Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:19164


This item is only available as the following downloads:


Full Text

A ~ SX tO. 161.
__inWmirii*i"iTrf -ni [ini" iimm&mmmmmrmammxMBmmmmwmmmmmmmm
FAK1 A CAPITAL fe LUGARES 0'.&TDE*2vo S PAA PORT
Por tree mczes'adjuntados.............., 6^000
Por seis ditos idea.................. i23000
Por um *acncr idem .... ......* 23#000
Cftda numero ;u;^ o, d^mesaodia..... .... 1(X)
KM9M
DE
Tropriedade de Maitoel
rr.e
i
-
IM
TELEGRAMMAS
SS7IC0'PASTILLAS 20
AtlW
RIO DE JANEIRO, 19 de Julho, a 2
r.horas c 30 minutos* da tardo.
erro
Foi uomcado contador da estrada
de Panlo Affonso, Ajpenco Frado,
endo exonerado o actual.
Continuam a* mMfestacen a S. M.
mpct-adr pl'm tentativa fe;
l-"-. a sua Augusta pessa.
S. Mtem recebio telegrammas dos
soberanos e governos estrangeiros, de d-
plomatas europeus e americanos, e de to-
dos os pontos do Imperio, de cmaras mu-
nicipae3, etc., etc.
S. M. tem sido comprimentado por se-
nadores, diplomatas aqui residentes, mili-
tares, sacerdotes, mdicos, adrogados, pro-
fessores, e outros muitos fuaccionarios, e
por commisses de grande numero de as-
aociacoes e por pesslas de todas as clas-
les.
tapera-cc que hoje, no espectculo lyri-
co, qae S. M. assistir, haja grande mani-
' festa-jSo sua pessa
RIO DE JANEIRO, 19 de Julho, s 8
lioras e 45 minutes da nyitc
Desde o large da Carioca at o theatro de
IV Pedro II, SS. MM. passaram por entre
aias de povo. sendo saudadas estrondosa-
mente.
As msicas tocaram o hvmno nacional;
tonvc grande illuminaclo, fogos e flores.
cente faca p
jeto a rccoinposicao
trias que
esta-
xtreaiid'
mminoscTprovm da
fttricidades contrarias^
volve assz calor para
parico de luz. Qua
I
"
INSTRDCCO POPULAR
m
AS GRANDES \VE\JES
ANTIGS K MODERNAS
. lacias.
p. .-'
as e
das !i
AS
industrias e artes
POR
forte pilba voltaica, pa;1 produzir urna fonte po-
de-osa de illuminago
A corrente elctrica estabeleciJa entre as duas
extremidades separada:; de una lio conductor, faz
brilhar entre esAs dua; extreaajdjades um arco
de ura grande esplendor luminoso, que nao
mais do que a faisca el;ctric qub tomou largo!
desenvolvimen'o pela grande inass de electrici-
de devida a urna pilha nu forte daga se usa.
Se se prendero dous los mettfBs aos duas
polos de uma pilli* vohaica muilfl
actividade, e. seas-as por era con
* f a extramida, c

BBAD 20 DE XCLH0 DE 1889
"i
' PARA DENTRO E F0RA DA PROVINCIA
Por seis meces aguantados ... .. .... ..... '
Por nove ditos idem................ 20i?000
Por um anno idem .. ....#........* 26oOOO
Cada numero avolso, de dias anteriores.......... #100
NAIHBUC
de Paria # 3H?os
sivel ser approvado o referid crdito, porque
semelhantcs despezas nao podiam ser autoriza-
das, visto nSo offerecer meios par tilas o so-
bredito ornamento, conformo respond acn
sultas previas de outra3 presidencias ; ao que
accresce ainda a circumstaucia de nao tratar -se
de neohum dos casos expresaos, em queas ,
mtes de provincia, teem faculdade de abrir,
responsabilidades o iiccessario^^H
do decreto-n. S,8S1 do 1." de l
portanto, q
anrra liado
>A PRESIDENCIA O DA 18 Dti
JUI.H6 DE 1889
-la. Informe o Sr, inspe
Provincial.
e Souza-, Monoel J >s Baptista
rae o juiz municipal do terso de
- da Cmara Lima.
do. Thesouro Provin
P,
nriiBn-
Este
das duas <
'co::: osijfio desea-'
Hi> refi uma ap-
fempregam de 40 a
50 eementos da plh i MI sen, o arco lumino-
so tem uma intensidad^puigiosa.
(Contina)
PARTE OFFICIAL
I
XIX
* ^eJgie melhodo* #e illu-
T miaaro
,nsu!t ,vontinuSo).
and lefensAgo aucnuc
, ullo:.. ::'-o de lluminaeaode- que vamos
W-cupai invenco recente ; a illumi-
ao el' sto 6. o emprepo do arco lumi-
re- la descarga elctrica de urna
hospitae
"dres, const
horadao m:jrjoverno Ja ProvinCa
' denca na i
LEIN. Ha
O bachard Caiari, bacharel em sciencias jurdicas e sociaes
pode ser m-oc^de OHnda e 1" vicepresidente da provincia de
71, 1.- antjr a todos os seus habitantes que Assembla Legis-
Iativu4- de -ul.sob proposta da Cmara Municipal de Panellas,
i. decretou 6G mandei publicar a resolucSo se^uinte' :
AvnGO^AJfewrrros a le n. 1153 que cbib de cdigo i>r fostibas
AO 311 NICIPIO DE TANEI.LAS
Titulo I
Dos dilTerentes objectos que incommodam a populacao
I i Art. i" Ninguem pader crear porcos soltos ueste munipiciq ;
Ministerio do Imperio
Fez-se merc do titulo de conselho ao desem-
bargador Salustiano Orlando de Araujo < osta e
ao commendador Francisco de Paula Mayrink.
Por decretos e cartas imperiaes de 10 do cor-
rente, foram nomeados : 8 vice-presidente da
provincia do Espirito-Santo, o bacharel Luiz Ma-
noel Mendes Velloso, exonerado o bacharel Ge
tulio Augusto de Carvalho Serrano; 4o, 3 e 6
vice-presidentes da do Piauhy, o bacharel Jesui-
no Jos de Freitus, JoSo di Cruz Savetos e Maria-
no Gil Castello-Branco; exoneradoss : Jos Ri-
beiro Goncalves, Gervasio de Brito Passos e Jos
Francisco de Miranda Filho.
Foram agraciados :
Coco a,gran-cruz da ordem de Kosso Seor
Jess Christo. o ministro do supremo tribunal
de iustica, cavalleiro Olegario Herculano de
Aquino e astro ; com a commenda da ordem da
Rosa, o subdito portuguez Jos Duarte Rodrigues
cnsul de Portugal em S. Paulo.
Foram Horneados para a Escola Politech-
nica : o engenneiro Willi&m Roberto I.eite, para
o lugar de lente substituto do curso de artes e
manufacturas; e o bacharel Alfredo de Paula
Freitas para o de professor da aula de trabalhos
grapliicos do l" anno do curso de engenharia
civil.
Foram nomeados secretarios : da provincia do
Para, Osear Midosi. sendo exonerado o bacharel
Julio de Mello Filho ; e da do Rio Grande do
Norte, Joo Agostmhb Bezurra.
Foram nomeados pan a Academia de Bel-
las Artes os hachareis '.arlos Maxiiniano Pimen-
ta de Laet, Augusto Saturnino da Silva Diniz.
Andr Beato Reboucas e Antonio Jos Del-Vec
cio, professores honorarios, os dous priuieiros
da sccao das sciencias accessorias. e OS nltimr
da arenitectura desta academia.
Foram nomeados :
O Dr. Arthur Al'.uquerque de Bezerra Caval-
cante, in.pectorde hygiene daproncia do Ama-
zonas : o Dr. Marcos Pe-eira de Araujo da do
Piauhv : exonerado o Dr. Raymundo de Arta
Leao ; Dr. Joaquim de Cerqueira I.eite, da de
Pernambuco exonerado c Dr. Matheus ra de
Oliveira. .
Ao presidente do Cear foi dirigido, em 8
J do corrente o seguinte aviso :
Tenho presente o ofticio reservado de 17 de
[ionbo lindo, noqual e3sa presidencia communi
cou-me que abrir, sob sua responsabilidade, a
verba -Eventuaes-do orgamento vigente, um
crdito de 8:000*000, para occorrer s despezas
com a recepeo e commodidades de S. A. o Sr.
Conde d'Eu, quando passou por essa provincia
cora destino do Amazonas.
Em re-posta, declaro a V. Exc. que nao pos-
Mlnlsterio da Istlca
0 Sr ministro do Supremo Tribunal de Justi-
ca, conselheiro Olegario Herculano Aquino c
Castro, M ajosentado neste lugar, visto contar
mais de 30 anoos de serviro effectivo.
Ministerio da l'azenda
Foram nomeados liscaes dos auxilios lavou-
ra: do Banco Industrial do Rio de Janeiro, o
bacharel Beroardino Ferreira da Silva ; do Ban-
co territorial Mercantil de Minas-Geraes, o ba-
charel Victor Manoel de Souza Lima; do Banco
de Crdito Real de S. Paulo, o bacharel Joao Ri-
beiro Marcondes Machado; e do Banco da Ba-
ten, o bacharel Augusto Alvares Guimaraes.
acot
2.1
Ministerio da Guerra
Ao Sr. ajudante-general dirigi o Sr. ministro
da guerra o seguinte aviso :
Sendo de toda a conveniencia que a com-
missao de promocoes tique tambera incumbida
de apresentar propostas dos candidatos para o
preenenimento das v.'gas do primeiro posto do
exercito as armas arregimentadas, prOTidencie
V. Exc. para que, quanto antes, na repartico
sob sua direccSo, sejam organisadas as follias
de todos os alferes-alumnos e pracas de pret le-
galmente habilitados, afim de que, presente
aquella com mi-sao, possa ella organisar as res-
pectivas propostas, observando as seguintes
disp*sic6es:
o As vagas na arma de rtilharia sero pre-
enchidas por confirmacao pelos alferes-alumnos
que satisfizerem as exigencias regulamentares e
as do art. 6o do regulamento approvado pelo de-
creto n. 772 de 31 de Margo de 1851 em referen
cia a boa conducta militare civil.
as armas de cavallaria e infantaria a pfV
meira vaga a considerar-se em cada uma dellas
sera preenohida tambem por confirmacao pelo
alferes-alumno as condicOes cima menciona-
das.
/> segunda pela praca de pret que ao curso
das respectivas armas, reunir todos os predica-
dos exigidos no art. 6o e mais disposiroes em
ainda satisfeitas as disposicoes regaes
as vagas que successivamente se forem dan-
do guardarse ha esta mesma ordem, devendo
a commissao para o preenenimento de cada uma
dellas propr tres nomes d'entre os mais anti-
gos e idneos ,
Se em qualquer das tres referidas classes de
promocoes nao houver numero suficiente de
candidatos que possara preencher todas as va-
gas, essas divididas proporcionalmente serao
distribuidas pelas outras classes, de modo que
na mesma proposta sejam contempladas todas
as vagas de que se tenha conheciment oflicial-
raenle; nao aevenao nesta hypothese ser consi-
derada prejudirada na seguinte proposta a clas-
se ou classes que nao tiver sido contemplada na
anterior.
A commissao das promoc5es ter muito era
vista o art. 4o das instrueces a que se refere o
aviso de 17 de Novembro de 1880.
Repartico da polieia
Reglo.N. 862Secrtea de P<-
lieia de Prnambueu, 19 de Jumo de 1889-
Illn%|Exm. Sr. Partip<| V. Exc.
que forana liontem recolhidoaM Casa de
Detencto, os feguintes individuos :
A' ordwkdo 6ubdelegadO|J| freguezia do Re-
cife HeiitRa Maria di' JesuT Mana da Conc i-
i,ao, por disturbios; Eiriygdio Sotero de Lima,
por crim)| de furto e Manuel Cypriuno de Azeve-
' "iri^uez e disturbios.
o da freguezia de Santo Antonio,
, por disturbios.
. do do Io districto da freguezia de S.
tinho Severino dos Santos, por distur-
do por
A'ord
Marial,
A' or
Jos, Ag
bios.
A" ordem do do 1 districto da freguezia da
Boa-Vist Benedicto Antonio da Silva, por dis-
turbios.
A' ordem do do Io districto da freguezia de
Nossa Senhora da Graca, Jos Pereira. por em-
briaguez, disturbios e uso de armas defeza.
Communicou me o delegado do tdrnw de
Agua-Preta, que no dia 16 do co frente, em ter-
ral do engenho Bom Conselho d'aquelle termo,
feriram-se mutuamente depois d'uma troca de
pafcivras, os individuos de nomes Jos Donato da
Palxo e Sebastifio Lima, sendo presos em fla-
grante.
O delegado toraou conhecimeno do facto. fez
protedejr vistoria nos offendidos e abri o com-
petente inquerito policial.
Ante montera, a 1 hora da tarde, naoccasiao
em que'diversos homens derrubavam urnas ar-
vorts p(t sitio deFrancisco Antonio Correia Car-
dos, t lugar Mngibeira,de Baixo, do districto
do Arraial, aconteceu cahir um dos paos sobre o
subdito portuguez Jos Carlos da Costa de 65 an-
uos le Male, que fallecu instantneamente.
OOr. delegado do 2 districto da capital, ten-
do iciencia do occorrido, para alli se dirigi
acortpanhado do respectivo subdelegado e dos
Drs.bama Lobo a Jos Flix, que zeram a vis-
toria J
igencias proced Jas respeito, chegou-
ncia de ter sido o facto todo casual,
u-se a respeito no* termos da lei.
pte-Dontem, as 8 lioras da noite, nolu-
Forte, do t" districto do Poro da Pa.-
espancado o subdito por
ttedo
Aindj
gar Ca^
uella
*r
j

ou a um oflicial de justica para l
tencia do niesrao scal, cujo producto, deduzidas as despezas, sera
recolhido ao cofre municipal.
M Art. 2o Os porcos que forem encontrados soltos fera desta vil-
e povoaces deste municipio, dentro de ros, pocos, tanques ou
' icimbas, alterando a pureza das aguas, sero morto.
Art. 3* Ninguem poder abrir vallados tiesta villa, povoaco,
estradas publicas deste municipio, sem deixar pelo menos quatro
jelros de espaco do transito publico, requerendo licen$a a esta
.amara. Os infractores mcorrerao na multa de 10*000, sen lo
*1)ri,*ados a reduzir tudo ao seu antigo estado. Na reincidencia
-/mita ser de 205000.
t Titulo i l
liafc- Dos mercados
J-*^ As feir.ts sero criadas pela Cmara onde exigir a
Serraba publica, podendo estabelecer-se nos dias santilica-
de Fra'(ff'raCtores pagaro de multa 104000 c o dup o na reinci-
CapibJ) Tlul0 m
Fica dividido em duas parteso primeiro districto des-
ndo a parte do lado do sul exclusivamente para agri-
do norte para a creacao, cuja diviso a seguinte : o
estada que vem do Jurema ao Feijo, Contador, Ran
ja principal desta villa, Valentim, Boqueiro nclusi-
nio do Senhor Bom Jess dos Remedios e serras ad-
rando a estrada denominada Estiva ate a casa que
Jos Paz, em Serrte-liso, e d'ahi atravesando a es-
"-r-i^egue para o Lagedo, seguir pela que vai do
nn l* Periperi ao Lagedo do Tambor i
cunen!
aiheia, a
pina po:
petenci?|
leste municipio.
rcade
ami
5s:as que fizerem plantacoes as divisCes dos
I .os para cultura, sero obrigadas a fazer cercas
'ibpatem a invaso dos anirnaes.
.creadores que tverem gados, fazenda3junto ao^
ae trata o artigo antecedente, sero obligados na
- cercas -ou vallados de que trata o referido arteo.
i pessoas que zerem plantaces no3 terrenos de-
crtacao, deverao construir cercas fortes, as quaes
.menos de dous metros de altura, ahm de impedir
jier animal ; os*iufractores soflrerao a multa
tSB*wt prohibida a pastagim de ani-
DtiadfiS, nos lugares destinados a agri-
: A^^aclors solTrerao a multa de 3#,
' i
roaibida a criacao de gado
V eabrura na parte- do terreno
bne nao sejam consem
lrerao a multa de 4* eodu-
figem de a
t
animaes pertencam a indiviJuos nao residentes nesta comarca,
c qui; tambem nSo possuam trras na mesma, salvo se pagarem
por cabera do gado vaccuin, cavallare muar ti para o cofre mu-
nicipal ;" os infractores licaro sujeitqj a apprebenso de ditos
animaes para pagameoto do imposto "stabelecido nete artigo e
mais despezas, e, quando nao apparecam seus donos ou seus pro-
curadores, sera remedidos pelos fiscaes a collectoria na quulida-
de de bens de ausentes.
Art. 12. Ficam rvogadas as disposicOes em contrago.
Mando, portamo, af todas ss autoridades a quera o conheci-
meno e execuco da prsenle resoluco pertencer, que a cum-
pram e facam cumprir tao inteiramente como n'ella se contm.
O secretario da Presidencia desta provisrcia a faca imprimir,
publicar e correr,
P.. lacio da Presidencia de Pernambuco, II de Julho de 1889
65." da independencia e do imperio.
L. S. B arIo de Caiaia.
Sellada e publicada a presente resoluco nesta secretaria
da Presidencia de Pernambuco, aos 11 de Julho de 1889.
O secretario,
Francisvo L. Marinho de Souza.
LEI N. 2,013
Barao deJCaiar, bacbarem em sciencias jurdicas e sociaes
pela Academia de Olinda e i" vice-presidente da provincia de
Pernambuco :
Faco saber a todos os seus habitantes que a Assemhla Legis-
lativa Provincial, sob proposta da Cmara Municipal doRecife, de-
cretou c eu mandei publicar a resoluco seguinte :
Art. t. As partes que por si, por seus caixeiros ou por
procurador lesalmente constituido, nao qui|rem solicitar des-'
pachos da Cardara Municipal doRedife, ou pagar as contribuicoes
a que sao obrigadas, poderao fazel-o por intermedio dos despa-
chantes municipaes.
g 1." Para esse lim a Cmara Municipal nomeara tantos des-
pachantes quantos julgar conveniente, os quaes trabalharao iniist.j
(netamente em todas as freguezias do municipio.
2. Os despachantes municipaes nao percebero ordenado,
mas tero direito a cobrar das partes que llie affectarem os ne-"
gocios H0"0 por cada despacho Qnal ou por cada conhecimeno
de impostos que pagarem.
3." Neuhum despachante, poder entrar em exercicio,
sem haver prestado cauco ou (anca de 2003000, nao podendo
nenhutn vereador ou supplente Juramentado ser seu fiador.
4." Os despachantes municipaes serao nomeados .e demit-
tidos pela Cmara e obrigados a solicitar o titulo de sua nomea-
co, pelo qual pagar cada um 10J"0O para os cofres munici-
paes.
| o" O despachante que por negligencia, dolo, ou malicia,
deixa de cumplir os deveres de seu cargo, dando lugar a pre-
|UZ0t as partes, pelas multas em que tenham lirado inrursos,
obligado pela sua caucho reslitniro integral desse prejuizo.
6. O emprego do despachante incompativel com o exer-
cicio de qualquer emprego ou cargo municipal.
7 o O despachante que exigir 'las partes romo honorario
do seu servico mais do que esta determinado, ineorrer uas penas
da ilPinisso.
8." Todo despachante obrigado a determinar o lugar e a
llora era que podera ser encontrado fcilmente pelas par:.
Art. 2/ Revogam-se as disposicoes em contrario.
Maodu>. portaalJ, a todas a* autoridades a quera o co
ment e exeeugao pram 8 facam cumprir 15o rateiraraente como nella se
O. secretario da presidencia desta provincia a
publicar e corr r.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 1
Independencia e do Imperio.
L. S.
r.pnblic.
no tugar orcffiprm chapeo de leirro.
O subdlegado do districto tomou conhecimen-
to do fac}, fez proceder a vistoria no offendido
e abri o competente inquerito policial atim de
descobriro autor do attentado.
Hoiiem presin juramento e assumio o
exercicio do cargo de subdelegado do 2o dis-
tricto do termo de Gamelleira, o cidadao Manoel
de Hollanda Cavalcante.
Partitipou-me o delegado do termo do Bonito,
que no da 1 do corrente, no lugar Brejinho do
Io districlo-d'aquelle termo, o individuo Venan-
cio Alexandre de tal, ferio com urna facada ao
inspector de quarteirao Jos Joaquim da Silva,
evadindc-8e logo aps o crme.
Acerca do facto procedeu-se nos termos da
lei.
Pelis 9 horas do dia II d'este mez. no lu-
gar Riacho do'Sangue do districto de Cabelleira
d'aquelle termo, Manoel Ignacio de Oliveira, co-
ohecido por Manoel Fernandes, ferio gravemente
com 18 lacadas a Joo Raymundo de Oliveira,
logrando evadir se em seguida.
O subdelegado respectivo toraou conhecimeno
do facto, fez proceder a vistoria, abri o compe-
tente inquerito policial edeligenca capturar o
criminoo. ,
Deus guarde a V. Exc.Illm. o Exm.
Sr. Conselheiro Manoel Alves de Araujo,
muito digno presidente da provincia.O
chefe ce polica Geroucio Dias de Arruda
Falcao*
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 19 DE JDLHO DE 1889
Coutiiho & C. -A' secQo para os devidos
Bus.
Joaquim Francisco das Chagas e Silva, Florn
da Maril de Jess. Joao Christiani, Pedro Oso-
rio de Cerqueira e Floripa Joaquina da Silva Pas-
sos. Deferido era vista das informaces.
Annajoaquia de Santa Rosa. Iudeferido era
vista dat informaces.
Francis, Luiz avalcante Sobrinho.-Nada ha
que defunr em vista das informaces.
SouzaBorges CInforme a 1* seceo sobre
a mclus petiro de Souza Borges & C
Montevideo, 9 de Julho (retardado).
Em Santa Lucia outros lugares senliram se
tambem pequeos tremores de Ierra.
Buenos-Ayres, 11 de Julho.
O premio de ouro bancario e 79 /. e particu-
Irr 70 '..
O Dr. Joaquim Nabuco proleslon contra a qua-
lilicacao que lhe deram de republicano, aflir-
inando ser monarchisia.
O mesroo doutor foi visitado pelo presidente
da repblica, acompanhado por. sua esposa.
.No'theatro Onmibia houvebontem grande de-
etKre o povo e a polica. ^
. 11 UeJuibp.
rrera dos deputados submeltep aprecia-
. commissSo especial, afim dedarpa
recer. os papis relativos cincessld Borg-
hnr
INTERIOR
Xotiea*. do sul do Imperio
Ilontera tivemos as seguintes :
Rio Ciraude do Sal
Datas al 6 do corrente :
- Na alfandega do.Rio Grande foi installada
a Caixa Econmica com agencias em Pelotas e
Bag.
Le-se na Gazeta Mercantil em data de 4 :
O Sr. Elyseo brando. anteliontem rhegado
da cosa do Albardo, communica que em certos
pontos da referida costa coniinaam a apparecer
numerosos destrocos arrojados pelo mar.
.Na tarde de sexta feira s ondas trouxeram
praianm grande mastro e uma bitacula. haven-
do noMPfciiia chapa de metal com os seguintes
dizere"
J. HCGES
London
tendo alli apparecido tambem grande quantida-
de de carvo de pedra, parte do qual ja quei-
raado.
O Sr. Brando soube que para alm do Chuy,
em praias orientaes, existem tres cascos de na-
vios, um nos quaes enorme.
Os cadveres que alli haviam apparecido fo-
ram sepultados as areias.
Os cinco cadveres de trinolantes da galera
Julias, que o Sr. Amaro G. de Oliveira encon-
trara na praia, do arroto Baeta para ca, ainda
conservam-se insepultos, apezar de ter o me:mo
senil ir dado conliecimento do facto auloridade
policial e ao consulado allerno nesta cidade.
Nenhuma autoridade dos districtos onde os
referido^ cadveres appareceram mandou se-
pultar os'infelizes que l jazem, servindo de
pasto aos caes vacidjundos e aos corvos.
-7 No mez passado forara sepultados no ce-
mitrio de Pelotas 93 cadveres, sendo 47 de
maiores de 10 airaos e 46 de menores.
Na mesma cidade a autoridade policial do
4o districto encontrn era um rancho situado na
Seria dos Tapes um casal de pretos macrobios,
composto de Custodio, que conla 121 primave-
ras, e Lourenca que j passou da casa dos 100.
Os inlelizes viviam em completo estado de
abaadooo ede miseria, mas era por isso que-
ajpraceilar oAenecio de serem acolhidos na
. Casa., jar*. dUe foram quasi forca,
transportados.
No camiuho um delles, talvez pungido pela
nostalgia da solidan das brenhas serranas, tra-
vou tno de uma faca e tentou degolar-se, sendo
a lempo occorrido pelas pessoas que os oon-
duziam.
A epidemia da varila est grassando com
grande intensidado em Uas.
A alfandeaa de Porto
mez passado 115:6115466.
O raovimento das repartieses
de Pelotas era Junho foi o seguinte :
Mesa de rendas geraes
Mesa de rendas provinciaes
Barra de S. Goncalo (impostos co-
brados pela provincial
Alegre, rendeu no
de fazenda
15:044*100
58:344*424
4:549*198
EXTERIOR
noticias db Rio da Praia
Tivemos liontem, lanliuha roldas da corle
at '2^0 corrente, as quaes encontramos os
fieiuintes telegrammas:
rnos Ayres. 9 de Julho (retardado).
lU-alisatam-se hoje aqui grandes festas para
soemnisar o anniversano da independencia da
repblica.
Hve Ti-Deum solemne, ao qual assislio
grande-numero de pessoas gradas.
Fonnoua tropa, havendo depois revista.
Por iniciativa do Club de Esgrima foi orrani-
sado um prestito cvico, composlo de 22 socie-
dades, sob a direceo do general Fras, guer-
rero da dependencia, que a em um carro pu-
do por 8 cavallos, e uma guarda de honra de
ndenos de poca.
uto desfilou pelas priuoipaes ras e foi
vnde esto colloca jas as estatuas de
igrano.
i ao general Frias uma cora
iquinda por (gubscripcSo de
ctacujj de gala no Poly-
lina l'atti cantou o livinuo
teve emband%irada e noule iiln
107:9375722
O saldo dos depsitos feitos na agencia da
Caixa Econmica (na mesa geral; attingio a
3:072.
Falleceram : no Rio Grande, D. Isabel Reis
de Oliveira e Jos Ferreira da Silva ; em Pelo-
tas, o padre Antonio Rodrigues da Costa e Joo
da Cruz.
alio (.nuKo
Escreveram de Corumb ao Jornal do Com-
mercio da corte:
Tera melhorado muito o estado sanitario da
tropa estacionada era Corumb, gracas s me-
didas hygienicas tomadas pelos delegados do
corpo de saude.
e bem que os corpos acham-se|ura pouco
desfalcados de olliciaes e pracas, lia regular-
mente exercicios quer na praca principal da ci-
dade quer na linha do tiro.
No dia 24 de Maio houve cumprimento de
toda officialidade ao fieneral Deodoro, que rece-
beu-os offerecendo-lhes um copo d'agua, onde
se trocaran) varios brindes.
No dia 13 de Junho, anniversario da reto
raada de Corumb, houve fe*tas c msicas, per
correndo a cidade e luminarias & noite.
Desceu para Assumpro, por ordem do ge-
neral Deodoro, no dia lo de Junho, a canhonci
ra Iniciadora.
A commissao de engenharia contina acti-
vamente seus trabalhos.
No dia 16 chegou da fazenda de S. Jos o
chefe da commissao. tenente-coronel Jacques
Ourique. que brevemente seguir em servico da
linha telegrapliica para Coimbra.
No dia 6 deu-se comeco 4
no\o quartel.
A do paiol de plvora vai muito adiantada.
Os demais servicos caminham satisfactoria-
mente.
J vai havendo falta de gneros no deposito
de forneciraento das forras, porra o general
Deodoro fem providenciado opportunaim nle,
alim de evitar que a escassez se pronuncie, o
que seria muito para lastimar.
Hiu de Janeiro
Datas at 12 do corrente:
i.eraos no Jumaldo Commcrcio de 11: "*
Causou bonteui geral seniiiuento de pozara
noticia que logo pela manhu sq espalhou de te
sido.victima de ura desastre d Sr Dr. .
noel Viilamil Blanco, ministro do C._,
cort, lo justamente considerado e esti
tre nos.
Ao atravtssar com sua familia a ra
de Marco, foi o Sr. ministro atrepella
carrocinua uMflo e adrado na calca
do lhe jis rodas\>'re % nenia direila.
Os Srs. presiiler4i mKnha. que passav'aV' d,! carro na
apeaftm-se iiiiinediaiiMi'nte e prodiyralisai
llie lodbvns cuidadoi
Recelhido i pharijB ^Sr. Alfredo de Car-
valho, aui pre>. iuj^I Bkeiros soccen
Sr. Dr. Liaia e L,;^^,
n uislm da^kW .^P
economa poltica
i.neyo construeco do
Moedas braNciras
(Do Jornal do Commercio da corte)
O padrSo pelo qual sao aferidos os valores ac-
tuaes das moedas brasileiras foi creatfo pela lei
n. 401 de 11 de Setembro de 1846, a, qual fixou
o valor do ouro em moeda de 22 quilates na ra-
zo de 4 j por oilava, cada oitava corresponden-
do a 3,5859 ;rammas, e 22 quilates a 917 mille-
simas partes de ouro puro e 83 de liga de cobre
e prata, permittindo-se a tolerancia de 0gr,498
as moedas de 20 e as outras em proporco,
de sorte que um kilogramma de ouro do toque
legal deve produzir exactamente 111 1H'203
moedas de 10000.
As moedas de prata sao auxiliares do svste-
ma e dos valores de 2, l e 500 ris, a senha-
riagem de 9,863 0 0, o peso da primeira de
2."gr,." e das outras em preporco. permittindq-
se a tolerancia de 9,962 cenligrammas na pri-
raeira, e as outras proporcionalmente, a com-
posico de todas de 917 millesimos de prata
lina.
A relago entre a moeda de ouro e a de prata,
livrc de senhoriagem, est lixada oicialmente
em 1 de ouro para 15 5/8 de prata, Mo mesmo
toque.
Antes disto a disposicao que regulava a mate-
ria a que consta da lei n. 59 de 8 de Oulubr
de 1833, que determinou no art. 1 :
" Na receita e despeza das estages publicas
entrarn o ouro e a praia em baixas, ou em moe-
das nacionaes ou estrangeiras, a 23500 por oita-
va de euro de 22 quilates.
Na conformidade desta lei cambio par cor-
responda a 43 I 5 dinheiros esterlinos por .
Pela ordem do ministerio da fazenda de 18 de
Outubro do mesmo anno, expedida para exeeu-
gao da lei, mandeu-se que as moedas de ouro e
de prata, nacionaes e estrangeiras, 'rossem rece-
idas pelos valores nominaes constantes de uma
tabella annexa. c que as moedas que nao esti-
vessera contempladas na tabella fossem tambem
recebidas, quando acompanhadas de.guia* da
casa da moeda. authenticando o seu peso, toque
e valor. A, tabella designava por suas denomi-
nages as moedas brasileiras, e tambora as por-
tuguezas, inglezas, americanas, francezas e Fies-,
panholas, declarando quaes os seus pesos, to-
ques e valores nominaes, tanto das moedas de
ouro como de prata, especificando o valor rela-
tivo do ouro e da prata pela relago de 15 5 8
ou 15.625 para 1, reputado, n'aquelle lempo, o
axinij limite a que o valor do ouro podia ser
vado^ sem prejuizo dos interesses pblicos e
ereztes.
es foram as primeira medidas adoptadas,
iO nosso paiz para organisaco de um systema
monetario naci-ral, a que seuiram-se outras
que raodicarntn, derogaram >u accrescentaram
uovas disposices a anteriores, tendentes todas
a organisagio" definitiva na moneiano
actuai, uniformisado e ligado era -oes
de re.'ages decimacs aq novo padrao
por me
laonetiri
Este pi
dissemos, pela
nW10-
a^Bte os estucantes de esgrin
rencral Mi
mira Nabuco-
3 da I id prensa vai offen
nido um ni
H
cao do
gado.
MELHOR EXEMPUR ENC0NTRMI0
ROTIIrBB
I
apparelhos, auxiliado pelo Sr. Dr. Lima eCas-
iro.
O Sr. ministro do Chile soffreu forte cuntuso
dos msculos e ervos da coxa direila.
Pelo Sr. Viseonde di- Aljezur, camarista de
semana, foi passado ao Si\" minislro do Chile
este telegramma :
< S. M. o Imperador, informado do deploravel
ineidente de que fti victima o Sr. ministro do
Chile, deseja saber, rom muito interesse, do es-
tado de S. Exc. |
De S. M. a Imi" S. A. Imperial a Sra.
Condensa d'Lu '.do idntico telegranr
ma, e d.-S. A., o Sr. % Pedro uma carta.
Durar.teo'di foi o enfermo muito visitado*, e
noite os Srs. ministro da marinha e sua se-
nhora. minislro dos negocios estrangeiros, a
maioria do corpo diplomtico, o Sr. Viseonde de
Cabo-Frio e rauitas outras pessoa gradas esti-
veram na residencia do Sr Hianco, que receben
tambem grande numero de telegrammas.
A' meia-noite era bom o estado geral do Sr
ministro, que se achava sem febre. E' enfer-
meirobSr. ministro da Repblica Argentina,
seu amigo de infancia
Fazeraos sinceros votos pelo promplo restabe-
lecimenlo do Ilustre diplmala.
L se na mesma fclha de 12 :
O Sr. D. Manuel Viilamil Blanco receben
hontem o seguinte telegramma :
SS. MM. e A. 1 perial desejam as melhoras
de V. Exc. e me ordenam que pega noticias de
sea estado. Comprimento pessoalmente V. Exc.
fazendo votos pelo seu restabelecimento.Con-
de de Aljezur, camarista.
O Sr. Viilamil foi hontem visitado pelo3 Srs.
ministros da guerra, dos negocios estrangeiros
e do imperio, internuncio e mais membros do
corpo diplomtico, pessoas das mais gradas e
representantes dos Srs. presidente do conselno,
ministros da marinha, da justiga e da agricul-
tura.
Desde pela manha al s 10 horas da noite in-
nmeras pessoas de diversas classe.s da nossa so-
ciedade foram informarse do estado do sympa-
thico representante do Chile.
A' noite o estado do Sr. ministro do Chile era
satisfactorio.
. Paulo
Datas at 11 do corrente :
Duas grandes fabricas de papel acham-se em
construegao na provincia de S. Paulo : uma no
Salto do It, outra no vasto estabelecimento
agrcola e industrial de Cayeiras, do qual tive-
ram os nossos leitores noticia um tanto circums-
tanciada ao ser, ha mezes. visitado o mesmo es-
tabelecimento polo Sr. conselheiro Antonio Pra-
do.
A construcgSo desla ultima fabrica, de pro-
priedade do Sr. Rodovalho, vai muito adianta-
da, tendo j sido importadas da Allemanha va-
rias machinas e sendo outras a todo o momento
esperadas. Trabalhar com chjas grandes ma-
chinas, movidas por agua, podando fabricar to-
das as classes de papel, entre as quaes o desti-
nado a forro de casas, envolucros. caixinnas,
etc.
O material para a fabricago ser fornecido
por fibras vegetaes do Brasil, das quaes o Dr.
L. Prenckel, que acaba de visitar o estabeleci-
mento, vio amostras, que lhe forara mostradas
pelo Dr. W. Leonhardt, engenheiro technico da
fabrica, e que. examinadas por especialistas,
lhes preceram perfeitamente applicaveis quel-
Ie emprejo industrial.
O estabelecimento de Cayeiras ocenpa neste
momento em varias secgs eerca de 500 ope-
rarios.
.



I
m
i





2
Diario
ouro
Peso
oit. gr.
Titula Valor
maal
464000
9^000
0,907
2 16
7 36
84890
1 920
i mp
lavas de
c Portugal 4
de 4#, Brasil 2 18
In-
glaterra.....
Moedas de prata
. Palacio, Brasil (
Pesos a uro?, Hispan ha. (
Duas patacas, Brasil 5
tUraa oitava de ouro igual a 15 ",'8
prata,-rio mesmo titulo.
Baseando-se as di-posigOcs precedentes e na
autorisagjio concedida pea asscmbla legislati-
va, o foverno expedio o decreto n. 625 do 28 de
Jul.o de 1849 que organisou o actual systema
monetario brasilero, mandando cunhar moedas
de ouro d 10* do toque de 917 mil!,
e pesos es loa na le; e moedas de prata
de 2. l c 300 res que tivessem o mesmo to-
aue, mas que quanto aos pesos fossem carrega-
as'com a senhoriagera Je 9,863 /, de raaneira
que o peso da de 2 fosse somente de 7 oilavas
' e 8 graos ou 25,5 grammas, e das outras era
proporgao, permittindo-se a tolerancia de.....
0gr0996 as primeiras e as outras cm propor
cto:
Cora o fim de uniformisar estas moedas, auxi-
liares no nosso svslcma monetario, rom as novas
moedas de prata'francesa, a le de 26 de Seiwn
bro de 1867 determinou que as de 2000 e 15000
tivessem 25 e 12 5 grammas de prata do toque
de 900 millesimos. as de p*X) e 200 ris Uves
6,gr.23 e 2.gr.50 de prata do toque de 833 mille-
simos ; mas esta disp "gao foi revocada p'la
lei do 22 de Selembro de 1470, prescrevendo o
decreto que se llie seguio de 18 de Novembro
de 1871 que preval 917 mil-
lesimos e os pesos rege '' de 2^
de Jatbo 18
do- toque de ;t'J apelo*-*.*
rw do mesmo meta!, nurdo toque de 83.
lesimos. v em subsfltuiello pandando cu
moedas de troco le um w lo par; >m os val
de 2"0. 100 B0 ris. tendo as primeiras o peso
de 13 grao as seguidas 10 grammas e as
ultimas 7 grammas.
De accrJo com es qe estaBelccmm
as bases para organia ic i do nosso oieio circu-
lante actual, tcm >s que a avaliacao das moedas
afltrangeiras de ouro baseia-se na confroatagAO
do peso e toque de taes moedas com a nossa de
S0J000, que pela lei dev 17,92969 eram-
mas, e nurque o seu toque e considerado de 917
mlBSii a, segue-ee que o peso de onn
contido na mesuia lave sor de 16,U1R
aaoas, donde o valor de 14216,4 porcada
gramma rio metal no estado de pureza absoluta
ede 1*113,4 o do metal ainoedado, de tqfue
ideutico ao du moeda braziteira.
Este 6. repelimos, o prego par de uma
ma de ouro de 917 millesimos e aquella o do
ouro puro, peio una a se o color par
das moedas. estraugeiraa le mialquer toque, o
que se obtem calculando previa nenl 8 poso de
metal puro, contido nesias moedas, conforme as
Seclaragoes ofiiciaes do peso e respectivo toque :
nao convm advertir, o valor de tarifa, em
que se toma em consideragao o resoltado de
un.a verificago acerca do peso e do toque ver-
daderos, como se faz com o ouro em bar:
duzindo anda uma certa qoanlia como premio
da fabncago.
Ora, o decrelo de 2 de Marco deste anno, man-
dudo que nao se cobre do i fr apre
sentado casa da moeda em moedas i
US e em barras de loque igual ou superior ao
' da moeda brazileira, para c
naciouaes. a'a\ de i ., que se cobvava,
est que s dev bi em consineragao o
peso e o toque lias moeda a das
que, por di-.' .nao
tenham ^ n;ls tabellas que de-
clarara o- seu- pi
A pnmeira d a que acompanna,
corno dissemos, a or lem de 18 de OutBM
1833, tabe.Ha o de base para
gao da qu se acba annexa ao de -8 de
Novemb. i, semaltan un sen-
cu! a nae ser qo fd* o
moedas sao fixados conforme > moneta-
rio r ( litava ie ouro de 22 qoil
e que nesla lab-Ha sj foram conlempla :
isa, a portuguesa e o soberano, este com o
valor de 8890.
. que 017 6 o toque
equivalente a 22 quilates, quand 0 em rigor 0
2,3 millesimos, nunca 0.917. Basta es-
cripw : mas l una I 3 millesimos. id
co ao do soberano ou libra esterlina, tem
o peso de ouro lino conlido na moeda
de : : portante o pre$o par do a
la ouro deve sef de
fcilmente: c outra nova,
fabricada por mefo de un molinete montado na
"Forre de Londres, e t moeda mais per-
feita da Europa, n'aquelle tempo arabas porm
tinbam indistinctameote curso legal com o mes-
mo valor.
Pensava-se que %segaada, por ser mais per-
teita excluira da circulago a antiga, muito
damnificada, mas como diante da lei ambas ti-
nbam o mesmo valor succedeu que a moeda cer-
ceada nao foi excluida e siiu ila, a qual
desde que sabia da Inglai leria preco
mais elevado do que a outra e portante era
transportada para od; tirava-se algum inte
se de sua superioridad.
A autoridade nao poiia exterminar os ralsifi-
radores.
O que, porem, nao consejuiram as leis re;
sivas. obl ncia de quatro liomens emi-
nentes. Nunca, diz Macaulay, o paiz leclamou
lanto o concurso de foculdades ao mesmo tempo
praticas e especulativas como iiaquelle tempo, e
nunca tambem o mundo vio as faculdades pra-
ticas as mais elevadas ligarem-se la Dais subli
mes capacidades especulativas por uma aluenga
to iotima. to harmoniosa e to honrosa como
a que ligou Soaiers e Montaguc Cocke e New-
ton.
Xewtou, quaodo director da casa da moeda
de Londres, descobno meios de augnentur ex-
traordinariamente a tabricac2o da3 moedas, Mon-
tague acbou argumente para-convencer a04
presentantes da nago da necessidade dt; retirar
rpidamente da cicculaco a moeda CBteeuda que
devia ser reputada com valor inferior ao da
moeda perfeita, d'onde a serie de medidas ex-
traordinarias e enrgicas, justilicadas boje p 11
so'eno
S.lo medidas idnticas as que -^e
actualmente. Nao que o nosso paiz p
por u'iii crise monstaria :,louge d. : cumb: i
em *ubido alein do par
da met
esof
"t^STOt-." df* r

rambc sbado 20 de Julho de 1 89
no ne i menta
do toque de 9Q0
A v.; !)is da ua.
ceria diante desta diverge-
franco, e portante o gove
de prata ent
e fossem recebidas as estacoes _
valores correspondentes aos das
do mesmo metal
E' bem certo entretanto qi
mone i tem corrospoi
systema mooetano, nem
tuguez, depois da lei de i
o novo padro ao systema i
circulaco com o valor de 448
O nico lago que liga o nosso
glez e a outros e o do toque,
;ado olIL'ialme.ite o r
13; portante o fat
moa isolados n
quc.prova que p
Ora, tendo nos adoptado fi
do systema m
appliquemos o mesmo- sy*SBa :
mas notemos que a pwBQ
desta applicagao, que a da
nos a temos desde longa data
que a unidade de Cont o Pflal,
iis a considerago da liga do
ao systema mtrico pouco vale, au
devenios perder
Ihido tenba urna reta
estraogeirasde
Not i que no s
coz, tleuois das l
o toque das moedas der
e i!e un I'
lesimos que tinbam o toque
li le
o peso de
ir de muito discutiera a sua
oilo encontrn,
proposito, que o
te contra o
dixto declarar que a sua tbese
o producto ile urnaallucinagao. Ataque bem
liversidade de > oimbra, que se
ibysica ou racioua-
I A criaoao de ,gado no Rio da Prata bi
I iniciadft-por dous poHugueses, os irmSos
1 Gcs.
Ein 155o conduziram elles do Santa
Catharina, para a assumpsao do Para-
guay 8 vaccas c 1 touro; e desta sement
no ella diz.
desesnde todo o gado bovino que hoje se
mutua ui^ O -1 _.
ida a [.se. com a rejeigao de dous vo- i encentra n aquellas paragens, mais ^essolgbvanta-
Ibrtam as escolas, elle revolu
^^Ko, elle procura, inquire, indaga, invest
^mplade que est no esludo da biologa, da
ia, da*antropologa, e nao qos concep
milhoes de cabejas e iqjenos
parte :i que pode chc<*ar.
da dcima

A importagao da industria da crigao de
a ile ir.n phiosopho d.sajudado do carneiros as colonias inglezas da Austra-
ido e da experiencia dos docum nlos huma"-: |a 0 do Cab enorme.
agrado


nos Em que p mto que o sed rulatorio ataca
a religiao, a moral, o direito, a familia ?
la familia fundada'no amor e desenvolvi-
da pela religiao. pela moral e pelo direito. S
por esta via a pas que podemos che-
la* aigualdade. 'os os solteiros podem perti-
Ibar quanlos (ilhos tenbam, e s o bomem i(Ue
nao encoutrou o amor n*uma mulhero amor, a
i familia, que para elle utn templo, utn
sacrarioe que o foi procurar a outra mulher
nao pode perlilliar os lilhos uavi ios des-a u
Foi esta considofago que o' propeiio ao estudo
e sotagao do irdllenia...
O Sr. Pinto Coelho :
E |. :go lieenga ao orador/ mas ja passou, 4330
um quarto de Lora.
iao 13 minutos para 'cada conclusa
orador.
ase um incidente ealre os Sr
rpsjbaban o es
^^T da sala, visivflmlPe contraria
: 1 1; i.' .1 ra, p-
Em 1879, contavam-se na Australia,
carneiro 65.914.236 e durante esse anno
a exportado de lil foi do 142.317.345 kg.
no valor de 72 225 coritos da ris!
A 12 importada na Inglaterra desde
1814 at 1887 d'aqaellas suas poasessSes
foi a que represc-ntnm os seg
riamos :
Annos Australia
ruintes alga-
Cabo
1S14.
1820.
lie- p ..ii-es c 1
camnj). 1
at hoje para tal lint alem i
prejudicial-.
l'reftndemos, com etfeito,.quc uma moplats
ra muito acreditada e co i, como
. rano, entre na eireulago com a nossa
moeda metaica em pequea quantidade e com
o papel-moeda em grand> quantidade, mas dan-
do-se-lhe valor inferior comparativamente 8 m le-
da nacional, e sto as memores condie
peso e toque.
cirdomstaucia s por si basta para mos-
trar que-a m-i.da in CBcaz, anda mesmo-com
o cambio par ; mus nao ludo,
Consta que a nos-a moeda de ouro nao tem o
toque de;; o d o A 1 *
da Bd Longitudes, que- attribue ;.
da braziieira de orno o toque de 914 mille i
I Jo as tarifas or I ad-
mioislrae&O franceza e ao soberano 916 millesi-
mos.
18 coodicBR o peso de ouro mb eontioo
na moeda de 2"' Bornete 16 gr.. 3877 ao pa-
so que O do soberano cr., 217 ', d'onde o
prego desta moeda de BfUCT.
Acreditamos que as moedas braziiciras, fabn
cadas ltimamente, sao do toque legal, mas fl
erque o Annuario francez
um livto orlieial, que gosa de muito crdito.
mullos anuos que a compasicio das
jroesi fizada en 22 qui-
lajes e o seu peso na propqrcfio de US 29J40 so-
beranos em uma libra tmy.
Coasta, porem, qn a- antiga soffre-
e 10 peso di
Guilberme o Cooqui im que rate
im com 1 tual de
22 quila!.'s. aqou dal ICiplQ do
XVII; easim tambem o peso lem rarfajll 1 ,
,|U, 00 : foi creado
itaat o soberano. ,
ffloeda.portugueza de ouro.
retoa de fortu
sal a -uiln de l'i, a qual diz
eorot. r A moedas de ouro Jo toque de
ar Boo pam m:i. denomi
tm, tero lpelo 17,735 grama.s c re
) vs
v*nos concluir qwSWBBHiK^a rar leva*
.. a unidade d
systema meliicc e o franco, valor de cine
mas d de 900 millesimos de lino nao se
encontrara enaAnbuma das moeda
Portant
cutar al
cumpre at
um aceon
adoptando
nossa parle a :i
na no systema mdnetarfo,
vaalagens quen-esii
o systema francetip i.
eda de ouro de .
crear* u
faTor o
ou libra

__re-
de, i
ma da naesmu qu
4*l6.8 e nao 1*216,4, co ote ao toque
de 917 mili
Istoem relagio ao toque, porque, quanto aos;
pese* das no 1 estrsnge.
temos duvidas a apresentar.
Em primeir 1 lugar, o m hbra esttr-
lina pesa
comj l u'-! lF01 P 'nn'1 "u
luela'.e.r.i e o tilogramma Jos archivos de i-
ga, e como o valor de uma gramma de oui
nossa moeda o de 11115,4, na rozad de-<
por oit iva. spgue-se que o valor par do tobera-
no de 8910.
-,v. ;: verdade, porque consta que na
1 do l'.io de Janeiro 1.000 sobera-
nos produxem 891 moedas de lOO.iO, donde o
Talor de 8.-i910 nara cada soberao.
.0 valor de 85890, xado por lei, provm de
que a com aissa 1 no oeada ao anno de l$i para
organisar um projecto d" melboramento em nos
so systema amigo de pesos e medidas, e mone-
tario', considerou o soberano com o peso de -
oitavas e 10 graos, em lugar de 2 oittvas 16,38
graos, e assim, deepresando a fratfrao 0,38. do
grao, deu-lbe o valor de 3Sj. despre^ando
nutra ve/, mea fraccao do real, por ser cntao de
SSoOO o prego da 01 lasa de ouro Oe 22 quilates,
ma a lei de 11 de Se!e;nbrode 1816, lixando 0
prego de 48000 por oitava, tornou o valor do so
berioo proporcioualmente no de 85890.
Notemos, porem, que o peso exacto do sobe
rano e de 123,27 gr03 troy, e como o toque
legal de 22 quilates, segue-e que o peso de
ouro lino contido nesla moeda d-ve ser de 13
graos, e perianto, convertendo o priineiro des-
tes pesos em oilavas portuguezas, cada uma de
55,3i graos troy, conforme exames feito3 cm
Londres a respito dos pesos portuguezes eai
relago aos ing:ezes, temos para o soberano o
peso de 2,227o oilavas ou 2 oilavas 16.38 rji e o do metal puro 2.0419 oitavas. numero esle
que. multiplicado por *f eos de uma oitava de ouro em moeda e de ouro
lino, produc o valor par do soberano, era um e
em outro caso, scnipre de 8/910.
Como os avisos de 2'i de Abril ultimo manda^
ram que, no Imperio, os soberanos tenbam car-
so legal, segue-se que esta moeda acha-se Tjr-
tualmente no mesmo p qne a nacional, e tanto o seu valor deve ser, de direito, o do ver
dadeiro par e nao menor.
Se a intengo da administrago, expedindo
estes avjso;, foi a de attrabir a moeda estran-
geira, com 0 liqj de convertel-a em moeda bra-
zilei'-a. como da a entender o aviso anterior de
2 de Margo deste anno, mandaudo supprimir a
porceutagem de 1 / premio da fabricagae, nao
conseguio o resultado desojado; mas se foi a d
aproveitar a oppor'.ustdmle para fixar entre nos
esla moeda muito connecida e acreditada para
augmentar rpidamente o meio circulante rac-
talnco. visto a insufficiencia dos meios de pre-
parar com abundancia a moeda nacional, tam-
bem nao conseguio e nem podia conseguir o
resultado desejado, porque o apparecimento da
moeda iifleza foi effeito do cambio e uma pe-
quena baixa deste bastou para fazel-a desappa-
cer da circulago.
No relatono apresentado no anno de 1831 a
tmara dos deputados dos Estados-Unidos, a
respito de um bil do senado sobre moedas de
ouro se diz que,em temos patedos, as moe-
das portuL'uezas de ouro linham curso no oeste
da Iualeterra a 28 sbillings, quando ntrinseca-
me' .m 27 shill. 7 dtnli., eo paiz 1
che : expediodo-se or
que as recenedonas pi.
apparece-
. I -JO.
Pelo texto desta lei concluimos que a coroa
F avallada em !9782 da no-
rciiaai clocomanjssa de 20,
o prego par de l j i mo'-.i. portuf
a !f78da brazileira, e
'.17.^^ e gao
" oi mi exis'io^Jin'o vigorou a
carta de lei" 32KP d0 '.S:''"
qual; --s i-tr^*u or d o )'
ouro 1 2 l|2 il'
d'onde o premio de 100 % ; mas boje nao 6
assim.
- 1 rodada francesa e as I pwz
D a uniao monetaria la ;.: 1 lo
par no franco 6 d 1 <353,26 da nossa,
norqjM a ra la de ouro de 10 fraueoj pesa
6,45161 gra n o is, e por ser o sea toque
iro de 5
gramo 1 pre$Q *s 1321G pee gramma
equivalen 7306o. prego da moeda de 20 ;
codo franco 333.26.
O fraucb, uoh ira, representa o va-
lor de cinco grammas de prata do toque de 900
millesimos de raaneira que um kilogramma Se
prata desta comp 20;) moedas de
um franco ; a moeda deonfde 20 rraneos pesa,
como dissemos 6 gr.13161 e portanlo um kilo-
lramuia de ouro forma 163 destas moeda?. don-
de a relacodeum para 13 entre a prata e o ouro.
A lei franceza de 20 de Haio de 186i mandou
a que bstem cunhadas moedas de prata de
30-e 80 cntimos com o toque de 833 uvlle-!-
mos, e a lei de 14 de Julho de 1866 estendeu
esle toque s moedas de um e dous francos
Pela DOtsa parte pretendemos adoptar a mss-
raa medida em relac 10 a moeda de prata, porque
B le de 2o deSelembio de 1867 mandou cunhar
moedas oeste metal com o valor de 23 e 15 e os
pesos de 23 ar.00 e 12 gr,50 e o toque de 900
millesimos, as de 300 e *200 com o peso de
Sgr,SS e 2 gr,50 e toque de 833 millesimos. mas
esta lei foi revogada 110 anno de 1870, como
disemos
Desde 1 de Janeiro de 1880 que o governo
francez toaiou a si o encargo da fabricagao das
moedas, recebendo dos particulares, que entre-
gara ouro e prata para converso em moedas, o
premio de 6,70 francos por kilogramraas de ouro
do toque de 900 millesimos 61 gr, 30 por ktlo-
gramma de prata do mesmo toque.
Sorecebidas : lbirra3 de ouro puro ou do
toque pelo menos de 944 millesimos ; 2o moedas
eslrangeiras, inscriptas na tarifa ; 3" obras de
uro ou de prata com a marca oOicial do toque.
O valor intrnseco de din kilogramma de ouro
no estado de pureza absoluta d 3444 44 fran-
cos, d'onde os valores proporcionaes seguintes :
puro fr =3444.li etc.
de916 2|3 fr.=3157 40etc.
de 900
puro
de 900
de 833
s 4U O
tent
valor de 25 frauco>
A dv eda de f
nu n ro > nag".
be-ano a vanlagem da
nova de 23 francos
ama de bur p
mt: a 1 '
otaridade d que,o seu valor tii
de 10#, pouCO
lina.
i:o deste anno M. de Malurcc apre-
sentbu a Academia ras Sciuncias di
importaste conrmunicagao sobre o *s
mente que vai leu ',< o systema moo
cez entre varias nagocs.
;us da samo coqpora
diz qu' Bao cinco os Estados que frmate a
uuio moBeJarta atina de 1863, a saber : I
e colonias Blgica, Italia, Suissa e precia que
adherio em 1868.
A populagao dasies caco EslaflS i lejtl
mil tOes de pessqji.
Na Austria-Hungria, Marroqo, Fin andtaeJipu
mimia s m cnnforme,o .-.:
cez; admittidas era I
pulagao de'.es '.
o Kstados da Eur ma, un de. AJjti
da Amer-i
.., Chile. |)fa, wi|Co-
loml lela. aili e :
na Jran-
' 1 J'OjjIBtW Es-
Tortanto, pode c:ilcalar ein 311 mfes o mi-
mero de. pessoas que emnro.
aimit-
lidas ou nOo aJinjUidas
iiopulacfc> do li-undo civilizado, c.-....0
1,311 milhes.
a P,}J^H^Hj
se serve orlgateriamente da ra.
rto que a lib.e.
Balas 165
496
m leo
4f.025 3.477
13S.679 19,879
184.53:5 5j.".i:;
54D.402 lj>4.473
.S.)L 193.453
1.JS8L527 227.420
.iJJXl'J 23i.9*2
o Cezar e major Codeceira, 23 secw
lario ; abrio-se a sessao.
Lida a >cta da antecedente foi approvada.
O Sr. Di-, i .rio mencionou o seguinte
expediente, c ofertas ;
m ollicio do Exm. Barfio de Caiar, Io vice
presidente, comraunicando ter ussuraido a ad-
ininisiracao da previncia.Inteirado.
l'elo Club de "Eugenharia um numero de sua
revista,
Pela Sociedade de Seograpbta de Lisboa, um
ro e sett boletn.
Pelas respectivas re laccOes diversos jornaes
des!u e de outras provincias, bem como um nu-
mero do Obreiro, publicado nesta cidade.
*s cfferta3 foram recebidas com
maudou-se agradecer.
O Sr. presidente noraeou os Sr. Lopes Macha-
do, BapUsta Itegueira e major Codeceira p
cm cpmrai: atar e felicitar
Exm. vii:e presidente da provincia.
Depois disto resolcu o Instituto que se pa1
gasse a Cunta ua impresso da revista o. 3S
que j. se acha recelln la bibliotheca.
O Sr. or. Lopes Machado, como relator da*]*,'
commiss.'m de arc'ieologia, leu u so- ^,
.Ittire os fosseis viudos da comarca de Campia .-
Grande na provincia da Parahyba.
Finalmente o Sr. f)r. Dapti-ta Kegueira leu a *-
l'parte de sua traduccao da memoria do ',;:. i. C.
Branner, intitulada Geologa de Fernando de .Xo-
ruim. '.:
D.diberou o Inilituto que se publicaste na ren
vista a mesmo tradfiocao extrahindo-se lambJp^
cem ex.-mplarcs em avulsos com as res t.vas'
estampas.
E por nada mais haver a tratar-se foi levanta-
da a sessao isignado o dia 18 do correar
te para ter lugar a jif.meira re
.-e:n Dre o
1 risorfo
e o \i
andou o Sr. LMedciros
pre daquelhi sala.
Segue-se a votago.
1 emendas, que no,t
para ellas. S^rio consignadas
ral doconcr
U Sr. Annibai a Silva pcrgunta.se o pnn-
oedi do^cipio qtu se vota, se as c Entendc
que, havendo quera aceite e rejeite estas, con-
venienleiponha a votagq,em armonia com
? que acaft de dizer.
o Sr. Koura 6 11 mesma oplniao.
I O Sr. :' I V, ,-; o 1 M |U 3C \ '.". US
icluses, pois que lem o relatorio a
0, afcal-as. E decala qno lilla-
irial ser bilid .le.
pouco de coofuso por effei^p de vanos
Srs. congressis!as pftdtrem a pslavra sobre o
m se vo
. Ao que
BEsanaoB
arn do Co-n a
|as bolsas -:'
Bsiin
. : incei-
: 13 C ; al-
jotrar em aovas tran-
roa-se biixdem
'de goraremth'
xas mais altas cm Berlim (23.'%) e. Pars 2 1/2
",), fez I Je .-I ': 1 rtac! 1 :
ouro (ie Londres p intioeate.
Em Lisboa, a t do
niveis Daa 1 >l 1 resulte I 1
da ui.ima adjndto!i9 i daslettra* d divida 6*-
toante, tend 1 p ira ; ; pedi-
i ido e./"i cootos de
acmei
sPpo I r \
ros prudei |
to de mais .
saegoes de vulto.
O preco do di
Londres a 1 3/8 '-
taconfnsaocomumavaque parta do I i quautia <\; ientre3eS,3'J ^oquej
..Ve1
e Araujo e

: :e Ifsitr-se por uuflFrelar
ao sistema a |e 20 fran-
irresponder a 85000, e ao 1 ystiina ingles,
ano lera valor pouco *J|
da nova moeda de 105.,0 cbilfiog o *60 ris.
Borja Castuo.
CIENCIAS___
Cosgrcsso 3ratailie
(Do Joriril do Cetnm-reio, de Lis;-oa)
Kegunla Ncmo
Sob a presidencia do Sr. Pinto Ccelho foi
Um kilogram-
ma de ouro
fr. =-3100.00 etc
fr.= 222,22 ele.
fr =. 200,"0 etc.
fr.= 185,56 etc.
moeda brazileira de
fr.-3444,44 etc.
fr.= 1.2165800
fr. =3137,40 etc.
rs -=1:1155400
Um kilogram-
ma de prata
Pela comparagao com a
)$, teme
Um kilograma de ouro (
puro (
Um kilogramma de ouro (
de 916 2|3 (
Lestes nmeros conclue-se o seguinte :
Prego par do franco=333 26 ris.
Prego par de 15CO0=2,83 francos.
Nestas avaliagSes nao esto contemplados, 6
preciso noUr, os descontos provenientes do pre-
mie da fabrieago.
Como sabemos", o uosso padro monetario fun-
da se no ouro, em relagao ao ojmI valor par
dorfranco 6 de 353,26 ris ; ajhoeda de prala
auxiliar do syetema e, comojil, represen laooui-
cialraeate valor raaior dojjue o intrnseco/
Ora, pela lei revogaiWue 1867, que \kfn por
lim uniformisar a x&" de B'Saa com a
oriageir'uada sjios-
Vil^je as de 2*"
abuAa a sessao a 1 1.-2 horas da tarde.
Presentes matoscongresuatas.
Depois de lida e approvada a acta, tomou a
patarra o Sr. ministro da justiga. agraiecendo a
.) que o coagresfio lira fez, uoaeaudo-o
pie.-ideute honorario.
Continuou em seguida a discutir-te a 16*
these sobre a pcrlilhago dos liloc adulte-
rino*.
Pede a patarra o Sr. Dr. Chrispiniano da Fon-
seca, que apreseutou urna modiii.acao eentende
que os lillios adulterinos, quando coicebidos
depois da separagao, devem ser periiudos.
Ci'.ou varios casds para provar 0 quodisse.
Segu seilie o Sr. br. Uuarte Roboredo de
Sampaio e Mello, pediudo duas ltscripges
urna a favor, outra contra as conclusoes da
these.
Pede seguidamente a palavra o nossa presado
amigo e disttn :to advogado Dr. Joo Calaaho de
Menezes, que prouunciou un consciencioso dis-
curso, principiando por render bometagem ao
relator o Dr. favares Medeiros.
Acha que o adulterio um crime od(oso, ain-
da mesmo depois da separagao daspessoase
bens, e nao deseja que-os Sitios do casamento
sejam igualados aos que nasceram do crime.
Antes de se permittir a pertlhagao los tilhos
adulterinos, deve-seentoadmittir o divorcio.
Peraute as sociedades honestas o alulterio
um crime repugnante.
Termina dizendo que enlende que os lilhns
adulterinos, o mais que podem ler direitos a
alimentos.
Se^ue-se-lhe o Dr. Roboredo de Sampaio e
Mello, approvundo as conclusoes do relalorio na
raaneira, mas nao na forma e conctue por jul-
gar necessaria a pertilbagio dos lhos illegi-
uraos.
E' dada em seguida a plavra ao con'gi
pespanbol Dr Aogelo Alvarez Valadru, que
principia por agradecer o acolbimento que os
liespanhoes tecm tido era Lisboa, e as palavras
que a imprensa lhes tem dispensado.
Sobre a these diz que os debates se divid-
ram em opinies baseadas na historia, no sen-
timento e no direito, mostra-se inclinado as
conclusoes do relator.
S orador mullo applaudido, e )eirantando-se
diz :
Volvo os applausos ao povo luiitano.
Segue-se o Sr. Dr. Alraeida d'Ega .
E' contra o principio na discussa, reconhe-
cendo todava, que os Srs. Talodeislej Medeiros
so dous seductores Por esse raotifo elle, ora-
dor, est pira elles como um pardal para uma
aguia. Mas nao pode dcixar de erigir
protesto que se apoia na constituigo e legitimi-
da'de da familia
Contina o Sr. Dr. Cadolzo
-a hesnanhol.
RazOes de iiaturez;:
unpellem a
dos ti:
saia-a do Sr. Dr. Sent Ferraira
Silvaque diz :
Pego > ido o programo que es-
tatu : terminada a discusso p a vo-
tcito ua Ihese.
E a Ihtse da perlidiaco dos fhos aduUeri-
rejeitada os contra 18.
DOpoja de cm intefvallo para a r constituigo
do este Srs. congressislas, entra era
ao a tlie-e de que relator o Sr. Jos
Joe.qunu de Oliveira.
i nao ser admtltidas as algadas nos
As conclusoes do perecer slo tiintes:
1." 0 : ae um
: frau :!.
ra con'ra
fio ;.'. '.urna
itteugSo qu Ja.-Ho as
suas decieoes.
4. Qufl a rejeicSo 'i^ alindas da urna sa'isfa-
itareza humana, que militas
virtua as seat a mellior iu-
lengo.
5.* Q
1 I,de' e as n 1 l I
:i para es4e desidertum.
6.- Que a reje las a cor.demna-
giodas escola tica, a adop-
la da Itj p lgnamoj,
Ui Je- m el-
dqjtem ser
lede .: ......
Admitte a rejeigao das algadas como conse-
1 :>alr;o'iJaJe da jusga. So sjstiuna
de emolumentos ] ros de utilidade prati-
I'.- iuctar o l'raco contra o forte por
talla de meios, e por qnc A despezas do custeio
axcedem o valor do predio.
O Sr. Barbosa Centeno rejeita as atgadas,
tanto com ajnstca gratuita, como semella.
Segue-se o Sr. Carlos Jos de Oliveira :
Vota pela rejeigao das algadas. O principio
dessi rejeigao consiste em se abrirem as portas
do tribuna" a to tos os que as desejarem pene-
trar A importancia dos valores e relativa. O
que par., um pobre uma qoantla importante,
representa para o rico uma verba miseravel. Na
suii vida jurdica teve de escrever nos tribnaaes
por o valor de 8 res. Era uma questo com
uma fabrica de ahgodoes. E essa verba de 8
.0 w
procura p isRa-
rjondres, cujas colacea subinua.
C'MiOo
Panel Dinheiro
;: ;:;,!.
53 I *
. ..
20
43 .
13
e cre-
.
534
219 2
'
42
AsNeznbu Provincial Fun xionott
1 do U:\P.j. ide

