Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19169


This item is only available as the following downloads:


Full Text


vT ~ N U FR O loo
i:
/.
-JPAHA A CAPITAL K LL'GRES O.VDE NAO SIS PACA PORTE
ror tres mezes adiantados. .......
Por seis ditos klcm...........
Por am auno idem .... ..... i .
Cada numero avuiso, do mesmo dia..... .
DIARIO
6,5000
12r5000
23000
dlO
SEXTA-FEKA 26 DE JLBPR& 1889
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por bou mezes adiantados.............. 1305Cr
Por nove ditos idem................. 20(5000
Por um anno idem. ....'.........' 26|5000
Cada numero avulBO, de das anteriores .. ,...... iJIOO
Trvpriedade de Sttarwel
de ^aria 3%U)os

.

TELE6RAHAS
.:
S337ICC SA 3SSCIA 2A7
MADRID, 24 de Julho.
Teve completo xito a experiencia de
rapidez submarina do navio construido
pelo Sr. Peral. .J
PARIS, 21 de Jnlkh
Suppie-sc qne os debates do processo
do general Boulanger principianta no dia
-> de Agosto.
LONDRES, 21 de Julho.
O general Boulanger mandou publicar
am Franca urna caria manifest na qual
declara que o projecto de le relativo s
candidaturas multplices urna violacao ao
-itFragio universal, e vai protestar contra o
mesmo projecto apresentando a sua candi-
datura em 80 districtos de conselhcs ge-
raes.
. ROMA, 24 de Julho.
O governo italiano recusa continuar
bloqueio do Zanzibar.
ROMA, 2;"> de Julho.
O governo italiano acaba de declarar a
dissoluoao do Comit de Trent e Trieste.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
25 de Julho de 1889.
INSTRCCO POPULAR
AS GRANDES
ANTIGS K MODERNAS
NA8
Sciencias. industrias e artes
POR
XX
Os aerosUlo*
(Continuacao) ,
A 31 de Outubro de 1783, depois de grande |
hesitaco da parle as Montgollier e do rei Luk
XVI, que receavum pelos ousados aeronautas,
Pilatre de Rozier e o tnarquez de Arlandes dei-
xararu-se arrebatar pelos ares fora, por um ba-
lito de fogo, construido por Esteyao Monlgolfier.
Parliram do castello clu Muette, situado no bosque
de llolonha. A viagem aerea foi muito feliz, e
quando desceram forara recebidos como verda-
deiros tnumpliadores. ^
A brilbanle experienc.a de Pilatre de Rozier
foi logo depois repetida coiu um balo de gaz
hydrgpmeo, fluc era muito mais seguro do que
uui balo dlo*/ .... geos areas. Esta ex-
periencia teve luflr ..o L?g|gUBHB|^UU|
No meio de um*, mullida 'a de
.tedososp
tlraui (I
sadas dv.aMJ|KinBPH|Hae rarls, na
campia de N"eIc.
A experiencia que acabamos de relatarTnarcoa
uraa grande data na historia da arte que nos oc-
cupa, porque ioi nessa qceasio que o physico
Charles creou todos os meios que depois se usa-
ramnas viagens areas, a saocr: a vlvula para
fuer descer o aeroatatc, dando sahida ao gaz,-a
barquinha em que vai o aeronauta,o lastro
para moderar a rapidez da descida,a carnada
de cautehouc aplicada ao balo de seda, para
obstara perda do gaz hydrogeneo,finalmente,
o uso do barmetro que ndica, pelas variacas
de altura da columna de mercurio, se a machi-
na area sbe.ou desee na atmosphera, e serv,
no caso de necessidade, oara medir a altura a
que se acha o balo.
Eis as disposicoes que foram feitas rtelo phy-
sico Charles para encher o seu balo de gaz hy-
drogeneo : O gaz produzia-se dentro de muitas
barricas contendo acido sulfrico, ferro e agua ;
estas barricas c-tavam munidas de um tubo de
metal, que conduzia o hydrogeneo a outra barri-
ca maior, meiadagua, para o limpar dos gazes
estantos soluveis na agua ; ao sahir deste tonel,
o gaz hydrogeneo ia, porum cano de couro, para
dentro do globo de sedo.
Blanchard, aeronauta francez, depois de haver
feitos muitas ascenedes brilhantes, concebeuum
projecto de incrivel audacia para urna epocha em
que a sciencia aerosttica eslava ainda cheia de
perplexidade e incertezas, annunciou que ao pri-
meiro vento favoravel oassaria empalio, de Do-
ver a Calais, o braco de mar que separa a Ingla-
terra da Franca.
No dia 7 de Janeiro de 178a, Blanchard subto
efTectivamente, com um irlandez, o Dr. Jeflries,
em um balao de gaz hvd-ogeneo, que foi lancado
a costa de Dover. Como estivessem sobre o mar
cerca do terco da viagem, o balao principiou
a descer; alfraram fora o lastro e o balo subi
e dirigio-sc para a Franja.
Kstavam ja a ver a-> costas da F ranga, quando
o balo, que perda gaz, comecou a descer r-
pidamente. Lancam ai- mar suas provises de
bocea, seus apparlhos e mesmo a propria rou-
pa. Mas o balo descia sempre. Emm, de-
pois de terem mais de urna vez corrido risco de
cahirno mar. attingiram a costa e desceram as
portas de Calais, onde se fez aos intrpidos via
jantes urna recepeo esplendida. Blanchard re-
cebeu do mairc ucn diploma de cidado de Ca-
lais, e o seu balo foi guardado, em memoria
d'este successo, na principal igreja da cidade.
O physico Pilln- de Rozier, que havia mani-
L'estn) um talento eaelo n.-tavol para o pru-
gresso dos aerstatos morreu paseado pouto
temK), a S de Junho de 1785, ao querer imitar
a arrojada tentativa de Blanchard. Tinha ima-
ginado combinar ca ratean nico os dous
meios de que se havia at ento servido, isto
o montgollier com o aeronato de gaz hydroge-
neo.
(Contina)
urna vez que algumas das
das ObiBB Pablicas, e o
k-iu em Marco de 1887,
idemaisaeao, em
Junho de de 1889- Iguaria
co resolve :
jdc j
*i pagadura da mesina reparti-
"Vovftado para urna das vagas
Pernambuco, 21 de Maio de
a de Albuquerque Mdlo, 1.
secretario.
contava tempo, quando foi
orcamento de rs. 2:118)117 foi reduzida
obras deixa"ram de ser executad;is,
arrematante cncarregou-sc da exccucil
percebendo por ellas rs. 2iC|$800.
Accresce que carece o mesmo
face do art. 97 do regulamento de 20 de4
t Neg, portanto, sanccSo.
Palacio da Presidencia do Peruamfc
Joaqt'im di Souza Leao.
c A AssembUa Legislativa Provincial
., Art. i. reaidsnte da provine
las Obras Punteas o
: i*~1fXo Fr*ndco Fuado de Mendonca.
que se der de 3.0 escripturario do Tliesouro Txmneial, independente das formali
dades de que trata o art. 80. 7" d regulamento dfc 2 de Julh de 1879.
Art. 2.a Revogam-se as disposicoes em contrario.
Payo da Assembla Legislativa Provincial
t 1889. Barao de Laiar, vce-presidente. Jos
secretario.Francisco Phadante da Cmara Lima\
Volte Asscu bla Legislativa Provincial.
O cidadSo, a qu.em aproveita a autorisacao
expedido o regulamento de 20 de Junho de 1887que lhe desse direito aposen-
Conseguintemente ficou prejudicado com W extinecao ou suppressio da pa-
t gadoria da reparticao das Obra Publicas e sem^ircito a ser addido a mesma re-
particSo.
Demais os lugares de terceiros escripturatios do Thesouro Provincial se
i podem ser prvidos mediante concurso, nos termas do Regulamento de 2 Julho de
1879 art. 80, $ 7.
Abrindo, portanto, a presente ResolufSoj urna excepco odiosa, deixo de
sanccional-a.
i alacio da Presidencia de Pernambuco, 3 de Junho de 1889.Ignacio Joa-
t quim de Souza Leao.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
t Art. 1." Os empregados municipaes que tiverem mais de 7 acnos de ser-
vicos poderSo ser nomeados para as reparticSea rovinciaes, independente de
concurso.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 21 de Maio de
i 1889.Barao de Calar, vice-presidente.Jos Maa de Albuquerquu e Mello, 1."
secretario.Francisco Phadante da Cmara Lima, 2 secretario.
<- Volte Assembla Legislativa Provincial.
E de conveniencia para o servico publico otoBCurso para prcenebimento
< de vagas as repartigoes de que trata o Regulamento tre 2 de Julho de 1879, por
quanto s deste modo peder-se-ha conseguir pessoal idneo; pelo que nenhuma
utiiidade publica justifica a necessidade de seren nomeados, independente d"aquella
formalidade, para as repartiQSes provinciaes os empregados municipnes que conta-
rein maia de 7 annos de serviros, favor que nem mesmo os empregados provin-
ciaes gozam caso (pretendessem a nomeacao para os lugares de concurso a que
allude o citado Regulamento.
Neg, pois, sancoSo a esta RcsolugSo.
Palacio da Residencia de Pernambuco, 4 de Juiho de 1889.Ignacio Joa-
quim de Souza Ijeao.
& A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
t Art. 1. Fica o presidente da provincia autorisado a aposentar ao ex-em-
v Finalmente, regalado como so acha o servico da Instruccao Publica por
disposicoes recentes que a experiencia nao tem ondemnado, nao do bom aviso
& estar-se a alterar disposicoes que v3o sendo praticadas, sem inconvenientes, em
6crvico que deve ser regulado de nico modo fixo e cstavcl.
i Palacio da Presidencia de Pernambuco, 4 de Junho de 1889.Igiuiio Joa-
t quim de Souza Leao.
A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve:
* Art. 1." A forja policial para o exercicio de lt>90 ter o cffectivo de 1,139
a pracas, 180 das qua.es serao destinadas ao poKciamento da comarca do Kecife.
Art. 2. TdS* ella ficar sob a inspeccuo de um fiscal, que ter a grada
io de major, auxiliadadi^or um secretarlo e lu q' ;t< l-mcstre, com a gradu:
PARTE OFFICIAL
Governo da Provincia
KGLATOHIO
dividum em seCcrJcs, commandadas cada urna por nm &Y
feres. v
< Art. 4." As seccies, de que falla o artigo antecedente, constarlo de 24
pracas, excepto as da capital que se comporao de 30.
Art. 5. Pernianecerao nesta capital 6 seccSes e urna em todas as comar-
cas do interior encarregada, como aquellas; do policiamento local e dos termos an
i nexos, devendo alternar nmas como as outras de seis em seis mezes, quando mu
t to, e seus respectivos commandantes.
Art. 6. O fiscal perceber de vencimentos 2:t300->000, sendo 1:800^000 de
* ordenado e 8(X)5000 do gratificado, o secretario e o quartel-mestre 1:000*5000 de
( ordenado e o80;S000 de graticacao, os al feres, commandantes das seccoes 7005000
de ordenado e 300,5000 de gratificacao, percebendo os da comarca da capital mais
a a gratificacao addicional de 200->000.
As pracas venecrao a mesma diaria que actualmente percebem de 1140
reis, ^ndo as das 0 seccoes da capital 00 reis de gratificacao addicional.
Art. i.
i Art. 8.
Fica extmeta a guarda cvica local.
O presidente da provincia far no regulamento vigente as alteraoes
t necessarias para a boa execugao da presente ei.
e Art. 9." No caso de perturbacSo na- ordem publica cm qualquer das co-
marcas do interior, o presidente da provincia poder fazer couvergir para o ponto
perturbado a forja das outras comarcas, que julgar conveniente.
Art. 10. Ficam revogadas as disposicoes em contrario.
. Pago da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco 20 de Maio do
* 1889. BarUo de Caiar vice-presidente. Jos Mara di- AUniquerquc Mdlo, l."
i secretario. Francisco Vhadante da Cmara laima, 2. secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
A presente Resolucao fixando a forja policial para o exercicio de 1890, a
reproduccao da que fixou a mesma foroa para o corrente exercicio c a que a presi-
i dencia da provincia negou sanccSo em 14 de Dezembro do anno findo.
Pelas mesmas razies porque a resolucao de 4 de Dezembro de 1888 foi de-
k volvida Assembla Legislativa Provincial, nao pode ser sanecionada a present
i resolucao. *
* Assim: cabendo as Assemblas Legislativas Provinciaes pelo 2." do art.
com que o i:\in. Barao de Monza Leao passou a
admlalstraco da Provincia em SO de limho de
isM>aoii\m. 1 Tice-presidente Baro de Caiar
(ContinuacSo).
Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
Art. 1." Ficam concedidas a professoras D. Mara do Rosorio Pinheiro, e
D. Lisbella de Albuquerque Mello, a primeira do Giqui em Atogados c a segunda
da liba dos Ratos, as gratificacoes a que tem direito por contarem mais de quinze
annos de exercicio.
- Art. 2.'' Revogam-se as disposicoes em contrar'o.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 21 de Maio de
1889?Baro de Caiar, vice-presidente. Jos Mara de Albaqna- cretario. Francisco Phadante d- Cmara limo, 2." secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
- Ainda que as Assemblas Provinciaes tenham competencia para legislar so-
bre instruccao publica e estabelecimentos proprios a promovel-a, nos termos do
art. 10 2." do Acto Addicional, exorbitante de suas attribuijwcs fazel-o de mo-
do especial que directa ou indirectamente aproveite a certo e determinado indi-
viduo.
O regulamento de 18 de Janeiro de 1888 determina o processo para a per-
cepcao da gratitcasao de mrito, e esta s pode ser concedida pelo poder admi-
nistrativo.
A presente resolucao concedendo essa gratitcasao a professoras Mara do
Rosario Pinheiro, e Lisbella do Albuquerque Mello, que deixaram de ser attendidas
por esta presidencia por nSo terem provado os requisUps estatuidos pelo art. 128
do citado regulamento, alm de inconveniente, inconstitucional; pelo que deixo
de sanccional-a.
Palacio da Presidenta de Pernambueo, 3 e Junho de 1889.Ignacio Joa-
, quilo de Souza Ledo.
* A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
t Art. 1. Fica o presidente da pro^ncia autorisado a dar ao capitSo Gauden-
cio Rodrigues de Araujo, a quantia de 2:000)5000 como indemnisacao pela ponte de ma-
deira por elle construida sobre o rio Burity, a qual ficar pertencendo provincia.
Art. 2. Revogam-se as d8posi5es em contrario.
Pa$o daAsBembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 21 de Maio de
1889-Barao de Caiar, vice presidente.Jos Maa de Albuquerque Mdlo, 1.
secretario.Francisco Phadante da Cmara Lima, 2." secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
A' pretexto de indemnisaao pretende-se a conjessao de um favor, que os
cofres provinciaes nao podem supportar.
A ponte alludida foi construida pelo capitao Oandencio Rodrigues de Araujo,
em proveito seu, para facilitar o transporte dos productos de sua industria.
Continuando a auferir vantagens resultantes da construcsao d'essa ponte,
ho justo, que venha ainda receber a quantia de 2:000(5000, passando-a a pro-
vincia quando mesmo podesse valer semelhante quantia.
Deixo, portanto, de sanecionar a presente resolucao, por nao convir aos
intere8ses da provincia.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 3' de Junho de 1889.*-Ignacio Joa-
,mim de Souza Leao. ,
A Assembla Legislativa Proviucial de Pernambuco resolve:
Art 1. Fica o presidente da provincia autorisado a mandar indemnizar da
quantia de 6000000 a Firmino Manoel dadiva Braga, dos prejuizos obtidos na
arrematacao dos reparos da cadeia da cidade de Caruar.
Art. 2. Revogam-se as disposicoes em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco, 22 de Maio de
1889.Barao de Caiar vice-presidente.Jos Uan de Albuquerque Mello, 1."
secretario.Francisco Thaetatde da Cmara Lima, *%? secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
A presente resolucao prejudial aos nteresses da provine
tasto de que, se- trata, feita em Novembro de '
A arrema-
abate de 1
pregado da Uamara Municipal do Recife, Ignacio Ped das Neves, com o ordenado
que lhe competir.
< Art. 2," Revogam-se as disposijoos em contrario. ^a
Paco da Assembla Legislativa ProvJDeinl de Pernambuco,""^ de Maio" a<
a 1889.Barao de Caiar, vicepresidente.Jos Mara de Albuquerque e Mello, 1."
t secretario.Francisco ^hadante da Cmara Lima, 2." secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
As assemblas provinciaes nSo tm competencia para legislar do modo es-
* pecial que aproveite a certo c determinado individuo.
A aposentadoria dos empregadoa do municipio do Recife s pdc ter lugar
a nos casos especificados pelas leis ns. 1.29, de 2 de Maio de 1887 e 1.991 do
t corrente anno.
A presente Resolucao, alm de autorisar urna aposentadora a um ex-empre-
gado da Cmara MuaicipSi do Reeife, fra das priscripcSes legaes, d lugar a re-
t clamacoes e concessoes idnticas, prejudciaes aos cofres da municipalidade, j
i tao sobrecarregado de despezas que com difficuldades tem sido satisfeitas.
c manitesta, portanto, a inconveniencia e inconstitucionalidade dcsta Reso-
< lucilo, que por estes motivos nao pode ser sanecionada.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 4 de Junho de 1889.Ignacio Joa-
i quim de Souza Ledo.
t A Assembla Legislativa Provincial de Pernambuco resolve :
Art- 1. Ficam os vene i montos da professora da aula primaria da Escola
* Normal, equiparados aos dos demais professres da mesma.
Art. 2." Revogam se as disposicSes em contrario.
Paco da Assembla Legislativa Provmoial do Pernambuco, 22 de Maio de
1889.Barao de Caiir, vice-presidente.Jos Mara d,: Jftuquerque <: Mdlo, 1.
secretario.Francisco Phaelantc da Cmara Ltma, 2." secrrorio.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
E' inconveniente a presente Resolucao porque, embora equipare os venci-
raentos da professora da aula primaria da Escola Normal aos dos demais profess-
res da mesma Escola, parecendo assim querer reparar a apparente injusta da
desigualdade dos vencimentos, iiSo seria explicavel, attento o estado financejjro da
provincia, que reclama "toda a economa e nao permitte augmento de despeza com
t o pessoal, derogar o disposto no art. 6. nico do Regulamento de 27 de De-
t zembro de 1887, no que importara a sanecao do presente projecto, que, consul-
tando apenas o interesae particular, nada tem de utiiidade publica.
. e Palacio da Presidencia de Pernambuco, 4 de Junho de 1889.Ignacio Joa-
* quim de Souza Lefio.
A Assembla Legislativa Provincia de Pernambuco resolve :
o Art. 1. As cadeiras 3e instruccao primaria das freguezia da cidade do
Recife serio classificadas em ordem numrica por parochia. O inspector da Instruc-
c3o Publicas far a classificaoJU) dentro de 30 dias da promulgacao da presente lei
e collocal-ao-ha nos pontos ou lugares mais convenientes, podendo mudal-as de um
t para outro ponto da mesma parochia sempro que o servico da instrucsao o
exigir.
* Art. 2. Os districtos litterarios das freguesas do Recife serao divididos
p0r cadeiras e nao po'r axtensao territorial, devendo cada districto abranger nume-
( ro igual de cadeiras.
|rt. 3.a SSo revogadas as disposs5es em contrario.
Paso da Assembla Legislativa Provincial de* Pernambuco, 21 de Maio de
1889. Barao de Caiar, vicepresidente. Jos. Maa de Albuquerque c Mdlo, 1.
c secretario Francisco ^hadante da Cmara Lima, 2." secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
t A faculdade de alterar a actual collocasno e distribuyo das cadeiras j
existe; materia regulada por disposisao vigente (Regulamento de 18 de Janeiro
t de 1888, art. 3. 19 n. 5. art. 16 art. 38 e 53).
A ResolusSo, pois, n'esta parte nada innova; intil. Quanto classifi-
casSo numrica das essolas, portn, alm de nao trazer cata, vantagem para o
". servico o estado actual d'elle, at incurial.
r Achaiu-se agglomeradas no municipio do Recife 111 escolas, e, necessana-
mente a algumas se ter de apphcar, proporsab- que vagarem, as disposicoes
para o caso, estatuidas no citado regulamento (art. 3 19 n. b), estando anda
taes iMeiras sujeitas ao dsposto n. art. 235 do mesmo regulamento.
Das suppressoes, que d'ahi h2o de resultar, provrao certamente lacunas na
classificasSo numrica e se ter repetidamente de estar fazendo njova numeras-lo
t por occasiao de cada transferencia ou suppressa de cadeira, o que trar nao pe
i quena perturbacao ao servio, fazendo-se, sem nenhuma vantagem e antes com
grave coraplicasao d'elle, variar suceessivamente de nume|*s cadeiras.
A nova providencia relativamente ios districtos Ij^arios tambem nao se
c justifica. .
Nao se pode deixar de ttraar a ripean terrSrial para baae da ju-
risdicsao lit'eraria, como qualqnar ou;
* Nao possivel era cnvm'J lo absoluto e uniforme a exten-
sao e.limites dos districtos, deveadl ue discreta e prudente arbi-
trio da admins. lcaos que variara.
das cadeiras, tambem por
territorial baje para a diviso dos
11 do Acto Addicional, a attribuisao de fixar a forsa peliciai las respectivas pro-
vincias, o presente projecto exorbita dessas attribuisoes, iuvadindo a da adminis-
trasao desde que, quelle a que foi negada a saneyao regula a acsao da forsa po-
licial, dividindo-a e localisando-a, quando administracao que compete, attentas
as circumstancias que occorrerem, o direito de dispor e mover foryapublica como
expresso no art. ." da lei de 3 de Outubro de 1834. -
* E pois, nao s por ser inconstitucional, como pela manifesta inconveniencia
a execucSo do projecto traria para o servico a que destinada a forca policial nao
s na parte em que extingue a guarda civica local como na que respeitaas demais
prayas do corpo de polica, neg sanesao a este projecto.
Palacio da Presidencia de Pernambuco em 4 de Junho de 1889. Ignacio
... Soaqaa de^zaLeao.
(Cojhnuo).

DESPACHOS DA PKSSIDENC1A UO DIA 21 DE, ThiVSUlIl'O I* l'O VUCul
JI.HO DE 1889 DESPACHOS DO DIA 19 DE JULHO DE 1889
Bacharel Alfredo Serapbico de Assis Carva-1 Hecehcdoria Provincial.Ao Sr. Dr. contador
Iho.Informe o Sr. inspector da Theaburaria dei para os lins|dcvidos..
Fazenda.
tartholoineu de S e Souza. Eacaminhese,
deveudo ser pago o respectivo pone na repar-
ticao dos crrelos.
"Francisco Pereira de Lyra.luforme o Sr.
administrador do theatro Santa Isabel.
Francisco Antonio de Moma Lima.-Informe
o Sr. inspector do Thesouro Provincial-
Gelasio Servulo Alves de Araujo. -Indeferido.
Jos Francisco dos Santos.Tratando-se de
pagamentos que deviara ser feitos em dous
exercicios ja eucerrados, requeira directamente
a Thesouraria de Fazenda nos termos das dis-
posicoes vigentes.
Joo Ferreira Vilella de Araujo.luforme o
Sr. iuspeelor do Thesouro Proviucial.
Luiza Clementina Vicira de Mello.Informe o
Sr. iuspeelor do Tuesjuro Provincial.
Alteres Luiz Bezerra das Saraos.-Indeferido.
Alunoel Hulino dos Santos.Hemettido ao Sr.
director do Areeoal de Guerra para attender.
Margarida Iria Bruno Vilella. Deferido com
ollicio desie data ao director do Arsenal de
Guerra.
Manuel Francisco do Nascimcnto.Informe o
Sr, Dr. chele de polica.
Manoel Jos dos Siutos Texeira. Informe o
Sr. inspector geral da instruccao publica. A nao
existencia de qualquer cadeira de instruccao
primaria as condic&es mencionadas pelo sup-
plicante, nao pode ser attendido o pedido.
Pbilomeuo Francisco de Souza c Manoel Jos
do Nascimento.- Informe o Dr. juiz de direito
da comarca de Bom-Jardiui.
The Great Western of Brasil Raihvay Limi-
ted. -iQtorme o Sr. inspector do Thesouro Pro-
vincial.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco 25 de Julho de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.
- 20
Joaquim Pires da Silva.Informe o Sr. admi-
nistrador da Recebedoria.
0 mesmo.Certifique-sc.
Mara de Castro Alineida.Informe a seceo do
contencioso.
Dr. Jos de Moraes Gucdcs Alcoforado.A'
contadura para sua sciencia.
Thoraaz Antonio Quiruaraes, Dr. chefe de poli-
ca, Felippe Nery Collaco e Ceeiliano Jos Ribei-
ro de Vasconcellos.-inerme o Sr. Dr. conta-
dor.
nfor.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 23 DE JULHO DE 1889
Antonio Rodrigues de Souza e Jos da Silva
I.oyo c Fillio.-Informe a l. seccao.
j"os .nionio de Mello.Certique-se.
23
Thomaz d'Oliveira, Joaquim Manoel Ferreira
de Souza e Antonio Domingos de SanfAnna.
Deferido em vista das inforuiuces.
Manoel do* Santos Araujo. -A" l. seccao para
attender.
Jos Thomaz & CDeferido de accordo com a
informacao do chefe da 1. secc.o.
Antonio Jos de Moraes Sarment e Luiz Alves
Montciro. Informe al.* seceo.
SCIENCIAS

Reparticao da Polica
2. secsao.. 8SOSecretaria de Po-
lica de Pernambuco, 25 de Julho de 1889-
lllm. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
que forana hontam recolhidos Jasa de
etencSo, os segnintes individuos :
A' minha ordem, Mauoel Eduardo de Lima,
alienado, al que lenha o conveniente destino.
A' ordem do Dr. delegado do i" districto xla
capital, Em-dino Jo? Pailino. como vagabundo
e Joao Manoel Fernaudes da Silva, por crjnie de
defloramento.
A' ordem do subdelegado da freguezia de
Santo Antonio, Manoel Delllno, Jos Pereira e
Jos Alves da^Silva, por disturbios.
A' ordem do d i districto da freguezia de
S. Jos, Antonio Francisco de Assis, por distur
bios.
A' ordem do do 1 districto da freguezia da
Boa-Vista, Mano I Luiz Correa, Joao Ale-
xaudrino dos Santo?, Jus Antonia de Siqueira
Joao Ferreira .de Brillo. Joo Carlos Fercrira,
i'edro Caseiuiro Peixolo e Augusto Jos de Saut'
Auna, por offemas i moral publica
A' ordem do do 2* districto da freguezia de
Nossa Senhora da Grac.i, Senhorinha Mari.i do
lispirito Santo, e Leon.wdo Macario Jos
nho, par embriaguez e disturbios.
Hontein assuuiio o exercicio ilo car,
legado do t districto do termo da
dadao Jos Amaro da Costa e Sih
de de3* supplentc.
DeuB guai
Sr. C
Congresso Jurdico
SESSAO DE 25 DE ABRIL
Aberta a sesso urna hora e meia da tarde,
com 40 Srs. coogressistas presentes, e meia du-
zia de cunvidados as galeras.
Como se v, a concurrencia hoje foi muito me-
nor, e dizia-se que isto devido ra impresso
que causou a discusso acalorada suscitada hon-
tein entre os Srs. Urs. Pinto Coelho, presidente,
e Tavares Medeiros.
ilomo se sabe, o 13" do programma do Con-
gresso diz:
Nenhum congressista poder usar lAais^u
nina vez da patavra sobre a mesma conausao,
nem por ma&lempo do que quinze minutos.
Ora, t Sr Dr. Pinto Coelho retirou hontem a
palavra ao Sr. Dr Medeiros, quando este cava-
IJieiro havia discursudo durante vinte minutos
sobre a sua these, que tinha duas conclusoes,, e
quando anda tinha direito a fallar durante mais
de 10 minutos I
O Sr. Dr. Medeiros retirou-se da sala, no que
fez bem, e hoje nao o vimos all oceupando
lugar que lhe competa como secretario.
Lida a acta da sesso de hontem, foi esta ap-
provada.
O Sr. Dr. Diojo de la Cruz Quesada, eongros-
slsta iespanl.o!, declarou qu'., se hontem. esti-
vesse presente, teria votado a these do Sr. Me-
deiros.
Resolveu-se que, por causa do passeio fluvial,
nio houvesse sesso plenaria armaba.
Em seguida entrou em discusso a these n. 7,
que a seguidle :
Couvein estabelecer disposiges que autort-
sem qualtjuer individuo sui juris, prevenlndo o
caso da sua ioucura, a determinar a pessoa a
qner que seja entregue a tutella de sua
?
jes do relatorio elaborado pelo Sr.
Jos Lopes da Silveira e I
n adoptar
atona, depois dt
r-
;l

i
*. ?


