Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19603

Full Text
JJrpricirai)* be Jftanod Xtgurira be Jara & Mtyoz
tWl$ rAlIICLW 20 DIARIO
BAHA; 30 e Janeiro, s 12 horas e
50 minutos da tardo. Recebido 1 hora e
45 minuto's, pelo cabo submarino).
Foram eleilo* dcpiiUdo frao
por osla provincia, em 1.a eacrutl-
nltft
I.0 dlNtrlcto. Dr. I.uiJi Accloly Pe-
reira Franco (C);
a. cliairlcto. Dr. Pedro Carnelro
da Silva (C).
RIO DE JANEIRO, 30 do Janeiro,
1' hora e 5 minutos da tarde. (Recebido
{ s 2 horas e 10 minutos, pela linha ter-
restre).
Fol elello em 1.' escrutinio pelo
K>.o diMtrleto de Mina* Cierne. r.
Jomo Caelano d'Ollvelra Soaia (C).
__ Pelo 5 dlotrlcto da me*ma pro-
vincia vo *. escrntlnlo o Dr. Jone
Candido de Soaia Vianna (C) e Dr.
Pacifico do Amara! (IV.
_ Sobre o l*. dintrictoda dita pro-
vincia na tfuvlda obre quem es.t
eleto.
A jauta aparadora do lO. dl-
trlcio da referlila provincia de Mi-
na tcrni. dividi e na apuracfio.
Dea de tea* mrmliro expedlram
diploma ao Dr. Francisco Bernardt-
no Rodrigue Silva (C) e el out-oa
espedtran diploma ao Dr. Joo Xo-
(ueira Penido( b). De tudo fol lavra-
da apena urna acta, que nene do
diploma ambo.
JARTE OFFICIAL
snvig-3 ^ A&3KI. sata:
(Especial para o Diario)
PARS, 29 de Janeiro.
Ei rewtabelecida a Rainba D. Isa-
bel.
LONDRES, 29 ie Janeiro.
Acredita e ano o averno reg
celta o conelho da rrnad:' po-
tencia europea e vae proceder ao
denarmamento da tropa da re-
aerva.
LONDRES, 29 de Janeiro, noite.
S. M. a Bainha Vidorria concedeu
a demiHO> que Ibe foram pedida
pelo minitroM.
LONDRES, 30 de Janeiro, de manha.
*i. 31. a Rainba Victoria incumbi o
Sr. tiladton da formaco de nm no-
vo gabinete.
Ag.ncia Havas, filial em Pemambuco,
30 de Jaaiiro de 1886.
1HSTRCC10 POPULAR

GeograpHia geral
Extrahido
OA BIBLIOTUECA DO POYO E DAS ESCOLAS
{Qonttnuafo)
ASIA
SIBERIA
14,000:000 kilmetros quadrado* 6.000:000
abitantes- Menos de 1 habitante por 2 kilme-
tros quadrados.A Sibera tem por limites : ao
norte o ocano Glacial, leste o Grande Ocano, ao
sul a China e o Turkeetan, a oeste a Ruasia eu-
ropea. Os runos penatraram na Sib-ria em 1580,
mas b em 1711 conquistarais o Kamtchatk. Ks-
tenderam successivamente as suas conquistas, jan-
tando-lhes nos ltimos annos urna grande parte
da hacia do Amur, a costa da Mandchuria, Mongo-
lia e do Turkatan. O tratado de Berlin (1878)
aindi lhe trouxe augmento territorial. A parte
septentrional o lugar de exilio para 03 condemnados
tossos. Ricas minas de ouro, prata, ferro e cobre ;
pedras preciosas. No norte o frie torna a cuitara
mpossivel, mas o sal e oeste sao muito feriis
Grande commercio de pelles.
Capital, ToboUk, 30:OCO habitantes; emporio
das pelletarias da coroa e das mercadoria da
China.
cidades PHraciPAES : Irkutsk, 30:000 habitantes:
Omsk, 16:00j habitantes ; Tomtk 13:000 habitan-
tes ; Petropaulovsk 1:100 habitantes ; capital do
Kamchatka, porto principal da Rusta no Grande
Ocano.
TRANSCAUCASIA
200:000 kilmetros quadrados2.500:000 habi-
tantes-12 habitantes por kilmetro quadrado.
A Trant&iuecuia, a leste do Caucaso, compoe-
ve de tribu, diversas eai origens e costumes. o
sujeitas, ms.is nominalmente, que de facto, aos
rasaos. Divide-se em 3 prorincias : Georgia ca-
pital, Tifti, 60:000 habitantes Armenia Kussa,
capital Erivan, 14:000 habitantes Daghejtan, ca-
pital, Derbent, 13:000 habitaates. Bak, 13;000 ha-
bitoutes ; porto fortificado no mar Caspio.
{Continua.)
Governo Ja Provincia
EXPEDIENTE DO DA 22 DE JASEIBO DE 1886
Actos :
O presidente da provincia, de eonformidade
com a proposta do Dr. chufe de polica, constante
do offieio n. 61, de hontem datado, resolve nomear
o te lente Severino Barbosa da Silva No para o
cargo de 2.8 sapplente do delegad) do termo de
Bom Jardim, em substituido de Jos Januario
Pereira de Queiroz, que nao aceitou a nomracao.
O presideute da provincia, de eonformidade
com a proposta do Dr. chefe de polica, constante
do offieio a. 64, de hontem datado, resolve nomear
Mauoel Co rea ie Cr*sto par o cargo de 3." sup-
plente do subdelegado do districto de Queimadas,
do termo de Bem Jardim, em substituico de Joa-
quim Feliciano Bezerra de Aguiar, que nao acei-
tou a nomencSo.
O presidente da provincia, de eonformidade
com a propesta d Dr. chefe de polica, constante
do offieio n. 61, de hoptem datado, resolve nomear
Heliodero da Silva Cabral pira o car^o de 3.
supplente do subdelegado do 1. districto do ter-
mo de Bom Jardim, tm subjtitu;c,io de Honorio de
Parias Maciel.
O pi eaidente da provincia, de eonformidade
com a prop )sta do Dr. chefe de polica, constante
do offieio n. 61, de hontem datado, resolve nomear
Joo Barbosa da Silva No e Mauoel Pedro da Pai-
xlo para os cargos de 2. e 3. supplenteg do sub-
delegado do 3." districto (Sem Vejde) do termo
de Bom Jardim, em substituidlo de Eufrasio An-
tonio da Silva Vianna, que ne aceitou a nomea-
cao, e de Joo Luis Das Borba, qu. fica exone-
rado.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
O presidente da provincia, de eonformidade
com a proposta do juiz de direito da comarca do
Rio Formoso, resolve nomear Ladislao Nery Costa
e Silva para o cargo de adjunto do respectivo
promotor, no termo do Rio Fiwmoso, devendo pre-
star o juramento do eetylo no praso de 30 das.
Communicou-se ao juiz de direito e ao comeado.
ffieios :
Aj Dr. chufe de polica.Providencie V
S. paia que o carcereiro da cadeia da cidade de
Bezerros informe a rMMttO do procedimento do
reo Jos Joaquim de Oliveira, condemnado em 11
de junho de lb82 pelo jury do termo da mesm-i
ilenomuacao, como incurso no grao medio do art.
205 do cdigo criminal.
Ao mesmo. Reitero a V. S. a requisico fei-
ta por esta presidencia, em offieio de 7 Je No-
vembro, ni sentido de ser apreseutada pelo sen-
tenciado Juo Pedro, escravo de Joao Cavalcante
de Albuquerque Uchoa, o qual se acha na Casa de
Detencao, a petic&o que tem de dirigir ao poder
moderador, visto ter interposto recurso de graca.
A peticao deve ser acompanhada de nfermacao
do administrador daquel le estabelecimento, acerca
do comportamento do mesm-) sentenciado.
Ao raesmo.Providencie V. S. para que seja
apresentada pelo reo Jos Joaquim Cachoeira, que
se acha na Casa de Detenco, a petico que tem
de ser dirigida a S. M. o Imperador impetrando
pirdo da pena de gales perpetuas, imposta pelo
jury do termo de Ingazeira.
A pe ti cao deve ser acompanhada de informacao
do administrador da Casa de Detencao, relativa-
mente ao comportamento do mesmo reo.
Ao iuspectoi da Thcsouraria 00 Fazenda.
Remetto a V. S., para 03 fins convenientes, a*
inclusas notas do gaz consumido no mez de De-
zeii'.b.--. hado, eora a illuminacjta dos quarteis do
2. e 14. batalhes de iufaotaria, companhia de
cavallaria e enfermara militar, e bem aaaim a in-
formacao jnnta pir copia, do engenbeiro encarre-
gado interino d is obras militares, de 20 do cor-
rente, sob n. 9, relativa ao mssmo consumo.
Ao mesmo.-Mande V. S. pagar a Fielden
Brothers, empresarios da illuminacao publica, a
importancia da subvencao concedida para luzes do
palacio desta presidencia, relativa ao trimestre
decorrido de Outub.ro a Dezembio do anno prxi-
mo passado.
Ao juiz de direiio da comarca de Bezerros.
Para instruir o recurso de graca de Jos Joa-
quim de Oliveira, convja que Vmc. providencie
no sentido de ser remettida a Secretaria desta Pre-
sidencia a certidSo do processo, em virtude do
qual foi elle condemnado no dia 11 de Juuho de
1S82 pelo jury do termo de Bezerros, no art. 205
do cdigo criminal.
A certidao deve ser acompanhada de informa-
(ao do juiz da condemrraao, conforma preceita
o aviso circular n. ^87 de 28 de Junho de 1866,
contendo a inesma informadlo as declara^oes de
que trata o aviso circular de 18 de Abril do anno
passado, com referencia aos co-ros, no caso de os
ter havido.
Ao juiz de direito da cemarca de Iogaz-ira.
Para ser instruido o reiurso de graca do reo
Jos Joaquim Cacboeira, actualmente na Casa de
Detengao, contrm que Vmc. providencie no sen-
tido de ser remettida a secretaria desta presi-
dencia a certidao do processo, em vista do qual
toi elle condemnado a gales perpetuas pelo jury do
termo de Ingazeira.
A certidao de va ser acompanhada de informa-
fo do juiz da condemnaeao, conforme preceitua o
aviso circular a. 287 de 28 de junho de 1865, dc-
venJo a referida informacao conter as declara-
res exigidas pelo aviso circular do 18 de abril do
anno passado, com relac,ao aos reos no caso de rs
ter havido.
A' commisso redemptora.Com os officios de
26 de novembro e 29 de dezembro ltimos foram
remettidos por V. S. o documeuto relativo appli-
cie,a) da 3a quota do fundo de emancipadlo pro
vincial, correspondente ao producto liquido da 17
e 18a parte das loteras destinadas ao dito fundo
na importancia de 1:796/1 com a qual foram li
bertados 27 escravos que concorreram com os pe-
culios de 2:556/1.
T. ndo ouvido respeito inspector do The-
rouro Provincial, approvo as contas apresen:adas
para o fim de ter baixa a respectiva flanea.
Outrosim, fiquei inteirado de haverem sido li
bertados, por occasiao da entrega das cartas, mais
56 escravos. sendo 50 a expensas do Visoonde de
Mecejana, 4 a expensas da Sociedade A ve Liber
tas e 2 por offertas fetas a essa commisso com a
qual me cengratub. Communicou-se ao Thesouro
Provincial.
Ao Sr. Domingos Joaquim da Fonseca, pre
sidente da mesa eleitoral da 6 seeco da paro
chia do SS. Sacramento da Boa-Vista.Devolvo
a Vmc. as copias annexas ao seu offieio de 20 do
corrente mes, relativas & eleicZo a que ltima-
mente se proceden nessa seeco, afim de serem
conferidas e concertadas por tabelliao publico,
conforme determina o art. 151 do regulamento que
baixou com o decreto n. 8213 de 13 de agosto de
1881.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.
Ao juiz ie direito dos orpbaos da comarca desta
capital mande Vmc. entregar os 42 volumes, de
que trata a copia inclusa do offieio do director do
presidio de Fernando de Noronha, n. 31, de 10 do
corrente, contendo o espolio do sentenciado Joa-
quim Martina Gomes.
Ao Sr. Henrique Luii de Barros Wanderley
Lins, Toreador da Cmara Municipal de Seri-
nhlem.Respondo ao offieio de 7 do corrente mez,
declarando qne a Vmc. enmpre continuar no exr-
cicio do cargo de presidente dessa Cmara, at
que aejo eleito quem deva exercer o dito cargo, no
corrente anno.
Portaras:
A Casara Municipal de Villa Bella.-De-
clare a Cmara Municipal de Villa Bella que nao
podem ser approvadas as arremataedes aos im-
posto! constante! do termo anoexo ao seu offieio
de 19 de outubro do anno findo, por quinto do re-
ferido termo consla que foram arrematados os im-
postos de chao de ba, sang>ic edizime de miuc/is
dos quue* n.lo trata a le u. 1862 de 31 de agosto
de 1885, aeeresceudo que coii'ra as orden* desta
presidencia, rauitas vezei recomn:nladas, foram
englobadamento realisadas as mesuiis arremata-
cues.
Cumprc, portanto, que a Caara atOTideans
afim de que sajara lvalos aovamonte pri^i cora
a devida publicida.de, 03 imposto dessa municipio
os qu ios deverao s-jr arrem dados cada uin M
per s, com a d nomiuai;!) q u Ibes d a citada le
n. 1862 do que se far inep$o na respectivo
termo.
Previno i Cmara que, si os arrematantes de
i np >stos nao tizeren deposito de dinheiro ou de t-
tulos do divida publica para girantia de seus d-
bitos, devera exigir qu9 tal garant a de rffectue
por meio de hypotheca Icgalmente constituida pe-
los mesm >s arrematantes ou seos fiadores.
O -Sr. superintendente da estrada de ferro
do Reeife ao S. EVancis maule dar transporte
amanlil era earro de 1* classa da eetaejao das Cin-
co Poutas a da Una para serem opportunamente
descantadas das passagens gratuitas a quo o go-
nra i tem direito, ao alfercs do corpa de polica
Bellarmino Pinto di Pava e as suas duas filha*
DD, Laura Mara de i/aivi o Faintiniana Maria
de Pava, cora bag igem, e em 3 classe a tres
pravas do mesmo corpo que o ac npanbam
O Sr. encarroado da eittQo do Uad)
prolongimeato da estrada de forra do Rcoifi ao
S. Francisco mande d ir transporte ara carro de ll
classe da estaca' do Un* a de C.in!iatinh> por
conta da provincia ai a feres do corpa da polcia
Bellarmiuo Piuti de Pava c a duas albas do
mesm > do nomes DD. Laura Mara de Pava e
Faiistiniaii Maria do Pava, c ira bagagera e ara
3" classe a tres pravas do ra:sni) corpo que o
acompauham.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Ao Dr. juiz do direito dos orphlis da co-
aarca du R-cife.De orJem do Exm. Sr. conse-
lheiro presidente da provincia devolvo a V._ S,
em s,lelo de seu offiao de 31 de Outubro ultim >
a prcatora o que allule o citado offi:io e b un as
sim relcelo dos o'ajectos p'rieucente* ao espj-
lio do sentenciado Joaquim Martiis Gon^a
Aoorapanhi o prsente otfi?io a quan'ir. de doze
mil rit (120J)) p rteneent-'S ao mema espolio
qne foi reraottdo ltimamente d"> presidio de Fer-
nando de Naronba acoii'licionad > dous volum;s cuja entrega S'jr Gaita a V. S. con
formo ordenou-3e ao gerente da C)uopanUa Per-
nambueana de Nivega^-lo.
Ao agente da Companhia Bi-asileir.De
ordem do Ex n. Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia, aecuso o recebmento ida offi;ia em que V.
Exc. communiea que o vapor Baha che;ado dos
portas do norte hoj-, s 6 liaras da manba, segui-
r para 03 do sul aminhl, s i horas da tarle.
EXPEDIENTE D0 DIA 23 DE JANE(B) DE 1836
Acto :
O presidente da provincia, attenlendo ao
que requerou o promitor publico da coinar a do
orejo, bichare! Joto Buarque de Lima, resolve
eoacodor-lhe tres raez's de lcenca, cora ordnalo,
para tratar de sua saude, devenda entrar no giso
da referida licenc/i no praso de 25 das.
Offieio:.:
Ao inspector do Arscoal de Mariuha. Para
qaae cita Pro.il .'iieia p03:-aresolver robre a reqil-'
su,!' de mdicamentos destinados ao cruzador
Quaaabara, de 'pie trata V. Exc. ora seu offieio de
12 ueste mez. sob n. 13, torna se pjeeiso que esta
inspeejao forneca o orcimento da rcspictiva des-
peza, conforme declara a Tnesouraria de Fazenda
na informac", junta cm ongnal de 18, sob n. 30.
Dcvo diser-lbe, cora referencia ao seu offieio
de igual data, sob n. 14, a respeito do augmento
preciso verbaMunieSo Naval, que uesta data
dinji-meao Ministerio da Marinha, solicitando o
mencionado augmento.
Por occasiao da remessa daquells ornamento,
sirva se de devolver-ave os papis qua ora lhe en
vio.
Ao canmanlinte do Corpo de Polica.Ao
Dr. chefe de p ilicia, aaande V. S. apresentar sete
pracas c um inferior a fim de escoltaron at a ca-
pital da Parabyba cinco criminosos que seguirao
para aquella provincia, seg -hdo solicitou o Dr.
chefe de polica, a bordo do vapor Espirito Santo
esperado dos partos do sul no dia 27 do corrente
mez.Commuicou-se ao Dr. chefe de polica.
Ao inspector da Thesourarla de Fazenda.
Commnnico a V. S., para os fius couvenirntes, que
o juiz de direito da comarca de Pao d'Alho hacha-
re! < incalo de Azevedo Faro reassumio hontem o
exercicio e seu cargo.
Ao mesmo.Communiea a V. S., para 06
fin3" convenientes, qne o promotor da comarca de
Rio Fonn s), bacbarel Francisco Santiago Ramos
era 19 do corrente mez reassumio o exercicio de
seu cargo.
Ao mesmo.Cemmunico a V. S., paraos fins
convenientes e em respoata ao seu offieio n. 35 de
19 do corrente que recommendei ao almoxar fado
do presidio de Fernando de Noronha que assista
ao Lame, conferencia e embarqae dos gneros que
devem seguir para o sobredito presidio no prximo
mez de FevCreiro.
Ao mesmo. Nos termos da sua informacao
de 20 do corrente, n. 39, mande V. S. pagar ao
superintendente da estrada de ferro do Recite ao
S. Francisco, a importancia de 13A710, de que
tratam as inclusas contas documentadas prove-
niente de transparte concedidos nos carros da mes-
ma estrada, durante o mez de Setembro ultimo,
por conta dos Ministerios da Guerra e da Agri-
cultura, Commercio e Obras Publicas.Communi-
cou-se ao superintendente.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar por conta
da verbaDiversas despezas e eventuaesde Mi-
nisterio da Gueira, a que s refere a sua informa
cao de 20 do corrente, n. 39, a importancia de 800
ris, proveniente dos transportes concedidos em
Agosto ultimo, na estrada de Caruar, ao desertor
e pracas de que trata a inclusa conta documen-
tada.
Ao director do Arsenal de Guerra. Devol-
vendo a Vac. as peticoes que vieram annexas ao
seu offieio n. 143, de hontem datado, autoriso-o a
admittir na companhia de aprendizes artfices des
se arsenal, os menores de i^ue tratam as ditas pe
ticoes, visto acbarem-se eliei as condicoes pros-
criptas pelos arts. 165 e 166 do regulamento n
5,118 de 19 de Oatabro de 1872.
Ao jaiz da direito da comarca da Victoria.
Providencie Vmc. para que seja remettida a se-
cretaria desta presidencia a certidao do processo
de Manoel Vicente Ferreira, que interpos recurso
de graca da pena de 20 annos de gales, que lhe
foi imposta em 16 de E'etembro de 1884, pelo jury
do termo de Santo Anto.
A certidao deve ser acompanhada da nforaaa-
cSo de que trata o aviso circular n. 287 de 28 de
Ji.n'io de 1865, contendo as declaracoes a que se
refere o aviso circular de 18 de Abril do anno p is-
s ido, com relaco aos co-ros, no caso de o* tr
ha vi Jo.
Ao Sr. Clementino Alves de Siqueira Caval-
cante, presidente da mesa eleitoral da paroebia de
Nossa Senhora da CunceicSo da Pedra.Devolvo
a Vmc. as actas annexas ao sen offieio de 15 do
corrente mez, relativas a eleicio procedida ltima-
mente nessa paro chia, afim de serem conferidas e
concertadas por tabelliao publico, conforme deter-
mina o art. 15 do regulamento qne baixou com o
decreto n. 8,213 de 13 de Agosto de 1881.
Ao Sr. almoxarife do presidio de Fernando.
Attendendo ao que solicitou o inspector da Tne-
souraria de Fazenda, recommendo Vmc. qua as-
sista ao exame, conferencia e embarque dos gene-
ros que devera seguir para o presidio de Fernanda
do iVorooha, no prxima mez de Feverera.
Portabas:
O Sr. supern'e i late da estrada de ferro do
R-tcif: ao S. Francisco, sirva-su do mandar con-
ceder pisja^eoa que serli oppartunuinents descon
talas das gratuitas a que giverno tem direito
da estaedo de Cinco Puntas a de Una, de 1' cas
se, ao alfercs do corpa de polica Porfirio Pope Ci-
rilo, e do 3, a 4 pracas c a re.'p.cctiva biga-jem.
O ar. superintendente da estrada de ferro do
Reeife ao S. Francisco, srva-sa de mandar con
ce 1er paasagem de 3 classe, que seria opportaua -
m intJ descontadas das gratuitas, de Cinco Pontas
a di Aripib, ao soldado do corpa de polica Au
tonio Norberto da Silva, e a de Una, as pravas do
mesmo corpo Fortunato Tavares Bastos, Jovino
Antonio dos Prazeres c Joao Flix da Silva.
O Sr. encarregado do prolongaaaeuto da es-
trala de ferro do Reeife ao S. Francisco, na esta-
blo de Una, man le conceder passagera at S. Bc-
ne licto, pjr conta da provincia, de 1 classe, ao
alteres de polica delegado do termo de Gamellas
Porfirio Popo GirSo, e de 3, a 4 pravas que con-
doaera fardameoto para o respectivo destaca
ment.
0 Sr. agente da Companhia Brasileira faca
transportar na primera opp irtunidado para a ci
pitil di Par.ihybi, o par conta do Ministerio d..s
NVe;icio3 da Justuc, 03 criminas >s Jo3 Soares i'a
Silva, Martiniano Jorg3 do Paras, Manoel Jlo
Pereira dos Sautos, conhecido por Manoel lienta.
Sabino Jos Bezerra e Bsllarmino Jo= Moreao de
Ol v ira, 03 quaes ftram requisitados pelo chef
de pilicia d'aquclla provincia.
Por conta do mesmo rainsteria terda parsagem
as 8. pravas que va escoltan lo os sobreditos cri-
minosos.
EXPEQIKXrE DO SECRETARIO
Offieoi :
Ao Dr. chefe de palca.O Exm. Sr. conse-
lheiro presidente da provincia manda coinmunicar
a V. S., que era seu offieio n. 15 de 5 do corrento,
proferio em 8 o seguate despicho : Reraettdo
ao Sr. director do Instituto Vaccinieo para satis
fazer o pedido.
Ao inspector do Thesouro Provincial. De
ordem do Exm. Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia communico a V. S., para os fins convenien-
tes, que por offio de 11 da corrente declara o
bacharel L liz Barbulla Ucha Cavalcante, haver
a33umdo nesso da o car?o de ajudante do pro-u
rador dos fetoa da fisenda provincial na districto
da colleetoria do limito, pra o qual fra ltima-
mente nomeado.
DESPACHOS DA PBE31DEXCIA DO DIA 2J DE
JANEIRO DE 1886
Auna Seiihsrinha Manteiro Pe33>a. R"rnrrtti i
a junta mediea provincial a quera a supplcante
so apreseutara para ser inspeccionada.
Brasilina Augusta Lumachi de Mello. Infor-
me o Sr. nspectir da Thesouraria de Fazenda.
Dina da Silva Coutinho.lndeferdo.
Generosa do Reso Medeiros Civalcante de Al-
buquerq-ie.Indeferido.
JoSo Rufino Barbosa Informe o Sr regelor
interino do Gymnasio Per'iambucano.
Jos Barbosa da Cunha Moreira. A vista do
pareas da jun'a medica, nao te.n lugar.
Cap'ao Jos Canuto Santiago Ramas.Infor-
me o Sr. nipeetar do Thesouro Provincial.
Jos da Cista B irros e outros.Informe o Sr.
Dr. chea* de poliein.
Jos da Cunha Liberato de Mattos. Justrfieo
a? faltas. Deoois de notado na sec^ao do archivo
da secretaria do goveruo, ron:tta-se eBte reque-
riraento a Thesourara da Fazenda para os fins
convelientes.
Joaquim Galeno Coelho. Eutreguera-se, fican-
do reciba.
Jos Ignacio d'Avila. Informe o Sr. inspector
da Thesourana ^e Fazenda.
Manoel Januario de Arruda.Informe a Cama
ra Municipal do Reeife.
.Manoel Barbosa Morera e outros. Informe o
Sr. Dr. chefe do polica.
Tiborco de Oliveira e Souza. Informe o Sr.
inspector da Thesouraria de Bateada.
Secretaria da presidencia, de Pernamba-
co, em 30 de Janeiro da 1886.
O porteiro,
J. L. Viego*.
ltcparfico da Polica
Seceso 2 -N. 95. -Secretaria da po-
lica de Pemambuco, 30 de Janeiro de
1886.-Illm. e Exm. Sr.Participo a V.
Exe. que das coratnunicacoea da Casa
de Detengo, nao consta que foase hontera
recolbido individuo algumn aquello estabe-
leciraente.
Hontem a tarde, foi ferido era Caxan-
g, com tres facad&s, o individuo de nome
Antonio Joaquim Francisco Alera, mora-
nesta cidade.
Foi autor do crirae um outro individuo
de nome Manoel Rocha, que conseguio
evadir-se, neo obstante as deligemcias em-
pregadas para captralo pelo subdelegado
do districto.
A tal respeito abriu-se o inquerito.
Pelo subdelegado districto da Torro
foi remettido ao Dr. juiz de direito do 3o
dislricto criminal o inquerito policial a
que procedeu contra Casimiro da Costa
Mello, preso em flagrante pelo crime de
ferimento leve praticado, em a tarle de
24 do corrente, na pessoa de Francolino
Jos Damaceno.
Deas guarde aV. Exc.111 m. e Exm.
Sr. conselheiro Jos Fernandos da Costa
Pereira Jnior, muito digno presidente da
provincia. O chefe de polia, Antonio
Domingos Pinto.
---------------*SQOm----------'
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 30 DE JANEIRO DE 1886
Avelino de Sonza Lima, officios do Dr. chefe
de polica e Jos Canuto Santiago Ramos.Infor-
me o Sr. contador.
Alexandte Jos M. de Hollanda Cavalcante.
Cumpra se, regstrese efacam-se os deyidos as-
sentameutos.
Vicencia Perpetua Freir de Araujo, Alexan
dre Antonio Rodrigues, Fielden Brothers, padre
Joo da Costa Bezerra de Carvalbo e Joo Cli-
maca de Miranda.Ao contencioso para cumprir
o despacho da junta.
Manoel FerreiraInforme o collector de Olinda.
Antonio das Chagas Rodrigues Machado e An-
tonio M. do Espirito Santo.Ao Consulado para
attender.
Contas do ex collector da Victoria, Dr. Cosme
de S Pereira, Bernet <& CHaja vista o Sr. Dr.
procurador fiscal.
-------------------TCOO^~---------------"
Consulado Provincial
DE8PACH08 DO DIA 29 DE JANEDJO
DE 1886
Antonio Berardo de Lima Mendos, vul-
va de Hermino Ferreira da Silva, Zeferino
Jos da Costa Valente e outros o Pava
Oliveira & C. Informe a 1' seccXo.
Correia & C. Sucoessoras e Adolpho &
Ferr.Io. A' 1" se :c5o para os devidos tins.
Antonio Arthur M. de Meadonsa. Ia-
for.ne a 2a MCfto.
Anglica Francisca Bastos. Informe a
1* secfo.
Antonia Mirgarida dos Sant03. Certi-
fiquj-se o que constar.
- 30 -
Mara Joaquina das Dores.Informe a
l* secgilo.
Polhman & C.Dirjam-se ao Thesouro
Provincial.
Flix Fercir.t e Satiza o Francisco Fer-
reira Balear. -Informe _a 1" seeco.
Carlos Botelho do Arruda Certifi-
que se.
Cmara Municipal
DESPACHOS DO DIA 29 DE JANEIRO
Pdo Sr. vereador ommissario da poli-
ca :
Be -narJino de Satiza Duarte & D., pedind > l-
cenca para abrir um cstabelecim-nto de (averna
ni pavimento terrea ito predio n. 2 ra de Joao
da R g) fregu-zia de Santo Antonio.Como re-
qner.
D niin;; s Jo: Avila, para abrir um esfabole-
cimeato de gneros de estiva era ura dos compir-
tttieatos da essa n 17 ra de S. Joao, fre^uezia
de S. Jos.C>mo requer.
Ernesto & Lop>ldo, pira mandar conc-rtar o
e-.icanara'.-nto d'agna do si-u predio n. 22 na
arga do Risario, proc-edendo se a necessaria es
;avar;Jo.Como requer aprccutand) autorisa^ai
das Obr's Publicai.
Jos Guedes & C, para abrir um deposito de
secc :scn ama casa sita a estrada nova da povoa-
co de Casanga, tregirza da Varzea Coma re-
quer.
Joaquim Morara de Sampaio. p?dindo lcenca
para m indar proceder escavacao. nfim de cana
Ibar agua para as oasis de ns. 3, ra de Ker-
niud s Vicra, 11 A do Dr. Nabuco e 112 do C)
ronel Suassuna-
. Pelo Sr. Cu3*>J do Rugo, commissario d<-
itdificacoes
-narlo Joa da Richa, pedmdo licaoea para
r. n lar correr o teihado de Uai casas de ns. 12 \
ra da Assuimieao, 103 e 107 de Vidal do N'c-
i, 9 le Ipir.anea, 1. 12 e 19 Jo Padre Fio-
runo, 72, 78, 61, 75, 76, 77 e 78 ao becco da Ma-
triz de S J'oi-, das na fregu-zia deste noine
Sim, dando sciencia ao fiscal.
Maria Je uina da CnaceicSo, pa a mandar cor-
r- r os telbadoa de suaa casas e tomar pequeos
rebde s pirciaei as casas de ns. 35 ra do Pa
dre Floriano, 15 o 17 do Porto e 2J do Duque
de Caxiss, todas m fregnezia d Santo Autonio.
Como pede dando sciencia ao fiscal.
Secretaria da Cmara Municipal doP.;
cife, 30 de Janeiro do 1 386.
O portmW)
Leopoldiao C. Ferreira d-x Silva.
DIARIO DE PERHAMBDCe
Kepospeel.; pol'co o aaa
de iS>,5.
LContinuarao)
IMil.ATKKRA
Segundo noticias receidas na Europa, rs
anarchistaa irlamlrz residentes nos Estados-
Unidos, os cliain;idos--i'yi''f')o"fWs,-senliraiu enor-
me jubilo ([liando souberam dos novos estragos
que os consocios tiiiliain causado em Londres.
O orimeiro I i na que Btes den a pro-
vavclinenie j esperada nova, < que levou por
assjgaatura estas duas palatras : Numero
Um, foi iiiiiiifilialaiHenle allixado nos escriplo-
nos do celebre revolucionario O'Donovan Ros-a.
Conitudo, dizia quem de New-York transmi-
ti a ualicia, alguna enlhusiastas da dyoararte
sao de parecer que se torna necessario parar
por algum tenijio na obra da destruic&o, por isso
ijue, cm vista dos tactos era provarcl que o go-
veruo inglez se sentissc disposto a dar Irlanda
um parlamento indgena e a fazer-lhe outras
concesses que elll exige.
Parece, eom elTeito, que o tradiccional orgulho
bntanmeo 6 a ganancia dos Imul lanb nao poile-
ro mais oppor-se prolicuamenle is aspira
da pauprrima e por tanto lempo maltratada
Irin, cujos movinienUis patriticos j vao earan-
trando sympailiias na propria Inglaterra.
Emquanto o governo da rainha Victoria proeu-
rava regular com as demais potencias euro-
peas a situaco econmica do Egyptotrislissi-
mo exemplo do que ainda hoje pode fazer a im-
moralidade inlernaceional do Oeidente : em-
quanto as ezplosOea da dynamite atterravam a
populacao de Londres, os soldados inglezes do
corpo expedicionario de lord Wolseleymarcha-
vam atravez o deserto, em direcc8o a Khartoum,
onde iam em soccorro de Gordon, o animoso
aventureiro e estranho patriota que, na parase
de um chronista, estava alli como sentinella per-
dida do seu paiz esperando, havia um auno, a
hora da rendicao!
Lord Wolseley, dizia o mesmo escriptor, como
quem csnliece as difliculdades da empresa de
que se encarregou, nao quiz ser precipitado, em-
bora a ioipaciencia dos que na Europa segucm
com o mais vivo interesse as peripecias da ex-
pedigao. Antes de expr os seus soldados
sede e ao cansaco de extensa e mortilicante ca-
minhada, durante a qual o menor dos perigos
seria um encontr com o inimigo, o commandan-
te em chefe das forjas expedicionarias quiz pre-
parar-se convenientemente e tomar todas as pre-
caueftes e medidas que a gravidade do caso re-
quera. O a razao porque as suas tropas foram
to demoradas a pr-se em marcha.
Anal chegou a hora da acco.
Ao passo que urna columna sob as ordens do
general Earle foi encarregada de subir pela mar-
gem do Nilo, o general Herbert Stewart encami-
nhou-se com 1:500 homens para Metammeh, cuja
posse devia abrir-Ihe o caminho de Khartoum
Por sua vez lord Wolseley marchou sobre Korti,
no intuito (lesoccorrerasoutrasnolumnas.ru
caso de neeessidade.
Sir Stewart, depois de penosa marcha, encon-
trou-se. pela priiiii'ira vez, com o inimigo na lar-
de de l'i de Janeiro, junto aos pocos de Abou-
Klea, onde estera desejoso de etogfer, mas on le
vio tomar-Uiea frente o exercito do nialuli. com;
de 10:000 homens. Na manha de 17 co-
oecou a batalha, que .-i'prolongouatasahonis
da larde. A Inta ibi por eerto das mais arden-
tes e ivnliidus. porquaqto os ingleses deixaram
ainda una vez, (|ue o inimigo llies rompisse o
quadrado, e viram no lim do comBate o seu pe-
queo contingente diminuido em nada menos de
OO homens, dos quaes 18 ofliciaos morios ou fe-
ridos. Perden a vid-t aesseencontr o coronel
Burnaby, unidos mais brilhantes olliciaes do e\-
crcito iogtez e muito conheciilo pelo genio auda-
cioso que mostrouemdiffirentesTiagenB arris-
cadas.
Einlini. os inglezesficaram senJaores docainpi
de batalha e dos pon- de Abu-Klea, temi o^
bimigos deixado 800 homens fra de cmbale.
Tmlo i.--1 era apenas o comees prfidamente
Ksongeiro de omaempresaem que as armas li;i-
tannicas tfaham de ser bem mal snecedidu.
A columna, alias pequea, commandada por
su' Herbert Stewart, continnou no emtanto asna
marcha, at que se dea outro encontr, em que
esse proprio genera] foi gravemente ferido. Mas
as tropas ingletas ai liavam-se j perlo do Nilo e
approximaram-se de Metammeh, oqoe-davanma
apparencia de gran le xito aos combates sus-
tentados heroicamente pelo general Stewart, tao
mais quanto, ab chegarem perto do famoso r i
africano, os soldados da Gr-Bretanba encontra-
ram alguns vapores enviados de Khartoum pelo
proprio Gordon, segundo se acreditou.
ii- ingfeies julgaram por um inoinenlo salvo e
iido patria o vatente cfdadQo que por ella
espo-eru a vida co n extraordinario heroismo.
A i >u pouco. infeliamente.
Sir Wilson. que linha suhslituido no comman-
do ao general Stewait, em consequencia do IV-
rimento qne este recebo; segnio com aquella
llolillia Nilo cima, at Khartum, onde chegou no
ilia 28 de Janeiro. Mas em vez de scracolhido
como nm libertador ansiosamente esperado, foi
recebido i tiros,oqueoobrigoua retirar preci-
pitadamente.
A ciiheir havia cahi lo, lona das antes em po-
der do ilaii li. vencedor, pelaforcaoarpelatrai-
i ,*i i. circumstancia que nao foi completamente
elucidada.
l). modo que, por urna fatalidade terrivel, a
resistencia nuraculosa que Gordon por tanto te n-
po oppozera as s, suecumbio, por assim
dizer, na propria hora em aucohene ia ser soc-
corrido! A coincidencia foi to sorprendente,
que se chegou a suspeitar que os governos Dri-
ianico e Bgypcio livessem sido illudidos por
aquelles que. antes da expe lico, davam a ca-
pital da Nuliia em poder do animoso inglez cuja
ile>-raca talvez datasse no enlamo de ajginaaa
semana- ou mesmo de alguna mezes anteriores
chegada de sir Wilson dbante da mesma ca-
pital.
Como qner pe fosse, Kartpnm baa cabido
em poder dos rebeldes e Gordon nao appareca.
Elle tina saludo de Londres a 18 de Janeiro de
1881 com a missao de pacificar o Soldao c fa-
\ irecer a retirada das guarnioOes que oceupavam
essa provincia.
Chegou ao Cairo la de Janeiro c parti para
Khartoum dous dias depois. em companhia do
coronel Stewart. A 9 de Fevereiro chegou a Ber-
ber, onde soube do morticinio dos soldados de
llaker-l'acha. A 18 cbegOU i cidade para onde
se diriga. No mez seguinte Kartoum era sitiada
pelos rebeldes, e as noticias directas dsgeneral
Gordon tornaram-se rarissunas .em consequencia
do creo. A 30 de Margo recebeu-se, carta
delle. em que dizia ter ndo lucias (renuentes com
o niimfgo. Em Abril informou sir Evelyn Bu-
rmg de que folia frente aos rebeldes emquanto
podesse. e ipie reprimira a revolta, se as cir-
cumslancias o permiussem. Em Julho escreveu
au inudir de Dengola dizendo-lhe que era apenas
de 8,000 o numero dos defensores de Kartoum,
que tal forja era insufficiente e que licava espe-
rando promptos reforcos. cujo pedido repetio no
mez seguinte. Em Outubro dase em Berber o
assassinato do coronel Stewart e seus compa-
nheiros. Gordon confirma essa noticia por arta
de 9 de Novembro. A 14 do mez subsequente o
general Gordon diz que tudo corre perfeitamente
em Kartoum, o que confirma na ultima communi-
cac5oque se recebeu delle, e que era datada de
29 de Dezembro. A valenta e a dedicagao tor-
navam-n'o optimista. Todava, se dermos crdito
a outra versao, Gordon fiaba a certeza de que nao
voltaria mais a Inglaterra.
Ao partir para o Soldo deixara elle a seu ami-
go Mallock um manuscripto em que expunha to-
das as suas opinies, que desejava se tornassem
universalmente conhecidas. Effectivamente o ma-
nuscripto foi publicado n"uma revista ingleza sob
o titulo de Mensagem do General Gordon As
ideas manifestadas n'esse documento eram as de
um visionario apocalypitico sujeito aos sonhos
mais extravagantes. O que de bem claro se po-
da colher da leitura de tal Mensagem, que Gor-
don entender escrever seu testamento ao uartir
para o Soldao com a firme crengaescreveu o
dito seu amigode que d'alli nao voltaria vivo.
Tambem se disse qne outro amigo do genera1,
residente no Cairo, recebera em Dezembro urna
carta d'aquelle, contendo estas palavras: Adeus.
Nao teras majs noticias minhas. Suspeito que ha





IIHHI


Diario de PcrnambucoDooiingo 31 de Janeiro 1886
traidores na guarnigao. Pelo natal tudo estar
consumado.
Se esta carU e verdadeira, nao ha duvida que
eram apocry|ihas algumas das que na Europa
foram recebidis como escripias pelo proprio pu-
nho de Gordo.
Nao se han oaisa a desesperanca manifestada
u'uma com as expressoes animosas elisongeiras
de outras. em i[uo so chegou a escrever: Khar-
toum pode resistir ainda durante annos presso
dos sitian1
Mas todas essas contra-lici's aervirao para tor-
nar mais iiiti'nssaiite a legenda de que a imagina-
cao popular in gleza ha de cercar o nome do sen
apostojo.
Ainda denota da noticia official da tomada de
Khartoum, os nimos na Inglaterra como que
tluctuaram, durante alguns dias, entre a espe-
ranza de que os vencedores tivessem poupado a
vida de um pe ihor to precioso e o receio de que
o bravo militar houvesse suecumbido no meio da
Jucta.
Desventuradamente, foi a ultima e peor deona
hypotlieses a que se realisou.
E' impossivel descrever a dr que esse funesto
icouteeinieiit levuu alma da populaclo brit-
nica. 0 patriotismo ingle manifestou-se por
ilous modos nesse momento triste de umanacio-
nalidade extremamente orgulhosa da sua forja e
.la ("vtensao do seu poder.
A par de siue.-ras demonstraedes de pezarpela
desgracado vencido de Khartoum. retumbou uni-
sono de todos os ngulos do paiz um grito me-
loolio de olera e viuganga. Afogar em sangue
a menora do ultrage que a Inglaterra havia re-
cebido na pessoa do um de seus lillios mais queri-
dos, offeivcer una liueatombe a os manes do cam.
peto exiiuelo, iis a cruel missao que os ingleses
Je ordinario to calmosimpunham ao seu go-
verno quando a vivacidade das primeiras impres-
s >> os deitara despidos da couraga de seu pro-
verbial sangue fri.
Felizmente, a relieko voltou com pouco, e, ao
ti :n de I.'i dias, j havia na Inglaterra muito quem
porgnntasse a mesmo e aos outros:
Nao ser indigno de um povo religioso e
moral emprehender urna guerra contra homens,
que, alinal, procuram defender a sua f e o seu
paiz, e tudo isto so pelo desejo de vingar a raorte
de um soldado temerario que a procurou por suas
proprias otaos?
Quanto a nos. responderiamos sem hesitacao
pela allinnava. Porm, em vista dos precedentes
iutornacioiaos da Gra-Brelanha. nao faltou quera
dissesse que es-a e\pansao inesperada de senti-
montos liiristao-. iMcobriam a triste verdade da
i'onlieeida fbula da raposa e das uvas.
[Continua)
INTERIOR
Correspondencia do Diario de
I'ernambuco
RIO DE JANEIROcorte, 24 de ja-
SEIRO DE 188f>
ruMMARio: Oque falla do resultado da eleico
Eiterilidade da qnadra Esclarecimen-
tos sobre a derrota do Sr, Morara de
Barros. Ai circulares do Sr. Jos Bo-
nifacio. O partido liberal em S. Paulo
e as saos dissidencias.O 2 escrutinio
em que enlram os candidatos republica-
nos.Ainda dauidas acerca da eleico
do Sr. Camargo. A derrita do Sr. J.
Pedro Salgado. O 'Conservador' e o
Sr. Sdveira Martins O protesto do
eleitorado do 1' e 2' districtos de Per-
nambuc.o.L'mgato typographico
Siti.=f ita a ccriosid ida de momento e cioheci-
da a niaioria do resultlo do pleito eleitoral, pela
Sual poda ja formar iv.ni idea do modo por que
.mi- e rapista nova O isaara d os Deputados, a
attenca publica ji vase preoecupando do que
resta por sab-r, bu tarada, e proeu
ni n >v)s assumpt H pie de va > utreter-se.
Int l.znente a qualra niio os offerece; acha-
mo -n.s ein completa esteriliaadfl d novidades, de
modo qae, faute ie m'eux. forja fallar aiuJ de
ileics e do que respeito dcllas nos vai anda
tas provir.
S.ibmos agir com ins exaetiJo com ke dea
a Birreta do Sr. Moreira de Barros e como e por-
que para sQa conc irrea o Sr. Jos Bonifacio. Es-
te, as circulares que < xpedio ao I atorado dj 2"
iistric: >, reo lamen land o can li ..- conservador
de preferencia ao libera', deu uidivos par qu-
issim proceda.
friendo eentir que o Sr. Morera de B rros,
unid lio ral, facilitn com o su vt
na Cii ir a-ee-'.e 11 doi conservadores, e notan-
do que uestes ltimos (crapis vai-se lirinunio a
poiitMa > ssoal elfo iniraigo decidido,
iiffcrrn honrado ana ir que a vijtoria da candi-
da; : i c o pro vi ra uin ver-
iro desastre para ai ideas liberaos, si as con-
:\ no pleno geral da poltica do imperio,
politici de Antonio nem de Pedro,
:i i'c tolos ns brasileiros que auiim siucera-
ine.i.. todas a -a do eu pas.
Ponderando sf 13 circumstaucias, aicrescen-
. o Sr. Jos !! mita io, e sem que de qualqu-r
.1I.1 ou ipi-ra enteouer com 03 con-
er de e aaeeacia ex-
0 ro<>u p 11-- rin n< i a ia meus amigos pali-
nos assentar o partido ao
ladeiro liberalismo.
iitetiJi. ; io convinha de mo-
in li i itura d 8r. Moreira
1 prejuiz) para o Altor e
vetar de* le I jo'0 em 1 es"
::i 1 no candidato co servador que para os
accidente sob o largo pjn-
a que elle isto os d CuMM de
t tatmente falseado pelo
indo p"litico.
Dina das influencias do !i.tricto que recebeu a
nao co npreheu leudo a methaphysica do
Sr. J Bonifacio, resp u leu lhe, pediado expli-
0 fez con Reconheceodo sai I a
anal i 1 inBples mortal n.o fcil comprehender
Iiqueneia de .-'. Exc,
eonxssoa que nio poda comprehender como as
:n n partid M largas do liberalis-
.n rot d lo ella 1 m oonserya lor.
O contrario d> quo dizia S. Exc. -affirmra o
directorio liberal i'a pro/ineia, que recomn-un ju
a caadidatura do Sr. Moreira de Barros, sendo de
M qae o Sr. Jd.irtim Franeijco, qu", molhor do
que outr is, re; ,i tradicces gloriosas dos
eeu i ni ores que tanto honraram a patria e o li-
bora i-i ; o Sr. Martin] Francisco que tem se
e litio .1 1 no atnir e d a a 1 publica, illustra com o seu nome aquelle di-
reetorfo do qual j> .0 Sr. Jos Bonifacio
com o 11 nae que ambos berdaram aleancou o So-
nade, quando elle Uartim lutava, sagrando seu no-
me n> esforco e tiabalho pjlo partido, e outros
vegetavam na inercia rebocada pelo orgulho que
encima pelo mrito albeif. Agora uu affinna e
outro npga : onde o criterio da verdade para nm
liberal de eren cas?.
Continuando a por o procedimento do 8r. Mer-
tiin Francisco, aempre no interesse do partido que
procura fortificar, em frente ao do Sr. Jos Boni-
facio, que em muitas occasies tem apregoado
utopia, concluio o autor da resposta, qae acredi-
tava cumprir melbor o daver de partidario apoian
flo o candidato indicada pelj directorio presidido
pelo primeiro, de que aceitando os cooselbos do
seguudo, pele- mecos at qae elle assente o partido
em largas bases, junio os seas alicerces no parti-
tido conservador.
A ogerisa do S -. Jos Bonifacio ao 8r. Moreira
de Barros, qup smente por 6 votos pardea agora
a eleico, nao recente: data de 1879, quando elle
foi chamado fazr parte do gabinete de 5 de Ja-
neiro, para occupr a pasta de estraageiros, dei-
xada pelo Baro de Cilla Bella.
O Sr. Jos Bonifacio enciumou-se, nao porque
pretendesse ser ministro ; mas porque queria que o
toase o son aiier tgo, o Sr. Gaviio Pcixoto. E o fete
ter (ido o Sr. Moreira, de Barros convidado e de
tsr aceitado a pasta seta qae elle o soabesse, ala-
da atis o irritoa. De eniAo por diana eamecou
elle a affastar-se do gabinete, at pdr se em op
p Mielo franca por occasiao da discassto do pro-
jecto de reforma eleitoral, apresenUio por parte
d> goveruo, pronunciando aquelle celebrado dis
curso em que tratou da constiluinte conttiuida.
O Sr. O-aviao Poixoto por sua parte atacava a
poltica finaneeira do Sr. Alfonso Celso qae lhe
riwpoadia com aaedume.
Aproveitando a opportonidade, o Sr. Moreira de
Barros tratou de fortalecer-se na provincia, fon
dando raicea no sea Taabat e pontos a 1jacontes, e
apparelhaado-sa para quando cnegaase a eleico
directa E tinha razao, porque j n'aquella epo-
clia os liberaos na provincia nao se enteadiam an-
tro si, e dentro em pouco o partido achou-se divi-
dido em quatro fraoedes ; ama tendo a sua trente
o Sr. Martim Francisco, que era talves a quemis
obtinha do governo, pelo desembarazo e_ asisten-
cia com que o seo chefe faaia as suas exigencias ;
outra do Sr. Jos Bonif c o com o Sr. Gravito Pei
xoto, e essa era a mais intoleraite; outra da fa
milia Queiroa Paula e Souaa; finalmente a
quarta, do Sr. Moreira d Barros, que pareca ser
a mais accommodada, chegando-se ora para os
Queiro*, ora, para o Sr. M rtiin Francisco.
as dual anteriores eleiedes sob o rgimen da
nova lei, essas fraccoes, com excepeio da do Sr.
Jos Bonifacio, procuraran ontender-se a mais ou
manos se approximaram, durante o ministerio Sa-
raiva, grasas aos eonselhos do 8b. Soares Bran-
dio, entao presidente da provincia. Por esse mo-
do eada um dos tres grupos dea seas deputados,
mas nao o do Sr. Jos Booifacio, cajo candidato, o
Sr. Gav4o Peixoto, foi derrotado, por um conser-
vador, o Sr. Costa Pinto.
Isto ainda mais acirrou a divergencia. Na elei-
co do anno passado a lista do Sr. Gaviao foi e >m
o candidato republicano, o Sr. Piudente de Mo
raes, que triumphou com o auxilio dos conser-
vadores.
Essasduas dirritas convenceram o Sr. Ghviao
de que, perdido como achava-se para elle aquelle
districto, o 8, e 0S0 havendo ootro por onde elle
poiesse tentar fortuna, nao tinha mais nenhuma
probabilidadedo ob ter um diploma de deputado. D'a-
hi o seu ramoso manifest aos povos, de que ja
dei noticia, declarando que nao se apresentari 1
candidato na eleico que acaba de ter lag*r, e
que, se nao obstante, fosse eleito, nao tomara aa-
sento. Elle sania bem que nao lhe fariam a doce
violencia de o eleger.
Agora, por aquelle districto apreaenUram-se
tres candidatos, o Sr. Viacondo de Pinhal, libe-
ral; o Sr. Costa Pinto, conservador ; o Sr. Pru-
dente de Moraes, republicano. Vo a 2o escruti-
nio o primeiro e terceiro.
Vo tambem a 2* escrutinio no 7 districto o
Sr. Mar ti ui Francisco com o candidato republica-
no, o Sr. Campos Salles.
Triumpbar em ambos o candidato que for au-
tiavdo pelos conservadores ; e nao sei se ha a es-
se respeito alguma combiaaco. Tem-se dito que
por causa dos votos liberaes dados no 1 distric-
to ao Sr. Antonio Prado, tera o Sr. Martim Fran
cisco a votaco conservadora, tanto mais quanto o
seu procedimento moderado, como deputado, quando
se deu a mudanca de stuacao, o recommenda. Mas
por outro lado, sabido que em S. r/aulo os re-
publcanos, as qnestoes eleitoraes, entendem-se
melhor com os conservadores do que com os libe-
raos. Nao sei o que de certo ha a esse respeito.
Se houver accordo em favor do Sr. Martim
Francisco muito provavel que tambem entre
nelle o Sr. V. do Pinhal. Veremos o qua dir o
2 escrutinio.
Pelas noticias qae cootinuam a chega' do Rio-
Grande do Sul, ainda duvidoso para alguns, se
o Sr. Camargo est eleito, ou se vai a 2 escru-
tinio. A Qazeta de Noticias e a da Tarde susten-
tara que elle est eleito e o nianteem como tal as
suas estatisticas. O Paiz, que o considera va de-
pendente de 2- escrutinio, receben ao da 20 um
telegramma de Porto-Alegre alarmando que elle
eslava eleita por maioria de l votos, pois que,
apezar de alguns erros no seu nome na eleico do
Pinhal,esses votos, que foram tomados em separado
dos e quaes s o poder competente pode julgar, de-
viam ser computados pela janta apuradora para
calcular a maioria absoluta, e nesse caso nao po-
da haver 2- escrutinio A vista disto o Pas met-
teu-o na estatistica como eleito.
N'o dia seguinte, porm, veio novo telegramma,
dizendo qu; com a chegada da authentica de Ta-
quary verificava se que o Sr. Camargo teve 20
votos n'aquelle collegio e o Sr. Paulino Chaves 7a,
absolutamente o inverso das noticias anteriores,
que davam ao primeiro 79 votos, e ao segundo
25 ; pelo que, alterad^ assim o resultado suppos-
to, ha ver 2- escrutinio. E o Sr. Camargo toi ex
cluido novamente da estatistica do Patz.
A Gameta de Noticia, pondo em duvida a ase-
vi*raco desse telegramma, declara que continuar
a considerar o Sr. Camargo eleito, einquanto nao
fr convencida do contrario, tanto mais que o seu
correspondente em Porto Alegre nada lhe manlou
dizer. O melhor ser esperar a apuraco da juu-
O que parece nao admittir mais duvida, pois
que at present.-mente nao foi contestada, a
derrota do Sr. Joaquim Pedro Salgado, e p a
grande maioria. O que, porm, anda nao est ave-
riguado se esse resnltado do 2o devdo a ter
aquella regan perdido o brio rio-grandense ,
ou a ter o Sr. Silveir Martins perdido aquelle
seu erando prestigio de chefe, que o fazia lizer.
as duas anteriores eleicoes, que di.-t iva a sua
chapa, que se e3t* nao fosse aceita e nao trium-
phasse elle se retirara da poltica e nao viria
corte apreseutar-se como chefe derrotado. O Con
servador, de Porto Alegre, recorda agora aquelle
dito e pnvoca o Sr. Silveira Martins a que reali-
so a araea;a feita aos seus correligionarios, de
abandonal-os quando fosse derrotado na provin-
cia.
O Paiz acaba de dar-nos em suas columnas o
protesto ahi publicado, em nome do eleitorado do
1 e 2o districtos. peUs Srs. Nabuco, loa Ma-
riano e Joo Teixeira, contra a escandalosa in-
terv 'ucXo do governo no pleito eleitoral, inter-
vencao que se manifestar^ pelo procedimento das
diversas autoridades e ostentac/io, por exempl'.
com que ceitos cheles de repartic-lo, especialmeu
te o ajudante do Arsenal de Marinha e o director
do Arsenal de Gu'-rra, major Villtla, imjunham
chapas carimbadas !
i, realmente um cumulo essa ostentaco, quan-
do a lei muito positivamente previne a bypothese
de listas com signaes exteriores A falta de vero
similh nica de tal acciu.icao me faz lerabrar o quj
na eleico de 1S76 escrevia d'ahi para aqu o cor
respondeute liberal do jornal do Vommercio, afSr-
inando que o director do mesmo Arsenal ento
destribuira chapas carimbadas aos seus emprega-
dos. Entretanto, nao houve um s empregado
que podesse dizer que aquelle director tvcsi>e se
quer fallado em votar nesse ou naquelle sentido !
Ha aecusaes que por exagerada^ produzem
cfeito contrario ao que visam os que as formulam.
O Jornal do Commereio publicou ha dias
passados o seguinte telegramma, do liecife, com
a u da : Agenda Havas : Ve. Jos Mariano
S'1 votos e 2 em separado. Conselheiro Theodo-
rc 756 e 2 era separado. Tolentino 55 e Ambro-
sio 1. Macario 82j. Vo a 2o escrutinio.
Os jornaes adeptos causa do Sr. Jos Maria-
no tem se oceupado muito com esse Macario, can-
didato desconhecido, e percuttam onde o foi des-
cubrir a Agencia Havas, por s dar notida del le
ao Jornal do Commereio. Nem a Agencia nem o
Jornal appareceram a dar explicafdes. A cousa
mi pa?sa do que c na gyria typogtaphica clia-
ma-se gato. Sao pirrabas dos compositores a que
nos outros escrev:uhadores da imprensa estamos
acostumados. De quantos nao sou en constante-
mente victima nestas cartas, e de que nao me
qaeixo, at porque a n>iuha pessima lettra nao
me d direito a queixar-me !
O tal candidato maeario com 825 votos nao pas-
sa de : maioria 825.
Ora, v-se que o gato nao para causar tama-
abo espanto.
As elekdes
(Da Eoolucfito da corte)
Tres eleicoes geraes ja se fizeram segundo o
rgimen directo.
Urna com o gabinete Sarai va, outra sob o minis-
terio Uantis, a tercera durante o governo do Sr.
Baro de Ctngipe.
Cada um d'esses estadistas tem ama phsiono-
mia poltica propria. Nos seos actos se maaites-
ta o eunho da individualidade.
No primeiro predominara poras inteoces e il-
bues de faaer o bees, dosprendimento phiosophtea
ama verdadeira lhanesa do born hornera Ricardo.
Das eminencias da tribuna parlamentar elle lan-
cou ao seo partido ara convite, que importara o
suicidio, aspirando ser derrotado aas urnas elei
tCMWN.
G aeguido preoew?pedo da aecae; iospellido pelos
arrojos ardorosos do seu geniona realisaco d'uma
eia, nao curou dos meios adeqaadoa a executal a.
Deixou que ae lhe escapease s phase da evolu
cao, qae se ia operando na oonsciencia publica.
Perdido o momento, a evolaco natural produ
sia movimento contrario, conforma as leis, qae
regem os phenomenos sociolog'cos.
O Sr. Bardo de Cotegipe, desilludido, espirito
pratic o, dotado em alto grao de fa saldados ntel-
lectnaes bem equilibradas, teve segara intaico
das circumstancias, que eonstituem a presento si-
tuadlo.
A pnmeira experiencia foi a resaltante do pen-
samento do governo a.aegacio de toja poltica.
O poder pu lico, que tem por dever o desem-
penho a ama misado elevada, nao pode resliaal-o
nullineando-se a si proprio.
A administracio Saraiva dasappareeea logo on
pela pena iso d nao poder organizar e dirigir os
elementos, qae as urnas apurara n, ou por que nao
sabia em que empregar o instrumento, que o suf-
fragio directo lhe ministrou.
Fes a eleico sem ama ideia sociolgica, ou po-
lticaarte por amor da arteg
O ministerio Dantas provocou as energas da
vontade nacional. Iiluminou o campo do combate
com urna ideia, Dividi as forjas e, quando esta
ideia toraou-so impotente, cabio sob a prasso de
interesse colligados.
O gabinete Cotegipe, ao contraro, achouss
factos coosamados. Ento surgiram novas tendeo
olas, resaltantes da evolaco operada pales acon-
tecimento As duas exp -riencias anteriores deram
cmaras inteiramente improprias a servir a causa
publica. Era, pois natural q ie a razo nacional
reparasse os erros commettidos as duas eleic;s
precedentes.
A fallar a verdade, pon lo de parte a pertin icia
inquebrantavel da cegueira partidaria, ou preten
cioso dogmatismo dos mestres p .Uticos, deve ss
reeonhecer qaeas duas experiencias se fizeram,
urna revelia do governo e com a inexperiencia do
systema ; a outra com a illuso de qae a forca da
ideia bastara, por si s, para alcanzar o triumpho,
impossivel no meio da dissidencia do partido.
Esses errosque prodaziram cmaras sem con-
sistencia, sem ama orientaco poltica e somente
atarefads em devorar os ministerios do proprio
partidomostram qae nao se haviara bem com-
prehendido as ciicumstancias e o meio social, em
que vivemos.
O suicidio e a anarcliit foram os caractersticos
desse periodo parlamentar estril e desmoralisador.
Nenhum dos hora os polticos do partido liberal
julgou-se apto a merecer apoio e a. harmonisar os
elementos divergentes, primeiro fructo da eleico
directa.
Nao ha quem nao veja nelle ama obra feita sem
a eonsciencia reflectida do eleitorado, principal-
mente da opinio, qae ae reputa va em maioria.
O Sr. Saraiva nao precisava intervir as elei
coes, porque nao tinha interesse algam nem intui-
tos a realizar.
O Sr. Dantas teve ama f cega na forca mira-
enlosa da idea, ambicionava qae o resatado confir-
masse a sua crenca-
Se aqu ou all for favoravel algum candidato,
em geral se absteve e deixou correr o pleito.
Infelizinento os seus delegados nao foram ha-
bis, serviram-no mal as provincias.
E' certo qae estas duas eleicoes nao se paree un
com as dos outros tempos. Ellas annuuciam um
progresso iocontestavel do espirito publico. Ellas
estabelecem um precedente de que sahir a ter-
ceira.
Ora, depois das experiencias feitas, o eleitorado
reconheceu queo que convm naco cmara
capaz de servir aos interesses vitaes, que esto
ahi reclamando soluco pratica. ,
A razo publica contemplou confrangida o. es-
pectacu o das legislaturas recentes e, pela torca
virtual da lico, pela inflteicia da verdade e da
justiga, toi levada a dar o resultado que as urnas
apresentaram, a 15 do corrate, em todo o im-
perio.
E' evidente que foi am pensamento geral, ori-
ginado de urna necessidade geral, que nao foi se-
nas o reonhecimento da urgencia de acabar com !
as cmaras, que eram inaptas ao desampenho do ,
rgimen do governo parlamentar, que precisa de !
maionas solidarias, firmes e estaveis.
Ora, o bom senso publico tinha viste a impossi-1
bilidade de se formarem estas maiorias. Tinha
notado a mediocridade e a ignorancia dos minis-
tros, por conseguate verficou pelo methodo ex-
perimental a necessidade do haver urna mudanca
radical de conducta.
A cmara, que acaba de ser eleita, o producto
dessa transformadlo das ideas; de (tinada a sa-
tsfazer as necessidades publicas. Grande ser a
sua e a respousabilidade do governo, se a nao oc-
cupar com trabalhus serios.
O paiz atravesta urna crie dolorosa, ate hoja
sem remedio. E' claro que continuar a eleger c-
maras, como as anteriores, seria m nter a perma-
nencia dos males da crise.
Por instincto mesmo a nacao fez como o doente, '
mudou de travesseiro ; pela intensidade do^otfri- 1
ment ella comproheud.'U o seu dever e cumprio.
A prova mais brilbante o carcter irrecusavel
dessa eleico. Em todos os pontos do imperio s ;
Featsa de Nossa lenlisrada Vasade.
Terca feira, 2 de Fevereiro, celebrar-se-ha na
igreja matriz do Poco da Panella, a tradiccional
fasta de Nossa Ssnhora da Saie, constando de
missa solemne a 10 horas da manh, com sermo
pelo Rvd. Dr. Manoel Lobato Carnairo da Cunha,
e Te-Deum as 7 horas da noite, procedido de pre-
dica.
A' tarde tocar no largo d matriz diversas
bandas de msica e sero largados varios aersta-
tos, havendo outros div:rtim ,-ntos, e estando o lar-
go decorado e embandeirado.
Depois do Teeum queimir-ae-ha am bom logo
de artificio.
A ferro-via do Caxang, alm dos seos trens or-
dinarios, far ua servioo extraordinario de treos,
como de costume.
Seba Cacarla. Ante-hontem, s 2 horas
da tarde, no lugar Barrearas, doCaxang, districto
policial da Varzoa, Manoel da Rocha, ex-sargento
da guarda oivica, cooheoido por Manoel Afiu, de
pareara com outros, travoa conflicto com Intonio
Joaquim d'AIem, ex empregado da ferro-via do Ca-
xaag.e deu lhe seis tacadas, tres no braco esquer-
do, ama no paito do mesmo lado, ama na cxa desse
mesmo lado, e a ultima no ventre, sendo esto ulti-
mo terimeoto grave.
O delinquen evadi s *, sendo, porm, presos
dous dos eorapinheiros da lata.
O ferdo f >i trasido para a casa de sua resideo-
c% no Recife, onde foi vistorialo e est sendo me-
dicado peto Sr. Dr. Mello Gomes.
Rcnilmento* publica Arrecadaram
as seguintes estacoes em Janeiro :
Alfondcga
723:751^141
797:230019
1.319:200*255
807:491*029
1.183:039*543
De 1886
De 18s5
De 1834
De 1883
De 1882
Rtcebedoria Geral
De 1886
De 1885
De 1884
De 1883
De 1882
Consulado Provincial
De 1886
De 1885
De 1834
De 1883
De 1882
33:4931108
36:174*535
55:775*426
52:079*378
49:486*692
208:537*913
240:394*918
251:823*588
151:105*819
288:120*556
reinar.un tranquillidade e a ordem perante o livre
exercicio da soberana nacional.
O gabinete presidido pelo digno Sr. Baro de
Cotegipe nao precisa dar rnaier testemunho do
que este, da sabedoria e lealdade com que se
houve.
Elle tem jus ao rnconheciment da naco.
Quando a evilencia do f iet > eleitoral est en-
trando po- todos 03 oihos, o Paiz tambem o reco
Movimento de dinheiro No mez qae
boje fiad 1 a praca do Recife, sob a respoasabili
dade das diversas companhias de vapores que a
servem:
Recebeu 810:158*070
Expedio 319:208*000
A expedidlo foi para :
Franca 2.-700J000
Portugal 2:430*000
Montevideo 3:577*500
Rio de Janeiro 15.-154*000
Alagoaa 160:346*500
Parahyba 14:000*000
Rio Grande do Norte 57:000*000
Cear 64:000*000
Thesoaro ProvincialAraanh, no Tbe-
souro Provincia', paga-se aos professores de 1*
entrais os seus vencimeatos do mez de Outubro
prximo fiado.
Exames de ciencia prepralo
ria*No dia 3 de Fevereiro prximo vindouro
comecarao, na Faculdade de Direito, os exames
das sciencias preparatorias pertencentes as mesas
julgadoras qae fica/am assim organiaadas :
Arithmetica e algebra
PresidenteDr. Tavares Balfort.
Examinadores Drs. Cicero Peregrino e S An-
tunes.
Geometra
PresidenteDr. Tavares Belfort.
Examiaadores Drs. Loureiro e S Antones.
Geographia
Presidente -Dr. Tobas Barreto.
Examina lores Drs. Joo Feliciano da Motta
Albujuerque e Adolpho Tacio da Costa Cirne.
fl'iora
PresidenteDr. Tobas Barreto.
ExaminadoresDrs. Ezequiel Franco de S e
Artbur Orlando da Silva.
Rhethorica
PresidenteDr. Barros Guimaraes.
ExaminadoresMonsenhor Joaquim Arco verde
de Alb iquerque Cavalcauto e bacharel Jos Ban-
deira de Mello.
Philosophia
Presidente Dr. Correia de A'aujo.
Examinadores Drs. Antonio Luiz de Mello
Vieira e Jos Soriano de ouza.
Na falta provavel destes, os Drs. padre Jero-
nymo da Silva e Jos Iziiiro Martins Jnior.
Os exames rilo feitoi polos uovos programmas,
publica >os no Diario Ojfizial a que transcrevetnos
na 8a pagina da nossa folhi, de 29 deste mez.
Liulerna MgicaDistribuio-se hoatetn
o n. 143 deste penolico livre e huiioristico.
Feria do foroTerminara h >je as ferias
forenses do Natal, abrinda-se aminb os tribu -
naes de justica.
ArSiNta .llecltanico* e Liborae*.
E' hoje s 10 horas do dia, que se reunem em a.-
sembla garal os membros des'a associaco para
trataran da eleico da nova directora que deve
dirigil a no corrate unno..
Valpnra>o.--0 paquete iuglez deste nome
deve tocar no porto do Recife, era viagem do sul
para a Europa.
Inquerito policialPelo subdelegado do
districto policial da Torre foi remettido ao juiz
11 hoce, oufessanlo que o procedimento do governo competente o inqueiito quo procedeu contra Ca-
foi correcto,; que nio hjuve presso era part: al- siiniro da Costa Mello, peo crme de ferin ntos
guuia. 1 leves na pessoa de Francelno Jos Damaseeno,
Mas por urna estranhi subtlezi, qu? os pro- 'uo lugar Zumb, e na tarde le 24 do corrente, cri
prios advogados reeusariam, nao arge positiva- me polo qual foi o reo preso era fligrante.
mente o emprego da corrupeo, a insina indubi- Poema O Sr. Carvalho Ramos obsequou-
tavelmente. nos cora ura exemplar impresso de um seu poema
Ora, melhor que o Paiz atire ao longe o man ia tula lo Jorge. Edgard, a qual, nao obstante es-
t > m igestoso e assevere o seu conceito vista de tar iuc jmpleto, como assevera, julgoa acertado pu-
factos, que cstabelecara as suas argaicoos. blicar.
Nao cju <;ionde ha corruptores ba corrom- O 3r. Carvalho Ramos nao verseja mil, mes-
pidos ; ideas correlactas que se nao podein ijolar. mo feliz algumaj vezea no seu estro, e sabe apro-
Q iaes ob corrompidos ? | priar ulguraas imagens ; mas nao deixa de 3er
Nao podiam ser 03 conservad ires.
tilles seutiura a necessidade geral, qieriam sa-
tisfazel-a e ap >iava:n dedicadam.-ute o ministerio
de 20 de agosto.
Explicamos o resultado do suffragio de 15 do
corrente por ura tacto dominante, mas o Paiz, ao
contrario, iobrigou nelle o preducto da corrupeo,
sem aventurar urna aflirraativa.
Oumpre-lho sahir do vago das insinuares ;
aponttr os corrompidos e provar a corrupeo.
KnViSTA DIARIA
Eleico provincial. IL je realisa se no
8o districto desta provincia o 2 escrutinio para
eleico de deputados provinciaes. Sao candidatos
habilitados era 1 escrutinio os Srs. Baro de Na-
zareth, Dr. Antonio S/euancio Cavalcante d'Albu-
querque, Dr. Francisco Manoel Wanderley, Dr.
Liiiz de Andradn, Dr. Augusto Coelho de Moraes
e Dr. Joio de Olivcira.
Sao tres os lugares prehencher.
Arnanha ter lugar, no 3" districto, igual
escratinio, para prehenchiuiento de dous lugares
de di-putados. Sao candidatos os Srs. B iro de
Itapissuma, Henrique Gibson, Dr. Joao de Si Ca
valcaute de Albuquerque e Dr. Joo Baptista do
Amara! e Mello.
genio do Crrelo. Por actos da Pre-
sidencia da provincia, de 29 do cadente mez, fo-
ram nomeados agentes do Correio, sob proposta
do respectivo administrador :
De Itamb, Thoiaaa Al ves da Nubrega Pere-
grino :
Do Triumpho, Isaas Goncalves Lima;
Do Gravat. Manoel Crispiano da Cilva.
?taita presidencialS. Exc. o Sr. con-
selheiro presidente da provincia visitn hontom a
Faculdade de Direito.
Percorren todo o edificio, examinando eom at-
tenco todas as accommodacoes, que elle encerra.
S. Exc. foi acompanhade nesse exame pelos Srs.
consclne qne se achavam presentes.
s?ea(a de rVoaaa Menhora da boa.
Na igreja do convento do Carmo oelebra-se no da
2 de Feveieiro prximo, terca-feira, a festade Nos-
sa Senhora da Las, cousando de missa solemne
a 10 horas do dia, com sermo pelo Rvd. Fr. Jos
da Conceico Souza, e Te-Deum s 7 horas da noi-
te, com predica pelo lird. commendador padre
Manoel Moreira da Gama
Na vespera, segunda-feira, s 5 horas da tarda,
ser basteada a bandera, aae no dia 2 ser ar-
reiada-a mosmae horas.
O largo do Carme estar decorado e noite ser
Iluminado. A' tarde aik tocar urna banda mar-
cial e sero largados diversos aerostados. A' aoi-
te, depois do Te-Deum, jier queinwdo oca grande
fbgo de artificio.
urna singular idea a de publicar ump ema incom
pleto.
Uma vez, porm, que assim o fez, saja bem vin-
do o ecu poema, e receba o autor nossos agrade-
cimientos pelo.mimo que nos fez.
erammatica LatinaO Sr. Dr. Joaquim
Pereira da Silva Guimares, protessor de latiin
no Gyinuisi Pernarabueano, acaba de dar pu-
blicidade a Ia parte de um compendio de Gram
matica Latina para os alumnos d'aquelle estabe-
lecimento, fazendo o imprimir cm limpeza na ty-
pograpbia da fabrica Apollo.
Organisado de contorinidade com o plano de
igual compendio de Clintoek, a Grammatica Li-
tina do Dr. Guimares bem delineada e metbo-
dica, el ira e lu sida, e, p s, offerece muitas van-
tagens a"s alumnos da velha lngua, que de or-
dinario lutam eom dirliculda les uo cometo de sua
rida aprendisagem.
Foi ura bom ser vico que lhes prestou o Dr. Gui
mar'-s, bem como s lettras pttrias.
Rio Branco eaport nier Da fabrica
de cerveja de Bromea, denomnala S. Paulo, che-
goa ltimamente para os rs. Guirasrcs 4 Per-
inaun, desta cidad umi partida nmeros 1 de
garrafas de cerv-eja de umi uov marca, quo traz
no rotulo o retrato do Visconde do Rio Branco,
e que se denomina Rio Branco exportbier.
Essa partida foi cedida f.os Srs Amarad i I r-
mao, que a expozeram venda na fabrica Nova
Hamburgo, e na sua ca3a commercial da ra da
Madre de Deus n. 22, onde os apreciadores da boa
oerveja a eucontraro.
A ailudida cerveja, com algamis garragas da
qual nos obsequiaram os Sr. Amaral k Irmo,
uma excellente bebida, que em nada ceda s me-
Ibores marcas inglesas ou ailcms, e at lhes leva
vantagem no perfume e uo gosto.
Lyeeu de Artea e oancio -No dia 1
de Fevereiro ha ver reunido em- oongregaco dos
professores deste estabelecimento, afim de tratar-
se do programma do curso lectivo do anno cor-
rente.
Secledade Comit RecreativoNo
domingo 'j4 do cadente esta sociedade recomefou
os seus trabalhos, havendo sessdo ordinaria s 11
horas ds manh sob a presidencia do consocio
benemrito Antonio Raphael Alvos da Costa,
achando- se presentes 18 consocios.
O 1.* secretario procedeu leitura da acta da
sesso anterior quo foi appprovada.
O thesoureiro Lus de Franca Lina Albuquer-
que Filno propos para que fosse transferida a sede
social para ra do Visconde de Albuqu irque,
sendo a discussa desta proposta adiada para a
viadoura a reqoermeato do 2.' secretario.
O thesoureiro propos seissocios eo Sr. presidente
remetteu as ditaa propostas cotnmisao da ya-
dieaaaia.
O Sr. presideate propoa para qae fosse con-
signa-i* na aeta an roto t fs-afanda pssar pas
EBasamento da Exmi. Sra. D. Joaquina Rodrigues
[. de Oli reir, tia dos consocios 1. vice-pres-
dente Aristes de Oliveira e l. secretario -los
E. de Oliveira, sendo approvado unnimemente.
Nao havendo mais o que se tratar, o Sr. presi-
dente encerroa a sesso s 2 horas da tarde e de-
signou o di de boje para haver outra.
VertenteEscrevem-aos em 28 do cor-
rente :
IIi muito qae nao lhe tonho dado noticias,
por carecer de assuinpto : porm agora, como ap-
parecem, veu escrever-lbe.
No mez prximo fiado aqu chegaram o novo
promotor publico Dr. Vicente de Moraes Mello
Jnior que assnmio o esercieio em 12 e o juiz mu
uicipal Dr. Manoel Tobas do Reg Albuquerque,
que tambem entrou no exercicio em 22, parecendo
serem ambos expelientes cavalhciros.
As eleicoes provinciaes de 30 do referido mez
correram com a necessaria tranquillidade tendo os
conservadores vencido por ama grande maioria, o
bem assim a geral que teve lugar a 15 do corrente,
assistiudo a ella o candidato liberal Dr. Pitaoga.
A proposito desta eleico diz a Provincia de
21 que o padre Tejo fez desenterrar mortos in
vocando seus espritus para votar ; isto nao
exacto, e semelhante facto nao se dea.
O eleitorado d'aqui muito circumscrpto e
csnhecido e se tal escndalo se desse com certeza
os amigos do Dr. Pitaoga nao o deixanam passar.
Como coust-t, per aqui, qne em alguns colle-
gios do Recife houve photphorada, pen-am os re-
dactores da Provincia que aqui se precisa fazer
destes escndalos.
Necessariameate bao de procurar os derrota-
dos alguma taboa de salvacio e eis o porque a
Provincia enche-ss todos ok dias, com noticias,
que a serem reaes como a de Taquaretinga, care-
cem ds fundamento.
O Dr. promotor tendo adoecido seguio para o
Recife, onde se acha com lcenea, sendo nomeado,
interinamente, um moco d'aqui, o qae torna con-
veniente a roomeacao de am adjunto para estese
outros easss.
Andamos por aqui algum tanto assastados com
a noticia de am grupo de ladros, capitaneado
por Ignacio Monleiro, celebre ere correras, qae se
acha bem prximo desta comarca, j tendo sido
preso um rapaz dentro do estabelecimento com-
mercial do Austricliano de Albuquerque, decla-
rando elle ter ido all, a mandado do cajo.
< O destacamento pequeo e necessario ser
augmentado e com a brevidade necessaria.
Anda ne temos collectoria geral e para isto
chamamos a attencao do governo, pois agora com
a matricula dos escravos, ser .um grandu desar-
ranj 1 para aquelles, que os tem de matricular, irem
a Limieiro, alm de j se resentir, quando se tem
de precisar d'eila, as transaissoas de proprieda-
de, compra de sellos, etc.
O foro, apesar das ferias, tera trabalbado
muito no crime, pois foram numerosos os proces-
sos encontrados pelo novo j uz municipal.
< J Deus se commiserou d'este torro, pois nos
tem dado chuva ltimamente.
Depois de alguns annos seceos aqui, no dia
22 deu urna chova boa de duas horas, tendo con-
tinuado nos dias 24 em que chaven das 6 da ma-
nh s 6 da tarde, as noites de 25 e 26, e de non
tem pela madrugada at boje 8 da manh quando
encerr estas linhas.
Os agricultores e criadores esto muito sa-
tisfeitos e os campos j mostram outro aspecto.
Tilla de *i*o Rento.Escreve o nosso
correspe udeate em 23 do corrente :
No dia 17 do corrente mez, aps trinta e um
dias de um sol e calor abrasador s, desencadeiou-
se sobre esta villa, um terrivel tufo, acompanha-
do de forte trovoada e chuvas 1 Principiando as
cinco horas da tarde, duroit cerca de vinte minutos,
e oeste curto espado de tempo, os estragos causa-
dos foram innmeros!
Assim, parte da cobertura da torre da matriz,
e a i, ;b Tura de muitas casas foram arrebatadas
pelo veato,- as bolas de cores qae ornamentavam
o sobrado de Lina Ribeiro d'Aadrade voaram, e
cerca de sois metros de muro da casa do advogado
Crespo foram destruidos pela impetuosidade das
aguas.
O pinico foi geral, e muitas familias prostra-
das de joelhos, perante os sanctaarios abertos e
queimaram ramos bentos e entoaram hymnos a
Santa Barbara o 8. .'eronymo, advogados das
tempestades e troves!
Felizmente nao temos lamentar victi-
mas !
Passou o periodo eleitoral de da 15 do cor-
rente ; o as noticias qu i nos tem chegaio, do norte
e sul do Imperio, tem mostrado com evidencia :
que o triuiopbo est di parto dos conservado-
res.
o A' calcular-se pelo rosultado conhed.>, pro-
ct que os liberaes nao sero representados na C-
mara quatrieunal, se nao por ura nura;ro insigni-
ficante de deputados, quando muito vinte I
no dia 17 do corrente mez, os conservadores f ;ste-
jaram com dilirio o triumpho eleitoral obtlo pelo
Dr. Alcoforado Filho, eleito deputado geral pelo
nosso districto.
Reunidos os conservadores agoradores fra da
villa com os correligionarios (raqui, e precedidos
de uma banda de msica, percorrerarn a3 diversas
ras desta villa, dando vivas ao partido consr.
vador, ao Baro da Cotegipi, ao conselheiro J .ao
Alfredo, aos chufes conservadores do nosso dis-
tricto, a S. M. o Imperador, a Constituico pol-
tica do Imperio e a religio Catholica Apostlica
Romana.
t R-inou ordem e harmona na serenata, ti: I a-
dados os festejos com urai partida, na qual dan-
f ou se at quatro horas da manh.
O delegado tenente Paulino Ayres offerecen,
era sua casa um copo d'agua aos conservadores,
aut s d'cstes se retirarem para a partida, a qual
foi dada mediante cotas.
o Contina, era grande escala, o furto dos g 1 los
miudos, e o furto de cavailos, juc tinha arreeeido
depois da festa do Jupy, vai cnaoeado com espan-
tosa progresio.
Em quauto nao se decretarem medidas ade
quadas para repretso dos pequeos furtos, mal
ir a sociedade braaileira, e admira que 03 nossis
estadistas, cuja prindpal oecup.c.io a p litica,
nao tenham cralo urna polica Correccional.
No Brasil pune se o la iro de umi a^ulbi
cora as msalas penas com que se pune ura ladra 1
de milhocs E' ura dispiratc : e para que o of-
fendido se queixe a autoridade competente de um
furto d urna gallinb 1, qae custa cinco tost'i
Oeeeeaaro lespenier, s.uente com a ptica d;
queixa, urna q autia nove vezes maiur do que o
valor ia galliuha !
Esso defeito do nosso Cdigo Criminal tem
conveitido as autoridades policiaes violentas e
pouco escrupulosas em legisla 1 >res, miniando cas
tigar, corp .ramente, os ladros de bodes e galli-
uhas com boas tundas, e as vezes horrorosas !
< Coutinua a eraigraco para as mattas, e a
importadlo de vveres para o serto.
Felizmente nao se realisaram as nossas previ-
siles, quanto ao dssappareeiiaeuto dos leguincs as
mattas, e segundo somos informados, estas forne-
cero o serto at Maio ou Juuho futuro.
Veudeu se, hoje a farinha a 12.)0 a cuia, o
fcijo a lf&jO, o milho a tiOO ris, a carne verde
a li)M os quraze kilos, e a necea chamada do
serto a 16*000. As rapaduras foram vendidas a
8 e 1.0400J o cento.
Vierara feira : 22 cargas de farinha, 85 di-
tas de milho, 3 ditas de fejao, 40 ditas de rapa-
duras, 9 ditas de sal, 4 ditas d> carne do ser-
ta..
A populacao pobre vai soffrendo e muito, com
os atr ivessadores dos gneros de piimeira neces-
sidade.
A municipalidade tem sido sollicita em cha-
mar os fiscaei a ordem, mandndoos policiar as
feiras, mas estes entender que o bem estar do
municipio s feito para os ricos, e que os pobres
nao fazem parte da sociedade !
A edificaco dos predios nao precedida, com
raras excepces, da competente liecnoa, vindo as-
sim a atr prejadicados os cofres pblicos e muni-
cipaes, e em lugar de aformosear-se as ras, cada
um edifica como lhe parece.
Apresentou se n'esta villa, em principios da
semana ultima, um snjeito com muchilla militar a
tiracolo e armado de pistolas.
Parecendo que era desertor, do exercito, foi
recolbido ao xadrez e logo depois solt, por se ve -
rificar que era retirante que regresaava para os
patrios lares.
No dia 22 do correte foi recolhido a cadeia
Antonio Luiz Bezerra, morador ua villa do Mon-
tera, da provincia da Parahyba, at que prova-
se ser sua propriedad dous cavailos que conduzia
ferrados d novo.
J nao temos noticias da capital quarenta e
oito botas depois. D'esde o Natal, os pedestres
qu cooduaem a correspondencia desta villa teem
chegado com tras- dias, como quando dosembarca-
vam em Catcio.de.
Chegaads os pedestres em Caahotinhn, no'
mesmo dia da piitida do Recife, sem esforco al-
gam, poderism cheg&r n'esta villa qaarenta e oito
horas depois, visto qae Canhotinho d-mora a 84
kilmetros, e aqui j temos lido jornaes do mesmo
dia, partindo os portadores aa 6 horas da tarde
e aqu chegaudo antes de noite.
< Chamamos a attencao do muito digno admi-
nistrador dos correios para essa morosidade doa
estafetas.
At outra vea.
Popaiaro eacrava de Rergripe -Es-
tatistica recentemente organisada registra os se
guintes dados relativos ao movimento da popula-
5I0 eserava de Sergipe, a contar do encerramento
da matricula especial (30 de Setembro r'e 1873)
at 30. de Junho ultimo :
Escravos matrieulados at 30 de Setem-
bro de 1873 35.187
Eotrados dos diversos munici-
pios at 30 de Juuho ultimo 8.654
Sabidos dos mesmos munici-
pios em igual psriodo 11.658
Maior nnu>n dos sabidos 3.t04
Populaco que permaneceu na provincia 32.183
Diminuto esta populaco pelas seguintes causas:
bitos 4 753
Ahorras 3.105 7.858
24.325
11.772
13.553
1.569
1.536
Populaco a 30 de Junho ultimo
assim classficada por sexos :
Do sexo masculino
Do sexo t -minino
As 3.105 alforrias foram concedidas
A titulo oneroso
A titulo gratuito
Populaco eacrava da Eaplrlto-
WantoEstatistica recentemente organisada re-
istra os seguintes dados relativos ao movimento
a populaco eserava do Espirito-Santo, a contar
do encerramento da matricula especial (30 de Se-
tembro do 1873) at 31 de Jonho ultimo :
Eseravos matriculados at Setembro de
1873
Entrados nos diversos munici-
pios at 30 de Junho ultimo
Sabidos dos mesmos munici-
em igual periodo
21.553
5.652
2.405
Maior numero de entrados
3.247
Popu'aco que permaneceu na provincia 24.900
Diminuio esta populaco pelas seguintes cansas:
bitos 3.700
Alforias 2.082 5.782
16.118
Populaco a 30 de Junho ultimo
assim classficada por sexo :
Do sexo masculino 10.214
Do sexo feminino 8.904
As 2, 082 altorias foram concedidas:
A titulo oneroso 1.057
A titulo gratuito 1.025
Nao abrangem estes dados os municipios de
Santa Cruz, Liahares, ou alias pouco numerosa
a populaco eserava.
O porto de OdeaaaO porto de Odessa
anima-se oada da mais, a exportaco de trigo,
madeiras de construeco, assucar bruto e gado,
augmenta cada vez mais. Actualmente achara-
se all mais de 70 vapores com destino aos por-
tos de Inglaterra, do Mediterrneo e do Adriti-
co. A (azzetta da prefeitura de Odessa afirma
igualmente que se faz sentir a falta de navios
para o transport das mercadorias aecumuludas
naquella cidade.
producf&o do assaearEm propor-
9J0 ao augmento que se verifica desde poucos an-
nos. Java produzir muito breve tanto assucar
quanto Cuba. Parece que os plantadores de Ja-
va fazem bom negocio nao obstante os baixos pre-
cos, conservando o do assucar uma colheita mais
remuueradora do que a do caf.
Eis aqui as cifrae da exportadlo do assucar de
Java aos ltimos cinco anuos :
Desde 1 de Jul. de 80 a Jun. de 81 tons. 210,551
dem 81
dem 82
dem 83
dem 81
Doze vapare a
ta dizem que esto all
82 172.990
83 283,618
84 311,366
85 374,386
tintaDo ro La Pla-
12 vapores carga de
carne fresca, para transportar Inglaterra, con-
geladas por processos reconhecidos infalli/eis.
Cata ura destes vapores transporta 15,0J0 pilas
e d'ahi em total 200,000. O preco em Londres
desta carne conglala hojede 2 1/2 penecs (25
centesimos) a libra.
A deprewo geral do* preco O
es tudo da crise commcrcial, que solire toda a Eu-
ropa, i intenso era coda a parto. Nao ae descc-
brram ainda ss remedios, mas as causas vo se
esclarecendo cada ves mais.
Desde que poca data a depresso geral dos
precos ?
O Economist ds Londres, publicou um interes-
sautissimo quadro que responde r. tal questo.
Para comprehender o seu sentido precisase pri-
meiro saber o que que 03 inglezes entendem por
ndex mombers.
Elles tomara a media do preco de un especie
de raercodoria durante muitos annos e o conside-
rara como baze para os seus calclos, dando-lhes
o valor convencional de 100.
O Economist toinou em consideraco vinte e
duas especies de mercadorias, cojos precos me-
dios desde 1845 a 1850 sao representado! por es-
tes algarismos de 100.
Ora eis aqui o eyelo percorrdo dos principaes
artigos de commereio.
O ferro em 1874 chegou a 167, em 76 est.ava a
r_', en 80 a 9, era Janeiro de 1883 a 75. A
depresjo foi pois rapidissima.
Os teuidos de alg do eram a 125 no anno de
188), a 116 no de 75, e 95 no de 1830. Eram a
80 em Janeiro de 1885.
A sed 1 bruta a 14 era 1874 e agora deseeu
a -.>.
Para os objectos de c iraraercio o deprecamento
menos notavel. O trigo s desceu de 116 (em
1874) a 60, mas a carne que eslava a 141 desceu
apenas a 132. O tabaco ae mostr rebelde a lei
g Til, era a 183 o agora est a 28. E' pois ama
subida.
O Eco omit depois de ter alinhado vinte e duas
columuis de alganaoaos, uma para cada urna es-
pecie de in re id ira, fixou urna media commum
para todas de modo a poder enunciar o deprecia-
neuto total quo ferio a produego.
Se do atino Je I^Ij ao de 185'J 03 precos totaes
sai representados desda 100, esses chegaram a 162
no anuo de 1865. Em 1870 eram aiuda a 122,
O annotypico 74 dava 131, s em Janeiro ultimo
acharaos 95, isto uma baixa de mais de 20 %.
Bis aqu o algarismo que resume 03 soffriraentos
do mundo dos negocios, em seguimento ao depre-
ciara ;nto d .s productos.
O eminente economista inglez Robert Giflen,
em um numero da Contempjrany Reoiew d ss
seguintes causas ao desa limo dos pre>i.
A grande multiplicarlo dos productos e a dimi-
nu cao do custo da prodcelo devida aos progres-
sos das invencoes, as facilidades muito cresedas
das communica^oos e 03 ancoralores mais caro3 e
a celegraphia internacional.
Estas causas nao sao transitorias ; ellas ten-
dem antes a influir sempre mais.
A Europa industrial nao pode pois espirar sal-
vaco sena1 na acquisco de novas clientelas,
fora deila, que g-ist-.-m a sua proiucfooxuberaute.
lieiloeEltcctuar-st-ho :
Amanh :
Pelo agente Gusmdo, s 11 horas, no hotel do
Universo, aa ra do Commercisn. 2, dos movis,
louca* e vidros ahi existentss.
Quarta-feira 1
Velo agenta Gusmdo, s 11 horas, na ra de Li-
vramento 11. 21, da armaco e varios utensilios do
estabelecimento ah sito.
Peo agente Brito, s 11 horaa, na roa do la
perador n. 24, de predios e terrenos.
Mia fnebreSero celebradas :
Amanh :
A's 7 1[2 no Corpo Santo, por alma de Manoel
Jos dos ;antos ; s 8 horas na matriz ,da Boa-
Vista, por alma de D. Clarina Diamantina de
Araujo Romero ; s 6 horas, no Terco, por alma
de Joo Ferreii-a ; na Madre Deas por alma de D.
Francisca Casimira da Crua Mesquitta : s 8
horas, na capolla do Asylo de Mendicidade, por al-
ma de Mansel Jos dos Cantos.
Quarta-feira :
As 8moras, na ordem terceira de S. Francisco,
Sor alma de Antonio Albino Goncalves Rosa ; s
horas, na matriz de Santo Antonio, per alma do
desembargador Joaquim Nunes Machado.
Quir.ta-fe.ira :
A's 8 horas, aa matriz da Boa-Vista, por alma
de Adolfo Domingues da Silva.
Operacoe clrurglcaa Foram pratica-
das no hospital Pedro II no dia 30 de Janeiro
as seguintes :
1

liEBIVEl


Diario de PernambucoDomingo 31 de Janeiro de 1886
Pelo l>r. Malaquiaa :
Excisiio pelo thenno eauter* de Estiomena dos
peaoenoi labios.
Dilatacao pelo esmagador e thermo cauterio ie
fiatula do nos.
Enucleacio do olao pelo proesaso de Bouet, por
alteraco do mesmo e ophtalmia sympatiea.
Pelo Dr. Pontul :
Ainpaticao do penis pelo proeeno de Guyon,
reclamad i por epltelioma da glande.
ca-a de e*a$*o Movimento dos pre-
sos no di 28 de Janeiro :
... Existan presos 311, sahiram 5, existim 386. ,
A sabe::
Nacioaa.es 301, mulheres 4, estrangeiras 9, es-
cravos sentenciados e processados 13, ditos de cor
recco 10.Total 336.
Arracoados 311, sendo : bons 299, doentes 12
Total 311.
Movimeito da enfermara :
Tiveram baia :
Casimiro de Mello Costa.
Joao Baptista Evangelista.
Manoel Quiutiuo de Barros Corri.
Tevealta:
Zeferino Jos da Silva.
MtLoterla da provinciaQuinta feira 4,
de fevereiro, se extrahir a lotera n. 31, em bene-
ficio da matriz de Rio Formoso.
No consistorio da igreja de Nossa Seobora da
Conceicao dos Militares, se acharan expostaa as
ornas e as espheras arrumadas em orden nume
rica, apreciacao do publico.
Lotera te Maeei* de OOiOOOjtOOO
A 13* pvrte da 11 lotera, eujo premio grande
de 2O0:O3O00O, pelo novo plano, ser extrahida
impreterrrelmente no da 3 de Fevereiro, s 11
horas.
Os bilhetes achan-se a venda na Casa .Feliz
praca da Independencia ns 37 e 39.
Lotera do Blo A 2a parte da 195, do
plano aovo, do premio de 100:0004000, ser ex-
trahida Imereterivelmente no da 3 de Fevereiro.
Os bilhetes acham-so & venda na Casa da For-
tuna, ra Primeiro de Marco a. 23.
Lotera do Ce ara de t0O*OOO-
A' 2a serie d'esta grande lotera, cujo maior pre-
mio de 250:000*000, se extrahir Imprcterivel-
mente no dia 3 de Fevereiro.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna, ra Primeiro de Marco n. 23.
Mercado Muuielpal de S. Jom.O
movimento deste Mercado no dia 30 de corrate,
foi o seguinte:
Entraram :
31 boia pesando 4.226 kilos.
760 kilos de peixe a 20 reis 151200
16 taboleiros a 200 reis 3*200
64 cargas de farinha a 200 ris 12*800
16 ditas de fruetas diversas a 300
ris 4*809
12 Suinos a 200 ris 2*400
Foram occnpados:
19 columnas a 600 ris 11*100
44 tainos de carne verde a 1*000 44*000
20 ditos de ditos a 2* 40*000
43 compartimentos de taiinha e co-
midas a 500 ris 21*500
66 ditos de legiimes a 400 ris 26*100
17 compartimentos de auino a 700
res H*900
11 ditos do tressuras a 600 ris 8*100
Capibaribe n. 28. N'este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia n'este ge-
nero, comprase e vende-se madeiraa de
todas as quabdades, serra-se madeiras de
conta alheia, asaim oomo se preparam obras
de cara pira por machina e por presos sem
competencia.

PBLKACOES i PEDIDO
Ao utiicta corpa eleiu lo 8'
Deve ter sido arrecaiada neste dia a
quantia de 202*000
Precos do dia:
Carne verde a 210 e 480 tis o kilo.
Suinos a 690 e 800 ris idem.
Carneiro a 600 e 1* ris dem.
Farinha de 320 a 600 ris a euia
Milho de 210 a 360 ris idem.
Feijo de 800 a 1*280 ris idem.
V terniteno PublicoObituario do da 29
de Janeiro:
Leonor, branca, Pemancbuco, 9 meses, Santo
Antonio; convnlses.
Jos, pardo, Pernambuco, 7 das, Recife ; te-
tana
Vicente, pardo, Pernambucj, 16 mezes, Santo
Antonio ; bronchite.
Joo, pardo, Pernambuco, 20 horas, Santo An-
tonio; congesto.
mbalino dos Santos Pessoa, braac, 40 annos,
easado, S. Jos ; berberi.
Sebastiana Josepha da Conceicao, parda, 29
annos, casada, Graca; beribari.
Jos, Pernambuco, S Jos ; ttano.
Isabel, Pernambuco, Belm; convulnes.
Mara, parda, Pernambuco, 6 mezes, Boa-Vis-
ta : sem declaraco e remettida pela subdelegacia.
IHDICaCOES DTE1S
Medico*
Consultorio medico clrargieo do Dr.
Pedro de vuaiiyde Ijno Moncono a
ra da loria n. 39.
O doutor Moscozo d consultas todos os
das uteis, das 7 s 10 horas da manhi,
Este consultorio offerece a ommodil-i
de de poder cada doente ser ouvido e exa-
minado, sem ser presenciado por eutrc
De meio dia s 3 horas da tarde ser o
Dr. Moscozo encontrado no torrean pra-
ca do Commercio, onde funcciona a ihb-
peccSo de sade do porto. Para qualquer
d'estes dous pontos poderlo ser dirigidos
os chamados por carta Has indicadas horas
O Dr. Aclbiade Velloso continua a tei
consultorio, na sua antiga sidencia,
ra do Barao da Victoria 45 1 andar.
D consultas das 7 s 9 horas da manh3
e acolo aos charoades a qudquer hora
Pratica operacSes.
Dr. Migad Themudo raudou seu cnsul
torio e residencia para a ra da Iraperatriz
n. 14, 1. andar, olido d consultas das 12
horas s 3 da tarde e r.-cebe chamados a
bualqcer hora. Especialidadespartos, fe-
bres, syphilis e molestias do pulmao e co-
racao.
Dr. Barreta Sampaio d consultas de 1
s 4 horas da tarde, ra do Barao da
Victoria n. 45, 2. andar, residencia ra
do Riachuelo n. 17, canto da ra do Pires.
Advocado
Henrique Milet. Ra do Imperador n.
22, 1. andar. Encarrega-se de questu;s
as comarcas prximas as linhas frreas.
Dr. Ferrer, ra do I aperador n. 79,
1. andar.
Dr. Oliueira Escord, 2. promotor pu-
blico, tom seu escriptorio de advogacia na
ra Primeiro de Marco n. 2.
Jos Bandeira de Mello advogado -
ra do Imperador n 37.
Corte Real, ra do Rangel n. 55, Io,
andar, escriptorio c residencia.
Madanra de conmiltorlo
O Dr. Alriao avisa aos seus dientes
que mudou o se 3 consultorio para a ra do
Queimadc a. 46, 1. andar. Consultas
todos os dias das 11 s 2 horas da tarde.
Drogara
Furia, Sobrinho <& C, drogustas poi
attacado. Ra Mrquez da Olinda n. 41.
Franciteo Manad da Suva k C, depo
sitarios de todas as especialidades pharma
O uticas, tintas, drogas, productos chrmics
e medicamentos homoBopaticos, ra do Mar
que de Olinda n 23.
Blica francesa e drogara de Bou
quayrol Frren. Naccessorcs
A. de Cao a
Neste estabelecimento fundado desde
1821 enoontra*se os producto chlmicos
drogas, tratas, leos, -pinceis, verniz-s da
melhores marcas ; todas as especialidades
pharm semticas doa legtimos autores, um
variado aortkaento de fundas o aguas-nji>
neraes, os granulos dosimci ga >le Burg
grave o productos especraes da Plora Btt
sileira. 22 -rus da Cnu, Racife.
Serravia a Vapor
Serrara a vapor e officina d& campia
d Francisco dos Santos Macedo, caos de'
Sendo um dos candidatos ao 2* escrutinio na
eleicab que no dia 31 do eorreote mes tem de pra -
ceder-se neste 9o districto, vcnho declarar ao dis-
tincto corpo eleitoral do mesmo distrcto qae, por
causas que nSo Ihe alo desconhecidas, desisto de
minha candidatura.
Nesta occasiio, me grato, altamente reconhe-
cido, confessar-me, a eemmissSode meo partido
pela inclusao de meu humilde aome na chapa que
confeccionou, honra que maito penhorou-me, m-
xime, nao m teado u soKcitado ao digno eleitorado
do distrieto, igualmente grato me confesso pela
votacjto com qae distinguime no 1 escrutinio.
A' todos os protestos do meu man subido reco-
nhecimento e seguranca da eontinuaeio dos meus
fracoa servicos em prol dos intereases do partido.
Minas-novas, 29 de Janeiro de 1886
Antonio Venancio CaoakanUd AU>uquert{*t.
6 distrieto eleitoral
Estou muitc grato ao eleitorado do 6' distrcto,
que elegeu-me doputado provincial.
O resultado de minha eleiclo urna prova da
dedicaclo de amigos que souberam corresponder
a) appello que Ibes fe a commseo eoearregada
da organisacao da ehapa conservador*.
Eternamente reconhecido aos amigis, que me
elegeram espero dar oumpriment ao mandato eom
a devida I eeldade.
Recife, 23 de Janeiro de 1886.
Jos Dominguea da Silva.
Programma
Da fesa de Nossa fceuhora da
t.nr. erecta na Igreja do t'ar
rao. ao da 9 de Fevereiro de
Dial.
Ao meio dia subirito ao ar urna salta de 21 ti -
ros e diversas gyraodolas de foguetos ao sora de
harmoniosas pecas da msica do 2- batalhio de
iofantaria, para annunciar aos habitantes desta
heroica cidade a vspero, do dia em que os filhos
da Mai de Deus, tributan homenagem a sacro-
santa e milagrosa Senhora da La.
A's 5 horas da tarde bastear-se-ha o estandar-
te da mesma Senhjra, sendo acompanbado ao
mastro por innocentes meninas trajaado vestes
apropriadas ao acto, tocando nesta occasiao a re-
ferida msica.
Dia 2
A's 4 horas da madrugada, depois de celebrada
no altar da padroeira urna missa em intenco dos
devotos que cincorreram para esta festividade,
ser despertada a pipulaco por urna salva de 21
tiros, seguida de diversas gyraudolaa de fogue-
tes, ao toque da alborada pela sopiadita banda
marcul, para se avisar que raiou o dia em que os
verdadeiros atletas do christianismo, exultaji de
satisfacao, pois o dia em que a igreja catholca
commemora o aome d'aquella que sendo ejcolhida
para in do Creador, tambem foi a redemptjra
da creaturas, guiando a* co>n a sua aaotiMnta
luz.
, A's 10 horas da manha, depois de executada as
cavatinas do estylo pela mencionada banda mar-
cial, ontraro as tercias e m continuacio a mis-
aa, officiaudo o Rvdoo. padre mestre Fre Jos da
ConceicSo Souza.
Executada que seja urna soberba symphonia,
subir tribuna sagrada o inteligente pregador
da capella imperial Fre Augusto da Immaculada
ConceicSo Alves, que far um brilhante panegy
rioo expondo as virtude? da milagrosa Senhora da
Luz.
A orehe3tra que constar da diversos profosso-
res cargo do professor Joo Antonio de Faria
exhibir a missa denominada Natal, composit-ao
do immortal maestro Cas, sendo os principies
solos cantados por habis profess&res.
No Gloria fenderao os ares diversas errndolas
defoguetes ao snm da msica marcial, ires e lin-
dos pjinbiuhos enditados. .
Terminada a testa soltar se-ha ainda urna sal-
va de 21 tiros.
A's 4 horas da tarde tocar a banda marcial no
adro da igrpja, subindo ao ar diversos balos, fui-
tos a capricho.
A's 5 horas ser arreado o estandarte da Pa-
droeira, com as ovs'-o.-u formalidades do hastea-
mento, soltndose depois urna salva de 21 tiros.
Te-Deum
O j bastante coohecid* e eloquente pregador o
Rvd. commcudador padre Manoel Moreira da Ga-
ma, ex-juiz protector da irmaniade, por sua vez
n'um bem elaborado discurso, patentear o quanto
vale a Rainha do Universo quelle que com f a
Ella recorren), seguindo-st aps o Te Deum de
nominado-Espirito-Santo''oraposicao do maes-
tro Col*.
Terminar a f.'stividade com um oompieo fgo
(.rtificial feito a capricho pelo admirare! artista
Olympio Silva.
O vasto templo estar artsticamente adornado.
O pateo achir-se-ha symetricameate enfei-
tado.
Em todos os actos soltar se-bao vistosos baloes
aerostticos.
A mesa regedora pede aos moradores do pateo
da igreja, que illuminem as frentes do suas casas
para maior brilhantismo da testa.
Secretaria da irmandaie de Nossa S'ulora da
Luz, erecta uo convento do Carmo do Hecife, 28
de Janeiro de 1886.
O secretario,
A. F. Moreira.
Franolwa Caaemira da Ora-a HestqaNa
NO STIMO DIA DO i SEU PASSAMENTO
esjalaora! la pace
Recife, i..de Fevereiro|de 1886.
J.
! CSiXSSSSS *CSiX3i5i3^iS3S
i C, H ckmann
ainas de cobre, atao e ronce e de
im.
Golitzer Ufer n. 9. Berlim S. 0.
Espeef adade:
Construt^ao de machi-
nas e apparelhos
para fabricas de assucar, destilla^oea e re-
finajSes coro todos os aperfecoamentos
modernos.
INSTALLAgAO DE:
Engenhos de assucar completos
Estabelecimento filial na Havana sob a
mesma firma de C. Heckmann.
Calle San Ignacio n. 17.
I nicos'representantes
Haupt Gebru'der
EIO DE JANEIRO
Para informac.3bb dijijam-so a
PolhHan &C
Rea I Comi 110
Edital n. 67

EDITAES
Edtalo. 9
Programma
Da festa de Xossa Wenhera da
Wade d P*c da lanella
Na madrugada do dia 3 de Fevereiro,. ser an-
nunciada a festa da Padroeira da reguesis'com
ama salva real seguida de innmeras gvrandelas
de fogueree.
' A's 7 horas ter lugar a missa resada, dita pe
lo Rvm. capelln da irmandade o Dr. Manoel Lo-
bato Carneiro da Cunba, que nessa occasiao ad
ministrar -a oriaieira commuuKo a diversos e
ditiuctas jovsns, entoando-se cnticos apropria-
I ma doenca errlvcl qnc affllge
ma elasse numerosa
O primeiro symptoma desta enfermidade
um ligeiro desarranjo do estomago; mas se
elle descuida, o corpo inteiro desordenase
dentro de pouco tenipo, sem exceptuar os
rins, o figado, as pncreas, e, em summa-
todo o systema glanduloao ; e o affligido
arrastar urna existencia infeliz at que os
seus padecimantos sejam terminados pela
morte. As peesoas aocommettidas por esta
molestia ao enganam frequentemente sobre dos por outras jovens em louvoras & Virgem da
a eua natureza ; n3o obstante, oleitorpode- Sade.
A's 10 horas entrar a festa, sendo pre ;ador do
Evangelho o Ilustrado Rvm. con'o Dr. padre
Ananias Correia do Amtral, um dos ornamentos
do nosso clero.
A orchesta a cargo do professor Lydio de OH-
em respi- veira exeentar a missa do maestro -Loysani.
Antes do ermSo aera executada a ouver tura
Joanna d'Arc.
0 credo o denominado do -Biapo e o Te-Dtum
trgo do maestro Colas e no final da festa, ser
executado pelo professor da orchestaAlia stel-
la, confidente transcripcab variada para flauta pe-
lo maestro R. Oolli.
A's i horas da tarde ter lugt.r a procissdo da
O administrador do Consulado Provincial dan-
do cumprimeato portara n. 467 expt dida pelo
Illm. Sr. Dr. inspector do Thesouro em 23 do cor-
rente!, rar publico, para eonhecimento dos proprie
tartos das casas sitas as localidades constantes
da relacio mira, que no etpaco de 30 das uteie
contados do 1 de Fevereiro prximo vindouro, se-
rio arree*dadas por esta repartico, independente
de multa, as importancias das annuidades e mais
servicos da Recife Drainage Companv, correspon-
dentes ao 1 semestre do ejercicio corrente de
18881886.
Gonsulado Provincial de Pernambuco, 26 de Ja
neiro de 1888.
Franciteo Amynthat de Carvallo.
De ordea do Illm Sr. Dr. inspector se fas publi-
co que achando-se as mercadoriaa contidas nos
volumes abaixo declarados no caso de serem ar-
rematadas para consamo, nos termos do cap. 6'
tit. 3 do regulamento de 19 de setembro de 1860
(tit. 5* cap. 5* da consolidacb) e art 18 do de-
creto de 31 de deseinbro de 1863, os seus dono*
ou consignatarios dever2 despachal-as e retiral as
no prazo de 30 dias, sob pena de, findo elle, ie-
rcm vendidas por sua conta, sem que Ibes fique
direito algum de allegar contra os direitos desta*
veada :
Armazem n. 4
Marca CI&C e contramarca N, 1 caixa n. 56,
vinda do Havre no vapar francez Villt de Si ara-
nhSo, entrado em 5 de Janeiro de 1S85, nao est
manifestada.
Armazem n. 5
Marca SBA, diamante e B no centro, 1 cesto
n. 1115, idem de Liverpool no vapor ingles Chn/-
tolile, idem em 27 dejnnho idem, consignado a
Souza Basto Amorm & C.
Marca SBA, diamante e 6 no centro, 1 caixa n.
161/17i*, idem idem em 3o idem dem, a-js m amos.
Armazem n. 7
Marca TH e L em cima, 55 caixas sem numero,
dem de Hambnrgo no navio allemo Bmma Za-
kle, dem de 1 4 de julho idem, ordem.
Marca J AM e contramarea eamoisim, 40 caixas
ns. 7573/762, dem de Bordeaux nj vapar francs
Nigrr, idem em 4 idem dem, F '. Arauj ,
Marca EPA e contramarca camossiin, 40 caixas
ns. 7543/7582, idem idem dem.
Marca AJC e contramarca camossiin, 40 caixaa
ns. 7663/7702, idem dem idem.
Marea BX, 7 caixas ns. 1/7, idein^.de Londres
no navio i-i^Iex W. L. I., idem em 17 dem.iaVn,
F-nsecs rmaos & C.
Marca HS, 1 caixa sem anmero, idem dos por-
tos do norte no vapor nacional i/lannn,. dem em
16 idem idem, Hermana Stolenb..i li.
1 atado da ferros sem numero, idrm .idem dem.
3 taboas sem numero, idem idem i.i.m.
Sem atarea, 12 cestos aem numero, uem do Por-
to na escuna portuguesa MinAo, idem em 25 dem
idem, Jos de Azevedo Braga 6t C.
, 25 ditos eem numero, rdem idem ii--n.
25 ditos sem numero, idem idum i u m.
7 saceos sem numero, contendo rol tas de cort-
ea, dem idem ioem.
o* seccSo da Alfandega de Pernan.'.i::io, 29 de
Janeiro de 1886.
________O chefe, Cicero B. de M. lo.
r julgar se file se acha atacado faxendo-
se as seguiutes perguntas
Sente-se de vez em quando urna dor in
commodadora ? Ha difficuldade
rar depois da comida? Sobrevem alguma
BensacSo de tristeza e languidez acompa-
nhada de somnolencia ? Os olhos tm urna
cor amarillenta ? Pela ra.inh as gengivas
os dentes acham-se cobertos de urna su-
bstancia espessa e viscosa, percebendo-so
simultneamente no paladar um Babor de- Virgem d mide, caioandor carregaoo pelas vrr-
Bagradavel? A lingua est saburrosa ? gens da primeira eommannio, percorrer a povoa-
Sente-sc dor dos lados edas costas? Apre- f> acompanbado por jovens mocas e senhoras
, j i j fjrmando alas,
senta-se alguma iuchaSIo naregiao do lado ; A>8 7 hora8 entrar 0 Te Z)eum, precedeado o
direito, como se o figado tivessse crescido,? panegyrico pelo Rvm Fre Augusto da latina-
rla prisao de ventre? Ha vertigem quan- culada Conceicao Alves, pregador da capella im-
perial.
A's 8 horas ter lugar o destearaento do estan-
do se levanta repentinamente do urna po-
siyao horizontal? As secrecSes dos ria 'darte da Virgem coma pompa ievida a to ex-
s5o raras e muito coradas, e forraam depo-J celsa Sonhora seguindo-se o queima do grande
Bto ? Os elementos fermentara logo depois fogo especialmente encommendado ao eximio ar-
das referes ? Ha flatulencia? O cora- $*.J,to F> de Me,k> que darA fim a a 8ran-
cSo palpita frequentemente? E' possivel. ^'tardeserpreenchida com baloes e divert
buo estes syinptomas nao se apresentem
todos ao mesmo tompo, mas affligein o pa-
ciente por S'u turno, segundo os progres-
os desta terrivel enfermidade. So a doen-
la tiver sido de urna duracSo muito pro-
ongada, manifestara-so um tosse frequente
e secca, sobrevindo de pouco tempo a ex-
pectorado. Quando o mal j esteja inre-
mentos campestres ao som da msica da policia.
Casa de Saudcdo Dr.
Souto-Maior
Acha-se aberta a casa do sande do Dr.
Souto-Maior, situada ra dePaysand n.
terado, a cor da pclle torna-se-ha morena e 5 (pa88agem da Magdalena) com acommo-
da90s para doentes de todas as classes da
sociedaie.
Os Srs. facultativos da provincia encon-
trarlo nessa modesta casa de sauie as
condQ3es favoraveis para o tratamento de
suja, e tanto as mabs como os ps cobri-
ram se de um suor fri o viscoso. Agra-
vados os soffrimentos do figado e dos rins,
aprosontam-se dores rhoumati :.is, e o sys-
teraa de tratamento ordinario nada pie
contra tilo dolorosa affecoao. A origem qUalqUer molestia cirurgica ou medica e
deste mal a Indigestad ou Dyspepsia, e para an podero enviar os seus doentes,
urna pequea quantidade do verdadeiro re- medioal os, conterenciarcom os mdicos de
medio, tomada no principio da doenja, far Bua escolha etc. conformo so acha dispos
desappareeer para sempre os symptomas t0 no regulamento da mesma casa.
Apparelho telephonico 398.
Sanco de Crdito Real em
Pernambuco
Este Banco, antoriead) pelo decreto n. 9457 de
11 de julho de 1885, dar comee i as suas opera-
cea ix> dia 2 de Janeiro de 188i>.
As opetafes fundamentaes o Banco sao :
Fazer emptestimos de quautia nao inferior a
5:000^000 aobre hypotbeca de bens immoveis 11
longos prasos com amortisacS? por annuidades.
Estes einprestimos serio :
Contraotadoo por tempo nlo n-.ener de 10 annos
sobre piimeira hypotheca constitu Ja, cedida eu
subrogada.
Feitos por metade do valor dos mmoveis ru-
raesou por trez quactos d.s urbanos em lettras
hytH5fhrca'ia do Banco, ao par, do valor de.....
1003000 cada urna urna e do juro de 7 0)0 aoaono.
Reembolsados por mc!.o de aanuidaes pagas
pelos mutuarios e:n m.e la cTrente, divididas em
semestres.
Os einprestimos podera *er pagos antecipa la-
mente no todo ou em parte, em moeda corre .te ou
em letras bypothecarias ao par, a vontade dos
mutuarios.
, As annuidades compehen lem ajor conven-
cional, a amortiaafSo do capital mutua lo e a com
misao de 1 0|O ao Banco.
I Na base dos juros de 8O1O ao anno,a tabella das
anm4ads para 1:00000 seguinte
pengosos. E' por conseguinte importan-
tissimo que a desarranjo seja tratado com
promptido e cora efficacia nos seus pri-
meiros graos, em cuja poca possivel
obter m cura por meio de um pequeo nu-
mero de dzes do medicamento. Mas quan-
do j esteja arraigada enfermidade, o
verdadeiro remedio iever s r tomado at
que o ultimo vestigio 'aqu'ila tenha sido
destruido, at que o app^t te volto, e at
qup osorglos digestivos recuperem as con-
dicSes nonnaes. A medicina mais efficaz
contra to terrrivel doena o Xarope
Curativo do Seigel, preparadlo vegetal
que vendem todos os pharmaceuticos o bo-
ticarios do mundo inteiro e os seus proprie-
tarios, A. J. White, Limited, 17, Farring-
don Road, Londres, E"!. Esto Xarope
destroe a verdadeira cauja do mal, expul-
sando-a radicalmente do systerna.
Depositarios na provincia do Rio de Ja-
neiro : no Rio de Janeiro, Domingues Viei-
ra e Chia, Jo2o Luiz Alvez, Greo Sanville
a Chia, G. Francisco Leandro e Fonseca
e Alvos; e em Sam Siraao de Manhuassu,
Horacio de Rentus.
Depositarios na provincia de Pernambu-
co : em Pernambuco Bentocourt e Chia
J. C. Levy e Chia, Francisco M. da Silv
I e Chia, Q. Braz dos Santos e Chia, e Rou
quarol rmaos; em Bello Jardira, Manoe
de Siqueira Cavalcante Acco Verde, o Ma-
noel Cordeiro dos Santos Filho ; em Inde-
pendencia, Antonio Gomes Barboza Jr ;
em Palmares, Antonio Cardoso d'Agniar ;
e cm Tacarat Jos Lourenco da Silva. J.
C. Levy &C, ra do Barao da Victoria n.
2
Contratos por 10 annos l 155481) anaaau
15 a 124|050
* 2 . 109J345
25 101#906
. 30 . 97(336. 1
No escriptorio do Banco roa do Cooxraercio n
31, dar se-hb os deosais esclarescicsentos neces-
danos.
Peeife, 31 de dezeinbro de 1885.
Pelo banco de crdito Real em Pernambuco,
Os administradores
Maaoal Joto de Amorin.
Jos da Silva Loyo Jnior.
Luia Dnprat.
CO advogado Joao Fraatiwo Teixeira tem o sea
Mittw*-4-toando IospBWMltr n. 42 l.oiaadaT^Je
ah pader e prsciwatt* para o erareicio de sua
profiss*, das 10 horas ds,maabi*f 3 da tarde. '
Nunes Machado.
No dia 3 de fdvereiro,. (por ser o dia 2
santificado) aera celebrada urna missa eom
memento na forma do costurae, em suffra-
gio s almas dos finados patriotas Dszem-
bargador Joaquim Nunes Machado e seu*
corapanlieiroa mortos no dia 2 do fevereiro
de 1849; pede-se o comparecimento de to-
dos os liberaes o amigos d'aqnelle finado
gezembargador; a qual tetragarna ma--
.z de Santo Antonio as 8 horas da ma-
nba.
eirupglco
O Dr. EstevVi Cavalcante de Albuquerque con-
tinua a dar consultas medico-cirurgieas, na rus
do Bom Jess n. 20,1 andar, de meio dia s 4
horae da tarde. Paras? demais consulta e visi-
tas em sua residencia provisoria, ra da Aurora
n. 53, 1 andar.
Ns. telephonicos : do consultorio )5 e residencia
126.
Especialidades Partos, molestias de crean
cas, d'utero e seus anuexos.
Medico e parleiro
E JoaQnim Lonreiro
D consultas das 12 s 3 na ra do Ca-
bug n. 14 I.- andar. Residencia tempo-
raria no Monteiro.
OCULISTA
Dr. Barreto Sampaio. medico ocnhst
ex-chete de clnica do Dr. de Wecker, d consola
tas de 1 s 4 horas da tarde, na ra do Bar2
da Victoria n. 45, Begundo andar, excepto nos do-
mingos e dias sanctifcados. Residenciaroa de
Riachuelo n. 17, canto da ra dos Pires.
Dr. Cerpira Luite
ni: Dito
Tem o seu escriptorio 'a ra do Marques de
Olinda n. 53 das 12 s 2 horas da tarde, e desta
hora em diante em sua residencia ra da San-
ta Cruz n. 10. Especialidades, molestias de se-
nhoras et-riaiicas.
Hclurrto a (fue ae refere o ediial
supra
Freguea de S. Frei Pedro Goneahiei do Recife
ninas
Marques de Olind, Bom Jess, Alves Cabral,
Conceicao. Bispo Hardinba, Torres, Thom de Sou-
za, D. Mara de Souza, Vlgario Tenorio, Barreto
re Menezes, Mariz e Barros, Burgos, Amorim,
Moedn, Tuyuty, Companbia Pernambucana, Ma-
dre de Dens. Domingos Jos Martms, Mscate?,
Restanracio, D. Mara Cesar, Visconde de Itapa-
rica, Farol, Areal, S. Jorge, Vital de Oliveira,
Gaurarapea e Bario do Trinmpho.
Pracas :
Charco, Assembla e Pedro I.
Travessas:
Vigario, Madre de Deus, Campello, Domingo
Jos Martina, Corpo Santo, Antigo Porto, Buin
Jess, Areal, Fundco, Occidente, Guararapts
Praea de Pedro I.
Beccos :
Ab en, Largo, Pindoba, Noronha, Tapado e
Pascboal.
Largos :
Alfandega, Corpo Santo e Assembla.
Caes:
Companbia, Brum e Apollo.
Santo Antonio
Ras :
Imperador, Primeiro de Marco, Duque de C1-
xias, Cabug, Bario da Victoria, Trncheiras, La-
rangeiras, larga do Rosario, estreatu do Rosario,
S. Fiancisco, Joao do Reg, Iha doCarvalho, Ro-
da, Patos, Calabou(o velho, Santo Amaro, Ma-
tbias Cde Albuquerque, Paz, Paulino Cmara, Fo-
go, Livramt'nto, Penha, Viseondo de Inhama,
Pedro Aff joso, Nova da Praia, Marcilio Dias, Vi-
racao, Lomas Valentinas, Curonel Suassuna, San-
ta Thereza, Vinte e Quatro de Maio, Palma, Mr-
quez .0 Herval e Cadeia Nova.
Pra 9a :
Pedro IL
Campo :
Prineeza.
Caes:
Vinte e Dus de Novembro.
Travessas:
Queimado, Cruzes, Mirquez do Recife, Bella,
Quarteis, Calabouco, Expostos, Martius, Flores,
Carmo, Bomba, Livramento, Arsenal, Ia da Praia,
2" da mesma, Caldereiro, 8. Pedro, Viraeiw, Lo-
bato, Falcao, Pocinb-j e Concordia.
Largos :
Paraizo, Carmo, Penha, S. Pedro e Praccta.
Be eos :
Bella. Calabouco, Matriz, 1.. 'ifeS.o da Cam
boa, Falcao e Io e 2." da Cadeia Nova.
Edital n. 68
Dr
Trislo Uenriqucs
Costa
1S
Ra da Vnlfto n.
consaltas das 11 s 2 horas.
Chamados a qualquer hora.
Telephone numero 154.
Oculista
Dr. Ferrelra 'da Silva, ooa
altas das 9iao meio dia. Resi
dencia e consultorio, n. 20 ma
Larga do Rosario.
' Recife) i5 de reo de 1885;
li
,.R^cx;
*!
S. Jos
Ras :
Marcilio Das, Lomas Valentinas, Corcnel Suas-
suna, S. Joao, Palma, Mrquez do Herval, 24 de
Maio, Dias Carioso, Passo da Patria, Padre No-
brega, Victoria, Cadeia Nova, Vidal de Negrmros,
Frei Henrique, Dique, Assumpcjto, Domingos
Theotonio, Padre Floriano, Christovao Cclumbo,
Jardim, Forte, Antonio Henrique, Nogueira, Santa
Cecilia, Santa Rita, Nova de Santa Rita, S. Jos,
Praia de Santa Rita, Pescadores, Ipyranga, Lnpe
rial, Praia do Forte e Luiz de Mcndonca.
Travessas :
Martyrios, Pcinh", Ramos, Caldereiro, Gaz,
Matriz de S, Jos, Forte, Prata, Ser gado, Copia-
res, Nova de Santa Rita, S. Jus, Praia do Forte,
Peixoto e Lima.
Bccos :
Paula, Caldereiro, Gaz, As3umpco, 1." de San-
ta Rita Nova e Matriz de S. Js.
Largos :
Forte 3 Mercado.
[da-Vista
Ras :
Imperatriz. ConceicSo, Vsconde de Pelotas,
Tambi, Visconde de Albuquerque, Aurora, Capi-
baribe, Ponte Velha, Conde da Ba-Vista, Ria-
chuelo, Unio, Saudade, Sete de Setembro, Hos-
picio, Camarao, Rosario, Gervasio Pires, talho,
Socego, Principe, Santa Cruz, S. Goucab, Co-
lho, Hospital Pedro II, General Sera, Coronel
Lamenha, Alegra, Leo Coroado, Baro de 8.
B.jrja, Soledade, Visconde de Goyanna e Attra-
clo.
Travessas :
Gervasio Pires, Ooihos, Atalho, Baireiras, Ve-
ras, Quiabo, JoSo Francisco, M-tngnura, Cam-
pia e Palacio do Bispo.
Pracs :
Conde d'Eu e Santa Cruz.
Largo:
Campia. '
rJecco :
Co 1 h o^______________________________________
FaeuiVladc de Direito
De ordem do Exm. Sr. connelbeiro fajo
publico, que os exames de scientias a que
so tem de proceder, comecarSo no ia 3
de Fcven-iro, e nSo no dia Io como foi
anunciado; e que aero feitoapolos novos
programma. publicados no Diario Ofi-
cial, e repetidos ltimamente nesta provin-
cia no Diaria de Penuimbco e Jor,\,d do
Red fe.
Secretaria da Pacaildade de 1 iroito do
Recife, 30 de Janeiro de 1886.
O secretario,
Jote Honorio B. de Mcndgaa.
JuiHle pphS^ts
De ordem-do Exm. Sr. Dr. juiz de orbaos, faco
saber aos interesaados, qne a audiencia do'ntesmo
juizo ter lugar o d l" de fevereirc prximo
vindouro, s IL horas da manha, por ser saatii-
cado o dia 2 do meso mes.
Recife, 30 ae-jaaeixo de 86.
0 1 asciivo de oxphiloa,
Olavo Antonio Ferreira,
(2 praca)
De ordem do Illm. Si. inspector b fz publico,
que s 11 horas dodia 4do me* de fev-reiroseij)
vendidas em praca, no trapiche Couceieao, as
mercadoriaa abaixo declaradas :
Armazem n. f?
Marca diamante e C&C no centro 1 .caixa sem
numero, vinda de Liverpool no vapor nglez War-
rior, entrado em 16 de maio dem, ao est ma-
nifestada, cont ido dous kilos de qu i Iros annun -
cios de mais de urna cor em cartoes de pap la >.
Armazem n. 6
JTB, 1 oeixa n. 63, idem de Lisboa nj vapor
francez Senegol, idem em 5 de maiu i 'en, a J.
Teixeira Basto, contendo folhetes imprudos bro-
chados (jornaea Ilustrados), pesando liquido le-
gal 65 kilos.
Armazem n. 7
Marca Cil e contramarca Cear, 40 caixas ns.
4124/4463, idem de Southampton no v>.,or iuglez
Elbe, idem em 12 de junho idem, ao* a^ nea da
in.la real, contundo 40 duzias de gaxrafjas com
vinho medicinal (S. Raphael), pesando liquido le-
gal 300 kilos.
1 caixa n. 4464, idem idem, contendo .liaros im-
pressos brochados, pesando 6 kilos.
3' seccSo d'Alfandega de Pernamh'ieo, 30 de
Janeiro de 1886.O chefe,gCieero B. de Mello.
O cidado Elysio Alberto Silv.im. 1. juiz
de paz da ireguezia da Boa-Viita, en
virtude da lei etc, etc.
Faz saber aos Srs. eleitores que tendo aid de-
signado o dia 16 de Fevereiro prximo, petos Exm.
Sr. Dr. Thomaz Garcez Prannos itanienogiv,
presidente da junta apuradora, para se proceder,
ao 'J escrutinio da elecao para drputados As-
sembla Geral Legislativa ; cumpre qu-- facam
recahir exclusivamente toda votacao nos candida-
tos Dr. Jos Mariano Carneiro da Cunhi < e n-
selb-jr j -Theodoro Machado Freir Pcrcira d.i Sil -
va.
Faz mais censtar aos Srs. presidentes < im-si-
rios das mesas das sessoes organisadis p ra a
primitiva elecao que as 9 horas da manba daqoel-
le dia, devem comparecer para na forin da I-i
d irem principio aos trabalhos da pleie". Do
que para constar fiz o presente ediial o nnal val
publicado p da im prensa e affixado nu lugar do
costume. Dado e passado n'esta ftegn ^..i di
Bia-Vista, em 27 de Jaueiro de 1886. Ei, Al-
fredo Francisco da Silva, escrivo, escri. .
Elytio Alberto Silveira.
O coronel Joao Baptista Pereira L 'l>>, Io
juiz de paz, presidente da mesa m'hMil
da 1* seccSo da parochia do Pogo da Pa-
nella, em virtude da lei, etc.
FafO saber, que o Sr. presidente da junta :ipu -
radora do 2o distrcto eleitoral, por ofncio d >
te-hontcm datado me comicunicou que nviiiuii
deliberata-j da maioria da mesma junta, res l>n
convncar. para ter lugar no dia 16 de Foyer, n
prximo futuro, o 2o escrutinio da eleioSo-para >-
putaao Assembla Geral Legislativa,
apenas serem votados o Dr. Jos Marfaup Car-
neiro da Cuuha e o cons dlieiro Theodoro Macha-
du Freir Pereira da Suva ; pelo que, ni s P ruina
do art. 181 do regulaueuto eleitoral n. 8,213 .le 13
de Agosto de 1381, convoco aos Srs. eleiton s des-
ta 1 seccao, (do 1* ao 6 quarteiro) ..ra que no
marcado dia 16 de Fevereiro prximo futuro, s 9
horas da manha, se reunam no consistorio da igre-
ja Matriz de Nossa Senhora da Sade d-> Puco da
Panella, afim de darem seus votos, devendo cada
eleitor votar em um s dos dous candida i-s ci-
ma indicados, e apresentar no acto da val icSo o
seu titulo, sem o qual nao ser aduaittido a vo-
tar.
' Convoco, ao mesmo tempo, noa termos dos arta.
180 e 181 do citado regulamento, os membos da
primeira elei^ao, os Srs. Dr. Paulo Jos d'Oliveira,
Luiz Augnst > Rubim Mavignier, Affonso M ireira
Temporal e Miguel Joaquim do R-go Barros, para
que se reunam no lugar, dia e hora cima desig-
nados, afim de proceder-se dita elecao eui 2 es-
crutinio, na forma da lei.
E para constar m'udci passar o presen.e
tal, afnxal-o na porta da igreja e pubcal-o pela
impraaea.
Parochia do P- co da Panella, 20 de Janeiro de
lHSt}.
Eu, Manoel Fraucisco Coelho, iscaiv&e dj paz,
o escrevi.
Joao Baptista I'ere ira Loto.
O coronel Joao Baptista Pereira Lobo, Io
juiz ci paz presidente da mesa eleitoral
da Ia 860580 da parochia do l\.co da Pa-
nella, em virtude da lei, etc.
Faco saber, que o Sr. presidente da unta apu-
radora do 2" distrcto eUtoral, por oilicio datad >
de hontcm me communicou que marc-ou o dia 17
de Fevereiro prximo vindouro para se proceder
ao 2o escrutinio da elecao dos memores da As-
pembla Legislativa Provincial, afim de pre-
pncher-se um lugar, podendo apenis eerem vota-
dos os Srs. Drs. Jos Zeferino Vellos) e Maximia-
no Lopes Machado, pelo que, nos termoi do art.
181 do regulamento eleitoral n. 8,213 de 13 de
lAgosto de 1881, convoco aos Srs. eleitc-res desta
1 secco, (do Io at o 6o quarteirao) pan que no
marcado dia 17 de Fevereiro prximo vindouro, s
9 horas da manha, se rennam no consistorio da
igreja Matriz de Nossa Senhora da Sade do Po-
co da Panella, afim de darem sers votos, devendo
pida eleitor votar em s dos dous cidadaos cima
indicados e apreeentai no acto da votacao o u
titulo, sem o qual nao ser admittido a votar.
1 Convoco ao mesmo tempo, nos taraos dos arta.
180 e 181 do citado regulamento, os membros da
mesa da primeira eleicio, os Srs. Dr. Paulo Jos
d'Oliveira, Joas Ignacio Ribeiro Roma, Affjnso
Moreira Temporal e Miguel Joaquim do Reg Bar-
ros, para qne se reunam bo lugar, dia e hora ci-
ma marcados, afim de proceder-se dita eleicao
em 2 escrutinio. ..
. E para coastar mandei pasear o presente eoj- .
tal, affixal-o na porta da igaej e publcalo pela
jm prensa.
Poco na Panella, 29 de Janeiro de 1836.
Eu, Manoel Francisco Coelho, esenvao de pai,
escrevi. ,_.
Joao Baptista Peretr* L060.
%


I
f



ILEafHl


Diario de PernambucoDomingo 31 de Janeiro de lSfft



O cidaJao Ei
de paz da tr<
virtu le da I
Faz saber ao
signado o dia 17 tl<- :ino, pelo
Dr. Thomiz G
dente da junta apui
scrutiuiu da el
stim dti se preh
tucaui recan r ex i. 08
candidatos Drs. J s Z Ferin
Maxiiniano L 3 """" vo"
tad.s djs uao elctos.
Fas mais Srs piesidenfts e
rios das mesas das seecoes organindaa para a
priniiiir eleicao que us U Uor -s da manila daquel-
le dia devea comparecer para na forma da lei da
reai principio aos trabalhos da tluico. Do que
para constar fia o presente edital que Tai publica-
do pela imprensa e affiado no lugar do ortuice
Dado e passado n'esta freguezia da Boa-Vista em
27 de Janiro de 1886. u, AUredo Francisco de
Souza, escrivo escrevi.
Elyo A'berto Silveira.
Theatro de Variedades
w
DECLARARES

Escola Normal
Matriculas
Por ordem do Dr. director, e em observancia
da disposieo do art. 74 do regiment iuterno de
17 de setembro de 1880, fn-se publico a quem
interessar possa, que as matriculas estaro sber-
cas desde o dia 15 do corrate at 3 de fovereiro
prximo.
Os requerimentos para matricula no 1* auno do
curso deverio ser instruidos com os documentos
seguintes :
1* Certido de idade maior de 18 anno* par os
alumnos do sexo raasculiao e de 16 para os do fe-
minino.
S Certificado ou titulo de approvacae em exa-
ne as escolas publica de instrueco primaria.
' 3 Folba corrida on certido de nao haver sof-
frido condemnaco por algum dos crimes que po
dem motivar ao profwssor publico a peda da ca-
deira.
4 Attestado de moralidade passado pelo par-o
cbo su autoridkde, quer policial quer litteraria da
freguezia em que residir o peticionario.
Os matrculandos que nao poderem exhibir ti-
tulo legal de exame em escola publica de ensino
primario, deverio inscrevir se para os exames de
do isso, de que tiatam os arte. 75 77 do cita-
do regiment, e que comecarao no dia 25 do cor-
rente.
Para as matriculas do 2 e 3 anno basta que
as peticoes sejam documentadas com a certido
de approvaco no exame do anno precedente,
guardada a restriejao do art. 21 do j mencionado
regiment interno.
Secretaria da Escola Normal de Pernambuco
11 de Janeiro de 86.O secretario,
A. A. Gama.
A soeiaco Conmiercial Agrcola
de Pernambnco
Tendo diversos Srs. associados requerido a di-
rectora desta Associaco urna reunio da assem-
bla geral (extraordinaria), autorisado pelo art.
18 des estatutos, de ordem do Sr. presidente con-
voco para o dia 8 de Fevereiro prximo s 11 ho
ras do dia, os Srs. associados para se reunirem
em asscmtla gcral afim de resolverem sobre o
objecto do requerimento que motiva a mesma reu-
nio. Secretaria da Assceiaclj Commercial Agr-
cola de Pernambuco, aos 30 de Janeiro de 1836.
I. de Barros Barreto,
Secretario.
COMPAMIIAIVUICO-COMICO-DRAMATICA
DIRIGIDA PELO ARTISTA
DomiflEO, 31 HO B1886
MAGNIFICO E VARIADO E8PECTACUCO
Representar-sena pla primeira vez a engracada comedia em 1 a :to
XJOCWC Q'CJX OPORsC QXJ!!
Tomara parte as Sras. Bellegrandi, Duraod e o Sr. Milone.
2.' PARTE
O actor Augasto Boldrini, representar a grande acea do
Tragedia de Shakspeare
SE... U NAO SER,..
E a scena seguinte com Ophelia :
VAE... ENTRA PARA O CONVENTO
TraduccSo em portuguez do mesmo artista.
O papel de Ophelia ser de9empenhado pela distincta atriz D. R. Durand.
3. PARTE
A pedido geral
LEJA-A MOXTVMIEZV
OperetaUyliocampestre em 2 actos, mus do distinoto maestro Casirachi.
Personagen
Repossi Margarida sua irmS
Bellegrand
Companhia
DOS
Irilhos urbanos do Recife Oliu-
da e Beberibe
Dividendo
Lst designado o dia 18 do correte para ser
comecado o pagamento do 22* dividendo, corres-
pondente ao semestre de junho dezeinbro, ra-
ijo de 8 0/0, sendo este feito no escriptorio da
companhia das 9 horas ao meio di. at o dia 30
do correute, e dahi < m diante s tercas e sabba-
dos, nao santificados, a iguaes horas.
Escriptorio do gerente, 16 dejancir.de 86.
A. Pereira Simoes.'
MARTIMOS
Gregorio, propietario e pai de
Leda
Conde Gildo de Belfort
Fedel, cacador
Durand
Tonio, pastor e criado de Gre-
gorio
Milone
Buffa; 4."
Boldrini
Comelotti
Msicos, coros, aldefcs.
NUMERO DE MSICAS
ACTO 1.-l.o Symphonia; 2. CSro de introduocSo; 3. Aria
Canto pastoril; 5. A primavera (canjao); 6. Romanza; 7." Grande aria do caca
dor; 8.o Duetto entre Lena e Fedel. ACTO 2.-------1. Brinde e coro; 2 A bor-
boleta (cancao); 3. OracSo; 4o Couplet e coro; 5. A tempestado (pela orchestra) ;
6 Rond final com coro; 7. Danca campestre.
AVISO_____Depois do espectculo haver omento os bonds
AVIiO AO P1BLIIO
FESTA DO POCO
No dia da festa "2 de Fevereiro prximo os trena
da inanna serio os mesmes da t. xdla ordinaria
para es das santificados e a tarde sero expedidos
res seguinte tabella :
Ida
Do Recife pela linha prineioal al Monteiro
1.0, 1.30, 2.0, 2.30, 3.U, 3.30, 4.0, 4.30, 5.0.
5.80 e 11.0.
L>3 Recife pela linba do Arraial at Monteiro
C.O, 6.30, 7.30, 8.0, 8.30, 9.0, 9.30, 10.0 10.30.
Do Ricife a Caxang12.45, 2.0, 3.30 5 0,
6.30, 8.0, 9.30, 11.0.
Do Reiife pela hnha do Arraial at Dous Ir-
lo os-1.0.
Do Caldereiro at Dous Irmos-2.25, 3.25
4.25, 6.25, 8.25, 10.25.
Volt*
Do Monteiro ao Recife pela linba do Arraial
2.10, 2.40, 3.10, 3.40, 4.10, 4.40, 5.10, 5.40.
Do Monteiro ao Recife pela linha principal
.30, 7.0, 7.30, 8.0, 8.30, 9.0, 9.30,10.0,10.30,
J 1.0 11.30.
Do Caxang ao Recife1.55. 3.25, 4.55, 6.25,
7.55, 9 25, 10.55.
De Dous Irmaos ao Caldereiro2.5, 3.5, 4.5,
6/, 8.6, 10.5.
Os Srs. passageiros do ramal de Caxang, quer
na ida quer na volta baldeiam para outro trem no
Entroncameuto, menos os do trem de12.45do
Recife.
S". !S pode se vender dentro dos trens bi-
lhetes para cada S'.-cco, por isto os Srs. passa-
geiros que quizerem se aproveitar dos bilhetes es-
peciacs de ida e volta, por precos mais moderados
devem procralos as estafes.
' Escriptorio da Companhia, 30 de Janeiro de
1886.
W. W. OstUr, Gerente.
do costune.
N. B. Continua estar doent*
tiver lugar a 1.a representaclo da opereta-cmica
o actor Dominici, annunciar-se ha o^dia em que
PRESOS DO COST1ME
PRINCIPIARA' S 8
tma
1/2 HORAS.
Thesonraria de Fazenda
De ordem do Ilim. Sr. inspector, taco publico
que pela irdem do Thesouio Nacional n. 15 de 13
do correute mez, foi concedido preciso verb=
exercicios findos, exercicio de 1885 i 1886,
pagamento dos credores abaixo m- ncionados
Cmara municipal
1:28500
4614835
Luiz Antonio de Siqueira, 1882-83
Fonseca limaos & C, dem dem
Manoel de Figueir* Faria & Filhos,
ideni idem
Jos dos dantos Oliveira, idem idem
Heltrao Costa, idem ideas
Bsrth lomeu C. iden idem
Jos Josquim de Azevedo, idem idem
Companhia Bebi-ribe, idem idem
Ferreira Guirasres & C, idem idem
Haj r Jos Joaquin Co.lho, idem dem
Capitao Luiz Martins de Araujo,
idem idem
Alteres Raymunio de Almcida Sam-
paii, idem idem
Gaspar Fernandes de Albuquerqae
Cmara, idem idem
Felippe Benicio de Castro e Silva,
idem idem
BttloMiaao Jos de Souza, idem idem
Manoel Figueira de Faria, idem idem
Manoel Maitins Fiuza, idem idem
Companhia de g;.z
Oaetaiio Cyiiaco da Costa Morcira e C.
Companhia Beberibe
Em pregados da Recebeioria 1:8735708
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 29 de
janeio de 8o.O secre'ari",
Luis Emjdio P. da Camrra.
De ordem do Sr. verea !or, commissario de po-
lica, d se poblicldaie a resposta dada pelo fes-
para : cal do Io districto de S. Jos, em virtude da por
[taria que lhe foi dirigida.
Illm. Sr.Communico a V. S. que boje 29 de
Janeiro, lendo a gazetilha do Jornal do Recife de-
| parei com um annuncio sob a epigrapheRa das
53600 Carrocaschamando a attencao sobre a mmundi-
484,920 ce que ahi existe.
538^140, E' injusto o articulista para com esta fiscalisa-
26200 cao, quando no dia 29 se havia varr do a dita
26/960 rus, e mesmo porque se morador o articulista
144f800 em dita ra deve ser coherente, pois em tempo
266/300 algum prtscnciou tamanha limpeza naquella,rua.
130JOO j u convido a V. S. para verificar o estado em
que se acha dita ra, para melbor saber qoe a
rtcl;imcio do articulista nao tem fundamento.
Di-us guarde a V. S. Illm Sr.Dr. Manoel Fran-
cisco de Barros, mui dino commissario de poli-
ca. O fiscal,
Joaquim Machado Das.
COSPA1WHIE DE 11I.SSA4.I;
RES IIAllITIiii:*
IJNHA MENSAL
aquete Orenoque
malandante Mortemard
Espera-se da En
ropa no dia 5 de
Fevereiro, seguin-
do depois da de-
mora do costume
para Buenos-Ay-
res, tocando na
Baha, Rio
de Janeiro e
tevldo
Monte-
Lembra-se sos senhores passageiros de todas
as classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar e:n qualquer tempo.
Previne se aos senhores recebedores de merca-
dorias que s se attender as reclamacoes por fal-
tas nos volumes que.forem reconhscidas na occa-
siao da descaiga.
Para carga, passagens, encommendas e dmheiro
a frete: tracta-se com o agente
4ngoste Labillc
9 RA DO COMMERCIO 9
Companhia Bra-llelra de NaTe-
gaeSo a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor Manos
Commandante 1- tenente Ouilherme Wad-
dington
esperado

-
E' esperado dos
portos do norte
ateo dia2 de Fe-
vereiro, e depois
a, da demora indis-
oem carga
S pensavel, seguir
para os portes do
sul.
Recebe tam -
Santos, Pelotas e Rio Grande de
COUPnUlt PE\.4MMCA.NA
DE
\aTCgaci?o Costeira por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parhyba, Natal, Macu, Mossor, Ara-
caty e Cear
0 vapor Ipojuca
Segu no dia 6 de
Fevereiro, s 5 bcir ti
da tarde. Recebe
carga at o dia 5.
Encommendas passagens e dinheiros a fete at
s 3 horas da tai de do dia da saluda.
ESCRIPTORIO
raes da Companhia Pernamhn-
___________cana n. f____________
Companhia Bahiana de navega
e*o a Vapor
Maceio, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Baha
Marinho Visconde
Commandante J. J. Coelho
E' esperado dos oortop aci
ma ate o dia 2 de Fevereiro,
e regressar cara os mes-
mos, depois da demora do cos-
tume.
Para (arga, passagens, encommendas e dinheiro
a fret j f ractase na agencia
7Ra do Vigario 7
Domingos 41vs Matheas
Leio
De urna exc-Jl nte armacao de amarello, envidra-
Cnda, balea., d&t m .hias par., cortar sola,
duas SwpaiwdaSt eueaaa-
mento e candi z.
Qaarta feira 5 de Fevercira
As 11 horas
O agente Gueu>!<'. ntcmente aiifi risado
tari leilo da armacSo e mar objeetos existentes
na loj u. 21 da ra do Livruuiciito.
Leilo
tOHPUnik PKBSIHait, ,%A
DE
Varegavo Costeira por Vapor
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaj, a Estanciafj
0 vapor Mandahu
Segu no dia 4 de
Fevereiro, s 5 horas
da tarde.
Recebe carga at o
dia 3.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete at
s 3 horas da tarde do da da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Cae da Companhia Perrambucana
n. 12
Pacific Steam \aviplion Conipany
STRAITS OF MAGELLAN LTNE
Paquete Valparaizo
lOOiOOO
1:175003
55/873
49/503
24/378
23/600
570/200
769^300
566/618
144/c'03
COMMERCIO
Bolsa commercial
buco
de Per na ni
Recife, 30 de Janeiro de 1886
As tres horas da tarde
CotacSu oMciaet
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 17 7/8 d.
1/OO, do naneo.
Cambio sobre Pars, avista, 510 rs. o franco.
Santa Casa de Misericordia
Recife
Na secretaria da Santa Osa de Misericordia do
Recife arrendam-se por espaco de oto tres an-
uos, as casas abaixo declaradas :
Ra da Moeda n. 45,
dem 'dem n. 49
Kua do Bom Jess n. 13, 1- andar
liem idem n 14, pavimento terreo e 1'
andar
dem idem n. 29, 1 andar
Ra dos Burgos n. 27
Ra do Vigario n. 22, 2- andar
dem idem n. 22, 3" andar
Ra da Madre de Deas n. 10-A
Caes da Alfandeca armazem n. 1
Becco do Abreu n. 2 ioja
Ra do Visconde de Itaparica n. 24,
pavimento terreo, l'e2" andar, por 1:600/000
Ra do Coronel Suassuna n. 94, loja 150/000
Ra da Detenco n. 3 (dentro do quadro)
mei'agua 84/000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recite, 15 de Janeiro de 1886.
O escrivo,
Pedro Rodrigue de Souza
dr
240/000
240/000
3.0/000
600/000
240/( 00
216/000
240/000
240/000
200/000
1:600/000
48|000
Arsenal de guerra
De ordem do Illm. Sr. major director, distri-
bue-se costuras nos dias 1, 3 e 4 do mez prximo
vindouro s costureiras de ns. 101 150.
Previne se que soffrer a multa de 5 0/0 toda e
qualquer costureira que exceder do prazo do 15
dias com suas costuras, salvo se aprcocutar docu-
mentos que justifique essa falta.
Previne-se mais que e se entregar costuras
s proprias costureiras, on salvo porm, autori-
sando por escrpio pessoa de sua confianea.
Seccio de costuras do arsenal de guerra de Per-
nambuco, 30 de Janeiro de 1886.
Flix Antonio de Alcntara,
Alferes adjunto.
Sul, frete mdico.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante o 1 tenente Carlos An-
tonio Gome*
E' esperado dos portos do su!
at o dia 6 de Fevereiro,
seguir depois da demora in-
epon
el,
Ujssulado moviaciu.De 2 29
dem de 30
{erra dbaikaqDe 2 29
dem de 30
200-995/314
7:542/599
por
Na hora da bolsa
Offereceram vender e comprar
48 letras bypothecarias do va-
lor de 100/ e joros de 7 0/0 ao
anno, ao par a 94/000
50 accoes aa companhia do Be-
beribe do valor de 100/ 150/ a 145/000
P. 3. Pinto,
Presidente.
Candido C. L. Alcoforado,
Secretaria
208:537/913
6:550/097
49>459
5:599/556
DESPACHOS DE EXPORTADO
Em 29 de Janeiro de 1886
Para o exterior
Thcsouro Provincial
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector destt re-
partico, taco constar a quem couvier que no dia
1 de fevereiro paga se a classe de professoras de
1* entrancia, com rclacao ao mez de outubro pr-
ximo passado.
Pagadoria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, 30 de Janeiro de 86.
O ajudante do eserivio,
_________Silvino A. Rodrigues.
Clob Carlos Somes
Ter lugar e sarao de fevereiro em 6 do referi-
do mea. Os ingressos aos socios em dia, serao
entregues pelo Sr. thesoureiro desde o dia 2 em
diante. Recife, 26 de Janeiro de 86.
Augusto Maia,
2- secretario.
dispensavel, para os portoe
do norte at Manios.
Para carga, passagens, encommendas 9 valoree
tracta-se na agencia
46Ra do Coramereio46
N. 46 RA DO COMMERCIO N4
Espera-se dos portos
do sul at o dia 1 de
fevereiro, seguindo pa-
ra a Europa depois da
demora do costume.
De predios e terrenos
13P agente Brito competentemente autorizado le-
var a leilao os soguintes :
Urna casa terrea com sotao c sitio arborsa lo-
na estrada de Jeo de Barros defronte da estacao
do Principe, 1 terrena ao lado eem 90 palmos de
frente c alieerces para 3 Cf.sas, 1 terrencWb fundo
cum 4 me'aguas que rendem 36/ com sahda para
o Becco da Fombal, 2 casas terreas ra do Ria-
chuelo ns. 50 e 52 que rendem 31/, tudo sola
propri.
Quarta-f.ra 3 de fevereiro
\'s 11 horas
Na ra do Imperador n. 24 ^^^^
Agente Pestaa
Este paquete e os que dora
em diante seguircm tocarao em
Plvmouth, o que facilitar che-
garcm os passageiros com mais
brevidade a Londres.
tambem abatimento no pree > das pas-
Cuitad lates t Brtsii lai! S. S. C
O vapor Advance
ttENDIMENTOS PBLICOS
______Mas do Janeiro de 1886
AlvaidmaDe 2 4 29
Idea d 30
700:681J460
23;0<2f68l
723:754|141
alteha<;ao da pauta
Para a semana de 1 a 6 de fevereiro de
1886
Nenhuma.
Altanaega
J886.
de PernaRibnco, 30 de Janeiro de
Os conferentes,
Salvador A. de A. Freitas.
A. de A. Marques.
fijoiaBDoauDs S! 29
idem ds 30
81:314/308
2:178/800
33:493/108
No patacho inglez Loyaslt, carregou :
Para New-York, M. J. da Rocha 988 saccoi
com 74,100 kilos de assucar mascavado.
a barca portuguesa Lope* Duartt, carre-
gou :
Para o Porto, J. B. Michilles 50 saicos com
3,750 kilos de assucar mascavado.
Na barca portuguesa Pereira Borge, carre-
gou :
Para Lisboa, Caetano da Silva 2 pranchdes de
amarello.
= No brigue portugus Tito, carregou :
Para o Porto, F. de Moraes 51 barris com 2,500
litros de me'
s*ara o Interior
Na polaca hespanhola Juanita, carregou :
Psra ruguaysna, J. 8. Loyo & Filho 400 bar-
ricas com 43,775 kilos de assucar branco.
No hiate nacional B. Jess, carregou t
Para Maco, M. Amorim 453 saceos com fari-
nha de mandioca. J
No hiate nacional Apodv, carregou :
Para Mossor, F. E. P. de Lima 410 saceos
com fitrinha de mandioca ; C. Beltrao & Irmao
13 voiumes com 595 kilos de assucar branco ; H.
C. Guimaraes 15 barris com 1,440 litros de agur-
dente e 1 garrafao com 16 ditos de alcool ; 8. No
gueira & C. 5 barris com 480 litrt s de aguarden- Paira
te ; J. Baptista 50 saceos com milho. i Ville de Cear
Na barcaca Cacique, carregou : Tomar
Pai-a o Natal, D. F. da Silva A C. 5 barricas Espirito Santo
com 00 kilos de assucar refinado ; M. A. Sesma Actor
& C. 8 barricas com 500 kilos de assucar refinado Pernambuco
e 6 volumes com 690 ditos de dito branca. I Mondego
P*f Maracaja, M. J. Ramos 1 barrica com Cear
oO kilos de asencar mascavado. Desterro
Na lancha Ganganclle, carregou : Tagvs
Psra ?. de Alagoas, D. Gouveia 10,000 litros' Seneaal
[Bata
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 30
Terra Nova43 dias, lugar inglez Maggie,
re 192 toneladas, equipagem 9, capitao
George H. Percy, car a bacalhu a Pe-
reira Carneiro & C.
Navios sahidos no mesmo dia
Canal Barca norueguense Bellona, capitao
K. Sjorgensen, carga assucar.
Rio Grande flo SulLugar norueguense
Coleb, capitao O. Laen, carga assu-
car.
New- York Lugar americano Mascotte,
capitSo G. P. Buckley, carga assucar.
BabiaLugar inglez BeUe o\. the Exe, ca-
pitao Edward Dingle, carga Bacalhu.
Mossor Hyate nacional Apudy, capitao
Lutzde E. Medeiros, carga varios g-
neros. *
CearHyate nacional Deus te Guarde
capitao Antonio A. da Silva, carga va-
rios gneros.
Rio Formoso e Tamandar Vapor nacio-
nal Itandau commandante Souza Lobo
em lastro. '
VAPORES ESPERADOS
Maranhensc
Valparaso
Mandos
Marinho Visconde
Delamber
Advance
Orenoque
Ville de Santos
des!.
de New-York
do sul
do norte
da Bahia
de Liverpool
de New-Port-
da Europa
do sul
do sul
da Europa
da Europa
do norte
de Liverpool
do norte
do sul
do sul
de Hamburgo
da Europa
do sul
do sul
amanh
amanha
a 2
a 4
a 5
News a 6
a 5
a 6
a 6
a 9
a 10
a 12
a 12
a 13
a 14
a 16
a 20
a 24
a 25
a 26
Espcra-se de^ew
Port News, ateo
dia 5 de feverei-
ro, o qual seguir
depo3 da demora
nece8saria para
Baha e Rio de Janeiro
Pira carga, passagens, encoin-n^ndas e dinheiro
a frete, tracta-se com os
AGENTES
Henrj Forsler 4 C.
N. 8. RUADOCOMaiLriClO N. 8
. andar
GHARGEIRSI1EIMS
Companhia Franceza de Xavega
cao a Vapor
Linha quiuzenal entre o Havre, Lis
ooa, Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos
stemer Ville de Cear
E' esperado da Euro-
pa at o dia 9 de Fe -
vereiro, seguindo de-
pois da indispensavel
demora para a Ba-
bia. Rio de Ja
nelro e H .ntom.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pios
vapores desta linha,aueiram apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvareng. tu!-
quer reclamaco concernente a volumes, que por
ventura tenham seguido para os portos do sul,afim
de se poderem dar a tempo as providencias neces-
sarias.
Expirado o referido praso a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas e passageiros, para
os quaes tem excedentes accomodaces.
Augusto F. de Oiiveira k C.
ACiEXTEM
42-RA DO COMMERCIO-42
Seamer Me l. Saltos
Espera-se des portos
do sul at o dia 6 de
Fevereiro, seguindo
depois da indispenaa-
paraoHa-
Havrr
sagens.
Para carga, passagens e encommendas e dinhei-
ro a frete racta- se com 03
AGENTES
14 RUADO COMMERCION. 14
WiKon Kons Sl i'.. Uuihcd
Barcaca
ptimo emprego de capital
QUINTA-FEIRA, 4 DE FEVEREIRO
A's 11 1|S horas
No armazem da ra do Vgario Thencrio n. 12
. O agente Pestaa, legalineote autorisado pe'o
proprietario dos predios abaiio mencionados, ven-
der em leilao publico no dia e hora cima men-
cionado, as casas baixo declaradas, livres e des-
pinbaracadas de todo e qualquer onus, as quaes se
tornam recommendaveis nao s pelo seu bom esta-
do de conservaco, como pelos bous rendimentos
que podem usofruir os pretndenos s mesmas.
As referidas casas serao vendidas sem reserva de
presos, coinj acouteceu com o leilo passado.
Casa terrea ra de Lomas Valentinas n. 7,
rndenlo 240J annuaes ; idem ra do Mrquez
do Hcrval n. 139, r ndt ndo 300J : idem roa do
Nogueira n. 2, rendendo 1260 ; idem ra do Co-
ronel Suassuna n. 143, rendendo 168 ; idem
ra de Dias Cardoso n. 1, rendendo 240/ ; idem
ra do Nogueira n. 9, rendendo 270 j idem
ra do Coronel Suassuna n. 141, rendendo 300f
idem travessa do Caldeireiro n. 6, rendendo... .
240J ; idem ra do Gervasio Pires n. 12, ren-
dendo 222i ; idem ra da Ponte Velha n. 22,
rendendo 264/ : idem ra de Santa Thereza
n. 27, rendendo 222J ; idem ra da Palma n.
9 ; duas meias aguas rendendo 144$ ; dem dem
n. 11, rendendo 264$ ; idem idem no becco do
Tambi n. 20, rendendo 240$.
Monte de Soccorro de
Pernambuco
Leilao de joias
Wnde-BO urna bar. ac ; a tratar na ra Duque
de Caxiaa u. 63.
orto por Lisboa
Segu com brevidade para os portos cima o
brigue portuguez Calcida ; para o resto da carga
e passageiros, trata se Cjm os cousignatarios Jts
dava SilLoyo & Filho.
Cear
Segoe com brevidade para o porto cima o
hiate Deus te Guarde, recebe carga a fretes m-
dicos ; a trat ir na ra da Madre de Deus n. 8,
u no caes do Loyo, a bordo.
Porto c Lisboa
Segu com brevidade para os porto cima o
brigue por uguez Tito ; p&ra o resto da carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Jos
da Silva Loyo & Filho.
Rojal Sai. Steam Packel
Compaiiy
Reducgo de passagens
Bilhetes especiaes of-
ferecendo facilidades
aos senhores viajantes
para visitar a cxposi-
fao colonial ero Lon-
dres, de 1886.
Ida e volta de Per-
nambuco a Sonthamp-
ton, primeira classe,
com o prazo de 6 mc-
zes libras sterlinas 36,
15, 0.
LEILOES
Os vapores desta companhia entram no porto
ancorando em frente ao caes da praca do Commer-
cio e sendo mnito incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadonro das paquetes transatln-
ticos, no Lamarao e demais devendo todos aportar
ae Havre, que o porto mais visinho de Pars,
fra de duvida qne na grande vantagem para quem
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, alm de serem os precos
das passagens mais mdicos, as despezas do embar-
que aqui e as do transporte do Havre a Pars, sSo
multo menores do qne as que demandam as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de marcha rapid-
e offerecem excellentes commodos e ptimo passaa
dio.
As passagens poderlo ser tomadas da sntem&o.
Recebe encemmendas e passageiros para as
quaes tem excellentes accommedaces.
Leu
ao
De 1 mobilia de Jacaranda, massico, com tampo
de pedra a Luiz XV, 1 piano, diversas mesas
redondas e quadradas com tampos de pedra, 1
pirmide de pedra com urna rica fructeira de
alabastro, 1 secretaria, 1 relogio grande de pa-
rede, 1 mesa elstica com 3 taboas, 1 grande
tonque de ferro para deposito d'agoa, 2 espe-
lhos, 1 aparador grande de amarello, 4 etagers,
6 quadios, 3 pares de jarros, camas francesas,
maiquesoes, cabides, bancas, lanternas, lancas,
vidros e muitos outros objeetos que estonio pa-
tentes no acto do leilo.
Segnnd-feira i de fevereiro
As 11 horas
No Hotel Universo sito ra do Commer-
cio n. 2
O agente Gusmo far leilo dos objeetos ci-
ma mencionados, os quaes sero vendidos sem li-
mites, e em seguida aluga-se o me smo predio,
O conselho fiscal attendtndo nao s ao pedido
para ser transferido, de 5 do crrante para 5 de
Fevereiro vin.i aro, o annuucindo leilo como por
haver gianf namr.-o de cautelns em ser, e nao
convir aos interesses do estabelecimento e dos
mutuarios submettcl-as venda, faz agera publico
que no referido dia 5 de Fevereiro "se eftectur
impreteriv< Imente o leilo s 11 da manb.
tSstanto & exposico tres dias diantes.
9. T'iS 2 pu seiras, 1 tranceln e 1 par de rosetas
de ouro.
10.039 1 annel de ouro com brilhantes.
10.(32 2 bules, 1 assucarein, 1 mantegueira, 1
leiteira, 1 salva, 1 coador, 2 colheres e 1
jarro e bacia de prata.
10.037 1 salva e 2 colheres para tirar sopa e ar-
roz, prata de lei.
10.038 2 brtoi's de ouro eom 2 brilbanteo,
10.041 1 annel de ouro com 1 brilhante.
10.048 1 cordo e 1 cruz, i uro de 16 quilates.
10.052 1 pulseira, 1 modalho e 1 par de bnucos,
ouro de lei, 2 salvas, prata de lei.
10.053 1 annel de ouro com 1 brilhante.
10.055 15 colheres para cha. 12 ditas para sopa
18 para creme, 3 ditas grandes, prata
baixa.
10.056 1 muela de ouro (*} comla^oe 1 ann
pequeo.
10.057 1 pulseira, 1 par de botos, ouro de lei.
10.' 58 1 par de rosetas de ouro com brilhantes.
10.059 1 salva, 1 paliteiro, 2 colheres para sopa e
assucar, e 17 ditas para cha, de prsta.
10 060 1 re gio de ouro.
10.0o9 1 jar de rosetas de o'TJ com 2 brilhantes
1 broche, 2 pulseiras, ouro de lei, 1 cocu
prata baila,
0.070 1 salva e 3 colheres, pr,tta de lei.
10.087 19 colheres de prata.
10.088 1 relogio, ouro de lei.
10.091 1 correte com sinete, para relogio, ouro
de lei.
10.092 2 anneis de ouro cora brilhantes.
10.096 1 tranceln, ouro de lei.
10.101 1 pulseira, 1 medalha, 1 volta de trance-
ln, e um relogio pequeo, ouro de lei.
10.112 1 tranceln, ouro de lei.
10.119 1 pnlseira, 1 broche e um par de rosetas,
ouro de lei.
10.128 1 par de botoes e 3 anneis, ouro de lei.
10.136 1 par de rosetas de ouro com 2 brilhantes.
10.137 1 annel de ouro com 1 brilhante.
10.141 1 corrente commeda'.ha para relogio, ouro
de lei.
10.142 1 relogio, ouro de le.
10.143 1 volta de tranceln, 3 paies de rosetas,
. 2 modinhos de ouro e 1 teteia, ouro i e lei.
10.146 1 crut d?, ouro com brilhantes.
1..11 1 .-oriu.te |.ara rtiogio, 1 bi.iLe, 1 votta
de tranceln, 1 cruz, 1 annel, 1 par de
rosetas. 1 .dedal e 1 relogio, .ouro de lei.
10el48 1 relogio, ouro de lei..
10.152 1 corrente e medalha para relogio, ouro de
lei.
10.159 1 corrente e medalha para relogio, ouro
de lei.
10.182 2 botoes de ouro com brilhantes.
10.198 1 relogio, ouro de lei.
10.200 1 relogio, ouro de lei.
10.202 1 par de rozetas de ouro com brilhantes.
10.207 1 pulceira e 1 trancelim, ouro de lei.
10.218 1 trancelim, 1 medalha e 1 corrente para
10.467 1 pulceira, dous trancelins, urna volta de
dito, um cordo, urna medalha, urna moe-
dnha, nm par de brincos e um dedal, on-
ro de lei.
10.470 2 cruzes cravejadas de brilhantes, 3 pares
de rosetas com ditos e seis anneis com di-
tos.
10.473 1 pulceira, ouro de lei.
10.475 2 pares de rosetas de ouro co
tes, dous anneis com ditos, duas pulceiras
e urna corrente para relogio, ouro de lei.
10.476 1 corrento e medalha para relogio, ouro
de lei.
10.481 1 bracelete de ouro com coraes e requifi-
fes, um cordo, quatro pecas para cintei-
ro, um dedal, um par de rosetas e duas
pecas de brinco, ouro baixo.
10.483 1 corrente e medalha para relogio, our
de lei.
10.502 2 anneis ouro de lei, umpir da briua
ouro baixo, doze colhsrespara cha, pra
baixa.
10.503 1 par de brincos e um cordo, oure de lei.
10.504 1 corrente para relogio, ouro de lei.
10.505 1 volta de trancelim, um broze, um par de
rosetas, dous botoes, ouro de lei, um par
de betes para punhos, ouro baixo.
10.519 2 cerrentes e duas medalhas para relogio
e um relogio, ouro de lei.
10.520 1 relogio pequeo, ouro de lei.
10 .-521 1 corrente para relogio, ouro de lei.
10.528 1 par de brincos de ouro e urna medalha
ouro de lei.
10.529 1 corrente e um relogio, ouro de lei.
10.531 1 corrente e medalha para relogio e um
relogio, ouro de lei.
10.539 1 trancelim, urna medalha e 4 anneis, ou-
ro de lei.
10.540 1 pu de brincos, ouro de lei.
y


\

mi j


I
Diario de PernanibucoDomingo 31 de Janeiro de 1886
10.5'4
10.591
de
10.541 2 pares de rots de ouro com brilhantes.
10.542 1 corrate e medalha psrs relogio, ouro
10.543 fcomnte par logia, nm broxe oom
pequcDca brilhantea.
10 562 1 annel de ouro com brilhante. _
10 568 1 chapa dt eondeeoraci, ouro baixo.
10.570 2 salvas de prata de le.
10.572 1 pulseira, urna eorrente, urna moeda, cm
tranceln, dous broxes, umditO para man
t, do s parea de brincos, dous parra de
b it8 un aunel o um relogio, ouro de tai.
10.574 1 tranceln de ouro de lci.
10.577 1 relogio, ourj de le.
10.578 2 anneis e dous b'tes de ouro com bii-
lhantes, um fio de perolas, quatro broxes,
tr pares de brincos, um dito de ros
tas, dous anneis, duas pecas para cintei-
ro, ouro de lei, um par de botoes e urna
medalha, ouro baixo, urna salva e um pa-
liteiro, prat* baixa.
10.679 18 colberea para sopa, 26 ditas para cha
c urna conega de prata.
10.582 1 annel de ouro com brilbante, urna yolta
de ouro com urna medalba, ouro de le.
2 casticae e 1 paliteiro. prata de le.
1 pulseira, 1 par de rosetas, 1 peixe
ouro. ,
10.604 1 salva, praU de lei, 1 castical, prata
baixa. .
10.811 1 corrate para relogio, e 1 relogio, ouro
de lei.
18.C14 1 relogio de ouro, de lei.
10.617 lcorrentee medalba, par relogio, ouro
de lei. .
10.620 1 crux de ouro com brilhantea.
10.623 2 rulseiras,ouro de lei.
10.624 3 troches, 2 pares de rosetas e 1 annel,
ouiro baixo.
10.627 1 trancelim, 2 medalhas, 1 par de brincos
e 1 broche, ouro de lei.
10.630 1 correte e medalha para relogio, ouro
de lei.
10.638 1 gargantilha, 1 pulseira, um trancelim, 1
medalha, 1 broche, ouro de lei.
10.643 1 par de brincos de ouro oom brilhantea e
1 broche, uro de lea.
10.648 1 par brilhantea, 1 dtocom brilhanteo, 4 aun i3
cotr d:\i I 'i brilha-ntm pegenos, sol
papel.
10.663 16 eolherespara sopa e 11 ditas para cha,
prata baixa.
10.667 1 par de brincos, 3 ditos de rosetas, 1
broche e 1 annel, ouro de lei.
10.668 1 tranceln), 1 medalha, 1 broche e 1 par
de rosetas, ouro de lei.
10,688 1 relogio, uuro de lei.
10.702 2 casticaes e 1 assucareiro, prata de le.
10.703 3 anneis de ouro com brilhantea e rubina,
1 volta de trancelim, 1 crui, 2 botoes, 1
figa cora coral, ourv de lei.
10.711 1 relogio, ouro dj lei.
10.715 1 correntio com sinete e chave, para re-
logio, ouro de lei.
10.730 1 corrente para relogio, ouro de le.
10.733 1 par de brincos. 1 tita de ouro e 1 psr de
rosetas, ouro de le, 1 broche e 1 annel
cravejado de diamantes.
10.740 1 cruz de ouro com bruhantes, e 1 salva,
prata de lei.
10.744 1 par de brincos de ouro, e 1 crux crave-
jada de brilhantea, e 1 par de botoes, ouro
de lei.
10.745 1 volta de trancelim, 1 ponteiro, 1 par de
brincos, 2 ditos de rosetas, 2 e meio pares
de botoes, 3 figas, 2 anneis, 1 emblema de
S. Joao e 1 castor, ouro de M.
10.752 1 relogio de ouro, para senhora.
10.753 1 assucareiro e 1 mantegueira, prata de
lei.
10.757 1 corrente dupla com medalha, ouro e pla-
tina.
10.758 1 relogio, ouro de lei.
10.773 1 pulseira e 1 par de argolloes, e 1 relo-
gio, ourc de lei.
10.775 2 pares de brincos, ouro de lei.
10.777 2pulseiras, 1 broche, 1 par de brincos
cravejados de brilhantes, mais 1 annel
com rubim e brilhantes.
10.781 1 broche, 1 par de rosetas e 1 crua, ouro
de W-
relogio, ouro de le e 1 pulceira, ouro
baixo. .
10.224 1 corrente e medalha para relogio, ouro e
platina e 1 relogi, ouro de le.
10.225 1 relogio, ouro de lei.
10.232 1 botao de ouro com brilhantes c 1 cana
para rap, ouro de lei.
10.234 1 par de rozetas de ouro com brilhantes.
10.235 1 pulceira, 1 broche, 1 par de roseta de
ouro contendo brilhantes, 1 pulceira, e
broche e 1 par de rozejas, ouro de lei.
10.245 1 pulceira, 1 brochf, 1 volta de ouro com
laca, 1 medalha, 1 par de brincos, uroo
de le.
10.259 1 pulceira, ouro de lei.
10.260 1 escrivannia, prata de lei.
10.280 1 corrente o 2 medalhas para relogio e 1
annel com pequeo brilhante.
10.284 1 annel de ouro com 1 brilhante.
10.295 1 salva, prata de lei.
10.301 1 medalha e 2 pares de rozetas, ouro dt
lei.
10.314 1 pulceira, 1 broche e 4 tUeas, ouro de
le. -
10 315 1 breche, 1 par de brincos e 1 cruz, ouro
de lei, 1 volta de cordiio, 1 annel e 1
ponteiro, ouro baixo.
10.323 1 corrente e medalha para relogio e 2 re-
logioa, ouro de lei.
10.348 1 annd de ouro com pequeo brilhante.
10.352 1 pulceira, 1 trancelim, 1 par de rozetas,
1 annel de ouro c 1 annel com dia-
mante.
0.353 1 eordao (collar) ouro baixo.
.358 1 broche, ouro de le.
10.364 1 relogio, ouro do lei.
10.368 1 pulceira,
trancelim,
ouro baixo.
10.374 1 trancelim, 1 moeda de ouro com laco e
1 rebgio, ouro de lci.
10 380 1 annil de ouro com 1 brilhante.
10.382 1 corrente e medalha para relogio 2 e
anneis, ouro de lei.
10 390 1 par de brincos, 1 m edalha, 1 corda o,
medalha incompleto e 1 laco, ouro de le.
10.394 2 anneis de ouro com brilhantes.
10.401 1 trancelim e 1 moeda de ouro com laco,
ouro de lei.
10.402 1 relog;o, ouro de lei.
10.434 1 par de rosetas de ouro com diamantes
e urna cruz perolas.
10-438 1 volta de ouro e um annel, ouro de ei. _
10.445 1 par de rosetas de ouro com dous bri-
lhantes.
10.456 1 relogio de ouro de lei.
10.460 1 emblema do epirito Santo, nm cora-
cao em ouro ,nm dedal e eineo botoes, ou-
ro dti lei.
10.464 1 pilceira, um par de brinco, um dito de
roseta e tres anneis, ouro de lei.
10.466 1 corrente e medalha para re!o o, ourc
de leu
1 ).784 2 salva, prata de lei, 25 colhere, 12 gar
fo, 12 cabos para facas e 1 paliteiro,
prata baixa.
10.786 1 s-lva e S colheres, prata de lei.
10.789 1 cruz de ouro com brilhantes, 3 pare de
rosetas com dito, urna volts de ouro, 6
corrente para relogio, 1 medalha, 1
correntio fino, 4 tranceln, 4 vtltas de
dito, 1 eras, 1 broche, 1 par de brinco e
Q4 relogio de ouro, ouro de lei.
10.790 1 pi.laeira, quebrada, ouro de lei.
10.791 1 trancelim e 2 pare de brincos, ouro de
lei.
10.799 3 cruzes de ouro com brilhantet, 2 anneis,
1 par de argollos, 1 par de rosetas, 1
peca grande, 2 pulseiras, tudo cravejado
de diamante era vados em prata ; 1 volta
de ouro, 1 cruz, 1 fivella,4 pecas de ouro
part ciateiro, ouro de le, nos de perolas.
10.800 1 corrente para relogio, 1 volta de trance-
lim, 1 crua, 1 breche, 1 par de brincos,
ouro de lei.
10.802 1 rente e relogio, ouro de 1.
Recife 4 de Janeiro de 1886.
Pelo gerente,
Felino D. Ferreira Coelho.
Na ra estrella do Rosario n. 10, t m para
vender mobilia de Jacaranda e de po-caaga, por
precos con modos, assim como r-cis
avulaas.
-
= Vende-se un.a ca, de tijolo e cal a um al-
eme para duas cas.i, abaixo da segunda ladei
ra de Apipticos a tratar na ra da Concordia
& 161.
=. Marcolinj de Sonaa Travattoi declara que
deixou de ser reu caixeiro desde 9 do ccrrcDte
Alfredo de Carvahar Pacheco, e pede que nio
paguem c utas a elle. Recife, 26 de Janeiro de
1886.__________________________________
Precisa-te de urna amagara cosinhar, para
casa de pouca jamilia ; na ra do Bario da Vic-
toria n. 57. ____________
A luga-se ama casa com sotes, na Crux das
Almas, frente do sitio do fallecido Taiso, par.
familia pequea ; a tratar na ra Primeiro de
Uarco n. 2>, luja da joias.
Precisa- e de um menino com ortica de ta-
verna ; trata-se na ra do Caldereiro n. 39, ta-
verna.
Precisa-se de duas mulheres de idade, que
tenham bom comportamento, pa a fazerem cjra-
panha a duas tenhoras casadas, dando se tudo
que precisaren) ; a tratar na ra dos Quarteis nu-
mero 6. _____
Aluga-se ama escrava ptima para todo o
servico domeatie de casa de familia ; a tratar ca
ra do Riai huello, casa n. 31.
Aviso
A spcedade Qdos refinadores avisa a sena fre
guezes, que a couUr do 1" de feve.eiro cm dir.ntc
ts pi*ecos doassucar retinado tio o segumt'.s :
5*000
Prime ira
Segunda
Tere eir
4 200
8*8 0
Assucar refinado
Os refinadores scentificam ni s us freguez'S
que forcdos pelos precos do genero era rama cs-
Inbeleism a reguinte tabella para o assucar refi-
nado no prxima mez.
1 sorte 5120 os 15 k.
2* dita 4*480 os 15 k.
3 dito 35810 os 15 k.
Recite, 30 do Janeiro de 1886. ___^_
SaiHaro Jatai
eollocaJa
6s C. ao
Aluga-se o 2' andar da casa n. 1 do pateo
do Terco, o 3 da de n. 3 i ra da Penha. o 1 -
da de n. 19 a mesma ra, o 1- da de n. 18 ra
Oireito, o 1 da de n. 66 i mesma rus, o 1 da
de n 35 travesea de 8. Jos, o 1 da de n. 34
i ra estreita do Rosario ; as terreas de ns. 41
ra do Ringel, 26 ra Duque de Caxiaa, 1 do
pateo do Tcrcxi, 27 4 rus de Lomas Valentinas,
24 ra do Aragio, e a casa de n 35 ra da
Viraciio ; a tratar na ra do Hospicio n. 31.
Aluga-se a casa com sot, toda caiada e
pintada de novo, sita a ra da Fundiese n. 8, em
Santo Amaro ; a tratar na ra do Marques e
Olnds n. 8, lithographia.
Aluga-se o armaaem da ra do Marque de
Olinda n. 18 ; s tratar com Par nle Viauna Jfc
Companhia
Aluga-se casas a 8JU0H, no becco dos Coe
Ihos, junto de S. Goncalo : a tratar na ra da Im-
peratriz n. 56.
= Os hachareis Antonio Justino de Soasa e
Pedro Affcnso de Mello mudaram o seu escripto-
ro para a ra Duque de Caxias n. 54, 1 andar
onde continan) a exercer a sua profisso de ad-
vogsdot.
Precisa-se de nm eaixeiro de 12 14 anuos,
com pratica de taverna ; na ra do Visconde de
Goyanna n. 72.
Offerecc-so para ama de casa de pouca fa-
milia urna mulher de idade ; no be eco do Bernar-
do n. 51.
Alnga-se a luja do sobrado n. 187 ra do
Coroael Suassuna, com 5 quartos, 2 salas, cosinha
lora e quintal, por preco razoavel ; a tratar na
ra larga do Rjsario n. 44.
Vende-se a armacaj da fabrica de cigarros
Africana ou todo o estabtlccimento : a tratar na
mesma ra do Cabug n. 1 C.
E' impossivel
Haver gravaras de ra ,is gasto do que as que
receberam Pedroza & C, i ra do Bario da Vic-
toria n. 41.
Sao es.
As casemiras que receberam Pedroza & O.
ra do Bario da Victoria n. 41.
J nao maioria absoluta e unnime pois todos
dixem que as grvalas que receberam Pedroza &
C. sao as raais bonitas que tem vindoao mercado:
ra do Bario da Victoria n. 41.
Realmente sao bonitas
As casemiras de cores que receberam Pedroza
& C, ra do Baria da Victoria n. 41.
Nao se de ye ir
A festa da Saude sem fe comprar urna ds lin-
das gravatiubas que receberam Pe teosa & C, ua
do Bario da Victoria n. 41.
1 par de rozrtas, 1 volta de
ouro de lei, 1 par de botoes,
Farinha de trigo oova e de
superior qualidad
Retalha-se em lotes
vontade do compra-
dores o carrjamen*o
de farinha de trigo em
saceos chegado do Rio
da Prata pelo paque-
te inglez Libbie H,
a tratar no armazem,
ra do Commercio
n. 4.
AVISOS DIVERSOS
Urna pesnoa habilitada offerece-se para caixeiro
de algum eiigenho perto da cidade, e tambem pro
poe-se a cnsinar primaras le tira a meninos,
quem preciaar pode deixar carta fechada neats.
rvpographia com as inieiaes, T. V. P.
b Arree da se 'res baixas de capim e ama os
rU, sitas en Apipucos ; a tratar na roa da Con-
cordia n. 161.
Precisa-se de um caixeiro de 14 16 annos,
com pratica de seceos e molhados, que d fiador
i sua conducta ; a tratar no pateo de S. Pedro
numero 2.
Aula mixta particular
DE INSTRUtgO PRIMARIA
Ra d Vjdal de Negreiros n. 21
Deodala Amelia Ferrol da Silva.
Nanoel don do* Sanio
O director do AS7I0 de Mendicidade manda re-
tar ama missa pela alma de Monoel Jos dos Santos,
ez-mordomo do mesrao estabelccimento, no da Io
de fevereiro, pelas 8 h ..ras da manha na capella
do Asylo. _______________________^^^^^
Quem pretend r urna boa casa bem
pode tratar no esoriptorio de Bastos
sahir da Companhia Pernambucana.
A sociedade CeracSo Livre Popular convida
a todos osirm.-. do quadio a comparecerem na s
de da mesma sociedade ra da Penha n. 5, te -
gunde andar afia de tratar-se de negocio urgen-
te a mesma aociedade.
Secretaria da 80c. C.\ Liv.\
Jos J. R. da Annunciacio.
Gi ande propriedade na
Estancia
Alaga se, ou arrendase a grande propriedade
da Estancia conhecida pelo-Sitio Giro peitencen-
aos herdeiros doa finados Manoel Goncalves da
Silva e D. Olemeutiua Theodora da Silva.
Esta importante propriedade cujo fortelliss 1 o
solo proprio, medindo urna enorme rea de trra,
circundada por muro, excepto a frente que mar-
gina o ro Capibaribe guardada por um extenso
caes com duas tacadas para o rio.
Um grande portio de ferro, d pela_ Estancia
entrada para o sitio o qual contm : innmeras
aivorcs fructferas taes comomaugueiras, ca-
jueiros, jhqueiras, fructo-pio, sapotiseiros, coquei
roe, pitombeiras, goiabeiras, e outras muitas de va-
riadas especies; dous grandes vveteos de apa-
uhar peixes, com alpendro coberto para assistir-se
pesca ; duas grandes baixas proprias para plan-
Ucao de capim ; dous explendidos jardins orna-
dos de figura mythologicas ; diversas cacimbas
de agua p-tavel, urna deltas bastante funda, a boc-
ea de dimetro enorme ; urna casa com tonque
para banho e lavagem de roupa, urna casa com
grande deposito d'agua do Prata, e tanque para
banho, com torneiras, duchas, etc.
Urna nascente d'agua.
Urna casa para baubo no rio Capibaribe, e outra
para latrina, construidas sjbre o caes.
Grande casa para creados, com cocheira, roupa-
ria, estribara, etc.
Casa para vaccas, carneiros, aves, etc.
A casa de vivenda edificada i margen) do rio
Capibaribe, um magestoso sobrado de um andar
e mirante, tendo de frente nove janella com varan
das de ferro, e cinco em cada oitio.
As vastas accommodayoes desta casa sio pro-
prias para numerosa familia, peneio ou hotel.
Perfeitomente localisada, perto da linha de
bonds, esto magnifica casa, fresca e confortavel, of-
ferece de suas jauellas bello e va:iadissimo pano-
rama inaaciave vitta.
O pavimento terreo, alem de urna grande da -
peusa, e diversas dependencias de segunda ordera,
conta 4 quartoa e urna sala enm dous gabinetes
independentes todcg com janellas.
No sobrado cuutam-se trez grandes salas de
fre.,te, sala de jantar, trez saletas, dous quartos.
A parte anterior formada por largo avaraudade
de trez faces guarnecidas de columnas.
O mirante tem trtz janellas de frente, um sali,
ura quart, alm de pequeas dependencias de so
mens importancias.
z tambera parte da prodrkdade Girio um
pequeo sitio ap-.-nas separa lo por urna cerca de
pitongueiras, tendo fructeiras, caes, cacimba, es-
tribara cocheira, tanque, galinhero, e casa ter-
rea para vivenda com terraco na frente, 3 sai..d,
nma saleta c aotio com um quarto.
Fuzeudo esta ligeira deacripcio da propriedade
Girao para dar aos que lerera eate anuuncio u na
simples noticia do que ella rio convidados a vi-
sital-a os que a pretenderen).
A' tratar com Jos Antonio Pinto i: ra da Ccm-
puihia Pernambucana n. 6, sobrado. ______
Rio Bmco Wrt Ber
Da afamada fabrica
de ceneja de Bromen,
denominad S. Pau-
loacaba de chegar
pe ultimo vapor de
Hamburgri urna parti-
da desta cxccllcnte
cerveja#ujo rotulo traz
o retrato do grande e
immortal patriota Vis-
conde do Rio Branco.
Sao nicos agentes
desta marca em Pcr-
nambuco, os Srs. Gui-
mares & Pcrman.
Esta primeira partida
se acha a yenda na No-
va flamburgo c no ar-
mazem deSoares de
Amaral limaos,ra da
Madre de Dcus n. 22.
Este remedio precioso tem gozado da acceita-
Co publica durante cincoenta e sete annos, com-
ecando-se a sua manufactura e venda em 1827.
Sua populardade e venda nunca forao to exten-
sas como ao presente; e isto, por si rnesmo,
offerece a raelhor prova da sua eficacia maravil-
bosa.
Nao hesitamos a dizer que nao tem deixado
em caso algum de extirpar os vermes, quer em
creancas quer em adultos, que se acharao afilie-
tos destes nimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber constantementa
attestaces de mdicos em favor da sua efneacia
admiravel. A causa do successo obtido por esta
remedio, tem apparecido varas falsifica;6es, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser
yeraiftiio fle B.A. FAHNESTBCK.
ULAN IMTEltSON C
N. 44--fir do Brum-N. 44
JUNTO V EB\jjk9 DOS BONDS
Tem para vender, por pre^ rn-nlicx), as aeguintes ferrag'iu:
Tachas fundidas, batidas e caldcadas.
CrivaeSef. de diversos tamauhos.
Rodas de espora, idem, dem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de ndoo modelo
Portas de fornalha.
Bancos de ferro com serra circular.
Oradeamento para jardim.
Vapores de forca de 3, 4, 5, 6 e 8 ca vatios.
Moendas de 10 a 40 pollegadaa de panadura
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-se de con :ertos, e assentamento de machinismo e execuiam qaalqus
ra balho com perfeijSo e presteza
^GStfHlA Allj^

?A
H
ALBEKTO HENSCHEL & O.
52-RU4 DO B4R40 D4 VICT0RIA-52
O abaixo assignado tem a honra de participar ao respcitavel publico d'esta
capital e do interior, que reassutuio u gerencia d'este grande e bem conceituado esa-
belacim ento, onde j por longos annos tem oceupado o mesmo lugar.
As Exmas. familias e pessoas que despjarem honral-o com suas encommendas.
encontraro all os mais modernos o aperfeigoados trabalhos conceroentes a. art
photographica e modicidado nos prejos.
C. JBarza,
Gerente.

B ulalr lia marinia
Este i portante estabrlcni'mto de relojoaiia,
fundado em 18G.), est fuuccionando agir rua
larga do Rosario n. 9.
O aeu pr iprietano, enearr 'gado do regulamen-
t> do relogits do arsenal de marinha, da compa-
nhia do tr.lhos urbanostdo Recife Olinda e Be-
beribe, dad. It-eife Cas nig, da estrada de
ferro d-- Carua da companhia ferro-carril de
l'ernambuo, da ass )ciavai commeroial benficen-
te e da estrada de trro do Limoeiro, cercado de
intelligeates e h-.be.s auxiliares, concerta e fa-
brica qualquer peca para relogios de algibeira,
de pared e, de ton es de igreja, chronometros ma-
rtimos (dando a marcha), eaixas de msica, ap
parelhoa eleetrieos telephonicos.
Contina a exercer a sua profia3ao com zelo e
interesBe de que sempre deu proras ao respei-
Uvelj publico e aos seus collegas, e vende forne-
cimento de qualquer qualidad.
Em frente de seu estabulecimento se acha col
locado um relogio, enjos mostradores tambem po-
dero ser vistos pelos passageiros da ferro-carril,
tendosempreaHORA MEDIA DESTA CIDADE,
determiaadas pelas suas oDservacoea astronomi-
aaa. Ra larga do Rosario n 9.
Antonio Jos da Costa Araujo.
I i *' -.
IKMANDDE
DAS
Almas da matriz da Boa-Vista
A mesa regedora desta irmandade tem resolvi-
do mandar resar urna missa com aesistencia da
mesma irmandade, por alma de seu irmo ex-pro-
curador Adolpho Dominguea da Silva, no dia 4 de
evereiro prximo futuro, trigsimo do seu falle-
cimento; convido a todos os seus innaoa, paren-
tes e amigos do finado para assistirem a esse acto
de caridade, que ter lugar na mesma matrii pe-
las 8 horas do referido dia. Consiatorio, 30 de
janeiro de 1886.
Servindo de escrivo.
M. A. Cardoso.
m
Na~qnarta-feira, 5 de Fevereiro vndouio, as S
hora aa manha, 5 anniversario do passamento
de Alexandrina Annea Jacome Pires, haver mis-
sa resada pela alma da mesma. Ouvil-a acto
de caridade aconselhado pelajeljj iio^^^^^^^
Aos Srs. de engenho
Um moco habilitado ofFVrece se para leccionar
primeiras lettraa, principios de franeez e msica
em algum engenhs : quem precisar dirija-ae
ra da Imperatriz n. <8, loja, que achara com
quem tratar.
Aluga-se
t segundo andar da casa ra Imperial n. 19,
tem muitos commodos e agua ; a tratar na ra
Duque de Caxias n. 92.
Allenfo
Fies sem effeito a procuracSo qne passei ao 8r,
Francisco Augusto de Miranda, para promover
minha cobranca, desde 20 do corrente. Recife,
80 de Janeiro de ^86.
Damiao Aderito F. Lima.
Prata
Compra se patacocs velhos hespanhoes e porta-
guezes ; na ra Duque de Caxias n. 92.
"Pitaradomestica
DE
Longman & Martiney
Tinta de todas as cores para applicacio imme-
diata e sem mais mistura ; qualquer pessoa (cria-
do e menino) pinta com perfeic3o, de grande
vantagem para o uso domeitieo. Com esta tinte
podem todos conservar suas habitaces em perfei-
to estado de asseio e com pouco dispendio, ella
expona venda em pequeas latas com tampa,
que pode aer conservada com asseio em qualquer
guarda-louca. Vende-Be na pharmacia de Her-
JOSEPH KRAUSE a c.
Acabam de augmentar o seu j bem eonhec'ut
importante estabelecimento ra Io
de marco n. com mais
um saldo no 1 andar luxuosamente popar-
rado e prvido de urna exposi-
ffedettas de prata 4oPort# e ifatotfliifo
dos mais afamados fabrittites de
mundo inteiro.
Comida, pois, as Exmas. familias, seus nume-
rosos amigos e freguezes a visilarcm
o seu estabelecimento, aOm de
apreciarem a grandeza e bom gosto com que
"nao obstante agrande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincia.
1CH1-SE ASERTO DAS 7 A'S 8 DA NOITE

\
Grande e bem montada ofliciaa de alfaiate
DE
mes de Sonsa Pereira & C.
Marques de Olinda n. 27.
uccessore, ra do
NA EXPQSICAO UNIVERSAL DE 1878
VINHO
CATILLON
de OLTCERINA e QUINA
O mais poderoio tnico reconitituinte prescripto
[DOieuojde Dores d'estomago, Langor, Anemia
Diabetis, ConsumpcBo, Febres,
Convalescenija.RezultadoB dos partos, etc. "
I nr mc"no T'Dko com ferro- VtWHO FERRUGINOSO DE
'TILLOS regenerador por eicallencia do laogoe pobre |
1 descerado. Este Tinho fai tolerar o ferro por todo* n
estomago e nio oecasioaa prisao de entr,
MIJ, D, ru Ulnl-nnomt di-Ptul. _m Ptrrtml
l.daSUvaC,.iu.prtnaiMa Pbumuii
'NICO VINO QUINADO QUE OBTEVF
PEDROZA &C.
N. 41Ra do Baro da VictoriaN 41
Neste bem conhecido estabelecimento, se encontrar um lindo e variado sor-
timeuto de pannos, casemiras, brins, camisas, punhos, collarinhos, meias, gravatas,
todo importado das melhores fabricas de Paris, Londres e Allemanha ; e para bem
servirem aos seus amigos e freguezes, os proprietarios desta grande estabelecimento
tem na direccao dos trabalhos da oficina habis artistas, e que no curto espago de 2-
horas, preparam um terno de roupa de qualquer fazenda.
[Ra do Baro da Victoria n. 41
(PREgOS SEM COMPETENCIA)
i.
Os proprietarios do muito conheci>lo estabelecimento denominado
MSEU DE JOIAS
sito a ra do Cabug n. 4, communicsm ao respeita' el PUBLICO que receberam um
grande sortimenlo de joias das mais modernas e des mais apurados gostos, como tam-
bem relogios de todas as qualidades. Avisara tambem que continuara a receber por
todos os vapores vindos da Europa, objectos novos e vendem por muito menos que em
outra qualquer parte.
MIGL WOLPF & C.
N. 4RA DO CABUG----N. 4
Compra-se ouro e prata velha. yrrr


6
f

i



I

Diario de Pitimuhimh- Domingo 31 de Janeiro de 1886
Aliga-sc barato
~} 1.' e i* milar traveesa do Campello n. 1
O arroaxem o 1.a andar da roa do Bom Jetas
a. 47.
O L* andar da-travessa do Carme n. 10.
4 kja i* roa dOaUboi^vta. t.
A> CM& da ruu d Palma n. 11.
A casada ra dL4maa Valentina n. 7.
A can-da mu da Punte Velba o, 22.
teaaa da Baixa Verdn n. 1 B Capungs
tratar no Largo de Carpo tonto n. J, 1* an-
dar.
Alnga-se
o primeiro andar do predio n. 30 4 roa Duque de
Caxias, e ai casi. terre as na ra d" Coronel 8as
ana n. 61 e 53 ; a tratar na roa Duque de Ca-
sias (antiga daii Cruaes) n. 30, 2' andar, oa na
padana. ______ ________________________
4luga-se
o segundo andar da roa da Iniperatrii n. 21 ; a
tratar na agencia pro ressiva, praca de D. Pe
dro II n. 73.
Ama
Precisa-se de ama para todo seivico de osea de
pone familia, tratar no pateo da Santa Crus
a. 29.
Ama
Precia-ae de tima ima para engommar c i-
nbax, para urna ambo a t6 : na ra da Roda nu-
mero 38.
Ama
Precisa se de urna ama que saiba lavar e en-
gommar ; na ra do Visconde de Qoyanna nume-
ro 139.
Ama
No largo do Ccrpo Seeto n. 19, 2 sudar, pre-
isa-se de urna ama boa cosinheira, q>ie durma em
casa e d pseos que abona soa conducta.
Ama
Precisa ge de urna pertrita cosinheira para casa
de pequea familia no Monteiro ; a tratar na roa
de Cabug n. l, 1' andar, de meio dia s 3 da
tarde.
Precisa-se do urna par corintia, pemque
durma em casa ; a tratar ra do Mrquez de
Qlinda n. 6 __________
Amas
Precisa-se-de urna ama para esgotnmar smen-
te o otra para servio a' internos de casa de fa-
milia-; a tratar toa ra d/Bram b."68.
Ana

Precisa-se de urna ama para cosinbar e que
durma cm casa do emprego; na ra da Conceifjo
n. 4, 1' andar.
Ama
P etisa-se de urna boa c -stnhcira e ongomma-
deira ; na ra da Un Jo a. 47.
Grande sorliiiento
le peno* e medida* para seceos e
llliUidWM
Vende-se por prrc> razoavel ; na Soja do Son-
sa, ra do Barao la Victoria u. 61.
Escolados pobres
O professor particular, abnixo assi nudo, abri
em s 34, um curso primario gratuito para 2't meninos
pobres e desvalidos, f. rnecendo aos alumnos li-
vroae roais uenoili ,s npcfcahri'.s ao ensino. Aeba-
se, portanto, aberra as MttiMaa para as crian-
cas orphas desvalidas, qii" quiacrem fiequentar o
r.^.."j!;vo curte. Ra da Matriz d Boa-Yiata
auraero 34.
Julio Stares de Az=redo.
Borracha para limas
Rectboraui Rodrigues d F.iria & C, e team
para reuder em seu armatrai ra de Mariz e
Barros n. 11, esquina da ra do Ainurim.
Casa no Enea ment
Alagase nmi casa peito da ftftacSo de Pirna-
meirim, nova, toni i quart s, -'sai s, csiiiba
tora ; a ch.tv p a ver. n; tarima doSr. AdrH-
no no mesiuo i com quem ec
deve tratar, o ale rato.
rosiitheiro
Precisa-so de um c finhriro ; a tratar na ra
de Paysand n. 'J (Passagim da Magdalena), ou
roa do C< mmeicio o. 44.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosi.iheira que eng-mmi-
bem e cnsaboc, e ijue nilo durma fra, para easa
de pouca familia ; > r ica d > dnde d'Eu n 3 '.
tereciro andar.
Cosinheiro
_ Nsrua do Vicario n. 17, so precisa de um co
sinheiro.
Cheg-aram
para a ra ealrntu do Rosario n. 2 oa verdJios
quejos do fabricante Luir.ing, que bc eato ven-
deudo 2 3*000 cada um. _________
Cosinheira
Precisi-se de nina ama para cosinhar, que eeja
limpa no seu trabaiha e que faca inais *lguns ser-
vicos de casa ; t tratar ni ra do Visconde de
Pelotas n. 14.
A<> coinmereio
Os abaixo assignados partieipim ao pnbli
especialmente ao ejrpa comi/iercial que ntstt. data
dissolvtrum amiga'...imente a saciedade que tinham
no hotel sito ao b, :o do Caj n. 10 r. tirndose o
socio-Oliveira pago i-eatUteito do su capital fi-
candooativo e passivo da cisa a cargo scio
Soasa.
Reeife. 30 de jsn-iro I88 Berafiui Marques da lv
Manuel Domiuguea de tjouza
250OOO
Vndese por 2iOf tedos os utensilios meces-a-
rios para urna paduria, inclusive um bom cylindro
americano, tudo era perfeito estado de conserva-
c>o; a tratar na raa dalmper^triz n. 14, loja.
Mine. Niquelina
Becelie coLstantsmenteSa Europa
m rai egiumito de m\ 1-
aas 8 mmm sea&oras, o o
la de luis moflerno, eacsmga-se
ffliwo f!M-s3 yesios.
Ra Primeiro de Marco n. 17
Junto Botina Marav!lh
Luvas
Fabricase por medidas, em 2 horas, perfeicao
precos mdicos, elegancia, material de superior
qualidade roa de Cabagi n. 7, 1 andar.
TNICO
*
fl\
%
Preoarago de Productos Vegetaes
EXTINCoIa! ASPAS
6 Outras Molestias Capillares.
MARTI NS & BASTOS
I'ernambiteo
Bna flfj Bom-Jesns d. 18
(ANTiaAy0A CRUZ)
Casa de coimnissoes
Grande e variado sortitnento de amos-
ras e catlogos de produc<;8es da AUema-
Ja, Franca, Inglatera, Austria, Hespanha,
talia e Estado-Unidos.
N. B.Informadles sobre tnachinismos
gricolas, ditas para engenhos centraee
ombaa, etc para incendios outras a,
binas e utensilios
20*000
Aluga-se a casa n B da rea do Riacbuello
(antiga do Destino) na Boa-Vista ; a de n. F no
mes no correr, per 164 ; ttde n. 32 na traversa do
Frcitas, em S. Jos, por 12/ ; as chaves acham se
junto para ver, e traa se na ra da Guia n. 62,
Reeife.
"Diario de PefDiimbuoo"
h de Janeiro deste
anno
Compra se no arma-
zn, de moldados ra
da Ponte-Velh n. .54.
Ao publico
Urna senhora habilitada se offerece lecciona r
primeirss letfras e trabalhos de agnlha em cclle-
gios ou em casas particulares ; quem de seus
preotimos precisar, pode dirigir se ra do Co-
ronel Suassuna n. 72.
Escola par cular
De in.siur st'vo masculino
34 KMA DA MATKZ DA OA VISUA 34
O ubaizo assignado participa ao Ilustrado pu-
blico aVta eapit.il, que abri sua escola particular
de instrcccA" primaria para o s^xo masculino,
ra da .Matriz da Boa Vista n. 31, onde esmerada-
mente se dedica ao ensiiiu de scus alumnos.
O grao da escola consta: 1er, escr<'V<-r e contar,
deseubo linear, historia patria e n' coes de trances.
Garante um rpido adiantamento em seus alum-
nos, pelo seu systema de ensino, o qual urna pa-
ciencia Ilimitada, um amor inviolavel e urna es
tnerada d< dic ico ao ensino, fazendo com que os
seus decip'dos abracem e amein de coracilo as le-
tras, pos livroa, e ao estudo, guiando-os no cami-
nho da intelligenrin, da honra e da dignidade,
am de q e veaBW a .er o futuro sustentculo
da patria, du rcligiao, e da lci c um verdadeiro
cidadio brasilebo.
Espera, p.'is, merecer a confianza e a proteccio
do distincto povo<|> tem f rbuat:i em tolos os ptis c tutores de me
nios que qmiram aproveitnr um rpido adianta-
mento de f ub filh' s e tutolad'is.
C.'mquauto oos^da seja esta tentativa, todava
espera que os scus iscansav a sicrcos, e os seus
puros dcs-j s, sejam corondt c m a feliz appro-
vacao de todos <.s filhoe do Imp vio da S,nta Cruz.
MensHda le2000 p-gos adiantados, no acto
atricola.
Horariod;.s9horas da mauh s 2 da tarde.
Recebe mininos ni -ionislas p r
meiialididcs raz> aveis i b ccioua por jasas part
cularcs a smb"i os s x 's.
9u!ltf Moars de Azevedo
34 RA DA HATHH DA BOA VISTA 34
SAO AS SKUINTES PAIiA, ACABAR
SS-RnaDoquedeCaxias-SD
Toaiie de nice, lindas cores, 1J, 1400 o co-
vado.
I >. mac de seda borcada alio dito. /
Sedas bord'.das, finas, a l&JO e 21 o dito.
Secim Ma:;io de todas as cores, alie 14C0 o
dito.
Kto dito p.cto, a 1*200. U500 e 2/ o dito.
(,'acheuiiras para vestidos, a 1 $ e 1*400 o dito,
rgurin.'.s matiz:.d..8 de todas as Cjres, a 400
e 500 rs. o dito.
Setiuetas la vi idas e lisas de todas as ecres, a
500 e 060 rs, o dito.
Falle com lindas coi es, a 460 e.640 rs.o dito.
Mirinc pretos a 1*, 12U0, 1*400 e 2* o dito.
La de quadriohos, eores linds. a 700 rs. o dito.
Dita d todas as cores, a 400 e 561) rs. o dito.
Popelinas de seda a 300 e 320 rs. o dito.
A'pac s lisas, finas, a 360 e 460 rs. o dito.
Fuatlo de cores para menino, a 320 e 3"0 rs. o
dito.
Casemiras pretas a 2* e 2*200 o dito.
Dita de cores a 1*500 e 2* o dito.
DiUs ditas finas, inglczis, a 3*500 e 4* o dito.
Coi tes de casemiras com toque de mofo, a 2*800
e 3*400.
Ditos de dita perfeito*, finas, a 6*600, 7*600 e
Damasco de la com 8 palmos de largura a 2*
o covado.
Dito de algodao a 600 rs. o dito.
Dito brando bordado a 1*500 o metro.
Atoalbado de linho fino, a 1* o dito.
Corles de eazeneta a 1*400, 1*800 e 2*.
Fecbs de pellucia, 6* e 7* um.
Ditos arrendados, a 2*500, 3*500 e 4*500.
Ditos de seda, lindas cores, a 8* e 3*500.
Chales de easemira, a 3*500. 6*500 e 7*.
Ditos de algodo, a 1*, e 1*800.
Colchas de cores a 1*500 e 2*.
Ditas portuguesas (amito grandes) a 12* e 14*.
Ditas da crochet a 1C, 12 e 15*
Capi-llas com veo (para noivas) a 10* e 16*.
EnxoVHes para batizado, a 10* 14*.
Camisas para senhora, a 3*500 e 5*.
Saias dem ideen, bordadas, a 4* e 5*500.
Toa! has de laberntho ricas (para baptuadol a
60* e^iO*. ^
Cretones aera vestidos, lindos pdroes, a 280,
360 e 440 rs. o covado.
Chitas claras, finas, a 240 e 280 rs. o dito.
A' ras BaWe aeCntas n. S
CarneiflaCoaK
msm
ftmriw;
JSBrrrH
tato msicasmno de um gruRto agradavel. adoptado Da grande xito na
mals de ao sumo* pelos mclhores Mdicos de farls, cura os w/iua-o, Grtpi, Totm,
Doru i* Garganta. ttHarro -lmonar, imlojt* do tuto, das Vimt Hnaria* e da Btxiga.
SAUDE PARA TODOS.
UNGENTO HOLLOWAY
O Ungento de Holloway um remedio infallivel pata oa males de pernare-do peito tamban pvra
as ferelas antigs chagas e ulceras. E famoso para a gotn e o rheumatiamo e para todas as enfenai-
dades de pato n&o se reconhece egusl
Para os males de garganta, bronchltes resfriamentos e tosses.
Tumores as glndulas e todas as molestias da pelle nfto teem scmelhaate e | para os membros
contrahidos e juncturas recias, obra como por encanto.
medicinas s*o preparadas nnoic no EbJrint9 do rtuCessor HollowaV,
7, KBW OXTOBD STBEBT (antes A33, Oxford Strest), WWDKI9,
E vtadMiM ai todas as phimacits do univemx
' Os compradores rio coavdados respeiiosameole a examinar -os rsalos de cada caca e Pote, se nao team a
direcao, 533. Oxford Pilret. aso faUificaaoea,
VINHOgilbertSEGUIN
FEMIFUQ0 nm?KANTE pprvido Hela Academi* d Uacfioln* d* Pul
Sessenta arnns de Experiencia
e de bom axlto tem- demonstrado a efleaota incontestave deste viarmo, rreMr eomo-tMsM-
periodem para corlar as rebves e untar o sen reappareclmento, rjwr como frti/tcant+ dm
Convaleaieer.eas, Betillldade do Sangmc, ralla de IrXenatrnaeao, Xaappotencla, Dlrea-
t6M dimeels, znrermidades nervosas. Debilidad* causada pela edade ou por ezcessos.
Ests I'itsfie, 91/a contm mal prlociploi tnHr*s do qut 01 preparad* limitara, rSods-w por pneo um
ponto mtit Ssratfo.-MNto se cere objetar contra o pnoo em r/la da rtconhtclda afcaclt do medheamto.
Pharmacia O-. BEGrTJttV, 378. ra Saint-Hottors. PARI3
X)ejpoaita.rios em Femamb-ooo : FBAK" 2wtt. da SILVA a> OS
ts^#IS%^%S%sfSa^W*>le>4ea#^>1%a^^
r-sjepaasir- ow bskct*
CUSS, W&.72r, T"orlcittaUi
9*J- &. 'rZx-o. *< la Pe'* f>, FAJCDB
"'PfcTS ,^--.
OLEO TRIGUEIR-CLARO
de FIGADO de BACAbHAO
DO D? .D-E JON CH
CAVA' HEIBO DA OROEM DE L'.OPOLDO DA BLGICA,
CAVALHElrtO DA LEGiO DE KOltflA DE FRANCA,
COmSIENDADOR LA ORD:M DF CHRISTO DE PORTUGAL.
Reconhoeldo pelas prlmc^raK aatorldadea mdicas como
Inconteflavclmcnte o mais pino, o de goslo mals agradavel,
e o mals eflieaz de todos
Contra a TSICA e as MOLESTIAS de PEITO,
a DEBIUDAIiE GERAL, o EMMAGaECIMENTO das CRIANgiS,
a RACU1TIS e todas as AFFECt OES ESCROFULOSAS.
52SS7* Vende-se SOMF.NTE em garrafas rrae IstSo na capsula o
sello e a assignatv.ra do D' DE J0NGH a assignatura de
NSAR. HARF0RD 4 C. Cautela com as Imitai'es.
nlcos ConsipiBtos, AHSAR, lARFORfl i c, 21C, Higa Eoliioni, Londres.
Vtnda-se em todas as princ'pass Pharmacias do Mundo.
MU.)**.**************
MORSONsPEFSI
Rtnedto WItI e agrsdaTel
FAHA COVBATTiR A
INDIGESTAD
80b a forma de
FRASCOS, POS
01 GZ.OB17&OS.
VNDESE no MUNDO INTEIR0.
rnn'AiAnos de
Pepsina Morson
Mtto recommentiadtt
pebs pnncipaes Mecios.
MORSON SON
Socthsnploa Row, Kassell-Squsre
LONDON
setssitsriose Parnambuco : Frase"M di SILVA 4C"
wl.rf*iaaB
drs Hji>opho-.l
. |,ii!inonsv,
r aos seus colreyas
ui ios Hypphospultos
"m> t*'.os por eile
M vera: o 8r. Srw*nn, noai-
..
DAY& MARTIN
Fomtcdores de Sua Majstade a ffaintta da Inglaterra,
do Exercito e da Marinha bntannlca.
GRAIXA BRILHANTE LIQUIDA
GBAIXAmpastaUNCTUOSA
OLEO para AEEEI0S
E UjO; o que necessarlo paraamarute-gaodo cosro
sob todas is formas.
DEPOSITO GERAL EM LONDRES:
91, High ItoJborn, 91
m reruabaco: FBAHC- H. .1 SILTi tt C.
v, ra C-iiigone, Par-._
irspes 3 jFypcpsreaphlteis de
l'a.1 e Perro vendem-MJ em frascos
/fcfva-io toiid > a oornf io D* Ghupciill
. sua aajfmatura ao envoltorio oj
Jna 'ir de papel e;: j-nado ue cobrea rolha J
( ada f'aaer. veraa.l>'uo i.'va alea o isto ei
ttuw i* fabncada VUsvnn-slii Bwaasi.
I
Vmjr.*-m fr-i todac 1 P!*-.-* esa ,
0 GMNraEWCAMtTO
contraas Dnm dtmK-ca.Prlt/loif rnlrtjndigtliaoyhalimnlc
Ftkrts fras. Previne c nutria rft)>xlAiDenteou .-ara asirmae
as mals grjves de Febres Typhoidea. Escarlartina,
Amarella outras tebres.Bex.gas.Sarampo. Erup-
j6e3, MolesUas i pella e out vs Hete* do saagne. El le
^Salvou-msaViaa"
c doU a f*re tiafatv-M apodeiudo de Dm .om Tiolencia. ]t \
das estar completamente rest&belecido. Ex~
trihlo d> wma caria a> Sur. C. Tliagerald, anti^o corres-
poadente do Maneheter Oumrdiam as Albaua, falaudo de
LAMPLQGirS PYRETIC UM
O Dr J.W. Downge traUnHnioneacsllet'PeOrtiamartf!',,tcomM
ctttfj^oQutafrmo.nioterperditicumBidoeiita.y
TTtni-SK KM TODAS A2 PHABJ.AC1AK, EM AABsUPa
H. L*rPL0U6H, 113, Holboro. L0HBRE3. E C.
epoJtcemiVnwm6MrFBA**||. DEROGO'JE
DEROCQE
DEROCOUE
XAROPEdeBUCHU
do D^ADEL '
i
i MOLESTIAS < YIAS URIIiHIAS
Cotarro erontco ia btxtgn,
IrrttavB to total ta antro,
arolostas de prostatc,
Incontinencia ia Urttnx
A rea na urina, etc.
SWANN, Pharmacettico-ChJmleo,
^AniS.J^auAj^sTua^, 11, PARI3
15, Rin de Poiton, 15
PARS
FIGADO fleBACALHAU
Natural
Farrofiioso e Creosotadc
Hss hrisf'^M Pbaririsii
NICA i TAmiCA
DE FILLIOL
iNSTANTAWEApiJiaberlm.
% um ***->. -win previtrar^e
mu lavagem'
DE FILLIOL
ItOSAOA ftV> eir hs
Miaeee
soa Cor primitiva
HMslt* nnl em Yartsi TT1.IO, U, ru Tiricue, PIMS
la Mrmnvw- fran- m. da selva c.
Molestias da Pello; Iatart4a,Dlota-as.
?leles do Sangno Doemos* yyhlUUoaa. -
jiistis w^MwSmui^m
CenaUtoeSS e mrlho e o sjals s(rt4aTel..ac(i*o e ecoqomk*
deleSoe os ferurros w**ii_,
compbx 3iciin5KMeosm^aaq8*H|l,,
ftepe are o s7utW^Teel>istrrsTr t/nts wa^sBr frsssl '
Wau/ltny. e a//o, tm tinta anl, tfensrsm* rVaasw.
PsrU, rsufctttm,lsSlSt1sl P,#lssirlsrs*.lrtt-.
Gostnrefra e criaio
Precisa-se da nica costureira de mn criado,
nio devendo ter este mais de 15 16 annoa de
i lade ; a tratar na roa da Sandaste a. 16.________
Precisa-se
de osa socio para ana eaaa demelnado*, que te-
nha habilitacao necessarla e que entre com algam
capital ; trata-ee no largo do Mercado n. 11.
Quem (em ?
Ours e prata : compra se. ouro, prata e
pedras preciosas, por maior preco que em outra
jualquer parte; no 1 andar n. 22 a ra larga do
Rosario, antiga des Quarteis, das 10 horas ia 2 da
carde, dias uteis.
Tncofero
de Barry,
Ennie-sc qne
croacer
C A b e l lo
anda inesnso asi pnefrar -j
ais cairas, bem coas
cara radicalmente
TINHAe a CASPA.
fositivamsnte impede a
nsda e o embraaqaecimonf
a C ABE LL0 o em todos es ca-
ses o torna invariaTolments
alacio, B-Uhaot*, Formse e
Abanaants i
EmsscrbaaitKdeolteiiUSBSjot '
bsd malnr veadaqne siebhaan
*l
ooteo aroparadoparao cabello e
Agua Florida!
deBarry.
DUPaVaV" "^
1 reparaaa segando a femia'
' original osada palo inrantor ne
' anno de 1829.
Tem duas vezes mals Fragrancia
que qualouer outra.
Dura duas veiea mate tempo.
E'multo mate rloa de perfume '
mais suave.
C'muito mais Fina o Delicada.
Tem dobrada_forca Refresoativa e
Tnica no Bsnho.
Fortalece ao Deble ao Caneado.
Cura as Dores de cabeca e os des-;
malos. 4
E'multissimo Superior a todas as
outras .Aguas Floridas Actual-
mente venda. ^'
Deaooberta Importantissima.,
Poro Oleo de Fijado de Bacalbao
COM
IODURETO DE FERRO,)
Barclay Se Compaaliii-;,
Cora radicalmente e com segnranca os peores
de I'hthisU, Kscrofnlas, Rheomatisnio, as docncas
da Espfnhi Dores!, dos Qnadrts e dosOeeos. asm-
ilammftcoes do Fiqudo. do Kacoedo tero, etr.. etc., 1
e restitue ao-corpo enrraiioccido e fatigado o sea prl-
mtivo visor e arredondnil mente nm grsndedeaooberta o Paro Oteo de
Finado de llacithao cern lodnreto de
FerrodeHarlay de Ca., New Torfc. j
Xarope de "Vida;
de Renter No. 1.
DEPURATIVO E PORGANTI.
Este novo e adnuravel pirriflcadorid6\
sangue actna sobre os intestinos
o ligado, os rinse apelle^
E'cura infallivel contra a Debilidade
_J Orlgem miasmtica ou occa-
sionadas per desordene do flgado
ou pobreza e Impureza do sanguej
ll
(
Leonor Porto
Ra Jo Emperador n. 15
Primeiro andar
Contina -a executur es mais diBceis
figurinos recebidus do Londres, Paris,
Lisboa-e Rio do Jauehro.
Prima em perfeicao de costura, em bre-
vidade, modcidade eui pr^oa e fino
gosto.
!

}{
Scm dicta cscni modifl-
capes de costumes
a
c
et
3
: O
U
__r a
2 2
a0?
o M
o na
**
03
E
o
^3
EspecilC' preparados ha
uiacoHico Eugenio i
de HolMa
Approvi.dos pelas juntas da hygiene da Corte,
Repblicas do Prata e academia de industria de
Paria.
Elixir de imbiribina
Restabelece os dyspeptieos, facilita as diges-
toes e promove as ejeccoes difficies.
Vinbo do ananaz ferruginoso e quinado
Para os chloro-anmicos, debella a hj poemia
intertropical, rtconstitue os hidrpicos e enh-
neos.
Xarope de flor de arueira e matamba
Mnito recomim ndado na bronchite, na hamop-
iee as tosses agudas ou chronicas. .
eo da testudus ferruginoso- ecascasae
laranjaa arrmtgas
E' o primeiro Teparador'da fracpieaa do brga.
nilmo, na tysioa.
Pilulai nte.psriodioas, preprrad8 com a
pererina, qnirra "e jaboraadj'
_Cara radiealmente as fcbres intermitientes, re-
mittentes e perniciosas,
Vinbo de jurubsba airnpW e tarabeat-ssr-
ruginoso, preparados tos vinho de oain
Effioaan as inflaamator-da figadoe bapo
aguda su ohroaieas,
Vmbe tenico Ae-ostpitarrd' quina
rinjalrearin s waasalsissafSs rlns parturi
urtico antefebrt!.
Deposito ; Francisoo Manoel da Silva fc Q.
S
Purgante as Familias.
r* Dr^e*>intCH.I*^laWaJk'
FRANCFORT S/MEIN
PARS r^> LONDRES
15RuedeiZchiqaierj (54-AldermanbufyEC,
CRYSTMS6AP
SJSBAO
iransnar^nre cristal mr
wvrieger
conhecid do mando inteiro
como o melhor mais perfeito
de todos 08'sabaos de toilette.
Especralidade.
Estrados essencias triple
de heiros. Agua de Colonia.
Vinagres de-toilette. PS d'ar-
roz. Pommadas. Azeites to-
dasclascsdeperfumarias finas.
Superiores qualidades.
Depsitos as principaes Per-
fumaras. Pharmacias Cabei-
leireiros do Brazil.


!
MedaUra de Progresa Vionna 187a
Ensino mjstico
Offerece-se urna professora para ensillar era
casas particulares, primeiras lettras, francs, flo-
res de panno, msica, principios de msica e
piajo ; a tratar no Camiubo Novo n. 128. Mesuri
o ra da cidade, as arrabaldes, por preco raodicu.
!\ari|li
0 Sr. Joao Cavalcante Mauricio Wanderiey,
i'ho do Ezm. Sr. Barao de Tracunhaeai, qocira
ir ou mandar ra Duqne de Cazias 73, ceo-
I lir o negocio que nao ignora.
CALLOS
0 MELHOR E MAIS INFALLIVEL EX
TRACTOR DOS CALLOS E A
MAYXAMMA
porque os extrabe completamente, sera causar a
mnima or. .' fcil de applicar, nio impede de
se andar calcado e tem o seu effeito eomprovado
por attestados insuspeitos e em numerosas appli-
eacoes que nunca falharam. S verdadeiro o que
se prepara e vende na Drogara e Imperial' Phar-
macia Diuiz.
t fftefe & grfmg*
57-Ra do (enera. Ozorio-57
Deposito m Psmamhaeo pharmacia de Hennes
de Souza Percira & C, Successores
te io Maraa le Oliia 121
Eu abaixo assignado, estabelecido ra do Hos-
picio n. 158, attestoque, suffrendo ha muito tempo
de callos em ambos os ps, o que me impossibilita-
va per vezes de cuidar nos m mprciaes. gracas ao preparado des Srs. DINIZ 4
LORENZO proprietarios da IMPERIAL PHAR-
MACIA DINIZ, denominadoMAYNARDINA
censegui ver me alliviado deste mal que atroz-
mente me iucommodava com a applicar^ao do refe-
rido preparado.
Rio, 7 de Janeiro de 1885. Thomaz Jo-
s Ferlaudes de Mucedo.
OS ESPECFICOS VETERINARIOS
HOMEGPATHICOS^S
==DE HUMPHREY.
Para a cura de todas as docncas de
Carallos, Gado, Carneiros, Caes. Por-
ros, Aves.
Tem sido usado com feliz resultado por
Fazendelres, Criadores de gado, Car
ros-ferrfe, etc., ete.
CertLflcado e asado pe Gorerno dos
Estados Unidos.
iy Enria-se Folhetos e Cartees gratis.
Dirija-se a
HlttPHREY'S MEDICINE C0.
109 Fnlton St. Wew-York.
Espeelflco Homeopathico le
HumphreyNo.28.
Usado ha 30 annos. O anico rtaoiio efficaz para
Debilioade Nervosa, Fraqueza Vital
erN^tnt;S,par Si por garrala, ou cuco garralas e 1 ganafodepos,
$5.00. ou moneano. *
, B A'venoa por todos os Drogototas. Tambera
eriTia-sc pelo correo pelo preco do costume.
Dirh-'e a "HnraphreT's Homeopathic
Medicine Co," 109 Fulton St. Xew-Yorit.
<*-\SL
Julgando ser de grand*tKtfidude dos- negocianres da
America do SuL.terao.Aos.de. seda e retroz prepara-
dos em BUterl mais levedo que sejora cairelis de
Eio, aamxn -promptOB a fbrn**cer para exportaco
as de seda, retroz de teda e aada de bordar, 4c
todas as.qualidades, pseparadas em laacedeiraa de
papel oa de pennaa como acuna repraaentao.
Temo toaas os Camasmoa da o prato e maja de
quinhentos cores. %
Dirjale* "Braiaer *; ArmJroog Co."
621 MarketiStree/ 469 Broa*war,
Fkiladdphift, V-. S. A. New-York, U- A^
As iMioa^ ftifrtli^ek e que no rpagntm*t
an^s. Chegou nova remessa. e veod^ae en
de
Faria SobrinhcO QK
l
t
mb


Mario de Pcrnamboco- Doimu^o 31 ir Janeiro d<; iv6
| Quali:
NOVACREtAu
"REGER
^erFum'stae Desviador.
S4NCFQRr/4'

Safcao Osea Agua Czaa
Jbo .uprior | Ain loll'tl,
Vinagren it
Pitfft par rota
Oleo
Pomada
Cosmtico
triaiparcate n
Brllhantina
Pe fume
A ra parft dcui.
Pos
Od Oream
Sachet
Diiposlto as principies Perfumeras
Pharmaclas a cabelloireiros.
:
Declarado em lempo
O abaixo assignsdos prevmem aa oorpdeomnier-
cial e a qnem maia interesssr poses, que nao des-
contem nma letra de dona eontos de rii, aceita
por Lyra & Brito e garantida por Deodato Mon-
reiro ft C, i vencerse em Maio do correte anno.
O motivo oeste prevenci que a garanta foi
dada sob certas condicoes, qne alia at hora nao
foram enmaridas, e que, portanto, aut irisa oa
abaixo assignsdos a levantar qaestao na oceasiSo
do pagamento, poia que ellea nao esto dispostos a
faser sacrificio por amor de qnem tito fcilmente
se eaquece do promettido.
Eecife, 27 de Janeiro de 1885.
Dtodato Montein A C.
ios 4:0008060 vmw
bh mmm
Mudanza
Cerreix C. 8uieetsore mudsrsm sea escrip-
torio para a roa do Bom Jess o. 14.
Boa do Bario da victoria n. 4t
e casas do cosame
O abaixo assignado acaba de vender
ea aeos feliaes bilhetes quatro quartos de
n. 1298 com a aorta 4:000*000 e di/eraos
premia* de 32*000, 16*000 e 8*000
O mesmo abaixo assignado- convida ot
poaaaidorea i viren receber na conformi-
dade do costume, sem descont algum.
Aoham-ae venda, oa folizes bilhetes
garantidos da 7.* parte das loteras a-
beaeficio da matriz de Rio Fonuoxo (35a)
que se extrahir quinta foira, 4 da Feve-
reiro.
Preeos
4*000
2*000
1*000
de ooiooo par
E
Inteiro
Meio
Quarto
porcio
el
Manoel Antonio atoares ala Foaieca
D. Coema Maria da Fonaeca, seas filbos e gen-
ros, agraJecem cordialmente a todas as pessoas
qne se dignaiam acompanbar os reatos mortaea de
seu presado esposo, pai e sogro Manoel Antonio
Soares da Fonaeca, e de novo oa convidara para
assistir as mistas do trigsimo dia que por ana
alma mandam celebrar as> 8 horas da manhS do
dia 30 do corrente, na matriz de Nossa Senhera
da Conceico no Bonito e na igreja do Espirito-
Santo, d'esta cidade, i mesma hora ; por este acto
de religiao d'esde j se eonfessam aommamente
cidos.
Manoel Jos dos Santos
Pasteara The drica dos Santos e seos filhos,
Manoel Jos doa Santos, Antonio Seraphimdoa San-
tos, Joio dos Santos, Antonia dos Santos, Pastea-
ra T. dos Santos, Aquilina A. doa Santos, Maria
P. dos Santos, Julia dos Santos Chacn, Elvira
das Santos Sousa e seas genros Joaqun Marian-
no de Souta, Jos Chacn, seu cuchado (anente)
cunhadas e seus parentes, agradecem cordealmen-
te a todas as pessoas que acompanbaram oa restos
mortaes de seu sempre lembrado e estimado espo-
so, pai, sogro e cunhado, e de novo os convidam
para asstirsm as missas que mandam rezar na
matriz do Corpo Santo, segunda-feira, 1" de Feve-
reiro, as 7 e 1/2 horas da manhS ; pelo que ante-
cipam sua eterna gratidao.
Inteiro
Meio
Quarto
3*500
1*750
*875
Clarlnda Diamantina le Araujo
Romero
Joo Firmino Correia de Araujo, sua mulbT
Ignez Diamantina Corris de Araujo, seu genro
Sylvo Romero, seas filbos, genro e mu, Fran-
cisco Aitiuo Cjrreia de Araujo, Philomeno Getu-
lio Correia de Araujo, Liudolpho Hisbello Corris
de Araujo, Alfredo Correia de Arauj'. gnea Da
man tina de Araujo Romero, Berulde Romero, Eu-
genia Torreao Corris de Araujo, pais, esposo, r-
oslos e cuibadoa da finada, raaudam resar missas
do stimo da, na matriz da Boa-Vista, s 8 horas
da manba do dia 1 de tevareiro prximo futuro,
pelo descanso eterno de sua tempre chorada filha,
esposa, irma e cunhada, Clarinda Diamantina de
Araujo Romero, para cujo fina convidan sos seus
parentes e aos seus amigos, assegurando Ibes a
sua eterna gratidao.
tusr^^^^^____ -.:._,_.,.
S3
Joo Joaquim da Cotia Leite.
uull
IOS 4:0002000
I.000J000
BILHETE*) 4B4VTIDB
t'ratja da independen
cia ns. 37e 39
O abaixo assignado venden entre os seut
falizes bilhetes garantidos da 34a lotera
* sorte de 100* em 4 quartos n. 1384
Jm de outras muitaa de 32*, 16* e 8*.
Convida os possuidares a virem recebe:
sem descont algurn.
Acham-ae a- venda oa felizes bilhetes
garantidos da 35a, parte da lotera a benefic
da matriz do Rio Formoso, que se extra-
hir no dia 4de Fevereiro.
Preeos
Bilhete inteiro
Meio
Quarto
fin porcSo de IOOJOOO
BB
Bilhete inteiro 3*500
Meio 1*750
Quarto 875
Antonio Auguito do Sanf Porto.
Compra-sc e paga-
re mais do que em ou-
traqualqucr parte; bem
como
MOEDAS
de qua lquer qnalidade.
Na ra do Impera-
dor n. 32, lojadejoias
ulio Fuerstenkrg
VENDAS
Crrelas
de sola ingles t, de 1 na e d>- borracha, de diver-
sas larguras e groeeuraa ; v-nd>se barato na
nadicao VillacSj ma do brun n. 64.
Vende-ae um aviamento de faser farmba ;
tratar no Arraial, sif'o o captSo Vianna.
Vende-se
Tintara Iniana
PARA TINOIRA
Barba eos Cabellos
por b iratissimo oreco 3 12 duxias de csrrinhos
de mo, o mais b-m spe.feicoado e forte, como nao
ha em parte alguma, o que b avista pode justifi-
car o que tic. dito : para ver s tratar na rus do
Sol, rmaseos ns. 7 e 13.
Bon.N (lias
Mendonra Primo & C.
Tendeas por preeos
competencia
padres
sei
4*000
2*000
1*000
par
Aviso
Achando-se j impreasas as poesas que deizou
o finado Luis Carlos de Araojo Fereira Falma,
logo aos senhores assignantes dessa obra o favor
de mandaren! procurar ett minha residencia,
ra de Motocolomb n. 26 (Afogadost os ezempla
res que ibes pertencem; ou deem suas ordena
para lh'os remetter pelo correio.
Padre Pedrosa.
Cosinheiro
Pracisa-se de um cosinheiro de boa conducta ;
na ra Duque de Cazias n. 86.
Antonio Albino Jos Marcelino da Rosa (uiaente), pai do fal-
lecido Antonio Albino Gonfalves Ros", manda
resar urna missa port sua ilma na igreja da srdem
terceira de S. Francisco, no dia 3 de fevereiro, s
8 horas da manba, 1 anniverssrio de sen passa-
mento ; para este fim convida para assistir,os seus
parentes e amigos, pelo quo se confeasa summa-
mente agradecidos. __________
Ao eonuiiercio
Os abaizo asignados, pelo presente, declaram
que nesta data dissolveram amigavt Imente a so
ciedade eommercial commsnditaria que tinbam no
estabelecimcnti) de molhados sito ra do Vis-
conde de Iohama n. 69, retirando-se o socio Vas-
conccos pago e satisfeito de seu capital e lucros,
e a viuva do secio comanditario, fallecido, res-
ponsavel pelo activo e passivo da mesma socieda-
de. Recife, 19 de Janeiro de 86.
Antonio Candido de Vasconcelos.
Francelina da Silva Almeida.
>>
><>:< Ferrcirn
Manoel Ferreira, Thereza Emilia da Jess Fer
reir e Isabel Alexandrina Ferreira, filhos c hora
de JoSo Ferreira, fallecido em Portugal, tendo de
mandar resar algumas missia por alma de seu
presado pai e sogro, p las 6 horas da mauliS de
segunda-ieira 1* de fevereiro, trigsimo dia de
sen passamento, na igreja de R. S. to Tere", con-
vidam aos parentes e amigos para .issistirem a
esto acto de caridade ; pelo que desde j se con
fessam atrradecidns.
f
Francisca Canemlrn da Crui
Mosquita
Joanna da Natividad^ Cruz M6quila e Laiz
da Cruz Mesquta agradecem cordialmente to-
dos os amigos que se dignaiam acompanbar so ce-
miterio publico os restos mortt.es le sua presada
filha e irmS, e de novo as convidam para assisti-
rem as missas de stimo dia, que mandam cele
brar na igreja da Madre de Dvus, s 8 horas da
maulla de dia 1 de fvvereiro, e por mais este acto
de religiao se confessam desde j eternamente
gratos
D. loanna Evasigellsta Soares
Baposo
Joo Soares Raposo, Francisco de Paula Soares
de Mello, Alpheo Soares Raposo, Veecia Raposo
de Araujo, Maria Thereza Amado Raposo, ausente,
Jos Aflonso de Araujo e maia os irenaos e cucha-
dos da fallecida, agradecen a todas os pessoas que
acompanbaram a ultima morada os restos mortaes
de sus presada esposa, filha, mi, sogra irm e
cunhada; e as convidam a assiitir ai missas que
pelo eterno rspouso de sua sima serio rosadas,
eganda-feira, 1 de Fevereiro, na igreja do Am-
gro > Olinda, s 6 1/2 horas e ns mstriz da
Boa.-VU.ta no Recife, a 8 horas da manh.
ios 4:000^000
16-Bua do Cabg-16
Acham-ae venda os venturosos bilhe
tes gan ntidos da lotera n. 35a em beneficio
da motriz do Rio Formoso que se extrahi-
r na quinta feira 4 de fevereiro.
corrente.
Preeos
Intc'ro 4*000
Meio 2*000
Quarto 1*000
tiendo quanalilade superior
a lt 0:000
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Quarto *785
Joaquim Pires da S Uva

KU4 Cu CRUZ, t,
j, rKUlUBUCO jr
Os abaizo assignados, tendo adoptado e regs-
ido a marca industrial como do desenho t cima
trad
ve coeformidade com as preseripcoes das leis em
sigor declaram ao publico e particnlarmente aos
teus numerosos fregueses, que d'ora em diante
odos os productos que shirem de saa botica le-
varo a dita marca como garanta de sua origem
e legitima procedencia.
Thin Augusto da Silva Villar
Este senhor veio a Pernambuco votar, mas nao
se lembrou de fazer entrega dos movis que se
acha de posse desde que d'aqui desapparecea e
como tem da proceder eserstinio, provavel
que venha outra ves votar e se desta vez nSo fizer
entrega contar se-ha ae publico o que fes com re-
Lsco a este negocio.
Rap Paulo Cordeiro
Novo fornecedor, sem competencia em preco,
veade-se ra do Marques de Olinda n. 50, mer
cearis. dos Srs, Brsga Goras & C, e a 1*600 a
libra. i
ta tintura tinge a barba os cabellos instan-
neamente, dando Ibes urna bonita cor preta e
natural, inofensiva o seu uso e simples e muito
-anido ; vmde-se na BOT CA FRANCEZA e
DROGARA de Rouquayrol Freres, succeesore
ie A. CAORS, roa do Bom Jess, antiga da Cruz,
umero 82.
Para advocado
Aluga-se s sala ds frente do Io andar ds casa
roa Duque de Cazias n. 61; a tratar na asesina.
Vende-se
doce de caj s:cco ; oa rus de S. Jos n. 16.
Cautelas do Monte de Soccorro
Compram-se na ra estreita do Rosario n. 2.
Cosinheiro on cosinheira
Prensa-se de um bom cosinheiro ou orna
cosinheira ; a tratar na ra do Apollo n. 20,
andar, das 10 horas da manh as 4 da tarde.
Casas para alugar-se
Aluga-se um sitio na Torre, com boa casa para Luvas de seda de cores
morada, mui tas fructoiraa, baza para capim, e a Agua florida, JOO rr. e
casa terrea da ra do Coronel Suassuna n. 240,
com bons commodos ; a tratar na ra Primeiro de
Marco n. 17, 1- andar.
Las escocesas, padroes modernos a 400 reis o
ovado.
Ditas mescladas e lavradas a 500 reis o dito.
Velbutinas de todas as cores, lisas e lavradas a
14200 o dito.
Fustoes brancos com lindos desenhos a 400 e
500 reis o dito.
Lencoes de bramante a 1*800.
Callarinbos modernos para homens a 500 reis.
Setins de todas as cores, por preeos baratissi-
mos.
Merinos pretos e de cores para \ istido.
Mantilhas pretas.
Fichs do diversas qualidades.
Cortes de cassemira para senhora, bordados de
seda, atoalhado, espartilhos, tapetes avelludados,
panos de crochet, punhi s para homem e senhora,
meias de todas as qnalidades para homem e se-
nhora e eutros muitos artlgos de moda.
Boa Bupue de caifas n. *
Vende-se
Liqudalo
em continuaco na ra larga do
Bosarlo n. S *
Damiao Lima 4 C, rao p dendo acabar o sen
grande sertimento de miudezas, em consequeneia
da eryse perqu passamos, continam por saas al-
fum temi a liquidar suas mercaduras, pelo que
e novo convidam ao publico e especialmente
Exmas. familias, a qnem pedem toda proteceo.
Admirem 1
Pannos e colarinhos bordados para se-
ntaras
Ditos lisos
; Ditos de cores
s taverna do pateo da Santa Cruz o. 12, boa lo-
calidade ; a tratar na moma
WHISKY
ROYAL BLEND marca V1AUO
Este ezcellente Whisky Escosset preferivf
ao cognac ou aguardante de caima, para fortifica
o corpo.
Vende-se a rtala no saelhores armazens c
Molhados.
Pede ROYAL BLEND marca VIADO cujo n.
me e emblema sao registrados para todo o Brazi
BROWNS 6l C, agentes
S*
7C00
10*000
12*000
12t000
5*500
6*500
8*000
3*000
1*600
1*000
4os4:000$000
SILHSTES UBVIIS0S
loa Primeiro de Mar; n. 23
O abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 3514 com a sorte de 100$X)0,
alm de outras sortea de 32*, 16* e 8*, dt
oteria (34.a), qua ae acabou de extrahn*.
convida aos possuidores a virem recebe;
na conformidade do costume sem descontr
algura.
Acham-se venda os afortunados bi-
lhetes garantidos da 7.a parte das loteras
beneficio da matriz'*de Rio Formozo
(35.a), que se extrahir quinta feira, 4 de
Fevereiro.
PRECOS
Inteiro 4*000
Meio 2*000
Quarto 1*000
em qnantldade maJor de lood
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Quarto *875
Manoel Martin Finza.
2*200
1*800
1*500
2*500
lrtOO
2*000
2*200
1*000
3*000
3*000
4*000
1*5 0
30(M
320
Bordados de 800 rs.
Bonitos iacoa a
Leques de 400 rs., 600 e
Meias para homem
Ditas idem
Ditas de cores
Um par de fronhas de labyrintho
Urna toalha de labyrintho 25$ e
Envesiveis, rs.
Fitas, bicos, lencos, grr.vatas e outros muitos
artigos que esto c-zposicao.
tua larga do Rosarlo n. SS
Damiao Lima & C.
Fazcniliis finas e modas
t A,-Rua do ( nltiis 3
I Bastos A V.
(TELEPHONE 359)
Avisam as Exmas. familias que receberam de
Paria:
Lindissimos cortes para vestidos com tecidos da
mais i alpitante novidade como sejam: Etamine
com burlado a retroz, seda crua bordada a capri-
cho, Cach^mire com enfeites b' rdados a fil.
Mod 1886
Valentionne en ecorce d'arbre.
Primorosa escolha ns vestidos com 20 metros de
13 ligeira, tecido ainda nao conhecido aqu.
Cores e desenhos novissimas d.b seguintcs fa-
zendas de seda, la e algodilo. Etamine, Surab, Se-
tim, Failles, Linn. Toile d'alsace, Cachemires.
Exp'.endido sortimento
Em leques, luvas, espartilhos, lafos, lavalires,
meias, K'nces e muitos outros artigos que se ven-
den] por precios sem competencia.
Fustoes de selneta a ftOO rs, o
eovado
Alheiro & C. ra da Imprratriz n. 40, ven-
' dem um bouito sortimento de fustoes braneos pelo
' baratinho preco de 400 e 500 rs. o covado, assim
' setinetas lisas, tendo de todas as cores a 500 rs. o
| covado ; na loja da esquina do boceo dos Fer-
reiros.
AO
la da Ismperairlat8S
Loja de Pereira da ilva
Nesto estabelecimeato vende-se as roupss abai
xo mencionadas, que s2o baratissimas
Palitots pretos de gorgorSo diagonaes e
acolcboados, sendo fnzendas muito en-
corpadss, e forrados
Ditos de caeemra preta, de cordo, muito
bem feitos e forrados
Ditos de dita, fasenda muito me'hor
Ditos de flaoella azul, sendo inglesa ver-
dadeira, e forrados
Calcas de gorgorSo preto, acolchoado,
sendo fazi nda muito ene irpala
Ditos de casemia de cores, sendo muito
bem feitas
Ditas de flanella inglesa verdadeira, e
milito bem faites
Ditas de brim de Angola, de muleskim e
de brim pardo a 2*, 2*500 e
Ceroulas de greguelhu para homens,
sendo muito bem feitas a 1*200 e
Collctinhos de greguella muito bem feitos
Assim como om bom sortimento de lencos de
linho e de algodio, me>as cruas c collarinhos, etc.
Isto na loja da ra da Tmperatriz n. 32
II i sea dos largos
a SOO rn. o rotado
Na loja da roa da Impe*: triz n. 3i, vendem se
riscadinbos proprios para roupas de meninos e
vestidos, pelo barate proco de 200 rs. o covado,
tendo quasi largura de chite franceza, e ass como chitas brancas mindinhas, a 200 rs. o cova
do,^e ditas escuras a 240 rs., pechincha : na
lojaj jo Pereira da Silva.
Pastees, aetinelas) e lsinbas a &OO
rs, o ovado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-se
um grande sortimento de fustoes brancos a 500
rs. o covado, laziobas lavradas de furta-cores,
fVzenda bonita para vestidos a 500 r?. o covado,
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas as
corts, a 500 rs. i covado. pechincha : na loj .
do Pereira da Silva.
Merino pretos a 1SOO e l&OOO
Vende-se merinos pretos de duas 1 rguras para
vestidos c roupas para meninos a 1*200 e 1*600
o covado, e suoerior setim preto para enfeites a
1*500, arsim como chitas pretas, tanto lieas como
de lavoures brancos, de 240 a' 320 rs. ; na nova
loja de Pereira da Silva ma da Imperatriz nu-
mero 32.
ilKotloKiniio francs; para lencoes
a 9O rs., i* e 1*800
Na loja da ra da Imporatriz n. 32, vende-se
superiores algodozinhos francezes com 8, 9 e 10
palmos de largura, proprios para lencoes de uro
s panno, pelo barato preco de WO rs. e 1*000 o
metro, e dito trancada pa a toalhas a 1 280, as
sim como superior bramante de quatro larguras
para lencoes, a 1*500 o metro, barato ; na loja
do Pereira da Silva.
Koupa para meninos
A 1*. 4&50O e G-S
Na nova loja da ra da Imperatriz n. 32, se
vende um variado sortimento de vestiarios pro-
pri. s para meninos, sendo de paHtosinho e calci-
nha curta, fitos de brim pardo, a 4*000, ditos
de molesquim a 4*500 e ditos de gorgorSo prito,
emitando casemira, a 6, sao muito baratos ; na
loja do Pereira di Silva.
MERI NOS PRETOS
A 1*200, 1*400, 1*6(0, 1800 e 2* o covado
Alheiro A C, roa da Imperatriz n. 40, ven-
dem muito bons merinos pretos pelo preco cima
dito. E'pechincha : na loja da esq ina do bec-
co dos Ferreiros.
Tmnhas
Vendem so em barris e em. qnartolas, e mais
baratas do que em ou'ra quslquer parte ; na roa
de Pedro Affuuso ns. 5 e 11.
Fabrica gtebo
94 Baa larga do Itosarlo 9
Manipulaco especial com fumos escolhidos dos
bons cigarros, exploradores, navegantes e fede-
raes. Precns razoaveis e bons descontos para o
commercio de retalbo,
Pechinchas
Da loja das lisias zoes
Ra Duque de Cazias n. 61
Bontla da China, fasenda branca, sberta,
para vestidos a 240 rs.
Leques & Jonnita. representando a'guos
setos da linda opeita a ) *000.
l.;1* rhiner.as com fios de seda, com qua-
driuhos e lindas cores a 330 rs.
Crelones franceses, miudinbos, a 240 rs.
Cuita (alta novidade) fabricadas em S. Pau-
lo, cores finas e seguras a 240 rs.
Merinos infestados, de todas as cores, a
800 rs.
Lencos brancos muito finos a 2*060 a
duzia.
Cobertores encarnados com pequeo
deleito a 3*000.
Tonina-, acolcboadas a 2*800s duzia.
Damasco de la intestado, para coberta e
reposteiros a 1*200 o covado.
Meias de urna s cor, para senboras e mini-
nas a 500 rs.
lina Duque de Caxlas n. O
Loja das lis rss zoes
Grande liquidacao
de pllsss
17 Bna do Bars da Victoria 17
EsposleSo universal
Cabriole! e victoria
Vende-se um cabriolet e urna victoria em per
feito estado : a tratar na ra Duque de Can
numero 47.


!
Espartilhos
A 5J000
Na loja da ra da Imperatriz n. 40 vende-se
muito bons espartilhos para senhora*, pelo preco
de 5*000, assim cemo um sortimento de roupas
de casimiras, brins, etc., isto na loja da esquina
do becco dos Ferreiros.
Em vista -dos grand.s progressos da IDEIA de
3ue se gloriam as naces civilisadas, o commercio
eve acompanhar esse rogresso, visto que elle
o mais poderoso elemento do engrandecimiento das
nacoes ; em vista do que annunciam
MARTLNS CAPITAO A C.
1 Ra Estreita do Rosario 1
Grande sortimento de gneros alimenticios, a
escolha dos quaes, os annunciantes tem sempre e
; maior cuidado, para bem servir os seus numero-
sos freguezes. Lembramos, pois, o proverbio :
Quem nao experimenta, nao sabe
Venham ver pois :
Queijos, flamengo, suisso, etc.
Dito do serto.
Fiambres ingltzes.
Chocolate francez Menier.
Dito do MaranhSo.
Fructos seceos, como:
Pasaas, amendoas, figos, etc.
Ditas nacionaes.
Doce de todas as qualidades.
Bolachmha ingleza.
Semen tes novas de hortalicas
Especialidades em:
Vinhos finos do Porto.
Ditos da Figueira.
Cognac de diversos autores.
Vinhos tnicos como :
Absintba.
Verxouth, etc.
Licores de todas as qualidades.
Champagne.
Cerveja de diversas marcas.
Bem assim :
Araruta fina em pacotes.
Cha verde e preto.
Dito perola.
Especialissimo mate do Paran, em p.
Ainda mais :
Formicida Capanema.
Oleo de mocot.
Azeite de peize.
As cozinheiras
L;qu's nacionaes (abanos) para cozinha a 6/ c
milheiro.
E todos os gneros coneernentes a este ramo de
negocio.
Encontrara-se no armazem de molhados de
Marlins Caplto & C.
1BA ESTBEITA DO ROSARIO1
I
DAS
!
CORRE M DIA 3 DE FEVEREIRO


O portador que possuir um vigsimo desta importan-
te lotera est habilitado a tirar 10:006$000
Os bilhetes acham-se a' venda na Casa Feliz, praca da
Independencia ns. 37 e 39.
' Corre no dia 3 de Fevereiro de 1886, sem falta.
[ iM
i
V



8
rio e HfiaaibacoDomingo 31 de Janeiro de 1886

w



'!' L
LTTERATli
ii
OS FILHOS
DO
PO

T2H
o
"IRA.
Baro de
?AH73
Gra ndalr
( Continuando do ti. 24) *
IV
O BAILE
Entra as attitudeB da baroneza e ai da
filha do probosto, entra a dansa da oigana
e da nyrapha, havia toda a distancia qie
separava o curact* r de cada a ti dos (ra-
jos cscolhidjs- pe 18 duas seuhoras, tola
a d fferenca que existo entro o porto da
virgem pura o da cortea.! apaixonada.
Una te n a graca modesta e suave, a
outra que faziam roda recuarara por ins-
tineto deixando escapar exclamases de
elogio e (litros pararara comprelieadeudo
que a real-za di dansa era deslila de
;int."iBto aos novos caaip o"es.
() conde e Diana touiar..ra lug ir, um
com desembiraco e porte sooerano, a ou
tra com a ligpi iado e graca do um deusa.
do preboste de R.u
irava adivinhar quem po-
riguriio singular cu)o porte
e costura* llie recjrdavatn vagameot) esse
Van Helraont, com o qual entrara em luta,
algu nas horas antes.
Todava, fosse quera losse aquella qae ti-
nha diante de si, amigo ou iaimigo, o senbor
de Bemac er muito valente para se dei-
xu- intimidar, e pelo contrario, excitado,
eontinucu a p.ivina, sein corametter a me;
or taita em materia corographica, e fa
tBO6 diligen.ia pr.i ganhar para si e
para Diana a maim dos votos.
Mas o p ar (pposto coutiuuava digno dos
elogios, quo ao principio suscitara.
A cada passo, a c Ja figura, era urna
verdad' ira luta entre estes d.-incantes ri
vaes o os espectadores maravilhados com
grande custo contiuhara a sua admira
cao.
Finalmente, a pavana acabiu com gran-
de pena das espectadores e torminada a
ultiini lisura, tolos ficaraTJ indecisos sera
s.ibrem a quem caba a pilma do triura-
p!)0-
O Sr: de B -roao
de
nie tevo occasiilo
dizer u:na p ilavra a Di ma.
Fur0.-.0 p.ir e3te contraternpo, que com
razao attribua atleo.ao provocada polo
egypcio o pido sou par, reconluzio a me
nina de Aunout pira junto de sua rali, e
voltou-se para p.issar pdos grupos quo in-
vada no raeio da sala.
Noste movimeuto aehou se face a face
com o ''gypei>.
Os doas huncus indurara so da cabec-i
at .ios pe 3, c o ollur rlente de R"ynold
iebalde proenrou penetnr atravez da mas
carado dausanto desjcrahecdo.
V
A C II IVB O GABINETE DE ARJIA3
a. dansa, interrompida pir um momen- __ ^
to. ia continuar, quando do lado oppostj
quelle em que estava o biilhanto par, as
tiliiras dos e-pectadores se abriram de
repente, e um cavalleiro com sua dama
orain coilocar-se diante da fillia io pro
boste e do conde de Berna como desa-
fiando-os.
A dama era a encanta lora igaos, qu
o lacaio, o hornera da lib ir de ro.a e
brauca, intitulara baronezi de Cath-r.na
de Santa Maria.
O cavall-iro, tambera mascara lo, vs
ra um costurae singular, tao nitav l p la
sua extravagancia, como o do conde de
Barnac pela sua riqueza.
O costumo nao era outro s-nilo o cgy-
pcio na sua mais rigorosa exactidao noBM
tanto mais rara e oxtraordiasria entilo qu-
o horror de sujeitar os ostrangeiros ou os
de phantasia s exigencias da moda do
tempo, destruir todo o carcter, faz-i a
desuppaveoer todo o encanto da verda ie,
e tronsformava um baile do costum's e:n
ridicula mascarada.
Entretanto a audacia tentativa lo mas
era nSa desagradara .->s c;po : lor s.
Id unisono grito do adrairacao aoolhen
esta nova entrada em scena e sem so sa-
ber piro/i^, a curioailade i vva-ment-
despertada.
Hivia tal diff;ren;a entre 03 dous pares,
contra a fasciua$ao provocadora e irresis
tivel.
03 dous cavalleiro? apreseolavam o mes-
mo contraste.
O egtpo, SVJ,V?> solemne, titil, ie
gesto severo, do andar impmonte, p ir cia
imprimir a cada um dos seus passos gra
vidade e mngestade incontestaveis.
Entre elle e o conde havia toda a drffe
renga da dignida !c de homam do de
habituado a hitar cora a propria natur,
e o orgulho de homen civiliiado hab
do a lutar cora as pa;xo:s dos seus simi-
lhantes. .
ijm percorreu a
dio. ,
O conlo eootemplava espantado o aaval-
leiro da bohemia.
ihe i lo a s i
ra Caiharina, a co:npanheira do seu irm\<
Mercurio, a ti'h povo tran-f-Tmada
era graule senhuri, Jo una, inaliiie.te, a
es
i os meas conprinentss, Sr.
egypcio, disso I ynoll co:n voz do escar
neo.
IIi una cousa que aiuda fa{o
ir llinr ilo que danzar a -pavana, Sr. de
B-rna-, repliou o tryst'-rioso dcsconho-
cido.
O qU" ?
Deseja sabel-o ?
P ir ravor ou curiosi.
- Pois b ira, desraaearrar os imposto-
res c arranear aos bandidos os noraes e
os titalos, con quo tera o atreviinento do
se encobrir I
D m )a, sem dar a Reyno'.d, estupefacto,
tempo, nem facltale para I he responder,
affastouse gravemente.
O senhir de Broac ficou por uto mo-
mento orno aniquilado por estas araoaca-
doras patarras ; mas saeu lindo o torpor
que o p iralysava, dirigio-se rpidamente
p \ra Catharina, a qual atravessava pelo
braco de um cavalleiro a sala de danga,
em direccao a ama das salas mais peque- <\ tenha de ir a um t
Depiis disse, ui n :
Humberto est c.
Bem sei.
Visteo?
Ha p.'Um.
!; fallaste lli
Nao, mas vou procural o.
Est na sala.
Bem soi.
Esta no te, dwae Catharina rindo,
suborei tu lo.
Ex;epto o quj neces3r.rio saber.
- O nome de meu par?
Precisamente.
Pois eu o sab r i.
D'itqui a um quarto de hora.
Qneiu i'o ha do dizir ?
O Oiubaixador.
D. Pedro ?
Ello idls:iio.
Entilo ests na sua graca.
Diz que raorrera de dOr, se ou nilo
lho dissor ulgnios p.divra de e.-p.ranci.
Est ap-iixoaado?
(!omo um Luco.
__ Porque no rao disseste isso ha mais
tempo ?
A coua tinha muito que saber* Se
D. Pedro nao estn-cssoapaixonado por esta
sua humilde criada, meu bello sonh r, con-
touou C.thirina era tora do es.arnoo,
coma me tora ello confia !o a chavo do ga
bnete d'armas, quo d p .ra a pequea
sala nzul, par- que eu pulesse, sendo da
minha vontade, repousar um pouco sem re
ceiar ser inoommo lada, ou para mudar de
trajo, sa me conviossso? Ora o gibinote
da3 armas cominunica, como sab', do um
lado com as casas interior -s, e do outro
eom a casa que d para o ardim.
E teas a eh ive? exolamou do Barnac
com alegra.
Cafoda! Nao falles tilo alto.
Catharina tou do seio urna chavo de
ac, pequenina, presa a urna tita azul.
O conde ag rrm-a com ura gesto rapi
do, dopois pegando na raiTo da baroneza.
Se o meu eiracXo estivesso livre,
disse-lhe, pare-e rae que te amaria como
un Iouoo.
E bijava os niveos dolos, quo apftrtwa
com ardente r^eonlieciineato.
Do Quiche entrara eatio na sala dos
espelhos.
__ Com afortuna! barones i txelamou
o eaval eiro, nunca appareccr :i s ;no para
ser testeraunha dos favores, que OOMWM
ao jonde de Bernac?
B rna; no se.
Entilo ainda* t-remos do volt ir ao
pralo dos Clrigos? perguntou ello.
Isso nao; muito m.iis porque fiz im*
protesto.
Qual foi ? disse Catb..rina.
O de uo me tornar a bater em d>a

elle estiver.
los que dansavam jin
so no raeio da sala, en quo asabir.
entrar Catharina e o conde.
A baroneza e o seu par tomaran fisgar
mas apenas cheganra collocou-se dowito
dolles e egypio.
Parocia^que os dous cavalheiro so ti
nhatn combinado p ra tornhr.'O) mais vira j estar a eaminho
ito em quo se ouviara os primeiros sous
pavana, noo pai e a raulher quo Rey
Bol te couliou esta j em lugar seguro a esta
hora ?
Estas..
E es n*3Sos horaens, acaso os visto,
tuiub r'a /
Estao promptos. Esperam-nos.
Cora a f ir'una Humberto, desejava
a nvalidid", que na dan?a ao'.c i r so es-
tabal cera entre eiles.
Conl eff:it i, por um singular acaso, ca-
d um dos cavilheDs tonara a duna do
outro. O conlo tinha por par a cgana, o
o egyp io conluzia a bonita dina do prt
bjste de Pars.
Bornac e o egip.ia trocaram ura olhar
de desafio e de ame ica
Os especia lores, cuja eai'iosilade esta
va rauto excitada, rodearam os doui p-
r^s.
N'sto lascante un indivi luo ropr ci-
tando o filho mithologico de Moia o de J-
piter, ontrou cuco .ii I > na sala de dansa a
agitava o caduec >, f zi i mover, por mi-ii
do hbil machinsrao, as azis e provocara
risos e applausos.
Mercunpl dise Catharua apsrt.wuV) a
icSlo do R'-ynol I.
Est estreiDooca de prazr.
A cousa vae bem! disse elle era voz
t.vxas : as minhas rleos t'orara exocwta
das, e d'nqui a uini, hira cstar-iraos a a-
miiiho.
D pois, Linean lo u n olhir rlente na
dir-gilo do egypcio, e apert^ndo ni mito
esquerJa a chave que lho dera Cuth ria,
ofF-recou a esta a niao d r it".
Os mucioos ao.bivau de xer ouvir os
primeiros son3 da prcuana.
Atrazd soohor do B r ie e di su da-
ma entrn um hornera a!; >, v.-ti 1 > cniao um
truito da idado m^dia.
Esto bornea quo entrava na sih quasi
ao raesmo terap) quo aijadh, que designa
mos cima, e quo tinha adoptado par dis-
farco o costumo do dous ladros, p >ro i*
t ido abiorio na on.o Dpfas^So da Kni ci
gana.
N :.n R ya .11, nmC itlurLi i ti oh v n ro
parado na sua presenca.
VI
M PEQUEA SAI.V AZUL
hegalo M r.a
Os ares de Paris nilo s5o
as. c n quo fallamos.
Ni momento em que o mancebo ia che-
g o-se eiguia; esbarrou com ura msca-
la, qae riuha do lado oppos-to.
O mascara, sera so volcar, sem p .rar,
oontinuou a mettor-89 por entro a multidao
at qu'e desappareoeu por hraa porta da
sab.
O conde hesitou um instinte ; mas de
po3 5 entrn na sala dos espelhos onde o
preceder Catharina.
Esta, dcsarabaraeada de seu cavalleiro,
i ra defronte de ura espelho arranjando
a desordem do seu ponteado causada pela
pnc na.
Quera 6 o g-mtil-homom com qiem
acabas de dancar cora tanto primor, baro-
neza? perguutou o conde.
Nao se quera meu querido Ilcnri-
ponden a linha creatura.
O que disse o senbor ele Bemac
: la B voz, nao sabes quem l
E na rerdade, nao sei.
Pois necesfaiio Babel o, Calharna.
F0LEET1M
s
Porque ?
Porque noita nilo posso dancar.
E de Quiche rindo so, designou o sitio,
em quo tacara a espada do conde.
Ests ineommodado? p Bernac.
Alguma cousa, rauito mais porque rae
vejo uaiva'lo do prazor da dancar cora a
baronezs.
N'este momento a orchestra f.z ouvir os
preludios de outra dana.
Ao cxdamou vivamente Catharina,
eis a nossa pavana. Sr. de Bernac j se
esqueceu de que pedio a minha roao ?
__ Mil perdSaa! disse o con le ioclinnn-
do-se.
O quo! disse de Guiche, dcixa-me.
Assira pre iso, respondeu a baro-
u zi.
- M..s depis da pavana?
Estou tola su disposicao.
H>i de recordsrlho a proraess que
ba de tazer-me.
E Catliarini, rin'.o-sB para de G-uiehe,
Eraquanto na sala de dansa a motidSo
compacta so agrupava em redor dos dous
pare*, emqiKinto o senil ir de Bernac, cheio
de coutiauciv e.n si, apezar da peatarba-
i^ilo quo lbe tinhara casalo a3 palavras,
do egypeio, se preparavu para sustentar
uraa nova lucta coreographica, e qae Ca- ,
charina e elle tomavatn as rais seductoras
attitudes, e.nqnanto defronte delles Diana
o o seu cavalhero en'ravam. ella comino-
E eu dejejava
rio.
Tons rasEo.
bons p ira nos.
A proposito, e a casa di ra das Es-
tufas Vdhas ?
A esta hora tal vez esteja reduzida a
cinzas.
Mis a policia pode apngir o incen-
dio.
Disario para que o faca toraei boa<
precaugis, o os productos chinicos que
esp.lhei con profusao bao de levar de eer
to as cht iroas di caa pri as ruin3 do
convento dos Agostinhos.
E' pona quj Van Hilmjat nao esteja
no br .zuro.
R y.iold largou Bjrmrlratr z deBe,
o sabes qie qumio se trata d) mincjir o
ponhil, Beraarlj raras ve&ea deixa de al-
:ai|i,-.ir o d n a quo 33 p'0,)o I.
En CO nao resta seoao (iiraU'l.
Esso est na pinta da espala de
lt'ynH e CaraaleSo c nsponsavl-por elle.
Mis aonio est o maldito (iraud ?
A d'iia passos da nos, na sala prxi-
ma.
Aqni I
Airaz do ReynoM e Cit'a.rinavChc-
g..u lo a esta podes vcl o.
Humberto correu porta.
E' aquelle hornera vestido de trufto ?
A ju lio mesmo.
'O inirago est muito prximo.
- Sim, mas a inorta aiuda est mais
p Tto deil;. Ao menor g;st'i quo tonlar
para nos fazer mal, cahir- para nao se
turnar a levantar.
Ricardo est ahi ?
Ao lado delle.
t"o quo traja h-spanhola-?
E'. O preboste tinha mandado arraE-
j r di'ferce de Qiraul, e Catharina o
lie Si ir lo. O embaixador serve-nos \
mil raaravilhas. E' o nosso eu nplice som
Babor o papsl qu>o representa
Por um lado est apaxooalo pela ba-
' roosa, e pelo outro acredita ein urna in-
triga poltica dirigida contra o rei. Por-
tan; nossopor ra lis do uw raza).
Bravo 1 E Caraaleao, aomle est?
' Eat ai p- do horaera. vestido de
Foi ama noie eotraordinara, excepcio-
nal, era que ama risada franca, inteiro,
desde o principio ao fin do espectculo
attestara o bom acolhimetito do3 habites
da Nova Haraburgo, rendando ass.o a de-
vid* homenagem ao intclligente e espiii-
tuiso artista qua tcm o dora de se cara-
cterisar mil rez?s e serapre cora grande
successo ; o bom e verdad ;ro|carJcaturi:ta
que transforma radicalmente os typos soni
alterar era deslocal-os na acea ; e3ta a
das mais difficois condieijjs perante a arte.
A empr.zi Bdlrini e M hne fez repre-
sentar, em urna s noite, tros pojas rffff-
rentee, cujo xito damos hoja urna ligir
id3 : a primeira foi a parodia do Romtiy
figura plstica e divina creaba o do iramor-
tal Sb kespeare ; em vez do iramenso 0"
faustoso palacio dos Capoleti, a pattica
scona passa-se n'ura casebro grot-sco on-
do salta com o magnifico satisfagan a in-
rjenua Julietta ; nh, nosse uni>-o acto,
que se desenrolre toda a aceite de come-
dia burlesca, enjos papis toesram acs
artistas Milone, Bellegrandi, Kpossi e
Durand.
Mas quanto roo violento, quant sp rito
dcstraHo a sala mteira, contente c justi
em applau lir esses iotclligcntes e besa* in-
tencionados artistas l
A segn la pega foi o N ivo Dora JoSo
onde exhibiram, coro perfeijao, os dnus*
papis o Sr. Bol lrini e a engracada nrtls-
egypcio.
- Bom : v jo-o ; o nfxrccgoe
* E' !
Roynoll es-' bem gurdalo.
Antes de acabar a noite, Ginul d i-
xar de nos dar cuidados, e o Sena lho
vida e um pouco trmula, o outro socega
do, i oponente un dialogo rpido tinho lu ,
gj; na pequea sala azSl, contigo aquel-; 8-v:^ da sepultara. Est tudoceafc.ua lo
la eo. que se exeemtava a gnenna, entre e de^h.-o a quo escape serte q,
dous individuos destn idos a representaren V^- Emqa into a Val H-linont...
intcrrompeu Humberto, esse e
Porque ?
Porque o tal hornera de certo meu le vou o conde do Bernac.
iaimigo. ~ Pura quo serve ttansar ag
- Eotao sabel o-hei^respondcu> baro- \ murou R yaold cora_impaciencia
raur-
n u aa confianza, que bot permit
t ;\ a moia pequea duvida.
P.rque de Quiche uao rae largava c
eu nao poderla fallar con o emb'-iixador,
importantes papis n^ historia quo conta-
mos.
Ura era aquelle qua acabava de entrar
na sala do baile vestido como-e d"us Mer-
curio, o outro, igualmente mas .ralo, ti-
nha uraa eipocio de vestido largo ornado
nos hombros com um vasto capuz; o ves-
t lo era todo cheio de pregas.
Esta vestido
-Oh!
poderoso, mas nao de temor. Anda que
Bornac nao nos desembarajasse delle, qua
mal poda fazer? Actualmente impoten-
te, porque Aldab est as nessas railes e
elle nao tera provas para nos aecusar. De
mais, antes de nascer a manba estaremos-
longo de Paris.
quo polo talho se pareca Assira sera.
i i <;. n,n Portanto o nome do ljroac e nosso
eom os donUHos usados actuairacnt com x"*'
p.ra sempre
Como o do la Chosuaya.
{Continua.)
VARIEDADES
punha o que entilo se chamara em titulo
de mascarada, um morcego.
Assim como o domin, perraettia U3ar
por debaixo delle outro qualquor disfarce.
A'-pequea sala asul s'era ocenpada
por astea dous figuro ;a.
O morcego era o hornera, que p?uco antea
acotovelara speramente o conde de Ber-
nacr quando o mancebo procurava reunir-
se com Catharina: tinha precedido do al-1 Dssta vea nilo foi o Sr. Dominici o re
gana minutos a entrada ca sala da perao-Lja fasta, ossa suborbo e explmJido Car-
nagera mithologioo. I03 V, que ha das nos deu tilo maravi-
Dopois, sem o mini no exordio corneja- 1 liosamente no Emam foi o gran da e
rara u,na (Woversacao viv.a c animada. impagavel Mdone as BOM parodias de
Entao, diz i o dous M ruara no rao- Romeo e Julietta o do Baile d: M iscim.i.
L'ma noticia sobre o ib cairo las
Variedades
ta Durand ; embora se restiingisso a hs
simples episodios domestico, 0 espirito 9" O
bom desempenho grangeou o Dom Jotc-'O-
contentaraento goral ; esses dons diabos;
recenteraente casados, vivem em constan-
te disputa, principalmente a mulher que
nao deixa de ter alguin rasao, pois o ma-
rido que a trata de MattatmT considera l
earasigo qiio po leria chamiil a Mademoisel-
aporque... lhe convemj naturalmente,
este ultimo tratamento por ser mais bo-
nito.
A terceira foi a grande opera de Verdi
- Ura baile de Mascara completa, bem
representadase cantada em quatro actos,
tanto que podam os espectadores verificar
com a partitura na milo como disse o es-
plendido Prologo Que soberba aria de
tenor cantou o Milone sobresahindo os
os seus dos ctk paito 1 Que romanzas su-
blimes de soprano dramtico- o de baryto-
no nos fizeram ouvir os artetas-R^poesi e
Bellegrandi Emli.m nem a- companha
lyrica do Ferrari poda proporcionar roaor
prazer aos dil'tcttanii do thcatro da Va-
riedades, embora nos trouxesse Taroag-
uo, Frici, Storti e Wiz'ao ; Rbini, Dbn-
di, Castclmary, Durand e Sauz e Santos
outros grandes artistas que tem facinado o
publico Fluminense, porque o- Baile de
Mascara de que tratamos nilo--de Ver,
as sira de Milone I
Sira, do Milone I Ah Quem duvidar
aera fcil veriiear ; v ao cheatro das Va-
riedades, e ahi ver a representicSe inte-
gral do Baile de Mascaras : cuvir as ro-
manzas, arias, duelos e quartetos, ate os
lotos e ensienKe dussa grande opara ; ver
tambera na quahdade de primeiro tenor,
Bobt-e a pelle do altivo Ricardo, metido
no saiote de danzarina gil e graciosa, -o
grando Mdone, o misino autor- da pac;, o
mesrao dire:tor-de scena e empresario l
Porra urna parodia, e a ma3 chistosa
que ahi temos visto, tanto mais aliada cara,
a msica do verdadeiro B lile de Mascaras.
Os papis de Riearlo, Renato, Amelia e a
feiticeira sao desempenhados de tal raanei-
ra a sustentar urna s, e franca gargalhada
do publico que a apreciou nessa noito de-
liciofa.
Nilo tera pois a ernpreza Boldrini e Mi-
lone nada a receiar, d tantas vezss quan-
tos lhe forera possivc3 a3 represontacoea
como a parodia do Baile de Mascara;, e nos
dirigimos ao publico como o Prologo de
Falstaff:
rlL
i de nteresse p.ra Sareany, repeta I palarra que o doutor eons-guio iescobrr
justamente a respeito d issa casa de j quasi intacta.,
quera destizer-se. Porm, por
dzesso, nilo "onseguio outia in
i ntemente esta mulher nada sabia
ffta ra rada bcb qae Sareany tioli
POR
Tripolitania I exdaroou olle.
Kn ai, era na regracia de Iripoli, su i
trra natal, onde eoutava estar pnrfoiti
.e segur que S.iroany tiuha i lo r
<'i irse Era para cssa provincia que se
jjLia nm
Q CI !V T .% PARTE
^Continuas'o do n. 23)
Um aporto tic mfio Ue Cabo Malifot
Quanto trra para onde Sareany havia
lvalo as doas, a velba nada poda dizer.
Tu do quanto sabia era que tinhara partido
havia cerca de cinco semanas, com urna
caravana que se diriga pira late. Desde
esse dia a casa tinba ticado soba suaguar:
da e ella devia fiaar. nella at Sareany
achar quem a comprase, o que indi java
que elle nao pretenda mais voltar para
Tetuan.
O doutor cavia frameute essas respos
tas e as traduzia a Pedro Bathory.
Em summa, o que havia de certo era
que Sareany nojulgou conveniente em-
barcar em um dos piquetes que fazem es-
cala por Tnger, nem tomar a via frrea
cujo termino Oran. Por isso, ligou-se a
ama caravana, que sabio de Tetuan para
ir... onde ?
Seria para algura oasis do deserto on
mais loage, para essas trras meio selva
gens, onde Sava caria completamente
ana merec ? Como sbelo ?
as estradas da frica septentrional,
nao mais fcil achar vestigios de urna
caravana do que os de um simples parti-
cular.
Por Uso o doutor insisti com a velha
Tinha recebido noticias importantes que
II
o pira pfjcipitar o destecho desse diriga a car.van i, cujo tiuoraro e.le so
ih havia cinco semanas !
olor, Polro e Luigi, pel.ram entilo Para Trpoli! dase o doutor.
Kcenca para ver a casa, dispata tegundo a Nessa mesraa noito fiz :rara se ao asar.
, Brab*, euj .3 Qttadrofl davan para Se Sareany nao podia tardar era chega-
u-n pi'', rjiealo do uia g.ljrii rectan capital da R-gc.ici, ellea, plmenos, es
u|ar_ paravam l cheg ;r paucos das depois delle.
(iliegarara ao qua rio qua Sava tinha oc
cupido, v;rliiloira cela do prisa. Quan
tas horas de desespero devia a menina ter
passado all, nao pudendo contar mais com
qu dquer soccorro !
O doutor e Pedro revistaran! o quarto
cora o olhar, procurando o menor vestigio
jua lhes indicasse a pista que procura vara.
Do repente, o doutor approximou se vi
ament de ura br.azeiro do cobre que se
achava era ciraa do urna tripega, era ucu
> noto do quarto.
No fundodesse brazeiro havia uns restos
le papd queimado, cuja inciaeracSo nao
fora eompleta.
E ito Sava tinha es ripio ? Sorprahen
dil pbr e3sa partida precipitada tinha ra-
sdviio qusimar e3sa carta antes de sabir
d T'. uan ? Ou, o que era possivel, tendo
sido essa carta de Sava desc: berta por
ay e Namir, teriam ellea a destrui-
do 1
' P^dro tinha acorapanhado o olhar do
doutor, qu debrujava-se sobre o brazeiro:
Que havia de novo ?
Nesses restos do papal, que um sopro
podia re luzir a cinzas, destacavam se al-
go uas palavras, entre outras estas, infeliz
mente, i incompletas : Mad... Bat...
Sava nao saben lo, nao podendo saber
ma a Bf. Bathory tinha desapparecdo de
R igusa, toria procurado escrever-lhe. co-
mo a uuica possoa nesto mundo cujo au-
xilio polta reclamar?
En seguida ao nomo ia Sra. Bathory,
podase tambom decifrar um ou'ro nome,
o do filao. ..
Pe 1ro, contendo a respirajao, proourava
dascobrir alguma outra palavra legivel 1 O
sea olhar, porm, estava turvo !.. .. Nao
via reais nada !
Entretanto, anda havia urna palavra
que podesse polos na pista da menina, urna
Seriara s Tripolitanoa esses quo en Sahara, de rea amarella, quo
cbiamaplanicie? Nao. N is proxirai lades vezes invade, quando sopra vento forte de
la capital havia eomm m de Ghada leste, cor ja acidado por tres lados e m^de
raes e do Sokna cora as sais escoltas de mais ou mr-nos ura kilmetro de largara.
jadeas e judias das po- Por am contraste notavel, no sou limite
o mar 3
de
de
eseravo3 negros;
viadas, eatas de rosto descoberto ; gordos
como convm torra e mettidos em calcas
pouco graciosui : aegros, viodos do una
villa vizinha, tenio- deixado as suas- m3e-
raveis cabaua3 do junco e de palha de pal
meridional desenvolve-se o oasis do M n-
clii?, cora a3 suas habitajoes de paredes
brancas, os seus jardins cegados pela ora
de curo movida p_>r urna vacca magra, os
seus bosques do baraojeiras e tamarineiris,
meira, para aistir a esse regosijo publico as suas moitaj do arbustos
defl
>ro3, os
A te-nA ilai Cegonho*
A 23 de Noverabro, a plauicie da Soung
Ettela'a, que tica'fra dos muro3 de Tr-
poli, oiTereoia ura aspecto curioso. Nesso
dia quera po leria durar so cssa planicie
rida ou frtil ?
A sua superficie estava cobjrt.i da ten-
das multicolores, ornadas de borlas e em-
pavezadas de bandeiras do cores vivas ;
choupanas de aspecto miaeravel, cujas co
bertas remendadas protegiara muifi insuf-
fieientomente os bous hospedes contra a
brisa fria do gibly, vento secco quo sopra
do euI ; aqu o all, grupos de cuvallos, ri-
camente ajaezados moda oriental, asnos
pequeos, do trmanho de caes grandes,
caes do tamanho de asnos pequeos, muas
cora enormes sellas arabas, cujo arao as
setnelha se bossa de um oamelo ; caval
leiros cora as espingardas atravossadas as
costa, joelhos na al ura do peito, pos met-
tidos em caca rabas, duplo sabr cinta,
galopando por entro una chusma do ho
mens, mulheres e crianzas, sen so lo labra-
re m dos quo podiara esmagar na sua pas-
sagem; finalmeuto, indgenas trajandoqua
si uniformemente o harndy barbaresco, sob
o qual nao se distingua o horneen da mu
lher, se os horaens nao prendessem as do-
bras desea coberta ao peito com um allne-
te de cobre, ao pisso que as mulheres co
brem com elle o rosto de modo appare-
cer smente o olho egquerJo, trajo esse
que varia segundo as claases ; para os po-
bres o simples manto de la, para gente
abastada o coliete e a.calca larga dos Ara
bes, pira os ricos, roupa esplendida de xa-
drez azul e branco, por ciraa do segundo
haouly, no qual ao brilho da seda mescla-
se a l por cima da camisa salpicada de ouro.
-meno3 ricos em roupa do que on enfei-
tes, pulseins grosseiras de cobre-, collares
da conchas e dodoitos io animaos, anneis
do prita dos lbulos das orolh.is o na-car-
lilagera do Baria ; Benoulies, Awaguires,
riginaros das mrgens do grande Syrta,
aos quies as tamarairas da sua trra for I o seu immanso tapeto de area no qual, necora vinho, fructas, pao e doce. Final
seus antlopes, as suas gazell&s, districto
e;n que se agrupa urna populacho quo nao
inferior a trinta mil habitantes.
Alera, o deserto, que, em nanhum ponto
11 frica approxima-se tirito do Mediter-
rneo, o desi ro e as suas dunas movedizas,
mente, nessa agglomeraclo de Mauros..
Berberes, Turcos, Beduinos e at M>nci
fires, que sao os Europaus, havia ba h:is,
ch iklo, cadis, caites, tolos fidalgos da
torra, fea leudo a c'iusma das raayo3, que
se abria, hu nilie e prudentemente anta o
sabr n dos soldadas ou o basti de poli-
cia dos zaptis, quando p isaava cora a sua
augusta ulifFerone,a o gobernador goral
dossa provincia do impjrio turco, cuja ad-
rainistragao depon le Jo sultiio.
Coraquanta baja mais do ura railho e
meio do habitantes na Tripolitania, inclusi-
ve seis horaens de tropa, mil en Djebel c
quinientos na Cyrenaica, a cklale de Tri
poli, por si, nao tem mais da vinte a vinte
e cinco mil almas. Mas nessa dia, pde-
se affirmar qua ossa populaco tiuha, pelo
menos, duplcalo com o concurso' desses
curiosos idos do todos os pontos do terri-
torio.
E' verdade que es3a gente nao tinha
procralo refugio na capital da Regencia.
Dentro das muralhas pouco elsticas do re-
cinto fortificado, nem as casas construidas
de materiaes tao ruins que era breve tem-
po ficara ellas re raas estrellas, tortuosas, sera caljadapo-
da-so raesrao dizer sera co era o bair-
ro prximo ao molhe,onde estoMUs consu-
lados, nira o bairro do oeste, on ie est
amontoala & tuba judia, nem o que resta
da ci dada pira as necessi lacles da raja
musulmana, poieriara conler semelhante
invasao ''e gente.
Mas a invaso de Soung Ettolate era
bastante vasta para a multidao do especta-
dores qae tiuha concorrido a es3a fasta das
cegonhas. Essa planicie, um padaco do
Bean sexe, sexe laid, jeunesse.a vous vioillesse,
Ne aifflez pas eneor......
E justo, vejam primeiro o Milone.
Um dettante.
'so o baro K-afc o vento deseaba vaga*
tilo falcimonte como no mar ; ocano 1-
byeo, ao qual ora falta n as brujas do ura
p irapalpavel.
A Trip ilitania tewitorio quasi to grande
como a Franja estende se entra- a regracia
de Tunis, o Ey>to e o Sihara por trezen-
tros kilmetros brlittoral aiediterraneo.
Foi uossa provincia urna das menos co
ahecidas da frica septentrional, onde tai-
vez se possa ticar mais ao abrigo de todas
as pasquizaa, que Saroany refugiou so do-
pois que sabio do Tetuan.
~Nascidona Tripolitania, thca'ro dassua3
prmeras fajanhas, elle apenas voltava pa-
ra a sua trra natal. Fazondo parte, o lei-
tor estar lembrado, da seita mais tamivel
da frica do norte, dovia encontrar auxi
lo efficaa entro e?3os Senousistas, cujo
agante nunca deixou de ser para aquisi-
do ohegou a Trpoli, ple hospedar se na
casa do Moeaidan Sdi Hazara, chefa w-
conhecido dos sectarios do districto.
Depois quo Silas Toronth d foi arrebata-
do na estrada de Nioi -facto para elle an-
da inexplieavel Sareany sanio de Mnte
Cario. Alguns mil francos retirado3 dos
seus ltimos lucros e que elle teve o cuida-
do de nao arriscar na ultima parada, babi-
litaram-o a pagar as despezas da sua via-
gom e a fazer face s eventualidades que
havia logo de encontrar.
Tinha razio para receiar que Silas To-
ronthal, reduzdo ao desespero, quizesse
vngar-se delle, quer fallando no seu passa-
do, quer revelando a posicao em qua so
achava Sava. Ora, o banquaro nao igno-
rava que a menina estava em poder de Na-
Dab* essa resolusao,'
que toraou Sareany, de sahir de Marroco
cora a possivel brevidade.
Na rcalidade, proceda com prudencin,
porque Silas Torontlm! nilo Uriaria era dV
3er em qua paiz e em que cidade a menijs
devia estar detida sob a guarda da ma^ro-
quna.
Sareany, pois, tomu a resolucao d* rc-
fugar-se na regenci* de Trpoli, ond^ nao
lhe faJtaara era os meios da aceito, nara
os meios da defeza. Ma ir pdos paque-
tes do littoral ou pala3 vas frreas da Al-
geria, como bem comprehendeu o doutor.
Seria correr grande p-rigo. Por isso pre-
torio ligar-se a urna caravana de Senousis-
tas que eragrav.a. para Cyrenaica, recru-
tando novos adeptos nos principaes. vilaye-
tes de Marroeoa, da Algeria e da pravic-
cia tuaisina. Essa caravana, que devia ven-
cnir, em Tetuan.
cr rapidaraento as quinhentai leguas que
raedeiara ontve Totuan o Trpoli, segaindo
o limite septentrional do deserto, parti no
dia 12 de Outubro.
Sava estava cacao infeiramente merco
dos seus raptore3. A sua resolusao, pe-
rora, nilo foi abalada. era aa araeacas de
Namir, nem as ras de Saroany fizeram-
lbe a menor impreasao.
uaudo a caravana sabio de Tetuan, j
tinha tinha uus cinooenta adeptos ou
Khouans, arrigimentados sob a direccao de-
um imam que os tinha organisado militar-
mente. Nilo protandiam atravossar as pro-
vincias oubnettdas dominacao franceza,
onde a sua passagem poderia ter levantado
alguma difflculdade.
Q continente africano, pela configoracSo
littoral d i Algeria e da Tunisia, forma um
aroo at costa oeste do grande Syrto,
quo desee bruscamente para o aul. Segac-
80, pois, que a estrada mais directa para
ir de Tctuau a Trpoli a que indica a
corda deise arco, e nao soba para o norte
alera da Laghouat, uraa das ultimas cida-
des frracezaa na fronteira do Sahara.
A caravana ao sahir do imperio marro-
quino, seguio, a principio, o limita das r:
cas provincias dessa Algeria que se propSe
a chamar a Nova Franca e quo na rca-
lidade a me3ma Franca, mais do quo a
Nova Caledonia, a Nova Hollanda, a Nova
Escossia, silo a Escossia, a Hollanda e a
Caledonia, pirque apenas trinta horas de
mar a separam do territorio franoez.
(Continuar-seha.)
Typ. do Diario rua Duque de Caxias u. 42.
U
/%
(

i