todos.
.0 a acta da
sessao sote.-
l'oi lida c approvada sera debato
ate.-
0 w, 1" secrjjprio pr '(!'!a^! ^0 se"
i-;iie expedien-.e = JiO *.
.:!'
al";odes.
reis na differenca de compra de algodOes a3su-
mia para a fabrica uma somma de contos de rers
nu conta do anuo. E'-lhcindilTerenie para o caso
a gratuitidade da ju3liga. Oque quer que haja
o direito de se recorrer para todos os tribunaes.
O Sr. Dr. Torres llampos declara que no seu
paiz lia um tribunal especia%para deliberar na
questo das algadas.
S, OJ d...
cheque.
Paria, 'JO d .....
che 1 .
Allemanha, 00 d.
cu
.'. 8 d. v..
. cbeqKe .
.: ida90d...
iqde .
Foi pequeo o :
dito cm te '
susteatarum-se, e coin methoria nos ebrigac
parciaes.
As acg?,s do B ira un
o, o que 1 si ir em I
1 :, le boatem, iae diz o se-
. c tnsta-nos que: 1 gercl
do j;. jai para deliberar sob
tribuigo do dividendo relativo a 1 i"
c e-rente anuo, Mudo sido xado euiifl
-;-a o apura,uenlo dos lucros pe
larga distribuigao. BazOes de prudencia
uislrativa levaram o conselb adifter.r nara
: do anc > quaes bras de lucros
mesiraes. at: 1 [U5 o jaro das t.-an?ao-
ees jO e a que os estatutos do
Banco forcam a levar cerca de l/5dos lucros aos
fundos de reserva. A circulago hductarta tem
augmentado progressiyament, embara nao at-
tmjaairi'hi a cifra que licito esperar. A orga-
ageacias, a que se
proeeder, deve tender a favorecer
;resCUB0. A consoiidago dos lucros em fundos
reserva, dimmuttido a renda, valoris a
A resolugaado conseiho o Janeo de Portugal
desapoutou-nos, como provavcliuente lera desa-
pontado muitos 1 as.
Os-lecoaomistas traacezes interrogara sempre
com aociedade os qnadros officiaes do movi-
I mente aunual de Frauga para o fim de verificar
as proporges da natural dude que, desde mul-
los anuos, patntela decreschnento vagaroso
masjcoBtiauo.
De 1884 a 1887 houve na media a diminuigo
annual de 12,000 a 13,000 eascimentes, tendo
sido o numero de3tes :
1884 937,733
1883 924,558
1886 912,833
1887 899,333
Este decresciinento, salvo oscillages
amortantes, tcem occorrido desde 1883.
actualmente a Franga, entre os paizes europeus
qu possucm estatistica regular, o que conta as-
nualmente menor numero de nasctmenlo.- por
l.000 habitantes. Nos ltimos 20 anuos foi esta
' natalidade nos sobredtos paizes em> rela-
acc
de
pooco
sendo
' Adolpho Lion, distincto e acreditado in-
dustrial da cidade da Campanha em Mi-
nas, visita actualmente na provincia de
S. Paulo os novos estabelecimentos de vi-
ticultura
No dia 8 de Junho ultimo reuni em
sua residencia muitas pessoas para assisti-
rem uma experiencia sobre o seu vinho
Virginia, nomc idntico ao da uva que
cultiva em grande escala.
Por todas as pessoas presentes foi mui-
to apreciado o vinho Virginia, que, junto
ao da uva Isabdla, produz uma combina-
cao tanto substancial como agradavel ao
paladar.
Comparecern! TGuniao representantes
da imprensa diaria, o Dr. Tybirij, re-
dactor chefe da Revista Medica, o Sr. Ma-
cedo Soarcs, que fez a analyao chimica do
nho, e varios outros cavalheiros.
gao a cada grupo de 1,(00 habitantes :
Hungria
Haviera
Imperio Allemo
Prussia
Austria
Italia
Inglaterra
Escossia
Blgica
Dinamarca
Noruega
Suecia
Franga
43 0
39.5
39.0
38.8
38.4
33.8
35.1
34.7
31.5
313
30.8
30.2
23.3
Urna pe.igae de Baria C^tBina de A!bu |
que JiraQljio, pTJi.'ssorMb!ica |da fregue-
zia da Boa-Vista ucsta ciJioe. re; seis
para
tratar de su.; saude.'r-A'Comissao de'yi igoes.
Outra de Manoet (Jarcia .iario
. el na povoa-
e Campos Fo '.cao
quota de 3655000 para pagamento do, ala
gufcl da 1.. -.'res
.:io oaoceiro de 8Sa 87 e o-; dous &) de
lisa o dcorgamen 1 pr
0) uliil 1 : lrao.
ida pela E i da
. ira, professora c intractads
. lo sef
..A' com linsiruc-
a.
Acli indo se: um
' !);'0-
13S9.
Foram tamaem ai seguinles pro-
jeetos jolgad objecto de delibera; lado o
ultimo a 1 tambem no jornal da casa, a
; Pii ^anta qne pedio e obte-
ve fosse d- ordem do da.
N. 92. ttinoandoJgertencer enmarca leBomr
. .1 o povoad 9uarra 3 na-
. rob. .
::. .'!. A :! '"- 9M
.;'",;;: 11 jva
no lugar E na e Tica-
-
j; a do lia.
id 1 -i -: '- io o ijecto ::. 73
de t royddff
o art. 1" se 1 leba .
2( roa 1 Birre'.oe no
30 idiscuf ; igo io a das -1 : uaka :
:; a '}. :.!.: Sr. Jos
reqoert-J
lo d I S". : .
;".ode-
s meci '.11 '..- d ns. :;:; vi e 43."
.'.;! 11 .1 ; -l 'bale o
n. ui ': 1889 (ibate a Jo--.' A
l.lu-v nte de iin;ios' >s muruiJiifees
de fiaaietleiraj tendo orado os S--. BarrosBar-
reto e Felisbi.10 que reqaereu e obteve dispensa
de intersticio.
N. 94. Fazendo coin i lir com o civil o aunoli-
s :,!U li.pa.'S.
Approvou-se em 1- /' ;te n. 81
deste anno (vigorando oregul /- ;?o daiWrtic-
puWica de 6 de Pever iro di 1885) tenas oja
ilo os Srs. Barros Barreto e He
sendo dispensado d 1
nenio do Sr. LourengO de S
E'ce,-rou--e co: um 11
nMj Barrate d* adan ente da
horas, a l3 discusso do proje
(suppressio dos dslrictos "de
Vento e anta Cruz) tendo
de Vasconcellos e.nao se vo'
numero. ..
,\ lion-se a Ia disenssao do
1 elevando a villa o pov
tirn).
A ordem do dia : Ia discu
ns. 10. 71, 93 e 9i deste anno
de 1884,81 de 1889 e emendas ao de n. 40 ta:
bem de 1889; 3' dos projectes de ns.':102 de 1881
24, 40 e 73 de 1889: discusso da lei a que 9e
refere o parecer n. 45 deste anuo e coniinuago
da anlecedeule.
Rscoln formal- Reunida honlem extraor-
dinariamente a congregago da Escola Normal,
requirimento do r. Ayres de Albuquerque
Gama e professor Francisco Carlos da Silva Fra-
goso, foi resolvido unnimemente que. em vista
do attentado comraettido coutra a pessoa do
augusto chefe da nagao, licasse comsignado na
-

a de VasooncSl-
;t:cioa reqnerV
ente do Sr. Bar.
iscosao por 48
paja de 1883
/. de Serra d^
a l; o.f -. Meir
do por falta d
rojeco n. 57 di
ido de Eelo-Jaf/
sao do? projecti
dos d ns. 1
.-*%
jntilica um
# *
A produeguo vincola em Franga no anno
re 1886, foi representada, em 26iO63.0O0
hectolitros, tendo importado no mesmo
anno 11.011.000 ; o que perfez o total de
36.074.000.
A exportacSo no referido anno tendo
sido de 2.137.000 hectolitros, v-se que o
consumo interno foi de 34.937.000.
Isto posto a exportagao nao chega a re-
presentar ao menos 6 /0 do vinho recla-
mado pelas -exigencias consumidoras da
propria Franga.
* #
Na construcg2o da grande galera de
machinas daJSxposigao de Paria entraram
7.784.519 kg. de ferro. Os lados, as va-
idas e os cantonoiros empregaram so-
lt 1.200.000 kg.
tes todas as contas, o custo d'esta
^Hl mais de 7 milhoes e meio de
que


rnetallica custou 5.398.307
rro e magonaria 592.400
aober: 000 trancos.
A Franga possue 40,590 machinas fixas, 7.000
locomotivas e 1,850 caldeiras para navios ; a
Allemanha, 59,000 machinas lixas, 10,000 loco-
motivas e 1,700 caldeiras para navios ; a Aus-
tria 12,000 machinas, 2800 locomotivas.
*
Qj Estados Unidos representam o principal
mercado do Brazil para caf e assucar. As ex
portagOes da America para o Brazil consisten.'
principalmente em farinhas.
Durante o anno de 1888 este genero de expor-
tago foi representado por 573,377 barricas, que
tiveram os seguintes destinos : ...
Para g*
Pernambuco :r,
Buhia m
Rio de Janeiro A--o
Rio Grande do Sul ,'r
Outros portos I20,7iz
Total 573,377
Os outros principaes artigos de exportagiio
americana para o Brazil sao o kerosene e o
unto, segundo os dados relativos ao mez de De-
zembro de 1888.
'Durante esse mez essa exportagao foi repre-
sentada por :
Kerosene23,314 hectolitros.
Unto118,405 kiiog.
ASSOCIA^OES
MElim EHMPIM HKONTIMN
instituto Archeologieok c Cieo-
graphleo Pernambucaao
SESSAO OBDDURIA DE 27 DS JOHHO
S9
Dr. Cicero Peregrina
tes OS;
acta o regosijo da mesma congregago pelo mal-
logro ite 160 revoltante attentado, e se naten-
teasse a S. esse reeosijo por meio do se-
guate telegrarama : '
SraAor A conpregagao da Escola* Normal j
do Recite, felicita a V. M. Imperial peio raallo-
gro do reprovado alternado cemraellido contra a
augusta e veneranda pesfoa de Yossa Magesta-
dc, na noite de 15 do corrente ; e, associand '
se aos sentimentos de todos os bw? brazeiro;
faz votos pela coniinuago da preciosa existen,
ciu'de Vossa Magestade. ^
Circulo Catnoiico do BecifeTom-
municam-nos : *
Houve liontem sessao da directora desta So-
ciedade, sob a presidencia do Sr. Arthur Gomes
de Maltes.
Foram propostos para socios actilas os Srs-
Jos de Goes Cvalcante, Jos Domi|ues Maia
Jnior eAdolpbo Curio de Carvalh^* e*par
co correspondente o Revra. Sr. vi
ges. Foi proclamado socio activo
tins Finzi. e tambem discutido c '
gulamenlo da biBliotheca.
Em seguida teve lugar a poss<
selheiros ltimamente eleitos : f
mes de Mattos, Manoel Feodrip
Olyraptefiastos.
Vapor da EuropaO di
chegado traz dalas de Lisboa al|
timo. \
Os operarios chapeleirosdo
em fazer greve da segunda-fei
nao terem obtido augmento de
donos das fabricas.
Abrio-se o congresso dos bq
sistencia de representantes de ,
rages similares do paiz.l 1
O comboio-correio de Iiisba.1 do dia 29
rilhou perto de Soures, ficandtj partj do m
do mesmo damnificado e um passageiro
mente contundido.
Em consequencia da deliberago tora;
negociantes de vinhos, reabrifrara-se j!'
les arroazens de Villa Nova dl-'-^fr-
pulso ser seguido dos outroj^
foi notavel o movimento fljjj
pacharam-se para exnarfl
legaeia-f'
litterario
a da^H^

ario Jos Bo:
1 Sr. Jos
pprovado o re
dos tres con-
r. Manoel Go-'
e de Sonza e
carga hontem
30 de Julho
porto assfn
. em diante
^alario pedido
nbeiros com
lumen



ario de Pernambuco-
namr
i
Bar.
Cele?
Res -ra io 0 Sr. An;
-sas propostas, e foi no-
o dos
liversas obras olTerta-
das i nciedade.
Eojonho* ct'Dtracs -0 prazo marcado
para i cons-
tru proro-
ga:i lias a contar de 1'.) ate.
Club Carnavalesco dos Diftaiden-
ck-Re; 7 horas da noite em as-
seui i, pura proceder ; eleicio do seu
monie pi i, a travessa do Peixoto n. ti"
Cyoiaimto Ccrii.iiabucruio-/. r.i-igre-
gago d'e ii i literario expidi
non ::'atnraa ao governo impe-
rial :
Ao Exm. Sr. ministro do imperio.fc con-
grega ( o do Gimnasio pernambucano raga a V.
Exc. je digne de fazer chegar ao cpnb,eciraento
de S. M. o tsperader, que o desacato uitima-
raente praticado contra sua auyusta petada tnoitc
coostcriiou a esta corporajo, que faz votos ao
' Aissitno pela conservacto de sua preciosa exis-
tencia, garanta certa de prosperidade para o im-
perio.Recife, 19 de Julho de 1889.
Ht>]i(e-pia lo* Voluntarios da -
triaEssa associaco dirigi tambera tionlem
o sesaini i ama :
Monte-pi V". Patria -^Pernambuco S. M.
ImperadorLamenta desacoto Augusta Peasa.
Recite, 19 de Julho de 1889.-. -,
Empresa Tel^pfconicaAojaflUi das 6
lloras do da s 6 da tai impidas
toda as coraaiuni ssa emprjza, em :
da amdaaca da sede da
Thealro Manto ,4aion5-,\ companhia
Ro Santo Avjteaio, o espectculo que annunetou dar
para, em beneficio do patrimonio da familia do
nualio r. Tobas Barreta, applicar metade renda liqoida.
O p'o^rammado espectculo, variado e aura-
lente, e, mais do que isto, o peosamento que
diri- 'eza, deve actuar no espirito pu-
blico para ii:: r.ninar grande concurrencia hoje
no theatro Santo Antonio.
- Au-Ji'.-ucia presidencial S. Exc. o
Sr. cooelheiro presidente, da provincia di au-
diencia tas i 1 horas ao meio dia.
Per2taenlO!NE; torras do engenho Bom-
Coaaelbo, te rom de Agoa-Preta, feriraai-se re-
ciprocamente Jos Donato da Paixo e Libanic
Lima ; os quaes foram presos em flagrante.
Usvaotre e :aorlu Por occasiode nma
derraba de arvores, no sitio do Sr. Francisco
Antonio Gorreia Carioso, no Arraial, 1 hora
da tarde do da i" do corrente, foi alcangado de
umadeiias na cabida o portuguez Jos Carlos da
Costa, que, fallecen instantneamente.
A; policial procede!! as diligencias
lgaos, rarificando que o occorrido fra mera-
mente casual.
Espaa^araeaioNa Casa-Forle, s 8 ho-
zas da noute, de 17 do corrente, foi aggredido e
esptica lo o subdito portuguez Jos Antonio de.
Azevedo Guiraares por uro individuo a quera to
poudo conbecer, c que no fugir do lugar do de-
licio deixou nm chapeo de felino como nico ves-
tigio do seu crinii'.
A autoridaJe local proceden s devids
gencias e trata de descobrir o delnqueme.
JubtfelesnciaFoi nomeado subdelegado
do 2o distncio de Gamelleira o Sr- Maaoel de
I! .. .a.lcante.
Perl iNo dia 1" de corrente, no lu-
gar Bf%gniio. do termo de Bonito, ferio
urna lacada Venancio Atexandre de tal a Jos'
Joaquirn da Silva inspector de quarteiro ; e lo-
grouev :ido u autoridade nos ter-
mos da l.i.
Con IO TacadasForam as que pelas 9
horas da noute de 11 do corrente, no lugar Ria-
cho do Sangue, termo do Bonito, recebeu ioo
ftaymundo de Oliveira do individuo Maoocl Ig la-
cio* de Oliveira, connecido vulgarmente pir Ma-
noel Fernandes, que iogrou evadir-se.
Os ferimentos sao graves ; e procedida i vis-
toria, abri-se o competente ioquerito, e dili-
gescia-se aa captura do criminoso.
Cabera luebradw-Ilonlem, cerca de i
horas da larde, na casa n. i da ra do Fogo,
treguezia de Santo Antonio, o menor Jos Tara-
res den tal pancada com urna bengala ere. tes-
to Antero da Silva, que Ihe fracturou o crneo.
Dea origen) a esse facto estar Bento a espan-
car a n'.i de Jos:- Tararee, com quem aquelle
vive asxasiads
Ambus ior.nn presos.
Xomeacoe-Foram nomeados subdelega-
dos d A loga loa de Ingaxeira. de Tan no Bui-
que e de Jacarari os Srs. Jos Francisco de
Araujo, Justino de Araujo Valenca e Jos Yheo-
doro Martins Chaves.
Seis de OuubroRectbcraos o n. 12 do
7 auno d'esse peridico, orgao da AssofciacSo
dos Funccionanos Provinciaes de Pernambuco.
Agradecidos. .
Uorte repentina Falleceu repentina-
mente aiilehontem, pelas 4 1/2 horas da larde, o
subdit o portagtBH Jos de tal, que ora proprie-
tano do kiosque situado ra do Visconde do
Rio Branco, em frente e^ taco de Olinda e ao
lado da ponte de Santa Isabel.
Cbefatura de polica Assumio hontem
o respectivo cxercicio o Sr. Dr. Geroneio Dias
de Arroda Falco, ltimamente nomeado chefe
de polica.
Prolcnsamrnlo da estrada de fer-
ro do Recife ao S. Fraweisco c es-
trrda de ferro do Recife a Caruara
Foi prorogada at ulterior deliberaco da di-
rectora, conforme se v do edita!, em oulra sec-
cao pobjeado, a concurrencia de viute mil dor-
mentes para a 3' diviso do prolongamento, e
que estava animociada para hoje.
Assumio hontem as funegoes do cargo de
almoxarife de.-las estradas o Sr. Antonio Paiva
Martins. nomeado por portara do Ministerio da
Agricultura, datada de i do corrente, era sub-
s'tuigo do Sr. Jos Francisco do Reg Caval-
esnte, que na mesma data foi exonerado.
Por portara de hontem. da directora, foi
nomeado Manoel Ramos de Almeida Couto ages-
te de 2 elasse da estrada de ferro de Caraar-
Foi designado para praticante de telegra-
fista da estacao de Palmares, no prolongamento
. de S. Francisco, o Sr< Jos dos Res Pereira.
\Woeiedade Artstica Pedro Ame-
rico E:n sua .lc, ra do Imperador n. U7,
rene 9e hoje osla associac.ao para proceder I
gao &d directora.
A Instituto 19 de A^trllNo dia 18 do
iifrente funecionou em Besso ordinaria o Club
gflrario Diegacs Jnior, sob a presidencia do
^Augusto Martins.
ara iidas e appro\adas as actas e as ebroni-
i
-laco apresentou os no-
tni.g'je foram approvados com peque-
,.Ja?. >
Ineses oVrj Jos Carralbo, Jos
Vital Mello 'ji
estacamenb de
''aria vao i o cotomando das ansas
los S
e relco de todos os ca-
e inferiores, com os csclarecimentos e ob-
di ltimos periodos
da circular publicada na ordem do dia da repar-
tieo de lindante general n. 2260, de 23 de
ultimo, aura de ser remettida a mesma repat-

Oireclorla das obras de conserva-
cao dos Poriuii dsPernaaibnco-Reci-
'e. 18 de Julho de 1889.
Boietim meteorolgico
M ico, 2
sangunea arrebentada.
ce
1889
3
No E Z t Barom?!ro a 0 Tensao do vapor T3
t i
6 m. 24-8 762-87 19,6 o 83
9 17" -i 7C3-S5 19,87 71
1S 28"-1 763-27 1940 67
3 t. 27-7 762-18 1892 68
6 26"-4 762-33 18.73 73
Temperatura mxima28',7o.
Dita"minina-234.
Evaporaco em 24 horasaosol: 7
-ora : 2-6.
Chdva-nulla.
Dirccco do vento
durante, todo o dia.
Vel
.yebuloa
.2;asom
SE, ESE SSE variaveii
o: 3-13
IcilftenEffectuar-se nao os seguintes :
Boje :
Pelo agente Pisto.^a-iO 1/2 horas, & ra das
!'. ir s, de uwvei. crystaes, livros e jarros.
Segunda-feira :
Pelo agente Martins, s 11 horas., a ra da
[mperatra n. 82, de miudezas.
felo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mrquez
de Olinda n. 5, de iS caixas com cognac fino.
sssas fnebresSerao celebradas:
Hoje :
A's 8 horas, na matriz da Escada, s 6 1/2 na
ma'.riz de S. Pedro Marlyr <'m Olirrda, na matriz
de Afogados e na satriz da villa de Gamelleira,
pela alma do Barao de Serinhem ; s 7 horas,
no Corpo Santo, p.4a alma de D. Anna Rodri-
gues da Costa.
Segunda-feira:
A's 8 horas, na Cor.ceicSo dos Militares, pela
alna do corouel Agoslinho Bezerra da Silva Ca-
ante ; s 7 horas, na igreja Be Santa Cruz.
pela aima de Joaquina Rodrigues de Oliveira
Almeida.
Manta CasaForam praticadas 376 opera
cos cirurgica3 no hospital Podro fl durante
amo de 1888. sendo :
Prado fe* Ioo
Em Canhotinho
n de Julho a
inaugural do prado S. Joo, .cujas obras
oos, ha dias eslarem quus concluid.
A festa correu na nielhor oPdcm, to se ,
deudo desojar maior auimacao neai .oais ei.
siasmo.da parle dos amadores do sport que nella
rajo.
Foi preparada artsticamente urna archibanca-
da, para receber os socios do referido prado
em grande numero para all altuiram.
Us tre:n;cspecial des :eu de Garanhnn?, condu-
zindo os convidados e raais socios do prado, que
todos satisfeitissjmos licaram com a sua boa
ordem e belleza, assim corno com a gentileza
amabilidade d* sua directoria.
Eis a serie dos pareos que se realisaram :
i500 metros:
Inscreveram-se para este pareo os animaea
Vulco, Moreno, Tralicante e Retroz.
Ganliou Retroz, perporrenJo a distancia em
45 ".
Teve por premio 1350O').
9 o metros:
Correram o* animaes Vamo I !;neira e
ja-Flor.
Io lugar Palmcira que correu
^^^P^fc os anfarm.s
i starter tomn a. ponta
( ia da. carreira percofreado a
Hn>remo 30S0O.
Pirw 6t) metros:
Dispularam esse pareo os animaes Primavera,
Retroz e Barbeludo gauhando Barbelndo em 61",
contra a espectativa dos que apostaram em Re-
troz, que era o animal de palpite.
Teve Barbeludo como premio 125009.
." O movimento das poules foi de 200.5000. o que
j muito attendendo-se ao valor de cada poule
15000.
Para a 1! corrida foi essa do prado excelleote;
temos f que as sequentes o mesmo se dar.
Pelos Drs.: Curados Mortcs
Malaauias ' 115 10
Alctmiades Velloso (substituto) 36 1
Pontual / 90 0
Berardo (clnica d'olhos) 48 , A
Eitevo Cavalcante 29 6
Moscozo 4 0
Maduro 3 1
Arnobio (auxiliar) 13 1
fernandes Carros (idem) 5 1
PI
cas
Aj
\os
as et
Dsm
Marlin.j
dos
3*9 27
N'a sala de parios dirigida pelo Dr. Simes
Barbosa existiam em 31 de Dezembro de 1887 :
Xnlhei H
Ensraram de Janeiro a Dezembro de 1888 91
Sahiram 90
Fiearem exict!ndo 6
existiam reetm-nascidos 7
asceram no mesino p riodo 63
Sahiram 52
Falleceram 14
l'icaram existindo 4
lasceratn mortos 22
Abortos 6
Casa de DetenooMovimento dos pre-
sos da Cusa de Detenco do dia 18 de Julho di-
1889.
Existiam 44o; entraram 3; sahiram 22; exis-
ten! 132.
A saber:
N'acionaes 383 ; mueres 2i estrangeiros 23.
-Total 432.
Arracoados 390.
Bona 371.
Doentes 18.
Louco 1. 390.
Movimento da enfermara
Tiveram baixa:
Justina de tal.
Tiveram alta :
os Antonio de Oliveira.
Manoel Francisco Izidro.
Manoel Evaristo F. de Mello.
Manoel Albino Ferreira de Azevedo.
Jos Francisco da Silva.
Manoel Valentim da SiUa.
os Mansinho do Nascimento.
Franco Lins de Albuquerque.
Antonio Pedro do Nascimento.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
raento por 204 pessoas. sendo 78 homens e 124
raulheres. ,
Hospital JPedro IIO movimento deste
e8tabelecnnento de caridade, no dia 17 de Julho
foi o seguate:
Eutrarara 18
Sahiram 11
Falleceram 5
Existern 679
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
: c'.os Drs.:
Cysneiro as 9, Barro3 Sobrinho s 6 1|2. Be-
rardo s 10 1|2, Malaquias s 0, Pontual s 9 1(2,
SimOes Barbosa s 9 1|4 horas.
>.o compareceram os Drs.:
Mo:-
Estevo Cavalcante.
Ocirurgiio dentista NumaPompilio nao com-
fareceu.
O phermaceutico entrn s 8 1,4 da manna e
labiois 4 da tarde.
Oajudante do pharmaceutico entrn s 71(2
da manh e saliio s 4 horas da tarde.
Lotera do *Jrun-saraA 3< parte da
29' lotera, deesa nrov acia, cujo premio grande
ahida hoje 20 de Julho
:l0).
Grande lotera, do Haranko -A 3'
serie da lotera, de ssa provincia, cujo premio
grande 30:o00<000 ser extrahidano da 24
tutos.) e oulro socio, deisando de .oecu'- ido Julbo. ,
Cemiterio PublicoObituario do dia 18
e Julho de 1889:
io Pereira Peona, PernaiLbuco, 82 annos,
solteiro. Graca; hepatitc.
Manoel Jeronymo Barroso, Pernarabnco, 77
annos, S. Jos: "heu.orrhagia cerebral.
leopoldina Monteiio Esplnca, Pernambuco
40 annos, casada, Graca; lisien.
Pirmino do Reg Burros, Pernambuco, 40 ao-
lo Antonio: Jesiio cardiaca.
^!ariu daConceJcao, Pernambuco, 08
:-rebral.
Manado Amoi' Diviso, Pernarnb;
:ra, Boa-Vista : lesao cardiaca.
cao, Peraambnco, 60
mal de S. Lzaro.
i anuo, G-ai,.
:."uco 8 i!. !ta ; es-
sessa^da importante these de que tratou em
aue'rf -" o Sr. Graciliano Martins Filho,
jour Jrnprometteu se a fazel o em viu-
(e^eberou-fe qj? a coi Je contas pro-
ra. sendo jul-
Lima, que fei ab-

para
, e o Sr. Ismael Marques
lo ordi
a no do-
a, na matriz do
la carreira o que
- utje
Pern.
8 an-
CERONIGA JDDIGIARIA
QTJINTINO
c pasados os feitos deram-s
Tribaaal da RcIa^So
SESSAO ORDINARIA EM 19 DE JULHO
E 1889
PEESIDESCIA DO EXM. S. COS3ELHEIBO
DE MUAN"DA
Secretario, Dr. Virgilio Coelho.
A's horas do costume presestes os Srs. des-
embargadores em numero legal foi aberta a
SCaalD depois de lida e approvada a acta da an-
tecedente.
Em seguida S. Exc. o Sr. conselheiro presi-
dente propoz ao Tribunal, que se dirigisse a
Sua Magestade o Imperador, por intermedio de
S. Exc. o Sr. conselheiro presidente de minis-
tros o seguinte telegramma :
A Sua Magestade o Imperador.0 TribuBal
da Relayo do Recife saudan'.'o a Sua agestade
o Imperador se congratula respetosamente pela
improcuidade do attenlado de 13 do correle
mez.
Distribuidos
os seguites
JOLGAMENTOS
Recursos crimes
Do Recife-Recorrente o juizo, recorrido Joo
ermano Comino. Relator o Sr. desembargador
oscaio Brrelo.Negou-se provimento, 'contra
o voto do Sr. desembargador Pires Ferreira.
De Camaragibe Recurrente o promotor pu-
blico, recorrido o juizo. Relator o Sr. desem-
bargdur Pires Ferreira, eu-se provimento
unnimemente.
De JaboatoRecorrente o juizo, recorrido
Joaquirn Xavier Carnairs de Laterda. Relato:
o Sr. di lor MonteTro de Andrade.
Xegou-se provimento. unnimemente.
Prorogaco de inventario
Inventariante (Antonia Clementina Rocha.
Kegoa-se provimento, unnimemente.
Inventariante Jos Antonio Ribeiro. Mandou
se em diligencia.
Appellaccs crimes
Do RecifeAppellantes Manoel de Oliveira
Mello e Conrado-Francisco de Oliveira. appella-
da a jostica. Relator o Sr. desembargador Mon
teiro de Andrade. Conlirmada a sentenca,
unnimemente.
De PalmaresAppcllante o juizo, appellado
Manoel Florencio da Silva. Relator o Sr. desem-
bargador Tavares de Vasconcellos.Mandou se
a novo jury, contra os votos dos Srs. desembar
gadores Oliveira Andrade, Toscaoo Brrelo e
Dellino Cavalcante, que conlrmavam senteng
De Mamanguape Appcllante Felino da Fon-
seca Galvo, appellada a juslica. Relator o Sr.
desembargador Silva Rsgo.Mandou-se a novo
jury, unnimemente..
De Cabrob Appellante o juizo, appellado
Henriquc Gonealves dos Santos. Relator o Sr.
desembargadof Silva Reg. Mandou-se a novr
jury, Doanimttnente.
De CimbresAppellante o juizo, appelladi
Joaqaim Jos de Carvaibo. Relator o Sr. des
erabargadpr Toscano Barreto.Mandou-se a no
vo jury, unnimemente.
De Traip -Appellante o promotor publico
appellado Adelino Maximino Cavalcante. Rela-
tor o Sr. desembargador Silva Reg. Em dili
gencia.
Appella^Ocs commerciaes
Da ParahybaAppellantes Felippe Sclozer i
Filhos, appellado Antonio da Silva Pires Fer
reir. Relator o Sr. desembaroador Tavare.
de Vasconcellos. Revisores os Srs. desembar-
gadores Oliveira Andrade e Silva Reg.Refor
nada a sentenca, contra o voto do Sr. desem
bargador Oliveira .Andrade.
Da EscadaAppellantes Antonia Franr
Carvalho e oulros, appellados Moreira & Braua.
Relator o Sr. desembargador Alves Ribi
Revisores os Srs. desembargadores Tavan
Vasconcellos e Oliveira Andrade. Confirmad
a sentenca, em parle, unnimemente.
PAs
Do Sr. desem r Dellino Cavalcante ai
Sr. desembargador Pires Ferreira :
j. Appellaces crimes
Do RecifeAppellantes Joo Francisco do
Santos e ouros, appellada a justica.
De Palmares- Appellante Jos
appellado Ignncio Ferreira Lima B oacuhy.
De BorburemaAppellante o prorooto
buco, appellada Anjonia Bertbolina d i
;o.
cae civel
a Justina.
DILIGENCIAS
ao Sr. desembargador promotor
Appellaces crimes
ippellaote o juizo, appellados
ras do Mascimento, Sebaslio Can-
k"OS.
rtaj Appellante o juizo, appellado
[ancisco Querido.
-Appillante Manos! Lourengo da
_ pelUdl a ju3tica.
'.a s partes :
AppellacSo civel
igibe Appellantes Jos Ignacio Pin-
^^^HSjo.JM Puno, appellados Manoel iia-
^RoiD'j administrador de sua mu-
mor
.' Oto vflBjU) curador do reo
Appellarao criine
Do BonitoAppellante Antonio Beroardo de
.^pellada a justica.
I)ISTl{II!DI(,:DES
AppeltagGes crimes
Ao Sr. desembargador Oliveira Andrade :
Do RecifeAppellante Coriolano Paes Bar-
r.eto dos Aojos, appellada a justica.
-^o Sr. desembargador Silva Reg :
Da Patmeira dos Indios Appellante Manoel
Souza,jujpe.lla.a ajos
ii>argHor Toscano Barreto:
Appellante o juizo, appellada
Portlria de Albuquerque.
Appellaco civel
; Monteiro de Andradi- :
aip App"lanle Ildefonso Pereira de
Jo, appellado Hyppolilo de Mello.
rtfliatao oommercial
a ir Pires Goncalve3 :
reliante Francisco Ignacio
du Cruz MaHo,appellado Izidro da Cunba Ca-
valcante.
Encerron-se a sesso s 2 horas
i qunl depen-
o, serei obngado
a chamal o perante os tribuno.es competentes,
para ficar no autor todos epithetos que me di-
rigi innocentemente. Vamos ? nada du ro-
tfta-se engao e o seu a seu
dono.
Recife,20 de Julho de 1889.
Manoel Gome? Ferreira.
I UUli*
da tails.
INDICARES UTEIS
Dr. Castro
Mdicos
Jess medico
Praliea' a lavagem do tero
e operador.
quando e co-
sto aconsc-ihada. Consultas das 11 s
'i da tarde em aa risidencia ra do
I ^K Jess (antiga da Oruzl n. 23, 1.a
BSdar. Telephone n. 380 '
Dr. Barreito Sampaio d consultas de
Sneio-dis s 3 horas no 1.a aniiar da casa
ra do BarSo da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Seta de Setenibro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
isr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no poden-
procurador da oromolor da justiga, de
.los :
Appellaces crimes
De Assemblea Appellanies Sebastian Fin!"
de Souza
1 rreia de Araujo
appellada a justica.
De A!ag4i do MonteiroApp ais Ale-
xandn
Aatoni
tonio i
'' Do ; -
do Jofio .
ote o juizo



dar a ra Duque de Caxias n. 46, i. an-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Alvares Guimaraes, chegado da
cSrtc, dedica-s medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
cao, pulmoes, ligado, estomago e intesti-
nos e tambem s &feccoe3 das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. '45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
O Dr. Mathcus Vaz, medico, tem o seu
escriptorio a ra do Barao da Victoria
n. 32, 1." andar, onde d consultas d
meio-dia s 2 horas da tarde. Reside
ra de Gervasio Pires n. 27. Encarrega-
e do tratamento das molestias de olhes.
Telephone n. 427.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me-
dico cirurgica. Especialidades : molestias
pulmonares e partos. Ra do Mrquez de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas das 11
s 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa-
nella) das 6 s 9 horas da rnanhi e
tarde. Teleshone n. 392
Dr. Joaquirn Lomeiro medico e partei-
ro, consultorio roa do Cabug u. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Occnlista
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
oaes hospitaes e clinica de Pars e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
aorasdao meio-dia. Consultorio o resi-
ler ci ra Larga do Rosario o. 20,
Advogados
O bochar el Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
a. 71, 1." andar.
J. A. de Magalhaes Bastos. Duque de
Caxias n. 66, 1. andar..
O Dr- H. Milet continua com seu es-
criptorio de advocada, a rna do Impera-
dor n. 46, onde tambem poder ser pro-
curado sobre negocios concernentes 1.a
pro-.notoria publica d'esta capital.
O conselheiro Portella contina a advo-
,-,.. Ijjscriptorio ra do Imperador
n 65. Residencia, casa n. 11 da ra
Visconde de Albuquerque (outr'ora ra da
la'riz da Boa-Vista). Telephone n. 362.
B)rogarla
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-
*do, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Suva & C, deposi-
is de todas as espwalidades pharma-
auticas, tintas, drogas, productos chimi-
las e medicamentos homeopticos, ra do
Iai-quez de Olinda n. 23.
i Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carapina
ie Francisco dos Santos Macedo^caes do
,'apibaribe n. 23. Este grande estabele-
hnento, o prjmeiro da provincia neste
ro, c mpra e vende madeiras de todas
is qnaiidades, serra madeiras de conca
;a, assim como prepara obras de cara-
>ina por machinas e por prejos sem dom-
>etcnciaPernambuco.
FliSCmOES i PEDIDO
Ao publico
Co.n a epigrqpbe aci
Uiurto de bontem IGO. nm communicado, as-
ido por Nicomed.s Manoel do Nascimento,'
-'admente em meu carcter,
lade. pelo que 'eolio restricto de-
otar ludo quanto me atirihueinnoccn-
:bo- un. cc-rapi
ado Public UMe vi n-
. me.-. Tambe.
Ferreira, porj
ttde eu in-ul-
Slkt
"ptkftuf infamuft'.'.
f^nriaao Eugenio de Mello ao
publico
Vi a publicago de heje d Sr. M. Lopes Ma-
chado Jnior, subdelegado de Beberine, feita com
o irn de defendrr-se da aceusaco grave referida
o um pequeo escripto, publicado mo Diario de
hontem.
t'ai'uce-me, e todos que leram estSo concordes,
que c Sr. Machado as alluses que faz ao clvft-
nlio (!os quatro conservadores de Beberib
ontras ijuejandas refeie-so a mim ; mas, nao
querc desde ja acreditar n'isto.
Por este motivo interpello S. S. para dizer,
com f'anqueza, se refere se a mim.
Assim como o anooynio o refugio dos tolos
e inconscientes, na plrase de S. S.. tambem a
lingurgem ambigua e duvidosa incompativel
com a dignidade do Jiomem que arroga se os
foros le probo e honesto.
Sej. franco, bem franco, para eu ter o direito
de por os pontos nos i i i.
Eu ao me aproveilei jamis do incgnito para
aceusir a quem quer que seja, poique tenho co-
ragam para, nos casos precisos, dizer a verdade
e somenlc a verdade ; portante, nao tenho a m-
nima responsabilidade na poblicaco solicitada
do Diario contra o Sr. Machado.
Sei do tacto denunciado contra S. S. n'essa
publicago, assim como de outro igualmente
grave que S. S. commetteu, abusando do cargo,
em 13o m hora condado a S. S e anda de ou-
lros menos graves verdade, mas que atles-
am o desacert da sua nomeafSo.
Por agora, porni, nada refcrirei, com minu-
dencias, at que o Sr. Machado responda ao meu
aripello.
'Recife, 19 de Julho de 1889.
-Luciano Eugenio de Mello.
Barros Accioly Lins, e outros ; consta-nos
ir anda muito adianto m sna peregrina-
gao.....
E' o caso de perguntarmos ? Onde es-
tamos, para onde vamos? Que os Srs.
Manoel Peres, Luiz Cavalcante, Presciano
e outros adhiram a causa republicana v
de retro, porm o delegado do governo
provincial e hoje chele da politica local,
cercado de todo prestigio efficial, alm do
moral que lhe reconhecido, apoiar a
candidatura de um republican
De dnas urna, ou o Sr. Domingos de
Souza Le3o, collcca os seus correligiona-
rios e amigos em attitude seria, ou de
acCordo com a politica central, ou quer
de urna vez atirar a monarchia a mar-
gem !.'. Pobre paiz pobre monarchia!
Em qualquer dos casos, o Sr. Domin-
gos de Souza Leao, est impossivel, e
deve j e j, dur a sua demissilo de che-
fe, pelo lado moral, e organisar um di-
rectorio para os liberaes deliberarem quem
roelhor e mais sensatamente os mande,
em frente da propaganda que comeca j
fazendo proselytos.
Approxima se a hora da luta e S. S. deve
cingir sua espada de capitao. honorario do
xercito, e mostrar que no Paraguay, foi
um bravo e como agricultor e republica-
no, chefe, e delegado de polica (de con-
fianca do-governo) far triumphar a causa
dos liberaes, inda mesmo que custe......-.
NBfiMSw--- -
Ao cidadao Joao Ramos
i.
O cidado Peixolo diz que o cidadao Joo Ra-
mos pertence aos republicanos antiiros o cida-
do Jutio Ramos diz a quem quizer ouvir, que
aflsffado a primeira conferencia do cidadao
Jardim no Sanio Antonio, ficou to sasfeto
que tclegraphou logo ao Paiz o grande succes-
so; ora : em vez deste telegramma apparece o
do cidado Peixolo, como correspondente do
Paiz, logo............I !
0 cidado Juo Ramos um sincero gentle -
man, e republicano de todos vs tempos (F. Peixo-
lo), e a sua palavra est cima de toda suspei-
ta ; e o cidado F. Peixolo s agora est pro-
vando que e verdadeiro. Ora, o cidadSo Pei-
xolo diz que como correspondente do Paiz, fra
quem transmittira o telegramma ; logo o cida-
do Peixoto oo Talla a verdade !
3."
O telegramma do cidado Peixolo foi publica-
do ; o l'aiz nao publicou o telegramma do ci-
dado Joao Ramos ; logo o telegramma publica-
do nao toi verdadeiro !
Appellamos para o honrado cidadao Joao Ra-
mos na apuraco da verdade.
The Insurance C." L't'd.
N. 408
Oleo paro medicinal de Pagado de
llaoalliao. de Lanman k Kefttp
Ouvir-se essa tosse secca, Cortada e melallica
que symptoniatica de-Tns* pulmes enfermos,
nos inejinamos a crer que no ha remedio. Pode
ser diminuida, mitigada e finalmente completa-
mente comiilelamenle extirpada mediante o uso
do oleo puro medicinal de Figado de Bacalho
de Lanman & Kernp.
Espeticamo? a preparagao de Lanman AKemp,
porque 6 um artigo puro e legitimo, elaborado
como os ligados frescaes do mellior peixe, e a
cuo grao de excedencia nao pode chegar nenhum
outro'Oleo de Figado de Bacalho, no mercado-
Por estrenua que se nos figure esta assercao, as
sete oitavas parles dos tacs uppostos leos de
Figado de Bacaiho, sao adulterados, e algans
delles .o contem nma s pinga que seja do
fluido cujo nome usurpam.
A ode que existe no' verdadeiro remedio nao
se encentra em nonhuioa daquellas falsilicages
e imitajes despreziveis e por essa mesma razao
silo iDteiramcnte, inuteis.
Emquaolo que Deste outro se acha o grande
antidoto para a tsica, bronchites. a todas as en-
fermidades dos pulmes e do ligado, e isto n'um
estado o mais puro e na forma a mais agradavel
em que a sciencia pode apreseDtal-oaoeofermo.
Xo tem nenhum cheiro desagradavel e conser-
va-se perfciio em todos os climas.
Acha-se a venda era todas as principaes boti-
cas e tojas de droaas.
Ao Esm. Sr. Dr. Fausto Carlos
aiarreo. presidente do Rjo-
Cirande do Glore
A bem da regularidade^ios negocios forenses
da comarca de S. Jos d Mipib, e da boa ad-
ministrago da rastica, appellamos para S. Exc.
que, com quanto delegado do gabinete de 7 de
Junho. lem reputago feita e crditos a zelar, e
de S. Exc. espera a provincia melhor orienta-
go na poltica de reago e arranjos iniciada pe-
io 1 \ ice-presidente Antonio Basilio Ribeiro
Dantas.
A impreo.-a da provincia j denunciou o fado
ao mesmo 1" vic-presidente, tao somente por
desencargo de conscieneia, sem contar ser at-
tentida ; pois o Sr. Antonio Basilio, homem da
pulha e do diebote. nunca tomou nada ao serio,
e muito meaos aa presente situaco pol'tica, da
quat vice-presidaite de telegramma!
Todo se lhe descutp'a, e nmguem tambeo to-
ma ao. serio os seos actos, porque conforme j
disse o orgao opposiriouista da provincia, S.
Exc. nao lem imputabilidade !
O 1 vice presidente que se mostrou to pers-
picaz em descobrir incompatibilidad!!, com o de-
sejo nico de saciar a sua sede de vinganga con-
tra um seu adversario poltico e dar urrhas do
seu ferrenhb pariidarismo, o destituio sob esse
ftil e imaginario pretexto, do lugar de juiz
municipal supplente do termo de Macahyba o
nosso amigo capito Antonio ,;Oiinlho Barbalho,
que o desempenhava dignamente e a contento
dos homens de bem ; nao enxergoo a iucompa
tibilidade real e de todos sabida, e nemeou pro-
motor publico da comarca de S. Jos de Mipi'o
o Sr. Manoel Seve Filho, que casado com urna
irmuo Io joiz municipal supplente do termo,
Joaquirn Sitverio Ribeiro Dantas I
S. Exc. o Sr. Io vice-presiieute, plantador de
cannas, poda ignorar, como ignora todo mais.
a dontrina do av. n. i'3 de 30 de Abril de 1868;
mas os entendidos que o dirigem a deviam co-
ohecer. |
0 Sr. Manoel Seve que teve o geito de fazer
com que o proprio Sr Antouio Basilio se des-
mentirse a si mesmo perante os que at bem
pouco lempo o ouviam tecer lhe fnebres elogios,
podia ser, por outro vice-presidente, nomeado
promotor publico ne*ta situaco de leigos, para
outra qoalqoer comarca, menos para a de S. Jo-
s de Mipib. ende sobejamente conoecido e
bem conceituado pelo Io vice-presideo'e.
0 Exm. Sr. Dr. Fauslo Brrelo nao querer.
por cerlo, presumimos, confundir-se com a ad-
niinistrago do vice-presidente Antonio Basilio,
cuja seriedade S. Exc. brevemente experimen-
tar.
Esse vice-presidente, dado o sen cacho, vol
ver aos seus partidos do Sap : S. Exc. o Sr.
Dr. Fausto, porem, voilar para a corte a con-
viver com a alta sociedade. no seio da quai tem
de apreserit..r-se escoimado de qualquer faina
em seu carcter de homem publico e politico.
0 Sr. Antonio Basilio tem sido educado na
pequea politicagem de provincia, ende -
tende a.pariidarismo inconsciente e de-
primente ; S. Exc. o Sr. Dr. Fau3lo tem exerci-
do a sua acvidade em meio mais civi-ado.
onde a politica se v atravez de premia diverso,
prestara a vir no Rio Grande do .Norte
servir de mestre de batuta; ejiorisso a provin-
cia conliando eai S. Exc, cusa de espetases,
pede que deite xua chivo s iniquidades sofiri-
das ltimamente, ean :tam polos acios
.Jos pelo- vice-presidente de telegram-
m-il.
Natal. 12 de Julho de J.889.
Os indios da aldeta.
Serinhaem 19 ie Inlbo de
1889
COMO SE EXPLICA O DELEGADO DE POLICA ?
E' com sorpresa q'"> damos esta noti
ca pelo di Diario de Pei-nambuc >.
Aqo o Dr. Ambr :liado,
candidato no, perenrrendo o dis-
trito eleitnral, e das o
ilustre candidato, pode
do Eiiffragi
-s^cs;
V
apor rirapama
Os abaixo assignados, passageiros do vapor
Firapama tiesta viagem ao norte, penhorad03 ao
Sr. goimandanle Francisco Rayraundo de Car-
valnb pelo seu tratamento envalheiroso a todos
distribuido e pela solicitude que observam na
direcgo do Irabalho de bordo, rendem ao mes-
mo Sr, commandante um voto de aprego, reco-
nhecimenta e louvor.
Bordo do vapor Pirapama, 12 de Julho de
1889.
Fausto Barreto. *
Jos Dias Maynard. v
Jos Lopes Pereira da Cosa.
Miguel Castro.
Fia.celino Bodrigues de Moura.
Amaro Bezerra.
Joo Agostinho i ezerra Cavalcante.
Germano Machado.
Umbelino de Mello. .
Antonio Valerio dos Santos N'eves.
Manoel da Fraga Barreto.
Jos Martins de Predas.
Augusto Etrerton e Silva.
Francisco de Moura Reis.
Jos Gil Castello Branco. x
B. de Araujo Cezar.
Reinaldo da Silva Porto.
Jos Instiniaso de Casiilho Brando.
David Moreira de Barres.
Programuia da festa do glorio-
so 8. Beuedicto. no convento
de 8anto Antonio da cldade
do Recife
VESPERA ,
Ao meio aia do dia 30 do corrente, urna salva
e diversas girndola i de fugeles annnociaro a
vespera da festa do glorioso padroeiro, haveodo
noite vesperas solemnes.
DIA 21
Haver s 4 horas da madrugada urna missa
em tengo dos irmSos vivos e lallecidos, e das
pessoas que auxiliaram-nos com seusobulos. .
A's a horas urna salva despertar aos fiis de-
votos que chegado o grande dia em que se ve-
nera o glorioso S. Benedicto.
A's 11 horas do dia entrar a missa solemne, '
officiando o Rvm. Sr. gmudio frei Pauli-
no da Soledade. Occupar a tribuna sagrada-
o Rvm. ?r. conego Antonio Eustaquio Alves da
Silva. Ser executada a grande'e linda partitu-
ra da missa. intitulada Dogma da Conceigo,
composigo do sempre lembrado maestro brazi-
leiro Francisco Libanio Colas, cuja regencia se
acha confiada ao cuidado do maestro Antonio
Martins Vianna, que nao tem poupado esforcos
afim de dar-lhe o verdadeiro colorido, e aenti-
nicatos com 03 quaes escreveu o seu autor: to-
mando parte neste desempenho artistas cujos.
mritos sao incontestaveis; bem como o Sr.
Commoleti, que, cedeudo ao pedido do maestro
regente, preston se a cantar o lindo solo de Do-
mine Deas; o que de esperar que attrrda as
'avivas nao s de amadores como do pu-
blico.
Em seguida ao Evangelho ser executada pela
primeira vez a grsnde-symphonia do Guarany,
do grande maestro brazileiro A. V. Gomes.
Aps oseimo seguir-se-ha o lindo credo Ca-
ness'a, sendo o importante solo de Etin carnatos
obrigado flauta pelo joven Pe .-sis.
noite occupar a tribuna sagrada o distinc-
to pregador da ("apella Imperial, Rvm. fri Au-
gusto da Immacuhda Conceicao Alvea, sendo .
em seguida cantado o Te Deum grande do Lima.
A mesa regedo ra antecipa es seus agrad
ments aos liis devotos que ccadj'uvaram-n'a
cora seus obalos o servi'eos pa:a o Lrilhantismo
do acto.
Manoel da Costa Fialho,
Secretario.
o.
i os intere
Aviso a quer
74 ra





1
wm mmn vmam
^v


-Diario de Pernambuc bado 20 de Julho de 1889


1
I
si
I



Liga Operaria Per-
nambucana
Na pnmeira sessSo do conselho desta asso-
iagao, que teve lugar na quarta-feira ultima,
elegeram-se as eomraisses pennatieiiles que
nao de gerir os negocios sociaes era suas dille-
rentes secases, i -ando assim constituidas :
Syndicancia
Re.latarElias Emiliano Rodrigues, Bartliolo-
meu Jos Pereira, Francisco Pedro Barros de
Araujo, Germano Barbosa da Silva, Joo Paulo
da Pureza.
Financas
RelatorManoel da Porciuncula Ferreira, Joa
quim Francisco Junqueira, Joaquim Vieira da
Rocha.
Hospitaleira
RelatorJoao Baplista de Jess, Francisco de
Araujo Barros, Manoel Francisco Pereira da Cu-
nha, Izidro Vicente Ferreira da Costa, Jos Ri-
cardo da Costa Jnior.
Fiscal de artes e industria
RelatorDavid Francisco Gentil, Jos Fernan-
des Moura, Finnino Raphael de Paiva, Antonio
Fernandes da Silva, Sezino Gomes da Silva, Her-
menegildo*Ramos\
Em vista da mudan-
za que esta Empresa
esta fazendo para o no-
vo predio aonde tem
deTuceionar, previno
aos Srs. ssi^nantes de
que Domingo 21 do
corren te fiearo in-
terrompidas todas as
communica^es tele-
phonicas desde as 6
horas da manh, at
as 6 da tarde.
Outro sim, pee, o des-
culpa aos mesmos Srs.
de toda e qualquer in-
terrupco futura que
houver.
Recife, 18 de Julho
de 1889.
A. do Carino Ihnrida,
(i kim i:.
Marca registrada
X. 54
Carlos de Arruda 4 C, domiciliados e eslabe-
leados com fabrica de cigarros ra Marcilio
Dias n. 17, tendo registrado em 23 de Marco do
anno passado u'esta meretissima junta a marca
denominada cigarros DIANA, querem agora
registrar a marca junta, que ha-de distinguir a
qaalidade de cigarros ir.ais grossos do que os
communs produzidos pela sua fabrica, no que es-
peram ser attendidos. N'estes termos pedem def-
"erimento.
A marca consiste em um quadriiongo formado

GOHHERCIO
Revista do Mercado
RECIPE, 19 DEJUI.HO DE 1889.
. Continuou a ser pequeo o moviraento, que
consten apenas de transacccs no mercado de
ambios.
Cambio
Os bancos mantiveram no balcAo a axa de
-6 7/8, saccando reservadamente algumas quan-
lias a 27.
Em papel particular loram effectuadas peque-
as transacees a 27 1/8.
No Rio nao bouve alteraeao no mercado.
TABELLAS AFFIXADAS
?! 2 ti L 13 r- -~- *t r-
t c-5 u. rj< e ti 9
4 a. O m a 3 o B O" e
e> a 13 CK3 O . .
2. '-i O o 5
^ . . . .
w f' ' * 9 m
4 ' *3 o
' ' r 0
" p_ *
. . . . . .
; ; o 3& s ^3 ; g 8 a. > 5
0>-
_ te a I"
- * 8 ve ot
- B -J --i re.
it S
OJ c tp
: - 1 O
ert Ve zr. * < c: ce 2J
c, 'S.
- te i g
1 ..oo_ O MI 8 s ^1 '-Sf ff
M 8
?^ ** co e Sr
, . ~ oc < s*
-J- ^1 1 i"! CO *
t> i
_ * . 1
i. ; 1* 2 *> CO ce 00 ^
Bolsa
O0TAuES 01TICIAK8 DA JtTNTA DOS COB-
BB9T0BKS
TUcJK. 1!) te /uVw di /99
as com juros, valor, de 100t
?.o par. iwwv
:,io Bobn 1 d. por ItKOO,
por cordes azues sobre rundo braoco com listas
vermelhas ; no centro em um circulo formado
por tres filetes atues, sendo o centro mais largo,
a (gura DIANA tendo na mao direita urna espin-
garda assente sobre o solo e a mSo* esquerda
inclinada para qaatro caes que d'esseladose
ucham ; no segundo plano a direita da figura urna
planta com llores.e no terecro montes cobortos
de verudura e stxajelia e duas arvores frondosas
3ue Ucam a esquerda da finura, seudo todo este
esenho de cor azul sobre fundo branco ; no alto
em urna figura azul as pala vas -CpABBO
SHUUS- -em fundo branco: dx oda lado e a meio
do circuio central o uionogranima C. A. i C. em
lettras capitaes azaes; em baixo do dous circuios
mais pequeos, um de cada lado do circulo cen-
tral, formado por tres fuetes azues, sendo o do
meio mais longo, o centro do circulo oceupado
por urua eSrella formada por hutas azues sobre
tundo branco e atravessada com a palavra
TRADE era urna estrella e a palavra MARK em
outra; em lettras capilaes azuea, fundo dos
dous circuios, formado por lislras azues sobre
fundo branco ; a direita em lettras capitaes azues
com sombra branca as palavras FABRICA
DIANA; em ledras azues com sombra azulas
palavras Carlos de Arruda *V C. por
baixo um arabesco ; em lettras azues com som-
bra brinca as palavras -RA MARCILIO DAS N
17por baixo um arabesco.; em lettras azues as
palavras -AMIGA DIREITA, telephonc n :it
em letras azues cora sombra branca a palavra
PERNAMBl.CO.
I'edem deuer.mento.
Recife, 27 de Junho de 1889.
Carlos de Amula J C.
Eslava; com o sello de 200 ris.
Certifico que foi apresentada na secretaria da
Junta Commercial do Recife. as 11 horas da m
nb do dia 28 de Junho de 1889.Escrevi e as-
signo em fe de verdade.O secretario, Julio Au-
gusto da Cunha Guimaraes.
Certifico que toi registrada sub n. 230, em vir-
tudedo despacho da Meretissima Junta Commer-
cial, era sesso de 11 do correte raes.
?Pagou 1 i()00 d'um parecer fiscal.
Escrevi e assigno n'esta secretaria da Junta
Commercial do Recife aos 12 de Julho de 1889.
Era f de verdade.O secrelario Julio Augusto
da Cunlia Guimaraes,
Estava com sellos no valor de 65300, e ao lado
o grande sello da Junta Commercial em alto re-
levo.

ftr. & Mis. 11. V. 1! YUI.INSOS
AT HOME
22nJ & 23nl inst
Casa-Forte.

^^^r
A coqueluche e o Pcitoral de
Cambar
Dois netinhos da respeitavel matrona, a
Exma. Sra. D. Maria Jos Rodrigues Bar-
cellos, moradora em Pelotas Rio Grande
do Sul, estavam atormentados pela coque-
luche, sem obtterem ailivio com o trata-
mento do seu i Ilustre medico. Um dia a
dedicada av deu-lhes o Peitoral de Cam-
bar e ficou surprehendia com o esplendi-
do resultado do medicamento.
Chamamos a attencao do leitor para o
seguinte attestado firmado por aquella dis-
tincta senhora: ,
t A abaixo assignada attesta, a bem da
humanidade, que tendo sido, em Dezembro
passado, atacados de coqueluche seus ne-
tinhos, Antonio e Dejanira, e sem terem
podido obter ailivio com o tratamento de
seu illastre medico, deu-lhes o conhecido
Peitoral de Cambar do Sr. Jos Alvares
de S. Soares e, com quatro vidros deste
efficaz remedio, licaram completamente
restabelecidos do terrivel sofTrimento.
Maria Jos Kodrlyues Barcdlos.
Precos :. frasco 2fJ500; 1[2 duzia 13(5;
duzia 240.
Vndese em casa dos agentes Francis-
co Manoel da Silva & C, ra Mrquez de
01 inda n. 23, e em todas as boas pharma-
cias e drogaras desta capital.
o presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux .
Algodao
Cota-sc o de i' sorte do serto a 75000 por 15
kilos.
A exportacao feita pela alfandega neste mez at
o dia 17 attingio a 98u.920 kilos, sendo 703.816
para o exterior1 c 28G.101 para o interior.
As entradas verificadas at 3 data de hoje so-
bem a 4.633 saccas, sendo por:
8arcacas.....
Vapores .....
nimacs.
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
\'ia-fenva di Lirnoeiro
847 Saccas
*
1299
212
231
2 026 .
Soraraa.
4.633 Saccas
Assncar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gundo a Associa^o Commercial Agrcola, loram
os seguintes:
Branco .
Smenos.
Mascavado purgado
bruto.
Rtame .
3S00
3*000
2600
(firme) 2*000
1*700
4100
3*400
i 80> i
2 400
1*900
A exportar!; feita pela alfandega ueste mez at
o dia 17. subi a 2.30.40l kilos, sendo 85fJ26
para o exterior e 1.463.226 para o interior.
As entradas verificadas al a data de boje, so-
Sem a 4.279 saceos, sendo por :
Barcagas .... 2 081 Saceos
Vapores..... 5i
Anunaes.... 46
Via-ferrea de Caruar. 187 .
Via-ferrea de S. Francisco. 1 587
Via-ferrea do Limoeiro Somraa. 322-
4.279 Saceos
%gurdenle
Cota-se a 100*000, por pipa de 480 litros.
Aieool
Cota-se a 200*000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 70*000 por pipa de 480 litros.
Couro
Couros salgados, 360 a 363 ris, i.ominal, na
base de 12 kilos.
Pauta da alfandega
MANA l 13 A 20 DE JULHO DI 1859
Vide o Diario de 14 de Julho
Navios i descarga
Barca nacional Mariannmha, xarque.
Barca norueguense .Smc:, carvo.
Barca norueguense Ur/ien, xarque.
Brigue allemil lnsel, vari? eneros.
Escuna allema Frs, x
Lugar nacional Tigre, i
Lugar ingle Flareme, b>*
mmcho nacional Rko, xar>
"1 MlOfll \fUO'
Aviso a nuestros Ice
Los de nuestros lectores que*
Pars mientras la Exposicin de
tan ya avisados que podran leer Tos i
mos .ejemplares, recebidos en Pars, 'de
nuestro peridico, en la oficina d nues-
tros corresponsales los Srs. AmjjB
ce y C, 36, ru Lajayette, dondi^
haccrce dirigir toda su correMftadeii
pedir informes, dar ordena do compra
etc.
Pero, avisamos a nuestros compatriotas
que ademas del servicio instalado en su
oficina 36, ru Lafayettc. los Srs. Am-
de Prince y C. han orgonisjf^b un otro
gabinete de lectura y de infosjaies en la
Exposicin' misma, en el Pabelln de la
Repblica de Guatemala, en donde el Sr.
comisario general a puesto a la disposicin
de dichos Srs. una .grande sala cou ter-
rado.
Aconsejomos vivamente a nuestros ami-
gos lectores que vayan a Pars, de hacer
una visita a la casa Amde Prince y C,
tauto en su residencia^), ru Lafaye.rte,
como en su instalacioiren el Pabelln de
Guatemala de la Exposicin, que. resulta-
r, ser por el hecho de las extensas rela-
ciones de nuestros corresponsales, el
tro de reunin de los nurnarosos estreno*-
ros presentes en Pars.
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de ngel ino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio de Janeiro em 5K)
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande elcacia as mo-
lestias syphiliticas e impureza osangue ; assim
como era todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente muitas* nessoas ac
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os adultos temaran quutro colheres das de
opa pela manha e quatro a noite. As enancas
de 1 a 5 anno lomaro urna colher pela manh
e outra a noite, e os de 5 a 11 annos tomarao
duas colheres pela manha e duas noite. De-
vero tomar banhos fri ou momo pela manha e
noite. Kesguardo regular. .
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva & C.. ru do Mrquez de
Olinda n. 23.
O autor deste preparado poae ser procurado
na ra do Baro da Victoria n. 37, onde sera en-
contrado para dar toda e qualquer explicaco
que for precisa.
Cuidado rom nw falMiucaroes
Beriberi
>', 74
lllm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade.
Seria uina falta de attencao nfio Ine agradecer o
prodigioso efleilo que Oblive pelo Elixir por V.
S. preparado.
Estando eu soffrendo de ura incomraodo.
acompanhado de una fraqueza geral. e grande
peso as pernas a poni de m.* privar andar;
receitando-me a dous facultativos de minha
confianca, os Srs Drs. Antonio B. da Silva Maia
e J. de Miranda Curio, disseram-me ser beribe-
ri, o que me impressionou rauito; mas sondo
amnselhado por um amigo, usei do Elixir por
V. S preparado, e apenas cora duas garrafas j
me acho quasi restabelecido, e anda continuo
com o seu prodigioso Elixir: estou ceno que
contarei grande victoria.
Pode V. S. fazer uso deste como lhc aprou-
ver.
Em f de verdade me assigno.
Recife, 30 de Abril de 1884.
Affonso t.itjoiio Velloso.
Praticb do Pirapamu.
lllm dos Santos Andrade.
jRecife. 21 Ul- Junho de 1882.--Tenho i,1
libe que, tendo eu sido atacado de beriberi, e dc-
- eu ter soffridu bastante tempo d dita
molestia, depois de ter tomado muitos renie-
elomando tambera a raanipoeira, estam
Ideseiicliuu todo o corpo, licando com fulla de
ngurte ura pouco de, frouxidao nos ervos;
^^mtn me inculcando que o senhor tinha um
bom remidi de sen preparado para o que eu
estava soffrendo : ao mesrao senhor Ihe coui|)rei
duas garrafas, i' com estas mesraas liquei resta-
belecido de todo ; depois de eu ter licado Uoni
tamlitem ensinei a ura amigo meu que'se achava
ha mais de airaos solFrendo dos olhos este Ihe
comprando duas e depois ue ter lomudo tam-
bera licou reslabelecdo e com sua vista per-
fcii.i. '
HE' o qu Ihe tenbo a iaformar.
Desle seu ;riado e obrigado Antonio' Jos-i
Ferreira Refinador.
N. 70
Pernamliuro, -> deFevereiro de 1883.
lllm. >sr. \ogelino Jos dos Santos Andrade.
Temi si.friilo e por rauito lempo rheumatismo
syphilitico. dores era lo.lass as juntas do corpo,
nanita debilidade no estomago, sera nenhum ap
lielite p ira qualidade alguina de alimentiico, a
ponto de licar quasi sera aeco no moviraento do
corpo, fui aconselhado por um amigo a usar do
Elixir por V. S. preparado, o que da prompto
lipici usar da pnraeira garrafa con
forme as prescripecs que a acoinpanham, e
in d|Sous dus ja andava liera sem embara-
:^um 'e no ini de seis dias tiulia multa cus-
ir comer. (Juanto prodigioso o seu
ine s foi preciso tomar urna garrafa.
: lira s tenho que agradecar ao meuaini
ligo que me apontou ste milagroso
u cora subida considerar,!o ado
c obrigado.
ntont Api un
Estavam sellados o neenhecida as lirmas
pelo tabelliao.
-------fSQOi
Aviso aos nossos I el oro*
Os nossos leitores que visitarera Pars
durante a Exposioao de 1889 j sabem
que poderilo ler os ltimos cxemplares de.
nosso jornal chegados aquella cidadeno es-
criptorio doe nossos correspondentes, Srs.
Amde Prince & C, 36. ra Lafayettc,
onde podein mandar dirigir qualquer cor-
respondencia, pedir quaesqner inforina(,-5es,
dar ordens de compras, etc.
Alm d'isso, levamos ao conhecimento
dos nosso3 patricios que afora o servico esta-
belecido no escriptorio da ra Lafayettc,
n. 36, os mesmos Srs. Amde Prince C, acabam de organisar urna sala de lei-
tura e de raformacoes na "Exposiciio mes-
ma, no pavilhao da repblica de Guate-
mala cujo commissario geral dignou-se dr'
por graciosamente urna vasta sala com
varanda s ordens dos nossos correspon-
dentes.
Aconselhamos mui vivamente aos nos-
fsos amigos e leitores que se acharem em
Pars, que visitem a casa Amde rince
A C. na sua sede social, 36, ra Lafayet-
te, bem como na installacao que possue na
Exposicao no Pavilhao de Guatemala que
ha de ser, gracas s extensas relajos dos
nossos correspondentes, o ponto da're-
uniao dos numerosos estrange'.ros residen-
es em Pars.
Professora
Por casas particulares, na crdade ou nos arra-
Jbaldes, offerece se urna senhora para leccionaro
nte :
Portuguez, francez, italiano, geographia, piano'
tralwilio de agullia, lardados e llores.
Garanta.As'discipulas efectivas que teme
diversos a!tes(ados de pessoas Ilustradas.
A tratar oa relojoaria do Besoiador da M.-.ri
nlia, ra Larga do Rosario n- 8.
Lisboa, em 19 do andante e consignado a Sa-
muel L. Johnston, manifestou :
Arroz 173 saceos ordem.i'o a Esnaty Rodri-
gues A C, 73 a Gomes t Pereira, 30 a J de Ma
cedo, 100 a Al ves Irmaos & C, 200 a II. Lun,d-
gren & C, 25 a Carlos Sinden & C, 23 a Gi-
uiaraes Rocha & C. 100 a Ramos Geppert C
Aqo 18 feixes a W Halliday i C, 17 a Miranda
& Souza. Agua mineral 12 caixas a Medeiros
Irmaos & C. Alpiste 3 saceos a Esnaty Rodri-
gues k C, 10 ordem Arcos de ferro 180 fei-
xes a Prente Vianna & C. 1230 a J. II. Box
well & c
Riscoutos 1 caixao a J. da Silva Carneiro, i
ordem, 6 a Jos Joaquim Al ves 4 C. Barrilha 3
tambores ordem. Rarras de ferro UO a Anto-
nio Rodrigues de Souza, 2i3 e 30 feixes a \V
Halliday 4 C 420 e 03 a Ferreira Guimaraes 4
C, 331 e 105 a Miranda Souza Barros prova
de fogo 88 volumes a Cardoso & Irmaos. Cal-
cados ScaixOes a Costa Campos 4 '".. 6 a T. de
Carvalbc fc C, 1 a Antonio Dnarte Carneiro
Viainri. Cha 7 grades ordem. Cobre lt6 vo
lomen a Ferreira Guimarups 4 C. 1 a xMlanPa-
terson, 35 a J. A- da Silva Santos, 34 a Manoel
dos Santos Villara. Cerveja*5 barricas a ordem,
2t) a Fernandes 4 Irmaos, 20 a Domingos Cruz
4 C, 43 a Souza, Basto Amonra & C, 10 a J
J. Alves. Couros 1 caixo a J. H. Boxwell-
Canos de ferro 1 a Albn I'aterson, 30 a Miranda
& Souza, 24 feixes a Manoel dos Santos Villaca,
10 a W. Halliday 4 C., 31 a Ferreira Guimaraes
4 C, 47 eaixas a'Companhia do Beberibe. Ditos
de chumbo 2 barricas a W Halliday 4 C. Ca-
pachos 1 caixa a Manoel da Cunha Lobo. Cur-
rant 1 caixa a Jos Joaquim Alves. Chocolate t
caixa ordem, laJ J. Alves 4 C. Cidra 25
volumes a ordem, 30 a Guedes de Araujo 4 Filho
Chapeos 2 caixOes a A-P. Carneiro da Silva.
Campeche 6 barricas a. Antonio Jos Maia 4 C
Conservas 26 eaixas a Carvalho 4 C, 15 a Bro-
wns,4 i 37 ordera, 3 a J. da Silva Carncira
Corrcntes de ferro I barrica a Miranda 4 Souza.
Drdkas 3 eaixas ordera, -4 Bouquayrol Fr-
res, 2 a Mauoel Alves Barbosa Successor.
Encerado t caixa a ordem. Enxofre 30 bar
ricas a W. Halliday v C., 20 a P- Vianna 4 C.
Ervilbas 2 eaixas a Joaquim da Silva Carneiro.
EJtanbo 10 eaixas a A. Polilmann. Fstopa 3
fardos a Gomes de Maltos Irmaos.
Folies 3 eaixas Miranda 4 Souza, 12 a Ferreira
Guimaraes & C. Folhas de ferro 76 a Ferreira
Guimaraes 4 C, 36 a II. W S. Bird. Ditas de
Flandres 50 eaixas a Ferreira Guimaraes 4 C.
50 a Gomes de Matlos Irmaos. Fuzis 3 barricas
a Miranda 4 Souza. Fio 2 fardos ordem. Fel-
tro 1 fardo a Alian Paterson. Fogareiros 138 a
Albino Silva 4 C, 135 a J. Azevedo 4 C. Fer-
ragens 1 volume ordem, 2 a Albino Silva 4 C.
6 a Rodrigues 4 Santos, a Manoel dos Santos
Villcca 4 C. 3 a Prente Vianna 4 C., 1 Gomes
de Maltos,* Irmaos, 13 a Miranda S Souza, 21 a
Ferreira Guimaraes s C, 4 a Alian Paterson. 3
a J. de Azevedo cv C, 13 a II. Walliday 4 C., 58 a
H. W. S. Bird, 50 aos herdeiros Bowmann, 29 a
Cardoso 4 Irmaos. Farinha de milito 5
rordem. Dita de trigo 1000 barricas a
do Lopes 4 C.
Genebra 30 eaixas a Brovvne & C.
Lagosta 1 oaixa a Joaquim da Silva Carneiro.
Louca 9 gigos c
condensado |Um Alves 4 C.,
Linha 2 eaixas
le a J. de Azeve-
a Prente Vianna 4 C, 1
A >o
a Nunes Fonseca fe C., 6
ir 8 eaixas ordem.
a Cardoso 4 Irmaos. "Di-
a P, Hol-
O Sr. Dr. Serafim Araujo '
Dr. Serafim Jos Rodrigues de Araujo,
ibrmado em medicina pela Faeuldade da
Baha, cavalloiro da ordem da Rosa, etc.
Atiesto que o Peitoral de ambara, pre-
parado pelo Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, um excellente medicamento, em-
pregado com muito bons resultados, as
molestias broncho-pulmonares. E por ser
verdade, passei o presente, que assigno em
f do meu grao.
Dr. Serafim Jos Rodrigues Pelotas.)
Miho inglez 1 caixa a Jos Joaquim Alves
4C. .
Movis 5 eaixas a A. Dnare Cirn- ro \ anua.
Materiaes para engeuho 4 volumes a Medeiros
Irmaos efe C. Ditos para estrada de ferro 819
voluntes e pegas a The Nor.h Brasilian Faetones.
Oleo 5 barris a Ferreira Guimaraes 4 C, 25 a
Francisco Manoel da Suva 4 C, 3 tambores a
Miranda 4 Souza.
Objeclos para selleiro 4 eaixas a Frederico
< C. Ditos para gaz 67 volumes a erapreza.
Ditos para esglo 27 volumes a Recife Dramage.
l'eitences para vagos c ferragens 54 volu-
ntes a T. Just.
Presuntos 1 caixa'a Joaquim. da Silva Car-
neiroj,
Perfumaras 1 caixa a H. J. Peruiaiin.
Cimenta 5 saceos a Fi-.'ueiredo Costa 4 C.
Papel de erabrullio >S fardos a Souza Basto
Amoriiu 4 C.
Pregos 20 barricas ordera, 6 a Nufies Fon-
seca 4 C. 1 a Caetano C. da Costa Moreira.
Sherry 2 > eaixas a Rrowns 4 C.
Salraiio 1 caixa a Joaquim da Silva*Carneiro,
4 ordem 1 a J J. Alves C.
SarrJinhas 2 eaixas a Joaquim da Silva Car-
neiro.
Tecidos diversos 1 volume a Augusto Dias &
3 a Pereira & Magatbes, lho, 18a Rodrigues, Lima 4 C, 3 a Andrade Lo-
pes 4 C, 3 Colonia Isabel, 10 a Alves de Bril-
lo 4 C., 3 a Fernando Silva 4 C., 3 a Silveira *
C, 3 a Albino Amorim 4 C., 10 a Machado 4
Pereira, 3 a Olinto Jardim & C, 18 t Goncalves
Cunha 4 C, 1 a Francisco de Azevedo .v i.., 2 a
Joaquim Goncalves C, 1 a A. P. Carneiro da
%ilva, 2 a Guerra 4 Fernandes, 10 a Luiz An-
tonio Sequeira, 4 Joaquim Luiz Teixeira, 3 a
Francisco Laura 4 C, 2 a Nunes Fonseca 4 C,
:'. a Bernardino Maia 4 C, 20 ordem, 3 a Lou-
reiro Maia 4 C.
Taxaa de ferro *>> a Adn Paterson 4 C, 10 a
Medeiros Irmaos C, 3 a Cardoso < Irmaos.
Tintas 3 barricas a Miranda 4 Souza, 2* Fer-
reira ^Guimaraes 4<:..10 e 30 tambores or-
dem. ,
Vinho 20 eaixas a Browns 4 C.
Wiskcy 50 eaixas ordera.
Zarcao 10 barricas a Cae.tan C. da Costa Mo-
reira, 1 a Ferreira Guimaraes 4 C.
Zinco 4 barricas i. ordem.
Carga de Lisboa
Azcile 1 barril a II. Ferreira da Silva, 1 caixa a
Couto Santos C, '.M a Ramos Geppert 4 C.
Alpiste 3 barricas a G. A. Gaio de Miranda.
Batatas 20 eaixas a Jos Joaquim Alves 4 C,
5 a Figuefrcdo Costa 4 C., 20 a Lopes Alheiro
& C, 80 a Goncalves Rosa A Fernandes, 25aEs-
natv Rodrigues 4 C, 80 a Guimaraes Valente,
100"a Ferreira Rodrigues 4 C, 6 a H. B. de Oli-
veira.
Cabos 36 rolos a Caetano C. da Costa Moreira
4C.
.Ceblas 10 eaixas a Jos Joaquim Alves 4 C,
redo Costa ac C, 20 a Lopes Alheiro
& C, 20 a Goncalves Rosa Fernauaes, UO a Es-
naty Rodrigues 4 C, 23 a Guimaraes 4 Valente,
"" a Paiva Valeute 4C, 60 a Ferreira Rodrigues
(.10 eaccos a Francisco Ribeiro Pinto
eaixas a Manoel Carpinteiro r
"Iva Guimaraes & C.
2 cairas a M. II. Ferreira da
a Gomes A. Galo de Miranda.
Guimaraes 4 Valente, 78 a
M. da Costa, 4 C.
ta, uros e custas provenientes de gneros,
g rantida por hypotheca nos predios ns.
10 e 12 no becco largo dos Remedios e
n. 12 na travessa de S. Miguel, freguezia
de Afogados desta comarca do Recife, e
caso nSo o fizessera seguir se penhora nos
mesmos predios c prosguir-se nos ulte-
riores termos.
O Dr. Joaquim da Cosa Ribeiro, juiz d
direito do civel desta cidade do Recit
por .Sua Magestade o Imperador quem
Deus guarde, etc.
Eaco saber aos que o presepte edita!
virem ou dt-lle noticia tiVerem que lindos
os prognes e pracas de estylo, ser arre-
matado, depois de audiencia deste juizo,
por quem mais der e maior lance ofere-
cer o bem segunte : Urna casa de pedra
e cal sita na travessa de Motocoloutb,
freguezia de Afogados, desta cidade, com
dezenove metros e setenta centmetros de
largura e seis metros e setenta centme-
tros de cqmprimento tendo na frente seis
junellas e duas portas, sendo que as portas
dao entrada para a sala de visita e de
jantar e as janeflas ticain nos quatro quar-
toB que sao collocadoa entre urna sala e
outra e um outro quarto contiguo sala
de jantar, no fundo do qual a eos'mha
interna, acKando-se tudd em mo estado :
no terreno comprehcndWto em setecentos
palmos de frente, o iiual tem cerca nati-
va e um port.lo de maofca, xistein duas
cacimbas*e junto a urna dellas um taUque
e outro tanque na parte posterior da casa ;
oitenta ps de coqueiros, diversos ps de
cajueiros e mangueiras, sapotiseros o ou-
tros arvoredos, tudo bastante maltratado,
e no terreno de marinha, que mede vinte
e oto bracas e quatro palmos de frente,
est situado um viveiro que 99 acha ar
rombado e em pessimo estado ; avaliado
tudo por un cont de reis.
Peuhorado para pagamento da execu-
cao promovida pelo cnsul de Portugal
como administrador do espolio de Manoel
de Carvalhr/Moura contra os herdeiros do
finado major Manoel Ferreira Escobar.
E para que chegae ao conhecimento de
todos, mande passar o presente que ser
publicado pela imprensa o affixado no lu-
gar do costume.
Dado e pausado nesta cidade do Reci-
fe aos 5 de Julho de 1889. Eu Pedro Ter-
tuliano da Cunha, escrivao subscrevi. Joa-
quim da Costa Ribeiro.
O Dr. Thomaz Garcez Prannos Monte-
negro, commendador da Imperial Ordem
da Rosa, juiz de direito especial do
corumercio desta cidade do Recife, ca-
pital da provincia de Pernambuco, por
Sua Magestade o Imperador a quem
Deus guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital
virem, ou delle noticia tiverem, que por
parte de Pereira Carval o & C me ini di-
rigida urna peticSo documentada na qual
requeriao-me mandado executivo arira de
serem intimados Jovino Sergio de Albu-
querque Mello e sua "'nulher D. Lucrecia
Campos de Albuquerque Mello, para in-
continente pagarem-lhes a quantia de qui- de sullicincia, certidao de approvayao era exa
nhentos oitenta e seis mil tresentos e tri\- me de lingua porlugueza c de anthmetica,
Allegavam anda em dita peticilo e prn-
vavam com documento, que visto esta.. <
ausentes os supplicados em lugar inecro
e nao sabido, fosse a intimacao dodit
mandado feita por edtaes, e s^ndo por
raiin deferida a dita peticao pdssou-se
mandado executivoque c dotheorseg:
te: execulivo passado a favor de Pereii i
Carvalho & C. contra Jovino Sergio
Albuquerque Mello e sua mulher D. Lu-
crecia Campos de Albuquerque Mello. <
Dr. Thomaz Garcez Paranhos Montene-
gro, commendador da Imperial Ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife capital da pro-
vincia de Pernambuco po- Sua Magesta-
de o Imperador a quera Deus guarde etc.
Mando aos officiaes de justica que ante
este- meu juizo servem, que a requer'-
meno de Pereira Carvalho & C. in-
mem a Jovino Sergio de Albuquerque-
Mello e sua mulher D. Lucrecia Campos
de Albuquerqve Mello, para incontinente ,
pegarem aos ditos Pereira Carvalho &C.
a quantia de quinhentos oitenta e seis
mil tresentos e trinta, proveniente de for-
necimento 'de gneros e garantida por hy-
potheca do3 predios ns. 10 e 12 no becco
largo dos Remedios e n. 12 na travessa
de S. Miguel c bem assim para pagarem
os julios a castas e n2o o fazendo proce-
dam penhora nos alludidos predios e os
depositera na forma da lei, fazendo-se as
intimneoes necessarias. (^umprant. Re-
cite 17 de Oatubfo de 1888. Subscrevo
issigno. Ernesto Machado Freir Pe-
reira da Silva. Recife 21 do Junho da
18851.Montenegro.Sellado legalmente.
Em vrtude da dita peticao de Pereira
Carvalho & C. o respectivo escrivao fez
passar a presente edital pelo theor do quai
chamo c to e hei por intimados os suppli-
cados Jovino Sergio de Albuquerque Mei-
lo para que depois-de findo o praso de 30
dias contados da publcacao deste paguen!
incontinente a Pereira Carvalho & C. -a
quantia constante do mandado neste co-
piado.
E para qne chegue ao conhecimento e
tsdo mande passar o presente edital qu-.-
ser publicado pela imprensa e affixado
no lugar do costume. Recife 22 de Ju-
nho de 1889. Subscrevo e assigno Jos>-
Franck'in de Alencar Lima. Thomaz (Jen.
cer Puranhos Montenegro.
O Dr. Joaquim da Qo-ta Ribeiro, juiz de
direito do civel desta cidade do Recife
de Pernambuco, por Sua Magestade Im-
perad a quem Deus guarde, etc.
Fago saner aos que o presente edilal virem o;
delle houverem noticia, que tendo fallecido a
bac>.arel Fulgencio Infante de Albuquerqu-
Mello, por qgm erara exercidos nesta comarca
0 lugar de ollicial do registro civil e de hype-
lllecas, creado pela lei geral n. 1,237 de 24 (I!
de Setembro de 1874, e conjunctamente, con>j
annexo. por Corea do art 3o da lei provincial 6.
1,660 de 10 de Junho de 1882. um dos oflicio-s
de tabelliao de notas, estabelecidos pelo arl. 2'
Ja lei tambera provincial 0.655 de 26 de Abril
de 1830, acha-se aberto o concurso para o pro-
vimento da serventa vitalicia de um e ouiro of-
licio pelo prazo de 30 dias desta data ; pelo qu"
i-o convidados os preteudentes a apresentaren
dentro do dito prazo, neste juizo, os requerimer-
to-que houverem de dirigir para csse fm a.
presidencia da provincia, devenfo instruil-os
com certidao de- idade, attestado medico de ca-
pacidade physica, folha comida, auto d: exam
.__.M*iais documentos que lites convierm juntar.
t; para que cheyue ao conhecimento de todo;,
raandei passar o presente, que ser affixado BO
lugar do costume, do que dar certidao o por-
teiro do auditorio, e se publicar pela iraprensc.
Dado e passado nesta cidade do Recife de
Pernambuco, aos 16 de Julho de 1889.
Eu, Antonio de Burgos Ponce de Len, escr.-
vao o escrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
1 MElHn EXEMPIKR EHCWTRAH
4 C. 10 a J. Salgueiro 4 C. 6 a Albino Cruz
4 C.; 1 a M. II. Ferreira da Silva, 73 a ordera, 20
a Bailar Irmaos 4 C, 10 a A. Loureiro C. 23
a J. F. Lima 4 C, 50 a A. Ricardo MktbetU Fer-
reira, 1 a D. J. A. Guimaraes.
Barca norueguense Speransa. entrada de Car-
diff, em 18 e consignada a J. i'aler 4 C, mani-
festou:
Carvao de pedra 630 toneladas ordem.
x>or! ;<;! o
RCIF, 18 DE JUUIO DB 1889
Para o exterior
No vapor inglez Thalcs, carregaram :
Para Liverpool, Atarantes 4 C. 3,000 kilos de
metaes vclhos.
Para o interior
>'o vapor francez Yule de Cear, carrega-
ram :
Para Rio de Janeiro, P. Carneiro 4 C. 1 X>
saccas com 9,'.28 kilos de algodo.
So patacho nacional Industrial, carretou :
Para Villa Nova, A.T.Lopes 3,000 saccoscem
9,000 kilos de carocos de algodo.
;>"o hiate nacional Xcptano. carregaram :
Para Aracaty, Fernandes Irmo 10 saceos
cora 400 kilos de milho.
Na barcada Loquinha, carregou:
Para Parahyba, A. Adolplio Gomes 1 barril
com 96 litros de alcol.
Sa barcaca Maria Olympia, -carregou :
Para Villa da Penha, M. Mencze3 10 sacco
com 500 kilos de milho.
l Na barcaca /. Assencia. carregou :
Para Alagoa's, A. Flores 16 eaixas con 128
litros de genebra.
Dlnhelro
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Alagoas, para :
Rio de Janeiro 13.590^000
Pelo vapor nacional Maranho, para :
Cear .84730
Maraitliio 3.0005000
Para 5.00OSO00
Rendlmentos publieos
HEZ DK JUNHO
Alfandega
Renda geral:
Do dia I 18 447:604S350
dem de 19 23.333*452
Renda provincial :
Do dia la 18 51:371*035
dem de 19 3:348*383
472:9398t)2
:>4-719*420
Somma total 527:659*222
Segunda seceo da Alfaadega. 19 de Jultio de
1889.
8thesoureiroFlerencio Doraingnes.
chefe da seccao -Cicero B. de MeUo.
Rccebedorla eral
Do dia la 18 12:082*011
dem de 19 620*681
22.702*692
ftecebedoria provincial
Do dia 1 a 18 127:338*112
dem de 19 1:386*263
Recife Drainage
Do dia 1 a 18 4:655*415
.128:7444375
Idemtdp 19
Mercado Uiiuicpal de W. alon
O moviraento desle mercado no dia 18 de Ju-
lho foi o seguinte:
Entraram :
37 1/2 bois pesando 5.044 kiicfs.
375 kilos de peixe a 20 ris 7*50*
31 cargas com farinha a 200 ris 6200
2 ditas com ilbo a 200 ris 400
3 ditas com feijitoa 200 ris 600
11 ditas de fructas diversas a 300 ri3 3 *30i<
12 taboleiros a 200 ris 2*401
13 suinos a 200 ris 2M0U
33 matulos com legumes a 200 ris 660-
Forara oceupados:
26 columnas a 600 ris 1360l>
1 escriptorio a 300 ris 300
24 compartimentos de farinha a 500
ris 12*000
24 ditos de comidas a 500 ris 12*000
8i ditos de legumes e fazendasa400
ris
16 ditos de suinos a 700 ris
8 ditos de fressuras a 600 ris
41 talhosa2*
Rendiraeato do da 1 e 17 do cor-
rente
33J60C
11*2(X
4*800
82*0011
201*100.
3:720*98'
Foi arrecadado liquid at boje 3:922*0St
Precos do dia:
Carne verde de 240 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 al* reisidem.
Suinos de 560 a 640 reis idera.
Farinha de 600 a 800 reis a cuia.
Milho de 480 a 560 reis idm.
Fe'iao de 1*200 a 1*600 idem.
Raadoui'o publico
Neste estabeleciraento forara abatidas para
consumo de boje 72 rezes pertencentes a div
sos* marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE JULHO
-Vera...............'I*
Ta)nar............ Ijj1
Cometa........... \|
SerjjffjM...........
Para.............
Sui........... Espirito Santo.....
Europa---- Aconmgua .'.......
Europa.......
Sul...........
Sul...........
Sul......-.....
Norte.........
Vapores a sabir
MEZ DE JirLHO
Buenos Ayres. Neva.............20 a
Ccara e esc... S. Francisco....... 20 as
Southampton. Tamar............21 as
Aracaj.....Mundnlm'
Sal..........Para.....
Norte........ Espintu SaiU<
Montevideo .. Ajfoncafa
* _,
siovlmeoto /
Navios aitradt'\
Santa Catharina 22 i/L
Ignalz Breum, de 2j
Ramissen, equipa
droca : a H. Lunc"
Liverpool e escal
chant, de 896 t
Platt, equipageu
Samnel L. John
Rio de Janeiro7
Ge 1337 tonela
Kvdd, equipa^
a Boxuell 4
Naviol

438*814
\



"p
Diarb de Pernambuc &bbado 20 de Julho de 1889
5a Sccc?
Pernambuco, em li de .Inli
Por cata secreta o, Je
ordea do Exm. Sr. vicc-presider,-
provincia, que,- tendo ''.aciano da Costa
Moreira requerido a concurrencia publi-
ca para o estabelecimento de urna fabrica
de cimento preparado con materia do
paiz, nos tenaos da !; n. 1987,*tfe 6 de
Maio deste anno, infra transcripta, iica
marcado o p aso de trinta djas, contados
de hoje, para o reeebimeato de j
em carta fechada, referentes a,u* da dita fabrica. (asignado) o secretario,
Francisco L. Marinho de Souza.
Lei n. 1987
Ignacio Joaquiui de Souza Leilo, ba-
cbarel em sciencias jurdicas e snciaes, t-
dalgo cavallieiro *da casa imperial, c-.\ -i-
lheiro da Ordem da Rosa 6 vice-presiden-
te da provincia de Pernambuc a :
Fac.o saber a todos os scus habitantes
que a Assembla Legislativa Provincial
decretou o eu sanecionei a resolutivo se-
guine :
Art. 1.- Fica o presidente da provincia
autorisado a conceder, por praso iropro-
rogavel de dez anuos, privilegio a quem
mais vantagens oiTerecer para montar, ne-
ta provincia, a priman fabrica de ciniejfci
to preparad com m*#ria % paiz. ^jft
Art. j. O cemento produzido pela fa-
brica de que se trata nao gomar .de isen-
cao de imposto algumnomdequaesquer fa-
vores directos ou indirectos que tenhaiu
por fim prohibir a entrada ou venda na
provincia de producto similar, nacional ou
estrangeiro.
Art. 3.Se no fim de dous annos, a
contar da data da presente le, nao esti-
ver a mesma fabrica funecionando regu-
larmente, a actual concessao de privilegio,
ser ipso facto considerada caduca.
Art. 4. Ficam revogadas as disposi-
cSes em contrario. Mando, portanto, a
todas as autoridades a quem o dbnheci-
mento e execuco da presente ResolucAo
pertencer, que a cumpram e facam cum-
prir tao inteiramente como n'ella >e con
tm.
O Secretario Interino da Presidencia
d'esta Provincia a faca imprimir, publi-
car- e correr. Palacio da Presidencia de
Pernambuco, 6 de Maio de 1889, 68." da
Independencia e do Imperio. (Assigna-
do).Ignacio Joaquim de Souza Lean.
Sellada e publicada a presente Resolu-
to, n'esta Secretaria da Presidencia de
Pernambuco, aos (J de Maio de 1889.
O secretario interino,
Manoel Joaqvivi Silveira.
crivao ; i o termo de pro-
les to q
Aos 16 dt Julie i ineu cartorio,
permite mico comparecerra o- suoplicaotes por
sen procurador Joaquim Jo u v por este
foi di lo que redala a termo o protesto constan
le da petico retro que offereeia como parte
:n que depois de IiI u&signo COffl as
iunba. seguintes : do que li/ i
o Macliado Freiit Pereira da Silva.
Joaquun Jos de Abren, Jovino Rodolpho de-Oli-
velra, Riw. do llejio Barro FaloSo.
Binis se nito continua em dito termo de pro-
test aqu Huimenfe copiado*.
E teodo o* justificantes produzdo sosa le-
depezeram cunvenieuieniente
acerca do ahogado na peticao no principio deste
copiada, o respectivo eciivo sellando -c pre-
parando osulos in's iVz concluios nos quaes
profer a sentenca fie .do modo, foima. ma-
eira e theor seguinte :
Vistea, procede a jusuficjcSo.' Passc\
editaes requeridos com o prazo de 30 das. Cus-
an ex causa, ltecife, 17 de Julbo de 1889.
Thomaz Garcez t'aranhos Monten*',
E mais 80 nio continua em dita sentenca aqui
copiada, em \irtude da qual o respectivo" c
vfo fez paasar o presente edilai, pelo ihcor Jo
qual chamo, cito e bei por intimados os ju-i;'
rados constantes da peucSo no principio dete
transcripta pira que compurecam hule cale jui-
zo. allegando e provnndo o que for a bam de
seus dirctos ilentro do-prazo de .'i) dial conta-
dos da [nib'ii'.ic ;i -:,-.
E para qcc i eoohecimeM ) de lo tos,
mi; o presente q:ie -era publicado
dor em 18 de Margo ultimo, ^^|
se da de 998:777,5528, total da!
a importancia de 3:8605000 p
presa em 1860, proveniente de ZUi canos
de ferro, 5 columnas e 5 bracos com lam-
pe8es, collocados fra do perin'
contracto.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Sipeira.
Empreza
AVISO
A empreza de illuminacao a idestacaz '
cidade por seu gerente, tendo visto
Diario de Pernambuco de hoje a publ
cao do cdital em que a presidenci da pro-
doa
az
o novo
as clau-
I'erean.hL
Subscrevo e a
re Pereira da *ilva.
'l'kwnz Gares Paranhos Montenegro.
T.' ecci*. Secretarla da Preniden-
ciu de Fi rnanii(->. f de Julbo
de isa.
Por esta ec retara se Taz publico que, por
portara do Exm. Sr. consellfeiro presidente da
provincia, foi prorogado por sesseuta dias, a
contar de boje o prazo marcado nos editaes de
23 de Maio e ti de Junho ullinos, para apresen-
tacao de propostas referentes fundaco dos
onze engenhos cditracs de que trata a lei n.
1,971 de ti de Marco deste anno observadas as
dUposices do art. 16 da lei n. 1860 de H de
Agosto de 1883 e n. 1971 do mencionado dia 22
de Marco.
O secretario.
Francisco Leopoldo Uarmho de Souza.
vrncia chama concurrentes para
contracto da illuminac*j mediante
sulas no mesmo enunciadas e serVindo de
cjuano foram avalladas pelo arbitro desem
patador as obras da mesma empreza,
base para a indemnisacao da propreza
actiu;! a quntia de 9'Jd:777r)."X>8, por
quantia essa que dever ser pag pelo
novo
Secretaria da confraria de S.
Jos d'Agonia, 17 de J\-
lhode 1889
Por deliberacae da mesa conjuncta de lioe
jumo, convido iodos os irmaos a com parecern
no consistorio da confraria domin-o 21 do cor-
rente, peas ) horas da manha, para reunio di
mesa geral. r
Manoel Francisco dos Santos e Silva
_______ Secretario.
u u
II
A
nambuco, 22 de Junho de 1889.Por es-
ta secretaria se faz publico, de ordem do
Exm. Sr. vice-presidene da provincia,
que fica prorogado por 30 dias, a contar
de hoje, o prazo para a apresentaao de
propostas de concurrentes fundaco de
onze engenhos centraes nesta provincia,
nos termos da leia n. 1972, de 22 de
Marco do corrente anno, observadas as
disposicoes constantes dos editaes de 25
de Maio ultimo e 3 do corrente.
Servindo de secretario,
Emiliano Ernesto de M. Tamborim,
5.1 seccio. Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 29 de Abril de 1889.
Por esta secretaria se faz publico, de
ordem do Exm. Sr. Dr. vice-presidente
da provincia a nos termos do 2o do art.
l'da lei n. 1,901 de 4 de Junho de 1887,
ue, tendo-se concluido por meio de laudo
e arbitro desempatador, aquestao de ava-
iacao do material da empreza de illumi-
nacao gaz desta cidade, tica aberta
a concurrencia, com o prazo de seis mc-
zes, contados da data do pi esentc edital,
para contracto da dita illuminacao, me-
conractante, vem pe'.o presente-
aviso, e para evitar duvida Cutaras, de-
clarar que dita avaliaciw nao pode servir
(ie ba:e para tal indewnisacaoj por ter
si(Jo iliegai e irregularin como que contra ella jil protcs ou, qner
peranto o Exm. Sr. presidente da pro-
ia, quer perante o juizo dos fcitos da
jfazenda, tendo sido intimado do mesmo
[protesto o i)v procurador dos feitos da
Fasenda Provincial, como representante
da provincia. '
E como quer que deva em tempo op-
portuno fazer valer seus direitos contra
quem de direito for, deliberou fazer a
presente publicacao para scieneia dos in-
teressados.
Reeife, 1 de Maio de 1889.
George Windsor,,
Gerente.

DECLARARES
Di
ia
mu .
A REALIS AR-SE NO
M de.Jullio de 1889
A's 11 horas em ponto
Komoii
I
datura-
lid.
Cor da venti-
menla
Proprielarioa.
Io Pareo Conutolaeo 800
metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho nos
prados do Reeife em maior distancia. Premios: 2005 ao 1", 40 ao 2 e 205 ao
1 Bostock.
2;Phebo...
Sicretaria da presidencia de Per-1 diante as seguintes clausulas da citada le:
f Por deliberaco da directoria do Hippodro-
mo de Campo Grande foi vedado o ingresso na
secretaria desta sociedade e no ensilhamenlo do
mesmo Hippodromo, e bem assim imposta a
prohibico de inscrever animaes at que ocon-
tnrio se resolva ao 8r. Djalma Moreira da Silva,
sendo tambem suspenso os cavallos Coupon por
seis mezes e Apollo at ulterior deliberaco.
O coronel Joao Emiliano da Costa Albuquerque,
vereador mais votado, presidente da Cmara,
servindo de juiz municipal e do commercio do
termo de lpojuca da comarca do Cabo, em
viriude da lei, etc.
Fago saber aos que o presente edital de praca
virem que o porteiro interino dos auditorios
deste juizo ha de Irazer publico piego de
venda e arremitaefio a quem mais der e maier
lance oiTerecer, em o dia 22 do corrente mez, as
II horas do dia, porta da cusa das audiencias
leste juizo, a parte do engenho S. Joo dete
termo, dagua, moente e convnte, com todas as
seas obras, matas e logradouros, avaliada por
10.336OO'J sobre o vaior total de 4o:('00,3 dado
ao mesmo engenho, e penhorada a Luiz (onral-
es da ~ilva 4 Pinto, por execuco que Ibes
EOTem Lewis Eherman e outrns.
E para que ebegae a noticia tod')s. se pas-
sou o presente qu ser anisado no losar do
ostume.
Dado e passado nesta villa de lpojuca, aos 12
de Julbo de 1889.
Eu. Jos (i nuino Ferreir. e?crivo,oescrcvi.
Joao Emiliano da Costa Albuquerque.
5.a seceo.Secretaria da i residencia de Per-
nambuco em 10 de Juiho de 1889 :
For este, secretaria se faz publico para conhe-
cimento de quem interesar, que. a requeriraen-
fo de Jos Bernardino de Bourbom Arantes, Ii-
ca aberta a concurrencia, com o praso de trinta
lias, contados desta data, para o recebimento
de pronostas referentes fundaco de um enge-
-ho central de typo maior, de" que trata o art.
18 da lei n. 1865 de 11 de Agosto de !Ks5, me-
diante-as condices do art. 16 da mesma lei e
4a de n. 1972 de 22 de Marco ullimo.
(Assignado).O secretario, Francisco /.. Ma-
rinho de Souza.
O Dr. Thomaz Garcez Paranho Monte-
negro, commendador da imperial ordem
da Rosa, juiz de direito especial do com-
mercio desta cidade do Rcfe, capital da
provincia de Pernambuco por ana Ma-
gestade o Imperador a quem Dais guarde
etc. etc.
Fago saber aos qud e presente edital rirem
ou d'ellc noticia tiverem que por parte de Amo-
rim, irmos & C. me foi dirigida a peticao que
do theor seguinte :
Illm. c Exm. Sr Dr. juiz de direito especial
do commercio.fflzem Amorira, Irmos & C.
que sendo credores de Jos Ignacio Monteiro
^ C, pela quantia de 6:30< de quatro ledras
secadas a .10 de Junho de 1884, todas do
ilceite dos mesnws, trez ta quantia de 2:0005
"cada urna ; urna a prazo de 30 dias : urna a 5
mezes : e outra ao firazo de 8 mezes e outra da
Haantia de 3005 a prazo de 30 dias ; bem como
io eredores de Jos Pinto Ferreir por urna
ettra de 9905000, saccada pelos inesmos Jos
guaci Monteiro & C em dala de 16 de Agosto
He 1884, prazo de 4 mezes : e ainda de Jos
le Mendonca jJego Barros por urna lettra de
l:0C00t)0 saccada pelos mesmo? Jos l2nacio
Jonteiro 4 C. em 13 de Agosto de 1884, 9
ijefcs de prazo, e ainda de Joo Lius Machado
*l quantia de 4003000 por urna lettra sarcada
ntloi mesmo i Jos Ignacio Monteiro a C. em 10
de inho de 1884, 9 mezes de prazo e que-
retc i os suppcaules garantir os seus direitos
para qae nao prescrevam, requerem a V. Exc.
Ipgnt-se mandar tomar por termo o protesto
j^oe fczem para que lique interrompida a pre-
!*crinio. afira dos supplican'es poderem oppor-
ntereceber a importancia de quesocre-
i(^ com os respectivos juros, sendo o pro-
i^limado na forma da lei aos acceitantes
Was rdfpf'das letlras: e porque os supplicanles
inorei*a actual morada dos sunplicaaos, reqee-
fem a'\\xc. os admitta justificar a ausencia
pm iu"'arlincerto e nao sabido para oeffeito de
passan'.T.lP6 cartas de edites n* forma da lei, pro-
-epuindo-St R0S nlter,ore3 termos do processo
1
Abren.
i peram recene- mera*. Re-
r.Julbo de 1889.Joaquim Jos de
1K

ate, na qoal dei o despache
iem. O escrivho designe dia.
|o de 1889.- Montenegro.
'. e mencionaos
l
tala
3.a Nenhnraa proposta ser recebida
sem que o proponente com ella aprsente
documento de haver feito no Thesouro
Provincial deposito da quantia de 2:0005
em dinheiro ou apolices da divida publi-
ca, para garantir a aceitacie do contracto,
no caso de ser preferida a sua proposta.
4. O deposito, a que se refere o pa-
ragrapho antecedente, nao| ser retirado
pelo cvntractar te seno lindo o contracto e
I servir de caucSo para os pagamentos de
multa e fiel comprimento das clausulas,
que forera estipuladas no mesmo.
| 5. O contracto so poder ser feito
com quem melbores vantagens offerecer
na concurrencia.
6. A nao ser no caso do paragrapho
antecedente, a actual empresa n2o ter
preferencia a qualquer outro proponente.
| 7. O nove contractante sera obriga-
do indemnisacao, a que a provincia
sujeita por forca da clausula decima ter-
ceira do contracto em vigor, devendo dita
ndeninisacSo ter lugar de accordo com
essa mesma clausula, e cando o material
e obras da empreza hypothecados pro-
vincia at que esteja realisada a Indemni-
sacao ou pelo menos depositada a respecti-
va importancia.
8. O prazo do contracto no poder
exceder a 30 annos.
9." Opreco da illuminacSo, quer publi-
ea, quer particular, n2o poder exceder de
260 ris1 o metro cubico de gaz, fazendo-
se urna reduccSo de mais de 30 "\0p para
os cstabelecimentos de caridade e benefi-
cencia, e, reparticoes publicas.
| 10." O systema mtrico, si fr mais
conveniente, ser adoptado para a medi-
ca do gaz.
| 11." A luz ser clara, brilhante e isenta
de substancias cstranhas, que possam pre-
judicar a illuminacSo e a hygiene publica.
12. A intensidade media da luz ser
equivalente a de dez velas de espermacete,
das qne queimam sete grammas por hora,
correspondentes a 120 graos inglezes.
13.a As horas de illuminacao publica
8erao fixadas pelo presidente da provincia
no principio de cada anno, nao pudendo
ser em numero menor de seis, nem maior
de dez, devendo ne3te caso haver urna
redaec no prego do gaz correspondente
ao acrescimo de horas.
J 14." O contractante ser obrigado a
ter na provincia um representante com
plenos e Ilimitados poderes para tratar e
definitivamente resolver as questies que
se suscitarem, quer com o governo,
quer com os particulares, ficando sujeitos
todos os seus actos s leia e regulamen-
tos c jurisdiccao dos tribunaes judicia-
rios ou administrativos do paiz.
| 15. O contractante ser obrigado a
collocar e construir sua custa um ou
mais gazometros, se houver necessidade,
nos lugares que o presidente da provincia
designar, e a introduzir todos os melho-
ramentos que durante o prazo do contrac-
to se forem descobrindo, urna vez adopta-
dos na corte do imperio ou em alguma ca-
pital da'Europa.
16." O pagamento da illuminacao pu-
blica e particular ser feito em moeda do
paiz, sem attencSo oscillacao do cambio.
17. O contractante poder organisar
companhia, a qual ficar subrogada em to-
dos os direitos e obrigacoes do contracto.
18.* Para as despezas com a fiscali-
saco do servico de illuminacao o contrac-
tante concorrer annualmente com a quan-
tia de 3:000f$000, que Berilo recolhidos ao
Thesouro Provincial.
| 19." O presidente da provincia esta-
belecer as multas e mais condiedes, no
intuito de garantir a boa execuco do con-
tracto, quer com relacao a illumineao pu-
blica, quer com a particular
Faz-se publico, finalmente, qne novo
contractante ter de pagar actual i
ArBza. conforme o S 7a cima citara
i'roiiinsaniiiiKi da estrada de rerro
do Recire ao H. Francisro e estra-
da i ferro do Reeife a Caruar.
De ordem do IPm. Sr. director faco publico e
para couliccimento dos Srs. interessados, que
Iica transferida para quando for annunciada a
concurrencia ltimamente aberta para o forne-
cim,ento de 20,000 dormentes quinta diviso
do prolongamento.
Seca-tana do prolongamento da estrada de
ferro do Reeife ao S. Francisco c estrada de
Ierro do Reeife a Caruan'i, em 18 de Julho de
889.
0 secretario,
A- (. de Ijusnao Lobo.
Colonia Orphanologica Isa-
bel
Ue ordem da directora desta colonia previno
aos Srs. tutores ou protectores de menores des-
pachados para quando houver vagas, de nao os
apresentar sem serem chamados' fpor este Dia-
rio, por nao haver vagas presentemente.
Secretaria da Colonia Orphanologica Isabel.
16 de Julho de 1889.
O secretario,
______ Francisco Goncalves de Siqueira.
Companhia Ferro Carril de
Pernambuco
DIVIDENDO
Do dia 23 do corrente ein diante pagase no
escriptorio central desla companhia, no Rio de
Janeiro, o 14. dividendo, correspondente ao se-
mestre de Janeiro a Junho, a razo de 44000 por
aceto. Reeife. 1S de Julho de 1889.
Catle......
Muscadim ...
Leo......
Marat.......
7 L'birajara ...
8:Bonjour.....
9 Zambo......
lOlPalermo.....
11 Rosa de Ouro
12|Patory-----^.
13IOuroPreto .
14jNovidade...
Io| Pisquerrim..
Hi l'diailmanlo.
4
5
5
4
B
i
5
."i
4
s
3
4
'4
4
4
5
Castanlio Pern .....
9
Russo...... b
Baio .....
Pedrez...... m
Rodado..... o
Russo.......
Zaino:..
Castanho ... .
.
Castanho... ,
Rodado.....
Caxito ------ a
Castanho___
Alazo......
Baio........
53
55
55
53
So-
So
So
55
53
35
50
53
53
53
53
Grenat eouro,...
Azul e bronco........
Dias Pessoa.
Coudelaria 1 de Junho
Joaquim Oliveira.
Arcnel.
C. Ronback.
R. Pessoa.
J. H. Paes Barreto.
Encarnado e bronco- -
Ama:ello e azul......
Azul e rosa..........
Encarnado e bronco.. Carlos A. Barbosa.
Preto escossez e ouro. F. R. Ramos.
Azul e bronco.........Rodolpbo Jarme.
Encarnado e bronco.. "
'Azul e bronco.......
Rodolpho A. d'Araujo
Jos Teixeira Costa,
los Cavalcante.
.........'Jos Valen le.
oudelaria Imperial.
53 iBranco preto e ene. ..Alfredo Marques.
2." PareoPrado da Estancia 1.200 metros-Animaes nacionaes at meio saneue
Premios : 300 ao 1, 605 ao 2 e 305 ao 3o.
1 Aymor.....| 5
Mimosa.....
Corcovado...
Reeife .
! Maestro
6|Mandarim...
7'Minerva.....
8,Risette......
9!Ruv-Blas....
Castanho ... S. Paulo...
Alaz.......1
Castanho.... Rio de Jan.
Tordilho___;S. Paulo..
Rosilho
Douradilha..
Zaina.......
Alazao......
54
U
51
H
N
51
i li
66
H
tAzul o amarello......INemo.
Azul e grenat........
Encarnado e ouro___
Vefde e amarello....
Rosa e preto........
Azul bronco eenc___
Azul e ouro..........
C. A. Fernandes.
Coudelaria Paysand-
Danton.
Sydronio I. de Mello.
Coudelaria Crnsero.
Prazo de 30 das
Pela inspectora desla alfandega se faz publi-
co que no da 20 do mez de Agosto vindouro se-
ra arrematadas porta desla repartico,
mercaderas contidas nos voluraes abaixo men-
cionados, nos termos do tit 5. cap. 5. da con-
soliduco das lei das aKandegas e mesas d<-
rendas, se os seus donos ou consignatarios nao
as despacharem e retirarem no referido prazo
de JO das, a contar da data deste edital, soi)
pena de, lindo o mesmo prazo, serem vendidas
por sua conta sera que lhes fique direito de ;>' -
legar contra 03 effeitos desta venda :
Armazem n. 1
o ,,nroaSAA e C0Dtra r5arca Hp&c- ca'xa k.
s.4*9. vinda de Hamburgo no vapor, allemo
teara, entrado em 30 de Setembro de 1888, coi -
i nada ordem, contendo tres pegas de meri-
no de pesan io liquido 22 kilogrammas, e 6
pegas de tecido de seda com toda trama de 16
pecando liquido 32 kilogrammas.
Armazem n 3 '
Marca triangulo e FMS&" no centro, 21 caixa*
ns. 4 2i, contendo elixir medicinal, pesaude
liquido legal 171 kilogrammas.
2 ditas ns. 25 e 26, contendo pomada med
nal, pesando liquido legal 10 kilogrammas.
-i dita? ns. 27 30, contendo livros iaipressos
pesando liquido legal 360 kilogrammas. Tota!
27 caixas, vindas de New-York no vapor amerr-
cano Alliance, entrado em 27 de Abril idem
consignadas a Francisco Manoel da Silva 4 C.
Marca AMV&C, 1 atado de tres caixas ns. 1
3, vindas de New-York idem. idem idem em 24
de Agosto dem, consignadas a Antonio M. Ve-
ras & C, contendo perlamarias, pesando 72
logrammas.
Armazem n. 4
Marca M&C e contramarca R. 1 caixa n. 2,644
vinda do Havre no vapor francez Ville de Beno>-
Ayres, entrado em 5 de Setembro idem, consig-
nada a Alves deBnto-ft, contendo envelope-
para carias sem uipresso, pesando 211 kilo-
grammas.
Armazem
n. o
Oliveira 4 C.
Rosa e preto........ JA. Silva.
3. PareoFrobidade1.000 metrosAnimaes da provincia que nao tenham ganho este
anno em maior distancia nos prados do Reeife. Premios 200$ ao Io, 405 ao 2 e 205 ao 3U.
IlElo.
2
3
I
6
6
Topy.......
Almirante...
Cyclone.....
Pirrara......
Esquimo. .
Castanho
Baio .......
Castanho.. ..
Rodado......
Castanho___
Rodado ....
Pern.
) 55
55
68
63
53
55 Encarnado e bronco..
Encarnado e bronco.
Grenat..............
Azul e bronco.
J. Dutra.
Francisco C. Reseude.
Rulino Cardoso.
Simos Barbosa.
F. Floro Leal.
Augusto de Miranda.
Companhia Indemni-
sabora
A directoria da ICorapanhia de Seguros In-
demnisadora, de conformidade com o art. 26
r dos estatutos, convoca urna assembla geral
extraordinaria para o dia 23 do corrente ao meio
dia na sua sede. O fim da reunio tratar de
assumptos relativos inleresses da mesma com-
panhia.
Reeife, 3 defJulho de 1889.
Os directores.
Antonio da Cunta F. Bailar.
__________ Jos Ferreir Marques.
A.vsorfavilo los Empregadog ao
< o ni ni <-r<-io de Pernambuco
AS8EMBLKA GERAL
De rdem do Illm. Sr. presidente convido a
todos os Srs. consocios para a sesso ordinaria,
que ter lugar no prximo domingo, 21 deste
mez, s 5 horas da tarde.
De conformidade com o disposto no art. 35 f
1 dos estatutos, ser essa sesso paro as elei-
cOes da mesa desta assembla, directoria e com-
misso de exame de contas, podendo tratar-se
de quaesquer outros assumptos.
Resolver-se-ha a respeito da reforma dos es-
tatales.
Espero que os Srs. socios se compenetraro
da grande necessidade de que assumptos to
importantes tenham soluco prompta.
Secretaria da assemba geral da Associaco
dos Empregados no Commercio de PernamBu-
co, 18 de Juiho de 1889.
Augusto da Silva,
Secretario ad-hoc.
Irmandade do Sehor Bom
Tesas das Chagas
Elelrao
Em cumprimento de ordem da mesa regedora
e de conformidade com o cap. 8. do nosso com-1
promisso, e com o despacho do Exm. Sr. Dr.'
juiz de direito da provedoria, convido a todos I
os irmos que se achare no goso de seus direi-
tos, a comparecerem em nosso consistorio no
da 21 do corrente, s 10 horas da manha, allm
de em assembla geral eleger os fuoccionarios
para o anno compromissal d 1889 a 1890.
Consistorio em mesa, 19 de Julho dj 1889.
Amaro Joaquim do Espirito Santo
3- detinidor servindo de secretario.
&. Pareo Internacional 1.400 metros Animaes de qualquer paiz. Premios: 5005
ao 1, 1005000 ao 2> c 50*000 ao 3v
Eslenhanie.
Vanda......
Aspasia
Fagotin.....
Diana.....
Castanho
Zaina
Alaz
Inglaterra.
R. da Prala
Inglaterra.
Franca ...
52
55
51
57
49
Azul e ouro........
Azul e amarello.....
Ouro e bronco.....
Azul e ouro........
F. C. Rezende.
Xautilus
Guimares 4 C.
Coud. Internacional.
>.'
Pareo Imprema Pernambnrana 1-300 metros-
nao tenham ganho em maior distancia. Premios : 2501 ao Ia
Animaes da provincia que
505 ao 2 e 255 ao 3o.
General......
Florete......
Amaury ...
Good m o r-
ning.......
Cndor.....
Village......
Tupa.......
Rosilho ....
Castanho
Alazao......
Rodado......
Baio.........
Melado......
Pedrez .....
Pern.
54
54
51
54
5i
54
54
Bronco e preto......
Encarnado e bronco-
Azul c rosa..........
Preto, ouro e escossez
Grenat.............
Encarnado e bronco.
Joaquim D. C. Braga.
Francisco Freir.
01 i vio M. P. Barreto.
Rufino Cardoso.
H. Antonio Duarte.
Jos Joaquim Dias.
Jos Mello.
6. Pareo -Compennacio- 1.100 metros. Animaes de qualquer paiz que nao tenham
ganho no Derby em maior distancia. Premios : 4005 ao 1-, 805 ao 2* e 405 ao 3.
Josephus. -
Estephanie..
Vanda.......
Brazil......
Fagotin.....
Gallia.......
Minerva. ...
Castanho...
Zaina......
Alazo.
Douradilha
Franca. ..
Inglaterra.
R. da Prata
Franca ...

Inglaterra.
S. Paulo...
60
55
58
54
60
58
47
Ouro e bronco.......
Asul eouro..........
Verde e amarello. ...
Azul e amarello...../
ouro..........
Ouro e branco........
Azul, brauco e ene...
M. Guimares.
F. C. Rezende.
Nautilus.
Coud. Independencia.
Coud. Internacional.
Coudelaria Emulaco.
Coudelaria Cruzeiro.
Pareo K mu lacio 1.200 metrosEguas da provincia.
305000 2 e 155000 3'.
Premios : 1505000 l
Simiramis.
Stella.....
Coruja.....
Fada........
Fantina-----
5
I
4
3
4
Castanha.....
Zaina.......
Rodada......
Castanha ...
Pern.
54
31
:;i
U
SI
Preto, ouro e escossez
Azul, branco e ene.
Vilela e ouro....
Jos Cavalcante.
R. Cardoso.
M. J. de Miranda.
Joaquim Hedro.
M. P. de Albuquerque.
a3BS3eDavjLg)QDes
Os animaes inscriptos para o Io pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 Ij2 horas da manha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos, dover3o estar no ensilhamento
pelo menos urna hora antirs, da determinada para o parco em que tiverem de correr.
Pcde-se attencSo dos Srs. proprietarios para os additamentos feitos ao regi-
ment interno do Derby Club de Pernambuco e para os rticos 9, 10, 25 e 95 do
mesmo regiment interno.
O expediente desta corrida cnc|rrar-se-ha sabbado, 20 fle Julho de 1889
aa 3 horas da tarde.
A venda de noiiles encerrar-se-ha 20 minutos antes de cada corrida.
HORARIO
1. pareo.
2. pareo
3.a
4.
MAZZA
Club Garlos Gomes
PBOGBAUHA DA PASTE CONCERTANTE DO
SARAO EM 20 >0 CRENTE
1.Symphonia da opera Campa-
none pela orebestra
2. Mta sposa sar la ma bandiero
romance para barylono
3.'I$ luguenots, phantasia paro
violino
! Revene, para flauta e pUn
pelos Srs. Gervasio Castro e
Claudio Filho '
La chasse, galop pan flauta e
piano
S.*Trovatore. aria para ba
6.*Zampe
lino
pareo,
pareo,
pareo.
6. pareo,
pareo.
7.
11 horas e m.
11 > e 50
12 e 40 >
1 * e 30 >
2. e 20
a e 10
4 > e
Marca F&I, diamante e B no centro, 2 cesto-
ns. 33 334 e 335/344, vindas de Liverpool no'
vapor ingles Kdwtor, idem em 6 de Abril dem
consignados a Pernandes & Irmo3, contendo
amostras de louga.
Sem marca, 7,550 botijas de barro ordinario
pesando liquido 8,078 kilogrammas, vindas de
Hamburgo na barca dinamarqueza Atina Gaspar,
entrada em 21 idem i iem, consignadas ordem.
Armazem u. 7
Marca EF, 1 caixa n. 29, vinda do Havre n,
vapor francez Ville de Macev, entrado em 18 de
Outubro idem, ordem, contendo 10 l/2duzia-
de oculos de ferro, fixos, 1 kilogramm de plis-
s de algodo e 4 kilogrammas. peso nos enve'-
torios, de bijeuterias
Marca triangulo e GJ no centro, 3 caixas ns-
573 e 375, vindas de Liverpool no vapor inglez
Aulhor, entrado em 4 idem idem, nao consta a
consignago contendo parafus03 de ferro de
mais de 10 milmetros, pesando liquido 456 ki-
logramm s-
Marca HSP&C. 10 barricas ns. 1 10, vindas
de New-York no vapor americano Finante, en
trado em 28 de Ftvereiro idem, consignadas a
Hermes de Souza vereira A C, contendo tinta
preparada a oleo para pintura de casas, pesando
as latas 1 760 kilogrammas.
Marca diamante. 16 no centro, DS em cima p
GP em baixo, 8 barricas ns. 8/15, vindas de
Londres na barca allema Magaretlta, entrada em
23 de Outubro idem, consignadas ordem, con-
tendo er, pesando liquido legal 1,284 kilogram-
mas.
Marca JFF, 3 garrames, vindos de Hamburgo
no navio allemo Atalanta, idem cm 16 idem
idem, a Joo F. Ferreir, contendo emlhas e
sag estragados, pesando 10 kilogrammas.
3. scelo da Alfandega de Pernambuco, 19
de Julho de 1889.O chefe
_______ Domingos Joaquim da Fonseca.
Prado S. Jolto
Programla da t corrida
1 pareo-Evtra-SOOmetros. Premio : 155000
2o parooConsolaco-800 metros. Premio : .
205000.
3o pareoProlongamento1000 metros. Pre-
mio: 235000.
4" pareoAmaral e Silva -900 metros. Pre-
mio : 305000,
5o pareo Capito Amador1200 metros. Pre-
mio : 1003000.
A inscripcao encerrar-se-ha sbado 20 de Ju-
lbo de 1889 s 3 horas da tarde.
O seeretario,
Luiz do Amaral.
DO
Capital.....20,000:0005000
dem realisado 15,000:0000000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 42, sacca, vista ou
a prazo, contra 06 seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LondresBanco Internacional do Brazil.
ParisBanque de Paris et des Pays Bas.
LondresLondon & County Banking Oom-
pany Limited.
AttemanhaDeutsche Bank.
BlgicaBanque d'Anvers.
ItaliaBanca Genrale e suas agencias.
HeepanhaBanco Hypothecario de Espa-
a e suas agencias.
PortugalBanco de Portugal e suas agen-
cias.
Rio da PrataThe London & River Pa-
te Bank Limited.
Nova YorkG. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praga do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
moviftento com juros na razan de 2 % a0
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente,
\\ illiam M Webster..
Reeife, 18 do Julho de 1889.
O GERENTE,
Henrique Schulet.
Irinandade da Gloriosa San-
t'ADnada igreja da Madre
de Deus
Eleicao
conformidade com o art
lisso, sao convidados todos os
I a comparecerem domingo 21 do coi
10 horas do dia, no consistorio da igi
idrc de Deus, para proceder-se a eleicao^^B
mesa regedora que tem de funecionar no I nt
compromissal de 1889 a 1890.
aistorio da irmandade da Gh
Anua da igreja da Mad;
de 1889. "
s. p,. c
Moriedade Recreativa Cmmercial
.Sarao* trimestral em 17 de Agosto
Scientilico aos senhorns socios.e convidados,
que depois da grande reforma porque pa-
os salces desta sociedade, fieos designado
:oximo para o sarao trin
SANTA CASA '
CASAS' PARA ALIGAR
Ra do Vigari Tenorio n. 27, loja 200*000
dem idem n. 22, 2. andar t 180*300
dem idem idem, 3. andar 180JQ00
dem do Bispo Sardinha (Encanta-
mento! n. 11. 2. andar 2400G0
dem do Mrquez de jinda, n. 44, .-
brado de dous and 2:131*000-'
dem idem n. 33. idem idem i:*
'dem do Bom Jesus n. 29, loja 216*000 "
dem do Bom Jesus n. 29, i. andar 2405000
dem,idem 2o andar 240^000
dem i de Souza
n. 14
dem da Seoaala velha n
Mead
J

<


Diario de Pernambuco---Sabba9Jb 20 de Julho de
PERNAMBUCO
,?\

'*2*rf"r~'>
CHANDE PREMIO
m mmmmm
KODIA 15 DE DEZEMBRO DE 1889
i. Aonhersario DO
PBADO DA ESTANCIA
Animaes de qaalqner paizDISTANCIAS.500 metros, pesos : 3
annos 48 kilos. 4 annos 53 kilos, 5 anuos ou mais 55 kilos. As
eguas qarregaro menos 2 kilos. Os animaes nacionaes carregarSo me-
nos 5 kilos do que o que lhes competir pela idade c victorias obtidas
no Prado da Estancia. A idade para o peso ser contada pela data da
inscripcao.
PREMIOS:
4:000000 c ama medalha commcmoraiva ao primeiro.
1:200&000 ao segundo, 800000 ao terceiro e ao quarto salva a entrada.
Entrada 320OO0, sendo 1605000 : no acto da inscripcao em de Xo-
Tcmbro de 18S. c 160000 em 3 de Dezembro do mesmo anuo.
As declarares de FORFAIT. 1603000 serSo recebidas at o dia 7 de De-
zembro de 1889.
Recife, 18 de Julho de 1889.
O GERENTE,
Henrique SchuleL
PROVECTO DE INSCRIPCAO
Para a 29.
corrida a realisar-se em 28 de
Julho de 1889
1." PAREO ConsolaeSo 800 metros. Animaes da provincia que ainda nao
tenham ganbo nos prados do Recife. Premios : 200000 ao primeiro,
40^000 ao segundo e 20>000 ao terceiro.
2. PAREO i. de Jnlho 1.300 metros. Animaes pelludos do paiz. Pre
mios : 300-5000 ao primeiro, 605000 ao segundo e 305000 ao terceiro.
3*. PAREO Vcloeldade 900 'metros. Animaes da provincia que nao tenham
gan'o em maior distancia. Premios: 2005000 ao primeiro, 405000 ao
segundo e 205000 ao terceiro.
4. PAREO Prado Pcrnambucano 1.500 metros. Animaes de qual-
quer paiz. Premios: 5005000 ao primeiro, 1005000 ao segundo e
505000 ao terceiro.
5. PAREOFerro Carril 1.200 metros. Animaes nacionaes at meio sangue.
Premios: 3005000 ao primeiro, 605000 ao segundo e 305000 ao terceiro.
6. PAREO Derby Clnb de Pernambuco 1.609 metros. Animaes da
provincia. Premios: 2005000 ao primeiro, 1005000 segundo e 305000
ao terceiro.
7." PAREO Imprensa Pernambncana 1.200 metros. Animaos da pro-
vincia que ainda nao tenham gacho em maior distancia nos prados do
Recife em 1889. Premios: 2005000 ao primeiro, 405000 ao segundo e
205000_ao terceiro.
Observares
S serlo aceitas para cada pareo quinze propostas. Cada cnveloppe dever
conter urna s proposta, e caso appareca mais de urna, s ser 'acceita a primeira
que for liHa, sendo recusada a proposta que nao vier acompanhada da importancia
da inscripcao.
Nenhum pareo se realisar sem que se-inscrevam animaes de tres proprieta-
rios differetes.
A inscripcao encerrar-se-ha te rea-f eir, 23 do corrente as 6 horas da
tarde na secretaria do Prado Peruambucano, ra do Imperador n. 83, 1. andar.
Recife, 18 de Julho de 1889.
Francisco de Souza Res,
GERENTE.
COUPAMIIl PEBYtMBICAXA
DE
Xavcgaco costeira por vapor
POMOS DO SUL
Macci, Penedo c Aracajo'
O vapor Mandahii*
Commandante Alcides
Segu no dia do 22 Julio s
aoras da tarde. ccebe car-
0 dia 21.
Etacommendr./, passagena e djnbaros
t as 9 hora; a partida.
CRIPTCJjIO
Ao Ce .'ompanhia Pcriamuu
n. 1?
Roy al Mail Steam Packet
Companhy
O vapor Tamar
m
Lisboa.
lerado dosul no dia 21 d;-
Juihb, seguindo lepois -da demora
necessaria para
Yigo. Sonthampton c
Antuerpia
F

EedticcGO de passagens,
t vo'.ta
boa 1 dasse t 0 x 30
A'Southamptonl'classe ,x 42
Camarotes reservados par o
Pernambuco.
pgrapasqagcaa fxetes, eccommendas, rato-Be
i os
AGENTES
K .moii&klrmaos & C.
do Bom J|suN. 3
Opaqu
Rio de Janeiro, Rio c: rande do
Sai. Pelotas e Porto-Alegre
O vanor ioelcz Come* a
Companhia Brasileira de
Navegado Vapor
POKTOS D0.SUL
O vapor Para
Commandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do norte
85 de lalho <,e depois da de-
I ara os
portos do snl.
As encominendas sero rccebidas no trapiche
3arbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas o .do-
res trata-se coin os iGENTES.
PORTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandante < 'arlos Antonio Gomes
E' esperado dos portps do su! at o
, (lia 27 de Julho e seguindo depois
|da demora indisper.savel para os
portos do norte al Mandos.
As encommendas s sero recebidas na agen-
cia at 1 horada tarde do dia da sahik
Para carga, encommendas, pu.ssag4|| e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
St=Rua do Commercio=6
afana
: | : i chegar para
ife-eira *3 do eors'ente
A's 11 Iioras
as, aotorisado pelo proprielurio
i ra da raperatriz n. 82,
definitivamente do "negocio, far
da araaco e mercadonas da referida
que s
leilO
loja.
Nao se i? lira lote algum, pas a liquidagao
dt'liniti
nie-sfeacasa aotoroprador da arm
Os amiffos do bom e barato aprovei-
tem o queima
De 150 r.
envcloppes
lhos, quadt
urna.
Te
Leilao
unas de papel para carias e officios,
papel pard erobrulho, movis, espe-
8 e cadeiras novas a lj5750 cada
feira. 13 de Paiho
A's 11 horas
da ra do Bom Jess n. 45
gente Pinto
JLeo
1-889

A viuva d o portnguez Ber-
nardo Jos da Silva Guima-
raes que bi negociante a 9
annos passados, na ra Ba-
rao da Victoria, antiga ra
Nova, 'precisa-se fallar. com
essa senhora, na ra Duque
de Caxias n. 50, sobre nego-
cios de seu proprio interesse.
Para os csvaes
A' ruatla soledade n. 50, j)reparam-se,
com limpesa, mestria e commodidade em
pregos: bolo, po-dc-lt, cangica, arroz de
Icitc, pirmides de doces d'ovos, vatap,
bandeijas para casamentes < baptisados, etc.
Recebem-se as encommundas quer para a
cidade, querpara fora d'ella.
li
Io andar
COSIPUIA^iA PEttXASIBlCA^IA
DE
Xavesaco costeira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyha, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
S. Francisco
O
vapor
Commandante Esteves
Segu no d'a
horas da larde,
dia 19.
10 de Julho s 5
Recebe carga al o
Encommendas, passagens e dinneiro frete'
at s 3 horas da tarde do dia 20.
ESCREPTORIO
Ao Caes da Companhit Pernambucanu
n. 12 ____
Companhia Bahi ana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Bahia
vapor Sergpe
Cemmandante Rebello
E' esperado dos portos cima
at o dia 22 do corrente, e de-
pois da demora necessaria te-
eressar para os raesmos
Para carga, passagens, encommendas e dinnei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Pa do Vigario 17
De bons-^iovois, quadros, jarros, forro de
tapeto faro- sala, bichos cheios, cavallos
de sella e de corridas
fEOA-FEIRA. 23 D CORRENTE
A's 11 horas
Na casa sita no largo da i'az, cin Afo-
gados
Constando :
De 1 mobia de jacarana a espaldar (obra
de costo) com 18 cadeiras de guarnic&o, 4 ditas
de braco, 1 sof o 2 dunkerque com espelhos e.
tampode pedra, 1 mobilia de Jacaranda com i
cadeiras de guarnico, i ditas de braco, t sofif
e 2 consol.^ cora pedias, 8 jarros para ilores, 1
relogio de bronze c porcellana esmaltado com
redomas, 2 jarros de bronze c porcellana es-
maltado- ..... redomas, 8 quadros, i tapete for-
ro de ala, oiigas cheias, 2 passarinhos clieius.
I cama franceza. de Jacaranda, 1 toilette com es-
pellio e tampo de pedra, 1 lavatorio com pedia, -1
qama para menino, 2 quadros, 1 mea clstica.
ovaL c'om 8 taboas, 1 guarda-louca, I guarda-co-
midas, 1 quarlinlieira, 2 cadeiras de Jacaranda
com balanco. 1 carrinho para crianca, tapetes
para sof, cama e norias, 1 grande quanlidade
decouro d8 diversos bichos, i cavado de sella,
rodado," andador, nclito cachito sera achaques,
proprio para corridas.
0 agente Gusmo, aulorisado pelo Illm. Sr.
Osraoud Cox, far leilao dos objectos a^
mencionados existentes em casa do sua resi-
dencia cima referida.
A's 10 1|2 horas partir um bond pela ra do
Marqu2Z do Herval, que dar passagens grati
aos emearentea ao leilo.
O grande e importante estabeleounento de,
Pocas Mendos i C, sito ra estreita do Rosa-
rio n. 9, contiguo a igreja, acaba de receber
urna grande remessa do acreditado e especial
Vinho Maduro
O nico que, sem a mnima confeCcio, li-
portado nesle mercado, e s se venduio referi-
do estabelecimento. Rt- precioso nctar
loraa cada vez mais procurado aqoK Q&etcm
saber porque 1 Vejam : o vinho Maduro Sendo
como i'eito nnicatente da uva madura, ten
as seguiites faatagens que as outras qualidades
de vinho nao tern ; facilita sem a menor pertur
bago as digesles do estomago, anda mesmo
ornis enfraquecido, dando-!he vigor, pois nu'.re
aolhos vistos as pesseas debilitadas, ed forras
s que as liver arruinadas pelo uso de bebidas
viciadas.
Recebemos tambem
Leilo
Barca allema Fritz Schmidt
O capilo Andr Schmidt, da barca allem
Frit: Schmidt, entrada n'este porto por arribada
forcada, em sua viagem de Montevideo para
Haniburgo, precisando descarregar seu carrega-
jento, consistindo de 336 toneladas de cinza de
osso?; sabugos e chifres, recebe propostas para
este fim em cartas fechadas no Consulado Ger-
mnico, at meio dia do dia 20 de Julho do cor-
rente.
Os proponentes devem declarar as suas pro-
postas o prego por tonelada tirada de bordo
sua custa, armazenando em trra e reembarcan
do para bordo do mesmo navio.
LEILGES
Sabbado 20, o dos movis, quadros, espelhos,
Jouca, crislaes e mais objectos de apurado gos-
to da casa em que residi o mesmo Emilio Soa-
res-
!m continuaco
Leilao
De bons movis, crystas, ricos quadros, objectos
de Biscuit, livros e joias.
m divn e 2 cadeiras estufadas, 2 mesas de
bano, 2 etageres, 4 cadeiras de balanco, 12 (fe
uarnigo, 2 consolos, 4 lindos vazos japonezes,
1 dunkerque com um espelho grande, 3 cande-
labros de bronze.
Unri estante envidragada de madeira fusca,
com fiores, 1 commoda de Jacaranda, 1 toilet. 2
guarda-roupas,3 pedras para consolos, jarros com
paisagens, ti estatuas, cortinas de damasco, 4sa-
nefas. 2 reposteiros, tapetes e jarros.
Diversos diccionarios, livro?, atlas e globos
geographicos.
Um relogio rtmontoir, i cadeia de ouro. alline-
tes, broches, botOes e outros objectos de ouro.
Lindos quadros a oleo. 1 mesa clstica, 1 guar-
da lduga envidragado, 2 apparadores, 1 quarti-
nheira, 4 etageres. quadros linos oleo, appare-
Ihos chmezes para cha, capos, clices, fmeleiras,
i lustre, 2 candelabros, 4 etageres, quadros oleo,
2 candelabros artsticos, 1 piano, 1 apparelho
chinez, 2 reposteiros, 1 porta licor, 1 grupo de
salteadores, flexas indgenas, c 1 lustre, e mul-
los outros objectos de apurado gosto..
Sabbado, 20 do corrente
No Io andar do sabrado da ra das Flores, no fun-
do da loja da ra Barao da Victoria n. 59
O agente Pinto levar leilao em continuagao
os bons movis, ricos quadros, objectos artsti-
cos, livros, joias e mais objectos pertencentesI
espolio do subdito portuguez Emilio Soare^
existentes na casa em que residi no Io andar
3ue d para a ra das Flores, no fundo da loja
a ra Xova n. 59.
O* referidos objectos tornara-so recommi
veis por serem de apurado gosto, ue achar-eB
enfcopmo estado de conservo.
o leilo principiar a9 10-1/2'horas em ponto;1
por serem' amitos e dife.rentes 03 lotes.
G onrmissaG-importacSo1
REFRESEATAgO D&FABRICAS
Kuii las aflore* n. SO
(Emrada pela ra Baro da Victoria n. 4>
Falasacas de H10. Boulengtr & C.
Sapeis de Lvoclic Joubert & .
fia nos de Plei/H.
Porcelana* SJicoKi. rendas e cortinados de Edw. Steep-
inannA C.
Drosa; da Pharmacw cntrale de Frmet.
Azuleja de Fourmaintmux Courqum.
Conserva de Louit Frrcs & C.
Vinli de Borticaax da Association Ve-
ntele.
Cachimbo de Lorge Pre, Fite & David.
Cognac de eorges Segua & C.
YldroM de C. I e Blanc.
Crytae da CrlstaUerie de Scrcs (Landkr
d?Ilondaillc).
Capitula para frascos e garrafas, de A.
Betts & C.
Frasco, vasilhame para plinrmacias e per-
fumistas de Bcrtin Tissie>- & C.
ArzaucSes para sellins. esporas e materiaes
para selleiros e fabricas de caraos, de
Fn-hel Frres, etc., etc., etc.
As mercadorius veern directamente das fabri-
cae para os clientes, sem commissao, e pelo
precos da fabrica.
os prazo3 usiiaes senj aagmento
dejuro cu nutra qualque despesa.
COMMISSAO :' Recebem-se encommendas de
qualquer outro artigo, em commissao.
20Ra das Flores20
A's maes de familias
QUERIS TOSSOS FILILOS SF.MPEE 8ADIO8?
Administrae-lhes o xarope ou as
rillas Yeriaipnrgalhas
Requeijao
De boas novis. 1 piano forte
c lonea
Constando :
Da mobilia de pao cargaenlalhada com con-
solos de marmore e com pouco uso, um bom
piano forte do fabricante Vige.e-, 2 espelhos
ovaes, lanternas, jarros, tapetes, 1 eandie'iobel-
ga, urna cama franceza, 1 lavatorio, 1 cabide de
columna, 2 marquezes, duas meias commodas
de-amarello, 1 relogio de parede e 1 candieiro
de gaz.
Urna mesa elstica, 2 aparadores de columna,
1 bonito guarda louga de amarello, 12 cadeiras
de junco, 1 sof de amarello, 2 consolos de dito,
1 guarda comida, jarros, bacias de ferro esta-
nhdas, louga de almogo, dita deiantar, copos,
clices, garrafas, cooipoteiras, talieres e muitos
outros objectos,
Ter^a-felra 93 do correne
A's 11 horas
Xa ra do Mrquez do Herval n. 45 (an-
tiga Concordia)
O gente Martras, autorisado pelo Sr. Urbano
Jos de Lima, bastante procurador do Illm. Sr.
capito Jos Bernardino Das da Silva, que se-
guio para a provincia do Maranhe, onde vai
exercer o cargo de inspector da Thesouraria de
Fazenda, far leilo dos movis c mais cbjeclos
existentes no referida casa a ra do .Mrquez de
Herval.
Ao correr do martello
AVISOS DIVERSOS
Alugam-se as casas na encruzilhada de*
Belm ns. 28, 22 e 16, a 105000 mensaes, esto
limpas, tem quintal e cacimba ; a tratar na ra
"da Imperatriz n. 76.
Aluga-se o sobrado n. 46 ra da. Roda
com bons commodos e mullo fresco, bem como
os dous pavimentos lerreos ; quera os pretender
dirija-si ra do Cabug n. 16, loja da Ven tu
rosa.
Aluga-se a loja com dous quartos e por-
t3o, ra estreita do Rosario de Santo Antonio
n. 38, e a casa terrea n. 9 travessa de S. Jos :
a tratar em Fora de Portas, ra do Pilar n. 56.
em latas, de procedencia de engenhos, cujos
propri-jtarios capricham eni bem trabslhar neste
artigo, alini de terera a primaca sobre lanos
outros similares, cuja composigo duvidosa.
Era outros artigos como sementes de hortalica
e flores, linguas suecas do R10 Grande, objectos de
rime e lamancos do Porto para homens e senho-
ras. para isto to pouco temos competidor. A
nossa casa 6 especialista, e as pes?oas que disto
se queiram certificar podera comparecer, com
o que muilo nos honrar.'io. Aps urna inni-
dade de artigos de primara ordem. que acham-
se ejn exposiyao, acreeca a amenidade do trato
com que timbramos tratar todos os que nos
honrara com a sua preseoga, junto a modicidade
de pregos sera rrVal.
Bisa estrella do Rosario n. O, junio
a iereJa
Po^as Mendes & C.
GRANDE NOVIDABB
lUmilk l fL!SASS

- MI ^
v wHll ^H
ptimas preparacoes de mastruz
e rhuibarbo, para a expuisilo completa, sea
dores nein incommodo, dos vermes
% intestinos ou lombrigas
(DA8 creanoas e dos adultos)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
< Estas excellentcs preparacoes nao ne- "
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas^
As pessoas que tm vermes sentem co-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posicao, sensacao de corpos que se movm
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s vezes, vmitos. Rangem 03 dentes, qnan-
do dormem, algumas e pessoas expellem
vermes com as fez es ou com as materias
dos vmitos. As criancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 1(5200
1. vidro de varope 1$20Q
AS PKINCIPAES DROGARAS E
PIIARMACIAS
48RA BARAO DA "VICTORIA48
Vechaim ver para erer
Silvia
I a
Grande valsa para piano, composla por Caro-
lina da Silva erecentemeote publicada; acba se
a venda na casa edictora, LIVRARIA FRANCE-
ZA, ra 1." de Margo n. 9.
Pergunta-se ao Sr. Francisco Raposo Fal-
c2o, 3- oflicialf do Cdrrcio, se mora na n a da
Gloria n. 142, conforme tisse, parece que nao.
JS S'iuva do portuguez Bernardo-Jos da Silva
Guimares, que foi negocente vinte annos
passados, na ru Baro da Victoria, antiga ra
Nova, precisase fallar com essa senhora a ra
Duque de Caxias n. 50, sobre negocio de.seu
proprio interesse.
Leilo
De 16 Scguada-feira ,22 do corrate
. A's .11horas era ponto
No armazem da ra do Mrquez de Olinda
n. r>.
O agenle Gusmao, autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direitq do (onnercto o
requeriraenlo d'o Drt curador fiscal da mas-
sa fallida de Oliveira Silva 4C, far- Hlo
com assistencia do mesmo juiz, de 13
com cognac perleiicente a referida raassa.
Em continuagao
De 9 caixas com vermouth, 1 necad'lapnle de
coco para forro de sala, 10' mochos de pa-
lia, i raixa com latas de peixe. 1 lardo com
lamendoas, 270 latas com ee freseo, S ciixas
terez, 6 caix is cora i Cjb
Na ra velha de Santa Rita i. 89, precisa-
se de urna ama para comprar, cosinhar e mais
servicos domsticos de casa de pequea fami-
lia.
Vende-se urna quitanda em boa localidade
jior 1005, armacoc muitos gneros, o motivo
se dir ao comprador, aluguel barato ; a tratar
na ra da Florentina n. 8.
Taverna
:ima taverna bem sirtida e afregue-
. :aaito iwra ponto, ra' da Concordia
nella ou no caes da Companhia
mb'icana n. 8.
-----------------------.------L
Bahu
i se urpa lojrde bahus. bem affeguesa-
da, (iarantindo-se a chav< da casa ; a tratar na
ra Vidal de Negreiros n. 120.
Precisa-se de ma ama :
numero 30.
no largo do Paraizo
Apolices perdidas
da divida pn
873 a 882, serie B, do
lenriquo Bernardes
ra, <' no
itork), qur
Na
Leilo
Para
miu

AVISO

jilur tr-
Ilaro de Serin!tem
A Baroneza de Serinhaem ainda sob a pres-
so da acerba dor pelo passamsoto de seu sem-
pre lembrado esposo o Bario de Serinhaem,
agradece a todas as pessoas que acompannaram
os seus restos mortaes a ultima morada, e de
novo convida aos seus prenles e amigos para
assistirem algumas missas que pelo repouso
eterno de sua alma "manda celebrar no dia 20
do correute, pelas 8 horas da manh, as igre
jas de S. Pedro dos Clrigos e matriz de Afoga-
dos, stimo dia de seu fallecimento ; anteci-
pando dc*de j seu sincero agradecimenlo e
eterna gratido por est" arto de religio._____
-l^B
Jos Gomes de Amorim faz publico, e eotn
especialidade aos seus amigos e freguezes, que
desde o dia 26 do mez prximo pascado, mudoo
a sua fabrica de leos vegetaes, do predio n. -161
da ra da Aurora para o de n. 163 da mesiaa
ra, aonde o tespeitavel publico o encontrar
sempre piompto a salisAizer todo e qualquer
pedido com toda sua fidelidade e prestesa; po-
dendo a qualquer hora serem as encommendas
dirigidas para alii; sendo o n. 33 o do appare-
lho telephonieo de seu estabelecimento. Recife,
1_ de Julho de 1889.
Para criado
Nb sitio n. 5 da estrada de Jeito Fernandez
Vieira se precisa de um menino de 12 a 14 a-
i:os, eque. cateada dejservico decopeiro.
Aosasthmaticos
Se padecis de asthma, us.ii o Peitoral
de Cambar, que remedio d e effeito
surprehendentes e duradouros.
Nunca falha!
Os effeitos do Peitoral de Cambar na.
nifestam-sc, na maioria dos casos, durante
o uso dos primeiros vidros.
Esto remedio efficaz para as enfermi-
dades do larynge, dos bronchos e pulmSes,
Francisco M. da Silva & C.
Agentes em Pernambuco.
a
y.
r

-
lu
CISICBES
I
loaquina aa Almeida
.ustino Gomes de Aimei la, seus filhos, Manoel
de Oliveira e Mara, te Oliveira, convidara os
seus parentes e amigos para assistirem as mis-
sai; qe mandara rezar na igreja da Santa Cruz,
s 7 horas da mapbS, asgunoa-feiria 22 do cor-
rente, pelo descanso eterno de sua chorada es-
posa, mi, irm e ti'i, stimo dia de seu fallec-
ment. Desde jautecipam os ?eus agradeci-
mtntos .
msBmsBsmBmsmamsaEaEaBBMSMsa
Barao din Keridhfiez
abbado' 20 do corr 1 araras
i;;, igreja yr. em
pti:idar por alma
ra pelo descan;
# *
AHCoa licneft':ea j
DE MURE
Ha ma/s de cincoenta innet qus
01/ pratioo a medicina, e jamis en-
contr! remedio ma/s etcaz que o
candi contri as irritai6ts do peito.
D* CBRSTlLI, Imtpellier.
Este Xarope, do sabor er-
cel'.ente, 6 de ama poderosa
efllcacla contra as IrritafSet
da Garganta e do Peito,
Vltucoes, Toase rebelde,
Catarrho Ag;nto ou Chr-
ii ico.
Pi" HUBE, Peat-Saiat-Eprlt (Fmp)
A. GaLagne, Genro e Snceestor
Depsitos em todt s principies
Pharmatlis.
%Perncubuco:lvt\H"ii.. Qa SILVA & F,
Eng'ommaaei'a
Precisa-sc de urna engommadeira; na roa
Mrquez 8o Herval n. 63. Paga-sebora'salario.
Tratamento Reconstiuinie
pslo
. Bum Di
f
-a 'fraio ,::t) T o oleo d
-jar
..a -jcoalarer
esterna
roil vinho di
l' -,.z.,J,.
CCM EXTRACTO ''
d HFigmo ce linetilhi*
tm-t -#--..e^.
RA
lia
he!
ra
?
AFF
e a JKA


!*


1
U
1

I
l
i
Mario de Prnanibucc !0 de Julho de 1888
Mecompenna de 16,O0 frarfOH ao XiarocTte

da Jtmia ;j Hygiene
de Rio do Jijwiro
Beia 2a.aAa.UiaM UOURO,
mto.
I U i
do Ria do Jsaeiso
nao
ola 2edalb^aiiiOUROf
to.
A.ifc^V
Aperiente Torcso Febrfugof este producto de I O mesmo Ferrugitroso mito recommenciado contra
um sabor a<.T.ida*;el superior aos vinhos de quinquina i a Dccoloraco do Sangue, Chloro-anemia, as Conse-
contra as Afi4i PARS, 30 22, ra Drouot Pnarmaclul
/
JUNTO AO umvu
E' O N. 20
Arligos para Iiomens
Teciles para vestidos
CJambrain Victoria a 2(5800 a peca.
'Batiste tinas a 240 rs. o corado.
Fostio bronco lavrado a 360 rs. o covado.
Setim do Jap"<> a L-'iO rs. o covado.
Cachemira de listras a 1$200 o dito.
Lis Amazonas a 400 rs. o di
Merinos lisos duaa larguras a 440 rs.
Oazes arrendada a 500 rs. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Mctins de quadro a 300 rs. o dito.
Cretones claros a 240 rs. o dito.
Rendas heppanholas a 2^000 o dito.
Seticn Maoo a 800 rs. o dito.
Popelina branc a 800 e 900 rs. o dit,
Setiueta branca lisa e lavrada/
Merinos pretos (baratisbimos).
Toile pardo a 3G0 e 400 rs. o cavado.
Cacheiai:-;s lisas a 15200 o covado.
Cortes do vestidos em cares.
Cachemiras de quadro'a 280 rs. 'covado.
Velbutina preta a 640 rs. o dito.
Crep preto (ingles) a 2000 o dito.
Cortes de casemiras, a 65, 75, 85 e 105.
Camisas allemaes a 36600 a dozia.
Paletots de alpaca preta a 45500.
Regatas de c3res a 15 e 15500 e 25000.
Paletots de seda palha a 75500 um.
Ceroulas de bramante a 155000 a dozia.
Paletots de alpaca de cores 45500.
Camisas de flanella a 45500 o
Guardap" para-homem a 6Jj)00.
Sobretndo de panno piloto.
Meia6 inglezas a 550t!0 a chipia.
Meias fina 15500 o par.
Lencos de iinho a 65000 e 65000 a duzia.
Casemira em corte papa temos.
Cheviotb preto e azul a 45000 o covado.
Casemia diagonal a 25000 o dito.
Erim b raneo, todos os nmeros.
Brim de linho, de cores, a 15800 a vara.
Duble-capae de panno.
Casemiras pretas e de c5res.
Bolsas para viagens.
Costumes para banhos salgados.
ARTEOS DIVERSOS .
Colchas de fustao a 35500 um.
Algodto branco a 35200 e 45000 a pesa.
Colchas de crochet a 65500 un.
Coletes de flanella a 25500 um.
Tapetes grandes a 135000 um.
Madapolao americano a 65000.
Ficlis de retroz a 15000 um.
Lences do bramante a 25000 um.
Cobertas de ganga .a 35000 urna.
!Len;os brancos a. 15200 e 15500 a duzia.
Sargelins de cores a 200 rs. o covado.
Brim pardo a 280 rs. o dito.
Esptrtilhos curaca a 55000 um.
Fustao de cor para roupa do crianca a
800 o covado.
Seda palha a 15000 o dito.
Pl LULAS
0L !*4
DO
H A O
Il
Approvado pelo Exm. Sr. preside i te (Ta piuvincia

Premios da lotera Intojpa
1 premio de......300?
I
5:0005
2:5005
1 a
1 t c
2
6 <
10 c t 1:5005
2 approximacocs de 2:5005
2. 1;5<
2 <
9 Dea. do 1." prcn
50:0005
12:5005
10.-0005
15:0005
15:0005
5:0005
3:0005
1:5005
2:2505
24:7505
24:7505
112:5005
1255 112:5005
7505
7503
5005
2505
2505
M052 premios no valor de
"700:0005
Premios da serie
1 premio de .
1 < .
1 ...
2 ...
6 *..
10 < i.. .
2 approximajoes de
200;?
2
2 c <
9 dez. do 1." prem
9 c 2. c
9 < 3.
99-2 fin. 1.
99 2.
900term. < l.
900 t 2."
605'
1005
605
305
305
205
105
105.
105"
55
55
12:0005
2:0005
5005
40051
60051
6005
2005
1205
605
WM
i30>
905
990*!
9905
4:5005
4:5005
Para o Iratamenlo t prtmpta otra dai'
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do filiado,
dispepsia, indigestoes, clicas,
nauseas, diarrhea, prisSo do
ventre, falta de appetite, incom-
modos depois da comida, enxa-
quecau e dores de cabeca chroni-
cas. r'icnmatlMiuo e nevraljrias,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alm
destas, inultas outras enfermidadesque se
classlficao debaixo de urna inflnidade de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
cansa, a saber;
Desarranjos do orplos de di-
irestSo e assimilacao,
donde provm a impureza e o enfraqueci-
mento do sangue, com a debllidade e con-
gestio de todos os orgos vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILULAS CATHARTIGAS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
PARA O CABELLO.
Capellas paia ribivas a 75000 urna.
Bac-ias forradas a 440 rs. a duzia.
Luvas de seda a 25000 e 25500.
iJicos preto de seda.
Toalhas para banho a 15500 urna.
Cobertores de la a 15800 um.
Bicos de cores a 25000 e 25500 a peca.
Ctaacdanaoos de linho a 25200 a duzia.
Baleias pretas a 240 rs. a duzia.
Arcos cobertos a 140 rs. o metro.
Colchas de cores a 1800 urna.
Guarnilo de crochet a 75000
Panno da Costa a 15000 e 15200 o co-
vado.
Toalhas felpudas a 450,0 a duzia.
Leques transparente a 25500 um.
Extratos, tnicos, entremeios, bordados e pos de arroi.
Koupas por medidas
20 Ra Prirueiro de Marco -
CASA B COXFIAXCA
2052 premios no valor *pl # -28:0005
Todo.s os premios sao pagos integralmente
Esta loteria composta de 10.000 bilhetes a 1005000, dividida em 25 series,
costando o inteiro da serie 45000, Gubdividido este em^umtos da serie (12504 do
bilhete inteiro da loteria) de 800 rs. cada um,*
O agente desta loteria chama a attencao do putnco para este importante
plano mais ventajoso pela sua boa organisr
Com 45009 ( quintos de que se coinpoe a serle) recebe-se 12:0005000 e com
800 ra. (1 quinto) 2:'400j&00.
O menor premio d um resultado de 25 % pois custando o quinto 800 rs.,
recebe 15000 as terminacSes dos 1. e 2. premios.
Sao premiadas as dezenas dos 1.. 2. e 3. premios..
As duas letras finaea do3 1. e 2., terminac3es dos 1. e 2., e as approxi-
xocs dos l.o, 2. e 3.: tendo alm disso premios de 2.O006000. 1005000, 2005000,'
1005000 e 605000.
Augmenta, Aformosea
E FAS CBESCER O CABELLO
com assombresa rapidez.
A luga- se
0 segundo andar do predio a ra do Baro da
Victoria n. 60. com agua e pintado de novo : a
tratar com Paulo Jos Alves & C.
Ha no mesmo srande quantidade de canarios
belgas para vender.
Aluira-se
hn ra da Palman. 50. precisase dc.duas
amas, urna : ira -andar com criancas e outra
para cosioliai e comprar.
Ama de leite
Precisase do una ama de leite; a tratar na
u Bao da Virlcria i. i, nova agencia de
ra
mo\eis
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite; na ra Au-
gusta n. 179.
Ama de cosinha
No sitio n. 5 da estrada de Jo5o Fcrnandes
Vieira se srecisi de urna cosinheira, prefere-se
a urna mulhir qi e darma em sua casa.
a casa terrea da ra do Lima n. 26, em Santo
Amaro ; a tratar na lituographia ra Mrquez
de Olinda n. 8.
Al
o grande armazem com jrrande quintal, guarios
para dependencias e cacimba, a ra de Marciliv
uga-se
Das n. 71
numero 17
ro 16.
a meia-asua travessa do Peixoto
a tratar na ra 1- de Marco nunw-
lug-a-se
a casa sita Cruz das Almas ou Parnamebim n,
10-B, com coramodos para urna pequea fami-
lia, lendo um nom sitiOj e acha-?.e limpa ;
tratar na ra da Aurora n. 119, ou ra do Apollo
n. 30, i- andar.
EXTRAOCAO INTRANSFEEXVEL
-20
MARAL & C.
-
de FiGADO FRESCO de BACALHAO, NATURAL B MEDICINAL
Prescrlpto desde 80 annos, em Franca, Inglaterra, Hespanha, Portugtl. Brazll,
Republlcas Hispano-Americanas, pelos prlmelro* medico* de mando, contra as
molestias do Pelto. Tsse, Cranos, franzlnu, Tnmeres, zrrnpcoes da, Vene,
ressoas frac, Fidres braacas, etc. O Oleo de Uacalh de IIOtQ O mala
rico om principio activo. vbhdido smente km feSOOS TRIAUOULARES).
M*>J*~ '**> Xtiqnal SELLO AZUL Se staM FraeeeL
UlmtmmtM'Jt EtOQG. 2. rua CkwtialioBSj. 9ABIM. t m tM
..

.
----- .:-------
- S-7 cor.tajnaJes.
. ; sao
.-

..meni


[MZES

'..- OAPSU2LA8 GUYOT sao brancas
a llnoa
/7 <
S abaolutaxaont : vo
axigir t, T~i~^i&
.HJSCRZPOVSl MU TRES CORES
FaLrica : Gasa L. FRERE, 19, ra Jacob, PARIZ
VICTORIA
TINTA INALTERAYEL
Esta tinta recommenda-se pelas qualidades.
seguntes:
1E' igual a melhor tinta Bluc Block ingloza.
2E' de urna fluidez extraordinaria, e torna-se preta como
carvSo.
3E' de durac2o Ilimitada, portante para os livros do com-
mercio e para documentos, que careeam de longa d/irac5o, nao
se pode desejar tinta melhor.
4Nao estraga as pennas de ajo.
Presos; garrafa 800 rs. I2 garrafa 500 rs,
livkabia cojiteiiiora\i:a
umm. COSTA & c.
BA 1. D E M A R g OP E R N A|M BU C O
. ALBINO'SILVA &G
48Ra Mrquez .le^Olinda4*
B NB'ClO DE SINOS B BRONZB
Ll'IZ DA CRUZ-MESQOTA
66ra do Baro do Triumpho---66
^em para vender o seguinte:"
I2aefeJEn3 lie cobre para fazer espirito de destillar e restillar.
AlanfbCUCS de cobre do antigo e novo systema com esquenta garapa.
Serpentinas de cobre e de estanho.
Carapueas de cobre.
'Falsas, taixos e caldeiras de cobre.
Bembas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torneiras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
Canos de cobre, de chumbo c d ferro.
Repartideiras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado.
Cobre em lenco! e.arruelas.
Sola ingleza e do Rio.
Cadinhos patente e'de lapis.
Nios de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectes
ENCARRE6AM-SE de qualquer concert e obras de encommenda, garan
ando presteza, perfeigao e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado.
VDB a praso ou dinheiro com descont.
Xarope e Pasta de Berth
Caaicas do Moise de Soeeorre
Compr-sc KeSaa do Monte a Soccorro dt
quaiquer joia, brilliantes e relo^ios: paga-s'
bem na Praga da Independencia n. 22, loja 0c
oeiro
Paulina Doederlein e Hed-
wig Stelzle
ltimamente chegadas da Allemanha coui diplo-
mas do conservatorio de msica de Munich,
offerecem s Exmas. familias desta cidade os
seus servicos como profesaoras de pianc e canto
Ba tie Paymatidu' n". 3?
InformncOes podem ser tomadas em casa do Dr.
Joo Paulo, medico, ra Nova59
goooeocoogc^sssgoooeo&gooaieo
rttMHtfBsmi\ s 1
r m
I IITEIiiSiSUS SSMA fe
aj e tetfos os Incommortr,^ t i cj^jc <.
' i, iniilos as
Aluga-se
em Parnameirim ou Craz das Alma? n. 10-A,
urna grande c excellente esa com agua e gaz,
tendo um bom sitio, aqual confronta com a
casa do Dr. Leal ; a tratar na ra do Apollo n.
30, 1 andar, ou ra da Aurora n. 119.
Aluga-se
1301
Phetrmaceatico, Laureado pelo Hoapita.es de Pars.
O Xarope e a Pasta Berth de Codeina pura, possuem urna efcacia i n contestavel
nos casos de Deluxos, Bronchites, .Catarro, Asma, Molestias da Gar-
ganta, Insomnias, Tosse nervosa e xhaustante das Molestias do Peito e
para acalmar as Irritaces de qualquer natureza. As pessoas que usam do
Xarope ou da Pasta Berth experimentao uin somno calmo e reparador que
nunca seguido de pezo na cabera, perda de appetite, nem de constipac5o.
as receitas especiflque-se bem Xarope ou Pasta Berth e como garanta exja-
se a Assignatura Berth e o Sello Azul do Estado Francez.
-----------#
Pariz Casa CLIN & Ce e por intermedio de qualquer pharmacia.
fwit rau,
ULASP1IEBS0NSC.
4
54-81)4 I.4R10 DO TRIIJMPHO-44
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fendidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ao
' Arados.
o 1 andar do importante predio a ra do Bom
Jess n. 26, e o 2- andar travo;sa da Madre de
Deus n. 7 ; a tratar com Jofio Kernandes de.Al-
meida na mesma travessa n. 21.
Aluga-se
na ra Direila n. 45, as casas ns. 40 ra de
Aguas Verdes, ca travessa da Pyndoba, am-
bas limpas, pintadas e caiadas.
Ot tt>ic-j? sMaatMai& o sstprsj
vj- t. n. m -y* j j r> fr, -
2U*6'St* ,.Vii4ia
r
Haworw ." /. ,ic.; / c tdv'na 9
- .'.;-:. B
laja: tai 9 !
BOBOOfloooooooaa o, a ^acco^oeso
Cosinheiro
Precisa-se de. um ; a traclir & ra do Com-
mercio n. 4i, escriplorio.
Alugue? barato
Ra de S. Amaro n\ 14.
I Becco da Bomba n. 8 loja.
\ Ra da Roda ns. 58 e 60.
^Rua Viseonde de Itaparica n. 43, armazem.
Largo de S. Jos n. 74.
Largo do Mercado n. i 7, loja. .
A tratar ra do Goramercio D. 3, i- andar.
escritorio de Silva Guimares & C.
r
io
C.injinnBo de N Brrelo
Convida se a este senhor a comparecer na
lo Bom Jess n. 23. para prestar contas das co-
branzas que fez no tormo de Agua Preta em
Marco prximo passado.
e Lr
AI.1- :a cartoes elogantisiuos
i asi novoe miravilht'iso pre-
isi .-a j r.voporcioiioado nm baaho aav5.eOtmAtgatetoari>4oT,
": g6aa c aa lui-ersaij
la o c::;:';, c. cor.:') r*rr.s-
l .)> avaato r'-nhooeat hje.
,1ro?:
pe8, en-
Ulco l
quicio ^ c onpce ate jb.,
mea-j
ip.s ptrn:niari.:s o niur.do.l
Jt.: H. y<,\<-, tTlm S/Pj
SAisOALOnMlOy
* rrnnd pn jt funut mm
Supprime a Copahiba, as
bebas e as Inieco&es. Cara ern^
48 horas todo e qualquer corrimento. k
g da maior efHcacia as affeccSeg da
bexigs, torna as urinas" claras por
aun turras qae sejBo. Cada /*"~*v
capsula leva impresso em [MWJ
negro o nome.............. \,_y
Deposito em Pars, 8, Rae Vivienne.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com alguma pratica
de taverna, de 14 a 16 annos de idade ; na ra I
de Paysand n. 33 G.

*"
iu PerosmjL'CC .::""i5:C*-
Roda d'agua
I
Compra-se urna roda d'agua em bom estado, I
de 24 a 30 palmos ; a tratar na ruaDireita nu1-
mero 106.
u
Precisa-se de um criado,
menor de 14 annos, no 3o an-
dar do predio n. 42 da ra
Duque de Caxias, por'cima
tia typo^rapliia do Diario*
PBsflprHprsTpHMp
Irrita^ao do Peito e da Garganta
Contra essas afleicoes. a PASTA PEITORAL o o
JAROPE de NAF d OELANGBENIER, de PARS,
fiossem urna eficacia infallivel verificada polos
iembros da-Academia de Medicina de Franca. Nao
contendo opio nem to peuco saes de opio taca
como Morpaina ou Codeina, csses productos m
lystro-se com ptimo eslto c segranos c
enancas soTrcndo do Tosse ou CoquclizsSe
_____Oopoiitos as Pharwaciis do Cania inteiro-
Xarope e Past
oeSEIVAcePINHEH.0 martimo
i.t.HiW PKn.nw.hiaaa
Af/nmiti rU Imi i> Btfim*t
Popular ha 30 annos, o unios
preparado com a verdadeira
Selva de Pinheiro, extrahlda
Selo vapor d'agua, logo depois
e cortada a arvore. Cora os
dsfloxos rebelde, a tosas
as grippes, ostarrhos, broa-
oblteB, molestias da qmr*
ganta e ronquidoes
BED FBERES
Constructores a Ham, Franca
Representado por Emilio mi-
lln, engenhelro rueehantec
(PEBKAMBCX))
Assentamento completo para engenhos cea-
traes e Uzinas pelos processos os mais aperfei-
coados.
Moendas e represso mltipla.
Corte-cannas vertical, systema Btdu.
Diffuso^rcular e rectilinha, dito Beda.
Diffuso continua do bagado dito Perret.
Fornos para queimar bagaco da diffusSo,
dito Bedu.
Filtros mchameos a tiltrago mltipla.
ia, lin
trabalho rpido).
Turbinas centrifugas (economa, limpea e
Em geral todos os apparelhos os mais moder-
nos e os mais aperfeicoados para o fabrico de
assucar.
N.B.-OSr. Emilio Biliion fazendo umava-
gem de 3 mezes na Europa, durante a sua au-
sencia dirigi as cartas e pedidos a casa Besu
FrresaHam, que fornecer plantas, orcamea-
tos etc., e por qualquer negxao urgente injfw-
mar-se ao Sr. Eugene Chalme; 24 rva do Gem>
mercio, Recife,
IOOOOOOOOOOO i
ELIXIR ANTI1EV0SQ F0LT8B0MDRAD0
ie BAUDRY, PharmaceatJco ie i' Classe.
Este Bllzlr, que ooatm em Eaa oemposico os bromuretoa de ptaselo,de sodio
e de aaunoDia, perfeitameuto co de om sabor agradavel e sempre
tomado ocm prazer, mesmo pela >, que tenhao om eaComago de
experiencias vier a sua inmensa emeacia
as Enxaquecas
.
Im'-


4
.**
rio de Pernal
1 9 \Jk \j\J
O
9!
VEHi
e tratar na na Mathins
Venli
de Albuqucrque
urna boa armado de araarello.
aropria para qualquer nejrocio, na ra
'el n. 6 ; a ira lar na mesrua ra n. 29. Garan-
te-se as chaves.
Vende-se
urna
tih
das mclhores tavernas ra Mrquez do
iva I. lem perneo capital : a tratar i a (sesma
i-ua n. 143 padaria F. z se qualquer negocio.
RRIl
I0MAIS,
P^* *5L.RY Vendc-se om taU a tarto
#Telej;ramma familiar
~* --*m vea* ao 55
%o-~- "VI*S
RA DUQUE DE k**^~
Tendo resolvido vender os seguintes
objectes por menos 50 0t de seu valor
real, convidamos nossos freguezes a ver
a realidade!
Cachemiras conibinagao com listas de seda
ultimo gosto a l200 ocovado.
Cambraia com salpicos a 4(5000 a pega.
Cortinados, novidade a 5^500.
Sargelins de qualquer cor 200 rs. o cavado.
Linn bordado padrees novidade a 800
rs. o covado.
Setins de todas as cores a 800 re.
Mantil as pretas.
Camisas francezas. com collarin.no coisa
chic a 2(SU0.
Cretones para ooberta a 500 rs.
Amor da China grande sortimento em de
zenhoa a 200 rs. o covado.
Pannos de crochet.
Cortes de vestidos coisa nova a 80
12^000 e 16000.
Guardanapos a 15600.
Madapolao com muita largura a 5>0
65000 e 75QOO.
Merinos pretos de todos os presos.
Crinolines a 400 rs. o metro.
Babado3 e entreraeios.
, Vestuarios para baptisado3 coisa nova a
105000 cI25OOO.
Luvas de seda a 25000.
Zeiiros de cores a 160 e 200 rs. grande
sortimento.
Grande sortimento de plastrons e regatas a
15000 urna.
Tecidos arrendados, novidade a 400 e 500
rs. o covado.
Grande sortimento de casemiras para rou-
pas de homem.
Colchas brancas e de cores um sortimento
completo.
Coarinhos e punhos para homem.
Cortes de casemira de cOr a 45000.
Cassinetas com 2 larguras a 15000 o co-
vado.
Cretones para vestido a 240, 280, 320 e
400 fs. o covado.
Meias e lencos de cores para homem e
senboras.
Merinos de cores de 500 a 800 rs. o co-
vado.
Brim de linho de cor, angola e molesquins
grande variedade.
Tapetes grandes e pequeos, algoduo bran-
co, largo e bom a 55000.
'amisas de cretone muito bonitas a 25oOO
e 35000 urna.
Cambraias suissas com salpicos de cores a
75000 a peca.
Renda da China a 200 e 240 rs. o covado.
Da-se amostras sem peuhor.
S5 Ra Duque de Callas 55
Fernandes Azevedo &C.
Muita attencao
Na ra de S. Jos n. 36 teai para vender os
ifainados vinbos e licores de todos os fructos do
paiz, fabricados pelo tinado Joo do Amaral Ra-
poso, comosejam : vinlio de caj 1.' e 2.* qua-
iidade, vinho do abacaxt, vinho de anipapo.
:omposlo e simples, hesperedina brasieira, la-
ranginha cordial, excencias de limo e cidra, e
es prensas para espremer os fructos, e tudo
se vende por baratissimo prego para liquida
ci. Assim como se vende um bom terreno na
povoacio Je N. S. da Boa Viagem per qualquer
prego.________________________________
Vinho particular
No armazem da ra do Amorim n. 60, vnde-
se o que podo haver de melhor, pelo mdico
prego de 7 o garrafao de tres caadas (voltan-
1 o casco).
A RevoluQao de 48
A' ra Isnqtio de Caxias n. 48
Em vista das n.iitas peehinchas que te-
mos recebido, vie jos por meio- d'este cha-
mar a attengao dos nossos fregueses1, pro-
vando ao mesmo tempo como vendemos
por menos 30 01" do que cm outra quab
quer casa.
Folardina, tecido* moderno, a 320 rs. o
covado.
Organdis (fazenda de phzntasia) a 400 rs.
o covado.
Nansuks muito finas de 120 c 240 rs. o
covado.
Merinos lisos e de quadros 200, 240 c
280 rs. o covado.
Cortes de linn e cretones, todos os avia-
mentes, a 455000,85000,95000 o 105000
um.
Ricos cortes bordados em cartao a 145000
Ipho de I8
1 f<- -
Atoalhado para ^.o^, ~----c- -^;
o '15500 o metro.
Pannos de crochet para cadeira a 500,
600, 700 e 800 rs. um.
Colchas de crochet com palmas para noi-
vas a 55000, 65000, 75000 80000 e
95000 urna.
Cortinados bordados, muito finos a 65000
o par.
Bramante liso e trancado de 4 largura e a
15000 o metro.
Bramante trancado de 2 larguras a 400 rs.
o metro.
Toalhas de cores para mesa elstica
55000 urna.
Saias bordadas, muito finas Ta 35000 urna.
Luvasjde seda, lisas e arrendadas a 15000,
15500 e 25000 o par.
Seda alsacianas, novidade a 240 rs. o
covado. J
Cretones claros e escuroB [de 500 rs. por
320 rs. o covado.
Zefiros de quadrss a 120, 160, e 200 rs.
o covado.
Pechincha em camisas de meia a 15000 _e
15200 urna.
Leques de penna, o que ha de moderno a
45000 e 55000 urna.
' Capellas com veos para noivas a 85000
urna.
Fustao de cores para palitot e caiga a
500 rs. o covado.
Brins {de linho, cores fixas e garantidas,
a 500 e 600 rs. o covado.
Cortes de velludo bordado a seda para
colletc % 25000 o covado.
Cambraia de salpicos com 10 jardas a
45000 a pega.
Bicos de cores e bronco a 108OO e 25000
MAIS B
Na Loja das Lisiras zoes
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Vende-se fazeudas finas mais baratee!
d-se descont a quem comprar de .205000
para cima, troca-se as fazendas vendidas,
se por qualquer motivo nao fr de muito
agrado para quem for comprada e vende
pelos seguintes procos:
Cachemiras lisas e com' Iis de
seda de lindas cores, a 15400.
Merinos de duas larguras, 440 e
800 rs.,' qualidade superior.
Tecidos arrendados cSr de creme com
matiz com duas larguras, a 600 rs.
Fazendas de phantasia e Jindas cores
a 400 e 500 rs.
Tecidos de linho, lindos- padr3es
grados, a 200 e 240 rs.<|
-esiru B9 ? de uadr0 a 80 *
100 rs.
ftelns de Maco bronco, pretoe.de
todas alcores a 750 e 800 rs.
ftetins de quadrinhos, a 900 rs.
Wedas lavr^das* brancas e de efires'cla-
ras, a I54OO.
G'AZeS de seda com fios prateados a
sec
V FL0RID4
GalHes, palmas e rosas -de vidrilho.
Bicos de seda e de algodSo com
vidrilho.
Manthas de seda e de algodSo.
Contas lapidadas para vestido.
Franjas de sed;', com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 3-3.000 e 4(XX
a duzia.
Bordados de camb-aia tapada a 400 500'
60Oe8OOrs.;ape;a.
dem com 3 o 1[2 metros, de qualque
argura a 12U0.
Lengos d linho em caixinhas a 35000 >
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Lindos leques transparentes de
;ooo
1 j ni ni_ja
eaue
um.
em pega,
e de
^nellaci
IWfeooo
gazc
de porta-retractos t
a 45, 65 .
d.
O 59
Ti
cores finas e seguras^ a
de 145000 por 75000 a
a pega.
Cambraia suissa
pega.
Collarinhos e punhos borracha a 15800.
Cobertas de ganga para cama de casal a
25800 urna.
Lengos de cores, imitagSo de seda a 15800
a duzia.
Fichs de rctroz, lisos e com palmas a
15000 um.
Madapolao americano com 1 metro de lar-
gura a 65000 a duzia.
AlgodSosinho muito largo a 45000, 55000
e 65000 a pega.
Redes francezos a 45000, 55000 e 65000
urna.
Palitots de seda palha a 85000 e cor de
chumbo a 105000 um.
Cortes de casemiras ingleza a 105000
um.
Cortes de fustao para collete a 15000 e
15600 um.
Cobertores de 12 com pequeo defeito a
25000, um.
Renda hespanhola larga a 25000 o covado.
Espartilhos finos a 45000 o 55000 um.
Roupa por medjda, garante-Be a perfei-
gSo.
Sii na Revoluto de 48
HEXRIQU DA SILVA MOREIRA
Y ende-se
i taverna sita a ra da Vniao n. 3, bem afregue
nada: tratase namesma c arante se a chave.
F0LP5TIM
nados de crochet,
900
Cambraias bordadas
cSres, a 4500< a pega.
Cortes de vestido bordados, broncos,
,ra noivas, a 165000, 185000 e $05000.
Veos para chapeo preto, braaoS e de
qualquer cor, a 15500.
Crep inglez para enfeitos de vestid s
a 15200 e 25000.
TECIDOS MAIS BARATOS
Percales e chitas claras, finas, a
180, 20#e m rs.
Cassas ae
120 e 240 rs.
Horim de Ustras azaes muito lar-
gos com 20 varas, a ^DOO, a pegsj
Sargelins OnoS a 160, 180 e
200 rs. '
Crinolina, qualqu* cor, a 400 rs.,
o metro.
Ciuardanapos superiores a 15800 c
25000, a duzia.
Atoalhado lavrado, lindos dezenhos,
a 15000.
Bramante de 4 largaras a 640, 800
e 15000, o mefto
Toalhas acolchoadas
listas de cores, a 45000
Bicos braucos
e 800 rs., a pega.
BCOS finos, bran
tisados, a 25000, a pega.
Baleias a 240 rs. a duzia, cobertas a
400 rs.
.liras de seda, bordadas, brancas,
pretiis e de cores, a 25000.
Leques de papel, a 500 rs. e trans-
parentes, finos, a 25000.
Leques de pennas o que ha de me-
lhor, a 55000 e 65000.
Sabonetc grande de perfume agra-
davel, a 500 rs.
Extractos finos fi-ancezes e inglezes
a 15U00 e 25000. i_ .
Despertadores americanos^ a 75-
Mosqultelros americanos com ar
magSo a 105000 e 125000.
Espartilhos americanos e inglezes,
a 45OOO, 55000 c 65000.
Capas de vidrilho e rendas, a 255000
e 305000.
Toalhas de labyrintho paro bap-
tisado a 305000, 405000 e 505000.
E imitas fazendas qne se d por todo o"
prego na.
Loja das Listras zoes
Libras sterlinas
Vende se no escriptorio de Percira Caraeiro
C, ra do Gommercio n. 6._________________
Boa compra
Travessa do Pombal n. 11 (taverna) vende-se
a armacao, carantindose a chave ; a tratar com
o tenente Evaristo de Souza. ^^^^^^^^^
Vende-se
urna casa terrea em boa localidade, no bairro da
Boa Vista, e ums parte no engenho Desterro,
freguezia de Iguarass ; a tratar com o Sr. te-
nente Evaristo de Souza, A ra do Socego.
idas j
fm
anros,
felpudas com
#000, a duzia
neezes, s 60(
cremes e ma-
Farello de caroco de algo-
dao
J conhecido como o raeihor e mais nutritivo
alimento para animaes ; vende-se ra do Bom
Jess h. 38, 1- andar.
Grande sortimento
ellucia.
pulseiras americanas
o par.
Ditas de phantasia, gosto moderno,
25500 a 35000 o par.
Cortinados todos de croenet para cama 1
125000, 175000 e 195000 o par, algn.
de cores.
Ditos para anellas a 75000.
Pannos de crochet para cadeirasa 800 <
I5OOO.
Ditos para sof a 25000.
LPlastons e regatas de gosto.
Espelhos com tresfcalmos de compriment
a 45000.
Capellas com veo para noiva a 6^000 t
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105
125000.
oucasiM getim para baptisado a 35. 9 <
55000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha o.
melhor.
j.Rend hespanhola de diversas cores.
Bicos brancos e de cores a 25000 a pega
Ditos de seda brancos e de cores.
Lindos ramos de flores a 45000 um.
Collarinhos e punhos celluloide.
Grande sortimento de fitas modernas.
Baleias a 280 rs. a duzia.
Extractos e leos de diversos fabricantes
Linha de machina, claque, a 40 rs. o car
ritel.
Pastas a 15000 e 25000.
Porta-lettras e porta-sedulas a 25000.
Arquetes para chapeos e chape!inas *
15500.
Lindas ritas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25000 t
par. .
Ditas de seda para creanga a 15000.
Dita para moga a 15500 o par.
Grande sortimento de jarros para toilette
sanctuario e consollos.
Lindos lengos de 6eda, gosto moderno.
Grampos dourados para segurar cabellos
Ditos ditos para enfeitar cabega e segura*
chapeo.
Espartilhos para creanga a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000
65000.
Grande sortimento de sabonetes de 200
15500 um.
Estojo com faca, gario e colher, proprit
para creanga.
Bengallas com flauta a 15500.
Meias de II para homens e senhoras.
Linha* dourad par* bier crochet.
Lindas fitas para facha a 25, 35 e 450U
'o metro.
Lindes leques de setim para easamento.
Grande sortimento de leques de setim e
de papel de todas as cores.
Suspensorios americanos a 25000.
Lindos desenhos para talagarga,
Finas carteiras para algibeira de 15, 2
3 e 35500 nma.
Liquidando os artigos se-
guintes !
ana Duque de Casias
Merinos de todas as cores a 200 rs. o co-
vado.
Lindo sortimento de alpacas modernas a
400 rs. o dito..
Zefiros de quadros a 80, 100 e 160 rs.
o dito,
detones francezas com 1 metro de largu-
ra a 280 o dito.
Nansuks, cores firmes a 100 e 160.
Fustoes brancos bordados a 360 e 440 o
dito.
Bramantes de algodSo a 700, 800 e 15000
metro.
IdCItl u lliui, supeiiur a iuiai o iio.
Atoalhado bordado a 15200 o dito.
Superior madapolao americano com 24
. jardas por 65000 a pega.
Algodoes da corte, o melhor a 35500
45000 e 55000 a dita.
Cambraias bordadas finissimas a 45000 a
dita,
dem Victoria com 10 jardas a 25800. de
EsguiSo de algodao a 45000 a dita.
Ricas. guarnig5es de crochets a 75000 e
85000.
Cortinados bordados, novos desenhos a
65000 e 85000 o par.
Toalhas superiores, muito grandes a 45000
a duzia.
Meias inglczas a 35000, 45000 e 65000 a
dita.
Seroulas bordadas de bramaate a 145000
a dita.
Camisas francezas e inglezas a 365000 a
dita.
Guardanapossuperiores a 25000 e 55000 a
dita.
Cobertas de ganga, 2 pannos a 25800
urna.
Lenges de bramante a 15800.
Colxas francezas,-de cores 25000.
Manthas e fichs a 15000, 15200 e 15500
Chales de la a 25OOO, cachemira, grandes a
35OOO.
Redes de cores a 35000 urna.
Cobertores de la brancos a 25400 um.
Cassinetas para roupas de meninos a 200
rs. o covado.
Casimiras diagonal, 2 larguras a 15400
e 15800 idem.
Flanella azul ingleza a 15200 e 25000
idem.
Cheviots superiores a 35200 e 35500 o
dito.
Damascos do la para capas de pianos a
25000 o dito.
Pannos ara mesas, novo gosto a 15100
imOO e 15800.
Espartilhos, luvas, grinaldas para noi-
vas, lengos de linho, baratissimo e muito
artigos que vendemos por preess sem com-
petencia.
Ra Duque de Cavias n. lili.
LOJA DE
PEREIRA & MAGALHES
\ LOJA MA)| BARATEIRA
pa.R'z Cmbrica
- AZEVEDO, IRMO & .
16Ru* do B. da Victoria16
200Tdephone20O
Tendo recebido directamente da Europs
grande sortimento de fazendas e mod3s o
que ha de mais novo c preros sem com-
petencia.
A saber;
Capas do surah, senda c merino.
Renda pre^a, diversas qualidades.
Etamiries, pretos, de la e la seda. *f
Damasp de seda paca.
. Merinos pretas de 800, 15000 e,U||fl
Crinoline preta e branca a 400.'
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.v
Bramante de linho a 15500, eo;
palmos.
Toalhas para banho a 15000 e 15500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs
Ditas de l e seda 2 larguras a 15000
Madapolao trangado a 95U00 a pega.
Dito globo a 75OOO a dita
Dito camiseiro a 75000.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 65000.
Fichs de 13 e seda 15000.
Brins de linho c0 es ixes a 600.
Espartilhos couraga a 45000 e 5500Q.
Colchas de fustao a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com veo bordado
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de aaia a 15500.
Renda de la, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira esteira para forro de flftls
a I5OOO.
Camisas de flanella a 55000.
Cortinados de crochet pera cama *
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
GuarnicSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, braucos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luva3 de seda a 25000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite"
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
*
DECAPITADA
POR
F. BU BOISGOBEY
(Continuagao do n. 160)
VI
A Sra. Courtois achava muito demasia-
damente amavel o tal juiz formador da cul-
pa, verificando mais urna vez que mesmo
os personagens mais graves tm sempre
onsideragoes particulares para urna mu-
fcer bonita.
Grisaille, esse, ochava que o Sr. Fran-
eastel tinha consideragoes de mais. Abste-
ve-se de exprimir essa opiniao, mas cs-
tendeu os labios e carregou o sobr'olho.
O velho escrivao remechla-se ns cadeira
pareca commovido, talvez porque co-
nhecesse melhor do que Grisaille as in-
tengoes secretas do Sr. Fromental.
O conde, em p perto da sobrinha, con-
tinuoa a faUar-lhe abaixando*'a voz. como
e receiasae que os asistentes se puzes-
sem de repente a comprehender o grego o
tlelena respondia-lhe por signaos, fixando
olhos ne'
O juiz fez correr, as argolas do repos-
gabinote do
qu iisraavo sen
Om 0 gf:
pareca nao
anto a le
propriamente a palavra, porque se via l
tar.to como em urna adega,mas parou.
Nao receie entrar, disse-lhe o Sr.
Francastcl. Vou dar luz ao quarto. Por
aqui, Sr. conde... o canap est iua
direita... o senhor basta seguir-me....
ahi est muito^ bem, pego-lhe apenas um
segundo.
Que di abo de "idea tem o Sr. juiz de
jogar s escondidas com as testemunhas,
disse rindo a modista, que nSo fazia cere-
monias para dizer o que pensava.
Grisaille deitou-lhe um olhar irado e
provavelmente teria-lhe ordenado que se
calasse, se elle proprio nao cstivesse mui-
to sorprendido com o que se passava.
Pilois, cada vez mais perturbado, tinb
ficdp com a penna suspensa, com os olbws
fixos e ouvido attento.
Estabeleoeu-se silencio no gabinetesi-
nho.
Helena, naturalmente, nao dizia pala-
vra.
O tio e o Sr. Francastel, que nao eram
mudos, tambem nao diziam nada.
Para recuperar a palavra o Sr. Borodi-
no esperava sem duvida que o juiz for-
mador da culpa dsse claridade, como aca-
bava de annunciar.
Na escuridao a gente n5o tem yontade
de fallar.
E o juiz que fazia tanto empenho em
esclarecer o mysterio da ra Berton, nao
tinha pressa de clarear o ooudoir.
Finalmente ouvio se o barulho da ja-
nella que ello abria e a sua voz que di-
zia :
Agora,, necessario s# empurrar as
portas... e vamos ficar inundados de luz.
0*uer que o ajude ? perguntouo con-
de em um tom que trahia a sua impa-
cient
Obrigado... ioutl... as ferrag
desta janella de peo estao enfei
te tenho punht
feaL
S ; fo-
Vinho puro de Santa-
rem
Da quinta de Barral
Chegou a segunda remessa deste especial vi
nho para o armaem centra' de generes alimea
icios ra do Cabuga n. it, o qual so torna
recommendado por er puro da uva.
Joaquim ChristovSo & C
Telepbune44V
UlCIllC.
nao tra
Ra Duque de Cavias n. 103
WBISf
RoyalBiend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Illend marca Viade,
cujo nome e emblema sSo registrados pars
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
pela porta de communicagao peuetrou ate E accrcentou por entre dentes :
o gabinete. Ora aqui est urna fantasa de carna-
Um segundo depois, os que tinham alli val|!... Comtanto que eu ache os colche
ficado ouviram um grito despedagader,om tes... nao tem collete... menos urna
grito de mulher. cousa que tem de tirar.
Grisaille, Pilois c Lucia Courtois le- Nao, aqui, pego-lhe, interrompeu" o
vantaram-se como um s homem. Sr. Francastel. O gabinete do meu col-
O policial e a modista correram para a lega est ivre... a porta da frente do
porta de communicagao ; o escrivSo dei- corredor... Grisaille, chame um serven-
xou-se cahir de novo na cadeira, agitando te, ajude-a a por l essa moga e mande
os bragos. 0 chamar um medico... esta senhora acom-
O grito tinha-o assustado,', mas elle es- panha-o... J nao tenho precisSo della.
perava por isso e sabia o que aquillo sig- Naquella occasiao a Sra. Courtois4#io a
nificava. cabega da morta e exclamou :
A modista foi a primeira que chegou ao Que horror Ah j nao me admi-
aoudam, persuadida que violentavam a ro que essa menina perdesse os sentidos...
mora que tanto se parecia com a condess eu que nao quero icar aqui... com toda
Irene e rasolvida d,efendei-a. certeza ficava ti.da a noite a sonhar com
O que ella vio, nao a socegou inteira- est3 cabega.
mente. A seofcora pode ir-se embora. Em-
elena cabida nos bragos do Sr. Fran- quanto ao 4p> conde, pego-lhe que fique,
tinha perdido. os sentidos e o tio tenho varias perguntas que lhe fazer.
atava de a soccorrer. Quando me tiver respondido pode se ir
Voltava-lhe mesmo as costas. embora.
Tinha ficado petrificado diantc da cabe- O conde incliaou-se sem responder. Es-
ga da morta, posta debaixo de urna man- tava muito pallido, mas nao tinha perdido
ga de vidro, como os pndulos de outro o sangue fri.
tempo, sobre urna columna solada no meio Nao mostrou mesmo desejo de acompa-
do gabinete. nhar a sobrinha, que levavam para outro
Logo que as janellas de pao se abriram gabinete,
do repente, a luz illuminou em cheio Lqgo a tornar a ver, disse o br.
aquella cabega lvida e o effeito ainda im- Francastel.
pressionava mais do que na Morgue. Quando -tomaram da novo os seus luga-
Entrando, Grisaille vio-a e nao teve pre- res no gabinete,, onde j nao havia senao
cisSo de pedir ao jus a explicagSo d- o escrivao, Borodino nao esperou que o
quella scena. magistrado lhe interrogasse.
Tinha comprehendido e admiraya de si Sr. juiz, coraegou elle com tom sec-
para si o hbil magistrado que a tinha co e voz segura, ha de me permittir que
preparado de antcinao e habilmeille coa-, roteste contra o processo que acaba de
duzido at o ultimo momento. Ippregur, nao sei com que fim, porque
A --'ourt nao t nha visto^H toonho quo nao tinha tengSo de matar
Helena desmaiada e correu para ella J^M nha sobrinha...' e ella a morrendo 1
ao s as mulheres o sabeid
lo seu sexo.
Deixe-a commigo Eu entendo de
es, gritn ella para o juiz, que nlo
ostava que ella lhe viesse em
nplesmente ao velho que
ano traga agua, emquanl
desabotoo o vestido.
que m>
me attribua crimejr absurdos e
irrogue, como se eu fosse um
oudireitode magistrado....
iao senhor acaba de exhor-
elhante ^prova
Pao centeio
Mello 4 Bisel, avisam ao respeitavel publico,
qfce todas as tercas e sextas-feiras, tem este s
noroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Movis
Na casa n. 183 ra Imperial, vende-se ba-
rato dous guarda- vestidos e urna cama para ca-
sal, tudo novo em folha, de superior qualidade
e estylo moderno.
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo
go depois das casas noyas da direita, vende-s*
todos os das leite puro de vaccas tourinas e d;
trra, garante-se a qualidade do leite.
B
oa acquisigao
Vende-se ou arrenda-se um bom sitio na es-
trada nova de Agua Fra Beberibe, perto da
estacao da Encruzilbada, contendo casa com
bons commodos para familia, mais urna casa
para negocio, um parreiral, coqueiros, sapotisei-
ros, laranjeiras, fructa-pao e outras fructeiras,
boa cacimba com ssua potavel e terreno para
plantages de hortalices ; a tratar na ra Duque
de Caxias n. 30, padaria de Beiro & Almeida.
Muita attencao
Na ra da Imperatriz n. 80, vende-se sapa-
tos de felpos para fro a 6(i0 rs. o par, c de
criangas a 300 rs.
O senhor eom certeza tinha preparado
aquella ignobil exhibig.So.
Concordo nisso e foi o senhor quem
suggerio a idea de Ja utilisar... em pro-
voito de sua sobrinha.
NSo comprehendo esse gracejo.
Nao me disse, o senhor ainda agora
que urna commogao violenta lhe restitniria
a faculdade de fallar, que ella perdeu em
consequencia de um susto repentino ? Ti-
ve vontade de experimentar.
E foi para fazer essa experiencia que
mandou trazer para aqui a cabega daquella
infeliz ?
Para isso e tambem para saber se a
sua sobrinho a conhecia. Est feita a ex-
Iperiencia.
E porque a pobre menina desmaiou
vendo-a, o senhor conclue que ella conhe-
cera a morta em vida... Isso ir muito
longe, Sr.' juiz Helena desmaiou com
horror, com repugnancia. Eu mesmo, eu
que sou homem, l'echei os olhos para nao
ver aquello horrivel espectculo.
Entretanto, supponho que o senhor
tambem nao conhece a decaptr.da.
NSo, senhor.
Mas deve ter ficado irapressionado
coai a semelhanga.
Quas qua nao olhei para aquelle pe-
dago de cadver. Nlo pensei senao em
Helena.
E o senhor deve estar satisfeito. A
experiencia deu bom resultado. A sua so-
brinha est curada. J nao muda.
O senhor graceja commigo ? perguu-
tou com raiva Borodino.
Deus me livre de tal, Sr. conde!
Eu nunca me atrevo a gracejar no exer-
cicio das mnhas funcgBes. Mas affirmo
que a menina Helena failou... nSo muito
alto ; persebo porque o senhor nao ou-
vio : porque nSo estava perto deila; mas
eu, que a segurava nos' bracos, apanhei
perfeitamente as palavrae que ella pro-
nunciou.
Sim... ento o qu disse ella ?
pprqno se expri-
A ttencao
Vende-se a taverna sita ra do Bom Jess,
antiga da Cruz n. 53, com pouco capital, propria
para principiante, beri afreguezada ; a tratar na
mesma.
1
Chegaram!
Superiores camisas portuguezas peito de li-
nho, duzia 425000
Kicos cortes de cambraia bordados 10^000.
Bonito3 cortes de cretone com ligurinos 9s$.
Superiores toalhas acolxoadas, duzia 41500.
Guardanapos de franjas bons, duzia 1 #600.
Casemiras inglezas de cores com duas largu
ras, covado 23800.
E outras muitas fazendas que se vendem por
todo prego para acabar.
Ra Duque de Caxias n. 49
IM DO TRONO
BASTOS & f.
'' .,-..-,
Attencao
Vende-se bons predios em boas ras, que se
recommendam pelas boas localidades e renda
certa, 8o ,os caixes sitos ra Mrquez do
Henal ns. 35 e 37, oceupados com negocio, cas
importantet casas de morada: urna sita ra da
Palma n. 25, e outra ra da Conceigo n. 12 :
a tratar na ra da Conceiro n. 38, das 3 s 6
horas da tarde.
decorei as palavras e espero que o senhor
mas possa explicar; ella disse rpida-
mente e com voz iraca, mas multo dia-
tinctamente...
O que ?
Ella disse : t adelphi movt... tres
palavras sem mais nada... que signifi-
cam ?
NSo significam absolutamente nada.
Murmurou, mas que nSo tinham nenhum
sentido e o senhor imaginou que ella fal
lou.
Nao creio que me tenha engaado...
e pareceu-me que era grego... adelphi
tem urna physionomia perfeitamente hele-
nica.
Ha ein Londres o theatro d'Adelphi
ha nos Estados-Unidos a cidade de Phila
delphia, re-mungou o tio. "'Eu estou cer-
to que minha sobrinha nunca ouvio fallar
nisso. ,
Emfim, quando ella voltar a si sa
beremos o que a cousa Hei de pedirr
lhe que a interrogue. Veremos se ella
lhe responde.
Perfeitamente, senhor, disse Boro-
dino, um pouco melhor daquella prtur-
bagSo passageira. Quanto mais cedo, me-
lhor, e pego-lhe que me, ponduza para per-
to della. Se tem oiras confrontagoes
para lhe impr, pegoyl^ que as ade para
outro dia. Nervosa e iraca como He-
lena nao supportaria nesta occafeiSo novas
coLimogoes. /
. EmqUanto a isso nao ha a'mordu- \
vida, /senhor. A continuagSo fica.'
amanha e o senhor pode levar a sui
brinb logo que ella esteia no caso di
kr" l
t Mi! Justamente, al* yem o Sr. r
3aille bue nos vai dar noticias della. r~.
t E( entSo? perguntou o Sr. Franci _
ao agante quo respondeu :
NSo ha de ser nada. Deixei-ai las
maos to medico, que afianca que d
um qiarto de hora, ella est perfeit
te boi. Entretanto passa-
muitaicuriosa...
V


n
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELN3FSQYU_DLJQWF INGEST_TIME 2014-05-19T18:06:31Z PACKAGE AA00011611_19164
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES