Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19430


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
yj...
ANNO L. MJlfERO 176

I *>

\
\
,
/
PARA A CAPITAL E LVGARE9 MDB Nil* SB PAGAJPOHTE.
Por tret mazes adiantidos. .. '...............
Por suit ditos idem........... .......W>
Por um aoaoidem. ^ ,ni,i, rn-i*-/a *
Cad* numero avulao .

- ?ni (H
'..

ti In. 6ertrdo intonlo AItwA filhot.no Par*; Goncalwa 4 Pinto, no Maranhio; Joaqnim Jose de Oltaira 4Filho, no Cetrii
Pertiirt d'Almsida, em Mamangaape ; Carlos Auxencio Honteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose* Gomes, na
Antonio Ferreira de Aguiar,em Goyanna; JoJo Antonio Machaeo, no Pilar das i
.JUARTA FEIRA S DE AGOSTO DE 1874
PARA DE VTRO E FORA DA PRVWCIA
Por tret noes adianudoa.............'
Por aeis ditos idem........
Por Rwaditos idem...............
For urn anno idem.
- '
EMAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FICUEIROA DE F1RIA FILHOS.
'pio de Lemoa Bra*., no Aracatj Jolo Maria Jnlio Chare., no Amd; Antonio Marque, da flba. M Jose Jtutko
da Peaha; Be'armino dot Santos Bolcao, em Santo Antlo j Domingoi Jose da Costa Braga, em Haxareth;
I Aires 4 C.aa lahia; e A. Xavier Leite 4 C. no Bio Janeiro- __________
IU3TMGA0 PQPULAS
Elcuieiitoa de playaiiea
LIVRO PRIME1HO
CAPITULO II
pa)PRlEDADF.S GEUAKS DOS CORPOS.
(Conclusao)
Elasticidade.A elasticidade 6 a proprie-
dade que apresentim o* corpos, quando compos. *|eHo.
midos. cnrvados, torcidos, e d'slendidos on esti
rados de volurem por si mesmo a suas forma e
volume prituitivos, logo que se tornsm livres, istO
e logo que deixa de actuar sobre elles a forca que
03 deformou ou redazio. .
D"ahi se ve qua ha quatro especies de elastici-
dade que sao : a elasticidade por pressao, que se
observ* nos eazes; a elasliadiie por fitxuo, que
se v a que apresentam as cordas dos pianos rabecas,
violoos, etc., quando se acham destendid.is ou esli-
r*Aela-ticidade, :,nalquerque seja sua espBcie, 6
o reultado de urn deslocaraento molecular, visto
come se as moleculas sao conchegadas pela pres-
sao a forca repulsiva do calor lende a afasia las,
e se Delo contrario, ellas sao afastadas pela len-
sSo 'torsao ou flexao. a attraccio molecular obra
no 'sentido de reaproxima las.
Ouaudo, por exemplo, se curva uma haste de
bale a, as moleculas da parle coneava da haste
sao 'omprimidas, ao passo que na parte convexa
sao *fastadas; pelo que. logo que a haste se tor-
na l.vre, as primeiras se repellent, no enlanto que
as egundas procuram aproximar-si. Assim, pits,
nai e senao em virtude destes dous esforcos mo-
leculares que a haste torna-se direiia, apenas ces
sa a forca que a tinha curvado.
Oncorpos maisel.sticos sio 03 gazes, e depois
dc-U' s e acham o a?o temperado, as hastes de ba
l.iia, a borracha, a cliua, a 15, o marlim, o vidro,
o marroore, etc., etc.
Para demonstrar a elasticidade tlo marlim, por
exemplo e ao mesmo tempo o deslocamento mo-
lecular deque ella resulta, faz-se a segumte ex-
peSobre urn plauo ae marmore polido, e previa-
me-ite coberto com uma tenue camada de oleo ou
azeite deixa-se cahir uma bola de marfim, pri-
meiraraente de oma pequena altura, depois de al-
turas successivamente maiores.
Ie cada vez qua se repete a experience, a bola
batendo no marmore, salta quasi a mesma altura
de onde cahio, deixanto, porem, na camada de
ojej uma man:ha ou marca circa ar, tan to maior
cm into maior tiver sido a altura da queda.
l)"ahi se conclue logic .mente que a bola, baton-
do no mirraore. tanto mais se achata, quinto maior
6 o seu em'uale, IstO 6, quanta maur 6 a altura da
uui'da ; e que nao e senao a reaecio, produzida
pelas moleculas co nprimidas, a fore* que a com-
pelle a resaltar
Apili-u-i ticidade dos corpos prcsta-fe a mnumeras apphca-
coes nas artes indnstrias e a muitos eraoregos
uteis nos misteres da vida. Por ccemplo :
Se as rolhas de cortic,a servem para fechar her-
msticamente as garrafjs, nao e senao porque, m-
truJazidis a torca e comprimidas cntre ai paredes
df. cargallo, reagem por forca da acQao molecu
(ar, contra ess paredes, e se oppoem a sahida
do liquido. _
Se as. bolas de borraclia u;as, com que brincam
as criancas, quando jogadas de encontro ao chao
ou a parede. re^altam, nao o fazem senao em vir-
tude da elasti:idade do ar nellas contido. __
Pe feito, es.^as bolas, como ja clissemos, sao fei-
las de borracha, Ocas internamente e cheias de
ar- e quandobatem no chao ou na parede rece-
Lam umi pressao. quo comprime o ar interno,
oorigando-o a diminuir de volunn. As moleculas
do ar, comprimidas, reagem como se fossem uma
juiola, e obrigam a bola a resaltar na direc?ao em
cue tern lugar essa reaccao.
A elasticidade do ar 6 tambem utilisada nos co-
xins ou almo'adas de que se servem alguns via-
j ires co intuito de se sentarem mais a gosto e mol-
lemente.
Taes coxins ou almofadas sao fabneados com
um panuo, que se torna impcrmeavel aos gazes
por m'eio de tun* preparacio fe t. com borraclia,
e sao cheios Je ir ; de sorle que, tornando-se as-
sim mui compressiveis e eiastieos, offerecem urn
assento comraodo e agradavel.
Ainda umi notavel applicacao da elasticidade
apres?ntam as espingardas de or, cujos projeeiis
s5o irnpellid' s pela reaccao das moleculas de ar,
(orternente comprimidas na culatra da arraa.
Em taes armas, as eulatras, que sio sempre de
ago, sao ocas e dispostas de forma a poder ser nel-
las comprimido o ar por meio cle bombas compres-
soras. adrede accommodad i9 a natureza das ar-
mas e nao e senao o ar, assim comprimido, que
rtagiodo, expelle os projeeiis, em virlude de sua
forca expansiva, que nao e senao uma reaccao mo-
lecular.
E' na elasticidade do aco que se funda o empre-
go das raolas dos carros, assim como o seu uso,
como raotores, no3 relogios e pendulas.
Semelhantemente, e por causa de suas respec-
tivas elas'.icidades que a la, as pennas e a crina
sao erapregadas no fabrico dos colchoes, dos tra-
vesseiros e dos assentos dos carros, cadeiras, so-
fas e outros moveis, etc., etc. ,
Finaltnente, e em virtude da respectiva elastici-
dade que a? cordas do piano, da gnitarra, da ra-
beca, do violJo e outros instrumentos, recebem
pelo choqoe ou pelo attrito, um movimento vibra-
torio, que 6 a causa dos sods produzidos pelos
iustfumenlos de cordas.
[Continuar-se-ha).
t?ARTE OFTICIAl.
Gomes de Abrrn e
Governo da provincla.
BXPEDIKNTE DO Dtt 20 D'l MARCO 1874.
/.* ucqao.
-Acto:
0 presidente da provincia resolve que lique
gem effeito a nomeacao feiU por portaria de 21
de Janeiro ultimo, de Eslanislao Gorans da Abreu
e Mello, para servir lnieriiumenle o lugar de
coadiuvante do professor de primeiras lettras do
arsenal de guerra, visto nao ier aceitado dita no-
meacao, e para substitai-lo nesae lugar nomea
limhtm interinamente a Sebasliio Antonio de
Albuquerque Mello.
'Jfflcios '
Ao inspector do arseusd de marinha. De-
ferindo o requerimento de Maria Francisca da
Stlva. some que versa a sua inforraacao de bon-
tem datada, sob n. 847, auloriso V. S. a cced*r
ao filho da suppllcante, Carlos Bandeira de Melio,
avulso da companhia de aprendiies arti :es,
cenca por tres mezes para tratar de
foraldesse estabelecimento. .
Ao capiuo do porto.TransmiUindo a V. i>.
jti.ra aeu conhecimento e direccio, copia da, infor-
inacio com que concordo, do inspector da thesou-
rana de fazenda, respoado ao seu offlcio de 6 do
corrente, sob n. 31, relativamente ao abono da
Rraliacaijio que lne compete pela flscalisacao da
compautiia pernambneana.
Ao director do arsenal de guerra. Trans-
mits a V. S. as inrlusas propostas, que fleam
approvadas, aesitas pelo conselho de compras
desse arsenal em sesssi de 5 do corrente, aftm
de que a vista deltas in&nde larrar os competentes
contracto* e procada de conformidade com o dis-
posto no art. 8z do regulamento n. 5,118 de 19
outubro de 187J.
Ao ra-smo. -Tendo por portaria desta dat\
nomeado a SebaslMo Antonio de Albuquerque
Mello para servir interinamente de coadjuvante
do professor de primeiras lettras desse arsenal,
em snbstiluicao de Estanislao
'flU6
em 21 de j;
meacao ; sssim o commnnico a V. S. em resposta
ao seu olBcio de hoje, sob n. 597.
Ao eommandante do presidio de Fernando
de Noronha.-Exigindo o aviso do ministerio da
iulica de 26 de Janeiro findo, e nio da guerra,
como delara V. S. em seu offlcio de 9 do cor-
rente, informac.088 sobre o tempo desde que so
ach cumprinJo sentenja nesse presidio o reo
Candido Francisco Freire, e tambem sobre seu
comportamento, inrormou V. S. sobre este ultimo
ponto omitlindo aquelle. Recommendo-lhe, pois,
que neste sentido, com a brevidade possivel, com-
plete taes informac5es.
2.* seceao. '
Aclos: ,
0 presidente da piovincu, atiendeaao ao
que requereu o bacharel Joio Saveriano Carneiro
da Cunha, tenentecoronel eommandante do ba-
t.lhao n. 51 da guarda nacional do municipio de
I'ao d'Alho, resolve conceder-lhe seis mezes de
licenca, para tratar do sua saiide, onde Hie ap-
prouffer.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia. Respondendo ao
offlcio de V. S., de 16 do corrente, 9ob n. 385,
t-nho a dizer-lhe que o delcgado do terrao de
Panellas e*ta autorisado a dar as orden3 para
alimenlaQio dos presos pobres, depois que o res-
pective fornecimento for contractado em hasta
public* ou particularmeute, de conformidade com
os arts. 3 e 4- das instruccSes de 13 de setem-
bro ultimo, das quaes Ihe deve V. S. remetter um
exemplar. .
Ao mesrao.Respondendo o offlcio de v. ,
de 14 do corrente, sob n. 376, tenho a dizer-lhe
que, existiodo um desucamento de seis pracas
da guarda nacional no tenno de Panellas, nao po-
dem ser aquartelladas mais seis, como V. S. so-
licita.
Ao eommandante superior de Garannuns.
Fara satiifazer o pedido em sen offlcio de 23 de
novembro proximo findo, e oecesaario qoe V. S.
envie uma relacao dos livros precisos para os
corpos sol o seu commando, como solicita a
Ihesouraria^de faienda. .
Ao iuiz do direito da la vara civel. Para
poder satisfazer ao que solicitou o Dr. procura-
dor fiscal da tbosouraria provincial, em offlcio
de 7 do corrente, recommendo a V. S. quo pro-
videncie no seatiJo de ser-rae fornecida uma
relacao dos iuventarios que correm por cada um
dos cartorios desso juizo, e em jue seja interes-
sada a fazenda provincial pelo sello de heranga
e legado, com declaraejio dos que se acham pa-
rades, e qual a, causa"; dos qae se acham *>
andamento, dos que, tend) sido julgada por sen-
tenca a partilha, nao esteja entretanto junto o
conhecimento de tar sido paga a taxa devida, e
dos em que, havendo sello de usufrusto a arre-
dar, nao tenha sido avaliada a renda do bem para
ser esta cobrada devidamente.
Igual aos iuizes de direito da 2' vara civet,
ao da provedoria e ao de orphaos.
Ao juiz de direito especial do coraraercio
desta capital.-Queira V. S. informar sobre a per-
mutta que pretendeu fazer dos respective^ olU
Cios o capitao Hypolito da Silva e tabelhao Lr-
hesto Machado Freire Pereira da Silva, constante
da peticao inclusa.
3.' seegao.
Offlcios : .,
Ao inspector da thesouraria de fazenda.len-
do nesta data, nos termos da sua informacao de
hontem datada, sjb n. 977, serie F, approvado as
propo3tas aceitas pelo conselho de compras do arse-
nal de guerra, em sessao de 5 io corrente, para o
Cm de serem lavrados os competentes contractos
para o fornecimento de varios artigos ; assim o
communico a V. S., para os fins convenientes.
ao mesmoTendo nesta data, de conformi-
dade com o parecer dessa thesouraria, de 19 do
corrente, sob n. 975, s6rie F, relevado o bacharel
Arminio Coriolan > Tavares do3 Santos, da multa
que lhe foi imposta pelo collector de Cabo, por nio
ter elle no prazo legal dado a matricula a ingenna
Eugenia Maria, filha de sua escrava Camilla ; as-
sim o declare a V. 3. par* seu conhecimento e fins
convenientes.
Ao mesmo.-Para os fins convenientes, par-
ticipo a V. S. que em 7 do corrente assumio o
exercicio do c .rgo de promotor publico da comar-
ca de Garauhuns o bacharel Angelo Jansea de Las
tro e Albuquerque.
Ao mesmo.Para os fins convenientes, parti-
cipo a V. S. que em 3 do corrente assumio as
funccoes do cargo de promotor publico da co-
marca de Palmares o respeqivo adjunto, bacharel
Joaquira Ferreira Chaves Junior.
Ao mesmo.Nao tondo Estanislao Gomes de
Abreu e Mello, aceitado a nomeacao delle feita por
portaria de 21 de Janeiro ultimo, para servir de
coadjuvante do professor de primeiras lettras, do
rsenal de guerra, nomeei nesta data para substio
ui-lo, tambem interinamente, a Sebastiao Antonl-
e Albuquerque Mello. 0 que declaro a V. S.,pa
a os fins convenientes. .
Ao inspector da thesouraria provincial.
Communico a Vmc, para seu conhecimento e de-
vido3 lios, que nos termos do art. 11 do regula:
mento do 1" de abril do anuo passado, declarei
nesta data ao Exm presidente das Alagoas flcar
arbitrada aos empregados do consulado da cidaue
de Penedo. incumbido3 da cobranca do3 direitos
dos generos de3ta provincia, uma gratificacao igual
a porcentagem que elles percebem pela arrecadi-
rao dos direitos pertencenles aquella proviawa.
4.' secjoo.
Actos:
mandante em offlcio de 21 de fevereiro proxi I qaq hontem
mo passado. Iguaes aos Exms. presidentes das^o* niviiow; sejuiDto:
provincias do Rio de Janeiro quinto ao senten-
ciaio de nome Lniz Goncalves de Moura Cyrillo,
e da Parahvba quanjo aos sentenciados de nome
Francisco Moreira dos Santos, e Francisco Alves
Feitosa. ... ...
Ao Exm. presidente da provincia das Alagoas.
- Em solucio as dovidas apresentadas pelo admi-
nistrador do consulado da cidade de Penedo, no
offlcio annexo ao dessa presidency, de 13 de le-
. vereiro ultimo, acerca da flscalisa^So e arrecada-
8 tendo sido nomeado- para esse-tofar -can dos direitos dos generos desta provincia re-
ianoiro ultimo, nio aceilou dita no- metto a V. Exc a cop.a da .nformacao mmi.trada
_'_, ., c-----------... m 2 di, corrente pelo inspector da thesouraria
foram recolbidos a casa de deleaeSo
de
provia dai, a qual acompantia uma nota dos im-
potos a que se rcfere aquelle administrador e
bem assim um exemplar do regnlamenld das
agenciaes. Qanto a liratificaeao qae devem per
caber os empregados do mesmo consulado incum-
bidos da cobranca de taes impo3tos, ttuho resol-
vido que seja igual a porcentagem que auferem
pel 4 arrecadacao dos direitos pertencentes a essa
provincia. ,.
Ao provedor da Santa Casa de Misencordia.
Nesta data submetli a consideracao da assembles
provincial o offlcio de 17 do corrente sob n. 783,
que Vm-.'me dirigio era nomo da junta adminis-
trate dessa Santa Casa, solicitando a decretaijao
de medidas tendentes a sustentar o melhorar as
condic5es actuaes dos estabelecimenlos pios a car-
go cargo da mesma Tanta Casa.
Portaria :
A' Illma. camara municipal do Recite.Respon-
dendo ao offlcio de 18 do corrente, tm que a llim.
camara raunicipil da Recife, no intuito de fazer
um exame minucioso das diffirenys ou alteraioes
que se derem na obra do mercado da frcguezia
de S. Jose, solicita que esse exams seja fflito pelo?
engenheiros chefes das obras pnbheas edasmili-
tares, mediante esclarecimentos prestados pela
mesma Ulna, camara; tenho a dizer qne nesta
data offlcio aos referidos engenheiros no sentido
alludido, devendo correr por conta do cofre mu-
nicipal quaesquer d spezas que sejam aecessanas
para esse trabalho.
5." serrao.
Offlcios : ... K-M.
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.-Tendo a Illma camara muoicipal detta
cidade de proceder a um exame escrupuloso das
differencas ou alteracSes que se deram na obra do
mercado da freguezla de S. Jos6 ; e solicitand) em
offlcio de 18 do corrente que e3se exame seja toito
pelo engenheiro chefe da reparticao das obras pu-
blicas e pelo das obras militares; assim o com
munico a Vmc, para que enu eompanhia desse
engenheiro e mediante os devidos esclarecimtntos
que Ihes prestara a mesma Illma camara, qaeira
fazer esse exame, correndo por conta do cofre mu-
nicipal quaesquer despezas que para esse trabalbo
sejam necessarias. _
rompanhia Parnambncana n-
* ordem dj Dr. delegado di capital, Lniz, es-
ora o de Pelix Pereira de Soaai, a requerimento
ordem do snbdelegado do districto de S.
Jusc Candido d Moura, por disturbios.
o.-Jem do ds Belem, Sophia, escrava de JosS
rros Pimentel, por andar fugila.
du 21 de julho Undo, pelo subdelegado dos
,dos, foi remettido ao respectivo Dr. juiz cri-
o inqueritj policial a que procedeu contra
Japistrano Ventura, por crime de ferimeat-s^-
ns guarde a V. Exc. -Ilim. e Exm. Sr. com-
lalor Henrique Pereira de Luceaa, digao pre-
sident* da proviacia O chefe de policia, Anto-
nio Francisco Correia de Araujo
in
SB
^mmsMMM

(agencia havas-recter.)
O nuvio SOUDOH, proeededte rte
I'l-riinmimtii. enealhou ao entrar
no parto dp l.tverpoil t sentu In-
diMpenHawet alilvia-lo de toilaacar-
a.
2 do mesmo ministerio, commuuicando qae pe- cidadaos qae foram coasiderado? metabros da 1
las 2 1|2 horas da raadrugada, Saa Alteza a Sere- mrma de mesarios pelo presidente da junta e pro-
nissiraa Princeza a Sra. D. Izabel deu a Inz a ter-
foi extrabida morts depois
. li-
saiide
0 presidente da pravincia, em visU da propoz-
a da direct >ria geral da instruccio publioa, de
12 do corrente, n. 94, resolve remover o professor
da villa de Cimbres, Jose Belisario Mnnho Fal
cao, para a cadeira de Santo Amaro de Seri-
Q oTresidente da provincia, attendendo ao que
requereu a professora do povoado de s. Jose de
Ipoiuca, Jesuma Alexandrina deCarvalho Pelrcso,
resolve conceder-lhe dous mezes de licenca, com
ordenado, na forma da lei, para tratar de sua saii-
de, onde Ihe convier.
Offlcios: u
Ao Exm. presidente da provincia do Rio ae Ja-
neiro. -Dignase V. Exc. de expedir suas ordens,
alim de que sejam remettidas a esta presiaencia
as guias dos sentenciados constanles da relacao
inclusa conforne solicita o eommandante do pre-
sidio de Fernando de Noronha em seu offleio de v
do corrente. Iguaes aos Exms. presidentes das
provincias de S. Paulo, Rio Grande do Sul, Ser-
gipe, AlagOas, Parahyba, Maranhao e Minas-Ge-
Ao fiscal da
co de posse do exemplar do relatorlo apresentado
em 11 do corrente a assemblea geral dos acctonls-
tas da companhia Parnambncana, pelo respeclivo
gerente, e remettido pw Vmc. com offlcio de 17.
EXPEOIBNTK DO SBC8BTAHI0
IS seegao.
Ao Exm. brigadeiro eommandante das armas
S Exc o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. Exc, para 03 fins convenientes, que
nesta data foram concedidos ao recruta Bernardo
Jose de Sant'Anna, mais oito dias de prazo para
provar isencao legal,
2.' seceao.
Offlcios : .
Ao juiz de direito mtenno da comarca ae
Palmares.-0 Exm. Sr. president* d> P;ov'nc'a
manda accu3ar o r.cebimento do offlcio de v. s.
de 3 do corrente coramunicando ter assumnto, na
mesma data, as funecSes do cargo do promotor
publico o respectivo adjunto, bachare
Ferreira Chaves Junior.
Ao promotor publico da comarca de uara-
nhus, Angelo Jansen de Castro Albnquerque.-S.
Exc o Sr. presidente da provincia mauda accusar
or cebimento do offlcio de V. S., de 7 do corrente,
em que participa haver assumido nossa data o
exercicio de seu cargo.
3.' seegao.
Offlcio : i o
Ao inspector da thesouraria provincm.&.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda accusar
orecebimento do quadro demonstrate da deli
ciencia das rendas da provincia couforrae fora exi-
gido em 12 do corrente.
4.' seceao.
Offlcios : L11 ...
Ao secretario da assemblea provincial.
H 30 De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, e para ser submettido a consideracao
da assambl6a provincial, remetto a V. S, por copia
o offlcio que ao mesmo Exm. Sr. dirigio o prove-
dor Ba Santa Casa de Misericordia em nome da
respectiva junta administrate, solicitando a adop-
cao de medidas concerneates a sustentacao e rae-
Ihoramento dos diversos ramos de servico a cargo
da mesma Santa Casa.
Ao director geral da instruccSo publica.ue
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
communico a V. S. que por portaria datada de
hontem, foi exonerado o professor latenno da ca-
deira de primeiras lettras da povoacao de Tacaite,
Silvestre Pires de Azevedo ; e devolve, os docu-
meatos queacompaaharara o offlcio de V. a- ae n
do correate, n. 95, segunio solicita no mesmo
offlcio.
DESPACHOS DA PBESIDENCIA, 00 DIA 3 DE ACOSTJ DE
1874.
Autonio Vieent-sdo Nascimento Feitosa.Defe
rido com offlcio desta dan dirigido a thesouraria
de fazenda. .
Anselmo de Jesus Caralho.InformeoSr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Domingos Ferr-ira di Silva. Jaite o suppll-
cante cer.illcado da repartijao das obras publicas.
Francisco Ferreira dos Santos.Informs o Sr.
inspector da instruccio publica.
Francisco ip e da Costa Araujo. Informs o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Gailhermina Francisea de Araujo Lins.-Iale-
ferido.
Brigadeiro Hygino Jose Coelho.-Forneca-se.
0 mesmo.Forneca-se.
Padre Jnveacio Virissimo dos Aojos.Deferilo
com offlcio desta data a thesouraria de fazend,
nos termos do aviso do ministro da guerra, de 20
ae setembro de 1872.
Maria Bernardina da Costa Rabello. Indefe -
rido.
M.irh Fraacisca do3 Santos.Cert in me.
Maria Magdalena da Natividade. -Oeferido, seja
a supplicante reraovida para a cadeira de Doarte
Dias.
Frei Paulino da Soledade. -Jante o supplicante
a sua provisio de coadjuctor para os devidos
Rita Fraacisca dos Anjos Chacon.Deferido, se-
la a supplicante removida para a cadeira de Nos-
sa Seohora da 0" de Maranguape.
Sergio Clementino de Souto Maior e Albuquer-
Sae.Informs o Sr. juiz de direito da comarca do
onito.
(AGESCIA AMERICANA.)
Rio de Janeiro S (re(ardado). -
Por ui>ticias recoMdaa do Ro sran-
de do Mnl, aalie-se qae os aectarlos
dc Maurer, qae haviam rugido, ten-
do sido alcancadoa pela tropa que
oa peracgaia. ffereeeram reslaten-
cla a priaao, moi-rendo alsuiiM no
cuufllcto que ae travon. e entre el-
lea a celenre proplietlsa Jacoblna,
naulner ou amazla do chefe da sel-
,a. XeaSe coaOlcto foi ferido leve-
nii-nic o Br. Dantas.
Rio 3 (retardadol. -\'em entrando
doa portoi do norle o paqnele na-
cional CEiHW
Rio 41 as IO n. e &S m. da manhu.
CtMiata que as eamaras serao pro-
raicndaa ale o Om de setembro vln-
tlDiiro. Aalilo para a Europn, -o
cicala pelos portos do norle. o pa-
qurte francea RIO GRANDE.
Rio i si i ii. e 35 m. da larde.-
Mercado inolleravel. Ainanhal ap-
parecera o prlmelro nnntero do 01.0-
DO, folha dlarla. de grande forma
to, propriedade da Agenda Ameri-
cana Telegraphica.
Para 1 as 1 h. e SS m. da larde. -
Mercado inalteravel. Vem entran-
do o paqucteJiarlonnl PARANA .
navre 3. Venderam-ae too sac
cos com cafe, sendo 00 do Brasll t
o do Rio por e francos, e O de aan-
tos toa. Venderam-se tambem...
1.500 saccas com alprortao i1
mo uma princeza que
da cranootomia.
0 Sr. presidente disse que o senado recebe com
muito pezar a noticia deste roao successo, e diri-
ge ao Todo Poderoso os mais sinceros e ardentes
votos pela coniervajao da saude de Sua Alteza a
Princeza Imperial: assim propunba que, em res-
posU a comraunicacao que acaba de ser lida, o
senado envie uma deputacao a aagasta presenca
de Sua Mageitade o Imperador para exprirair taes
sentiraentos e taes votos.
Nio havendo quern fizesse observacoes, proce-
de-se o sorteio da deputacao.
Foram sorle idos para a dita deputacao os Srs.:
marquez de S. Vicente, FernanJes da Cunha, vis-
conde de Souza Franco, Braga, Silveira da Motta,
Jobim, Paranagua, Cumraglbe, marquez de Sa-
pucahy, Diniz, Figueira de Mello, viscondo de
Abaete, Jaguaribe e barao de Maroim.
0 Sr. presidente disse que ia-se offlciar ao go-
verno, pelo ministerio d > iraperio, aQm de saber-
se o dia, hora e lugar, era dae S. M. o Imperador
digna-se de receber a dita deputacao.
No dia 28 a camara dos depuiados occupou-
se em primeiro lagar com a cootinuaQao da 2' dis-
cussao do art. 2* do projecto que rerorma a ac-
tual lcgislac.ao eleitoral, com as emendas apoiadas.
Orou o Sr. Araujo Lima, fkando a discussio
adiada. .
Em eguida o Sr. 1" secretario, obtendo a pala-
vra pela o-dem, leu os seguintes offlcios que Ihe
foram dirigidos :
o lllra. eExm. Sr.-Cumpre-rae comraumcar a
V Exc. aura de faze lo scientc a camara dos Srs
deputados, qne hoje pelas 2 1/2 hnras da manna
S. A. a Serenissima Princeza Sra. D. Isabel deu a
luz, a termo, uma princeza, qae foi extrahida mor-
ta, depois da craneotomia. n
Deus guarde a V. ExcJaw Alfredo Conea
de Oliceira. .
" Ilim. e Exm. Sr.-Em resposta ao offlcio de
V. Exc, datado de hontem, cabe-rae communicar
a V. Exc. que tin razao do desgosto por que aca-
ba de pas-ar a familta imperial, nao bavera cor-
teio amanha. .,, .
" Deus guarde a V. Exc.-Jodo Alfiedo Correa
de Oltveira. ,. ..__
Apoi esU loitura, os Srs. presidente e Paulino
de Souza pronuueiaram as seguintes palavras .
0 Sr. Presidente : -A camara recebe com mui-
to pezar eHa noticia ; e sabendo, com grande sa-
tisfacao, que ficou salva a preciosa vida de S._A. a
Princeza Imperial, pela qual dirige ao Todo Pode-
roso os mais sinceros c ardentes votos, proponho
que a camara, em resposta a communicacao que
aca ja de ser lida leve, por meio de uma aeputa-
cao.'a augusta presenca de S. M. o Imperador a ex-
.,rs.ao de taes seutimentos e de ties votos. (Mui-
cederam em seguida a nomeacao, por jarto ajt
eleitores, dos membro* da 2" tanna. E porqoa
com semelhante modo de coostituir a junta dea-M
infraccao dos arts. 8 e 9* do decrelo n. 1,811 d#
21 de agosto de 1856, declaro a V. Exc. qo o
mencionado acto mereceu a approvacao do gaver
no imperial. Deus guarde a V. Exc Mio Al-
fredo Correia de Oliteira.
A alfandega reudeu de 1 a 29 de jalao ....
3,915.927*433.
Bis as ooticias commereiaes da ultnaa aatt .
0 mercado de cambio, dep >is de ter expert
mentado nas primeiras boras da praa afcjama
vacillajao, tornou a adjairir o estido de firro*zi
anterior e fechou em posicao favoravel. Efw.-tua-
ram-se transacqoes regulares sobre Londres a 2.)
V d. papel bancario, 25 V,, 25 ''/i* e 26 d. par-
ticular, e p^qneaas sobre a Franca a 370 rea par
franco. .... ,,_
Negociaram se lotes muito insigtMBeaates 4
aos
e decla-
sucenmbiada pooco
os o de ttantos. e a o de Pernam-
Iiik. Cbegou o vapor francea VIL
I.EDBBAHIA :
E4sbaa as R. da tarde.-CUe-
gou o vapor Rraslletro LULLDOR.
pres;ao de taes seatimento3
tos apoiados; muito bem.)
0 Sr. Paulino de Souza (pela ordem) .-Propo-
nho que as palavra3 proferidas pelo Sr. presiden-
desta sessao, como de-
DURLODEPERyiMRUGO
RECIFE, 5 DE AGOSTO DE 1874.
\olii-ia do sul do impcrio.
11 nt ;m chegnu o vapor inglez Cotopixi, tra-
zendo datas : do Rio da Praia 24, do Rio de Ja-
neiro 30 de julho, c da Bahia 2 do corrente.
BIO DA PBATA.
Todo o dia 20 ds jalno foi empregado pelo con-
greso afgentino na discassao do parecer da com-
mis.-io de poderes sobre as eleicoes de Buenos-
Ayres, sendj por lim reconhecidos os deputados
aUinistas. ,
Na tarde de 20 um novo atteutado encheu de
indignacao os liabitantos de Buenos Ayres contra
as autoridades, que tem-se mostrado frouxas na
punigao dos crimes que diariamente envergonham
aquella cidade.
Um grupo de assassinos mascarados penetrou,
as 6 horas da tarde, na casa do cstiraado negocian-
te Anacarsis Lanus, sorprendeu dous criados, quo
conseguio por na impossibiiidade de embargar Ibo
os passos, matou um que quiz resistir e cr.eg m
ate a sala onde se achava Lanus com alguns ami-
gos: alii dijparou alguns tiros sobre um filho do
negociante e sobre este.
Lanus, seus amigos e um crialo avancaram
contra os assassinos, qae fagiram, disparando,
ainda na rua, um tiro que feno mortalmente um
individu > inoffensivo e estranho a luta.
A policia ainda nio lograra descobnr os assas-
sinos, nos quaes algumas folhas viam agentes de
um dos partidos politicos.
De Bnenos-Ayres dizera que se nomeara uma
incumbida de charaar a attencao do
dos assassinatos e
raes
Ao Exm. presidente da provincia do Maranhao.
-Para os fins convenientes, remetto incluso a V. iartiao da noliciu
Ese. o auto de vestoria e identidade rprocedido no Meparwyao at P"""'
sentenciado de justica Manoel Domingos da Costa, 2.' seccao.-Secretamide pejiefa, de Pernambuco,
ffiido na enfermaria do preidio*de Fernando 5 ^_^ de WJ.
de Noronha, conforme particippu o respectivo com-1 N. 991-nim. e Exm. Sr.-Parucipo a v. bac.
commissao
governo para o incremento
actos de violencia na capanha de Bnenos-Ayre.
Aeha-se nesta cidade o celebre Ourelie 1, pre-
tenso rei da Araucania, que fora preso por auto-
jidades argentiaas quaado se dirigia para Pata-
goaes. ...
Entre os iodios das fronleiras mamfestara-se a
epidemia do cholera.
Em Montevideo corna oboalo deense mi-
nisterial. __ .
0 Telegrjpho Maritimo de 23 do corrente pu-
blicou o seguinte telegramma datado de Buenos-
Ayrai
Aqueslaodoassalto a casa de Lanus vai-se
comphcando. Varias pessoas estio incomjnunica-
veis por causa das suspeitas que sjbre ellas pai-
Entre os alsinistas corre o boato de que vai
ser chamado a juizo o jornal La Pampa por ter
attribuido aquelle crime ao partido alsinista.
t A policia emprega a maior actividade.
RIO DE JANEIRO
- No senado, no dia 28 de jalho. foi lido o se-
gaiate projecto: ... .
A assemblea geral legislativa resolve :
Art 1*0 goverao flea autorisado a garautir
os Jans' de 7 0|0 sobre o capital additional de
400000 Ubras esterlinas a companhia da estraaa
deferro do Madeira e Mamore, depois.de empre-
gada na mesma estrada a reserva de 580,000 U
bras, que se acha em deposito.
t Art. 2. Ficam revogadas as disposieoes em
contrario. .... A.
Paco do senado, 28 dejulho de 1874. B. ae
Cotegipe.-Leitao daCunha.-CunhaF,gue'red^'
Ficalobre a mesa para ser submettido ao apre-
ciamento opportunamente. __
Foi approvada em 3- discnsslo, com a ernenda
approvida em 2', e e approvada com ellai e.re-
mettida a commissao de redaeeao a proPiSM "
camara dos deputados, n. 16 do corrente anno
sobre a antiguidade dos opposilores das faculdades
de medicina. ., fl..
Entra em 2.' discassao o projecto de lei Man-
do a forca naval para o anno Boanceiro de l7o a
1876. OraoSr.Wio de Cotegipe. Fica adiada
a discussao pola hora. .
0 Sr presidente U os seguintes offltl* tm
1, de ministerio do imperw. partleipand.) em
resposta ao do senado, n. 25, de julho que em
razao So desgosto por qae acaba de passar afa-
milia imperial, nao havera cortejo araanha.-Plca
o senado inteirido.
te sejam escriptas ua acta
monstracao dos sentimentos da camara, quo acorn
panha a augusta familia irapeml no motivo ae
pezar quo acaba de sobrevir lbe,(rauitos apoiados),
como acompanbuu-a ate hoje na lisongeira espe
ranca de ter o Brasil na successao do throno um
descendente da herdeira presumptiva da coroa
(muitos apolado-), a graciosa princeza, cujas vir-
tudes, realcando o esplendor da dynastia, tern at-
trahido o amor, o re peito e os applausos de todo
o povo brasileiro. (Muitos apoiados; muito bem,
Ambas as propostas sao unanimemente appro-
vadzs.
A deputacao a que se refere a proposU com-
poe se dos Srs. Pereira Franco, Evangel istade
Araujo, Wilkens de Mattos, Borges Monloiro, So-
bral Pinto, Delphino Cintra, Cunha Figueiredo Ju-
nior, Florencio de Abreu, Gusmao Labo, Silva
Maia, Escragnoile Tannay, Joaqnim Pedro, Duque-
E"trada Teixeira, Pinto de Campos, Araujo Goes
Junior, Alves dos Santos, Hollanda Cavalcante,
Menezes Prado, Bahia, Teixeira da Rocha, Carlos
Peixoto, Holeodoro Silva, Souza Leao, Cardoso
Junior.
Por ultimo contioaou I 2' discassao do projec-
to de lei do orcamento, na parte relativa a des-
peza do mini3tcrio do imperio.
Oraram os Srs. Campos de Medeiros, e Silveira
Martins. A discussao ficou adiada pela hora.
Foram apresentadas as seguiutes emendas :
" Offereco como emenda ao orcamenio do ira-
perio, para ser collocado onde convier, o projecto
n. 41 deste anno.-Salathiel.
" Eleve-se ao dobro a verba n. 3d a favor da
Imperial Academia do Medicina.-LzCarloi.-
Paula Fonceca.-Balbtno da Cunha.=Dioqo Vas-
concttlos.^Pinkeiro Guimaraes.
Sobre o estado de S. A. a Sra. princeza im-
perial, lemos noJJomal do Commercto :
Conhecendo o justo interesse que desperta o
estado de S. A. Imperial a Sra D. Isabel, publica-
mos as seguin.es informacoes que nos foram aa-
das pelos dignos assistenles da augusta princeza :
A princeza imperial a Sra. D. Isabel, coaser-
vou-se calma e tranqoilla durante todo o dia, ten
do por vezes conciliado sorano reparalor ; ate es-
te momento (10 horas da noite) felizmente nenhura
accidenle puerperal tern amcaqado a pessoa
t flPBOCiaraill-?B ioics muii'J ....-
soberanat a 9*3i0, 9*350 e 9*380 a dinbeiro.
a Pouco se tea em apolices geraes de 6 /. I
precos da 1.02 o No mercado de accoes apenas eoastou a ven-
da de um pequeno lole das do banco do Braal a
237*000 a dinheiro.
t As vendas do cafe, foram regulares; noatcm
v.nderam se 13,600 saccos.
a Para cootumo venderam-se pc^ataa* parn-
das de assucar.
a Nio se effectuoa fretamento algota.
MINAS OKRAES
O Dtario de .Minus, folha que se publica em
Ouro Preto, refere, em data de 24 de jalho :
t No termo de Alfeaas, em um lugar proximo
da freguezia do Carmo da E-tcaramuca, teve lagar
um deploravel aeoatecimenlo.
Em om dos ullimos dias do raez de maw d^
corrente anao foi barbaramente assassinado corn
um tiro, por seu vizioho Maximiano Thome da
Silva, o estimaval faxeadeiro e pai de famila La
Jose do Prado. Chegaado esse facto aocoabaei-
raento do respectivo delegado Man-wl do >aei-
raento Hollaada, dirigio se o mesmo taceabMawa
fazeada do offeadido, aeompaabado do tabeilia j ao
termo, um ofliciai de jostita e pracas da guaroa
municipal, onde chegon alU noite.
Jahaviao respeeUvo sablelegado fe.to auto
de corpo de delicto na victim*, que, ainda estana*
c^m vida, foi interrogada pelo delagado^
roa quem foi seu aggressor,
Tll'aveado sido ioqairidas em seguida testeian
uaas, qre compleUram a prova d crime, to c
iaauerito remettido ao sabslitulo do juii mao*ci
nal do termo era exercicio, qae, farendo expedir
maodado de prisao contra o crimmoso, reqoialou
forca do delegado para, realisar a captora d..
me^nio, que impavidiraeote zombava ttHg da
justica, em sua fazenda, onde se achava forUficad..
e premuoido de meios de resisteacia Sndo po*-
las a disposicau do juiz municipal 20 pra;As ar-
madas, acorapanhadas de um official de justtca.
no dia 6 do corrente dirigio se essa forca a Iazn
da do Rio, onde, dando busca, o encolraram M
ouiatal da mesma, inlrincheirado em nma toucei-
ra de bananeiras, e sendo Ibe dadj t >z de pnsao,
comecoa a disparar tiros contra a rscolta.
Nao sendo possivel cnnsegnir qne o crmi,
noso se eatregasse a prisio, e ja se asMa lend
o guarda Jose Antonio Nogueira, o coromaadant
da forca, depois de o intiraar pela resisteacia, p
fazer lavrar o competoute aut\ mandoui fazer-ihe
fogo, sendo o mesmo mortalmente ferido por u.n
dos tiros, de que succumbio pouco depois, quan
do era condutido em uma ride para a fregueza
do Carmo, que 0* a pouca distaocia, lj_jlwjl
encontradono lugar da resisteacia a.nla uma
ga-ru^ha, uma espingardi, I ami foice oerfeiU-
raente amolada.
BAHIA
0 brigue escuna Toneleio, scgaira para os
Abrollios. .
No dia 3 do corrente, devia comecar o cpa-
enrso para provim^nto da cadeira de pathol gia
externa da faculdade de medicina.
0 vapor S. Salvador, da companhia Bahiana.
tendo sahido no dia 31 dejulho para Pernambu.-o
pelas escalas, arribou ao porto de sua sahida em
consequencia do mao tempo.
No mez de julho arrecadaram :
Alfandega 688 ^36*332
Mesa de rendas 1*0
Correio 6:3o6*/o
?
EBMMBUGO.
da
onnceza.
a 0 estado moral de Sua Alteza e
muito satis-
Palacio Isabel, 28 de julho de 1874. Barao
de Santa Isabel -Dr. Francisco Ferreira de Abreu*
a Sobre o estado de S. A. Imperial a Sra. u.
Isabel, recebemos hontem as seguintes mforma-
C Vs. A. Imperial a Sra. D. Isabel, depois de ha-
ver passado tranquillaraenle a* noite conciliando
somuo reparador por algumas horas, continuou
era estado igualmeute satisfactono durante o aia.
vt Os pheoomenos physiologicos consecutivos ao
parto progridem com regulandade.
. 0 estado geral de Sua Alteza e ate este mo-
mento (10 horas da noite) bastante lisongeiro, ten
do apresentado apenas nas ultimas quatro boras
ligeira ou moderada reaccao febril, qae altnbai-
tnos ao traumatismo dos orgaos.
t 0 estado moral e excellente ; Sua Alteza
apresenta uma resignacao admiravel.
a Nenhum caidado serio iospira, pois, ate esia
hora o estado da Prinsexa ; nio podeuios todavia
estar inteiramente tranquillos antes da evolucio
do quarto oa quinto dia. Ds.
Palacio Isabel, 29 de julho de 1874. Barao
de Santa Isabel -Dr. Francisco Ferreira to Abreu*
0 cadaver da filha de S. A. I. a Sra. D. Isabel,
tendo sido collocado em am caixao de xtneo, for-
rado de cedro e coberto de velludo earmizim, com
galao de ouro, foi couduzido no dia 28, as 5 ho-
ras da tarde, em um coche da casa imperial, ao
convento da Ajuda, e alii deposilado no monamen-
to em que repousara os restos raortaes de S. M.
a Impsratriz Maria Leopoldina.
Acompanharam, era carros d>s palacios deS.
Cbristoyio e Isabel, os Srs. bario de Cotegipe,
barJo de Nogaeira da Gama, visconde de Lages e
Dr. Antonio Martins Pinheiro.
0 ministtrio do imperio, dirigio em 7 de ju-
lho, o segumte aviso a presidencia de S. Pedro do
Rio Grande do Sul: .
a Ilim. e Exm. Sr. Com offlcio-de 3 de janho
ultimo, sob n. 96, transmittio-me V. Exc. copia do
acto da mesma data annullando os trabalhos da
junta de qualificacao da parochia de Santa Vic
toria do Palmar, visto qae, tendo apenis compa
recido um supplente ae eleitor, este elegeu doas
REVISTA DIARIA.
Agente arreeadador.Por portaria da
presidencia da provincia, de 3 do corrente, foi no-
meado Jose Torres Camp s de Medeiros, agente
arreeadador do imposto de consumo sobre vina-
gre, liquidos fermentados, como sejam ceryeja e
outros de igaal natureaa, e madeira estrangeira.
Promotorea pablleoa.-Por portaria da
presidencia da provincia, de 3 do correct* foram
reroovidos : o promotor da comarca de \ilia beiia.
bacharel Jose de Barros Franco para a de Flare* .
e o desta, bacharel Graciliano Augusto Cesar ao
derley, para aqttella.
Novas poalea.-So tendo apparecido am
proposta para a construcc*o de daas ponte*. umi
que ligue o bairro de Sao Jose ao da Boa-Jt isia, e
outra o povoado do Honteiro ao do Barbalhn .
poreditalda secreUria da p-esidencia da prTIJ
cia, 6 chamado a alii c >mparecer ao meio aia ae
8 do corrente, o sea antor, afim de asswur a after
tura da mesma proposta.
inqneriio policial. Pela subdelegacia
de Afogados foi remettido ao respectivo |uiz d>
direito crimiaal, o que se realisoo contra Jo*o Ca-
pistraao Veotura, por crime de ferimeatos.
Propagadora da laatmceaa Pa
bllca. Reunir-se-ha cf coaselbosuperior ama-
nh. as 5 horas da tarde, no lugar do costume.
Propagadara da ta-ae^aa 'm-
blica. Producto dos bilhetes passados para o
concerto de 4 de julho, a beneficio do coaseRo
director dessa associacao, na parochia do Poco aa
Panella :
Transporte
Barao de Campo Alegre
Commendador Lniz Goncalves da Silva
Commendador Jose da Silva Lojo
Jose da Silva Loyo Filho
Joaqoim Lopes Machado
Antonio Rodrigues de Souza
Manoel Goncalves Agra
Jose Joaqnim Alves .
Commendador Emilio Xavier Sobreira
de Mello
Goronel Domingos Affonso Nery ter-
890.001^
20,00*
20,000
20.000
IO,00
10,000
10,000
lO.orn
lo.ooo
io,oa
reira __
Manoel Jose da Silva Guimaraes
Baroneza de Beberibe
Dr Pedro de Athayde Lobo Mcacoso
Tborae Joaqnim do Rego Barros
Francisco de Pinho Barges
Profeisor Antonio Ruflno de Andradc
Luna
Dr. Inno:encio Serifico de Assis Gar-
valho
Francisco Ribeiro Pinto Guimaraes
Miguel Raggio \ Carneiro
Francisco dos Santos Ner
lo.ooo
K5
^.0i>o
5,0^
5,000
'>;
m
5.008
5,W
5009

.


\D
Ks>
L
H,
r\
tD


*.-
^^^^^^^
(






-

~~M li\ ulrhj/ i<] ;: tun4
io de
Or. Augustaft&de Itallmda Ctaf-* J*IVW WtrWs**!*!^^^ Ita Ataiai,. -Arv^taHta A.,UKy> i- tM.
' i5s* ^ ?*!*? ^"^w^^'^f',u,!"wlh" ****
Teph
Tires
con
JjIo Pereira
Joiio Moreir;
Dr. FelicianoTVPTralual
Manoel llibeiro de Carvalho
Dr. Gerv&sio Rodrigu
Dr. Jos6 J. Pessoa di
Henrique Hurle
Major Jose Joaqui
Te-'ientc-coron I Tl
Gusmao
O innienJador Manoel ('.mi io
Falcao ^^
Professor Felix V;.tefa C^rrttt
I).-. Fabio Aleaaodriao dos Reis
Sllva ^L/
Gervasio Pirei Ferreira
Satyro Seraflm da Siiva
Urbano Maraede de Almeida
CecHiano liodrigaes dos Passos
Deirretrio Bastos
flerlnino Domingos Ferreira das Neves Guima-
rles
Adrirmo Fratcisco Ferreira das Neves
Ago?tinho Aegusto Bezerra Cavalcante
Augasto Af i-iinho Bezerra CavakaoLa
los* Poppe da Silra Lopes
Andre Cig-rra
Frederico Augusta Borges
SaaaBJBtAinaniQ de AID a ::aer,]ue Mn-
Manoel Antonio da Forjceca Costa
Jos* f1sl;ie dos Salrtds
Aff"0<> do Rego BUrros
Joao Carlos Bastos de Oliveira
Pedro Viar.'ru
Ibnrique Jurdim
Joe Antonio de Aranjo
Alberta Vat de Carvnliio
Emilia Soares
Jjao Antonio de Mell >
Jiaquim Ignacio Pesfoade Siqucira
lleleodoro de Aquino Fonccca
Or. Estevao Cavalcaote de Albuquer-
que
Luiz Jos6 da Costa e Silva
Francisco Conceives Netto
Alfredo Garcia
P. Bolley
S. Wilier
Joaquim Francisco Pereira de Belle
Joaquim Oliiito dastos
Dr. Jose-Roberto de Moraes e Silva
Aatonio Jose Dantas, '! cadeiriis
S* Lui- '***".*. H-tel JJiea, PUdateolo^jfa-^,,,^;
**" ?f **n"|amos r*sultados, coihidos com,*
'P .*gv d.se apparemo, quer em amputates e
rolpidos cogjaf
i amputates e
^Mcc^es qner na ox'raccao de lumores mail's-
"** ^rftiniiiMpviaiMMtar qu
?* ^Vm*o ios -asae felir-s
:i,ooii
%
s.oeo
5.000
5,000
5,000
' 5,000
eppart|p toniam s9 faeefc as
ra^fc* It-m >rO&^ ) perque njo se da o
co ae perd,94e sanne, mas lambern ;>rq
Je operar^om a n^gu,a reqaorida ewi 9ita'e-
^uer aeius-aroryicos.
" Peo^ *> qalqer do* arltei
ttlirfcjo; e^onfio eai<;ixs w egi
_ Pjs e-siustrados collegas tratarao quaoto antes
ac intredtni-los nas. vu{a^ f.izein j e n;la f,.i ootra a ra/4o rtfineAtra a
Ih-s dar esta noticia, ainda quMfcAIHkhavffL I
-'nin pi-ci{t American*. Km unm des-
o.UJO las ultima-, noites, alguem pieteodeii arrancar
lettras do retabulo indicativo desse eslabelocimen-
to Uxias. Se o*o (oi proposite ea e^trag>r o reta-J
bnlo, ma< 6 de aproprlarem-se de algumas lellras,
aopjioaOo-a^- U) ouro, perderanj o teii^pe, porquj
aquiJ.j e apenas duurado : quenecessitado uu qne
malfazejo se lerabrar a de tat.5
I'ara n bistorla. -O Correio da Bahia pu-
blicoa o-#uinU telagramma, laXeriado nm facto
que uap e euire uos coahecido :
Recife, II de julho, a*, if i^oras e 43 minntos
da manhj. Resolveu-.-e convocar os agricultures
para reclamareni contra a ineffj;acia das medidas
pr>>postas pelo governo, com relagao a lavoura.
Uepbls(oplieli.-Acabain de cheaar do
R:o de Janeiro os ns. 3 e 4 dojyrnal illustrado que
assim se denomina. Recommendim seesdous ntt-
mero3 nao so pelo gosto e ehi?ie das caiicaturas,
corno pelos. iatewssaotes artigos que trazem.
Lcilno. Hoje, 5, i? JO eroeia horas, deve
pariir da estajao do arco de SantO Antonio, o trtm
aue scrviri de conduccao gratis aos concurr utes
) leilao quedeve ter lagar na casa da entrada
Agosto
d
i-O
I
fw8-i*WI ICApprllaf.e France, .\QI-b6
.iw l-errtra faMrt.1 '.'iiS
erreira faMtut Cjl
^iOrtWMto ojrrfnt'arg.w.
Do ReciTe. Appellante a ifaenda prorincia1..
appellada ti visconid da Snassaa. CoofirmaJa
Senl|pK. jMBga ^~*(^K- '
DoC*,,. -Aw|lante ato Jfe W*m
ee+f*dos tjerdeiros de Jpuel J|jeada
ii'.saram oa tatbanfflij
a (JiuJa. -\('i'e
Mi
f A m CrS
it.-A
-Uado itid
da a enleofa.
"AftpQ4fidaMmaiflM|a8.
Uo Recife.Anpeflante Francisco Uodrigces dos
.Gongalves da Grut-Cun-
alii
' fCafvalhi
te. Hefor
an m'MU wj
ns ^Miih qie nio p $ai da casa em fric>i.
visto dever em fa eTta[Ej.v,ceUer a
cuva a veriniv*' W*Ai l mmt
o Iho i.a, i .i mlii.MWNffSft-j te (M
hatiafaca-se. ctCf
^^^^^^^ tte||L|gB| # ^^^^ fc Mmi_
-Nta-taneo i It
rinacao di mesno, acerja 1 ertra peti-
nio Fercfira Ramos, ua qua! du qae a
depcuda |a ?enlea/-! >
arormaliUi.-Soliciv
,,ni JV*J* jwJw'ca
f X lli-
a Maria 4a
Ibu.a dalS-
Ffancjisca ^
que Gavato*
.5,000
/5.000
5,030
s,oeo
5,00"
5,000
3.000
Mao
o*)00
5,000
5,000
-5,(W0
5,000
5,000
primeira pane, e reform
ma-
%f^3fe^a4i?s3^i KM,^ joisaui
ao'Sr.
5,000
5,000
5000
5,000
5,000
5,000
10.001)
10,000
4,000
15,000
Ids
) hecire.Anp
bu |ueri(tw Mcllo,
lielurma
aceao proposta
Do Sr. fcsemlia'gador Silva Guimaraea
iippellacao civei.
De .'Giinda>-i4ueiJ* to fcait Franeis^ Joii sV -"T ^ "?'. "U'"IU8* "a Aimeiaa, mem
Do Sr. jlrtllljillliliiWBW Santiagrrao Sr. i iSL^Z! si fe-5.?^.:R?^?J *
desetooargador Reis e. Silvan
AppellagSo De Maceio.-A?pel!ajite o jorao, appellado JpJo
adol^lfc-ajor j,, ceiaitene pnb
B 1'iV irmandades de S G j
'.mi c si fl|tidade, nio tern call
\\xti Pnocasa de er aberta, vi corndo o praftj 4. reg*laiie*to.-Aofl
Do raesitwfcj-emeJteudi relacio doieadav
deposiiadoatA capella de cemilerV e
barandoea ft^elas arreclflha
- Ao procurador.
Do coatadflt_ ifbr^a^ a paiic^ de jmmo
fez cond^rS V?5' declaro 'ue arremat.eto^
amnas para o mercado,
ns b*3
a maa.cipal do Reeif--, it de
nl! i-.i
Ifttiaral..
-B" 1'e .s/.la^JMM^ a qftetn l, r,:oa o
fr.<-.Kya.).
fez condazir as
da via nae
parecer su
Pa?o da,
julho de 4
Jose A
datad) de
iencias n
_>., o que
apreeetsiadaa n,
de Arauj), oro
m*jo,. auliciu
nunier
duraut'j a seiaana.
nod |a fHa.-lMerio.ie a pelicip.
aySSS?^ K A^ d?' P^rftSrTo^e^lano d?CeK -f
& C-Refurmad^.^lab!J^eM^ f0^ 1 ^"cios judlTiaes
i-tteudtir-i
tornoi de
1:265,000
Somma
(Conlinda.)
Pa:lrin de fitxendln. Nesta estajao
paganize hoje as segaiutes loilias :-Culio publi-
cs, eraireg~a*>s da visit, de saii le e instimto vac-
einieo, uflhiaej refirmados e alfandega.
Miiitremia Tribunal rte Ju-u-a. -\;l
scmij de Hi de julho foi julgaca a
Revisu cfvel n. 8,527 (Id accordaos da relicao
de Ptruambuco) Rocorreirtes, Jose Pereira Fil-
cueiras esua mulher ; reco.ridos, Bernardo Gomes
de Jg >ura Gmlinbo e ma m Iher. Juiies. relatc.r
(j Sr. conselheiro Sumies da Siva, e revisore* os
Sre.eiaselheiro Messiis de LeAo e G'.rqueira. Re-
IrtaJo o fito com loJa a darem, e debatida enlre
o Srs. Oi.- (Uiir.i e Lea i. foi unanimemenfe oega-
*?-/'? U> por na' ild'"ir injtt'lifa notiria, nem
Diiliidade manlfesta nos tvnnos di lei. Mindar.un
r*gnssar os autos no juiz., doc-le vieram
as costas pelos recorrei.tes.
Aaciiria llnvns Bn(r. Por e a;ena taram commanicad-.s a<) Jornal it Com*
fiticio, do Rio de Janeiro, os seituiotes le^gram-
ma-, mais explicalivos doe que os rccebidos nor
vM : v
dos Afllictos.
Oullro.Hoje, na Feira Economies, ruaEs-
trita do Rosario n. 43, pelo agente Martins.
Ouro.-Amanha, tJTeetiia o rnesini) agente
Pinto, o leilao de fazenoas, miudezas e calc/ados,
confoime e.-ta annunaiado para o armazem da rua
do Bom Jesus n 63.
Loccria- A qnese a.rha a venda e a 111,"
a beneficio do hospital do Carmo do Recife, a qual
corre no dia 7.
Casade detv-n^ao.Moviroento da cas-
de deteocao do dia 3 de agosto de 1874.
Existiaro presos 347, entraram 3. sahiram 2,
existem 348.
A saber :
Nacionaes 271, molheres 7, osirapgeiro* 21
escravos 4", esoravas 4 Toial 318.
Ali.nenlados a casta dts eofres publicos 205
Moviraeuto da enfermaria u dia 3,de agosto de
1874.
pag.is
das
de
Nnva-York, 28dojolbo, a tsrJe. Ac.iha de
reeeberse a nolicia do que houve na I'ensvlvania
grandes mun lavoes Os poraicni>rea lelegrapliieoa
conheci los em Nova York, poslo .|uo aioda sejani
ncomplttos, mo-tram que os effeitos da enchente
.iram verdadi-iramente desa irosos. Mais de 200
pessoas pfreeeram p.r na i poderem fngir comra-
pidez, pelo nunos igual a que traaum as agua.
Os prej-uizos materiaes nio puiern ainda ser ava-
liadjs nen sepier aproxiund reeol->, mas devem
er mu coisul*raveis, vista q-le esta dobaixo d'a-
gua grande exlensao de territario. Muitog estabe-
tii-irnentas agricjlas e reside: cias pirliealares fo-
ram aban.lonado^ ?elos re-pect.vos habitantes, que
n precipitacao da fupa vir,.m-e sem duvida obri-
gdos a abandonar ludo quanto possuiam.
Brnxellas, 18 de julho, a larde. Apezar das
hesitates do governo inglez em toinar parte nas
conferencias do congresso aherto em nossa cidade
p:.ra lixar regras internal.i;nas s.,bro o tratamen-
? \T?r A'l* Pr,-1"nt''r"S lie guerra e aos feridos,
urn fleiegado iniHtaf f.l manlalo peli Inglaterra e
ja Immu imrte nas didiberacoes. .
Bnnro Commertinl do. Peinnmbu-
mmtm dia 20 do correnie h
se.-sao da aeseublea geral
baiic,", aiim de proceder-se
annuo.
deve realisar-se a
dos accionistas deste
a leitura do relatorio
Teve alia :
Ma-uel Jose Barbosa.
Hospital vurttfziicr..- Movim nto
enfermarias na semana de 26 de julho a I1
agosto de 1874.
Exisiiam em tratament.. 27, entraram 6, sahiram
curados 0, fieam em iraiiin-nto 27.
Enira de sernana o Sr. niordoino Vanoel de
Ollveira Junior.
i*aw;iB<-iroM.- Saindos para os" portos da
Europa pu vapor ingjez Cntopnxi ;
Mr. William Holier, Barruco Noqalo, E. Flnza
de Oliveira, Bandieri C. I ietri, Thomas Metche.I
Oioper, E. B.rros de Maitos. Jaob Knztllan
Joao.da Silva e S..uza, Amelia da Silva e Anloaio
P. de Azevedo.
teiniierio p!iilic4*. Obituario do dia 2
de agpsta de IS7I :
Francisco Afsia Campos Cosdem, branco, Per-
nam' uco, 38 annOs, casade, San o Antonio : tu-
berculos pjlinoaare-.
Josepha, prda, 2 annos, Boa-Vista ; dyarrhei
Libana Mini da Coneeicio, preta, Africa, 83
anLOs, viava, Boa-Visia, hospital Pedro II : amol-
lecimentu cerebral.
Joio, branco, Pernambuco, 8 dias. S Jose :
gangrena umbilical.
3
Augusta Mariius Moreira, bram'o, Pernambuco
19 ann.s,solteiro, Boa-Vista; variolas.
Ignacio de Loyola Azelo, pardo, 33 anots, sol-
teiro. Boa-Vista ; gastrite aguda.
Raquel, 8 dias, Santo Ani.mio; tetano.
Anna Maria da Silva, parla, Pernaiulmco, 20
auuo<, solteira, BoaVMa; pblysica pulmonar.
Jose, bianco, Pemambuco. 7 dias, Boa-Vista ; te
tano. '
Gatharira Maria da Conceir.v, preta, Africa, 80
an aos, solteira, Ilia- Vista; bren^ho-pulraonete.
Joaquim, 13 dias, Santa Antonio; e pasmo.
Appellacio civei:
Da Recife.-Appeilanle Antauio Henrique Ro-
drigaes, appellado Luiz da Sijva Ferreira.
Do Sr. aesembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embarg:rdor Almeida Albuquerque :
Appellac3e.s crimes.
De Floret.-Apjjellauteo jo,iz.o, appelladoalanocl
Vicente de Lima.
De Atalaia. -Appellante a justica, appellado Pe-
dro Correa Canjarataba.
DoCibp.-Appelhnfe a insti.a, apptllada Loiza
Mana do Espirito-Ssato.
Appellante a justica. appollado Vicente Ferreira
d Oliveira.
DttSrv deMHibar^ador. Aliueula Albuquerque^ai)
Sr. deseiabargador. M tla :
Appefla.-io eommeraial.
Do Recife. Appellauie VTcenle Alves Machado
appellado Juse Maria Sudce da Hutu.
Ao Sr. dasewba n. n-i AppeHacw.criioe.
De tUbrobo. -AppeiUuta Francisco .Barbqsa da
iia, appeilada a jUf&ca.
De Floresta.Appe laote Gvpriano Francisco do
Nascimemo, appellado Aiexaudre Pereira de Kar-
ros.
DoRtjcjfe.-Appeflarae Antanio Maria Carueiro
Leio, appcUadi<> Jose Itadrigues CampeJlo e oa-
tros.
De PefraAiJIa.-ApnelLiple ajuiiiga, appejlado
Eiifenio Rod/igiies da Silva
Do Sr. (Ujseiubirgador Accioli ao Sr. desempar
gador L)omii>gues Silva :
Appellate civej.
Oa 1-^epJa.^Appellanta. a jusu'ea, appellado
Joy: Uodrigues ^me.
ApDullacoes. crinies.
Appellante a justica do flrejo da Madre de DiU?/|
appellado Manoel da. Silva Cavaicapte. *
De Assemblea.-Appe.'Unta a justica, appetlajjo
Marcelino Jose Viera.
Ao Sr. desembacgador Loprcnjo Santiago :
Appellacao civei.
Do Recife,- Appelkule Domingos Jos6 Marques,
ttendo a rda^Jo das multas impostas por
h,cahsac#o, do dia 13 a J2 do oorreote:
iTi* X ,\ cjmo ,n'ractores do art. If8, em..
!r/'.!n4'0el*;uon!ve8 Mendes- oora< infra^ur do
art uo, em !fjl; Domingo* de Almeida, idem, em
Si?g *5 Autoota Ho'rei'i a Pmte^ m&
em oi, Fr^cisco Domingos de.Carvalho, idem,
r if I nFranc,SC0 Xsftrier Pereira, i lein, em Hi;
Do fiscal da fraguezia da Bca Vista, parliciaau-
?.^V!.|,5?pr,,!,vi08 d0 siIi0 n- 8i da r"a do
Ifconde de Gnvsvina nn*xa.. .. ., ^ "
a paga-
quanto o ci-
prevenir uma
guas es-
---------.,,, offl-
oe-*e a s. Em. 0 Sr. presideute da provim;ia, pe-
dindo providtncias.
. Do. fiscal da freguezia do Poqo da Panella, par-
"cipando..qne a lravessa.de Santa Anna, na poote
do UcluJa, acha se era estado quasi iutransiuve),
impedmdo a passagem dos carros a carrocas
Peca-se providencias ao Exid. presidenie da pro-
vtneia. r
Reqaerimenta de Thomaz de Aquino Rocha, Fran
Cisco de Oliveira e Joao dos Sauios Oliveira, pro-
pondo se traUr- com asseio das Ktrinas pualuas
mediaqte a paga de 20$ mensaes.A' commissao
de pidicia.
Dita de.LourcnfO Alves de Souza, arreraitaute
do impofto de 60 reis sobro coqueiros ddianta o
anno do 1874 a 1875, propundo-se Hear corn o do
annpde 1873 a 1874, pela mesma (juantia de ...
dOSf.- Tiifurme. o coatador.
Pela c rnmissao de negocios judiciaes foram
apresentados ; s seguintes pareceres:
0 supplicanta Fausnuj Jo.-e da FoDceea.Junte
por cu|'ia, a sentenga de qae faz meo-;4o na certi
dan aunexa a presente ptticao.
Pago da camara, em se'ssao dt 23 de julho de
I874.-Cunha Guimaries.
Nao prucede a prelenpao do bacharel Francisco
Leonardo de Almeida, por ser deseonhecido e nao
ye-lvr uabihtado regularmente na couformidade da
lei.
sou M^uerimeoto
- di camgra.previ
do duserem ejpedidu as ordein
ecessar.aawbanoo fc Bratil para a remessa de
'ados, vista ler de pedir brevemeoL
entj da qiurta pesta;ao. Com
do re.j!ierimoio tenha por lim
ancia, qae presentementa sera facil
MnMpMta com os melos que
^%1ST2^SZ Zgg
Dro aa cumraidsaxilo mercado, maoita*ur muilia
ooiinao a respeito do recebimento da .marta ores-
ta?ao, que o arremataote pretende exigir. Diz a
quana condicio do conlrato : A quarta presU-
ao lunad estiverem execntadas as dnas tercas
S"tda,,*a" Em faC9 C*oj nao adquino ainda o eonlratanu direito a
balho, do menstfiVcaniprialQ aquella jcondicao.
^solT^iiavrtarrtreqaa^i todo o mitsrialda
?,i1W "" Ugaf dii S***^ 'lie o arrema-
uute tarn e.ooregado mwr lomma de capital do
que tamxectbido* que as obras se ii-j eiTectuan-
do com tada. a pecfeiuta, mas tudo i,t* aa> lusti
para que a camara;deierm;ne o pagamento irame-
dato da quarts p estaeao. a mea ver serve de ba-
se para alguraa roncessio a que jolgo com direita u
arrouiatante, E' o que peqso.
inlho5d.d.??'nafa raun,c'Paldo Recife, 22 do
juuio de 1874.L-.vo Junior.
Approvados os Uous pareceres supra, a camara
iT ,a !?d91fani'.a W8* *> arrematante Jose
Augusta de Araujo.
Foraui nomeadas aa coaamissdes seguintes :
Policia.TTlModoro Silva e Gunha GuT.narii.*.
Eiilicaeoes-RsgDBarro, e Cuelia Guimarac
tetiyoes.Gameiro e Gesario ie Mollo.
Saude.Dr. Moseoso e Gaiaeiro
Cemileno da ciJaJe.-Reg.> Burros e TbeoJoro
bum. laateubjl k iniM-M
r, de-iroei.-
aniquilam se, mas nao recuan nnnca doterre-
oo em que uma vex tomarain po-
mas nas pugnaT^ue
ainda venl i-sa dsrr t.
a sua perda, nio eapaulaa, n
In
Mu as ar-
travani. mas,
io prt'Xiraa
ren iern
Uimnha le-
[sifrxii-ara pajanja, ftrr;a,
naeidada ? Ni%
T*l e o i'sp,'ciacul> quen s eslao dindo pro-
rtHciarvs. llntidon, derratad >s, veacidos e pre.res
a se Terero aniquilad is; a*o te eftegam a razao,
nao eutregam asawmas, naa dio ainla lovestidss
em que, uiau fradu seo, boa te deseuba a sua
fraqueza.
Pobres procincianot I
Qua o p\>vo se compadeca de sua pr.caria I laa-
cao e quanto podem delle, que e gaoeros. e mag-
nannno, esperar ns procincianot^ oue os sua
nnnca. Serii o p,vo dar f;rc.i ao brae .: -
nuado qne ihe qner ainda cravar o poulul enve-
nenado Je infelicidades.
Tal e a bogua^ern desu rvUmna e l.l cdsiiwa-
ra a ser; porque tal e a lingoagein verd;..1e
Os proDtnciunot qne owopmbau.n corn or va
so podem ; que nos .-..ntestem com procedem:a. se
sao capazes.
Nto d.-ixem o que e serio e Ihe deve nv r> -er
aueii-;w, par* y se occupaiou du frandulx.eas o
Qiiinitriss.
E depots nil se virtrnera em dlzer e rrilar .-uc
esta coLuu* 6 iaiotiga Jo povo, do qoem .'.-.a
tai, nao e, nem o sera
Nio recorrarn a aleives para retirar n r0
le e a coolianra qne elta jadtRpensa a e>ta o turn.
na, a qual, ipiando nenhum outro roerito t.-cha
lein um que por si vale de muit.., 1(ua! o de aaa
ser lingfia e nao fazer jogo com o >anto n xe da
liberdade para tins sinistros e de todo o poota ic-
uobeis e reprovados.
E-taro//ina uunca se inculcou araiga do povo
ataos inaiores .-acrillci-s, acousellunJ. Il.e a dts-
ordem e a anarchia, pregand*-lh- 4 sobeJ'-ucia
as autond.des e ensincaBdo-Ibe o
iSoassinata ;
!>itadosarrebalJes.-C,!Jario da
Leao.
Mello e Soaza
ppellada Cecilia, por seu curador.
. >4 Sr. desem'bargador Mutta ao Sr. desembar-
gador Accioli :
e ApptlJa{5os civeis.
D Recife.-Appellante 1} Anuunciada Camilla
Alves da Sdva, appeu>4os Azevedo Irmaos & H
Ua I'^xenda-AppelUme a justica, appellado o
Visconde ile Valmouu
Do Sr. desembargador DomiOfiues Silva ao Sr,
desembar gador. Souza Lelo :
n n ., Appelti;ia. qLveis.
uj ici-ue..-Appeilanle o pardo Galdino nor sea
curador, appellalu Antonio' Machado Pereira
\iauqa.
Appe!)ime.-Viceote Alves Moreira, appellada
D. Silvina de S.'iua eoutros.
l>oSr. deseinbarsador Souza Leao ao ?r, des
uKtituio Arc-liooloKieo. Deve reunir-
se amanlia em sessao ordinana, no lugar e hora
do cos:unie.
AMiversnrioi-Araanha e o dia anni
sario da proclamafao da independencaa da repu-
blica da Bolivia em 1823.
ApparnlhoH moilicos. Em data de 8 de
julho proximo fuido, um nosso araigo e illurtre
coin^rovin'-iano, doutor mi sciencias medicas por
uma das faculdades do imperio, escreveu-nos de
Paris, ondo seacha, as 5guints linhas, que bem
podem ser ateis aos denais nvmbros da corpora-
cae medica desta terra, vi-to como noticiam ellas
acfrca'le dous int'dfrnos appareb.os, deque se
faz uso actualind.-ito ne-se gnnle ramo das scien-
cias medicas a que se da o n ,mo de cirnrgia.
his essas linhas :
' Ko tj|#| lanso de tempo que a-jui estou, te-
nno a>sistido e observalo muitas c variadas ope-
rifMi ciruigicas, e confesso que tuc tera sorureu
dido nao so a habilidade, mas tambem a pres
lez.i e^esireza com quo os pr.itices asexceulam.
Nao e isso iilho uniearaente d';s seus lalentos,
illo^racsio e pratK-a, nao ; tambem provem, e nis-
to loes nao faeo inju.-tiea, dos optunos apparelhos
que possnem, e das facililades qua estes dao ao
operador. g.irantindo ate cerlo ponto bon3 result!
dos para as oper.icSes.
Fallar-lhes hei especialmente de dous deses
apparelhos, ahi desconhecidos, e qu? podem, estou
certi, i restar vatfosissimos services aos raeus col
iegas de Pernambuco. Sao esses apparelhos : o
galrano civstico termico e o hemist.itico de Des-
marques qae constrtnem sem rluvlih duas brilhan-
tissunas descobertas da cirurgia moderna.
O primeiro, isto 6, o ailoano cjustico termico
efandado em leis physical. Com,joe se de uma
bateria de muitas pilhas lectricas formando sysle-
ma, e icuiuda dos competentes conductares. que
e apphcara sobro um tubo de metal circuaidado
de madeira, de sorte qua, por effelta desta, o ope-
ra Jor o emprega sem expa imenlar os effeitos da
accao electnca. Nas cxiremidades do tubo meU-
iico;iQaptsra-se pequems e delgndas iaminas ou
ios ee prata, os qaaes, por fon;a di ueqlo das pi-
lhas j quando estas fanccionam, torr am se instan
taneameuie incandese.entas e-veruwlha?, e conser-
yam malteravelmenle o mes.no calor. durante o
tempo ne.:essarta para qual |uer operaijSo.
a i.om as lamina?, assim quente*." cortara-se os
tumores, ainda itesmo os mais proCuadaraente si-
tuad 9, como tenha vista praiiear *ih Dr. Paul
VernmiH ; e com os Uos ou araraes Saos canteri-
am-se cs trajectoe flslulosos .cojia excellentes
result a Jos, ,dois que quasi nunca sobwvera hamor-
ragjas.
"i f*i'* do Oali-ano cautlico limita suaacao
ao lo.-al da applicaeao do apparelho. consei-varido
sempte a mesma lemperatora peio tempo qje so
quer, sem que haja mister de wudar de luW oi
..pparelho, sem riseo de queimaJara para o ono-
rador, e outrosim sem que liaja pos.jinilid.-.de do
iC-lenoa da Silva Pavao, branca Pernambuco, 22
annos, casada, S. Jose ; scirrose.
tHRONFCA JUDKIAftEL
RJB1WI, U\ UJ3,< iO
SESSAO OBDIXARIA DE 4 DE AG0 PRES1DENXIA DO EXM. SU. CONSELHEIRO
CAETANO SANTIAGO.
Sewetario Dr. Vtrgillo Coellio.
As 10 horas da manha, presentes os Srs des-
embargadores Silva Guimaries, Lourenjo Santia-
go, l(is e Silva, Almeida Albuquerque, Moiia,
procurador da eoroa. Domingues Silva, Accioli e
pooza Leao, abrio-se a sessao.
Em seguida o Exm. Sr. ronsolheiro presideute
pedio adjuntosp.ua julgamento dos srguinles'agara-
vos de pe'.icao : '
N. 38. Aggravante Francisco Antonio de
Uhveira, aggravaius Antonio Jose Silva do Brasil
eoutros. Adj units sorteados os Srs. desembar-
gav"r.m A,me'(,a Albuquerque.e Domingues Silva
M. 9. Appellante Manoel Joa|uim do Rego
Albuquerque, appellajo Giementino de Farias
ravares. Foram sorteados os Srs desembartudo-
res Motta e Accioli.
Carta testemunliavel.
u ,, cife. Aggravante Jo-c Cesario de
Mello e outro, aggravado Joio da Silveira Tavora.
Sorteadosos Sr. desembargidores Reis e Silva, e
Souza Leao.
Deram-se os seguintes julgamentas:
Reeurso crime.
. J,u..' ?.rlu Calvo. Recorronte a justica, recer-
ndo tel.ppe Nery Santiago. R.-lat r o Sr. des-
embargador Reis e Siiva. Sorteados os f rs. desem-
itargaJores Accioli e Almeida Albuquerque -
Improcedenlo. '
r, Appellagoes crimes.
n.WuS\",a-e- 7 APP?liaDte *)ao Vicente itoura.
PrZr$ a W*&. Improcedonte.
m Goyanmnha. Appellanto Placido Pereira
deHgueiredo, appellada a justica.-Iraproceiente.
ua (^m.ragibe. Appellante Alvaro Jorge da
SilvaLoure:ro,appelladaajustiea. Reformou se
a peua para o racdio do art. 154 do codigo
Da Iinperatriz. -Appellante a titbea, appellado
Henrique de B.rroi Leila. Improoeuenti.
aM "iflbi-~, APPel'ante juiz!, appellado
Antonio de Azevedo Maia ImproceJento.
riiili aBta Lu^aT APPeHante Bainabfi da Rocha
Calheiros, appollado Paulino, escnvo. Maadou-
se a uma diligeucia.
EuMtafc-,^1*1!"1* a>stia? Vl'clfado Luiz
cugenio Vicora. a novo turv
,r.tiB.?nUo: ~ APPellante JoiV- Ferreira da Silva.
appellada a instica. Nullo o julgamento.
JoS'lifliUfp' ~ Al,an, a mS, appellado
iaISaeao?"- ^ ^ *^WBP
u'ov
WWjW 'ai do qie o lugar era qae o c^arador
-ZSi^S0!0 aPPare,t'o aponiado, isto 6, o Ke-
wtoKod, Detmarqvi, 6 talvtz aicda mais im-
portantedoque ocutro. Sua cmaJuaa SahS
dos Indios. Appellan'.ei e
lluoiia FiVtuian
J>o Mamangoape.Appellante Francisco Pereira
do Nfccimepto, appellaJa a jusxirp. NuJJO o
uei-imera dos Indios. Appellan'.es e apnel--
ados a justita e Antonio Ja Rocha Firmiaao Z A
tovo lurv. ~ A
embargador Silva Guimaraes
0 couffcto de juri:dic?ao entre os juizes de di-
reito e municipal da co'marca de Nazareth.
Appellagofg civeis.
Do Rceire.Aspeilaofe Luiz dj Paula Lopes; ap-
pellado Jo.-e da Costa Dourado.
Appellantes a viuva e herdeiros de Joaquim Jose
de Mirauda, appellado Claudio Dubeux.
Diligencia crime.
Aa Sr. tanonkwgador-promoter da justica :
Appellantes Antouio Rodr,gues do Nascimento e
outros, appellada a justifia.
Appelia-ite a justica, appellado Ernesto Jose Fer-
reira.
Appellantes Manoel Lucio Carre i e outros. ao-
pellada a justica.
Diligencia civei.
Ao a.' Jeserahargador procurador da corda :
Appellant s Luiz Francisco de Albuquerque
Hello e outros, appellados Anna e Maria d'Albu-
querque, herdeiras do padre-Pedro Gomes Fer-
nandes d Albuquerque.
Appellante a fazenda naeioaal. appellado Nico-
lao Eugenio d'Albuqusrqae Sarmeoto
0 Exm. Sr. desembargadrr Silva Guimaries,
mandou a uma diligencia os embargos infringentes
de Cinihrcs.
Embargante a camara municipal, embargado o
major Paoteleao de Siqueira Cavalcante.
O Exm. Sr. desembargador Souza Leao. mandou
a uma diligencia a appellaeao civil entre paries, o
curador do escravo Jose e Francises Ferreira Fra-
goso.
DisTwui'igSes.
Appellagoes crimes.
ao !>r. desembargador Accioli:
u. Baure,roi~' PPellante o promotor, appellado
Manoel Maria do Naseimenw.
AoSr. desembargador Domingues Silva :
iJiM^aaBlwia.-ABpaHMie Jose Mum de Fi-
goeirddo, appellada a justica.
Ao Sr. desembargador Souza LeSo :
uo mga.Appellante Viceote Fraociseo F. Bar-
no3a, appellada a jusiiea.
AoSr. desembargador Silva Guimaraes :
usAiaJaia.-Appellante a justica, appellado Ma
noei Joaquim Vieira.
Ao Sr. desembargador Looreaco Santiago:
m r l.*?,1Wira'd 'Ddios-Appeilanw Jodo Galie.
to Lordeiro, appellada a justira.
Ao Sr. desembargador Rei's e Silva :
a, a ^:Ml8uel--Appellante Epaminoodaa Vieira
daitacba, appellado^edro Joaquira da Siiva Caxa
Reoursos crime.
ao sr lesembargador AlowiJa Albuquerque
De I almeira dos Indios. Recorrente o juizo, re^
corndo AniocioJosd Corrda dos Santos.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Do Recife.-RecorrenteManoel Joaquim da Cog.
ta -\unes, recorrido Antonio Jose Rodrigues.
Eucorrou-se a sessae as duas horas.
portantedoque o rutro.
a data C 'uilM aPC!ias eQ' uma ^lad'ura f rra-
da de borracba, tendo c/nco centi
id e
------raetns do Lrgu-
confce-io ^S2We na'ViB^o, e n'um tubo de
corjKT coraecase"' V^^do aos membros do
compriotr do forraa a fazer reS t^X
ML?"ga1i6 ao srtwllo para o aate-braco aol
tavaio pophteo para a perna/a axilla para 0^ra
50. e fliiaimente a virtito para a eOxa, ILlt
9 Ftfi.o leti, pode o operador disr%n,ar sem re
pro .ess-).
Da Anadia, AppeUaqJe. a jualija. appejiado
Mauoei Ferreira Barbosa. a novo jury.
Oi Imperatriz, alias Bom Jardim. AppeJJJaale
Luiz de Barros Carapos, appellada a juslica.--
A novo jury.
AppelXaate Vicenle Ferreira de Brito, annelia-
da a justica. Imprpcedente.
Appellante a justica, appellado Jos6 Igoacio
Pereirj de Lima. Improcedeoie.
AppellaQoes civeis.
Do Bacifa.- Appellauie Maiwel Zeferiuo de Sal.
les, appellados Barlltdomeu 4 C. Deswasaiatn
os embargos.
DeS. Bento. Appvillantes Francisoo Ignacio de
Paiva o cutros, appelladdn herdeiros da D. Rita
ViiKHcia de Meiio. Niio cuti'.'wcaram dos embar-
go* por lerem sido apresentados for* do prazo.
Do Recife. ^- AppelUoie D. Tbertja Adelaide de
.iqueir" '
Bandei,
SESSAO EXTRAORDINAR1A EM 22 DE JULHO
DJ2 1874.
PnESIOKNCtA DO SR. BEOO E ALBUOUEnfJUE
Ao meio du presen.ujs op Srs. Uesario deMel
Io, Thpodpro Ca Silva, RegpBarr^s, Cunha G'ui-
,uaraes, Loyo Junior e Dr. MosJpaoJbrto.se a
Depuis delida. e approvada a.acto da antece-
donte,.leu-se o seguime "cer
, Offices: e'
Do Exm, presidcnte da provincia, dando resoos-
ta ao desta camara de 17 dcycorrente, em qne esta
camara poniexa a convenieneia e neeesiiKdei ite
p/oceder sb ao calcaraento do largo do PeJaurfnfcT
tern a dizer qae opportunameale sera tomada na
consideraiao seraeJbante raedida. -Ioteirada
0,0 mesmo, com reij,fiao ao oiUcio desta camara
no qual submette a acprovacao da presidencia'
prov.ior.amente dous artigos dtTposturas, respon-
de. qiw apprq-va o primeirj dos.wferidos artigos e
quanto ao seguudo, que irapoe a mudanca dlntro
dopraao (teOraeaea, daM.ocheir,-1, sTrrariaae
vlZt**60?* na f-ua doiuiperatfor e Caes
Pago da camara municipal, em se sao de 23 de
julho de 1874,-Cunha Guimaraes.
Nio havendo pedido na presente peticao do Dr.
Jcatpuun Contfa de Araujo, nao ha qua deferir.
Paco da camara municipal, em sessao de 23 de
|ulbo de I874.-Cuuha Guimaries
A camara so e obrigada ao pagamento de cosr
tas judiciaes, nos processos em que deeahe a jus-
tica publica por decislo dellniliva, em ires hypo-
theses : rr"
I.', que asentenca absolutoria seja proferida so-
bro decisio do jury ou em lodas as instancias se-
g.uratos, na coaforoiidade do art- 307 do codigo do
- processo.
2.-, quando iigurar nos processos o seu procu-
radcr nos terraos recommeiidadas noatt. 433 do
regulamenlo n. 120 de 31 de Janeiro de 1842, e
arl. 7 do decreto de 18 ie raarco de 18i>9.
3.% quando a propria camara o promoter nos
preeisos termos da poi laria. ie 1 j' de fevereiro de
180*4.
Ora, nao estando a prelenc,ao do peticionario
comprehendida em nenbdma destas hvpoteses,
penso que n|o pole ser atteodido, e neste" sentido
e 0 meu parecer 0 que submetto.
Pago da canura, em sessao de 23 de julho de
1874.Cunha Guimaries. Approvados.
Foi apresentada a seguinte proposta :
Prjponho que seja nomeada uma eommissao
Compo>ta de urn vereador, dd inspector da saude
publica, do um arcbitecto ado director das obr.is
j.u'jiicas, olllciandose a cada um delles pedindo-
Ihes 0 sen auxilio, que a bem da salubridade pu-
blica e, condicoai hygiemcas, podem prewar com
suas iuzes, aiim de que apresentem um piano de
edi.icacao dotado de todos us meluorameuto.- para
a cidade.
Paco da camara, 23 de julho de 187 i. Lo\o
Junior. Anprovada.
Foram apresentados os seguintes requerimen-
tos :
Requeiro que seja intimado o arrematante da
(iiericao da freguezia de Jaboatao, para aprescntar
0 livro relativo a ellas duranta o anno passado,
afim de qae a eommissao de policia passa dar pa-
recer sobrc a indemnisacao que a camara actual
daquelia freguezia, exige dos cofres dosia raunici
palid.ide.
Paco da camara municipal, 22 de julho de 1874
Loyo Junior.
Cun.-4ando .que lia grande quanlida-le d'agua
pluvial na Soledade, 0 que torna insalubre aquel-
la_rua, requeiro qae se ordene ao engenheira para
bao s6 examinar, como tambem precisar a manei
ra de se acabar com aquella lagda.
Paco da camara municipal, 22 da julho de 1874.
Rego Barros.
Coostando que ha um ajuntamento d'aguas plu
viaes na rua do Principe, hoje Princeza Isabel,
requeiro que se ordene ao engenheiro cordeador
txamine e informe, que providencias e preciso to-
mar se jiara escoa las.
Paco da camara municipal, 22 de julho de 1874.
Dr. Lobo Moseoso. Approvados.
Foram appreseitados os seguintes pareceres :
Jose Augusta de Araujo, reruer a camara que
providencie com urgancia para que venham d)
Riode Ja-.eiro os fuados neoeisarios para Ih) ser
paga a quarta prestacao, a que se julga com di-
reito pelo contrato para a construccJo do raer-
cado, zllegaudo qua d'eutro de um met tera le
vaniadu tidas os columaas e t.-sjur.is e floalisado
a monlagem do telhado, al6m de outras obras que
estao em andaraent0, nao fallanio no material e
accessorios qae estio promptas ao pe di obra, q
que tudo Ihe tern acarrelado granle dasembjlio
0 engenheiro cordeador, a quem estj camara
mandou ouvir no dia 3 de junho, em sua infor-
mai,-ao datada da 16 do raasmo mez, dvz que 6
certa 0 qve allega 0 supplicanta, conclalda a
raontagfim do resunto das columaas a a ferragem
a ella correspondente, hem como as mais obras
ja execuladas e os matariaes que estio promptas,
0 mesmo tera direito a quarta pzestagao do seu
contrato : presume quelrabalhando-se regular-
menle esta servigo sera feilo n'um mez.
A eommissao dae obras do roercado tem a io-
formaraesta camara que a apreciacio qu fax 0
eogeniieiro, nao tem fuudamenio algam. pois qne
tendo decorrido un> mez depois qua ella minis-
trou a sua inferraacao, aioda hoje exif tem no largo
do Ibeatro, sete columaas das que devem fazer
parte do marcado e po Unto lao cado nao estar.i
proropto 0 telhado, que dependa tambem da colle-
caao das tesquras a eus aeaessorios. -0 arre-
matante recebea a priineira pvesUcdo trinta dias
depois da assignaiura do- oonlrato: recebeu a
segunda quando aprescntju 0 conhecimmto de
haver embaseano .tads a ferrageia >|de inercado
Recebeu a terceira a prelexio de tar na obra
grande parte. de materiaes, e a camaia apezar
coabeeer, <|ue ainda nao estava conchu la a terca
parte'das obras, jomo esta estatuide no conlrato
,annuio ao pagamento por forca da.iuformacio do
engeabeiro. OarremiUaule so tera direito a quar-
ta prestacao quando liver concluiJo as duas ler-
cas panes da obra, do quo ainda e-ia iimito loage
por qua aliagando 0 eugenheira que om' um mez
^stata prompta.o tornado, aioda boje eslto as cj-
jlumnas, que sao Indispensaveis oara que sa ele-
vem as tesouras e o resto da farcafivJ*, uo lugar
em que foram. desebarcados. A allegaeaode'l
aver bastaate material na obra em
Matidouro.-Dr. Mjseiso e Giraeiro.
11 iiitio de Arvore.- Loyo Junior e Cesario de Mello.
.>egociosjudiciae\-CiinhaGuiraraeg e Lovo
Junior. j .
Foram despachadas as peligoes seguintes :
De Aijna Francelma da Conha, Anuimo Ma
nael da bilva. Barao de Bemli;a, Caraitlo Lms
Loaves, bacharel Franaisco Leonarlode Alm-ida,
rausUno lota da Fonseca, Feliipe Rolrigues San
tagtj. Jacotbo ifi de Simpaio, Joiia Ignacio de
Medeiws Rego. J^o Ribeiro Pessoa d* Lacerda,
Joao Ma-noai Alves, Jose Domingues do Cir-
ino e Silva.JUdio Alexandre Baadeiea do Mello
Luiz Antonio Alves da Purificacao, MauoehJose
, Agai'' Manoel P^regrino da Silva, Ma-
n-oel do Nascimento Monte Ferraa, Manoel Jose
bortcalves Braga, Pachecj & C, Vianna Cast 0
v \ lWn abtJXl>! assignsdo, ou>ro dita.
Naiia mais havendo, 0 Sr. presidenie 1 jvantou
a sasao a 2 horas da tarde.
Ku, Fraociseo Augusta da Costa, seeretario, a
escrevi.
Mano:Uoaq*im,di B>yo Albua EMM Log*) Junior.Josi Cesario fc Skllo.
lidlarniw io Brg Barros.Joao dt CnnUi Soa-
res Gum trues.-*Jeionyw de Soma UCw.Dr.
P,lero de AlkaydeLobo Moseoso.
nuncase pro.-launn guarda arancada da !!erJa-
de, .ombalendo todai as iospiracoas do patriotismo
imimiioanta tol.w os avancos no caminbo do' ;ne-
Inor^m ntos sociaes, embaracando e
do a diffusao das lazes da iotruceio e
:on1eii!3an-
maldu'eodo
PABTE POLITICA
p.tirrino <;\-.!nv\i)-u
RECIFE, 5 DE AGOSTO DE 1874.
A citlimuia Veritas odium parti.
, (Terencio)
A verdade gera 0 odio : eis a razao do aoatht-J,
ma folminido pela Provincia de 30 do mez pas-
sado sobre esta columnu, que se fez cargo de dizer
a verdade ao povo, desaascaraodo a mentira pro-
vtnciana e defendende a adminisiracao do Exm.
Sr Dr. Lucena de grosseiras, calumiiiosas e inlun-
dadas aggresso s.
M camo nao na de ahorrecer a verdade a Pro-
vincia, ella que nio poda guarda-la ? A verdade e
como- o orvaiho do ceo, dissa-o Bernardiu de
samt-Pierre, para guarda-la e oecessario um
raso MM. E qnal mais impuro que a Provincia
esse deposilo de todas as immuudiaias da palavra
todas as fezes de doulrina politica e mo-
e de
ral 1
do todas as conquistas da civilisacio ; eralim, :.un-
ca dissa tor a penna e a palavra h\potheca las i
defeza dos diraitu d> uovo, deixanlo de agitar a
.iiscus-a) no terren0 de seas inieressej pra sci-
tal a no campo das lutas pssoaes edas iuliv.dca-
lidades, giurdando silencioTaobre qae-tao iia t*o
lie pertaealendla com seu bam estsr sob !\y \ e
meiitirovo pretexio de natter della nutfia
Nunca (sta culumnt Ui isto.
E nao qucrern uf procincianos que 'a .;u
acielmda para ser criJa a sui Pneineia, qae
iralica com o>.linos e com a houra lo m!Vu d- li-
xo da mascara di hypoerisia ?
Nao pode ser isto.
Esta colummi uunca alleg 10, para j sti:ic.-.re
da ign traneia da discussio de uma lei, aue te d.i
imp .rlar 0 roub da b-lsa do povo, o lesperdici*
ae seu precioso su-r, nunea allecou, repti..uos.
falta de comaa >d,Jjdes na sala da as-iemblea
Esta co/.ii 1 nunea allefon ign.tran.ia de ima
cousa i| e nao poJu ser ignurada, tondo povo a
certeza de aoe etU allegacao era mentirosa, rom-
provadamente inmtirosa.
Esta Golumm* nunca lis^c que nio teve ne.ir-
de saber da dis ussao da iei do imposlo obre o
bacilhao, carna seeca, etc, quando 0 and-mmta
dessa dis -ussao era uublicado pela i i.preu-a e
quaudo outro jornal, 0 do HtCifc teve infioj de
eonhecel-a, U:a 1 que a respeito eacrefea a!-uu
artigos.
Esn r.ninnna nunci as a lei alluJila e que so chtgoii a ter dclla :..i.;ia
ai tempo da exeeucto, tendo no entratanio, nor
occasiao da sanaciu da mesma lei ou da coafecrio
de st-u regulaiiieuto, pedido ao p,esidentj que ti-
vesse todo 0 caidado na oomeaclo daqaenes a
queui ia ser cniiiada a execucao da tu-s.m.i !ei,
sem uma palavra sequer eontra oseu mere: nen-
to e ^xcellencia, que eram assim lacltaineato con-
fessados.
Esta columna nunca taxou 0 bem d? mil nor
amor dos mdividuos e das personaiidades, a queia
ludo saenfl-a a Provincia na pratica de u:na r.p-
posigao mesquiuha.
Esta column*, pelo c-intrario, sempre se (z or-
gao de mereciJm elogio* e de justas exproi-aco-i;
lemprecombateu a mentira en nome da ver fade.
E nislo eta a explicacao de todo o <>dio qae Ihi
votam os provincianos veritas odium pii.
E agora, mais que nunca, sao todos 01 esforcos
is provinci.nos contra esla columna, que, odiosa
>r dizer a verdade, mais odiosa ainda se Ihes
rnou por estar fazendo pr.iselylos
urimento de uns certos pianos ii
fundados sobre alicerces de mentira.
E pmsarao seriaraenle os previn
se Ihes
proselytos, com visivel
pianos inconfessaveis,
tncimos poder
suas palavras
- Pr'
eontmuar a erabair 0 povo com
hypocritas, Uotas vezaj desmascaradas ?
De certo que nao.
Senlem a rauraiha escalada, quarem fazer de
valentes, ostentar valor na resistencia; mas, coita-
aos, se conhacem em consciencia pardidos, aniaui-
lados. H
Queiera ver so tirara partita contra esta colum-
na, a quem nunca perdoarao 0 ter fallado a ver-
dade, e nesse intuito a tado se soccorrem, de tu lo
se querem valor.
Ora envidam meios de fazer
esta columna e sua
crer ao povo qae
inimiga; ora proalamara-na
raensageira de mentiras; ora dizem na aLinentar
se lo saor do povo. E tudo isto com 0 fim de
embargar 0 passo a esta coYuouia, quo vai lib
triumphairaente ganhando o'terreno da confianca
do povo, a quem nao areia lacos, mas diz a ver-
dade, a quem nio procura embair, mas ios-
tr*w.
Podem declaraar os provincianos, que suas 11-
grmis de crocodillo nao cnteyneceriw mais 0 povo,
qua niattas vezes tem pagotiocaro um^einelhanta
enternecimento.
Esta columna, mau grado de tado o qae disse-
reai, continuara cada vez mais a ser acraditada
peto povoque para isso da-lhe arrhas a verdade,
dequese faz echo; e bera assim continuara a
viver honestamenle, snstentado se da recansos le-
gmmos, era bora suppoaham os procincianot que
as coosas hoje sepassam onire seus adversarios
como se passavarn em seu tempo, en qaeos>cofres'
paJJhcos eram vtolados acadainstanle.
Eslao eoganados.
Nao.tai.hani de si para si que com semelhantos
aleives, qoa ailegam mas nao provam; nao tenbam
ae si para si, repetimos, que com suas desacrodi-
tadaa palavras podem nullificar as conquist.as desla
colnmna, nem lao pouco refaeer suas forcas esgo-
tadas era um mister ingraio e odios qual 0 de
raentiriempve ao povo oara fins detestaveis.
bera uma infrootifera Uiusaa.
0 povo acreditaria dos proaoz alguma, salhes lesso no ceracao e ooanimo 0 sen-
tunento siocero do patriotismo e 0 poasamento
gFandioso da liberdade. Mas so, ao invez disso
rauilacooa vergonbosa, coariemnivel, e at*exo
crania, vd 0 povo atravez dos buracos da capa
procincima..... como nelles acreditar?!'
De desordeiros, de inimic.s da verdadeira liber
dado-, da propaladores de doatrinas mas e sabver-
stvasde tjdes os boos principles, de panegyrrstasJ
e pregadbre3 do crime, do assassjnato, do tndo
isto a de mais alpim.i cousa tem sido coavencidot
ps prorfneiffnoj por esta cohmni, que nanci
usou de torgiversapoes para defender-se e fartar
Be a respoasabiHJade do qtio drsso, nem tambem
fez se de. moita por nao ter ura.anrnrento, uma
palavr-a, para justifi-fear^e (te accttsat-ges que Ihe
liouvessera sido feitas
Pelo conwano tem sahido sempre triamphante
esla coiumni, que tanto tem dado nas vistas dos
fi;-oi>iHfomns,.qaer das accusacSas qae tem des-
cid) a responder, qaer das qua'tem sido forcada
a fazar.
E'tanjo tem cousegaitlo esta coftiiia; poraae
Alciae provinriano.
fc muito vulgar que 0 ladrao julga os Mf/M
pw si.
Inspirados e gujados por esle adagio os escripto-
res proviacianos. r.cabam de julgar-nos por elles.
Assim dis.-eraibaqueiles escriutores que os arti-
gos publicados nesta columna sao pag<>s pjl-> co-
fres publicos.
Esta as er$ao se Id nao so no artigo de ua to
corno na Chronica de 30 do currenta.
Contra isto protcsUraos.
Se oprogresso desbaratoa os dinoeiros poolicoa
corn pnblicaQoes da artigos para susleniar-se. iio#
nao 0 faze mos.
Se 0 progresso pagou dividas de alguem, qae vi-
via complicado em seus negocias particulares, e
hoje tem dmheiro para certos arranios, a silua
dominanle nao 0 faz
Nao e de hontem que publicamos nista cjUm-
na os nossos ariigos : antes de sereni creadas as
agendas ja 0 partiio conservador sustaulava a cos-
u de seus numbros. esu columna.
Ja la se foram os tempos em quo se pagava aju-
dadecusta a deputaJoa pela verba a jardim de
palacio.
Hoje os que se seatam na cadeira presidenciaL
tera bastante patriotismo e z^to pdos negoci^s de
Pernambuco para nao seguirera 0 exemplo dog
seohores progressistas.
0 Exm. Dr. Lucena. de -.uja probidade arada
ninguem duvidou, u;io pertence ao numerr dos
aveutureiros, que servera-se dos cargos qu- ex^r-
cem para arranjar-so.
Sai^a, pois, a penna que escreveu taes assercbes
a que aliudimos, c que e bem coohecida, que a
columna vive sem .|ue fasamos 0 que iizerm oa
bberaes, quando no podar, sem que lancemos mao
do suor do povo.
Se a Provincii pensa qae 0 partido cooservador
emprega para defender 0 Exm Dr. Lucena oa
meios pouco decentes que a liga empregava n 1 de-
feta dos seus deiegados, esla ao can de re.vber
da, nossa pane a seguinie resposta :
Quem por si nos julga nao nos ofleade.
Perguuta 0 escriptor do artigo a qua mm referi-
mos : se heave alguma reuniio do direciono pa-
r.i assentar-se na puiilicacao da columna i
Por nossa vez perguniaraos tambem aos proem-
cianos : houve alguma reuniao dos m-nibros do
partido liberal para assentar-se m publicacao dos
disparates dos satellites di olygarcaia leao it
Souza ?
Por coata do quern so publica a Prorincia 1 4
por coata do partido liberal ou por coata da olr-
garchia leao de Sauza t
Dessas cousas e qae 0 povo quer saber, porqua
ja osta cauca Jo de oavir em um dia proclamacao
e no dia ugaiali pnlnto cootra a laeaaaa proaia-
macao; em um dia dizer se qae quaudo a lin-
gua cauca obrapo Irabal^a eon dia seguinie pro-
testar-se contra os effeifds desta expressJo '
Isto e 0 que 0 povo quer saber.

Ua4iu.
, Prefiro 0 go.vorno doa francos consorva-
dores ao reinado dosses ambiciosos, os libe-
rals 1.. que somem-sa itnpuros para sacri-
fice no altar da liberdade, e aadain especrv
lando em nome da deusa I
1866.
Marco Antonio!.'..
e-uBiic*cGEs a mm.
0 lugar para oqie devdfli
SiKSbS'"*' '3tibelBcia*ato- A' W- 'a condiyi5 do contrato e estando' a8 obras Mtt
Do direetnrVprai no =.,- gtrazadas, pois_ que tadao interior do raereadj
Siiueira Cavalcaate, appellado Fraoeisodda Cunha exemplar impS do rliatorlifa.^to tan^ues d|.alveoarra, cal
Madeira de Mello. Confirmada a senteici 50s do correuUTauno -iffln! ,rabin08 "tails-, WBnlo inlerior a passeios cxteriore^, assenta-
De S Beoto.-Appellaata Francisco K&Q de Do "dvogado. 1Xm?1 L*x a v ie^ d9 V^x V.T eXl'ri 're,i e aT^'n d'ist"
Pa.va Jaoior e outro, appelladq D. Maria Feitosa'Liqs ChaTe* J u43 J?$9 **Ui^^ft&*,J?!..
ve,taao WBuaH pc*^^ par-^K a^*'^teW*torwnmln
^.leeebeti-jres-prestaciiei agora inau-sa de fa
aer a da obra, e. nau do material qqe pojri es
tar ahi e nao. se canjiruip 0. eaiOcio. Nao laurtj
por conseguinte 0 arremafwlo preencliido aiquao.,
peticio.
'taote
ap.-flpriacao bo nnas cisas, a que 0 arrema-
eslao.yiid'>peta(Mninf', aindi rn? im
h conficso. siu rfcato
' Qne Li wd'ide no me inspira.
Esta versos pdilerTamsirvir deepigraphea ta
flos os srtigos Art- escHptofes provmeianos, qae,
r,ar* consumraarera sjia obra, se inspiram em
sous Interassas, em suas araWcfcs, na adultpracao
' riV n-3 '^Pf b0a f^ P6PQ'ar n* caiam--
Ao Exm. Sr. desembaTcador ioti de orphJeg a
nos Ilims. Srs. Dra. juiz de direito da provedarta,
dos feiios da fazenda e da 1 e S* vara do eiaii,
pede-se toda a alienc*o para o aviso abaixo trans-
cripto, o qoal dis respeito aos parlidoies, visia>
como tudo qaerera pantilhat rataio, e acom.
bello de heraoca.
I Aviso de W de eetembro da. 1863,Bwlaro qae
p wlario dos partidores, dew sar regulado paia>
somma dos bene de raanla da fazenda, depois da>
deduzido 0 abatido as dividas acUvas e paesivaa,
nia, narnjuria, nosUnproporio^. na moatira cmfim, mais despezae-ineliKi're aa-iodieiaes e cosU*.
mas na v'oraado nunea. I v
{,'aecuudcls, e :oh.vencidos de suas'arandesl
colpai, OS provmemot cthpmham, empalliJeceodo *
r


'
)
TT?
L
^


l

1 X
B

ra a
ym
Cor-
es-
uo e
cao.
OrV
ciscc lacntko
noel CaetaHoSpinola,
r. Jose Soriano de
Urt'BiYrrn F,\:n
tugi:eza,.a, raeu cargo, no Gymnasia Pioriocial
de PernttlSefctt,!*Ju*ck eea :iapo;;lgana appare
ecu a Exma. consorte do r. regedor ioterino do
merino Gjiinaasjo n*m jm const) qua esja aenho-
ra, r-'spifcel'por tantaa neahiij* ogtra aula do. esVbceiemeolo, em que
se de cia j. 3^7 do is Jo^cwrentd. 0 qae sendo ne-
cessario, jurarei. Recife. 3 de Sgosto de 187*.
. Jtte Hone* de Aitvedo
~o? abaix (r~ssjtgii9j!o\
Oymnasio Pro
ncm- nte conti
do 1" do corre
cons-wte do
Gymnasio, visto o
empregados tnternos do
rtan pWilica e solem-
Pmvineia a. 357
fjjgia e virtuosa
flffio do mestao
iaix > assignados nunca
ytmV'i mijaaia fttma. Sn.-'passeiar pelas Carre-
don':! nero ppu--t\ir ein aula alguuia do mesmo
ejtatelebimento. ,,,'! Jji\
., Gymnasii, 3 de agosti aVf874v
folia Vehcinn-) drt .U tin Atbuqrterqiu, Francis-
co d> Brtoil Pint) tfandeira deAccit.li Vttsrmcel
ifoi JgSo Gomes dtvbrbqia Ahnelda, Ignario do
J'Burro.'' Pessit, Joitjnim Antonio da Sitveira
Im'lio Uldiric Mtzerbn
Devlaro, por amor a verdade, que em neohnma
ilis aulas dJ Gymnasio Provincial, as quaes fanc-
ciofaam no an-far terreo do estabeletirmento, desv
ceu seiiuer uma vez a Exmi. Sra. do Dr. regedor
nas hiras einqu* js respectivosp*ifsores'exer
cem as stias fuoe;oes. Isto formal a soberana-
meat's a:8r.uo, e f iin me Jo de ser eoiitestado, p r-
qae, sendo secrdtsrio e economo do mesrao Gym-
uasio tenho como lal necesaidade de, peroorrendo
atsiir toAno esiabelecimento. rneentender com di-
.Tersos fcznTciOaarios, com o modormono seu apo-
ento. qae Ben no interior do anl-ir terreo, o con-
gar, i*gedr, etc., tainbem em sens aposentos qua
fleam no interior do segundo and ir, e em neahu
ma dustaa Vazcs en live a salisfaeao do curaprimen-
"tar a Exm. Sn. do Dr. regedor em outro lagar
que Lao foise no aposent mais particular do
mosmo, que e a sua sala de jantar. Portanto e
falsa :i .is.-ercio contida no numero :io7 da Pro-
rindu do I.'"do correnfc, qoando-' afrlrma que a
Exma. Sr. do Br. regedor nerorre as aulas do
Gymnasio Provincial has horas era que fuoccio-
n'm.
Rsclfh. 4 d.: agnsto de 187V. Celso Tertnliano
FeifHtfrf'-s Quintella.
Derlaro, que como bedel desle instituto, e obri-
gadj a estar pelos Ciirredores para conter os alum-
nos e>:teriio.i alim de naonerturbarem as li<;oes dos
re^pe-tivos urefl-s*ores>, nunca enconirei, e nem tao
pouc: vien'.rar em qual juer das aula?, a Exma.
Sra. do Dr.regedor intefinodo mesrao institute; o
que afOnno, se for preciso .,
llecife, 1 de agosto de 187i. Oliftfel, Hermene-
gilio Mareelino de Miranda.
0 eonego Jj5o Jose da Costa Ribeiro, professor
de lat id, addido e em exercicio no Gjmnasio Pro-
vincial, nao tendo subscripto ao pri/testo nonlem
publicado nesle Diaria pelo corpo catbedratico do
mesm) Gyninasio, pornaj eslar'presente naoeca-
liio, declara que alnere ao referido protesto em
todo tea conleddo.
Berife, 4 de agosto de 187i.-Gonego, Joi7o Jose
da Costa Ribeiro.
Peiliih salisfeilo.
0 f-.lricante dos sap Hot de borracha acode ao
pedtdo do mitulinh), declaranlo-lhe que so dirija
aos p.ouincianos, se quer saber do preyo dos sa-
pat >s de sua maraa, pois que todos os pares ate
hoje fi.bricado* de tao excellentes barrachas tem
sido p.iucos para o consume daquelles senhores,
que por consideracuo alguma se subordinam a an-
Otar mil calcados.
Qiindro hii
Aclia-so ;i venda em to pelo i iiiiinuto preco de 50f>rs. a importante
eeurioaa gravura Dourulo de Pio IX, offerevcido pela redac-
So do Hoiquito ao eminente escriptor Gan-
ganelli.
KSTATITOS
CQLLEGIO DA SAN11SSIMA TRINDADE
;(> riia dosCoclhos *
, MB \ DIRECCAO DS PHIL0MRN\ MUlBKVCfA DE ALUU-
0BSR4D8 o'CON.VrXL JESSBY, COADIUVAD.V POB
SI"AS ii'.MAS D LANDELI.VA DE ALBUQUEttQUR o'CON-
NEL JEUSKY E 0.0LIXD1.NA DE ALBUQUKRQUE o'cON-
-NELI. JERSEY.
I
Artigo Is O collegio dirigido por Philomena
Mtnervina de Albuquerque O'Conoell Jersey, de-
nomina-se Collegio da Samtissisia Trindade.
Art. 2 As alamaas recebera nelle instraccao
priniaiia, secundaria, religiosa, de civilidade, e de
recreio e prendas.
Art. 3." A instrujcao primaria a :leitura, es-
cripta, contabiliJade (as quatro operaples), nocoes
de graramatica porlugueza, coUura cha e cro-
chet.
Art. i. A instru'cao secun^laria comprehende
luigaa nacional, Irancez. inglez, italiano, htslo-
ria, geographia e arithmetica.
Art. 5." A instrucgaa religiosa e dada pelo ca-
thecisno ; as alumnas aprendera : doutrina
chrisla, e todos os deveres religiosos a cumprir
para dim Deu, seus pais a parentes, e em geral
eom a ?ociedade.-
Art. 6 A instruccao de civilidade abrange to-
dos os actos da vida de uma senhora em relacao
com as pessoa8 de sua familia e com a socie-
dade.
Art. Is A instruccio de recreio consta dede-
seaho, musiea, piano e danca.
Art. 8. A instruccao de prendas reune :
todos cs trabalhos de agulha e toda a especie de
bordalos, que deve saber uma senhora da melhor
jociedade.
U
Art. 9. 0 collegio admitte alumnus internas,
meio p insiofiistas e externas.
Art. 10. A lingua que se (alia no interior do col
legio e a franceza ; e duraote as aulas de ioglez e
italiano so se fallam estas linguas.
Art. 11. Asalumnas que estudam francez, in-
lez e italiano, aprendem a fallar, escrever e tra-
uzir Mies idiomas gramraaticalmente.
Art 11 A mensal.dade para as internas 6 404,
para as meio pensionistas 20J a para is externas
54, pagos adiantados, por trimesfres, qua uma rez
comecaaos.consideram se vencidos.
Art. 13. A instruccao das alumnas externas,
remunt rada ^segundo o artigo antecedente, e a
dos art i. 3 e 5, as internas e meio pansionialas,
teem d reito ados arts. 3, 4, 5, 6, 7 e 8, podendo
todavia, qual^ner alumna externa freqoantar as
aulas superiores, mediapte a indemnisagio que e
convenclonar.
Art. 14. As despezas com livros, papal, etc.,
das al'tmnas, e bern asslm a materia pnma de
bordad)3; e estes execatados, sio propriedade
das me.imas.
Art. 15. As aula* no Collegio da Santissima
Tbindade, trabalbara doas veies aodia, de ma-
oha da i 9 is 12 boras, e da tarde da* % li2 as
ia.
Art- IB. 0 enxoral 4m internas e no gosto de
eas p;.is, assim eom.0 a roupa lavada e engom -
mlda e perlenges, por elles srao furoocido*.
Art. 17. As pequenas iodspsif5es e moles-
tias das internas, sio tratadas no collegio; tM
graves, pore, a, a diictora fae amar .ios pais on
correspDndentdi, par pnovidenciarem :wbre o tra-
Umem qua pode t b su&s casas ou no col-
Art. 18. 06 fariado*, sio os das aulas pablicas,
salvo as qumtaa feir. que, no collegio, fleam daa-
tmadas a inainaoe|o dorreio.
Art. 19. lodaa ai maiwriaa Wocionadas no Col-
legio da Sastisswa TamoABE, sac >roteseadai
pela direc^ora e snas Iraias, ou ouiwui jenhoras
m
.AlHXAlMOr>
AnncaliultW peiiornl.
mas doses deste _
two ang o >ahge <* vmntm.i&takttaVX** ,
voi, tolas as awlesUas*) pte 'Ha*l*haa, qm
tem nma tendencia a pliWsH*,*a %ra ywwtpf
a radicalmanU, jwdiantio uso daatej,eedio sua-
visador. Mm dmgisa m 4f V^fV respira-
cao e os tjmifl^pniryeis B ii;| i repen-
tinas da tiapmlA-aflnbosnBMpt, efcorao na
sna elaborada composica* oAo eatra nem exrste
ouiracou-a atais do qua bataamos sandaveis, po-
de-se por mo merino applicar oom toda a segu-
ranca ate mesmo as mars tna e ditcad erea-
turas.
---------
C'ffl^IKIIWA
Ar*.
do, juiz especiM>Arjogamterttii awHi ci-
FjIIIuli

0tmmm
df IW4.
a as
IT. 26,
.TO
e do banco!
Cambio sobra
25Jri d._poT H
Cambio sobre ftiri* *(Hrv. 971 rs. o franco.
Dito sobre,ilio -a 3 J|t. 3 ri. o franco, hon-
tem. lal
Cambi i snrjrf a ftabia a 3 dfv. ao par.
th de Vasconceilos
Presidente.
\JLFANDKUA,
Kendunento do di 1 a H .
* do dia 4 .
:
ara
32.579*968
31:738445'i
i:318;422
i^carregamlioj^ 5de agosto de 187i.
3ngue belga Vitesse (atracado) mercadorias
para alfandega.
Barca inglen Fazilier mercadorias para al-
fandega.
Brigue portuguez Novo Paquete viaho para
deposito n s trap ches Barbosa e fSanha.
Lugar inglec.flW/ie-farinfta ja despachada para
o caes do Apollo.
Barca francezaMauricien -\iaho para deposito
no trapicha Barbosa, cimento para de-
posito no trapiche Barao do Livrameolo,
e sal ja despachado. para terra.
Patacho allernao Ilenriette Buschard drversos
genetos para deposito no trapiche alfan-
degado d > Barao do Livrameoto.
Iniportacilo.
Polaca hespanhola Nicacia, entrada de Mercedes
era 4 do corrento e consignada a Josd da Silva
Loyo & Filho, manifestou :
Xarque 197,092 kilos a ordem.
DE'iPACHOS DE BXPOHTACAO NO DIA 3 DB
AGOSTO DE 1874.
Para os vortos do exterior.
No vapor inglex Cotopaxi, para Bordeaux,
carregou : D. Flack -1 caixa com 37 kilos de doce
e 230 charutos.
Na barca ingleza Petchedee, para Liverpool,
carregou : P. Vianna & C. 17 saccas com 8,061
kilos dealgodSo.
No navio allemao Levant, para o Rio da Pra-
ta, carregou: J. J. Goncalves Beltrao 4 Filho 147
cascos com 24,000 litros de aguardenle.
Para os portos do interior.
Para o Rro de Janeiro, no brigue nacional
Salty, carregou : J. J. Ferreira 7 caixas com 214
kilos de doce.
Para o Aracaty, no hiale nacional Leonilla,
carregou : M. A. Senna 23 barricas com 1,632
kilos de assucar branco e 9 ditas com 823 ditos
de dito reflnado.
Para Macao, na barcaca Veronica, carregou :
M. A. Senna 7 barricas com 316 kilos de assusar
refinaio.
Para o Rio" Grande do Norte, na barcaca Tres
Irmaos, carregou : 'Macedo Bastos 9 barricas com
530 kilos de assucar refinado; A. Oliveira & C.
20 latas com 36 ditos de doce e 8 garrafas com 5
litros de alcool.
CAPATAZIA DA ACUANDBGA
?lafldimeato dia 1 a 3 1:2904193
'dam do dia 4..... 550*837
1:8114030
volumes slimes
No dia 1 a 3.......
No dia 4
I'rimeira pona.....
ieganda porta.....
Tarceira porta.....
Tctpicha Ccncaigao .
1,136
58
83
101
310
1,710
com 5*k1t9smdite.4teitfto 4,3l, com 80 kilos'
raero
Ido
porta em .. .
y%3tteamuK
contra Jose fttftMtfir Tdrfoa da'CMM, e acha-se
sob a guarda do (Upoaitario particular Adolpho
Roberto Koop.
Em falta de iiertantea qe-cubram o preco da
avaliacao, sera a arrematacao feita-^pelo preco da
adjudioacao co'm ft'abatitnerJto da lei.
E para QheiiQgue ao oonhecimelSlo de
todos, mantlet'
pdriirado peka ianpralont>>l4g-
Dado e passiHfft nttfta cWh*e--#o KeAfe
de Pernambuco,.25 de jutho de t874.
titt, Fnmoisoo Xavier de Souza Ramos,
escrivao interino, o subscrevi -
Sebaslido doittsgp'Barrqs de Lacerda.
Aq eelle 360 t&.-T. S. i.Wcsu^a.
Barras de Lacerda.
Por es4aftOftarticao se declara, de ordero do
Hi in. S-. Dr. ch*ie de-policia, para conheciinento
de qin-m interessar pTs3a,.qnc, s; acham deposi-
taflos najhasnaft-'ciaeo anaeis de ouro, apiralaen-
didos pela pela policia, os quaes serao entregues
a quam oKteclaribr.jftetaoiees^igaMa.cempe-
tefltes. .
Seeretaria de policia de Parnambaco, 3 de agos-
to U 1874.
Pelo jwerBtar q,
Francico G. da Silva Barroso.
SeCljao 8.'Seeretaria da |iresidencia de Per-
oambnco.em 4 de agosto de 1874.
EDITAL.
Pelo presente sefazpublico quo so tendo appa-
recido uma proposta "para a eCdstrucgao das dua
ponies, send-* uma*pira ligar o BoMTo de S. J.>s6
ao da Boa-Vista, e outra o povoado do Monteiro
ao do'Barbalho,.^ o respeclivo proponente rharoar
a esta seeretaria, ufim de assistir a ahertura da
mesma proposta no dia 8 do tdfMnte, ao meio
dia.
0 secretario,
J. Diniz Ribeiro da Cunha.
SESVigO MARITLMO
imreagas descarregadas no trapicbe da
alfandega :
No dia 1 a 3 .....
No dia 4.......
>io trapicha Cotceicio-
aEaEBEDORIA DE REND AS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCC
londimento do dia I a 3 2:9834820
dam do dia 4...... 2:7594640
5:7454460
CONSULADO PROVINCIAL,
Rendimento do dia 1 a 3
dem do dia 4 J
3:9684478
3:5614873
7:3304331
0 IUm. Sr. inspector da thesoudu
vincial, manda fozer publico que, em vict
tude proda ordem da presidencia, de iO
do correnle, vai a" praQa para scr arremata-
da no dia 30 do referido mez, por quern
melhores vantagens offerecer, a obra da re-
construegfio do 300 metros de empedramtn-
to e 600 de reparos na estrada da Victoria,
entreos marcos Jl a 12,000 bragas, orgada
em I:25'i-500,debaisodas;coudi56es abaixo
transcriptas.
As pessoas que se propozerem a" esta ar-
rematag3o. compare;am na sala das scssSes
da referido junta no dia ocima menci na-
do, pelo-rneio dia.
E pora constar, se mandou fazer publico
pelo presento Diario,
0 secretario,
Miguel Affonso Fvrrcira.
Clausulas especiacs para arrematagao dos
reparos da estrada e reconstrucgao de
300 metros corrrentes de empedramento
entre os marcos de 11 12,000 bragas da
estrada da Victoria.
1/ Os reparos da estrada e reconstruccao
dos empedramentos, serao executados de
conformidade com orcament), na impor-
tancia de 1:254#U00.
2.a 0 arrematanto dara" principio asobrss
no prazo de 15 dia?, e as conciuird no de
tres mezes.
3." 0 pagamento sera" effectuado em tres
prestacoes iguaes, a" prjporcao do trabalbo
executado, sendo a ultima e deftnitiva,
quinze dias depois de sua conclusao.
4 Para tudo mais que n3o se achar es-
pecificado, serd regulado pelo que d;sp6e o
regulamento de 24 de fevereiro do corrente
anno.
Villa de Jaboatao, 22 de junho de 1874.
0 engenbeiro interino, F. R. Leutier.
Conforme.0 1 es^ripturario, JooJoa-
quim de Siqueira VarejSo.*-Conforme. 0
official maior, Luiz Salazar Moscozo da
Veiga Pessoa.Conforme M, A. Fer-
reira.
re:ife
Rendimento do dia 4 .
DRAINAGE
1:4294320
AGENCIAS ROVINC1AES
Liquidos espirituosos.
Rendimento de I 534183
Idem do dia 3 764424
Rendimento da
Idem do dia 3
Bacalhao, etc.
1 34881
794258
Rendimento de. 1
Idem do dia 3
Rendimento de
Idem do dia 3
Generos de esfiva.
Fumo,
1294607
834139
924230
Thesooro prorincial de Pernaabuco, i'de agos-
to de 4874.
0 escrivao,
Joio CarneiBo M. da Silva Santos.
MOVIMBITO DO PORTfT
vi^iftos eramdpe no dia 4
Mercedes22 dias, polaca hespanhola tiicacia, de
W tjtaladas, oapoio Pedro S. Juan, eqnipagem
lf,Varga 197,092 kilos de came,; a Loyo dt
:njho.
Rio de Janeiro e Bahia 5 dias, Tapor inglez
Cotopaxi, de 2,583 toaelalaa, conmallante
Bax, equipagam 114, carga differentes generos;
a Wilson Ronre-k C.
Navio sahido no m^smo dia.
Liverpool e portos iutermedioa Vapor inglez
Cotopaxi, commandanle Bat, carga a mesma
que trouxe dos portoi do n.
A camara municipal desta cidade tendo de
demolir o sobrado a rua do Amorim n. 19, que foi
ultimamente desapropriado, e vender a quem mais
vantagens offerecer, todos os materiaes do mesmo
sobrado, convida de novo pelo presente aoa pre
tendentes a comparecerem no dia 6 do corrente,
pelas 12 horas do dia, no paco de suas gessoes,
correndo dita deraolicao por contado arrematante.
Pago da camara municipal do Rerifo, i*
de agosto de 1874
M. J. do Rego e Albuquerque,
Presidente.
Francisco Augusto da Costa,
Secretario.
^^fecMiary^pftifiipa} do fteciftViS
ai*0b ciotmrrvIJ rt *fTi>HQtllW.' M .'*m2
-iiSM:-..,:,,!! a rvrf '$&&jfaffalrffi"'
*tw;a;if>.H tb aonrl t fcer*ino.
itibL-tftssffajr' '
O president*^-pfoWacia, wb-f ropotta da l!|na.
imminaaiemk,** Recil^ cowWMte^tW.bdbio
i*Jhd.) crnle,:D. 6 i, reaelve, m eoerfarnttimto
do art. 2* da lei da 25 deoetubre do 183-1, appro-
dar #eoTisoamei)te a maatkr qae e aaectrte t
ebaarre o art. dw fottucM abaiao transcript :
Art. 1* E pohibido locar em objectes a^oai
doa jardit* pabltcoMirar Rores, aementes, ou par
ta aiguf*a. dos arroredos, ou damniBca-los por
aaakiewr (Nona : os iafractores serao uiultados
eoa W4-a area diaa de prisao, e obrigadoa a ladom-
Disar o danjno causado.
unico. Na mesma pena incorrem atjaelles que
por qaalquer lorma-dawnilicarem as arvoies plan
iodaeiBaa ruaa e praM, ,en as ga'wlas qua as pro-
tafen.4efjaamadenda roupa, obre eJUs ner
anymmj .mimnnuwer laocaodo-lhes o-alqW
subatancia que as possaprejudicar-r-Hdarif/i* Pa.
reira de Lucena. Costarme 0 official maior,
Uiii Salaaar !ilas#naa da Vaiga Pessoa. Coofrr-
a^HOaecMkaea^ftaicisoo Auguate da Cosla.
UfLA
m
impostotte dJdgii da
1872 a 1873,^fij,lhes
conformidad
aflm de recol
do prazo se ,
abaixo trans'
See
Iciattftajiotes *
eja-fticio -
I A, ttwwfo profile- 1t&ftl ft&
:ia de 9. Jose a Cargo db consul ado prorii
para stHicitarem da secjlo 96 contencioscr a* f wped
os provenieMe do mesrao imposto, ce: ios de qua wto p fuieniv #>,
ca judiciatflaetMe, /azendo sj pubR^ar para istu a reUpao du dviWtrn

evulb coDtencio* provincial d* Pernambnco, 28 de jatko de 18.
0 procurador seal,
n-t-rt-, 1 Cypriano FenelonGoedes Alcofoiadb.
lteiagso Bos devedoJe^^ decima nrbana da fregnezia de S. Jose, qae dcinraflrde
V"?
a
XX. 2*
se
IMI lh ii u na. a/i Mikiti.if ~~ m atmaiAj v i n > i i- .
Liverpool no .vapor inglea D. of Southerland,
carregados em 27 da ag-to de 73, ignora se a
ayioc a
.liop
Pela inspeetona da alfandega se (ax pbeo,
qtielele'ieade-ss*j*emaUdas at-mercadwias
baiUo -decM^atta*, amaoeladaa a leHio po e*
tiestk 17, ', vi> *?, por: faHa .de ceocurreacia
ao valor official, setransfere a mesma arrenaata-
eao para as 11 horaa da maabi do du 8 do cor -
rwlte, a porta *Ma repartieao.
r Armazem s. 5
Uarca Costa Irmio ^ C. I paewte vindo do.
Porto no navio {KKknmez Iteeife, descarregado em
W de entabro de 1873, com 2 kilos de imprsasos.
no Talor mMi
Armatema.'7
Marca L G as. 171 A 171 B 2 alados Wudos
de
derca
consignacio,cbtUebdotoda's de ferro (undid', pe-:
sando 83 kilos, no Talorde 194166.
Idem T H ns., 1,735 A 1,735 B, 1,733 C, 1,733
D' 4 diloa idem idem com rodas de ferro, pe
sando 239 kilos, no valor de 554766.
. Idem AFC n. 255 30 cainas vindas no navio-
hollaaiez C-UhiriM, detMnvgadas em 22 d
agosto- de 73 e eoasigoadas a. A. F. de Carvalho,
oonteado 50 duaiaa de frasms com lie or husperidi-
na, meJindo liiiuido.legal 4284itM4, no valor de
1;07S4360.
Trapiche Goncaicao
Marca S J Sem nu nem 2> gigas vindas de
Hamburgo no navio hamburguez Elite, descarra-
gadas em 18 da setembro de 73 a consignadas a
Moreira Monteiro & 0, om 160 litros de cidra em
raeias garrafas. no valor de 132$100.
Idem T. A. Fonseca 4 S. sem numero1 caixa
vmda no vapor portuguez Julio Diniz, deacarre
gada em 23 de ag >sto de 1873 a consigoada a Tno-
mai de Aquino Ponceea. com 89 chapfios de palha
ordiaana, no valor de 124460^).
Alfandega do Pernambuco, 3 de agosto
de 1874.
0 inspector,
Folio A. de Carvalho Iteis.
afj^vnw*
0 lllm. Sr. inspector do (hesouro provincial,
em virtude da ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia, de i do corrente met, manda fazer pu-
blico, que vao a praca no dia 6deagostoproxi-
mo futuro, peraute a junta do mesmo thesouro
para ser arrematada a quem por aaenos flzer, a
Obra do calgamento da estrada de Jaboatao, desde
a ponte de Afogados ate a barreira do Giquia,
orcada em 29:4804000 em apolices de 7 0(0, de-
baixo das condigdes infra transcriptas.
As pessoas qae se propozenu esta arremata-
gao, comparegam na sala das- aessdes da junta do
mesmo thesouro, as IS horas do. indicado dia, com
I peteotemente habilitadas.
E para constar, se mandou fazer publico no pre-
sente jcrnal.
tJjcretaria do thesouro provincial de Peroa mbu
co, 8'de julho de 1874,
0 aecretario,
Miguel Affonso" Faerrire
Qausulas especiaes para a arrematacao do calga.
memo desde a ponte dos Afoga'dos ate a bar
reira do Giquia, na estrada da Victoria.
0 calgamento desde a ptmteTloj Afogados ate a.1
barreira d Gijnia sera fait j de conformidade com)
o orgamento approvado pelo Exm. Sjl presidente
da provincia, na hnpertaneia de 19:4804000.
0 arrematante idara pThicfpio a obrS^no prazo
de am mez e a conclnira no de oito mezes, 'con-
tados da data da aasignatura do contrato.
3.'
0 pqgarBento sera -etteetndo em ffOBtro-torwta-
<9es Ifaaes, na proporclo do serrlgo exetrtttado.
Para tudo o mala qo| nio rai especificado nas
preaentes clausiias obftrfar^eitt o qae dispSe
o regulamento is 24 le trlerliro do corrente
anno.
i :AieMMtRiro a$adNUe, Francteoo Apoliwio
laaak -Gontome.- fculfciaf-nialor, fctuz SataVnir
Maaeoso da Veiga Poaeoa
Conroinee,
M. A. frntrntm.'
. SANTA CASA DA MISERICORDLA J)0
RECIFE.
A Hlma. junta admimatrativa da Santa Casa da
M'.sencordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessdes, no dia 30 de julho, pe-
las 3 horas da tarde, tem de ser arrematadae ;
mem mais vantagens offerecer, pelo tempo de urn
i tres annos/as rendas dos predios em segaida
declarados.
BSTAHELECFMF.NTO DE CAR1DADE.
Rua do Padre Floriano
Casa terrea n. 43......2014000
Rua das Calcadas
Casa terrea n. 30.......2214001
liemn. 32.........1334000
Idem n. 36........2214000
Vidal de Negreiros.
Casa terrea n. 114......3624000
Idem n. 9i.........30140C6
S. Bom Jesus das Crioulas.
Casa terrea n. 8.......224400)
Rua larga do Rosario.
i. andar e loja n 24 A.....900^000
I' andar idem........3104000
is andar n. 24.......4084000
Loja idem.........1:8004000
Rua do Amerim.
Sobrado n. 20.......301400C
Rua de Antonio Henriques.
Casa terrea n. 26...... 994000
Largo da Campina.
Idemn 11....... HOfOOC
PATRLMON10 DOS ORPHAOS.
Becco das Boias.
Casa terrea n. 39.......421400*
Rua da Lapa.
Casa terrea n. 40...... 2024000
Rua do Amorim.
Sobr.do de 2 andares n. 23 602^000
Casa terrea n. 34......1224000
Rua do liurgu.s.
Casa terrea n. 21.......1534000
Rua do Vigario.
V andar do sobrado n. 27 2434000
! andar do mesrao......3004000
Loja do mesmo.......3754000
Sobrado de 2 andarej a. 13 1:3004000
Rua do Encanamento.
Sobrado de 2 andares n. 13 1:40040 JO
Rua da SenzaUa velha.
Jasa terrea n. 132......701400(
Idem n. 25........2094000
Rua da Guia.
Casa terrea n. 13......2094001
Idem n. 29........2014000
Rua da Cruz. -
Sobrado de 2 andares n. 12 8004000
Idem n. 19.........6OO4OOO
Rua de S. Jorge
Casa te-rea n. 100......2414000
Idem n. 103........7004000
Rua de Gervazio Pires.
Casa terrea n. 2.......200400f
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as snas fiangas, ou comparecerem
acoinpanhados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem da renda, 0 premio da qnantia em
que for seguro 0 predio que contiver estabeleci
memo commercial, assim como 0 servico da lim-
peza e precos dos apparelhos.
Seeretaria da Santa Casa da Misericordia do Rt
cife, 27 de iulho de 1874.
0 escrivao,
Pedro Bodrignes de Souza.
9QKI
M\1
IT?
t;i?
lOT.f
Bit,!
OEM
saui debitos, no anno Ooanceiro de
008,'Ji
Somes.
own
et
1872-1873.
3
m*
M ta.
:
A-
m
1(5
ir
Padre Aolonio Jacome da

Vidal de Nap-e^os n. 47*
v^ Aranjo
Wu 11. 7.Antanjo Fnmaietr Pereira
Dita n. 119.-Anna Ameiido Rego Mello
Dique n. 22-^ntonio Sofcra de Almeida
Dita n. 24.0 mesmo .
Domingos Theptonio n. 4fc,~ifcnlooio Marcelinode S.'uia
Santa Rita n. 62. Anlwio Luciano da Morae* Mesqoita Pi-
menm
Dito n. 4I.-Aajonio Frajico Pereira
Dila i>. 87.-AieKaBdrino Ifeatins de Barros Correia
S. Jose n. 23.Antonio Martelino de Souza
Imperial n. SO.-s-Anna jy^ocisca de Azevedo
Dita b. ll'J.-ABua Joaqauoa da Silva
Dita n. 230. Amaro Anloaio de Farias
Dita n. 282.-rO mesmo
Dila a. 28i.-0 giesmo
Dita n. 75.Angela Custodia Maria do Sacramento
Dita n. 85Ailonio Maria de Miranda Seve
Dita a. 153.AnUinio Joaquiui de Muraese Silva
Dita n. 253 A.Ambrozio da Silva Ribeiro
Cabanga n. I.0 mesmo
Dita 0. 3.0 mesmo .
Dita n 26Antonio J aquim de Mello
Marsilio Dias n. 78. Antonio e Josepba, Blhos de Joao Fran-
cisco de Lima
Dita-n 96-Hdrdeiros de Anlonio M.ia Cortes
Vidal de Negreiros n. 46.Anna Ignaci,da Virgens
Coronel Suassupa n. 143.-Herdeiros de Antonio Jos6 P-nlo
Dita n. 147.Os mesmoa
Dita n. 149.Os mesmos
Dila n. 137.Os mesmoe
Travessa do Poeinho n. 25.Filhos de Anna Francisca da Cos-
ta oliveira Guimarias
Padre Nobrega n. 9. -Augusto Cesar da Rocha Falcao
Cadeia Nova n. 12.-Antonio Francisco Marlins de Miranda
B
Antonio 11 rarique n. 22.liernardino Jose Leitao
Uiu n. 21.-0 mesmo
Padre Floriano n, 61.0 mesrao e outro
S. Jose n. 47. Baroneza-de pmbres
Pescadores u. 2t.-Benudicto Jose Daarle Cedrim
Dita n. 23.-0 me mo
Luiz de Mendonca n. 12.Barbara Fraacisca do Rego
Dila n. 14.A mesma
Dila n. 16. -A mesma
Dita n. 18.tA mesma
Travessa da Via Ferrea n. 2.Boaventura Apoiinario das Ciu-
gas
Dita n. 4.0 aesmo
Dias Cardoso n. 3. Bento dos Santos Ramos
Domingos Theotonio n. 17.Baiao de Una
Antonio Henrique n. 11.0. mesmo
Pescadores n. 4 0 mesmo
Pule n 46. Bernardino Goacaivcs Salgado
Travessa da Via Ferrea n. 6. Boaventura
Cliagas


BiblioClieca Provincial. "
0 abaixo assigoado, enoarregado da'Bi-
bliqtheca provincial, tendo veriflcado pel>
exame/a que procedeu, a'vistados cathalo-
gos, a-falta dedirersas obras e demuitos to-
luoaes, deixndo truncarJas algumas obras
importantes, entre outras, por ex., as obras
deDalloz, MerTtn,Cuvier, Diccionario do
Conversacao, Rohrbacher, Historia da,
Igreja, <&, caja iista, por extensa, deixa de
ser pnblicacfa ; e nao sabendo em poder de
quem existarn esses livros, por nSo ter acha-
ddjassento ou decldraga'o alguma, qua 0 po-
desse orientar a tal respeito, vem por este
meio rogaf w pessoas, em ciijo poder se,
achem porventura algumas das ditas obras,,
0 favor de maudal-as restituir d Bibliotbeca
provincial.
Espera 0 abiixe assigaado do patriotismo
dasv^aiolsi qaem Tecofre,* #liluig8o
das drtas Obras, .para que possam uHIbar4
fonoS em "geral.
Recife, 4 de agosto-4e 1874.
bibliovbecario.
M'.sA. 'd4 $wHk -Btoikira. ___
" '' 1 .'nr.i-iUj. "'
Pag*-se o'4t.^ ^Htftlendo das kcgoeB do
Banco do fcraail, ittedriptas m baiaa filial
dOSta^prbiTltwt*, tia ratio de eooo porac-
Q0: 4 rua da Vigario n 1.
Apoiinario das
C
Lomas Valenlinas n. 2j.Confrariade Noasa Senhora Sanl'An-
na do Cabo
Coronel Sua-suaa n. 97.Caddido Fraa;isco Gomes
Dita 11. 99.0 mesmo
Cadeia Nova n. 10.-CamilloLelis Narciso da Silva
Vidal de Negreiros n. 130.Candido Jose da Fonceca.
Ditan. 132.-0 mesmo e seus Dlhos
Dila 11. 93 A.Companhia de asseio e limpeza da cidade
Dila n. 135 -Viuva de Candido Jose Lisboa
Jardiin n. 37.Clorindo Ferreira Catao
Marsilio Dias n. 112. Claudina Martinlia do Sacramento e
outro
Vidal de N greiros n. 158.Os mesmos
Dita n. 160.-Os mesmos
Dila n. 162. -Os mesmos
Travessa do Forte n 4.Os mesmos
Dila do Peixolo n. 1.Os mesmos
Dila n. 3.-Os mesm:s
Dila n. 5Os mesmos
Dita n. ".- Os mesmos
Dila n. 9.Os mesmos
Dita n. II.Os mesmos
Dita n. 13.Os mesmoe.
Imperial n. 167. Os mesmos
Dila n. 171.-Os mesmos
Novo de Santa Rita n. 68. Convento de Nosaa Senhora do
Carmo do Recife
Ditan. 4b'.Conslanca Conciliana B. de Mendonca
Ypyranga n. ll.-Co'sme Damiao
Imperial n. 117. Filhos de Carlos Ernesto de Mesquita
Falcao
D
Marcilio Dias n. 133. -Dionysio Hilario Lopes
Imperial n. 183 0 mesmo"
S. Joao n. II.Domingos da Costa Monteiro
Marquez do Herval n. 153.Diohyso Goncalves Maia
Vidal de Negreiros n. 116.0 mesmo
Travessa do paleo do Forte n. 16.-Delfina Custodia
F
Coronel Suassuna n. 176.Francisca Maria da Conceicao
Vida! de Negreiros n. 34. Francisca Thomazia ConceicJo
Cunha
Dita n. 186.A mesma
Travessa do Prata n. 1.A mesma
Dita n. 3.A mesma
Dita n. 5.A mesma
Travessa do Peixotou. 15.A mesma
Dita n. 17.A mesma
Padre Nobrega n. 2i.Francisco Camello Passoa
Vidal de Negreiros n. 143.Francisco Gomes Ferreira de Sa
Leitao
Travessa do Prata n. 20. Herdeiros de Francisco Jose Bar-
bosa
Domingos Theotonio n. 50.Francisco Pereira Meirelies
Jardim n. 41.-Francisco Antonio das Chagas
Nova de Santa Rita n. 43.Francisco Boteiho de Mendonca
Travessa de S. Jose n. 3.0 mesmo
Pescadores n. 13.Frapcisco Theodoro do Rego
Travessa do Peixoto n. 26.-Francisco Jose da Costa
Imperial n. 44.Francisco Ribeiro Pavao Junior
Dita n. 74. -Fernando Jos6 Correa
Dita n. 107.0 mesmo
Dita n. 152.Francisco Jose Muniz da Costa
Dita n 154.-0 mesmo
Dita n. 103. Frederico de Souza Gomes
Travessa do Freitas n. 10.0 mesmo
Cabanga n. 44.Felippe Pommores Frances
CS
Coronel Suassnna n. 104.Galdjno Temistocles Cabral de Vas-
concello3
As3Ump;ao n. 460 mesmo
Santa Rita n. 75.0 mesmo
orConel Suassuna n. 187. Guilherme Nobre de Almeida
Motta, e outro
Padre Nobrega n. 66.Gertrudes, Lucino, e outro
Dita n. 25. -Guilherme Augusto Rodrigues Sette
Ditan. 12i.Guilherme Francisco de Carvalho, e cuiro
Domingos Theotonio n. 52.-Geraldo dos Santos Mendonca
II
Travessa do Marisco n. 14. Hermenegildo SeTerino Gon-
calves
Dita n. 160 mesrao
32.4W
61,200
32,400
8,640
10,800
15,150
10,800
21,600
21,600
27,000
11,960
37,800
8,6i0
5,400
6.480
6.4W)
3,780
70,200
9,000
2,160
2,160
10,800
54,000
27,000
17,286
72,000
00,480
Si-IJO
77,760
5,400
H*f
6,480
6.480
11,880
19,440
27,000
27.0LO
8,610
10,8.0
10.8L0
K.,800
5.4C0
5,400
19,440
4,3*)
5,400
8,640
10,800
5,400
21,600
78,880
-W.7G0
17,2811
18,000
13,500
900,000
21,600
21,600
122,760
39,960
21600
121,600
10,800
15,120
15,120
i:.,i20
15 120
12,960
' 10,800
12,960
19 440
27,000
15,120
i3.oiii>
6.480
81,000
27,0oo
10,800
27,010
27,t;0
12,960
27,000
27.CH)
10,800
10.800
10,800
21,600
12,960
50,760
I
Bom
27,000
6,480
17,280
81,000
17,280
17,280
15,120
13,5.0
18,00*)
10.800
17,280
I1.S99
5,400
10,800
45,000
64,800
27,fOO
39,960
45,000
6,48)
21,600
13,500
17,280
8,610
8,640
Jesus
Vidal de Negreiros n. 19.Irmandade do Senhor
das Dores
Assumpcio n 75.Irmandade do Senhor Bom Jeans dos Mar-
tyrios
Domingos Theotonio n. 89.A mesma
Assumpcao n. 78.Ignacia Josepha da Jeans
Domingos Theotonio n. 7. Irmandade do Senhor Bom Jesus
dos Afflictos
Jardim n. 31Irmandade de Nossa Senhora do Livramaoto
Ditan. 34.A mesma
Dita n. 36. A mesma
Jardim n. 38.Irmandade de Nossa Senhora do Livrameoto
Dita n. 40.A mesma
Forte n. 9.A mesma
Dita n. H.-rA-mesma
Dita n. 13.A mesma
Dita d. 15. -A mesma
Dita a. 17. A mesma
Dita n. 19.A mesma
Santa Cecilia n. 17.A meama
Diia n. 12.A meama
Jardim n. 31-lrmanaade "de 'Nossa Senhora da Paz da Sole-
dada .
Santa Rita n. 67.--A mesma
Santa Ceeilia n. 19.-Irmandade de Nossa Senhora do Rosario
de Santo Antonio
Dita n. 41.-Isaeel Maria da Fonseca Soares
>onel Snassana n. 484- faXo Pmto de Mattos Lemoa
^ira' n.' IBS. -lose de Freitas Baft***
S. Joao n. l-OWUlilB
lo.l*0
9.7SO
1M
88
486
1,944
7,095
2.118
l..ia5
1620
1,215
81,000
1,944
1,944
11,408
3,596
1,944
1,944
972
1,360
1,360
1,360
1,360
1,136
972
1,136
1,749
2,430
1,360
IMS
58J
21,600 1,944
7.290
i,4:so
972
2.430
2.430
1.166
32,400 2,916
2,430
2,430
972
972
972
1,944
1,136
fc,M
16,200 1,458
2.430
-,XS
1,555
7,290
1,555
1,555
1,36
1,215
1,620
972
1,215
486
972
4,050
5.832
2,430
3,596
4,050
583
1,944
1,215
1,555
777
777
27,000 2,430
1,360
874
1,360
972
874
874
874
874
874
583
683
883
K3
*
97>
563
I.SU
1,555
US
71
M
M
V 5
1 \
11.772
16,480
5,8*;
I4,s
14,1*6
12,949
21,189
44,733
11,772
21,1*7
11,772
o.S^..
m0*
111,871
19,6K>
tVis
981,080
i,.iV
MM
134,l6t
392,727
16,48:.
14,710
7,08.!
23,54'.
117,7*i
,772
li.lts
3j,3I6
131.81"
55.32H
7,06t
18.83-.
107.12-
i8.8:v;
If. wo
14.71:
HJM
3 }.:.'>
.430
19.'V
143,'WS
49,0*'
7, 23.5i'
14,71.-
18,83'
Up*
29,4>
27,071
16,48t
23.544
117.714
tt,379
.19.6*.
14426
11^72
ItMti

- '


' ww
,^_-~
#
Diario do Pernambuoo Quajfoj feira 5 d* AgoifttydflAfS^

"X


-

<
I
.
Coronel Suassuua n. 288.Joanna Militana de Jesus
Wll B. WO.A UMMU
JNta n. 118.A mesma
Vi.lai de Nefreirot a. 461.A meant
Dila n. KJC.-A mejraa
Dili n. 1H0.-A mesma
Dili n. IW.A bmh
DiU o. HI4.-A mesma
Ypiranga a. 1.A mesma
DiU n. 3.A m^att
Ditun.*_iBwsnu
.-dill n. 7A mesma
Imperial n. 169.A mesraa
Dila n. 173.A'mesma
S. J>ao u. 57.-Josi Ignacio d'Avila
Dila n. 19.O mesmo
DiU n. 61.O mesmo
Dila n. 63.0 mesmo
Maruuez do Herval n. 140.- 0 mesmo
Neva de SanU Rita o. 49. -0 mesma
Dita n. 81.0 mesmo
Coronel Suasiuoa u. 278.-Herdeiros de Jose. Maria de Jesas
Muniz
Diia n. 280.-0 mesmo
Padre Nobrega a. 78.-0 metmo
S. Jolo a. 81 A.Jose Ramos da Silva
Coronel Suassona n. 235. Joao Rodrigaes Lima
Vidal de Negreiros n. 110.0 mesmo
Dila n. 2110 metmo
Imperial n. 219-Jo-e Prancisco de Soara Lima
Dila n. 159.-0 mesmo
l.a travessa da Cabanga n. 1.- 0 mesmo
Trivesaa da Via Ferrea n. 10 mesmo
Di.a n. 4.-0 mesmo
Di a n. 6. 0 mesmo
Dila n. 80mesmo
Dila n. 11-0 mesmo
DiU o. <0 mesmo
DiU n. 3.0 mesmo
DiU n. 5.-0 mesmo
DiU n. 7.0 mesmo
Dila n. 9.0 merino
Di'.a n. {l.-O menno
Via-Fema n. 1-0 mesmo
Diu n. 4.-0 mesmo
DiU n. 11.0 mesmo
Diu n. 16.-0 mesmo
Via-Ferrea a. 18.Jose Francisco de Souza Lima
Palma n. 119,-Filbos de Jose Joaquim Vieira
Jardim n. i0.-Pilhes deJose Joaquim de Lima
Antonio Henrique* n. 4.Filhos de Jose Rodrigaes dos Passos
Nova de Sanu Riu n. 36.Idem, idem
DiU n. 40.-Idem, idem .
Palma n. 123.Herdeiros de Jose Hygino de Miranda
2!- de Maio n. If.Oa mesmos
Imperial n 221-Os mesmos
Dias Cardoso n. 84.-Jos6 Lino Bezerra
DiU n. 90.-0 mesmo
Pidre Nobrega n. 18.Joao Lniz Ferreira
DiU u. 20.0 mesmo
Dila n. 21-0 me^-mo
Diia n. 30. Vigario Jao Jo*e da Costa R beiro
Dia n. ;i3.Joao Ferreira Pinto Guimaraes
Di;a u. 370 mesmo
DiU q. S3.-Joaquim Francisco de Albuquerque Santiago
Dita n. 53.Joao Pinto de Lemos e ontro, parte
Bi ceo do Cardoso n. 1Jose de Medeiros Tavares
Travessa do Cardoso n. 6.Joaquim Moreira Pinto
Antonio Henrique n. 12.0 mesmo
Travessa do Caldeireiro n. 7.-Jose" Domingues Codeceira
Vidal de Negreiros n 31.Vinva e herdeiros de Jose de Oliveira
Dita a. 93.Fiihos de Joao Rodrigues de Moura
Forte n. 58.-0 mesmo
Inperial n. 65Jose Maria das Chaeas
T-avessa de Marlins n. 2.Joaquim Alves de Carvalho
DiU n. 4.0 mesmo
Cibanga n. 5*.Joao Miguel da Silva
Diqne n. 26.Jose Joaquim Nobre de Almeida
Diia n. 28.0 mesmo
Doraingos Theotonio n. 28.Joao Pedro da Rocba Pereira
Dila n. 42.0 mesmo
Dita n. 58.-0 mesmo
DiU n. 22.-0 mesmo
Padre Floriano n. 70.Filhos de Josd Nicolao Regueira Costa
Ciiristovao Colombo n 7.Januaiio Antunes de Lima
Njgueira n. 2.-Josefa Maria dos Prazeres
SanU RiU n. 50.A mesma
D.U n. 91.Herdeiros de Jose Antonio Lopes Chaves, e ontro
Nova de SanU Rita n. 9.Joao de Brito Correia
Dita n. 11.0 mesmo
Largo do Forte n. 4.-Jose Francisco de Brito
Imperial n. 158.Joao Paulo de Souza e ontro
Diun. 31.Herdeiros deJose da Silva Saraiva
Jardim n. 30. Herdeiros de Luiz de Franca Souto
Coronei Suassuna n. 42.0 mesmo
Travessa de Freitas n. 40. Lnfz Francisco de Paula
\ia-Ferrea n. 17.Lourenco Maria do Espirito Santo
M
Lomas Valcntinas n. 37.-Migutl Francisco de Souza Rego
Coronel Suassuna n. 870 mesmo
I. Theotonio n. 9.0 mesmo
Travessa de S. Jose n. 11.-0 mesmo
Diia d. 16.- 0 mesmo
Dila n. 18.0 mesmo
loperii.1 n 255.-Manoel Cypriano Ferreira Rabelio
D.ta n. 257.0 mesmo
Tiavessa Baodeira n. 26.-0 mesmo
Dita n. 28.0 mesmo
D.ta n. 30.-0 mesmo
Diia n. 32.0 niesrno
Becco Jo Cypriano n. 1.Manoel CyprianoFerreira Rabelio
Dito n. 3.O mesmo
Eito n. 3.-0 mesmo
Cabangan. 20.-0 mesmo
Eita n. 22.0 mesmo
Coronel -uassuna n. 158.-Maria Francisca d'Annunciacao
Dita n. 166.Maximino Jose de Barros
Santa Rita n. 95.0 mesmo
Coronel Svassuna n. 266.-Maria da Pa'xao Albuquerque
Eita n. 107. Marianna da Crnceicao Pereira
Eita n. HI.Maria Joaquiua dc Oliveira Campos
Eita n. 229.-Militana dos Santos Jorge
Becco da Palma n. 2.Manoel Felisardo
Lias Cardoso n. II.- Maria Felicia da Soledade
Travessa'do Gas n. 12.Manoel do Nascimento
Vidal tie Xegreircs n. 56.Manoel Felix da Silva
Frci Henrique n. 1.0 mesmo
Vidal ie Ncgreircs n. 3. Manoel Goncalves Ferreira e Silva
(ret to)
Eita n. i7. -Manoel dos Anjos Ferreira
Dita n. 123.-.Maria Amelia do R?go e outros
Domingos Theotonio n. 60.Miguel, Tbomaz e Maria
ladreFloriain n. io.Maria Joaquina Machado Cavalcante
Jardim n. 4.Maria de Santo Amaro
I'ita n. 15.Mancel Alves Gnerra
Travessa do Forte n. 22.Maria Jaaqnina de Paula Chave;
Bec:o Jo Viveiro n. 5.-Manoel das Dores
I'ita n. 7.0 mesmo
Dita n. 9.0 mesmo
Travessa do Lima n. 3.Manoel Peieira de Magalbaes
Dita n. 5.0 mesmo
Dita n. 7. 0 mesmo
nova de Santa Rita n. 27.-Mancel Gomes da Silva
Nogueira n. 4 i.-Fiihos de Maria Carolina de Brito Carvalho
SanU R ta n. 57.Maria Francisca do Rego Monteiro e ou-
tros
DiU n. 81.Maria Victoria de Sa Leitao
S. Jose n. 28.-Maria Magalhaes Ferreira dos Passos
I'ita n. 38.-Manoel Dias da Silva Santos
Diia n. 45. 0 mesmo
Pescadores n. 2.Maria Joaquina da ResurreicSo
Imperial n. 14.Maximino Jose da Costa Andrade
Dila n. 7.Manoel Jose Carneiro
Dita n. 247.Vinva de Maihias da Costa Oliveira
Luiz de Uendonca n. 20.Maria Amelia do Rego e outros
Ma Ferrea n. 7.Manoel dos Santos Villaca
Diu n. 9.-0 mesmo
Cabanga n. 42.Maria Ursula dos Prazeres
Vpiranga n. 4.-Pedro
(resto)
Aureliaco da Cruz
P
3/nniz
e ontro
Santa Rita n. 59.-Rosa Maria da Conceicao e outros, (restos)
Via Ferrea n l.-A mesma
Idarquez de Herval n. 131.Rom Candida Conceives Fer-
reira
Passo da Patria n. 16.Rodrigo Pinto Moreira
H
Vidal de Negreiros n. 79.Senhorinha Maria Monteiro Barral
Imperial n. 138.Sebastiao Marques do Nascimento
Travessa do Freitas n. 38.Senhorinha Tiburtina de Jesus
Pessoa
T
Dias Cardoso n. 64.- Herdeiros de Thereza de Jeras
SanU Rita n. 3.Theodora Joanna e ontro
Diu n. 29.Tbomaz Pereira Porto
DiU n. 20.0 mesmo
Imperial n. 97.Thomasia Maria da Conceicao
Coronel Suassuna n. 160.Umbelina da Silva Qneiroz
Dias Cardozo n. 29.0 mesmo
Nova de SaoU Rita n. 67.Wilson Hett
Marquez de Hervai n. 141.Vicente Ferreira de Souza Reis
Palma n. 122.0 mesmo
Sea;Ho do contencloso do thesouro
?!:SS
13,800
\ 8.440
18,440
17,000
17.000
17,000
10,800
10.800
10800
10,800
17,180
32,400
10,800
10,800
10,800
36,000
18,900
13,500
17,000
71000
71,000
27,000
19,440
10,800
11,980
15,120
31,400
81,000
8,640
5,400
10.800
10,800
10,800
11,960
15,120
15,120
15,120
15,120
15,120
15,120
11,960
10,806
17,280
15,120
15,120
19,440
32,400
17,280
17,280
14,040
34,560
19,440
16,200
27,000
21,600
27,000
27,000
16,200
36,000
12,960
17,280
7,560
7,152
2,700
15,120
17,280
10,800
73,440
36,000
12,960
12,960
5,400
5,400
3,240
10,800
12,960
19,440
21,600
21,600
21,600
21,600
7,560
10,400
24,850
13.500
32,400
13,500
49,680
9,710
5,400
21,600
21,600
8,640
6,480
21,600
17,280
21,600
12,690
12,960
12,960
21,600
10.8C0
10,800
10,800
10,800
10,800
5408
6,480
6,480
2,160
2,160
17,280
10,800
6,480
21,600
17,280
10,800
12,960
10,800
15,120
5,400
13,500
5.4CO
7,200
12,960
21,600
10,800
19,440
10,800
14,040
22,760
5,400
6,480
3,210
21,600
21,600
19,440
32,400
27,000
16,200
32,400
7,560
7,560
4,220
17,280
21,600
21,600
5,400
12,960
4,320
4,320
2,700
8,640
5,400
27,000
16,200
13,500
27,000
6,480
22,760
51 810
13,500
6,480
10,800
16,200
15,120
45,000
21,600
12,960
1,944
1.V44
1,118
1,719
1,719
2.430
2,430
*
971
971 .
971
1,555
1,916
971
972
972
3,240
1,701
1,118
1,430
6,480
6,480
2,430
1,749
97*
1,166
1,360
2,996
7.290
777
486
972
972
971
1,166
1,360
1,360
1,360
1,360
1,360
1,360
1,166
972
1.555
1,360
1,360
1,749
2,916
1,555
155
1,263
3,207
1,749
1,458
2,430
1,944
2,430
2,430
1,458
3,240
1,166
1,555
680
643
243
1,396
1,555
972
6,600
3,240
1,166
1,166
486
486
291
972
1,166
1,748
1,944
1,944
1,944
1,944
680
972
2,235
1,215
2,916
1,215
4,471
874
486
1,914
1.944
777
383
1,944
1,555
1,944
1,166
1,166
1,166
1,914
972
972
972
972
972
486
583
383
194
194
1,555
972
583
1,944
1,535
972
1,166
972
1,360
486
1,215
486
648
1,166
1,94 i
972
1,749
972
1,263
2,138
483
583
291
1,944
1,944
1,749
2,916
2,430
1,458
2,916
680
680
388
1,555
1,944
1,944
486
1,166
388
388
243
777
486
2,430
1,458
1,215
2,430
583
2,138
4,665
1,215
583
972
1,458
1,260
4,050
1,944
1,166
293,710
139,302
186,390
21,189
42,378
365,004
21,189
35,316
32,973
76,614
52,974
76,518
39,240
32,961
8,240
7,795
2,943
35,351
11,772
80,049
53,366
14,126
11,772
3,531
25,898
91,821
25,544
8,240
38,817
14,715
50,031
54,151
10,594
5,886
47,088
9,417
7,063
108,311
107,124
18,835
18,835
23,344
18,835
11,772
13,126
11,772
16,480
5,886
20,601
7,848
14,126
23,544
11,772
21,149
11,772
14,303
25,898
10,481
68,279
35,316
29,430
17,658
35,316
8,240
12,948
18,835
23,514
23,544
5,885
14,126
9,416
2,943
94,500 7,603 102,103
provincial de Pernamtnco, 28 di julho de 1874.
0 L official,
Horatio Walfrido Peregrino da Silva.
9,417
5,886
29,430
17,658
14,715
29,430
7,063
25,898
56,505
21,778
11,772
34,138
49,050
37,670
Do Joaqaim Jose da Silva Figueiredo e Cvprtoap
da CosU Almeida, sob a firma de Figueiredo &
Almeida, com o capital de 3:0OJf, para o eoraraer-
eio de molbados, a roa do Gervaslo Pires dasu
ddade.
De JoSo da Silva Pimeatel e Lino Leocadio Re
gallo Brags, sob a firma de Pimeatel Brafa 4C
torn o eapiul de MbOOOd, fn o eowerio e
fazendas, na loja ami roa do Uvramento dtsU
eidade.
Do Fraaelsco Rodngnes da Silva e Hermenegil-
do da Silva Lopes, sob a firma de Rodrigues 4
Lopes, com o eapiul de 6:3194880, para o oam
mereio de (novels e seo fabric*, bo arnusem sMo
a roa esireila do Rosario desu cidade.
De Pedro Emilio Robert e Domiagos da Foaoeca
Souno, sob a firma de Bmilio Robert k C, com e
eapiul de22:85V38, para o commercio de mo-
sicas, iBrinmeotos mnsicaes e dlversas qniaqui-
IbariM, aa tola sMa a roa do Barao da Victoria
dastactdade.
De Araujo Cesar & Filho, de coja firma fazem
prte Joao de Araujo Cesar e Francisco Horoocio
de Araujo Lima, com o eapiul de 4.088*930, para
o commercio de eompra e vends de miodesas, oo
esubelecimento sito a rua da Imperatri: desta ci-
dade.
De Eduardo Martinez e Izidro Alves Cadabide,
sob a firma de Marlines & Alves, com o capital de
4:880*, para o commercio em urn hole! sito a roa
de Thome de Souza desU cMade, denominado -Bs-
trella do Norte.
Dlstratos.
De Manoel Jose Martins das Neves e Antonio de
Souza Rego, ticando este incumbido da liquidacio
dos compromiases da exiincu sociedade, e obriga-
doa eniregar ao ex socio Neves as quiu;5es de
Ues creditos.
De Silva k Ribeiro, de euja firma faziam parte
Joaquim Ribeiro da Silva e Manoel Luiz da Silva,
ficando esle ebrigado pelo activo e aasstvo da ex-
tincu sociedade.
De Pimeatel, Braga 4 C., de cuja firma faziam
parte Joao da Silva Pimentt 1 e Lino Leocadio We-
gallo Braga e um coramandiUrio, retiiando-se o
socio comnunditario pago do sen capital.
De Duarte Antonio de Miranda k C, de cuja
firma fazia parte Bernardino Alves Ferreira, reti-
rando-se esle pago dos lucros, e ticando o activo e
passivo a cargo do ex-socio Miranda.
Secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco, 3 de agosto de 1874.
0 oilicial-maior,
Julio Guimaraes,
ADM1NISTRACAO DOS CORREIOS DB PER-
NAMBUCO, 1* DB AGOSTO EE 1874
Walofie da corrupondeitcia regittrada (tem valor)
rtctbtda de diversas procedenciat ati eita data
t f *e ado tem tido enlrfgue por ignorar-se a$
residenciai dot dettinalario$.
SAsiolpho Adolpbo de Paiva Vianna, Amaro Au-
sto de Barros Corrcia, Albino Goncalves Meira
Vasconcellos, Antonio Joaquim Soares, Albino
Joie Moreira de Sooza, Bento Joaqoim Gomes,
Christovao das MerceU GoBcalves Guerra, Constan-
cia Bellarmiaa da Souza Lint, Fernando da Silva
Menfles, Franeisco Oclavlo Ramos, Francisco Bpi-
pbanio Goncalves da Rocba, Francisca Felismina
de Albnquerque Mello, Itmael Rodrigues Vianna,
Idalino Fernandas de Souza, Joaquim das Chagas
de Jesus, Jose Lourenco da Silva Milanez, Jose Aa-
vier Faustino Ramos, Jovino Bandeira de Mello,
Laurino de Moraes Pinheiro, Manoel Antonio de
Albuquerque Machado, Malheor de Siqueira Ci-
mario, Manoel Pedro da Silva, Maria da Resur-
reicio dos Santos Larre, Presidents da sociedade
liberal, Sabino da Silva Correia.
0 ofli;ial, encarregado do registro,
Jos6 Candido de Barros,
-
-

AVISOS MABlTmeS
Binco Commercial de Per-
nambuco.
A directoria do Banco Commercial de Pernam-
buco, convida os Sr'. accionistas a rtunirse em
assemblea geral, co dia 20 do correnle, ao meio
dia, na casa do banco, a rua do Vigario n. 1, pa-
ra serem apresenudos o relatario e balanco rela-
tives ao anno social findo em 30 de junho proximo
passado.
Recife, 3 de agosto 1S74.
Os direetores.
Joio da Silva Regadas,
Antonio Jose Leal Reis.
Francisco Ferreira Baltar.
Cbiiipanhia Phenix .'ernainlw-
cana.
De conformidade com cs arts. 18 e 19 dos esu-
tntos, vendem-se dez accoes de n. 1,31.1 a 1,310
da companhia de seguros marilimos e terrestres
Phenix Pernambucana. Os pretendentes sao con
vidados a apres- ntarem as suas proposias em car
ta fecbada ate o dia 14 do corrente, por interme-
dio do correlor Pedro Jose Pinto.
Companhia Phenix Pernambucana, 3 de agostoJ
de 1874.
Os direetores,
Luiz Duprat.
Joao Jose Rodrigues Mendes.
Antonio Gomes Miranda Leal.
INSTTU10 JMCHEOLOG C
GRAPHICO PERNAMBU
llavera sessao ordinaria quinta-feira, 6
do correute agosto, pelas 11 boras da ma-
oha.
ORDEM DO DIA.
I.' Negot-ios adisdos.
^. Parcceres e mais trabalhos de c^rn-
missoes.
3. Palestra litteraria.
Secretaria do Instituto, 3 de agosto de
1874.
Jose Soares d'Azevedo.
Secretario perpetuo.
Umpanliia Fidelidadc
scgni'os maritinios o terrestres
A agencia desta companhia toma seguros ma-
ritim s c terrestres, a premios razoaveis, dando
nos ultimes o solo livre, e o setimo anno gratuito
ao seguradi.
Falieiaoo Jose Gomes,
Agente.
Cihras fiiililares
Tendo ficado sem elTeito a arremataeao das
obras do quartel do Hospicio e do hospital militar,
sao ellas de novo postas em concurrencia para se-
seni contratadas, servindo Jo base as lanjos offe-
recidos, os quaes foram : para as do quartel
3:600J, e para os do hospital 1:1905. As pessoas
que prelenderem encarregarse destes services,
apresentem suas proposias em carta fechada, na
repartigao das obras publicas, no dia 10 de agosto
ao meio dia. Os orcamentos acham-se na mesma
reparticao.
Recife, 30 ilB iulhode 1874.
0 engeDheiro das obras militares,
Chrysolito F. de Castro Chaves.
Hassa lalliila
DE
Amorim, Fragoso, Santos
8 dividendo de 1,93 |ior cento.
Paga-se o ultimo dividendo as quintas-feiras,
das 11 horas da manna a 1 da Urde, no escripto-
rio da ma do Vigario n. 13, 1* andar.
Os Srs. credores queiram vir logo receber, pois
tem de ser recolhidas ao deposito pub'ico as quan-
lias que nao forera procuradas ate o dia 15 de
agosto proximo.
A arremataclo em hasta publica da casa ter-
rea, proprio nacional, sila a rua do Pago Castelha-
no, na cidade de Olinda, foi transferida para o dia
5 de agosto proximo future, servindo de base
para a sobredita arremataeao a quantia de......
2:050j, j que tudo se declara para conheciraento
de quern interessar.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 29 de junho de 1874.
0 2. escripjnrario, servindo de secretario,
____________Carlos Joao de Souza Correia.
Associacao Commercial-
Beneficente
N3o se ttndo reunido numero sofficieote
para constituir a assemblea geral desta as-
socia'gao, sSo convidados os senhores so-
Cios para o dia 6 do correute, ao meio dia,
quaodo se constituira a assemblea com o
numero que se reunir.
Recife, 3 do agosto de 1874.
Daniel C. Ramos.
___ SeereUrio.
2-
Palhabote cJoven Arthur*
Vende se eu navie prompto de am todo para
navegar, e feito de madeiras do Brasil, esU anco-
rado no quadro da dasearga : at preteodeotes po-
derio examinar, e para tratar com Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo, a roa do Boo Jesus n. 17.
COMPAHHIA PEfiNAMBUCAIU
ff. DB
M*vga%^U etelrei a
Macei6, escalas, Penedo e Aracaju'.
0 vapor Jaguaribe.
commandante Jnlio,
segnirapara os por-
tos acima no dia 14
do corrente as 5 be ras
da urde.
Reoebe carga ate o dia 13 do corrente, encom-
oendas, diaheiro a freie e passaaen, ate as t bo-
ras da Urde do dia da sahida : escriptorio
no Forte a Mattoa o. 11

pim um
Pacific Steam Navigation Companj
ROYAL MAIL STEAMER
Cotopaxi
(DE 4027 TONALEDAS)
Commandante Bax.
Espera-se dosaor-
tos do sul ate" o dia 4
de agosto, e depots da
demon de costnme
seguira para Liver-
.....puol, tocando em Lis-
boa e Bordiot, para onde recebera passageiros,
sneommendas, carga e dinheiro a frete
N. B.Nao sahira antes das tree horas da Ur
le do dia da sna ehegada.
AGENTES
Wilson Rowe A C
UPRAgA DO COMMERCIO-U
O aptacbo portuguei Vanda, eapitao Pedro A.
P. de Barros, vai saair breve, e reeebe alnda al-
guica earga : trata-se com Silva Guimaraes 4 C,
fargo doCorpo SanM b. andar.
Pacific Steam tomption (lompanj
ROYAL MAIL STEAMERS.
(De 8,829 tonelados).
andante Ci. IV. Conlan.
Espera-se da Enropa ate o
dia 16 de agosto e seguira
para Bahia, Rio de Janeiro,
Montevideo, Buenos A y r e s,
Valparaiso, Arica, Islay e Cal-
lao, para onde receber a pas-
sageiros, encommendas e dinheiro a frete.
\ B.Nao sabirao antes das tres horas da
tarde.
OS AGENTES
Wilson Rowe C
(jRUA DO COMMERCIOU
Companhia de navegacfto a va-
por bahlana, limitada
Macei6, Penedo, Aracaju e Babia.
E' esperado dos portos
do sul ate o dia 8 de
agosto o vapor S. Salvador
o qual seguira para os por-
tos acima no dia seguin-
te ao da sua ehegada.
Recebe-se carga, passageiros e diaheiro a frete
Agente
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
57-RuadoBom Jesus37
Para.
Pretende seguir para o indicado porto com mui-
U brevidade a escuna portugneza Christina, por
ter parte da carga ; e para a que Ihe falu trata-
se com os consignaUrios Joaquim Jose Goncalves
Bel trap & Filho, a rua do Commercio n. 5.______
COMPANHIA BRASILEIHA
DE
\AVEGACAOA VAPOR
Portos do norte
Commandante Carlos Gomes
'E' esperado dos portos do sul
inclusive o da Victoria ate odia
8 do corrente e seguira para
os do norte depois da demora
do costume.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
trala-se no escriptorio.
7-RUA DO VIGARIO-7
Pereira Vianna & C.
PARA E
A escuna Georgiana tendo engajado parte de
seu carregamento para o Para, recebe tambem
para o Maranhao, caso conveoha fazer a escala
a vista do frete que appareccr: a iratar na rua do
Amorim n. 37.
Libras estcrlinas.
Yendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio n. 42.
TRIBUNAL BO COMMERCIO DE PERNAM-
BUCO.
Ssu secretaria faz pnblico que foram arcbiva-
dos, na forma da lei, no mez proximo passado, os
j eguintes contralos e distratos de sociedades eont
uierciaes :
De Marcelino Jose do .Brito e Jose Joaquim da
-i>ilva Gomes, sob a firma' de Marcelino Jose de Bri-
to C. com o capital de 8:000*, para o commer-
cio de drogas e nanipolacao de remedies, na pbar-
macia sfta ao largo da matriz de Santo Antonio n.
11 A.
De Joa"quim Lopes Machado & C, de enja firma
tambem faz parte Francisco Dia; Podngnes Sa-
raiva, com o capital de 15:842*243, para o tabrico
de raassas doces e agnadai, no esubelecimento a
ma de Marcilio Dias destc cidade.
AGENCIA.
MVAS-REIITER
IV17 It iia do < oin mereio\ If
A agencia Haves-Router tem a honra de
participar ao publico que se acha prompts
a fazer a transmiasao de telegrammas partt-
trulares para a Enropa. de hoje em diante.
Para maiores ;e8claWcimentos e conheci-
mento databella de pregos devem os inte
ressades dirigir-se di ageocia, rua do Com*
mereio n. 17 esquina is praca do Gorpo
Santo.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vavegacao costelra a vapor.
'AKAHYBA,flATAL, MACAO, MOSSORO', AIUCx-
TY, CEARA, MANDAUU, ACARACU* E GRANJA.
0 vapor Pirapama, com -
mandante Silva, seguira part
os portos acima no dia 7 de
agosto as o horas da Urde.
Recebe carga ate o dia 6,
encommendas, passageiros e
dinheiro a frete ate as 2 horas do dia da sahi-
da : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA
HESSAGERIES MARITIMES.
I.inlirt inensal
ERYMANTHE
E?pera-se da En-
ropa ate o dia 7 do
corrente, s e g u i n do
depois da demora do
costume para Bue-
nos- Ayres, tocando na
de Janeiro e Montevideo.
l.inlui inensal
Rio (Irandc
Espcra-se dos por-
tos do sul no dia 9
do corrente, seguin-
do depois da demo-
ra do costume pa-
- ra Bordeaux, tocan-
do em Dakar (Goree) e Lisboa.
Para fretes, encommendas e passageiros: a tra-
ur com
OS AGENTES *
Harismendy a Labllle.
9 Rua do Commercio 9
ARACATY.
Para o indicado porto segue impretArivelmente
no dia 8 de agosto o hiate Leonilia da f>ua. Para
carga e passageiros, trata-se com Antonio Alberto
de Souza Aguiar a rua do Amoiim n. 60, on com
o eapitao a bordo do mesmo hiate, fuudeado con-
fronte ao trapiche Uarbosa.
Bahia, Rio

Bahi
la
Para esle porto segue enskoucos dias o hiate
Qous de Mho, por ter algofea car,va engajada,
para o resto qne Ihe falu trata se com os consig-
naUrios Joaquim Jose Goncalves Bellrio & Filho,
a rua djiBommercio n. 5.
MRA'
Brigue tRaio

Este navio recebe carga frete para aquelle
porto : a traur com Amorim Irmaos & C.
LEILOES.
i
LEILAO
DE
moveis
lonca e erystaes
A SABER:
Um piano de Pleyel, 1 mobilia de jacaranda,
com 1 sofa, 1 jardineira, 2 consolot e 12 cadeiras
de gnarnicao, 2 dius de balanco, 1 espelho dou-
rado, grande e oval, 2 ditos grandes para conso-
les, 6 quadros com gravuras, 4 lancas, mideira
preta, 4 pares de cortinados e 1 mesa redonda
Uma cama franceza de jacaranda, 2 dius de
ferro, 1 toilette, 1 guarda veslilo grande, 1 mesa,
1 esUnte e 1 tear.
Uma mesa elastica, 1 guarda louca, 2 aparado-
res, com tampos de pedra, 1 quartinheira, lonca,
vidros, erystaes e mais objectos de casa de fami-
lia.
Na casa da rua do Visconde deGyoanri3 n.
221, sobrado junto ao estabelecimento
do Sr. Carpinteiro Hijo (S. Jos^ do Man-
guinho).
0 agente Pinto fara leilao dos moveis e mais
objectos acima descriptos, exist^ntes na casa da
rua do Visconde de Goyanna n. 221, onde se effec-
tuara o leilae.
Os pretendentes encontrarSo na esta^ao do arco
de Santo Artonio um trem que Ibes servira de
conduccao grati-. o qual partira as 10 i|2 horas
em ponto.
O leilao principiara as 11
horas.
s
Feira Economica
Rua do Rosario estreita n. 45
Pelo agento Martins, de joias de ouro, colheres
de prata parasOpa, relogios de cima de mesa, tou-
cadores com pedras, aparadores, mesa elastica, la-
vatorios com apparelhos finos, meia commoda, ca-
deiras de balanco, espelhos, quadros, marquezas,
marquezoes, fructas em concerva, divercas pecas
de crystal e vidros, perfumaria, cartas douradas
para jogo. diversos artigos que estarao a exposicao.
\'s It horas em ponto
Agente Pestana
leilao
DE
150 caixas com velas do sebo, desemb3rca-
das ultimamento.
HOJK
as 11 horas eui ponto
No armazem do Sr. Annes, defronte da al-
fand ga.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem pertencer, d^ 150 caixas
com velas de sebo, liesembaicadas ullimamente,
em um ou mais lotes, a vontade dos Srs. compra-
dores.
QUARTA-FEIRA 5 DO CORRENTE.
AS 11 HORAS EM PONTO.
No armazem do Sr. Annes, defronte Ja al-
fanckga
DAS
fazendas, arrnaQao e moveis da massa falli-
da de Azevedo & C, loja da Rosa Bran-
ca, i rua da Imperatriz n. 36
QULNTA-FEIRA 6 DO CORRENTE
0 agente Martins fara leilao, por manjado do
Illm._ Sr. D.\ juiz especial do commercio, da ar-
macao, fazendas e moveis da 1-jja da Rosa Branca,
a rua dalmperatrz n. 5'5, pertencente a massa
fallida de Azevedo & C. ; os pretendentes podem
examjnar o balanco que se acha em pouur do re-
ferido agente.
Principiara as 11 horas do dia acima.
Feira ISemanal
duas mobilias de amarello,
sendo uma com tampos
de pedra, camas francezas
de jacaranda e de amarel-
lo, guarda-roupa, guarda-
vestidos, pianos de.arma-
rio, de 3 cordas, aparado-
res, carteiras para escrip
torio, grandes espelhos,
com molduras douradas,
quadros com finas gravu-
ras, commoda8, jarros pa-
ra flores, carriteis de linha
branca (em lotes, a ronta:
de), guarda louca, objec-
tos de ouro e brilhante, ve-
nezianas de correntes, co-
pos, calices, fiteiroe para
lojas, duzias de escovas
para roupa, duzias de es-
pelhos pequenos, mesas
para jantar, relogios, cabi-
des, lavatorios, marque-
zoes, lanternas, canarios
do imperio,miudezas e ou-
tros muitos artigos que
serao vendidos sem mini-
ma reserva de preco, por
conta dedi versos
OuiRU-feira 6docorrcole
asll huras da manha
NA
FEIRA SEtVlANAL
10-Rua in Impertilor-lfi
ARMAZEM.
. pelo agente iirtiis.
LEILAO
DE
miudezas, calcados, perfumarias, cbapeoa>
livros em branco e papel de copier
CONSTANDO DE:
espartilhos, meias para homens e senhoras, oieos,
balancas para libras sterlinas, carteiras, botdes,
iinbas, fitas, estojos, exlraclos de diffrreaies
qnalidades, bolioas para senhoras, sapatos a>
tranca e tapete, elastico de algodao e da soda,
colchetes, cordoes, copiadores de cartas, ealxa?
pajias para pentes, cii'tos para senhoras, cha-
peos.de muitae e differeut- s qoalidade*, sapatos
de tr.nca (boos) borzegiiins para senhoras, gra-
vaus e muitos outros artigo*.
Qulnia-feira de agasto
Na rua do Bom Jesus o. 63.
Os administradores da ma-^sa fallida it Pereira
de Mello & C, usando da aoloriacao do lllm. Sr
Dr. juiz epecial do commerci >, Itvarait a leilao; por
intervencao do agente de leiloes F. I. Plato, diffe-
rentes mindezas, cbapeos e calcados, qne fazem
Sarte da referida massa, e/existeates no armaseia
a rna do Bom Jesus n. 63, onde se effectcant o
leilao.
____________Principiara as 10 l|I boras.
Agente Pestana
LEILAO
DA
tavern a sita a rua Imperial n. iio.
QLTNTA-FEIRA 6 DO CORRENTE
As II horas em ponto
0 preposto do agente PesUna, fara leilao per
conta e risco de quem pertencer, dos gener >-
abaixo mencionados, existentes na taesma lanr-
na
A SABER:
1 arrnac.lo, gaz e suas pertencas, em born estaJe.
107 ourinoes pintados.
123 hues, ditos. -*^_
4 duzias de tigellas.
17 ditas de ditas cabodas.
62 diUs de ditas pequcnas.
44 ditas de pratos.
21 ditas de chicaras e pires.
35 garrafas coin ccrveja Bass.
43 ditas com diu branci, ingleza.
22 ditas de vinho do Porto.
10 ditas de capile".
12 ditas de licOr.
57 frascos com genelra rnraraua.
41 ditos de diu Vida eterna.
129 1|4 com sardinhas.
64 pecas de lonca nacional.
27 libras de spermacete.
98 ditas de gomma de aaruta.
22 l;2 ditas de cha.
36 ditas de manteiga, e mn'tos oulros generos .jc.'
se torna ecfadonho meneionar, os quaes foram
comprados ha 4 mezes e ?e acham em per'* I
estado.
QLTNTA-FEIRA 6 DO CORRENTE
Mil HORAS EM PONTO.
Hn rna Imperial n to
llavera um bond que partira da esUcao, o ]nl
sera gratis aos Srs. concurrents, e sera conrie-
ci!) pela bandeira encarnada.
A mesma laverna a>-ha-se desembara;a,la d.->
qnaliner onn.
LeilAo
DE
sapatos de tranja, marca chave, ditos de
casemira, com salto, botinas para sento-
ras, elasticos de seJa e al.-odao. cintus
novo, laj<"S de cores, e muilas outre*
miudizas.
QUI NT A PEIRA 6 DO CORRCNIE
as IO t|t horas
Por intervencao do agente Pinlj
\;> armaiem da rua do Bern 1r*u*
ii. 03 (i ii I i;,'a 'rn/1.
I'iin continuacAo
venJor se-ha 20 caixdes vasios (grandest.
Agente Pestana
Grande
e importaiite leilao
DE
move:?, looQM, vidros, erystaes, ouro, pra-
ta o brilhantes
SEXTA-FEIRA 7 DO ORRENTL'
ii 10 horns cm ponto.
NO J.' ANDAR DA RUA DO VIGARIO TBK-
NORIO N. 3.
O preposto J> agente Pestaai, competentcmea^
au^nsadu por uma familia Enropa, f .ra leilao, por cunu e risco de qaem
perloncor, d.s moyeis abaixo declarados :
Salada ("rente
Uma mobilia de junco, quasi nova, com 18 ca-
deiras de gnarnicao, 2 de braco, 4 eonsnlos. tudo
com Urapi de pedra, 2 espelhos dourados, I pia-
no allemao, de jacaranda, 1 mesa para jogo. 1
divan, jarrcs, lanternas, Upetes, escarradeirar,
quadros, candieirog a faz e serpenlinas. ...^
1." quarto
Uma meia commoda, 1 cama franceza, 1 guar-
da-roupa, 1 toilette, 1 cabide, 1 bidst, 1 tapete
I cadeira para Doha
2." quarto
Uma mabilia de mogno com tampos de pe Ira.
3.8 quarto
Um marqueuh, meia commoda de amarello i
cabide, 4 cadeiras, 1 toilette de mogno e 1 caa-
dieiro a gaz.
4.* quarto
Um par de consolos de amarello, C <:adeira. t
marquezlo para casal, 1 cadeira para noite 1
banca para jogo.
5.* quarto
Umacommcda inteira, I guarda roupa, 1 naa
sanluario de jacaranda, obra do Porto, com ricac
imagens e 1 par de jarros.
Sala de jantar
Uma mesa elastica de t. boas, I sofa de ama-
rello, 1 marqncza de conduni, 12 cadeiras, 1 Ja-
vatorio, com umpo de pmlra, 2 aparadores. 1
qnarlinlieira, 2 cadeiras de balanep, t ditas para
descanco, 2 bancas, 1 apoaivIno para jaalar, I
dito para aliaoco, 1 goardi-louca, 1 mesa para
cafe, 1 cos'ureira, copos, caiices, garrafas e oeaa-
poteiras.
Sala de f ngommado
Seis cadeiras 1 consoMe, 1 jardineira, 1 mesa
para engommado e mmwe oolros objectos qne se
acbarao pateutes noacto do leilio p ra os 9r&
conenrreutes examioa Ins, eujos oajectos e tov-
nam recommeodaveis por ttreo poaaa uao.
SEXTA-FEIRA 7 DO OORHENTK
A's io horas em ponto
No 9,' andar do ssoasrado da rna do
Vigario Thenorl* sa. .
.



'SJWIV/lfS-'W
Agosto
^

leilAo
CAafl terrea n. 2, am sofo proprio, sita a
-nut-deS. foncMo
Por latrrvucila ln;ia;ciite Dias
SEXTA-FEIIIA 7 DO CURRENTS
wti *> A's 11 boras
Em nwsrhpi.tri". eroa Msrquez de Ottnda
o. 37, primeiro audar.
Em contJnnacio vender-se-hn tarabem algumas
jafaa. Ml wn urn annel com brilaantes.
LEILAO
de fazendas ioglezas, francezas, snissas e
allemis
Km coiiliuua^'ao
Con Jtaodo le: easemiras preui e de cores, em
cortes e em pecaa, patmos flno9, brilhantina
branea, ehitau, algodoes, cobertores, ehales, len-
<;oe, gravatas, merinos, bombaztoas, cambraias, es-
^.partflhoe, meias, collarinhos, bramantes, grosde-
*- liaples. popelinas, Upelea, ehales, capai de aeda,
forms branco:! e de core*, cheeeee de difTerentes
ijualidides, ctiapeos de sol, caraisas para homens
ii meninos, peitos para eamisas, sargelim, atoa-
Ihado, veos p:ira easamentos. chiUs de ganga ada
ioascada, damasco enraiui outras fazeodaa.
aai ia-letra 1* de agoto
RUA DO BOM JESUS N. 63.
Os aJministradores da massa fai|ida de Pereira
de Mello & C fario lellio, por abiorisagio do
I. Im. Sr. Dr. jaiz especial do commercio, e por in-
terventfio do agente Pmtn, de un wirlado sorti-
mento de fazendas ioglezas, francezas, snissas e
allemas, exisientes no armazem da rua do Bom
J;sus n. 63, oade se effertuara o leilio.
Em continuacao
\ender-ae-ha lacubem difTerentes volumes com
camisai francezas, popelinas, chitaa ej cobertores
v.llimainente despachados.,
0 leilao principiara as 10 bora emeia
Aliened
Seza reserva de preco vende se a uverna da
rna Direita n. V5, lamhc-m *e vnde so a armarao,
qne s jwe*u para qiMkfwr r < inuiitu d4 wnia 6 |*Vr -.-u ,| Mirar *s para
fora u-t pro^incia : trati-x> i.a tnvsux*.
Mine. Dtirasfettf'
partirij.a a suas frfiTfz.-is ijo! n.udnu o sru 1%
UIm lt-.-im*rii. .1* omiiira e nwil.ts, para a
i. prittMtiro aaifer dit
pur cim.i do < iff.
mrsma rna -1a In ptratria
- Aluga-se a ewa u rua da Uha do Carvaihu,
onlr'ora B-tta, n. na rna das Lmngeiras n.
18, f andar.
AVISOS DVERSOS
Attengao
No roeiro andar d'esta lypographia em
inao do administrador, vendem-se as se-
guintos obras encadernadas:
Martens, manuel diplomatique1
\oIume por 29000 reis.
Obras de Mablycompleta 12
volumes por 129000 reis.
Bignon-obra completa4 volumes
por 49000 reis.
FrltotEspirit do Droit1 volume
por 29000 reis. __________
Precisa-se de uma ama que seja boa cozi-
nlieira : na rua do Crespo n. 7.
Para Copeiio
OtTerece-se am rapaz portuguez chegado
ha pouco, e que tem as habilitates neces-
sarias: a tratar na rua do Rangel n. 1,
(vend a). '_______________^^^^^
AO COfUflERCIII
Manoel Rcdrignes Nogoeira Lima declara ao
corpo do comraercio que comprou ao Sr. Lydio A.
Bandeira de Mello 0 seu eslabelecimento de calcado
lb. praca da Independencia n. ii, livre e desem-
baracado de fiualquer onus. Recife, 1 de agosto
de 1874. ______________________________
Sitio da estrada de Joao
de Barros
Constando i.o abaixo assignado que 0 Sr. Fran-
cisco Lucio Coelbo. consenhor com uns orphaos
herdeiros de sua iinada mulher do sitio da is-
trada de Joao de Barros da freguozia da Boa-Visla,
pretende vender ou retalbar 0 dito sitio ; pelo
presente previne 0 abaixo assignado ao mesrao
Sr. Francisco Lucio Coeiho, e a qaem qaer que
se prcponha a compra do dito sitio, que deve ha-
ver expressa designacSo dos limites do mesmo sitio,
ccm 0 do abaixo assignado, que nca ao sul
d'aqnelle, istn e : ao sul da camboa, boje adrede
obstruida, mas, cujos vestigios ainda existem fe-
Lzmente, a qual camb6a foi, desde tempo imme-
morial, a linha divisoria das preditas duas pro-
priedades, e embora cbstruida continda a ser ;
sendo certo que a utilidade publica qutr pela sa<
labridade, qiier pela commodidade dos moradores
daquelle lugar, cuja edidiaijao vai emaugmento,
reclamam 0 'estabelecimento da camboa, para a
qual existe na secretaria da assemble provincial
uma peticao assignada por todos os moradores
proprietanos desse lugar, menos 0 senhor Lucio.
Recife 1 de agosto de 1874.
Jeronymo G. ir.es da Foncecs.
A bota de ouro, a rua da Imperatriz n. 7,
'.em grande fort mento de bolinas francezaS e in-
glezas, para homens, senhoras e raeninos, onde
tern grande quantidade de obra- inglezas, para ho-
mens e meninos, de solla Una, grossa e parafusada,
obra muito boa e fre*ca, chegada no ultimo va-
por inglezDcuro, para servir a gosto seus nuroe-
rescs fregaczes.___________________
PENHORES
Na travessa da rua
das Grazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhorea de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
I5S ^1 ffli sHRH! fSI!
'"ill publico.
0 abaixo assignado declara ao respeitavel pn -
blieo, qne devia ao ooronel Joao Florentino Ca-
valcante de Albuquerque, a quantia de 4:900/000,
sendo duas Iettras de conto de rs. cada uma, qua
estavam vencidas em i* de maio docorrente an-
no e ontras duas, tambem de conto de rtis ( ca-
da uma), a vencer-se em o 1.* de maio do anno
proximo vindouro; e tendo pago ao mesmo Sr.
as duas iettras vencidas, aos IS de junho do cor-
rente, e dado mais por conta das duas a veneer,
a quantia 1:107*760, em animaes, tudo em con-
Ganca e prcmessa desse senbor de entregar-lhe
as Iettras pagas e dar lbe recibo. Agora succede,
que se procure duvidas a pretexto de querer re-
ceber o restante das duas iettras que alias nio
estao vencidas. Milagrosamente ba muitas teste-
uunbas de vista desse pagamento ; pelo que nin-
guem negocie semelhantes Iettras.
Escada, 20 de julho de 1874. *
Jose Coeiho da Silva.
Escravo fngido
Decappareren, ha dixs. ifn titio Ho-arinho. o pre-
tovelho de Home Paulino, eorn mi ji-piuc- r^gnin-
lea i esUiura rejular, iHikw arnwal'fc'!> vpnne-
Iiiiic. lein utr i ({ran.tr! m n n urn tilh i n.i pueia :
rr pteln loi fg>enn KocmAo iaoniao. rut
unl; bii lia di.i< i.fg.nin (j,.r inn c|niAo At mi|K
da villa do Cabu : pratitira a i|ii<-iii d |>pri*hen
Iit e i) troiixer rua Niiva H. i>>').
Alleiirjo a gniiiica^o tie

Ill
^a-se ,')/}
o *obrade dt dona 'andlres e loja, silo a rna da
Aurora n. 79, leodo agna, gat, esinharia, cocheira
e rminha : a tratar n. me>ma rna n. 81, srgundo
aiiilxr.
'*------------------------------------------ '
m f mm m voifsius provenientes di impurezd do
SftNCUE
PELO
CKIAIIO

200S000.

Fugio no dia 7 de jnlho dosie anno, do engenho
Giqui, da frfguezia da Escad o e>cravo Luiz, ca-
bra e.-cuni, nUde de to aooot, tem marca de- ta-
Iho em ama sobraneelba, bem barbado, peitoa
cabelludos, baixo, espadaddo ; este escravo ecta-
lugares : ruga se aos capities de campo oa a
qualquer antoriJade a apprebensao do dito escra-
vo, podendo leva lo ao engenho acima, de Floris-
mundo Marque* Lins, oa o Recife, rna do Tor*
rts n. 12, I.* andar, escriptorio._______________~
V Aloga se o i. ei2.# andares do tobrado
si|a rua de Lomas Vatentinai n, 86, con baa-
(antes commodos, cada am para grande familia.
tendo o mesmo sobrado quintal e portao quo da
sabJda para a roa de Hortas ; bem como o tetoa-
do andar do tobrado n. 85, sito 4 roa de Marci-
lio Dias : quern pretende-los dirija-se a rua Nova
P.*!?, que achara com quem tratar.
Alug*-N< un. inulaio para cr'ad'i > bom ivpeir :
at^tar n rua !.. iji-fpn n. prim- iiu andar
Aluga-Mi u MibMdo de un andar e suite*
com coijiiw dos para grande familia, lenoo 2 sa-
la, 6 iniartu.i e utu wrrayu com Wtrelfcfile vista
paa* a rua da Apulln : tern agna poiavel, e
muito fresco e bmn iralado. (So alnga se para
famiha.) Bua D. Maria Car n. 28, onlr'ora
beaaala Nova.
Cozinheira,
Preclsa-ie de ami que saiba cozinbar bem,
prerenndo-se escrava, para casa de ptquena fa-
milia : a tratar na rua da Imperatriz p. 15, pri-
meiro andar.
ARROBfiDEPIJRVTIVO DES LSAPARRILHA, CA-
ROB\ K VELVME
IT.Li'AilUiJ l)U

BARTHOLOMEU k C.

Aluga-se um pequeno sitio, editicado de
novo, no lugar da Taraarineira : a tratir na rua
do Commereio n. 9, andar.
Direito contra o direito ou o
estado sobre tudo.
Esta obra publicada no Rio de Janeiro ultima
mente pelo Exm. Sr. bispo do Para, acha se a
venda na livraria Universal, rua do lmperador n.
54, pelo diminnto preeo de 2$. _______________
-- Francisco Gregori) declara que nenhum ef-
feito tem a procuracao que deu ao Dr. JoSo Fer-
reira Guimaries._______________________
COZINHEIRO
Precisa-se de um cozinheiro ou cozioheira : a
tratar na rua do Marquez de Olinda n. 37, arma-
zem.
0 abaixo assignado declara aes seus fregue-
zes, que encarregou ao Sr. Simio Jose de Azeve-
do Santos de fazer sua cobranca ; mas que desta
data em diante retira o mandatd. e aquelle que
pagar ao dito Sr. Simao, ficara obrigado a pagar
de novo.
Recife, 3 de agosto de 1874.
Joaquim Alves Nunes.
I. andar
Aluga-se o primeiro andar da rua do Padre Flo-
riano : a tratar na rua do Rosario n. 22, loja de
calcado.
AttenQao
Uma senhora a*sas habilitada, offerecese para
leccionar piano e canto em sua residencia a qual-
qner hora do dia, assim como em algum collegio,
garantindo a commodidade do pre? > : quem de
seus prrstimos se quizer ntilisar, dirija se a rua
de S. Goncalo n. a.
r,^
0admioistrador da massa falida de Fran-
cisco Jose da Costa Guimaraes, convida a todos os
cred .res a Ire apresentarem eus titulos no prazo
de oito dias, do escriptorio da rua d> Vigario The
norio n. 31. Recife, 4 1e .gosto de 1874.____
bmmmmm^^bi 3H^Ha^M3HaaH0a,vPV^XHBa^aau2BBa
DomingoB Jose oa Cuuha
Lages e seu* filhos, maji-
dam rezar algumas missas
pelo eterno repouso de sua
sempre lembrada esposa e
mai, D. Caetana Francisca
da Silva Lages, primeiro
anniversary de seu fallecimenl), no dia 5 do cor-
rente as 7 boras da manha, na igreja da Madre
de Deus, pslo que convida a .is seus parentes e
amigos a assistirem cste acto de religiao, proprio
das almas bem formadas; pelo que desde ja se
confessam gratos^________________________
'ahira na sexta-feira, 7 do corrente, 0 Com-
mereio a Retallw, e serao dhtribuidos gratis 400
exemplares, a rua do Imperaior n. 12._________
Precisa se de uma ama para cozinhar e mais
algum servico de casa de pejuena familia : a tra-
tar no 3." aniar desta lypograpbia. _______
Aluga-se
uma casa terrea no principio da Estrada Nova do
Caxaoga, muito proxima dos bonds : a tratar no
mesmo lugar, primeiro sitio a direita, depois da
primeira bomba.
Nos abaixo assignados declaramo?, para os
effeitos precisos, que temos amigavelraenie dissol-
vido, desde 30 de junho do corrente anno, a so-
ciedade, que sob a firma Man. el Juse Marlins das
Neves, gyrava nesta prac.a, da qual eramos socios
licando o active e passivo da dita (iraia a cargo do
socio Antonio de Souza Rego.
Recife, 4 de agosto de 1874.
Manoel Jose Marlins das Neves.
Antonio de Souza Rego.
Dous armazens para alugar.
Traspassam-se os do pateo do Paraizo ns. 10 e
12 : a tratar nos mesmos.
los neninos
A NOVA ESPERANCA, a rna Duqae de Caxias
n. 63, aeaba de receber nm bom sortimente de fl-
nas boaecas que fallam, qae riem-ae e cboram ;
tambem astern mudas e surdas ou surdas mudas
venbam ver ae aao e rerdade.
-------
Aluga se por alcana mezet o If andar sobrado p. 53 da rua da Imperatriz, completamen
te mobilhado, a pessoa de pooca familia, preferino
do-se estrangeira : a tratar no mesmo.
CASA DA FORTBM.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
.1 rua Primeiro de Marco (outr'ora rua Crespo) n. 23 t casa* do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
da II* pane das loterias a beneficio do hospital do
Garmo do Recife (HI*), que se extrahira sexta-
feira, 7 do corrente mez.
. PRECOS;
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
KM POP.gXO de 1009000 PARA ClUk.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
Furlo,
A pessoa que tiver comprado o ^. tomo
de Pereira e Souza, Primeiras Linhas
sobre o Processo Ctvil, querendo restituil-o
a seu legitimo dono, tenba a bondade de
dirigir-se a rua do lmperador n. 20, d'on-
de foi furtado por um moleque. Promet-
te-se satisfazer o pre^o da compra, e grati-
ficar ao portador.
Collegio de Nossa Senhora
do Amparo.
Este estabelecimento acha-se actualmente ma-
dado para a rua do Hospicio n. 61, sob a direc-
cao de D. Carlota Augusta de Figueiredo Belfort,
habilitada perantg a directoria geral da instruc-
cao publica. Os ramos de ensino serSo : instruc-
;ao primaria, portuguez, francez, inglez, geogra-
pbia, piano, desenho e todos os trabalhos ma-
nuaes proprios de uma senhora. como costura,
bordados, etc., por prejo razoavel. Prontetto-so
aos pais de familia todo o cuidado no tratamento
e edueacSo das alumnas confendas ao mesmo
collegio.
Atten^ao
Pedese aos senhores empregados do matadou-
ro publico desta cidade, para que nSo cousintam
o porco Izidro, ir ahi ver o sangue do gado
que ahi se mata, para fazer guizados em seu ho-
tel; pedese ao mesrao Izidro para que tenha
mais limpeza em sua profissio e que nao conti-
nue a forneCer comid; s desta ordem a seus fre-
guezes, e se continuar, se participara ao Sr. fis-
cal da freguezia dos Afogados.
Alguns freguezes.
0 bachar .'I Jeronymo Salgado de C. Accioli, sua
mulher e iilha convidam as pes=oas do sua ami
zade para assistirem as missas que mandam re*ar
pela alma de sua p res art a filha e irraa, Julia Au
gusta de C. Accioli, no convento da Gloria, as 9
noras do dia 6 de agosto, 3 anniversario do seu
passamento.
Lava-se e engomma-se com perfeicai e por
prec,o commodo : na rua do Geriquiti n. 5 (Boa-
Vista) ; assim como prepara-se coraidas para
casas particulars.___________________________
Quem precisar de uma ama de leite, livre e
desempedida, pode dirigir-se ao largo do arsenal
de marinha n. 8, refma^ao. Garantese o leite com
abundancia.______________________________
0 abaixo assignado declara ao respeitayel
publico e fom especialidade ao corpo commercial,
que de 6 de junho proximo passado deixou de fa-
zer pane da flrma commercial Botelho & Barbosa,
e que licou exoneraio de todo e qualquer onus,
flcando todo o activo e passivo a cargo do outro
socio. Deberibe, 4 de ago;lo de 1874.
Francisco Antonio Barbosa,
Aluga-se o 1* andar da casa na rua do lm-
perador n. 73 : a tratar com Jose Henrique da
Silva Guimaraes, a rua da Soledade n. 27, a qual-
quer bora do dia ; bem como aluga-se o armazem
da rua Duqae de Caxiasjn. 36._______________
S. CARLOS
Vende-se ouarrenda-se o engenho S. Carlos, em
Ipoiuca, moente e corrente, com todas as obras
em psrfeito estado de conserva^ao, e muito bom
d'agua : a tratar na travessa da rua Duque de Ca-
xias n. 3, l" andar, com Gabriel Antonio de Castro
Quintaes. ____________ -' ______________
24-Rua do Marquez de Olinda-24
F.aqulna do beeco Largo
Participa a seus freguezes e amigos que mudou
o seu estabelecimento de relojoeiro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao um grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios dt
algibeira, de todas as quahda<;es, patente suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquet), relo-
gios de onro, inglez, desenberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata,lunetas
de tod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
LOJA DO PASSO
.
Aluga-se
o predio da rua da Ponte Velha n. 75, com com-
modos pan. familia, contmdo agua e gaz encana-
dos, com apparelho de limpeza, quintal bem plan-
tado, com portao que deita para a rua da Alegria:
para ver no mesmo, e traiar com o Sr. Diogo Es-
teves Viantia, a rua do Barao de S. Borja, antiga
d;> Sebo, casa em obras.
% Consultorio nrito i
I D0 $
S Dr. MuriUo. _
O RUA DO VIGARIO N. 1, 2. ANDAR.
V Recem-chegado da Europa, onde fre-
_j quentou os hospitaes de Paris e Londres,
y podera ser pmenrado a qnalqaer hora do
_ aia on da noite para objecto de saa pro-
fissio.
Coosnltas das 6 as 8 horas da manha e
do meio dia as duas horas da tarde,
GRATIS AOS P0BBE5.
Bspnialidades : Moiettias de senhoras,
da pelte e de crianca.
:i i
Ao oommercio.
Os abaixo assignados deelaram pelo presente,
que compnram aos Srs. Oli'-eira Craa & C a saa
taverna siti ^raa da-0.Maria Cesar n. 22, livre
e desembai-artBr' da Meaner onn%J por isso se
alguera se jurear crWor"** mesma; reclame no
prazo de ties dias, a contar da data deste.
P.ectfe, ' ' '*>oe>'* & Plnbeiro.
Quem precisar alugar uma escrava, dirija-se
ao pateo de Pedro II n. 81, entrada pelo lar^o do
Collegio, 3 andar, das 6 as 8 hcras da manha.
Escravo fugido.
Fugio no domingo 2 do corrente, o cabra de
norne Joao, com os signaes seguintes t altura re-
gular, cheio do corpo, usa apenas bigode, cabello
aparado r into, e levou roupa de algodao branco,
julga-se ter seguido a estrada da Pesqueira, d'on-
de 6 Glho e veio ba pouco tempo : roga-se a quem
o apprehendt-r, o favor de leva-lo a rua Primeiro
de Marco n. 8 A, onde sera generosamente recora-
psnsado. :___________________________
Ao publico.
Joao de Azevedo Pcieira, estabelecido a roa Vi-
dal de Negreiros n. 82, faz sciente ao pnblico e
especialmente a seus devedores residentes para o
lado do sul e centro, que nesta data retirou e cas-
sou os poderes da procuracao que den a seu pro-
curador Ignacio Ferreira do Lima Baracury, nrora-
dor na villa de Palmares, pelo que nao leva em
conta as transaccSes que o mesmo faca de boje em
dante com os #toi. eouj dtvedores, como ja por
ia-ta ibe commuiicon, so.^teniendo a mesma pro-
curacao, e clianando o pc.ra prestar contas dos
documento3 que tera, e dinheiros que recebeu. Re-
cife, 28 de jnlho de 1871.
T ''"l ..... ,
Villa de Palmares.
As Sras. Carroll participara aos Srs. pais de fa
milia, qne abriram um collegio francez para o
sexo feminino na villa de Palmares, onde recebe-
rao alumnas internas e externas. Ensinar-se-ha
al^m do francez, portuguez, inglez, arithmetica,
geographia,historia, musica, bordados, etc. Tam-
bem se propoem a receber alumnas das 3 as 6
horas da tarde, por metade do preco : para tra-
tar na mesma villa, no pateo da Feira. ,
CASA DO OURO
Aos 4:0009000
Bilhetes arantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 50, e casa do costumz
0 abaixo assignado aeaba de vender nos seus
lioito felizes bilhetes a sorte de 4.000* em um
meio bilhete de n. 1587, alem de outras sortes me-
nores de 40*000 e 20*000 da loteria que se aca-
bou de extrahir ; convida aos possuidores a virem
receber, que promptamente serao pagos.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiU
vel publico para vtr ao sett estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer premio, eomo prova pelos mejmcs
annuncios
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
antidos da It* parte da loteria a beneficio do
hospital do Carmo do Recife, que se extrahira no
dia 7 do corrente mez.
Preeo
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De 1OO90OO para cima.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 1* de junho de 1874.
Joao Joaquim Costa da Leite
DG
Cordeiro Simdes k C.
Acabam do receber pelo vapor Mendoza :
Riqnissimos cortes de gorgurao de seda lisos e
com listras achamalotadas.
Ditos de linho para vestidos, contendo cada cor-
te, o necessario para sea enfeite, como seja :
franjas, trancas, bot6es, fivellas, etc.
Riqnissimos chapSos para senhora, ultima moda
rua Primeiro de Marco n. 7 A.
Bods pianos.
chegados de novo.
Vende-ae.
Troca-ae.
E aluga-se.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
MOBILIAS
de vinie e de faia.
Vende-se muito em conta ; cadeiras avulsas, de
balanco, de bracos e de dobrar : no armazem do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, outr'o-
ra Nova n. 7.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
iriiice, agua de flor de laranja, agna de toileto
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
crosmeticos, muitos artigo delicados em perfnma-
ria para presentes em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas de difTerentes tamanbos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bem conhecidos fabricantes Piver e Coudray,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Irtigos de difTerentes gostos e
phanftazias.
Espelhcs, leques, luvas, joias d'ouro, tesonrinhas,
canivetes, caixinhas de costura, albuns, qnadros,
e caixinhas para retratos, bolsinhas de velludo,
dita.de couro, e cestinbas para bracos de meninas,
chicotes, bengalas, eculo, pencinez, ponteiras para
charutos e cigarros, escovas, pentes. carteirinha de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magicas,cosmoramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illuminances, machinas de
razer caf6, espanadores depalhas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, e bercos para crianQas, 9
outras muitas quinquilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que #e pode desejar de to
dos os brinquedos fabricados em differntes panes
da Europa, para entretimentos das crianc^is, tudo
a precos mais resuraidos que e possivel : no ar-
mazem do Vapor Francez, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
IMi da casa red uV II. I-'. Kl Hcl le Portaga
I'remiadoscm diversus tjpostcoes com o premio de sun clatte.
X saiide e um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s6 esta n-servado ao enfer-
mo avalial-o. E'incontestavel quo o homem neste wundo e constantetnnlc, epor todos
os lados atacado por uma infinidade de agentes morbidos, que todus tendein, dadas cer-
tase determinadas circumstrnncias, a altemr o regular cxercicio dns funrrdes orgsaicas,
resultando desse desiquilibrio o quo se denoininamolestia.
A molestia nao e mais do que a desvirtua^ao das forces vitaes, occasionada, seguu-
do as investigates e experiencias dos mais abalisadcs mestres da scionrin, pela deprava-
(io dos bumores geraes, consequencia da ac^ao maligna desses mesmos agentes morbi-
dos introduzidos no organismo pelo acto da respirar;ao, pela via digestive, pelo contacts
immediato, tc.
A syphilis infelizmente tem sido apartilha da bumanidade, e'eomo e fora ds dufi-
da que esse terrivel Proteo da medicina e uma molestia hereditaria, ellal^m sido obser-
vada em todas as ideas, e debaixo de todas as suas formas tao variadas. enfraquecendo
constituigdes robustas, produzindo matilagdes eco tando ainJa em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economia esses priricipios deleterios, e purilicar a massa geral dos bo-
mores tem sido desde tempo immemorial o (im constant.; da medicina, e osdepurativos
Gguram em primeiro lugar para preencher esse desiderato.
E' de preferencia no reino vegetal que a sciencia aconscllia que devemos procurer as
substancias proprias e depurar o organismo, eliminando os principles novigos a sairuj
pelo augment') das secrecdes naturaes ; e que possam ao mesmo tempo nt-utralisar a vdeu
sypbilitico, ainda quando este virus j4 tem f>;ito erupQao no ext>;rio debaixo de suas mul-
tiplicadas formas. Os grandes e iucomparaveis depnrativ^is fgetae% cooseguem
muitas vezes prevenir os estragos da syphilis, quando por ventura se acha ella ain-
da no estado'de incubagao;isto e, sem se ter manifestado sob formas externas; bene-
ficio incomparavel, tanto mais porque neste estado os individuos ignoram completauen-
te se esUo contaminados por esse terrivel inimigo.
Felizmente para nos o recurso prompto o sem igual para combaler virus tiodelete-
rio encontramos em abundancia em nosso uberrirno solo, nessa riquez. iuvjavel de es-
pecies de vegetaes, muitos dos quaes ainda tao pouco ..onliecidos e esui la Juscom pezar
o dizemos.
Nos mereceu a preferencia na grande variedade de plant' de depnrntivos que pos-
suimos, as tres plantas' bem conhecidos no no so pah ;a Caroba^Ja>:uranda p^occra
de Sprengel, da familia das Bigoniceas ; o Velame croton eampeatre, deS L Hit; da fa-
milia das Euphorbiaceas;e a SalsaparrilhaSmilax syphilitica le Run tie, da familia
das Asparagineas.
Extrahindo s6mente destes tres iraportnnte vegetaes os principios .me.Iicamcntosos
pelos processos mais aperfeigoad. s da sciencia moderna, conseguimos rounil-os em um
compi sto agradavel e de facil applicar;ao, cujs propriedades para a cura da grande serie
das raolestias syphiliticas e todas as que proveem da impuroza do sangue, nossos estudos
e repetidas experiencias nos convenceram serem incomparaveis, as que se tem obtiJo
comemprego, nas difTerentes formulas conbecidas, dos principios de cada um daqueiles
vegetaes de per si. Nao precisamos d^screver tao importantes plantas, bnr MM las
suas virtudes; ellas e seusbons effeitos medicamentosos ja sao bem conhecidos, quer em
nosso paiz, quer na Europa, onde abalisados botanico> e distinctos inedicjs se tem dei-^
las occupado, e mesmo estes experimentado com optimos resultados no tratamento da
muitos pedecimentos.
0 nosso Arrobe depurativo de Salsaparrilha, Caroba e Velame torn um saber
agradavel, a sua acgao e suave e benigna e de nenhuma forma pro4o2 molestias di-
camentosas, como acontece geralmente a todos os uoinpostis em quo eatram sublW
mineraes como mercurio, o iodureto de potassio, etc., cujo uso prolngado <; sem,- i
para receiar, principalmento por quo trazem grande alteragao do sangue, rosultanJo iks!6
estado muitas vezes bydropisias, quasi sempre funestas.
Sendo asmolestias, como acima dissemos, devid s asaltera<,6?s dos bumores, o Ar-
robe Deputativo de Salsaparrilha Caroba e Velame pode ser cmprega-lo vantajosan M
na syphilis, erisypelas, rheumatismo, bdbas, gdta, dores sciaticas, ulceras chronics',
gonorrheas chronicas, molestias da pelle, etc, e em geral em todas asmolestias -ia
que se tenba em visla a purilicaQao do systems sang'iiiieo ; pois juo neasM con-.ta it- s
experiencias tem feito ver, qne elle e indispensavel nos casos gravissim.s para m...
os soffrimentos e prolongs ii existencia, e nos menos graves a cura e a consequencia uo
seu uso convenientemento prolongado.
Assim, pois, nutrimos a convicgSo do que o uso do nosso novo preparado just
cabalmente as nossas asseveragoes, porque sendo mtdicamcn'o puramo: '!r ; ri:.
vegetaes, nossas experiencias ate hoje tem conlinnado sua utilidade.
DEPOSIIO CERAL
34.Rua Larga do Rosario.34
____ PERNAMBl'CO. _______
ODILON DUARTE k ffiMAO
y
Premiados
EULEIR.E
na exposit^ao de 1872
11
v..
RUA
|M|
IMPERATRTZgWl ""PfM
" vim
|N.|823
- -^^V\V.-1/
}&
->,*
[!. ANDAR.'
-*
\4
- ur.t
DA
IMPERATRIZ
h. n

-cr-
0 nas. mcuiorc-s
<. us Exmss. Sras.
Acabam de reformar o seu estabelecinioato, eolloesn \o
dic^oes possiveis de bem servir ao publico desta iilustre capital,
quillo que fdr tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupele, chig :
coques modernissimos, trances, cachepeign, tecidos. desenhos em cabcllos, quadrr s ti -
mulares, flores, bonqnets e todo e qualquer trabalbo imaginavel em cabello.
0 estabelecimento acha-se provido do que ha^ de rr.eihor nos rnercados esrrr.-
geiros recebe directamente por todos rinos de modas, e por isso pode vender 20 / menos que outro qualquer, garai
perfeicJo no trabalho, agrado,sinceridade e prec/> razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se eabwlos
porc.ao e a retalho e todos os utensilios pertoncentes a arte de cabellcirri .
-.
ESSENCE
UK
DE
Aluga-se a loja com arniacto para taverna, :a
prompu, na ma Dirt ila. n. 36, e tem fondo due
pode servir para moradia ; a cbave pa.a ver esti
deimnfe Da loja de tamancos n. 89, e trata-se na
rua da Cadeii, no Re'lfe, p. 3.
Precisa-se de uma ama
ai a cozinhar em casa de
pequena familia, preferin-
do-se escrava : na rua do
Capibaribe n. 40.
GM.faMB
Botinas para homem
Acabam de cheuar grandes jacturas de botinas
de beaerro, de cordavlo, de pelica. de duraque
com biqueira, de bezerro com bot5es, e com ilno-
zes a 9^000 (a escolber) por ter vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, a rua do BarSo ds
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTrNAS pretas, brancas e de cores, diflsrentei
lisas, enfeitadas o bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, br..ncos,
pretoa.e de cores difTerentes, bordados,
SAPATOS de tapetes, chariot, castor e de tranca.
I'ura meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores difTerentes,
lisas, enfeitadas1 e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
S4PATOS de tranca pbrtuguezes.
Para anenlnos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de corda.a .,
ABOTINADOS e sanaidjes, M bezerro, de leversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas tie montaria.
Botas a Napoleao e a Guilheraie, ptn.w;
meias perneiras para homens, j e meias perneira
para meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rna do Barao
da Victoria n. 7. ___________
Na rua velha de Santa Rita n. 67, precisa-s"
alugar uma preta para vender com taboleiro.
r
Premiada nas expo-
sic5es de Pernambuco
e Rio de Janeiro.
MEDALH.V DE PRATA.
AWTflfMSl
SW
fiflMfm
Pharmaceutico
Pela
escola de
Successor de
Paris
Premiada na expo-
si.ao de Vienna d'Aus-
tria.
VEDM.IIA DE MEMTO
AalSTIDE SA1SSET E. J. SODM
Tniimento curamente vegetal verdadeiro purificador do sangue. sem mercuric.
ASaeiaIcarh 0 um jeraedio boje reconhec ido eomo.um poderoso defora-
tiw a'ejMcW^ra cora detoda. as molestias que teem a sua origem na impureza do sangue,
^SiS^uSSiS^iSSm Boubaticas eEscrofclosas, Rheo.at.smo, EMP.NGE5.S DA-
thos, Ulcebas, EbdpcSes, etc. btc _.- _________ ,_,. t()__ 0>rte
Os pjodigiosos effeitos qne tem prodnsitfo a Easenela de m, p
iadament.
tos mais seguros e mais energicos para
A cada frasco acompanba uma instruccao para a maneira dc usar.
onde dtaSsffZ aproprUdamTnte eXper7mentada a tem feito riojgr comemjj,do. -gg>;
, m,ia .0nrn t msi^ .ergicos para a cura de todas. as molestias de
nba uma instruccao para a maneira dc
Pomada anti-darlrosa
; oifta
Contra as affects cutaneas, darthros, cemtehoes, etc., etc.
...rm toguenlo de larcha
Para cura das
boubas, ulceras, hps antiMS, ete, UNICAMENTE PREPARADO POR
ROUQUAY&OL IBHAOS, SUCGESSORES
Boiica Francez*
22--Rua do Bom Jtfsxra 22
( ANTIGA RUA DA CRtftf f





100 it .0,
FIJNDJCM)
A' rna do Bara? fy TriuiHjtho (rea do Brim) a$>
CABDOSO IRMAO
. AVIS\M sos seuhores do engenh"s e outros igricultoros e o publics em geral quc
conttnuam a receber de Inglaterra, Franca e America, todas aa-ferragens
cesssrias aos estabelecimentos a^ricolae, as mais mode, nas e iidhor obr
ao mercado i .1 ->! i
n ^ j^eS de fr?* dt *' 6' 8 e 10 cavalios' ~ -elhores que tern vindo ao merado
l..alGeiraS de sobresalente para
Moendaa inteiras
Taixas fundidas
Rodas d jrua

vapores.
8 mains moendas, obra coroo n unca aqui veil.
e batidas, dos raelhores fabricantes.
"O1*4* com cubajede ferro, forte* e bem acabadas.
RodaS dentadaS de todos os tamanhos qualidades.
Relogios e apitos par8 Tapores.
BombaS de ferro, do repucho.
fV.rt.uOS de diversas qualidades.
Formas para assucaT,grtDdea e pequenas.
larandas de ferro fundido, francezas de divers* ebor,Hgt.
;

I
-
!
i -
soft olg

i
Fogoes francezes
Ditos ditos
para leDha e carvSo, obra superior.
para
para mesa e banco,
para gelar sgua.
para bomba e banheiro.
macbinismo.
ardim.

para gaz.
Jarros de ferro fundido
Pes de ferro
Mhckina
Yalvulas
Correias iuglezas
tSanCOS e SOiaS com tiras de madeira, para jardim.
GoilCCrtOS concertam com promptidao qualqaer obra ou macbina, para o qse teem
sua fabrica bum montada, com grande e bom pessoal.
EaCOniniendaS man(Iam Tir Pr encommenda da Europa, qualqi ler machiawmo,
para o que se correspondem com uma respeitavel ;asa de Londres
com am dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de nandar asseotar
ditas machines, e se rcsponsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RaadoBarSo do Triumpho (rua do Bruin) ns. 100 a 104
P D W D I C A 0 DE CARDOSO d IRM
A O.
r.n~"i'
ReuniM^lar!
Cafoelleireiro francez
Rua do Marquez de Olinda n. 51
i. ANDAR.
Pedro Routier, official de cabelleireiro e gerente da casa de Gustave/Hervelin, cabel-
reiro franeez; tern a benra de prevenir &s Exms. Srs. fomilias que ariba de fezera ac-
quisieSrj de am perito official vindo ba pouco de Paris, o qual esta" babilitado a desem-
ppnhar qualqi er encr.amenda de sua arte, e se acha a" disposi.ao das tossoas que deseu
prcstirro se queiram utilisar. Outro sim scienlifica que tm scu estabeleeimento encon-
trariio s mpre a Monitor dos cabelleireiros, onde seacbam descriptos idesenbados todos
o ponleados modernos, para sorts, casanrentos, bailes etc.
Finalrhenfe previne &$ mesmas excellentissimas senboraft, quo rerebeu um completo
rrto dt: coques, cacbepaines, bendos, crescentcs, etc., e vende tudo petes precos
i. mciurados:
Clique de cabello de 159?, _0f a 50f$000.
Trances de dito 115, 126 15 a _00i 0.
Cachepaine de dito 15?, 2P;$ a 30;5000.
_. Cresceotes de dito _C#, a 5i'3JOGO.
ran bem creontrarao um con.j.letosortimento rccebido ha pruco, de cabellos de todas
s con primento.
N. 51.Rua do Marquez de. OlindsN. 51.
" m\ m CHINOLINA
PARA TIXGIR I\STA\TA\EAVIEI\TE OS CABELLOS
I'REPARADA POR
SARTK3L0HE0 & C.
: p ttacerttieos da Casa Real de S. M. F El. Itei de Portugal :
pi'CEttladaa cm diversas exposieSes WBI o priuieiro preiuio de
'i!i classe.
L'i ico composto, cujabase principal sao principios vegelaes, que pode por isso ser
| r tempo indefiflido sem o menor receio de alteracao de sau'.ie. Esta agua admi-
r a v..
:1
ai a<>s cabellos, em poucos minutos, uma cor e brilbo natural, desde o castanbo
at o negro, e ao contrario de tolas as tinturas couhecidas, tern um aroma agradabilissi-
ni qu faeilita oseu uso ds senboras, ainda as mais difficeis. A ffianpxm-se os sens re-
. ta efleitos inoffeusivos, quer a applicaeao seja limitada a barba, quc-r compreben-
i os da csbeca.
DEPGSITO 1.1 Jt il
Pharmacia e drogaria
34 Rua larga do Rozario84
PEKNAMBUCO
PREPARADO POR
BARTHOLOMEO k C,
I'harmaceulicos da casa real de S. I. F. el-rci de Portugal
P remiados em diversas exposicoes com o primeiro pre-
mio de sua classe.
0 xarope vegetal americano, garantido pubamente vegetal, nao contem em sua composifao
uit ao atimo d i-pio, e ?im ?6menie succos de planta* indigenas, cujas propriedades beneQcas na
enra das oaolestias que perlencem aos orgaos da respiragao, tem sido observadas por loago tempo pe-
lo; ijiiilicjs mais distinclos que orj:OTiraendam e pre3creveu todo3 os dias no tratamento das brou-
''!ito agudas como chronicas, asthma, tosses rebeldes, escarros desaogue, thisica no primeiro
gri'e cottra asirritajoes nervosas.
DEP0SIT0 GERAL
34 = Rualarga do Rosario =
PERNAMBUCO.
34
Empreza do gaz
A empreza do gaz tem a honra de annnnciar ao
pnMieo qae recebeu ultimaraente um esplendido
sor.imeuto de lustres de vidro, candieiros, aran-
de'as e gbbos, cujas amostras estao no escriptorio
a rua do (mperador n. 31, e serio vendido* aos
sea? freguezes pelo preco mais razoavel possivel.
Albuus para retratos
A NOVA ESPERANC\ acaba de receber um
linli sortimsuto de albuns para retratos, os mais
elegantes que teem vindo a este mercado, tendo-
os de divert os tamanhos e precos; a elles antes que
se totem. ^_^__^__^_
~- Alugam-se dua3 casas terreas ns. 13 e 15
na :idade de Oliada : na rua do Paco Castelhano
Engenho
V jnde-se o eagenbo S. Pedro, situado na pro-
vincia de Alagoaa, comarca do Porto Calvo, a
men de uma Tugoa distante do porto de mar do
Gamella, tem o::cellentes terras, matas, e aafrela
regrjlarmente 2,(00 pies : a tratar na rua do Vi-
garij n. 3L__________ ____________,
""^"STTaa do Nogueira n. 46, casa' da Mqdaat,
precisa se de prelos para vender boloae taabem
receie encommenda de qualquer qualidade de .- ,. -
booi. Oaila ai W.
AGUAS MINERAES NATURAES
DE
Vichy-Cusset
Prefer!veis an de Yicbjr-Vichy
por serem as unicas iiue conservam todas as*suas
propriedades depoit de transportadac
Fonte S. Marie, e a mais eSeax na anemia, na
albuminaria, na chlorosis, no empobpecimento do
sangue, e nas febres internrittentes. Os resaJudos
obtidos nas diabetes sle muit3 aotaveis.
Fonte Elisabeth, nao se altera nunca e e mais
rica das aguas de Vichy em bicarbonato de soda
em magnesia e recommendada pelos senbores me-
dicos pela sua effloacia nos engorgitamentos do
flgado, do baco, nas alTeccoes do estomago, dos
rins, da beziga, nas areiai e na gotta.
EXIJA-SE
Ma da fonte na capsnla
Vende-se em caixas e a retalho, no unico de-
posito
PHARMACIA AMERICA**
.D>
Ferre Ira Mala Comp anh 1 a
57RUADUQOE DE CAX1AS-57
iEscivo.
!. Precia<-se alugar um escravo para o service
de tinjj; casa de commercio : na cua do Marquet
0 ii?row passa'r algbma: tioras alisfeifo ?
Quereis conservar a for Quereis espuecer os pcripeclae ta fida ?
Quereis viver engolfado no Waier 7
Quereis prevenir mnitas enf r r'idades 7
Quereis gozsr os effeitos da boi ecunomia ?
Quereis ter appetites e faCil dige3tao ?
Quereis, linal-nealc, aer felu e ditoso 7
Attendei aos meios:., :':;
Vmde iaconiinente ao muito conhecido pre-
conisado armazem do Campos a ma 'do laa-
peralor n 58, onde encontrareis todos os agentes
(sem ser de ieilao) necessa: ios para coDsegairdes
oSgOIOSTJOTVOS OfTelfiCMi -S5 atHrmaTTvas, que,
.indispensavelmente(tit|iMlffte4i(*perguDiaspredi-
tas, isto e, enrontrareis ps generos mais finos e
gostosos que por veDtursr fenfiam alirriementado
of estomajos'mais susceptives e depcados, etacon-
trarert os tirmos-mais purs qdU teem eXportado
os paizes mais vinhaleiros do mundo e que fazero
espancar a mais LatMEtiaenta trfeteza, deixando,
com certeza, iofMunowflnnlvwt alegria, que,
inundando de perfumes o eeeavo da alma a
imaginajao txeroeri; podejro**raBfB, avedigiosa
inspiracio sabre todas as cabecas a que tenha feh
to a sua asceosao; enoontiarea? oj acepipes mais
melindrosos, de cheiro aelivo a amavngidor;
encontrareis, ew sntntna, isuarias debTtosas", pe-
tiscos deliciosos a fa lo i qie4ia.de mais pro-
vocador (depols fetriUlbOTV^aflrffoajpode sua-
vemente transpo'rtar a9*Aizo dafMraoomia,
fazendp-voa gozar a mais real das Mtfcidades
da vida humana, a boa mes
Visto co
N. 26-Goro eriBporio das tripa*sa*_j!r.
N. 28 -Recbeiado de igoaris-If. 28.
A'. 28- Se pode dos embucados -N. 28.
N. M -IWbrtTr as picardia* t-. 28.
Mesmo porquo:
E' patents e apregoado por lodes os medicos de
mai3 celebridade que os bong alimentos sao es-
sencialmente neeessarios para a "boa eonservaeao
da saude e uma das- bases- mais poderosas paTa1
assegurar o coaspleto desenvorvimeiMo das fa-
cu)dades pbjrsieaa e moraes da ereatnra ; e
com effeito, se assin nao e, respeadam-nos qual
a causa potqae em eada canto qoe paramos des-
cobrimos uma quantVdade enorme de eria^;as ra-
thilicets etnfesaHas, de mocas debris e de uma
constraccao franzinv, de rapazes mneilentos e sem
vigor e linalmen'.e de toda a mais bicharia, dig-
na por eerto de melhor sorte, verdad?iros typos
So desfaWeeimtflto e qo dos deixa ptfysiologica-
lente conhecer os effeitos mephilicos da ma ali-
mentajao, de que irreffeeiiJamente fasera uso ?
Srlencio proftan'do !' ConifrmacSo absolataf
Verdadea puras:
Quern aegar ja ousou dos p* ios a faraa,
Dus presuntos os sabpres re^uintado f
E do vinho o poder que leva a cama
Vida ao enfermo e forca aos esfalfado&-7
Alem do que:
E' um facta cnnscienciosimente provad& qne
so podera ser eontestado por algum hypocrita no
becil, de que ninguem esta 'Jk> babilttaJo a ven-
der bom e barato como o Campos, o que e de
facil iniuigdo, attendendo se que o sen fin* e
fezer com que todos venham oomprar em sec ar-
mazem, para o que nao se acha, felizmente, sob
o jugo do egoismo e nern tao pueo 6 aliments-
do pela anibigSo do ouro e sim pelo desejo
de bem servir aos sous fregueaes, dispen3an6^ a
todos -agrado e sinceridade.
Embora qae:
Ruja, ruja os invejosos,
Fal'em, pukm, saltern, berrem :
Nao poderao, desdttosos,
Cbmpetir, nao^mais esperero"..
T
Esta encoura^ado !!' r
Agua mole em pedra dura
Tanto da ate que a fera.
Roga-se ao Illm. Sr. ignario Vieira de M'>'!.
crivao na cidade de Nazareth desta provmcia,
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, i coa-
cluir aquelle negocio que S: S. se eemprometteu a.
realisar, pela tereeira chamada deate jornal, em
Qns de dezembro de 1871; e depots' para Janeiro,
passou a.fevereiro e-abril de 1872,e nada compm>
por este motivo e de- novo ebamado para 4iu>
1m, pois S. S. se deve lembrar- qe este negocio
ie mais de ito-annos,e quando o Sr. aeu ulna s<-
achava nesta cidade
Aluga-se o primeiro aniar da rua da Impe-
ratviz n. 22 : a tratar na rua de Hortas n. 106.
Aluga-se o I.', e 2: andares e o armazem
da rua dos Burgos n. 11 (Recife)j. esta caiado e
pintado de novo : a tratar com Jos6 Feliciano Na-
zareth, na rua de I'edro An*on3o Bi 20, outr'ora da
Praia. Tarabera-aluga se uma casa terrea no bae-
co Tapado (Recife).
Palacete
Ainda esta por alugar-se o palacete da Ilha dos
Ratos, do finado Cuslodio Jose Alves GuimarSes,
o:de morou uliimaiuente o Sr. Dr. Ignacio de Kar-
ros : a tratar na rua Primeiro de Marco n. 7 A.
Preeisa se de um rapaa de 12 a li annos
de idade para apr?nder a botar pa pel na machi-
na, de dia quern: liver o quizar pode se dirigir a
esta typographia das 8 horas do dia as 4 horas
datarde____________________^___________
Ha para alugar um bomsitio na Boa Viagem:
trata-se na Capungn, rua da Ventura n. 21, ou
na rua N va n. 43.________________________
Pede-se
ao Sr. Francisco Manoel de Souza Leao para vir
a rua do Livramento n. 16, a negocio de seu in-
terfsse.___________________
Lavagem e engommado.
Lava-se e engomma-se com perfeicao, pontuali
dade e por precos resumidos : na rua da Auro-
ra n. 39 prim -iro andar, junto ao antigo collegio
do Bom Conselho._______________________
Precisa-se de dous caixeiros de 12 a li an-
nos de idade: no largo da Santa Cruz n. 16.
Muita atten^ao.
Precisa-se alugar uma pessoa que tenha bastan-
te pratlca de vender na rua com taboleiro, bre-
fenndo se escrava : na ma da Aurora n 39 !.
andar, junto ao antigo collegio do Bom Conselho.
D Monte Lima
tem um completo aortimento de galao e franja de
uro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para officiaes, canutilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualquer fardamento, como seja : bonets,
talins, pastas, espadas, dragonas, eharlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, gara crlado,
etc.; assim como um completo softimeato de
(ranjas, galao falso para ornamento, cord^o de 14
com borTa para quadros e espelhos (conforme o
gosto da encommenda) tudo por mmto menos
prego que em outra qpalquer parte : na praca da
Independent n. 17, junto a loja de tr. Arantes.
Sig4f# racgto Mi-
,., B.1t H\cjano
eriouln, ida>, 4<) amios fx.uco m lis ou menos/
alki, eotpo regular, bem pre*.o, desdentado, bar-'
bade, m I feito de pe, tendo um dos do Jos gran-
de, on- ambos bastante tones Acha-se fugido
ha tets meres desta segunda fugido-, a da primeira
esteve dans annoi ao engenho Tarobador, fregne-
zia do Bonite, perteecent* a Francisco de tal,
gearo do capitao C. Jose Macliado.scnhor do enge^
nho S. Chriuovao, da dua fre^utzia e por S-tea
eNioHW3li oceaho eofcff teaTesudo. Vein pelo
primeira ve! preso pelo Apitao do ca'mpo Joao
Ventura, que m^eta Ag|%fr4a ; recommen-
da-se a sua caefir^^s alfMHes policiaes e
capities de campo e reva [S id ihgenho Minas-
Novas, freauezia de Gamelleira ; o dito Bfgro in-
titula se forro, com o nome de Jose Feliciano.
WBgflllorio Hiiwlfer-cifergice g
A. B. da Silva Maia. ^
Medico parteiro e operadi r. /J
CousuUasdas 8 a iOtbras.
Chamados a qualquer hora. .
Gratfi'aoS pebfes.
MEDteO-CIRURGICO 3
BO
I Dr. Pedr (KAtliayds L. MoscMo
PARTEIRO E OPERADOR
do lixronde de iilmswj
ESPECIALIBADE
Moler de scnlMran e
me'ninos.
Consultas das 7 as 10 horas da ma-
nha, todos os dias.
Das G as 8 da noite.nas segur.'ias, qnsr-
ras e sextas-feiras.
Os doeotesqne mandarem os seus cha-
mados por escripso at' 10 tioras- da- ina-
nba serao visitadbs em suas casa*.
Precisa-se de Oft* arrm lara comprar e co-
zlnhar para uma pei|Uetf3 familia e tranieira : na
rda da imperttrft n. W, 1' sMar. Preftfi se es-
crava.
Prccisa se de uma ama de fcite, ese for sem
filho melhor sera: na rua da Gloria n. 86
I'reeisa-se de nma para co-
zishar : na rua de Hortas d.
16, !. andar.
AMA
Precisa-se de oma quo saiba
cozinhar, para casa de oma Ca-
milla estrangeira, preferindo se
escrava : a tratar no Chora -Me-
Ma
i n. 1, ca no largo da muriz de Santo Anto
n. 2, primeiro andar.
nmo
nio
Ama de leite
-Precisa-se de uma, qne seja,mosa e sadia :
na thesouraria das loterias, ________^_
Preeisa se de oma ama aara comprar,
eotiAw e eflfzanikiar par* nma pea-
na travessa dos Expostos a. X, segundo
Ama
soa
and;
Ama
Preeisa se de uma para easa de fami-
mffla : h rua do Cabnga n. 9
AMA
C!
Preeisa se de uma ama de boa
condncta, para casa de moejos
soltslros, para service inter
no, nao importa ser velha ou moca : a tratar aa
rua do Hangel, arrpatm do. Gallo Branco a. f..
Preeisa se de saia ama' bara cozintiar :: aa
r.a Direita p. 10, refluatff.
Preckm-se de nma ama ae-
rW cozmhelra : na ru db
Lrvramento- n. 6, loja.
Offerecese para ama de casa de familia uasa
porStfueza, para cczinhar ou eagommar ; aa
Imperial n. H5, pavimfenteterreO.
AMA
A rrarv Precisa-se de uma ama para cozinhar:
-f*-L* a rua. dj Livrameato a. 28.
CozMipIvsi.
mm.
Preeisa-se de um criadfr que entenda de jardim
e para todo servico demesti^o : trata w ua rua
do Iraperador n. 6i). ______
Escravo fugido.
Fugio ha mais de um anno do engenii i Jr.-gnari-
be o escravo de nome Lo-jren;e, preto. cdtpo re-
gular e forte, flgnra bonita, # fiiho do Urubn, um
pouco ahaiX' i do Buique; foi- escravo de Animio
de Araajo, que o veodeu a Bastos Thenorio de
Araujo Gava cante, morador em Barreira, di co-
marca ds-Cni jue e vendido nesta cidade por Al-
cebiadea de Siqoeira : este escravo consta que
e amasia<]ono logar onde se acha. Pede-se, por-
tanto, >a aittoridades policiaes, cavities de campo
ehmesmo- a- qualqner particuJar a sua capture, e
que levando-o a rua Nova a.- 8, s;ra gsnerosa-
mente re-jommpeDsado.
Precifa-:>e de uma. petila,_para'eaa de duas
iessoas : trata-se na rua flolrirperador n. 69, so-
Irado.
Tornou a fii^r
Do Dr. V. C C Albnqderqne anoentou-se desde
o dia 10 de jtrtrio do eorrente anno o preto Bene-
dicto, de 23 aanos de idade, e bastaDtC'ladino, falla
roabsa', cantador de roodas, 6 bom canpina, esta-
tnra alta, espai^udo e um pouco corcovado, bar-
bado, tendo a testa peqnena, falta de- denies na
frcnte, pes feiosr e com nma cicatriz grande por
cima de cada um p*. proveniente de talhos de
machado ; nasceuno engenho Bojary, dt Goyan-
aa, onde tem maro parentes, tendo passffdo ao Sr.
3uiz Cavalcante de Albeqnerqoe, rrMrador na
mesma cidade, e deste ao Bxm. Sr. Bar3-d Na-
y-reth, tendo a primeira vez qne fugio astado no
engenho Pangada, db Goyaona. Pede-se- a todas
a* autoridades e cap*t5es de eampo,qne o pegando,
levetno a rua Dirsita n. 40; ao Sr. Belh*io de
Scuza Banieira, ou no engeaho Furna, de-Santo
Amaro Jaboatlo, qjeserae yenerosamente- grati-
flcados._______________________________
Para santoarios
A KOVA E5PERA2TG/A- recebea pequena qqantt-
dade de bonitos vapori8adores proprios para iocew-
saroratorios od ranctaarios.
m i /% i* -*
Precisa-se de bwm, de bone-costunses, para ".cdo
d servico mterno e extcrno de uma so pessoa : a
rua de Lomas Valentinas n. 2, sebrado de um andar.
Aluga se um grande sebraao de um andar
com sotea, modemo, tem 13 grandes quartos e am
gabinete, esta malte limpo, a poet.) de nao pner-
sar fazer despezas, tem os cemmodos da vida, qae
e agua encanadr. para cozinlva, banheiro, cane de
esgoto, eiKanamenlo de gaz COB* todos os compe-
lentes candieiros, tendo no todOj 13 beos para gaa :
quem pretender, dirija-se a rlua nova de Saasa
Rita.p. 57. Opredio e no centre da cidade eo
alugiiel nio 6 caro._____
\
i
0 abaixo assigusdo, achar.^o-se babilitado are-
eober dividas- em cubranca ; nesta cidade, me-
dianto a pag% dt 10 por cenlo,. assim como fora
della, medianttt o ajuste coacencionaJa, offersce-
se ao respeitavel eorpo do commercio, para com
zelo c.promptiJao executar o cuiJado qne nsta-
Ihe de stia profistao, recebendo nao so amigavel
como judicial : a pessoa qa3 se quizer utilisar de
seu prestimo, pois offerees- fiador, garantiodo
conducta a-a importancia a haver da sua cobran-
fi, pode dirigir-se a sua residencia, ua rua do
5rogue:ra n. 28, l. andar, daa 6 as 9 horas dima-
nha, e das 3 as 5 da tarde.
Jose Goncalves.
No pateo da atatrh de Santo Antonio a. 6
tem anus para cozinhar e engommar, e tambem
para anikr com criancas, que se alugam & preco
commodo._______________________________
Fogio oo dia 31 de i^llw a esjcrava Magda-
lena, idade de 30 annos, baixa, grossa, tendo nma
perna muito inchada de erysipela, conduzindo
uma lil! a de 12 annu, fie c6r_fula; rofase as
auuridades policiaes e aos capitae3 de campo, ou
a qualqaer posoa, a capttira de a abas, e entre
ga-las a rua do Imperadur n. 50, que serao gra-
tific-dos.
Saqi
Aluga-se
Uma boa casa e com excellentes cemmodos, a rua
Bo Coronel Soassuna n. 169 : a tratar na mesma
rua n. 171.
Oflsrece ae nma ama portugueza para casa
de homem soiteiro, para todo servijo de casa,
menos cozinhar : a tratar em Santo Amaru das
Salinas n. il, on entao para casa de pouca fa-
milia,
Caixeiro.
. Precisa-se de nm menino para caixeiro no Caes
Vinte Dons de Novembro n. 88, qne At fiador a
ua conducta.
Pettor.
' i' .'
aa ^'*^w"
Precisa-se de um feiior que tenha pratioa p;
nm sitio fora da cidade : a tratar na rua 4o/R
gel n. 37.
lara
lan-
,ues
Cuoha IrmSos & G, rua da MaJre de Deus n.
3i, sacam sobre o Porto, a prazo e a vista.
Casade campo.
Aluga-se cm sitio perto da estajao da Casa For-
te, com banho do rio Capibanbe dentro do sitie,
com duas casas, cocheira e estribaria, quartos
para criados, pas!o para vaccas, baixa de capira,
com alguns alvoredos de fructo : a tratar na rua
do Range! n. 37. ______________________
No dia 21 do eorrente, fagio urn c&orir
ho da rar,a Kiwgcharles, com os signaes-se-
guintes : preto e cor de cafe por baiso da
cabers, p^s e peito, pello lustroso, fino e
coraprido, orolhas muito grandes, e muito
manso, e acode pelo nome de Millord ;
quem o enconlrarou o tiver recolbido, tera*
a bondade de o mandar ao caes do Capiba-
ride (pontevelha) casa entre ds. fee 8, onde
serdgratiQcado
LIVROS A VENDA.
No-primairo andar desta typographia em
mao do administrador, vendw-so os seg:n-
te liv-rmhos:
> naatsito Espcrta dialogo ir.s-
tructiw, critico, analytico, hfetorico, e mo
ral, entre um matuto e um liberal por 508
rs. cada exemplar.
E?3*iea?fl Facaaillarromance,
a uma serie de leituras,- 2 volumes por
i 900(f.________________________________
Ataga-se
o armazem e 3C andar BwaaUo^ tendo bastantes-
commodos, e pintado : a tratar na rua do Viga*
rio r 31.
VnrfthmmM 45efes
A iNOVj[ll|l'E_ AM* a|utTJ|(|af dt Caxias
n. 61, r.^#ef_^ ayJal^Hv
Vende-se um lerreno esn Agna-Fria, com 60
palmos de frente e 330 de fundo, tendo duas frea-
tej, nma para a rua1 de Cacundo e outra para a
rua das Mocas, proprio para c difiear, eujo terreno
tem arvoredos : a tratar aa rua da Santt Croa
numero 7.
Nao f altarao florea
A NOVA ESPERAN<;\ ten
mats vicosas e lindas (lores, desds o mais
botao de roaa ate o mais ebgsxte nmo 4e for de
larangeira.f f J ^ \

Yende se na rua do Commercio a. V, crvaf>
Nernega, marea a L :
Bitter Aogustura.
Bum de Jamaica. .
Etig^nhos em Mamstttf*
gnape*.
Vende-se os aegaantet:
Barra,
PrraulcM.
ePatrlela.
A tratar com sens proprfetuios nesta cidat*
e para informacSes cum Joagaim Pioto de Me.
relies Fifno na mesma cida'aa da pamamgaap*
!s*o inttns it^^
r,
; .
OuadriHias.
A' rua do Barao da Victoria a 17, toja da Pe-
dro Emiho Roberto, estao a venda re hadas qaa-
dcilhas parapiaio, a IJOOO cada aianamr.
Vende-se irma mobma trranca conj as setoiD-
ts-pecas umpofa, duas cadeiras.de braeds.dtras de
lalanco, doze de gnarnlg^o, e um par de consols
com pedra por 3W<000 rs. a qro rnora, e se
veadbpor este preco para li da Victoria a. It. ._ X
Manuaes para missas
de muitas qualidades e precos, reeeben-os a NOVA
E.sra< ANCA, a ma Duqoe de Caxias a. 3.
i'edras de lagedo de Lie-
boa
Vfnde-3e pedras soperiores de Jagedo : a tratar
com Aisorim Irnaos 4 C.
Vende-se
am bom sobrado de I andar, por preen commado
na Travessa do Livramento n. Vf: a traftf* U"
mesmo.
Uaxvifaaailia que se retira desta provincia, ven-
de por preeo commodu um piaaoy qne so tem de
uso o '.3 mees, e e dos fabricaules Aucher Freres.
a tratar ua rua do H -spicio n. 25^
Oasa Oaiada e Rio Tapados
JosS Jaeomo Tasso, senhor e r-osaidor. por tr-
tulos legitimos, dos siiios Casa Caiada e Enseada
da M;ii- Luerecia, em Rio Tapado, termo de Olio-
da, previne a quem iateressar posea qne nao faca-
cootMtu aigum de eorapra, arrendamento, per-
muta, .etc., etc. ou cutro qualquer negocio, com
terras dos d>tos sitios, que limitam com as do en-
genho Fragsso, porjae serao nullos taes eontralos
e o annunejante protesta por sea direito em qu :cs-
quer circurastancias em que se acharem os di:os
coctroios, e para obviar duvjdas vai desde ja
tratar das demarcacaes dos reforidos sitios para
flxar- cs s->n limites._______________________
E' economico.
Graxa ghycerina propria para a conservaca> do
oordevao; v nde a NOVA ESPERASCA, a rua Du
que de Caxias n. 63.__________^____
Aluga se a casa n 79, i. rua de S. Jcao, o
>cbrado eom sotao, n. 27, a rua de Lomas Valen-
tinas, e o andar terreo da casa n 41 da rua d
taogel, proprio para qualquer estabelecioeaao :
a tratar n. 2. andar desta ultima easa.
Pede-se ao Sr. Jose-Paulino da Silva, mora-
dor no Campo-Verde, que uinja-se a rua do Li
yramento n. 'il, afim de entender se com o Fer-
reira Junior._____________________________
Na roa da Concordia n. 13S engomraa se e
ava-se por preco rasoavel e prontidao._________
Alugs
^a-se
uma boa casa com excellentes eommodos, a rua
jlo Coronel Suassuna n. 169 : a tratar na mesma
rua P. 171.______________________________
RecoIlHinento de 01ind.
, A regente deste pio estabelecimeoto, autorisada
pela inspectoria geral da instruccao publica, em
virtude da lei n. 1,143 de 10 de junho do eorren-
te anno, pretends no dia 17 deste mez abrir uma
aula particular gratuita de instruccao primaria
para o sexo feminino. Os senhores 5ai3 de* fami-
ia que qu'zerem matricular suas nlhas poderao
ratar das nove horas da manha, dos dias uteis
ite meio dia, a contar desta data.
Olinda, 1. de agosto de 1874.
Francisca Theodora de S. Jose.
-sr*-
Alienee.
i
Vende-se o estahalacimeato aito a rua de Vidal
Ee Negreiros, outr'ora Cinco Pontas n, 148, de ac-
jrdo' oem as oreflores do Sr. Joao 4a Silva San -
(os,; a saber : uma armacao nova, de amarello,
envidracada, com todas as suas partencas, pesos e
rnedidas, com poucos fnndoS a vontaae da pessoa
que qojter estsaelecer-98 era um bom local, ja pe-
la qasa ser muito afreguezada, e alem do que oc-
cur** o estabeleoimento tem cornrnodo para fami-
lia : a tratar na mesma qae aob,aran com quem
faier negocio.
LIVMS Dl LEITIBI
Dia
Dr. 4bili Cesar Borges
Adoptado3 pelo gorerno imperial para as es-
colas da cor'*, e por quasi todos os gopernos pro-
tinciaes.
E mais as seguintes obras do mesmo antor :
Grammatica portugueza elemental-.
Grammatica franceia elementar.
Methodo.de Aim para o ensiuo praiko do fran-
cez. ,
Discursos sobre educacio.
Unico deposito em Pernambuco.
Livraria franceza.
O abaixo assignado faz vats ao respeitavel
pnblico que deixoa de ser caixeiro do Sr. Aato-
nio Jose Vieira, era 21 de julbo, e protests, em
eomo- n&o tem reoebido e nem recebe debiW al-
gum para nao haver engano,. quando o mesmo
seahor prestar contas de seu ordenado.
Recife, 4 da agosto de 1874.
Manoel Alves da Silva Maia.
rOMPRAS,
Compra se uma taverna na freguesia de
Santo Antonio : a tratar na rua daRangai a fr7.
AVISO
, Precisa-se comprar dons escravoe, pedreiro
carapina, paga-se bem: a Uatar na thesouraria
das loterias, a rua Primeiro de Marco n. 6.
Vr;NDAS.
rrrr
..:
i Vende-se nma mobilia branca com as seguintes
fiecas : 1 sofa, 2 cadeiras de bcacps, 2 de ba-
anco, 12 de guarnicao e 1 par de consolot eom
pedra, por 3504000, a qual e nova, e se vende
nor este preco para liquidar : a rua do Barlo da
Victoria n. il.
Escravo.
Querem comprar barato ?
Venham aa luja do Lima Coutintm & C., a rua
do Livramento a^ 30, que so se vendo >e pode acre
ditar. Venham antes que se acabe.
Algodao borrr a 330O, 4*000, 4SPO e 5*0*;
a peca.
Madapolao ffpneez, fico, de 84, S^SC^, 64S0O, a
74, a peca.
Chita? e metlns claros e escuros a 240, 260 e SOU
few o covado.
Lans japonezas a 200 e 240 rcis o covado.
Popelina de seda a 14.100 e 14700 0 covado
Chapeos de castf>r e palhinba a 25.
Uma duzia de toalhas por 44. e felpadas a 74
Collarinhos de linho a Racara, i duxia a 5|.
Ditos de paaei, a duzia 200 e 240 rets-.
E outras muitas fazeada? que so se vendo, se
pode fazer nma idea ; dao-s* araottrw, melinite
penhor, na ma do Livraaenln a. 20^___________
Vende se nma ftrda fin e nova, propria para
ofllmes do 2 batalhSo de Imha : a ratar na ma
de Santa Rita n. 50._______________________
Vende-se a quinta parte da casa terrea n
46 da rua do Coade da lka-Vi.-ia, outr'ora rua da
Esperanea : a tratar na rua da Cadeia (!o Recife
d. 18, cum Fredtrico Ang*>-t> do Rego.
[\a Barateiro!
A' rua 1. de Marco n. 1.
( Vivli-i tie Crcspo )
Contronte ao arco de Santo Antonio.
Os proprietaries deste estabelecimen^o, r
vendo fazer aaquisifio Uu aovas fazenda?, pet i-.-
fazeiu uma tiqaidajao poc biratos pretjM da ja
eaistentes, pan com maior presleza liqt_da-las.
A saber :
Lazinhas escocezas te gostos mrtito liades e io-
telrameute novos a 140, 160 e 200 rs. o covado !
Ditas com lislras de seda, liados padrSe-, a 30t'
rs. S6 aqui I
Alcassianas com l>ndo3 desenho; e cSres fixaj,
a 400 rs. Gorao sao liadas.
Baptislas com barra.v maiisa'as. bon'ws gosfs
a 36J e 4C0 r. Que padroes liados.
Ciiitas esauras e tiaras a 240, 2C0 e 280 rs., e
percales'muito Tinas a 300 rs. Ba o baiateiro I
Metins de gostos ovos, ainda nan vSstos, a 2*>
e 300 rs. Mandam vr as amostras '
Cretones-ascuros a clacos a 300, 400 e 440 r-
E barato.
Cambraia tapada e traasparenle a 3400 e 4 4
eom 8 !;i varas. B' pecbiacha, o b.:raieiro qnei-
mi, nao vende.
Cortes de cretoas bordados a 54500. Soaente
para acabar I
Ch less de casomira cm listras a 34300. Pelo
preco e baratissimo.
Bramante de linho de duas lar^cras a 14100 a
vara I E' exaclo.
Br'm trangado pardo a 280 e 40fl rs., e da ti-
res (Angjla; a 300 rs. o covado. So aqui por as
te preco.
Grande sntimento de chapeos de seda, mena.
e alpaca, para honvas e lenhoias, pira heaam
a 34300 e 4J5O0, e de seda snperiores a 94,
(daas cores), para senhora (alpaca) a 24400 e de
seda a 2iSlK)-e 34 E' ou naa barato ? 4.
Grande p. rcao de camisas francezas de linho a
524, 404 a *A4. Sao moderr.as.
Madapolao fiuo a 54 e 54300 e francez. a 64.
E' pechiacba !
^Algodao Bahia eom 24 varas a 44000,3 54006 a
peca.
Atoalhado para mesa, cca bonitjs dascohos, a
14500 a vara.
Lenco braneos de linho a 34300 a de eitet a
34 a duzia.
Toalhas de linho alcocltoadas a 44300 6 felpa-
das a 64500 a duzia.
O.ichas adamascadas a 34000. So o banleiro !
Meias para homem a 34500 a duzia Sim No
barateiro compra-se per pouco dinheircv
Agostinbo Ferretra da Silva Leal & C.
Pentes girale.
Penles girale, proprios para senaora, ( ultima
moda) : a Magnolia .a rua.Daqne da Caxas n. 4".
e so quem tem.
Papai, mamai.
Como sao lindas as boaecas de cera qne tba
mam papai, mamai. clioraro, andam, etc. 6 aa
Magnolia a rua Dnqae de Caxias n. 43
Gaiolas^ gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias d 43, n
cebeu gaColas de arame de liodissimos aodeioa,
proprias para passaros ; a ell is a-tas-qae se aca-
ban._________________________________
Na rua Nova n. 8, loja do Lyra & Vianna
ba novo sortimento de botinas proVas, de cBrw a
brancas, para seahoras; ditas de. phantasia pan
meninas e meninos; assim co _o, botioas de _
jlids e Suzer, para homem.
Tambem vendem barato p_ra acabar, aapatas
Je tranoa. francezes, para baoan; ditoa de ca-
semira, idem.
Botinas de cordovaa B beierro polUk, para ho-
mem._______________________________^^
Vende-se a uverna sita no becco do Eapi-
nheiro, fregu<_ 4e N. S. da Graca, com pou-
cos fundc :. a tratar na mesma can Pedro 4a
Hora Saffl ^go^____________________________



:-
_ ~

Vende-se um mulato de 40 ancos de idgdo, tern >_ armae|4 com oauulhc da, da loja
boa conducta, e tarrocsiro e anto para qu.alquet; raa Direiu n. 83, por maude de tea ntor : a tal-
gervico : a ru do nosplcjo n, fl, liar nas Cinco Puotaa-n.31.
I


. \
fhirJA to^staatbtiaomkii- djuartit teirm^ma^bs^b *r.*jV. *.

t


WlM
3S IinAS
ftu^rimeiro.de^r^o a. 7 A
Cordeiro Siraoes cfc C.



iiv it
*.
E M BOA-VISI
Jiua da lmper&iriz u 72n/
..-


C esla nma das cms qtie boje pode com pri-
oazia offerecer aos seas freguezes urn variadissi-
a csortimento do faaendas finas para grand* toi-
!, e beni assim para uso ordinario de todas a
ilatees, e por precos vantajosos, das quaes far am
Mqueoo recnmo.
flandam fatendai as easas dos pretendentes,
>ara o que tan pessoal necessario, e dao amostrai
oed.ante renhor.
Cortes de seda de lindas cores.
3rosdenaptos de lodas as cores.
wrgurio branco, liio. de listras, preto, etc
>eua Ma;ao, preto e de cores.
'insdenaples preto.
Vellodo preto.
Snnadino de seda, preta *,de cores.
Popelinas de lindos padrSes.
F.w de seda, branco e preto.
'.cas basruinas de seda.
"vsacos de merinO de e5ree, la, etc
rfaatae braeiteiras.
Corte* eoro sambraia branca cam lindos borda-
Ricaa capellas e mamas para noivas.
Riqaissimo sortimento de las com ristrai de
da.
Oaroliraias de cores.
9itas maripozas, brancas, lizas bordadas.
Naiizuque.s de lindus padroes.
Bantislas, padroej deiicados.
Per..-al:ra d quadras, pretos e brancos, iistras,
e, etc
firms de linho de edr, prou.-ine oara vestidos
-om barra e listras. "
Ricoa cortes de vestido de linho. c cites da
oesma cflr, ultima mod? -
Ditos de cambraia de ceres.
Fustao de lindas cores.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
rodan.
Sortimento de luv*s da verdadeira fabrics de
avin, par- Semens e senhoras.
v'etua*: para meninoa.
^109 para haptiiado.
^peob' para ano.
T.-atnas e gnardauapos adamajcados de n de
(.oara mesa.
Udchaa de II.
N Cortinados bordart's.
Jrantle sortimento de camisas de liuho, liras e
-dadas, para horrwrjs.
tfim de cores para homens, raeninos e meni-
ji.
i'itas escoceza".
ijomn'.sto so. timeoto de chapeos de sol para ho-
eas e setifxsras.
tUrito de ''i*o preto, irancado e t*".o de verao.
"nlhado d-s uho e algodao para to
Atoathado pardo.
Oamasco de la.
sirias de linbo, branco de cores e preta
>etiaj de lindas cores com listras.
Chafes de merino de cores e pretos.
Ditos de casemira.
iiitos de soda preta e de cores.
Ditos de louquiin.
Camisas de chita para humens.
Uitas de flan.-lla.
'ereulas de linho e algodlo.
'
ciide -
r.I fjrU
-r
Ab df GUIMARAES k ItlM.toS
*nA Acabam rie fazer um^ronde flbntimento n,.s prcros .fe su.s f-zmlas
dtadoa ^-andafarti que ba bdjo1 de dmheiro pjr isso creio quo 6 dw> n.c
cionado ngradara ao respeitivel publico. '
CHAI'I-OS DESOL DE SERA A '.?000.
, Vende-9e chspdos de sol de Seda para sri-
nhoras e meninas a 48, ditos de-alpaca 6-
; nos com 12 astes a Ot, ditos do T.erin6 de
duas cores a 3$, ditos de sedi para hon nm
a 69, ditos inglezcs crJrn 12 a?tos a 85 e 0
BRIM PARD A iOO rs.
Vende-se brim pardo escuro a 400
coTado, dito de
500 rs. o covado
CORTES DE C\SEMIRA A 5*.
tamanhos a 45,
eotugihho Srgredo, distando ape'ijj.
. I-Si!;^?1 ot,ra*'. V f dVF^,va',n",* fc/* P|M: War na rna
aofcncantarii.nto n. S.
OtandeTl^imt S$6 decha-
i rutos
^w.bri?t0*!<^t4TO Alberw Schnorbnsclr, da
mm

maa-
vai men-
rs. o
r.ROCIrtS A t?500.
Veil to-se crocWs para cadeiras a IjJJOO
cftda urn.
I.AZi.MlASA200Ri:iS.
Ve'nde so liizinhas para vestido a 200,
32i, 5tJ0, e 500 ts. o covado.
ALPACAS DE CORES A 500 RE1S.
Vende se alpacas de cores a 500, 640,
calca
cores com qaadnnbos a 800 rs. o covado.
! CRANDE SORTIMENTO DE TAPETES A 45.
Veiide segrandesortime
45500, 55,e 65
Vende se grande sortimento de tapetes para
vende-se cortes de casemira de corps para turiu
Babu, das segnmies marcas :
Aristpcfalas.
BichaeiiaB.
Perotas. n "
Wf QUO,.
Conchaa.
{*erfFi{Io,
Principe Bisraarks.
Tranhc'o!.
^Golondrinos.
..:, M Da-ro* *> Marqaet de Olinda n.
armaZf m.
NA
liOafA Mm PA VAO
NA
Rua da Imperatriz n. 60
PARA LfQUlDAR
fSranadfoa preta a SOO ra.
covaIo.
DS
(.uilbtToic & C.
18,
0 antigo laraleiro coctinua a vender p .r mear
do quo tutro qulnier, com a frao.iu.za e sin-
cendade ja conbeeida. m
Us de cores a 2C0 e 2i0 rs. o covado
Las pretas snperior, a 360 rs. o covado.
La e seda, fazenda de 1*400 por 7c0 rs. o co-
8 ESS TeQde 8ra^in Preta ejavrad. ChSJdertre. a 240 e 880 rs o eovaJo.
a 55, e 05, ditos de dita preta
calga a 45, 55; 65, e 75.
BRIM DE ANGOLA A 25 0 CORTE.
Vende-se cortes de brim de Angola para
cnlr;a a 25, dito moilo finos a 35.
ABERTURAS PARA CAMISAS A 209 REIS
Vende-se aberturas para camisas a 200 rs,
ditas mats Unas a 400 e 50(1 rs. ditas de
esguiaoa 15, ditas bordadAS a 25.
CHITAS A 240.
Vende-se chitas para vestidos a 240, 280
e 320 rs. o covado, tem escuras e clar.s.
MADAPOLAOA 35.
| Vende-se per;as do mad polao enfestado a f
j 35, ditas de dito inglez a 4?500. 5(3, e 65,!
] ditas de dito francez fino a 75, 75-00, 85'
'95000. i
JSOS
para ca ?a um.
CUANDE SORTIMENTO DE ROUPA FEITA
NACIONAL.
Calcas de riscado para traba.bo a liSOOO
e iCiOO.
-CnlQM de brim pardo a 15900, 25, 25600.
Calebs de brim de Angola de cores a 25
e 35.
Calcas do casemira de cores a 55500, 65
e 75.
Cair;as de casemira preta a 35300, 55500
8 .7
Palitots de riscado a 15.
Paletots de alpaca da corfS a 23>.
Paletots de a paca preta a 35, 35500, 45
55.
to c \mtm Iwraios do Sal
gwyit(r.
Antonio Jhsff ft6dri(raes de Sbtna, na thesoura
SyLyjyg" terraana de eetu litku no logar
do Sajgyhmm,^ a.Vf*|ar somente enrn o memo
W barato
Trati^as de cabdllo
hurnano, natural, com am r. etro de comprimento
a rvcajla uma : s6 na rua da Imperatriz n. 8
case e; bom hi
Que a NOVA ESPERAXfA, a lua Doqne 4e
Unas n. Ct.bem conhccMa pela superioridade de
seus artigus de modae phantasla, acaba de recc
[ her diversas;en)mmehda8 de mer adorias de siia
jrepartivao, que pela eltganci bem mostra aptidao
\' rua do Cabuga n. 1 A.
ran^a
a rua Duqne de Caxias n. 03,
V.rdadeiro qlfcophaw: para a bar!
j e censtirfite fregeiia e com epeol:rlidade ao sexo
| amavel, a visilarcm pa, nfim de ipreciarera ate
onde t.ira opiimor d'arle.
A NrtVA ESPERAMJA nao qner entrar no ftu-
mc-ro dos massantes (verdadeiro. aznerios) com
extensos annuncies e'nrm pretende deserever a
mmen>idade de oDjeclos.que lem exposlos a ven-
Pannos de enqhet para sofa, cadeiraa e conso-
LenfMs bordados e de lab) rictho.
"olcaas de crochet.
Farlatana de todas as c6res.
fticos BOrtes de vestidos de tarlatana bordados
* -a cortes.
Sspartiihos li^os, bordado3.
"'ulard de seda, liddas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
tticas (achas deseda e la para senhoras.
Iti'*o sortimento de leques de madreperolas e
ft o.
Oamasco de seda,
<.!asemira preta e de cores.
Chitas, madapjlao panno fino preto e azul, col-
ar.nhos, punhos delinho e algodao, gravatas, lu-
ai de ho de Ecossia, 'apetes de todos os lama-
ahrs, bolsas de viagem, peilos bordados para ho-
neus, lengjs delinho brauco e de cores, toalhas,
euardananos. etc., eic.
\ende-se um pequenositio perto da esta-
}ao do Salgadinbo, tendo de frente 150
yatmos, e de fundos mais de quatrocontos,
eoaa uma elogante casa de taipa, acnbnda de
oroiimo e bem asseiada, tendo 2sal s, 2
jrio o bom de plantacfies, tendo algumas
irvores de iructo, agua de beber e todo cer-
sado.
Para vor e mais explicaQfies, no mesmo si-
no i qualquerhora a entender-se com Tris-
tao Francisco Torres, e para tritar, na the-
wutarta d.is loterias, rui 1.' de Marco
6.
Vendem
Wilson, Rowe & C.
Em seu armazera a rua do Trapiche n. 14, o
guiEle :
Al;5odao"'azul atnericano.
Pio de vela.
Carvio de pedra de todas as qualidades.
Tudo mnitu barato.
Iva pura.
Viaho verde e de Amarantn, especial, voodem
I'ocas & C. : a rua estreita do Uosaric* n. 9, junto
a igr?ja.
>-onservar o bom coDceito que teem merecido dr
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeieci-
mento dos mais que oegociam no mesmo generc
veem scientificar aos seus bons freguezes que pre
veniram aos seus correspondentes nas diversas par
cas d'Europa para Ihes enviarem por todos or pa
quotes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegante*
; daquelles paizes, visto aproximar se o tempo de
testa, em que o bello sexo desta linda Veneai
mais ostenia a riqueza de suas toillettes ; e co
[ mo ja recebessem pe!o paquete francez diverao
artigos da ultima moda, veem patentear algun-
J'entre elles qne se tornam mais recomuiendaveis
esperando do respeitavel publico a costumad*
concorrencia.
Aderegos de Urtaruga os mais lindos que teen
vindo ao mercado.
Albnns com ricas capas de madreperola e d.
velmdo, sendo diversos tamaabos e baratos ore
os r
Aderegos completos de borracha proprios para
Icto, tambera se vendem meios aderecos muilo bo-
nitos.
Botoes de *etim preto e de cdres para ornato de
estidos de senhora ; tambem lem para collele
I all In!.
Bolsas para senhoras, existe um bello sortimen-
de seda, de palha, de chagrim, etc., etc., pur
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louc*
como de c^ra, de borracha e de massa ; chama-
uios a attencio das Exmas. Sras. para este artigo
pois as vezes tornam-se as criancas um pouco im-'
pertinenles por falta de um obiecto que as en-
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo. ,
Ceroulai de linho e de algodao, de diversos pre-
us.
Attendam a Nova Espe-
i
l*/i!,e =i,!'?1 ^.1'"" da' (|ue 9eria nuas^mpol"i\erma7liraitarse'ba
artos de mpda e, a mencionaralguns .la-quelles de mais alta novidade
an o segumle : e toma a iiber.-ade.de aconselhar ao"bello sexo,
Bnllianiina para os cabelloj.
Boas uavalhas de poro ai;o.
Fioissima* tesouras para *un! as e cottura.
Lau parinas econom cas.
Bstows psra tratamento das unhas.
Aaridora de luvas, osso e madeira.
Lindos ini-dalhoes de madreperola com caco-
eta.
Buns penl^s de rartaruga para rejraco.
Suspensurios de seda, alguuao,
homens e meniuos.
Commodas ligas lisas de seda para meias.
Tc ucas de crccret para criatcas.
Bulsas para viajar-se.
Finas espunjas (ara hanhos.
qne a viMtem c-nstantemente, para depei* que
comprartm em ouira qualquer parte cio se arre-
penderem, a viMa do bom e e.-colhido sortimento
que ha em djto estabelecimento, esta razao tarn-
bem demonttra qne qualquer senhora do bom torn,
nao podera complet.r a elegancia de seu toilet
sem que 66 um passeio ;i NOVA ESPERAlNCA, a
rua DuqueJe Gaxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber osseguint s aiUgos de luxo e inleira novida-
de -
Grande pcdiiiick
para calca de Modernaf swtas par* prender os eabollos
i Primofostis laques tt> phantasia.
, Bonilas satiidas de baiies para seuhoras emeni.
| BBS.
Interesraotes gravatas para senhoras.
I Elegantes.'faehas-de^loiirrimn.
i Bons adererjos d madrep*iHila.
DeJicados adwrrjus pretos de pufalo e borracha
(gosto novi),
Caries Ic gorgoi-HO do kimIu
pain eoli( (e i& e elin|ic(is
de sal Vende-se cortes de gorgprao de seda de.cotcs1
para c. Here, pelo baraiisiimo preco de i e cha-
prjos de sol de seda |or8i5: quern duvidar ve-
nha \er e eomprar, na roa do Duque de Caxias1
n. 88, luja de Dernelrio Bjstos.
E' com as senhoras.
A Magnolia, a rua D.ique de Caxias n. 43, par-
tieipa a < bello sexo que acaha de receber da Eu-
ropa, um completo sortimento de arligos de ulti-
ma moda, e como acha desnecessario fazer um,
enfadouhu auuuncio, por ja ser bastante eenhe^j .
cida, e eaprichar sompre em ter bons correspon-
dentes, sendo a pr rneira que apresenla o que ba
A'prweitem
O.PARIS.VAMEJU:A,.a maDu,qae de Caxias
n. o'j, primwrn andar, esta vendendo calcado peles
seguint s orer^os:
Bctmas de dtirat|He para fenhnra a 3 500 reis.
MnMe-4Wn f>reto.a tigOOO rels.
Dias 4u dito ctan. botiesao Udo, a 4,000' reis.
-i'!as.WfP^s, .eano alto, para seahora, a
o.OOO re s
Ditas de pellica, ingieza, a-4,000 rers.
i^as, ** *u"qo' bordado, para senhora, a
8,(100 rets.
Dilas.u>duraiue,.de,cores.para meninas. a 3^.
Em quanto e tempo
pelo barato projo de 600 rs o covado.
ALPACAS PRfcTAS A 500, 640 E 800 RS.
0 PavSo tem um grande sortimento de
alpacas pretas, que vendea 500, 640 e 800
rs. o cbVado, asstm como grande sorti-
mento de cantSes, bombazinas, princezas
pretas, merinos, e outras muitas fazendas
proprias para luto.
CAMBRAIA VICTORIA A 45C00, 45500,
05J0OO E 75000.
0 PavAo vende um grande sortimento de
cambraia Victoria e transparente com
8 1/2 varas cada peca, pelos baratos precrn
de 45000, 45500, 55000, 65000 e 7000
a pega. assim como, ditas de salpico braD-
co, a 7^000, 6 pechincha^
CAMSAS PRANCEZAS A 2.J000, 15500
35000 E 39500.
0 PavSo vende um bonito sortimento dt
camisas francezas com peito de algedfio, 1
2*000 e 25500. Ditas com peito de linhc
de 3500O a 65000. Ditas bordadas muitc
finas de 650(0 a 105000: assim come
grande sortiment? de ceroulas de linho e dt
afgodfio, por precos baratos, e tambem terr
completo sortimento de punhos e collarinbos
tanto de linho como de algodao, por precoi
em conta.
CORTINADOS BORDADOS PARA CAMA I
JA.NELLAS, DE 75 ATE' 235000 0PAR
0 PavSo vende urn grande sortimento d.
cortinados bordados, proprios para cam a
janellas, pelo barato prego de 75000,8?000
10^000 at^ 255000, assim como : collar
fte dnraasco de la muito fina de 105000
1*5000 cada uma.
BRAMANTES A 15800, 25000 E 25500
0 PavSo vende bramantes para Ienc6es
tendo 10 palmos de largura, sendo 0 d.
algodao a 15800 e 2000 a vara, e de linh<
a 25400, 258O0 e 35000 a vara: e pechir. ,
cha.
Grande pechiLcha a 4$000
e 5^000
CORTES DECASEM RA.
0 Pavao recebeu uma grande porco de
cortes de cssimeras de cores para cairns, e
vende pelo barato pr- 50 de 45000 e 55000
Cada corte, na rua da Imperatriz n. 60, loia
de Felix Pereira da Silva.
ESMERALDINA A 800 RS.
0 Pavao reeebeu um bonito sortimentt
das mais 1 frgantes esmeraldinas com listras
de sed8, sendo em cores e padrOes as mais
novas qne tem vindo ao mercado, proprias
para vestidos, e vende pelo baratissiroo pre
50 de 800 rs. 0 covado, & rua da Imperatrii
n. 60.
Metins de cores a 280 rs. 0 covado.
Cretones de padroes lindos e mt demos a 400 e
440 rs.o covado
Baptiftas de lindos padioes a 400 rs 9 t0Mu
Umbraias de cire^ miudas e graudas a 0 rs. 0
cvado.
Ditas pretas com fiires a 200 r. 0 crado.
Lambraias braocas, Lt.rdadas t iHt-tla?, fazenda
S}a,"(22>que ,em viDd0 ao merradr.. e fazenda
de 24000 0 meuo, por UOOO a vara ; e pe-
chincha. *^
Cambraia transparente, Ana, a 3| a prrx
Dita Victoria, fina, a 3i50fl a peca
Algodao traocado, alvo, a 440 r. a van
Brim branco delinho a 1*400 a v. 1
Uitos de cdres de linbo lino a 500 r>. 0 crfodo
Madapolio francez verdadeiro, 24ia:.Jc. a fl f
li a peca-
Algodie T, largo e seperior, a 5* pern
GurgorJo preto de seda para vestido e uara c ,!- :e
a .11 0 cevado
jToaltas grandes a 4500 a duzia.
1 Colcbas grandes a 3< nma.
, Lencoes de brainante a 2* uo\
I Coberias de ganga, furrada?, a 2* c 3*. *
jLcnc'.s de nnho, j-banludr.s e em caixiL.a* a
I JioOOa diizia.
1.Ditos de c6res a :(i.TO0 a dniia
I E omros muitos artigos p ' So- na rna do Qespu n. 20. '
se ;iirn -ir.-.
loja das .'( aJMu, i lo-
I Grande liquidac;ao ue c-h- ru-
tos de Havana.
. FKr Regalia.
I-kandro.
1, EI crdem.
Una do S.arqnez de Olinda n. 18.
Salsa-parrilha do Pan:
Tem para vender Antonio Luiz .!e QRwrin Are-
velo, no tea eearipfcrio, a rua do Bom J... u- l^-
mero .i7.
j Gran
iCurativo
randft I'csciibeila
das mole.stia3 lo
peito pelo
Xiii-opc lie siilndit, !c r.a I.. DE
A. Ri:it*g E>te imporlaritt raediciatenie qne acaba J-* -fr
recunfifcido pelos distinctes Drs Za!,,i 1 Paraa-
chevas cumo um veirJ:,dei.-.> -; ifrra a
phi\>ira,'fefundo pri.varam n... grandes ume-
ros dc easoi por ilk-- esueri nenia I
na sessao da acadetnia de Paris d 14 ii.
do corren'e anno, enaontra-se unirameiti* n
e i:
ira
1.
aproveitem.
Caixinhas com musica.o que ba de mais lindo, ?e m.ais muderno e P"r pretos mui razoaveis, por
com disticos nas tarnpas e proprios oara oresen- |S5 limitase a descrever somente 0 seguinte :
le Seitae duuradas.
Coques os mais modercos e de diversos forma- 'B*ro* l,e cores, tanto do seda como de guipuie.
tos. l.c Chapeos para senhora. Ileceberam um soru'mento lar"8a. os-. elc-
da ultima moda, unto para senhora, como para ^n,,,a de bai e.
meninas. Freete8, diversos arligos proprios para pre-
Capellas simples e com vr5o para noivas. sentes-
Calgas bordadas para meninas. | ttoliiibas e punhos.
Eniremeios esuunpado* e bordados, de Undo* 1Manual para missa, com capa de madreperola,
teseahos. tartaruga, marfim, vrlludo, etc.
Escovas electficas para denies, iem a proprie- Sapnllnhos desetim para baptisado.
dade de evitar a carie dos denies. cmi*a bordadas para senhoras.
Franjas de seda pretas e de cores, existe um wa* de seda-
Sedinhas a. 1^500 o cov. da
Venham anles que se acabem : na loja do Passo
a na 1 de-Marco n.'7-A.
E' taKo
As almnfadas bordadas de 15 malrsadas qae re-
eebeu a Nova Eaperancaa, a rua Duque de
aaias n. 63.
Vigor do Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovaca'o do ca-
bello, restituicao de sua cop
e vitalidade primitiva e nat-
ural.
g-ande sortimento de diverpas larguras e barato
preco.
Fitas de saria. de gcrgorao, de setim e de cha-
>l'e, de diversas larguras e Jxmitas cores.
Facbas de goigurao muito lindas.
Fi r ariifieiaet. A Predilecta prima em con-
ervar aempre um_ bello e grande sortimento dea-
as flores, nao so "para enfeite dos cbellos, como
tambem para orcato de vestido de noivas.
Galoea de algpdao, de li e de seda, brancos, pre-
os et de diversaa cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Laco de cambraia e de seda de diversas cores
para sennora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
Qoiva.
. Uvros para ouvir missa, ccm capas de madre-
perola, marlim, dsso e velludo, tudo que ha d
bom. ,
Pentes de tartaruga e marfim para alisar os ca- cahida dos eabello-
bel.'os ; teem tambem para lirar caspas. SnrHflQ f* nonno
Port bouuuet. Um bello sortimento de madre- c. W**B C panOS.
perela, marfim, Baw e dourados por barato preco. .. ,m .9ardas e panos quem quer; porque a
Perfumarias. Nesle artigo esta a Predilecta ban | Ma8no,la. a rua Duque de Caxias n. 45, tem para
provida, nao so em extractos, como htn oleos < | ven(,e,' a verdadeira Caticuleria, qoe faz desappa-
Franjas mosaicas.
Aderccog de tartaruga.
Yoltas de madreperola.
leira de madreperola.
I.imiaM Qofes para caLeca.
Bolnas de velludo.
Perfumarias dos nielbores e mais afamados
fabricantes.
< imiieoK de sol para senhoras.
Fiins de velludo de todas as cores e largur.s.
Moscas.
Quereis livrar-vos destcs malditos insectosf com-
prai uma machina de matar moscas pr 3$000
na Magnolia, a rua Dujue de Caxias n. 48.
Calvice.
-SE
amacaaaoa villa ^Barreires, ua ma do Coo
iejoio, par precj* odico : a tratar com Taaw
Irma= 4 C
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, v
de o verdadeiro Vigor de Ayer, qne impede
en-
e a
Grande liqnidacao de charu-
tos da.Havana
Flor Regalia
Iskaadro.
El ordem.
Rua do Marquez de Olinda a. 19.
Wilseo Rowe 4 L. vendem ao sea armasen
rna de Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azul amencano.
Excellenle flo de vela.
Cognac de { qualidade
Vinho da Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades.
para senhora, por commodo
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygieniea,
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis para
a (esta.
Saias bordadas
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados .para bap-
tisados. I
Tapetes. Reeebeu a Predilecta um bonito sorti-
mento de diversos tamaahos, taato para sofe co-
mo para entrada de sajas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de raelhor
gosto e os mais moderao t reeebefc a Predflecta
de or um preco, paia ficar ao alcance
qualquer bolsa.
reeer e>Us manchas em poucos dias.
Rua do Cabuga n. 1
O Vigor do Cabello 6 uma preparacSo ao
mesrio tempo agradavel, saudavel e efficaz para
conservar o cabello. Por raeio do seu ueo o
cabello rn<;o, grisalho, e enftaqnecido, dentro de
pouco tempo revolve a cor que lho 6 natural e
primitiva, e adquire o brillio e a freecura do
cabe lo da juventude; o cabello ralo se toma
denso e a calvicie muitas veaes, poeto que nao
em todos os cason e neutralizada.
Niio ha nada que pode reformar o cabello I Tl 50
depots dos folliculos estarem destruidos, e a* ., ,.,- I
glanles cansadas e idae, maiS se amd. restarem I S^fnt t^JWlortl^?* ^^
Alta novidade de Paris
0 Bazar da Moda a rua IVova
Cura dos eslreitaniento durelra
pela facil applica^ao" das
SONDAS OLIYAES
DE
GOMMA ELASTICA
As mais modernas e aperfeicpadas de todas
as coobecidas ,
Vendeffl-se-'
NA
PHARMAQA E iyROGARIA
Bartholomeu & C.
34 Rua larga do Uosario '34
AVISO
Jerusalem, es'ta importante obra doconefo Joa-
quim Pinto de Campos, aeha-se a venda na
Livrana Franceza.
Aos cigarreiros
A NOVA ETSPERANgA vende papel de
proprio pera cigarros, de diversas larguras.
linbo
llnlos de coiiro
Amaral, NiboiW tt C recent ra* UttH completo
sortiraoato de cMnw de-eoaro preta, cam fivella*
e eafaites de metal branco, dourado e oxidado,
para senhoras e meninas ; sao dos mais1 muder-
nos aue tem vindo ao.mercado : vende-se no Ba"
zar^ Victrjrla'a ruado'Bario da Vrctorfe a. *.
______,_,___._;_____ .....
Farinha de milEo
Vende-se farinha de milho moida
algnns podem iser salva'das e utilizadas pela
appli cacao do Tiget. Llbie de- essas substauciaa
deleteriaa que tornam maitas preparacoos dq este
MM taaa oecivae e destraotinaa ao cabello, 9
V/&or toiiiijnte lhe e beneficial, Em vez de
eujar owabello e o fazer pegajoso, o. cenaervi
umpc e forte, e-ml>ellizandoo, inipedindo a queda
e o t<*nar-se rue;?, e por comsequinte provine
calvic ie.
vB tt-tgj easa do irtnleto.
1V*^*M^ -3.e la^-Xfquatro^S^6 *^^
jar; nab contendo oleo aem tinttira, nao pode oltinw gosto de Paeia.
maoehar mesmo omaie alvo-leaeo d camBraia,: i Folj!r*td veaseoe, fazenda de
perduranooabello, lie da mio luaire latoaaaa pitJ vest'^os.
e um perfiune muito agnakvet e raa Pai sjtnfda
"a: a refonnar a cgr da barb a, 6 naceasario
IIm........- -r-------.u"" uc ""rci o iaw. rant, quatro quattos, nma Braade^w^ilia nnta.
Umlmdoevanado sortunen.o de florei arWl ttt mnrado eZ porfio eTr^XVSuSfi
XL.ii ^_ J '-' VJ | cornprimenlo; oa|ra casanaoMniaa j masnui
,, Gofl"8 de Uania-rau.toioniios. irua,.com arraacao para tialuefawnfl^ ^SSdl
paw pescoco de senbora. Com pbnta bbB- JhadOs, e nos fundos da menelnU
arwia-.* ^^mmentadapadariaeoimedosei
a e um bom terreoo.
a vapor, dia-
<} 12 patacas
rovenca
:cas ; da
doColo-
6 Pavao queima os artigos
seguintes :
Cortes de corpbraia branca, transparente,
com enfeites bordados de la a 5000.
Dit s todos brancos b.rdados a 125000 e
155)000.
Ditos muito ricos a 235000.
Bonitas lansiuhas para vestidos, com lis-
tras de seda, covado a 800 rs.
Ditas ditas Jransparentes e de muita fan-
tasia a 500, 640 e 800 rs.
Cintos de setim de todas es cores a 5OO0
Punhos com gollinhas de esguiSo a 500 rs.
Sedinhas de cores, sendo de listras e la
vradas, com toque de mofo a 19000.
Ditos de dita ditas sera mofo a lJNJeo e
29000.
Diversas lansinhas para vestidos, de 240
*X6 500 r*.
Colchas de fustao brancas para cam* t
25500.
Ditas de dito de cdr a 49100.
Cambraias brancas, abertas, para vesti-
dos, corte a 89000.
Cortes de cambraia branca com bonites
enfeites bordados, de cOr, com figurino a I
69000.
Pe$as de madapolao com pequeno toque
de avana a 4500.
Ditas de algodaosinho muito encorpado,
com leve toque de avaria a 4#500.
Madapolao enfestado ccm 12 jardas em
perfeito estado a 3|)000.
Pecas de madapolao com 20 iardas a
mm. J
QBrim pardo para roupa de homem e me-
ninos, covado a 400 rs.
Cobertas de chita para cama a 25500 e
35000.
Bramante de linho com 10 palmos de
Iagura, vara a 256C0.
Atoalhado com 8 palmos de largura, vara
'15500. *
Espartilhos brancos e de cores a 4vl e
55600,
Corles de casimird a 45 e 55000.
Deposito da ;b.-iiriucia
de
Ilariholomou A G.
.N. 34 Itua larga d.. Rurar o N.
Ii
E'
com as noivas
A XOVA ESPER.\\CA, rua Bwi'v I
63, acaba de receber bi I Meiae d- t
para noivas, e os apreciavtii r^ni h > lira
I -' 3.
a pr priaa
PUMAS
Vende-se pes de Fapotas
na rua do II ppicio r. 75.
de pin
Triuinpho da
SCIEIIA
.s&iiki.t'.]
i
:^^-v.

Etogeiihto d venda
Veade-se a diahoiro au a prazo um engenho
jiaente e correote, de ahi'maes, ccm pequena ?a-
(Va creada a-tmia feftoa d'sttriw da- vrlla de Psrt-
mare*, esttrtflo dWhu, d &oa:terew de tae,
podendo safrejar 2,000 pies annuaes, cam propor-
-io a ser de agua, podendo tin-ia sr accresceuta-
jo ao P9nio qae se queira, com terredysannexos
que se vend^rrr: q^^nrettnolBr,1 etfteddk 98 com
WaqBltt1 Rudrighet' laflKs d* MfOlo, QesU tidade,
A. loja das 6 portas
Contirrda a ter utn completo sortimento de fa-
enda9, qne pela qua'idade e preco parece impos-
sivel, um completo sortimento de chita, para 240,
280, 300 e 320 rs. o covado, granaiinas de listra a
200 rs. o covado, ditas com listras e palminbas a
240 rs. o covado, chita para coberta a 210 rs. o
eovado, cbapeos de sol de seda com duas. arma-
4j5e a 8a000, ditos de seda para cabeca, fazenda
muito fina, do 12/000 por 7J000, babadmbos e en-
fre-meios bordados, com diversas cores a 400 rs. a
peca, redee- de flo macahiba muito proprias para
lilio, pelo diminuto preco de 3*0(10, cambraias d*
cores miudinhas a, 240 rs. o covado ; na loja das 6
portas em frente do Livramento.
uoas o*r^Ipra?a d. Co'P^SirtD n)!tT,/l*atodr.
Espelh
os.
Para u*, & todeKe itfo Iia naj.iai 1 to- | ~U ~mi"vaut oa barolos pretoi a pnleaihn ] unCl b"5-*M^ p,,1""a ":>* '*<
I fi* All vavaouo i,um
^ppre.isar o effeitD, eavolvando a barba de noite-
com um leDco mclhado no Vigor.
''REPARABO POB
Dr. J. C. AYER & CA., Low^.^fMft,
Ks tadoa tJnidos,
; ChimUo, fractloot
* .'.- ^ VBNpK
SB.
AtwT'jtlcOt,
Ltndissimos vestidos feitos para senhora, tanto
de Ii como dehnho ; asslrn como fechas de seda
emurtoa ouu-os artigos que estao a venda no
.mesmo estabelecjmenio.
Para
A XOV
para ?rmasao de'chap'eos.
coode de Albuquerque n. 162.
de
fm partalares.
nnf,eSCnnb1.* irl?aos '* c> rua da Madre *
o febrico de~olaPo"s B^T^^'%^%
i o arame proprio I^Vendjse^ madefra de^ um. g,.Dde iaqira .
-i ......i .iti.,, i
Bacaftao de Ktmeg..
egar. um pequeno late de caixa.-
o Tiacalriao : no':eaes dlt alfandega
e Ttufeo Irmipa A 6. .
A NOVA ESPffl)ANGA acaba Oa^eceber aquei-
les muagrosos anneis eftatricos, cara infallfvel doi
uervosos.
Gftbriblet e cavallo
em perfeito estado, o-cavallo e arreios, ppr
commodo preco : a trattr na rua do Cresno n.76.
11 andar.

Amara*, NMrJtt & c., vendem espelhos ovaes,
quadradoa e redondos^ proprios para sala, quar-
tos e toillete, tnncarfi res de columoa o com gavela,
com moldura donrada, de lacaranda e de irretal :
nf Bazat Vfetorla, a rua rJo BafSo da Victoria
a. 2i
V
am terreno no A*faiat, com 120 palmw de freH
e 140 de fnade, *rri oma boa cacimba : no ca
daCoropaaliia,.Pernarobucana d. Jo.
As ttfrisas verdadeiras
8IcBa9 fetoBurfiheiaarw ver a este mercado
na rut* do Mkrtttfei .5 i iimrfa m .si
Agua de Vichy
Haul Rivc-Cclislins-bupital
Vende-se
a r* a calxa dc so carrafas
na rua do Sol n. 15,
Fm tempos modi rnos nenhum descuko-
mento ope uromaior revolugao do mudo d
curar anteriormente em voga do que o
PEITORAL DE IHfiHlU!
TAMO NO TRATAHE.M )
PA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thiaca,
Rouquidao, Resfriauui.tos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Pores de Peito,
FxpecturacSo de Sangue.
Como em todaa grande serie !. rnffiiBi '
dades da Garganla, do Peiio la
Orgttos da renpiracSo. \\,ai
atormentam e fazern soffrcr" a liumani!:, ie.
A maneira antiga de curar consistia g rah
mente na applica^ao de veaicalorins, -an-
grias sarjar ou appjirar exterioniH nJ
guentos fortissimos compostns d -:;in-
cias vesicantcs, aiim de produzir i i pulltM ;
cujos differentes modus de curar, i... hti$m
senao enfraquecer c diminuir as turps d
pobre doerrte, contribuindo por esta frrc
d'uma maneira mais facil e ct-rta para a eu-
fermidade' a destruicdo inivit.i\el .le sua
victiraa I Qtiam differente e^ pr>is o etMlt
admiravel do
PEIIOEAL DE AWC^wIIa!
Em vex de irritar, morulicar e cauzar inaa-
ditos soflrinteotos ao doente,
Calma, modifica e suavisa a dor.
Alii via a irritagdo,
Desenvolvo e_entendiincnto,
Fortifica o corpo
e faa com qoe o systems
desaloje d'uma maneira prompta t rapida
ate 0 ultimo veetigio da enfcrmidade. Os
melhores votes em mediciua da Luropa, (oa
entes dos collegios de medicina de Berlina
testificam sefem exactas e verdadakas estas
relacoes analogic as, e ak:ta uisso a eiue-
rieneia de milhares de pesso*- la America
Uespanhola, as quacs foram r.uradas coat
PEITORAL DE A.NACAiiUTA I
Dave-se oatar que este ruuiudio se
irrtoiramente isento de venenos, tanto
raes, como vogetaes, emquautc* quo algutta
destes ultiroos, e particularmcuu: aqudha
qoe sao-dados sob a forma d opio, e aei-
do hydroeianico, formam a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes Uo h-
cilmente se engana a credulida^le do pu-
blico. A eomposicA de anacahuiu. peito-
ral acha-se linda e curfosamente engarrafada
em frascos da roedida de cerca de mt1'
quartilbo cada um, e como a dose qua
touw e so d'uma colhar pequeua, bai
geralnwate a applicacio d'um eu dous fras-
cos para a effiectuacao de qajalquer rura.
Acha-se a venda em todas as boticac
H. Frosters 4C, ageutes.




8
Diario de Pernambuoo Quarta feira 5 de Agosto de 1874.
ISSEMBLEi GEtAL
CAMARA DOS SRS. DEPITADOS.
REFO RMA EtEITORAI..
(Crattiuuagaoi.
A opinifio quo o Sr. presidonte do con-
selho suslentou nesto recinto em i860 e a
opiniao que actual mente torn > nobro mv-
1 nistio do imperio, e a opiniao que tem um
grarde numero de membra ,dos mais res
peiUiveis da maioria.
S. Ex.', em I860, rospo..deulo a um il-
luslre babiano, cuja memoria sera sempre
saulosa aos am gos do parlamento e da li-
bardade, o Sr. Lauiulpho Rocbi Meirado
(apoiados)., disse que tambem elle opinava
pfla eleifio directa, pela qual nessa occa-
siao se tinham pronunciado muitos dos
mem bras ma is importautes que o partido
cons-rvador entSo tinha neste recinto.
Is'.a estd nos annaes ; o Sr. presidente do
couselbo disse qu9 Umbem opinava pela
eleic?.) directa, mis qae entenlia que essa
eleigiio eiigia reforma da constituieio.
C--.Tioo uobre odigao ministro do impe-
rial como o Sr. presidente do conselbo, nos
ouvimos hi poucos dias fallar neste recinto
um dos membros da camara, de cajo apjio
o uobre ministro raiis se deve honrar e
desrcuecer, porquc e um dos membros que
obra com mais discernimento, e que n6s
poucas vezes Urnos visto na tribum, por
mal do paiz, porque sempre quo S. Exc. a
ella sobe, mostnt nao s6 os seus talentos co-
mo sea'alto criterij o senso politico. (Apjia
dos).
Sr. prari leite, em que peso e considera-
cao tem o.nobro ministro o conselbo do
honrado deputado pelo Maranhao ? 0 que
ouvi nos dizer a S. Exc. ? Ouvimos lbe
qu-3 nao havia maneira de remedial* os ma-
les publicos em materia oleitjral sen elei-
cao directs, mas que eatendia que isso de-
. psndi da reforma da constituigao
0 nobre deputado, para fazer conhecer ao
Jionrado ministro ainda melhor a lcaldade
delle, deputado e amigo do governo, disse :
M(S a.rain nip mo compete prop&r essa
reforma.
0 nobro miuistro nao ve nestc conselbo o
que todo o paiz ve, uma censura. 0 que
este leal e nobre conselbeiro vos diz, Srs.
ministros, e nao sejais desarrazoados, nao
vos abstineis, nao negueis aquillo que e
justo.
a Se a reforma for proposta, disse ainda
aquclle illustre deputado, votarei por ella.
0 que espera o governo 1 Que parta a
^ref'>r na'da opposigao Isto nai e possivel
porq ie n6s pjn.-amos que nao e neoessario
a rafjrma da constituigao : quanto aos d:ssi-
donUs, o uobre ministro sabejd como pen
sam, por isso que deu parecer fivoravel ao
projecto do actual chefe da dissidencia, e
nao cxigio no sea parecer refor.na da consti-
tuigao.
0 que espera, pois, o governo? L'ma
dematistragdu eontraria do seus amigos ?
Eu declare ao nobre ministro quo no caso
delfts ja a teria dado, mas S. Exc. abusa
desses lagos de partido que todos e cada um
de n.*is sabe quanto eusta e quao dolorosoe
quetrar, abusa dessa posigao que lbe dd
actual meute em relagdo aos seus amigos
uma grande superioridadc. Oh I "jsto ndo
lbe t licito, e i.-to nao e louvave1...
Sr. president), o nobre ministro, apezar
do a'oraco fatal dado ao meu illustre com-
lrovinciano o Sr. Cruz Machado, ex -presi-
dent? da .Bahia,"nao pole negar que o bri-
ntet.a resultado obtido por esse illustre de-
pute io na presidencia da Babia deu ao mi-
nisterio gloria, lustre, forga e renomo para
man.erse no poder. Nas ovagSes esplen-
dida que aquelle illustre restaurador das
leis, da moralidade, da administragdo...
0 Sr. Cicero Dantas :Da moralidade,
n8o apoiado.
0 Sr. Martinho Campos : Isso liquide
V. Exc. com o nobre ministro do imperio.
0 Sr. Cicero Dantas dd um aparte.
0 Sr. Maktiniio Campos :Na actualida-
de quern torn todos os dados e inforraajoes
mais dignos de ft; e o governo, e eu vou con
elle neste ponto. Assim, psruliUa-me o
honrado deputido que eu repica, o illustre
restnirador das. leis, da moralidade da ad-
rainistraQao na Bahia, nas ovacoes esplenli-
das que alii rocebeu de massas de iunumera-
o I
nioislario tee um largo
vel populacao,
quinhio. .
A meama cor6a dada ao meu illustre
foi offertada ao
FOLHETIM
MARCELIA
c
mm d\ ,,
POR
Ng.clier -Ufasoctl.
0 Sr. Miuistro do Impsrio : V. Exc.
esta* fazendo uma recordegJo de todas as
cousas.
ano, creio que toi ottenaaa ao 0 Sr. Martinho Campos :Nio, seobor;
miiiisterio... lecordei apeoas o' *oto do Si. Croi Maeba-
0 9r. Silteira Martins :Devra sor.^do...
Um Sr. Deputado : Foi depost* aos pos 0 Sr Ministro-do Imperio : IWo eeca-
lo retrato imperial. f pou nada, tem dito tiiifo.
0 Sr. ttAR-riKHQ Campos :-Porque a al-j 0 Sr. Martinho Campos.-... e se fal-
guma peesoa ndo podia ser dada, ji tinha t lei na sua adminisUaoAo da Babia 6. porque
outra de maior tajor, e melhores louros. essa brilhante adminitrcio dd incontesta-
0 Sr. Araujo G6f.s Junior ;- 0 presi- velmente ao seu voto um talor eitraordina-
deute depositou-a aos pes do lmperador. rio (apoiados), e um valor de occasido que
- OSr. Martinho Campos :Nio e possi- o Sr. ministro nio pode desooobecer.
vel; uma cabeca n8o p6decom duas cordas.! 0 Sr. Ministro do Imperio :Eu can-
(Risadas). jtostei o que V. Exc. dizia a respeito de tri-
Mas, Sr. presidente, o honrado ministro loos e outras cousa* ; pedi accusa^Oes fran-
do imperio em que conta tern a opiniio des- (cas^ejeaes
te sou delegado qua, pennitta-me S. Exc.
que o diga, trouxe lho um soccorrd, de que
o ministorio muito carecia o necessitava em
accrescimo de prestigio e credito?
A opinido do illustre deputado nlo p6de
ter mudado ; ha muito poucos raezes, quan-
do S. Exc. se apresentou candidato para a
actual legisltura,~ comprometleu-se ora
seas eleitores a esforjar-so por obter a elei-
5o directa censitaria.
0 Sr. 9. Belisario :-Ate* entendia que
nao era preciso a reforma da constituiQdo.
0 Sr. Martinho Campos :Ao contrario;
nao sd na circular como ate aqui nestesre-
cinto, S. Exc. declarou que n3o era nece sa-
ria tal reforma da constitute. Talvez na
minha argumentarflo, quando fallei a pri-
moira vez, eu me servisso dos seus argu-
montos ; pode ser que ate" tenha feito
plagio.
Porem osta opiniao, a quo os aconteci-
mentos da Bahia dao na actualidade tanto
peso e influencia...
0 Sh. Araujo Goes Junior :Ndo vejo
porque.
0 Sr. Silveira Martins:Para ogabi-
neto muita.
0 Sr. Martinho Campos : Porquo um
homem que desce da administragao de uma
provincia nas condicOes do Sr. Cruz Macha-
do e uma potencia que nao 6 nada inferior
aos miuistros actuaes, p6ie Ievar a sua ge-
nerosidade a esquecer o abraco fatal que re-
cebeu, mas nao asopinioese doutrinas para
cujo triumpho empenhou perante seus dig-
nos eleitores solemnes promessas.
Mas nao contain os nobres ministros mais
com elle ? Nao e hoje que V. Exc. so acha
endeosado e engrandecido pela estima e
ennceito publicos, que redobra o seu valor
e p-speito, que ha de renunciar ds suas opi-
nioes.
0 nobre ministro do imperio sabe perfei-
taraente quo a administragao do Sr. Cruz
Machado na Bahia n3o foi uma imagem ou
reflexo da do governo geral, aqui na c6rte,
foi cousa muito diversa.
0 Sr. Araujo Goes Junior : Apoiado.
0 Sr. Martinho Campos : Nao houvo Id
na Bahia nada que se parecesse com os tri-
Ihos aqui da cdrte e com rauitas outras
cousas.
0 Sr. Ministro do Imperio :E' bom
dizer com franqueza.
0 Sr. Martinho Campos *Direi a seu
tempo, agora estou tratando da reforma
eleitoral, nao posso divagar.
0 Sr. Ministro do Imperio *. Nao se
langam insinuates desta ordem sem trazer
aqui os factos: edever de um bomerc
leal.
0 Sr. Ministro da Agricultura dd um
aparte.
0 Sr. Martinho Campos :V. Exc. ha de
te-los, e conte V. Exc. que hei de discu-
ti-los.
0 Sr. Ministro do Imperio:Eu pela
minha parte hei de dizer sempre : accusa-
coes francas.
0 Sr. Martinho Campos : Venham os
onjamenlos, que e a occasiao azada.
0 Sr. Ministro do Imperio : Pois sim,
que venham ; mas ndo se fagam insinuagoes
sem factos.
0 Sr. Ministro da Agricultura dd outro
apirte.
0 Sr. Silveira Martins : Jd Id vao
dous mezes sem qua elles tenham sido apre-
sentados.
0 Sr. Martinho Campos:Contra o qu&
eu protesto, Sr. presidente, 6 contra toda a
digressao quo me aparte do projecto da re-
forma eleitoral. (Risadas).
0 Sr. Martinho Campos : Mas eu no
quero, nem posso deslocar a questao.
0 Sr. Ministro doImprrio :Opportuna-
mente, quando V. Etc. julgar conveniente
0 Sr. Martinho Campos *. Tal?ez con-
viesse ao nobre ministro do imperio e ao seu
collega da agricultura que eu me ombar-
casse nos trilbos. (Risadas).
0 Sr. Ministro do Imperio :A mim ndo
me convem sendo accusilgSefi francas e leaes ;
0 que nao quero s3o insinuates.
0 Sr. Martinho Campos: V. Exc. sabe
que o ministorio do imperio nadteve com
os trilhos em virtude de illegal dbdicagao,
embora so a elle e a camara municipal de
vessem tocar.
0 Sr. Ministro do Imperio :Mas o go-
verno tem uma honra e responsebilidade
collective.
O Sr. Martinho Campos : Houre nesta
materia erro grave do ministerio do imperio,
e eu em tempo opportuuo o mostrarei a V.
Exc.
0 Sr. Ministro da Agricultura :Ha-
vemos do ver.
0 Sr. Martinho Campos t Mas, Sr. pre-
sidente, suppoe o nobre ministro que eu
quero fazer recordacOes; n8o, eu aprecio a
situagdo do ministerio e a sua reforma elei-
toral actualmeute. Isto e essencialmente
ligado, ao debate, do qual porsisto em ndo
sahir," apezar das tentagdes dos dous nobres
ministros.
Em relacao ao ministerio oncontro a opi-
niao do presidente do conselbo e do nobre
ministro do imperio condemnando o princi-
pio da eleigdo iudirecta ; estao nisto de ac-
cordo comnosco, e nSo se p6de esperar nem
tolerar que sejam inconsequentes.
Eu encontro a opiniao de membros da
maioria; citei o Sr. Gomes de Castro, de-
putado pelo Maranhao, cuja opiniao n6s ou-
vimos na tribuna no mesmo dia em que o
nobre ministro tinha emittido a sua em sen-
tido contrario, infelizmente para S. Exc,
hoj0!, porque no fundo S. Exc. reputa sem-
pre melhor a eleicdo directa.
Na mesma deputagdo do Maranhao esta
opiniao acha mais alguem muito autorisedo
que a sustenta...
0 Sr. Silveira Martins : E na de S.
Paulo tambem.
0 Sr. Martinho Campos :... e de per-
feito accordo Com a opposigao, que a refor-
ma da constituicau nao e necessaria.
0 Sr. Ministro do Imperio :Acha os
Srs. Duque-Estrada, Jo8o Mendes, e outros.
0 Sr. Martinho Campos:Nao creio
que o illustre deputado T/elo Ceard, que me
fua em frente, esteja hoje Uio eorapletamen-
te afastado das suas antigas doutrinas.
0 Sr. Alencar Arakipe : Nunca tive
doutrinas a favor da eleigdo directa.
0 Sr. Martinho Campos : Parece-me
que era doutrina para sua natureza eonsti-
tuinte. (Risadas).
0 Sr. Alencar Araripe :N4o ha tal.
OSr. Presidente:Pego licenga ao- no-
bro deputado para interromper um poucoo
seu discurso, afim de convidar a deputagdo
que tem dedirigir-se aopago para- apreeen-
tar a resposta d falla do throno a curaprif e
sua missao.
0 Sr.Martwho Campos*.Sim, senhor;
V. Exc. & sempre quern manda aqui.
0 Sr. Presidente iffeppit.de feito o con-
vite d commissab) : "nobPft-deputado p6de
continuar. ____
0 Sr. Martinho Campos- : Mas, Sr. pre-
sidente, alera dos honrados deputados do
Maranhao,. eu acabei de'ireferiipme ao hon-
rado deputado e senador por Minas-Gera.os
o qual espero que o unico desmentido qp&
de d censtiluigao sejs o de ser ao mesmo
tempo membro de ambas as caruaras ; liz
var a importancia da voto do nobro deputa-
do, importanto e excepcioual ; o Sr. minis-
tro do imperio encontra entre OS seus me-
lhores alliadus da maioria muitos outros da
mesma opiniao ; p >rque, poia, persevere S.
Exc. era uma reforma eleitoral quo oviden-
temente e transitoria. & uma pas-ag-'ni para
uma reforma mais completa e mais radical
que estd no proprio espirito de S. Exc. f
Fiz ver a S. Exc. ja qu6 a difllculdsde
que tem, e o nobre presidente do conselbo
na actualidade, n3o c inveucinel ; seus mui
respeilaveis amigos ja Ihe lembraram da tri-
bo la o caminho a seguir : para que, pois,
perdermos o nosso tempo com um projecto
de reforma que nSo satisfaz a ninguem, que
deixa o nobre ministro do imperio e o Sr.
presidente do conselbo em uma posigao sin-
gular ; que comprometle e sacrilica a coroa,
violenta o constrange fatalmente a maiiria
ou cerca de metade della ? 0 que justifies
semelbanle insistencia por este projecto ?
Sr. president-), e provavel que a discus
sao continue a merecer do nobro ministro
do imperio a mesma allungSo que este as-
sumptj tem merecido ate hoje e mereceu
no seu relatorio ; mas V. Exc. me permitti-
rd continuar a impugnar o projocto o a sus-
tentar o adiamento.
Eu n3o pude fazer excavagoes complctas,
mas desconfio quo o nobre ministro do im-
perio vai achar-se em diQiculdades com o
nobro ministro da guerra e o da marinha
nesto assumpto ; e nao foram tiles panegy-
ristas da perpotuagdo do systems eleitoral,
que S. Ex quer perpetuar. /^^
No scnado, alein do Sr. barao de Cotegi-
pe, que tdo honrosamente recusou fazer
parte destc ministerio, como hoje e notorio,
por causa da eleigao directa, temos mem-
bros dos mais imporlantes. dos que apiiam
o ministerio, favoraveis a eleigao directa.
Em I860, o Sr I.andulpho Medrado foi
aquf vivamente apoiado pelo Sr. Fernandes
da Cunha, quando pedio a eleigdo directa. i
0 Sr. Silveira Martins : Alom disto
ha o Sr. luho'nxerim,
0 Sr. Martinho Campos : -E outros.
No liro de dircito publico do Sr. Pimenta
Bueno a eleigdo directa e apregoada como
muito melhor do que a indirecta. Diz S.
Exc. :
Parece, ao menos em these, que a elei-
gao directa offerece vantagens e garantias
que a indirecta ndo ministra. Ella e a ex-
pressdo immediata da vontade, o voto ge-
nuino, iiel, ndo rnoditicado dos votahtes, e
consequentemente a representagdo sincera c
positiva de suas ideas, desejos, crengas e
pensamentos poliiicos. E' mesmo o princi-
fundo o systema eleitoral actual ; ndo mo-
Ihora o processo de qualificaglo nem o pro-
cesso eleitor*!, faz uma alteraglo evariante
das f6nnas, manlehdo todos os males e ag-
gravando mesmo muitos dos males e vicios
que tem feito incorrer no geral desprezo as
nossas eleigoes; potque, pois, precisa desta
rpforma no lerceiro anno da legisl&tura ? 0
que S. Exc. faz este anne, preteeindo as leis
de orgamento, faria da mesma maneira para o
anno. Por exemplo, a abolicio dos distfic-
tos para rtstabcleoe^ a% antigas eleigdes de
provincia, isto ndo justifica a necessidadeda
sua reforma no presenloterceiroanno da le-
gislature.
Um\ voz :E a qualificagdo ?
0 Sr, Martinho Campos : Quauto i qua-
lificagio, S. Exe. nada altera por fim. Em
vez de se appelLar para a relacdo em ultimo
recurso, que e" um tribunal collectivo, com-
p >sto de juizes perpctuos, appella-se para o
juiz de direito perpetuo, quo e um tribunal
singular t
A garanlia, se ndo e igual, e em ambos
tdo satisfac.oria como so (6do cntre n6s
obter.
Ndo vejo, Sr. presidente, cousa aiguma
que justifique esta reforma, salvo se o no-
bre ministro, e eu creio que ha toda raz8o
para assim sa entender, nao esta contente
coin a camara actual ; quer dissolve-la, e
nao parocendo bera dissolver duas camaras
do seu partido consecutmmento, procura
algum pretexto, como condemnar em lei a
sua origem, e arruinar assim a sua forga
moral... Sd isto e que poderia justiflcar
esta exigencia da reforma immediata ; mas
porque e para que fim quer o nobre minis-
tro dissolver mais uma cf>mara do seu par-
tido ?
Ndo vejo cousa que o justifique e nem
creio que S. Exc. obtenha esse desideratum.
Estas cabalas de notaveis do senado contra a
camara de deputados em proreito de um
notavel do senado sdo destas manobras quo
nao pode.n ser mais postas em execugdo,
porque as victimas estao ja precaviias com
a primeira e conheccm jd quanto o interesse
publico ndo entra em hnha de conta de taes
eu:edos poliiicos.
Sr. presidente, V. Exc. rr.e permittird fa-
zer algumas conaideragdes mais sobre o
projecto, para sustcntar o seu adiamento.
Ndo vejo que o projecto do nobre minis-
tro seja justo em seus fuudamentos. S. Exc.
deixa a causa do mal de 1 ado,esta causa ndo
Ihe merece nenhum cuidado. A causa do
mal eleitoral de quo nos queiiamos, com
muita razdo, S. Exc. a respeita, ndo se oc-
cupa della, para occupar-se de cousas insig-
ficantes.
0 projecto do nobre ministro altera a
pio logico, pois que, se os mandatarios po-fcomposigao das juntas de qualifica^do, e
(trad, da REVISTA DOS DOUS mu.ndos.)
II
(Continuagao do n. 175.)
Ella poz-se a caminho e n6s seguimo-la.
Como te cbamas ? Perguntou o con-
de, alguns instantes depois.
Ella nao respondeu.
__Pergunto-te como te chamas, repetio
elle com certo vislumbre de altivez.
Acaso perguntei como se chamava o
honhor t respondeu ella frismente.
A feiticeirinba ndo deixa de ter logics,
m-irmurou o conde. m
Onde foste buscar tdo lindos olhos
lornou elle, depois de uma pausa.
Em vez d? responder, ella apressou o
posse.
0 conde apressou-se tambem, e alcan-
vando-a, poz-se a caminho ao seu Udo :
__ Tu me agradas, disse elle ainda.
A rapariga olhou-o com desdom, sem
nada responder ; mas o seu olhar tinha
dito uma infinidade de cousas, e com a
traior clareza. ,
Vemcomigo, insistio o conde. Sou
rico, e tu morards no meu castello, trajards
s.3das e velludos, teras joias e ncas guarni-
$5es de pelles, e s6 sahirds a carro, paia-
do por cavallos brancos como o leite.
A pobre menina tornou-se vermelha co-
mo carmim., e, com a voz entrecortada,
"de s(>1u5-->s, perguntou:
Porque razdo o sonhor me insults ?
N&o tive intengdo de to insultar, disse
0 conde.
E com qiie^direito me falla o senhor
assim t replicou ella. /Deus fez todos os ho-
Tonc iguae}; e, .perante Elle, n8o obstante
seuhor um' coude, .en talvez. tenha
,. _. merecimento'1 Porque razio, pois,
me olTeade o senhor t
-<- Reflate um pouco, disfie o-conde. Tu
es uma linda rapariga, e me agradas ; o
que fazer, pois ? Julgas acaso que eu devo
desposar-te ?
Nao penso em tal, disse ella rindo a
bandeiras despregadas ; como poderiamos
n6s viver unidos 1 Como um cavallo e am
gato attrellados ao mesmo carro. Mas, se
o senhor pretende que eu ndo sou capaz de
ser sua mulher, responder-Ihe-bei que sou
boa de mais para n3o me rebaixar ao pon-
te de ser sua amante.
Tu 6s uma honesta rapariga, disse o
conde com fervor ; ere que agora ainda
maiste estimo. Dd-me a mdo.
Ella besitou.
Dd-mo a raao,repetio elle em torn
de autoridade qua nao admittia replica, e
ella obedeceu.
Em seguida ambos continuaram a cami-
nhar ao lado um do outro, sem proferir
nenhuma outra palavra, ate" que sahimos
da floresta. Era entdo noite completa. e
as estrellas brilhavam com a sua luz ful-
gente.
Eis a vereda, disse a rapariga estens
dendo o brago ; por traz da Imagem dw
Virgem, dobrai a direita, e ndo mais vo-
enganareis.Ella abaixou-se, colheu uma
flor, e ficou immovel a dous passos de n&s.
__Onde moras ? perguntou o oonde.
Ella nem respondeu nem se mexeu do
lugar onde estaYa. #
__Onde pjderei tornar a ver-te t insis-
tio o meu amigo.
Para que quer o senhor tornar a ver-
meT respondeu ella, langando-Ihe um sin-
gular olhar.
Como qaeiras I disse o conde. Sabe-
rei encontrar-te. Ate entdo, obrigado e boa
noite 1
Elle estendeu-lhe a raSo, e vendo que
ella occultava a sua nss dobras da saia, se-
gurou-a, apertou-a cordialmente, e, des-
cobrindo-se, saudou-a, e metteu-se pela
vereda que ella acabava de indicar-nos.
__Boa noite gritou ella por traz de
nds, quando ja tinhamos dado alguns pas-
sos ; e em seguida deitou a correr pelas ex-
tremidades da floresta.
0 conde vio-a afa'star-se. Distinguia-se
os fofos brancot do sua camlsinba brilha-
rem por entre as trevas.
E' preciso que essa mulher me perr
tenca, murmurou elle.
E de que moilo ?
dem e devem ser eleilos immediatamente
pelos mandantes, por aqueiles cujos interes-
ses vdo representar, para queou porquo se-
rao nomeados por enti lades interpostas,
que podem alterar o pensaraento do man-
danto, ou pelo menos ser dispe&sados?
a A eloigdo directa, diz ainda o eximio
publicists brasileiro, e o systima que dd
maior forga moral, inalor independencia aos
deputados, que liga-os mais estreitamente
aos povos.
tui^ao que isso coRCorre poderosamoote para
tornar aseleiguis liores e neutralism'onde-
movvr toda a mfhmncia ministerial. Evi-
tase de mais a possibilidade da fraudes na
nomea^do dos eleitores.
Sr. presidente, rms regides officiaes- vai
havendo tanta instabilidade do parecer e opi-
niOes, que tem se sempro o temor e incer-
teza que ma dominant, e obrigam a dizsr
que nao sei se S. Exc: porque esta no sena-
do segue hoje outra opiniio que a do sou'
livro, oqoe tem por vezes acontecido, com
grave perturbagdo da minha consciencia e
opinido aas suas ligoes formada. Sim, mais
de uma vez eu tenho seguido opinioes aeon*
selhadas e autorisadas no seu livro de di-
reito pubHco, e entretanto tenho notado que-
o sabio.autor pratica no senado o contrario
do que me ensinou e esereveu no seu livro,.
que temo por isso dizer- exeellente, como in-
contestavelmentc c...
Esta insistencia, pois* do nobre-minislnH
do imperio por uma reforma immediata,.
que em nada satisfaz aopaiz, eu ndo a sei<
explicar absolutamente.
0 Sr. ministro do imperio ndo altera no
esta alteragdo nao e para melhor. Isto e,
terulo a lei actual ineumbido a fiscafeogao
do processo eleitoral e de toda a qualifica^ao
aos- mais immediatamente interessados nes-
tes aetos, que sdo os pertidos miHtantes, S.
Eicvr <|uo se diz. inventor, protector e pro-
pugrm'dor da victoria e influencia das minc-
rias, esriue a minoria desses exames, desst
intervengdonos actos eleitraes, a eomegar
pela quelificagSo, o "que bem mostra que o
tal amor que Sv Exc. diz ter ds minorias e
uma estrategia, e um meio- de guerra-, com
o lira de impedi-las ou de torna-las tambem
da cscolha do governo na distribuigdo-dos
quocientes, operagfio diflicil', que S. Exc.
espera e pretende-fazer com a maior justiga
e imparcialidade, se esta sua resolugao nao
quebrar-se, como- 6 certo que se quebraraj
anto seutMnuntoscostumeiros e babituaes nas
quadras cleitoraes-.
S. Exc. cxcluc na orgaoisa^ao eleitoral
das prolongadas). k qnalincacdo e gradua-
gao de mais rico proprieUrio seri feita pelo
nobre ministro ou ageqtes amis.
Os dec mais rieos preprieuhot tormm
incerta a eomposi4> fnta de ^raMka-
g e das mesas parochiaes ; e porwMt Se
S. Eic. teme-se da influwicia partideria, de
certo ndo se acautela dessa influencia cha-
mando os 10 mais ricos proprietanos, que
en geral sio umbem partidarios.
0 que S. Exc. faz e alterar a organisajjlo
da juntas e mesas, que tinham uma idea,
um systema, um fundamento na lei de I84f,
entregando esta organisagio ao acaso. Tres
membros da mesa sio os qoe a lei de 1846,
recoohece, mas deixa os dous ao acasoyi
ventura, pois que rdo sabe quaes serfc/as
opinioes dos seu dez mais ricos proprieta-
rios, que podem e naturalmente serlo do
todo ou em parte eleitoraes, ou do partido
dos eleitores, que terio assim junta ou mesa
unanime : ora, incontestavelmente o syste-
ma da loi de 18i6 dd mais garantias, ao
menos de fiscalisagSo, e desperta os recur-
sos contra as exclusoes e ioclusoes injustas
das list as eleitoraes : isto e obvio o osti en-
trando pelos olhos.
Ora, esta aristocracia ou esta plutocracia
do nobre ministro dd mais garantias e me-
lhores ou mais morahsadas do que o interes-
se dos partidos militaries? Sr. presidente,
as outras disposigdes sdo da mesma nature-
za. 0 nobre ministro ve-so urgido pelos
reclamos da opiniao a fazer uma reforma
eleitoral. Ndo se atreve, ndo lbe convem,
ou ndo pode fazer a ref jrma que o paix re-
clama, quer fazer uma mudaoga, uma alte-
ra g a ) ainda que pira peior I.. A mantcr-
se o systema actual, desacreditada como se
acha a eleigao indirecta, ao menos mante-
nha-se alegislagdo que jd e conbecide no
nosso paiz, que estd nos nossos usos e cos-
tumes. -
Os partidos todos sabem ja como bio de
haver-se com essa legislagdo. Uma outra
legislagdo, e uma legislagdo como a qoe se
pror6o, dard ao governo, so por este faeto,
uma immensa vantagem. Se o vicio makr
da nossa ele.gd e a intervengdo do gover-
no, esse vicio torna-se ainda mais prepon-
derante com a reforma do nobre miniitro.
0 nobre ministro Heard senhor da eleigdo.
A camara sabe como hao de ser feitas as
votagoes secundarias. lornam-se necessa-
rios, para se poder dirigir a eleigdo, um
calculo, uma distribuigdo dos votos por
quocientes para cada candidato, que so o
nobre ministro do imperio terd meios de
fazer.
En retaoto, Sr. president*, se ha por ex-
emplo materia simples de sua natureza e
na qual se pode facilmente chegar a accor-
do e d.perfeigao possivel, 6 qualifica0o.
Se na organisagio das listas de votantes ou
eleitores seeontestar o direito a alguem, o
prejudicado enconlra mais garanlia no sys-
tema da lei actual, que Ihe ddo direito de
appellar para o tribunal judiciario, que e
o mais competeute para assegura-r e gara**-
tir os direitos individoaes.
O nobre ministro ndo foge desta ultima
perte ; mas estabelece um systema muito
mais complicado e defeftuoso, em que nega
aos immediatamente interessados nos ados
eleitoraes, que sdo os partidos milManles, a
intervengdo que lbes compete.
Sv Eic. teria feito muito -nelhor se lives-
se copiado a legislagdo do imperio de Na-
poleao III do deoreto orgaaico de 185*2.
das mesas das juDtas do qualifieagao os re- Scrra um processo eleitoral mais simples,
_ ___....... jJ*_:___:. u.~. .. o mmin mais claro. menos awoendioso e mais
Ainda ndo sei; mas dk-me aiguma
cousa qoe ella e minba, que deve perten-
cer-me.
No dia seguinte vi-o entrar no meu
qtiartoA uma hora muito raatinal, e com
um aspecto muito commovido, e quasi per-
turbado. Deu algumas voltes pelo aposeo-
to, e, por flm, parando into d janella ;
disse d meia voz, como se nie se dirigisse
a mim :
Cresna vista dupla ?
Porque me faees este pergunta ?
Eu creio ; minha mii era vidente.
Ella tinha presentimento de factos q^ie s6
deviam occirrer muito tempo depois.. E
eu...
Tu... eu diria que-eras um visionario,
se te ndo conhecesse.
Ndo sou tal visionario, ndo ; tenho,
por^m, presentimetos extraordinarios, que
me appareoem subitamente, e que> a meu
pezar se me fixam no espirito e acabam por
tornar-se verdadeiras. vis6es,e o q,ue 6 cer-
to e que tudo se realisa ponto por ponto.
E qual e o presentimsnto que te
agita agora ?
Disse te, ba dias, que preteadia casar-
me; respondeu-me o conde. Foi este o
ponto de partida. Logo depois vi em so-
nhos a ama que me aleitou, e a seus pes a
felicidade, sob a forma de uma mulher de
cabellos castanhos e grandes olhos aznes.
Essa mulher & a desconhecida da floresta ;
e esta deconbecida e Marcella, a neta da
minba ama, etu verdsessa Marcella serd
minha mulher.
Estds louco T
Sei bem o que digo. E accresceoto
que hei de ser com ella tdo feliz como nin-
guem ainda o foi n'este mundo.
Assim, pois, estds bem resolvido ?...
Ndo se traU de resolugdes I Vejo o
que ha de acontecer. Vi Marcella," nio com
os seus traios de campopeza, mas com ves-
tias de velludo guarnecidas de arminho, e
cercada por seus Olhos... Esta tarde ire-
mos & casa da minba ama, e havemos de
encontrar Marcella, sentada d pjrta da ca-
bana, occupaodo-se em fiar.
Ill
Nao pude domiuar uma certa emogSo
que de mim se apoderou, quando, ni tarde
do mesmo dia, ao atravessar a aldei* de
Zolobad, aproximamo-nos da herdade de
Nikita Tchornochenko,
preseutautes da minoria, e cbama para esse
trabalho os dez des mais ricos proprieta-
ries : com que vantagem ? Eu jtf o disse :
por via de regra os proprietarios-eslio repar-
tidos e dtvididos pelos partidos quesedeba-
tem nas parochias ; aquelle que muito ric*
nao quer que outro que nao e tdqlrico ou
6 tao rico influa misdo que elle na sua lo-
calidadc. 0 que vai, pois, Si Exc. fazer
com estes seus dez mais ricos proprietaries ?
Da mesma maneira que nao depende de mais
verificag8 aiguma para ser reconhecido
eleitor, basta ter cahjas azues risadas) e o
nobre ministro e quern dd essas ca-lcas, por-
que S. Exo. e o verdadeiro rei d'armas, o
outro e uma perfeita- Ggura de pelha. (Risa-
Antes que enchergassemos algnem, pela
porta entre-aberta da sebe, por onde entra-
mos, divisamos o grjande cdo, pceso d cor-
rente, e a acompanliaii-DOs com o olhar in-
telligente dos caes do raga, como se nos
quizesse perscrutar as~intengoes..
No pateo estacionava um carro de campo,
uma especie de cesto-de vime, assente so-
bre quatro- rodas, e puxado por tres pe-
quenos animaes, escuros e raagros, dos
quaes ura era uma egua, que amament&va
o filho, um poltrosioho castasho, que su
gave o leite materno com grande satisfa-
gio, agitando a :ampanhia que Ihe pandia
do pescoco.
Logo que volteamos o carro, a casinha
de madeira, alva e coberta de col mo enfu-
magado, apreseutou-se a nossos olhos, e
entdo vimos que uma mo$a, tendo um fuso
nas mdos, no qual Gava, estava sentada d
porta, e que, junto a ella, ao sol se espre-
guigava um gato branco, que, apenas nos
vio, eutrou a piscar os olhinhos vivos.
A moot, apercebendo-se de que alguem
se aproximava, ergusu os elhos e estreme-
ceu : e era a desconhecida da floresta.
Dixe, es Marcella ? perguntou o
conde.
Para servi-lo, senhor. Respondeu
ella.
Tua av6 estd em casa ?
Estd, sim, senhor.Tenha a bondade
de entrar.
Entramos. No meio de uma saleta aceia-
dasinha, e sobre um escabello, estava sen-
tado um menino de cerca de oito annos de
idade, trajando calga e camisa de algodao,
com os pes descalgos, e tendo na cabega
um pequeno vaso de barro em guiza de
chape'o ; um homem, jdidoso, entretinha-se
em cortar-lhe os cabellos com uma tesou-
ra, guiaudo-se pelo coatorno do vaso. 0
garoto fazia caretas como um paciente d
quem levassem para o supplieio.
Ondeestd Hania, minha ama?per-
guntou o conde.
0 que 6" 1 disse uma fez do quarto
visinho. Quem 6 que me procura ?
Instantes depois apparecou d porta uma
yeneranda matrona de estatura elevada e
de cabellos brancos, cujos olhos se fixaram
no coldo.
Grande Deus, exclamou ella com a
voz commovida, serd possivel?! E's tu
mesmo, Sacha ?
muito mais claro, menos drspendioso 8 mais
garantidor do quo o seu processo.
Eu nao sei, por exemplo, o que quer di-
zer a- necessidade desta organisagao de jun -
tas pfl.-a primitiva erganisagdo de listas. As
mesas qualificadoras-re-ebem as listas feitas
pelos sub lelegados, inspectores de quartei-
rao, e juizes de poz.
A organisagio das listas nio prejudica o
direitos de ninguem: para que obrigar as
juntas-a um trabalao-lougo, desnecessario e
muito oneroso no interior *
(CoHtimta hai -sc.,
0 conde, porenvjd se tinh-i langado nos
seus bragos, e a velhinba chorando dava-
lbe repetidos beijofr nas faces trigueiras, e
repetia d oada instante :
Sacha, meu filho, meu querido filho 1
Glorias sejam dadas a Deus I Que Undo
rosto que tens I e esta soberba berba I Yin-
de todos,. Marcella* Nikita, Eva, vinde to-
dos. Eis aqui meu filho, meu Sacha I
N'uia. abrire fechar d'olhosa cabana se
encheu, e muitos olhos curiosos nos circu-
laram.
Eis aqui meu genro, Nikita Tchor-
nochenko, d"isse a ama. Ym saudar o
senhor conde
Senhor apresento-vos os meus respei-
tos, disse o oamponio com algum embaragp
e sem deixar a tesoura que tinba nas maos.
Fizesteis bem em vir ver-nos ; mas
onde estd Marcella ?
Marcella aproximou-se.
E' a minha segunda filha, cont'muou
Nikita ; eis aqui a mais velha .*
Uma moga bastante linda, de cabellos
nogros e de perfil oriental, que tinha um
menino nos bragos, ioclinou-se sorrindo
Esta e minha filha Eva ; eis aqui
Bodak, seu marido, e designou com o dedo
um camponez mogo, que aproximou-se e
beijou o brago do conde.
Ellos jd tem tres filbos, pioseguio Ni-
kita, e os meus ainda estdo assim.Apro-
xima-te, Liska 1 -E segurou uma selvagem-
sinha de quatorze annos de idade, que veio
quasi i forga, mas de quem so vimos o
queixo arredondado, visto ter ella occulto
o rosto sob a manga da camisinha.
Este aqui, disse ainda Nikita, e Vach-
kou I
Era o garoto, que, sempre seotado sobre
o escabello, o cobcrto com o vaso de barro,
conservava-se quieto e com a bocca muito
aberta.
A velbusca, sentindo-se feliz, quasi que
ndo fallava, e contentava-se em sorrir para
o seu filho de leite, dizendo finalmente :
Como tu es bello e forte I E ttu' te
tornaste homem .do bem e de honra. Jd
sei tudo, tudo, visto como o velho Iendrik
poz-me a par de tudo. Se eu livesse ainda
as rainhas pernas dos vinte annos jd leria
ido ver-te.Marcella traze aiguma cousa,...
um pouco de leite, minha fllua.
Marcella nada respondeu ; seus grandes
olhos estavam ftxados no rosto do conde e
tnaduziam uma singular expressdo de curio-
sidade e de admiracdo.
- Ndo temos cousa que valha d pena
offerecir, mas creio que ba leite qualhado,
manteiga, queijo e pdo. Bem sabes o que
vai por aqui.
E' quanto aos basta, disse o conde.
Nao fagas cerenaonias comnosco. 0 meu
amigo e aqui da terra.
A velhusca levou-nos para a segunda sal
e convidou-no6 a sentarmo nos no banco
[,que circulava o grande fogdo verde ; Nikita
aproximou denos a mesa, ao passo que a
velba ama, toraando Marcella pel* mdo, le-
vou-a d presence do conde.
Olba, disse ella. Eis a menina dos
meus olhos, como tu tambem o es. E' uma
exeellente rapariga,... de dezoito annos.
direita como uma boa arvore ; e" ua cora-
gdocandido ; tu nio 6s melhor I... Oiha,
meu fllho, se tu uio fosses conde, grande
senhor, e ella uma camponeza, seria uma
optima mulher para ti.
,Que diz, vovd ? interrompeu-a Mar-
cella, que enrubesceu toda, ao ver que o
conde a examiuava.
Sim, e isto I e nem aqui ha mal al-
gum, accrescentou a velha ; vai buscar o
leite qualhado, vai ; e traze tambem leite
fresco para as criancas.
Marcella sahio, e pouco depois voltou,
trazendo uma grande terrina cheia de leite
qualhado e espesso. Acompanhavam-na
Liska, que afinal consentio em mostrar-nos
seu narizinho arrebitado e suas trangas lou-
ras, e Vachkou, d quem jd tinham tirade o
exquisito chapeo. A primeira trazia sobre
folhas verdes um bolo de maoteiga amarella
e um queijo, e o segundo traiia ura grande
pio negro.
0 pai de Marcella deu-nos duas colheres
de pio, e o cende servio-se de sua face de
caga para certar o queijo e deitar a mao-
teiga nas fatias do pio.
Toda a familia poz-se a ver-nos comer.
0 velho camponez fumava no seu cachim-
bo, a vov6 sentou-se com as maos sobre os
joelhos, Eva entrou a emballar o fllho, e
Marcella tomou do fuso e continuou a fiar.
Logo depois entrou Nikita com uma se-
gunda terrins, e disse :
Minha boa mii, aque estd o leite para
OS meninos.
{ Continuar-s-ha.]
NYP. DJ D'AWO. s-BUA DtQUS UE UL^um


*

'
-------------------------


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E80S1IRE4_KJ1XTA INGEST_TIME 2014-05-28T16:34:23Z PACKAGE AA00011611_19430
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES