de feveieibo di 18(2
Alcool (litro ...... 412
llgoda em ra&a (kilo) .... 613
irroz com casca &: o) ... 86
ASBuear retinado fkilo) 390
Assucar branco (sil) .... 324
issucar mascavado fci(o) ... 195
Bagas de mamonas (kuo) ... 126
Borracha de leite mangab. fkilo) 1*630
Cachaca......... 227
Couros seceos espichados (kilo). 634
Jouros seceos salgados (kilo) 594
Coaros verdes (kilo)..... 320
Courinhos (um)....... 1J870
arocos de algodSo (kilo) ... 40
Carrapateira (kilo)..... 133
:ac4o (kilo)....... 400
:ef bom (kilo)...... 14200
Jal restoibo (kilo)..... UOOO
Caf moido (kilo)...... 1*200
Carnauba (kilo...... 566
Cera vegetal (kilo)...... 566
Canna (litro)....... 220
Cal (litro)........ 10
Carvo de Cardiff (ton.) .... 304000
Farinba de mandioca (lito) p % 62
Senebra (litro)...... 454
iraxa (sebo;....... 633
aborandj (em folha) kilo ... 200
Leite de mangabeira (kilo) 14466
Mel (litro)........ 110
lilto(iilo....... 60
Fhorpnito de ca da lina Rata (tone-
lada ......... i uono
Pelle da cabra (cenia)..... 187*000
Pelle de carneiro (eeato) ..... 1454000
teniente de carnauba (arroba) 53
ola meio)....... 34850
Sement de carrapaleira (kilo) 126
Sebo.......... 633
ratajuca (kilo)...... 40
taboas de amare; o em rranchCei
(dnzis)........ 1004
O juiz de direito JoSo Baptista Gitira
na Costa, eccarrega se de contrshir em-
prestimos com o Banco Emissor de Per-
nambuco, sob hypotheca e penhor de sa-
fra, para os agrie altores o commerciantes
residentes neste Estado e os da Parabyba,
Rio Grande do Norte e Cear, mediante
mdica retribuic5o ; assim como encarre-
ga-se de liquidares amigaveis, em qual-
quer das comarcas dos referidos Estados.
Pode ser procurado em sea escriptorio
r.ia .b Mrquez de Olinds, aniga da
Cadei:., n. 1, l.- andar, da3 11 hor3 s
4 da tarde, e a outra qualquer hora, em
sua residencia, raa BarSo de S. Borja
n. 50.
Dentaduras artificiaes
Sob pressSo elstica, e pressao pneu-
mtica systemas novissimos neste Estado
pelo eirurgi2o dentista Numa Pcmilia,
i ra do Barao da Victoria n. 4 1
dsd;.s 8 horas da manb5 s i da
ac-
tarde
%
:.-:V. la geral
Do dia 1 a 18
dem de 19
Leadiacsatos pablleo
Haz DI FEVEREIRO 01 18S2
lfanieg
313:8764612
28:4774689
Renda do Estade
Do dial a 18
dem de 19 -
132:8094050
14.957i0?3
542.3541301
147:7664183
Somma total
690:1204484
19
Segunda seccao da Aiandega de PeramDacr,
le Fevereiro de 89S.
tbesoureiro,
Florencio Domingues,
O ebefe a seecao,
FelicJaco Placido Pontual.
Reebed(irla de Estado de
Pernambuco
Bo dia 1 a 17 45 3394787
H&a de 18 2 2044486
W&-------------------
j> Medico
f DR. TAVARES DE MELLO
formado pea Faculdade do Rio de Jaeiro,
tecdo-se dedicada com especialidade
therapeutica moderna das molestias de
pelle e svphilis, na polyclinica geral, a
cargo do Dr. Silva Araujo, onde servio
como seu ajudante ; d consultas de 12 s
'i tora3 no largo do Corpo Sacio n. 15 ou
BBoar, e recebe chamados a qcalqer hora
em sua residencia, ra S. Jos o Mangoi-
tonhj n. 4. f Telephone n. 575. |
W&*-----------------------&M
DF. Silva Lea]
Medico occullsta
Recentemente chegado da Europa e
com pratica nos principaes hospitaes e cl-
nicas de molestias de olhos dePris. d. con-
sultas todos os dias uteia das 11 s 3 ho-
ras da tarde em seu consultorio, roa
Duque de Casias n- 73 Io andar, entrada
pela Praga de 17, n. 73, (actigo Largo do
ollegio).
Residencia a raa BarSo de S, Borja d
16. Telephone n. 507.
Chamados por escripto, em sea cor.su,-
ro, residencia, e na pharmacia Martiun
Sovlniento do porto
Navios entrados no dia 19
Rio de Janeiro 12 dias, vapor inglez
iRio Paragaay de 258 toneladas, com-
mandante H. Diesen, equip3gem 14 em
lastro aH. Burle e comp.
Santos e escala10 dias, vapor america-
no fFinancs de 1919 toneladas com-
mandante R. Zolling, eqaipagem 66
carga varios gneros a Henry Forster
e comp.
Navios sonidos no ruerno dia
Santos e escalavapor allemo c Argenti-
na commandante N. Meyer, c;rga va-
rios generoB.
Santos e escalasvapor nacional Bebe-
ribe*, commandant3 Fabio Rio, carga
varios gneros.
Santos e escalasvapor fr^niez c Cor-
rientes commandante E. Laynei, car-
ga varios generes.
Barbadospatacho infles cMary Johns
capit2 W. Jilly, am lastro.
surcado Haolelpal de ot
O '.n-jv:rntnlo deste mercado no dia 18 da
Fevereiro foi o seguale : Entraram :
36 bois pesando 4 890 kilos.
433 k'ios de peixe a 29 ris 84660
4 compartimentos com manaros a
lOOrs. 4400
4 ditos de camarSes a 3 N>J rs. 14200
54 cargas com farnha a 200 rs. 104800
9 ditas de fructas diversas a 300 rs. 24700
5 cargas com galnhasa 500 rs. 245T0
2 cassus com gallinbas a 3)0 rs. 4600
31 1/2 columnas a 600 rs. 1849G0
33 logares a 2C0 rs. JjSfOO
'8 sainos a 200 rs.(cabeca) 14600
53 compartimentos com Tartana a 400 214200
34 ditos de comidas a 700 rs. 2348'0
45 ditos com fazcnas ele. i 600 rs. 274C0O
48 ditos cem verduras a 300 rs.
8 d'.ios de sumeiros a 14
9 ditos de s 7C0 rs.
6 ditos de fressara a (0) :s.
30 talhosa245'00
10 dilos a 24
Rendimentos de 1 a 16
144)00
64300
34600
7540(0
204000
*2534260
3.77 4500
4.2954620
47:5424243
o dia 1 a 17
dem de 18
teeic Draloagc
16.70046(7
1:29J4414
17*9944111
Fregos o ola :
Carne verde de 320 a 640 ris O kilo.
Sainos de 640 a 800 ris idem
Carneiro de 640 a 800 ris idem
Farinlia de 440 a 480 ris a cuil
ihode 300 a 320 ris idem,
Fc'Jao de 14200 a 14600 idem
Vaporas a entrar
MSZ DK FEVERKIRO
Norte........ Espirito Santo..... 20
Sul......... Liguria........... 20
Sul.......... Orteqal........... 22
Norte....... SaUliU........... 20
Europa....... Actor............. 21
Norte........ Alhanca.......... M
Sul.......... Alagos^.......... 23
Sul ...... Pernamtco....... 25
Europa ....... Thames........... 25
Norte....... Porto Alegre....... 27
Sul.......... Magdalena........ 27
Vaporee a sabir
HEZ DK FRVB&EIRO
'Norte....... Finance........... 20 as -10 h.
Sul......... Jacuhype.......... 16 as 4 b.
Europa...... Liguria .......... 20 as 5 b.
Sul......... Espirito Santo..... 21 as 5 0.
Sul......... Alianca..........23 as 4 b.
Norte....... Alagos...........24 as 3 h.
Sul......... Tkanus............ 25 as 2 h.
Sul......... Pernambuto....... 26 as | b.
Europa...... Magdalena........ 27 as I h.
Sul......... Porto AUgrt....... 28 as Ib.






