Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19212


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXVI
MEIIO 160
QUART-FBIRA 16 DE JULHO T)R 1890
*
i .'

.i
i
,J
,*
DIARIO
PERNAMBUO
Propriedade de Manoel Figueira de Faria db Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meses adiantados. .
Por seis ditos dem......
Por no anuo idem......
Cada camero avulso, do mesmo da.
6*000
12*000
23fOOO
100
Os Srs. Aieue Prince & C.
de Paris, sao os nossos agentes ex-
clusivos de anuncios e publica-
res na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO E FORA DO ESTADO
Por seis mezea adan lados. ... 13*500
Por aove ditos idem...... 20*000
Por um anuo idem...... 26*000
Cada numero avulso, de dias anteriores. *100
TELEGRAIMAS
ESTICO PA&TZCVLA2 SO SUSIC
RIO DE JANEIRO, 15 de Julho, as 3
horas e 15 minutos da tarde.
Foi declarada de 1.a ent rancia a comar
ca de Cabaceiras, no Estado da Parahyba,
sendo para ella nomeado juiz de direito o
bacharel Joao Lopes Pessa da Costa.
Foram nomeados para a commissSo
de estatistica commercial do Estado da Pa-
rahyba :
MentirosAdolpho Soares, Antonio Que-
des Paiva, Jos Azevedo Maia, Jos Fran-
cisco Moura, Fernando Cuclho Araujo,
Candido Jayme Costa.
SecretarioFrancisco Retumba.
AmanuenseJlo de Albuquerque Vas-
concellos.
Continuo Francisco Trigueiro.
Foram tambem nomeados para igual
commissao no Estado das Alagoas :
MentirosManoel Antonio Gaimaraes,
Manoel Ramalho, Jos Almeida Quima-
raes, Jos Teixeira Basto, Tiburcio Car-
valho, Jos Virginio de Araujo.
Amanuense Elpidio de Novues.
ContinuoPedro Alcntara Moreira da
Silva.
As fustas do honteai foram gran-
diosas e enormemente concorridas.
IRSTRDCglO POPULAR
AIA8STASILIBASSS0SASTS0S
POR
*OSM-Q&ffilG> IF&aSSnCiBS
CAPITULO XV
A lei de Newlea, on gravlfaeo uni
vernal Forcan e rmonliii le a*
irncrwo e repula..
( Uontinuajio)
II
. \s felbas de oatras especies-segundo diz
Carlos Bonnetfecnam-se ao sol em uin seniido,
e ao orvatbo no sentido opposto. Iguae3 mov
mentas se observara em algumis nre9.
Existera, alui disso, ein a Ruaren certas no
res. que. por virtude de occulUs sympatbias
cenndonos desta phrase vulgar. se aorem a
determi. adas horas do dia ou da ooile; realisan
do o com to rara preciso que fra fcil rormar
rom ellas nm relogio, qu marcdsse, urna por
urna, as vinte e quatro horas em que, astronmi-
camente, i dividido o da.
. Os veetaes sao seres inferiores da Natureza,
03 superiores. A' seraeihauga (testes, exercem
taTbem. anda que de um modo elementar a* pro-
prias funeces. Ha em muitos delles a difieren
I-a de sexo qne se noia as especies de animaes ;
procriam Ue um modo quasi anlogo, resplram,
teem membros vasos e veas ; esto sujeitos a
lome e -.ie ; repellem"materias fecaes ; pade-
cen com o fro e calor ; morrem de velbice e,
as vezes, de enfermidades repentinas e pestilen
ciaes Afinal, assim como o reino animal tem os
seus p?rasiU8,o das plantas possoe tambem os
KM inherentes, a sua uaiureza especial.
Em todos os corpos existem, mais ou menos
desenvolvidas, as Torcas de attracco e repulsao,
que equilibrara a maravilhosa machina celeste.
Os antigos altnbuiaro pedra chamada Teame
a propriedade opposta a que possue o imn ; isto
: repellir o Ierro, em vez de ittrahil-q.
Da maior ou menor gravidade especifica dos
corpos depende ordinariamente a mor ou me
or quantidade de forjas contrarias que nos mes
mos se desenvolvem. ...
(Continua.)
riRTE OFFICIAL
lelos do poder ejecutivo
Decreto *. 524 de 26 de Junho de 1890
EiUbelece regras sobre a competencia du gover-
no federal e a do dos Estados-Unidos do Bra-
zil para concessao de estradas de ferro
0 geaerali8simo Manoel Deodoro da Fonseca,
ch fe do governo provisorio da Repblica dos
EsUdos-Uoidos do Brazil, constituido pelo exer
cuo e armada, em nome da naco :
Considerando que o deaenvolvimeoto que val
t .mando a viacao frrea em todo o territorio da
(cT.nblica exige que sobre as respectivas con
ees O3 seia claramente discriminada a compe
u-ncia do governo federal da dos governos dos
( oa-ider, ndo que as dispjslces da ckcalar
. 2 de 16 de Janeiro de 1873 e as de'regula
ineoio que baixoucom o decreto n. 5.561 mw
d- P-veiiro de I:*, reculando esta materia, de-
ven ser mo cada, nao t para attender os in
convenientes, que na pratlca lin elias manires-
lado, mas tainoem para serem adaptadas orga-
ni-aco actual do paiz, decreta :
An. t' da exclusiva competencia do gover
no f'd'.-ial a concessao de linuas frreas nos se-
guine casos:
1 Quando ligarem as capitaes dos Estados a
sede uo aOVWBO federal, concillando os n.ieres
ses econmicos da naco com o de ajutor o<
lacn polticos da Unio.
II Quando estabeleceiem commumccOes en-
tre 0 territorio da Repblica e dos partes lian
trones. satisazen.io interesses mternacionaes.
III. Quaudo preeneberem nns estratgicos em
relacao defesa do te -riten nsc onal ou se di-
riiam directamente as fronteiras ou a pontos es
t, uticos coavfcielemetite escolhidos.
5 nico. As wiradade fermcotuprenendldM
as tres hvpotbeses d'este artigo farao part- de
um plano geral de viacao que sera orgaoisado
nara servir de base s respectivas concessoes
rt. S* E' da eompelencia do governo de cada
E*tad'r> a ronreFfo de linha? frreas no respe
urritor r. ndoptr fim ligar centros po
puluEOs ou regioes productivas, quer s trabas
de viacao geral, quer a porras situados no prc-
nr o l.uorJ.
i St as liobas tiverem de prolongar se no
aorio de um Estado visinho, a concessao de
pender de accordo entre os governos dos Esta
dot iUre:sado.
2 A comoetencii dos g-.vernos do- Estados
para decrelar a construefao ae lindas frreas uo
respectivo territorio a sujeita s segaiotes re
striccOes, e-n relacao viacao geral:
a) Se a linba frrea constituir proloogamento
de outra linba da viacao geral, a concessao s
poder ler lugar pre : den lo declaraco expressa
de desistencia do governo federal.
b) Se constituir ramal da viacao geral, depen-
der de aceprdo com o governo federal quanto
ao ponto de entroncameuto e bitola de linha.
c) Se entroncando em urna linha da v acao ge-
ral ou a cruzando demandar um porto ou ligar
se a outra linha particular, a concessao e pode-
r ter lugar con expresso consentimento do go
verno federal.
d) Se fdr parallela a urna linba da viacao ge-
ral, situada a menos de 100 kilmetros da mes
tna linha, depender a concessao do assentimen
to do governo federal.
Art. 3 Fra dos casos previstos nos artigos
precedentes, o governo federal so poder decre
tar a construeco de lindas frreas no territorio
de nm Estalo, quando for ]necessario ligar
ao systema ae viacao geral ou a seu porto de
mar os estabelecimentos militares ou iodustriaes
pelo mesmo governo costeados, e anda quando
ti ver de satiafazer Interesses flseaes as fron-
letras.
Se, porem, bou ver conveniencia para o Estado
em effectuar construeco da mesma linha para
satisfazer a lias econmicos a ratervenco do
governo federal se limitar a auxiliar a con
strueco da linha mediante accordo preestabele-
cido.
Art. 4" 0 governo federal poder prestar au-
xilio a qualquer Estado na construeco das li-
nhas da competencia d'este, quando he faltarem
recursos para fazel-o.
Esse auxilio, porm s ser prestado quando
solicitado, e se limitar aos meios indirectos de
que nao resultarem onus directos ou definitivos
para a Unio.
Art. 5 0 governo federal poder entrar em
accordo para construeco das liobas de sua com
petencia com os dos Estados, resalvados os in
te res ses geraes a que essas lindas tem de pre
encher.
O cidado Francisco Glicerio, ministro e se
creti'rio de estado dos negocios da agricultura,
commercio e obras publicas, assim o faca exe-
cutar.
Sala das sessOes do governo provisorio, em 20
de Junbo de 1890, 2 da Repblica. Manoel Deo
doro da Fonuca.Francisco Glicerio.
Decreto n. 523 de 26 de Junho de 1890
Eleva a 60.000:000* o capital de 30.000:0001 a
aue se refere o art. 2o da lei n. 2.687 de 6 de
N'ovembro de 1875.
O generalissimo Manoel Deodoro da Fonseca,
chefe do governo provisorio coostituidop elo
exercito e armada, em nome da nacao, decreta :
Art. 1. E' autorisado o ministro e secretario
de estado dos Negocios da Agricultura, Commer-
cio e Obras Publicas a garantir juros de 6 ao anno at o mximo capital de 60.000:000*
para o estabelecimento de engeohos centraes, na
forma do art. 2" da lei n 2.687 de 6 de Novem-
bro de 1875 e comprehendido no mesmo capital
o de 30.000:000* a que Be refere o mencionado
artigo.
Art. 2. Ficam revogadas as disposicOes em
contrario.
Francisco Glicerio, ministro e secretario de es-
tado dos Negocios da Agricultura. Commercio e
Obras Hubltcas, assim o faga esecutar.
Palacio do governo provisorio da Repblica
dos Estados Unidos do Brazil. 26 de Juoh.> de
1890 2. da Repblica Manoel Deodoro da Fon
seca.Francisco Glicerio.
Decreto n. 546 de 5 de Julho ic 1890
Amplia a competencia civel dos juizes de paz e
confere-lbes a attribuic&o de nomear os seus
escrives.
O marecbal Manoel Deodoro da Fonseca, ebefe
do governo provisorio constituido pelo exercito e
armada em nome da nacao, tendo era considera-
co a oecessidale de facilitar o processo e jul-
gamenio das pequeas demandas civeis, poupan-
do despezas e delongas s partes e ampliando a
competencia do juizo de paz, mediante a garan-
ta d appellaco para o magistrado perpetuo :
Decreta :
Art. i. O juiz de paz competente, no seu
districto. para processar e julgar as causas de
valor nao excedente a 300*, comprebendendo as
que versarem sobre bens de ra* e excluidas as
tiscaes, com appellco para o juiz de direito.
uaico. O escrivao do juiz de paz de sua
livre nomeago.
Art. 2." Revogam se as disposicOes em con-
trario. ,
O ministra e secretario de estado dos Negocios
da Justija assim o faca executar.
Sala das ses-Oes do governo provisorio em o
de Julho de 1890.2." da Repblica. Manoel Deo-
doro da Fonseca.M. Ferraz de Campos Salles.
do Espirito Santo, o bacharel Daniel Germano
de Aguiar Monurroyos.
Foram nomeados juizes de direito os ha-
chareis Urbano Pereira de Araujo, para a co-
marda de Loreto, no estado do Maraoho Ri
cardo Jos Teixeira Filho, para a de Corneales,
no lo Piauby ; Joo Leopoldino Fer.eira, para a
de Picos, no mesmo estado, e Vicente Candido
Ferreira Tourinho, para a de Caraveilas, no es-
tado da Babia.
Foram removidos os juizes de direito Joa-
quim Ignacio de Moraes. da comarca de Atibaia
para a de S. Roque ; o desta, Jos Rolim de Oli
veira Ayres, para a de I', e o desta Francisco
Ribei.-o Escobar, para a de Alioaia, toda* no es-
tado de S. Paulo, e Luis Jacintho Weroe de Abreu
di comarca de Ca avellas para a 2. vara civel
da capital ia Babia.
Aos governadores dos estados dirigi o Sr.
ministro da jostica a segrate circular :
Declara-vos que, estando ix. da pelo decreto
n. 515 de 23 do mez findo a despez i deste mi-
nisterio no corrente exercicio. e cumpriodo nao
excedel a, o governo federal resolveu recommen-
d ir a todos os governadores dos estados que se
abstenham do uso da faculdade, provisoriamente
concedida, de crear comarcas.
Pelo mesmo motivo renov a declaraco de
que, emquanto os lugares de juizes municipaes
lettrados forem remunerados pelos cofres da
Unio, someme o governo federal pode creal os.
Saude e fraternidade.M. Ferraz de Campos
Salles.
Ministerio da Fazenda
Pelo ministerio da fazenda foi expedida a se
guite portara-circular, com data de 30 de Ju
nno: '
Ruy Barbosa, presidente do tribunal do the-
souro nacional, declara aos Srs. inspectores das
ibesourarias de fazenda, paraos devidos effeitos
e de cooformidade com a portara e pedida
Ca xa de Amortizaco nesta dala soo n. 51, que os
juros das a plices dtpositadas pelos bancos emis
so.es, em garanta de suas emisses pndem ser
pagos aos mesmos bancos os quaes creditaro
ao ihesouro pela importancia da redueco dos
ditos juros, determinada no n. 1 do art. 4. do
decreto n 165 de 17 de Janeiro ultimo, e desti-
nada a auxiliar os emprestimo lavoura, nos
termos do n. 4 dos citados artigo e decreto; cum-
priodo, porem. que os Sr. inspectores, realizado
o pagamento, fac^m as necessarias commuoica-
ces directora geral de contabilidade, atina de
que na escripturac&o do tbesouro se debitem
aquelles estabelecimentos e se credite a respe-
ctiva conta to deposito.fly Barbosa.
O Sr. ministro da fazenda expedio a se-
guate circular:
Ruy Barbosa, presidente do tribunal do the-
souro nacional, aitendendo a que, com a reorga
nisaco das repartieres de fazenda, cessar.m os
motivos que levaram o governo a nomear ex
cepcionalmente algumas pessoas pan diversos
cargos das mesmas repartices, sem o coocurso
exig lo pela k i, determina que se observem
d'ora em diante, as segrales instrucOes :
1* Pica em pleno vigor a disposico do ar-
tigo Io do decreto n. 10,349 de 14 de Setembro
de 1889, nao podendo recabir nomeaco alguma
quer para pnmeira, quer para segunda entraa-
cia, em individuo que nao tenba prestado o res
pectivo concurso.
2o No dia 1* de Outubro prximo futuro ser
aberto no thosouro nacional e em todas as tue-
sourarias de tazenda concurso para o preenchi-
mento de lugares das duas entrelas.
3 Neste concurso sero admittidos nao s o?
actuaes empreados de primeira entrancia. que
ainda o nao tiverem prestado, como tambem to
dos os cidado8 que pretenderen lugares de
primeira enlrancia as repartieres de fazenda.
4 Depois do acto ordenado pela disposico 2a
desras instrucees, os empregados de primeira
enlrancia que, dentro do praso de dous annos.
contados da data de sua nomeaco nao tiverem
prestado as provas plenas exigidas no decreto
supramencionado, sero considerados demilti-
dos, e eliminados do quadro das repartieres em
que servirem.
5* Regularo para os concursos as disposi-
cOes do referido decreto de 14 de Setcnbro de
1889. as quaes sero estrictamente observadas.
6' Os iodividuos que nao pertencerem ao qua-
dro de fazenda, podero prestar exarae somente
das materias indicadas no artigo 2o do mencio-
nado decreto de 1889.
7* Os empregados das alfandegas, retirados
fra da sede das thcsourarirs, terao passagem,
por conta do estado ; e oeste c;.so os inspecto-
res das theeourarias marcaro praso dentro do
qual devero os mesmos empregados regressar
s suas repartieres.-Hay Barbosa.
Ministerio do Interior
Foram agraciados com os seguintes graos
da ordem de viz :
Oficiae8 : capites-teueates Francisco Gaviao
PereiraPinio, Felippe Fernaudes de Castro, Car-
los Ausfusto de Faria Veiga e Joao Nepomuceoo
Baptista. ..
Cavaileiro: capito tenente Manoel Jacintho
Pinbeiro. .
Foi nomeado secretario do Estado do Mara-
oho o Dr Julio de Mello Filho.
Foi exonerado a seu pedido, o bacharel Ao
tooio Jos Vieira Real, do cargo de secretario do
governo do Estado do Maranbo.
Foi nomeado ajudante da inspectora de
sade do porto do Estado do Para o Dr. Fran
ci-co Marianno de Aguiar, sendo exonerado o Dr.
demente Flix Peona Soares.
Ministerio da Justlea
Foram removidos os juizes de direito de Batu-
ril, Joauuim Lopes de Alcntara Bilbar, para a
comarca de Aracij, no Estado de Sergipe, e
d< sta pa a aquella Hanoel Coelbo Cintra Junwr.
s Foram removidos os juizes de uireiio .ia
comarca de Cacapava, no Rio Grau.ie do >ul,
P.m'nleo Panlo Pereira, para a de Guimaraes
BuM.ranoao e para aquella o desta, Dr. Jote
J.i:m :. Ferreiradiiior. .
Fuiuui nomeaaos : o bacharel Joiquira Tbeo
doro Cysneiro de Albuquerque juiz Je uireito da
comarca do Rio Pardo, de 1 eutraocia, no Esta
do de Minas Gerae.-; o bacharel Bernardo Liu-
dolpbo de Meudonca. juiz de direito da comarca
de Trabiry, de i.* entrancia, no calado do Rio
Grande do Norte, ficando sen effeito a anterior
oineacao para a comarca de Lagoa Vermeiha
na do Rio Graodi do Sml; e o bacharel Manoel
Andr da Rocha, juiz de direito da cofnarca de
Lag a Vermeiha, de 1.* enlrancia, ao estado do
Rio Grande do Sul, ficando sem efTeito a sua au-
terior nomeaco para a comarca de Trabiry, no
.Rio Grande do Njrte. .
k Foi dispensa :o o bacharel Heraclito Din.z
Goncalves do cargo de chefe de polica do esa
do de Sergipe. .... ., e
Foi nomeado chefe de polica do estado de ser-
gipe o juiz de direito Lourenco Freir de Mes-
quila Dantas. ,
Foi nomeado juiz de direito da comarca da
Cocceigao Ja Serra, de l. entrancia, no estado
Ministerio da nerra
Foi nomeado conselheiro de guerra o ge-
neral de diviso Jos Simeao de Oliveira.
O desembargad-ir Jos da Motta de Azevedo
Correia foi nomeado ministro adjunto desta con
selho. T.
Foram nomeados bontem o Io tenente li-
banio Lamenna Linseo2* tenente Antonio de
Magalhes Castro para faierem parte da com-
missao militar que vai Repblica Argentina le
var as medalbas commemorativas da campanha
do Paraguaj. ..
Foram traosferidos : para a 3" compandia
do lloba'aiho de iofantaria o capito do 15' da
mesma arma Joao Francisco da Silva astro ;
para a 4 compauhia deste o capito daquelle
Jos loaquim Soares C-rne Viva, e para a 2*
companbia do 36" o capito do 6 da mesma ar
ma Alfredo Mumz.
Foram transferidos: -
Aima de engenhariaPara o 4o batalho, 2o
tenente do 5 regiment de artilbaria, Joo Cn-
amo da Silva Muricy.
Arma de infantana-Para o i batalho, te-
nente uo 2z Joo Atlonso de Mello.
Para o 9 alf-res do 22 Ismael Jos i.haves
Para o 15'. alferes do 20 cynaco Lopes Pe
reir. .,
Para o 19', alferes do 20 Erasmo de Lima.
Para o 20, alferes do 15 Antonio Ferreira de
Azevedo alferes do 19 L:be aliuo Lisdoipbo
Vellasco e alferes d i 21 Antonio Pedro ce San
larera.
Para o 21', alferes do 20J Joo Carlos do Cou
io Seab a.
Ministerio da Harlnha
Pelo Miuisieno da Marinha foi expedido o se
guite aviso:
Rio de Janeiro, 7 de Julho de 1890.Acuso
o rect bim ato do offirio que sob n. 10, a,e diri-
gistesa16 do mez uiiim. tomultando :
Se pela declaraco do agente das compandias
de vapore- ingleies, nesse estado devereis ds
pensar esses navios de rejuerere pagar a cinza.
ou obrigal os a esse pagamento, por nao haver
meios de fiscaliza I os.
Em soluco declaro vos que as disposijes dos
avisos na 1,370 e 1891 de 6 de Outubro ue 1888
e 23 de Seierahro de 1889 nao abren) espaso a
duvidas .toda a embarcaco que ijvcr de def-
embarcar craza deve requerer Hcenca respecti-
va capitana do porto, e assim tambem, e sob
sua liscalisag, para deposita! a nos lugares es-
colnidos pelos nteressados, nao navendo msso
inconveniente c mediante previa appruvaco da
mesma capitana, conforme se procede em rea-
Cao ao* embarque c deseen oarque le lastro,
A autoridade nao deve, nem pode dispensar
urna le. ; wmpre-vos, porUnto, observar e fazer
executar o que se achu determinado.
A multa por infraego das ordena concernen
tes ao lancainento de cinsas, smente tem lugar,
quando o contraventor apanbado, segurado se
o processo do art. 116 do regulamento de 19 de
Maio de 1846, se recusa pagar.
Saudee fraternidide.-Eduardo WandenkM.
Ao capito do porto do Estado do Maraodo.*
RepartleSo da Polica
2.1 seccSo.N. 157.Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 15 de
Julho de 1890.
Cidado governador.Participo-vos que nos
dias 12,13 e 14 do corrate foram recomidos
na Casa de Delenco os individuos de nomes
Manoel Francisco da Silva, Manoel Ignacio de
Lima, Francisco Pereira de Lima, Joaquim de
Mallos Garcz. Manoel Joaquim de Vasconcellos.
Pedro Alexaodrioo de Souza ou Silva, Isaac Jos
Bento da Costa, Josepba Mara da Conceico, Jos
Miguel dos Santos Silva, Manoel Correia da Silva.
Joao Ferreira de Lima, Antonio Guibiraba de
Assis, condecido por Clialeira. Bernardino Hono-
rio de Senaa, Antonio de Ouveira e Souza, Joo
Francisco da Costa Ribeiro, Francisco Ferreira
Fernaudes, Jos Fernandes Lima, Francisco Fer-
reira Lima, Auna Felizarda Mara da Conceico,
Manoel Coelbo da Costa, Joo Pereira do Nasci
meato, Josu de Araujo Chaves, Antonio or
bertoCarlos Catanbo, Justino Joto da Silva, Man
ricio Ji.s de Saat'Anna, Cypnano de Souza Vie
gas, Miguel Rudno de Carvalbo, Quintino Gomes
de Moura, Umbelina Ursulina do Sacramento,
Jos Burnardiao, Jos Francisco Lisboa, Luiz di
Rosario, Joo Vctor da Silva, Eduardo Joo Cus-
todio dos Santos, Braz Tertuliano dos Santos,
Joo Baptista de Azevedo, Manoel Cavalcante,
Antonio Manoel Fetosa, Jos Henrique de Souza,
Joo Francisco Caroeiro, Joo Amaro da Silva,
Fredenco Jos Tavares, Martinbo Gongalves da
Silva, Miguel Barbosa Nicodemes, Luiz Fran
cisco Faguodes, Jorge Antonio de Oliveira e
Agostinbo Alves de Ouveira N'ascimento.
Coumunicou-me o delegado do termo de
Goyanna que, n3 dia 11 do correte, 1 hora da
manb, fallecer na respectiva cadea, victima de
pneumona dupla, reo Manoel Firmo Bezerra,
pronunciado no art. 193 do Cod. Crim.
No dia 10 do corrate foram resoltados
cadeia do termo de S. Beato, os individuos de
nomes Joo Pereira da Silva, Bento Alves de
Lina e Jos Maihias, os deus pnmeiros por cri
me de furto de cavallos e o ultimo pelo de feri-
mentos.
No dia 11 do correte foi tambem recolhido
cadea do termo de Goyanna o reo Jucundino
Tavares de Guuveia Barreto, pronunciado no
art. 193 combinado com o 34 do Cod. Crim.
No dia#do correte foi preso ordem do
delegado lio Jfrroo de Pao.d'Alno, por orime de
estupro, o individuo de nome Lourenco da silva
Bezerra, contra quem abri se nquento.
Pelo delegado do termo de S. Bento foi re-
mettido ao juizo competente o inquerito policial
a que procedeu contra Antonio Vieira da Silva,
por haver no dia 2 do corrente, no lugar Barra
do Bento Grande, assassinado a sua propria
filha.
Na noite de 11 para 12 do corrente foram
capturados no termo de Iguarass os reos Bei -
nardo Feliciano dos Santos, Joo Barbosa Tava
res de Mello. Paulino Marcelino de Oliveira, co
nhecido por Gavio e Trajano Alves Tavares, os
tres primeiros pronunciados em criaie de feri-
mentos graves e o ultimo no art. 193 do cdigo
criminal.
O subdelegado do 2 districto de S. Jos re-
meneo ao Dr. juiz de direito do 39 districto cri-
minal o inquerito policial a qae procedeu contra
JoSo Eloy Caslriciano de Mello Reg por haver
ferido levemento a Ursulina Bemvenuta Maria da
Conceigo.
Pelo subdelegado do districto de S. Jos da
Boa Esperanga, foi remettido ao Dr. juiz de di-
reito da comarca da Escada, o inquerito policial
a que procedeu contra Severino Alves Jacob, Ma-
noel Carneiro dos Santos, Francisco Alves Jacob
e Joo Alves Jacob, moradores em t. rras do en-
eeoho Guloso, por haverem no da 5 do corrente,
s 7 boras da noite, espancado brbaramente a
Jos Ignacio do Nascimento, Manoel Ignacio
Ferreira e Luiz Fereira de Lucena.
O Alferes Francisco Leite Nogneira Paz as-
sumio no dia 3 do corrente o exercicio do cargo
de delegado do termo do Triumpho.
0 subdelegado do 2" districto da Boa Vista
acaba de effectuar a captura do reo Joto Fran
cisco Carneiro, proouaciado nc art. 257 do cdi-
go criminal. .
Sade e fraternidadeAo cidado Dr.
Albino Goncarves Meira de Vssconaellos,
muito digno governador do Estado.O
chefe de polica, Ernesto de Aquino Fon
seca.
INTERIOR
Thesouro do Estado de
Pernambuco
DE8PACH08 DO DIA 15 DE JDLHO DB
1890
Jote Urbano da Silva, Sebastiao Cy-
rillo Gomes Penna, Daniel Marques Gui-
maraes, Jos de Moraes Quedes Alcofo-
rado e Severino Martins. Haja vista o
Dr. procurador fiscal.
Bacharel Joao Francisco Teixeira.
Certifique-se
Aotonio He riqse Rodrigues, Rosa de
Lima Bandeira Torr So, Candida da Cos
ta Dourado, Manoel Fioruno Vieira Pei
xoto, herdeiros de Joao da Motta Botelho
e Francisca Seraphica de Assis Jarvalho.
Informe o cidado Dr. contador.
inspectora Geral da instrnccio
Publica do Estado de Pernam-
IllHO.
EM ADDITAMENTO AOS DESPACHOS DO
U1A 11 DE JULHO DE 1890
Carolina Militana de Carvalho. Cum-
pra se e registre se a apostilla de 5 do cor-
rente."
Gaspar Antonio dos Reis. Cumpra se
e registre se a aportilla de 7 do corrente.
DESPACHOS DO ulA 15 DK JULHO
DK 1890
Candida Maria Callado. = Cumpra se e
registre-se. .
Antonio Florentino de Oliveira.Como
requer.
Maria do Rosario Pinheiro.Como re-
quer.
SUL DO BRAZIL
O paquete nacional Pernambuco, bontem che
gado do sul, foi portador das seguintes noticias:
Estado do nio Grande do Sol
Dalas at 2 de Julho :
A Ordem do Jaguaro d a seguinte noticia :
Hontem, 16, ao escurece.-, o joven Henrique
Martina de Oliveira, natural desta cidade, de
proli3so carpinteiro, ia visitar urna irm, mora
dora as immediacOes da enfermara militar, e,
recelando algum assalto ou levado pela fjrca do
destino, embalou urna pistola de dous canos e
collocou a cintura, engatilbada.
Ao chegar em um local, que considerou pe
rigoso, na praca da cacimba Ubatuba, procuron
tirar a pistola, mas, com tanta infelicidade, que,
pela altribulaciio em qu) se achava o seu espi
rilo, carregou com os dedos no gatilbo e a arma
disparou, penetranJo os projectis no ventre do
infeliz moco.
Conduzido para a drogara do cidado Jos
Augusto Soares, cora jareceram logo all o cida
do subdelegado de polica em exercicio, nosso
amigo Heleodoro Afionso e o Dr. Jos Alboioo
de FUueiredo. Aquelle interrogou o ferido sobre
a origera doferimento, respondendo-lhe mais on
menos no3 termos em que deixamos narrado, e
este examtuou o. prognosticando fatal desenlace.
O jobre mofo foi transportado para a casa
de*Bua familia, onde expirou hoje, s 6 horas da
manila, no meio de cruciantes dores.
Constava o Ganabarro do Livramento que
seria nomeado commandante das armas do Es
tado o general de diviso Izidoro Fernandes de
Oliveira.
Cdm a epigraphe Atrosidade refere o
mesmo jornal :
o dia 6 do corrente, dous infelizes turcos,
negociantes, vioham em direcgo visinha pc-
voaco de Rivera ; perdenlo, porm, o caminbo.
vieram ter S nt'Aana, e, na passagem da linba
divisoria, foram agarrados por tres guardas do
corpo aduaneiro.
Como os inftlizes turcos nao comprebendei-
sem o idioma braziltiro, foram por 10 guardas
conduzidos a urnas 12 quadras de distancia da
linba divisoria, e aui brutalmente espancados
com golpes de espada
Os guardas tiraram os revolvers dos des
gracaaos turcos quebraram os caixoes envidra-
cad03 onde traziam elles algumas miudezas.
ignorando-se onde foram parar e em poder de
quem esto os referidos caixes.
. O Sr. Dr. Agustn P. Oisto, medico de po
licia da Rivera, sendo chamado a examinar um
d03 infelizes turcos, de nome Jos Muse, verifl-
cou disseminadas na regio dorsal seis manchas
equimoticas produzdas por instrumentos con
tundentes. ...,. .
No dia 29 do passado, s 10 horas da noite,
na cidade do Rio Gran te, foi assassinado com
urna facada no corceo, Joaquim Pereira de Bar-
ros. .
O assassioo, no acto de ser preso, declarou
que se engaara, pois nao era aquella a pessoa
que jurara matar.
O croup estava grassando com ioiensidade
no Livi amento
Esttado do Paran
Datas at 28 de Junbo :
O governo do Estado concedeu privilegio ao*
Srs. Diogo de Vasconcellos e Pedro Bernardes 4
Ribeiro, para a construeco de urna estrada ue
ferro, que partir da cidade de Antonina prolou
gando-se at os Saltos de Paranapauema.
Esta via-ferrea ter por pontos obrigados a
margem do rio Pardo, onde sero fundados dous
ncleos coloniaes, e as villas do Serr Azul e S.
Jos da Boa-Visla.
O jury de Pona Crossa absolveu unnime-
mente pela segunda vez o Sr. Alfredo Campos,
que, bi tempos, ultraj-do em sua benra de raa
ndo, poz termo vida da esposa.
Foi publicado no Rio de Janeiro este tele
gramma :
Cun/y&a, 8 de Ju.ho.
A ofticialidade do estado do Paran reunida
snb a presidencia do general de brigada Euban
ck, depois de ter ouvido a apologa feta pelo
mesmo geoeral dos servicos reaes prestados ao
paiz pelos cidados coatra almirante Jos Mar
ques Guimares e coronis de artilharia Beraar
do Vasiues e Marroo Botelho da Magalhes,
resolveu que seriara esses tres officiaes apresen-
tados candidatos da mesma guarnico ao proxi
mo pleito eleitoral ; o Io para o senado eos dois
ltimos para o ongresso.
Eatado de Santa Camarina
Datas at 4 de Julho: .
No dia 30, 1 hora da tarde, na capital, no
lugar denominado Sacco do Padre, realisou-se a
inaugurago do edificio mandado cons.ruir pelo
governo, para servir de hospedara aos mmi-
Ao acto compareceram o governador do esta-
do, secretario do governo, chefe de pclcia, com
mandante e officiaes do 25 balalho, capito
ajudsme de ordens, capito do porto, chefes de
diversas repartieres, presidente e membros da
intendencia municipal, imprensa e muitos ou-
tros convidados, os quaes foram recerados no
local da inauguraco pelo Sr. Aurelio de Figuei
redo inspector interino darepartico da3 trra-,
sendo ah tambem presente a banda musical do
25" batalho.
O edificio, que est situado em magnifico pon-
to, possuindo um bom porto e excellenie vista,
tem accommodasOes para250 pessoas.
Diz o Quioze de Novembro da cidade de
Da'epidemia que ltimamente desenvolveu
se aqui e que reconbecida pela Influenza, re
suliou fallecerem 11 adultos e urna enanca.
Por emquanto, arada nao cessou este uagelio ;
a influenza continua aqu, propagando se com
rapidez pelos arrabaldes da cidade -
Foi publicado no Rio de Janeiro este tele-
gramma :
Desterro, 7 de Julho. .
O estado do Paran creou barreiras no Rio Ne-
gro e nos terrenos contestados para impedir a
entrada da berva malte, embarasando assim as
transa'COes commercias.
O povo de S. Bento est indignado.
Houve bontem reunio de negociantes e in
dustriaes de Joinville para proleslarem contra
as barreiras, lenao S. Bento representado no
mesmo sentido.
Agita-se a questo de limites.
O Jornal do Commercio em seu editorial dr
hoje reclama providencias defendendo es inte
resses commerciae3 ameagados de S. Bento e
Joinville. ;
Etailo d<- na Oeraea
L se no Purtuense:
O Sr. Dr. uvcioador do Estado nomeou a
^eguinte commissao de llustres cidados para
organisai o projecto da constituico mineira :
Dr. Joaquim Felicio.
Antonio J.icob da Paixo.
Feluiano Penna
Lamouoier Godofredo.
Peni nJo Lobo Lee Pereira.
A tomo Gongalve* Chaves.
Cbrispira Jacques Bus Fortes.
Ke eberam 1: 00*000 para o primeiro estae
ecim-nto e SOO mensaes.
A leuuio sera a-30 iie Julho.
Capitul Federal
Datas a; 10 de Julho :
L-se no Jornal do Commercio de t:
O Diario Offictal de boniem reprouoziD, por
ter sabido com algumas omissOes e iocorrecedes,
o reglemelo a que se refere o decreto n. 511
de 23 de Junbo prximo passado.
Os artigos a.teradosque devem ser interpre-
tados, como segu, sao estes :
Art. l. Sao coodices de elegibidade para
o Congresso Nacional.
1." listar na posse dos direitos de eleitor ;
2. Para a cmara, ter mais de 7 annos de
cidado brasileiro ;
3.a Para o senado, ser maior de 35 ancos e
ter m lis de 9 de cidado brasileiro.
Art. 37. Sero tambem admittidos a votar os
eleilores que comparecerem depois de fiada a
chamada, contanto que ainda nao tenha sido
aberta a urna.
Art. 39. Apurar-se-hSo em separado :
1. As cdulas assigoadas, as marcadas inte-
rior ou ex'eriormente. e as que forem escripia;
em papel nao commum;
2. as em que o nome de algum dos cidados
votados tstiver alterado por troca, augmento ou
suppresso do sobrenome ou appellido.
vrt. 46. A mesa eleitoral far extrahir quatro
copias da acta e das assignaturas dos eleitore?
aneadas no livro competente.
Essas copias, assigoadas pela mesa e concer-
tadas por labellio ou escrivao de paz, sero en-
viadas : urna ao ministerio do interior; urna
secretaria da cmara dos depulados e outra
secretaria do sen ido, e urna ti nal.u en te na pre-
sdeme da cmara ou intendencia municipal
competente para a apuraco nos termos do art.
53.
Acompaoharo as referidas copias as das actas
di formaco das respectivas mesas eleitoraes.
Art. 68. Durante o exercicio legislativo cessa
o de outra qual juer funeco.
Encetou sua publicieo, no dia 1, um
novo jornal .4 Tribuna*
No seu artigo programma diz elle:
< Na pbase de recoustrueco que atravessam
os Estados Unidos do Brasil, nao ser de mais o
l-.-'o co de alguos brasileiros que le longa data
se dedicara ao trabalbo de eagrandecim-nto da
patria commum.
Sem odios nem prevences, desligados abso-
lutamente de quaesquer preconceitos, tomare-
mos parte activa na elaboracSo da opioio, e,
com o preciso criterio, faremos por oriental a e
por eleval a altura a que lhe do jas o adian-
laraento dos espiritos e a grandeza dos destinos
que o p irvir lhe reserva por sem duvida.
L-se no Jornal do Commercio :
Compagnie Nutionale de Ntvegalion de Mar-
seille. -Por decreto de 28 de Junho f i autorisada
a compaotua desta denominaco para funecio
nar no Brasil com os estatutos que apresenlou e
nos quaes nao poder fazer alteraeo sem que a
sujeite competente autorisaco do governo.
a companhia ser obrigada a manter no
Brasil representante habilitado com plenos e il -
limitados poderes, e em iodos os actos que pra-
ticar entre nos, tirar sujeita s leis, regulantes-
tos e triounaes nacionaes. Ser outrosim obri-
gada a curaprir, sob pena de nullidade, o dispos-
to ao art. 3 14', nsl a 3 e g 5 do decreto n.
104 dr 17 de Janeiro do corrente anno.
L se na Tribuna de 7 :
Honiem, cerca de 1 bora da tarde, o carro
n. 5 da Companhia do Jardim Botaoico, linha das
Laranjeiras, quando descia a ra Goncalves Dias
atropellou o menor Osorio Manoel Pinto, que em
companhia de outro brincava naquella ra.
O menor Osorio cabio sob o carro, sendo
pisado gravemente.
0 cocheiro do carro. Antonio Jos Martins,
nao pode travar em tempo o vehculo, e, vendo
o estado da infeliz cnauea, que era desesperado,
procuren evadirse; oo o pede fazer e foi preso
pelo tenente Domingos Ferreira Lino Jnnior, ne-
gociante 4 mesma ra.
Conduzido o meoor estaco policial, ahi
fallecen pouco depois, sendo o seu cadver con-
duzido ao Necroterio, para o exame medico le-
gal.
0 Sr. Amorim Lima, subdelegado do Io dis-
tricto do Sacramento, mandou lavrar contra o
cocheiro auto de flagrante.
Ao lugar do desastre compareceram : o Dr.
3* delegado de polica, o alferes commaadaute
da 1* etajo, e o major Cicero Galvo.
O povo, noticia do desastre, comecou a
agglomerar se oa esquina do largo da Carioca,
impedio por algum tempo o transito dos boods
pela ra Goncalves Das e, tentando arrancar
os trilbos, foi dispersado pela forca policial. At
tarde, porem, estacionaran! no largo muitos gru-
pos populares.
Con-tiva que muitos negociantes da ra
Goncalves Das dirlgem se hoje em abaixo
assignado ao Dr. fcoronel chefe de polcia soi
licitando a probibico do transito de bonds
pela dita ra e pedrado que todos os carros da
Companhia do Jardim Botnico estaclonem no
Lareo da Caneca.
L se uo Diario Oficial de 9 :
Sao absolutameote destituidas de fundamen-
to as supposisoes aventuradas por algumas fo-
Ihas franceza8 com relago ao reconhecimento do
governo provisorio.
c Para esse acto nao p-ecederam ajustes ou
condices de qualquer natureza, nem muito me-
nos foram fritas ou promeltidas quaesquer con-
cessoes.
O governo provisorio tem o mais alto apreco
pela amizade de todas as potencias estrangeiras ;
dos seus seotimentus para com ellas den solem-
ne te3temunho no manifest publicado logo anos
a revoluco de 15 de Novembro.
Conscio, porm, do seu direito e do que deve
naco como representante de sua soberana e
zelauor de sua dignidade, entendeu e continua a
eiiteuder qu--, para alcancar o reconbecimeoto da
Ri-puolica, oo deve empregar diligencias nem
rasiancias, quanto mais fazer, para sso. cooces-
c6es que potsam ferir, ainda que levemente, o
pundonor nacional.
L se no Jornal do Commercio de 10 :
O rcconbecimeato. por parle da Repblica
Franceza, do governo que entre nos se organisou
a 15 de Novembro tem sido assumpto da discus-
so da imprensa diaria d'esta capital nos ltimos
das. Qualquer que seja o fundamento dos que
pretendem que esse reconbecimeoto oo foi un
acto puro e simples de defereucia internacional,
mas o resultado de conces^-Oes reciprocas, a ma-
teria de tanta gravidade em suas possiveis con
sequencias, e tao melin irosa em 3i es na que
nao pode deixar de vottar se para ella a aitenco
publica. .
Nao temos nem intimidades nem affinidades
com o governo provisorio, mas, dedicados aos
interesses permanentes da sociedade brazileira,
vmonos obr gados, embem d'esses interesses,
a recorrer por este me o ao nico poder existen-
te, am de que se faga ouvr voz autorisada, tan-
to quanto possivel, para desfazer boato?, se o sao
as iiuticias que correm em relacao ao asaompto
de qai boje nos oceupamos.
.-.eguiuius assim a linba que, desde os, pn-
meiros dias, iracmos para nosso procedimento;
respeuo-os dame da autoridade que, em n. me
da li erdade, se comprometteu a salvar a ordem e
manier a paz social, esperamos tranquillos o jul-
gamento da naco, de animo disposto a confes-
sa; que erravamos quanio, na continuado de I
condicoes differen-es das actuaes, entreviamos o
grandioso luraro da patna.
Nao nos cegando, porm, paixoes oem inte-
resses, que nb sejam nobres e lcitos, nunca er-
guemos a voz para acensar sem lealdade, censu-
rar com acrimonia, despertar odios ou provocar


' j*3


- *"
'fl
'
m*-%
"a * *
A.


>*--
"'
m H *- *'.
' ^ *"
*iS B *
HB Bi '.i
.3 '
H
=-^H
| *-
B *
i
B -
^ !' '

H -'
1 *'
S
1 -
B
H:
E

n-..v
i
1 .'.-.**


n *


B:'.
Hr-*; -
" -.9 n -
'' :



~* '''
B'
' a

J? H *
B
B .
* '

'" "^m H '
^ i
B '
H
B- ''
.


-
i

\...
i

l
i
'

:
/|
'




Diario de Peraambuco-Quarta-feira 16 de Julho ie lv90


M
10
aiisengoes, rev Iveodo os mos fermentos qoe
originara as guerras clvis.
Peto contrario, acon>elhaodo algumas vezes,
preveniodo ouirag, indicando sempre o molbor
caminho, cooforme nos ensioa o eaimi propio
oo a experiencia altieia, temos, coa empavo
procnrddo cooservar nos deis a noaaa miniio.
E' anda cum este intuito que h< je vimos
manifestar a conveoiedcia de serem ciara leal
mente expostas pelo governo as condigOes em
aoe se effectooo o reconbecjaaento da goeeroo
provisorio pelo da Bepnblica ranceoa.
Sabemos muito bem que o governo pode jal-
5ar se como direito de nao dar explicares, nem
e alten ier a reclamagoes da opioio publica,
pois nao falta qoem eoteoda qoe os governos
como o actual s tm direitos e nunca obriga
cOes. Esta doutrina tem adeptos, mas nao esta-
mos no numero d'eiles, e eslimaremos que nao
o estejam lambem os membros do governo.
Ja basta que ate agora desconozca a nacao
brasileira as condiges em que foi Armado o
tratado de Montevideo que, na ingaagem de nos
sos visinhos os argentinos, pos termo definitivo
a secular questao do territorio de Mtsses ; nao
gelevaalem agora, sombra do noticias de fo-
ibas francesas e de ioterpretaces mus ou me
nos fiis, novas duvidas sobre as nossas frootei
ras do lado do norte. Compreheode i or qne o
siendo possa ser oom vaniagem aconselbado
em algont cases desta especie ; mas compre
Umbral nao esqnecer outro grave n^oovenien
te. e que nos dous casos a que alludimos o si-
lencio prolongado tera como resultado deixar
nos a todis em completa ignorancia dos limites
al onde se estn le, ao sul e ao norte, o territo-
rio Drasileiro.
Na mente popular estao ainda gravadas
linhas que marca va m no continente sul amen
cano os limites 10 pod;roso imperio levanta
e firmado pelo valor porto gnez ni aovo mondo ,
nos nqaissimos archivos amootoam se os vaho
sos documentos com que a si'iencia fundamenta
no8Sos direitos, contestados s vezes, nunca an
aullados; e a rtamenle todos estes tesouros
que constiloem patrimonio nacional nao foram
atirados levianamenle s aguas rpidas do Pra
ta e do Sen na.
Nao queremos nem podemos acreditar que.
por amor dr fraieroidade americana oo para ob
Ier o reconhecimento da Franca, preterissemos
direitos, soffessemos bumilhagoes on seqoer li
sessemos c neessoes incomptiveis com a ignal-
dade qne devemos manter para com todas as na
toes amigas.
Nao, tal nao aconteceu, porque se assirn
fosse protestara enrgicamente contra isso nos
so patriotismo, que deve ser, que o mesmo
genuini-nto que anima os membros do governo
provisorio, pois tolos elles sao brasileiros.
<|-i entretanto de bom ronselbo accumu
lar desyostos e incertezas, qu rado urna palavra,
aulontuda pode promptamente desfazel os.
Filado do Espirito Santo
o.cva publicados ao Rio de Janeiro estes tele-
grammas :
Victoria, 6 de Julho.
Os operarios desta cepital, reunidos boje em
jasambld publico, fundaram o partido operario,
aiegendo o directorio.
Fallaram diversos artistas, bem como o Sr.
Cleto Nones, redactor do Estado, respondendo
a saadago imprensa, e o Dr. Jos Horacio,
cbele de polica
Hoove depcis grande passeiata com msicas,
reinando a melhor ordeni e grande enthusiasmo.
6 de Juiho.
Foi boje constituido o partido operario, cujo
chefe o Sr. Francisco de Paula Miraes. O "i-
rectono compoe-se los Srs. Eduardo de Almei
ia, Mano-I AnJrade Gomes e Tbeophilo Alvares
de-Souza Moutinho.
A sesso foi sslemae, reinando grande euthu-
siasmo na classe.
Grande massa de povo, com msicas frente
toi estagao telegrapbic saudar o oartido
operario.
Estado da Babia
Datas at 12 do corrente :
O rruzidor Almirante Barroso cbegara
ao porto da Bhia no dia 9 do correte, e
ah fora recebido com sympathica deferen-
cia
i!ontava demorar-se de oito a des aias
no mesmo porto, tendo sido muito obse
quiado o Sr. contra almirante Custodio Jo
se de Mello, oujo pavilnlo arvorado no
referido cruzador.
Este sabio para a sua viagem da cir-
umnavegaca em Outubro de 1888, do
Bio le Janeiro, onde Agr recolhe se.
A varila tem se manifestado em al
guns pontos do centro do Est do, onde a
aecca anda se manifesta desoladora.
Na capital promovem-se reuniSes ao
sentido de agenciarem se donativos em au-
xilio dos fL.gell.ados; e o gobernador abri
tm crdito de. 50:KX)00, os quaes pos a
disposieao do comit, formada para tao
humanitario fim.
No Diario de Noticia l-se o seguinte
em sua ediciio de 7 do corrente, Eob o ti-
tulo D,u$ de Julho :
. Tei-iuiuaram hontem com a levada dos
carros, as testas comraemorativas do glo-
rioso dia 2 de Juiho de 1823.
A's 11 horas, organisada a brigada
com os batalboes do 9o, 16, corpo de po
licia, menores dos aranaes de guerra e
jnsrinha e batalho patriticoSiqueira
Cavaicante, desfilo o o prestito, percor-
rendo as ras do costume.
O b talho -Siqneira C*va'cante
eompunha se de cerc de sessenta pea-
soas.
c Toraaram parte no prest o o Sr. Dn.
che te de polica e o conselho municipal,
represeniado pelos Srs coronel Santjfc
M.rquese Dr. Augusto Guimaraes.
f Houve pouoos cavalheiros e a concur
xencia de povo, dando taivea ao mo te-u-
po, toi menor q-.e nos annos anteriores.
N. mesmo diario l se, sob o titulo de
Grande desacato :
Consta que recebera ai se ante hontem
esta cidade telegramm.ta de ValencA, no-
ticiando que deram-sa all, por oocasiao
dos festejos do di* 2 de Julho, desacatos
bandeira republicana, que j rota por
um grupo de ii dividuos, os quaes preten-
der* ia apedrejar -a retrato do gensrahssi
mo Deadoro.
A esta noticia em edio posterior ac
srescentou o mesmo jornal :
< acerca das ultimas oceurreacim que
ae deram no dia 2 do corrente, na o dad
de Valenca, sabemos que o delegado d'ili
abr.o no-danta a resoetto, segundo orden
. do Sr. Lr che fe de policia. J se acham
presos alguna dos turbulentos, e outro 1
00ai mandado de prislo
Na Bagagem, ocalidade diamantfera tio
Estado da Baha, deu-se urna cliuva d
aemeutes, acerca da qual escreveu o Ga
timpeiro:
> c Aos sabios compete explicar o pheno
ajeno que acaba de occorrer no Fuudo,
municipio de Araguary, onde, ao censar
u grande temporal, caram os curraos e
os campos alastrados de urna sement des-
oobecida dos habiUntes da localidade.
A sement, segundo dos informan, do
asmaoho de um grao de arroa e de lrma
triangular. Esperamos expr brevemente
ao publico amostras de tal producto at-
osphenco.
U phenomeno das chuvas de tinta e de
aangue, a acotapanhadM de substancias
que por sua leves* podem ser fcilmente
acarretade.s por fortes ventos, muito co-
nhecido, posto que raro. Em localidade
do Maranhao cahio, ha muitoa annos, tor-
rencial chura to fortemente impregnada
de subtanoias cobrantes que tingio de pre-
to extensa rea. Laaentavolmente nenhu-
ma investigaoio foi tostada a este respaito
a o mesao para reeeiaa veois* 'a luooa
dar cana reimjo aa fwio da Baga-
%em Butroexito, fSra tazcal fcil adqui
rtr algumas das semen tea a que alinde M
tolba loekl e recolher teatamanhos qae re
soivem quaiquer errnea ou maliciosa nar-
rac3o da tacto tao curioso. Para ser bem
estudada a natureza carece de ser sor-
prendida na manifestacSo de seus pheno-
menos, pela investigaco scientitca, onde
quer que el les oocorram.
Botado de Hrrg pe
Datas at 3 de Julho.:
Deixara o exercicio do cargo de chefe
de polica o Dr. Heraclito Dinis Gon
calves.
A convite do padre Olympio Cam-
pos, ex deputado geral, reuniram-se no
da 2 diversas pessoas para tratarem da
fundaclo do partido catholico.
,, ^} padre Olympio expoz os fins da
reuniad, e ficou resolvida a creasao do
referido partido.
Falleceu o carmelita frei Simplicio
da Santsima Trindade, com mais de 60
annos deidade.
Basado de Alo Datas at 14 de Julho :
Foi publicado o seguinte telegramma:
c Rio, 10, 5 horas e 10 minutos.
t Governador.=0 contracto do Banco
do Estado das Alag>as esta celebrado. Fe-
licito o Estado e V. Exc qoe deu passos
para o progresso, independencia e auto-
riomia da trra confi.da ao vosso patrio
tismo.
O generalsimo e todos esto muito
contentes.
e Parabens.
No municipio da capital foram alis-
tados 2,021 eleitores, sendo em :
1,057
5UI
101
115
247 ,
o capitSo Francisco da
sobre quem esceveu o
Macei
Jaragua
Pioca
Meirim
Getituba
Fallecer
Silveira Juca,
Guttemberg :
U finado, apezar de sua avangada
idade, era um homem trabalhador e de
urna activi iade pouco commum, tendo
dado Drovas disto no foro desta cidade,
onde advogava, ha longos ann >s.
* D tado de um corsean bemfazejo
aquelle bom velho nunca soube mostrar-se
indifferente aos soffrimentos pbysics de
conhecidos e estrauhos, a quem soccorria
com seus recursos homosopatbicoa com nma
s licitude verdadeiramente caritativa.
SCIEMU> E LITTIAS
O fluyrakyia
E8TDDO DA OltIGEM ASITICA, DA C'IVtLISA
9AO DO AMAZONAS NOS TEMPOS PREHIS-
TOBICOS, POB J. BAKBOSA BUDBIGUE3
VI,
Formas, cores e fabrico dos Muyrakyts
(Cootinuaco)
Os Muyrakylas sao de varias formas, desdi a
cyliiiunca ate a de figuras ornamentadas, tendo,
prm, sempre tolos um ou das faros, pa'a pul
elles se passar um fio que os conserve suspen
sos ao pescoyo. e raros sao os qu; na oarte su
perior, em vez de furo, tem um eotalhe para
prerfder o tio, pelo qual se su-p'nde.
-ao, sempre, feios de orna roen* de grande
dureza ; assim, aim dos de nepQnte, ja-ieite e
cnlorcmtlanite, ha tambem os de diorito, dol
rile, porphyro, pt trosilex, serpentina, feldspa
ido quanzo, argilla, etc., porm nunca sao fel-
los de resina ce ji > os temb-tas. que sao orna
mentus moderuos. De todas essas rochas, as
Uuieas que do valor ao objecti sao a nephrite
e, a jadeite porque toda3 as outras tem represeu -
tanles na America e nao apre.seotaro cunho pre
histrico e sim mostram um uso segu 10 ainda
depois que faltou a importaco da rochi precio
sa. Paliando esta os povos lizeram o ?eu talis
man com os mioeraes mais apropriados e qne
en.-ootravam mao. Perdeu se 1 rocha m.s
nao desappareceram as creoeas.
A fnua cyiiodrica i nlis vulgar, tanto que
e couirnum na Europa, no Eypto e na America.
A autb'opomoipoa sempre a mus ornada e a
que iflerece maiores dinenrO s, como se en
1 unir nu Mxico e em Costa Bica ; as zoumor
pha e cellifoioie sao ornadas tamnein, e tem
urna representico que, parece, era mu estima
la, a que fk'ura um batracio, pois commuin
na America e na Asia.
Blislf lambem os di^ forma lenticular comu
os athados em Alter do Cfij. no rio Papayos e
os de Caj amana. 00 Per furados noentro
pelo que servem-se delles pra foso. Sao lisos
ou ornados de desenhos.
Estes muyrakys. lenticulares sao contas,
por assim diter, .le um rosario que se rebentou
licando urras na Asia, outris no Slexico e algu
mas no Pe> e no baixo Amazonas.
Aim da foma fepresentada negia eseriplo
pode se vr urna congnere, do Mxico, na lig
16 da Est. VI qae acompanha o ariisro De mine
valoau ais Hilfsusseiuchijft fur Archaologte. Etti
n grophie do Dr. r'incher. publiCido em 1877.
J .10 de La;i, citando Monardes, (1) ja em 16i7
disse : H js lapides variis tirfiins efforraato*.
alios piscuim, alias avia'm capitibus aul psitia
:oru;n roslris smiles, nonullos el rotaodos
spbaerularam forma aut etiam columeiiarum,
otnnes au'em parloratos.
O Dr. Fi-cber possue um desses bactracioi.
agnado em Troia (Asia Menor), que nao s tem
as uesraas formas como as m-smas dimensoe--
e a mesma densidade do que eu possuo e acnei
no rio Yaiunia. Esta coincidencia deve-se i.o
poro acaso, oo vem derrtAMr luz sobre esta
qoe-tao?
ALumi idea religiosa se prandi aos bactra
cos. pota, havendo oulros aoimaes. era este o
-rolhidn. nao .- na Asia, como entre os Na-
hus, os Karaibas e as tribus do Amazonas.
E' nolavel a forma baciraciana, aim disso,
por s*r ella aneantraaa oa Asia, em Troia. era
Nova Ganada, 00 Anaums. cu Surnun. Gui
delupe e ao Mxico. Que sao los da mesma
cadeia temo< a prosa na circumstancia da forma
eapeeial que todos o amuletos teem ; o ereui
ceitiformes e reoresentarem u bictracio, sem
pre, em posigo le djs:anc, sem or-cos e con
as peroas eaecHudaa, como aqu represen'oe
oode se ver entre os do M xico. e que veio li-.
KOfado sob o n 74 da Bst VUI do artigo do
prufeasor Fi-cher. intitulado Oie mmeralogu ais
Hi fswasenschfa far Archaetogie, Ethnographe
et -.. (t) e ouiros que o mesmo protes?or li/o j
comparando com os meus, na aoalyse que faz
dos raens trabaltUM e t.-m por titulo : Uebtr dic
Hercumft d>r sogen*anten Amaznnstrine, sowie
ubrr das f("lknfte Amazoteneollt se bst. (i
IA' ea?s pogiyo ligar-se ha a alKomacrenca?
Ou nao tigura/ain os bracos po-que, superior
mente, pouco so visiveia as H;lus f
Cbarnccy e outros querem que seja o emblJ
mi habitual d'auua ou do elem-uto hmido. (\)
O mais bello e o mais perfeito exemplar. que
vi. foi com "sia forma e adiado as proximida
des de Obido3, a mais de 60 annos, e que exis
lia coardad >, por umi'nuiher tapuya, eu um
santuario, oceulto t dis vistas da familia.
bi
(1) Antuerpi.ini de gemmis et lapidtbus li-
L u
(2) Archiv. f. Aothrop. t77. Bfl. XII. pag.
I77-2 e Bd. XIII. pag. 345 357.
(3) \rcbiv. fur Atbrop. 1879. Id. XII. pag.
78. Taf. I.
(i) Whi*>pie, P.ep. opon the Iod. tribus, chap.
Ha, pag. 40, Humboldt, Vue des cordilleres,
pag. 3.
iso dorante as dynastias de Hia, (7) Han e
Ol 'U, 'foraia sempre as a.esraas a se perpetua-
ra m, liavendo depois algumas modiflcagOes, em
que entraram o azul ebro e o azul ferr te.
O facto de apparecer na cermica, anii Golum
b ana do A n.izonas as eres sy.nb tica-* da Asia,
nao se prender tambem ao Muyrakyt ? Sera
simples coinciJeacit ? tlreio que nao : porque
qwa nao deixava o amlelo, devmia tamuera
trazar coms.go as euas c^es symbolicas e con
vencionaes.
Passem s ornamentago dis muymkyias.
Como faijoi esses ornatos? Qoe processo
e'iipregariain I
E' anda oesiodo archeologico quem vera mos-
trar que ni falta de instrumentes apropriados,
elles trabara na ualureza os meios de executar o
seu peosamento.
Gomo se prforavam os macliidos de diorilo.
como erara Dolidos, c uno se agusava o gume, e
como se faiiam os enialhes, ja o expliquei nas
mmhiis Antisnutades do Amazona- a pag.
112 e 113, porm com mais netalhes aqu o fare,
porqu- pelo mesmo processo erara feitosos Muy-
(0) Mallien. HKt. Univ. de vol. XLl, 416. Le-
tourneau, La Sociologie. pag. J74.
(6) Bericol eine Anzahl Steiosculptoren aus
Coste Bica von D% H. Fischer. Bremeo, 1881.
(7) O priraeiro rei d'esta dynwtia foi Ya, nome
que tem a nephrite.
S b influencia e o prestigio do Exm Sr. D.
A luaia da ttaaatdo Co*, Uspo da Mu-a. pode
fzta ara qa olla s-oavoasac Mbm aw fo,sa|
comaanioMio. S bra olitfdMi una nuMoie oo
JorntitQrJmamnas-4* 19 s-ftilho de 18M
Qim fnnm luesfociana^tevotamo-m nolsf
que dos indios likuraa* que anda vi vem oo Rm
lea, ooiivemo ooilar de ainul. tos representando
perfettaoati e sapos oaraa. (eiios os >rtcnosa-
meuie do endotwpo. asoeo os frac toe da pal-
meira OUmbirs, Astrosaryam vulgare de
Msrlius.
Creto (|oe a deitlca^il) do sapo liga se cren-
5a de ter elle o poder de faxer ihover e de ser
lambem o protector das plantaces, tanto que
arada hoje a indios do Oreooeo (5) o fustigara
quando elle nao cede aos seos votos. OsTikomas
e os Konibos terq tal venerajo aos baciracios,
que o empalbam e o trazem, como ornato, peu
dente ao pescoco, como era o amuleto. Essa
creoca vem do Torkestao, e esleade se al a Ros-
na na Europa.
A religio dos Turcos, prohibe que se mate
sapos, porqne o bactracidio prodaz chovas de
pedra, que estragam as planlacoes. Affirmou-
me isso urna mulber turca, lilha da Herzegovina,
casada com vm turcomano asitico.
Comparados os muyrakyt&s amatoaenses com
os de Costa Bica (6( enconiram se monas seme-
IBadcas, e v se que o mesmo gosto artstico
presidio a coufeccao de todos. Se entre os am-
lelos peqoeaos e de formas pbantasticas a aua
lutria palpitante, naodeixa lambem de appa
recer comparativamente aosgraudes. Esles, que
aecusara rorma de uachado, sao cumrado ai
inropomorpbos, e tilam se tambem creoca que
tinha O aitlsla uinazouense.
Em aova Granada aim das formas bactra
cianas. na tambem as'antbropumirphis. Era
oulro capitulo mostrare! as analogas que ea
contro enii- os amuletos oe Costa lli a e Nova
Granada com os amuletos Amazooeases princi
plmeme os modernos usados ainda noje peles
indios Uaups. 0
E' ne.-ias diversas formas, na correc^o do
desenho e na e-culptura, que, desde a recia, s
ou coinouiada com a curva, at ao circulo per-
feto, applicadas a.oroamcutacao. esculpidas em
rocha d' dureza extrema, que salta vista o
grao de nviu-agj que era preciso para o ar-
tista conceber e executar a sua obra.
A porte material do tratialbo, a execocAo.
anda nos d urna idea do seu adiamntenlo na
arte de esculpir; poique, em urna poca em que
nao haviam ustiuuienios apropriados, e mate
nal capaz de ferir c gastar a nephnie, parece
incrivel que po Ier sem executar as formas gra-
ciosas e de icadas que ufferecera o- seus orna
mentas.
Esculpidos, perforados, recortados e polidos,
esses ornamentos alud nos trazem nla a es
culptura actual chiueza, principalmente se c.i n-
prannos os p -jueiios calchlbuuls mexi MOM
com os objectos, de marfim que a industria eu
ropa j imita.
Qianioacr do Muvrakyta, vana; braneo
esverdeaao, branco biolad, verdtamareilo, ver
de azeilona, verde esmeralda, verde azulaou, ce-
de bronze, e alguin com veias ferrugineaf. Co
rao ja tiotou o professor Fischer. os de ongera
brazileira tendera mais para a cor amarella do
que par a cor verde. E' exaco isso, e tem
urna explicacao Em geral os que -->e obiem sao
os encontrados ao pe-coco das mulheres ta
puyas, e easas preferem sempre os mais daros,
a que do o nome de coaia de ieite, por asse-
raelbar se a outras do mesmo nome, e que sao
de vidr i ou raassa cor de ieite.
O leitaario, le Traz os Montes, a conta leitei
ra, da Beira Alta, nao sao mais ao que rauyra-
kyis, Hlhos da reminiscencia supersticiosa da
Asia e da falta da ro I11 primitiva.
A uiesraa crenja po-tugueza, de que o u-o
dessas coalas, quando urna- mulher amamenta
faz o Ieite augmeatar, leva tambera a tapuya a
reg.-iur o Muyrakyia verde pelo amorellado,
porque quaoto mais cfaro fr mais lene produ-
zir
Mas, se s conhecdos na Europa, como no
Brasil, sao amareos, eu os vi e possuo tambem
os verde azulado escaro, verde-esmeralda e ver
de negro e o branco azulado e cinzeoto.
Urna pessoa de miaba lamilla possue um Sig
00, 1 blido em Loauda, frica, por meu av,
quando ahi e-ieve cimo governador-getierai,
lei o dejade aziatica. cu|a tdr perfeitamente
igual a um dos que eu possuo^ varde escuro
aie ilo.ia.
Cumpre-me tambem notar qoe os Muyrukyts
zuomorphicos sao sempre mais escaros do que
os cylindrros, assiin como os de fma de ma
cbaoha (Celta, Bieiyiias) sao ainda mais escu
ros do que o priraenos. Isso tambera coocor
da com os acnados europeus, que quasi todos
teera a forma de macbadinhas.
A crenja por-ugueza de hoje as contas de
. ite. pensj que tilha degenerada da do amu-
leto de pedra verde, mtroJuzida tm Portugal
pelos nespanhoesqae voltavam da America, de.
pois da conquista do Mxico, ou deixida raesmo
pela passaiera da corrent! migratoria asaUd.
que atravesaou o sul da Europa, era pocas an
ti-Clumbian.s.
A vanedade que aprestntam em cor os Muy
ratafia* devida que existe rainoralogicameuie
na uephte. Eaeonirs-se uo Museu de Fnbur
go urna eollecco d'. amostras de oeph e, obti-
das no mercado de Pekn, por um d-ploraata al-
lemao, que esto classilicadas por cores, dureza
e peso especifico, que offerecera as cores se
uiates : branco de aeve, edr de Ieite, azul ma-
nnbo ^ verde.
As cores dos Moyrakytas Afflazonenses, cor-
respondem s cores das tiguras chromoiilnogra
p ncas, que se na obra do profssor Fiscfler,
intitulada Neotirit un jadeite, conforme io
1ico aa expheaco das estampas, que esta acom-
panha
Tratando las cores do Muyrakyta, que indubi
lavel mente tem procedencia a*yatica, aao posso
deixar de iusistir o'am f*cio, sobre o qual lo
quei, quaolo na mmha .Necropole de Mir-kaa
gera tratei da pratura da cermica dos amigos
Aroakyses, porque paroce-me vr um uso que
perdura etre os ladigeaas, perpetuado pela
tradico.
as cores usadas oor tolas as tribus indgenas
ainazoueaaes para pintura da longa sao sempre
de origetn mineral e combiuada3 -oavencional
mente. As-sim s usam o vernviho, o amarello,
0 branco e o proto. quando pela variedade das
argas e ocas do valle do Amazonas, poderiam
usar a cor de rosa, a cinzenla, a roxa a azul, a
verde, a parda, eic se quizeisem tambera usir
as cores vege aes, que conhecem e empreara
em seos lculos, como j o azem 03 tapuyos ci-
vilisadus.
Sao as cores sagradas fuodamentae3 e symbo
1 cis da Asia, as quaes usaram os poos, cajos
ie-tjs o ar nelogo descobre, e sao anda ellas
as que os malos selvageas adoptara, e ebegam
jie-.uo aos civilisados.
Ni Asia, o principalmente na China, as-cores
fandiraoota-s sao cinco e coTospoulem ierra,
a a^oa ao fogo, s maltas e aos metaes, assim
cono aos quairo pontos cardeaes.
Essas cores -o : o verrnelbo, fogo e sol; o
p vio ajraa e noit'; o verde, maltas e leste,
o banco, metaes, agua e oeste. O ve-de foi
substituido pelo amarello, que corresponde tr-
ra, fkaoio aquelle, privativo, apenas de cena-
dvoasiias. Essas cores desde o auno 2205, antes
d J sus Consto, at o anno de 26 de nos? 1 era.
rakytas, como ja o foi provado com og*chalchi
biuUs mexicanos de que afras tratamos e que
ta represento.
AntW de por mira sor aprBtantadb es' pro
Jeesso niugu<.m o couhecia, e pira provar que
luntertormeute n'elle oto^ueiu tinna pensado, bas-
ta rtttro qae disse, era <6M, o Dr. ValetMini,
trotando dos cbalcnihuuis mexicano-'. (8
I oku tbe unkoiiw 1 raetnod ny irnich the
cot* ^ere raade. and also U instrument wnh
wnicb a perfect polista was socured Nephn>e-
nd jadeites are of exoee41o( hardnes^. Iby
hotd tfie suth place in the record of minerai
gist. It is reporte,! tbat a piece of nephnt of 70
cob. cm. was sunjected 10 a biow from a ste-|
chisel set lo an iron cylin er, and from the hei
ght of 35 :m. its fall upon ibe slooe did notio
jury. On ihe contr ry, the edgeofthe chisel
was brok ti.
Eis o p ocesso :
Assim como os machados de diorito sao aper-
fecoados pelo atiricio contra diorito, assim
lambem cr,-.io que os moyroky s de nephrite
enra aperfeifioados sobre tutra rocha de ae
oferta*
Deabastjva se um pedazo le rocha, tirndose
lascas ao cboqae de ootra pedra, al tomar o U-
manh 1 e a forma approximada, que re desejava
e depois era ap-rfeigoada o'oioa crreme d'agua.
Levada a pegs que se quera tran-formar em
amuleto a urna roi-ba banhnda por agua corren-
te, ahi pelo attric o se aperfeicoava, indo amoa-
gradualmeute se gasUndo. sen 10 os residuos
con8taatem ole levados pela agua. Aqu acba
tdvam. all arredondavara. em oatra pane agu
javan. Feto o con orno e assim pulida toda a
pe^a, vmha ento outro processo o de esculpir
e perfurr.
N'esie era ennregala a raadeira, alguma Qbra
vegetal, tira de cooro, ou a .nesma nephrite cora
o auxilio d'agua e da urea lina. Por meio de
um berbequim oa simplesmenle cora as mos e
um pontiiete de madetra pe.rfjravam e f.iziim
varios -desenhos pelo encostro do3 furos que
destruan! a rocba.
Segura entre o- ps, a rocha que se desejava
oro ir ou furar appli.-^vara um pontaleie agu
gado no pooto qu.- se es^juv, e foZdudo-o yirar
entre as palmas das iluas mos arterias, ora para
a direita ora para a esquerda, molhaodo sempre
e addicionando-se u'esse ponto um pouco de
area, depois de 111-auo trabalho e muitus dias
de fad'as coiix'uiara lur.ir a-p't; 1 de'ado a
lado ouata p'ofondidad que o ornato reqaena.
OS furos erara f.-lios de un e depois do O"tro
la lo. a se encoutrar 110 centro d. pega, o qoe
bem se nota -xamiuan 10 se os rae~rao. N'eiies
tambera & v, C"in o auxilii) de ama lente, as
estrias uex^d.s pelo raovuneuio giratorio- o
pouialete, aCarretando os graos de arela. Os
desenhus em linha recta eram leiios pelo m sino
processo d'agua, libras, madeira o n-eia. por ai
trelo, mas em sentido horisontal, ou como u o
ferreiro empresa urna Una. Para os circuios,
tao perfeilos. qu em algura se notara, haveria o
1U1--1110 processo los fur .3, po-r-m, euipr.-g indo,
-e em vez de um pontaie'e solido, um co, ou
lalvez mesmo o col uo de alloma 'aiuioiu.-a;
como o bamb ou ukoara que gastando a pedra
.-o na parte solida, a deixa intacta na parle oca
na mesma.
Depois de prompto o Muyr-kyt era polnlo
lalvez com o e riindu.n. mineral, aOaixo do dia-
mante, o mais duro coohecid > anugameiiie por
smyreis, do hebraico smir, que se eoennM ara
vanos partes da feti, oode empregado no pi
limenU' ae geminas preciosas.
No Mxico e upregarara, para a amazonstoae,
a ar ia que chamara Axalli.
(Confinad).
(8) Tipo Mex can ChalcMkuitls, Wo -cestr. 18il,
pag. la.
Da iufluencia civillsadra da*
seseadas a pilcadas s artes
e industria (I)
PELO COBuNEL LAUSSEDAT
Director do Conservatorio de Artes e Ma-
nufacturas de Pars
Traducco de A. Hy .*. de Miranda Jnior,
autorizada pelo aulor.
I
Todo iiiundn unnime era ailmitlir que os
progressos da civilisago sao devidos acuitara
simultanea das lettras, das artes e das seiencias.
Acontece, porm, qoe segundo as tendencias
de seu --pint'.i ou ainda as preferencias suscita-
das pela educado, cada um do nos tende a
att'ibuir urna iuflujncia preponderante a urna
ou outra d una manifestagOes do espirito bu-
mano
Quanto a raim, nao quero deixar de explicar
u razao poique pareco ceder a urna tendencia
desia natureza.
Para bem precisar o meu ueosameoto vou es-
colher na autiguidade um dos mais brilnant.-..-
exem jlos que ella nos possa fornecer e ser elle
a a.itu'Uidale grega. I icontes'avel nenie ella
nos legoo admiraveis produccOes do eoio os
seos poetas, dos seus artistas dos seus sabi ou de seus pbilosopbos, admiraveis a ponto de
s mais das vezes, em despeito dos nossos es-
forcos, nos acontecer ao podermos m-'sra.)
lgUalal-08.
E''preciso, entretanto, Dotar que entre as obras
primas da a te e da litteratora de om lado e os
monumentos da sciencia do oolro, existe urna
diff-renca e.sseucial, capital. As obras primas
da arle e da litteratora sao per assim dizer im
rautave, isto permanecerao eternaraente o
que sempre foram, isto admiraveis modelos ;
os monumentos la scieucia porm. por isso que
nfto sao delioitivos podem ser excedidos e s
mais das vezes o sao, sem todava perdenm o
sen valor .eirospectivo.
Taes sao, cooi effeito, o carcter e o destino
das obras scientificas mais fecuadas, das deseo-
bertas mais sublimes. Sito junas, ou si prefe
ris pharoes, que s. enleiram no cammho do
progresso, para o qual, salvos cataclysmas, o
espirito huraa.10 que iniaca retrocede se eeforga
por arrastar as sociedades aa sua marcha hices-
sadte para adame.
Tendo tomado como tbese provaque a nog-
sa civilisayao ictual se bratulo devida s 10
uomeraveis e receuies applicages da sciencia, --
vou ainda recorrer a algumas coasideragoes.
Na autiguidade, grega ou romaoa, e, remoo
lando rae rao mais alto, enlra os povos qae tara
bem apresentarum urna civilisago avancada,
como provam os monumentos que elles nos del
xaram, pnr tola a parte encontramos esta nodoa
vergenhosa e iodelevel qoe manchoo a historia
das sociedades desapparecidas, quero fallar da
escravido.
A cu'tura das lettras e das artes, qual mais
habitualmenle se attribue a virtude de abrandar
os costumee, em tf da raodirlcou, entretanto, as
ideas dos pofoa da antiguidade sobre o estado
degrdame daqulo que a nsufflciencia de ou
tros meios de t abalho material od levava a con
siderar corao gado humano necessano
A cultura das lettras e cas artes, era, pois,
por assim dizer, o monopolio doshomens livres
o que nao impedio que certos escravos tivessem
tanto espinto quaoto o> senborese fossem raes-
mo autores de ooras primas admiraveis. To la-
via a naco ou as n;.goes eram exclusivamente
coostuuidas pelos livres.
Aps a queda e o desmembrameoto do colos^o
rom.>no e em periodo avaugado da idade media
a confuso que reina tal que em rao se procu
raria o que foi feto da sciencia no meio oestes
destrovos de sociedades r pietas de elementos
disparates, sem cobesSo incessantemente amea-
gadas de volverem-complelamente barbaria e
isto mo grado os esforcos de alguns homens de
genio para presrvalas deste pengo e mesmo
regenere I as. <
Para que desta fermentagao humana podessem
se desprender ideas oe ordem de justica, cla-
rO'.-s de verlade capazes de imp>essiooar espi-
ntos sobreexcitados, uus pelo receio, outros
pela consc;encia brutal do direito do mais forte,
todos pelos preconceiios os mais perigososeos
ra^is grosseiros foram precisos mullos annos e
muios seclos.
imrante ouia parte deste periodo obscuro al-
Bum .s artes fora mi entretanto, cultivadas cora
rara harnlulade ; sao di-10 tesiemuuhas 08 es-
plendido* monueoto3 dos quaes alguos dos
mais uoitsvis anda ubsislem.
(1) Confereaeia feita diaote da Asiociotion
Ftnncatse pour l'avancement de. SciencesCon-
gresso de Oan.
Aa naeSes espalnadas pelo solo da Europa si
nao as de.sconbeciam, todava durante muito
lempo nealigenciaram a mor parte das sciencia.
O impeno dos rabes qae naqaelle lempo se
estendia do coracSo da Asia aio a Hespanba e
ao longo de quasi rada a co ta de Mediterrneo
offerecia om aspecto diverso ; e mesmo convm
nrader aos rabes a juttica de que depois de
terem reconhecido o immenso interesse dos tra-
halho gregos lizeram se delles os digaos conti-
nuadores.
Que p-irte toca sciencia no desenvolvimeuto
da brilhante e epheraera influencia dos rabes,
nos tenpos do Klial.fas ?
Se bri que nao a possa precisar exactamente,
creio poder pelo menos admittir que foi consi-
deravel.
Seja, porm, como for, a soa ntervengo nao
tiastoa para garantir de rpida decaieocia urna
civilisago, alias reliuadi, ra is que eucerrava
abundantes germens de dissolugao.
A scien ia nao dispuuh 1 ain la da autoridade
e do carcter de certeza eu ia duendo de infal
linilidade que devia adquirir nos seus tempes.
Isto nao quer dizer que os povos que a cultivan
deixeau de se maoler al, ra diante dos mais
insignificantes sympiooas de entraquecim nto.
Foi igualmente as vivificantes fontes da an
tigoidade grega que os n s-os aniepassados de
ba qu.n ro seclos foram ao seu turno beber a
seiv nlellectoal.
AquUo que julguei poder chamar de Beoas-
C'-nca rabe nao foi tao completo e 1&0 fecoado
qu 1 no a Renascehga na Italia, na Franga e na
H spauba e, deca nada em carnada, em loda a
Europa.
Passare em silencio as maravilha* artsticas e
li teranas deSla grande apoha. Ha, porm, am
ponto sobne-o qual julgo dever iosistir e que
refere-se s cons> qaencias evidentes da activi
dade s euiifl :a que manifestou -e pela me^ma
pccno e que enconirou um to precioso ali-
mento as grandes descob rtas .'ograpliicas
que salieutarara o Um do XV sequo e o comego
.10 XVI.
Por pouco qae se tenia estudado a historia
das scienas e das suas appicagoes as mais
uleis e por vezes as mais imprevista s, tica-sa
^U^prebeodido da influencia decisiva qoe certas
Jesconerlas exeneram repercussivamente sobre
a civilisago. Entre ellas citare a descoberla
da Amrica, a do Cabo das Tormentas e as outras
empresas ousadas que as seguirara, as quaes
alera dis3o e em these geral, coat ibuiram pos-
sautemente para o desenvolv,nenio scienulieo.
As sciencias malhraalicas seapreseutam aqui
em prlineira inlla.
Os OOtUOfiraphoie os geograohos desde muito
lempo tiuOiiD s-atrio a oe.eessida le de fazer
uso di astronoma, que se a. hava aluda pouco
avaiigida e ain a '.iuna qu experimentar tnaitos
apeiieigoaineiitos antes de estar em estado de
rooorcio lar aos marmneros js guias celestes,
fulla dos quaef na 1 u aeu-idi le dos raares ti
erara umitas vezes tantas dilliculdades em se
orieniarem.
A partir desta eoo-ha os prog essos foram ra
cess-imes e devMo a Bina re-iprocidade que s-
en '.onira no a Uantameoto de todas as cien das,
a necessioade presentida de dar mal- pr-ciso
iSlron imia pratica contr buio, s m duvida al^u-
ma, a fa er descobrtr prira i'O o vedadei o ~ys
tema do mundo, no nfficil de irapor preceden-
temente, e en seguida, de carnada em carnada, a
revelar o rae hmisrao do universo.
Ser superf uo acrescentar que estes resulta-
dos de observag5es deudas, delicadas e per.-eve
ranies, bem como as meduagoes de hodeos de
genio a seu turno, auxiliaram possactem"nte a
civilisacfi; pr ineiraraente. desiruindo granas
numero de ideas Uls.iS, que represenlavam um
elemento de atraso, em srguodo lunar desvane-
ceado 03 precoaceitcs idiculos, os le rores chi
meneos como os do lira do mundo, os sbitos
espantos eugendrados pelos pbenomenos mais
iooffensivos, como os eclypses ou appango de
cometas.
As descoberlas qae do sea lado faziam, os na
vegadores, multiplicando se sobre todos os pon-
tos do globo (costas, ulterior das ilbas e dos con-
tinentes) onde deseuibarcavam bomeosde scien-
cia ao mesmo tempo que aveotureiros, coatri-
ouiam para reduzr s sus verdade'ras pro por
j;es as faoulas que a iinagiuugao dos poetas e
as narrages phauaslicas de cerlos viajantes da
idade media traba n conseguido inlltrar.
A pbysica do globo, a raelereologia, as scien-
cias naturaes se emancipavam de erros bizarros
e se enreqoeciam pelo contrario, cora factos do
mais alto interese, de maravillosas realidades ;
emtim, gneros novos, de urna inestimavel im-
portancia sob o ponto de vista dos seus usos e
los quaes sao privados os nossos climas septen-
trionaes forneciam ao commercio occasio c se
desenvo vercomojatenio nojlbe tinha sido pos-
sivel faxer; as nages da Europa, aim disso,
entravara na possede recurso- muito mais precio
Sos do que o ouro, cuja abundancia em certas
regee foi causa de males irremediaveis sobre
os quaes nao tenbo que insistir.
Nao igualmente inteugao miaha deter-me so-
bre as consequencias lo lamemaveis das rela-
ges creadas ou consideravelmente alargadas
pela frequeacia das costas occidentaes da Afn
oa eutre ragas das quaes umaa consideradas co-
mo inferiores, foram por taulo tem jo sacrifica-
das as ouiras, sob o pretexto de que cerras ira
baihos excepcionaimeoie arduos nao podum
aera deviamser executados seno por ellas.
Fago aqu ailuso a escravido dos negros,
que, como sabis, sOmeate na poucos ann* de-
sappareceu no Novo Muudo, escravido que nao
era era mais jasticavel, era raais moral do
que a dos brancos, que por justos Ulules censu-
r.nius aos puvos da auliguidade.
Passaiei, sera mesmo eoumeral as, sobre as
pbases successivas do estado das differenles
classes da nossa propna sociedade fianceza,
desue a serviuu, que nao era mais do que urna
atienaaco da escravido, al a emaucipagao
completa, que apenas data de um secuto e que
sera duvida devida a enrgica interveuco da
sciencia mais do que quaesquer outras causas
que se queira invocar.
Poderse hia, com effeito, reproduzr, a res-
peito dos preconceilos que reinavam as classes
privilegiadas al a meiade du XVIU seculo, a
rae8raa apreuago que a proposito dos povos da
.-rnifiuidaie.
A corle, os grandes seohores e seus clientes
ou familiares estavam persuadaos de que todas
as conquistas do espirito lun ou luteressa
vara s^uao elles e trabara ido exclusivam ote
feilas para elles.
O resto du oago, com raras excepgoes, pare-
ca les radiguo de gosar deilas. Couneceis o re-
liara que um escnptor celebre no reinado do
graude re, lazia do matulo fraucez. Em lempa
. Igum os ilotas foram mais dehesados peras
seus senhores.
EtitreUnio o faeno da sciencia ao esclareca
ra. ote as alias carnadas da sociedade a sua
luz bemlazeja penetrava por toda a parle e sus-
citava melhuramentos consideraveis as artes
mecnicas e em omitas industrias denlre as
quues muilas am se lomando tloresujaies.
O deseavolvimento do commercio lazia seatn
a uecessidade de communicagoes mais uuraero
sas a melnores das quaes a agricultura devia
aproveitar-se e com ella as popuiages das cam-
pauhas. Grandes espinws animados do mais
puro patriotismo e que os esplendores da corte
nao emnnagavam, arnmavam felizmente estes
meluorameuios e pre.iaiu outros que sem duvi
da alguma teriam sido realisados mais depressa
^ nao fosse a revo^ago do E^ilo de >antes ,
com eUeito depois a Frauga ficou privada de um
graode uuraero de hoineus, do ulenio, parucu
larmenie habis as artes e uas industrias, que
couiegavain a fazer sua fortuna e que loram as
iira iransportauas algures. __.
Dous grandes ujines, os de Colberl e de Vau-
bi.n, nunca devem ser esquecidos quando se lat-
a deste lenpo que consume a aurora da era ac-
tual.
As iosiituiges oe um e as vistas largas do ou-
tro inspiraran!, sera uuvi a os pbilosopbos qu ,
durante o seclo segrate, prepraram por meio
dos seus esenptos, as fcTaudes reurmas polticas
e sociaes realisadas pela revoluco. '
Os pniiosupuof, os economistas, os eocyclope-
distas erara todis s-uios. Os philosopnos da
antiKuiOiide, como Platao, que so admut.a aa
3 a escola aqoelles que eram feoraeiras, an es
deludo aprectavam. a sciencia que inccssbiile
mente nvocavam ao mesmo lempo que trasloa
vara que sempre se devia recorrer a ella quer
*M esclare er a ratelligencia qoer para aper
fecoar os procseos da industria.
\ obra dos eucycloDedistas emprebendida
com este duplo Hu, represeota racoatetavel
mete um oo? mais ootaveis uoUcplis **
nossa litteratura A Eneyclopedia. foi imitada
em qoasi todos os paizes, e o sea plano muita
vetes reproduiido em Franca ; levando em coa-
la a data em qae foi publicada Dodemos asseve-
rar que ella nanea foi excedida.
Quando se qoer conhecem estado da3 scien-
cias, das artes, dos officios, das profissOes aa
mais vanadas durante a segaoda melado de
XVIU seclo, a ella que se deve recorrer
Pela eocyclopedia que preciso naturalmen-
te comecar para medir o cemiobo percorride
desde esta poca pois que os eocyclopedistas pa-
recem ter querido fazer o inventario dos conde-
cimentos a quindos no sea tempo para facilitar
os progressos ulteriores.
(Coni'nua).
REVISTA DIARIA
Titeatre -Em nossa ultima noticia, na parte
relativa ao espectculo de domingo ooite. ve-
mos dous ootaveis esqoecimenios, de que oes
confessamos calpadosve dos quaes solicitaraos
descalpa aos uueressados. Refere se o primeiro
a ioieressantissima parodia da acea do gatu-
nos, n'A Gran Via, execotada pelas artistas Lo-
piccolo, Maihilde e Isabel Porto, e o segundo a
um delica o brinde f-ito ao actor Tasques pelo
cavalbeiro Taomaz E-piuca.
As artistas que acuna mencionamos parodia-
ram com tanta gragae feicidade os Srs. Peixoto,
Mallos e Vasques, que fora.n pelo publico rece-
bidas com estroo losas pamas e gargaibadas. A
uaitna d'aquellas, especialmente, imilou to com-
pletamente o Sr. Vas]ues, na caracterisago, nos
gestos, no modo de cantare na danga,que o imi-
tado a cbamou:seu irmao mais gordo.
Ao lindar a interessantis-ima scena-comica,
Viagem roda do mundo, a pe, o cavalbeiro Tho-
raaz Espiuca, que (01 outr'ora um ornamento do
iheatro brazileiro, e que o tem enrequecidv com
festejadas produeges, offeieceu ao Sr. Vasques
urna rica e delicada caeta -le ouro, cora que ba*
va sido, ba lempos, brindado por occasio da
re.preseiiuco de ura drama de sua lavra, duen-
do corainovido as segrales palavras, que irado-
zem ao mesmo tempo sua modestia e seu aorego
pelo arlis a e amigo a quem presenteava : i
o meu presente, aceite o ; elle fot me dudo, um dia,
ao reprrsentir-se um irabalno meu; passo o aoje
a methores mos. >
Suppndas -ssim as lacunas da nossa ultima
noticia, pas.-araos a dar conta ao espectculo de
antes le nome n.
Bepresentou se ain ia urna vez a muito feste-
jada opera-coraica O Amor Molhado. e os ap-
plausos incessant33 com que foi recebida attes-
tara eloquentemente o quaoto ella cabio em gra-
ga para os irequeutadores 00 Santa Isanel. Por
muito tempo guarlaro estes as agradaveis re-
e.ordagO-s do lindlftsimo e original canto do beija
flor e outros ni-uriidicos trechos da inspirada
partitura de Lu* Varney.
O pun'ico chegou at ao nhrenesi.applaudindo a
compauhia. eosdive'Sis admira lores briodaram
ao Sr. Helle.r com ura reirato, Sra. Blajehe com
um rico pre-ente e a todos cotn vistosos buuqaets
e ebuva de llores.
o espectculo de hontera, o ultimo, e do qual
daremos depois aotica mais detalnada,os admi-
radores dn grande actor Vasques lizeram-lhe urna
uiaoifestacao de apreco.
'.orno tabres essa ultima noticia huja ae ser pu-
blicada, quando j leiiha pariido o Sr. Heller
sua exceileute compauuia, inclusive o Ilustre
muestro o Sr. Normandia e sua boa orchestra,
aqu Ibes antecipamos nossas despedidas e sau-
dades.
Que bt ns ventos os conduzam 9 que pnr toda
a parte encootrem as syrapatbias e o aprego que
Ins dispensou o publico d'esta cidade, e de que
sao to dignos e merecedores.
Solre-Coincidrado a, grande data de 14 de
Julho con a do anniversario do enlace matrimo-
nial do Ilustrado Dr. Jos Izidoro Marims J-
nior, offereceu este dis'.racio cidau aote hon-
lem urna bella soi.e, em sua residencia a ra
do Progress j.
A' es a fe-la intima coocorreu creseido nu-
mero le s nboras e cavalneiros da nossa socie-
dade ; e nella Manato os seus represeotaotes o
exercito, a tnariaba, a imprensa, o commercio e
as artes.
N meio da mais expansiva e intima cordiali-
dade, correu a festa propagando se as dapsas
at depois de u a hora da manh, quando foi
servida a ceia, durante a qual lora,11 erguidos
differentes Drades, oue tiveram por objectivo
oriticipalmeoie ao Dr. Martins Jnior e a sua
Exma. Sra., e concoiui'.aniemente o exercito e a
armada, tendo sido offertados quelles differen-
les ramos de llores.
Tocou duMiite a festa a banda de msica da
corpo de polica, tendo o Sr. Dr. Martins Jnior
e sua Exma. Srj. deixado a iodos captivos oela
amenldade do seu trato, que mais embelleceu e
obsequio e toruou gratas as horas que elle pro-
porcionon aos seus convidados.
4 de JuiuoMr. oertra e sua senho.-a,pro-
pietarios do graode Holel Oriental, em testemu-
iibo de sua patritica ven ragao a essa grande
data a historia da Franga, e para solerauisa-
rem a'a oa effusio da alma franceza, offirece-
ram ante hontera aos seus amigos e compatrio-
tas, um laura janlar, servido 00 salo principal
do aa lar terreo do mesmo eslabelecimento.
Apezar de nao ter carcter official a testa de
Mr. Berln, a ella oomparecerara multas pessoas
gradas, entre as quaes alguns representantes da
imprensa.
O servico que foi profuso, termiDOu s 8 ho-
ras da noite segurado se ento urna soire.
Tocou durante a festa urna baoda de msica*
Agradecemos a fineza do convite com que nos
homou Mr. Berln.
Conoellio iliterarioSob a presiiencia
do Di. inspectoi geral da InstrucgoPublicarea-
nia-se houtem o conselho iliterario, ao qual fo-
rao presentes os respectivos membros, Drs. Jos
Diuiz, Ferrer" de Arauio, Cicero Peregrino, Be-
gueira Costa, Monseunor Arcj-Verde, regedor
do Gyranasio, direcior da Escola Normal e pro-
fessores Fragoso e Waoderley.
Foram lidos os se.mra.tes pireceres :
Da 1* secgo, relator o professor Fragoso ?obre
a creacao de urna escola mix'a no A n alai do
Juca, da comarca de Gravat e transferencia da
cadeir* de rtg-raenra paraositoiArraial, con-
clu ni lo-que -nem eras.oem ou Ir a-ooneajestii no case
de ser attendida por nao '.erej silo salisfeitaa as
formalidades exigidas po regulameoto era vi-
gor. Adia.to a requerirai uto do Dr. Souza Kinto.
Da mesma secgo, relator o Dr. Souza Pinte
sobre a petigo de Artbur Octaviano da Silva
Hamos, requerendo o restabelecimento da cadei-
ra do sexo masculino do Porto da Madeira ; coa-
daiodo .que esta oo caso de ser attendido. Ap^
pioado
Da mesma secgo e relator, sobre a peUg
de diversos moradores do logar Barbalho, re-
quereado ah a creago de urna cadeira do sexo
ferainino, cooclurado que sejaui ouvidos o dele-
gado Iliterario respectivo e o presidente da In-
tendencia Municipal. -Approvado.
Da 3.* seccao, relator o Dr. Jos Diniz, sobre
a petigo do professor Maooel Marinbo Caval-
canti de Alboqoerque requereud a gratiQ:agae
de mrito, concluindo que esl no caso de ser
aitendido.Approvado.
Da mesma sec;o, relator o Dr. Cicero Pere-
grino, sobre a petigo do profes;or Jl'Qo Jos
Itibeiro Je Moraes, requerendo que se Ibe. man-
de passar a apostilla da graliticaco de que tra-
ta a lei o: 202o .e 1889, e que Ihe fra conce-
dida por despacho de 2i de Outubro o'aquella
nao concluindo que est no caso de ser aiten-
dido.Approvado.
Da mesma secgo, relator o Dr. Begueira Cos-
ta, sobre a petigo do professor Jcsuino Lipes
de Miranda, requerendo a gratiHcago de man-
to, concluindo que est no caso d ser atteadi-
do. App ovado.
Da mesma secgo e relator, sobre a pece
do professor Jos Diniz Brrelo, requerendo a
tratiricago de ment, concluindo que se acha
00 caso oe ser atu ndido.Approvado.
Peoca de Nossa Senhora do larras
Hoie, por occasio da festa de Nossa Senbort
do Carmo. ser txecutada a grnde musa-
Monte Carmelo, do maestro Casimiro Jnior,
s 11 lo o solo de fagote executado por um dos ,
professores da orcheetra da companhia Heller;
3e, executado tambem o grande credoCanessa.
Bibliothea da Paculilade de Direl-
toEste estabeleciraeoto, que actualmente est
funccionando no edificio da Facoldade, foi fre-
queniaiono semestre do corrente anno por
l.iil le (ores.
Club IS de Xa ve maro- Este club, con
sede 00 povoadooe Tigipi. no domingo prxi-
mo, s 5horas da terde rene-se era sesso or-
dinaria.
.
-


.
w



Diarv* de VeraarRhucor-QiiaPla-feira 16 de Julbo de 1890
3
-
1
I



J
'

KaV
J

Conlrabaado do '-bet-lbe.-Ara
dect-mos o tmelo que D08 fui offertado, coQlen-
do a defeza e razoes do recur-o du comman
dante Serapbun da Silva, Mo sea advogado Dr.
ViCente P'rrer de Barro Wanderlev Araojo.
Peiitvldade rellgioa Depois d'ama-
nbi tem lugar o levaotmento da bandeira da
festa de Sani'Anaa, que se vecera aa igreja da
Madre de Deas.
Nervino militarE' boje superior do da
o cidadSo Cdpito Gelasio, e faz a ronda de
visita o cldndu alferes Mascareubas
<) 14 batalhao d ir a guarnicao da cidade.
Yacc-lna publicaHon'.em vaccinarain
se na inspectora de bygiene 53 pessoas.
Ne.-ise servigooccuparam se os Drs inspector e
seu aiudaDU.
Caumenlo civil -Em audienc a do juizo
dos ,isameni >*, bontein realizada, leve lugar os
seguidles preges :
SeguadoDe Marcos Zloccowicb, morador em
S Jj-, com Laoiica Emiliana da Costa Ramos,
moradora em Santo Antonio, solteiros.
demDe Jos Soai es da Rocha com Laura
Escolstica- Pereira da Cuaba, moradores em
Santo Antonio e solteiros.
PnmeiroDe Eduardo Eupbrazio do Rozario
com Virginia Roza Teixeira, moradores na Boa
Vista, solteiros.
dem-De Jo&o Francisco do Amaral Jnior
com Jeouina Accioly Correia, solteiros, morado-
res oesla cidade.
IlemDe Antonio Las da Silva com Maria
Aoaunciad i de Almeida Bastos, moradores oa
Boa Vis'a e soll-iros
Tribunal do Jury do Beelffe-Hon-
tem nao aouve julgainento oeste Tribunal que
funeciona f m 4* sessao ordinaria no pago da
antiga assembla.
Apeoas comoareceram 33 juizes de facto, sen
do multados em 20000 os que deixaram de
comparecer e adiada a sessao paro boje as 10
boras.
A 5 sessao ordinaria que funecona no pre-
dio do Tribunal ra do Imperador, tambera nao
pode ser hootem mstallada a fall de jurados.
Resjoaderaui chamada 13 jurados, proce-
dei.do se o sorteio dos seguintes supplentes.
Freguezia de S. Fre PeJro Goncalves
Dr Giidino Emi ano de Jesas.
Joaquim Domiagues de Carvalbo.
Argemiro Fabao.
Amonio Aiouqu.-rque MaranbSo Cavalcante.
Fn-ju-z a ae Santo Antonio
Antonio Venancio da Silveira.
Fraocelno DeoJato Rodrigues Ferreira.
Jos Mana Ferreira Braga.
Mano I Antonio da Cuoha.
Joo Carneiro da Silva Reg.
Joao HcQ gn.j da Silva.
Arseoio Joaquim e Souza Bandeira.
Antonio Jos de Abren Rioeiro.
Freguezia de t>. Jos
Aatooio Peregrioo de Mendonge.
Freguezia da Boa-Vista
Lauriano Jos Pimenta.
Augusto Cezar Stepple.
Francisco Antooio Gongalves de Mideiros.
Miguel Fon too ra.
Graciliano Octavio da Cruz Martins.
Antonio Rufino de Andrade Lima.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito.
Leodfgario Padilba.
Dr. Jos de Miranda Curio.
Miguel Joaqun Pe.-soa.
Antonio Jos G steira.
Dr. Aristarcno Xavier Lopes.
Can i.io Jos Correia.
Miguel dos Sanios Costa.
Graca
Antonio Pinto de Almeida.
Afogados
Man el Cezar de Andrade.
Jos Elias de Oliveira.
Artbur Ramos da Silva.
Poco
Joao de Assis Pereira Rocha.
Herculauo Herval de Mirauda Hearique.
Francisco de Paula e Silva.
Jos Ignacio liibeiro Roma.
A sessao licou adiada para hoje s 10 horas,
iiirrciuria aai oora de eooerw
dui portn de PeroombaeoHeo
e, 14 de Julbo de 1890.
oietim meteorolgico
3r. I
i S 5-S J, Tenso
Horas; &*S j barmetro ad 0 raporj
[ i 5 -X 0* I r
f-~ 1
O
n
a
6 m.
9
12
3 t.
6
24"3
26 3
28 I
28 3
24J .8
761-93
763-67 i
763-76!
762-59!
763-27
1634
16.B9
18 45
17,97
18,88
71
68
M
61
81
temperatura mximai8,"75.
Dita uiinuna23."50.
Evaporac*" -m 24 Doras : sombra3",5.
nuva -10-,9.
r Direccao ao vento: SE com interrupcoes de
ESb e SSE de neia noiie s 11 boras e 30 mi
nuios da uianha : SSE e S alternados al 6 boras
e 20 miamos da Urde; S at 8 horas ; SSW al
meia ooite.
Veloeidade media do vento2 ,"73 por se
gando.
Nebulosidade media0."62.
Boletim do porto
Si = 3 1 Das Horas 8-32 da macha 3-07 da tarde 9 16 324 da maoh Altor
B. M. P. M. B. M-P. M. 14 deJuIno m 15 deJalbo 0-.64 2*12 0-.69 2-,26
Operacoe* clrurgicaaForam pratica
das nobutpital Pedro 11 as seguinies:
Pelo Dr. Poutual :
Amputrao do penis pelo processo de Gayn.
Urelbrotomia ioieroa pelo processo de Maisoo
ueuve, como tratamento de estrettamento da ure-
tbra.
Pelo Dr. Malaqu-.as :
Anhro.oiuia indcala por arthrite supura Ja da
articulaco ubio Urciana direita.
Caso de Deteneo Movimento dos pre-
go* da Csa de Deteneo do Reclfe, Estado de
Pernarabuco, em 13 de Julbo de 1890.
Existiam 458 eatraram 7, existem 475.
A saOor .
Naciooaes 437 malberes 19, estrangeiros 12,
-Total 468
Arracoaooa 395.
Bons 376.
Doenies 18. '
Lonco 1.
Total 395.
Movimento aa enfermarla
Tiveram baixa:
aldioo Jos da Silva.
Mauoel Ignacio de Lima.
Manofi Francisco do Nascimento.
Francisco Pereira de Lima.
Tiveram alia :
Vicente Macambira de Oliveira.
Mauoel Rodrigue- de Lima.
Uu pitoi de Manta gueda -O roov i
memo d--sie eaubdrcidi-mto tpara variolosos
ios dias 12 a 14 do correle, foio seguinte:
Homens Uulheres Total
Existiam 169 115 284
Ifltraram 16 6
Sahiram curados 1 \ *i
Falleceram g f
Existem *8 "* 301
piai Pedro lt O movuneaio desie
subelecuuento de caridade, oo dia <4 de Julbo
foio seguinte: .
Eniraram
Safcram *J
Fallece, ram *
Existem 457
Foram visitodafl aa respectivas, enferman
ao'08 Drs.:
Cysneu-o s 10 1/2.
Ferreira Velloso s 9 S/4.
ilerardo s 10.
Malaquias s 9.
Pootual s 8 3|4.
j^Bdevao Cavalcante s 9.
Simes Barbosa s 10 1/4.
O cirurgio dentisto Noma Pompio s 8 1/4
O pnarmacentico entrn 4a 9 1/4 da manb e
tibio s 2 da tArde. ___
O ajndante do pbarmaceutico entrn aa 7 i|X
a Mbio ii I horas a tarda.
l Hoje:
Pelo agente Alfredo Guimaraes, s 11 boras,
ra do Bom Jesai a. 44. de urna cala com sa
patos avahados para horneas e seohoras.
Pelo agente Pialo, ao meio da, em frente ao
trapiche Livramento, de cimento com avana.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra da
Imperatnz o. 6 de movis de diversas qualida-
des, vidros, loucas. eU.
Pelo agente Martins, s 11 boras, ra da
Imperatriz n. 20, de armaco, realejo e diversos
movis.
Pelo agente Piolo, t 11 horas, roa Nova de
Santa Rita de movis, gneros, etc.
Amaah :
Pelo agente Alfredo Guimares, s 11 boras,
ra Mariz e Barros a. 2, da taverna ahi exis-
tente.
Miooa ruaebreaSe.ro celebradas :
Hoje:
A's 8 horas, oa igreja da Santa Cruz, pela alma
dr Mi noel Luiz Ribeiro.
Amanha :
A's 8 horas, aa matriz da Boa-V.sta, pela al-
ma de Luiz Pires Galvo; s 7 horas, na matriz
de S. Jos, pela alma de Manoel Fernandes da
Costa Torres.
PasaagelrosChegados do sul ao vapor
nacional Pern'tabuco:
Dr. BernardoL.pes de Meodinca, Dr. Salustio
Lamenha Lms Gustavo Pinto e saa senhora, Sa
muel Aui-'u-'.o da Silveira Piolo e -ua senno a,
alferes Affonso das Cbages Guimares sna se-
nhora e 2 lilhos, Jos da Costa Reg Lima e sua
seahora, lenente Silvio Pellico Belchior, briga
deiro Francisco da Costa Reg Mjpteiro, Luiza
Stivel, Estevi's Fernandes Paes%.sua senhora,
Carlos Pedro Ribeiro. Maria da Cbaceico, sar
geoto Francisco de Paula Teixeira e S> qza, Joao
aa Jacintba da Costa, Mano I Jos Pereira de
Alhuquerque, Dr. Arthur Cesar Ros Joao Ro
drigues de Almeida, Aprigio )ias da Ri.cba, Jo
sepha Caetaoa de Freiias, Olyropia Fraocisca de
Freilas, Juaquim Antonio da Fooseca Gil, Elyzio
Barbosa, Antonio Pedreira e sua senhora. Joan
na Amelia da S Iva, Fran -sca, Visco Genero.
Casimiro C Augusto. 3 pracas de liona, Olympia
Pires, Pedro Cronrwell. Jos Candido Ramos.
Honor Cimello, Braz Junby e Joaqaim da uosta
Marques.
Sahidos para o sul ao vapor naci.al Ala-
gas :
Julio C. Goncalves P.ech, Fraocisco Meudes
Fooseca, Jos Rodruues da Costa Antonio Nu
nes de Imeida Hermana Phitipson, Jote de
A aujo, Isolioa Telles de Meoezes, Alvaro Vlau-
oa, Joo ;arohno de Oliveira, Dr. Fraocisco do
Reg Barros, sua senhora, sua cuobada e 1 cria
do, Augusto Neesen e sua senhora, desembarga
dor Jos Mana Moscoso da Veiga Pessoa e sua
senhora Dr. Aogu.-to etto de Meodnnca, Anto
nio de Oliveira Castro, Umbeltno Dias, Antonio
Luiz Cavalcante Lima, Sebastiana Paes Brrelo
de Barros, Augusto Cesar de Andrade, ?ua se-
abora e 1 lilbo. Vicente Tavares, A. B. Vaz de
Carvalbo e Em lia Manados Aojos, Joo Gomes,
Mana Tavares, Tito de S, Manoel Autooio Sao
tos Das Filho, Dr. Antonio Borge- Leal Casteilo
Braoco e 1 menor, marinheiros Djmiciano Vi-
cente Xavier da Cruz e Paulo Tertuliano, Ber-
nar lino Senoa Costa, B Dixon Armstrong.
i.( riu do Estado de Pernambuco
A 11 sene da 1* loteria deste EsUdo, ser ex
trahida impreterivelmeote oo dia 22 de Julbo
(terca feira), 1 bora da tarde no coosistono da
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Sanio
Antonio.
kuirria do Eatado do ttrani-Para
A 2" serie da 41" lotera cojo premio gran
de de 60:00"000 ser extrahida no dia 19 do
corrate.
Lotera ao Maranbao A 22* serie
da 1* lotera deste Estado, cujo premio raude
de 3(iO:OU#, ser extrahida hoje 16 de Ju-
Iho (quarta feira}.
Cemlterlo publicoObituario do dia 14
de Julno:
Ira Maria de Jess, Peraambuco, 38 anuos,
solteira, S. Jos ; broncha pneumona.
Man. el, Penwmbuco, 12 aonos, S. Jos, vario
las confluentes.
Angela Maria da CoaceicSo. Pernambuco, 60
anuos, viuva, Boa Vista, asthma cardiaca.
Severioo, fernamouco, 6 mezes, S. Jos, con
vulsoes.
Ma.ij. Pernambuco, Boa-Vista, aspbyxia por
coogesto.
Ali.e, Pernambuco, 4 1|2 anuos, Boa-Vista,
convulsoes.
Manoel, Pernambuco, 1|2 hora, Boa-Vista, fra
quez congenita.
Eralia, Pernambuco, 2 1|2 annos, Santo Aa
tomo, vanlas confluentes.
Jos, Pernambuco, 30 mezes. Santo Antonia,
vanlas confluentes.
Guilherm na Mara da Con:eicao, Pernambuco,
30 annos, soileira, Santa Agaeda, varilas.
Jos de Bnto, Parthyba, 30 aonos, casado,
Santa gueda, varilas.
Manoel d Paixio. Pernambuco, 40 annos, sol-
leiro, Sauta Agaeda, varilas.
Joo Soares dH Medeiros, Pernambuco, 24 an-
nos c.s-.do, Santa gueda, varilas.
Adelino Ferreira da Silva, Pera^mbuco, 25 ao-
Appellac&o civel
De Cimbres Appellaote Alexandre Jos da
Hora, a apellado Luiz Mendeg de Almeida. Re-
lator o desembargador Delfino Cavalcante. Re-
visores os desembargadore* Pires Ferreira e
Monteiro de Andrade. Con(rrm"use a sen ten-
ga, unnimemente.
Do Reeife Appellante Florencio Domingues
da Silva, appilludo Francisco Joo de Barros.
Relator o desembargador Silva Reg. Reviso-
res os desembargadores Almeida Santos e Pires
FerreiraForam recebidos os embargos, contra
o voto do Relator.
PASSAGENS
Do desembargador Pires Ferreira ao desem-
bargador Monten o de Andrade :
Appellac&o civel
Do Conde Appellaote D. Maria Constanca
Freir Mariz, appellado Pedro Correia d3 Amo-
rim.
Do desembargador Monteiro de Andrade ao
desembargador Al ves Ribeiro :
Appellacao crime
De Kom Conseloo Appellaote Antonio Ferrei-
ra de Medeiros, appellada a justica.
O desembargador Pires Goncalves, como pro-
curador da Soberana Nacional e promotor da
justica, den parecer nos seguales feitos:
ApiiellacOes enmes
Da Parabyba Appellante o juizo, appellado
elippe Nery Santiago.
Da EscadaAppellante o juizo, appellado Jo-
s Pedro da Silva.
De G tranbuns Appell inte o juizo, appellado
Joo Ferreira do Nascimento.
De Maragogy Appellante Minerviuo Cuoha do
Nascimeoto, appellada a justica.
Appellacao civel
Do Reeife Appelianies Antonio Jos Pereira
e seu Albo, appellados Fernando da Costa & L.
Do desembargador Tavares de Vasconcellos
ao desembargador Oliveira Andrade:
Appellacao crime
Da Parahyba Appellante o juizo, appellado
Jos Pedro da Silva.
Do desembargador Oliveira Andrade ao des-
embargador Martins Pereira :
AppellacOes crirnes
Da Parahyba Appellante o juizo, appellado
Antonio Leonor.
De Atalaia Appellante Antooio Cabello do
Nascimeoto, appellada a justica.
De Timbado a Appellaote o juizo, appellado
Anselmo Das Correia.
Da ParahybaAppellaote o promotor publico,
appellado Joo Tertuliano da Silva Pinto.
Appellacao civel
Do ReeifeAppellante Jeronymo Barreiros de
Moraes Raogel, appellado o Baro de Frexeiras.
Do desembargador Almeida Santos ao desem-
bargador Detono Cavalcante.
Appellacao crime
De CamaragibeApp- liante o juizo, appellado
Manoel Torres do Nascimeoto.
Appellacao civel
Do Reeife Appellante o juizo dos feitos da
fazeoda, appellados Manoel Figueira de Faria
& Filaos.
Do desembargador Deltino Cavalcante ao des-
embargador Pires Ferreira :
Appellacao crime
Do Cabo Appellante o juizo, appellado Jos
de Saol'Anoa.
DILIGENCIAS
Com vista ao desembargador promotor da jas-
tica :
AppellacOes crirnes
Do BrejoAppellaote ojmzo, appellado Fran-
cisco Barbosa de Oliveira
Do IngaAppellante o promotor publico, ap-
pellado Aatooio Francisco de Vasconcellos.
Do Cabo -Appellante o juizo, appellada Cae
tao Jos da Si: va.
Encerrou-se a sessao 1 hora e 1/4 da tarde.
IMKACOES 8TEIS
Medico
Dr. Matheus Vaz, medico,
rio : ra do Imperador n 42,
MPOCO DETDO
oos. solteiro, Saata gueda, varilas.
Fru cisco das Chavas, Peroambuco, 20 aooos,
solteiro, Saota Agaeda, vanlas.
Francisca Mana do Espinto-Saoto, Peroam
buco. 36 anuos Boa Vista, broebue aguda.
Honor o de Alhuquerque Maranho, Peroam
buco, 37 annos, casado, Graca, gastro entente.
M.ooel Candido de SdOt'Anoa, Parahyba, 26
annos, solteiro, Graca, vanla gangrenosa.
Carolina, Pernamnuco, 38 aooos, solteira. S.
Jos, vanlas.
Rita Maria da Conceico, Peroambuco, 28 aa
nos, S. Jos, varilas.
Maria da Conceico, Peroambuco, 20 annos.
solteira. Saata gueda, varilas.
Maria Rosalina do Espirito Sanio, Pernambu
co, 18 aonos, solteira, Santa gueda, varilas.
Manoel Santino Fraocisco, Pernambuco, 30
anoos, solteiro. Santa gueda, varilas.
CHKGMC1JDDICIR1A
TrilHiual da Kelavu
SESSAO ORDINARIA EM 15 DE JULHO
DE 1890
PRESIDENCIA DO CIDADlO DESEMBARGADO!!
QUINTINO DE MIRANDA
Secretario, o cidado Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costme, presentes os cidadaos
desembargadores em numero legal, foi aberta a
sessao depois de lida e approvada a acta da an-
t icedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
>s seguintes
JDLOASESTOS
Aggravos de petigo
Do Reeife Aggr-vaate Francisco Vctor de
Carvalho, aggravada D. Clelia Augusta Leite.
Relator o desembargador Tavares *e Vascon-
cellos. Adjuntos os desembargadores Martins
Hertirae Almeida Santos:Nao se tomoa conbe
cimento, uuanimeiuente, por jo ser caso de ag
gravo.
D Reeife Aggravaoles Rodo>pbo Pesso aa
Vicente de Paula Uveira Villas Boas, angrava
do Laureotino Pire de Carvalho. Relator o
d. sembartador Oliveira Andrale. Adjuntos os
desembargadores Pires Goncalves e Deltino Ca
valcaiite. Negou-se provimento ao ageravo d-
Rodolpbo Pesaoa e deu se provimeoto ao de
Villas Boas. .
Prorogaco de inventario
Iovenlarlaote Joaquim Lope Ferreira. Em
diligencia.
Appellages enmes
De AtalaiaAppellante o ju.zo, appellados Do
mingos Antonio Rito e Rila Mana da Cuoceico.
Relator o desembarga lor Deltino Cavalcante
Modou se a novo jury, unnimemente.
Do Bou.'to Appellante o juizo, appellado
Francisco Fioriauo. Relator o desembargador
Tavares de Vasconcellos. Reform^u-se a sea
teoca, unnimemente
Da Parabyba Appellante o juizo, appellado
Augelo Rodrigues Pinto. Relator o desembar
gador Delfino" Cavalcante. Maudou se a novo
jury, unnimemente.
Do ReciteAppellante Ivo Celestino de Carva
Iho Noia, appellada a justica. Relator o desem-
bargador Almeida Santos.- Conormoa-se a sen-
tenca, unnimemente.
Da Parahyba Appellante o jnizo, appellado
Mauuel Eduardo Correia de Barros Relator o
desembargador Almeida Santos. ConBrmou-se
a sentenca, unnimemente.
Acerca do jejuador Succi escrevem da Lon-
dres ao Temps:
M Succi, o jejuador, que j coatava a tri-
gsima terceira experiencia, emprebendeu fazer
em L jndres. urna outra que exceder a todas as
pp ceden tes.
Qual seja o fim destes jejuns infinitamente
prolongados, o posso attiogil-o ; porque creio
que, apezar do elixir cui i possesso attribuem a
M. Succi, bem poucas pessoas ensaiariam ticar
quarenla dias sem comer.
Este jejum extraordinario seguido por toda
a scieocia medica, e nao ba duvida, que em 37
das M. Succi .- tem absorvldo agua, sendo
quasi certo que elle ir at ao fim da sua extra va
gante tentativa, s.ha que presentemente elle as
semelha se mais a nm cadver que a um ser
vvente ; saa magresa extraordinaria, tem per
dido triota e duas libras, isto mais do quarto
de seu peso total; mas assevera estar em per
feita saude.
Todava os seus movimeatos sao mu lalos;
tem a vista quasi espantada; nao escreve seno
com evidente diffi uldade: ea leilura tem-se
Ihe toroado impossivel.
Pens que neste officio, penivel por mais de
um titulo, Succi deve lucrar pecuniariamente;
poi8. no aposento em que elle se acba volunta
riamenle prisiooeiro, ba mais de nm mes, rece
be numerosas visitas e veode em grande quaa-
tidade o sea retrato, ornado da propria assigoa-
tora.
No principio de sua abtineacia, Succi nao ex
penmeotava necessidade de comer, e o sustento
que tomavam em saa preseoca os respectivos
guardas, nao excita va Ihe o appeiite.
Hoje, porem, j ao tanto assim ; con fe ssa
que oao Ihe sena cousa indifTerente acbar se em
fr ote de nm bom jantar.
Deve-se att ibuir esta mudanca aos diversos
presentes que Ihe mandam todos os das entre
os quaes sobresane ama escolha de menus de
toda a oatureza, e urna ca xa con ten do um fllet
de boi cerca lo de ceslas e batatas?
Succi visitado e examinado diariamente por
um medico mglez; dous internos e um represen
(ante do coinu da imprensa o vigiain .con-
stantemente e nenhama fraude possivel
Em virtude da lei ingleza, se durante ou de-
pois do jejum, occorres8e urna desgrana, odirec
tor do esiabelecimeolo, oode se pratica a expe
nencia, seria responsavel pela cataslropbe e )ol
gado cnlpado de homicidio com premediclaco.
Das consequi-ncias a que se expuuha, foi offi
ciaimeole prevenido.
Com effeito, o supplicio a que se coademnou
M. Succi, demonstra somente que a abstinencia
negocio de habito, e que a vida humana pode,
sem que se tome alimento, prolongar se muito
mais do qae se suppOe.
Consol to-
1. andar.
Consultas das 1*2 s 2 horas da tarde.
Residencia, roa do Pires o. 27. Encar-
rega-se do tratamento das molestias de
olbos.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en
ontrado do meio dia s 2 boras e fon.
destas horas ra do Bario de S. Borjc
u 22. Espe calidadesmolestia de crian-
9 senhoras e parto. Telephone n. 326
d casa de residencia.
Dr. S Perora, ra da imperatriz n. 8
donsultas medico-cirurgicas todos oa dias
das 8 ao meio da, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Freat Ouimarae, medico, tem
se: consultorio na ra Duque de '.'axias
o 57, l. andar; d consultas nos dias otis
das 11 1 hora da tarde e reside no Ca
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
iico-cirurgica. Especialidades : moler.^ai
julmonarea e partos. Ra do Marques dt
)linda n. 27, 1. andar. Consultas uas 13
is 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa
iella) das 6 s 9 horas da raanhS e t
arde Chamado por escrpto. Telehone n.
392
Dr. Joaquim Louieiro medico e parte
.-o, consultorio roa do Cabug a. 14
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
10 Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,
Pratica a lavagem do tero quando e co
no aconselnada. Consultas das 11 s
S da tarde em sua risidencia ra d,
3om Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.
indar. Telephone n. 389
Lr. Joo Pardoespecialista em par
os, mol es 11 as de senhoras e de criancas,
com pratica nos hospital de Pars e de
Vienna o"Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, ra do BarSo da Victo
ra n. ti i, L. andar, e reside na estrada
dos mictos n. 30, junto estacSo do Es
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n. 467, na residencia.
AdTogados
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonseco
em seu escriptorio de advogado ra dr
Imperador n. 14, 1. andar.
Oecullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos prino
jaes hospitaes e clnica de Pars e Lon
dres, consultas todos os dias das f
orasdao meio-dia. Consultorio e resi
lencia ra Larga do Rosario o. 20.
Dr. Brrelo Sampaio, oceulista, d con
mitas de 1 s 4 horas nj' 1. andar da
asa ra Barao da Victoria n. 51. Resi-
tencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra-
da pela ra da Saudade n. 25.
Drogara
Faria SobrinJio & C, droguista por ate-
sado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi
-.arios de todas as especialidades iharma-
eaticaa, tantas, drogas, producto chimi-
las e medicamentos homeopata! ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
O car leal allemao Hayoal est aftVctado de
dous symptomas muito curiosos a agripnia e a
Cfgueira verbal.
Falla pi-rieitamene urnas poucas de lenguas,
mas perdea a facul ai- mental de 1er e de es-
crever. Apenas pode escrever o sea aome, mas
com o modelo vista.
Um terrivel celibatario obrigado a casar-ae
e do Ihe o direito de escolha entre duas mu
Iheres: urna alu e extraordinariamente gorda,
e a outra baixmha, pequenina e extraordinaria-
mente magnn'ia.
E-oolne elle a ultima, dizeodo :
- Neste genero Je mercadorias, quanto me-
nos melhor T
A maior das massas de ferro meteorico, exis-
tentes em eelabelecimentos scien'ificos, o nos-
so f moso h jlosidero do Beodeg.
Ouira consideravel massa, do peso total de
3.0U0 kilottrammas, dividida em doas fragmea
ios. foi descobrtrta em 18til perto de MelDourne,
ua Australia, e acba se ao musen britannico.
O museo da historia n tu al de Pars possue
u.i sua bellissima collecco de meteoritos um de
780 kilogrammas qne era adorado como dolo no
templo de Charcas do Mxico.
Entre outras grandes mas-as meteoricas, exis-
tentes em vanos sitios, e que nao tm sido trae-
sportadas. corita se una de 15,000 kilsgrammas
em Tucuman da Repblica Argntica.
Em Ovifalk, da Groeandia a margem do mar,
acbou o professor Nordeniskipld massas enor-
mes de ferro nativo, presumidamente de origem
extra terrestre, e lo peso de 10a SO.OOO kilo-
grammas.
POBLICACOES A PEDIDO
Escada, 16 de Julho de
1890
Aos meas collegas e aaalgos
Vivi sempre retrahido das luctas poli-
ticas no tompo da monarchia, nunca votei
nem fui votado. Nunca me pode calar no
ani no a ideia de um governo monarchico,
de ama dynastia imperante perpetua, de
urna familia em fm privilegiada. Minhas
ideas eram, pois, inteiramente democrati-
cas-republicanas nSo no sentido sem limi-
tes em que se manifestam os actuaes co-
rypheus da repblica brasileiraurna re-
publica sem Deusum Estado atheu, sem
religilo : isso nunca me passou tambem
em mente.
No emtanto concentava em mim o ideal
de que um dia havia de baquear o throno,
desapparecer esse governo retrogado para
ser substituido pelo rgimen democrtico,
pelo goveruo republicanoo nico que, ao
meu ver, alado com a religiSo, poda
elevar o nosso caro Brazil ao maior apo-
geu de gloria, constituil-o urna naco pros
pera, grande, civilsada a competir mais
tarde com os nossos conterrneos do
Norte.
Pensar, porm, que essa idade de ouro
j se approzimava de nos nao passava at
ba pouco de urna utopia
paase o governo provisorio ao estado defi-
nitivo, real e solido da Repblica dos Es
tados-Unidos do Brasil e todas aa nc5e8
a reeonhecam e a proclamem
Mas oh que fatahdade ; todo tsm sido:
ao inverso d'isso 1... A religilo perse-
guida descommunalmente ; o povo contris
taduuimo pelas consequenoiaa funestas
dessa separa$ao absoluta da igreja do es
tado ; eatorquida a liberdade da imprensa;
excluidos os sacerdotes de representantes
da Naci Brasileira pela sua ineleyibiUda
de forcada; estincto o enaino religioso das
escolas, e tantos outros males que nos
tem advindo em to pouco tempo do no-
vo rgimentudo nos las crer que vamos
de mal a peior, e que se nle tivermos no
prozimo Congresso Nacional homens ca-
tholicos convictos, de muito criterio e ti-
no, vardadeiros patriotas, nao salvaremos
a Naci do abysmo para que vertiginosa-
mente caminha. Deus se amercie de nos.
Assim me externando segundo me parece
o estado actual das cousas, confio comtu-
do que os amigos e collegas no parochia-
do nao esmorecam ante a lucta que se
nos antolha, ante o pleito eleitoral que ze
vai ferir no dia 15 de Setembro prximo
vindouro. Portento, trabalhemos todos
para que possamos eleger deputados di-
gnos de to elevado mandato ; nao tran-
sijamos com os caracteres podres, que
nao tenham a precisa coragem de defen-
der os nossos direitos que sao os meamos
direitos da patria, e... avante!
Concluindo cumpre-me agradecer a todos
aquel!es que por Timban' a, Cruangy, S.
Vicente, Vicencia, Nazarelh e outras co-
marcas Be promptificaran a sufiragar-me
lembrando-se da minh'a humilde individua
lidade para deputedo Constituinte pois
sendo padre e como tal julgado inelegivel
pelo actual governo ou antes pelo direito
da forqa, perderlo os seus votos se me
sufFrrgarem ; votem, pois, em candidatos
de nossa confianca, aceitero o meu cor-
dial agradec ment e aguardemos m el llo-
res tempos.
O vosso patricio e amig >,
Vigano,
Francisco Raymundo da Cunha Pedrosa.
Aos agricultores
O juiz de direito Joao Baptista Gitirana Costa,
teodo contrahielo diversos emprestranos mu
Banco do Brazil para agricultores d'este Estado,
da Parabyba e Rio Bn nde do Norte, catttbB.1
enearregar se d'esse trabalho, adiantaodo as <>x-
pesas necessarias, mediante mdica retribai-
ao.
P le ser procurado B'sta cidade, roa do Barao
de S. Borja antiga do Sebo) n. 48.
Reeife, 3 de Julho de 1890.
Agradecimento
O abaixo assigaado, teodo, por motivos de
mais reodosa collocac&o, pedido exoneracao do
cargo ae continuo da matriz da Boa-Vista, lugar
que exerceu por espago de dous annos e meio,
vem por meio do preseote testemuohar a sua un -
morredoora gratido ao Revm. vigano padre
Aogoslo Franklin Moreira da Silva e a todos os
irmaos da veneravef iru.andade do Saatissimo
Sacramento daquella freguezia palas inequivo
cas provas de cuniiauci e coosideraco com que
i inmerecidamente o disiiaguiram durante o tem-
po qae i steve aos seus servicos e a todos, sem
excrpjao, offerece os seos diminutos prestimos
em quatquer logar onde a sorte conduzir.
Reeife, 30 de Junbo de 1890.
Mananto Marques Ferreira.
A'S YIGTIMAS DAS FEBBKS
O Elixir anCI-rebrU Cardwao, apprc-
vado em SI de Margo deste anno pela Inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem boje
apresentar-ae humanidade soffredor do man-
do ioteiro, como taboa de salvaco qae ao iofe-
liz naufrago Ihe enviada por mo omnipotenlel
O Elixir nuil f-toril Cardoao, appli-
cado em moitissimos casos de febres, tem, come
eor milagre, levantado do lelto da dora compte-
top moribundos.
Brste remedio, composto sbmenle de vegetaes
E inteiramente iooffeosivo, anda mesmo na mas
mimosa e teora crisBca.
As senhoras, oo estado de paridas, oo no'pe-
i odo de incommodos naturaes, podem usa '
sm receio algnm.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Sil?
& C, ra Mrquez de Oliadi n. 23.
Pharmacia Martins, a roa Duque de Caras
n 88.
Pharmacia Oriental, rna Estreita do Rosario
o. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Barao da.
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatriz
o 49.
Para qualquer expcacSo podem dirigir-se ao
autor Manoel Cardoso Jnior, ra Estreita da
Rosario n. 17.
Dos innmeros attestados qae temos, damos
em seguida principio a saa publicado; e isto
bastara para que sejam condecidas as virtades
do Elixir anti febril Cardoso.
Attestados
Scieniicamos ao respeitavel publico quealot
dos attestados a que
foram curados cento
loaos.
Pedimos aos incrdulos para irem examinar
os tratados pelo Elixir anti febril.
damos publicidade boje,
e oitenta e cinco vano-
Coovidam se todos os membros do Instituto
dos Advogados do Reeife, de ordem do respecti-
vo presidente, para orna reunio que dever ter
lugar no dia 18 do corrente, s 3 horas da tarde
a ra 15 de Novembro n. 71,1 andar.
Nessa reunio deve tratar-se de negocio de
mximo interesse para o mesmo Instituto ; e.
por isso, pede se o comparecimento de lodos.
de urna illuso
tal era, o ostedo de" abatimento moral,
de servilismo e baixezas a que em geral
nos levou a monarchia, e portento, nunca
pensei que osse para os nossos dias a
realidade desse sonho dourado de maitos
que como eu a differia para, quando me-
nos, uiu meio seculo alm. No entretan-
to (cousa iucrivel!) inopinadamente sur-
ge a gloriosa revoluclo militar de 15 de
Novembro de 1889, e em consequencia
desse grande aconteoimento baqueia o
velh governo monarchico e substituido
pelo rgimen reoublicano...
Est salvo o Brazil disse eu ao saber
pela primeira vez, to estupenda quanto
gloriosa noticia e accrescentei commigo :
Sim, nao ha duvida: o general Deodo-
ro conhece perfeitemente o solo em que
pisa, brasileiro, e baste. O seu primei-
ro alvitre, urna vez organisado o governo
provisorio, soccorrer-se ao Episcopado
brasileiro, CDnvidal-o para auxilial-o com
o seu grande prestigio a consolidar a re-
cente repblica, a fazer comprehender ao
povo que deve aceitar o novo rgimen, de
boa vontade, sem a menor opposiclo, es-
plicando-lhe que tudo agora ir prosperar
inclusive a religilo dos nosBOS paes in
felizmente tao oepreciada pelo mo gover-
uo traosacto, to abatida entre nos, vili-
pendiada por aquellos mesmos que a de-
viam reapeiter e amala como bons filhos,
bons catholicos. E os bispos, e o clero,
e os verdadeirps catholicoB que sabem e
ensinam nlo ser ineompativel a repblica,
bem entendida, com a religilo; que
a igreja aceite qualquer forma de governo
eomtento que nlo seja contraria a lei de
Deus, aos bons costumea e moral, certa-
medte sef reforcarRo para que am breve
Perda de conhecimento de
deposito
Tendo o abaixo assignado perdido am conhe-
cimento de deposito feito ao thesoaro deste Es-
tado, aa importancia de 400*000, em garanta
da coDservaco da ponte sobre o rio Ipojuca, no
engenhn Caheca de Negro, roga pessoa que o
tiver achado o favor de restitail-o no escripto
rio dos Srs. Souza Pinheiro & C, ra do Bom
Jess o. 7, que ser ratificada.
Reeife, 16 de Juoho de 1890.
Barao de Frexeiras.
Despedida
Seguiodo hoje oo vapor Pernambuco para o
Estado do Cear, alim de tomar conta da comar-
ca de Vigosa, para a qual fui comeado promotor
publico, e oo podendo despedir-me pessoal
mente de todos os amigos e collegas, com qaem
teoho a hoora de entreter relacOes, o faco por
este meio, offerecendi all os meus diminutos
prestimos.
Reeife, 16 de Julho de 1890.
Antonio Augusto Ferreira Lima Jnior.
N.51
Reeife, 14 de Julho de 1890.
Cidado Maooel Cardoso Junior.-Em beneh-
cio da humaoidade soffredor e na quadra epi-
dmica d- varilas que estamos atravessaudo,
levo ao vosso conhecimento para que tornis pu-
blico se assim o julgardes couvenienle, do-tra-
tameuto d* dous casos de varilas pelo vosso
inestimadoElixir anti-febril.
Em flns do mez de Maio prximo passado, foi
um sobrinho meu de 9 annos de idade accom-
mettido de grande febre com dor decabecao
vmitos continuados toda a vez qae alguma cou-
sa engulla, acooselhei o uso do vossoElixir
na dose de 5 gottas em urna colher d'agua de X
em 2 horas e no dia immediato estavam as va-
rilas manifestadas, tendo de ante-mo aesap-
parecido todos os symptomas febris, candoo
doente restabelecido no tim de 14 dias e duran,
te este periodo nao soffreu a mais leve alteracao
a ponto de ser preciso estar de vigilancia por
querer o mesmo sabir do quarto antes da com-
pleta scea das mesmas.
O seguado um homem maior de 30 anuos,
artista, morador no becco douominado Fuado i
ra Visconde de Alhuquerque, de oome Launa-
no Marques de Farias, que teodo no dia 1 de
corrente apparecido com violenta febre, pros'
trajo, dores musculares e cephalalgia com for-
te photopbobia, acooselhei o uso do Elixir, oa
dose de 12 gottas de 2 em 2 horas e a terceira
colher que tomou a febre declioou consideravel-
mente e desappareceu a dor de cabeca, no da
immediato manifestaran se as manchas de va-
rilas e neste caso aconselhei o aso doElixir
na dose de b'O gottas n'um copo com agua e apa-
ta tomar ama colher das de sopa de 3 em 3 ho-
ras, dando se o caso de terem as vesculas ea-
chido e seccado com urna espantosa rapidez sene
mais soffrimento para o pacientj, alm do pruri-
do que sentem na descamarlo, acbando-se este
por sua vez restabelecido.
Deseiando que estes factos cheguem ao co-
nhecimeato do publico, fazei o ueo que vosap-
prouver desta.minba declararlo.
Sou com estima e subida coosideraco.
Vosso admirador, criado e muito obrigado.
Joaquim Coelho.
Festividade do Carmo
No dia 16 do corrente mez de Julho, peas 10
horas e meia da mantiS, ter lugar a grande fes
tividade da Excelsa Virgem do Carmelo, prece
dida de vesperas solemoes s 6 horas e meia da
tarde do dia 15, pregando ao Evangelho da festa
o distincto orador Revd. Zefenno Ferreira Vel-
loso, vigario da freeuezia de Nossa Senhora das
Gracas. ..
No mesmo dia 16 pelas 4 horas da manda
principiar a celebrago de um crescido uumero
de missas, que termioar s 9 horas em pooto.
haveodo commnnho geral para os devotos que
se apresentarem preparados com a confisso sa
cramental, e d'ahi por diante emquaoto durar o
oitavario para gaoharem o jubileu concedido no
indulto do Summo Pontfice Clemente X-
O Te Deum entrar s 7 horas da noile pre-
gaudo o Revd. Sr. Dr. arcediago da Cathedral,
cujo taleutos e dotes oratorios sao reconbecidos.
O Sr. Joo Polycarpo Ro-as, muito coohecido
professor de msica desta cidade, desempeohar
com capricho a grande orchestra, que dirige.
Convento do Carmo do Recite, i2 de Julho de
1890-
Fr Alberto de Santa Augusta C. de Vasconcellos,
Vigano provincial.
O Xarope de Regnauld urna prepara
co de gosto suave e de urna emeacia
patente contra as molestias dos bronchios
e do peito. Seus principios activos sao
tirados das plantes medcinaes que tm
propriedades proprias para alliviar e cu
rar a tosse.
Bastam duas a tres colheres de Xorope
de Regnauld para salmar a tosse de irri-
taclo, das constipaSes, do defluxo epid-
mico, do caterrho, da bronchite, da asth-
ma, etc., sem occasionar perda do appe-
tite. Prepara-se este producto em caBa de
L. Frere, ra Jacob, n. 19, em Pars. A'
venda em todas as pharmacias de primei-
ra ordem. Com urna instrucco sobre o
medicamento.
Vacinacao
Pao d Albo
0 cidado Alfredo Jansen Goncalves Ferreira
contina a vacinar a todas as pessoas qne o pro-
curaren! para este fim.
N. 52
Reeife. 3 de Julho de 1890.
Sr. Manoel Cardoso Jnior.-Eu, Mana da
Conceico, moradora na ra Augusta, partic pe
a Vmc. que ao dia 10 de Junho adoeceu meu fi-
lho Jos, com bexigae, teodo de idade tres ao-
nos e seis mezes, e por ndicaso d'uma amiga
fiz uso do seu elixir desde os primeiros sympto-
mas at ao completo restabelecimento. Se Vaic
quizer conhecer do caso pessoalmenle, pode vir
ou mandar nossa casa-
A rogo de Maria da Conceigao,
Luiz Juventino Silva.
N. 53
Reeife, 10 de Julbo de 1890.
Sr. Manoel Cardoso Jnior.Presente.Parti-
cipo a Vmc. que no dia 21 de Juoho adoece
minha fllha, de idade de 6 mezes, de bexigas a
que, fazendo uso do seu Elixir anti febril Cardo-
so, a menina em poneos dias flcou perfeitaaiente
Do caso pode Vmc. verificar mandando ou
viodo ra Augusta n. 201, e a bem de nos
todos pode Vmc fazer o uso que Ihe coovier
desta minha participacio.
Carolina Amalia de Alhuquerque.
N. 54
Reeife, 28 de Marco de 1839.
Illm. Sr. Manoel Cardoso Junior.-Caro se-
nbor.Esta tem por fim avisar e agradecer a
Vmc. a seguinte:
Tendo sido accommettida de febre amarella
urna pessoa de minha casa, e tendo empregade
os meios ao meu alcance alim de combater o
mal, e nao tendo obtido resultado satisfactorio,
e vendo que o seu estado era grave, resolv a
pedido de alguem e com autorisaco de um nos*
so facultativo, serv-me do seu pn parado deao-
minado anti febril, do que appliquei tres doses,
conforme a sua prescripSo, que foi o bstanle
para desapparecer immediatamente a febre, fi
codo a pessoa completameote restabelecida.
Nao quero com isto dizer que seja um remedio
infallivel para todos os casos de febre e sim fa-
zer chegar ao conhecimento de Vmc. o faets
observado em minha casa, que jamis poder
ser contestado. ,
Subscrevo-me.De Vmc. admirador e criado,
Antonio Firmino Flores.
N. 55
Reeife, 20 de Agoste de 1888.
Sr. Mauoel Cardoso Jnior.Diante do resul-
tado qae acabo de obter com o seu Elixir anti-
febril, cuupre-me o dever de vi- perante o pu-
blico exo6r o caso:
Accommettido ha dias de ama febre intermit-
iente, recorr a varios facultativos desta capital-
Todos elles me receitaram quiniuo, como
uoico reagente contra a febre. Conhecedor por
experiencia do quanto me nocivo ao estoma '
go tal medicamento, resolv nao fazer oso delle
e recorrer, por iuformagoes de um amigo, ae
sea delicioso preparado, daodo-me em resulta-
do ficar completameote bom com ciaco dses.
Aceite, portauto, os meus protestos de grati-
d5o, pela offerta que delicadamente me fez do
lio maravilhoBO preparado.
De Vmc. criado obrigadissimo,
lustmo Vietra.
Travessa dos Expostos n. 4.
(Estavam sellados e reconhecidos).
Dr. Silva Leal
CLDJICA MEDIC CIBCBOICA
Consultorio e residencia rna do Llvraments
n. 6 !. andar. Consultas das 11 s 3 horas da
Chamados a qualquer ra.por escriptoria-

{-' "
I -
;
i


1 1 .
:


.
-
. r.

}


Diario de Peroambuco-Quarta-feira 16 d Julho de 1890
-*

'.

i

r
I \
!/
Milita attenc,ao
O abaixo assig nado, legitimo cesionario dos
bens dixidospor Jos Cordeiro do Reg Pontos,
fallecido n'esta cidade do Becife, deoaraodo com
un anouncio no Dano de 3 do corrale, offere
ceado d'aqaees beos alguna predios veoda.
previneao commercio e ao publico oeste e dos
mais Estados, que nao facam Iraosaccta alguma
com os bens abaixo declarados, perteucenles ao
mesmo espolio, pois que os tnbunaes do pan
anda nao se proouociaram denitivament'e a
respeito, e por isso estando disrosto a bavel o do
poder de qnem os tiver obtido por qualquer mo
do, faz a presente declaracao para qoe mais lar
de nao se allegue ignorancia ou boa f por qnem
qner qoe seja.
Os bens s4o os seguintes : casa terrea na
Imperial n. 48, dil?. na roa do N'ogueira n. 33,
sobrado no pateo de S. Pedro o. 3, dita na tra
vessa do Carmo n. 12, 7 rmaseos na travessa
da ra Pedro Affonso, amiga da Praia, ns. 2 a
14, am armazem na roa Nova da Praia, antiga
Caes do Ramos, n. 24. u n sobrade da ra Pedro
Affonso, antiga da Praia, n. 57, om armazem na
mesma roa o. 61, om dito na mesma ra n. 63,
om dito na roa Nova da Praia, antigo Caes do
Ramos, n. 42, um dito na mesma ra n. 44. 44
apolices geraes ns. 300 022 a 300.029, 208 914 a
208,915, 248665 a 248,671, 248.672 a 248 676
163,589 a 162.593, 162 594 a 162,598 84,346 I
84.355, 248 663 a 248,664; 24 apolices povin
ciaes, os. 1,885 a 1,888, 1,170 a 1,182, 1.269 i
1,278, 17 accOes do Banco do B-azil, ns. 152.63
a 152.658.
Em tempo, o abaixo assigmdo declara ave:
o mesmo modo todos ss rendiraetitos e os mais
toe at esta data tm sido recebidos pelos pro-
curadores de Antonio Jos Machado, residente
?m Portugal, Maooel Roberto da Costa ou Costa
* Medeiro3, da ra do Amorim n. 39 nesta ci-
dade do Recife, onde tao situados todos os
bens.
Recife, 5 de Abril de 1890.
Jos Soares doAmaral.
Cidade de Pelotas
Atiesto que o Paitara' de Cambar,
preparado pelo Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, un ezcellerite medicamento,
ompregado com muito L> ins resultados n: a
molestias broacho-pulmonares.
Dr. Seraphim J. R. de Araujo.
(A firma est reconbecida.)
l m.i patarra acuelles que |a
deeem di- thyslea
A expcctoraclo de mucosidades, fosse
fatigadora e continuada, pulso precipitado
e pulmSes inflammados, sao sjmptouaas
desfavoraveis, poim nem por isso de veis
desesperar se acaso depositardes toda a
vossa confiaoca no Palmoaico o mais po-
deroso e admiravel entre todos os mais
conhecidos, isto o Peitoral de Anaca
huita. Em milbares d; casos similhan-
Barra Mansa
O Peitoral de Cambar, importante pre-
parado do Illm. Sr. J. A de Sonsa Soares,
de Pelotas, poasue propriedadea balsami
cas pronunciadas, e ezerce influencia be-
nfica em todas as affec3es catarrhaes,
principalmente as do appareho respira
torio e geaito urinario.
As affeccSes catbarraes do larynge, dos
bronchios e da beziga, quando primitivas,
cedem promptamente ao uso reiterado do
Peitoral de Cambar.
As secrecSes muco-purulentas, aympto
maticas da tuberculoso pulmonar, modi-
fican] se vantjosamen^e, tornando mais
desembaracado o campo da liematose pul
monar.
E', portanto, o Peitoral de Cambar,
um heroico msio preventivo e um auxiliar
no tratamento da tysic pulmonar, to
frequente no Rrazil. a
Dr. Urias A. da Silveira,
(A firma est reconhecida. )
H
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balite? da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das enancas, dos orgSos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se aqualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
i ra do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com espcciali-
iado de molestias de senhoras e creanas
Consultorio e residencia ra da impe-
tes, os enfermos se reutabelecer e
ad.
-atriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 a 10 da manhL
Chamados (por escripto) qualquer hc-a
TKLEPHONE N. 226
quirirSo a sua saude.
Usai, della, pois o mnis breve que voa
possivel, ainda mesmo que seja a en-
fermidade j ten ha feito terriveis progres-1
sos; nao tenhaes medo, que j se aehi de-
masiado tardepara usardes deste grande e
impagavel remedio, o restaurador da vida
e daBauda.
Como garanta contra e falsificacSes,
observe se bem que os n unes de Lanman
A Keinp venham astaropadoa en letra:
transparentes no papel do livrinho que
serve de envoltorio a cada garrafa. Ada
se de venda em todas as boticas e dro-
granas.
COMMERCIO
Revista do Mercado
Rkcifk, 15 DE JXLIIO OS 18M).
Honve ponco movimento na praca, constando
algumas transacces no mercado de cammos.
Bolsa
COTAyCKS OFFIC1AE8 DA JUNTA DOS COB-
EKTORK8
Recife, 14 ae Jutho de 18S0
Jbrigaces preercnciaes da compaa de Qaco
e tecidos de Per 'ambuco, valor de 2Q0;i, juros
de 7 0/0, i 2O3A5O0 cada una.
Obrigaces preferenciaes do Derhy Club de Per
nambaeo, valor de 100a, juros de 8 00ao
anno, ao par.
Cambio sobra o Rio de Janeiro, i'> d. v. com 3 8
0/0 de descont.
Cambio sobre Santos, 30 d/v. com 3/4 0,0 de
descont.
Cambio sobre S. Paulo, 30 d v. com 3/i 0/0 de
descont.
Cambio sobre Londres, 90 d,i. 23 1/4 d. por
1*, do banco.
Na Bolsa venderam-se
9 obrigaces prelerenciacs da fabrica de Ta
Co e tecidoi de Pernambuco.
10 ditas ditas do Dcrby CiuK
/ u oresiuenie,
Antonio Leona -do Rodrigues..
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambio
FBA^A DO BECIFE
Os bancos adoplaram a laxa nominal de 2) 14
e as 11 boras offereceram laceara 233,8, adan
do ponco dinbeiro.
Papel particular foi vendido a 23 9/16.
PRACA DO BU) DE JANEIRO
23 1.4 em todos os francos, offereceudo alguns
saccarem a 23 3/8, se apparecesse dinheiro.
Em papel particular bouve negocio a 23 1/2.
Dr. Baslos de Oveira
tem o sea consultorio medico-cirrugico i
ra do Marqu.-z de Olinda, n. 1, 1. an-
dar, onde pode ser procurado todos os
dias uteis das 12 s 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora em sua resi-
dencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephone n. 365.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for
nado pela Universidade de Mar?lana or
atados-Unidos, tem aberto o seu consol
torio, na ra Bar&odo Victoria 18, Io an
dar.
'ons'iltas das 10 s 4 horas da tarde.
CiBKIJi D 1BH '
Elixir sedativo e anti-rheumatico, formula
do pkarmaceutico Hermes de Sonta
Pereira.
SEM MEBCBI0
Approvado pela Inspectora Oeral de
Hygiene
Este poderoso medicamento j bem co
uhecido ha mais de 10 annos e cujoa ma
ravilhosos effeitos tem sido at 'estados por
muitos mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente os bhkma ismos, ekysi
PELAS, SYPHnJS SSCBOFULA8 e todas as
molestias que teem por origem a impuresa
do sangue.
O verdadeiro e mais antigoElixir dt
eabeca de negro o da formula do phar-
maceutico Hermes de Souza Pereira, e
para arastia dos consumidores traz elle
em seus rtulos e envolueros o retrato do
autor.
Vende se a varejo em todas as phar
macias e em atacado na pharmacia Fer
reir, praca de Maciel Pmheiro, n. 19,
(antiga do Conde d'Eu. e na drogariade
Francisco Manoel da Silva & C, ra do
Marque de Olinda, n. 23.
}} Dr.'Mello Gomes [I
Medico operador parteiro u
46Ra do Bar2o da Victoria46 j j
(defbontk da pharmacia pinho) }
Onde tem cotiaultorlo e real- i
Uenci* i podendo sr encontrado e j
recebendo chamados qualquer hora {j
do dia e da noite. f j
Especialidades: partos, febres, moles- t
lias de senhoras e dos pnlmOes, i~"
em peral, cura rpida e completa
races de estreitamentos e mais
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
*
*
A's familias
Ensino de primeiras lettras, por-
tugus, francez e ingles ; pelas
residencias dos alumnos, deitro
da cidade e em seus arrabaldes :
a tratar na ra do Imperador n.
75, 2. andar.

5, moles- i
i, syphilis (
eta e ope- l
lis soltri- <
Dentes
Termina a horrivel dor de dentes usando
o excellente preparado de Msnoel Cardoso
Jnior.
As cartas que lhe tem sido dirigidas
pelos jornaesde m.iorcirculacao, attestam
a efficacia.
Depsitos:
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da
Silva & C, ra do Mrquez de Olinda
n. 23.
Pharmacia Martina, ra Duque de
Caxias n. 88-
Pharmacia Oriental, ra Estreita do
Rosario n. 3.
'lr.-.rmacia Alfredo Ferreira, ra do
Barao da Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Impe
ratriz n. 49,
Tcicphone n. 394
Dr. Joao Rangel
MEDICO
Pode ser procurado para os mistares suade,
prossao a rna do Bom Jess n. 45 1." andar.
Consultasde meio dia at 3 horas da (arde.
Chamadosa qualquer hora do da ou da noite
Telephone a. 160
Leonor Porto
55na Larga do Rosario na- j ,
I mero )
,' SEGUNDO ANDAR Y
i ) Contina a executar os mais djRoeia
l }fii;nriao8 recebidos de Londres, Pariz,< .
()Lis!:ua e Rio de Janeiro. ()
,i Prima em perfeico de costaras, em< j
em brevidade, modicidade em precos e< j
(jnov'Wio- J
Dr. Coelbo Leite
participa a seus clientes e amigos que mudou
sua residencia para a ra Mario da Victoria u.
61. andar, e contina a dar consaltas de 1 As
> as da larde, no seu consultorio, ra Duque
do Caxias n 57.
f i
de r
ri&- j I
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Sctem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25. %
Telephone 287.
EDITAES
Asanear
Os procos uagos ao agricultor, por ift kilos, se-
cundo a Associacao Commercial Afrricola, foram
)3 seuinies:
Urinas..... 37 a 40(.i0
j-anco...... 30ot) a 36'-0
i.menos..... iikH a 270
liiscavado purgado U(KM> a U700
:-i0b..... stame..... 14WW a ItfX
A exportaco feita pela air,todPra neste mez
al o dia li, coostou de 1.378 632 kilos, sendo.
333.150 para o exterior e 945.482 para o inte-
rior.
I TABELLAS AFF1XAPA8
f < o r | 3 5" I E O" o a 13 B "s O g a. EL
* 1 1 ~ t -9
3 *
3 * '
%
v ^* s E.
* * * J >" >
o' S * * <
1 3
* CH , * >t 1 O
. * * M> a*> dai ^ I
Aifi
Mi coatoa vendas
Aexportacio feita pela alfaadega nesle nasa at
e da II, constou de 2.0U0 kilos, puta o interior.
As entradas veriBcads al a dala de boje, so
bea a 1.9*0 saocas, sendo por
tareaca.. T .
Saccaf
Via tarrea a Cmaro.
Via-terrea a S.Fracasa.
Via-ferrea e Lunoeiro
ftomma.
St8
398
78
i8
i 118
i.b?o lacca
As entradas venfiwdas al a dala de seje so-
bem a 5.712 saceos, sendo por
m> cacas .... 3 741 Saceos
Vapores..... ...
\nimaes.... 152
/ia-ferrea de Caruarft. M
/ia-ferrea de S. Francisco. 1526
'ia-lerrea do Limoeiro
Snmnra.
3.712 S cros
Coaros
Couros salgados 3*0 ris, e os verdes i 225
rl
Agurdente
i:ota-se a 96O Alcooi
Cou-se a 183J000 por pipa de 480 litros.
Mel
Cota-ae a 50*000 por pina de 480 lares.
i a uta da Alfandesa
skxaiu di 14 a 19 DE J0LH0 DB 1890
Vide o Diario de 13 de Julho
"Varios 4 descarga
Barca aaeional Marianninha, xarque.
Barca norueguense Flolce, carvao.
Barca alterna Edwards, varios teneros.
Barca nacional Mara Augelma, xarque.
Bar.a Dorueguense Brattlien, carfo.
Barca norue^oense Rmfaxe, carvao.
Brigue Dorueguease Famiiien, carvao.
Escuna alterna Jofaina, xarque.
Lugar naclnnal Loyo, xarque.
Lugar nacisnal Ttgre, xarque.
Lugar norueguense Aqutn, carvao.
Lugar Ingles Sumbean, bacalhao
Patucho Doruegueuse Lagos, xarque.
Pjucho norueaoense HerUc Wergeland, xarque.
Patacho sueco Siri, xarque.
Patacho diaamarqaez Jugor. xerqae.
Patacho nacional Marinho //.xarque.
Patacho bollandes Voowaarts, xarque.
P-tocho bespaobol Ballcser, xarque.
Patacho aotaegutnst!Rabbi, xarque
Patacho nacional Rival xarque.
Inportaeo
Vapor nacional S. Francisco, entrado da Ba : ia
e escala em 13 do corrale e consigoado Com-
.,-panbia Pernambucana, manifesiou :
Cordas 1 lardo a Keen Sulter.
Panno de algodo 25 fardos a Ferreira Irmos,
100 a Silva Guimaries C.
Pipas 88 a los Rodrigues Macieira, 40 a Perei-
ra Pinto A C 40 a Pimo Ferreira C.
Pedras de amolar 200 a Ferreira Gnimaraes
e C.
Prlles 35 fardos a J. H- Boxwell, 21 a Keen
Sulter.
Sabao 110 caixas a ordem.
Tamancos 5 tardos a Ferreira Gnirnares A C.
Brigoe allemao Editk, eatrado de Rolherdam
em 14 do correle e consignado a Livramento
A C. -
Cando de peJra 230 toneladas a ordem.
Vapor nacional Pemambuco, entrado dos por
los do sol em 15 do correle e consignado a Pe
reir Carneiro o. C, manifeston:
Carga do Rio de Janeiro
Arro* l sacco ordem.
Cif 2 saceos a Trjano de Castro Mallo, 50 a
Ferreira Rodrigues A G, 233 a Joaquim Ferreira
de Carvalbo A C, 1200 a Souza Basio, Amorim
dt C, 143 a Domingos C?uz A C.
Cooro3 1 caixao a Domingos J. Ferreira A C.
Cognac 1 caixa ordem.
Cbapoi t caixao a Samarco fcC.il M. J
Fernandes, 1 a Affonso 0:iveira A C, 1 a Adolpho
A Ferrao. 1 a Carvalno lrinos.
Chinellos i caixao a Antoaio Pilro 4 Irmos.
Urogat. 1 caixa a Ferreira Carvalbo A .J
Fumo 5 ve lumes a Castro Lemos A u
Fazendas 1 caixa ordem.
Farinha 1/2 barrica ordem.
Feijo 1 sacco ordem.
Linguas 1 caixa ordem.
Mercadorias diversas 5 caixas a Francisco Ma
noel da Silva A C, 1 a Pereira de Carvalho a C.
2 ordem, 4 ao goveroador.
Oleo i caixa ordem,
bjectos para telegrapho 2 caixas ao ebefe do
telegrapuo.
Panno de algoddo. 11 fardos a Narciso Maia
A C. 16 a Andrade Lopes A C, 127 a Ro-lrigues
Lima A C., 6 a A. Vieira C, 23 a Joaqun
Agostinbo A C 50 a Ferreira & lrmao.-, 10 a
Audrade Haia C, 17 a Machado A Pereira 38
Alves de Biito C, 11 a Agostinbo Santos
A C.
Touoinbo 1 caixa a ordem.
Vinbo 2 barris a Gaspar Palle.
Xarque 106 fardos Viuva Cuaba Genro.
Carga da Babia
Cbarntos e caixao a Sulzer KaufTmaoo A C, 2
a Almeida Machado C.
Fio de algodo G6 saceos a J.o Francisco
Leite.
Mercadorias 3 volnmes a R. de D.-nzina A C.
xpori^c.'a
RSCir, 12 DI JL'LRO DE IH'.'O
rara o exterior
O Dr. Joaquim da Costa Ribeiro juiz de
direito do civel desta cidade do Recife
em virtude da lei, etc
Faco saber aos que o presente edital
virem ou delle noticia tiverem, que por
este meu juizo e cartorio de e.cnvao que
este subscreve cassem os autos de exe-
cuySo de senteosa entre partes exequen-
te Maooel Vicente dos Santos Ferreira e
exectitado Jos Gregorio de S Eatevea
e tendo se ieito penhora em poder do
agente de leilSes, Joaquim Maximiano
Pestaa, da quantia de um cont de ris
em dinh-iro, perteuceotes ao espolio do
finado Jos Simplicio de S Esteves, ao
inventariante Jos Gregorio de S Esteves,
oi a mesma penhora ac.-usada em audien-
cia to dia 5 ^ Julho do correte anno,
choio se ve do requerimento do theor se-
guinte :
Recebedorla do Estado de
Pernaaabuco
Do oa 1 a 12 9:till99
dem de 14 3l>77242
Requerimento.Aos cinco dias do mez
de Julho de mil oito oentos, e noventa, em
audiencia do Dr. juiz de direito do civel
Joaquim da Costa Ribeiro, cqmmigo escri-
v&o abaixo aaaigoado, e ahi presente o
solicitador Francisco da Rocha Passos
Lina, disse que por parte de seu consti-
tuate o exeqaente secusava a penhora feita
em dinheiro do executado pertencente ao
espolio do finado Jos Simplicio de S
Esteves, e requereu qu debaixo de pre
gSo passassem a seis dias a penhora, e dez
dias aos credores incertoa, para allegarem
o que fosse de seus direitos, e que se
passasse os edttaes do estylo. O que foi
deferido pelo juiz, e procedido a preySo
do estylo. Extrahi o presente do proto-
collo das audiencias do que faco este ter-
mo.Eu, Antonio da Costa e S, escrivSo
escrevi.
Termo de penhora.Aos vinte dias do
mez de Junho de mil oito centos e noven
ta, nesta cidade do Recife, estado de rcr-
nambuco, onde foi vindo commigo o offi-
cial do jnizo abaixo assignado, em virtude
do presente mandado retro nos dirigimos
travessa do Corpo -Santo n. 27, a
agente de leilSes Joaquim Maximiano Pes-
taa, e sendo o procedemos a penhora e
apprehens&o da qumtia de um cont de
ris em dinheiro, para pagamento do pedi-
do e custas, que accrescercm no mesme
mandado retrobo qual damos por bem
penhorado a dita quantia, e depositamos
em mil o e poder do mesmo agente de lei-
12o Joaquim Muximiano Pestaa, e como
fiel depositario particular, e que p.ra
tudo constar, lavramos o presente turnio
em que nos assignamos, com o mesmo de
positario particular Joaquim Maximiano
Pestaa.
Eu official, do juizo, Manoel Jos da
Silva, escrevi. *Amancio Jos de Postea
Braga, official do juizo do Recife, 22 de
Junho de 1890.
Certidao.Certficsmi'S nos, tfficiaeB do
juizo, que intimamos ao depositario par-
ticular Joaquim Hasimianti Pestaa, para
nao abrir m&o da dita quantia, que lhe foi
depositada, como fiel depositario particu-
lar, para entregar quando por este jo izo
lhe for pedido o referido, verdada e den
se le. Recife, 22 de Junho de 1890. f
ficial rio juizo, Manoel Jos da Silva
Amancio. Jos de Fontes Braga, official
do juizo.
OertidSo. Certificamos que sendo nesta
cidade do Recif estado de Pernambuco,
citei ao supplicado Jos Gregorio de S
Esteves em aua propria pessoa, para todos
os termos da penQora e seu despacho re-
tro, que ficou bem sciente o referido,
verdade e dou f Recita 2 de Julho-de
1890. Official do juizo, Manoel Jos da
Silva E mais se nSo contmba em aita
certidao aqui copiada, em virtude da
qual o respectivo c_scrivSo fez passar o
presente edita1, peo qual e seu tbeor
charo", cit.j e hei por citados todos os ere
dores incert.is do executado, para nopraso
de dez dias, viren ante este juizo com os
embargos que tiverem, pena de lancamen-
to, a todos mandei passar o presente edi-
tal que ser publicado pela imprensa, e
outro de igual theur, qno ser affixado
nos lugares do custume. Dado e passa
do neste estada de Pcrnambueo aos 5 do
de Julho de 1>9). Subscrevo e
95:8I8641
'
N5o honve exoortacao.
vara 0 vuertor
Na barca nacional Maiianninlia, para Rio
Grande do Sol, carreeou :
R. Pesso, 521 barricas com 55.858 Kilos de
assucar brauco
No vapor nacional Para, para Rio de Ja-
neiro, carrearam :
P. CarneiroAC, 1,020 saccas com 17,083 kilos
de algodo.
No hiate Deus te Guarde, para Araeatv,
carregaram :
A. Coila, 12 garrafOes e 23 caixas com 320
litros de genebra.
A. J. da C. Ramos, 70 saceos com 173 kilos de
fio de algodo.
Na barcaca Jocen Falmira, para Maco,
carregaram
G. de Mallos Irmos, 350 saceos com farinha
de mandioca.
Na barcaca D. Sinh, para Na'al, carre-
gou ;
V. J. da Costa, 30 saceos com 2,250 kilos de
assucar branco e 30 ditos cen 2,250 ditos de dito
msseavado.
No biale Corr Parahybano, para Paraby
ba, carregon :
J. Baptista, 70 caixas com 90 litros de ge-
nebra.
Iteudltueuto* paltlicos
If.c-tv- lraiaage
Do dia 1 a 12 *:6738z4
dem de 14 5084640
2272*464
BAAOO SL-AMERICANO
Este Banco est pagando o seu primeiro divi-
dendo na razo u 2*40W por accao. ou 12 0 0
ao anno, sobre o capital realisado.
Mercado JI11 ni el pal de f. los
O movimento deste mercado no dia 14 de Ju-
lho foi o seguinte:
Entraram :
3t l|2 bois pelando 4,696 kilos.
366 kilos de perae a 20 res 7*320
11 cargas com farinha a 200 rs. 24200
21 ditas de fructas d versas a 300 rs 6iiOO
31 1/2 columnas 600 rs. 18900
95 taboleiros a 300 rs. 1900
8 suinos a 200 rs. 14600
1 escriptorio a 300 rs. 3oo
39 compartimentos com fcrinba a 500 29*3(10
Matriz de Santo Antonio
Tendo terminado no dia 30 de Junho Ando o
prazo de 60 dias murcados aos mteressados
para reclamarem os ossos existentes nesta ma-
triz, cujas caixas ou um. s se achara completa-
men.e estragadas, teado havido um pequeo nu-
mero de reclamacOx, pelo presente scientitico
aos nleressados que esta irmanrtade ja requeren
ao Exm. governo do bispadu par este indicar o N
dentitio que se deve dar a esstw ossos ; portanto
de novo e de codfo'midade com a deliber..caoda
mea regedora sao concedidos mais 10 dias con-
tados da publicaco do presente para todos os
que tiverem interesse na conservacao desses
ossos virem reclama! os, fiados os quaes sero
os ossos nao reclamados inhumados conveniente-
mente, no antitro cemiteno desta matriz, com
aasistncia do Rvdm. .parodio da freguezia.
Conistono, 9 de Julho de 1890.
O escrivao,
Francisco Jos dos Passos Guimares
Indemn'sadora
Esta companbia de seguros est pagando aos
senhores accinalas um dividendo a<-IttOOO
por a. gao, correspondente ao se. eatiL d Janei-
ro a Junho prximo (ind 1, em seirescriptorio
ra do Commercio n. 44._______________^
Banco de Pernam-
buco
Os" senhores accionistas sao convidados a vi-
rem receber do dia 16 do correte em diante o
primeiro dividendo de s as accO's, a razo de
8 O/o ao anno ou U600 por accao relativo ao !
semestre lindo em 30 de Junho. Recife, 8 de
Julho da 1890.
' Jos Adolpho Kodrigues Lima.
\ creiniia da sata Cuna de Mi-
Herlcordia ulugam ae a ecutiite
cavan :
Ras :
Sete de Seterabro n 22 40*030
Viraco o. 19 20*000
RestauracSo n. 23 15*000
Dita n. 27 15000
dem Io andar e loja n. 14 41*666
Amorim 1 andar 11. 23 15*000
Bita 2 andar n. 23 15*000
Uta armazem n. 64 30*000
Vigario Tenorio Io andar n. 25 23*000
iiia 2aodr ,,. 23 20*000
Dita leja n. 27 15*000
hispo Sardioba Io andar n. 11 16*666
i)m'.ngos Ju.- Murtias, terrea n. 16 20*000
Dtan 18 loJOOO
DlU n. 118 16666
Dita l andar n. 132 laOOO"
Dua 2 andar n. 132 13*000
-ompanhia Pernambucana loja n. 30 15*000
Madre de. Deus armazem n. 2 12*500
Burgos, terrea n. 21 14*000
Lap'an 2 14*000
Becco do Abreu 2o andar a. 2 8*000
(uadrn da DeiencSo n. 4 6*000
mez
assigoo.En, Antonio da Costa e S.
Joaquim da Co ta Ribtiro.
_____DECLRACOES
Estrada de Ferro do
Recife a Garuar
De ordem d- cidad o Dr. dir-ctor en
genheiro em che^e, faco publico, para co-
nhecime do dia 2 do correte mes, o transporte,
por esta estrada, de materias explosivas
ou i' fl*mmaveis deixar de ser teito s
quarta9-teirae, passando a faaer-se a se-
gundas e sextas.
Secretnria do Prolongament > da Estra-
da de Ferro do Recife ao S. Francisco e
Estrada de Ferro do Recife a Caruar, em
15 de Julho de 1890.
O secretario,
Victaano P Ribeiro de Soiizi.
Companhia Trilhos Urba-
nos do Recife a Olinda e
Beber ibe.
iHrldendo
Nos dias 11, 12 e 15 do corrente mea
paga se no escriptorio da Companhia o 31
dividendo ao Srs. accin.stas.das 10 horas
ao meio dia razao de 8 [0; e se conti-
nuar a pagar os juros das obrga<,5es, que
devero para isso ser exhibidas.
Oepoia deses dia3 sero os pagamentos
s tercas e sabbados, que b3o forem dias
santificados.
Escriptorio do gerente, 9 de Julho de
1890.
Antonio Pereira Simoes.
....
Paga
relativo
por cadaJ
por es
reir
p uueiro
Banco do Brasil
di vi
o dividen-Jo das aeces deste Raneo,
serriesiie tiwJo, .na razSo de 10*00<>
' aas nniig-as aceSes, e na de 3*000
to? nova, no escriptorio de Pe-
C, a ra do Commereio n. 6,
r.
W
>o ditos de comida? a 50o rs.
93 ditos de legumes e fazendas a
400 rs.
lo ditos oe suidos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
3 ditos de camaroes a 200 rs.
3 talaos a 2*
Rendimento de i a 12 do Crreme
Juizo dosFeitos daFazenda
Nacional
E*crivio Hugo Barro
Perante o Sr. Dr. juiz suoslituto dos Feitos da
1 oOO Fazenda, Benicio rielson Tavares da Cuuha Mello
7*0oo
13*000
37*200
lj!*'
3*4-0
226,5220
3.1164300
Senda eral
Do dia 1 a 12
dem da 14
MBZ Da JI'luo
Alfandega
157:170*741
14:089*034
Renda do Estado de Pernamhuc-o
Do dia 1 a il 30380*632
dem de 14 6:444*496
171JS9775
Somma total
36.82 j* 128
208:C8i*903
Segunda aeccao da Alfandega dePornamnuco,
14 de Julho de 1890
O tneaoureiroFlorencio Domingues.
O ebefe da seccao. J. da Fonseca.
Precos do dia :
Carne verde de 240 a 480 ris o kilo
Suinos de 560 a 640 ris idem.
Carneiro de 640 a 800 dem,
i-arinha de 500 a 600 ris a ena,
Milho de 36u a 440 ris dem.
Feijo de 1* a 1*200 idem.
novlmento do porto
Naviot entrados no dia 15
Rio de Janeiro e escala5 dias, vapor nacional
Pernambuco, de 1,999 toneladas, comman-
dante Antonio Ferreira da Silva, equipagem
60. carga varios gneros; a Pereira Carneiro
*C.
Babia e es:a a 8 dias, vapor nacional S.
Francisco. de982 toneladas, commandante
Francisco Raymundo de Carvalho, equipagem
30. carga varios gneros ; a Companhia Per-
nambucana.
Observaqao ,
Nao houve sabidas. .
Vapores 11 enerar
HEZ DE JOLHO
Sul%.......... Ville de Cear..... 16
Sol........... P- do Grao Par... 16
Europa...... VtiledePernambuct. 16
Europa....... Buenos-Ayres...... 16
Europa....... Galicia............ 17
Europa..... Thatnes........... 17
Sul..... :.... La PlaU.......... 20
Sul.......... Allumc*.......... 21
Sorte........ Afaance.......... J8
Vaporea a sahlr
MEZ DE JL'LHO
Norte.......Pernambuco....... 16 as ol
Havre e ese Vle Ae Cear...... 16 aa O h.
Santos e esc.. Ville de Pernambuco. 16 as 4 ti.
Bueoos-Ayrcs. Thatnes........... 17 as 11 h
Lverpool.....Galicia............ 17 as 11 b
Santos e esc Buenos-Ayres. ..... 17 as 5 b.
Sonlhampton. LaPlata......... 20 as 11 h.
Xew-York Allianca.......... 22 as ib.
Sul.......... Adcance.......... 29 as 4 a.'
.-e vender em praca pibhca, no dia 18 do cor-
rente mez, pelas 11 boras da manba, dupois da
audiencia, os bens seguintes :
Um core de ferro, prova de fogo, do aulor
_______Broufe, qu* se acba no estabelpcimeme n. 24. no
3.342*520 Largo do M:rcado ae S. Jos, avallado em 6>,
pertencente a Antoaio de Paulo Botelho.
U'i> cario fechado de q atro rodas n. 82i que
seacha u 1 rna do Cooseibeiro Peretti n. 60, ava-
hado em 600*. pertencente a Jicintho de Soaza
Muniz.
l'iua arni::c;V' de amarcllo tnvernisada e envi-
nia/jUa, uuj batean de lampo de pedra marmore
e qatro caixOes par* deposito, tudo pelo preco
ae- 6W800, oertencenles a Jas Francisco 1-01U
res, sendo todos os bens vendidos para paga
ment da Fazenda Nacional e custas.
Recife, 15 de Juilio de 1890.
O solicitador.
Luis Machado Botelho.
Correio geral
Malas a expedir-se hoje
e\o vapor braslleiro Pernambuco, esta admi-
ntstracio expede malas para os porto do norte
recebendo impressos e objectos a registrar al
as 2 boras da urde e cartas ordinarias at 3 ou
at a entrega das malas com porte duplo.
idmioistraco fdos Correios de Pernambuco,
16 de Julho de 1890.
O administrador,
Affonso do Reg Barros,
Costuras do Arsenal
de Guerra
As costbroiras de ns. 381 a 417 deTem compj
recer amanha.
Empresa da estrada de
ferro do Ribeiro
Bonito
Emiltd accoeu a preco integral, 100* cada
orna, vencendo juros de C 0/0 ao anno, garanti-
dos pelo governo geral. Escriptorio n. 74, 9
ra Duque fe Caixas.
Prolongament o da Estrada
de Ferro do Recife ao S.
Francisco e Estrada de
Ferro do Recife a Caruaru
De ordem do cidado Dr. director
engenbeiro em chefe, faco publico que,
at o dia 21 do correte, ao meio dia,
recebem se propostas em- carta fechada,
no escriptorio da administracSo central
destas estradas para o fornecimento dos
artigos abaixo mencionados no semestre
de Julho a Dezembro do corrente anno,
de conformidadd com as especifcac5es
existentes nesta secretaria e que podero
ser examinadas pelo interessados.
Artigo
Azeite de coco, litro.
Estopa inglesa de algodo, kilo.
Oraxa artificial, kilo. s
Dita do Rio Grande, kilo.
Oleo de mocot, litro.
Dito de mamona, litro.
Secretaria do Prolongamento da Es-
trada de Ferro do Recife ao SSo Fran-
cisco e Estrada de Ferro do Recife a
Caruar, em 10 de Julho de 1890.
O oecretario,
Victaliano P. Ribeiro de Souza.
Sociedade Refinaria e Disti-
Jacao de Pernambuco
Sao convidados os senhores accionistas a rea-
lisarem a^oitava entrada de 10 0,0, equivalente
a 20*000 por accao, at o dia 16 do correntc-
mez, de accordo cora os arts. 8.* e 9." dos esta-
tutos, no escripUrio do Exm. Sr. thesoureiro
Baro de Petrolina, entrada pela ra do Torres
n. 48, I* andar.
Recife, 1- de Julho de 1830.0 presidente,
Joo Fernandes v a.
Veneravel
Ordem 3.a de N. S. do Carmo
do Recife
Convido, de ordem do carissimo irmo prior,
a todos os canssimos irmos desta veneravel
ordem, para comparecerem nos dias 15, pelas 6 *
horas da larde, e 16, pelas 10 horas da manh, e
a noite s 7 ; atiai de assistirmo os actos so-
lemnes da frta cfanossa Hai Saotissima Virgem
do Monte do Carino, os quaes tero lugar no
respectivo convento.
Secretaria oa veneravel ordem 3.a de N. S. do
Carmo do Recite, i de Julho de 1890.
O secretario,
Joao 6oncalve9 dos Santos Jnnior.
8.R.J.
Sociedade Recreativa Ju-
ventu.de
Baile em solemnisacao ao 26* aniversario da
installscao desta sociedade e 3.* da de na
danda musical.
Convites nesta secretaria; alista em mao do
Ihesoureiro ou neila secretaria.
Secretara da Sociedade Recreativa Jnventnde
11 de Julho de 1890. 01 Secretario,
U. J. BaptisU.


<:l

*
.


/\


Diario de PemambucoQuarta-fera 16 o*e Julho de 1890
)
4
I
\
Santa Gasa de Misericordia
do Recife
As ama3 que se ach im incumbidas da criaco
dos expostos. devi-io coioptaecer coco eiles no
aalao do respectivo esiobeledaseolo, oo clia 17
do correle mes pelas 8 horas da nianb, afim
de receberem as ui^nsalida : em 30oeJucln ultjuio.
Secretaria da S^ota Can ds Misericordia do
Recife, i de Julho de 1890O ecr.vto,
P. Rudiigues de Souza
Club Esgrima
Sesso para prestatao de eoBtas. no da 17, s
horas da tarde, ra do Rosar.o da Boa-Vista
n. 36. Nessa occas:ao se far o 1- dividendo,
na razao de 25 por ceoto.
Recife, 14 de Jullio de 1890.
O Ibesourcim.
Caldat Paddka.
TIMO SANTA IS1BSL
Grande Comp.nhia de Opera-Conic, Op retas eMgicas do
THEATRO SANT'ANNA DA
CAPITAL FEDERAL
IsUU 90aB7;ST SELLES
S
B
ida;
em
anco do Brasil
Pelo presente sao convidado* os enhcres ac-
cionistas deste banco a realisan ai no escriptorio
dePereira Carnelro 4 C, arta (o Cornmerao
n. 6 1 andar, do lia < a 23 de nlrio prximo,
40 0/0 de entrada ou 20 jOOd por acco da nova
-jnis.-o. Sessa OOBaslM s;ra facultado qut lies
que quizerera entrar cea mais oO.O ou 405000
por a--cao. reahsando assuu 30 01) do capital.
Recife. 16 deJunbo de 1890._______________
Concursos de 1.a e 2.- en-
trrtela
Deordemdo Dr inspector, fajo pu-
blico que, no di 1 de Outubro prximo
vindouro, proceder-es ha nesta thesoura-
ria a concursos de 1.* e 2 a entrais, os
ouaes sero regulados pelo Decreto i. 10
e 349 de 14 de Setembro de :889, que
diapSe o seguinte:
Art. 2.
As materias d;> concurso para os lu
gares de primeira entrancia sero:
Grammatica da hngua nacional (irtho-
graphia, analyse e reduccSc);
Grammatica das nguas, francaza e in-
glesa (leitura, tradac$ao c anarjse);
Arithmetica e suus kppeacSea ao com
raercio e s repartieres de Fazenda ;
Algebra at as equacu.s do 2. grao ;
EscripturacSo mercantil por partid
dobradas. >
Art. 3.
As materias do concurso par os
pregos de segn'a en-rancia Serao :
LegislacSo de r'azenda ;
Pratica de repartido.
O exime so lai, baivo a hypotbesc
do art. 28, por um queationar o que ser
publicado pelo Thesour.
Art. 4.
Os candidatos a emprego de primeira
entrancia, que quizcreui gosar vanta
gem indicada no art 45 na consodayao
das leis das altandegas, deverao prestar
tambem prova plrna de que snbcm :
1. Falar correctamente pelo menos as
raguas francesa e ingleza;
2." Stereometria, a eomelria, tbeoria e
pratica dos methodos e uso dos instru-
mentos modernos de arqueayo d^ navios.
Art. 10
Pa:a que sejam admittidos ao exame
de primeira outrancia, os c-ndiat's pro
varad persntc a coromissao :
1. Que tcem mais de dezoito e menos
de 25 anos de idade ;
2. Que sao de bom procedimento
Do mesnifl mi.do, p^ra a inscripcao
ao concurso de segunda cntranci-, os can
didatoa deverSo aprcscnt&r corumissao :
1. Certid.Yj das notas i^ue tiverem no
ponto de aua lepartlcao;
2 Attesudp do couipatante ebefe so-
bre a sua aptidao para o aervi^o publico.
Art. 28
Os setuaes em pregadas ,Je primeira
entrancia nao podero ser Horneados para
lugares de segunda sem dar prova piona
de que sabem, nao s a pntica da repar
ti cao em que servirem, mais tambem as
materias designadas no art. 2.".
< Os que nao se habilitarem dentro de
dous annos contados da data de-te Decre-
to, conaiderar-ae bao desligado* do ser
vi50 da Fazenda.
Como se v, sero admittidos ao refe-
rido concurso de primeira entrancia nao
s oa actuaes empregados qus anda nao
tenham se habilitado de conformidade com
o rgimen estab-lecido p^lo ultimo Regu
lamento, cima referido e cjs dispusi-
eres vo em paite transcr.pta?, como
tambem os cidaiaoa q'Je pretenderem em-
pregos de primeira entrancia.
Qaanto ao que; ultima parte do ar:. 3.-, deve elle constar
das instruccSes que de aceoroo com o que
'oi declarado pelo Sr. ministro da Fazen-
da em telegramwa ram expedidas em -S de Junbo prximo
nodo e brevemente serao enviadas a este
Estado.
Thesouraria de Fazenda do Estado de
Pernambuco, 7 deJulI de l1-'.1'.
O secretario d junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna.
Nao tendo chegado hontem at s 3 horas da Urde o vapor Ville de Pernam-
buco, em que esta companhia dever seguir para o Estado da Bahia, resolveu a em-
prera atm de acquiescer a muitoa pedidos dar
HOJE Quarta-feira, 16 de Julho de 1890 HOJE
Em recita de despedida
A popularisaima opera-comica em 3 actos e 4 quadros, e que maior succeaso
tem feito em todos os theatroB do Brasil, msica do celebre maestro Supp
D. JUANITA
?2HS0ITAI2N3
Xondon & Brasilian Bank
Limited
Ra lo Commercio n. 32
Sacea por todos oa vapores sobre as ea\-
v ou do mesmo banco em Portugal sende
*um Lisboa ra dos Capelistaa g. 73." Nc
-?orto, roa dos Jnglezes.
aiiV.'x
JABINOS CONTRA FOGO
C<^paahia Phcnix l*cr
ibncaaa
RA DO C0MMEHC10 N.
46
SEGURO 0MB\F0i0
Royal Insurance Corapan^
de Liverpool
CAPITAL i .OO:M>
AGBHTE8
R. Drusina &. C.
13-Rna Haraaez e Ofiada-13
AGEMTE8___________
SEGUROS
CONTRA FOGO
He Liverpool k Uodoo iobc
tticss?, iud8aV &:.
Roa do Conuaerciu c.
D. Piimponio (alcaide; .
Mir Do^glas (coronel inglez) .
Gostao (capit^o do exercito francs).
I-). Rugo (escrivSo).
Gil Poio (hospedeiro)
Lausac (coronel io exercito francez).
Renato (moleiro) ....
Pedrita (irmao de Gil Polo)
D. O'ympia (raulher do alcaide)
IJu jjudante (inglez)
1." cstudante .
2. do.....
3." dito.....
4. dito ....
Un picador .....
Uro aguadeiro ....
' peregrino ....
2 o idem
Sr. Peixoto
Sr. Manos
Mllc. Massart
Sr. Colas
Sr. NxSi-reth
Sr. Leal
Mlle. Lopiccolo
Ml.e. Blanche
D. Isabel Porto
Sr. Barros
D. Mathilde
D. Virginia.
D. Leonor
D> Eugenia
8r. Andr
Sr. Mesquita
Sr. Pecci
Sr. Esperanza
i
Uid crisdo .....
Soldadas ingtezes, ditos fraiscezes, patriotas hespaahoes, estuaantes, peregri-
nos, fidalgos hospanhoes, banda s msica do exercito trances povo, etc.
E>ciia- 7DS AccSo na cidade de S. Sebastiao, na Hespanha.
Scentrios, vestuarios e adrelos novos e
riquissimos
IS-EX-tCENE DO ARTISTA
HELLER
Pelo Vasques
A sua despedida artstica, exhibindo o interessante monologo
DO OUTRO LADO
A's 8 l/t horas.
A empreza, summamente lisongaada com o bello acolhimento que lhe dispen-
saram o publico, a imprensa e o j-overno de Pernambuco, durante a sua estada n'esta
capital, veru penhpradissima agradecer a3 recordacJJes saudosas que leva d'esta IIbs-
trada e hspraleira trra.
Oimpanlisa de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Alves i
o
X. 1Ba do Bom JeinsX. *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES {
.Vestes ulliaios sennos a nica companlm \
i asta praca que. concede aos Srs. segurados semp
5o de pagamento de premio em cada stimo
nno, o que equivale ao descont annnal de cer-
z de 15 por ceuto em favor dos segurados
SEGIROS COMBA FOGO
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXAS
Prompto pagamento de prejuizos
SEM DESCONT
A COHPAUIA
IMPERIAL
iu: I OMHlliS
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rs. 10,000:000AOOO
AGENTES BROWNS & C
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 5
nmpanljia %t %e%axos
soniu r:::
HOETHERN
le Londres e Aberdaen
'o65o Bnaocera (Dezembro de 1887j
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.421,000
Rcecila aoanal :
De premios contra fogo 607,000
De urerr.ios sobre vidas 197,000
De 'uros 143,000
O AGESTE,
John H.Boxindl.
IM2 EMISADORA
CoBipanbia de Segaros
MARTIMOS E TERRE3TRF
Eaiabelecida em l*55
listado Uanncelro em 31 de De-
zembro de is.
Captol 1,000:0001000
Fund de reserva 110:376^000
Siaistros pagos 1,776:683*000)
44Rna do Commerc'"44
COMPANHIA PBSAMBICAX*
DE
iaTegaeo costeira per vapor
POR.IOS DO SUL
Sacei, Penedo, Aracaju e Bahia
O vapor Jaboato
Comms-.ndante Joao da Silva Pereira
Segu no dia 21 de Julho a.-
5 horas da tarde. Recebe car
ga at o dia 23.
Encommendas, passagens e dinheiros frete
t as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
4o Cae da Companhia Pemambucana
n. 12
Royal
Packe:
Mail Steam
Company
O vapor Thames
."^Lfew Espcra-se da Europa ateo dia 17 dt
SlJulbo, seguindo depois da demo
^^^"raindispensavel para
Babia, Rio de Janeiro, Monte-
video e Ruenos-Ayres
Para passagens, frete i e encommeadas trata
se com os AGENTES.
O vapor La Plata
E' euperado do snl no dia 20 de Ju-
lho seguindo depois da demora ne-
cessaria para
Lisboa, Vigo e Santhampton
Reduccao de passagens
Ida Idaevoltu
.V Lisboa I* classe '* 20 30
A'SonthamptoQi'cias&e 28 t 42
Camarotes reservados pa a os passageiros dt
Pernambcco.
ParapassageE?, frates, encoimnendaa. trata-et
so nos
AGENTES
A liiorim lrmos & C.
N, 3Ra do Bon JeauaN. 3
MARiTIIOS
Lisboa e Porto
Palhabote portuguez Pires 1
Pretende em breve carregar para os
porto*) adma ditos; a tratar com os con-
signatarios Amocim Irmaos C. A
COHPAMBU r'KakMAJUta.a/'AfllA
DE
Vavegacao costeira por vapor
POUTOS DO NORTE
P wuhyba, Satal, Maceo, Motxur, Ataca-
ty e Cear
O.vapor S.Francisco
Commandanj Carvalho
ti.-^-ue no dia 21 de Julho as 5
hera? da tarde. Recebe carga at o
dia 10
m
Scomxrndas, passagens e dinheiro a frete
.: 8 3 horas da urde do dia 11.
ESCRIPTORIO
A.j Cm a Companhia Pemambueanu
ti. 12
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAQELLAN UNE
Paquete Sorata
Espera-se da Europa at o dia
27 de Julho e seguir de-
pois da demora do costme para
Valparaso com escala por
Bahia. Rio de Jrmeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encmmendas e di
tteiro a freic: trat-se com os
AGENTES
Wilsofl, Soes i C, Limited ""
14RA DO COMMERCIO14
Jompanhia Bahia na de Na-
vega Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
O VAPOR
Principe do Gao-Para
Commandante Lacerda
Seguir para o
portos cima
- indicados no dia
18 do corrente s
horas da tarde.
ParaTcarga, passagens, encmmendas e dinhe
r j a frete trata-st com o
AGENTE
Pedro Osoriode Cerqueira
17Ra 4o Vigf-io-1?
Jnited States and Brazii
M. S. S. C.
O vapor Allian^a
E' esperado dos portos o
sul al o dia 21 de Julho
o qual depois da de
mora necessana seguir:
para o
Naranhio, f*ar, Barbados, A
Thoraaz. Hartlnique e .\ew-
Vork.
Para passagens carga, encmmendas e di
ieiro a frete:. trata-ss com os AGENTES.
Ovapor Advanee
E' esperado de. NewYora
at o dia 28 de Julbc
o qual depois da de
mora necessaria seguir
para a
Babia, Rio de Janeiro e Santo
'ara carga, passagens, encomraendaa e di
ibeiro a frete : trata-se AGENTES
Hnry Forster & C.
8Ra d/> Gtwuucm8
1* andar
Leilo
Lioyd Brasileiro
POliTOS DO SUL
3 vapor Pernambuco
Commandante Antonio Ferreira da Suva
E' esperado dos nortos de su
ate i 16 d Julho c se
guindo dtpor da demora v:
_ ipcnsavel para o portos do or
te ate Mauaub.
As encmmendas s serao recefciias ua agec
:ia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encmmendas, passatrens e vain
res trata-se com o-
AGENTES
Pereira Cameiro & C.
6=*=Rua dn Commercio=x6
1 Andar
SextaMeira, t$ do corrente
A's 11 horas
Ra da Aurora n. 61, 1.* andar
O agente Stepple. competentemente autorisado
levara a leilo os movis pertencentes ao finado
Francisco de Paula Gome/, constando de urna
ion-orlante mobilia estufada, urna dita de jaca-
randa, om piano novo de cauda, 2 cadeiras para
o mesmo, gr^ude quantldade de msicas, as
quaes ainda nao tiveram uso, eantoneiras, estan-
tes, commodas, 1 lustre de 3 bicos. araadellas,
mesa elstica, cadeiras de junco, aparadores,
cama, toil-ite, lavatorio, guarda tonca, gu.rda-
vestldo, marquezoes e muitos ontros objectos que
estaro patentes no acto do leilo.
Ao commercio
Mignel Machado Ramos de Oliveira, prjprie-
tario da fabica Sultana, A ra larga do Rosario
n. IS, participa aos sens amigos e fre^uezes,
que de8ia data ror dianie ser encentrado
Baro da Victoria n. 4, fabrica Tygre; e muiij
especialmente pede aos seus fregueaes de Seri
ohera, Barreiros, Rio Formoso e ontros lugares
onde tcm tido transaccoes. o especial favor de
remetterem os seus ped dos para a mencionada
fabrica Tygre, onde serSo promptamente sa'.is-
feitos.

I
I
Leilo
Da alfaiataria sita ra Duque de Caxias n.
67, constando aa armago de amarello, mesas,
cabides espelhos, bancas, fogoe mais utensilios
e mercadorias como sejam casemiras, pannos,
cories de seda para colletes, fazendas para forros,
boloes, liohas, gravatas, metas coliarinhos e mui-
tos ontros artigos pertenceniesso mesmo esiabe-
lecimento, que serao vendidos em cm ou mais
lotes, vontade dos compradores; garantindo se
a casa ao comprador do estabelecimento ou da
armaco
Seitn-fcira, 18 do corrente
A's 11 horas
O agente Gusmo, autonsado, far leilo da
existente alfaiataria cima mencionada.
ATISOS DIVERSOS^
Alogam se casas caiada e piuladas son a
nos fuds de S. Goncjlo, a 83 ; tratar na ra da
np'ralrz n. 76.
AMAPrecisase de urrn, pira casa defa
mia ; na ra da Palma n. 80.
Vende-e o bem conhecido hotel na travs-
sa do Qneimado, antgo becco do Peixe Frito,
bem afrettuezado ; a tratar no mesmo.
Alnga-fe a loja do sobrado ra do Coro-
nel Suassuna n. 130 por 224000 com agua ; a
tratar na ra da Imperatriz n. 6
COM URGENCIA
Precisa-se de urna boa co-
rsinheira na ra da Soledade
p. 82._________________'
lntureiro
Pra^Sa-se de ora bom tintureiro para diversas :
ores : a tratar na ra da Cruz n. 42.

LEILOES
i leili
Quarta-feira, 16 deve ter logar o leilo de mo-
vis e gneros, na ra N'ova de Santa Rila n. o,
defronte do Mercado.
L.eiio
De urna mobilia de Jacaranda coaiposta de 18
cadeiras de guaruiyo, 4 ditas de bracos, i sof,
2 consolos e 1 mesa redonda com pedra, 1 pia
no, urna cadeira para dito, i estrado para dito
2 quadros, I espelho, 1 candelabro, i jarros para
flores, duas escarradeiras, 2 candieiros jara ke-
rosene, 6 capachos de palba, orna mobilia de
junco completa com encost de palha e tampo
de pedra, urna mesa redonda de Jacaranda com
tampo de pedra, nma jardincira, urna machina
de costura, urna mesinha de Jacaranda com ga
vetas, urna cama franceza de Jacaranda, i guar-
da-vestidos, meia commoda, 2 marquezOes, urna
cama para menino, urna cadeira secreta. 3 cabi-
des de parede, 1 cabide de columnas, 1 lavato
rio, orna m*sa elstica de 4 taboa?, 1 guarda
lobea de amarello envidrando, 2 aparadores tor-
ueados, 6 cadeiras de amarello, ivaparador de
armario, I deposito de Jacaranda para cha, 1
sof, 4 etageres, 4 quadros, urna quartinbeira, 1
relogio, i armario grande, urna escada grande,
loucas prra almoco e jantar, urna linda fructelra
de electro pate, copjs, garrafas, compoteiras
lalheres linos, colheres, garfos de metal fino,
guardanapos .toalhas, diversas qualidades de be-
bidas e muitos outros objectos do uso domestico
de casa de familia.
Quarta-feira, 16 do corrente
A's 11 horas
No Io andar do sobrado ra da Impera-
triz n. 6
0 agente Gusmo, auterisado por urna familia
que m'udou de residencia, far leilo dos objec
lo cima mencionados, os quaes fo'am transfe-
ridos de Parnamerim par o sobrado cima re
ferido.t _____
Leilo
De movis, gneros e quadros
A SABER:
Um importante guarda roupa, 1 linda cama
francea de Jacaranda. 1 candieiro a gaz, i espin-
garda, 1 marquezo. 13o caoastras com albos, 6
saquinhos com cominao e 19 resmas de papel
para embrulbo.
Lindos quadros, jarros para flores, 1 commo-
da, i mesa oval com peora, 1 lavatorio com pe-
dra e outros movis.
duarta felra, i do corrente
A's 11 horas
Agente Pinto
Nova de Santa Rita n. 5, defronte
do Mercado
Ra
Leilo
de urna armaco envernisada e envidracada, l
balanga decimal, i realejo com dol r-jfftiwros, 3
candieiros. 1 quaruheira, i cabide de coluraua
1 fltelro e. 1 j.irro.
Quarta-feira, 1 do corrente
A's 11 heras
20
agente
Na roa da Imperatriz n.
Pelo
Martins
s
Ao correr do martello
Aluga se a sotea da rna do Padre Floriano
n. 69; a loja do becco do Padre n. 10. e a casa
do largo do Paraizo o. 3 ; na ra do Apollo nu
mero 11. ___________
Vende se o importante estabelecimento de
mol hados sito ra Vise u-ie de Albuquerque
n. 54. A razo por qne se vende se dir ao
comprador ; a tratar na rna da Imperatriz n. 88,
ou na Capunga, roa das Pernambucanas n. 38.
Compram-se pa-
t&ces portuguezes,
hespanhoes, 4t\9 etc.;
na ra do Commercio
n. 32; paga-se bem.
Ao commercio
O abaixo assignado, procurador e represen-
tante de sua mi Rosa de Lima Antunes. declara
que vtndeu o estabelecimento de fazendas que
foi de sen fallec do irnio Francisco Joaquim
Antunes, sito a roa do Mrquez de O.inda n. 47,
iivre e desembarazado de qualquer oqus, julga
nada dever, mas se algnem se julgar credor do
fallecido, por qualquer titulo, faca suas redoma-
cOes no praso de 5 das, ra da Madre de
Deua o. 11.
Recife, 2 de Julbo de 1890.
Kor procurajo, Jos ioaqaim Antunes.
Ao commercio
Pedro d'Able & C. avisam que mudaram o seu
armazem para a ra do Bom Jess n. 61.
Pedido
Urna pessoa ebegadu do Rio de Janeiro ha
poacos dias, sabendo hilar e es:rever grammati-
calmen'.e o portuguez e diversas especies de
cuntas, offerece se para caixeiro e escriptorio,
em armazens e trar>i< bes, dan lo atlestado de sua
conducta ; quem pretender : ie dirigir cartas
com as devidas explicares para o escriptorio
desta redaeco com as iniciaes abaixo.
__________ J. S. S.____________
Engommadeira
Precisase de tma engommadeira para casa
de familia, no Paco da Patria n. 5, quinta casa
so sabir da ra ftlirquez do Herval, lado es-
querdo. __________________________
Engenho Universo
Vende-se o engcnlio universo sito na comarca
de Santo Agostinbo do Cabo, distante nma legoa
da estago de Ipojoca, movida a agna e lem
bastantes casas de lavradores, tendo proporgOes
para safrejar de 1,000 a 1 300 pes : quem dese-
ar compral-o dirija se ao Sr. Rotilio Tolenlino
deFigneiredo Lima, na cidade do Cabo, ou ao
engenhc MoUnote, que encontrar com qnern
tratar.

Taverna
.

Veade-se a taverna da ra das Pernambucanas
n. 25-B (Capunga) por o dono estar doente e
precisar retirar se ; a tratar na mesma.
Loja
Aloga se a loja do predio n. 16 ra Duqne
de Caxias (antiga das Cruzas) muilo propria
para deposito de carros de pas-eio, marceneria.
alfaiateria. etc.; a tratar na ra do Imperador
numero 73.___________________________
Casa
Aluga-3e urna boa casa rna Luiz do Reg Q.
33; a tratar no laigo do Pombal n. 1, ou na ra
15 de Novembro n. 45, 1 andar._____________
Precisa-se
de um menino com pratica de taverna ; na ra
Mrquez do H>.rval n. 141._________
Banco para mareeneiro
Compra se nm banco e algunas ferramentas ;
na rna da Madre de Deus n. 5, armazem.
Engommadeira
Precisa se de um- pessoa que lave e engor-
me ; no Caminho Novo n. 9.
Molduras para quadros
ptimo sortimento
Loja de mnsicas ni i Nova n. lo
-


:v

_ta
sbfe-5-.
I
:(
tVlttMpBf
hujiii
'sprl-i
Farelo superior
a 2*200 ; no largo do Mercado n. 12.
Vende-se
a taverna sita rna da Detenco n 20, equina
da travessa do Peixoto ; tratar na mesma.
Leilo
Da bem sortida taverna fu de Mariz e
Barros n. 2
CONSTANDO :
de armago, balco, peso?, medidas, balancas,
carteiras e um magoilico corre prova de fogo e
muilos gneros em perfeito estado de coosar-
vacSo.
Em lotes vontada dos Srs compradores.
Quinta felra, i 7 do corrente
A's 11 horas
0 agente Alfredo Guimaiej, ci"o.petentemente
autorizado, levar a,leilo a referida tavc.na, Ii-
vre e desembarazaia de qualquer onus.
0 baUngo pode ser encontrado no escriptorio
do referido agente, rna do Bom Jess n. 44.
Leilo
De 93 barricas marca P. V. 4 _.. com cimento
avariado d'agua do mar, a bordo da barca norue-
guense Cortes.
Quinta-feira, \7 de Julho
A's 11 horas
No trapiche Visconie L:v-amento, jnnto a
huardamnria
O agente Gusmo, far leilo porecota e risco
de quem pertencer de 9o barricas com cimento
avariado cima declarado.
Leilao
Ao corrtr do martello
exta-fclra. 1 do corrate
A's 11 horas etn ponto
Da armajo de louro com caixilbos envidra-
cados, fiteiros, canteiros, pesos, medidas, gene-
ros, 1 cofre proa de fogo, relogio, 1 batanea
decimal, dirkves de madeira e mais utensilios
da taverna da praca da Concordia n. i.
Garante-ee a casa ao comprador da arma-
co
Na praca da Concoidia n. I
Por intervenco do agente
Martins
lili
Vende-c um muito bom e fino de
lecido de la c .ked.a. proprio para um
rico prsenle ; no i. andar desla ty-
pgraphia, a falhr com o administra^
instituto Emula^o
Para o sexo masculino
49 -Ra da Gloria-49
Rapbae! de Azevedo, com urna longa pratica
de 11 annos deensino, tem aberto sob a denomi
napo cima uro curso especial de nstruego
primaria pjra meninos; espera por isso merecer
a conllanga e protecgo do illustr-.ilo publico e
de todos oj seos compatriotas pernambucanos,
e em particular dos pas ou tutores das enancas
que desejamo real aprovelamento de seus Qlbos
ou tutelados. Dedicando o mximo cuidado para
dar-lhe one:essario desenvolvjraento conse-
guintemenie para elle que hSo do convertir to-
dos os seus esi'orcos e sacrificio, para dar boas
cidadSos que vennam a ser o futuro sustentculo
da patria e da religio, da ternilla, da jusliga e
da libtrd&de, que to o tabernculo de todos os
progressos Admitte igualmente atuoinos inter-
nos e meio pensionistas mediante as seguintes
Meoscltdades pagas adizntadas
Alumnos internos 35*1)00
meio-pensionista 15*000
externo 2#00Q
49Ra da Gloria49
"AVISO"
o&) Pedro de Miranda tem para vender uten-
silios para padar, a cacolher de duas que tem
neste povoado. ^_^_^_____
Boalocalidade
AiUp'a w a grande loja do sobrado da ra da
Crnz (Rente) n. 44, com sabida para a ra da
Sen za Uve ha, propria para alRuma toja de al-
faiate. Darbeiro ou qualquer ofUcioa, e tambem
dous armazens na ra da Senxala velba ns. 54 e
86; a tratar com Velloso, a ra do Pilar n. 38.

i
4
I
4
-5
-i
-:
Approvado pe!& Illu-.r-!; .".-^a da
Hygiene PnWica :,:.:.
AuctCvisado por Dcc o Impai al
de 20 de Junho de 1883.
COf.lPOSI^O
de
Firmino Candio [le Figueiredo.
Empregado com a maior eicacia no
rheumatismo de qualquer natnrea,
em todas as molestias da pelle, as
leucorrlias ou flaies brancas, nos
sofirimentos occasionados pela impureza
do sangue, e finalmente as differentes
formas da syphilis.

Dse Nos primeiros seis dias um?
colher das de cha pela manha e OHti'a
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhe-
/es das de sopa para os adultos c me- |
4j| tade para as enancas.
-
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor- ||-
duroso; devem usar dos banhos fros ou
momos, segundo o estado da molestia. ,
DEPOSITO CENTSAL
-3 Francisco Manoel da Silva & C.
4
-
-5
L
Droguistas
23 Ra Mrquez de Olinda
Pernambuco



>
:
aaj^piaianannjvnninppnnppnx
Alugam-se
o 3- andar do predio n. 52 ra do Imperador,
fresco e asseiado ; o 2 andar do predio d. 30,
ru Morquu de Olinda ; o sitio n. 175, na ladei-
ra do Barro, multo arbonsa 10 e par U meosal:
a tratar na pharmacia franceza A raa Baro da
Victoria n. 25.
PARA EMGENHOS
GIMARA" VALENTE, partci-
pam aos seus fregueiv"? e Hm. 9ra. de
engenho que, com-j sompre, tra gr_tle
deposito doa artigos abaixo mencionados
garantindo tudo de primeira qnalidade e
preces sem competencia, a saber:
Cal nova de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Cimento Portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinisraos.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito depeixe,
Pixe em lata.
(5 galoes)
Kerozene inexplosivo.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de iinho.
Potassa da Russia.
em caixae, barrriqninhas, latas grandes/'
(equenj>8.) ^
Formicida Capanema.
6 (J orpo Santo 6


[Mario de PemambucoQuarla-feira 16 de Julho de 1890
^
i


JUTUVAM!
E' hoje a casa que vende mais barato!
Faieodas de novidade
Crep de alg dSo a 240 rs. o covado.
Cambrai branca com salpicos a 4<|000.
Crep matiaado a 440 rs. o covado.
L8 Amazooas a 400 rs. o dito.
Li sacosseaa a 240 rs. o dito
Voile a la a 800 rs. o dito.
Linn de ramagem a 600 rs. o dito. <
Zephvr com padr5es de voile a 640 rs.
Cretone voile a 400 re. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Cambraia Victoria a 2d80U a peca.
Gases arrendadas a 440 rs- o covado.
Cachemira de hstras, duas larguras, de
' 2^000 por 10200 o dito.
gestados para criancas a 4iJKH0 nm.
Baptistas finas a 260 rs. o covado.
Setim do Japlo a 240 rs, o dito.
Cortes de metim, em carto, a 7(JOC0.
Cortes de sephyr, bordado, 100000.
Cortes brancos bordados a lSOO.
Casceos Jersey a 6|jkKX) um.
Popelina branca de seda.
Setins de cores a >(.() rs. o covado.
Brilbantina de listras a 600 rs. o dito.
Atoalhado pardo de linho com matizes'
brancos a 34000 o metro.
Ht-;)K- de seda, creme e preto a 44500.
Capas, visitas Pelerina e mantilhetes (ca-
chemira e seda)
Grinajda para noiva a 104000 e 124000.
Toalha felpuda palha
Lavas de seda a 24000 e 24500.
Paletots de seda para rosto.
Merino de doas larguras a 44000 o covado.
Ricas cacas para presente.
Cortos de collete de fustao.
Ricos de cores e brancos.
Extractos e leos.
Suspensorios americanos
Variedades
Camisas allemSes a 364000 a duiia.
Cortinados bordados a 63000 o par.
Ceroulas de bramante a 14( 00 a dusia.
Meias para homem a 34500, 44500, 54000,
64010 e 74000 a dtuia.
MadapoIIo trancado a 94000 a peca.
Merino preto de 800 rs. a 24000 o covado.
Fustao braceo a 380 rs. o dito.
Leques transparentes a 24000.
Guarnicao de crochet com matices a 74000.
Madapolio com uta metro de largura a
64500.
Cainitas de flapella a 44000 e 54000.
Bi aman te trancado de duas larguras a
500 rs. o metro
Panno da Costa a 14200, 14400, 14J500 e
14800 o covado.
Lencos, meio-linho, a 24500 a dusia.
Lencos com barras a I40 a dita.
Toalhas para banhos a 14800 urna.
Esguiio pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Baleas a 2 Mi rs. a dusia.
Colchas de coras a 24000, 34000, 44000,
54000 e 64000.
Colchas de damasco de 12.
Sabidas de baile a 14000 urna.
Ramos para peito e cabello a 24000.
Esguiio de algodao a 34500 a peca-
Vasos para p de arroz a 14500.
Pucho* e collarnbos de celluloid.
Abotoaduras americanas.
Paletots de alpaca preta.
Espartaos a 54000 e 64000.
BaptisU de cores a 160 rs. o covado.
Renda hespanhola a 34000 o metro.
Bordados e entremeios.
Escovas e pentes.
Regatas e tafos
Completo sortiment de cachemira
E OFFICINA DE ALFAIATE
20Ra I. de Marco20
Amamal & C.
Rtlojoaria David
Ra do Cabug n. 14
Este novo estab -leciroento de ralojoaria
aoaba de receber um grande sortimento de
relogios de ouro, prat e nikel, di impor-
tante fabrica americanoWalthan Masa, ver
dadeira especialidade em perfeicao e re-
gulamentoinfalhvel, e se vendem por precos
mdicos. Asa mcomo relogios de parede e
de cima de mesa, com despertador o que
ha de mais elegante.
Cunvidam se as pessoas que quizerem
um relogio de confianca a virem a este
estabelecimento que capricha em vender
relogios dos melhores fabricantes, com o
nm de bem servir os seus amigos e fre-
gueses.
Ra do Cabug n. 14
Ao commercio
Antonio Gervisio de Souia, estabeleci Jo em S
Jos da Boa Esperanca, da comarca da Escada,
commin ici a esta praca, que o seo irmso Ji ao
Nepumnceno de Souza, faz parte da nova firma
constituida boje, sob a razao de Gervasio 4 r-
mao, com o mesmo r mo de Degocio ; cando
ambos os sacios com direitos igues, e a caro
dos qnaes tica a liquidacio do activo e paseivo
de sua firma individaal.
R< if-. 15 d.. Julli-' I80.
A loiiii. (i--r asi Al
ugu
e barato
V scoede de Goyanoa n. 159.
Largo de S Jo.-e n. 74.
l-ero Af fon so, armazem n. 46.
Ra Aguaitabas em Beberibe n. 7
Ra Itaparica n 43 l. andar.
Travessa do armo. n. 10.
Largo do Mercado n- 17, loja.
Ra do Calauouco n. 4, dem.
A tratar a ra de C mercio u. 5, 1
notorio de Silva Guimaraes & C.

C
.k NAO HA REPUGN4/VC4
%js* pxhx au o *
BROMURETO
0TASSIO

OOM Afl
PaatUha L. POISSON com Chocolate
Estar PutilhtM, de sabor agradavel, esto rigorosamente
Cada faatilha conttm t aaniigrammaa ds X, (urna collarada).
DensIU nrti: L. POISSM. Pir. 2?. Atbim fle Cwrtwrce. b Asmis, pwti tt Pir.
VSNDRSI KM TODAS AS PRIHCPASS PHABMACIiS
UJl III
Granas liquidadlo d* faxtafcs
Tendo-se dado balando ua casa ^
N.58
separou-se os segantes artigos para acabar,
Sedas.
Cortes de vestidos.
Las.
Tecidos de phantasia.
Cretones.
Nanzuks.
Cambraias.
Fustoes*
Gasemiras.
Cortes de casemira.
Brins de diversas qualidades, brancos e de cores.
Cortes de collete.
Meias para homens, senhoras e meninos.
Madapoloes.
Algodaozinhos.
Atoalhados brancos.
Ditos de cores.
Camisas para homens e meminos.
Lmcos.
Espartilhos.
Ceroulas,
Collarinhos.

bravatas
Todos estes artigos se acbam com um pequeo toque
de mofo, razao por que se vende por me-
tale e seu valor.
Grande quantidade dertalhos
DVslr> arli^ns nao se ilao amostras
58 RA DUQUK DE CAXIA8 58
Telephone n. 2l0.
(gescoberta gnteressantissima ]\
(PRIVILEGIADA) 'e^^
PERFUMES ORIZA SOLIDIFICADOS
-PRESENTADOS DEBAIIO BA FORMA DE LAPIS (12 UCitKB Mm)
Basta esfregar levemente os objectos para perfumal-os
(a Cutis, Roupa, Papel para Cartas, etc.)
L. LEGRAND, Fornecedor da Corte la Busi
207, RA 6AINT-HONOR, PARS
Vanea-19a todas as principan Ptrtumtriu, Phtrmaoiu a Drogariat o mvrrdo.
&RBi-u De Varis o eatalmo illoeteado tkaiko di poete
Atteu Alugam se as seguintes casas :
Ra do Livrameato n 6, 2- andar.
Roa do Pa^o da Patria o. 12.
Roa Mrquez io Herval n. 96. solio,
dem, dem, dem, dem, loja.
A tratar na ra Mrquez de Olinda n. 25, 1*
andar, ou a ra de S. Joo n. 4.
Elixir M. Morato~
PROPAGA DO POR D. CARLOS
De poisde 6 annos de atroz sofirimouto
de rheumatismo, estando verdaderamente
desuor*coado, saroi (-oniplctamente ua-ndo
o=K:{.r B. lisrat<>=Qua dliiro ero
meiiiur e umeu aula rheumaticu at hoje
S. Paulo, 2 de Novembro de 1889.
Cetario Rodrigue Alvim.
Criado
Precisa-se de um criado : na ra do Paysan
d D. 19._________________________________
Compra-se
um estabelecime to de molbados, situado em
arrabalde desta cidade ; a tratar na travessa da
Madre de Deus n. 18.
Demarcacoes de trra
O eiit/f nheiru C. C. Garlini continu a encar- [
regar-f>e de mericOes de trra, levantamentos de
plantas tcpokrapbicas, m\ellamentos, projectos
d paiques, jardins, etc. : na ra da Atalaia, aa
nd^d'- da Escada.
Contra a dyspepsia
A melbur descoberta o prepaiado Wright,
que receb n a pbarmacia Oriental, r a esirei
la do Rosario n. 3 A' elle, por ser effi ;az II
Agua maravilosa
Com a apphcaco desta agua, quem soffrer de
PBDintias. pannos, sardas e vermelbidao do ros-
to ficar perfeitamente curado, reconbeceodo-a
des.se modo, codo nico especifico eflicaz. Alm
desses etreitos, tem ella a propriedade de, tor
nando a cutis limpa, dar Ibe a cor natural. A
cada vhiro que cusa 1*000 acompanba a respe-
ctiva indicico do uso.
nico depotito
Drogara de Faria Sobi-inho & C, ra
Mrquez de Olinda n. 41
Cosinheiro
Precisa-se de um cosinbeiro ; na ra de Pay-
ando n. 19.
\ttenQao
i
Beirao & Almeida
participam aos sms bons freguezes que cooti-
nuam a ter tolos d- nominadas Demcratas Prevmem mais, que
nSo se illudam cora a imitacio das mesmas bo
lacbas de que ba, pois devem ver a marca e fir-
ma que contm no circulo.
Telephone387
Ra Duque de sxias n. 30
Venesianas usadas
Quem tiver algumas para vender, queira dei
xar nota no esenptorio deste Diario
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barra!
Os propretanos do Armazem Central, ru.
Jo Cabug o.K. a vi san aos seue distinctos fre
aova remessa deste especial vinho, o qual s>
recommenda por ser puro da uva, e s se ret?
'ha em seu armazem.
Joaquim ChristovSo A C-
Telephone 447
Oleo >ilva
O verdadeiro restaurador do cabello, experi-
mentando se o seu benfico resultado dentro de
30 dias de uso successivo. As suas virtudes
sao: evitar a queda do cabello, promover o seo
crescimento e d struir as caspas, a par de um
perfume agradavel.
Vendem:
Fabrica Camacan. ra Larga do Rosario n. 50.
A Florida (oiiudezas) ra Duque de Casias
n. 103.
0 Novo Mundo (miudezas) ra BarSo da Vi-
ctoria o. 24.
Pro^o1 $000
Milbo barato
Novo, da trra, a 400 rs.
Velbo a 360 rs.
Larco do Mercado n. 12
Inji
ecc,ao
Se nao rrorri desesperado, soffrende
muito tempo ama molestia ebronica qne
ninguem podia corar; foi por encontrar o
santo remedioInjeccSo M Moratoque
instantneamente poa termo ao mea hor
rivel soffrimento.
Taabat.
Aagutto Cintra Magalhat.
Agentes depositarios em Pernambuco
Francisco M. da Silva & C., ra Marqure
de Olinda n. 23.
f
sfanoel Feraandea da Coala
Torrea
Joanna Digna da osia Patro. Manoel Pal rao
do Nrfscimebio, Alexaadnna Mara da Silva Pa-
traj, Pbilon.ena Mara da Silva Pairo, Mara
Brasida da Silva Patrao, Justina. Mara da Costa
Pairan, Jos Antonio da Costa e Manoel Jo da
Costa, agradecem do intimo d'alma a todas as
pessoas que se diguaram acompaob: r at a ulti-
ma morada o seu sernpre cborauo esposo, genro.
cunbado e primo. Manoel remandes da Costa
Torres ; e de novo as convidam a assistirem as
missas que pelo descanco eterno de sua alma
maodam celebrar no da 17 do correte, stimo
do seu papiamento, as 7 horas da maoba, na
mal iz de S ht-.
t
Manoel LiiIk Ribeiro
A viuva Anoa de Souza Ribeiri. e seus filho-,
Silvio Satyro Luiz RiDeiro Joaquim elso Luiz
Ribeiro (auseou>). Rita Marcellioa de Souza Ri
beiro, Fraocelina de Souza Ribeiro. Gervasio de
Saboya Luiz Ribeiro, convi.laa a todoj os aeus
parentes e amigos parn assistirem a urna missa
pela alma do tinado Manoel Luiz Ribeiro, na
igrpja da Santa Cruz, as 8 boraB da manba
do dia 16 do corrente mes,' e desde j ficam
summam-n'.e agradecidos a tolos amelles que
assi-Hrem a pri arfo >e rpheiaV) e caridnde.
f
D. Mara de Cprqnelra Catro
Huuleiro
Augusto de Castro Monteiro, seus irmaos Jo=p
de Castro Monteiro. Antonio de Castro Monteiro,
seus filhos Jjs de Castro Monteiro Sobrinbo-
Joao oe Castro Monteiro, Cristina de Castro Mona
teiro, sua sogra D. Rosa Antones de Oliveira
Monteiro. tendo de mandar rezar missas por
alma da sua sempre letubrada esposa D. Mara
de Cerqu ira Castro Monteiro, trigsimo dia de
seu pasamento, as quaer terfio lugar no dia 18
do corrente, na matriz de Santo Antonio, as 7
1/2 horas da manba ; para este acto de religiao
f caridaae, convidara seus parentes e amigos.
D-BdP j anipripam sen agrade' iraentns.______
Hera Paul de Abrcu
Joio Caetano de Abreu e Umbehoa Alves Cor-
ris de Almeida rogam a todos os seus p- rentes
e amigos o caridoso obsequio de assistirem as
missas que por alma de sua sempre lembrad
esposa e cuobada Mara Paula de Abren, man-
dam celebrar s 8 horas da maoha de sabbado
9 do crrente) na matriz de Santo Antonio,
trigsimo dia do seu passamento pelo que desde
atfradf-cpi!. cordialniei te
Luis Pire* alvao
Anna Felicia Pire- Galvao, Horacio Pires Gat-
vo, sua malher e filhos, agradecem a todas as
pessoas que acomp.nharam os restos morlae*
de seo Albo. rmao, cuohad e tio, I rea (lalvio, ullima morada, e convidara aos
seas prenles e amigos para assistirem as mis
sas que mandara rezar na matriz da Boa Vista,
pelas 8 hi ras da manba de quinta feira 17 uo
corrente. stimo lia fie seu fallpcimwito.______
Tnico de Campean
(Restaurador vegetal dos cabellos)
Dentn- t.das as preparacoes congneres que
detidamente propalam seus effeiios, nao surgi
ainda urna que alcan^asse o xito do Cam-can.
que pela sua composico assaz poderosa e sua-
ve, tem a propriedade exclusiva de curar e nre
servar os cabellos de todos os males da calvice
que possam sobrevir-lbe Composto somente
por Jos Gomes de Amorim (. uccessor de Mai
tms & Bas os) e premiado m exposicao de Pars
de 1889, o Camacan foi submettido a tongas ex
perienclas, as qoaes deram maravilhosos resul
lados : venda em todas as lojas de perfuma
na? e no deposito geral da fabrica ra da Au
rora n. 163.
Eosino
0 bacbarel Americo Fernandes Trigo de Lou-
reiro, professor particular de instrueco secun-
daria, provisionado pelo conseibo geral da io
struccSo publica, em 1859, kmaberto, na casa
de sua residencia, ra Vidal de Negreiros, n.
174, um curso particular das linguas. nacional,
la ina e franceza, das 10 horas da manba ao
meio dia
P>op6ese igualmente a ensinar as mesmas
inguas por collegios e casas particulares a pes-
soas de ambos os sexos, em horas e das para
Uso convencionados, para o que pode ser procu
rado na mesma casa de sna residencia, a qual
quer hora do dia.
Trasp
assa-se
o esiabelecimento de forneciment de vveres
navios, sito na roa do Bom Jess n. 35, bem lo-
Ciiisado, ptimo para quem quizer principiar
No mesmo esiabelecimento se darao todas as ex
plicacoes._________________^_______^^^
Cosnheira
Precisa se de urna perita cosnheira, para casa
de pequea familia, paga se bem ; a tratar na
ra Bardo da Victoria n. 60.
Charutos a Martins
Jnior
Propalando se que a fabrica Vendme nSo re-
cebia mais charutos republicanos a Martina Ju
nior, in xacto, pois mandamos abrir o auno
passado quando a ipareceu a dita marca. 10,000
rtulos para as caixas, no E-tado da Babia, a-
quaes acompanham sempre a seguinte inscrp
ao :
Charuto a Martina Jnior
fabricados expresamente para a fabrica Vendo
roe, ne D. J Seve & C.
PEKNAMBUC
A's maes de familias
QUERIS V08808 FILHOS 8EMPBE SADICS
Adminatrae4hss o XAROPE ou aa
Pilulas Vermipor^avas
DO D. CALASAWS
ptimas preparacSes de mastruz
3 rbuibarbo, para a expulsSo completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestina es ou lombrigas
(DAS CRANLAS E D08 ADULTOS I
SEIS ANNOS DE SUCCESSOl
t Estas excellentes preparacoes nao ne
oessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas quetm vermes sen tem co
licas, tem constantemente diarrbas, indis
posicSo, sensacao de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s veses, vmitos. Rangem os dentes, qaan
do dormem, e algumas pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As creancas apresentam ss
pupillas dilatadas e inapetencia.
. As pilulas levam impresso nome de
DR. CALASANS e sao c8r de rosa.
1 caixa de pilulas 102t'O
t vidro de xarope ^ 1)52C C
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
Para a cura ej/lcat e prompla dai
Molestias provenientes de im-
Q pureza do Sangrue.
E" urna loucura andar a fazer expe-
riencias com misturas inferiores com-
postas de drogas ordinarias ou de plantas
indgenas cuja efflcacia nao confirmada
pela setnela, emquanto qne a molestia
cada vez val ganhando terren*.
Lancem mo, sem demora, de nm re-
medio garantido cuja efflcacia seja facto
assignalado e Inquestionavell
O EXTRACTO COMPOSTO ffoxCKSmADO
db Sals.vpahriijia de Ayer 6 conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
teligentes dos palzes adiantados, ji
durante 40 annos.
Centenas de milliaree de doentes
tm comido beneficios do seu emprego e
sao outras tantas testemunhas da sua
etBcacia positiva e incomparaveL
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-Unidos-
DEPOSITO GKBLA.I.
Aos agricultores
O bacbarel Petromilo de Santa Cruz Oliveira
contina a encarregar se de levantar empresli
mos para auxilio da lavoura sob bypotbeca de
propriedade" e peobor de safra ; na ra do Im-
derador n. 96, 1 andar.
Cofre
Vende se um importante cofre, prova de fogo;
a tratar na ra da Itnperatriz n. li.__________
Cera
Vende se na ra do Cahug n. S, segando a
qualidade, de IJ a 1500 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de 2* o descont de
0/0, e aa de l.* i-: t'0 0. i) msino esta
lecimeato tem machina p<>^ cotfura e mesas
raa s mesmas por 10 cadauma.____________
Patacoes velhos
Compra-ie na relojoara David, ra do Cabo
< n 14._____________
Attejico
Os proprietarios do aotigo e acreditado arma
tem do Lima, sito ra Barao da Vi :toria n. 3
participam ao respeitavel puhlico e aos Beuf
ilistinctos fregueses, que tr nsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma ra n. 9.
onti nando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumado e ba
oitual dese~npenbo.
Jos Fernandes Lima & C,
Roa Baro da Victoria n.
Teleph' ne323
Cal virgeni de Jagna
ribe
Depon io no Cae* do Apollo n. ia
Esta amada cil, p'opria para o fabiio
de assucar, continuase a vender pelo mes
mo preco e abatiraento do costume. No mes
rao armazem vendem se todas as mais quali
dades de cal de Jagoaribe branca e preta, en
p, assim como todos os materiaes proprio
para construege- e reconstruccoes por preco
menores do que em outra qualque; parte,
A L1VRR14 FR4!%CIRZ4,
avisa ao respeitavel publico que acaba de
receber um esplendido sortimento de ar
tigos de Pars, de alta novidaae, taes como:
Chromos artsticos
pal^agens
religiosos
phantasmagoria
e um grande sortimento de CHROMOS
RNAME NT AES para sala de jantar.
A' venda a precos sem competencia na
L-TOARA FRAXTGEZA
Ra 1. de Marjo9__________
Farelo do Rio da Prata
a 13500 o sacco
OORPO SANTO N. 6
CJnlmares k Valente
Eng'enho Carneiro
Nenhum valor tem o protesto qua pelo
Diario de Pernambuco de bontem fazem
o capitSo Jos Bernardino de Bourbon
Arantes e Mna Nympba, orpbSos de Ma-
noel Alexandre de Soasa Oliveira, contra
a venda que pretendo fazer do engenho
Carneiro, baseando-se esse protesto na al
legav.So .-xt emam'-nte vaga de qne elles
tem direito adqui ido.
Provoco -os a que no prazo de oito dias
aprese;item qualquer prova, que justifique
o seu protesto, sob pena de ber conside-
rada falsa e injuriosa sea *ll gacao.
Recife, 9 de Julho de 189o.
JoSo da Cunka Handerley.
DE
Especifico mi.ito efiicaz as dores de cli-
cas, areias e nos clculos da
bexiga e dos rns
. TEKUESE
NA
Botica Franceza
E
Drogara Rouquayrol Freres
. 22RA PO BOM JESSN. 22
Ouro 9 prats
Compra-se, como tamben
moedas, a ra do Cabug
a. 9., loja de Augusto Reg.
fiasa
\
Aluga-se o 2- andar do predio n. 89 maula
Iraperatriz, caiado e ointado, com agua e bas
tantes accommodacoes ; % tratar di ra da Con
ceicao a 43, das 7 as 9 da manba e das 4 as 6
da tarde.
731
BEIEHC
Dff4LUYEI
era todo o CSO RHEUMATSMO
Impurezas do Sungas, Erapces, Escor
alas, Ulceras, Spilis
o toda afieocao do natuxeza
eruptiva ou vanerea
SLSAPRRLfl
DE BRISTOL
0 Remedio fio Familia por eicelleocial
Ama
Precisa se de urna ama que cosinbe e enaom-
me, para peqnena familia, paca-sebera ; trata se
na Soledade s. 72, ou caes da Companhia Per-
narabucana n. 4.
Amas
Precisa se de duas amas, sendo urna para co-
si bar e outra para engommar e mais servigos :
na praca do Conde d Bu n. 32, 2 andar.
Ama
Na ra da matriz da Boa Vista n. 26,1- andar,
precisa-8 de urna co.-inheira para casa de pe-
queua familia.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar, para
pequea familia ; a tratar na ra Direita n. 64,
t andar, sendo matriculada.
Amas
Precisa-se de urna ama para cosinhar e outra
para engommar, para casa de pequea familia,
preferindo se que durmam em casa dos patroes;
a tratar na ra da Uniao n. 5.
Amas
Precisa-se de duas amas, sendo urna para co-
sinhar e outra para tratar de sala ; a tratar na
ra Duque de Caxias ns. 62 e 64.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosiona ; a tratar
na ra Duque de Caxias n. 86, 3 andar.
Alia para eoslnha
Precisa se de urna mulber pe contianca para
eocarregar se de ama cosinba, paga se bem ;
ra i." de Marco n. a
, Preclaa ae para o rraial de ama
para cosinba de urna pequea paro andar com
meninos, e de um rapaz para criado ; a tratar
junto do arco de Santo Antonio, casa n. 2.
IUSBEi(hONGOUS
THTB4 BITIH1
HCBTS SO SSSICATZSVC
DORES DE DENTES
PBEPAKADO DNICAMENTB
POB CALASANS & C.----NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuma-
cismos, inchacoes, dores sciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., empregaiido-se em
bmentacoes sobre os lugares affectados,
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direccoes para
uso d'este medicamento admiravel.
Preco 1200. Descont de urna dosia
am diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. roa
Mrquez de Olinda n. 23
Destilaces
Cardoso & Irmao com fundicao de ferro ra
Baro do Tiiumpbo ns 100 a 104. roand. m vir
por encommenda ou aju te previoallemaea,
ou franceaaa deSavalle, mandara senial-as
e garautera seu bou tral^lho : os pretend ntes
pod'm examinar as da- Usinas Joo Al fre
do e Trapiche ltimamente montadas poi
elles.
IIMDS1NUC. ^
Raa narquea de Olinda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. Unic#
deposito d$ afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposicao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann & C, S. Flix (Bahia).
A bem da humanidade
Receberam Pedro Antunes a C, um especial
remedio para dor de dentes, e continan) a vss-
po com grande taniagem o roaravilboso remt-
rar ededna calos ; raa Duque de Caxias n. 13-
.
i
v


y
-
i.

i
m

-
..


. :. ..

'.' *
*

.




E' a melbor cerveja que tem vindo a
este mercado, escura e clara ; nao precisa
de attestado para se impr aos aprecia-
dores.
Encontrase em casa dos Srs. Antonio
Mello 4 C, e Antonio Nascimento
Recife.
COGNAC PIIII2TO\
Um dos meJhi res cog> acs e que deve ser
preferido a outra qualquer marca para usar
puro ou com leite.
vinho Palhete
O melhor vinho portugus e que tem pre-
sentemente nm hdmiravel consamo, assim
como o puro Collares, remettidos pelos
proprios viticultores
Retalha e vende em porcoes o importa-
dor directo
PAULINO
28 Ra do Imperador


-.
?.

'
.i.


i


nano de Perrtamhiiro-Qmrta feira 16 de Julho de 1890

LOJA DO POVO
II Km I- t Marco 11
G&&H0G IfOVIDADE
Esta nova loj* ooiit na a ter uns grande eor'imeDto e sempre ppchmchas, em
prec-s ninguem lho poete exceder, capi-icha na exattidao te q idade e uas medidas
de Bas fazendas, que podem ser c imprade* por qualq ier crianza. Muitas de suas
lazendas gao recebida* directamente da Europa.
Descont de 10 {, em oorr-pr* de 2*J<00 pura airo*.
brande sortimento 2o e S. Pedro.
Voile de 1S e algodao, lindo* desenhoa, a 240 rs.
Las imitacao de oichemir a 24<> rs.
Chitas de 200, 220 e 240 re. o oowade.
Setinetaa de core*, deseenoe liado* a 300 re o aovado.
Zephyros lindo* a liO, 16* e 20W re. n covado.
(.'orteB de caaemira de d*i0 e ri#0W).
dem de costumes e de casemira de cor MPB0D.
dem dem idem pr-ta fina, a lfiHUO.
Ricos asaoos do Jereey, bordados, a 60t 0.
Toile de seda de l6m o covado a 65U rs.
Granadine de seda, de 10* o cov do a 800 r.
Merm preto a 5>H', 7U0, 10UOO e l*2<-0 o covado.
Dito de c6r, liso, a 40 rs. o evado.
PARA GRIANCAS
Rodr* de cres, pechinc a! a 3">0oo.
Vestuarios de Jersey, a6*IUe 7A000. *
Capinbas e j.quetas de malha para crianza, a ldOOo, 10500 e 20000. '
Brins de cores, covado 00 rs.
Completo sortimento de chapeos, capotas e gorros de fantasas em todas
qualidades.
Fitas, rendas e bicc de seda e algodao de todas as cores.
Flores, plumea, passaros, algrUe e bijoaterles para enfeites.
Chapoe do ain-o e castor, os mais modernos, para homens e menino
Recebe por todos os vapores as pnmeiras noviciados de artigos de sb
g cerc de negocio.
Raphael Dias & C,
2 Ra do Baro da Victoria 2
Merinos Uvr.dos, lindos aesenhos, toaiaas
i-^
>ui jrequeno
,* *
deleito para tolo* os precos, grande sortimento de lencos de seda a 4(i0, 8D0 e 10000,
lencos de algodao com barra grande a duza a 106'>0, bramante de nho e algodao
atoalhados. cortinados, colchas, fichus chales, sedas, setins braacos e de corea e
voiles, lindos dei-enho?Novidadcs !
CURA CERTA
.. MOLESTIAS NERVOSAS p.jo
IAROPE BENRY MURE!
Bom ex*to erifleado por 15 annos de experiencias nos Hospitaes de Psris
PELA CURA Dli
Epitepnia- Hguteria 8j Convulaile*, Verfigen*
Vitorea W Crinen tt*raxa*
Ili/stero Epilepuia fe) Exaqucea, To.i te-i ras
lUoletttian do Cerebro Congetoe* ccrebraes
e to K*inh Itisuitiin
Diabete azucarado J8 Sperinatorrha
Un Foldat: multo impertiste dirigido gratuitamente a quaiquer ressea que o seiir
[HENRY MURE, em Pont-Saint-Esprit (Franca)
***********
VNUE-SH EM TODAS AS PRINCIHAS PHAHXAClAS B DHOGAJUAS.

VERDADEIROS
AGUA P0 B0T0T
Os nicos approvados pela ACADEMIA de MEDICINA
Braaqaeam os Dentes. Forticam as Genttlras.
DEPOSITO : 17, Pue de la Paix, PARS.
Ajitigomente : S9, Rae Saint-Honore.
DESCONPIAR-8B DAS FAZ.8inCA90aa
^ACHAM-SK MAS PRINCIPIS pROOARIAS B fHFUMAR!AS.
DO
ESTUO DE PERNVMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa de Misericordia
Umximm tela huiecuris ti lipau t* tasar i* smiU.
' QUINA E FERRO
Chlorose, An&mia, Debidude

b 3 al 15-'- *3 oe s&
-Ta^Mi niiissansei jan .'aaai
-tte a esaia ti -HtUtua i* fysM, $tot tsCMMSCJ aa jjc; isa tM
\ i- -.- ... .-.: -v, : }. gm to'H um'cospnr eTomumrt*. -. q^rnrik
o e no utn iireo -> uistUcmenuooniw a uUartMi **"**
/ '.'_... :,;,(. florea taftttuma : .i.i'if .:'; i?.- fMaB*, C
PABI tW ft r ,-};;*,?:.r~jB;i .3r r0 d'AmatcrdEtn.
n
A ITAPOR
FABRICA OE LIVRGS OE ESCMPTURACAO
MOADMHACJK
MITA0AO

4
fflANOEL J. DE (QlRANDA- ]
39
KA -*- DQUK-- DE CAXIAS *- 39
NUMERO TELEPHONICO 194
* 5SKWW60 k-------
l000DOl
OOOBOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!
CAPSULAS AZYMAS E. GORLIN
OBREIAS
i'aEtE^rrLEcs-i^jDO s. a-, d. a-.
Ixiere.
TINTAS PRETAS
E DS CORES
Colla liquida i Fri
hrtDTOlrermsio< Uauao: Oleo de Flgado d Bacalhao, Oleo dt Bioino,
Balsamo de Copaniba. Opiatos Alcatro, etc.
TODOS OS MEEICA7VIENTOS EM P
* mi, 5*. rni di Temal, ib Par*. Ln Pernambuco : rSAVBL da stlVAAO
oaoaetei
HOSTIAS
Pilen Axytnon
para Pbarmacias
EOSIIAS
Pir C6nftiriii
XXXXXM

INTEGKAE8
A 11.a parte da .8 lotera deste Estado ser
extrahida impreterivelra^nte terija-feira 22
do correte.
Todos o pe devera ser dirigidos thesouraria ra 1 arga
do osario n. 9 i. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
Curaifcs psios CIGARROS E3PIC
ftpprtfKiGc* IVacse efltixos A e-eruigina
LICtNCIADOS PELA INSPECTORA DE HYeiEHE DO lUPEniO DO ^OAZIL
Asplra-se a turnaba que pcn.tra no ptsto, amlm* o syslema nervoso.
lacinia a expcctoraijao e favorisa aa func<;8es dos orgaos respiratorios,
vpnrta em atacado, J. ESPtC,' LO, ra (-Lazar*, *n> Parta. xija-tc ata luiigR-
Am ftrnimoiMO : FRMGc Cl. da SILVA Ca. m ITruicj..! rii.inivif .
Peitoral de Cambar
l-ie-ii^ s beratrO paira >* wolaatil or^."<>- rcr-plr. tm os
10 pe* Ex Ota. Juufc* >-a dyniett* Publicu, auoi-.oa .. tr I, pr .vi.iado com rjan m".Halhas He nurn r rodeado i!e
s tj Mtes :tt' s^ndnB rredicos qn gj-riTitem a na pfficac:a.
O IV.'toral de 0robar pr parado era P-lntaa ,in larga e*ca-
ii des.- luid v, o Sr. J. A. de Sonza Sofre, r.t onnbccirl'i
Ag do'a fodu*!rial d-> P>.nii:c Peloteaee, expresaamentc
Mtr- e**t i.ffeito.
K' racSo preita, de corpo volumoan, transparente e
. :i <. bilt-.-.iio a paladar.
U irr ,-.n<-.+ ^ li'ijt; -la p** ioatj medi
ivuiu ---" Kw set! ci.:;auu g .- .,: j;. >s v.i p rica do Sal.
*c'a ec vetu'la i r.ns r.;r'ncir: I rrcacia* c dr; g i iaa desta
capital, aos precos do 255^0 o frasco, 13iJ0(X) meaa dnzia e 240G0 a
duz a.
38o anicos agentes e depositarios no Estado de Pe^narobuco.
FRANCISCO MANOBL DA SUVA & C.
23BA MAKtEZ DE OLINDA2i
tt FIQAOO FRESCO da BACALHAO, HA TUNAL MtOICIMAL
' oaM* ao Amos, sb Franca. Inglaterra. Haspaaa*. Farra**!. "
QS MDICOS SUBSTITEM COM XITO
o OLEO de FIGAD0 de BACALH0 assim como o VINH0 de QUINA
COM EXTRACTO DE FIGAOO E BACALHAO COM QUINA E CACAO
fJste CSJtlMJC de CACAO msw poderoso Ifepuratir
tncotnparavel Corroborante.
VtNDA POR ATACADO : DXJCBCA.1VI1P, 15, RU DE POITOU, PARS
IfehatM. Deuoaiurios em Jerntwmuco : rajkar as. o* silva ~-. mmM^
ODONT1NE
8ABA0 DENT.FECO
IM
DR. RIEDEL
A melhor preparado hygieuica para clarear e conservar
Approvada pela junta de nygieue do Rio de Janeiro, com a marca registrada
era todos os Est dos-Unidos .io Brasil.
8NB-S AS' SUffllNTl TBASAS:
Maia Sobrinbo & (.'.
Cautro Medeiros & C.
Duarte & C.
Pedro Antunes & C.
JoSo Bez^rra d> C.
Netto Campos & 0.
Slficoel Joaquim Ribeiro & C.
Maia e Sil-.-a & C.
Barbosa & Santos.
Barros & C.

Mum.i ''ompiKo.
Nunes Fposeca & C.
Mainel Vieir.* Neves.
Manoel Cardoso Jnnior.
Maooel Col *co & G.
Pxpo'ila & Batios.
Ribeiro & Almeida.
Antonio D. de Lima & C.
Sabino Pinbo & C-
JoSo Ramos
Deposito por atacado
THEO, JUST
Lar^o do Corpo Santo
DIGESTOES
DIFFICEIS
Dyspepsla
Pena
\de AppBta\
DOENCASdoESTOMAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Diarrtia
chronlca
TNICO DIGESTIVO oom QUINA, COCA e PEPSINA
op^^o em TODOS OS HOSPITAKS JetiaJhaa de Oaro o Dinlomaa de He
bbbbbbbI PARS COLUa C\ rae 4e Haubeae, 48, ib as FliraKUl afafeal
AGUA.ASI4TICA
^.
PARA TNGi A BARBIS OS GABKLLOS
A AGUA ASIA II; -A do Di*. si<*C urna prepan-jao de um eflfeito admi
ravel para tingir instantaneameiite a barb e oa ellos, da mais bella c6r preta e
caetanba. E' nbsolutameute moffetisivn, d'uia emprego fcil e ci'um perfume a agr
davel. N'este g-.uero a unica o i qua tema ale ncudo dar ao*. cabellos urna
cor nat'ral perfeita si .- torar Ihe a brllh".
BJEPOeSITO SEBAIt
Botica Fra, cesa e Br.: garra
22RU/V DO BOM-JESS92
IWu.DE FEHU
BRONZE
DE /
CARDOZO ft IRMAO
Roa do Bario do Triompho ns. 100, 102 e 104
Depositx) ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para Tender o tegnlnte:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo dirpotpara o ou fogo de asios.
amento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
ORTVACES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e rundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavalloa.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
:das as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENC ARRE OaM SE de quaiquer concert e mandam buscar por encommei-
a, mediante ajuste previo ou urna mdica commissio quaiquer machinigmo.
MACHINAS de descarocar algodao.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAS! fornecimento de apparelhos para nslnas, garantindo a bd
oalidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar com o bom resultade
- itido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
danta Filonilla e Joao Alfredo
1 *
Vendem a praso ou a dinbeiro com descont.
Grageas Deriazire
Auprovedu patlat Xaavaotorlal da Hygiene do Brazal
CASCARA SAGRADA
Vordadairo Remedio
i a Priado de Venere bmbitOML

IQDURETO^FERRO CASCARA
O mala activo dos Perruglnoeoe
FTo produzmdo a Priado de
Deposito geral: PHARMACIA G. OEMAZIRE, 71, avenue de Villiers, Pars
Em Pernambnco: FRAN M. da SILVA A 0".
!aU I J
Ra do Cabug n. 1 A
Grande loja de fazendas e modas
Recebe directameote todos os mezes as altas novidades
de Paris
Mme. KOBLET previne s Exmas. familias que durante a sua curta au-
sencia Mme. CLOTILDE P1GEON fica incumbida da gerencia do atelier de costura.
MrRAVILHr CURA.'!.*
DO CELEBCE
Dr. Humphreys e Nova m
A Verdadeira Maravilha do Scula
APPBOVADA E LICENCIADA
pela Iaapectorla (;<-.-.: o :.'/::>:. 'a
Imperio do Brazil.
A MaraTilha Curativa remedio prompln
para os Plsaaorsa, Jiachucatiuras, OonTOfcH.?. '*":-
ce-luras. Corladuras, ou Laceray.*.!. Alvtaa.ior.
estatice Q anguo, taz parar r. lnaamma^fM'. Tttriiz
a lnchacao, urao tesccrrtneaw, t az:^U!tv a renda
como por encanto.
A Maravilha Carntivr?. ejvtom-ocp'O'"
cura rapiua para yuciicad-jraB. Escea^iauaii, "
Queimadura do Sol, o 6 su;icrii,r a remedio.
A Maravilha Curativa !mpi.-:avel para
todas as Hemorroaglas, sejadoNnrtz. dasOansivus
ave Pulmfles. uo Efllomago, ou as Hemorrbol^r
AlmorreJiarecuraseoipree uuacu lalin.
A MnravHha4;c*1V2tmrieIilTluDrcr3i>"
para liar de Deoiea, de Cavan*;, ^ce. iiionacur
da Face e ievralgla.
A Maravilha Cnrntlvaf o recorso prompio
e precioso para Dores reumatlut:. Aiejo, Doro
Rgido' as Juntas ou Perra*.
A Maravilha Cara ti va o grande remedio
para Esquinencia, Angina, Anivlalas (nonadaso
fnnammadassempre segru, sempre efflcas.
A Maravilha Curatlv:. de muito valor
como lnjeei-ao pasa o i atarro, a Leucorrbea ,.\i m
Flores Brancas, e outros corrhaetcr, ulUtauxes.
A Maravilha Curativa e inifasavel pe-a
curar Dlcerap, Chagua antigs, Auosienias, Panur:-
clos, Callos, Frielras, Joanttes c mrores.
1 Maravilha Ccralivn remedio prompto
para DlarrEea simple, e de Diarrhea-enronlca.
A Maravilha Carativa t eieeliente as
Estrebarlas e Cavallarteas.) era ToreeduM, Dores.
Pisaduras e Esfoladuras, CnntnE3e?. LaceracSes, fie.
Especialidades do Dr. EwnphreTs.
Bemedloa Especficos,
Uasraento Maravllhos*.
Remedios Fiyphllitlcoa,
Remedios Veterinarios.
O Manual do Dr. HnmphreTs :I4 paclnns sobre as
Enfermldades e modo de corales se di gratis, r
se ao seu boticario ou
, pede-
HMPHKEYS' MEDICINE CO.,
109 Faltn Street, NEW YORK.
NICOS AGENTES
Para vendas em grosso em
PERNAMBUC0
Fanas Sob iulio & C.
DROGARA
A' ra Mrquez de Olinda n. 41. ,
^ ^\ $ trfu3^a\ R3
MARAVILHA CURATIVA
DO CKIJffiRE
Or. Humphreys de Nova York.
A Verdadeira Maravilha do Secuto,
APPE0V ADA E LICENCIADA
aela Inepectoria Gemida Ilyeiene da
Imperio do Itru7.il.
A Maravilha Cnrativa remedio prompto
para as Pisaduras, Machucaduras, contusoes, Tor-
oeduras, Cortaduras, ou Laceracoos. AlUvia a dor,
estanca o sangue, fas parar a Intammacao. redas
a Incbacao, t ira o descoramenlo, e faz surar a lerida
como por encanto.
A Maravilha Curativa arrloproaiptoe
cura rpida para i^uelmaduraa, Escaldaduras, o
(jueimaaura do Bol, o superior a quaiquer outro
remedio.
A Maravilha Carativa 6 lmpagavelpera
todas as Hemorrhaglas. seja do Naris, das oeaglvaa,
dos Pulmoes. do Estomago, ou as Hemorrnoklafi oa
Almorrelmascura eempre e nunca faina
A Maravilha Carativa nmalUvioprompto
para Dor de Dentes, de Ouvldos, da Face. Incnacao
fia Face e Nevralgia.
A Maravilha Cnrativa 6 o recurso prompto
e precioso cara Dores rheumalicas, AleiJ4o,Dore
Rigidez as Juntas ou Peinas.
A Maravilha Cnrativa o grande remedio
Era Esquinencia, Angina, AmyKdaTas tnchadaaoa
Sammadassempre seguro, sempre emcaz.
A Maravilha Carativa 6 de multo valor
mmn tnifttcao Dar o catarro, a Leucorrbea ou aa
TcSSs^Sancas,Voutros corrlmentos debilitantes.
A Maravilha Cnrativa lmpagavel para
curar Ulceras, Chagas antigs. Apostemas, Panarl-
clos, CallosrFrielras, JoaneteseTurnores.____
A Maravilha Cnraliyaranaidtopronipto
para Warrhea simples o de Diarrhea chronlca.
A Maravilha Carativa eIScuen,pn?f
FsrrebarlaB e Cavellarlcas. para Tcweaurss, Dores,
Pisaduras e Esfoladuras. ContusBes, Lacerasoes, Se.
Especialidades do Dr. Hmnphreys.
Remedios Especifico,
TTngacnto Maravilboso,
Remedios Syphillticoa,
Remedios Veterinariea,
O Manual do Dr. Humphreys 144 pi
Bnf ermldades e modo de cural-aa se (
se ao seu boticario ou t.
/
I :I
Snas sobre as
gratis, pede-
HUMPHREYS' MEDICINE CO
109 Faltn Street, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C ra de
Marques Olinda n. 23.
Ur..-'>i*AD0 t
I', i i m i ir Je ura jrunna por da
% BUBi
5 ff Ocposito no t-D
PSNAr.3'J0O.
n rawteo 5!. da SILVA & C
!iW': Venia pr clocada t
%^ ?SSUi,:srJ33(FB.l\C.\)
Vinho Maduro
Pelo ultimo vapor recebemos uma importante
remep?a do delicioso vinho madoro, aaalygado
pela junta de byiene da Capital Federal.
0 VINHO MADUB0, poro da uva, o melhor
que tem vindo ao mercado, neste estabeleci
ment seenconira
SEMENTES NOVAS de Horno c hcrtcgas de
todas a* qualidades.
AZE1TE puro de oliveira em lalinhas de meio
puDj litro.
Em bebidas finas, como fsejam : champagne,
cidra, vnoos Bordeaux, Porto, D. uro, Cbamber
tim, licores de diverjas qualida los. nao lein s
rival.
Queijo3 de todas as qualidades e o apreciado
requeijo em latas.
Erntim. comaleto sortirneuto de seeros de
primeira qnalidade para uxa boa despeas* e os
precos sem coi. petencia
Ra estreita do Rosario numero 9
Pocas Mendes & Telepboase 4 7
VERMIFUGECOLMET
CHOCOLATE coxtl SANTONINfl
BFUUTaV SSTS aNtrtlr u LMBRJ81S
Isla Vermlfag-o e rasmneblj, sil*
Mi tiktT aptiarel i nasarrajto taMnida. Jf/
Etlfir i tt>tnitun :
Paria, 26, ra da Temple e bu irattsm PaaraBstat."]
\ ANEMIA, CHLOROSE
4EMPOBPECIMENTO DOSANGUE|
4 CORES PALLICAS G0V*LES CEHQA
4 Osado sos Hosnltaes de Pars
* BRANDE DffLOHA di BOIlA.UamUtl
j GOTTAS Conceatraflas.
2 MoleconomieBi,daran I me
VINHO E0BIN
2 VtUlflt
^GMGfcaS ROBN
4 4,
Mtd-0$ i
"i-/-. H-yre
Barcelona
BruxBllat(S7 SS)
S.?:nsiboralgarr de
erro, ei"*eneiemr.i
asMir.lI^v!,^i cisiona
Das pessoas que oAo M
preetm a quaiquer tra-
tamento ferruginoso oe
r -s'ilUiio os oais rapidoi :
constantes, swn uaoca occa- i
tonar ddres de estomago oem
cooatipac^o (pnsie de reoire).
|im1i gtnl: Ph* ROBN, n HVfM (?iwj
Em rernambuco : Fraa" M. to SIlTi k C
:."-- <,?.- .^t^afSf^ri'^*-'
Superior t tito de Al-
coJ
0 acreditado e autigo armazem do Lim par-
ticipa ao publico e aos seus Ireguezes que acapa
de receber uma nova remessa deste especial
vinho, escolhide propriamente pelo chefe desta
casa, tornando se recommendado por ser puro a
de boa quahdade.
Jos Fernandes Lima & C, ra Baro da Yic
toria n. 9
Telepnone 323


i
Toaos oquciles que sOafrem i
i psjto, devena experimentarj
os Lripsulas do Dr. PourniebJ
tp"-itarios t ;
m*MClSCO SI. a 8ILV* Cu
^kBaaf^laaVl
' eVir.'XJil* .
~i
samJ^a.aT


I

'
i
-:




Diario
'ernarnhnco-Qiiarta-feira 16 de Julho de 1890
YENDAS
Veode-se por barato prego una mocada
en perfeito estado, capaz de funccionar em
qualquer parte, cora seos perteocee, como se
jam : maojarras, giRantcs, grades, 4 taixas.
se^ido 3 fundidas 1 ba'irta : quem pretender,
oirija se a engenhoi a Vaindo, na ica Real du
Torre n. 6i. que achara com quem tratar.
Aos senhores pretendentes
Vendem se va ca- >rioula-, novaf, muito boas
leiteiras, pandas de novo, ver para crer ; na -ua
da ConceicSo n. 24, antigo armazem do sal,
achara com quem tratar.
1
Gallados
. Sapato* de fel'ro para qaeto soffre de dor
| cenca e frialdide nos ps. d'onde caosam di-
versas molestias, pois estao se acabando ; pre
jos muito baratos a 500 rs_o pir. tanto para
1 boroem coreo para senhoras e rriancas.
LOJA A' RA DA IMPERATRIZ H. 80
Pao centeio
Mello & Biset tendo recefcido nova rcmessa d
'arjnba centeio, avisa aos seos fregneies qu<
continuam a labricar este delicioso pao centeh
todas as tercas e sextas-feirss ; na ra larga a<
Rosario u. 40*.
DRJJABLS BETTEMIBT
SUSIKILI1 Cltlll
GRANDE DEPURATIVO DO SANfiE
Elixir anti-rheuraatico, anti eyphilitico e empregado em todas as molestias de
pelle, erys pelia, darthros ou empigens, beri-beri, anthrazes ou carbuncal s, cancros
venreos, feridas cancro-as, ulceras, gonorrheas chronicas, boubas, bub3es, escrfu-
las e todas as doencas que dependem da impureza do sangue.
Este remedio superior a todos os ontros do seu gonero, o que est provado
pela preferencia e acceitacio que lbe da o publico.
Um frasco 3#O0O, urna duzia 30#000.
Xarop$ de jaramacar composto
GR\NDE PEITORAL
Tratamento e curativo de todas as molestias do peito e da garganta, defluxo,
loases simples e convulsas, coqueluche, constiparles, asthma, bronchite, catarrbo
chronico e tsica pulmonar e do laiynge.
E' o primeiro peitoral que se conhece at hoje na medicina.
Um frasco 2500, urna duzia 24J000
VINHO TNICO ,
Com lacto-phosphato de cal e ferro, coca, cascas de laranjas amargas e quina.
O melbor remedio que se tem formulado pela jcombinacSo destes heroicos
medicamentos. Empregado no tratamento das molestias do peito, do estomago, ane
niias, menstruajSes difficeis, debilidade geral, cores paludas e todas as vezes que Be
qner fortificar o organismo e dar desenvolvimento ao systema osseo e muscular
Convm s pessoas ou senhoras que criam para tornar o leite mais nutritivo e robus-
tecer as criancas. E?te remedio superior a todos os tnicos estraogeiros que se
annunciam por ah.
Jm frasco 3#000, urna duzia 30$000
CAROBX2TA
D GRANOS PUHIH^nOH DQ SAN3UE
O emprego da CAROBINA deve dirigirse a combater as seguintes moleslias:
as diversas formas das doencas chronicas, os desengaados, soffrimentos do tero,
affccco'es cancerosas, beri-beri, escrfulas, tumores brancos, ulceras chronicas, effec-
coes venreas rebeldes, paralysias, molestias do coracao, da garganta, rheumatismo
chronico e gottoso, molestias de pelle, assim como todas as enfermidades derivadas
da impureza do sangue.
Um frasco 3$000. urna duzia 30#000
INJECCM BETTENCOURT
AHTI-BLEHQBBHA6ICA
Gura radical em seis das
Empregada com ptimo resultado nes corrimentos agudos ou chronicos da
urethra ou vagina, leucorha ou flores brancas. Este medicamento de urna gande
efficacia,
m frasco 1#500, urna duzia J 5#000.
TONINO FEBRFUGO e desobstrente
Empregado na debilidade geral, doencas do estomago, coovalescencas depois
do parto, febres palustres, molestias do figado e baco, falta de appetite, anemia, chlo
rote, cores paludas ou falta de sangue e doencas nervosas.
E' um reconstituinte de energa, aromtico e agradavel ao paladar.
Um frasco 3$, urna duzia 301000
nicos exportadores
COMPANHIA DE PRODUCTOS MBDCNAE8
31--RUA DOS ORIYES-31
KIO Ji; 4 1MIRO
Vendas em grssso e a retalho em Pernambuco
Francisco Manoel da Silva & C.
F0LHETI1
mm mssm
POB
fAlLO DMICRE1IO.VT
StGNDA PARTE
A victoria do mal
(Continuagao do n. 158)
VI
DUNA DE CNDALES
De tacto, logo que recebeu a carta de
Branca, elle leu a e sabio coiro um louco,
a p, nao tendo sequer se lembrado de pe
dir um carro.
Sua filha estava amea^ada, ia accom
mettel a urna emocSo, e com o seu pobre
corac&osinbo, que dilatava se e palpitava
-. cada cousa imprevista, que perigo nao
eria para temer ?
Ab como exprobrava a Braoca, t qnein
liuetanto coniiauava a amar com todas
ureas de seu corceo, o baver levado
ta Marganda l ao p daquelis come-
uiunte hibii e prfida, que elle conhecia
tao bem, e que, at naquelle i
capaz de estar xombando de
ou esbaforido ao ci
t Urna comedia, nSo verdade ? per-
gunton eile superiora.
Creio que sim, respordeu esta.
Entao por que mandou prevenir a
Sra. de Rhodes ?
Hesitei por muito tempo. Mas havia
j cinco das que Diana nSo quera engolir
nem urna gota d'agua, nem um pedaco de
po.
Enganava-a, coma e bebia s occul-
tas.
Era impossivel. Alm disso, as suas
forcas desapparectm, e ella accommet
tida desde hoje pela maiJiS de syncopes
repetidas, extremamente assustadoras.
Ah mais esperta ainda do que
eu julgava.
O que o senhor soppoe nao absolu-
tamente admiBsivel. Aos dose annos, dei-
xar-se morrer de fome Lembre-se da
vont.de sobrehumana que para isso pre
ciss.
Diana possue urna ventade eicepcio-
ni. E estou c n vencido de que ella prefere
morrer a ter a existencia que passava aqui.
Conduza-rae sua presenca.
A religiosa tomou a frente do Sr. de
Rhodes.
Em caminho ello repetio varias vezes:
Que falta imperdoavel essa de man
darem prevenir minha mulher !
E, como a religiosa evocasse vagamente
a sua reaponsabilidade, o armador reapon
deu om grande delicadeza :
Comprehendo-a perfeitamente, minha
reverenda irma;,mas eu tinha Ihe fallado
coua tao grande franqueza, que a senhora
me devia ter tcado conhecendo. Por que
i.ao mand-iu-iue antes chamar a mim no
mea eecriptor ?
A superior par u.
E' verlade, ioea ella, perde-me,
ci me lembrei disso. las annal o senhor
Vendem-se os seguin-
tes livros
Lourecce, rumance histrico por P.
Tavora, 1 voL ene. 4*000
O Cavsiheiros do Amor, romance em
4 vols. enes. 12*000
Ecbos de liorna, pelo padre Guilher-
rae Dias, l vol ene. i500
D ccionario Biographico, por F, A. P.
Costa, i graspo volume ene. (0*000
Vio? Icaros, versos por M. Barrete, i
vol ene. 3*000
Flores Fluctoantes, versos, l rol. ene 2*tM)0
V6o5 e quedas, versos, i vol. ene. 2*000
Guimaracsr poema, i vol. ene. 3*000
Sons que passam, versos por Tu. Ri
betro, 1 vol. ene 3*000
Alberto Pimentel. Cantares, versos, i
vol. ene. 3*000
Julio de Castilho -Livraria Classica,
Estudos Diograpbicos e Iliterarios,
3 vols. enes., fiuos 15*000
Castrioto Luzitano, historia entre o
Brasil e a Hollanda, 1 vol. ene.
fino 5*000
Bibtiotbeca do Povo,;i2 vols. enes. 25*000
Morte de D. Joo, romance, 1 vol.
ene. 3*000
Cnnto8 de Pedro Ivo, romance, 1 vol.
ene. 3*000
0 abandonado por Julio Verne, 1 vol.
ene. 2*000
P rocesso Lerouge. romance hist-
rico, 1 vol. ene. 3*000
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene. 3*000
Neto do Aceitado, romance histrico,
1 vol. ene. 3*000
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 3*000
Cbiquinbo, Enciclopedia da Infancia,
por G. Bruno, 1 vol. ene. 3*000
Caricaturas em proza, por Luiz An-
drade, 1 vol. ene. 3*000
0 Pastor e a ovelba, obra rara e es-
cotada pelo finado hispo D. Joao, 1
v. ene 12*000
O birajara, lenda, 1 vol. ene. 3*00U
Arnaldo Gama- Um motim ba cem an-
nos 1 vol. ene., obra rara 5*000
0 Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 2*0P0
P. de KoctJoo, 2 vol. ene. 4*000
As mil e urna mulheres, 4 vols. enes. 6*000
A caca de um barn ato, l vol. ene. 1*500
Arraldo GamaO filho do Baldai, 1
vol. ene. 4*040
Os berdeiros de Caramoru, romance
histrico, 2 vols. ene., finos 6*010
A igreia e o Estado, por Ganganelli, -
4 vols. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes finos, com gravu-
ras 12*00
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro 2*000
Ca8tello de Grasville, romanee raro,
2 vol, ene. 3*0*0
Leonor, D'Amboise, 1 vol, esc. 1*0*0
As obras de Julio Vern, 42 vols,
enes. 30*0*0
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene. 310(0
Typos de cara dura, 1 vol, broch. 1*000
As viagens de Guliver, obra critica
ejocoza (rara,) 1 vol, broch. 3*0(0
Voz-.s da historia pelo Padre Gui-
Iherme Dias. 1 vol, broch. 2*500
O inatadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o Io. vol s. 1*500
Ponson do Terrail A beranca myste-
rioza o 2. vol sO ene. 2*000
Carta sobre a Companbia de Jezus
1 vol, broch./' 2*000
Miscelania Beligiesa por Pinto de Cam-
pos (obra rara) 1 v. broc. 3*000
Ao cidadao Aniceto, versos do Cigano
ao Dr Chinez (raro) 1 v. broc 1*500
Oracao fnebre do bispo D. Vital, 1 v
broc. 2*000
Propaganda religiosa Christo e Papa em
prosa e verss 1 v. broc. (raro) 2*000
Deseseis de Maio, puemeto, 1 v. broc.
(raro). 1*500
Factos d3 Historia de Pernambuco,
1 vol ene. 2*000
Blbliotbeca do povo, 31 caderninhos
broc. 4*000
Um misterio de familia, por F. Tavora,
1 vol. broc. 2*50 0
Um casamento nofarrabalde, 1 vol.
broc., mesm'autor. t*500
lliimnnre relMeaoa um volume.
Tbatre complet de Eugne Labicbe
Eugne Cfaavette Le Saucissoo Pattes
Premier Amant par Georges Doval
Catalogue le Muse d'Artillene par 0 Peoguilly
L. Haridon
Henry Babusson L'Epouse
Lopold Stopbaux les Vicieuses
Lucien Descaves La Teigne
Emile Allaim Bio :e Janeiro
Edard Montegue Les Affems de Londres
Tieonot des Ablestes grapinos de Girondas
Marcel Trvost Madamoiselle Jaofre
Louis de Hesgem Loeovre de la Cbair
La Comlie de L'Apotre par Cbampfleory
Le Fils du Jesuite par Leo Taxil
Udyss Burot Les Usurlers de Pars
Prosper Miimv La Double Meprise
Carolus Bro par Desses ;Les Moulins
Prosper Mrime Les Deus Heritages
Lceur d'or par charles Merouvel
Le Heve par Emile Zola
Le Pnnce Zilab par Joles Claretie
Un gndre par A. Matthey
Len Heorique Un Caractre
Le Enfant de 36 Peres
Lon Micbel Tunis
Le Casier Judiciaire par Odisse Barot
Albert Delpit Solange de Croix St Luc
est aqu, e pode fazer todo entrar na
ordem devida.
Com as sobrancelhas mais carregadas da
que nanea, elle replicn .*
C&m certeza j demasiadamente
tarde para isto !...
Logo ao entrar na enfermara, o Sr. de
Rhodes foi irapressionado por duas cousas:
a decomposicao das feicoes de Diana, que
acaba va de ser accomnettida de nova syn-
cope, e a alteraySo do rosto de Margarina,
que pareca ainda mais doente do que o
amiga.
Meu Deas murmarou elle ass<sdo
por singular terror, como grave! Se aos
doze annos ella os paz de semelhante
coosa, quem por ventara ter estatura
suficiente para lutar com ella mais tarde?
N'uma visSo mais rpida do que uro
relmpago, vio no horsonte qualquer cou-
sa muito negra, da qual a sua vontade, a
sua n elligencia, a sua fortuna, talveanSo
lograssem preservar a filha, e mentalmente
pedio a Deus que supprimisse do numero
dos vivos aquello ente malfuejo e maldito.
Um g ito da Margarida arrancn-o s
suas reflexSes.
Ella tinha avistado o Sr.' de Rhodes.
Papai, exclamou ella, oh 1 vem,
vem 1... Diana vai morrer !... Papai,
meu querido papai, tu podes tudo agora ..
Salva-a !.. ..
Estas palavras, aquella invocacao ao aeu
poder, para ella ilioiitado, aquella confan-
ca reforcada por urna adoracao que d'etle
iazia um Deus no seu coracao de crianza,
emocionaram e perturbaram Jacques de
Rliodeu at o amago d'alma.
3 Tentn protestar resistir adorada, tSo
loucamente amada, e cujas lagrimas, cojos
estrfuiecimentos e cu jos solocos lhe arre
bataram o sangue fri e a raz&o.
fcupplico-te, d sse-lhe elle meigamen
te, escuta-me, acredita no que te vou di-1
V* -
Adolph Belot Les Fugitlves de Vienne
No e8criptono deste Diario se dir qoem ven-
de todas estas obras, e faz-se grande abatl-
mento a qoem comprar todas juntas
S na Revello
48Ra Duque de CaxJas- 48
Em vista do propretario deste grande es-
tabelecimento querer liquida! o, resolveu
vender por menos 50 / tanto fazenda
de lei como de moda.:A SABER :
Cortes de etamine de 14$000 por 8)J000.
Surah de linho fazenda muito larga a 320
rs. o covado.
Luvas de seda a 10, 1)5500 e 2$0'0o par-
Voile de algodao a 240 rs. o coyado.
EtamineB de efires a 28'J, 300 e 320 rs.
o covado.
Colchas de cores a 20COO, 30000, 4*000 e
54000 urna.
Zephiros de cores a 120 e 160 rs. o co-
vado.
Merinos lavrado a 500 rs. o covado.
Toilettes para baptisados a 65000 e #8000.
Lindas ISs de cores a 200 e 240 o covado.
Cachemira de quadros com listras de seda
a ljSOO'J o covado.
Pannos de crochet para cadeiraa a 500
is om.
Cortes de metim para vestidos a COOO
om.
Voile de 13 ultima m.da a 803 rs. o co
vado.
Cortes brancos bordados a 120000, 140000
e 150000 um.
Fichs de todas as cores de retroz s
10000 um.
Cortes de cambraia branca de quadros a
10600 om.
Ditos de cachemira bordados a 250000 om.
Cort-'nados bordados a 60000 e 70000 o
par.
Atoalbado de linho por 20400 o metro, com
deffeito.
Cortinados de crochet finos a 100000 um.
Camisas finas de meias a 14000 urna
(Jobertas forradas para casal a 205OC
urna.
Madapolo americano com 24 jardas a
50000 e 60000 a peca
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
Toalhas para crianca a 100 rs. urna.
eroolas francezas, a 10000 orna.
Atoalhado de algodao a 10200.
Algodao trancado para toalha a 10000 o
metro.
Bramante de algodao com 4 largaras, a
800 e 10000.
Lencos de algodSo a 10200 e 25000 a
duzia.
Ditos de linho a 20500 e 30000 a duzia.
Collarnhos e punhos, precos sem compe-
tencia.
Crotones escuros e claros a 200 e 240 rs
o covado.
Cobertores brancos de 12, para acabar a
20100 um.
Bramante de linho a 20000 o metro
Brim pardo trancado a 240 re. o covado.
Panno para mesa a 102OO, 10100 e 10600
o ci-vado.
V*Btidos de Gersey para creanca a 60000
om.
Camisas de linho para homem a 20000,
30000 e 40000.
Granadinas phantasia a 360 o covado.
i,'o8turnea de cachemira para homem a
140000 e 150000 um
Cortes de casimira a 40000 om.
Cortes de fusta'o para col le te a 600 rs. um.
Guardanapos c m franja a 20OCO a duzia.
Espartilhos cooraca a 40000 om.
moitas outras fazendas que s comoa
v sta poderSo avaliar, assim com aprom-
pta-se em sua officina um costme em 24
horas, garantindo-se toda perfeigao e preco
muito commodo.
S na Revolucao
HENRIQUE DA SDLVA MOREIRA
CHIGARAM
Os mostjmtsiros americanos
Com armacSo e carntel conforme a estampa
Pretpos : l2$ooo, l5$ooo e 18$. oo de cores
Loja das Listras Au s
61-RA DUQUE DE GAXIiS-61
^ Os Barateiros! !
E' s neste estabelecimento que pde-
se encontrar fazendas finas de gostos lin
dissimos jor pre^s razoaveis, como se- grande cidade de Pars, os mais importas-
QTTI *<- fiPtafoAtna Ar. *** MJ
WlISEf
Roya! Blend marca YIAW
Este excellente Whisky Escoces pro
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corpo.
Vende-be a retalho nos melhores rma-
seos de molhados.
Pede Roya! Blend marca Vlado,
cojo nome e emblema sao registrados par*
todo Brazil.
BROWNS 4 C, agentes.
Arados de Cuba
Ns. 1 e 2
Vendem-se
Na Fundic,ao Geral
jam
Voiles de 12, padroes inteiramonte ro-
vos, merinos idem, idem, cachemiras la-
vradas, o que pode haver de mais 'lindo
em gostos. ,
Cambraias da China, idem catitas, idem
com salpicos c lisas, Victoria e transpa-
rentes, grande sortimento de cretones
(padrSes de voile) de gostos attrahentes-
Crepe da China, inteira novidade.
Etamines de cores, lisos e rendados.
Fost3e8 b.-ancos. Linons com narra, o
que ha de mais rico para vestidos, chitas
idem, idem e muitos oqtros tecidos a phan-
tasia.
Lis de quadros a 200 rs.
Merinos idem, aztnda de 800 rs., por
240.
Voiles de S e algodSo a 240 re. o co-
vado
Zepnyros de cores a 320 rs. o covado.
Merinos de orna argora a 230 rs. o co-
vado,
Bautista republicana a 200 rs. o co-
vado.
Madapolo americano a .35000 a pega.
Vanado sortimento de setinetas e cre-
tones, para chambres.
Grande e variado sortimento de chitas
claras, de cores e escuras. Idem-chama-
lot, padroes exquisitos. dem voiles, gos-
tos inteiramente novos. Casacos de Jer-
sey para senhoras, vestuarios idem, para
criancas. Toalhas felpudas para rosto e
banho, brancas e de cores. Grande sor
timento de aventaos, idem, idem de ba-
beiros, para enancas.
Para no meas
Grande rortimento de camisas de fla-
nella, nho e algodao.
dem de collarnhos de linho e cellu-
loide de cachemiras pretas e de cores, en
tre elias destacam-se as de 70000 o corte,
para costura es.
Alm das mercaduras que cima dicta-
mos, temos um esplendido sortimeoto de
cestas de palha e chagrn e moitos oo
tros artigos qoe sena eofadonho mencio-
nar.
E' so nos barateiros!!
A' RA Io DE MARCO N. 1
Beroardino Campos & t
A Florida
Acaba de receber pelo ultimo vapor o
que de maior novidade tem a populosa e
MOMAIS,
*** 3LERY
Vende-s em toda i bit
zer !... Sabes muito bem se te amo...
mais ainda do qoe a prtpna vida .'... Es
todo para mim... Queres me obedecer ?
Quero, sim, papai, mas oom a con
dicao de qoe Diana fique.
Diana orna rapariga m, qoe nos
detesta a todos. O bom Dos ponio-a,
porque ella nuoea praticou senSo o mal.
E' preciso que a gente se curve i vontade
de Deas.
Ella se arrepende, papai. Oh sim,
ella se arrepende de todo o coracao.
Meotira !... Ella ama vbora!...
Jacques, suspiroo Branca, tem com-
paixlo !.. Ella vai morrer.
Ah! se isso fosse possivel!..
Margarida torceo as maos, todas as suas
articulacoes estalaram, ficou livida.
Oh!
papai! exclamou ella, tu t5o garida enSo elle ?
bom e tao justo, por qoe fallas assim?... ^ ,.,.,.
Eo dSo quero que Diana morra; nao..
Farelo
superior do Bio da Prata a i800, dito do Ru
de Janeiro a 1*750. pesando 42 a 44 kilos ; vea-
dem Franco & C, no pateo da Penba n 8.
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se Cntelas do Monte de Soc-
corro de qoalqaer joia, brilbaotes e relo-
gios, paga-se bem na roa do Cabog n.
n. 14.Loja de relojoeiro.
looge, porquanto era a hora da sua visita
da tarde.
Era um dos melhores e mais autorisados
clnicos de Bordos.
Ao aspecto de Margarida estendida n'om
doj leitos da enfermara, tSo paluda qoe
dil-a-hiam morta, elle franzio violentamen-
te as sobrancelhas.
Mas esta menina est bastante doen-
te, disso elle, muito mais doente do qoe a
ootra.
Gelou-se-lhe as veias o sangue de Jac-
ques de Rhodes.
O armador escapou de cahir fulminado
aos ps da filha.
S a ana possante vontade vencen essa
emocao mortal.
Quem por ventara podera salvar Mar-
tea artefactos da ultima moda.
Papel bordado com milita fantasa, propr-c
para cartas.
Cromos de seda e de oleographia.
Caixas de msica com manivellapara 10,
20 e 30O1jO.
Caixas de msica, com corda, fechadas
com 1 a 3 arias para 7, 8, 9, 10 e
120, proprias para presentes.
Ricos enxovaes para baptisado a 70, 80
90, 100 e120000.
dem muito linos "para 160 a 200 om.
Timaosinhos com sombra com fitas e bicos
de c .mbraia transparente a 30 e 30500
Um grande sortimento de porta-tranca.
para 500, 10 e 10500.
Grampos dourados e c. m perolas a 200 e
500 rs. um.
dem de celuloide e dourados a 200 s
300 rs. um
Estojo para desenho de talagarca a 30000.
Bandeiras de 13 dos Estados-Unidos do
Brasil a 1050 30000 e 40000, confor-
me o tamanho.
Grande sortimento de bolsas de pellica
de chagrn psra 2, 3, 4 e 50000, para
senhora e meninas. .
Carteiras cem estojo a 3, 4 e 50000
10500 e 20000.
Grande sortimento de bcos de algodao e
de seda, braceos e de cores.
Livros de sortes a 300 rs.
Albuns de pellucia e de chagrn, goato
moderno, imitando um leque.
dem para cromos, poesas e mosteas.
Espadinhas para crianca.
Boleas de conro para cobranca.
Na va i has d Roger Amao americanas el-
ctricas e de 2 laminas, e afiadores com
a massa propra para affiar.
Ramos de flores para baile e casamento
de 10500 a 40000 nm.
O Cabelleira engenheiro invento a 50C
res.
GalSes e bordados de cores.
Bordados de cambraia de 600 a 10500 a
peca.
Sabonetes para tirar nodoas de casemiraa,
sedas, las e outras fazendas finas de
800 ris.
Oculos e pnce-nez finos, dourados, b-
falo e nickel.
Tinteros para viajantes.
Espartilhos para 4, 5, 6 e 70000.
Collarnhos e pannos de borracha.
Caetas de vidro a 500 r.
Boleas para menino de eschola a 20COO.
Sabonetes para banho com desinfectante
a 40 ris.
Polseiras americanas para 3, 4, 5, 6. 7 e
80000. tr > ,
Anneis e brinooa com pedra imitando bri-
lhante.
RUAD OQUE DE CAXIAS N. 103
Pe chincha
Passa a correr com a primeira lotera dests
fcstado, que se extratiir no mez de Selembro, a
rifa de um piano com o titulo cima.
minha filha est perd -
Meu Deus !
da .'...
Don lhe a minha palavra de honra
em como n8o jalgo isso. Feliz e amada,
ella ba de viver, mas qualquer emocSo
forte pode mtala.
Urna rpida chamma perpassoo pelos
olhos de Jacques, qoe dirigi a Diana um
olhar de odio tal, qae ella tremera se o
, ao pa8so qoe Deas, o qaal entre-
visse
na\>... o quero
As derradeiras palavras extinguiram-se
lhe
vam.
Resisti.
E' minha filha, dootor, disse elle.
E eo sou Jacques de Rhodes. Pode fallar.
As finas narinas de Margarida dilataram- i 4 P 7 'cvuu F m *-
o, fta h^llh nlKa ^.^m.^ AJP1 do ^sento Branca desvairada, e da
se. os seos bellos olhos cercaram se de
no ranger dos dentes, que se choca-Sou. ^Huelles que deven, que querem
| ouvir tudo. Que tem ella i
A superiora havia levado para um a-
ilo do aposento Br
larga mancha azulada, inteiricou se nos jv bracos do Sr. de Rhodes, Bem repiracHo, j D me licenca qoe aoscolte a meni
sem novimeuto, como morta. na 188e o medico.
Diana pareca igualmente mergnlhada E e"e proprio entretanto com a vida a
em syncope. fugir lhe, erfftieu sem tremer, tal era a
Desde a entrada de Jacques, comquaato firca de sua energa, o adoravel corpnsi-
tiveese fallado alguns momentos antes, ella'nho da filha, molle e inerte como o de
nao abra os olhos nem mova os labios. uma morta.
rpida conversaco
Tel-o hia visto ?
Tena ouvido a sua
com Margarida?
Era provavel.
Julgando. porm,a causa em boas maos,
tomara a precauc2o de nao ntervir.
O medico, reclamado pelo Sr. de Rho-
des, chegou alguns minutos depois.
Nao tinha sido preciso ir busc-i-o muito s^nsivel...
\8sim, obrigado, disse o medico ao
*bo de alguns minotos ; pd? tornar a
"eital a agora.
Que tem ella ?
O curasao de ama delicadeza extraordi-
naria. ..
Muito doente entSo ?
NSo precisamente, mais muito, muito
tanto prohibe o odio, devia absolver Jac-
ques, pois nonca homem algom soffreo o
que soffra aquclle pobre pai em seme-
lhante momento.
E esta syncope, pergantoo elle, co-
mo a explica o sanhor ? .
Consequencias de uma emocao, sem
auvida. Friccione lhe as tmporas com
um pouco de ether, d-lh'o igualmente a
respirar, leve a para perto da janella, e
isso passar j.
Branca approximava-se,
Est mnito doente, a minba filha ?
murmnroo ella angustiada, mal se susten-
do de p.
Coraqoanto tivesse sido ella a colpada
por baver desobedecido e levado Marga-
rida aquella casa, Jacques' nao teve cora-
gem de dirig r-lhe a menor exprobrajad.
Estava com aspecto tao desolado, tSo
desesperado...
N3o, respondao-lhe elle com infinita'
meiguice ; soffreu uma emocao mnito for-
te, mas o seo desvanecimeuto vai passar-
E' preciso dar-lhe ar.
A superiora havia j carregado em bra-
cos a rapariga, e, sentada diante da ja-
nella aberta, friccionava-a delicadamente,
ajudada pelo medico.
Branca, solucinte, apoiou a cabe$a
hombro do marido.
(Continuar-ae-h)
Typ. Diana, Ra Deque de Caxias n. 45
'
*
,


*:'
'--.
S



4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIBE5OVG4_JSND34 INGEST_TIME 2014-05-19T18:54:10Z PACKAGE AA00011611_19212
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES