Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19686

Full Text
7.
c
ANNO LXVI
TERCA-FEflA 12 M JULHO DE 1892
NUMERO 154

!-!
DIARIO
PERNAMBUCO
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGEIROA DE FARIA FILHOS
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiaDtados. C$000
Por ti es ditos vencidos..... 7 #000
Por um anno a lianlado .... 24#000
dem idem vencido...... 28&000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PUBLICAQOES NA FRAN-
CA E INGLATERA
Os Srs Amede, Prince & C, resi lentes em Pars34 rae de
Provence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido. .
131500
15$500
27$000
31#000
fSSTROCiO POPULAR
o &STAS3 so nim
PELO
Dr. A. 0. Viras u Castro
SEGIXDA PARTE
(Conwaqao)
% 24 FINANZAS DO ESTADO
Foi-me prseme o bem elaborado rela'.orio com
que a commisso encarrc-gada do exame do The-
souro Pablico do Estado, dando per nada, nesta
datf, a mi3to .e que fora incumbida pelo gover
no, expi as circumstancias em que encontrou
aquella Rspar'.'co, quando encetoa os respecti
vo3 traoaibos a 21 Je Dizembro de 1889 e o ex-
travio do3 dinbeiros puolicos que d.eacobrio e
liquidou, a'tingio a soturna do 39:839^587
Hivendo tomado coala do governo deste Esta
do em 22 de Janeiro ultimo cabe me a satisfajao
de declarar que tive occasio de apreciar devi-
lxente, era qoaai todo o tempo de soas func
Oe?. os bons servicos prestados por esia bene
nerita comoiiSEo j na ardua tarefa da verifica
gao do des! Ique dos dnh iros pblicos, j Da
confeceo dos importantes trabamos com que
coadjuvou (fugazmente a a.fministraco, sendo
03 principaes o orcaoiento da receita e des
peta do Estado \ ara o crrante anno fiaao-
ceiro, e os regulameolos para a cobranca do
imposto de indu.-triase prolisses ; para cauefies
o tiancas ; para oTbesouro Puolico para cobran -
a do imposto sobre a creagaodo gado vaceum,
cavallar e muar ; para o servico das mesas de
rendas e collectorias ; e para o des a-mazeos do
Thesouro.
D^ndo pois, testemunbo da profiriereis, zelo
e dedicado com que desempecbou os seus tra-
balhos a referida commiaao, laucando xo do3
uons auxiliares de que trata no meocioDado re-
laiorlo cabe me anda a radecer a commisso,
os relevantes servicos que assimprestoa as finan -
as da Estado, especialmente a miDba adminis-
iraco. Dirigiado meseparadamect: a rada um
de seas membros cumproo grato dever de faiel-
o a \ch em primeiro lugar, como digno preei
dente da commisso, para, alm do mais, louvar
o patriotismo e desinterese rom que de bom
grado vos prestastes a desempenhar mais este
valicao serviQO em favor da causa publica ma-
nifestando vos ao mesmo tempo as segurancias
da miaba estima e distincta consider. cao. (As
signado) Dr. los Tbomaz di Porciuncula.Ao
conselheiro Auguslo Olympio Gomes de Castro,
presidente da commisso encarreg.'da co exame
i.j Tbeaotiro Publico do Estado.
Em 1871, estando raeu pai na admlniatrajao do
provicia resolvea coatractar com o nego:iante
Francisco Gcngalve.8 do- Res, a construejao de
um predio para o Tneaouro, devendo o contra-
ctaote ser indemnisado com o rendimento da ar-
mazenag-m dos gneros entrados para os arma-
zeas do mesmo Thesouro durante um prazo es-
tipulado.
(Con tinos)
PARTE OFf ICIAL
Gorerno lo Estado de Per-
nambaeo
EXPEDIENTE DO DA 31 DE MAIO DE 1892
Actos:
O governador do Estado ter.do em vista a syn-
dicancia precedida pelo major fiscal do Corpo
Policial contra o capito da 1. companbia Joo
Ezequiel Borges, da qual ee deprebende haver
procurado esae oficial aluciar companheiros
;ara depr c respectivo tenenle-coronel com
mandante, reaolve demittir a bem do servifio pu-
niieo o referido capitao.
O governador do Estado de conformidade
com a propos'.a do commaadunte do Corpo Poli-
cial resolve promover aos postos aqui declarados
oa seguidles ufficiaea':
Ao de capitao da 1." companhia o tenente da
6.' Joo Gehsio de Andrade Lima ;
Ao de tenente da 6. compaohia o alteres da
i/ Jcao Gomes de Mattos e Silva ;
ao de alferes da 4. companbia o 2. sargento
Isidro Lobo Montenegro.
O governador do Estado attendeodo ao
iue requervu Joao Francisco de Amorim Lima
desenbiaia da Repartico de Obras Publicas re
solve epaceder-tbe qaatro meses de Iicenga com
ordenado na forma da le, para tratar da sua
O povernador do Estado refdve nortear
iara servir interinamente o logar de desenhlsta
(i-. R'parligo de Obras Publicas o pretleante
aim Rineiro de Carvalbo, (tarante o mpedi-
mento do serventuario Joo Francisco de Amo
rim ma que obteve licenca com vencimentos a
que tivefr cireito.
Portaras:
Ao.n;pfClur da Thesourana .-.t Fazenda.Em
i do at'.eetada junto pascado pelj cfficial-
maior da Secretaria a'es'.e. goveroo fleam abona
das a? a!ta3 que foram dadas pelo i. cfficial
da exnc:a Secjao de Estatist ca hachare! Antc-
nio dos Santos Siqueira Cavaleaota njs dias 4,
li, 19 e 20 de Marjo ultimo constantes da nota
que accmpssnhou o oficio que vos dirig em 30
do correte mez.
Ao inspector do Thesouro do Es'aJo.Em
vista do exposlo pelo commi&rario teral das
guardas locaes em oficio junto por copia n. 788
de 30 do correte mandae pagar s pracas da
fuarda local do municipio de Ba-Vista, Jos
rancitco dos Santos e Fabricio Rodrigues da
Silva urna qniazena do respectivo sold.
Do occorrido devereis dar sciercia a collecto-
ria d'aquelle municipio para os deviios fins.
Ao commissario geral das guardas locaes.
Sciente do que expuzestes em oficio de bon-
tem datado sob u. 789, autoriso ves a fazerdes
entrega ao commandante do Corpo Policial dos
dous liares em que se acha escrip'.arada a re-
ceita e despesa da caixa da msica, a que vos
referstes Communicou-seao commaadaate do
Corpo Folicial.
AO rxesmo.Providenciae para que se re-
ceiba a esta capital o tenente Aoetriclino Paes
Barretlo, ravertendo ao posto de commissario
da guarda local do municipio da Victoria o le
nente Auguslo Francisco do Couto, de quem tra-
taes em oficio d'esta data sob n. 791. que assim
flea respondido.Fizeram-se as necessarias com-
munica5es.|
ao mssmo.Em vista do ex posto em vos-
eo oficio n. 788 de 30 do correte, nesta data
expeco ordem ao iuspector eo Thesouro para
mandar pagar as pracas da guarda local do mu-
nicipio de Boa-Vista, Jos Francisco dos Santos
e Fabricio Rodrigues da Silva, urna qoinzena do
respectivo sold.
Outro sim, autoriso-vo3 a mandardes fornecer
s referidas pracas o fardamento <|ue lhe for
devido.
Do occorrido daris scieocia ao commissario
daquelle municipio para os devidos fins.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Oficios:
O Sr. governador do Estado requiaita-vcs o
livro em que foi lavrado o termo de contracto de
Jos Joaquim da Costa Maia para explorajo in-
dustrial da ilha de Itamaraci.
Ao procurador geral do Estado.O go-
vernador do Estaao maDda communicar vos que
por oficio dirigido em 24 do correte ao Dr.
questor policial, em resposta ao de n. 662 de 12
do mesmo mez, approvou a decis&o dada por
aquella autjridade consulla que lhe fez o ad-
ministrador da Casa da Deleugao no de o. 493,
do dia anterior, e sobre cojo assomplo emittis
tes parecer em 23 tambem do correte.
Portaras:
O Sr. gerente da Companbia Pernambuca-
na d passagem gratuita de r at o Cear, na
prkneira viagem do mez de Junto vindouro, a
Francisco Gomes Villaca e providencie quanto a
volta do mesmo para esta capital.
O Sr. gerente da Companbia Pernambuca-
na d passagem de : para Macei a Anua A-
orkn<> de Mello, por conta da* gratuitas a que o
governo tem direito, na segunda viagem deste
mez.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na d paasagem gratuita de prOa at Aracaj, Da
segunda viagem do correte mez, a Manoel
Francisco dos Santos e providencie quanto a vol-
ta do mesmo para esta capital, observado o dis-
posto na clausula 23* do decreto o. 10,208 de 16
de Margo de 1889.
O S". director engenheiro chefe da estrada
de ferro Central de Peroambuco d passagem,
por conta do Ealalo, em carro de primeira cas-
se, com direito a bagagem,da eaiacSo da Victo-
ria a do Recife, ao tenente da guarda local Aus-
tric.'ino Paes Brrelo.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagem de se-
gunda ciasse, por conta do Estado, da estacao
de Cinco-Poatas a de Una, praca da guarda
local de Cbrreotes Joao Pereira Villa-Nova e
providencie quanto ao transporte de fardamento
que ella conduz, conforme requisita o Dr. ques
tur policial em oficio n. 724, de hontem da-
tado-
Mutatis mutandis estrada de ferro Sol, de
Palmares a Garanbuns.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco dpasaagem de se-
gunda ciasse, por conta do Estado, da eatacao
de Cinco-PoDtas a de Una, ao cabo da gu local de Peaqoeira Jos Cardoso da Silva e pro
videncie qaanio ao transporte de fardamento
que elle conduz, conforme requisita o Dr. qnes-
ior policial em oficio n. 727, de hontem da-
tado.
Mutat s mutandis estrada de ferro Sal, -de
Palmares a Canbotmbo.
"-SiSSSC-*
DESPACHOS DO DIA. 8 DE
1892
JUI.HO DE
Antonio Jos Canieiro (pae) e Jos Amonio
Carneiro (fllho) presos pobres p diodo parj ser
submetuao a novo julgamenloInforme o Dr.
juiz de direito do 2* dislrieto criminal.
Antonio Leonardo Rodrigues, pedindo illimi-
nacao dos dous apparelhos da companbia Recife
Drainage existentes no sobrado de dois andares
n. 41 sita na roa do AmorimVolte ao enge-
nbeiro fiscal da compar liu Recife Drainage para
informar eobre a replica.
Amonio SerapiSo Lucano de Moura, escrivo
do o- districto de Ouncury, pedindo que lhe se-
jam fornecideaos livros para o registro civil|a car-
go do gupplicante.Indeferido. O decreto refe-
re se a installaco geral do servigo de registro
civil que teve lugar do dia 1 de Janeiro de 1889.
Anna Borges do Amaral e Mello, proprietaria
da casa n. 18 sita a roa de Joaqntm Nabuco no
municipio de Nazareth nica que poBsoee onde
mora, pedindo dispensa do pagamento de seu de
bito proveniente de imposto de decima urbana-
Informe o inspector do Thesouro do Estado.
Antonio Cosme dos Santos, pedindo para ser
posto em liberdadeInforme o Dr. queBtor poli-
cial.
Francisco Farreira Cavalcante, preso pobre,
actualmente na Casa de Detengao, pedioda solu-
Co de sua sentenca.Informe o Dr. juiz de di-
reito do municipio de Bom-Conaelbo.
Bacharel Franciaco Martiniano de Oliveira,
promotor publico do Brejo, pedindo 3 mezes de
licencaSim, com os vencimentos a que tena di-
reito na forma da lei.
Fortunato Goncavas Ribeiro, no presidio de
Fernando, pedindo perdi do resto do temro de
sua sentenga.Nao ha o que deferir em vista
das informagOes.
Henrique Maealhaes da Silva, escrivo do 6-
diatricto do Municipal, pedindo para ser forne-
cido os livroj necessarioa para o registro civil
dos oascimentos e bitos. O decreto refere se a
installagao geral do servigo do registro civil, que
teve lugar no da l- de Janeiro de 1889.
Joao Ribeiro Pessoa de Oliveira, profeaaor pu-
blico do^ Afilelos pedindo prorogagao por 90
dias a nferida liteegaRemedido a junta medi-
es do Estado a quem o peticionario se apresea-
tar para ser inspeccionado.
Dia 8
Dr. lote Diniz B3rreto, lente da 1" cadeira de
lingua nacional do Gymnasio Pernambucano, re-
clamando contra o octo do vice-governador de
13 d.j corrente pelo qual foi o supplicante dis-
pensado do exercicio da sua cadeira. Deferido
por pertaria desta data.
Dr. Jos Suriano de Souza, profeasor de phi
losophia do Gycnaasio, reclamando contra o ac-
tc do vice governador de 13 deste rxez Ilegal
mente destituido do 3eu cargo.Deferido por
portara desta dala.
Bacharel Manoel Cezario da Silva Brazileiro,
lente da cadeira de Historia do Brasil do Gym-'
nasio Pernambucano, reclamando contra o acto
do vice governador de 13 do corrente mez pelo
qual foi o suppticante dispensado do exercicio de
cadeira.Deferido por portara desta data.
Joao Baplisla dss Neves, conbecido por Carao
o Paulo Baptista das Nevos tambem conbecido
por Carao, presos pobres, pedindo para serem ros-
to em liberdade.IoforQe o Dr. juiz de direito
do 2* discricto criminal.
Bacharel Jcs Coelho da Silva, promotor pa-
blico de Cimbres pedindo prorogago da licenca
por mais 80 dias.-Sim com os vencimentos a
ue tiver direito na forma da lei.
Joao Pereira da Silva, preso pobre recelhido
na DetencSo peaindo para sua mulher e seu
fllho eejam reme'.'.dos para o presidio de Fer-
nando de Ncronha.-Icforme o Dr. juiz de di-
reito do 2 diatricto criminal.
Bacharel Luiz Affonso de Oliveira Jardim, juiz
municipal de Bom Censelbo, pedindo pagamento
de seus vencimentos.Informe o inspector do
Thesou d) Estado.
Miguel LuizFerreira.-jSelle o requenmento
e volte querendo. ...
Manoel Neves da Fonseca Gomes, escrivo do
registro civil do 8o district (Belm) pedindo en-
trega de livros necessarios i ao registro de bito.
Indeferido. O decreto refere-se nstallacao
geral do ser vico do registro civil, que teve lugar
no dia 1 de Janeiro de 1889
Manoel Bezerra das Neves, preso pobre, vmdo
da comarca de Iguarass recolhido a Casa de
detencao pedindo que se lbe maude dar urna co
pia do inquerito do seu processo. Informe o
Dr. juiz de direito do ir diatricto criminal.
Frei Paulino da Soledade, pedindo pagamento
do aluguel a que tem direito relativo ao tempo
em que deixoo de recebar da parte do convento
emqoeesteve aboletada a guarda localDefe-
rido nos termos de oficio nesta data dirigido ao
inspector do Thesouro do Ettado.
Si rvulo do Nascimento Beda, pedindo para
ser nomeado profeasor publico de qual luer ca
deira que se ache vaga.Nao ha cadeira vaga:
Secretar a dj Governo do Estado de
Pernambuco, 11 de Jalho de 1892.
O ajudaate do porte ro,
Tito Franco de Mendonga.
Qaestara policial
SeccSo 2.a N. 157Secretaria da
Ques tura Policial do Estado de Pernam-
buco, 11 de Julho de 1892.
CidadSo.Participo vos qne foram reco
Ihidos Casa de DetengSo os seguintes in-
dividuos :
No dia 9:
A' m.nba ordem, Martiniano Gomes da Silva ou
Martiliano Gomes da Silva, remetiidc pelo dele-
gado do municipio da Victoria reqoisigo do
juiz do 3 diatricto municipal de Iguarass, on
de criminoso ; e Manoel Francisco de Oliveira
remettido como alienado pelo mesmo delegado
alim de ler destino para o Asylo da Tamari-
neira.
A' ordem do Dr. juiz do 4. district municipal
Manoel Marianno de Almeida, por crime de de-
liramento.
A' ordem do subdelegado da freguezia do R -
cife, Eustaquio Gomes e Francisco Quares, como
gatunos
A'ordem do subdelegado da freguezia de San-
to Antonio, Antonio Jos, alienado, com destino,
ao Asylo da Tama-ineira; Alfredo Barbosa da
Silva, Mara Francisca da Conceigao, Honoria Fe-
liciana da Conceigao e ClaudinaFrancisca do Es
pirito-Santo, como deiordeiros.
A' ordem do subdelegado do 1.- distrelo de
Afogados, Henrique Soares de Albuquerqne, como
desordeiros.
No dia 10:
A' ordem do Dr. juiz do 5.' district muaici
pal. Manoel Mendes de Oliveira e Rufino Jos
Epipbaaio da Paz, como vagabundos e desor-
deiros.
A' ordem do Dr. juiz do 9.- district muniq
pal, Paulino Rodrigues dos Santos e An'oaij Joa
quim de Oliveira, como vagabundos e capoei
ras.
A' ordem do subdelegado da freguezia do R'-
cife, Manoel Francisco dos Santos, conbecido
por Estragado, como gatuno; Manoel Pereira da
Silva, Manoel Emygdio dos Santos Jnior e Nico-
lao Faustino Wanderley, por uao de arma3 de
fesas.
A'.ordem do subdelegado da fregaez|a de Sao
to Antonio, Manoel de tal, como gatuno ; e Ra-
cbe| de tal por embriaguez.
A' ordem do subdelegado de 1.' district de S
Jos, Jos Lope* Pessda de Vasconceltos, como
gatuno.
A' ordem do subdelegado do 4/ district de
Afogados JoSo Adriano da Silva, como gatuno;
Honorato Jcs Rufino, Zacaras Jos de Sant'Anna
e Anacleto Jos da Cruz, como desordeiros.
Hontem, por volta de 2 horas da tarde, no
logar Encaoamentp da freguezia do Pgo da Pa-
nelia, Jos Henrqoe de Castro Nunes, cabo do
destacamento estacionado n'aquelle logar, fez um
ferimeoto com a pona do sabr em Antonio .'oa-
quim dos Santos.
Contia o delinquen te, que evadio-se, procede o
juiz districtal na forma da lei.
No da 2o do mez ultimo foi capturado pelo
delegado do municipio de Flores o reo Antonio
Alves de Oliveira.-jconbecido por Cuta, pronun-
ciado em crime de morie no de Triumpho.
No dia 28 do alludido mez apresenlou-se
voluntariamente ao referido delegado o reo
Jos Flix Larangeira, pronunciado em crime
de tentativa de morle no municipio de Villa
Bella.
O delegado de Cmaro, acompanhado do
do Dr. promotor publico respectivo, proce
den Do dia 3 do crreme a visita da cadeia
daquelle municipio, sendo encontrados 23 pre-
sos. 7 dos quaes sentenciados, 14 processados e
2 indiciados.
Eotraram em exercicio os 3eguinles func-
ionarios :
Tenente Manoel Joaquim Gomes Jnior, cem-
misaarlo do 2-* posto da guarda local-
Tenente Basilio Quidute de Souza Ferraz,
commissario da guarda local do muuicipio de
Afogados de Ingazeira.
Poociano Camello do Siqueira Cavalcanti, sub
delegado do district do Riacho do Matto do
municipio de Agua Preta.
Rogaciano Barbosa Camello, delegado do 2-'
district do municipio de Agua Preta.
Ao Dr. Alexaadre Jos Barbosa Lima
muito digno governador do Estado.
O Questor, Beujamin Aristides Ferroira
Bandeira.
Thesouro do Estado de Per-
nambuco
DESPACHOS DO DIA 11 DE JDLHO
DE 1892
Florencio Alves de Barros, Jos de
Azevedo Maia e Silva JniorInforme o
Sr. contador.
Antonio Flix PereiraInforme a sec-
cao do contencioso.
Mara Carolina da Silveira Carvalho
Certifique se.
Beredicto Jos dos SantosInforme o
Sr. collector da Victoria.
Eugenie Frres & CAo Sr. portoito
para entregar aos interesBados.
INSTRUCCAO PUBLICA
Este ponto em que mais de urna vez
tenho tocado que a Cmara dos Srs.
Deputados devia ter discutido, firmando
como se ha de considerar aproveitado o
professor do Estado, na organrsacSo mu-
nicipal .
A classo faz s ntir a necessidade de
urna base segara para ato e o pedido
mais justo e mais consectaneo com a
rasao, com o direito e com a justioa foi
indeferido!
Confesso que nao esperava a decepcSo
por que a Cmara me fez passr.
Anda me animava um resto de con-
fanos no patriotismo do Congresso ; mas
vejo que me tinba engaado e que, por-
tante baldado todo o empenho de miuha
parte na defesa da cstygmatiaada ciasse a
qne pertenco.
Quando o magisterio procura, escudado
na lei, firmar os seas directos encontra os
maiores obstculos, a maior m vontade
da parte dos que tem as uiaos a decisSo
da sorte do pobre profeasoraao !
Ainda nSo tudo.
Se para admirar o d-aprezo com que
tratado, muito mais o ser o fasto que
passo a referir:
Alguns collegas obtiveram no dominio
do Regulamento de 6 de Fevereiro de
1885 e da lei n. 2020 a gratificagSo de
15 annos, a qual deve ser paga a contar
da data em que o professor completa 15
annos de effectivo exercicio, exi face dos
termos imperativos do ReguUmeutj e da
lei citada.
O Thesouro, por'm ob qualquer pre
texto sempre se negou a pagar a referida
gratifcacSo nos termos legaes, pagando-a
apenasda data da conc-.s.-ao.
Em algumas opocbas tem esses oolle
gas reclamado contra o modo de entender
d'aquella repartic&o.
Os dispositivos da lei 2020 e da regu
lamento de 6 de Fevereiro nao se prestam
interpretajSo que se lb.es quer dar;
mas o empregado respectivo, encarregn-
do de fornecer as informacSes pedidas
pelos administradores da entio Provincia
e hoje Estado, por nm immenao esforjo
de inteliigencia tem conseguido tazar sua
informac&o valer mais do que tres ou
quatro leis dous mil e vinte e cinco ou
seis ariigos dezeaete do regulamento
de 6 de Fevereiro.
Qom a chegada do Exm. Sr. Dr. Bar-
bosa Lima ama nova esperanza animou
aos collegaae eil-os a aprosentarem sua
reclamajo.
S. Exc. ouvio as repartieres competen-
tes e deferio a peticSo dos reclamantes,
como se devia esperar do espirito de jus
tija de S. Exc.
NSo bavendo, porm, verba para se
effectuar o pagamente das gratifcacSes
concedidas, S. Exc. mandou escripturar a
divida.
Uns outros collegas, abrigados som'
bra do direito e da lei se preparavam
para fazar saa reclamagSo quando o The-
sou.ro espantado com o numero de pre-
tendentes, fez ver ao Exm. Sr. Governa-
dor a conveniencia de acabar com as con-
cessao, em visti da ^enormidade do mi
mero do favorecidos pelo despacho de
S. Exc. e que seria fabulosa a quantia
que o Estado ia pagar aos professores
as condicSes dos que j havir.m obtido a
gratifcalo, de conformidade com a lei.
O Thesouro nSo foi criterioso quando
ffirmou que grande o numero de pro-
fessores comprehendidos as dispoaic.Ses
reglamentares e legaes, porquanto ease
numero nao attiege a 25.
S. Exc. levado pelo espantalho do
Thesouro caescu a portara em que havia
concedido a gratificagSo aos collegas Cy-
rilio S. Thiago e Augusto Wanderley.
Eu, corto de que S. Exo. s por um
motivo da m sima importancia para sua
administraco, como o de finanzas, seria
levado a adiar a satisfaoo de um direito
que S. Exc. mesico j havia firmado, nao
pude deixar de saltar um 'orado da expra-
bayo contra o proce dimeato do The-
souro.
Qjando mesmo fosse do tamanho da
classs o numero de professores a que a lei
e o Regulamento favorecer, a circums-
tancia de numero nao teria a forga de
derogar um drsito expressamente firmado
em urna lei e em um regulamento.
Assim se deve entender, salvo se, por
um novo direito do Curso do Theeour?, a
lei perde o seu effeito qu&ndo abrange em
suas disposicSes a mais de um individuo e,
portanto, s ser alli executada quando
qa i o direito ter o valor de sua forja, e
esse da tal vea n*o esteja longe
Nutro a esperanza de que 3. Exc. o
Exm. Sr. governador do Estado, verifi-
cando a verdade, reconsiderar o sea acto;
restabelecendo assim o em que conceden
a gratifcacSo na forma requerida pelos
col legas.
A palavra do Thesouro, affrmo, nSo
ter a forga de arredar S. Exc. da re
paracSo que se deve esperar da justica
de seu governo.
Istruc^o publica
{^Sebcutiao BraniSo)
E' extraordinario o estado de ancidadet t5r positivamente individual, por exempjo,
quando beneficiar a um empregado d'a-
quella repartiera, ou, jor outra, quando
as disposicSes benficas da lei se applica-
rem a outra ciasse que n3o saja o profes-
sorado.
E' infeliz o magisterio primario per-
nambucano! Todas as iras se revoltam
contra elle a ponto de ser-lhe negado at
o direito que as leis lhe concedem 1
O Thesouro apezar de acostumado a
jogar com os algarismos, espantou-se com
um pequeo numero !
N2o para produzir effeito a que aqui
trago ao conheoimento do pablico e espe-
cialmente da ciasse, nSo. O meu fim
apenas fazer sentir aos meas caros col-
'egas que nSo fiqaei em silencio ante mais
um acto de njnstica de que foi vicima a
ciasse, na pessa doa collegas offendidos
em seus direitos.
Mais urna vez foi o direito dos collegas
postergado pelo capricho, prepotencia oa
qualquer outra cousa do Thesouro I
NSo desanimen! porm; um dia vira em
em qu-2 se acha o magisterio primario
pernambucano.
Os oollegas de continuo a inquerirem
da boIojSo provavel do problema qae
actualrnente oceupa a atteocSo do Con-
gresso do Estado.
A peticSo em que o professorado, fu-
mado em um principio de di eito, solicitoo
a confrimcSo da; garantas a que tem
jus ante os municipios, foi isdeferida,
apesar do esforco de uns dous Srs. de-
potados que se manifestaram favoravel-
mente ciasse.
Os sustentadores do parecer qae Be
discuti e se votoa, sem duvida firmaram
a sua defea no pcojecto n. 5.
Mas preciso que fique assentado que
essa projecto nSo cogita do caso em qne
o magisterio fundamertou o seu pedido.
O projecto n. 5 trata de cadeiras esta-
duaes, porem isto nSo quer dizer que
tenha elle firmado o direito do professor,
em face de um aproveitamento municipal,
prejudicial ciasse.
EXPSITO DE CHIPACO
Exposieo Colombiana
RELATORIO
(Offerecido pelo Dr. H. Jaran illo com-
missSo nomeada para a Exposio
Universal Columbiana, pelo Estado do
Para, Brazil).
(Conthutac,ao)
EDIFICIO DA ELECTRICIDADE
O edificio da electricidade ser de toda
a exposicSo o local onde se ver mais no
vidades. Ter 345 ps de largo por 700
de comprdo. Em frente da fachada que
deita para o lado do sul acha-so um g an-
de pateo rectangular. A fachada do lado
do norte d para a lagoa.
O coojuncto geral do plano est baseado
sobre urna nave longitudinal de 115 ps
de largo e 115 de ele vacuo. A nave ser
coberta por am tecto cheio de claraboyas.
O reato do edificio ter um tecto liso a
urna elevagao de 62 ps tambem com cla-
raboyas.
O segando andar compor se-ha d'uma
serie de galeras unidas atravez da nave
por daas pontea. A aroa d'estas galeras
ser de 118.546 ps quadrados ou 27
geiras.
As paredes exteriores compor-sa-hSo
d'uma serie de columnas da ordem Corin-
thia, de 3 a 6 polcgadas de largo 42
ps de altura.
O pavilho do norto collocar'se-hs entre
dois grandes semicrculos, e ser fortifi
cado por duas torres de 195 'ps de al
tura.
Os pavilbas do centro, do este e oeste,
compor-se hSo de duas torres de 168 pea
de altura. Em frente d'estes haver um
grande prtico de columnas da ordem Co-
rinthia.
O pavilhSo do sul ser em forma de
semicrculo, com 78 pi de dimetro e 103
de elevaco. N'este pavilhSo, em um pe
desta! estar a estatua de Franklin, cujo
nome illustre est intimamente ligado
historia da repblica com um dos mais
importantes descobrimantos nos phenome-
nos da electricidade
Haver uns pavhSes inferiores com
janellas e varandas. O interior est rica-
mente decorado com molduras a relevo. A
appsrancia do exterior ser como se i5ra
i marmore, mas as paredes do samicir
calo, as dos prticos e as da galera sero
ricamente pintadas.
Ao estudar os planos o? architectos tive
ram em vista construir o edificio de forma
a que de noite produzissa um bom effeito
com as innmeras luzes elctricas.
Este edificio quanto a exhicSes ser o
mais interessante pois que n'eate ramo de
industria os Estados Unidos estSo adianta
dissimos. O estrangeiro encontrara all
muits novidada digna de observacSo e ea-
tudo.
EDIFICIO DAS MINAS
Este edificio acha-se situado entre o da
Electrcidade e o de Transpor es, tem
<00 p3 de comprido por 350 de largo e
a sua architectura fundase no estylo Re
nvissance italiano.
O pleno muito simples. No andar
principal haver, espacosos vestbulos,
rosta arantes, quartos para toilet, etc.
O edificio ter urna entrada de cada
um dos quatro lados, sendo as do norte c
sul aa mais espa$osas.
As galeras sero de 60 ps de largo
por 25 de altura do andar principal, e a
luz entrar pelas grandes jan alias us la-
dos do edificio e urna claraboya que se
estenda ao redor do edificio
A cada extremidade das freutes prin-
oipaes do lado do norte e do >ul, encon-
trar se-hSo grandes pavilhSes quadrados
sobre os quaes havar pequeas cpulas.
Entre a entrada principal e oa pavilhSsa
haver arcadas ricamente adornadas quu
formarSo urna galera.
As frentes prinoipacs terSo 65 ps de
altara do solo ao cume da cornija.
Grandes janellas em toda a extensSo
das galeras proporcionarlo luz em abun-
dancia.
O segundo andar do qual a galera for-
ma a parte superior, estende se &j redor
do edificio e tem 60 pea de largo.
O grande espago interior ser da altu-
ra d'um andar ao cu tro e medir 630 pea
de comprido por 230 de largo.
O centro deste espago iovanta-se a urna
altura de 100 pea e os lados 47, tendo
um telhado d'aco que estar sustentado
por columnas tambem d'ac.o com 65 ps
do intervallos longitudinaes e 116 ps
por 57 e 6 polegadas transversalmente,
com daas divisos aos lados, cada urna
de 57 e 6 polegadas de largo por 630
de comprido.
Grande parte do telhado ser de crya-
tal. O exterior do edificio, como o dos
ou'.roi ser de stsff, semelhante ao qae
se asou nos edificios da ExposicSo de
Pars.
O cuito deste edificio de #260,000.
As exhibieres que se farSo alli sero ri-
quissimas e de certo que despertarao a
attencSo dos vrstanteB.
Mim EGONQUQ-FNaKCEIRQS
-*- !
Estrada de ferro
BRAZIL BOLIVIA
Ao congresso nacional apresentaram oa Srs.
Dr. Alexandre Rodriguea Barrcso e Raymando
Furlado da Rocha Frota o plano de urna estrada
de ferro, pedindo privilegio por 90 annos, para
construccao, uao e g070, a garanta de juros de
6 ,'. ao anno sobre 30:000/000 por kilmetro e
03 favores concedidos pelas leis referentes va-
cao frrea, resalvando direitos adquiridos.
O memorial daquelles engenneiros offerece a
aeguinte noticia descriptiva do plano e das van-
tagena d.correates de sua execucSo :
< Decretada a mudanca da Capital Federal
para o planalto da Formosa, no Estado de
Goyaz, um dos principaea problemas a resolver-
se, depols dosestudos daacondicoea locaes, ser
sem davida nenhoma, o estabelecim?nto de urna
communicacu rpida da futura capital com o
liltoral.
Depois de bem estudados 03 diversos planos
que se podem tragar para ebegar se ao fim de-
sejado, nenbnm outro parece offerecer melhores
condi^oes do qae o tragado de ama liaba frrea
entre o porto de Camam, Marab oa lbos e a
cidade de Matto Grosso paasaodo pelas cidade3
de Goyab. Goyaz e Formosa local da futura ca-
pital, e a cidade de Januaria do Estado de Mi-
cas.
A estrada prnjectada, alm de por a futura
c. pital em communicaco rpida com um dos
tres melborss po-tos da nossa costa entre Espi-
rito Santo e Babia, prefertndo se aquella em qne
posam ter abrigo os vapores de maior calado
do mundo, ter a grande vantagem de aprovei-
tar o plano geral de viaco indicado pelo emi-
nente engenbeiro Honorio Bicalno para por a fu-
tura capital federal eo s em communicaco
com loaos os Estados da Unio coma tambem
com as oossas fronteiras, ulilisando re, para este
fim, j 03 nossoa ri03 navegaveis e j as estra-
das projectadaa por aquelie engentieiro, cerno
complemento de noaaa navegaco interior.
Nao podeodo te prescindir do plano do enge-
nbeiro i. Blcalbo para tornar bem patentes as
vaatagens da estrada projectada, eatre os portos
indicados e a cidade de Matto Grosso, foi traga-
da esta no proprlo mappa em qae se acba indi-
cado o plano geral de viaco do engenbeiro Bi-
calno e, de sea estado comparativo, chega-se
concluso de qae a communicaco entre a capi-
tal, oa Estados e as fronieiras da repblica hca
p.rfeitamente eatabelecida. uas condigOes as
mais econmicas poaaiveis, como se poder ve-
rificar :
I
Com os Estados do Amazonas, Para e Mar-
nbo por meio da navegaco tos rios Aragaaya
e Tocantins, conatruindo-se as estradas comple-
mentares entre a Formosa e a parte navegavel
do Rio Tocantins que ainda se acba por estu-
dar : e entre a cidade de Goyaz e a parte nave-
gavel do Rio Vermelbo, estradas estis que se
acbam indicadas no projecto do engenheiro Ho-
norio Bicalho.
II
Com os Estados do Piauby. Cear, Rio Grande
do Norte, Parabyba, Pernambuco, Alagas e Ser-
gipe por meio da navegaco costeira e da nave-
gaco do Rio S. Francisco at Januaria aprovei-
taodose, para este m as estradas de ferro de
Bat'jrit, de Grato a Ca uar, ltimamente con-
cedida, de Paulo Affonso e da Babia ao 5. Fran-
cisco.
III
Com os Estados do Rio de Janeiro e Espirito
Santo por meio da estrada de ferro Central do
Brazil que se dirige ao rio S. Francisco.
IV
Com os Estados de S. Paulo, Paran, Santa Ca-
tbarina e Rio Grande do Sul por meio das estra-
das Mogyana e Itarer ao Rio Grande, desde que
a primeira destaa eatradaa v at a capital de
Goyaz. *
Com aa nosaaa fron'eiras nao s per meio da
navegaco d03 Rios Guapor e Aguapeby cujos
pontos cm que comega a navegacc acham-se
ligados pela estrada projec'ada, como tambem
pelos R oa Ivinheim e alto Paran, construindo-
se a estrada de ferr entre Miranda e o ponto
em que comeca a navegac&o do Rio Iviobeima e
que se acba cimprelienJida tambem no plano do
engenbeiro Bicalho.
Construida tambem a estrada de Madeira a
M-iEor cojos cstuds j foram feitoa e que se
acha indicada no plano do engenheiro Bicaho
Mear ainda a futura ccpital em communicaejb
franca cuj o Estado do Amazonas pela navega-
Cao dos rios Gaupor e Madeira e bem assim
com a Repblica da Bolvia.
E' desnecessario encarecer a ieflaancia que
deveri exercer a linha projectada sobre o futuro
da ubrrima zona que atravessa.
Percorreodo urna zona inleiramente central e
para a qual podem convergir tantos meios fa-
cis de conmujicaco ser, forecsamente, o cen-
tro mais procurado pela immigraco tanto na-
cional como eatnmgeira; e de desconhecida co-
mo se acha actualmente poder tornar-ee para c
futuro urca da3 zon?s mais importantes do Bra-
zil.
A estrada de ferro prujectada entre qualquer
dos tres portoa indicados c a cidade de ila'.to-
Grosso ter, como se poder verificar no mappa
junto, era toda aua extenso, approximadamen
te, ioOO kilmetros, sendo :
Doa portos Ue Marah
lbeos ou Camal a
cidade de Januaria
I lema cidade da For-
mosa
dem idem de Goyz
dem idem de Cuyab
dem de Matlo-Grosso
A sua btola serdelO; asna declividade
mxima de 2 %> e o rato minimo das curvas
que forem empregada as lOOra.
Nestae condices poder ser tracada urna li-
nha as melhores condices technicas pos?veis e
sa'.isfazendo, alm disto, ao fim priacipal que se
tem em vista : por a fntura capital em commu-
nicaco com o liltoral por meio de urna linha
frrea, cujo tracado sejao mais curio possivel.
Effectivamenle como consequencia da mudac-
Ca da capital Federal para o planalto da Formo-
sa, em Goyaz, um doa principaea projlemaaa
resolver ser a communicaco rpida entre a
nova capital e o liltoral, e nenbam plano offere-
ce melhores vaatagens do que ama liaba frrea
eatre o porto de Crnaum, Marab, ou lbeos e a
cidade de Matto Grosso, paasaodo pelas cldades
de Coyab, Goyaz e Formosa e a cidade de Ja-
nuaria, no Estado de Minas Geraes.
Demonstrando, no sea memorial, as diversas
vantagens do plano projectado, apresentam os
peticionarios as concluses constantes do memo-
morial enpra, dando como perfeita a commnica-
Co entre a nova capital e os Estados e frontei-
ras da Repblica, como vereficase da exposijo
do mesmo memorial.
A estrada de ferro projectada, entre qualquer
dos portoB indicados e a cidade de Matto Grosso,
em toda a toa extenso approximadamente,
2.500 kilmetros, sendo;
600 kilmetros
1.020 >
i.320
2.' 40
2.500
I
.

.


".. "t i.iiH.ii.niMii i i ll!1 7
---------
.**"
-w '-'' "


3
Diario de Pernamlnico Terga-feira 12 de Julho de 1892
9tm uuttsw fe Marab
lbeos oa Camuma a
ciladt de Janeara
dem a cidade daFor-
Sem idem de Goyax
(,m idem de Cimba
fdem idem de Muras
600 kilom.
i.0*0 m
i-MO
040
t.
A sua bitola sera de Im; a sua decvidarte
snaxima de 2 */ e raio mnimo das curvas que
forera empreadas 100 metro*.
Nestas condicoes poaev ser traputa nava II-
bi Das melnores eondieOes teehoicas possiveis
e satiafaiendo, atan disto, ao fim principal que
se tem em vista : *pra futura capital em cora
municacao com o liltoral por meio de ama liaba
frrea, cojo tragado seja mais curto possivel.
LITTERATRA
A PJatara, a Msica e a Poesa
(efe esse)
Todas tres geraram se no mesmo ni-
nho, todas tres voaram do aeio de Deus,
a, menaageiras de todos oa encantos, poi-
aaram na trra, depois de terem percor-
rido a mesma trajeotoria, depois de
terem desoripto as mesma3 cireumvo-
tugtaa.
*
Deaso Mgico Pintordesenboa na
azulea tela da immensidade a grandio-
sa e sublime paysagem das coasas todas
da ratara, Deuso Mgico Pintorcom
as iriantea tintas de saa divina palbeta.

A multaosa e alegre tribu das avezi-
nhas canoras, fascinadas e presas esse
painel de luzes e de ineffaveia bellezas,
trinaram aa primeirao notas do seu canto,
aaudacSes rythmadas de urna msica dul-
curosa e inebriante.
O homemo reflezo do Mgico Pin
torque desenhara a natura, deslumhra-
do ante as fulgidas e ineigas tintas das
auroras saudadas por aquella msica me-
lodiosa e terna que o transportara as re
gis do mystico, modulou una sons bar-
moniosos e trespassados de affectos, soca
que Ihe escaparam do amago da alma e
em quehaviam a meloda da toada dos pas
sarinhos, a viveza e frescor das cores das
auroras.
A estes sons chamou-sePoesa.
E assim todas tres geraram-se em um
mesmo ninbo, todas tres voaram do seio
de Deus, e, menp&gairas do todos os en-
canto*, poisaram na trra, depois de te-
rem percorrido a mesma trajectoria, des-
cripto s mesmaB circumvoluc3es.
REVISTA DIARIA
4e(oa ofllciaeaPor porUria de 6 di cor-
rale fot nomeado o cidado Jo) da Silva Qaei
ro para o posto de sob-commifsario da guarda
local do mnoicipio de Canaotiobo.
rara publicarDa secretaria do governo
foi dos -f aieiu io :
4* seccao.- Palacio do Governo do Estado de
Feroambuco, 7 lulbo de 1892. s
Sr. presidente do Conceibo Municipal de Ca-
nbotiobo.
O art. 38 da lei n. 35 de J de Janeiro do
crreme auno As eleices serao feitas por sceles de moni
cipio, que nao deverao conter mais de 5Q elei-
tores.
As inslrucces a que se refere o decreto n.
760, de 16 de Margo ultimo para execuc&o dos
arta. 59 e 60 da citada le esta tuero do:
Art. 2.' Dentro de 2i horas depo3 que oa pre-
sidentes daa municipalidades receberern a com
muoicaco do da marcado para eleicj, proce-
dero d seguales diligencias:
a) D.vidiro o mcoicipio era secc.6ts eleito-
raea, em numero nu'ica inferior a quatro. cada
urna das quaes uto contera mais de 250 elei ores
e ser nomerada ardialmente.
Tendo-se suscitado duviJas sobre a interpre-
tado dada as citadas dlsposicOM e -ua execo-
4,ao por alguna presidentes de couceitioa ojuui-
ciaaes resolv dirigir em ii de Junho fiado o
segaite telegramma ao S.\ ministro dos neg
cios do interior:
Perganto-vos si licito s municipaltdadea
drixarem de crear seccC"* eleitoraes em lugares
onle existam msis dn 250 eleitores. E si Ihea
licito obrigar taes eleitores a irem votar em pon-
to; remotos e nao no sitio em que exisiam em
camero superior a 250. Para meu governo pre-
ciso respnsta urgente.
O Sr. miDistro dirigime, em reaposta, o se
guinte telegramma catado de 26 do citado mez:
A' vista dos ata. 38 da lei eleuoral e a, das
Inslrucces de 16 de Marco ultimo respondo ne-
gativamente a consulta constante V0330 telegram-
ma de 2i ace-ca de creacao seccOes eleitoraes
que nao pode deixar de ser feita pelos mnnici-
pos, desde que Damero eleitores exceda 25).
Em virtude de reclamaco de eleitores desse
mumcipij do sentido da ansulta, chamo a vosea
altenj para a referida decirao e recommendo-
vos a Ga bel observancia atim de que nao tiquem
prejadicados os referidos eleitores que deverao
ter plena liberdade no prximo pleito eleitoral
como pensamento deste governo, manifestado
em acto le que ja tendes conhecimento.
Sale e fraleroidade.Alexandre Jos Bar-
bosa Lima.
Foi dirigido igual cflicio ao presidente do
Ccncelbo Municipal de Aguas Bellas.
Senado de PernambucoEffectuou se
bon1.' m a 66* seseao sob a presidencia do Sr.
Dr. Ermirio Couliobo.
A' bora regimental, feita a chamada, verib'cou
ee rslarem presentes os Srs. Serra Mar tos, Aria
tarebo Lopes, -Barros de Lacerda. Souza Leao,
Luna Freir, He.rmogcDts, Pinbo Borges, Ermi-
rio ooutDbo, S Pereira e Peretti, o Sr. presi-
dente celara aberla a esto.
Falta com hcenca o S:. Albino Meira.
E' lida, senao approvada sera debate a acta
da sessac antecedente.
O Sr. 1. secretarlo procede leilura do se-
guite i xpedienle :
Um oflicio do secretario do governo remetien-
do oua decretos sanecionados sob n. 45 e 46.
A archivar.
Outro do mesmo, idem o de d. 47.A' archi-
var.
Ourro do mesmo, idem um decre-o ci sane
cionado sobre a apoenladoria do D.\ Eslevo
Cavalcante de Albuquerque.A' arebivar.
Outro do meamo, idem idem sobre cemiterios.
A' archivar.
O Sr. 2.' secretario procede leitura de um
parecer sob d. 94, da 5 commiasao indo a im-
primir, redigindo o projecto de xagao da forga
policial para 1893 am de eotrar em 3." dis
usaao.
Nao baveodo quem queira utilisar se da pala
ira na I. ora da sesso passou se a ordem do
dia.
Approva se sem debate em 1. discusso o
proj*cto n. do Senado, revogando a lei n. 19.
Em 3.a discuasao approva-se leudo orado pela
ordem o Sr. Lana Freir, a resolugao da Cmara
dos Deputados iniciada pelo projecto n. 30 e de
trae trata o parecer d. 56 (crdito supplemenlar)
indo a 5." cemmissao para o redigir.
Todo s:do deatribnido o parecer n. 94, sub-
mette-se a 3* discusso o substitutivo a elle con-
tido a resoiugac ioiciada oa Cmara dos Depnia-
doa pelo projecto d. 38 deste anno, Gxando a
orga policial para 1893.
Comparece o Sr. Gomes de Mattos.
Ora o Sr. Perelli.
Coraparece o Sr. Malaquias GoDcalves.
Ora o Sr. Souza Leao.
Comparece o Sr. Ve.loso.
Oram es Srs. Serra Martios, Perelli, Ilermo-
genes, e Makqutas Goncalves depoia do que
encerrada a discuasao sendo o parecer approva-
do e remedido a 5.a commiasao para redigir o
substitutivo.
Submette se a 3.a discuuao o parecer a. 81
adoptando a resolocio iniciada na Cmara dos
Deputados pelo projecto n. 44 deste anno revo-
gando as lea de oa. 28,"S9, 30 e 31 que creavam
os secr. tartos do Esaulo.
Oran -as Srs. MilafBias AoaeilveB e Laaa
Freir epela ordem o r.lWaxo, dejlaiaao
qoe talva tosse conveniente adiar a diaeaasao.
Vem A atan ama emeoda do Sr. MalaqoiM
Gongarras, declarando o 8r. presidente ter ei-
crupulas a meta em ateeitar por e opatr a lei
n. 26.
Ora pataoHem o Sr. Malaania; Goncalves de
aois do qe lida, asolada e posto em discassao
a emeoda n. 1.
Em seguida o.-am os S-s. Gomes de Mattos e
Hermcgenes, qae enva i mesa ama emenda sob
n. 2. que apoiada e posta em diacusso, sendo
esta encerrada.
Approva-se aresoloco com a emendan. 2 sen-
do a den. 1 rejeitada.
O Sr. presidente declara que a emeoda appro-
vada entrara nos termos do regiment eml'dis-
cussao na prxima sesso.
Subnette-8e a 3* discusso o parecer n 83 ado-
ptando a resolugao ioiciada na Cmara ov- Depu-
tados pelo projecto n. 38 deste anno (legialagao
do corpo de polica.)
Vem a mesa, sendo apoiada e posta em dis
cossao urna emenda sob n. 4 do Sr. Peretti, sop
(rimindo o art. 13.
Orara os Srs. Peretti, Velloso, Serra Mariias,
Velloso (2 veses) e Hermogenes, depois do que
encerrada a discusso.
Procedendo-se a vetaco approvada a reso-
iugao Meando empatada a emeoda o. 4.
O Sr. Serra Martlns pela ordem, requer e ob-
tem que rejam lidos dous pareceres da 5* com-
miasao qae -e charn sobre a mesa, sendo ambos
dispensados da imp: esso e immediatamente dis-
entidos.
O Sr. 2- secretario procede a leilnra dos refe-
ridos parecereres que sao appro\ados sem deba-
te eendo um de d. 95, redigindo o decreto df cr-
ditos e outro de n. 96 o substitulivo no projecto
de xagao da torga policial para 1693.
OSr. presidente declara quanto ao 1' que vai
ser enviado a saccao e quanto ao 2-qae vai fa
zer se a necessarla communicagao a Cmara dos
Deputados.
O Sr. Velloso pela ordem, lembra que seja sub-
me'tido a iseussao o parecer a. 92.
Submette-Ee a discusso o parecer a. 92 adop-
tando com as emendas qoe o Senado fJzer a reeo-
lugo iniciada na Cmara dos Deputados pelo
prejecto n. 28 de 1891, (organisagao municipal
Approvou-se sem debate os artigos 1- a 8-
sendo o artigo 5 com urna sob n. 1, do Sr. Lana
Freir.
Sobre n artigo 9* ora o Sr. Perelli que enva a
mesa urna emenda, sob n. 2 sendo apoiada e
subnettida a discusso ficando esta adiada pela
bora.
0 Sr, presidene levanta a eeasao depois de ba
ver designado a seguate ordem do dia : cooti-
naagao da antecedente, 1' discusso do projecto
n, 13 e 2' do parecer n. 93A.
Cmara dos depntados Funrr.ionon
hontem soba presidencia do Sr.Capttao Jnvencio
Mariz.
A ses-So foi aberla com a preseoga de 15 Sr?.
deputados pelo que deixaram-se de ler as actas
das anteriores, e o expediente dependeitede vo
Ugo.
O Sr. Io secretario d coata do segainte espe-
dienta:
O lien do goveraador do Estado remllenlo
copia das informagOes prestadas pelo inspector
do Tbescnro e procurador dos Fetos da FazenJa
acerca da falto de entrada das prestagOes ao em-
prestime coolrabido com o Banco Emissor.A
qnem fez a requtsigao.
Outro do mesmo, remetiendo oa decretos sanc-
cionado3 sob d. 45 e 46, refariado-se o i- a apo-
sentadoria do capuao Jesuiao DomiogueaCarnei-
ro e o 2- ao diaposto no art, 4 das disposigOes
transitorias da le n. 15 de 14 de Novembro de
1891.A arebivar.
Outro do mesmo enviando o decretj saDCcio-
oado de n. 49, o qaal concede um anuo de llcen-
ga com ordenado a Jos Peres Campello de Al-
meida escrvo do superior tribunal de just.ga
destd Estado.Inteirado.
Outro do mesmo enviando um exemplar da re-
so I ti gao rejei.ada a qaal trata da aposeutadoria
do Dr. Estevao Cavalcante de Albuquerque.
A commisso de Conatituigao e Legislag).
Outro do mesmo devolveado nao aanecionada
a refologo do Congresao, relativa aos cemiterios
existentes nos municipiosA mesma commiasao
Outro do Concelho Municipal de S. Loorengo
da Malta, propondo os limites da divisSo do mea
mo municipio.A' commisaao de estatistica.
Outro do Coocelbo Muiicipal de Gamelletra,
adheriodo a altitude do Congresao peraate o go-
veroador do Estado.Ioteirado.
Pascando se a ordem do dia e baveodo nume-
ro para a votagao pelo compareclmento de nm
S-. deputado. o Sr. Alves Leite requer ama in
tenia na ordem do da, para que fossem submet
i: ias a votago, em 1.' losar as materias adiadas,
e depois a discusso do projecto orgamentario.
Approvado o requerimeato foran votados os
seguintes projectos;
N. 68. Em 2 discusso, dos arts. 2 a 7. se .-
do supprimilo o art. 2.- pela ppprovago da
emenda n. 2 do Sr. Alves Leite. que d'esi'arte
prejudicou a de n. 3 do Sr. Eduardo Tavares.
Os Srs. Francisco Campello e Maooel Cmara
maudaram mesa declaragao de que votaram
n limine contra o projecto n. 68 e os Sra.
Joo Coimbra, Lopes Machado Alve3 Leite de
qoe voteram contra o ar'. 6.# do mesmo prejecto.
N. 62. Vae a commiasao de ergamento em
virtu le da approvago de um reqaenmento a res-
peito, apresentado pelo Sr Alves Leite.
N. 63. En 2' discosao.
N. 67. Em 3.a e 6 remettido commisaao de
redaegao.
N. 51, tambera: es 3.a, remettido a meama
commiasao.
N. 64, em 3.' discusso tambera, adiada, por
impate oa votagSo.
OSr. Lopes Machado manda orna declaragao
:r esa de que vetou contra oa projectos n?. 51
e 64.
Submettido a 2.a discosso o projecto n. 69,
foi rejeitado.
Entra em l. diacuaso por independer de pri
meira, o projecto n. 66 (o'gameoto do Estado)
ti-jando encerrada a discusso do art. 1., que
deixou-se de votar por falta de numero.
Tomaram parte na discosso desse artigo, os
Srs. Francisco Campello, Joo Coimbra. Birba,
Esmeraldino b >nde.ra, Cmara, Lopes Machado
e Martuiano Veras, sendo apoiada urna emenda
sob o. 1, dos Sra. Borba, Pedro Alexandrino,
Francisco Campello e Maooel Cmara, Meando
sobre a mesa urna outra sob n. i dos Srs. Borba
e Maooel Cmara.
Eq rando em discusso oat 2.a, oram os S-s.
Francisco Campello e Martioiano Veras, man-
dando este nuas emendas sob na. 3 e 4, qae to-
cara, sobre me-a, adiando o Sr. presidente a
contirjuagSo da discusso por ha ver dado a bora.
Retiraudo-se o Sr. presidente quando passou-
8e a discosso do projecto a. 66, occapa a ca-
deira o Sr. Alvea Leite.
Levantando se a sesso, o Sr. presidente desi-
gna a segainte ordem do dia : 1.a discusso dos
projectos ns. 70, 71, 72, 73 e 74, cootinuago da
discusso do projecto o 66 e votago das mate-
rias adisdas.
Vslta offlelalS. Exc. o Sr. general de
brigada Roberto Ferrein, commandante do 2.
dlstricto martimo, visitn uo dia 9 io correte
as fortakzaa do Brum e Buraco, encontrando a
1.a em boas condiges e limpa e a 2.a precizando
de grandes concerioa.
Antebontera o mesmo general foi a Beberibe e
examinou a liaba de tiro que se acba bem con-
servada, apezar das chuvas torrecciaes que tem
cahido uestes ltimos das.
De todos esses lugares retirou-ee satisfetiB-
simo.
IO de lulbo -Realiaou-se antebontera no
Theitrc de Santo Antonio a sesso commemora-
tiva da exeengo de alguna rnatryras, implicados
na revolugo de 1817.
A' solemnisago promovida pela benemrita
as3oeiagao Unio Chica de Peraambuco, com-
pareceram representantes de duba polticos e de
diversas clasaea e algamas scnboras.
T-.udo fallado o presidente da commisso ex-
ecutiva da ociadade, foi convidado para assumir
a presidencia da solemnidade o noaso collega
Dr. Toiago da Fonaaca, que, ao abrir a sesso,
pronuncioa am discurao multo applaudido, dan-
do em seguid. a palavra ao acadmico Laouidas
de S que aiasertou largamente, daraate umi
hora, sobre aa causas da rsvolugao de 1817, seua
antecedentes histricos e cooseqoencias.
Em seguida recitaram poesas os Srs. Vicente
Coata, JoO Barato de Meaezea e Joto de Deus.
Nao havendo mais inscriptos o Dr. Tbiago en-
cerrou a sesso, agradecendo s peasoas presen-
tes o sea concurso e pediado loes qae tendo
sempre ante seas olbos o exemplo de hontadez
e patriotismo dadj pelos revolaciDoarios de
1817, aonoassam ssmpre dedicar patria oa
seua articos com a'saeaBaa abneeagio e desia-
teresse.
A banda marcial do 14* batalho de infantera
tocou darn te as i o terral los.
O Tnsatro se achara lindamente adornado, sa-
lientando se no palso, ao fundo, um trophea com
as seguintes inscripcOes :
A
UniSo Cvica de Pernambaco
em
homeoagem aos martyres pernambucanoa
resumidos em
Domingos Taeotooio Jorge, Jos de Barros L ma
(o Leao Coroado), Pedro de Souza Tenorio
eoforcados
10 de Julho de 1891
Tribunal do Jury do Beclfe-Hontem
foi submettido a juramento neste Tribunal o reo
Benedicto Jos des Santos, proceesado perante o
Dr. juiz de direito do 3* distncto em virtude de
denuncia do Dr. 1 promotorjpabltco, e pronua
ciado como incurao uo art. 3C8 do cod. penal
por haver no dia 23 de Outobro do auno passa-
do, no logar Coqueiros de F:a f.rido ao subde-
legado do 2o districto de S. Jos, teneute Frede
rico H :nrique da Silveira Tavora.
A'a 11 horas da manh, presentes 27 juizes de
facto foi aberta a sesso sob a presidencia do
Dr. Jjo Jjaquim de Frena? 11 nriqaes \m de
direito substituto reciproco do 3* districto crimi-
nal, sendo sorteado para compor o jury de sen-
tenga oa seguintes jurados :
Vctor Accioly de Barros Wanderley.
Dr. Felippe Lopes Ne to-
Jos Cupertino Nogueira Biwmao.
Manoel Jaaquim Alves Ribeiro-
Luix Francisco Ribeiro da Silva.
Fr ncisco Cypruno da Silva Saotoa.
Walfrido Carueiro da Cunba Miranda.
II ndcIino Possidonio de Barros.
Henriqua de Hjllanda Cavalcante-
Produz Dr. Jos Antonio Googalves Mello.
Dednzio a defeza o Dr. Lniz Eraygdio Rodri
gaes Vianna, advogado dos presos pebres.
Em face da deciso do jury, que aegou por
unanimidade de votos a autora do delicio, foi o
reo absolvido da aecusago e posto em liber-
dade.
Foi levantada a 8esso a i "/2 horas da tarde.
Deve ser jalgado boje o reo Joo de Deus Ma-
rianno de Barros.
Solimoes A subscripgo que foi aberla
(ntre os em pregados da secretaria do governo
em favor das familias doa ofnciaes victimas do
naufragio do SolimSes. produzio a qnantia de
930 0, sendo concurrentes os Srs. :
Dr. Virginio Marques 20*000
Dr. Ferreira Lima 10'05
Dr. Eugenio Moacoso lOiCOO
Dr. Joa Cavalcante 10*0 0
Joo Pereira Reg 5*000
Aotonio Gimes Leal 51000
Tbelemaco de Mello MOJO
TitJ de Mendonga 3*000
Alfredo dos Aojos 3*000
Jeronytco Jacuodo 3*10-'
Etyaeo Guamo 3**0
PaesBarretto 2W00
Silveira Sctbrinbo MO 0
Fernando Barroca HQW
Cabral de Vasconcellos 2*000
Fdbncio Uohoa MOOO
Francisco Maranbo 2000
Hnriqu* de Barros MOOO
Francisco di Reg Barros 2*000
Giiirana lOOO
Constantino de Lima lOO
93*000
India SclemiUcaO moderno orienta-
lista, W. Brennand, conaegaio peaetrar ultima-
mente no adytoa sagrados do Brabamanismo
hind, onde dormem, ha mniliaaimos seculoa,
velbas bibolhecas qae socerram o testemanbo
de urna civilisago verdadeiramente coi o-sal.
Estudaudo grande collecgo intitulada Sa
rya Syduhania, onde se encootra a astronoma
ii'aquello velbo povo, W. Brennand pode ver,ti
car que, j n'aquellea secuJoa remotissimoa, 13
se conbecia a precesso doa equinoxios com to-
dos os seua effeitoa, bem como a tbeoria do mo
vimento lunar e planetario.
O dimetro da trra; sua distancia loa; as
rbitas dos planetas, calculadas por meio do mo
vimento lunar em saa rbita; os eclipses do sol
e da loa oe.n como variados e importantiasimos
couhecimentoe sobre a mOr parte dos pbenome
nos em que se assenta a astrouomia,ludo isso
j o biod sabia cora admiravel exaclido.
Concert-Rcalisa hoje, no salo do Lyceu
de Artes e Oficios, o diatincto Sr. Moreira de S
um c acert ve cal e instrumental, auxiliado of-
Bciosamente por tuas discipulas e notaveis pro
feseores, en te os quaes contum-se a Sra. Ber-
naoei e oa Srs Lima Braga, Comoletly e Franco
Capo!a. que no aabbdo prximo tambem fari
o s-'j concert.
FerlnaenCos No domingo tarde, no lu
gar do Enceuaajento, freguezia do togo, o cab,
do respectivo destacamento, Jos lijuriqne da
Costa Nunes, ferio com a poata do sabr a Anto-
oio dos Santos, evadiodo-se em seguida.
Autoridades policlaesAssumiram oa
r; soeclivos exercios :
Rogaciano Barbosa Camello, de delegado do
2 diBtricto do municipio de Agua Pieta ;
Poucia' o C tmello de Siqueira C valcante, de
subdelgalo do districto do Riacho do Mato, no
meamo im-n tipio.
Cotia desencovadaNj dia 25 do mez
liado foi capturado em Flores Antonio Alvea de
Oiiveira, vulgo Cotia, qe achase pronunciado
em crime de morte no municipio de Triumpbo.
Ali.al ebegou o dia de ser apanbida a Cotia.
RelatorloAgradecemos o exemplar, com
que obaequiou noa o illustrado Dr. Olintbo Vc-
tor digno inspector geral da icstrucgo publica,
do relatono que cerca dos servigos de sua re-
partigo apreaentoa ajan'a governativa do Es
lado
Servlco policialE' boje superior do
dia o Sr. capito Gelasio.
O corpo de polica dar aa guardas de Pala-
cio, Deteogo e Thesouro da Estado.
Uiforme n. 7.
ascleptas curassarlcaA planta assm
denominada scienticamente por Linneo, per-
tencente a familia das < Aaclepiadaceae a
qae se conhece em S. Paulo e Minas vulgar-
mente pelo uome de Oficial da Sala e ipeca
cuanha falsa e ao norte do Brasil pelo deMa-
ta olho e cega olbo.
E sa planta cresce desde o Para at Rio Gran
de do Sal; e nella acaba de descobrir o Sr. Mar
celinoos Vaz, de Tmbate, em S. Paulo, qua
id de taes appiicaveis fabricago de tecidos
de qualquer qualidade, desde a cambraia, lir.no,
lona, velas de navios aniagem al cordas. cabos,
brabantes e lus, papis de todas as qualidades,
papelho, feltro3, cadargoa e artefactos en'ran
gados,
0 referido despebridor requeren patente da in-
vengo com privilegio durants 1* annos, nos
termos da lei n. 2129 de 15 de On obro de 1882,
para expltrago da mencionada planta em sua3
aplicagoea, visto ser o emprego industrial da
meama completamente novo e de sua exclusiva
deacoberta.
Como planta textil aa qualidades da Ascle-
pias curas savica consiste ns grande desenvol-
vimiento do tecido subcortlcal, fibroso, scien ifl
camete denominado lber sendo esse teci-
do composto de urna inris t.de de cellulas alon-
gadas, ponteag da -, em forma de agulbas e que
se achara juatapostas uxas s ouiras, fo mando
iios mais ou menos compridos,co forme a quan-
tidade de cellulas juntas.
As libras assim formadas atiingera*geralraen-
te o com rimento da Sara toda.
A resistencia dcllaa mais ou m nos igual s
r'.o canbamo. com as qaaes te n muita semelban-
ga, tanto no aspecto physico como na saa anato-
ma, podendo, portado, ser uiiiisa: as para os
mesmos fi'8 e da mesma maueira co. o estas.
E' um riqueza jarente que ser conquistaba
natureza pela iuvengo do homem ; e com ella
rauito ganbar o p:iz, logo qae Be inlc e, como
pretende o Sr. Vas, q preparo e tralamento da
Obra para o fim industrial de sua applicagao
cima indicada, per meio de machinismos e ou-
tros agentes adeqnados, qne sero empregados.
inio cvicaEssa sociedade trata da or-
ganisagao de am batalno patritico intitulado-
Silva Jaidim.
Carnot o blspo de Xancy-Te'e-
gramma de Paris publcado na Provincia do
Para > noticia oseguinte facto:
Consta que, durante a visita do presidente
da repblica cidade de Nancy, deu-se um f c-
to qne produzio senaacao.
O biepo daquella cidade, que teve ha pouco
choques com o governo, por saa reluctanc a
em aceitar a repblica e obedecer ao poder civil
do paiz, foi a presentar sa seas respeitoa ao Sr.
Carnot.
O presidente, parem, saudou aimpiesmente
0 prelado, sem eatender-lhe a ma.
Oassldo Flibo Consta-Dos que o Sr.
Candido Filho, distincto professor d msica,
pretende dar un concert musical como auxi
lio de alguna amigos e companbeiros d'arte.
O nosso co-esiada-oo, alem de locar com ama
pericia admiravel, entre nos nanea excedida, a
flauta, instrumento de saa predilecco, adqueriu
por seu gosto, aptido e forga de vontade, co
ubecimeotos tbeoricos, pouco vulgares, que a
longa pratina tem desenvolvido.
E' de esperar qae seja muito concorrido o con-
cert em beneficio do Sr. Candido Filbo ; qoe
um dos noBsos artistas mais populares, por saas
qualidades peaaoaes e como festejado mestre da
aatiga msica do corpo de polica.
O senador Saldanba Harlnbo e o
marecbal Alnaelda BrreloEm ses-
so do senado federal, de 22 do passado, o Sr.
seoalor Saldauha Manobo usa da palavra, para
dizer qoe vem oceupar a tribuna atim de felici-
tar o senador mare hal Al Leida Brrelo, por cer
boje o dia do seu aniversario natalicio.
Accrescenta S. Exc, qae na imnossibilida le
de offirecer-lbe outro presente offerece lhc o dis-
curso de Luiz Murat pronunciado na cmara dos
deputados e publicado no < Combate de boa-
tem.
Faz sinceros votis pela prosperidade da repu
blica e deseja ardentemeole qus o dia de ama
ob aprsente urna atmoaphjra poltica mala
1 wpida que a de boj?. *
Sociedade Goncalves Dlaa Funccio-
nou antebontera esta corporago sob a presiden-
cia do Sr. Ramn da Coala em sess-'o ordinaria.
O Sr. Fernando Cavalcante dissertou sobre
Tacora htkeliaoa. Multiplicagao das cellulas.
Vida celiular; e os Sra. Luiz Gomes, Alfredo
Campos, Paulo de ArruJa e Fernando Cavalcan-
te discutiram sobre a melbor forma de governo.
Tratou se igualmente de varios aesumptos ten-
dentes ao prjgrcao deste gremio.
Polica da Boa BlataEscrevera-nos o
seguinte :
Srs. RedactoresParece que nao to com-
pleto, quanto fra pora desejar, o policiameolo
da freguezia da Boa-Vista; pois as familias que
residem no principio da ra Conde da Boa-Vista,
na parte outr'ora ra Formosa e circumvisinhan-
ca, veem se incommodadas constantemente, al
alta noite, com sambas, vozerias, barmoniuras,
instrumentos de maracat, etc.,nos cortigoa
prximos.
Compre por termo esses abasos, qae a
noite para descanso e nao para o incommodo
do prximo.
Se os autores d'esse abuso eo peasoas labo-
riosas, as vigilias externaar ibes ho as torgas
para o trabalno; e se ao vagabundos, a Casa de
Deteogo Ihea dar repouso. *
ervlco militarHoje superior do da
j Sr. capito Lcodco, e faz ronda de visita
am subalterno da 2 batalno.
O 14 batalho de iafantaria dar as guardas
ion edificios federaes.
Uniforme n. 9 e capa.
Operaces clrurgieaeForam pratica-
, ai no hospital Pedio 11 no da 11 de Julho
U Hg : i' s :
PeloDr. Milaquias :
Amputago de peni?, pelo procesao de Goyon,
reclamada por epilbelioma.
Pelo Dr. Brardo :
Ablajo de epilbelioma da conjunctiva oc-
ctilar.
Pelo Dr. Jo5o RaDgel :
Amputago de brago, no tergo medio, pelo me
bodo circular, reclamade por e8magaraento.
Inspectora do a. dlstricto saatrl
timo-Recite, de lOJulho de 1892.
Boietim meteorolgico
(tris Term. centi- Barmetro ',
(a O)
759-,94
762- 31
762-.03
760-.81
761-.59
Temperatura mnima 24a,25.
Temperatura mxima 26,50.
Evaporago em 24 horas ao sol 9,"0, som
Ora 5m,0.
Chuva O.ml.
Direcgo do venio SE e ESE alternados de
meia noite al 6 h. e 20 m. da manh; SE at 10
h. e 32 m. ; SSE com interrupgOes de S e SE at
i h. e 24 m. da tarde ; S com interrupgOes de
SSW e SSE at meir noite.
Veiocidade media do vento 4,87 por segando.
Nebulosidade media 0,50.
Boietim do porto
grado
> m. 24/6
9 * 25/6
12 * 25/8
3 t. 25/6
6 * 25,1
nsao io JMtn
vapor dade
17,53 75
1662 69
17,81 72
18,58 81
17,81 76
Pra marou
batxa mar
B. M. 10 ae
P. M. 10 de
B. M. 10 de
P. M. 11 de
Dtas
Julho
iJoroi Altura
1054 da m.
5-14 da i.
1113 da t.
5-21 da m.
0-42
2-26
0^55
2-36
LeiSesEffectuar-se-ho os segaintes :
Hoje:
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra das
Nympbas n. 14, de movis, espeluos, etc., etc.
Amaoba :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, roa do Ale-
crim n. 36, de movis, etc.
isaas fnebresSero celebradas :
Hoje:
A'a 6 e 1/2 horis, no convento da 8. Francis-
co, pela alma de Jaciotho Dionysio Gomes do
Reg.
Amanh :
A's 8 oras, na matriz da Boa-Vista, pela almo
do Dr. Jos Caraillo Linbares de Albuqaerque.
iPassageiros -Sabidos para o norte no va-
por nacional Brazil* .*
Jacinlbo Pedro de Mello, saa senbora e 2 tilbos,
Dr. Antonio de Oliveira Ramoa To. Jnior, TQe-
reza Mara de Jess. Dr. Rodolpho dlvao, sua
senhora e 1 lha, Joo Jos da Silva, Hermino
Jos F. da Silva, Miguel da Costa Cima, Antonia
Quintella, 1 fllha e 1 neta Jo3 Pedro da Silva,
Manoel Peix)to Alencar, Leopoldina S. D. Caval-
cante e 1 tilba, Jos F. de Saboya, sna senbora,
Eteuterla Xavier Coatinbo, Philomena C. God-
galves, Rajnundo Jos dos Res, sua senbora, 3
rilhoio 2 criados, Carlos Theodoro Gongalves,
tenente taymundo Jos F. do Valle, Emilio Tra-
pano, Dr. H. V. Fuk Romano, sua senhora e 2
tilhas, Julio Daoino Lobo, Aberlo Dias, Dr. Sil-
vano C. de Oliveira Andrade.
Sabidos para o norte no vapor nacional
Uaa :
Joo Manoel Rodrigues, Custodio Antonio, te-
nante Ballarmino A. Athayde, Dr. Aprigio Fer.
reir Giiave3. Joo Alves Oliveira, Manoel Pires
Amelia Fer landes, Tbeodoro da Silva, Joo Sil,
veira Borees, Dr. Juaquim Ayrea de Fretas-
Francisco Pereira Bastoa, Fortunato Pinheiro.
Joa SimOes, ex-praga Jos oaqaim Borges, Dr,
Joo Ferreira Carneiro e 1 criado, coronel Cae-
tano A. de Mello, Dr. Jos Pedro de Almeida Per-
nambaco e 1 criado, Feliciano Tavares e saa se
nbora.
Casa ti<* oeenctMovtmento dos pis-
cos aa Ca de Detenco do Reclfe, Estado de
^ernambuco, em 10 ie Jalbo de 1892.
fixstiam 320, sntraram.17, sahiram *, exia-
;e3^32
A saber :
Nacionaes 297, raulheres *, aatraageiros 29.
-Total 332.
Arragoados 275.
Boas 252.
Doeates 11.
Loncos 8.
Loucas 4.
ToUl 275.
Movimento da enfermara
Teve baixa :
Joo Jos de Saol'Anna.
Foram vi litados os presos deste estabeleci-
mentos 155 pessoas, sendo homens 73 e raulue-
rts 80-
Hosaital Pedro u O movimento deste
eslabel -cimento de caridad* cargo da Santa
Casa de Misericordia do Recite, do dia 10 de
Julho,foi oseguinte:
Existiam 712
Entraram 19
731
Sahiram n
Falleceram
Existem 711
737
Foram vuitadas as enfermarlas pelos segain
tes Drs !
Barros Sobrinbo entrn s 7 da manb e
sabio s 8 horas.
Simea Barbosa entrn s 10 1/2 e sabio s
11 1/2 horas.
Berardo ent ou s 6 3/4 da manb e sabio s
7.
Lopes Pessoa eotrou s 9 horas da manb
e sabio s 9 3/4.
Andrade Lima entreu s 101/2 da manh e sa
Qio s 11 1/2.
Vi. ira da Caoba entrn s 10 1/2 e aabio s
11 1/2.
Joo Rangel entrn s 10 da manb a sabio
a 11.
Tavares de Mello entrn 3 101/4 da manb e
e sabio s 111/2
O ajudanle do pbarmaceatico entroa s
8 3/4 horas da manh e sabio s 4 horas da
tarde.
Lotera do Estado do Blo Clrande
po SolEsta lotera cojo maior premio de
10:0004000 ser impreterivelmente exlrabida
no dn 16 deJultio (sabbado).
Lotera do Estado do rao-Par A
A 3.a sene da 52.a lotera, deste Estado cajo
premio graaae e de 120:0001000, ser extrahldi
no dia 16 de Julho (sabbado).
Lotera uo? Estado do Maranbo
A 12a serie da 7* lotera deste estado, sendo o
premio grande de 300:000^000, ser impreteri-
velmente extrbida no da 13 de Julho (qaarta
jeira).
Lotera do Estado de Bllnas Ge-
ra-sa 3.a parte da 6 lotera, deste estado
cora o maior premio de 36:0004000, ser extra
bida impreterivelmente no dia 12 de Jalbo (ter
ga-feira).
Cemiterlo publicoObituario do dia 9
de Julho de 1892.
Leocadio Domingos de Souza, Pernambaco, 11
annoR, Santo Antonio; febre palustre.
Francisco Bezerra da Paz Santiago, Pernam-
buco, 25 annos, solteiro, Boa Vista; anazarca.
Manoel, Pe-uambuco, S. Jos; f.aqueza con-
genita.
Anua Mara da Conceigo, Pernambuco, 18 an-
no?, BOlteira, Boa Vista; ttano.
Osear, Pernambuco, 4 annos, S. Jos; febre
palustre.
Tnereza Mara do Espirito Santo, Pernambu-
co, 40 annos, solteira, Baa-Vista; febre perni-
cio?a.
Mara da Conceigo, Pernambuco, 70 annes,
solteira. Boa Vista; febre tyoboide.
Joo Pinto. Pernambuco, 50 anoos, viuvo, Boa-
Vista ; nepnrite parenebimatosa ulcera da perna.
Alexandnna Mura da Conceigo, Peraambuco,
40 anoos, solteira, Boa-Vista; sypbilis.
Victoria Mana da Conceigo, Graga; hemor-
rbagia.
Manoel, Pernambuco, 12 horas, Sanio Amiro ;
inviabilidade.
Clara Aotooia do Monte Andrade, Pernambu-
co, 80 anooa, viuva, Santo Antonio ; darrba.
10
Mjria das Dorea do Reg Barreto, Pernambu-
co, 40 annos, solteira, Poco; tubrculos pulmo-
nares.
Fructuosa Tootitz de Aquioo, Pernambuco,46
annos viuvo, Afigartos; bronchite asthmatico.
Fraucisca, Rio Grande do .Norte, 1 anno, Boa-
Vista; sypbilis.
Um feto do aexo feminino, Pernambuco, Gra-
ga ; nasetu morto.
Flix Pucinio, Lalia, 33 annos, casado, Boa-
Vista; tsica.
Autonia, Pernambuco, 5 mezes, Recife; dar-
rba.
Ernestina. S. Jos; ttano.
Basilio, Pernambuco, Santo Antonio; ente-
rile.
Antonio, Pernambuco, 11 mezes, S. JoB; a-
threpeia.
Um feto da sexofem'nino, Boa-V3ta ; nasceu
mono.
Roseua de SanfAnna, Pernambuco. 3 anoos,
Boa-Vista; bypobemia.
Mana, Pernambuco, 7 mezes, Recife; convul
ses.
Aotooio Alexandre da Silva, Pernambuco, 30
annos, solteiro. Boa Vista ; ascite.
Joe Ignacio de Souza, Pernamouco, 28 anoos,
solteiro, Boa-Vista; ulceras sypbiliticas.
SPORT
l)er!y Llub de lf cruambaco
10- CvBEIDA
No domiDgi uliimo effectuoa o pr.do
da Estancia a corrida que annunciara para
esse dia.
Foi urna bonita festa e ana reuniSo en-
cantadora.
Abrilhantada pela concurrencia, ani-
macSo desenrolou-se em todos os pareos
de modo significativo ; e a regularidade
que mais oa menos predominou as car-
reiras, foi mais um recreio da reuniSo do
Derby.
Tivemos occasiao de ver ahi pratioada
a medida iniciada pelo Prado com refe-
rencia ao encerr da venda das pou!es ;
Correram todos os pareos e as 5 1[2
horas estava o divertimento concluido,
com grande luz do dia e tendo todos apre-
ciado a carreira ob ultimoB com os cpro-
prios olhos.
O resultado das carreiras foi este que
passamos a expor.
Primeiro pareoConsalago800 me-
trosAnimaes de jPernambuco que nao
teuham g&nho premios nos prados do Re-
cife em 92. Premios : 200jOO ao pri-
meiro, 40JI00O ao segundo e 20*000 ao
tarseiro.
Vingador, montado por Pedro
Alexandrino, 55 kls.
Colosso, idem por Antonio Meira
55 kls.
Conforme, idem por Deolindo, 55
kls.
Temoo : 59"
Rateio das poules : Vingador em
meiro 170800 e em segundo 80400 j
losso em segundo 70000.
Movimento das poules : Vendern se
470, em primeiro 277 e em segundo 193
fna somma de 2,3500000.
Segundo pareoExperiencia"1.000
metros -Animaes de ^ernambaso que nao
tenbam ganho a 5 meses nos prados do
Recife, em distancia superior a 800 me-
tros e que nao tenham victoria em 900
metros nos meemos prados. Premios :
2000000 ao primeiro, 400000 ao segando
e 200000 ao terceiio.
Mirante, montado por Deolindo,
57 k!s. 1
Frontn, idem por Alfredo de
Fretas, 55 k!a.
Yambo, idem por Pedro Alexan-
drino, 5o kls.
Tempo : 74"
Rateio das poules : Mirante
meiro 160900 e em segando
Frontn em segundo 70000.
Movimento das poules : Venderam se
821, em primeiro 463 e em segundo 358
na somma de 4.1050000.
Teroeiro pareoDerby Club de Per
nambaco1450 metrosAnimaos nacio-
naes podendo' entrar estrangeiros que nao
tenham ganho. Premios : 350JO0O ao
primeiro, 700030 ao segando e 350000
ao teroeiro.
Siroco montado por Balbino Mo*
reir, 56 kls.
Seabre se, idem por Antonio
Meira, 57 kls.
Nimche, idem por Gustavo, 54
kils.
Tempo : 100"
Rateio das poules : Siroco em pri-
meiro 80900 e em segundo 509CO ; Sea-
brense em segundo 6S5O0.
Movimeeto das poules : Venderam-se
750, em primeiro 557 e em segando 193
na somma de 3.7500000.

Quarto pareo Veiocidade900 me-
trosAnimaos de PernambucoPremios:
2000000 ao primeiro, 400000 ao segunda
e 200000 ao terceiro.
Sans-Souci, montado por Blacke.
57 kls. 4
Ida, idem por JoSo Campos,
5? kls. 2
Marangaape, idem por Alfredo
de Fretas, 55 kls. 3*
Tempo : 65"
Rateio das poules : Sans-Souci em
primeiro 20$40'J e em segundo 1O04CO ;
Ida em segundo 140500.
Movimento das poules : Venderam-se
877, em primeiro 517 e e m segundo 369
aa somma de 4.3850000.

Quinto pareoPrado Pernambucano
850 metrosAnimaes de Pernambueo
que nao tenham ganho este anno premios
at esta data nos prados do Recife, ex-
oeptuando a corrida de 5 de Junho.
Premios : 200SOOO ao primoiro, 4O0OC
ao segundo e 2C$000 ao terceiro.
Berlim, montado por Alfredo de
Freitas, 55 kjs. 1*
FroLtin, idem por Jos Mondes
55 kls. 29
Coiasso, idem por Antonio Mei-
ra, 55 kls. 3*
Tempo : 62"
Rateio das poules : Rerlim em primei-
ro 80400 e em segando 60500 ; FrontiE
em segando 70900.
Movimento das poules : Venderam-se
933, em primeiro 596 e em segundo 342,
na somma de 4.6008000.

Sexto parcoPrado da Estancia1200
metrosAnimaes nacionaes podendo en-
trar pungas. Premios : 30O/J00O ao pri-
meiro, 600000 ao segundo e 300000 ao
terceiro.
Qallileu, montado por Pedro Fi-
gueiredo, 58 kls. 1*
Cora, idem por Jos Mendes,
58 kls. 2*
Atlante, idem ,por Balbino Mo-
reira, 51} kls. 3*
Tempo 84"
Raeio das poules : G*llileu 3407CO.
Movimento das poules : Venderam se
844 em primeiro somente. por nao ter
bavido de segundo, na somma de res
4.2201000

Stimo pareoHippodromo do Camps
Orando 1050 metrosAnimaes de Per-
nambaco. Premies : 25O0OOJ ao pri*
meiro, 500005 ao segundo e 25GOO ao
terceiro.
Sans Souci, montado por Blacke,
55 kls. Io
Talispber, idem por Antonio
Meira, 55 kls. 2*
Maranguape, idem por Alfredo
de Freias, 57 kls. 3'
Tempo : 70"
Rateio das poules : Sana- Souci em
primeiro 118200, e em segundo 70000;
falisfber em segundo 70500.
Movimento das poules : Venderam-se
717, em primeiro 466 e em segundo 251,
na somma de 3.5850000.
Circularan 541 poules, teado o movi-
mento da casa das apostas ebegado a
importancia total de 27.0850000.
Ilippodromo do Campo fraude
Hoje oncerra se a inscripcSo para a
prxima corrida de domingo 17 do cor-
rente nesse prado.
O programma consigna um hancUap
nr distancia de 1300 metros para ani-
maes deste Estado, que nao tenham ganho
em disiancia maio de 1050 metros.
O vencedor desse handcap n2o ter
a victoria registrada, sendo havida por
excepto essa victoria.
V
2
pn-
Co-
2
em pri-
70700 :
1
2*
MEMORIAL
NINQUEM DEVE COMPRAR
Arligos de cbapelaria ou flores, plumas, veos
gazes, rendas, etc., sem fazer ama visita Cba-
pelaria Raphael, onde se encootra sempre ludo
qnanto, nesses arligos, ha de melbor e mais
moderno.
2Ra do Barao da Vicloria-2
Raphael Dias & C.
INDICARES OTIS
Mdicos
O Dr. Lobo Hoscoso d consulta es
t>a casa ra da Gloria n. 39, das 10
horas da manhS 1 da tarde. Achando-
se fra do eervigo publico offerece-se para
acudir a qualquer chamado com prompti-
cSo para fora da cidade. Especialidades,
operacSes, partos o molestias de scnborcs
a de meninos.
Dr. 8 Pereira, roa da Imperatri* n. 8
d consultas medico-cirurgicas todos os das
das 8 ao meio dia, menos nos domingos a
dias santificadas.
Consultorio medico. O Dr. Manos
Argollo, com pratica nos hospitaes de
Paris e Berlim, tem seu consultorio ra
BarSo da Victoria n. 1.
Especialidades.Molestias dos appare-
Ihos respiratorios, circulatorio e digestivo,
consultas das 12 s 3 da tarde. Chama-
dos no escriptorio.
Telephone n. 658.
Conu&orio medico-cirurgicoDr. Sins-
dlicio Mavignier, de volta da Capital Fe-
deral .tem seu consultorio, ra da Cadeia
o. 27 1. andar.
Especialidade Molestias pulmonares,
tebres e da pelle.
Consultas de 12 as 3 da tarde. Cha-
mados por escripto.
Telephone n. 392.
Dr. Joaguim Loureiro medico partet-
ro, consultorio ra do Cabug n. 14{
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Oecnllsta
Dr. Ferreira, com pratica -o prino-
paea hospitaes e clnica d cil a Lon-
dres, d consultas todos p lindas 9
horas ao meio-dia. Consultorio a resi-
dencia raa Larga do Rosan n. 23.
-.)
-
-
. I


/


i


I


Diario de Periiambuci> Tetga-feira i i de Xulfao de 1898

i.
fe
Dr. Barreta Sampaio, oooulista, d o >
anltaa de 1 a 4 horas no 1. andar d
easa roa Bario da Victoria n. 51. Ren
denoia a ra Seto de Setemhro a. 34,
entrad pela roa da Saudade n. 25.
Dr. Pereira da Silva reoenteraente ohe-
Jado de Paria, com pratica as clinioaa
e Wecker e Landolt, d consultas de 1
s 4 horas da tarde roa do Imperador
n. 63, 1. andar.
Tt/ephone n. 588.
RESIDENCIA CAXANGA
ID regarla*
Rria Sobrinho t C, droguista por atv
oado, roa do Marque* de Olinda n. 41.
Francisco Manad da Suva & C, depoai
tirios de todas as especialidadar pharma-
coutioas, tintas, drogas, producto obimi
ee gvi medicamentos homeepatiooe, roa i-
Mrquez de Olinda n. 23.
riIBLICACOES A PEDIDO
O proeuradar geral do Estado
A leitura do artigo que o Sr. Dr. Armiulo boje
pubcoo, em reapoata unalyse do sea parecer
obre 05 embarcos apresentadoa nos aatos entre
a Corapanba Ferro Carril e a de Casanga, fez-
me lembrar o taotoeoe ira; animis caelesti
bus 1
Porque motivo S. S., para defender o seo pa-
recer, 8erTio-se de ama linguagem tao inslita,
quanto insolente ?
Ougamo3 o Sr. Dr. Armiaio : nao potso em
uiencio deixat passar a vil inerepaco de opinar
HMttra os interesses do Estado.
Esta ncepagao i-ode ser grave, severa ; mas,
sao ni, poia nao altnbui o sen procedimeoto a
nm aentimeato menos digno oa iuconfesaavel.
Goocedendo mesmo que a censura fosse vil,
aompria to Sr. Dr. Arminio defen er-se, jaaliti-
r-se, demonstrar a procedencia do seo pare-
ser ; mas, S. S. nao tendo tetnpo, nemverbapara
ana, veio a imprensa confesaar descaradamente
a grave falta que commeUeu, salificando os
interesses do Estado, confiados sua defeaa, aos
iateress^s da Companbia de Cixaug.
Oupamos ainda o Sr. Dr. Arminio para tornar
Stente a sua escandalosa con ti-sao, tiln da
lea pos'cao em que se collocou.
Diz S S. : Eotenlo qae a lei do Estado n.
S.Oii que obrlga a Companhia de Caanla a ter
urna e9lego entre as Lasserre e Z imby leves>-r
executa )a ; e se a Companhia Ferro Carril jul-
gasa preiudicada, exija pelos meto regulares
ama iodemnisago DE QUE* DE DIREITO.
D'at conciuto o Dr. Joaqun), por urna l-
gica so propria de um aprov.itado discpulo do
aelebrado Fret Gerundio que eu reconheci qua a
tua coostituiotB tinha nireo a una indemnisa-
to e que dev.aexigil-a, NAO DE SUA CONTEV
OHA, mas do Eataio de quem son procurador.
E'simplesmente estupendo, con:luio S. S., e
eu repito simplssmente estupendo ver que o
. procurador geral contesta a conclusao qui
n dedaz das sua? proprias premissas.
Com effeito, si a Companbia de Caxing, em
obediencia lei, porque esta a isto a ooriga.
eiUboTorr um. eatago na Torre, entre as io
La?3erre e Z imby, o que prejudici on oeode o
privi|j?io da Ferro Carril quem leve lndemol-
sir o damoo l'ahi resultante, o Estalo que de
treton a le oa a Compaob a de Caxaaga que.
aira cumprir a obrigacSj que Ih3 foi imposta,
esiatieleceu a estaca) ?
3 um aproveitada discpulo de BuitSo pode
pretender que a obrigagio de indemaisar o
amno tasado esteja cargo da Companhia de
axioga.
Dontiausndo o s?a artigo, d z o Dr. Arminio :
Doa parecer contra os interesan do Estad-,
quando pugao pela exeru;o de urna lei do Es-
tado 1
A qu-'Sto nao consiste em eabe- si a le que
ja foi inteira-aente exeuotaJa, pois apenan con
naba urna simples auorisago au governo que
delle us u qaanlo julgoa opportuao, deve ser
executala op aao ; o que se discote o modo
porque s?p-n;ura executar o contracto celebrado
em vi'ludtf d'jq-selhlei.
OS-. Dr procurador geral, esquecido dos
seo3 dev-res aoezar de ter silo despertada asna
a'.'.engo, insisti no pedido que fez para ser
confirmada a semen ca proferida em primeira
instancia, cujo primeiro fundamento consiste,
em dizer-se que nJo tendo sido estipulado o pri-
vilegio no contracto de 18'9, n;on caduco, po 3
aao vigora mais o coutracto de 1875; ora, sendo
assim.ii reve.rso das linhas da Ferro Carral
para o Estado nunc mais se f ffectuar. pois 151
estipulada bornete no contracto de 1875 que,
segundo a sentenga, cuja conflrmago oDr. pro
curador ceral pedio e ainda boje pede, acba-se
eaduc.i sv. valor algom.
Opioando para que seja con-troid a es'actn
da ToTe stm qae sej desapropriado o pnviie-
I o, cj i violagSo S S. reconbece, a companbia
de Cax>Dga deixa de camprirum:i obrigagaoque
decorre implcitamente do seo contracto, com
Mcrlflcio do Estado qae lera de satisfazer a in-
demoisagao resultante da violagao do direito por
elle garantido em um contracto, approvado por
,ei- *
Domsostre o Sr. Dr. Arminio que esta nao e a
verdade e eu direi com toda a sincerid'de : fiz
urna increpago injosia ao Dr. procorsdor geral;
m quanto, porm, S. S. nao proceder por esse
modo, direi eimplesmeote : o Dr. procurador
ge-al est soffreodo as conseqoencias da falsa
posigao em que secolloccu, constiluindo se de-
fensor da coa.panhia de Caxang, esqoecende
sompletamente os direitoa do Estado confiados a
toa defeis.
Coucluiodo o artigo a que respondo diz S. S. :
abandono ao desprezo, que merecem, as dlsca-
radas e veladas insolencias le que se acba re
neialo o artigo do D-. Joaquim... observando
apenas que vai el e caminQo errado quando pre
tende obter reforma de sentengas golpea de in-
jurias e insultos...
Todo quanto escrevi nos autos, publiqoei oes-
te Diario em rieserapenno do compromsso que
ontraui; quem liver lido as allegaj5e3 publica-
das ve que abi nao se encontra urna injuria,
um insnito, armaa de que costumam osar entre
nos os escrevinbadores de artigoa polticos, po
rm nao os advcgidos.
Qaaes sao as descaradas e veladas insleo-
slas que se encontram nos meus artigos ?
O q le dijse na imprensa, a aecusago que abi
Hz ao Dr. procurador geral, repetigao do que
escrevi as allegages que se encontram nos au
tos, a respeito das quaea no seo parec^rtdisse B.
S. a ques5o dos autos est lucidamente dise-
ada pelos llustrea advogados etc.
Abi, pois, nao se encontram as descaradas a
veladas indolencias de que falla S. S.
Rel o artigo publicado no Dwno de 9 e ereio
que encootrei a causa da magua que involunta-
riamente cau;ei ao Sr. Dr. Arminio.
Attribuio-me elle a pateroidade de umaverca-
deira monsitruosidade joridica-odizer que o di-
sito resultante de ua privilegio objeclivava-se
em cousas corpreas; tive neemidade de pro-
varque affirmei exactamente o contrario e que
semelhante dispaiate, cresea do Dr. Arminio,
rra sua inveogo.sua propriedade Itdeirx.
Antea isto do que consentir que se dissesse
que eu havia eacripio semelhaole... desproposito
Recife, U de Julbode 1892 ^
Dr. Joaquim Correa de Araujo.
Os Concelhos Municipaes
Se a promettids lei orgnica municipal nao
urna inutilidad, como dissemos ao Andar o ar
t go precedente, sea onico m, ou pelo meuos, a
principal missao della sera esUoelacer as con
diges materiaes e jurdicas para a instaliago
dos municipios, coja existencia a iepois della
ss firmar.
Se oia fu'a este o intuito do legislador cousti
tuinte do estado, nada obslal o bia a conceder
aos municipios preexistentes o mesmo que a
Coostituigo Pederal concedeoaos nevos estados
da Uniao.
Lea se o art. 2.* desla Constluico e veja-se
como ella para a organisago dos estados respei-
tou.03 limit-s e divlsaodas antigs pro nacas.
Qiem estodar o plano da organisago e o sys-
tema do eatabsIecim-.'Qto dos diversos servigos
puDrrcos do estado, adoptado em nossa Consti-
lotgco, ver qae eslstseguiopari-passo a Con-
stiiuigo Federal, at em muitos pontos a mesma
reaaego.
O que, pols, poderia obslal a de mandar qae
oa aciuaes muoicipios permanecessem, asoo a
vontade do legislador em altera! 03,sem.duvida
por motivos de ordem publica?
No entretantodividir ae ba di'se elle.
Com a impoasibilidade material da organisa-
go dos municipios, na ausencia di diviso re-
commendada na Cunstiluico, outras de nao
someoos valor deixamos apontadas e viadas dos
resaltados iaevitaveis da precipitago na creagao
dos actuaes concelos, sem urna lei reguladora
de sua acgo de modo a nao ebegarem elles aos
desvarios a que teem ebegado e ncaram aponta-
d03.
Nesse sentido iaterminavel a argumenta-
co. No enlaoto. de bsm que addicionemos
mais urna difcuMade pratica aos coaceibos,
ante a consiitaigo e que ser mais urna con-
demnigo aos mesmos coaceibos que, por mais
caaa razio c5o polemter convivencia harmonio-
aa com a fallada constitoigo.
N03 diversos do artigo 9o esta em mais de
um caso csgitoa ia transgresso das leis do os-
lado e da iio. da parte das municipalidades 3
por isso no artigo 99 as ameag de utervengo
da au on dad eairanba a sua bierarcbia em casws
que sero declarados em leis.
Urna destas, ou talvez a nica, salvo modin-
cagOes postenores, ser a alludida lei orgnica
municipal. ....
Sem o advento, pois, desti lei nao baver
meio de regular-sees-as relagOes jnridicas entre
os poderes municipaes e outros poderes do es-
ado de modo que mutuamente se abriguem de
usurpages reciprocas.
E porque fjlie esta lei nao seria licito nem ao3
concelnos deixaram de agir, e Qem ao estado
tornarse mero espectador dos excessos daquel-
les.
Como conciliar, coaseguintemente, to trance
dentes interesses, at que coegue easa lei rega-
ladora dos direitoa e deveres d'um e outros ?
Iupc-83ivel. Consentir que o estado se dei
xe aodorver pe'o maaicipioi 6 tao inadmissivd
como consentir que 08 ltimos se f xtorgam s
ao? do prmeiro
Se oa estados sao soberanos, os municipios
sao autnomos.
No eotauto tamanbas d.f&coliades nao tenam
surgido, ou cessaro ciesde que se obedega ao
mecbausmo poltico ditado pelaa constitoigOes
federal e do estado.
Orgaaise-8e os municipios racionalmente de
pois do estado ctmo este organiseu ae depoi3 da
Uoio; estabelega-se os diversosservigos publ-
coa em ordem a que uos sejam as conseque -
cus d'ootroa; os anteriore determinando os
posiericres.
Sem isso s teremos vida confu/a, cbea de
choques fucces*iv>s e jimais ebegaremo ao pi-
nculo do oosao edidcio poltico e social.
E essa coQfuso j lavra ani pela admio3tra
cao publica !
(Conlisi).
Jalbo-92.
*
Temporal, someote affirmo que na boa f emque
quera estar, apesar dos pesares, nao era possi-
vel a nenbom credor como en me considerava,
e me considera ser mais benvolo, do qae eu
mu demonstrei; e pedindo ao Sr. femporal, que
me reapondeasesobre as pondaragdes qoe loe
flz, tive em respesta o calada III pois s ibe
coovinba a escurldo I
Esse cometa de cabelleira tendo apparecido
no dia 1S de Janeiro daquelle anno de 1887, e
sido observado por mim no da 26 do dito mez
com o auxilio do dito beleometro do visinho,
sumi ae de noamente,na amplido do espaga, a
deacre-ver a sua elipse, qae niuguem sabe de
qae tamanho .
(Continuarse ba). _
Dr. lartins J inior
A 15 de Noverab-o de 1889 rebentou na capital
federal o moviraento revolucionario que tinba
por flm o estabelecimento do governo republi-
cana.
Comegaram de todi parte a cbover adbesoes e
muitas proviacias sacudiram o jugo monarebico.
Scieote do qua se passava no Rio de Janeiro
por um telegramma do governo provisorio, o
Dr. Martina Jaoior ao dia 16, coagregan lo os
amigos no escriptor.o do Norte, onde j se
acbava apinbada urna maltidio frentica e deli-
rante, deu-lbes noticia das occurrencia9, indo
em seguida coofereociar com o commaudaate das
armas, qae, ainda duvidoso, nada decidi.
A' ooite desse dia o Sr. Jos Mariano, frente
de algomas pragas de polica e capangas assal.
toa o telegrapbo, afim do impedir qae a pilba
elctrica da resologo se communicasse a Per
nambueo.
Esse acto do pretenso chafe da democracia,
que boje aspira a glo'ia de ser um assiduo col
laborador da repblica, nao teve, felizmente,
resaltados desastrosos, porque ao assumir nessa
mesma noite o governo provisorio de Pernam-
baco o coronel Cerqaeira Lima expedio ordeos
termiaantes em vitude das quaes foi destruido
o plano doSr. Mariano qae qaeria fazer do norte
um feudo do Sr. Conde a'Eu.
O Dr. Martina Jnior consegua a realisago de
seus ardentes soobos t
Gragas a um movimento revolucionario, re-
sultando do benefiee iufluxo da propaganda re
puolicana, o BrazVee_tornava repblica, e elle,
o mojo haroe, recea deHoaVparte entbasiasti-
cas e sinceras felic.tagOes, que t.-ui paraMarlios
Jnior iunaiatrecompensa qae se poda dar aos
seus^fiervi503.
Benjamn Cotutant.
Theorla s'ogular
ii
Aguardamos a conclu?So dos artigos que, sob
o tituloOs Conceibos Municipaes est publi-
cando um illostre cavalheiro, que se oceulta sob
a capa de *, para darmos a competente res-
posta.
Benjamn Constant.
B E pode alguem de boa i diser que bouve
trastsgresso da lai, qaiodo temos exposto a le
gislago ref-reate ao assampio, da qual nao se
iafere o menor argumento cBBtrario ao procedi-
meoto da Jaata Govtraativa ?
E alm de tudo bi est o p.-ocedlmento do
poder executivo federal nao aproveitando para a
respectiva magistratura todos os desembargado-
res; e juises de direito e lio existentes, e mais
ainda o procedimeoto do Congresso Nacional,
confeccionador da Constitugo, approvando as
referidas nomeagOea.
Portaats, leis e costamea abi esto para servir
de egide ao acto da Junta Governatlvaacto que
reve-tinio-ae d todos oa reqaizitos legaes, nao
pode ser raxoavelmeate impagnado.
Alm dUao compre notar que no quadro da
magistratura estadoal feram aproveitados mui-
tos dos antigos jaizes -Je direito deste e de ou-
tros Estados e pessoaa legalmeote habilitadas
para laes fancgdes.
Ninhuma razie, pois, Dijiste aos magistrados,
em dispon'bililaJe ex-ti do acto em quesio
para pr otesl.r coatra a sua exc'Uo.
E alm disso pergaatamos: porque motivo nao
foi o protesto feita em temro ?
Po.-qae oa que se julgaram prejudicados ao
undamen'.arama su a re lamago logo ap3 a pa
blicago do acto qao organi-oi a magistratura
de Estado?
/. Thiago da Fonsea
III
Antes de prosegnirmos em nossas considera-
gOes, pedimos licenga ao leitor para urna Hgeira
digresso:
Lisongea nos sobremodo a contraiicta que sob
a epigrapbe-Opinio Singolar comegou a nos
ser offerecida no Diario de 8.
Ainda bem ; o nosso brado nao passou des-
apercebido. ... ,
Um coaveaio, porm. ptopomoa ao llustr
ontradictor: > _.
Em nossa discosso, nad? de partidansmo e
ersonalidades, ainda mesmo de terceiroa.
Elucidemos a qnesto no terreno de eua pro-
positara-, isto no dominio do direito e lora
todo que nao for isso.
Aceita ? _,
Esperamos qoe sim ; dado, porm, que rao ;
*e nossa parte ser observado o compromsso a
sua revelia ; iato ; nao acompanbaremos
aqnillo qoe desviar-se do nosso programma, sem
fue al.s, isso importe a mitrima desconsluera
ato pessoal ao illostre adversario.
O bacharelJoao da Rocha
e os seus ex-correspon-
dentes Temporal Fiiho3.
(Continuagao do n. 153)
Estabelecido o mudisino das nossas rflag5es
da commercio pela s vcnlade dos Srs- Tempo-
ral Filaos, depoia que se desengaaras!, de ti
poder gozar do mel, maa nao a cabiga; sobre
estadas as remessas das encommendas. com as
quaes eu ia me dando porsatufeito, de receber
o meu suido, parecen me acertado procurar se-
gundo iaterventor, amparar meci-oda dos boi.s
uflicioj do primeiro interventor: ao qual de no-
vamerjte me dirig por ceno ; estava a se fin Jar
o anno de 1886 e tudo qua ito estes meus inter-
ventores conseguirn! tazer, foi: um dellea
mandarme dizer que o gerente da firma Tem-
poral Filbos lhe revelaraque en tinba res-
ponsabilidade Ba caaa I ouira mandou-me di-
zer: que o gerente da liruu lae orme llera
Ir elle mesmo levar me so engenta a coata
correte pelo Natal daquelle aneol!
Eis aqu ludo quanto fieram os meus inter
ventores proposiiaes.
Quer-ma parecer, que os meus interventores
s preslaram servigo real aoa Srs. Temporal Fi-
lbos e nao a mim : pji emqoanto se esquiva-
vam em parlamentarismo, o lempo para os Srs-
Temporal Filbo ia correndo, e estes precisavam
pdr-se bem distanciado de mim: e foi assim,
que um doaSpons intervenlore3 actuoa como o
publicador do i# kiae que determinava que
eu tinua responsabilidades na caaa 1 ukise,
que revogou o que se bazeava no motivado
pelo ponco recebimento na actualidade I
Bom que explique bem claro o pensamento
ou o espirito destes okases : o declarava que
a mioba ordem de 9:000*000, nao poda ser Ba-
tisfera motivado pelo pouco recebimento na
aeiualidade, este foi publicado e expedido
pelo gereote; o 2, publicado e expadido pelo
meu interventor declarava que eu nao podia re-
ceber o meu dinbeiro, porque tinba responsa-
bilidade ; em 20 de Outobro de 1885 o mo-
uvo foi um, no Hm do anno de 1886 j o motivo
oatro all era o ponco recebimento na ac-
tualidade para nao espantar o boa freguez :
aqui, ji perdidoo frtguez, a respoqsabil;-
dade delle na casa ; foi assim tambera aue
o ootromeu interventor prestou servigo aos Sra.
Tempo ai Filos, dndomea boa nocado
prximo apparecimento de um cometa, qoe po
dia ser visto a olbos ns de dentro da miaba
casa no engenbo pelo Natal daqaelle son.
Nao vendo eu nenhama appariga de cometa
a oaos B3, pelo Natal, no correr do m-z de
Janeiro, auxiliado por um heliometro do meu
visinbo, descobri no dia 26 o tai cometa, que
das alturas sacudi me urna carta que trazia a
daia de 12 do dito mez, isto 12 de Janeiro de
Janeiro de 1887, com a nota deK?zervado-e
na qual nao est a firma Temporal Filbos; mas
esta outra firma F. Temporal a que alias foi a pri
meira vez que a vi; e a macelra assim de quem
na occasio tinba o juizo extravasado, de?atou
ae em orna enxurrada de aaneiras, oceupou-ae
do tal reservado em me demonstrar o quanio
elles Temporal Filboa pela estima, attengao, con
aiderago econflang-, que mereciom dos homens
de bem, se tinbam feito d'gnos das prome3sas
de Chrsto !.... e o quanto eu, eo mesmo havia
desmerecido do conceo delles, por ter 'eto o
descrdito de sua caaa, pondo a elle sob a vi-
ga de emifsarlos (ao os tats interventores al s
prenles, collegas e amigos delles, dos qu*ei
soccorri-me, e que mim s me presta i n ofn
co de deferencia) que assaz oa incommodavam,
e o que mais... at os ameagavam de perse
auicSoltl que euno avaliava o mal, que por
esa forma tinba feito a ees e a mtm, pois nao
tmham com que me pagar o raeu sahh (nao die-
se no tal reserva* se era grande ou pequeo :
creio. que por j ter eu sido scieate de qae era
pequeo) e que eotSo afllictivas condiges, e
podendo dar o meu saldo (o pintoja tinba sabido
do ovo, ma8 esteva mullo molinno, preemava da
emcubago da m5i I) depois que sacrificasae na
venda um engenbo, que Ibea havia sido adjudi-
cado, nao podiam por isso entregar-me a minba
conla uttima (tambetn do disse de que dala,
mez e anno era a tal eonta ultima I)
J era o anuo de 1887: elles Be consideravam
de barriga ebeia com a absorpeo que emende-
ram poder fazer licitamente: a no e lauto ja ia
oa consub8tanciaga9 do afanosa assimilago, e
ainda o gerente, o tal Sr. Temporal precisavassr
enigmtico.. anda a miuba coota ultima nao
podame ser entregue 1... ainda o saldo, que
me reservaram, nao podia serme aatiafeito; (aa-
t8feilo a tapreasSo de qoe se serviram na
resposta-a antedita minba carta de ordem).
Nao serve de aada expor aoj a summa da
rsposta que dei a essa miasiva reservada doSr.
Organisago jadlclaria
Consta eos que algaas dos poneos jaizes de
direito nSo aproveitados na organisago da ma-
gistratura d'este Estado v&o enderegar ao Sr. go
vernador urna reclamago contra o aclo da pa
triotica Junta Govarnativa, qoe fez a alludida or-
gan!3.gao.
Apezir de estarmo3 plenamente convictos de
que os poderes pblicos sabero repeilir a infun
dada pretenso dos illustrea signatarios da refe-
rida reclamago, devemoa mostrar a estes qoe
nenbuma razo Ibes assiste para protestar contra
a sua exciuso.
N'essa questo do nos guia a menor preoccu
pago pessoal, perqu ignoramos at os nomea
dos reclamantes.
O nico movel que nos impelle a contrariar os
intuitos de taes cidados odesejo que temos de
nao ver Bopniamado a lei, cujas claris?imas dis
posigoes nao se prestam, aiis, a ioterpretagoea
capaiosas.
O art. 6. das disposiges transitorias da Con-
stituigo Fede-al estatu em sna 1.' parte os se-
guintes principios:
as prlmeiras nomeages
para a magistratura fedrale
para a dos Estados sero vnr.rs-
> bidos os jaizes de dtreito e os
iesembargadores de mais no'a.
A segunda parte d'esse artigo diz:
Oj que nao forem adm ttidos
na nova organisago judiciaria,
etc.
r
Por aeu turno o decreto n. 1030 de 14 de No-
vembro de 1890, dando organisago Jastiga do
D.atricto Federal, dispe no art. U :
Oa faaccionarios que oio
forem aproteilados na organi-
sagSo, etc.
Igualmente o decreto n. 1420 de 21 de Feve-
reiro ( 1891, estabelece que :
Os membros do Supremo
Tribunal de Justiga nao aprovei-
tados na orgaoisago feleral,
sero aposentados com todos
os seus vencimentos.
Attendendo a easaa diapoaigOea que se combi-
nem e ae uniformisam perfeitamente, o Congresso
U'este Estado incluio as diaposigOea transitorias
da Constitoigao o seguinte art (13):
as primsiras nomeages
para a magistratura do Catado
o governador a quem cabem
as nomeages, fbvbib os
actuaes juxzes de direito e os
desembargadores de mais nota.
V-se, portanto, que em todas as di posigea-
citadas, apparecem as palavras preferir t nao
senio aproveitados, o que, analjsado, indica cla-
ramente qae os legisladores deixaram aos pode-
res competentes a liberdade de escolber livre-
mete os magistrados, preftrmdo apenas os de
mais nota.
Alm d'isso em parte alguma ee diz qae os an-
tigos desembargadoreB e j alies de direilo devm
ser forzosamente aproveitados.
A Junta Governativa, aclamada na gloriosa
noite de 18 de Dizembro de 1891, quando o povo
pernambncaoo ergueu-se contra os dominadores
de enla-o, interpretoa fielmente o pensamento do
legislador constituinte, organisando a magistra-
tura do Estado, de accordo*com as preaaripgas
da leis Enpramencionadas e com as necessldades
da justiga publica.
Ao publico
Retiro da circolago a Patria por motivos
bastante ponderosos e que abaixo descreverei.
Jornalista seguramente ba vinte annos e to
do3 elles empregados oa causa da aboligo e da
Repblica, sem ao menoa gozar nada de seus
tnumpbos, porque o meu ideal era to somente
a realiiago de to oobres aspirages.
Ent-ei para a imprensa com alguna bens e
saio d'ella completamente armiado, deixando
ipen-s a honradez de meu nome puro, limpo e
immaculado.
Eslou pobre, re.oito. ao ponto de vender a
minba ofilcina typograpbica, que com tanto pos-
to montei, porque os mena amigos, por quem
me sacrifique', ab .ndonaram-roe completamente,
tendo em vista deixarem-me ca miseria.
Acadl em temps e pude safar me a'elles para
viver (ora da Ierra era que nasci, procurando no
meu exilio equecer todo o meu pasaado, e (
teedo em vista pagar com a mais sincera grati-
do a don? cavalheiros Ilustres que salva ram
talvez o meu futuro comprometido por urna
gente qae conbeci bastante tarde quando devia
conbecer cedo e que s pro.uram explorar a
bolea dos amigos e o afsalto aos cofre3 pu
DCOF.
Torna-se necessario que eu neste momento
fatal declare muito terminante os dous amig03
da adversidade ; nao me importa que a baba
pegonbenta da calumnia venba ferir*me.
Tudo boje podera dajer de mim, menos que
eu sejaum patoteiro oo ladro.
Tenho 39 annos de idade e nunca farejei e
nem to pouco andei traiande de pato taa para
mim ou para outros.
Agora cump:e-me declarar os dous nomes
que levo para o mea exilio e 03 menciono com
todo o orgolho :
Sao elles o Exm. Sr. desembirgador Sigis-
mundo Antonio Googalves, o bomem mais hon-
rado, patriota e desmtereajado talvez do norte
e sul do Brasil, e o meu illustre amigoSr. Dr.
Miguel de Figueiri Faria, de quem leuho orgu
loo de ter sido collega.
A esaes dous Ilustres cavalhiros eu consa-
grare! todo o resto de miaba vida, seBtindo
apenas que, para levaotar um Ingrato cabido
ras roas, tivesse me afastado da politica do
Exm. S-. Dr. Sigismundo Antonio Googalves,
para re.eber dVUe a maior das ingrat.des.
Tenho esse remorao qce mago-me o co
recle.
Pego ao publico peoaato qae me dispense de
narrar aqu o .nome do mo.stro de quem me
oceupo e de auis iogralidia, sendo que a
ultima qae me fez doeu-me bastante e fez com
que acabaase com a minba typograpbia. dei-
xando por essa frm a imprensa.
Dadas est s explicages eu coofesso qae devo
a aUuns assigoan-'es adiantamento de algumae
aquilataras, e que tra'.arei de as indemnizar,
deixaudo para esse fim o meu particular amigo
o Sr. Jeito Mart!n3 da S.lvo, honrado commer-
ciante de nossa praga e ao3 centenares d'aquel-
les que fi. arara a dever pobre redaego da
Patria, e a maior parte dMlea composta de
pespoas de ceri coaaideraco. qie se dtrijam
ao referido commerciante, no largo do Pilar o.
21, que elle <:ar quiago com 03 recibos oaasa
dos de sen propriu punbo.
Joigo assim ter explicado os motivos de m nha retirada da imprensa, (cando bem firmad.
que nao foi pelo meu gosto que dei esse passo.
e ccnllnuasse, eu acabara pedindo esmolas.
SO me resta boje, depois de perto de 30 annos
de servigo cansa publica, sabir pobre ; porm
honrado.
Recife, O de Jullode 189.
Fortunato Fmheiro.
Mais ama nota.
Ao terminar este pequeo communicado, cum-
pre por aeu dever de gratido e lealdade de-
clarar que, durante o meu tirocinio em vida pu-
blica, eu tive um estrangeiro digno de todo <
acolbimeoto e que e a campa poder levar-me
a esquecer de seu nome, qae coliocando se a
mea lado e fazendo por mim os maiores sacrifi-
cios, deu-me vida nessas grandes lutas.
Esse bomem, esse amigo deaintereaaado o
honrado commerciante de nossa prag, o Sr.
Joao Mirtina da Silva.
Os vinte e taotos annos de arnzade serviro
de seclo, de muralhas iavencivei3 para que a
calumnia nao po3sa destruir.
Fortunato Pinheiro.
Por ser juix de distncto,
Isto de vara caado,
Qoem melter-se i batir cera todo
Recebe de tronco um taco.
NSo queiraa gragea com o Liosa,
Nem com Joca, nem com o Rimas,
Pois na epocba em qae estamos
Convem se andar solitario..
Por sardes com mandante
Da guarda nacional,
Por serdes jais dittrictal
E delegado Iliterario;
Nem por iato, amigo, deveia
De teua cargos abusar ;
Deveis somente agarrar
Cavalios de Primavera;
Araarral os na corrale,
Matl-oa meatoo de foae
S assim se cria nome
No conceito da urna fra.
Sao estes oa meos conselbos
Sao estasgas minbas licgOes :
Deveis formar balalbes
Para todo aniquillar;
Pisar a pea a justiga,
Armar forca, cortar faebo,
O diabo o Joca ser macho
Para todo desmanchar i...
Eate amigo de quem fallo,
E' bomem bem conbtcido,
Com orna onga pmiada
Elle bem parecido-
Delegado Iliterario
Juiz districtal.
Commandaote interino
Da guarda nacional.
Um jurisconsulto residente em Amaragy.
Desmentido
Na Revista do Diario de Pernambuco de 10
do correte me consideram morto por ter inge-
rido sal de asedas. Fique o noticiarista saben-
do que eu estou vivo, e dis posto a nao servir de
especnlago a quaiqaer maahoso vulgar, qae nao
recua ante coosa al goma.
Jalbo 11 de lb92
* Manotl Cypriano di Souza.
Dea. de 19 de Janeiro
de 1890
Ai eacripturas de compra e venda e as
cartas de arrematacSo e adjadicaoSo de
bena de rt.ii, que nSo forem registradas,
sao considerados ttulos de contractos in
completos pela falta daquella garanta as-
seguratoria e nao valerSo contra tercei-
roa.
Vi le o art. 8' do deo de 19 de Janei-
ro da 1890 e oatras diapoaic8es legaes.
Um advogado.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especial:
dade de molestias de senhoras e creanoa
Consultorio e residencia 4 roa da imp*
atrix n. 18, 1 andar
Consultas de 8 a O da manhS
Chamados (por escripto) qualquer liora
TBLKPHONK H. 226
Dr. Silva Leal
Medico occullsta
Recentemente chegado da Europa e
com pratica nos principaes hospitaea e cli
nicas de molestias de olhos de Pars, d con
sultas todos oa diaa uteia das 11 s 3 ho
ras da tarde em seu consultorio, ru
Duque de Canias n- 73 Io andar, entrada
pela Praoa de 17, n. 73, (antigo Largo ds
Collegio).
Residencia a ra BarSo de S, Borja n
16, Telephone n. 507.
Chamados por escripto, em aeu consalr
ro. residencia, e na pharmacia Martim
O que o direito ?
(RESPOSTA AO N. 4)
O Direito pegar boia
E amarral-08 ao mourao ;
E' matar gente de fome
Sem peua, sem compaixo.
O direito tecir foso
Sem dar satisfages,
Fazer limpeza geral
Di Primavera a Piles.
O Direito cortar facbos ;
Da plvora se preparar,
De espada e carabina
Para tudo aniquillar.
O Direito promelter
Sem espanto e sem pavor,
Fazer hmpeza geral
Com o fugo puriQcador t
O Direito intimar
AOm pebre cidado,
Mudar-se em oito das
Sem apello nem remissSo 1
"tendo j explicado
O que ae chamaDireito,
Vou agora satisfeito
Dar tambem urna liego ;
Nao se veixe Coronel,
Nao se zangoe, meo amigo,
Pois as palavras que cigo
Sao lhaa do coragao.
Agora que eataes occopando
O alto cargo deJuiz,
Nao matas, amigo, o rwrix
Sem pensar com muito tino ;
O tempo eal perigozo
Multa lama, moito invern,"
E mesmo porte o Materno
Unir se com o Clementido- -
Desta uniao o resultado
E' trazer-the um perigo,
E depoia pode o amigo
Fuglr c.m a vara na mao ,
Dentes
Termina a borivel dor de dentes asw
do o escolente preparado de Maooel Car
doao Jnior.
As cartas que Ib. o tem sido dirigida
pelos jornaes de maior circulas^o, atte
tam a cfflcacia.
Depsitos
Drogara de Francisco Manoel da Sil
va A C, ra do Marquea de Olinda
n. 23. s
Phrmacia Martina, roa Duque de Ca
xias n. 88.
Pharmacia Oriental, a roa Estreita de
Rosario n. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, roa da
Barao da Victoria n. 14.
Pharmacia Virgilio Lopes, roa Larg
do Rosario n. 3).
mole
Dr. Nunes Coimbra
ClnicaMedico -Cirurgica
Especialidades: febrea, partos,
tas de senhoras e de creancaa.
Chamados a qualquer hora na sua re*
sidencia, ra da Soledade N. 31 esquina
da roa do .fl talbo.
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultaa de
1 s 4 horas da tarde, no 1*
andar da casa n. 51 roa do
BarSo da Victoria, Jexcepto nos
domingos e diaa santificados.
Telephone 285.
Residencia roa Sete de Satem-
bro n. 34. Entrada pela roa da
Saudade n. 26.
Telephone 287.
E' o giande depurativo
descoberto dos indgena
cojo, tem a propriedade de
curar a syphilis rpidamen-
te, curar o rheumatismo
como por encanto, e curar a
morpha cerno por mila-
gre.
O apreciamento do gran-
de remedio o Elixir M.
Moratopropagado por D.
Carlos, o facto mais ex-
traordinario d'este seculo,
taes sao as curas que dia-
riamente se effectuam.
Agentes em Pernambuco
Companhia de Drogas e
Productos Chin, i eos: ra
Mrquez de Olinda n. 23.
Elixir depura-
tivo vegetal
Formula de Angelino Jos
dos Santos ndrade
Approvado pela Inspectoria Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 30
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande effica-ia Das mo-
lealias sypbiliticas e impureza do saogue; assio
como em todas as molestias daa ?enaoras.
Tem curado radicalmente muitas i es=oas ao
commettidaa da terrivel molestia beriberi.
Rbeumatismo sypbilltico oa goiozo, dr scia-
ica erupges de pite, cancros, e cancros ve-
nreos, dores brancas, hy.-terismo. frouxido de
ervos, iritea e outras inflammacea doa olhos
molestias do Bgado, escrormulas, escorbeto,
soffriments de estomago, nlcerae, goromaa, fis-
tolas, emplngeos, darbro?, pannos e manchas,
a pslle, bobas e bobes, sarnas, catarrbo a
quaeaqaer mold8tiaa da bexiga, entre outras*
albuminuria, ominas doces e aanguinulectaa.
anemia, paralysia, erysipelas, e inflammagOe,
daa pernas e pea, btmorrboidas, aalbma, bydro
melles, tumores, nevralgias, e elepbaotiazes oa
morpha, aa irregularidades da menstruago
Prova-se com aquelle numero de attestados ja
publicados e os qae existem em nosso poder a
efiieacia deste elixir as molestias indicadas
Nacional Pharmacia
!*5. Rnralsrga do Rosarlo
A'rua Biro da Victoria n. 37 ae dar ^oda e
qua.'quer explicagaS que for preciso acerca destes
preparado.
Calado com as ralslflFacdee
Modo de usar
Os adultos tomara quatro colheres das de
sopa pela oiaaha e quatro noite.
, aa criaugas de 1 a 4 aanoa lomarao urna co
l&er pela maoh e outra a aoile e as de 3 a 11
anuos tomarao dnaa colheres pela maul a dua
a noite.
Devero temar banbos Moa uo moraoa pela
manba e i noite.
Res.oa doregul r.
Quantos doentes assim!
Aos Srs. Silva, Gomes & C, proprieta-
rios da antiga e acreditadiasima Drogara
Sul-Americana, estabelecida no. Rio de
Janeiro, foi enviada a segu;nte carta da
Estacao de Bom Jardim (estrada de ferro
de Cantsgalio), narrando a prodigiosa cn:
ra d urna grave enfermdade pelo gran-
dioso remedio riograndense Peitoral do
Cambar:
t Iilms. Srs. Silva, Gomes & C, dro
gnistas no Rio de Janeiro.Ha mais de
cinco annoa que en soffria de urna bron-
chite com toase e esoarros de sangua, ha-
vendo das de botar mais de meia garrafa
de sangue, nao me deixando dormir noites
inteiras.
Recorr a todos os mdicos deste mu-
nicipio de Cantagallo, j sem gosto, nem
forcae para cuidar de minha lavoura; nao
tinha nenhemae esperanzas da minh exis-
tencia por muito terapo, apezar de nao me
faltarem recursos e bom tratamento.
Por milagre de Deus, nm amigo e ne-
gociante deste lugar, nao querendo que
aa deixasse meus innocentes filhos per
criar, aconselhou-me o Peitoral de Cam-
bar, e eu sem f, pois que nennam re-
medio me pos bom, resolv qae esse ne-
gociante me mandasse vir da caaa da VV.
SS. seis vidros para experimentar e, fio
dos elles, j dorma bam, cessando de
todo os escarros sanguineos.
Mandei vir mais 21 vidros e' coatinuet
ta acabar, isto at o anno de. 1888, e,
gracas a Deus, acho-me completamente
curado.
Agradeco a VV. SS. e pe^o-lhes publi-
caren! este, a bem da humamdade s ff-e
dora. Ao mesmo tempo, peco a Deua
pela saude, prosperidade e feicidade do
autor de tao graade e prodigioso remedio.
o Sr. JoB Alvarea de Souaa Soarea.
JoSo Jos Zebendo.
(A firma est reconheoida).
Dr. Bastos de Oliveira
Medico operador e parteira
Tem* o seu consultorio ra do Marquewj
de Olinda n. 1, 1. andar, onde pode ser
procurado todoa oa- diaa uteia de 1 s ?
horas da tarde.
Chamados qualquer hora, roa do
Dr. Joaquim Nabuco n. 2 A. C ndaga.
Telepbona n. 365. a
Regalador da Barioha
Concerta ae relogios de algibeira, pen-
dalas de torre de igre>a, hrouometro* de
marinha, caixas de msica, apparelho
electrieoa, oculoa,.binocaloB, oculos de^ al
caace, joiaa e todo qualquer, objaoto
dentes a arta menhanioa.
9Roa Larga do Roaario9
Dr. Rodolpho Galvo
Di consultas de 11 al hora da tarde ra da
Bom Jess l' reside na praga da Santa "ruz
n. 8.
ESOBPTOBIO COMMiRClAL
Id;, Doqae de Caxias n. 11
ton-
Fazem liquidaces amiga? ou jndiciariai
acceitam commiaeese consignag&ea enearregai-
Be da veoda de engenhos, fazem adiantameotOB
e acceiiam correepoBdencias-dos aeohorea de ea-
geebo, promovem a venda de productos naci
osea e fazem qualquer tranaaegao de commer
co.
.
Bocarregam se tambem da receber os -honora-
rios dos Srs. fooccionarios pblicos aleguis
de casa, mediante mdica commiasao e bem aa,
sim de qualquer trabalho de eacrrptorseao ae
casa de commercio.

.-


.







"Tr
'!:,


4
Diario de Fernanibiico
Tere
a-feira 12 de JuIjo de 1832


Estupendo
E' corar em tres das gonorrhas ohro-
nicaa oo recentes, como acontece com o
remedio vegetal que se chama InjecjSes
Anti-blenorrhagicaB de M. Morato. Cura
garantida em tres diaB/ se ja qual fr ana
tureza do paciente.
A IojeccSo Anti-blenorrhagica de M.
Morato, vende-se em Pernambuco, na
Companhia de Drogas e Prodoctos Ohi-
micoa.
Roa Marqnez d'O hida, 23
Sem allivio!
Reconhecido como medicamento sobe-
rano para as molestias das vias respirato-
rias, o Peitoral de Cambar mais e mais
se impSe confanos publica, medida
que no ros triumphos vm robustescer os
seos crditos, largamente provados desde
1874.
Mais um testemonho da sua efEcacia
apresenta-se hoje e firma-o um illuatre
titular brazileiro propriet&rio da Fazenda
de Mat o Dentro, em Minas GeraeB.
Eis o importante documento :
Illm. Sr. J. Airares de Souza Soa-
res.Atacado de urna forte rouqnidao, e
sem ter allivio com o oso de m oitos me
dicamentos receitadoa, ezperimnntei o seu
xarope Peitoral de Cambar, e em pon
eos dias a molestia ceden completamente.
Depois deste facto tenho aconselhando a
diversas pessoss o seo remedio e todas
tem logrado os melheres resultados. Quei-
r, pois, receber minhas felicitac8es.Ba-
rSo de Avellar Rezende.
( Afirma est reconbecida).
Olinda
Bacharel F. Caldas tabelliSo e eacri-
vSo de orphSos de Olinda, modoo o sen
cartorio para a casa n. 23, roa de S.
Bento, onde reside.
Dr. Freilas Guimares
Participa a seos amigos e clientes que
mudou o seo consultorio da roa Duque
de Casias n. 55 para a mesma ru* n. 61,
1. andar, onde contina a dar consultas
de 11 al hora da tarde, e reside no Ca-
joeiro n. 4.
Telephoue n. 292.
^Medico e oculista!
Dr. Berardo oculista do hospital |
Ipedro II, tem consultorio ra do,
iBom Jesua n. 9, 1." andar.
Reaidencia na Magdalena.
Telephone n. 366
Uum Remedio Vegetal As-
sombroso. Afinal chegou deseo-
brir se na essencia concentrada d'um pro-
ducto vegeta!, um efficaasimo remedio po-
sitivo, contra todaa aa enfe*rmiaades pre-
corsosa da thiaica. A arvore de sade,
pois que assim verdaderamente qoe se
deve de chamar, da qual se eztrahe este
ineatimavel theaooro, a Anacahoita do
Mxico, e o Peitoral de Anacahuita, for-
ma a preciosa composicSo que alcanca
sempre a victoria sobre aa enfarmidades i-
oimigas dos orglos da respiracSo. Ja
mais hoove remedio algom que se fizesse
dentro em tao pouco tempo to universal-
mee te popular. Os grato testemunhrs
COWMERCI
Bolsa Commerelal de Pernwm
buco
COTAfiOES OFFICIAK9 DA JUNTA DOS COR-
RETOBES
Prosa do Recife, 11 de Julho de 1892.
Nao houve cotajo.
O presidente,
Ednardo Dubeux.
O secretario,
Augusto Plato de Lemoa.
Cambio
PRAGA DO RECIFE
Os bancos encelarm as suas operaces com a
taxa de 10 3/8 effectuando se pequeas transac-
cOes.
Papel particular foi negociado a 10 i/210 9/16.
PBACA DO RIO DE JANEIRO
10 3.8 nanearlo nominal-
0 movimeato foi pequeo por ser da de mala-
totaces de gneros
ASSGAR
Para o agricultor
Branco por 15 kilos. 9*000 a 104000
Someno8, idemdem. 6*500 a 7*000
Mascavado dem idem 4*500 a 5*000
B-uto aecco ao sol idem idem. 24800 a 4*000
Rtame idem idem .... 1*700 a 2*400
Mercado multo animado.
A exportaco at 6 do correte consta de 8485
saceos e 803 barricas de assucar branco pesando
786. 04 kilos.
Algodo
Nao cona'a negocio.
At 6 do corrente foram exportados 1450 saccas
de algodo pesando 108.750 ki.oa.
Borracha
Cota-se nominal a 30*000 por 15 kilos.
Carnauba
Cota-se a 11*000 por 15 kilos nominal.
Carocos de mamona
Cota-se a 2*400 por 15 kilos.
Coaros
Saceos salgados na base de 15 kiloa a 650 rea.
Verdes nominal 360 ris.
Bel
Por pipa de 480 litros 80*000 ha felta no mer-
cado-
Foram exportadas at 6 do corrente 25 pi-
pas.
I
Por pipa de 480 litros de 2604G0Q.
Foram exportadas at 6 do corrente 130 pi-
pas.
Agurdente
por pipa de 480 litros 150*000.
At 6 do corrente toram exportadas 168 pi-
dos coiac5e3 agradecidos, qoe padecern
de toaaes, esquinencias, rouquidao, inflam-
mac&o do peito, bronohites, asthma, catar-
rhos, conapace1, thisica, &t ae recebem
eada dia aoa centenares de todas as partes
do mondo.
Coico garanta contra as falsificares,
observe-ae bem qoe os nomes de Lanman
& Kemp venham estampados em letras
transparentes n3 pap.l do hvrinho ue
serve de envoltorio a cada garrafa.
Acha-se a venda em todaa as boticas
e drogaras.
Andr 'Burity
Declaro que fui mordido de ama casca
vel, e curei-me sem cessar durante moi
de 4 annos, ficando-me uns buracos chago
sos nos ps que se sarava um abra outro
immediatamente ; ficando ainda com para-
lyaia em urna mSo d'esde que fui mordido.
Aconselhado a fazer uso do novo reme
dio o=Elixir M. Morato-propagado por
D. Carlos, tomei o bastante tempo e fi-
qoei completamente bom. A quem ainda
nSo conhecj o Elixir M. Morato,eo de-
claro que esto remedio santo, por pe
faz milagrea.
Porto Feliz.
Andr Burity
Deposito em Pernambuco: Companhia
de Drogas e Productos Chimicos.
Roa Mrquez d'Olinda, 25
Dentaduras artificiaes
Sob pressSo elstica, e cpressSo pnen
na tica systemas novissimos neete Estado
pelo cirurgiSo dentista ama Pompilio,
i roa do BarSo da Victoria n. 54 1 aa
da das 8 horas da manhS s 4 da tarde
Suave e efficaz
Reconhecido como um remedio efficaz
e aem rival o Peitoral de Cambar apr-
sente a grande vantagem da sua suavida-
de, o que o torna fcilmente assimilavel
aos paladares delicados, como os de se-
nhoraa, criancas e outras pessoas.
Eis como o Sr. Dr. Cruz Cordeiro, con-
ceituado clinico Parahybano recommenda
as suas virtudes :
c Attesto que o Peitoral de Cambar,
preparado pelo Sr. J. Airares de Souza,
um escellente belsamico, e como tal o
tenho empregado nos doentes de bronchi-
tes o affeccSes pulmonares com grande
proveito, tanto mais por ser um expecto-
rante efficaz. O que affitmo enr f de
meu grao.
Capital do Estado da Parahyba, 10 de
Maio de 1891.Dr. Antonio da Croz
Cordeiro.
(A firma est reconbecida).
E' nico agente e depositario do Peito-
ral de Cambar em Pernambnco a Com-
panhia de Drogas e Productos Chimicos,
roa Mrquez de Olinda n. 23.
Cabo
O Dr.Joaquim Felippe rixou a
nesta cidade e d consaltas
Doarte. .
Presta-chamados a (jualqoer- hora
sua residenci.
aa pbarmacii
Elixir ante-febril Cardoso
SEGUNDO A FORMULA
Manoel Cardoso Jnior
Approvado em 21 de Marco de 1890 pela inspe
ctoria geral da digna junta de hygene do RIc
de Janeiro.
Este Elixir de composico toda vegetal pre-
parado segundo as regras pbarinaceuticas.acon
selbadas pelos autores modernos e de recouhe
cida capacidade acientitica tanto no paiz como
ao estrangeiro.
Este Elixir o producto nao s do grande es
Carocos de algodo
Cota-se a 640 ris por 15 kilos.
Foram exportados at 6 lo corrente 180.000
kilos.
tabella das entradas de as socar k al-
godZo
Mez de Julho
Entradas
Jarcacas ....
Vapores.....
inimacs ....
istrada de Ferro Central
dem de S. Francisco
dem do Limoeiro. .
Somma ....
Dias
1 a 10
1 a 10
1 a 10
1 a 11
1 a 8
1 3 7
AS8U-
c'ar
Saceos
650
120
105
9 54
43
1872
Algo-
dio
Saccas
690
178
72
224
702
1866
impertaeo
Barca portuguesa Isabel, entrada do
Rio de Janeiro em 3 e consignada a
ordem.
Barris 400 a Jos Rodrigues Macieira,
250 a ordem. 400 a Costa Ferreira & C.
Cascos 3780 a ordem.
Farelo 500 mccob a Costa W erreira & C,
500 a Pinto Ferreira & C.
Pipas 200 a ordem, 100 a Manoel M.
de Oliveira & C, 2G0 a Costa Ferreira
& C.
Vinho 10 pipas e 286 barris a Compa-
nhia de Estiva.
X arque 525 fardos a M. Maia & C.
Brigoe nacional Prazerea entrado de
Pelotas em e consignado a Amorim Ir-
mSos & C.
Farelo 500 saceos.
Graxa 4500 kilos.
Xaraue 225,000 kilos a ordem.
Barca dinamarqueza Disponente, entra-
da de New-Port em 9 e consignada a Es-
trada de Ferro de Caxang.
Carvao de pedra 760 toneladas a or-
dem.
Vapor americano Finance, entrado de
New-Yv.rk em 8 e consignado a H. Fors-
ter & C.
Amostras 3 volumes a diversos.
Banha 20 barris a Coste Lima & C, 20
a GaimarSes & Valente, 100 a Joao de
Almeida d Terrea.
Bacalho 1060 tinas e 716 meias ditas
a Blackburn Needham & C.
Bren 150 barris a Jos Soares Seixas.
Esteiras 6 rolos a Francisco Gurgel &
IrmSos.
Estopa de calafetar 30 fardos a Joaqoim
A. da Silva Santos.
Graxa 2 barricas a Costa Lima & C, 2
J. de Almeida & Torres.
Drogas 14 caixas a Companhia de Dro-
gas.
tndo das acedes poysiologicas das substancias
como tambera palbologicas.como tambem o re-
sultado das immensas applicacOes noa diversos
casos de febres de fundo.palustre.
A apolicaco deste Eflxir na grande epidemia
de bexigas de 1890 a 1891 mais ama ves de-
monstrou a sua eficacia ; pois no principio dos
primeiros eymptomas a bexiga aborta, e em ca
sos mais adiantados a bexiga pasaa a aer ama
ioenca febril vulgar apreeentandu pequeas to
metales que com a continaaejo do Elixir de-
^apparecem sem todava apresentar receios de
pergo.
Os muito atte8iados publicados no Diario de
Pernambuco* e Gazetada Tarde* provam o que
Jiiemos.
Nos casos de febre amarella o efleito admi-
ravel, apresentando pbenomeoo8 tao maravilbo-
;os que nesta cidade do Recife e na do Rio de
Janeiro pouco receio causa a febre amarella,
oiesnio estando o doente com vomito preto e
janguineo nestes ltimos periodos entaone
u ario a applicac&o em alta dose, despresaodo
a tabella ansexa.
Este Elixir j conhecido do publico e de um
grande numero de dignos mdicos apresenta-
do para combater os differeuies incommodos to-
dos ellos de carcter febril.
Poi muito tempo tivemos occasio de fazer a
applicaco as febres erysipellosas e com tao
oom resultado que Acarnos admirados de to al-
tos ilcitos.
Pela pratica cheganos a conbecer que nos
ataques ae febre erysipcllosa ou erysipella como
vu'gamente se diz necessar-ir o uso de 10'di
do Elixir.
Nos grandes incommodos das senboras, mens-
truago, gravidez e bob casos de parto coa fe-
bre de um resultado muito certo e seguro e
asna conposicao to simples que nao offerece
receio de applicar o Elixir nem mesmo em doses
superiores as indicadas na tabella infra.
Pedimos ao3 dlgnlssitcos mdicos que deseja-
rem faz--: uso deste Elixir em sua clnica nao se
sujeitarem rosaa prescripgao, mas sim fazer a
appcacao em barmoaia com os casos que dse
jarem combater, certos de que o medicamento
de compcsicSo innocente para organismo por
mais frgil que seja.
nodo de usar
A's criauyas at um anno 10 gotas de 2 em J
aoras em urna colner daa de sopa ebeia d'agua
'ra.
De um anno a tres 13 gottas.
Da 3 a 10 anoos em diante, 40 gottas etc.
Estas doses devem sempre ser applicadas em
agua fra.
Deposito
Gompaabia de Drogas e Productos Cnimicos
Recire, ra do Mrquez de Olinda n. 23.
Nacional Pharmacia, ra Larga do Rosarte
i. 35.
Pbarmacia Oriental, ra Estrella do Rosartt
i.3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Barko d
Victoria n. 14.
Pharmacia Martius, roa Duque de Cusas c
Para qualquer iuformacSo ser encontrado o
autor na ra do Rosario Estrena n. 17.
Os nostos frascos sao quadrados e conta go-
tas. N'um lado teem gravaioElixir ante febril
a no outroManoel CardosoPernambuco. e to
dos os prospectos sao assignatfos por Manoel
Cardoso Jnior, sendo falsos os que nao forex
assignados.
N. 12
Recife. 1G de Maio de 1889
lllm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.
Nao posso e nem devo calar o segulnte fado
de urna cura oDlida com o eu valioso E.ixir
anti febril*.
Tendo fallecido da teirivel febre amarello um
meu filhiobo de 11 annos e idade, depois de
esgetados todos os recursos possiveis para sal
val-o e dous dias depois de sepultado, adoecido
ootro de 12 annos, da mesma febre, tambem de-
pois de muito luclar com outros medicamentos
po torosos e receitadoa por dislinctos mdicos
desta capital, e j desapontadu, recorr a conse-
liio de meu bom amigo o tenente Leobaldo Au-
gus o de Moraer, ao sea miracaloio remedio de
que ac.raa trato, e tiu; a immensa salisfaco de
ver salvo o meu queroo filbiho.
Coraraunicaodo V. S. este triumpbo de teu
valioso medicamento, servir ao mesme tempo a
fflioba commuGicagao, de aviso aos que forem
atacados daquelle mal, os quaea nada mais de
vem fzer, que uzarem o seu maravilhoso Elixir.
Tendo me retirado temporariamente desla ca
pital, minua familia com receio de adoecer-me
mais alguora, por cautela conduzi um frasquinbo
do mesmo Exir, que muito servio, por quanto
ebegando ao meu destino Uve de ver s 11 Coras
da uoi'.e do dia da miaba chegada, minha mu-
Iber cabida com urna temvel febre, que dous
das depois desapparecera completamente ainda
por ilcito do mesmo Elixir.
Outros casos aiuda em meus criados foram
Maizeua 100 caixas a JoSo de Almeida
& Torres.
Oleo 25 barris a ordem.
Remos 16 amarrados a J. A. da Silva
Santos.
Toocinho 20 barris a Domingos Fer-
reira da Silva & C, 40 a Joaqoim Ferrei-
ra de Carvalho <& C.
Tecilos 5 caixas a Joaqoim Goncalves
& C, 27 a ordem, 5 a Machado di Pereira
4 a Bernet & O, G a N. Maia & C, 2 a
Francisco Gurgel & IrmSos, 7 a A. Vieira
4 C, 13 a Olinto Jardim A C.
Tinta* 1 caixa a Costa Lima & C.
Typos 27 caixas a Empreza do Jornal
do Kedfe.
Eiporfaco
RECIFE, 8 DE JULHO OB 8S2
vara o exterior
combalidos com o sea poderoso remedio e seria
enfadonho meocional-oa.
Usar V- S. da minba communicsco do modo
que melbor lhe convier.
Meas freos servidos s suas ordens.
0 muito grato criado
Joao do Reg Lima,
Commandante gerai da guarda cvica de Per-
nambuco.
(Eslava sellada e reconbecida a flrm'a.)
0 Di*. Barros tarneiro e a fa-
brica a vapor Minha Espe-
ranza.
O Dr. Manoel Clementino de Barros Car
neiro, formado em sciencias medicas e
cirurgicas pela facoldade do Rio de Ja
neiro, medico adjunto da clnica do
hospital de Santa Agoeda etc.
Attesto qoe tenho futo uso dos cigarros
denominadosMinha Espranose bem
assim do fumoHvgienico Nacionalda
fabrica do Sr. Antonio Francisco da Croz
reconhecendo pela analyae chimica a qoe
proced, que o referido fumo e cigarros
nSo eucerram principio algum nocivo s
funccSes gstricas, sendo pereitsmeote
toleraveis aos disppticos.
In fide medici.
Recife, 12 de Fevereiro de 1892.
Dr. Barro Carneiro.
Nanea de Lima e ao alumno meatre Jero-
nymo Euzebio da Rocha Pereira, que por
acto de 2 de Julho, o primeiro foi remo-
vido para a 3.a crdeira da ra Imperial,
nesta cidade, e o segundo nomeado para
reger a cadeira de S. Benedicto em Qui-
pap, cando a ambos marcado o praso de
35 diss para apostillar um e oo.ro tirar
o titulo.
Secretaria da InstruccSo Publica, 6 de
Julho de 1892.
O secretario.
Pergentino Saraiva de Araujo Galv&y.
Nao houve
exportacao.
Para o mterior
No vapor nacioaal Braztl, para o Para,
carreearam :
J. de Souza, 2,000 caixas com 26.0.0 kiloa de
sabo.
C. Guimares Jnior, 400 barricas com 28.634
kilos de assucar braaco.
H. de Miranda Lima, 51 barricas com 3,50o
koi de assucar branco.
M. Lopes Ferreira, 264 barricas com 16,18g
kilos de assucar branco.
P. Carceiro & C, 350 barricas com 18,800
kilos de assucar branco.
E. Rinthack, 5 pipas e 100 barris com 11 775
litros de agurdente e 400 barricas com 26,588
kilos de jssucar branco.
F. Rodrigues & C 11 caix;s cm 330 kilos
de doce.
C. Magalbea da Silva, 30 barricas com 2,601
kilos de assucar branco.
A. Guimares, 400 barricas com 26,220 kiios
de aasocar branco.
P. Alves & C, 180 volumes com 12,225 kilos
de assucar branco.
Para MaLos, carregaram :
C. Guimares Jnior, 50 barricas com 3,685
kilos de assucar braaco.
Amorim Irmos & C, 146 barricas com 10081
kilos de assucar branco e 3 ditas com 216 ditos
de dito refinado, 80 barris e 1 pipa com 7,670
litros de agurdente e tO caixas com 1,100 kilos
de sabio. .
?. Alves 4 C-. 15 barris e 1 pipa com 1,920
litres de agurdenle.
E. Kiutback. 15 barris com 1,350 litros de
agua dente e 65 barricas com 3,060 kilos de
assucar branco.'
Para Maranbo, carreeou :
J. M. Dias, 6 caixas com 293 kilos de rap.
No vapor nacional Venns, para o Para,
carregaram :
A. Guimares, 400 barricas com 26,220 kilos
de assucar branco.
J. T. Pinto Lapa, 10 pipas com 4,703 litros de
agurdente.
E. Kamhack, 2C0 barricas com 13,163 kilos de
assucar branco. m
J. Baltar & C, 7 pipas com 3,290 litros de
agurdente e 400 barricas com 26,000 kilos de
de assucar braaco.
P. Alves & C, 5O0 barricas com 32,575 kilos
de assucar branco.
Amorim Irmaos 4 C., 200 barricas com 13,073
kilos de asiucar braaco.
Mathematicas E 1 e-
mentares e Escrip-
tura^o Mercantil.
Venancio Labatut dedica-so a preparar
qoalquer pessoa em escripturacSo mer-
cantil com 30 a 35 lic8es, conforme con
tracto, contina a lecionar as materias
cima roa Duque de Casias n. 72,
1. andar.
EDITAES
Da ordem do Illm. Sr. Dr. inspector
declaro aos possuidores de apolices do Es-
tado que do dia 16 do corrente mez em
dianto se pagarSo oeste repartidlo os
juros daa mesmas apolices corresponden
tes ao Io semestre do corrate exercicio,
sendo o Dagamento feito ci s 10 as 2 horas
de cada dia.
Secretaria do Thesooro do Estado de
Pernambuco 11 de Julho de 1892.
Servindo de secretario,
Joaquim Lucillo de Siqoeira Varcjao.
Edital
A mesa regedora da irmandade do SS.
Sacramento da matriz de Noaaa Senhora
da Paz de Afogados, resolven em eua ul-
tima mesa chamar os ioteressados que
tem em deposito restos mortees de seus
parentes afim de ao praso de 60 dias
contar da data do presente se apresente-
rem na mesma matriz para reaolverem o
conveniente destiuo dos mesmos restos
sob p^na daquelles que nSo comparece-
rem neste praso a mesma irmandade to-
mar a sea cargo a melhor deliberado.
Consistorio da irmandado do SS. Sa-
cramento em 6 ie Julho de 1892.
O escrivSo,
Adolpbo Alves F. Taques.
Edital d. 27
Praso de SS dias
Ao professor Philomeno Ry '; nes de Lima e ao alnmno-mestre Jerony-
I mo Euzebio da Rocha Pereira.
De ordem do Dr. inspector geral fago
saber ao professir Philomeno liaymuodo
No vapor nacional Una, para Cear4, car-
reearam :
P Carneiro & C, 20 barricas com 2,163 kilos
de assucar braaco.
A. D. SimOes & C, 24 barris com 864 litros de
vinagre.
Para Natal, carregaram :
Companhia de Estiva, 800 saceos com fariaha
de mandioca.
L Mirqaes, 260 sac:os com farinha de man-
dioca.
Julio & Irmao, 480 saccoa com farinha de
mandioca.
Para Aracatj, carregou:
Companhia de Estiva, 1,000 saceos com fari
nba de mandioca e 35 barricas com 3.263 kilos
de assucar branco.
No hiate nacional Flor do Jardim, para Ma-
co, carregaram :
Martina Viegas, 10 barris com 300 litros de
mel, 2 barris com 180 dios de vinagre, 4 barri-
cas com 360 kilos de assucar branco e 1 caixao
com 30 ditos de doce.
Costa & Rocha, 50 sac;os com farinha de man-
dioca.
Na barcaca Camaragibe, para Parabyba.
carregaram :
P. Vianna & C, 6 barricas com 540 kilos de
assucar refinado.
Edital n. 28
Marca praso de 30 dias
As profees>ras Felbela Amalia de
Miranda e alumna mestra Francisca Her-
melinda de Araujo Vasconcelios.
De ordem do Dr. inspector geral taco
saber as profesoras Feliabella Amalia de
Miranda, removida por conveniencia do
servico publico, da 2.1 cadeira mixta de
Limoeiro para a de igual ensino da B^u
gy em Afogados do Recife, e alumna mes
tra titulada pela Escola Normal Francisca
Harmetiuda de Araujo Vasconcelios no-
meada para a do sexo femhrfno de Gloria
de Goit, que ihes ficam marcado o praso
de 30 dias p ra tirarem seus ttulos o to-
marem posse das respectivas cadeiras.
Secretaria da InstroocZo Publica, 11
de Julho de 1892.
O secretario.
Pergenfno Saraiva de Araujo Galvo.
DECLARARES
Pauta da AiSanegn
SBHA.NA DE 11 A 16 DE JULHO DE 1892
Alcool (litro)....... 489
Algodo em rsc.a Arroz com casca *JO) ... 90
Assucar retinado (silo) 666
Assucar branco (kili) .... 600
Assucar mascavado (kilo) ... 222
Bagas de mamonas (kilo) ... 126
Uorraca de leite mangab. (kilo) 2;0C0
Cachaca......... 270
Coaros seceos espichados (kilo) 654
Couros seceos salgados (kiio) 594
uouroa verdes (kilo)..... 315
Courinhoa (UBI)....... 1/J8/0
Carocos de algodSo (kilo) ... 45
Carrapateira (kilo)..... 120
Gac4o Oalo)....... 400
Caf bom (kilo)...... >*200
Caf restolho (kilo)..... 1/000
Caf moido (kilo)...... 1/400
Carnauba (kilo...... 1/666
Cera em velas (kilo)..... 640
Dita em bruto ou preparada (kilo) 650
Canna (litro)...... .300
Cal (litro)........ 10
Carvao de CardifT (ton.) ; 33/000
Farinna de mandioca (litoI r 62
Genebra (litro)...... 295
Graxa (sebo) ...... 633
laborand; (em folba) kilo ... 200
Leite de mangabeira (kilo) 1/466
Mel (litro)........ 125
HiihQ(kiio........ 90
Phosphato de cal da Ilha Ra (tone*
lada)......... 11/000
Pelie de cabra (cento)..... 187/000
Pelle de carneiro (cento) .... 145/000
Sement de carnauba (arroba) .
sola (meio)..... fc/500
Sement de carrapateira (kiio) 126
Sebo.......... 700
Tatajoba (kilo) *0
raboas de amarello em pstncnoss
(doria)........, 100/
Por esta repartijaoe de ordem do Dr. quet
tor policial se faz publico que foi apprehendido,
por urna pra^a da Companhia du Bombeiros e se
acba aqu depositad.) um caixote contendo sabo
netes, o quai lora abaodooafio por um iarapio,
quando se soppunba perseguido por dita prsca.
Quem se juigar com direito ao mesmo caixo-
te, apresente-se reelamaede-o, medame Joca
meatos probatorios ae 1-. g.limo dominio.
Secretaria da Qaeatura Policial do E;iado de
Peroambuco, em 9 de Julho de 1892.
O secretario,
Alvaro J-ff-"--i' THEATHO
SANTA
UI1MHI.4 DU9ATICI
Sil ifp Qq artista
ANTONIO OOMiiRA
Q-iiiita-feira, 14 de Julho
Alta novidade!!
Sun pinoso espectculo em grande gala para
solemosar o ainivsrsarlo da Temada da Bas-
tilha.
Depois do hymno nacional, tocaJo pela or-
ebestra, subir i scena o importaatissimo dra
ma em o actos
A Tomada da Bastilha
Finalisar o espectculo com um bello a pre-
psito alegrico que termn* com a vista da
Bastilha.
Honda para a Magdalena, Capuoga, Afogado?.
Trena para a liaba principal voltan o pelo Ar-
raya! e Olinda.
O .ecretario,
Silva Bastos.
Banco do Brazil
Paga se o 77 dividen-
do a razao de 12#O00 por
cada ac^ao da primeira
serie e 6$000 pela da se-
gunda, no esenptorio de
Pereira Carneiro e Comp.
a ra do Comniercio n. 6
Io aedar.
9 de Julho de 189!?.
Companhia Industrial
Pernambucana
Cocvida-se os senhores
subscnptoies de deben u-
res do emprestirr o. do jaro
de ?ete por cento e emis*
sao ao par, a vireui rece-
ber os respectivos titulos,
no escriptxrio a ra do
Commercio, n. 6, 2. an-
dar, at o dia 16 do cor-
rente.
9 de Julho de 1892.
Guarda Nacional
Por delibersco do concelho director to Club
Ceir! Beneficeute dos Officiaes da Guarda Na-
cional, 3o convidados todos os Sra. tfficiaes as-
ociaos. a comparecerem na tde deste Club no
dia 15 do correnle s 6 horas da tarde, afim de,
ein asstm'a geral, traiar-33 de assum>t05 im-
portantes, tendeiit-s a corpjrayo.
Siia das sessdes
Iteclfe, 7 de Julho de 1892.
O 1 secretario.
_________Tenente. A'fredo Soares de Azevedo.
Liela^o
Dos contribuintes sujeito ao imp. sto de
5' s5C0O rs. pola profissao de engenheiro
civil, conforme a tabella do tasas Usas
annexas a lei do orcamento vigente,
para o exercicio de 1S92.
Dr. Antonio Pereiro Simo ja
Dr. Nascimento Feitosa
Dr, Francisco de Souza Reis
Dr. A. Braz da Cucha
Dr. Jos Antonio Saja; va J-
nior
Dr. Manoel Martina Fiuza J-
nior
Dr. Luiz Jos da Silva
Dr. Paulo Pereira SimSes
Dr. Alfredo Silva
Dr. Carlos Alberto de Menezes
Dr. Caetano Alberto Castro
Nascimento
Dr. Heorique Schuter
Dr. F. Mackiotboro
Dr. Beyry
1.a secgSo da Recabedoria do Estado, 9
de Julho de 1892.
O chefe,
Horacio Peregrino.
Junta medica
Fago publ co que a junta medica do Estado,
rene se nesta inspectora de byiene todas as
qoartaiferas a um* hora da tarde.
Inspectora de Hyeieoe Publica do Estado de
Pernambaco, em & d Julho de 1892.
O secretario,
Guilherme Duarie.
Keudismeatos publico*
ana o julho db 1892
Mntya
Renda ge<-al
00 da 1 a 9 330:6724783
dem de 11 36:4034767
----------------417:0764550
Renda do Estado
Do dia 1 a 9
dem de U
71:811*480
3:0574064
49
76:8714530
Somma total
493:9484100
Segunda secgao da Alfandega de Pernambuco,
11 de Julbo de 1892.
O thesoureiro,
Floreocio Dominguei,
Servindo de chefe da seccao,
J. E. Pereira Magalhaes.
re:ebedo.ua do estado
Do da 1 a 9
dem de 11
103:4194922
7:0004000
50000
tOOOO
50300O
500000
50^000
50SCOO
50000
500000
50S000
5OS00O
5O0GOO
50,5000
5O0COO
500000
S. jR. J,
Sociedade Recreativa 4h-
Tcatutle
Partida do 28 auai 'ersario em 14 de Agosto
Os senhores eocio3 interessaJos pela no3sa
'esta aaciversaria, queiram iaformarem-se ua
sede social dos direitrs que Iba asaistem.
Secretaria da Sociedade Recreativa Javentude,
10 de Julho de 1892.O 2- secretario,
M. Caetaao.
Macau, barca portuguesa cap*
tSo J. S. de Araujo, em lastro.
Antilhas/ lugar ioglez Clatha,> cap.
tSo O. Q. Jojce, em lastro.
RECIFE DRALNAGE
Do dia 1 a 9
dem de 11
110:4194922
1.8304544
1:1304000
2:9604344
Movlmeno do porto
Navios entrados no dia 10
Baltimore54 dias, barca noruega Fi-
do,> de 519 toneladas, capitSo O. Chris-
tansen, cquipagem 10, carga, farinha
de trigo a Machado Lopes & C.
Oardiff43 dias, barca noruega Lya-
goer, de 458 toneladas, capito N. .
Nielsen. equipagem 11, carga, carvao
de pedra a ordem.
Terra Nova34 dias, lagar ingles Wil-
liam, de 198 toneladas, capitSo John
Fizard, equipagem 10, carga, bacalhau
a Blackburn Needham & C.
Navio sahido no mesmo dia
Rio Grande do Norte, escuna noruega
cAsir,> capitSo O. Edwardsen, em
lastro-
Navios entrados, no dia 11
Buenos Arres13 di*s, vpor ioglez
Alhena, de 1493 toneladas, comman-
dante John Clarke, equipagem 24, car
ga, milho a Livramento A C.
Cardiff44 dias, logar noreega de 421 toneladas, capitSo J. Berg,
equipagem 10, carga, carvSo de pedra
t> ordem.
Ilha da Figoeira39 dias, escuna portu-
guesa Feiticeira, de 58 toneladas,
capit'o Manoel Pereira Ramalheiro,
equipagem 7, carga, vinbos a Antonio
Mara da Silva.
Navios sahidos no mesmo dia
Cear e escala, vapor nacional Una,
commandante Monteiro, carga, varios
egearos.
Ulereado Municipal de 8.
O movimtnto deste mercado no
Julho foi o seguate : Entraram.
22 bois pesando 3,613 kilos.
484 k 11 compart. com mariscos a 100 rs.
49 lugares a 200 rs.
18 sainos a 200 rs.
61 cargas de farinha a 203 rs.
8 cargas de milho secco a 200 rs.
3 dilas com feijlo a200 rs.
2 cassas com gallinhas a 300 rs.
40 ditas com milho verde a 300 rs.
13 dita de batata a 300 rs.
7 ditas de canHa a 300 rs.
49 ditas com gerim a 300 rs.
2 dita de cebolinhos a 300 rs.
2 itas com fructas diversas a 300
3 cargas com amendoins a 300 rs.
3 d-as de melancia a 300 rs.
10 ditos com verduras a 300 rs.
61 ditos comfariutis a 400
7 cargas com gallinhas a 300 rs.
32 columnas a 600 rs.
8 compartimentos com res3uras
a 600 rs.
46 ditcs com faxendas etc. i 600 rs
9 dilos a 7C0 re.
34 ditos de comidas a 7C0 rs.
11 d'.toa de suiueiros a 14
19 Unos a2
dia 9 de
94680
14100
94800
34600
124000
1603
46>0
5600
124000
44300
24100
144700
4600
rs. 4600
14500
1#00
134300
24440o
34500
1S4200
44800
. 274600
6430
234800
114000
785000
Rendimento de 1 a 8
289UGO
2.0*7*5,0
2:3464720
Precos do iJa
Carne verde de 560 a 6} 3 ris o kilo.
SoinoE de 640 a 800 ris idem.
Carneiro de 800 a i 5 ris dem.
Farinha ie 56 J a 640 ris a caa.
Milho de 360 a 400 ris idem.
Feilo de 4800 a 14500 idem.
Vapores a entrar
Mez de Julho
Europa....... Aconcagua........
Europa....... Concordia.........
Europa ... Magdalena .:......
Sul.......... Europa. ........
Norte....... Pernambuco.......
Sul.......... Seguranca........
Norte....... Beberibe..........
Sul.......... Cljde.............
Europa....... Medoc............
Europa...... Scholar...........
Sul.......... Mandos...........
Europa....... Uaparica..........
or x........ S. Salvador.......
Europa... Actor.............
Sol.......... Espirito Santo-----
Europa....... Galicia...........
Norte....... Alagos...........
Sul.......... Olinda............
Vapore a sair
Mes de Julho
Sal.........Aconcagua........ 12 as
Sal......... Concordia......... 13 as
Sal.........Pernambuco....... 15 as
Norte....... Seguranza........ 16 as
Norte.......Mandos........... 18 as
Sal......... S. Salvador........20 as
Sol......... Galicia............ 24 as
Norte.......Espirito Santo.....23 as
12
12
14
14
15
15
15
16
17
17
17
17
20
23
24
30
1 h.
3 h.
5 u.
3 a.
5 h.
6 h.
1 h
5 h
4




?
-rs-r
* ..
-r---r
mwr**?




I-
Diario tte Pernambaco ~- Terca-leira 12 de Julho de 1M?

5
XXX^DPODa^OIWXO
DO
CAMPO
PSOJEOTO DE KSCRIPCIAO .
Para a 22 corrida a realizar scdomiugo. 17
de Julho de 1892
I. PAREO 17 de JULHO800 metros. Animaes de Pernambuco que n2o
tenham ganho premios nos prados do Recife. pbemios : 200^000
ao primeiro, 40,5000 'ao segundo e 200000 ao terceiro.
2. PAREO -DERBY-CLUB 900 metros. Animaes ce Pernimbuco_ que nSo
ganho de 30 de Janeiro 31 de Maio salvo a corridada do 15 de Maio
de 9?. premios: 200(J000>o primeiro, 40,5000 ao segundo e 20$
ao terceiro.
1. PttREO PRADO PERNAMBU8ANO 950 metros. Cavallos de Per
nambuco qt'.e n5o tenham ganho etn distancia superior a 1050 metros
nos prados do Recife, pdenlo entrar eguta do Estado, premios :
2O0O00 ao primeiro, 40$000 ao segundo e 2QJ0C0 ao terceiro.
4. PAREO LIBERDADE 1.000 metros. Animaes do Pernambuco que
nSo tenham ganho em maior distancia nos prados do Re cie e
nSo tenham victoria em 900 metros nos nusmos prados, premios :
2000000 ao primeiro, 405000 ao segundo e 205000 ao ter-
ceiro.
h PAREO IMPRENSA 1.300 metros. Animaes nacionaes, podendo en-
trar animaes estrangeiros que n2o tenham ganho. peimics : 400^000
ao primeiro, 80(5000 ao segundo e 40*000 ao terceiro.
G.J PAREO ESTADO DE PERNAMB J0O HA>UICAPE 1.400 metros.
Animaes de Pernambuco, que nao teohamganho em distancia superior
a 1050 metros nos prados do Recife. premios : 4008000 ao pri-
meiro, lOOJOO ao segundo e40#CO0 ao terceiro.
j/ PAREO PROGRESSO 850 metros. Animaes de Pernambuco. PRE-
MIOS : 2005000 ao primeiro 40)5000 ao segundo e 20,5000 ao ter-
ceiro.
8." PAREO IGUALDADE 800 metros Animaes de Pernambuca que
nSo tenham ganho em maior distancia, premi s : 2005000 ao pri-
meiro, 40f5jQO ao segando 205000 ao terceiro.
Observares
De accordo com o art. 5. do cdigo de corridas, n5o poderSo ser
inscriptos no pareo Derfcy-Club o animal Pygrneu e tudo no pareo Prado Pernam
bucino os animses Pirilampo e Maurity, no pareo Estado de Pernambuco o animal
Pyriiampo, no pareo Progresto os animaes Piramon e Maurity.
A mscripcSo encerrar-se-ha terca-f-ira, 12 do corrente s 6 horas di tarde
na secretaria do Hippodromo a ra 15 de Novembro n. 55, Io andar.
O animal vencedor do pareo Estido de Pernambuco nao contar v ictora
Secretaria do Hippodromo do Campo Grande, 6 de Julho de 1892.
O SECRETARIO,
rusto Silva-
Aug
*
i
Emprestimo emittido pela
Conipanhia Promotora de Industrias e Nelhoramenlos
O 3. sorteio ter lugar a 30 de Setembro de 1892, sendo o maior premio de
Ra. 25:0005000.
Alem do* de reia 2:0005000,1:0000000, 5605000, 2005000, 1005000, 505OCO,
405000 e 255000.
Pieqo de cala obigacao 20$000
Roga se aos Srs. possuidores de obrigacuc a virem receber os premios do se
gundo sorteio effectuado a 30 de Junho ultimo, bem como os juros vencidos do pri
meiro e segundo trimestre no escriptorio da Companhia a ra do Torre n. 42,
1. andar. _______________
PRADO"
PERNAMBHGANO
PROMTO M IMPCf 0
PARA 0 PAREO
Grande Premio Nacional
Que se realisar na corr ia que ter luga
no dia 24 de Julho de 1892
2.OG0 metrosAnimaes caeionaes.Premios ; 1.5005000 ao primeiro, 3005
ao segundo e 1505000 ao terceiro.
aiiscripco 120^000 rs.
Observages
A inscripgSo encerrar-se-ha terca-feira 19 de Julho do corrente anno.
Secretaria do Prado Perncmbucano, 10 de Junho da 1992.
O secretario,
J. A/ves.
Companhia
DE
Seguros Fidelidade de Lis-
boa
Agencia em Pernambuco
O Sr. Augusto de Cardoeo Rebello. que foi em
pregado nesta agencia e bontem abandouou a
casa de sua familia, seguiodo destino por ora
ignorado, nao estava por mim autorizado a re-
ceber dos Srs. Segurados qualquer somma per-
teaceote a esta agencia.
Recife, 9 de Julho de 1892.
Miguel Jos Alvea,
_________________________Agente.________
Santa Casa de .Misericordia
do Recife
Perante a junta administrativa, era sua sessao
do dia 12 do corrate, ir praca a renda an-
nnal do predio n. 9 da ra do Dr. Ivo Miquilioo
(outr'ora do Sol), composto da leja, 1- andar e
eotao, tendo por base o prego de 7204000 por
anuo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 6 de Julbo de 1892.
0 escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
ConeulaUe Frange
Al'occasion de la Fte
Nationale du 14 de Juillet,
M. Le Cnsul de France re-
cevra au Consulat de la
Rpublique Fran^aise 10
ru du Commerce, ce 1
heure a deux heures de
l'aprs miJi.
A. Le Brun.
Gompanhia Trilhos Urbanos do
Recife a Olinda e Beberibe
35 DIVIDENDO
Terya, quinta e sabbado da semana que
hoja comeca serSo pagos os dividendos se
mestraes da Oompanhia segundo a taxa de
6 0(0) o d'ahi em diante s tercas e sab-
bados de cada mez.
Para isto ser o Sr. theaoureiro encon-
trado no escriptorio da Companhia das 10
horas ao meio dia dos alludidos das.
Escriptorio do gerente, 2 de Julho de
1892.
A. P. Simpes.
Cmpenhia deFiacao e Te-
cidos de Pernambuco
Sao convidados os senbores accionistas a vi-
rem receber todos os das ntei-\ das 11 horas s
2 da tarde, ra do Bom Jess n. 42, 1 andar,
o 18 dividendo de 4 O/o relativo ao I* semestre
lindo em 30 de .'unbo do correte anuo.
Recife, 9 de Julho de 189J.
Joao Jos de Amorim,
Secretario._______
Inspeetoria de Hygiene Pu-
blica do Estado de Per-
nambuco.
Em virtude do que dispSe o artigo 68
do regulamento que baixou com o decre-
to n. 169 de 18 de Janeiro de 1890, esta
inspectora faz publico pelo prazo de 8
dias que o cidadSo Amaro Gomes de Oli-
veira, lhe dirigi a seguinte peticSo, com
os documentos que satisfacis as exigen-
cias do artigo 67 do citado regulamento :
Ao cidadSo Dr. Inspector de Hygiene
Publica.
Amaro Gomes de Oliveira, tendo com-
prado a antiga pharmacia da cidade de
Barreiroa, e achando-se habilitado a diri-
g! a, como prova .com os documentos au-
nexos ; vem respetosamente requerer-voa
a respectiva licenca.
Nestes termos, pede vos deferimento.
Barreiros, 20 de Junho de 1892.==Amaro
Gomes de Olineira.
Estava com o sello do Estado.
E declaro que se 30 dias depoia do ai-
timo annuncio, nenhum pharmaceutico
formado communicar a esta Inspectora
de Hygiene a resoluclo de estabelecer
pharmacia na citada localidade, conceder
ao pratico a licenca requerida.
Inspectora da Hygiene Publica de Per
nambuco, 28 de Junho de 1892.
O secretario,
Jote Guilherme da Silva Duarte.
/


Companhia Trilhos Urba-
nos do Recife a Oliuda e
Beberibe.
RESGATE DE ACQE3 PREFEREN
CIAES
Sao chamados ao escriptorio da Companhia os
possuidores das aceOes preferenciaes do empras
timo de 1875 de nmeros 76 a 100 para receber
o seu valor correspondente, pois que resolveu a
directora recolbelas re'.o seo numero de or-
dem, deixando por isso de vencer jures no pre
sent semestre. Para esse fim sera encontrado
o Sr. ibesoureiro das 10 horas ao meio dia, na
terca quinta e sabbado da semana prxima e
d'ahi em diante nos dias 1 e 16 de cada mez, e
as tercas e aabbados de cada semana.
Escriptorio do gerente, 1 de Junho de 1892.
A. Pereira Simoes.
Prado Pernam! ocano
A directora desta aociedade, em sesso de
boje resolveu multar os jocbye9 segutntes :
Gustavo, Antonio de Meira e Nicolao Mecdes
na quantia de 50*100 cada um, de accordo com
o art. 7 do cdigo de corridas JcSo Campos,
Olympio, Pedro Alexandrlno e Black, em 10*000
cada um, de accordo co.q o art. 51 ; Alejandre
Sampaio em 100*000, de accordo com o art. 48,
e Jote Marcelino suspenso por 60 dias, de accor-
do com o art. 52 e J nice do mesmo cdigo.
Secretarla do Prado Pernambucano, 7 de
Julho de 1892.O aeeretrio,
J. Alte;.
Companhia de Trilhos Ur-
banos do Recife a Olin-
da e Beberibe
JUROS DE DEBENTURES
A Companhia piga os ju os de seus
emprestirxoa de deben tu rea as tercas e
sabbados de cada semana, das 10 horas
da malina ao meio dia, no seu escriptorio
a ra da Aurora.
Escriptorio do gerente, 1 da Julho de
1892.
A. P. SimZes.
Corpo policial
O tenente-coronal M noel Goncalves Pereira
Lima, cemmandante do corpo policial, faz saber
3ne. autori ado pelo Exm. ,Sr. Dr. governador
o Estado, chama de novo a concorrencia pu
bllca, por ter sido apenas apreseotada urna pro
posta no dia 30 do mez Hado, sobre a compraade
17 cavados para a companhia de cavallaria do
corpo de polica, devendo os vendedores :pre-
sentarem suas propostas at o dia 15 do corren-
te, com o preco de cada om e mais condices
>nece6Barias ao respectivo julgamento, cojas pro
postas serac. abertas na secretaria dea'.e corpo,
no quartel da Soledade, s 11 horas do dia 16.
Quartel do corpo de polica, 6 de Julho de
1892.
Francisco Jos da Silva,
Tenente aecretarfo.

Areial n. 7
S. Jorge n. 112
Dita n. 47 ,
Dita n. 61
Ditan. 101
Vital de Oliveira n. 2
Guarapes a. 32
Dita n. 32
Dita n. 68
Dita n. 96
Dita n. 89
Travessa da Praga de Pedro I n. 1
Dita n. 3
Bario do Triumpho n. 44
Caes do Apollo a. 75
Santo Antonio
Imperador n. 4
Dita n 16
Dita o 44
Dita n. 54
Dita n. 1
Dita n. 27
Dita n. 45
Dita n. 49
Dita n. 55
Io de Marco n. 14
D que de Caxias n. 6
Dita n. 22
Dita n. 60
Dita n. 72
Dita n. 7
Dita o. 45
Dita n. 51
Cabug n. 11
Baro da Victoria n. 2
Dita n. 54
Laraogeiras n. 22
Travessa das Cruzes n. 2
Dita n. 4
Dita n. 6
Larga do Rozario n. 28
Dita n. 34
Dita n. 21
Dita n. 29
Dita n 33
Estreita do Rozario n. 31
S. Francisco n. 52
Roda n. 28
Travessa dos Quarteis n. 32
Becco da Matriz n. 15
Paz n. 13
Paulino Cmara n. 9
Dita n. 21
Largo do Carmo n. 9
Travessa da Bomba n. 8
Fogo n. 54
Travessa do Livramento n. 9
Livramento n. 27
Visconde de Iohanma n. 51
Pedro Affoaso n- 55
Marctlio Dias n. 30
Dita n. 25
Dita n. 27
Dita n. 43
Lare de S. Pedro n. 3
Travessa da Virac&o n. 8
Coronel Suassosa n. 2
Ditan. 42
Dita d. 5
Dita n. 9
Becco do Falcao n. 6
Travessa da Concordia n. 9
Palma o. 53
Da n. 63
Ma'quez do Herval n. 26
Dita n. 23
Largo da Pracota n. 1
Caes 2 de Novembro, (apparelbo
bli:o
S Jos
66,

pu-
Club Internacional do
Recife
Sarao anniversario
Acha se designado o dia 23 do corrente para
p sarao ccmmemorativo do anniversario deste
club. Os seohores socios queiram procurar os
seus ingresaos na sede do club nos dias uteis
da 7 as 9 lioras da noote.
Secretario do Club Internacional do Recife, 4
de Julbo de 1892.
0 I* 8ocrrtario,
_______________Alfredo B. dJ. Roaa Borgfs.
Recife Drainage
Retablo dos concertos feitos no mez de
Junbo prximo passado de conormidade
com a ultima parte do art. 10 do con-
tracto e 2- do art. 15 do reg, de 12
de Janeiro de 1872.
Recife
Bom Jess n. 2
Dita n. 44
Dita n. 62
Dita n. 9
Dita n. 31
Dita n. 43
Ditan. 57
Commercio n. 18
Largo do Corpo Santo n. 6
Bispo Saldioha n. 11
Tbom de Sooza n. 8
Beoco do Abren n i
Vigario Tbeuorio n 4
Dita n. 26
Dita n. 23
Burgos n. 7
Dita n. 19
Amorim n
Dita o. 17
Dita n. 25
Dita n. 33
Muedan. 29
Deaingos Jos Martina n.
Dita n. 108
Dita n. 138
Becco Largo n. 17
Travessa do Corpo Santo n. 14
Becco da Piodoba o. 1
Lomas Valentina n.
dem r>) 104,
Corooel Suassuna n. 234,
dem n. 256,
dem n. 150,
Palrua n. 107,
dem n. 117,
Mrquez do Herval n. 98,
dem n. 157,
dem n. 219,
Travessa do Poclnho n. 39,
dem n. 67,
Becco da Travessa do Gaz n. 3 B,
Vidal deNegreiros n. 18,
Idemn. 36.
Iiem n. 1,
Frei Henrique n. 20,
Dique o. 1,
Travessa do Prata n. 16,
Asaumpcjio n. 70,
Padre Floriano n. 21,
Travesea dos Copiares n. 6,
Forte o. 14,
Sania Cecilia n. 29,
Padre Mnniz n. 22,
Iiem n. 7,
dem n. 17,
dem n. 19,
8. Jote n. 9,
dem n. 11,
dem n. 25.
Pescadores n. 29
Travessa da Praia do Forte n. 28,
Fortaleza das Cinco Pontas.
Imperial n. 23,
dem n. 33,
Mercado Publico,
Boa Vista
Imperalriz n. 32,
dem n. 64,
dem ne 5,
dem n. 17,
dem n.31,
dem a. 63,
Praca de Maciel Piobeiro n. 32
ConceicSo n. 35.
Visconde de Pelotas n. 10,
dem n. 34,
dem n. 43,
Visconde de Albuquerqee n. 13,
Idemn. 17,
dem n. 39, 1
Ponte Velba n. 26,
dem n. 78,
Mem n. 79,
Unio n. 13,
Hospicio n. 53,
dem n. 65,
Iiem n. 69,
Rosario o. 17,
Gervasio Pires n. 56,
dem n. 45
dem n. 75,
Travesea da ra de Gervasio Pires n 19,
Socegj n. 51,
Alegra n. 24,
Uem n. 20,
dem n. 2S
Soltdade u. 3o,
Visconde Idea r. 123,
Recife, 12 de Julbo de 18S2.
J. F. Mackio oth,
Ge'ente.
Thesouro do Estado
de Pernambuco
5*000
5*000
3*600
3*500
3*500
3*98)
oOOO
SOOO
3*5C0
34600
3*500
3*5(0
3*500
8*600
3*500
3*600
3*500
15*300
16*800
14*100
8*600
3*500
o340
14*200
5*340
3*500
16*300
3*500
3*500
3*500
5*3 40
3*5iO
3*500
6*960
9*620
i 8*500
5*100
U*340
5*700
3*300
3*600
3*500
27500f
8*500
5*340
3*500
10*000
17*540
3*5(0
5*i60
6*600
3500
32*920
2*620
3*500
7*000
3*600
5*P40
3*L00
3*000
5*980
6*440
7*000
3*500
3*500
8*600
3*560
5*000
3*600
3*600
28*580
3*500
27*100
3*500
3 500
17*980
5*000
3*500
27*120
10*140
3*500
3*50'.
11*920
lOi-'OO
5*600
5*460
3*500
3*500
3*600
7*000
3*500
8*060
18*500
9*620
3*500
18*500
7*000
3*500
5*160
69G0
3*500
3*500
5*460
15*460
13*800
5*580
4*700
3*50
20*100
3*500
2*660
3*500
7*310
6*6f0
34*180
7*600
3*500
12*000
16*920
47*15J
?*t;oo
5*000
3*500
5*000
15*000
5*000
3*500
5*000
6*7(50
17*860
5*000
5*000
15*720
3*500
5*000
3*300
10*940
7*000
5*000
5*000
5*000
5*000
(5*480
3*750
13*420
5*000
INDICADOR COMMERCUL
DO
DIARIO DE PERNAMBUCO
Diverses ramos de negocios
Escriptorios

Ra do Commercio n. 36.
Ra do Bom Jess n. 26,
Ra do Commercio n. 38.
Ra 15 de Novembro n. 22.
Ra do Commercio n. 40.
Praga do Corpo Santo n. 3L
Ra do Commercio n. 8, andar.
Ra do Cominee io n. 13.
Ra do Vigario n. 17, 1. andar.
Ra do Commercio n. 6,1. andar.
Ra do Commercio n.g.
Caes da Companhia Pernambucana n. 12
Ra do Commercio n. 42.
Ra do Commercio n. 18 2. andar.
Ra do Commercio n. 13.
Ra do Commercio n. 13
Ra do Commercio n. 6, Io andar.
Ra do Commercio n. 6.
Ra do Commerciq n. 10, 1 andar.
Ra do Bom Jess n. 3.
Ra do Commercio n. 15,1. andar.
Rna do Commercio n.' 15.1- andarA
Ra do Commercio n. 13
Ra do Commercio n. 8, Io andar.
Ra do Commercio n. 48,
Ra do Bom Jess n. 7,1. andar.
Ba do Commercio n. 44.
Ba do Commercio n; 13
Ra do Commercio n. 10.
Ra do Bom Jess n. 18
Ra do Commercio n. 46.
Ra do Comercio n. 20.
Ra do Commercio n. 15' I.- andar.
Caes do Apollo n. 73.
Ra Mrquez de Olinda n. 23.
Ra do Commercio n. 14, l* andar.
Ra do Bar5o de S Borja n. 53.
Ra do Commercio n. 24.
Caes do Capibaribe n. 30
Ra de'Torresn. 35 5- andar.
9
78
Restaurajao n. 28
Dita o. 41
Dita n. 55
D. Mara Cesar n.
Dita n. 42
Pharoln. 6/
12
74000
3*600
5*000
16*600
1*500
3*600
3*500
12*000
31600
3*500
7*000 i
20*940
11*600 ;
7*100
8*6 o;
11*700 j
19*740,
8*000
3*600
3*500
:j500
3*5C0
3*200
3*500
5*100
ooo
8*260
3*500
3*600
12*ii0
5*100
De irdem do Sr. Dr. inspector desta
repart co, fcu publico que aman h 3 12 do
corrente serSo pagos os vencimentos dos
em pregados aposentados e jubilados, rela-
tivamente ao mes de Junho prozimo lindo.
Outro sim, declaro, que oe referidos
pagamentos comeQarSo as 10 horas da
manhS e terminarao impreterivelmente as
2 da Urde.
Thesouraria do Thesouro do Estado, 11
de Julho de 1892.
Servindo de escrivSo,
O 2.- escripturario-
Epaminondat de Vatconcdlot..
Ao commercio
Fabrica Amor
Os abaixo assignados proprietarios dessa 'a
lrica, sita ra larga do Rosario n. 8, partici-
pan] a todos es seos fieguezes oes'.a cidade, e
[ora della, qoe nesta data dippeosaram de seu
estabelecimento o caixeiro agenteTneotonioTos-
cano de Britto, e pedem aos mesmos freguezes
o especial faver de dlrigirem-se ao proprio es-
tabelecimento, em qoanto nao tOr preencbldo
7*000! esse lugar por outro empregado.
3*500 Recife, 9 de Julho de 1892
19*346 Viova Lorega & Oliveira.
Bancos
Banco de Crdito Universal-Gerente A. J. P.
Clarkson, (ausente) gerente interino-Tho-
maz Ellis...........
Banco de Crdito Real de PernambucoGerente
Jos4 Faustino Porto.......
Banco EmissorDirectores.Dr. J. E. Ferreira
Jacobina, Manoel Jos da Silva Guimaraes
e Dr. Jos Marcelino Rosa e Silva. .
Banco PopularGerente Gustavo da Silva An-
tunes.......,......
Banco de Pernambuco-Gerente William M.
Webster..........
Banco da Bolsa-Gerente Pedro Jos Pinto. .
Compaohias de Xavtgavo
Austro Hungarian LoydsAgentes Henry Fors-
ter & C.............
Liverpool Brazil River Pate Steam Ship Com-
pany Limited -BlachburnNeedham & C,. .
BahianaAgente Pedro Osorio de Cerqueira.
CariocaAgentes Pereira Carneiro & C. .
Chargeurs Reuns (Franceza)Agente Augusto
Labille...........
Companhia Pernambucana de Navegago a va-
por=Gerente interino Coronel Olisses A. de
Carralho ..........
Companhia Messageries MaritimesAgentes H.
Burle &C...........
Haraburg Sudamerikanische Dampfschifffahrt?
Gesellschaft Agentes Borstelman t C. .
Liverpool Undernziteoi AssociationAgentes
Blachburn Xccdham & C......
La Veloce Navegaone ItalianaAgentes Bla-
chburn Needham & C.......
Lloyd Brazilciro-Agentes Pereira Carneiro t C
Norte c SulAgentes os mesmos ....
Pacific Steam Navigation CompanyAgentes
Wilson Sons & C- Limited......
Real Mala InglezaAgentes Amorim Irmaos
*C.............
Red C'oss Lineo! Steamers. Agentes Johston
Pater&C.....e......
Seomans Line of Steamers. Agentes Johnston
Pater&C............
The Charent Steam Ship Company Limited
Agentes Blachburn Needham & C .
United States Brazil Mail Steam Ship Company
Agentes Henry Forster & C.....
Companhlas de Segures
Companhia AmphitnteDirector Commendador
Antonio Mar raes de Amorim.....
Fidelidade da LisboaAgente Miguel Jos Alvos
IndemnisadoraGerente Joaquim Alves da Fon-
seca. .............
Liverpool, & London, Globe Insurance Company
=Agentes Blucliburn Needham* C. .
Nortli Bntisli Murcantile-Insurance Company
Agente N- J. Lindstoue......
New-York Life Insurance Company Correspon-
dente Theod Cbristiansen......
Phenix Pernamrjucana=-Administrador Gerente
Luiz Duprat..........
Telegrapho
Agencia HavasSnicos telegraphicos. Agen-
te Eugene Chaline.... ....
Compaablas diversas
Companbia Adria.Agentes Jobnston Paler 4 C
Companhia de Productos Calcreos.Gerente
Caetano da Costa Moreira......
Companhia de Drogas e Productos Chimicos.
Gerente, Francisco Manoel da Silva. .
Companhia Nacional de Sallinas do Norte-
Agente Joo Mam de Albuquerque Oliveira.
Companhia Hotel InternationalDirector Secre-
tario, Eugene Chalirfe.......
Lunch Room do Hotel International. .
Companhia Serrana Pernambucana.Oflicinas
de carapina, marcineiroe segeiro. .
The North Brazilian Sugar Factores Limited
Gerente Henrique Svrales......
Corpo Consular estrangelro
Augusto Cohen=ConsuI do Reino Unido da In-
glaterra ............Ra do Commercio n. 16,1-andar.
Edwin Stevens-Consul dos Estados-Unidos da
America...........Ra do Commercio n. 8,2- andar.
M- A. Le Brum-Cnsul da Repblica Fran-
ceza ............Ruado rommercio n. 10, 1-andar.
Conslgnaces e comutlssdes
Amorim Irmos & C.Casa de Consignages e
CommissOes..........Ra do Bom Jess n. 3.
Augusto Labille.Casa de CommissOes e Con- :
signaes...........Ra do Commercjo n. 9, 1 andar.
Beatty Altgeldt & CCasa de Commissoes. Ra do Mrquez de Olinda n. 52, I* andar.
Borstelman&C. Escriptorio de Commissoes e
consignacOes..........Ra do Commercio n. 18, 2- andar.
Carlos Rabello 4 C. Casa de commissoes. Ruado Vigario n. 31, 1/ andar.
Francisco Ribeiro Pinto Guimar&esArmazem
de assucar e escriptorio de commissOes. Ra do Baro do Triumpho n. 96.
Henrv Forster Si CCasa de commissOes e con-
Bignaces...........Ra do Commercio n. 8. r andar.
Joo de Meira Lins.. Casa de;Commisses Ru do Bom Jess n. 44, 1.- andor
Jos Augusto Dias=Loja das Listras Azues=
Casa de Modas, e artigos de Novidades, Agen-
cia de artigos americanos.................. Ra Duque de Caxias n. 61
ohnston Pater 4 CCasa de commissOes e
consignacOes.........Ra do Commercio n. lo, 1." andai.
Machado Pmto 4 C Importadores, exportado-
res e commissarios.........Ra do Vigario n.
M. Maia & CSuccessores de Maia 4 Rczende
Escriptorio de commissoes.....Ra do Commercio n. 7, 1- andar.
Manoel Ferreira Bartliolo 4 CEscriptorio de
commissOes e assucar.......Ra do Bom Jess n. 4.
N. J. Lindstone-Casa de commissOes e alvaren-
oneiros...........Ra do Commercio n. 10.
Nieymer Cahen 4 CCasa de commiss5es Ra do Commercio n. 46, 1- andar.
Pereira Carneiro 4 i'.Casa de commissOes. Ra do Commercio n. 6, i- andar.
Silva Guimaraes 4 CEscriptorio de commis-
sOes e consignacOes.......Ra do Commercio n. 5 r andar.
Souza Pinheiro Tavares de Mello, Genro sOes ............Largo do Corpo Santo n. lo r andar.
Theod Cbristiansen Correspondente Je Ncw-York Ra do Bom Jess n 18.
Theod Just=?Casa de commissOes e represeu-
tagCes............Rua do Bom JcsU3 n- 62>
Wilson Sons C. Limited-Casa importadora de
. carvo de podra de todas as qualidades Ra do Coramerc n. 101 and??
Anuazens e lejas de fazendas
Alves de Britto 4 C-Armazem de fazendas em
grosso e a rotalho.......Pateo do Livramento n. 12
Andrade Lopes & C. Armazem de fazendas em
grosso o a retalho.........Ra Duque de Caxias n. o2.
Andrade Maia cC Ai mazem de fazendas em
grosso e a retalio........Pateo do Livramento n. 22.
Francisco GurgeJ <* Irni&o.Loja de fusendas c
modas ...........Ra de Margo n. 20 A
Guerra, Feraandes 4 CArmazem de fazendas
em grosso e a retalho.......Ra Duque de Caxias n. 47
Goncalves, Cunfra 4 C.-Armazem de fazendas
em grosso...........Ra do Mrquez de Olinda
LoureiroCMaia 4 CArmazem de fazendas em .._,. e
grosso e a retalho........Pateo do Livramento n. 8.
Olyntlio, Jardiir. & C. Armazem de fazendas
em grosso............RuaMarquezep Olinda ns. 16
Rodrigues Lima 4 CArmazem de fazendas em
grosso...........Ra do Mrquez de Olinda n. 20.
Armnzens e Ib Jas de f erras ens
Conrad Wachsmann Successor de Otto Bohres -
Armazem importador de ferragens e miu-
dezas...........Ra Mrquez de Olmda n. o2.
Oliveira Basto & CArmazem de miudezas,
quinquilharias e ferragens em grosso Ra Mrquez de Olinda n. 17.
Vianna Castro 4 C. -Loja de ferragens Ra Duque de Caxias n. 114.
Schlpe chandlers
Charles Pluym 4 C.=Schipe i handlers-Forne-
cedores dos paquetes franeczes e allemes. Ra da Cruz n. 35.
Hassames
loaquim Alves da Silva Santos -Armazem de n
magames...........Ra do Vigario n. O.
UtomU
J. E. Purcell.Lytbographia eTypographia a A-tatmJu* s
vapor .... ... Ra do Mrquez de Olinda n. 8
Hludezas e quinquilharias
Manel VieiraNeves-Loja de miudezas e quin- .
uilharias...........Ra Duque de Caxias n. UJ.
Farinha de trigo
Machadoi Lopes.Armazem de farinha de .
trigo. Importador........Caes do Apollo n. 47.
Caesotadores..eorsry^ ter da Regeneraso n.31
Armazem de baealho
Seixas Irm5os-Importadores de bacalho *. Largo .d'Alaadea n. 3


i




\







PMHH
i ,'" '

' !'' '


6
&
Diario de Pernambuco Terca-feira 12 de Juiho de 1892
i
Diversos ramos de negocios |
Escriptorios
Hiomaz los de GusmSoAgente d
Lonjas e crystaes
Jeto Dias Moreira & CArmazem de loucas e
crystaes ......
J^an Paterson & C.Fondicao geral. ^
rdozo & Irmao Grande fundigao de ferro e
bronze............
eideiros BowuianGrande Fundigo de ferro
e bronze, deposito de machinas agrcolas,
etc.............
Mz da Cruz Mesquita.Caldeiraria e fundi-
co de ferro e bronze.......
Diversos negocios
Atoe Stein & C--Negociantes de couros em ge-
ral e borracha.........
t6bach Broters Armazem de couros, pelles e
diversos gneros de exportaco ....
Fabrica e lo jas de calcados
jytoino Cruz 4 CBotina Maravilhosa -Luja de
calgados estrangeiros e nacionaes .
Braga S hu Campos & CA flor do bosque-Loja de
calcados estrangeiros c nacionaes .
Serrarla vapor
Jone Rufino Climaco da Silva. Serrara a vapor.
Armazem de fumo
Alnieida Machado 4 C.Armazem de tumos,
papel e outros gneros.......
Pereira Faria & CDeposito de papel para im-
presscs e encadei-najCes, rumo, gneros
de estiva e N'ubian........
Fabrica do cigarros
Heevo de Gusmo Fabrica Auxilio a Lavoura.
Armazens de estiva
omingos Ferreira da Silva 4 CArmazem de
gneros de estiva em grosso.....
Praga Rocha & CArmazem em grosso de g-
neros de estiva.........
Ferreira, Rodrigues 4 CImportadores e ex-
portadores degeneras de estiva.
Joo Alnieida & Torres Armazem de gene-
ros de estiva em grosso......
Jeaquirn Ferreira de CarvalhoArmazem de g-
neros de estiva em grosso......
Armazem de nadelras
Jos Rufino Climaco da SilvaArmazem de ma-
deiraa............
Enchimento de agurdente
ourado 4 CEnchimento de agurdente, al-
cool e mel.........
Habrca de vinlios, agurdente e alcool. Pinto
Ferreira & C..........
Indumento de alcool, agurdente e mel. Pin-
te Ferreira & compannia.......
Pereira Pinto 4 C..... ...
Hercearias
Costa Cazeiro & C Mercearia......
leves Pedresa & C....._.....
Talongueiro 4 CMercearia lusitana. .
Loja de chapeos de sol
teite Bastos 4 CLoja de chapeos de sol
Typotrraphla e E.iihographIa
Typ. AtelierMirandaTypograpbia e lithographia
a vapor, pautacao e encadernagao
Ra Mrquez de Olinda n. 48
Ra i- de Margo n. 16.
Ra doBarao do Triumpbo u. 44.
dem n. 104.
Idemn. 52.
Idemn. 66.
Ra do Torres n. 36 1 andar.
Ra do Bom Jess n. 5, 1- andar.
Ra i- de Margo n. 18.
Roa do Livramento n. 24.
Pateo do Livramento n. 10.
Caes da RegeneracSo n. 24.
Ra da Madre Deus n 36.
Ra do Amorim n. 66.
pFloriano n. 5.
Travessada Madre Deus n. 8.
Ra da Madre Deus n. 18.
Ra da Madre Deus ns. 12 e 14.
Travesea da Madre Deus n. 21.
Ra do Amorim n. 41

generago n. 21.
Compagina
H^tel InterBachmal de Pernaoi-
Em l(| .ii'arai)
Tendo sido resolva a liqoii)?eo desta rom-|
panbia em asFembla geral do dia 25 de Junlioj
ultimo a commissao liquidante representada em I
Percambuco peb Sr. D Adolpno Tacio da Costa
Gime, pede a todos os credorea queiram apre
sentar teus respectivos tilolos para serem oppor-
tusamente papo?.
Capital Federal, 1 de Juiho de 1892.
Tarquinio de Souza Filho.
_______________Jo'..- '.;: and.___________________
Veaeravel
IrmandadedoSS. Sacramen-
to da matriz de S.,Jos
De ordem do irmo juiz e de accordo eom o
disposto do art. 51 do nos30 compromiso, con
vido os no3s03 carlseimos irmos para reunirem
e em mesa geral em nosso consistorio, s 6 1/2
oras da taree do dia 14 do correrte, afim de
proce^ei-se aeleigao do thesoureiro.
Consistorio, em 14 de Julbo de 1892.
O escrivao,
__________ Gailherme Doarte.
Socedade Recreativa
Ra do Amorim n. 18.
Afogados.
Caes da Compannia Pernambucana n. 4.
Caes da Companhia Pernambucana n. 8.
Ra do Bom Jess n. 13.
Ra da Penha n. 33.
Ra do Pires n. 54
Pateo do Livramento n. 4.
Ra Duque de Caxias ns. 29 e 31.
Para carga, encommendas, passacens e di-
abeiro afrete trata-s: com os AGENTES.
O vapor Clyde
Commandante J. D. Spooner
E' esperado dos portos do s
at odia;. 1 e d3 Juiho de 18
segnindo epois da neces
idemora para
. Vicente, Lisboa. VIgo e Son
Raduccflo de pauagem
J/ia IJa tw^i
4' Lisboa lclasse 20 JO
4'Southampton 1'classe 4 28 SU
Camarotes reservados para os passageiroa d
Pernambuco.
Para pajsagens, fretos. encommendas, trata-?
om o
AGENTES
\morim Irmos & C.
N. 3~aa do Bou. JessN. 3
Apollo
; imia a todos
Pelo presente iaii a todos os socios desta
gocle.lade para assislirem a sesso de assembla
geral xtraordinaria. que ter lugar no da 13
4o corrente, pelas 7 horas da noote, nesta sede,
coen qua quer numero que comparecer, afiai de
e tratar de negocios urgentes, e bem assim de
Bre8tac5esde cbntas.
Recite. 11 de Julbo de 1892.
B. Reis Filho,
Presidente.
MARTIMOS
Companhia Peroambucaaa de
oavegaco
Esta companhia man.m a- segQ'ntcs linhas
regulares de Davegaco:
Norte tocando nos portes da Parahiba, Nala
Maco, Mosso-, Arrcaly e Fortalea, partindo
deste porto um pagete a 11 e 26 da cada mee
Sul, com escala pelos portos de Macei, Pene'
do Aractj, Estancia e Babia sabiodo des'e
porto a 14 e 29 de cada mez
Fernando de Noronha. partida no meado do
mes
Rio Formoso e Tamandar, sabida a 28;
Rio de Janeiro, (directamente) parte o paquete
de 25 a 30 do mez.
Rio Grande d Sul, (viagem directa) Bahe de
3, a 20 do mez.
Todos os paquetes sao novos tem excellente
accommodaes para passageiros e para carga
e os preeos sao muito reduzdos
Os passageiros encontrara, apar do bom (ra-
tamente, todo o conforto deeejavel a bordo ed
um paquete.
Os psqaetes que fazem as visgens -io Rio de
Janeiro, alm de terem tudo o que se encontram
nos paquetas modernos, accresce que fai a via-
gem em quatro das e o preco de passagens a
1* classe c 60OOO.
O paqatte empregado na viagem para o Rio
(irande do Sol rnente para carga, e tem o
oslado adequado a entrar do porto daquelle Es-
tado em qualquer occasio.
Recebe-se engajamento de carga por quanli-
dade xa para todas as viagens.
Outrosim, a companbia expedir paquetes ex-
toordiDarios desde que bija carga para o enga-
jfmeoto completo de um paquete.
Eacriptorio da Companhia Pernambucana
Boyal iiii steam PacKet un-
w
O vapor Magdalena
Commandante H. Rlgaud
E'esperado da Earepa do da
'14 de Jalno segnindo de-
Ipois da indispeneavel demora
para a
Baha, Rio de Janeiro, Montevideo e Bue-
noe-Ayret
Pacific Stsai Nanitiofl Com
y
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Aconcagua
E' esperado dos
portos do eul at
dia 14 de Julbo
segnindo depoisdaindispeBsavel demora para
Liverpool com escala por
Lisboa, Bordeaos, e Flymonth
Para carga, passageiros, encommendas e di
ibeiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilsofl, Sens i C, Limited
10-RA DO CQMMERCIO10
Wmm lainss
L.aha til m en sal
O paquete Mdoc
E' esperado da Europa at
o dia
17 de Juiho de tSOt
segnindo depois da indispensavel demora para o
Rio de Janeiro, Montevideo, Buenos-Ay-
res e Rosario de Santa F
ESTE VAPOR ENTRARA' SO PORTO
Previne-sp ainda aos Srs. recebedorea de mer-
cadorias que 'o se attender a reciamacOes por
(al as, que forem reconhecidas na occasio d>
lescarga dos volumes ; e que dentro de 48 no
ras a contardo dia da descarga das a.varengas,
^everao faier qnalqner reclamacao concernen-
tes a volumes que porventura tenham seguido
p ra os portos do sul, afim de serem dadas a
empo as providencias necessarias.
Roga-se aos Srs. passageiros de se aprsenla-
rem na vespera da chegada do vapor para toma-
rem as suas passagens.
Para carga, passagens, encommendas t d>
tieiro a frete: trata-so com os
AGENTES
H. Burle & C.
42Ra do Commtrcw4
The United States and Bra-
zilM. S. S. C. '
O vapor Seguranza
E' esperado dos portos do
sul at o dia ik de Ju-
lbo segnindo depois da de-
mora indispensavel para o
MaraDho, Para, Barbados, m.
Tbomaz e New-York
Pan carga, passagens, encommendase di-
ibeiro a frete trata-se oom os AGENTES.
O VAPOR INGLEZ
Federation
E' esperado de New York,
at o dia 1S de Julbo se
guindo depoii da indis
pensavel demora
Baha, Rio de Janeiro e Santo*
Para carga, passagens, encommendas di-
ohero a frete : tratase com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commereio8
Io andar_______________
"Cfl^RGEURS REUJN1S
Companhia Fraaceaa
DS
XavegacSo vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Bahia^ Rio de Janeiro e
San toa.
O vapor Concordia
Commandante Thebault
ENTRARA' NO PORTO
E' esperado de
Europa at o dia
n de Julbo a
seguir depois da
aecessarla demo-
ra para
Sabia, Rio de Janeiro e antot
Roga-se aos Srs. Importadores de carga pelos
vapores desta linbs, queiram apresentar dentre
le 6 das, a contar do da descarga das alvaren-
^as qualquer reclamacao conceraente a volumes
Iue porventura tenham seguido para os portos
o sul, afim de Be poderem dar a tempo as pro-
videncias necessarias.
Expirado o referido prazo a companbia nao
le responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas passageiros,
spara os quaes tem encllenles accommodacOe
i tratar com o
AGENTE
Auguste Labille
9RA DO CQMMERCIO9
Lloyd Brasileiro
Seccfio de navegacSo
DA
SMPREZA DE OBRAS PUBLICAS NO
BRAZIL
PORTOS DO NORTE
O paquete
Pernambuco
Commandante Roberto Ripper
E' esperado dos portos do or
te at o dia io e Julbo se-
lindo depois ca demora do
istume para
acei. Baha, Espirito-Santo e Rio de
Janeiro
Recebe carga a baldear no Rio de Janeiro
jara Santos, Canana, Iguape, Paranagu, An
:oiina, S. Francisco, Itajahj, Santa Calharina
aic Grande, Pelotas e Porto Alegre.
As encommendas serao recebidas at 1 hora
la tarde'do dia da sabida, no trapiche Barbse
no largo do Corpo Santo n. 11.
Para carga, passagens e valorea: tratase com
03 AGENTES.
PORTOS DO SUL
O paquete
Espirito-Santo
Commandante Florindo F. Dias
E' esperado dos
portos do sul at
o dia l de Ju-
liho ceguindo de-
de pois da demo
ra oecessrna para
Parahyb, Natal, Cear, AmarracSo, Ma-
ranbio, Para Obidos e Manos
As encommendas serao recebidas at 1 hora
lo tarde do dia da sabida, no trapiche Barbosa
o Uirgo do Corpo Santo n. 11.
Aos Srs. carregadores pedimos a sua attenc>>
jara a clausula 10 dos conhecimentos, que
No caso de haver alguma reclamacao contra i
ompannia, por avaria ou perda, deve ser feiU
>or escripto ao agente respectivo do porto d
lescarga, dettro de tres dias depois da fina-
lada.
Nao procedendo esta formalidade a compannu
ca iseata de toda a responsabilidade.
Para passagens, fretea e encommendas tr
a-sa com os
AGENTES
Pereira Carneiro& C.
c?mRua do ComUTcio=6
1 andar
Iba, completa, 1 piano do autor Ruppak, 1 cepa
para o mesmo, 1 cadeira de junco com estofo
para piano, 4 ps de vidro para piano, 1 espelbo
grande, 2 ricos qnadros, 2 pares de etageres, 3
pares de j?rros bnos, 1 par de lanlernas borda-
das com pingentes, 1 catangas bromeadas, 1
par de medalhSo dourado, 1 vista do Rio de Ja-
neiro, 2 bolas de vidro com ps de porcellana, 1
csndieiro de suspeoo (lela durl ),& poeta-plan
tas com es cimpelentes jarros e plantas natu
raes, 4 cantoneiras de m.ial para flores arttO
ciaes, 3 langas para cortinado. 1 guarnicao de
pannos bardados para uiobia, 1 pele grande
para sof, 4 tapetes para pona, 2 capacnos re-
dondos, 2 esrarrad^iras de porcellana, 2 capa-
chos para porta. 1 estante para muica, com f,
4 colle^Oes de msicas encardenadas.
Urna cama francesa, 1 guarda vestido de ama
relio, 1 toilette, 1 guarnicao para o mesmo, 1 ca-
deira privada, 1 capola, 1 tapete para cama, 1
escarradeira, 1 cabide de columna. 1 mesa qua-
drada com ps torneados, 1 meo costureira, 1
guarda-roupa pequeo, 1 commoda de smarel'o,
1 banca com gaveta, 1 estante envidracada para
livros, 1 arandela para kerosene.
Uma mesa elstica com 4 taboas, 1 aparador
grande, 1 dito com gavetas, 1 sof, 6 cadeiras de
junco, pretas, 1 lavatorio com bacia, 2 quarti-
nheiras com quartinhas,2 escarradeiras, 2 jarros
com torneiras, 2 cadeiras com braco?, 6 pralos
de melbl para parede, 2 cabecas de viaao, 2 qna-
dros, 2 etageres, 1 candieiro de suspensao, 1 cai-
xa de madeira tiogindo um livro, 1 laniema e
caslical, 1 jarra de vidro com p de metal, i por-
ta relogio, 2 calungas de porcellana, I apparelbo
de porcellara uno para alnioco, porcellanas para
jantar, copos, clice?, garrafas, compoteiras,
fructeiras, galBeteiro, talheres e colberes.
Uma mesa de ibas com armario, 1 dita de co-
sinba, 1 banca, 1 tabea ecavallete para engom
mado, 1 lavatorio de ferro, 1 espregoicadeira, 2
pilcos, 3 candieiroa de vidro de cores, 1 dito
para jardim, 1 taxo grande de cobre, 1 trem de
cosinba, 1 banheir-j grande de folha, 7 telbas de
zinco, 1 estrado, latas vaeias, ferramentas para
jarditn e muitos outros objectos.
O agente Gosmao. auionsado por uma familia
que retirou-se para fra do Estado far leilio
dos objectos cima descriptoe.
Para evitar davidas futuras
Constando an abaixo assignado que a Sr. Joao
Leodegario de Parias Barbosa, procura negociar
uma caucao a que julga ter direilo, como ex-so-
cio ua empreitada de constra(3o da estrada cea
tral de Pernambuco, entre Beserros a Camossim.
Previne-se a quem ioteressar possa, que o abai-
xo assignado est fazeodo todo para qae a em
oreitada v aSoal 2- o contrato, porque e assim
pode arredar o governo de ser o nico previle-
giaJo, depois desie von eu discutir artigos de
preferencia per setenta e tantas conlas que pa-
guei de letras e contas de debito da firma Dan-
tas Farias & Mello.
Recife, 9 de Julbo de 1892.
Manoel Soares de Figueiredo.
A Boa F
Roa da Imperatris n. 78 A
Botinas para seubora a 2*500 o par._______
Libras sterliuas
Vende-se na loja de joias de Augusto Rege
a ra a do Cabog n. 9.___________________
Caixeiro
Precisa-ee de om menino ; a tratar na ra de
Paulino Cmara n. 2.
.E1L0ES
Hoje 12, s 11 horas, leilo do carrega-
mento de Sil Jo Patacoo allemSo D. Pedro.
Ao meio dia, leilao de um bote na guarda-
mcria da Albndega.
Qaarta feira 13, leilo de movis, louca e
vidros. na casa da ra do Alecrim n. 36.
Quinta feira 14, de bons predios ediflsados
em ras de grande commereio.
Leilao
Do bote e 3 remos, salvados do lugar di-
nimarquez- Mett, que foi a pique no Rio
Grande do Norte.
Hoje 12, ao meio dia
Agente Pinto
Na Guarda Mora da Alian doga
Leilao de sal
Terfafeira 12 do eorrenle
A's i f horas em ponto
No armazem da ra do Bom Jess n. 45
O agente Pinto, levar a leilao por mandado
do HInc. Sr. Dr. juiz seccional, a requerimento
de Bernhard Scbomieders, capito do pa'acbo
allemSo D Pedro, arribado oeste porto por for
ca maior na sua ultima viagem de Macan para
Pelotas, com licenga do Sr. inspector da Alian
deg, em presenta do empregado da mesma re
partigao para o liin nomeado e por conta e risco
de qoem perteocer, decerca de 240-0C0 litros
de sal ti ao lavado, exist- nte a bordo do mesmo
palacbo.
O referido leilao deve ter lugtr s 11 horas
em ponto, do dia 12 do corrente. no armazem da
ra do Bom Je^ns n. 45 ; onde os pretendentes
encontrarao desdej a mos'ra do mesmo sal.
No caes do Ramos n. 32
Leilao
De movis, piano, espelbo, quadros, por-
cellanas, loucas, vidros, tarramentas para
jardim e trem de cosinha.
Terca-feira, 12 do corrente
A's 11 hora
Ns casa sita a roa dts Nympbss n. 14, na
Soledade
CONSTANDO:
De urna mobilia austraca com eocoito de pa-
Leilao
De movis, louy, vidros e crystaes
Qarta-fein. (3 de corrente
A gente Pinto
Na casa da ra do Alecrim n. 36
Uma mobilia com 1 sof, 2 coneo'os. 2 ca-
deiras de bracas e 12 de guarnicao, 1 espelbo
dourado oval, 2 ditos para consolos, 2 cadeiras
de balanco, 1 mesa jardioeira, 2 serpentinas de
crjatal, 3 quadros doorados e 5 pacoos de cro-
chet.
Uma cama, 1 marquezao, 2 lavatorios, 2 es
pelbos pequeos.
Uma mesa elastha, 1 aparador, 12 cadeiras,
copos para agua, chicaras e pires de porcelana,
quadroi e outros movis de casa de familia.
Leilao
De bens predios a saber :
0 sobrado de 2 andares da ra Larga do Rosa-
rio n. 16.
O sobrado de 2 andares da ra de Marcilio
Dias n. 3t.
Um dito na mesma ra n. 24.
Um dito na mesma iui o. 88.
Urna casa terrea na mesma ra a. 80 em chao
proprio.
Um sobrado de 1 andar a ra das Trinebeiras
n. 36 em chao preprij.
Urna casa terrea da roa Imperial d. 13.
Udu dita da mesma ra n. 167.
Uma dita da ra do padre Nobrega n. 57, em
cbao proprio.
Urna dita da ra dos Guararapes n. 81, em
chao proprio.
Qainta-fcira, 14 de Juiho
Agente Pinto
AS 11 HORA a
No armazem da ra do Bom J- sus n. 45
Leilao
Agente Britto
De uma casa terrea n. 23 ra da Santa
Cruz
O agente cima a mandado do IUro. Sr. D\
juiz de direito de orpb03e ausentes e em sua
presenca vonler em leilao a casa terrea n. 23
ra da Santa Cruz, com 2 salas. 3 quartos,
saleta e cosmha fora e quarto reedificada a mc-
derna com azulejo na frente, a qual se vende a
requer ment do tutor da menor Joanna.
Sexta-feira, 15 do corrente
Ra da lu.peratr n 48
A'a 11 horas
AVISOS DIVERSOS
No becco aos Ferreiros n. 6, precisa se de
um criado com urgencia e que tenba boa con
docta.
Precisa-se de um caixeiro ; na ra da Im-
peratriz n. 58, tatema.____________^^_
Prectsa-se de dous portugueses, um para
ser vico de campo e ootro para eslribeiro ; na
ra Vidal de 1*1 greiros n. 156.______________
Precisase de uma ama para cosinhar e de
um trabalhador que entenda de jardim, para um
sillo no Arraial; a tratar no armazem a iravessa
do Corpo Santo n. 27, das 11 horas s 4 da
tarde.
Espelhosgrandes quadrados eovaes. dou-
rado uno e m.ldura larga, de 94 a 20f000 cada
um, receben a Florida i ra Duque de Caxias
Dumero 103.
Precisa-se de um bom copeiro; a tratar na
ra da Imperatriz n 3, 1- andar.__________
Precisase de uma rapariga de 12 16
anuos, de bous costumes, pa-a andar con crian-
gas ; na ra Augusta n. 189.
No becco dos Ferreiros n. 6, precisa se de
costureiras habilitadas em costuras desenhora.
Precisa se de uma criada para carregar
uma enanca ; a tratar na ra da Cadcia n. 35
loja. ______
Precisa se comprar tres csis boas e em
lugares onde passe bend ou trem. ou no balrro
da Boa Vista, deixando no escriptorio da jpo
grapbia do "Diario carta com aginiciaes P P.
m Aluga-se metade de uma casa onde mora
urna senbora viuva e bonesa, na ra da Gloria
n. 76, porm somente familia honesta e de
bons costumes, e que nao exceda de doas a tres
pessoas, prefere uma senbora viuva sem lilbos
ou uma solieira de idi.de.
Ao commereio
Estando em balanco a casa commercial de
Antonio Joaquim de Araujo cipal da firma, abairo assignado, pede ao com-
mereio em geral, que nao venda mercadoria
alguma a crdito mesma firma, sem qae se
linde o dito balanco e os socios resolvam uma
duvida havida na socledade.
Antonio Joaquim de Araujo & C.
Para priacipiante
Vende-se a taverna no largo da assembli n.
17 (Forte do Mattos) esquina da roa Lapa, pelo
dono nSo poder adm'uii>tral-a por ter outra oc-
cupacSo< bem afreguezada no retaibo e aluguel
barato ; a tratar na ra da Cadtia do Recife n.
3. loja de bilhetes, ou do Pilar o. 63. ________
Livro perdi lo
Perdeu Be um livro francs, Lgende de Iris-
non, Versailles etc. por Zoaide Henriat. no dia
2 do correte, no leilao do Camicho Novo, ou
pela estrada da Estancia ou n'um boods da Mag
dalena ; quera acbou queira ter a bondale de
levar 4 roa Barao da Victoria n. 63, 1 andar,
qae ser gratificado.
'
Criado
Dr. Jo* Camino Kjlnnarea de
*lbnqnfrque
Salvador Arres de Frettss. Julia Ayres Linbi-
res de Alouqaerque e teas Altaos, agradecidos a
todos que acompanharam os restos ccortaeB de
sen genro, esposo e pi. Dr. Jos Gamillo Linha-
es de Albuquerque, convidara aos stus parentes
e amigos, aos quaes de novo agradecen), pare
assistirem asmissas de stimo da, que por alma
do mesmo mandam rezar no dia 13 '" Julbo, nt
matric da Boa-Vista. D^las 8 horas a roanhS.
t
Joo Plntaelro Cmtml
Os empregados da Casa de Oeienfo. come
prova de rentimeoto pela perda de sen ex com-
panheiro Joo Pinheiro Catle, resolveram mas-
dar celebrar algum .a missas s 8 horas da ma-
cha de 14 do correte, na matriz de Santo Anto-
nio, trigsimo dia do seu passameoto, para cujo
acto convidam a Exma. familia e amigos daquel-
le, pelo que desde j se confessam som mamen te
gratos a lodos aoe rompareeerem.
Preciea-se de um criado de boa conducta-
para servico de fabrica : na ra de S. Joao no,
mero I7!_______________________^_^^__
Yendc-se
Uma porgo de travejamento j servido ; a
tratar no sobrado cimenta to largo da Soie-
dade.
Predios venda
Ra da Matriz da Boa Vis'a n. 42. e pateo do
Terco o. 92 ; a tratar na ra do Cabog n. 3,
oja de bilheies.
Anima es tintados
Foram furtados em a noute de ante Montera
para hontem, do cercado do eogenbo Poetas, em
Caxang, uma ezoa alas cachita, com crioas e
cauda brancas, ferrada com as iniciaes J. M.
C. A. e um garaabao russo foveiro, defeituoso
das maos : quem apprehenJel-os e lvalos a
aquello engenho ser generosamente recompen
sado.___________________
Pos dalmatinos contra
insectos
Remedio infallivel contra persovejos, pageul
outros insectos.
DepoMto : ra do Bom Jess n. 62
Em casa -le Theod. Just
Re'ogio perdido
Perdeu so do Mondego at a ra do
Crespo, um relogio com corrente de ouro,
com as niciaes seguintes A. E. O, em
monogramm* no relogio o A. M. na cer-
rn te.
Que 21 o ti ver achado queira ter a bon-
dade de entregal-o a ra Duque de Ca
xiaa n. 52.____________________________
Vende-se
Uma casa de prdra e cal n'Agra Fria, prxi-
ma a estaco do Arruda.com 2 salas, 2 quartos,
cosinha fra, cacimba d'igta potavel e portSo ao
lado, cojo terreno proprio lem 95 palmos de
frente e icO de loodo : a tratar i a ra do Impe-
rador n. 79. lado do caes 2 de Novembro, das
1 horas s 3 da tarde.
Taverna
Vende-se uma taverna em boa localidade e
com pouco3 fon '03, propria para principiante i
a t atar na roa Direita de Afogados n. 96.
Aviso
Angdica Silva prepara com a max>ma proil
ciencia toilette de seubcras e cnangas, precos
mdicos ; na ra do Ccbug n 7, prlmeiro
andar.
Engenho
Vndese o permuta se por predios Desta
cidade, um esgeobo com capacidade para sa
frejar ate mil ates, legua e rueia distante da
capital ; atratsrna roa doVigario n. 31, pn-
mero aedir. ___________
Criado
Precisa.se de um criado ; ua roa Duque de
Caxias n.91.
Attencao
Perdeu se ou foraio subtrhido? 2/10, 8*e 9
i e ns. 292S5 da grande lotera da Babia de tres
sorteios de 1,500:000a, cuja extracte ter logar
boje, 9 do corrente. Pede se aos senbores agen-
tes desta capital que suspendam o pagamento
dos referidos decimos, caso sejam premiados, a
quem quer que se aprsente como dono, visto
provar ter direito aos mesmos o Sr. Leandro Lo
pes Dias.
Recife, 8 de Jnlhi de 1898._______________
Azeite puro de Oliveira
Em latas de 1, 2e 4 litros.
Receberam
GUIMABES & VALENTE
2 e \ Praca do Corpo Saoto K e 6
Hor:elo
Precisa se de um horteiSo que entenda de seu
mister; a tratar no armazem do Lima, ra Paro
da Victoria n. 3.
CentO por cento
Cautellas do Monte de
Soccorro compra-se com
100 *i cima da avaliagao
na relojoara Vernet.
Ra do Barao da Victori
n. 53.
Janipabo
Comprase janipabo em pequeas e grandes
quantidades : na ra do Principe n. 28.
FranclMca 41vea de Aaevedo
Francelioo Goilberme de Azevedo e seos si-
lbos convidam a seus parentes e am'gos para
aesistirem asmissas que mandam rezar por alma
de sua esposa e mai, D. FrancisSa Alves de Aze-
vedo. na quinta feira 14 do corrente mez, na
matriz da villa de Quipap por cojo rompareci-
mento se confessam eiernamenfi grato?. ____
Frecisa-se de uma ama para casa de
familia, para comprar, cosinhar e faser
nais aguns servidos, a tratar ca ra da
Imperatriz n. 24 1 andar.
\ma
13
Precisa ee de uma ama que saiba cosinhar
b?m e que durma em casa dos patrOes ; no pa-
teo la Santa Cruz n, 2. NSo se faz questao de
preco.___________________________
ata
Precisa-ee de uma ama para tratar de uma
cuan a ; na ra do Bom Jess n 22.
4ma portugneza
Prccisa-se de uma ama portugueza de meia
idade ; na ra Pedro Alfonso n. 2, antiga da
Praia.
au
Precisa >e de duas imas para cosiohar e e-
gommar; a tratar no largo do Corpo Saoto a.
17, 2- andar.____________________________
Amas
Precisa se de amas, uma para tratar de duas
criancas e out'a para cesinhar, sendo a dormida
em c^sa dos paties; a tratar no Livramento -
1, sobrado. ______________
Ama
Prec sa se de uma ama para andar com ui
menino ; na iua da Uoio n 56. ^^^^^^
Ama
cxuiu
Precisa-se de uma ama para comprar e cosi-
nhar, para duas pesjoas; na roa Baro da vic-
toria n. 6._________
Ama
Gosinheira
Precisa se de uma que cosinhe com perfeicio
na roa Velha n. 28 _________
Moedas brasileiras
Compra se de 600 rs., U000, 2*000 no centrr
da moeda na ra do Cabug n. 9, loja de Ao*
gusto do Reg.__________________________
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro; a tratar na iraves-
sa das Croles n. 16. ________
Patacoes
Compra-se de todas as nac&es ; na ra do Ca-
bng n. 9, loja de Augusto do ego._________
Escuaa portugueza Feiti-
ceira
Segu nestes seis dias para a liba de S. Mi-
guel, e por ter parte da carga engajada precisa
eogajar o resto : a tratar com \ntonio Mara da
Silva ra da Companh a Pernambucana n. 8.
Precisa se de uma ama'para cosirba*; a tra-
tar na ra do Atalbo n. 15.
Estopa usada
Vende-se per preco commedo : no trapica
Viaona, Forte do Mattos.
Ao commereio
O abaixo assnado f.z sciente ao publico e
eepec almente ao respeitavel corpo commercial.
que nesta data comprou ao Sr. Antnn'o Mendos
Pereira da Costa a sua taverna n. 23, sita ras
Vidal de Negreiro3, livre e desembarcada de
qualquer onus ', se alguem se julgar com diselte
a mesma, apresente-se no praso de tres dias.
Recife, 11 de Juiho de 1892.
___________Joaquim Barbosa de Souza.
^ASTHMA
Oppre88tlo, Catarro, com o
ic> C3i_.:.-s-. -
Obttre as maii altas recompentm.
Deposito em todas as PharmaclM.
Criado
Na ra Real da Torre n. .21, precisa-se de un
errado de 14 16 aonos.
M edices de trra
O engenheiro C. C. Carlini, contina a encer-
regar-se de medicos de trra, levanlamento de
plantas topogrficas, civeilamentos, projectoa
de parques, jardins e chalets, etc.; na ra da
Atalaia, na cidade da Escada.
Compra-se
A Associaco da Praticagem compra apolises
geraes e arcOes do Banro do Brazil.
R-cife, 11 de Julbo de 1892.
O escrivao,
______________ J. B. Ejteve3 de Souza.
Predios venda
O predio da roa do Caldeireiro d. 24 (Moa-
teiro).
Metade do predio da roa Visconle de 6ovanaa
numero 101.
Telheiro da ra da Ccnceicao n. 30.
Dito da roa do Amparo n. 24 (Olinda).
Trata-se na roa do Commereio n. 13, prlmeire
andar (fundos). ______ _________
Vende-se
Um bom nfgocio de seceos e molbados, multe
bem localisado, com comrxodo para familia, a
por prego muito commodo ; oa ra do Coronel
Snassnna n. 1.__________________
Caderneta perdida
Perdeu se a caderneta da Caixa Econmica
15112, pertencente a Lourenca francisca Br
lina ; quem a encontrn faca favor de entre
ra da Senzalls Velha n. 0, que ser gratl
cado.
Etoyal
WMY
Blend marca VIADO
Eate excellente Whisky Escoces pre-
erivel ao cognac on agurdente de eanns
para ortifoar o corpo.
Vende ae a retalho nos m orea ansa-
ten s de molbados.
Pede Roya! Blend an VIad*,
sajo nome e emblema sBo regs tradoe pan
to?do o Brasil.
BROWNS & C
fe



-
I>,
-

.


i
m ii m*

h
v,r
IWII II I'


z
Diario de Pernambuco Ter?a-feira 12 de Jolho de 1892
GUERLAIN e PARS
***
perfumara DE IVC7XO, HiXaEi, de la
**
ABTIiOS A' MODA ESFECIALIEITE BECOMIEXQADOS
Agua de Colonia Imperial branca, Alambreada, Almiara rada, pa Unoo. SapoaaU, SaMa
Crema saponcea para barba. Crcme de Morangos t Creme de Pepino, par* ar freacnra i**ia4*aa 4
cntia. Stilbolda crista!lijada e fluida para dar lastro aos cabello! e barba.Agua Athe&lenae Agua Loatnlpafn
oa cuidados de cabaca. Apua de Chyprc e Agua de Cedrato para o tcacador. Alcool de Coooloaxia a
Agriao para as cuidados da noca. Perfumes para o lenco : Heliotroplo branco, Imperial Roaao, PrlmaTan ca
Hespanha, P4o-Boso, Perf uu-.e da Franca, Jieky, Benascimento Brasileiro. Pode Cyprla para dar alna
i cutis.- aguada f.oloni.-. imperial BU3SA. AguaXea;emonlrnne, Excellence. Hydral para toltoaa.

Em tamanbo natural pintados a Oteo e a Crayon coc linda moldura Vourada
ina em sito relevo e cordSea com duae liadas borlas de 15 e seda, tudo
POR 35:000 E M AIS PR^S
As Exmas. Familias devem ter em saa salla de Tisitts RETRATOS de seus
parentes e amigos ntimos em lugar de vistas e .'ays-igens que cao tem recoadacao
algnma, e pelos precos molios que custam os RETRATOS muito fcil se obter
dirigindo um pequeo RETRATO em cartao de visita, nao importa que seja antigo,
basta dizer a cor dos olbos e do cabello para chegar um RETRATO muito perfeito
c a contento de quem eneommendar.
Queirm ver a expos9o de retratos
61Ra Duque de Caxias61
LOJA DAS L8TKAS AZES
Onde se rccebem ensommendas ; as pessoas de fora da cidade que desejero
encommedar Jalgum RETRATO em tamanho natural podem remetter as phothogra-
pbias em carta registrada ao agente geral em Pernambuco.
ras: j^rr&xjsa?a :ox.a.s
<1
x
H
>
x
*
AUGMENTA
TNICO
ORIENTAL
CURA A CASPA
IMPEDE A CAHIDA DO
CABELLO
PERFUMA

a
*
de _;
1
CAJ BRAZIL
X ds l/1j-\CD >-
O E P~OS I-T-O"Ja^
IfADHElDE BEUS 5

uu.t i11
N9 as'EABRIGA' ^?
mRUA DO VISCONOE 00 RIO "
BRANCO M 1
ANTIGA OA AURORA III
0 proprietario desie estabelecimeoto, desejan-
do tomar bem conhecido do publico os pro-
ductos de ana fabrica extrabidos do caj, geni-
papo, abacaxi e outras troclas Dacionaes, cujas
formulas e modo de preparacao foram approva-
dos pela IasDectoria da Hygiene deste Estado,
vem apreaeotar a lista dos ditos productos, que
cada da vao sendo confeccionados com mai3
perfeicao c aceio gracas aos seus esforcos e de
habis fabricantes europeos.
Alm das virtudes medicinaec uos preparados
da marca supra. que tem por base o caj e ge-
nipapo, como sejam os viobos, aperitaes e cog
nac, que s?o perfeitam rite coobecidos por lodo
o mondo, tob eeae anda c uso quotidiano que
delles se faz lembrar por occasiSo das refeices
diarias, como bebidas de ebeiro e sabor agr
' rea qualqoer paladar, provocando ao mes-
oi tempo bom appelite, principalmente as pes-
soas que seffrem do estomago, anemia, sypbiles,
molestias de pe le, etc., etc.
Freo.' acI tillen anjeito- a altera cOea
. do'mercado i rara exportbalo
gjfrann a bordo e lo j Ue descont
en (roano.
ttlOSQUITEIROS AME C
COMARMACAOE CORDA
3B3B.aA.3NTGOS 7S DOGB GODB.DSS
nicos p mM a rip m mmi
Loja hmzim das Estrellas
56 e 58 Ra Duque de Caxias 56 e 5
Telephone n. 210
12*000
285000
80*000
so/oo
124000
94800
54000
254000
144000
124000
104000
204000
18400
104000
74000
124000
124000
e barrilinhos de
VINHO DE CAJ,
em caixs de 1 dozia de 104 a
em ancoreta de 224 a
em barril de 404 a
COGNAC DE CAJL"
em caixa de 1 dozia
APERITAL DE CAJ'
em caixa de 1 duzia de rotu-
lo encarnado
de rotulo amarello
VINAGRE DE CAJ' tinto e branco
em caixa de 1 duzi
em barril de 204 a
em ancoreta de 124 a
VJNH0 DE GENIPAFO
em caixa de 1 dozia
APERITAL DE GENIPAPO
em caixa de 1 dozia
COGNAC DE GENIPAPO
cm caixa de 1 duzia
DITO DE LARANJA
em caixa de 1 duzia
APERITAL DE LARANJA
em caixa de 1 duzia
GENEBRA DE LARANJA
em caixa de 1 dozia
LICOR DE MANGA
em caixa Je 1 duzia
VINHO DE ABACAXI
en caixa da 1 dozia
CAJ'EM CALDA em frascos
looca ricamente pialado proprios para
prezeote, etc.
CAJ' CRYSTALIZAD0, castanbas de cajo con-
feitadas, cbocolate de castanbas de caj
compoeto, laranja crytalizada, outras
{rucias e cooteitosem latas ornadas, etc.
Alguns destes productos que nao forem en-
contrados as casas de varejo desta cidade, po
derao ser aviados na fabrica oo no deposito
vontade dos compradores.
Garrafas vazias
se nesta fabrica garrafas vasias de
eerveja tc tieo a -Oo rs cau
Fabrica de gelo
e limonadas gasosas ii
tedas as qaalidades
Soda water, gmger, ale, limSo, laranja, car'
vao. abacaxis, granadina, grosellas, ranboiss-
unilha, hortel-pimenta, etc., etc.
It-ACAES DO CAPIBARIBE-11-A
As usinas, refinatjoes e fabri-
cas de doce
Vende-se um apparelbo completo e novo para
ser movido a vapor, eervindo de cesinba para
100 peseoa oo podendo-se utllisar dito appare-
ho para retinar assucar ou fabricar doce ; ver
1 ertraa roa do Amorim n. 3
4;ias
m,
Ra* das Larangeiras n. 4
Avilamos aos nossos fregueses que temos exposto a venda, os seguintes ge
ero* portugueies, para oa quaes chamamos a atten^So.
CHAMPAGNE DA REAL COMPANrFA VINCOLA DO NORTE DE
PORTUGAL
Vinao Moscatel de Setubal.
Vinho Moscatel de Collares.
Vinbo Malvazia de Coare?.
Vinho Superior de Palm ella
Vinho do Porto Velho 1851.
Cognac Moscatel de Lisboa.
Cognac Moscatel de Collares.
Real Cogoae de 2 e 3 estrellas.
Licores de Marie Briiard e Roger.
AnniteteCacau a la Vinelle.
Cacao Chouao.
Superior Chartreuge de L. Garnier.
Beneictine te.
Convidamos aos apreciadores os vinhos generosos um passeio ao aun r
MK
Ennes Barbosa Cooper & C.
Acedan* 1!
A LOJA DO POYO
Vende
Cortes de vestidos bordados, de linho,
Zephiro, e et mine, claros e escuror, por
204000.
Cortes de vestido de cretone guarnec
do, com 10 metros a 5)9500
Jerseys para casaoos de senhora e roa-
nas para creanca.
LS pura a 65000 o covado.
Etamines para mosquitero e cortinados
oam 3 \2 palmos de largura a 200 co-
vado.
INSTRUMENTOS DE MlISItA
A Livrarii Contempornea tem um deposito
completo de jostrumeotos de sopro e de corda
para banda e orchestra, a precoz muito razoa-
veis.
N. J-Roa !. de Marco-N. 2.
Ramiro M. Costa & O.
Historia Universal
Vendem-ie vinte volomes desta obra de Cesar
Canlu, encadernacSo nova de Lisboa ; no pateo
do Terco n. 23,
rara a rura ejjtca t prompta dat .
Molestias provenientes de ln>
pureza do Sanrue.
E' pma loucnra andar a fazer expe-
riencias eon misturas inferiores com-
ostas do di-->:'- ordinarias ou de plantas
indgenas caja cilicacia nao confirmada
pela cieuti, emquaiito que a molestia
cada rea vai gauliando terreno.
Lancem mao, sem demora, do um rv
medio garantido cuja cfficacia seja facto
assignalado e inqucstionavel I
O Extracto Composto Concentrad*
k SALSArARRiuiA he Ayer conliecido
s recommendado pelos mdicos roais in-
ielligentes dos paizes adiantados, Ja
urante 40 annos,
Centena de militares de doentes
tm colhido beneficios do scu emprego e
sao outras tantas testemunhas da su*
efllcacia positiva e incorapararcL
preparado pelo
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Rst.-Unidos.
DEPUSITO CJfBJJl,
Chapeos c capotas
Ultimas novidades de Paiis receben o
Louvre
Capas, jersevs e visitas
Go8os inteiramente novos acaba de re-
asber
cortes de ljinho, seda
e alg-odo
Ricamente enfeitados, tem recebids ni-
amente e
LOYRE
Sec as brancas, pretas e de
cores
Novos padrSes e para grande escolha
lendo despachadas ceBtes ltimos das
LOUVRE
Grinaldas, leqaes e chapeos
de sol
De phantaaias scabam de chegar para o
L0UYRK
Costumes para cranlas
De todas as idades encontra-sa grande
ortimento no
Louvre
y 11 -1 11
Qbjectos de gosto para
presentes
Ha neate artigo grande escolha no
LOUVR E
Expoaiso Universal de
MEMBRE du JURY
Paria el X 889
SabSo. .T7.7.T7.'j;r.
Extracto...........
Agua de Toucador
Lo cao Vegetal..,..
Oleo...............
P de Arroz.......
.MEIZA OE PERSE
...MEIZa DE PERSE
...MEIZA DE PERSE
...MEIZA DE PERSE
...MEIZA DE PERSE
...MEIZA DE PERSE
Intmntor do S ABAO REALis THRID ACEs do SABO VELOUTINE
Pars 29, Boulevard des Italiens, 29 -e Pars
I_______ACHXOSE AS PR1NCIPAES CASAS DB PERFUMARAS DA EUROPA B DA AMERICA SU
N^^^^^x^v^^^^^^^^x^xvk^^x3aS
ALMOCOdasSEN HORAS
______fc ... AUMENTO KAS CRIANCAS E DOS CONVACESCENTES
Fra substituir o chocolate, ue dieslao multas veres dtrilcil, e o cafe com leite cujos effeltos debllitaat*
Srejurtlcam em extremo a sade das fe'enhoras, os Mdicos recommendarn oKacabont dos Arabf*
e xtelangrenler, por ser um alimento ere, agradacel e muito substancial; receltam-no tambem
eriazas. essoas idosas ou anmicas, numa palavra a todas as pessoas que carecem de fortificante
I
I
URA CERTA
-i. MOLESTIAS NERVOSAS P.,o
XAROPE HENRY MURE
Bom xito verificado por 15 annos de experiencias nos Hospitaes de Pars
PELA CCRA DE
EpilepHia-Hysteria U Convul*ocn, Vertigeng
Uttorcn C'risen iicrrsas
Hymtero- Epilepsia l.'.rtu/iteras, To ti tetras
Molestias tto Cerebro Conaestoes eerebraes
e do I.'sjtiiifmro Instnnia
IHabete assnearatlo jjjj Spertnatorrha
Um Folheto muito importante dirigido gratuitamente i qualquer pessi que o pedir
HENRY MURE, em Pont-Saint-Eeprit (Franca)
UIBI KM TOCAS A PaUiOPAES PHARMACAAS K CaOOAaUS.
B
EGEEIEr
CHLOROSIS WtM lM* >Vj I WM dcbilidaoe
Cores Paludas F ^ | ^\ %(M WtmJ Consumpco
CURA RPIDA, E ACERTADA PELO
S LICOR DE LAPRADEV
TECIHOS DE PHAN-
TA8A
Sendo impossivel de se deacrever a
grande variedade de tecidos de diversas
cualidades proprios para a esta9So actual,
-oga-se ao publico em geral e principal
beata s Exmas. familias a fineza de vi-
itarem o
LOUVRE
Ra L* de Marc,o n. 20 A
Francisco Gnrgel i irmo
TELEPHONE N. 158
Atteiico
Vinho verde de primeira
qualidade
Chamamos a attencao dos apreciadores e do
recpeiiavel publico para este vinho especial e de
primeira qnalidade, escolo ido na Europa exprs
smenle para o nosso armazem ; c qnal vende-
mos pelo diminuto preco de 800 re. a garrafa o
9/500 a duzia.
^ I cura
COM ALSUMINATO DE FERRO
Empregado em todos os Hospitaes. O melhor ferruginoso para
das Molestia da Pobresa do Sangne. Nao enegrece os dentes.
PAR 12: COLXIM e C, 49, -Rus da Mauoeuo-e, e em M parniaclas
ira a ^r J
m
AO HA HAB PEBRES!
I
As PEROLAS de SULFATO de QUININA, de BROUTDRATO M QUININA, de
CmORHiDRATO, VALERIANATO de QUININA,etc.,ala, do n-
contm cada urna dez centigrammas (dois graos) de Sal de Quiaina [|
chimicamene puro, de fabricaeao franceza,e preparadas por um procasso ____
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ .
Debaixodeumenvolucro gelatinoso, delgado, trari^varenteemui fcil de digerir, a Quinina
seconserva infinitamente sem alteracao, e se engole semdeixaromeittfHargorjK,
Cada frasco contera trinta perolas equivalendo a tres grammas dar
Kl
:J
PABRICA E VENDA POR ATACADO :
CASA L. FRERE A. Champigny e C\ *
19, ra Jacob, Pariz
MJ'B3 l VE^DE-SE A VAriEJO EM OUAS.I TODAS AS^P RMCIAS
bocea.
\ de Quinina.
s paiarrt: m
Clertan, Par*. T>
Cada vidro tem a m
t em cada Perola
imor-ssis as pa'arru*
CURA SEGURA das MOLESTIAS SECRETAS
Medalha de Prttt na Expotico Universal de Barcelona em 1888
ledalha de Ouro, Pars, 1885. Diploma de Honra, Paris, 1886
eInjecco de
KAVA KAVA
DO D0T0R FOURNIER
BLENNORRH AGAS
8PERMATORRHAS, CYSTITES
URETHRITES, CORRIMENTOS
Estas enferraidades, recentes ou antigs, curam-se radicalmente em alguns dias,
en tegredo, sem rgimen nem tisanas, e sem cancar nem perturbar os orgaos digestivos.
Exija-me mobr onda, pilla, sobra cada caixa, sobra cada rotlo,
a asignatura Kmsm, 9mtnit%,
PAHIS, 22, Praca da Ma&eleine, 22, FABIS
IIBoa do GabngII
OAQL'IM CHRISTOVAO & C.
Barato
Vende-se barato umR col-
lec^ao de 40 ps de c^otons
grandes e muito brnitos, to-
dos bem acondicionados em
vazilhas : quem pretender
diiija se a Olinda, Ladeira
da Ribeira eobrado n. 28
Mercearia
Vende-se a denominadaArmazem Conserva
tivocom peqneno capital, vndese barato a
armago ; no pateo do Terco n. 13.______^^
Hvttl Braganfa
Porto
Diariai$200, l$000e 800 res
Asseio e -limpesa Mesa abun-
dante e variada
Vinhos especiaos e disoripoSo
Bons commodos para familias ; batimen-
to importantes para as mesmas
Proprietario,
B. Machudo Coelho.
XAROPE ANTI-NERVOSO
do Doutor SAINT-DENYS
Preparado por H. MAYAD, Pharmaceutico
Mus Keller, S e as, Pmris
Soi> i kmtmt, KaoIobaI Indostrial, membr da JoaU da Hygieai
8*lubrld*da da Paria
MEDICAMENTO NOTO, ACTIVO, AGRADAVEL E QUE NUNCA PR0DX DORES DE ESTOMAGO
O Xarope Antl-Nervoso do Dr Saint-Donys hoje, gracas a numerua coral alcan-
cadaa nos Hospitaes de Par* e da Franca, o mais empregado, mais efScis, no tratamento das
affeccSe que, tendo o aeo ponto de partida no ayatema nerroao, aiercem urna influencia territal
sobre o organismo inteiro.
EPILEPSIA,
HYSTJcRIA,
INSOMNIAS,
fiSjfliUU II PuHlAMBDCO
TOSSE,
convulsOes,
nevral6ias,
TREMORES SENIS,
RHEUMATI3MAS,
ASTHRA.
ENXAQUECAS,
TSICA,
FEfiRE.
rBJf M. a SILVA A C* IV PTuaCllies rUamalli I BWtrllt

Licenciado pela Inspectora geral de Hygiene do Imperio do Brai
XA
(Codeina, Tolt ato.)
A acco da Codeina pura te cha aompletada com as do toles e da
Agua lie Louro cereja, que fuem do XAROPE 4o O' ZED
(o Patata Zed o peitoral mais enrgico em todos os caioa de :
8R0CHITE, TOSSES HEAFRlAjatENTOB, PNEUMONA*, PWaOamTUa, So.
'-:

^mnrm.


1,
\


8
Diario de Pernambuco Terga-eira 12 de Julho de 1892
Atarte!
A. Xova Esperan? vai por mo-
mentos iDterromper as amaveis leitortts
Das suae preocupaos diarias, para lems
brarslhes que ha grande utidade em dis
rigiese a raa Duque de Caxias n. 63,
afim de proverem-se de qualquer artigo d
gosto e phantasia que constantemente re
cebemos dos principaes mercados da Eu-
ropa e America ; dentro elles vamos dar
urna ligeira noticia para poderem avahar
o bom soitimento.
Lindas cestas com fructas e flores para
adornos de salas e toiletes. Bonitos jar-
ros e jardineiras para flores.
Completo sortimento de papis e envelo-
pes de phantazia.
Interessantes pastas phantazia para se-
choras.
Finas camisas bordadas para noivas.
VentarollaB e leques, novid.de.
Commodce espartilhos para senhoras.
Grande varedade de meias para senho-
ras, homens, enancas e padres desde a
niiis pura seda ao mais fino algodao.
Licoreiros, Albuns, Candieiros e Bo
ecas.
Quadros bordados em papel de arroz
com imagens.
Brinquedos de todo genero para crian -
gas.
A mofadas bordadas para sala.
E muitos outros artigos que a vista d-
se jar em.
Pedro Antunes k C.
63Roa Doqoe de Caxias63
Alta novMafo
Luvas a Mosqueteiro de pura sedas
para senhoras receberam
Pedro Antu ties & C
63-Ra Duque deCaxias-63
Para borneas
Alta novidades em gravatas, punhos,
collorinhos e aberturas.
Pedro Antunes & C.
63-Roa Duque de Caxias63
TIEI. JUST.
Casa de commisses e repre-
sentaces
88-sa m a assii-a
EXPOSIQAO
DE M COMPLETO 80BTIHENT0 DE
G.A.T.AX.OGCIS 3
de innmeras fabricas de todos os paizes da Europa
das duas Americas, de toda especie de mercaduras,
machinas e materia prima.
Deposito do afamado CREOLIM o melhor des-
nfectante conhecido.
Deposito da bem conhecida tODONTINA d<
Dr. H. Rirdet.
82Bnr do Bom JFSDS-88
Costumes e vestidos de brim, eambraas,
jersey, 12 e seda para todas as idades,
tem grande sortimento.
A PARAMS US DAMES
Ra Barao da Victoria n. 58
StlttS
Branca pretas e de cores lisas e com
lavores, recebeu um esplendido sortimento.
Au Paradis des Dames
EaNs
Em cortes de vestido, ricamente enfei-
tados e em pecas lisas e com desenhos.
AU PARADIS BIS DAMKS
PABA EHGIHOS
Gaimares & \Jente
Participam aos sens freguezes, e bem
asaim aos Srs. agricultores, que eonti-
nuam a ter grande deposito dos artigo b^
abaixo mencionados, garantindo tudo de
1.a qualidade e sem competencia em pre-
sos, visto como recebem os meemos arti-
gos directamente e terem constantemente
avultados depsitos.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Cimento Porlland He
moor.
Oleo de mocot.
Dito mineral ( para ma-
chinas).
Dito de linhaca.
Dito de ricino.
Dito de peixe.
Dito de coco.
Pixe em latas.
Azeite de carrapat.
Graxa em bexigas.
Potp.ssa da Russia (em cai-
xas. barricas e latas).
G a z inexplosivel Dia-
mante.
Trisulphito de cal (aove
preparado para clarificaj
o assucar)
Formicida Capanema (o re-
medio mais efficaz pars
a completa extinecao da
formiga sava)
6 Coito- Santo- 6
FLHnif
CABDOSO 8- IRMAO
KuaBarodo Triumpho ns. 100 a 104 e ra*
do Visconde de Itapanca ds. 22
J*>* JS C X Je? Jcl
Tem sempre em deposito :
MACHINAS a vapor de 4 a 8 cavallos dos melhores fabricantes.
CALDEIRAS multitubulares para 4, 5, 6 e 8 cavallos.
MOENDAS as mais solidas e melhores do mercado.
TAIXAS de ferr batido cravadas caldeadas, fundido de todos os tmanhot
q RODAS'AGUA psra cubos de manen a e todas de ferro.
RODAS DENTADAS de espora e angulares de diversos tamanhos.
CRIVACES duplas e boceas de fornalhas para assentamentos.
BOMBAS DE REPUCHO sem sola, vlvula de bronze.
CHUMACEIRAS parafusos e o mais que se opsa desojar para aag aa de ferro e Obras Publicas.
FAZEM E CONCERTAM toda e qualquer pea de machinismo tanto de fer>
andido como batido-
EN JARREGAM SE de mandar vir da Europa por encommenda, medate ubi -
jommiasSo rasoavel, qualquer machinismo e CONTRACTAM apparelhos para Un
aas, para fabricar de 100 a 300 sacos de assucar em 24 horas.
Obrigam-se a montagem dos meamos e responsabilsamase polo bom trabaln
o que tem um hbil engenbeiro ingles imita pratico, alm de dos um dos socio-
a que tambem engeoheiro.
Bordados
SABAO CURATIVO DE EETE
Tumores, cravo,-pelle, vermelba, spera e oleosa impidido on carado
por o mais grande de todos os aforaioseadores da pelle, o Sabso Curativo de
Reater. Prodaza a pelle formosa, branca e clara e maos brandas; absoluta-
mente poro, delicadamente medicinado, extremamente incomparavel como
eabao para a p^lle bem como do toacador, do banho e do qnarto das criancas.
CAVTEIiA.NSo genuioo sem cada envoltorio ter a marca re-
gistrada de Barclay & Co, New-York.
f
EICI.V4L.
Y PABA O
SIEL
*
XAROPE DE REUTEE if. 2
Como remedio daEstaco Calmosa, Purificado." dosangoe, diurtico,
s aperiente, nenhum outro appellidado depurativo ou sarsaparrilna se appro-
eima seqoer aoXarope de Reater n. 2. Combina qoatro grandes propneda-
xes em um so remedio, operando a um tempo sobre os orgaos digestiios, o
dangae, os rins e os intestinos.
Absolutamente neutralisa xpu!*a pelos ennaes intestinaes. rins e
poros da pelle, es germens nocivos, i^ne tlutuam no sangue, na orina e na
traospiracao
o melhob
PURIFICAD OR
PABA O
,
PEQUE-f AS PILLAS DE RETER
Reos cortes de vestidos de cambraia
branca e em pegas.
Ai Parafls
Elegantes
Espartilhos de seda e de brim cora
pelucia tem.
Au Paradis des Dames
ModeloB inteiramente novos ao
Au Paradis des Dames
LIQES ~
E chapoB de sol, recebeu um lindo
sortimento.
AU PARADIS BES PAMES
Bilhar
O superior e conhecido panno tem
A.u Paradis des Dames
favorito
Capas de seda e de 1S de cores imper-
me a veis para senhora, recebeu o
Aa- Paradis des iJames
ColVe^
Vndese um cofre com pequeo defeito ; no
pateo do Terco n. 23. _________________
FareJo de milho
Sacco de 60 kilos
Importante (arelo para engordar acimaes, ca-
vallos e vaccas de leile.
34Madre de Deas34
Coimbra Guimares A SoDrir lio
Figadu entorpecido curase positivamente com estas pillas. Ellas
5o um remedio purgativo livre de perigo para o homem mais fraco, to bem
como bastante activo para o bomem mais forte, e nao constipan depois; pela
accSo geral agrada a todos que as osam. SSo as pilulao estandarte da pro i
Ddsio medica des Ejtadcsnidos. Sao as menores e mais facis a tomar.
Quarentaem a
PARA
FIUDO
TRICOFERO BE BARRT
Urna preparacSo elegante, exiremamente perfumada, remove toda as im
purezas do crat eo, preservativo coDtra calvicie e cabello cimento ; faz o cabel-
lo crescer espesso, brando e bernoso Iofellivel para curar erup&es, doeacas
da pelle, glndulas e msculos, e cura rpidamente cortadoras, queimaduras,
feridas, tercedura?, etc.
CAUTELA.NIo genuino sem cada frasco ter a marca registrada
de Barclay AC.,N*w York.
PARA O
CABEL
A PELL
DEPOSITARIOS DtSTBS pbodCtos.A companhia de Drogas dactos chimicos.
Ra Mrquez de Olinda n. 23.
NOVO ESTABELECIMENTO
Receben um lindo sortimento de
CAPOTAS
e rendas de cores e pretas para senhoras.
de rencas e de palba para senhoras e meninas.
Vivam os noivos !
COSTUMES
de Casaca t r-1 a CP.
de Crois I S i o e es 2 w * 5
de Frack ss
de Paletot e debrins 3 E3
- n "
de palba de seda para criancas.
IMPOS 01 FILTRO
para homens rapazes, dos sabncantes iiANUEZEa, iW<3ri*j^ttS E ALLEMAES.
CHAPEOS
de seda para homens.
GRAVATAS DE SEDA
FORMAS
de palba para chapes de senhoras e meninas.
oeasrc: 3a jsjol os
pretoB e de cores.
Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Flores,
Plumas, Aigrettes eGrampos
para chapeos e outros artigos de fantasa.
Ra do Baro da Victoria n. 42
H. LICIO MARQUES
Telephone n. 560
nm\m bsre
asas &
44RA BARO DO TBJMPH0--44
Machinas a vapor
Moendas
Rodas d'agua
Taixas fundidas e batidas
Taixas batidas sem cravacao
Arados.
Farelo nacional de man-
dioca
Fino .i 300 a sicca.
Grosso a 2C00 a sacca.
34-Madre de Deus34
Coimbra Guimares & Sobriobo
Fabrica luras
DE
Raa Rare da Yietoria b. 6S
Loja de quadros
Madame Gerard avisa aos seos ame
rossirnos freguezes, que receben de Pars
lida
POR
PEDRO
famadosim, eu devo morrer... Mas
arrastar-te commigo...
Eu te amo, mea Roberto, eu te
!... nterrompea loucamente Magda voz que pareca mais um murmurio
resistivel somno, com o rosto mergulhado
no peito do sea amante.
Oaves, Roberto ? disse ella com urna
im grande e variado sortimento de pe I i
aaa de chevreaux, de primeira qualidade
dea, castor etc., ete.
Cimento iagl$i
Marca excelsior com 150
kilos. Vende-se ra do
Bom Jess n. 12.
Costa Cazeiro& C.
Vendem-se
Dnas casas na ra Imperial n. 199-B e um bom
terreio perteocente as mesmas ; quem preten-
derd i nj a-se ra do Sol o. 83.____________
do n. 1 53)
QUAfiU mil
(Continnaco
I
NUPCIAS FNEBRES
Dr se-hia que elles esqueciau que a
morte que dentro de poacos insta3te3 senam am-
bes cadveres.
A fumaja sabia j no quarto.
A atmospher carregava se de ama nu-
vem ligeiramente opaca, semelhante leve
neblina azulada que assenta nos bosques
as manhaU de primavera.
Sabia um fraco odor, quasi am tepido
perfume, embriagador.
Tinham os dons jovens terminado os
seus preparativos.
Haviam pouco a pouco se tornado si-
lenaiosos, presos do respeito religioso que
imprima nos seas coracBes a vizinhanca
t8o prxima da morte
amo
lena, en te amo !... E demais, deve
mulher abandonar o seu marido ?..
Depois, de repente, num esforco de su
blima impudor, ella arrancou o seu cellete
e, com o eolio sean c, cabio nos bracos
do sen amante.
Sau toa mulher, n5o ?
Sim, minha mulher minha mulher!
repetio Roberto.
EntSo em ama santa embrirguez, ello
apoderou-3e d'ella desfallecida e durante
alguna instantes, em meio da fumaca azu
lade que insensivelmente tornava-se mais
espeasa, os suspiros ardentec, os gritos de
volupia d'essas duas nobres e bellas crea
turas pertarbaram o silencio lugubrs da
cmara mortuaria. Segoiram-se longos
murmurios, phrases entercortada, pala-
vras difficilmente pronunciadas, interrom-
pidas anda pelo estalido de novos beijos.
No emtanto o sol divertia-se atravB das
cortinas, e a luz batendo nos ngulos dos
movis, formava como qu urna aureola
de ouro eia torno do leito perdido na som-
bra alcova em que os amantes agonisa-
vam.
Da ra vnha o vago rumor da cidade,
despertada pelo trabalho de todos os das ;
o rodar das carrusgens, o andar dos ope-
rarios, e nSo muito longe, o ruido dos
O*sol da manir dardejava de sbito e
um raio brilhante de luz penetrou atravs I moiiSes dos navios, ou os batidos de mar-
de um intersticio das cortinas mal fecha
das.
Magdalena, murmurou tmidamente
Roberto, veja como o sol est trilhante,
como fra o co deve estar acal, a vida
esplendida!
A vida sem ti ?... Roberto !...
NSo um crime que vamos prati-
car... Eu, o gal evadido, o desgranado
ferido inexoravelmente pelo destino, o in
tello dos carpinteiros repar.-ndo algum
barca de pesca.
No andar terreo meBmo da estalagem
os bebedores de cerveja comecavam j a
beber, marinheiros, sem duvida, pois atra-
vs das delgadas paredes oaviam-se os vo-
tos martimos em meio da linguagem pit-
toresca da que ueavvam.
Essas vozes foram oavidas por Magda-
lena, que j se entregava a um doce e ir-
"Sim, ouco ; julgo que sonho.
Ooland, nSo ?...
Talvez...
Oh! tanto melhor! Estar aqu
cedo, reconhecer os nossos corpos e sub-
trahil-os-ha curiosidade banal dos indif-
ferentes. .
Sim, dentro em pouco
Magdalena ?
Nao, absolutamente... E tu?
Tambem nSo i
Dame anda a tua bocea. Sinto um
pou de fro... Aperta-me ao tea cora
cSo...
Troearam am novo beijo ; mas peuco a
pouco os seus labios tornaram se immo-
veis, emquanto as palpebras, sob enorme
peso, involuntariamente se fechavam.
A atmosphera tornava-se mais pesada,
a sua respirado offegante.
Lembraa te, Roberto Eis nos ca-
sados .! Sustentei a minha promessa...
Quinzera esquecer-te... Deus recordou
me os meus juramentos... Tu, o teu ce-
r; jao nunca... deixoa de ser mea nSo
?...
O tea amor, Magdalena,
minha vida... E voa merrer
seo que morro... perto de ti
por ti 1...
EntSo me perdoaste ?...
Amc-te !...
O trio cada vez apodera-se mais de
mim... Approximate demim... e ap
prxima de mim aiada os teas labios...
Magdalena !...
NSo posso mais respirar... Voa
morrer... Sinto-o... *
Esprame, Magdalena.
Oh 1 bom adormecer assim...
Adoro-te, minha mulher !...
di Basti i. a-i
Novidades e preces baratos
Saias brancas bordadas para senhoras.
Casacos brancos bordados para senhoras.
Camisas, dem, idem, idem.
Vstuarios e Jersey e Malha para meninos e meninas de 6)5, 70 80, 90, 105 e 140
um facto.
Toalhas de linho com bico crivados de bico, diversos precoB.
Casacos de Jersey para senhoras grande sortimento.
Dito de caxemira de cor.
Capas e vezites pretas para senhoras, caxemira e seda, diversos precos.
Crotones bancezes muito largos, cores e brancos a 500 rs. o covado.
Toalhas de linho e algodlo para mesa.
Ouardanapos linho e algodSo, grandes e pequeos.
Cintos de cores de 240 a 400 rs.
FustSo branco fino.
siadapolSo francez com 24 jardas de 80, 9f e 100000 a pega.
Brim pardo liso para vestido a 400, 500 e 600 o covado.
Sargelim de cores e branco a 30 o covado.
Camas bordadas linho puro com 4 fronhas e 1 talhe todo igual.
Mantilhas hespanhohs.
N. 21
SPG
Meu marido 1 adoro-te...
O quarto enchera-se inteiramente de
ama fumaca azulada, que toraava-se mais
azul anda em coneequencia do raio de sol
que a atravessava.
Em baixo, as vozes avinhada dos mr.-
rinheiros chegavam mais ruidosas, e na
ra a vez de um operario cantava urna
alegre cancSo de amor.
Em torno des dous amsnteB todo era
silencioso. O ruido mesmo da respiraySo
Soffres,fde ambos extinguira-se...
De repente, Roberto abri os olhos e o
seu olbar cabio no corpo j inanimado de
Magdalena.
Via-a como que atraveg de urna r.uvem
lancada sobre ella pela morte.
Todava comprehendea. Um sentimen'
to de horror e de medo fez Ihe saltar e co-
racSo n'um grande estremecimento.
Magdalena !... E' um crime !...
balbuciou elle offegante, com a bocea aber-
ta como que para aspirar grande quanti-
dade de ar que nSo podia encontrar. N2o
que... N5o quero...
Contrahio-se o seu roBto em terrivel ex-
pressSo de angustia...
Ergaea-se e seutou-se na cama, tentan-
do gritar :
Scccorro !... Ar !...
Mas nenhum sem sahio da sua gar-
ganta.
A janella achava-se a tres pasaos !
Fez um movimento desesperado para
levantar-se e alcan$al-a
ra muito tarde.
Torcoa a cahir.
A sua cabeca escorregou sobro am dos
hombros ns de Magdalena e conservou se
immovel.
Eetava tudo terminado.
Repentinamente oavio-se ama voz na
porta do quarto seguida de am formida-
vel baralho.
Abr i abr gritavam.
foi toda a
feliz, por
.. amado
amas-me ?
Batiam na solida taboa de carvalho.
J ha de ser muito tarde disse urna
voz, a de Goeland.
Nada moveu se no interior do quarto.
De repente um vidro dos caixilhos da
janella voou em estilhacos.
Urna mao passou pela abertura, so mes-
mo tempo que urna grande lufada de ven-
to, e deu volta ao ferrolho.
Abriu-se a janella de par em par.
JJm homem notou no quarto e corren
cama.
Com mil raios!... Anda bem!
nao muito tarde, poderei gabar-me de
haver chegado para a scena final !...
II
A ODYSSEA DE FLORIMOND
A bella scna de embriaguez que a bor
do do Morbihan, cm qae tomara parte
Florimond, nSo havia sido applaudido.
No entretanto, nenca durante a sua Ion
ga cerreira artstica, dira-o elle propro,
representara com tanta verdade e natura-
lidade.
Para proval o basta dizer que na co
berta do aviso de guerra onde o haviam
collocado como si fosse um embrulho per-
feitamente amarrado, ninguem dira, mes-
mo os guardas dos gales com toda a sua
experiencia sobre o qae se refere em-
briaguez, que nSo viam all a seus ps um
verdadeiro borracho.
Soceos, brutalidades de toda a ordem
haviam sido as nicas recompensas ao seu
talento, e tinha o corpo dolorido 'em con-
sequencia das cordas que o apertavam.
Todava o valen te rapaz tinba o cora
5S0 tito alegre que os seus scffrimentos
physicos Ihe eram absolutamente indife-
rentes.
Pensava que aquelle a quem dedicava
o maior reconheoimento poderia ser salvo
graefis aos seus esforgos.;
Lembrava-se de que auxiliara urna no-
bre empreza, e orgulbava-se de ser o al-
liado de urna mulher, a Sra. Gervais, ce-
ja cobrera comprehendera ao realisar a
sua bello acc3o.
Lancou am olbar para traz, para o
ocano.
O Morbihan ia quasi desapparecendo e
apresentava se como um ponto que dif-
cilmente se percebia no horisonte.
Quanto ao paquete em que ia Rohaglo
Desroches, desapparecera compltame ntW~
EntSo Florimond refiectio na sua pro-
pria posiclo.
Em verdade, disie elle, muito
simples. Chegados a Numa, esses senbo-
res recoohecerSo o seu erro e me soltaro
depois de me ha^erem pedido desculpas.
Mas, ssaim fallando, repara va no roBto
patibular do guarda gales que achava-se
sua direi'a, e na physionomia tSo pouco
amavel, anda que mais polida do ofcial
incumbido de alojamento da policia que o
havia prendido.
Terminado o exame, disse comsigo mes-
mo:
Desculpas! Hum NSo creio que essa
gente consmta jamis em que m'as dem.
Eu lh'as dispensaren Apenas lhes pedi-
rei que me daixem tranquillo. Com cer-
teza serSo punidos pelo sea estpido quU
pj,o qu! Tomar um artista por um gal
evadido I E com signaos as mos alu-
da O que verdade que os signaos;
notei sempre isto nos dramasserve m
priacipalmenfe para qae sejam presos os
innocentes e pasaem inclumes os culpa-
dos Mas nSo qaererSo con vir n'isso.
Hao de recalcitrar. SastentarSo obstina-
damente qae soa eu Roberto Desroches,
ou que si n8o son aquelle homem, nao
posso dexar de ser um individuo bom
para substituil o no presidio, Deus doa
artistas, protegei me 1...
(Contina )






-
mmtm
f
""T