-

-
J


L
ti
i


Diado de Pernambuco Sabbado 20 de Fevereiro de 1892


')
N
\
Dr. Bastos deOliveira
Medico operador e parteiro
Tea o seu consultorio ra do Marque
de Olinda n. 1, 1. andar, onde pd ser
procurado todos os diaa uieis de 1 s 3
horas da tarde.
Chamados qualquer hora, ruadlo
Dr. Joaquim Nabuco n. 2 A. Capusga.
Telepbone n. 365.
O ADVOGADO
A enies de H (Honda
Encarrega-se de qaalquer traba-
[ jibj relativo a sua pross2o( na co-
t marca de Gamelleira, bem como nasj
I [viichas.
Escriptorio na Villa de G. mel-'
!eira,-onde pode ser encontrado das |
10 s 4 horas.
D
r. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especial
dade de molestias de senhoras e creanca
Consultorio e residencia ra da impc
rstrii 3. 13, Io andar.
Col bullas de 8 s 10 da manh5.
CbmadoB (por escripio) qualquer hora
ELEPHONK S. 226
Dr. Mello G mes
dedico operador parteiro
57Ra do Barao da Victoria57
1DEFBONTK DA BCA DE 8. AMABO)
Onde tem consultorio e resi-
dencia i podendo sr encontrado e
.-ecebendo chamados qualquer cora
do dia e da noite.
Stjcciahdadet: partos, febres, moles-
rjaa de senhoras e dos puimes, syphis
e:a geral, cura rpida e completa e ope-
agoea de e.'trettamentos e mais sonri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados ara
ora, a qualquer distancia.
Telepbone n. 19S
r
II
H
Dentes
Termina a bcrivel dor de dentes usan-
do o exoelleEte preparado deManoel Car-
dcEo Jnior.
As cartaB que lhe tem sido dirigidas
pelos jomaes de maior circuUgSo, attes
tfm a efflcacia.
Depsitos
Drogaiia de Francisco Manoel da Sil-
va J., raa do Mrquez de Olinda
n. 23.
Farmacia MsrEB, ra Duque de
u n. 88.
Pharmacia Oriental, a ra Estreita
Rosario n. 3.
Pharnacia Alfredo Ferreira, ra
Bar2o da Victoria n. 14.
Pharmacia Virgilio Lopes, ra Larga
do Rosario n. 31.
Ca
de
Oculista
J
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chee de clicica do Dr. do
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
i s 4 horas da tarde, no 1*
ardar da casa n. 51 ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e diaa santificados.
Telepbone 285.
Residencia ra Seto de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 26.
Telepbone 287.
Dr. Nunes Goimbra
ClnicaMedico -Cirurgica
Especialidades : febreB, partos, moles-
tias de senhoras e de creangas.
Chamados a qualquer hora na sua re
sidenciaCaminho Novo n. 163, junto
estscSo; ou no seu consultorio, ra Mar-
ques de Olinda n. 56, on te d consultas
das 11 s 2 horas.
Telephone n. 387
Ntaouma cdala poder ser ace ta sem que
traga :oulo da eleigao a que pertencer, caben
do a* presidente da mea verifleal >, antes de
tr li recebda. e os eleitores que nao votarem
en .Jan as eleic,5es, dedararao em seguida a
sua asignatura quaes aquellas em que votaran
(1 11 do art. 10).
Na eieicao de deputsdos, senado'es e mem-
bros do cooselho municipal, cada elitor votar
em dous tercos do numero desses representan-
tes e na de prefeito e sub-prefeito em um e no-
me para cada um desles cargos (art. B*).
Pora depulaios os dous tercos i8o vinte e
para cenadores e conselheiros municipae3 sao
dei.
O eleitor logo em seguida entrega de suas
cdulas assignar o seu nomo no livre para isto
destinado (5- do art. 11).
O eki'.or nao poier ser aJmutk.o votar,
sem apresea'ar o seu titulo, nao podendo em
csso algum, exhibiio este, ser lbe .recusado o
voto nem tomado em sepralo, salvo se o titulo
o: impugnado no momento da votajSo per ou-
tro eleitor que exhibir segunda va do mesmo
titulo, caso em que ser tomado eai separado o
voto, e os ti lulos QcarSo em poder de presiden-
te da mesa para os devidos as (g 6- do art. II
e 2 parte do 10- de3'.e mesaio artigo).
Nao serao apurados os nomes que excederem
ao numero dos candidatos que dever?m ser vo-
tados em cada cdula, e a -apurago ser fei'a
pela ordem em que estiverem escripias (8 7o do
art. U).
O eleitor poder votar secreta oj pobcamen-
te ; no caso de vo'.o secreto depositar as sias
clulas na urua ; e no caso de voto descoberto,
as listas serio tuerta; manuscriptas cu imprea-
.-a? em qualquer papel, assignaias pe.o proprio
eleitor que as apresentar ao presidente da mesa
em dupplicata, afim deque este, rubricando urna
jtllas, l'as resiitua e fcci em seguida l: em
voz alta e apurar a outra, depoia de verificad! a
su conformidade com a pnmeira. (Art. 11 e
g 1 e 2*.
Os candidatos ou grupos de mais de ;r:nta
eleitores poiero, em cfficio derlgilo a mesa
desigaar flseaes, noexceleodo a tres,que as
signarao todas as actas. ( i i do art. 11.)
O recinto en que estiver a mesa eleitoral ser
separado do resto da sala por gradil cu per ou
tro qualquer meio.
Os exempiares das listas, pelas quaes fer feita
a apuraco, seri remettidos no mesmo dia da
eleigo oo no seguida ao presidente da Ioten
dencia. ( 3o do art, 11.)
Sero tomad js em separado os votos dados a
candidatos cuios nomes estiverem alte'ados por
troca, augmento ou supresso de sofcrencmes.
(I do art. 11 )
As e!eic,6es e apurares em caso algum pode-
ro ser interrem ida?, e n'ellas, sob 'pretexto
algum, poder haver latervenco de forja pu-
blica. (5 2 do art. 11.)
No caso de, por maioria de votes da mesa, nao
ser recebido qaalquer protesto ou reclamaco
poder o protestante ou reclamante fizel o la
vrar em livro de notas do tabe io dentro de
v.n:e quatro botas aps a eleico.
Finalmente deixar sem motivo justificado o
cldado eleito para fazer parte da mesa eleitoral
de saiishzer s determinacOes do referdo regu-
iamento no prazs estaoelecido. quer no tocante
ao servico que lbe exigido, quer .no que diz
repeito as garantas que deva dispensar aos elei-
'.eres, pena de suspeosao dos direito3 polticos
por dois a quatro annos. (Art. 15).
Pago da Intendencia Municipal do Kecife, 18
de Fevereiro de 1892.
Dr. Manoel Pinto Dmaso,
Presidente.
J:aquim Jos Ferreira da Bocha.
Dita Urna dita, n. 190, dem, idem,
idem 40 kilos de eavelopes.
Dita Duas ditas, na 186 e 187, idem,
idem, idem, idem 386 kilos oe papel liso
para essrever.
Marca J C & C Urna dita, n. 2175,
idem idem dem, idem 140 kilos de pegas
soltas, ou incompletas, de madeira ordina-
ria, envernisadas.
Marca diamante J M ao lado o B no
centro Dez ditas, ns. 51 a 60, vindas de
Liverpool a 23 do Dezembro de 1890 no
vapor inglez Mariner, consignado a J.
de Macado, contendo 2404 kilos de louca
o. 2, em pecas, nao claasiricadas.
Marca Braga & C Dous pacotes, sem
numero, da mesma procedencia, consigna-
dos a ordem, contendo 3 1[2 kilos de fitas
de seda.
Segunda Secc&o da Alfacdega de Per-
nambujo, 20 de Janeiro de 1892.
O chele,
Feliciano Pontual.
DECLRALES
HIPPODROMO
ODOI
cero CHINDE
Banco de Peroamboco
DIVIDENDO
Sao convidados os senbores accionistas a vi-
re m receber no escriptorio dfs e banco do dia
25 em dianle o i dividendo de suas accCes, na
razaode8C/0 ao anno, correspondente ao 1
semestre ndo em 31 de Dezembro de 1891.
Recite, 23 de Janeiro de 1892.
Jos Adolrho Rodrigues Lima
_____Director secretario._________
Hospital Portuguez
Auembla geral
Sess) de posse
Pelo presente convido os senhcre3 socios do
hospital a comparecerem domingo 21 do correa-
te. s 11 horas da msnha, na sle social, para
se cumprir o disposto no art. 29 dos estatutos.
Secretaria do Hospital Portueuez 17 de Feve-
reiro de 1892.
Manoel Lopes Ferreira.
Secretario.
iim m
QUE SE REALIZAR,
No dia 21 de Fevereiro
A'
Komes
Cdr da vesti-
menta
Proprletarlo*
1." PareoPrado Pernambucano10C0 metros.Animaes de Pernambuo que nao tenbam
ganbo no Prado Pernambucano em 1891 e no Derby e Hippodromo em 1892. Premios:
200*000 ao 1, 40*000 ao 2o e 20*000 ao 3.
EDITAES
i' Secc.40.Secretaria do governo do Estalo
de Percambuco em 19 de Fevereiro de 1892.
De crdem da junta governativa co Estado fajo
publico, para os .'evinoselTcios, que ao prn-
senlo .a servectia vitalicia do cft*i--o de tabe'.-
M especial encaregado do registro giraldas
nvpolbecaa do rxon-.pio de NJiareth concorreu
o cidado Vctor Vieira de Mello.
O secreterio da junta,
________DcmingOB Alves Le.te.
Regulamento elei-
toral
O presidente da Intendencia Muntciccl do Re-
de, ara conhteimento de todos os eleitores
d-re rcurjicipio, manda fazer publicas as indi
8 abaixo transcriptas, de conformidade
c^i c regulamento eleitoral da junta governati-
va deste Estado, de 9 de Janeiro do correte an-
no, pe:o qual tem de ser feita no dia 21 do cor-
rente a eleicSo pa.-a senadores e deputados do
EstiJc prefeito, sub prefeito e conselheiros mu
nicipaes.
Incardes
Os merbro3 das mesas eleitoraes reunir sa-
ho rtc iugar designado, no da 21 do correte,
ti 'j -;ras da manb, o elegendo pluralidade
d? vc'os o seu presidente e secretario, designa-
r aqoeile o^ntre os demais meabros os (Jue
devem fazer a chamada, reetber as cdulas e
examicar os titules, Meando assim installada a
mesa, lavrar o secretario a acta immediala-
mente sm livro proprio, (art. 9).
las'.aliada a mesa ter cornejo a chamada dos
eleitores pela ordem em que estiveem os seu3
nomes as respectivas copia* do alistamento (
3- do art. 9 )
Proceder-se-ha a eleijo sempre qus compare-
cerem ires membros dos que comp0?m a mesa,
e si at a occasiao de proceder se a aporac&o
nao uverem comparecido mais dou3 mean ros,
convidar o presidente da mesa um ou dous dos
eteitOTS presentes, atim de occopar o lugar ou
lugares vagos (jl- do art. 9).
Nao se podendo realizar a organisaco da me-
sa eleitoral at 10 hars do da, nao ter lugar
a eleicio. ...
Ca? eleitor votar cem cinco cdulas distiu-
ctaa competentemepte rotuladas par cada elei-
gao ( a* do art. 8).
O Dr. Joo Joaquim de Freitas Henri
ques, juiz de direito do civil da cidade
do Recite, capital do Estado de Per-
nambuco, em virtude da lei etc.
Fago saber aos que o presenta edital
virem, ou delle noticia tiverem, que no
dia vinte de Fevereiro prximo vindouro,
depoia da reapectiva audiencia, aerSo aro
rematadas em praca publica deste juizo as
casas nmeros dueentos e oitenta e quatro!
e duzentos e c i tena 'e oito, sitas ra
Imperial na freguezia d S. Jos, perteo-
centes a Joanna Prxedes de Albuquer
que e outros, conforme a avaliaySo se-
guinte :
A casa terrea de tijollo e cal, soberta
de telha na ra Imperial sob numera du
zentoa e oitenta e quatro, com duaa por-
tas de frente, sem repartimento, com ar-
zzazem e quintal em aberto, solo proprio,
medmd-? quatorze metros e trinta centi-
metroa de comprimento, e quatro metros
de largura, avahada em seia centos mil
reis
A casa terrea de tijollo e cal, joeijoq
de telba na ra Imperial sob numero du-
zentos e oitenta e oito, com tres portaa
de fre.te, sem repartimento, em arma-
zem, quintal murado, em solo proprio,
medindo quatorze metros e trinta cent-
metros de comp imento e ciuco muiros e
oitenta centmetros de largura, s.valiada
em um cont de reia.
Ditas casas vSo a praga por execuc^o
que move o espolio de Manoel Fernandos
da Costa, contra Joanna Prxedes de
Albuquerque e outros.
E cnso nSo -apparecam licitantes que cu-
bran o prec.3 da avaliacSo de dita casas,
irlo ellas a segunda praga com c inter-
vallo de oito das e abatimento de dez por
cento sobre o pre9 da avaliatto, nos
termos da lei.
E p?ra que ebegue- ao cjnhesimento
de todos, mandei passar o presento edital
que ser publicado pela imprensa e ani-
sado no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Kecife,
capital do EstaJo de Pernambuco aos 28
de Janeiro de 1892.Subscrevo e as-
signo.O escriv2o interino, Joaquim
Fra: cisco de Albuquerque S intiago.
Jodo Joaquim de Freitaa Henriques.
Edital n. 78
Prazo de 30 dias
De ordem do Sr. Dr. inspector se faz
publico que, as 11 horas di manbl de 20
de Fevereiro prximo futuro, serlo ven-
didas em consumo, a porta desta reparti-
lo (se os seus donos ou consignatarios
no vierem rcliral-as, na forma da lei)
seguictes mercaderas :
Arm:zam n. 2
Mara N H Urna barrica, sem numero,
viuda de Liverpool no vapor inglez iHum
boldt a 10 de Margo de 1890, contendo
44 kilos do craves de ferro para ferrar
animaes.
Marca D F S & C Urna caixa, sem
numero, descarregada a 27 de Mar$o de
1890 do vapor nacional tEspirito Santo,
veio do sul, consignado a ordem, contendo
as latas 30 litros de zaite doce.
Marea ABC Daas ditas ns. ^:54[456,
vindas de Liverpool no vapor ingles Edi-
tor, a 3 de Seteajbro da 1890, consigna-
das a ordem, contendo 30 kilos de moldu
raa de madeira, dourada3.
Marca diamante M no centro Dez ditas
sem numero, viadas de Hamburgo a 20 de
Dezembro de 1890, no vapor allemio
Amazonas, consignadas a ordem, conten-
do 103 k los de agua arnera!, em gar-
rafas.
Marca MJH Cinco ditas, ns. 138,
189,191 [193, da mesma procedencia, con-
signadas a H. J. Pe-mano, contendo 1197
kilos de papel asaetiu di para impreasSo.
Companhia
DE
Fiafo eTecidos de Pernambuco
15 de Fevereiro de 1892
Sao convidados os senhores atxienistas desta
companhia a comparecerem .no dia 2 do oroximo
mez. 1 horada tarde, no seu escriptorio rua
do Bom Jess n. 42, 1 andar, para constituir-se
Assembla Geral orlinaria, com o m de appro-
var as contas do anno fiado e eleger por escru
linio secreto a Commisso Fiscal, Mesa da As-
sembla Geral e directora.
Jos Joao de Amorim,
Secretario.
Companhia
DE
Segaros Plienix Pernambacana
Na sede da compaabia ra do Commercio n.
46, estao disposico dos senbores accionistas:
1' copia dos bala 2os semes traes do auno
prximo passado.
2- copia da relaco nominal dos accionistas
com o numero de ac;?s respectivas e o estado
do pagamento deltas.
3- copia da lista das transferencias de accfcs
realisadas durante o anno.
Recife, 16 de Fevereiro de 1892.
03 admiaistradores.
Luiz Duprat.
Maaoel da Silva Maia.
Malange.....
Gerfaut......
Collector....
Dublin......
Gala........
Patchouly
nj.....
Russo.......
Ziino.......
Russ.o......
Rodado......
Alazo......
Russo......
Castanho
Pernamb..
53
55
51
55
55
55
53
Verde............
Azul e encarnado
Azul e branco........
Azul e ouro em listras
Amarello.preto e azul
Azul preto e ouro
Coud. 24 de Maio.
Coud. Aurora.
J. J. dos Santos Jnior.
J. G. Miranda.
Dr. Luiz Drummond.
J. B. Costa.
M. J. Alves.
2. Pareati de Fevereiro801 metrosAnimaes Pernambuco que nSo tenbam
prados do Recife at 12 do correte,
mios: 200*000 ao 1, 40*000 ao 2 e
salvo a corrida de 15 de Xovembro
2000C ao 3*
de 1
janho nos
591. Pre-
Rio Grande.
Milzador___
Alabama....
Uutange....
Li3boa......
Coriseo.....
Talissier___
8Regedor
Rodado......
Castanho
Alazo.....
Castanho..
Alazo.....
Baio......
Castanho..
Pernamb.
51
51
51
51
51
51
51
51
' zul e branco.....
Azul e encamado..
Branco............
Azul e branco.......
Preto e encarnado
Amarello e roso......
M. P.M. F. .
S. A. dos Aojos.
J. de Oliveira.
Silva & Ribeiro.
J. G. de Miranda.
Coud. Arraval.
J. N. da Silva.
J.F.
3. PareoOrdem900 metros.Aaimaes de Pernambuco que nao tenham ganbo em distancia
superior a 1000 metros, salvo a corrida de o de Julho prximo paseado. Premios: 20D*
ao i.. 40*000 ao 2. e 20*000 ao 3..
Companhia Pernambucana
de Navegacao
Paga as suas contas as tercas esextas-feiras,
das 9 horas da manh s 4 da tarde._________
Banco da Bolsa
Assembla geral
Sao convidados os senbores accionistas a reu-
nirem-se em assembla geral ordinaria no dia
6 de Margo ao meio dia, no escriptorio deste
banco, afim de tomaren conhecimento do rela-
torio, parecer scal e contas do primeiro perio-
do e elegerem o conseibo fiscal.
Na sede do Banco ra do Vigario n. 2, en-
contrarlo os senbores accionistas as copias do
bal neo at 31 da Dezambro ultimo, contendo
as iodicaces exigidas por lei; da retacan no-
minal dos accionistas com o numero de acc5es
resoectivas e estado do pagamento destas ; e da
lista das transferencias das acedes realisadas.
DIVIDENDO
Outrosim, sao convidados a receberem na sede
deste banco o 1 dividendo correspondente aos
mezes decorridos at Dezembro de 1891, na ra-
zo de 12 0/0 ao anco.
Recife, 5 de Fevereiro de 1892.
Jos A. Rodrigu s Lima, presidente.
Antonio L. dos Santos, secretario.
_______P. J. Pinto, gerente.______________
la ierre la ra da santa Caaa de Ml-
serlcordla.alogam se os segolntes
*'** -.
Ra do Encantamento, loja n. 11 30*000
Ra do Amorim, armazem n. 26 10*000
dem idem n. 64 30*000
Roa do Burgos n. 19 _____________12*C00
Instituto Commercial Per-
nambucano
Acba se aberta at o dia 29 do correte a ma-
tricula para as aulas deste Instituto, na sede do
mesmo, antiga Escola Modelo e onde funeciona
o Instituto Archeologtco e Geographico Pernam
bucaco.
Secretaria do Iastituto Jomrnercial, 10 de Fe-
vereiro de 1892.
O 1- secretario,
__________Joo Baptista Regqeira Costa.
Irmandadc do Glorioso Santo
Amaro das Salinas
Ladalnha cantada
A mesa regedora desta rmandade em cam-
pamento de disposico do seu compromssso
manda celebrar um suaigreja, domingo, 21 do
correte, s 7 i/- horas da noite, urna ladainba
cantada a gran Je orebestra em louvor aNossa
Senhora das Angustia.
Nesse dia, a missa que se ce'ebra ordinaria-
mente s 9 horas, sera celebrada s 8 horas da
manb-
Convido a todos 03 nossos irmos a virem as-
sistir 03 mismos acto?.
Consistorio, 18 de Fevereiro de 1892.
Henrique Maealhaes da Silva.
E3crivSo. _
Companhia de Santa
Thereza
Emprezaria do ab stecimento d'agua e luz
a cidade de Olinda
Ass.mbla geral, ui'.ima convocado
E' de novo convocada para o dia 3 de
Marco a asBembla geral dos Srs. accio-
nistas, visto nSo so ter no dia 16 da cor-
rente reunido numero legal. A assembla
tem por fim apreciar as contas, eleger a
administrado e fscaes para o novo ejer-
cicio funecionario de accordo com a lei
com o numero de accionistas que compa
reoer. O lug.ir da reuoiao no salSo
das 8ess5es da Companhia de Trilbos Ur-
bano?, ao meio dia.
Recre, 17 deFevfreiro de 1892.
O director gerente,
A. P. SimSet.
Phariseu.....
Berlim.....
Gerfaut......
Dspota.....
Gllete......
Flautista
Vivaz........
Castanho.
Cachito...
Zaino.....
Rodado....
Castanho..
Pernamb.
51
51
51
53
51
51
51
Encarnado e azul....
Azule encarnado..-
Listrado............
Grenat, branco e azul
Ouro e preto.......
R. Costa.
F. C. R. R.
Ccud. Aurora.
Costa Fernande8.
M.L.
H. Babia.
F. R. Ramos.
PareoDerby Club -900 metrosAnimaes
ao 1 80*000 ao2<
poneas e de Pernambuco.
e 25*000 ao 3.*.
Premios: 250*
Piramon
Faceira......
Uoema.....
iorga 2.. -..
Castanho..
Rodada...
Zaina.....
Rolado....
Pernamb.. 55
53
53
55
Amarello e branco
Aul, branco e ene
Preto e encarnado.
Coud. Bela-Vista.
Coud. Cruzeiro.
J. F. de Albuquerque.
J B. Santos.
o.<
Pareo Triiiao Urbano* 1.000 metros.Cavallos de Pernambuco que nao
ganho em maior distancia de 30 de Setembro de 1891, 31 de Dezembro do
anno, eguas do Estado. Premios : 250*000 ao 1., 80*000 ao
tenbam
mesmo
e 2o000 ao 3..
11 Despota...
2Klo:losso ..
3Cauby
4Pyrila"mpo
5
6
laa
Ma-anguape.
Rodado.
Castanho
Tordilho..
Rodado...
Alazo...
Pernamb..
53
53
51
57
55
57-
Ouroe branco.
Ouro e preto..
Grenat e azc!.
Preto, ene. e ouro..
6.'
Parco- Frafernldade 800 metrosCavallos de Pernambuco
em maior distancia podendo entrar eguas do estado. Premios
ao 2. e 20*000 ao 3.*.
Costa & Fernandes.
Ccud. Republicana.
A. Marques.
J. E. Ferreira.
Coud. Ida e Volta.
Dr. B. t. Fonc. Filbo
que nao tenbam ganhe
: 200*000 ao i 40*000
Milzador... 3
Coruja...... 5
Njctberoy... 5
Camponez... 5
Romeu..... 5
5
Vermouth.. 5
Boa-Idea.... 0
Thisbe..... 5
Castanho
Rodado......
Castanho ...
Baio........
Castanho
Tordilho
Alazo......
Peirez......
Pernamb..
51
49
51
53
51
49
51
53
53
Azul e eucarnado...-
Grenat e azul.
Branco e encarnado..
Azul e encarnado. .
Encarnado e branco.-
Azul e encarnado ...
S. A. dos Aojos.
H. tibson.
Adolpbo A. F. Taques.
A. C. S.
Coud. Portuense
M P. Albuquerque.
A. M. A.
J. Monteiro.
I. M. le Abreu.
OBSERVARES
Os animaes inscriptos para o primeiro pareo deverSo achar-se no ensilhamento
a 9 1/2 horas da manhS.
Os forfas serSo recebidos at sabbado, 20 do correte, s 3 horas da tarde, na
Secretaria do Hippodromo.
Os jockeys que nao se apresentarem convenientemente trajados com aa corea
adoptadas no progrsmma por aeus patries, nao sero admitudos pesagem e serSo
multados de accordo com o art. 51 do Cdigo de Corridas.
Chamamos a attencSo dos Senhores proprietarios e jockeys para os arta. 46 e
47 e seus e o art. 48 do cdigo de corridas ; asaim como oa Srs. apostadores
para o horario, para encerramento da venda de poules, que ser restrictamente obser-
vado, salvo forja maior.
Previne-se aos Srs. apostadores que os animaes que fcarem parados n3o serao
nullos 03 pareos e nem M restituir2o aa poules.
HORARIO
O primeiro Pareo encerrar se ha s 11.50
Secretaria do Hippodromo do Campo Grande, 17 de Fevereiro de-1892.
O secretario,
Augusto G. da Silva.
BNCO DA BOIaSA
Capital Reis 1,500:00#000
Dividido em 15,000 ac^oea de 100:000 caJa urna
RA DO VIGARO N- 2
(Esquina do largo do Corpo Santo)
Edificio da Junta Commercial
Hora 4a Bolsa
DE 1 A 2 DA TARDE
Compra e vende tituloa com cotayao. %
Llanda operacoes por conta de terceiro ou a prazo-
Faculta capitaes para comp-a e venda a dinbeiro ou a praeo de quaesquer
titules cotados na Bolsa. ... ,.. ,
Integralisa convindo capitaea de Bancos e cempaahias reconfcecida u.ilidade.
Fa* transferencia de operacBes realisadas na Bolsa a praso.
Auxilia liqudagSo de report e Deloredere.
Realisa operases bancariaa relativas a aua natureza.
Encarreg-se de incorporasoeB de Emprezas
Levanta-se aprestimos.
Compra e vende metaes.
Encarrega-se da compra e venda de assucar, algodSo, etc. etc.
20 de Marco de 1891.
O director gerente,
P. J. Pinto.
Companhia Refinadora Mer-
cantil Assucareira
D accordo com o que preceitua o art. 5 dos
estatutos desta companhia, sao convidados os
senhores accionistas a realisarem a 2* entrada
do capital razio de 10 0/0 ou iOOOO por ac-
go, at o dia 10 de Margo prximo vindouro,
das 10 horas da manh s 3 da tarde, no Caes de
Capibaribe o. 54.
Recife, 9 de Fevereiro de 1892.
Jos Joaquim da Co3ta Maia,
__________________Presidente.___________
Faculdade de Direito
(Obras do novo edificio)
Em vista do aviso n. 653 do ministe-
rio da InstruccSo Publica, Correios e Te-
legraphos de 19 de Novembro do anno
prximo findo, a directora d'esta Facul-
dade faz publico que se acha em concur-
rencia a execucSo das obras do novo edi-
ficio da Faculdade, com o praso de 60
diaa a contar da data d'ese.
Os Srs. pri tendentes d,verlo apresen-
tar na Secretaria desta Faculdade at ki
12 horas do dia 27 de Marco do corrente
anno as suas pr. postas devidamente sel-
ladas e reconhecidas.
Aa propostas sera j itas por unidade
de servio, e este dever ser executado de
accordo com as plantas e orgamento re-
tos ; pideado os Srs. pretendentes exa-
minar ditas plantas e orcamento no es
criptorio de administrado das novas obras,
sito no largo do Hospicio.
Os pagamentos serlo fetos mensalmen
te pelas medicSes provisorias precedidas
pelo engenheiro da obra
O arrematante fc&r obrigado a mdem
nisar o governo do prego das machinas,
materiaes e utensilios existentes, para o
que antes da signatura do contracto se
proceder ao inventario e balango respec-
tivos, sendo o prego de taes objectos faxa-
do pela administracSo, de accordo com o
arrematante.
Os proponentes d;verSo apresentar suas
propostaj acompanhados de conhecimento
que prove terem depositado na Thesoura-
ria de Fazenda a qu^ntia de 1:0C0000,
a qual perderSo em favor da fazenda na-
cional si sendo acceitas suas propoBtas nao
assignarem o respectivo contracto e nao
prestaren nanga que fica arbitrada na
quantia de 2O:OOCi5O0O.
Secretaria da Faculdade de Direito do
Recife, 27 de Janeiro de 1892.
O director.
Dr. Jos Izidoro Martin* Jnior.
Derby Club de Per-
nambuco
SSo convidados os Srs. accionistas a
reunirem-se em assembla geral extraor-
dinarir no dia 22 do corrente, segunda-
feira ao meio dia na Secretaria d'esta So-
ciedade para tratar-se de reforma dos es-
tatutos.
Secretaria do Derby Club, 18 de Fe-
vereiro de 1892.
O secretario.
O. Guimarati.
Conselho municipal
Alguns mecos empregados no commercio lem-
bram aos seos collegas o nome do distincto
guarda livros Joo Anoaso Borges e Silva para
fazer parte do conseibo municipal.
Club Esperanza da Oatria
Por ordem do Sr. tbesoureiro, convido a todos
os socios dessa club para reunirem se em ses3o
no dia SI, s i horas da tarde, afim de trataren
de assumpto do mesmo club.
Recife, 19 de Fevereiro de 1892.
O 2- eecretano,
___________ Antonio Lina Vieira.______
Banco Popular
1- dividendo
Os senbores accionistas sao convidados a vi-
rem receber na sede social, do 1 de Fevereiro
por diante, o 1- dividendo de cuas respectivas
acc&es, na razo de 3 i/2 0/0 sobre o valor rea-
lisado das mesmas, correspondentes ao 1- pe-
riodo de Maio a Setembro prximo passade.
Recite, 29 de Janeiro de 1892.
Albino Narciso Maia,
Director secretario.
Companhia de Segu-
res Amphitrite
No escriptorio desta empresa, ra do
Commercio n. 48, sSo cfferecidos aos Srs.
accionistas e estSo ao seu dispor os docu-
mentos segaintes :
1. copia dos balangos semestraes do
anno prximo passado.
2. copia da relagSo nominal dos accio-
nistas com o numero das acgSes respec-
tivas e o estado do pagamento dellas.
3. copia da lista das transferencias de
acgSes realisadas du-ante o anno.
Recife, 17 de Fevereiro de 1892.
O director gerente,
A. M. de Amorim.
Hospital Portuguez
Premio de virtude
Para estudar e dar parecer sobre os
candidatos ao premio de virtude, instituido
I pelo finado commendador Antonio Jos de
MagalbSes Bastos, foi nomeada urna com-
misso de tres membros da junta admi-
nistrativa do Hospital Portuguez, que
depois de proctder a rigorosas indagagSes,
considerou em seu relatorio nos casos de
receber o premio es Srs. Ignacio Nery
Ferreira da Sdva, Affonso Henrque da
Cruz, Antonio Gabriel Rodrigues Ferrei-
ra, Domingos Francisco de Siqueira Mar-
ques, D. Ermelinda Ponciana Moreira
Fontes, D. Carmelina Candida Alves de
Sampaio, D. Francisca Carneiro Ribeiro
Coelho e D. Anna Erminda Saraiva.
Na ssesSo da junta administrativa, em
27 de Jaceiro ultimo, depoia de discutido
o assumpto, foi acceito unnimemente o
alvitre indicado pela commisso, qae lem
broa a adjudicaglo d premio pela sorte
entre os cscolbidos.
Para concluir o trabalho foi convidado
o doect) Antonio Joaquim Garca, qne
tirou da urna o nome da Exma. Sra. D
Carmelina Candida Alves de Sampaio, a
quem convido a comparecer no Hospital
Portuguez, no dia 21 do corrente ao meio
dia, para receber a quantia de 5004000.
Secretaria do Hospital Portuguez, 19
de Fevereiro de 1892.
Mar.oel Lope Ferreira.
Seiretari.
I
I




-

.1'
i
I





Diario de Pernarabuco Sabbado 20 de Fevereiro de 1892




Confraria
DE
/. 8. do NanlissIsMO Rosario cu
Olilta
A it< fflesa desta confraria de accordo cot
r liceac* o? jo des'a dieces, resolv fwer
aomSod* ""enciaa procisso daVirgtm Senbo-
ca da Sica le, do da 3 ds Abril do correte
anoa'
OlioJa, 20 de Fevereiro ie i892.
O secretario,
Hermis Elseo G. dos Praserej
Companhia
Ferro Carril de Per am-
, ** buco
Emvfiude da escatei de cobres nickel e se
dulas menores de JJOOJ, peen aos seahores pcf-
sageos o obsequio de nao entrarem para os
carros sem que previamente tenbam a ju?ta ni
poitancia da pussagem, visto que nao oi aiorla
esta eovpaobia auto.isada a eruittir slbeles de
100 e W r.i coi requ*eu.
Rectfe 19 de Feveruro oe 1898.
Felippe de Araujo Sampaic,
Gerente.
S. R. J.
woriedade Recreativa !
?eaUude
Recreio duplo em il do correte
Sji*Jo!iflfo aos senhores socios e soas familias
que tttoing 21 do correte, baver um recreio
dorio, o qual principiara as 8 boras em poni.
Tamoem sao admiltidas ramillas estranhbs a
sociedade, pos30indo os qotsitos dos estatuto*
qu- aos rege.
Secretarla do eooselho admioiitrativo, 19 de
Fevereiro de 1892 O 2- secretario.
Manoel Caetano.
Correio Geral
Pcele -Ligun*.
Devendo cbegar mana, procedente do sul,
e paquete ioglez Liguria, que seguir para
Europa, e nio sendo possivel a esta administra-
cao fafer malas nesse dia para o mesmo, em
oonstqueacia das eleicoea a que se tero de pro-
ceder ueste Estado, serao fechadas as malas
boje, recebeado se impressos e oojelos a regis-
lr<>r ate as 4 horas da tarde, eca-rtis odi:aias
at aa 5.
Adatis iranio dos Corroas de Peroambsco,
20 de Fevereiro de 1892.
O ene fe de sergio,
Epipbacio de Looa Freir.
MAB2TlMft>
caapuak.i reraaiibneaM de
?et*o
lista cempanbia mantem as seguintea linea
zulares de navegaco:
vor<, tocando noa portot da Par hyba. Nata-.
Mc.uo, Mosaor, Aracaty e Fortaleza, partiodr
leste porto om paquete a i i e 26 de cada me
Su, com escala pelos portes de MStcei, Pene
lo, Aracajo. Estancia- e Babia, sabindo den.
Dorto a 14 e 29 de cada man .
Femando de Nortnka, partida no me j o d'
oes.
Rio Formato e Tmandar, sabida a 28.
Rto de Janeiro, (directameoie) parte o paqueu
26 a 30 do mes.
Rio Brande do Sut, (viagem directa) sabe o.
(5 a 20 do mes.
Tjdos os paqoete* sao novos, tem excelltnu-
iccommodagp? para passageiros e para carg
d os pregos sao mullo redusidos.
Os passageiros encontrara, apar do bom ira
.amento, todo o conforto desejavel a bordo
tn paquete.
Os paquetes que lazem as viagess ao Rio d-
Janeiro, alm de terem todo o que se enconln
ios paquete modernos, accresce que fas a va