i




Diario de Pernambuco--Sexta-feira 26 de Julho de 1*89

Scado por peritos, e por ordem e cora a assis- deve e haver cora os mercados monetarios do ex-
tencia judicial, o estado de demencia do indivi- tjrjor, e at actuou para a elevaco do cambio,
doo a requerimento do ministerio publico ou da' mas cessando, em parle, as negociacfies de ven-
nlber do interdicto ou de qualquer prente da de empresas nacionaes e de eraprestimos, c
sceessivel. natural que os no vos compromissos e a immen
3.' Qne a nessoa aoraeada tutor deve, ou ou- su importaco qne continua, influara. fiadas as
Ira qualquer pessoa, levar ao conhecimento do safras de caf emendadas de 18881890, para
misterio publico o estado de sandice da pes-' que se renovem as oscillagoes do valor interna-
oa qne se aehar nessas condiges paradle pro- cional Jo meio circulante,
jwver o que tor de lei. Parece, pois, do conforraidade com a opinio
4 Que a pessoa nomoada tuto* pede e d! da- Aseociacae Caaunercial e .lo distingo Sr.
aer removida da tutora Isgo que s* coaheca
coraos fecuodadores ds industrias productoras
e consolidar, a lempo, o nosso systema mone-
tario.
Tanto mais e isto urgente, que pola desorga
niaavao do aotigo (raballio servil. pesam agora
no consumo de gneros alimenticios mais 600 000
libertos, alpa ue S00.000 imraigrantes novos,
entrados nos dous ltimos anuos.
ex osso de importaco de gneros alimenti-
cios sobe j a perto de 30.000 contos, e, erabora
libertos e minigrantes, movidos

m-
abosa das funches que em tal caso a lei (h
nimbe, ou as desmazela, a requoriannaUo do
ministerio publico, da ma%rdo interdicto oa
de qualquer parete successivel.
5.* Que. quandoa pessoa nomeada nao aree
encargo, ou seja removida delle ou falleca,
deve entre^ir-se a tutella pessea qt o cou.se-
Ibo de familia escolber, mesmo que easa eseolna
recaa em qualquer das pessoa que a lei desi-
gna para excercera lutella legitima.
6" Que convir decretar a separacao de pes-: crea que os libertos e irainigrantes,
toa u bom'noste caso do interdicto casado, quan- pela experiencia, vSo em breve entrar no labor
do este tenha preterido a mulher para adminis activo aas plantacOes alimenticias, coratudo de
Irar sua pessoa e bens; dando se destino acs fl-
fcos, se os bouve, e provendo ao seu sustento e
educacao. como em casos semelhantes as lela
determinara.
Pede a palavra o Sr. Armelira Jnior, que de-
ciara aceitar a pnmeira concluso.
Segu se no uso da palavra o Sr. Carlos I
recetar que, sem forte circulado de capilaes e
numerario, a evoluce se retarde por alguna an-
nos.
Nao quero fazer previsoes pessimistas, mas,
aos bomens competentes, fcil ser tirar cooclu-
soes para 1890.
A p~oducyao de caf carece de 40 a 30 rail con
i comiiatendo essa rsraa concluso, porque I tos para poder operar a reconstituiyo do traba-
ebtende que o facto de urna pessoa prever utna Ibo pelos moldes novos.
toncara prxima, constitue j ura symptoraa de
toocura.
O Sr. Dr. Sebastio Centeno apoia a tbese e
as concluses, de.sfazendo os argumento s do- Sr.
Carlos Branuao.
Falla em Seguida o Sr. Dr. Malheus dos San-
ios.
Entente que todo individuo .est no seu dirci-
to de providenciar para o caso de loucura. e nao
reeouhece direito maioria para vir dizer que
F. est louco, porque quer providenciar cerca
do son futuro, prevendo um caso de loucura.
O COBgressista hespanhol. Sr. Tallodnz. fot de
epiniSu "que o facto do
pensar nurna loucura, mais ou menos sensata,
eonstilue or si urna manifestacao de loucura.
Por isso rejeita a tbese.
PSr Maia Mendos approva a, fallando era se-
guida o Sr. o Sr. Axevedo astello Branco, que
jala;, qne a ihese em qoeatao devia ser apresen
tarta n um censresso de alienistas e nao um
Nao menor a necessidade de capitaes para a
industria do assirear. Os engenlns centraes tero
de reconduir-se nos limitados recursos das ac-
tuaos plantacoes.
Nao po tos de materia prima, onde ella diminuto de mais
de metade.
Sem capitaes a juro Paralo, allicionados ao
capital do fabrico, os prejuizos de venda das sa-
intiln H. ?
fraserao contin
E-ta questo interessa a 500 mil trabajadores
de diversas provincias.
Acribe alimenticia s ser vencida por 40 a
mindividuocoraecara 80.000 contos do capitaes de assocfocOes colom-
sadoras< garantidos a arrteadores e colonisado-
res do oeste de Miau, S. Paulo e Goyaz..
A valorisaco do raeio circulante evitar as
continuas oscillaces de presos dos producto?
de exportaco. O amparo do Thesouro aos ban-
cos de euiisso Ibes penniltira auxiliara lavoura
e as industrias fabns.
Laucado o svsleini que iniquei, os bancos
de vir ura! de omisso podero fecundar o paiz com 100.000
congresso jurdico.
Anuelle que prev a eveulunlidade
dia a er luVo fi i ce si un.i alienado. Por isso a 150 000 contos, se.n o menor perigo, e os
reorov-T thes bancos locaes de crdito real poderao duplicar o
Segue-sa Ibe g Sr. Dr. Aruv-lim Calixto, que i valor actual das letras hypothecanas em circula-
approvou a the.se. Considera-a a expresso de | i\o
sm direo.
Fallara n o Sr. Sepulveda
como digestivos era pequea quanjj^H
de jantar.
Taes io os vinhos de malvasia,:^^B
Al' tico toscaoo e romagnolo. Mal:.
Muscatel, Sunel, etc.
Os vinAos espumantes que se ditlerenaam pela
riquesa de acido carbnico que teem dissolvido,
e pisto qne todos os vinhos se possaoi tornar et
punante*, comtudo basta este carcter para as-
similai o i desde que a embriaguez do alcool so
uno. tinibeta a mais prompta, mais passageira o
mais brtfcante do acidoM*onieo.
Muios entre estes sondigest,;especilnie[i
te os doces
0 Champagne ptimonlrts vfihos pu-
mantes, e aembria^in/ fcil e epiritutf-que
provoca, nao po-le jcomparar-se a de neolium
outro vioiio. E' porein pota) sao.
Os vinhos amargos, que lo n sabor am ;
ou francamente amargo posamo grade-
des tnicas ; sao ordinaraum ttnH^ >
tioguem tambera dos owps pOfl^Bniis I
mente fazein senlir dou3 ou tres postes ; pro-
duzeiu urna embriaguez salubre e sao bon?
amigos do estomago o .1 Com os aro-
mticos, dos quaes so destisguem apenas c cora
os quaes multas vezes so confunden!, formam a
mais honesta e dedicada familia ooelug
O autigo proverbio toscano COMagrdu a vir
tude d'estos vinUiw : FihAo am'rg j Catullo tinha dikf:
Minister vetuli puer Piale
Iuger vini clices umariores.
Taos sao os vino-i de ,i.)r.lejux, Bourgngno,
do llio Grande do Su, Hennit.ige, Gattimara,
Barato, Ch'uioli, Barbera l.
Os vinhos aromticos (salgados, eliiercos etc.),
sao vinhos disrreUtraenta, ricos de alcool, porm
mais ricos ainda de aroma, posto ajnpobres de
m,i..-ria calorante, s&o diureticoljlh faciluna
digesto o aigumas vezes, principalmente os
l.rancos, favoreia?m tombcni a
enlao sio snluberriraos. -Sea^ire ', .. .t: l'ro-
duzem nina- embriaguez hgeira, rapSrosa, ata-
cando mais vezes as pernai que o osrebro.
Taos silo os vinhos do Rlieno, Unusey (Sar-
denba) Montevcxhia (fTotnbardia) ffc.
Os rinh. s inspidos (fatuos, ordinarios, posa
dos oto.) se distinguen) nor qualidides negati-
vas e sao faltos de alcool, de ar. mae de assu-
car: sao perneo excitantes, pouconicos e as
exes tambera pouco dig riveis, esne.-ialraenie
6s que contm mu'no tannino e mnfta materia
colorante. Em quasi todos os paizeido inundo
formara 0 plebe dos vinhos. A arte
chamada a ex>ellil-os n'um bom di
licii^ da N'rra.
Teixeira, conside-
nodo a tbese intil, e o Sr. D. Fructos Mar-
tnez, concressista hespanhol. que approva a
these son: discas<90, parecendo-lhe que aprevi-
slb nanea pode importar symptoma de loucura.
O Sr. Cener Siini y Cortes enteii le que a de-
e rejeitar, e o Sr Dr. Annibal aceita-a.
O digno magistrado conselheiro Eduardo de
Serpa Pimentel segue-se no uso da palavra.
-Eotnde que a previsio da hyiioriiese da loo-
eora nao seja um symptoma de desarranjo meii-
lal, mas reprova a lliese porque, ella pode apro-
witar aos especuladores.
O Sr. Francisco Dia| Ferreira eniende que a
Ibese representa um direito e approva-a.
Finda a ioscripcao, pasaou-se a votaco.
O Sr. Dr. Pinto Coelho, receioso de que a tbe-
se fosse rejeitada, anles de se p<>r votagao de-
fende-a, terminando por dizer que deve ser ap-
prova da
E assim o ellectivaraente.
Depois disto inlerrompe-se a sesso por 10
minutos, no decurso dos quaes os Srs. congres-
istas f'-equ Milaram o bulfete, atacando denod -
smenteos pratos convidativos que aili se re-
cebiam, e as nrralas de uordeus, Maleira, Por-
to e Cbampanhe.
Animad s (is congressistas voltsram estes a
jala, continuando se os irabalhos e entrando em
isc-so i tbese n. 17. que diz :
Deve-se iademnizico ao* reos absolvi-
4os ?
N caso afirmativo, deve se a todos indisline-
twnente. ou s aquelles que o tribunal declarar
innocentes ?
A concluso do rclatono elabora lo p<-lo sr.
Joo Alexandrino de Sonza Queiroga e Castro,
diz:
O Estado deve inderanisaco ^a todo o ar-
gido ou auc-ado, cuja absoluta innocencia seja
Terilicada e julgada, quer, durante a inslruccSo
do pjKesso. peto respectivo juizo instrucior,
qm+. durante a aecusaco, pela respectivo juizo
aecusatorio, quer. finalmente, durante a revi-
sao. polo respectivo juizo de reviso.
0 Sr. Dr. Almeida E{a pede a palavra para
prop.ir un additamenlo.
Onde se l : os anjuvlo ou acatado, accres-
eente-se: por elU.
Seguo-se o Sr. Queiroga, relator da th se, que
adefende, pedindo depois o Sr. Eca pira reti
rar o seu additamenlo.
Depois disto a tbese approvada por maioria
entrando em discusso a thes^commercial n. 3.
qne diz :
Co ivir adaitlir-M a letra como titulo de
obrigneo entre iudividiMt, nao commerciantes
qua-.ido nao baja transWen.-ia de dinheiro de
nm lado para outro ?
O rotatorio foi elabora lo pelo Sr. Arthur de
Carvalno
A concluso a seauinte ;
A letra, como elemenlo de crdito que e.
deve e coovuJ a lmitlirse como titulo de obn-
aeao entre individuos nao conmerciaotaa. mes-
ioo que ro hija tiansferenoias de dinheiro de
no lugar para outro.'
Pede a palavra O Sr. Senulveda Teixeira que
combate a cooelosao, porque entend que as
letras teem sido a causa da ruina de militas ca-
^35 -
Seguo-se Ibe o Sr. Dr. Antonio do. Azevedo
Cagleilo Branco. que rejeil i a th>s' porque ella
ae de encontr aos nossos hbitos de vida eco-
nmica. .
O Sr. Torres Campos, congressista nespanhol,
enteode que se deve volar parque em Portugal
ja est aceito, a llespialn faz votos para que
o seja lambe ni. ,
Falla seguidaraonlo o relator, que derenue a
tbese, pas-ando--o depois votaco que Ihe
favoravel pnr.ipaioria.
Em se?a*B|> Sr. prosiilente encerrou a ses
sao.
#**
Nao urna miragem deslumbrante, mas e a
luta legitima da intelligencia, da liberdade civil,
do progresso scientilico de urna grande nacao
conira o obscurantismo.
26 de Maio de 1889.
Pelo ministerio da agricultura officiou se a
pretideocia de S. Pauto recommendando-lhe que
promovesse um accordo com a estrada de ferro
S. Paulo e Rio de Janeiro, Santos a Jundialiy
Paulista e Mogyana, no sentido de estabelecerem-
se passagens a precos baixos. de ida e volta, va-
lidos durante o praso de 60 dias, entre Posos de
Caldas e as principaes est^ic'-'S tanto da estrada
de ferro de D. Pedro II, como das mencionadas
vias-frreas.
Esla medida tcui por tim facilitar o uso das
aguas inineraes daquella localidade, augmentan-
do ao mesmo lempo o movimento das alludidas
estradas.
Pelo transporte de malas no anno prximo
passado leve o ctirreio trances *um saldo a son
favor ua importancia de l,t)3d francos.

E" crreme que o geverno imperial contrata-
r com o Banco Internacional e com o de Cr-
dito Real de Minas a distribuicao dos auxilios a
lavoura as comiices dos emprestiraos j reali-
sados com outros eslabeleciineiilos bancarios do
imperio.
REVISTA DIARIA
AMcmbla Provincial Pjnccionou
honterx sob a presidencia do Exm. Sr, Baraode
Itapissuma, tendo comparecido 30 Srs. deputa-
dos.
Foi lilla e approvada sem debate a acta da
sesso antecedente.
O f>r. 1 secretario procedeu a lei;ura do se-
gumte expediente:
Um officio d> secretario do governo, remet-
iendo informada urna reprosentapo da Asso-
ciacan Commercial Beneficenle.e.n que solicita
inlerpMiMa dos 22 e 23, do orsjmento pro
vincial. A* commi.ssode orcameaU provincial.
Outro do conselho administrativo do Instituto
BeneScente dos oilieiaes da Guarda Nacional,
em que convida esta Asserabla para no dia 28
do correte, as 10 horas da raaoh/no theairo
Santa Isabel, assisiir iuaugurasao do raesmo
Io~tuto i iteirada.
Um petico de Jos Gomes Ferreira Maia, ar-
misso
depois, Freguezia da Boa- Vista
Paulo Pereira Simoes.
Bemvenuto de Souza Travasso.
Floriaoo Rodrigues do Passo.
Marcelino de Barros Flanco.
Gedeo Forjaz de Lacerda.
Dr. Luiz Jos da Silva.
ft. Domingos Jos Marques.
Freguezia da Graqa
Antonio Arcoverde de Mello.
Jtu (uim Francisco Bjrges Ucha.
Freguezia do Poco
Alberto Bandeira.
Luiz de Oliveira Lima Jnior.
Freguezia de Afogados
Kanoel Caetano Cavalcante de Albuqaarque.
Demetrio Carueiro Rodrigues Garapelto.
Foi adiada a sesso para boje s 10 horas da
manila.
Uymnaftio Pcrniugaucnna -A congw-
gaco d'tiUu eslabelecimento luterano recebeu o
seguinte telegramraa :
S. r. o Imperador manda agradecer as feli-
cRates Minisiro do Imperio.
Fent ae nal'Anna No domingo lera
lugar na igreja da Madre de Deus, a festividade
d'essa invocacSo, havendo s 11 huras da tnanh
missa solemue precedida de tercias, larde pro
cisso e noite Te-Deum, autecedendo a todos
estes actos urna missa rezada na madrugada do
referido dia.
Em todos os acto? festivos tocar a banda mu-
sical do Arsenal de M.innha.
Hoje e amanh noite o *. proessor Manoel
Bandeira Filho far executar um novo novenario
do sua composicao grande orchestra.
BinculoTeai deixado de sahir csse perto
dico, por continnarem os incomrnodos do seu
propnetario e redactor que pede-nos esta de-
claraso em deferencia aos seus prestrnosos
assiguaules.
Comptoir Xu ector d'esse stjeiecuneiito segu prxima-
mente para a Wanes, no ni torease ,das rea
e dosemvolvimento do mesmo estabelecimenio,
sendo occasio oppodunadeuiilisar-se o publico
de sons sorricos, incumbindo quel'e cavaleiro
do-quaesquer commissOes que sero assim sem
duvida plenamente satisfollus.
I'allrcimeiiio Fallecm ante-hontcm o
Dr. Haul Coelho da Silva, sendo hontein dado
sepultura o seu cadver no ccmi'eno publico.
E' um perd ajreparatel para sua familia e
joven esposa Exma. Sra. D. Amelia da Costa
Coelho, cujo consorcio data de poucos mezes
N'ossas condolencias distincta viuva e a seu
digno pai e^osso amigo Felippe Emilio Menna
da Costa.
Oolro Aute-hoiitem fallceu com 87 annos
de idadeo Sr. Joo Pacheco Airea.
Era um lespeitavel merano, que fez toda a
cainpaulu da Iiidependeucia, tomou parte pes-
soa! na guerra dos Cabanas em Paaellas do Mi-
randa, e na guerra do Paraguay por tres tilhos
qne i ella mandn, e dos quaes um all inorreu.
iuna as condecorasoesde Christo e Rosa o.
fita da Independencia.
A' sua familia nossos sentimentos.
Servlco milllar-Eslo designados boje
para superior do d:a o Sr. canilo Pedro Vellw
e para ronda menor um subalterno de caval-
l.i na.
ilgica e
la super
remtame do pedagio da barreirado Giqui, re
lo do coulraclo.A' commissi
INDUSTRIAS E ARTES
A Industria Harinera Moiema, de Vienna da-
Austria diz, que, por uquerlto de 400 agriculto-
res do Reino Unido a resposta do resultado da
colheito dos creas na Inglaterra, licou verifica-
do que sob a media de tW).como;unidade de urna
colheitaj mediana, o mesmo re.-ultadoo se-
guinte :
Cevada
99,1
97,i
9 >.5
92,
94,1
94
93,4
1888
1887
1886
188o
1884
1883
18-12
Aveia
97,5
72
93
93,5
94 3
106 6
105,1
ladl
3a tila
97.8
70 1
91,7
92.7
108,4
120,6
96,4
Amanh:
Pelo agente Stepple, s 11 horas, na ra Nova
n. 14, de miudezas.
Peto agente Si I veira, s 11 horas, no largo do
Paraizo u. 28, de urna casa terrea;
Pelo agente Brito. s H horas-, praja do Con-
de d'Eu n. 18. daarniaco. gneros, etc., na
mesma casa existentes.
Mi*** funenre-Serocelebradas":
Hoje:
A's 8 1/2 horas, na Conceigo dos Milatares.
pela alma de D. Isabel Honorina Bandeira da
Cunha: s 8 horas, na matriz da Boa-V3ta,
pela araa de D. Cleraenlina Amalia Ferreira de
Faria.
A'nanhX:
A's 7 e 1/2 horas, na Ordem 3 de S. -Francis-
co, pela alma de Bernardo Jos Correia.
rr't :rta cliin ibritH lie eonwrta-
eo *lo E'orto* ile PernambacoRoci-
"e. 24 CeJnlho de SHO.
Roleiim meteoroloidco

I
i lis
Horas Sg
2 =c
I -.
karom a
6
9
12
t
a
IB.
22'-o!
23--O
23" 9
25--i
Si"6!
7fi2~17
763-14'
761-'58 j
762-15'
Tenate
do vapor
19,35
1951
19 66
1S73
19.19
a
-i
-o
96
93
87
76
8l
-26MW
ramoeraxnra mxima
DiU mnima 22.00.
Kvapoi'aeao em 24 horasao sol: 3'.7 ; so o e fugiste.!... e mataste impamente
ora: 1-4
Chava- 42.-0.
Directo do vento : SSE, S.SSWe SW allor-
ba.tos de meia noite at 2 lras e 33 minutos da
mlha : SE com interrupjes de ESS e SSE at
o *'
mema no vento : 2-.91 por se-
meja nAite.
Vcicidade
/urdo
Nebulosidad:- media: 0\87.
Boletira do peno
acensado disparan o primeiro tiro de revolver?
Testemitnha Estava, sim, senhor.
E a que distancia?
A dous passos.
E quando o reo disparau o segundo ?
... a um kilmetro.
A testemunha podo dizer como comecou a
desordem?
Foi assira, Sr. juiz : O reo gritarasucia
de imbecis,canalhas ..
Adrirto testemunha que deve dirigir-se
aos Srs. jurado?.
** .
0 Sr. C. pede-nos esta publicaco :
Transido
(ao amigo kernandes barroca)
Moii crime. ah mon seul crime esl d'aroir
trop aim!
(C. Delavigne).
Outr'ora o meu vi ver era sereno
Como o ceo das manhs do esto ameno !
Os das s'scoavam mansamente
Qual arroio de lmpida corrente t
As tardes tinham tantas alegras
As brisas muito amor e harmonas !
Eras tu que meas sonhos embalavas,
Erara lew mena aflectoa, meusanhellos.
Co'os perfumes subtis dos teus cabellos
Minha pobre existencia duplicavas !
Tantos sonhoa de gloria e de fuluro !...
Mas. jamis cliars seriamente
Quem, como eu, te ame, eu t'asseguro !

dada lioje pelos corpos da
Din I Horas 8-13 da manbS 2 53 id 'a'de 8-37. 3UO da inanbS Ulnr-
B. M f M. S M P. M 24 [('. Julho S5de Jalhn 0- 84 2* 23 I-97 2-,37
Trigo
79,4
107
86,8
101,4
112,2
91,6
92,2
A coliieila de 1888 devia ter dad9 escaasa
ment 2-i milhois de hectolitros de trigo de m
qualidade,:e representar portanto a peior colhei
ta desie secuto.
A necessidade da iinporlavo foi estimada era
i8 miihoes de hectolitros.
No eotrelaut(i,saeguiido lentos ntf,Jornal dosEco-
nomiitas, de Janeiiyao ultimo de Agosto de 1888.
a exporuc/o de farinha de trigo de Fiurae para
os destinos abaixo indicados, foi a seguinte com-
putada em uuiotaes mtricos:
' lirazil '0-728
Rclterdau 6,200
Auisierdam 1 ^to1?
Barcelona 8,925
teao 60,480
Brdeos 6709
Leilh 65,128
Hull 14-018
Londres 99.416
Liverpool 196.860
Glas^w 213,207
Estas addicOes fazem um total de 775.414,39
!|uin'.aes mtricos.',
#**
Est delinilivamente em \ia de oxecuco o gi-
gantesco telescopio que os americanos uestinam
a um observatorio situado no cume do Wilson's
Peac, a 1,750 metros cima do nivel do mar.
O colossal instrumento ser maior do que o do
observatorio fundado no monte Harnilton a ex
pensas do argentarlo Lick.
Tera objeciiva com dian tro de 40 pollega'ias
emquanto a de Lick tem 36 ou 1,016 raillimetros
em vez de 914. E' o mais espantoso producto at
#
PaoNrio fluvial
amanh esle puse organizado | agora alcancado pela ptica.
B'.merciai de Lisboa em hon-
iie.spaiih.x-s.
indo a bordo os ongres-
smbros oa A-sociacio e os repre-
sen+aites da imprensa. largara da sua amarra-
eolhoia. e seguir al Cas.-ues, voltando
.depois a Lisboa.
r~* % b"rdo ser scvjdo um lunch.
O eHfSTrflre- est mn'ado para o meio da e
'ia hora, na ponte dos Vapores Lbjnenses.
Kea^|Bj|g
pela
ra dos
O vapor
sis's, os iu
lez, eminente
rennir-ee-ha
a commisso
"
FWl^AS E COMERCIO
do Commetxio'
Em curta publicada no Diario
fscreve o Sr. Reynal lo Montero :
A situadlo econmica sem ser a que tenuatn
as pessoas oppostas aboli(,fio immediata, e
comtudo bastante melindrosa para exigir que
medida? promp'as. enrgicas e de geral alean
ce acudam a urna crisc possivel da agricul-
Segundo o relatorio do honrado Sr. ministro
da fazenda, o movimento de exportado de lon-
co curso, que em 1886 1887 tora de ..
365.392:272*000, isto dra para a media dos
doze mezes ae 1887 urna importancia superior
e 210.000 contos, cahio cm 1888 no algarismu
de 212.592:273*000. Ao mesmo lempo a im-
portacao exlerna que, nos 12 mezes de 1886ito
tora de 201.000 conios, subi em 1888 a-----
260998:859*000. .
Um augmento de 59.000 contos na importarle
estrangeird e a diminuigo de 28 000 contos na
exportaco, alm do desequilibrio que aecusa no
jpgo de crditos com a Entoi
mdstrias producto' azil
ama crise deprimente.
E' verdade que du
erial dispos de recu
lerior e que foram importada^^H
aontos de capitaes estrangeiros e 20.00
anro. e isto neutral i sou o deseq

por
Segundo carta'do Sr. E.
director do observatorio de
naquella cidade, a 15 de Setera1
internacional permanente que se acha incumbi-
da do estudo e solu^ao das quaftOes referentes
exeeueio do grandioso projecro de organisaca
da carta do ceu pelo emprego da pholographia.
O nosso compatriotu, Sr. L. Cruls membro
daquella commisso, companMr dos trabalhos
pmjectados, bem como reprwritar .i Brazil nos
congresaoa convaca :os para estmios relalivoa
climaiologia e hydrologia ; adianiameoto ua?
sciencias; electricidade. pflolographia ; unitica
caoda hora; geodesia e aslrouomia.
Este ultimo reunir sena em Bruxellas.
Os instrumentos destinados ao observatorio do
llio de Janeiro, para execuso da carta pbotogra-
pluca do ceu aVham-se em conitruego em Parta
por cunta de S. M. o Imperador que, havendo
manifestado ao|Sr. E. Mouchez todo o ulerease
que vola a execuco aa cohwaal empieza, quiz
por aqu^lle modo astociar-se a um dos mais
vastos comtnetimcnto's, scientilicos do nosso se
culo.
Nj elassificaclo hygienica dos vinhos conside-
ra-se a seguinte ordem :
Os vinhos espirituosos (atooolicag, viubos lico-
res, Iicorosos^vinhosjde desaert^etc.,) que se dis-
tinguem pela sua extraordinaria riqueza alcooli-
ca (de 15 a 25 VJ doram. muito e niethoraui
com os anuos : agradara aos bomens robustos e
mais fortes e seguros bebedores ; irritara
miente o estomago das mulheres e dos
Traeos; do uma embriaguez prompta e turaul
,, ardente e muito duravel.
sio osjvinhosjde Marsala, La xyma Cbnsti
Veres Madera, Tenerife Porto, Vernaccia d'Ons

T
i

querendo resciso
de orcaiDento provincial.
Outra de Salusliano Cavalcante Correia de
Helio, nomea>lo em 10 de Novembro de 1888,
professor interino da cadeira de Bom Jardim,
requeroudo se consigne a respectiva verba para
o eu bagamealo, na importancia de 33*330.
visto que regeu a alludida cideira,- al 30
d'aquelle tnez. a' commisso de orcamentp
provincial.
Outra da directora d- Companbia de Fiago e
Tccidos de Pcrnambuco solicitando a revogugao
da le n. 2002 de 23 de Junho ultimo.A.' com-
misso do petigoes.
Faram a imprimir os seguintes ptaiectos sen-
.lo o de n. 108 precedido de parecer da commis
sao de fazenda e orcamenlo :
N. 103.Concedendo a Francisco Tvrc3 da
Silva Cavalcante prorogaco por tres annos contracto da arremataco das barreiras de Buja
ry. Tanquinho e ruali.
N. 1<9.Creando para todas as cadeiras que
tiverem mais de 5") alumnos de frequenoia diaria
o lugar de adjunto cora 600* de ordenado e
2!>>3 de gralilieayo.
N. 110. Autorisando a coutractar se com
quem melhores vantagens offerecer o estbele
cimento nesta capital de cirros de praca.
N. 111.- Creando urna 21 cideira UTarithme-
tica uoGymnasio Pe.rnambuc.ano.
N. 112.Iseutando D. Anna Pacijca de Mace-
do Torres do imposto da dcima de duas casas
de que consenhora.
N. 113.- Creando uma cadeira mixta no po-
voado de Torres da freguezia de Cmaro.
H. 114.- Elevando cathegoria de villa a po
voacao de Belnonte. cujo termo se corapor de
todo o territorio da freguezia deste nome, lican-
do reunido ao de Villa-Helia.
X. Ho. Equiparando os vencimen'os do ama-
nuense do Hospicio de Alienados ao: do Asylo
de Mendicidad*.
Foram ap,.rovads sem debato um parecer da
commisso de polica sobren petico dos tacby
grapmos hachareis AnnibaF Falco e Joo de
Barros (3a.isal e cinco da de redaeco sobre os
projectos ns. 36 de 1887, 42, 94 e 81 de 1889 e
emendas ao ultimo.
Adiou-se pela hora a discusso do requeri-
menlo'do Sr. Clodoaldo Loos sobre negocios
de Floresia e Tacaral. orando o autor e sendo
regeitad* um requerimento do Sr. Drummond
de adiamento da di-casso por 30 minutos sem
prejuizoda discusso ornamentaria.
Foi lido e licou sobre a mesma atim de ser
apoiado e opportunamente discutido um reque
riinento do Sr Cornelio da Fonseca pediodo in
tormayOes sobre o fornecimento de fardamento
da guarda cvica.
Paaaoa se a ordem do dia :
Adiou-se a requerimento do Sr. Jos Marian
no, at serem puolicadas 6 emendas apresenta-
das, a 3 discusso do projecto n. 95 de 1889
(crdito^ e reforma de repurtices; tendo orado
os Srs. Barros Brrelo e Drummond.
Encerroo-se a 3* discusso do prometo n. 58
desle auno (regolainenlo do cemiierio de Goyau-
naj nao se vutaodo por fal'a de numero um re-
queriinenio do Sr. It.irros Brrelo de adiamento
da discusso por 48 horas.
Adiou-se a 3" discusso do projecto n. 9/ detre
auno.
A ordem da dia : continuncjio da antece
denle.
Drlesadon-Foram n.irneados e achani-se i
em exercicio de delegados de policia de Afoga-'
dos de Ingazeira Triumpho o Cimbres.- os Sis,
Jos Ainayde de Siqueia, Izidoro Js-da Silva
Mascurenhas e Candido Xavier Pereira do Uritto.
Huiiatira de prrlp*orloO Sr. Dr.Ri-
beiro Viaun, juiz de direito da provedoria mu
dou o a ra Estreita do RosariO^aW 10. onde -podera
ser procurado.
Tribunal do Jury do Baccife.-Anda
honlem nao pode ser installada a 4* sesso or-
dinaria deste tribunal pbrsohavcrein compare-
cido 27 juizes de facto.
AV lu lloras da man ha, presentes Dr. Tbomuz
Garcez Parauhos Montenegro, juiz de direito
Dr. promotor publico
Manoel Caetano doAlbuquonjiie Mello e o os-
crivo interino Josouquii ias do Reg J-
nior, fe.- 'ilkAadas cdulas e a cha-
mada geral dos jtrradT
Foram multados em
sem cansa justiiieada de
e sorteados os sogu
metia u S. F
Claudino Elouterio T<-ixeira
Eneas Targino Accjoli.
Joaquim bomin/os de Carvalho.
Freguezia de Santo Antonio
Dr. Thomaz Ferreira de Carvalho.
Eduardo l'amnhilo de AlPuquerque Mi
Manoel Antonio da Cnnl;
Freguezia d^
Antonio Muniz
Guilherrae patricio Beaerra
03 jurados que
' nparecer.
tes:
Gonyi
Barros.
A guaro yo
guarnigo.
A guarda da Tiiosouraria commaudada
hoje pelo alferes Joai|uim Quirino Viilarim.
Ex.slo.iu na eut'eruuria militar 38 pracas.
Passou a empregado no quartel do com
mando das armas o cabo de eaqoadra lo desta-
camento de cavallaria Eugenio Raymundo de
Lacerda.
^iatifpasio 5'or communicago telegrapln
ca recebida de Macei pelo Sr Clemente Lima,
^honrado gerente da Companhia Pernambucana
de Xavegacao a Vapor, consta que naufragou na
altura da praia oe Pajussar por cerca de uma
iiora da manila de honlem o vapor Mandali,
perteucente 'a mesma companhia.
O vapor Mandaba, do que era commainianle o
Sr. Aludes, sabio desle porto na segunda feira
pela tarde cora carregamenlo de generas de es-
uva c outros, levando a ^u bordo a>guns passa-
geir-os.
Ainda Dio sao conhocidos os promenores que
deram causa ao naufragio, mas lem se noticia
de que foram salvos nao s os passageiro3, ea
tripolaijo, como a itjrga. so'Trendo esta no en-
tretanto algumas avarias.
0 vapor, que nao eslava seguro, acha-se per-
dido de lodo por ter atondado.
Peto Sr.'gerente Clemente Lima foram com
promptidio honlem mesmo dadas as providen-
cias ao seu alcance ; e aguardam-se uommuni-
eafes detalhadas do sioistro.
A Damaxle Sansue Pnblicou-se o 3"
fasciculp deste romance, produejo do Sr. Mon-
teiro Lop<'S.
Agradecemos.
Sociddc PUllomaticaob a presi-
dencia do Sr. 1" secretario. Carlos de Oliveira,
funcc.ionou antehontem esta associayo, sendo
lidas e approvadas as acias das sesses anterid-
res.
Petos socios Alcebia les Paiva e Francisco
Costa foram lidas as chronicas e cm seguida
descutida a these Qual a raelhor forma de go-
verno, entrando tambem era discusso o jury
histrico Lycurgo sendo promotor Araujo
Sobrinho e advogado Carlos de Oliveira.
Foi absolvido pelo voto de Minerva.
Procedeu-ee a sorteio para prxima sesso
que ter lugar no dia 1 de Agosto.
Prolongamcnlo aa estrada de fer-
ro do Beefe ao *>. FranciMco c es-
trada de ferro do Becife a Caruaru'
Havendo sido nomeado pelo ministerio da agri-
cultura contador |iara estas estradas o ex-con-
traclante do servico de carga e descarga de mer-
cedorias na estacao central de Caruar, foi res-
cindido esse contracto e lavrado outro em favor
do Sr. Joaquim Tiburcio do Reg Barros, que re-
quereu a directora sujeitar se as mesmas clau-
sulas do contracto primitivo.
Foram designados o Ia escripturario Vita-,
liano de Souza e os-diaristas Elias de Moura e
Gomes de Souza para em commiss5o procede-
re u a balanco nos materiaes existentes no de-
posito da 4* diviso, para que o novo encarre-
gado possa assurair suas funeces.
isreja da Cbaicas Procedendo a ir-
mandade do Senhor Bom-Jesus das Chagas a
eleico de sua nova administradlo para o auno
corapromissal de 1889 a 1890. licou assim com
posta:
Provedor -Jos Antonio Vieira da Cunha.
SecretarioAntonio Mendes Pereira Machado.
Procurador geral Theodoro daSilva Cam-
pelio.
ThesoureiroLiberato Jos Gomes.
1* ProcuradorJos Maria da Conceigo.
2 DitoManoel Guilherme do Xascimento.
DefinidoresAmaro Joaquim doEspirilo-San
lo, Manoel Jos de onza, Idelfonso Florentino
da Costa Ribeiro, Afigel Joaquim da Silva., Pe-
dro Alexandrino atanco, Justino Francisco de
Assis, Joo Baptista da Silva, Fortunato Francas
co das Chagas, Augusto Juliano Cesa^fcJooTa-
vares. Francisco de Assis -Barres c Joo Rodri-
gues da Silva.
ZefadorAlexandrino Marques da Cruz.
Nociedade Unio o Lpltras Proce
deu-se honlem e.n assembla eral dessa socie-
dade a eJeicao para inembros da nova directo-
ra, licaado esta assira constituida :
Presidente -Jos de Castra e Sirva.
Vice-pfesidoiile Olavo Maranho.
1" SecretarioAlbertp Borges Pereira.
2o Dito F. Alhuque.rque Mello (reeleito).
Orador Frankl.n GaaKiro.
Vice-ditoP. Haulo dos Santos.
Thesoureirol1. Marlins Hil-eiro.
Foram igualmente uomciadas as seguintes edm
missocs : ^ .
Ked.teco P. Pauto, Jos Bonrlftj^e Paes
Barreno. w"''
Jarys e thesesGamos Prente, F. Martins e
Antonio Ayros.
ContasMaooel Pogy, Olavo Maranio e Les-
sa Jnior.
Estatutos Jos Bonifacio, F. Gomes e Paes
Barretto.
Leti#esEfTectuar-se ho os seguintes :
Hoje :
'lo agente Gusmao, s 11 horas, a ra Mar-
oda n. 5. de feaendas.
idesto Baptista, s 11 horas,
s n. 84, de urna mobiliae mais tras-
uperaeovw eraraicas l'uiam pratica.-
das no hospital Pedro l!, no dia '2o do corrate,
as seguimos :
Polo Dr. Malaquias:
Am;)Ulayao lo iirago osquerdo pelo nietliu(l circular, reclamada por ferimeuto d'arma de
logo.
Pelo Dr Estevo :
Exn'rpaco de'ktato sebceo da regiao malar
Cu..-:-s;<;jtM:>. ui'-ti- AOS );"-
sos da C.?-'. de Di lencao do da 24 >i- Julho -
Kxiatiam 426 entraran) 16; sahiram 5 ; exw-
tem 'i.
\ saber:
Nacionaes 383 ; mallieree 21 ; i>sinneiro6 28.
-Total 437.
-rracoudoso91.
Boas 375.
Uoenles 14
Loucos 2.391.
Movimento da enfermara
Tiveram alta :
Jos Fracisco da Silva
Jovino Pereira da Silva.
Tiveram baixa :
Martiniano Fetraita MaUia.
Moanool Joaquim de Oliveira.
Maria Amelia Pereira dos Santos.
e8td>deiB>ento de caridade, :.o di 24 de
foi o simule :
Botraram
Sahiram
Faltoceram
Exiatem
Foram vtsitadas a? respectivas
dcIo Drs.: .
Cvsneiro is 91|2. Marros Sobrinho s i l\z,
Mal*iuias s 11, PoiituaJ ^ 9 i\X SimOes arbo-
sa s 10 112 iioras.
Nao comparecern! os Drs. :
Mosco.so.
Estevo Cavalcante.
Berardo. ... .
0 cirurgio deutisLt Xuma Porapilinao cora-
pareceu. .,
O pharmaceutico entrn As 9 l|2da manha f
sahio s 4 dajtarde.
0 ajudanie do pharmaceutico entrn
da manh e sabio s 4 horas da tarde.
Lott-ria do ram-Para-A 4' parte da
30* lotera, dessa provincia, cujo premio-grande, e
60:0005000, -era extrahida no dia .. de Ju-
lho. ...
Grande lotera do Marannuo A J
serie da loteaia. dessa provincia, cujo premie-
grande 300:o00000 ser extrahida hoje 26
do Julho.
Cirandc lotera da corte-Esta impor
lanle lotera, cujo premio maior de 100:000*
ser extrahida amanh 27 do corrente.
Cemiterio Publico Obituario do da 24
do corrente.
Jos Manoel Lopes. Pernambuco, 64 aunos,
viuvo, Boa Vista; entente.
Samuel, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista ;
enterite....... _
Faustino Bellarraino da Silva t.ampello, Per-
nambuco, 60 annos, casado. Boa Vista; ente-
rite.
Claudino, Pernambuco, 16 horas, Graga; es-
pasmo.
des'.'.
Jui
9
t
3
634
enfermaras
BIGCES UTE1S
Mc*u eos
Castro Jess medico
lavagem do
as 8
Dr. Castro Jesics medico e operador.
Praiica a Uivagem do ntero qii.indo e co-
mo aeobttlhiida. Consultas das 11 a
3 da tarde em sua risidencia ra do
iJom Jess (aniiga da ruzj n. 23, 1.a
andar. Telephone n. 380
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no ll" andar da casa
ra do Bariio da Victoria, n. DI. Resi-
dencia ra Setc de Setembro n. 54, en-
trlda pela ra da Saudade n. 25.
r. Ribeiro de Brttto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
dar a ra Duque de Caxias n. 43, 1. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81.
iephone n. 303.
Dr. Aleares Cruiranraes,
corte, dedica-se medicina
Te-
chegado
da
e
dedica-se medicina em geral,
com especialidade s molestias do cora-
cSo, pulmoes, figado, estomago e intesti-
criancas.
n. 28, e
Luiza Lima da.Conceigo, Pernambuco. 22 an-
uos, solteira, Bia-Vista: tubrculos pulmona-
1*6?.
Caetano Antunes Viliaca, Pernambuco, 43 an-
nos. viuvo, Boa-Vista; m< rpha.
Um foto, Pernambuco; Boa-Vista.
Vicente Ferreira Modesto dos Santos, Rio
Grande do Norte, 36 annos, solteiro, Ba-Vista ;
diarrhea.
UM POUCO DE TUDO
}
e Silvwra, s 11 horas, 4'roa da
1, da mesma casa.
' 1 horas, ra do
a gaz, cadeiras,
~i horas, 4
e mercadoi
Por sua extensao o rio Congo o quinto do
mundo e o segundo da frica, posto que pelo
volume d'agua seja igual ao Nilo, ao Zambese e
ao Niger reunidos.
E' curioso 1er a descrlpgao tmida que de sua
foz traca o im,'lez Puchas, e aqui aprsenlamos :
. Nao o. dizem, a 95 #at 123 kilmetros do
luear em que o Congo se lanca no mar, que as n
suas ondas altivas cessSo de desputar a supre-
maca do Ocano e con3ent?ra por hm em rece-
ber o baptismo de sal em signa! de horaenagera
e de submisso
Iiii'undando as baixas trra que ebe atraves-
sa incha de vaidade que Ihe inspirara as suas
quoiidianas conquistas; e soberbo de verdes pe-
dacarem-se armadas de nuvens cada dia para
engrosar as suas aguas, o orgulhoso rio atira
secara o mar com rajva, lisonge^ido se de ab-
sorver o Ocano no momento ejaajrf pela pn-
meira vez se pOe em conUct^pofb o mesmo
Ocano; no qual se lanca abnndo uma bocea
larga de 44 kilmetros. Mas um titnico inimigo
acha se embscalo atraz dos rochedos para re-
c. ber o 3eu insano, e o Congo acaba por ser en
gulido n'aquelie abysmo, o mais vasto dos seus
proprios ahvsmos.
E comtudo, vencido pelo raar, o Congo nao
capitula jamis. Escavaado profundamente as
rugas da su.i fronte enrugada, escuman* de
desireso, encheno* o ar com os seos rumores, o
Congo volta incessantemente carga e incessan-
temente traz reforcos de liquido a agua tirara!
que o sol do Ocano tem j absorvido.
**
Na regio da Alta Italia, assim cerno em quasi
toda Venetia, um camnonea feliz ganha 240 rR
por dia, no invern e 320 no.verito, sem prejuizo
das paradas forgadas. Os outros ganham ape-
nas 160 ou 200 res diarios.
Na provincia de, Lodi o salario de nm lavrador
de 34*400-por anno e o de um jornaleiro
13*200, alera de casa, comida e aquecimento no
invern.
'*
tiha estava presente, qnando o
i.'-'
..I I

Vago, triste, inj-liz. desventurado
Jamis eu poderei deixar teu nomo
Esquecido. tal qual fui humilhado :
Tal a magua cruel que me consom
Quando S. Erna, o Sr. cardeal patriarcha rc-
i'ressou a Lisboa, os padres de Villa Franca,
juntamente com outros collegas circunivizinhos,
deliberaram muito sensatamente ircuraprimentar
S. Erna, estaco do caminho de ferro.
Chegados all, com as respectivas trouxas de
baixo do brjgo, cm que traziam cubrolbadas as
batinas e outros vestuarios sacerdoiacs, perjjun-
taram ao chele daestcao que tempo sewno-
naria all o comhco.
A resposta de u:ii mioulo, todos, na sala de
espora, Irataram de enfarp<4iar os hbitos ta-
laros, quando se ouvio o som da locomotiva.
Sahiram garc, foram ao combnio cumpri-
menlar o Sr. patriarcha, mas nao ouviram, ou
nao quizerara ouvir, os signaes de parada que o
respectivo omprogado f zia com a sineta.
O caso e que 03 reverendos sacerdotes I
vienim al Alhandra, vendse depois obrigados
u regressar a Villa Franca n'uma carrega. nico
meio de transporte posto s ordens d suas re-
verendissiinas n'aquelie serto.
Mas, oh decepeo !
Chegados a Villa Franca viram com infinita
magua que os gatunos Ibes tinham roubado os
cascos, chapeos bengalas, que elles haviam
deixado na sala de espera ;!a estacao !
..-

J
nos e tambem s aSecjoes das
Reside pra9a do Conde d'Eu,
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. ,45, onde d eonsul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Matheus Voz, medico, tem o se
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 32, 1. andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
se do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Cuica me-
dico cirurgca. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (P090 da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da manha e
tarde. Teleshone n. 392
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Occilista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, consultos todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
denca r"* Larga do R<"=wi" v- 20-
Adrogados
O hachare). Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
71, 1.- andar.
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Casias n. 66, andar..
O Dr- H. Milet contina com seu es-
criptorio de advocada, a ra do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios coneernentea^a 1.*
promotoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
gar. Escriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
Matriz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
Drogara
Faria Sobrinho & O., droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do^
Mrquez de Olinda n. 23.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra, e vende madeiras de todaa
as qualidadea," serra madeiras de cont
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petenciaPernambuco.
--i-
1
'
i


iMlli.. a>


Diario de PernambucoSexta-feira 26 de Julho de 1889



C0MMN1CAD0S
Almirante Barroso
0 Diario d$ Noticias, da corte, em sua edigao
de li.do correte, voltou questo suscitada
pelo aviso do Ministerio da Marinha sDbre o dia-
tincto commandante do Almirante Barroso, nos
seguintes termos, que peo patente a sea razao
do aciute feito quelle ollicial da armada na-
cional.
Beaconsfiel.
sequencia de que, peraote a nossa legislaeo o
delicio pracado pela mulher jamis poder ser
aggravado porque, na enumeracao das cir
cumstancias agravantes, o legislador so falla
do delinquen!ee e nao da delmquente, as se po-
dendo a esta applicar aquellas circunstancias
porque seria interpretar extensivamente a lei; d)
do mesmo modo quundo a victima do crime fur
urna mulher,j3 delicio jamis poder ser ag-
gravado, porque a lei s falla do offendido e nac
dn offendida, c a esta nao se pode applicar a sua
disposico porque a lei exclue interpretaco ex-
tensiva : assim, por exemplo, c individuo que
mala sua proprie mi fnao tem contra si a cir-
cuinstaacia aggravante do 7o porque o cdigo
diz baver no ofendido a qualidade de ascen-
dente etc., expressao masculina que nao se
O1 carcter de acinle pcssoal, que o governo
tem dado sua defeza, nesla questo, autorisa- pdeYppiica'r a urna mulher.
Em face do espirito da lei: porque, si fal-
tar ao resucito devido a idade avaocada de um
nos a trazer a ella um elemento novo, invocando
contra o acto do ministro da marinha um argu-
mento ad hominem, fundado em circunstancias
cuja analoga com a situaco do illuslre ollicial
que procuram desdoirar, nao podero contestar
os apologistas do desacert commettido contra
os hrios da marinha e a iraternidade das nossas
relac&es com urna nago amiga.
O honrado Barao de Ladario nunca se julgou
obligado a dar coulas do destino, que deu o ca-
pito de mar e guerra Jos da Cosa Azevedo as
ajudas de custo para representaco, que recebeu
como commandaute da corveta INictheroy, em
viaj,em de instruccao Europa e depois aos Es-
tados-Unidos.
Durante a primeira, em 1875, segundo depoi-
meutos seguros, que ouvimos, S. Exc, apezar
de demorar-se, na escala da sua excurso, em
Inglaterra, em Franja, em Portugal, na Italia,
nao desembolsou um real em actos de represen-
tado. Na de 1876 aos Estados-Uaidos apenas
concorreu com diminuta contribuic&o para a
testa promovida pela ofucialidade do navio, dei-
xando at de comparecer a bordo no da da
matine, em que consisti esse obsequio a socie-
dade americana.
Eatretanto, o commandante da Nictheroy, alm
dos seus vencimentos em paiz estrangeiro, per-
cebia a gratiticaco mensal de 2004000.
Se, portanto, ao regressar da corveta, deixou
de prestar conos das sommus que nao despendeu,
claro est que, a ler de celebrar, durante as suas
commissoes navaes. maufestaces de homena-
gem internacional, como as que rendeu ao Chile
o capitao de mar e guerra Custodio Jos de
Mello, S. Exc. teria ido buscar a importancia
precisa ao cofre do navio.
Entrou S- Exc. com aquellas sommas ?
Nao consta. Logo, nao pode congruentemen-
te impugnar interpretaco, pela qual o com-
mandante do Barroso pautou o seu proceder.
Ella precisamente a mesma adoptada pelo Ba-
rao de Ladario, quando commandante da Vicia*
roy. Se S. Exc. tivesse ento que retribuir cor-
tezias e solemnidades, iguaes as com que foi
acomido, na costa occidental do nosso conti-
nente, o encourajado brasileiro, curtamente se
haveha, como se houve o digno militar, contra
homem um motivo de afcgravago "da penali-
dade ; com maioria de razo devej sel o quando
se trate de urna mulher, em quem fraqueza
da idade junia-se a fraqueza do sexo.
Nioguem dir curtamente que o crime com-
mettido na pessoad'um velho que, a despeito de
tudo, um homem, seja mais odioso e repug-
nante que aquelle que se pratica sobre urna po-
bre mulher, fracapor natureza, alquebrda pe-
los annos.
O respeito devido velhice em todos os tem-
pos e em todos os paizes foi o que levou o nos-
so legislador a contemplar aquella circunstan-
cia entre as aggravantes do delicio; e as cas
que coroam afronte d'um velho nao sao certa-
mente mais dignas de re:peito do que aquellas
que alvejam a cabecaM'uma mulher.
A circumstancia do art. 16 % 5", portanto.
applica-se, jcomo todas as outras, ao caso em
que a victima do crime seja urna mulher, o que,
si muda a natureza do delicio, curtamente pa-
ra tornal-o mais odioso.
K Relaco, dando provimento appellacao do
iuiz de direito, maudou que leste propozesse o
quesilo. O juiz, recebendo o accordo, profe-
rio o segainle despacho :
Comprase o accordo. Mas seja-me licito
dizer, escudado com a respeitavel autoridade do
desembargador Mendes da Cunha, que a doutri-
na por elle acolhida data cenia falsa e errnea.
A aggravante da falta de respeito idade
do offendido quando este fr mais velho do que
o offensor tanto que posea ser seu pai nao se
pode extender por analoga ao caso da offendi-
damais velhaque o seu offensor tanto que pos-
sa ser sua mi.
O cdigo fala sempre de o/fendido, de de-
linquente na accepfo masculina coraprenenden-
do ambos os gneros, mas d'ahi nao se segu
3ue quando fala de paicomprehendamai, offen-
idu, delmquente sao com elleito adjectivos ge
nencos, mas o nome substantivo pai nao ge-
nrico seno no plural e :ainda oinguem diese
que quando a le falla de pai inclue mai; a lei
civil quanto mais a criminal. Poderia amontoar
aqu t:ma immensidade de citas oes de que a ex-
pressao genrica que sigmnVa pai e mjii a de
pas.
Porra diz-se : 0 cdigo empregou a expres-
sao pai pela razo decisiva de ter usado antes da
palavra offendido ; pelo que nao podia terminar
aventando a possibilidade de o offendido ser
mai; devia dizer pai para corresponder a offen-
dido. Razo decisiva I Mas porque nao podia
dizer pai ou mai com cuja expressao nao faltava
razo decisiva da concordancia ?
Os argumentos por via de absurdo que se
pai nao significa tambera mai ento offendido nao
significa malheroffendida nem o delmquente signi-
, ca a delmquente, sao por demais arbritrarios se-
cuja f de ollicio immaaulada levanta impruden-; nao despot7c03 'Pois orque 0 adjeclWo cora
temente a mo o inimigo dissimulado no minis- njUm a ambos os gneros ha de o nome substan-
tro da marinha.
Dir-se-ha que abusos nao absolvem abusos.
Mas nao nosso proposito increpar, ou estra-
nhar, como reprehensivel, a hermenutica, se-
gundo a qual o> commandante da titetheroy se
absteve de restituir ao erario os dez cootos re-
cbidos, mas nao gastos, para expensas "de re-
presentaban. Pelo contrario, se recordamos
esse facto, porque elle nos parece illustrar
com exemplo insuspeito o sentido legal dos di-
tivo a que elle se refere variar a sua significacao
propria. especifica e individual ? E' claro que
si o legislador quizesse se referir ao outro nome
substantivo mai, de genero diverso dizia (sem
offensa da razo decisiva) do offendido quando
este for mais velho (do que o offensor) tanto que
possa ser seu pai ou mai ; para que suppol-o
nao sciente da regra que manda predominar o
genero masculino na concordancia dos adjecti-
vos com os Substantivos de ambos os gneros *
Agora pelo lado da interpretaco lgica. O
que se pretende fazer errata ao cdigo. Tudo
quanto se diz acerca de dever ser o crime aggra
reitos e aeveres do commandante de navio no vado pela circunstancia da falta de respeito de-
uso dessa ajuda de custo. Destina-se ella ni-
camente aos gastos de representacao ordinaria,
decencia usual em que o chefe da misso
obrigado a se manter, e a mantel-a. Mas, seas
necessidades q\ie impoem o desembolso, sao de
carcter extraordinario, extraordinarios ho de
ser tambera os meios, com qae a ellas se ha de
prover.
Deve c oflicial, porm, Hesse caso, antes de
resolver-se ao arbitrio, consultar o governo ? E'
outra questo. Em regra, opinaremos que sim.
Mas, urna vez assumida pelo commandante essa
responsabilidade, o que resta prudencia do
governo, nao coodemnar prelinunarmente o
acto, mas examinar a necessidade, ou a conve-
niencia da despeza, ratdicando-a, se ella se em-
pregou em objecto razoavel, ou vantajoso ao
servico.
Eis o que o bom senso acouselbaria a quem
nao tivesse o animo turbado de prevescoes pes-
soaes, ou desforras longamente incubadas.
JURISPRUDENCIA
Godigo criminal art. 16
5o e 7o
Venho satisfazer o pedido do Sr. Dr. O Fon-
seca. E para que o distincto advogado e o pu
buco tenham presentes os termos em que fo;
coilocada a questo, transcreverei : os argu-
mentos de que me serv as razoes de appella
cjo ; o compra-se do juiz de direito ; e os ar-
gumentos da resposla que dei por occasio de
offerecer novo libello.
Fazendo estas publicaces tenbo em vista nao
s esclarecer a questo mas tambem expender
d.uma vez o meu modo de pensar, pois tlve;:
nao me seja possivel vollar imprensa, e caso
assim succeda, os competentes fesro habilita
dos para julgar de que lado est a razo.
Tratava se do assassinato de urna mulher ido
sa. No libello inser a seguiste aggravante :
P. que o R. faltou ao respeito decido idade da
offendida que era mau vtlha do cae elle tanto qw,
poda ser sua mai
O juiz de direito no jury supprimio estarcir
cumstanciaporque o cdigo no art 18i| 5"
fala smenle de pai e nao de mai, e a lei enmi
nal nao admitte interpretaco extensiva.
Appellando para a Relaco, escrevi :
A razo que levou o presidente do Tribunal
a suppnmir aquelle artigo do libello, nao repu-
tando o urna circumstancia"aggravante em face
da lei, nao me parece precedente.
O Cod. Crim. no art. 16 exprime-se assim :
Seo circumstancias aggravantes : 5* Tero de-
lnqueme faltado ao respeito devido idade do
ffendido, quando ente fr mais velko tacto que
possa ser seu pai.
Entendeu o r. juiz de direito que, iendo o
legislador empregado as palavrasoffendido, seu
pai, nao podia esta crcurastancia ler applica
fo fiypotlT-se em que se tratasse deumi of-
fendidamais velha que o seu ofFenso* tanto
que podesse ser sua mai ; por quanto a l?i crimi-
nal nao admitte interpretaco extensica.
Mas sem'ilbanle razao inacceiiavel era fa-
ce da lettra e do espirito da lei.
Em face da lettra : a) porque o legislador
empregou a expressaosea paipela razio de-
cisiva de que antes, no mesmo paragrapho, uscu
da paiavraoffendido -, e, pois, ni podia ter-
minar aventando a posfibilidade dooffendido
ser m&ida o!Ten.or: b) e s empregou a pu-
lavran^iKdo -e Bao tambem offendida, por-
qu1' aquella a expresnfio de que elle uta e,n
todo como expressao genrica, com que
.ratig. ambos es gneros, segudndo o
e at o modo corr-
mui
eirc:
xieasi a
vido idade da mulher tanto que possa ser mi
do offensor nao tem cabimento na aggravante do
S 5". E' materia da aggravante do art. 19 : In-
fluir na aggravaco do crime a sensibilidade do
offendido. Quem o diz o desembargador M. da
Cunba no seu commentario ao cdigo :
< Nao pretendan) os olygarchas e os adulado-
res tirar da disposigo desle artigo alguma sen
sibilidade ficticia em favor dos homens colloca-
dos no poder, porque o que pode interessar or-
dem publica a este respeito ja foi precenido no
7* do art. 16. A sensibilidade de que fala o art.
19 aquella de que a natureza fez presente ao
genero humano, como sao a idade,o sexo, o tem-
peramento etc D'aqui se v que o distincto cri-
minalista nao admiltia no /* do art. 16 nem
pela mesma razo no 5*ga sensibilidade da mu-
lher quer pela velhice quer pelos predicados
que a colloquem na razo de mi .Veste caso,
diz elle, a aggravante a do art 19.
Com franqueza, si me coubesse presidir ao
segundo julgamento d'esle processo, euno pro
pona o quesito que a falar a verdade urna no -
vidade, de ter o delinquente faltado ao respeito
devido idade da offendida quando esta for mais
velha do que o offensor tanto que possa ser seu
... pai, porque ah pai significa mi.
Amanh publicare a analyse que nes autos
fiz Jeste despacho.
Recife, 25 de Julho de 1889.
Epitacio Pessa.
NiBLICACOES 4 PEDIDO
Am,
Themif.
Advogado
O br.charel Joaqun* Manoel Vieira de
Mello, residente na eidade de J^exrros,
ga-so de caucas criminaos, civis e
com n!aquella comarca e
II ..... -i--1---------1
Pao i lAlho
Por exigencias do Sr. Joaquina Cavalcanti
Albuiuerque, acabo de ser demittido do cargo
de escrivac da collectoria provincial deste muni-
cipio, contando dez annos e meio de effectivo
exercicio em dito cargo.
Hosanas, pois, ao Sr. Joaquim Cavalcante, pela
facilidade com que agora obteve aquillo que,
desde a passada situaco.liberal, tanto almejava f
Nao crea, porm, S. S. que, nesse arrasla-
mento pelo ardor-de suas vingangas, pode, an-
da que de leve, abatero altivo desprezo edm que
costumo enlrental-o.
Louco que Julgaudo-se collocado em alta
e espagosa esphera, nao v que o carro de triuni-
pho que em seas sonbos desvairados fantasa le-
vantar, s tem o mrito de lhe esmagar seu pro-
pno crneo, desde muito enfraquecido pela? en
termidades que lbe corrompem as carnes eobse-
cam o espirito I
Tempo ao tempo, e eu irei mostrando socic
dade, quem o desbriado, que nao pode nem
deve ter cotajo na praja poltica de partidos
moralisados.
Infeliz partido liberal pao d'albense, que por
longos anuos dediquei-ie os meus melhores das,
de trabalho em prol de leu engrandecimeuto, e
hoje.. sentinella impassivel. vejo os homens
que faziam o leu orguluo, fugirem de ti, um por
um, como os amigos egypcianos fugjram das
destruidoras nuvens de gafanhotos.
Infeliz anda, porque no teu maior infortunio
nao enconlras um brago bastante forte, que te
levante desle suicidio moral a que eslaes con-
demoado pelo tribofeiro-mr deste desditoso
canto da provincia !
Pao d'AIho, 25 de Julho de 1889.
Joaquim de Batros.
A sltnaeo
va
[ uas declaraces.
Primeira.Os nossos professores nao nos en-
sinaram a discutir por meio de retaliaces e de
offensas pessoaes. Compenetrados de que na de-
feza de qalquer causa ha sempre phrases delica-
das e attenciosas com que tratar os adversarios
que, como os, timbrara em usar da mxima po
lideze em abstrahir a personalidade moral do in-
dividuo, nunca procuramos contractar um raestre
de descompostura.
Segunda.Nao o nosso amigo e digno cor-
religionario injustamente aecusado n'uraa solic-
tala publicada no Jornal de hontem o autor do
nosso anterior artigo. A prsenle seceo est
confiada a um grupo de pessoas do qual V. S.
faz parte verdade. ltimamente, porm, os seus
muitos affazeres particulares e urna misso de
que esl incumbido e que rouba-lhe todas as ho-'
ras impedem lhe de nos auxiliar com o seu va-
lioso concurso.
Ditas essas palavras que envolvem urna confis-
so e urna reparaco a injustica feita quelle
nosso amigo passmos a provar, em apoio aos
conceitos que temos emittido, que o partido con-
servador nao desconhece os mritos de quem
quer que seja, por mais enraizabas que sejam as
suas convicgOes emjcontrario as professadas pela
escola conservadora.
A estrada de Caruar offerece urna contestacao
exliuberaote d'essas verdades.'
O pteMo conservador (em que peze esse as-
serlo mBssos cujos) conservou e a.lmittio como
empregaoro n'aquella estrada, alm dos inditfe-
rentes e d'aqueUes cujos nomes ora nos escapamJ
os reguintes liberaes, cujo carcter nobre e recto
Ibes impeda de mentir as suas convieces:en-
genlieiros FigueireJo Rocha, Gustave Mermond,
Io escripturario Alberto Mauvernay, f escriptu-
rario Setto, chefe dos telegraphos Morir
Barr- i C.jivalbo, apontador Paiva Jlar-
xarife pelo Sr. de Ouro Preto),
ii Fernando de Carvalho (actual
Leconte (meslre das
Ao Themis deste Diario
Suas apreciaces acerca do engenheiro Caeta-
uo Alberto de Castro Nascimenlo nao sao pro-
cedentes. Todas ellas, sendo despeitosas, nao
merecem resposta.
Esse illuslre engenheiro, que actualmente
o director Interino do prolongamento e estrada
de ferro de Caruar, berc se ha conduzdo em
tao importante commisso.
Moco ainda, porm de bons senlimentos e
grande nobreza d'alma, seus actos team sido
pautados pelo justo e pelo razoavel, e quem as-
sim procede faz jus a elogios e nao a censuras.
Themis nada disto desconhece, e, pois, suas ac-
cusaces ao engenheiro Nascimento sao deriva-
das de capricho e de despeito.
Temos razo para isto externannos, e fcil nos
ser provar exhuberantemente, Poupe-uos a
essa incumbencia o collega de imprensa, com
quem nao queremos polmicas, porque nao lbe
somos hoMil e al lhe votamos amizade de col-
leguismo.
Edga.
Corrigenda
Na publicaco doDerby lub, no dia 2i, deu-
se o seguinte engao :
Na ultima linha, em lugarde repellidos. di-
ga-se -de repetidos.
Instituto BeneQcente dos Of-
claes da Guarda \aelonal
Tendo este instituto de realisar a sesso magna
de sua installacio, no prximo domingo, 28 do
correte, no Tneatro Sania Isabel, vem pelo
presente a directora abaixo assignada, nao s
reiterar os convites feitos, como tambem de-
clarar ser franca a entrada no theatro para todas
as pessoas que decentemente vestidas desejarem
assistir a referida solemnidade, que sera hon-
rada com as presengas ido Exm. Sr. conselheiro
presidente da provincia e mais autoridades,
tendo corceo s 10 horas da manh.
Outro sim : a mesfea directora pede o com
parecimento de todos os socios e dos demais
Srs. ofliciaes da guarda nacional, bem como es-
pera que to importante festa seja honrada tam-
bem com a presenga das Exmas. familias.
No palco terio ingresso as commissoes repre-
sentantes das corporages convidadas e os so-
cios do instituto, tcando os camarotes de 1.* e
2. ordens reservados para as familias que com-
parecerera.
Recife, 26 de Julho de 1889.
Sebastin Muniz Basilio Pyrrho.
Presidente.
Joaquim Domingos da Costa,
Vicepresidente.
Gaspar Antonio do Reis,
!. secretario.
Henedino R. Nogueira Lima,
2 secretario interino.
Heliodoro C. Ferreira Rabello.
Thesoureiro.
Be lisa rio Pernambuco,
Orador adjunto.
Pedro C. de Brito Macedo,
Vogal.
Bom Conselho
Nao gosto de tergiversaces, e, assim pensan-
do, preciso de vir a imprensa explicar a attitu-
de que resolv tomar ante a poltica de minba
trra.
Continuo a ser liberal como sempre, mas nao
obedecendo cegamente ao respectivo chefe ma-
jor Lourenco Ypiranga. E' do meu dever pres-
tar-Ihe servigo, como tenho feito, mas tambem
do meu direito que esses servigos sejam consi-
derados. Esta ultima condigo justamente a
que nao tem sido observada pelo meu partido
3ue, parece-me, nao querer ouvir a voz dos seus
eis soldadis. Istoohnga-me, pois a separar-
me delle, em quanto proseguir na marcha desa-
certada que lhe tem imposto o alludido chefe.
Ficarei. pois, na espectativa em companhia
dos que commigo tm soffrido decepges iguaes
as que acabo de soffrer. Smcnte.
Recife, 2-5 de Julho de 1889.
Joaquim Isidoro da Costa.
s. e
O nome raro e estranho de Aveleira Mgica
pelo qual conhecida a ultima grande descober-
ta do sabio Dr. C. C- Bristol, simplesmcote o
nome vulgar da maravilhosa planta americana,
elassifteada scentiricamente sob a denominago
de Hamamelis Virginica, da qual extrahido o
celebre Extracto Duplo de Aveleira Mgica que
,'eva o nome do emineute sabio ; remedio valio-
ssimo descoberto primitivamente pelos indios
que usaram delle na sua forma primitiva como
agente calmante e curativo em toda especie de
inflammages externas, feridas, tumores, almor-
reiraga, rheumatismo, etc e que boje tem viudo
ser nm dos agentes tlierapenticos mais impor-
tantes do dia no tr..lamento de toda a dor quer
interna quer extorna.
Verem-se as instrueges que acompaobam
cada vidrinho do Extracto ou do Ungento.
ADVOGABO jr*
y
O bacbarel Salustiuno Jos de ^
/ Oliveira pode ser procurado para
lfk misteres de sua profisso. a
'*W ra Estreita dn Rosario n. 10,1."
V3 andar.

Leonor Porto
Ra Larga do Rosarlo nu-j
mero 36
SEGUNDO AND
j j Contina a execuaj
< >iigurinos n
Elixir depura-
tivo vegetal.
FormnJa de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Oeral de Hj-
giene Publica do Rio de Janeiro ein 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande efficacia uas mo-
syphiliticas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das senioras.
Tem curado radicalmente rauitas pessoas a-c
commettida da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os aaaitos tomarao qu^tro colheres das de
sopa pela manh e quatro noite. As criangas
de 1 a 5 annos tomaro urna colher pela manh
e outra noite, e os de 5 a 11 annos tomaro
duas colheres pela manh e duas noite. De-
yero tomar baulios fri ou momo pela manh e
noite. Resguardo regular.
Encpntra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C.. ra do Mrquez de
Olinda n. 23.
O autor deste preparado pooe ser procurado
na roa do Barao da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qalquer -explicago
que for prteisa.
Cuidado com raltilrarrv
Beriberi
N,74
lllm. Sr. Angelino Jos dos Sanios Andrade.
Seria um falta de attengo nao lbe agradecer o
prodigio*} effelto que obtive pelo Elixir por V.
S. preparado.
Estando eu soffrendo de um incommodo,
acompanbado de urna fraqueza geral, e grande
peso uas percas a ponto de m- privar andar;
receitando-me a dous facultativos de minba
eonfianga, os Srs. Drs. Antonio B. da Silva Maia
e J. de Miranda Curio, disseram-me ser beribe-
ri, o que roe impressionon muito; mas sendo
aconselhado por um amigo, usei do Elixir por
V. S preparado, e apenas com duas garrafas ja
me acho fuasi restabelecido, e ainda continuo
com o sejrprodigioso Elixir; estou ceno que
contare flrande victoria.
Pode V. S. fazer uso deste como lhe aprou-
ver.
Em f te verdade me assigno.
Recife, 30 de Abril de 1884.
Affonso Ltgorio Velloso.
Pratico da pharmacia.
N. 75
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Recife, 21 de Juabo de 1882.Teoho attestar-
lbe que, tendo eu sido atacado de beriberi, e de-
pois de eu ter soffrido bastante tempo d dita
molestia, depois de ter tomado muitos reme-
dios ; e lomando tambem a manipoeira, esta me
desenchoi todo o corpo, tcando com falta de
sangue e um pouco de frouxido nos ervos;
alguem me inculcando que o senbor tinba um
bom remedio de seu preparado para o que eu
eslava soffrendo; ao mesmo senbor lhe comprei
duas garrafas, e com estas mes mas quei resta-
belecido de todo ; depois de eu ter ticado bom
tambem ensinei a um amigo meu que se achava
ha mais de annos soffrendo dos olhos este lhe
comprando duas e depois de ter tomado tam-
bem ticou restabelecido e com sua vista per-
feita.
E' o que lhe tenho a informar.
Deste seu ;riado e obrigado Antonio Jos
Ferreira Refinador.
N. 76
Pernambuco, 5 deFevereiro de 1883.
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Tendo soffrido e por muito tempo rheumatismo
syphililico, dores em todas as juntas do corpo,
muita debilidade no estomago, sem nenbum ap
petite para fualidade alguma de alimentago, a
ponto de Mear quasi sem acgo no movmento do
corpo, fui aconselbado por um amigo a usar do
Elixir por V. S. preparado, o que de prompto
principiei usar da primeira garrafa con
forme as prescripges que a acompanbam, e
no flm de dous dias j andava bem sem embara-
co algum e no lira de seis dias linha muita dis-
posiclo para comer. Quanto prodigioso o seu
Elixir que s foi preciso tomar urna garrafa.
E por fim s tenho que agradecar ao meu ami-
go e 10 amigo que me apontou este milagroso
Elixir.
Soi com subida considerago de V. S. criado
ejobrigado.
Arlhur Antunes Dantas.
Estivam sellados e reconhecidas as firmas
pelo tabellio.
V
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata^oom especiali-
dade de molestias de senhoras.e creancas
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 as 10 da mauhJi.
Chamados (por escripto) qalquer hora.
TELEPHOSE N. 2^6
&
MEDICO HOMEPATA
)Dr. Balitar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das enancas, dos orgabs respirato-
rios e das senhoraa.
Presta-se a qalquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n, 43,
onde se indicar sua residencia.
y~ m
!
Sachare. Antonio Wiru-
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1 andar
til e agradavel
O Feitoral de Cambar, alm da sua
utilidade na cura das molestias broncho-
pulmonares, possue prazer agradavel e
bem tolerado pelas creancas, em cujas en
fermidades tambem se applica com gran-
de proveito.
Professora
Por casas particulares, na eidade ou nos arra-
baldes, offerece se urna sen hora para leccionaro
seguinte :
Portuguez, francez, italiano, geograpbia, piano,
trabalho de agulha, bordados e flores.
Garanta.As discipulas effectivas que tem e
diversos atteslados de pessoas Ilustradas.
A tratar na relojoaria do Regulador da Mari
nha, ra Larga do Rosario n. 9.
Vias urinarias, molestias das se-
ntaras, operag5es elctricas
SL CABLOS SZTTSOHT
ESPECIALISTA
com pratica de paeis e loxdrbs
Eslreitamento da urelhra curados ra-
dicalmeste pela electrolyse, sem dr;
hydroceles sera injecgo (cura radical)
feridas e ulceras chronicas, com garan
tia de cura rpida ; pedras da bexiga,
fstulas e hemorrhoioas; syphilis, go-
norrhas, pelo methodo das nstillacoes ;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas. Con-
sultas e opajtgOes das i s 3 horas da
tarde. <
RA DO ARQUEZ DE OLINDA N. 34, |
J" ANDAR
Reatdencia na Torre
\drogado
Miguel Jos de Almeid i Pernambuco tem o seu
escripiorio de advocacia ra do Imperador n.
81, onde ser encontrado todosos dias uteis, das
9 non s da manh s 4 da tarde.
| Fredcrico Chaves Jnior jj
Homoepatha
(|39 RA RARO DA VICTORU 39H
j ( Prlmeiro andar (j
Dr. Firmo Xavier
Medico e operador
D consultas das 11 as 2 horas em seu con
sultorio ra da Imperatriz n. 30 Io andar e
tem sua residencia na eidade do Cabo, onde po
de ser procurado das 6 da tarde as 9 da manh
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aborto o seu consul-
torio, na ra Bario do Victoria 18, 1 an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
EDITAES
3.* seceo.Secretaria da i residencia de Per-
nambuco em 10 de Julho de 1889 :
i or esla secretaria se faz publico para conhe-
cimenlo de quem interessar, que, a requerimen-
to de Jos Rernardino de Rourboui Arantes, ti-
ca aberta a concurrencia, com o praso de trinta
dias, contados desta data para o recebimento
de propostas referentes fundaco de um enge-
nbo central de typo maior, de que trata o art.
18 da lei n. 1863 de 11 de Agosto de 1885, me-
diante as condiges do art. 16 da mesma lei e
da de n. 1972 de 22 de Marco ultimo.
(Assigoado).O secretario, Francisco L. Ma-
rinho de Souza.
5a Seccao. Palacio da Presidencia de
Pernambuco, em 16 de Jumo de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. vice-presidente da
provincia, que,
tendo Caetano da Costa
I!

Qlllsta
sto Sampaio, medico,
fo' de cliuica do
br, d consultas de
horas da tarde, no
0 andar da casa n. 51 ra do
Bar&o da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia n tem-
34. Entrada pela ra da
dade n. 25.

Moreira requerido a concurrencia publi-
ca para o estabelecimen'.o de urna fabrica
de cimento preparado com materia do
paiz, nos termos da lei n. 1987, de 6 de
Maio deste anno, infra transcripta, rica
marcado o p aso de trinta dias, contados
de hoje, para o recebimento de propostas,
em carta fechada, referentes a fundaco
da dita fabrica. (Assignado) o secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
Lei ir. 1987
Ignacio Joaquim de Souza Lelo, ba-
charel em sciencias jurdicas e sociaes, fi-
dalgo cavalheiro "da casa imperial, cava-
lheiro da Ordem da Rosa e vice-presiden-
te da provincia de Pernambuco:
Faco saber a todos os seus habitantes
que a Assemhla Legislativa Provincial
decretou e eu sanecionei a resoluco se-
guinte :
Art. 1.- Fica o presidente da provincia
autorisado a conceder, por praso impro-
rogavel de dez annos, privilegio a quem
mais vantagens offerecer para montar, nes-
ta provincia, a primeira fabrica de cimen
to preparado com materia do paiz.
Art. '." O cemento produzido pela fa-
brica de que se trata nao gosar de isen-
9S0 de imposto algum nem de quaesquer fa-
vores directos ou indirectos que tenham
por fim prohibir a entrada ou venda na
provincia de producto similar, nacicnal ou
estrangeiro.
Art. 3.Se no fim de dous annos, a
contar da data da presente le, nao esti-
ver a mesma fabrica funecionando regu-
larmente, a actual concesBo de privilegio,
ser ipso facto considerada caduca.
Art. 4,.Fi2am revogadaa as disposi-
^oe8 em contrario. Mando, portanto, a
todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execuc2o da presente ResolucSo
pertencer* que a cumpram e facam cum-
prir t3o inteiramente como n'ella se con-
tm.
O Secretario Interino da Presidencia
d'esta Provincia a faja imprimir, publi-
car e correr. Palacio da Presidencia de
Pernambuco, 6 de Maio de "1889, 68. da
Independencia e do Imperio. (Assigna-
do).Ignacio Joaquim de Souza Leb.
Sellada e publicada a presente Resolu-
c&o, n'esta Secretaria da Presidencia de
Pernambuco, aos 6 de Maio de 1889.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silveira.
Sjcretaria da presidencia de Per
nambuco, 22 de Junho de 1889.Por s-
ta secretaria se faz publico, de ordem "do
Exm. Sr. vicepresidente da provincia,
que fica prorogado por 30 dias, a c
de hoje, o prazo para a aprsenla^-'
propostas de concurrentes fund
onze engenhos ceutrai
nos termos da lea n. 1H7J
Mai
5.* scelo.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia s nos termos do 2o do (L
Io da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
que, tendo-se concluido por meip de laude
ce arbitro desempatador, a questSo de ava-
iacao do material da empreza de illoan-
naco gaz desta eidade, fica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis me-
zes, contados da data do p. esente edita*,
ara contracto da dita illuminacao, me-
diante as seguintes clausulas da citada le:
3. Nenhuma proposta ser recebid*
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 25:000$
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitaco lo contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nito ser retirado
pelo centractante senao rindo o contracto e
servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forem estipuladas no mesmo.
5. O contracto s poder ser feito
com quem melhores vantagens offerecer
na concurrencia.
6." A nao ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa nao ter*
preferencia a qalquer outro proponente.
7. O novo contractante sera obriga-
do indemnisaeao, a que a provincia
sujeita por forca da clausula dcima ter-
ce ira do contracto em vigOr, devendo dita
indemnisaeao ter lugar de accordo cora
essa mesma clausula, e ficando o material
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a indemni-
saeao ou pelo menos depositada a respeeti'-
va importancia.
8. O prazo do contrac', o nao poder
exceder a 30 annos.
| 9." Opreco da illuminajao, quer pub-
ea, quer particular, nao poder exceder de
260 ris o metro cubico de gaz, fazendo
e urna redcelo de mais de 30 |0, para
os estabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e repartieses publicas.
| 10." O systema mtrico, si for mais
conveniente, ser adoptado para a niedi-
yao do gaz.
| 11. A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias estranbas, que possam pce-
judicar a illuminacao e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermaceti,
das que queimam sete grammas por hora-
correspondentes a 120 graos ingiezes.
13.a As horas de illuminacao publica
sero fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao podendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dez, devendo neste caso baver urna
redcelo no prego do gaz correspondente
ao acrescimo de horas. a
14. O contractante ser obrigado*
ter na provincia um representante com
Sleos e illimitados poderes para tratar e
etinitivamente resolver as questoes que.
se suscitarem, quer c>m o goverao,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leis e regulamen-
tos e jurisdiccao dos tribunaes judioia-
rios ou administrativos do paiz.
15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um oc
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melhe-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da Europa.
16. O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attenclp oscillacao do cambio.
| 17. O contractante poder orgamsar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigaedes do contracto.
% 18. Para as despezas com a fisca-
sacao do servico de illuminacao |o contrac-
tante concorrer annualniente com a quaa-
tia de 3:0000000, que serlo recomidos a*
Thesouro Provincial.
19. O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condicoes, no
intuito de garantir a boa execucao do coa-
tracto, quer com relaco a illumineao pu-
blica, quer com a particular.
Faz-se publico, finalmente, que o nove
contractante ter de pagar actual em
presa, conforme o 7 cima citado, a
quantia de 994:9173528, de accordo con
a avaliaclo feita pelo arbitro desempata-
dor em 18 de Margo ultimo, visto deducir-
se da de 998:7770528, total da avaliaclo,
a importancia de 3:8600000 paga em-
presa em 1860, proveniente de 202 canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
pe3es, collocados fra do permetro do
contracto.
O secretario interino,
Manoel ioaqpa Silveira.
Empreza do Gaz
AVISO
A empreza de illuminacao a destagas
eidade por seu gerente, tendo visto ao
Diario de Pernambuco de hoje a publica-
clo do edital em que a presidencia da pro-
vincia chama concurrentes para o novo
contracto da illuminacao mediante as clau-
sulas no mesmo enunciadas e servindo de
quanto foram avahadas pelo arbitro desem-
patador as obras da mesma empresa,
base para a indemnisayao da empresa
actual a quantia de 998:7770528, por
quantia essa que dever ser paga pelo
novo contractante, vem pelo presente
aviso, e para evitar duvidas futuras, de-
clarar que dita avaliaclo nlo pode servir
de base para tal inderonisacio, por ter
sido illegal e irregularm'snte feita, bem
como que contra ella j protes ou, quer
perante o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, quer perante o ju.izo dos feitos da
fazenda, tendo sido intimado do mesmo
protesto o Dr procurador dos feitos da
Fazenda Provincial, como representante
da p>
leva em tempo op-
tra
1 de Maio de 1889.
George Windtc
Gerente.


' l



l
, .

II


Diario de Pernambue
1 CX J v>
ira 26 de Julho de 1889
""
DECLARAQ0ES
Irmandade de Sant'Anna da
igreja da Santa Cruz
ELEICAO
Convido a todos os nossos carissimos irraS >s a
comparecerem no respectivo consistorio no di
38 do corrente mez, pelas 10 horas da manb,
aflm de se proceder a eleico djs novos fonecio-
narios que tem de administrar esta irmandade
no anno compromissal de 1889 a 1890, depoi
de celebrada a missa votiva do Espirito Santo,
como determina o cempromisso da nossa irman
dade.
Consistorio da irmandade de Sant'Anna, erec
ta na igreja da Santa Cruz do Recife, 24 de Julho
de 1889.O secretario
Antonio Alves Viletla.
Ver^in Hamburger
Assecuradeure
Havarie Burean
Morfcrrfade de ejuradure* marti-
mo de llamburiio
Secco das ovarios
Pohlman 4 C. fazem publico que foram pelo
Yerein Hamburger Assecuradeure nomeadoa para,
em casos de avaria, representar as companhias
de seguros martimos de Hsmburgo, e que ellos
em todos os casos de avaria, se o seguro for
feito em Hamburgo, devem sem falta ser avisa-
dos e consultados pelos recebedores de merca-
dorias avahadas, e pelos capilaes respeito de
avaria de navios.
Celestial confraria da
Santissima Trindade
De ordem da mesa regedora, convido a todos
os carissimos irmaos para reuniremse em nosso
consistorio no dia 28 do correle, pelas 3 horas
da tarde, afim de paramentados com 03 seus h-
bitos, acompanharmos a procisso da gloriosa
Senhora Sant'Anna da igreja da Madre de Deus,
para a qual Tomos convidados.
Secretaria da celestial confraria da Santissima
Trindade, 25 de Julho de 188.
O secretario
J. A. Gosende.
Associacao dos Emprega-
dos no Commercio de
Pernambuco
Assembla geral
' TEBCETBA E ULTIMA COXVOCAcZo
Nao se tendo reunido numero legal de Srs.
consocios para ter lugar a sesso ordinaria j
annuneiada por duas vezes, de ordem do lllm.
Sr. presidente os convido de novo a se reunirem
no prximo domingo, 28 deste mez s t horas da
noite. certos de que de conformidade com o que
preceitua o art. 39 dos estatutos, a assembla se
constituir com o numero que comparecer.
Essa sesso ser para as eleigocs da mesa
desta,assembla, directora e commisso de exa-
me d contas; podendo tratarse de quaesquer
outros assuraptos.
Se resolver a respeito da Jreforma dos esta-
tutos.
Nao precisa de encarecer a necessidade do
comparecimento de lodos os Srs. consocios, por
qoanto espero que se compenetraro de sen
oever.
Secretaria da assembla geral, 25 de Julho de
1889.
Augusto A. da Silva,
Secretario ad hoc.
Irmandade da Gloriosa Se-
nhora Sant'Anna da igreja
da Madre de Deus
Teudo esta irmandade de solemoisar com
pompa e brilhantisiiio no domingo 28 do corren-
te. o dia de sua gloriosa padroeira, com fusta
solemne e Te Deum, e bera assim de expr pelas
l horas da tarde em solemne procisso a mesma
gloriosa Senhora, covida pelo presente todos os
seus irmaos a comparecerem em nossa igreja
afim de encorporados, assistirnaos aos referidos
actos.
Consistorio da irmandade, aos 2.) de Julho de
1889.0 escrivo
J0S0 Alves Pimentel.
Veneravel irmandade do Se-
nhor Bom Jess dos
Passos
Por ordem do irmo provedor, convido aos
nossos charos irmios a comparecerem na matn <
lo Corno Santo domingo 28 do frrenle, pelas 3
horas da tarde, atim de encorporados, acompa-
nharmos a procisso da Senhora Sant'Anna da
igreja da Madre de Deus, para cujo Hm fomos
convidados. Recite, 2o de Jullio de 1889.
O escrivo
M. M. Com pos Jnior._____
i,.... .-.. .....-------.-.. ^j
A' Gl.\ do Gr.\ Arch.\
do Un/.
fc B.-. CAVALLEIROS DA CRUZ
Ser.-, de Fin.-.
De ordem do Resp.". Ir.-. Ven.-, int.". convido
a todos os OObr.-. tiesto Aog.*. e Resp.. OftV. a
se reunirem na sede da mesma, pelas 7 horas
la noite do dia 29 do corrente, para o fim cima
declarado. f
Recife, 25 de Julho de 188'e.-. V.-.
Eduardo Goncalves 18.-.
Secret.-. *
Indemnisadora
Esta companhia de seguros est pagando um
dividen lo de 19V00O por aeco, relativo ao ulti-
mo semestre rinde em 30 de Junho prximo pas-
sado, em seu e?c -iptorio ra do Commercio
numero 44.
Recife, 24 de Julho de 1889.
Os directores
Joaquim Alves da Fonseca.
Antonio da Cunda Ferreira Bailar.
P"
Prazo de 30 dias
De ordem do, Sr. Dr. inspector geral, faco
sciente a professo a publica Mara Clara de Mel-
lo Figucira, que tendo sido por acto da presiden-
cia de da provincio|13ldojcorrente, transferida do
Bom Successso na ciaade de Olinda, para a ra
do Commercio na mesma cdade sem seu pre-
juizo, a cadeira que regia, Ihe flea marcado o pra-
so de 30 dias, a contar daquella data, para tomar
posse e assumir o respectivo exercicio.
Sacretaria da Inslruccao Publica de Pernam-
buco, 23 de Julho de 1889.
O secretario,
Pergenttno Saraita de Araujo Calvao
Colonia Orphanolo^
bel
De ordem da directora desta
aos Srs. tutores ou protectores de
pachados para quando hoover v
apresentar sem serem chamado:
rio. por nao haver vagas prsenle.'
Secretaria da Colonia Orphaoologica
16 de Julho de 1889.
Osecrata
Francisco Goncalves de Hiqneira
no
Isabel,
Prado Pernambncano
S daro ingresso ua corrida a realisar-se
domingo 28 do corrente, os bilhetes especiaes,
impressos para este dia, com excepeo dos bi-
lhetes intransferiveis de accionista e os perma-
nentes. Recife, 25 de Julho de 1889.
Francisco de Souza Reis
Gerente.
*
COMERCIO
suco msuucioui
DO
JlJ JCTx. vAw >o X JL.
Capital.....20,000:0003000
dem realisado 15,000:0006000
A caixa filial deste Banco funeciona a
roa do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro., ,..
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParsBanque de Pars et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Oom-
pany Limited.
AUemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HespanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da PrataThe London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkQ. msink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro..
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento com juros na razao de 2 % a0
anno e por letras a prazo a juros conven-
eionados.
O gerente,
Hilliam M Webster.
Companhia de Edifica<;ao
A commisso abaixo assignada aulorisada pe-
la assembla geral da Companhia de Edificaco,
faz traspasso com todos os favores que Ihe fo
ram concedidos pela assembla provincial, dos
seus bebs atuLxo declarados :
Olaria da Torre com os terrenos, casa de vi-
venda, machinas, carrcas. burros, bois. canoas
e todo o material all existente.
Casa do Caes de Capibaribe, madeiras, ferra:-
gens, tintas e outros muitos artigos.
Cofre, carteiras e diversos utensilios para es-
criptorio.
Os pretendentes podem examinar a quantida-
de, qualidade e estado de tudo quanto ahi tica
mencionado, para o que Ibes ser facultado o
balanco na sede da companhia praga de Pedro
II n. 77, l* andar, onde encontraran, pessoas que
(tarto as explicacOes necessarias.
As propostas "sero feite em cartas fechadas
que devero ser entregues neste escriptorio des-
de j at subl).ulo 27 do corrente s 3 horas da
tarde e sero abertas na segunda-feira vindoura
29 s 11 horas do dia, perante os concurrentes
que se acharem presentes.
Nao sero aceitas propostas de queui previa-
mente nao tenha depositado no cofre da compa-
nhia a quantia de 1:000*000, em dinheiro ou
apolices da divida publica geral ou provincial
ou em accs,da companhia, que pela sua >ota-
cao representem aquella quantia.
Essa mesma eauco reverter em favor da
companhia se o signatario da proposta aceita
nao realisal-a no praso de oito dias contados da
abertura da mesma proposts, ja qual neste caso
ficar de m-nhum effeito.
Recife, 22 de Julho de 1889.
Jos Gomes Ferreira Maia.
Bernardino Costa C. Jnior.
Joaquim de Oliveira Borges.
Irmandade do Divino Espi-
, rito Santo do Recife
Posse
De ordem da mesa regedora convido a todos
os nossos charissimos irmaos a comparecerem
em nossa igreja, domingo, 28 do corrente, pelas
11 horas do da, afim de assistirem ao acto da
posseda rae3a regedora que tem de administrar
esta irmandade no anno compromissal de 1889
a 1890, e ouvirera a leitura do relatorio do juiz
que flda.
Consistorio, 23 de Julho de 1&89.
O escrivo interino,
Antonio Alagatliaa da Silva.
VeneravtI Irmandade do fie-
nhor Bom lesas das Portas
a igreja da Madre de Deas
De ordem do irmo provedor, sao convidados
todos os nossos irmaos a comparecerem do-
mingo 28 do corrente, pelas 3 horas da Urde,
para encorporados acompanharmos a prociss
da Gloriosa Senhora Sant'Anna. que sabe d.esta
igreja ; para cujo lini tivemos convite.
Secretaria da Veneravpl irmandade do ^enbor
Bom Jess das Portas, 25 de Julho de 1889..
O secreH^^H
Jos Joaquim da Silva Campos.
Arsenal de Mar riba
Conselho de compras
De ordem do lllm. Sr. capito-tenente M&noe!
Augusto de Castro Menezes, inspector d'este Ar-
senal e capilo do porto d'esta provincia, con-
vido aos Srs. abaixo mencionados para no prazo
de trez dias, conferios da presente, data, confort
me o disposto no art. 13 do decreto n. 10066 de
20 de Outubro de 1888, comparecerem na secre-
laria d'esta inspecco, afim de assignarem a
minuta do contracto da sesso do conselho de
compras de 13 do corrente mez, e asatatirem
leitura da respectiva minuta : Jos Aowlpho Ro-
drigues Lima, como (ador de Jos Mitnias da
Fonseca, Jos de Oliveira Castro, corno fiador de
Manoel da Silva Faria, Luiz Leopoldo Guimares
Peixoto, como liador de Vicente Ferreira de Al-
buquerque Nasciraento. Maia e Silva C, Jos
Rufino Climaco da Silva, Antonio Rodrigues de
Souza 4 <,., Joaquim Alves da Silva Santos e Jos
de Souza Aguiar C.
Secretaria da Inspecco do Arsenal de Mari-
nha de Pernambuco, 23 de Junho de 1889.
O secretario,
Antonio da Silva Azevedo.
Club Iaternacional do
Recife
' Dovendo ter lugar no dia 27 do corrente o
sarao anniversario, sao convidados os senhores
socios a vir receber-em ra5o do Sr. thesoureiro
os respectivos bilhetes de entrada, das 7 s 9
horas da noite, neste club.
Neohuin socio poderi tomar parte no sarao
sem apresentar o referido bilhete.
Recife, 20 de Julho de 1889.
Francisco de Souza Reis
1 secretario.
Companhia de edifica-
cao
Tratando-se da transferencia desta companhia
quem mais vantagens offerrcer. sao convida-
dos todos os credores apresentarem os seus
ttulos ou contas, no prazo improrogavel de cin
co das, na sede da companhia, praca de Pe-
dro 2." n. 77, 1- andar, para serem (lvidamen-
te conferidos. Recite. 22 de Julho de 1888.
Jos Gorae Ferreira Maia.
Bernardino C. C. Juuior.
Joaquim de Oliveira Borges.
Companljia te Segur0s
coma':::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posado financoira fDezembro iie <885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulados 3.134,348
Reecita annual :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. BoxineU.
Revista do Mercado
Recif::, 2"> de julho de 1889.
0 movimento limitou-sc a transaeces no mer-
ado de cambios.
Todos os mais mercados cstivcram parados.
Bolsa
-ACSeS OFFIC1AES DA JUNTA DOS COB
RKTORE8
Recif. 23 ae Jullio dt 1889
Cambio sobre Rio Grande do Sul, 30 d7v. com
', 0/0 de descont.
*i;ammo sobre Pelotas, 90 d/v. com 2 1/4 0/0 de
descont.
o presidente, .
Candido G. lcoforado.
0 secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo
IUo honve vendas, valendo o de 1" sorte do
lo 6S9O0.
\ eXDOrta ''a alfandega neste mez at
dia 23attngio a 1.217.010 kilos, sendo 703.816
ore .I3.794 para o interior.
As enti -,-",aR a,,:' data'de nJe so"
;, Sendo por:
1.118 Saccas
723
i i
;rread- 212
2o9
* ai4
Icmandade deN. S. do Rosa-
rio da matriz dO CorP
Santo
De ordem do irmo juiz, convido todos os
nossos irmaos a comparecerem em nossa igreja
domingo 28, pelas 3 horas da tarde, alim de en-
corporados, acompannarmos a procisso da to-
llosa Sant'Anna, que tem de sabir da igreja da
Madre de Deus, para a qual fomos convidados.
Recife, 23 de Julho de 1889.
O escrivo.
Nuno Alves da Fonseca.
tadas de hontem, o English saccava a ii 7/8 *e
os demais bancos a 27 d.
Papel particular escasso a 271,16.
TABELLAS AFFIXADA8
Banco de Crdito Real
de Pernambuco
Este estabelecimento, de accordo com o art.
54 dos estatutos, paga o seu 6o dividendo, rea
tivo ao semestre findqj em 30 .de Junho do cor-
rente anno, razao de 5 .' sobre o valor das
entradas realizadas do capital, ou "jtJOO por dc-
cao, todos os dias uteis, desde s 10 iwia?
da manh* s 4 da tarde, em sua sede ra do
Commercio n. 34.
Recife, 22 de Julho dc 1889.
O gerente.
Joao Fernandes Lopes.
Obras publicas
De ordem do lllm. Sr. engenheiro director
geral, e em virtude da autorisaco de S. Exc. o
Sr. 1." vice-presidente Ja provincia de 16 do
corrente. faco publico que no dia 8 de Agosto
prximo vindonro ao meio da, nesti directo
na recebe-se propostas em cartas fechadas,
competentemente salladas, para execuco dos
repajos precisos na ponte da Magdalena, sob'-e
0 rio Capibaribe. na importancia de 9:587.2'JO-.
Para concorrer a praca ncimo devero os lici-
tantes depositar no Thesouro Provincial a qiaa-
ta de 479i360, equivalente a o 0,0 do valor do
orcamento.
Secretaria da directora gem das Obras Publi-
cas de Pernambuco. ern :0 de Julho de 1889.
O engenheiro secretario
Luiz Antonio C. de Albnquerque
SANTA.CASA
CASAS PARA ALIGAR
flua do Vigario Tenorio n. 27, loja 200*000
dem idem n. 22, 2." andar 180000
demidem idem, 3 andar 180'Xk'.
dem do Bispo Sardinha (Encanta-
mento) n. 11. 2." andar 240*000
dem do Mrquez de Olinda, n. 44, so-
brado de dous andares 2:131*000
dem idem n. 33, idem idem 1:2091000
dem do Bom Jess n. 29, loja 16*000
dem do Bom Jess n. 29, 1.; andar 240*000
I Jcm idem 2* andar 24*000
dem de Thom de Souza (Lingoeta)
n. 14, Io andar 189*000
dem da Senzala velha n 16
caa terrea 2255000
Becco das Boias n. 14. 2" andar IsjOOO
dem idem 3" andar 260*WX)
dem do Padre Fioriano n. 03, caza
terrea 16**000
dem S. Bom Jess das Crioulas n.
8, dem 216*000
dem Imperial n. 151, caza ten va :;^ttf 00
Hecco da Deleng'io nueiagua; 1*6*000
S. Lourenco daMatta #0*000
LAmbot (Varzia )idem T2f".00 -/. * > "3 r _-_ -=~ 3 ~f^~
e -i B c a 1 o o s o' - CA o p 3 3 o 5 2. M O 3 "-ce
s s 4 3
. s. l
s ^
* 9 * i
3
i
a
ex. ~a


^ s S
O O -J

o
8!
co ~>
cx
cx
o. te
I *
i.
?.
JL
ex cx
CB I
f I
00 ^
co
cx
ex
i.
^1 *-a oo
I
tf'-mxli
AHHuear

Retamo
bruto (firme) 2*000 a 2*4CO
. 1*700 a 1*900
A exportaco feita pela altan riega neste mez at
o dia 23. subi a 2.92S/'07 tilos, sendo 8:5.171
para o exterior e 2 orj.7t; para o interior.
As entradas veriflcidas at a data de boje, so-
bem a 4.594 saceos, sendo por:
Barcadas 2 121 Saceos
Vapores :;,;
Animaos.... ini
Via-ferrea de Caruar. 213
Via-frrea de S. Francisco. i 834
Via-ferrea do Limoeiro 322
Simna. I
Agurdente
Saceos
4*400
llifWl
Cota-se a 10j'*000, por pipa dc 480 litros.
AicOGl
Cota-se a 200*000 por pipa ,s.
llel
Cota-sc a 70*000 por pipa
Couro*
Couros salgados, 360 a 365 ris, tominal. na
base dc 12 kilos.
Pauta da alfande^a
SEMANA 1)F L'2 A 27 DE IULH# ob 18S9
Vide o Diario de 21 de Jullio
\avios descarga
Barca norueguense Gefien, xarqu
Barca norueguense Arendu
Barca norueguense Sptranza,
Escuna allema Frz xarque. I
Lugar nacional Tigre
Lugar norueguense Albatroz, cM
Lugar inglez Indiana, graxa.
xarque.
iue.
Vi xail
. xarque.
tmioraeo
HVDEMNIS A D ORA
Companhia de Sepros
martimos e terrestres
!:. ti iiMiia <-in is."ir
CAPITAL l,0OO:000|000
SINISTROS PAGOS
At 31 dc Uczembro de 1884
Martimos.. 1,110:000$000
Terrestres. 316:000$000
44Ra do Commercio44
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool A London & Olobe
' ntfsURANCS cg:.:?a:ty
2LAC22U31 NSS2SAM a C.
md
Ra do Commercio n. 3
Companhia
Imperial
,DE
Sesruros contra Fog:o
EST: 1803 .
Edificios e mercaderas
Taxas bwxrm
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
lis. 16.000:000^000
AGENTE
BROMAS .V G.
N. 5^-RUA DO COMMERCION.
London & Brasilian Bank"
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesino banco em Portugal sendo
era Lisboa ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
Companhia de Seguros
i't&t^&t t fisto
AGESTE
Miguel Jos Alves
X. 9Ba do Bom Jeta* i*. 9
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nenes ltimos seguros a'unica companhia
aesta praca que concede aos Srs. segurados isemp-
jao de pagamento de premio em cada stimo
^nno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados
SEGUROS
martimos contra fogo
Companhia Phenfx Per-
nanibncaua
RA DO COMMERCIO X. 38
em 25 do andante e consignado a Joaquim da
Silva Carqeiro ; manfestou :
Xarque 215:520 kilos ordem.
Lugre nacional I-ayo, entrado dc Pelotas, em
igual data e consignado a Ainorim Irmaos &. G.;
manfestou:
Xarque 245:000 kilos ordem.
rjxporf arito
RECITO. 2* DB JUI.1IO DE 1889
Para o exterior
Nao houve exportado.
JJara o interior
No vapor inglez Cometa, carregaram :
Para Rio Grande do Sul, Costa & Feruandes
5 pipas com 2,400 litros de agurdente ; J. Lobo
Ferreira 300 barricas com 32,020 kilos de Ant-
ear bronco.
Para Pelotas, urlo & C 150 saceos com
11,250 kilos de aasucar branca
Xo vapor nacional Para,,carreaanan :
Para Rio de Janeiro. J. F. d.-ilva 2,000 cocos,
frucia ; M. da Silva 46 saceos com 2,760 kilos
de agaucar branco ; V de Oliveira Maia 15,000
cocos, frucia.
Para Espirito Santo, A. Luiz 1 barril com 42
litros de agurdente.
Para Bahia, M. A. Senna & C. 50 barricas com
1,800 kil03 de assucar reinudo.
Xo vapor americano Allianra. carregou :
Para Para, C. F. de Assis 3.') barricas com
Si kilos dc assucar branco.
Readlmeatos pblicos
HVJ. DB JUM10
Alfanaega
Renda geral: .
Do da 1 a 24 511:576*022
dem de 23 21:186*905
Renda provincial
Do dia 1 a 1 72()12:iU7
a de 25 1:951*197
365:762*927
I3J804
.726.S52

SEGURO COSTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool '
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. DE DRSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
O procurador dos feitos interino
da fazenda provincial, tendo recebido do
thesouro a relacao abaixo transcripta dos
devedoresedo imposto da decima das fre-
g-uezias do Poro da Panella, Varsea e Sao
Lourenyo do exercicio de 1886 1887
inclusive o 3." semestre que deixaram de
pagar no tempo competente, declara aos
meamos devedores que Ibes tica marcado o
praso de 30 dias a contar da publicaclo
do presente edita!, para denjro delle pa-
garem a importancia de seus dbitos com
guia da seccito do contencioso, certos de
que rindo aquello praso ser feita a cobran
9a judicialmente.
Recife, 4 de Junho de 1889.
Pedro Jos de Oliveira Pernambuco.
Relacao dos devodores da dcima da fre-
guezia do Po;o da Panella do exercicio
de 86 a 87 inclusive o 3. semestre que
deixaram de pagar no tempo comp-
rtente.
Ambol n.' 44. Herdeiros de
Manoel de Carvalho P. de
Andrade 18*599
Estrada de Barreiros n. 1.
Herdeiros de Thereza Car-
Lins Miranda 37*199
Travessa da Matriz n. 2. Her-
mino Francisco Coelbo 18*599
Cemiterio n. 8. Herminio Ro-
drigues ii^racho 18&399
Ambol n. 12. Herdeiro de
Hygidio Carneiro Leao 61*999
Bom Gosto n. 1. Ignacio Al-
ves Monteiro Jnior 18*599
Ipotinga n. 7 A. O mesmo 18*599
Estrada Nova n 133. Ignacio
Gonca Estrada de Barreiros n. 12.
Jacintho Rodrigues Gampel-
lo 27-S89!)
Sol n. a. Jacintho Campello 9*299
Dita n. 5. O mesmo 9*299
Barreiros n. 23. Joanna Emi-
liana Soares da Rocha !l*2'.)9
Sol n 7. Joanna da Silva 1*871
Barreiros n. 5. Joao Alfredo
Tbomaz 9*935
Ambol n. 34. J0S0 Baptista
Pinheiro parte 16*188
Barreiros n. 33. Joao- Baptis-
ta do Rozario 7*439
Estrada Nova n. 1U9. Joao
Francisco da Silva 1[2 18*599
So JoSa n. 15. Joao Gomes
Caldereiro 4*991
Ipotinga o. 13. Joo Jos da
Silveira 30*999
Sol n. 15. Joao Luiz Vianna 7*439
Brum n. 4. Joo Pereira dos
Santos Farofa 124*196
liba n. 5. O mesmo 13*018
Sao Joao n. 3. Joao Porfirio-
de Souza 4*366
Ambol n. 34. Joaquim da .
Assumpcao Queiroz 21*010
Barreiros n. 2. Joaquim Fran-
cisco Ribeiro 4*991
Dita n. 10. O mesmo 4*991
Estrada do Brum n. 8. O mes-
mo 15*597
Estrada Nova n. 109. Joaguim
Gabriel da Silva 18*599
Cemiterio n. 2. Joaquim Ma-
lhano dos Santos 9*299
Barreiros n. 8. Joaquim Mar-
ques da Cunha 4*991
Dita n. 14. O mesmo 3#743
Dita n. 13. O mesmo 10*398
Dita n. 15. O mesmo 6*239
Dita n. 43. Jos Bento Gon-
calves 14*879
Ilha n. 2. Jos Domingues 18*599
Largo da Matriz n. 6. Jos
Joaquim da Costa Guima-
r3es 11*159
Dita n. 8. O mesmo 18*o99
Dita n. 10. O mesmo 11*159
Sao Joao u. 5. Jos. Joaquim
Ferreira 18*599
Ditan. 4. Jos Lins (viuvade) 8*439
Estacab n. 11. Jos Mara
Ugut 430399
Estrada Nova n. 123 C. Jso
Paulino da Silva Filho 11*159
Estrada de Barreiros n. 9.
Jos Pedro de Souza 18*593
Cemiterio n. 15. Jos Rodri-
gues Baracho 90299
Largo da Matriz n. 14. Justi-
Kccebetloria Geral
Do dia 1 a 24 27.385*080
dem de 23 553*867
27:938*917
Recebcdoria provincial
Do dia 1 a 21 131:988662
dem de 23 73(i911
-----------------132:719*573
Recife Drainage
Do dia 1 a 21 6:183*195
'dem de 25 7;il*9l'
6:918*490
Mercado Municipal de ti. Son
0 movimento deste mercado no dia 2i de Ju-
lho foi o seguinte:
Entraram :
12 bois pesando 5,306 kilos.
182 kilo3 de peixe a 20 ris 964Q
60 cargas com farinha a 200 vis 12*000
9 dilas com feijoa 200 ris 1 jSM.i
21 ditas de milho a 200 ris 1*200
18 ditas deiruclas diversas a 300reJjL g*100
16 taboleiros a 200 ris 3*200
11 suinos a 200 ris 2*900
i 29 matulos com legumes a 200 us 3*800
Foram oceupados :
27 columnas a 600 ris 16*200
1 escriptorio a 300 300
i compartimentos de farinhaa500
ris 12*000
2S ditos de comidas a oOO. ris 12*500
73 ditos de legumes e fazendas a
400 ris 29JM0
16 ditos de suinos a 7Q0 ris li<2)0
. S ditos de fressuras a 600 ris 4*800
43 tainos a 2* aijOO
Randimento do da 1 e 23 do cor-
rente
Fot arrecadado liquido at h
Procos do dia:
Carne verde de 200 a 480 r
de 72Q a 1* ris idem.
217*040
%:995*300
3:2I2*30
ullem
n Epaminondas de A. Neves lo--
Estrada Nova n.-12 A." Leon-
cio Pereira dc Souza 23*249
Barreiros n. 27. Lins Pereira
da Fonseca 9*299
Dita n. 29. 0 mesmo 9*29!
Caxang n. 11 A. Lniz Igna-
cio (viuva de) 110169
Sao Joao n. 1. Manoel Alves
Lessa 7*43'
Larangeira n. 6. Manoel An-
selmo Correia de Figueire-
do 13001s
Dita n. 25. 0 mesmo 11*159
Sol n l.O meamo 9*29
Estrada de Barreiros n. 45.
Manoel Bezerra Costa d'Al-
buquerque 18*591
Barbalho n. 10 A. Manoel Ca-
roll 18*599
Estrada da Ilha n. 3. Manoel
Correia d'Araujo 23*249
Estrada de Ambol n. 26. Ma-
noel Dionisio Gomes Reg 18*599
Dita n. 16. Manoel Francisco
de Paiva 3*743
Dita n. 18. 0 mesmo 4*360
Travessa da Ra do Sol n. 4.
O mesmo 20*797
Sao Francisco de Paula n. 16.
Manoel Jos Machado 20*699
Caxang n. 5. Manoel do Nas-
cimento Vera-Cruz 14*379
Dita n. 7. O mesmo 9*299
Ambal n. 8. Manoel Trajano 18*599
Estrada da Barreira n. 11.
Marcelino Neves de Farias 13*01^
Caxang n. 2. Maria Bacel-
lai de Oliveira 9*299
Sao Francisco de Paula n- 4.
Maria Theolinda Macedo 27*899
Estradu Nova n. 131. Miguel
Pereira de Brito 13*01 s
Estrada do Brum n. 2. Otto
Plesesman (viuva de) 25*99'
Sao Francisco de Paula n. 34.
Pedro Francisco de Paula
Baptista 27*899
Estrada Nova n. 139 A. Quin-
tino Carneiro Vasconcellos 9*299
Bom Gosto n. 4. Rayraundo
Antonio da Silva 9*299
Dita n. 6. O mesmo 9*299
Caxang n. 9. Rogoberto Quin-
tiliano Grangeiro 90293
Ambol n. 24. Roque Anto-
nio Correia 6*239
Sao Francisco de Paula n. 36.
Roza Carlota de Mello 61*99
Estrada de Barbalho n. 16.
Sebastia. Alfonso dos Pra-
zeres 150499
Sao Francisco de Paula n. 24.
Senhorinha Maria do Sacra-
mento 18*599
Estrada Nova n. 119*3. Ter-
tuliano Ernesto Menezes
, Carvalho 18*599
Estrada do Brum n. 1. The-
reza Carneiro Lins 23*249
Estrada de Barreiros n. 25.
Tito Francisco de Mulo 110159
Larangeira n. 22. Umbelina
dos Santos Rocha 2*49;".
Ambol n. 10. Vicente A. de
Albuquerquo 14*879
Sao Lourenco
Largo da Matriz n. 46. Affon-
so d'Albuquerque Maranho 11*159
Rozario n. 44. Alexandrina
dos Santos Bezerra 11*159
Dita n. 12. Anna Alves do
Monte ? 5*579
Dita n. 2. Antonio Costa 5*579
Estrada da Via-Ferrea de Li-
moeiro n. 8. Basilio Pe-
reira ? 3*119
Dita n. 10. O mesmo 3*119
Estrada Nova n. 25. Candida
Maria dos Prazeres 22*31 S
Dita n. 29. Carlos Martins
Correia de Araujo 4*991
Largo da Matriz n. 7. Florin-
da Maria da Conceiao 7*439
Dita n. 23. Francisca Luiza .
da Silveira Cavalcante 18*599
Rozario n. 42. Generoza Ma-
ria do Espirito Santo 50579
Estrada da Via-Ferrea de Li-
moeiro n. 4. Gmalo 3*119
Largo da Matris n. 26. Her-
deiros de Francisco Luiz
Quresma 140879
Estrada Nova n. 13 A. Her-
deiros de Olvmpio Ferreira
Coutinho 14*379
Estrada Nova n. 16. Irmanda-
de do S. 3. de Sao Lou-
14*879
renco
(Contina).
Haadouro publico
Neste estaDelecimento foiara abatidas para o
consumo de hoje 91 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE JULHO
Sul........... Scrgipe ......... 26
Norte......... Para............. 26
Europa....... V. de Bneuos-Ayns. 26
SuL........... Espirito Santo..... -27
Europa....... Aconcagua........ 28
Norte......... Ad ranee.......... 28
Sul. -. .,..... Mlianca.......... 29
Vapores a sabir
MEZ DE JULHO
Sul.......... Cometa........... 26 as 4 b.
Sul..........Para.............26 as 3 b.
antos e esc. V. de Buenos-Ayres. 26 as II h.
Norte........ Espinto Santo.....28 as oh.
Montevideo .. Aconcagua........ 28 as 11 b.
Santos e esc Adcance..........29 as ib.
New-York AUianca.......... 30 as 3,h.
Hovlmcnto do porto
*Navios entrados no dia 25
Pelotas26 dias, lugar nacional Logo, de 212 U
neladas, capito Bernardino da Silva Tbora,
equipagem 10, carga xarque; a Amorim lr-
mes G.
Pelotas23 das, patacho allemo Frederuk, de
158 toneladas, capitSo F. Heitmuller, equipa-
gem 6, carga xarque; a Joaquim da SUva
Carneiro.
Rio Grande do Sul- 19 dias, lugar inglez ilar-
garet Murray.dc 17a toneladas, capitao Tho-
maz Watres, equipagem 7, carga farinha de
mandioca ; a H. Luodgren 4 C.
Babia 23 dins, barca nacional Cecilia, c :
toneladas, capito Bernardo Kodngues, eqni-
Eagem 13,'carga vario3 gneros ; a Amorim .
rmaos 6
Pelotas2o dias, lugar inglez Thomaz Bo
de 177 toneladas, capito O. Jones, equipagem
7, carga farinha de mandioca : ordem.
Navios sahidos no mesmo dia
Natal Escu^naoonol Carolina, cap!;




1





I
A
Diario de Pernambueo
a 26 de Julho de 1889*
i
m
QUE SE REALIZAR
Domingo 28 deJulho
*
Xome*
9
a
s
Pello*
balara-
lid.
Cor davralt-
menta
Pronrietarioa
THEATRO
SANTO ANTONIO
Propricdade e empresa dos artistas
KBUARDO RODRIGUES E HELENA BAIiSKSlAO ROIIRGES
1. pareoConwoiaco Primeira turma8(10 metros. Animaes da provincia que ainda nao
teoham ganho nos prados do Recife. Premios : 200* ao i., 40/ ao 2 c 20* ao 3.
1
]
I
5
6
7
8
9
10
ii
a
13
i'i
Tyranno
RDadmanto..
Ecla.......
Humilde-----
Soberano -
Piruja......
Siroco ......
Thisbe......
Gui.....
Ceo........
Pao Brasil ..
Muscadim...
Villa.......
Conforme ex-
Vinho-
braneo ..
i
8
4
I
i
ti
3
3
I
I
5
i
I
Alazo....
Baio......
H. pedrez...
*
Cardo
Russo ...
Carato
Pedrez -
Rusilho ..
Baio.......
Castanho..
Russo pdre
Pernamb.
Verde e amarello.
Branco e azul......
Grcnat c ouro......
54
56
54
56
o
56
52
52
56
56
86 Azul
54
Azul e brunco.
H
:>i
Aun verde.........
Encarnado e preto...
Encarnado e azul.
S. A.
i. Gardener.
R.
F. M. N.
C. Jock Club.
Coud. 8 de Junho.
S. B.
I. M. de Abren.
L A.
C. Hossbacl.
Candido H. R.
P. H.
V. T.
Jos Valente.
DIRECCiODOACTOR.
C. LISBOA
~=*t*\ -i
Por motivo de se ter desligado da companhia a actriz D. Aliverti, sem ter
I concluido o contracto que tinha com.a Empreza que_findava no dia 1 de Agosto o
'que occasionou grandes prejuizo* a dita Empreza, tcon transferida a representacilo
do drama
A Tomada'da jBastilha
2. PareoIo de Julho
1,300 metros Animaes pelludos
1". 60* ao 2" e 30* ao 3*
do paiz- Premios : 300* ao
L<
Ophir-----
Hamiet ..
Mon corvo
Favorita .
Cometa ..
Recife ..
Aymor ..
Castanho....
Turd. negro-
Tordilho...
Zaina.......
Alajzao......
Castanho
S.Paulo.
50
48
52
60
54
56
54
Encarnado e preto...
Azul, branco cene...
Azul e grenat.......
Verde e amarello...
Azul eouro........
Coudelara Cruzeiro.
Coudelaria Venturosa.
C. A. r.
Maia & C.
Coud. Luzo Brasileira.
S. P.
P. V.
para a semana prxima.
=***
DOMINGO, 28 DE JULHO DE 1889
'.* e ultima irrevogavel e definitiva representa5.n0 da opereta mgica
00YODE OURO
Tomando parte os artistas D.
DRIGUES.
HELE3& BALSEMO E EDUARDO RO-
pareoVeloridade900 metros Animaes da provincia que nao tenham ganho eni raaior
distancia. Premios : 200? ao 1, 40* ao 2o e 20* ao 3

9
10
ti
a
13
(4
Qaixaba ...
Phariseu ex
Orange .
Pombo Preto
Cyclone.....
(uerreiro ..
Etna......
Esquimo...
Tupa.......
Good- mor-
ning. ...
Marat......
Bolacbinha.
Lucifer-----
Bonaparte .
Dublin-----
I 3 Rodado
Castanho...
Cadhito-----
Rodado -----
Alazo cachi.
Castauho
R douradilho
Russo pedrez
Rodado

Russo
Rodado
Cardo .
Pernamb..
36
58
54
56
56
56
54
M
56
36
36
56
34
Azul e encarnado....
Grenat eonro........
Grenat.............
Verde e branco.....
C. A.
T. Pernambueo.
Coud. Victoria
S.B,
Coudelaria Progresso.
J. Oliveira.
Augusto M.
Jos Mello.
Grenat. ............R. Cardoso.
Encarnado e branco-! Coudelaria Demcrata.
Encarnado e azul J. M. ti. C.
Grenat e ouro.......
Azul, branco e encar..
Enramado e azul-----
Irha & C.
R. G. L.
L J. M.
4.* Pareo.Prado Pernambucano-1,300 metros. Animaes de qualquer paiz.
Premios : 500* ao 1, 100* ao 2." e 50* ao 3.
Diana.....
Fagon
Apollo......
Gallia......
Stephanie ...
Africana.....
Alaz.....
Castanba
Zaina ...
Franca ...'
*
R. da Prata
Inglaterra.

R. da Prata
50
54
52
52
:o
54
Azul e ouro
Bramo e ouro
Azul e ouro..
Rosa e preto ..
Coud. Internacional.
Joo de S.
Coudelaria Emulago.
t. C. Rezende.
Coudelaria Riaclinello
DEREYU
DE
PERNAMBUC0
O vapor Elbe
Commandante Armstreng
E' esperado dosul no dia 4 de
Agosto, seguindo depoisda demora
'necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vigo, outhampton e,
Antuerpia
Reducqao d* passagens
Ida iia e volta
'Lisboa l ciusse 20 t 30
A' Southampton classe t 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambueo.
Para pass igVns fretes, encommendas, trata-se
'M m os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
- ... ,.......... i.^^^^
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Congo
Commandante Lecointre
E' esperado dos porros do
sul no dia. 2 de Agosto
seguindo depois dademo
ra de cosiume 'para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageires de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem remar em qualquer lempo
Faz-se abatimento de 15 0[0 em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepcao, os criados de familias que to-
marem bilnetes de proa, gozam tambem deste
abatimente.
Os vales postaes s se dao at o dia 31 deJuIho
pagos de contado.
Ente paquete llliimiuado ft luz
elctrica.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Augnste Labille
9 Ra do Commercio 9

'.'" Pareo Ferro Carril-
1.200 metros. Animaes nacionaes
300* ao 1." 60* ao 2." e 30* ao 3.
at meio sangue. Premios
Mandarim.
Minerva ...
Favorita ..
Corcovado .
Ruy-Blas .
Risette-----
Douro.....
* Mimosa.....
Rusilho'.. ..
Douradilha..
Zaina.....
Castanho-----
Alazo......
Zaina. ,.....
AlazSo......
S. Paulo..
R. de Jane.
S. Paulo..
R. de Jane.
S. Paulo..
54
32
54
54
54
36
54
48
Rosa e preto........
Azul,branco e ene...

Encarnado e ouro
Rosae preto. ...../
Azul e ouro.........
Azul c grenat........
Coudelaria Cruzeiro.
Maia & C.
Coudelaria Paysand.
Artnur Silva.
Oliveira c C.
F..\
C. A. F.
PareeDerby Club de Pernambueo- 1.609 metrosAnimaes da provincia.
2i* ao 1", 1005 ao 2 e 20* ao 3
Premios
.1
Animar.
i borpreza...
-1 Arumary...
V Beberibe.--<
i Templar..
5 Gerfaut.....
7 Delegado..
5
4
5
10
5
4
Castanho...

Alazo......
Russo......
Rodado .....
Zaino.......
Castanho esc.
Pernamb..
34
52
54
60
54
52
54
Azul e grenat.....
Azul e rosa .....
Violeta e ouro.....
Encara, preto, e ouro
Encarnado e azul...
F. S. & Bastos.
Coudelaria Cruzeiro.
F. S. & Bastos.
Coudel ira Beberibe.
J. F. Ferreira.
Luiz Pereira dr C.
J. M. M.
7.1
1
9
1
I
8
6
7
S
9
10
11
12
Pareolupreaia Pernambucana1,200 metros. Animaes da provincia que ainda
nao teniam ganho em maior distancia nos Prados do Recife em 1889. Premios : 200*
1. 40S ao ao 2o e 205 ao 3.
Tupy
Vamos-ver
Sneca -----
Esquimo .
Village
Elo.......
Atheu.....
Pirraga
Tupa......
Beberibe..
Bonaparte .
Iguarass
General....
d
5
8
5
5
5
5
10
o
4
Baio......
Rodado ..
Russo pedrez
Rodado
Mellado....
Castanho ..
Russo pedrez
Russo......
Rodado ....
Alazo.....
Turdilho. ..
Pernamb-
34
34
54
54
34
54
54
54
H
54
34
34
36
Encarnado e branco..
Verde c branco......
Azule ouro.........
Ouro e \erde........
Encara., branc. c ouro
Azul, branco e ene...
Encarnado e preto...
Grenat e ouro.......
F. C. Rezende.
J. M. R.
. R.
A. Miranda.
H. W.
Jos Dutra.
A. F. Cabra!.
F. F. L.
J. Mello.
Coudelaria Beberibe.
R. G. L.
M. P. F.
J. B.
S. PareoonolacaoSegunda turma
nao tenham ganho nos Prados do Recife."
800 metros. Animaes da provincia que ainda
Premios : 200* ao 1., 40* ao 2." e 20* ao 3.
Catle......
Sport......
Bonjour-----
Pedreira
Pomboca .-*
Canind (ex-
Patury-----
Berlim.....
Rpido.....
Monarcna ...
UjCacique.....
Desprezo.
Pip.........
At-chin.....
Iguarass ...
1
19
13
i
RUS0......
Castanho...
Zaino.......
Russo pedrez
Rodado .....
Cachito.....
Castanho
Cardo.....
Alazo......
Castanho-----
Rodado ..-
Castanho-----
Alazo......
Pernamb.
56
36
56
36
56
56
54
56
36
54
32
54
56
54
Azul e branco.......
Encarnado ebranco..
*
Grenat..............
Ver. amar, e fach. ene.
Encarnado c branco..
Azul c ouro.........
Azul e branco.......
Encarnado e branco.
Verde e branco......
Branco e ouro.......
Encarnado e preto...
C. A.
Cohd. Republicana.
B.
F. Paiva.
B.A.
A. M.
Jos Cavalcante.
J. Rodrigues.
J. Mario.
F. F. L.
S V-
J. Guimaraes.
J. C. L. M.
M. P. F.
(*) Montado por amador^^^
OBSRV.VCOES'
Os animaes inscriptos para primeiro parco devem achar-se no ensilhamento
* 9 1|2 horas da manlia.
Os animaes inscriptos para os outros parcos devem achar-se no ensilhamento
ma hora antes da determinada para o pareo em que tiver de correr.
(Wforfait* serao reeebidos at sabbado, 27 do corrente, s 3 horas da^arde.
O animal inscripto em mais de nm pareo que deixar de correr no pnmeiro,
correr no segundo.
Qualquer reclamagSo sobre corridas dever ser apresentada por escripto
directora.
HORARIO
Encerramento da f en'la de poules Corridas
, 1. pareo.llh.50...... 12".
2." 12.30. ...... 12.40
3." t 1.10.......1.20
4. t 1.60. ..*.... 2.
5. 2.30....... 2.40 '
6. c 3.10....... 3.20
7. 3.50. 4.
8." 4.30. 4.40
cife,, 24 de Julho de J
e
Para a 17.a cogrida'
A realisar-se no dia 4 de Agosto de 1889
1. $V&$jQC0NS0LACA0 800 metros. Animaes. da provincia que nao
tenham ganho no Derby nesta ou maior distancia e nos outros prados
do Recife em distancia superior a 850 metros Premios : 200$000 ao
primeiro, 40(5000 ao segundo e 20|5000 ao terceiro.
. **W,9 PRADO .DA ESTANCIA -l.OOO metros. Animaes na-
cionaes at meio sangue. Premios : 300)5000 ao primeiro, 60)5000 ao
, segundo e 30(5000 ao terceiro.
*" $\lk$) PROSPERIDADE900 metros. Animaes da provincia que nao
tenham ganho no Derby em maior distancia. Premios: 2005000 ao
primeiro, 40i5OO0 ao segundo o 20#000 ao terceiro.
" llrtteS INTERNACIONAL i.900 metros. Animaes de qualquer
paiz. Premios : 5005000 ao primeiro, 100(5000 ao segundo e 50<5000
ao terceiro.
b. HAtA PROVINCIA DE PERNAMBCO l.SOO metros. Animaes
da provincia Premios: 250)500 ao primeiro, 50(5000 ao segundo e
25)5000 ao terceirOi
B. Ulklfc^aCOMPENSAQO 1.400 metros. Animaes de qualquer paiz,
que nao tenham ganho em maior distancia no Derby n'estes ltimos 3
mezes. Premios : 400)5000 ao primeiro, 805000 ao segundo e 40f5OO0
ao terceiro.
** $\^"fc9 MINIMUS SOO metros. Pequiras da provincia. Premios:
150)5000 ao primeiro, 30)5000 ao segundo e 155000 ao terceiro. Peso
3 annos 45 kilos, 4 annos 50 kilos e 5 annos ou mais 53 kilos.
Observacoes
S serao acceitas para eada pareo as 16 primeiras propostas.
Os pareos PRADO DA ESTANCIA, INTERNACIONAL, COMPENSAyAO
e MINIMUS s se realisariJo si se inscreverem cinco animaes pelo menos .
Cada enveloppe dever conter urna s. proposta e ser recusada aquella que
nao vier acompanhada da importancia da. inscrp2o.
A' directora reserva-se o direito de alterar a collocacSo dos parcos na organi-
saco do programma.
A inscripcao encerrar-se-ha segunda-feira, 29 do crente, s 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby Club, praca de Saldanh^-Marinho n. 2, 1. andar.
Recife, 25 do Julho de 1889.
O GERENTE,
Heiuique Schtel.
Companhia Brasileira de
Navega^ao ^ Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do norte at
o dia 26 de Julho je depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
As encommendas sero recebidas no trapiche
iarbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante (arlos Antonio Gomes
E' esperado dos portos do sai at o
dia 27 de Julho e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte al Manos.
As encommendas s serfio recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commerco=6
1 andar
3*eu timo Ieilao
Em eoatinuaco
Da armadlo e mercailorias da loja de miudeza*
da ra da Imperalrizn.28-A VENCE ORA
Hoje
A'8 11 horas do dia
Ao correr do martello
Pelo Agente Martins
Leilo
De fazendas
Constando i
De 2 caixas ns. 8068 e 8069 com 52 duzia^
camisas de algodo, 2 caixas ns. 8070 e 8071 com
52 duzias de camisas de algodao, caixa n. 8072
com 33 duzias de camisas de algodo, caixa
n. 8073 com meia duzia de camisas de algodao e
30 duzias de gravatas para homem, caixas
n. 687 com 36 pecas de fuslo, 100 kilos de to-
ados de algodo e 25 kilos de cambraia, caixu
n. 704 com 39 duzias de meias de algodo com-
pridas e 26 duzias de ditas de ditas, cana
o. 1140 com 43 duzias de meiasj compndas d
algodo e 76 duzias de ditas, caixa n. 1141 com
180 duzias de meias curtas de algodo e 24 du-
zias de ditas de ditas de fio de escossia, caix
n. 1132 com cortes de casimir* de l para cai-
gas n. 691 com 48 pecas dp merino de l, caixa
n. 1155 com 36 pecas de merino de l e parte da
caixa n. 217 com 17 pecas de casemira de l.
Sexta-feira 'ti do rorrete
A's 11 horas
No armazem ra Mrquez ele Olinda n.
O agente Gusmo autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio e a
requerimento do Dr. curador fiscal da massa fal-
lida'de D. P. Wild & C. far leilo com assis-
tencia do mesmo juiz, das fazendas cima men-
cionadas, as quaes sero vendidas em lotes a
vontade dos Srs. comradores.
Leilo
LEILOES
Hoje. 26, deve ter lugar o leilo de papel e
movis, anounciado por intervenco do agente
Pinto, para o armazem da ra do Bom Jess n.
45.
Leilo
De um biombo, 1 lavatorio, candieiros gaz, 2
quartinheiras, 6 etageres, bancadas para cole-
gio, quadros, 1 berro, eadeiras novas a 15750,
cadeiras para piano e outros muitos movis.
Papel para cartas, ofncios e envelopes, dito
para embrulho.
HOJE, 2C de Juiho
Agente Pinto
No armazem da ra do Bom Jess n. 4o
MARTIMOS
Companhia Bahiana de Na-
vegacao a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
O vapor Sergipe
Cemmandanto Rebello
Seguir para os
portos cima no
dia 29 do corren-
te s 4 horas da
tarde.
Para~carga. passagens, encommenda e dinhei
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigaro 17
Pacific Sleam Navigation
Companj
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Aconcagua
United States and Brazil
M. S. S. C.
Ovapor Advance
E' esperado dos portes do
norte at o dia 28 de Julho
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
e Janeiro e Mantos
Para passaas carga, encommendas e di-
nheiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
Bahia, Rio
Owpor Allianca
E' esperado dos portos uo
sul at o dia 29 de Julho
o qual depois da demo-
ra necessaria seguir
para o
faranh. Para, Barbados, S.
Thomaz e Xew-Vork
Para carga, passagens, encommendas e di-
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & G.
8Ra do Commecior8
1* anclar
S
Espera-seda Europa
28 de Julho fe seguii
,da demora do costume
^paraso
Bahia, Rio de Jan
Para carga, ]
aheiro a fri
at

Wilsi
' Mail Steam Packet
Cumpanhy
O f&por Atrato
Commandante L. R. D')<
ali3:i. liio le Vaneiro Mi
Vrre
IMPORTANTE
LEILO
A TAL,
Com apresenca do respec-
tivo cnsul e mais interessa-
dos. serao brevemente ven-
didos no edificio da Alfan-
dega, em Natal, os salvados
da barca Mary A. Green-
wood, naufragada na cos-
ta dessa provincia, constan-
tes de kerozene, ferragens e
outros artigos, procedentes
dos Estados-Unidos. .
O leiiao principiar no dia
25 do corrente e continuara
at que sejam arrematados
todos os salvados.
J. H. Tucker,
Capito de Mary A. Grccnwood
Sexta-feira, 2H do corrate
A's 11 horas
Na rna de Hortas n. 84
0 agente Modesto Baptista autorisado pela Sra.
D. Francehna de Gusmo que se retira para o
sul do Imperio, far leilo de urna mobilia de
junco, encost de palha, i cama, 1 toilet, 1 com-:
moda, 1 mesa de jantar, 2 apparadores, 2 raar-
quezoes, eadeiras avulsas, lavatorios, cabides,
camas de ferro, jarros, ca.odieiros, etageres, qua-
dros, louga, vidros g oulros artigos de casa d-j
familia.
Leilo
de 7 caixas com miudezas e
instrumentos de msica
Saboado 3; de Julho
A's 11 hora
Ra Nova n. 14, armazem
0 agente Stepple, por mandado do Esm. Sr.
Dr. juiz de direito especial do commercio, a re-
querimento do Dr. curador fiscal da massa falli-
da de Emilio Roberlo, levar a leilo os volo-
mes seguintes:
Urna caixa marca E R e R em baixo n. 3116 com
Drinquedos para crianca.
Urna dita marca EReBT&Cem baixo n. 807
com perfumara e objectos de porcelana.
Urna dita marca E R n. 1936 com entremeios bor-
dados.
Uma^ dita marca EReBT&C em baixo d.
805 com apparelhos de louea para jantar.
Urna dita marca A I. e E Rem baixo n. 1226
com instrumentos, como sejam: clarinetes,
tambores, pratos. rabecas. palhetas e flautas.
Urna dita marca HBeBT&Cem baixo n. 80H
com agua flor de laranja.
Urna dita idem idem n. 808 copos e mais objec-
tos de servico de mesa.
Agente Silveira
Leilo
Da casa terrea ra do Jasmin n. 1, terreno
proprio, freguezia da Ba-Vista
Sabbado, 21 do corrente
AS 11 HORAS
No armazem do Largo do Paraizo n. 26
O agente Silveira por mandado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz- de orphos e a reque-
rimento do tutor do menor Alfredo da Silva Bra-
ga, levar leilo a referida casa reedificada e
pintada, tendo 2 salas, 2 quartos, 1 gabinete, co-
stea interna, soto interno, quintal e cacimba.
Os Srs. pretenden tes podem examinar.
A chave pode ser.procurada ia casa n. 30 ra
de S. Goncalo.
Agente Silveira
2o leilo
Da mei'agua sita ra da Canquista n. 1
freguezia da Boa-Vista (terreno pro-
. prio).
Sexta-felra, 90 do corrate
A's 11 horas
Effectuado no tnesm
0 ageni
Agente Silveira
Leilo
Da casa terrea ra do Jasmim n. 1, ter-
reno proprio, freguezia da Boa-Vista
atibado 9 de Julho
A's 11 horas
Xo armazem do largo do Paraso n., 26
O agente Silveira, por mandado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos, a reque-
rimento do tulor do menor Alfredo da Silva
Braga, levar a leilo a referida casa, reedificada
e pintada, tendo 2 salas. 2 quartos, 1 gabinete,
cozinha interna, soto interno, quintal e ca-
cimba.
Os Srs. pretendentes podem examinar. A
chave pode ser procurada na casa n. 30 ra de
S. Goncalo. ___________^^
Leilao
De urna bonita armaco de amarello e enver-
nisada, alguns gneros le molnados, louga, vi-
dros, candieiros de kerosene, urna mobilia de
junco, camas, marquezes, cadeiras avulsas, me-
sas, um carrinho para crianca, quadro, jarros e
outros objectos.
Agente Britto
Sabbado, 27 do corrento
Praca do Conde dEu n. 18
Agente Burlamaqui
Leilo
Segunda-feira 29 do corrente
A's 11 horas
De um bom predio ra da Aurora n. 9
0 agente cima, por mandado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos, vender em
leilo pelo maior prego qu poder obter, o so-
brado ra da Aurora n. 9, de dous andares e
soto em terreno foreiro, pertencente ao menor
Augusto Marinck Montciro de Andrade e ou-
tros.
Os Srs. pretendentes podem examinar o refe-
rido sobrado.
Leilo
Burgos
Da casa terrea n. 15, rna dos
freguezia do Recife
Terca-feira 3 do corrente
A'S 11 HORAS
fto armazem ft rna lo imperador
11. 39
O agente Stepple. por mandado e as -ietencia
do Exm. Sr. Dr. jiz d privativo de or-
phos ausentes "a de Antonio
Luiz Ba !>. Francia-.
P"
AVISOS DIV



-


*i.^8^-

ario de PemambucoSext
26 de Julho de 1889
*

Na engenhoca de Bemfica a ra Real da
Torre n. ti, vndese unn machina, distilatona
para espirito, utn alambique para agurdente,
ambos do sv*tenia mais aperfei$oado, de cobre
e em perfeio estado, urna prensa para espremer
fructas, de novj systema, tachas de ferro para o
fabrico de assucar, de "differentes Umanhos,
bocea e grelha de farnalha, especiaes, cubos no-
tos e grandes para fermenlaces vinosas, pro-
prias para dislilaco, cascos diversos vasios,
bomba de cobre para assenco de lquidos, guin-
dastes de ferro para grandes pesos, etc., etc.: a
tratar na raesraa a qualqner hora.
~~ uga-se o sjbrado n. 46 a roa da Roda
eom bons commedos e muito fresco, bem como
os dous pavimentos terrebs ; quem os pretender
dirija-S" ra do Cabug n. lo, toja da Ventu
rosa.
Aiuga-se urna casa no Monteiro, mu.to
fresca por ter janellas para o rio ; a tratar no
caes da Compaohia Pernambucana n. 6, escrip
orie de Bastos & C.
Aviso
Os abaixo assignados obrigam-se do dia
1.- de Agosto de 1889 por diante a ob-
servar restrictamente pela forma abaixo
determinada a execucJlo do convenio exis-
tente entre os compradores de algodSo
com relacSo atara que excede aos 5 0j
do eos turne.
!. nao permittirao proceder-se a ins-
pcc3o de algodao em quanto nao se
acharera reduzdos os sipos de cada sacca.
78 sipos sendo finos
gjtfll>6< regulares
Bgr,Bi5c t regulares entrancados
\i 4
l-f 3
< < grossos
exigindo dos vendedores que facam os ar-
mazenarios e prensarlos remetientes cor-
tar os sipos excedentes, substituiudo-os
por cordas brancas fortes ou pelo que lhes
equivalha, tanto quanto o exigir a boa
conservacao da sacca.
2. descontarlo qualquer excesso de 5 0|
da tara que ainda assim ficar depois des-
ea reducto de sipos por serem de dema-
siado peso os restantes como se,pode dar
com sipos verdes etc. etc. Entra no cal-
culo da tara de 5 0i, o peso da capa na
razio de 1[2 kilo pelo menos por cada
sacca e o peso das crestas de lama, algo-
dao deteriorado, ara, etc, pelo que me-
recer.
Pernambuco 18 de Julho de 1889.
Pp. John H. Boxwell
Arthur L. G. Williams.
Pp. Pohlman & C.
W. Gildameister.
Pereira Carneiro,d C.
Browns & Q-
Baltar Oliveira & C.
Johnston Pater & C.
Pp. Fernandes da Costa & C.
Jo8o da Silva Ferreira.
Pp. Blackburn Needham & C.
Julius von Lohsten.
Borstelmann & C.
Theod. Christiansen.
Aug. Labille.
H. Burle & C.
Amorm Irmaos & C.
Prente Vianna & C.
Rodrigues Lima & C.
As maes de familias
QUERIS VOSSOS FILH08 SEMPRE SADIOS V
Administrae-lheg o xarope ou as
Plalas Verraipnrplivas
DO DR. CALASANS
ptimas preparacSes de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsilo completa, sen
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(das cranlas e dos adultos)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
c Estas excellentes preparadles nao ne
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis
posicSo, sensacSo de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, t
as Teses, vmitos. Rangem os dentes, qnan
do dormem, algumas e pessoas expeliere
vermes com as fezes ou com as materia
dos vmitos. As criancas apresentam a
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 15201
l vidro de varope 1#200
AS PRECIPAES DROGARAS E
' PHARMACIAS
Attencko
O grande e importante estabelecimento de
' Pocas Mendos 4 C, sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, coiitiguo a igreja, acaba de receber
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
" O nico que, sem a minira confeceo, iiu-
portado neste mercado, e s se vende no referi-
do estabelecimento. Este precioso nctar se
torna cada vez mais procurado aqu. Querem
saber porque f Vejam : o vinho Maduro, sendo
como feito nicamente da uva madura, tero
as seguintes vantagens que as oatras qualidades
de vinho nao tem ; facilita sem a menor pertnr
baco as digestCes do estomago, anda mesmo
o mais enfraquecido, dando-lhe vigor, pois nutre
a olhos vistos as pessoas debilitadas, e d forcas
as que as tiver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Requeijao
ero latas, de procedocia de engenhos, cujos
propietarios caprieham eni bem irabilhar neste
artigo, atn de terem a primaria sobre tantos
outros similares, cuja composico duvidosa.
Em outros artigos como senwntes de korUUifa
e floffs. linguas teccas do Rio Grande, objectos de
time t tamanco* do tono para homens e senbo-
ras, para isto tao pouco temos competidor. A
ossa casa especialista, e os pessoas que disto
se queiraru certifica'' poderu comparecer, com
o que muito nos honraran. Apfl uma infini-
dade de artigos de primeira ordem, que achara-
se em exposicao, noresce a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que. nos
honrara com a sna prsenca, junto a modicidade
de pre$os sera rival.
Ra estrella ilo Rodarlo n. O Junto
ii areja *
Po^as VJendes & C.
Pan os fe^haes
A' ra da soledade n> 56, preparam
com impesa
precos: bolo, plo-dc-lt, eangi'ea, arro.
leite, pirmides de doces .d'c mi,
as para ca ^amentos e baptisajoB
>s encpmmuitdas quer
iiara fora d'ella.
GRANDE LIQUIDAGIO
Na Loja das Estrellas
6--Ru buque de Cxis~58
Tclrphonc n. to
Este l>em conhecido estabelecimento acaba
de passar por uma grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande li-
quidar*) d iodos os saldos que
hcaram de balanco, por menos
50 i. do seu valor, cujos artigos
pass'imos a demonstrar:
Artigos de lei
Esguiao, peca, a 35500.
Madapolio com um metro de largura de
1U por 74000.
dem idem americano de 8i> por 5)5000.
Algodlo marca T, especial, muito largo,
de 70 por 5(5000.
Bramantes, popas, por 7|5000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 1)5 e 1)5200 o metro.
Guardanapos de 4)5 por 2(5000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 1)5500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a 1,
e 1(5200 a duzia.
Toalhas de fustao, qualidade superior,
3)5 e 4)5000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acoichoadas, brancas e de cores
20000.
Lences de bramantes a 2)5000.
Chafes escocezee a 1(5000.
E outros niuitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abati ment
''celtios de alta Rovldade
PARA VESTIDOS OE SENHOEAS
Linhos pardos para ;vestidas a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 1)5800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
1)5200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, toas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Noneuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PEAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padrrjes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E milites outros tecidos para vestido,
em algodlo, linho, 13 e sedas 'que se ven-
dem como o mesmo abati ment de 50 ]t.
Confeceo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por '/55 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em carto, alta na-
vidad* a 80 e 100.
Guarnieres de colariuhos e punhos para
senhora por 10 6 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 por
90 e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos. -
Vestuarios e roupinhas para criancas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 50.
Luvas de seda meio b-aco e qualquer ta-
manho a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
250 e 300.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurXo, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 a 400.
Velludos de seda e algodSo de muitas co-
res. w
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dSo e linho, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
B muitos outros artigos de confeccSes
como sejam mantilletes de blonda, saludas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 {0.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, de
30500 por 10200.
Ditas cor de caf e azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de seda para collete, de 120000 por
30000 e 30500.
Ditos de velludo e fustao a 10 e 10200.
Meias inglezas com fo de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paietots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 uma.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
360000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 60
80, 100 e 120 a 4$, 60, 80 e 100000.
Sobretudosimpermeaveis de borracha, para
homens, de .700 e 800 por 300 e 400.
Ceroulas franceza*; de 380 por 240001'
duzia.
Paietots de seda, completos de feitos
casemira, malas para viagem, e boleas e
tapete, e um completa e variadissimo sor-
tiaiehto de cheviots, casimiras 'rancdfcas
inglezas, pretas e do cores de padroes in-
tegramente novos e Que se vendem com e
mesmo abatimento di? 50 { de seu valor
Retidnos
Aproveitera a grande quantidade e
ptlo6 precos, em sedas pretas e de Cores,
gcrgor3es, setins, las, merinos, zephyros,
nhos, chitas, madapoloes algod2oti-
Papagaio

Fugio do Passo da Patria um papagaio com
corrente no peesrjuerdo, correnle ja usada, voou
em direccao as mediacoes a ra Vidal de le
greiros e ra Imperial : quem uchou, querendo
restituir, dirija-se \ ra mima n. 5, que ser
generosamente recompensado.
Goverhante
Prcisa-se de uma para tal lim, e que seja de
bonscostumes ; a tratar no caes 22 de Novem--
bro n. 24, armazem.
-
A luga-se
o 2' andar a ra do Imperad >r n. 39 ; o 2- dito,
e armasem e urna sala no 1- andar ra Mar
Juez de Olinda n. 52, e 3- dito ra de Bom
esus n. 42 ; a tratar com Luiz de Moraes Gomes
Ferreira.____________________
gmMenovimde
SLS&AtfCIA S tTTZLISASS
DEPOSITO
48RA BARAO DA VICTORIA43
Vcnham ver para erer
Sement de carrapato
Compra-se em grandes e pequeas quantida-
na fabrica de leos vigetaes a ra da Au
des
rora
n. K.
Animal encontrado
Acba-se uma mol na ra Barao de S. Borja
b. 37 desde a noite de 8 do corrente ; quem 1er
seu dono abi appareca para dar os respectivos
signaes e pagar as despesas, afim de recebe!-a.
MPOBTANTB
REDUCCO DE PRECOS
21-H/V IO CRESPO-21
OLIVEIBA CAMPOS & C, tendo de receber bre-
vemente um sortimento e artigos novos de alta novidade, resolvern
fazer uma grande reduccao nos precos dos artigos abaixo menciona-
dos, para os quaes chamam a attenc,o das suas Exmas. freguezas.
afhnos ravestido padrees modernos a 160 rs. o covado.
Cretones francezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
Merinos de cores, duas larguras, a 500 rs. dito.
Ditos de cores, lavrados, de 2|J000 a 1(5000 o dito.
Uto de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustao branco de 400 e 500 rs. o dito,
sfursolina branca para .casacos a 500 rs. o dito
Zephir de cor, listas e quadros a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamines arrendados, de cores, de 800 a 500 rs. o dito.
Flor de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Hursolinas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 15j5>000
e 200000 por 9)5000 e 120000 cada um.
LinSo, padroes em quadros, a 440 rs. o covado.
Nanzukes padr3es mimosas, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino preto fino, de 2(J000 a 1)5000 o covado.
Setim Maco de todas cores, a 900 rs.o dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 30000 a peca
30000 uma.
de 40000, 5000,
GOjv
Mantas hespanholas, de seda preta
Espartilhos, o que ha de melhor,
70000 um.
Fichs de cor arrendadas, de 10000 um.
Capin hs hespanholas de cor a 20000 uma.
Fichs de seda, muito lindos, a 30000 um.
Sargeli m diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 4000 o par-
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 20000 a 30000 nm-
Lentes de linho do Porto, a 40000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 60000 um.
Colchas de cor, de 20000 a 50000 uma.
Fichs, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
Lencos de linho com barrinha a 20000 uma duzia.
Camisas francezas, de 240000 e 360000 a duzia.
Meias cras para homen, de 40000, 50000 e 60000 a duzia,-
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e de cores para criancas.
Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
Cortes de casemira de cor, de 60000 a 80000 um.
Cortes de fustao para collete, de 10000, 10500 e 20000 um
Camisas inglesas de franella, 12 pura, a 50000 uma.
Alm de outros artigos que deixamos de mencionar.

Muita attenco
Na roa de S. Jos n. 56 tem para vender os
afamados vinhos e licores de todos os Crudos do
paiz, fabricado pelo Tinado Joao do Amaral Ra-
poso, como sejam: vinho de caj de i.'e2.*
qualidade. vinho de Abacagy, vinho dejanipapo
composto e simples, hesperedisa brasileira, la-
ranginha cordial, essencia de llmo e cidra e
tres prensas para espremer os fructos, tudo se
vende por baratissimo preco para liquidacao
Assim como se vende um bom terreno na povoa
gao de N, S. da Boa Viagem por qualquer preco
AVISO
Os abaixo assignados avi-
sam ao respeitavel publico
que o Sr. Joaquira Correia
Leal nao est^ mais encarre-
gado das cobraifgas particu-
lares d acervo do finado Vis-
condedo Livrainento.
por Livramento & C
A. Santos.
21-Rua do Crespo-21
Amadecosinha
No sitio n. 5 da estrada de Joao Fernandes
Vieira se precis; de uma cosinheira, prefere-se
a nma mulher qi e dnrma em sua casa.
Tratamento Reconstituate
Elixir Dcbamp
COM EXTRACTO
de JFigado de Itmulhau
Quina e Cacu
-----
Cadm frasco d'st
ELIXIR COntim o
principios apurativos
tonioos da um litro da olao
da fijado da baoalhu a
um litro da vinho da Quina.
Tam aobra o olao da
fgado da baoalhu a van-,
tagsm da aooalarar aa
funcodss do aatomagoA
om lugar da as parturbar, Y
a da daapartar o appstits.
stoT
Este Medicamento, de sabor e gsto
muito agradaveis, obteve o meibor suc-%
cesso em Franca para combater :
ANEMIA, CHLORSE,
AFFECCOES dos BRONCHIOS
e PULMES,
e a FRAQUEZA das CRIANCAS
Depsito gerat em PARS :
DTJ0HA1P, 16, ra it Poiton
Em Pernambuco
___E-pnico %*,. da SILVA fl Q
LU DO (AMO
A litigo estabelecimento de ferragens
DE
FERRESM GMMES & C.
86Roa Duque de Caxias86
ranfre ^urtimntto rcferragms, cutelartae,
e muito* ontxos artigo^ a saber:
Cobre emfolha.
Ferro sortido.
Cimento Portlant
e outros marcas.
Bombas de ferro e bronze
Canos de ferro e chumbo para
encanamentos de alta presso
Machinas e vapores
para algodao.
Candieiros elctricos.
Foges econmicos.
Este estabelecimento fundado em 1851, tem na sua
longa existencia a garanta mais segura dar os que pro-
curar em honral-o com a sua confianza.
SEM COMPETENCIA
Descontos do costume
Mudanza
Jos Gomes de Amofim faz publico, e com
especialidade aos seus amigos e freguezes, me
desde o dia 26 do mez prximo passado, mudon
a sua fabrica de leos vegetaes, do predio n 161
da ra da Aurora para o de n. 163 da mesma
ra, aonde o respeitavel publico e encontrara
sempre prompto a satisfazer todo e qualquer
pedido com toda sua fidelidade e prestesa ; po-
dendo a qualqner hora serem as encommendas
dirigidas para all; sendo o n. 33 o do appare-
Iho telephonieo de seu estabelecimento. Recife.
1 de Julho de 1889._______________________
Casa para alugar
^Aluga-se o 2- andar do predio n. 4 da roa do
Vigario Theoorio ; a tratar no pavimento terreo
do mesmo.
Material de engenho
Vndese por diminuto prego, a dinheiro on
a praso. com garanta idnea, b material com-
j pleto de um egenho, que tirou apenas duas pe-
quenas safras. Tambem vende-se separadamente
as p gas que se quizer : para informaj fies com
o agente Pestaa, na travessa do Corpo Santo
numero 27.
Carro americano
Vende-se por preco mdico um lindo carro
americano, quasi novo, com 4 rodas e 4 assen-
io3, i om arreios para um cavado, podendo ser-
vir tambem para dous, muito proprio para me-
dico e para familia no genero talvez o melhor
desta cidade : a tratar na cocheira do Sr. Ma-
noel Martins caes de Gapibaribe n. 8.
Vmho particular
No armazem da ra do Amorim n. 60, vnde-
se o que pode ha ver de melhor, pelo mdico
preco de 7 o garrafao de tres caadas (voltan-
de o casco).
fftfVv^,v'yff
Caulellas do Monte de Soccorn
Compra-s cauteilas do-Monte de Soecorro *
qualqnef joia, brilhautes e relogios; paga-*
riem na Praca da Independencia n. 22, loja fl
relojoiro.
PASTA
multas outras
i Da
chinchas aue s
ue
MACK
Dnlco bbricante-I-. ert
APutelUek(em|
I certa es eleeantisii-1
I dos de 8 taboinhmsl
6 un novo e mu-/
vhoso freparado
proporoonando um
bulbo dlck>so
kjgtoalc., uma,
neollMt.
to.oaor.
E*M Parta Jlack
vtmI, tebrmi.ii o
loarte nti. c,
no MMII--
V^t MP qtuiato
si (!! aXt hoje,
VenAKrm todas
so phaaiicies, dro-
O.
**' D?*itark di PernumQuco Mau Stirust, i C;.
DKSGaBERTA E PREPARAIJAO
DE
J. ALVARES DE SOUZA SO ARES
Moto e poderoso medicamento contra as molestias do appare-
relho respiratorio:
Tosse, coryza, laryngite, aphonia, coqueluche,
grippe, bronchite, asthma, pneumona, homoptysia, phthi-
sica pulmonar, etc., etc.
Approvado pela Exma. Junta Central de Hygiene Publica, autorisado por de-
creto imperial de 30 de Junho de 1884, rodeado de valiosos attestados mdicos e
muitos outros de pessoas curadas, elogiado unnimemente pela imprensa e premiado
com duas medalhas de ouro de primeira classe pela Academia Nacional de Pars e
jury da Exposicao Brasileira-AJemS de 1881-
Com fabrica especial no estabelecimento Agrico-Industrial do PARQUE
PELOTENSE, expressamente creado para esse effeito em Pelotas.
Fabricac por mez 20.000 frascos
O. Mara Adelaitfe de Albutiuer-
que e Mello
Jos Varia de Albuauerque Mello (ausente) e
seus lhos, Cbristiano da Gama Lobo, Mara da
Soledade da Gama Lobo (ausentes), Cbristiano
da Gama Lobo Filhu, Mara Ludovina de Cysnei-
ros e Albuquerque, Mara Josepbina de Albu-
querque eMello, Anua Anglica de Albuquerque
e Mello e Manoel Caetano de Albuquerque e Mel-
lo, marido, filhos, pai, irmao, sogr;: e cunbados
de D. Mara Adplaide de Albuquerque e Mello,
repassados de dor pelo seu infausto passamento,
convidam aos parentes e amigos para assistirem
as missas do stimo dia, que serao celebradas
na prxima segunda feira 29 do corrente, as &
horas da manba, na igreja matriz de Santo An-
tonio.
a|-SS9
an
Vende-se em casa dos agentes Francisco Manoel da Silva & C. ra do
Mrquez de Olinda n. 23, e em diversas pharmacias e drogaras.
Clementina Amalia Ferreira de
Farla
Joao da Silva Faria e sua mulher, Carlos da
Suva Faria e sua mulher, Antonio Ferreira de
Mndolpbo da Silva Faria convidam aos
s paantes e amigos para assistirem as mis-
fas que mandam reaar na igreja matrx da Boa
Vista, sexta-feira 26 do corrente, s 8 horas 4a
manfla, pqr alma de sua cara mai e sogra, Cle-
mentina Amalia Ferreira de Faria. trigsimo da-
de seu passamento; antecipam desde ja os sin-
ceros agradecimentos e eterna gratiuio por esse
acto de reliiiao e caridade.
.rara enanca
. Prccisa-se de urna pessoa habilitada para to-
mar con'n da prisffin i'p nrra menina de doos
annos ; a tratar no ra s S2 de Novembro n. i\. i
armazem.
CURA CERTA
s *.o4%3 3 hUe&n* pila&sures
f
,; /'f%:PSOSOTAI>AS,
E' o rnelhor
i reconhecido que o melhor e mais
seguro especifico at hoje conhecido para,
combater as molestias dos orgilos respira^
torios o Pei toral de Cambar, de S.
Soares, de que s3o agentes e depos
geraes os Srs. Francisco Manoel da
& C, ra Mrquez de Olinda n.
i
GUARDE -GRILLE.- A.Ti-efAoIvm |
iv.l>,0i*(ruc'
Obslrnefrs risrerut, ConcreciSc<'cl i \n-.n t
HOPITAL. ABecffot das rias (ji*f.!irn, I-fommo-
^TB do eslomapiv : ?tenr^
JcLE^t; >,Arm,
Conc. imiqur.
HAUTEB- VE. Affncftilt) rin. di btiica. >rr'n<,
re^Afts]a$tliotai.i>i ratnaria.
KHC fe F3NTE C3 CAT3BLA
ST.ZEH.
sof
^o. devem experimentar
o Dr. "FouRxod
"nmbate:
..v O-
t
Bernardo Joa Crrela-
2.* anmversario
Mara Eugenia Correia (ausente), seus fimos e
mais familia (presentes) convidam a todos o*
seus parentes e amigos para assistirem as mis-
sa? que.por cima do seu sempre lcmbrado es-
I pos, pai, genro e cuahdo, Bernardo Jos Cor-
reia, mnnanm reza r na ordem texceira de S-
: Francisco, as 7 iji horas da manh Tle eabbado
"27 do corrente. e aratos se eonfcssam a todos
aqueles que S*istirem a este acto di caridade.
-
t
lKabe-1 Honoriiii! Bandeira da
Cu n!>a
Augusto Cesar da Cui .-ado do
mais doloroso senticcento pela morie de sua que-
rida e adorada, filha Isabel Honorina Bandeira
;mha, convida a seus prenles e amigos a
ilissas 'j'-:'' '' na igreja


' 11


i
*&
I
\




*








"i :
<\

Diario de Pernambue
PHOSPHATINA
JUNTO AO LOUVR
E' O N. 20
-feira 26 de Julho de 188
RES
Tecides para vestidos
-Oiimbraia Victoria a 2^800 a peca.
Batiste finas a 240 rs. o covado.
Fustao branco lavrado a 860 rs. o coTad.
tetiui do Japio a 240 rs. o covado.
Cachemira de listras a 1(5200 o dito.
Las Amazonas a 400 rs. o dito.
Merinos lisos duas larguras a 440 re.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Metins de quadro a 300 rs. o dito.
Crotones claros a 240 rs. o dito.
Rendas heapaahoiM a 20000 o dito.
Setim Maoo a 800 rs. o dito.
Popeln* biaiie a 800 e 900 rs. o ditj
Setiiieta branca lisa e lavrada.
Merinb pretos (baratissimos).
Toile pardo a 360 e 400 rs. o covado.
Cachemira lisas a 1(5200 o covado.
Oartes de vestidoB era cartoes.
Cachemiras de quadro a 280 rs. o covado.
Velbutiu.i preta a 640 rs. o diio.
Oepc preto (inglez) a 2fJ000 o dito.
m.
Capelias para noivas a 75000 ama.
aleias forradas a 440 rs. a duzia.
Luvas de seda a 2(5000 e 2(5500.
Bicos pruto de seda.
Toalhas para banho a 1(5500 urna.
Cobertojxs de la a 15S00 un.
Bicos de cores a 2;?00u e 2(5500 a peca,
{uardanapos de liuho a 2>200 & duzia.
Baleias pietas a 240 rs. a duzia.
Arcos cubertos a 140 rs. o metro.
Colchas de cores a 1(5800 urna.
-Guarnicao de crochet a 7)5000 -
Panno da Costa a 1,5000 c 14200 o co-
vado.
Toalhas felpudas a 40 0 a duzia.
Artigos para homens
Cortes de ca'semiraa, a 6>, 7 Camisas allemaes a 36600 a duzia.
Paletots de alpaca preta a 44600.
Regatas de cores a 1(5 e 1(5500 e 2(JO00.
Paletots de neda palha a 7)5500 um.
Ceroulas de bramante a 15(5000 a duzia.
Paletots de .lpaca de cores 45000.
Camisas de llanella a 4)5500 urna.
Guardap para homem a 6)5000.
Sobretudo de panno piloto.
Meias inglezas a 5j000 a duzia.
Meias finas da Escocia a 155O0 o par.
Lencos de iinho a 55000 e 65000 a duzia.
Caseniira eni ewrte para ternos.
Chjevioth preto c azul a 4<50O o covado.
UasemiKi dir~>nal a 20000 o dito.
Brim brancu, todos os numero*.
Brim de linho, de cores, a l$r9C0 a vara.
Duble-capas de panno-
Casemiras pretas e de cores.
Bolsas para viagens.
Costume8 para banhos salgados.
ARTGOS DIVERSOS
Colchas de fustao a 3(5500 um.
Algodo braceo a 30200 e 45000 a peja.
Colchas de crochet a 60500 um.
Coletes de fianelia a 20500 um.
Tapetes grandes a 130000 uro.
Madapolo americano a 60000.
Ficlis de retroz a 10000 uro.
Lences de bramante a 20000 um.
Cobeitas de ganga a 30000 urna.
Lencos brancos a 10200 e 10500 a duzia.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Brim pardo a 280 rs. o dito.
Esparthos cnraca a 50000 um.
Fustao de cor para roupa de crianca a
800 o covado.
Seda palha a 10000 o dito.
wm&& m
DO
A R A IV H A O
Approvado pelo Exm. Sr. presidente da piovmcia
r*#=
Premios da
1 premio de .
1 .
1 t .
2 .
6 .
10 t ...
2 approximaco'es de
2 <
2 < <
9 Dez. do 1. prciu.
9
9 c
99 2 fin.
99
900 terrn. t
900
2."
3.'
1.a
2."
1.
2."
lotera intclra
. 300:0000
. \ 50:0000
. 12:5000
5:0000 10.0000
2:5000
1:5000
2:5000
1:5000
7600
7500
5000
2500
2500
2500
15:0000
15:0000
5:0000
3:0000
1:5000
6:7505
4:5000
2:2500
24:7500
24:7500
1250 112:5000
1250 112:5000
Premios da serle .
1 premio de.....12:0000
1 t .....2:0000
2052 premios no valor de
'700:0000
1 f . 5000
2 . w , 2000 4000
6 , . , 1000 6000
10 . . 600 6000
2 approximaco1 es de 1000 . 2000
2 c 600 1200
2 f 300 600
9 dez. do 1. prem. 300 2700
9 t 2. 200 1800,
9 c 3. * 100 900
99 2 fin. 1. 100 9900
99 2." < 100 9900
900 term. 1." 50 4:5000
900 2. c 50 4:5000
0 melhor Alimento
3?a.x-a. as GKtAftM&AS
PARS, S, -A.-VT3IT-U1-. V :0 JTO .-- r->-. O, } AiiXI
DepasItM em Wda mirtii
28:0000
2052 premios no valor de.
Todos os premios so pagos integralmente
Esta lotera composta de 10.000 bilhets a 1000000, dividida em 25 series,
custando o inteiro da serie 40000, subdividido este em quintos da serie (1250s do
bilhete inteiro da lotera) de 800 rs. cada um.
O agente desta lotera chama a attencao do publico para este importante
plano mais vantajoso pela sua boa organ6acao.
Com 40000 (6 quintos de que se compoe a serie) recebe-se 12:0000000 e com
800 rs. (1 quinto) 2i 4000000.
O menor premio d um resultado de 25 % P's custando o quinto 800 rs.,
.recebe 10000 as terminales dos 1. e 2. premios.
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2. e 3." premios.
A doas letras finaes dos 1. e 2., termicacSes dos 1." e 2., e as approxi-
xoes dos l.o, 2. o 3.: tendo alm disso premios de 2:0000000, 500,5000, 2005000,
1000000 e 00000.
EXTMCCO INTRMSFERVEL
leques transparente a 20500 um.
Extratos, tnicos, entremeics, bordados e pos de arroz.
Houpas por medidas
20Ra Primeiro de Margo20
CASA DE COXFIAXCA
Para o tratamtiUo e prtmpta cura das
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do ligado,
dispepsia, indigestOes, clicas,
nauseas, diarrhea, prisSo do
ventre, falta de appetite, incom-
modos depols da comida, enxa-
quecas e dores de cabeca c tirn i-
cas, rheumatismo e nevralgias,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das senboras, e, alm
destas, maltas outras eofermidadesque se
classico debaixo de urna inflnidade de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
causa, a saber;
Desarranjos dos orgSos de dl-
gestao e assimilacS,
donde provm a impureza e o enfraqueci-
mento do sangue, com a debilidade e con-
gesto de todos os orgos vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS ULULAS CATHARTICAS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-L'nidos.
' X)Espoaxxo fiw1
e curam radicalmente
A DISPEPSIA.
Alug^a
m-se
as casas terreus da ra do Lima ns. 18 e 26, em
S. Amaro; a tratar na lilhographia ra Mrquez
de Olinda o. 8.
uga-se
Ama
Precs;-se de una ama que cosinhe bem : na
ra da Palma n. 37.
.MATAL
KJi^
c
1300
Myrtol do Dr Linarix
Laureado pela facalda.de de Medicina, de Paria.
O Myrtol Linarix apresenta-se sobre a forma de Glbulos empregados com
o maior successo contra as
AFFECQOES CHRONICAS DO PEITO
Defluxos, Broncbites, Catarro, Asma, com oppressao e Palpitagoes.
Os GLBULOS de MYRTOL LINARIX tamao-se na dose de C por dia :
2 pela manha, 2 ao meio dia, 2 noute.
Todas as pessoat que tomao os VERDADEIRCS GLBULOS DO
D* LINARIX sao unnimes em reeonhecer que respiro mais fcilmente.
Exija-se os Verdadeiros Glbulos Linarix de Clin & C, de Pakiz
que se encontrao as drogaras e nos pharmacias.
Ama
HPrecisa se de uma ama para engommar : a
tratar no largo das Cinco Pontas n. 8. ^f
Ama
Precisa se de uma ama que saiba cosinbar : a
tratar na ra Mrquez de Oinda n. 41, arma-
zem.
Ama
Precisa se de uma ama para cosinbar e com-
prar ; na ra Nova n. 2<>, loja.
Ama de cosinha
Precisase de uma ama que cosinhe bem e
durma em casa do patro ; a tratar na ra do
Cabug n 14, i- andar, de meio dia at 2 ho-
ras.
o 1 andar do importante predio ra do Bom
Jess n. 26, e o i- andar traversa da Madre de
Deus n. 7 ; a tratar com Joo Fernandes de Al-
meidana mesma travessa n. 21.
Alugiiel barato
Ra de S. Amaro. 14.
Becco da Bomba n. 8 loja.
Ra da Roda ns. 58 e 60:
Ra Visconde de Itaparico n. 43, armazem.
Largo de S. Jos n. 74.
0 2. andar da ra do Bom Jess n. 47.
A tratar ra do Commercio n. 3, i- andar
esenptorio de Silva Gnimaraes 4 C.
1 gipio
Constantino de 'i Barreto
Convida- se a este senhor a comparecer a na
do Bom Jess n. 23, para prestar contas das co-
brangas que fez no termo de Agua Preta em
Marco prximo passado.
Cosinheiro
Precisase de um : a traclar ra do Com-
mercio n. 44. escriptorio.

Apolices perdidas
Perderam-se dez apolices da divida provincial
de Fernambuco, pertencentes a Manoel Pereira
de Araujo Vianna. de ns 873 a 882, serie B, do
valor de 1:0004000 cada uma; pede-se a pessoa
.'que as tiver achado o obsequio de ir ou man-
dar entregal-as a Henrique Bernardes de Olivei-"
ra, procurador bastante do mesmo Vianaa, no
Recife, ra do Vigario n. 1, escriptorio, que gra-
titicar.
E' barato
Farinha a 600 ris a cuia
S no largo do Mercado n. 12, Gomes Ferreira
& C.
i
setn nenhum outro medicamento 0 sem temer accidentes.
PARS 7, Bouievard Denain, 7 PARS
7") Depsitos em Fernambuco : rRAN" Ii. da &I1.VA & C". e cas principa** PbarmaolaB. X
VICTORIA
TINTA IN ALTERA11
Esta tinta recommenda-se.pelas qualidades
seguntes ;
1E' igual a melhor tinta Bine Block ingleza.
2E' de uma fluidez extraordinaria, e torna-se preta como
^carvao.
3E: de duracao Ilimitada, portanto para os livros do com-
mercio e pura documentos, que carecam de longa duracao, nao
;se pode desejar tinta melhor.
4 Nao estraga as pennas de a{0.
Presos; garrafa 800 rs. 112 garrafa 500 rs.
DS5P-SITOS :
iivRARi (OHnni'niM\
miso::. costa ; c.
F A 1." D E M A R g OP ERNAMBUCO
ALBINO SUVA & C.
4* Ra Mrquez de Olinda4*

2 H& DO yyo^y^-
jifeHfai Tr^j-CsriEig LE BIOE. tmtatmmMHmicart*
nRKIDPESCOHAao.PAl?ITACflES8MHT5H3FI?!8
ba
BRONZE
assen-
DE
CARiiozoa-mM
' Roa do itaro do Triumpho ns. .00, 102 e 104
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para Tender o segulnte:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo directo ou para fogo de
tamento.
MOENDAS de todos os tamanhos.
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
ORIVA^ES de differentes tamanhos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
MACHINAS de descarocar algodSo.
VARANDAS de ferro fundido e batido.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmente
todas as ferragens precias para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM SE de qnalquer concert e mandam buscar por encommen-
da, mediante ajuste previo ou uma mdica commisslo qualquer machinismo.
GONTRACTAM fornecimento de apparelhos para usinas, garantindo a bfia
qualidade e bom trabalho dos mesmos, o que podem provar cem o bom resultado
obtido com as duas USDAS montadas ltimamente a saber:
Santa FilonilJa e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
1h*KJl*Amg
^-- IT^U', .~., ^^/^.- ,.j^Am
*am*1UtkeJma%e%ama*M



FNDICO DE .SI NOS B BRONZE
. LLZ DA CRUZ MESQUITA
66ra do Baro do Triumpho66
Tem para vender o seguirte:
Machinas de cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systerua com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanto.
C'arapueas de cobre.
Taixas, taixos e caldeiras de cobre.
lombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tome]ras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo e de ferro.
Repartideiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro "estanhado.
Cobre em lencol e arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadlnhos patente c de lapis.
Sinos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objeetes
ENGARREGAM-S de qualquer concert e obras de encommenda, garaa
:ndo presteza, perfeicao e pregos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
*'i^?|jE a praso ou dinheiro com descont.

k a ,. a.-iaa irOi&'^9N com Chocolata
E*t>. t Pa:*ii{tS, de tobar agrnt,er -.: B tesiifraoB fls Ssl luna clliSaS:)
> 1-KJcUl : _. f-<3.S.0, l"HA*fAC'J1f'CO
8, AveMuq tia i^oarlu'foi*:, !Ot em A.BXMSUt seno ~\7t-r.3*> --. todas o.e pnfcipaes ~E fiarrraolas.
m i m jutt
PgofOOO DoeaJ
anett
EFLUXOS, TOSSC, INSOMNIA,
CRISES NERVOSAS
XAEOPE DO D" FORIET
L&e oim Marmoto de UkereeA
sVaja-m moaga
i todo-
36
^55^00 Doeate!
^e Vv\et^c^Gonorrhea, Flores brancas]
!%. .. -\ PERDAS SEMINAES,
I CH ABLE J DEB1LIDADE. ESGOTAMENTO.tlc.
9AR/S ^CITMTO deFER0 CHABL1
^H^pW fm taifa, a. hamt PAtrmifu'ii t
'odrn >oji Phtrmsou
Exlia-s o eadereco
a* do.
granos imm
CORTE
PREMIO MlOR
300:000
Dividida em tres partes cada urna das quaes o
premio maior de
100:000*000
A extracto da 1.* parle queestava annunciada para
2 de-Agosto corre impreteriv el mente
Amanha, 27 (Jo corrente
Qs PEODTJCTOS
da
t
S07, i'-aa de St-IIosior, F>JLFIIS
Tae5coi3:ea!iA-QL,SS.ORfZA,n2A-iAGT,GRME"0!ZA
MOA-VBGT, eFUA-TORre1., QRiZALIE. SABC-03ZA
:eu gra:de extc bzt.i ccig o favor do pulico
vl Ao cu [ ircito com que eslSo sendo fabricados;
2" A'sua -j-j ided insltorcvel e suavidade do seu perfumo.
ES, BSn S| TAZ COuTS'.FASOtS D'ESTES PRODUCTOS ORIZA
csra nrfo ds viver assim a cusa d feira de que gozam,
pomos de sebreaviso os fregaezes no fim que se nao
deixem engaar.
Os VERDADEIROS PRODUCTOS 59 wadeai e,n teclas as boas cazas de Mrflmrta e Dragara.
U3IO.-SE EE PA.RIS O CATALOGO ILLUSTBATIO IMIANCO 1>E PORTE


UANPATBHSONSC,
44-BI4 MR\0 BO TI1L1HIM4
Machinas a vapor.
Moeuda*.
Ta
lase batidas.
ls batidas sem en
Arados.




/
N
Diario de Pernambue-
"
VEMAS
boa uruiajto de auiarelto.
propria para qualquer negocio, na ra un Han
.;el n. 6 ; a (miar na mesnia ra n. 29. Garan-
_____________________
eru sitio no Peres, perio da esla-
. coui boa caa de lijlo, leudo de frente 450
palmos e de fundo (00, cacimba de boa ajjuu e
rodo arborisado ; a Iratar no caes do Hamos nu-
. 28.
Vende-se
urna dns mclhores Invernas ra Mrquez do
Herval. teui pouco capital ; a Iratar i.a mesan
i n. l'3 padaria F, /. se qualquer negocio.
Te^grarrima familiar
Vcnham ver ao 55
RA DUQUE DE CAXIAS
Tendo resolvido yender os seguintes
objectos por menos 50 0i de seu valor
real, convidamos nossos fretjuezes a ver
a realidade!
Cachemiras combinacJSo com listas de seda
ultimo gosto a l200 ocovado.
Cambraia com salpicos i 4-5000 a peca.
Cortinados, novidade a 55500.
..argelina de qualquer cor 200 rs. o covado.
Linn bordado padroes novidade a 800
rs. o covado.
Setins de todas as cores a 800 rs.
Mantil as pretas.
Camisas francezas com collarinho coisa
chic a 25000.
Cretones para coberta a 500 rs.
Amor da China grande sortimento em de-
* zenhos a 200 rs. o covado.
* Pannos de crochet.
Cortes de vestidos coisa nova a 85000
125000 e16.000.
Guardanapos a 15600.
Madapolo com muita largura a 55000
65000 e 75000.
Merinos pretos de todos os precos.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Babados e entremeios.
Vestuarios para baptisados coisa nova a
105000e125000.
Luvas de seda a 25000.
Zefiros de cores a 160 c 200 rs. grande
Bortimeto.
Grande sortimento de plastrons c regatas a
15000 urea.
Tecidos arrendados, novidade a 400 e 500
rs. o covado.
Grande sortimento de casemiras para rou-
pas de homem.
Colchas brancas e de cores um sortimento
completo.
Collarinhos e punhos para homem.
Cortes de casemira de cor a 45000.
Cassinetas com 2 larguras a 1000 o co-
vado. t
Cretones para vestido a 240, 280, 320 e
400 rs. o covado.
Meias e lencos de cores para homem c
senhoras.
Merinos de cores de 500 a 800 rs. o co-
vado.
Brim de linho de cor, angola c molcsquins
grande variedade.
Tapetes grandes e pequeos, algodao bran-
co, largo e bom a 55000.
Camisas de cretone muito bonitas a 25500
e 35000 urna.
Cambraias suissas com salpicos de cores a
75000 a peca.
Renda da China a 00 e 240 rs. o covado.
Da-sc amostras sem penhor.
55 Rna l.tiqne de Caifas 55
Fernandes Azevedo &C.
850 rs. a libra!
Pura manteiga ingleza
(.aranlida
jGuimar.es t Valente Corpo Santo n. <
Jialms
Vende se urna loja de bahus, bem afregueza-
ia, frarantindo-se a chavt da casa : a tratar na
Ta Vidal de 'egreiros n. 120.
Vende-se
i taverna sita a ra da Ini.o n. 3. bem afregut-
.ada; tratase namesma e garante-se a chave.
Expandido sorlinirtito
le chapelinas c chapeos para senhoras.
Cupoias para criancas.
Gorros para enanca-.
Chapeo? de manilha
chapeos para mancas.
RECEBE!
O Pinaud Parisiense
2a8 Yrac'i da nilc-pemhncia 2aH
F0LP.TIM
DECAPITABA
POR
F. BU BOSGOBKY
(Continuadlo do n. 165)
VII
D'onde me conheee ? perguntou Ca-
varoc estupefacto.
Ha tres anuos, quando o regiment
stava de guarnicJW em Luncville, eu era
sargento no seu esquadrSo... N3o me re-
conhece ?
* N2o... Entretanto parece que j
vi.
Marchis, meu capitSo... Francisco
Marchis.
Bom, recordo-me agora... Voc nao
miiz tornar a contratar-se e ahio do 9" re-
giment de couraceiros, quando estava as
resperas de ser promovido.
E? verdade... prefer voltar para o
civil... para me casar... tinham-me pro-
uettido nm lugar. Continuo a ser sar-
gento. .. no servieo da seguranca.
Ah voc da polica ?
E' verdade, meu capitao. Nao
.rimante, mas o sido nao mo, e estou
ipontado para ser promovido.
Fco-lho os meus cumprimentos, dis-
-o-lhe framente Cavaaoc. Entilo vocc est
i no exercicio do snas far
Eutou vigiando, mea
miabas ordena u-
guardam a asa t
lia cahido bom e aprc
A RevoIucao.de 48
A' ra Duque de Casias u. 48
Em vista das muitas pechinchas que te-
mos recebido, viemos por meio d'este cha-
mar a attengao dos nossos freguezes, pro-
vando ao mesmo tempo como vendemos
por menos 30 01 do que em outia qual-
quer casa.
Folardina, tecidos -moderno, a 320 rs. o
covado.
Organdis (fazenda de pbantasia) a 400 rs.
o covado.
Nansuks muito finas de 120 e 240 rs. o
covado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 e
280 rs. o cevado. #
Cortes de linn e cretones, todos os avia-
mentos, a G5000,85000,95000 c 105000
um.
Ricos cortes bordados em cartilo a 145000
Atoalhado para mesa, muito largo 15200,
e 15500 o metro.
Pannos de crochet para cadeira a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet com palmas para noi-
vas a 55000, 65000, 75000 S5000 e
9,5000 urna.
Cortinados bordados, muito finos a 65000
o par. *
Bramante liso e trancado de 4 larguras a
15000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
. o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica a
55000 urna.
Saias bordadas, muito finas '& 35000 urna.
Luvasjde seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Seda alsacianas, novidade a 240 rs. o
covado.
Cretones claros e escuros [de 500 rs. por
320 rs. o covado.
Zefiros de quadros a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Pechincha em camisas de meia a 15000 e
15200 urna.
Leques de penna, o que ha de moderno a
45000 e 55000 urna-
Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustiio de cores para palitot e calca a
500 rs. o covado.
Brins (de linho, cores fizas e garantidas,
a 500 c 600 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
collete a 25000 o covado.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
45000 a peca.
Bicos de cores e branco a 15?00 e 25000
a peca.
Cambraia suissa de 145000 por 75000 a
peca.
Collarinhos e punhos borracha a 15800.
Cobertas de ganga para cama de casal a
25800 urna.
Lencos de cores, imitacSo de seda a 15800
a duzia.
Fichs de retroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolo americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
Algodosinho muito largo a 45000, 5.5000
e 65000 a peca.
Redes francezos a 45000. 55000 e 65000
urna.
Palitots de seda palha a 85000 e cor de
chumbo a 105000 um.
Cortes de casemiras ingleza a 105000
um.
Cortea de fustao para collete a 15000 e
15600 um.
Cobertores de 15 com pequeao defeito a
25000, um.
Renda hcpanhola larga a 25000 o covado.
Espartilhos finos a 45000 o 55000 um.
Roupa por medida, garante-se a perfei-
c5o.
So na Revoliicuo de 48
T{ENRIQUE DA SILVA MOREIRA_
Boa compra
Travessa do Pombal n. 11 (taverna) vende-se
a armario, earantrado-se a chave ; a tratar com
o lente Evaristo de Souza.
Si astros para barcaca
Vende-se tres magnficos mastros : a tratar
na ra do Vigario n. 31, 1- andar.__________
Taverna
Vende-se una taverna bem sortida e afregue-
zada e em muito bom ponto, ra da Concordia
n. 1 ; a tratar nella cu no caes da Corapanhia
Pernarab'icana n. 8.
E' exquisito, diese elle, vinha justa-
mente visitar o sujeito que mora alii...
um conde russo.
Nao sei se conde, replicou Mar-
chais, mas o que sei que provavelmente
elle vai ficar trancado esta noite. Vamos
comecar por fazer urna busca no seu do-
micilio. E loi urna felicidade que o se
nhor me encontrarse, pprque... o senhor
sabe, meu capitulo... nestes casos prnde-
se toda a gente, e urna vez encaixotado
para a prefeitura, leva-se duas horas para
se sahir de l.
Ah eu conheco muito pouco o tal
senhor. Entao o que fez elle para que pu-
zcsscm tanta gente atrs delle ?
E' a-proposito de urna historia que
o senhor leu nos jornaes... ama mulher
que guilhotinarain... nSo na praca da Ro-
quette... A rabera ficou tres da na Mor-
gue.
E foi aqui que se commetteu o cri-
me? \
Assim parece, meu capito. O tal
sujeito foi levado boje ao Palacio da Jus-
tina, com urna sobrinha que tem. O juiz
que o interrogou, nao mandou para o De-
posito. Contentou-se em o mandar se-
guir. .. A lebre voltou para a toca e des-
de que ahi chegou, a toca est cercada...
se sahisse tinha tres agentes atrs de si.
Nao se lhe deve deitar a m3o senao ama-
nh de manha. Parece que para esta
noite. Acabam de me enviar para tomar
o commando dos agentes e g espero pelo
8r. Grisaille.
Grisaille?...
E' o meu chefe. Aquillo que
nm espertalhao e nao para gracas. Se
me sorprendesse aqui tagarellando com o
senhor, fasia-me pagar caro.
EntAo porque'? Eu nao sou um qui-
din qualquer... Dizia-lhe o meu nome e
o motivo porque tinha vindo aqu. N2o
se trata um official do exereito, como se
trat. um paisano qualquer, que
nari onde nSo chamado.
na casa.
MAIS BARATO
Na Loja das Lislras zoes
A' ROA DUQUE DE CAXIA,N. 61
Vendo-se fazeudas tinas mais rato c
d-se descont a quem compruj^HUOOO
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nao fr de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes precos:
Cachemir:. : e com Hgas de
seda de lindas cores, a 1-5400.
MeriadS de duas ]arguraaj#JF440 e
800 rs., qualidade superior.
Tceidos arrendados cor de reme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazeudas de phantasia e lindas cGres
a 400 e 500 re.
Tecidos de linho, lindos padroes
grados, a 200 e 240 rs.
Zefiros lisos e de quadro, a 80 e
100 rs.
Metins de Mcco branco, prolo e de
todas as core a 750 e 800 r6.
Nctins de quadrinhos, a 900 rs.
Nedas lavadas brancas e de cores cla-
ras, a 15400.
G'Jzes de seda com fios prateados a
15000.
Cortinados efe crochet, em peca, a
900 rs.
Cambraias bordadas brancas e d$:
cores, a 4500;, a peca.
Cortes de vestido bordados, brancos,
para noivas, a 165000, 185000 e 205000.
VOS para chapeo preto, branco e de
qualquer cor, a 15500.
Crepc inglez para enfeUos de ver>tid< s
a 15200 e 25000. *
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales e chitas claras, finas, a
180, 200 e 240 rs.
Cassas de cores finas e seguras, a
120 e 240 rs.
11 or m de 11* t ras azues muito lar-
gos com 20 varas, a 65000, a peca.
Sargclins finos, a 160, 180 e
200 rs.
Crinolina, qualquer cor, a 400 rs.,
o metro.
Ciuardanapos superiores a 15800 o
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 larguras a 640, 800"
e 15000, o metro
Toalhas acolchoadas c felpudas com
listas de cores, a 45000, e 65000, a dusia
Blcos brancos francezes, a 60C
e 800 rs., a peca.
Bicos finos, brancos, cremes e ma-
tisados, a 25000, a peca.
Baldas a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
Luvas de seda, bordadas, brancas,
pretas e de cores, a 25000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de me-
lhor, a 55000 e 65000.
ftabonete grande de perfumo agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos francezes e inglezes
a 15000 e 25000.
Despertadores americanos, a 75.
os quite! ros americanos com ar
maco a 105000 e 125000.
Espartilhos americanos o inglezes,
a 45000, 55000 o. 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 255000
e 305000.
Toalhas de iabyrintho para bap-
tisado a 305000, 405000 e 505000.
E muitas fazendas qnc so d por todo o
prego na.
das Lislras zoes
FLORIDA
sen
Loja
Farello de caroco de algo-
dao
J conhecido como o meihor e mais nutritiTO
alimento para animaes ; vende-se ra do Bom
Jess b. 38, 1' andar.
Vinho puro de Santa-
rem
Da quima de Barral
Chegou a segunda remessa deste especial vi
ab para o armazem centra' de gneros alimen
.icios ra do (,'abug n. 11, o qual se torna
recommendado por ser puro da uva.
Joaquim Christov3o & C.
Tclcplionc14
GalSes, palmas e rosas do vidrilho.
Bicos de seda e de algodo com
vidrilho.
Manilhas de seda e de algodo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhcla. ,
Collarinhos para hornera a 35000 e 4500(
a dilato.
Bordados de camb-ala tapada a 400 500'
600e800rs. a peca.
dem com 3 e 1[2 metros, de qual que
argura a 15200.
Lencos do linho era caixinhas a 35000
a.
para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de eaze
35000 um.
Grande sortimento do porta-retractos d
pellucia.
Finas pulseiras americanas a 45, 65
I 85000 o par.
Dita3 de phantasia, gosto moderno,' d*
2-5500 -a 35000 o par-
Cortinados todos de croenet para cama i
125000, 175000 c 195000 o par,alguni
de cores.
Ditos para janeas a 75000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
15000. .
Ditos para sof a 25000.
Plastons.e regatas de gosto.
Espelhos com tres palmos de comprimept
a 45000.
Canellas com veo para noiva a 65000 t
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105
125000.
Toucas de setim para baptisado a 35, 45
55000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha d
meihor.
Renda hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 25000 a pee*
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celluloido.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricante
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 15000 c 25000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chapelinas
15500.
Lindas fita3 n. ^2 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 2$000 t
par.
Ditas de seda para cranla a 15000.
Dita para moca a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette
sanctuario e consollos.
Lindos lencos de seda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabeca e segura?
chapeo.
Espartilhds para creanca a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 t
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
15500 um.
Estojo eom faca, gario e colher, proprii
para creanca.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de 12 para homens e senhoras.
Linha dourda pan faaar crochet.
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 45001
o metro.
Lindos leques de setim para pasamento.
Grande sortimento de leques de setim t
de papel de todas as cores. ,
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarca,
Finas carteiras para algibeira de 15, 2
3 e 35500 urna.
Ra Duque de Caxias n. 10.1
Recusava, meu capito. Para estas
operacocs nao se quer senao gente nossa.
E' a regra.
Cavaroc estava perfeitamente persuadi-
do disso, mas tinha-se-lhe mettido na ca-
bera assistir visita domiciliaria e nSo sa-
hir d'alli.
Meu vclho Marchis, dissa elle, eu
sei o que urna ordem, mas talvez que
haja meio de nos arranjarmos. VocG faz
empenbo em me ser agradavel ?
Certamente, meu capitao, se o pu-
der fazer sem faltar ao servico. Foi ao
senhor que eu devi em outro tempo os
meus primeiros galoes.
E talvez qnc achasse mais dia menos
dia, occasio de lhe ser til na sua nova
profisalo. Tenho amigos no governo e
poda dar-lhe um bom empurraa^
So o que peco que vocSRfeche os
ollios quando eu me oonfundirom os seus
agentes. Seu chefe nao conbece a todas.
Acreditar que sou um delljp... e de-
pois, por fim de contas, se ella der com a
cousa, ficarei quite por declinar o men no-
me e a minha patente e explicar as mi-
nhas intencSes.
Ora, meu capitSo, o senhor poe-me
em um grande enbaraco, contraria-me re-
cusar-lhe isto, mas arrisco-me a muito.
Tudo quanto posso fazer-lhe deixar des-
embrulhar-se como puder. Tanto meihor
se conseguir passar com o monte... tanto
peior se o metterem na estacSo Mas fa-
ca-me o favor de se encostar parede,
all embaixo, subindo o rio e longe do re-
verbero. Avie-se, porque vera gente do
lado do caes.
Cavaroc nSo pedio que lh'o repetissem
duas vezes.
Approxiraou-se um pouco da ra Ray-
nourd e sentou-se em urna mesa de pe-
dra, que a illuminacio municipal deixava
na sombra.
Nao teve tempo de se aborrecer alli.
Apenas se tinha cojlocado alli, vio dous
homens apparecrem no fim da ra e ap-
marem-se rpidamente.
Pouco depois distingui um P*^^^|
grupo de cinco ou seis individuo.-
Rojal Bleod marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente' de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
Eens de molhados.
Pede Roy al Blend marca Vindo,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
aproximavam sem ruido atrs de um su-
jeito que tinha ar de commandar aquelic
destacamento-
Marchis foi ao seu encontr e falln
com o chele daquella brigada, que nao po-
da ser senao o famoso Grisaille.
O colloquio foi bastante longo, c o ca-
pito que assistia a 'elle de longe, com-
prehendeu pelo gesto dos interlocutores
que com bina vam juntos os pormenores de
execuco de um plano concebido pelo
agente superior da seguranca.
Cavaroc estava prompto para aproveitar
o momento propicio para se misturar com
os invasores, mas nao sabia o que elles
iam fazer para entrar.
Com toda a certeza nao era por escala-
das, visto que nao tinham trazido esca-
das. E se recussassem abrir-lhes, arrom-
bariam a porta?... MA processo para
8orpr%nder qualquer, a ajenos, entretanto,
e Marchis arabava ^* o dizer,que a
propriedade nilo fosse guardada exterior-
mente por todos os lados, de maneira que,
se as pessoas de casa tentassem fugir por
cima doa muros da cerca, seriam apanha-
das pelee agentes no momento em que pu-
zessem o p na livre ra da boa cidade de
Pariz. '
O Sr. Grisaille, depois de ter conferen-
ciado com o seu subordinado, decidio-sc a
bater no porto, como j tinha feito na-
quejle mesmo dia e como fizera Mealheiro
no dia em quq se apresentou para recla-
mar Agostinha.
Unidos atrs delle, afim de operar com
igualaa.de, os homens de Grisaille espera-
vain que abrissem para se precipitarem
jHs do seu chefe.
Cavaroc escoou-se so/rateiramente ao
longo do muro, depois de ter atravessado
a ra, e ninguera reparou naquelle movi-
mento de naneo.
Nao abrirara, s bem que o toque de
campainha fosse vigoroso;
O chefe e o sargento consultaram-se em
voz baxa e Marchis, approximando-se,
reconheceu batente da portazinha
liave, se bem que
O 59
Liquidando os rtigos se-
guintes !
Rna Duque de Casias
Merinos de todas as cores a 200 rs. o co-
vado.
Lindo sortimento de alpacas modernas a
400 rs. o dito.
Zefiros de quadros a 80, 100 e 160 rs.
o dito,
Cretones francezas com 1 metro de largu-
ra a 280 o dito.
Nansuks, cores firmes a 100 e 160.
FustSes brancos bordados a 360 e 440 o
dito.
Bramantes do algodSo a 700, 800 e 15000
metro,
dem de linha, superior a 15600 o dito.
Atoalhado bordado a 15200 o dito.
Superior madapolSo americano com 24
jardas por 65000 a peja.
Algodoes da irte, o meihor a 35500
45000 e 55000 dita.
Cambraias bordrdas finissimas a 45000 a
dita,
dem Victoria cora 10 jardas a 25800. de
Esguio de algodao a 45000 a dita.
Ricas guarnicoes de crochets a 75000 e
85000.
Cortinados bordados, novos desenhos a
65000 e 85000 o par.
Toalhas superiores, muito grandes a 45000
a duzia.
Meias inglczas a 35080, 45000 e 650001
dita.
Seroulas bordadas de bramante a 145000
a dita.
Camisas francezas e inglezas a 365000 a
dita.
Guardanapossuperioresa 25000 e 55000 a
dita.
Cobertas de ganga, 2 pannos a 25800
urna.'
Lences de bramante a 15800.
Colzas francezas, de cores a 25000.
Mantilhas e fichas a 15000, 15200 e 15500
Chales de l a 25000, cachemira, grandes a
35000.
Redes de cores a 35000 urna.
Cobertores de la brancos a 25400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 15400
e 15800 idem.
Flanelia azul ingleza a 15200 e 2S000
idem.
Cheviots superiores a 35200 e 3-J500 o
dito.
Damascos de la para capas de pianos a
25000 o dito.
Pannos :ara mesas, novo gosto a 15100
15300 e 15800.
Espartilhos, luvas, grinaldas para noi-
vas, len$os de linho, baratissimos e muito
artigos que vendemos por precos sem com-
petencia.
Ra Duque de Caxias d. 59.
LOJA DE
PKftKljaA' & KAiAMlM
Pao centeio
Mello & Biset, avisam ao respeitavel publico.
que todas as tercas e sextas-teiras, tem este
Doro80 pao; ra larga do Rosario n. 40.
A LOJA MAIS BAIIATKK
Movis
' Na casa n. 183 ra Imperial,. vende-se ba-
rato dous guarda-vestidos e urna cama para ca-
sal, tudo novo em folna, de superior qualidade
e estylo moderno.
JLeite puro
Na estrada de Joo Fernandos Vieira, sitio lo
go depois das casas novas da direita. vende-sf
todos os das leite puro de vaccas tourinas e ds
trra, garntese a qualidade do leite.
Muita atten^o
Na ra da Imperatriz n. 80, vende-se sapa-
tos de felpos para fri a 600 rs. o par, e de
crianzas a 500 rs._______________________
Silvia
Grande valsa para piano, composta por Caro-
lina da Silva erecentemente publicada; achate
a venda na casa edictora, LIVRARIA FRANCE-
A, ra 1. de Marco n. 9._________________
Queijos Jo Reino novos
A 1*000
Vende-se no armazem central ra do Cabug
numero 11.
!-------------_______-___i_------------------------__---B
I astava t empurrar para entrar.
Assim fez o >Sr. Grisaille, quo entrou
corajosamente eni primeiro lugar, como
compete em semelhante caso quelle que
commanda.
Os outros entraram depois delle e di-
xaram a porta aberta, da maneira que o
capitao pude passar tambera.
Estava muito mais escuro no pateo do
que na ra, e ninguem reparou na pre-
senta de um intruso.
E' exquisito, resmungou o Sr. Gri-
saille, olhando para a casa mergulhada na
escuridlo; ningem aqui, ninguem as ca-
vallarigas e nem urna luz as janellas
Comtudo nao estao deitados a essas ho-
ras. .. dez horas apenas... Diabo !...
Diabo !... Isto mo sigoal... dir-se-
hia que a gaiola est vazia. Por acaso
os pasearos terSo vado ?
E' mpossivel, senhor, dase Mar-
chais. Todos os nossos homens estao no
seu posto. Colloquei-os, eu mesmo, e
respondo que ninguem saho d'aqui.
E eu estou certo que o Russo vol-
tou para sua casa quando sahio do Palacio
da Justica, apoiou o Sr. Grisaille. Por-
tanto devia aqui estar. E os criados ? Ha
quatro, pelo menos... por onde passaram
elles?
Podemos procurar.
E' verdade, acenda urna lanterna.
Dous agentes estavam munidos com
aquelles ntensilios indispensaveis em urna
expedijio nocturna.
O sargento encarregado de a prepara,
tinha prevenido tudo.
Trata-se agora de dar urna busca
casa desde cima at abaixo e o jardim de
um lado a outxp sem contar os porSes. Co-
mecemos pela coeheira e pela estribara,
urna vez que aqui estamos.
Os porta-lanterna8 approximaram-se e
foramabertas as portas.
O landau estava na cocheir e os dous
oavallos na mangedoura. '
Se elle parti, parti a p, disse por
entre den tes o agente superior 'da segu-
ranza. Aqui asta urna carruagem e ca-
PARIZ FAMERICA
AZEVEDO, IRMA0 & f.
16Ra do B. da Victoria16
200 Telepho7ie~200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortimento de fazendas e modaa o
que ha de mais novo e precos sem com-
petencia.
A saber ;
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qnalidades.
Etamines, pretos, de e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 150CO e 15200,
I Crinoline pret e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 1^500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 15000.
Madapolo trangado a 95000 a pe^a.
Dito globo a 76000 a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de la e seda 15000.
Brins de linho coi es lixes a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 55000.
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado a
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 15500.
Renda de la, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 15000.
Camisas de flanelia a 55000.
Cortinados de crochet para cama
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sera forro.
Seda de cSres a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarni5es, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flancllas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
"~ G LAPORTE
C ommissao-importacao
REPRESENTACAO DE FABRICAS
Ra las I lores n. SO
Armazem
(Entrada pela ra Baro da Victoria n. 41)
Faianipas de Hto. Boulenger & C.
Papis de Laroche Joubcrt & C.
i'ianos de Pteye!.
Porcelana de Hache Jnllien & C.
bcom, rendas e cortinados de AV.it". Sef
mnnn & C.
nrogaw da Pharmacte cntrale de France.
Azulejon de FourmahUrauc Courquin.
i'onneri as de I.ouit Frres Vinho* de Bordean- da Association Vt-
mcole.
Cacblmboi de large Pre. Fils & David.
Cognac de (Jeorges Seguin viciroN de C. le Llanc.
CryMtaeft da Crstalleric de Scres (Landier
& Hondaille).
capitula para frascos c a-arralas, de A.
Betts & C.
Franco, vasiibame para pharmacias e per-
fumistas de Bertin Tissier < C.
ArmacAc para sellins. esporas e materiaes
para selleiros e fabricas de carros, de
Fkhet Frres, etc., etc., etc.
As raercadorias veem directamente das fabri-
cas para os clientes, sem coiumisso, e pelos
precos da fabrica.
Conceden.-se os prazos usuaes sem augmento
de juros ou outra qualquer despesa.
COMMISSAO : Recebem-se encommendas de
qualquer outro artigo, em conimisso.
20Ra das FJores20 *
I*

l-

que eu
mostrar amanha,
modista da ra dai Paz. Veremos se ella
reconhccc, por tCljs visto porta do seu
armazem. Emquanto ao cocheiro e ao
criado, creio que estao longe.
Cavaroc que ficara em cerra-fila, n5o
perda urna palavra e via tudo sem ser
visfco.
Ninguem ptsnsava nelle, nem mesmo
Marchis, que julgava tel-o decidido a fi-
car socegado com as suas prudentes ob-
servacoes.
Subamos agora, ordenou Grisaille.
A porta da casa estava aberta como a
da rna.
Subiram, o chefe na frente e Cavaroc
sempre na retaguarda.
Por acaso, como tinha jantado na mar
gem esquerda e como contava passar a
noite em casa de Jonville, tinha posto nm
chapeo molle e1 envergado um paleto ve-
lho.
Nao attrahia, pois, a atten9ao dos agen-
tes, podiam tomal-o por um dos seus. A
via|_a casa teve como resultado demons-
trar que os que moravam nella tinham-se
safado sem teneao d$ voltar.
Grisaille pode verificar que nao trabara
deixado senao os movis.
No quarto do. [conde as gavetas da se-
cretaria haviam ido limpas de tudo quan-
to contrahar e um cofre oceulto n'um ar-
manozinho, com- incrustacoes de xarSo,
estava absolutamente vasio. A chave ti-
nha ficado na .echadura.
Mais em cima, o quarto que a moca ti-
nha habitado parecia estar aindano estado
em que Grisaille o tinha visto.
Helena o tinha oceupado por tao pouco
tempo, que nSo podia alli deixar muitos
vestigios da sua passagem.
Um trajo de manha estava estendido
em um divn, provavelmente o que ella
tinha despido para se vestir de grega,
antes de se collocar na posij-o aliante de
Vitr4C
(Coniinuar-$6'h)

i_ uque de Caxias n.
'
<

.

<-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX2OKB2H8_MZX0I8 INGEST_TIME 2014-05-19T20:51:25Z PACKAGE AA00011611_19169
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES