Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19543


This item is only available as the following downloads:


Full Text


'
AMO Lili---JlIMEfiO 111
1 i i '
PAlll A CAPITAL, E II 4. Alt K* M>fc NAO S PACA PORTE
Por tres mezes. amantados ........... 60OO
Por seis ditos idem. .. ......... 12,5000
Por um ano.idem;................ 240000
Cada numero avuso, do mesmo dia. ... ... 0100
1AI0 DE 1
*
PARA.DENTRO K FRA DA PROVINCIA
Por seis meze adiantadoj. '. '. t..... 130CO
Por nove ditos idem.......... ,...... 200000
Por um anno dem.....-........... 270000
Cada numero avulso, de dias aaterore*. '.......... 01-'O
DIARIO DE PERNAMBCO
Prapriefra&e tst itlaiwe Jtptrira bt Jara & -filljos
TELEGRAMAS

SSS7IC3 PARTCULAS 23 2IAHI3
RIO DE JANEIRO, 15 de Maio, s
2 horas e 5 minutos da tarde. (Rece-
bido s 3 horas, pelo cabo submarino).
II ojo. na Cmara ilos Deputado*.
depoi* de rallarem obre o pa**a-
iik-iio do Dr. Antonia Franrinco Cor-
rea d'.lraujo. om deputailON Juven-
cio U'iiiai' e PaNMOM Miranda, remol-
veu a Cmara laucar na uu uiu um
vol de profundo pezar por cse
acoutcclmenio dolorowo. e impen-
der a mcsno em Uemontrafio do
seii pezar.
I'oi lamom nomeada urna imssao do seio da menina Cmara.
comnaisMao compoMla don Mra. Ju-
venriu tiiiai. Pao Hiranda.Cow-
lr i'.iiirii, Araujo Pinbo e Fernan-
de de Oliveira. para aMMiwtir ao fii-
neraos pelo lllutilre miirlu.
Honlem i > aprcscntatlo pela
comminmo de inquerilo o pare-
cer obre a eleieo do "Z. diattriclo
do Harannao. concluindo pela an-
niiliai ;ki do diploma do conMelbei-
ro Alnaeida Oliveira. e rcroiiheci-
menio do poderes do Dr. Lulz An-
tonio Dominguc* da Silva.
RIO DE JANEIRO, 15 de Maio, s 6
horas e 50 minutos da tarde. (Recebido s
7 horas e 40 minutos da noite, pela linha
terrestre).
Uoje. larie leve lugar o *ahl-
iiimo do fretro do Dr. Antonio
Francineo Correa d'ArauJo. eodo
numeroMo o prewtito.
l*r"stou a . nalalbo de infamarla.
O < -orp > fui Nepulttdo no carneiro
ii. 'i oss di* Cemiterio de *>. Joo
Bapliatn.
MRTE FFIClAL
-overno da
Ir o vi acia
DE MAIO DE t 886
O
SESVIJO li A&SSCIA 2A7AS
(Especial para "o Diario)
LONDRES, 15 de Maio.
Heeeia e que Me maiMlVsicni de*
orden* na Irlanda entre om parnel-
lisias ou autonomista* irlandeiew
e orangiMtaM ou panidarioM da In
glaterrn. egundo o rcMUllado que
for oblido na Cmara do Comnnna
pelo projecto CiladMtone.
Agencia flavas, Ulial
15 de Maio de 1886.
em Pernambuco,
INSTRUCC10 POPULAR
MYTHOLOGIA
rrhido)
DA HIBLI'iTIKCA DO POVO K DAS ESCOLAS
ptunt> e a divindaiIeM mari-
tiuia
(Contuiaaco)
Amphitrite a principia recusava-se desposar o
deua d m ni irea que a requestava, c s pela astucia
dos golphiuhos que afinal Neptuno conseguio ver
seu lado aquella quo tanto amava ; no mei,
poru, de t&O violent amur, numerosas forara tam-
bera as infilelidades qu o deus das agu tez
esposa, enamorando-se repetidas vezes de varias
nymphas.
Os mythologos representam Amphitrite ou no
raesmo cirro de Neptuuo ilharga do esposo, ou
(quando sosiuha) u'um i elegante concha de ma-
dreperola puxada por doua golphinhos.
Ocoano, o sogro de Neptuno, era o dem hono-
rario dos mares ; ao genro pertencia, como acaba-
mos de ver, o dominio efleetivo. Represen ta vara-
n'o sob a figura de r.m velho, sentado as ondas,
com uxa lauca na mi e um monstio marinho
ilhar,'a. Filho do co e da trra, o Ocano teve
de Tethys um grande numero de filbas (asOceani-
des) entre ellss a ..ymphas Doris, que casou com
sea irmo Nereu e deu oaigem s Nereides.
Tethys, que desfructavanominalmtnte a honra-
ra de rainha das aguas (a deusa dos mares pro-
priamento dita era Amphitrite), representavatn-
n'a com sceptro ureo na mo e sobre um carro
em forma de concha puchado por golphinhos.
Oceanides e Nereides eram as nymphas marti-
mas, a quero os navegantes offereciam libacoes de
leite e mel no intuito de terem a seu tavor a pro-
tsccao d'aquellas divindades sempre que- projecta
vam qualqaer viagem. Representavaoo-n'as sob a
figura de mulheres me^as e bjnitas, reclinadas no
dorso dos golphinhos e enfeitaias com grinaldaa
de flores; outras vezes attnbuiam-lhes figura de
monstros mariuhos, metade homens e metade pei-
xes. Em teirpo de bonanza immolavam-lhes cor-
deiros e porcos ; por occasio de tempestade sa-
crificavam-lhes um touro preto.
A par das Nereides podem classificar-se as
Naiades, nymphas sob cuja prcteccao eatavam es
rios c as fontes. Eram filho de Jpiter e habita
Tam em grutas beira d'agua ou entre cannaviaes.
O paganismo offerecia-lhes libacoes de leite, azei-
te, mel, fructas, e flores ; tambm lhes sacrifica-
vam cordeiros ou cabbras.
Nereu, que de sua irm Doris teve por filbas as
cincoenta Nereides, era afamado pela bondade na-
tural do seu carcter, e pelo dom quetinha de pre-
dizer o f uturt ; para esquivar-se, porm, imper
tinencia dos que constantemente o iocommodavam
u consultal-o, adoptava o expediente de se meta-
morphosear sob formas mltiplas, com o intuito de
amedrentar os consultantes ou de se disfarcar pr
modo qae nao o conheceasem. Habitava ordina-
riamente no mar Egeu, onde as Nereides o verdi
tiara com seas cantares e dancas.
{Continua).
EXPEDIENTE DO DIA
Actos ;
O vice-presidente da provincia, em vista do
oScio n. 607, que, no Io do correte inez, lhe di-
rigi o inspector doThesouro Provincial, referalo
que nesse mesmo dia, Mondar 1 Iluber & C. reti-
raran! da Alfandega a'gumas caixas com fazenda
c recolheram aos seus armazeos, sem que fosse
pago o imposto provincial, como exigi o empre-
gado* do Consulado, que nao as poie apprehen-
der na forma do art. 5 das InstruceO's ds 26 de
Abril ultimo, porque o Dr. juiz dos feitos da ta-
zenda bavia expedido um mandado de manutengao
para o fim de impsdir a apprehensao por contra-
bando ; tendo mandado informar sobra o mosmo
officio o referido juiz, de que n exigi as razoes
pelas quacs se julgou competente para expedir a
referido mandado e ; atienden lo :
lo Que o imposto, eujo pagamento foi exigido,
est decretado pela lei provincial n. 1,869, de 11
de Agosto do auno prximo passado art. 2 12,
a qual no art. 5 autorisou o presidente da provin-
cia a expedir as precisas Itistruccoes para arreca-
dacao da receita proveniente do mesmo imposto,
determinando a inelhor forma de ariecadaco e
commiuando as penas que para taes casos sao ap-
plicavcii.
2o Que, portante regularmente e de accordo
com a lei, no art. 5 das Instruccoes de 26 de
Abril, se declarou que as mercadorias que sahis
em, seiu o devido desembira^o e antes de satis-
leito o imposto provincial, dos pontos em que esti-
vessem, conatituiam-se as condicC-s de contra-
bando e podiam ser apprehendidas por quaesquer
empreados do Consulado, ou da Alfandega.
jp Que o aviso expedido pelo Ministerio da Fa
zenda, em 2 de Abril, no qual se autorisou a The-
souraiia de Fazendi para mandar proceder pela
Alfandega cobranca do imposto provincial do
gyro mercantil nao pode ser invocado para provar
que nao se deva considerar contrabando a mer-
cadoria, que nao tiver pa?o o mesmo imposto.
4 Que os arta. 453 a 503 e 'l-'i e seguintes da
Cousolidavao das L?is das Alfandegas referem-se
exclusivamente ao contrabindo pelo nao pagamen-
to do imposto geral, o que nao eiclue o contraban-
do pelo nao pagamento do imposto provincial.
5o Que a instruccao e ojulgammto do processo,
no caso de fl igrante decto de contrabando, com-
pete exclusivamente autoridade administrativa,
quer pela lei gtrul, quer pela provincial, art.
742 do regulainento n. 2,617 de 19 de Setembro
de 186), Aviso n. 131 de 20 de Setembro de
1865, art. 98 e seguintes do regulamento de 4 de
Julho de 1879, e conseguintemente nenhuma ap-
plicicao tsm ao caso o disposto na loi de 29 de
Novembro de 1841 e aviso de 12 de Jansiro de
1842.
6 Que a manutencao, imp?dindo a apprehensao
das mercadorias, que nao tiverem pago o imposto,
contraria ou a taza ou a competencia da autori-
dade administrativa, tornando imposaivel o nico
caso em que a ella compete processar e julgar o
contrabando :
Resol ve, de accordo com o art. 25 do regula-
mento n. 124 de 5 de Feverciro de lb42, ordenar
que cesse todo o ulterior procedimento e sejam ci-
tados os interessados para dentro do praso de 5
dias, contados da intimaejio, deduzirem seu di-
reito. Remetteu se copia ao Dr. juiz dos feitos
da fazenda e ao Thesouro Provincial.
O vice-presidente da provincia resolve exo-
nerar a Pedro Jos do Carmo e Souza, do cargo
de adjunto do promotor publico da comarca do Rio
Formoso, no termo de Serinhaem.Communicou-s.'
ao Dr. juiz de direito e ao Sr. Jos do Carmo c
Souza
O vice-presidente da provincia resolve no-
mear o bichare! Jlo Quintiliauo de Azevedo e
Silva para o cargo de promotor publico da comar-
ca de Fiares, devendo assumir o exercicio no pra-
so de dous mezes. Communicou se ao Dr. juiz
de direito e ao nomeado.
O vice-presidente da provincia, de conformi
dade com a proposta do Dr. chele de polica em
officio n. 450 de 5 do corrente, reolve exonerar
Antonio Barbosa de Amujo Pereira do cargo de
1 supplente do subdelegado do districto de Be-
zerros do tsOso de 1! >ui Jardm, visto nao ter acei-
tado a nomeacao, e nomear para substitu!-o o
actual 2 supplente Joaquim Cordeiro Xavier
Oayao e para o Ingar deste o cidado Antonio do
Reg Barrctto Piuheiio.
O vice-presidente da provincia resolve con-
ceder licencapor dez dias ao2 cirurgiSo do crpo
de saude do exereito, Dr. Manoel de Arvelloz Bot-
tas, conforme pede verbalmente, para ir provin-
cia da Baha, afim de tratar de negocios de seu
partic llar interasse c de sua familia.
O vice precidente da provincia, attendendo
ao que requereu Sebastio Tavares de Oliveha
Brando, protesstr da cadeira de ensino primario
de Quipap. tendo em vista a informafao n. 13d
de 26 de Abril findo, do inspector geral da Instru-
ccao Publica, e o parecer da junta medica provin-
Kial, resolve conceder ao peticcionario a coutar de
do corrente mez, dous mezes de lieene i com or-
denado, para tratar de sua saude onde lhe can-
vier.
O vice-presidente da provincia, tendo em
vista o exposto pelo commandante da escola de
de aprendizes mtrnheiros e pelo inspxtor do
Thcsouraria de Fazenda, em oficios de 3 e 4 deste
mez, sob ns. 67 e 292, resolve, de accordo com o
decreto 2884 do 1." de Fevereiro de 1862, abrir um
crdito da importancia de 1:910J'HX) verba
Forca Naval do Ministerio da Maruiha, exer
cicio corrente, afim de ter lugar o pagamento da
gratificarlo de embarqae vencida em Abril pelos
(itfiiiaes do patacho Pirapama e cruzador Primeiro
de Margo Communicou-se ao commandaute da
escola de aprendizes marinheros, e Thesouraria
de Fazenda remett'U-se copia.
Oficios :
Ao inspector do Arsenal de Marinha.E' ap-
provadi o acto de que trata o offi:io n. 225, de
houtem datado, pelo qual V. Exc. suspendeu o es-
c.evente da Director!* da Marinh i d'esse Arse-
nal, Octaviauo Anstides Coelhi, pelo motivo ex-
posto no citado oflicio.
Outrosira, aecuso recebido o officio de V. Exc ,
de boje datado, aobn. 227.
Ao commandante das armas.Declaro a V.
Exc, em resposta ao seu oficio n. 212, de 4 do
corrente, que autoriso o director do Arsenal de
Guerra a mandar r-colber ao mesmo ars -nal ob 46
caixoes, qu" se acham no quartel do 2 batalho
Je infantaria, dan io-se descarga ao dito batalhao
nao u d'.-ates, como tambem dos 25 de que tiata
o seu uificio n. 73, de 6 de Fevereiro ultimo, afim
de serem aproveilados para acondicionamento de
fardamento que se tenha de tornecer aos corpos,
contorne lembra o referido direetor.
Ao inspector da saude publica.Communi-
co a V. S.. em soluQo ao seu officio de 30 de Abril
findo. que exped as necessarias ordena no se it-
d > de serein devolvidos para o presidio de Fernan-
do de Noronha, os gneros de que trata o citado
officio, visto terem sido considerados de boa quali-
dade pela coruinisso que ltimamente exauninou-
os nnsta capital, lavrando a respeito o termo in-
cluso por copia.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Communieo a V. S., para os fins convenientes, que
foi boje nomeada o baraehel Joao Quintiliauo >e
.Xfvedo e Silva para o cargo de promotor publico
da comarca de Flores, di-vendo assumir o exsrci-
cio no prazo de dous mezes. '
Ao mesmoRecommendo a V. S., em so.u-
cSo ao seu offico n. 275 de 28 de Aoril finio, que
providenoie no sentido de erem devolvidos para
o presidio de Fernando de Noronha o gneros de1
-ne trata o citado oficio, visto terem sida conside-
rados de boa qualidade pela cominissao que- lti-
mamente examinou os nesta cipital, lavranlo a
respeito o incluso termo por copia.
Ao mesmo.Communieo a V. S., para os flus
convenientes, que o promotor publico da comarca
da Pao d'Aiho rc.issumioo respectivo exercicio a
20 do mez findo.
Ao mesmo.Transmiti a V. S., para os fins
convenientes, copia do oficio de hontem datado re-
latixo ao exercicio da promotor publico da comar-
ca de Pao d'Alho
Ao raesmo.Communieo a V.,S. pura os
fins convenientes, que foi hija exonerado a pedido,
Pedro Jos do Carmoe Sauz*, do cargo de adjun-
to do promotor publico da comarca de Rio Formo-
so, termo de Serinhaem.
Ao mesmo. -Declaro a V. S., para os fiu>
convenientes, que approvei o acto do inspector do
Arsenal de Marinha, pelo qual suspendeu o escre-
vente da directora de machinas do m.'smo arsenal,
Octaviano Aristides Cocido.
Ao mesmo.Declaro a V. S., para os fina
convenientes, que, vista da sua nforinacao n.
298, de hontem datada, autorise o director do Ar-
senal de Guerra a mandar fornecer os artigas
pedidos pelo commandante do 14 bitallrio de in-
fantaria, orf idos em 1475200.
Ao inspector do Thesouro Provincial.Man-
de Vmc, pagar companhia da estrada do ferro
do Recito ao Guanci, pela verba eveutuacs a
quintiade 495200, importancia do cento e o tenta
e cinco passes, segundo os documentos juntos con-
cedidos por diversas autoridades policiaca nos car-
ros da mesma estrada de ferro durante o mez de
M reo ultimo. -Communicou-se ao engenheiro fu
cal de Caxang.
Ao mesmo.Tent autor isa 11 o engenheiro
chefe da R-'particao das Ohras Publicas a mandar
por em praga. nos termos das n3truce,5;s da 30
de Agosto 1878, os reparos urgentes da ponte do
Pao Singue, sobre o rio Serinhiem, remetto a Vmc.
para os fins convenientes, copia do ornamento na
importancia de 2:100500j, hoje approvado.
Ao mesmo.Na tendo campirecido licitan
to segunda pra?a da obra de reparos do segun-
do pnntilliao no aterro do Porto de G illinhas, au-
torisada por esta Presidencia em 19 de Abril ul-
timo, approvei a proposta de Miguel Tolentino Pi-
res Falcao, rcmettida pela engenheiro chefe da
liopartic.io das Obras Publicas, com officio de 4
do corrente, sob n. 93, para execucSo da mesma
obra, de conformi lado com o ornamento de 9 > > I
e augmento de 10 0 0, e pelo mes*no motiva, auto-
riso o referido engenheiro a mandar fazer por ad-
minstracilo os reparos da ponte sobre o rio Ipv
juca no engenho L'inociro, no valor do orparnt-n-
to de 4505000 e augmento devdo, para o que fa-
ja Vmc. entregar ao respectivo thesoureiro a com-
petente quantia, descontadas as porcentagens do
estylo.
Ao raesmo. Autoriso Vmc, vista do que
informou o engenheiro chefe da Reputleao das
Obras Publicas era officio do 29 de Abril ultimo,
sob n. 78, a mandar pagar a Candida Lopes de
Oliveira Monteiro, viuva do cabo da conservlo
das estradas do 4 districto Jos Ilenri pies Mon-
teiro, depais de habilitada na forma da lei, a quan-
tia de 815660, importancia qu? elle deixou da re-
ceber desde o mez de Agosto at 10 de Ootubro
do anno passado, e que acha-se recolhidas a esse
Thesouro, para o que lhe remetto as respectivas
certidoes de casamento o de bito.Communicou-
se Reoarticao das Obras Publicas.
Ao engenheiro chefe di Rvparticao 'das
Obras Public is. A vista do que Vine, expoe em
officio de 4 do corrente, sob n. 83, approvo a pro-
posta de Miguel Tolentino Pires Falcao, para exe-
enejo dos reparos dos dous pontilboes no aterro
do Porto de Gallinhas, de confarmidade com o or-
camento de 9005000 e augmento de 10 0/0, e au-
toriso-o a mandar fazer por administrarlo os re-
paros da ponte sobre o riolpojuca, no engenho Li-
moeiro, no valor do orcimeuto de 4505000 e aug-
mento devido, para o que mando o inspector do
Thesouro Provincial faser entrega ao thesoureiro
dessa reparticao da competente quantia, desconta-
da a porcentagens do estylo.
Ao mes no Autoriso Vmc, como pede na
officio de 30 de Aoril ul'.imo, sob n. 81, a mandar
por em prae i no3 tena 's das nstruccoes de 30 ie
Agosto de 1875, os reparos urgentes da ponte do
engenho Pao Sangue, sobre o rio Serinhaem, na
importancia de 2:1005, conforme o ornamento ho-
je approvado.
Ao director do Arsenal de Guerra. Mande
Vmc. conducir do quartel do 14 batalhao de in-
fantaria e da enfermara militar para bardo do va-
por Giqui, tres eaixoes, sendo um com fardamen-
to e dous com medicamentos, para as prae is des-
tacadas no presidio de Fernando de Noronha e
respectiva pharmacia. Communicou-se ao con-
mandaute das armas.
Ao raesmo. Declaro a Vmc, para os fins
convenientes, e em respoota ao officio n. 330 de 27
de Abril fiado, que os eaixoes de que trata o cita-
do oficio podem ser aproveitados para acondicio -
lamento de tar lamen", i que se tenha de fornecer
aos corpos, devendo dar-se descarga ao 2" bita-
lbao de infantaria.
Outrosiin, mande recolher a esse Arsenal, afim
de terem igual destino, os 46 eaixoes que se acham
no quartel do referido batalhao.
Ao engenheiro das obras militares. Autori-
so Vmc a receoer as varandas de que trata o seu
officio n. 28, de 26 de Abril fiudo, e a rubricar as
inirlusas cantas, em duplicata, fazendo eutrega das
rnesmas ao interessado.
Ao director do presidio de Fernando. Faca
Vmc. regressar para esta capital o preso Antonio
Jos di Nascimento, a quem alinde o Dr. chefe de
polica no incluso officio por copia n. 462, de hoje
datado.Communicou se ao Dr chefe de polica.
Ao mesmo.Convin que Vmc. transmuta
secretaria desta Preaid ocia iutorinacao a respei-
to da conducta do scutenciada Gustavo Augusto
CaHoo Pinto, quo tein de dirigir ao Poder Mo-
derador urna petif&o de graca.
Ao mesmo.Em officio n. 117 de 24 de Abril
prximo findo, participou Vmc. ter de'olvido para
esta capital o xarque, assucar e vinha do Porto,
constantes da ultima remessa, por serein de m
qualiiade, ajuizo ds medica que ahi os examinou.
L 'g > que recebi sua participac,3o, nomeei urna
cointnissao corap >at t do Dr. Praxed.'s Gomes de
Scuza Pitanga, coraraerciante J"s da Silva Loya
Jnior e 2o escripturari da Thesouraria de Fa-
zen la Luiz Emygdio Pinbciro da Cmara, a qual,
lepois de examinar os ref 'ridos gneros, julgou-
ob de boa quali lade, secundo consta do respecti-
vo termo, incluso por copia.
Por cate motivo exp-'ti as necessarias ordens,
no sentido de seren os referidos gneros devolvi-
dos para esse presidio, afim de proceder-s dia-
tnbuio to estylo.
O que d'claro a Vmc. pira os devidos effeitos e
em solucao do sobredito officio.
Ao director do Instituto Vaccinieo.Provi-
cicieViiC para que sejm enviados ao admi
ii-strador da Casa do D'teuco alguns tubos ca-
pillares contendo lympha-vaccmiea.Communi-
cou-se ao Dr. chefe de polica.
Pcrtarias :
) Sr. superintendente da estrada de ferro
Jo Recife ao S. Francisco eirva-se de mandar dar
transp irte da estac&o das Cinco Pontas a de Una,
em carro de 1 classe, para ser opportunamente
descantado tas passagens gra'.uitas a que o go-
verno tem direito, ao Dr. eomedes Goacalvej da
Silva, juiz municipal de Panellas, providen i inio
igualmente sobre a sua bagagem.
O 8r. superintendente da estrada de ferro
da Recife ao S. Francisco sirva-so de mandar dar
transporte, em carro Je 3a classe, da esta^o das
Cinco Pontas de Una, para ser descontado op-
portunamen':e daa passagens gratuitas s, que o go-
verno tem direito, ao soldada do Corpo de Polica
Joo Evangelista da Silva, que vai conduzindo o
fardamento do destacamento de Garanhuns.
O Sr. encarregado da estafa o de Una do pro -
longamcnto da estrada de ferro do Recife ao S.
Francisco mande dar transporte, por conta da pro-
vincia, em carra de 3a classe, dessa estaca) a de
Canhotinho, ao soldado do Corpo de Polica Joao
Evangelista da Silva, que vai oonduzindo o far-
damento da destacamento da cidade de Gara-
nhuns.
O Sr. gerente da Companhia Pcrnambucana
mande dar passagem r, por canta das gratui-
tas a que o governo tem direito, at o presidio de
Fernando de Noronha, ao alferes do exereito An-
tonio Valeria dos Santos Nevos, providenciando
igualmente para a volta do mesmo, opportuna-
mente.Cammunicou-se ao director do presidio
de Fernando de Noronha.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
providencie de modo a ser transprtala, r, do
porto de Macelo pan o desta capital, Amelia Be-
nedicta da Conceicao Loureiro.
O Sr. gerente da Companhia Pcrnambucana
mande dar ftassagm, piot, at o presidio de
Fernanda de Noronha, n i vapor que seguir ama-
nhi, a Antonia "aria do Espirito-Santo, mulher
do sentenciado Jos Mendes da Costa, que all se
acha, e a dous filhos menares, por conta das gra-
tuitas, a que o governo tem direito.Communicou-
se ao director da presidio de Fernando de Noro-
nha.
O Sr. gerente da Companhia ernambucana
faca transportar ao presidio de Fernando de o-
ronha, por conta do M nistero da Guerra, no va-
por Giqui, o anapecada Riyrnundo Jas de Oli-
veira e os soldados Joao Elias da Franja e Sebas-
tio Jos de Lima, todos do 14 batalhao de in-
fantaria, sendo que vae os dous prmeiros alli des-
tacar e o ultimo aguardar a sentenca do conselho
de guerra, a aue respondeu.Communicou se ao
commandante das armas.
O Sr. gerente da Cmpinhia Pernambucana
faca transportar ao presidio de Fernando de No-
ronha, por conta do Ministerio da Guerra, no va-
por Giqui, um caixao medindo quatro metros c-
bicos, cantendo artigas de fardamento par t as pra-
vas do 14 batalhao do infantaria alli destacadas.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faca transportar d o presidio de Fernando de No-
ronha, por conta do Ministerio da Guerra, no va -
por Giqui, dous eaixoes mediado nm 3 1/2 pal
raos de comprimento, 2 1/2 de largura e 2 1/2 de
altura, e outro com 2 1/2 de comprimento, 1 1/2
de largura e 2 de altura, contenda medicamentos
para a pharmacia do mesmo presidio.
EXPEDIENTB DO SECBETABIO
Oficios :
Ao commandante das armas.S. Exc. o Sr.
vice-presidente da provincia manda communcar a
V. Exc, ter nesta data submettido ao conhecimento
do Ministerio da Guerra, para providencia como
entender acertado, o exposta uoa seua oficios ns.
170 e 240, de 2 de Abril findo e 3 do corrente, at-
tinentes ao estado de ruina em que se acha o edi-
ficio que serve de quartel Companhia de Caval-
lara.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia manda declarar a V. Exc, ter auto-
risado o director do Arsenal de Guerra satisfa-
zcr o pedido que veo annexo ao seu officio n. 132,
de 12 de Marco ultimo.
Ao Io secretario da Asaembla Provincial.
De ordem do Exin Sr. vice-presidente da provin-
cia, devolvo a V. S. um exemplar da resoluca en-
viada eom o seu oficio n. 114, de 3 do corrente
mez, a qual foi sauccionada sob n. 1,861; caban-
do-me declarar-lhe que as domis referentes a as-
sumpto do economa municipal, foram publicadas
sob ns. 1,865 e 1,866.
Edital :
Por esta Secretaria se faz publico para que
chegue ao conhecimento dos interessados, que a
Presidencia da provincia resolveu fazer cessar to-
do e ulterior procedimento do juiza dos feitos da
fazenda respeito da apprehensao por contraban-
do das caixas com fazendas, retiradas da Alfande-
ga pelas negociantes Monhard Iluber & C. sem o
pagamento do imposto provincial, e mandar citar
aos ditos negociantes, que pelo presente citados fi-
cara para no prazo de cinco dias deduzirem seu di-
reito .
Ao Dr. chefe de polica. De ordem do S.
Exc. o Sr. viec-presidente da provincia, transmitto
a V. S em solucao ao sea officio n. 439, de 1 do
corrente mez, copiado de n. 416, do commandante
do corpo de polica.
Ao desembargador juiz de direito do 5" dis-
tricto criminal.Da ordem do Exm. Sr. vico-pre-
sidente da provincia, communieo a V. Exc, que
no seu officio de hoje datado, exarou-so o seguintc
despacho : Ao director do presidio de Fernan-
do de Naronba para dar prompta execucilo.
Ao inspector da Tnesourana de Fazenda.
O Exm. Sr. vice presidente da provincia manda
transmittir a V. 8. a inclusa ordem da Thesouro
Nacional, sob q. 76.
Ao commandante da escola de aprendizes
marinheiros. O Exm. Sr. vice-presdente da pro-
vincia, manda communicar a V. S., em respasta ao
seu oficio, que segundo inforraajo da Thesoura-
ria de Fazenda, nao existe falta de crdito na ver-
baUorpo da armada e classes annexas.
Ao agente da companhia de paquetes.De
ordem do Exm. Sr. vice-presidente da provincia,
aecuso o recebimento do olileio, em que V. Exc.
partecipa que o vapo' Manos, chegado dos portos
do sul, hoje, s 6 horas da manha, seguir para os
do norte ainanha, s 5 da tarde.
Ao agente da Companhia Badiana.S. Exc.
o Sr. vice presidente da provincia manda aecusar
o recebimento do officio de hoje, em que V. 8. de-
clara qM". o vapor Mrquez de Caxias, chegado
hoje da Baha e escalas, regressar para os mea-
mos portos a 10 da eorrente, s 4 horas da tarde.
Ao gerente interino da caixa filial do En-
glisb Bank of Bio de Jaueiro Limited.S. Exc.
o Sr. vice presidente da provincia manda aecusar
o officio de V. 8., de hontem datado, acompanhado
da balancete das eperacoes dessa caixa filial, rela-
tivos ae mez de Abril ultimo.
DESPAPHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 14 DE
MAIO DE IS66.
Padre Francisco Saabra de Aorado Li-
ma.Certifique se, nao havendo inconve-
niente.
Horacio B.irbato Accioli.Informe o
Sr. Dr. juiz de direito da comarca de Ca-
ruaru'.
Hermenegildo E. do Reg Monteiro. -
In leferido.
Israenia Genuina Dias. Como reqaer.
Jos "Gonalve8 dos Santos e Francisco
A. doa Santo*. Paase portara, conceden-
do 3 trfezss de licenca na forma da lei.
Conselheiro Joao Silveira do Souza. -
Dirjase Thesouraria de Fazenda, que
que pelo avio do Ministerio do I nperio do
Io do corrente, adiase autorisala a effe
ctuar o pagamento pedilo.
Joao Rodrigues de Moura. Fica rele-
vado, o que declaro hoja Thesouraria de
Fazenda e Arsenal de Guerra.
Joanna B. L Souza Araoriin. Informe
o Sr. director da Colonia Isabel.
Manoel Delfino de Medeiros FaviHa.
Informe o Sr. inspector geral da instraccSo
publica, i
Fedro Alexandrino Maia e Silva.Ao
Sr. commandante superior da guarda na-
cional d comarca de Bom Conselho, para
informar, como foi determinado por despa-
cho de 5 da Novembro do anno pausado.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, em 15 de Maio de 1886.
O porteiro,
J. L. Viegas.
itoparlieo da Polica
Secsao 2.' N. 496. -Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 15 de Maio de 1886.
Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Exe.
quo foram hontem recolhidos na Casa de
Detenyao os seguintes individuos :
A' ordem da Dr. juiz de direito do 2o districto
criminal, Jos Joaquim de Olireira, como senten-
ciado no termo de Pao d'Alho.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Severo Jos Francisco por embriaguez e offensas
moral publica ; Benedicto Francisco de Soasa,
Joao Antonio Nepomuceno, Manoel Ferreira da
Hora, Emygdio Manoel Santos, Manoel Alves da
Silva c Francisco Fcrnandes de O veira, por dis-
turbios.
Xo dia 2 do corrente e no lugar denominado
Sapo, pertencente ao termo de Bonito, deu-se um
conflicto entra Mamad Sabino Teixeira de Carva-
iho e Antonio Mathas Ferreira, do qual resultou
aquello ferir a este com dous tiros e tres tacadas.
Um dos tiros foi disparado com a propria arma
do offendido, que nao podendo sala na occasiio
do conflicto, deixou-a a merc do offensor.
Os rerimeutos foram considerados graves.
Contra o delinquente, que evadio-se, proceleu-se
nos termos do inquerto policial.
Communcou-me o delegado do termo da Pedra,
que no dia 8 do corrente foram recolhidos na res-
pectiva cadeira os individuos de nomes Vicente
Carneiro e Joo Francisco Bezerra.
O primeiro est pronunciado all em crime de
morte e o segundo tamben) criminoso no referido
termo e sentenciado, por crime de furto, a dous
mezes de prisa o para cumprir na eadeia da cidade
de Pesqueira.
Em data de hontem, reassumio o exercicio da
subdelegada do districto da Boa-Viagem, na qua-
lidade de 2 supplente, o cidadao Emygdio de As-
sis Campos Cordeiro.
Acaba de rae communicar o sudelegado do 1
districto de S. Jos, que hontem s 4 horas da tar- ici4ba de prova|.0 je novo, dar realidade aos prn
dequando conduzia um volume o preto africano de Mnna an^i;^n>,./u ,'.. n0;.il1,L, a .^^i^,
vos e aguca-lhe o talento, levando-o, apenas, a
capitular diante da razo.
Nao com certeza o amor glora que deter-
mina as mais solemnes e enrgicas resoluto es do
forte e culto espirito do senador pernambueano :
os actos, praticados tendo a gloria por fim, jamis
conduzem a esse supremo bem a que os actos de
S. Exc. o tem conduzido.
O sentimento da justica e sempre foi o prin-
cipal movel dos actos governaraentaes de S. Sxc.
e nao hiver, entres aquelles que estudarem a
admiuistracao que ora se interrompe, quem posea
contestar tal asserto.
As mximas da justica, limitadas e evidentes,
impuzeram-se sempre s decisoes do presidente de
S. Paulo.
Nao basta, porm, ao administrador, que elle
apenas queira ser justo : nao quizesse elle passar
alm das estrictas prescripcoes do justo e deter-
se-ia, entao, as fr.nteiras am que eomeream as
virtudes publicas.
E' por isso que, alm de justo, tornou-se sempre
adiniravel o Sr. senador Joao Alfredo pela sua
probidade governainen:al: se o hom-m probo a
mais nobre cracjlo da divindidade, os polticos
probos sao os gentilhomeu3 da vida publica.
A indssoluvel unio estabelecda por S. Exc.
entre esses principios e a administradlo, a cuja
frente se acbou, na) podiam deixar de produzir
urna poltica liberal e til prosperidade da pro-
vincia.
A poltica, a scencia das exigencias nao teve
para S. Exc, no periodo em que elle se conservou
na presidencia, outras exigencias alm das do
justo e do honesto; elle s pactuou eom as cir-
cunstancias quando ellas foram salutares ao bem
publico.
Estas verdades, embra de extrema simpliei
dade na gesto dos negocios, harmouisa-se cora a
simplidade de carcter, indicio de pensamentos
profundos, do presidente de S. Paulfc
Diz se, dos individuos, que a suprema excellen-
cia consiste na simplioidade, no carcter, as ma-
nciras e no estylo : a provincia de S. Paulo pode
testemuuhar que easa suprema excellencia pode
ser reivindicada, na dupla qualidade de hornera
publico e privado, pelo Ilustre senador.
Deixaudo esta provincia evidenciou S. Exc, da
modo o mais brilhantc a ductilidade do seu es-
pirito eom referencia scencia e pratica da
administraban.
A scencia da admiuistracao, a mais ampia de
todas as sciencias, a que depende Ja raaior somma
de estudos, nao tem simplesmente no Sr. senador
Joao Alfredo um cultor apaixonado : elle sabe, e
nome Roberto, aguadeiro e morador na casa n. 6,
da travessa do Monteir-, acontecen que ao chegar
ra do Mar juez do Hrval cabisse sobre o cal-
lamento o morresse repentinamente.
O cadver foi conduzido para a referida easa,
onde conparec u o Dr. Alvaro Augusto Carneiro
Leo, que declarou ter sido a mort3 occasionada
por urna apoplexit.
Pelo subdelegado do districto da Torre foi re-
mettido ao Dr juiz de direito do 3o districto cri-
minal o inquerto a que proceleu com nelacao ao
espancameuto que na noute de 7 do corrente sof-
treu o oficial de justica Conrado da Fonseca e
Silva.
Deus guarde a V. Exc. xilm. e Exm.
Sr. Dr. Igaaeio Joaquim de Souza Leo,
muito digno vice-presidente da provincia.
-O chefe de poli :ia, Antonio Domingos
Pinto.
i ominando das Armas
QUARTEL GEXERAL DO CO.MMASDO DAS AR-
MAS DE PERSAMBL'CO, EM 15 DE MAIO
DE 4886.
Ordem do dia n. 95
Tendo a presidencia da provincia, por
portara de 8 do crente, concedido o Sr.
capito do 14. batalhao de infantaria Fran-
cisco Genuino Simpes, 3 meze3 de lbenga
para tratar de sua sa le : assim o declaro
guarnicao.
(Assignado) O brigadeiro Agostinho
Marques de S, commandante das armas.
Conforme O tenente Joaquim Jorge de
Mello Filho, ajudante de ordena interino
e encarregado do detalhe.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DA 15 DE MAIO DE 1886
Paiva Valente t C. e Antonio Francisco da
Cruz.Entregue-sc pela porta.
Adolpho Targno Accioli, vigario Genuino Go-
mes Prente, Mara Isabel de Athayde e Mara
de Medeiros Martius.Ao contencioso para cun
prir 0 despacho da junta.
Francisco Goncalvea Torres, oficio do Dr. che-
fe de polica, Antonio Francisco de Albuquerquj,
Joilo da Costa Ribeiro e Souza e Joaquina Leonor
Bastos Oliveira.Informe o Sr. contador.
Vicente da Silva Monteiro. Fa?am se os as-
sentos da portara de licenca.
INTERIOR
O Mr. conselheiro loo Alfredo
(Do Crrelo Paidistano)
O Sr. senador Joao Alfredo Correia de Oliveira
passou hontem o governo da provincia ao Io vice-
presidente, e parti no mesmo dia para a capitsl
do imperio, onae vai tomar parte nos trabalbos do
.Senado.
A phase presidencial iniciada em S. Paulo em
19 de Outubro do anuo' prximo fiudo encerrou-se
tendo sido consecutivamente realisadas todas as
expectativas que nella se deposita vam.
A pos seis mezes de governo rctira-se o distDcto
estadista, acompanhado de geral sentimento de
pez&r, c cercado do mais profundo respeito pela sua
integerrima e esclarecida admiuistracao.
O Ilustre chefe do partida nao vinha a con-
quistar aqu os foros de administrador ; nao era
S. Exc um d'esses metaphisicos polticos, ao3 quaes
a pratica dos pblicos negocios contunde e per
turba ; nao era um desses iucompletos publicistas,
incapazes de promoverem qualquer progresan so-
cial.
O honrado senador por Pernambuco tinha um
nome que repercuta em todos r.s ngulos do im-
perio ; nao foi um dia, ao despertar, na phrase do
poeta, que elle achou-se celebre.
O justo rome, que, ti j applaudida tornou a
indicaco de S. Exc. para a presidencia desta pro-
vincia, nao representava exclusivamente a felici-
dade cabida aos ambiciosos de gloria.
A existencia deatrg, niuguem o ignora, resu-
me-se no constante esforz para lobng trem vesti-
gios de approvaco as physionomias de todos os
homens ; reduz-se a perenne inuuietacao sobre os
actos que pratcam e sobre as plavras que pro-
ferem ; consom se em escatar o eco da sna pro-
pria voz...
Longe de tudo isto Sabe e soube coastrvar-se o
Sr. senador Joo Alfredo : s tivemos opportnni-
dade de ver S. Exc. prestar ouvidos opinio
. /juando esta se transforma va em urna segunda
eonsciencia; a sua alma de fina tempera evita, as
vezes, os facis triumphos, mas entregs-se indig-
nada vigorosa defea do direito o da justica
quando atacados; a opposicao fortifica-lbe os ner-
espios applicando-os s necessidades da sociedade
e das cidados entre os quaes se acha eollocado o
administrador.
Formado na encola da experiencia, a melber de
todas as escolas, em materia de governo; o Sr.
sanador Joao Alfredo deixa as mais brilhantes
tradicr/oes nesta provincia.
O tempo, com a sia intlexivel tyrannia, nao per-
mitlio que S. Exc. levasse a termo todos os utilis-
siraos prijectos de melhoramcntos e reerganisacao
de servicos pblicos, cujas bases elle dexa entre-
tanto assentadas.
Ccmprehendendo que o progresso era a lei de
vida desta provincia, procurou 8. Exc todos os
mei>s de applical-a.
O cabedal de estudos o elementos preparatorios
reunidos, grareas a extrema solictale da S. Exc,
constituir valiosissimo repositorio para os seus
sueeessores.
Nao carecemos relembrar em seus detalhes a
divida d contrahio para com o presidente Joao Alfredo Cor-
reia de Oliveira.
Os actos de S. Exc. esto na memoria de todos e
nao serio e6ciuecidos pelos seus resultados. Com
a simplcidade a que alludimos elle os compendiou,
j no seu notavel relatorio apresentado Assem-
bla Provincia', j no que hoje se publica nesta
tolda, com o qual S. Exe. passou a ndministrareao
ao uosso honrada amigo Sr. Bario do Parnahyba.
Nao teremos tao pouco de cumprir fucil obriga-
c.ao de pragmtica recordando os elevados dotes
de administrador e de homem poltico que S.
Exc. revelou era todo o periodo de su: adminis-
tradlo.
A unprensa peridica, que deve ser iuimiga da
rheterica, deve tamben render preito e horaena-
gem superoridade que inspira adrnir&eao e aca-
tamento.
Nao podemes melhor cumprir este impreterivel
dever do que fazeudo votos para que a situacao
conservadora saiba manter-se, nesta provincia, na
altura de que o Sr. senador Joao Alfredo nos
deixa tao fecundo exemplo.
E' incalculavel a influencia dos bons exemploi
polticos na opiuiio pnblica.
Nin^uem puderia melhor fortalecer a situacao
nceta provincia, de que fez o delegado do gabi-
nete 20 de agosto.
Elle deixa provincia de ?. Pauio a viva re-
cordaclo de um prototypo de administrador de es-
merada cultura intellectual, de profundo conheci-
mento dos ^eg icios, de inexcedivcl actividade e
de Ilimitado desejo de fazer Justina franca e
leal.
A sement laucada por mi pravidente cabio sos
bre slo em que ella ha de germinar, crescer e
fructificar.
A opiuiao publica, 'o veHadeiro ponto de apoio
dos governos representativ s, oonfere ao presiden-
te de S. Paulo os encomios com que ella exornava
o Ilustre estadista brasileiro.
Ao governo da justica, da sabedaria e da mo-
derafio nao poderiam deixar de corresponder a
boa voutade, a o-dera e estima dos gover-
nados.
E neste canceito rnsume-se a administraba da
Sr. senador Juo Alfredo na provincia de S.
Paulo.
PERiUMBUCO
Assembla Provincial
28 8B8SA0 EM 1 DE MAIO DE 1886
rBKSIDENCIA DO EXM. Sil. DR. JOS MANOEL DE B4B-
BOS WANOEKLKV
^ondusao)
Pasia-se
l.' PASTE DA OBDEM DO DIA
Annuucando-sc achtr-sena ante-sala urna com-
missao da Associagij dos Fuicciouanos Provin-
ciana de Pernambuco, o Sr. presidente uoineia
para enteuder-se com a reteiida cmnmisso os Srs.
Augusto Frankii e Joio Alvss, tendo este ulti-
mo Sr. deputado enviado mesa, afim de ter o
conveniente destino, urna petica. .1 uita Associa-
cao.
.Contina a 1." discussio d > projecto n. 43 deste
aiino (armamento provincial), com o requerimeuto
do Sr. Bario de Itapissumt para que tile volte i
respectiva commissao.
Niuguem pedindo a palavra. encerrada a dis-
cussio.
O Sr llura o de lUpluKuma (pela or-
dem) requer e a casa approva, que a votaco so
bre o seu requeiimento seja nominal
Procedeado-Be votacao da requerimento, di
ella o seguinte resultado i
Votaran a favor os Srs. Costa Ribeiro, Jos
Mara, Birao de Itapissuma, Viaconde de Taba-
tinga, Andr Das, Liurenc-i de S. Joo de Oli-
veira, Ferreira Jacobina, Juvencio Maris, Praxe-
de Pitanga, Bario de Caiar e Solonio de Mello
(12) : e contra os Srs. Reg Barros, Amaral, Joi
de S, Julio de Barros, Soares de Amurim, Hereu
lao Bandeira, Rogoberto, Costa Gomes, Dona-



Diario de PernambucoDomingo 16 t Maio de 1886
F

cues da Silva, liatis e- Silva, Barro Barreta J-
nior, C lho de Meres, Reguera Costa, Riri-
gues Porto, Sophronio Portella, Aug09to Fraoktrn,
Joo Alvea e Gimes Prenle (18).
O *r. vmfnnilc de Tabatinga (pela-
onlein) 8r. preaidente, teudo eu dito quau.lo 8U8-
tentei este requerimento que aguarda va a sui e
e estando bem clara, pela votacao do uiea no
rcqueriuieuto, a taita de coufianca que inspiro
malaria d'esta casa, e principalmente A c immips
de ornamento, da qual ia eu fazer (pare, forjado,
declaro a 7. Esc. que nao posso fuer pirte d'esta
commissao para a qual fui uoraeado, devida esta
gao tao sement a bondade de V. Exe.
Um Sr. unaaifii W eleito pela casa.
O S.r Visconde de Taba tingaA casa appro-
vou, pro fot m'ila.
Portauto, eu requeiro a V. Exc. para ser desti-
tuido d'csse cargoy e se a casa a&o quizer acceder
ao ara justo pedido, declaro solemnemente que me
desiituo, q te nao raeo parte d'essi commissao.
Concluindo, agradeco a V. Exc. ter s l.mbrado
do meu norae e obscuio prestim ) para preeneher
um lugar tas importante. Eu coufosso, firia um
gran k e ii n\o p ira conseguir o bem da minha
provincia, Doren, ao mesmo tempo que lamento
isto, vejo que a comuiissl est entregue em ansa
tafeis, e inellnr do que eu farao o meili nam.'ii-
toi de que a provincia neeesssita.
O Sr. Preai lenteBo sinto que^noavesaen mo
tiros que levaaaem V. Exc. a nao acertar, e por
isto en tempo submetterei i ou-idcraclo da casa
o requermento de V. Exe.
O r. resillen le declara que se vai pro
ceder vot icao do ore tra-nto.
Mr. Itaro ile ltiuina (pela or-
den) r j ler e O i^a concede que a votacao sej.i
liaal.
Preoedendo-I v itaoto d ella o segninte re
i ) :
Votan a favor os Krs. Drunnond Pifan, Bego
Barros, Amara!, Joio de s. Soares da Antorim
Bandcira, Bogob?rto, Costa Gomes,
ungoies da -ilva, Kntis e Silva, Barros llar
de Morau, K-juera Cost
Rodrigues Porto, Sojrar-mti Portella, Angosto
Pra ',. in, J &> Airea e Gruo; Parate, (18) ;
entra oa i Ribciro. Joi Maa, Bario
Viseinda de T batiaga, Audr
. !. ne o ie S, Joao de Olireir, Ferreira
i Hara, Prxedes Pitaaga, Ba-
rio de Oa mw de .>1 lio (12).
.-lo.
O Ni-, llarro Itnrrelu Jnior
:,!i rejner disp bm l> ini rs icio para "que o
c> seja dado para orden d> da di sesso
seiiu
mbe -nd )-. nao harer numero par vo-
tar-e.; este reqnerinento, passa-ae
_' pabtb dv obdbm do dia
Entra ent 1 diseusslo t> projecto u. 31 d'eate
ano.
Kiaguen pedia lo a pal i.m, encerrada a lia -
cu-s;i i, fiean lo a votaeao adiada.
Entra em l.1 diaeosaio o projecto n. 30 d'eate
auno.
O %r. Ilert-uli.no Baadeirn-(Nao e-
vclveu o sea discurso).
A diecnssao tica adiada pela hora.
O 8r. pr.side.ite levanta a aeaaao, designan lo a
sectate orden do dia:
1. i irt discosaao do projecto n. 27 d"este
: 2." ( i ir- l.1 disenlo dos projectoa ns. 29
e 37 ; 3.' do Je n. 25, t >doa lamben d'oste a.iu,
s mais coutinuie.o di anteced inte.
_".! BESSO EM 8 BE MAIO DE 183t
Hmansacu n.i azn. sr.dk. mafl manokl de naaaoa
W.1NDERLKY
Ao m.'io di, t ita a chamada e verificando b
estarem presentes os Srs. Ratis e Silva, Soares de
A noria. Barr Wandertey, Jurencio Mara, Coc-
i, Bodrignea Porto, Solonio de Melle,
Barr s Barreto Jnior, Laurenco de 8a, Domin-
gucs da Silva, \ugusto Franklin, Luiz de \udra-
da, J p;io airea, Herculano Bandeira, Visconde de
Tabatinga, Barao de Itapissnma, Julio de Birros,
Jo Maria, Sophronio Porte la, Regj Barns, Go
mes Pawnt<", Ferreira Jacobina,Joao de S, Per-
reira Velioso e DrmniDoud Piran, o Sr. presidente
abre a 8"8s3o.
Comparece n depois os Srs. C-sta (Jomes, Prxe-
des Pitanpa, Regueira Csti, Joao de Oliveira,
Anli Uias, Rogoberto, Bario de Caiar e Cista
Ribeiro.
Faltan:: com participacao, o Sr. Antonio Correia,
Rosa e Silva, Concalves Ferreira, Constantino de
Albuqucrque, Amaral, Antonio Vctor, sendo o
primeiro com participacao e os detnais sem ella.
E' lida e sem debate approvada a acta da se3-
lio antecedente.
Sr. Io secretario, ; rocede 4 leitura do se-
guate
EXrEDIETE
Dn cenco do secretario do goveruo, transmit-
i i iuforinac.o do inspector geral da instruc-
pn'ilica, sobre o pr.jccto n. 3 deste annj.A
quem fez a requisicao.
Ootro do m sino dem, para os devidos Qns, um
igo de posturas da Cmara Muni.dpal de Ouri-
eury.A' commissao de exames de pasturas.
Data petieto da Aksfleiaafo dos Funecionaros
Prov.neiaes de Pernambiicj, red unan to contra
diversas disposicoes do projecto u l' d'te anuo.
A' comniaaao de oreameato proviucial.
Ojtra de Jjaqiiim d.jGouvcia C rdeiro, ama-
nuense la canta loria da Cmara Municipal da
R'-.ie. requer n !o ser apoeentado com todos os
reacimentos A' commissao de legislacab.
Outra de 11 TmiDO Ulphino do Nascim' nto Li-
ma, scriv i il i jury d i L'.m miro, r- qnsreado cou-
i piscas daqnjta de I > '5 <00 de custas que lh'
a Can irn Municipal daili.A' commissao d?
ni r ment municipal.
lenroa C, fabricantes de rap
neaV ci la le, req ler i 1 redncc'o no imposto de
iber V c;:nmiasao de or-
camento previnci il.
Outra da m 11 regedora da irmandade deNossa
BeuhoradaCji i Onagregaeno do Recite,
requeren lo se ic3 i I 8 iinpostos de nui'j mort.
ii 5 intento provincia!.
Outra il" l.uiz Coreiro de 15 nevi les, offi nal d-
querendo pagamento de 20*100 ) de eos.
ta-. i.i ih i deve a Cunar i Mu. ieinal Jo Becif.
A eoni mieipal.
OntradeJ lo.'nilher.i.e de Azcvclo Lyra, ar
rem loa dizimos do*gado vae-
ciiii. aavall 1 i ir !" inuiiiipio de S. Beuto,
reqnerendo o abatunenro de b') por eento ob/co
valor da arrematacSj.A' commissajde oreanten-
*.o provincial.
Oncra de Jos CVJViro d)j Santo-, ilem, do
mesmo impasto do3 municipios d" Panallno e 15)-
nito requeren lo o mesmo abatimento. A' com-
oreanentp prorinei il.
Outra do l)r. Joao Ferreira da Silva, requeren-
do privilegio pir 25 anuos para montar nesta ci-
da urna gran le fab pparelbos de electri-
ci nd galrauo-plaatia e galvanisacao e das de>
i acieneia e!cctr.c.A' com-
mis.-ij de peticocs.
Outra d i cjinmissao encarregada das obras da
S i'o Antonio, de Agua-Fria de 15 ibe-
ribe, requerenia preferencia ann de correr urna
das partes da lotera que Ihe fji conc;dida. A'
cjimij.-ai de orcamento provincial.
U ii abaixo assignitdis de moi adores cm Cearo
d'Anta, pedindo que stya contervado o prof^ssor
cjntractado ti -IIi Ignacio Proeupio daCiinha. pe-
los buns servicos que tein prestadoA" ominis-
S i de instruecao publica.
E' tido, apotado e approvado o seguate pire-
cer :
A commisiao de instruecao publica, precisa
dar parecer sobre a petizo de Mai tiuho da
Hura Costa, que seje ouviio o Dr, iasp; ctor geral
da inttrucca publica.
Sala'las ommissos, em 3 de Maio de 1886.
Reg BarrosVigario Augusto Franklin.
Contina a dis:usso do Sr. Jos Mara, pedindo
inl ,i ni ico -s s ibre a n meacao de pr'.fessores.
Vem a mesa, lida, apoiaaa e entra conjuncta-
ra^ute em discussao a seguiute emenda :
E bem assin quanios bao sido exonerados.
Jos Masa.
O *-. (.aspar r.c Drummond F i I lio -
levolveu o aeu discurso).
O r- rraiedes PitangaV. Exc, Sr.
presidente, c a Casa devem empreh-nder com (jue
acauhamento venho tomar parte n'esta discusso.
Eu que alm de ser medico de 8. Exc, o ir.
presidente da provincia sou sen amigo pessoal, nao
posto todava deixar de notar a divergencia ha-
rida entre a commissao de orcamento e .>. Exc.
O Sr. Joao de OliveiraA justica cometa por
casa.
O Sr. Prxedes Pi tangaDia bem V. Exc, a
justica comees por casa. (Apartes).
Eu nao tomo o encargo de trazer a esta casa a
menor arguicSo administracao de (i Exc. em
reJacao ae modo porque est organisado este re-
querimonto ; nao comprebendo mesmo que a oppo-
giego procure 4estaa ocoasiao para demonstrar os
defeitos da administracao, O reqoorimento tem
pir fim perguntar se os actos que partiram da no
bre commissao d orcamento sao filhoB adoptivos
da administracao, ou se entre esta e a commissao
existe urna divergencia notare!.
Qfin a apre^eatacao d reqUBfimsnto fieou pro-
vado que os actos que partem da admiuistraclo do
S. Exe. nao se baseam nos fundamentos aposen-
tados, na organisacSo do oreameuco apresentado
pala uobre commissao*
O Sr. Gomes PrenteFique isto bmu claro ;
declaro a S. Exe. que nao ha divergencia entre a
eommisato de orcamento o Sr. presidente da pro-
vincia. ,.
O Sr. Prxedes PitaugaDero acreditar- a V.
Exc, mas teuh> necessade de mostrar que o re
querimento prora e prora exhuberantemente a
desharmiaia que existo entre os sentimuntos da
administracao e os da nbre commissao de fasenda
e orcamento, desharininia <<\6 inatirou a apresen-
tacilo >Ij masmireqiisrim;nto. (Apartas)^
Vem a nobre coinmiss i e diz : nos na3 pode-
mos continuar a fazer a despeza que fazamoi nos
diversis ramos da adiniuistracao publica, porque
ato tenas dinneiro; fliis diz o requerimento
S Exe. o Sr. presidente da provincia demonstra o
contraro d'isto, porque oecupanl) se d.: u:n dos
ramos da administraca publies acaba de nefladat
diversos pr 'fessores ; e em M m if8 veem di-
zer caa que os eores prorincraes cst.lo era coii-
dicoes de comportar com tal despezi.
Ora, desde que S. Exe. o Sr. presidente da pro-
vincia, tendo remedio na le, nao procurou acei-
tal o, d'oude lhe resultara a economa de que
tanto necessita a nobre commissao de orcamento,
claro que, ili>poulo dos ineios que tinha a ata
cargo, proeut >*se remediar umi necessidade da
natrneoto publica, qual a do preenehiraent das
vagas do cadeiras de primeira entranoia, o qns
prora que a adniaiatracao est conveuci ia de que
as despea is com o pagamento deaaaa verbas nao
sobncarregam o orcamento.
Mas S*M acutuneuto, que alias eu acbo Ivivavel,
porqti- mesmo en parte proeuro aceitar o moda
porqiu S. Ene. dirige os nagocius da proviBeia;
,' i. que combino perl i eon a nao anpprea-
laeeadsiraa, lig : 8. Exe.; t in raato,mas
B nao tein raza) a n i'ire e imniasi de orca-
men-, tanto nto ten eme, c infeccionando um
projecto, o fea eo tbraa.
Entretanto. S. Exc, q ie eonheee que a
cao c critica, procaraudo on Brida deapr*ciar as
tinanci-s, fez as numoacoes, ceno d i une as deepe-
r, .i a i i; iain p -.i ir s tbre os eotres, de nodo a fa-
zer les .rra-.j i na ec [W pretende a een
missao realiaar.
Fon .ut>, s- S. Bxc narchou, como cu penao,
muto b in, preencheiilo as ea t ii ai com inii'a
raaa p r |na qaan i > =c trata do inatrnc A > pn -
blica Jeve-se s-r o imm pirco possive.l, ja nOl
abeatM qaa quem nao 'em ra.:o abto.ntaneate a
a obre e> amiaal i
Orequerimeuto apr -! o ^ 1> pr.curi apenas iu-
dagar, se rerda le qaa a honra la aoeunaoSo mar-
leaeeordoc>m a nrcatdaacia, umi vez que
ella clama pir economas.
J ae re portaarte que a aaaniniitaacffj da pr>>-
, inei i, rocadendo de nado entrarlo, nao ba nada
offenairo e nos stamoi no aoaao direito, pedindo
a S. Esc. qne leetare se ver la te <[ii ii ni
pretasa oes a quantos nomesm.
O Sr. Bugueira CostaV. Exc. d liceo?i para
uin aparta r
') r. Prxedes Pitaaga V. i'.xc. tem liecnc
pua dar ne tantos aaartea qnant-M qnii r.
O Sr. Rgueira Costa Agradeco ao nobre d'i
putalj. Mas pua lauatraraaeaao ha deaaeeorl
entre o presidente da proviucii a a eonniasao de
ir.ainen'o, bist.i lembrar a V. Exc, qne a com
mi-iao nao cogltou na suppresao de cid'iras de
Ia cntraucia.
O Sr. Prxedes Pitaaga Eu chegarei l.
Mas, Sr. presidente, esse simples requeriinento
qu poderia ter passudo nesta casa, sem que po
deaM offender nem a adminiotravo e nem a com-
missao, foi ti.nido em carcter poltico, lerantou-
aa a grita por parte da b meada opposta e veio o
leader tomar o encargo de pro'gar a opposieio e
i o igal a a mistrar que nti hiuve de sua parte
iateucaodeoffmJer ao presilente da provincia,
mas sim pedir caclarecimentos.
O requerim rnto pretendeu apenas tirar a limpo
com que inoralidade nesta casa a llustre com
missao do orcain 'nt >. que tinha a seu cargo fazer
prospralo estilo das nossas fiuancas, procedeu,
de modo a faz-r economas em tolos os ramos da
administracao publica.
Mas, Sr, presidente, a illustrada mnoria desta
casa d iu urna jirora em cintrar.o ?om o seu pro-
jecto de o'iimouto, porque parece, senhores, que
nao pode ser contestado o direito que tem o depu-
tado, anda rassraj o nais amigo de S. Exc, de
procurar indagar qnautas cadeiras preencheu o l-
lustre administrador da provincia no dominio da
sua administradlo, embora o seu expediente venh i
dizer nos quantas ellas tem sido.
O Sr. Presidente Est rinda a hora.
O Sr. P.-axedes Pitanga Ha um requermento
de prorogac).
O Sr. Presidente -Nesse caso V. Exc in'er-
rompa o seu discurso em quanto elle lido.
O Sr. Prxedes Pitanga Sim, senhor.
E' ldo, apoiado e apprcvado o seguiute reque-
riinento :
Rjqueiro prorogracao da hora do expediente
por mais SO minutos.Dr. Pitanga.
O Sr Preai lenteO nobre deputado pode con-
tinuar o c". discur-io.
(Canfina! nj
HEviSTA DIARIA
A <'ni lili-a Provincial Funecionou
hon'em, sob a presidencia do Exm. e R. din. Sr.
Angueto Fr.niklin Moreira da Silva, teudo compa-
recido 27 Srs. deputados.
Foi lula e apur ovala, sem debate, a acta da
aeaaio antecedente.
O Sr. Io seeret.ari) | roceleu |..tura do seguiu-
te expediente :
Um officio do secretario do governo, trunsmt-
'mdo em original u oni^o do inspector geral di
[natracefto Publica ueompanbado da iuformaco
do delegado ltterario de Quipap, sobre a p tioo
dos habitantes de Piales. A' quem fez a requi-
s cao.
Outro do meiin>, dem, por copia o officio do
inspector geral da Instruecao Publica, em que o
e!o do Io distrietu ltterario de Ploreata, re-
clama cintra a transferencia da cadeira de (ui-
x .loa para Floresta.A' commissao de nitraeeo
pt'bliea.
Outro da Cmara Municipal de Bom Jardim,
remettendo umi proposta de pisturas e pedindo
a sua approvaco.A' commissao de posturas.
Urna p:le.lo do capito Ismael Clemeutino Be-
1 ira, neg leante de gneros de estiva em igua-
rass requerendo consignacao da verba de Hl'Ji'230
de fonieenntnto que tez ao destamento d'alli.A'
Commissao de orcamento provineial.
Outra de Lauriudo Marques de Souzi, reque-
ren,io pagamento do 47ti800 do fornecimento de
alnn utacao aos presos pobres r<>colbido3 ca-
deia de Fl.-T s. A' commissao de orcamento pro-
vincial
O Sr. Rgueira Costa justificou um requ'r-
m nt >, assignado por todos os Srs. deputados pre-
sentes, propon lo que se larrasse na acta um roto
de profunda condolencia pelo infausto passamento
do Or. Antonio Francisco Correia de Aruuj ',
uresiieute desta Assembla, base levantada a
Sossao.
Na justificacao do rcquoriuieoto, leu o Sr. Re-
gueira Costa o seguinte discarso, que dereria ser
prenunciado pelo Sr. Or. Jo^ Manoei de Barros
Wandrrley, Io vice-presidente, o qual, p^r in
commodado, nao pode assistir sess > :
Cabe-me o duro dtver de commuuicar o triste
passamento do nosso distincto compauheiro Anto-
nio Francisco Correia dn Araujo.
Com a alma enlutada por to terrivel golpe,
mal vos posso trantmittir este lamentavel aconte-
ciinento.
< Amigo de infancia do Ilustre finado, habi-
tuado a ap-eciar as suas virtudes cvicas e par
ticulares ;boje, que vejo cortados os harnea de
relacoes pela tcrnvel fooce da morte, com difficul-
dade vos posso taansmittir o doloroso sentimento
de que me ado p issui io, porque as dores agudas
tem a propriedade de suffocar as inanifestacoes
do Coraeao.
Tribunal do Jar; do Beiife Nao
func ionou hontem ente Tribunal, por nao lerem
comparecido jmzes da facto em numero legal.
Negocio de Tacarat Tendo M- Exc
o Sr. vice-presidente rrcebido talegramma dojuiz
de direito de Tacarnt, noticiando quefora alu as-
sassinado Jos Redor de Araujn, tio do collcctor
das renlaa provinciaes Jos Gomes de S Araujo,
que tora ha ponco tambem aasassiuado, resol veu
mandar seguir para all mais 15 prscas do ba-
talho ao mando de um oficial para augmenUr a
forca que seguio con o tenente Sebaatio Alves
da Costa, ficando assim a forca elevada a 40 pra-
cas.
O assassinato attribuido ao mesmo grupo de
malfeit res, vindo do Riacho do Navio, do termo
de Floresta, e que j tem commettido varios atten-
tados.
Sabe-se mesmo que esses malfeitorcs protestara
assassinar todos os que forom amigos e dedicado i
ao tenente-coronel (i.raleante e tambem a elle
proprio, que se acha na poroajio do Jatob,
ConOlcloa e ferinentos Nj da 2 do
crrante, no lugar leuomiuado Sapo, do termo do
Bonito, houye um conflicto entre os individuos, de
nomea Manuel Sabino Tcixeira de Carralho e An-
tonioMathias Bbrreiraj resultando sabir, o segun-
do, rendo pelo prim- iro eoin 2 tiros e 3 focadas.
O que singular que um dos tiros foi dispa-
rada cora a propria arma que eotiduzia o ollendi-
do, da qual so apoierou o utfonior na oceaaio Jo
confata.
Os ferimentoa foram eoasideradosgraves, e con-
tra o criminoso, que evadio-se, procede-so ua for-
ma Ja lei.
llemvnNlrarao e per.arIloatem, cm
sesso da congregaco da foculdade de direito, foi
deliberado que urna commissao fosse desanojar o
Dr. Joaquim Correia de Araujo e apresentar lhe
os sentunentos dos s;us collegas pelo fallecinento
lo I),-. Antonio Francisco Correia de Araujo.
Fizerara parte da commissao o conselheiro Pin
to Jnior e Drs, Beltort e Barros Guimaraes, os
qnacs honten: mesmo desempenharatn a honrosa
triste incumbencia que Ihes tora confiada.
Asociac&o don Fancclonarlos l*n-
blicoM l*rovinciaewEsta associaco, hon-
tem, em sesso d'aBsembla geral, resolreu un-
nimemente, sob proposta do seu presidente, Dr.
Antonio Pern unbuco, e do conselheiro Camp is
Barbosa, que fosse levantada a sesgas e Iavrado
na ac i um voto de profundo pozar pela infausta
morte do Exm Sr. Dr. Antonio Frauciseo Correia
de enojo, nal digno prosilente da assembli
provincial
Segundo propista do Sr. Liudolpbo Campell i,
foi n i i.'.iria ana oinmsso, composta dos Srs.
>r. Antonio Pornamb ico, Boraeio Costa a Can
pea Barboaa, pira ir assanbla dar lfae,em a
d'aat i lis i, os sinceros peaanaa, assim como
i daqn lie dietincto peraanbneaoo.
Iriincllado II ntein. si 4 c mala aeras
1 i t urde, na ra das Fl wea, da parochia de San-
to Antonio, o carro n S65 atropellou o menor Loo-
bollo Alves da Silva, ferindo-o em urna perna.
O coedeiro do carro, peraaguido p-?lo povo e
om que Jorge sabia da fabrica Phenix, ra de
Luiz do R-igo, outr'ora da Florentina; quejun-
tando-se elle respondentn cjm Jorge seguirn em
direccao do campo das Princesas, e alu che^audo
Joige ch iraou elle respondente para junto d inic-
torio existente ao lado da ponte de Santa Isab 1,
onde ello respondente ainda pedio lhe que repa-
rases o mal que bavia feito sua irm Maria Lii-
a, ao que teve em resposta que tinha efF'Cti va-
mente dellorado sua irm, mas que nao se Casara
por nao ser ella suficiente ; que em vista dossi
dcclaraco elle rrspondente disse a Jorge ; pos
eu vou me queixar as subdelegado ou ao enefo de
polica, obtendo em resposta urna bofetada dada
por Jorge, calnnd -llii: o chapeo no rio ; que asa
sa occasio Iutaram ferindo elle respondente a
Jorge, com um caivete que traziu, o pulando
Jorge para tras cahira dentro do rio nao voltando
inaia 4 tona d'agua, segn lo /erifiiou elle respon
dente por espaco de l minutos ; que elle respon
dente tem para si que quando Jorge o cli mi ni para
o caes foi com mal inteaeSo, tanto qne na luta o
proeurava atirar no rio, tanto assim que sempre
se conservara em sai frente ; qu Jorge ae aeb iva
vestido de calca, p ilitot e collete prcto, e bein as-
sim chapeo da mesma cor e gravata.
Perguntado se Jorge era branco ou pardo e
quaes osseus signaos caractersticos
t'spoudeu que Jmge era hornera eetatura e cor-
po regular,-pardo claro, cabellos corridos, olhos
pretos e imberbe, tend es dentes superiores limi-
ll)F.
Perguntado se na ocoasiao em que elle respon-
dente luctava com Jorge, nao paseara alguem qu
que presenciasse dita luti ?
Respondcu que na occasio da luta nao vira
elle respondente passar pessoa algoraa ; mas qu-
deplis pacsaram divrsiu pessoas, estando j e:lc
respondente sentado em urna das soleiras da re-
etagnirda doTneatro ai Santa Imbel.
Perguntado quera o ecouse'.hou para se apresen-
tar a esta subdelegada ?
Itesp"ii leu que uiuguein o aconselhou o aaain
procciuu por ana livre a exnontaaea vontad',
afiui da se defender, <; que a uniua peaaoa qu tevo
eoabecinwnto do (acto qne acaba de narrar foi a
autiridale presente
E como nada m lis disse nem lhe foi perguntado
mandn o rabel-*gado encerrar este auto em que
aesign i com o rea, o idete, que enriad i ler deela-
rou adiar conforme, e cun as testemanhaa presen-
tes, do que tudo d Ei, Jos de Arioaatha Corta Pontos, esc .
que escrevi.Hewriqae Cecilio Brrela Alt
guardas cvicos, pOz-s i cm luga tudo e mais, JoSo Pratwiteo ie I meida.Jodo Alee liezerra.
r
do francez pelo Dr. Caetano Lopes de Moura, 4
vola, enes.; Caramur, poema pico do daaeobri-
raento di Bihia, por Fre Jos da Santa Rita Du-
ra i, 1 vol. ene; Coramontano a lei 11-11, de 11
do Setembro de 1861, sobre casamentas de pea
soas que uao professam a religio do e3t?.do, pelo
Dr. A. II. de Souza taudera Filho, 1 vol. broc ;
Proj cto de cdigo de commereio, por Diogo Pe-
ro n Forjaz de Sampaio Pimentel, I vol. broc ;
Pirtugail e o socialismo, por J. P. de Oliveira
Martina, 1 vol, broc ; Portraits Itepublicains,
por ArmandConel, 1 vol. ene. ; El >ges bistori-
ques, por Th Joff.-oy, 1 vol. ene. ; Nouveaux ine-
Ung', philosophiquesj por Jouffroy, 1 volume ene.
tala Beaetia a beu curages sui ii do voyage en
Amerique, pr M. Lenaaante de Cbataaaariaad,
1 vol. ec. ; Sjones Ecossaizes, por Charles Oi-
r, dentro em piuco, apreciar pelo modi lo, em re-
levo, que esmeradam -nte est fazendo o Sr. Bezzi.
Em frente, do edificio projecta-se uaia grande
prac com obelisco e duas aveuida de gran le ex-
tensa?, que daro ainda mais relevo quelle mi-
gestoso moaumento, que ser um dos desvaaeci-
mentos e glorias da provincia do S. Paulo.
..iberio* etagenarios -Estatistcare-
centenwnte organisada na provincia de Minas-Ge-
raes attesta a existencia d 18.593 libertos sexa-
genarios em 77 municipios.
Na provincia do Maranhio, municipios da
capital e do Paco do Luraiar, consta da matricula
a existencia de 407.
Na provincia do Rio de Janeiro, municipio
de Sapucaia, consta terem attingido ou excedido
da idade do 60 annos 276 escravos, que por esse
lifie, 1 vol. ene. ; Voy.ige du teur du monde mu facto passaram condiciio de libertos.
vello C .1 .'ci'ie, por JulesJGtrnier, 1 vo!. broo.
Les Deux Borgiale Pape et son fils Cesar, 1 vol.
broc.
Pelo socio Joo Baptista Ferreira da Silva ;
Obras diversas, canina dos deputados. 1 vol.
ene. ; Leonor A. C.iuh-i. 1 vol. en". ; Discurso
recitado no da once de Agost->, por Antonio Ibia-
pina, 1 vol. ene. ; Eraaei,dram lyrico en 4
actos, por M. Mara Piava, msica domiest.ro
Jos Verdi, 1 vol. ene. ; A provincia d> Minho,
por D. Autmj da (Juta, 1 volume i
Continuara ser obsequiosamente offertadot por
algunssocio.se pdas illustrea redacQO M igain
res j irn t-s : ])ar'u <: PtrHambuco, Jornal do
Ilecife, ''rovinela, Binomio, Hebate, Se/j dr. Oala-
bro, Rio raneo, Diario do Brasil, Liberal l'ara-
hjfbano, Libera} Mineiro,
Tribuno, Gazel
e Occidenrn
Sabirain pa
entraram 315.
Na provincia da P-irabyba verificou-soa
existencia de 40 libertos sexagenarios no mu Ji-
po de Bananeiras : li no municipio de Campia
Grande, ede 29 no da Mise icordia.
Hi noticia da existencia de 5.34 libertos se-
xagenarios no municipio de Jaboato e de 34 no
municipio do Brejo, ambos na provincia de Per-
narabuco.
Na provincia le Matto-Grosso, mun:cip03 da
sap tal e do S cram-nto, consta das matrculas
exiatirem 231.
A 1 liei inadoa estes algaramOB aos anteriormente
publicados, t -remos o total geral de 36.401 liber-
t is sexagenarios em 101 municipios das provincias
do Maranhio, Pernambuco, Alagoas, Espirito-San-
t>, Bio de Jan iro. S. Paulo, Paran, Santa Ca-
Federaclo, Flttmtnerue, tharina, Mnai-Geracs e Matto-Grosso.
Tbealro de Vai ieilade Neste theatro,
di fabrica Nova 11 unburgo, fiz hije beneficio o
actor Maahoaoa, subiu io scena a comeda-drama
moa de M'Mer e a comedia J ouvi e*pir-
'I*. C Uitpiias, Progrexso atholico
i leitora dos socios 425 volumes e
Foi esta bibliotheea fraqaeatae pir gran le na- rar asi
at que, na ra B ir.li de S. orja, abiu 1 mand o
carro, fugio
O menor foi medica lo p i i 9r. Dr. Argollo
o Deixa ido 4 oulros mais habiltalos a tarefa
de fazer a apologa das qua.i la lea te ornamen-
tavan o Hastie fin i lo, restnnjo-me a diz-r vos
q'ic Co.no particular dstinguia-se o nosso inl toso
cimpanheiro pela aiaeerklade do seu carac.'er,
anaidade de trato, exemalo de pai extremoso,
m ilclo de espos i, o como polite > era urna verda-
i ira eaperaaea la patria, o fi-l a estrenuo
s ir los interesses ilo partido que lhe baria con
ferido anata prarincia quasi o basta de ch t ).
Espirito recto, de vistea largas, de elevado
sentiin nto patritico, era o nosso distincto com
pinbeiro o eeotro pira onde convergan as vistas
dos u isios oonnanhoiroa que naaaaaa sob a l>an-
deira do partido conservador
Se as lagrima-', que derramo ueste BMaWatO,
offocan-me a voz a rae rajo aa rigorosa obriga-
jo de interceptar as mauif-staooes que o impulso
la amiaade ine levava a foier, resta me anda
forca para pedir-vos que consignis na neta u i
voto de nezar pea prematura morte do nosso in
feliz coinpanheiro de trabalbo, a oue se levante a
eaaia,
Vtio ,a mesa um aidtiro ao naqaerimento, tam-
b-m assignado por tolos os Srs. deputados presen
te, para que esta Assembla se fizesse represen-
tar iw funeral do fallecido, por cmi commissao de.
cinco membros das cmaras vitalicia e temp>raria,
drigin lo-se aos meinoa por telcgramma.
Approvados p-or unauimiiaie da votos, tinto o
req'ierimonto cobo o a I ii'vo. o Sr. presileute
iioine,m os Srs. sena lores Joao Alfredo e Soares
Branlai. a leputadis Rosa e Silva, Gon^alves Fer-
reira e Beltro, para taa rem parte da commissao
referida, e em seguida levantan a sesso.
Hr. Antonio CrrelaOs telegrammas
que, de conformidade com a resoluco tomada hon-
tem n Assembla Provincial, foram hontem mes-
mo,! 1 aera da tarde remettiios para a corte,
s ', m'Sats m'Uandis, do theor eguinte :
Ao senador Joao Alfredo.
Assembla nomeou commissao composta V.
Exc, Soares BranJo, Rosa, Ferreira, Beltrao, as-
sist'r funeral Antonio Correia. Barros Brrelo
Jnior, secretario.
Os empregados da Secretaria da Assembl
Provincial, em demonstracao da posar pelo talle-
cimento do presidente da mesma Assembla, re-
solveram tomar luto por 8 dias.
I.hIh e norteHontem pelas seis c mcia
horas da maih, na casa de residencia do Sr. te-
nente Hcnrique Cicilio Barreto de Almeida, sub
delegauo da ixeguezia de Santo Autonio, se apre-
aentou voluntariamente o individuo de nomo Joao
Francieco de Almeida, e declarou que, no da an
tecedente, epcont.-audo-se na ra de Luiz do Reg,
outr'ora da Florentina, com o individuo de nome
Liberato Angosto de lama,
Coiinelho Itinerario da Inatrurro
l'ublicaH'Utcm reuni se o eonaelho littera-
r: i, sob a presidencia do Dr. inspector geral.
Foram apresentai. s Pa aegointea pareceres:
Di 1." aecoSo, relator o pr^fossor Pragoao, so-
bre a carta dea b ci Mitcellaaea Escolar d<
profeasor Jos Angosto Portocarreiro, eonclaiado
pela sua ni adopeao, as anlis do instruecao
primaria.Approvado.
Da mesma aeeco e relat r, s ibre a peticao do
proreaaor da povoacao de Quizaba, requerendo
transferencia da sua cadeira para i lugar Ena da
villa de Floresta, conclua lo pelo in Icferimento.
Approvado.
Da mesma seccio, relator o Dr. Ayrea Gana,
sobre o requerim 'nto de J o Walfredo de M
r is acerca da Afoi-j Selecta Chunca do baebarel
J lio Baptista Begneira Costa, concluindo pela sua
adopeo nas escolis d-' insrrucco primaria e di
rhetorica do Gyranasio Peraanbncano. Appro
va lo.
Da mesma seccao e relator sobre o livro Gran*
mmlica elementar e licedes projressivas de l SB M
cao, caapoBta por liario Ribeiro, eonclntndo
pela saa adopeo nas escolas publicas. Appro-
vado.
Da mesma seccao, relator o professor Fragoso,
sobre a petic-V) do profeosor Joa de Vera Cruz
Cunpos, pedindo transferencia da sua cadeira
para o lugar CamahiOa de Flores, concluiudo pela
transferencia depois de preeuchid.ia as formalida-
des l.-gaesRegeitado.
Da 3. ecca, relator o Dr. Jos Diaiz, sobre
a gratificaco de autiguidade requerida pelo pro-
fessor Jeo Jos Ribeiro de Moraes, concluindo
pela eoneessao. Approvado.
A Moda IlluwtradaPara a respectiva
agencia, rua do Baro da Victoria n. 9, chegou
o n. 176, de 16 do correte, da Moda Illnstrada-
Traa foi ha de mol les e figuriuo colorido.
-\orle e aulDevem ebegar hoje : do sui o
paquete nacional Espirito Santo, que sahir ama-
i. lia para o norte; do norte o paquete nacional
Baha, que seguir hoje mesmo para o sui.
EqnadorPublicou-se o n. 3 deate quinze-
nario acadmico.
A IdeaIgualmente fai publicado o n. 7, do
2" anno, deste perioiico republicano.
Arsenal de CurrraNos das 16, 18 e
19, no Arsenal de Guerra, distribue-se costuras
inscriptas sob ns. de 287 410 inclusive.
Beunioea aoclaes lia hoje as seguin
tes :
Do C'nb Internacional de Regatas, s 11 horas
da manh, na ade respectiva, para negocios ur-
gentes.
Do C imit Litterario Acadmico, s 11 horas do
dia, sesso litteraria solemne, na respectiva sede.
Di Edictora Pugilato Ltterario, s 12 horas do
da, no pateo do Paraiz n. 7.
Do C'ub Jurdico Tobas Barreto, s 11 horas
Jorge, quo saba da fabrica de cerveja denomina
da P/ienix, dirigio-se a elle, juera proeurava ha a, dia"na respectiva tele.
mezes e tratou do defloramento que o mesmo pra-
ti"ara om sui irmil orpb de pii, Maria Luiza de
Almeida Braga, de 16 aunos de idade, residente
cm Podras de Fogo.
Seguirara jautos at o caes da ponte de Santa
I-aliei, anda Iutaram, porque Jorge, alm de ter
declarado nao casar com sua irm, ainda deu-lhe
umi bofe'ada ; resultando da luta sahir Jorge
tendo e eabtr no rio quando proeurava sb desviar,
nao v"Hondo a tona d'agua, contorne as declara-
do -s de Almeida.
O Sr. subdelegado de Santn Antouio fez reco-
Ui r Casa de Det-oic'.. onde procedeu ao auto
de pergunt.-.s que abaixo puolicamos.
At a hora em que escrevemos esta noticia nao
appareccu o cadver de:Jorge, apezar dos esforcis
que tem sido empregado pila referida autoridade.
.1 l de peryantas feitas a Joao Francisco de Al-
meida
Anno do Nasciraonto de Nosso Senhor Jess
Christo de mil oitocentos e oitenta e seis, aos 15
dias do mez de Maio do dito anno, na Casa de
Detencao, presente o tenente HenriqueC iilo Bir-
reta de Alnv.ida, subdelegado da frcgueaia de
Santo Autonio, conmigo escrivao de sea cargo
abaixi dcclaiad i, fez a Joio Francieco de Almei-
da, as perguntas seguintes :
Perguntado qual seu nome, filiaco, idade, es-" fonso Olindense, 1 vol. broc
tado, profissi, nxturalidade, residencia, e se sab
ter e escrever V -
R-spjndeu chamar-se Joao Francisc de Almei-
da, ti 1 lio de Joao Francisco de Almeida Braga, de
19 annos de i lade, solteiro, artista, natural desta
provincia, residente em Pedras de Fogo, e s tu
ler e escrever.
Perguntado como se deu o facto de ter elle res-
poodeute ferido ao individuo de nome Jur-'o, con-
f irme vi-io declarar i xpontaneamentc peraute esta
subdeiegacia ?
Kespondeu que, residi.nl> elle respondente em
Pedras d Fogo com sua mi Maria Emilia Gomos
dos Santos, viuva, e suas irmas solteiras de n imes
Mara Luiza de Almeida Braga e Emilia Maria
de Almeida Braga, esta de idade de 12 annos e
aqu-dla de 14 ann s, tinha por costume frequen-
tar a casa delle respondente o ref rido Jorge, em
virtule das relacoes de amisade qne mantenhi
com sua tamilnt; que, em Juulio do anno proxi-
m / passado, Jorge pedir a sua mi a irm delle
respondente de nirae Maria Luizi de Almei ia
Braga, em casamento, ao que a -cedeu sua mi, fi*
cando tratado o casamento para se effectuar na
ve pera de S. Jo i Bnptista, do corrente anuo ;
que d, sta data em diante, ainda tcou Jorge cam
mais liberdade em sua casa ; que cm Janeiro do
corrente anuo, Jorge ausentara-se de Pedras de
Fogo sem cominumcar o motivo porque assim pro-
ceda, nao a elle respondente como a saa fami-
lia, o que causou urna surpreza e grande admira-
raco a elle resp u lente e tolos du sua casa ; que
procurando elle respoodente saber na padaria, on le
trabilhava Jorge, a que de pr, prie lade de Joa-
qun! Ese re, o raativ i de despparecimento do n.es
mo Jorge, nao s mberam-llie dizer declaran jo i lie o
pideiro .Manuel Silvino, empregalo em dita pada-
ria, ter Jorge, se retirado para esta cidade ; que
no dia seguinte an desappareeimento de Jorge,
sua irm Maria Luiza deelarou a su* mi que
Jorge a bavia deflorado,; que decorridos 6 ou 8
diaa elle respondente tomou a resoluco de (rif a
esta cidade procurar Jorge, afim de reparar o mal
que havia cansado a sua irm Maria Luiza ; qne
no dia 30 de Janeiro deste anno, tarde, elle res-
pondente chegon a esta cidade o proeurou desde
logo Jorge, p-rcorrendo diversss pdnrias para
ver se consegua encontral-o ; que isto s<5 teve lu-
gar hontem s 10 1/2 horas da noite na occasio
lnquerilo policialPelo subdelegado do
districto da Torre foi li.atem remettido ao 1).-. juiz
de direito do 3 distrcto criminal, o iuquerito a
que se procedeu acerca do* espauc tinento que sof
trran offieial de justica C rarado da Fonseca e Sil
va, no porto da Nova U scobert i.
BabiaTelegrainma da Parihybauoscommu-
nica sahi la deste piquete daquell i provincia,
hontem tarde, pelo que b ije tocar em nosso
porto.
atibllotheca de PalmaresDurante os
mezes de Janeiro Abril ti ido, recebeu esta bi-
blinth 'ca as s"guintes offertas:
Pelo socio benemrito Leonel Augasto da Costa,
Archivos do Musju Nacional, 2 rol. ene. el vol.
broc.
Pelo Sr. Autonio Fernandos de. Azevedo ; o Mis
quito, jornal Ilustrado da corte, 3 vols. enes.
Pelo Sr. Joaquina do3 R^is-Lisba; Vis Ica-
rios, p M. Barreto, 1 vol. ene. ; Caramur, d 's-
cobrimento da Bihia, composto por Frei Jos da
Santa Bita D i i i, 1 rol. ene. ; Ap mtara ntos
par* a hiatoria doi jesu tai ua Brazil pelo jDr.
Aatmio aanafee Leal, 2 role, brees.
Pelo Sr. afaaoel Jos Soares de Avallar ; A fi-
lia martj r, drama em quatro actos, pelo Dr. Af-
mero de socios, alguns visitantes e diversas
nli oras.
F ii adquirida por cwpra a obra Bacal Huma-
nas, por Luiz Figuier, 1 vol. eaeaderaado.
Pao d'.llbo.E-;crercm-uos e;n 11 do cor-
lelit I :
Ni ultima niaaira tratei de certos nelhora
nentos q te reelama es' i ei i U>. Tratand i lo ee-
miteri,, disse que era de urgente neeeaai lade a
sua ronooio cidade pira um outro
lugar nos seos suburbios, o que eontinosrei fa-
zer, in latran 1 a iuconrenienc ia que ha de sua per
nanencia no logar en qne aetnalmenl ie acha
Situado na parte superior do qu lrilatero da
ci lade, d lado do sui. d'oude qnotidianaeaante so-
pra o reato n'esta eatacio invernosa, nnitiaskao
conorre para a maalabridade publica. Assim, n
pule o poder competente ser mdifferente a toes
reclaraacoes, ptincips ae te qnando cxis.e vecba
cmsignada para seine.liautefin. Consegnntenen
te, quo vclva sin atteneo para o cisi, e ufi B i
obra.
Ha 9 lias quo u i cbovia o cu mostrava-
se limpo e azulado orno no periodo do vern ; po-
rin, de hontem para h.je team cabido alguno
aguaceir*9 an toda a comarca.
No do eorreate tomou posae e assuraio o
respectivo ex-rc-'io da cadeira primaria de ins-
i u -i,- io publica desta ci lade, a prot'essora l). Ge-
nercaa do R'go VedeiroaCaraleante de AlVuqoer-
que.
Era 2, s 9 horas da meaba, tomou posse e
assumi i o exereicio da rigararia desta fregnezia, o
Rrd. pro-parocho Angaato Adolpho Soares Kn-
tcWetter, que foi nomaloem sub?titui,'.io do vi-
gario Jado Oiympio de S rasa Lyra.
Club de ResaltiN Pernnmliuran)
E' hoje <|.t<-, pefauS h ims da tarde, tera lus>r, na
. do rio Capibaribe, a 3 rega-
ta do Clnb Prnambuca speitado o pro-
gramni' que d i isar-se na do dia 2, com
esta a
7 |i ii -'nr g tlerea de 6 reinos Ihn
lina, o \" sob parilhao nacional e o
i" s ii; pivilliao porl no ;3 tripoladoa por
i ii'- l) -. i da l.OOO metros.
IteildeN.Eii' > lo:
AmannS :
Pelo agen'.- Brilo, s 11 horas,na ra da Iuipc-
r ttr i ii. 31, do e oento alii sito.
Peo agente Q .11 horas, na ra do
Bom Jess n. 19, de lettras, movis, toncas, v-
dros, etc.
Quarta-feira i
Pefo agente Pinto, s 10 1/2 horas, na ra da
Emperatriz n. 88, de mov i-, loucas, vidros, etc.,
ete.
Pefo ay-'ii'e Morfina, s 11 horas, ua ra do
Imperador n. 16, de urna carta de seatenca civil.
Hisiai fiiietare. -Serio celebradas:
- Amanh :
A's 7 horas, no Carmo. por alma de Antonio
Francisco Lunschi de Mello ; s 8 hora3, na ma-
triz d i Boa Virta, por alma de D. Maria Salustia-
a i ie Anorin.
Terca-fera :
A's 8 horas, na matriz de Palmares, por alma
de Mancel de Barros Wanderlcy ; ns 8 horas, na
na tria da Boa-Vate, por alma de D. Manada
Concetco de Albuquerque Regueira; As 7 11
horas, na matriz da Boa-Vista, po- alma de_D. Ma-
ria de Albuquerque Martina Peseira; s 7 horas,
Tambem se acha em pleno exereicio de dele- u0 Carmo, por alma de Jorge Goncalves Chaves.
gado litterario deste diotrictj, o major S bastio
Antonio do Reg Cvale inte, para sajo cargo fora
ltimamente nomeaio.
Nestes ltimos das neokaaualteraoao ss t-m '
dado na ordem publica, tudo descansa na paz, o
que peco a Deas continu.
Consta que esforcos do tenente Porfirio Ta-
area da Silva Ciutinho, vai se reorgaoisar a an- j
tiga sociedide dramtica que aqui existi.
Se verdade, desdeja dou raeus emboras a
to distiucto cavalheiro pelas boas n lites de lis
traeoio e recreio, que vai dar sociedide Pao
d Allieuse.
A a revoir.
r.icarat -Escrevem-nos em 23 de abril
finio :
Por espirito de huinauidade, peco-lhe que re-
clame providencias para aqui, onda os espiritos
auJain exacerbados.
O tenente coronel Cavalcante alvo das om-
boscadas e das iras de um grupo deassassims
que tencionam acabar com elle e com os que o
cercam. Elle por sua vez tem outro grupo; tai-
vez mais numeroso, composto de ente da mesma
oriem, e com disposcoes de matar ou ser morto.
O primeiro desees grupos resol veu ir acaban-
do, um por um, com os que co'npem o grupa do
tenente-corenel Cavalcante, at que, eutraquecido
este, possam atacal-o em casa ; os qu. ac mpa-
nham o tenente-coronel Cavalcante teera os mes-
los intuito?. >
Quarta-feira
A's 8 horas, no Espirito Santo, por alma de
Bernardino Duarte Campos.
Operar* cirurgleaFoi praticada aa
hospital Pedro II no dia 14 do corrente a se-
guinte :
Pelo Dr. Berardo:
Pupilla artificial reclamada por mancha da cor-
nea.
i.oifriada corle-Eis alista dos nume--
ros mais premiados na2.parte da 27.* lotera
(196, 2a parte) do hospicio de Pedro II, extrahida
1 do corrente :
nomos de 100:OJO000 a LOOOOOO
8322 100:00000t
8594 20:000000
13125 5:000500
11568 2:000*000
11678 2:01)05000
4393 1:0005C00
4(S5 1:0005000
7437 1:0005000
7546 1:0005000
10665 1-0005000
11589 1:0005000
Pelo Sr. Hermogenes da Silva Barros ; Cathc-
cismo para os parochos conforme o decreto do sa-
cro Bantojconcilio tridentino, mandado uublicar pelo
sauto papa Pi V, 1 vol. ene. ; Cheix des
Bcieurs merceaux, 1 vol. ene.; Elemento philo-
sophia e moralis, por Dionysio Andreai Pasio 1
vol broc.
Pela S icielade de Giographia de Lisboa ; bo-
letins da mesmi sociedade.
Pela directora da sociedade \ve Libertas ; 1
exemplar dos estatutos da mesma sociedade.
Pelo Sr. Dr. Alfredo Moreira de Barros Olivei
ra Lima ; Dissertacoe3 e proposicoes, 1 vol. broc ;
Discurso proferido a 28 de Ssterabro de 1830, em
sesso magna do Club Abolicionista, 1 folh-to.
Pelo socio dosembargalor Ciestautin) Jos da
Silva Braga ; Motius polticos historia dos pnnei-
paes aeontecineatos polticos da provincia do
Para desde o auno de 1821 at 1835, por Domin-
gos Antonio Riial, 2 vol. broc.
Pelo Sr. Dr. Pedro Jos de Oliveira Pernambu-
co; O grande iniustral, 1 vol. broc.
Pela -ociedade de Ge igraphia de Lisboa ; bo-
le'ins da mesma sociedade.
Pelo Sr. Dr. Jos de Barros Lins Wanderley ;
II Sovrannaturale Nell homo conferenzu del Car
dinall Alimenda, 4 vols broes.; L'hoino- Solt la
Sagge del Sovrannaturale conferenze del Carlina
le Alimenda. 4 vol. brocs.; II Dogma D Eli Iinma-
culata Ragiuarafnte del Cardinall Alimenta, 1
vol broc. ; II Prooleme del seclo XIX couterenze
del f.' ir,lina!,' Alimenda, 1 vol. broc.
Pelo socio benemrito Leonel Augusto da Costa;
Sons dispersos, poesas posthumas. por Luiz G. de
Araujo Pereira Palma, 1 vol. broc ; Poesias de
Jos da Natividade Saldanha, 1 vol. broc. ; Im
pres9"s de viagens na Italia e no sui da Franca,
por monsenhor J. Pinto de Campos, 1 vol. broc.;
Jornada do Tejo ao Mandory, 2 ro's, brocs. ;ria-
gem de Gil Braz de Santii liana, 5 fases.
Polo Sr. Dr. Aquilino Porto ; U.a hornera gasto,
estu lo naturalista, por L. L. 1 rol. broc.
Pelo Sr. Dr Joio Alfredo de Freitas; Excursoes
pelos dominios da entemologia, estudoe e obserra-
^oes sobre a formiga, 1 vol. broc.
Pelo Sr. Dr. Henrique Marques de Hol'.anda
Garaleante ; Brasileiros celebres, por J. Norber-
to S, -'., 1 vol. ene; Os Na'tchez, historia ameri-
cana, pelo visconde de Chateaubriand e traduaida
219
221
993
1816
21.-3
2641
2678
8321
8323
8593
8595
13124
13126
De pouco tempo para c, foram j nssassina- 11357
dos 4, sendo um delles chefe de familia c com 10 11569
filhes, e outroo collector hornera pacifico e ge- 11677
ramente estimado, s pelo facto de ser amigo do 11679
teuente coronel Cavaicante.
-. Pelas ras and un os sic trios armado de ba-
camarte, pistola, faca de pontaum arsenal com-'
pleto. Teera dado surras ao meic da em ponto,
na ra, era plena feira. E' um horror !
Ha 4 mezes que o tenente-coronel Covalcaate
nao sae ra. Vive em cesa, cerca/do cunea
bras mal encarados, de bacainarte no canto da
pared?, ten lo nas portas e janellas buraios para
por elles fazerem fogo, e at barricas cheias
de are;a para servirem de triucheras.
Uns attribuem o estado da comarc i ao te-
nente-coronel Cavalcante; antros, porra, disem
que elle usa dos meios de que dispem era sua de-
leza. Nao sei onde est a verdade. O facto ,
entretanto, que isto nao pode, n .m evc continuar
assim.
n Ha aqui um destacamento de polica, eujo
comiuandante um verdadeiro jpalerma. Os seus
sol lados s fazera tocar corneta e rezar o terco.
" Imagine o que vale um tal destacamento !
Insista, piis. pelas providencias. Um bom
deli'gaao militar c um destacamento de tr^pa de
li.iha dariam bons resultados.
Monuinenlo de ai Paulo ao J rnal do Commercio da corte :
Vimos o projecto e trabilhis, j rcalisados,
do grande edificio que se i-st c.onstrunlo no lu-
gar em que Pedro I levantou o gritoluiependen-
eia ou morte.
O munumento do Ypiranga um edificio de 123
metros de frente, planeado pelo trehitecto Bezzi
e Construido sob a sua direccao. Acharaos tarde
discutir a escolha de um edificio para padr.io da-
quelle importante facto histrico, que foi a origem
ia naconaljdale brazeira.
Para mira, utilitario ora tudo,entallo que foi
felicissima idea, porque nao fi -a menoi perpetua-
da a data daquelle facto histrico s parque omo-
num nto que o commemora, deve servir para um
grande musen de physica.
Pelo lado artstico, o edificio que se est con
struindo um verdadeiro monumento, e esto dis-
tantes delle todos os mais que com este titulo se
encon rara no Brazil.
Tem aspecto grandioso e severo e est disposto
por forma que se pode augmentar anda, sem
lainno da harm ma arehitectinica geral. A frente
docorpu c tntral, que mede 25 metros e tem 11 me-
tros de salieacia, soberba e migestosa. As qua
tro gal rias, duas no pavimento terreo e duas no
Io andar, apresentam urna visual de 90 metros, o
que proiuz bello etFeito de perspectiva, coma sua
infini lade de columnas e abobadas.
No atrio ha 21 i'umnas de ordem Jnica, tendo
da lia.aetro 0IU,65. A escada nobre toda de
marmire e tem 46 degros pira nalgar umi altura
de 6,94. Cada degro tem 3IH,30 de compriraento.
A altura total do corpo ceutral, comprebendido o
attico cima do fronto, de 31 m tros, is co-
lumnas que sustentara o fronto teem 0"i,92 e sao
da ordem Corynthia.
Em resumo, para nao me deter demasiadamente
em minuciosas descripcoes, o edificio-monumento
a pigina mais brilhante da nossa aichitectura c
honra tanto o arebitecto Bezzi, como os que lhe
coufiarain semelhante obra.
Os alicer,es e o pavimento terreo esto j eon-
s ruidos. O tij lo, de contextura homognea e
grande dureza, trabalhado mo, fazendo se nell
como se tora para ficar a descoberto, todas as mol-
duras com urna perfeico de que s teem o segredo
os operarios italianos. Trabalham na obra ceuto
e tantos operarios, numero que mais tarde deve
augmeutar, quando a distribuicrdo ser vico o per-
mttir. Un plano inclinado, de grande extenso
e movido por vapor, leva os materiaes ao alto do
morro.
Espera se que soja o eseulptor Bernardelli o
encarregado de modelar a estatua de Pedro I e as
outras que ho de decorar o edificio, que se pode-
APPBOX1MACOES
l:000500t
1:0005000
6005qOO
6005000
4005000
400*000
30Uf00f
3005000
30000
3005000
PREMIOS DE 500
39 2241 8889 9852 12372
511 6282 9393 10219 13713
1757 7879 9672 10338
pbemios de 2005000
684 2758 559S 8597 11891
791 3751 7032 8666 12122
1300 4001 7313 8888 18498
1676 4258 7415 9109 12674
2073 5565 8003 9435 13673
pasmos de 1005000
2808 4471 7246 9062 1"471 11848
2900 4640 7008 9143 10559 1-02*
3207 4954 7636 9299 10772 12854
3743 5843 8362 9411 10871 12i<57
4041 6108 8472 9754 10994 12979
4248 6756 8495 10196 11290 13145
4473 7151 8679 10422 11465 13606
13811
I.olera da provincia do Hio de Ja-
neiro Eis os numeres mais premiados na 'i'
pa-te da 11 7^ lotera (3-> parte da 363) em ben -
ficio das matnzes e alfaias, extrahida em 8 do
corrente :
raninosdb 100:O!3000 a 1:000 I I
100: OOO
1618
10077
9513
13564
1483
-11
10190
12401
12692
13175
M17
1619
5968
607 >
10076
10078
9642
'.i.ill
13*3
13585
APPBOXIMAOUES
709
1320
1826
274
2271
2501
3230
5002
10
754
917
113S
1397
2031
2133
PREMIOS DE 500000
2249 6541 9932 12244
2911 7647 10359 13509
3373 8542 11977
panana di 2005 J00
5338 8808 10170 12863
5935 9191 11762 12985
7379 9630 11787 13387
7955 9661 11790 3609
7998 9709 12523 13813
premios de 1005000
4293 5601 7538
20:0005001
5:000503
2:00i'500t
2:0005008
1:0005008
1:0005000
1:"00500
1:000)008
1:0005001
1:0005000
1:0005088
1:0005008
60o 5008
ex 15008
4105008
1' KI5O08
3005008
3005008
3005000
3005008
2202 4293 5601 75.18 9839 11701
2638 4365 5858 7766 1C036 12005
3448 4896 5936 8348 10070 12138
3767 4!>0 6232 8395 10999 1*795
3978 5039 6750 8892 11006 13128
3990 5081 6828 9046 11238 13268
3994 5195 6830 9519 11309 13H49
13918
Lotera Extraordinaria do B'pl-
ranga-0 4o e ultimo sorteio das 4 e 5 series
desta importante lotera, cujo maior prem de
150:0005000, ser extrahida a 12 de Junho prxi-
mo.
Acham-se exposto a venda os restos des bilae-
tes na Casa da Fortuna ra Primeiro de Mareo
u. 23.
Lotera do BioA 4* parto da lotera n
196, do uovo plano, do premio de 100:000*000
sera extrahida no dia 19 do corrente.
Os bilhetes achsm-se venda na Casa da For-
tuna & ra Primeiro de Marco.
Tambem acham-se i venda na praca da Inde-
cia ns. 37 e 39.

?SO



Diario de Pernambuco---Domingo 1
, .. .
de Maio de 1886


Lotera de Macelo de BOOtOOOaOOO
A 8' parte da 12* loturia, cuja premio (grande
de 200:000*009, pelo aovo plano, aera extraJada
impreterivclmente no di 18 de Maio a 11 horas
da mauha.
Bilhetes venda na Casa Folia da praca da In-
depende.ida na. 37 e 39,
Ijolcrla da corteA 4 parte da ^64 lo
tena Morca, cnj i premio grande de 100:0008.
ser extrabida no lia de Maio.
Os i-ie vendi na Casa Feliz,
^ da [o I i na- 37 a 30
T.un i ni s" a andan* (!as* da Fortun ,
IU PrDON i- li:\- I '1- H-
Jlnlailunni Publico. Foram abar
no Matadouro di Cabanga J05 rezos para o consa-
mo do dia lli de Maio
S-nd i: iit'H m BrSi
tr & c, e 16 I ii ra 's.
Mercado Huaiclpal de H.
BMriaaeal insta Manad > a s dina
renl foi o aeguiuto:
Ltitrariun :
,11 bois pesando 4.897 kilos.
880 kilos de poixe a 20 res
87 cargas de farinba a 200 ris
35 ditas de fructas diversas a 300
ris
13 tabolcirop a 200 ris
21 suinos a 200 ris
Foram occupados:
22 columnas a 600 ris
29 compartimentos de faiiuha a
oOO ris
23 compartimentos de comidas a
500 ris
78 1(2 ditos de leguraes a 400 ris
17 compartimentos de suiuo a loi)
ris
12 ditos de tressuras a 000 ris
9 talbos a 500 ris
2 ditos de ditos a 2f
51 tainos de carno verde a 1
Iiveira Cis
don.i.
15 do c t-
17b00
17*400
101500
24600
44200
13/200
141500
11*500
31/400
Barros. Revisores os Srs. desembargadorca Buav-w Baar PopuUr. substiiuindo-a pela qaa,apresentam
18/000
4*000
54JO0V
Deve ter sido arrecaiada neste dia
a quantia de
Dbitos dos dias 25 de Marco a 15 d)
corrate, receidos
dem at 15 do corrente
Foi arrecadado liquido no da 15 do
corrente
Procos do dia :
Carue verde a 180 u 36) lis okii..
Suinos a 560 701 ris iduio.
Cainciro a 600 e 1 0) ris idem.
Farinha de 32) a 500 ris a cui*
Miiho de 32) a 44 ris idem.
Feijaode 80.) a U280
Cemilerlo qublituObtusrio do dia 14 de
Maio :
Ii salina Maria da I aixao, Pernambuco, 33 an-
uos, solteira, S. j-js ; leeao cardiaca.
V en!iua Mara da C nccicilo, Pernambuco,
30 anuos, solteira, S. Jos; lesa, cardiaca.
Ephigenia Mari-- Jo lisoirito Santo, Pernambu-
co, 3J annos, solteira, Boa-Vista; tubrculos pul
monarca.
_ Mara, Pernainbuc, 3 mezes, Boa-Vista; ente-
nte
loauna Priuceza da S, Pernambuco, 38 annos,
solteira, G.-aca ; awaiagita.
Alberta, Pernambuco, 10 dias, Boa-Visti;
spasmo.
Cifharini, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ;
brouehite.
Hara Elija de ll.rv.lho, Pernambuco, 22 an-
nos, solteira. Boj-Vista; beriberi.
Ciiidida, Peni .inbuco, 2 mezes, Kecife; con-
vulso es.
M .na da Conceieao Serena Benedicta, Pernam-
bue i, 70 anuos, solt-ira, Boa-Vista; enterite.
CHRONiC JUDICIARU
Tribunal da Hclaco
SESSO OUDlNAItl v BM 14 DE MAIO
DE 1880
PRKSIDENCIA DO KXM. SR. CONSELUEIKO
QUINTIX DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho
As 'vn as do coatum.-, presentes os Srs. desem-
bargado! es em numero legal, oi aberta a sessao,
depois de lida e approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e pausados os fetos, deram-se os
seguiutes
JULGAMENT09
llancas corpus
Pacientes .
Venesio Alves B ierra. Mandou-se soltar,
contra os votos des fjrs. dese.obargsdores Pires
Gonc-Uves, Monteiro de Andrade e Pires Ferreira.
Antonio Pereira da ilva e Antonio Joaquim
Ramos.Indeferidos uuaum-mcnte.
Recursos clciloraes
D > Bezerrosli- .-oir-ut,- Vicente de Paula Fe-
lici i dos Santos, recrrido o juno. Relator o S .
desembargadrPins Umciiv s.Negou-se provi-
mento ao rocano, un iiiinmmnnfn
De BezerroeRecrtente Libanio Jos Xime-
nes, recorrido o jauto. Relator o Sr. desembar-
ga lor Alves Bu. riN gi u-se provimento ao
recurso, uuaniiiein
De Canpma ii- n i..- fi corr. nte Salvador
Cleineutino d C -i r co ri lu o juno. R lator
O 8r. des'-mba'g r llvea Ribeno Neguii-se
pr >-. im -nto ao i- nn -o, i- tra os votos dos Srs.
d- inbirgadores 1'iesUi calves. Pires Ferreira
e couselhuro Aratgo Jorge.
ii -cunto enme
Do ReeifeRee..n-eiit-'i j izo i' Jos Cini, re-
corrido o juizo do i-oinin.-reo. Relator o *r. des
euibargador Alves Itbe.r... Atijuutos os Srs.
deaembargadores Ti-ean i BarMtd e Pires Fer-
reiraNegou-se proviineuto ao recurso, unni-
memente.
Aggravos de petico
Di civcl do Recir".Aggravante Francisco An-
tonio de Oliveira, aggravados Henry Forster <\
U. Relator o Sr. desembargador Pires Ferreira.
Adjuntos os Srs. couselheiro Quciroz Barros e
desembargador Buarque iiiina. Deu se provi-
mento ao aggravo, unnimemente.
Appi-llacocs enmes
De Goyanna Hppellante o juizo, appellado
Joao Pir>s Silverio. Uelator o Sr. conselheiro
Queiroz BarroM^ndou-se a novo jury, unaoi
memeatc
De Nazareth App'Jlante Joaquim Ignacio
G.niealves da Luz, appella)dos Ru&iio Goncalves
da Silva eoatros. Keutor^O Sr. ccnselheiro Quei-
roz Barros. -Couiiimou se a\sentenea, unnime-
mente. v.
De S. BeatoAppellanto Mindel Francisco de
Souza, appellada a juslr;i. Relipr 0 Sr. da-
embarga lor Monteiro de Andrade. V Mandou se a
novo jury, unanim -ir.euie.
De Ticarat Appellante o Juao, appellado
Mauoel Joaquim do Espirito Santo.V Relator o
Sr. deBembargalar Mouteiro de AndraJe.-M m
don-se a novo jury, uaauimem 'nt i
Da InJi'pendeiiciaAppellante o jaixoA appel-
lalos Candido Thomnz da Silva e outro. fio-ato r
o Sr. des mbargaior Pires Goncalves..Nandou-
se a novo jurj, uuanim'in.'ute.
Do CaboAppollantv o juizo, appelladjos Ma-
noel Pajea, dxoa >, Izidoro e Joao Ferro. Rela-
tar o Sr. d-'scinbargador Alves Ribeiro./ Man-
dou-se a novo jury, unnimemente.
ApiielUcoes civeis
De Camaragib-- Appeliante Francisco Manoel
Mariano Faleao p/elUdo Francisco S avier Car-
n iro da Cunta. Relator o Sr. conselh !ro Arau-
jo Jorge. U t ores os Srs. deseiil urgadores
Baafqae Lina e Toseauo Barreto l oram des-
pie/ tJ.is os e obargos, unnimemente.,
Ds Mara^ogyAppellante Antonio c Oliveira
S uoa, appellado Francisco da Itjcha Hollanda
Civalcanto. Relator o Si. i'onselhei o Queiroz
Barros. R.'viso.'f s os Srs. desembargai ores Buir-
iii Lim e Toscano Barreto. Foi coi firmada a
sentenca, contra o voto do Sr. desyulbargador
Buarque Lima.
Apr.ellacoes com nerciacs
Do ReeifeAppellante Francisco 1 Goncalves
Torres, appellado Augusto Labille. Rlelator o Sr.
oonselheira Araujo Jorge. Revisores oas Srs. des-
embargadores Buarque Lima e Toscanfp Barreto.
Foram despresados es embargos, unanfimemento.
Do ReeifeAppe laotes Antonio Jos* de Lemos
outro, appellado Augusto Carlos del Miranda
Heuriques. Relator o Sr. conselheiro A/rauj Jor-
ge. Revisores 03 Srs. coaselheiro Quiroi Bar-
ros e desembargador Buarque Lima.*C'jnfirraoa-
ae a aenlenca, unnimemente.
De Macei -Appellante a eompanhi;
Railway Limited, appellada a compan
Mercantil. Relator o Sr. conselbein
que Lima o Toscano Barreto. Confirmou ae a
sentenga, unnimemente.
PASSAGENS
O Sr. coaselheiro Araujo Jorge, como procura
or da corda e promotor da justica, deu pareoer-
nos seguintes feitoa :
Conflicto de jnrislicco
Entre os juizes iniiiiieipae3 de S. Joao a Tei-
xeua Ua l'arahyli .
AapaHaaSm cnmn
De (.'inn i-aib> A ipllante .loo Jeronymi de
i, i,ipell.. i i Ait ma Joquim da
lata,
D- Ip jucaftjjinHantn II nato Ferreira Ma-
rinho, appellada a joatiea.
Do v. eoaaelh-iro Qteiroi Barros ao Sr. des-
embarira ijr Buarque Li na :
A|.|i mes
De Asseinoi. pp-llaute Au'onio Heurique
de Fari i, appellada a juatiea.
A|ip Uasi i civel
De AtalaiaAppellauti o alferea Joa Alves
Paea do Bumfim, appellado Leoncio Novaea de
Castro
Do Sr. desembargador Buarque Lima ao Sr.
desembargador Toscano Barreto :
Appellacao crime
Do PiancAppellante Joao Manoel de Mara,
appellada a justica.
Embargos infringentes
Do ReeifeEmbargantes Jos da Motta Rangel
e Costa Irmao & C, emburgados Flavio Goncal-
ves Lima e outros.
Do Sr. desombargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Oliveira Maciel :
Appcllacods crimes
De Pao d'AlhoAppellante o juizo, appellados
11/900 JUanoel Tbomaz de Albuquerque Maranho e ou-
7/200 tt-oa.
Do BrejoAppellante o juizo, appellado An-
tonio Alvea de Olivera Braga.
Do Sr. desembargador Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Embargos infrijgentes
De Jaboatao Embargante Barao de Liaoero,
embargado Luiz Cesar Pinto de Faria.
Do Sr. desembargador Monteiro de Andrade ao
Sr. desembargador Pires Goncalves :
Ml( Appellafoea crimea
Dc> NazarethAppellante o juizo, appellado
3f 40 J Antonio Joaquim de Meadonca.
De AtalaiaAppellante Luiz dos Santos Silva,
appellada a justica.
O Sr. desembarga lor Pires Goncalves como
procurador da cor i ad boc deu parecer na
Appellacao commercial
Do ReeifeAppellauteDr. Amaro Bezerra Car-
neiro Cavalcante, appellados os berdeiros do fi-
nado e.nuil .Hilador Francisco Accioli de Gouvcia
Lins.
Do Sr. deaemb irgador Alves Ribeiro ao Sr.
conaelheiro Queiroz Barroa :
Appellacao crime
De Palmares Appellante o juizo, appellado
Joao Meudes de Barros
DILIGENCIAS
Com vista ao Sr. conselheiro promotor da jus
ti?a :
Appellaces crimes
Da Parabyba-Appellante o juizo, appellado
Sebastao Salustiano da Silva.
I) Villa BellAjpelllaute o juizo, appellados
Balbiuo Gomes da Silva e outros.
Com vista s partes :
Appellacoes crimes
De Goyanua Appellante Heurique O'ympio
Tavares da Rocha, appellado Dr. D.odoro lpia-
no Coelho Hatauho.
Do ReciteA|.p- liante Maria Jos Pereira Ri-
sado, appellados a Fazenda Provincial e Manoel
Jos Pereira Rosado.
DISTRIBTJI9OES
Recursos eleitoraes
Ao Sr. conselheiro Araujo Jorge :
Do lugaRecurrente Francisco Alexandrino da
Veiga Torres, recorrido Chremacio Nono da Sil-
veira Callafange.
Ao Sr. conselheiro Queiroz Barros :
Da Ing Recurrente FraneUcj Alex 111 iri 111 da
Veiga Torres, recorrido Joaquim Pereira da Silva.
A > Sr. desembargador Buarque Lima :
Do IngaRecurrente Francisco Alexandrino
da Veiga Torres, recorrido Jos Paulo da Silva
Oliveira.
10 Sr. desembargador Toscano Baireto :
D i IngaRecorrente Francisco Alexandrino
da Veiga Torres, recorrido Feliciano PereiraLyra.
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciel :
Di IngaRecurrente Francisco Alexandrino
da Veiga Torres, recorrido Manuel Cavalcante do
Reg.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do IiigR-icorrento Francisco Alexandrino
a Veiga Torres, recorrido Firmo Gaudencio de
Lyra.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Audrade :
Do lugaRecorrente Francisco Alexandrino
da Veiga Torres, recorrido Jos Jeronymo de Al-
buquerque.
Ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
Do IngaRecorr-nte Francisco Alexandrino da
Veig Toras*, recorr Jo Manoel Francisco de
Mello.
/o Sr. desembargador A'ves Ribeiro :
D > luga Recorrente Francisco Alexandrino
da Veiga Torres, recorrido .Manoel Cabral de An
drade.
Recursos crimes
Ao Sr. conselheiro Queiroz Birros :
De CimbresRecorrente o juizc, recorridos Ma-
nuel G unes e laudino Gomes
Ao Sr. desemb irgador Buarque Lima :
De Barjtne rasRecurrente o juizo, recorrido
Jos Thoraz da Costa Luna.
A' Sr desemb tigader Toscano Barreto :
DeBmanerasRecorrente e juieo, recorrido
Miguel Dionisio Raposo di Cmara.
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciel:
Do PilarRecorrente o juizo, recorrido Manoel
Fidelis Benedicto.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
De Campia Grande=Recorrente o juizo, re-
corrido Sabino ttarcolino ie Oliveira.
Aggravo de petico
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
Do commercio do RecitAggravantea Narci-
so Se, C, aggra7ad) Diogo Augusto dos Res.
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
Do CaboAggi avante Francisc 1 Pires Falco,
aggravado Visconde de Campu Alegre.
Appellacao commercial
Ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
De Mamanguape=Appellantes Jos Fernandes
Ferreira & C, appellados D. Mara Gomes da
Silveira e outros. _
Encerron-se a sessao as 2 hiras e 1/4 da tarde.
denoraiu.la Camacan.Deferido.
Di Antonio da Silva Jnior, e Jo$o Emygdio de
asss, para que se archivaase o contracto de so-
ciedad em nomo collectivo, que celebrarara sob a
firma de Silva Jnior & Assis, com o capital de
2:000/,- para o co nmercio de gneros de estiva
nesta praca roa dr Mrquez de Herval n. 141.
Archive-ae na forma da lei.
De Mendonca Primo fisC, para que se d bai-
xa no seu ex raxero J0S0 Dativo Maciel Caldas.
B baixa [>>"iida.
De Andrade Lopes & C, pura que se ircliive
a pnragwplB s iciedade ein nomo collectivo e
em ciimmandita daqu>l sio socios, commanditario
loao Fernandos Lipes e solidarios Jo Maria de
Andrade o Mexandre Lipes de Medco, como
capital de 16ii:/07733W0, sendo finido em com-
mandita de 32:500/1)00, para a continuacao do
commercio de f-.zendas nesta praca ra Doqne
de Caxias n. 52.Srjfc archivada.
De Bernardo Baterea & Irmao, para que seja
archivada a prorogacao do contracto de s iciedade
era nome colli-ctivo que celebraran) soba firma de
Bernardo Estevi-eUt C de cuja firma sito socios
Bernardo Esteves y Esteves, Ricardo Estoves y
Esteres e Bernardo Jos de S, com o capital de
10:468/400 para a continuacao do commercio de
taveroa ra Nunee Machado n. 48Archive-se.
De Jos de Souza Nunes Braga-e Antonio Botelho
da Cmara Braga, para que se archive o contracto
de sociedade em commandita que celebraram sob a
firma de Cmara Braga &C, com o capital de
16:218/625, sendo o fundo em commandita de....
13:725/957, para o commercio de gneros de esti-
va ra Direita do Afogados n. 32, desta eidade.
Seja archivado.
Nada mus havendo a despachar o Illm. Sr. com-
mendador presidente encerrou a se sao a 11
da manh.
1886. O moatre da offiim de raachinista-
stiralueiros, Canudo JosdoGaa Tell8 -
Visto O capitao Carvalho Mondonga, aju-
daute interino. Conforme. Eu, Jos
FrancisooRibairo Machado, secretario, sub
sorevo.
Eu face do semellianta oceurr^n ti* inan-
dei effaetivaTiente x luir i ,, D>-iiin-
gi>8 de Giiiin.l ii n.-io 1 1 ,,', tii-
saca'. que me c<:if-r o artizo l.'i" g II Ki
regulaineiiti) de li) efeQutubru _'. IS i,
de oornin tr eiM m.-ii acta d-; arbitran >, nema
t&o pouco d.i injust), em rala da part
a ima r,frida.
51 nento un Jiiirito 1 I ,'
tor do Arsonal de Guerra da c>rte, o cojd*
maniante dus armas do Para e rnuitoa o.o
tros que servindo na situagao paaaada, hoje
continuara no exerccio de seu3 empregos.
As aucusaco :s quo a Provincia sena re-
folno lanca ao capitSo ajudante, Trujano
Alipi i de Ctrvalh) MWbvica, no preaisa
1 n apirto "triado para lescobrir que ellas
1 li baS dd I |l'! I, p08 qu=i 08 faetOS
111' se ref-reiu a tempos p ta-
n, quitiilo m-sno MtaiH rerdadairos,
I 1 ilpjb'lilala devoria recahir n-i ulti-
ma adminislragao do arsenal, a qual con
tugaa o artigo ediotorial tr-r sido honrada.
1 'ir L-se na Tribune Medcale :
Apezar dos procsaoa -d"e purifieafio anii
aperfeicoados, o oleo de ligado de bacalhio fioou
um medicamento prohibido a muitos doentol, ci-
jo estomago nao plu maa aupporUr as subtan
cas graxaa.
Era portanto necessario pneurar um mer>-de
mudar radicalma-ite a sua forma conervanlo to-
das os seu (jriucipioa activos tjo precioso;: este
rebultado foi o itido pe* cimposicAo do tviutu de
extracto de ligado d oacalliao, le Chevri r, pee-
oaiato S''g>inlo um t ..-.nula a-provada p:'i
ipoiia de m djcin.i.
Recommendamos aos nossos leitores este excel-
lente producto que contn vi-r, todos es elemeu-
'.08 efficazes do oleo de fijado de bacalh) e pos-
soe a-i propriJndes therapeuticas dos prepara loa
le olicos.
Alagas
Ria Uuiio
Qireiraj
af unta Commereial da cldade de
Reeife
ACTA DA SESSO Etf 13 DE MAIO
DE 1886
PKE8IDENCIA DO ILLM. SB. COMMBNDADOB AHTOHIO
OOHSS DB MISAKUA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guimar&ei
A'e 10 horas da manhadecla'-ou-se aberta a sea-
sao, estando,pre8eutes os Srs. depatados : Olintho
Basto.-', Beltrao Jnior e sapplente Hcrmnode Fi-
gu^iredo, faltando sem p.irticipacSo o Sr. c. mm Mi-
dador Lop'-a Machido.
Lida, foi approvada a acta da precedente sesso
e fez-se a leitura do segninte
EXPEDIENTE
Officios :
De 8 do corrente, da Junta dos Corretorea
desta pra^a, remetteado o boletim das cotaces
ofBciaes de 3 a 8 do crreme mcz.Para o ar-
chivo.
Di-irioi oflicaesde ns. 113 a 117Sejam archi
vados.
Distrbuiram-se a rubric* os aeguintes livroa :
Diario de Magalhes &.Motta, dito de Jos da
Silva Ley o & Filho, dito de Antonio de Oliveira
Maia.
Copiador de Olivoia Bastos & C, dito de Gomes
da Mattoa Irmos, dito de Augiato Fredenco de
Oliveira a C, dito do Antonio de Oyeira Maia.
Foi assignada a carta de commerciante matri
calado de Flix de Horaea Ban eir, de 44 aonos
de idade, natural da provincia das Alagdas, do-
miciliado e esUbelecido eidade da Macei com
sua caaa de commercio de commissSes e negocios
de conta propria por grosso.
DsapAcraoa
Petices:
De Andrade Lima & Irmaoa, com fabrica de ci-
garroe e charutos ra do Yisonde de Inbama
n. 27, nSo podendb cumprir o despacho da Illina.
jauta da 19 de Novembrc prximo paaaado pedem
pira qoe ae d baixa no regiatro de aua marca
IKD1CAC0ES DTEIS
Medicot
Cotiaaltorio niediro-cirurarico do Dr.
Pedro de t labrde Lobo Hoaeoao h
na da tloria n. 39.
O doutor Mohcozo d consultas todos os
lias uteis, das 7 as 10 horas da manh7.'
Eate consultorio ofFerece a commodida
de de poder cada doente ser ouvido e ex
minado, sem ser presenciado por outro
De meio dia s 3 horas da tarde ser o
Dr. Moscozo encontrado no torreSo pr*
a do Commercio, onde funeciona a ias
peceo de sade d porto. Para qualquar
d'estes Joua pontos poderao ser dirigidos
os chamados por carta as indicadas horas
Dr. Miguel Themudo raudou cu consul-
torio raeiico e residencia para a ra Nova
n. 7, 1. andar, onde d consultas das 12
8oras s 3 da tarde e recebe cahmados a
qualquer hora. Especialidades partos fe-
bres, syphilis e molestias do pulmilo e co-
aacao.
O Dr. Arthur Imbn&sahy, medico occu
lista, recenteroenta chegado, esta eidade,
d consultas tod>s os dias, das 8 a 10
horas da maoht, sendo gratis aos pobres
no 1. andar do predio n. .r)3 da ra da Im-
peratriz.
Dr. Barreto Sampaio d consultas de 1
s 4 hotas da tarde, ra do BarSo d'
Victoria n. 45, 2 andar, residencia ra
lo Riachuelo n. 17, canto da ra do Pires.
Advocado
O bacharel Benjamim Bandeira, ra do
Imperador n. 73, 1." an lar.
Henriqte Alilet. Ra do Imperador
22, 1. andar. Encarrega-so de questfos
as comarcas prximas as linhas ferraa.
Dr. Oliveira Escorel. 2." promotor pu
buco, tem seu esTiptorio de ad rogada da
ua Primeiro de Marco n. 2.
Dr. Seabra. Mudou seu escripto de adro
gacia para a ra do Imperador n. 24.
rosarla
Francisco Manoel da Suva & C irs^-
sitarios de todas as espccialidauea pharm>
citicas, tintas, drogas, prodanaaa chimic
e medicamentos homteoDatii'.os, rita do Mr-
quez de Olinda n 23.
Faria, Sobrinko & C, drooasta* pot
attacado. Ra Mrquez do Onad n. 41
Herrarla a Vapor
Serrara a vapor e officina da tmrapinn
de Francisco dos antos Ma-iodo, caes de
Capibaribe n. 28. N'este grando MtalM e
cimento, o primeiro da provima n'este ge-
nero, compra-se e vend ae ajaadairaa de
todas as quulidades, serra-se madeiras dt
conta alheia, aasim como se preparara obra1
de carapira por machina e por preces sea
Competencia.
concluir que o rosa procedimeato tea por I alo eifhr mu dtreetaaaeats au ex-dirac-
ror do arsenal o cntao niio me competo to-
mar a aua d< f zj, visto eoaio o nTeaooaav
do offi -ial ter a precisa hombridado para
responder sobro os pontos de aecusacao
constantes do raeamo artigo, e o capitao
ajudante ha de nocessariamente provar a
alaidade das arguicrJes feitas pela Provin-
cia, que tanto ferem a sua honra e digni-
dado.
Goncluindo, direi que jamis me intimi-,
darlo as ameayas contidas no ultimo tre-
cho do citado artigo, porque cima do jui-
z) desso orgao, existe o tribunal da con
sciencia e o juizo dos hornees de ambos
os credos polticos que dirigiram e diiignm
os destinos do paiz e que nao se' deixarao
arrastar pelas invectivas o assaltoa contra
a reputacao daquelles que tm empregado
todos os 8uus esforjos em b-'m servir api-
tria, mejmo as occisin as raais perigo-
saj, quando ella exigi di seus tilhos o sa-
crificio da sangue.
Reeife, 1G de Maio de 1886.
Antonio Vilella de Castro Tavtres.
ora a vingaaca por qu ", | t .r.-ns ,
nao precisar exfotfo pu irar oom
robustez easa inexasti (a desde qu ass:
guram-rae no ter Domingos de Gnsiaao
tomado parte no pleito eleitoral quo teve
lugar no dia 15 da Janeiro e terae dado
a sua eliminagao 4 de Fevereiro, quan-
do elle 16 do mosmo mez tinha da con-
correr ao 2." escrutinio da eleico proced
da no 2. dstrcto. Como pois pode a
Provincia assevorar que houve vinganca,
envolvendo n'esse cortejo de calumnias o
honrado conselheiro Tnaodoro, e dizer quo
a demisao do Gusm2o foi devida a moti-
vos eleitoraes ?
A mprensa semduvida um instrumen-
to respetavel, desde que se faga echo da
verdade o da justija, mas quando abando-
na a sua nobre missSo e atira-se ao terre-
no da offensa e da injuria, por certo que nao
merece o conceito dos homens de bam.
Nao escrovo para a Proyjncta julgar-me,
porque, ainda mesmo convencida da verda-
de que exponho, n3o retirara a acou
sayo que me fez, no iutuito nico de pro-
duzir effoto ; tamem seria excusado fazel o
para os amigos e os quo rao conhe jera, de
quera tenho dreito de exigir intaira just-
5a ; eseravo somanta para aquelles qua nao
me conhacom afim <'e que nao lhes paira
no espirito a menor duvida sobre a rega-
laridade e justija do meu proca dmento.
Em rclayao qualiliiiyil) que por des-
peito ma d a Provincia de energmeno e
hydrophobico partidario bistar dizer que
no Arsenal de Guerra, que ora dirijo, exis
tem empregados ex.-rcondo altos eargoa, os
quaes pertencem ao partido decahdo.
Se com eflfeito possui^se um espirito ta-
canho e intolerante em poltica, certamente
nao conservara esses empregados, alguna
puramente de admissao e de>Disso do di-
rector, e outro3 do Governo Geral, para os
quees seria fcil obt-r suas dniissu's ;
por.n nSo proeedi como julga a Provincia,
tanto assim qua silo conservados m acus
lugares, tondo at muitos delles tomado
parte no ultimo pl'ito eleitoral, auxiliando
a causa dos oorreligiafiarioj i.uju -11-s que
fazsm parta da redaccSo da Provincia. E
ouUo nao poda c era devia s-jr o meu
procedi.-Banto, porque accostumado serapre
a ser laal no cuuiprimen'o do meus deve-
res, seria iniapaz de proraoor a demissilo
de empregados, que reputo bons auxiliares
Recita em beneficio do ca
RECEITA
Importancia apurada pala commissib
da Boa-Vista
Dita dita pela de Santo Antoao
Dita dita pela do Kecife
Dita dita pelo bilheteiro no theatro
Dita da cobranca teita pelo continuo,
importe de bilhetes nao recebidos
pelas commisses e bilheteiro
Dita dada pela commissao do Kecife
um socio para distribuir
l'IJBIMCOES A PEDIDO
director do Arsenal de t-ucr
ra, iMa.jor Antonio Vilell* de
Castro Tavares e a Provine!4.
A Provincia, no trabalho ingloro da fe
rir a reputacao alhoia, nao duvida laucar
mao de todos os meios, conducente a to
reprovado fim. E nssiin que faz inserir as
columnas de sua folha de 11 do corrente
um estirado artigo, tirado por epigraphe
urna victima, no qual lanca o odioso sobre
o xm. Sr. conselheiro Theodoro e sobro
ii i ni, attrbuindo-nos som razilo a loucura
de Domingos de Gitcmao, da Paz T> ixira,
por ter sido este eliminado do quadro dos
operarios do Arsenal de Guerra.
Aproveita- aoccasiSo para denominar-me
militar desabuaado e energmeno, conside
rando-me hydrophobico e partidario, clas-
siticando me at de ingrato generosida
dos adversarios, que durante a situacao
pas3ada mantiveram-mo em corainsSes,
que diz o citado artigo hoje eu considerar
de inteira confianca poltica.
Para demonstrar a falsidade da aprecia
9S0 do artigo edictorial com referencia
Domingos de Guralo, dirai que ao as-
sumir a direceo do Arsenal, em Novera-
bro do anno lindo, re^ebi por vezes par-
tes verbaes do mestre da officina, na qual
trabalhava Gusmao, declarando ser incon
venienta ao servico a continuas^o do seme-
lhante operario. \Jom a prudencia com qua
costumo pautar os meus actos, nSo quiz
de prorapto excluir do ponto o referido
Gusraito, sem qua t vessa pr. v s satlafa to
ras, do que acabava de asseverar o mes-
tre da offi:na. Em 4 de Fevereiro do
correnta anno tive onhocim.nto por in
tarmedio do capitao ajudante do Arsenal, da
parta por escripto dada peto respectivo
mestre a qual a seguinte: Copia. Illus-
trissimo Sr. capitao ajudante. L*vo ao
conhejimento de V. S. que o op;rario ci-
vil do 8.* ciasse, Domingos do Uusmai da
Paz Teixeira nao est no caso de con-
tinuar a trabalhar na officina, porque
tem, ae ha muito, desmerecido o seu tra-
balho, a ponto de nao se poder confiar ne-
uhum servico, compareuendo na officina
como embriagado ou louco e s por equi-
dade se poder consentir quo elle continu
na officina, em vista do estado de desar-
ranjo era que se acha ^ as faltas consecu-
tivas que d na officina, pelo que pede
ser dispensado o seu trabalho. Arsenal de
Guerra de Pernutnbuco, 4 de Fevereiro de
Impostos provln-iae* degyro e
exporta cao
O mero interesae pecuniario le eropregadia da
alfandega, disfarcando se sob as conveniencias de
urna prompta e t'acil arrecadacao de impostos pro-
vincial^, e explorando as onscqusncias l.igicas
das instruece.'s ante-fiacaes da 19 de Agosto de
1885, hbilmente provocadas pela boa vontade da
propria alfandega e de alguna b.-m intencionados
despachantes, acaba de conseguir urna grande
victoria.
Sim; aquellas instruccojj sao auteSscaes por-
que se pietendcu escinder por detrs do gyro
mercantil o vsrdadairo restab lecimento dos u
con-tiiucisnacs impistos provinciaes de co sumo.
A campanha foi louga, paciente e hbil para
OOOHfrnir -jue no thi'souro, no palacio da presi-
dencia e ni assembla provincial, fossein renei
das a naturica resistencias e se abriese marg- m
urna pretendida opiniu geral. que ninguem d3
cuta seriamente ; p irqui' se irinava en iuforma-
e8 s incompletas ou falsos conecitos rep -tidos, e
nao em conviccoca funnadas diaute da imponente
verdade dos fantos e depois de um estudo ario
d ts condic'Vs praticas de todis os elementos, i|'ie
obrigadarocute se d-'vem levar < m conta na solu-
yio de ounjiir pniblcnas tideaes.
Eis a real e a verdadeira exylicacivo do facto
anormal de, em pouos das, e quasi sein discusso
aa asaembla privincial, achar-se convertida em
lei da provincia a trite idi de arreuadar-se pela
alfiiad-ga os nnpostos provinciaes de gyro 8 est-
p irtac a como mais doloroso sacrifi-io de direi
t is autono.nic is dcsta n ibre provincia!!...
Nao crivil que luja um s pernambucano
administrar"! i da rapartigiro a meu car "O. I digno da seu torro natal, que. peuetrandi> s? la
Nao declino 0 nomo da nanhum delles por Uxteasao do sacrificio amargo que se yai impor
l provincia, uuo se contriste no intimo d alma ao re-
ler a integra la lei que soO u n 1867 acha-se pu-
blicada no Diario de 1^ do carrate !!
E' preciso, porui, que nao se facam iujusticas
e que se mo saspeita do sincero patriotismi de
ningaeu*.
Todoa os que de boa f conccrrerim airecta on
indirectament para resi.U'vr-se desuirosain nt-
provincia um simples e fcil p obit'ma fiscal, fi
zeram nas melhores intencos por nao se anhirnn
i prevenidos contra informavots geitosas e talvez
mas para a corte, affiracando com o m uor m;lllt.108a3) que fill!rHin carreiri fHCilmente por
ynistno que eu praticava na administra- i nio terem sido contestad s ou av-rigaadas.
c3o do Arsenal violencias para conseguir | Em taes circuimtftucias, nada man natural do
dos empregados sem votos, permita, por I q'''ausencia de obstculo p .r parto do tt.eso.i-
i r ; ro da llostrada assemble provincial e ale de
rainna vez, provoeal-o pira qUe prove, com | Exc que tj0 d2,lHm ,ate dlr[IH a prav,ucia. e de
testomunho da qualq-iar empregalo, ainda cujo carcter nobre elevado, patriotism. e ree
mesrao dos lemitti los, qua eu delle solici-' tidi de animo nao se pile sinpaitir, e.n fice dos
tei ou exigi com araoac ou por outro meio belJ? '"""""3 P'^dentes.
Vai, portanto, consumar sa o grande sacri-
C. D. F.
1274000
9000
158*01.0
131*000
Somma
DESPESA
Aluguel do theatro Santa Isabel, il-
luminaciio e pessoal do .servico do
mesmo
Machiuista, poato e contra rera
Aun une os no Jornal do Reeife
Damas, 50* maia 40*
Pintura de um panno
Impr ssao de billi -t s, chrtfzes c dis-
tribuir, continuo, despi'zas miulas
Ao mesmo, commiaso de cobranca
Copia do drama
l'rem para Olinda
Importancia de fazendas para cos-
tumea
Dita de perneiras, calcado, aluguel de
movis, cab.'lleiras. chapis e despe-
zas miudas
Peitio dos costumes
Aluguel de coutra-baixo
Pago a um socio por onta de sua
conta
aldo a favor
124*0X0
70*200
804*009
152*009
60*008
10*440
90*000
80*00t
105*110
12*000
10*000
10*000
01*289
103*400
35*000
8*000
70* 50*280
8013,00
nao querer dcscer aessa minu Ioneia j mn f"^0
affianco ao publico que a Provincia radhor
do que eu os conheee.
O orgao liberal quo por maia de urna
vea me tem provocado, fantasean lo sempra
oxercer eu pressao cora nbuso da rainha
autoridale, o qu9 raesmo durante o pleito
eleitoral com todo afn passava telegram
menos decente, o seu vrJto no pleito fiado. yc
Quanto ao agr lecimento na- dnu pela
g n Tosidado dos a : V'-rs ijios qua u mvo-
ram-me era coraraissSas n< situarao pas^-
da, n qua hoje, diz Provincia, eu consi lo-
ro de inteira confianza, a po fer-i nsar-
g>r n'esse tpico um rlil ou j >g de in-
triga para aasiu conseguir a aaimadvomZ >
daquelles que sempra na hnraram co.n
suas amisades e que d nura fizm bmn
juizo.
A Provincia, como folha poltica, deve
sab-r que ha diff-r nraa ratre > lugar confianQt poltica e <> d.- eonfio^ > a uioa
trativa.
i) uilitar, qualquer qua seja i s u sendo
poltico, deve mereci-r pe. org nis .cao lo
exercito a confianca do (jvtui, pelos
rcgulamentos disciplinares uao p { nunca
se desviar do principio da obediencia e
lealdade, asaim como nao tem o dreito pa-
rante o regulamento de recusar ostensiva-
mente qualquer commissSo para que seja
no meado.
Quando tivo a honra de ser nomeado
para dirigir o Arsenal do Guerra da pro-
vincia da Babia, por decreto do 27 de De-
zembro de 1884, achava-rao empregido no
Archivo Militar.
S. Exc. o Sr. conselheiro Candido Ma-
ria de Oliveira, entilo ministro da guerra,
honrando-me cora sua amizade, propoz nn
para exercer aquella lugar e sendo aceito
tive de seguir, conforme as ordens recebi
das.
Semelhante nonieaco nao teve cor poli-
tia, apenas revelava aqudla honrado mi-
nistro ter em mira confianca para betn ad-
ministrar o araenul da Babia o as unions
patarras, que d-lle ouvi, quando tivo de
recabar as suas ordens, forara as seguintes :
Siga ao seu destino, administro baa o
arsenal e conta qua dar-lho-hei forca.
Empossado da direccao daquelle estaba
lecimento na situajao passada, nunca rae
desviei da senda que rae impSa o dever
militar de ser fiel ao Governo, mas nunca
mo envolv em quastoas polticas, tanto as-
sim qe de um lado o de outro meraci
serapre coneeito3 e elogios dos presidentes,
quer liberaee, quer conservadores, taes co-
mo o Exm. Sr. desembargador Esperidao
Eloy de Barros Pimentel, conselheiro Cou
to o desembargador Espinheira, o nunca o
partido decahido so animou a declarar que
eu era eoargumano e hydrophobico parti
dorio.
Se nesse meu procedimento a Provincia
enxarga algum* cousa do oensuravel por
ma achar na direccao da arsenal desta pro-
vincia, marceen lo igual confianoa do gover-
no actual, porque nao acompanha ou fin
ge n* acosnpanhar o movimento da ciasse
militar, do contrario teria de censurar o
director do Arsenal de Guerra do Rio Gran-
de do Sal, o intolligente e prorecto direc-
M is quando qualquer dos dipnoa lili i- de^ta
provincia comp.rar, con anua i ea m o Haenfiri i
la perdida autu .mia de P.-rii imbuco, eaa vi. ni le
de u .a a-ntenca de iiicapaci la le lavra m por seus
propn id filhos, cuno o aaerifieiO, qu. tem sid i g -
arusamente lamentad i tm (o las .s nardos, e qut
a f ire* das circumiia i.-; n a a fvea d. ajoatra
iinpozeram id in iitoaa Alaacia e L ireu i, qnimd
passaram do doainio dt Frauc. dominiu da
Piussia, reconh cera qu< un f '. mala u tp i I
que aquell-' quo daci ni a norte daqoaUaa lu -
^roviucixs fra icez s, ae.ba d> eaeaaoavf os hori-
sonte do porvir Je Pernaoibueo, a. tioutein ta ri-
sonh'ia!
E, 'ntrettnfu quando sie a biatona ragi.-tfrar
as- facto, s-mpr.- nov.> na vida dos povos, o que
dir acarea dos que pr un iveraio?
Acaso ir pr .curar individuos ini--ros-npicoa ou
auonymos, pirque de si nao d.-ixa.n memoria;
pian I i preseitem-nte >s h unens serios prot-siaiu
e o commercio pern unbucan. varre a sua tes-
tada?
Por ventura descreyera ella aoa vindouros o
vulto attraheate e aympathlco do distincto e hon-
rado cavalheiro Sully, lavando as mloa por nao
ter sido juiz ua causa; ou so limitar a registrar o
irais escuro e doloroso episodio da vida ie Per-
nambuco, como urna cimvquencia lgica da esclu
si vista poltica (.artidaria e antepatriotica que tem
avasaalado o Brazil e rivslisad) os brazeiros en-
tre si, em prejuizo da grando causa nacional ?!
De qualquer mo 'O se afastaria ella tanto da ver-
dade, como si. com a lei n. 18t7 na mao, fosae
procurar nos archivos da nossa asacinbla o nome
dos legisladores de 1886 !
Desgracadamente um facto tilo extraordinario e
concriatador ter uo futuro como responsaveis os
proprioa pernambucanoa, do mesmo modo por que
at boje ts judeos cregara com a responsabilida-
de da mort do Redemptor da humanida le !
J consumon-sc o sacrificio : a lei lei, e a sua
regulamenticao acha-se publicada no Diario de
hontem.
Agora....... Silencio e contrieco, que o auto
de fe nio tarda.
7.
lima revolueo ao tratanienfo
cathartfeo
iv. -lie
Milharos de pessoas consideram aa pilulas ape-
ritivas como urna especie de medicina que destre
a sua eficacia i-ela continuacao. Em outras pala
vas, ppnsam que por mnis pequeo que aeja o uu
mero B tounr-se a l prin upio, ellea ver-ec-lio
obrigadoa para o fi n a tomar grandes dses. Po
rm as pimas assucaradas de Bristol, ferm un
urna grande exceptu neate p irticular. A dse
s inore moler id i, sendo quatro pilulas o numero
usual para um adulto e aeia a dse maior. O ef
feito que ellaa produzem 6 permaoeute, e nao
necessario o repetil-aa afim de se evitar urna re-
cahida.
Para a p.-isao do ventre, dores de cabeca uer-
voaas, desoraens biliosas, calefrios e fabres, iacom-
in idos do estomago, debilidade geral, clicas, ir-
regularidades do systema feminino;ellas consti
tui-in urna cura especifica.
Ellas acham-ao mettidas dentro de frasquinhoa,
e por isso a aua conser vacio duravel em todos os
climas.
Ein todas aa molestias aggravalaa ou prove-
nientea de impureza da sangue, a salsaparrilha de
Bristol, dore de aer tomada conjnncmente som
as pilulas.
Acha-se i venda em todas aa principaea bonicas
e lojaa de drogas.
Agentea em Pernambuco, Henry Foratei & ,
ra do Commercio n. 9.
O theaoureiro interino,
S. L G.
Una uuveni escura encobre a
luz do sol la nossa existencia
A' incerteza da vida juntase o mysterio
ten broso da raorte tra quanto qu-,^por
un i pane, esse primeiro grito infantil que
n os auuun ia qua outro ser a abade unirse
nossa c3p -ci, iaspira urna alegra profun-
da, por outra parto trememos de espanto no
ouvir o bat^r horrvel das aza3 do anjo ex-
tt-rminador A voz omnipotente da in-
fluencia suprema que governa o univrso
lecretou nosso destino, a senteuya fatal foi
pronunciada e to ios os homens estao con-
demnados a morrer !
Sara duvida alguma, a raorto nevita-
vel. Nao polcraos, porm, retardd-a?
E' esta urna qua to que seria da urna im
p.irtanei.i inoaleuli; d, anda se tratasse s-
mente de gaubur urna hora de vida, pois,
animados d'esse sentimanto sublima que se
chama instinelo, esta nos sempra resolutos
a dar b itallia com u:u valor ia lomav.d ao
nosso inimigo mortal era favor lo glorioso
privilegio da existanvia Aquella senti-
m--ntj a voz espontanea da natureza, e o
nosso dever consista era obedecer. Va-
mos, pois, a ver; possivel retardar a
norte ? In.lubitavelmcn'e o pois que o
nunlo est sojeito a certaa les, o quera
as estula coavence sa que n'ellas se com-
pre lende a dita passibilidade.
Os que se a li un dota os do valor e
juizo necessarios para se cobrirera cora o
es udo qua a propria natureza lhes propor-
ciona para este cffeito, podero repellir os
ataques incendiosos do inimigo da vida, at
que as fieuldadas vit.es vilo poaeo a pou-
DO -n decadencia ein ama Vclhice malura
e I tosa, e at qua o anno da Iua s; Ibes
pr sent cora aspecto risonLo e sem ter-
ror ; -i" o- con luzr, como ii'uma viso
d u ota, a s-.i ragiao r'splindecente que
bruna nata .. d..s trova-i d> sepulchro.
i> i--.tr.ii lor toma di*, rsis lrioas, mas
d a pr-ti-rou ia a df uiu ini uig moral qua
le vori actu dmente apurtM sities da so-
I .da mo l-rn... M rtyrisou j o mar
lyns. ain la qu .si to ios os habitantes deste
pitia.
tue iniraigo fiBte ? Quar o lator sa-
ber so tarab ra victima da amellado
leste tyranno? Pergunte a si proprio se
atorraantado por algum dos symptorats
que varaos enumerar: dr-s da cabeca,
das costas e das espaduas; falta de appe-
tite; aceumulaco de urna lama viscosa,
espessa e pegajosa em roda das gengivas o
dos dantes, sentindo-sa simultneamente
um sabor dosagradave!, especialmente pala
manh; tristeza e dcscabimento ac npa-
nbados de somnolencia ; urnas vezes a san-
sayo de urna carga pesada no estomago,
e outras, debilidales na bocea do mesrao
orgao, nao havendo satisfaco alguma em
tomar alimento; aspecto tristonho e c&r
araarellcnta dos olhos ; e3tado fri e pega-
joso dan ralos e dos pes ; urna tosse s?c:a
ao principio, acompanhada, porra, depois
do urna expectoracao de cor esverdeada;
cansaco constante sem que o somuo pareja
proporcionar descanco algum; enervacao,
irrtacao e raaos presantimentos; deliquios
o vertigens ao levantar-sede repente; p i-
sSo de ventre; esta lo secco, e veces, ar-
dente, da cutis; coadigao esp ssa 6 em-
botada do sangu escassez e cor rauito
tinta da urina, que deposita um sediraentj
depois de pe"manci*er por algum tmpo em
roiuso; devolujiio frequento do alimento,
um.is vezes com gosto acido, e outr.s ve-
zes algum tanto doce; palpitado do cora-
yo ; manchas apparentes nos olhos; e n?-
tavcl prostrajSo o debilidade do paciente.
Todus est-s symptomas costumam pre-
sentar se por seu turno Acredita se que
quasi uraa terca parte da nossa poptacao
est affectada da dita enfermidado era al-
truiaa das suas variadas formas Como
regra geral, os mdicos se equivocara a
respeito da natureza desta doenca, cujo
verdaleiro nome dyspepsia ou indigas-
tao; enfermidade que se cura infalhvel
mente por meio do Xarope Curativo da
MSi Saigol. Este medicamento tem obtido
em ambos os hemispherias urna reputacao
justificada incontastavelmente por suas
grandes virtudes. Venderse em todas as
bonicas, e pharma-ias e na casa dos pro-
pietarios, A J. Whit, (Limited), 35, Far-
ringdon Road? Londres, E. C, InglaU-ria.




-i
}
ritimn


4
M.MiliH'Mi
Diario de PernambucoDomingo 16 de Maio de 1886


Depositarios na provincia do Pernambu-
co : Bartholomou & C J. C. Levy 4 C ,
Francisco M. da Silva d C, Antonio Mar-
tiniano Veras & C Rouquayrol 4 Irrnaos
e Faria Sobrinho 4 C. ; em Bello-Jardim,
Manoel de Siqueira Cavalcante Arco-Ver
de e Manoel Cordeiro dos Santos Filho :
em independencia, Antonio Gomes Bar-
bosa Jnior; em Palmares, Antonio Car-
doso de Aguiar; e em Tacarat, Jos Lou-
renco da Silva.
Despedida
Jos de Souza Nuns Braga embarcando boje
para Europa com sua familia e nao poden lo dea-
pedir-se pessoalmente de Todos os seus amigos,
pe preci, itaco com que resolveu sua viagem
(do que lhes pede desculpa) o faz por meio deste,
offerecendo-lhes scu limitado prestimo em qual-
quer parte que se ache.
N. 10 Recommenda-se a Ernulsao ^e
Scott aos doentes do peito, da garganta e
dos pulraoes; aos anmicos, debis e es-
crofulosos, e a todos os que precisem de
iim botn reconstituate.
A Ernulsao nao tem igual para reparar
as forjas dos debis e enfraquecidos.
A aula mixta particu-
lar
Francisca Martinlana L. Carneiro participa ao.
?ais de familia, que sua aula abrir se-ha no dia
2 do corrente : qnem de seus prestimos precisar
pode dirigir- se ra do Visconde de Goyanna n
21, que euteuder-se-ha com a mesma.
< OI.I.I4.H
DE
Nossa Senhora das Victorias
RIJA DO HOSPICIO N. 10
Directoras:
Mme. Blanche d'Herpent Crgo.
Baroneza V. d'Herpent.
Este colltgio tem ptimas accommodacoes para
slumnas internas e um corpa doceute de reconhe-
cida capacidade.
Dr. Mello Gomes
MEDICO -PARTEIRO- OPERADOR
Ra do Bardo da Victoria (antiga
ra Nova n. 37) 1." andar
Dedica-se com especialidade ao cura-
tivo das ft-bres, molestias de peito e das
seaboras, syph ilis e estreitamentoe da
urethra.
Consultas das 10 ao meio dia. Cbi na-
dos a qualquer bora do dia cu da ncite.
Telephone n. 259.
Licor depurativo vegetal iodado
DO
Medico ty ii inte I la
Esta notabilissimo depurante que vem precedi-
do de to grande fama infallivel na cura de todas
as doencas syphiliticas, escrofulosas, rheumaticas
e de pelle, come tumores, ulceras, dores rheumati-
cas, osteocopas e nevralgicas, blennorrbagias agu-
das e chroDicas, cancros syphilitieos, inflamma
ces visceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, intes-
tinos, etc., em todas as molestias de pelle, simples
ou diathericos, assim como na alopecia ou queda
do cabello, e as doencas determinadas per satu-
raeo mercurial. Do-sc gratis folhetos onde se
encentrara numerosas experiencias feitas com este
especifico nos hospitaea pblicos e muitos atteata-
dos de mdicos e documentos articulares. Faz se
descont para revender.
Deposito em casa de Faria Sobrinho & C.
Ra do Mrquez de Olinda n. 4.
Dr, Cffliro Li
Dr. Ferreira da Silva, con-
sultas das 9 ao meio dia. Resi-
dencia e consultorio, n. 20 ra
Larga do Rosario.
OCULISTA
O Dr. Barrlo ftampaio, m dico oculis-
a, ex-chefe de clnica do Dr. de Wecker, d con-
sultas de 1 s 4 horas da tarde, na ra do Baro
da Victoria n. 45, 2o andar, excepto nos domingos
c das santificados. Residenciara do Riachuelo
n 17, canto da ra dos Pires.
MEDICO
Consultorio e residencia ra do Livramento
n. 31 I" andar. Consultas de 11 horas as 2 da
tarde. Chamados por escripto a qualquer hora.
Especialidades, febres, partos e molestias de
crian? is.
Dr. Ferreira Velloso
d consultas das 10 s 11 1/2 da manb, em
quanto fuuccionar a asscmbla provincial, ra
do Mrquez de Olinda n. 47, 1 andar.
Conultorio medico-eirnrgico
O Dr. Estevn Cavalcante de Albuquerque con-
tinua a dar consultas medico cirurgieas, na ra
do Bom Jesus n. 20, 1 andar, de meio dia s 4
horas da tarde. Paras? demais eonsulta e visi -
tas em sua residencia provisoria, ra da Aurora
n. 53, 1 andar.
Ns. telephonicos : do consultorio 95 e residencia
126.
Especiaidades Partos, molestias de crcacas,
d'utero c seus annexos.
Di.
ni;ni( >
Tem o seu eseriptorio a ra do Mrquez de
Olinda n. 53 das 12 s 2 horas da tarde, e desta
hora em diante em sua residencia ra da San
a Cruz n. 10. Especialidades, molestias de se-
horas e eriancas.
EDITAES
Dr. Mo Lee
Medico, paneiro e operador
Residencia ra da Imperatriz n. 48, 2.- andar.
D consultas das 11 horas da manila s 2 da
tarde.
Attande para es chamados de sua profisso a
qualquer hora.
Consultorio ra Duque de Caxias n. 59.
suia ceuimercial de Pernam-
buco
RECIFE, 15 DE MAIO ?E 188b
As tres horas da tarde
'atet uifiaes
Apolices provinciacs de jures de 7 0/0, do valor
de 1:0004, ao par.
Letras hypethecarias do banco de crdito real de
Pernambuco, de juros de 7 0,^), do valer
de 1004 940000 nada urna.
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 60 d/v. com 1 0/0
de descont.
Ka hora da hola
Ven le am-se :
40 letras hypotbecaras.
17 plices provinciaes.
O presidente,
Pedro Jos Pinto.
Pelo secretario,
Augusto P. de Lemos,
RETINTA OHIIIIK | ti.
Da
O Dr. Joaquira da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civel desta cidade do Recife,
por S. M. o Imperador, a quem Deus
guarde, etc.
Fajo saber .ios que o presente edital vi-
rern, ou delle noticia tiverem, que por
parte de Rosa, por seu curador, me fci di-
rigida a petico seguinto :
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de direito
do civel.- Rosa, escrava de Patri;io Jos
Tavares de Vasconcnilos, requer a V.
Exc. que se digne mandar citar cora a de-
vida venia, ao seu dito senhor, para que
na prime-ira audiencia deste juizo venha
declarar se ac ita a quantia pela suppli-
cante, recolhida a deposito para indemni-
sacao de sua liberdade, e caso nao aceite
a iiH-sma indemnisacSo, nomear e appro-
var louvados que dra valor supplicante,
devendo a eitaco ser feita por edicto,
visto como o supplicado se acha ausento
em lugar imerto e nao sabido, pena do
velia. Nestes termos pede a V. Exc. de-
fe riraeuto e R. He. Recite, 20 do Abril
de 1885.-O curador, A. do S^uza Pinto.
ti nada mais se continha cm dita petico
aqui copiada, na quwl proferi o despacho
de theor seguinte :
Justifique a ausencia em lugar nao sa-
bido. Recife, 20 de Abril de 1886. Ri-
beiro.
E n ais se nao continha em dito despa
cho aqui copiado, em virtude do qual deu
a autora a justificoslo por meio de teste-
munhas, e tendo subido os autos mfhha
conclusilo, dei o seguinte despacho:
Hei por justificada a ausencia era lugar
nao sabido, especa-se o odital da citacao
com o prazo de 60 dias. Recife, 7 de Maio
de i 886. Joaqun da Costa Ribeiro. E
pelo esenvao, que este sub.creve, fiz pas-
sar o presente edital, pelo theor do qual
chamo, cito e hei por intimado a Patricio
Jos Tavares de Vasuoncelloi para, no
prazo de 30 diaa, comparecer ante este
juizo, afim de fallar aos termos da accao
e allegar o que* for a bem de sea direito,
de conformidad e com a petizo aqui trans-
cripta.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presente edital, que
ser publicado pela imprensa e affixado no
lugar do costume.
Dado epassado desta cidade do Recife,
aos 12 do Maio de 1886.
Eu, Felicissimo de Azevedo Mello, es*
escrivo, o fiz escrever e subscrevi.
Joaquimda Costa Ribeiro.
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civel desta cidade do Recife da
provincia de Pernambuco, por Sua Ma-
gestade o Imperador, a quem Deu
guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virerr> ou
d'elle noticia tiverem, que rindo os dias de pre-
gues e as prcas da lei.e na audiencia deste juizo
do dia 5 de Junho o corrente armo, ir a praca
por venda a quem mais der o bem constante da
avaliacao do theor seguinte:
Urna rasa terrea de pedra o cal eom a frente
para a entrada do Bongy, no lugar Remedios, da
freguezia de Afogadoe, com 1 porta e 2 janellae
de frente, 2 janellas em eada oito, medindo de
largura 5 metros e 50 centmetros, e 12 metros e
25 centmetros de cumpriinento, contendo 2 salas,
2 quartos, cosinha fra, pequeo sitio < ra aberto
com aignns arvoredos fructferos e cacimba, ai-ban-
do -se dita casa em mo estado, avallada em
00*000.
Cujo bem avallado ser vendido em arara pu-
blica depois da audiencia deste juizo do dia cima
dito, e a quem mais der e maior lance cfFerecer, o
qual foi penhorado para pagamento do principal
juros e eustas da execucao que, por este juiso e
cartorio do escrivo, que este subscreve, mov-
Francisco de Assis de Fonscca Basto, contra Cae
tao Baptsta de Mello e sua mulher D. Caetana
Alejandrina de Albuquerque Mello.
E pura que chegue a noticia a todos, se passou
o presente edital que ser affixado no lugar do
costume c publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 16
dias do mez de Abril dn 1886.
Eu, Felicissimo de Azevedo Mello, o fiz escre-
ver e subscrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civel n'esta cidade do Recife e
seu termo capital da provincia de Per
nambuco, por Sua Magestado Imperial e
Constitucioual o Sr. D. Pedro II, a quem
Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia tiverem, que nos termos do art 1.
d Dec. n. 1693 de 15 de Si-t mbro de 1869, den-
tro do praso de 30 das contados da publicarlo do
presente, recebar este juizo propostas em cartas
fechadas, para arrema ac,o por venda dos cscra-
vos seguintes :
Luduvina, com idade de 50 annos,
pouco mais ou men Ge aldo, com idade de 15 annos, ava-
hado por 45000
Emili com idade 20 annos, avalia-
da por 400*000
Porfiria, com idade de 7 annos,
doente de ar, com paraljsia uaa
pernai-, avaliada oor 200*000
Penhorados por execucao que movem Thoinaz
de Carvalhc & C., successores de Viauna Cbris-
tini & C, contra Francisco Antonio de Oliveira,
e se acharo, depositados cm poder do exemiado
E paia que chegue ao conhecimenlo de todos,
maadei passar o presente que ser publicado pela
imp-ensa e aiixado no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Kecie aos 8
de Abril de 1886. Eu Pedn Tertuliano da Cu-
nta, eserivo, subscrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
emana de O a 15 de
M lo de i vStt
Cambio sobre o Rio de Janeiro, vista 1/2
por cento de descont.
Cambio sobre Santos, 30 d/v 1/2, por ceuto da
descont.
Cambio subre Londres, 90 d/v 22, e vista,
21 3/4 d. por 1*000 banso.
Dito sobre Paris, vista, 437 riss o franco do
banco.
Cambio sobre Portugal e Lisboa, 60 d/v 144
por cento de premio do binco.
Cambio sobre o Porto, 90 d/v 142 por cento de
ramio, do banco, e vista, 145 e 146 por cento
de premio do banco.
L 'ttrashypothecarias do Banco de Crdito Real
de Pernambuco, do valor de lOOOOO, ao preco de
$M0O0 cada urna.
Na Bolea. Venderam se 81 lettras hypothe
eaqias
.eneros nacionaes
Agurdente Ultimas vendas de 64* a 65* a
pipa de 480 litros. *
Alcool Venda de 120j000 a pipa de 480 li-
;ros.
Assucar. Entraran) 6,808 saceos vendas aos
precos seguintes :
O brauco de 3.a sorte, superior, de 4*800 a
4*900 os 15 kilos.
O dito de 3. sorte, boa, de 4*600 os 15 kilos.
O dito de 3.' sorte, regalar, de 4*400 os 15 ki-
los.
O dito de 4. sorte, de 3*800 os 15 kilos.
O dito somenos, de 2*900 os 15 kilos.
O dito masca vado, purgado, bom, de 2*4W
s 15 kilos. '
O dito dito, regular, de 24300 es 15 kilos.
O dito amen cano, de 1*500 os 15 kilos.
O dito bruto, regular, de 1*400 os 15 kilos
O dito do Canal, de 1*100 ,.s 15 kilos
Algodao. Entraram 1,311 saccas, esta se-
SfSft C Tu?? f0 6*50) 6,60' e feiuu Pr
b*300 os 15 kilos.
Arroz em casca R-taiho de 3J500 a 3J800 o
sacc*, conforme o tamanho.
Cat.. Retalho de 4*600 a 750O os 15 kilos
Cera de carnauba- Colamos de 4*000 a 7*000
os 15 kilos.
Couros salgados saceos. Ultima venda 470
res okib.
Farnlia de mandioua Vendas de 4*200 a
4*100 o sacco, conforme a qualidade e a prooe-
dencm.
Fume. Retalbo de 15*000 a 25*000 os 15
kilos, conforme a qualidade, liquido.
Goma de mandioca.Retalho a 3*000 e 3*200
os 15 kilos, (liquido.)
Graxa do Rio Grande do Sul. U titni ven
da a 5*200 os 15 kilos.
Gordura do Ro da Prata. Scm chegada.
Mel. Cotamo de 45*000 urna pipa de 430
litros.
Milho. Venda a 45 res o kilo, con fume o
estado.
Sal do Ass e Mossor. Venda a 550 e 600
ris os 100 litros, (mercado supprido)
Sebo coado. (.otamos a 6*200 os 15 kilo?,
TapiocaRetalbo a 3*000 e 3*600 os 15 kilos,
(liquido.)
Vella* steariuas do Itio de Janeiro. Retalho
a 320 res o masso de 6 vellas.
Ditas ditas da provincia. Retalho de 290 a
300 ris o masso de 6 vellas.
Vinho do Rio. Cotamos de 200* a 250*000 a
pipa de 480 litros.
Xarque do Rio Grande' do Sul. Deposito
144,800 arrobas, retalbo de 3*200 a 4*200 os 15
kilos.
Gneros estrangeiros
O Dr. Adelino Antonio ae Luna Freir,
offi'ial da Imperial Ordem da Rosa, cora
raendaior da Real Ordem Militar Por-
tugueza de Nosso Senhor Jesus Christo.
e juiz do direito privativo de crphaos e
ausentes n'esta comarca do Recife, por
Sua Magestade Imperial a quem Dens
guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem ou
deste tiverem noticia que na audiencia de 18 de
Maio do corrente anno, ir a praca a quem mais
der, servindo de base o preco da avaliacao, a casa
terrea, com sotito interno, sob n. 37, ra do Pi-
lar, freguezia de S. Frei Pedro Goncalvea do BV-
cife, em solo proprio, eom 5 metros e 80 centme-
tros de largura e 19 metros de comprim oto, cor
redor independente, duas sulas, tres quartotr, no
pavimento terreo, tres janellas que deitam para a
mesma ra, duas ja ellas na sala de detraz, que
deitam para a ra do Pharol, deus quartos, dus
salas, e cosinha interna no soio, quintal murado
eaciinbn exclusiva porto com um telheiro para a
referida ra do Pharol, avaliada por 2:000*000, e
vai a prac.-i requerimento da invenrai iaue dos
bens da finada D. Genoveva dos Reia Fonseea,
par-i pagamento de cusas.
E para constar mandei passar o presente qu-
ser publicado pela imprensa e affixado no lugar
do costu'n".
Dado e pas-eado nesta cidade do Recife hos 20
de Abril de 1886.
Eu, Olavo Ant-'nio Ferreira, csciivo, o fiz es-
crever e sabscrevo.
Adelina Antonio de Lanm Prre.
I^-*T^S "' II
Farello do Rio da Prata )?f*ho sacco, (liquido.) %
Dito de Lisboa Retalbe a 960O por sacco,
Herva doce Retalho de 17*000 os 15 kilos,
com 10 por cento de descont.
Kerosene Retalho de 3J250 a Uta de cinco
gales (liquido).
Louca ingleza ordinaria. Retalho de 90*000
a 130*000 a giga, conforme o so rt i menta.
Mad.-ir-i de pinho Sem chegada.
Massa de tomates.Retalho a 500 ris a libra.
Mautciga em barrilRetalbo a 970 e 980 ris a
libra, dem dem.
Dita em lata. Retalho de 1*000 a 1*301 a
libra, dem dem.
Massaa italianas. Retalho de 8*000a caixa,
dem il ni.
Oleo du liuliac v Retalho a 1*800 o gala:.
Passas communs Nao ha no mercado.
Ditas finas Retalho a 13500 a caixa.
Papel de embrulho Retalho de 700 ris a
1*600 a resma, conforme o tamanho, ide u idem.
Pimenta da India Retalho do 1*400 a 1*500/
o kilo, dem dem.
O Dr. Thomaz Oarcez Paranhos Montene-
gro, commendador da imperial ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por
S. M. o Imperador a quem Deus guar-
de, etc.
Faz saber aos que o presente edital virem ou
I delle noticia t hasta publica deste juizo, depois da respectiva au-
dieicia do dia 27 do corrente mez, com as forma-
lidades c pregues do esty-lo, os bens seguinies :
Dez> seis c leiras de guarnc de junco, por
304. Um balcao envernizado por l'i*. Um ca-
bide de amarello, com 16 tornos, por 3*. Duas
mesas grandes, sendo urna menor, por 16*. Treze
copos de vidro por 2*500. Quatro galheteiros
usados por 5*. Doze talheres servidas por 2*000.
Urna duzi de easaes de chicaras brancas por 2*.
Um galheteiro de metal principe pirta-licor com
12 c-lices. j servido, per *. Um jarro grande
com pratu de metal por 2*. Seis ducias de vinhi
do Porto, soitidas, por 24*. Tres garrafas de vi-
dro para vinho por 12*. Seis clices grandes pir
2*. Duas caadas de vinho Figueira e'n u;n bar
ni por 6*. Um lustre com tres bracos por 20*.
Cujos bens vao prac,a par execucao que movem
Jos Joaquim Alvos & C. c outros contra Antonio
da Silva, e se acbain depositados no deposito par-
titular, e nao havendo lancndor que cubra o preco
da avaliaco, a ar enatacio ser f'ita pelo preco
da adjudicaao com o abxtimento legal.
E para que chegue no conhecira"iita de todos toi
passado o presente, a6ni de s- r publicado pela im-
prensa e affixado na lugar do costume.
Dado c passado nesta cidade do Recite de Per-
nambuco, aos 11 de Maio de 1886.
Eu, Jos Franklin de Alenear Lima, escrivo
subscrevi.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
do finado Frailesco Antonio Alves Mascarenbas,
para pagamento do eustas do referido inven-
taro.
E para constar mandei passar o presenta, que
ser publicado pela imprensa e affixado no logar
da costume.
Dado e passado nesta cidade do Recite, aos 12
de maio de 1886.
Eu, Olavo Antonio Ferreioa, escrivo o fiz es-
crever e subscrevo.
Adelino Antonio de Luna Freir.
O Dr. Adeuo Antonio de Luna Freir,
offi'ial d. Imperial Oordera da R'sa,
commendador da Real Ordem Militar
Portugueza de Nosso Senhor Jess
Christo e juiz de direito privativo de
orphaos nesta comarca do Recife por
Sua Magostado Imperial o Sr. D. Pe-
dro II a quera Deus guarde, etc.
Fa;o saber aos quo o presente edital
virem ou delle noticia tiverem, que depois
da audiencia do dia 18 de Maio do cor-
rente anno irilo praca, servindo de base
o preco d> avaliacao dos bens seguintes :
Uina grande olari.i, sita no Arabol, em
Caxang, tendo na frente um grande por-
tSo e duas janellas, seis quartos do inte-
rior, um grande forno no centro ; cora qua-
tro raios, medindo cincoenta e cinco me-
tros e quarenta centmetros de frente, ses-
sonta e nove metros e noventa centmetros
de fundo, 6:000^000
Um terreno, na propoiedado Ambol, ae
lado do nascent", tendo 452 metros de
frente e 200 do tundo, 4:000;$000, valor
quo causa para que o da parte ah pos-
suido pelo espolio inventariado, se ja 4.'
3:1476980.
E v5o a praca os referidos bens a re-
querimento di D. Antonia F.ancisca de
Jess Carneiro, inventariante do espolio
do finado Antonio Mara Carneiro Leao,
para pagamento de dividas c eustas do re
ferido inventario.
E para constar, mandei passar o presen-
t'-, que ser publicado pela imprensa c
affixado no lugar do costume.
Dalo o passado nesta cidade do Recife,
aos 13 de Maio de 18>>.
Eu, Olavo Antonio Ferreira, escrivilo, o
fiz escrever c subscrevo
Adelino A. de Luna Freir.
O Dr. Adelino Antonio de Luna Freir,
offi'ial da Imperial Ordem da Rosa,
coinmen dador da r-al or-iem milit uT por-
tngu'-za de Ni-sso S tihor J sus Clirist
e juiz de diriito privativo de orpb&is,
nesta cidad-j uo R -ife, por Su i Mages
tade Imperial o Sr. D. i'cdro Segundo,
a quem Deus guarde, etc.
Face .-abe,- aos qie o preS' nte edital vin m ou
delle tiverem noticia, que ilepois das auoit-ncias
lo dia 18 de maio do crrenle anuo, ir a pr.uu
onblica para ser vendulj qu'ii. maia der, s-t-
viudu de base o preco do ab.te da quiiU parte
ia avaliacao :
Um i- br.'li de 1 andar, no lugar denominad
Caboi, com 10 metros de {irente e 6 di luud, 2
alai de frente, 2 quartos, 4 jan- lias de cada Ind',
menos no d uort', und" est enllocado no lado
de fra urna escala de tijullo e cal, que d en-
trada jniru o mrsmo sobral tondl uo andar ter
leo 2 quartos de cada laao, istu sui e norte o 1
s*la ti centro, 3 jai el 1 sel pona de frente, 2
pora-c 2 jiueilas de fund,' atorado que si-
tuado no centro de um pequeno biti, co i diver
* artbfea fiueiifema 4 ,^-queaoa quartos id
fundo, servindo um de res de euainba, em pi-ssimo
estado, p.ir 1:600*.
E vai a pr;i(vi a requerimento de Manuel Anjo-
n o Alves M -< r uli .a. niv.-iit 11 lanru d > espolio
C 10 a Fer-
Bitc ou 8 uaixdea a O .rvaihi
n>*Mdes A riii. >, 1 ordem
Barrilh 30 'amb m-a a Fernamles da Costa &t
C. 24 a Maia & tteseode.
Cli .' vvluuies a Fernn eu & Irma, 34 or
dein, 32 a Domingos Cruz 4 C 2 a Joaquim Duur-
te Snnes & <', 3 a Jos Joaqun Alves & C.
Calcado2 caixes a F. Lanria te ti, 3 a Ferrei-
ra Barbosa i C, 1 M-iu n-1 d < B irros Cavalcan-
te, 0 a F. de Carvalho C.
Conservas 25 caixa6 aJuZo F. de AlmekLi.
C'tiap 18 2 eaix'S or.lem, l a Ad.dpbo Jfc Fer-
r, 1 a U. de Urusiiia & C.
drveja 110 barricas urden, 10 a Augusto
Figiieiredo U. C, 00 a Domingos Alves Ma-
tfaetui-
Canela 2 ca'ias ordem.
Cidra iJcaixns ordem.
Chapis de sol 1 ciixo a Mai el d\ Cunha
Libo.
Chumbo de munida GO barricas a W Halliday
& C, (JO a A. D. Carneiro Viauua.
Ovada 10 barricas ordem
Canos de ferro 2) frises W. Halliday os C,
Edital n. 18
O administrad ir do Consula lo Proviacial faz
publie i a qu-'in interessir polsa, que no period >
de, 30 Jia< otis, c ntadn d^ 15 deste mez, ser
ff-ctuada p>r es'a rCjiarticSo a c branca, livra e
multa, dos s-'trinute-i impostos, relativos a se-
gando B9meatre di < x reicio cirr-nte do 18S5-8tj.
Imposto "" r -unir i.
10 e 20 % SOOre eat .belecimentos commerciaes
fra e dentro i i cidade.
20i0.'l) i r Ci2 iVO empr-gado em servci me
ehaoico.
2 0 rs. pir biraiho de cartas de j igar.
12 /. sobro c insultnos medios e ese-iptorioa
le adviigaiioa c selicitadore.
C insul-do Provincial d-! Pern mbuco, 11 de
vlaiode 1886-
Francisco Amyutas de Carvalho Maura.
O Dr. TImui z Graroca Paranhos Monteno
friM, .'ommendador da imperial ordem da
R si, juiz de direito da var.t especial do
com.nercio d'esta cidale do Recifes e seu
termo, capital da provincia de Pernara-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e
Constitucin il o Sr. l'e Iro II, a que.-n
Deus guarde, etc.
Faz sab-r aos que o presente edital virem ou
dallo noticia tiverem, que por parte de Antonio ds
Otiv.-ira Mais, me toi dirigida t pv'icao do theor
segnnte :
Illm. e Exrr. Sr. Dr. juiz do comnercioVnto-
nio de O'iveira Maia, ered >r de Jos Ignacio de
Luna'pfla quantia de SSTfSSO, conforme a lettra
junta, e de K-.gerio Jos de Sant'Anna, pela de
2:000000, cm> se v das lettras juntas, e com>
estejain ditas lettras a prescreverein. vem o sup-
pli<-aut.e pr-itestar pela interrupto da prescrip^o
das momas, pelo que requer u V. Exc. dgne-
se mandar tomar por termo o seu protesto ; e como
estojan os 6Uyplicad8 em lugar mcerto e oiot-
bido, reqMe:- mais a V. Exc. se digne admittl o
justificar dita ausencia, afim de que sej&m os sup-
plicadas intimados do referido protesto, por edi-
taes na forma da lei e entregands-se-lhes ditas
lettras. Pede a V. Exc. deferimento- E. K. M.
Recife, 10 de Maio de 1886. O solicitador.Ale-
xandre Americo do Caldas Padilhv
(Estava sellada legalmente.)
Nada mais se continha em dita petico, na qual
proferi o despacho do theor seguinte :
Distribuido. Como pede. O escrivo designe
dia. Recife, 11 de Maio de 1886.Montenegro.
Em virtude do meu despacho, aqui copiado,
sendo a mesma pcticao apresentada em forma ao
respectivo distribuidor, este a distribuio ao escri-
vo que este subscreve, o qual fez lavrar o termo
de protesto do theor seguinte :
Aos 10 dias do mez de Maio de 1886, nesta ci-
dade do Recfe, em meu cartorio, compareces o
peticcionario por seu procurador o solicitador Ale-
xandre Americo de Caldas Padilbii, que disse
ante initn e as testemunhas infra assi^nadas, que
reduzia a termo de protesto o contedo feito em
sua petico retro, que fica fazeedo parte do pre-
sente, aiim de ser intimado ais supplicados. E
de como assim o disse e protestou, lavro este termo,
em que assigna com as testemunhas, depois de lido
por mim, Manoel Lopes de Carvalho Chaves, es-
crevente juramentado, que o escrevi. Subscrevo.
O escrivo.Jos Franklin de Alenear Araripc.
Nada mais se eoatinha em dito termo de pro-
testo, aqui copiado. E tendo o supplieaute An-
tonio de Oliveira Maia justifcalo com testemu-
nhas o alllegado em sua petico retro, o respec-
tivo escrivo cepois de sellar e preparar os autos
m'os fez conclusos e n'ulles proferi a sentenca do
th-'or segjinte :
Vistos.Hei por justificada a ausencia em la-
gar inoerto dos justificados, c mando que sejam
elles citados por editaes com o praso de 3!) das,
do protecto de fls. 2, para nterrupco da pre-
scripcio dos ttulos de fls. 3 e fli. 5. Cosa ex-
clusa. Recife, 12 de Maio de 1886 Thomiz
Garces Paranhos Montenegro.
Em virtude desta minha sentenca i respsetivo
escrivo fez passar o presente edital, pelo theor da
qual chamo, cito, c hei por intimado aos justifica-
dos Jos Ignacio de Lmn e Rogerio Jos de
Sant'Anna, para que no prazo de 30 dias, contados
da data da publicacao, comparecam a este juizo
afim de allegarem o qoc lr a bem de seus di-
reites.
E para que chegue ao conhicim'iito de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado pala
iinjir. usa e atusado no lugar do costume.
Dado e pastado n'esta <'id nambuco, ios 14 dias do Maio de 188:'.
Eu, J Franklin de Alenear Lima, escrivo, o
subscrevi.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.
BECLAKiCES
A directora da companhia da estrada de
ierro de libeirio i Bjnito, convida todos os seus
subscriptores pira una reuaio extraordinaria no
dia 2 de junho, s 10 horas da manh, ra Du-
que de Caxias n 70, 1- audar, afiTi de tratar-se
lo ao meato do eapital social. Recife, 15 de Maio
de 1886.
Pedernrra.
Baro de Seriuhem.
Jacobina.
Eslrada de ferro do Kccfe Ca-
xang
Aviso ao publico
At segunda ordem nao vigorar a supresso
dos trens nos domingos e dias santificado?, j aa-
nanciados.
Eseriptorio da companhia, 15 de Maio de 1886.
H. W. Stonehewer Brd,
Gerente.
^
C. E.
15 kilos
Alfazema.. Retalho de 8*500 os
com 10 por cento de aeseonto.
Arroz da India Retalho de 2/600 os 15 kilos
idem dem.
Alpiste.Retalho a 5/20& e 54v0 por 15 kilos
dem dem.
Azeite de oliveira cm barra. Retalho de
3J200 o galao, idem idem.
Dtocm latas. Retalho de 15J00J a lata de
5 galoes. idem idem.
tacalho. Deposito 9 000 barucas, retalho a
10*000 c 17*003 a bu-rica.
Uanha de porco-- Retalho de 380 a 400 ris a
libra, com 10 por cento de descont.
Batatas portuguezaa Retalho das novas de
5*500 a 6 a 1,2 caixa, com 10 por cento de des-
cont.
Ditas inglezas ou francezas. Retalho de
2*400 a 3j000 a caixa, idem idem.
Dita* frasees*!. Retalho a 5*500 a caixa,
dem idem.
Brea Ultimas vendas de 10*000 a 12*000 a
barrica, conforme a m irca e pezo da barrica,
idem idem.
Carvo de pedra Cotamos de 15* a 20*000 a
tonelada.
Canella. Retalho de 1S500 o kilo, com 10
pir cento d. descont, merjado suprido.
Cebollas portuguezas. Retalho de 10* 13J
a caixa, idem idem.
Cervejas Retalho a 11*500 a duzia de garra-
fas ou botijas, conforme o fabricante e a proce-
dencia.
Cimento Ultima venda a'6*900 por harnea,
conforme o peso e fabricante, mercado pouco su-
prido.
Cominhos. Retalho de 19* a 20* os 15
kilos, sem deposite, com 10 por cento de des-
cont.
Cravo da India Retalho a 2*000 o kilo, idem
idem.
Farinha de trigo Deposito 20,000 barricas,
retalha-se aos precos seguintes :
A americana, de 19*000 a 21*000 a barric.
A de Triestro e Hungra, de 24*000 a 27*000
a barrica.
Feijo. Cotamos de 15J000 a 15J500 tt saceo,
( o do estrangoiro.)
Garrafoes vazios Retalho de 800 ris a
1*500 p. r cada um, com 10 por cento de descont,
conforme o tamanho.
Doces em calda Nao ha.
Plvora ingleza Retalho de 20*000 o barril, | 86 a Via un Castro as C, 36 a Miranda Souzt,
m,|2.
Pap-'l 25 fardos a TheoJoro Justo, 1 a F. M.da a Es iaty, Rodrigue
>ilv Se C, 18 e 36 r-i- .- i orden. Araujo.
p i e '3 h don Joaquim Al-
Queijos. Retalho de 3*600 a 3*800 cada um
idem idem.
Sal. NSo tem havilo entrada.
Sardinbas Retalho de 320 a 360 ris por lata
de quarto, dem idem.
TouciBho de Lisboa. Reatalho a 13*000 os
15 kilos, mercado pouco suprido.
Dito americano- Retalho a 10500 e 10*8)0
os 15 kilos, dein idem.
Velas ate rias Retalho de 540 a 940 ris o
masso de 6 velas, idem idem.
Vinho de Lisboa. Cotamos de 250* a 260*
a pipa de 480 litros, idem idem.
Dito franeez Nao ha no mercado.
Xarque do Rio da PrataDeposito 65,000 ar-
robas, retalho de 3*500 a 4*500 os 15 kilos.
K -.N!)! MEN TOS lJU BUCOS
Mi de Maio la 1886
Alf.vndf.gv -De 1 a 14
dem de 15
Rgcbbedoria -rOs 1 a 14
loi u. de 15
288309*251
21:764 675
309:373*826
19.280*897
1:034*994
Cosclaoo paoviscuLD-) 1 a 14
dem de 15
Recife dbaymaoe -l'e 1 a 14
dem de 15
20:315891
64:553003
53731987
69:926*9:10
10:981*308
38/439
11:019*747
DESPACHOS DE IMPORTAgO
Vapor inglez Merchant, entrado de Liverpool e
Lisboa no dia 13 do corrente, e consignado a
Johoston Pater & C, manifestou :
Carga de Lisboa
Amostras 3 volaa.es a diversos.
Alpiste 10 saceos a ordem, 10 a Soasa Basto
Amorim & C., 15 a'Pernandes & Irmo.
Arr z 300 saceos a Paiva Va lente DC, 150
ordem, 100 a Rosa & Queiroz, 50 a Augusto F-
gueredo & C.
Armaco para scllins 2 caixas a W. Hallidsy
as C.
Ac 8 feixas a Ferreira Gomes & C.
Barras de ferro 104 a Cardoso & Innio, 306 e
45 feixes a VV. Halliday & C, 290 o 75 a Rois &
Santos, 65 e 205 a Miranda & Souia.
a Samuel P. Johuston & C.
Couros 1 caixa a A. D. Carneiro Vianna.
Chapas para fbgSet 20 e 1 barrica a W. Halli-
day Se C.
Drogas 21 volumes a F. M. da Silva & C. 8 a
J. C. Levy A C.
Estanho 30 caixas a Samud P. Johnston & C.
Enxofie 50 barricas aos mesaos. 5'J a Prente
Vienna 6c C, 30 a A- D. Carneiro Viaooa.
Elstico 1 caixa a II. tfaetcb oc C, 1 a A. D.
Carneiro Vianna,
Eochadas 43 ba-iicas ordem, 14 a Samuel P.
JoHnston C, 35 a Prente Vianna & C, 12 a
Ferreira Guinarcs & C.
Eatpi 10 fardos ordem.
Fio 1 fardo e 5 caixas a Sousa Nogueiri
&C.
Ferragens 4 volumes a F. Launa 4 C, 11 or-
dem, 8 a A. D. Carneiro Vianna, 4 a Vianna Cas-
tro & C, 5 a Manoel Rodrigues d Silva, 1 a G.
de Mattos limaos, 21 a Ferreira Guimares & C,
44 a W. Halliday & C, 13 a II. N'ucsih & C, 6 a
Prente Vianna & C, 7 a Miranda & Souza, i a
Alian Paterson S C, 40 a Res & Santos, 41 a
Samuel P. Johnston & C.
Folhas de Flandres 100 cuuhetes a A. D. Car-
neiro Vianna.
Ditas de ferro 30 a Ferreira Guimares & C,
10 a Res i Santos.
Farinha de milho 84 caixas a Siunders & C.
Fogareiros 199 a G. de Mattos Irmiios.
Louca 59 ggas a Souza Basto, Amorim & C,
C2 e 1 barrica ordem.
Linha 33 caixoes ordrm, 2 a G. de Mattos Ir-
mos, 20 a F. Lauria c C.,'7 a Maia & Silva.
Lona 1 fardo crdem, 2 a VV. Halliday & C, 1
C. C. da Costa Moreira, 1 a Manoel Rodrigues
da Silva.
Machinismo 1 caixo ordem. Ditos e ferra-
gens 86 volumes e pecas a Cardoso t Irmo.
Meias 1 caixa a F. de Azevedo 6e C.
Machinas de costura 3 caixas a Prente Vian-
na & C.
Materiar-3 para Megrapho 6 volumes a Gmat
Wester of Brazil R*lvuy Company. Ditos para
gaz 2 volumes a errpreza.
Mercadorias diversas 2 volumes a J. A. da Sil-
va Santos, 2 a Manoel Joaquim Ribeiro & C, 62
ordem, 6 a F. Luira & C, 1 a Joo de Oliveira,
1 a Ferreira Guimares & C, 2 a A. D. Carneiro
Vianna, 1 a Prente Vianna & C, la Ferreira
& Irmo, 11 aos herdeiros Bowmann.
Materials para encanamentos d'agua 1,208 vo-
lumes e pecas a companhia do Beben be.
Oleo de linliaca 25 barra a J. C. Levy & C.
Objeetos para eseriptorio 1 caixa ordem.
Provisoes 17 caixas a Jote Joaquim Alves &
C-, 35 ordem.
Ps de ferro 10 feixes a Samuel P. Johnston &
C, 16 4 ordem.
Pimenta da India 5
ves ai O.
-'-oda caustica 20 tambores a F. M. da Silva &
2.. 100 ordem, 100 a J. C Levy 4 C, 5 a Vian-
na Castro fc !.
Taxns de fero 40 a Alian Pateison & C, 4 a
Cardoso & Irmo.
Phospboros 46 c?ixes a Joaquim D. Siinoes
&C
Tecidos diversos 110 volumes a L A. Siqueira,
4 a Jesuiuo A. Fernandos, 334 ordem, 11 a A.
Vi. ra 4 C, 3 a F. de Azevedo & C, 2 a Silveira
& C, 7 a H-rnet & C, 7 a D. P. Wiid os C, 85 a
Machado & Pereira, 3 a G ierra & Fernand 's, 15
a F. Liuria ^ C, 35 a Narciso Maia & C 7 a
4.gnttinho Saitns & C, 10 a Rodrigues Lima t
C 31 a G incalvi-s Irmo & C., 1 a A. C. de Vas-
concellos, 3 a Lonreiro Maia&C, 2 a B. Maia
Tinta 10 barricas a F. Lauria & C, 10 a A. D.
Ctrneiro Vianna. Ditas 9 barricas a Ferreira
Guimares & ('.., 2 caixas a Samuel P. Johnston
ftC.
Vidroa 10 caixas a Souza Basto, A n iri.n ,y (',.
82 ordern.
Viuho 14 caixas a S lundera Brothers & C.
i' irga de Lisboa
Aoitonas 1 barril a C. de Paras Tavares.
Batatas 50 mei':a caixas a Paiva Valente 4 C
20 a Araujo Cistro & C, 30 a Jos Joaquira Al-
ves & C, 30 a Siq'ielra Forras 3c C 20 a J. B. de
Carvalho, 60 a Djmngos F. da Silva & 0, 40 a
Joo F .-i nan les de Almeida.
ib las 25 caixas a Piva Valente & C, 15 a
Araujo i. i-tro & C 25 a Joaquim D. Simoes &
C.. 25 a Guimares & Valente.
Cera 5 barricas a Silva Guinares & C.
arne de purco 1 caixa a J. Stares Neves, 1 a
J. da (osta Monteiro.
Drogas 1 volume a A. J. A. Ribeiro.
Inpressos 1 caixa a Andr Santos.
Palitos 10 caixas a Silva Guimires & '..
I'reeos 14 barricas a M. dos Santos Araujo.
Papel 1 caixa a Joaquim Bernardo dos Res
s c.
Passas 2 caucas a Joquim Fclippe & Aguiar.
Vinagre 15 pipis e 2j'/5 a Sjuzi Basto, Amo-
rim & C
Vinho 2 pipas a J. V. da Costa, 10 e 18/5 a J.
G. Ganchos, 7, 18/5 e 30 caixas a F. R. Pinto
Guimares & I'. 25 barris a Antonio Je Oliveira
Maia, 18 a Joaquim D. Simoes t C-, 12 a J. S.
Neves, 10 a Meudes Lima & C, 1 a C. de F. Ta-
vares.
Club Commcrclal Entcrpe
Sarao em 12 de Junho
Est desgnala a uoite de 12 de junho proxmi,
para ter lugar o sarao que este club off-rece aos
seus associaios. Os senhores socios podein dar
suas oras de convites ao senhor director, na ra
do Mrquez de OiinJa n. 28, ou na secretaria
deste club, das 7 s 10 horas da noite.
Secretara da Club Commercial Euterpe, 15 de
Maio de 1886.O secretario,
Francisco Lima.
s 4 C, 80 a F. Guedes do
Pregos 20 caixas ordem.
Pianos 4 caixoes a H. Vogley.
Phojphoros 145 caixoes ordem, 5 a Um
Queiroz, 10 a M. J. Carlos Cirdoso, 10 a Parante
Vianna 4 C, 40 a Affonso Oliveira & C, 10 a
Fernandes & Irmo, 10 a Fernandos da Costa &
C, 20 a Ssuza Basto, Amorim & C; 10 a Costa
Medeiros.
Pimenta 20 saceos ordem, 5 a M. J. Carlos
Cardoso, 10 a Souzi Basto, Amorim & C.
Sag 20 girrato?s ordem.
Velas 53 erxas a Casarairo Fernaudes & C. 4
a Affmso Oliveira & C, 50 ordem.
Vidros 45 ctixas ordem, 8 a Otto Bih-rs ?ae-
cessor, li ordem, 13 a H. Stolzembvek & C,
DESPACHOS DE EXPOHTAgO
n 14 de Maio de 1386
Para o exterior
No brigue sueco Atler, carregou :
Para Hall, C. P. de L?mos 20,000 kilos de ossos
de boi.
Para o Interior
Na barcaca Farofa, carregou :
Para Parahy'oi, F. M. Duro 600 saceos com
fariaha de mandioca.
No cater Qeriquity, carregaram :
Para.Macahy'n, H. Hurle & C. 1,000 saceos
com farinha de mandioca.
Barca ingleza Kalph B. Peake, entrada de Pen-
saeol no dia 14 do corrente e consignada a Heu-
ry Fi rater & C, manifestou :
Maaeira de pinho 518,531 pes ord.'m.
Brigue allemo Berthi, entrado de Hamburgo no
dia 14 do eorrontfl e consignado a Guimares x
Perman, manifestou:
cidos 5 caixas ordem.
Azul uiramar 10 volumes ordem.
Barras de ferro 50 a W Halliday & C.
Cimento 250 barricas ordem, 400 a Prente
Vianna fe O., 50 a Alfonso lireira & C.
Cabos 60 rolos a Beltro & Costa.
Cerveja 165 eaixas ordem, 90 a Paiva Valen-
te Se C., 40 a Rosa & Queiroz, 50 a Affonso Oli-
veira & C, 30 a Esnaiy Rodrigues Si C.
Cevadinha 20 garrafoes ordem.
Eivilhas lOgarrates ordem.
Genebra 50 caixas ordem, 25 a M. J.Carlos
Cardoso, 35 a Affonso Oliveira & C-
Licores 15 caixas ordem.
Louca 35 volumes a Ferjandes 4 Irmo, 1 a
Deodato Torres & C.
Machina de costura 1 caixa aos meamos.
Mercadorias 2 volumes ordem.
Papel de embrulho 1,099 fardos ordem, 200 a
Rosa & Queiroz, 200 a M. J. Carlos Cardoso, 251
MOVIMENTO DO PORrO
Navios entrados no dia Ib
Xew Port 59 dias, barca norueguense
Dronning Louise, da 640 toneladas, r.a-
pitEo H. E. Olsen, equipagem 11, *rga
carvo de pe Ira ; a Vilsons Sons & (J.
Rio Grande do Sul21 ias, patacho di-
mmarquez Amor, do 160 toneladas, ca-
pillo E. Jensen, equipagem 0, carg
xarque ; a Baltar Oliveira & C.
Navios sahidos no mesmo dia
Para Pataicho portuguez Dona Elisa, ca-
pitao Hetirique Quarestna, era lastro.
Rio Graudoi do SulBrigue dinauarquez
Haabet, cjapitao H. I. Dohun, carga as-
sucar. )
\
VAPORES ESPERADOS
Gnahy da Bahia
II Kcmtny de Trieste
liahia l do norte
Espirito Santd do sul
Finarme do norte
Ville de MaceU da Europa
S. Franeisco \ do sul
Ville de Victofia do sul
Desterro ( de Hamburgo
Par \ do norte
Valparaso \ do sul
Tag'ts i da Europa
Senegal I do sal
Cear do sul
Portuense 1 de New-York
La Plata i do sal
hoje
hoje
hoje
boje
manb
a 19
a 19
a 20
a 'JO
a 23
a 24
a 24
a 25
a 26
a 28
a 29

r
i
.
i
\
11


iminm ii yjpwmii 11 n hpih < i
Diario de PcrnambucoDomingo 16 de Maio de 1886
*
\)
t



Ompankia
Scgredo
Os sent .res accionistas desta companhia quei-
ram vir receber o 76 divide, do na rat&o de
4400 por acco, e cuja pagamento se efectuar
diariamente at 31 do corrento mez, e ao depois
nos sabbados, mus sempre das 10 horas da ma-
nha 1 hora da tarde
Escriptorio da companhia do Bubcribe, em 15
de Maio de 188.O director secretario,
Jos Eustaquio F. Jacobina.
e Amor da
Ordem
Scientifico a todos os membros activos desta
sociedade quo mudou ella a sua sJc, da ra do
Bario da Victoria pira c terceiro andar do prc
dio o. 11 da ra do Imperador ; continuando a
celebrar as suas sesso.'s as terca -reirs, a 7 ho-
ras da noif.i1, salvos 09 dias impedidos por le, at
ulterior deliberaco. Outrosim, convidj-os para a
prxima sess de terca feira 18 do corrente, em
que tratar-se-ha de asjumpto importante, afim de
evitar se futuras reclainacoej.
Secretaria da sociedade benefic-nte Segredo e,
Amor da Ordem, aos 14 de Maio de 188t.
O secretario,
J. Monteiro Pessoa.
Club liiternacioiial d
Regatas
De ordem do Sr. presidente, convido aos asso-
ciados deste club pa'a comparecercm no domingo
lt do corrente, pelas 11 horas do dia, na sede do
mestno club, para, reunidos m assembla ger..l,
tratar-sc de negocios urgente* ao mesmo.
Secretaria do Club Internacional de Rgatas,
11 de Maio de 1886.O secretario,
F. C. Cusanova.
is Bank of Rio de
Janeiro Limited
A direccao tem resolvido recommendar na pro
.tima leuuifiydos accionistas em Lindrea, no dia
31 do cjrrente mez, um dividendo de 8 shillings e
um bonus de 2 shillings por acco, pagaveis, li-
vres de imposto, no da 1 de junbj prximo futuro,
prefazends, com o dividendo interino pago em de-
zembro4proxiuio passado, 18 shillings por acco,
ou 9 0,0 sobre o capital realisado, para o anno
financeiro prcvra.) passado. Tumbem recommen-
dar-se ha transferir ao fun o de reserva 10.000,
elevando o total do mesmo tundo a 19.000, e
deixando um saldo de 5 000, ao crdito da coata
i ova de lucn-s e perdas.
Peruambuco, 14 de Maio de 1886.
Chas. I. Relton.
Gerente interino.
PROGRAMMA
DA
TERCEIRA REGATA
DO
ll
(lili iras
PBIMBIBO ANMIVEftSARO
CHAKGEIRS REUNS
Com pauhia Franeeza de \ a vega
cao a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lia
ooa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Em 16 de Maio de 1886
POLE 2^000
Pica em vigor o progrmala da regata que devia ter lugar no dia 2 de Maio, smente com
srguiute alteraco :
Engl
v.
EMURCACOES
Escaler
6 remos,
dem.
de
Bandeira
brazileira.
Bandeira
Ray mun-
do Gil.
Antonio
portuguez a S. Joaeir"
REMADORES
Profissionae?.
dem.
DISTA>-
i. 1A EM
METROS
COR DO VESTUARIO
DA TRIPOLAclo
1.000
Azul e braneo
Azul e braneo.
NciME DAS EM
BAKCACOES
Dous Irmos.
Carolina.
Para msiores detalhes leiam-se os avulsos.
A i epata ser intrausferive!.
Comecar s 3 horas era ponto.
Os dir< cloren de regata.
W. Hughes.
J. Guimaree.
A de Mello, ioterino.
IEL0ES
Man
de
Arremataco do transporte
malas terrestres
O administrador, cuinpriudo a circular da di-
rectora geral dos crrelos, de 12 Je Abril findo,
faz publico que Gca marcado o dia 15 de junho
prximo futuro para o recebimento de propostas de
particulares que, auranto o exercicio de 1886-87,
queiram fazer por conlrato o servico da conduc-
cia, partindo desta repartidlo para :
Alag! de Baixo, na distaucia de 410 kilmetros,
com ezpedio5ei nos dias 4, 8, 12, 16, 2\ 24 e
38, viagem do 13 dias de Ha e voit, passaa-
do por Bonit, B.bedouro, Altinho, fesqueira,
Cimbres e Olho d'Agua dos Bredos.
Brejo, 210 kilmetros, nos dias 2, 6, 10, 14, 18,
88, 6 e 30, viagem de 7 dias de ida e volta,
passando por Veit ntes, Bom-Jardim, Taqua-
retinga e Santa Cruz.
Itamb, 120 k-lometro3,nos dias 1,4, 7, 10, 13, 16,
19,22, 25e28, viagem de 4 dias, pa sando
por Iguarass e Goyanni.
Leopoldina, 800 kilmetros, nos dias 1, 6, 11, 10,
21 e 26, viagem de 28 dias, passando por S.
Jos do Egypto, Afojrtdos de Ingazeira, Inga-
Mi, Fioree, Triumpho, Villa-Bella e S. JoB
do Bello-Monta.
Nossa S.-nhora do O", 126 kilmetros, nos das 1,
4, 7, 10 ,13, 16, ll>, 2-', 2". e 8* vU,s.-m de 4
dias, passando por I juarass e Goyanna.
Ouricury. !>60 kilmetros, nos dias 3.8,13,18,
83 e 28, viagem d 32 d^as, passanto por Sal
gueiro, Granito, Ex e Jatob do Brejo.
Petrolin*, 96tl kilmetros, uos dias 2, 7, 12,1(,
22 e 27. vagin de 32 lita, pasando por Flo-
resta, Cibrob, Boa-Vista e Jatobi de Ta-
carat.
S. Jos da O,roa Grande, 154 kilmetros, nos di?
1, 5 9, 13,17, 21, 25 e 29, viagem de 5 d*,'
passando por Ipojuca, Serinhm, Rio Formoso
e Barreiros.
S. Vicente, 213 kilmetros, nos dias 2, 6, 10, 14,
18, 2-, 26 e 30, viagem de 5 dias, paesando
-por Alaga Secca, Allianca, Timbaba, Vi-
ceacia e Cruangy.
Tacaratii, >40 kilmetros, nos dias 4, 8, 12, 16, 20,
24 e 28, viagem de 18 dias, passando por S
Beuto, Alagoiuhas, Pedra e Buique.
As propostas devem ser aposentadas at 3 ho-
ras do da marcado, em cartas fechadas, por du
plicata, com descriminacao do precos do serv^;
de cada linha de correios, bastando que urna s
via seja sellada, pora ambas assignadas pelos
proponentes e eens fiadores.
Correio de Pernambuco, 13 de Maio de 1886.
Affons) do Rogo Barros.
" S. R. J.
Socitt Recreativa Muflo
Seire blmensal em 6 de junho prximo futuro
Previno a tolos os senhores socios e convidados
que esta soire principiar as 7 horas da noite. Os
ingressos encontram-se a' a vespera da soire
md poder do senhor thesoureiro, e os convites uo
A'Sr. presidente. Recotnmenda-se toda a sim
plicidade nos toilettes e scientifica-se que nao sao
admissiveM a'gregdos.
Recife. 10 de Maio do 1886.
Luiz Guedes de Amoiim,
2" recretario.
Obras Publicas
Da ordem do Illm. Sr. tngenheiro chefe da re-
particSo das obras publicas, faco publico que no
dia 24 do co-rente, ao meio da, recebe-se nesta
secretaria propostas para a execufao dos reparos
da ponte sobre o rio Serinhaem, no entreuho Pao
Sangue, oreados cm 2:100i. O orcaraeutj e mais
coudies se acham dispos cao dos senhores pre-
tendentes.
Secretaria da reparticio das Obras Publicas, 10
de Maio de 1886.
O secretario.
Jodio Joaquim de Siqueira Varejo
Arsenal de Guerra
De ordem do Illm. Sr. major director, distribue-
sc costuras nos dias 17, 18 e 19 do corrente mes
s costureiras de ns. 287 a 4'0, do conformidade
com as disposiccs dos annnuncis anteriores.
Secco de costuras do arsenal de guerra de
Pernambuco, 15 de Maio de 1886.
Pelix Antonio de Alcntara,
Alteres adjunto_______^^
THEATRO
Rainha do
Pilha do ar
Breas
Zephiro
Leandro
Assuceua
Martba
To Miliiw
W.lfa
Kiupretaria do nliantecimeiUo d
agua e gnz cidade de Olinda
DEVEDOKES FM ATKAZO
Tendo a directora, em sesso de 15 do
correte, resolvido receber por intermedio
de um sollieitador todas as cont&s de con-
summidores d'agua e gaz em alrazo, a
contar do anno de 187G, resolv n esta
data encarregar de tal cobranga o Sr.
Diogo Baptista Fernandes. a quem espero
attender3o desde logo os mesinos devedo-
res, cortos da {artiga c equidade de imi-
lhante resolugo.
Escriptorio do gerento-
1886.
Antonio Pereira Simoes.
28 de Abril de
THEaTR*
DE
VARIEDADES
EOn-fliitiifl)
Domingo, lh de Maio
BENEFICIO DO ACTOR
MANHONQA
Subir scena a impoitanfe comdia-drama
em 3 actos, de Kangel de Lima :
Vinganca de Mulher
Terminar o espectacnlo a comedia em 1 act :
4 ouvi espirrar esle nariz
A'a 9 Horah.
Empresa Dramtica
Companhia aramatica, dirigida pelo actor
XISTO BAHA
SABBADO Ib
DOMINGO 16TLTI.UA REPRESENTAgAO
Quinta rcpreseiitaco da grande mag'ca em 1
prelego, 3 actos e 6 quadros, toda ornada de m-
sica, visualidades, tra"nsforuiacoes, f'gos, etc etc.
A FILUA DO AR
ou
L FOCEZ AZULINA
l'KRSO> <.:>
D. Apolonia
D. Edelvira
Sr. Babia
D. M. Bahia
Sr. Lyra
D. Herminia
D. Felismina
Sr. Teixeira
1). Lucia
tyr.kJ, jiiii, c*mp*wze* de ambos os se-
Tltloa don quadroH
prolgo Eutre-nuvens
1.0 qutdro O talismn
2 o dito A derrocada _
3.. dito Osbeijosdodiabo
4.0 dito O cemiterio
5. dito A grita do diabo
B.o dito Aootaeose
25 NMEROS DE MSICA
1.' C'0 de Sylphides.
2. Harmona, entrada de Zephiro.
3. Forte, entrada de Breas.
4.'' Duettino de Zephiro e Azulina.
5. Coro de Sylphides.
6. Aria de Leandio.
7." Ensemble d Martba, Mathias e Assucena.
8.o Forte na orehestrj, entraa de Azulina pela
nella.
9. ilani. iia.
10. Coro de camponezes.
11. Coplas de Breas e coros.
12. Cancao de Mathias.
13. Tercetto, Martba, Mathias e Assucena.
14 Meloda.
1 f>. Forte na orchestra.
16. Aria de Azulina.
17. Tercetto, Azulina, Zephiro c Breas.
18. Coro de VVills, pbantasmks, Breas, Zephi-
ro > Azulina.
19. Coro de phantasmas.
20. Galope infernal.
21. Coplas de Leandro e Breas.
22. Forte na orchestra.
23. Coro de Camponezes.
24. Bolero e daaca por Azulina, loras, Zephiro,
Assucena, Leandro, Mathias e corpo de coro.
_'.'' llarmouia naal.
Relaco dos devedores da decima urbana da fr
guezia de S. Frei Pedro Goncalves, do exer
cicio de 1884 1885.
Travessa do Comuiercio n. 16. Dr.
Manoel Mara Tavares da Silva,
1/2 123*606
Dos Torres n. 12. O mesmo, dem 29*355
Praca da Assembla n. 2. Manoel
Martina de Araujo Castro 72404
Ra do Barao do Triumpho n. 7 B.
Manoel Maitins de Carvalho 24*721
Dita n. 68. Manoel da Silva Men-
donca Vianna 51502
Caes do Brum n. 46. O mesmo 165068
Ra do Baro de Triumpho n. 61.
O mesmo 19*776
Dita n. 63. O mesmo 17*304
Guararapes n. 74. O mesmo 61*803
Dita n. 17. Manoel de Souza Ribeiro 17*304
Arial n. 15. Marcelino Pereira Soa-
res 18*304
D' Maria Cesar n. 11. Maria Affonso
Ferreira e outras 14*832
Bom Jess n. 68. Mara Auria de
Sampaio Lins 51*502
, D. Maria Cesar n. 14. Maria Bal
bina da CoDCei$ao lavares 67*980
I Domingos Jos Martins n. 130. A
i m.sraa 44*498
,Tiuty n. 6. Mara da Conceicao
Dourado da Fonseca, parte 41*202
i Travessa do Apollo n. 1. Maria Jos
Cerdrina 7*416
' Ra do Visconde de Itaparica n. 11.
Maria Josephina Dubourey 25*751
, Becco L'irgo n. 6. A mesma 76*223
j Ra da Restauracao n. 12. A mesma 12*360
, D. Maria Cesar n. 39. A mesma 63*863
i Thom de Souza n. 3. Maria da Sil-
va Campos e se us filhos 63*863
Visconde de Itaparica u. 32. Maria
Thereza Ribeiro de Almeida, parte 30*366
Cais do Apollo n. 63. Marianna Gon-
calves
Ra de S. Jorge n. 84. Mosteiro de
O
S. Bento
Dita n. 87. O mesmo
Coinmercio n. 24. O mesmo
Dita o. 26. O mesmo
Alves Cabral n. 1. O mesmo
Dita n. 3. O mesmo
Thom de Souza n. 2. O mesmo
Dita a. 4. O met.mo
Do Torres n. 6. O mesmo
Vigario Tenorio n. 24. O mesmo
Amorim n. 25. O mesmo
Demnigos Jds Martins n. 80.
mesmo
Barao do Triumpho n. 55. Raphael
Fcrnandes Abrantes
Dita n. 56. O mesmo
Guararapes n. 19. Raymuado No-
gueira da Costa, parte
Pharlo. 68. Rita Maria Firmina
de Almeida
Tiuity n. 9 Rita Maria dos Santos
Becco do Goncalves n. 2. Rosa Can-
dida Goncalves Ferreira
Ra do Bom Jess n. 31. Rosa Fer-
nandes Abrantes
Guararapes n. 68. A mesma
Becco do Goncalves n. 10. R.sa
Goncalves de Jess
Cues do Apollo n. 69. A mesma
Dita n. 71. i mesma -
Ra do Bom Jneus r. 20. Dr. Sil-
vino Cavalea:ite de Albuquerque
Pbarol n. 38. O mesmo
S. Jorge u 27. O mesmo
i'harol n. 84. Themcteo Gomes de
Mello
Visconde do ltapmca n. 47. The-
reza Ribeiro de Almeida, parte
Pharol n. 52. Theodoro Oresto de
Mello
Baro do Triumpho n. 4. Vicente
Ferreira N:pomuceno
Secco do Contencioso do Thesouro Provincial,
5 di Maio de 1886.
Maiwl do Nascimento Silva Battot,
1 official.
27*781
24*71
61*803
113*205
41*202
41*202
414202
113*205
43*005
82*404
51502
74*163
23*8(5
12*360
2*378
37*081
9*733
41*202
30*901
41*202
113*205
15*450
123*(M6
17*US8
34*300
12*360
10*773
7*417
12*360
MARTIMOS
VIA MSICA composicao dos distinetns maestros
RAKCEL1NO CLETO E ROBE UTO DE BAR-
O.S.
QUARDA-ROUPA explendido! 16 roupas com
p.etamente novas e ftitas a caprieh>.
.'CENARIO novo em parte.
MACHINISMOS novos fetos debaixo da direc-
cao do hbil machinista da cinpreza o Sr. Cor-
deiro. ,
ADEREMOS pelo aderecis'a e contn.regra da
ompanha o Sr. Caries d'Azevedo.
Focos cambiante?, chova de prata e de fogo.
.VIsE-ES-SCENE do actor
\IVIO B.%111%
A orchestra ebt augmentada a debaxo da ro-
gei.cia do maestro MARCELINO CLETO.
PREgOS
Camarotes 10*000
Cadeiras 2*?199
Galeras 2*000
Geraes 1*000
Os espectculos sao iutransferiveis.
A'e horas do costume,
O procurador dos eitos da fuyenda pro
viudal, tendo recebido do Thesouro Pro-
vinciwl a relasao abaixo transcripta dos i
c-ontribuintes do imposto do decima de extor-
cado de 1884 1883, da freguezia de S.
Frei Pedro Gonjalves, que deixaram de
pgr o mesmo imposto no te ropo compe-
.ente, declara aos tnesmos contnbuintcs
que Ibes fica marcado o praso do 30 das,
a contar da publicado do presente ediUl, j
na conformidade do disposto no trt. 53 da'
lei n. 891, para recolherem a importancia
de aeus debitoa ao Consulado Provincial,
certos de que, findo o referido praso-.se
proceder executivamento a cobranca.
Recife, 8 de maio de 1886.
Manoel Nicolao Reg Pinto de Soiiza.
-UMtf* lelil? DEN MKNN.lvc!-
HEIi MARITIHES
LINHA MENSAL
Paquete Senegal
Commandante Morenu
E' esperado dos portos do
sul at o dir. 25 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costume, para Bordeaux,
tocando em
Dakar, Lisboa e vico
Lembra-se tos senhores passageiros todas de
:ia elasses que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar era qualquer tempo.
i":.z-6e abatunento de 15 /0 em favor das fa-
milias compostH de 4 pessoas ao menos e que pa
' garem 4 passa^cus inteiras.
Pur xcept,fii os criados de familias que toma-
ren bilhetea de- proa, gosara tambera d'este abati-
mento.
Os vales poafaes s se dao at e dia 23 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: racta-se cora o agente
iiigusle Labilic
9 RIJA DO COMMERCIO
tmied Slales & Brasil Mail S. S. C.
0 paquete Finance
Espera-se de New-Por t-
News.at o dia 17 de Maio,
o (ual sccuir.i depois da de-
mora necessaria para a
Baha e Rio de Janeiro
r .ira carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete, tracta-se com os
AGENTES
Henry Forster k C.
N. S, RUADOCOMMRGlO N 8.
andar
Espera-se dos Dortoe do
sul at o dia 20 do corrente
seguindo depois da ndis-
pemaavel demora para o Ha-
vre.
Os vapores desta companhia entram no porto
ancorando em frente ao caes da prava do Commer-
cio o sendo muito incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadouro das paquetes transatlan
ticos, no Lmanlo e domis devendo todos aportar
ao Havre, que o porto mais visinho de Paria,
lora de duvida que ha grande vantagem para quem
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, aim deserem os precos
das passagens mais mdicos, as despezas do embar-
que aqui e as de transporto do Havre a Pars, sao
muito menores do que as que demandara as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de marcha rapid-
e offerecem excellentes commodos e ptimo passaa
dio.
As passagens podero ser tomadas de antemao
Recebe carga encommendas e passageiros para
os quaes tem excellentes accommodacoea.
Steamer vi le Maceo
E' esperado da Europa at
o da 20 de Maio, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ba
tala. Rio de Janeiro
e Mantn.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p'lo9
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvareng;. |ua-
quer reclama^ao concernente a volumes, qud po-
rep.tnra tenham seguido para os portos do suLafirrj
de se poderem dar a tempo aa providencias neces-
sarias.
Expirado o referido prase a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Recebe carga, encommendas e passageiros. part>
es quaes tem excellentes accomodacoes.
Augusto F. de Oivcira &
ACEITES
42 -RIJA DO COMMERCIO-42
COMPANHIA PER\AHIjC1'VA
DE
Mavega^o Coselra por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyha, Natal, Macu, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarahu e Camossim
0 vapor Ipojuca
Commandante Baptista
Segu no dia 22 de
Maio, s 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 21.
Encommendas passagens e dnheiros afrete at
s 3 horas da tai de do dia da sal ida.
ESCRIPTORIO
Cae da Companhia Pemamb'fjina
n. 12
PaciflcSteamNavigation Company
STRAITS OP MAGELLAN LLNE
Paquete Valparaizo
Espera-se dos portos
do sul at o dia 24 de
Maic, seguindo pa-
ra a Europa depois da
demora do costume.
Este paquete e os que dora
em diante seguireu. locaro -em
Plymoulu, o que facilitar ehe-
garem os passageiros com mais
brevidade a Londres.
' Haver tambera abatimento no preco das pas-
sagens.
Para carga, passagens e encommendas e dinhei-
ro a frete tracto-se com oa
AGENTES
Wilson Sons & .. UmHetl
5. H RUy DO COMMERCIO_-N1J4
Companhia Bra* itoira de a ve-
ffa^So a Vapor
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante Joao Mara Pessoa
E' esperado dos portos do sul
at o dia 16 de Maio, e
seguir depois da demora in-
dispensavel, para os portos
do norte at Manos.
Para carga, passagens, encommendtw e valores
r act a-se na agencia
11Ruado Commercio 11
portosIdo SUL
0 vapor Bahia
Commandante l- tenente Aureliano Izaae
E' esperado dos portos do
norte at o dia 16 ile Maio,
e depois da demora in
dispensavel, seguir -para
os portos do sul.
Recebe tamOem carga pa-
ra Santos, Pelotas e Rio Grande de Sul, frete mo
dico.
Para carga, passagens, encommendas e valores,
trata-ae na agencia
N; 11 RA DO COMMERCIO N. 11
Leilo
Agente Brito
Da importante armacao e gneros de mo-
Ihados do estabelecimento sito ra da
Impcratriz n. 34.
O ageute cima, devidamenie, autorisado ven-
der a referida arma?o e todos os gneros, que
quasi todos sao de primeira qualidade, em um oa
mais lotes, vontade dos Srs. pretendtntes.
Ao correr-do martello
Garante se a casa.
Segunda fel ra 19 do corrente
A'8 11 horas em ponto
Leilo
De bons movis, finos crystaes, porcelanas,
quadros, cspelhos, electro o vinhos
AGENTE, PINTO
Ra da Solidarte n. s
Quinta-feira 20 do corrente as 11 horas.
0 engenheiro Ricardo de Menezes, tendo de mu-
dar de residencia para a Corte, far leilo por in-
tervengo do agente Pinto, dos movis e mais ob-
jectos existentes na casa de sua residencia a ra
da Soledade n. 84.
Constando de :
Urna raobilia de Jacaranda, quadros a oleo, espe-
lhos, 1 piano forte de H. Kcrz., 1 eadeira 1 es-
tante para msica, ettagers, jarros para Acres,
escarradeiras, figuras, sanefas e cortinados alca
tifas, forro da sala e quarto, tapetes desofe
portas, e candieiro a gaz.
1.- quarto
Urna cama de Jacaranda e cpula, 1 toilet e 1
lavatorio de Jacaranda, 2 gimruieoes para lavato-
rio, 1 toilet, e 2 jarros e 1 forro de esteira.
< quarlo
Urna raobilia de pau carga feita a capricho
constand* de 1 cama, 1 secretaria, estante, 1 toi-
let, 2 eadeiras, 1 meza de cama e 1 cabde, 1 tin-
teiro, 2 quadros, 4 vasos c ilutes, 2 figuras de
porcellana, 1 guarnicao para lavatorio, 2 mezinhas
de fantasa e 1 linda alcatifa, forro de quarto.
3.* quarlo
1 Cama francesa, 1 meza e estante, 1 lavatorio,
1 guarnicao c 6 eadeiras, 1 cesta para roupa, 2
balaios, 1 banheiro, 4 arandellas, 2 castcaes, e
4 bolas de core3.
Corredor
1 Candieio a gaz, 2 jarres com flores, 4 tapetes
de coco, 2 quadros, 1 resfriadeira, 1 quartinheira,
1 poita chapeos, e l forro de esteira.
Mala de jamar
1 Meza elstica, 1 guarda lou^a todo envidra-
fado, 1 apparador cera pedra e espelhos, 6 cua-
dros, 4 jarros, 1 lavatorio de parede, 1 eadeira, 1
carro para enanca, 1 relogio de parede, 2 candi-
eiros para kerosene, 1 dito para gaz carbnico, e
1 tapete de coco forro da sala, e vinhos.
2 A: parelhos de porcelana para cha e jantar.
1 licoreiro, copos, clices, compoteiras, garrafas,
jarrinhos para a meza, tacas de crystal, 1 appa-
relho para cha porcelana bracea, canecos para
caf, clices de cores e 20 globos.
1 Fogao americano de ferro, mezas, e trem de
tozinha.
sotio ou I.- andar
1 Guarda vestido com eapelho. 2 camas de
Jacaranda, I lavatorio e toilet, guarnieres, 1 es-
tante envidracada para lvros, 1 meza para
jogo, 1 papeleta, 1 guarda roupa de amarella e
1 quartinheira.
. nata
1 Commoda com armario, 1 lindo sar.c'uario de
jaca rauda, 2 quadros, 2 espelhos, 1 cama para me-
nino, 2 camas de lona e outros objectos.
Atno
Os referidos movis acham-se em bom estado de
conservacao. O leilo principiar as 10 horas era
ponto por serem muitos os lotes.
Brevemente marcar-se-ha o dh em que deve
ter lugar dito leilo.
Ihese Silva, iuventariante do espolio de sea I
do irmao coronel Jet Anto de Souza Magallscs,
da divida proveniente de urna carta de senM^ea
obtida em 12 de Fevereiro de 1885, contra Tes
Sancho Bezerra Cavulcante e sua mulher, senho-
res do importante engenhoAlegra, para paga-
rem ejecutivamente e por carta precitoria exeau-
tona que j se cha passada a quantia de......
30:520/594 de principal, juros e custas, alut 4e
4:577/090 de juros accrescides de Fevereiro do
anno passado at boje.
Os Srs. pretendentes podem examinar a referi-
da carta em mao do agente.
Leilo
Quarta feira, 19 do corrente
A'n 11 horas
No armazera da ru?. do Imperador n. JJ5
O agente Modesto Baptista far leilo de 2 mo-
bihas de Jacaranda, grande quantidadejde cidepas
avulsas jo medalho, com encost de paiha, tran-
cadas e simples, 3 mesnhas de columna, 2 lavato-
rios, sendo um com pedra, 1 q lartinbeira, 1 piano,
1 guarda-loucH, t cartera, 1 mesa de ferradura,
2 cabides, 2 consolos, 1 mesa elstica, 1 estante,
g/ande quautidade de jarros, castcaes de vidro,
e&carradeiras, alcatifas, eolheres, garlos e outras
obras de prata, louca, facas e garios de cabo le
osso, chapeos phra bomem, perfumaras e outros
objectos que estaro vista dos concurrentes.
AVISOS DIVERSOS
Alugam-se.casas a 8*000 no becco dos Re
Ibas, junto de S. Goocalo ; a tratar na ra da m-
eratiiz n. 56.
Faz se aegocio com quem pretender comprar
a bypotheca da asa do largo do Paraizo i. 15 :
na ra Nova n. 12, luja de chapeos.
Leilo
Negunda feira
De 10 letras no valor do Rs. 3:858800,
todas legalisadas
17 do corrente
as 11 horas
No armasem da ra do Bom Jess ti. 49
(Em continuacao)
De movis, pianos, copos, relogios de parede e
malas para viagem, jarros, quadros, espelhos, sor-
tee de ditl'erentf s qualidades. champagn, cognac-
abshtho, e agua de soda, latas com ostras, e outros
objectot que terao vendidos sem lmites.
Por Intervencio do agente
Gusmo
Leilo
rs-saBament
Dampfschifflahrls-Gesellschaft
0 vapor Desterro
Espera-se de HAMBRGO,
va LISBOA, at o dia 20 do
corrente, seguindo depois da
di mora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, c encommendas, tracta-
se com os
CONSIGNATARIOS
Borstelmann & C.
ruadovioarion. a
/ andar
l}ara
Segu com brevidade para o porto cima o pa-
tacho portuguez D Eliza : para o resto da carga
que falta, trata-se com Baltsr Oliveira t C, ra
do Vigario n. 1, primeiro andar. _________
Lisboa p Piulo
O brigue portuguez Armonio segu para os
portos cima: para o r-'Sto da cirga quo lhe falta,
tratase com os consignatarios, Jos da Silva
L yo Filho?.
De um rico espelho Oval dourado e gran,
de, lindos quadros, finas gravaras, jar-
ros para flores, crystaes, bons movis e
vinhos.
A SABER
Sala de visita
Um piano forte, 1 moblia com 1 sjf, 2 coiso-
los, 1 jardineira, 4 eadeiras de bracos e 18 de
guarn.'fi), 1 espelho oval grande, 2 quadros
o?aes com vistas emmadrepetola, 2 ditas Antigona
& Esmenia, e cedipo, 2 ditas cardade, 1 dito o
vaticano, ldito assembla franceza, 2 almofadas,
1 tapete de sof e 4 de porta de carneiro, o lau-
cas com cortinados, 2 ettagers, 2 jarros de ala-
bastro, 1 porta carts, 1 lustre de crystal com 4
bicos, 4 porta cartoes de abastro, 2 figuras, 5
pannos de crochet e 1 esteira para forro de sala e
qnartos.
Alcova
Urna cama, 1 toillet, 1 lavatorio, 1 cabde tudo
de faia, gosto americano, 1 guarda vestido, 1
guarnicao para lavatorio, 1 cpula, 1 cortinado
para cama, guarnicao para toillet e 1 marquezo
Corredor
Um cabde, estante para chapeos de sol, 1 dito
de parede.
Gabinete
Urna mesa com 2 gavetas, 1 estante para lvros,
2cadeijas de balanco grandes. 2 ditas menores e
2 ditas de vime.
1* quarto
Urna cmara de Jacaranda esm lastro de rame,
1 toilet, 1 lavatorio, 1 espelho e 1 cabde.
2 quarto
1 Commoda, 1 espalho dourado, e 1 toilet de
mogno.
Sala pe jantar
1 Meza elstica, 1 guarda louei, 2 apf aradores.
1 meza de ferro com pedra, 2 quartinhas cora tor-
neiras, 4 p 'quenas, 1 gui-rda-comida de rame, 4
quadros com paysagens, 2 fructeiras e 1 tapete
para fono de sla e corredor.
1 apparclho de porcellana para jantar, 1 dito
para cha, copos, cauces, compoteiras, garrafas,
porta-qucjo, licorera, talheres, eolheres, bande-
jas, vinhos, e cognac.
Mizas para cosiuha com tampo de pedra, t em
de cosinha e mais accessorios de casa de familia.
Quarta feira, ? de Malo
No 1. andar do sobrado de azulejo da ra da
Iraperatriz n. 88
(Esquiua a ra do Hospicio)
Alfredo Antonio Fernandes, tendo de fazer
urna viagem a Europa eom sua familia, far leilo
por intervenco do agente Pinto dos movis e mais
objectos ie casa de sua residencia a ra da Im-
perntriz n. 88, entrada pela ra do Hospicio.
O leiKo prnciar as 10 1|2 horas.
Compra-se urna pequeDa casa nos bairros de
Santo Antonio ou S. Jos desta cidade ; a tratar
na ra de Santa Thereza n. 20. Tambero se ven-
de na bom sitio cora casas na estrada nova de
Casanga, muito prximo a estaco do Zumby.
Precisa se de vma ama que engomme c com-
pre : na ra do Imperador n. 43, Io andtr.
Pede-se aoa abaixo assgnados o favor de
virem ou mandar ra do Mrquez de Olinda n.
51, a negocio que nao ignoran.
l)r. Candido Emygdio Pereira Lobo.
Pedro Manoel Costa Lobo.
Francisco Raymuudo Carvalho, (commandante
Companhia Pesnambucana).
Aluga-se urna casa na ra do Conde da Boa-
Vista n. 117 : a tratar na ra do Commercio nu-
mero 15.
Precisa-se
Aurora n. 81, 1*
de urna cesinbeira
anear.
na ra da
Umamo;a habilitada participa aos pas de
fa-nilias que ensina portuguez, francez, arithmeti
ca e trabalhos de agulha : tratar no Corredor
do Bispo n. 81.
Precisa-se de um caixeiro que tenha prati-
ca de molhados, de 14 16 annos ; a tr;.far no
becco do Campello n. 4.
Aluga-se a casa n. 65 ra da Palma, mui-
to fresca e com acesmmodaccs para familia : a
entender-se na ra do bartholorr.eu n. 40,
Aluga-se o pavimento terreo, 1* andar e
sotao do predio n. 25 da roa do Visconde de Al-
buquerque : a tratar na ra do Vigario numero
7, loja.__________________________________
Precisase de urna ama para
casa de familia, prefere se es-
crava: na ra do Cotovello n.
46.
Xa ra de Santa Thereza n. 28. precisa-se
de urna ou duas mulheres para vender em tabo-
ltiros na ra.
Respeitavel publico
Contina aberta a escola particular de metruc-
triz da Boa-Vista u. 34, regida pelo professor par-
ticular Julio Seares de Azcvcdo.
Educa c instrue a iufancia, pelo sy=tema dos
principaes collegios da corte do imperio, onde es-
teve por algum tempo a passeio, cujo systema
urna paciencia Ilimitada, urna vocacb intima,
guiando os seus discpulos no caminho da inteli-
gencia, da honra e da dignidade, afim de que ve-
nbam a ser o futuro sustentculo da patria, da re-
ligio e da le e um verdadeiro cidadb brasileire.
Espera, pois, que o novo pernaratiucano applau-
da e saiba apreciar o seu verdadeiro ensino pri-
mario, onde rpidamente abraram e araam de ca-
rabao aos livros as lettras, sb artes e as sciencjA.
Ra da matriz da Boa-Vista r. p
Julio Sart de Aiere&i.
Leilo
Do urnaCarta de Sentenca Cvelna importan-
cia de 30:52594 e- mais 4:578090 de juros
accre8Cdos desde Fevereiro de 1885 2 de
Miiio do corrente anno.
Total 35>O0S4i6&4
serem cobrados executivamento de Jos Sancho
Beierra Cavalcante e sua mulher, senhores do
engenho-Alegra,na comarca da Escada, eoge-
nho que sobejamente garante o pagamento da di-
ta divida, provinicnte de urna hypotheca.
Quarta feira 10 do corrente
A'b 11 boras
No armazem da ra do Imperador n. 16
O sgente Martins, autorisado pelo Illm. e Exm.
Sr. Dr. juis do civel, far leilo < m sua presenca
ea requerimento de D. Bernarda de Souza Maga-1
Joao Goncalves
Torres pede a pG-
soas que d elle sejul-
garem credoraspor
conta ou ttulos ven-
cidosqueiram apre-
sental-os ao Illm. Sr.
tenente Manoel An-
tonio Viegas, a fin de
ser tn verificadas pelo
mesmo Senhor e pa-
gas no edificio da C-
mara municipal, por
occasio da sessao do
dia 19 do corrente.
Recife 14 de Maio.
Joo Gtica/ves Torres.
4S 4:0004000
suestes tmmm
itaa Primeiro, de Marco n. 23
O abaixo assignado, tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 5103 com a sorte de 4:000?W00,
alm de outras sortea de 324> 16)5 e 8$, da
lotera (53.*), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem descont
algara.
Acham-se venda os afortunados bi-
lhetes garantidos da 7.a parte daa loteras
a beneficio da igreja do Araporo de Olinda
(54.a), que se excrahira quiuta-feira, 20 do
corrente.
Precos
Inteiro 44000
Meio 20000
Quarto 10000
Bnt quantldade maior de loo*
Inteiro 30500 s
Meio 10750
Quarto 0875
Manoel Martins Finta.
OD-





Diario de Fernamtmwi^-Doniingo 16 de Maio de 1886
mmammmm
^
Quem lom?
are e prau
compra se onro, prata
pedraa preciosas, por maior preco que em outi*
quaquer parte ; no 1 and*r n. 22 ra larga do
Rosarlo, antiga doB Qnarteis, das lfl h.ras as 2 da
tarde, dias uteis.
QU.LL
EMBROIDERY
(Ocdadc Bordar.)
8ILK.
OUILL BVTOM-HO?,E TWIST.
Julgando ser de erando utiHdadc dos negociantes da
America do BoL terem fios de seda e retroz ^repara-
dos em material mais leve do que sejai.. car cicis de
pi, estamos proinptos a fornecer para i.nrportacao
dos de seda, retroz de seda e seda de boidar, de
todas as quididades, paeparadas em lancedeiras de
rl ou de penoas como cima representado,
emos todos os tamanhos de o prsto e mais de
^uinhootos cores. 0
r Dirrja-se "Braiaard k Armitroag Co."
6ax Market Street, 469 Broadvay,
Pbiladdphia, U. S. A. New-York, U. S. A..
H
OS especficos veterinarios
0ME0PATHIC0S^S='
==nF HUMPHREY.
7 Para a cura de todas as doen<;as de
CaralloSj Gado, Caraelros, Cues, Por
eos, Ares.
Tem sido usado com febe resultado por
Fazendeiros, Criadores de gado, Car-
ros -ferris, etc., etc.
Certiflrado e usado pelo Gorerno dos
Estados Unidos.
tP" Envia-se Folhetos e Cartees gratis.
Dirija--? a
HUMPHREY'S MEDICINE CO.
109 guitn St. New-York.____
. Especifico Homeopathico de
HumphreyNo.28,
1 Usado ha 30 ancos. O nico remedio efficaz pata
Debilidade Nervosa, FraquezaVital
e 'urostraco, por excessi vo trabalho ou outras causas.
$1 por garran, ou cinco garrafasei garrjfao de pos,
$5.00, ouro americano.
9% A'vbnda por todos os DROGUISTAS. Tamben*
enviase pelo correo pelo pre\o do coswmc.
.Diriia-se a "Himphrfy'i HomeopaJlO
Medicine Co." 10 FultM SU Jiew-yjrk.
EMULSAO
SCOTT
1)E OLEO PURO DE
Fiffado de Hacalho
COM
Hypophosphilos de cal e soda
Ipprovada pela Jimia de 11 y
giene e anoriaaila pelo
governo
E' o melhor renn dio at h' je descnbe*t.n para a
tnica aronehtlenH etceplmlan. ra
ChilrM. iinrmin. ebili iiadc em cern
deDaxnivJOMNe c lirn ico e iill'i rcoi
do petlo da garuanln.
E' muito superior ao oleo simples de figado de
b&callio. pirque, Hlm de ter di -iro e sabor agr-
daveis, possue todas as virtudes uiedicinaes e nu
tritivas 00 oleo, alm das propriedades tnicas;
reconstitumt. s dos hypophospbitos. A" venda na.
drogaras e boticas.
Deposito em Periiambucn
Francisco Manoel da Silva & C.
23-RUA MRQUEZ DE (LINDA-23
^osinheira
Precisa-se de urna, a tratar na ru.i da Uniao
n- U._________________________________________
Serrara a vapor
Cae* do Capibaribe n. ?*
Nesa serrara encontrar,, os senhores fregue-
zs um grande sortimento de pinh > d rezina, de
5 & 10 metros de eomprimento, e de (1,08 a 0,24 de
ecquadrioa ; jrarai.fe-ae preco mais cemmodo do
ae emoittra qu Iqner part.
E'infallivel
Largo de S. Pedro n \
Tndo e vende pelo menos pos
s vel
Rsti- eitatx lcimento sempre lia i venda o es-
pacial ni-dr de iimra'iij. em lindas garrafinhas,
propria- paia 'oilrt, compotas de o.aligaba e
mang
Tanta ii' J ni- n'n ..me mp'i-tu s rtimento de
gaiola--.ii i l tu li.-.n'..- para toda diversi
dade di- |. n* me pri prv-s para riagesa, por
terem c Deo (> m um ni s ca ix u a.
Ene ni a si- aluda U'i. grande rtinrnto d
pascan- HNeioUHe c ifTr.i.geir' -, ^nrr.' elles ca-
oarii.- a I. mies n iM-id a a |in n Bra i!, rolas de
todas as i|.i.ii i .-, ..t ernsaaaa, |ir,.pr as para
viveiros oe iardiaa
#
^2\
%
Prenarago de Productos Vegetaes
extingo' das caspas
e outras Molestias Capillares.
}A ARTI NS~&~BASTOS
Pernanibuco
Precisa-se
de ama pessoa para vender
ra Imperial n. 112.
na ra : a tratar na
Precisa-ae de um no Instituto Acadmico, ra
di Visconde de Goyanna n. 153.
ttenco
Arrenda-se o predio n. 56 A ra Duque de Ca-
nas, cujo pavimento terreo proprio para esta-
beleoimento comaiercial e acha-se actualmente
desoccupido : a tratar na praca de Pedro II
outr'ora pateo do Colle^io) n. 6, Io andar, com o
advogado Dr. Jos Vicente Meira de Vasconcel-
lot, das 10 horas da manh s 4 da tarde.
Caixeiro
Precisa-se de um menino de 12 14 anuos de
idade, co/n pratica de taverna e qae d fiador
sua conducta : na ra de Fernandes Vieira nu-
mero 68. _______________
Leudo de nina carta de
sellenca civel
Est annuaciado para 10 case leilao, e por isto
bom o seguinte aviso aos pretendentes :
Primeiro, os exeeutKdos tm relevantissimos
embargos a apresentar na occasiao da execuco
O proprio coronel Jos Antao, sabendo delles,
guardn a carta de sentenca e procurou amibos
para aceommodaco, < te.
Segundo, essa execucao se far pelo regimem
anterior ao decreto n. 3272. Ante- de tudo a ver-
dade
Jos Ferreira de raula, morador na comarca
de Ciu.bres, tendo-se prov'sinnado para aqueila
comarca, Caruar, Bn jo da Madre de Deus, 8.
Bento e Etcada, offinee-se a quem precisar doi
servias inherentes sua profisso no lugar ci-
ma indicado.
itua larga do Rosario n :J >
Bicos de core.--.
Leques regatas.
Ditos D. .1 '.finita.
Ricas sones para presentes.
Fitas para fachas n. 80.
Damiio Lima & O.
Novissimo compendio de sortea cm versos para
as festejadas notes de Santo Antonio. S Jrao e
S. Pedro, eonteudo urna cscJliida collecao de
jogos de prendas r poesas.
Precol 000
Ltvraria Universal, cm do Imperador n. 52
Wl
Precisa-se de um menino para criado
d; Baro d Vietoria n. 31. I.ja.
niiniiscia Uij
Ai
lina >>
. i i toral.
iiiiiiii.ii
p^l.j nlt m
5
vapor.
Pharmacia l\\
Ra >>ia
Cha preto especial.
iiunii'i'ii *r
En^niho
Arrenda se o eog nho Estivas, sito na comarca
do Cabo ; a tratar no escripf. rio de Sebaetiao de
Birr s Barrito, A na do Coinmercio n. 15.
Cosinheira
Preesa-B-' de u.na qu s-Ji multa) bu* irl Casa
dtirtMpriitmii fiiiiiiijli iim Intorma-se na ra
do Barao dr Victoria n t, livrar a
Eiigimmiadcira
com urgeneia, para casi
ua do Visc.;nHe de Goyn
Ao publico
Precisa-se com urg neia, para casa de familia,
a tratar na ra do Visc.inde de Oovanna n. 207.
Antonio l telho da Cmara, t. ndo encontrado
outro de igual dodv, desta data em diante assig
nar se-ha Ai.tonio Bot- Iho ni Cmara Braga.
Afogadoe. 7 de Maio de 1886.
.lleiini
A viuva de Valdcvino, da plvora, avisa ao
respeitavel publico e especialmente aos seus fr.'-
upzps, que rOBtioa no mesmo ramo de negocio
lo sen fiind-, marid para o que ti m um comple-
to sortimeu'o de fog s, e tudo mais que diz r- la
tivamente ao seu ramo de negocio. Apparelho
telephonico369
1
Hado. 0a araii
Bote i > p rante eetabeledmeoto de relojoaria,
fundado em 189, ecti funcionando agora ra
larga do Haari n l. f
O seu proi i-n'-ario encarregado do reglamen-
to dos rel< gi B do arsenal tt marinlia, da compa-
nhia dos tr.lli ii i rbanos do Recife i Olmda e iie-
beribe, da .i K i" fe .-i t;:i\:ing, da estrada de
ferro de Caniai, da cen panbia ferro carril de
Pernambii'o. .i as> -i .r.oi c uno ercial l^neficen
te e da es' I i.rrod Linoeiro, cercado de
intelligent. i.abis uxiliares, com. ra e fa-
btica quali| .. i ],-, .,,,,.., i-eltagios de algibeira,
?P '"'ta l- igreja, ritimis (! iirt,, ,u ,,.|liK Caiw d niuaiea, ap-
paielao." i-I ,. s t |. ^.r pb
O mean a de rec b. r vanade sortimento
de rtl gi um qae \cnie ie 7* a 20/
para p:.r_ '"' aepe>leSsf de mkel.
Contin i i M.a profissa., e m zelo e
interesse o que sempre deu provan ao respei-
tayei puhn.- e ai-, seus collegas, e vende forne-
cimento di qualquer qin.Hdade.
fci fi U estabeleciniBto se acha col-
locado um i ._: i, cuj s mostradores tambem po
derRo eur n- | 8 p sageirs da ferr-> carril,
^dosempr. a II IRA MEDIA DEVTA CIDADE,
determmaiiaa prlas suas observacoes astronmi-
cas. Boa htrg, d i Roario n. 9.
Antonio da Costa Araujo
Prceisa-sc de un tiic<
nio de 10 !2amio*
para criado, dando fia
dora sua conducta; no
3. andar do predio n.
42 da ra Duque de
Caxias, por cima da tj
pograpllia do Diario.
VINHO gilbert SEGUIN
FEBRFUGO FORTIFICAS Ti yfowdo ptf/a Academia da Uadieina d Paria
-------1-
Sessenta annos de Experiencia
u de bom xito tem demonstrado a acacia lncontestavel deste VXJTHO, qnr orno anti-
prriodieo para cortar as rebrea e ovlUr o seu reappan'Clnieato. qnr como fortificante as
Convaleaceneaa, Sebllldade do Banrne, Falta de Menatraafao, Znappetenela, Slrea-
tac dlfflo >u, Bnrermldadea nervosas, Debilidade causada pea edade o por excessos.
( Vinlto, que cuntm mal principios aotlYOi.do que 01 f. jpa.jtfo limilartt, vtndtta por orto m
pcuoo man elen1o.-Mto te Hete objectar contra o preco em riela aa reconhecida eBoacia do medicamento.
Pharmacia Gr. ^B3C3-XJXIST, 378, ra Salnt-Hoaor, PARS
Depositarios em Pernamiuco : FHAJi" M. da SILVA e C*.
''ariz
e
lienue Viciarla
! Pernnmbuco: ^j
rt-laSIlfafcC"
Este MEDicaKXKTO de um gusto agradavel, adoptado com irran mais de 20 anno pelos melhores Mdicos de Pariz, cura os e/luxoo, G*ive, Totee, -
ortt it Garganta. Catarro oulmonor. lrrUvcu o unto, daa Vas urina-mi 9 la Bsxisa.
'.........i>ininiinewem
SABONETEdeALCATRAO
ABA TOILETTE. OS BAMBOS OOinADOE A DAB AS CRIANAS
Bato 9AMONBTK, erifcisTslro antimrptitm, o mala etcax para a cura de teaaa aa
MOLESTIAS DA PELLE
SAPO CARBONISDETERGENS
tivai voutu enanca* com o HAfO vahhoks l>mtkvi:\h aflnt de prolegei-os contra
SARAMPO, a. VARILA e a FEBRE ESCARLATINA
Este BABOXETES siio rcaommendartos pelo Corpo medico lntclro porque prevlnem ae
MOLESTIAS EPIDMICAS e CONTAGIOSAS e te adapto a qualquer clima.
MARCA DE FABRICA KM ENVOLVEROS B NOS PES
exjoalto aaral i "W. "V. "WHIGHT AX CT, Southwaric, LONDRES
Em. Pemambuco : ir-ra.!!0 Tul, da STT-.'V.A. A: C1'.
*i
^1515151515151515151515151515
VINHO E GRAGEAS VIVIEN
EXTRACTO NATURAL DE FIGADO DE BACALHO
Premiado com medalhas de Ouro e Prata
PELA ACADEMIA NACiONAL
Ordenados nos hospitaes de Franja, America, Inglaterra, Tinla.
Administrar sob forma mui fcil e agradavel todos os elementos curativos do ol
evi'an lo assim o cheiro e sabor nauseosos d'este; alem d'isso esia preciosa preparai
tem urna snperiordade incontestavel sobre o oleo porque pode ser usada durante
grandes calores cm quanto o uso daquelle impossivel, tai o eminente servifo prs
pe.o Doutor VIVIEN; a experiencia tem confirmado o bom xito d'este producto.
Exigir a firma do inventor 11. VIVIEN em duas cores ao redor do garmlo ds
gnala com o Sello de uniao dos Fabricantes o, boulevard Strasbourf, em PAltlS.
r!Sl^SlEl5l5l51Sl51^^
OPPRESSAO
UTIMIIMEJ'LIIO
SEtffl
Ptloi U11U8S CW
vsplra-ae a fuaiaca gue pendra 110 pollo acalma o symolonia nervoso, aciUl:.
a expectorado e favorlsa aa funccOes aos orgaos reapuauxloa.
Vate ees lasads en eaea ae J BNNC. 11, ra H-I.aaare. eoi Pan
. BfOttCanoi em rrrttmtttuce 1 EAtAv n. ettz a L A t". _
IVIB.LJ
Laureado pela Academia de Medicina
Caa//ie/ro #a Legtio de onra -rtO
XAROPEd
Ooeq
^ATOdsCAL
O Phosphato de cal c a substancia mineral mais abundante do organismo e toda ve que sua
quanlldade normal dlminue resulta urna alTcccao orgnica grave.
Mais d,. cinco mil curas, a mor parte justiilcada pelos Hr..fessores e Mdicos da< Faculdades
forao obtldas iiitiinaraenle e llzerao com que o Xarope to D' Rr.lnrillier fosse classlllcado
Cuino o especifico mais seguro contra a Tsica pulmonar, Bronchite ^hronlca. Anemia,
Xachltlsaao, Debilidade do Ortranismo. 0 Xarope do lf iteinvillif.r aduiiulstraUo
dlanamenti as enancas tactOu a dcntioao e o cresclinento ? as maes e au.as do lelte torna o
lclle inellior; luipodo a carie e (,-Joda dos denles tao frequentes depols da prenez.
Bapoelto: Pharmaola \rrxtEWQ.TJE, 8, Place de la Magdalelne,
Em Pernambueu. FHAS- M. da Sil, VA A O; e nu principaet ,
ac/aj e Drojir/a.
PERFUMARA 00 MUNDO t16ANTi
DEL.ETTREZ
64, 56, Ra Rlcher, 64, 66
CREAgO PARIZ NOVA
SEM -*- E1VAL
SUAVIDADE
corxcenti-a^ao
CREME OSMHEDIA,
SABSETE, Etr/tACTOi
AOVA DO TOUCADOR
POS OE ARROZ
COSMTICO, BRILHAJVTWA,
OLEO, POMBADA, VINAGRE
><
^A Pertumaria OSMHEDIA assegura aos
Plikntes fats
tmntBdt tierna e Cor tem igual
P06iri0s cm Prrnambucc. FB A !< M. d a ll V e. *C'
ll *ai**j.,A*.**4,44ri
MORSONsPEPSIIA!
Remedio Inlailivel e agraflav;
P\nA C^MBATTlB t\ m
IINDIGESTA0
Sob a forma de
FRASCOS, POS
d oz.OBtrx.os.
VeitDE-SCno MUNDO INTEIRO.
PllKPARADOS DE
J'cjihinu Mornon
Muito recommendadae
m pelos pnneipaes Mdicos.
MORSON A SON
Soutnampton Roa, Russetl-Squart
LONDON
MllililM*4".
DtfKltarioxmPernambuco :Fraac~Bt da SILVA *C
Tr. spassa se o arrendameni.o do CDgenho Santa
liosa, na freguezit da Luz, pert > da estaco de
S. Lourenco, na via-ferrea do Limueire, assim
como de Jaboatao, na via frrea de Caruar. O
terreno d p .ra safrpjar-se animalmente de dous
tres mil p:Vs de assiica:. Alem de muitas ver-
seas tem mata virgera pira abrirle novo parti-
dos, me a vapor, tendo urna machina nova, de
muita f.rca, etc. cujas novas e grandes : quem
pretendel-o diriju-.se ao inesmo engenho ou a ra
do Imperador n. 73.
DAY& MARTIN
Firnecedone de Sua Majetttde a Rai.-h* da Inglaterra,
do Estrello e ,JJ Marlnht brUatnica.
GRAIXA BRILHANTE LIQUIDA
RAIXA- pastaUNCTUOSA
OLEO para AEREIOS
y-H Etud0fluscesMMopiraaraanaenciodoeiwro
son todas as formas.
DEPOSITO GERAL EM LOI I ORES:
, mol Itolborn, r
a fern.iiit.iici : FBilC~ M. U SI1TA Ij C".
PANCBEATINA DEFRESNE
Adoptada offlicialmente nos Bospitaes ie Paris
e na ilannhi Francesa.
0 mais poderoso d'entre todos os aifootes
dlgesllvos conbecldos, a Paeicreatlna lle-
frratie emprega-se sempre com resultado
provado contra :
Pastio 1 Oastrltes
Ms dlgettSes Oastraalas
Platulenclaa do estomago
Somnolencia aps as refelcaes
Vmitos determinados pela gravidez
Snfermldados do flg-ado -
Tomada depois das relelcScs desperta oezeita
oappctitd.isconvalesccntes, c^mlialc e detcm
o einajrecinietito dos li.sicos.
A Pancicatina Itr/rc&ne cm pi e em
1yM'{ vci.ot-i-u em todas as pharmaclas.
0 Sr. Francisco Alvs da Costa, commandaute
de um dos vapores, desta companh-'a 6 rogado a
vir ra de Marques, de Olmda n. 50, afim de
soncluir certo negocio que nao ignora.
.-..
i

MlaESTiS te VUS DmafAIS
'arscuLBE!r-s
Cotarro chronico ta sxtga.
<:-rita;;a do lanal c uratra,
Molestias de orostata,
t/icontlnonca da Urina,
rala na urina, etc.
SWANN, Pharmaceutico-Chimico,
Ama
Precisa se de urna ama para casa de duas pes-
ir.8B ; na ra Formoaa n. 29, esquina do bceo
ios Ferreiros.
Ama
Precisa-se de urna boa cosinbeira
Murqnez de Olinda n. 6.
na rea do
Na ra de Paysand n. '20, precisa-se de cosi'-
nheira e eng.mmad.-ira, paga-se bein agradando.
A na
Precisase de urna ama para cosinhar e mais
1 vico de i-asH de ainilia ; na ra do Mrquez
do Herval n. 33,
Archeologico.
Io andar, defronte do Instituto
Ama
Precisa-se de orna ama para cosinhar e com"-
prar : s tratar ua ra do Ba:3o da Victoria n. 58,
segundo andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar e que nio
saia ruaa : tratar na ra Velna n. 75.
Criado
Precisa-se de um triado para servico doracstieo
de um homem solteiro, morador em engrnho, pre-
fere-se algum que entenda de cosinha ; a tratar
na ra co Impeador u. Hl, das 10 horas s 3 da
tarde.
0 / .!>
C-
#
MI-
G
Pergunti-sc ao Coneeluj Administrativo desta
Confraria, se pode dar catacumba a netoo la um
irmao. como se dea a poucos das; desnj 1 saber
um
Irmao da Confraria.
Aluga-se barato
0 1. e 3 andar da ra do om Jess o. 47.
Trata se no largo de Corpa Santo n.19.1" andar
Ama
Precisa-se de urna para lavar e engommar : na
ua do Rangel n. 'J, padaria.
Ama
Precisa-se de urna mulher de idade para cosi-
nhar : na ra Imp-rial n. 128.
Alup-se
o Io andar do sobrado ra d* Rangel n. 44,
caiado e pintado ; tratar na rna Direita n. 3,
3" andar.
ATuga-se barato
1 andar e aimazem na ra do Bom Jess n. 18,
e 2" andar e armazem na ra da Restauradlo n
31 : a tratar na ra do Bom Jess n. 12, escrip-
lorio.
Atten^o
Por commodo preco arrendase urna boa baixa
de capim perto da eidade : a tratar com o Sr. Ma-
galhes na casa di vigia da estrada de ferro ao
Limociro, na encruzilhada de Belem,
56
um pequeo sitio marado, com ama excellente
asa, com muitas arvores fructferas, excellente
cacimba com agua encanada 31ra casa, com* bo-
nito jardim, ra de Nunes Machado n. 1, na es-
trada de ferrs de Olmda, muito perto da estaco
do Espinbeiro ; no mesmo sitie tem quem o mos-
tr : a tratar na ra d% Praia n. 70.
15, Ri-i i% PoitM, 15
PA Rl S
de urna mulher para vendagem da ra : 11 tratar
na ra da Detencao n. SI.
Aeran maravilhosa entre amigos
Avisa-se a quem tiver comprado bilhetes da
rifa com o titulo cima, auiiunciada pata correr
com a ultima lotera do tnez corrente, que fica seas
effeito a dita rifa. Recife 14 de Maio de 86.
rVssucar especial
Joaquim Salgueiral ,t: C, proprietarioa da refi-
nacao ra Direita n. "22, tendo refrmalo com-
pletammtfi o seu estabelecnnente, scieiriheam aa
publico em geral e especialmente ao cotrunercio,
que teem sempre ntn completo sortimento de assu-
cares, tanto em can cu como refinados, de 1", 2 e
3* sorte, e especial r. fiuadj com ovos, o melhor
que se enc.utra 111 tni r.- do, e podem de prompte
satisfazer qualquer pedido que Ibes sejaf.to, pois
para isso teem n-inpre nm grande dep .sito. Ga-
raatem a boa cu-cuca; c limpesa dos seus pro-
ductos.
>iiinerii lol-arapilleo
\mmm
DEROCOUE
DEROGOE
nSiflO itliCilHD
Nmiurttl
Finufiii e CrtMoUik
Im altano rUnurJu
Engommadeira
Precisa se de asaa r-agsaaaaVva qae execute
bem o serviao : no pateo eo Osede d'fiu n. 30,
terceiro andar.
lifiiri ai iscriirle
L. Rodrigues Vanea taudoa seu escriptorie
de advogacia para o 1* andar da ra larga do Ro-
sario n. 10.
Avisa
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
mclbados, dando fiador de sua conducta : a tratar
na ra do Hospieio u. 57.
Alusra-sc
a cata terrea ru 1 de S. Franeisco n. 27, pintada
e caiada ; urna cas 1 terrea na p vo >ea de Beba*
rib'-, ra do Steplc n. 1 : a tratar i-o becco da*
Carvoihas n. 1.
O procirjdor BorgM Tavora pode ser procara-
do em seu escriptraa a. 0, ra do Queimaa,
onde estere o diractMB* Hbxal.
teilo de ana liypotheca
Ser YAlida a hypo-
theca dteigenho Ale-
gra, nao sendo ou vi-
cios os consenhores dos
ten mos do mesmo en-
genho, entre os quaes
existiam e existen, an-
da orphios?
Isto qner saber:
Um que tem direilo.
i 9881 perdeu-se
Pein presente meio se declara que perdeu-se a
eaderneta correspondente ao mesmo, da Caixa
Econmica, cujo dono avisa pelo presente para
evitar di vidas.
Banco de crdito real
ra ra do Imperador, no lo audar do sobrade
n. 54, ha quem se encarregue de preporir os ds-
cumentos necissanos s pesoas qu- quizeresa.
contrahir emprestimos n-ssa utilifs'ma iiistitoicia
de crdito. Garante Ee promptido no trabalho
modicidade no preco.
Inda meamo ftaaligadii o barro sft
si- moie!
Ente, senhire proftsetres contratados, cosa
vao, j melhoraram de s'.rte ? Nao desgnstem:
com o remorso de consciencia vira a possibilida-
de..... Paciencia c patiiotisrno........
O imparcial as horas vagas.
Ui( -*)
D. tiaria da Coureirao de ll
hiiqaerqiio Hegueira
Domingos Th. odoro Regueira Pinto de Souzr,
sua mulher, filhos e genns, convidam aos seus
paren tes c amigos assistircm as missas que
mandam celebrar por alma de sus sempie lcmbra-
d filh8, irm e cunbada, Maria da Conceifo de
Albuquerque Regueira, na matriz da Boa-Vista
s 8 horas da man lia de terca-feia 18 do corren-
te, 1' anuiversario de seu passamento ; anteci-
pundo-ihvs seus agradecimentos.
Bernnrdliio Hilarlo (ampos
Mana nnaiiciada Duatte Maia, Mana Joaqui-
na Duarte Cnirip -. I .cjnitn Duarte aiopus e aaa
famili>, Antonio Dirte Campos (ausente), Dr.
Antmio Bruno da Silva Maia c familia, Maria
Julia da Cunha Maia, Jos Joaquim da Cuaba
Maia e fam lia, Ant 1110 de Oiiveira Mnia e fami-
lia, espora, filha, nina.id e cunhados de Bernardi*
no Dcarte Camp e, cor iialmeute agradecem a to-
das as pessoas qu- se liignaram assistir a->s ofi-
cios fnebres e acoinp-uharam seu3 res'os mor-
tnes ao cemiterio pubi'c.i; e de novo as convidar.,
tambem a todos os s-113 parentes, amigos e co-
ohecidos, e os do fiu ido, assistirein as missas
que mandan? celebrar na igreja ao E.-pirito Santa,
no dia 19 do corrente mes, stimo do seu fullec-
mento, pel-is 8 horas da msnha ; pelo que desdo
j protestara eterno rec nihecimcnto.
3S"
#afl
Manoel de narros Vouderley
Francisca Tranquilina Wanderley, Joao Bap>
tista Wan lerley, Manoel da Cunha. Wandcrl y o
Auna 1 lara Wniid.rley, convidam a seus pareutes
e |)e8soa8 de suas retacoes e de s.u fiuadj esposo
e pai, Manoel de Barros Waoderley, nara assis
tiren a missa que por > Ima t.esie mandam resar
na matriz de Palmares, s 8 horas da manh do
dia 18 do corrente, Io ae.niversario do falleci-
mento. A annuencia a sem.-lh inte convite, alm
de demonstrar nobres 1 de piedosos sentim. utos.
encerrar um motivo muito valioso para nosso rc-
eonheemento etern .
^MMEMEaMSEMBMMkMftMMMEEMBMMkMEai
MarcoN tlonies Pedrosa
D. Luiza Floriada Peirosa, seus filhos, genros
e entiados, tiaspassados de dor pela morte de sea
caro filho. Marcos Gomes Pedresa, agradecem a
tedas as pesseas que se dignaram acompanhar es
restos moraos do mi sin> finado ao cemit rio pu-
blico desta eidade, e de nnvo convidam a todos os
seus renles e amigo 1 para .ssistirera as missas
do stimo da, que tero lugar na matriz da Boa-
ista, s 8 horas da mi.nli de quarta-feira 19 da
corrente, pel:> queso eonfeasam suuimamentegra-
tes por este acto de religio p caridade.
m$m
NICA
t f.i.i.01. ti rUOii
INSTANTNEA |.>ra. n.rba. RMSAn-i J.raos0^Je*
W mn Tr>. tem prepara A. h uros
in Uniea sua Cor primitiva
ayefrferal en Patfl.1riZ.i4OX., i?, ra lir inc, piaif
la Pernami.cs>: raAN u. da silva c*.
Isrnez Marta dan Virsen
Manoel Marro ino Villai-Boas convida aos pa-
r ufes e ami.'is s us e da ftlleci in sua madriuha
a assistirein urna missa peo n.pous<> eterno da
mesma, no dia 17 do corrente, 30." de seu tres-
passo, s 7 horas da manli ; pelo qno se confessa
desde j grato tquelles que couparecer'-m ao mes-
mo acto que ter lugar na igr. ja do Livramcntc
do Recife.
O. Mana de tlbaqnrrque Har-
Iiin Perelra
Jote Floriano Colteia de Bnto e Balhasar de
Albuquerque Martina Pereira, profun lamente
compungidos pelo preinntur 1 fallecimento d sua
presaoissima prima, D. Maria de Albuquerque
Martina Pereira. mandam snffragar sua alma no
dia 18 do corrent Betimo da seu passamento, s
7 1/2 horas da maullo, ni matriz da Boa-Vista ;
e para 0330 acto convid.im aos parentea e amigos,
anticipando es seus i.grodecimputos.
D. Marta NaluHliana de Amortan
Antonio Marques de Amorini convida s< us pa
rtntes e amigos para que se digm m assistir a
niesa que far celebrar na igreja matriz da Boa-
Vista, seijunda-feira pn* ma, 17 uo correnta,
sutiragando a alma de sua presada irm, D. Ma
1 ia rialustiana de Amurim.
8 horas da manh.
Jorco Cionenlvew Chaves
Lauriana Goncalvea Chavea e o eapitilo Javea-
eio Cesar e sua mnlber, tendo de mandar celebrar
miseas por alma d^ seu presado esposo e afilbade,
Jorge Goncalvea Chaves, no dia 18 do corient,
terca-feira, s 7 horas la manh, no convento da
Carmo, rogam aos seus parentes e amigos o favor
de assistil-as, pelo que desde j conf'ssam-sa
" Memamente agradecidos, assim como quelles qua
se diguaram condasir o cadver ao cemiterio pn-
buco. .___________
J bBHH I
-




y^pr
Diario de Pcruambueo- Domingo 16 de Maio de 1886
I
h"

\

Elsho comraereial
Diurno e nocturno
POR PEDRO MAMA LIAUSU
KO COLLEGIO 11 DE AGOSTO E CASAS FABTICCLABES
iiscriptnraeo mercantil
Curso essencialmei tepratico de todas as transac
coes commereiaes e bancarias, interiores e exte-
riores, consignacocs, cambios, etc.
trithinctica coinnierclal
Applicada especialmente s operacoes commer-
eiaes e bancarias e curso completo de contas cor-
rentes com jures por conta e em participares,
em diversas nioedas, adoptadas pelo alto commer-
cio e os baucos.
Cal(i,raphia
Cursiva, bastarda, redonda, alleinao, gothiea.
Llngua f raneeza
Curso theorico e prat'co com todas as difficulda-
des da syntaxe em 90 lices. Suppfemento de
studo sebrea syntaxe, locuces familiares, idio-
tismos em 30 lines.
Ao conmiercio cm geral
Encarrega se de escripias
atrazad.it. eacripturaces de casas commerciaai
e de cscriptas de casas pequeas ; abertur e ve-
rifieat,Vs de livros, balancos i- inventarios, cor-
respondencia merc:n:il ; trabalboa de conCabili-
dade e de calligrapbia, etc.
Pnrn Halar, ra da loria n. 95
VENDAS
Vende se porloes de ferro, gradeamentos
para cima de muro, bandeiras de ferro para por-
tas exteriores, de arcos, bandeiras de ferro para
portas interiores, de todas as qualidades, galu
nheiros de ferro, carrocas para bois e cayallos,
carriohos de mao e rodas para carrocas, por pro-
co commodj : nj largo do Forte n. 4, officiua de
ferreiro.
Veude se urna Cxcellente (averna no larg
de Santo Amaro das Salinas, im frente para a
linha de Limoei'O, propria para qualquer princi-
piante : a tratar na mesma.
SO
40
Eostenlio
Vende-sc por 20:000* a quinta e ultima parte
dos engenhos Amaragi d'Agua, Santa Luzia e S.
Vicente, do ter.no de Gauelleira, nu-ia A urna le-
goa distante do engenho central de Rioeirao, bem
orno por preco commodo, um gran le sitio que foi
ngcnho, no Iguaras. : a tratar aa ra do La-
crador n. 50, tcrciiro andar.
Pitillo

Em qutrtcs e meias garrafas, vendem Fsria
Sobrinho & V i ra do Mrquez de Oliuda a. 41,
I)KIjOS1TaRI >S
B' o luoltio damalatal
A pimeufa esparfalmeata prwparaaVi na Europa
m bonitos fr.:squiuhos e que se vendem pelo di-
minuto pri.\o de 160 is cada um, no Largo de
S. Pedro o. 4.
I
Leonor Porto
n. 4&
lina do Imperador
Priaaero andar
Contina a c-xecutar os mais difficeis
tigurinoe r*cebidos de Londres, Pars,
i e Kio de Janeiro.
Prima einpcrfeico de costura, em bre-
vidado, modicidade em precos e fino
gosfo.
al
enea
Vendc-se em casa ae Matneus Austin 4 C,
ra do Commercio n. 18, 1 andar, da melhor
qualidade e diversas dimeusoes.
para
&

Sitio
siusuel iuiiIo barato
C a casa para familia, t> ndo muitos arvoredos
da*d. tructo, e logo junto excellente banho sal-
gado, ua travessa do Motocolomb" n. 4 (Afea-
dos), perto dos bonds e do caninho de ferro ;
junto do I!lm. Sr. chefe Lima : a tratar na ra
de Santa Thereza n. 38.
Pilulas purgativas e depurativas
de r.impaiili.'i
Estas (.lulas, cuja preparacao paramente ve-
getal, toca sido por mais d* 20annos aproveitaa%ai
os mclhorcs resultados as seguintes moles-
tia* : affecces da pelle e do figado, sypbilis, boa
bies, escrfulas, chag.is inveteradas, erisipelas e
gonorrbas.
Modo de usal as
Como purgativas: tome-se de 3 a 6 por da, ie-
bendo-se aps cada dse um pouco d'agua adoba-
da, cha ou caldo.
Como reguladoras : tome-se um pilula ao jantar.
Estas pilulas, de nvencao dos pbarmaceuticos
Almeida Andrade & Filhos, teemteridictum dos
8ra. mdicos para sua melbcr gargaB, tornndo-
se mais recommendaveis, por serem um seguro
purgativo c de pouca dieta, pelo que podem ser
usadas em viagem.
^ACHAM-SE A' VENDA
Ka drogara de Paria Sobrlnbo A C.
41 RA DO MRQUEZ DE OLISDA 41
Lcite paro
Fomecc se leite puro, garantido pela sua pureza
a bom alimento das vaccas, levando-se em casa,
loformacoes, por faver, dac-se na ra aa Mate
Deu3 n. 34, cscriptorio.
Ra Unque de t avias n.
Fustoes de corea [.ara vestidos a 240 e 320 rs.
o covado.
( bitas claras e escuras, 200 e 240 rs o dito.
Sargelins diagonal de todas as cores, 240 rs. o
dito.
Alpacas de seda idem idem, a 360 e 400 rs. o
dito.
Las co'j bolinhas, novidade, 560 e 700 rs. o
dito.
Setiuetas superiores, fazeuda de 600 rs., para
liquidar a 400 rs. o dito.
Damascos superiores, duas larguras, 14800 o
dito.
Pepelina branca de srda, 480 rs. o dito.
Setins macaode todas as cores, S00 rs., 14000.
1J200 e 1440o o dito.
Velludillns de listrinbas, novidade, 14600 o
dito.
Sedas j apone zas, 4'0 rs. o dito.
Esguio para casaquinhos de senhoras, a 44 e
4J50O a peca.
Hnm pardo fino para vestido, 500 rs. o covado.
Faites ae novos postos, a 500 rs. o dito.
Camisas para senhoras, as mais lindas que tem
vindo, a 44500 e :i.
Saias riquissimas, para todos os precos.
Cortinados bordidos, 6J500 e 94 o par.
Guaruicoes de crochet para cadeira e sof, a
84000.
Camisas francezas superiores, a 30$ e 'M.
Bramante de algod), o melhor que tem vindo,
14500 oin^tro.
Id'm de linho purr, 24 o dito.
Colchas de cures, francezas, 14500 e 24 urna.
Lences de bramante multo grandes, 24 um.
Cobertas de ganga, idem idem, 34 urna.
Meias arrendadas para senhora, a 84 aduzia.
dem cruas, idem, 84 e 124 a duzia.
dem inglesas para hoinem, 34500, 44 0 54 a
duzia.
Ceroulas de bramante bordadas, 124000 e 184
a duzia.
Lencos de liase a M dusia.
Casemiras de coree, iuglezas, 14400 e 14600
covado, com duas larguras.
dem pretas diagonaes, 14800, 24 e 54400 o
covado.
Cortes de ditas de cores, proprias para invern,
a 24500 e 34-
dem inglesas, superiores, a 44500, 54 e 64.
Cortes li- fustao par colletes, lindos desenhos,
a 24500 e 34.
dem de gorgorito preto, a 24 .' para acabar.
Deposito de algodoes, tanto nacionaes como es-
trangeiros, superiores madapoloes, brins, casemi-
ras de todas s qualidades, eberiotes e merinos
para luto.
Vendas em grosso, descont da praca.
Carneiro da Cunha & C.
Ra Doqne de enva* SO
9
Vende-sc
J
O Muz'u de Joias, ra do Cabug n 4, reee-
beu pelo ultimo vapor francez um esplendido sor-
timento. Presos muite moderados.
Experimenten!
E liuain o que aebam
Os especiaes licores de genipi po e caja que se
acham A venda r o largo de 8. Pedro n. 4?
Casas
A ugam se as casas n. 4 da ra do Kiachuello
e 51 da estrada do Mon eiro. cujas chaves citao
aa casa n. 84 da ra do desembargador Nunes
Machado, antiga da Solcdade.

fis
PASTILHAS
De ANGELIM& MENTRUZ
(/ Grande
as
m
&'
as
se
-~
ce
es
ss
B
4
o hotel do Recife, sito ra do Bom Jess n. 8,
est funecicnando e bem montado, e garante-se a
casa : a tratar no pateo do Terco n. 40.
Fumo do Para
Vende-se na fabrica Vendme, em latas de 50
e 100 grammas, a 00 rs. e 14000 a lata, espe-
cial.
Ra do Bario da V icteria n 39.
4o05
e*a
O Remeo/o mais efficaz 0
Seguro que se tem destoberio ate
hoje para %xpe*1ir as Lon trigos.
IIOOIAYROL HIKIIES
Cosinheiro
Precisa-s de um bom cosinheiro, que d abono
ae sua conducti : a tratar na ra do Marques de
linda n. 03.
Bonitos leques de gaze para senhora, a 34, 64,
84 e 104.
Ditos de setineta, de 14500 a 24500.
Ditos de papel, de 300 rs. a 14.
Em eontinuaeo
Cintos de couro a 14500 e 24-
Babadas bordados largos e estreitos, a 100 rs.
a peca.
Chapeos para baptisados, de 14500 a 84-
Ditos de palha para criancas de 3 a 4 annos, a
24500.
O Pedro Antunf s & C. qutm tem para liqui-
daco.
Belleza, frescura, juventude
Pon bramo dOM trace para ama
rlar a pelle
Estes pos, de urna fineza extrema, especialmen-
te preparado para aformosear a pelle, sem alte-
ral-a.
A' venda, em casa do Pedro Antuncs & C ra
do Duque de Caxiaa n. 63.
Igualmente o b*aa aaatkecido leite de rosas para
extinguir as espiaba paaras, os mais assombro-
sos inimigoa de unza aasadaada face, restituindo-
lho a belleza antiga.
Em ultima analyse ser bom nao esqueeer o
crme rosado para es labios !! S<5 a Nova Espe-
ranca.
l'til e agrada el
Fazer um delicado trabalho de crochet com os
novellos de lil o seda de diversas cores, que teem
o Pedro Antunes & C.
Linhas de diversas cores, dita branca de linho
para (az*r trivolit, medalhro, tranca bom conhe-
cida para o mesmo.
Um bonito desenlio colorido para mesa, bonita
almofada.
Ao 63- Ra Duque de Caxias
O lempo proprio
Boas meias de la pura houiens e senhoras, luvas
de dita para quem soffre de rheumatismo.
Ao 3 -Ba Duque de Caxiaa
i3
-H9B
DE
Ctimaco ka Silua
6|50,
124000
800
14800
500
14500
800
142
S80t
1J800
400
200
HMP
CHEGOU
atinal o pinho de Riga, de primeira qualidade, era pranehao de 3X9, 4X9 e
i 3X12 de 19 at 70 palmos de corapriraento, burrotes, taboas de forro e assoa-
! lho, ripas e caibros par. cobertas, chalets, eataco*a de Tias terreas, e para suli-
i pas; garante-se nao ser este pinho .atacado pelo cupira, era virtude de ser elle o I
feverdadeiro pinbo de Riga, nico que n'este clima resiste ao tal bichinho. Reta-g^
lhaae barato e em por.ao baver reduccSes d ptego.
-----
Fazendas brancas
so1 ao numExo-
rna da Imperatrlz =
Loja dos baraeiros
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven-
dem um bonito sortimento de todas estis fazendas
abaixo mencionadas, sem competencia de precos,
A SABEK :
AlgodSoPec godozinho com 20
jardas, pelo-. i precos de 34800,
4J, 44500, 44 ', bg, 54500 e
MadapolaoPecas de madapolio com 24
jardas a 44500, 54, 64 at
Camisas de meia com listras, pelo barato
preco de
Ditas brancia e cruas, de 14 at
Creguclla francesa, fazenda emito encor-
pada, propria para Icncoes, toalhss e
ceroulas, vara 400 rs. e
Ceroulas da mesma, muito bem fetas,
a 14200 e
Colletiuhos r'a mesma
Bramante francez de algodSo, muito cn-
corpada, com 10 palmos de largura,
n ".r)
Dito de linho ingles, de 4 larguras, me-
tro a 24500 e
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, com 9 palmos de largura, metro
Cretunes c chitas, ciaras e escuras, pa-
drSes delicados, d 240 rs. at
Baptista, o que ba de mais delicado no
mercado, rs.
Todas estas fazendas baratissitar, 'na conhecida
loja de Alheiro & C, esquin \ do becco
dos Ferreiros
\lgodo entestado pa-
ra Icnfoes
A OOo r*. e ltOOO o metro
Vende-se na loja dos barateiros da Boa-Vista
a odSo para lencoes de um s panno, com 9 pal-
m s de larpuraa 900 rs., e dito com 10 palmos a
I > '(O o metro, assim com dito trancado para
toa Ihas de mesa, com 9palmos de largura a 14200
o ii 'tro. lsto na h-ja de Alheiro 6 C, esquina
do ecco dos Ferreiros.,
MERINOS PRETOS
A 14200, 14400, 14600, 1*800 e 24 o covado
A hiiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ver
drm muito bons merinos pretos pelo pre^o acim>
dito. E' pecbincha : na loja da esquina do boc-
eo d s Ferreiros.
i:spartilhos
Na loja da ra da Imperatriz n. 40 vende-se
muito bons cspartilhos para senhora, pelo preco
de 54"00, assim como um sortimento de roupas
de casimiras, brins, etc., isto na loja da esquina
do becco dos Ferreiros.
CASEMIRAS INGLEZAS
A 24800 e 31 o covado
Alheiro & O, ra da Imperatriz n. 40, ven
dem um elegante sortimento de casemiras iugle-
zas, de duas larguras, com o padroes mais deli-
cados para costume, e vendem pelo barato prec*
de 24800 e 3J o covado ; assim coma se encarre-
gam de mandar fazer costumes de casemira a
30*, sendo de palctot sacco, e 354 de fraque,
grande pech ncha : na loja dos barateiros da Boa
BRIM PARDO LONA
A 320 rs. o covado
Os barateiros da Boa-Vista vendem urna grande
porcao de brim pardo lona, por estar com princi-
pio de toque de mofo, pelo barato proco de 32('
rs o covado, grande pechincha ; na loja da es-
quina do becco dos Ferreiros.
Bordado* a IOO r. a peca
A ra da Imperatriz n. 40, vende-se pecas de
bordado, dous metros cada p*-ca, pelo barato pre-
co de 100 rs., ou em carto com 50 pecas, sorti-
das, por 55, aproveitem a pechincha ; na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
lusles de setineta a 500 rs o
eovado
Alheiro Se C. ra da Imperatri ven-
dem um bonito sortimento de fustSes brancos pele
baratinho preco de 400 e 500 rs. o covado, assim
setinetas lisas, tendo de todas as cores a 500 rs. o
("ovado ', na loja da esquina do becco dos Fer-
reiros._______________________________
Fructas maduras
Vendc-se diariamente especiaes laranjas para
mesa, mangabas, capotas, e outras umitas : no
largo de S. Pedro n. 4.
A Revolugo
0 48
a ra Duque de Caxias reduzio as vendas
a 25 0|Q de menos de seu valor
Ver para crer
8etin maco a 800 rs. o covado.
Mr ri de bolinhas 900 rs. o dito.
Lindas alpacas de cores 360 o dito.
Setinetas isas 400 rs. o dito.
Ditas escossosas a 440 o dito.
Chitas finas modernas a 240 c 280 o dito.
Cretones finos a 320, 360 e 400 rs. o dito.
Fustao branco a 400, 440 e 500 rs. o d:to
Linn branco a 500 rs. o dito.
Mariposas finad de cores a 240 o dito.
Linhos escossezes de quadrir.hos a 240 rs. o dito.
Kcnoa da.China 210 rs o dito.
Seda de listras a 14000 o dito.
Damasco de cores a i()0 rs. o dito.
Drirn pardo liso 300, 360, 400 e 500 rs. o dito.
Verbutiuas de todas as cores a 14000 o dito.
F.chsa 14, 24, 34, 44 e 54000 mu,
Casi mira inglesa de cor a 34 e 44'-00 o covado.
Dita diagonal a 24 c 24500 o dito.
Dit* de cores a 14300. 24 e 24400 o dito.
Flauclla americana i 14200 o dito.
Toilt tte para baptisados a 9000 um.
P.nhi.s e c< llarinhos para 8' nhora a 24000.
Espartilhos de eoraea a 4, 5, G e 8000 um.
Camisas bordadas de linho a .'jo000 a duzia.
Camisas para senhora x 30000 a dita.
Ditas de meia a 800, l_0H)e 15400 a dusia.
Timoes para meninos a 4000 um.
Casacos de laia 125 um.
Bramante de 3 larguras a 900 rs. a vara
Dito de 4 larguras a 15200 a v.:ra.
Lencos c m barra a 15200 a dusia.
Lnc s brancos a 14800 e 25000 a dnsia.
Lences de bramante por 15800 um.
Ci-rtes de caeemira de cor a 35, 35500 e 4.4 um.
Toalhas felpudas a 45 o 65000 a dusia.
Ditas alcochoadas de. _0 por 124000 a dusia.
Meias para h( mem de 3fl, 4$, 54 e 6500O a dusia.
Meias para senhora 35, 4^ 5, e 65000 a di' |
Colchas blancas e de cores a 15800 urna.
Colchas bordadas a 54000 e 745 0.
Cobertas forradas a 24800 e 25900 urna.
Madapalio gema e pello de i.vo 65600 a poja.
Redes bamburguezus a IO50O I urna.
Brioi 'raneado a 700 rs. o covado.
Cambraia de forro a 125000 a pega.
Zefiroa liso a 120 o c vado.
Cortes de casineta a 15000, 15600 e 158O0 um.
Auquin' as a 25OOO urna.
Carrosa cboi
Vende-sn urna carroca de duas rodas, propria
para boi e cavallo, e nm bonito boi muito novo e
manso : para ver e tratpr ra de Pedro Affonso
n. 68, antiga ra da Praia.
Casa em Afolados
fiVende-se urna casa na ra do Motocolomb n.
7, com 2 salas, 2 quartos, cosinha fra, quintal e
cacimba, em chao proprio : a tratar na praca da
Independencia n. 40.
Camisas nacionaes
A *500. 3OOOe 35500
32 Leja ra da Imperatriz = 32
Vende-se neste novo estabelecimento um gran-
de sortimento de camisas brancas, tanto de aber-
turas e p jnhos de linho como de algodo, pelos
baratos precos de 24500, 34 e 44, sendo taxenda
muito melhor do qu<- as que vecm do estrangeiro e
muito mais bem feitas, por serem cortada* por
um bom artista, especialmente camiseiro, tambem
se manda fazer por encomiendas, a v.ntade dos
freguezes : na nova loja da ra da Imperatrii n.
3.-, de Ferreira da Silva.
Ao32
Nova loja de fazendas
a* lina da Imperatriz = 3
DE
FERREIRA D\ SILVA
Nestc novo estabel cimento encontrar o tcb-
eitavel publico um variado sortimento de fazen-
as de.toi.i8 as qualidades, que se vendem por
recos baratissiinos, assim como um bom sorti-
mento de roupas para hotnens, e tambem se man
da fazer por encommendas, p r ter um bom mes-
tre alfaiate e completo sortimento de pannos finos,
casemiras u brins, etc
Cabriolet
Vende-se um era perfeito estado e por preco
commodo; tratar na ra Duque de Caxias n.47
Plvora
Vende Candido Tbiago da Costa Mello, em seu
deposito ra Imperial n. 322, olaria, onde tam-
bem vende tijolos e telhas. Telephone n. 221.
Em vista dos grnnc'es progressos da idea de que
se gloriam as nacoe3 civilisadas, o commercio
deve acompanhar esse pro^resso, visto que elle
o mais poderoso elemento do engrandecimento das
naces ; em /ista do que annunciam
MART1NS CAPITAO & C.
1 Ra catreita do Rosario 1
Grando sortimento de generes alimenticios, es -
colha dos quaes, os annunciantes teem sempre
maior cuidado, para bom servir os seus numerosos
fregueses. Lembramos, pois, o proverbio :
Quem sao experimenta, nao sabe.
Vrnham ver, pois :
Queijos, flamengo e de Minas.
Fiambres inglezes.
Chocolate francez Menier.
Dito do Maranho.
Fructos seceos, como :
Passas, amendoas, figos, etc.
Ditas nacionaes.
Doce de todas as qualidades.
Bolachinha inglesa.
Semeates novas de hortalizas.
Especialtdade em
Vinhos fiuos do Porto, Madeira e Shery
Ditas da Figucira e de pasto.
Cognac de diversos autores.
Vinhos tnicos, como :
Absintho.
Vermouth, etc.
Licores de todas as qua'idrdce.
Champagne.
Cervej de diversa: marcas.
Bem assim :
Araruta fina em paotea.
Cha verde e preto.
Dito perola.
Especialisstmo matte do Paran, em p<5.
Anda mais:
Ovas de peixe.
Sardinbas de Lisboa em Salmoura.
Vendem Martina Capito & C, ra estreitad)
Rosario n. 1.
AOS AGRICULTORES
For.nicida capanema (verdadeiro) para extinc-
cao completa da formiga saura. Vendem Martins
Capito & C, ra estreita do Rosario n. 1.
104001
125001
12500
5550t
6450<
84001
34(XX
1560(
i4om
3 -Hun da Imiiernirlz-St
l^oja de Pereira da tiilva
Nc&te estabelecimento vendc-se as roupis afcai
xo mencionadas, que sao ba- .as.
Palitots pretos de aiagonaes e
acolchoados, scn.io tazenaas muito en-
corpadas, e forrados 74001
Ditos de casemira preta, de covdao muito,
bem feitos e forrados
Ditos de dita, fazenda muito melhor
Ditos de flanella azul sendo ingleza ver-
dad' ira, e forrados
Calcas de gorgorao preto, acolchoado,
sendo fazenda muito encapada
Ditos de tabernil a de cores, sendo muito
bem feitas
Ditas de flanella ingleza verdadeira, c
muito bem feitas
Ditas de brim de Angola, de muleskim e
de brim pardo a 24, 24500 e
Ceroulas de greguellas pira homens,
sendo muito bem fetas a 14200 e
Colletinhoa de greguella muito bem feitos
Assim como um bom sortimento de lencos dt
linho e de algodao, me'as cruas c collarinhoe, etc
Isto na loja aa -ua da Imperatriz n. 32
11 seados largos
a ZOO ra. o covado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vendem si
riscadinhos prnprios para roupas de meninos i
vestidos, pelo barato preco de 200 rs. o covwt
tenio quasi largura de chita tranceza, e ssir
como chitas brancas miudinhas, a 200 rs. o
do,e ditas es curas a 240 rs., pechincha
loja o Pereira da Silva.
FuntfieN. Defnela* e lazinba a SO
rs, o covado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-t
um grande sortimento de fustoes brancos a 50t
rs. o covado, lazinbas lavradas de furta-corei
fi-zonda bonita para vestidas a 500 re. o cevado
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas at
cores, a 500 rs. i covado, pechincha : na Ioj.
do Pereira da Silva.
Merino* preto* tllt
Vende-se merinos pretos de duas larguras par
vestidos e roupas para meninos a 14200 e 1460C
o covado, e sunerior setim preto para enfeites a
14500, asim como chitas pretas, tanto lisas come
, de lavoures brancos, de 240 a' 320 rs.; na nova
leja de r/creira da Silva ra da Imperatriz nu-
mero 32.
; Algodoziulio francs para lenroei
a OOOr*.. 1$ c I'00
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-ss
superiores algodozinhos fraucezea com 8, 9 e 10
palmos de largura, proprios para lences de um.
s panno pelo barato preco de 900 rs. e 14000 o
! metro, e dito trancado pa a toalhas a 14280, aa
sim como superior bramante de quatro largura
para lences, a 14500 o metro, barato ; na lojs
da Pereira da Silva.
Ronpa para meninos
A 4$. iSOO e fi#
Na nova loja da ra da Imperatriz n. 32, at
vende um variado sortimento de vestuarios pro-
prios para meninos, sendo de palitosinho e calci-
' nha curta, feitos de brim pardo, a 44000, dto
de molesquim a 45500 c ditos de gorgorao priste,
emitando casemira, a 64, sao muito baratos ; na
loja do Pereira d-t Silva.
GRANDE '
i lu i mi; ni
Expsito central ra larga di
Rosario n. *8
Damiaa Lima & C, nao podendo acabar asan a
grande quantidade de mercadorias, resolvaiam
anda ema vez convidar as Exmas. familias e o
respeitavel publico em geral, que com certeaa aia-
guem perdtr seu te npo, fazendo urna viaata i
KxpoNlro Central
Pecas de bordados a 200, 400. 500 e 600 rs.
para
Exccllcnte casa no
Monteiro
Vende-se ou arrenda-s". annualmente urna boa
casa com bastante) commodos para familia, tendo
agua e gaz encanados, com um bom quintal todo
murado, com algumas arvores fructferas e com
sahida para o rio, por preco muito i azoavel : quera
precisar dirija-se ra Duque de Caxias n. 117
que achara com quem'tratar.
Taverna
Vende se a bem afreguezada taverna da ra
larga do Rosario n. 1, propria para principiante
por ter I ons commodos ; a tratar na ra larga do
Ro ario n. 14.
Puuhss e e hiriuhos bordados
2000.
Ditos ditos lisos, 15500.
Ditos para homem, 14500.
Um plastrn de 24000 por 15500.
Invesiv. is grandes por 320 rs.
Laeos para senhora por 15500.
Macos de la para bardar, 25^00 e 35
Luvas de seda arrendadas a 25500.
Ditas lisas, 25200.
Ditas de fio de Escossia, 140CO.
Broches para senhora (molernos) 14500'.
Um par de meias para senhora (fia de sadaj
600 rs.
Dito idem liso, 400 e 500 rs.
Dito idem (fio de seda) 1J200.
Duzias de baleiai a 360 rs.
Carrcteis de 200 jai das a 80 rs.
Metros dc'srquinhas a 160 e 120 rs.
Um par de froahas de labyrintho, 14500.-
Macos de grainp s a 20 rs.
Metros de plisss a 400 rs.
Lindos passarinhos de seda para chapias de
senbora, de 50 rs. a 14000.
Um pente com inscripeo para senhora, 14.
Um leque de 165 por 94-
Brinquedos pira criancas, leques de papal, fi-
tas, bicos de linho, quadros para retratos, leamos,
tspartilhos, bicos, galoes, franjas com vidrilhoa,
eutrts muitos oojectos de phantasia per prados
sem competencia : na exposico Central, i roa
larga do Rosario n. 38.
. WHISKY
ROYAL BLEND marca V1ADO
Este excellentc Whisky Escossez preferive
ao cognac ou agurdente de canna, para fortificar
o corpo.
Vende-se a retalho nos tu ihores armazens
aolhados.
Pede ROYAL BLEND marca VIADO cujo ne-
me e emblema sao registrados para todo o Brasil.
BROWNS & C, agentes
IlACOllilOSM
Vende se pelos segnintes pre-
cos de 15uoi> at 90#ooo.
rna do Crespo n. I II a dama
Meqnelina.
Cabriole!
Veide-se por bar&tissimo preco e em muito boaa
estado um cabriolet de dous assentos, quatro ro-
das e arreios para um cavallo ; a tratar na eo-
eheira do Candido, ra da Roda.
DAS
CORRE NO DA 18 DE MAIO
O portador que possuir um vigsimo desta importan-
te lotera est habilitado a tirar 10:006$>000
Os bilhetes acham-se a' venda na Casa Feliz, praca da
Independencia ns. 37 e 39.
Corre no dia 18 de Maio de 1886, sem falta.
Qffll


"mnp
8
Diario de Pcrnambuco---Doiiiiiis:o 16 de Maio de 1886
ASSEMBLA GER1L
I
14MAR1 DOS DEPITADOS
SESSAO DE 7 DE MAIO DE 1886
PRESIDENCIA DO 8E. ANDBADE FIGUEIRA
Ao meio-dia, achando-so pteseDte, 66
Srs. deputados, brese a sessao.
E' lida e approvada a acta da sessao an-
tecedente.
O Sr. 1." secretario d conta do se-
guate
EXPEDIENTE
Officios :
Da junta apuradora do 4. districto da
provincia de Rio Grande do Sul, remetien-
do o diploma do conselheiro Antonio Eleu-
terio de Camargo.A respetiva eommis-
slo.
Da unta apuradoura do 3. districto da
proviucia de Minas-Geraes, remetiendo o
diploma do Sr. ffonso Augusto Moreira
Penna.A' respectiva coramissao.
Do 1." secretario do Senado, comrauni-
cado a eleigao da mesa-Inteirada.
Do mesmo, declarando que tendo a com-
missao do Senado, nomeada para revor a
lei e regulan.ento eleitoral, concluido os
seus trabalhos, doliberou offi dar Cmara
dos Deputados, afim de que ella rasolva
sobre a escollia dos seus membros que de-
vem fazer part-s da raesma coramissao.
Inteirada.
Do Sr. ministro da fazenda pedindo dia
o hora para apresentayo do relatorio.
Marca-sc o dia 8 1 hora da tarde.
Do Ministerio do Imperio remetiendo o
ofticio do presidente do Para a que acom-
panha o do da relacao da mearaa provincia
sobre a conveniencia de fazer se alteragao
uo recibo das cdulas eleitoraes. A com-
missao do constituigao e poderes.
Do mesmo remetiendo officios e papis
relativos as actas pelas quaes o presiden-
te da provincia do Rio de Janeiro resolveu
nao fazer publicar as leis da Assembla
Provincial do Rio do Janeiro, mandando fe-
char nos domingos e diae santificados as
portas das casas commerciaes ara diversas
cidaics da resroa provincia. A' corarais-
sao de constituigao e podens.
Do mesmo e no mesmo sentido, sobre o
projeeto de posturas da Cmara Municipal
de Santo Antonio de Padua, approvado
pela Assembla Provincial. A' commissao
do constituigao e poderes.
Do mesmo, remetiendo dous officios da
presidencia do Rio Grande do Sul o papis
annexos relativos aos actos pelos quaes
suspendeu a cxecugSo das leis votadas pela
Assembla Provincial, fixan lo a forga po-
licial e alterando o rogulamento da instruc-
ciio publica A' corainissao do constitui-
cXo e poderes.
Do mesmo, roraettendo uma represen-
tagao da Cmara Municipal de Sacra-
mento, na provincia do Minas, sobre a
ereagao de uma assembla eleitoral no ar-
raial da Ponte Nova, elevado fregue-
zia. A' commissao de constituido e
poderes.
Do mesmo declarando que comraumcra
a diversas presidencias as decisoes as pro-
feridaa pela Cmara, sobra cleii'3e3.In-
teirada.
Sita lidas e vita a imprimir para entrar
na ordera dos trrbalhos :
Parecer da 1.a commissao de inquento
recouhecendo deputado pelo 2.a districto da
provincia de S. Paulo, o Dr. Jos Luiz de
Almeida Nogueira.
Parecer da 1.a coramissao do inquento
reeonhecendo deputado pelo 12. districto
da provincia da Babia, o Dr. J. J. Fer-
nandes da Cunha.
' lido e vai a imprimir o seguinte :
, Parecer da corainissao do polica sobre
a reforma do regiment.
A experiencia nao tem abonado o rae-
thodo preseripto no regiment para as cha-
madas (ios deputados c abertura das ses-
soes diarias: as chamadas s 11 horas
para abrirse a sessao ao moio-dia, tem sido
a consequencia d'aquelle methodo
F0LHET1M
ANGELA
POR
I
J
XMB BS U3SISPIS
('('. o n t i n uac D.o do n. 110)
XXVI
O taverneiro apertou a 'nilo do recem-
chegado e depois de ter olhado por alguns
instantes, exelaraou :
Ora esta I E' o Rigolo 1
Em pessoa natural e verdadeira, meu
velho 1
Foi fazer urna viagem de recreio 1
Com o diabo ha muito tempo que nin-
guem o v ; seja dito sem censura.
Estive fra de Pariz durante tres an-
nos.
Esteva sombra9, disse o dono da
oaa, piscando o olho com malicia.
Pelo contrario, ao sol I respondeu
Osear Rigault com uma gargalhada. Esti-
va em frica, donde diego.
Depois de fazer fortuna ?
Rigolo encolheu os hombros.
__ Como, meu velho nao tras o sacco
cheio ? disse o taverneiro.
- Ora, deixe me Qual sacco nem meio
stdt.o! Morre-se l de miseria.
E' que nao tevo geito para se arran-
jJ
Pois se eu estou lhe dizendo que se
nib faz nada l I Antes Pariz 1 Apeoi-me
do caminho do ferro e vim dar lhe os bons
dias e perguntar he se nao encontrarei na
sua casa algum dos meus amigos de outros
tempos.
J nita ha nenhum, meu rapaz, re-
plicou o dono da casa. Bem v qm ein
tres annos esta freguezia muda muito I En-
tretanto anda ha alguns.
QuaeB sao 7
Ha o Zarolho ; ha o Sino-rachado e
tambera o Lombriga, que se conservaran!
fieia ao Gato Vermelho.
Elles estSo aqui agora ? perguntou,
om alegra, Osear.
de conservar sentados em seus lugares nSo
s os membros da mesa, senilo os deputa-
dos presentes chamada, tem sido mani-
fest. D'ahi a incerteza da hora em que
corneja a sessao, a necessidade das cha-
madas feitas por listas de presenca toma-
das por empregados da casa, fra do salao,
reclamaco;s e quig abasos a que ellas tm
dado lugar.
Para obviar a tilo graves inconvenien
tes, a coramissao de policia tem a honra
de propr as seguintes altcragSes ao regi-
ment da Cmara, em sentido de Uzor-so a
chamada na hora de principiar a sessao,
que fixada para o meio-dia, consideran-
do so presentes os membros que a ella acu
direra e se acharem sentados nos seus lu
gares :
Emenda ao regiment :
Ao art. 53, substituara-se as palavras
s onzo horas da manhapelas seguin-
tesao meio dia.
Supprima-sc o art. 56.
Substitua-se o art. 57 pelo seguinte :
Se nito comparecerem deputados em
numero de metade e mais um, o presiden-
te declarar : H)je nao ha sessao, man-
dando publicar no jornal com que houver
contratado ^os noraes do3 que coroparece-
rara e dos que faltaran).
Sala das sessoas, 6 de Maio de 1836.
-Domingos de Andrade FigueiraAnto-
nio Cocino Rodrigues.J. W. da Gama
Cockrane.J L. Cocino e Campos.Ma-
noel Antonio da Silveira Torres Portugal.
Silo introduzidos com as formalidades do
estylo e prestam juramento os Srs. Duarte
de Azevedo e Silva Tavares.
O Hr. candido de Oliveira l"
ura telegramma que acaba de receber da
Fortaleza, capital da provincia do Cear,
dizendo que o thesourciro das loteras d'a-
quella provincia quebrou, sem que antas
tivesso prestado a devida fianca, o quo est
causando grande clamor no publico.
O orador nota neste facto uma grave
aceusacao ao presidente da provincia por
ter confiado a cxtracsio das respectiva*
loteras a ura individuo que no prestou
fianca.
Nao sa admira, porra, desse procedi-
mento, porque o mesmo administrador d'a-
quella provincia raandou continuar com
exercicio na Cmara Municipal da Forta-
leza um verea lor que so achava proces-
sado.
Anda monos sa admira, porque o Sr.
desembargador Calmon, quo j oceupou
uma vara de direto n'esta corte onde en-
tendeu quo o govemo exorbitou do sua
attrbuic3es expedindo-lhe um aviso sobre
certo julgaraento, agora, como presidente
de provincia, levantou um conflicto de ju-
risdic-io cora o juiz de direto da capital do
Cenr.
Entende que a perraisso s loteras pro-
vinciaes um grande mal, quo d lugar a
graves abusos, aos quaes o Govemo dova
por cobro, craquanto o parlamento no to-
mar medidas a respeito. Aguarda algu-
raa explicaeao do Sr. ministro da fazenda.
Conclue enviando mesa o seguinte te-
legramma :
Fortaleza, 4 de Maio.Lotera cea-
rense contrata la CalmoQ san fiaaa pres-
tada quebrou, nao paga premio; escn-
dalo, clamor poso. Rogo redamacio tri-
buua.Imprsnsa. s
O *r. F. Bellzarlo (ministro da
fazenda) nao se achava habilitado a res-
ponder ao Sr. Candido de Oliveira, que
se limitou a 1er ura telegramma recebido
da ] rovincia do Cear, porque a adminis-
trajao das loteras provinciaes local, no
est a cargo do ministerio da fazenda.
Entretanto, confia tanto no administra-
dor da provincia do Cear que lhe parece
impossivel o facto como se acha exarado
no telegramma; S Exc. ana magistn-
do dos mais integro i fapoiados) a aceu-
sacao que so levanta repugna o carcter
do presidente da provinci* do Cear. I Apoia-
dos.)
Aceita o concurso do nobre deputado o
Lombriga est almocando... deve
estar em qmlquer parte... ahi no fundo
vi-o anda agora.
Pois tou lhe fazer companhia.
E Rigolo dirigio-se p.ra o fundo da sa-
la perguntando em altos gritos :
Onda est este Lombriga? Pergun-
ta-se pelo Lombriga.
Um duzia de vozes repetio em coro :
Procurase o Lombriga! Uma Lom-
briga simples! Salta uma Lombriga I
Ouvindo gritos e chamados, um rapiz
de perto de vinte o cinco annos, comprido,
como um dia sem pao, e secco como urna
espinha da arenque, cOr paluda, f_ces enco-
vadas, olho3 enterrados as rbitas, cor de
p3 de sapatos, debaixo de sobrancelhas
proeminentes, vestido de blusa branca, com
a cabeca cobertacom ura chapeo de tres an-
dares de altura, com as font'es ornadas de
mechas de cabello colladas pelle, foro i
de cosmtico, levantou se e a plataforma
superior do seu monumental chapeo rojou
no tecto l
Que l isao ? perguntou elle, com
voz cncatarroada pelo vitriolo que so bebe
as tascas das barreiras, aqui est o Lom-
briga Quam o chama V
Eu, meu velbo I respondeu Osear Ri-
gault, que, tendo passado por entre as me-
sas, havia chegado perto do Lombriga e
estendia-lbe a raao.
O giganta magro deu ura grito de sor-
preza.
Mas, com os demonios, o Rigolo I
disse elle, apertando a mao do mscate.
E verdade, meu velho, Rigolo, que
volta da frica.
E desde quando ?
Desde esta manha ; procuro os ca-
ntaradas de outro tempo. Emfim, encon-
tr um c um verdadeiro patusco !
J date ao queixo?
Nao... Lavei apenas o buraco com
um copo de chablis e trnquei uma codea.
Entilo, sent-te ahi e pede... Ola !
uma garrafa de vinho... Do mesmo da
outra vez... mas que saja melhor.
O mscate tinha-se sentado em frente do
Lombriga.
Tirou do bolso a navalha corsa, para
cortar c pao.
O em pregado trouxe vinho.
Assi'ii que se tirou a rolha s garrafas,
o Lombriga-en<:heu os copos e fez uma sau-
de ao amigo, accreecentando ;
nfim, como vieste, o principal.
Podes cao acreditar, se quizares, mas, com
os diabes, ha tres annos quo tu nos fazes
falla l
Candido de Oliveira em ralajao s loteras
provinoiaas, que nao podem por mais tempo
continuar no estado em que se achara.
(Apoiados.^
O Sr. Portugal julga improceden-
tes as censuras lovantadas pelo nobre de-
putado o Sr. Candido de Oliveira ao Ilus-
tre presidente da provincia do Cear;
quanto s loteras daquella provincia, o
tacto allegado no telegramma dou-so por-
que o Sr. desembargador Calmon exigi
que fosso prstala a necossaria fianga;
por tanto nao exacta a allegacao do referi-
do telegramma.
Quan:o outra censura, abstem se de
considerar agora o procedimento daquella
digno magistrado, porque a questo est
pendente do conselho de estado.
O Sr. Sebastlao Mascarenhas
recorda que na ultima sessao o nobre de-
putado o Sr. Candido da Oliveira frisou o
procedimenta da Asserabl* Provincial de
Santa Catharina, excluindo do sea seio al-
guns liberaes ligitimaraentc eleitos, a pre-
texto do incompatibilidades que nito exis-
ten! ; entretanto, a Cmara dos Sra. De-
putados responicu-lho em seguida raconhe-
cando deputado geral um director de com-
panhia subvencionado pelo Etsado.
Nao se achando presento o Sr. ministro
do imperio, o orador julga que o Sr. mi-
nistro do agricultura deve estar habilitado
para responder a alguraas perg'intas que
vai dirigir ao govemo.
Affirma ser notorio que o Sr. ministro
do impario baratea as economas quo oSr.
ministro da fazenda pretende fazer ; para
pro val o, historia os extraordinarios dispen-
dios que fez o engenheiro (eujo titulo tai-
vez nao se acha devidamente registrado)
Joao Julio Revy, quando noraeado chefe
da coramissao do3 acudas de Quixad ; o
que obrigou o distncto ajudante adenun-
calos ao govarno, por nito poler suppor-
lar mais tantos abusos ; mandando entao o
Sr. conselheiro Moura o Sr. Aarao Reis
examinar aquellas contas, o Sr. Revy re-
sisti s ordena do govemo, nito querendo
prestar samelhantes contas.
Admira-se que, havendo engenheiro3 na-
cin es de tanto merecimento, sejam esco-
lhidos enganhairos estrangeiros para as
obras mais importantes, smente porque
S. M. Imperial os julgue sabios.
O Sr. Preai leata observa ao orador qua
s sa deve dirigir ao govemo o nunca a
S. M. o Imperador. (Apoiados).
O Sr. Mascaronhas dirige so ao actual
governo, pjrqm lhe- consta que, depois de
suspensos os tiubdhos do acude de Qjiixa-
d, foi o Sr. Revy mndalo em outra coin-
mi.s.-iio para a provincia de S. Paulo.
Concluo enviando mesa o sau requa-
rimento, esparando que o govarno o toma
na devida consideracao.
E' lido, apoiado o entra em discussao,
qua fica adiada por pelir a pdavra o Sr.
Caininha, o seguinte requsriraento :
i Raqueiro qua informa o governo, palo
ministerio da agricultura:
Io Si est registrada na directora do
obras publicas da secretaria da agricultura
o titulo de engenheiro Joao Julio Ravy.
2o Se forara pagas ao dito R3vy as
contas aprsenla las por ello, depois dess
pensos os trabalhos do acude de Quixad
e em quanto importaram ellas.
a 3o So depois de suspensos os trabalhos
de Quixad foi J. Revy mandado em al-
guma commissao para S. Paulo e qual o
resultado dessa coinraisso. S. R. Mas-
carenhas.
ORDEM DO DI A
VERIFtCAyAO DE PODEBSS
E' approvado o parecsr n.* 91 da Ia
commis3ao de poderes, recouhecendo de-
putado pelj 2o districto da provincia do
Cear o Sr. Tristao de Alencar Araripe.
O Sr. ministro da guerra introduzido
com as formalidades do estylo, toma asse'n-
to a direita do Sr. presidenta e l a se-
guinte :
PROPOSTA
Art. i-0 As forjas de trras para o anao
financeiro da 18S7 a 1883 constaram :
Diziamos muitas vezas: a Aquello ani-
mal do Rigolo tar se-hiadeixado por aom
bra ? Estiveste cm Belleville ?
Logo que rao apeei do caminho de
ferro. era migalha de um conhecdo.
Isso nao me admira... os patuscos
deixaram Belleville. O bairro nao presta...
Muita polica... Hala rauita pancadaria,
no tempo das elcicSes. Eu c prefiro os
lugares socegados Passaria toda a rainha
vida n'uma ti resta. E depois, tu sabe3,
doi antgos, muitos foram viajar custa do
governo. Fazem se cercos de todos os la-
dos. Os viscosos e os cstuJantea gritaram
contra nos e puzeram-so a perseguir nos,
como se nos nito fossomos genta honrada,
que vivo tranquillamente do trabalho das
nossas gajos. Por um sira ou por um nao,
se se f.iz dinsar um queridinko depnpdao,
temse queatSes com os agentes.
Entao o Gaita, o Mistenflute, o Qua-
trofios e o Angora ?
Tudo desappareceu. Acoateceram-
lhas desgrasas Somos apaas dous ou tres,
do antig g'upo da patuscos. Eu, o Za-
rolho e o Sino Rieha lo.
E esses onde estilo ?
Ora, muito boa, com os seus nego-
cios. Mas, se queres renovar conhecimen-
t com elles, reunem-sc aqui todas as tar
des no gabinete dos antigos e conversa se.
Tu sabes, meu velho, os tempos estilo dif
ficis. Arranja-se a gento como pode, pa-
ra comer alguma cousa. Mas tu ests-te
ninando para tudo isto. Tu chegas aqui
para comer o teu pilo, j cozidinho.
Onde est esse paoj cozidinho? Se
t*nho no bolso uns cera francos, o mais !
Entilo, e tua irma ?
Nem noticias, depois que sahi de Pa
riz. Fui sta ramhil su* antiga mora-
da, coi Belleville, ra Julien-Lacroix.
Riipou-so, sem deixar a sua nova morada.
- Aquillo que tem eaguifo I
Por que que diz es isso i
Porque, a esta hora, ella est como
quer.
Como quer I repetio Rigolo.
E' como tenho a honra de te dizer.
Ha poueo mais de dous annos ella deixou
Bellevilh, para seguir, um sujeito muito
chic, ornado de uma bolsa muito bem re
cheiada o que a acho ao seu gosto. Nin-
guem tinba ouvido fallar nella havia um
anno, quando uma bella tarde a virara cha
gar casa de Pavi. Quera mostrar so
aos conhecimentos, tu eumprahende?, que-
ra fazer figura 1... Estova vestida do seda,
desdo a cabeca at os pos, com uma por
' cSe de arrebiques e toda relazante de joias.
Io Dos offi-Jaes'das diflrentes classes
do quadro do exercito.
| 2o De 13,500 pracas de pret em cr-
cumstancias extraordinarias. Estas forc sarao completadas na forma da lei n. 2556
de 26 de setembro de 1871.
| 3o Das companhias do aprondizes ar-
tilheiro8, n5o excedondo de 400 pracaa,
das duas companhias da aprondizes milita-
res creadas as provincias de Minas < < -
raes o Goyaz com opesjoal qua lhcs foi
marcado, o do corpo do alumnos da escola
militar da corte e das companhias de alum-
nos da escola militar da provincia do Rio-
Grande do Sul, at 400 pragas,
Art. 2o O premio para os voluntariop
ser de 400>, o para os engaj ido3 de 500$
pago em tres prestagSes, sendo o dos se-
gundos proporcional ao tempo pelo qual de
novo se enganjarem nos termos do art. 'Io
drlei n. 2623 de 13 de setembro de 1875.
| Io Os voluntarios perceberao, emquan-
to forera pracas do pret, mais una grat -
ficagSo igual metada do solio de priraai-
ra praca, conforme a arma em quo servi-
rem ; os engajados porcebarito mais uma
gratiticaclo igual ao sold da priraeir.t pra-
ca, e tambera segundo a arma era qua ser
viram.
| 2. Quando foram cscusos do sarvico
se ihes conceder as coloniae do estado
um prazo da trras do 108,900 metros
quadrados.
3." A importancia da contribuicilo
pecuniaria, do que trata o art. 1" n. 7 da
lei n. 2,556, de 26 do Satambro d3 1874,
continuar a ser da lODOjJOOO.
Art. 3." Fea o governo autjrisado :
J 1." A dar novo regslamento escola
militar da orte, tomando por basa o olt-
rao project) or^anisado p.U congregic/o
da referida escola.
2." a crear uma coudelaria militar
provincia do Rio-Grande do Sal, no lugar
mais conveniente.
| 3." A dar nova organisaito s tres
armis do exercito, inclusive o batalhao de
engenheiros, sera augmento da despeza.
i. A rcorgansar as colonias militares
do imperio supprimindo as qua foram des-
necessarias.
Art. 4." Ficam rehogadas 3es em contrario.
Palacio do Rio da Janeiro, em 5 de
Maio de 1833. Joao Jos do Oliveira
Junqaeira.
O Sr. Presidenta : A cmara do3 da
deputidos tomar na dovida consideracii)
a propo3ta do poder exicutivo.
O Sr. ministro da marinha introduzi-
do cora as formalidades do estylo, toma
assanto direita do Sr. presidente e l a
seguinte proposta :
o Art. 1. A forca naval activa para o
anno finan.eiro de 1887 1883 constar :
i % i. Dos offi aes da armada e das
classes annexas que fr preciso embarcar
nos navios de guerra e nos transportes,
confirme suas lotacSas e do3 estados raaio-
res da3 eaquadra3 e das diviso" js navaes.
2. En cireainstaacias ordinarias, do
3,300 pricis de pret do corpo de rape-
riaos marinheiro3, comprehendidas as com-
panhias de foguistas; de 104 pracas da
companhia de imperiaos marinbeiros de
Matto-Grosso e da 600 pragas do batalhao
naval, das quacs poderao sor embarcadas
2,800, e em circunstancias extraordina-
rias do 6,OJO pracas destes corpos e de
narinhagora .
o As escolas do aprendize3 raarinheiros
terSo 1,500 pravas.
o Art. 2. As uragas de pret volunti-
rias, quando fofenVjebusas par conclusSo
do tempo de aorvio, tero direto a um
prazo de torras de 103,900 metros qua-
drados as colonias do Estado.
Art. 3." Para preencher a for$ a de-
creta la proceder-se-ha na forma da lei n.
2,556 de Setembro de 864, ficando o go-
verno autoridado a conceder o premio de
400 aoa voluntarios, de 500$ ao3 enga-
jados e do 600(5 aos rcengajalos ; e em
circunstancias extraordinarias, a contratar (Faranagu, Joao Alfredo, Chichorro, Te-
nacionaes. eatrangeiros. xera j^,^ junquera e Diogo Velho.
t Art. 4. Ficam revogadas os disposi-
c5es em contrario.
Palacio do Kio de Janeiro, 5 da Maio
de 1886. Alfredo Rodrigues Fernandes
Chapes.
O Sr. Presidente :A camarades Srs.
diputados tonar na devida eonsiderajito
a proposta do po 1er executvo.
ELEigAO DE COMMISSES
Constitui$ao e poderes. 63 cdulas. Os
Srs. Eufrazio Correia 61, Duarta de Aze-
vedo 60, Manoal Portella 56, Soaros 3,
Ribero da Luz, Birao da Guahy e Carai-
nli i 1 cada un.
Orcamento. 65 cdulas Os Srs. Matto-
so Cmara 61, Pereira da Silva 60, Silva
Tavares 60, Henriquas 60, Barao de Gaa-
hy 60, Lucena 60, Rodrigues Al ves 59,
Carlos Peixoto 53 e Lourenco de Albu
querqua 51, Maia, Duarte de Azevedo e
Portella 2 cada um. Araujo Pinho, Costa
Pereira, Soares, Freir de Carvalbo, Go-
mes de Castro, T.iunay, Ferreira Vianna,
B.naj de Diamantino, Pinto Lima, Can-
tilo, Castrioto e Eufrazio Correia 1 cada
um.
Da contis. 61 cdulas.Os Srs. Soa
Daixaram de comparecer com partici-
pado os Srs. Viriato de Medeiros, Siuira-
b, Antao, Visconde de Bora Retiro, Vis-
conde de Muritiba e Lafayette.
Daixaram de comparecer sem participa-
cao os Srs. Barilo de Souza Queiroz, Bv
rao da Estancia, Silveira Martina, Jos
Bonifacio, Gomes do Amaral e Visconde
da Pelotas.
O Sr. Presidente abri a sassao.
Lause a asta da sessao de 2 de Maio
do correte anno, e nao havendo quem so-
bra ella fizossa observacoes deu-se por ap-
provada.
Compareceram depois da aberta a ses-
sao oj Srs Barao do Mamor, Vieira da
Silva, Carrao, Martinho Campos e Fernan-
des da Cunha.
N;to houva expediente.
O Sr. Presidente declarou que na for.
ma do regiment, ia proceder-se eleijao
da mesa, principiando pela do presidente-
Corrido o e3crntinio, foram recolhidas
39 cdulas, sendo uma em branco, e sabio
eleito presidente o Sr. Conde de Baepen-
dy por maio ra absoluta de 31 votss.
Para a eleicilo de Io vi ce-presidente fo-
r-s 50, Elias de Albuquerque 56, Cunha ram recida3 40 clulas, e sahio eleito o
Leitoj oG Araujo Pinho_ 56 Goncalves gr Cail3ans5o de Sinimb por maioria ab-
Ferreira 56, Pinto Li na 55, Wernek 55,
Carainha 55, Dias Carneiro 53; Diaman-
tino, Gomes de Castro, Caslrioto o Cantilo
i cada um.
De marinln e guerra.-63 cdulas. Os
Sr3. Castrioto 57, Canteo 50, Taunay 46,
Tavares, Pedro Braulio, Dias Carneiro e
Fernandes de Oliveira 2 cada um; Barao
de. Canind, Elias, Aacyoli Franco, Co-
ckrane, Ribeiro da Cunha, Passo3 Miran-
da, Araujo Pinho, Gmcalves Ferreira, 1
cada um, e 7 em branco.
O Sr. Tarquinio de Sonz i ('pela ordem)
requer qua seja nomeada pela mesa a com-
missao mixta eucarrcgida da revisita da
lei eleitoral.
O Sr. Presidente consulta a cmara sobre
este requenmento, que c approvado, e no-
raeia para a referida commissao os Srs.
Ferreira Vianna, Gomes de Castro, Tar-
quinio de Souza, Lourenoo de Albuquer-
que e Candido do Oliveira.
Quanto nomeacao das outras com-
soluta do 36 votos.
Para a eleicao de 2o viee-presidente fo-
rara recolhidas 43 cdulas, sendo quatro
em branco, e sahio eleito o Sr. Cruz Ma-
chado por maioria absoluta de 29 votos.
Para a eleico de Io se ;retario foram re-
colhidas 40 cdulas, sendo tres em bran-
co, e sahio eleito o Sr. Barao de Maman-
guipa por maioria absoluta de 35 votos,
Para a eleicao de 2o secretario foram
recolhidas 41 cdulas, sendo tros em bran-
co, o sahio eleito o Sr. Godoy por maio-
ria ab3oluta de 34 votos.
Para a eleicao do 3o e 4o secretarios fo-
ram recolhidas 33 cdulas, sendo tres em
branco, e sahiram eleitos 3o secretario o
Sr. Ignacio Martina com 29 votos e 4o se-
cretario o Sr. Meira da Vasconcellos com
23 votos.
Ficaram supplentas os Sr3. Nunes Gon-
calves cora 6 votos e Soares Brandao
esm 5.
Paasau-sa eleicao das commissas per-
ra.ssoes permanentes declara quo faca ada-; maQent a qual tave o seguinte mui-
da ate qua sejam reconhecido3 03 trinta e ^&(^Q .
tantos deputados qus faltara para comple-i '--
tar a representaste nacional.
O Sr. Presidente d para
Fazia tinir raoedas de ouro as algibeiras,
que pareca raesmo um carrilhao I Por fim
da contas, boa rapariga, e nilo repara-
deira. Pagou saladeiras da vinho quente
a todos I. .. Ah I aflhnco-te que est n'u-
ma magnifica postilo.
- E onde est empoleirado esta sujeito
ehic, que lho fornece raeios de passar a vi-
da agralavel ?
- Se queres quo te diga, meu velho,
como nunca tiveram a delicadeza de me
convidar a jantar com eiles, n5o sei onde
morara.
Qua sorto velhaca disse Rigolo,
rindo ; visto que as cousas sito assim,
necessario qua torne a encontrar Sophia...
Desde qua corta larga, dove guardar ara
pedaco para niira... Ella me tomar por
seu lacaio.
Procura a, que se procurares bam,
has da encontral-a. A proposito, onde te
vais alojar?
Por estes lados, em Batignolles, visto
que aqui se encontram os camarada3.
- R'commendo te o Petit-Hotel.
Qua diabo isso ?
__ Um lugar muito bom e que nao ca-
ro. Tem se um quarto por vinte francos
por m-!Z... E' no boulevari de Batignol-
les. Entra-se e sahe-se, quando sa quer,
sem que ninguem se importe com a gente.
O dono um patusco, quo entretm ami-
z ide cora os inquilinos,.comprando-lh38 por
vinte sidos aquillo que vale cinco francos,
mas que nada lhe custou.
- O qua faz elle ?
Tem todos os officios... honrado ve-
lh*eo como o diabo, tasa bom homem.
Moras em casa dalle ?
Nilo ; moro com a mraha marmita.
E' mais commodo, para effectusr as rai-
nhas entradas. Mas, sa queres, eu levo
te ao Petit-Hotel. Soa intimo do dono da
casa.
Isso convem-me.
Sabes que se paga urna quinzena
adiantada.
- Pagar-se-ba ; para mim o mesmo ;
porque trago um pouco de dinheiro ; des-
paja o copo, paguemos e vamos.
Sou eu que offereei.
Nilo comraetterei a m criajao de re-
cusar ; eu, dopois, pago o caf em outra
parte.
Osear Rigault, depois de ter despejado
o copo que o sea cantarada acaba va de on-
cher, agarrou na navalha aborta, que esto-
va em cima da mesa.
la fchala e mettel-a no bolso, quando
a ordem do
dia 8:
Apresentacilo de requerimientos, indica-
S5e3, etc., conforma o regiment.
Votacao dos pareceres ns. 92 e 93 reco-
eonhocendo deputados polo Para o Dr.
Guilherraa Francisco da Cruz e pelo Rio-
Grande do Sal o Dr. JoSo de Miranda Ri-
beiro Sobrinho.
D3CUSS0 do raquerimento do Sr. Mas-
carenhas, o sa houver tempo, dos requeri-
raentos adiados, na ordem da apresenta-
53o.
Levanta se a sessao s 3 horas da tar-
de.
SE.WDO
Ia SESSAO EM 1D MAIO DE 1886
PRESIDENCIA DO SR. CONDE DE BAE-
PENDY
A's 11 horas fez se a chmala e acha-
rara sa presentes 40 Srs. senadores, a sa-
ber : Conde de Baependy, Barita de Ma-
manguape, Godoy, Nanes Goncalves, Ig-
nacio Martins, Meira, Vasconcellos, Cruz
Machada, Saraiva, de Limare, Barita de
Maroira, Correia, Soare3 Braniao, Barao
de Cotegipe, Cunha e Figueiredo, Ucha
Cavbante, Paes da Mendonga, Silveira
da Motta, Cbristiano Ottoni, Paula Pes-
aos, Franco de S, Barros Barreta,
Le3o Velloso, Lima Duarte, Luiz Carlos,
Fausto de Aguiar, Ribeiro da Luz, O.-ta-
viano, Castro Carreira, Affonso Celso,
Henrque d'Avila, Pauliuo de Souza, Luiz
Felippe, Dantas, Jaguariba, Viscondo de
o Lombriga disse, tirando-lh'a da mao e
examinando-a com ar convencido.
Ceboloro I meu velho ; tans ura es-
peto bonito como o diabo.
Nao verdade, heiu ?
Donde vom isto ?
Uma reeordacilo do Marselba ; mas
foi fabricada na Corsega.
Futa e corta.. pode servir para
muita cousa. Toma-a^. Encafua-a as
profundidades da tua algiba:ra.
Osear Rigault recebeu a navalha e intro-
duzio-a no bolso do sobretudo, depois de
ter pago a despeza, sahio do Gato Verme-
lho um o Lombriga. *
Esto conduzio-a a ura caf ordinario, on-
de toraarara mazagrans acompanhados com
agurdente, e ambo3 dirigirara-so era se-
guida para a casa condecida no bairro com
o nome de Petit-Hotel.
E' uma espelunca immunda como exis-
tem ainda em certas partos dos boulevards
exteriores.
Um corredor sombro, estreito e mal
cheiroso dava accesso casa e conduzia
cacada.
No fun io, esquerda eslava a entrada
de um quarto, quasi tilo sombro como o
corrodor e recebando apenas a luz do dia
por uma janella de vidros iramundos e que
dava para um pateo estreito, um verdadei-
ro poco cercado de casas.
Foi neste quarto que o Lombriga intro-
duzio Osear Rigault.
1 Uma mulher gorda, de uns quarenta an-
nos, cara averraelhada e de barba no quei-
xo, tratava dos arranjos da casa, roda de
uma mesa que ainda nao tinha sido levan-
tada e sobro a qual se ackavara ainda res-
tos da um mogo.
Bom dia, mai, dissa o Lombriga. O
Bretn est em casa T
Em lugar de responder pergunta, a
mulher perguntou, carregando as ultima
palavras da phrase para lhe dar um senti-
do particular.
E' para ferramentas ?
Nao, agora o trabalho nao d nada,
mai.
Entao o que que lhe querem, per
guntou a mulher gorda.
< Apres-ntar-lbe um bom rapaz... um
verdadeiro patusco, pelo qual respondo co
mo por mim mesmo, respondeu o Lombri-
ga. Elle deseja um quarto c4 na casa.
Para isso nao necessario estar c o
Bretn... Offereco ao senhor um gabinete
muito asseiado e mobiliado como para um
milord inglez.. Vale vinte cinco fran-
cos por mez. Mudara-se lenges todos os
Resposta falla do tbrono
Foram recolhidas 37 cdulas, o sahiram
eleitos os Srs. Correia com 28 votos, Joito
Alfredo e Nunes Gongalves com 23 cada
um.
ConstitugSo e diplomacia
Foram recolhidas 33 cdulas, e sahiram
eleitos os Srs. Vieira da Silva cora 32 vo-
tos, Joao Alfredo e Fernandes da Cunba
com 24 cada ura.
Fazenda
Foram recolhidas 32 cdulas, e sahiram
eleitos os Srs. Carrao cora 26 votos, Sa-
raiva com 21 e Franco de S 23.
Legislagita
Foram recolhidas 32 cdulas, e sahiram
eleitos os Srs. Leilo Velloso com 31 votos,
Nunes Gongalves cora 29 o Visconde de
Paranagu com 27.
Marinha e guerra
Foram recolhidas 34 cdulas, e sahiram
eleitos os Srs. Visconde de Muritiba com
33 votos, de Lamare o Jaguaribe com 34
cada ura.
Indo proceder-se eleigio da commis-
sao de commercio, agricultura, industria e
artes, verificou-so nao haver mais numero
legal, ficando portanto adiada a eleicao
desta e das demais commissoes.
O Sr. Presidenta deu para a ordem do
dia 5: continuacao da eleigio das corarais
soes permanentes.
Lavantou-se a sessao ai 1|2 hora da
tarde.
quinze dias. A quinzena paga adian-
tada.
Isto convm-rae, disse Oacar. Mos-
tre-me l o Louvre de que falla.
Eu raspo-me, disseme o Lombriga.
NSo te esquegas que esta noite s nove ho-
ras estou no Gato Vermelho, com o Zaro-
lho e o Sino-rachado.
L irei ter.
Entao, at noite.
At noite.
A Sra. Bretn conduzo Osear Rigault
ao segn o andar e mostrou-lhe o gabineto
que ella lhe destinava.
Era um quartinho de quatro pea qua-
drados.
A mobilia quasi toda cheia de bicho,
conservava-so em p forga de coneertos.
Aqui est, disse a mulher barbada.
Isto convem lhe ?
Perfeitamente.
Expliqese entao.
J vou espantar lhe doze francos e
cincoenta... A cama est feita ?
Tudo est prorapto : 03 lenges sao
limpos.
Entilo, como chego de viagam e como
passei a noite em caminho de ferro e es-
tou derreado, vou fazer uma somneca at
noite.
E' preciso dar-me o seu nome e ap-
pellido. A policia aqui, nao sei se saba,
levada do diabo. Os inspectores das casas
mobiliadas passam todo o dia em cima dos
nossos cachaos.
Osear tirou do bolso uma carteira.
Aqui est a rainha carta de eleitor,
disse elle, tirando ura papel que entrego
mulher barbada. O neu ultimo domicilio,
Argel, escripto ahi em baixo.
Bom, meu marido ver isto. Os do-
ze francos e cincoenta, se faz favor.
Aqui est dinheiro.
Obrigada. As boas contas fazem os
bons amigos.
E a Sra. Bretn sahio, fechando a porto
atraz de si.
A viagem de Marselha a Pariz tinha,.
com effeito, fatigado extraordinariamente
Osear Rigault.
O mscate tinha preciso de repouso.
Poa o relogio em cima do fogao, de3pio-
se e metieu-se na cama.
Cinco miatuos depois, dorma a somno
solt.
Quando acordou era cempleta mente
n"ite.
(Continuarse ha)
Tjp. do Diario, roa Daque d Caxiu n. di.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM4CJK18W_KG5Z3L INGEST_TIME 2014-05-28T17:13:19Z PACKAGE AA00011611_19543
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES