Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19615

Full Text


" "


>-.
ANNO LXV
BH
QCDITA-FEffiA 15 DE SETEMBRO DE 1892
NUMERO 2Q8 i
i

PERNAMBUCO
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGEIROA DE FARIA ft FILHOS
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
v
Por tres mezes adiantados. 6$000
Por toes ditos vencidos 3 7&000
Por um anno a liantado .... 24#000
dem idem vencido...... 28&000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DR PBUCACOES NA FRAN-
gA E INGLATERRA
Os Srs Amede, Prinee & C, residentes em Pars34 rae de
Provence.
TELEGRAMMAS
SS37I53 PASTICULAS SO SIABZ3
RIO DE JANEIRO, 14 de Setembro,
s 4 horas da tarde.
O governo federal reintegrou o Dr. Al
Dio Gonjalvea Meira de Vasconcellos no
exercicio de lente da Faculdade de Direi-
to do Recife.
O Jornal do Commercio em sua edi-
,v di hontem dae saber qae o governo,
ltimamente tem feito cunhar nickeis fal-
sos contra a disposijSa legal.
O governo, hoje, pelo Diario Oficial,
dcsruentio a noticia, provando com docu-
mentos a falsidade da imputajSo.
Foi reoonheoido depatado pelo Cea-
r o capito Alfredo Barbosa, eleito na
vaga do Dr. Barbosa Lima.
A Cmara approvoa em 2. discos-
o projecto sobre immigracSo chineza.
PARTE OFFICIAL
Governo
do Estado
nambuco
de Per-
despacho do governo do estado do
da 12 de setembro de 1892
Antonio Marques de Almeida pedindo
dispensa de annuidades da Companhia Re-
cife Draynage.Informe o engenbeiro
fiscal da Oompichia Recife Draynage.
. Antonio L;ite Larques pedindo entre-
ga de documentos.Informe o inspector
do Thesouro do Estado.
Alexandre Agripino do Nascimento, pe
dindo qae sejam arbitrados os veacimen-
tos que Ihe competen! como carcereiro da
cadeia de Agua Preta.Informe o in
apector do Thssouro do Estado.
Antouio Oenuino do Rgo Barros, pe-
dindo pagamento de veae mentos.Infor-
me o inspector do Thesouro do Estado.
Bacharel Augusto Coelho de Moraes,
pedindo eliminarlo de um dos dous ap-
parelhos da Compadra Recife Drayiage
existentes na casa de sua propriedade,
sita ra Visconde de Albuquerque n.
25.Iaforme o director geral das obras
publicas.
Anna Borges do Amaral e Mello pe
dindo so'ujSo de urna outra sua peticSo.
Informe com urgencia o inspector do
Thesouro do Estado.
Adelgicio Jos da Silva Pessoa, pedin-
do reintegracSo.NSo ha que deferir.
Bernardino da Costa Maia & C, re-
correndo da decisSo da Junta do Thesou-
ro relativo a collecta de impostos.Neg
provimento ao recurso em vista das infor
macees.
Bellarmino Fernandos da Cunha Al-
meida, pedindo entrega de documentos.
Entreguen! se, mediante recibo.
Emilia Joaquina de Medeiros Souza
Caldas, profesaora publica, pedindo dous
mezes de licenja.Remettido junta me-
dica do Estado a quem a peticionaria se
presentar para ser inspeccionada.
Elias Gomes de Seixas.Nao- ba o que
resolver em vista das informales.
Ermeiinda Rosa de Lima, pedindo dis-
pensa de annuidades da Coinpanhia Reci-
fe Draynage.Informe o engenheiro fis-
cal da Companhia Recife Draynage.
Francuc* Manoel da Silva.Indefe
rido.
Francolino Americo ce Albuquerque
Mello, engenhairo ajudaite i da repart jao
das obras publicas, pedindo palamenta de
FOLHETU
HflHEJJ
\ MADORA D
JULIO DE GA
(Contlnaaeio dor n. ?o
TINK
RTE
V
PRIMEIRA P
XXXIX
Tomou-lhe mi.
Apertava a febrilmente
E Severina com o cor:
tozava da indizivel ventor
de estar juntinha do queri
fio.
N:este momento onvio
am passo rpido...
Era a criada que corr
O patrao, chegou
E cabio sobre urna c
incapaz de pronunciar
Severina e Francia e
la com mortal palidez
soluto.
Estou perdida !
Ouviam se os pass
danme, que suba a
A imminencia do
de energia criada
abri a porta de am
Entre para tlli
esconda-se!
S os crimin
responden Franci
Mas por caujisa da menina.
\^ Sin, por mil aba causa, balbuciou Se-
Intre as suas.
IjSo palpitante,
de ser amada,
lo do sen cora-
no corredor
a, azafamada...
patrSo!
de ira, suffosada,
is urna palavra.
cararam-se, aquel-
este com ar re-
murmurou ,a moga.
1 da Roberto Van-
scada.
erigo deu um pouco
Ergueu-se sbito e
pequeo gabinete,
disse ella a Francis,
sos que se oceultam,
seus vencimeatos.Informe o inspector
do Thesouro do Estado.
Capitlo Joaquim Ramos da Silva Mo-
reir e outros.Informe com urgencia, a
Intendencia Municipal de Jaboatao.
Tenente-coronel Joaquim Cavalcanta de
Albuquerque.Indeferido, em vista das
informarles.
Jos Leandro da Silva.Indeferido.
J0S0 Ignacio da Silva, pedindo para
que lhe seja passado alvar de soltura.
Informe o Dr. juiz de direito do 2o distri-
cto criminal.
Joanna Lins de Albuquerque.Informe
o inspector geral da inatruccSo publica.
Jos Mendes da Costa, sentenciado, pe-
dindo psrdao do resto da pena que lhe foi
imposta. Indeferido.
Josephina Alves de Sonsa.Informe,
com urgencia, o Dr. questor policial.
Jos Horacio Pires Ferreira, professer
publico, peaindo 2 mezes de licenja]
Remettido junta medica do Estado, a
quem o peticionario se aprese*ntar para
sar inspeccionado.
Jos Paachoal Spinelli.Informe o Dr.
juiz de direito da comarca de Nazareth.
Jos do Patrocinio Cirmo Ribero, {pe-
dindo para ser nomeada ama commissS)
que o examine em arithmeticaRemettido
ao regedor do Qymnasio Pernambucano
afim de se- o peticionario examinado pela
commissSo nomeada por acto de 10 do
corrente.
Luiz Pereira de Oliveira Faria, pedindo
pagamento da quantia de 2.030,5000 pro-
veniente do excejso de numero de ejem-
plares e folhas typographicas do relatorio
da iustruccSo publicaIaforme o inspec-
tor do Thesouro do Estado.
CapitSo Mauoel Joaquim de Alm -In
deferido em vista da informacSo.
Mana Ayres do Nascimento, pedindo
para serem seus dous filhos Manoel e Jos
admittidos na colonia IzabelInfcrme o
directer da Colonia Isabel-
Pacifico de Siqaeira Campos Indefe-
rido.
Pedro Antonio de Mello, pedindo rein-
tegracRo Informe o director das Obras
Publicas.
Severiano de Paula FranoInforme o
inspector do Thesouro do Estado
Maldina Afra| da ConoeicSo Vieira de
Mello, profeesora publica, pedindo remo-
jSoA cadeira est preenchida.
Secretaria do Governo do Estado da
Pernambuco, 14 de Setembro de 1892.
O porteiro,
Hemeterio Maciel da Silva.
1 PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados. 131500
Por seis ditos vencidos. i5$500
Por um anno adiantado. ? 271000
dem idem vencido. ..... 311000
Commando das Armas
Qaartel general do Commando do 2o dis-
tricto militar em Pernambuco, 14 de
Setembro de 1892.
Ordem do dia n. 38
Communicou-me o Sr. General Minis-
tro da Guerra em telegramma de hontem
qne foram transferidos do 2- batalhBo de
infantera para o 29, o Sr. tenante Car-
los de Andrade Araujo e deste para
aquelle o Sr. tenante Felippe Bmicio de
Jastro e Silva pelo que determino qae
sejam feitas as necessarias alterares
(A8sigoado) Roberto Ferreira, general
de brigada commandaute do 2* diatricto
militar.
Est conforme.Gustavo OalvSo de
Cavendisch, alfares ajudante de ordens
encarregado do detalhe.
Cuestura policial
SeccSo 2a.-N. 211 Secretaria da
Questura policial do Estado de Pernam-
buco, 14 de Sitembro de 1892.
CidadSo.Participo-vo8 que foram hon-
tem recolhidos Casa de DetencSo os
seguintes individuos:
A' ordem do subdelegado da freguezia
verina, desvairada, por ter onvido a chave
ranger na fechadura da porta da entrada.
Francis obedecen.
Era tempo.
A porta abri se e Roberto Vandaame
assomoa soleira.
Severina e a oriada tentaram recupe-
rar o aangne-frio ; mas, apezar dos seui
esforcoa, n2o puderam dissimular de todo
a eniocSo, e Roberto reparn ubbo.
Passeiou em redor um olbar cheio de
desconfianca que fez passar um calofri de
terror pela medula das mulheres, e de-
pois perguntoa :
Que ha de novo por c ?
Nada, meu pai.
Parecem commovidas.
Nao, meu pai...
- Roberto collocou o sea chapeo sobre a
mesa.
J ultimei os meus negocios, par-
tiremos amanhSt.
AmanhS ?
Sim. Contraria-te isto ?
O senhor quem manda, mea pai.
Sahindo de Buenos-Aires, n2o terei
mais o trabalho de vigiar te. Ficars ao
abrigo das perseguidas daquelle cousa
ruim...
Severina estramecea.
No seu esconderijo Francis foi sacudi-
do por um tremor nervoso.
E' por este motivo, disse a rapariga,
qae o senhor me leva ?
De certo... J que nao posso obs-
tar qae sejas razoavel, e qae nSo penses
mais em semelhante biltre!
NSo o poderei prometter, mea pai,
porque faltara minha palavra.
Roberto deu urna ponhada na mesa com
vivienda ?
do Recife, Pedro Camillo Heliodoro da
Silva e JoSo Porphirio Beaerra, por dis-
turbios.
Communica o delegado do munici-
pio de Olinda, que no dia 6 do corrente,
,3 6 horas da manhS e em trras do en-
genho Sapucaia, o individuo de nome
Placido Pitta de Carvalho ferio mortal-
mente com urna tacada a Jos Ferreira
de Lima.
Contra o delinqnente, que Iogroa eva-
dir-se, procede-ie nos termos da le.
No dia 4 do corrente, por volta de
horas da tarde, foram presos no muni-
cipio de Floresta, por haverem aggredido
a Paulino Francisco dos Santos, de quem
subtrahiram urna not* do valor de 2000,
os individuos de comes Jos Deodato de
Souza o Theodoro Joaquim de Souza.
Contra os delinquentes foram feitas as
diligencias da le.
No dia 25 do mes ultimo foi ferido
casualmente com um tiro de rewolver o
individuo de nome Martnho de Oliveira
Pinto, morador no municipio de Cabrob.
A autoridade competente tomou conhe-
cimento do facto e proceden s diligencias
da lei.
Pelo subdelegado do districto do
Arraial foi remettido ao Dr. juiz de di-
reito do 5 districto criminal o inquerito
a que proceden contra Manoel Gomes de
Souza, por crime de ferimentos.
Hontem, por volta de 5 horas da
tarde, manifestou-se principio de incendio
em nma janella do sotSo do predio onde
reside o cidadSo Alfredo Gibson ra do
Visconde do Rio Branco.
O incendio foi logo extincto e circuns-
creveu-se apenas referida janella, nao
sendo necessario o auxilio da Companhia
de Bombeiros, que comparecen immedia-
tamente, bem como am piquete da com-
panhia de cavallaria.
Em data de 10 do corrente o teen
te Manoel Chrispiniano Barbosa de Farias
asanmio o exercicio do cargo de commis-
sario do municipio de Amaragy.
O cidadSo Francisco Cavaloante de
Albuquerque assumio no dia 7 do corren-
ta o exercicio do cargo de delegado do
municipio de Altinho.
Tambem no dia 12 assumio o exercicio
do cargo de delegado do municipio de
Pao 'Alln, o cidadSo Manoel Barbosa
Carvalho.
Em resp.staao officio que em data
de 12 do corrente dirig ao general cjm*
mandante do 2o districto militer, sobra as
desordena 'praticidaa no 3 districto da
Gra$a, pelo praga do 14 batalhSo de li
nha Antonio Xvier Gonsaga, conhecido
po Gongallo, acaba de informarme o
meamo general que mandn prender a
referida praca por 25 dias, na solitaria, a
jejum. alternado.
Para, os fios co venientes transmiti
nesta dota ao subdelegado do districto do
Poyo da Panella, as diligencias feitas so.
bre o defLi-amento da menor Mara de
Oliveira e Silva.
Ao Dr. Alexandre Jos Barbosa Lima,
muito digno govarnador do Estado.
O Questor,
Julio de Mello Filho.
Poppa GirSo e Sophia Maria de Figuere-
do.Registre-se e facam-se as notas.
Vergulino de Araujo.Informe o Sr.
Dr. admistrador da Recebedoria.
Severino Rufino de Moraes.Informe
o Sr. collector de Olinda.
^ Souza Nogueira & CDirijam se ao
Exm. Sr. Governador do Estado, na for-
mo de art. 144 do Reg de 2 da Julho de
1879.
Americo Ribeiro da Costo e D. Anna
Marques de Amorim.Ao Sr. porteiro
para entregar os pontos aos interessados.
DE
em
Secebedorla da Estado de Pernau
bnco
DESPACHOS DO DIA 14 DE SETEMBRO
.1892
Jos Carlos Oliveira.Deferido
vista do documento que aprsente.
Antonio Jos Nascimento.Informe a
1. sec&o.
Jos Francisco do Carmo.- Informe a
1. seccSo,
EXTERIOR
DE
Thesouro do Estado de Per
nambuco
DEPACHO DO DIA 14 DE SETEMBRO
1892
Rodrigo Jacome Martins Pereira, Jos
pha Catharina de Oliveira, Dr. Esperi-
diSo Ferreira Monteiro, bacharel Nilo Ca-
bete Pereira de Andrade.Informe o Sr.
Dr. contador.
Gelin Cielho de Serpa Brando. Haja
vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Tnereza da Cruz Ribeiro. bacharel Ma-
noel Cavalcante do Reg Barros, Porfirio
EntSo tu o amas ?
Sim, meu pai, responden andaciosa-
mente Severina.
Miseravel!... Bom digna a de tua
mSi!
Mas nao sei que indignidade baja
em se amar am mogo que merece este
amor.
Roberto nSo responden.
Caminhava agitadamente pelo aposento.
A criada retirra-se.
O mesmo sangue qne a mSi, disse
comsigo. Enoontrarei junto delta as mes
mas resistencia!.
Depois, em voz alta, accrescenton :
A que te pode oonduzir este amor ?
A fazer de mim a esposa de um ho-
mem honrado.
Suppoes qne elle te quer desposar ?
Tenbo certeza.
Quem t'o disse ?
Elle...
Roberto deu am salto terrvel.
EntSo fallaste com elle ? Exelamou
com os olhos a fuzlarem.
Sim, msi pai.
Quando ? Onde ?
Aqui...
Hoje ?
Sim, hoje.
Ah! Se o tivesse encontrado Nao
sahna vivo d'esta casa !
E accrescentou :
NSo amanhS que partimos, mas
Kvim hoje. Ha am trem s 8 horas. Ah !
infame Teve a ousadia de vir miaba
casa... E tu o recebeste E a criada
abri a porta Miseraveis Hei de me
vingar de todos !... Ah 1 se encontr de
novo aquelle patife no meu caminho, fa*
90-0 em mil pedacoi.
EUROPA
Allenianba
Fallou-se em circuios que era bem possivel o
recomecamento das manobras militares, vi-to
ter o imperaier desapprovado a ordem do mi-
nisterio da guerra no sentido de sustal-as. Mas
na Gazeta da Allemanba do Norte, edijo ma-
tutina de 6 do corrente, foi annunciado, que o
governo renunciara de todo a execago das mes-
mas manobras, qae teriam lugir neste mez, vis-
to que o imperador acquiesceu aBnal as desejos
do ministerio; e de sna o-dem forjm electiva-
mente ellas suspensas-
Attribue se esta deciso ao actual mo estado
sanitario europeu.
Realisaram se, porm, as manobras navaesem
Suinemunde, as quaes assistio Guilherme I, que
raostrou se satisfeito com 03 resultados qae apre-
cou de viso.
O ministerio da guerra, afim de evitar o
casos de insolugao, ordenou que as manobras
militares em toda a Allemanha realizem-se das
& horas da madrugada at s 6 da manh, e -'as
6 oras dj tarde em diante.
O governo val enviar aoreicbstaj proposta
ta de le, augmentando os impostos sobre as
cervejas e o fumo, afim de attender verba de
70 milbOee de marcos necessarios ao augmento
das forjas do exercito.
Ao mesmo reicbslag vai propor a suppresso
de todas as sobveagOes a compaoblas de nave
gaclo.
O imperador da Allemanha renunciou va-
gem projectada no intuito de visitar a praca for-
te de Metz e ontras cidades a Alsacia-Loreoa.
Ps joruaes allemaes, que se peblicam em Metz,
acolbem esli nova com o maior descontenta-
mente.
Igualmente adiuu S. M. a sua projectada via-
gem a Suecia.
O governo Allemao approvou ba poocos das
o novo projecto militar augmentando o eflectivo
do exereito. ^ ,
As despezas serao compensadas pela reduccSo
de tempo^de servigo militar dos bomens em ac
tividade.
Esta medida foi adoptado em consequencia
das recentes disposices tonadas pela Franca em
reforjar a sua artilbaria e a cavailana.
Consoante com isto tem-se augmentado as
precaues militares na fronteira da Franca; e
tal attitude ser indicio de que vai emfim come-
gar a guerra, para a qual ba muito se prepara a
Europa ?
E cabera, desta vez Allemanha a grande
responsabilidade da declaraco da guerra, res-
ponsabllidade a que todas se esquivara.
Nao ba muito tempo apreciamos nesta res-
nha a phrase, que merece ticar celebre porque
urna revelaco precios i do estado de espirito
nao so de quem profenu a, mas de todos quan-
tos se preocenpam com a guerra, antes desejan
do-a do que temeodo a: Para a guerra, taita
apenas o pretexto qne nao diflbil de acbar. E
acbado este pretexto, por mais engenhoso que
elle seja, valer, menos perante a historia, do
que os motivos reaes que dividem agora os po-
vos europeos.
Esta guerra que, na opiniio de multa gente,
ba de se travar infallivuinente, ficar mais do
que nenhuma outra, com excepeo ratnralmen-
te das campanbas do primeiro imperio, como
am dos successo3 capitaes do seculo.
Mas quaotas reve!jg5es, qoanta3 surprezas
oo trara esta guerra em que se vao empenhar
as nacea mais for.es da Europa I
Severina deixou passar sem interrom-
pe o esta explosSo de furor, depois disae :
M *s porque razio o senhor nSe quer
qne este mojo seja o mea marido ?
Porqae ? Porque elle nSo se catar
comtigo... porque ninguem poder casar-
te comtigo...
Severina tornou-se lvida como am de-
funto.
Balbuciou :
NSo me posso casar ?
NSo... j que me forjas a decla-
ral-o.
Porqae, mea pai ? pergantoa a po-
bre menina, mais morto de que viva.
Porque quando este mojo souber
quem s, fugir de ti.
Quem son eu, pois ?
Tu s a minha filha, a filha-de am
IadrSo... Sou levado a fazer-te esto con-
fissSo dolorosa. Trazos um nome deshon-
rado. Fui oondemnado a cinco annos de
prisao por estellionato e abuso de con-
fianejk. E por isso deixei a Franja...
Ests contente agora? Nao quera tazar-
te conhecer este passado. Mas a tua os
tinajSo a tal extremo me conduzio.
Soverina j nSo ouvia.
Abaten-se sobre urna cadeira, inerte,
sem sentidos.
Francia estova all!
Fraacis tinha ouvido aquella terrivel re-
velacSo !
Estavam por trra todas as suas espe
raneas de felicidade !
Roberto notou a sua perturbado e acor-
rea :
Q. io tena ? Ests doente ?
Tocn fortemente a campainha.
A criada entrou correndo.
Deu um grito ao ver a moca desmaiada,
ida como a morte.
A parte exclusivamente militar da lucia basta
para interessar sobremod.o o espirito humano.
A plvora sem fumaja, as ultimas descober-
tas relativas ai armamento e as consequen tes
modiflcace8 que bao de .imprimir a estrategia,
o valor respectivo das diversas armas, vo ter
contirmac5e8 ou desmentidos curiosos.
Na guerra-franco jsllema, a scieacia militar
leve um carcter do malvadei grandiosa, pela
desigoal-lade entre as duas najOes: urna appa-
reibada de todos os eUmeatos para a lucta, ou
tra armada apenas de sua coragem legendaria,
incapaz entreacto de graedes resoltados, pela
viciosa orgaoi8ac2o do seu exercito.
Agsra as condicfteS sao ontras. e a Fringa, se
entrar emeampaoba, nao soffrer desastres.que
ba vinte e dous annos, a desidia do seu governo
produzio-
As coosejuencias polticas desta gue*ra serto
ainda maio.es.
Terminar, eaofo, o captiveiro da lsacia-Lo-
reaaT
Que ser feito do poder de Guilberme II ?
Qual a intervengo, nesta pugna, da questao
social, des propagandistas da paz universal, dos
que acoaselbam ao proletariado, em nome da
t-aternidade humana, nao pegar em armas coa
ra os seus irmaos
Qual ser a attitude da Russia t
Sao questOes estas mnito interessantes, mas o
sentimento humano superior a curiosidade, e
preferir, perder esta ocosio de fazer estudos,
accentua o publicista, cujas pbrases adoptamos
nesta exposico por um lado histrico dos fac
tos, e por outro especulativa dos successos alte
rieras da guerra eventual das duas grandes na-
goes.
A imprensa allemS ridlcularisa a ertrevis-
ta que em Aix-les-Bains teve o presidente da
republi a francesa com o ministro de estrangei-
ros da Russia e o re da Grecia.
D.zem folhas ofciosaa que o imperador
Guilberme II acha-se profaodamente desgostoso
com oSr. Schlezer, ministro da Allemauba jun-
to Santa -, por te.* visitado o principe de Bis-
marek.
No entretanto d.zem jornaes bem informados
que as relajees actuaes entre o principe de Bis-
marek e o imperado sao de bom augurio para
a reconiliacSo dos dous altos personagens.
A maioria da imprensa a!lemi coubate o
projecto de servijo obrigatorio no exercito.
Neste sentido, aonuncia que melhora-o sen-
sivelmente as relajOes entre o cbanceller e o
imperador.
Espera-se por isso que ebeguem a accordo,
relativamente ao projecto do seri'jo militar
obrigatorio.
Jornaes de boa nota pobltcam, que o Papa
Lej XIII recommendou ao clero allemao, que
apoie os candidatos reaccionarios an reichstag.
- O congressi catbolico de Miing votou con-
clusOes declarando necessario para a indepen-
dencia da igreja o restablecimento do poder
temporal do Papa.
As autoridades allems tiveram ordem de
prohibir a imm'grago russa para o territorio do
imperio.
Gootini fjrtissimo o calor.
Em Dartzig, ha pouco, s em um dia, 80 soU
dados foram victimas de iosolaco.
Noticias de Badea e do Wartenberg infor-
man) que o calor tem sido all lio intenso que
j se registraram muitos incendios por combus-
to espontanea, em bosques e lavouras.
Os estragos da estajo anaunciam se de til
ordem, que, mesmo as provincias meaos fla-
geladas, espera se que a col huta d cereaes
seja escssa.
Fallecen ao da 6 do corrate, de um ines-
perado accesso de bydrophobia, am menino que
em 1887 f.-a tratado pelo llustre Pasteur.
A impreosa, noticiando o caso, d-o como
p-ova da inulidade do methodo do sibio pro-
f^ssor francs.
E' este sem duvida um juizo muito precipita-
do, comprebende se perfeitameote ; pois dedul-o
a m vontade de nm facto singular, quando mul-
tiplicados comprovam a efcacia do metbodo j
assim condemnado sem estudo d> incidente,
cuja superveniencia pode ter ezplioajo scieoti-
tica.
Em fios de Agosto, nao restava ja a menor
duvida sobre a appanclo do cholera em Berlim.
Os mdicos que examinaram escrupulosamen-
te os primeiros bitos da molestia suspeita as
sim o atlirmam em seus boletins e recommen-
dam a maior cntela para com os doentes que
devem ser immediatamenle isolados em prol da
salubridade publica.
Continuam em toda a Allemanba as preces
pira conjurar a epidemia do cholera.
Eitretanio, o terrivel hospede prosegue em
sua devaslajao e cootini a infeccionar a Alle-
manha, p'oduziado, alm de grande mortalida-
de, a paralysajo no commercio.
Deram-se ali-uns casos na cidade de Bremen e
no porto de K -I.
Nao houve, porm, ainda bitos ness-sdous
lugares, onde rigorosas medidas sanitarias foram
tomadas.
muitos casos sus-
Oh meu Deus O senhor m-
tou-a !
Ests douda NSo vs que cahio
em deliquio? V buscar depressa agua
com .vinagre 1
Sim, senhor.
E' d'aqui a pouco, tos dous conver-
saremos.
A velha sabio correndo, atemorisada
com as nltimas palavras de Roberto, com
as pernas trmulas.
Apenas ella sahio, Severina abri os
olhos.
Ergueu-se e passou a mSo pela testa.
Parecia-lhe baver despertado de nm
horrivel pesadello.
Vio seu pai, recordon se de tudo e
disse :
Tem razSo, mea pai, preciso par-
tir !
> Bem o vs...
E quanto mais cedo mlhor.
Partiremos hoje mesmo. NSo des-
esperes, porque de hora em hora Deus
melhora. Linda como s, podes conse-
guir todo, se onvires os meus C'Oselhos.
A vida para mim, disse tristemente
Seravina, nSo contera de ora em diante
senao vergonhas e dores.
Ora i... Has de ser rica, adalada,
festejada... Esquecers este pequeo in-
cidente. Vou mandar preparar as cousas
para a partida.
A criada ebegra com o vinagre.
Elle despedio-a e passou a nm aposento
contiguo.
EntSo Severina, com as pernas trema-
las, o corajao gelado, abri o quarto em
que se achava Francis.
Este appareceu pallido, commovido.
= Oavio tudo, diese a moca NSo tem,
outra cousa i fazer ser-> esquecer-me. ,
as jlbas d'Elba deram se
peitos.
A epidemia foi denunciada em ootros pontos
da Allemanba, contando-se j rinte cidades que
delta soffrem.
Por emqoanto, porm, Hamburgo onde &
mortal idade mais avulta, na qual se compren .-a-
dem muitos mdicos.
Nessa cidade foi mandado o Or. Ko:h emeom-
misso do governo, para estudar a epidemia rei-
nante ; e a resposta dessa entidade mrbida, de-
pois dos necessarios estudos, declarou elle em
seu parecer nao baver duvida ser o cholera asi-
tico o que est grassando em varias cidades do
imperio-
Ora, a marcha progressiva da molestia era
facto irrecasavel, e entretanto o governo proca-
rava occoltar a gravidade da sitoajao; oque a
imprensa tem censurado.
Hamkargo
Essa cidade tem infelizmente sido o grande
centra na Allemauba da devastaco do cholera-
Ah deseavolveu-8e elie com intensidade viru-
lenta, excru:iou a familia hamburgueza e cob.io-
a toda de lato.
Para dar aos nossos leitores urna noticia rpi-
da de seu caminhar cruento n'essa cidade, pas -
samos a reproduzir tele, rammas expedidos d'alli
descreyendo a situajo epidmica, a comecar de
26 do passado a 7 do corrente:
O cholera que grassa ba alguos dias n'esta ci-
dade. ameaja esteeder rpidamente.
O numero de bitos do dia Jo aogmentoo con*
sideravelmrnte.
O cholera coa'ioi a fazer grandes nme-
ros de victians n'esta cidade e em diversos pon-
tos da margen: direita do E ba, principalmente
no porto de A'tona.
A commisso medica deu a conhecer infeliz-
mente qae os casos registrados o'essas duas im -
portantes cidades sSo verdaderamente de chole-
ra asitico e nao esparodico. como se soppunha
em cornejo da epidemia.
Recrudesce de modo assustador a epidemia
do cholera, que se declara ltimamente.
De bonlem 27 para boje 28 registraram-se 416
casos novos, dos quaes 130 fataes.
Em todas as igrejas da cidade celebram se
servijjs religiosos por caasa do cholera, os quaes
sao bastante concorridos.
O povo allemao corneja no emtanto a inquie-
tar-se seriamente e laoja mo de todos os recur-
sos para livrar se da infecjo do terrivel fla-
gello.
0 cholera vai n'uma progre385o cresc~-'"
aterradora.
Hoje 30 Jeram se 391 casos novos e 127 -
tos.
O cholera asitico contina a fazer grande
tragos n'esta cidade, assim como no porto
oho de Aliona.
As medidas tomadas pelas autoridades
(arias, para saffocar a epdemia, at agora
sido infructferas.
Grande pnico reina em toda esta regio-
Augmenta n'es'a cidade o pnico qi.j s
manifestou na populago, motivado peal pi
gogSo do choler.
as ultimas 24 horas de 31 de Agosto p -~
de Setembro foram registrados 308 casos Q:
e fallecern) 268 pessoas victimadas pela e
mia.
0 fhgello alastrase infelizmente com gruu^-.
rapidez por toda a cidade e circumvisinhanjas.
De 1 para 2 do correte reglstroo-se ligeira
melhora no estado sanitario da cidace, resoltado
das enrgicas medidas de:retadas pelo govern}
allemao.
Ha esperanzas de qoe.ee forem mantidas ainda
por algom tempo as medidas sanitarias postas
em pratica, a epidemia do cholera oo tardar a
desapparecer de tod).
A populago se vai reanimando, confiante na
energia das autoridades sanitarias,a cojos perse-
verantes esforjos deve-se o decllnlo da epidemia
do cholera-morbos, desde i do corrente obser-
vado.
Est verificado que o cholera morbos de-
cresce todos os dias em Hamburgo, dizia-se no
dia 3.
Mas no dia segointe accrescentara-se :
O cholera contina a diminuir no interior da
cidade; infelizmente, porm, registran: se mui-
tos casos nos suburbios.
A epidemia ainda cootini aguda.
as uliimas 24 oras falleceram 114 choleri
eos, sobre 232 enfermos.
Isto registrava-se no dia 7.
Sao da maior desolajo as noticias d'aquella
cidade.
Familias inteiras U'n dado entrada nos bospl-
taes, n'am s dia.
As autoridades sanitarias sao iacansavels; li-
aos os seU3 esforjos, porm, vo sendo balda-
dos.
Procurase garantir a guarnijo.
De ordem superior, fecharam-se os tbeatros e
outros estabelecimentos de iiverses, suspende-
ram se as manobras militares e fecharam-sa to-
das as escolas.