is 1 classe fi 60*fO0.
0 paquete empregado na viagem para o u
brande do Su: e smente para carga, e tem <
calaflo adeqoad a entrar no porto daqnello E.-
.ado em qualqaer occasi&o.
Recebe se engajamenlo de carga por qoant
lade lixa para todas as viagens.
utrosim, a companbia expedir paquetes es
uordioarios desde que baja carga para o eng-<
meato completo de um paquete.
Sscn 'ora. da Comoanta PersambacaB.
O. 2I________________
The United Stares and Bra-
zilM. S. S. C.
O vapor AUiantpa
*w**.> -ro i ifMe us pimussct a m tenca >
jara a clausula 10 d03 r.onhecimentos, que
No caso de haver tnica redamacao contra i
:oapaania, por avafia oa perda, eve ser feita
JOf ascripto ao agente r*s*e*lvo do porto d>
iescarga, dentro de tr*s olas depois de fina!!-
nda.
.Vio procedendo edta (ormalidade a companhl
Mi iseoU de '.otia a reaDonsabidade.
As paesogeo; roasp'jdaa a bordo e encom-
uendaraMi cotreitues pagarao rnais 5 0/0 dos
precas ** aotsa tabella.
?ra*f3-:-.:*ns. fre* "i'-oaHDendao ir
-m o a
AQJMTZSf
Pereira Garneiro8c C.
9amOta Co*r.K**rciomm6
! Midar
oipaoi Pitmitun Usa-
f;
V
PORTOS DO SUL
leei, Penedo, Ara^ja e Babia
O paquete Jacuhjpe
ComnrABJante Carvalho
Seguir pan oe
portoa cima In
dicadoi oo dia
10 do correte as
tioras da tarde.
Recebe carga, encommendns passageos, e di-
heiros a fre e at asfS-bora da karAe do ata do
partida.
ESCRIPTORIO
Ao cae da Companhia Parnambucana
n. 12
wwm MaHOin
I.fnha BlHfonl
O yapor Ortega!
E' esperado dos
portes do tul at
[o dia
t de Forerelro de H99
jegaindo d'pjis a demora necosaaria para
Broleaux, com eswla por
Las Palaaas e Usboa
ESTE VA*OR ENTRARA' NO PORTO
Para carga, passagens, encommendas e di
i eiro a frete: tratare comes
AGENTES
H..Btrle&C.
42 R*a o G4tmmm*0
e ioveo arooe 0o bous delvaOo* pot seo ata
rido Lauriano Jos de Barros, por mandado e
em preienca do Illm. Sr. Dr. js de direito de
orpbSos e ausentes, a casa acin mencionada,
edificada em cbacs proprloe, oa Oapunga, ra
do Dr. Joaquim Nabuco o. 5._________
Leilo
Mu BaHiaia u Mmn
ftar
E' esperado dos portc-sdo
norte ateo da St do cor
rente, seguiodo depois do
lodispensavel demora para
Baha. Ri* de eraaelro e H*nto
Para carga, passagens, encommendas o d'
abeiro a frete : tratase com os
AGENTES
Henry Forster & C.
S-^Bt do ommere!*-i
Io andar
Llovd BrasiSeiro
Scelo de avegaco
DA
KMPREZA DE OBRAS PUBLICAS NO
BRAZIL
PORTOS DO NORTE
Tapor Espirito-Santo
E' esperado dos portee d< nor
te at o dia 91 e Fevereiro se-
guiodo depois da demora do
iCostume para
iia, Espirito Santo e Rio de
Janeiro
Hacei
Recebe carga a baldear no Rio de Janeiro
oara Santos, CananD, Iguape, Paracaga, Ac
:n una. S. Francisco, Itajahy, Santa Catbarina
Kk Grande. Pelotas e Porto Alegre.
As encommendaa terio recebidas at t hora
oo tarde do dia da sabida, no trapiche Barbosa
ei largo do Corpo Santo n. 11.
Para carga, passagens e valores: traa se com
es AGENTES.
PORTOS DO SUL
O vapor Pernambuco
Commandante Roberto Ripper
E' esperado do
sul at o dia 4
dj Fevereiro, se-
|gu.cdo depois da
demora necessa
farahyb.i, Natal, Cear, Amarra^So, Ma-
raDbio, Para, Obidos e Manos
A3 eucommendab serao recebidas at 1 hora
Jo tarde do dia da sabida, no trapiche Barbosa
2 ia.-go Jo Corpo Saato n. 11.
Para passageos, Trotea encommeniias e d -
eiro trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Satellite
E' esperado dos po*tos do p.erte
at o da de Fevereiro, e
seguir depois da demora do
iCostume para
hia, Rio de Janeiro e Santos
Arao*-
ar
Masai, VilavNoy, Penedo,
;a, Ettermii e Babia
O VAPOR
lViiicipedoGro-c
CoaMaondaoto Lacerda
E' esperado dos portes cima
at o dia as de Feverriro re-
gressando para osntesmoe e
,pol3 da dtmora do costme.
t^ra carga, passagens, encommeD las dinbi
j s frete trata-ie com o
AGENTE
Pedro Osoriode Cerqaeira
// /i-i 4 Vigario^ 17
1' andar
K'TBratf
Pscitc otian MU%\ ui-
W
STRAITSOFMAGELLAN LDE
O paquete Liguria
E' esperado tos
portes do sul at
o un ao le Fe
ereiro seguindo
lit-po-f da indis-
peDsavel demora para Liverpool com escala por
Lisboa. Bordean* e Plyaaoatk
Para carga, paeeaaeiree, encommeudas e d i
iiero a frte: tratarse com os
AGENTES
filan, Sons i L tifflitgd
10RtTX TKT CUBMERUIU1CT
'
ElLOES
Leilo
Agente Britto
Ra co Alecrim n- 51
Nuve radetraj de amarello, 2 coesolos 1 mar-
qoe2a de amarello, Icama frarlcesa de Jacaran-
da, 1 carteira deamareflo, 1 moxo, 1 cemmoda,
1 mesa graide, 1 banca com gav la, l mesaire
donde, cera p-v ira, 2 cahus de couro, 1 relogio,
2 caniles, 2 .amas d- looa. 1 espelh 1 jarra,
1 uie*irrtia e eu;ror tooitj*objucios.
0 agente cima, autorisado por uraa familia
que nTuiiou de residencia, vender os movis
aiima, sera reserva de preco.
- Sabbado. 20 do correle
A'> II 1|2_______________
Segundo e ultimo leil*
Agente Brito
De 1 casa terrea com sotUo n. 7, no pa-
o do Paraso
O agente atima i mandado do tiluaire cidadio
Dr jo z de d.reito Oe orpbo3 de ausentes, e a
requerimento do WTeotarisnle do espolio e
Maoct! do Nascimegto dos Saclog, vender em
leilo o. ca^a terea com sotao n 7, sita oo pateo
do Paris a qual r nde 22O0O mensaes.
ftabbado. 2IO do correte
A'110 lfi horeu
Patej do Paraiao n. 26
JLeiio
Da cafa terrea n. li sita a roa do Padre K.c
riaar.o, com 2 sallas, 2 qnartos, ro quintal csc.mba e em cr-Sas proprio.
Ter?-feira, 2o do corrento
A's 11 horaa
No armasrm di ra do Bjra Je'us o. 43
O agente P:n'.o tk'galments autorisado levar
a leilo a vsa cima m-niionada, livre e d-s
embarjcuda de qaalquer onus
Leilo
Macei,
As cnconimendas serao recebidas at t hora
da tarde do da da sahkla, no trapiche Bart>of
do larfeo do Corpo Santa n 11.
Da cvsa terrea c.-m soto. ruado Dr. Jca-
qaim Njouco, n. 5, Iregueiia da G^aca, cora 4
m^tref e 50 Centime'.rcs de frente. 12 metros e
70 centmetros de fundo, 2janelia de frene
portao e grae de fe-ro ao lalo, com 2 salas, 2
quartcs, 1 saleta, 1 lelheiro, coslnha Tora, soto
interno, grande quintal morado ao lado direito e
no fundo, cercado ao lado esquerdo, com cacim-
ba e bactantp arberieado. terreno proprio.
Terca fcira. 93 do correte
A's 11 horas
Na armazem da ra do Bom Jess n. 13
0 agente Pinto levar a leilo, a requerimonto
de D. Bernardida de Senoa Lins, testamenteira
Ds 1 grande sobrado no logar denominado
Gaiueiro edificado em terreno preprio com 116
palmo i ie frene ecomprimeato al o muro qae
fiass: no fondo, sendo o sobrado edificado na
refl'e do-terreno Uodo do cada ludo 88 palmos
do terreno tolo plantado de arvoret fructferas.
4)n irla felra 94 do corrate
AS 11 HORAS
No armaaem m ra do Imperador n. 39
O agente Maitins vender em leilo o sobrado
e sitio cima no lugar da Magdalena a ra do
Cajueiro ; o agente dar informales e a chave
se acha em seo poder.
Leilo
De orna tacba a vacao com seas accesorios
moDiada sobre edumnas de ferro com escada
e plataforma para produsir 40 saceos de assu-
car por dia, 1 bemba de ar ligada com bomba
de tlimmentaclo para caldeiras, 2 turbinas
com machinas tangentes e malexenr, 1 moi-
nbo para triturar assocar, 1 atraveisador, ca
aos de 2 a polegadao. rodas para trolys, el-
sos, rarilboe, pollas, torneiraa emuitaaou
traa pejas ioheien'.es a urna usina de fabricar
assocar.
*u iota felra, 9 do cor rao te
A'e 11 koras
No arome da roa do Bario do Triampno n.
46, antirf* ra de Broa
O asente Ganoso, adteriwde, fa' leilo das
machinas e ferragens cima meneionadas.
Para in frraseles e ver, com o mermo agente,
fJlinda
em tm escriplorio roa do Marques
n. 48.
de
AVISOS DIVERSOS
Precisa-te de ama boa co iobeira para ea
sa de peqaeoa familiar a toa Vidal doMegrei-
ros n. 148
Le Tailleor Moderno
Brevemente........
Precisi-se de om menino de 14 i 10 annos
de idade, com praca de n>olbados e cenbeci-
mento ; oa na do Bemlica n. 0.
= Aloga-.e o 2- andar do sobrado n. 7 -ua
do Bemhca, e.- ta limpo e com agua ; a tratar na
meima roa n. 6.
Vende se a taveroa sita oo buceo do Ma
risco n. 7 ; a tratar oa mesma.
Precisa se de ura criado que enfeuda de
coceiro, e de urna ama para varrer e arromar
qoartee ; a tratar na ra da Imperatris n. 3, 1
andar.________
O proprielario d-is casas ni. I e 3 i roa do
CaronW Limenha (antiga dos Praseres) pede
providencias a qoem competir, para qae obrigue
os proprietarfos do cortijo denominado becco da
Cacimba, qoe tem seis casas at-ta apparelbo, e
entender qne a frente das referidas casas praia
onde fasem dsspejo, com prejniso para a bvgie-
ne e do referido proprielario, que nao ba quem
queira alugar soas casas porque o mo cheiro
nao se eoporta. Se o muitu seloto e digno ins-
pector da bygiene qoizer dar BU passeio ao re
ferdo luga: presenciar o Que denunciamos.
Vende-se om piano forte, proprio para
principiante : a tratar na cidade de Olinia, roa
de 3. Pedro Marlyr n. 5.
No escriplorio da companbia de servicos
martimos de Pernambuco, caer da Companbia
PernambncMa n. 1, vende se :
Hombreiras de pedra naciooal e de Lisboi.
Soleiras para varandoe.
Pecas aovas para jaeellas.
Arcadas de pedra para portas.
Cepos de cantara de Lisboa.
Precisa se de um caixeire com pratica de
tiverna ; trate-se na roa de Aguas Verdes n. 21,
taveroa.
-
Precisa se de urna cria a para copeira e
raaia servico de orna casa de familia ; a tratar
sjaaao da Sjledade n 82. __________
luga-se
Urna casa e sitio i margem do rio; a tratar
na estrada real da Torre n. 6-A.
Compra-se
Quem tiver e queira vender orna caaa qoe st-ja
em roa bem localisada, dirija-se prsca Conde
d'Eu n. 32, terceiro andar.
CosiDfcrira e criad
de Olinda n. 53,
Precisa te, roa Marques
armazera de miudeta.v
Alagam-se
e3.
as segaintes ca as .
Roa do imperador o. ?6, armazem, 1
andares.
Rff do CapitSo Antonio de Lima n. 30, sobra
do, coa agna egas.
Rut da Fadico n. 10, con agua
Ra do Capito Antonio de L-ma a. 16.
A tratar oa litbograpbia ra Maronez de
Olinda n. 8.
Empregado
Precisa-ye de um empregado que ten ra conbe
cimente de pecriptoraco mercaoll e boa letra:
na ma Bario da Victoria o. 19.
Janipabo e caj
Ceapra-se em grandes e peqaenas porces :
na ra do Principe n. 28, taverna.
Criado e cosinh' iro
Ma fabrica de vinbos de caj, ra da Aorora
n. 111, precisa-se de criados, serventes e cosi
nheiro.______________________________
Cipeiro
Precisa-se de um bom cope ro coa boas refe-
rencias ; para mais iafo majos, na ra do Com
raercio n. 7, 1- andar, sala da frente.
antiga fabrica Caj-
rubeba
Vends-se urna machina americana de spIaiBa
i outras de triturar, espremer fructas, etc., naa
ascellente caldera de cobre estanhado para co
jer no vacuo, grandes depsitos de foiba para
ilcool ou qaalquer miater, urna boa araajao in-
glesa, grande quantidade- de rolhas inglesas
lquidos e a cites outros obiectos, todo mnito
em conta ; na roa Luis do Reg n. 4. Sanie
Amaro, das 8 a 10 horas da manh ti das 4 da
:arde em diante.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira ; a tratar na ra
do Commercio o. 32.
A' Boa F
Roa da Imperatris n. 78-A
Tem para acabar, bordados a 400 rs. a pega,
Otas a 200, 300 e 400 r* o metro, galoes de co-
res, de seda e de algodo.___________________
Ao commercio
A viova de Antonio Jos Paula Carvaibe tem
justo e contratado vender, como vendido tem, o
seo depofito de gneros alimenticios, sito a ma
do Bom Jess n. 38, livre e desembarazado de
todos os onus, aos Srs. Pestaa dos Santos di C.:
quem se julgar prejudicado com tal venda, apre
sent soa reclamac) no praso de cinco dias,
que ser lomada em consideraba j.
Recite, 16 de Fe ver iro de 1892.
P.P. da viova,
Antonio Jos P. de Carvalbo.
_______ Jos Barbosa de Carvalbo.
A q iem pertencerr ?
Era J-neiro prximo passado foram en treges
no trapiche Vianoa 45 volunei ; quem Be julgar
com direite, queira reclamar, qoe provaodo e
pagando as deepesao, tomar conta dos referidos
voiaes.
Ao
coa mercio
O abaixo assignado encarrega se de proceder
cobranzas amigaveisejudlcisee nesta cidade, no
iaterior e em outr .s Estados ; qtem pretender
nlllisar se de seas servicos, pode dirigir-ee a
raa Viscoode de Goyan a n. 3. oo as casas
commercites dos Srs. Ferreira Guimares A C.
Manoel Joaquim Ribelro* C, Dalpbim Lopes e
Vasconcellos, onde p Jo ser ensonirado e qae
dsro lnformac6>s a sen respeito.
Re:ife, 18 de Fevereiro de 1892.
Joo B. Leite.
Prata I pratal
No armazem de Olinto
Jardim e comp., ra do
Mrquez de Olinda n. 16
compra-se moedas e objee.
tos usado de prata.
Aproveitem, que
se melhor que
qualquer paite.
em
paga-
outra
Revoluf^ao de meninos
Tendo se recebido nm novo e variado sorti-
mento debrinquedos, velocipede3 e carrinnos d
3 e 4 rodas, pede-se a todos os meninos deste
Estado qoe, armado dos competentes cobres
venbam immediatsaeote depol-os loja de ma
sica* roa Nova n. 13.______________________
Mangas maduro s
Compra-se aa fabrica de vinbos e licores de
cajo e outras (rucias, a roa da Aorora n. 111,
das < horas da manba is 4 da tarde, em qoa-
qner porco de 600 rs. a U500 o cento.
COPEIRO
Piecisa se deum menino
qne entenda bem do servi-
do de eopeiro e que exhiba
at testado de sua conduca;
tratar oo sitio n. 5 da
a
estrada de Fernandes Viei-
ra.
i
No Espinheiro, ra de
Santo Elias n. 10, precisa-
se de urna cosinheira e de
duas criadinhas para meni-
nas.
lo commercio
Pestaa dos Santos & C, tendo justo e contra
tado comprar, como comprado tem, a vinva de
Antonio Jos Panla Carvalbo, o seu deposito de
gneros alimenticios, sito ra do Bom Jess n.
38. livre e deeenbaracao de todo e qualquer
onoB, avisa peio presente aos credores da mes-
ma viuva, e convida os a apresentar soas contas
no praso de cinco dias, para sereno pagas, e
lindo esje pra-o o comprador nao se responsa
bilisa por crdito algnm da firma vendedora.
Recite, 18 de Fevereiro de 1892.
________Pestaa des Santos & C.
Para adm nistrador de engenta
Offerece ee urna peseoa com bastante pratica
por j ler sido eenbor de engenho para r,tor
mages qoeiram dirigir se rna do Bom Jetos
nu Lero 62, armaaem.
N. 34:000
Cnama-se attengo ao Sr. Jcs Ccelbo, dentis
ta. morador na -ua do Sebo, para vir pagar o
seo debito de deus ancos paseados, ao contrario
co ra-:e judicialmente, i roa da Conceicao n. 8.
anoa Rosa Gallotta a C.
A! Boa F
Ra da Imperatr s n. 78 A
Grande sortimento de botinas para criauc.1, de
lalOOJ a 3*000 o par.
Electricidade paraillumina-
gao e traccao
W J. Ayres
Encariega se de fornecer apparelbos e instru-
mentos elctricos de qualquer especie e dos me
lacres fabricantes contrata a instahaco de
planas elctricas, fornece orgameotos para as
mesmas, InformacOes em ca-a de Ramo, Sal
gado & C, praca da Independencia.
f
Dldlmu de Oilvelra Bfareeilew)
Francisca Secn lina de Olivelra Barcelles e
soas cinco irms mandam no dia 23 de Fevereiro
celebrar na matriz de S Jos, as 7 hars da ma-
nh, urna misaa por alma de seo nanea esque-
cido pai, trigsimo da de seo passamente. Ro-
gau ocompareclmeotoriealgura amigo intimo.
t
VleMic Telxelra tulmbra
2- anniversano
Amalia Carolina Lavra Coimbra e seas nibos
convidtm aos seos parentes e amigos para asis-
tirem a ama missa que peta alma do sen sempie
lembrado esposo e pai, Vicente Teueira Coim-
bra, mandan: rezar na malris da Boa-Vista, pe
las 7 i/2 horaa da manh do da 23 do cor-
rente.
t
earlejaa A. ela silva Mlvelra
Julio Pires Lcb3, fu milher e cumiados man-
dam no dia 23 de Fevereiro celebrar na igreja
da Soledade, s 7 horas da manbi, aiisas per
alas da soa nnnea eaqneeida sogra e aii, anni-
vernrio do seo passmento, convidam e agrade-
cer aos parentes e aaigos que compirecerem a
este acto.
Lydlo Alerano Baodeira de Mello e sua fami
lia mandam rosar miseae s 8 horas da manb
de 20 do crrante, na igreja do Carmo, por al-
ma de sna querida e sempre chorada riiba, irmi
e ai, Doaitilla Telles Bandeira de Barros, 1*
anniversario do sea passmento ; convidam e
muito agradecerlo aos amigos e parentes qne se
dlgnarem comparecer a este acto.
biii* Alvea Pesnamelea iiaai
Antonio Maria da Silva convida atoaos ee sens
parentes e amigos a assistirem a ama missa que
manda celebrar por alma de sen presado amigo
Antonio Alves Fernandes Aguas, as 8 horas, no
da 20 do correte, oa igreja da Madre de Dens,
trigsimo dia do seo passmento em Portoeal.
AMA
Na rna da Aurora n. 109 B precuM-s*
de amk para casa de pequea familia.
Ama deleite
Precisa se de ama ;ma de leite ; na roa do
Livramento n. 38.
Ama
Preciaa-se de ama, no Patio de S. Pe-
dro n. 1. 1. andar.
Ama
Precisa se de orna ama ; na roa de S. Jorge n
120, 2- andar.
Ama
Precisase de nma ama para lavar e engom-
mar; na roa do Rangel o. 9, padaria.
Amas
Precisa so de daas amas, sendo orna para en
gommar e ontra para cosinbar ; a tratar na luje
das Estrellas, rea Baqae de Casias n. M.
Ama de cosinha
Precisa-sa de nma ame qne COsbm bem, para
casa de familia ; a tratar na rna do Cabog n.
li. de meio dia at 3 horas.
Ama
Precisa sa de urna ama de meta idado para
cosinbar, rara casa de ponca .amrlia na ra do
Alecrim n. 22.
Ama
Precisa se de urna ama para lavar, engommar
e faser mas algom servico de casa de pequea
familia ; na roa Imperial n. 19, 1- andar, viveiro
do Muniz.
Attendite et vi-
cete!
JOS' SAMUEL BOTELHO
Fabricante de booqoets do mais aparado gosv
lo, para casamento, embarquea ou ou'-ro qual-
qaer acto. Pode ser procorado id > da Cadea-
n. 43, loja de selleiro, ouna soa residencia, roa>
) Conceico n. 3 (Boa-Vista).
Patacoes
Compra-se de todas as nac&es ; na rna do Ca-
aaga b. 9. teja de Angosto dQ Reg.
Patacoes
Brasileiros
Manados 2*006 ao centro, compra se par
esaior preco do qoeem ontra'qualquer parte: n*/
armastm a ra de Comaercio n. 4
11
\ -
.'
Moedas de prata ou ouro
Compra-se moedas de prata oa ouro de qoat> *
qaer aBalilade, pagaodu se maior prego do que <
em ontra parte ; na roa do Commercio, arma*
sen n. 4.
A' BraF
Roa da Imperatris n. 78-A
Recebeu grande sor'.imeoto de placas para ne>
aereo&o de casas.
Pretft Tinas* fcfMaan
-
i
j ApTrerale pela Illuitraa Insta de
Svgiene Foollea da Corte.
j Aotaorisado por Decreto Imperial
de 2o de Junho de 1883.
COMPOSI9O
de
Frrmmo Candido de Figueiredo.
Empregado cora a maior efficacia no
r+imonatumo de qualquer naturew,
em todas as molestias da p-nv ras
leuctrrhai ou flores branca: nos
soffrimentos ocasionados pela impureza
J sangue, e finalmente na diflereiit.es
forma* ta syphis.

Pae Nos primeiros seis dias nma
colter das de chi pela manha e outra
Boile, puramente ou diluida em agua
e n seguida mudar-se-ha para colhe-
es das de sopa para os adultos e rae-
taete para as enancas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
-rj dnro&o; devem osar dos banhos fros ou
moraos, segunda o estado ta molestia.
siFosxTO esmiL
Francisco Manoel da Silva & C.
Dragnlatas
23 Boa Marques de Olinda
Pernambuco
BMBBjaajBjJBBfl
A FLOR DO BOSQUEa roa do L
Tramoato n. 10, acha se preparada com
urna lindieeima collecjao de sapatinho de
apurado gosto, para senborae a menini,
em coaros de cores diversas, cora deslum-
brante* bordados a ouro, missangae, ma
til o seda, o qoe de mais chic se poesa
desejar para soirees, casamento, baptisa
don passeios etc e vende a precos maito
rasoaveis.
Adi
Sitio
Aluga-e um sitio com muit :s fracteiras e boa
casa de morada, do Arralal: a tratar na loja das
Estrellas, cua Duqae da Carias n. 56.
Moedas de prata
de todas as qsalidade?, antigs e modernas, dt
2*( 00, 1*000 e S00 -s., assim como toda a es
p ci de moedas etrangeiras de onro e prata,
paga se bom prege. Compra se tambem onro i
prata veilia; ca relojoaria David, rna de Cabo
g n. 14
Pelo Tapor Olindat, ebegoa veja- e o
manifest) nova remessa d esta muitissima
acreditada marca de calcado para hornero,
quem nao foi servido com a penltima
remessa, deve sem demora vir FLOR
DO BOSQUE, afin de supprir-se em
quauto tempo.
Braga Si
Desta importante fabrica a vapor,
A FLOR DO BOSQUE, ^depositara de
grande vaned.de em botinas, sapatos e
sandalhias, para hornees senboras e creas
9as, fabricados com couro de ptima qua
idade, pretos e de linda cures, e vende
por pregos maito mdicos.
As ezcellentisBimas noivas encontrarlo
na-FLOR DO BOSQUE, erna infinita
variedade em boticas e sapatiaboe de ee
ti, daraque e pelica, braceos, com bor-
dados invejaveis.
As exceilenti'simas normalistas conti-
nuar-So a encontrar naFLOR DO BOS
QUE, as botinas de sua predilecto, a
505CO o par.
O rande deposito de botas para monta
ria, costumes para caca, chances e tsman-
cos finos, sapatos para banhoe de mar, e
sapaioa de borracha proprios para o inver
no.
Sortimento completo de calcado naci-
os 1 e estrangeiro.
A FLOR DO ROK|BJK
10 RIJA DO LIVRAMENTO :
Costa Campos & C.
Cosinheira
Para nma familia etrangeira, exige se boas
referencias : para mais informacCes, na rna do
Commtrclo n. 7, i- andar, sala da frente.
Tourinas
Vendem-se qojttro vaccas louriaas com crias
a tratar na roa de D. Vital n. 70, marceara.
Lfof depurativo vegetal Iodaelo
da aaedjco tuiatella
Esto notabiliseimo depurante qae Tsar
precedio de t8o grande fama infalliroi ne
cura de todas as do en cas svphiiiticaa, a
erovuloeaa, rheamaticas e de pello, 00
tumores, ulceras, dores rheumaticas, o
teocopas a nerralgicaa, blenorragias aga>
da e chronicas, cancros Byphiliticoa, i
SamacSes viceraes, d'olhos, ouvidos, gar-
gantas, intestinos, etc., e em todas as
molestias de pelle, simples on diatbeneaa,
assim come na alopecia oa queda do ca-
ballo, e as doenoas determinadas por s
toraato mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se eaeaar
tram numerosas experiencias feitas cea
este especifico nos hospitaes publica *
amitos attestados de mdicos e docniaea
os particulares.
Fax-se descont em caaa de
PARIA SOBRINHO & C.
a MaT<|ez de Olinda f f
PAtlA
E1NGEM0S
Lopes e Araujo paaStMaVe
pam aos seus Feguezes e il-
lustrissimos seuhores de en-
genho, que tem deposito
constante dos artigos abaixo
mencionados garantindo t
boa qualidade.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Dita de Cutunguba.
Potassa da Russia (ea
barriquinhas, caixasy lata
grandes e pequeuas ).
Oleo de mocot,
Azeite de carrapato.
Dito de coco.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
Kerosene inexplosivo.
Graxa em bexigas,
Gaxeta de linho.
Presos sem competen-
cia.
Rna do Livramento
Sa 38


.
r'
I -

Diario de Peraambco Sabba4o 20 4 Fswmwo 4e 4*92
DAS ESTRELL
Os p rajar ietties deste aereditatlo uetsbeleci
ment deniodas tendo concluido o ?eu balanco, resolve-
ren! iquidar com differvn^i de 50 [#, grande cjuantida-
e de sedas, fantasas e muilos ourroe artgos.de moda
dfel i, cnja liquidado principiar na prxima segun-
da- feira 25 do corseo***.
AEM.AZEMELOJ
DAS ESTRELLAS
S6 8 i-b mi fie QfflB-ilB i S3
Tei-phone n.*2#
-;------'n > .
I*evi ,^epcao ao publico, para o ortinieato de fa^eo
eadas je ^anuncia, por precos cpmmodos
Merinos de cores com duas larguras.
Nanzuks de todos os precos.
Lan3 de cor-js, sortimento c mpleto.
MadapolSes de todos os preyob.
Sargeiina de todas as cores.
Grande sortimento em chitas e cretones.
Visites de seda e merino, novidade.
Bramantes de iinlio e algodSo.
Voiles de algodao, baratos, cousa cbic.
Merinos pretos. lisos e lavrados.
Grande sortimento em brins e cassinet^E.
^icbixa pretos, de cores e pr&tiado<.
Auior.dj (bina, lindos padrSes.
tfuftoea bijgncoa e de coree.
Mariposas de cores, barato.
ambraias Victoria e transparente.
Creps vue, novidade.
Colchas de cores, lindos padrSes.
Vistuanos de Jersey para criancas.
A?, fazendas que annunciamos assim como outras muitas que seria enfaden!
cenaotjsr, vendem-se por preos razoaveis e ha sinceridade na medida.
VER PARA CRER
ALOJA DO GLOBO
55Ra Duque de Caxias 55
Antonio Ftnaittos fo Ave A ROSA DE
Nova loja de fazendas
Este importante estabelecimento que acaba de pa.sar por orna grir.de reforma
acha-ae habilitado a forr.ecer as melhores mercadorias por menor pre^o do que o.itro
qnalqaer, pois os aeus noves proprietarios estSo diapcstos a seguirem o tom systema
dos grandes estabeiecimentos de Pariz, que : VENDER MUITO E GANHAR P0U-
0, e tendo a certeza de que assim o podem execuar, nSo a por ser este o systema
que vSo aioptar como porque tendo ficado co a o estabelecimento as melhores condi-
fSea queram que ob seus estimaveis fregueses aufram das vantageas que pereeberam
oimm aproToitar!
Nao sendo ignorado por ninguem o elevado prego de qualquer meroadoria che-
gada recentemente em consequencia dos pesados imposto?, participamos ao publico
qne continuamos A LIQUIDAR com grande redceles de presos, um grande deposito
de f.zendas recebidas ainda nos ltimos mezes do pretrito anno, avisamos portante s
excellentissimas familias e aos nossos estimave s freguezes que se dignom de prefe-
reccia i, nrar-.:oa com a sua presenta afim de supprirem se de lindigairaas fazendas
por quantia excesivamente mdica.
8$ l^ats
com
Os cortes de vestid:s que cabamos de recebar, em cambraia, 12, e seda
ricos b .dados.
rauie e variado sortimento cm fzendas de phantania.
MadapolCes francezes superiores.
Djtog especiaes americanos.
v acbemiras de todas as qualidadea e brins de inho nos.
Cortes para calca de 60, S, lOi, 125 e 16)5000 rs.
Novidade em voiles de seda e 12 de 10600 por 10200 rs.
i etire'as, sortimento completo, phantasia branca rendada,
peus de sol e sombrinhas para b.choras e criancas.
E' imposslvel descrevermos minuciommente a grac :e variedaie de arigos
que vamos vender a precos sem limite.
OMCNA DE MAME
Vanedade em casemiras para execucao de toda e qualquer etcorarrenda de
roupa por medida.
Continuamos a vender as celebres
Machinas de costura
Singer, Imperial, Prcgresso, Medalha, etc.
Presos sem competidor.
2S Ra do Livramenlo 25
Bento Ribeiro & 0

FUNDICAG (ERAL
ALLANPATEnSON&
44--RA BARO DO TRrOMPHO--4
Machinas a vapor
Moendas
Rodas d'agua
Taixas fundidas e batidas
Taixas batidas
Arados.
sem cravaQao
/tora a cura tfficaa e promptm da
Molestias provenientes do im-
* pureza do Sangrue.
E' nma loucura andar a fazfr expe-
riencia p^&las de tli. ordinarios ou de plantas
ndjgeuas cnja akatia nao confirmada
Palft "'" '' cuiquanto que a molestia
30da.vez vai gonluuulo terreno.
J^aj)cem B>e, sem demora, de um re-
nttgdio garantido cuja eflicacia seja facW
: alado e inquestionavel 1
O Extracto CoMro.ST CqxcentR*PO
8 &i4^AAIUtIULl I>K AVKR couhecido
* recommuntlatlo pelos medious mais in-
telligontcs dos paizes adiantados, ja
uranio 40 annos,
Centonas <$e milliares de doentos
tOm colindo benedeios do seu emprego e
sao outras tantas tesUsmanhas da 603
eflicacia positiva e incomparaveL
SaUTARDO l'EI.O
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell* Mass., Est.-Umdos.
EPoarro cfru
Vende-se
Urna casa de taipa, feitio de chalet, sito tra-
vessa do Dr Feitoaa, 2- dUtricto da Gracas,
cejo terreno (em 100 palmos de frente, terreno
proprio, com cacimDa de pedra e cal, boa agua;
o chalet tem de frente tres janelas ou postigo* :
a tratar na eetrada do Limoeiro, em Santo Ama-
ro das Salinas, (averna n. 6-B : para iLormajOes
na taveroa da estrada do F itoa quem vem de
Santo Amaro, que Ine indicar quii o chalet.
Faieadas baraias
LOJA BiS LSTRS AZIS
Rua Duque de C'axlas u. 1
JOS AGSIO DAS
Sedas, chamalots, gazes.
Setins, surah e folar.
G irgurao de seda preto.
Organdys de lindas cores.
Casemiras lisas de todas as cores.
Tecidos arrendados.
Linn liso e de ramagens.
Percales, finas caires seguras'
Chitas e crotones.
Morim lavrado em pegas e meias pecas.
MadapolSo com um metro de largura.
AigodScsinho marca T.
Atoalhado infestado de linho e algo-
dao.
Guardaoapos grandes e pequeos.
Colchas de damasco e fustao.
Cobertas torradas.
Cortinados bordados e crochet.
Crochets para cade iras e sof.
Cortinados para portas.
Mosquiteiro com araacao.
Encbovaes para baptisados.
Vestidos para meninos.
Cortes de vestidos bordados.
Vestidos de cretones com enfeites.
Fil para mcsquiteiros.
Toalhas felpudas e alcochoadas
Lences felpudos paro banho.
Cobertores de 1 e algodao.
Pannos para pianos.
Baetas para roupas de banhos.
Chambres de cretcne e felpudos.
Brins pardos para vestidos.
Bramante de linho e algodSo.
Gregu Ha de linho.
Bretanha de linho.
Flanellas lizas e de cores.
Cassa lisa fina.
Cambra a suissa larga.
Cambraia victoria de todos ob nmeros.
Crinolina branca e de cores.
Oleados para mezas.
Pannos de Damasco para metas.
AlgodSo azul e meado
Dito da Baha.
Fustao tranco e felpudo.
Creps ingleses e de seda.
Merinas pretos e arrendados.
Veludos pretos e de cor s.
Veludilho de todas as cores.
Cambraias com salpicos brancos.
Capas pretas de cachemiras de seda.
Tapetes para sofs, portas e camas.
Alcatifa para forro de sala.
Boleas de tapete.
Sxrgelin de todas as cores.
C semiras e pannos finos
Alpaca finas para r ditot.
Redes da Baha de cores e brancas.
Todos estes artigos Be vende por todo o
prego e se d descont a quem comprar
em maior quaniidade
NA
Loja das Lis i ras Azues
4 BuaDuqie de Caxias 1.61
ESCOLHIDOS
OLEO PURO
DE FIGADO
DE EACALHAO
1>K
UtfMAN E KMP
RECOMENDADO J
tpor dislinctos Dolores %na
jhe do a frt-'ereucja, o fe-
.citam i.eada cm para i as dowi9as Pi.liuonares, i*.*
crofulas, etc., o o consiJeram
o maspuro e rico em
PfHJJill -UiHeiVAJ*
QUE 3E PRESENTA
AO PUIMCO
E MAIORES .
*
O
05
Si
o
o
co
s

ESPECFICOS
DO CELEBRE
Or. Humphreys de Nova York.
Km o) mili* de 30 annos. simples, spguros. effl-
axese beratns. Aven'1 .rlus e l'har-
aeclas prlncfpses e nal* garantidas do Mnudo.
Cl'RA
' l?fbrrsi CongesJO, rnflamr.i3C'es............
tbroc C'oiicac-ausa'liis i-^r Lombiisas....
( riflcM, Cnoroe Instimula cas Crianzas.......
. Iliarrhou eleCrlaucae Adultos......".
byaeaterlm, l>"r.-ii!p Barriga, ClicabUtota
. Colrin->, C'ili-ja-Morbo, Vmitos.....
7 Tosss, Cion*tlpa 8. ]>nr de Dentro e de Cara, e Nevralgla .
'.'. I>nr de (nbrta, Knchaque<;a. Veragem.
de nbeea. Knchaquera. Ven _
'. l>ipepftlu)lD M "
I
".
1
Ilj'-IIIL.
H".. Sokic, M&ielui. lilire IntennltU'nie.
tu, lu'llgesL ,
11. *4ippre*-iA{o da Rrgra. Eacassaou D*a.o-
rada ...........................................
l. I.Kiu-arrlipa, Flores Brancas, I.egraprofHsa
r-nnp, To^sclouca. IHflleuldadede Respirar
II. Hpri-M. Erne.W'fa'ysfpea.
15 K(i('llli>:iii<>iHO, '''

17. Hemorrheiilns luteroaaot
-las, alaipies tw sangrentas............
!-. inui-ro lo iluxii ......
20. 'ucMiel .u- ('- 'alca..............
21. /..a- ciinKaodtn
.' i'pi'i-i.. .10 ilos I' les............
m(.-i*4, [Botaooea v I'lccras.............
21. I>rbi Ik1:kU' ucl-n,, 'j:i ['I
eii, Ai-iuanuicNliuldaa...........
. Kiijiki de M-<
'osou Podra
..................
iimliil
Sin patencia. Delulklade uervosa, sera]
ISnrca. ou Apbta....
. la Ue Oiirina.Oui-lnar
. r_;
Ifoli -ti- rtotWnens, 1-alpltacoea.atg..
i.|ijHpsia,Jlali^ ral, Ballede
3i Diuht lieriu. Mili inalLiuo d Oarganta.....
V- t'ongestaes Cbraiflcug, D6r de Caben....
OJ( i+l paginas sobr.
wi1'- caial-as, ^ da ; aiw,
pde-se ao s'jv boticario on a
limi'rtil'V.v .UtMUCIXE co.,
109 IfaUop -itreet. NKW YORK.
Deposito geral na Companhi
le Drogas o Productos cbimicot.
Gerente Francisco Maneal da
Silva.
Pili NfflS
Farticipam aos seis freguezes, e bem
assim aos Srs. agricultores que conti
ouam a Ur grande deposito dos artigo
sbaizo mencionados; garantiodo tuio de
l.1 q.ualidade e sem coj&peteocia t>u fi<-
jos, visto como recebem os mesmos trti
gos directamente e terem constantemente
avahados depsitos.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Cimento Portland He*
moor.
Oleo de mocoto.
Dito mineral ( para m&
chinas).
Dito de linhaca.
Dito de ricino.
Dito de peixe.
Dito de coco.
Pixe em latas.
Azeite de carrapato.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa da Russia (em cai-
xis. barricas e lautas).
Q a z inexpJosivel Dia-
i mante.
Trisulphito de cal (aov<
preparado para clarifica'
o assucar)
Formicida Capanema (o re-
medio mais effcaz pare
a :ompleta extinc^ao da
formiga sauva)
6 (orpo- Sate- 6
'5PBCIFI003
DO CEX1XBK
').'. Humphreys de Nova York.
aso mais do annog, simples, segaros, em-
- o rviratos. A venda as Drogaras e Pnar-
iuclpaese mait. i^urantldas do Mundo.
crA
. Obres, Cocpesto, IcnananaeC .......
Ii-bvec Colira caubadas por Iximbrlgas ..
. t'ol.eu.CboroeliisoiaolaaasCrluncas.....
:. ni* rikca deCrlaiica- e Adul'os........
.: I-w(:,:erin, D"re^ au Barriga, Clica biliosa
. Colerina, Colera-Morbo, Vmitos...........
"- To*e, Cont.tlpiiv'0. Bouquldilo, Broo Uilte..
- I>or de Oent.-a e d Cara, e Nerrslgla......
. IHr de Cablea, Eiichaqne.-a, Verrtgem....
. lliipepHia, Indigestis Pristo de Venrre.....
'. t?m>i>rea8o da Uegra, Escassaou-^emo-
rada............................-.........
1 a.ri'1'arrheai Floros Bri ocas. Berra profusa
. t'roiip- lo'seKouca. DiflH-ukiadede Iestlrar
.. ,'ierperi. Erupcoes, Erisipela..................
.. Kbeuaiati.nio, Don rheumatlcas..........
-rz.c, Mnlelta, ifebre lntenaltwnte........
..* JeruyvrboHns, A lmorrelmas. Internas 01
externas, simples ou sangrentas............
.! Onhlbr.lmifi, OUios fracos ou liinarnmfdcs.
ri. *:ri:irro, agudo ou chronlco, DeflUD........
'X Coqueinche, Tosseespasmodlca..............
i.1. Asma. Kesplracolimeuitosa.................
23. Sappuracuo dos Oidaa, Surte............
-J. IUcrluIa^lncliaaSeBelcrai............
24. Pebilidade geral, oa phTslca..............
15. Bydropeala. Acumulacoes fnlilas.
r: Knjoo Je Mar, Nausea. Vmitos.............
'". Molestia, ourinarias. Clculos ou redi
un Beriga................................
.- Impoteuca. Dehllidade uervosa. semina...
... riinvstnbas na Bcca. oa Apbta..........
.. iiiroiuiaeacla de Oiirlna. Ourlnai-sen.
:. .M?uraco doiorosa. Prurito;..........
". MnlriWiaiaNlo Caracno, Palpitacifs. etc
. ti. leuaia. Bal caduco, Qottacoral, Bailedt
31. Dipthera.'Mal imilgn'de Oarganta''.'...'.
85. Congesioe- Ckronras, DrdeCabeca....
O Manual do Dr. Sumpnreys, 144 paginas sobre
as Zuf i-rinida lese o modo de cural-a-s,.sed gratia,
pede-se ao seu boticario on k
HtMPHREYri' MEU1C1KE CO.,
100 Falln Scteel, SEW .'9EH,
NICOS AGENTES
Para renda em grosso em Pe)
nambneo
Faria Sobrinho k C.
DROGARA
A' Roa Marque* de Olinda n. 1
Sitio na Magdalena
Aluga-sp o sitio na travesea da Fabrica de
Fiacao n. 46 A, na Magdalena, todo murado, com
diversa? arvores fioctioraa, jardim, caca com
commodos para grande familia, agua e gaz en-
canados : a tratar na roa Bar&o de S. Borja, an-
tiga do 8ebo, d. 50.
Luiz Vernet levan
ta emprestimos de
qualquer quantia sob
caucao deouro, prata
e pedras preciosas e
tambem compra cau-
tellas do Monte de
Soccorro, cau Bauce) Fopular, joia^
e brilbantes.
Pode ser procurado
na sua relojoaria ra
do Baro da Victoria
n. 53, das 8 horas da
manli, s 8 da noute
f~7Tr *-rR._,5e>2>
-::
; :- *; X'4 .-
3fe

APPROVADAS PELA ACADEMIA D.E .M.E0CINA DE PABiZ
S5o recommeodadas para curar a C'/Uorose, a Anemia? ts
'erdas de satigue, as Perdaa hraneaa o todo e qualquer
estado de esfalfamento e fraqueza geral.
AVISO
A-s P,LULAS de VA4.UET sao branca n cada
urna d ellas esta impreeso o NOME VALLET.
Part, roa Jamn. 1S Cav L. FRRE Chairpibky e C'% suct u, m JacoD, pariz
t NA MA^IR PARTE DAS PHARMACIAS DE TODOS OS PAIZES
AJUWMW****** PREVINAM-SE COM AS IMITAC^ES i^V^^<^V^r%rVA>>r5|
E6S-ORIZA
Perfumes Suaves e Concentrados
8ORTID0S M QUAESQUER CHEIROS
PERFUMARA ORIZA
de L. LEQEAND
m*19* Inventor i: Producto VERDADEIRO e accreditaac OR4ZA-OIL
^B x t Place ele la Madeleine, Paria
-^^B ACHA-SE EM TODAS AS CASAS DE CONFIANCA
IPIL9LAS DWESTIVAS DE PANCREATINAl
de DEFRESNE
Pharmacevtieo 4 Ia Clatte, Fornecedor dos Hospitaes de Pars
A Pancreatina empregada nos hospitaes de Pars, o mais poderoso f
I digestivo, que se conneca, visto como tem a propndade de digerir ef
tornar assi mi lavis nao simen te a carne e os corpos gordurosos, mas I
I tambem o pao, o amido e as fculas.
Qualquer que seja a causa da intolerancia dos alimentos, alteracao, oul
I ausencia de sueco gstrico, nfimmacao. ou ulceracSes do estomago, ouT
ido intestino, 3 a 5 pilulas de Pancreatina de Delresne tepois da co-1
I mida, sempre alcangam os melhores resultados e sao por isso rescriptasI
[pelos mdicos contra as seguintes aeocOes:
I Falta de appetite.
'Ms digestee.
1 Vmitos.
Flatulencia estomacal.
Gastralgias.
Ulceracoes cancerosas.
Enfermidades do ligado.
Emmagreoimento.
Anemia.
Diarrhea.
Disenteria.
Oastrites.
i Somnolencia depois de comer, e vmitos qni aoompanham a gravidezd
PANCREATINA DEFRESNE em frasqulnhos com a dose de 3 a 4 colhe-S
radazinhas depois da comida. I 1
lo cau de DEFRESNE, autor da Peptona, PARS, e en toda u Phamuciui
Jck**k*JdcJi^^
Agua i, MetaCarmelitas
TTaaico Successor dos Carmelitas
PARS -- 14, Ra de l'Abbaye. 14 PARS
CONTRA:
Apoplexia
Cholera
Enjo do mar
Flatos
Clicas
Indigestes
Febre ama/ella, etc.
Ler o prospecto no qual val envolvido
otila ridro.
Deve-se exigir o latreiro branco
e preto, em todos oa vidrao.
aeja qual or o tamanho.
DxTosrroa em todas la fhabhous
do Cnitmmo
ID esc onfiar
DAS
falsifirarfs
e exigir a Assignatnra
de
T TTT'T T'T t TTTTTT t ??? i
llnjeccaGcygl;
Mundo enteiro
PARA CURAR
sem nenfcutn oufro medicamento e sem temer acelenies.
PARS 7, Eoulevard Denain, 7 PARS
Depsitos om Pernambttca : FBAN M. da SILVA & C", r. as principaes Phaxmaolas.
Aviso aos seihores de
engcJio
A dMiii'ecSo d 6 Cu Ibof, de E. Bel.ion. no
largo do* ffoelRo* n 13, coropra-ae qualquer
qnantidad df rrt torc a 5^ por pip-.
Caixeiro
Precisa se oe utn aenio de 12 li aonoa .i
i ii de, que techa praica de urvc.-ca : na ra
Joaquitn nabuco n 29. Capnoga
^E**abricst, ci
PRODUCTO
de ULYSSE ROY, sm Poltlers (Franja)
EmlfePRDUST, Star- & Ssnro
1. Perfume enantico dos Vinhos ou sobra)
de fifedoc................. os lOOfraeoost
1 Rancio liEssenciadCognac.os 100fruoos
t. Perfume6pa:au>doaosI*icoteaAsloofiaKf
esencia de Rhum en ^tTnf la, os 100 frasco.
200"t
600r.
300Ir.
eootz.
Pcrn-.albuco : FRA.N M. da SIVA & C*.
Xaxope e Pasta
oeSEIVAoePINHEIRO martimo
di I*AQASSE, Phaimaceutics un Bar&MU
ftrtfaioi fia Junta i* Hygient i Rit 4 Jaamn.
Popular ha 30 annos, o nico
preparado com a verdadeira
Seiva de Pinheiro, extrahida
pelo vapor d'agua, logo depois
de cortada a arvore. Cura os
defluxos rebeldes, a toase,
as grippes. catarrhos, bron-
chites, molestias da gar-
ganta e rouquidoes.
Em PA.R1S. S. Ru Virienaa,
a aas iiificifs*. PhwwnriM
SUSPENSORIO IVIILLERET
[yCTNDA. PXBA Q U JSRAJ3TTSIAJ
Mallsai *e[u ^K-dars. pr varlcocclea, hydroc.la. eU.
Exij-e o Si-*i te do inventor imofestoem cada taiprnacrio.
LE (rOUIBEC iSSiSv
Fabncinve Oe tundu |
H Ja itiantie-alarcl
- 1. en
P'IJ
i iiaiaaaaamM.
^tixrfS>-
fAMMAM S0QUT|
dc PENHALIGON
Perfuma celebre iumecido Casa ReaJ B
ACkirtmgla*lUtr.iiiir r.s 'ropa
4[ieM:PENHALIQON JEAVONS '
3. Saint-JarasVs street, 33, landres
At m ftUMnCO: T. M. da saVA y O".
Fta3 lavradrs p."ra i.xzs n. 80 com mai
d um pslmo de largara a 2(JU00 reii
o metro.
Grrego.", ealSe trsncclins e regente*
braocoe res, p;>ra fofeitar ve-
tid s e reojia da c vscqs, camisas, toi-
lette dc teabora.
0 llfirinhos para horacns a 200 res n
Qracde o variado rertimeco de caisas a*
msicas u 2000, 3$000 e ,$00: re;i
la iuaa, prxprias per?, presentes.
EJspelhos mgicos a5C0reisinr. Di
45010 (el!
Espellios com tres paleos de Han, coa
moldura de dourado fino,, oval a 8<500f
re!s.
dem, idsrc a 6^000 reis.
[dom quadrados a 5f500 reis,
Veatarollaa e palfaa branca a l|tOreu
urna.
Leques de papel a 500, 600 e 800 rea-
Rendas sbico? de cores, branco, ^odSo e linfac de cores e pretos.
Bo:sa3 e Lalaios de palba, pra coDipra
vingena e passeioc,
Cap8 de ii e casemii para s
Perfuma:irs, cisca, extratos, bnuaetiou
...ores abroaw
Galles, palmas e prflgeetea oe vitpilbo .
e>
lucia.
Albnns de pellucia, couro e cbagrio.
de breque
Psloriras, v< ti 1, cacle &b, ann* c*-
>.
$00L
b$- i. 0, il(/-. U *fi#tt rtis.
iobofl b paobot pri
siuhorai e b, met:s.
Ocoks, piecc-nea, Dftvalbea e o
O.ipellas, vob e ramos para casamento.
Toucas e enxovaes para baptisados.
Ourxetes om fita para metros.
GalSea brauecs (ra roupa de orircca
NA
FLORIDA
103Rn. Diqie deCamsi M


~>i

s^\



._



8
I
Diario de Pernambuco Sabbado 20 de Fevereiro de 1892
AOS FUMANTES
Desejaes no ter azia quaodo fomaes?
Usae por algum tempo os apreciareis cigarros denominados SHNHA ESPERANZA, qoer picados, quer desfiados.
saboroso fumo desfiado intitulado Hygienico Nacional e os cigarros do mesmo fumo.
Dep : r f :'r-nos-hei se foi ou nao til o conselho.
Cumpre notar que os Bygienicos sao fraquinhos e os ESPERANZAS sao fortes.
A fabrica MINHA ESPERANZA situada na ra Laiga do Rosario n. 21 .
Um apreciador.
Usae tamm o aromtico ba
VENDAS
Chapeos e capotas
Ultimas novidades de Paiis recebeu o
Lonvre
Capas, jerseys e visitas
QoatoB iateiramente coros acaba de re-
cebar o
Cortes de l,linho,seda
e algodo
Ricamente enfeitados, tem recebido l-
timamente e
LOVRE
A'S BKMAS. FAMILIAS
Pede-se para honrar com suas visitas
SABAO CURATIVO DE RETER
por
Tumores, cravo, pelle vermelna, spera e oleosa impidido ou curado
o mais grande de tcdos os aformoseadores da peile, o Sabio Curativo de
para
Reuter. Produza a pelle formosat branca e clara e maos brandas; absoluta-
| mente poro, delicadamente medicinado, extremamente incomparavel como
eabSo para a p* lie bem como do toucador, do banho e doquartodas criancas.
caite LA. Nao 6 genuino sem cada envoltorio ter a marca re-
gistrada de Barclay & Co, New -York._________ ^^^^
AI riKiDIS DES DAMES
38--Hua do Barao da Victoria--38
59 TELEPHONE 59
MEDICINAL
V PABi O
::::::::
XAROPE DE REUTER IV. 2
Como remedio daEstaco Calmosa, Pnriflcador dosangue, diurtico,
e aperiente, nenbum oulro appellidado depurativo ou salsaparrilba se appro-
xima seqoer ae Xarope de Reuter a. 2. Combina qaatro grandes proprieda-
des em um e remedio, operando a um tempo sobre os orgaos digestivos, o
sangue, os rins e os intestinos.
Absolutamente neutraliza e expulsa pelos canaes intesnaes, rlns e
poros da pelle, os germens nocivos, que fluctuam no mangue, ra urina e na
transpirado.
o MELHOE
PURIFICADOS
PARA O
Se as brancas, pretas e de i ricos cortea
COreS tidos de seda,
Notos padroes e para grande escolha
oram despachadas nestes ltimos das
para o
LOUVRE
cambraias
dadas.
de ves-
de 13 e
brancas e bor
LEVANTINES, voil.
les parisienses e crotones
lindos desenhos.
Grinaldas, lequcs e chapeos
de sel
De phantasias acabam de chegar para o
LOUVRK
Costumes para crean cas
De todas bb idades encontra-se grande
sortimento no
Louvre
COLCHAS
de renda, alta
de seda e
oovidade.
SEDAS brancas, pre-
tas e de cores para gran-
de escolha.
TECIDOS brancos e
de cores, arrendados para
vestidos.
Qbjectos de gosto para
presentes
Ha neste artigo grande escolha no
LOUVRE
TECIDOS DE PHAN-
Sndo impossivel de se deicrever a
grande variedade de tecidos de diversas
quaiidades proprios para a estacao actual,
roga-se ao publico em geral e principal-
mente s Ezmas. familias a fineza de vi-
sitarem o
LOUVRE
Ra 1. de Marco n. 20 A
Francisco Gurgel i Irmao
TELEPHONE N. 158
LEQUES de gase,
madeporola e tartaruga.
CHAPEOS
para senhoras.
e capotas
GRANDE variedade
de objectos para presen-
tes.
TOALHAS e guarda
apos de linho, brancos
e de cores.
CORTINADOS
demos para camas
nellas.
mo
e ja-
VENTAROLAS d e
gase e pennas, ultima
moda.
CAPAS e pelerinas de
seda e renda pretas.
CAMISAS de linho,
junhcs e collarinhos para
omena e meninos.
RICAS grinaldas para
casamento
VESTIDOS
1S e brancos
para meninas.
de seda,
bordadas
CAMISAS, saias e
caifas bordadas para se
choras.
XOVAES comple-
tos para baptisadoa.
MEIAS de seda e fio
de escossia,para senhoras,
bomens e criancas.
RICAS almofadaa de
velludo bordadas.
.PERFUMARAS dos
mais afamados fabricantes
de Londres e Paria.
MESaS, etageres e.
ca chapo tea, ultima no vi
dade.
COSTUMES dejersey,
casemira e brics para me-
ninos.
GASES do seda, bran-
cos e de cores para ves-
tidos.
ESPARTILHOS ele-
gantes de seda e brim
com pelucia.
GUARDA-POS d e
seda. e alpaca para se-
nhoras.
GALLOES
prateados de
dourados,
seda e de
12 para enfeites.
MANEQUINS france-
ses.
GRAVATAS para ho-
mens o que ha de mais
chic.
MATINEES brancos
e de cores, bordadas, com
rendas e fitas.
LAS modernas
para vestidos.
com
VELLUDOS
de cores.
pretos e
PEQUEAS PIULAS de RIUIEB
PARA
FIGADO
pu
entorpecido cnra-se positivamente com estas
Ellas eo um remedio purgativo lirrede peri-
ja o homesi Sfcis fraco, tio bem como bastante
activo para o bomem mais forte, e nao constipo de-
noto; pela acco geral agradaa todos qce ae nsam. Sao
as punas eatandartes da proflseo medica dos Estados
l'nldos. Sao as menores e mala (acia a tomar.
Qnarenta em cada frasco. __________
TRTCOFERCTde BflHHY 1
*._________.!* Ttremamente nerf-.imada, ___"js".*:. 3
rma preparaco elegante extrerflamen^rfamada,
temovet^odasMlmpiSzMdoweo.preserraUjocon.
tra calvicie e cabello clnzecto; faz o cabello crescerea-
pesso, brando e hermoso. Infallvel para cnrarernpcoe,
doencas da pelle. elsSulae mnaculos. e cara pida-
mente cortadoras, qneimaduraa, f endas. torceJnras. &c
CAUTELA. Sio eenuino sera cada frasco j
ter a marca registrada de Barcia 4 Co., i* orn.
CABELLO
A PELLE
ESUBEH61DC EMIiO.
JABOTS
seda.
e fichs de
BICOS de seda de co-
res modernas.
LINDOS albuna para
retratos.
MANTILHAS
hidas de theatro.
e Ba-
AOS
depositamos bestes pbodcctos.A companhia de Drogas e Pro
doctos chimicos.
Ra Mrquez de Olinda n. 23.
i


Royal
WHISKY
Blend marca VIADO
Este escolente Whisky Escoces pre-
erivel ao cognac ou agurdente de canm
para ortificar o corpe.
Vende se a retalho nos melhorea arma-
ens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado
oujo emblema sao registrados para
to?
BROWNS & C, agentes.
Fabrica |) hnras
DE
Roa Kare da Victoria n. 63
Loja de quadros
Madame Gerard avisa aos seas ame-
rosBimos freguezes, que receben de Pari,
um grande e variado sortimento de pelli-
cas de chevreanx, de primeira qualidade,
seda, castor etc., etc.
Libras sterlinas
Vende-se na loja de joias de Aognsto Rege
* C, ra do Cabog n. 9.
PARA LIQUIDAR
Charlte verdadeiro, qua-
lidade superior,
Castores de todas as co-
res com lindos desenhos.
Tapetes com lindissimo
padroes.
Marroquim branco e de
todas as cores.
Sola especial.
Formas francezas moder-
nas e mais artefactos pan
sapateiros.
Tudo isto se vende por
diminuto prego por ha ver
grande depsito na loja de
calcados ra do L'vra-
mento n. 10
Costa Campos k C.
Cal vir^em de Co tuneaba
A primeira por sua preciosa composigo chi-
mica para o. fabrico do assucar, riquissima de
saes de potassa e soda, adaptavel perfeitameate
exploracao da industria de saboneta), etc. etc.
Superior a de Lisboa, vende se cada barrica com
60 kilos a 8*000.
Agente nesta capitaliManoel Jos de Araujo, a
ra larga do Rosario n. 21 A.
BROWNS & C
Mudaram seu esenptorio para a ra do
Commercio n. 7 1 andar e continuam a dis-
posicao de seus amigos e freffuezes, para
fazer executar as melhores condifes suas
encommendas de qualquer artigo agrcola
ou industrial da Europa e Estados-Unidos
da America do Norte. SEU!
Dispondo das maiores facilidades para
encommenda de apparelhos para Usinas de
fabricar assucar, fabrica de iiacao e teci-
dos e outros ; acceitam contractos nao so
para o fornecimento dos machinismos como
para a respectiva iustallago.
Tem completa collecao de catlogos,
specimens e planos e portanto sempre ha-
bilitados a fornecer ornamentos e pros-
pectos.
ALLEMAES.
NOVO ESTAB ELECIMENTO
Recebeu um lindo sortimento de
CAPOTAS
de rendas di cores e pretas para senhoras.
de renda e de palha para senhoras e meninas.
SOBEOS
de palha e de seda para crianzas.
GRAFIOS DE FUTI
para homens e rapases, dos fabricantes FRANCEZES, INilLEZES E
CHAPEOS
de seda para homens.
GRAVATAS DE SEDA
FORMAS
de palha para chapeos de senhoras e meninas.
3S3NrG3S3B. AJtt OS
pretos e de cores.
Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Flores.
Plumas, Aigrettes eGrampos
para chapeos e outros artigos de fantasia.
Ra do Barao da Victoria n. 42
M. LICIO MARQUES
Telephone n. 560


FOLHETIM
JULIO MARY
OS DOIS INNOCENTES
TERCTIRA PARTE
(Conllnulriio do n. IO)
VI
A BEIRA DO (RISIE
Em semelhante inelicidade, a quem po
da drigir-se ?
Esbarrava-se em difficuldades em toda
a parte. Era o nada que via diante d'ella.
Escrevea i Assistencia Publiea de Pa-
rs, foi preieitnra de Lille, tornou a ver
e rogn o Sr. Linard se dirigio-se po-
lica. MMBI "^s=afc|tiuB9IBMI
Mas toda esaa gente conservava-se ina-
ctiva on entSo as buscas eram infruct-
feras.
Tomn entSo nma grande resolucJo.
Ea mesma encontrarei minha filha,
isse comsigo.
Sim, gastara niaso o seu ultimo vin-
tem 1 E quando nZo tivesse mais dinhei-
ro, pedera esmola pelas eatradai, sem-
pre, at qae emfim encoutrasae Be.tino.
Interrogara a todo mundo.
Ira at fronteira julgando que a mo-
cinha fuera perder os sens rastos passando
para a Blgica.
Sim, partira e morreria at se fosso
preciso.
E immediatamente, sem mai& demora,
poz em ezecugSo o seu projecto.
VII
Para onde dirigira seus pasaos ? Qae
plano adortaria ? Seria possivel agir pelo
raciocinio e adoptar um p'auo ? So.
Era preciso que fosso ao acaso,, pois e
elle poda guial a nos rastos de Bertina.
A p, por entre as fadigas sem numero,
pelo fro spero d'aquelle invern cruel,
percorreu as aldeias vixiohas da Saint-
Rmy; Dumousies, Ferrire-la-Orande,
Fenire-la-Petite, Beaufort at Wattg-
nies. E nlo se satisfazla em visitar as
aldeias, de interrogar os habitantes, de
entrar as hospedaras, as encruzilhadas
das estradas, visita va tambem as usinas,
as fnndicSes, as tecelagens, as minas mes-
mo, interrogando em toda a parte, dando
os signaes de Be r tira e de Cha-lo t, sig-
naos qae ella mesma soubera na fbrica
Laverjol. KgiP*
Pensava que os dous moeinhos nao po*
diam resistir muito tempo sem recursos e
que deviam ter procurado immediaiamente
trabalho para viver.
Mas enganava-se. Elles nao trabalha-
vam pelo menos nos arredores. Deviam
ter deizado a trra.
Nao desanimou.
De pois de ter per corrido toda a regilo
at Maubeuge, voltou a Saint-Rmy com
a suprema esperanca de qae na ildeia, na
fabrica, lhe daram boas noticias.
All, porm, j tinbam esqaeciilo a sua
historia.
Faltava-lhe pesquisar na Blgica.
E' isso, penson ella, com certeza
foram para l, para terem mais tranquilli-
dade... E' preciso nlo perder tempo.
A frenteira nlo era longe.
Foram etapas febris as da pobre mu-
lher em todas as aldeias e burgos flamen-
DOCE DE CAJO' SIGGO
Vende-se escolente doce de caj secco
na estrada dos Afflictoa, segundo sitio de-
pois da capella.
Taboas de cambio
De 12 15 pence : vende-se por 6*000 na ra
do Bom Jess n. 5,1* andar.
gos, de Beaumont at Chimay ; nao eaque-
ceu um canto, urna herdade sequer duen-
do comsigo que era justamente onde des-
curasse de ir que estariam os dous mec-
nhos. Erquelanes, Thiremont, as altas
Wiheries, at Thuio, at Binche e Mons,
percorreu todo esse territorio industrial no
seu desvairamento de pobre mai afflicta.
Criancas, viam-se em toda a parte. A
maior parte tinha seus pas. Se havia al-
guna orphlos, haviam conhecido pai mai
e nao poda baver duvida.
Quanto as criancas vagabundas vindas de
Franca e engajadas para qualquer traba-
lho, ninguem as conheoia.
Voltava triste, desanimada quando perto
de Chimay deram-lhe um esclarecimento
que fez pulsar-lhe apressadamente o cora-
9S0.
Pedir hospitalidade em urna herdade
solada, perdida no meio do campo, nao
longe da fronteira.
All paisoa algumas horas dormindo,
fatigada, nSo cogitando de que morria de
fome.
Camnhara tanto nos ltimos dias que
seus ps estavam machacados; a nev
constante queimara sens sapatos.
Minha senhora, disse ella rendei-
ra, que era ao mesmo tempo eatalajadeiqe
como commum na Blgica, d-ma o ra
comer.
A rendeira era ama mulher gorda, loa-
ra, com ar placido e muito dcil, um tanto
vagarosa e medindo tolos os seas mov-
montos.
Vem de longe, minha pobre se-
nhora ?
NSo, nlo venho de muito longe !
Mas caminhei tanto!
Como asaim ?
Lieta contou a ana historia. Era desse
modo qae da va cada vez os esclarec men-
tos qae poda.
Fabrica de gelo
tgoas e limonadas gasosas d*
todas as qoalidades
Soda water, ginger, ale, limSo,.laran]a, aira,
4o. abacaxis, granadina, grosellas, franboises
Mantilla, nortela-pimenta. etc., etc.
12-ACAES DO CAflBARIBE-HA
A rendeira ouvia-a muito commovida
apesar da sua indolencia.
De repente nterrompeu Lieta :
Um rapazinho e urna mocinha ? per-
guntou.
Sim. Meu Deas sabe de alguma
cousa T
Oh ? nao sei. NSo se illuda muito.
Que idade tm, mr.is ou menos, os doua ?
A mocinha tem cerca de quinze
annos e o rapazinho de dezoito ou deze-
nove, mais baixinho e nSo parece ter
mais idade que minha filha.
E' isso, murmurou a rendeira.
Conhece-os? Vi-os ?
Devagar, devagar.
Falle 1 oh! senhora, falle! NSo
comprehende minha impaciencia ?
Mas a flameng conservava-se calma.
NSo digo que sejam as que procura,
minho pobre senhora, mas emfim creio
que vi aqu mesmo, um rapazinho e ama
mocinha qae parecem-se com os retratos
que acaba de fazer-me.
Lieta estava tao commovida que mal
sustinha se de p.
Nem pensava mais no cansfteo e na
fome.
A esperanca azia-a renascer. Estava
prompta a partir de nova, a tornar a cor
rer, pelo fro e pela nev, os bosques os
campos, em plena desolacSo d'aquelle in-
vern.
Vio-os aqu... Meu Deus, ser
possivel 1... Ha muito tempo ?... Oh 1
diga, diga, depressa I
I Vio-os diversas veies e a al tima
vez hoje mesmo...
Urna alegra divida transfilurava Lieta.
Onde estSo elles ?
Receio realmente dar-lhe urna falsa ale-
gra, vendo em Lieta emocSo tSe extraor
diara. Se me enganei pode ficar doente
NSo, nSo, a senhora nSo enganou-se,
dzm'o o corasSo.
Constitui^o
DO
Estado de Peram-
buco
Vende-se a 400 rei
cada exemplar, no
escriptorio do Dia-
rio ^.
Livros de recibos para
alugues de casas; vende-se
ao escriptorio des te Diario.
Feijo mulatinho
Vendem
Cuimares k Yalente
i e 6Corpo Santo4 e 6
Moedas brasileiras
Comprase de 500 rs., 14000, 24000 no centro
da moeda ; na ra do Cabug n. 9, loja de Au-
gusto do Reg.
:\ttenco
i
Vende-se na ra do Bom lesas n. 38
1 piano novo Cari Sheel.
1 mobilia de Jacaranda nova.
1 lavatorio com pedra,
Em duas p&lavras voujcontar lhe o
qae sei :
Um contrabandista francez que reside
na floresta de Trlen, vem regularmente
aqu buscar volumes de meroadorias. An-
tigamente aadava s, com um cSo chama-
do Papillon. Mas ltimamente tenho-o
visto chegar com dous mocinhos da idade
dos que procura. JS at perguntei-lhe se
elle os tinha procurado," por achal-os inte-
ressantes.
E elle que responden ?
Dous recrutas, disse-me elle. NSo
den outras explicacSes.
Depois?
E tudo quanto posso dizer-lhe.
Como se chama esse homem ?
Jennekin.
E o nome da aldeia onde reside ?
J lhe disse : na floresta de Trlon ;
a sua casa est inteiramente isolada, o
qae bem commodo para o contrabando,
mas depende da aldeia da Sobre. NSo
muito longe d'aqui. """ffl
Passei por l- NSo me deram ne-
nbum esclarecimento.
E possivel. Os contrabandistas sSo
discretos.
E vio esse mocinho hoje ?
Sim. Anda estavam aqu quando a
senhora chegou !
Ella estremecen.
Se fosse Bertina! TSo perto d'ella !
Ella nSo desconfiara!
E onde etcontralos ?
Em Sobre, sem duvida, onde devem
chegar noite.
Oh obrgada, obrigada, minha se-
nhora, salva-me a vida.
Faoo votos para qne minha infor
macees sejam as qae desoja, minha pobre
senhora, pois pareceme bem infeliz.
Lieta nSo qnii comer.
Em vio quiz a rendeira obrial-a a to-
mar algum alimento. Lieta recusou. A:-
ceitou apenas ama codea de pSo e parti.
Informara se dos caminhos mais rpi-
dos.
NSo cogitara em acompanhar Jennekin
pelas mattas, pois sabia que o contraban-
dista nSo segua os caminhos communs
com receio dos guardas.
O que desejava era chegar a Sobre o
mais depressa possivel.
Ahi chegando, esperara.
E l chegou no aorrer da noite. Diri-
gi se a urna forja qae lazia as t re vas e
indagju de um operario onde era a casa
de Jennekin.
Indicaram-na.
Corren immediatamente at l, entrou
no jardim, e batea as vidracas, por de-
traz das quaes, apezar da hora, via-S9
luz.
A velho Jennekin fazia tricot junto do
lame, esperando que o filho voltasse,
Veio abrir a porta com prudencia.
Mas vista de Lieta, mostrou se sor-
presa. ,
O que deseja ?
Um abrigo, minha senhora.
A estas horas?... Dirija-se al-
deia. ..
Ea lhe direi a razio... A senhora
mSi e quem lhe pede o tambem...
Fitina Jennekin adorava a filha.
Entre, disse ella.
Tornou a fechar.a porta, sentou-se jun-
to ao lame e recomecou o seu trabalho.
Heave ama pausa. A velha olhava
para Lieta. Comtudo nSo pareca ter res
ceio d'ella. Antes mostrava-se interessa-
da por aquella rosto que exprima o sof-
frmento.
(C Tjp. do Dumo, ros Doqne de Uxias a. U.
^