Porque ?
Porque nSo posso ser Ba esposa,
nSo sou digna do senhor.
O rapaz retorquio com calor :
Mas a senhora nSo responsavel
pelos crimes d'aquelie homem !
E' meu pai.
Quem o sabe ?... E mesmo qaan-
do o foaae, julga que isso extinguir o
meu amor ? A senhora nSo me conheca.
Amo a dez vezes mais, sabendo da sua
desdita.
Querido amigo !
Abandonal-a, en, justamente quando
mais precisa de*mim? !
NSo quero arrastal o na minha ver-
gocha...
A senhora asar do mea nome.
Se am dia o senhor me recrimi-
nasse !
Eu!
Quem sabe ? Talvez o seu amor
um dia dimina...
Nuno? ... Serei sempre o mesmo.
Severina sacudi a cabe ja.
NSo... Para o senhor e para os
seus, melhor que nos separemos...
EntSo j nSo ma amas ?
Deus sabe que eu sera a mais feliz
das mulheres, se padesse consagrar lhe a
minha vida...
Porque nSo o faz ? Nada est mu-
dado. Eu adoro-a e seguil a hei.
Mas meu pai...
Ha de ouvir me...
Elle disse que o matara se o sor
prendesse. .
Francis sofro framente, sem respon-
der.
Ed s quera ter certeza do seu
amor.
(Contina)


j
___,.


itEEVEl










' aM'-^rf"**
m

2
Diario de Pernambuco Quinta-feira 15 de Seiembro de 1892


t

Austria Humiritt
Effectuou se no dia-Sao corrttfe^aom Me
sol LQidade, o aoBMlto daiii.wgygyf;
oando da Ausfia eom **"" JP ,"P
Clotilde, filha de Su Mafastase Leoasso llda
BSato ao do arctudoas FfaacUctJtgaawk)
d'Eate, aobnobo da imperador d Amarte e Mr
deiro do tbroao, coa a prioeeaiuetesatina n
lh-i de Leopoldo Mtfelgtta,e*6 tmmrrmm
a> nne se lefTectasm avenanle por atar te
so'vido? as Sortea tttttria e tfica decta
raram nao ser lsto -exacto, nio toado o boalo
fundamento. ., 1U .
Diz o Pesther Lloyd, de Pesth, qae a al
lianea eatre a Franca e a Ruala tem por tim
combate- o papado e a igreja protestante do
Oriente.
Acaba "de realwar-se em Lenzesieon-
gres3o cataolico, ao qual o papa nao t enviou a
sua bengo, como assistio espiritaalidade, fazen-
do-se n'elle representar pelo seo nuncio monse-
ahor Gahumberti, dando-lbe por esta aolemnl-
dadeimpo-tanda especial.
.A feigo ,dj congresso foi, por virtude niesmo
dos assumptos de ordem social de qae se occu
pou, hwis psiiuca t(ae religiosa. E' provave
que do -oogreaso de Lenz saia ama Totora coa-
atitaicio do centro parlamentar ad instar do
da Allemauha, consoante o ja antigos desejos
dos catholicoa austracos.
O socialismo te ve urna grande parte, aeno a
principal, as diacussOes do coogresso.
A questo social fot encarada por seus dlver-
-03 aspectos pelos vario3 oradores do coogresso.
Todos, porm, como era natural, concordaram
que a salvago da sociedade eslava unic.mente
na religio catbolica e na applicago das suas
doutnnas em materia econmica.
_0 inema dizem os protestantes, os positivis
tas, e quantos pertan;ciu a urna doutrina abso
luta, por cala am de seas crentea julgada a oni
ca salvadora.
E o que vale a esta pob t Humanidade que
ella tem muita gente que se cecupa de sal-
val a.
No congresso de Lenz o padre Kolb, da Gom
panbia de Jess, resuaino as diversas opiuies
all emittidas, fez-se o commentador eloquente
da encyclica de 15 de Maio de 1891, e por pro
posta sua, (o am adoptadas reaoluges tenden-
tes a garantir um justo salario aos traba'hado-
rese ama pirticipago no3 benefi:io3.
O congresso preconisou tambem a creago de
as3ociac.es catholicas Com um fim tanto politi
co como religioso, como o systema de corpora-
les taato nos diversos oflicios, como entre os
estudaotes.
A impren3a gevernista austraca, bem como a
allema, nao pouparam reproches e remoques ao
coogresso, que prodigalisou os protestos de de-
vogo ao pipa, do momento .em que os act03 da
Car.a nao sao muilo benignos ao imperio austro-
bu'^aro.
A N we Freie Presse, de Vieana, censuran-
do o congresso, cana o papa de m vontade
contra a Austria por amor Ja Franca e odio
Italia.
O que notavel qne, apesir da attitude de
Leaj Xlll a respeito da Frang, o congresso de
Lenz, onde Be contavam bomens eminentes da
poluica austraca, mostroa-se devoladissimo ao
papa e sympatbico sua poltica e em geral
avesso trplice allianga, cuja imprensa discote
os seus actos e palavras cr-m alguma acn
moma.
Em Trieste o calor lem sido intenss-
imo-
J 16 pessoas se snindaram nessa cdade, em
accesso de loucura provocados pela elev;co de
temperatura.
O Sr. Steiaba.lt, ministro das nanlas,
acaba de ser condecorado pelo imperador com a
Cori de ferro de primeira classe : urna das
mais citas dis^n- goer na Austria.
O Sr S'iiabaik obteve-a pela energa e gran-
de babilidade de que deu prova na campanea
que emprehendera pira reatabelecer a chamada
valuta, isto ? aboligo do curso forgado dos
bilhetes bancario.
O ministro acaaa de obter as duas cmaras
a app-ovago do sea projecto de lei, e daqui a
poucc a Austr:a-llaog'ii ter novo systema mo-
netario.
A moeda ter d'ora em diante o seo completo
valor nominal. At boje quem tinba cem fio
nos na algibeira ounca sabia bem o qae elles
valiam ; se tuln que pagar direitos na Alfande-
ga, coso elles se pagam em ouro. devia entrar
com diffen*ng* do camDio, que vana na Austria
entre o e M) 7o- .,. .
Estrf estado uj cousas ata all de mais de um
seclo.
O Ibrim de pape! com seu valor oscilante so
breviveu a dez goverooa. a tres imperadors, a
todos os, desmaneaos da monarctua; mostrou se
sempre tnais valente do qae o m^is vaiente dos
estadistas. Habitoaram-se a ene por a, conso
laramse com isso e ebegaram al a ectiuiai o.
Houve polticos qoe pretenderam que esta si
tua^ao desoladora das Hoaojas da Austria coa-
stituia urna das torcas v:lae3 do paiz.
Ser urna gloria para o reinado de Francisco
Jo o baver aoal curado es'.a chaga flnanceira.
Nao cu?tou pouco.
O restatelec ment da valuta encon'.rou mu
tos adversarios, e ounca a opposico foi compos-
la de elementos rio heterogneos.
Tjo o taaao dos uimeailislas entrou na ba-
taina. Clencaes, aali-semitas. conservadores.
:iD<-raes, tchecos e sloveoo-, ludo isso votou con-
tra o geverno, unindo se por om momento em
adoracao so papel-moeda.
a rLairia do parlamento resisti, entretan-
to, e o tlorim val desapparecer.
A uaidade monetaria d; Aaatria Hungra ser
agora a cora, exactaiucte a metade de um II v
nm, quasi 1 franco e 10 centesimos da moeda
fraect-za.
O governo estabeleceu rigorosa vigilancia
ca Fro'jteira da Rossia e da A K-manba.
To.o oe tren3 sao rigorosamente desinfecta
dos.
a' 2f< do passado corra boato de que o
rbolera apparecera em diversos pontos da Ao--
ru-llungna, grassando principalmente na ca-
pital.
Logo ap3 a delaragao dessa apparicao em
Vienua, o governo decrelou urgentes medidas
neces3rias, entre outras a auspensao dos exer-
cicios militare^ durante o da e aupprimir. se-
gundo se lli-ma, a3 grandes manobras milita-
res, bem assin varos divertimeotos populares,
como s jam iheatros, bailes, etc.
Os doiates da epidemia lm s:do tratados com
desvelo; a3 victimas da pesie sao, porem. sepul-
tadas urna hora depois le se declarar o fallec-
ment, desinfectando se em seguida a casa que
permanecer inteirameuti fechada at nova de
bersgao da muiieipalid-de.
para a paz da colonia e o fuaccionamento regu
Ut dos eogaatw.
Dais MMWar it cklti toovada,, o
Qo4rjraan-
irn> esparieaoa, toen tosaa itrttdadas pan*'
poroobriM>f*ide aal..#ofarindispM*a
val o auxliaeo-rjeoeiMo'da* aradores po'W
gaezes, 4ttamaU.nterBtalos dex^oe os wr-
laodaEe3,arqB aobre.a4)Kaijuas qoartB-
eabia toas o dUMo.
O fiovarao cob>'-a.flm plano qae ser sab
matttdo aaacaab todo saber se os moradores portuguezes estavam
ou nao dispostos a defender se coatra os saltea-
dores e os incendiarios, sent levantada a pro
hibico que privara os portaguezea do uso das
armas-
A esta consulta a asacmbla dea urna resposta
que sobremodo a bonra, pois bem mostra que,
comquanto os representantes dos moradores por-
tuguezes eslivessem diapostos a auxiliar o gover-
no bolUndez, no empeono de restabelecer a or-
dem publica, todava nao queriam sacrificar o i
jue entendiam ser um dever de lealdade.
Reapanderam aflirmativamente, mas iavrando
nm protesto aolemne, qae o seguate:
Oomo a defesa e de si mesma urna cousa na-
tural, e o povo recebe grande detrimento coen os
roubos qne cada om de nos snffre da parte dos
ladr?s, aeeium03 de bom grado a defesa queS.
Exc. nos offerece para segurronos os noaaosbens
contra os roubadores e incendiarios, sob este
protesto:
Qie em tempo algum no3 serviremos dts ar-
mas, que nos sao cenced das, contra o rei de Hes-
panha : porquanto a oossa inengao noempu-
obarmbs as armas contra elle nem contra oaseus
soldado", mas smenle para defendermoaosno.~-
sos bena e babuac&es contra aquelles qae iojus
lamente e fra de toda a razo nol os qoizerem
tomar ou abrazar. Contra esses taes queremos de
fender-nos ; mas protestanaos que semelbanle de-
feza jamis se nos attribua a algum > outra nten-
Co contraria ao dito rei de Hespanba e aob esta
coadico aceitamos de boa vontade a proposta qae
se nos offerece e promettemos que nao nos ser
viremos das armas que para nosba defesa nos
sao concedidas, contra as suas Altas PJtencia^,
os Srs. estado8-geraes, a Ilustre companbia e
seus governadores e que em todo o tempo Ihes
guardaremos ojuramento e a fidelidade que lhes
havemo1 premsitidos; e para a resalva de nossa
honra e reputaejio, S. Exc. assigaar este protee-
to e o secretario pre.:ente dar testemuuho de
qae ios asim temos protestado .
E ese protesto, necessario, ao que parece, pe-
lo tacto de serem os campos tambem percorridoa
portrofos'de tropa expedidos da Bahia, fo tffac-
tivam-Qte lirmado por J. Mauricio, conde de us
aao, S. van Ceulen, J. Gysaeling, H. Hamel, 1).
Codde van dc-r Burch, membros do conseibo su-
premo e aulheaticado pelo respectivo secretario,
J. van Walbeeik.
Aps esse rasgo de bombridade e coragem c-
vica dos vencidos em face dos vencedores, para
resalvarm o qae enteudiam ser a bem ue sua
honra e reputacSoclara prova das virtudes
daquel'a geraco de fortes I o governo subinei
teu a a.-tembla o seu plano de aefesa.
Consista este em um systema argaaissdo de
alarme, a que a udiram 03 soldados das guar-
niges e os moradores visinbos do pomo atacado
pelos apeadores.
(Contiua)
Scbeube (36) resumi do seguate modo o re-
aultado das mus aaiopsiw :
Dilaiicio de inatade dMta do corico em
11 casas 70 .
Dilataoaa da waJias as.-iaetada do carajo
em Vanaos 80 ,'.
Hyp.'.rtiopJU do ven'.riaalo aaajaerdo em 5
casos
ypert
casos
ie ambos os veatriculaa em &

(36) Scbeube, loe. cit., p. 494.
(33) Baelz/ K kke beri beri do Japo. <
Med. da Babia. 1884 n. 5 p. 214.
(34) PekelbariDg, obr. cit. p. 69.
(35) Baelz loe. cit. p. 216.
(Continu'a.)
Dr. Nina Rodrigues.
Gaz.
Ella e elle
Ella d'ama belleza rara e peregrina,
Elle tambem de ama fealdade estranha,
Ella tinha o aplomb de urna duqueza fina,
A cutis lyria. das virgena da Allemanba.
Elle infeliz, adorava-a ardentemente,
Ella mano a gosto tratava o com desden:,
Elle dizia-lhe : dai-me um olhar somenta
Ella responda-lhe: s louco, pasaai bem.
Atroz suppiicio cruel deslumbr ment!
Oh elle quera urna vez. um so momento,
Beijar-lhe da face a immaculada flor.
Ella a seductora, a lubrica princesa,
AppareciE-lhe ca, em plena natureza,
E elle murria tantlico de amor 1
Carlos Mariz.
1891.
MEDICINA
& beri-beri e as polyucvrltcs
(Continuago)
II
E' cerlo que estas aiteracSes myocardicas,
on'l exisiem, devem ter nllueacia sobre as
funcgOes do coragao, ma3 nem sao ellas so, nem
sempre ellas que produzem os symptomas car-1 gUa8 fUncg3ea, ha neceaaanamente pertur
diaco graves do beri bsn. Examiuei anda em ___ji:. j_____; j
tres casos o corago, o ventrculo tanto esquerdo baSa nor deeenvolwmento dynamico das
como o direito, em cortes endurecidos maa nao mesmas tnnesoes e portanto preiuiao ca
IWDLSTR1AS E 4BTES
a:\|ovu descrlpiiva de urna
machina a vapor de cyliudro
iuovcI lavenco de Francisco
Gomes Perelra de .Lyra.
(Continuado)
Estes phenoinenoa, que at hoja (se-
gundo pens) nao forana anda devidamen-
te eatudadoa e definidos, encerram ea
verdadeiros fundamentos das obaervayoes
cima indicados.
Vej mos :
5'Supponbamos o embolo em seu
ponto de partida, isto no comego do
um passeio e que tenba por exemplc de
partir do lado posterior do cylindro : b-
aervaremus claramente que quando elle
tiver percorrido metade exactamente de
seu passeio a macirela por sua vea oSo
ter anda percorrido metade do semicr-
culo, isto nao estar parpend'cular a
haste ou direcgSo do embolo, e que deste
modo, s.ndo simultneos tm suas funches
na i aSo entretanto esaes dous orgSos so-
cronos em seus movimeolos, e desde que
dous moveos, de nccSo reciproca, acciona-
dos por urna mesma forca trabalham si-
mu. taneamente para um mesmo fim e nSo
guardam o iscehroniamo de tempo t-ntre
venientes sobre a estructura de seu me-
cnaaiatno.
Estadando se coua: attaafllo aae me
okaniasao eomprehende-ae facilmaote qae
elle ao acbam tundidos dous tyos de
igaaea dimensoaa de una das machinas
actuaos cm cujo systema de ecc2o motora
o vapor ac-iona com intensidade de du-
pla preaaao conforme o principio e for-
mulas apreBentadas (sob t n. 3) e que
tem por fim nao somonte attender ao ex-
posto sob n. 5, como tambem diminuir
ca resaltante das resistencias passivas
occaaionad^ pelo duplo attricto as duas
machinas unificadas por elle no mea sys-
tema.
E' tacto que a mobilidada do cyndro
e sua cou8equeate applioagao trazem at
trictos e fricc5es que nao se observara
nas machinas coramans ; mas facto tata
bem que as maiores resistencias sao pro-
ducidas pelos embolo3 nas paredes dos
cylindroB, pelas correabas nas givetas de
destribaiSo u pelas arvores ou eixos nos
respectivos maneaes e .chumaceiras, -e
desde que no meu syatema acham-se fun-
didas e unificadas duas machinas das
actuaos, sem a duplicidade desses org3os,
segue-se naturalmente que em virtude de
sua propria composigao, e do principio
dynaraico da forga motriz que o acciona,
menor ser relativamente a resultante das
resistencias passivas.
Esta ligeira descripjo e apreciagSo
que fago de meu invento, e que s^bmet-
to consideragSo dos entendidos e ama-
dores da mechanica, a expreaso bem
ou mal defiaida ,de ama profunda coa
viegao nascida da ana'yse de principios
de mechanica e physica bem defiaidos, e
de observtgoas cuidadesmente feita3 du
rante bem longo tempo.
Recite, Abril 1892.
pude acbar alierugOes intlammatorias.
E, de f-cto, a clnica aancciooa plenamente
este modo de ver. Entre as desordens cardia-
cas nouveis do beri-berl, que denunciam urna
alteraco propria e directa do orgo, com evo-
acylo mechanica da sobredita forga.
Tratando de eacrotinar cuidadosamente
a causa deates tactos, vejo que e ella de-
vida formagao e supressao do sobredito
lugao peculiar e confenndo um cunbo lao part- ngulo do tirante com o prolongamento do
cular a cartas formas clnicas da molestia e as ha8[e ou direccSo do embolo, trazenda
mvocard.tes das febres infectuosas, trauuzndo ,. __:_
Sena* a locali-sago cardiaca do prcesso myo-' como consequenc.a immediata no pnme.ro
8iuco generalisado, nao se podem pedir e en- caso ou tempo, isto e, na formagao do an-
coirar outras analogas alm daquellas porque j galo urna tracgSo do embolo o com ella
se trahe sempre a insuficiencia fuuecionai do um e8pBC0 de expansSo neutra do vapor :
orgo, quilquer que seja a causa do seu enfra-
queennento. A comparaco dos phenomenos.
clnicos em ume outr caso demonstra effectiva-
HISTORIA
A primeira .%sembl a Legisla-
tiva do Brazll
(Continuago)
Os trabalhos da assembla foram inaugurados
por urna falla que lhe dirigi o Supremo Conae
lho, e cujo objectivo era faier sentir a soliciiude
do governo colonial, no tocante a administrago
da instiga civil e criminal pela creagao do3 tri-
bunaes de scabinos, onde eatrava o elemento
pertoguez, bem cumo decretando todas as medi-
das tendente? a estabelecer a ordem e a paz pu-
blica, e a extirpar abusos inveterados, prove-
nientes do anterior estado de guerra, mas t
tioham tambem origem na pouca aflegSo uua
portuguezes para com os neerlandezes.
Qoerendo nos, pelo contrario, continua a
falla, patenlear a estima que votamos aoe por-
tuguezes, resolvemos convocar eata assembla
dos pnncipaea do povo para tratarmoa comvoaco
sobre os malea que a Repblica aoffre, e provel-
os dos remedios maia efficazea com approvagao
e apnzimento .vosao ; materia eaU em que cada
um de v3 advertir o que Dens le inspirar,
procedendo e respondendo no temor do Senhor,
com dedica gao Repblica e amor a suas altas
Potenclaa os Srs. Eatadoa Geraes, a Soa Aileza,
lluatre Companbia, a S. Ex. e ao Conaelho
Supremo, que em todoa os lempos ten mostra-
do eua atfeigao para comvoaco, e desejam por
ultimo dar-lhe affectividade e trnala patente
neata assembla geral, que para este fim flzeram
reunir.
Os campos eram infestados por quadrilhas de
salteadores qoe roobavam ot moledores e des-
t-uiam ea suas propriedades e as suas planta-
cOes-
A primeira proposta do Governo versava so-
bre eise asiaapto de to paipiuate iuteresse
mente a completa distinegao delles
Pelo que respeita a degeneragao gordurosa
encontrara era quasi todas as auiopsias, esta
ua sua grande maioria apenas um caso da dege-
neragao que sotTrem todas as visceras c cuja
explicagao talvez ao se aparte mu:to na sua
essencia da proposta pelo Sr. Dr. Pacifico Pe-
reira, embora nao lhe possamos conceder boje a
mesma imporlaaeia e sigoilieago que be havia
dado o provecto mestre na sua notavel memoria.
A passiyidaile e um tanto de odifTerenga des
sas alterares mltiplas, eproduzidas em clini
ca na sua expresso mais simples pelos casos
de poly steatose visceral de proveniencia toxica,
nao se compadecer com o panel aelivo e predo-
minante que as desordens cardiacas a33umem
desde comego nas manifestag^s clnicas o
beri-beri.
Se competa a demonstrao deste asserto com
a ooservaga de anatomo patbologistas igual-
mente auionsados que nem sempre encontra-
ram degeneragao gordurosa to accentuada-
Nunca, diz Baelz (13), eacontrei degeneragao
gordurasa ao exame microscpico, muitas ve
zes mesmo nao a lenho encoutrado ao exame
microscpico, que me mostra una estnago bm
clara.
A parede musculosa do coragao, escreve Pe-
kelharing (34), muita3 vezes paluda ; mas ba-
verla engao manifest em concluir dabi que o
corago se acha affectado de urna degeneragao
gordurosa cooaideravel. O exame microscpico
demoootra que este facto nao se verifica em \
grande numero de casos.
Na caroiopathia do beri-beri por conseguinte,
as alteragOes do rayocardio, a myocardite beri-
berica se as quizessemos chamar assim, consti-
tuem um proce3so mrbido que interessa dire-
cta e immediatamente o orgo e que nao se de-
vem filiar s alteragOej musculares generalisa-
das, intlammatorias ou degenerativas, que aca-
bamos de considerar.
E a inie-vengo das IcsOes do vago que cocsti-
tue a segunda tbeoria invocada para explicar as
ie^es do myocardio, ji o reconbecimento ex
plicito da eapeeiaiidade das alteragOes do cora
gao.
O ccrago, diz Bielz (35), formulando es ta tbeo-
ria, tem como ervo motor e segundo Eicbborst
corno aervo trophico o vago cuja degeneragao
d conta de todos os phenomenos observados na
sua espaera.
Semelbante theoria suscita, todava, gravea
objecgOe? que a tornam, na nosaa opmio, de
todo aaceitavel.
Nao um facto demonstrado nem mesmo urna
tbeoria geralmente aceita, a opluio de Eicbhorat
e Gasxel, de que o vago exerce sobre o corago
urna influencia trophica anloga que com todas
as suas ce nsequencias exerce a medalla sobre
oa msculos da vida de relago. Pelo menos,
segundo affirma Byrom-Bramwell, nao era mes-
mo precisamente este o sentido que dava Gaekel
influencia do pneumogastrico sobre o corago,
que elle cbamou de trophica.
Todava era possivel explicar por esta tbeoria
as lesoea encontradas por Baelz e Pckelbaring,
embora nao fosae razoavel por sua conta as
exteasaa degeneragCea gordurosa* consignadas
pelos autores.
Mas outros resultados das autopsias e a obser-
vagio clnica tornam esta bypotbese, no caso do
beri-beri, diflicilmsnte conciliavel com os tactos.
Todos aquelles que possuem ama observagi
regular do beri-berl, sabem perfeitameoie que na
primeira phase da molestia a s vezea anda em
Ebaaea adiantadas dominam os phenomenos de
yperkinesia cardiaca traduzida por impulso
Sirecordial, enrgica, palpitares, pulso cheio e
ore, reforgo do segando tom pulmonar como
antes de Peselbaring j nos tazia notar o Sr. Dr.
Francisco de Castro.
Estes symptomas comprovam a existencia de
urna bypertrophia do corago denunciada pela
explorago clnica e demonstrada pelos exames
postmorlem.
E' nm resallado consignado por quasi todos os
auto'"*!
e no segundo caso, isto na suppresaao
do mesmo ngulo urna retracto do embo-
lo sobre o vapor e com ella necessaria
mente um efFeito retroactivo de sua forga
elstica. Se o embolo porm tiver de
partir do lado anterior do cylindro e qual-
quer que seja a direegao do movimento
da machina, em qualquer das hypothesea,
| dar se-hao todos os phenomenos descriptos
cima em ordem inversa.
Cada revolugao da machina comprehen-
de portanto dous passeios do embole di-
1 vididos cada nm delles em dous periodos
1 asss dstinctos; o periodo de tracgSo e o
i periodo de retraegao do mesmo embolo.
: Ora, tendo por fim o cylindo movel aon
venientemento combinado exercer inve s-
mente as funegoes de um segundo ombo-
lo, segue-se necessariamente que quando
um estiver no primeiro periodo o outro
estar no segundo, e que por sao a trac-
gao e retraegao se neutraliaarao recipro-
cramento, uniformiaando a expreaso do
vapor e conseguintemente produsindo au-
gmento uo trabalho motor oa na acyo
mechanica do mesmo vapor.
6-O systema de manivelas invertidas
empregado, alias necessario s condigSes
cinemticas de mechanismo, e que parega
a primeira vista contrabalangar as vanta-
gens provadas nos clculos deduaidos dos
principios exactos apresentados neata ex-
posigSo, ju8tifica-se precizamente desde
que considerarmos que elle nSo representa
mais que urna serie de alavancas suecos-
sivas on < de momento constante > onde
a < resistencia a vencer reside ne cen-
tio da rotacSo sob o braga commam das
manivellas qae tambem o relativo da
potencia ereaistencia
Ora, sabe-ae qae a relagSo da potencia
para a resistencia e vico-Versa, est na
razSo inversa dos respectivos bragos de
alavancas >, e qae sendo a manivella ama
alavanca de bragos communs oa recpro-
cos, essa relagao ser sempre constante e
portanto nao altera o principio do snas
leis fundamentaes,
Sabe-se tambem qae para calcular-se o
producto de ama forga oa o resultado de
sea trabalho mechanico desenvolvido por
urna manivella accionada por ella, deve-se
attender nao somonte ao comprimento do
respeetivo brago e consequentemente o
oaminho a percorrer, oomo tambem o
principalmente ao tempo gasto em peoor-
rel o que sempre proporcional ao pro
dueto da mesma forga.
Isto posto, concluiremos qae no syste-
ma de manivellas invertidas,como em pre-
go, sob a acoBo dupla do vapor (vida n.
3) a resaltante sobre o momento da for-
ca maito superior das machinas
actuaos, e conforme os clculos apresen-
tados por mim nesta exposioao, cajo re-
sumo exprime consideravel economa da
combustivel, redaocSo do peso e volme
do maohimsmo e aptidao para as grandes
velocidades immediatas.
7 Terminando a exposiclo descripti-
va de minha machina, tenho a accrescen-
tar algumas obsrvaseos que jalgo con-
MedidRH anuaria O governo fede-
ral diriga a eguinte circuLr ao xm. gover-
nador:
. i' Secgo.-Circular.Ministerio dos Ne-
gocios do totenor, em 26 de Agosto de 1892.
Ao Sr. goveroador do Estado de Pernambuco.
De accordo com o que propoz o inspector ge-
ral de aaude dos pjrtos em oflicio deata data,
raelveu o governo :
1 Que sejam cooaiderado* infeccionados de.
Cholera morous oa portoa de Hamburgo e de An
tuerpia, e suapeitos todos os domis portos bel-
gas e os allemea nao a do mar do No-te e do
mar Bltico, maa tambem dos nos que vem de
sgo)r go mesmos mares;
Io Qae as embarcages procedente3 de qual
qoer uos mencionados portos, directamen'.e ou
por escala, aejam reoebidas nos da Repblica
depois que tiverem sido submetudaa ao devido
tralquelo aaoitario no Lazareto da [Iba Grande,
ao qual devero primeramente dirigir ae.
Estas rescluQOes aoplicam-se aos njvio3 que
aabinm dos referidos portoa a coatar de 16 do
crreme mez.
O que vos declaro, para os fina convenientes,
confirmando meu teleg'amma de hoje datada
do.
Saude e fraternidade.Fernando Lobo.
Telesramma-A S. Exc. O Sr. goverua-
dor do Estado foi dirigido o seguinte:
Rio de Janeiro, 12 da Setembro. rgentis-
simo.
Aos governadores dos Estado3.Marechal Flo-
riano nao ae manifestou contrario mudanc ban-
deira, como poaitivamente alrtua o S'. Miguel
Lemoe, em nome do apos:olado poaitivista.
Como vice-presidente Repblica, o Marechal
Fioriano respeiiara deliberago Congresso ; co-
mo militar defender symbolo ou patria, qual-
quer que elle seja ; e cojio aimple3 cidado pre-
ferira que esse symbolo nao desse lugar U3pei-
gao de seita
Saudo-vos e pego publiquis.Coronel Valla-
do.
Actott oflttolaoePor acto de i do coreni*
o goveroador do Esta o homeou o cidado Fran-
cisco Gomes de Aracjo para o lugar de 1 sup
pknle de juiz municipal de Grvala.
Em S do mesmo mez nomeou o cidado Vi
cente Telles Furtado p>ira o posto de sub-com-
m.ssario da guarda local do municipio de Gara-
atas.
Em 8 exonerou por conveniencia do servico
publuo o commiasario do 3o di3tricto da i" re-
gio e reintegrar no referido posio o tenente
Porfirio Poppe Giro.
Na mesma data comeou o bacharel Antonio
Freir, para o lugar de juiz municipal e de or-
phoa do mun cipio|de Cimbres, que servir dito
cargo a' que assumam o exercicio 03 juizes dis-
trictaes que forem eieitos pelos novos concelhos
municipaes na forma da le n. 15 de ii de No-
vembro de 1891.- Ao nomeado fica autorisado a
assumir o exercicio de suas funegoes indepen-^
d-nte de ululo que solicitar opportuaameote.
Em igual data nomeou para 03 lugare3 de Io,
2 e 3o suppleotea do juiz municipal da Cimbres
o tenente coronel Honorio Tenorio de Carvalho
Cavalcante e os capitea Joaquim Cavalcanta de
Albuquerque e Nemo Camello de Siqueira, que
preataro a atrmago do estylo no prazo trala
das.
Em 9 do mesmo conceden um mez de licenga
a promotor publico do municipio de Flores, ba-
charel Jes Antonio de Magalbes Bastos, deven-
do eatrarno gso da mesma cenga no praso de
oito diaa. ,
Em 10 demittio o bacharel Elpidio Barbalbo
U:b Cavalcante do logar de promotor publico
do municipio de Tacarai.
Deilcnaco -Foi designado o coronel Me-
noel Jacome tezerra da Carvalho para iservr o
logar de presidente da Intendencia Manicipai de
Boa-Vista, da qcal membro.
Intendencia Municipal-Foram Hornea-
dos es. cidados Antonio Vieira de Moura Vas-
concelloa e Jeronymo de Oveira Cavalcante
para exercerem os cargos de intendentes do mu-
nicipio do Limoeiro. em subatituigo do tenente-
coronel Antonio Candido de Oliveira e Jos Pe-
reir Cesar, que ao aceitaram a incumbencia.
Intendencia da Boa VistaForam d3
pensados, a pedido, os Drs. Joo Flix .Peixoto
de Azevedo e G briel Jos de Andrade Costa dos
cargos de intendeutes do municipio da Ba-V's-
ta sendo nomeados para substuil-os os cida-
dos Metbodio Coelho da Cruz e Emilio Valentim
Maia- u
to vem ador do Estado Acha-se ja
reatabelesldo do l*gei.ro ineommodo febril le que
foi accommettido S. Exc. o Sr. Dr. Barboaa
Lima, digno goveroador do Estado.
Comprimentamoa a 3. Exc. pelo seu reatabe
lecimento
para publicarDa secretario do gover-
no foi-nos reoettido :
Illm. Eim. Sr. Goveroador.A sociedade
anonyma Arion, representada por sua direc-
tora abaixo assignada, vem peraote V. Exc.
reapeitosamente ponderar que nos termos do
contracto lavrado no Thesouro do Estado em
razo do Decreto de 17 de Agosto do anuo pas-
aedo, so poltra ter lugar sua resciao se pela
frequencia ou importancia das lnfracg5es do
meamo contracto, nao justificadas, se reconne-
cer ser elle prejudicial ao publico.
Nao tendo sido ouvida, como devia ser, sobre
a minuciosa exposico feita pela inspectora dos
theatros a que V Exc. fez referenciae na qual
se baseoa para expedir o acto de ante bontem
datado e publicado no Diario de Pernambuco,
desconbece a Directora da Sociedade Aricn
quaes aa iafracgOes apontadaa pela inapectoria e
assim nao pode demonstrar a V. Exc. aimoro
cedencia da representago: e, mesmo admettin-
do que as allegadas infraccoes do contracto se
tenham dado, tambem aao pode habilitar V.
Exc. a julgar se foram ou nao ellaa motivadas
por forga maior, como preceitua o art. 9- qaaudo
admitte justi'ticago de torga maior peraote o
governo do Estado. ...
Afirmando a V. Exc. qae a Sociedade Arion
nao faltou a ama so siquer das clausulas do seu
contracto, como demonstrou peraote a Cmara
dos Depatados Estadal, quaado refutoa as as-
sergoea do deputado Loiz Auguato Coelbo Cin-
tra, que um doa inapettores d03 theatros des-
ta cidade, retutaco que V. Exc. encontrar no
Jornal do Reclfe de 17 de Julho prximo pas-
eado que a este acoapanba, a Directora da bo
ciedade Arion tem oeceasidade de com todo o
acatamenio dtxer a V. Exc. :
1.* que oto exacto que a sociedade tenba
contribuido para que a popnlago deata cidade
ae visee priala de qualquer diverao licita pola
que jamaia negou o theatro para tal tim ;
2.* qae nao diffi:ul'.ou ou imposaibilitou por
forma algoma a vida de qualquer companhia, e
muito meaos tez desarrazoadas exigencias, pois
que apenas, zelando seus ioteresaes, uao quiz
fazer com um artista italiano o cintrado que
este quera, e Beguado o qual inevitavel aena
nao pequeo prejaiso, mas a este meamo artista
nao oegua o theatro para as representagOea de
sua companh.ia ; e V. Exc. certamente concor
dar que pelo facto de ter eata sociedade a seu
cargo o theatro, nio fleon obrigada a acceitar
toda e qualquer proposta qae he fosae apresen-
tada, pelo que tendo recusado a proposta e nao
othearro 3o improcedentes aa aensuras :
Em coofirmago do que vem de dizer. junta
por copia dous telegrammas. pelos quaes V. Exc
vera que ao artista Saosone tinha facultado vir
com sua coaipanhla por conta propria ; .
3- que tambem nao exacto que tenha pro-
movido espectculos de quasi nulla attrago, pois
que pdo contrario a concurrencia tem sido bem
regular, nao sendo maior por causa do estado A*
sobresalto em que est a populago, mxime
quando ao lirigir-se para o theairo en:ontng a
forga publica de promptido no Campo da Repu
bli-a e favoravel tem sido ojuiso da imprensa
sobre o mrito dos artistas qae tem trabalhado
no theatro, at mesmo para comalguns, que ces-
agradaram a sociedade Arion, como succedeu
cem a Sra. Ancarani na cotnpauhia lyrica do an
no passado ;
4- que o contracto nao marcou praso dentro
do qual tivessem lagar 03 concertos clasaicos e
populares, pelo que nao se node dizer que tenha
havido infraego do contracto, e seV. Exc. a res-
peito deste ponto se tivease dignado ouvir a di-
rectora, esta provaria a V. Exc que entendeu se
vanaa veses com o distincto clarinetista M*ioel
Bandeira, e depois como maestro Eaclides Fon-
seca e de ambos ouviu declarago ae serinjpos-
sivel a realisacD pela falta Je certo3 instrum-
menlo3 indispensaveis, nao coavindo que la-s
concertos fos^em do mesmo genero d03 que ge-
ralmente aqui teem lugar;
o- que nao padia justificar perante v. Exc. e
dar oa motivos de foca maior laracgoes do con
tfacto, se nenbuma infraeco houve, sendo que
isto incontestavel desde que o geverno nao
deixava de impor as multas estimuladas no art.
9.pr. para as infraccoes do contracto, e oem i
inspectora aquellas de que trata o nico
se tivesse havido intr-cg5i3 on
fa las;
6 fiaalmento que- ocoitracto resultante do
decreto de 17 de Agosto do anno passado foi ap
provulopelo poder legislativo, como a Cmara
dos Depnt idos foi reconhecido com a approvagao
dopa-ecer da commisso espec.al para tal rim
uomeada a re^u-rimento ao deputado Cintra,
parecer que foi puDhcaJo no Jornal do Reafe de
9 de lulno prximo passado do qual junto encon-
trar V. Exc. um exemplar.
Asaim se expreasando. a directora da bjcie-
dade Ann espera que V. Exc. recooaiderara o
acto rescisorio do contracto que a Sociedade
tem com o governo do Estado.
Recita, 22 de Aosio de 1892. Luiz Jos da
Silva Guimarea. Dr. Manoel do Nascimento
Machado Portella Jumor.Dr. Jos Joaquim de
Oliveira Ponaeca.
N. 139. hj.-5-JO. Pagou 500 ri3 de sello
Recite. 22 do Aijoitojde 892.O escriptun.-
rio, C. Araujo. Peio tesoareiro, A. Caldas.
Copia de dous telegrammas dirigidos ao dire-
ctor secretario da Sociedade Anonyma Arion.
Bahia 19-8-92.
Portella Jnior.Pernambuco.
Fallei Leite, dispoto accei.ar resoondendo se-
gu represntame coatractar.
Assignado.Sansoie.
Babia. 19-8-92.
Portella Jnior.Pernambuco.
Fallei Sansone, disposto acceitar conta pro
pria conforma confirmado resposta Sansone.
Assignado.Domingos Leile.
N. 110. Rs. 250 Pagou 250 res de sello.
Recile, 22 de Agosio dr 1892. O escriptura
rio, C. Araojo. felo tbesoureiro, A. Caldas.
1792Parecer n. 190
A commisso especial nomeada nara dizer so-
bre o projecto n. o do anno passado, cuja reda
cgo final tendo sido approvada em 4 deNovem-
bro pela approvagao do parecer n. 232 da res-
pectiva commisso, nao foi entretint* .emettido
sanego deniro do praso marc-do pelo arl. 183
do regiment inteno desta casa; tendo vista
todos os documentos e informages fornecidus
pela secretaiia da Cmara e considerando, por
um lado, qae o art. 183 do regiment nao com-
mina pena alguma para o ca3o de nao cumpri
meoto e por outro lado que o projecto n. 5 nada
mais coasagra a approvagao do decreto n. 17
de Agosto de 1891, em virtude do qual lavrou se
coutracto com Pedro Jos Pinto e Torqnato Jos
da Silva Guimares cedendo lhes por dez annos
o Tneatro Santa Isabel para oelle trabalharem
campanillas lyricas, dramticas e outras de onde
se pode induzr, em face dos principios de di-
reno constitucional, a desnecessidade de ser re
mettido aquelle projecto aaocgo, poia a colla-
borago do poder executivo tem nelle lugar peio
citado decreto de 17 de Agosto de 1891 ; de
parecer que a Cmara dos Deputad03 considere
como tendo percorrido todo3 os seus tramites
regimeniaes o projecto n. 5 do aono passado.
Sala das seses da Cmara dos Deputadoa, 7
de Julho de 1892. Martins Jnior. Alves
Leite.
[ndefiro a presente petigo, visla dos mol
vos qae serviram de fundamento ao acto de 20
de Agosto findo, pelo qual resolvi rescindir o
contracto celebrado com Pedro Jo3 Pinto e Tor-
quato Jos da Silva Guimares ou empreza po-
estes o-gaoisala para o tim de fazerem trabaiDar
no Theatro Saota Isabel, por espaco. de dez an-
nos, companbias lyricas, dramticas e outras
que se compadecesaem com o decoro publico.
O governo nao 8e alga obrlgado a apresentar
contradicta a cada urna de per ai, iaoiadamenie
e segundo a ordem de sua eolioeaco. daa alle-
gaces feitas pela reclamante no intuito de obter
a recoasiderago daquelie acto legal do poder
publico ; entretanto nao se ^dispensa de impu-
gnar as que lhe parecam dignas disso, afim de,
anda urna vez, dar testemuaho do alto aprego
em que em os ioteresses do Estado e do povo.
E' indubitavel que para se effectuar a resci-
so do contracto nao era preciso haver repetidas
imposies de multas. ,
Para comprovar este asserto bast ler o art. u
do decreto de 17 de Agosto do anno lindo, cuja
redaeco nao permiti nterpretaco diversa da
que deu lhe o goveroo. tendo em considerago
aa frequentes e importantes iufraccSes do con -
tracio, com manifest prejuizo paraos mteresses
do publico- ,
Nao tambem preciso recordar as constantes
difficuldades, quasi inauccessos que occorreram
durante o curto periodo (e ainda assim prejudi-
cial ao publico) de existencia da empresa.
Agora mesmo, comquanto empregue esforgos
extraordioarios, nao consegae ella attrahir con
correncia ao theatro, sendo, por sao. inadmia-
sivel o motivo, qae apresenta para justificar o
abandono do publico, de se ochar sebresaltada
a popuhcao, mxime quando ao dingir-se para o
theatro. encontra a forga publica de promptido
no campo da Repblica.
A vida social desta cidade desusa suave e re-
eularmeote, sem detrimentos, sem abalos, nao
teodj havido, felizmente, causa para taes sobre
saltos populago, a qual concorre solicita a
todas a3 testas e solemnidades, at mesmo aquel-
las que se effectuam oos logares prximos do
theatro e no proprio campo da Repblica, onde,
alias fica situado o pouto de parada de urna das
mais concorridas viaa-terreaa do eetado.
De resto a dar-ae crdito ao que se affirma
nesta petigo, na serla licito ao governo, so
mate em aitengo aos nimos excesBivamente
timoratos de certoa freqoentadores assiduos dos
espectculos promovidos pela reclamante trans-
ferir para local improprio o quartel que ai u
existe ba longo tempo e qae jamis prejudicou
a concurrencia do publico aos boas espectculos.
A torca aquartelada no campo da Repblica
mantearse presentemente e tem-se maoado
sempre deatro dos limites qae lhe assignalam as
leis e os regalameutos ce sua organisago e a
flm a que destinada, sem trazer alarme po-
pulago.
Pjr outro lado difficil saber quaes os instru-
mentas coja taita Imposaibilitaram a reasago
de concertos classicos e populares que a recla-
mante pelo sea coniracto se obrigou a promo-
ver.
As copias de telegrammaa que ae acbam juntas
petigo nenhama f paolica merecem, urna
vez que para isao faltara lhe oa requisitos legaes.
Esses documentos, qae diz-se terem sido
transmittidos em 19 do mez findo, isto na
vespera do dia em que foi expedido o ac da
reaciso do contracto, nenhama contribuigao
trazem em prol da8 allegagOea da reclamante ;
porquanto, em face do laconiamo proprio de tal
meio de correspondencia, pode-se-lbes attr buir
referencia a assumptos diversos, at me?mo aos
qoe forem estranbos ao objecto da explorago
da empresa.
Finalmente, nao merece desenvolvida inpug-
nago o pomo referente approvagao do con-
tracto pelo poder legislativo do estado, conforme
foi estipulado no art. 12 do decreto de 17 de
Agosto de 1891, urna ^ez que o parecer da com-
misso da Cmara doa Debutados, a que soccor-
re se a redamante, nao foi reduzdo a prcj cto,
nem tambem foi, depois de percorridoa os tra-
mites ordiaarics, subnieUido sanegao consti-
tucional, para poder enlo ter forga de le, com)
o exige expreaaamente o citado a-tigo.
Em visto do expoato obvio que o governo do
e3taao desconnece os motivos de ordem publica
que o ac selhem a reconsiderar o seu acto de
20 de Agosto findo, o qoal, por iaso, deve sub-
sistir para os rfevidos efleitos.
Palacio do Governo de Pernambuco, 14 de Se-
tembro de 1892.
Barbssa Lima.
Intendencia de Canbolinho, em 1 de
>ro de 1S92.Exm. Sr.A J,ateaden:ia deste
municipio de Caahotioo em sesso de htje, ba-
vendo chamado preatagao de coata3 ao respe-
ctivo orocurador do con:elho municipal dissol-
vio, Joo Vieira de Souzi Filhe, por este foi
apreaentado um caderno em que toma suas no-
tas de despezaa e receita e trea livroa de ia!6ea
de i.npostoa; e havendo no coucelho munx'.pal
um livro proprio de receita, no qual se escnp.u-
rava todas as contis, succede nao appare:er o
referido livro, dzenlo o secretario interino do
coccelho dissolvido, Antonio da Rocha Accoly,
que vio o referido livro, mas que nao sabe
quem dera fim. Accreace ainda que alm deste
livro falta outros, como o de actas, desde guin-
do foi iojtallalo e-te muaicipio em Agofo de
1890 ; livros de actas eleuoraes tu lo falta !
Declsriram o porteiro Antonio Miguel da Sil-
va e o dito procurador J-o Vieira, que os ivros
foram lirados do archivo logo que chegou a no-
ticia da dis3o!ugo dos concelhoe.
Que houve urna sesso clandestina do referido
concelho no aia 17 de Agosto findo em casa do
profesaor publico des'.a vi'la, Manoel Antonio de
Azevedo Jardim, e que djp"3 foi entregue al-
guns livros que se encoatrou no archivo pelo
uno secretario Antonio Accoly, ao referic por-
teiro.
Ajhando o concelho da Intendencia qu; em
Ues coodigoes nao pedi tomar as utas ao
procurador, resolveu nomear urna ccmrr.sso
para verilear ditas coata3, mesmo no caierno
por elle apreseotado; e sobre o mais que des-
appareceu do archivo, levo ao conbecmen;o de
V. Exc. para que, sciente, digoe se resolver
em ana alta saDeaoria o que r justo, Ccrlo de
que, por pane do concelho dissolvido, ou to re-
spectivo secretario, ha m f em ludo isto, des-
de quando fizeram desapparece- os princioaea
Jivros do archivo e fazem sessoea clandc:tinas
f-a da casa do concelho, em caaa do professor
Jardici!
Deus guirde a V. ExcIllm. e Exm. S*.
Dr. Alexodre Jos Barbosa Lima, multo duuo
goveroador do Estado.Joo Aaspirio Chaves,
presidente.Jos Ferreira de Macedo, Joaquim
Manso da Silva, Luiz Ribeiro Guerra, aiemen-
tes.
Intendencia Municipal de Limoeiro, 9 de Se-
tembro Ce 1891. Cidado.-Esta Intendencia
sciente de haverdes nomeado em cata o'e 31 de
Azosto finio ao Dr. Antonio Crvalcante Pina
pa-a se encarregar do tr-timenio dos doentes
accommetlid03 de varilas nesta cidade, vos
agradece em nome dos municipes, nao s esta
provideocia, ma3 tambem os servigos que acaba-
ram de prestar oa illustres Drs. Manoel Bastes
de Oliveira e Vieira da Cunha, durante tres riias
que e.-tiveram nesta cidade. nos qnaes vaena-
ram e revaccinaram crescido numero de pessoas,
sendo na maior parte de criangas.
fc'alee fraternidade.Ao Exm. Dr. Aiexan-
dre Jos Barbosa Lima, muito digno gevernador
de3te Estado.Simplicio Gongalves tos Santos'
presidente.Firmino Jos da Silva.Autoaio
Jos Pestaa.
Gabinete de Lellurn Instructivo
Recreativo ffiamcilolrenseComo fra
annunciado essa associago solemnisou no da 8
do correte o IV anniversario de sua creago.
A's 5 horas da tarde, compost? a ciesa da di-
rectora, o presidente cidadSo Manoel Aires de
Araujo, ap3 ama breve allocugo, abri a ses-
so, tocando o hynoo nacional as bandas rrusi-
caes das sociedades Philarmonica Game'leirense
e Philarmonica 15 de Abril do pcvoado Ribeiro,
que de bom grado accedeu ao convite do Gabi-
nete para mas bnlhantiamo de sua festa.
Em seguida o Io secretar.o leu offi os do Club
Luterano de Palmares, do Club Pli-iarmonico
Cabense e do Dr. juiz ae direito do municipio,
Jos Francisco rtibelro Pessa, em qu; felicita-
vam ao Gabinete pelo aeu anniversano e desca-
pavam-se em nao poderem comparecer.
Ar.c-3 e*se expediente, cbteve a palavra o ora-
dor oficial, t> cidado Dr. Jos Francisco ce Mo-
rae8 e Silva, pronuuciando um rtiscuico anlogo
ao acto : seguiram se-lhe os oradores inscriptos,
capilo EojS de C. Soares Brando, por Darle
da Philarmonica 15 de Abril, o socio benemrito
cidado acadmico Ribeiro da Silva, m cujo
discurso fez a potheose do Gabinete, louvando
aos socios quel'm at aquella data sido os sus-
tentculos de fo til a^sociago o cidado An-
tonio da Silva; Mara, D. Lucuda de Brifo D.
America Gomes, o cidado Francisco Alves Lima
e por fim o sodio acadmico Ribeiro aa siua,
que em nome la directora agradecen aos acu-
mero* coavidadloa e familias que encbam o sa-
li do Gabidet, o concurso de suas preseDcas e
a banda da Pbifarmonica 15 de Abril, a arrabiii-
accedeu ao convite do Gabinete.
seseo com o hymno nacional
ks duas bandas de msicas,
jasar de prendas em beneficio do
enlo animado at s 8 horas da
Fanccionar na
tembro n. 28, do
de Vasconcellos i
Leoncio Alvea Cav
Jos Antonio Cesar
fonao Carneira da
Brayoer de Souza
t'Anna Res.Suppf
toriano e Joo Jos
V -
4

.

'
*
i
. >

:
(
date com que
Terminada
execntado pelS
eve lugar am
Gabinete, corr
noite.
Em seguida tencorporsdos os 30C103 e prece-
didos das duas\ bandas musicaes, percorreram
em passeiata a villa, indo no trajelo compri-
mentar os socuos beoemeritoa Auatricliano de
Almeida Aadra, le, Manoel Alves de Araujo e Joe
C. Googalve3 G limares.
Debandada a passeiata, te ve comego 310 ho-
ras urna solri danaante nos salOes rio Gabi-
nete a qual afl uio a lite gamelleirense, ter-
minando s 4 b >ras da madrugada.
Foi urna test da qual devem orgulhar-se os
socios do Gabi, ete, servindo-lhes ie incentivo
para outros pocoposos aoniversario3.
" Pao d'AlhoAa meaaa eleitoraes dease
municipio foram. organiaadas pelo modo seguin-
te : l ...
imeiro di&tncto
i secgo
escola publica a ra 28 de Se-
rofessor Jos Antonio Cesar
ior preaidenle tenente JoSo
lante.Membrospro fessor
de Vasconcellos Jnior, llde-
onba Albuquerque, Rodolpbo
Ranee! e Joo Jos de San-
lesMaximiano Jos Vic-
i S. Reis.
* secgo
Funccionar no Thfcatro Santa TherezaPresi-
rlente-Major Jos Carlneiro da Mota Silveira.
MembrosMariano Aiitonio Bittencourt, aleres
Antonio Francisco Folrtado de Mendonga, Joa-
quim Damaaceno MariiAbo e Olympio Martins de
Oliveia.SupplentesIVicente Gercino Gomes
Martina e Jos Franciac* de Arroda.
3* srtcco
Funcclooar na estagcYde Santa Tbereta-Pre-
sidenteFrancisco Marquisa de Albuquerque Ma-
raobo.MembrosCaetayo Bessone de Assis
Campos, tenente Jos Arse|nlo de Araujo Pinbe-




re, Jos Francisco da Rd
Pereira Cavalcante.
Segando
lsecg
Funccionar na Camboa-|
Joaquina Correia de Araojo
Jnior e Francisco
itricto
PreslaenteCautfa
Vasconcellos,.Mem
y
:r:M~***

WTUiM r
C
...
i_


.....
Diario de Pernambuco Quinta-feira 15 de Setembro de 18931
j*
.v* w
\
\
<
brosTenente Manoel Joaqnfm do Reg Jnior,
atieres Loorerjeo Mana do Reg Lima, Silvino
Rod-igues dos Passos Vianna e cipitio Antonio
Cesar Cavalcanle de Alboquerque.Supplentes
Maaoel Heraclito da Silva e Manoel dos Pasaos
Lima.
2* 3eccSo
Funccionar en S PedroPresidenteTe
nenie Joo Cavaicanie de Albuquerqce.Mein-
brosTeneote Antonio Xavier Rodrigues Cam
pello. Aclitano Corra de Figneiredo Mello. Sil-
vino Miranda dos Pasics e Pauliao Antonio de
Barros Correia.SupplentesAntonio Nones ae
Figueiredo e Francisco dos Passos Mendes.
Ovuieue publica Reprodcenos o se-
goinie parecer, em oflieio dirigido ao Sr. D.-.1
inspector de bygiene publica pelo pharmaceutico
Bitteu' ourt, a respeito do emprego da plumba-
gina no grao de caf, am de simnlal-o de ba
qualidade :
Iliin. Sr. Dr. Lopes Pessi: -Observei as
amostras do cafe que me remetteu para proce
der ao reconhecimento da substancia, da qual
beraco reunem se boje s 10 horas da manh
na Praga Deaesete, aflm de encor orados s; di
riglrem ao Exm. governador no sentido de sus
reclamacao.
Parece nos, .com en*uto, que esta proceden-
te; porque, importa notai-o, os reclamantes nao
pre'.endej furtar-se ao imposto, mas a forma da
cobranza Ibes constitua om grvame real, seto
consagrar no entretanto un plano pratico de fa
cil percepo do mesmo impasto e cancillas
dos mteresses recprocos do Ssco e do contri-
buinte; o que seaspre tem em vista orna boa re
gulamentaco em materia de contribnico.
De fado, as di-posices regolameniares do
decreto ae 17 de Maio ultimo a negacao com
pleta dessa orientado, sendo que o modo de ba-
ve- a quota do imposto, alm de vexatorio, en-
torpece as ope*ac;s da permuta mercantil.
Demais, os preparados do fumo nlo se pres-
tam incidencia directa da taza tal qual foi ima
finada na regulameotacao. Aesim recaoe sobre
cada parcolla da manufactura, e desse proeeseo
de arrecadaco.seria consequent- a necesBidade
langam mos criminosas, multas negociantes I de de3cer at o ultimo dos intermediarios.
V
sorm los de ganancia pecuniaria, e pouca escru-
pulosos da vida do prximo.
Nj precisa muito esforz para cunhecerse
a substancia, qu- taes negociantes usam para
mystificar o,caf ordinario, daodo-lbe a appa-
rencia do de bot qoalidade, bastando pa-a isso,
tomar entre as mos om pouco Jo caf mystiB-
cado fricciona- urna contra a ontra, que deixa-
r ns uiios urna mancba cinzcuia, untuosa e de
brilbo metlico.
Esta substancia a plumbagina, grapbite. mi
na de chombo, creo negro, anthracitu, que
urna va-:edade do carvo minera!.
A plnmbagma urna mlsiura de carvSo mi-
neral celicia aluminio,, ferro e materias terro-
sas.
Se nao urna substancia toxica, todava nao
prop-ia a allimentajo, eo aso constante do caf
assim mistibcado pode produzir pertorbaces
as funches diees'ivas.
Resiste a grandes empetataras, pelo que a
torrefacco do caf nao a decjmpoe, e como
em p subtil passar no melbor ccadcr.
As mystiBcages sao semp-e criminosas e como
taes punidas.
Recite, 8 de Setembro de 1892.Assignado, o
pbarmaceuUc^Jos Francisco Bitlenconrt.
p*Mmeuio-Por telegramma que eos foi
obse diosamente mostrado, sabemos ter fallec
do ante booiem, no Estado do Para, o Dr. An-
tonio Rodrigues Barjona de Souza, que all oc
cupava o cargo -de promotor publico da comarca
de Gbaves.
Ao sen cunbado e nosso amigo A-tr.ur Macha-
do, cfcial de gabinete do g vemador, apresea-
tames os nossos pezames.
Tribunal do Jury do JBecife Hontem
tem loi suDmetuda a jaigameato n'sse tribuna
o reo Antonio Barbosa D as io Nascimento, pro
nanciado as penas do art. 356 do Cdigo Penal
e aecusado de baver, na noite do da 17 de Maio
do correte anno, suotrabido para si contra a
vontade "de seu dono, mediante violencias, a
quantia d 4265090 em sedu'as e diversos ob*
estos pertencentes ao Dr. Joaj Aucusio de Al-
bujue-que Maranno, morador no predio n. 25
A, sito na Campia da Casa forte, freguezia do
Pjc> da Panella.
A'- ti horas da manh, estando presentes 27
joizes de facto, o Dr. Joo Joaquim de Fr-itas
Hanques, presdeme ao tribunal abri a se.--
sao, sen Jo sorteados para compor o jnry de
seriteoca os seKUiateg jralos :
Francisco de Paula Vieira.
JoSo Capi3trano Riheiro de Souza.
Pedro Alexanlroo Ma.a e Silva.
Jos Francisco Meo-les.
Dr. Francisco Jaciotao Sampaio-
Caetono Francisco Dues.
Gemimano Augusto de Miranda.
Cleadon Augusto de Alnuqtirqae Chaves.
Antero Campello Wanderley.
Produzio a aecusacao o Dr. Gervasio Fiora
Mate Pires Ferreira, 1. promotor publico.
O.'cupcu a tribuna da defezo o Dr. Raymundo
Pontea de Mi-anda.
O jury recoobeceu 'e- o reo praticado o roubo
entrando para esie lim nolte em casa ao offen
dido, e tm face desta declso. o D-. joiz de di-
reito rondemnou o dito reo a 9 annos e 4 meies
de prisSo simples e na muia de 20 por cento
do valor roubado, grao mximo do art. 350
combinado com os arts. 363 e 409 da Cdigo
Penal
O defensor do reo appe'.lou para o Superior
Tribunal de Joslica.
Terminouo julgamento as 3 ho*as da tarde.
H ;je serao juigados os reos Francellno No
gueira de Cirva:ho e Pedro Valcotim Aives de
Almeida.
Aaaoclacae don Fnucclonarloa Pu-
blico* do' Edad-Em sua sede e hora
estarna! *eune-se boje essa aassociagao, para ap-
p-ovago das coatas do anno social de i 89192.
D. Pedro de Alcntara-Es*e gremio
tterario reune-se boje, as 10 horas do dia, em
aesso ordinaria, na sede social.
Ministerio do InteriorO Sr. ministro
do laierlor dirigi a seguate circuir aos go-
veroadores e presidentes dos Estados :
Roeo providenciis afi a de que sejam re-
metidas as mformacSes solicitadas pela dire-
ctoHu geral de tatistica, quaoto receita, des-
peza. bens imm iveis > impostos das cnuaicipa-
lidades a que se refere a relago junta, des-
de a data da inslailac&o as aitas municipa-
lidades at 31 de Dezembn de 1890 ; receita,
despeza e imposlos uesse Estado, desde a sua
creago at aquella data ; ao movimeoto de fun-
dos uas companbias o sociedades anonymas que
teem sede no mesmo Estado, e das companbias
de navegacao por elle subvencionadas, com re-
ferencia ao anno de 1890.
O Tempo-0 nosso dietincto collega Anto-
nio L^itao deixou a dlreccSo desse imp .rante
orgo da imprensa fluminense, da qual fra en-
ca,ragado desde a funiagao do mesmo jo-nal.
Club Marcelino Cleto Festeja boje
ese Ciuo musical o sea 10* hoiversano.
Neste proposito lera logar as 7 horas da nr.te
orna sesso ma Affonson. 31. primeiroInflar*]
Depois deSasessao, naver* o grande concer-
t, em que Mmtfm parte o Srs. Sanlino Pin o'
G:rvasio de Castro, Joao Benjamn), Manoel
Antooto, Manoel Amerlco, Jo9 Hennque, Jos
Hnrique de Miranda, Jos [Casino, Alfredo
Gama. Jos Cavalcanti, Joaqnim Canavarro e
Ildefonso Perelra, sob a dirJcco do nrofessor
cojo nome titula o Club.
O programma do concert aonsta das segoin-
tes pegas :
Outooo, Jone, de Petrella, Ftust, de Gounod,
Do Concertante, Gavotte, Srena. Bercense,
Serenata dos Mandolinos a pizzicatos, e Po-
lacca. .
Ser urna bella testa, digaa do distmcto Club,
a cu;a directora agradecemos o convite que nos
dirigi.
Kra HovaFoi hontem deslribuido o n. 32.
Ri :ebemol o agradecidos.
Cremio Jone BonifacioEm sua sede
reune-se hoje as 3 horas da tarde esse gremio
Iliterario em essao ordinaria.
Medico Pbarmaceuflea -A' hora e no
lugar do costme reuoe se boje essa associagao
em sessao ordinaria.
A ordsm do dia consta : ,
Continuaco dos pontos J annunciado e um
requerimento do Dr. CoelboLeite propoado um
premio ao medico que melbfr trabalbo apresen
tar e que possa ser remettidp ao Congresso Pan-
Ame'icaoo.
Ordem Tercelra de Pranelaeo
Amanh oessa igreja tera/ lugar, as 5 horas da
tarde, a bencao da capellk m-, e das imagens
ltimamente encarnadw, em como as vesperas
da fesividade religiosa e/ respectivo padroeiro,
que eelfe^rar-sfc'bte no sablado prximo com
toda a nompa e re&pe03o brilbo do costume
N-'sse mesmo da pela* 8 horas da manha de-
vero comoarecer aacre/stia da Ordem todos os
candidatos'approvados eno'vicos, para satisfaze
rem soas entradas e effeetuarem as respectivas
P'ot)s>0e8.
f.-rmenlo mortal-Em trras do enge-
nho Sapucaia, do manlcipio de Olinda, ne da 6'
do crreme s 6 bords da manba, Placido Pta
de Carvalho ferio mtortalmeole a Jos Ferreira
de Lima, dando Ib* tuna tacada.
iniponto do ruonw-Re'-Pbemos hontem a
visua ue orna commlf sae de negociantes de Cha
rutos e cigarros dta cidade com o hm de in-
formar nos, que, n coasequenci do vexame
advindo iaduitrlf que eweem pela excuc3o
dada hoje ao respetivo r-ulamento, tinham re^
8olvlio nao abtli' os seas-estabelecimentos at
qoe tenba resolnc9o a reclsoitfcao, que vao farer
ao goverao federal.
Os ia'.eressadofe'para effectividade dessa deli
E' sobre taes inconvenientes que versa a re
clamaco, e aioda resulla da difft-renca no pra-
80 da execuc&o ctm referencia aoi contribuales
dos Esiolos e da Capital Federal.
Gremio Instructivo \oraitl-R ':n^-
se boje esse gremio a i hora da tarde, no Lyceu
de Artes e Offi-ios, para tratar-se de assumpto
de grtode impo-tancia.
Paquete OlindaEsse paquete que hon-
tem as 4 oras da tarde deixou o porto da Babia
segn o telegramma rebebido pela propria
agencia aqu ebegara amann, 16, se alcanzar o
pono de Mac;; boje e sabir.
Paquete Aiagoaa Esse paquete nacio-
nal da mesma compaohia que regressa dos por-
tas do no-te da repblica deixou hontem, qoar-
ta-feira, 14 do correte o porto do Ceir.
E'aqu esperado no dia 17. saobido prxi-
mo-
tiiiiii i>-s da lotera do Yplranga
ReceDem se bilnetes desta lotera em troco da
do Cear sem descorito algom. na Casa do Ouro
de Joao Joaquim da Costa Lene ra Baro da
Victoria n. 40.
Casamento civil Foram affixados no
dia 14 do correte editae3 de proclamas de casa-
mento dos seguales contrahentes, no 2 e 3.
diBtrictos :
Primeiro3 proc'amas
De Lo'z Pereira Lagos Juoior com D. Hermi-
nia Emiiii de Saat'Anna, soeiros, residentes
f.-e.uezi. de Afogados.
Do capitao Liberato Aogustj da Silva Ribeiro
com D. Mana Ursulina Fernandes, sol.eiros, resi-
dentes a freguezia deS. Jis.
D Antonio Joaquim de Saat'Anna Filbo com
Ignez do Mate Azevedo, solteros, residentes
freguezia de Santo Antonio.
De Francl.-co Alvpg da Silva Barros com D-
Ma'-ia Alexandria G-mes, solteiros ; elle res-
nenle a fregoezia do Poco, ella de S. Jos.
Santa CanaEis o pessoal que no mez de
Agosto ultimo oceupou osestabeleciinentosa car-
go dessa pia instituigo:
Hospital Pedro II
Hospital dos lazaros
Hospital dos variolosos
Colieg'o das orphs
Asylo ie mendicidade
Ho3pi Casa dos Exposto; :
No estx^elecimeotc
Eoi poder das amas
678
48
18
291
241
283
2I6>
96)
Total
312
1.786
grado
6 m. 2.'3
9 25-2
12 . 25 ,'6
3 t. 55 ,'6
6 > 24 9
nsao do Bumi
vapur dade
18,12 76
1812 76
18,27 74
18,27 74
17,81 76
'2, a som
tterviro millarHoje superior do dia
) Sr. criptoMjodonsa)efax ronda de visita om
subalterno do 2- batalbo 'in servico na batera.
O 2* batalbo de infantana dar as guardas
1os edificios federaes.
Uaiformc :. 7 e capa.
ervlco policial E' boje superior do
i: o ;:. teneote Ponte3.
O corpo de policn dar as guardas de Pala
ci. Deteogo e Tbeeouro do Esiado.
Uniforme o. 9.
inspectora do 9. dlatrlcto mar-
timoRecite, 13 de Setembro de 1892.
Bole'.im meteorolgico
Horas Term. cerUi- Barmetro
(a O")
76t-,18
761-84
761-.31
759-82
760-.76
Temperatura mnima 23*,75.
Temperatura mxima 22,25.
Evaporaco em 4 horas ao sol 9
bra 3m,8
Chova 0 miin.
D'.recgan do vento SSE e 8 alternados de meta
noite at 2 b. e 04 m. iia manba ; SSE com in-
lerrupces de &?. e S at 3 b. e 15 m. ; SSE e S
alternados at 6 h. e 40 m. ; SSE com inter.-up
cSes de SE e S at 11 b. e 42 m.; SSE e S alter-
nados at 9 h. 52 da tarde ; SSE com mterrop-
ges de S e SE at meia noite.
Velocidade media do vento 7-,24 por segando.
Nebulosidade media 0,62.
Bo!eiiJj do porto
Pramarou Dwt Horas Altura
baixa-mar
P. M. 13 ae Setembro 1000 da m. 1-80
B. M. 13 de 410 da t. 0-75
LeiMei-Effectoar-ae-ao os seguintes .
Hoje:
Pelo agente Pestaa, as 11 horas, oo Coelb03,
de predios e terrenos.
Pelo agente Silveira, s 11 bora3, a ra do Im-
p erador n. 39, de dividas.
Polo agiote Gusmao, s 11 horas, ra Vis-
conde de Goyanna n. 4. de movis, piano, espe-
ibos, loufias, vidros e trem de cosioba.
Amanb :
Pelo agente Ollveira, s 11 horas, roa do
Imperador n. 39, de orna casa.
Pelo agente Pinto, s 10 e 1/2 horas, ra
Marcilio Das n. 63, de mobtlia e outros mo
veis.
Pelo agente Martins, s 11 horas, roa Vi3
conde de Alboquerqae n. 110, de 2 meias aguas
e movis.
Mlaaaa fauebreaSerao celebradas :
Hoje : .
A's 7 horas, ne capella de Santo Amaro das
Salinas e s 8 horas, na capella tfeCaxang, pela
alma de Fraucisco Jos da Silva Braga.
Amaoba :
A's 7 horas, no convento do Carmo e s 8 ho-
ras, na matriz da Espada e na capeUa do enge-
nho Tabocas, pela alma de Pedro Cavalcantede
Araojo ; 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela
alma do Visconde de S. Francisco.
Caaa n* uetencaoMovimecto aos pre-
sos da Casa de DetencSo do Recite, Estado ae
?smambuco, era 13 de Setembro de 1892.
Bxistiam 342 entraram 2, sabiram 9exl*-
err 335
A saber : nn
Nacionaes 301, mulneret 4 estrangelros 30
-Total 335
Arrasados 311.
Bons 293
i Coentes 15
Louccs 2
Louca 1.
-Total 311.
Movimento d nfermana
Tevealta:
Manoel Joo, conBeetdo por Manoel Piloto.
Teve baixa:
Florencio Jos Theotonlo.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
inento por 141 pessoas seodo, homens 49 e mu-
Iberes 92 m ,
Hoaaltal Pedro II -O movimento deste
esiabelecimento de caridade cargo da Santa
Casa de Misericordia do Recite, do da 13 de
Setembro. foi o segointe:
Exietiam o89
Entraram 32
Sa'Qitaaa
FallbefaB 1
Existem 685
70
Forta tijitada8 as erffcrtftrl* pftlos' segin
;ee Dre. : L.rf
M03C08O entrn s 8 horas da manba e sa
aios8 3/4. j
Barros Sobrinho etetron s 6 3/4 da manh e
sanio sabio iSB.
Malaquias ntrd s 91/4damania e&abio a
SimOes Barbosa entrn s 10 1,2 da minbS e
sabio s-11 3/4. .-_ .
Berardo entrn s 10 1/2 da manh e sabio s
113/VBOf*8.
Arnobio Marques entronas 9 1/4 da manh
e sabio 4s 11 3/4
Lopes Pessoa ntroo as8 1/2 horas da manh
e sabio s 11 3/4
Vitira da Cnnha entrn s 9 1/4 e sbio as
10 i/i.
Cartas Gooveia entrn s 91/2 horas da manh
e sabio s 10 3/4.
O ajudants do pharmaceutico eotrou s 81/2
horas da mauh e sabio s 4 1/2 horas da lar
de.
Lotera da Estado de Minas Ce-
raesa 1* parte da 10* lotera, deste estado
com o maior premio de 36:0004000, ser extra-
bida impreterivelmeate, no da 20 do Setembro
ler^a feira.
Lotera iio Estado do Maranbo
A 2z' serie da 7* lotera deaas estadu, sendo o
premio grande de 300:00(J/000, ser impretert-
velmente extrbida oc da 14 de Setembro (quar-
fta-eira/.
Lotera da Estado do rao Para-
A 2.* serie da 55.a lotera, deste Estado cajo
premio eraaae de 120:000*000, ser extrahids
no dia 17 de Setembro (sabbado).
Lotera do Estado do Ceara A 3*
paria ua 3 lele na premio ?rakd& de 50:000*000, ser extrahida
impretenvelmenieno da 20 de Setembro (ter-
ga-feira).
Lotera do Estado do Blo Clrande
po MuEsta lotera cojo maior premio de
l0:0OO#)0O ser impretenvelmente exlrabida
no dia 17 de Setembro (sabbado).
Lotera do Estado do Maranno
Por telegramma recebido pela Casa do Ouro,
este o resultado da 21* serie da 7* lotera, ex
trahida a 14 de Selembro;
E
cniptorio de commssoes
Hugo i Yasconeellos
RUADO IMPERADORN. 77
IHDICACOES UTE1S
r.is
300:000*000
5617
3619
5620
os. seguinte*
368
369
370
os seguintes
362 12:500*000
7576 7:500*000
524 2:500*000
596 2:500*000
9936 2:500*000
460 1:250*000
514 1:250*000
5389 1:250*000
3433 1:250*000
6089 1:250*000
6194 1:230*000
7118 1:250*000
8715 1:250*000
appboxiiiac3rs
5617 1:500*000
5619 1:300*000
61 1:000*000
363 1:000*000
7573 300*000
7577 500*000
Esto premiados com 373*000 os seguintes
aumeros :
5611 5614
5612 5615
5613 5616
Estc premiados com 250*000
oumero3:
361 355
363 366
364 367
Esto premiados com 125*000
nmeros:
7571 7574 7578
7572 7575 7579
7573 7577 7580
Todos os nmeros terminados em 8 esto pre-
miados com 125*. excepto a sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 2 esto pre-
miado- com 125*, excepto a sorte immediata.
A seguinte lotera corre no dia 21 de Setembro
com o mesmo mesmo plano.
Cemlterio publicoObtuario do da 13
de Setembro de 1892
Guiihermina Carolina do Nascimento, Pernam-
buco, 64 annos, solteira. Peco, erysipela.
Um feto, Pernambu o, Boa Vista, nascen
morto
Julia, Pernambuco, minutas, Recife, franqueza
congenita.
Flix Venancio Machado, Pernambuco, 62 an-
cos, casado. Recife, pneumona senil.
Emilia Severiano Gomes Es-eves, Pernambuco,
21 amo?, casad?, Varzea, pbymatise pulmonar.
Benedicta Mara da Luz, Pernambuco, 60 an-
nos, viu"a, Grag^, conge.sto cerebrals
Joo o;o-io Maciet Monteiro, Pernambuco, 26
annos, soltero, Santo Antonio, cyrraose hep-
tica.
urbano, Pernambuco, 2 dias, S. Jos, convul-
sOes.
Antonio Joo, Peroambuco, 73 annos, viuvo,
Boa-Vista, anemia.
Osear, Pernambuco, 1 mez, Boa-Visti, gastro
externe.

SPORT
emana Sportiva
Recebemos o n. 135, edifii de 3 do correte.
Agradecidos ao collega pela sua obsequlosi-
dade.
Productos naclonae
Em sua faseoda ie criaco em Pono Alegre,
do Estado do Rio Grande do Sal, teve o Dr. Ri-
beiro Taques para vender 80 productos de 1/2 e
3/4 de sangne, de 6 a 2 annos de idade.
Aigoos detses acimaes esto inscriptos no
grande Cruzeiro do Sal do 1833, 1894 e 1891
Alm desses auimaes vender tambem um ga
ranbo aoglo-percberoo, 3/4 de sangue.
Igualmente no referido Estado tem o mpor
taote criador Rocha Ozono para vender 28 pro-
docto .
Destes 7 sao puro sangue, 2 de 7/8 e 19 de 1/2
saagne.
hMP
Match de Polo
Em Jolbo passado realisam-se em Iiglaterra
muitos matchs de polo entre ob socios de Pol >
Clab do bosque de Boln ha de Pars e osprimei-
ros amadores do Reino Uaido-
Pela pnmeira vet se viam os incI-'zeB desafia-
dos na oa propria trra ao jogo do polo.
Em 1886 tinbam elles ido America p ra' se
medir con os americanos, muito amadores des-
se genero de sport e tinbam dalli regressado ven-
cedores.
Mas desta vez os irmSos de Escadon, o viscon
** de La Rjchefoucaud e um americano, M W,
K. Jto-n, qoe expressamen'e baviam ido a Loo-
cires, baterem os inglezese
Ns treg partidas jogadaa contra a nniversida-
de de Cambridge, no terreno do Hurlmgbam
Chul, os inglezes conlaram 3 goais contra um
om na l* punida, 2 ua 2' e a 3" Hcou em favor
do Polo-Club de Pars por 6 goats contra 4.
O Renelagh Clab foi anda menos felii: nos
tres matebs foi batido tres vezes.
Finalmente, lord Sbrev; ibury, qoe tinba ten-
lado ioedir-se com os irmos Escaadon e M. W-
K. Jborn, perden por um s goal contra 9, sem
embargo de ter no seu campo M. Kennedy, om
dos mais fortes jogadores conbecidos.
Dando esta3 informacfcs, diz, om jornal fraa-
cez :
Fazemos votos para qa? os inglezes venbam
no oatomao tirar a desforra no Bosque de Bo-
lonba.
tiar-nbes de Celle Sal At Cland
Esee garanbOes fraoceies esto sendo o pon-
to de aitragao dos paizes estraDgeiros.
O administrador dos hars da Austria otfere
ceu a M. Edmoud Blaqc a quantia de 250.000
francos pelo sen cavallo Goveroea?, logo que
fosse retirado do enfraioement, mostrndose o
disttncto sportsman pouco disposto a acceitar a
ofTerta.
De outra parte, o coodede Lehndorl.em nome
dos hars da A.lemaoba, oflereceu pelo famoso
cavado Clamar! a quantia de 175 COO francos.
A. esta ultima proposta M. Blaoc respondeu
que por menos de 200.000 francos nao se des-
fazta do glorioso vencedor do Grai.d Prix do
aneo hado.
MEMORIAX,
NINQUEM DEVE COMPRAR
Artigos de cbape+aria on flores, ptamas, vw
gazes, rendas, etc., sem aae ama visite Cha-
pelara Raphael, onde se encontra sempre tndo
qnanto, nesset artigea, ha demeibote mais
moderno.
2Raa do Baro di Victoria2
Raphael Das Jk C.
ledteos
e parteiro. D.\ M>
Medico operado.
noel Carlos.
Cnsul torio ra Marques de Olinda
n. 64.
Residencia roa Princesa Isabel n. 8.
Telephonen. 341.
Dr. Pertx.ni, ra da Inaperatrii o. &
i conaultasmedwo-cirurgicaa toaoa o dial
iaa 8 ao meio dia, menos n>s doioingos
lias santifcados.
O Dr. Lobo Motcoto d consulta eu
ua casa a ra da Gloria n. 39, das 10
horas da manha 1 da tarde. Achandc-
se fra do serviyo publico offsrece-ao para
acudir a qualquer chamado com prompti-
o para fora da cidade. Especialidades,
operagSes, partee e molestias de sen hora i
e de meninos.
Dr. Joaquim Loureiro medico partei
ro, consultorio ra do Cabug n 14,
t. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Consu&mo medico. O Dr. Manoo
Argollo, com pratica nos hospitaes de
Pars e Berlim, tem seu consultorio ra
BarSo da Victoria n. 1.
Especialidades.Moles'iaa dos appare-
Ihos respiratorios, circulatorio e digestivo,
consaltas das 12 s 3 da tarde. Chama-
dos no escriptorio.
Telephone n. 658.
Consultorio medico cirurgico O Dr
Simplicio Mav.gnier, tem o seu donsulto.
rio, ra Ma uea de Olinda n. 27, 1.
andar.
EspecialidadesMolestias do apparelho
respiratorio, f re e da peile.
OonsultioDas 9 s 11 na pharmacia
Minerva, largo do Tenp e em seu consul-
torio das 12 s 3.
Residencia ra do Hospicio n. 41.
Chamados a qualquer hora e por es
cripto.
Telephone n. 566.
Clnica de uolestlas de olhos.
' o ii vi ti os e nariz.
O Dr. Pedro Pontual, ex-chefe de clni-
ca do professor Wecker, de volta de sua
viagem a Europa tem aeu consultorio
ra Nova n. 18,1. andar.
Consultas de 1 as 4 da tarde.
Telephone n. 539
Oeenllstas
Dr. .Ferrsira, c_m pratica nos princi-
paes hospitaes o olioio l Paris Lon-
dres, d consultas todos os dias das 9
ooras ao meio-dia. l2o.nsalttno o resi
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Dr. Barreto tampaio occalista, d con-
s litas de 1 s 4 horas no 1. andar da
casa ra Barfio da Victoria n. 51. Resi-
dencia a ra Sete de Setembro n. 34,
eatrada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Pereira da Silva chegado de Paris,
com pratica as clnicas de Wecker e
Landolt, d consultas de 1 s 4 horas da
tarde ruado Imperador n. 63, 1. andar
Telephone n. 588.
RESIDENCIA CAXANGA
erogarlas
Faria Sobrinho db C, droguistas por at
jado, roa do Marques de Olinda n. 41.
Francisco Mancel a Silva & C, depos
ros de todas as especialidades pharma
ou ticas, tintas, drogas^ producto chimi-
oe se medicamentos homeopticos, ra de
Marques 03 Olinda n. 23.
PLBLIWCOES 4 PEDIDO
Loteras do Estado
Continuamos no proposito de as
discutir as falsidades que om escriptor
anonymo tem repetido na nprensa a res
peito das loteras do Estado. Desde que
algumhomem decente assamacom o seu
nome a responsabilidade das mesmas ar-
guicBes prestar nos-bJia a reftalas
com toda minuciosidade.
Para ejemplificar, basta nos diser o
ssguinte.
' escaadalosamante falsa a derauda-
$ao de 12.000|J000 rs. que o articulista
anonymo di* ter sido hita aos cofres do
Estado.
' escandalosamente falso que os con-
traotantes das loteras ordinarias tenham
dessontado o imposto sobre premios as
sortes que pagaram. No caso nico repe-
tidas veses aponu io pelo articulista, o
portador do bilhete premiado nao pagou o
imposto, deixou em deposito urna quantia
para ello ser psgo, quando (exgotados os
meios legaes, um dos quaes a reclama-
cao feita ao Exm. Sr. Governador do Es
tado) afinal se decidisse ser devido o paga
minto, como ^consta do recibo.
E' escandalosamente falso que a sus
pensSo das loteras fosse feita por livre
arbitrio do conassionario ; ellas foram
suspensas por ordem escnjpta e muito ter-
minante do Questor Policial entib em
exereicio.
E' escandalosamente falso que os etnr-
traotantes hajam pedido ao Eaaav Gover-
nador do Estado a innovacao do contras
to. Elles pediram exactamente o cob-
Irarw : fiel exeeugao do mstmo.
A palavra cadino, inoioida
hora V de modo incoherente no
3o sanecionado, foi motivada
projOtb de lei especial, q'ue depois
lio na Cmara dos eputados,
Recife, 14 de Setembro de 1892.
Jos Gana Ferris Mata, por j o
como procurador de Jote Eleuterio de
Asevedo.
ultima
projeito
por
um.
o eleitorado do Recife
Cidados!!
Approxima-8e a poca marcada para
as elei50 as dos candidatos ao concelho
municipal e aos logares de prefeito e
sub-prefeito deste municipio.
Approxima se o dia 30, no qual tendea
de exercer nm direito e ao mesmo tempo
om dever sagrado o do voto, elegendo
os legtimos representantes de nossa von-
tade, os nicos legtimos neste Estado
desde que toi inaugurada a formr. de
governo republicano nesse pedaco da
America.
CidadSos !
O governo qoe ora dirige os nossos
destinoj, tem trabalhado activamente para
a noesa prosperidade; tem dado provas
da maior aboegac3o e patriotismo ; tem
sabido attender aos iuitos reclames de
todas as classes productoras e industriaos
deste EsUdo ; e governo incontastavel-
mente ma:s honesto, mais econmico,
mais justiceiro, c-ais garantidor da ordem
publica, mais solador, emfim, do thesouro
publico, vos nao o tereis de certo ; aja
dai-o, pois, mostrai que a imponencia de
vosso numero que elle tem das classes
trabalhadoras desta trra todo o apoio,
toda a solidariedade ; detendei o, em oum
ma, porque asssim o fazendo, defenderis
ao mesmo tempo a nossa hberdade, a
nossa familia, a nossa prosperidade, a
nossa vida 1
Cdadlos !
Os nossos adversarios, na tarefa inglo-
ria de angariar adeptos que Ihes fogem
quotidianamente, vivem alarmando as fa-
milias e transtornando a marcha regular
do commercio, dando a publiuidade a te-
legrammas falsos, com o fto un conservarem o espirito publico em constan-
tes incertezas.
A's urnas, pois cidados !
Eis os nomes que devem merecer todo
o spoio :
Prefeito
Dr. Antonio Pinto Dmaso.
Sub-prefeito
Dr. Jos Joaquim de Oliveira Fonseca.
Conselheiros
Dr. Jjaquim Correia de Araujo.
Dr. Lourenco Oa alcanti.
Dr. Antonio W. Pinto Bandrira A.
VasconcelloB.
Dr. Miguel Figueiroi.
Negociante Francisco Soares Quintas.
Negociante Joaquim Octaviano de
meida.
Tenente-coronel Francisco Botelho
Aodrade.
Alfredo FalcSo.
Negociante Andr Maria Pinheiro.
Deoclecio Reg.
Negociante Antonio Carlos Ferreira
Silva.
Pharmaceutico Olegario Pinho.
Negociante Manoel Nascimento V.
Cunha.
Dr. Alrredo Gaspar.
Coronel Francisco Faustino de Biitto.
de
Al-
de
da
Elei^o municipal
Muitos eleitores do 2- aiotricto da Boa
Vista apresentam para conselheiros muni-
cipaas o tenente coronel Francisco Bote
lbo de Andrade e o Dr. Thomaa de Car-
valho residentes ao mesmo di&tricto, os
quaes resumem as aspiracuas e conciliam
as divergencias do mesmo eleitorado.
Festa do Cajtieiro
Noite das solteiras
Com brilh'n'ismo e pompa ser festejada
amaoba, a noite das mocas solieiras, attendendo
que para esse lim moito ne tem esCorcado as 3e-
nhoras qoe se atham a frente dos festejos.
A coman.-sao nao tem poupado esforcis no
sentido de salientar das demais noites adas
mocat folieirag; e assim orgaoisaram om
programma onde os leitores verao quantos en-
treten memos proporciona ao publico a noite em
honra s gentis mademciselles, que assidua-
mente frequentam a testa do Cajueiro.
Programma
Pela manba, missi solemne, s 8 horas, man-
dada rezar em manfla das pessoas que concor
reram com esmolas para a sua festa. sendo em
seguida, por urna banla ce msica, execntada
as melbores pegas do seu repertorio.
Ao meio da os habites e fiis oarirao ama
salTa de SI tiros.
Em frente ao hospital, atsrt, tres bandas de
msicas, execoiaro as melbores prcas do sen
reperiurio, qoe paracas um estflo sendo en-
saiadasv
A' noite, ser pela Exma. Sra. D. Mana do
Carmo Saoto Almeida, cantada urnaAve Ma
ramosica do maestro Mercad^tne d> hon-
ra ao padroeiro e acompanbada por onleas gen
lis seohoras.
Aps a novena e a salva de SI tiros, ssr
queimado um fogo de artificio, trabalhado por
babil pyrotbenico e sjltaoos diversos areoste-
tos.
O b eco do Cajuejro assim camo as mas cir-
comvsinbas estaro alegremente eofeitadas.
O sbaizo assignado de vajeis para o
estado da Baha, para onde segu a nego-
cio de sen interesse, deixa encarregado
de seus negocios particulares e individuaos
ao Sr. Dr. Gaspar Drnmond, e de seas
negocios judiciaes ao Sr. Dr. Ferret de
Barros Wauderfey.
Recife, 14 de Setembro de 1892.
De!fino Miguel da Cesta.
1 aaarr- -------
Ao publico e ao corpo commereial
de le estado
O abaixo assign do fas publico pelo
presente, que em data da 18 do mez pr-
ximo pretrito apiesantou a registro na
Meretissima Junta Commereial desta capi-
tal a marea inira descripta, adoptada para
servir de envolucro aos pacotes conten o
fumo Hygiefli'Je Alcatrlo do qual
sese stado o nico preparador.
Eis a descripc&o da marca:
Em papel de iinho branoo nm quadrila
tere regflsr, cujas ledos sao formado pir
linhas encarnadas tendo no lado superior,
ama margem branca formada por duat
eBtreitas linhas onda se- le em lett. s en
carnadas 1 Caaa fondada em 5 de Desem*
hro de 1890, abanto em lettras de tyKJ'
saav e de or pr-ata^ fumo hygiwico
alcatrSo, e em typo menor e de cor enoar-
aaas e aegamte': preparado com slaaerab
da Noruega purificado segundo os melbo-
res procesaos scientificos, cura a toses e
eonabfcta a molsetniB dos alamSe estoma-
go a garganta, seu gosw agaasriiaeim* Compannk e embora n3o seja osudo como remedio i micos,
sempre um pr sarvativo til a sade; por
oitiBio tmilttfse maieieai e de cor preta
l-se : excellente qualidade, tendo aps
esta ultima palavra- ama psqsssa palma
de fumo; esta descripQao. da parte pos-
terior do eavoluoro.
Face lateral esqnerda :: Uot quadrilatero
menor de forma irregular formado por.li-
nhas encarnadas tendo um dos lados tarja-
do da mesma cor vendo-Be no centro orna
pequea estrella bresca e nos anguios o
monogramasa do pnoprietario formado palas
lettras J. J. D. (de cor branca) abaixo
deata tarja em letras de. cor preta : Joa-
quim Jos Daarta o depois44 Rus do
Bom Jeeas 44.
Parte anterior, los quadrilaJerS raga-
lar cujos lados sao formados por linhas
encarnadas teodo no centro um elypse
preto com ama fina orla encarnada onde
se v lithjgrapbado o retrato do propie-
tario circumdado por dois ramos encarna
dos de fumo, abaixo deste retrato em
campo l-se em lettras de cor preta, fumo
hygienico aloatribJoaquim Jos Duarte.
Na parte superior do retrato v-.a- em
campo encarnado urna cinta branca cur
vamente disposta dentro da qnol se v
em lettras encarnadas: Tabacaria Duas
Americas.
No alto do referido quadrilatero ha. an-
da urna, vinhata onde se le. 230 ris em
lettras brancas e as inicia do propine-
tario em lettras pretas.
Na base existe outra vioheta onde se
em ettrns pretas l dispostas om urna
curva branca, Grammas e 50 em lettras
brancas.
Na faca lateral direito os diseres, Gran-
de Manufactura (em lettras pretas) de
Fumo Pernambuco em lettras encarna
das.
Recife, 13 de Jutho de 1892.
Joaquim Jos Duarte.
Certifico que a presente marca foi apre-
senta nesta secretan da Junta Commer-
eial do Recite, Dlas 2 horas da tarde de
boje 8 de Agosto de 1892.
Escrevi e assigno. Em f: de ver-
dade.
O secretario,
Joaqeim Theotonio Soares de Avellae.
Certifico que foi registrada a presente
marca, sob n. 5 em virtnde de despacho
da Junta Commeroial, em sessao de 18
do corrente mez. Pagou mil ris de um
parecer e o sello do registro na impor-
tancia de 76500 ris como consta da res-
pectiva verba lanzada no primeiro exem-
plar.
Escrevi e assigno nesta secretaria da
Junta Commereial do Recife aos 24 de
Agosto de 1892.
Em f de ver dade.
O secretario,
Joaquim Tbeoteaio-Soares de Ave-lar.
Recite, 14 de Setembro de 1892.
Joaquim Jos Duarte.
Elei^o municipal
Approximando-se o dia em que o mu-
nicipio do Reeife, tem de eleger os mtm-
bros para compor o Conceibo Municipal,
e por conseguiste a base para o en gran-
dec.mer.to e embelezamento, desta VH-
NEZA, lembrmos-o nerme do bemems
rito cidadSo Dr. Manoel Pinto Dmaso,
para o elevado cargo de Prefeito.
Com a eleicSo do illustre cidadHo. o
municipio s- pode lucrar, j pela sua in-
telligeocia, j pelo seu carcter nobre, j
fiaalmunte por ser justiceiro e amante do
povo pernsmbucano.
Muitos eleitores.
Ao ejraade parlido Autono
mista
ELEigo
4 30 de Setembro, o independente eleitorado
do Recite, qoe para dar publica demonstracao de
que repellla a junta de 18 de Dezembro (de
instes reeortiasoesf umnr deooraomroeer a ma
carada de Si de Fevereiro, deve comparecer
as ornas, gratas inep-ia dopieudo congresso
e energa e sa oneniag-lo do illustre Sr. Dr.
Barbosa Lima, que prometleu nos a continuaco
oe sen goveraocritertoso, honesto e impareat.
Fortanto, os pouco enpregados que restad
nao lemam ser demiidos e o povo em geral
nao recele ser espingardeado.
Compareci, com Uoerdade e ordem, resoei
lando o adverstrio a elevaado o mrito de seas
digaos co religionarios.
Do cocelbo, legalcente eleuo por milhares de
votos o anno passado, tiveram a coragem de
protestar contra a posiergaco de seos direiloste
parte sao digaos de ser aproveitados.
Algaos d'eakts, porm, estamos informados de
que recnsam a sora, nao s porque a cbapa
ser agora de de somente, como porque dese-
jam qae se aproveite algnns ontros nomes de
co religionarios nao meaos distinclos e prest-
rnosos.
4s8im, poderemus eleger:
Prefeito
0 illustre Dr, Arthnr Orlando.
Sub-pree lo
O listincto amigo Esteao de S.
Concelheiros
Dr. Manoel Francisco de Barros Reg
Coronel Franclseo F. de Brillo.
Dr. Manoel Pinto Dmaso.
Uajor Francisco de Paula Hafra.
Jos Das Aives Qu-mal.
Jos Lu 1 de- Franca Torre.
Jos Antonio Vieira da Canoa.
Pedro Alexandrtno Maia Silva.
Tilo LUio Soaiea
M.no.l BarthSlo Jnior.
Cila om dettes oomes nm elemento de ca-
reo ta dos nossos direltos e representa nma de-
dicafio catsa publica ; porianto, elegel-os o c
nosso dever de recobhecimeolo ao mrito.
Tolas as elasets tica rao muito bem represen
{Sdas.
Recife, 13 de Setembro de 1892.
Bus.
VINHO
VIVIEN
Mais efficaz anda do
que o oleo cr de
flgado de bacalhau.
17 gosU tio agradaoel
que as crian cas
tomam-no com prazer.
assj -
Estupendo
E' curar em tres-dw goBorvheso chro-
niosw Ott rscents*; cerno acontece com o
remedio vegetal qu se chama Injeot;3e9
ASt-blaserrhagieas da M. Morato. Car
garantid* em tmte diaSi ssfs at dt sn,
tureaa de paciente.
A Iajeccao Anti-blenorrhgiCa, de M
Mdw*o, voi)de-8e em Pemambuc--, sa
Dtoga 6 Prothrctos Chi


1 ..

<






1
_v
QffilH


< '--
\
Diario de Pernanibueo Quinta-feira lo de Setembro de 1892

Pelloral de Cambar
A Exma. esposa do Sr. Joaquim Alves
Cavalcanti, do Cear, foi carada, pelo
Pe i toral de Cambar, de 8. Soarea, de
ama terrivel toase que resistir a muitos
outros remedios.
Vende-se as pharmac-ias e drogaras a
20500 o frasco e 24fCOO a duaia.
' agente a Companhia de Drogas.
E' o gtande depurativo
descoberto dos indgenas
cujo, tem a propriedade de
curar a svpnilis rpidamen-
te, curar o rheumatismo
como por encanto, e curar a
morpha cerno por mila-
gre.
O apreciamento do gran
de remedio o Elixir M.
Moratopropagado por D.
Carlos, o facto mais ex-
traordinario d'este seculo,
taes sao as curas que dia-
riamente se effectuam.
Agentes em Pernambuco
Companhia de Drogas e
Productos Chin icos: ra
Mrquez de Olinda d. 3
Pe toral de Cambar
O hbil medico Sr. Dr. Alfredo Mondes
Ribeiro, attestoa ter carado com o Peito-
ral de .Cambar, de S. Soares, a Exma.
Sra. D. Virginia Maria Mondes, residente
na Babia 4 ra S. Miguel n. 46, que sof-
fra de ama tuberculoso incipiente.
Vede se as pharmacits e drogaras a
-;5Gu o frasco e 240000 a duaia.
E' agente a Companhia de Drogas.
Dr. Fr ellas tulmares
MEDIlO
Tem o sea consultorio na ra Duque
de Caxias n, 61, 1. andar, onde ser
encontrado de 11 1 hora da Urde e
reside no Cajueiro n. 4.
Telephone a. 292.
'Medico e oculista\l
Dr. Berard oculista do hospita
IPedro II, tem consultorio ra doj
[Bom Jess o. 9, 1.' andar.
Residencia na Magdalena.
Telephone n. 366
Regalador da Marinha
Concerta se relogioe de aigibeira, pn-
dolas de torre de greja chronometroa de
marinha, caixaa de msica, apparelhcs
elctricos, oculoa, binculos, ocuios de al
canee, joias e todo qualquer, objecto ten
deotes a arte mechanica.
9Roa Larga do Rosario9
Dentaduras artificiaes
Sob presaSo elstica, e cpresaSo pnen
atiea systemaa noviasimos Beato Eatadc
pelo oirurgo dentista ama Pompilio
roa do Bario da Victoria n. 54 1 ao
idaa 8 horas da manhS as 4 da tarde
COKMERCIO
Isa Comsaerelal de Pernam
bneo
COTACOlS OrFICIAKS DA JUHTA DOS COB
BBTORES
Prava do Recife, 14 de Setembro de 892.
A"coes ligado de 40* a 62*600
Na Bolsa venderam se :
200 Afccoes do Banco de Pernambuco.
0 presidente,
Ednardo Dobeox.
O secretario,
Augusto Pinto de Lemos.
Cambio
PBAQA DO RKCIFB
Os bancos abrirn a 11 5 8 d 90 d/v, nao ap-
parecendo tomadores a esta taxa.
Mais tarde o London saccou a 11 d. appare
cendo bastante tomadores
Em papel particular nao constou negocio.
PBACA DO KIO DB JANKISO
A taxa bancariafoidell 3/d, 12 d. e 12 1/8 d
anicular.
otaces de gneros
Para o agricultor
ASSUCAR
mas por 14 Hilos. 8*000 a 9*000
aneo dem dem .... 7*000 a 80>
bmenos.icremidem. M300 6*080
scavado dem dem M500 a 6*000
.ato idem dem...... 3*600 a M500
tuto telado...... 2*500 a 5*800
llame dem hlem .... 1*600 a 2*200
Algodo
otase nominal a 10*000.
Alcool
Por pipa de 480 litros de 280*COO a 300*000
Agurdente
Por pipa de 480 litros a 160*000.
abolla das kntbadas db a8sdcab b al-
qodZo
Me* de Setembro
Entradas
strada de Ferro Central
da S.^FrancHeo
do Limoeiro. .
Somma
Da
1 a
1 a
1 a
1 a
1 a
i a
Aasu-
car
Saceos
780
36
17
1867
661
Algo-
do
Peitoral de Cambar
Urna filhinha doSr. Jos CarloaCoimbra
de GOuveia, do Rio de Janeiro, tcou cu-
rada de urna forte coqueluche pelo Peito-
ral de Cambar, de S. Soares depois de
ter perdido muito tempo com o uso de
outroa remedios.
Vende-se as pharmacias e drogaras a
2)9500 o frasco e 240000 a duzia.
E'agente a Companhia de Drogas.
Aadrl Bvrity
Declaro que fui mordido de urna casca
vel, e curei-me sem cessar durante mai
de 4 annoB, fcando-me ana buracos chago
sos nos ps que se sarara um abria /)utro
inmediatamente ; ficando ainda com para-
lysi em urna mo d'esde que fui mordido.
Aoonselhado a fazer uso do novo reme
dio o=Elixir M. Moratopropagado por
D. Carlos, tomei-o baatante tempo e -
quei completamente bom. A quem ainda
nSo conhece oElixir M. Morato,eu de-
claro que este remedio santo, porque
faz milagrea.
Porto Feliz.
Andr Burittf
Deposito em Pernambuco: Companhia
de Drogas e Productos Chimicos.
Roa Harqaez d'Olinda, 23
Peitoral de Cambar
Urna criacce da casa do Sr. M. Viris-
simo da Costa, cunhado do Sr. Jo.to Pa-
cifico Coelbo, negociante do Ibieuby, Rio
Grande do Sul que se achava gravemente
doeote de urna bronchite capillar, foi sal-
va da morte pelo Peitoral de Cambar,
de S. Soares. que se vende as pharma-
cias e drogaras, a 20500 o frasco e 24$0C0
a duzia.
L' agente a Companhia de Drogas.
m---------
Consultorio Medico Cirorgico
O Dr Simplicio Mavignier, tem o seu
consultorio ra Mrquez de Olinda n.
27, 1. andar.
EspecialidadesMolestias do apparelho
respiratorio, febre e da pelle.
Consultas di3 9 as 11 na pharmacia
Minerva, largo do Terco e em seu con-
sultorio das 12 s 3.
ResidenciaRa do Hospicio n. 41.
Chamados a qua'quer hora e por es
c ripio.
TELEPHONE N. 566
Peitoral de Cambar
O Sr. Dr, Telasco de Gomensoro, res-
peitavel medico residente no Rio de Janei-
ro, attestou ter carado pelo Peitaral de
Cambar, de S. Soares, urna pessoa de sua
familia, que soffria, havia algans meses de
doi laryogite acompanhada de toase.
Vende-Be as pharmacias e drogaras
2(5500 o frasco e 24000 a duzia.
E' agente a Companhia de Drogas.
--------- ?
Eseriptorio Commercial
Ra Duque de Caxias n. 72
VIMCIO LBAII & C-
Secdo ue differente na Daiuresa os aervicos
deste eseriptorio, a commissao retribnitiva varia.
r segando o trabalho responsabilidade e impor-
tancia, dependendo na mior parte dos casos de
previo ajuste.
Assim car dependente das circunstancias
cima a siguite tabella.
Porcentagem
Por tratar de bypotbecas sobre
bens i mm o veis..... 3 a o 0|0
Rececebimento de jaros e uivi-
dendos....... Ij2 Oo
llem de pensfcs neste-Estado 2 Ojo
IJern idem na capital federal. 5 0,o
dem de alaguis de predios. 3 a 5 Ojo
Cobr3Dca e liquldacao de hypo-
thecas, berancase dividas aml-
gaves........ 10 0|0
dem dem idem judialmente. Convencional
fConura de cambiaes eremessas l-,:0
dem e venda de propriedades
immoveis....... 2 a 5 Oo
Pagamento de iftpostos fisces "i 0 o
Por fazer o eeguro de predios e
pagar o respectivo premio. 3 0|o
Por venda de gneros do paiz. 3 Ojo
Por compra de mercaduras e fa-
zer remessa para o interior 3 0o
Por venda de mercadorias nacio-
naes oo estrangeiras em con-
sigGacao....... 3 0|9
Por trabalbo* de escripia de ca-
sas commerciaes ou liquida-
cao.........Convencional
Mathematicas elementares e
escripturacao mercantl
Venancio Labatut dedica se a preparar
quilquer pessoa em escriptura^o mercan
til, com 30 a 35 li^5es, conforme contra
cto; continua a leccionar as materias ci-
ma ra Duque de Caxias n. 72, Io a -
dar.
m
Ao commercie
As Companhias de Seguro i Martimos
desta praja Iodemnieadora, Phcenix Per
nambucana e Amphitrite, fazam sciente
aos seas segurados que, a contar do 1.
de Outubro prozimo lj acceiUro segu-
ros em embarcantes de pequea ou gran-
de cabotagem que uSo tenbam sido pelo
seu perito examinadas, classificadas e re
conhecidas em condicSes acceitaveis.
Recife, 6 de Setembio de 1892.
Pela Companhia Indemnisadora.
Joaquim Alves da Fonseca.
Director gerente.
Pela Companhia Ptceaix Pernambucana.
Luiz Dupra.
Administrador gerente.
Pela Companhia Amphitrite
Antonio Marque deAmorim.
Director gerente.
Cabo
O Dr.Joaquim Felippe iixou a 3na residencia
nesta cidade e d consultas na pbarmacia
Duarte.
Presta-chamados a qualqner tora
Peitoral de Cambar
O illnstre cavalheiro Sr. Silvino Ribeiro
digno director do Collegio Saeta Cruz, na
Seira Negra (Minas Geraeb) declarou que
soffrendo, ha quatro annos de ama grave
toase bronehial, foi curado radicalmente
pelo Peitoral de Cambar, de S. Soares,
que se vende as pharmacias e drogaras
a 25500 o frasco e 24|J000 a duzia.
E' agente a Companhia de Drogas.
Ao commercio
O abaixo assignado perito das Compa
ohias de Seguros Martimos Iodemoisado
ra, Pbo xx Pernambucana e Amphitrite
desta praca e da Agenciado Registro Ma-
rtimo Brazeiro do R o de Janeiro de
ordem das mesmas companhias e ao Re-
gistro, faz saber aos armadores das em
barcacis de grande e pequea cabo-
tagem que todas as mesmas m barca -
cSes deven ser examinadas, clasiifi-
cadas e inscriptas no Registro afim de
eerem acceites as suas cargas seguro e
que nonhuma dellas poder conservar a
classe e c&thegoria que Ihe for deiignada
(art. 4 do Regulamente) sem se aujeitar a
urna distorin de 2 em 2 annos ou, se du-
rante o periodo de dura (lo que lhe for
designado soffrer avarias nSo for conve-
nientemente reparada debaixo da micha
inscripc&o.
Recife, 6 de Setembro de 1892.
Frailesco Jos Feroanes.
Perito.
Qaal o motivo porque sofres
Vos outros que padecis de tsica, as
torna, catarrho, bronchites, e toase chro
nica, respoadei esta perganta. Na ad-
mira vel e maravilhosa composicSo da ana
Saccas
450
52
94
572
3361 1513
Coaros
flecos salgados na base de 15 kilos a 650 rla.
"erdeg nominal 365 ris.
Borracha
CoU-se a 28OO0 por 15 kilos.
Hel
Por pipa de 480 Uros 100*000 nominal.
Carnauba
Cota-se de 7t a 11*500 por 15 kilos nominal.
importaco
Lugar ingiez Flora entrado de Terra
Nova em 12 e consignado a Blakbnrn
Needham & C.
Baoalho 2662 barricas e 2037 meias
ditas a ordem.
Lugar ingiez Florence entrado de
Terra Nova em 13 e consignado a J.
Pater&C.
Bacalho 1755 barricas e 2632 meias
ditas a ordem.
Vapor nacional Cometa* entrado dos
portos do sul em 13 e consignado a Pe
reir Car neiro & C.
Aninhagem 11 fardos a Rodrigues Li-
ma & C,
Fumo 50 fardos a ordem.
Tecidos 20 fardos a N Maia d C, 5 a
Silvetra & C, 25 a ordem, 15 a Ferreira
IrmSos & C, 138 a Rodrigues Lima
& C.
Trapos 47 fandos a ordem.
Xarque 600 fardos a M. Maia & C,
600 a Jos Saltar & C, 1553 a ordem.
Kxportae&o
REC1M, 12 DK SBTEMBRO DB 18S
cara o extenor
No vapor ingiez Merchant, pa a Liverpool,
carregaram:
A. Perreira de Almeida, 1,148 saceos com....
70 051 kilos de carocos de algodSo.
B. Williams C, 24 saccas com 1,800 kilos
de algodo.
Pora o mrtor
No vapor austraco Castor, para Rio de Ja-
neiro, cariegaram:
Pal va Val ente 4 C, 200 saccas com 18,051
kilos de algod&o.
Para Santos, carregaram i
P. Alves 4C, 100 barra com 9,000 litrosde
agurdente e 70 saceos com 4,200 kilos da asqu-
ear branco.
S. Gulmaraes 4 C, 520 saceos com 31,200 kilos
de milbo.
J. Baltar & C 140 saceos com 8,400 kilos de
milbo.
No vapor nacional Una, para Natal, carre-
garam :
E. C. B-ltrao 4 Irmao, 25 barricas com 1,500
kilos de assucar refinado.
loao Sonza. 100 caixas com 2,300 kilos de
sabio.
Para Aracatj, carregaram :
M. Piaia Lima, 2 barris com 160 litros de
mei,
Menezes Scbiappe, 40 saceos com 2,400 kilos
de muo. *
Para Mossor, carregou :
M. de Souza Fr.nco, 78 saceos com farinba de
mandioci.
Para Maco, carregou :
Joao Sooza, 10 caixas com 230 kilos de sabao.
No vapor nacional S. Francisco, para Baba,
carregou :
J. Torres Leite, 13 caixas com 540 kilos de
doce.
Na barcaca Faetonle, para Camaragybe, car-
regaram :
Ferreira Barbosa 4 C, 6 meios de sois.
Na barcaca Linda Rosa, para Macelo, car-
regaram :
Albino Silva 4 C, 8 caixas com 529 kilos de
sabao.
Na barcaca Joven Aucencta, para Pilar de
Alagoas, carregou:
M. Viegas, 83 caixas com 581 litros de ge
nebra e 6 barris com 540 ditos de vinagre.
Pauta da Alfaadeca
8EMAI.A DB 12 A 17 DB SETEMBRO DB 1892
Alcool (litro*.......
Algodo em rama (kilo) ....
Arroz com casca io) ....
Assucar refinado (kilo) ....
Assucar branco (kilo) ....
Assucar mascavado (kilo) .
Bagos de mamonas (ko) .
dorracnade leite mangab. (kilo) .
Cachaca .........
loaros seceos espichados (kilo) .
Coaros seceos salgados (kilo)
Ctouros verdes (kilo) .....
Courmhos (um).......
'Jarocps de algodSo (kilo) .
Garrapateara (kilo).....
Cacao (kilo).......
Caf bom (ko)......
Caf restolho Culo).....
Caf moido (kilo)......
Carnauba (ko......
Cera em velas (kilo).....
Dita em broto ou preparada (kilo) .
Canoa (litro)......
Qal (litro) '.....
Carvao de Cardiff (ton.) ....
Panna de mandioca^ite! r .. .
Serfebra (litro)......
Graxa (sebo) ... ...
laborando (em folca) ko *
Leite de maflgabefra (kilo} .
Hel (litro) s>.....*
Mflho(kilo...... f'
Phosphato de cal da Una Rata (tone-
lada) *.......
Pelle de cabra (cento).....
Pelle de cameiro (cento) ....
Sement de carnaaba (aoroba) .-
sola (meio).......
Sedente de carrapateira (kMo) .
Sebo........
Stearina em velas (kilo) ....
Tataioba (kilo) ......
tabeas de amarelo em pranchoss
(draia)........
562
613
90
700
588
22
730
2*0(0
291
654
594
320
I 8/0
41
120
400
',4200
U000
1440b
um
640
800
343
10
37*000
50
295
683
200
M466
586
80
1U00O
187^000
145^800
53
4*500
130
aoo
U0O
40
100*
RcBdlaento publico
uaz DB ITKMJTO DI 1892
AijcMAtga
Renda garal
Do da 1 a 13 516;I5V(99
cahuita peitoral, se vos tfferce um reme-
dio qaaai infallivel, rpido inteiramente
inoffensivo. A sua preparajSo composta
dos sucoos balsmicos e nutritivos d'uoia
arvore mexicana chamada Anacahuita,
admiravel antidoto este gratuitamente of-
ferecido pela natareaa, para a cara de to-
das as enfermidades pulmonares. O mun-
do nSo encerra em si, cousa que com ella
de leve se posea comparar. Os propros
mdicos testificara, que, qnando as suas
melhores e mais poderosas medicinas,
ebegaram provar a sua inutilidade e inef-
ficacia, na deminuicSo e curativo da
tosse, ou para alliviar a ronquidSo e in-
nammagSo tracbeal; este ezcellente reme-
dio, tao agradavel como efBcas, com fre-
quencia restabelece es pulmSes os bron-
chios e a larynge ao seu primitivo astado
natural.
Como garanta contra as fa!sifica;es
ubserve-se bem que os nomes de Lamann
& Kemp venham estampados em letras trans-
parentes no papel do livrinbo que serve
de involtorio a cada garrafa. Acba-Be de
venda em todas as boticas e drogaras.
Peitoral de Cambar
O honrado estanciero Sr. Belisario Pe-
reira de Athayde, de Itaquy, Rio Grande
do Sul, communicou que sua esposa, que
soffria de asthma havia muitos annos, foi
carada pelo Peitoral de Cambar, de S.
Soares, que se vende as pharmacias e
drogaras, a 25G0 o frasco e 24>000 a
duna.
' agente a Com anhia de Drogas.
Elixir ante-febril Cardofco
SEGUNDO A FORMULA
Manoel Cardoso Jnior
Approvado em 21 de Marco de 1899 pela inspe
ctoria geral da digna junta de bjgene do Rio
de Janeiro.
Este Elixir de com pos cao toda vegetal pre
parado segando as regras pbarmaceaticas. acen
seinadas pelo3 autores modernos e de recouhe-
cida capacidade scient.lica tanto no paiz como
no estrangeiio.
Este Elixir o producto nao so do grande es
vado das accoes ptiysiologicas das substanciar
como tambem pathologicas.como tambetn c re
sultado das immensas applicacOes nos diversos
casos de (ebres de fundo palustre.
A applicac.o deste Elixir na grande epldemic
de bexigas de 1890 a 1891 mais ama vez de-
monstran a sua efficacia ; pois no principio dos
primeiros symptomas a bexiga aborta, e em ca
sos mais adiantados a bexiga pansa a ser um-.
ioenca febril vulgar apreseDtandc pequeas to
onelatoes que com a conticuajo do Elixir de-
apparecem sem todava apreseatar receios dr
perigo.
Os muito (testados poblicadrs no Diario dr
Pernambuco* e Gazeta da Tarde* provam o qot
lizemos.
Nos casos de febre amare'la o effeito admi
avel, apresentando pbenomenos to maravilho
sos que nesta cidade do Recife e na do Bio de
Janeiro pouco rere o causa a febre amarella,
oiesmo estando o doente com vomito preto t
sanguneonestes ltimos periodos ento ne
?s~ario a appiicaco em alta dose, des
a tabella annexa.
Este Elixir j conhecido do publico e de un.
grande numero de dignos mdicos apreaecta-
do para combater os ifferentcs mcommodos to-
dos elles de carcter febril.
Por muito tempo tivemos occi3iao de tazer a
ipplicaco as febres erysipellosas e com tac
oom resultado que tacamos admirados de to al-
tos effeitos.
Pela pratica chegamos a conbecer que not
taques ae febre erysipellosa ou erysipella comr
vulgamente se diz neceasarir o uso de 10 das
do E'.ixir.
Nos grandes incommodos das senboras, mens-
truaco, gravidez e nos casos de parto coa fe
bre de um resultado mullo certo e seguro e
asna conposic^o to simples que nao offerece
receio de applicar o Elixir nem mesmo em dos.es
superiores as indicadas na tabella mira.
Pedimos 3os dignisHmos mdicos que deseja-
-em fazer uso deste Elixir em sua clnica nao se
ujeitarem oessa prescripeo, mas sim fazer *
apphcac&o em harmona cornos casos que dse
jarem combater, certas de que o medicamento
de composicSo innocente para organismo por
mais frgil que seja.
Modo de usar
A's enancas at um anno 10 gotas de 2 em 2
oras em urna eolher das de sopa ceia d'agu
Tria.
De um anno a tres 15 gottas.
Da 3 a 10 anuos em dlante, 40 gottas etc.
Estas doses devem sempre ser applicadas em
agua fra.
Depoelloe
Companhia de Drogas e Productos Chinuuvr
Recire, rea do Mrquez de Olinda n. 23.
Nacional Pharmacia, roa Larga do Rosario
i. 35.
Pharmacia Oriental, roa Estreiia do Rosaru
a. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Barto d
Victoria n. 14.
Pharmacia Martina, rna Duque de Caxias o
i8.
Para qualqner informacSo ser encontrado o
autor na ra do Rosario Estreita n. 17.
Os nosbos frascos sao 'quadrados e conta go-
tas. N'um lado teem gravadoElixir ante-febril
e no outroManoel CardosoPernambuco. e to-
dos os prospectos sao asslgnados por Manoel
Cardoso Jnior, sendo falsos os que nao foreo:
assignados.
H. 156
Amigo Sr. Mancel Cardoso.
Tenho a satisfacio de communiCDr lhe que
constantemente tenno lirado proveito com o seu
poderosoElixir aoti-febnlnos casos de fe-
Ores, que tem apparecido em aiversas pessoas
de oossa casa, faiendo dnsapparecer semelhante
mal em peucos das.
Assim, pcie, aproveito a occasiao para lr.e
dar os meus parabens por Uto importante de-:-
coberta a bem da buma^idade.
Aqu fi.q ao ?eu dispor como sempre.
> migo e criado obrigado,
II:arique de aJmeida.
N. 158
Recife, 27-7-91.
Amigo cida ao Verissimo de Jess.
Agradecc-lbe cordialmente o favor de me ter
ornecido o poderoso Elixir Cardoso, pois com
poucas dc&es resiabeleceram-se meo f.iho e mi-
nba neta, ae urna febre aguda, em 24 horas- O
mesmo. rerultado deu-se com o mea vumbo Ma-
noel do Nascimento Pava, a quem tambem ap-
pliquei o mesmo elixir.
Peco-lhe encarecidamente faga ebegar ao co-
nbecimento do cidac&o e feliz lavenior.
Son do cidauo
Humilde e agradecido criado obrigado,
Her. ulano Garca do Amaral.
(Estavam seliaaas e reconbecidas as firmas.)
------ *-------------
Peitoral de Cambar
O pharmaeeutico Sr. Francisco Jos de
Barcellos, priaieiro empregado da Pharma-
cia Delgado, do Rio de Janeiro, foi peio
Peitoral de Cambar, de S. Soares, cura-
do de urna tosse pulmonar aguda, depois
de ter usado diversos remedios sem pro
ve ito,
Vendo se as pharmacias e drogaras
20500 o frasco e 240000 a duzia.
E' agente a Companhia de Drogas.
-------------eHUUB-------------
0 Di. Barros tarneiro e a fa-
brica a vapor Minha Espe-
ranza.
O Di\ Manoel Ciementino de Barros Car
neiro, formado em scieucias medicas e
cirnrgicas pela fsnuldade do Rio de Ja
neiro, medico adjunte da clnica de
hospital de Santa gueda etc.
Attesto que tenho f ;ito uso dos cigarros
denominadosMmha Eaperancae bem
assim do fumoHygienico Nacionalda
fabrica do Sr. Antonio Francisco da Crus
reconhecendo pela anaiyse chimica a que
proced, que o referido fumo e cigarros
nSo encerrara principio algum nocivo s
funccSes gstricas, sendo perfeit&mente
toieraveis aos dyspepticos.
In fide medici.
Recife, 12 de Fevereiro de 1892.
Dr. Barros Carneiro.
laem de li
61:9y9#l65
Renda do Estado :
Do da 1 a 13
dem de li
60:101*091
4:729*159
Somma total
578:25U36i
6i:8i9io0
643:080*614
Segunda seceo da Al'andega de Pernambuco-
14 de Setembro de 1892.
0 tbesoareiro,
Florencio Domicgues,
O chefe da secco,
M. Antonino de C. Araujo.
RECEBEDO.UA DO ESTADO
Do dia 1 a 13 36:997*978
dem de 14 4:498*212
Do dia la 13
dem de 14
RECIFE DRAINAGE
11:496*190
19:342*961
1 338*708
20:681*669
Mercado Huulelpal de fos
O tcovimtnto deste mercado no dia 13 de
Setembro foi oseguinle : Entraram.
45 bois pesando 6 436 Kilos.
166 kilos de peixa a :0 ris 3*300
4 ditas com camarOes a 100 rs. *400
47 logares a 2C0 rs. 9*400
7 sumos a 200 rs. '*400
45 cargas de farinha a 2C0 rs. 9*0G0
5 cargas de milbo secco a 200 rs. 1*000
4 ditas com feijao a 200 rs. J80O
2 ditas com frucras diversas a 300 rs. *600
10 dita de batata a 300 rs. 30j>0
1 ditas de amebdoim a 300 rs. *300
dtta de macacheira a 300 rs. *
47 ditos cbm verduras a 300 rs. 14*100
4 ditas com gsrim a 300 rs. 1*20')
2 ditas de canna a 300 rs. *600
"0 ditos com farinha a 400 8000
6 eargaj com gatlinhas a 500 rs. 3*000
32 columnas a 600 rs. 19*200
7 compartimentos com ressoras
a 60) ra. 4*200
48 ditos com faxendas etc. a 600 rs. 28*800
.27 ditos de cernidas a 700 rs. 18*900
11 ditos dv suureiros a 1* 11*000
8 ditos a 7:0 rs. 5*600
46 tainos a 2*000 92*000
Rendimento do dia 1 e 12
255*800
3'. 114*360
3.370*160
Procos de dia:
Carne verde de 240 a 640 ris c kilo.
Sainos de 640 a 800 res idem.
Carnelfo de 800 a {* ris idem.
Farraha de 320 a 480 ris idem.
Milho de 420 a 440 ris idem.
FeijSo de 1* a 1*800 idem
tiovlnuuio do Porto
Navios entrados no da 14
East London 42 das, patacho ingiez
Aquatic de 361 toneladas, capitBo
Paulo Jos de Oliveira, inventariaste
da propriedade em commum ApipucoB, qu
tendo de proseguir-se nos termos do inventa
rio da referida propriedade, ha maito lempa
ptralisada, reaqer a V. Exc. que se digne
de ordenar nova publicacSo de editaea
por espajo de 90 das, notificando a todos
os interessados na referida propriedade,
para por si ou por seus procuradores tuto-
res e curadores, a virem dar no respeti-
vo cartorio, escrivSo Dr. Pontee, os seos
nomes para ssrem descriptos no inventa-
rio, e bem assim ezhibirem os ttulos que
comprovem os seus direitos a serem con-
siderados como berdeiros ou consenhores
da meama propriedade.
Espera receber merce.Recife, 9 de
Agosto de 1892 O advogado Dr. Ado-
pho Cirne.
Estava sellado.
Nado mais se continha em dita peca,
na qual profei i o despacho seguinte :
as autos, como requer. Reeife, 9 de
Agosto de 1892.Altino de Araujo.
En virtude deste meu despacho o es
crivao paasou o presente, em virtude de
qaal cito a todos es interessados na pro
priedade em commom Apipucos, para
no referido prazo de90 dias, virem por
si ou por seos procuradares, dar seus no
comes no respectivo cartorio (escrivSo Dr.
Pontes), para serem deacriptoa no inven-
tario, bem assim exhibirem os ttulos que
comprovem os sous direitos a serem con-
siderados como herdeiros ou consechorec
da mesma r.ropriedade.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, maodei passar o presente edita!,
que ser anisado no lugar do costante
publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife,
aos 10 de Agosto de 1S92.
Eu, Manoel do Naacimento Pontes, es-
crivSo o subacrevi.
Francisco Altino Correia de Araujo.
Recebedoria do Estado de
Pernambuco
EDITAL N. 13
O administrador da Recebedoria do Es-
tado faz publico, para conhecimento des
Srs ontribuintes que dentro do prazo de
30 dias uteis, imprarogaveis, contados
desta data, serlo arrecados a bucea do c
fre. os impo8tos estaduaes, constantes da-
re!a$ao abaixo, relativos ao 1 semestre de
cXftrcicio corren te de 1892.
Recebedoria do Estado de Pernambuco,
5 de Setembro de 1892.
i'oo Ferreira de Almeida Guimaraes.
Rftlasao a que sa refere o edital supra
Ulasse n. S.Eatabelecimentos com-
merciaes ou agentes que venderem ce-
reaes, caf, fumo em foha e em p, cor-
da, picado e dcafiado, trij?iormaf".o em
charutos ou cigarros, nSo produzido ne
Estado.
CU89 n. 13.Armazens de fazendas,
erragens e miuuesaa, em grosso.
Edital n. 14
O administrador da Recebedoria do Estado fas
publico, para conhecimento dos respectivos inte-
ressados, que, de ordem do Dr. inspector da
Tbesouro, fica prorogado al o rim do corrente
mei o praso concedido para pagamento i socca
do cofre da annuidade e mais servicos do Recife
Drainage Company, relativo ao 1- semestre do
exeretcio de 1892.
Recebedoria -:o Estado de Pernambuco, 12 de
Seiembro de 1832.
1 reir de Almeida (aunarles.
EDITAES
O Dr. Francisco Altino Correia de Arau-
jo, juia de orphSos, do municipio do
Recifr, Estado de Pernambuco .em vir
tude da le.
Fh$o saber aos que o presente edital
virem ou delle noticia tiverem, que pelo
inventariante da propriedade em commum
Apipucos, me loi dirigida a peticSo do
theor seguicte ;
Iilm. e Esm. Sr. Dr. jais de orphSos.
L. A. Hulercw, equipagem 8, em lastro
a ordem. ,
Cardiff 37 dias, barca noruegaense
Jorgem Bang de 695 toneladas, ca
pitSo Jorgam Andersen, equipagem 13,
carga carvao de pedra, a Wilson
Sons & C.
Navio sahido no m'smo dia
Santos e escala Vapor austraco Cas-
tore> commandante C. N.celicb, carga
varios gneros.
Rio de Janeiro e escalaVapor nacional
cS. Salvador commandante J0S0 Ma-
ria Pessoa, carga varios gneros.
Macei"Vapor ingiez cMerchant com-
mandante J. Tester, carga varios g-
neros.
Imbitiba (Rio de Janeiro)Barca ameri-
cana fLilian c api tao C. A. Eatcw,
carga sal.
SidneyBarca ingleza Helen Izabel
capitSo Job Visiae, em lastro.
New York Galera ingleza eOrphensc
capitSo R. Linklater, carga assucar.
Southampton por S. Vicente, vapor ingiez
nDayse commandante J. R. Kraigen,
em lastra.
Babia e escala Vapor nacional cS.
Francisco commandante Joaqaim Jos
Ssteves Jnior, carga varios gneros.
a
Vapores a entrar
Mez de Setembro
Europa....... Listaban........... 15
Bul.......... Olinda.-.'......... 16
Norte........ Chillian........... 16
Europa....... Vle de Montevideo. 16
Sul.......... ntrenos.......... 17
Europa....... Jfortnr.......... 17
Norte........ Alagoas........... 17
Sol.......... labaato........... 19
Sul.......... SegBliinca......... 21
Norte....... binunce........... 22
Sal.......... Maranhao.......... 23
Noi........ Brazti............. 28
Norte........ Una.............. 27
Sal.......... Pernambuco....... 10
ifll FOi
Roy al Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL. SOO.OOO
AGENTES
Pohlman Sf C.
Largo da CompiUa a t
DECLARARES
De ordem do Iilm. Sr. Dr. in&peotor
deste Thesouro fago publico que ir a
pra$a no dia 15 do corrente mea, paran-
te a Junta da Fazenda, reunida em ses-
sSo,-o f orne el ment de alimeatacSo e die-
tas aos presos pobres recolhidos a Casa
de DetencSo desta cidade, dorante o tri-
mestre de Outubro a Deiembro vindouro,
servindo de base o prego de quinhentos
reis por dieta ou racao
Os S*e. concurrentes se deverSo habi-
litar na forma do regulamento em vigor.
Secretaria do Thesouro do Estado de
Pernambuco, 4 de Setembro de 1892.
Servindo de secretario,
Joaquim Li;::li de Siqteir* arejao.
Darby Club de Pernarabnc:
A directora Uesta sociedade> -tm se=Oj
de hootem resolyeu o.seg'aiate :
Suspender pofV2 mezas o jockey Bia-
cke por irregularidades no segundo pareo
atraves8ando-3c> &a frente do animal Fav:;
rita qaando montava o animal Bonica.
Suspender pori2 meaes o jockey Ama-
ro Marcelino por nio ter disputado o pre-
mio do 5 pareo quando montava o ani-
mal Berlim.
Prohibir a entrada do tratador da cou-
delaria Roaende Jos Nunes por 2 mezes
de entrar no eusilbamento do Prado da
Estancia, pelo procedmento que teve na
mesma corrida de 11.
Secretaria do Derby Club 14 de Se-
tembro de 1892./
O secretario,
Bego Medeiroa.
Sociedade Refiaaria e Des-
tillacao Perambucaca
O presidente desta sociedade em virtude de
que preceitua o art. Jl6 do decreto o"e 17 de Ja-
neiro de 1890, scieanhea que li:arn a disposicao
dos Srs. accionistas ca sede da mesma socieda-
de ra do Dr. Joaquim Nabuco n. 38, as copias
do balanco de 30 de Juoho prximo passado, re-
lacio nominal dos accionistas e lista das traes-
ferenclas realissdas no decurso do anno Ondo
naqueila data. 1
RefflB, 15 de Agost 1892.
Joo Pemandes Ljpes-,
Presidente.
Hospital Portuguez
Premio de vlrH^e
A junta administrativa do Hospital Por uyuez.
de accordo com a disposicSo testamentaria de
aado comraendador Antonio Jos de Mazalbael
Baftos, tendo de abjulicar o premio de S00000
lh-i ou filbo familias, natural da cidade da
Recife, que pelo sea trabalho honesto Uve"- cop
corrido eficazmente para o sustento de seus
pas, ou assiitido a sen pai ou mai com verda-
dera dedicaeao e amor filial, durante molestia
grave e prolongada ; chama e concede o prase
de 60 dias, contados de hpje, s pessoas que se
julgarem as ccndlcfcs citadas para apresenu-
rem na secretaria <-o hospital os documentos
comprobatorios de sua pretencao.
Os pretendentes devem declarar nos documet>
tos nome, estado, probasao, idadeeresidencia.
Secretaria do Hospital Portugus, 20 de Julho
de 1892.
0 2- secretario,
augusto G. Femantes.
V

.



\
.

'
. ^1III I .'I ... .1 H !
/
*--
'J -.- '.'
[
......I


-*"
-r-
rm
M
>^
V

V
Y
'5

Diario de Pernambaco Quinta-feira 15 de Selembro de 1892
THEATRO
/
COIPANBIA IIHAStfiCl
. Soba
ANTONIO COBLBRA
Quinta-fera.. 15 do corrente
Snniptuoso espectculo!!
>oite de prazer!
He resta artstica do actor
Sob a honrosa protecyao do commercio
deste Estado.
Djpois qae a or^beata regida palo maestro
Rosas executar ama linda sympboma, subir a
scena o importante drama etn i Prologo e 3 ac os
aa.' tanto applausos tem merecido.
3 llalli MI1M
FmalUai o pp?ct:iculo wm nm liodo duelo
<"aot>do pelo BENEFICIADO e -a actriz MARA
VIRGINIA.
0 ESTBDJSE E A L4YADHBA
A's 8 1|2 horaa
Bonds para Magdalena, Capuoga e Afogares
o Curias e Herval.
O Beneficiado esDera do Commercio d'este
Estado a quem dedica a sia festa e sua valusa
protecgto.
Prego do costuae
Os bneles em mo do beneficiado e no dia
esn^ctacclo no escriptorio do theatro.
A classe dos merciei-
ros
A directora da sojitd.de Uoio Conimercial
Benecente dos Mercieiras, scientifica aos mem
broa da classe, que esta pendente de deciso do
Exm. Sr. governador do Estado a reclamago
qu: fes sobre o lancnenlo do imposto relativo
a ca, fumo e cereaes toclaidos na classe a. 8
da le do orcamento vigente e que portan to
confuiente esperar aquella solaco, deixaodo-
se de accuiir ao cbamamento feito pea recebe-
doria tm sea edi'.al.
Secretaria da Sociedade Commercial Bne-
fijcQte dos Mercieiros, 8 de Se'rabro ae 1892.
Aotoaio da Silva Castro,
! Eecretaro.
Reparticao das Obras Pu-
blicas, trras e colonisa
gao no Estado do Amazo-
nas.
De ordem o Dr. Director desta repar-
ticao e por determinayao do Dr. Presi-
oente do Estado, chamo concurrentes por
espr.co de 90 das a contar desta data
para os servicoB a'aaixo declarados :
Urna penitenciaria para qaatrocentos
(400) presos com accmmodac.o"es para car
cereiro, ajadante e maia pessoal, com offi
cinss e disposicSes de aecordo com o no
vo rgimen de prisSes e com os progres-
sos da arte.
Um palacio para o presidente do estado
com as indispensaveis confortabilidades,
e para secretaria do governo.
Pelos planos e oraxrentos que forem
acceitcs por esta directora e approvados
pela presidencia, o estado pagar de gra-
t ricacho o que for arbitrado.
As propostas, que scrao taitas em car-
tas fechabas, eerSo recebidas at o dia 8
de Outubro do corrente anno.
ReparticSo das Obrts Publicas, Trras
e ColonisacSo em Manaes, 11 de Julhe
de 1892.
x O escrivao,
\. Vctor Antorio Fercandes.
Coirijmnhia Fabrica
de^stopa
Os accionistas sao cotafidados a fazerem at o
dia 30 do corrente, a quinto entrada na razo 10 O/o sobre o capital, ou SiWlOO por aeco, do
Banco de Pernambaco.
Recite, 1 de Setembro de 1891.
Thomaz C. Griffitb,
Director secretario.
Hipporomo do Campo
Grande
Assembla gersjl ordinaria
Sao convidados os seobofes accionistas para
renoirem se em assembla geral ordinaria, no
aia 20 do mez corrente. s 6 horas da tarde, na
secretaria, roa 15 de Novembro n. 55. I- an-
dar, afim de ter logar o cumprimeoto dos i-
.e 2- do art. 21 dos estatutos.
Secretaria do Hipoodromo do Campo Grande,
2 de Setembro de 1892.
O secretario,
___________________Aagoto Silva.
Sociedade
Refina ra e destilac.ao per-
namb u cana
Convido os senbores a:cioDistas a reuairem-se
em assembla geral ordinaria no da 15 de Se-
Ifoit)* vinJouro, ao mel da, no andar do
ajredio n. 34 4 ra do Commercio, para Ibes se-
seen apresentados o relatara da directora e pa-
lpar fiscal, para dlscuaso e deliberaco sobre
as contas do anno (indo e resolocSa da ultima
assembla geral, e para eleico do presidente e
dos memnros da directora ecommiseo fiscal.-
Recife,. 30 de Agosto de 1892.
Joo Fernandas Lopes,
Presidente.
Pernambuco Powder
Fadtory
Chamada ;de capital
Son vi do aos sniores accionistas desta com
anua, de ordem da directora, a reasarem at
a dia 15 do crrente, a segunda entrada de ca
sjUal, na razio de 25 0/0 ou 50* por acjo, no
scriptorio do tbesoureiro da companhia,
ao Commercio n. 4. /
ft^cife, 1 de Setembro de 1892.
A./J. Barboea Vianna,
Secretario.
roa
-
Alfandega de Pernambuco
O inspector da Alfandega d'este Estado teado
de dar ezecucao aOregolamento para a cobranca
do impoBto de connmmo de fumo, do dia 15 em
ante, chama a aftenco dos interessados para o
aegninte art. S.'t Ninguem poder1 vender
!nmo, nem ter dfepos'to, fabrica oa estabeleci-
nento de prepar/al-o, sem previa licenga e incri-
{co no registro; a cargo- da es rco fiscal, cuja
irsdicjao comjprehenderc logar ..nde effectuar-
*v oa a venda, fiouver o deposito oa trabalbar a
nbrica. /
Alfandeca de Pe'nambnco, 13 de Setembro de
mt,
Barao de Souza Leao.
Relacao nominal dos proprietarioa da fre-
guezia de N. S. da Oraca, cajas casas
aoham se sontas do imposto do decima
urbana em virtude da le n. 1,544 e
ampliada pela a de n. 2,125.
Travessa para o Rosancha n. 2 A. Affonso
Ouiiniaco Gjrgonba, isenu pela lei a. i,til.
2- ectraaa para Campo Alegre a. 7 A. Anna
Izabel da Concei&ao, dem.
Estrada de Joo de Barros n. 4. Anaa Joaqui-
na da Con;t gao, dem.
Travesea du Fe 03a n. 7. Anna Mara da Con-
ceigao, idem.
E-i.-aJa de Joo de Barros n. 8. Antonio Au-
nes Jacome Pires, idem.
Ra de S. Elias n. ,26. Aotoaio Geraldo de
Lima idem.
Estrada dos Alll.c'os n. o Antonio das Neves
Souza Braga, idem.
Roa de S. Amaro o. 10 B. Baldomiro Eadoxio
de Brillo Macedo, i.>em.
Ra Jas Crioalas n. io A. Camilla Perpetua
da Silva, idea).
Amisade n. 36. Catbarna de Senaa e ontra
idem.
Estrada da Po^te de Uehoa a. 43. Ciara Lucy
Tbon, id m.
Ra de Nunes Machado n. 6. Delphina Mara
da Coaceicaa Azevedo, dem.
Peruambncunas g. 9. Demetrio de Gumao
Ccelbo, ideai.
Joiiquijj Nabuco a. 12. Emilia Joaquina de
Medeiros, ;dem.
Travessa do RorDho n. 7. Emilio Joaquim
de Mendonca, idem.
Dita n. E-.meraliin;- Maria Magdalena, idem.
Roa do Barko de Itamarac n. 7. Epipbanio
Amonie T.-lies, idem.
2' travessa do Campo Alegre n. 10. Fato da
Costa Almeida Mar ti a?, idem.
3ua do BarSo de I'.axarac n. 1 A. Felippa
Maria di C)nce:c>>. i'tem.
Rna Amelia n. 2. Felippe Ribeiro da Silva
idem.
2- travessa do Campo Alegre n. 4 A. Floren-
cio Jos dos Sin os, idem.
Travesea das Peroambucanas n. 2. Francisco
AQtoni'. Tavares, idem.
Estrada de B .m n. 9 C. Francisco de Carreo
Cohibo, ;dem.
Estraia de J. F. Vieira n. 6. Francisco das i
Chagas Ramos, idem.
Estrada do Espinbeiro o- 2. Francisco Ferrei'a
lavares, dem.
Estrada do Fe tjsa n. 2. Francisco Fortado de
Menao^ca, idem.
TraTesss do R93arinb3 n. 11. Gibriel Rodo-
puno Gergonio, idem. *
Travessa do Feitost n. 6 B. Gib.-iel Tavares
de Lyra, idem.
Roa S. Joo o. 10 Gailherme Antonio da Fon-
scca, dm.
Travessa do P ysand n. 1. H rdeiros de An-
tonio Joaquim de Mello, '.dem.
Rna das rmalas n. 37. Herdeiro3 de Benedi-
cto Gomes de Oliveira, dem.
Campo Grande n 2. He.-de.iros de Jos Joa
ju-.ii de OTeira Baauem, dem.
Roa jo Dr. Feitosa n. 1 A. Ignacio Marques
do Espirito Santo, idem.
Trav --a do Rosarinbo u. 7 A. Ignacio Marques
Gom.s i-'a Fouseca, dem.
Kua das Cnoaias n. 47. Isabel Candida P. Ri
biro de V'oraes, idem.
Campe Grande n. 7 A. Isaas Francisco de Pau-
la e Silva, idem.
Ra das Crioalas n. 39. Jacob Martina da Pai-
x2o, idem.
Estrada de Belm n. 8H. Joanna Florentina
de Oliveira, id Travessa do Feitosa o. 1D. Joao Evangelista
Pinedo Coostant. idem.
Tra/essa do Rosarinho n. 1. Joo Fe mandes
de M squita. idem.
Roa oa Rara n. 29 B. Joo da Fonseca, idem.
Travessa do Dr. Feitosa n. 17. Joo Francisco
dos Santos, idem.
Travessa da Baixa Verde o. 3. Joo Joaqcim
de Siqueira Vareio, idem.
Travess.1 do Dr. Feitosa n. 6D. Joo Lasaro
da Rocba Wan lerl.-y, idem.
Roa de Santo Ellas n. 22. Joo Martina Copa-
rica, idem.
Roa das Crioalas n 43. Joo Vicente dos San
tos, idem.
Estrada do Rosarinho n. 13. Joaquim de Bar
ros L'.nsCVanderley, idem.
Ra # Graya n. IB. Joaquim Fernandes Fe
lippe, idem.
Estrada de Joo de Barros n. 2C. Jcaqnim Ge-
tulio de Azevedo, idem.
Travessa da Baixa-Verde n. 11. Jos Bernar-
dino Rosas, dem.
Ra da Amisade o. 37. Jos Daarte Caiisto,
idem.
Travessa da ra AmeUa n. 5. Jos Ferreira de
Carvalbo, idem.
Travessa das Pernambncinas n. 3 A. Jos Gros-
eean, iaem.
ampo Grande o. 3 A. Jos (de Souza Couto,
i. em.
Ra da Contenda n. 5. Joaquim Jos de Arau
jo, idem.
Ra das Pernambucanas n. !. Jos Machado
da Costa, idem.
Travessa do Portella n. 9. Josepha Maria da
Concei(o, idem.
2.* entrada do Campo-Alegre n. 4C. Josepha
Pinto de Assis, idem.
Campo Grande n. 2 A. Julia Vieira Ferreira
da Craz, idem.
Estrada de belem n. 30. Justino Rodrigues da
Silveira. idem.
Travessa do Portella n. 1. Lsoeardo Scbuller
Filho idem.
Estrada de Joo de Barro3 n. 6D. Leonco Go-
mes da Fonseca, idem.
roa da Hora n. 7. L^opoldino deJLemos Duar
te, dem.
Ra da Contenda n. 14. Lino Agripino da Cu-
aba, dem.
Travessa do Feitosa n. 17 B. Liberalina mbe-
lina de Souza, dem.
Roa de Joaquim Nabuco n. 59. Lntz de Fran-
ja, idem.
l.o becco da Ventara n. 6. Luiz Francisco
Gonzaga, dem.
Ra do Coronel Apolonio n. 1 Manoel Aodr
Rodrigues, idem.
Roa da Hora n. 23. Manoel Borges Leal,
idem.
2.* entrada do Campo Alegre n. I. Manoel Ce
meotino de Souza. idem.
Estrada dos Alictos n. 10. Manoel Lopes Ma-
chado, idem.
Ra de S. Joo n. 2. Manoel Luiz Pires de Car-
valbo, dem.
Ra da Gfia n. 15 4. Manoel Macario de Mel-
lo, dem.
Ra das Pe-nambacanas n. 54. Manoel Morei-
ra Campos, ioem.
Ra da Hora o. 9. Manoel Portella da Silva
Loyella, idem.
Estrada de Belm n. 8 H. Manoel Theotonio
de R. Wanderley. ideo:.
Traveaso do Feitosa n. 5. Margarida Loiza
Saboia Ferreira, idem.
Ra de Joo de Barros n. 2. Marra da Coocei
cao, idem.
Roa dos Cnoulos n. 20. Maria Eufrasia de
Araujo Mello. dem-
Dita n. 49. Mana Joaquina das Dores, idem.
Ra da Horan. 9 A. Mara Manee li dos Nasci-
meoto, idem.
Dttan. 7 A. Miqnellna Mara das Dores, idem.'
Dita n. 5. Olympia Augusta Rabelio da Fon-
seca, idem.
Estrada dos Aducios n. 1 B. Oiymplo Fran-
cisco de Mello e Silva, idem-
Travessa ao Feitosa n. 9. Paulino Manoel To-
me Caboatan, idem.
Ra da Hora n. 11 B. Pedro da Hora Santia-
go, idem.
Ditan. 15. Pedro Rodrigues da Si'va, idem.
Ra de Nones Machado n. 1. Rita de Cassia
Souza Leo, idem.
Segunda travessa do Ctmpo Alegre n. 4. Sa-
loBtiaao Francibco de Souza, idem.
Campo Grande n. 3 A. Severiano Francisco
de Salles, dem.
Travessa da Mattinban. 7. Simplicio Beserra
de Figneiredo, idem.
Travessa da Baixa Verde n. Thereza Jea-
quina Jesnioa, idem.
Estrada do Feitosa n. 2 A Thomaz Espttca,
idem.
Ra das Pernembocanasn. 3. Thomaz Rezen-
de Oliveira, idem.
Roa de Joaquim Nabuco n. 23. Vicente Fer-
retea Pinto, dem.
travessa do Feitosa n. 2 B. Vicenje GoUtier-
me da Silva Pontea, idem.
Primeiro becco do Ventara n. 4. Vict)rno
Alves de Souza, idem.
1.a seceo da Recebedoria do Estado de Per-
namouco em 14 de Setembro de 1892.
chele.
Horacio Peregrino.
OMPANHIA
Reslla^o Tanoaria^Me-
chanica Parahybana
Chamada de capital
De ordem da directora sao convidados os
Srs. accionistas a reasarem a ultima entrada
de ;10 por cenio ou 20* por aeco at o dia 20
do correte, no largo do Corpo Santo n. 2.
Recite, 14 de Selembro de 1892.
Manoel Lopes de S.
HIPPODROMO
(AMPO GRANDE
Pagameutos de impostos
Pela 1.a scelo da Recebedoria do Es-
tado se faz sciente aos Srs. contribuictes
dos impostos constantes da relajo abaizo
transcripta que sabbadc 17 do corrente
rinda defimtiTamente o praso de 30 das
atis que lhes fot concedido para pagarem
seus dbitos nesta seccSo independente
de multa.
1.' sec$ao da Recebedoria do Estado,
13 de Setembro de 1892.
O chefe,
Horacio Peregrino.
Relacao que se refere o aviso supra
120 reis por litro de agurdente.
20500 por tonelada de alvarooga ou
cauda de carga ou descarga.
1 "(0 sobre valor locativo dos estabe-
lecimentos commerciaes spplicados a ex-
tinecao de incendios.
Lujas :
Joias, fazendas, miu.ezas, louca, cera,
chapeas, massames e chepos de sol.
Armazeas :
Assucar, alfandegado, drogas, charqne,
algdSo e prensa.
Fabricas:
Cerveja, limoaada gazoza, ginebra,
vinagre, charutos, cigarros e sabSo.
Companhias, agencias, casas de segaros
e empresas anonymas.
Escriptorio e armazem de oommissao e
consignacSo.
Agentes e consignatarios de vapores.
Hoteis, hospedaras, botequios, casa de
pasto.
Acougues, tavernas e refinacBes.
Deposito de vapor.
Rebocadore s.
Circular
O Instituto Benecente dos Ofhciaes da Guarda
nacional, de ordem do presidente do mesmo in-
stillo convida a todos os associados para com
parecerem na ;de do Club oa roa Padre Monis
n. 5, no dia 15 as 6 horas da tarde, afim de fazer
a janeco com o mesmo Club.
Secretaria do Institoto Benecente dos Officiaes
da Guarda Nacional em 12 de Setembro df 1892.
Nuao Alves da Fonseca,
Secretario.
Costuras do Arsenal
de Guerra
De ordem do cidado mejor direetsr deste
arsenal, d:sribu-:-se cosiuras nos das 15,16 e 17
com as costoreiras poseuidoras das guias de ds.
301 a 350, de contormidade com as ordens em
vigor.
Seceo das costaras do Arsenal de Guerra do
Estado de Pernambaco, 14 de Setembro de 1892.
Flix Aotoaio de Alcntara,
_ _______Tecenle adjunto._________
Companhia Exploradora de
Productos Calcarios
Os eenhores accionistas sao convidados a rea-
sarem a quara entrada do capital social na
razo de 10 0/0 ou 204 por aeco, no escrlptcrio
da companhia, sito no caes do Apollo n. 73. den-
tro do prao de 30 das, coatados desta data.
Recite, 25 de Agosto de 1892.
J. Cardoso Ayres.
________ Servlndo de secretario.
Inspectora deHy-
QUE SE REALIZARA' NO
Mi8deSetDbrodeI892
COM TRES GRANDES PREMIOS
Xomea
Pello
\alnra
lid.
Cor da vestl-
menta
Prop rielarles
1." pareo IS de setembro800 metrosAnimaes de Pernambaco qae nao tenham ganho
do Recite. Premios : 203*000 ao 1., 40*000 ao
primeiro e segundo prtm:o nos prados
2. e 20J0OD ao 3.'.
Black3tone...
Motor.......
Solimes___
OldBock....
Tejo........
Gedeo......
Rodado......
Baio........
Alazo......
Caslanho
Pedrez......
Toriilho.....
Pernamb.. 51
51
:>i
51
sr 51
51
Encarnado epreto
Azul e ouro..........
Branco e azul........
Corpo br. e mang. pr.
Branco, ene. e pret..
Grenal e musgo......
J. F. M.
Cood. Moariscana.
F. D. C P.
David Bla.k.
Coud. Portnense.
Coudelaria Recife.
2.* pareoVelocidade800 metrosAnimaes de Pernambaco que nao tenham ganho em dis
taocia superior de 20 de Agosto de 1891 31 de Juoho 1892. Premios: 200*000 ao l.o,
40*000ao 2.o e 20*000 ao 3..
l|Pelropolis2.'
2 Vermooth.
3
4
5
6
7
8
Ally.........
Doolin......
Deis comtigo
Vingador
Pirata.......
Talicier ....
Caslanho___
Rodado......
Pre'o.
Balo..
[Pernamb.. 51
51
51
i 53
51
53
K : 51 55
Rooxo pardo........iCood. 10 de Maio.
Ene. e branco.......M. S.
Azul e amarello.....
Azul e encarnado.....
Encarn. e branco
Encarnado,benet pretc
c c
Amarello e roxo
A. M. A.
Azevedo C
M. S.
Coud. deJonbo.
J. C. CavaL d'Alb.
J. N. da Silva.
3. pareoJnlmateo-GRANDE PREMIO1100 metrosAnimaes de Pernambaco qoe nao te-
nham ganho em distancia seperior a 800 metros. Premios: 300*000 ao i., 80*000 ao 2.o
30*000 ao 3.'
11 Nyctberoy
2 Bocacio ...
3|Pontable...
4
I
Ma tapan.....
Yambo.....
Talxier.....
Campooez....
Rio Grande..
Caslanho. ..
Rodado......
Caslanho....
Pedrez......
Castanho
Baio........
Rodado.
Pernamb.. 50
sr 50
50
> 50
c 50
50
50
50
Roxo e pardo........
Ene. e branco.....
Azul e amar, listrado.
Branco e azul........
Encarnado,bonet perto
Amarello e roxo.....
Encarnado e barnco..
Encarnado e ouro.
A. A. F. Taques.
M. L. Machado Junio-.
J. Pereira.
Coud. 1'deJnnho.
J. N. da Silva.
Cood. Vital.
M. P. M. F.
giene
De ordem do cidado Dr. inspector interino,
chamo attenco dos seobsres facultativos para a
segainte disposicao do S 9 do art. 94 do Reg.
sanitario regente :
O medico qoe primeiro verificar em doente de
que trate algum caso de molestia transmissivel,
devera participar inmediatamente o facto ao-
toridade sanitaria.
A infraego ser ponida com a malta de cem
mil ris.
Iospectoria de Hygiene Poblica do Estado de
Pernambuco, 12 de Setembro de 1892.
O secretario,
Guilherme Doarte.
portngnez
icenca
de Benc-
PROGRAMMA DA FESTA DO 37
ANNIVERSARIO
Actos religiosos
No dia 18 do corrento s 11 horas da
manha ser cantada no oratorio do hospi-
tal a miasa em louvor de S. JoSo de Deus
padroeiro do hospital e as 6 horas da tar-
de a ladainha acompanhada a orchestra.
ExpoBico do hospital
Das 4 horas da tarde ata as 9 da noute
estarSo as eniermarias e dependencis.3 c$
esta elecimento em exposico.
Basar
As 4 horas da tarde camelar o bazar
de prendas entre as quaes se eacontrarSo
algumas de subido vulor.
Iliuminaco
A noute achar se-ha o edificio Ir.lhan-
temente Iluminado a gaz. Os jardics se-
rao iluminados por caprichosa illumiaacSo
venesiana, a qual est a cargo do urna
commissao especial que se nao tem pou-
pado a esforco8 para que o effeito seja
sorprehendente.
Desde as 4 horas at s 9 da noute to
carao no jardim e no baz< r diversas ban-
das de msicas militares e de distinctas
sociedades particulares que se dignara
concorrer para "maior bril bautismo da
testa.
A Junta Administrativa d'esta pa insti-
tituigao espera do generoso povo peinara
bocano a caridosa coadjavacSo com qae
sempre tem concorrido para a auxiliar na
sua missao de caridade.
Secretaria do Hospital Portngnez de
Beneficencia em Pernambuco, 12 de Se-
tembro de 1892.
Jofe' de Mediis.
1. secretario.
pareoDerb Club-850 metrosAnimaes de Pernambuco que nao teobam ganho em dis
tanda superior a 1.050 metros nos prados do Recife. Premios: 200/000 ao i. 40*000
ao i e 20*000 ao 3..
o:
Torco 2......
Berlim......
Vivaz ......
Gallet.......
Ally.........
Tapir,ex-Pat
chouly......
Regente.-----
Alazo.....
Caxito......
Gastan no -
Rodado.....
Castanho...
Russo ..
Alazo-
Pernamb.
53
53
31
53
SI
51
53
Roxo e pardo........
Verde e amarello.....
Escaro, e p.-eto......
[Verde e encarnado...
Azul e amarello......
(Encarnado e azul.
Azul e amarello..
J. F. de Moora.
J. Aqoino.
;. Vise, do R. Braoco
Cood. Pombal.
AMA.
Cood. Tapir.
Azevedo 4 C.
pareoPrado Pernambaeano 1.250 metros Animaes pungas e de Pernambaco.
Premios: 250*000 ao primeiro, 50*000 ao segando e 25*000 ao terceiro.
Piramon ....
F-ceira.....
Tenorino 11..
Dspota II .
Corga 2"....
Castanho
Rodado
Alazo...
Castanho
Rodado..
Pernamb.
50
5:
H
54
54
Amarello e branco....
Grenal e ouro..
Preto e ocro.
Ouro e preto.*.
Coud. Bella-Vista.
Coud. Cruzeiro.
Coud. Pelotese.
Delhno Costa.
P. Alejandrino.
o.* PareoExperiencia900 metros. Animaes de Pernambuco que nao
V. de Janeiro a 15 de Agosto do correte anno, nos prados do Recife.
ao i., 40*009 ao 2.o e 20*000 ao 3..
tenham ganho de
Premios : 200*000
Collosso......
Malange
Pharzeu..
Tiberio......
Rodado.
Castanho
Rodado...
Pernamb..
51
51
51
51
Azul eencarnado.....
iPreto e ouro.........
Azul e eucarnado
Cood. Cruzeiro.
Coud, 24 de Maio.
R. C.
A. F. Neves.
7. Parco-BS'ADO de pebvbito Grande Premio = HANDCAP = 1.609 metros.
Animaes de Pernambuco.
ceiro.
Premios : 500*000 ao Ia, 150*000 ao 2.- e 30*000 ao '.er-
1 Maonly...
Piramon..
Directora .
Mooro ....
Cyclooe..
Castanho----
Pedrez.
Alazo..
Rodado.
PerrJamb..
58
55
48
52
55
Roxo e pardo.........
Amarello e branco ...
Eocarn. e booet preto
Azul e ouro.........
Ene. e bonet preto..
A. A. F. Taques.
Coud. Bella Vista-
C. Fragozo.
Cond. Moariscana
Coud. Fragoso.
.o Pareo=TalIl.HO VUBA^IOH=Grande Premio^
conaes. Premios: 800*000 ao 1.- 200*
HANDCAP=l. 800 metrosAnimaes
ao 2. e 80*000 ao terceiro.
na-
Danobio.....
D. Allonso...
Atlante.....
Nlniche.....
Veloz......
Castanho
Alazo
Zaina ....
Castanha..
R. Janeiro. 50
S. Paulo. n
Pernamb.. 52
R. Janeiro. 58
56
Violeta e onro.......
Greoat e ouro.....
V. amar, e bonet eoc.
Verd e ouro e bon. br
A2.nl e preto.......
M. M. P.
Coud. Pelotease.
Osear.
Coud. Brazileira.
Coud. Nacional.
B
OBSERVACOES
Os cartSe de criado s darao ingresso polo portao do ensilhamento.
Os jockeys s terSo iogresse pelo portao do ensilhamento.
O horario ser restrictamente observado, fechando o joge do 1.* pareo s 11
e 45 minutos da manha.
Os animaes inscriptos no primeiro pareo deverSo achar oe no ensilhamento,
1|2 horas da manhS.
A Directora chama a attengao dos Srs. proprietarioa e jockeys para o ar-
21 e seus e o artigo 46 qae ser2o restrictamente observado.
Os forfaits aerSo recebidos at sabbado 17 do correte s 3 horaB da tarde,
na Secretaria do Hippodromo.
Secretaria do Hippodromo do Campo Grande, 14 de Setembro de 1892.
boras
tigo
O secretario,
Augusto Silva.
Veneravel Ordem 3o do S,
P. S. Francisco do Re-
cife.
do
Di spedida
Devendo partir para a Capital Federal hoje no
paquete S. Salvador sem ter-me sido possivel
fazer pessoalmente minbas despedidas a toda'
as pessoas de michas re!a6es, venho pedir-Ibes
m'o deseo!pf ni e de ;m-me euas ordens para
all.
Recife, 14 de Setembro de H392.
Joo Jarbalbo U. Caya-lfiaote.
Tendy [de realizar se a esta
padiociro o S. P. S. Francisco no dia 1?
>do corrente, cjuvido a todos os candidatos
approvados _e irmaos novicos, a compare-
cerem; pelas 8 horas da manhl, do refe-
rida dia, em a nossa secretaria para rea
isarem suas entradas e profissSea.
Secretaria da veneravel Ordem 3* do S
P. 8. Franoisoo, 14 de Potezubro do 1892
0 secretario,
Luiz Jote da Silva Ginar&es Jnior.
eir commemora a irapressSo das chagas,
sendo este acto realisado peles 9 horas da
manha, devendo vir todos os irmSos re-
vestidos com seus hbitos.
Secretaria da veneravel Ordem 3' de
nosso|s. F-anc':seo, 14 de Setembro de 1892.
v^O secretario,
Luie 3c*e da SZwr1 Guimar3es Jnior.
Veneravel Ordem 3o do S.
P. S. Francisco do Re-
cite. *
De ordem do irniSo ministto, convido a
todos os chariBBimos irm2os a compreC3-
rem pelas 5 horas da Urde, do dia 16 do
cerreote, para assiatirmos a bsrjcSo da ca
pella-mr, imagens ltimamente encarna
das, e bem assim as vesperas da festa di
Iocsio padroeiro.
Igual convite torna se extensivo para o
dia 17, a que a veneravel Ordem Ter-
' 61.:. do Sup.*, Arch.\ do
Un.-.
Benem.-. Loj.-. Cap.-. CONCILIARIO, ao
val.'. da ra do Cabuga. Sess. .
Extraord.-.
De ordem superiac, convido a todos os Ilr. .
aesta Benem. *. Ol. para assistirem a sess.
extraord,-. que ter logar boje quinta reir 15
do corrente, as 7 horas da 'i de. na sede social.
V. Costa 18.-.
Secret.*.
.J i aaaaiag>
MARTIMOS
de
companhia PeraambncaBa
aavegaeSo
Esta companhia maoim as sega ntes linhas
alares de navegaco:
Norte tocando nos po/tos da Parahiba,
do Maco, Mo8so:6, Arrcaly e Fortaleza, partindo
i deste pono um pagete a 11 e 26 da cana mez
Sul; com escala pelos portos de Macei, Pefl
do Aracsjn, Rstancia e Babia sabindo deste
1 porto a 14 e 29 de eada mez
meado ds
do bom tra-
a bordo de
Femando de Noronha. partida no
mes
To os os paquetes sao novos tem excellenlo
acc .-moda6es para passageiros e para carga
o precos sao moito reduzidos
Os passageiros eoconlram, apar
(amento, todo a conforto desejavel
um paqoete.
Os piquetes que fazem as viagens ao Rio de
Janiero, alm de terem lado o que se encontram
oos paquetes modernos, accresce que faz a via-
gem em qaatro dias e o prego de passagens a
Ia classe 60*000.
O paquete empregado na viagem para o Rio
Grande do Sal fomente para carga, e tem s
calado adequado a entrar do porto daquelle Es-
tado erx qualquer occasio.
Recebe-se engajamento de carga por qoanti-
dade fixa para todas as viagens.
Ootrosim, a compaohia expedir paquetes ex-
traordiBarios desde que haja carga para o enga
amento completo de ompaqoete.
Escriptorio da Companhia Pernambacana
The United States and Bra-
zM. S. S. G.
O vapor Seguran ca
E' esperado dos portos ds
sul al o dia *l de Setem-
bro segoiodo depois da in-
dispensavel demora para s .
HaranhSo, s?ar, Barbados, .
Thomaz e JSew-York
Para carga, passagens encommendas e di-
aheiro a frete : trata-e com os AGENTES.
O VAPOR INGLEZ
Chillian
E" esperado de New Yi rlt al o
dia lO de Setembro seguindo
depois da demora do costume
para
Baha, Rio de Janeiro e Sanf ot
N. B.Este vapor cao toma passagei-
ros exclusivamente para carga.
Para carga, passagens, encommendase di-
nheiro a frete trata-se com 03 AGENTES.
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
sul at o dia ** de Agos-
to seguindo depois da de-
mora indispensavel para o
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Rfux do Commercio8
Io andar
CH4RGEURS REUNS
Com panilla Francesa
DE
Xa^egacao vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia., Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Montevideo
Commandante Audebert
E' esperado da
Enropa at s
dial* de Setem-
bro seguindo de-
pois de indispes-
savel demora para
Sabia, Rio de Ianelro e Mantos
Este va por entrar no porto
ftoga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vaporee desta linha, qoeiram apresentar dentrs
de 6 das, a contar do da descarga das alvaren-
jras qoalqoer reclamaco concernente a volumes
le porventura tenham seguido para os portos
lo sul, afim de se poderem dar a tempo as pro-
videncias necessanas.
Expirado o referido prazo a companhia n5n
te responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas passageiros,
s para os quaes tem exce I lentes accommodacOes
t tratar com o
AGENTE
Augnste Labille
9RA DO COMMERCIO-S
Liojd Brasilero
HeeeSo de naregaeao
DA
fiMPREZA DE OBRAS PUBLICAS NO
BRAZDL
PORTOS DO SUL
O paquete Olinda
Commandanteo Io tenente Guilhermc
Waddington
E' esperado dos
portos do sol at
dia lOdeSetem-
,bro seguindo de
depois da demo-
ra necessrria para
Parahyba, Natal, Cear, AmarracSo, Ma-
ranhao, Para, Obidos, Santarm e Ma-
no3.
As encommendas sero recebidas at 1 hora
5o tarde do dia da sabida, rio trapiche Barbosa
10 Ur^o do Corpo Santo n. 11.
Para carga, passagens, encommendas ed-
aheiro frete: trata-se com oe AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O paquete Alagoas
Commandante A. F. da Silva
E' esperado dos
portos do norte
eo dia l do cor-
rente, seguindo
depie da demo-
ra necessaria para
Macei. Baha, Espirito-Sauto e Rio ds
Janeiro
Recebe carga a baldear no Ro de Janeiro
para Santos, Canana, Iguape, Paranag*, An
:oiina, S. Francisco, Itajahy, Santa Catharina
Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre.
s encommendas sero recebidas at 1 hora
da tarde do da da Bank!a, no trapiche Barbosa
no largo de Corpo Santo n 11.
Aos Srs. ca-regadores pedimos a sua attenca)
a&ra a clausula 10* dos conbecimentos, que :
No caso de naver alguma reclamaco contra a
o mpanhia, por averia ou perda. deve ser feita
y>; escripto ao agente respectivo do porto ds
descarga, dentro de tres dias depois de fiaali-
o procedendo esta formalidade a companhia
ftca isenta de toda a respenaabilidade.
?ars passagens, fretes e encommendas tr
6 : cem ca____
AGENTES
Pereira GarneiroSs. C.
SmRua do ComxeTciom)
- le andar


wmm i
a
asa
^------------^-, .....


:**A

r
t
CoipanMa Tfigoriffca Pastoril
Brazileira
Vapor nacional Venus
E* enerado t o
d a 16 do corrale
dos portead cor
te seguiodo de-
pois da demora
necessana para
Macei, Babia e Ro de Janeiro
pitra onde recebe carga.
Estes vapores lm exceltentes accommodaces
para passageires de i* e 2 classe e eao illum
nados a luz elctrica.
Para passageiros, carga, encommect'as e va
lores trata-se com os
AGENTES
Amorira Irmaos Sf C.
Ra do Bom Jess n. 3
Diario de Perns-^bueo Quinla-feira 15 de Setembro de 1892
na liM-
Femando de JWfifiha
O paquete Beberibe
Commandante 1 tenente Fabio Rio
Segu no dia 15 de Se
tembro as 4 horas da tar-
de.
Recebe carga, ama*
ImendaB, pafssagens e di-
nheiros frete, at s 2 tioras da tarde do
diada partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Pernambucano
n. 12
.EILOES
Quinta-feira, 15, deve ter lugar o segundo
e ultimo leilao das casas os. 17 e 19 da ;ua do
Jasmim, servindo de Dase a maior offerta ob-
tia.
Sexta feira, 16, deve ter lugar o lailao de
movis, no sobrado da roa de Marcilio Dias n.
65, outr'ora roa Direita.
Sabbado, 16, o de livros de medicina,
erros cirurgicos e movis, no armazem da ra
do Bom .'esas n. 45.
Segundo e ultimo
Leilao
Das 2 casas terreas novas de ns. 17 e 19, roa
do General Seara, out'ora roa do Jasmiui, nos
Coelbos, cada urna com 30 palmos de largura
80 de comprimsnto, e 125 palmos de terreno n
quintal com um grande telbeiro.
Um terreDo junio as mesmas casas com 266
palmos de frente e 300 de fondo at beir do
no, com pequeas casas oo quartos de taipa e
telbeiros.
Quinta-feira, 15 do\corrente
\ s 11 horas
Agente Pinto
Na officina de carros do Sr. Carlos de
ming, nos Coelhcs
Em continuac,ao
Vender o mesmo ag-nie urna macbina de
fgrar, redas para carros, 4 baa e, ferramentas.
teboas e accessorios de cflkinas de carros, em
lotes, a vontade dos compradores.
Leilao
De movis, piano, espelho, porcelanas,
loujas, vidroa, trem do coainha e diver-
sas plantas em vasos.
tultila feira, 15 de torrente
As 11 horas
Na casa sita a ra do Visconde de Goyan
na n. 4 (antiga roa do Cotoveo)
CONSTANDO :
De 1 mobiliade juncofeomiz cadeiras de guar-
Dic&o, 2 ditasde bracos,! sef, 2 cousolus com pe-
dra, i piano, 1 espelho oval, 3 jarros com plan-
tas, 1 candieiro, 4 jarros para flores, 2 escarra-
deirae, 1 tapete para sof, 4 etageres, 1 marque
qaeeao largo, 1 dito estreito, 1 cama para meni-
no, 2 bancs com -gavetas, 6 cabides de parede.
1/2 commoda, 1 santuario, 1 jarro e baca de
porcelana, vasos para lavatorio, 1 guarda louja,
1 mesa elstica de 3 taboas, i aparadores, 12 ca-
deiras de junco, 1 quartinbeira de columna,!
cadera de junco alta para menino, 1 dita para
dito, 2 estantes, 2 mesas com gavetas, 1 lavato-
rio de ferro com baca e bacia d'agata, i appa-
relbo de porcelana dourada para cha, lung;is pa-
ra almeno e ja&tar, garrafas, copos,clices,cam
poteiras, galbeteiro, pratos de vidro, fructeiras.
porla-gueijo, taiheres, pilts, laxo de cobre,
jarras, trem de cozioba,J2 barris com plantas e
muitos outros objectos de casa de familia.
O agente Gaemo, auiorisado pelo II!m- Sr.
Andr PorPrio Delgado que retira-se com S
Exm. familia para o Estado -de S. Paulo, far
leilao do3 objectos cima declarados._________
Agente Filveira
Terceiro leilao definitivo
Das dividas na importancia de 101:4 8tJO40
Qnlnta-felra, 1 do corrate
As 11 horas
NO ARMAZEM A' RA DO IMPERADOR N. 39
O agente Silveira. por maneado e com asi-
lencia do Exm. Sr. Dr. juu de direito reciproco
da provedoria, requenmento d.1 inveotariante
do acervo de Joaqun Maooel Ferreia de Souza,
levar a leilao as referidas dividas, conforme j
foram publicadas.
Leilao
De taboas, rodas para carros, correles, rolulas,
macacos de ferro, bancos para carpina, ierra-
mentas, serrotes, grampes, laucas, varaes, ca-
valetes, 1 macbina para furar, armacio de
carrosas, rarafusos, vdros, varrumas, 1 espa
gaMa, 1 sellim e seda psrtences.
Qulnta-feira, 15 de Setembro
A'8 11 horas em ponto
Agente Pinto
Nos Coe no--, officina de Carlos Reimijo.
Ao meio dia em ponto sero vendidas as cuas
casas e terreno junto servindo de base a maior
offerta obtida.
Agente Oliveira
, Leilao
Da casa terrea n. 27 do becco do Poci-
nho, fregueaia de S. Jos
Sexta-reir 16 do correte
A-11 horas em ponto
No armazem ra da Imperador n. 39
O agente cima, por mar dado e asistencia do
Exm. Sr. Dr. juiz de orpnos e ententes, a re-
ijucrimeotu ao tutor dos menores fiibos do fina-
do Diontzio Dias Horeira Leite levar a leo a
cas-, cima-
OsSrs- preteadentes desde j podero ir exa-
minar a referida casa.
Leilao
De duao casas metas aguas e movis
Sendo : duas casas meia* aguas na ra da Pal-
ma ns. 9 e 9'a rendeudo 8 mensaes.
Urna motilia de jacaranaa com Umpo de pe-
dra, 1 ptr de jarrop, 1 dito de lanternss, 2 ca-
detrae de bataneo de marelto, 1 meia redonda,
1 sof de amareilo, 2 consollos de dito, 2 camas
franeexas, 1 cabide de columna, 1 lavatorio de
amarello e 1 meia commoda.
Urna mesa de jaotar, 2 aparadores de colum-
na, 6 cadetras de juaco, 1 sof de raz de ama-
rello. 2 cadeiras de braco, diversas lonjas, vdros
e mullos outros objectos de usa de urna fami-
lia.
Sexta feira, 16 do corrate
A's 11 horas
Na ra do Visconde ce Alnoqu.'-rqne n. 110
antiga ra da Gloria
gente Manos, competentemente auipri-a-
do. far leilao de duas casas meias agoas e-dos
movis cima desenptos, os quaes sero vendi-
dos
Ao correr do martello
Agente Pinto
Leao
DE
xwxo*voexs
Sexta-feira, 17 do correte
No sobrado da ra de MarciliosDins n. 65
(antiga Direita)
A SABER:
Urna mobilia com um sof 2 coasclos, 2 oa-
deira8 de bracos e 6 de guarnicSo, 2 cadeiras de
balan jo, urna ostra com um sof, 4 cadeiras de
brajos e 8 de guarnijao, 1 cadeira de bataneo,
3 espelhos douradoe, 7 quadros, 4 ettageres, 1
candieiro a gaz, 4 jarros, 1 relogio.
Urna cama fraoceza, 1 commoda, 1 guarda ves
'idos, i marquezJo, 1 cama de Ierro para meni-
no, 1 dita de madeira, 1 lavatorio, 9 cabi es, 2
cosolos, 2 cadeiras de palha.
Urna mesa elstica, 2 guardas mujas, 1 sof,
12 cadeiras, 1 relogio. 1 apparador, 1 espriguija-
deira. 1 mesa oval, 4 quadros.
Un banco de marcinei-o, ferramentas, Iba
langa Romo com 2 brajos coocha e pez03, 21
gaiolas de torreo e outros trovis
O agente Pinto auiori3ado pelo Sr. Joo Coim-
bra da Silva, que retira se para o sul, taz leiln
por iniervenjao do agente os movis e mais ob-
jectos existentes no sobrado da ra Direita n. 63
Principiar as 10 1|2 horas
Leo
Da aoca n. 4 da ra do Baro do Triumpbo ten-
do 1 porta de frente com 2 pequeas casas in-
ternas, 1 telbeiro coberto de zinco, lodo mu-
rado, tendo 2 lerjas partes aterrado e 1 terca
parte alagada, com urna grande grade de ma-
deira, no fondo, mediado 13 metros e 10 cen-
tmetros de largura e fundo at a baixa mar,
conbecida por Dota do Dantas.
Sabbado, 1 7 do corrento
A' 1 hora da tarde em ponto
No armazem ra do Bom Jess n. 45
G agente Pinto, legalmente aotorisado, levar
a leilao o terreno cima mencionado ra do
Brum n. 4. conbecido por Doca do Dantas, 1
ora da larde do da sabbado 17 do corrente.
Cfcogaram
ato Duque de Caxias n. 61
LOJA DAS
LISTRAS ZOES
Estabelecimento de
molhados
Vende se o bem montado eftabelecimento de
seceos e molhados. ra da Concordia n. i ; a
tratar no escriptorio Commercisl, rna Duque de
Caxias n. 72, 1- andar.
Exames de preparatorios
Arithmetica de Trajano. livros e gVammatic
de JoSo Ribeiro, grammatica allem, franeexa,
etc., encontrase na
PAPELARIA AMERICANA
Q ic tem um completo sortimento de livros de
instroceau primaria e secundaria, livros em
branco para significados, notas, etc.
Ra do Impeador n. 79
Leilao
De livros de medicina, ferros cirurgicos, e cais
xas com ferros
Sabbado, 17 do corrente
De meio dia a 1 bora da tarde
Agente Pinto
No armazem da ra do Bom (Jess o. 45
Per oceasi&o do leilao de cm banco de traba-
Iho, ferramentas, pea de ferro para mezas, rodas
perttncHs e arames para machinas elctricas, e
diferentes meveis.
Urna grande e ezcellenle meza elstica para 60
pesaoas, machina para lavar roupa, espremer e
enchugar.
AVISOS DIVERSOS
Precisa se de um copeiro ; na ra do'
Apollo n. 8. ________________
Anua Valeoca do Reg Mede.ros. tu tora de
sua filoa Anna Medeiros, tendo de substituir &
apolice da divida publica peral c. 10.128, jeros
de i /,, emisso de 1880, por ter-se desemeamt-
nbado, vem faier publico por meio da presente,
afim de obitr dita sobstituijao pela repartijo
competente. <^
AMAPrecisa se de urna para casa de fa-
milia; na ruada3TrlDcbeirasn_28_^_^^^_
CRIADO ; trati se na ra Nova numero 38,
ioja.
Vende se ou oypotfteca se urnas trras em
Boaviagem, com fructeiras, monos peis de co-
queiros ; a tratar ne ra Imperial n. 6.
Precisa se de urna ama para engommado e
servijo interno de casa de pequea familia, pre-
fermao-se que nao saia ra.
A tratar no largo da antyp assembla n. 21.
Compra-se um gnnde sitio com bastantes
ierras para plantajo de canna, perto da cidade:
a tratar na ra da Mad e de Deus n. 10.______
Aluga-se urna boa casa na ra de S. Bento
n. 8 (Olinda) ; a tratar na rna da Cadeia n. 35.
Vende-se a verdadei*
ra cal virgem de Cotumguba
para fabrico de assucar no
armazem da ra Duque de
Caxias n. 6.
Feitor
No sitio n. 5 da estrada de Joo Feroandes
Vieira, se precisa de um homem que entenda de
servijo de sitio.____________
Palha de carnauba
Vende-se a 500 rs. o ceBto : na ra do Pires
numero 31.
Fabrica $ lavas
DE
Roa Baro da Victoria n. 63
Loja de quadros
Madame Oerard avisa aos seas ame-
rossimos fregaeses, que recebeu da Paria,
an grande e variado sortimento de palli
oas de chovreaux, de primeira qaadade
dea castor etc.. et<>.
Fabrica* de gelo
i^eas e limonadas gasosas
todas as qnaiidades
Soda water, ginger, ale, limo, laranja, aira.
?ao, abacaxis, granadina, grosellas, ranbols*--,
unllha, bortel-pimenta. etc., etc.
12-ACAES DO OPIBARIBE-12-A
Ca,l de Jag-uaribe
A eompanhia exploradora a productos calca-
reos, nica productora da cal viraem e Jagua-
nbe para o fabrico de asencar e da cal branca
para caiajo, estuque, guarnijap, etc., etc., ten-
do sciencia de que os seas productos tem sido
fiudolentamenie (alsicat os. misiarandu se cal
comprada companhia com outra de inferior
juajidade e dndose Iba o i.ome de Jaguanbe
previne ao publico desta falsiticajo, e r,.gi aos
seos numerosos con.-amidorss de mandartm
ci mprar os verdadeiros prodnetos. r.o armazem
da companhia, caes do Apollo n. 73, Recito.
Precisa-e de orna ama que saiba co.-l bar:
a tru.ii no pateo do Parauo o. 12.
Madeira de pinhc
Em ripas e barrotes, pre-
sos sem competencia ven-
de-se na ra Duque de Ca
xias n. 68.
Azeite puro de Oliveira
Em latas de 1, 2 e 4 litros.
Receberam
GUIMARES & VALENTE
e 4 Praca do Corpo Saoto 4 e 6
A Boa F
Ra da Imperatriz n. 78-A
Caixas de envelopes tajadas a 4 0 rs. urna.
A Boa Fe
Ra da Imperatriz n. 78-A
Grande sortimento de bicos, broncos, creme o
de cor, fitas e bordados.
A J*oa F
Ra da Imperatriz n. 78 A
Capotas e cb peo3 psra secboras e meninas,
de 5 a 8 um.
Frevine-se
Aos seaaores proprietarios de fabricas de ci-
garros que o especial papel para enmassar ci-
garros e charutos, encantra-se ni
PAPELABU AMERICANA
De Hugo fc Vascoocellos
Ra do Imperador n. 79
Ed Kamitez
O verdadeiro papel almajo dessa importante
ab.-ica austraca, vende se por preco mdico na
PAPELARIA ..MER1CANA
Ra do Impeador n. 79
Aluga-se
ou vende se urna casa de pedra e cal com terre-
no proprio, em Agua Fra, prxima a estaco do
Arroda ; a tratar na ra do Imperador n. 79,
1- andar, ou ra dos Coelhos n. 9, defronte
do H jspita, Pedro 2.
- _
Aluga-se
Urna casa com bons commodos para familia,
rna de Fernandas Vieira o. 60, tem agua en-
saada : para vel a est a chave na de n 62, e
c tratar na roa Baro da Victoria n. 3.
Noticia
Cbegou grande remessadts importantes agoas
das Pedras salgadaPortugala maia medici-
nal de todas as agoas coonecidas, muito agr
davel no paladar e propria para ser osada em
QwfMt eec*e, simples ou com outra qoal-
quel bebida, especialmente cem vlnho.
Deven ser preferidas a outras de que actual
mente fazem is3o e que em veral o falsificadas
e prejudiciaes saude.
Estas verdadeiros e maravilhosas agoas acom-
panbam livros das analises medicas e completa
expllcajo de suas ricas propiedades e podem
ser pedidos gratoitiment as casas que vendem
ditas aguas e que sao as seguinies:
Recife
Dias Fernandes 4 C.-Travetsa da Madre de
Deus.
Antonio Mello fe C- Roa do Mrquez do Olin-
da.
Pesua dos Santos & CRa do Bom Jess jon
to ao C. G.
Santo Antonio
Adriano Maia & Rodrigues.Ra do Imperador
n. 28.
Casa ae Refeije?.Ra Larga do Rosarlo.
Jos Feroandes Lima & C Roa do Baro da
Victoria.
Lopes Magalhes.Ra da Penha n. 8.
Boa Vista
Vasconcellos Sobrinho & CJunio a estajo de
Olinda.
* Aluga-se
O 2 andar do predio n. 56 rna Duque de
Caxias ; a tratar na loja das Estrellas.
Aluga-se
O grande sobrado da roa CapitSo Antonio de
Lima o. 30, onde foi o escriptorio da Estrada
pe Ferro Sul d3 Pernan buco, com commodos
para grande familia, com agua e gaz ; a tratar
na roa Marqoz de Olinda n. 8, lithographia.
Attencao
Precisa-se de um socio com algum capital
sendo prefenvel portngoez de bons costnmes'
para entrar de socio em urna taverna na roa Im-
perial n. 156, e sendo que faja bom capital far
se ha maiw convenienca ao dito!
AVISCT
Vende ee ou arrenda se um terreno de mil
palmos quadrados, sito n'Agua Fra, estrada oas
boiadas, terreuo desmembrado do sitio do core
uel Hftneterio Velloso da Silveira, perto da esta-
io ; a tratar na roa do Ho3pic'o n. *o.
Co8nheira
Precisa-se de urna mulber que cosiobe bem e
durma erji casa dos patres ; amada Uulo
numero 8.
u Paradis des Dans
Novos cOries de vestidos de eda, fS, cam-
braias bordada, lecidos de algodo, cam
braijs de pbantasia.
Espartilbos de setlm e de brim. leqoes de
plumas, gaze, ventarolas, bicos de seda de
cores, andaluzes de seda.
FranclNco Jo da silva Braga
Maooel a i ves Lopes e sua mulber Anna Julia
Barbosa Lopes maodam rezar urna missa pels
olma de seo prezado amigo Francisco .'Jos da
Silva Braga, qointa-feira 18 do corrente, s 7
horas damanb, na capella de Santo Amaro das
Salinas, stimo dia do eeu passamento ; para o
acto convidam prenles e amigos seos e do fal
lecido, e a actual me-a regedora da mesma ca
pella cima, agradeceodo a todos a preserja
para o acto de ro'ieiao e carldade.
Sobretodos impermeaveis,peit08 com pre
gas, camisas, ponhos. colariDbos e perfuma
ras dos melbore* fabricantes, meias de se-
da, fio da escossia e algodo.
t.ta
i
E-teira da India, brancas e de cores, ta
petes em pejas, guaroij6es de tapetes fe
carneira, almofadas ricamente bordadas de
ouro. ,'
Emilia severiana tome iteves
Galdino Rodrigues Esteves e seos fi-
ibos. Mane i-I Antonio Gomes, sua mu-
ther e seus fiibos Maooel do Carmo Ro-
drigues Esteves, st>a mulber e seus
fiibos e Lupiciano Esteves, agradeccm
a tudos os seus pareles e amigo-t que se digoa-
ram acompanhar at ao crmiterio poblicj os
restos morues de sua sempre lemb ada esposa,
mfii. furia, irm. ora e cunbada, Emilia Seve-
riana Gomes Esteves, e de novo cjavidam os
mesmos aass'siirem as missas ce -e ;mo diaqoe
por alma da finada ser&o celebradas no ?abbado
17 do crreme, na 'greja de N. S. da Conceijao
aa Congregajo, s 7 1/2 horas, as ierejas de
S. Jos da Boa Eiperanja e da villa de Gamel-
leira s 9 horas.
Convictos de que tolos assistiro a este acto
de religio e cndale, desde j se confessam
t-ummamente gr>to*. _______
S8-SA BASO TA VICT0SIA-S8^
Telephone59
Vende-se
Urna macbina de filtrar, ums mnebina de fazer
lijlos, de difTareotcs formatos, e nma machina
de fazer teltias, 'odas novas e perfeitas ; a tratar
na roa do Bim Jess n. 62, arm>zVn.
Criado
Precisase de um menino de 14 annos para
criado ; a tratar no paleo de S. Pedro n. 1, prl-
meiro andarl
Precisa-se
De urna senbora de nacionalidade portogoeza
para fazer companhia e ajodar em alguns servi-
jos domsticos a rus. familia composta de duas
pessoas, n'um engenbo perto de Agua Prea.
Offerece-se grandes vantagens : quem preten
der achara com quem tratar na ra do Livra
ment n. 32.
Costureiras
Na fabrica da companhia Industria de Chapeos
i ra do Visconde de Goyanna n. 147, precisa-se
de costureiras e paga-se bem.__________^^
Alugam-se
as seguintes casas:
Ra do Capito Antonio de Lima n. 20, com 3
quartos e 2 sal
Roa da Fonmjo n. 10, com bastantes commo-
dos e com agua.
Ra do Capito Antonio de Lima n. 16, co-_
commodos para grande fami'ia.
A tratar na ra Mrquez de Olinda n. 8, litbo-
grapbia.
Moedas brasiieiras
Compra-se de 500 rs., UOOO, 2*000 no cectn
da^moeda na ra do Cabug n. 9, loja da As
gosto do Rege.
Libras sterlinas
Vende-se na loja de jolas de Angosto Rr-
na roa do '.aboca n. 9
jfatacoes
Compra-se de todas a3 najOes ; na roa do Ca-
bng n. 9. loja de Augusto do Reg._________
Gosinheira
Piecisa-se de cosinheira ; na ra do Impera
dor n. 17, segundo andar
t
redro ^avlenme de Aioujo
D- Mara Francelin da Gonce joe seu.
fiibos, asss compungidos pelo prematu-
ro passamento de seu Tejado filho e r-
mo. Pedro Cavalcante de Araojo, coavi-
dam aos srua parete) e amigos, e aos do Uado
para assistirem as missas que em eua intenjio
manaam celebrar no da sexta-feira 16 do cor-
rete mez, stimo oo fallecimento, na groja do
convento go Carmo desia cidade. na matriz da
E6Cada e na igreja do engenb T bjcas._____
Bazar Pernambucano
Fabrica Meteoros
Os abaixo assignados proprietaros da
acreditada e conhecida FABRICA ME-
TEOROS, em attenjSo ao respeitarei
publico e especialmente aos seus incume-
raveis fregaeses, vem porticipar-lhes que,
em conseqaencia do augmento que fiso-
ram, no salario dos operario* do sen ea-
abelecimento fabril, resolveram elevar
(ljJKKO) em milheiro de cigarros de todas
as marcas manufacturadas do sea esta-
belecimento.
Assim deliberaram por verificareis que,
para conservar i'Ieso o crdito dos seos
cigarro8,"seria preciso harmonisar a a-
oenjSo do preco, com a snperioridade da
manipulajo, pelo que, preferiram maoter
o crdito dos meamos, manufacturando-o
com mat"ria peima sdpebioe, a ter de
;mpregal-a inferior sem elevar o prefo
dos seas productos, tmente com o intuito
de maiores lucros.
Procedendo dest'are, esperam que seos
bons fregueses continuarao a deBpensar a
honrosa confianja, com que sempre des-
tinguiram a FABRICA METEOROS.
Ra larga do Rosario a. 30.
22792.
Joaquim B. dos Res & C, Suceessorw.
Vende-se
o deposito de seceos sito ra das Cntolas -
6 (Caponga) com pesos, balaoja e medidas ; a
ratar no mesmo.
f
i
Yende-se
7, bem
dir m
t
Viaconde de B. Francisco
Perelra Carneiro & C, tt-ndo de mandar
rezar missas por alma do seu prezado
amigo o Exrr. ViscoDde deS. Francisco,
fallecido ca Capital federal no dia 10 do
corrente, convidam aos seus amigos e aos do ti
nado assistirem oitas missas que tero lugar
na matriz da Boa Vista, do da 16 do corrente
(-exta feira) s 8 boras da msnb, setime dia do
. cu infausto passamento, pelo que se confessam
agradecidos.
Ama
Precisa se de urna ama de meia idade sowente
parotcosinbar ; na ra to Padre Nobrega n. 22,
antiga Alecrim. ______
Anta
Precita se de urna ama para comprar e cosi-
nbar e que durma emeasa dos patres, ra do
Coronel Suassuca n. 149.
Ama de leite
Com urgencia precisa-se de urna ama de leite;
na ra do Hosprcio n. 30. _____^^
Ama
Precisase de urna ama para cosinhar
tar na ra da Amizade n. 1 A, Capunga.
a tro-
Ama
Precisase de urna ama para eegommado
ra Nova n. 7, 2- andar.
m
Ama
Caixeiro
Precisi-sede um caixeiro com pratica ; na ta
verna ue Jerooymo, junto a matanja, no Ar-
raial.
Farinha barata
Vende se no largo do mercado n. 12, a 410
rs. a cuia, em saceos broncos a 54800 com 42
kilos.
Vivam os noivos!
COSTUMES
de Casaca /- > *
de Crois S =1 5
de Frack da Paletot i[ 3
de brins ^S c s-
Preeisa se de urna ama para todo servijo e
qu? d fiador sua coeducta ; a tratar na iu
do B'um n. 63, taverna.
Ama de cosinha
No sitio n. 5 da estrada de Joo Feroandes
Vieira, se precisa de urna cosinheira que seja
bel.
A taverna sita & rna da Santa Cruz n.
afregoezada, e o motivo da veeda se
comprador. ________________
Mant iga igleza de primei-
ra qualidade
DEPOSITO
Armazem Central
RA DO CABUGA' 11
Joaquim Christcvjo & C
MARAV1LKA CURATIVA
DO CE^ETBE
Or. Humphreys de Nova Yorl
A Verdadera Waravilha do Seclo-
APPEOVADA E LICENCIADA
pr!r. Inspcctoria floral do Hys-^ne d>;
Imperio to Brnzi'.
A No> jera a; Pisaduras, Machucaduras. Ooniu~s, 1.ir
aeduras. Cortaduras, ou Laceracas. Alllvla a dor
o**jnca o mangue, taz parar a fnjimma-,-!u. n-Uu.
i. luctiagao. tira o descoramemo, e faz sarar a crida
como >jrencar.-o.
A DlanTlI'Ht Curativa t aUrrloprompro*
cura rpida para vu<*lniadiras, l->caldadur.j.
Vfiu-lmadura do Sol, v 6 auperlor a qualqucr oue
remedio,
A Marnvillif. (nrn:iTn lmpogs'^elJKB\
4os I'uimC^s. do Elomauo. ou as H*m rrholuiBO*.
Almorrelmascurasempreo nunca falbu-
A iVIaraTiibr- l'uraiiTnumalUTlopmmplc
par Dor de DeilMS, de Ouvld^ da Face, iiicnaoic
da Face e Stoi ralgla,
A niarnTl?>iR C'nrHtlTaon>cur>.promt*;
f preclo*j iniia DQRfl rli.uuialicas, jVlrijuo. iXr*
Bfehlez nas Junta ou remas.
A Mfcieviiha CnratlTa o mande rmedu
prj-a F-s.iiilmn.-ia. Ar.flia, ..av.-iinlas .-nadaso;.
Inflamniadasseuipr seguro, M-inp.-e enicai.
A Marnvilha Coraelva de multo ral
como btjsccfto para o Catano, a t^-ucorrlH.a ou 9
Flores Braceas, e outros corrimentos del.jutantes.
A NaraTllha f'araf Iva Impngaw-1 r
curai- Ulceres. Clacos l iii^ni, Apostciias. Pauar.
"tos. Callm. Fr'elra? Jo-uietes e Tumores.
A Maravllho CnvntlvnreinedioproirFK
^ara DlarTtie? s...-.pies.ede Dlnrrhfc3chronli;a.
A Marnvilfan Oorallva 6 .iccnente na.
Estreliai-ias = avaHarS-a, pan rorccduras.^D'ire
Piadurar.c^sfolaIuras.Coatu-O-'S.Lacora'.-oes.t:.


y
Ama
Os trez risos
Aromatices e delicie sos
Precifa Be de uwa ama para comprar e cosi-
nhar, e que durma em casa do patro ; na ra
do Lvrameato n. 34, loja.
Medicoes de t- ra
O eagenbeiro C. C Carlin contina a encarre-
gir se de medicoes de trra, levaotamento de
plantas topographicas. niv llamemos, projectos
de parques, jardini), chalet, etc.; na ra da Ala-
laia na cidade da Eacada.__________________
Ao publico
O abaixo assignauo faz sciente ao publico e
especialmente ao commercio, que oo da 2 de
Agosto do aono de 1891. admiti oumo socio em
seu estabelecimento o Sr. M noel Josquim Bar
reio de Gusmao, passando a gynr a rirrua social
desta data em diante sob a <-avo de Mancei An-
eiras & Guimares. qus ficar obrigad* pelo
activo e passivo da extincta lirma ce Mancei
Francisco Angeiras.
Povoado de Preguicas, 12 de Setembro de
1892.
Manoel Francisco Angeiras.
Sspeodadss do Er. Hunsareys.
Bcnedtoe r.speciico,
.umi.nio MaraTilbfiMii
Kenirdios ^yptiilItlcoM,
I :,-.:*', ios Veterinario*
O Vimi-al do Dr. Humptirers 1 paginas sebrea
Ecf^rr.ild..1es e niodod.-cural-ase djgratls. ped
se ao seu Votlcarlo ou
nUMPHKEYS' MEDICINE CO.,
iOS; llM r-tveet. NEW YORU-
UNICOH AGENTES
spara renda en gromo em fml-
n&abnco
aria Sobriuhc & C.


Pw&ntcha
A 8|000 a pega
Peas i" -"-bita chmeza padi(5es (icckx
com 12, 14 e 15 jardas por 84000
peca.
NA LOJA CO CAMPOS
Kua do C respo n. 21
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro de 16 18 annos,
que teobi bastante pratica de molbados, que d
rJanca de sua conducta ; na trave3sa do Pocinbo
numero 7.
Prevenco
i
Os senbores logistas nao devem comprar papi 1
de ^mbrolho. liso e de cores, f em visitar ?
PAPELERA AMER CA.NA
Onde encontraro um completo sortimento de
papis e enveloppes commeroaes.
Pregos baratissimos
Ra do Impe-2dor d. 79
Quem quizer
Vendem-e perus sevadus e gallinbas enrdas,
para casamentos e baptizados ; nos Alliictos,
efronte da t .verna de Augusto Leal.
XX.
BoaF
Ba da Imperatriz n. 73-A
Grande sortimento de botina? para senbora a
2J500 o par, leques de setim a 3 nm.
XB
oa De
Ra da Imperatriz d. 78 A
T. m para vender velas e bugias de cera.
" A Boa F
Raa da Impe.-atrz n. 78 A
Placas para numerales de casas, iodos os n-
meros.
Vende-se
Grande porcao de taboas de pao carga e ama-
rello, por preco sem competencia ; no armiem
de materiaes no cats 22 de rio'tmbr n. 14.
Feitor
Precisa-se de um feitor que entenda de jar-
dim ; em Santo Amero das Salinas, junto a igre
ja chcara do portao encarnado, do lenente-coro
uelFr ncisco Botelbo deAndrade.
Taverna
Vende se a taverna do paeo da Paz n. 9i, em
A'ogados : a tratar no mermo legar n. 96.
Criada
Precisa s. de urna criada para pentiar urna
eenbora e que 'ana corlar e coser ; na ra de
RiacbuellOD. 51.
Caeaem Olinda
Aluga se a de n. 29 rna de Bomn'm, com
boas commodos para grande familia; a tratar na
me.-ma, ou na ra do Apollo n. 8. 1 aodar
Kerosene lnexplosi/el
V ndera
Fonsttsa Irmio

t
Bom emprego de ca-
pital
V'nde s urna nropriedade de trras sita em
S. Jos da Lase, Estado de AUgoas, com a de-
nominato Varita Bonita.
Ecia propnmi.de tem as melbores condicOes
para qualquer estabelecimemo agrcola, nao s
pela esteosfio oo terreno todo uverno, como
passa e tem nelie sua esUco e-trada de ferro
que liga este quelle E-tado, alem de qae. devi
de com a velba de S- Jos da Lage, e esta dan-
damente demarcado judicialmente.
Para informacOas naquella villa, o Sr. Jos
da Costa Fonseca, conbecido por Zamba Maz&rio,
no Recife ra Imperial n. 31, e rna dos Guara
rapes n. 74. _________________^^
Caixeiro
Na praca da Iadepeocencia n. 27, loja de cha-
peo, piecisa de ora menino qae d conbecimento
dt sua conduca.
Criado
Precisase de um criado a tratar na ruada
Amnade n. 1-A. Cpunga.
Exposi^ao de retratos
A craion e oleo com moldura ; na loia das Ir 58
Listras Arces roa Duque de Casias n. 61.
Ao Toreador
Novidades e preces baratos
PARA LIQUIDAR
Lima Contioho Sf C.
Propritarios deste muito acreditado es-
tabelecimento resolveram fuzer urna liqm
da9ao geral nas suas f;.zen< an, vem por
este meio pedir s Esm&s. familias e
todos ob seus reguezes fazer-Ibes anta
vnita ao sen estabelecimento que encon-
traro um completo sortimento o qae ha
de mais chic e moderno que se tornan
enfadonho de mencionarse
43Roa toqne (Je Caxias43
Pernambuco
----------------------A;-i-----
Cento por cento
Cautellas do ^Vloflte de
Soccorro comprarse coEi;
100 ej0 cima da avaliacao
OB relojoaria Vern3rt
Ra do Barao da\Victoiit
m


uto-
)

^^
TF77T

<



i
..-.
-=
)
*.
^ ^
---
"IB9 '. *.
Hario de Pernambuco Quinta-eira 15 de Setembro de 1892
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scientitca*
' pliysiolopr/ieas para o fim de
'Aeuclieiar os cabellos, restaurar
a edr, iisipedir a queda, e promo-
ver sen vi^o e abundante crescl-
Aiento.
Ssta apurada e excellente prepararse.
-*m duviila o melhor remedio at hoja
.ouhecido para os diferentes defeitos da
.-abolladura, merucc a intima attencio de
odaa aa pessoaa que tm tido a bul
de perder em parte este mala rico
filamento natnral da puysonomia.
10 seu emprego intelligente tem-sc
egukto resultados realmente sorprec-
Bn muitos casos, porra sia
;emente.
. :ire se consogue fazer pacar a jue&
tbel'.os; cmquanto que paraopeiitea-
1 sinhoras, o objecto mais ut
a^radavel que se pode empregar.
PREPARADO TELO
DR J. C, AYER & CA,
Lowell, Mass., Kst.-l'ni enda as lejas de annarinho e per-
I .".ruis
DEPOSITO GE3U?
Se^as brancas, pretas e de
cores
Novos psrlroes 0 para grande escolha,
sendo despachadas oestes ltimos dias.
LOUVRE
jhapos e capotas
Ultimas r.ovidades de Paria receben i
Loavre_________
apas, jersey s e visitas
fcrosics ioteiramente novos acaba de re
A LA HEINE DES FL.E JR
Ramaltietes Novos
L T. P/VEfm PARS
Mascotte
PERFUME POETE-BONHEOR
Extracto de Corylopsis do Japo |
PERFUMES EXQUISITOS :
Bouque Zamora Aliona du Bcngaio
Gydonia de Chine
Stephaci?. d'Australie
Helfrotrope Mano CiardeT=
Bouquet de l'Amiti Whita Roso cf Kesanlik Folylor oriental'
Brise da Nioe Bouquet ce Reino des Prs, etc.
1 :-. 'M
m
ESSENCIAS CONCENTRADAS(' B&.") GALiDADE EXTRA
eTjjsitoi ^as princiuaes Perfumaras, Phartaacias e Cabsilsi-siros w '.....**
TNICO
ANALEPTCO
RECO^STTINTE
O Tnico
mais enrgico que devem
em prtgar os ConvaUscentes,
as psssoa idsas,
as Uulheras, as Criancas dbis
e as Pessas
tracas de Ccnstituicio.
com auiNA
SUMO DE CARNE
PHOSPHATO^eCAL
Com posto
com Substancias necessrias
e ndispensaveis na
formacao e no desenvolvlmento
da Carne
muscular e dos Systemas
nervosos e ossosos.
OVlNHO DE vial e a.MSQClcSo feliz des Me itcamento* mais activos para combator a A.oemla,
aCblorose, aTiica,aDyspci)sia,asi,i;-ira|ji,.soi Gastritis, .1 Din rhiia atnica, a Hade critica, a
Depsitos ea Pernambuco: FBAN" M. DA SILVA & O* e em UJu is Pbiniuciis e Drtjariis.
Mber
LOYHE
-ostumes para cranlas
3 todas as idades oncontra-se grande
rfeeato no
JLouvre
Qbjeetos de gosto pare
presentes
B >z3Bte artigo grande escolha no
LOUVRE
serrJ
THEBI
fEDSCO ci
LOCH
O MAIS 8BN8IVEL DE TODOS OS SYSTEMAS CONHECIOOS
1
TotfM BIM InstramaOtoi l*tM
mam asalfl natura :
PARS, 1, ra da l'Entrept, 2, PARS
so EaratnaEisu, cu todas as pethcipaes casas. I
jdk&*dck&j&ck
lepes e chapeos
de sol
Dt phantasiaB ccabam de chegar para c
LOUYRE
Esteiras da India
Branca e de fantasa de novos desenho
-ara farros de soalho, completo sortiment
o LOVE
Francisco Gorgel i Irmo
Ra Io de Marco n. 20A
________TELEPHONE 158__________
cortes de l,linho, seda
e algodo.
Ricamente enfeitados, tem recebida al
nazaente
LOVIE
TBCIDOS DE PHAN-
TASIA
Sepdo mpossivel de se descrever
jtaric v-anedade de tecidos de diversa
^uaii!kde3 proprios para a estacSo actual.
Boet-se t>o publico em gtral e principal
bens s Ezmas. familias a finesa de vi
titaren o
LOUVIE
Roa 1/ de Mar^o n. 20 A
Francisco Gnrgel lriuo
TELEPHONE N. 158
ApaMeta B Carmelitas
TJnico Successor dos Carmelitas
14, Ba de V Ablu ye, 14
CONTRA:
Apoplexia Flatos
Citolera Clicas
Enjdo do mar | Indigestos
Febre ama relia, etc.
Ler o prospecto no qual val envolvido
cada vidro.
Deve-se exigir o letreiro brmneo
e preto. em todos os vidres,
seja qual for o tamanho.
DSposrros su todas as tbakuaciab
do Vniverao
Desconfiar
falaifirarfs
e exigir a Assignatnra
de
}y3m
^A^AA4WWAAA4^AAAA4r
W* P de Rog
EDICAWENTO APPROVADO PELA ACADEMIA OE MEDICINA DE PARIZ
O P de ROD o verdadeiro purgante das senhoras, das enancas e das
ptssoas de constituicao de'icada. Com um vidro de PO DE ROG, fcil a levar
comsigo por toda parte, pode-se preparar na occasiao necessaria, una limonada
de gosto agradavol e muito refrigerante.
O P de ROG conserva-se inHitamente sem se alterar. Emprega-se' o,
deitando o conteudo do vidro em mcia garrafa d'agua, deixando em contacto
durante umabora,ou melhor da noite para o dia; rolnar a garrafa se desejar-se
ter urna limonada gaiosa. ^^^___^_^_^_^
rurk cnhi Mr itscMo: CW U. FUERE A. CHIIrrMT I C", SKC~. 11, ru jkM, PMtZ
a vahbjo, su quasi todas as phakmacias dk toos os paxzbs
SO
ce
o
4)
-O
s
cp
a*
tu
ce
ce
a
ce
MEDALHA DE HONRA
DIPLOMA DE HONRA]
0 OLEO CHEVRIER
desinfectado pelo Alcatrlo.
fnico e u/M"ico, o Qua muito
gugmwU ai propriedadu de
o/to.
0 OLEO de FIGAOO
DE BACALAO FERRUGINOSO
i $ unid preparacSo que perrmte
ndmi'>'ttrar o Ferro im pro-
dui.r Pnso de Veotre, nem
locommodo.
:% 2i^
E FERRUGINOSO)!

'Adi

V*
BBCntlTAlK) POR TODA* AS
Celebridades Mlicas |
DA FIUM.A E DA EUROPA
as
MOLESTIAS DO PEITO,
AFFECCflES ES';0FUL0SAS
CHLOROSIS,
ANEMIA, OEBILIDADE,
TSICA PULMONAR,
BRONCHITES, RACHITISM8
DPOSITO jera] em PIIS
II, ra do Fioj-Iontraartre. 21
LICESG1AUOS PBLA 1XSPBCTORIA DE HYG1EXE DO IMPERIO DO BRAZII.
Vinho de Coca
U BON MARCHE
PARS.
AKUAZENS DE NOVTZJA.DES
Casa Aristidk BOUC1CAUT
PARS.
ArniAKni de Novidades reu
plcta, mais rka e mais elegante.

vas de pellica
Tende-se oj par por i#000, 2^000 e 3^090 ; na
m do Cabagi n. 18. Tambem se vende na
Mama casajnm cofre grande, prova de fogo.
0 t^i'-rn1 de *end*r todo com diminuto Jucro ^^
Integramente de conflanca t abioiuu n Anuutiu do M% KABtlE
A Casa do BON MARCH reraettefranco, a quera o pedir, seus Cataloga
assim como Amostras variadas de todas is azendas, outrosim Attmns contendo
os seus modelos de Roupa feita de toda a sorte.
A Casa do BON MARCH possue sortunentos consideraveis, taes como :
Fazendas de Seda, ditas de L unidas ou de fantasa, Pannos de linlio, Trajos, Roupa
feita, Vestuario, Chapeos e Calcados para Senhoras, Homens e Meninos, Tecidos de
ponto de meia, Camisas, Enxovaes, Mobilia, Tapetes, Artigos para viagem, Artigos
de Pars, Luvas, Rendas, etc., sendo reconhecido que ella offerece enormes vantagens
tanto por causa da qualidaie como da baratera real de todas as mercadorias.
A Casa do BON MARCH remelle mercadorias para o mundo inteiro, e
corresponde em todos os idiomas.
As remessas que poderem ser fcitas por volmes postaes serio effectuadas
em tantos volunaes/rdftwquantas vezes a encommenda, paga adiantada, contiver
a sommi de cem francos.
O BON MARCH (PARS) nio tem Suceursal nem Representante e roga aos
seus freguezes que desco^em dos negociantes que usarem do mesmo titulo.
Os Armaxens do BON MARCH sao os maiores, os mais ordenados e orga-
nisados do mundo; contem todo quanto a experiencia tem produzido de til,
agradavel e commodo. constituindo ponanto urna das curiosidadet de PABIS.
INTEGRAES
CINCOENTA COITOS
Terceira Lotera do Cear
EXTRACC40
Terca-feira 20 de Setembro
Intransferivel
Iutrajisferivel
PAGA-SE 0 D0BR0 EM CASO BE TRAN8EERENGA
UNJIM r
Esta lotera, que recommenda-se pelo seu bem elaborado
plano mais do que qualquer de suas-congneres, acha-ss venda
as seguintes casas:
Casa da Fortuna, Ra l,0 de Marco D, 23.
Ca-a do Ouro, Ra Baro da Victoria n. 0.
Sonho de Ouro, Praf a da Independencia ns. 3 e 5.
Casa Feliz, ra fc ESCOLHIDOS t
OLEO PURO
O DE FIGADO O O) >
O LXJ CU LL DE EACALHAO DE LANMAN E KEMP
rn RECOMENDADO 03 O
o Q < O por distinctos Doutores que Ihe dao a preferencia, o re-ceitan cada dia para todas as doencas Pulmonares, Es-crofulas, etc., e o consideran) o mais puro e rico em
L Q ruina: medicinal. QUE SE APRESENTA O (75
AO PUBLICO
M E MAIORES 4
&
Ui;!..;.;:..!...:...;..;:;;:;::;.:;;;^;.;!^^^.
JUEDAL.HA8deOUnO
as Exponivoea Cuirersea '
J'aris !HtS-lHh9
Borteaux, diploma de horra na Expsitas de 1882
imumiuiiMiiiiui
r

S-9
NOVO ESTABELECIMENTO
Receben um hndo sortimento de
CAPOTAS
de rendas de cores e pretaa para senhor&s.
de rendas e de polns para senhoras e meninas.
A
3m ijrA
Sordscs (Fraajfi)
Depsitos cm todas as vendas
de comestiveis.
BWtWWfTTtTt- 11 i t; i: -1 v*.+* HHHIHH^I
Lleor depurativo Tegel: I loria-
do dv medico gulntella
Este notabilissimo depurativo que vem
precedido de to grande fama infallive!
na cura de todas as doencas syphiliticas,
escrofulosas, reumticas e de pelle,
jomo tumores, ulceras, dores rhenmaticas,
esteocopas o nevralgicas, blenorragias
agudas e chrouicas, cancros syphiliticos,
inflammagSes viceraes, d'olhos, ouvidos,
gargantas, intestinos, etc., e em todas aa
molestias de pelle, simples diatheitcas,
assim como na alopecia ou queda do
cabello, e as doencas determinadas por
saturac&o mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se encon-
tram numerosas experiencias feitas com
este especifico nos hospitaes pblicos, e
muitos attestados de mdicos e docum-T.
tos particulares.
Faz se descont em casa de
FARIA SOBRNHO & 0.
Ra Mrquez de Ollnda n. *1
"MrVla
Expremiere de Pars
Sobes et eonfeetioB
Precos rommodos.
Frecisa coslureiras.
Ra Barao da Victoria o. 18
Cimiento por lian d
lloro, crfegado por vapor, qualidade superior
t preeo seitn competencia, barricas e meias bar-
rios, em J grosm e a retalno ; vende-se na ra
a Madre >de Deas n. SI
SINAPISMO RIGOLI
EBtriamtnto Dora Gpogeptdei
ao EXIiA-SE a ASSIQ-NATURA, cor ENCARNADA,
de
de p a de seda para cr'anfas.
par homens rapazes, des eabncantes FRANUEZt&, 1.N ti-ur.Zit a E ALLEMAES.
CHAPEOS
para homens.
FORMAS
de palha para chapes de senhoras e meninas.
3eaNTGie3B.-Aja os
GRAVATAS DE SEDA
pretos e de cores.
Fitas, Gazes, Rendas, Veos, Azas, Passaros, Florea,
Plumas, Aigrettes eGrampos
3ara chapeos e outros artigos de faatasia.
Uua do Baro da Victoria r. 42
M. LICIO MARQUES
Telephone n. 560
SABAO CURATIVO DE REUTE
Tumores, cravo, pelle vermelba, spera e oleosa impidido oc curado
por o mais grande de todos os aformoseadores da pelle, o SabSo Corativode
Reuter. Produza a pelle formosa, branca e clara e mos brandas; absoluta-
mente puro, delicadamente medicinado, extremamente incomparavel como
sabSo para a r, CAsUTOliA.Nao genuino sem cada envoltorio ter a marca re-
gistrada de Barclay & Co, New-York.
EDICINAl.
1 PABA
XAROPE DE REUTER W. 2
Como remedio daEstajao Calmosa, Puriticador dosangoe, diurtico,
8 aperiente, nenbum outro appellidado depurativo ou salsaparrilha se appro-
eima sequer ao Xarope de Reuter n. 2. Combina quatro grandes proprieda-
xes em um s remedio, operando a um lempo sobre os orgaos digestivos, o
dangue, os rins e os intestinos.
Absolutamente neutralisa xpulsa pelos canaes intestinaes, rins e
poros da pelle, os germens nocivos, (se flutuam no eangue, na orina e na
transpiracao
O MELHOR
PURIFICADOS
PABA O
PEQUERAS PILULAS DE REUTER
Figadu entorpecido curase positivamente com estas pilulas. Ellas
s3o um remedio purgativo livre de perigc para o homem mais fraco, to bem
como bastante activo para o homem mais forte, e nao constipis depois; pela
aeco geral agrada a todos que as usam. Sao as pilulas estandarte da pro
tssho medica dos Eitcdos-t'nidos. Sao as menores e mais facis a tomar.
Quarentaem a
PARA
FIGADO
TRICOFERO DE BARRT
Urna preparajo elegante, extremamente perfumada, remove todas as Isa
purezas do crneo, preservativo contra calvicie e cabello cinzento ; faz o tabel-
lo crescer espesso, brando e hernoso Infeliivel para curar erupges, doencas
da pelle, glndulas e msculos, e cura rpidamente cortaduras, queimaduras,
feridas, terceduras, etc.
CsACACTEIjA.N5o genuino sem cada frasco ter a marca registrada
de Barclay & C .New York
PARA0
CBELO
4 PELLE
2o andar
Hotel do Cabo
Esta importante hospedara tendo pas-
sado por grande transformacSo, e com-
pletamente adaptada as exigencias mo-
dernas, do bom servico, asseio, e todo o
conforto ndispensaveis a esta cathegoria
de estabeleQiment, acha se a disposi$So
do respeitavel publico, para os fies a que
se destina.
Tem toas accommodacSes para dormida,
e pensSes ; assim como banhos frios, no
rio contiguo ao mesmo estabelecimento.
A propnetaria a Sra. D, Margarida
Bradley residindo no estabelecimento, se
esforcar pelo bom desempenho do servi-
co, e attoncSes, a aquellas pessoas, que
a honrarem de suas presengaa, offarecen-
do aos seus hospedes sinceridade io trato
e modicidade nos prejos.
Agradece aos senhores viajantes, e as
familias, que lhe dispensarem seus fa-
vores.
Caixeiro
Precisa-se de um menino que tsnba 1S ou 14
annos de idade, para caixeiro de urna (averna :
na CambAa do Carmo n. 3.
---------- ^ W I
DEPOSITARIOS otcSTES pr.jDCCtos.A companbia -o jLXi-o^as duelos cm'micos.
Ra Mrquez de Olinda n. 23.
Centenario do Caln
SORVETfi TODOS OS DAS!! S0B7HTB TODOS OS DAS!!
HOTEL ORIENTAL!
RA BISPO Si RDINHA If. 5
Esse esplendido estabelecimento mentado com todo he | i conforto,
qual ja conta com urna immensa freguezia do que ha meihor no ccmmercio; convido
ao respeitavel publico de visitar o estabelecimento onde achara comida, asseio e mo
esmerado servico, se est preparando sa!Ses particulares no primeiro andar para fami-
lias e banquetes, a casa conta com dois cosinheiros brasileiros de 1,* ordem e um
cheie francs.
Apartamentos e quartos mobiliados para familias e viajantes.
A casa se encarrega de banquetes soires em casa e fra.
Acceio, promptidao, esmero no aervico e presos rasoave's.
Se falla ingles francs, allemao, italiano e hespanhol.
Proprietario, ADOLFO HILEMAN
i



.


mi tOQS OS
sorvete todos os is
erar
MUTILADO 1
ttm


---------------


4
8
Diario de Pernambuco -- Quinta-eira i o de Setembro de 1892

PNIES MEDICAS EATTESTADOS DE CURAS A FAVOR DO
PEITORAL DE CAMBARA"
O remedio mais efficaz para a bronchite, tuberculose pulmonar, laryngite, asthma, coqueluche, rouquidao e tosse de qualquer especie
O PEITORAL DE CAMHARAA
...gosa de propriedade emolientes e facilita
a cspectoraco e o considero como excellente
meio para alliviar e curar a tosse quando con-
fluentemente prescripto. Barao de Itapitocay
(Pelo'as.)
TUBEBCLOSE PULMONAR
lllin. Sr. J. Alvares de Souza Soares. Pelotas-
Teiido em 1878 o meu tilho adoptivo Thoniaz
Lunilla, sentado praga e estando ca Porto-
Alegre, servindo no quartel-general, adquiri
una tosse impertinente que minea pode ser
combatida pelo medico da enfermara ; em vista
disso foi enviado para o Rio Pardo onde esteve
em tratamento com o illustre medico militar Dr.
Hedeiros, e all toi reconbecido achar se affec-
tado de urna tuberculose muito adiantoda.
Nao aproveitando nada com o tratamento, teve
baixa do servico e veio para minha casa em
lt2.
Empreguei todos recursos para saI\at-o da
morte.
Mdicos de SanfAnna du Livramento, a quera
cunsultei, declararam ser caso perdido e intil
qualquer tratamento, visto o estado amantado
pa doenca ; o Dr. Fialho, porem, aconeelhou me
o Peitoral de Cambar de V. S. talvez nicamente
para satisfazer me, foi com este preparado qne
o meu tllbo se curou !
O tratamento nao foi longo as memoras toram
gradualmente augmentando ; mas a medida que
ellas progrediam. os meus cuidados redobravam,
pois todos sabem romo taes doentes uestes con
diges tomam-se mais insotlridos e descuidados
do tea estado, com o apparecimento das pnmei-
ras mellioras. .
Por isso, propositalmente, obnguei-o a con-
tinuar, por ali.'um tempo, no uso do seu pre
parado, guardaudo um rgimen conveniente e
dentro em poueo. meu filho tornou-se forte,
vigoroso, completamente restabelecido !
Euk iulendo que este facto nao deve licar gno-
radq pelos que soffrem de toterrivel enlerim
dade pego-lhe pan pul.lical-o, tendo em vista
levar una esperanga ao coragfto de tantos enfer-
mos desanimados.
Aceite o, protesto da raaior gratidao do de V.
etc.Vicente Simes Filho.
Dois Serritos. em Sarandy, Rio Grande do bul.
i de Margo de 1883.
O PEITOBAL DE CAMBABA
...E' um expeliente medicamento empregado
com muito bons resultados as molestias broncho
pulmonares. ... ,
Dr. Serafim Araujo (Pe;otas.)
CONSTIPAgXo E TOSSE
Minas Genes Soeego, 23 de Ambo de 1889
Eu abaixo assignad attesto a bem da huma-
nidade, que fui atacado de una constipado
aeompanhada de tosse desesperadora, que m
possibilitava-me de cscrever e me nao deixava
conciliar o somno. ...... ,
Sem ter alivio algum, lancei mao do Peitoral
de i ambara, depois de ter feito do meu estomago
orna completa pharmacia. e so este importante
medicamento me removeu os sofl'nmentos que
auto me atormentavam dando-me finalmente o
lescanco da imite e o somno mpagavel. k.
levermeu agradecer ao Illm. Sr. Jos Alvares de
Souza Soares, por to impor'ante descoberta
Por isso, tenho recommendado o seu prepara-
do a diversos amigos e recommendo-o sempre a
pessoas, que por fatelidade sotlrem de
molestias provenientes de coustipacOes...
Olympio de Assumpgo Oliveira
O PE1TOEAL DB CAMBABA'
... c um excellente balsmico expectorante,
e como tal o tenho empregado sempre com bom
resoltado oaa affecges pulmonores... Dr. Vicen-
te Cypriano da Maia. (Pelotas-)
TOSSE DESE8PBBADOEA
Sr. Souza Soares 4 C. (Porto Alegre)-Sendo
atacada minlia esposa de urna tosse desesperado
ra e de carcter grave, lance; mo de diverso
preparados sem proveitr algum, e. tendo coune-
cimeuto dos bons resultados do xarope peitoral
de Cambar, mandei comprar dous frascos do
dito xarope, e com o uso do priraero, logo ma
uilestaram-se mellioras e, depois de ter a doente
tomado o segundo via-a completamente restabe-
lecida.-Israel Antonio Caldeara-
Serros de Taquary. (Rio Grande do Sul).
PEITOB1L DE CAMBARA'
... tenho empregado em molestias dos or-
gos respiratorios o Peitoral de Cambara, co-
Jhetido os^melhores resultados.-Dr. Francisco
Alves de Lima Filho. (Parahyba do Norte)
D1VEBSAS ENFFBMlDADES
Eu abaixo assignad, attesto que nao s cu
como todas os pessoas de minha familia temos
feito uso do Peitoral de Cambar, conhecido pre
parado do Sr. Souza Soares, -havendo colnido
os mais satisfatorios resultados as toases, rou-
UBidoes c mais affecges das vas respiratorias,
e por isso nao cessamos de aconselhar o seu
as pessoas de nossas reiages
Rio de Janeiro. 24 de Setembro de 1889, ra
de S. Luiz Gonzaga n. 176.-Alfredo A. Pi-
nheiro. ,
PEITOBAL DE CAMBABA
... tenho-o empregado, com grande proveito
as molestias das uas'respiratorias.-Dr. Pedro
Correa de Macedo. Barra do Pirahy.)
CUBA DB OMA TOS8B ANTIGA
O abaixo assignad declara a bem dos que
sofrem de tosses pertinazes que tenho feito uso
do Peitoral de Cambar do Sr. Jos Alvares de
Souza Soares, ticou restabeiecido de urna tosse
que ha muito tempo o fazia soffrer.
S- Paulo 30 de Agosto de 1888.-Jos J. Au
gasto da Fonseca.
O PEITOBAL DE CAMBABA'
... tem urna aeco especial sobre a mucosa
das vas respiratorias, corando ou alliviando
mu tas molestias destes mesmas vas, o que pro
ra cabalmente a sua crescentc procura e accei
tego, que ainda nao teve aqui producto algum
ofliciual.-Dr. Octacilio A- Cmara. (Pelotas).
BBONCHTE E BEUMATI8MO
Engenho Barra Nova na comarca do Bonito,
Pernamb co, 7 de Setembro de 1888. Illm.
Sr. Jos Alvares de Souza Soares. Pelotas-
Para que a huanidade soffredora tenha a cer-
teza de um lenitivo a seus males, recorrendo a
um remedio enrgico e de maravilhosos effeitos,
tomo a liberdade de noticiar lhe o effeito que
produzo (de que sou lestemunha oceular e con-
victo) o seu to afamado Peitoral de Cambar.
O capito Antonio Dionyzio dos Santos, resi
dente no Engenho, Nova Vida deste termo ho
mem maior de cincoenta annos. soffrendo., de
umajbronchite complicada com rheumatismo re
cerreu a diversos remedios sem auferir resulta-
dos satisfatorios. Lembrei que usasse -do refe
rido peitoral (porque j o havia tomado com
ptimo resultado urna pessoade minha familia),
e no decorrer de tres mezes que tem usado,
acha-se o referido capito cora urna memora
consideravel
Adepto como eu sou de todo quanto e pro
duzido em nosso bello paiz, nao posso ser n-
differente ao grande commettimento por V. S.,
emprehendido em bem da clnica brazilleira, e
por isso pode V. S. se lhe convier, fazer desta
narraco o uso que lhe aprouver. ,
Sou com o mais profundo respeito e conside-
rago de V. S. etcFrancisco Benicio das Chagas.
PEITOBAL DE CAMBABA'
...tenho o empregado. com ptimos resul-
tados, as bronchites e molestias do apparelho
broncho-pulmonar...Baro da Matta Bacel
lar. (Para.)
SOFFBIMSNTOS DE 30 ANNOS
Freguezia da Ba-Esperanga, cidade do Rio
Bonito. ( Estado do Rio de Janeiro), 10 de
Abril de 1891. Illm. Sr J. A. de Souza Soares
Sou profundamente grato a V. S. ; nao s
pela delicadeza de offertar-me o seu preparado
para combater urna rebelde bronchite, que me
atormentava ha mais de 30 annos, como tam
bem pelo feliz resultado que obtive, debellando
urna enfermidade que j considerava incuravel,
attenta minha avancada idade de 71 annos.
Torna-se mais digna de nota a cura opperada
em mim pelo facto de achar me na accasio
prostado por outro periogso incommodo a n
fluenza Joo Coelho de Queiroz.
PEITOBAL DE CAMBABA*
... Acho muito importante o Peitoral de
Cambar. nao spela elicacia de seus resul-
tados em molestias do peito, como tambem pelo
aeradavel sabor, que nao faz repugnar o doen-
te mais delicado de paladar...Dr. J. Lassa
la. (Pelotas.)
ASTHMA DUBANTE DEZESETE ASNOS !
0 abaixo assignad criador no Povo Novo
(hoje em Pelotas), atiesta que soffrendo. du
rante 17 annos de astbma com accessos terri
veis em todos os quartos de la e sem nunca
obter melhoras em todo esse longo tempo, ape-
zarda grande quantidade de remedios que usou,
muitos delles receitados por habis mdicos de
Pelotas e Rio Grande, tomou em Novembro de
1887 o afamado Peitoral de Cambar, do Sr. J.
Alvares de Souza Soares ce Pelotas, e nao fo
ram necessarios mais de sete vidros para o fa-
zer curar radicalmente pois desde aquella data
at hoie, nunca mais foi accommettido de to
terrivel enfermidade.
E por ser verdade firma .o presente-Ignacio
Teixeira Machado.
PBITOBAL DE CAMBABA'
... empreguei o Peitoral de Camhar, com
grande vantagem m pessoa de minha familia
que soffria na alguna mezes de urna laryngite,
acompanhada de accessos de tosse...Dr.Te
lasco de Gomensoro.. (Rio de Janeiro.)
T08SE CAVEKNOSA
Eu abaixo -signado declaro, que, fazendo
duas pessoas de amisade de minha familia uso
do Peitoral de Cambar, effectivamente tiveram
bons resultados ficando curados da tosse caver
nosa que ha bastaje tempo as affligia.
Kio de Janeiro, 13 de Novembro de 1889O
tabellio, Francisco Pereira Ramos.
PEITOBAL DE CAMBABA'
...tenho-o empregado com britbantes re-
sultados as differentes formas da bronchite e
em alguns periodos da tuberculose pulmonar...
Dr. Lopes Pessoa. (Recife.)
HOBBIVEL TOSSE SECCA
Ha dous annos minha mulher soffria de urna
horrivel tosse secca. acompandada de dores no
peito que innmeros remedios receitados por
mdicos desta cidade, nao conseguiram debel-
lar
Casualmente, veio me s mos um folhcto dos
que acompanham o Peitoral de Cambar e, len-
do as curas realisadas por este medicamento em
doentes que soffriam do mesmo mal, resolv
fazer minha mulher expenmenl-c, e, gracas
ao seu uso, vi-a completamen'e restabelecida.
Joaquim Alves Cavalcante. (Fortaleza Cear)
O PEITOBAL DE CAMBABA
...um heroico meio preventivo e um auxi
liar no tratamento da lisica pulmonar.Dr.
Urias da Silveira.
CUBA DE OMA PNEUMONA
Illm. Sr. J. A. de Souza Soares. Pelotas.
Cumpro um deves scientificando a V. S. de que
ha temos, achando-me atacado de urna pneu-
mona, recorr a diversos preparados que me re-
ceitaram os mdicos d'esta cidade, sem obter as
melhoras almejadas. .
Por minha espotanea deliberaco, resolv ex
perimentar o seu Peitoral de Cambar, com o
qual alcancei o restabelecimento de minha sa-
de, pelo que dou a v. s. sinceros parabens.
Nestorio Antunes Pereira. (Baha.)
O PEITOBAL DE CAMBABA
... tem sido por mim empregado em diver-
sas affecges das vias respiratorias, obtendo
sempre os melhores resultados...-Dr. Fran-
cisco Marianno de Aguiar.
TOSSE PKBTINAZ
Atacado repentinamente de urna tosse vio
lenta, que se tornou pertinaz tendo tido por es-
paco de oito dias consecutivos pela mann, v-
mitos, a ponto de licar suffocado, lembrei me
de tomar o precioso medicamento Peitoral de
Cambar e com um s frasco fiquei restabeleci
do.=Carls Augusto Peixoto de Alencar. (ca
pito de cavallaria, em S. Borja).
PEITOBAL DE CAMBABA
... tenho-o empregado em diversos doen-
tes, obtendo excellentes resultados... Dr. Pe
reir da Motta. Rio de Janeiro.
BONS RESULTADOS
Sr. J. A. de Souza Soares.Pelotas Venho
penhoradissimo dar-lhes louvores pelo seu be-
nfico Peitoral de Cambar, pois tenho o appli
cado em pessoas de minha familia em casos de
bronchite, rouquidao, tosse agudissima colhen-
do os melhores resultados, polo qne sou incan
savel em recommendal o aos doentes do appare
lbo respiratorio.
Acceite minhas felicitages e Deus o recom
pense pela sua descoberta de tanto allivio para
os que soffrem.=Jeronymo Acacio S. Chuquero
(Bahia.)
O PEITOBAL DE CAMBABA
... um excellente balsmico e como tal
o tenho empregado nos doentes de bronchites e
affeccOes pulmonares.com grande proveito...
Dr Antonio da Cruz Cordeiro, (Parahyba do
Norte)
COQUELUCHE, ASTHMa E TSICA GALOPANT8
Jllm. Sr J, A. de Sousa Soares.Tenho a
maior satisfaco era communicar a V. S. mais
algumas curas importantes realizadas nesta villa
com o seu precioso medicamento.
Tendo adoecido dous filhinhos do Sr. Arsenio
Cardoso de Aguiar, de coqueluche, atacados de
grande febre em menos de quatro dias ficaram
radicalmente curados com o Peitoral de Camba-
r.
Urna lhinha do intclligente guarda livros Sr.
Barros dos Santos que tambem suffria de urna
tosse convulsiva, acha-se restabelecida devido
ao mesmo remedio.
A esposa do Sr. Gabino Rodrigues Correia que
soffria de Asthma a muitos anuos, sem nunca
ter experimentado melhoras com outros reme-
dios, est oUendo-as com o uso do Peitoral de
Cambar e, to satisfatorias que promettem cu-
ral-a em pouco tempo, se persistir no medica-
mento.
A parda de nome Maria. criada da Exraa. Sra.
D. Maria das Dores Ferreira, sendo acconmetli-
da de urna tisica galopante, medicada pelo Dr.
Henriqson salvou-se de to horrivel enfermidade,
grasas ao Peitoral de Cambar empregado por
aquello illustre medico.
Sou, etc. Emydio Pinto de Oliveira.
(Agente consular Portuguez cm Santa Victoria
Rio Grande do Sul.)
PEITOBAL DB CASD3A3A'
...tenho o empregado sempre com muito
bom resultado as molestias dos orgos respi
ratorios e tem a propriedade de ser um medica
ment de sanor agradavel, sendo bem tolerado
pelas creancas em cujas moles ias degrande
elicacia. Dr. Jos Joaquim Pereira de Souza.
(Cidade do Bauanal em S. Paulo.)
GBAVS8IMA DOENCA DO PEITO
Illm. Sr. J Alvares de Souza Soares.) Cum
pre me levar ao conhecimento deiV. S. os be-
nficos resultados que tenho obtido com o em
prego ao seu mui acreditado Peitoral de Cam
bara.
Minha cunhada D, Leonidia Vellas, esteva sof
frendo ha dous annos. de urna tosse muito forte,
com dores no pulmo direito e de dias a dias
deitava alguns escarros de sangue. J muito
debilitada e aborrecida de ter tomado muitos re-
medios sem proveito, reconmendei-lhe o uso
do Peitoral de Cambar, que comprei na phar-
macia do Sr. Antonio Rodrigues de Faria, em
Jaguaro e depois de algum tempo no uso deste
romedio. acoava-se completamente curada.
Levando pois mais este facto ao conhecimen-
to de v s. cumpre me agradecer lhe em nome.
de minha cunhada, a cura que acaba de reali
sar-se. Sou etc Fileno Goncalves de Medei-
ros. (Cunhada de Santos Repblica Oriental,)
PBITOBAL DE CAMBABA'
.. .aconselho sempre este preparado aos que
soffrem de bronchite principalmente asthraatica.
Dr. Gemimano Jos da Costa. (Para)
T08SE ABTHMATICA DE MUITOS ANNOS
Eu aoaixo assignad major reformado do
exercilo attesto que, soffrendo de urna tosse
asthraatica, de muitos annos, acho-inc restabe-
lecido com o uso do Peitoral de Cambar, do
Sr. Jos Alvares de Souza Soares de Pelotas
Fernando Jos da Gama Lobo. (Jaboato.)
O PEITOBAL DB CAMBABA'
... exerce acjjo benfica sobre a mucosa
das vias.respiratorias, pelo que tenho observado
em minha clinica...Dr. Manoel Alves da Cos-
ta Brancante. (Rio de Janeiro.)
ASTHMA DE MUITOS ANNOS
Sr. A. Dias de Freitas Valle. Itaqui (Rio
Grande do Sul), 6 de Maio de 1883.-Sendo V.
S. o agente nesta cidade do Peitoral de Camba-
r, do Sr.J. Alvares de S. Soares, de Pelotas,
dirijo-lhe a presente, afim de attester que sof-
frendo minha mulher, ha muitos annos de as
thma, s agora e com uso constante do referido
medicamento, licou radicalmente curada. Po-
der V. S. faeer desta minha declaraco o nso
que lhe convier, na certeza de que, no s a
minha gratido ao auctor de to precioso pre
parado, como o desejo de prestar nm servico s
victimas de enfe-midades das vias respirato-
rias, me levam a attester um facto que nao deve
ficar ignorado.Sou etc.Belizario Pereira de
Athayde. (Estrancieiro.)
O P2IT0KAL DE CAMBABA'
...manifesta sua aeco especial sobre a
mucosa das vias respiratorias, 'por cujo motivo,
em minha clinica medica, tem tido enorme
aceitadlo...Dr. Jos Rodrigues Ribeiro, (Be-
lm do Para.)
SOFFBIMEMTO PULMONAB
Eu abaixo assignad. negociante no Pilar das
Alagoas, declaro que soffrendo ha mais de qua-
tro annos de orna affeceo do peito, acompaa-
da de tosse violenta, c sem jamis conseguir
que os remedios receitados por habis mdicos
trouxessem alivio ao meu soffrer, recorr ao
precioso medicamento Peitoral do Cambar, do
Sr. J. Alvares de S. Soares, de Pelotes, em, to
boa. hora o liz, que hoje acho me completamen-
te curado de urna enfermidade, que. dia a dia
me arrastava ao tmuloManoel Cavalcante de
Albuquerque.
PEITOBAL DE CAMBABA'
...fui ltimamente obrigado a tancar mo
delle em minha cliniga e julgome hoje habi
litado para ailirmar que ura dos melhores re-
medios que em minha pratica "enho conhecido
para enfermidades do peito e vias respirato-
rias...Dr. C-Henriqnes. (Santa Victoria,
Rio Grande do Sul )
BSONCHITE CHBOMICA
Cidade da Serra Negra. (Minas Geraes), 12
de Setembro do 1888. .Illm. Sr, J. Alvares
do Souza Soares.Tenho a satisfago de escre-
er a V. S. para participar lbe que soffrendo
en a mais de qnatro anno de bronchite trazen-
do-me a maior parte do tempo prostado no Ici-
to, recorr ao seu abeucoado Peitoral de Cam-
bar, e nao foi preciso mais de meia duzia de
frascos para me restabelecer radicalmente,
Silvino Ribiro. (Director do Colegio de Santa
Cruz.)
PEITOBAL DE CAMBABA
...Tenbo-o empregado com assaz, proveito
cm minha clinica as molestias broncho-pulmo-
nares... Dr. Franc.sco Augusto da Silveira
(Recife.)
ToSSE COM ESC\BRv S DB BANGUB
Illm. Sr. J A. de Souza Soares.E"-me dilli-
cil exprimir o quanto lhe estou obrigado pelo be-
neficio que colhi do seu maravilhoso Peitoral
de Cambar, curando-me de urna tosse com es-
carros de sangue que ha (mezes me atormen-
tava. sem contar mais restabelecer me de to
grave enfermidade. S aquelles que sabem o
que um soffrer deste, que pdem avaliar a
satisfaco de que estou possuido.
Sou com muita gratido de V. S. venerador
e criado,Antonio da Silva Pimentel. (Negoci-
ante em Porto Alegre.)
PEITOBAL PE CAMBABA
.. .tenho-o applicado em minha clinica com
grande proveito as diversas affecces das vas
respiratorias, especialmente quando chronicas.
Dr. Julio A. amacho Crespo. (Rio de Janei-
ro.)
B0UQU1DA0 SI M ALLIVIO
Illm. S. J. Alvares de Souza Soares-Atacado
de urna forte rouquidao, e sem ter allivio com
o uso de muitos medicamentos receitados, ex-
perimentei o seu xarope Peitoral de Cambar,
e em poucos dias a molestia cedeu completa-
mente. Depois deste facto tenho aconselhado a
diversas pessoas o seu remedio c todas tm lo-
grado os melhores resultados.
Queira pois,'receber minhas felicitarles.
Barao de Avellar Resende. .(Faiendeiro em
Minas-Geraes.)
PEITOBAL DB CAMBABA
.. .ten^o-o empregado com o melhor resul-
tado as diversas affesges das vias respirato-
rias, principalmente na bronchite caterrhal das
criancas quando atravessam a crise da 'primara
dentico-..Dr. Emigdio Bezerra Montene-
gro (Recife.)
ASTHMA EU DUAS CBIANgAS
Attesto que as minhas lhas, Isolina, de 8
annos de idade, e Silvina, de 5 annos, soffriam
ha mais de 3 airaos horrivelmente de asthma,
que lhes vinha por accessos amiudados e to
fortes que eu julguei em muitos delles ter-se
approximado o termo fatal da suas pobres exis-
tt*nf*im
Depois, porm queusaram.o Peitoral de Cam
bar, preraraco do Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, s Sil vina foi atacada de um novo ac
cesso, que cedeo promptamente ao mesmo pei-
toral. ,
Pelotas, Rib Grande do SulMiguel Antonio
os Santos.
PEITOBAL DE CAMBABA
...tenho-o empregado com resultados im-
portantissimos em diversas affecces das vias
respiratorias, sobresahindo um caso de tuber-
culose incipiente que foi Twlicalmete curada
por este preparado, em D. Virginia Mana Men-
des, residente na capital do estado da Babia
ra S. Miguel n. 46. Dr. Alfredo Mendes Ri-
beiro. (Bahia)
TOBMENTOSO 80FFBIMENTO
Iilms. Srs. Silva, Gomes 4 C, droguistas no
Rio de Janeiro. -Ha mais" de cinco annos que eu
soffria de urna bronchite com tosse e escarros
de sangue, havendo dias de tancar mais de meia
gaarafa de sangue, nao me deixando dormir
noites inteiras. .
Recorr a todos os mdicos deste municipio
de Cantegallo, j sem gosto, nem torcas para
cnidar 4e minha lavoura; nao tinha nenhuraas
esperangas da minha existencia por muito tempo
apezar de nao me faltarem recursos e bom tra-
tamento.
Por mlagre de Deus, um amigo e negociante
deste lugar, nao querendo que eu deixasse meus
innocentes tilnos por criar, aconselhou-me o
Peitoral de Cambar, e eu sem f, pois que ne-
nhum remedio me poz bom, resolv que esse
negociante me mandasse vir da casa de Vs Ss.
seis vidros para experimentar e. (indos elles
j dorraia bem, cessando de todo os escarros
sanguneos.
Mandei vir mais 24 vidros e continuei al ac
bar, isto at o anno de 1888 e gracas a Deus
acho-me completamente curado.
Estofo do Bom Jardim (Estrada de Ferro de
Cantagallo), 20 de Maio de 1889.Joo Jos
Zebendo.
PEITORAL DE CAMBABA'
..te'iho-o empregapo em minha clnica
civil com resultados vantajosos as molestias do
apparelho broncho-pulmonar, sobretodo as
bronchites chronicas e na coqueluche. Dr.
Feliciano Teixeira da Matta Bacellar. (Para.)
CINCO ANNOS DE SOFFBIMENTO DO LA-
BIN6E
Eu abaixo assignad, attesto que achando-se
minha esposa, D. Engracia Guitteres Gravana.
soffrendo do larynge ha cinco annos. foi aconse-
lhada pelo Sr. Jos Lourenco Braga, estebelecido
com boticanesta cidade (D. Pedrito), a usar o
Peitoral de Cambara do Sr. Souza Soares, de Pe-
lotas, e com effeito, tomando oito vidros desse
remedio, se acha livre do terrivel incommodo
ie a persegua ha tanto tempo.Ignacio de
ssis Gravana (criados.)
PEITOBiL DE CAMBABA
Tenho-o empregdo em mianha clinica nos
casos de molestias broncho pulmonares, colhen-
do resultados muito satisfatorios. Posso em yir-
tude desses bons resultados garantir a ellieu
cia deste medicamento, principalmente quando
estas affecces tiverem tomado o carcter de
chronicidade... Dr. Luiz Jos de Araujo Fi-
lho. (Anta, Rio de Janeiro.)
GBAVE DOENCA DO PEITO
Declaro que minha sobrinha Marciana, com la
annos de idade achava-se gravemente doente do
peito, senta grandes palpitaces do corago,
tosse desesperadora e dores agudissimas no pei-
to e as costas quando tomava respiraco. Lem-
brei me, depois della ter usado muitos medica-
mento* sem resultado, de dar-lne o elogiado
Peitoral de Cambar, descoberta do Sr. J. Alva-
res de Souza Soares, e com o uso deste efficaz
remedio achon-se completamente livre de to
terrivel enfermidade Joanna Ferreira Cardoso
(Pelotas.)
PEITOBAL DE CAMBARA'
. ..tive occasio de o examinar e, com ple-
no conhecimento, aconselho o seu uso com a
maior confianca. (Estrahido do Formulario In
terncional, do Dr. Pires de Almeida.
BBONCHTE DE MO BACCATER
Illm. Sr J Alvares de Souza Soares. Con-
vencido por urna brilhante cura operada em mi-
nha mulher, que havia onze mezes esteva soffren-
do de urna bronchite impertinente e do peior ca-
rcter, de que o Peitoral de Cambar, composi-
fo de V. S. se pode considerar o melhor emais
seguro especifico at hoje conhecido para com-
bater asjmolestias dos orgos respiratorios apres
so me, a bem da humanidade soffredora a altes
tar-lhe o facto occorrido em minha casa, afim de
tornar mais conhecido, se isso possivel o seu
exaellente Peitorat de Cambar que considero
urna descoberta de magna importancia para cura
de taes molestias.
Minha mulher acha se perfeitamente restabe
lecida da grave enfermidade com o uso de quatro
vidros do Peitoral de Cambar, tendo antes ex-
perimentado sempre intilmente, talvez cincoen
ta remedios diversos.
Sou etc. Joaqnim Soares Gomes. Vice cn-
sul de Portugal Franca c Ioglaterra, (em Para
nagua).
PEITOBAL DE CAMBAR
El medico cirujano que suscribe, certifica que
el especico titulado Peitoral de Cambar, del
Snr. J. A. Souza Soares, del Brazil, me ha dado
.admirables resultados en el tratamento de las
enfermidades del aparato respiratorio especial-
mente en las bronchitis crnicas.Dr. Juan
Peralta R. ('Residente em Elqui, no Chile.)
TOSSE COQUELUCHE SEM ALIVIO
0 abaixo assignad attesta, a bem da humani-
dade que tendo sido, atacados de coqueluche
seus netinbos Antouio e Dejamra e sem terem
podido obter alivio com o tratamento do seu il-
lustre medico, deu-lhe o conhecido Peitoral de
.Cambar, do Sr. Jos alvares de Souza Soares, e
com quatro vidros deste efficaz remedio ficaram
completamente restabelecidos do terrivel soffri -
ment.
Jos Rodrigues Barcellos (Pelotas)
PEITOBAL DE CAMBABA'
.. .Tenho-o aconselhado na minha clinica e
com elle tenho tirado resultados importantes no
tratamento das molestias broncho pulmonares.
Dr. Carlos Marcband. (S. Gabriel, Rio Grande
do Sul.)
OUTBO CASO DE COQUELUCHE
Eu abaixo assignad, morador ra Paula
Brito n- 25, no Aodarahy Grande (Rto de Janei-
ro), desejando prestar urna homenagem a ver-
dade tornando ao mesmo tempo publicas ai
virtudes do Peitoral de Cambar, venho decla-
rar que empregando este importante medica-
mento em urna filhinha de 5 annos de idade
firesa de urna terrivel tosse convulsa ou coque-
uche, durante dous mezes, e depois de appli-
cados outros medicamentos obtive o mais agr
davel resultado para o meu corago de pai. ata
ento aflicto pela crueldade da molestia de mi-
nha flihinha, dando-lhe o afamado Peitoral de
Cambar, do Illm. Sr. J. Alvares de S Soa.-es
de Pelotas, e dous vidros apenas produziram
to brilhante resultado.Jos Carlos Coimbra
de Gova.
PEITOBAL DE CAMBABA'
. tenho obtido ptimo resultado na appli
ca(;o do Peitoral de Cambar as molestias
broncho pulmonares.Dr. Polycarpo A. Ara-
ponga do Amar 1.(Porto Alegre),
UMA TUBEBCULOSE AGUDA
Eu abaixo assignad. morador ra S. Pe-
dro, n. 20. no Ri de Janeiro, declaro que ten-
do uma tilha minha, de 13 annos de idade,
sido accommettida de urna molestia grave, con-
sulte' os mdicos de maior reputacSo desta Pi-
llado, e estes diagnosticaram ser o soffrimento
urna tuberculose aguda. Por esparo de quasi
dous mezes sugeitei minha tilha ao tratamento
desses Ilustres facultativos; mas. i molestia,
zombando de tudo, progredia para o desfech
fatal.
Nfissas c'rcumstacias um amigo dedicado
aconselhou me experimentar o Peitoral de
Cambar, medicamento do Sr. J. Alvares de
Souza Soares, de Pelotas, e, em to boa hora
acceitei esse conselho, que no lira de seis dias
as melhoras se foram accentuando, tendo diuii
nuido a tosse e outros phenomenos que acom-
nanham essa terrivel enfermidade.
Minha tilha tomou desoito frascos do Peitoral
de Cambar, e hoje pde-se considerar comple
tamente restabelecida Durante cinco mezes e
meio frenquentou os lugares mais recommene
dados* pelos mdicos, seu estado de magrez-
extremo e a febre nao a deixava.
Convicto, como estou, de que o Peitoral da
Cambar, um precioso remedio para affecces
dos pulmes, muito tenho recommendado s
pessoas de minhas relaees.
Rio de Janeiro. 11 de Maio de 1887.Joo
Antonio Pereira Santiago (Socio da firma com-
mercial Santiago
PEITOBAL DE CAMBABV
... empreguei o e com o melhor resultado
no hospital da Santa Casa de Misericordia as
affecges em que indicado, e continuo a em-
pregal o com o mesmo resultado Ha minha cli-
nica civil.-Dr. Israel Rodrigues Filio-. (Porto
Alegre),
DUA8 CUBAS EM POUCOS DIAS
Illm. Sr. Jos Alvares de Souza SoareJ-Tem
esta por lim seientitical-o de mais duas esplen-
didas curas devidas ao seu precioso Peitoral de
Cambar.
Por occasio de effectuar-se um bazar em
qeneficio da Hibiiotheca Publica Pelotese, fui
atacado de urna forte bronchite, que me levou
ao leito. Vendo me prostrado e desejando o
meu restabelecimento o mais prompto possivel,
deliberei usar o Peitoral de Cambar, e o fiz
com tanta felicidade que, no terceiro dia da
molestia pude reassumir as minhas funeces da
bibliotecario daquelle estabeleeimento.
Na mesma poca foi a minha filhinha Julieta
atacada de urna tosse impertinente, com car-
cter asmathico. e applicando-lhe eu o mesmo
efficaz medicamento via a restabelecida em pou-
cos dias. Subscrevo-me etc.
Pelotas, (Rio Grande do Sul)-Francisco de
P. Pires.
PEITOBAL DE CAMBABA'
... tenlio o empregado com feliz xito as
affecges catarrhaes-bronchicas ..Dr- Jos
Bernardino da Cuuha Bittencourt, (Porto
gre).
Ale-
OUTBAS DUA8 IMPOSTANTES CU BAS ?
FOBTE BOUQDTDAO

Srs. Silva Gomes *CNesta capitel.
Sendo atacado de urna forte rouquidao e s f
bendo'dos benficos resultados que continua-
mente tem proporcionado o Peitoral de tambar,
do Sr. Jos Alvares de Souza Soares, de Pelotes,
aquelles que soffrendo do mesmo mal, flferam
uso, deliberei experimental-o eapenas com dous
frascos deste acreditado xarope fiquei complete,
mente restabelecido.
Rio de Janeiro 12 de Junho de 1888Armando
Augusto Machado.
PEiTOBAP DE CAMBARA'
... tenho-o applicado em diversos casos de
affecces das vtns respiratorias e teuho obtido
os melhores resultados...=Dr. Jos de Aze-
vedoMaia. (Parahyba do Norte)
Illm. Sr. J. Alvares de S. Soares.Pede-me
a minha consciencia declarar-lhe os segrales
tactos que servem para robustecer o crdito do
seu precioso Peitoral de Cambar.
Ha pouco tempo, minha esposa appareceu
com urna tosse terrivel que nao a deixava dia
e noite. lembrei-lh o Peitoral de Cambar e
com o uso deste remedio vio-se complelamente
curada em poucos das.
Um filho meu, que se ochava soffrendo do
larynge, molestia que adquiri depois que teve
o typho, licou tambem radicalmente curado
com o uso do mesmo seu Peitoral de Caraba
r.-Antonio Simes Pires da Fantoura. (Ee
tencieiro em D. Pedrito, no Rio Grande do
Sul).
PEITOBAL DE CAMBABA
... Tenho empregado o Peitoral de Cambar
nos casos de affecces broncho-pulmonares e
obtendo excellentes resultados.-Dr. Cecilano
Alves Nazareth. .Baha).
BBONCHTE ASTHMATHICA DE OITO MEZES
l
Illm. Srs. Silva Goines & C.-Rio de Janeiro.
Felicito-me por vek1 annuciado em casa de
Vs. Ss. o remedio denominado Peitoral de
Cambar. Soffrendo feu, de urna bronchite as-
mathica, durante oito mezes, e sem que os m-
dicos a conseguissem Uebellar, pois ja a miga-
va chronica, resolvi c )mprar em casa de vs.
Ss- o referido remed i e pnncipiei a tomal-o
observando cuidadosan lente a dieta e hy^iene
recommendadas e presi riptas nos impressos que
o acompanha. e no fim de pouco tempo depois
de ter tomado 18 fras :os. achei-me completa-
mente curado desta terivel enfermidade. Gra-
tissimo aos introductores deste maravilhoso
preparado, pego a Vs.
de a esta minha deca
conhecimento todos a
mesma molestia.
Barreado. (Minas-Ge
1888.Joo Antonio da
s. que dm publicida-
go, para d'ella terem
lies que soffrerem da
aes.) 18 de Agost) de
filva.
Todos as firmas cima acham-se reconhecidas as formas da lei e sao de pessoas muito conbecidas e consideradas.
O Peitoral de Cambar, soberano remedio para as molestias das vias respiratoiias, acha-se approvado pela Inspectora Geral de Hygiene de. Kio ae J
neiro, autorfsado pe governo' federal e piemiado^m dnas medalhas de onro'de 1/ classe, pela Academia Nacional de Pars e Jnry da Expos.cao ^ Brazile.ra
6maVeDJe-se a 2^500 o frasco, 13#000 lf2 duzia e 24#000 a duzia as principaes pharmacias e dio^arias.
E' nico agente e depositario neste estado a Companhia de drogas c Productos chimicos.
i.
.

i



*;
T

i
u
23-RUA MRQUEZ DE OLINDA-23
- ;
m

{
1